<%BANNER%>
Diario de Pernambuco
ALL ISSUES CITATION
Full Citation
STANDARD VIEW MARC VIEW
Permanent Link: http://ufdc.ufl.edu/AA00011611/10028
 Material Information
Title: Diario de Pernambuco
Physical Description: Newspaper
Language: Portuguese
Publication Date: Friday, March 30, 1849
 Subjects
Genre: newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage: Brazil -- Pernambuco -- Recife
 Notes
Abstract: The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding: Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation: Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities: Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.
 Record Information
Source Institution: University of Florida
Holding Location: UF Latin American Collections
Rights Management: Applicable rights reserved.
Resource Identifier: aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID: AA00011611:10028

Full Text
^~
'.
Anno XXV.
Scxta-feira 50
0 "/.IR/lpubllei-setodosoa diasque nao
forein deguarda. O preco da assignatura he
de 4*000 rs. porquariel, piguaiiaitlafioi, Os
a n nuncios dos asslguanics sao mendos
uuo de 20 rs. por liiiha, .40 rs. em typo dlf-
(EiPhtc, e as repeticfles pela metade. Os nao
asignantes pagarao 80 rs. por linha e 160 r.
'in typodi"erentc, por cada publicarlo.
' PHASF.S DA LA NO MEZ DF. MARCO.
Crcsoente, a l,s 9 horas c Vi min. da tard.
La chela, a 8, s ll) horas c A 2 nim. da tard.
Mingoante.al.slOhorase 19 min. dalard.
La nova, a 24,s 11 horas e 40 min. da manli.
CresCentc, i 31, s 4 ht-ai c35uiln.da manh.

PARTIDA DOS COB REOS.
Golanna e Parahibo, s sega, e selas-feir.is.
Rio-b.-do-Norlc, quintas-feiras aomcio-dia.
Cabo, Serlnbaem, Rio-Pormoso, Porto-Calvo
Macelo, no I." a 11 e 21 de cada mct.
Garanhiins e Bonito, a 8 e 2.1.
Boa-Vista e Flores, a 13 c28.
Victoria, a quinlas-feiras.
Olinda, todos os das.
PREAMAR DE MOJE.
Primeira, s 9 horas e 18 minutos da manh.
Segunda, s 9 horas e 42 minutos da tard.
de Ufarlo fie 1849.
N. 7*1.
DAS DA SEMANA.
20" Segunda. S. Ludgero. Aud. do J. dos
nrph,. d<> J. do civel e do J. M: da 2. v.
I' Terca. S.Roberto Aud. doJ. doo.da I. v.
e do J. de pal do 2 djst. de t.
2 Quarta.S. Alcsandre. Aud. do J.do o.da i
v. e do J. de pax do 2. disl. de t
29 Quinta.S. Ilerlholdo. Aud. duj. dosornh
c do l. M.da I. v.
90 Sexta. S. Jlo Cliniaco. Aud. do J. Uoeiv.
e do J. de pa do I. dist. de t.
3l Sabbado. S. albina. Aul. do J. do c
da I. v. e do J. de piz do 2. dttt. de t.
I llamingo de llamos. S. Macario.
CAMBIOS NO DA 2 I DE MARCO.
Sobre Londres a 27' ,e28d. por 1/rS.aMd.
Pars 890
> Lisboa 108 por cento de premio.
Rio-de-Jaueiro ao par.
Oesc. de lelt. dv boas lirmasn l'/i o o mea.
Acroes da coinp. de llebxribc, a 0f rs. ao p.
Uuro.(Incas hespanholas. 1'.>f!Ml a Si/Wo
Modas de K#>M0 v. t7#-2IMl a I7#4'
p deflMWn. ItUMO a I8/40T
de4/000.... /200 a H/400
IVutii-Pataiesbrasileiros l,*''.ai.i 1/lKll
Pesos culuiiiiiarios. lf<" I i'1""1
Ditos mexicanos..... 1/HJO a 1/9*1
PARTE OFFICIAl.
' (OVERNO DA PROVINCIA.
(HllUK AS MlHlilS MlIVK.'ll'AKS DA paOVINCI Ai'KP.CA
AS 1'kumius ki.ficofs paa nePUTAons.
Transmiti a Vmcs. o incluso impresso, contando
os decretos do dissoluc,flo da cmara dos deputados,
o (le Cj>iivocaciio de oulra que deve renmr-se no dia
primeira itr Janeiro prximo futuro, hem como o
aviso da secretaria de estado dos negorioMlo impe-
rio, (latido de Stdefevcrero ultimo, .para qup,
observancia do quo ah so determina, expeca
convenientes ordens, ifim de que aseleicflos se (-
cam nos das marcados, dando, logo que tes rere-
brrem, as devidas providencias pnr.i a reunido das
jimias de qttalificacno em to las as parochias desso
municipio, onde nao se ten lia feito a revisflo do cor-
rente auno, remetiendo pela mesma occasiflo sos
juizesdepaz que leem de presidir s juntas copias
aulhenticas das acias dn ultima eleiQIo ta oleitores
prs dsfeisdss c t do jui: ds psz Se) Jistrirt- (!
matriz, bem orno declaracSo do numero de eleilo-
res que deu a parocliia as iluas ultimas cleicoes.
Para a reuniflo das juntas de qualilicagao lira
designada a,segunda dominga do mez de malo (13),
devendo un mez antes fazor-se a convocarlo das
pessois que teom de eomp>r as mesmas juntas, na
forma do artigo quarto o seguidles da lei de 19 de
agosto do 1846. Osconcelhos muoicipaes de recur-
so ruunir-se-hfio noprimeiro de julho, e funcciona-
r.lo por quinzedias sttccessivos, tos termos do arti-
go 36 da citada lei.
Concluidos os Ira hlitos do reviso da qualficacilo
coin todas as formalidades recommendadas por lei,
ptoseguir-se-lts nos demais actos da clcico nos das
marcados nos dectelose aviso cilados ; observndo-
se o quo dispOe o artigo 79 acerca da remessa das
artas, afim de que a apuracno se faca nesla capital
no dia 4 de outubro futuro.
Reconuneudo a Vmcs. que pela sua parle empre-
;ii- iii o iii--ii os juizpsde paz procedam do mesmo modo, alitn de
queo processo da revis.lo termine impretervelmcn-
le nos prazos marradas, para que n assemhlas p-
rochiaes so reunam no. dia 5 de.agosto em toda a pro-
vincia, fazendo-sa nm mez antes as convocacfles de
que trata o artigo 41 da lei para a organisacfo da
mesa paruchial.
I'"t ti I timo, chamo a atloncfio dessa cmara sobre
o tpico do mencionado aviso, em qnese recommen-
da a maior vigilancia e solicilinle para que a opi-
niiio nacional se manifosle de urna maneira espon-
tanea eli?re.
I'eie minha parle, estou diaposto a empregar lo-
dos os meins que aslcisme conferem para que se
hilo repitam os abusos, fraudes o violencias, que tan-
to hilo concorriilo entre nos para corromper a popu-
lacho, desacreditar as insl il uiees e fazer perder a
foros moral i representnc.to nacional, que, eleita por
meios laes, com rasflo nio se ti le reputar a exprs-'
silo genuina da vontade da nac.lo.
Releva, pois, que essa camaia, conformamlo-se
com estes principios, trate de insinua-los entre setts
nittnicipes, e especialmente entro os ftinccionarios
que teern de intervir as elei?fles ; fazendu-lhos sen-
tir queogoverno milito confia queellcs, compene-
trando-se da verdade do que fie eipendido, roncor-
rern lodos para que soja plenamente garantida a it-
l>erdide do voto, medanle a ntais restricta e impar-
cial oliservancia das leis.
Bwis guarde a Vmcs. Palacio do gnverho de Per-
nambuco, 29 de marco de 1819. Manotl fietra '/"o-
Iii. Srs. presidente e vereadores da cmara niuni-
cpal de.....
Anl3o, entretanto que de oflicio do commandanlo jconjecturas podia imaginar acerca do espectculo oraese escripias, ao passo qneurewinoInaklMoria*
das armas se evidencia quo aquelle commando nio Ique lantoa maravilliava. ^..' |invenUdaa para, explicar u pbe.nnmeni,
tem sciencia de destino, que se dra ao mencionado I Parecen-nos que a noticia do appareeimnnlo da
soldado que em selembro do anno passado Mra re-
quisita lo para assislir ao processo que seibo es-
lava organisando ; e dizendo que, como n.1o conve-
nba ao servido publico quo se repitam icios sOtne*
litantes, recoinmenda iSmc. qu", empre que iiou-
ver de dar destino a algiim reo militar, participe-o
ao mesmo commandante das armas.- Communi-
cou-se ao commmdante das armas.
' en^ JfceV-Ao inspector da pagadoria militar, Irans-
ma{ mlrtinub duas contas am deque entregue a Manoel
Trancisco de Moura, almoxarifn-do arsenal >le ma-
rinha, a quantia de 100,790 ris em que importaran)
os manliinentos fornecidos a 41 prisioneiros que se-
guirn) para Fernando em o patacho Pirapama, hom
como a 23 pracas do linha que os escoltaran). Sci-
entificou-se o inspector do arsenal de marinha.
Dito.Ao tenento-coronel Manoel Lucas do Araujo
Pinheiro, agradecendo-lbe o nio querer Smc. ser in-
demnisado da importancia do iornecimento de vi-
veres que lizera a terceiio batalho de arliintria a
l. Inteirou-se o inspector da pagadoria militar.
Dito.Ao juiz de direito interino da comarca do
Bonito, significando-lhe que.tiiio obstante mo haver
o seu antecessor dado comeco nos trabalhos da junta
revisora daquelle termo, deve Smc. providenciar pa-
ra quo se ella rena c proceda revis.to dos jurados,
servindo-se da lista geral anterior nos termos do ar-
tigo 233doregulaniciito n. 120 de 31 de Janeiro de
1842.
Dito. Aojuiz deorpbflos, ordenando mando la-
vrar o Icrmo de tutela para o menor Trajano de que
trata o requcrjmcnto que remette, aflm de que seja
cuinprido o despacho nelle exarado.
Portara. Constando tle reprcsnntacilo da sdmi-
nistraciio do patrimonio dos orphilos, datada de 22
do correle, com referencia a ofticio do dircetor in-
terino do respectivo collegio de Olinda, lirmado a
25 de feVerciro ultimo, qoe os mestrosaVs oflicinas
de ca alaria e uiarceneria do mesmo collegio, l.uiz
["aurora boreal, que, pelo quo atiesta a tndiqSo, foi
a mais luminosa e duradtiui'adcq>ianlas to em o nosso bori/ontc, deveria ser aconipanliada
do que sotibessemos sobre a materia.lio o que va-
mos tentar, comisando este breve tr.ib.illn> ao despe-
dir-nos dos derradeiros vestigios que o pbeuomono
ain la dei(ou no ponto mail remlo do horizonte,
que a vista alcanca
Entre as paginas mmortaes do un livro que be
entiin a imagen) da natureza inleira, reflecllda na al-
ma de um tos mais elegantes etcrjplores da Franca,
ha urna que, a par de minias, nos uo esquecera nun
ca. (I autor de Paulo r Virginia nlli descreve asseo-
nas phai',1 -isticis e sublimes ^uo se passam na im-
mensa abobada do ceo, qtiando o vento, lulando
com as nuvens, povAa o horizonte docreac/>es giiran
leseas, mas epbemeras', que o pena* ment mal pule
ciiinp eheiiili'i; i- pai a mais engrandecer lanas ina-
ravilbas imagina o sol a suinir-se no occidente, e os
seus ltimos raios fruuxos, rr.as (hu visivois, aira-
Gunzaga de Viterho o Francisco Manoel Beranger,sa_
fiio pouro cumpridores de aeus deverea, que, do de-
enibro do anno passado at o citado feverwo, este
deu 40 fallas e aquelle 60 o presidente da provincia,
de cunformidade com o eslaluido no artigo o do
contrato que a mesma administracfto celebrara com
ViUrbo a 25 de feyereiio do 1847, e em coiisequen-
cia do que so contm na condicao stima daqueHe
quo uessa dala se effectuara entro ella e Beranger^
lesolvareaciiidir taes cnutiatos, hem como ordenar
que, despedidos os dotis meslres que lieam mencio-
nados, se Ibes iiuponham as multas comminadas
"o linal do artigo terceirn do priuieiru dos referidos
contratos e quarto do segundo.-Comtnunicou-se
referida admimslraclo.
Correspondencia.
Illm. Exm. Si. Tenho a salisfaco de commu-
nicar V. Exc, que esla provincia contina em paz.
lieos guarde V. Exe 'alacio do governo da Pa-
rahiba,24 de marco de 1849.-lllm. e Ex. 8r. desom-
bargador Manoel Vieira TosU, presidente da pro-
vincia de PernambucoO presidente, Joo Antonio
dt } :lscmirr.llot.
F.xv&mwm uo w*as ot tunta.
(inicio Ao commandante das armas,' declarando
que,par dar cumprimanlo an avia da secretaria de
estado dos negocios da guerra de 24 de fevereirn ul-
timo, precisa que S. Exc. remella a secretaria da
presidencia a f de oflicio do prime ro cadele do se-
Riindb balalhito de artilharia a p, Jos de lloraos
(.ornes Ferreira, que, lentki-se recoIludo de Franca a
corle do imperio, acha-se a Idido a ptimeiro bata-
lho da mesma arma, o com lieenca para conliriuar
^ells estudos militare*.
hito.- ao commandante da divisan naval, rocom-
mendaa haja de mandar apresentar ao chefe de
polica awirtf -Pedro que so echa preso em um dos
navios dtfguerra surtos neste porlo, alim de que, o
meamo ebefa do polica o entregue a Rita Mana da
Couceicfio, que proven co* documentos ser senho-
a do referido pirdo>Scient(icuu-se ochee de po-
iicia
Dlo.-Ao Inapector da thesouraria da fazen la,
recommen lando a expediefio do **ias ordene para
que por aquella tbeauurar.a scjadKremctlidas ca-
.vnara municipal do Olinda copias itc quaesquor do-
cumentos que porvcnlurl existam nos arctlivos
d.. que I la repailicSo acerca dos liens que conslilftem
o patrimonio da mesma cmara.Cummuuicou-se
referida cmara.
Dito Ao juiz municipal da piimeira vara desta
cidade, declarando quo de nforriacSo do carcereiro
da cadeia desla cidade consta que aquelle julio re-
.metiera para a illia do Fernando o soldado da com-
panhia lixa de cavallaiia desta provincia, Manoel
Jpaquin) da Luz, sentenciado pelo jury de Santo-
Sri. Redaclortt. Para refutar urna calumnia de
que sou alvo innocente, mo grado met, recorro a
S'iu eslimavel Diario; porqumlo, incapaz de praMcar
corlos actos, he de justica desarrollar de mim suas
imputagdes e consei|iiencias, entregando ao mesmo
lempo ao merecido dospre'zo os inventores dessis
falsas noticias, lalvez bem proprias do quem procu-
ra crivar minha reputacmi, que tanto aprecio e pro-
curo conservar inabalavel
OSr. espirito da gualda nacional Caclano Silvcrio
da Silva foi preso no dia 4 de feveroiro prximo pas-
sado, e ignoro por ordem de quem, bem como*o mo-
tivo ostensivo de sua prisfio, pois sabe esta cidade
que depos do ataque do dia 2 do mesmo mez se
clTeciuaram immensas prisAes; mas, nito leudo lido
eu parte alguma neste fado, dec!aro-o peran-
lo o publico e todas as autoridades, pois me no
couslou jamis que esse senhur lvesse parle na re-
volta que preseulomenlo ao debella, cojulgo inca-
paz de setos somelhintes, cono mostno assevnrei ao
Illm. Sr. doutor chefe de polica : nSo obstante isto,
consla-me que elle attribuo seus incommodos a
mrm, e temerariamente tc/B aggredido minha re-
plselo por um falso supposlo : o he em trbulo a
verdade, que solemnemente repulo nTo s as im-
putacties graciosas que me faz, como porque ni!o
quero, sendo injusto dom alguem, lomar a palerni-
dado de faclos que me nao competen) : tuum caique
Iributndum. Dignem-se, Srs. re lactores, darpubli-
cidade estas lindas. Ilecife, 28 de marco da 1849.
Manoel Porfirio da Coila Araujo.
VAKIttl>Al>E.
AURORAS BOREAES.
....le Nord, dans ses vacies domaines,
(.'ontieut de la ciarte I- a plus beaua phaomues.
Soureiit I' pais bruidlard tient lean flaiuuicseaptivrs;
5ourent lalsse percer leurs ciarles fugitivas;
lis glissent en n lleta, sVchaipent en lingots,
u d';:c !::er ue ftH rourt 22 si:: les 2t5;
lei blanchit i'argeate.et la jaosit Ppale,
l ar mel l'axur la pourpre orienUle;
Tantdt en are liniuenac la prrneut leur casor,
11 ..uleot en chars biulanU, Uottent en drapeaui d'or,
SVIancent qurlquefots en eolonues soperbes,
S'entassenl en rochen, ou jaillissent en gertocs,
l-t variant lejeu de leurs reflrtsdlvers,
De leur pompe changeante touoent ees dserts.
( Uclilte-I.ri Xrois Hegnei rit l Em a iiole de 17 de novembro
boa adimrou, pelo espaco de quasi
mageslosa apparieXo de una aurora
A curioaiUade publica, preocc
mente pelas encontrados aneceasos
sencear esse phenoraeno .celeste, formou quinUs
vessandocom dilTeronte colorido essas mallas enor-
mes de nimia- nuvens, que parecen) separadas por
abysnos queencanlam a phanlasia
Antes deste assombroso quadro, digno do pintor
da natureza virimn da America, e que o nosso tosco
pincel ncirf se alroveu a imitar, he nutro que, pela
singular simpleza da verdade que representa, nos
serve para descrever o que, pelas seis llorasemoia
da noilt ,|e sn^ta-feira, se comecou a observar par
0 lado do noria, o que fui o precursor do phenomenu
tito Portentoso* $0'no oque tternatdm de S.-Pierre
des'acou das pnras'.'mas mui roncas litilias com que
trac0" o despuntar da aurora.
Eis-aqui, se he pnssivel tra.luzi-las, as palavras do
autor doscsludos da natureza :
ni urna formosa noiledo verflo, quamlo o co
est claro e s conten vapores mui pouco espessos,
mas com jntensidade bastante para detep e refrangir
os raios do sol ao atravessarem os limites da nossa
atmosphera, indo para urna campia d'onde se des-
ci'ln'ii o comecar da aurora; a primeira eousa que
veris aera alvejar o horizonte no ponto d'onde a es-
peris; e esta especie de aureola que a proco le fez
com que, por causa da CT, I lio chamassom alva, que
vem da palavra latina albaque quer dizer //ranea
Essa elaridide ir subindo pelo reo quasi sein so
perceber, e tingir-sc-ha de aniarellu quamlo esti-
ver Ijiuns grao* cima do horizonte ; ao subir mais,
oainarellose mudar em CT de laranja desvaneci-
do, que MN transformado depola em uinacdrver-
mellu quasi lito intensa t-oinooca'nnim, a qual ir
morier no zenilh.
Ponen ser misler alterar as situaefies representa-
dla n.esle quadro, para i|iie soja n pintura do prin-
cipio na aurora boreal Em vez do lim de tima noite
clara do verln, imaginai o principio de nina noite
serom de invento, em que a brisa do Tejo mo linha
forc para, mover as folhas das livores, e na qual as
estrellas hrilhavam com o sen mximo esplendor no
lirmuuinlo 1.1o sereno e puro, que nem sequr o
manchava a sombra ou vestigio de urna nuvem; sub
tilui o oriente pelo occidente, o recordii-vos do n<-
cer do sol al ao ponto em que a sna primeira ela-
ridide, j mudada em MMMI rubra O como incendia-
da, indica queo sirodo diavai descontar, lereis
muira do comeen do phenoiiieilo de que estamos
tallando.
J* para laslimaro recejo infundado que observa
afls enl' alguna pontos da cidade ; o se dermis ere-
dito'is irjl'ormacoes quede oulros tennis recelo.in,.o
suato em parles chogo:i no ultimo auge.
t:onsla-nos at que no dia 18 so enterroii o cadver
daiimhoniem abastado, que o susto lomoii a. ponto
de succunibir complelamcnle.
Sentimos que em taes casos os gritos de miseri-
cordia, que seouviram em algumas rita*, s bijas
itie ipeffli.i santa religiilo denossos pais, provem o es-
tadtKle alraso em que anda va i n nossa InstitICCoe
edticacflo publica.
As ideias elementares de physica, que em unirs
naceos se prendein na infancia, em Portugal sao
anda um invslerro pan milita gente adulta.
M!n ro esta a primeira aurora boreal que se avis-
lotidV Lisboa, en imprensu ja varias vezes tem lillai
desle phenomeno, sem o aompanliar de ideias qui
devossem assustar ningtiem.
1 m llvro que, sem vanla;ein nenhunia moral, se
populinsou por todo o paz, has! a va para ter leu
couht^er a existencia das auroras boreaes. Ja se
ve que nos referimos ao Judeu Errante. De tantos
centenares de paginas, cheias de quadros extrava-
gantes, e que por vezes olfendem o pudor e o bello
da arte, entre.os raro que se de va m guardar na
tenle se cunta o quadro que reprsenla urna scena
passada nos lilis de selembro as margeos do es rel-
io canal de Behring, que separa os limites dos dous
mundos, a Bebera da America do Norle, e no qual
Mlrniha hi7 de urna aurora boreal lamia a ligura
do homeni *ie, ajoelhadono cabo da Siheria, eslen-
de os bracos paia o lado da America com um gesto
desesperado, e que lambem nluinia a uiulher lormo-
sa eaitla nova, que no promoiilono americano res-
ponde a esse gesto aponiendo l">ra 0 reo.
Nilo ha linda nina certeza malhematica sobre as
causas deste phenomeno, c a sua explicacOo nflo per-
tence. iwrcmquanto, ao numero dos axiomas que so
- ..'et|irSi-
criodo que sobra as suas causas s lean esindado, sSn
cousu> (|iie asina incluidas na historia jfwil doa pro-
i;ressos dos rouli.'i'imenliK lilio> .me
Nao nos falta vontade de salisfa/ern ilu temos .!e informar os leiluies do nosso jornal (1
quauln se refei e a esses don- pontos ; mas, ali-m da
mingui natural de elementos que para tal fin ser-
yissurp, acereseo que entre a causa d este artipo a
sua iinpressio en. re lo curto espaco do lempo, que
apenas po lerenms recorrer m qu" un deixnr.im ii i
memoria esludos]fetos ha anuos, e sobre os quaes
leem panado uulroa mu diversos.
Tractems primeira da parle liislorioi ou Irade-
cional dn phenomeno, para que os mimos reoeiosos
se nflo deaawnceguem mais com o que su deve des-
pertar na almi umi justa egoslosa admtracflo pelo
supremo autor de tintos prodigios que dssipsm OS
mais misados e atrevidos sonns dn imbi(ilo lo saber
humano.
0* sanios da antguillado foram pouco leli/ s w\-
seu tnludtu a esle resuelto, eos trabalhos (TArislo."
leles, I J i iii.i e Sneca S conlein de inleressanle pa-
ra ncotllkcinienlo do phenomeno as desetipeoes que
lelle noaUlAlxaram, Entre ellas lie mui digna desei
citada a de um dos mais encyclopedicos tlenlos
dessas c as remotas, poique junta a verdade da pin-
tura o mrito .leronlera pro va, que ja cm tana aras
vog.iva o erro to geral de ligar os miseros aconte-
cimentos da lena aos inysfcriosos designios que, pm
modos aisombrosos, manilestam rontinuadnmenlo
existencia do podOr que ni Ierra lanas ve/es se
osquece.
O periodo a que nos estamos rel'erindo lio de ('linio
iFAram vistas por euetoinpo, diz esleaiitnr, lochas
0 lampa las uniendo, maileil'os inllammillos em toda
asna exleusi'm, e amia a I ni .lisio se vio o mais
terrivel de todos os ig(iiros--um incendio que pa-
reca cahir sobre a Ierra em ehuva de sangue, e quo
era oque ja se liavia presenciado quaado, nolercoirn
annodaCVII nlympiada, filippe quera lubjugar n
(recia.
Nflo deve admirar a oxagoraco do fecundo Bscrip-
lor, quan lo (un ou'ro periodo di/, que apparecran.
exercilos no ceo que liniravam urmcomhale. ouvin-
do-se o estrepido das irmas e o som das Irombntas ;
porquanlo no Diario tHntimu iII se conaervou
recordando de quamlo, pelos litis do serillo XVI, ca-
ravanas de dez e doze mil penitentes ain em peri
gi'inii(.1n cumprir.votos a igreja de Heims, por causa
de cortos signara que sehaviim visto no ceo, npot
es deas, com o< donatarios na frente, vieram pagar su s
promqssas a clebre cilhedral de Pars.
(> encantador 0 suave Ihlillr, que, cuno Cnuer,
e lalvez mais feliz do que elle, segoio o caminho Ira
r; ido por urtco nas atrevidas phinlisjas do seu uni-
verso, dexuu-nos em os cadentes versos dos l're.
reinos da ualurem a memoria de urna antiga licc.'o,
que nao deve deiiar de ser eilada.
lie i'iqiissi'mo 0 colorido que anima o quadro dos
ciumi's dessas duis craacoM phantasticas, que n poe
fa tilo projirinmenlo descreve qnando Ibes chama.
verdades
Deus lumineuse srcura, aai visage riaol
Kajonnent l'nne au Kord. al l'autre .. lOrienl.
Eslenome de irinas, com que a ficc^o as hapli
sava, era prOVI de que aos do>IS ph.m.....OOS .ilii le
presentados se dava a mesma causa; e estos prin-
cipios consignoii-os o celebre .WniV no sen Traa-
Jo da Aurora fortal, que se refera a um (lestes pite
nomenos, visto o mesmo lempo em s.-l'otorsbnrgo,
km \apoles, m lio na, em Lisboa e em t.adix.
O iiuo se refere Indica" constante, deque nc
nlium resaludo fatal houvc ainda delito bellophe-
ni.meii(.,(ie...a completo con. olesleinun lio de au-
tores que varias ve/es o presenciaran!. jlinHndO-lhe
urna resumida ideia das regidos donde proven.
\ era em que vivemos he composta do urna serie
de antagonismos difllcil do imaginar* Oualquer ideia
que se lome para i qUklidcar desapparece sssim que
a med timos, porque oulra, totalmente opposta, Ihe
vem usurpar 0 lugar.
\ partida das expedic6es que, em isas, 183 e
i .sin loiam dos Estados-Unidos, lialnglal^na e da
Kranca para estudirem o polo austral, he una reao-
lucilo inlrepida que mal se combina com os prazeres
e o 'descanso queso pode tfo/ar n'esses tres pontos
em que a rvlisac,lo moderna se slenla com todo o
seu csplondor.
em l resultado d'essss perigosns vngons,
ape/ar de saber quo lia mu pouco lempo succede-
i.im os lacios alii emitidos, julga estar leudo una
narraeo pbanlasiada ; poisqite, se acaso cliega a em -
venee'r-se de quo ludo he real, sentir gclat se-lhe o
sangUO vendo o homem abrir plcidamente um livro
e Acrever-lhe algumas linha*. tendo ante si monta-
nliaj de nove que se perdein a vista na contiiiuicflo
de eenlemires de leguas, e vendo que elle esla sobre
um'mnr que por vezes se trinsfrtm n um solo de
gelo, uuvindu o ruido cslrondoso das mais liorri-
ve.s tempestades, 10 passo que o fumo sahldo dos
vulc.es Ihe esconde o horizonte, e que a leirii para
se pod.'tia refugiar Ihe estremecera debaisi.
como urna toboi descosidi do convez do
oude
dos pes,
"os" miorcs perigos que a natureza encerr, cer-
cam, ameacam!, e por veres consometn a vida dos que
^:Z\1Z^ carta do potoco narre, emque
cadas os descoberUs do capillo non, o

L


.2
casos, como diz Povillel, se pilc cliamnr aurora
austral.
Entreo dous continentes da Asia e da America
e o polo boreal snestende unta vasta regulo do tr-
ra e mar, chamada a rogio rtica.
I'artindo do eslrcilo de Behring, em que fall o
autor lo judeu Errante, o primeiro Arohipolago d6
vulto lie a Nova Zembla,situada em fente da I apona
da Europa, que Cen quasi SOOlegoasde comprimen-
to, o quo lica separada do continente pido estreito
de Waigalz, sendo dividida em iluas paites dcsi-
guaes por nutro estrello chamado Matochkin.
A parte mais meridional he composta de planicies,
c na onlra seerguein nionlanhas perpetuamente en-
voltas em espessa nev, de urna das quaes sihem
sean Interrupcfio lavas volcnicas. Segu-se o grupo
das litas de Spitzberg, niassa compacta e variada de
rochedos immensos que surgem das agoas como se
fossem um cspelhoriogelo.
Ao sudoeste, 50 legoas adianto de Groenland, (ica
a illia de Joo Mayen, donde se levanta una monta-
nha com mais de seis mil pos do altura
Groenland he um ten lorio vaslissimo que parle
desdo-60 ilc laliludo norte at a um ponto do nor-
te que linda se nilo descolirio.
Alm do nutras iihas desertas i|uo ommillimos, as
recies rticas comprehendom nina grande parte da
cosa da America, quasi desroiiliecida, que principia
lio estrello de Behring, coiilinnando al ao Cabo Tur-
nni/nin, o itesso ponto ao cabo Victoria, descobn-
inento de Ros, o que anula nio fui estudado.
Um escriplor moderno, llenrique t.ebrun, mili acer-
ladamenle diste quo estas rogioes eram a verdadei-
ra imagen) lo cilios.
i: ra verdade os pasmosos versos de Ovidio pare-
cen) uma sombra, comparados com a'pavorosa scena
da natureza que so passa as trovas de una nodo
de mezes om rodado misero habitante dessa parte
do globo, envollo na pe le de urso que habitual*
mente o resto, vendo no ca rao das auroras boreaes,
ou com o auxilio da frouxa luz da la, as extrava-
gonlese modouhas formas do mundo geledoem que
vive; e acordando dosomno que o Misto da morle
Ibo concede por breves instantes, ao estampido de
nionlanhas que abalem, ou do vulces que re-
bentam.
Nettsa regios l ha verane invern : o veriio he
aOuiS, o invern lie a noito.
Na Islanilia, o da dura um inez, cm Greenland tres
niezes, e em Spitzberg cinco mezes.
<> resto do lempo he a noite, penis corrada pelos
providentes phenomenos das auroras boreaes.
A seguranza que em consequeneia de tantos fados
existe, acerca do que nehum porigo corre a vida
rom o apparecimenl desses phenomenos, nflo boa
mesma acerca da explicarlo verdadeira das suas
causas.
A meteorologa, sciencia moderna, sinda uo le-
vou as su.is delicadas investigacOel a ponto quo o
ClCCtre-magnelismo Ihe possi servir de baso para
as llieoiias que esta creando. No cnlanto, se nao ha
um principio verdaderamente inCouteslavel que ex-
plique o phenomeno ja citado, silo julgadas como
lalsas algumas das theo as de mais voga que o prc-
lendiam explicar.
' Dilille, o pomposo melrilicado do Consorcio das
llores, se boje escrf ves.se, nio accroscentaria aos
harmoniosos versos que escolbeu para epigrapbe, e
que reiinem a descripcSo do phenomeno, os que silo
como a coros da immortalidado posta sobre a Cane-
ca de um sabio ; c nosquues, rallando do autor do
Tratado da Aurora Boreal, diz que o rei da luz, res-
pondendo isqueixasda aurora boreal que se lasli-
niava de nao ser iosua querida.
Choisit un des rayons de sa lte mmortcllc
l.ni-momc desa filfa y grave la naissance,
Au celebro Mairan ausssill l le lauco.
Ira, o raciocinio seguro e reconliccido saber de
Cnrier baslnu para em uma das suas eruditas notas
ao poema dos ires Iteinos apagar o raio dessa la do
genio que premiava uma llieorju que se nao podia
sustentar.
Muirn, admitlindn a existencia do uma onlra al-
mosphera alm da nossa, eda qual o sol be o cen-
tro, SUppOe que cstaMuiosplicra desee quasi sobre a
Ierra, e do contacto destas duas almospheras fez
nasccr nio s as aurorasfioreaes, mas outros pheno-
menos taes como a luz zodiacal. Seosyslema uo
convence, liem por is>o deixa do ser completo em
Indas as suas (artes, mui engenhoso e rico do infor-
maees acerca da descripeflo de varias auroras bo-
leaos.
I/me Martin, as suas lao estimadas Cartas a So-
phia, l.lla do ext'avaganto systema de Libes, quo,
imaginando nos polos reos degaz nitroso, diziaauo
os teus vnporoa, elevando-so ceios de legos* cima
da atmosphers, produziam a aurora boreal.
De bu has estas llieorias se aeham vestigios noa
seguinles versos do Newton, do padre Jos AgOSlinhO
de Maeedo, c nos quacs, a par dos systemaa conno-
cidos no seu lempo, se pode observar una exacta
copia do phenomeno.
De aspecto muda do vapor a massa
....................eu.vejo
V. esse, usado a brilhar no-algente polo,
Sem calor vivo, sem substancia um fugo,
l ns restos silo, msravilhosos, bellos,
ll'escasde lu/ ondulacoes pasmosas,
Que, delidus do ar no immenso seio,
Forme m brilbantes boreaes auroras ;
Ao lucido horizonte em paiallela
l.mlia se mostram, e ma;s baixas correm,
Ou, ii'um centro conimum, s'unem.subiudo
Ale que, extiuctas as poicos sulphureas,
l'oucoa pouco do ar desapparecem,
Deixamlo apenas ao gelauo norte
Um suaire crepsculo brilliante.
Algumas outras ll.eorias, cm nomo que as autori-
se,porahi correm anda guardadas nicamente pelos
quemis falsa opmiio limam de quauto os cerca
eemo numero das quaes se pode contar a qucaai-
trihue as auroras boreaes luz do sol rofleciiJa
jielo gelo c vapores condensados nas regios polares-
ueste caso, as auroras boraes seria ni um crepscu-
lo de larga duraeflo o nada mais. a observarlo dos
varios caracteres do plienoiiiciio piova uno uo
icm seineiii.iiiV'' com os meteoros luminosos pro-
viudos dessa causa, e lambem muito Vulgares no
polo do norte.
Iranklln, o atibad* Rotier e outros inventaran)
theorias, as quaes servo sempro como de base a
eleciricidauu ; os termos que deveriamos empregar
na sus exposico earcccududu seiem definidos para
alguns dos nosso leitures,no os meiicionaremos, e
apenas daremos leve idea da mais completa (leste
genero que he a de l'atrin.
(Confinuar-se-ha.
lOMMEaCIO.
ALFANDF.GA.Itendimento do dia 29 . .
Descnrregam hoja, 30 de marco.
Barca fhondda carvilo.
Patacho Diligente charutos.
CONSULADO GERAL.
Uendimento do dia 29.............
Diversas provincias..............
-7:121,800
5:008,833
360,067
CONSULADO PROVINCIAL.
Uendimento do dia 29............
zicz: -Til IV" II------I I II
5:368,900
2:300,489
MoviiQcnto do Porto,
Navios'entrados no (lia 29.
Genova por Usrseilha ; 4V das o do ultimo porto 33,
polaca sarda Fortuna, do 245'toneladas, capito Jo-
s Rodero, cquipagem 14, carga lastro o gneros
do paiz ; ordem. I'assageiro. Paulo Roque, Sardo.
Parahiba ; Sdias, hiato brasileiro ConceicSo-Flor-das-
f trades, de 23 toneladas, rapitfio Elias do Roza-
rio, equipagem 5, carga loros de mangue; a Jos-
Mailins de AlrreidiY.
Montevideo; 95 dias, brigao Ingles Zuleika, do 117
toneladas, eapilllo John Lsurenco, equlpsgem 14,
cm lastro; ao capito.
Mar-I'acifico, tendo sabido de Fall-ltivor ha 40 mezes,
galera americana Coraran, de 329 toneladas, eapi-
tflOD F. Manchrster, equipagein 27, carga azeile
de poixn ; ao capitilo.
Ratiia ; 7 dias, brigue sirdo Boe.eomino, de 158 tone-
ladas, capilio Andr Denegre, equipagem II, car-
ga fnmo o louca ; a Jos Ferrcira do Mallos. I'as-
sageiro, Jos de Simas (Jarcia.
Navios sahidos no mesmo dia.
Rabia; corveta franceza Expedilive, commandante o
priineiro-lenente Martin.
Stockbolm ; brigue dinamarquez Edward, capillo
P. C. Muller, carga assucar e couros.
I'arahiha ; hiato brasileiro l'arahibana. eani.lo Nico-
lao Francisco da Costa, carga la/ondas o mais g-
neros, passageiros, Jos Joaquim dos Reis, Jos
Joaquim Tiburcio, Jolo Pedro da Silva, Antonio
Tolentino dos Iteis.
Parahiba; brigue inglezZuletka, rapiinoJohnl.au-
rence, carga a mesma quu trouxe.
9SKHHMB
com lo palmos de compriment e 2 palmos e mefo
ilo largura e 6 a 7 pollegadas de grossura.
N. R. Asqualidades das madeiras cima indicadas,
silo bem coivhccidas dos cortadores. .
Para urna atafona : duas pedras de moinlio com 4
palmos de dimetro ; um pao de sicupira, massaran-
duba, sapncairana ele. .com 15 palmos de coin-
primeiitu e palmo e meio em quadro de grossura;4
ditas com 20 palmos de comprimento e um palmo
en> quadro de grossura sondo, das mesmas quali-
dades ; una linlia com S5 palmos de comprimento
o palmo o meio de grossura quadrada de boa nia-
deira ; duas duzias de laboas de amarello, com
umaemeia a duas pollegadas'de grossura. ilba
de Fcrnando-de-Noronha, 14 de marco de 1849.
r.a y mundo Jos de Souza -Lobo slfere encarrega-
do. -- Cergio brigadeiro commandante militar.
Conforme Joo Areenio Barbosa.
O arsenal de guerra compra azeite doca'rrapa-
to e de coco, Fio de algodflo, pavios e velas de car-
naba:quem taes gneros se propozer a vender,pode
comparecer na sala da di recio na do mesmo arsensl,
no dia 30 do corrente mes, com sa proposta em
carta fechada. Arsenal do guerra, 27 do marco de
1849. O escriturario, F. Serfico de Atiii Car^
vil bu
Peranto o concelho de adminislracHo naval,
lem de conlratar-se por arremataeo Para os navios
da armada e hospital de mari'nha.o fornecimento dos
seguidles gneros: azeite doce de Lishrt, ago'ardon-
Ic, assucar branco, arroz pilado, bacalhio, caT moi-
do, earne verde, dita serca, de porco e de vacca sal-
gada,
KiHTAtiS.
Joaquim d'Aquino Fon-seca, l)r, em medicina pela fa-
m/dadede l'aris, presidente do concelho geral de sa-
lubridade publica, c^mmissario caccinadi.r provin-
cial por.S. M. o Imperador, membro correspondente
da sociedade de sciencias medicas dt Litba, etc. 'etc.
Faz saber quo ninguem podera ser vaccinado 6em
que antes se laca inserever, para o que be necessario
que rumpareca narcpailirilo lias quartas-feiras ou
sabbados, das 8 as 9 horas da manhia ; assim romo
quo pesaos Slguma nao podci ser inscripta sem que
declare com a maior exaotidfio o nmne, idade, iih
luralidado, iiliac.no ou senliorio, estado e moradia,
indicando o numero da casa.
Sala ilas sossOes do concelho, 12 de marco de 1849.
Joaquim de Aquino Fonseca.'
da
quem
O Jr. Gervasio Goncalves da Silva, juit municipal
pi iiifiru rara desle termo, porS.jf. l.eC. a qi
Heos guarde, ele.
Fago saber que o concelho municipal de reourso
se reunir no dia 15 do futuro inez de abril, pelas 9
huras da manhfla.....casa da cmara municipal.des-
ta cnlade, onde luncciouar por espago do 15 dias,
na forma do artigo 36 da le regulameiilar de 19 de
agosto de 1846.
l para que isso chogue ao conhecimonlo de todos
mando! fazer o presente edital, que ser publicado
pela imprensa e allixado nos logues mais puldicos
deste termo. F.u, l.uiz Francisco Carreta de Brito.
escriv.lo, o escrevi aos 28do marco de 1819.
Gervasio Gongalvet da Silva.
Declara^des.
CORPO POLICIAL.
Dia 29 re marco de 1849.
Vieran) presos, remedidos pelo Sr. delegado do
primeiro disiricto desla cidade, os marinheiros Ma-
noel de a hunda Lima, logo da Luz n Joaquim fiui-
Iherme, por disturbios.
I oram pnto em libordade Antonio Jos da. Ro
cha e o escravo Manuel. O ajudante, Manoel Porfirio
de Castro Aran jo.
CONSULADO DE PORTUGAL EM PKRNAMBUCO.
Tendo de ser arrematado, a quem por menos o 11-
ZOr, o fornecimento de vivero:; para os dous navios
de guerra de S. M. Fi.lelissima Douro e VilUi-Flor,
surtos ueste porto, ou para oulios quaesqur ene a
elle venliam, a | rn.cipiar do prximo mez de abril ;
por este so anuncia o convida a todas as pessoas que
sequizercm propr a esta iirremalagrio a enviaren)
a este consulado, casa u 6, na la do Trapiche, suas
proposlas Bt o dia 31 do curente, ao'meio-dia, e
ahi rompareccrem para definitivamenle so ullimr
este contrato. Consulado de Portugal em Pernam-
buco, aos 27 do nmrco de 1849. Miguel Jos Alves,
chancellar epcarregado do consulado.
PAGADORIA MILITAR.
Em cumf rmenlo dasordens quo vcrbalmcnte re-
cebeu do Exm. Sr presidente, em 22 deste mez o
lllm. Sr. inspector dn pagadura se faz publico a
nota abaixo esciipta das madeiras que so precisan)
para os ohjeclos abaixo declarados. As pessoas que
as livorem, ou se comprometieren) a aprompta-las
com as dimensOesque vdo declaradas na mesma no-
ta pdem apreseular-se na pagadoria ao Sr. coro-
nel inspector com a declaracgsi du lempo que ibes
lor preciso para as apromptar, com tan tu .que Dfio
exceda a 16 de maio prximo futuro, o bem assim
com os respectivos precos o ludo em carta fecha-
da. l'agadoi ia militar de l'ernambuco de 1849.
OescrivQo, Jotto Areenio Barbosa.
Nota das madeiras que se precisam para os ohjeclos abai-
xo declarados.
I'ara uma prensa coniris seus perlences para fazer
lariiiha: um pao com-25 palmos de couipriinonto e
3 a 3 meio palmos em quadrudc grossura ; um dito
o25 palmos de comprimetltoe 2 palmos do diame-
fcijno, toucinho de Sanios, vinagre de Lisboa,
espermacote, e sebo ou carnauba om velas; pelo
que manda o concelho d'adminslrac,no naval con-
vidar a lodos aquelles a quem possa convir tal for-
necimcnlo a rompa rere rem na sala de suas sessfies, * ru* " Gul"'.XU ^ZJlil ll^ &
pelas 12 horas do dia 31 do corrente, com sual p%- s,e fara 'f*0 nod,a n30^0 correnle' ^'"i*.. ,
do da, de uma poican de sapslos para sonhoras, de
cquro de lustro, duraque e courinho, e alguna obra
d lioifiem, pouca, de encoinnienda. bem acabada
de bom gosto, chegada ltimamente pelo brigut
Novo-Vencedor.
postas em que declaren) o menor preQO e o nomo do
liador que ser pessoa para esse (im habilitada : ad-
verte-so que o Ibrnecimento da carne verde he por
lempo de um mez, e o dos mais gneros por lempo
do tres mezes. Sala das sessOcs do concelho d'ad-
minislraso naval, 2( de marco do 1849. O secre-
tario, Christordo Santiago de Oliveira.
A repartieflo das obras publicas compra para o
hosidiiii dn cs'cis ums soleirs de cn'aria da tr-
ra com 10 palmos de comprimento e dous e meios
de largura. Adminstraoslo geral das obras publicas,
27 de marco de 1849. Josi ile Barros FalcOo de la-
cerda.
OSr. queentregou na ailininislraco do correio
4 cartas para as pessoas seguinles : Anua Thereza de
Jess Leal e Lima, duas para Ignacio Joaquim Pos-
sos e Jos Alexandro Passos, com destino a provin-
cia de .Macei c por esquecimento deixou de pagar
os competentes portes queiradirigir-se a mencio-
nada repartidlo a (i ni de satisfazer os mesmos, caso
quena que sigaill O MU destillo.
.vvisos uiaritiruos.
Para a Rabia em poucos dias o hiato Flor-do-
Becife, fregado e forrado do cobre, por j ter maior
parte do seu carregamento prompta: para carga e
passageiros; na ra do Vigario, n. 5.
-- Para o Rio-de-Janeiro segu com muila brevi-
dade o brigue Assombro, por ter parle de seu carre-
gamento prompta : quem quizer carregar ou ir de
passagem, dicija-so a ra da Cadeia, n. 61, a fallar
com Joo Jos Fernandos MagalliSes.
-- Para a Rabia segu, em poucos diss, o patacho
S.-Cru; : para carga e passageiros, trala-so ao lado
do Corpo-Santo, toja do massame de Caotano da
Costa Momia.
Para o Rio-Grande-do-Sul sabe, impretervel-
nienle no dia 9 de abril o brigue nacional Algrele,
CspItSo Manoel Jos de Azevedo Santos : para em-
barcar escravos smente, trata-Se na ra do Viga-
rio, II. 19.
Para as ilhasdos Acores c Lisboa sahe abarca
portuguesa Fluminense, do lote de 240 toneladas o de
boa marcha, a qual est a chegar do Rio-de-Janeiro,
segundo os avisos, e devo ueste porto demorar- se
poucos das : quem na mesma quizer carregar a di-
to destino, ou seguir viagem, pode com anteceden-
cia contratar com Amorim Irmfloj, ra da Cadeia,
n. 39, os quaes garanten) os bons commodos mesmo
para familias.
1'araoCear segu viagem a escuna nscional
Maria-lirmina : para carga ou passageiros, trala-se
com Jos Antonio, na ra da Cadria do Recifo, nu-
mero 34.
-- Para o Itio-de-Janeirosaho no dia 3*1 do cor-
renle, o patacho Dovs-lrmiot: recebe alguma carga
e escravos frete, e tcm bons commodos para pas-
sageiros : os iretendentes iliriiam-se a ra do Tra-
piche, n. 6.
-- Para Lisboa o brigue portuguez Triumphante ,
capitilo Sabino Antonio do Cabo Almeida.sabe com a
maior bi cvidade possivel: quem no mesmo quizer
carregar ou ir de passagem para o que oUVrcce
escolenles commodos, dirija-se aos consignatarios,
Oliveira IrmOos & C. na ra da Cruz n. 9 ou ao
referido capitn.
-- Para Lisboa o birgue portuguez Sublime, capi-
llo Joio Francisco de Amor, sahe impreterivel-
uieiite no dia 6 do abril tiudouro : quem no mesmo
quizer carregar [ou ir de passagem dirija-se aos
consignatarios, Oliveira tunaos Si Companbia na
ra da Cruz, u. 9, ou ao referida capitn.
Para o Kio-Crande-do-Sul sahir breve o brigue
Sictoria, o qual pode receber alguma carga a frote :
quem quizer no mesmo carregar e embarcar escra-
vos, podo dirigir-se a tratar com Amorim Irniflos, na
ra da i'adea, u. 39.
Para Lisboa, com escala pilas i Ibas dos Acores,
segu com muito brevidade a polaca nacional 5o-
aedade-Fclis : quem na mesma quizer carregar, ou
ir de passagem para o quo (em muito bons conV
modos dirija-so ra do Vigario, n. 8, a tratar com
Joio I ovares Cordeiro.
Para o Mamullan e Par segue.com a .maior
brevidade possivel o patacho Josefina, capitilo Jos
Alaria da Silva Porto : para csrga e passageiros offe-
recc encllenles commodos : os prelendentes iralem
com o consignatario na ni do Trapiche, n 44, ou
'mu o capilio na praoa.
Le loes.
Henry Cibson far leilio, por inloo drvenc.to
correlor Oliveira, de grande o variado sorlimento de
fazendas inglezas, as mais vendaveis e propria'sdo
mercado : seguuda-feira, 2 do abril, as 10 horas da
manhia em ponto, no seu armazem, rus da Cadeia
no ReciTe. 4MK
llenrique Zimmer, lando de rctirar-se pra a
Europa peto primeiro navio, far teillo, por inler-
venpSo do corretor Oliveira, de toda a mobllia e mais
objeclos da casa da sua actual residencia, consis-
tido em um ptimo piano perpendicular, mesas de
sala de visita, trems, sofs, caderas, mesa dejan-
lar, aparadores, commodss, guarda-vestidos, alma-
rins, loucadorcs, lavslorios. quadros, enfeites de
cima de mesa, lampefles de bronzo inglezes, leitos
grandes o pequeos, berco, garrafas e copos para
vlnho e agoa. a percibos de mesi, ditos para cha,
trem de cozinha, o muilos outros objeclos alis e
indispensaveis, assim i orno obras de prata &c. :
terc.a-f.-ira, S de abril, s 10 horas da menhila, na
casa recenlemente ediiieada pelo Sr. Aires da Cu-
nha, com exterior cor de roza, ra nova por detrs
da do llruin.com entrada pelo lado da margem do
Capibaribe.
O corretor Oliveira far leililo por ordem e cm
presenca do Sr. cnsul dn S. M. Rritannica,em om s
lote, de 300 toneladas de carvio artilicial, ornis a-
preciado e usado na mariuha do vapores ingleza, des-
embarcado de bordo da barca ingleza Beatriee, X
bandonada ueste porto, na viagem que razia, proce-
dente de CardilT, a Val-Paraizo: no dia quo se annun-
ciar, e no deposito da na Bell, -ultima casa junta
amar, onde os prelendentes |dem Mamina-lo
com anticipadlo, entendendo-se para isso com o
referido Sr. cnsul. .
LEILAO DE SAPATOS PARA SENHORAS
Avisos diversos.
Rolle & Ridoulac farSo leilio, por iulci vencao
do corretor Oliveira, de um lindo sorlimento de fa-
zendas franoezas, sendo chales de merino e de Illa,
iiiti dio, pannos pelos e de cures, selim,sarjas finas,
prolas e de cores, lencos de seda e outras minias fa-
uo,iiiiiuiiocum io palmosilecompriineuloe 2 pal-lzeudas, proprias da eslacao e do mercado: boje
mosuiametro; 2 ditos com 16 palmos cada um de 30 do coirente.a 10 horas da man);!, no seu arma-
comppinieiiio e 2 palmos de dimetro; um ptaucliSo' zem, ra du Vigario.
jse Soares de Acvuuii, i uifesso- de lingoa
franceza no lyceu, lem abeito em sua casa, ra do
Rozsrio larga n. 36, segundo andar, um curso de
PHILOSOPIIIA e outro de LINGOA FRANCEZA. As
pCSSODS que desoja rom esludar uma O) oulra des-
tas disciplinas, pdem dirigir-se indicada resi-
dencia, deimiihna al s 10 horas, ede tardeaqual-
quer hora.
Guillierme Augusto Rodrigues Set.
te, tendoanniinciado por este Diario,
que aao Rio-de-Jsneiro, annulla agora
este annuncio, visto que, luyendo leilo
accomrnodaeo na eclisa do compromisso
que mova a seus credores, nao segu
mais para a curte o recurso de revista que
os mesmos interpozeram as sentencas oli-
tidas em favor do annunciante no tribu-
nal di relacao desla cidade. Gnilherme
Selle, agora que est novamente rehabi-
litado no commercio, e de posse de lodos
os iivros, ttulos e mais papis aertencen-
les a sua anliga casa de negocio, que exis-
ta m no deposito geral, avisa e roga a
todos os seus devedores, lauto na praca
como no mallo, para quelhes v9o pagar
no Atterro-da Moa-Vista, n. lo, pou-
pando-o assim os meios juiliciaes, e pu-
blicaco por esta l'ollia, de que usar con-
tra aquelles que se recusatem a pa-
gar-lbe. '
-- 0 Portuguez Francisco Jos retira-so para fra
do imperio.
Precisa-se de uma ama: na ra do Rangel,
n 22.
O abaixo assignado declara que o annuncio in-
serido jio Dtmrio n. 71, nSo se entende com elle, mo-
rador ni- ra da Guia. Bernardina Jas da Silva.
-- O abaixo assignado faz sciento ao respoitavel
publico que co'mprou a taberna da ra do Rangel,
n. 4, pcrtencenle ao Sr. Antonio Jos de .Araujo
Vieira. Recite, 29 dejmarco do 1849. Alexandej
Ferreira da Silva.
Appareceu, no sitio S.-Amaro-de-Agoa-Fria ,
perto de Olinda de Jos Francisco Itibeiro de Sou-
za, para o comprar um escravo que diz chamar-se
Gonzalo, de na cao rabiada e seu senhor, o Dr.
Francisco de Paula morador no engenho Tracu-
iitiaem. Pelo presente se snuuucia para que venliam
ou mandem tomar conta do mesmo nilo se respoa-
sabilisandopela fuga.
Precasa-se de aprendizes para oIRcio de mar-
ceneiro: na ra da Cadeia do S.-Antonio n. i-
Manuel Pe eir do Sa pelo pjesenle revoga a
procuracao bstanle que passou ao Sr. JoAo Ribeiro
da Cunta e consiilue por novo procurador na pro-
cuiacSo feta em dala de 28 de marco ao Sr. Se-
bastiao Jos Cocido do Rozario o qual fica com to-
dos os poderes necessarios.
-- Jos Zeferino da Silvera, subdito portuguez,
relira-se para a ilha dos Acoras.
--OSr. bachrel Joaquim Elviro do Horaes Car-
valho lem uma carta para se lne entregar pe.-sual-
meule na livraria da ra do Collegio.
O bachrel 15. Coulinho
pe le as pessoas que teem cotilas em aherto na sua
liviana liajam de Ih'as mandar pagar at o Cundo
prximo abril.
OITerecc-se um bomem porluguoz casado com
pouca familia para feitor de Sitio,, por ter pratica
sulliciente tanto de planlacoes como de tratar de
jardim : qnem o precisar dirija-se a ra eslreila do
tozario, ii. 39, ou annuncio por esta folha.
Joo Fiuza retira-se para Portugal. f
A pessoa que pelo Diario n. 70, de 28 do corren-
te aununciou querer comprar un prela ou parda
que saiba cozinbar e engommar, querendo neguciar
uma parda, e quo.sobre lor canas habilidades,cose al-
Kuma cousa, relina assucar, faz algunsdoces e he
bastante moga, dirija-se ao Ateiro-da-Uoa-Vislt ,
sobrado.u. >, a qualquer llora do dia.
-- o Sr. Anloniu Goncalves da Silva baja de ter a
boudade da procurar na ra de S. -Francisco, B. 48
uma carta,.yinda de fra. ._ -
I


w
- O abaixd assignado adverte aos devedores da ] Alugam-se os segundo e tercero andares da c-
rasa lo finado Jos Antonio Alvos da Silva, para que!sa n. 15 da ra da Cruz
iio paguen) quantia alguma sem scientificar e en-1 OSr. Jos Congalves, que o anno passado veio
tnder-se com lodosos liordeiros, e por consequen-1 de Lisboa para esta cidade, el dei^u manas,
ria com o abaixo assignado na qualidade do marido queira apparecer na ra das Cruzcs, n. 41, primeiro
administrador de urna -das herdeiras, visto que no andar pura receber urna carta e urna encommenda.
invcnlarioTdaqnelIo, (|ue so den principio a fazer-so j precisa-sede um caixeiro de 12a 14 annos, pre-
emdczcmbro de 1847pclocartonodo escrvilo Mot-'ft.rndo-sedos chegadosha pouco : na ra da Flo-
ta, nenhuma mcnso se fez -anda de semelhantcs
dividas, que por isso (car o devedor responsavel
para cadif um dos tierdeiros na parle que lho deve
caber da respectiva divida, a na inesma conformi-
dade responsavel o devedor queja tenha pago algu-
ma quantia sem o assenlimento do abaixo assigna-
do, por anda se no ler concluido o inventario e
partlha. Recio, 25' de marco de 1849.--.t/aree/imo
Joir Imjhi.
<4
# Na galoria de daguerrolypo do artista Guilher- #
> me Frederco Walter, na ra da Cadeia de S.- #
? tos muito superiores,pela nvengflo da Uaguer- #
? rer, tanto o ni Tumo como coloridos, das 7 S>
? horas da mantiSa * 5 da tarde; attlrmanJo-se ?
? e garaniindo-so (auto a durabilidade das c- A
r res, cuino a pcrleita semelhanga. ?
ff As peasoas que se dignaren) favorec-lo diri-
? jam-sc casa cima mencionada. s
? co, que pretende lemoiar-.se muito pouco ?
if>, lempo-nesta capital, por isso previne a qual- ?
quer posaos que precisar de seu retrato mu- ?
? to fiel, ou qualquer pintura copiada, quo ap- ?
r parcha antes do (urdo niez, em casa de sua ?
p residencia.
O Sr Francisco Goncalves da Costa; que (ere
paitarla em Olinda, queira dirigir-so praga da In-
dependa, ns. 6 6 8, para se Ibe fallar a negocio do
seu interesse.
Os Srs. quesubscreveram para o nono mmpen-
ilio ile mustea pata o wo da mncldade bralileira por
I). K. Mussuranga queiram dirigir-se praga da
Independencia, ns. 6 08, afim de receberem os
r\i,(ii|iiiui:.-> ij'. lV.T.in"i boiii!o de So ubrguiuiii
a lomar dignando-se os que anda nJIo pagaran) ,-
e constan)'das lisias que estarlo prsenles de en-
tregar 2,000 ria por cada um dos mesmosexem-
plares na occasifloem que os receberem. Outrosim,
convida -so aos amadores da msica a compraren) so-
melnanle compendio que, segundo os entendedores
da materia merece scrdnnsiiltado.
- ,\Inga-sea loja lo sobrado n. 5 do Atcrro-da-
Boa-Visia ptima para todo o genero le negocio ,
pela sua excedente localidad : a Ira lar no mesmo
sobrado, a qualquer hora do da onde tambem se
Tara negocio com a annacflo envilragada, existente
na mesiiia luja.
Alugam-se mobilias da ft'irma que convier aos
freguzes, para casas particulares ou por das ; bem
como cadeiras para qualquer feslvdade ou fune-
ral, por prego muito commodo : na ra Nova, ar-
mazn n; 7.
O doiilor Jos'Bcnfo da Cunha Fi-
go eredo mudou-se para a ra da Auro-
ra, casa n. 48
Aluga-se una casa terrea, sita na Iravessa do
I ivramenlon. 12 :a tratar na ra larga do Rozario,
n 39, segundo andar.
Aluga se a propriedade do casa Je tres anda-
res, na na Jo Vgario, n. 23, onde mora ni os Srs.
Russell Melfflrs & C: a tratar com o seu proprietario,
na ra do Quelmado, n. 20.
SgCMAPOS desol
Ra do Passeio, n. 5
Oh! que peiincha para o aniavel e respeitavel pu-
blico : novas seilas da melhor qualidade que se po-
de fabricar, porserem de incoinmonda oda melhor
fabricada Frane. receladas agora.
O fabricante destn estabeleciinento adverte ao res-
peitavel publico desta cidad* que elle possue pre-
sentemente um rico sortimenlo de chapeos de sol,
assim como chapos de sol de seda furta-cres, .dos
mais ricos que teem apparecido neste mercado, e de
cores cnuhecidas ; ditos para senhoras de bom tom,
adamascados, lavrados.ro'ii suas competentes fran-
jas de retraz, ludo que tem de u.ais moderno e do
melhor gosto; um completo sortimento de chapos
de sol de panninho de todas as corea e de todos os
lmannos, para homens, senhoras e meninos : ha
tambem igual sortimento de Ludidas pai cobi ir ar-
magoes, tanto de sedas de cores, como de panninhos
trangadose lisos imitando seda. Adverle-se que os
fregueses serflo servidos com brevided, escacha-
ran salisfeitos da boa qualidade, do bom gosto e do
bom prego.
la*
r'cnlina, n. 30-
Pora as pessoas que tencio-
nam seguir viagem.
Na ra do Itangel, n. 9, contnuam-sea tirar pas-
sapoites para dentro e fra do imperio despacham-
se escravose carrera-se folhss: ludo com brevida-
de e prego mullo commodo como se tem dado cx-
col leu le prova no decurso de 8 annos.
Joaqun) Jos da Rocha, subdito portuguez ,
retira se para fra do imperio, cora sua seuhora ,
Joaquina da Silva da ConceigSo, e cinco filhos fa-
milias.
Deseja-so sabor quem he nesta praga o procu-
rador do finado lenle Pantoja do sexto halalhflo de
cagadores, a negocio que Ihe diz respailo : na ra
Nova. n. 35, nu annunciesua morada.
Precisare, para o servigo de urna pequea fa-
milia, alugar una mulher forra, ou escrava, que co-
zinhee engnniine : na ra larga do Rozarlo, n. 46 ,
segundo andar.
JoflodeSouaa Mallos Jnior, Rrasileiro, va a
Portugal. i
-- Jos Ferreira Coelho, subdito porluguez, reUR
ra-se para fra do imperio.
Antonio Joaqun) Rodrigues, subdito porlu-
guez, relira-se para fra do imperio
-Manoel Jos de Faria, subdito lorluguez, reli-
Fraajfe tiara fra do imperio.
Fa*-se todo e qualquer negocip com duas leg-
timas que teem de ser escravas e lieos de ra/. : lu-
do no valor de cinco cOnlos de res : quem quizeran-
nuncie.
Aluga-se um escravo mogo, e de escolenlo
conducta: tem o presumo de cozinhar o ordinario
de una casa : quem carecer "dirija-so ao Forlo-do-
alailos, a prensada Joaqun) Jos Ferrei.ia, ondea-
chara com oueiu lrlr bre o ntdetu em quts-
to,
Aluga-se o primeiro andar da casa n. 53 da ra
Cadea do Rccife, o qual tem qualro salas, seis
AviuvaD. Francisca Thomazia da Conceig.lo
untiascientilicaa todos os seus devedores, inqui-
nnoseaquomo conheciment do presente convr
possa que desde o da 10 do correte margo cons-
tituir em ludo seu bastante procuradora son filbo.
Antonio lo Cunha Soarcs Culmarfles, que lica igual-
mente encarregado da gerencia de sua casa F. pelo
presente rovoga todas as anteriores procuragOea
para que nenhum elTeto mais possain produzir, vis-
to como hi por cagados todos os poderos nellas'coii-
reiidos, os quaes passnm em toda sua plenitudo pa-
ra aou dilo lilho Antonio da Cunha Soaros Guima-
rilcs.
Na roa Nova n. 6o, precisa-se de
ofliciaesde alfaiate para obras miudas.
Offorece-s urna mulher para ama de casa de
pouua familia ; no Pocinho n. 2.
I'recisa-se de urna ama portuRueza pira una
casa de humem solteiro : na ra do Vigario, n. 5, das
10 s 4 horas da tarde.
Socidade Ilarmonico-
Tbealral.
O primeiro secretario scenlidca aos Srs. socios
que os bilhetos para a recita de 31 do correte se
distnhuem nos das 29 e 30 c neste ultimo a direc
g5o se achara reunida das 4 s 7 horas da larde pa-
ra approvagilo dos convidados nao se recebendo
mais proposta alguma lepois dessa hora.
-- l'rccisa-sodeum bom umassador, que enlenda
bem desta arle e seja capaz em seu comportanien-
to : na ra Dimita, u 79.
Precisa-se de um forneiro : na roa Ilireita, pa-
llara n. 82.
Precisa-se alugar urna escrava para o servigo
de urna casa : na ra da lenlia, sobrado do um an-
dar n. 7.
Os dous Srs. que moram no Arrombado J. I).
C. hajam de vir pagar 0 que dovem a Jos Joaquim
de Novaos na roa do .inclinado ; do contrario ve-
rflo seus nomes por exenso neste jornal, emquanto
nao pagarcur
Aluga-se o primeiro andar dr casa n. 30 da ra
doQueiniado : a tratar na loja do mesmo sobrado.
-- O limo assignado faz constar as pessoas com
quem tem negocios que o Sr. Francisco Jos I
Suva itiuiaes iteixou doser seu caixeiro dosiie odia
27 do crrenle.- .-Imuro lleneiliclo de Souza.
Novo rap Andarali v.
No deposito geral detc rap a-
caba le receber-se tima nova porg.lu lo mais
excellente que tem apparecilo, e para o pu-
blico po.lerexperimentarse apresentar urna
amustia,pois imita ao le princoza le Lisboa;
e enntinua-se a vender polo mesmo prego
na ra da Cruz, n. 63, primeiro andar, aSsiu)
como se vende o mais excellente cha braai-
siloiro.
Quem annunciou querer comprar o drama llo-
radlo on Focas, por 2,0(10 n. dirija-se aloja dos
Srs. Cuerra Si Silva, n* ra Nova, onde tambem a*
liara a Alzira ou os Americanos, encudernaila, por
3,000 ra., ooulias ii mas que se desojaren!, Cuja en-
'iiniiienda se recebe, deixando Bssim como vendem-se msicas para Iheetros parti-
culares, etc.
Precisa-se de um CaUeiro que d fiador a sua
conducta, e que icnlia baalante pratica de venda,
para reeel.er por I.lauco urna das melhores vendas :
quemesliver nestas circuniaianniaa annuncie.
Roga-se aos Srs. Jos Joaquim deAlmei dese i ade Francisco Antonio deuiivrjra iiozelles
-moradores em Olinda, (.hristovSo de llollamln Caval-
vaulede Albuqocrqiir, morador em Arairdepe, euge-
niio Ipojuca, Amaro Gomes de Oliveira, senbor do
eagciiho Canua-tlraba, e Antonio Correia l'essoa de
Mello, senhor do de Vcrtcntes, o favor de rigirem-
se ao segundo andur rio sobrado n. 18 do pateo do
Carino, para negocios de inieresses, ena falta dir-
. se-ia quaes Ao esses negocios.
quartos, dous gabinetes e cozinha : a tratar na oics-
ma casa.
Precisa-se alugar urna, escrava que seja moga,
com habililadns de cozinhar e de tratar bem una
menina den anuos : na ra larga do llozaiio, n. 8.
- Precisa-se alugar urna preta de nagiio, anida.
moga para cozinhar e tratar de urna menina de 5
annos : paga-so bem : na ra larga do llozario, n. 8,
Aluga-se o primeiro andar da casa n. 34, pti-
mo para escriplorio por ter as portas muito segu-
ras : a tratar no annnzem da dita casa._
Dentista.
Ii. YV. Itaynon, cirurgo dentista americano,
tendo mudado a sua residencia da ra da Cadcia de
Santo-Antonio para aiua do Trapiche-Novo do Ite-
cil'e, ag ira olferoce aos seus amigos 0 ao publico O
seu pi estimo, slo be, chumbar, por denles postigos
e as mais operagAes da sua arle, pelo melliodo lti-
mamente descierto.
O abaixo assignado faz sciento ao publico, que
o sobrado por elle penhorado na cidade de (Unca,
na ra do Amparo, n. 41, pertencento ao fallecido
Jos da Silva Botelho, ja soacha por elle desemba-
razado, por ler recebido da berilo ira, a senhora I),
Tbereza Malhible.de Jess,o importo da execuglo da
lellra 4\ve coro a mesma liiigava. Joi da Silra
Moretra.
eollegio de educagflo *de meninas, que occu-
pava o primeiro andar da casa da ru/ do Queimado,
n. 30, siMi a diiecgo de D. Candida Roza Me. Iiermit
da Costa, mudou-se para a ra do Collegio, n. 9,
primeiro andar, onde s pode receber alguiuas me-
ninas para educar, perlenceudo eslas a classe das
pensionistas.
J. Rosenbrok & Companhia declarara que fe-
charan) a sua venda da ra da Crnz, n. 15, desde o
da 26 do correle.
Precisa-se de um rapaz porluguez, de 12 a 14
annos, para caixeiro do venda, que tenha pr.lica
de negocio, saina lereescrever o d fiador a sua
conducta : em Olinda, ra do Varadouro n. 13.
I'reci ia-s de um caixeiro para tomar conta do
una venda por balango : quem estiver neslas cii-
ciiinslaiicias .dandofiador a sua conduela dirja-
se ao becco da Lingoia, n. 12, quo se diru quem
precisa.
Precisa-sede uira ama de leite quo no seja
preta para urna crauga de 4 mezes : na ra do
Itangel ii. 11, primeiro andar.
Lotera do theatro publico.
Estando vendida quasi melado do, bilhetes da ul-
tima torga parte da, 18.' lotera do theatro publico,
e apparooendo coma pacilicagflo da provincia algu-
ma influencia na compra dos bilhetes que restam, o
respectivo thesoureiro, levado por esta influencia
que espera nSo ser arrefecid, designa o lia 27 de
abril prximo futuro para o andamento das rodas,
e confia nos amadores deste jogo que o coa,ij uva rao
na realisagflo do referiiloaudsinenlo.
Precisa-todc uina ama de leilo : na ra do Li-
vramenlo, loja de miudezas junto do nicho.
Quem precisar de um ptimo administrador do
engenho o de um caixeiro para' loja, ou para co-
branga para praga on fra della. annuncie.
Offorece-sc um mogo brasileiro para caixeiro
de venda, rio que tem bastante pratica sabe agra-
dar os freguezos e se fr preciso dar fiador a sua
conducsa : adatar na ra das Cruzes, loja de la-
loeiro.
Fabrica de Todos-os-Santos
Firmno Jos Flix da Roza, com escriplorio na
ra do Trapiche, n. 44 avisa aos seos ireguezes que
acaba de receber pela escuna Curiosa novo sorti-
mento do excellente panno de algod.lo entrangado
daquella fabrica ptimo para eusaccar assucar e
para roupa de escravos. O annuncimile coula que,
alm da fazemla o desejo de animar o desenvol-
viiiienio de urna fabrica inteiramente nacional, pro-
mover o prompto consumo da sua receila.
Fabrica de espedios.
Joflo Dubois faz publico que presentemente acaba
de montar urna fabrica de poi ago em esperan.-, de.
malor taniauho : as pesoas que se quizerem ulilisar
de sua arle, pode o procurar em casa de sua resi-
dencia na iua larga do Rozario sobrado us. 6 o 8.
Compras.
Compra-so o Vclbo e N.,vo Testamento, t red ri-
do por Luiz Paulino U Silva o Azevedo a Historia
eccleciastioa, por lleile : na praga da Independeu-
cia, n 12.
Compram-se os Diarios ns. I i, 28, 49 c 51 lo
corrento anuo na livrara ns. C e 8 da pra/a da In-
lependencia.
Compra-so un.a capea de caneira em bom esta-
do : na ra da Ciuz, n. 21.
Compra-se una preta, ou parda que cozinhc
beme cngomnie, o soja lesembaragada-. uo se
olba a prego : na ruado Vigario, n. 24.
Compra-se um buhar que esteja em bom esta-
do: quem livor anninicie.
Compra-so urna escrava, mucama recolbida,
preta ou mulata, que engomme bem e coza qualquer
costina com pcrfeigo ; paga-se bem : na ra Nova,
n W.
Vendas.
"Vendem-se saccas com farinha : na ra da Cruz,
n. 62. c na ra le Apollo, nrmazeni n. 4.
--Vende-seum raolequedc 20 anuos, de nagio ,
nu Iroca-se por oulro que seja pequeo e capaz le
aprender ollicio : no paleo da matriz le S.-Antonio,
solua.lo n. *, so lira quem faz este negocio.
Ha Aterro da-lio*-Vista, de-
l'ronte da boucca,
ha chegado um novo e completo sortimenlo de cal-
gado francez de todas as qualiilades, tanto para
hornera como para senhora ; bem como os hem 00-
nhecidossapatos lo Aracaty para liomein : ludo
por prego commodo.
v.-.......^&^**m
fgl Vendem-se ricos cortos de soda para ves- K>,
^ tidos , vospretosdelinlioc bordados do ras
8 seda ; lindos chalse mantas de seda los M
melhores padres que teem vimlo ao nier- -
cado; plumas brancas com passarinbos .vjj
proprias para uoivas ; sarja preta hespa- 9
nhola ; luvas do soda com dedose sem el- ,' :
les para senhora ; ditas do pellica; cha- ).yi
pos para meninas ; ditos pretos francezes _
para hornera ; lucos do blondo pretos e ,,v ;
lira neos ; chapeos le sol, de seda furia- j,vj
coread pretos para hornera e senhora; cha- |
malote preto, liso ele listraslsetiin pa-
ra vestidos : e outras minias l'azendas de [,yl
gosto : na ra do Calinga, loja n 11, jun- 3
&$ lo a botica do Sr. Joo Moreira Marquei
^Vendem-se toros de angico de superior qualidade,
de 12 a 20 palmos le romprido. assiin como vinlu
eoito curvas de sicupira, proprias para canoas liber-
tas, por prego commodo- na ra do Vigario, n. 5.
Casimiras iiis, ;i 7,500 rs.
Venilem-se superiores casimiras le ires, do su-
perior gosto e melhor qualidade, pelo barato prego
de 7,500 rs. o corte ; ditas tambera de ciVcs a 5# c
6,000 rs. o corle : na ra do Collegio, loja da estrel-
la, . I.
Na ra do Trapiche, armazem n. 3i, dofronte
do Hotel Pisior vendeui-sc presuntos queijns Ion-
drinos, conservs, mostarda alcapras, salmfln,
sardinhas em latas : ludo o mais fresco possivel;
camisas le algodflozinbo brancase do coros lon-
gos de seda vorniz preio de nova mvengilo quo
conserva a madeira : ludo por procos rasoaveis.
-- Vendem-se barris com breo, no ar-
defronte da guarda da al-
-- Na ra da Praia, Iravessa do Carioca armazem
do Pinto Soaros vend"m-so saccas com arroz da
Ierra com nlqueire ; dito vermellio dilo de caspa :
saccus cora farinha : ludo muito em conta a linlioi-
ro a vista.
Ven lem-se coslalos lo pao d'oleo muito bara-
to : na ra da Concordia ultimo sobrad i n tratar
com Manoel Firmino Fcrreir.i.
Vendem se caihros ne manvua ennt 40 pal-
mos lo enmpriraento . no largo lo Pilar, n. 17.
Vendem-se las escravas, urna crinla, le 16
a 17 annos, por 350.010 rs. e a ojitra do nagio de
18 a 20 annos le linda ura, qne cozinha. engnm-
nia liso c be le boa conducta a qual so vendo por
seu senhor retirar-so para fra : na ra do Fogo,
n. 23, se dir quem vende.
Vende-se ama parda de 20 annos, do bonita fi-
gura ,com algumas habilidades : no becco to Sara-
palel, sobrado n. 12.
VeniT-se ura preto crinulo le 25 a 30 annos,
muito robusto e sadio, e que he proprio para o ser-
vigo de campo : na roa da Cadeia do Hecifo, loja de
Julio da Cunta Magalhfles, das 9 horas do .lia cm
diante.
Vende-se urna mosa le juntar, cora urna alia e
gaveta, de amarclln ain la nova o muito fjrlo ; um
bahi novo forrado de couro, milito fnrt ; um di-
to de (landres forrado 0 fun lo com lalvia e h* de
folha dobrada o oleado por fOra, proprxi para ven-
der fazondas ; um oaldeirfto gran le do ferro novo ;
um regador le Dandres oleado : tu lo por prego com-
modo : na ra estrella do Koxario, n 9, lorceiro
andar.
Vende-seum balcHo, proprio para venda nu
para talho de agnuguo anda nHo servido : na roa
ilireita, n. 113, so dir quem vende.
Vende-se um moleque de 15a 16,annos proprio
para flagoin por ler bonita figura, lber b'in ser-
vir urna mesa e tratar do sala pul estar a islo ICOS
lomado na roa da Cruz, n. 51.
-- Una pessoa que tem do so retirar para lora des-
ta provincia vendo urna mnlulia em muito bom es-
lado ,com os seguidles ohjooios: dnzia o meia lo
cadeiras um supla, unta mesa de meio de sala ,
um jogo de bancas, um loucador, sendo estes objeo.-
tos le Jacaranda nina marii|ozii, urna mesa elas-
lica um aparador, urna cama de madeira Congalo
Alvos urna eadeirinba le armar uuntn rica nina
comnoda, um armario de pinho, um guarda-ves-
tidos, ura banbeiio de folha, sendo lulos estos
objeclos de muito hora goslo o em oslado o mais
pcrfcilo possivel, por prego muilorisoavel : na ra
Helia, u. O.
Na luja lo ferragons de Joaquim la Costa Maya .
vende-sa um sortimento de apparelhos para cha da
varios modelos ; bem o.imn bules, Cafetal ras jarros
o hacas : tu lo le metal lino por prego commodo.
-- Vende so ura sitio na matriz da Varzei.com
150 palmos do renle e 344 lo fundo, bem planta-
do com boa casa de vivonda para grande familia,
Ion.lo junio a mesma casa una padaria o quo ludo
se vendo por prego milito commodo por pavor pro -
rislo :.a tratar no mesmo lugar, ou na ra l'ire'la
desta cidade com Manoel JoRquim Soares.
Chitas finas e baratas.
Na ra l> Livramento n. I i, vendoni-so chitas os
curas pelo prego de nove vmlens o cnvailo ; lilas
escarlates, a 220 rs. o covadn ; bros do linho para
caigas e casacas, a 400 e 480 rs. o cuvado ura rico
sortiinenlo de corles le cassa I 3,200 rs. 0 corlo ;
bangos le mto para senhora com liieo as ponas,
a 48o rs. cada ura ; casimira preta ; marino; panno
lino prolo ; chamelote para vestido; e outras min-
ias fazondas por barato prego.
Vonde-se, ou perrauta-se por urna casa era
qualquer dH bairros desta cidade, KOI sitio na es-
trada lo llelm, com arvoreJoi de frucio e bastante
Ierra para plantar, com casa nova le podra o cal,
bom pogo d'agoa de beber : na ra Ilireita, n. 10.
Vende-se una porgilo de rolim : era rasa ilu
llussell MellorsA C., na ra lo Vigario, n. 23.
Vendem-se, lis ra lo Crespo, n. II, livms
muito baialos, para as aulas de porluguez, franco/,
c ingle/ : lfflbcni se irocjm por outras obras.
--.Na ra do Itangel,n. 8, centinuam a haver saci-as
com farinha ; ditas com arroz de casca, dito urli-
co da Ierra dito vermclho, dilo de vapor ; saccas
com feijao; ditas com ilbo; tambera se vendo de
cuia para cima, por prego muito em conta, adi-
nbeiro a vista.
De sabbailoem liante bavera carne de carnei-
rogordo, mais baratado que a de bol no agou-
gue de Joflo llub.iis na roa largado Koxario, n. 6.
Vende-se una escrava Crioula, para fra ln pro-
vincia, muili moga, o de bonita figura : no boceo da
l.ingoola, n.3. Na mesma casa compra se uina es-
crava moga, e quo saiba cozinhar.engoramar e com-
prar.
Calca lo.
Sapalos ingle/es lo muilo boa qualxiade e ou-
trosmuitoscalcados francezes, tanto para humcni
como paraerilmra a criangas : vendem-se na pra-
ga da Independencia ns. 13 o 15.
C Itiioao
Vende-se o Cdigo criminal, a 640 rs ; o consti-
tuicio com a reforma e interpretado a 480 rs. : na
iai,ada Independencia livrarians. 6 e 8.
niiizcn i. 'O,
fandega, por |iieco mciilo cominpdo: no
mesmo rmatelo compra-se um parilinho
ou moleque de doze a dejaseis anuos: .1
tratar d s 9 at 4 horas da larde.
Vende-se, em Olioda atrs do Amparo n. 11 ,
Jeito seo goa.
i:
.Novo pilo lo Provenga.
Na piulara do becco las llarroiras c no de-
posito da Estrella, no Alerro-da-Boa-Vista, o-
SO, fahnc.i-se o novo pllode IVovenga, o qual
-s he fabricado polo raelliodo do sea primeiro
1 introduclor que veio a esta provincia u cmn
. as melhores familias que ha no inercailo, e as-
i seio que he possivel : la mesma sorle se l.i-
'!. Iiricam as Lilias la rainha de llespanha lio-
liihos hiscoulos, biscojtinhos, falias, civa- jr
-: cas : ludo do melhor gosto possivel e proprio f
' para cha ; tambem lu bolachiuba -do LisMa '
X em latas^dc 8 libras}, por prego commodo; $
Mj amendoas confeita.iasl/* le varias qualidados. if
'mwmimwm :w wmmtmmmmmwmti
Vendem-se 12 lindos moloques do nagiio e cr 011-
los, do 12 a 20 anuos sem vicios nem achaques ; 4
pretos opti.....s para todo o servigo ; 2 ditos de meia
idade, muilo em conta, c que silo ptimos para sitio;
I pretes, sendo urna dellas boa vendodeire da na :
na ra do Vigario, 11.24.
Vend-se nina parda de 26 anuos, pona en-
"omniadoira e que cozinha bem O diario de urna
casa e rose muiio bem ; n.lo tem vicios nem acha-
ques : vemle-se porprecisflO na ra da Concordia,
a direila, segunda casa terrea se dir quem vende.
.'

1


a
6
Vende-se superior arroz por preco
coimnodo: no armazem lo Dias Ferre-
ra, to caes da Alfandega.
Aos Amantes da boa pilada
se ofTerece orap Novo-Lisb6a, no sou deposito da
ra larga do Rosario n. Si.
Vendc-se potaiisa superior e por
commodo preeo : no armazem do l)ias
Ferreira, no cees ta Alfandega.
Vndese farinha de mandioca, o
meinr que lia no mercado, e por pceo
eommndo, ein saceos: nos armazena de
Hias lerteira, Bacellar, c n. t no caes da
AlfandegOA
Vnlio barato.
Acha-se ealabelecido na ra da Mndre-d-Deos,
n. 36 u m armazem de
Vnhos da Fgueira,
de ptima qualidade, a preco de 1,200 rs. n cunada,
e a l0 rs eii rafa ; p para no luwer dolo do com-
prador serfin lacradas as garrafas e com rotulo, re-
cohciulo-se a garrafa vasia, a dando-so immediata-
mente a outra cheia: lanibem-ha barra muio pe-
quenos. proi ros para quem passa a feata. o pro-
rio deste ealabelecimento pede encarecida*
diminuto
qualidade de
'na tazi ii digna porcerto da estima dos rerda-
' i a nnianles da boa pinga. Lile cenia que quem
i ia vez piovar, continuara com goslo e surt arre-
t......... '>.'; i..ii:itnnmii-iuu neee el
mente que se no illudam avallando, polo
i recn e sem conlieciinento de causa, a qua
pii.liilici.il). Ko linm
accresce o
I : eco
A lodo ex i oslo
isscio e bou acondicionamento, o qua
tinlo.se podera verificar em dito eslabelecimenlo.
\ eniein-se cllins nglezes e ramas
fe ferro : narna daSenzalla-nova, n. q\a.
Agencia, ci a fu mu ca <. >
Lovt -Mor, i na da SenzaNa-
nova, n. Wi.
Nenie :!:.)(lecimento contina a lia
vei ir completos iliniento de moendas
> n as ii oendas, para engaito; na-
cl!;!.':.,;4!'' va por, c taclias de ierro batido e
coa do, do todos os lanianhos, para dito.
Ferio
de lodas nsqualrdadcsedimensdos, em barra, ver-
galho, verguinha, arcos e chapa, po/prego com
modo : na rim .la Madrc-de-lleos, armazem n. 2C.
l'"oia de Fiandres. -
Voni.'em-so misas rom folha de Flandres: cm
Casa do J. J, Tasso Jnior : narnudo Amoriin, u. 35.
--Vendem-se seiiicas cm saccas imiilo grandes,
a (,50o rs. : na ra da Hadre-de-coa, armazem de
"cenle Ferreira da Coala.
-- Vende-se resina do angiro piuilo superior a
820 rs., levando des lilirus nina cima : na ra da
fitas; losouras; gargahlilhas ; e onlrog muitos oh-
joctos por preco oais barato do que em outra qual-
quer parto : assim como um resto de calcado para
senliora, por todo o preejo : na ra larga do Hoza-
ro, n. 2i.
Luvas de pellica-
Vendem-se lavas de pellica para homem o senlio-
ra ; ditas pretas de seda, com palmas e sem ellas;
meias de seda, brancas e prctas para senhora : o
ra doQueimado ,n. 16, loja de Jos llias Sim6es&
CompanHia.
I,uvas de pellica, a 400 rs.
o par.
Vendem-se luvas de pellica para senliora e me-
ninas a 400 rs. o par : na ra do Queimado n. 16,
loja de Jos Das SimOes & Companhia.
Vendcm-se gangas azues, a 100 r., e mais lar-
ga a '" o covado; recas de madapolo limpo,
muUo isrgo e encorpado, proprio para forro e para
roupa de escravos a 3,000 rs.; brim de algodSo
de lis tros a* 200 rs. o covado ; bretanha de algodio
fina, milito encornada a 200 rs. a vara o mais
grossa a 180 rs. ; linhas finas urna quarta por 320*
rs. e grossas a 2(0 rs ; lencos de cambraia, muito
linos e rom seos enfeites a 320 rs. ; dous bahuszi-
nhos cobertos de tailaruga proprios para guardar
joias por rommodo preco ; chitas a 6 7 8 c 9
vileos e muito linas, decores (xas e de bonitos
padrOcs a 280 rs. : na ni i do Caes, n. 17.
A-.;i flima lites de. boin gosto.
No armazem de moldados atrs do Corpo-Santo,
n. 66 recehe-sc por lodos os vapores vindos do sul
pnr^flo de cigairihos hespa.nhra, ditos de peina '.le
milito, assim como superiores charutos de vari:
qilalidadcs : todo se vende por precO mais barato do
quo ein oulra i|iiilquer paite.
TAHA I.IQIJII1AR.
Ycnde-sc cal vlrgom de Lisboa do superior qua-
!i lado por proco mais barato do (pie em outra
qualquer parte: na ra da Cadoia do Iteeife n. 50.
o:r. c barato no Pstscio-Public*, loja de Manat
Jouquim l'aicotil llamos n. 19.
Vendcm-se pannos linos do muito boas qtialida-
dos, pelos, a y \g 4/300 W000 rs. ; merino a
3,300 rs. {alpaca, a 80o r*.; sarja, a 2,000 e 2,400
rs. ; lencos de sarja a 1,000 rs.; riscados monslros
de padrdea os mais modernos que teeni viudo, a 280
rs. ; ditos francezes a 200 c 240 is. ; cortes de |la, a
2,000 rs. ; ditos de casimira a 4,000 rs.; riscados en-
carnados a 220 is. ; dulas iiuilu linas e modernas,
a 280 rs ; um rompido fortnenlo de oulras mais
ordinarias a ICOe 200 is.; Be ti ni prelo, a 640 ; ris-
cados para camisa, a loo rs. ; pecas de bretanha com
varas a 2,000 rs ; una porcAo de madapolSo lino ,
4,000 rs. a peca ; pecas de cambraia lina entestada ,
3,500 rs. ; sus; cosorios, a 100 rs.
arelo de Lisboa, em barricas :
vende-se no aimazem do Vicente Ferreira da Costa ,
na roa da Madre-de-Deos ,-a 3,600 rs. novo e che-
gado ltimamente de Lisboa. -
trancado fabricado na Rahia, em pecas, pelo pre-
Co de primeira mfio na sua loja da ra da Cadeia
do Iteeife, n. 50.
Vendcm-se cortes de vestidos de cambaia
transparentes e com barras do lindos borda-
?*9 dos, brancas e de cures, a 2,000 rs. o corto ;
OS) suspensorios finos de meia a 120 rs. o par ;
jgg meias para senhora azues, mescladas, ro-
xas, esverdeadas e pretas de 120, a 200 rs.
o par ; botes de duraque prelo, a 40 rs. a
duzia :no pateo do Carmo n. 18, segundo
andar.
Tnhondo do pinito.
Vendcm-se la boas de pinito ,
no
Forlc-do-Matlos armazem do Vianna e
no armazem ilo Mochado, na rua.de
Cadeia do Itecile, loja de ferragens, de Jolio Jos ile Apollo, junio ao porto vellio doa c.moas,
CarvaDio Moraes.
Vende-se a verdadeira potassa da
i ii.s.:,:, desembarcada bonlem, por pre-
co muito rasoaveL, vista de sua muito
superior qualidade : na ruado Trapiche,
n. i-, c uta da Cadeia, n. .'4-
Calcado,
Vnndeni-se ludios e meios ditos de
e os ii clhores prancbOes, costados, costadinhos o la-
boaa de todas as grossuras e comprimenlos por to-
do o prcc.
- Vende-se ca.' virgem de Lisboa,
chegada no ultima navio, cm barris pe-
quenos, por menos do que cm outra qual-
quer purte : na ruado Trapitlie, arma-
zem ii.
I tboa paia .. Vcndem-se toros de anpico de superior quali-
liomvm e menino j sapalos de maroquim francez,! j;. ,ic sendo de 12a 20 palmos de cumplimento : na
por proco n ais barato do que cm oulra qualquer! rua duViflario, n. 5.
Coullnuam-se a vender saccas com superior
l :ii!<: na iu larga do Hozarlo, n. 24.
Veiidein-se presuntos inglozes para fiambre;
Lilas com bolacliinhas do Lisboa ; ditas de araruta;
ditas da u.alindada de 1, 2 e4 libras ; ditas de sar-
diulias; ditas de liervilbas ; ditas de chocolate de
Lisboa ; frascos do conscvas ; ditos d'agoa ile llor
de l.iiauja ; bai lis com azeilonos branraa de Klvas;
gaiiafas comviiilio moscatel de Setubal e da Ha-
dona; quiijos de pialo, frescaes : lodo novo e
ebegado ltimamente de l.isboi : na na da Cruz ,
no licnio, o. .
Aos Srs armadores.
Trina, volante, gallo largo e estreito: ludo se
vende por preco rommodo, na la larga do Hoza-
rlo, n. 24,
CHA'liliASII.KIItO.
Vi'uilo-se.oii armazem de moldados atrs du
Corpo-Sanlo, n. 66, o piis encllente cha produzi-
ln em s.-Paulo, que tem viudo a este mercado ,
pm preco muito coumiodo.
--Vende-se, a bordo do | alacho i\ora-Luz fun-
colla das fabricas
C<> romiiiodo
a vender
lo l!io-Crandc-do-Sul, por pre-
a rua da Mqda, n. 7.
Tloado de pinito da Suecia ,
de 10 a 5i> palmos
de comprim uto o melher que tem chegado a esta
mercado, em ia/.o de se poder envernizar em qual-
qnerohra por no ler nos e ser muito alvo sen-
do costado, costadinho, assoallio, forro e para fun-
dos-de barricas : vende-se a pceo que o comprador
far lodo o negocio i atrs do thealio, aimazem de
Joaqim Lopes de Aloieid.
Vende-se cal virgem de Lisboa de superior
qualidade cm barris .!e 4 arrobas, chegada nesle
me/, pelo brigue Xuria-Jot ; a tratar'na rua do
Itrum armazem de Antonio Augusto da Fouseca ,
oii na rua do Vigari, n. 19.
- Vendcm-se 3 lindos molcques do 19ui 18 anuos;
duas pretas do 18 a 20 annos com habilidades ; urna
niululinlia do 16 annos ; 3 urgrinlias do 10 a 20 an-
deadn dcfroiite do I otte-do-ilattos, superior faiinha nos i pardos de 16 a 20 a unos; i?m preto de meia
ue mandioca, vinca de S.-Catharina j bem como
fariuliudo milboia tratar no ineamo patacho, ou
na puca do Coiini.cuio ii. t;, primeiroandar.
Al^oilao I raneado :.: fabrica
< odos-os-8ant()S da
lahia,
multo proprio p,rJ saceos deassucar c roupa de cs-
id.ide ; um lindo niohque de 10 anuos: na loado
Collegio, ii. 3, segundo andar, >e itir quem vende.
Anda existe uhi resto dos ricos cortea de cam-
braia os quaes para se ac. harem se cslflo venden-
de por 2,000 rs. o corte : na rua do Queimado, n. 17.
Kiscados Hionstros, ;. 240 rs. <>
covado*
Vendem-se os bem ennhecidos i'iscados monslros,
cravos: vende se em casa de ,\. o. liiober Com- polo batato pic^o do 240 rs. o covado, para se aca-
bar : na rua do Collegio, loja nova da estrella, n. 1.
Polassa.
Desembarcou lia poucs eao ile barris pequeos, com muito nov.i
c superior potasaa, e se aciiam a venda,
por preco mais batato do que ultinn-
mente se venda, na rua da Cadeia-Vellia,
aimazem de BaltaicUliveira, n. ia.
panhia, na rua da Cruz, n. 4.
Vitirt s ;.iin vi(iia(-a>, i ()-i()0
r.s. a caixa de loo | scbicos, e:n por^Oes de oito
caizas para cima : eui casa do Kalkmann IrmAoa ,
na i na da Cruz, u. 10. ,
Presuntos.
Veinlem-se superiores presuntos inglezes para
fiambro, chegados no ultimo navio: no armazem
do iiraguez .aoje do arco da\ConceicJio.
Taixas Dar engenho.
Na fundico do feto da rua do Itrum ach.vsc a
venda um completo ortimento de laixas de 4 a ,s
palmos de bocea, por preco cominodo, e rom proinp
lid&O emliarra-se, ou carrega-so ero carros sem des-
pezaa ao comprador. ,
Barato,
Capachos de (odas asqualidades ; lavase meias de i
seda preta,'" de oulras muilas quali Jados; bicn.sc
Velas (leesperaiaeete.
Vendem-se cm casa de llicardo Roylc.ua rua da Ca-
deia-Vilha, u. 29, superiores velas de csperuiaccte do
6 em I i loa.
Veiule-to urna negrinha crioula ,' de 14 a 16
anuos i io ii. IV,, ai uiazcn do louca.
Vendem-se 12 accSes da companhia de Beberi-
be : na rua do Queimado, loja n. 37 A.
-- Vende-se urna loja de couros sola e calcado,
com os fundos de too a tSO/ rs.: convida a quem
comprar, por se dar a annuciio por 10/ rs., isto por
seu dono ler de rerar-se para fura : na rita do 1.1-
vramonlo na entrada do becco do Padre, n. 2.
Vendem-se couros, sola, sapatos, marroquins,
bonetes de panno fino o oulras umitas cousas por
proco mais commodo ao que em oulra qualquer par-
to : na rua do l.ivramonto, loja ao p do nicho.
Vendem-se barricas com farinha de trigo SSS e
americana em barricas e meias ditas; farinha de
mandioca muito superior em saccas grandes : lu-
do por preco commodo : na rua do Vigario, n. 1t.
Vende-seum lerrono na estrada nova que atra-
vessa da Sole.lade para o Manguinho com 50 pal-
mos do frente e 350 ditos de fundo cercado com
cacimba dentro do boa agnado beber, e com um
liom lelheiro: no paleo da S.-Cruz, n. 8.
Vende-se a venda do caes o liamos, que vende
muito para a praca c para o malto : a tratar na
mesma venda.
Vende-se um diccionorio geogratdiico, hist-
rico e descriplivo do imperip do Brasil por prego
commodo : na rua do Queimado, n. II.
Aos Ni s. acadmicos.
Vende.se urna obra de direito l.ix i'eixeira ,
muito barato : no Aterro-da-Boa-Visla, n 10.
Vende-se urna preta boa para vender na rua ,
por ler umita pralica de 25 a 26 annos : vende-se
por seu senhor relrar-.se para a Europa : na rua da
Cruz, n. 37.
Aos posst'idos de hom goslo.
Veude-se um par de pistolas inglczas primorosa-
mente cabadas no fabrico com todos os accesso-
rios para a sua conscrvaclo c asseio ludo arranja-
do em urna caixa de madeira de mogno forrada de
velludo carmisim : para ver, na rua da Cadeia do
Iteeife, loja n. 31.
Cnrnnitoa.
Vende-se, n rua da Croz, n. 21, una porc.lo de
cera de| car*ni'iba de superior qualidade, o por lo-
do o preco.
nofre Jos da Costa vende saccas
com feijSo de todas as qualidades, muito
superior} pelo diminuto preco de 5,ooo
rs. cada sacca : no armazem de Bacellar,
em frente a escadinba da alfandega.
Vendem-se ruinas, meias ditas, eqoartas ditas,
rom passas. as primeras a 4,000, as segundas a
2,000, cas ultimas a 1,000; no largo da Alfandega,
armazem n 7, de Francisco llias Ferreira.
Vende-se a venda da rua Nova, n. 40, cornos
fundos a vonlade do comprador : vende-se por sou
dono retirar-se para fra : a tralaf na mesma venda.
Xarope do bosque.
Acaba de rliegar pelo vapor S.-Sebas-
tio urna boa porco deste xarope . ven-
de-se no deposito na rua do Trapiche,
n. 34, e na rua da Cadeia do Hecife,
n. 9.
--Vendem-se, na rna da Moda, n. 19, segundo
andar dous (landres de azeile de carrapaln novos,
11111 r.imlieir francex, de meio de sala, em bqm oso;
um dito de metal amarello para cozinha ; un taixo
de cobre maneiro eem bom uso ; um par de man-
gas de vidro lavradas de muito bom gosto ; urna
bandeja imitando rhaiim de muito bom gosto : lu-
do so vende niuilo barato, por seu dono retirar-se:
bom como um sellim em bom uso com seos ar-
re i os.
Vendc-se urna negrinha de 8 annos, muito lin
da e queja cose sofTrivcl : na rua Nova, 11. 5.
Du Maranht>o orroi de. vapor, a 1,200 rs. a arroba,
em suecas a vonlade do comprador : no armazem do
Bacelar dcfronle da escadinha da alfandega ou a
tratar com Jos Itaptistada Fonseca Jnior, na rua
do Vigario, 11. 25
Vende-se muito em conta um pi-
ano novo de acaraud/i, feito por um dos
melbores autores : na rua do Queimado,
loja de ferragens, n. 10.
Vende-se superior fumo em folha
para capa de chai utos, por pico com-
modo: no armazem de Francisco Das
Fernira, 110 caes da Allaudega : tambem
se vendein no mesino armazein barris com
toiicinho de Sanios, minio bom e barato
Vendem-se dous escravos mocos sendo um
prelo de 30 anuos e urna preta de 20 a primeiro
vemlo-se com a condiefo de ser para agricultura ,
anda niosino sendo por menos de seu valor: na rua
da Cadeia do Hecife, lujado Joflo Jos de Carvalbo
Moraes,
Vende-sel flauta ,1 rorrete para relogio, 1
gama"o com pedias de maifioi : na rua larga do Bo-
zal io n. 21.
ALCODAO- DA BAHA.
Cunda Amonan vendein o superior a!gd2o
.j.j.i.'t.. I
I\o AtfiTo-da-Bo-Vista, de-
frenteda l-oneea,
adiuhuroa vista, os bem conbecidos borzeguins
francezes para homem a 4,000 rs. ; sapaloesile cou-
10 de luslro a 5,000 rs. Chuguem freguezos que
se estilo acabando.
I arinli de mandioca,
Vendem-se saccas de farinha muito boa chega-
das ol 1 inainente do Bio-de,-Janciro e da Baha por
preco muito commodo : 110 armazem sop do arco
da Conceicio, n. 61.
Vende-so a-obra de Voltaire, em 4 v., T!mi-J
coemfrancez; Historia de Inglaterra; Thompson
o Vigario de Wi-kelleld em inglez Tito Lvqj Cor-
netn ; Horacio em dous voluntes ; Ovidio ; Cartas de
Cicero, em latim: ludo em bom cstdo, por preco
commodo : na rua do Qoeimado, n. 10.
Vende-se um lindo.candieiro francex, por Ve-
CO commodo: na rua Nova, loja de fuBilciro, de-
fronte da Conceicio dos militares.
500 res cada um.
Na rua do Queimado, vindo do Rozar!!*, segunda
loja 11.18, vendem-se lencos prelos de seda a-seo
rs.; ditos de cftres a 500 rs. ; leofios floridos do |ja
com franjas, proprios para hombros 1 500 rs.; |-
vas de pellica para senhora, a *00 rs. o par^alpica
de linho, a 500 rs. o covado ; o oulras militas Caten'.
das por preco commodo.
Obras de 011ro. f
Simlo l.uiz retira-se brevemente para os portes
do sul, pelo que declara ao respeitavel publico, qun
tem grande sorlimento de obras de ouro e brilhan-
tes chegados ltimamente de Franca : as pessoas
quedesejarem comprar ditos ohjectos dirijam-ae
ao Hotel-Francisco no Rccife, Trapiche Novo, n. 9,
que so vendero por preco commodo.
No armagem da rua Nova n. 6"f, acaba de re-
ceber-soum sortimento de loucadores de varios ta-
maitos cadeiras de palbinbas a duzia a 5t|, :!:>#,
45,000 50.000. 72,000 e 84,000 rs ; fleos sophs, .
lauto de Jacaranda cmodo oleo; bancas de meio*
de sala ; mesas elsticas para 20 e mais pessoas; di-
tas de jogo de mogno e de oulras qualidadM,-
comoiodasi bancas eslojos para n.ivalhss; eartei-
rasdeviagem; ditas para cscripturacfo; oslante
para livros; armarios, guarda-roupas; eoatros mui-
ios ohjectos que a vista dos propendentes cstarito
patentes e so venderilo por preco muito commodo.
Vende-se panno de algodio da torra, m niloen-
corpado, por preco commodo: na rua do Crespo,
11. 23.
Vendem-se chitas finas de muito superior qua-
lidade, pelo preco de 120, 1*0 c 160 rs o covado:
na la do Crespo, n. 23.
Vende-se um habito di Chnslo, esmaltado;
urna cabriiiha nluito bonita com habilidades: pan
I iiuiducfio de con I as : na rn> Urira do llo/aiin .
n.'sa. '
Madeira de pin lio.
Na rua do Apollo, pegado ao armazem do Sr. Mol-
la ha um lerceiro armazem com madeira de pind
da melhor qualidade que tem vindo a esle mercado,
e serrada de todas as grossuras e comprimenlos:
vende-se pelo menorpreco que ho possivel.
-Vendem-se 12cadeiras, duas bancas de jogo e
urna de meio de sala ludo de madoira de oleo por
preco barato : na rua do Crespo n. 15 loja do An-
tonio da Cunba Soares Guioiarile*.
Na rua do Vigario, n. 19, vondom-se bezerros
francezes de superior qualidado por menos preco
do que em outra qualquer parto.
Vende-se urna preta do 20 a 22 annos, quo co-
zinha o diario de urna casa, engomma e lava: s
se ven Je para o mallo cujo motivse dir ao com-
prador : na rua Bella, b. 40.
Sarja liespanhnla verdadeira.
Vende-so verdadeira gahja hcspanbola pelo preco
de 2,700 rs. e da melhor a 2,800 is.; pannos finos
protos al 3,000 rs. o covado; casimiras pretas, mili-
to linas; ditas de cores, proprias para faci de me-
ninos ; cortes do seda moderna, de lindissimo gus-
to ; dito de cassas de cores, muito modernos e bo-
nitos: no armazem de fazendas de Hay mundo Car-
los Leite, rua do Qelmado, 11. 27.
Vende-se urna mobilia de po d'oleo, com mui-
to pouco uso constante de 12 cadeiras com asien-
to de pal Imilla um soph duaa banquinhas de co-
lumnas, 1 mesa redonda de meio de sala, 2 pires de
lantei as rom os seus com petad les easticacs de cas-
quinha ingleza 2 vasos com flores e mangas umi
cama de angico com colcboes e cortinados: ludo
por preco commodo : as Cineo-Pontas, n. 71.
Acba-se na estribara do Sr. d*0', ua rua du
Conceicfio um lindo cavado ruco-assa, ptima
andador c sem achaques: vende-se barato.
Vendc-se um terreno no Aterro-dos-Afogados,
pouco adianle e dolado oposto a fabrica de sabio,
com 220 palmos do frente e mais de tres mil de fun-
do: na rua Hircila, n. 121.
Luvas de 1 roe.al para senliora.
Cunlinuain-se a vender luvas pelas de U"0Cl pura
senhora, pelo barato preco de 1,800 rs. : na rua do
Queimado, n. 27, armazem-de fazendas de lia y mun-
do Carlos Leite.
Vendem-se, na ma da Cruz, n 21,pedrasde mar-
more l'rsRrezas para mesas redondas e consolos.
Vende-se umu escrava de naci, de meia iuade:
na 1 ua dos Mari \ 1 ios, n 36, se dir quem venda.
Vende-se urna morada de casa na rua de Borlas
11. 112 ; urna Iipoa : na rua de S -Dureza n. 48.
Escravos Fgidos
-Fugio, no dia 19 do crreme, urna preta deni-
Cto Bcnguela de nomo Mnrcellina bem fallante-
olhos quebrados e abogalhados, beicos virados es-
tatura balsa e secca ; levou vestido encarnado e pan-
no da Cosa : quem a pegar leve-a a rua do llozrio
da Boa-Visla, n. 54, que ser recompensado.
Contina a oslar fgida a preta Leonor de na-
eflo Angola, baixa olhos papudos, sendo o esquer-
do meio zarolho rosto tambem papudo ; consta que
anda pela Boa-vista e estrada de S.-Amaro com-
prando fructas : quem a pegar leve-a ao becco do
Sarapatel ,'tl. 14, que ser gratificado.
Fugio, no dia 27, una parda de nome Silvana,
rom o cabello corlado rento da parte de del ras e
comp ido na frente lesla peqiicna olhos na llor do
i oslo com signaos do bexigas aluda de pouco lem-
po, beicos um tanto rosos, dent limados ; Win urna
das orelhas lascadas nu lugar do brinco ; levou ves-
tido de cbila cilr de vinho o chale quasi da mesnu
cor ; lem os pea grande e os dedos dos meamos bas-
tantes aberlos ; representa 24 alios pouco mais ou
menos : quem a pegar levo-a a rua da Cadeia de
S -Antonio, n. 4, que sera gralifie.ido.
Fugio, no dia 22 do conenle um preto de no-
me Jos, de uacSo Congo, bem ladino, buixo cor-
po regular, nariz pequeo com um Ulln pequeo
a baixo do queiso, peinas linas, ps pequeos ; lem
na ca becada parle esquerda cima da orellia urna
costura que parece ter sido de postema ; levou ca-
misa ecerpulas de riscdoamoncaiio sendo ca-
misa bstanle com rida ; quem o pegar Jeve-o a.rua
ireita, ii 59. ou no engolillo .Novo do Cabo, opde
mais porto Ihe ficar, que sera gene, osamenta re-
compensado.

PERN 1 WA TYP. UE M Y' W FAMA.l89