Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10112


This item is only available as the following downloads:


Full Text


4
>*.
'
AMO XL. HOMERO 10.
Por tres Bienes adiaiitados 5$000
Par iif.s nie:es vmcidts 6$o0
Porte ao corroio por tres mezes. 5-750

QUINTA FEIRA 14 DE JANEIRO DE 1864.
Por anno abantado.....19JJ00O
Porte ao corrcio por um anno 3$00U
ENCARREGADOS DA SIBSCKIPCAO NO NOKTE
Parahyba, o Sr. Antonio Alexandrino de Linu.'
Natal, o Sr. Amonio Marques da Silva; Aracatv, o
Sr. A. de Lomos Braga; Cear, o Sr. J. Jos' de
Olivara; Maranho. o Sr. Joaquim Marques Bo-
drigoes; Pira, os Srs. Manoel Pinheiro & C; A-
mazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
ENCARBKGADOS DA SFBSCRiPCAO NO SO,
Alagas, o Sr. Claudino Falro Dias; Babia, i)
Sr. Jos Marlins Alves; Hio de Janeiro, os Srs. Pe-
reiri Marlins c\ Gasparino.
PATIDA DOS ESTAFETAS.
Olinda, Cai.o e Eseada todos os dias.
Iguarassu', Goyanna e Parahyba as segundas e
sextas-feiras.
Santo Antao, Grvala, Bezcrros, Bonito, Caruarn*,
Allinho e Garanhuns as torca; feiras.
Pao d'Aiho, Nazareth, Limoeiro, Brejn, Pesqueira.
Ingaz.'ira, Flores, Villa Bella,facrate*, Calimb,
Boa Vista, Ourrury e Exu as quartas feiras.
SennhVm, Rio Formbso, Taniandar, l'na, Barrei-
ros, Agua Preta e Pimonteiras as quintas feiras.
lha de Fernando todas as vezes que para ali sahir
navio.
Todos os estafetas partem ao '/i dia.
EPHEMEBIDES DO MFZ DE JANEIRO.
2 Quarto ming. as B h., 18 m. e 20 s. da m.
9 La nova as B h., 2."i m. e fW s. da m.
1'! Quarto rese, as 8 h., U m. e ti s. da t
21 Loa cheia as 7 ti., VI m. e 14 s. da t.
PREAMAR DE ITOJB.
Prmeira as 7 horas e 42 minutos da manha
Segunda as 8 horas e ti minutos da larde.
pacida DOS VAPOKES COSTEIROS.
Para o sui al6 Alagoas a 5 e15; para o norte at
a Granja '* e "e ca('i mn; fara E,'rn'1do nos
dias 14 dos meses db i;'"-,n;,r'.'- nwtojul, t euov.
i'AHTID J'^ OMMItl S.
Para o Recife. : do Apipn.""s 6 Vfc'i 7 V* 8 e
81/. da a.; de Olinda as 8 Jaboalo as 6 '/? da m.; do Cawu?* e \arzea as 7
da m.; de Henifica s8 dam. .
Do Recife' : para o Apipueos 3 '/?. %'*'
5'/.. 5 >/j e 6 da urde; para Olir.da "i "da
anhaa e i "2 da larde; para Jnboatao as 4 da u?r"
I
ma
de para Carhang e Varzea s 4 '/i da larde; para
trafica s i da tarde.
AUDIENCIA DOS TR1BUNABS DA CAPITAL.
Tribunal do comnwcio: segundas e quintas.
Relacao: tercas e sabbados s 10 horas.
Fazeuda: quintas s 10 horas.
Juizo do coinmercio: segundas s 11 horas.
Dito de orphos: tareas e senas s 10 horas.
Primeira vara do civel : tercas e sextas ao meio
da.
Segunda vara do civel: quartas e sabbados a 1 hora
da tarde.
DIAS DA SEMANA.
11. Segunda. S. Hypin p. m.; S. Salvio m.
12. Terca. S. Satyro m. ;Ss. Arcadio e Zoticomm.
13. Quarta. Ss. Hermillo e Straconio mm.
Ii. QuinU S. Flix m.; S. Maerna v.
15. Sexta. S. Amaro ab.; S. Seeundina v. im
16. Sabbado. Ss. Berardo, Acurcio, Othon mm.
17. Domingo. S. Agatdo ab.; S. Eleusippo m.
ASSIGNA-SE
no Recife, em a llvraria da praea da Independencia
ns. 6 e 8, dos propietarios Manoel Figueiroa d
Fari!. & Filho.
PARTE OFFICIAL.
UOllAMO DAS VISMiS.

Qnarlel general do cominando das armas de Per-
nambuco, na cidadr do llecifc, 12 de Janeiro
de 1801.
Orilem do da n. 284.
O general eommandante das armas faz publico,
I para os fins ronvenientes, que a presidencia ein
Portara. O presidente da provincia tomando bem do servico publico demiiliu por portara de o
em considerarn as raides rom que Carlos Luiz desle mez, do emprego de eacrivao do almoxarifa-
Cambronne, requereu que o prazo fixado no arito) do do presidio de Fernando qSr. tenente doexer-
30 de contrato, que celebrou eom o governo da rito reformado Henriquc Tiberio Capislrano, e no-
jirovineia em 25 de sotembro de 1858, para o ser nieia para o substituir no dito emprego o cidado
mam da provincia.
Condonarn dt expediente do dia 9 de Janeiro
de 1861.
vico da limpeza e eseoamento das aguas servida?
das osas desla eidade, se eonle da data da lei pro
vineial n. 552, de 20 de abril do anno prximo fin
do, que tornou ohrigatorio para lodos, o svstema
adoptado pela empreza, e altendendo que, nao seria
justo que o mesmo emprezario, antes da promulga
ci dessa lei, que veio interpretar o artigo 44 di
seu contrito, lizesse des|iezas eonsideraveis come
as que exigem irabalhos da natureza dos da sus
empresa, e que o seriam em seu prejuizo, se. fosse
Jos Antonio de Moraes.
O mesmo general competentemente autorisado
pela sobredita presidencia em ollleio de 9 do tor-
rente, exonera nosta data do lugar de ajudante do
mesmo presidio o Sr. segundo lente reformado
Jos Rabello Padilha, o qual nao obstante conti-
nuar a ser empregado all como mais convier ao
servico, e nomeia para oceupar interinamente o
mencionado lugar o Sr. alteres do nono batalhao
de infamara Estevao Jos Ferraz.
por ventura declarado pennissivo e nao obrgato- Finalmente declara que approvou o engajamento
rio o servico contralado, e considerando mais me, que a 8 deste mez centrahio para servir por mais
Onwra havida nao s a este respeiio, mas tam- seis annos, nos termos do decreto e regulamento
lx-m ?m rolacao a isenco dos direitos. peraes des do de maio de 1858, precedendo inspeccao de
objeelos importados, para a empreza, nao devem sade. o soldado da stima companhia do segundo
le sua parte nao negligenciou em promov-la, Ii- conforme participou o respectivo Sr. eommandante
nalm -nte que nenhum inconveniente ha emser de-, em oflleio n. 20 da citada data.
erida a sua pretenro, resolve que, o praso marca- Assiguado.Solidonio Jos Antonio Pereira do
do no artigo 30 do sobredito contrato para o come- Lago.
co e cooelusao dos irabalhos da empreza, principie Additamcnlo a trata d) din n. 284.
a eonlar-se da data da ja citada lei provincial n. O general eommandante das armas eonscio da
J tinlia partido do porto desta eidade eom tudo, Depois d'amanha se extra-hr a 9' parte
quanlo loi possivel preparar em um momento o da 3 mtern do Gymnasio PernamiHieaeol. 8" m-
inspector interino da alfande^a, quando i'neonlrou- eessao;.
se eom oMammtHape, que enlrava, e refera, quo Honlein tarde, indo o Africano lirre de n-
O Jatjiiiiribe nao eslava encalhado, e m fundeali me Tbom banhar-se no rio Capilnrihe, no porto
para fazer eertos reparos.de que necessilava, e se- do Chacn, afogou-se, e foram sem proveilo as di-
pmr. apenas os lizesse. ligenctas embregadas para tira-lo dagua, |>is a
Aastm fot;e pelas 0 horas da larde segoio m> *aeoppm a fona da em-henie da maro, sendo
nimbo do norte, para onde Dos seguramente o que ainda rtao havi sido encontrado o cadver de
levara, por que Dos proteje sempre as constas dito Africano.
tos*- Em cumprimento do aviso do ministerio do
A esle sobresali ancioso seguio-se a maior ale- imperio de 22 de dezembro prximo findo, man
gria, porque hoje n3o ha. quem deixc de lastimar doo-se cessar o descont qu
quaesquer perdas, quesoffraa companhia Pernam- estado se reeebia dos enqiregad
bucana, que tantos beneficios tem feilo esla pro- eidade.
vineia ; assim como ninguem deixava de sentir, Mandou-se alistar na companhia de aprendi-
que um tal sinislro se dssis sob o commando do zes do arsenal de guerra, quando bouver vaga, o
Sr. Manoel Joaquim Lnbalo, que por suas honda- menor Manoel Luiz Gomes Ferreira.
des, e pela delicadeza de suas maneiras, ha con- Concedeu-se. por assim o haver pedido, bai-
quislado iodos o corac5es,e as mais pronunciadas xa do enrpo de polica ao soldado Jos Jernimo
s>mpathias.
ra da Corire.:;.o, Venceslao Jos Baplisla c Anto-
nio Goncalvcs,
I'assagifiros do blata) nacional Krhalwvo,
viudo do Aracatv : Manoel Alves Lessa e Ma-
noel de Lemos- Ferreira.
OBITUARIO BO DIA 11 DK JYKKIIW .10 CKMITEtllO
PUBLICO :
Izidoro, Pernambueo, 7 das, Recife, convulsoes.
Joao. eseravo, frica, :i annos, solteiro, Sanio An-
tonio, inll.iinmaco nos orgaos respiratorios.
Jo.io, eseravo, frica, 50 annos, solleiro, Santo An-
tonio, erysi|iella.
, por que hoje niio ha. quem deixc de lastimar doo-se cessar o descont que para as urgencias do Mara, osera va, Pernambueo, 7 dias, Santo Anto-
nsquer perdas, quesqffraa companhia Pernam- estado se reeebia dos empregados do correio desla nio, espasmo.
Mara, Pernambueo, 5 annos, Santo Antonio, ence-
plialiie.
Mara, Pernambueo, 21 dias, Boa-Vista, hemor-
ragia.
Maria Rufina de Jess, Pernambueo, 21) annos, sol-
teira, Boa-Vista, phtysiea.
d^ Vasconcellos, assim como mandou-se alistar no Manoel, eseravo, Pernambueo, 2 mezes, S. Jos,
mesmo coreo as pananos Casimiro Alves de Souza eneephalite.
Parabyba, 11 de Janeiro.
Bem falta de nteresse vai esla minha primeira
missiva ; porquanto alm de serem aqui os acn-
e Albino Gomes Coutinho.
Foram designados os professores padre Mi-
guel Vieira de Barros Marreca e Geminiano Joa-
quim de Miranda, para examinaren! no concurso
tecimentos, dignos de urna correspondencia, em que se vai proceder para precnchimento das ca-
pequena escala, acresce que estamos em tempo de deiras vagas do sexo bniinino.
festa, a que sempre traz certa paralisaco nos ne- Pormiltio-se, pedido dos capitaes Caetano
gocios da trra Correa de Queiroz Monteiro e Joaquim de Barros
A poltica mesma, que nunca deixa de fornerer Correa de Oueroz, da 6' e 7' companhias do bata-
assumplo para escrever-se. acha-se entre nos como jho n. 2.1 de infamara da guarda nacional de
Santo
que amortecida, c em ferias, na expectativa do
que sorlir da reunan das cmaras. Ninguem
exr-encao de um ou oulro exaltado, atrove-se en-
Santo Antao, trocaren! entre si de companhias.
Foram concedidas as liceneas seguintes :
Ao amanuense da Ihesouran provincial l'lys-
ses Justiniano de Oliveira 2 mezes eom vencimen-
551 de 20 de abril do auno prximo findo.-Commu- conveniencia e palpitante necessidade' de haver no j %T- l^on,lianca.0 futuro' 1ue ',ro.ximo disil'u- .
nieou-se cmara municipal do Recife. presidio de Fernando um ofBcial que sirva de ma-! J" np,0^os' rendo as cousas ao pe em que de- tos para tratar de sua saude.
11 jor da praea, nao s para fiscalisar todo o servico e! V^minnm .niti
Orticio ao brlgadeiro eommandante das armas. cstabelccimentos do presidio, como para roadjuvar: _.^"""uam- enireanio,
Tendj transferido para o dia 19 do eorrenle ao o respectivo eommandante nos scus laboriosos ira-,'' j "r*"...?*11
mel da a reuniao da junta, que cm ultima instan- balhos e fazer cumprir lodas as suas ordens, no. i ia" "V>'""n con,a,xao-
ca tem de-julgar e soldado do corpo de polica, meia para servir interinamente o referido empre-! T f.cm..res.umo ^cl Pol,"co Jo luar:
os jornaes, orgos dos
latem, se guerrearen!
Francisco Jos de Sanl'Anna, assim o communico go de major da praea o Sr. c^jiitao do segundo ha- nr;n,.^i
V. E:ie., alim de que faca constar aos officiaes de- Ulhao de infamara Antonio Maria de Castro Del- j {,,m! H *i *
siitnados para fazerem parte da mesma junta. gado, Picando esta nomeacao dependente de appro-1 ^ap?,inm
Comiuunicou-se ao l)r. juz de direilo da primeira vacio do governo.
vara. As'
Dito ao mesmo.Tendo companhia de nave- Lnijn.
gaco cosleira de fazer seguir brevemente para o Conforme.Jos Ignacio de .Vedi-iros Reg Man
presidio de Fernando o vajwr Mamanguape; assim tetro, capilao encarregado do delalhe.
o declaro V. Exc, alim de que, se sirva de man- _________
Xo dia 10 do eorrenle enrerrou a assembla
eus Irabalhos, tendo feilo pouco,
dar apresentar as pracas, presos e objectos que os- \
tiverem destinados para alli.-No mesmo sentido
offlciou-se ao Dr. chefe de polica, ao juiz munici-
pal da primeira vara, e Ihesouraria de fa-
zenda.
Dilo ao Dr. chefe de polica. Mande V. S. por
em liberdade, se estverem sua disposiciio, os re-
erntas Jos Luiz, Isidoro de tal, e Manoel Alexan-
dre, remedidos pelo subdelegado do dislriclo de
Duas Barras, vislo que sao trabajadores da estra-
da de furro, como declarou o respectivo fiscal.
Dito ao inspector da Ihesouraria de fazenda.
Transmiti a V. S. para os fins convenientes, a in
Ao guarda da alfandega desta eidade, Epami-
nondas Marianno de Souza Gouveia 3 mezes eom
o respectivo sold |>ara o mesmo liin
Ao solliciador de capellas, residuos, e ausentes
deste termo, Domingos Jos Marques, um mez,
para tratar lambem de sua saude.
Teve hontein lugar o concurso para provi-
eostume todas as assemMaa provin- ment das cnleiras vagas de instruejao elementar
ciaes do imperio, pelos iuleresses da provincia, e do sexo feminino.
As A m ido. Sol.domo Jos Antomo Ptreua do K ):m ^ ^ ^^ insl,uic5o ,enha chlJga(ll) 8Mto ,,,,_ Fr;H1(T,in;l Cesarin;l e Maria do H,)sa.
entre nos tal estado! rio Pinheiro.
Creou-se nma nova comarca, comjiosta do termo ; No dia 11 do crrenle abriram-se os irabalhos
de Mamanguape, desligado da comarca na capital, lectivos do Cotlegm de S. Bernarda, comegando a
e da villa da Independencia, que pertencia de funecionar as respectivas aulas.
Bananeiras. ficando esta eom Cuit, e reunindo-se | No pateojdo Terco, em urna obra que all ora
do Brejo de Areia o termo de Campia-Grande. ; se construe, estando hontem o respectivo meslre
Reorganisou-se tambem o corpo de polica, ele- em um dos andamies, cahi de um outro superior
INTERIOR.
(OKRINPOVDlVtlt DO DIA-
RIO ik i-iirivuiiiio.
BIO tllAMIi: DO >OIIIH.
\aUl, 9 de Janeiro.
t vaode-se o numero de offlciaes, e dando-se ao eom- sobrejum lado da caneca delle urna tina de cal, re-
mandante a calhegoria de major, de que pela anli- sudando disto ser essa
parte offendida eom una
ga organisaeo gosava este funecionario. fractura, de que, felizmente, nao ha a receiar con-
Alm destas duas medidas nenhuma mais de sequencias.
importancia realisou a assembla durante a legis- Da Imperatnz, provincia do Rio-Grande do
! lalura linda. Norte, escrevem-nos, tm data de 2 do eorrenle, o
Funccionou o jury da capital, tendo comeea- qe-t segu :
do seus trabamos no da 10. Apenas foram sub-; Escrevo para dizer-lbe que o ultimo Diario.
Mmto jmn annos Ihedesejo; que quanto a mim medidos julgamento dous processos de pouca fir-
clusa copiado contrato celebrado em 28 de oulu- Zl'Vco^ZZ" [>Zil^ 7Zl "" &!*& ^'^ ""''"' "ommen "
----------;_.-------k_jt. j. i:.... 0>. e Poggi, juiz municipal supplf nte. serv
12
Rosa, escrava, frica, 80 annos, solteira,
Aiitsnio, rheumatimo articular.
Joo Felippe da Costa, Pernambueo, 32 annos, viu-
vo, Boa-Vista, febre perniciosa.
Joaquim, Pernambueo, 8 mezes, Santo Antonio, con-
vulso^.
13
Joo de Deus do Rosario, Pernambueo, 50 anuos,
solleiro, Recife, febre amarella.
Antonia Francisca da Conceie.io, Pernambueo, 78
annos, solteira, S. Jos, nterte chronica.
Theodolina Maria do Espirito Santo Mello, Pernam-
bueo, 25 annos, casada, Beberibe, phlysica pul-
onar.
calmara podre; e se nao fora a motor interino o Dr". Joaquim Moreira
_. Na-1 Esi correndo contra o Dr. Babel lo. e outros tanto mais lensivel quanto por
tlense, em que indelTeciivflmenie sao coberlos de camaristas, que illegalmente reumram-se em ses- municac.ies e noticias so rari
dante das armas.
Dito ao mesmo.Devolvendo V.
que acorapanharam o seu otnco n. 4 de 4 do cor
rente lenho dizer-lbe em resposta que me pa-
rece de juslica a sua decisao em sessao dessa the-
son rana, declarando que se nao devia proceder a
descont nos vencimenlos do primeiro ciruruic
do cor|K) de sade da armada Dr. Pamplnlio Ma-
nuel Perreira de Carvalho, relativamente aos pou-
tados.
este centro as eom
rarissimas. Cabe bem
aqui o dictadoEm cima de queda, couce I
O correio publico coslumava cliegar esta
eidade nos dias 5 c 20 de cada mez; e no mez de
outubro s chegou urna vez. no dia 25 ; e al esla
dala nem mais una s vez.
Peco-lhe que, ir amor de seu amigo e assig-
nante velho, e mesmo de sua a empreza, reclame
sobre semelhanle abuso e irrcgularidade; pois
trazem grandes iranslornos, difllculdades e
bro do anno prximo Ando, eom o bario do l.ivra
ment, ira a execuciSo da obra do caes entre a publicacio duas vezes (Kir umm o Cmrm a-
ponte da Boa-Visla e a casa de detencio. tlense, em que indeffeciivtdn
Dilo ao mesmo.Nos termos de sua nlormaeao niurias os Srs Drs Olvnthn nrMdonta .. r**t
de hoje, sob n. 15. autonso V. S. a remetter ao col- LX chefe de tX ia interno e en menor Eta ft ??W da C.ar,n"'''''" lU'T d,ploiMS
lector da villa de Flore, or innrine ta.) Aurelio JoalmPimo 'Tnt' d "oSwO ZZTJfTr0**' a* T Dao ,Mver *>'" Wdade, instaurado por denuncia do promolir pu-
i.hjauiuni joai|umi rimo, a quanuaae.t.w"uuo em que conversar, se nao a hora em nue eheeam tilico da rani-.t
para eom ella ir pagando os vencimenlos do res- os vaoores do ul rom a* noiii-a rti ri\rt. i i ..... j
Ulivu dsianraw in ii, n llm d nraro nnuimo j ,- Acha-se tambem responsabilisado por ordem
pecu ro aeiai amento ale o llm ae man prximo a senta passada entre as autoridades policiaes, unerior o Dr Costa Machado inso-i r di ilf in-
viudturo.Commumcou-seaobrigadeirocomman- e outros cmnreiradosamaristis nem nm d.dles h. ,' M'ul,aj' inspector aa airan
j- j "'-^ emm um "'-"es dega, que sem heenca seguio para o Kio, alim de
S osnaneis P??Jd os pape fazendo opposieao ao Sr. Dr. Olyntho, para o obn-
gar demitti-los, c poder-so entilo bradar inverso,
inversao !
D'aqui acontece,
Sr. Dr. Olyntho for
gritara, assim como
c' ,_, .,,_ ,. ... J* que estou tratando de processos, u.iu o
prebende \. perfeita- deixar desap.Tcebido um laclo, que por aqui vai, ; Manoel Joaquim do Espirito Santo, vulgo Quixnba.
do Sr. Dr. i |)em ji,nu j,, atienco. um dos seis criminosos evadidos da cada do Bo-
. quanto nao se decidir a Em dias dl) Illt.z a(lo fo ^uordoado prave.
Ol marinna. queslao, se o Bio Grande do Norte per ence ao go-1 m(.nlt. Iim m....n ...,,n,,rll.I11.1I ...,riu. da miar.
Dito ao eommandante do corpo de polim.-Ao verni) ou ao Sr nr kmarn nlri *r1 .......i,,.^ "1" ^m.m"S^Ut P^t nceu ao corpo de fciiar-
guarda a 42 da terceira companhia da v"
Lana Joaquim Servulo Gramma, mande
Laix:. por incorrigivel.
Dito ao director do arsenal de guerran
do o requcrunenlo de Mana Francisca Ramos, so- nstl.r0i 0 directorio progre--:-- -' ----------
bre que V. S. informou em oflicio n. 203 de 8 do autoridde
eorrenle, o autorise mandar alistar na coinpa- a ca|w.ca
nhia de aprendizes dessa arsenal, quando houve- Sabase, que'o Sr. Dr. Amaro nao era peco, i
rem vagas, os menores Manoel Gomes Teixeira da dizia-sc mesmo, que elle em 1850, ou 51 j havia
que cada urna demissao, que o ,,uanl0 infelizmente elles apenas servem de
rcadu a dar da preiexlo a nova, lear a etaslicidade. de nossas leis, ou antes (
a novos, e desconhecidos opre- gas autoridades em certas occasioes.
ma comprehende '
eos das em que elle esteve doento em sua casa, mcnlCf quanto espinhosa a situaco
visto que nao houve despeza algunia da enfermara olyntho ; e de certo, em quanto nao s
que
Ninguem se engaa eom e resultado destes pro- emharacos communicacao, assim publica, como
cessos, que seria melhor nao se proceder: iwr particular, para cuja facilitaeao, seguranca e |m>u-
"; palen- tualidade foi instituida a reparticao do correio ; c
de nos- j em vao lenbo por vezes levado islo ao conheci-
ment superior,
nao quero No distrclo 'policial de Grvala foi preso
.. ^.. ....., n,i|in u..ucu un o o respectivo processo peranle o delegado em
10 directorio progressisia ale as menores eaereiejo, n.io s lem-so procurado negar por to-
es desla tena, ludo tem sido levado i pao d((S osineios aail,orla do delicio, como al lanca-lo
i aos pes. S0\jTll 0 n.smi) delegado.
gado
maneira censuravel,
nito, que honlein noticiamos.
Pelo juiz muniiip.il de Serinhem foi preso
o prelo Antonio, eseravo de Fructuoso Alves Oas
da Silva, pronunciado no art. 193 do cdigo crimi-
nal, por ter assassinado um seu parceiro 24 de
outubro.
Achando-se fgido o eseravo Malhetis, e ten-
do commetlido diversos furtos, foi perseguido pela
|>olieia. e, resislindo prisao, Hcou ferido eom
Silva e Flix Gomes Teixeira da Silva, lilhos da
supplicanle, urna vez que ella satisfaca as dispos-
coes do artigo 4" do regulamento n. 113 de 3 de
janeare de 1842.
Dilo ao mesmo.Mande V. S. desligar da eom
panlua de aprendizes desse arsenal, c apresenlai
ao bilgadeiro eommandante das armas, alim de le-
rem o conveniente destino, os seis menores indi-
cados na remlo junta, visto estarem compreben
didos as disposiedes do artfto 10 do regulamento
de 3 de Janeiro de 1842, como V. S. declarou em
seu oflicio de 8 do correte. Communicou-se as
brgadeiro eommandante das armas.
Dito ao eommandante superior da guarda nacio-
nal de Olinda e Iguarass.Expeca V. S. suas or-
dens para que urna guarda de honra de algum dos
batalhoes desse commando superior amista aos
actos, da fesla de Nosst Sonriera do Monte, apre
geatM0-M tiara isso em frente da respectiva igre-
ja na manha do dia 17 do crreme, e devendo o
o respeito, a que tem
na exercieo de suas
mandado fazer urna morte l para o termo do Pao
dos Ferros, e pela qual fra proeessado ; ipnorava-
se porm, que fosse tao valente, como se ha mos-
trado de tempo para c.
Velho, e nao tendo mais forja para resistir lu-
las, eu sou de opiniao, e aconselbo, quem me
ouve, que recondenamos o nosso captiveiro e va- ,
mos vi ver em paz eom osenhor, quo Dos nos deu:
as retiradas para o monte-sacro sao proprias s-
menle da rapasiada fogosa ; o se houve um Pala-
dno qucdi.so mallo,Hnicuhsam hbertatem, quem e ^ assim promover alr,)rria escr.ivos sendo
ment ''''''" J***"**"jpaJi debaixo da prolecgo de S. Joo Evange-
c";Cla?- WJV* !fm Chegad df f0ra Sal!"' ''"Merecem-nos sempre muitos louvores, fOCied*
^.I1^. ^i^ U KPa do* l>rogrcssistas para de- des jessa ordem ainda que a experiencia nos
S" c 1 rov,nc,aes h* "bl,d0 Irande ma,or,a de I mostr a pouca duracao, que ellas entre nos costu-
X ,! 3 d"S amaiASaaS'' C0'n, fam0S ^i'101 mam '' Entretanto, fazendo votos para que S.
daapuracao queea20do crreme breve sabe-, Jo5o Eva tls|a desminta o nosso juizo, agrade-
remos o xito hnal deste negocio; isto por quan-1 remos ao Sr l)r G bons dest.jos.
dous tiros euinacutlada, em trras
inconveniente, porque 5. liruz, da freguezia do Cali.
se pona o iniciado as audiencias, repugna a quem Reparticao da polica :
presa e avalla devidamonte
direilo qualquer autoridde
funeccoes.
Algumas testemunlias nosecomportam melhor.
Fique registrado o faci, e moralise-o quem Inrdaii' Manoe Joaquim do Espirito Sano, viudo
quizer ... do Bonito, como criminoso de morte; evadido da
Sob os auspicios do Sr. Dr. Gayso chefe dolcaddndawiellelermo, e Felippe Jos Rayinundo, I
(Extracto da parte do dia 13 de Janeiro).
Foram recolhidos casa de deteneio no dia 12
do eorrenle :
A' ordem do Illm. Sr. Dr. chefe de polica, os
l POUCO DE T000.
Em um baile aristocrtico, dizia um gamonito
da corte sua Ilustre dama :
Minha senhora, V. Exc. a flor mais mimosa
dos jardins fluminenses ; a luz que dissipa as
irevas do meo corarlo ; o imn que atrahe a s
os sorrisos de quantos tem a felicidade de a
ver; .....
Basta, Sr. Dr.; isso modestia de V. S.;
respondeu-lhe a dama. Se V. S. coulina, capaz
de levar-me ao co.
Com V. Exc. irei at ao inferno, retorquio
o cavalneiro soltando urna eslroudosa gargalhada,
que fez dcsapontar a nobre senhora.
Cinco minutos depois, todos os cumprimentos
eram agradecidos com o classi o :
Islo modestia de V. S. I
E' cousa esta boje muito em moda na curte.
De A. Nounsson traduzido o que segu:
PIIESKHVACAO DA MADEIRA VIVA.
Quando se corla a urna arvore um ramo vivo,
que tem chegado grossura de alguns centme-
tros, muito importante, principalmente se urna
con-
ida do
aos
seguintes inconvenientes : a exposicao ao sol e
as alternativas de humidade e de seceura f.izeul-n'a
partir-se em pouco lempo e Ihe preparam a de-
comiKJsicao; um exame de insectos atlrahidos pela
eiva que humedece a recente ferida, adiando
nesta parle una madeira mais toara para os seus
ataques, pousa n'ella e aecelera-lhe a putre-
faeco.
De mais, a seiva quo corre, euconlraudo sabida,
accumula-so em lorno da casca do ra.no cortado,
e atina! forma um bordelelte circular juuco agra-
da vel vista.
A cera de enxerlar dos jardineiros evita no
entretanto perfeiiainente estes inconvenientes; mas,
alm de nem sempre ser possivel te-la mi, ain-
da necessario, para usa-la, dar-se a gente ao tra-
badlo de detela e appliea-la convenienmente.
lia um Mitro uieo preservativo muito mais fcil
de por-se em pralica, e que d excedentes resulta-
dos. Consiste elle snnplesmente no ernprego da
cinza coimnuin moldada na consistencia de urna
papa espessa ; com a qual esl'iega-se por meio de
urna cscova ou de um baloque de hervas, a par-
le recentemenle cortada, ou donde se lirou o
ramo.
Essa cinza penetra tambem por entre todos os
intersticios das libras leuhosas, que a propra chu-
va, resvalando por sobre a madeira que com ella
, estregada nao lira-llie seno a parle superficial e
1 deixa sempre una carnada sufficieiite.
Este simples emboco protector impede a madeira
de radiarse, e sua natureza alcalina affasta os mi-
litares de insectos que, sem esla precaucao viriam
atacar a arvore nesta parle, sendo mesmo mu ra-
ro que ah se elles detenham por instautes.
pan loso tao forte como um trovo; e levantando-se
sobre as patas de traz e ahnndoasdc diante, como
dous bracos de ferro, avancou para esmgalhar o
seu iiiinigo. Ora oeste momento rodeava eu um
rchelo, c quando vi o urso, levantava elle j a
pala soire o meu cantarada, que, pallido e mleiri-
eado como urna estatua, nao esperava roais que o
tiro salvador.
Nao havia que hesitar.
Eu sabia que adrando por traz nao matara o ur-
so e que elle se laucara sobre mm; mas lambem
na |xidia ver matar um homem sem Ihe acudir.
Apontei eutao ao meio dos rins, e no momento
em que as cinco garras do urso se apoiavam j na
carne do visinho, que grilava tambem, houve um
segundo rugido mais retumbante que o primeiro
dado, se possivel, e arrojando-se para traz, do-
brado em dores, lamba o sanguo que corra da
ferida.
Entiio gritei ao meu camarada :
Carrega a tua espingarda ou estou per-
dido I
E dei-lhe o exemplo, tentando carregar a minha.
Mas eslava ainda a medir a plvora, quando ja
o urso cania sobre mim a galope, e aquelle que
eu acabava de salvar, fugia a quanto podia
correr.
Se escapar, Ihe bradei eu, has de ra'o pagar.
E sallando para o lado, eviiei o encontr do ur-
so, dando-lhe ao mesmo tempo urna coronhada na
cabeca.
O animal furioso voltou se, poz-se em p como
um homem, e arrancou-me a espingarda das maos
com urna |iatada c se nao a quebrou como urna
palha, ferro e madeira, porque elle nutra na sua
caneca outras ideas.
Vi bem que se me deixasse agarrar por esta
pata, eslava perdido de todo. Becuei alguns pas-
sos. O urso avancou em p, acenou-me com ou-
tro golpe com a sua fateixa, golpe que eu eviiei
por um movimento para traz, mas que raspando-ine
3uasi pela cara, a ponto do sentir o vente que pro-
uzio, me apanhou o falo e m'o rasgou al ao joe-
Iho. Houve enlo um combate em que toda a des-
vantagem eslava de minha parle, que me adiava
desarmado.
Felizmente era leve, e voltei recuando em volta
do roenedo, contando com o proprio desfalecimen-
to do animal.
Vivirei cein annos, mas sempre me bei de lem-
brar deste grande phanlasma negro, cu jo focinho,
hombros o corpo estavam impregnados de um sau-
gue av.'rmelhado, quo corra sobre elle como urna
cbamma. Em lim, no momento em que elle to-
mava o impulso para fazer um ultimo esforco
afim de me esmgalhar na sua queda, seus ro-
bustos rins, a que minhas bailas tinham quebrado,
se dob.-araui repentinamente; as pernas, que o
tinham at all sustentado, tremeram; e cabindo
sobre o lado, tentou ainda rolar al mira para me
despedazar.
Lomo de crr, nao fiquei com os bracos cru-
zados espera d'elle : apanhei a espingarda que
jazia no chao no meio d'um longo rasto de sangue,
metti-lhc urna carga dubrada, e apoiaudo-a na ca-
beca di) urso, fiz-lhe saltar os milos.
O Sr P. Jnior pede-nos a seguintepublicacao :
EL' olIZERA 1
c Um sorrir... mudo silencio,
Nos olhos meiga expressao
< E' bastante... que a minha'alma
Entende o leu cora^o.
polica da provincia, iuaugurou-se 26 do ailan-
te, urna sociedade de beneficencia, cujo lim inme-
diato o soccorrer s vuvas, e orphos desvalidos,
vindo de S. liento, como recruta.
A' ordem do subdelegado do Recife, Joaquim
Jos da Silva, pardo, por insultos.
A' ordem do de Santo Antonio, Esmerino Jos
dos Santos, branco, para averiguaeoes policacs.
A' ordem do de S. Jos, Justina Maria do Espi-
rito Santo, cabocola. para correccao.
0 chefe da 2* scelo,
J. G. de Mesquita.
Movimenlo da casa de detencao do dia 12 de
Janeiro de 1864.
ios votos urna ganhou sobre a oulra pois que quan-1 A sa|ubridado pub|,a nAl) das mo|hores:
" >"" to ao tnumpho nao e isso mais materia de duvida.
- continua o algodao em seu alto preeo, e, do nt(!nso Tera0i que ^ c reina.
abundancia ; d.zem os layradores, que anda ha A indllslria ;|,Uoeira tem s
muita laa rolher, o a safra ir at (ios de fe ve-1 bastanTe'"avai-se
da mesma fesla.
\)\ i ao eommandante superior da guarda nacio-
nal Oo Bonito.Deferindo o reqnerimenlo do ma-
jor ajudante de ordens desse commando superior,
Jos Francisco Coelho da Silva Vieira, aoloriso V.
S. mandar passar-lhe a guia de que traa o arti-
go 45 do decreto n. 1 LIO de 12 de marco de 1853,
visto ter de transferir a sua residencia para o mu
nicpio de Agua Preta, como V. S. informou em of
llcio de 23 de dezembro ultimo.
Dilo ao coronel reerutador. Mande V. S. pi
em liberdade os recrutas Manoel Franeisco Duarit
e Joo Bernardo da Costa Lyra, quo provaran
isenco legal.
Dito ae director das obras publicas.-Inteirado eo^eraiT&^o^emol,*''^
de qjanto \ me expoz em sua informacao de9 do ,.nmn ,inrt3 tpm mn ,, cnh
orrmte, sol n. 270, relativamente a obra do en-
cana metilo d agua potavel at o Varadouro de Olin-
da, tenho dizer que confeccione o orcament)
dessa obra, alim de ser posta em arremataran.
Portara.O presidente da provincia, atienden-
do aa que requereu o professor publico de instru-
fio elementar da freguezia de Nossa Senhora d)
Y de Goianna, Jos Marcelino da Costa, e tend)
m vista a informadlo do director geral interino
da inslriiceio publica de 28 de dezembro ultime,
sob n. 222, resolve conceder-llie deus mezes de li-
cenoa com vencimenlos para tratar de sua sadt.
ommunicoii-se ao director geral.
Dita. O presidente da provincia, additando i
artigo 12 da portara de 2 do corrente, resolve qiu
o juiz de direilo da comarca do Cabo seja sabst-
tunlo em seus impedimentos : primeiro, pelo juiz
municipal do termo do Cabo ; segundo, pelo de
Ijtojuca. Fizeram-se as necessarias commuuica-
coes autoridades complenles.
Dita. OSr. gereule da companhia Pernambu-
can i mande dar transporte at a Paradina, no pri-
nteirovapor que seguir para o norte, em lugar de
p destinado a passageiro de estado, ao cap.llao r-
fonnado do exercilo Fre David da Natividade lie
i Senhora.
tem appareeido militas febres, em consequencia
a salra neste
oitcnta mil saccas.
A safra do assucar pequea.
se desenvolvido
anno de setenta
Existiam. .
Enlraram
Sahiram .
Existem .
338
6
17
327
presos
retro, se o iuverno nao vier antes desse teni|>o iu-
terromper o servico de apandar, e arruinar o fruc-
lo existente.
O assucar j est nesta praea 25200 reis, preco
altissimo para esta trra ; infelizmente porm o
nao ha, se nao em quantidade mnilo pequea : i
hoje mesmo disseme um lavrador, que tendo feito
800 pies de assucar o auno passado, este anno nao j
conseguio fazer 50 ; e como este sao quasi lodos os
de mais senhores de engenho.
A alfandega continua render. de forma que o
Pelo vapor costeiro Mamanguape, chegado
como ainda tem urna boa sobra. hontem, livemos cartas e jornaes do Cear at 7,
O mesmo cofre provincial j nao est lo afoga- do Bio-Grande at 9 e da Parabyba al 12 do cor-
do, como estava : creio, que j reduzio de um ler-. rente.
co a divida de 60 contos, rom que anda bem \ CfUr.No da 29 do passado, s 4 '/i horas da
pouco lempo lulava : o algodao tem dado para; mauhaa, houve um incendio proveniente de explo-
tudo. sao de fogo de artificio, em Monte-mr, do qual
A farinha de mandioca est 560reisja cuia, islo' resultou o rerimeulo leve de duas pessoas e um
, 4 ou 5 vezes mais cara do que o anno atrasado gravemente.
A saber
PERBAMBCO
REVISTA DIARIA.
por esle tempo.
Pobres empregados pblicos !
Haja, o que douver, sao elles sempre os que pa-
gara as favas, que o asno comeu.
Do Pedro I copiamos o seguinte :
Hontem ( 28 do passado) pelas 10 horas do
dia um pobre trabalhador de barro, indo busca-lo
no seu animal no barreiro entre a fortaleza e a
Por urna excopeo de rrgra a eslatistica criinl- Santa Casa, desabou una das barrearas, e cabindo
nal nao aprsenla fado algum notavel, digno de | sobre elle o malou instantneamente, e iguahnen-
refcrir-se : oestes dez dias do corrente anno s se mente ao animal olfendeudo mais a oulro iudivi-
sabe, que morrera no distncto de Goianninha urna' do.
mulher. pie j andando muito doente, suppoe-se, \ Hontem (29 do passado), I '/: hora da (ar-
que o marido a acabara do malar ; mas islo nao
passa de suspeilas, e su esta ainda procedendo
Naciones..... 229
Estrangeiros... 3
Mulheres...... S9
Estrangeiras... 1
Bscravos...... 58
Bscrava;...... 7
37
Solicita-se-nos esta pubcacao :
Como abandonas a paixo de um joven?
Como desprezas um amor tao santo?
Porque nao volves um olhar piedoso
Sobre o poeta, que le adora tauto ?
Tem pena ao menos do cruel martyrio,
Que solfre um lerno e desdiloso amante.
Se lu quizeres miuorar-lhe as dores,
Mosira-lhe, o anjo, teu gentil semblante.
Ai quaulas nuiles aqui passo triste I
Ai quanlas uoiles vivo aqu chorando I
Ai quaulas vezes desespero atUicto I
Ai quaulas vezes vivo em ti peusaudo!
Se vejo os campos, se as collnas vejo,
Se vejo as flores, e os vergeis de Oliuda,
Nada me alegra, me aborrece ludo,
Reina em meu peno ama tristeza iulinda.
Vm pois, bella, me alegrar os dias,
Os instes dias, que aqui vou passando,
Dame um olhar, e morrere sorrindo,
D-me um sornso, e viverei le amando 1
extrabida a seguinte noticia, sobre urna cacada
de urso, de urna correspondencia particular do
Sacramento-Ciiy, inserta em jornal eslrangeiro.
Una noilo meu visindo se preripitou em minha
Alimentados rusta dos cofres pblicos.. 139
Movimento da enfermara no dia 13 de ja- casa todo sobresaltado para me advertir, que o ur-
neiro:
Teveram haixa:
Goncalo Jos BarachoIntermitiente.
Manoel Joaquim do Espirito Santo-dem.
Tiveram alia :
Nemezio da Eucarnae/io Vilella.
Luiz de Franea.
Manoel Joaquim do Monte.
Passageiros do vapor nacional Mamnnguxpe,
vindo do Cear e porios intermedios : Alexau-
dre Barros da Souza, Antonio Monteiro de Mello,
G. Keng, Manoel Quintiliano da Silva, Ascenno
so, que procuravamos hauns poucosde dias, tinha
emlliii sido altrahido pelos nossos rebanhos e que
estava no bosque, que rodeava a estrada.
Peguei na minha espingarda, engatilliei-a, exa-
minei a cacoleta e o gatilho, o meu visinho fez ou-
tro tanto e partimos.
Entramos no mais espesso do matto, conservan-
do nos a quinze passos um do outro. Havia ape-
nas um quarto de hora que espreilavamos, que
tendo chegado a urna pequea clarera aonde as
arvores se afastavaiu, meu visinho passando, di-
reita d'um alio roededo em quanlo eu passava
de
averiguaeoes.
Hontem passamos aqui por um grande susto
vendo parado junto a pona de -Jenipab o Ja-
guaribe, que havia sabido para o norte ao romper
do dia.
Como de presumir, em um momento prepa-
rou-se ludo para levar-se soccorro ao navio, quo
se suppunha encalhado, ou montadu em alguma
| pedra.
de, dous presos na radeia desla eidade pegaram maraes,
em razos, dando em resudado um levar seis far-
cadas, e o outro cinco ; ficando um gravemente
ferido.
Rio-Grande do Norte t Parahyba. as missvas
de nossos correspondentes enconlraro os leitores
o que oceorrou nessas provincias.
A nossa va frrea rendeu, dorante o mez do
dezembro, 48:06558S4, sendo : 19:383,5360 de
passageiros, 1:704*7:10 de bagagens, 648JS420 de
animaes e 46:3294144 do mercaduras.
Francisco Paula C. de Albuquerque, Miguel Lu- esquerda, descobrio a distancia de vinto passos
cas da Costa, Peter Wakem, JosSecnndinoPerei- una especie de bola negra, que se remexia tendo
ra Pacheco, Ladislao Hortense Cabral ..Ibuquer- ouvido passos, e que reconhecendo um heimem, se
que e sua senhora, Jos Mendos. Joaquim Mendos desenrulou sbitamente e deixou ver um ursoenor-
C. Guimares, Victorino Travas-o Jnior, Fran me, um verdadeiro gigante, quo se podia chamar
kliu da Cosa Cirne, Antonio Luiz de Faria Gui- o rei dos orsos.
Primo Pacheco Borges, Francisco Jos O visinho deu un grito, destes gritos que nao
; Guimares, Adolpho R. Soares, Leoncio IVreira de lera orlUographia em lingiia alguma.
Azevedo, Leopoldo Ferreira Martius llibeiro, Jos Fj-a um bravo, mas nao eslava costnmado.
I Franci.-co de Oliveira, Antouio da HNn Noves, No seu lugar eu nao loria dito- urna palavra. T
Francisco Joaquim Silva Guimares, Manoel de ra apuntado ao urso mu) tranquillamenie e o
Alineida Bastos,G.de Araujo e Mello, Jos Arthur teria esiendido redondo ao mesmo lugar; mas
Pinto de Abren o sua senhora, 1 desertor e 1 pra- que queris, nem todos se podera senhorear.
ja que o escolla. | O Visinho, pois, deu fogo sera se importar com
Passageiros dobriguo portuguez Esperaba, as nimbas rccoiuiacndacoes; apanhou o urso n'um
vindo do Porto : Jos Macedo Ye Hozo, Antonio hombro c antes quo tivesse tempo de haixar a 88-
Ifenrhnies de Alineida, u. Maria da Lapa. D Ma-, pmgarda, a ifliiual frula ianjou um rugido es-
^ViUla.)
No clice dos teus labios eu quzera
Ir libar o doce nctar d'amer ;
Conhecer-llii'os segredos mais divinos,
Quando os abres em um riso de flor 1
Eu quizera sonhar teus sonhns d'ouro,
Quando senles d'amor a febre intensa...
Fazer com que teu peilo comprehenda
Meu sentir, meu amor, e minha trenca !
Eu quizera viver sempre em teu seio,
Como vive o teu sensivel coraco ;
E noimo delle o meu nomo gravar
Com a candida penna da paixo !
Eu quizera ao corar das faces tuas
Scollart'os labios n'um beijo enfebrecido...
E impbrar-te depois inda urna grica,
E euvir dos teus labids : Attendid'o I
Ab se eu ouvisse essa mgica palavra,
A sorte eu bemdiria a suspirar...
Mas oh virgem, talvez, ebrio d'amores,
De novo eu te lizesse aindacorar!
Nos teus bracos quizera eu prender-m.v .
Perda n'um pice um seoulo viver !
E aos cadentes sons de doces beijos.
Unir as nossas almas n'um so ser I
Que viver nossas almas viveriam,
Lingando-nos d'amor sagrados dos I
Que vida de delicias gozaramos,
Vivendo um para outro em mil disvellos 1
Knto no peilo um templo eu ergueria
A' adoraco de tua i mago m inunda...
Tu senas meu culto-e meus amores,
Minha vida e mais, se ha mais ainda !..
Do Espectador da America do Sul transcrevemos
o seguinte artigo, que nellc publicado sob o titu-
lo de Ideas nacionaes de economa poltica, sendo
o mesmo subscripto pelas inicaes C G.
OBJECTO DESTE AnTIGO.
No artigo precedente a esle deu-se urna vista de
odos pelas oito provincias littoraes do imperio.
O objeclo desse breve esludo foi ex por a produeco
de cada urna dessas provincias nos diversos ramos
do trabadlo.
Occorre-nos hoje a conveniencia de darmos urna
idea do corpo commerrial naquelles lempos.
0 seu modo de ser, entan, mais talvez do que a
sua prapria organisaeo, influa favora vel mente em
todas as circumstancias do commereio e por conse-
quencia na sorte do trabadlo e da produccao.
A natureza e assumpto deste modesto estado nao
favorecem a adopcao de um verdadeiro svstema
na exposic'j dos fados e ideas que propuz-me
cunmiinicar ao leitor,
Entretanto, faco quanto me possivel por dar
certa ordem e elassibeaco as materias de que
trato.
Parece-meque este o lugar mais conveniente
para enllocar os fados que hoje vou referir.
i '.oii'-in declarar que, com a denominaco de
corpo i-ominercial, ahranjo uo s os verdadeiros
negociantes romo lambem os seus caixeiros.
OS NEGOCIANTES.
O commereio era, naquelles lempos, talvez mais
do que o seja boje em dia, um genero de poliiica
que reclamava da parte dos que o exerciam muita
intelligencia, perspicacia e lino especial.
As circumstancias do tempo e as do paiz espe-
cial in.-nte exigiam aquellas condices.
Davauvse ellas, com el.lo, nos negociantes e
eram realcadas por muilo boa aelividade e es-
pirito declasse, ou, para fallar rom mais exadidao,
liarmooia dos membros do corno commereial.
Bal* tornava-se saliente, com especia I idade no
Bio de Janeiro, Pernambueo, Marando, Bahia o
Para.
Estos cinco grupos tlavam lodo o impulso ao mo-
rimento commerrial do paiz inleiro.
A Bahia era, depois do Kio de Janeiro, a praea


-
aliarlo de PermfencG --- luala fera 14 de Janeiro de 1S 1.
. -q-ifllU "il'ltl se davam os predicados
,' ..'.:'!,;,(,!
ifljtaiWa Je ser tolo esso corpo de rom-
itao mcmmJ l.atava para dar aquelies
rallando eo.nineroial.iiente, umafefcjao pro-
i. falta aus lempos acunes.
.i.i-ori.-i ilo cr idilo ooulirmada pela prohidade
dos negociantes era elfectitada de modo que dava
de ai (odas as vanlageas poss|veis, sam os descon-
tos e conlingcniias que vosiiltan das desconlianzas
dos nossos lempos.
Ocemmerci de longo enrso nha entao urna ex-
lenso e desenvolvimento que nao tem liojc. Ite-
Iro-OMi ao eommerelo de longo'curso nacional.
III
os caixei
V sentida morte da esposa de
hu verdadeiro amigo.
Quando a torra perde um justo,
Conta o eco um unjo mais.
f. Das.
Tcrminou no da 11 do corrente a existencia,
Se por un lado ocorpo commcrcial era coni|Kisto que bem dolorosa Ihe corra, por acerbos e conti-
ConYcnfoMeni nte quanlo ao pessoal dos negocian- unos padec montos, Exma. Sra. I). Theodolmda
tes, era |ur oulro lado beui organisado quahloaus, Mana do Bsairtte Santo Maia, digna consorte do
gentes oa oaixe ros. BOSStj presido amigo o lllm. Sr. Targino Francisco
Assim como n proverbial a,prolndadc O aetifi- do Mello.
dado, dos amos, ora-o tambera a lidelidado, sujeioao Eltremosa ini de familia, e dolada de murtas
e diligi'ncia do> raix.'iros. virtudes inoraos o domesticas, rhoram-ti'a nao s
BsWi brmavam nina vordadeira escola do futu- os prenles, como a judias pessoas que tiveram a
rus negociantes e j o eram rw ticamente em algu- dita de conheceHhc as qualidados aagelieas que a
las pracis.
Na Haba, por oxomplo, es amos consentala que
os eai'icims possulsscm aatios seus.
Para utilisa.oiii esta faculdade tao importante
-assocutvam-So viles e moiitavain navios por sua coa-
la ao | asso ano d.-scmpcnhavam assoas olirigacoes
para cmi as casas em que servan.
IV
ecommendavam estima e respeitoe todos.
Hoje repon-.', no rada gloria, depois deterpor-
corrido Da vida, durante vate e dous aunoso ca-
ininho da lonra e do devor.
L'm IIIip (pie. do s. u venturoso consorcio deixou
Ta, ser a nica consolaeao para a alma
de
'saceos e 14 coalas rolhas, I embrulho obras
viole, 14 cestas; a Antonio Lupes Braga.
1 lata salpicos ; a (lampos Lima.
1 Otilio peras seceas o marmelada ; a Joaquitn
da Silva Castro.
I eaixao doce a Manoel Moreira de Campos. pertencenles ao anno rlnanceiro" de 1863 a 1864;
PerVelrTda fin? "*?" 0S cAl^elecimenios Ce fra da cidadel
3 atados vassouras: a Jjiio Pe reir M nttinho.
Consulado |>i'ovlo-, Pela mesado OUVJdo provil liUl su faz publi-i
eo que no dia 13 de Janeiro corretile se principiam ]
a contar os irinu das uteis mareados para a ro- i
branca bocea do cofre dos impostas seguintes,;
prensas de algodo, typographias, cocheiras, caval-
larici's, botis, botennins, casas do pasto e fabricas;
PERNAMBUCAffA
DE
.\'avegaeao eostclra vapor.
Macci e escalas.
O vapor Mamanguape, com-
mandante Moura, seguir para
'.'l.Ml A.MIIA ii na
De nina padaria e un eseravn.
Domingos tildas l'ires Fcrreira far le i 15o
poi iolerveneo do agente Pinto de sua padaria
cun todos os igus utejicilios, e de pruvira ii
os portos cima indicados no da; dade; assim como de um travo moco A
2o do corrate as 5 horas da couducta
~.S?i&"m. Sexla-frirai:idocorhMiU',
mas da tarde : escrii.- na e?T'ina da ra Imperial, defronte do viveiro
. tro Murar., onde se cffectiiar o leil.ii., as II Loras
do da cima mencionado.
do uosso amigo, o qual en sua desolado o amar-; de do Rejo.
gura er.contrara sempre nesse temo fiueto dos I calite presos de latf.o, molas, ferrafens do
is caros anelos o ncressario lenitivo sua sidlnu e meias las ; a Joaquim de Roma Abren e
MTIVin.VOK.
Desie complexo de iiiteresses aptidoes bem dr,-j a furca de atuum sulitrniite para supporlar Lima.
combinados, dirigidos e applieados resultar? gran- a magna ingente da perda irreparave) que acaba Hiato nacional Exhalaca, entrado do Ara-
de e eflicaz actividado do novimento oeminer- de -solfrer. a, consignado a Heinvin.o (urgel do Amaral,
ciat lleceba, pois, o Sr. Targino Francisco de MeHo maiiifestoa o s.-gninte :
Parta este de centros bem compostos movidos s sentidos pesamos que twr lau lutuoso motivo lile
que eram as piincipaes casas commercaes. dirige
O pessoal de cada una destas era uiiieroso c
ctasstflcado. Parte dolle servia no cscriptorio, ou-
tra pa te no arniazem, outr-a na alkmdega o nos
trapiclies.
commerriante era (irme em sua'casa comoce:i-
tro a que deviam recorrer, em casos de duvida, os
exeeutores de suasordeiis.
L'm fjtlega.
Reeife, 13 V janoiro do 1864.
Kalsa de Hristol.
A SALSAPARHILHA DE BRISTOL
oneraces bancaris com emissaoe
privilegios ; :,tH),i sobre as con, emissio e sem
privilegios : 3005 sobre companhias anonvmase-
agomsias *m sobre casas de cambio ; l(k)3 so-1
bracofwetowi cmanerofces e agentes de leilao ; >
'hxi rs. sobre as toneladas de alvarengas .105000
sobre escravos eopregadoi no larvioo das mes-
mas ; 10 0(0 sobre os terrenos ocenpados com o
planto de capim, c o imposto de carros, carrocas
e mnibus.
PV i8oi-(fa!iMMmll:^I^Vi"CiaN:, ^ a"er0 ^
les.na ; a Joaqun. Hodrigi.es Uuarte. "M*Sr,
Antonio(.arneiro Machado Ros.
Consulado provlneial.
Pela mesa do consulado provincial se faz publi-
co que os trinta das mareados para a colnanca i
bocea do cifro do l- semestre 'lo imposto de 20
<*I0 do consumo de agurdente das freguezias des-
ta cidade, do.. Afogados, S. Lourcnco da Malla,
santo Amaro le Jaboatao, Vanea e Muribeca, por-
tencvnto ao auno linaneeiro corrente de 1863 a
IWu se piiuciaiam a contar do da lo de Janeiro
corrente.
Mesa do consulado provincial de Pernambuco
13 de Janeiro de 1864. O administrador,
Antonio Carneiro Machado Ros.
techadora*, t raitotes martcllos o enxs, 6 dilos
machados, | dito pentos, 6 barricas enxadas; a
Th. Fiinandesila Cimba.
1 caxao obras de pallieta, papis do rebiquo e
bordos ; a Jos Alvos da Silva (iuiniaraes.
3 ea.xoes viulio ; a onlcin.
4 cunbetes fechaduras, ferragens e pertencos de
bah ; a Antonio V. da Silva Barroca.
0 i-aixas palitos, I eaixao seuientes, 20 barricas
sardinhas ; a Antonio da Silva ('.ampo?.
1 ca
ra a mesma
1 eaixoes drogas, t dito enros de ferrar; a
ifts i'ardosoda Silva Pinto.
5 barricas castaiib.is.-1 Joaquin 'orreia lie/en
IIHIi
DAS
ME&SAGEPJES IMPERIALES
At o dia 14
d>" ro roote bs-
pera-se da Eu-
ropa o vapor
P^ LEILAO
m:
_*J3 saceos O n 133 arrobas e 10 libras de al:o-
dao, 88ditos com 170 arrobas de carnauba, 115
dilos com 64 atojaetres de gomosa, 73!i meios de
sola a 26 moflios com 633 pelles de cabra
ordom.
Hiato nacional fnnncioel, entrado do Aracaty,
1 01 red.
Pela administricjw do correio desla cidade so
Moliilias compleas, pianos r!c differ li-
les aulorrs, raluiolcls, riTftta*, >ac-
iinrez GuameA CilSCOm (Has, rc'Oitios de alsibera e
S^r^iSl paredeelc. etc.
Seva-fclia 15 de Janeiro s II
horas.
O agente Olimpio em seu armazi m a na do
Impera lor n. 16, vender o sefointe : unta rica
mobilia de Jacaranda nova rbegada dircriam^nte
da abiica e despachada ltimamente na alfav
ga composta de 18 cadeiras de guarnico, i de bra-
co, 2 de bataneo, 1 sof, i censidos e urna rm-sa
de mofo de sala com lampos do podra, urna wtobi-
lia de dito com 18 cadeiras de fiiarniro, 4 de
O vapor mmangtape, com- | braco, 1 sof, 2 consoles e urna me>a de' nn-io de
mandante Moura, seguir no dia sala com Untaos de pedra, I moMlia de jararan-
13 do crlenle para o presidio! d composta de 12 cadeiras de gnanuea,
do Fernando de Noronha as 11 no- [ braco, 2 debalanc, 1 sof, 2 consol- .
. ras da manlia Recebe carga! de meo de sala com podra, 2 piaaos da jacar.m.l.i,
1 14. Encommondas, passageires e di- (dearmario), 1 dito de mogno (de 1 wrio
lie at as 9 horas da inanliaa do "
Enout, o qua
dopois da 1!
do COStOOM ^',-
gnir para o Rio de Janeiro locando na Babia, pa-
ra passagens etc., trala-se na agencia ra do Tra-
piche n. 9.____________
1 onipanhia l'cinaiiibucana
IIK
Xavega^o eosteira a vapor.
Ilha de Femando.
nlieiro a froto atoas'.. Loras da inanbaa do dia da com podra, pares de laMana cmi
sabida: escriptorio no Forte do Mallos n. 1. I candelabros, pares de jarros para lona, rrpiaVn
Para o Rio de VaneTro. co"\ l,l",l,lnras **"*. meu para janta..'
O patacho na"io"o!;if,r"vt:u" i- I ?S ^~ m"p 1-*
mode,...
to commercal. ,'111 "corruplibilidade. As chagas escrophulosas
Por ouiro lado, a carcter essencialmerte tolii- (' I*1** as molestias estonias glandulares e cota-
eo dos nossos tempos reage notavcImcMj nao s U(as coinamas aos paizes IrepMOS eedem prompta-
sobro os propries negociante:; como lantiiem sobre meule a sua poderosa agencia. Sons elteitos cu-
aclassj dos caiwiKos. rattiosaae atleccoes de ligado e no rheumaiisnio
A nrmieira coasequencia desta rer^ao o es-
pirito insubordinado desies.
V
fisKiiVvi;"\ r..'Fi:iAi..
Pareoe-me *nie nao sera desiitoida de ulilidade
a aiem-ao de seguinu!fa('to.
O coi*po de negoniatites, organisado como eu, ha
peuco, iiisse^e elle se achava naquelles lempos,
dava, alora de ntros, o segu,-4te resultado.
Era elle qneiniulrruluzia na casa da inoeJa, para
reeebero cuntto necional, por sd* con la, millioes
de pescas, e de pnia em barras e de ouro em p e'
tamben rn barres.
Os Exs. Srs. marques-de Abrantes e manpiez
nao sao mimos sorprendentes.
Acha-se venda aas boticas de Caors & Barbosa i
e de J. da C Bravo ^ G.
consignado a Jos.' Joaquim Alvos da Silva, mam-. taz publico para Qns convenientes que em viriude
^,^r:;'10,a,o,,se2:ni,,asde_a.g.
ft 32ssc =s as&S jr r^ss fS S|-r'-- gs *wr.
de 1863, uo dia trata-secme^us cSnaU^tt f "^ parro,a '-P'"f rdas de raja, re
as da manha, de Olireira Azevedo C.,no"se" escriporio ra l&3Ff** Ph l 'i*""*
specliva lisia se da Cruz n. I.
. JMOOB. ----------------------------------------------
Administracio do correio do Peruambuco 12 de IHH5 IV
l^V E Cm "" p,',,na jant',ro ,le 186i-- "*taHn*r, O mmma ma um parte da carga prompta:
erna a oniem. Domingos dos Pf consniano provincial. 1 C'onsclho adiuiuisi 1 ativo. Amonm n. 33, ou corn o mestre no trapiche do
RendimentododiaSall......... SJ.oo |o.6 O conselho administrativo para lornecimenlo do Igodao.
dem e da 12................. J:3I.l8UJ arsenal de guerra Iota de Comprar os objectos se-
57:7'J*:139
COMMEBCIO.
NOVO BANCO
DE
l'HK.Vt.flKl'rO
O novo banco de Pernambuco convida os ere
MOYIMENTO DO PORTO.
'.Yiio saliido K da 12.
Cear-escuna hainburgueza Courirr, capitn J.: rente.
guintes
jPara a cotipanhia da guarnic/ao do Cear.
Caseunra verde 34 corados.
Para a coirpanlua do Itio Grande do Norte
Casemira ve de 2o covados.
Quera qnief vender taes objecks aprcsenie.ui as
suas propostas em carta fechada 11a secreuria do
conselho as 10 horas da mauaa do dia 18 do cor-
A barca Lima I sahe para o Porto em poneos
das, porterquasi prompto o eu carregamenta :
para o resto e passageiros, trata-se com os con-
signatarios Carvalho A Xogueira, na na de Apollo
numero 20.
-'ora > fHo de Janeiro
sahir com a maior brevidad
_ guar
e-quadraode cavallaria, paletote e calcas d.- Wim,
urna clarinela. tmmbas para agoar j.irdins e .nims
mullos artigos que se tornara eofadonho men-
cionar.
de finda peden. ; lodos es respcltos importantes autoridades, para Craucisco Antonio Correta Cardoso a apresent-
conHrmarem as mbihas asserndes. tm seus tituloe mi banoe pura se proceder a res-
0 prmeiro na-flahia-e o seg'undoem Peruambu- x-tiva vericacao at e dia .1 do corrente janei-
o fora'B preva^relmcnte contemporneos dos tac- ro, depois do qual se proceder o dividendo pelos
tos por mi n cimdos. 1 ilulos que esverem vericados.
Alen, dtsse, nm e mitro acbam-sc em posieo d I ------
mandar proceder d collecc3o e exame de valiosos %.lfandeca
documenes rrlth-os a esta materia. '" .....
Conviria fater olas pesquizas na repartieio dos
lespaetms des productos nacionacs que pagavam
dirimo aothesouro, cmo sija o assucar, o caf,
agurdente, etc., etc.
Pelo arsenal .le marinha tambem se poderla exa-
minar o despacho mariilmoe matricula dos navios
brasfleires, -sua loinco e pessoal, bem como a ma-
irieula des atafai -s e carpintoiros da ribeira.
Se m^ nao engao, poderirimos, por meio destas
indagac corno de ertmaroes para a historia econmica do
pare.
Esta ne^er de certo inntil aos nossos vindou-
res nesi *ioda.mesnio cericao actual.
Aqufltesjue a eserevetem *mn rerdade c cri-
terio piestarao, perianto, bom ser vico ao paiz.
A|pfo particularmente para o Sr. marqwc de
Abranma mem, por varios motivos, esta appel-
lacao de*e-ser levada com preferencia. i
O Sr marquez, nascido na tao importante praca
da Bahiia, deve ter viva memoria dos tactos a que
alindo u ostii no caso de avahar a conveniencia
deeta aiinfca aaaptt ra
tondiiiio.it-j do dia 2 a U........
dem do dia 13................. I2:63i*34
Saumgareen, carga parte da que trouxe de llam-
burgo.
Navios filtrados no lia 13.
Cear e portos intermedios8 das e 10 horas, va-
por nacional Mumanguape, de 337 tonelada-,
commandante Manoel Rodrigues dos Santos Mou-
ra, equipagem 20, carga algodo c outros gne-
ros.
Forra Nova 33 dias, brigue inglez Walter Baine,
de 227 toneladas, capitao Charles Alien, equi-
pagem 12, carga 3SU0 barricas com bacalho;
a Johnston Pater & C.
Seguio |iara Babia.
132:{H)7 wvlincal(i da alfandeca
Volumes entrados con gneros...
'totumessabidos com fazendas...
cem gneros...
Oescarrezam no dia 14 do Janeiro,
drigue inglez- LU,mcarviio
larca franoeza(tetancarvao.
irigue inglez -Saint \r . 'alacho inglezen/rme-merradorias.
Brigue inglez.4rCisticdem.
Brigue jiorluguetifpci-uncffdiversos gneros.
Importa :1o.
Brigue portuguez Siinjnnda. entrado do Rio
do Janeiro, consignado a Amorim Irmaos, mi-
184 toneladas, capitao Loure.neo Fernando do
Carmo, equipagem 16, carga vinho e outros ge-
163:333*OkO eros a Marques Barros & C.
Aracaty12 dias, hiate nacional Exalacao, de 37
toneladas, capitao Trajanu Antunes da Costa, e-
quipagem 3, carga algodo e outros gneros; a
(urgel Irniao.
.^9.'; Marseille43 dias, barca franceza Pyrrhut, de 232
i toneladas, capitao Alberto, equipagem 10, carga
diversos gneros; a E, A. Burle & C.
222 Observacao.
Nao houveram sahidas.
184
211
80
142
27 raias com palitos de drates e ti*
ditas rom sahao.
*' via-frira 15 de Janeiro.
as IO hora* ena nonio.
sahir com a maior brevidade possivel o palhabo-! aSSSSSn I^^SSJ ^J
te nacional Yumao ; recebe anda alguna carga ffnffdto^iLS^SS a ,>""~
a fre.ee es,,avos : a,a-se onm^tapSl Ignaro ffiSgaft V^S\g^f
frente a
, mero 1.
Sala das conimisses do conselho administrativo J cwo
para tornecimento do arsenal de guerra, 13 de de Ohveira Filho.no largo do Corpo Santo nu-
Janeiro de 186 i.
Antonio Pedio de &i Brrelo,
Coronel presidente.
S+astio Antonio do Reg Reros,
Vogal secretario.
THEATRO
DB
APIILU).
Sey unda- f eir 18 de Janeiro
de 18b4.
COVCKRTO
BE
EDITAES.
S#tMr y&a/ioSeab.
52?'-i2**!S! -Ei- P?_.ddxede! *^mS* Mprntedo. para consumo. ,s ^""-a contigua ao Paulis.a, naes.rada redo
com a coadjuvaeo da sociedade Melpomeno.
~~ i'iioi.ittnni.
o lllm. Sr. inspcclor da thesourana provr-
cial em cumprimento da ordem do Exm. Sr. | e-
sidenie da provincia, maoda fazer publico qn no
dia 28 do corrente, perante a junta da fazenda da Logo que a jrcbe.-tra tiver exc-utado urna de
mesma thesouraria, se hade arrematara qtiem su*s escolbidas ouvertiira, represe ntar-se-ha o 1
|ier menos lizer, a obra dos cenceos de que ore- j ***o do drama do Sr. Firmino Candido de Figuei-
Primeira parte.
honra-i rom nlgnma atlenfao de sua parte.
K qiiauto, por boje, se me offerece dixer.
Opportunamente voltarei tratar de outros
pontos.
O que segu e extrahdo .
K CHATT.
Nao sou cousa grande,
Mas CMii poucas torcas
Cousas grande eu faco,
(uem- (|uer me sabe guardar,
Fielmente guardo ludo;
Sem .aprender sou Diestra
E sem escrpulo feitico;
Abro casas, fecho c sas,
Dou entradas e sahidas
A queui de mim se :bo valer,
E sou jiarte das armas !
Do maior potentado do mundo,

OS QABKU.OS.
Em toda a parle somos ir ruaos.
Todos sem vida nascidos,
E quando tornamos a naseer
Tamboi sem vida lenascemos,
Com-dinVrcntes caprichos
Todos nos tratam e maltratam.
Das os do trato, enos alam,
Outros ao ferro nos entregan,
Quem nos retorce, e quem nos corte,
S nao se acha quem nos rache.
Sem tormos mares que passar,
E sea perigo de tormentas
Talvet em ondas ailamos
Para dos abalar qualquer zephiro basta
Em campo raso nao tememos
Toda a furia de Elo.
Sd.a gente da i' reja
Nos cosluma por a curta
Mas cora bens de raz
Sempre dos dei za.
Por mil-modos seguimos modas,
Com muitas cores mis destinguimos,
E a todos unis agrada
A cor {reta, que a branca.
Com gratules e pequeos,
Tedos juntos nos creamos.
!fo curucheo do edilicio,
E sem deslir.cco de pessoas
De dia, e denoiie coroamos
Tambem Imsr.des iiidividrtos.
100 pipas e 3.IKMJ barricas vasias ; a ordem.
''eneros nacionaes.
308 saceos com caf a ordem.
do norte avahada em i.23l549 rs.
-^ arrematacao ser feila na forma da le pro-
vincial 11. .143 de 15 de maio de 1854, e sob as
Barca poflturaeza Iris, entrada de Porto-Alegre clausulas especiacs abaixo copiadas,
consignada a Balthar & Olivoira, manifestou ,As P"SRoasquc se propozerem a essa arremala-
eguinie : OH coinparecam na sala das sesses da mesma
Vi'.'o sacos farinhn de mandioca, e 3 eaccos i"1"*, "o dia cima mencionado, pelo meio dia e
ilsevedo A C E para constar se niandou publicar o presente
Vapor n.icioiul MaoviHgitape, entrado dos por- Pel Jornal-
tos do norte, uiaaifestou o seguinte : Secretoria da thesouraria provincial de Pernam-
Do Natal. Duc(> 8 de Janeiro de 18C4
100 saceos com 538 arrobas e 0 libras de algo- secretario,
(ao ; a Joaquim da Silva Castro. A. F. d'Annunciacao.
10 ditos com 57 arrobas e 23 libras de dito a Clausulas especiaos para a arrematacao.
Justino Jos do Souza Campos. *" A obra sera exeeulada de conformidade com
Do lasar. orcameulo e planta approvados pelo conselho da
19 saceos com caf, 3 barricas sebo ; a ordem. MWBHMa na importancia de 1:231*349 rs.
Do Aracaty. -' 0 prazo para principiar a obra ser de 13
123 saceos com kl arrobas e 10 libras do algo- (lias> contados da data da arrematacao, e o prazo
nao ; a Luiz Antonio de Smueira. I'ara concluir de 2 mezes contados da data em que
0
Segunda parte.
Para Lisboa segu com brevidade o brigue
, portuguez Activo, capitao Augusto Wenceslao dos
Sanios; este navio tem parte do carregamento
prompto, e para o resto a frele, trata-se com Amo-
! rim IrmSos, na da Cruz n. 3, ou com o mesmo
' capitao na praca do commercio._______
Para Montevideo, reeebe passageiros o bri-
gue portuguez Improviso : a tratar com o capitao
a bordo.
- Para Porto Alegre pelo Bio Grande do Su!
segne o patacho nacional Ws- de Dezembro: este
navio recebe carga para os dous mencionados por-
tos a um frete cominedo : quem quizor carregar,
pode entenderse no escriptorio Amorim Irmaos,
ra da Cruz u. 3, ou com o capitao Joo Chrisosto-
mo Jnior.
Segu com rauita brevidade para Lisboa, por
ter prompta a maior parte do carregamento, o bri-
gue portuguez Floriiula, o qual recebe o resto da
carga a frete : para tratar, no escriptorio n. 3 da
ra da Cruz, ou com o capitao Joaquim Augusto
de Sonta na praca do commercio.
Para Lisboa pretende sahir cem muita brevi-
dade o patacho Jareo, capitao Jos Marques Coe-
Iho Sobrinbo, por ter parte de seu carregamento
tratado : para o resto que Ihe falta, e passageiros.
trata-se com os seus consignatarios Palmeira &
Iteltrao, largo do Cor|H> Santo n. 4, prmeiro
ndar.
P1R1 0 RIO EE JANEIRO
pretende sahir rom muita brevidade o patacho
Correa |>r ter a maior parte da carga tratada :
para o reajo que me falta e escravos a frete, tra-
ta-se com os consignatarios Palmeira & Beltro,
largo do Corpo Santo n. 4, prmeiro andar.
to a porta do armazem do Sr. Annes era
alfandega-
11:1110
1 sitio na Capunga.
O agente Almeida autorisado peta viuva do tal-
lecido Joao Evangelista da Corta, vender em tri-
tio una grande sitio no lugar da Capunga Ve Iba,
com urna boa casa de podra e cal, rontendn t las e 8 quarlos, cosinha fra, rasa para escravos
e feitor, 2 tanques, viveiro margem do rio,
muilas arvores de diversas frncias.
Sexla-I'eira 15 do corrente porta da associaeSo>
comineroial s II horas do dia.
i\i;ia\\o
m
L'm grande sobrado de nan an-
dar na cidade do tracal;.
0 agente Almeida far leilao requerimento dw
administradores da massa fallida de Seve HUwa
& C. e nnndadn do lllm. Sr. Dr. juiz uspiil
coinmeroio. de um obrado de nrn aaar cosa 3S
palmos de largo lemto3 jaaeilas aa tina, aa roa.
das Flores da cidade do Aracaty em chaos fcrei-
ros cmara municipal de dita cidade.
Swla-ffira 15 dr jaaciro de tW
porta di associaco commercials 11 oras ; 00
pretendentes poden obter qoalquer informacao do-
agente cima.
Para o Rio de Janeiro
At o dia 30 do corrente pretende seguir im-
brande pnanasa sobre motivos da opcra-O pretervelmente o patacho nacional Bebente, para
e exeeulada por Arthur Na-1 o Mato da carga que Ihe falta e escravos a frete
para os quaes tem exeel lentes commodos trata-se
eom os seus consignatarios Antonio l.uiz de Oii-
veira Azevedo & C, no seu escriptorio ra da
Cruz n. 1.
PBLICAJOES A PEDIDO.
K*pa
ento.
fNimiego S9, s 10 horas 4a noite, eliem defron-
le da^uirda da Ibesourarm dd fazenda, foi barba-
r; mec'' espancado o ex-cadeie do corpo de guar-
nico Joi de Carvalho Cesar, llho do ehete de iiee-
vao dsatiaaoare (iroviHciai, don Maria de Carvslbo
(aar.
Os exeeutores de to barbis altent;ido forain i
praca do.cwrpo de guarnico jVatonio Franklim, e
ex-praca Sil veno, actualmente-criado ,|e servir do
alijes LaqpoMino f.vangeUsttarahyba, segundo
c voz pulilica,.aul >r mandante,soba valiosa proiec-
f 10 ile icu cumiiandaate, o Se .coronel Ernesto
.miliario de Meeiws I
"oja o goveraoimperial o estado de degrad.-.oio
moral e indisciplina do corno de guarnico da Pa-
ral, jba.
Os seus alternados e repr jduzeut cada mo-
sneito, e a face das primeiras autoridades nesta ca-
fitliil, como por escarceo I
O pai .Jo offisadido pretende proceder crimiual-
wecte ti ntra os autores de tal atlentado.
K.10 esle um acto isohtdo, e sem iigaedes no
pasjudo.
Ha dous mezes veo em nos.;a casa o Sr. Cesar.
pai do oilendide, co.nmiinicariis a ameaea pnsj~
liva c.ue scabava de srfrer seu fi/io do corond Er-
nesto
|ue
lindar o prazo para principiar.
3." O pagamento eectuar-sc-ha em doas pres-
taces iguaes, correspondentes cada urna a meta-
de de servico felo.
4.* Para tudo o mais que nao se aehar especi-
ficado as presentes clausulas nem no orcamonto
eeguir-sc-ha o que dispoe a lei provincial n. 286.
Conforme,
A. F. d'Annuiinacao.
0 lllm. Sr. inspector da thesouraria provin-
cial manda fazer publico que o thesoureiro da
mesma thesouraria osla autorisado a fazer do dia
11 do corrente por dianas, o pagamento dos juros
C, man- das apolicns da divida publica provincial, venci-
dos at o ultimo de dezeml.ro prximo lindo.
E para constar se mandou publicar o presente
pelo jornal.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
buco 8 de Janeiro de 1864.
O secretario,
A. F. d'Annuaciaoo.
0 lllm. Sr. inspector da thesouraria provin-
1 eaixao raizes de llores, t diu nha, 1 canastra e,al ei" comprmanle da resulnco da JBnia da fa-
cistanhas, 1 lata carne do porco ; a Prente Vian- *eo.da, manda azer publico que o contrato da con-
f C servaciio do lerceiro termo da estrada do snl foi
4 fardos lonas, 20 saceos rolhas, I caiao im- Iransferido para o dia 28 do crvenle,
jjpessos ; a Antonio Luiz de Oiiveira Azevedo C. K Pap* constar se mandou publicar a presente
3 caixdes e 3 fardos diversos objectos, 3 temos Pe' jornal,
d 5 condejas. 4 fardos lioha, 3 eaixoes dito, 1 an- Secretaria da thesouraria provincial do Pernam-
cureta azeitcma, 1 barril vinho; a Domingos Ro- DUC0 8 ue Ja"oiro de 1834.
drigues de Andrade. O ecretario,
i eaixao imagens, 1 dito plantas, 2 harria vina- -* F. d"Annunciac;o.
ge, 2 eaixoes ignora-so ; a Lo arenco Fernandos Pela thesouraria provincial se ta? publico
u> Carmo. que a arrematacao dos concerlns das |iontes de
3 caaastras maciias ; a Manoel Marques de Oli- Tacar una, Sanio Amaro e Varadouro foi transferi-
120 ditos com 683 arrobas e 17 libras do dito ;
i. Prenle Vianna & C.
ISsaceuscoin 114 arrobas o 12 libras de algo-
1 a?,; Jusi',w Jos de Souza (ampos.
34 dilos eom 244 arrobas e 4 libras de dito : a
urina A Cuimares.
83 di|os com 437 arrobas e 3 libras de dito ; a
Jase de S Leilao Jnior.
68 ditos eom 368 arrobas o 31 libras de dito ; a
I rancisro Gomes de Mallos Jnior.
32 ditos eom 318 ditas e i libra do dito : a Jos
(oncalves Malveira.
Briguo portuguez Esperanza, entrado do Por-
to, consignado a Marques Barros &
f.'siou o soiuinte:
14 barris, 3 eaixoes e 1 runhele ferragens, 170
cnxoes ma.-aas, e 3 canaslras folha de lonro a
t ngelino das Santos Andrade.
2 canaslras castanhas; a Antonio Maria O'Conell
J irsey.
1 lata carne do porco, t cauastra castanhas a
Jos Baptisla Braga.
Trovadorcom josta
poleo.
Torceii paita
2* acto do drama.
(tarta parte.
Phantasia Veneziana, cotnposta e exeeulada por
Arthur Napole 1.
iuinta parte,
3 acio do dn ma.
Sexto parte.
Grande nhantisia sobro motivos da opera-l'm
Bailo 111 Mascheia composta e exeeulada por Ar-
thur Napoleo.
Stima parte.
Represenlar-S'j ha a comedia em im acto
ROIIIA VITA.
Oitava, e ultima parte.
O Tnrbilho segundo galope de .onceno cern-
oslo e executace por Arthur Napoleo.
Principiar s 8 horas.
Qualquer encommenda de camarotes ou cadeiras
se podera fazer at quarla-leira no hotel d'Europa
e no dia do concert no tbealro.
DE
v ura.
da para o dia 28 do corrente.

1 eaixao vinho ; a Joao Francisco Pereira Porto Secretaria da thesouraria provincial oV Pernam-
1 cawo raizes de flores; a Ta*so Irmaos. *uco 8 de Janeiro de 1864
ueste
Esto protestou mandar tibordoar ao olfendidc I
o Sr. Cesar qoM publicar tima correspondencia
sie en:ido, avisando ao publico e as aun 'rdades
lo atlentado, que .se pretenda por em pratitV, (Jei-
xaodo le faz-lo mselhos de amigos.
(Do Jomu! da Parahyba.)
COMPANHIA BRASDJIIRA
DE
PAQUirrES A VAPOR.
Dos portos do norte esperado
at o dia 16 do corrente o vapor
Cruzeiro do Sul, commandante o
capitao de mar e guerra Gervasio
Mancebo, o qual depois da do.no-
costume seguir para os porto, do sul.
Desde j recel>em-sc passageiros u engaja-se a
carga que o vapor poder conduzlr, a qual ever
ser embarcada no dia de sua chegad;, encommen-
das e dinbeiro a frete at o dia da sabida as 2 ho-
ras : agencia, ma da Cruz n. I, escriptorio de An-
tonio Luiz de Oiiveira Azevedo & (1
COMPAlHI BRA.Sn.EmA~
DE
Kana Casa da Mlserleordia do PAQUETES A VAPOR.
Heclf. I J os Prtos 'o sul esperado
0 Sr. thesoureiro nterin*, da Santa Casa de Mi-1 ^fcf^ L" d,a.!* d. cor-enlo o vapor
P 2 mastras cbelas, 1 dita castanhas, 1 dita reira *e Paru. manda faz< r publico que no da 19
nucaas, 1 sacco batatas; a Jos Joaquim do Al- docorreule pelas fl horas da manba na casa dos norte
1 barril v, nbo verde, 3 eaixoes retroz, 1 dito
k na do IihU e de algodo; a Jos Joaquim de Lima
u urao.
2 barris nexo, l embrulho ignora-se: a Antonio
Jtaqum tfoscalves Fraga.
1 cor 1 ico planta, 1 canastra castanhas : a Joa-!
qtnui Lupos de Almeida.
barris a Antonio baptkta do .
1 barril asetoaa?, l saceo nozes ; a Francisco
O socrclario.
A. F. d'Annunciac.io.
I*ara a Baha
O palhabote Ganbaldi pretende seguir com bre-
vidade para este porto, tendo parte de seu carre-
gamento, e para o resto trata-se no escriptorio de
Tasso Irmaos na ra do Amorim.
Para Babia pretende sabir com muita bre-
vidade o veleiro patacho Tliereza, capitao Joao Cor-
rea Lima, por ter a maior parle da carga ; para o .
resto que Ihe falta trata-se com os consignatarios K amailir,li,Pp' 1ual se acha em o armazem
Palmeira i Meltrao, largo do Corpo Santo n. 4, 1
andar.
r
rio
I 'na taberna e anetade de nana
easa terrea.
SrUa-nia 15 e jaueiro
a 1 hora em ponto.
0 agente Pinto autorisado pelo Sr. Manoel Jote
Carneiro fara leilao a urna hora da tarde do dia
cima dito, da taberna do paleo do Terco n. 11 e
da metade da casa terrea n. M edihVada na roa
Velha freguezia da Boa-Vista, o leilao sera .nVc-
tnado na referida taberna paleo do Terco n. 11
IiEIIilJrT
DE
Cerca de 200 saceos t milho.
Oagente Almeida far leilao i>or conta e 1 -co
de quem pertencer de cerca de 200 saceos de m.lho
n.
ve-
lo-
17 da ra do Trapiche denominado alfandega
Iba aonde se elTectuar o leilao,^m um ou mai-
tes, a vonfadedos compradores.
Seiu-fcira 15 da rorrralr w \\ horas do dia.
00
0 brigue |ortuguez Esperanza, capitao Leuren-
1 Fernandes do Carmo, segu com brevidade :
recebe carga e iwssageirus : trata-se com os con-
signatarios Marques, Barros & C, largo do Corpo
Santo n. 6.
Para Lisboa
vai sabir at o dia 14 do corrente o brigue Confian-
ca: para alguma carga que ainda precisa e pas-
sageiros, trala-se com os consignatarios Carvalho
& Nogueira, na ra de Apollo n. 20.
AVISOS MARTIMOS.
Para o Rio de fanelro
I segu com brevidade o brigue nacional Castro l:
I para carga o passageiros, tratase na ra da Im-
peratriz 11. 4.
LEILAO
D
l'nia escrava
SetU-frira 15 do torrente as II horas.
0 ''ir,'nl,l1('|yml,io em seu armazem ra do Im-
perador 11. 16, vender em le lau urna cscrava de
26 annos de idade a qual cosinha o diario de urna
casa de poaea familia.-
tmio
Para o Rio Grande do Nnl
segu com brevidade o patacho nacional Sa sipue-
des : para carga e passageiros, trata-se na ra do
Trapiche n. 4.
DECLARARES.
Apa, commandante Alcanforado,
o qual depois da demora do eos-
turne, seguir para os portos do
1 eaixao peixee .conserva ; ao Dr. Antonio Jos bram cunliadas.
Fi mira Alvos.
2 canastias fruclas ; a Tito Livio Soares.
8 fardos capadlos, 80 duzas d>- vassouras ; a
Fiancisco J Al ves Gonariea.
22 barris salptces, 10 dito; azeite, 23 ditos vi-
nro, 4 cales echaduras., 2 barais enxadas 4
tai dos canatos, 3 ditos archotose 4 ditos vassou-
ras; a Tlwm;.z de Aquino Foonica Jnior.
Secretoria da Sania Casa de Misericordia da He-
cife, 11 de Janeiro do 1864.
O escrivo,
F. A. Cavalcante Coasseiro.
Crrelo geral.
Pela admini.slraca.0 do crrelo desta cidade se
faz publico .pie em rirtude da oonveuco postal
"los gnveriAc brasilelro e trancez, Ba-
sar embarcada no da de sua ebecada: encom-
mendas e dinheii o a frete at o dia da sabida s 3
horas, agencia -na da Cruz n. 1, escriptorio de
Antonio Luiz de Dliveira Azevedo CL
colebrada
, .IV f'\' "fta! e Bue;:' ba,nl :,zpi,e' ritf V**** I'"* a Europa no dia 13 do
L^^.fS,aS'id'UlHmu^ Paa, Mat eomate "* "por logle Mafddkna. As carias
iM.t'fry, ''.'" .-.- o t eaixao Huelas acocas, a Libio de Souza e cada para a sabida ,lo vapor, e < jornes at i bu-
**'va- ni antes.
eaixao camisas e meia ; a Jo- Baptito Mar- Administracao do correio de Pernambuco 11 de
qtesDias. I Janeiro de IWi.-O administrador,
W bum pregos, 2 eaixoes e 1 condeca palitos, i Domingo* dos Passos Miranda. Forte do Mallos n. I.
CO.MPAN HIA PERNAMBUC AN A
DB
Vavo-^i cottelra a vapor.
Paralha, N'a'aJ. Hare, Araraly, e Oari.
O vapor Parai/bii, 'comnian-
ilanto Marlius, seguir no dia 22
do corrente Is 8 horas da larde.
pai a os portos acinn indicados.
Ileeeberi carga at o dia 21. En-
eommendas, passageiros o diuheiro a frote al o
Para l.-shoa.
Vai sahir no da 18 do corren-
te o veleiro e bem condecido bri-
gue portugus Laia II, capitao
Antonio Francisco Vieira, apenas
pode receber alguma carga miuda
e paaanmiana. para o que se trata
com o consignatario E. It, Babello, ra da Cadeia
n. 33 ou com o capitao.
LEILOES.
2i> caixas com queijos llaiuetigos.
IIH.1K
O agente Pestaa vender por conta de quem
pertencer 23 caixas com exeelteates queijos fla-
mengos os melhores que existem no morcato, os
qoaes serao vendidos em lotos 1 rontade do's com-
pradores : quinU-feira 14 do corrente pela- 10
horas da ni.nl.aa no armazem do Annes defronte
da alfandega.
DE
Um terrrino rom otaria do lagar das Cer-
illos n. 1.
Wegunda-felra 19 do corrente
0 agente Pestaa autorisado legalmente vender,
por conta e risco de quem pe lencer um Ierren
murado com otaria dentro silo im Iravessa dos (>-
Iho n. 1 onde pode ser examinado palos Srs. pre-
tendentes : ser vendido segunda-feira I do ror-
rete pelas 10 horas da manha no largo do Corpo.
Santo junto ao armazem dos Srs. Palmeira A Br|-
tro.
AVISOS DIVERSOS.
Em ruiilitiuafao.
H (h) E
Ieodoro Ctafistiamen rnnlianari o sen leHao de
j .,h. fazendas ingieras, francezas, aliemSes e suissas, pa-
rdo : etcriptorio no ra fechamento de facturas bqja 1 i do corrente polas
10 da manha em seu armazem, ra da Cruz n. 10.
-- Preclsa-se de ama ama para
coz i n bar para dnas pe*se>aa. pa-
ra lavar e engommar : na ma
da C'adelan. gy, prmeiro andar
0 cirurgiito Leal mudou
a sua residencia da na do
Queiiiado pam a roa das
Cruzes sobrado u. ;]G, pr-
meiro andar, por cima do
armazem Progressista, aon-
de o acharao como sempre
prompto a qualiiuer hora pa-
i o exercicio de sua pr*-
issao. ('llamado por esenpta,
O Dr. Casanova pode ser procurarlo
consultor especial homennaAwa nhrgoda roa-
Irlxe Sanio .\11tonio n. 2. No mesmo (
no ba sempre grande sortimento de medican
em tinturas o 0111 gtobuloa, deixando elogiar na
nossos medicamentos pelas pon
periinei.tado o COUlinuan a ervir'-v ern .
botica. Tomos tambem obras accoinmodaJas a
iulelligencii do povo.
/


Dhrio <_*.^riXou".a"iTott^o^ FOLHiWHAS PARA 1864,
va para a il dc de aliada, una' Na praga da Independencia hvraria ns. 0
eutclls prea. bastante gorda. e 8, acham-se venda as seguinies folhi-
eom iiuii miren braaea abal- nhaspara I8G4 impressas nesla lypographia
xo do pcscoco. eoma eanda tro- era excedente typo ebom papel,
cada e alguna cabellos braneos,' Folhinlia do porta contendo as male-
a qualatMMie pelo nowe de erlon- Has do cosinie, rs.........|60
la. quem :i aehoii tfrazendo i es- DiUi de algibeira, sob a epigraphe
U O.iogiaohl:* ser reeompcn- religiosa, comeado alora das materias
sado.
%
Corre clepni* d'amanha.
Sabbado, 1(1 do correte maz, se extra-
hita, a nona parte da terceira lotera do
Gymnasio Pemambticano (3* conces cnnstgtorio da groja de Nosaa Senhora do
Rosarlo da freguezia de Santo Antonio.
Os bilhetes o meios acham-se venda na
respectiva thesouraria ra do Crespo n. 15
e as casas rommissionadas ra da Impera-
triz n. 44, loja do Sr. Pimentel; ra ireita
n. 3, botica do Sr. Chagas; ra estreitado
llosa i n. 1 _. typographia de Sr. Mira e ra
da Cadeia h. 45, loja do Sr. Porto.
'do costme os sele passoa da Paixat
de Nosso Senlior Jess Christo ; cnti-
cos do mez Mariano; liyinnos e jacula-
torias ao Sanlissiino Sacramento; ex-
plicacoes de diversas oraces; cora
Seraphica ; exercicio ao sagrado cora-
cao de Mara; oracao para visitar as
igrejas no dia da Poreiuncula ; oracao
para escolha dos estados da vida ; dita
a Senhora da ConceicSo e meditacocs
sobre a reforma da consciencia, rs. .
Dita de dita, sob a epigrapheVa-
riedade, cometido alin das materias do
costume : receitas uteis e necessarias
aos diversos mysterios da vida ; pbysi-
ca e recreativa ao alcance de todos:
KOITPA FESTA
320
mmMMMm mrnmmmmmg I Programa* da feata da Ex-
celsa Padroeira da [inma-
culada Conceicao, na fre-
guezia do Peres.
A mesa regedora da maidade da Immaenlada
UmeeicM, faz saber ao respeilavel publico que ton
de festejar sua Excelsa Padroeira no dia 24 de Ja-
neiro do eorrenle, tendo principio no dia 14, as no-
venas com toda pompa e elegancia. No dia 14 ter
lugar o levanta.....to da bandeira rom a eflb/ie da
3 immacalada Conrcco, coadozida por tennis vr
gp gen trajando candidas rema,
S Comecar a festa s 11 hora?, sendo orador de
5fJ fcrangelho o Mvmd. Frei
Coreicao.
NO
a ii n z K n
Precisa -se de ama ama forra u;i r*xata de boa
conducta que saita engonmar n rosinhar : na na
i l<>. priinciro andar. Paga-* boa
ordenado.
4D_nrA Di) (JTJinilJMD i>"41)
X.ETBEIKO VERDE.
Neste estabdecimento ha serapre um sortimento completo de roepa eita de
todas as qualidades, tambem se manda fazer por medida, vontade dos concor-
rentes, para o que tem um dos melhores professores, assim come tambera tem um 2f ce,e*
grande e variado sortimento de fazendas de todas as qualidades, para senboras, >M -lie
homens e meninos. M J__
do
Augusto da Imnwculada
Precisa-se de urna amanara casa de pooea b-
hiIi : na prara do Corpo Sanio n. 17.
Urecisa-fe de um mebn~te-4T"lTa5
de nlai V para otilan de urna U>p > raleado na
cidade da Vietoi ia; Iralar na ra o> Lwa
lo n. II.
O Tr-brnm lera lu/ar s 7 horas da noiie sendo Alugase por 4005000 ainwliaii o _.
orador o Rvmd. Fre Augusto da lmmaculada Ceo- wm. Ha rm d* ""i I113' cha re de
ceieao.
i deT5S)fiM0 at* 100O0 Pi,heriss e ralices: P^8'" : charadas;
us premios ac o.ouo ate 105000 mximas e peosainentos colligidos por
ser5o jiagos urna hora depois da extracc^io um curoso K
at s i bw da tarde e os outros no dia DUas ,nn|nl,;yr<, w de padre para
Mgointe depo.s da distribuido das listas. ; resar 0 0|ri(,|0 ^^ m,jgjl]a jj
u tnesoureiro, verendo c^nego penitenciario da S de
Aiidxuu Jos Rodrigues de Souza. -
30
1 -1 * 3 n S 71 |
v_ a a c 8 i* a E 5 a O
-i i 5' 3 5 Q. & -i c 3 - a
a 5 os i o o a a -i -, S "3 T X re i i p O i c E a c = f -i c r -T I i
.
'
AOS 51000,000
CAS\ II \ FOKTUXA
Bilbetes garantidos
A' na d* Crespo a. ti t casas do eastume
SabaiMa 16 do eorrenle se exlrahir a nona par-
te da wreeira loi-ia do Gymnasio Pernamliueano
(lerci'ira eoneesMbiJ
iiabnixn assisrnado, recominendando ao respei-
iivcl p- Miro i eompra dos sea* mui hlizes bilhe-
les garantidos, li-iiibra-llie a raotagrm ipie lia em
r.'celicr os premios por inteiro, por quaiito ftieni
tirar a a sortc de 5:00nj em bilhete garantido nao
recebefi saieate i:200\|, ''in virtade dos descon-
t'. de 10 por eenlo que (he far.io em vista das
lei", roas sim os S:0OOJ<^ae aem a ser os dito.-.
l:3Mt i nwiis 00j ipie pairar o abaixo assigna-
' pagos cono de cosluuie.
PreCOH.
Bilhetes rntfiros..... 65000
M.ios bilheies...... 3000
Para as pessoas que comprarem
de I OH* para cima.
Bilhetes........ 5*300
Meios......... 2*730
Mmotl Martmt Fiuza.
Olinda...........640
o n. 29.
Neta laja dos baral iirus na ra de Qutinudt.
Kicas saias de fusta a 5*. camisas ingleas para
senhora a i. 2*300, i* e 4*. colarlas de fusiao
brancas a Ti*, chitas ora lustro para robera com
3 palmos de largura a 640 o covado, cambnua de
SOfM |iara veslido a 30 o covado, litas para vesli-
lo a 480, 360 e 640 o covado.
A n. 2.
\tva loja dnsbarattims na ra da Qiifiaas.
Tarlalanas de todas as cores, fazenda rauilo fina
i 7J0 a vara, cambraia para cortinad*, peca de ti
aras, por 10*, chales de lia por 3*. 4*. 5* e 8*,
tamisas inglezas para hornera a 38*, 30* e 60*.
Ao b. 29.
Nava leja dos barataros na ra doQnrimado.
Bicos pretos, franjas de todas as qualidades,
trancas de eda, de algodae c de 15a, manguitos e
tamistabas bordadas, collarinhos e punhos, folhos
tordados, boldes de ve ludo, de seda e de fustio,
landos de cabello, meias de seda, loques ; cujos
arligos se vendem por metade do seu valor por ser
rara acabar.
bomens e meninos.
Casacas de panno preto, 354 e
Sobrecasacas idem, 30)5 e .
Paletos idem e de cores, 254,
204, i54e......104009
Ditos de casemira, 204, 154,
124, 104 e...... 74000
24500
Ditos de alpaca, 54 e.
Ditos ditos pretos, 94, "4,
.54 ........
Ditos de brim e ganga de co-
res, 44500, 40, 34500 e. .
Ditos branco de lioho, 64,54 e
Ditos de merino preto de cor-
d3o, 104, 74 e.....
Calcas de casemira preta, 124,
104, 84e......
Ditas de cores, 94, 84 e. .
Ditas de meia casemira de co-
res, 54500 e.....
Ditas de princeza e merino pre-
to de cord5o, 54, 44500 e
Ditas de brim branco e de co-
res, 54, 44500, 44 e .
Ditas de ganga de cores,
3O4OO0 Colletes de fusto e brim bran
254000 co, 34500, 34 e .
Seioulas de brim de linho,
24400 e......24000
Ditas de algodo, 14600 e. .
Camisas de peitos de linho,
34500 54, 44, 35 e.....
Ditas de madapoliSo, 34,
34500 25500, 24 e.....
Chapeos de tnassa, pretos fran-
34000 cezes, 104, 94 e. .
44000 Ditos defltn, 54, 44,34500 e
Ditos de sol, de seda, 124,
54000 114, 74 e......
Collarinbos ce linho fino, ulti-
74000 ma moda.......
74000 Sortimeato completo de grava-
tas.
44000 Toalhas para rosto, duzia, 114.
94 e........
44000 Atoalhado adamascado de li-
l nho vara......
245O0 Chapeos deso, de alpaca, pre-
tos e de cores.....
m
a tarde *> dia da fesla ter lugar urna linda e
ante eavalbada ao Ma de urna das melhores
msicas marcial. Ao dejis queimar-se-ha um
lindo logo de vista.
A mosa regedora pede com urgencia a lodos os
moradores do lugar o obsequio de Iluminaren! as
i frentes desuas casa* as nuiles dos das S3 e 24,
para melhor brilhamismo dos artos de que ficarao
: sumniamente gratos e abrigados.
qnalquer imposlo; tratarse
dor n. S3.
na ra do facen
O Dr. Carolino Francisco de Lima San-
tos, contina a residir na na do Impe-
rador n. 17, 2" ardar, onde pode ser pro-
curado a qualquei hora do dia e da noile
para o ezereicra de sua proflssao de me-
dico ; sendo que os chamados, depois de
meio dia ate 4 horas da tarde, devem ser
deixados por escripto. O referido Dr.
nao abandonando nunca o estudo das
molestias de interior, prosegue, com o
maior alunen, no das mais difflceis e deli-
cadas nperaees. como sejam dos orgaos
ourinarios, dos ollios, partos, etc.
35500, 34 e.....24500 Lencfes de linho.....34000 S Z
Colletes de velludo preto e de
cores, 95 e...... 74000
Ditos de casemira preta. 54 e 44000
Ditos de ditas de cores 54
44 e........ 35500
Ditos de setim preto. 55000
Ditos de ditos e seda branco,
' 64 e.......54000
Ditos de gorgorito de seda
pretos e de cores, 64, 55 e 44000
Cobertas de chita chineza.
Pennasd'aco,'as mais superio-
res, a grosa......
Relogios de ouro orizontaes,
905,805 c......
Ditos de prsta, galvanizado,
patentes e orisontaes, 404 e
Obrasdeouro. adercos, meios
ail.-recos, pulceiras, rozetas,
a neis e cruzes.
Precisarse de um menino de 12 a 14 aaaon
para raixeiro de taberna, g que lenba alguwa po-
li ra ni ra da Seraaih Nova n. 9.
Aliiga-se o pri tmfro- andar do sobrado da "rao
commo aa roa do Imperador,
Imperial com oieeHantM
mili.i munerosa : a traiar
arBMSen de loura n. 41.
S5
s
3 n
704000
3O40O0
* i
< k

1
1 IL 1
fl a
p
1^-
1 i
~
=
$
a.
o
a.
r- >
C- _ Ti
i g 53
= la
as
3 t *
g- WJ
Mr D
00 C5 O
Si
Smei
Portugal.
Xavier Pae Burreii Junar vai
Precisa-se de- nm caixeiro para ntena
tar na rita Imperial n. 37.
a tra-
Oferaea-M um nmllvr de nm* i ama de casa de nnmoiii solteiro wt de p-jaca fa-
milia : na na da loria n. 11.
n c
Dae 300* por liypntneca db- bbl .
boi, ou teraro, sendb o servio pelo joros: ^a__
qiuicr Jirija-se loja d-j I.yra, ra do Qwnonda
n. 8.
Robase a quem apanliou um cananoh- ib
imperio, com o corpo de urna s car e eabnra
pintada, i favor de o restituir, pigando-w o valor
do dito canario generosamente, e nrandii'se marta
agradecnh) a 4um entrgalo na roa da Aromo a.
w, segundo andar.
Manoel Luiz dos Santos <\ C. tem josa e-
1 contratado a compra do annazem de cabos no lu-
gar da ra do Vigario n. 3, perleneent i Theorto-
zio Maduro da Paaaaca : qtiem se julgar com dr-
reito a qualquer reclamacao, di^nar-se-ha a|>re-
sentar no espace- de 13 dias. Recife 13 de ianelro*
de 1864.
Precisa-se de urna ama
gommc nerfeitanirnte
71, segundo andar.
que coztnhe e en-
na ra do Imperador n.
Aluga-se um sitio com casa de vivenda, ten-
do 4 quartos, sotao e cozinha fra. no lugar da
Boaviagem : a tratar na ra da Concordia n. 1,
serrara.
O abaixo assigoado, devidamente anfo-
risailo pelos Si.administradores da mas-
sa fallida da Faria o\- C, reiterando e an-
uo n -io j multas vates publicado por este
jornal, convida de novo os devndores da
dita sociedade fallla para amigavelw
le Rolverem seus deb.los ate o dia 31 do
rorrcnle mez de Janeiro, piwenindo-os
de que, se assim nao llzerem, lera da cha-
ma-I is ju7.o para obrigar e pagamento,
romo tfiii snecedido a res|iello de aljrnns.
i tira sin declara aos meslos develioref,
tanto d'esla cono de otitras provincias,
da CapHai como do centro. ftie nao po-
dem f.izer papamentoalgnm senaoaoan-
nuncianle ou a |iessoa por elle antorisada
com afaeuraee bastantu. e de nm'lo al- gg
gum podem pagar ao fallido, fgido e oc-
ciilto, Juvino Carneiro Macliado Hios. sob
pena de MI ludada do pagamento, e de te-
rem de lapetHa ao annnnriante ou aos
i Iminisira ores.
Rei;ife 'i de Janeiro de 1S61.
Lino de Fmia.
53* Atlonv io do publico
O abaixo assignftdo roga aquellos que se jul-
; g; rauuaus credores d to i aft de evitar qu; ms iinguas espalhcm e
ei ntnuem a espaldar que o abaixo assignado se
dr ciaron roabao para nao pagar ; a polica fez o
ex ame e contina em suas ndagariVs para pro-
var a innocencia c cumprir com seu dever.
Joaquitn Simo dos Santos.
>a ra da Aurora junto ao capito w
Porrio, entre a pi nte Starr e a otitra es- ^
M] '' por alogar-se ima excellenle casa B
4|', terrea rom solo e mnitos commodos, -jg
^: com agua polavel da companhia do Be- ,S
^f lierilii', pelo preco de .'10* mensaes. y+.
Allierto Cohn, sindito francez, vai para fra
da provincia.
Mugase o segundo andar do sobrado n. 6
da ra da Lapa, com soflkienlos commodos epor
precia razi.avel: a fallar na ra Vclha n 37.
Aluga-se o andar do sobrado da ra do
imperado! n. 79, bastante fresco, e decente para
tima familia : a tratar com Antonio Jos Rodrigues
de Souza, na ra do Crespo n. 13.
Alnpa-se um silio na Capunga Vclha, cora
lea casa, contendo 4 quartos, gabinete, cacimba
com boa a,'iia, quartos para pretos, eslribaria e
l'iucteiras, iodo murado : quem pmtaajdaf dirja-
se a rus dj Crespo n. 18, pnnieiro andar.
Antonio Jos Rodrigues de Souza alnga a sua
asa e sitio do Monieiro, em frente ao oitao da
i'.Trja de S. Pantaleao, rom bastantes commodos :
a tratar na thesouraria das loteras, ra do Cres-
po n. IS.
Aluga-se urna casa terrea com sotao e coni-
inoilos para grande familia, quartos para criados,
'-tuliuna, quintal bastante grande com fructeira?,
sil i nos Alogados no paleo da Paz : a traiar as
Cinco l'ontas ii. 14, ou nos Alogados com o Sr.
Jos Lacio Los.____________________________
OHM-e se mm pessoa para leccionar em
qualquer engeulio prmeiras h-ttras, grammatca
pwrlufueaa e aritlimelica; quem pretender diri-
ja-sc a ra Augusta n. fi5, di-iximdo caria fechada
com as inii iaes R. J., indicando sua morada para
ser procurado.
O abaixo assignado (az ver ao respeilavel
publico, que a fabrica de lamamos da ra ireita
n. 131, pertence Joaqaim Al ves de Castro.
Precisa-se de urna ama :
Rosario n. 18. primeiro ailar.
na ra estreila do
Quem precisar de urna casa terrea para pas-
sar o resto da festa, com bastantes commodos e em
muito bom oslado para jma familia, e jior preco
mu to commodo, na i!lia do Retiro, falle na ra do
Imperador n. 47, loja de marcineiro.
-- Proel so de um caixeiro de 14 20 annos
de idade para taberna : na ra da Aurora n. 54,
dardo fiador a sua cono jeta.
O abaixo assignado faz seientt ao respeilavel
pul lien e prinripalmenb ao corpo do commercio,
que deixou de ser caixeiro do Sr. Vabnlim do Val-
le lobo desde o da li Je Janeiro de 1864.
Joao Jos Costa.
P-erisa-sed urna ama para comprar e cozmhar:
na i na da Cruz. n. 33, primeiro andar.
Eugene Hios,
Europa.
cidadao belga, relira-se para
RIJA DO QlMtiAUO \ \\t
Loja de fazenda de lignito Fretlfriro dos Santos Porto.
KSTI.IKAS PARA N MaAW.
A este estabeleciment ebegou um ptimo sorlimento de esleirs para sala, sendo dt diversas lar "~.() bilhete n. 1X70da nona parte da larceira
guras ab' palmos e da mais superior qualidade .que se vendem tor presos mais mdicos que em Meria do Gymnasio Pernamhucann. que corre a
outra qualquer parte. 16 do eorrenle, pertence ao Sr. Joaquitn Jos Al-
SOITEMBARQI ES. | Tes, do Porto.
Os mais superiores soutembarques de casemira de cores ricamente enfeilados acabam de chegar a ~~ZT
este eslabeleci meato.
F.NFEITES PARA BAILE de lindos gestos.
Ll'VAS DE PELLICA DE JOV1X para homens e senbwis.
CHAPEOS DE PALHA DA ITALIA para senboras. enfi hdes com linissimas flores a f:4* e 16*.
CHAPEOS DE PALHA para meninas, enhilados hcajDejale a 7*.
CAMISAS INGLEZAS para homem, colarinlios, peitos e*unhos, de linho, a 42*000 a duzia.
CAPAS DE SEDA PRETA para senboras, bordadas e enditadas de a 50*000.
ZUAVOS de seda pretos para senboras. enfeitados rom melhor posto a 20*.
CHAPEOS DE PALHA para homem a 3*300.
CAMISINHAS COM MAXUTOS E GRAVATA para senhoras, bordadas com muito gusto.
ATOALHADO DE LINHO para mesa fazenda superior.
Finos chapeos preto- de seda, chales de diversas qualidades, grosdenaple preto e de i jro?. pannos
pretos linos, casemiras prelas e de cores, brim branco e pardo, linas lansinbas para vest Jos e oulras
umitas fazendas que se vendem por commodos precos. A mesroa toja chegarain os
Ricos corles de I;i de barra mi lilaila.
a--tss__
De.-euieaminbou-si' do |x>der do abaixo assig-
nado juna letra da luantia de 222*tHK) rs. vencida
em 23 de outubro do anno passado, saccada por
J'Kiqiiiin Goncalves Ferreira e aceita por Jos An-
tonio Fe i reir (Silva, assim como o competente
protesto, dentro do qual se achava dita letra : j
Francisco Anftxiio Coelho, antigo proprietv
rio do hotel Fraociseo, tendo-se mudado para a na,
da Florentina n. JO, avisa aa respeilavel publico,
que contina a encarregar-se nao s de janlaiw
se aetiam prevenidos o sacador e aceitante da me*- para fra como de apromplar ceias e cli para bai-
m, para nao pagar se nao ao aliaixo assignado, les. ensarnemos, etc. ; igualmente se incoaabed*
quem ella se aeha indossada : pede-se a quem a qualquer encommemia em escala pequea ; .> aa>
achou o favor d enlrega-la no escriptorio da ra Bnemnle lendo l>en conhecido ata provincia,
do Vigario n. 41. jul;a desDecessario ual.pier explicaco lead
Becife, 13 de Janeiro de 1864. ao desempenlio da piiKo do (|oe se incumbe. T;
Antonio tote ilc Castro. betn receln escravos- pora ensinar a rozinhar.
"n
\
3
A,
Precia se .le ama ama para nina casa de
pouca familia : na ra do Uueimado, loja do bei-
ja-flor n. 63
Precisase de orna ama de leite para umn
crianca de 6 a 7 mezes : na ra estrada do Bosa-
rio n. 31, frreeiro andar._____________
Quem Ufer para vender um escravo preto
jue saiba cozinhar, dirija-sc ra do Vigario n. 3
Ao i-oiumercio.
Offenee-se urna pessoa para escripturar em ca-
:is comaieiciars, tanto em partidas simples romo leja la primavera,
ilobrada : quem q_iar niibsar-se de seus
i, dirija-se em carta
nonto n. 7, loja.
-- Aluga-se o armazem da casa n. 37, e o pri-
meiro andar da casa n. 43 da ra da Cruz do Be-
cife : a traiar na loja da baudeira.
O abaixo assignado, ontr'ora negociante des-
ta prara, vendo no Diario de Pnnambuco de 9 do '
eorrenle nma prisao feia pelo Sr. subdelegado de'
Sanio Antonio em um iadividuo com igual nome !
do annunciante, declara Basta orcasio, que para
e\|t; r equvocos assignar-se-ha d'ora em diante por ,
Joao Paulo de Nepomu'eno Souza. Recife 11 de '
jane ro de 1864. Joao Paulo de Souza.
No largo da Assembla n. 16, casa de pasto,
precisase de um moleqne para ajudar a conduzr
taboleiros e fazer o mais servico : na mesma se
precisa de um caixeiro que tenha prattea da
mes na.
Prnfesxor de piano
Jo< Coelho da Silva e Araujo. bem conhecido
nest.i cidade, coniina leccionar a piano e msi-
ca vocal por commodo preco : quem de seus ser-
vicos precisar, dirija-so ra do Lvramento n. 21, [
segundo andar.
Precisa-se de una ama para casa de pouca
familia : na ra do S< I n. 15.
Quem precisar de urna ama para cozinhar,
dirija-se ra de S. Francisco n. 26.
Aluga-se a casa terrea da na do Manguind
n. 9 a tratar na na da Cadeia
PROTfJAM PROTEJA!
EXGELLENTISSIMAS SENHORAS,
|vv. _:_<*. sao as protectoras do importante estabrlecl-
mento ra do Crespo u. 13
DR
JOS GOMES VILLAR.
Veade-scpor preoos adiuiravris a dinlieirx
Las para vestidos a 280 rs. o covado.
Cassas organdys a 240 e 280 rs. o i-evado.
5,000 balos viudos de encomnienda de New-Yoi k, c veude-se a 3ft'. '. Sendo de 21 ar-
cos muito superiores.
Capas pretas bordadas, mantelete. bordados, soutembarques pretos e de cores.
Manteletes e chales de guiji prelo o que ha de mais gosto viudo de Franca.
Chapelinas de palha para senhora ricamente enfeitados.
Vestidos de Monde com manta, capeHa e setiai pa/a somata, para noivas.
Cortes de cambraia branca bordados.
Bramantes de linho de 10 palmos, esguioes, selecias de linho, esmbraias lisas peis de
8 i|2 varas a 3, 4i, 5, 6fi, 7, 8* e 95.
Maiapoles finos a peoa de 20 varas a 6*. 75, 85. 95, 105, 125 it 205.
Chitas de variados gos'tps a 320. 400 e 500 rs. o covado.
Oulras nimias fazendas de muito gosto.
sopo; in>jfo;oid o oijiwjjb upo; uir>;^.ij
AVAO
Cassas puritanas.
Vendem-se as mais modernas cassas puritanas com bonkos desenhos pelo baratissiroo preco da
e 280 rs. o covado, por haver grande porcao, pechincha : na ra da lmnratriz n. 60, luja da-
ao.
Cassas persianas a 300 rs. o covado.
Vendem-se as mais boniias cassas persianas a itnilaeo de lia transparente
tecidos e inleiramente novos, pelo baratissfane preco de 36') rs. o co\-ad.>e nao desbc
240
Pavo.
os desenhos
na loja do
-.-
serv-
fechada na ra do Livra-
SIMM I! vir,-;
vvilo k%kii<:e\tk don ro-
4 ilKllt* KM lFH\ 411-
Bl'fO
COM O CARACTEK OE MONTE PO.
I'uiicciimou hoi^-m em assembla g-rral ordioa-
i i i nenie e ipprovou as conlas do thesoureiro da
a e reeeia do 'rimestre 'le 163 1861.
bata das cwiei 12 de Janeiro de MM3.
Venceslao de (".astro Madureira.
! secretario.__________
\ liv.-uii _l-i iiiei di Inli.npn-L ~ Mferece-ae urna mulher honesia para ama
-- \\ \\y i II ia tl.l prat.1 tl.i lll n pen- u Ma ,|L. |Kimi.m solleiro, para servico interno :
tlt'll'-h O. 6 C 8 Sft di (|UCm COinpia na rada Clorian. 31.
um so!r do dr, am ou nus andares .''''"
ni lom estuco c pm ho ua.
NOY ESTABELECIMENTO DE MEDICINA HOMEOPTHICi
RIJA MOTA \. 48.
0 Dr. Sabino O. L. Pinho madou o seu CONSULTORIO para a loja do marmora
do Recife n. 31. rua jyjova n ^j( on(je eontinua a rjar consultas lodos os dias iteis desde o meio dia at-
------------ 2 horas.
nalissszts^sirejs ^S; os e?fermos' ^ p^r^,ogo na ras3 t1*^ ,sem q__ ,hajam ,o-
comes segiiiuies rcmmodos : salas, 4 .juartos, mado qualquer remedio, nem allopathirt), nem liomeopathico. pagarlo metade dos pre?ot
coznua fra, qumiaes murados e cacimbas. $ao estipulados. Esta concesso tem por lim facilitar a cura de molestias, que podem tornar
propr as para morada de ma grande familia ou se complicadas pelos emprego intempestivo da therapeutica e ao mesmo ttnipo adquir)
para a homeopathia maior numero de adeptos pela bateza da cura.
Em attenco as pessoas pobres, que nao podem sahir de dia, o Dr. Sabiio resol-
veu dar duss consultas por semanas as tercas e sextas-feiras das seis as seto loras d
noite.
Os chamados para visitos e conferencias devem ser dirjgidos per escripto ao cod
sultorio desde 8 horas do dia at 8 da noite, na certeza de que serio atlendidos na orden
deduis inleiramente relacionadas, por seren jun-
tas e leretn no interior portas de communicaco :
a trat ir no sitio n. 1 na estrada do Hospital Portu-
guez, ou no iiat'odo Carmo, sobrado n. 2.
Precisa-se de urna ama para cozinhar em
csate |.oura familia : a tratar na reflnacao da
Sc.uzala Nova n. 4.
- Alugam-se o primeiro segundo andares do e sua precedencia, salva a circunstancia de eminente perigo.
rua da (.uia n. 5o a tratar na refina-,
I sobra Jo da
. cio da Senzala Jova n. 4.
Ilernardinode Senna Alenla Lisboa faz pu-
l! :e i |,ie temi cnmirai1o por conta do Sr. major
Antonio Jos dos Sanio* do engento Aripih na
1,-ji do Sr, Fiuza o bilhete n. ii)9l (garantido) da
n ina parte da terreira lotera do Gwnn.ism Per-
n unbucano me deve correr no dia IG do presente
ni '. perder dito bilhete razan pordae previne as
Sr. iheaoorefro Sai ioteriat da provincia para nao1
pie,ir o premio i|ue em dito billute possa sahir i
se niio a seu legtimo dono.
, abaixo assignado, faz
, pnfclu o para ipicm Ihe convicr ou interessar pos-
sa, que elle annunciante nao autorlsou nem deu
poderes a pessoa alguma para vender a casa do
annunciante sita na rua Imperial n. 117, nem o
lene i H nos fundos da mesma mea que foi oceupa-
do pe a estrada de ferro; e que qualquer papel de
venda ou aulnrisicao para ellaem nome do annuu-
cianto que. appareca nao 6 verdadeiro, mas slm
falso. Kecife 13 de Janeiro de 1864.
____ Luiz dafCosla Leite.
Antonio Moiileiro de Siqueira retira-se para
o Rio Je Janeiro.
ADVKHTIMIA.
0 novo consultorio est prvido dos mclhores medicamentos, desde a primeir*
at a trigsima dynaminjsacio.
E como os mdicos hespanhes e allemes nao cessam d) certificar a major efi-
cacia das ultissimas dynaminisacoes do tratamento das niuleslias rl>r>nicas, o Dr. &abiHa>M
oceupa agora de elevar os seus medicamentos s potencias mais titas (por ora at 20&a).
aim de verificar por si mesmo a forro dvnamica, que se Ihe altribue.
Os mdicos, que quizerem experimentar taes dynaminisanies podero dirigir at
consultorio suas receitas, (jue seo aviadas gratuitamente para os pobres.
No mesmo consultorio se vende a novissirba edicao do Vusouro homopathicA
ou Vademcum do homepatha, obra indispensavek a dos que querem usar da, homeo-
pathia.
Tudo o que db. respeito aova medicina se acha abundap.tomente neste novo estte
aecimento.
CO_l
preco de 360 rs. o covado e nao desbotam
Pavao rua da luiperalriz n. 00.
Cortes de cassas de Mara Fia a 4$000.
Vendem-se m nuil modernos cortes de ca>sa i Hara Pa, deloJas as cores com palmas boa
dadas ede variadas coros que garante sea boa qualidade contendo 8 varas emeia cada corla pelo ba-
ratsimo preco de 43 : na loja do Pavao rua da Imperatrz n. 60.
As percalas do Pavao a 500 rs> o covado.
Vendem-se as mais Unas percalas que ha no mercado, de desenhus muit > miudinhos e das nwii
lindas e variadas cores egarante-se serem lxas, com 4 palmos de largura, fazenda propria para ves-
tidos de seHhora e roupas para meninos, pelo muito barato preeo de ofl rs. o cavado : na loja do Pa-
vao rua da Imperatrz n. 60.
Gorgurao de lila a 500 rs. o covado.
Vende SO gorgorito de lia de cor escura propria para vestido de senliora, paletot para homem,e-
rou|>a para menino, pelo barato preeo de 500 rs. o covado : na lija do Pavao rua da Imperatrz n. 69j
As colchas do Pavaa
Vendem-se colchas de linho adamascadas com bonitos lavores de cor de rosa, ai al e braaea.
pelo haratissimo preco de o$ cada urna : na loja do Pavao rua da Imperatrz n. 60.
Organdys a 240 rs. o covado.
Vendem-se organdys malisados fazenda muilo lina, de bonitos desanos, pelo baralissimo pyaea*
de 240 rs. o covado : na loja do Pav3o rua da Imperatrii n. 60.
As alpacas do Favo.
Vendem-se alpacas de seda de cores muito lina propria para vestido de senhora, soui.-mtor-
ques e roupas para meninos o dita branca muito fina propria para vestidos e paletots, p >r prc. Mea-
to commodo : na loja do Pavao rua da Im per atril n. 60.
Chitas do Pavao.
Vendem-se chitas escuras e alegres fazenda muito lina, padroes modernos e que nao da_U>taiav
pelo barato preco de 310, 360 e 100 rs. o covado: na loja du Pavao rua da Imperatrz n. (O.
As laasiiihas tk) Fa,vao.
Vendem-se laasinhas com 1) palmos de largura de urna s (r e dequadrinbos pelo baratisiMa>
preco de 14200 o covado, ditas enleitadas com 4 palmos de largura a 500 rs, ditas mateada* mosto-
filias de bonitos desenhos a 560 rs., ditas a 3J0 e 360 rs., ditas de qoadrinnas a iuuiacao.de sodinha.
a 400 rs. o covado, ditas a Mara Pa com palminhas de seda a 500 rs., ditas transparentes coot \tzlatu
nhas matisadas a 440 rs., ditas de quadros grandes a 240 rs. o covado, ditas pretas iraasparentes- dfe-
cordaozinho a 200 rs.: na loja do Pavao rua da Imparatriz n. 60.
Vestidos soutembanpies.
Vendem-se os raais modernos-vestidos a soiHembarque com lindas barras e ea/eites- paraaa-
pinho e mangas, pelo baralissimo pae^-o de .*>( cada um : na loja ilo Pavao rua da Iinflerairiz n. 60
Cortes de lli coin barra.
Vendem-se corles de la coin barras maiasaiLt^ e enfeites para roupialn e manga, os mais t-
nos qu existem ue mercado, pelo baratissime preco de ispeada corle : na loja da,Pavao rua.da loa-
ratriz a. 60.
Os souteml>arq;ues do Pavao.
Vemdem-se os mais modernos soutembarques de grnsdenaples preto ricamente cnrr_a_ba,djtM
de cor de um b-cido de la com seda mutw bem enfeila*, por preeo muilo ommodo aa loja do
Pavao rua da linperairiz n. 6a\
Capas do Pavao.
Vendem-se ricas eaeas pretos de grosdonapte bstanle comprdas, fazenda supetiae e oais nw
deena que ha no mercadoy por preco muito em conta ; na loja do Pavao rua _a Impcraliia a. 6*.
Atoalhado de linho.
Vende-se atoalhado de linho com 8 paJmos du largura pelo baratsimo preeo. de _500, bra-
mante de linho com lWt>almosde largura propria para lencoes e toalha muilo uni-afpado a iftoOOa
vara : na loja do Pavfta rua da bnpeMtriz n. 110.
Criiioliiias oti baldes americanos.
Vendem-so baldes americanos os mais awdernos por serem mnito tortea e bem armados dV 91*
arcos a 3, ditos e 30 a 34500, ditos de :!- a 4*, ditos de madapoUio franrex de diversos lamanl* a
34, ditos de mu.elina com bajado o sem. ell* podectd>se tirar os arcos polo barata preco da _5.
44500, ditos para menina, de arcos a 2-3. ditos de masselina a _4: na loja do Pavao roa da lupera-
triz n. 60.
Chapeos de sol do Pavaa
Veadem-se chapos-de sol de seda muito encorpad com cabo de cana c basteas de balwa pelo
baratssimo proco de 6& '?S e84, ditos marquezinlios para senhora e tnoMoat a 24300: na toja do Pa-
vao rua da Imperatris a. 60.
Cortes de hla do Pavao.
Vendem-se cortes de las matisadas ce* desenhos muito lia-tos contendo IScovados cada corte
peto baratsimo preeo de 74, ditos de eor & cal.1 cora palmas i..tisaJas eoi\ion.do lo covados cada
corte pelo barato proco de 64 : loja *> Pavao i*i da lmaeraarii a. 60.


PWWHW'
/"N.
laiatlo de Pernamfoaco Ctuiata lelra 14 de Janeiro de 184.
&_&.
\i^m:s
DE
Precisa-se de urna ama para todo o serv; P &RTID AS DOSRDAS
deuMcasadepoucj familia, mctwawen- a" kU""u"
A ASSOCIArfO ( OUMKKCIAL HENEFICENTE
DE
i>i:n\AniiKO
POR
..d rondeca r/e KAveaetreJ
Terceiro escriturario da Ihf souraria
de fazenda de IVi nambiico e eonipetr-nlenienle au-
lorisailo para creer o pre-
fessoralo particular de arilliiuelira na mesma
provincia.
Acha-se esta obra nos prelo da typographia
Commercial, d'onde em breffl sahir luz da pu-
gommado; na ra da Penha n. 2.*>, primeiro
andar. __________i
Precisase de um Itom coslntieiro edo uina
tma que saiba engommar e lavar : tratar no
sobrado n. 32, da ra da Aurora.
pffiB-gSft^S SHfiHIWS
! DENTISTA DE PARS I
19Roa Jktta-19 |S
Frederico Gautier, cirurgiao dentista,
faz todas as operaeoes de sua arte, e col-
loca dentes arliliciaes, ludo rom superio-
ridade e perfeicao, que as pessoas enten-
didas Ihe reconhecem.
Tem agua e pos dentiticio.
Presisa-se de una ama de leite sern ilhoi:
as Cinco Pontas n. 7 4._____________ .
A pessoa que annuneiou precisar de 7005
sobre hypotheca de una escrava, dirjase ra do
Hospicio n. 63. _______________
Precisa-se de urna ama para coziuhar e con-
prar : na ra Imperial n. 13.__________________
Precisa-se de tino preto ou woleque escravo
ou livre para alugar, paga-se bem : na casa de
banhos no paleo do Carino.__________________
Aluga-se o 2 e 3* andar do sobrlo da r a
Nova, com excellentes commodos para familia : a
traiar na ra da Cadeia n. 62, 2 andar.
Agencia de passaporte.
Claudino do Reg Lima despachante de passa-
porte, tira-os para dentro e fra do imperio por
conimodo preco e presteza : na ra da Praia p i-
raeiro andar n. i7.
VTULO.
Custodio Jos Alves Guimaraes avisa ao respei-
tavel publico e aos seus freguezes, <;ue em vistis
de se achar seu estabelecimento em obras afim de
alargar maiso cam|o |ra o gallo de novo canUr,
alio i de melhor poder servir seus bons freguezes,
rom ludo em quanto durar as ditas obras conti-
nuar a servir seus freguezes no sen grande ar-
nrnem com frente para a ra do Imperador con.
entrada pela dita loja do gallo vigilante, ra lo
Crespo o. 7.
rWvroENACID.\Dti.
lu_a-se a casa da ra da Esperanza (Caminho
Novo) n. 2, com 4 quartos. 2 salas, corredor sepa--
ra*j, cosinha fra, cacimba c quintal muradc ;
a tratar na botica da ra do Cabug n. I1.
. Aluga-se um sobrado em caixao com l>ia
leja para qualquer estabelecimento, por ter gram'e
terreno no fundo, porto de desembarque perl),
todo com portas segaras : a tratar a ra do Mou-
dego, olaria n. l.'t.
Precisase de urna ama forra ou captiva paia
lodo o servico de urna casa de pouca familia, e
paga-se bem na ra da Cadeia do Recite n. I >,
primeiro andar.
Primclras Ict(ras. grammalica
naeional. latiiu e fraacez.
JoaeJos Rodrigues, professor publico primar o
do collegi-i do-, orptiiius, devidamente titulado pe a
directora geral, continua leccionar as supraci-
tadas materias tanto em collegos e casas particu-
lares como na de sua residencia ra da Palma
n 23, onde pode ser pro>:urado.
Smuifliiii
Attencao.
Quem se julgar credor da tirina social
Guimaraes & Rocha, mesmo por titulo a
vencer ou de Joae da Rocha e Silva, ge-
rente da mesma tirina appareca na ra
do Queimado n. 33 A para ser pago. Re-
flgji cife, li de Janeiro de 1864.

blcdade em ntida impresso e sob o formato de
8o porluguez.
Compoe-se esta obra de um volme, dividido em
urna parte theorica e outra pratiea, de fcil alcan-
ce as iicssoas que se queiram dedicar ao esludo da
escrituracao.
A respectiva assignatura acha-se aberta em to-
das as livrarias desla cidade, ao preco de 55000
dor voluine.
Maquea sobre Portugal.
Oabaixo assignado, agente do banco
mercantil Porluense nesla cidade, saca ef-
feclivanicnic por todos os paquetes sobre
o mesmo banco para o Portoe Lisboa, por
qualquer aomma, a vista e a prazo, po-
dciulo logo os saques a prazo serem des-
contados no mesmo banco, na razao de 4
por cento ao auno aos portadores que as-
sim lhe convier : as ras do Crespo n.
8 ou do Imperador n. 51.
Joaquim da Silva Castro.
Preci>a-se de uri caixeiro que
eulcntla alguma cousa de plmrmaria '
na bolic da iu do Ca una n. 11.
^mmmwm mmMwmm
Instriiecrio secundaria, *fe
m
*. O banhar. I A. R. de Torres Bandeira, JfJ
Sg P'Ofessoc cathedratico de geogrophia e
_2 historia noGymnasio desta provincia, con- ^
linda no ensino particular de ambas estas jff
disciplinas, e bem assim no de phloso- X|J
phia c rhetorca. isa
gg A pratica de mais de llannos, adque- SE
>j rida pelo annunciante no magisterio a que W
5 se ha dedicado, olfereec-a elle como ga- fe
S| ranlia sulllcienic, quanto ao pontual des- i~i
>jfo cinpenho de suas obrigacoes no exercicio '"^T
fgj de lito importante ministerio. (-J
P$ Igualmente se acha disposto a cnsinar f$
%. estas tnesmas disciplinas em qualquer w
3 collegio ; assim como a habilitar conve- H
nicntemente aquelles estudantes que, j
CASA DE SAUDE
Em Santo Amaro
Do lar. Nllva Ramos.
UniCO estabelecimento desta natureza
que existe entre nos, montado do modo
que pode com todo o commoilo e nlo tra-
tar qualquer doente, que nella seja reco-
Ihido.
0 edificio magestoso e conserva-se
em perfejlo estado de limpeza e conve-
nientemente mobiliado.
Os doentes >ao separados, segundo os
sexos, natureza das mol<-stias e condi^oes
ociaos.
lia quartos fortificados para os aliena-
dos, e urna enfermara para as partu-
rientes.
O proprietaro encarrega-se de qual-
quer operacao.
O esUilH^lecimento franqueado qual-
quer pessoa que o queira visitar.
Primeira classe :10IX)diarios.
Segunda dita.... 2A500 i
Terceira dita.... 25000
Para que qualquer doente sejaali rece-
bido, basta que se mande onome do doen-
te e da pessoa que o remelle, com a de-
claraeao da morada.
O proprietaro aceita contratos anuuaes
com qualquer que queira ter um ou mais
leilos sua disposie-io.
Aluga-se
a loja n. 30 da ra da Cadeia, esquina defronte da
na da Madre de Dos, propria para qualquer esta-
beleciinento, tendo armazem no fundo da mesma
loja com communicacao por dentro e portas para
a traversa da Seala, alugando-se tambem o pri-
meiro andar da mesma casa, e ahi ?.cha rao com
quem traiar.
Joao da Silva Ramos, medico pela um- ^
versidade de (iiimkra da consullas em C.
sua casa na ra .Nova n. .">(), das 8 as 10 jp
horas da manhaa e das 4 s 6 da tarde e "
recebe igualmente convites para dentro
ou fora da cidade com o fim de se en-
carregar de qualquer servico de sua pro-
Ussao.
Os chamados deverao vir por escrpto. s
-K__ __ _-?_r.-_-&%rf_ te-A'Z
Venta da Senhora do nonio.
S. Bit. o Sr. D. a! baile le S. liento
deaicoi do cori o -bailo assiguado teni
removido a fesla da Seuliora do Monte
do dia 31 do corren!.' mez, pra 17 jiitiriro>in(louio Ulinda, 15 de dc-
zembro de ISGo.
Manoel Luiz Viraes.
ClInPRlMENTOS
RIVAL
.i-__..it. i...:.. SI.M SEGUNDO
A aguia branca dirige seus sinceros cumpl- Rna do 4|noiniailo BS 49 r 55.
mentos toda sua boa fregueza, estimando que loja de miulezas de Ju>e M Azsvea Maaa 4C,
no, 8 principia o novo annoa torrar iiiiiiJ-u> prtot pre-
livessem bous feslas e
que esle bissexlo,scja para todos (inclusive ella) de
muitas prosperidades, com farluradednheiro ele,
. para assim continuar a abluir, e salsfactoriamen-
' te provereni-sc dos variados e difTerentes objeciOS
de gosto que constantemente so acham no nitibo
ns que a todos causa admiraeo, a saber
ar
ares de tapatosde Iranea inulto linos a I5fl0.
Krasos de oleo babosa dos nelbores fabrtcaates a
2i0 rs.
Ditos maiores a V00 e 500 rs.
5 aliaiio assignado Irm as chaves de quatro d'aguia branca, pagando-os de prompto^como bro- Fraseos d'agua de Colonia moilo finos a 400 rs.
200 e 400 rs.
de Lul.in, o nivlhor, a
u iii.oiii casas no oileiro da Scnhera do Monte, que as cede, ament coslumam. Em quanto poim a boa fre- Sabonetes muio Baos a 160,
nnr------'--- _. a E a Sr It \hliade i iiurin f001" as#i.m.louvav,'l,lu,t,J Pde, alguns maos Frasooe grandes de agua de
por permisivo de S. b\c. o sr. u. imiaae, i quem Jngueua dilferenlemenle praticam, acanhando-se igo0
eiilhnl
na festa
m
em
aos exames na Faculdade de Dreito,
os mezes de fevereiro e mareo.
Quem
de sua re-
di; sen pivstimo pretender ulili- ^J
k sar-se pode procura-lo na casa
CgS sdencia, ra estreita do Rosario n. 31, 55
P terceiro andar, das 3 s 6 horas da tarde. J^
)m&& mm m && )m i
Precisase de nina mulher idosa para ama
de casa de pouca familia, na ra da senzalla Nova
n. 39, na taberna da esquina voltando para o be-
co Largo_____ '________________________
Quem precisar de urna mulher de meia ida-
do para o servico interno de qualquer casa de fa-
milia, dirija-se iio Forte do Mallos, ra do Cordo-
iiiz n.'.. _________ _________________
A viuva le Joao Raptsta da Roctoa roga a
todas a> pessoas que se julgarem credoras de seu
casal a apresentarem seus ttulos no praso de oilo
dias em casa de sua residencia, na ra Direita n.
94, alim de serem descrptos no inventaro a que
val proceder com audiencia do cnsul de S. M. Fi-
iSa jelissima. Recife 12 de Janeiro de 1864.
Precisa-se de urna ama para comprar e coz-
nhar : no neceo da Roa h. 2, primeiro andar.
Aluga-se o segundo andar do sobrado n. 6 da
ra da Lapa com suflicientes conimo.los e por pre-
go razoavel : a fallar na rila Velba n. 57._______
Aluga-se urna cava terrea com commodos
para familia, na ra da Mangueira n. 8 : a tratar
na ra do Queiinado n. 38.
i usa Jeronymo Perera Villar achando-se melhorado
de sua saude, transferio o seu estabelecimento de
inslruccao primara e secundaria para a ra do
Imperador, sobrado de tres andares n. 9, esquina
que vira para a ra do Crespo ; e participa nao
s aos Illms. pais de seus estiinaveis alumnos, co-
mo ao respeitavcl publico, que as aulas estarao
abenas no dia 8 de Janeiro do correte anno.
J__^___ -> -oi^Z
ts-z&r^^sz;.
.-,,.,-
"!5s-

ADMIREMS1E DOS PRECOS
Das mimosas laas que o barat.iro csi venciendo a 400 c 500 rs. o covado, fazenda
_ ninitn i.i.-i ,ui:iiiihuii' e (le lint os nailres.

w
9
esta de muto boa qnalidade e de lindos padrees, muito apropriadas para vestidos de se-
nhoras e meninas, daose amostras na loja do barateiio n. 1, junto ao arco de Sinto
J3 Antouio.
VESTIDOS JAPONEZES
5-, Muito bem vindos estes ve
P em outra loja, tendo muila fazend
mandam-se em amostras : na
Prop
L-stidos para a loja do barateiro que garante nao os haver rSi
nda, leos, barras e nmilos enfeiles, fazenda de primor, yf.
._ ra do Crespe n. i, junto ao arco de Santo Antonio.
ios para a testa do Poco.

:^ /z\.\:
Couipanliia fldelidade de
seguros marltinios e ter-
restres estabelecida no
lio de Janeiro.
AGENTES EM I'EPNAMBICO
Antonio Luiz de Oliveira Azevcde 4 C,
competentemente autorisados pela direc-
tora da companhia de seguros Fidelida.
de, tomam seguros de navios, mercad
ras e predios nc seu escriptoro ra d
Cruz ni.
rercom alyuma quanlia para ajuda da mes- inteiramente em sallstazerem suas contas, passan- La-j, de'tnta encarnada mnito
sta. Oltiida, 2 de jaBoiri- de iStil. do alapressadamente pelo lado opposto e nm o jjovelloi de linba com 800 jai
Manuel l.uiz Vircs.
Dase dinheiro a premio em pequeas
grandes quantias : na ra Augusta n. 13.____
_ jardas a 120 rs.
Chapeo de sdahcrtoe inclinado para o bulo d agina, r)jtoS de dita com 400 jardas a O rs.
. nestee mos freguezes a aguia branca bota-lhe os Frascos de macana, oleo muito nmartor. a 100 rs.
1 pontjnhos. Duziis de dedaes brancos em caitas de vidro a
. r tveltts de uco e com pe- iapeh ^ agMu> t)aii0 a v.-tonaa m rs.
iivn e Ranlia transparente muto superior a 701
(II lio Dita Japoneza muito fina a 800 rs.
Saibam todas as boas'freguezias, e apreciadoras Duzia de sabonetes muito finos a TO rs.
Jos Joaquim dos Ileis tendo justo e contra-
tado a sua loja do calcado sita na ra do Lini-
mento n. 33, por isso pede aos seus credores que
lhe apresentem os seus dbitos para serem pagos i
vista, e aquello que nao lhe apresentar tirara fora jo^oni, que a loja d'aguia branca recebeu as bo- l'apeis de agulha com toque de f.-irugem a 10 rs.
.l.i .ni.il ....... -.... r( ;i;. i... 1,^.1. i....... I-i '... J > .. /1_-_ j v i. _*x_. j_ ___ ....... *:_,. -.
de qualquer responsabilidade a dita venda.
IflUIDAMCA
DE
ESTVIIELECIHEMO.
Francisco Maestrali
nita.s e delicadas IIvelas de ac,o e compridas, e que Crozas de botcies de madreperola muito fiaos a
tambem estao se acabando ; assim pois dirijam-se 56" rs-
logo ra do Queimado, loja daguia branca n. 8, Peg* de fita de cs, eslreiUs, com 10 varas, a
320 rs.
Novellos de linha branca do gaz a 30 rs.
('.anclis de linha de cores muito fortrs a 20 rs.
Carloes e eaixasde clcheles tateaM M I*
Ilotoaduras brancas e de cores para col etes a
120 rs.
Fraseos de banha, pechincha, a 240 rs.
para nao ticarem sem essas bonitas fivelas.
i PERFUMARAS novas
Kortiiueulo do hom.
cousa j mu sabida, que a loja d*agu branca
i o deposito de linas perfumaras, e alem do cons-
eslahelecido na ra da Imperatriz n. 24 com fabrica Unte sortimento que nella sempre se acha, nola-se es para nTen/nos, fazenda fina, a 24-
de chapeos de sol, raudou-se para ra do Queima- mais que acaba de receber pela barra franceza ul- (;axls preparadas para costureiras a 15500, 25 e
do n. 22, aonde se cobre e se faz toda quahdade do timamento clegada, um grande soilimento de lin- .IJOOO.
concert pertencente esta arte, e avisa a todos os dos e agradaveis objectos proprios e excellentes Ma?.Sl,s ,je grampas lisas e finas a 30 rs.
seus freguezes desta cidade e de fra, que est para piesentes, senda bonitas caixnhas envernisa- (_xas de palitos do pz e de cera finos a 20 rs.
resolvido a vender mais barato do que em outra das com flechadura, espelho e perfumaras, outras Duzia de facas e garios de 1 botao superiores a
qualquer parte, e. pede que lhe dom preferencia, toda de vidro tambem com perfumaras, lindos 5jO0.
e todas as pessoas que tem chapeos nesta fabrica boies de porcelana dourada com maviosas e joco- ])a7j;i ,j ditas e djtos ,je botes finissiinas a
nara concertar, tenham a bondade de os virem serias nscripees, outros iguajmente bonitos e de 6.j(X).
buscar at ao praso de 8 dias; passando opraso diversos moldes sem kisenpejfafc mas todos elles Grozas de palitos do gaza 25200.
wram vendidos para pagamento dos ditos con- com lina banha para cabellos. Nesse especial sor- Ar,ia prcta mil,0 fina a ioq rs.
cerios. limento vieram os bem conhecidos cieos plnloco- rj|US 0 rapt; coin eSe||10 a ioo rs,
________________________________________ me, de Lubm, ebabosa; assim como pomadas, eos-
<;-OMi:i"i%
0 padre Francisco Joao de Azcvcdo, habilitado
pela directora geral de inslruccao publica, tem j do_ Queimado n. 18.
resolvido abrir um curso de geometra, para o que ^ k .^ mr / a Bk {> D I A
convida aos senhores estudantes e a quem convier, IPI'j I'jH Ir AutULl
branca
I metiques, sabonetes, opiata, linos extractos de agr- Grailde lflU(laf_ de lOflBN al a
daveis cheiros, etc. etc. Assim, pois, concorram #__. _,_______ ____ _;
. os bons freguezes paraa loja d'aguia branca, ra ICSli, |UI se Dfltldr COOla, apro ei-
promeltendo-lhes empregar todos os exforcos atim
deque possam tirar o desejado proveito de suas
urdes: a tratar com o mesmo, na ra do liangel
n. 13, primeiro andar.
! scenlficar sua boa freguezia sempre que recebe;
! novos e aprecaveis objeelos, porm' os seus afue-
res durante o mez passado a privaran! dessa satis-
veitcni que tiestas pe< biiekas m ha
sempre : na roa da Imperalriz, loja
e armazem ti i Arara n. 56, de Loi-
remo Penira VeDdcsGmmares.
Cobertores da Arara a Ig.
Vende-se cobertores de pellos a 15 e I5*io0.
Wociedadc de seguros miltUOS faejio, e mesmo agora sendo-lhe mpossivel des- roberas de chita a 25 ; na ra da Imperatris a.
de vida installada pelo Banco crever minuciosamente a infindade dos novos e 86, loja da Memles Guimaraes.
Unio na cidade do Porto.
Os agentes nesta cidade e provincia Antonio
ir^Secir^io^u^srdeia!
a tomar assignaturas e prestar todos os esclarec-
mentos que foremnecessarios,_as pessoas que e-, ^ munj(Ja de dmheiro a rua do Queimado, loja
idilferentes objectos que ha recebido por lodosos \ _|_ra >'Hile as laaZllllias de 9 al-
0 vapores, limtase apenas a dizer que o nmho d a- 4 COftA
..: guia acha-se constantemente mu bem surtido, e moScllj-Uw.
tt Bsstss _ss_KTKs^!,^'s_.7ur,trs:
sejarem concorrer para tiio til e benfica empre
za, segurando um futuro lisongero aos assocados
No escriptoro de Antonio Luiz de Oliveira
AzevedoA C, na rua da Cruz n. i, precisa-se fal-
lar com o Sr. Luiz Soares Botelho, ti I lio de Jos
Soares botelho e de Fortunata Candida de Souza,
e neto de Francisco Manoel le Souza, natural da
ilhade S. Miguel, o qual consta ter vindo para es-
ta cidade em i8o6, para lhe dar noticias de sua
mai e irmaos que se acham no Ro de Janeiro.
O Dr. Cosme de S Pendra conti-
na a residir na rua da Cruz n. 53,
Io e 2o andar, onde pode ser procu-
rado para o exercicio de sua proiis-
so medica, e com especialidade
sobre o seguinte
d'aguia branca n. 8, que achanto explendido e va-
riado sortimento de finas perfumaras, galanteras,
etc., etc., ludo isso vendido com barateza, agrado
e sincerdade.
l.l\li\S
Aluga-se o armazem n. 4 da rua do Apollo, e
o terceiro ailar da casa n. 88 da rua da Impera-
triz i na rua da Aurora n. 36.
Carvalho & Nogneira na rua de Apollo n.
20, saccam sobre Lisboa, Porto e ilha de S. Miguel.
MmEBS*JSi
AURORA BRILHANTE
LARGO
DA SANTA CRUZ N. 84.
Amigos do bom e barato.
( ai\a li'i;iI de London c llr >ili n Bank
(limttcd em emambueo.')
A caixa filial de London e llrasilian Bank em
Pernambuco, faz Miente ao publico e mais espe-
cialmente aos seus deposttadores em conla cr-
reme que se ve na rigorosa obrigacio de alterar
as suas condieeries deste modo de deposito, nao
smente lelos "proprios intercsses da caixa, como
tambem pela conveniencia do publico, como a ex-
periencia o tem mostrado.
Portanto liipiem as ditas condc<;oes desde o Io
de Janeiro prximo futuro em dianle, modificadas
como segu:
Smente se recebem quanlias de o05 para
cima. ...
Nao sfio contados juros sobre quantias deposita-
das por menos de 7 dias.
Os juros fiquem redolidos a razao de 2 por cen-
to ao auno eapitalisados como d'antes.
As retiradas do dinheiro podutu ser electuadas
a vista sem dislinccio de quantias e sem previa
parlicipacao obligada e sm obsequiosa se isto fr
possivel.
Os depsitos atempo tixo as condic^oes sao as
segu nles:
Pelo tempo de 30 dias venecrao juros a
razao de 4 0|0 ao anno
. 60 5 0|0
. 90 6 0|0
> 180 e alem 7 0|0
TLNTL'HAIUA.
Tinge-se com perfeicao para qualquer
cor, e o mais barato possivel: na rua do
Rangel'n. 38, segundo andar.__________
Ensino primario.
Na rua das Cruzes n. 2, primeiro .indar, tem
aula sob a direrejio de Pino da Silva Continho.
Preci.-a-se alugar una ama que saina cozi-
nhar : na rua das Cruzes em Santo Antonio n. 41,
segundo andar.
Manleiga inglesa flor primeira qualidade. Servcjas de boas marcas c muitas.
Dita mais abaixo segunda dita. Queijos uovos do vapor e do passado.
Dita franceza nova segunda dita. Hitos de prato.
Cha superior preto, verde, hysscn.uxim e pe Ditos de manleiga novos. ^
rola_ Caixnhas enfeitadas rom ameixas franeezas.
Doces de goiaba caixoes de varios tamanho!. Latinhas com dita.
P^Amendoas de casca dura e mole.
Azeilooas novas em barril e garrafas.
Presuntos para panella e fiambre.
? Bolaclinhas inglezas novas.
3R Chouri<;as, paios e lingucas.
2| Cognac verdadero.
^5 Licores e champanhe.
R Charutos finos, ha finos em ludo.
!| Soblas grandes em resteas.
I_3 Copos lapidados e lisos para agua e vinho.
SI? Passas novas e figos tambem.
*j Massas para sopa sao das novas.
i^v S'ozes j deste anno.
3R Farinlia, milho, farello e arroz de casca en
^B saceos jiandes.
S Toucnho de Lisboa novo.
."^ Chocolate j fello que bello almoco.
>< Azele doce temos refinado tambem.
|K Peras seecaa em caitas e a reta I lio.
'&i Caslanlias novas.
MS Cigarros hespaiihes dos melhores fabricantes
^ Capils para refrescos de diversas frutas.
W Sabao d todas as qoalidades.
Latinhas rom fructas.
Lalinhas com biscoutinhos de muitas quali-
dades.
Latas com bolachinha de soda.
Latas com peixe ensopado.
Latas coin marmelada nova.
Latas com massa de tomate.
Frascos com const rvas.
Ditos com musan a.
Ditos com trenclua de Hollanda e de laranja.
Ditos com sal refinado.
Vinhos puros da Figueira, nao ha melhor.
Ditos do Lisboa, nao ha melhor.
Dito do Porto, nao ha melhor.
Dito branco, nao ha melhor.
Dito engarrafado em caixa de urna duzia.
Ditos genuinos em caixa e a retalho.
Ervillias seccas.
[.alas rom ditas
Presuntos novos de lamego e para fiambre.
Palitos linos para denles.
Caixinbas coin 4 arrobas de farinha da verda-
deira aramia e a retalho.
Comlnhos, ervadoce, folhas de louro, pimentado reino, ranella, muida e em casca, ecra-
vo ludo nove.
0 armazem da Aurora Brilhante leu grande sortimorito e vende por presos
muito commodos, tanto era porcQes cono a retalho.
1 wmmmmm mm mmmL
B A f LOES
de papel fino de seda todo variado de cores de diversos tamanhos, proprios para as festas de grejas
etc. ricas laoternas de papel para iiluminacie e velas de *permacete, tudo muito barato; n. w rua
a* rVkla do Hecife. bgrande amuiemda e_poi;ao de Loadres.
Naques.
Custodio Jos Alves Guimaraes cm
loja na rua do Crespo n. 7, saea para
l.islioa._________
Aluga-se a casa n. 8 da rua dos Prazeres
bairro da Boa-Vista : para traiar, no primeiro an-
dar do sobrado n. 8 da rua do Queimado.
Eufrozina Maria das Dores previne ao publi-
c.o que o Sr. ManoelFrancisco da Silva nao pode
contratar a venda do sitio na Vanea de seu linado
sobrinbo Luiz Frmino Goncalves da Silva, Cujo si-
tio se acha em litigio para pagamento do quanto
era devedor o mesmo finado esta senhora.
Io molestias
de olhos;
de pcito :
3o dos orgaos geniti
urinarios.
Em seu escriptoro os doentes se-
ro examinados na ordem de suas
entradas comeeando o trabalho pelos
doentes de olhos.
Dar consultas todos os dias d sj
Gas 10 da manhaa, menos nos do-
mingos.
I'raticar toda e qualquer opera-
ran i|ue julgar conveniente para o
prompto restabelecimento dos seus
doentes.
\4 HE HITE
Precisase de urna ama que tenha !>om leite e
sem llho : na rua da Senzala Velba n. 22, segun-
do andar.__________________________________
llotiilos para charutos.
Estao a venda na rua do Imperador n. 15, de-
fronle de S. Francisco, rtulos para charutos de
diversas inveueoes, em papel do dilTerentes cores,
e por preco commodo. __________________
Precisa-se alugar urna pessoa escrava ou li-
vre que saiba comprar, engommar c cozinhar : na
rua do Rangel, sobrado n. 33.
costurarlas com niusicas e sena
ellas.
A aguia branca acaba de receber lindas e deli-
cadas eaizinhas com msicas e sem ellas, proprias
e excellentes para um hom presente : como de seu
louvavel costme, a aguia branca da rua do Quei-
mado n. 8, vende-as por preces razoaveis.
FITAS BRANCAS FINAS
Aw.\ of;ij:iTi:
Na rua estreita do Rosario n 18, primeiro an-
dar, precisa-so de urna ama que tenha bom o
abundante leite.
COMPRAS.
Compra-se una mobilia de Jacaranda: na
rua do Crespo n. 23 se dir quem trata.
Coinpram-se escravos
de ambos os sexos, e pagam-se bem : no escripto-
ro da rua da Madre de Dos n. 3. primeiro andar.
Trorain-se boas telhas por lijlos de aive-
nariagrossa: a tratar rua do Mondego. olaria
n. 13._________________________________
(UIUTIVO
pelas pilulas paullstanas.
Ihdropisia.
Por ter conhecimento de um curativo de hydro-
psia, obtido por Carlos Pedro Klchecoin, deS.Pau-
lo, procurei o mesmo tratainento para um escravo
meu, luchado esle desde os ps at a caneca com
as alfliecoesda morle; logo que tomou as pilulas
paulisUiiias e os sarapes, as a_acedes forain diini-
nuiudo, e em menos de 50 dias o meu escravo sa-
rou perfeilainente ; nao se pode chamar eurativo,
mas sim um mlagre. (J sabido que a hydro-
pisia molestia euravel.)
Km lestemunho da verdade assigne o presente
para ser eonhecido de todo o publico e a gloria ao
seolior de lao liom o nfallivel curativo. Freguezia
do O' 20 de dezembro de 1859.
Joao Luiz de Barros.
AGENCIA PRINCIPAL
na rua de Janeiro, rua do Parto n. 119.
DEPOSITO EM PERNAMBUCO
na ph'macla do Sr. Jos Alexandre Hibeiro, rua
do Queimado n. 15.___________________
Compra-se effectivamente ouro e prata em
obras velhas: na pra^a da Independencia n. 22
loa de hilhetes._____________________________
Compram-se constantemente garrafas vasias:
na fabrica de espiritos na rua Direita n. 17.
Comprase urna escrava de boa conducta :
quem liver annuncie ou dirija-se ao sobrado n. 21,
na rua de Aguas-Verdes._______________
Compram-se Diarios : na rua Nova n. o.
VENDAS.
LIOllDVCAO.
J. Falque querendo acabar com todos os artigo?
(menos o artigo chapeos de sol) existentes no seu
eMabelecmento, contina a vender ditos artigos
por prec/is baralissmos, as pessoas pcononicas de-
i vem aproveilar a occasi.o de se proverem de mui-
tos objectos bons e por pouco dinheiro, alliangando
que nao olhar a sacrificio, para acabar mais bre-
ve, afim de sortr de. novo a sua antiga fabrica de
chapeos de sol, rua do Crespo n. 4.
Rua da Senzalla l\ova n. 42.
Neste estabelecimento vendem-se: tachas de
ferro coado libra a 110 rs., idemdeLow
Moor libra a l_0rs.
Arara n. 36, de Mendcs Guimaraes,
llrni da Arara a 4 res
covado.
Vende-se brim pardo de linho com pequeo lo-
que de mofo, que depois de mol hado larga, propr
para calcas e palitots, a 400 rs. rs. o covado ;
brim bra'nco de linho a 15 e l200 a vara, fnslo
de cores para calcas, coletes e palitots a 50 n.
o covado : na ru da Imperatriz, loja da Arara n.
56, de Mendes Gnfmaite.
Lazinha Marta Pa da Arara.
Vende-se hiazinhas a Mara Pa muito fina,_ rom
quadros e palmas de seda, para vestidos a 300 9
[ covado, sedinhas finas a 500 rs. o covado ; na rna
da Imperatriz n. 56
para debrunharcoll1 tes,paletolsc ves-,4 Arara vende as caas a 8,00# rs.
litios. Vende-se ricas capas para senhora a 8J, chelea
Acham-se venda na rua do Queimado, loja da de merino estampado a UUOO, ditos finos matisa-
aguia branca n. 8. dos de aove. gosto a 54, d.to de nonta redonda e
"____._._. _-. __, _-iir_. borlla a i&;00 : na rua da Imperatriz n. a,
ir __ _1 il im. S A\*" loja d i Arara de Mendes Guimariies.
Inglezas. ob que preMtcha, liaziihas a 0 rs.
A aguia branca recebeu as superiores pennas de Vende-se lazinhas finas para vestidos a 2*1
ac inglezas, do afamado labricante l'erry, sendo e 30 rs 0 CVado, lencos brancos com barras de
o sortimento grande, e das quahdades que mais se cor,.s a (jq n Bejaj ,n_s para ipreciam, inclusive a amanlaca a balao etc. etc.; :i(K),... (1|,.(S t.r(|as a vw T^ ,|ltls pari honwra a
cada caixa traz urna groza : os pretendentes, pois, 160t! 00 rs na rua da imyeturu D. :mt |0ja da
dirijam-se coin dinheiro rua do Queimado, loja rara,
d'aguia branca n. 8. A lrara ven(le as cassas JOO rs. e ceude.
a botoadnras de cor na- veode-e -* T*ri+mmn..m~
do, ditas finas a 2oO e 280 o covado. organdvsaaas
Unas para colletes :^'taed?A^vad0: na rua d;l ,n,pera,r'x
Quem quizer botar em seu rollete tima bonita peeUMaa, sedinhas da Arara a 800 r*. cavada.
abotoadura oval, de lina cornalina, ha de chegar- Vende-se sedinhas com quadros e lisas, escura*,
se com 25 loja d'aguia branca, rua do Queimado proi,rias ,,;ira ,,,,,-,,, satl de luto, m ler un .
numeroS. cor a 800 rs. o covado, ditas da mesma quali.lade
-------------------------------------------------------------- de cores para vestidos a 800 rs. e dilas de Mi.
Na da bea-lloi' nhasi."iOO rs. o covado: amada Imperatriz a.
* 56, loja da Arara de Mendes Guimaraes.
Mcias cruas para uomem. Pcliiiirlia na Arara, caries de rbita a im.
Vendem-se meias cruas para hoine.n a 25 a du- .no
z.a : na rua do Queimado, loja dobe.ja-flor iiume- ^^ fc ^ ^^ ^^ fc rJM.adofranfrI
re OJ. eo_ | fk (.I)V.|0S a ;[j cortes de cassas franreas
letal para senhora. pintadas a 25 o corte, ditos de barras a 25, M e
Vendem-se meias para senhora a 35200, i& e 4J M rna Ja imperatrii n. 56, loja da Arara de
15500 a duzia : na rua do Queimado, loja do bei- _iendcs Guimaraes.
ja-llor n. 61. .... Gastmirasa \-5M0 mvade.
l.aa para bordar. Venle-se casemiras decores para calcas, eole-
Vendese laa para bordar, de diversas cores, as u,s,.,(;, it-tot^, infestada, a 15600 o covado. corlea
mais lindas que se pode encontrar, a 65500 : so de aftNnin infestada a 15600 e 25, e em corado a
quem vende por este preco na loja do beijallor l& ., Ill;l da |,,.ratriz n. 56, loja da Arara da
da rua do Queimado u 6-I. Metate Guimai.>.
Trauciulia para enfeiles. \ \rara Tenj,. ronpa ffila e fcaiaU.
Vende-se Irancinha para enfeiles de vestidos ou Vende-so palitots de casemira a 45500, 65 e
roupa de meninos, que tambem serve para enfeitar g^ gji^ de 3.5.^)03 55, paRMi de i M a 105.
eamisinha de senhnra ; vende-se tranca branca dl((# |ns ,|e __ ,. |4, peJMMl de 11 un df
coin 40 varas a 800 rs. a peca, com 20 varas a 500 a ^H),. :,ji djU)S Jc mc- fas^mira a :155o,
rs., com 10 varas a 200 rs. : so quem tem 6 na CA^ de m.jn, dl. ,.,.,,< 2,j a :^i). d l.ran-
loja d. beija-tlor da rua do Queimado n. b3. ,.as de |in10 a :!,5;,K|,, -,.%_ km de m,.ia casimira
Tesouras linas para imita e costura. I a 15, coletes a 25500 e 35, cmmm Iraarea a
Vendem-se tesouras finas para linha e costura a 15600, ditas linas a 2-5 e 25500, ditas de liaao
400, 500 e 640 rs., dilas para costura a 500 rs. : i prega larga a :t5, leroolai linas a 15600. ditas de
na rua do Queimado, loja do beija-lor n. 63. i linho a 25 e 2-5MX) : na rua da lm|ratriz n. 50,
Facas e garlos. loja da Arara de Mendes Guimari
Vendem-se facas e garfos oitavados a 25800,!
Ilaloes da Arara a !#, 3o00 t \.
ditascravadas a .'(5, ditas de cabos pretos a :I5200,' Vende-se baldes americanos, os melh
dilas de cabos de balanco com 2 botes para mesa lem vindo.de 20, 30, 35. 40 arcos a :5, I-MO,
a 65200 a duzia : na rua do Queimado, loja do 45 e 4-5500, ditos de brilhantina a 45. ditos de
beijallor n. 6.1. Imadauolao a 35600 : na rua da Imperatriz n. .";6,
Esrovas para denles. | loja da Arara.
Vendem-se escoras para denles muito finas 1 Chitas da Arara a 210 rs.
120, 240, e 500 rs. : na rua do Queimado, loja do Vende-se chitas a 240 rs. o covado. ditas '
beijallor n. 63. | cezas com pequeo loque de mofo a 280 rs. ditas
Caixinbas cuiu grampas. limpas a 320, 309 e 400 rs. o covado : aa rua da
Vendem-se caixnhas de grampas a 40 rs. : na nperalrte n. 56, loja da Arara.
rua do Queimado, loja do beija-llor n. 63.
Colarinhos para ucmirm.
Vendem-se colarinhos de linho para hemem, de
diversos gostos, a 560 e 6>0 rs. : na rua do Quei-
mado, loja do bcija-llir n. l3.
davalas para senhora.
Preclsa-se de uina ama que
salda comprar, coslnhar c o-
gonimar para casa de homcm
M>Ueiro:no largo do faralzo n.
9, segundo andar, prefere-se
escrava.
Vcnd'-se a nadara pertencente. a Cosa $
Carvalho, sita na Cidade Nova de Santo Amaro
travessa do Lima : trata-se na mesma.
- Vendem-se ferros para fazer hostias : na roa
Direita n. 73.
Vende-se a casa terrea n. 26 da rua da Ale-
gra : a tratar na rua da Imperatriz n. 40.
INJECCO BROW.
Remedio nfallivel contra as gnorrheas
antigs e recentes, nico deposito na bo-
tica franceza, rua da Cruz n. 22, pre-
to 35.
A Arara recebeu pelo vapor um sorlinrala de re-
mellas para senhora, dos mclhorr aestee eae
tem vindo, a preco de 13, l;j00 e 2*.
Vende-se romeiras para senhoras de ramLraia
de sal|iieos brancos e de cores e bordadtw a 15,
ljlkKI o 25, golinbas coin botiozinho a .>0 |_
Vendem-so grvalas para senhora, de diversas I ditas com pintos e botaozinho a '15. ramizinhas
cores, a 500 rs., 800 o 15 : na rua do Queimado, | para senhora a 15,15600 e 25, aventaes e rorpi-
loja do beija-flur n. 63. | nho para meuinas a 500 rs. : na rna da Imprra-
Botcs de panho para mancjiitos de senhora. tria n. 56, loja da Arara.
Yeiidem->e liotoes do punlio para manguitos do
senhora, do diversos gostos, a 200 rs o par : na
111a do Queiinado, loja do beija-lor 11. 63.
lilas para debrum de vestidos.
Vendem-se lilas para debrum de vestido de laa
protas bordadas, com 10 varas, a 15100, dita de
seda preta a 15200, dita de cor adamascada a
15200, dita branca de laa com 11 varas a 400 rs. :
na rua do Queimado, loja do beija-tlor n. 63.
Pcutes travessos para meninas
Vendem-se pentes travessos de borracha para
meniua a 400 e 500 rs.: na rua do Queimado, loja
do beija-fior n. 63.
Papel de diversas quahdades.
Vende-se papel annzade a 640 e 700 rs., dito de
cores a 600 rs., dito adamascado a 15, dilo branco
a 900 rs., dito beira dourada a 5200 : na rua do
Queimado, loja do beija-flur n. 6.1.
Ilotrs de inadreperula.
Vendem-se bdtOM de madreperola para collete,
que tambem servem para casaros de senhora a
400 rs. a abaloadura : s quem vende |mr esle
dreco na rua do Queimado, loja do beija-fior nu-
mero 63.
linas df Jiumn.
Vendem-so Invas do Jouvin para homem e se-
nhora, chegadas no ultimo vapor : na rua do
Queimado, loja do lieija-tlor n. 63.
Vndese uina taberna sita na rua de Hortas
n. 106 : a tratar na mesma.
Vendem-so eaibros, traves-oes e cordas pro-
prios para andaiines, tudo muito barato : no largo
do Corpo Santo n. 2o.
PECHIIIIIA
Custodio Carvalho a Cumpa-
nhia.
9 9Rua do 4|uclmado9 9.
Novas liatinhas escossexas muito linda, fazen-
da ene. rpada, propria para vestidos de scnhera e
criancinhas, pelo barato preco de 240 cada ro-
vado.
FARINHA FONTANA.
Fariulia da muilo arre lila a marra
Fontana "pseniliarca-ia hojr, vridf-M
por preco mais coiumo.ln do qne tm
qualquer outra parte : na rua da Croi
n. 4 rasa tic N. 0. Bicber 1 f. surces-
sore>.
CAl MIVV
No armazem do Avilla, no Korte do Man** es-
quina deaacoe da Una vende-se cal de Lisboa a
mais nova que ha no mercado a 35300 o lu,
indo de Lisboa.
Na rua do Amor un n. 50 ha farelo desea prece-
dencia, muilo novo e das melhores man --
veande precos eooMBOdns.
Al ti Y
I I


Diario de Pcruauhuco Quinfa elra 14 de laueiro de iSU i.
un\\m: K3 vou rio
NO
ARMAZE
DO
0 komein do movimento nao estaciona.
AVANTE E SE.WRE
GUERRA VOS INIMIGOS
Xao se adniille a anio commercial.
\o sequer a liaba da jllistnca.
Nao se tenie a furia ios eorsnrio*.
Esteanno ha de ser liis-ievo.
Os canhes est o preparados.
FOGO! BOM FOGO!! XELIIOR FOGO!
45
CALCADO.
Rua Direita
45
A|rovos liorzeguinsfiancez.es de lustre pa-
ra homem................. 5,5000
liorzeguins francezes de cores pa-
ra meninas................ 24000
Borzcguins francezes pretos para
meninas.................. 20500
Sapatos de lustre para senliora.. 10000
Sapatos de lustre s avessas..... 00

RUA M CA-DJGiA 10 UK1TFE *
NOVO E
53.
GSA1TDB EKAZSM D3 1OLEAD
RA DA UAIIEIA 1IO RJEU1FJK W. 5.
s
Kua do Inclinado nmeros
4 e 55.
t
Abaivo a. liga d'agua no vinagre
Viva a liga to geuuii'i Cierta com o fiambre!
Viva o conservador das conservas iiiglezas!!
Vivara os liberaes fregu ees do BALIZA !!!
Vivara lodos que lercm este annnncio.
SEiWIOllES E SESIIOHAS.
A tarifa abaixo publicada altesta bem esti verdade.
A guerra aos nimigos, est portanto, as>im declarada.
tratamento todo attencioso que se Ihes dar.
Alm do cumprimento dos deveres da boa educacSo, haver dora era diante anda
maior- capricho em satisfazer todos que bonraiem esla casa.
Os gneros, pelas qualidades e presos annunciados, sero offereeidos ao exame
dos Srs. compradores. Nioreceieo pul) ico qi e se pratique o contrario, como em oulras
casas, que at annunciam o que nao lem.... O Baliza n3o Ilude....
Varas de franja de laa le todas as cores a 40 rs.
Hilas de tranca de 13a de todas as cores a 40 rs.
hitas de trancelim branco milito superior a 20 rs.
Trancas de algodao brancas e de cores a 80 rs.
i Doiiaa de meias para senbora muilo superiores a
i :;hoo.
I (rozas de penna de ac milito finas a .'00 rs.
: Caivetes de duas e tres folhas a 500 rs.
Ditos de urna folha a 80 rs.
Caixas para rap, muito bonitas de calungas, a
100 rs.
Capachos redondos e compridos a 500 rs.
Caixas com muito superiores obreias a 40 rs.
Varas de franjas brancas e de cores, largas, a
1(30 rs.
Pares de botSes para punho muito bonitos a 120 rs.
Cairelis de liaba Alexandre com 200 jardas a
100 rs.
Cuides de linlia Pedro V com 200 jardas a 00 rs.
Ditos de linha de 50 jardas a 20 rs.
Duzia de meias brancas para homem a 1,5000.
Caixas com soldados de chumbo a 120 rs.
Tinlciros de vidro com superior tinta a ICO rs.
Ditos de barro a 100 rs.
(rozas de botos oe louca pratiados a 160 rs.
Tesouras muito linas para costura a 120 rs.
Ditas ditas maiores e mclhores a 400 rs.
Escovas para limpar denles muito finas a 200 rs
O proprietano do grande Armazem do Baliza esUibeleenlo a rua do Livramento ns.; Ditas para unhas a 800 rs.
38 e 38 A, defronte da grade da igreia, acaba de reduzir os procos de quasi todos os ka dc todasas cores para bordar a 7 a libra.
gneros do seu magnifico deposito. I *fncom. Peores de B"ca a too rs.
i Cadernos de (iapel branco e azul a 20 r-.
Pacote de papel amizade a G00 rs.
Caixas com 100 auvelopes muito superiores a
800 rs.
Cadernos de papel do cores, grande e pequeo, a
As pessoas, anda as mais exigentes, que se dignarem vir este estabelecimento, 40 rs.
tarad por certa muito salisfeilas, nao s j quanto s qua'idades dos gneros, como com o Silabarios portpjaexes com calungas de todas as
i|iiahdadesa.l20 rs.
Graxa em latas muito nova a 100 rs.
(arlas e taboadas para meninos a 60 rs.
Caixas com superiores iscas para charuto a 40 rs.
Cairelis de linha de cores com 200 jardas a 60 rs.
Haralhos muito lose para voliarete a 280 rs.
Kodinhas com allinetes francpzes a 20 rs.
Cartas de allineles francezes linos a 40 rs.
Caivetes de cabo de madreperola de duas folhas
a 000 rs,
A ni'ixas francezas em caixinhas cem frascos Licores ingleses c francezes em vazos de di- Lavas brancas de algodao finas a 80 rs.
de diversos tamaitos a i,2oo, l.too, i versos tamanbos a 1,000, i,500 e 4,800 Miadas do linha frxa para bordar a (0 rs.
2,000,2,5ooe2,8oo rs. e a libra a 8oo rs. rs. a duzia.
Amendoas novas a 32o rs. a libra.
Vianteiga inglesa flor a 8oo rs. a libra e de s
libras para cima ser aborto um barril na
presenea do comprador.
dem de 2.a e 3.a qnalidade a 7oo, Ooo e loo
Alpiste a 16o rs. a libra, e 4,8oo rs. a arroba. rs. a libra.
Arroz do Maranhao, da India, e Java a 8c e dem franceza a 500 rs. a libra, e em barril
loo rs. a libra. I por menos.
\l 'tria branca e amarella a 4oo rs. a libra. I lemem latas a 20000 e a 1,5300 a lala.
Araruta verdadeira a 3o rs. a libra. .._. .. ,Q_
Massa de tmale em barril a 480 rs. a libra.
Batatas novas em gigos de 36 a 4o libras por g" em Iata ,a Gi0 a J* ..
i.ooo rs. e a 4o rs. a libra. I Moslarda ingleza 400 e 600 res o pote.
Francisco Fernandos Doarte acaba de abrir na ra daCadeia do Recifen. 33, um grande esortido armazem de mo.l.ados de-
nominado luit) Maviiittl. Neste grande armazem encontrar sempre o respeilavel publico um completo sortimento dt-s meil.orw
esta disposto a continuar a vender pelos precos gneros que vem ao mercado, tanto esii angeiros, como nacionaes, os quaes serao vendidos em porces ou a retalbo por oreo asafc
abaixo declarados, pois e para principar o novo commodos.
(aSsdeobreiasdccoiamuiiofinasa40rs. Manleiga ingleza especialmente escribida Vinagre de Lisboa a 200 rs. a garrafa e Sardinb.is deNantesa3iO rs. oquartue 360
Azeite doce refinado a 8oo rs. a garrafa,
dem de Lisboa a 64o rs. a garrafa e 4,8oo
rs. a caada.
!
SALSAPARRILHA
Biscoilos inglezes Lunch a 18oo rs. a lata de Marmelada imperial dos memores fabrican-
3 libras. tes de Lisboa a 600 rs. a libra.
dem de diversas marcas cm latas menores Marrasquino de zara a 8oo rs. o frasco e a
a i 3oo rs i 8;> a duzia.
dem de Lisboa de qnadade especial em la- lla* para sopa, talharim e macarrao a
, 1 ., '. Mil i-.- lili...
tas grandese pequeas a 3,ooo e l.ooo rs.
Bo achinbas americanas, a 3,ooo rs. a barrica
i oo rs. a libra.
Banhade porco a 44o rs. a libra, e em barril
i loo rs.
Baldes americanos muito proprios para com-
pras a I.ooo rs.
480 rs. i libra.
dem finas, esfrelinlia c
com 8 libras a 1$000.
M; :^S
pevide, caixinlia
Nozes a 16o rs. a libra.
eixe preparado de escabeche, da melhor
qnalidade l-Sa lata.
Ch;i huxym, l.vsson e perola a 3,ooo, 2,8oo, I'rsimt(jj l;lin,'" miiU> 80Peri' a WO
2.300 2,000 e l,6oo rs. I lem Vra fiambre (ing.ez) a 640 n-isai
dem preto a 2,ooo, i ,6oo e 1 ,ooo rs. alibi a.
BE BEISTOL.
As curas milagrosas do
ESCRFULAS^
XJXjiOEJXI. j^s-,
CUA-JAS AVILAS,
EKXHMffiABES SYPHILITCAS,
Erysipelas, Rheumatismo,
Nevralgias, Escorbuto,
eie., cif;.,
;eado i' dido o alto re
ce.,
que tcm
ii'iiuc
libra.
libra.
Chalate fran^pnmeira qnalidade a I,loo *g* taa0 a :,^ a rCma-
rs. a libra.
dem hespanhol a l,2oo rs. a libra.
dem suisso a l,ooo rs. a libra.
Chanoagne a melhor do mercado a 12,oooo Mem americano a 400 rs. a
gigo e a 1,20o rs. a garrafa.
m de peso a 2(5 a resma.
Palitos para denles 160 rs. o maco.
Dito dito de flor a 200 rs.
hitos do gas a 2iC0 a groza
Cei veja brama marca Allsopps a 4,3oo rs. a
duzia, e a 4oo rs. a garrafa.
a garrafa a 8>x> e a
de primeira qnalidade a 800 rs. a libia,
em barril se faz abaiimento.
Manteiga franceza a mais superior do mer-
cado a 560 rs. a libra, e 520 rs. em barril
ou meio.
Prezuntos inglezes para fiambre, de superior
qualidade, ebegados neste ultimo vapor, a i
720 rs. a libra.
Queijos flamengos chegados neste ultimo
vapor a 2#i00.
Queijopralo muito fresco enovoa640rs.
a libra.
Castanhas muito novas a 120 rs. a libra e
e 3,5000 a arroba.
Cha uxin o meihor que ha neste genero,
mandado vir de cotila propria a 25800
rs. a libra.
Cha hyson muito superior a 2)5360 rs. a li-
bra ; cha hyson proprio para negocio a
10500 rs. a libra.
Cha preto muito superior a 25 a libra.
Biscoutos inglezes em latas com dilferenles
qualidades, como sejam craknel, victoria,
piquelez, soda, captain, seed, bornez e
(tilias mocas marcas a 1,5350.
Bolachinha de soda em latas grandes a 2,5.
Figos em caixinhas hermticamente lacra-
das, muito proprias para mimo a I500.
Caixinhas de 4 e 8 libras de figos de coma-
dre a 15 e 25 cada urna.
Passas muito novas, chegadas neste ultimo
vapor a 500 rs. a libra e 35 um quarto ;
e em caixa se faz abaiimento.
Ameixas francezas em latas de raeia a 3 li-
i bras a 800 rs.
Champagne da marca
tem vindo
garante-se; superior q
15200 a caada. rs. meia lala.
AzeUe doce refinado era garrafas brancas a Latas com peixe era posta : savel. cuniaex
vezugo, eberne, linguado, lagostini.a,
800 rs.
Azeite doce de Lisboa a
45800 a caada.
(enebra de Hollamla a 300
55800 a frasqueira.
640 rs. a garrafa e
rs. o frasco e
I53o0rs.
SaluiFto em latas, preparado pela nova arte
de co/.inha, a 800 rs.
.Maga de tomates em latas de I libra a 600
ris.
Cliouricase paiosem latas de 8 c meia libra
por '&.
Toucinho de Lisboa a 320 rs. a libra e
85G0O a arroba.
a libra e S s
mais superior que
Caixinhas com ameixas francezas, ornadas
com ricas estampas na caixa exterior,
muitopropriasparamimo.a 1520', 10500
e 25.
Frasco de vidro com tampa do mesmo, con-
tendo meia libra de ameixas francezas, a Bolaxinba ingleza a 320 rs
15200. | barrica.
Marmelada imperial, dos melhores conser- Sa* milit0 novo a 2i0 rs- a lli:l''-
veiros de Lisboa, em latas de I e meia a Cevadinha de Franca a 200 r^ a libra.
2 libras a 600 rs a libra. Familia do Maranhao a 120 rs. a libra.
Fructas em calda das melhores qualidades Araruta verdadeira a 320 rs. a IH
que haem Portugal em latas hermtica- ^v>daa 120 rs. a libra e'> a arrobe.
mente lacradas a 800 rs. Alpisla a 160 rs. a libra e 4#* ti i arreba.
Peras seccas muito novas a 640 rs. a libra, i blatas muilo novas em pigus com 40 Ufarai
Nozes muito novas a 160 rs. a libra. I P,r ** e a rs- a llb"-
Amendoas de casca molle a 400 rs. a libra, abollas a lo o moldo com mais de 100 c-
Avelaas muilo novas a 200 rs a libra. ^a unh
Amendoas confeiladas de diversas cores a Caf''lav3 800 rs. a libra. | a llbra e a arr,,ba-
Macaas e peras chegadas neste ultimo vapor, Cafri do Cear mu" superior a 2
muito perfeitas, s vista se faz o preco.
Conservas inglezas em frascos grandes a 750
rs. cada um.
Ervilhas francezas e porluguezas em latas de
i libra a 640 rs.
Ervilhas seccas muito novas a 160 rs. a
libra.
Chocolate francez, o que ha de melhor neste
15200
ao nosso mercado a l85ogigo, genero a 15200 a libra
f superior qualidade. Chocolate hespanhol a l,->200 a libra.
Vinbo Borde.'iux das melhores qualidades Genebra de laranja em frascos grandes a I,
que se pode desojar de 75300 a 85000 a Cerveja branca e prela dasmllmres marcas
caixa e 720 a 800 rs a garrafa.
Caixas com viudo do Porlo superior de
que ha no moteado a 500 rs. a garrafa e
95 5800 a duzia.
a m a duzia, e 900 a 15 a garrafa; leste CognacJnglez_ de superior qualidade a 800 ^^1 Com flor a *0o rs.
ditos lixadossem flor a 160 rs.
bra e 85400 a arroba.
Caf do Rio, proprio para negoc;o, a 8/1.
Arroz c> Maranhao a 100 rs a libra ei80
a arroba.
Arroz de Java a 80 rs. a libra e 2400 a
arrobn.
Vellas de spermaceli a 560 rs. a libra e
540 rs. se for em caixa.
Vellas de carnauba refinada a 320 rs. mas-
soc a 95 a arroba.
Doce de goiaba a 640 rs. o caix
Macaran, talharim e lietria a 4N" rs. a li-
bra ; em caixa se faz abatmeiil>>.
Eslrellinha, pevide e arroz dema Apa
a 400 rs. a libra e 25 a caixa c ni 6 bhra.
genero ha grande porco e de differcntesl e 10200 a garrafa,
marcas acreditadas que ja se venderam Licores francezes das seguintes qualidades :
por 143>e 155 a caixa, como sejam: Duque I Anizete de Bordeaux, l'laisir des Dames
do Porto, Lagrimas do honro, 1). LuizJ e de oulras militas marcas a 15 a garrafa
-imoes, Madeira secco, Carcavellos, Nec- c 105 a caixa.
pr de 1833, Duque Genuino. Marrasquino de Zara a 800 rs. a garrafa e
Vinho de pipa: Porto, Figueira e Lisboa, a 05 a duzia.
4f, 48 e 560 rs. a garrafa, e 35, 35200 Mostarda ingleza em potes j preparada a
o 30500 a caada. I 400 rs.
o masso,
o masso com 20 massinhos.
Gomma de engommar muito fina a 80rs. a
libra.
Banba de porco refinada a 480 rs. a librae
400 rs. em barril pequeo.
Charutos dos melhores fabricantes ,!.> S. F-
lix, em caixas inteitas ou em meias, de
5(100, 25 e 30.
Vinbo branco de superior qualidade, vindo Moslarda ingleza em p, em frascos grandes, Presuntos lo reino, vindos de cunta prepria
j engarrafido a 640 rs. a garrafa e a 500 a 10 catla um.
rs. de barril. Sal refinado a 500 rs. o pote.
de casa particular,a 400rs. a libra: intei-
rose faz abaiimento.
Os scn'iores que compraren! de 1005000 para cima, terao o descont de 5 por cento, pelo prompto pagamento.
Passas novas a 480 rs. a libra e a 15800 a
caixa.
Cognac inglez a 64o rs.
l,ooo rs. I Queijos Qamengos do ultimo vapor a 25500.
Cor corvas inglezas em frascos grandes a 75o Dito londrino a 900 rs. a libra.
i s. o frasco. i,)it0 l)rat0 a t4 a ''bra.
dem francezas de militas qualidades a
rs. o frasco e a 5,5oo rs. a duzia.
UOO;
; Sardinhas do Nantes a 320 rs. a lata,
i Dita de Lisboa a 640 rs. em lata grande.
Chamaos ueste genero temos grande sorti- Sag muito superior a 240 rs. a libra,
monto tanto da Babia como do Rio do Ja- nal refina Jo, em potes de vidro, a 600 rs.
r eiro a I ,00, 2,2oo, 2,5oo, 3,ooo e 4,ooo P'e-
rs. ;i caa. Isatta massa a 120, 160, 200 e 240 rs.
libra.
Caf; do Cear muito superior a 28o rs. a libra
e a 8,ooo rs. a arroba. Toucinho de Lisboa a 320 rs. a libra.
Salsaparrilha de Bristol
por todas partee do universo, sao tao
rnente devidas ;l
nica Legitima e Original
SALSAPARRILHA DE BEISTOL,
PREPARADA l.Xi'l.l -iva mmn i k i>ok
LAWIAX & REO? DE IfOTl YOKK,
Mediantt a recetado I>r. C. C. Brutal.
A venda as boticas de Caors < Barboza,
ra da Cruz, e Joao da C. Bravo & C, ra
da Madre de Dos.
dem do Rio a 3oo e 28o rs. a libra.
Ceblas a Ooo rs. o molho com mais de loo
ceblas.
Chouricas e paiosa 72o rs. a libra.
Ccvidinha de Franca a 2oo rs. a libra.
Cevada muito nova a 8o rs. a libra.
Copos lapidados a 5 e 6,ooo rs. a duzia.
Doce de goiaba em latas a 4oo rs. a libra,
dem de caj em latas a 320 rs. a libra.
Ervilhas francezas e portuguezas a 3oo e Oto
rs. a lata,
dem seccas a 16o rs. a libra.
Figos de comadre em caixinhas com 8 libras
por I6oo rs.
Fata do Maranhao a 12o rs. a libra.
Farinha de trigo muito superior a 12o rs. a
libra.
Farolo em saceos grandes a 4,ooo rs. o sacio
Genebra ingleza marca gato a l.ooo rs. a gar-
rafa.
dem verdadeira do Rotianda em frascos muito
grandes a l,2oo rs. o frasco.
dem de Ilollandaem frascos pequeos a Soo
rs. o frasco.
dem de laranja a l.ooo o frasco.
Goama do Aracaty a 8o rs. a libra.
Graxa a loo rs. a latae I,loo a duzia.
Linguas americanas de gran-ie tamanho a
l.ooo rada urna.
Jilo do Santos o 300 rs. a libra.
ptima acquisi^o de es-
tabelechuento.
Yende-se a loja ele ferragi-ns da ra da Cadeia
do Rccife n. 64, rom pei|inMio fundo e ainda hem
a soi tida, tanto de lemgBM como de miudezas, as
, onaflB esi.o em bom estado, vende-se s com as
' nierradorias, o parante-sc o arrendamiento da casa;
, propria para algum principiante, nao s por ter
pouro fundo romo por estar j afreguezada e ser
' una das
/ -
i V"
/ .
m
Duarte & C receberam de sua propria encommenda pelo brigue
Floriiitit, chegado ltimamente de Lisboa os seguintes gneros todos depri- '';
melra qualidade por serem escomidos pelo Sr. Duarto chofe de nossa casa
ultiman ente chegado daquella praca.

Verdadeiro vinbo collares emancore-
rctas de 9 caadas a 60,000 e 800
rs. a garrafa.
Vinbo I raneo R de Filbos, em barris de
(piinto a 60,000 e 560 rs. a gar-
rafa.
Vinagre P R R. em aurrelas de 9 ca-
adas a 18,000 e 2,000 re. a ca-
ada.
Passas em caixas. meias o quarlas a
8,000 1.000 o 2,000, a 480 a libra.
Peras seceos em caixas de quatro li-
bras i) melhor que se pdedesejar
a 2,500, e 640 rs. a libra.
Caixinhas de 4 libras e 2 com amei:
a 1.500 e 2,500 rs. a caixinha.
Chocolate porluguez, o melhor que
pode havor de bom neste genero
1,000 rs. a libra.
gagn, Marmelada prnpriamente dito de mar-
f^S mello, a 64(> rs. a lala e em caixas
tojas mais bem localisadas ilesta ridade .
os pretenili'iiii's pudem dirigir-so mt-snia loja, fc&'
Tijolo para limpar facas a 140 rs. cada um. ;"r'0 s parf exa,,linarem l,aUnC" co,no *> ';$$
: das merradonas. '.
Vassouras americanas a 64o rs, cada urna.
dem do Porlo a 400 rs, cada urna.
Velas de carnauba e composicjio a 320 rs. a
libra e a 105 a arroba,
dem stearinas superiores a 560 rs. o
maco, e em caixa por menos.
Vinho do Porto, neste geneno temos o me-
lhor sortimento possi
per precos muito
a 10/ c I2 a duzia.
'demCherry, oda Madeira cm barris e em
caixa, a 125 a caixa e o barril conforme o
tamanho
dem de Figueira o Lisboa, em ancoras de
8 a 9 caadas, por 285000.
Charutos linas.
Xo armazem da aurora brilhante ha grande sor-
' (ment de rharutos finos em caixas o meias, dos
' melhores fabricantes da flahia a i&, 3, 4 e 5 a
I caixa, tem caixas com 100 charutos rom furo a j
300 rs. : no largo da Santa Crol n. 8i.
Vende-se una armaeito rom balaustres e
porta deamarello.para csriiptorio: a tratar i ra
' do Mondego, otaria n. 13.
gZ-V
...\.
M
Nozes as msis novas que so podo dc-
Bejara hiors. a libra, ecomprando .';
em barricas a 4,500 rs.__a arroba. ..;,_-I
Sebollas em cai.\a^s~mflfrTiovaTT!^.'^
mercado a 6,500 rs. a caixa, a 800 i//?.
rs. o molho, o a 640 rs. o cont.
Patatas em caixas de 2 arrobas muilo
novas e grandes a 2.400 rs. a caixa.
Sextinhas com figos proprias para mi- .
mus do enancas a 60 rs. cada una s
e comprando em duzia lera grande
abaiimento.
F.rva doce muito novas a 500 rs. a li-
bra, e comprando em arroba a
10,000 rs.
Gominhos muilo novos a 400 rs, a li- -/i
bra e 10.002 a arroba. i"'.
Licores portugueses das macas mais V^;-.
acreditadas de Lisboa a 1,000 a gar-
rafa o 10 a 12.000 a duzia, as quali-
dades sao as seguintes : reme de
violetas, gOFoflez, rosa, abslntho, vea-
peiro, amor perl'eilo, amendoa amar-
ga, percicot deturin. bolelin, moran-
gos. limo, caf, laranja, cidra, gin-
ga, canella, cravo, ortelaa. pimenta
c outros muitos de qualidades menos
superior que sero vendidos por pro-
cos em relaco as suas qualida-
4GKNC1A
FNDICAO DE LOW-MOOB.
lina da Srnialla aova n. \1.
Neste estal'eli'cimonto contina a haver
um com|ileto sortimento de asoaaria c meias
moendas para engenho, machinas de ti
e lachas de ferro batido e coado, de lodos o
tamanbos para ditos.
Arados americanos e machinas para
lavar roupa: em casa de S. P. JobJtkloa i C,
ra da Senzalla Nova n. 42.
F\i-.IMI\
Sarros rom farinha nova e h>. 1^
,i 'i.ViiHI no armazem da aurorWswBRr.
da Sania Croa n. 84.
Vr,nda ilc urna hymiliten.
Os liquidalarios da HM UfihHt
Jos Antonio Haslo ^eadem a hjpel'r-
ea que lora nos rna;pnhos ll^tlo 6r*e
e Cajabuss no ermo de Scrinhacia no
valar de 31:835|M1 rs.; iraiar m
Oigas a ra do ira piche n. 34.
'-//
m
'/-
issivel, que vendemos SchIuhS tatiUlnIICOS.
baixos a 10 a garrafa 01 T .. '
Na ra Imperial n. 35 vende-se marro.piun a
I ti. a duzia, lilas de laa sorlidas a 160 rs. a peca,
beierro idem ideui a :ii-5 a duzia.
Attenvo Iquifiaco.
./.: de 100 hilas a (00 rs.
V? Maca de tomates a mais nova que si
pdedesejar a 6'0 rs. a lata c em
caixa de OO libras a 600 rs.
Ervilha portuguesa a 700 rs. a lata,
e em caixa de 100 libras a 640 rs.
Passas corintbias para pudim a 640
rs, a libras, e 400 rs. comprando de
arroba para cima. des.
Os proptietarios afiancam que estes gneros sao muito novos e ludo
de primeira qualidade, ludo isto se vende nicamente no armazem Unio o gag
Commercio na ra do Queimado n. 7, e largo do Carino n. O arma/.em pro-
gressivo.
Queijos

., do alemtejo, das ilhas e ilamengos, todos chegados ueste ultimo
':/'.- 2,500 os Ilamengos o 8H0 ris a libra do alemtejo c das ilhas,
te no armazem UniaO e Commercio, ra do Queimodo
mo armazem progreaivo.

vapor, a
unicamen-
7 e largo do Car- &>i
ikimk&i
Na ra Imperial dofronle do rhafariz n. 35, vi-it-
dem-se para acabar as Mgoinles nierradorias, pe-
, los presos abaixo declarados, os sjnes nierecem
Dito em pipa a 3->000, 30500 e 40ooo a ca- algama attencao : meias croas para homem,duzia
nada a 1A600, dita para senhora a WOO, marroquim
dem dn l'irlo denomiimln Rili-/a i n. n ^'lidu, &*"* :1 lW. beierro a 36J00), caitas por-
Kiuii oo i ono, o. nominado Bauza, a .>> a logueras Anas a 1*800, UM ri-aneesas a i
caada. sapatos de nanea escoesns 1*000, peales para
dem dem em garrafoes a 20500, com o atar cabello em masso a 1*600, ditos om caixinba
gairafO. a 1-5800, escovas muiU) finas para roupa a a
dem de Bordeaux das mellmres mareas un* 4?* 'haP,',,)S l,in,:i,1"s sortWos a 12,5 a duzia,
u ni uc dorucaux, uasmunorcsmaiiasque aitos muilo Anos a 20*. raras e Baritas, ditas da
vem aO mercado, a 60 a caixa e a 6i0 IS. p|a, botoes para rollete e calca, perfu.naiii. gat,
a garrafa. linha do gaz, eolcheles. e maltas mais musas ipie
,,. ,?,.. u^ se me torna enfadonho estar apresenland : as
Vinagre de Lisboa a 10600, I08oo c 20000 a pessoas que precisarem appareeam, que fario ne-
Canada. gocio, vi^lu a voniade ipie o dono ti'in ile acabar.
Idtm ideill.em garrafoes com 5 garrafas, por : = Vndese um excedente eozinheiros
10 com o garrafao. ; cios nem achaques, preto e moro, mais s se ven-,.
Vinho de rain a IA a oarnh Vilo nhn de a 'luem mil'ira txnortar para o Rio de Jan.'i- Vende-se i taberna sita no mercado da llibeira
Yiiiiiiiu, taju i-> a garraia. iv>ie vmno ro; na rua d Imperairii, na Boa-Vista, n. 7, a da Boa- Vista, asta poaeo fundo pronna para urna
lem dez annos. qualquer hora. i pessoa principinte; a tratar na mesma n. 41.
baratas para acabar.
Sedas de qu.idros ede listras a 3S6 rs. o cova-
do, lindas laas de quadrinhos a :I60 o covado, su-
periores cassat de cores a 200 rs. o rovadu, ditas
muilo linas a 2i0 o corada : na loja dascolnmnas,
na roa do Oes >on. 13, de Antonio Crrela de Vas-
roncollos 4 C
Vende-se um sitio com casa, quarta para
venda, rancho novo, no losar do barro Vernielho :
qoem quitor, cjrija-se casa de Joaquim de Al-
meida Qaeim, passando a entrada do engenho
l'ha.
CAL DE IISIIIU
Vendem-se barris com cal tes-
ta procedencia, enipedra. chega-
da hoje. e unlca nova, que ha no
mercado, na rua do Trapichen.
13, armazem de Manocl Te i ei-
r Haslo.________^^^^^^
- Em rasa de Mills Lathain ('... na rua d-
Crn n. 38. vende-se ferro galvanisado de um doa
melhores fabrirantes inglezes, proprio para cobers
tas de rasas.
Cal de Lisboa
chegada ultimameute ; na rua do Vig.irio n. 19,
primeiro andar.
HhPIhliO
de rape prinee/a dasse, dn Hi de Ja-
neiro, na ruulairuz a. 18, tu
10' io 'le Jt s Joaquim l.iina Rairo.
Arha-se o deposito supprido d.- rapd rrasoa,
meiognisso e l'ui", assim como de l'aulo t/>rdPNi;
nos ultonos vapores vieram as qiialid ico-
nadas, as qoaes se fazein recommendar aos
apreeTadorcOi ________
Vende-se a taberna da p- Apiparos
junto a padaria, muilo bem afregm -. lon-
cos fundos, propria para ipiem qoer |i -innpiar,
loca idade a melhor nossivel, a *i-ta
se faz lodo o negocio, ou mesmo a (.raso Iwrr i
rantido : qiiem pretender, dirija-
('.armo n. 4, que achara rom qiu ni tratar. N I
lar na misma.______________________________
Vende-se umcylindro usad : na | ib.a d.i
rua Real do Manguiihon. 3*>, e na mesmase ;
cisa alugar um preto : quem tiv.r, Jirija -
mesma. ______________
'ara quem quizer prim i ar
Vende-se a loja de mindezas sita na n
perial n. 38, rom nooros fundos e I
por preces bstanle favoraveis aoc
iimis a si ii favor a loja ter armario, pur
obrigadoo comprador kareon eMe; m
ao alago l ciimiiii'do ; o dmu
qoe lem i segair mitra earreum
Veudese o emrenlw S. Manocl. sil
goezia do RioPonnoso, ea margen
iiliaiin.i. qua deaarca com o* fae* i
ia. Changoi c Gainflleira, me
copciio. lem capaetdade para fafr^jai i*!
aonuaes, b m acha quasi todo em mata vira
dislando do emharqoe 1|2 legos
dirija se :i rua do Vigario n >.
quem tratar.
quem [avie
que :' i
Vende-se a ver-adrira -,ra\a n. 7
mbarricas: na tu1* dn ira esi-ripiarlo de Eduardo batea.


Diarlo de I'ernanibnco Quinta felra 14 de Janrlro de I ** i.
ALLAKCA
o
i
57 RA DO IMPEH ADOR 57
Na bem coiikecida loja que foi do Sr. Flix alfaiate.
Paulo Ferrelra da Silva proprietario deste novo estabelecimento, toado
chegaJo da Ftoropa, aonde escolheu um grande e variado sortimento de molhades, lera
tOlIO JIItA IIOUV2
NO
ARMAZEM
UNIO
:
MERCIO
10 iitituo iit inm te
Defronte da I o Ja d< Pi-en[fa.
im un: AiiTiiin%
acaba de abrir o seu grande e sortda armazem de mothados denominado Ini e Com-
rrant teco Fernandez Dnarte dono deste muito acreditado armazem mercw. Este grande armazem um des mais bem montados que temos em aossa orara
a liorna de os expor ao respeitavel publico desta cidade pelos mais resumidos precos. de molhados, acaba de receber neste ultime vapor os mui desejados gneros escolhidos nao s era limpeza e aceto, como as qualidades ospeciaes de seus gneros. O propria
Em tro ptima occasiao, por estarnos prestes a festa de Natal, o proprietario do (Pr e,le na Europa, todos mullo pnpries para a fcsta os quaes est resulvido a vender por tario do Unido e Commercio offerece todos os senhores da praca, senhores de engenho
grande armazem Allianca offerece aos seu i amigos c freguezes que o conhecem desde Precos baratissimos como irerlo pela seguintc tabella, e mesmo pede a todos os Srs. da e lavradores a seguirte tabella, por onde verao' a grande economa que lhe resulta
qir ndo foi socio dos armazens Progressivo e Progresista as maiores vantagens em com- PraCa, de engenhe e lavradores para que mandera suas relaces para serem despachadas mm. *m ...:i .....,..:.......__
. no armazem do Progresso do largo da Penha n. 10, afim de verem a ;raade vantagem
Hoje de novo estabeleddo mais precisa da concurrencia de todos estes senhores' qoe ram, tanto na superioridade dos gneros corao dos precos asss resumidos,
estabelecimento. certosdeque esto casa jamis deixaro de ser cumpridas as os s"- 1m *> Pderem vir podero mandar seus portadores ainda que ato tenham pra.
: ~ -, i_____________!_. .
ao seu
grandes vantagens por ella offerecidas
tira, que serlo Ufo bem servidos como se viessem penalmente.
O interesse que tira o proprietario deste acreditado armazem, j deve ser bem co-
v nuc. .-01- (juc uid u ji opneiario ueste acreuuauu armazera. ja ueve ser uem cu-
libras para cima a 72o rs., esta a mais J(jem muit SUDeror a \ 000 rS- a garrafa. nhar ponco, afim de conseguir a continuacodaquellas pessoas, que a priineira vez se dig-
orautw mu iwUa luvw l:imU.-m lia 111.11 i
....... ...---------------. -----
superior que pode haver, tambem lia raai s
baixas para menos precos.
dem franceza mnito nova a 600 rs. alibn
e 56o rs. em barris ou meios.
Peas nena muito novas a 48o rs. a libra.
Caf a 28o e 32o rs. a libra, e a 8,ooe e
9,ooo rs. a arroba.
narem honrar o seu estabelecimento.
Queijos flamengos ebegados neste ultimo
Cerveja da< melhores marcas do nosso mer-| vapor a 2,oeo rs.
cado de 5,ooo a 6,000 rs. a duzia, e Soo
rs.. a garrafa.
Cha perda de especial qualidade a 2,8oo rs. Consenas ngleMS a 7;0 rs. 0 frasco es,Qoo
a ll*,ra- rs. a duzia.
dem hyssbn muito superior a 2,7oo r*. 1 Doce em calda a 64o rs. a lata,
libra.
t Ervilhas francezas muito novas a 64o rs.
Mein uxim a 2,5oe rs. a libra.
dem portuguezas a 72o rs. a lata.
dem bysson a 2,3eo rs. a libra.
IJeai dem a 2,000 rs. a libra.
dem pelo de qualidade muilo especial a
2.000 ti. a libra.
Idi m dem inferior a 1,600 rs. a libra.
Chocolate francs, hespanhol c portuguez, a
Oooe l,2oo rs. a libra.
Charutos dos melhores fabricantes da Bahia
e de qualidade* especialmente escolhido;.,
de 2,ooo a 4,5oo rs. a caixa.
Farinha do Maranho muito al va a i 4o rs. a
libra.
dem de araruta verdadeira a 4oo rs. a Ubrii.
Vu.ho do Alto liouro engarrafado, e os ma s
libidos, lagrimas do Douro. D. Pe-
dro V, D. Luiz I. Baque genuino, Nctar
superior, Malvasia lina. Bastardo, e mitres
a 11,000 e l2,ooo rs. a duzia e 1,000 rs.
a garrafa.
dem Cherry e Madoira a l,5oo rs. a garr-
a e l.ooo rs. a duzia.
dem Bordean de diversas marcas de 8,00)
a lo.ooo a duzia e 800 rs. garrafa.
BjI xinhas americanas a 4,000 rs. a Larric;,
e a 3oo rs. a libra.
Batatas muito novas a l.ooors. o gigo, c6>
rs. a libra.
Banha de poico refinada a 44o rs. a libra ?
em barril a 4oo rs.
Vinho em piqa de Lisboa, e Figueira, de 3,ooo
a 4,000,rs. a caada, e 5oo rs. a garrafa.
dem de Lisboa em aurrelas de 8 a 9 cana-
das por 27)000. rs.
dem do Porto muito especial a 5,5oo rs. ;i
caada e 72o rs. a garrafa.
dem em garrafn com 4 '/i garrafas por
, 2,5oo rs. com o garrafaQ^
e de Lisboa muilo superior a 2,ooc
rs. a caada.
dem mais baixo a I ,goe rs. araada, e Sai
rs. a garrafa.
dem em garrafes com 4 2 garrafas por
1 ,2oo rs. com o garrafo.
Ame. \ as francezas em caixinhas rom ricas
ipas no exterior de 1,2oo a 2,ooo rs.
cada urna.
dem en (rasco de dro de diversos tama-
nliosa l,5eo e 2,oo rs.
dem em latas de i 1/2 e 3 libras a l,3oo e
,3oo rs. cada urna, e a 800 rs. a libra.
Figos de comadre em caixinhas de 4, 8 e 16
lilrrs a l,3oo, 2,5oo e 5,ooo rs. cada
urna caixa.
dem em caixinhas de folha a 32o rs.
dem em caixas grandes a 2oo rs. a libra.
dem em latas ermetimente lacradas de 1.600
a 3,000 rs.
Arroz da India e MaranhSo a 80, 100 e 12o
rs. a libra, e 2,5oo e 2,8oo rs. a arroba.
Amendeas de casca mole murfo nwas a 4oo
rs. a libra.
Ceblas novas a l,2oa rs. os molhos gran-
des e a l.ooo rs. o rento.
Alpis a 1 la rs. a libra e 4,600 rs. a arroba.
Macarra, talbarim e aletria muilo nova a
loo e 48(i rs a libra.-
dem seccas a 2oo rs. a libra. *
Bassouras do Porto com arcos de ferro 1 32o
rs. cada urna.
Vellas de espermacete da melhor qualidade
a 6oo rs. o maco.
dem de carnauba c composico a 32o e 36o
rs. a libra e 10,000 rs. a arroba.
Tijolo para limpar facas a 12o rs. cada um.
Toucinho de Lisboa e Santos a 320 rs. a
libra.
Sevada muito nova a loo rs. a libra.
Peixe em latas grandes,' savel, pescada, cor-
vina, e outras qualidades a l.ooo rs. cada
lata.
- milito novas a lo,000 rs. a caixa e
foo rs. a libra.
Palitos lutados para denles a t4o rs. o maco.
dem de flor a 2oo rs. o maco.
Presui lo para fiambre inglezes e americanos
a 85o rs. a libra.
dem do Porto a 48o rs. a libra.
Queijo prato a 64o rs. a libra.
dem flamengo vindos no ultimo vapor a
2,ioo rs.
Sardinhas de Nantes muilo novas a 32o rs.
a lata.
Sag mudo novo a 2oo rs. a libra.
dem muilo superior a 28o rs. a libra.
SabSo maca de diversas qualidades a 2oo e
24o rs. a libra.
dem inferior de lo a 18o rs. a libra.
Genebra de Hollanda em frasqueras a_6,5oo
ris. y
dem hamburgueza em frasqueiros a >,8oo
ria' ~~-^
dem de Hollanda em garrafes grandes a
5,5oo rs cada um.
dem em botija a 4oo rs. cada urna.
Garrafes \ asios de diversos tamaitos a 5oo,
640 e l.2oo rs
1'. mima do Aracaty a 80 rs. alibra muito alva
Graixa a loo rs. a lata, e l,2oo rs. a duzia.
Licores finos francezes em garrafas e frascos
de diversos tamanhos de 600 a 800 rs. ca-
da um.
Marmelada imperial de todos os conserveiros
de Lisboa a 600 e 7oo rs. a libra.
Massa de tomate, muito nova a 64o rs. a li-
bra.
Marrasquino de Zara a 640 rs. o frasca,
dem em frascos grandes a 800 rs.
Cominhos muito novos a fioo rs. a libra.
Erva-docea 24o rs. a libra.
Pimenta a 36o rs a libra.
Gravo da India a 64o rs. a libra.
Cannella a l.loors. a libra.
Alfazema a 2oo rs a libra.
Sal refinado em frascos de vidro a 600 rs. o
fraco.
Copos finos para agoa a 5,ooo rs. a direia.
Chouricasnovas a 72o rs. alibra.
Mostarda france/a preparada e muilo nova
a 32o rs. cada um frasco.
Gonservas francezas de superior qualidade a
6i0 rs, o frasco e 7,ooo rs. a duzia.
dem do vapor passado a l,8oo rs.
dem prato muito novos e de superior qna-
lidade a 4oo rs. mteiro, e a 5oo rs. a
libra.
Doce de goiaba fino em caixes com 2 '/
libras por 600 rs.
dem mais baixo a 54o rs.
Manteiga ingleza flor a mais superior
mercado a 72o rs. a libra.
Sevadiuha de Franca a 2oo rs. a libra
Sevada muito nova a loo re. a libra.
Cominhos, ervadoce e pimenta do reino a
36o rs. a libra.
Genebra de Hollanda a Ti,fioo rs. a frasquei-
ra com 12 frascos, e a retalho a 5oo rs.
cada um.
dem em botija hamburgueza a oo rs.
{)jGenebra de larnnja a l.ooors. os frascos
grandes-.
dem de segunda qualidade a 2,ooo rs. a
libra.
dem hysson muito superior a 2,5oo rs. a li-
bra. __
dem preto homeopathico muito fino a2,ct>o
rs. a libra.
Vinho de caj o melhor (jo* ha no mercado
a l,ooo rs. a garrafa.
dem de segunda qualidade a 64o rs. a libra.
Manteiga franceza de primeira qualidade a
filio rs. alibra, e 52o rs. em barris ou ,.
meos> Palitos do gaz a 2,3oo rs. f groza e 2o rs.
Cha perola neste genero nao ha nada a de-
sejar, e de especial qualidade, mandado
vir de cunta propria a 2,8oo rs. a libra.
dem liuxin. o melhor do mercado a 2,600
rs. a libra.
a caixinha.
dem de denles lixados a 160 rs. o maco com
2o macinhos.
Ervilhas seccas dragadas ueste ultimo navio
a 16o rs. a libra, e em pi rco se faz aba-
tnenlo.
Banha de porco refinada a 48o rs. a libra e
42o rs. '?m barril.
Vinho branro de superior qualidade proprio
para mi>sa a 64o rs. a garrafa.
Ameixas bancazas em caixinhas elegante-
Bolachinha de soda dragada neste nlCo
navio a 1,35o rs. a lata, deste genero ha
grande porco e de diTerentes marcas,
que se vendein todas peto mesmo prego a T, >m r ...
vontade dbs compradores. Wtm \ an?zas e,n ^ d'' f"^ cora tara-
pa do mesmo contendo 1 V libra a I,Sao
Iem em latas grandes a 2,ooo rs. rs. s o irasco val quasc o dinheiro.
dem propria para lanche em latas grandes dem em latas de 2 libras por 1.4oors.
a l,9oo rs. a realhr, e a 800 rs. a libra.
Marmelada imperial dos melhores fabrican- ., ...
tes de Lisboa a Uto rs. a libra. "** ',e comrp m,,l,n novos cm b;,,1'''|-
comprarem em to til estabelecimento, afiancando o mesmo lodo e qualqoer genero
sabido de seu armazem.
ollinho francez em latas e caixinhas asmis Erva-doce a 5oo rs. a libra
delicadas que tem vindo ao aosso merca-],
do de 7oo a 2,5oo rs. a caixinha. ; Lbaropanha de 20 a 22,ooo o gigo.
Manteiga ingleza perfeitomente flor, mandada Palitos do gaz a 2,3oo rs a rnaai p 9n p. ,
vir de conta propria, a 7oo a 800 rs, a caixinha g "' *
libra.
^lhoalpistaalOors. alibra.
dem franceza chegada pelo ultimo navio a
56o rs. a libra, e em barril ter abatimen- Comraho muito novo a 4oo rs. a libra e
to. cemprando de 8 librjs para cima a 32o'rs.
dem ingleza em potes de 4 a 16 libras a Gomrna muito alva para engommar a 80 rs.
800 rs, a libra e o pote separado, a llbra- e ei arroba se far abatimento
Cha uxim o melhor neste genero, mandado *** mUt0 D0V "' a ,ibra-
vir de conto propria a 2,8oo rs, a libra. ^ verdafleiro ^^ ^ ^
dem hysson, grande, muito bom a 2,6oo rs. Vem a D0SS0 merca a libra.
dem preto muito fino, a 2,6oo rs, a libra.
dem preto, mais bawo, a 2,ooo rs, a libra.
dem, verde, miudinho, mais proprio para
negocio, a l,5oo rs, a libra.
Banlia de porco refinada muilo alva a 46o
rs, a libra, e em barril se far abatiraeuto.
Biscoitos inglezes das seguintes marcas;
Vinho branco o melhor ne*te genero a 800 rs,
a garrafa e 4,3oo rs. a caada.
dem Bordeaux de diTerentes marcas, gran-
te-se a qualidade, a 8.000 rs. a caixa osa
wma duzia, e a 7oo rs. a garrafa.
Garrafes com 5 garrafas de vinho do Porto
do Alto Douro a 2,2oo rs. com o garrafio.
scoitos inglezes das seguintes marcas: ,,}am nnm K____, .
Craknel, Soda, Ceede, Captain, Travellies. 1Uem wm 5 garrafas (le v,nho ^ueira, ma
Lunch, Cabin, e outras muitas marcas, a Pnpno Hara a mssa estacao por ser mais
Lunch, Cabin, e outras muitas marcas, a
l,4oo rs, a lata.
Bala liiiiha de stdo, especial encommenda, a
2,2oo rs, a lata.
Ilisroilo inglez Craknel em latas de 5, 7 e 15
libras a 5,ooo e 6,000 rs, e de l,2oo a
800 rs, a libra.
Queijos do reino pelo baratissimo prego de
l,6oo, 1 80 e 3,000 rs., os do ultimo
vapor.
dem prato muilo fresco a 64n rs, a libra
----- ..........- -----o"----- ** pi mente enfeitadas com r ras es!ampas a dem lomlrino muito fresco a 800 rs, a libra.
I.oo, l,5oo e 2,000 rs. cada urna. .
Vinhos em pipa: Porto, Figueira e Lisboa, a
4So, 56o, e 64o rs, a garrafa, e de 3,000 a
4,5oo rs, a caada.
nhosmtiito proprios para raimo al,28o rs.
Frutas em calda em latas de 1,00o a Soo rs., ,.
neste genero ha diversas qualidades a es- l(% em M,xas Para reta!ho a 10 rs-
coll.er. 1,bra-
Champanha superior das marcas mais acre- Passas 4*"Ml a 18o rs. a libra e em
ditadas a l,5oo rs. a garrafa e 15,000 rs. 1uarto a,m 8 llbras Por -:'ri()0 re-
o gigo.
c, 1 a Bolaxinhas ingUv.as de superior qualidade a
SCfveja das melhores marcas que vem ao it000 rs. abarricil) ca'2(l0 ^ ^lc
mercado a 5oo rs. a garrafa e a 0,000 rs.
a duzia Chocolate fasces o melhor que se pode de-
dem preta superior a 56o rs. a garrafa e a ^ "" gen6r a l "' a libra-
5,400 rs- a duzi:'- Magas para sopa estrelinha. povide, arroz de
Vinho Bordeaos de diferentes marcas, e as' D,aca a ^ rs- a l'Oia, e em caixa a 2,000
melliores do mercado a 7,000, 7,5oo e rs-Ci|da jma, micarrao, talherim, eale-
8,000 a caixa com urna duzia, e em gar- triaa 4o( rs- alibra
boa" ualtoade/00 6 ^ "'" P-"* a Amendoas .le casca mole a loo rs. a libra.
dem Figueira de superior qualidade a 48o k^3 mM" "** a 2o? a li,,ra-
rs. a garrafa e 3,000 rs. a caada. Ervilhas fiancezas muito rovas em laUts
dem de Lisboa a 2.800 rs. a caada e 4oo s'
rs. l garrafa. dem em ditas pequeas a 4oo rs.
dem do Porto de superior qualidade para v,,,, ,,. ,nm.iln a ,.,t
mesa a 5O rs. a garrafa, a 4.000 rs. a ea- "g* tomatc e,n ,;,las c 2 llb,as a
nada. rs"
Salmfio em latas de 1 1 libra a 800 rs.
dem fino do Alto Douro da cwlheita de 1833, ,(.,,K, 1 1
como sejam: D. Luiz, Feitoria velbo, Nec- **&**? m UUs grandcs a ,'4o rs" ca'
tar, Carravellos e Camoes em caixa de l a uma'
urna duzia a 9,ooo rs. Sardinhas de Nantes a 36o rs. a lata.
!
Lagrimas do Douro, especial vinho do Porto Cognhac inglez a 800 rs. a garrafa.
a 1,000 rs. a garrafa e 10,000 rs. a caixa. r ..
0 i Licor francez das melhores marcas do raer
Duque do Porto, Madeira secco, duque ge- cado a 800 rs. a garrafa,
nuino, lagrimas doces a 9oo rs. a garra- ..
a e 9,5oo rs. a duzia. Btalas dragadas neste ultimo navio em cai-
Biscoitos e bi lactolinas inglesas as ultimas
dragadas ao nosso mercado a l,2oo e
1,4oo rs. cada lata. Azeitc dore a 6to rs. a garrafa.
B'lln ni" "I"!31 ,1!"h m ,3taS grndes Seva,,inha de Franca n'"to ^va a 2oars. a
a .,ooo rs. i ai.ia lata. libra.
ATTENCO.
hnh%lnfra'!l1" armazem de mol.Vulos vende-se em grandes porces e a rotolho,
ttzendo se dilforensa consideravel a quem comprar de 1000 para cima.
Garrames com vinho do Porto a 2,2oo rs.
cada um.
Vinagre de Lisboa de superior qualidade a
2oo rs. a garrafa e l,2oo rs. a caada.
Azeite doce refinado em garrafas grandes a
800 rs.
dem de Lisboa a 6 lo rs. a garrafa, e em
caada a 4,800 rs.
Presuntos inglezes para fiambre a 7oo rs. a
libra,
dem de lamego encommenda particular a
48o rs. a libra, e inteiro se faz abatimento.
Toucinho do reino o melhor do mercado a
320 rs. a libra, e em arroba a 9,ooo rs.
Velas de espermacete de 4, 5, e 6 por libra
a 560 rs e em caixa se faz abatimento.
dem de carnauba refinada a 32b rs. a libra
e 9,ooo rs. a arroba.
dem de carnauba pura do Aracaty a 4oo rs.
a libra e lo,5oo rs. a arroba.'
Gomma muito fina e alva a 80 rs. a libra.
Araruta verdadera a 32o rs. a libra
Farinha do Miranhao muito alva e chirosa
a 12o rs. a libra.
Sag milito novo 2to rs. a libra.
xa com duas arrobas por 1,600 rs., e 4o
rs. a libra.
Concervas inglesas a 75o rs. o frasco.
Sal refinado em potes a 5oo rs. cada um.
Mostarda ingle:a a l.ooo rs. c frasco.
dem Hocen a 4oo rs. o pote.
.Milito alpisla a 16o rs. a libra e 4,8oo rs. a
arroba.
Graixa muilo nova em latas grandes a 120
ris.
Latas com peixe cm posta errnetiramente
lacradas das melhores qualidades de pei-
xe que ha em Portugal a l,2oors.
Caf laado de 1* qualidade a 32o rs., dito
de 2a a 2>lo rs. a libra e 8, oo rs a arro-
ba dito de 31 a 26o rs. a libra e 7,8oo
rs. arroba.
Charatas suspiros dos melliores fabricantes
de S. L'eli!. a 2,800 rs. a caixa com loo
charutos.
dem finos de diversos fabricantes a 1,600.'
l,8oo e 2,ooo rs. a caixa com loocharu-
Marmelada imperial dos melhores conservei-
ros de Lisboa em latas de 1 e mais libras
a 7oo rs, a libra.
Peras secaas em caixinhas de 4,000 a 2.000
rs. cada uma.
Figos em caixinhas de 1 lt arroba e de 8 li-
bras a 8,000,4.000, e 2,ooo rs, ea 3eo rs.
a libra, laarabem ha serinlias para men
nos a 60 rs. cada uma.
Amendoas de casca mole a 36o rs, a libra, e
em arroba ter abatimento.
Sardinhas de Nantes a 32o rs, a latinha.
Toucinho de Lisboa muito novo a 3oo rs, a
libra c em arroba a 9,ooo rs.
Iftssa de tmales a 61o rs, a libra.
Pimenta do reino a 34o rs. a libra,
Farinha do Maranho a 14o rs, a libra.
Cbalas a 800 rs. o molho, 64o rs. o cento
e 6,Soo a caixa.
Tijollo para humar facas a 16o rs,
Cerveja das mais acreditadas marcas de 5,ooo
a 7,5oo a duzia, e de 5oo a 600 rs, a gar-
rafa,
Prezunto para fiambre muito fresco e novo
a 800 rs. a libra,
Genebra de laranja a l.ooo rs, o frasco,
Chouricas as mais frescas do mercado a 800
rs. a libra.
Cognac, verdadeiro inglez a 9oo rs. a garrafa,
e lo,5oo rs. a caixa com uma duzia.
Licores 'francezes e porlugue/.es de todas as
mareas de lo.ooo a 14,000rs. a duzia.
Passas muito novas a Soo rs. a libra e a 8.Soo
rs. a caixa. Ha caixas, meias e quartos.
Btalas a 1,000 rs. o gigo com 38 libras e
2.oo a caixa com duas arrobas cadauma
Bocetas com doces seceos de 3,ooo a 3,5oo
rs. cada uma.
Bolachinha ingleza a 32o rs. a libra,
Azeite francez e portuguez refinado a Son rs.
a garrafa, e 9,000 rs. a caixa com uma du-
zia.
Conservas inglezas das seguintes marcas:
Mixed. notes, e celiolas simples a 800
rs. o frasco.
Vlostarda ingleza preparada em potes a 4oo
rs. o pole.
Nozes muito novas a 160 rs. a libra e 4,Hoo
rs. a arroba,
Vasos inglezes vastos de 4 a 16 libras, muito
proprios para deposito de manteiga, doce,
e outro qualquer liquido, de 1,000 a 3,ooo
rs, cada um,
fresco a 2, too rs. com o garrafo.
dem rom 5 garrafas de vinagre a I 2oo rs.
o garrafo,
Sabo massa de superior qualidade a Nfe
2oo, e 22o rs. a libra do melhor que ba
Graixa em latas muila nova a 12o rs. a lati-
nha, e l,3oo rs. a duzia.
Peixe em latas muito novo : savel, pescada.
curvin, salman e outras militas qvariades
preparados ih* etcabexe, segundo a.irte de
cozmha, de l,2ooa 2,ooo rs. a lata.
dem do Alto Douro vindo do porto engar-
rafado e escolhido pessoalmente porgara
dos socios que se ada em Portugal, das
segrales marcas : Duque, Genuino. Ve-
lbo secco especial, Lagrimas Doces de
1819, vinho especial D. Pedro V. vinho
veliw. Nctar superior de 1833. Omine do
Porto de 183 i, vinho do Porto velbo su-
perior, Madeira Secca de superior qu;ui-
dade. vinho do Porto superior D. Luiz I
de 1847, Lagrimas do Douro, especial vi-
nho do Porto, de 1,000 a 1 2oo rs. a gar-
rafa e de I o, 000 a 12.ooo rs. a caixa com
uma duzia.
Vassouras ameriranas a 800 rs. cada uma.
Velas de spermacete as melhores que ha no
mercado a 56o e 64o rs. a masso. e ea
caixa se far umjgrande abatimento,
dem de carnauba e composigo, de 4oo a
32o rs. a libra, e de lo.ooo rs, a II Zoo
rs. a arroba,
Caf de 1 e 21 sorte de 8.3oo a 8,600 rs. a
arroba, e de 28o a 32o rs. a libra do me-
lhor,
Arroz da India. Maranho e Carolina a 3,ooo.
2,800 e 2, loo rs. a arroba e a loo rs. a
libra.
Frasqueira de genebra a 5,8oo rs. e a 5oa
rs. o frasco.
Azeite doce em barril muito fino, a 64o rs.
a garrafa, e em caada ter abatimento.
Papel grave pautado e liso a 3,5oe rs. a
resma.
Genebra de Hollanda em botija de cunb a
44o rs. a botija.
Passas corinitftt a ."too rs. a Maca e 12 8oo
rs. a arroba,
Ervilhas ranreza e portugus a 640 rs a
lata de uma libra.
Chocolate francez. hespanhol, snisso e por-
tuguez a l.ooo rs a libra, e a 28o rs ca-
da pao de uma V*-
Ameixas francezas em caixinhas elegante-
mente enfeitadas, com diversas estamiias
no exterior da caixa de 1,500 a 3,ooo rs.
cada uma: tambera ha frascos e latas .le
diTerentes tamanhos que se vendein por
mdico proco.
Massas para sopa: macarro, talharim e ale-
tria a 48o rs. a libra, e em caixa se far
abatimento.
GamBes com 14 garrafas de genebra da
Hollanda a 5,5oo cada um.
Charutos de todas as marcas e dos melho-
res fabricantes da Baha de 3.000 a i.aoo
rs. a caixa.
ATTKXqXO
porra deem-se ao _
mandarem c vero a realidade.
Todos os senhores que compraren) para negocio ou casa particular de 1005 para
rao mais 5 a 10 por o de abatimento ; o propietario r :
.. gneros sao receidos de sua propria encommenda, r;
der por muito menos do que em outro quaiquar estabeledmento.
1,000 e z,ou n>. a caixa cora 100 cuaru-, ooos os sennores que comprarem para negocio ou casa particular de 1000 para
tos, !o prego nao indica a boa qualidade cima terfra mais 5 a 10 por >/ de abatimento; a propietario srienfica mais que todea
porra deem-se ao trabalho de vircm ou (os seus gneros sao recebidos de sua propria encommenda, razao esta para poitor vea-
1 r..'jl ii! 1,1.1 I rldP 11 ir muil.t maa\o ,\i\ nua nm m>ln. ,n,.il >,.. > .f.J-.d > 1',,,nl


Ufarlo de PUMMl <*o Quinta fclra 14 de Janeiro de I84.
t
r*
J
i
1
ATTENCAO
O LVIU.O IMD CAItJIO 9
GRANDE S011TIMENT0
DO
Dl
PQ
$

"i
PARA A FESTA.
DUARTE & C.
Participara aos seus numerosos fregu'.es e ao publico cm peral que acabara de
receber de suapropria encommenda, o raais indo e completo sortimento de molhados.
os quaes vendera por grosso e a retalho por menos 10 por cento do que outro qualquer
annunciante, como verSo pela seguinte tabella que abaixo notamos, garantindo os mes-
raos proprietarios nao s o poso como a qualidade de seus gneros.
AVISO.
Todos os senhores quecomprarem pan negocio ou casa particular de 100^ para
cima terao mais 5 a 10 por cento de abatimento, os proprietarios scientiQcam mais que
todos os seus gneros, sao recebidos de sua pro aria encomraenda, razao esta para pode
vender ]>or muito menos do que outro qualquer PROGRESSISTA
i)
* i
4J
CONSERVATIVO
RA DAS CltlTZES tf. 3t
E
RA DO CRESPO N. 9
\o balrro de s*nt Antonio.

Manteigf ingleza flor a 8oo rs. a /ibra.
Castanhas muito novas a 2,ooo rs. a caixa, e
a IGo rs. a libra.
Bolinho francez e em caixinhas de 7oo a
l.ioo rs. rada urna*
dem francesa a mais nova do mercado a 56o
rs. a libra, e 5io rs. em barril.
dem de poico refinada muito alva 46o rs.
a libra.
Pi e/.uiito para fianbre a So rs. a libra.
Cha uxim miudinbo vindo de conta propria,
o melhor do mercado a ,8oo rs. a libra.
dem hysonde superior qualidade a 2,6oo rs.
a libra.
dem perola o melhor que se pode dtsejar a
a,7oe rs. a Ufara.
Idtim preto muito fino a 2,5oo rs. a libra.
dem mais baixo pouco a i,ooo rs. a libra.
Mein mais. baixo a i,8oo rs. a libra.
Vinho do Alto Douro viudo do Porto engar-
rafado garante-se a superioridade deste vi-
nho, das segumtes marcas : Duque, Ge-
nuino, velho secco, especial lagrimas do-
ces de 1819, vinho especial D. Pedro V.,
vinho vdlio, Nctar superior de 1833, Du-
que do Porto de 1834, vinho do Porto ve-
lho superior, madeira secca de superior
qualidade, vinho do Porto superior D. Lu-
iz I. de 1817, lagrimas do Douro espe-
cial, vinho do Porto de l.oooa I,loo rs.
a garrafa e de lo.ooo a 14,ooo rs. a caixa
com urna duzia.
Bolachinha de soda especial encomraenda e a
mais nova que ha no mercado a 2,oo rs. a
lata.
B scoitos inglezes das memores marcas em
laurinas de 2 libras a 1,300 rs. a lata.
hiero inglezes craknel em latas de 5 e 7 libras
de 5,ooo a C.ooo rs. a lata, e em libra a
Soors.
Q leijos do reino chegados pelo ultimo vapor
a i,'ioo rs. cada um.
dem prato a 7oo rs. a libra.
Vinho em pipa das mais acreditadas marcas
como sejamBA F., PRR, JAA, nutras
muitas marcas. Porto, Lisboa e Figueira ;
de 48o, 8oo, 56o, 64o e 8oo, rs., e o do
Porto uno em garrafa, e em o nada a
3,ooo, 3,!oo, 4,000 e 6,5oo rs. o melhor
do Porto.
Id i 'ni Bordos ux das mais acreditadas marcas
a 7oo rs. a garrafa, e a 8,ooo rs. a caixa.
Garraoes com 5 garrafas de superior vinho
do Porto a 2,2oo rs. com o garrafao.
Mera com 5 garrafa de vlnho da Figueira mais
proprio para a nossaestacb por str mais
fresco a 2,4oo rs. com o garrafao.
Mem com 5 garrafas de vinagre a l,2oo rs.
com o garrafao.
Vir,ho branco o mais superior que ven ao
nosso mercado a 56o rs. a garrafa, e a
1,3(io rs. a caada.
Vel.js de esparmacate as melhores ueste ge-
nero de 56o a 64o rs. o maco, e em cai-
xi ter grande abatimento por liaver
grande por cao.
Azcite doce em barril muito fino a 64o rs.
a garrafa e 4,8oo a caada.
dem francez refinado a 8oo rs. a garrafa.
Erv Ihas francesas epurtuguezas a 64o rs. a
Lta.
Bocetos eom doces soceos de Lisboa de 3oo
a 3,5oo rs. cada urna.
Touiinho deLisboa a 3oo rs. a libra, e
9,ooo js. a arroba.
Vt-llas de carnauba e composicao de 32o a
36o rs. a libra e de io.ooo a 1 l,ooo rs. a
arroba.
Genehra de Hollanda em botijas de corita a
440 rs. a botija, e em duzia ou em barrica
lera abatimento.
Massas para sopa macarro, talharim e aletria
i 48o rs. a libra e em caixa ter abati-
mento.
dem astrellinha, rcdinlia epevideem caixi-
nhas de 8 libras, muito bem entintadas de
S',5ooa 3,ooo rs. a caixinha e a 6oo rs. a
1 bra.
Roce de goiaba em caixas de diversos tama-
nhos de fioo a l.ooo rs. o caixlo.
Saho massa de oo a 24o rs. o melhor, em
caixc ter abatimento.
dem hspanhol a 28o rs. a libra.
Peise em latas muito novo ; savel, pescada,
corvina, salmo e outras muitas qualidades
p eparada de escabeche t a arte de cosi-
nuade l,oo a l,8oo rs. a lata.
Figos em caixas do I arroba, 'i e 8 libras
a 9,000 4,ooo e 2,ooo rs. a caixinha.
Barr s de vinho branco de quinto, marca B
A Filho a 60,ooo re. o barril.
Marnelada imperial dos m Ihores conservei-
ros de Lisboa a 64o re. a Uinhade 1 libia.
ha laU.s de 1 [i e 2 libras.
Massi de tomate em latas douradas de 1 libra
a 64o re. a lata.
Ameixas francezas era caixinhas elegante-
mente enfeitadas de l,5oo a 3,ooo rs. a
caixinha, tarabem ha latas de 1 /a a 6 li-
bras de l,2eo a 4,5oo rs. a lata.
dem em Irascos com tampa de rosca a l,6oo
rs. o frasco.
Chocolate portuguez. hespanhol, francez e
sui;so a l,2(io rs. a libra.
Conservas inglozas los segointes marcase
Mude-Pieles e cebollas simples a 75o rs
o frasco.
ra
JO lOllH SIJIAO IM)$ HASSTH
23-8Tgo (lo Terco-23.
O proprietari.i deste armazem de molhados participa ao publico e n |< di i
que tem um grande sortimento de ludo quanto perteneeiita a fi
um armazem para simiente receber es gneros de maior quantidade, foi
toes emboasquadras, equesempropode-vender por menos de |020|
que em cutre qualquer parte, garantindo o pr< prielaria qualquer gefaei
armazem, tanto em peso como em qualidade.
Manteiga ingleza flor mandada vir por conta propria a 800 re. a libra,
dem franceza, viada pelo ultimo navio a 560 rs. a libra e 540 rs. em bar is.
Banlia de porco retinada, propria para pistes a 480 is. i libra, eem barril i |
Velas de espermacete e carnauba do Aracalv a 600 rs. o masso e 400 e 410 r-
Cafe lavado do Km e do Cear, o melhor desle, genere, a 280 rs. a libra e 6
; Batatas novas em caixas com 2 arrobas por 2,0000, arreta!ham-se a 4o rs. a lib
parte, atriancando-se aquellas pessoas que coraprarem ueste, arn.azens a superior qua- JuTr^^
hdade de gneros, preros commodos e bom acondicionamenU. Az^lte Joce (,e Lisboa a 600 rs a garrafa, e de campara a 280 rs. a garrafa,
O armazem da ra do^Crespo situado no melhor local desta cidade com o as-.Genebra verdadei.a de Hollanda, em botijas, de eonta certa, marca pallo a Mr
seio que 6 de necessidade manter-se com estes estabelecimentos, faz crcr a scu prn.jMllno a|l)lsta mais mpo que haaJ60re^ a libra a MOOO re., a arroba.
prietario, que ninguem deixar de sortir-se num est;ibelecimento aonde se encentra sm-|
ceridade, para ir-se comprar aonde se nao otTerecem tantas vantagens.
Sendo este armazem no verdadeiro ponto de partida para os arrabaldes dest! ^ ^^^^ \'V-^cl\\^
cidade, nao serdifficil qtielles senhores que tem de partir nos mnibus darem suas! ^? ^,
encommendasneste armazem, que sempre lhes olTerecer os mais agradaveis gneros''
Cha perola de especial qualidade a 2,8oo re.
a libra.
dem hysson multo superior a 2,7oo rs. a
libra,
hlem uxim a 2,5oo re. a libra.
Joaquim ti os (.ornes de Wonza scientific a seus numerosos fregu
zes e ao publico em geral que acaba de estabelecer um novo armazem de molhados
do Crespo n 9, aonde se encentrar sempre os melhores gneros de estiva, que
se venderao a retalho e por atacado, por menos dos que se venderem em o itra qualquer
38RUfl DO IMPERADOR38
dem hysson a 2,3oo rs. a libra.
dem idem a 2,oo re. a libra.
dem preto de qualidade muito especial a
2,000 rs. a libra.
jdem idem inferior a l,6oo re. a libra.
Champagne a melhor neste genero a 1.5oo
re. a garrafa e 18,ooo re. o gigo.
dem muito superior a l,ooo rs. a garrafa
Caf a 28o c 32o rs. a libra, a 8,ooo e j 3t
muito recorarncndada as floecues do tobo astro-imestmal, nos dos rio,
suas proprwdades alcalinas e o acido carbnico que naiurirocnii; cont
bexica
naliiraliiii-uic coiUeiii
urinaria, pela;
Idem inferior a lo,ooo rs. o gigo e l,ooe rs.
a garrafa.
9,000 re. a arroba.
Cerveja das melhores marcas do nosso mer-
cado de 5,ooo a 6,ooo rs. a duzia, e Seo
re. a garrafa.
Conservas irtglezas a 75o re. o frasco e 8;6oo
rs. a duzia.
Doce em calda a 5oo re. a lata.
dem do goiaba em caixas e diversos tama-
algomas" caixas de instrumentos drurg5i"p^opo*r\o! mW^7a!Z5? "'
ico.- iwto,^.^c;;STt !?.!*
itojecoramendadanas gonorrheas. Urroy francez verd
de Mece, injec^o Fugas Je
tanate
tan
Tede-se toda alienco.
Custodio Jos Alves Guiniaraes, dono da toja in-
ilutada Gallo Vigilante, ra do Crespo n. 7, avisa
aos seus numerosos freguezes e ao respeitavcl pu-
blico, que tende de reformar no lim deste auno seu
ettabelecimento, equerciido liquidar grande quan-
lidade ie diversos objecios, estarosolvidoa vender
ludo por precos baratissimos, como sejam:
Peea* com 43 varas de franjas de linho a 3J
Ditas com 43 varas de galao de linho a 3J.
GRANULOS e XAROPE
D'HYOROCOTYLE ASITICA
de J. LEPINE
dem portuguezas a 72o rs. a lata.
DMas e dilos dir com cabo de marttm a t'.
Badejas de todos os tamaitos muito finas a <,
l*au, 1*400, |tfl, 2;.(J0, USOO e 5A.
nhos e de diversas qualidades le 64o a fe;aorti 1.000 re. cada uma. i '* de nores sonidos, |*ca a 160 rs.
I Manguitos para senlmra, o par 8U0 ErviUiasfrancezas muito novas de 48o a 6io G*.linhas de UilS gostosa 100,500 e i$-
rs. de mottl prinri|ie a 1300, J c 2.5O0.
Chocolate francez, hespanhol, e portuguez, a
a 9oo e I,2oo re. a libra.
Charutos dos melhores fabricantes da Babia! Itk'm S6CCaS a ** re- a libra-
ede qualidades, especialmente escomidos, I Vassouras do porto com arcos de ferro a 32o
de 2,ooo a 4,5o rs. a caixa. i rs caita uma
rs. caaa tima. Tesouras em carteiras, a duzia a 500 rs., 640 e
Velas de espermacete da melhor qualidade Peitos para camisas, a duzia a 23.
a boo rs. o mago. Camisinhas bordadas para senhora a 1*300 e l.
dem de araruta verdadeira a 4oors alihra 'i.lom, w ~ CJupoliuas para senhora a 3JL
"T d rs-a "nra-1 dem de carnauba e composicSi a 32o e 36o D'tas para menina a 2f
Vinhe do Alto Douro engarrafado, e os mais! rs. a libra e 10,000 rs. a arroba. 1 CT2T01!.!!lho para me,,inas de escola ou passeio a
bem escolbidos, lagrimas do DouroJ). Pe-' 1
dro V, D. Luiz I, Duque genuino, Nctar T,J0' P9 hmpar fecas a i4 rs" cada
superior, Malvasia fina, Bastardo, e outros ToucinK de Lisboa e Santos -
a 1 l.eoo e 12,000 re. a duzia e 1 OOO rs ** Toucas de laa para meninos a oOO rs., filo a 500e
" 1 Sevadimuito nova a loo re. a libra. ^ rs' rte seda a mre-
1
! Uas experiencias feias na India, e em
Franca, resulta que as afleccoes da pelle, e
todas as que resiiltain d'um virio crpr-nco
s5o prom|llmenle coradas p-r este novo
medicamcHlo. Segundo um relali.iio ftjito
na academia imperial de medicina de lans,
Wui com copos lie metal pnq.ri para nTeuoosai e"e /0 jugado ittil e eficaz uo
_ ,*40- as affeccSes leprosas e etn algtinms nutras
rfos para sobre-mesa a 4$ a duzia. molestias ia pelle rebeldes, mas lambe*
'as esciofitlas e a sjffkifs.
Farinha doMaranhao muito alva a 14o rs. a
libra
I Ditas redondas para cupo de 500 es. para 2800.
Tesouras em rjirtlra a iin.ii i aiA r^ r.ti
800 rs.
W e :t#.
flores franceas, caixos grandes, a 600 rs.
Luvas de seda com pequeo toque de mofo a 300
um.
a garrafa.
E ciliiri, d-
guns praticos distinctos, e especialmente es
Srs. Deverpie. Cazenave e llil'nir, i. mi .li-
eos do hospital de San Luiz, de Pars, af-
fcclados ao tratamento das itmlestir,? cu-
tneas, empregaram as prepn ffv-
drocotyle cam um notavei tmtcH.** entra
os eczemas, o preriasis, o impendo e as di-
versas variedades de dar/ros, cuna as a-
fecces sypliilecticas rcenles uu aMiga,
a lepra, as ulceras, escrofulosas e outras
os rheumat smos chronicos, ele.
Deposito geral em Paris: E. /'
Sapanhos de merino a 800 rs., e de laa a 500 rs. I Labelonye, pbarmaceuticos, rna Ikui Ik n-
Idem Cherry e Madeira a l,5oo re a garra- Peixe eiJ latas grandes, savel, pescada, cor- ninhas de missau8a Par meninas de escola a Villenenve. 19.
fa e 16.000 rs. a duzia. vW. e outras qualidades a l,ooo rs. cada Boto oourados para pnnho a 200 rs. o par. ,,a r TrTSU^!*8?0 "^ : "a tm
Tiuteirus de inelal a MQ :
dem Bordeaux de diversas marcas de 8,ooo
a 1 o.ooo a duzia, e8oo re. a garrafa.
Bolaxinhas americanas a 3,ooo rs. a barrica,
e 2oo rs. a libra.
Batatas muito novas a l.ooo rs. o gigo, e 6o
rs. a libra.
Banha de porco refinada a i8o rs. a libra, e
em barril a 44o re.
lata.
Papel greve pautado e liso de 3,ooo a 4.ooo
rs. a resma.
~ rs.
Trancelins para relogio a 100 rs.
a 85o re. a libra.
Vinho em pipa de Lisboa, e Figueira, de3,ooo
a 4,ooo rs. a caada, e 5oo re. a garrafa. Mem do Porto a 48o a ,jbra
dem de Lisboa em ancoretas de 8 a 9 cana- rw i .
das por 27,ooo rs. ue B a y cana Que.jos prato de 48o a 6oo re. a libra.
dem do Porto muito especial a 5,5o* re. a
caada e 72o rs. a garrafa.
dem em garraoes com 4
2,oo rs. com o garralao.
garrafas por
Vinagre de Lisboa muito superior a 2,ooo
rs. a caada.
Idem mais baixo a l,5oore. a caada, e 2oo
rs. a garrafa.
dem em garrafes com 4 '/*
1,2oo re. cora o prrafo.
Manteiga ingleza a 6oo, 7oo, 8oo e 9oore. a
libra de primeira qualidade.
dem franceza a 56o rs. a libra em barril, e
a 6oo rs. a retalho.
Nozes muito novas a 16o re. a libra e 4,8oo
rs a arroba.
Caf de 1 -.', 2. e 3/ qualidade de 26o, 3oo
e 36o rs. a libra, do Cear de7,8oo, 8,6oo,
e J.ioo rs. a arroba do melhor.
Ano/, da India, Java eMaranho de 2,8oo ai
3,000 a arroba,
Paseas muito novas a 8,5oo a caixa e
a libra, ha caixas meias e qnartos.
& vadioha de Franca a 2io rs. a libra.
Sag muito novo a 28o re. a libra.
Ancoretas de vinho colares a 5o,ooo re., e
a 72o r?. agarrafa.
Sardinhas de Nantes a 32o re. a latinha.
Charutos das mais acreditadas marcas de
2,5oo a 4,ooo rs. a caixa.
Champagnhe a melhor do mercado de I2.ooo
a 21 ,ooo rs. o gigo, e de l,2oo a 2,ooo rs. a
garrafa.
Papel greve paulado ou liso a 3,5oo rs. a res-
ma.
dem de peso pautado ou lizo de 3,5oo a
4,ooo re. a resma.
Gomma muito flna e alva a 8o re. a libra.
Mtlho .ilpista e painso de 16o a 2oo rs. a li-
bra.
Palitos do gaz a 2,2oo re. a grosa e 2oo rs. a
duzia.
Vasos inglezes de 4 a 16 libras vasios, muito
prof rio para deposito de doce manteiga
ou outro qualquer liquido de l.ooo a
3,ooo re. rada um.
Licores das melhores marcas e mais finos
a l.coore. a garrafa e em caixa ter abati-
mento.
Cognac verdadeiro inglez a 9oo rs. a garrafa
e lo.boo rs. a caixa.
Chouricas as mais frescas do mercado a 8oo
rs. a libra.
Genebni de Uranja em frascos grandes a
l.ooc rs. o frasco.
Serveja das mais acreditadas marcas de
5,5oc a 6,5oo a duzia e de mais a 5oo re.
Alpista a 14o re. a libra e 4,6ooa arroba,
dem embotijas e meias, sendo preta da Letriaa ioors. a libra.
muito creditada marca T de 6,5oo a 7,8oo' u .., ,M ,
,uw I Biscoitos e bolachinhas inglezas as ultimas
chegadas ao uosso mercado a 1,2oo e 1, ioo
a8ooomolho w. cada lata.
640 o cento, e a 6,5oo re. a caixa
: Bolaxinha de soda e lunch em latas grandes
a 2,ooo rs. cada lata.
Ditos de Illa rhamalote a 200 rs.
Rscrivaninhas de metal a ItJkJOO.
n i Golheres de meial para cha a 200 rs. a duzia.
Fassas muito novas a 8,5oo a caixa e 48o rs. DiIas de dito para sopa aa duzia.
a libra. ', BotSes de duraque pretos a 400 rs. a groza.
I Cartas hespanholas para jogos a 1200 a duzia.
Palitos lixados para dentes a 14o rs o maco Gas^cacs brancos e amarellos de metal a i.
uidVU. eraras para a|geira a 500, 600, 800 e l.
dem de flor a 200 rs. O maco. Sabonetes muito Anos a t200,15600 e 25 a duzia.
^ Kivelas para calca a 300 rs. a duzia.
Prezunto para fiambre inglezes e americanos S0!2?*de a para ^'f3 a 32 a roza-
a ."r. re o ia, Camniascomalllnetes.grampos e colchetes a 320.
400e500rs.
Fitas de borracha pretas e de cor a 120 e 160 rs.
a vara.
Latas com dous massos de agulhas por 800 rs.
Ditas para sinteiro a 300 e 400 rs. a vara,
dem londrinos os melhores que se encontrara CaxLDllas para cos,ura dc senhora a 15500,2*.
neste mercado a 800 re. a libra. ,. 3,*l.e6*- -
Lomjiotciras de vidro com pratos de metal a 35 e
dem flamengos vindos no ultimo vapor de o,4*00?- ,- K .
2 800 a .1 um r Franja de laa para debrunhar tapetes a 25 a peca,
i.ooo a j.ooo re. Pa|itos (|e fogo> prova d.agua> a ^ a grMa ^^
Sardinhas de Nantes muito novas a 32o rs ""' *"ia'
ia a .>; rs. As;nm como tem frane sortimento de muito?
mais objeetos i|ue se turnara enfadonho mencio-
iia-los, que tudo se vender muito barato para li-
1 midar : na ra do Crespo n. 7, e ra do Impera-
dor n. 39, junto ao passo, e casa da liquidacao.
de Caors < Barbos*; ra de Cruz n. 2*.
Cal de Lisboa e pofnssa Itnssla.
Vende-se na ra daCadeia dn Rerife n. 26. para
onde se inudoii o antigo e acrediadodefnMto da
mesma ra n. 12, arnt>os 01 pesero!
legitimos. e M venden a pre^o mais barato Jo ;ur
utra qualiraer parte.
V'endem-se duas casas terreas, tima no Montef
n. 28, oulra na ra Imperial n. 53, 1 um arniazem
de sal na mosnia casa da ra Imperial a trabe
na mesma.
a lata.
Sag muito novo a 2oo re. a libra,
dem muito superior a 28o re. a libra.
garrafas por Sa^a0 mafa de diversas qualidades a 2oo e
24o rs. a libra.
i dem inferior de 12o a 18o rs a libra.
Genebra de Hollanda em frasqueiras a 6,5oo
rs.
03
Ameixas francezas em caixinhas com ricas
estampas no exterior de l,2oo a 2,ooo rs.
cada uma.
dem em frasco de vidro de diversos tama-
nhosa l,5ooe 2,5oors.
Idem em latas de 1 1/2 e 3 libra a l,3oo e
2,3oo rs. cada uma, e a 800 rs. a libra.
Figos de comadre em bazinhos de folha pro-
prios para mimos a l,6oo rs. cada um.
dem em caixinhas de felha a 32o re.
dem em caixas grandes a 2oo rs. a libra.
dem era las emticamente lacradas de
I.600 a 3,ooo rs.
Arroz da India e Maranho a 8o, loo e 12o
re. a libra.
Amendoas de casca mole muito novas a 4oo
rs. a libra.
Azekonas superiores a I,2oo re. o barril.
i
m
ti
o. c w = =r. r> o -1 x
g-5 .. S li-a-S S
B)
CB
CJ
rs. a duzia.
Ceblas em mullios grandes
Pimenta do reino a 34o rs. a libra.
Farinha do Maranho a 14o rs. a libra.
Tijolo para limpar facas a 16o rs. cada um.

e de 80 a loo re. a libra, j Cominho a 4oo rs. a libra.
Erva doce a libia.
Canella a l.ooe re. a libra.
ioo
Cognac de superior qualidade 800 re. a gar-
rafa.
dem hamburgueza em ditas a5,8oo rs.
dem de Hollanda em garraoes grandes
5,5oo cada um.
dem em botija a 4oo re. rs. cada uma.
Garrafes vasios de diversos tamanhos a5oo,
64 e 1,2oo re.
Gomma do Aracaty a loo rs. a libra.
Graixa a roo rs. a lata, e 1,2oo rs. a dHzia.
Licores finos francezes em garrafas e fras-
cos de diversos tamanhos-de 600 a 800 rs.
cada um.
Marmelada imperial de t< dos os conservei-
ros de Lisboa a 64o e 700 re. a libra.
Massa de tomate muito nova a 64o rs. a
libra.
Marrasquino de Zara a 64o rs. o frasco.
dem cm frascos grandes a 800 rs.
Cominhos muito novos a 5oo rs. a libra.
Lrva-doce a 21o rs. a libra.
Pimenta a 36o rs. a libra.
Cravo da India a 64o rs. a libra.
Cannelta a l.loors. a libra.
Alfazema a 2oo rs. a libra.
Sal refinado em frascos de vidro a 600 rs.
o frasco.
S -1 P
_ s a g :$
o
te
s-
,=

4
2.4
Barricas de breu com 8 ambas, de suprior
qualidade : na ra da Cadeia do Recife n. ."o A.
loja de ferragens de Bastos.
e~S5
lilitlfiS.' Rii^
-bo.ss"*0I:s S/ W
2 2 S.O G.&
.B-.2 a.
S III
m
_^5 2
c 2
i s 2
o.

a.
B
5 2 '}. ~
o
a>
i
"i

2
u as
Q. _
C as
__ N
"C re
as i
-i
2 5'
as .

as


ATTENCAO
O pmprietario dos armazens do Progressista jamis deixar deofferecer aos seu
freguezes tudo o que for preciso para que sejarn bem servidos, e como a festa se aproxi-
ma ptima aoccasiodos seus freguezes exiierimeularem a realidade, que nunca dei-
Batata*\\,000r.;. o gigo com32libras liqui-
I das e i.ooo rs. a caixa de duas arrobas, jasr de'ser mantida pelo proprietarwdesto armazens!
Hua da Seazalla n. 42.
Vende-se, em casa de S. P. Johnston A C,
sellins e srlh5es inglezes, candieiros e casti-
caes bronzeados, lonas inglezas, fio de vela,
chicotes para carros e montara, arreios para
carros de um e dous cavallos, e relogios de
ouro patente inglez..
Farinha de mandioca
de boa uualidade, ensacada, a preco cemmodo :
no trapiche do Cunha prximo do ancoradouro
dos vapores da companhia Pernambucana.
ESCRAYQS FGIDOS.
Fugio do engenho Pirau.i da eomarca ca ci-
dade do Nazarelh em 20 do mei de maio do cor-
noto anno 186:1, um mulatinbo de nome Mnoei,
deidade 15 annos, leroo vestido camisa e reronla
de algodaozinho azol, um unto dc* r> r.
tem os ps feios e os dedos deltos tn u-a*_+
ps adianto largos e os calranhar.* m
costume de and;ir com a rabera baixa, rabellw
estirados, de caduclo : quem o pegar ( tmttl
em dito engenho ser recompensado rom 200$.
No da 4 do correste fuj;io o esrravo Bazi-
iio, crioulo, estatura regular, secco do corpo, cor
amarella, snffre de frialdade, tem falta de denles
na frente, pi^s a|lhetados, tem callos nos ealra-
nhares, pisa muito di vagar, levou caira de brian
pardo, camisa branca, chapeo de masa prel*
muito usado : quem o pegar leve-o rna Direita
n.0, primeiro andar, que sera graliflcado.
Escrito fgido.
Alejandre, pn-to, crioulo,natural de Grvala, de
45 annes de idade, ponro mais ou menos. r m I
tantes cabellos braurns na cabera e barba, i.uixo.
reforcadodo cor|o. treme-lhe muioacil.ea i bf-
eos qando falla por ter tido ja o ar de vento (romo
vulgarmente rhatnam); desapparereu da rasa de
seu senhor nedia K do corrente, levando ralea de
algodaoazul e camisa de algodao branco : nga-se
a qnem o pegar queira leva-lo roa do Qnoi-rado
n. 37, one se Ihe pagar osen trahalho : uppw-
se que elle foi para o Ingar do sen nascimrnio.
losritha fiiglo.
Ausentou-se da casa do Maranho. m m da
Aurora, aonde se achava para ser vendida, n-iiia
8 do corrente, a preta Josepha, ci ionla. de ulatte
quarenta e tantos annos, levou vestido de chm e -
chale preto ou a;tul escuro, quando anda na na
tem por coslume fallar s, tem o andar apressado,
estatura regular e secca do cor|o. andava outr'o-
ra vendendo bolos todas as tardes : quem a ii'trar
pt'ide leva-la a seu senhor H. de Aqoioo I n a na
ra do Vigano n. 19, terceiro andar, que se re
compensar. *
Vende-se pedra de alvenaria^ruta de muito
boa qualidade, mui propria para edificaroes e
principalmente para alicorees, que tornan os
edificios muilo mais solidos, se fornece qualquer
qoantfifede com presteza e posta no lugar preciso,
rom vinte |ior rento menos do que apreso do li-
jlo geralmente usado. Hceeliein-se as enrommen-
das na fabrica da travessa do Carioca n. 2, caes
do Hamos.
Fugio do abaixo assipnado. no dia 5 dn ror-
rete anno a sua escrava Clara, cabra fula, idado
18 annos, estatura baixa e cheia do corno, i
redondo, bocea regular, com falla de dous di
na frente da parle de cima, mios ps pnpnH
egrossos, foi comprada a Sra. 1). Francisca Coleto
Romana, morador. no engenho Sania Cruz do ter-
mo da Escada : quem a pegar ou der noticia ei ra
em Apipucos ao aljaixo assignado, ou no Recife na
ra larga do Rosario, paitaran.!>. sera gratificado.
Joo Machado Hr.iH'
Fugio no dia 6 de Janeiro rorrele o e.-. rnvn
pardo Geraldo, de idade de 59 30 annos. baixe,
grosso, cor clara e desbolada, cabera grande re-
donda, cabellos erespof bons, rosto tarja, olhos
grandes e um tanto amarallot, uu a lar-
ca de ferida no braco, diversas mar
atravessandoa barriga, pomas grossas, i
ro> turna traier baria e bgode, que
dc fngir : quem oapprehender levo
Pitada, comarca de Nazarethda Mal
do mesmn, Feliciano Gomes Per eir ...... l.
ra do Qneimado, loja de Rtmnjeoa n. 1 '
S. Ohveira& C, que ser recompensado genero-
samente.


Diario dr l*ernambnco Quinta felra 14 de Janeiro de i *#4.

L1TTEMTURA.
1. enlomar Coutinho.
enso un KEiNAuo di n- w.\o m.
i
taz envolto as densas irevas danoute o castello
,!o nobre incito meirinlio-mr do reino, conde l-
lustre de dous condados, o sabedor o valoro D.
Francisco Coutinho, que, desdo Alfonso V at Jlo
ni, is MOipre augmentado i gl to ao nomegto-
dot avos.
Abr !
Ficou atlonito o mancebo vendo abrircm-sc de
p.'.r ein p:.r, mas m D i nulo, os caneollos do per-
| tico, e a capella do castello moslrar-sc mtgettosa
ais dous con todos os altares illuminados.
No mei t da nave eslava un sacerdote, ja reves-
tido para a veneranda eerimonia, o qual, passado
un momento, disse com voz sonora :
Vio Je, QlhOS para que a beneao da egreja
vos consagre a alfeico.
Pouco depois, o marquez de Torre.- Novas e i.
( niomar Cotilinlio erain esposos.
braco. O arne;. c o capacete j nao sao para mim Povoou-llie de espinhos o sepulchro a ambieao
e pesa-me ein demasa a espada. EiS porque ve- da filha, que, vendo o inanle a requesU-la, nao
nbo a rossot ps i,np,orar pistica.. .implorar que tK^S^ iTnTJSr"S
me desallronteisdesla grande injuria I I mcnio ; pelo contrario, o orgulho, um pundonor
Sois o rei de Portugal e aquello, que no ser- ^T^af^it^^ ^^^
vico do reino encaneteu afronte, desfallecern! as Cancuu-se D. Fernando can a morosidade do
forjas e j nio poden desaggravar-se dos insul- processo. B el-rei que porfa en cumprir a po-
ios sote vos que deven desaggrava-los, m,'":la Hanoel.
nlior
O intento estava bem claro, loga que a mao do d,tjnr,as que as plantos gordas ou espinhosa*, a*
poder secular, mtromellendo-se em anumptoa ec- eupn0rbias arboresrflmes'ts acacias, as escappasi
clesiasticos, qur obrigar a egreja a que recompeu- foMiliaiS llOI,s ,rnstltoeni vegelaco dominai
se aque le que, esquecido de que era libo de Pedro a re 5 iIll>nlan|losa cmtmtnO* (las suas ma-
Antes ilo sul nado, porn, os noivos separaram-
Apenai o tinndo reflejo de froitxa luz passa, s quasi exiinrto, atravz das tondas d'nma getoeja. guiado el-rei e do conde, em (punto fosse possi-
Aquello brllho, no grande vulto negro, um esruso ^ conservar-se-liia clandestino o scu casaraenlo.
fanal, que vae guiar, nos desvos los montes e pa-. ^
nireis, airan desejado viandante.
,, Ja varias veres os campos se liaviam alapetado
Bis que o rpido galope dos ginetes echa as ^ mu ^^ Aq ^^ ^^ o ^^
loebrai as dos oiteiru; apenas porceptivel aopnn- C(J dc Gl,iomar
cinto, depois, crescendo, de mais en mate, no bre-
ve aproximar da cavalgada. Agora j se v o chis-! A reg a fronte do venturoso I). Manoel j nao sus-
par das Miraduras, no cascalbo da colima frontei- tentava a cora.do vasto imperio porluguez;senta-
Sio i m1 s cavalleiraa; transpone velozes a *. <>c "'roo D. Joao III, rei de infausta ntemo-
ia. O niarquez de Torres Novas havi annos que
Abriu-se a gelosia, e assomou a ella
fraseo e feminino, que se inrlinou para os rosen*
ctiegadoc, como requerendo senba. Enlao d'entre
va'leiros una voz varonil e joven disse :
Joao de Lencastre.
Sumiu-se o vulto, extinguiu-sc a luz.e.poralgum Partir o infante da corte com luzido squito, e
tempo, tudo ficou em silencio e trevas. Depois des- fura h0spedar-se no castello do meirinbo-mr. Tu-
do ali traja de gala. Desfraldados as ameias le-
v
I(
ol
rendo na Italia. variedade de sua vgeiat-o, pela elrgancu
Mas apartemos os olbos do estado a que tem p^^ e |ia|.,(.u,arincnle ^ sua mu||lt,|t,i.ld.
Na bastan para decidir a causa as pravas apre- chegado as cousas santas, pan os hzarmos nou- d(, (,|au!as aromticas e bolbosas, como tamban
sentidas pelas parts. K agora que 6 inorto o con- Iros ponto, onde admiremos o iriuinpbo magesio- pgj, verdura ostenlosa de enorm.
t Talve por cubica de meas baveres, ou por de parecen ao rei que mais desassombradamente so da retigiSo do Redomptor, sem que o nossogoso o inbli^avel naturalista considera esto rego
... poileria 1). (uiom.ir revelar toda a verdade. Por seja perturbado pelas lagrimas ue dor pela ierra como nova para a llora do continente afri'-.
nico proposuo de me injuriar, se a.rujou ornar. ^ Iliandlll| an< j|li7(.s e]mgos qw fllSS(.m nler. n .uw Maeeroos ; fallemos do modo tocante coin s,gllm|l) >, ^.^ a Wmfmtun m...
que no da 15 de agosto o povo romano tesleinu- dia annual de Angola nao sobe alen de Wea
nliou a Pi IX os senlimenlos de- amor e venera-
se arrojos ornar,
quoz a lal ConmellincntO. Mas no sen feilo ha roga-la. K pende da sua nsposta o jiilgainenlo
tainbem dospreao da vossa autoridade real. Se daaeeio.
aquella alfronta vae desvanecer o lustre da minha
cora de conde, ella marca tambem a vossa co-
ra de rei; e, mais que tudo isto, desaire me-
moria gloriosa de vosso magnnimo pac.
No seu tem|K), no tempo em qne impera va
aquello grande espirito, nao se arrojen o marquez
a aventurar urna to inslita preteneo. A pala,
vra d'el-rei exista; era o contrato publico, c nin-
guein ousava conlraria-lo. Agora que o sabio rno-
iiarcha deseen ao tmulo, e que vossa alteza, inda
Kis a filha dos '.oulinlins na sala principal de
seos paros. Traja de luto : um longo vestido do
veludo prelo, que lite augmenta o aspecto majes-
toso. Dotara do negro da roupa a brilhante al-
vnra do voluptuoso eolio e a belleza, anda grande,
de seu rosto, fascinador outr'ora.
Acompanham-na muitas damas da curte, que
todos ciem na pureza e Innocencia deGuiomar.
Esto 4 espera dos ecclesi^sticos enviados por
el-iei. K grande a eoinmo^iioe impaciencia de
todos,que rae decidir-se ali a honra de urna das
mais gradas familias do reino.
Quando os clrigos entraran, havia ja largo teni-
da regiao Jos palos pode hxar-se em ti: A pii-
Cio; fallemos do espectculo enternecedor do ve- IIi;iv,.ra comoca naquelles paizea com oran d
Derando pontiflee dando a beneao eeasinandoa tembro, que lmbem da entrada a estaca, das ehu-
oracao, aos i|ue afllictos Ihe perguniavain, o que vas juviaes.
deyiam pedir a Dens no neto de sua afflicc> ; I fma das maiores descoberUs do seeulo aetoal
rallemos daqaelles, que para maior gloria de Deas, m assi,inp,oj Cinicos Mnence k Prederk Wel
airrontando os rigores da persegmeao, dao teste-; w|Uch( ,|11(, lle,(.|irjll a Wthr.hrhvi miroHH*.
lunbo de fe e de amor, que fortalece a COttSCien-1 jjescrij.la e representada sun.ptu.san>enle n'uma
l.inneana d>
Ho
Ken,
ra.
distancia, e param ao p dos muros do castello.
vulto ',a,a'ba\a com gloria as Ierras africanas, mas ja,
uais de una vez, noticiara i clandestina esposa o
leo prximo ragreeso. negra o infante D. Fer-
nando edade. E o novo monareba resolver
:umpru a real promessa que seu pae llzera ao ri-
:o e nobre conde D. Francisco Coutinho.
cerrou-se urna pequea porta, a |iouca distancia
dos cavalleiros; desmonlaram-sc estes; e o que
pareen o principal afforrado, entrou no castello.
Vinde por aqu, Joao I segredou-lhe urna
voz ferninina, ao transpor o limiar.
E o neto bastardo de el-rei D. Joao II segniu,
atravez de um longo corredor, eseassamente illu-
minado, urna branca figura de mnlher.
Esta era para o cavalleiro como apparico de fa-
vantam-se os pendoes dos prenles e amigos do
conde ; e no eirado da torre de bomenagem desdo-
bram-se, a par, a real bandeira portugueza c o
pendo de D. Francisco.
qu boje hao de celebrar-se os desposorios do
infante de Portugal com D. Guiomar Coutinho.
Est Iluminada a capella e revestida de veludo
e ouro. Sao mallos os convidados, todos dos mais
da. as lages do pavimento nao Ihe ouvia o som ilustres cavalleiros daquella poca brilhante; fllhos
dos passos: apenas o aspecto elegante do vulto dos hroes de Marrocos e da India, e rauitos que j
candido, um leve ranger de vestes, semelhando o tnham egualado ou excedido mesmo pelos proprios
ruinorejar das auras brandas na lolhagem. e um fritos, n fama de seus paes. Sao tambem numero-
delicado perfume de jasmim o violeta, eram della ^ as ,|ainas> muitas jovens e bellas, e trajando r-
as inanifeslaces deleitosas,que, de amor Ihe faaiam cas vestes, recamadas de pedrarias orientaos,
arfar o eoracao, e cn desejos Iba embriagavam Tos invejam a ^.^ ^ qucrjam ^ D
os seutidos. Guiomar, que breve ser infanta, e quasi ser ir-
iegaram a urna vasta quadra, em que ardia a maa de el-rei I
escasw luz d'uma lampada; no fundo estava fe-
chndi urna grande porta, O mais tudo ali era de
negra cantara e de aspecto magestoso e grave.
No meio da qnadra os dous pararam, e a dama
vollou-so para o cavalleiro.
Illuminava-lhe o rosto o paludo reflexo da lam-
pada
Era bella, d'uma grande belleza at; a estatura
alta e em todas as suas proporc5es admiravelmen-
te desenvolvida e perfeila; alva e rosada a tez
rasgados e correctos todos os traeos do rosto ; c
nariz aquilino; brillantes, azues c grandes o.-,
olbos.
mancebo, oceupa o seu lugar, que se declara po que todos em casaos aguardavam." Erammoi-
impossivel a promessa do senhor rei Manoel!... ,,,s. uns llas wta ordens do rein*, culros cone-
Nao sera isto offender a sua memoria r -nao sera ^SSSlmLXttm quena sala llies
do algum modo menoscabo vossa real pessoa, estavam reservados, o, depote de curto silencio, o
por orcullar o pensamento, de que a verdura dos mais vellio d'entre elles disse com solemnidad.' :
annos vos nao dar a f#rca anda, para reprimir e lNo,'ro senhora I). Guiomar Coutinho, en-
. ,, viou-nos aqu sua alteza, para que nos re>pondaes
castigar a prepotencia e o insulto dos vaaaallM ?- st,m conslrangimentoalg-ni, nem da honrada me-
o nao ser finalmente offensa directa cora do mora de rano pie, nem do desagrado de el-rei,
monareha, pretender um subdito lomar para si a nem do Sr. infante,-se sm ou nao conlrahistes
mulher prometlida ao irmao d'el-rei f. SS2S"2 '"alri,non.io D-JSo de Lenea.tre,
r marquez de Torres Novas T
c Justiea, senhor, Justina para que nao me ar- E a orgulhosa dama, com a fronte levantada, s
rependade ter vivdio at hoje, para que a des" um tanto mais livida a pallidez do rosto;-disse
, com voz segura :
honra nao caa sobre as mmhas caas, para que a Djjei a e|.n. me sennor ,|U0 jamais cuns.
palavra de el-re Manoel nao seja despre- trangimento algum obrigou a mentir una filha dos
sada !! Coulinhos. Hoje repito o que ha nove annos digo :
nunca des|K>sei o marquez de Torres Novas.
Foi assim que n'uma das mais sumptuosas sa- Em nome de Dees, assim o juraes, senhora ?
las dos pacos da Ribeira, D. Francisco Coutinhoi Assim o juro.Terminou com arrogancia a
de joclhos, (alien a el-rei. | dXa|iraranl_se s ju,res ecclcsastcos a um ca-
0 nobre anciao, com sua voz commovida, quas nurim, e, pouco depon, voltando, leram urna sen-
...ln .n.-.nn.An -,.,- a~ m tenca, pela qual se autorisava o rasamento do m-
e o gesto apaixonado, repasson de a- -
ca do povo rhnstao, que os celebrara romo ven- iii^iiiv........ira!IIiaua su,leuitur ,.,-
cedores, porque Iriumpha com elles; fallemos da Londres pelrt insigne boUnico, Josepl Daolonl
maneira espantosa como lloresce a egrejacatholica ,.kt.ri m,|lldo ,,xjI||jo p|,Jto|on,iS|ai director de K<
no oliente, ja pela conversao dos blgaros, ja por i sjr ^i||ain Huc^r
nina pequea congregacio, fundada ha annos pela Da,|UL.||a tate siciencia (Webrdiz algores ora
piedade de uiu sacerdote no centro de Constanti- escriplor milito querido
nopla, a qual crate repentinamente debaixo da vVelwitoch dos que se aeostumam S fin
beneao de Deus, e torna-50 um dos centros DMiS em commercio inlimo com a natureza, e para qm-m
importantes do movuiienlo calhobeo : o padre Ma- esse cominercio, continuo e variado, jsnprena
ragou ve coroados os seus esforeos, ve multiplica- ner.essidade.
rem-se as conversoes, mesmo entre as grandes ge- |Vr(.or.(. novas regir(eSj contempla novos ofcjer-
t arduas do clero scysmatico ; Moletios, arcebispo tS ajlllira a variedade infinita das suas r-l..
grego scysmatico de Dramas, abjura o seysma, e e forinaS| sso fo|)te d( uma (.rie ,,,, ni,r,~.->
memoria apresentoda a sociedad''
a -i-nu'lhanca de S. Paulo, tornase em apostlo da
egreja catbolica, que gradualmente arrancando
victimas ao erro, vae desmoronando a obra de Fo-
cius, para sobre as ruinas Ihe levantar a unidadu
da egreja como um padr.io da victoria ; fallemos
da maneira admiravel como a palavra de Deus se
fante D. Fernando de Portugal com D. Guiomar
Coutinho.
Despiu esta as tristes roupas luclosas; revestiu-
se todo o castello de gala; e illuminou-se pela mu-
te. Foi explendido as salas o saru dos fidalgos,
enosjardins e nos pateos, bailaram. muitas horas,
todos os mancebos e donzellas do condado. Rei-
Has havia na sua bocea um tanto comprimida,
na sua testa espacosa, no seu olhar vivaz um nao
sel que de altivo e orgulhoso em que se adevinhava
a rieza e a ambieao desvairada da sua alma.
O cavalleiro era o marquez de Torres Novas, fi-
Iho de D. Jorge, meslre de Santiago o de Aviz;
minio novo ainda j denoiava em toda a sua esta-
tura donairosa e na belleza viril do rosto, o carc-
ter firme de sen espirito.
Senhor marqnez, disse-lhe a joven dama con
voz austera c rominnvid.'i, meu pac repousa no scu
'eit i, c er que a lilba, conscia de quem est a
Ma hora adormecida no somno da innocencia.
D. Guiomar! senhora 1 vossa virtudo est
aqu lio segura, como se repousasseis sozinha no
recinto da vos*a cmara. Pedi-vos que l me rere.
be.sse.is pelo affecto ardeulc, mas puro, que, ha mais
de um anno. me. devora a alma. Sabis que, p.-lo
fatal contrato, celebrado entre o Sr. D. Francisca o
el-rei D. Manuel, nao podamos conversar, nao o-
di.Miios um ao outro dizer : amo-te, em parlo al-
guina que nao fosse a deshoras aqui. Por issocjm
tonta instanca, com tanto amor vos implorei este
momento: por elle ludo o que possnn, por elle ros
dc inteira a minha vida. Em quanto vossa h )n-
ra, torno a dizer, estae della segura: conheces a
pureza e lealdade do grande affecto que vos tenho,
e, ou aqu, ou na vossa cmara, onde dissesles que
me recrbci ies, juro, pola memoria de el-rei neu
i\o, que vola respeilarei.
E eu o creio, B. Joao, que sei quem seis ;
ai qne amor me tendes. E lo isso, alm da in-
clinacSo irresistivel que sinlo para vos, que me le-
V9U a prometter-vos este perigoso colloquio. Mas
deixjis pense!, que vindo vsaqui, que entrando no
meu quarto a estas horas, a minha repuiar;aj de
mulher, e, e que mais, a reputacao Ilustre, <, ha
tantos seculos, sem nodoa de todos os meus kara
eternamente perdida, deshonrada I Vos, que sois
cavalleiro fidalgo, e dos mais nobres em Portigal,
itesae no vosso eoracao este justo receio.
D. Guiomar, a consciencia de vossa vil lude
te-la-heis na alma, a minha adaga corlar a ligua
vil que vos morder na honra, o o meu sangue todo
^orrer para lavar a nodoa que nella vos flzerem.
Tudo isso, que i' grande e nobre, nao ex-
tingue porm a mancha d'um nome Ilustre.
Pois, D. Guiomar, quebrae vos, occultainenie
te queris, o contrato de vosso pae com ossnhor
rei, que vos liga ao infante D. Fernando; < uma
criancinha ainda.... vos sois j uma senhor>___
ho de correr annos primeiro que o desposea....
decid entre nos dous.
No rosto da joven fidalga passou um ca -ao de
alegra; aquella proposta qne espera va desdi asna
primeira palavra, vinhaemflm; realisavam-s;-lh'os
planos : toda a sua vaidade de mulher, a sua na-
tural ambieao. e tambern, diga-sea verdade. osde-
sejos ardr ntes de um verdadelro amor se ap-aziam
comella. O infante que Hie fora promet do eia
to OVhjO ainda que tinlia, como dissra D. Jiao.de
spi rar annos para que chegasse a edade legal, e
sempre na humilhante duvida se com o paitar do
tem D. Fernando a quereria ou nao desposar
ora o marquez era tambem de sangue real, rico,
fcello e amava-a. Pf.rereu-lhe prudente adoptare
certo pelo duvjdoso; alm disso quera ni jilo no
scu joven coraco ao Sr. de Lencaslre, prtanlo
responden:
J decid; mis receio que nao queines ar-
roslar com o desagrado de el-rei e do senhor conde,
meu pae.
Por vos tudo arrestare!.
Pois, senhor marquez de Torres Novas,dis-
so Guiomar em tom seguro,urna derradeira per-
gunta.
Dize!.
Pela honra de cavalleiro portuguez, queris
dCposar-me 1
Quero.
Enlao jal
E, voliando-se para o fundo da quadra, disse
tuais alto :
Ei-I:. que assoma ao prtico do fundo. Como
vem fascinante de belleza 1 nafrante, sobre um
vu, a candida grinalda do noivado, e desce-lhe do
niveo ."olio, al arrastar sobre as lages da capella,
um atiplo vestido de selm branco, lodo bordado a
ouro < malisado de perolas, esmeraldas e rubis.
Ma.- nada eguala a formosura altiva de seu ros-
to. A belleza das ui tras damas ao no della co-
mo o bnllio das estrellas que se offusca e quas
desapparece, quando a claridade moiga e paluda
da lu se derrama suavo no cu, o vem Iluminar
as campias, praiear os ros, tudo innundar de
luz, de belleza e mgica poesa.
Tr.iusparece-lhe porm no rosto um secreto cui-
dado, um receio, medo, lalvez, do que vae fazer.
Ninguem sabe, nao imagina ali ninguem, que
tomentosa lula Ihe combale no espirito. A ambi-
eao rva de vencida os instinctos bons de seu peilo
de mulher; agora nem o amor, nem o receio da
lacrimosa
margnra a alma branda do monareha. Ouvia-o
este, rodeado de validos ambiciosos e de frades
dominados de cubica e orgulho. O embarazo des.
enhava-se no seu rosto cheio e nao desagradavel
nos seus grandes olhos azues escures.
O facto em si nao era novo, nem o nico do tem- no Pjs rogoxijo na mansao prosliluida
.. No da seguinle chegou da corte o infante, t
po, solt decostumes ; mas aquella offensa a ce- horas depos% joven irma0 de e|.re ,,sposava D.
roa, aquelle velho ali requerendo Justiga, e os in- Guiomar, a adnilera.
fantes D. Luiz e D. Fernando julgando-se aggra- Nesse mesmo dia embarrava para a Jndia, como
vados, e inlercedendo pelo conde, e, principal-
mente, aquella dependencia dos tribunaes ecle-
sisticos em que e hispo de Silves tnha posto o
negocio confundan) o espirito do rei, e tornavam-
Ihe diflicil a decisao, que urga.
simples cavalleiro, o bisnelo de D. Alfonso V, 1).
Joao de Lencastre, marquez de Torres Novas.
Mas a immensa e incxoravel justiea divina pe-
sot, conslaniemente, sobre a anio sacrilega.
Os dous pnmeiros fructos do nefando enlace
morreram logo ao desabrochar na vida.
l'ma linda menina apenas logrou sabir do ber-
Dcpois do velho Gdalgo fallaran) os dous nfan- co. Era o enievo dos paes ; durante e dia, orgu-
tos, e D. Luz s ficou silencioso, quando viu que 'hosos e alegres, viam-na correr ci.m suas azas de
, _. j i ouro e seda, douda como a borboleta, de llor em
as suas phrases violentos calavam no animo do real flor pelosjardins. a noule iarn ao ^ 'do ,eil0 em
irmao. ; que dorma, extasiar-sc ante o seu rosto. Ilumina-
do por aquolle sorriso anglico ijue tem as efean-
cinhas, quando em sonhos conversamcom os anjos
vivas e agradavete para e espirito, que latea
queier fadigas e rteos, e que s os habituados a
experimento-tet sabem ou podem avahar devida-
meole.
Agora saiba-se taml>em que Wulwinck artes de
ser eminente naturalista foi folhelinista laureado
propaga na China, no imperio de Annam e as re- de U||) di)S ,ne|h0res jornaes que se pubiicou naca-
gies as mais remlas do mundo, onde o humilde p|aj ja Aus|ra
missionario, intrpido soldado da paz, plantando Que vdalo accidentada nao tem velado este ho-
o estandarte dat.ruz, ministra aos povos a doutri- mem fa(ja(Jo ra descortnar noVS hori*ooies na
na de Uinsto e ibre-Ihes os caminhos da vida mniunsi,|ade da cencia I
eterna, purificando-os as aguas do baptismo ; ,\nda hoje apoz lanos annos decorridos noenl-
sim, fallemos anles insto, do que reveannos a ,vo nfl5s.lllIe da sc.enca> e no trato obrigado
mingua que experimentamos, de quem leve e en- t.om eth semi-selvagcns, perrebe-se, adevinlia-
sine a palavra de Deus ao ignorante, c de quem nas m;ineiras apr,lu)rajas e corlezes de W. I
cora a luz das santas doutnoas, desfaca as trevas witschi 0 cavallen> outr'ora habituado a reoritor-
da cegueira do espirito, aos que vaidosos de urna se das f;u]jgas scientillcas em saldes explendido :
vaa sciencia, vao pelo cainiulio do erro despenha- e no seu 0|nar ana|, ador e n..m.trjnu;, o folfieti-
rem-se nos abysmos da perdicao, e os reconduza sla a, ucm a irjail Iiao v0|(.nla (be foi
arrependidos ao seio da egreja de Christo, para rami|ar .\nmesis urbanamente travessa.
gozaren) os fructos da redeinpcao. $0i s,us relatoros, ofJk ios e consullas (aponto-
Deus, no meio da iribulacao em que tem visito- meiUS pinto-geographieos da flora angoleose .
do os seus ser vos, expenmenland -Ins as torcas synopse explicativa das amostras demadeirase
com a adversidade, para que a luz da fe, agitada (| (5nvadas exposico de Londres; retotorio
pelas tempestades infernaes, adquira um novo res- sobre a cu|lura do aigodoeiro na provincia de An-
plendor,ebnlhe nas trevas como pharol de espe-1go)aetf vse0 pr,.sad0i e jnmtrado nalurali-u
rani;a, tem manifestado o poder do seu braco com o manusendo a |mua portugueza com a eorreccao
oastigo de uns, para que a venda do erro se ras-1 e prtnredadt de quem fez proveitoso esludo do
guedos olhos de outros. Temos presentes anda as doma |at00
sentidas palavras, com que o sanio padre deplorou Cm Iaes do 0 ,ivr0 ^ a puwicar, Coo-
na sua alloeucao de 8 de junho, que um prelado, ,endo a re, -, eircumslanciMja a 5aa vianen.
veres de pastor deser-1 sera ,illo rom f mtercsse
O enleio porm de D. Joao III continuava, c s
depois de ouvr a opiniao adversa ao marquez de
muitos do conselho, que disse com voz mo-
rosa :
Conde, sempre fostes um servidor leal, e
desde muito, o foram lodosos vossos ; os paes da vil,!i du Azinhaga, disse para os fidalgos que o vos-
maior parte dos fldalgos presentes, receberam ,,am_ Tive cs|a nou,e nm sonho singu|ar( v sahr
comvosco o grau de cavalleiro, sobre o cadver de de meus pacos de branles tres tumbas, todas co-
vosso irmo, morto com tanla gloria na lomada de bertas de negro...
Azilla ; todos pois vos respeitamos ; e a honra que No d,a seguirte ehegou-lhe a noticia de ter fal-
A menina esclareceu por um instante o rcu da
tilha.
l'ma manhaa porm ao levantarse, estando na
da egreja, esquecido dos deveres
tasse do templo para as tendas dos perseguidora
da egreja! Mas quem era o que assim renegava
Chrislo ? Quem era o anjo cabido sobre fque cho-
ravao pontfice ?
Era monsenhor Capulo, o desgranado bispo de
Ariano, o nico entre o episcopado, que trocou as
glorias do cu pelas grandezas da Ierra, o uuieo
que nao duvidou como Ezau vender a heranca
eterna.
Sim, presentes nos esto as palavras de Pi IX,
anciedade.
Esperamo-lo cea
(Hagan J
A .4 rareza.
Entre (odas as paixes, a avareza a mais igno-
rada por aquelle-, a quem ella domina. Os vren-
los nunca se lem por taes. L'ns disfarcam a sua
chorando como Rachel, aque'lle filho perdido da avarez-a com o nome de economa, outrus com o de
egreja, assim como lambem as exortates com que cautela; alguns com o especioso titulo de modes-
da amargura do desterro, o cardeal arcebispo da ta, de sabedoria, e muitos com o de necessiitode
. aples, Kiang Sforce, convida va aquelle serve n- Esto srdida paixao se envergonha de si mesan,
familia ; o infarte avislava um firmamento bri- fiel a acolher-so arrependido as misericordias do Ella e naturalmente tao odiosa, que nunca se re-
inante de felicidade nos olhos formosissimos da Senhor ; porm o cgo. o surdo de espirito, nao ; ve a apparecer com o seu proprio nome, porqoe
quii vrnemouvir a voz que o chamava paraoar-lse injuria de ser conheeida.
ropendlmento, e bradando-lhe com os juizos do; Com effeito esta insaciavel cul>iea proteo* de
Senhor, Ihe apontava a espada da sua justiga, sus-. fraqutza do juizo, diz o sabio. Receber com am-
pensa sobre a cabeca do levila infiel. | bas as maos, accumular thesouro t>re tln.ionro,
Porm quando tal vez mofasse das exortaeoet de: fazer uma grande renda cora o pouco din!
seus irmaos, a doeiica o vem advenir, a candade rar sempre miserias, e julgar-se o ais pobre,
esforco para salvar
pumcao divina, nem os sentimentos de honra po- ,, real nap ..... ,,_., 'lnri, h.. ..,_.'. lecido a filha ;-correu a branles para chorar
deram resistir aos desejos de ser infarta, ao pensa-' ZuTr ^\^a^rttJ^Z7T ?S bra,CS da Pr;,pndida P0; e- ^aeTno no
... ,lea IMer- eu a cnmpnre, se Unto coul jr no po- mo vo untuoso do seu seto enchngar as lagrimas
mectoque ella concebeudc lalvez um da adornar der quo recebj de Deus; SMt ^ m ^^^ afdenU>s ;,, inundavam orffl8l* g deioU ca.
a fronte com e diadema do rainha. !de ma,rimonio impera ^^ a ^^ a ,rjsdicca0 hir sobre o peito da amarte a cabeca inerte de um
Eslremece de praxer o joven D. Fernando ao to- do santo padre de Roma e as disposiC5.s dos ca- gl^^eTriaSS^ulchTpesava bre"o*cor"
mat-lhu a dexira.ao conduz-la para o altar. E der- nones. O bispo de Silves avocou para a egreja a rao da filha dos Coutinhos.
rama lagrimas de puro goso o nobre conde, vendo decisao do pleito ; aguardemo-la, e eu a fare* Exiingufu-Te nos tres aquella to Ilustre gera-
a filha pela mao do infante. Seus intentos de Ion.'cumprir ; eludo quo posso fazer, quanto snup- Ca de hroes. ...____.1.. ._
r ... i .. E, durante seculos, as abandonadas ruinas do
gos annos vao ser realisados. Ja o seu illustre cas, neslo negocio grave. Mas para desaggravo caslello ateslaram o crimede D. Guiomar.
amigo o talentoso bispo D. Osorio, que veio de Sil- daaffronta, que o marquez de Torres Novas vos i >m. ___
t ... DtlirsAHOl.iO I l.Mlt
ez, expondo tao inslitamente o sea lalvez falso,'
direito. puni-lo-hei com rigor ; I assaz para isso o (Da **"* Contempornea J
poder do sceplro; e, apesar da juventude de meu
bra^o, provar-lhe-hei, que a espada da juslica me
nao treme na dextra !
ves de proposito para ali, est prestes a consagrar
o vinculo indissoluvel.
J comecou a ceremonia, j o sabio prelado reci-
toi.aos noivos os diclames da egreja...
Mas, de sbito, retumba no paleo do castello um
trcpel ingente de cavallos, o bellico reteir de ar-
nees e o clamoroso tanger de guerreiros clarins.
ehrista faz um extremo esforco para
aquella alma, leva-lhe o perdo em troco do arre-
pendimento ; porm o desgracado recusa, e a mor-
to arroja-lho o corpo corrupto para as profundezas
da trra, c a alma peraote os juizos do Deus.
A egreja fecha as suas portas ao discpulo infiel,
e o clero catholico de aples, sem receiar o ty-
ranno, que debaixo do tocio de sua bota quer es-
magar a Cruz e a consciencia, e que pela violen-
_ ? ___i____.&.>. _& ^ ^ i__ka k a .^ n n ^ .1 r\t> t. l 4 ,\ n^\c fia 1 VI _i
um grande achaque na verdade, mas sem
dio. Que febre deixa menos descanro ? E que *} -
drope-ia nos altera mais do que a aareza T
l'm avarento sempre polire. Elle necesiu
egual mente do que lera, e do que nao o tem. Elle
nao possue riquezas, sao as riquezas que o possuem.
Nenh una paixao exercia um imperio mais tyran-
no sobre os seus esc ra vos, neohuma que os trate
to mal.
cia"e seduccao quer ligar o sacerdocio ao poste in- Consumir as snas forcas, e a sua saude, ator
tomante da a|stasia, nega as oracoes de Christo ao mentar o sen juizo para descobrir todos os das
triste que renegara a Christo. novos ar'ifioos para se enriquwer, hotos segndka
Gloria pois aos que mesmo diante da persegu- para retinar a mesma mesquinhez. a sera en*-.
o, sem receiarcm o martyrio, confessam o nome pacao, e o esludo continuo de um avarento. Mas
Ao terminar el-rei estos palavras, entrou na
Indifferenva.
O iidifl'.Teniisiiio, essa lepra que minava o mun-
do entibiando a f, desapparece peranle a persc-
vasta sala o marquez de Torres Novas ; levan- guicao, que ao catholicismo promove a impiedad?,
.ou-so ntreos corlez aos nm ruido, simulando in- e o enlhusiasmo e fervor dos primeiros seculos da
r dignacao, e todos se afTaslaram do cavalleiro, como SJorn
inoxperado. e retinge-seda esverdeada cr do me-; ferid que estava> do d do rea|.
do o alvo rosto de Guiomar.
I eorrem a protestar o seu amor pela obra
de Christo, indemnisando com os gozos da f ao
D.Joao deLeneasire olhou-os com desprezo, ~e ^^ ** ^ ,ribula?^da im"
De repente, desde a porta da capella at ao altar caminhou gravemente at rhegar a distancia res- l
das nupcias, abre-se entre os convidados um largo patosa de el-rei, e enlao disse com di"nidade e! Rebalde se conjuram os impos para apagarem
suleo, diante do marquez de Torres Novas, que, a vehemencia Ia obra do E,rno'- debalde renden as suas tremen-
passo rpido e firme, caminha ao longo del.e. E Nem e ^ jamais qne 0 ^ do Por_ JJ5*S2 ^eraToitono X2?&.
assomou a entrada do templo a nobre figura de ,Ugal tremesse namo de re portuguez, senhor; Romaou amorte'.
stujaoD. Jorge, e por traz em cerrada columna Que nr,0,-. aIn-l0 queda vigor aosceptro. o scep-' o- o ,.
rruitas dezenas de cavalleiros de Santiago e d'Aviz tro nue rollUsteco a mao Mas todo o seu noder ', 0UVIU VT Snl-ltoma ou a
iro qui, ruiiu.Meco a mao. .nas ioao o seu poatr mortele os vossos cnticos do esperanca, es vos-
tedos armados em guerra e de aspecto marcial. esta na justica> que a vontode summa do re de sos hymnos de triumpho trausormaram-se em ru-
- Senhor hispo de Silves Iclamou D. Joo todos os reis, do rei de lodos os povos; aquelle g'dos de desespero, porque a sua Mo Omnipo-
de Lencastre ao aproximar-sc do altar,sem que- M^.k a .. j. .-,. tente cor fundiu os vossos projectos de iniqu-
r .i monareha da trra, que se affasta dos preceilos dadp
r ?r immelteis uma aecao sacrilega, essa mulher j,^_m ., _.u j _____fc .
v .... divinos do monareha do ceu, delxa de empunhar o n.
nao pode aqu desposar ninguem I e minha esposa __, j .,-... ___.. __,. i ____ Obreiros da nova Habel, procuraveis orgulhosos
E o miraun h a iravar de D Guiomar maso "" JUb"*' 8Ceplro d" verdade,r0 re" calcar o sepulclu dos apostlos, procuraveis pro-
0 jno ostento na dexlra o bculo do pastor, mas fanar os templos augustos dachristandade.com
sm o azorrague do conductor de escravos... I orgias sacrilegas, cuspindo sobre o aliar de Christo
'erenova- o grito escarnecedor dos JudeusAve
D. Joao lu, encostado ao donrado espaldar do iu-xlevantando sobre as ruinas da egreja a vossa
tlirono, estava suforado de colera, nao fallava, por- ()i,ra du orgnibo e da descrenca, mas o Senhor vos
que Iho impeda a raiva. Naquella poca do maior dispersou e confundiu, ferindo-vos com a sua jus-
despotismu, as palavras do marquez eram deinau- tica, do nodo que uns j nao comprehendem as pa-
nio do sua alteza I sahi d'aqui I... que sois um dua ousadia. A indignadlo dos infantes e corte- lavras d js outros.
mentiroso vil l zos subir ao seu auge ; mas ninguem se atreva ,. .
a fallar onde estava el-re!. Perguntae onde para esse turbilhao de armas.
O neto de 1). Joao II contiouou : que o sopro do espirito das irevas impellia contra
Ordcimu Jess Christo que o homem tivcsse a captol do orbe catholicoi o sopro do Senhor var-
uma s mulher, a mulher um s marido. Ser ex-1 reu-o cemo o po da superficie da ierra,
pulso da commuuho da egreja aquolle que atacar
esto preceilo ; eu esposei I). Guiomar Coutinho,
quem se atrever a dar-lhe outro espososer ex-
eaminhou commungado I Expuz es meus direilos a tempo
< de evitar um sacrilegio; a isso chtmaes, senhor,
uma alfronta vossa autoridade real, e por isso
Todos os convidados iam a travar das armas me queris punir. Castiga vossa alteza o que de-
mas o desembainhar de cincoenta espadas de San- via agradecer. Ides contra as leis do cu ; ueste
tiaeo e d' Vviz Pies susteve os bracos caso Vo v,)S:i0 srpP,ro- ia Ba0 ymbolo de jus-
tiago e o ana mea subleve os nrafos. ,Qa nem ,,acu|o (|(, paslor IIls,rumento de ini-
Senhores t disse rom voz tangente e da Qu'dade I
r _______,:. a c i j Rebenlou por fim a colera d'el-rei.
ra D. Jeronymo, bispo de Sil ves -suspende, I nae Keged dasj,lstiPas ,_r|amou elle.-encer-
e isto assumphi pira decidir pelo ferro. Marquez rae este homem nas prises do castello, e que seu
de Torres Novas, considerae bem a que vos expon- pae e todos os seus saiam da minha curte I
des, viudo interromper assim o casamento do se-' '^ _
nhor infame, do irmo do vosso rei. Se por algum p^^^S 'SS&S
modo allucinado... madura, que em tantos annos de gloria Ihe encer- verter a humanidade.
rou o eoracao valoraso, rico de senlimenlos de
infante se artepoz dama ; e o marido e o noivo,
frente a frente, olharam-se rancorosos.
Que injuria esta senhor cavalleiro I- bra-
dou o conde D. Francisco, arrancando da espada,
viudos a minha casa insultor-me as caas e o ir-
Essa affronla vos perdo pela edade ;tor-
nou o marquezvelho 1 nao sabis o que de nou-
te vae pelo vosso castello 1 nesta mesma capella,
neste mesmo aliar, e em quanto repousaveis, ca-
sei-rae cora vossa filha : minha I
Mentes I replicou o aucio, e
para o cavalleiro, ameacando-o.
Os inimigos da egreja, covardes na sua propria
mi edade, nao oiisam francamente confessar, que
reiiegaram a Deus e eobrirain como manto da by
poentia a sua obra decorrupo; vaidosos julga
rain o sacerdocio seu cscravo, para que os labios
que do iam pronunciar as palavras do Senhor,
fossern jnicamente movidos para lhes Iransmiitlrem
as vont ules!
u engao da vaidade nao durou mais do que um
momento, porque voz do pnntice de Chrislo, o
episcopado e o clero tonto da Franca como da Hes-
panha, lano da Inglaterra como da Allemanha,
tarto cas oulras partes da Europa, como das ou-
tras regioes ainda as mais remotas, levaniaram-se
como jni s homem, para lanto com a palavra co-
mo con o escripto, comhaterem o principio do er-
ro, com que os emissarios do inferno quercm per-
spo D. Jeronymo, dou-vos a minha pala- ,uinra e pundnoroso bro 1 Era o ultimo soldado
vra do cavalleiro, e juro pela memoria de el-rei, de Alfonso V, o ultimo representante dus ideas
meu avo, como verdade o que vos disse I generosas dos anligos cavalleiros t
t'am ellas desceu campa, repassado de amar-
gura o rancio. /\ patria, a filha, a honra da fa-
Rasla I o nome d'el-re! D. Joao II nao de ve
Porm entre os pastores algumas vozes havia,
que tcasto se poda ouvir, alguns pastores havia a
quem a prudencia impedia o passo.
eSo,
de Dous, e nao conscnlem que dos myslerios sanios
se faca uma far;a sacrilega.
Oremos, pois, ao Pae das misericordias; para
que entre nos o episcopado o o clero se levanten)
com forca pugnar pela egreja de Christo, e que
as palavras elle dirigidas pelo vigaro de Chris-
to, fructifiquen) como sement cahida em terreno
preparado, e confundindo-sc a impiedade, derru
bando-lhe as suas construccocs, abram nesta ierra
uma poca de gloria para a religio de Chrislo,
nica fonle de felicidade dos povos.
(D Frederlco Weiwitsch.
Frederico Welwilsch homem de cincoenta
annos, estatura colossal, de compleiciio forte, trato
ameno, natural de Vi-una d'Aiislria, em cuja uni-
versidade se formou em medicina e nas sciennas
naluraes, que algum dia o tinham de elevar ao fas-
tigio da gloria seienliliea.
Concluidos os seus es'.udos universitarios, conti-
nuou Welwilsch a prestar singular altenco a bo-
tnica, aprofundando especialmente a taxonoma,
provincia dillieilima da sciencia dos vegelaes, en-
carregada de os elassillcar.
Ao mesmo tempo que o joven medico allemao
se singulansava ua taxonoma phylologica, prejn-
rava-se para intentar uma digresso seienliliea na
frica austral, anloga, mas em outra direreo. a
executada por liooker, Robert Brown, Tuckeu,
Owergs, quando soube que Levingston se Ihetinha
anlecipado.
Muda de intuito o Dr. Welwilsch, emprehenden-
do a exploraco phylographia da provincia de An-
gola na frica occidental, depois de haver percor-
rido as provincias de Poitugal e ter adquirido ca-
bal conhecmento das nossas riquezas, quanto ao
reino vegetal.
No curso do mez de agosto de 183:1, parliu do
Lisboa o nolavel naturalista para Angola, com es-
cala pelas ilhas de Cabo Verde, onde so demorou
alguns dias fazendo pingue messe e numerosas
deseobertas na llora martima daquelle archipclago,
quasi de todo desconhecido sobre o asjieclo algolo-
gico.
O estudo das algas nao tem encontrado mais
apaixonado cultor quo Frederico Welwilsch.
Chegado provincia de Angola, consagru um
anno a visitar o litloral desta parte da frica eooi-
nocial, desde Quizembo, ao norte de Aml.ru. atea
embocadura do Cuanta, perrorrendo urna exien-
so excedondo a lO milhas geographicas.
O intrpido naturalista avaneou progressiva-
mente para o interior do continente, devassando
regioes al ali nao exploradas.
O seu fervente zelo nao esfriou na presenca dos
maiores perigos ; comhateu victorioso contra a ae-
cao paralysadora do clima, contra a influencia mor-
tfera das doeucas : superou os obstculos prove-
nientes da coniigurac do solo accidentado e ron-
cen a desconlianca perfidia dos aborgenes.
O summo pontfice, com aquella soliclude que
o anima para com toda a chrislandade, noiou com
amar; ura o silencio do episcopado portuguez, em
que trafico mais srdido, e que coraco mais per-
verso ?
Pr os seus domsticos, digamo-k assim, debai-
xo di contrihuicao ; nao fazer servidos, que nao
tejan lucrativos; tirar uiilidade at do alario dos
obreiros; tremer da menor despeza ; lamentar-se
aindi da que obrigado a fazer para conservar a
vida ; no meio da abundancia viver rom pobreza
chegar ainda lalvez a lamentar as mesmas despe-
zas, que se Ihe bao de fazer, no seo funeral: duro
com os outros, duro enmsigo mesmo ; passar os
seus das em tristeza, em desgosto, e na obscuri-
dade, s3o os tristes effeitos desla injusto paixoiiae
o domina. E bem se pode dizer que nm a vrele
nao deixa nada que fazer a desgraca, porque esta
o nio pode reduzir a peior estado.
S'rnelhanle aquellos infelizes condemoado* a
trabalhar nas minas; a sua vida se gasta na pro-
curar, e tirar ouro das mesmas pedras; o pao ene
come moldado com o seu snor, e com medida
as maos se Ihe fazem negras forca de manejar
este neo metal : Araro niAi est tretettius, du a
Escriptura. (Ecrles. 10), mais obscura I Mas que condi^o mais toaaeata-
vel T Nao o luxo, nem a boa mesa, sea ot tra-
teroi que condemnam os ambiciosos ; mas per-
der i-se por seren muito austeros consigo, e com
os outros.
Se ao menos esto deshumana paixo m diripote
a algum fim rapaz de engaar, leria lugar entre
os outros erres, que engauam os homens. Ma que
vaniagem nos prometi uma avareza eiroMtn '
Pailitas extraordinarias, trjbalhns infinitos, vida
spera e vergonhosa, penitencia sera merecimeato.
clamores populares, baixezas otot, objeto de
riso, uma repravago quasi certa, esta e a serle
dos avarentos ; e ludo isto para dexar urna be-
ranea importante, e maltas vetes uma cad-ia d.-
iiiju>tii;as a pessoas, que ho divertir o pukmao
com as srdidas industrias do seu bemfeur. Pede
considerar-sc mais insigne lourura J
I" possivel que a paixo nos regu at um tal
extremo I E que nao haja ao menos alguns nter
vellos de juizo e de religio, que faram conheeier
estas lastimosas extravagancias I E na verdade
qual peior, imaginar um homem, que rica, po-
(li roso, principe, imitando as suas aeces. aBertan
do a sua linguagem, e os seus mates qnerendo
lamben imitar a sua magniuYencia ainda que seja
de um nascimenlo vil, e viva em uma etlreaaa po-
breza ; ou sendo opulento, e de nascimenlo boar
do, viver em miseria, sempre pobre, f.uendo em
papel ridiculo 1 Qual desias duas cousas so pa-
rtee mais com a lourura ? Que rousa hus r-
ploravel ? Ter abundancia, e querer carecer de
tudo !
Que dignos somos de compaixo. .piando nos
deixanot tenhorear de um tal icio ? Se a* te-
nos um avarento fosse liberal rom aquelle. a toena
devenios lodosos bens lempTSe Porm a ava-
reza nao smente o virio das alnm^otao^jtju
tambem o vicio dos coracoes pouco cbruiix.
mos sempre to avarentos para com Dt-u-
somos para eomnosco. A miseria dot ontioa mmii
.. uup. uuuiiuv w '-..,., pouco ,a quem samao seu dinheiro: e lal vea dar.
Seguindoocurso dorio.iengo, chegou a capital \.w ^J^ ^^^ ^ wmot ^
do disti irlo de Golongo-AKo, denominado Sange,
onde estabeleceu domicilio, onde parta para tre-
par monlanhas escarpadas e internar-se em flores-
tas virgeus
Caininhando para leste, o Dr. Welwitsch, tendo
peregrinado ein lodo o districto d'Amhaca, aporiou
a l'iingo-Aiidongo, que escolheu como segundo
centro das suas opentSea de exploraco seienlili-
ea ; reconheceu as raiiiificaces do Cuanza, explo-
rou as iiioiitanhas de Pedra deliinga, as ilhas ex-
plendidas de Galembo, as vastas florestas situadas
' podera resistir ao fausto maravillioso da curie de verdade, cuiupra dizer. o a pesen tova debaixo de |eulre Quineende e Cando, nas proximidades da
"dal- Manoel, eao luxo (tesenfreado, o sempre em aug- um aspecto, nao em harmona com o zelo deten* grande catarata ; as salinas de (Juitage.o rio Lu-
I mente, da de Joo III. |volvi ser invocado em falso por um neto seu. Aos tri- milla, ludo Ihe doia na alma.
bunaes da egreja compete julgar dos fundamentos Aquelle vigor, aquellas mil aspirares grandio- rrjs,-s tJ tniliaibadasp, la uibulaio!cdTngu-'lhes
que tendes para impedir este casamente. A mim 'l", ",ina v's,,, ''!n ^\"f} ao <'<"<" "a vm a. (.0II10 pae espiritual de todos os ieis, palavras de
, ...... estavam raneadas agora do triumidm, sem alent, 'conforto ede consolaco
agora so me cabe dizer que fica prohibido ale s?n- oll exlinctau mesmo A prosperidade publica de- i ^ '
lenca ecclesiaslica. cahira : o ouro da India, o rdito inimenso do sen | O episcopado portuguez, como para se justificar
Ouvindo isto, D. Guiomar rahiu sem sentidos ?5!?!!!L^S^t^^I^lS?^ f?T2fJ*! I2L ,C5!1!!!^^I*!,1*!JlLfutC
nos brap^; do pae, que, soccorridode muitos
gos, a levou para o interior do castello.
A corrupeo e a vareza tinham-se apoderado do diltieuldades, rom que lula, publicando dous do- O territorio que percorreu, em 7 annos, abrange
n-ino. i cuinenlos como proteste dos seus sortimentos para uma superficie de lo.OiH) milhas geographicas, re-
Arelgiao de Chrislo era nos labios de qnasi to- com n egreja e para com o pontfice, que revelan) presentando um triangulo, cuja base OOTreapoude
dos uma blasphemia ; e o fanatismo imperara tv- as tribulacoes. eum que oense reino lidelissimo o es- ao Ocano Atlntico e o pice a lianza de (Juizan-
rannieo e sem freio. pirile anle-eaihohco afflige a egreja e procura im- de, situado na margen direito do Cuanza e distan-
A estes males da patria juntava-sc, para magoar pedir a aceto dos pastores. do to milhas das cosas,
o cavalleiro, o pleito em que penda a honrada Vamos a superficie desta lula, sem bem poder- Durante esta tenga, penosa e arriscada rugen,
lilba, da nica vergontea de lanas geracoes litas- mos ivaliar a sua profuinlidade; mas o santo pa- o Dr. Welwilsch recollieu 5,500 especies de vege-
tres. Havia nove annos que va discutir a unio dre dando a fortaleza aos que della careciam, com taes perteneentes a mais de IR6 familias, que elle
clandestina de 1). Guiomar. a vaia do conselho, rasgn o vu que nos encobria classilleou pelos gneros de EndHdter.
Assim ao l.axar a campa, mais pesavam ao an-' a lenae'idade e poder com que se trabalha para aba- Por observacos conscieneiosas e laboriosas ex-
lo ca val lei roso rei I Sobra-me anda o animo, cio as magoas que os oiienla annosde Irabalhosajler a egreja calhohca, e desconceituar os seus mi- periencias, pode reconhecer na provincia de Ango-
mas os trabalhos e a edado me enfraqueceram o vida [nislros. la tres regios botnicas : a regiao do littoral, em
Horas depois, o infante c o conde dirigiram-so
curte a implorar justiea d'el-rei.
III
...J esteu, senhor, no declinar da vida,
j decorreram mais de cincuenta anuos, desde a
primeira vez que fui a Afriea, o recebi o gru de
cavalleiro das reaes tnos do senhr D. Affonso V,
As esmolas, as dnacflet caritativas, m lega-I,
pos nao sao de seu agrado, nem de sua (
(o. Elle deixa tudo mas nao da nada, l) pn-
ceito da esmola faz BOOM nqirocsao ao seu ewa-
co. Como elle nao consulto senao a sua avareota
(ubiga, nao tem mos sm.o para receber, e ruinra
para dar : Miserubitis aroma infirmitas. clama
sabio. (Eccls. 5i. Lattiaotoa oaonen, t.i. oomm,
que nao cxca a ronnillin de ninguem. l'm ava-
rento padece, elle digno de oonpnrajm, ous nao-
guem se compadece delle.
A avareza um achaque, que se apodera ejmal
mente do concia, e do espirito, e Ma o ojo* a
faz mcuravel. Anda que se t.nliam milita* ajoali-
dades excellenles, esto s paixao escurre.- lu-
do. Parece quasi iii|Hissvel. que uma s virniaV
subsista com ella a compaixo, a caridooe. a do-
cura, a dcvoeo, o telo, nao acha lugar no coraba
de um avarento. A avareza a paixo de nm ra-
raclo aperlado, de um juizo Imilla.lo, de oan.
ma baixa e vil, expottt a ser vendida, e sacriaV
caiia ao mais vil intei Animam tmmm rrnm
Im habet. (Eccls. IOi.
(Coninuar-tt-hm.)
PER.NAMBL'CO. TYP. lE M. F. F. FlUVeV


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EVUQSVL68_WSYOLG INGEST_TIME 2013-08-27T23:07:38Z PACKAGE AA00011611_10112
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES