<%BANNER%>
Diario de Pernambuco
ALL ISSUES CITATION
Full Citation
STANDARD VIEW MARC VIEW
Permanent Link: http://ufdc.ufl.edu/AA00011611/10026
 Material Information
Title: Diario de Pernambuco
Physical Description: Newspaper
Language: Portuguese
Publication Date: Wednesday, March 28, 1849
 Subjects
Genre: newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage: Brazil -- Pernambuco -- Recife
 Notes
Abstract: The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding: Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation: Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities: Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.
 Record Information
Source Institution: University of Florida
Holding Location: UF Latin American Collections
Rights Management: Applicable rights reserved.
Resource Identifier: aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID: AA00011611:10026

Full Text
"^

Anuo XXV.
Quarla-feira 28
O /'/ I "'" i>iil>lica-se todos os diaique nao
Iforfin de guarda. O preco da aulgnatiira he
IdeiSOOOis porqiiarlcl, p lannuncios dos amiguiote sao Inseridos ,i
rasao de 20 rs. por liulia, 40 rs. cm lypo dlf-
Tcrenle, e as repetlfijej pela nietade. Os nao
Insinuantes pagaran 80 rs. por liuha e 160 rs.
| .mu typo dille re ule, por cada publicado.
PIIA9RS DA LA NO Mfc7. DF. MARCO
(;rccenle,H,9horase 43 min. da tare.
Lua chela.8. os 10Uora*e42inln. da tard.
MiiiKoanle, al6.it lOlioratc 19 min. da (ai d.
Lua nov% V. 11 horas e46iuln.dau.anh.
CKKUe,3!. as4l.orasc33min.da manta.
PARTIDA DOS CORRRIOS.
Goianna e Parahiba, as segs. e texlat-feiras.
Rio-G.-do-Norle, qulntat-fe.rat aonieio-dia.
Cabo. .Serlnhaem, Rlo-Formoso, Porlo-t.alvo
Macelo, no 1." a 11 e 21 de cada me.
Oaranliuna e Bonilp, a 8 e 2.1.
Iloa-Vitlae Flores, a 13 e2n.
Victoria, s quintat-ff iras.
Olinda, iodos os das.
, PREAMAR DE 110JE.
Primeira, t 7 horas e 42 minutos da manh.
Segunda, s 8 horat e 6 minutos da tard.
(]e Atareo de 1840.
N. *rt.
das da semana.
26 Segunda. S. I.udgero. And. do J. dos
"rph,. do J. do civil e do J. M. da 2. v.
27 Terca. S. Roberto. And. do/.dor.d I. v.
e do J. de pal do 2 dial, de l.
28 Oiiarta.S. Alexandrc. Aud. doJ.doc.da 2.
v.edo J. de paz do2. disl.de t.
20 Quinta. S. Hcrllioldo. Aud. doj. dos or.Ii.
e do i.M.da I. v.
30 Sexta. S. Joao Chinaco. Aud. do J. dociv.
c do i. de pat do 1. dist. de I.
31 Sabbado. S. Halhlna. Aul. do J. do c.
da I. v. c do J. de piz do 2. dist. de i.
1 Domingo de hamos. S. Macario.
Cambios no da 27 de marco.
Sobre Lor.dres a 27'/se28d. por l/rt. attud.
. Pars 300
. Lisboa 108 por cent" de premio.
Kio-de-Jani'iro ao par.
fete, de lett. d Uoai firniit a HA ?.' ao nicz.
Acrf.cs da eomp. de ncbchbe. a ;H> rs. ao p.
Oere.-OoCM licspanhola*. 911/500 a M
Modat de tf-iW v. IWM0 a I//40o
de 6/400 ii. 16/200 a MMg
. de 4/000.... 9/200 a 9/400
i'raM-l'alaccsbrasilelro 1/160 a l/0
Pesos columnarios. I/J60 a 1/9*1
Ditos mexicanos..... 1/900 a I/*1
PARTE OFFICMl.
MIN1STKRIODA FAZEUDA.
DECRETO N. 57, I* 27 DE FEVEREIRO l'E 1849.
lamia observar provisoriamente as alfondegas do
imperio o regulamenlo pira os despichantes das
alfandegas. .
Ilei por hem que as alfandegas do imperio se oti-
crv'e provisoriamente o regulamenlo sobre os des-
achantei das mesmas alfandogas, que com este
aixs, assignado por Joaquim Jos Rodrigues Tor-
fs, Jo mru eoncelho, senador do imperio, minis-
,fo e secretaria i!e estado dos negocios da fazeuda, e
presidente do tribunal do Ihosouro publico nacio-
nal, que aasim o tenha entendido e faca executsr.
talarlo do Rio-de-Janeiro, em 87 do fevereiro de
849, vigesimo-oitavo da indopendcncia e do impe-
li. Com a rubrica do S M. o Imperador. -Joaquim
m 8*i*sxei Terrea.
iltegulamenlo lobn o* detpaehantet dat al/anaegas.
, Art I." Nio serBo admillidos a agenciar negocios
|ue corra ni polas alfandegas : ...
, l.Os fallidos, cnia quohra tenha sido legalmen-
iqualifieada de m f.
2*0* que tivercm sido, em qualquer lempo,
ronvencidos dos crimes de contrabando, furto e cs-
Itellionato. ..... ,
8 Aqoclles a quem tiver sido prohibida a entra-
Ida n alfandega. .
4. Os que nio liverem aulorlsaco do inspcc-
llor, ou Ululo de despachante geral, ou especial e de
eaixeiro despachante ou ajudanto de despachante.
' Art. 8 A autofisacao de qo trata o artigo antece-
dente, aera dada pelo inspector da alfandega no ilo-
no ou consignatario das mercaduras, que, alcm de
nao se achar camprehendido as djsposicfles dos
I.11, 2.e3..do mesnio artigo, mostrar por docu-
mentos, admillidos como validos pelas leise eslylos
commerclaes, que os ditos gneros e mercados silo
sua propfiedede ou consignacilo.
Art. 3.' Os ttulos de que (rala o artigo I.', atrio
conferidos peloinspector da alfandega aos individu-
os que, alcm de n5o se acharetn romprehendidoa as
ivf.-iidM dispoaicOes do* ?.$ I ". 2.' e 3. do mesmo
i ailigo, satiszerem ascondieces e forraJid*desaa
[gui mes:
t.* O Ululo do despachante gcral ou especial,
nio ser conferido scnlo a quem provar com docu-
mentos 1., sercidadflo brasileiro: 2., ler 21 ali-
os do idade : 3., nfio estar pronunciado por delic-
io ou cumpiindosentanca: 4., ler dous (adores id-
neos que se ohriguein por. termo assignado em li-
vio proprio a responder por qualquer acto pmticado
por elle ou seus aiud.inles, que seja prejudicial
fazenda publica ou aos particiilnres
2. O titulo de caixoiro despachante s pode ser
concedido ao empregado cm casa commercial, cujo
dono ae obligue, pelo modo indicado no antece-
dente, a responder por qualquer abuso pralicado
pelo dito empregado nos despachos quo fi/er como
caixeiro despachante.
3." O Ululo de ajudanto de despedanlo nSo ser
conferido senilo a quem, sobro as qualidades exigi-
das nos niiincros primoiro e lerceiro do 1.* do ar-
tigo 3., fr apresenlado e allanando por um despa-
rhnnte geral ou especial, que seobrigue, como dito
lira nos j$ precedentes, a responder pelos actos que
elle pralioar como seu ajudantc
Arl. K.o Oa ttulos dV despacbanle geral ou espe-
cial silo subjeitns ao imposto de patente, cassim
osles, romo os demais ttulos, licam lambem sub-
jeilos laxa do respectivo sello, o do feitio, que
I ser de 2,400 ris em favor do cofre da alfandega.
Tanto o imposto como as laxas respectivas, ser;1o
arrecadadas na alfandega.
Arl. 5. Ao despachante gera! compete tralar de
todos equaesquer negocios que correrem pela tlfan-
dega, eser-llie-hii permillido ler o numero de aju-
danlcs que Ihe convior.
Arl. (.o Ao despachante especial s lio licito tra-
lar dos despachos de urna at tres casas commerci-
acs, e ter por isso a faculdado de empregar al tres
Undantes seus.
Arl. 7. Aocaixciro despachante ho smente per-
millido tratar dos despachos des mercadorias per-
tencenlesou consignadas a seu amo.
' Art. 8. Ao ajudaule do despachante cabe nica-
I mente prlicar,em nnine do despachante que o apre-
enlou o afiancou, os actoa necessarios para o expe-
diente do despacho, menos o de assignar nota, pas-
Isar quita<;des, ou recibos do entrega da mercadu-
ra nos livros dos iirmazcns.
A'l. 9.* Os que liverem ttulos para despachar na
lalfandega, cexcederem do que Ibas fica .prescriptu
nos precedentes arligos 5.*, 6., 7 e 8. soirr'erflo a
linulta de 20,000 al 100,000 ris pela primeira vez,
le o dolire jkela segunda, e pela lerceira serno despe-
Ididosda alfandega e cassadus os respectivos tilulos.
I'aluci id! l!io-de-Jaiu;iro, em 27 de fevereiro de
|l849.--ya DECRETO E, 588 l)K 47 DE FEVEREIRO DE 1839.
[Manila observar provbo'iamonte as alfandegas do
Rio-de-Janeiro e da Babia o regulamentu sobre
os despacho* por factura.
Hu por bem que as alfandegas do Rio-de-Janc-
Iro o da provincia da Baha se observe provisoria-
i mente o regulamenlo sobre os despachos por f-ctura
' que fcom este baixa, assignado por Joaquim Jos Ro-
drigues Torres, do meu eoncelho, senador do lu-
ueno, ministro e secretario de estado dos negocios
"" fazeuda e presideute du tribunal do lliesouro pu-
blico nacional, queassiin o tenha etiletididu e faca
executar. Palacio do Rio-de-Janeiro, em 27 de fe-
vereiro de 1849.Vigeaimo-oitavo da independencia
edo imperioCom a rubrica de Sua Magestade o
Imperador.Joaquim Jote Rodrigues Torre.
Regulamenlo para o despacho por factura
na alfandega do imperio.
Art. 1." Scrilo despachados por factura :
1.* As mercadorias que nao ti ver m avaliacSo na
larifa.
2. Os objectos usados pertencentes n passageiros,
que nao frem livres de dreilos.
3. As mercadorias avahadas, e reconhecidas como
taes visla do eximo e proeesso respectivo.
*.' As amostraade mercadorias que, embora le-
nham aveliacao na taria, n.lo excederem ao valor
de cem mil ris
5. As marcadorias que transitaren) e sahircm por
baldeadlo ou exportaban.
6 As mercadorias subjflilas a direilos de expe-
diente.
Arl. ifi Nos despachos por factura os despachan-
tea declarara exactamente a quslidade, qunnlda-
de. medida ou peso porque a mercadura se costo -
na vender no morcado, assim como o vaior de cada
Hddic.an da factura.
Arl. 3 O valor declarado na factura ser o que a
merendona tiver no mercado (monos a impo'tancia
dos direitos que tiver de pagar) na occasiHo em que
o despacho fr apresenlado a dislrihuicfto.
Art. 4.* O inspector facilitar aos donosou despa-
chantes das mercadorias o exame deltas, antes do
despacho, em | resenca de um fetor, para que pos-
sam fazer com exaclidflo as declararles exigidas nos
arligos precedentes.
Arl. 5. As mercadorias despachadas por factura
para consumo, cujo valor parecer lesivo i fnz.jnda
publica, pdenlo ser impugnadas na occasilo do
despacho.
Art. 6." Cabe o diieito da impugnar ao inspector,
escrivao, primeiros e segundos escriturarios efei-
lores conferenles das alfandegas; podendo qualquer
dcsles ompregados, o smenle elles, usardestedi-
reilo a respeilo de todos, ou de alguna dos objectos
mal avahados as facluras, cohrindo todava o res-
pectivo preco com maiscineo por cento.
Arl. 7. Nonhuma ini(iugnacao, pora,,ser leva-
da a effeito sem ler sido julgada procedente por urna
i'.inimssflo que Oca instituida em cada alfandega,'
vompusia do inspector, eserivao, um primeiro e um
segundo cscriplurario o um fetor, sendo os tres l-
timos designados pelo inspector de tres em tres
me/es.
> 1. O concurso do tres membros pelo menos, e
a manira de volos, silo necessarios para que a eom-
inissao julgue se procede ou nao a inpiignaco.
2.* O inspeclor.se livor fcilo a mpugnaco, ser
sii'bstiliiido na commissao pelo escrivao, o este, ou
algum dos oulros membros, sefr o impugnador, o
ser por quem o inspector designar dentro das clns-
ses dos empregados que p lem impugnar.
Arl. 8. O impugnador dever, no mesmo da em
que a factura fr apresenlada, declarar ao despa-
chante, por nota escripia e assignada na niesma fac-
tura que impugnar, todas ou algumas das mercudo-
rias nella comprebenddas ; e outro sin devera sub-
metter a impugnacSo logo no da seguinte no juzo
da commiss.to, a qual decidir dentro de 24 horas,
visla da factura odas mercadorias, se he ou nflo
procedente.
Art. 9. Se a impugnacrio fr procedente, o ins-
pector mandara afiliar edilaesde tres das, ou de 24
horas, segundo a naliirc/.a das mercadorias, para a
airemataco tiestas em lcila"o porta d'alfandega
Arl. 10. Dentro de Des das uleis, contados do em
que se fizrr o leilo, qur as mercadorias tenhain
sido an euialadas, qur nao, o dono deltas sei pago
pelo cofre da alfandega do respectivo valor da fac-
tura impugnada, e mas cinco por cento do mesmo
valor. ^
Art. II. Feila a arrematacao, ser o arrematante
obrigado, dentro de 34 horas, a enlrarcom o prego
della para o cofre da alfandega, sb pena, se o nao
fizer, de incorrer na mulla de cinco por cenlo do
mesmo preco, a faVor do referido cofre, e de ser re-
colhdo cadeia, onde permanecer preso ordem
do inspector.
j 1. Se nos tres primeiros dias de prisao o arre-
matante n3o enlrarcom a importancia do preco,
serao as mercadorias de novo postas em prnca, e
continuar elle na cadeia al quo paque a multa, ou
que a tenha expiado, llcando preso tantos dias quan-
los f'em bastantes para precncbe-l* a rasflo de mil
ris por la.
?i 2.' Quandn, loim, o preco da arrematacao
exceder de 400,000 ris, o napeclor permiltira ao
arrematante, seo requerer, apresenlarcomo seu la-
dor um assgnanto da alfandega, que assgne lellra
ao praro improrogavel de 4 mezes, com vencimenlo
do premio de meio por cento ao mez : e ueste caso
licuia a leltra desde logo hypothccada, e o respecti-
vo premio pertencenle ao cofro da alfandega.'
$ 3." Nenhunra das mercadorias arrematadas a-
htnda alfandega sem quo o arrematante haja pago
o respectivo pieco, ou assignado lellra como dilo
iica.
Art. 12. Se a arrematado nSose lizer por n3o ha-
ver lancador, proceder-se-ha avuliagao das merca -
dorias e a novo leilSo, al quo sejnm arrematadas.
Arl 13. Os lucros provenientes das arreinalaces
Sis mercadorias impugnadas, serao apurados no fin
o me/, e dedzindo se delles as sommas uecessa-
rias para indemnizar o cofre da alfandega dos paga-
mentos que tiver l'eilo, e nao se achurem garantidos
polas lettras dos arrematantes, teifto a seguinte ap-
plicacflo : 1/4 do lucro liquido de cada impugnadlo
perlencera o empregado que a liver foilo : I, 4 en-
trar para o cofre da alfandega : e 1/3 ser dividido
igualmente pelos empregados que leen direito de
mpiignar^cincluidns os mesmos mpugnidoros, e
exceptuados aquelles quo por qualquer motivo li-
verem estado alsenles da alfandega durante o me/,
om que fram feitas as ImpoRnacM liquidadas.
Arl. 14. llavera urna escrpraracflo especial das
mpiignaces, e su cnnla correte com o cofre da al-
fandega, de sorte que os inloress'S desle cofre c os
dos impugnadores e ilus empregados que participan)
dos lucros das impugnarles, sejam determinados
com precisan e clareza.
Art. 15 Nos despachos por factura para baldeacao
n6 reexporlac.lo, e das mercadorias que Iranslam,
.opara o ppgamento dos direilos de expediente, os
despachantes procedenlo nos termos dos art*. 9,* c
3fi. ajuntando as facturas, ou contas nriginaes.
E salvo o cso de vehemente suspeita de fraude,
a quo o inspector deve attonder, taes mercaduras
uo serao subjeitas abertura dos voluntes respec-
tivos.
"alacio do llin-de-Janeiro, cm 27 de fevereiro de
1849. Joiquim 7o' Rodrigue Ttm,
MINIST KHJoTkTM FERIO.
-*!. Secc.lo Itio-ile-Janciin. Ministerio dos nego-
cios do imperio, em 24 de fevereiro de 1849 -ll!ni.
o F.xm Sr.-Sui Mageslade o Imperador, usindn da
nttrliiiicaosjiiie Ihe confero a COnStltoicllO do esla-
do no .r>. no attgo 101, honve por bem. ouvldo o
sen cn'ncelliii de estado, dissolvrr por decreto de I!)
do crrente mez'a enmara dos depuln los, e convo-
car oiilrrf que deve reunr-se no din Io de Janeiro
prximo futuro. pia o qual f..i tamben) convocada
por decreto do 22 do mesmo mez a nova .issciiihla
geral; sendo designado o ilia 5 de agosto prximo
futuro para n elelcflo do cloilores em lodo o imno-
rio, como ludo V. Etc. ver das inclusas copias dos
referidos decretos, que se enviam a V. Etc., para que
Ihes-faca dar nessa provincia a manir piihlicidaile.
Estando, como (ica dilo, delgnado odia 5 ile agosto
prximo futuro para a tiomenQao dos elellnns,
que leem do eleger os novos deputadoi, ordena Sua
Mageslade o Imperador que V. Exc. expoca as or-
dens necessai ias para que nessa provincia se realise
aquello da a mencionada efeioM, devendo um
mez antes, na forma do ailigo 41 da le de 19 de
attosto .1 I8i<. proreder-se i couvoc^cao das pes-
su que leem de compr as mesas parocluaes ; e
Irinla dias depois a elcicllo dos depulados, como
prescreveoailigo68da incsina Ici, na rm daqual
; ailigo8) se fnr a spuracao geral duus nuzes
depois do dia om que liver lugar a reunio dos col-
legios eleiloraes
Oalrosim, ordena o mesmo augusto Senbor que eu
observe a V. Exc. que, sen libcrdade do vol deve
ser sempre respeit ida e mentida, rom inuilo ninior
rasan no presente caso em que se tppella para o
jui/o mparcial da nac3o ; odesU ubeservacilo dedu-
zirn V. Exc. quanlo importa que seja vigilante e
solicito oto evitar que baja as eleicfles u menor
cuiprego de violencia, com procurar que optnino
nacional se manifest de UOIO maueiru esponlauen e
livre.
Taes s3o as ordens que recebi de Sua Magesla-
de imperador, licando o in smo augusto Senhor
corlo do quo na eSecuclIO dallas corresponder V.
BjC sua imperial SOllCilU.de pela guarda das lela,
dos direitos do cidadao e pelo hem geral do impe-
rio. Dos guarde a V. Esc Yipcondtdt Voiit-All-
qre Sr. prcsidenlc da provincia de l'eriiauliuco -
Compra-so e registre-se. Palacio do gOVerilO de
Prrnamhuco, ndo marco de 18*9.Tofln.
Usando das altribuices quo nieconfere a consli-
luicflo no ailigo 101 S ", e ton lo ouvido o meu
concellio de estallo, hei por bem dissolver a cmara
dos depulados, e Convocar desdo j oulra que se
reunir no dia I de Janeiro do auno futuro. O vis-
conde de Mont'-Alegre, do meu eoncelho de estado,
ministro e secretario de estado dos negocios do im-
perio assim 0 tenha entendido o faca c xecular
com 'os despartios necessarios. Palacio do Rio-de-
Janeiro em de/anove de fevereiro do mil oltocentos
quarenla e nove, vigi simo-oitavo da independencia
e do imperio Com a rubrica de Sua Mageslade o
Imperador.'scona'ede Mu-Alegre -Conforme.
i\o impedimento do oflicial-maior-.WAwo SMS .Sanio
Pereira. ,. .,
Tendo por decreto de 19 do correte dissolvido a
cmara dos depulados, e convocado oulra para o dia
piimeiro de Janeiro prximo futuro, hei por bem
convocar para aquelle mesmo dia a nova assemblea
geral : designando, na furnia do artigo 40 da le n.
387 de 19 do agosto de 1816, 0 dia 5 de agosto
prximo futuro para se proceder em lodo o imperio
a cleicflo dos eleilores que leem de eleger os novos
depulados. O visconde de Monl'-Alegre, do meu
eoncelho de estado, ministro o secretario do estado
du negocios do imperio, assim o tenha entendido e
rcFexecular,expedindo para esse lim os despacho.-.
necessarios. Palacio do Rio-de-Jtnelro em viole e
dous de fevereiro do 1819, vigesimo-oitavodan.de-
pendeneia e do imperioCom a rubrica de sua
Mageslade o lmperador.--r'ncoarfe(/< NoM -Altgr.--
Conlormo.-No inpcditnenlo do ollicial-maior/!<-
bino do Sanio l'ercira.
MINISTERIO DA JUSTIGA.
CirCulah. M Sccv'So Rio-de-Janeiro. Mi-
nisterio dos negocios da juslica, cm 5 de marco
"lllin. e Exin. Sr. Ilavendo Sua Mageslade o Im-
perador i or sua immediata resolucSo, lomada so-
bre consulta da seceo da Justina do eoncelho de es-
lado, determinado que as uomeaces de depesita-
rios publicus mi lenliain lugar as ridades, ou villas,
em que se lizer sentir sua necessidade, precedidas
sempre de Cianeas ; cumpre que V. Ex. informe quait-
loa depositarios pblicos existem n'essi provincia
e o valor das flaneas por cada um prestadas, faren-
do cessir immediatamente as funcc/ns da qualquer
delles, que por acaso nao lenlia anda salisfeilo ,.
esse requisito. Outro sim cumpre que, no caso de
vagar algum doslugares actualmente preencliido*.
V. EX. naonomcio succassnr inleiino sono quando
se fizer conliecer sua urgente neressidado pe im-
poriancia do povoa lo. V Ex. fara igualmente sentir
asjuaticas dessa provincia, que smenle so objectos
de deposito publico as pecas de orno, praU, e ou-
lros metaos de valor, e as pedias preciosaa, podendo
licar em depsitos particulares, eonvoncao ilas
partes e arbitrio do juiz, os oulros movis, como
he expresso na le de 17 de jullm de 1778.
DeoS guardes V. ES. KuuSlo ileQueiroz Cou-
linho Mallimi du Cmara.^Sr. presidente da provin-
cia de....
1." Secco flio-de-laneirn -Ministerio dos ne-
gocios .la nsi ica. ein .'i de marco de 1810
lin. i: "sin. Sr. Resonndendu ao seu cilicio de
21 de Janeiro, em que V. Ex. oxpe a dnvida que
lem, Sobres legalizada da prallca al agora segui-
da pelo gnverno imperial, e pelos (Residentes de
provincia, de iinnie.irem depositarios pblicos, me-
diante Manea ; cumpre-me ilcclarar-lhe. para sen
coulieciment fl OXeCUCllO, que S. N. o Imperador,
quem liz Oresente o sen ollicin, depois de ouvir
a seccito respectiva do eoncelho de estado, e de nc-
rrdocom seu parecer, houva por bem, por sua im-
mediata resolueo de4 do marco correte, ordenar
que continua a pratie* do so nnmearem, mediante
llanca, depositarios pblicos, mas nicamente nos
lugaies em que so lizer sentir sua nernssidadn, e
Com a declarando de sorem objeetns do deposito pu
tilica smente as pecas de miro, tirata, o oulros me-
taos de valor, o as pedras preciosis, pudendo licar
em deposito particulares, ConveROSo das partes e
arbitrio do juiz, os uniros movis, como determina)
cxpressamenlo a le de 17 de julho de 1778 na parle
explicativa das do31 do mainde 1731, o 20 do julho
de 1771. qie so refere o i 28 da de 25 de agosto
do mesmo auno ; porquanlo os lugares de deposi-
tario publico se acham creados por esta Ieide2.r> de
agosto de 1774 no j 28 as palavr8S--em lodas as
mala cidadei, villas e lugares......onde nao Usnho
linda mandado eslabelecer depsitos publicos-Nem
0 contrario so pudo deduxir do se determinar ali.
quesejain escolhidos pelas cmaras, ni0 8 poique
esaa escolha Ibes competa provisoriamente, eso en
quanlo o governo nao linha ainda mandado esla-
belecer deposito publico;mas porque; urna yoz crea
do por le o lugar, so oulra o poda abolir ;e se
pela do I de oiilul.ro de 1828 nao foi coiiienda as
novas cmaras municipaes essa laeuldade provisoria,
que linhamas antigs, de nomear os depositarios.
nada maisse le do quedeixar ao governo o Uirpito
que tuitia du os eslabelecer, lio .|UB se ful de accor-
docom oilispostonacnnslitiiicaoait. 10 > 4
Dos guarde a V. Kt.-Huubk de Q-ieirot Lauti*!'
Mallos,, da Cmara-Sr. piesidente da provincia do
Rio-de* Janeiro.
GOVERNO DA PROVINCIA.
EXPEDIENTE DO DIA 20 DE MARCO,
ollicin .-\o inspecloi da thosouraria da laxerrla,
transmitiindo para i devida applicac!lo o mappaisn-
presso, (iiinado pelo inspector geral di eaixa da a-
mortisaSO. conten lo a lisia de todas as "olas de
segunda esUmpa, assigiiadas no auno lindo de 1818,
comdeclaracno do valor del la, da sua quant.,lde.
serie e numeraco, bein como dos respectivos ifsjjg.
naturios. . ,
Dito Ao inspector geral da caixa de amorlisacao
acensando rccehido o inappa supramencionado.
Dilo --Ao general cominandanlo das armas, re-
commcn.lando-lhe, em cumprimento do aviso da
(ierra de i do correte, a expedi<;flo das suas ordens
alimdesercculhcr quanlo antes a corte o capeltao
do segundo batalbao de l'uzileiros padre Joao lava-
res de Mello.
luto.Ao rommandante das armas, comniunican-
do-llioiie haver S. M. o Imperador por aviso da se-
cretaria de estado dos negocios da guorra, datado
,jo primeiro do crrente, concedido licenca paraos-
luilarna escola militar o curso da respectiva arma
ii Jos Peres Campello Jacome da Cama, primeiro
radeto do segundo hatalhno'do arlilharia a p, ora
iddidO ao primeiro da niesma arma.
Dilo. Ao mesmo, communicaiidn-llie, para sen
jiihecimento e expedidlo das convenientes ordens,
que por aviso da secretaria de astado dos negocios
da guerra se niandou dar baixa doservico ao cabo
le esquadra do primeiro balalhfio de caladores Jos
tiilonio Pedroso Rraga, ora na corte, por ter sido
.ulgado, em iiispecQflii de saude, incapaz de conti-
nuar no mesmo scrvico.
Dilo.-Ao mesmo, dando-sa por nteirado de na-
ves S. Ex dispensado do servico a fn'C do selimo
batallio da guarda nacional dcsto municipio, por
Ihe ler representado o respectivo commandante que
ella ja se nio fazia necessai a. -Sciontiticou-ae o
inspector da pagadura militar.
Dilo.-Ao director doaraeml do guerra, autori-
saiido-o a despender a quantia de rs. 1808700 Coma
promplilicacflo e compra dos objectos mencionados
no pedido que se Ihe devolve, firmado pelo major
coniiliaiidante inleiino do soxto butaluao de caca-
doies.-Communicuu-so ao inspector da pagadona
1 militar.
j Dilo Ao mesmo, autorisando-o a despender a
nuaiiliade ra. 25S#560 com a compra do uzeitodi
carrapato e de coco, lio de algod.lo, pavios, velas de
.. >. -. ^j.
.
I li.i.da


.
m
sse
carnauba o de espormaceto para fornerimcnto das
estacos militares eorpos que fazem guarnicflo
esta provincia, em n mez <|o abril prximo fiiluro.
Communicou-se ao inspector da pagadoria mi-
litar.
>ito.Ao inspector dii pagadoria militar para que,
a vista das duas cuntas em duplicada que su I lio re-
melle, prnviciencio para ser entregue ao slmoxarlfe
do arsenal de marinha Manoel Francisco deiloura i
quantia lo rs. 90/60, aflu de hahilita-lo a pagar
os jornaes dos carpinteros n IVncinx qna Iraba-
lliaram na barca Tctilaliva-Feliz, frelada pelo govor-
no para servir de deposito do prisioneirOs, |>em
como os mntcriaes consumidos nos airamos que se
Ihe fizoram para maior commodidado dos mes-
mos.~Scientincou-.ie ao inspector do arsenal de
rnarinba.
Dilo.Ao director do arsenal de guerra, para
mandar npresentar como rccrula ao rommandaiito
da dJTisio naval o operarlo voluntario daquelle arse-
nal Jouo llihciro Pessoa.-Commuiiicnu-sc ao rom-
mandnnto da divisflo naval.
Dito.A o comsnandante da divisflo naval, para
mandar prtr a ilispnsicflo do major commandante in-
terino do 5.* batalhilo de guardas nacionoes dest-
ralos o guarda do mesmo balalhfio Podro Jos vi-
ves de Carvalho, ruja soltura redama o referido ma-
jor, asseveando, firmado no loslomunho de lodos
(s otilemos que eommanda, que o mencionado guar-
da n!o so fe/ fogo contra os rebeldes que no da S de
- Peranle a cmara municipal desta cidade se lia
do arrematar, a quem mais der.no di 2 de abril
vindonro, o imposto das modidas de farinlia dos mor
eados pblicos, tendo por baso aquantia de 25,000
rs. mensaes. Os pretendontes comparecern muni-
dos do fiadores idneos, som o quo nflo sargo ad-
miltilos acamara. E para constar se mandn pu-
Jilear o presente. Pa$o da cmara municipal do
Itecife, 27 de margo do 1819. Manoel Cae/ano Son-
res Carneiro Monteiro, pro-presidenle. -- JoSo Jet
remira dn Aijuiar, sccratario.
ara^oes.
CORPO POLICIAL.
Dia 27 de marro de 1819.
Vieram presos : pira recrutas Joflo Damaseeno. re-
metilo pelo Sr. delegado do segundo dislriclo des-
ta cidade ; o crioulo Thumaz, remeltidn pelo subde-
legado de San-Jos, a pedido de seu pai; .Marcellino
Gomes, pelo subdelegado do segundo districto dos
A Togados. Foi entregue ao referido Sr. delegado o
preso Fidelis Francisco dos Santos para ser interro-
gado, e levo deslino. Foi igualmente endrogue ao
subdelegado do Uceir.; o preso Jos Francisco, alim
le ser conducido para acrvela Fulerpe. qual be
pr:ei lram sollos Manoel do (V, Cloihido Anlo-
ni.i o Benedicto Folicianu.-O ajudante, lnaoet Por-
fevereiro atacaran, esta capital, sonflo lamhem foi fir><''f-" A*)".
Para o Rio-Grande-do-Sul segu, no fim do
corrente mez o patacho Dout-lrmdos : .recebe al-
guma carga e escravos a frele, e tambero tom com-
modos para passageiros: os pretenden tes dirijam-se
h ra dn Trapiche, n 6.
--Os Srs. carregadores da barca pnrtugucza Flor-
dn-Maya queirnm trazersflus eonhecimentos casa
de geu consignatario. Manoel Joaquim Ramos e
Silva alim de se podrem legalisaros manifeslos da
mesma barca.
Para Lisboa salte, enm brevidade a bem co-
nhorida e velcira barca porlugueza Ligeira, de que
lie ce pililo Antonio Joaquim Rodrigues : quem india
quizer carregar, ou ir de passagem, para oque tem
os.-nelliorese mais asseiados commodos,dirija-se aos
consignatarios, Francisco Severiano Rabello & Fi-
llio, ou ao mesmo capitflo a bordo ou na praca do
Commercio.
Para o MaranhSo e Par* segu com a maior
O collegio de edueaefo de meninas, que oceu
pava o primeiro andar da casa dama doQueimado
n.,30, soba direceno ''e O. Candida Roca Me. Iiermtt
da Costa, mndou-se para a ra to ffollegio, n, 9
primeiro andr, onde s pode reeeherelgumas m,','
ninas para educa', pertencondo estas a elasso das
pensionistas
O ahaixo assignado, n.lo tendo lempo da despe-
d r-so pessoa I mente de todos os sous amigos, n fn?.
pelo presente, olTorecendo-lhes seu limitado prctij.
mo na cidade do Porto, e agraderendo-lheg o mPS_
mo lempo a smizade enm qnesempro o trataran) 0
milito parlicularnipnte so Sr. Angelo Barrtfuta d0
Xascimento, durante todo o lempo qne eatrve em
sua cas, nilo s pelo bom Iratameoto, comope,
sinceridade do sua amizade. Domingos Ferreira k
Pepes Huimnret.
Pcde-se ao Sr. Joaquim Thondorico de Albu-
querque Mnranhffo, ou a quem o representar, se $r.
breyidado possivel o patacho Josefina, capitao Jos va declarar a sua moraJa, para se Ihe fallar em ne-
llaria da Silva Porto : para carga e passageiros offe- gocio de seu interesse.
por estes espancado quandnsn.i prlsioneirn, n aerea-
cenlandoque, apenas piVIo elle escaparse, deu-se
pressa em rtprcsentar-SO nos Afogados ao lente-
coronel reformado Manoel Joaquim do liego e Alhu-
querque, e recolheu-se inmediatamente ao carpo.
Coinmunicoii-sc ao conimandunlo das armas o ao
che fe de polica.
Dito. Ao director do arsenal .le guerra, aulori-
sandn-o a despender a quantia de rs. ifiO.OO ) com a
compra dooitenta resmas de papel cartuxinho, alim
ilo nao paralysarem oslrabalhos do laboratorio do
lito arsenal.-Communicou-se ao nsi erlor da pa-
gadoria militar
luto.Ao commandanle das armas, rcconimen-
dando-lhe expeca as auaa ordens para aue pela calva
O arsenal de guerra compra azeito do campal-
loe de coco, fio de algodflo, pavios e velas do car-
na\ia:quem taes gneros s propozer 1 vender.pde
comparecer na sala da directora do mesmo arsenal,
no dia 30 do concille n ez, com sua pro, osla em
caria fechada. Arsenal de guetrii, 27 do marco de
1819. o escriturario, F. Serfico de Auit Car-
vilho.
TIIEATHO DE ATOLLO
NONA UEI'RESKNTACAO DA aSSICNATlIRA.
HOJK, 28 nr. marco de 1819,
lera lugar a pruneira representaeo da
VKNEZIANA
nu o Carrasco de Veneza.
rece excel'entcs enmmodos : os prelendentes tralem
com o consignatario na ra do Trapiche, 11 41, ou
comocapito na praga.
' -'- 1---------y-mmmmsfmmmm.
hbjh
Lciloes.
c lardamento do S.*batalblo defuzileiros seja in-ldrama a carcter, em cinco actos e: de grande cs-
demnlsadaa fatemla publica na provincia iloilara-
nhftO da quantia do rs. 115,350 em que iniportaram
1. bonetes, 17 grvalas do polimento, o 117 pares
de sapatos, fornecido all s prai>as do u.esmo bala-
lhno, constantes da reltCflo que so remelle, o ritiese
icbain destacadas na comarca de Caxias. Scienlili-
cou-se ao Kxm. presidente daquella provincia.
Dito. Ao director do arsenal do guerra, iiutori-
sando-o a despender a quanlia de rs. 9,000 com a
compra de dula camas de vento para o hospital re-1
pimental a caigo do 4." batalh.io de arlilbaria a 1 .
Communicou-se ao inspector da pagadoria mi-
litar.
I'oitaria.Conceileu.lo dispensa dn cargo de fi.
supplente do juiz municipal e do orplios do termo
dn Sanlo-Aiililo a Joflo Francisco do Araujo.Fize-
iam-se as coinmiinicacoes do estylo.
pcelaculo, por Mr. Alesanilre Uumas.
da.\<;a.
I'm passo nohre, dancado pela Sr. Camoiu.
CANTO,
erando aria do llarbeirude Serilha, msica de Ros-
sini, cantada pela Sr.' Alex.m.lre.
INDIANA E CIIAIII.EMACNE,
011 lima nuile de baile matcaratl'i
vaudeville novo em un acto.
0 espectculo comocar as 8 horas.
aOSWME

AI.FANDRCV.Rendimenlo do dia 27 . 15.059.4lS
Detcarregam Ao;, 28 de marco.
Barca Jnmei-Slieait bacalho.
Itarca Enher-Ann ferro, lx incas vasias c arcos
Barca Gcldcn-Hrece carvSo.
Ilrigue Assombra mercaduras.
Iliale Sui-lteneihelo fumo e chai utos.
lia roa lihondda barras de ferro.
Barca 1:1-horado bacnlhn.
CONSULADO CERAI..
Ilen.limenlo do dia 27.
Diversas provincias
Avisos nwirtumos.
5:379,303
CONSULADO PROVINCIAL.
I.endnieiilo do dia 27............
icr.'sni frc^wr sane
Movmenfo do Porto.
. 2:2(0,891
ctrrjr -'...<
Ass
no
Para o Rio-Grande-do-Sul sabe impretirivel-
menle no dia 9 da abril o brigue nacional -/lgrete,
eapitSo Manoel Jos ilo Azevedo Santos: para em-
barcar escravos fon enle, liala-sc na ra do Viga-
rio, 11. 19.
Para as Ibas dos Acores e Lisboa sabe a barca
portuguora Fluminense, do ledo le 240 toneladas c do
boa marcha, a qual esl o chegar do Rio-de-Janeiro*,
segundo os avisos, e deve nesle pinto demorar-se
pOUCOS dias : quem na IWeama quizer carregar a di-
to destino, ou seguir viagem, podo com anleccdou-
cia contratar com Amorim Iudos, ra da Cadeia,
n. 39, os quaes garantem oa bons commodoa mesmo
para familias.
Para o Cear segu viagem a escuna nacional
Varia-1 irminn : para carga ou passageiros, trala-se
com Jos Antonio, na ruada Cudria do Itecifo, nu-
mero 31.
Para o Rio-de-Janeiro saho no dia 31 do cor-
ma carga
. ara pas-
sageiros : os 1 ri'lcndtnles dirijam-se a ra do Tra-
picho, n. 6.
Para o Porto sbita, imprelerivolmenlc no dia
18 do abril, O brigue poiluguoz Ventura-Feliz, por se
|schar com o csirerfamento quaai completo : para o
reslo da carga, o alguns passageiros, aus quaes an-
da oVroce bous commodos, trala-sc com o consig-
natario, Joaquim Ferreira afeudes Cuimariles, ou
com o capililo, Zeleiino Ventura dos Santos, na p'raca
do Commercio.
Para o Porto sahii, al 15 do mez vindouro, o
bem cunlucido brigue pOTlUguez Primavera de quo
..............-180 97(i ...w--w-................ 11.1 111.1 .11 <
, ,........ jjj.'"_'rento, o patacho hous- Irmiiot: recebo algunu
' ..^.'..'..1. e escravos afrete,etem bons commodos pai
Navio entrados no dia 27.
lidias, hiale brasileo Gil-liraz, de 103 to-
....adas, capililo Vicente Ferreira do Mello o Al-n
buquc.Vquc.equpagcm 10, carga sal, palha e cera "' ""e A"lisl <-nario por se adiar
de carnauba ; a Novaes & GomiTanhla. PassaBclro '^""! ". P"r-e"" suu ''i"^'1 lir,""l'1 l' o res-
Jos.L.aquim Freir. *"c,rn tanteo passageiros, Irala-aecom o consignatario,
Auioniu Joaquim de Souia Rbeiro, ou com o diti
P.iu-de-Janeiro; 18 das, brigue brasilero San-Ma- cal,
noel-Augutto, de 230 toneladas, capitn Manoel Si-I ?f-ii"S
mos.equlpagem 10, ca-ga fumo, feij.10, r.rinha o'
mais gneros; a Manoel Ignacio de livera.
dem; 13dias, brigue brasileiro Sympathia, ilo 181
toneladas, capitflo Candido Jos Francisco Gol la I'-
ta, oouipagom 14, carga carne esi>bo,a Guaudino
Agoslinho de ltarros.
rlarJM sabidos no mnmo dia.
Canal ; brigue SUCCO Arg,
ga assucar.
Liverpool; brigue ingloz Misa
Carga algoda
Porto; hii^u
capillo P. Petorson, car-
ca rilan W. Stabb,
Souza, Manoel Antonio Vieira com sua smiho/a e
nina criada, Aniego Domingos Mala, Domingos
Fcireira das tiene GaMoiarlea, Pertugoezes /osa
fiatovfis Viauna, Joo Jos Marques de Araili ra-
sileiros. J *
Gibrlarr polaca sarda Consiantina, eanilffn Felfa
Pires, carga assucar. "s
''kjtkST
Jonguim d'Aquino Fonseca, hr. em medicina pela fa-
ruldadede l'arit, presidente, do conrelhn geral de sa-
/ubridade publica, o-mmissario oaccituidi.r nroiin-
oialpor.S. V. o Imperador, membro Correspondente
da torJedade de scieiidan medicas de Lisboa, ele. etc.
Faz saber que ningueu podera ser v.iccmado se ni
que Miles se laca inscreYcr, para o que lio necessaiio
que conipaitr;;i na repaitico as quaitas-feints ou
sabbados, das 8 as 9 boros da nianhaa ; asslm romo
quo pessoa alguuia nilo pode.a ser mscnpla sem quo
ueelare coma m.ior exaclilao o nomo, idade, na-
.jiiralidadi-, lacfioou wiltlorio, estajo e inoradla, .
indicando o numero da casa. uenies ->i, 1,, --*--?- '" necnc os pieieu
""-"sassraii-r r^ssr^ssz^
biguc portuguez 'Iriiimphante,
I capllfio Sabino Anloliio d Cabo Alihei.la.sabc com a
maior brevidade possivel: quem no mesmo quizer
carregar ou ir de passagem para o que oflerece
cxci lenles commodos, dinja-se ios oonsignalaiios,
1 Olivira IrniSos Cx C. na ra da Cruz ri. 9 ou ao
referido capitao.
Para Lisboa o birgue portugus Subltme, capi-
lilo Joflo Francisco no Au.or, saho iinpretcrivel-
niente no dia G do abril viudourb quem no mesmo
quizer canogar ou ir do passagem dirija-so aos
consignatarios, (iliveira Inultas Cortipaohia, na
ruada Cruz, n.9, ou ao referido capitao.
Vcno-se o biiguc nacioif.il Ledo, do milito boa
QOBSlruCCflO, forrado doCUbro, O qual so cha Tun-
deado (ciroiile doFoile-do-Muttos: quem q preten-
der dirija-so ao paleo do Carino 11. 17.
Para o Itio-de-JancliO sabe imprelerivelmi'iite
.quaila-funa, 28 do corrente, a escuna Santa-Cruz j
quem quizer embarcar esclavos, dirija -se iua da
Cruz, 11. 3.
Para o Rio-Grande-do Sul sabiri breve o brigue
Victoria, o qual pode receber alguma carga a felo :
0 corretorOlivoira far leililo por ordem e em
presenca do Sr. cnsul de S. M. Dril anuir,em um a
Inte, do 300 toneladas do carvo artificial, ornis a-
precialo c usado na rnarinba de vapores ingleza, des-
embarcado de bordo da barca ingleza lltalrice, a-
bandouada ueste porto, na viagem que fazia, proce-
donlodeCardilf, o Val-Paraizo: no dia que se annun-
ciara.e no deposito da roa Bella, ultima casa jimia
amar, Olido os pretendenles | dem examina-lo
com .iiitkipacflo, cntendendo-se para isso com o
referido Sr. cnsul.
Rolle & llidoulac farffo leililo, por intorvcncio
zendasfraucezas, sendo chales de merino e do lila,
merino, pannos p re os e de cores, setim, sarjas finas,
rotas e de cures, lencos de seda e mitras minias fa-
zemlas, proprius da estacan e do mercado: sesta-
fcira, 30 do coi rente, s 10 horas da nianliaa, no seu
armazem, ra do Vigario
LF.ILAO DF. SAPATOS PARA SEMIORAS.
Na ra da (iuia, n. 36, primeiro andar, noRecife,
se far leililo no dia 30 do corrente, polas II horas
do da, de una poreflode sa palos para senhnras, de
couro do lustro, duraquo e courinho, e algumu obra
do homcm, pouca, do cnrommends, bem acabada e
de bom goslo, cliegada ltimamente pelo brigue
Novo-Vencedor.
Avisos diversos.
quem quizer 110 mesmo carregar e embarcar c
vos, pode dirigir-se a tratar com Amorim Irinilos, na
ra Ua Cadeia, 11. 39.
Para a Uaina sabe, em | oucos dias, o hiato Flor-
do-IUcife: paia carga o pussagenos, iraia-se ua ra
do Vigariu, 11. 5.
Para Lisboa, com escala pilas ilhasdos Acores,
Segu com iiiuiiu brevidade a polaca nacional So-
Ciedude-Feli*: quem na mesma quizor ca rogar, 011
ir oe passagem para o quo lem u.uito bous com-
inoUos, un ija-so a ra Jo Vigario, a, 8, a tratar com
Tavaies Cordcno.
--Vende-so um excellenle sitio no lugar da Pon-
le-de-llclion distante desla menos de um quarto
do legn, a margem do rioGapibaribe com caes e
escajarja do embarque o desembarque, com ptima
* grande casa de vivenda com duss salas, gabi-
nete, 8 qoai los, copiar, cozuiha fra, gallinheiro ;
oulra ditu nova, com bstanles commodos, com
quintal murado dn 150 palmos om quadro senzalla
nova para escravos, casa para feitor, esliibaria e
cocheira pata lies carros quarto ao p para prrtos,
una cacimtia de 20 palmos em qiiBilro com coberta
o tanque para banho coulro | ara lavar roupa e a-
zer van ella com lellieirofecbailo para frn.rdi LU ,
e oulra pequena no centro do sitio um grande po-
mar de larangeiras .jaqueiras mangueiaas, fruU-
pffo, sapolis, oilis, jamheiros, goiaheiras, coqueiros,
caezeiros, grande parrciral de excellentes uvas, o
qual lem no centro um repuso d'agoa com seu
tanque que serve de regar : lodas as nrvores estilo
em estado de produccio : o sitio lem de frente 600
palmos e mil de rundo pouco mais uu menos com
um ptimo vivelro bom sementad-., e que d com
Tai tura pciso para urna grande familia ; baixa para
capim: no fundo do silio existo um manga! que for-
nece lenlia para o consumo da casa lodo o auno. Es-
te predio pela sua edificaQilo e vanlagem da siluacao,
pureza do ar c bella vista torna-flo urna deliciosa
morada para quem quer descancur dasfadigas da
vida e esl urna bella acquisicao para aualquerso-
nhor de engenho : a tratar na ra do S.-Francisco ,
no palacete prximo a mar.
--Joo do Souza Mallos Jnior, Rrasileiro, vai a
Portugal.
~ Jos Ferreira Coelho, subdito portuguez, rcli-
ra-se para fra do imperio.
-- Aluga-se urna negrinba de 10 a 12 anuos, e que
entenda alguuif cousa le pura < servico interno do casa : quem a livor, di-
rija-se roa da Auroro. II. 28.
Joflo Itessa, Jos Martius da Silva. Antonio da
Silva bibeiro Maia o Jos Joaquim Pereira Guima-
raes, subuitosdtS. M. Fidelissima, letiram-sc pura
rora do impeli.
-- Antonio Joaquim RodriPies, subdito
guez, retirs-so para fra do imperio
Manoel Jos de Faria, subdito portuguez, reti-
ra-sc para fra do imperio. -
-Precisa-se alugar um preto para trabalhar em
um sitio, do onxada : na ra da Cadeia, n. 15, 110 ar-
mazem onde lem 11111 bilbar.
Joflo Vignes deca 1 a que o Sr. Frcmonl no po-
de sabir desta cidade sem ajustar as suas conlas e
satisfazer a letlra quo Ihe deve, como o Sr. Frcmonl
uflo ignora.
l'uz.-so todo e qualquer negocio com duas legi-
timas quo leem de ser escravas e bens deraiz : lu-
do no valor de cinco con los do ris : quem quizer an-
nuncie.
Deulisla.
Raynon, eir.urgiflo dentista
porlu-
amencaoo.
Joflo
Sende-soo patacho nacional Francilina, de loto
.le seis nnl.e qiiinlientas arrobas, con.-.truccflo brasi-
eira, e proniplo paia Seguir viagem, o qual se ai lia
lumieaiio em Dente a ponto do Itecife : os preten-
l>. W.
leudo mudado a sua residencia da rus da Cadeia de
Sanlo-Antonin para a rus do Trapiche-Novo do Re-
cite, agota offeroce aos seus amigos e ao publico o
seu presumo, islo lie, chumbar, por denles poslicos
o asmis operaces da sua arle, pelo melliodo ulti-
ni.ilut-ii 1 -. dcscoberlo.
Deseja-so saber a morad 1 do Sr. Manoel Lopes
(.uimaifles parase Ihe fallara negocio de suu Inte-
resse.
J. Rosenhrok cGimpanhis declanrm que fe-
charan! a -111 venda da ra da Crnz, n. 15, desde o
dia 2G do corrente.
Lotera do Iheatro publico.
Estando vendida quasi molade dos bilheles da u|.
tima turca parte da 18.a lotera do Iheatro publico
e appaiocendo com a pacificando da provincia ajgu-
ma influencia na compra dos bilheles que retam, n
respectivo thesoureiro, levado por esta influencia
que espera nao seia arrefeeida, designa odia 27 de
abril prximo futuro para o andamento das rodas y
e confanos an adores desle jogo que o coadjuvarflo
na realisacau do refeiidoariilamento.
Precisa-so de um trahallia lor de masseira : no
Forte-do-Mattos, ruado Codorniz, n. 12.
Prccisn-fc de urna ama de leito : .na ra da) 1.1-
vramento, loja de miudozas junto do nicho.
Quem precisar de um ptimo administrador do
engenho e de um caixeiro para loja, ou pra co-
branga para praca ou fra del la, annuncie. .
No da 22 do correle, ausenlou-se da-'asa do
abano as.-oguado um Africano liyre.de nome Ma-
noel de pannos pouco mais ou manos, falla j mili-
to CXpUcadO O..SS gidodn o un pouco abolnadin
para fra ; he um lano cambado dos ps ; .costu 111,
trocar o nome pelo do Joflo ; levou caiuisi e calcas
de algodflo trancado com listras szues : quem o pe-
gar leve-o a ra do Apollo, n. Ifi, piimeire andar
oode mora o annunciante, ou a ra do Trapiche, ar-
mazem n. 13 =-- 7oie Pedro 'do liego.
Oflrrece-se um moco brasileiro para caixoiro
de venda, co que tem bastante pratica sabe agra-
dar os freguezes e se fr preciso dar Dador a sua
conducsa :a tralai na ra das Cruzes, loja de la-
tociro.
Precisa-sede um rasz portuguez, de 12 a 11
snnos para caixeiro de venda que tcnlra pratica
du negocio, sai ha lerecscrever e d fiador a sua
conduela : em Olinda, ra do Varadouro n. 13.
Na ra do I.mmenlo n. 14-, precisa-e da
urna ama do loile forra, ou captiva para criar um
menino de 6 inezes, preferiudo-se de cor preta,
por ja estar acoslumado a isso o menino que j es-
lianba.
Pergunta-se a quem eslivi r habilitado para res-
ponder, se urna tropa quo depois do arrumamenlo
se dispersa pelas ras da capital a disparar as ar-
mas, uflo ; ts que haviaiu ticado carregadas como
l carregaudo-as depro homIo. tal vez para lembrar
o dia 2 de fevrreiro, uioslra disciplina, ooatnattorc-
loxacao'! !
Preci ia-se de um caixeiro para tomar conla da
urna venda por hulaugo : quem esliver tiestas cir-
cuuislnucas dando liador a sua conduela dirja-
se ao beceo da l.iugoia, n. 12, que se dir quem
precisa.
Preeisa-se de urrs ama de leito que nflo sejs
preta pai a urna ciiauca de 4 mezas : na ra do
Itaugel i n. II, primeiro andar. '
I'iecisa-se alugar uiua escrava que seja moca ,
com habilidades do cozinhar e de tratar bem urna
menina de 5 anuos : na ra larga do Rozarlo, n. H.
- Precisa-so alugar urna preta de naeflo, ainda
moga para Cozinhar e tratar do urna menina de 5
anuos : pag.i-so bem : na rus larga do llozario, n. 8,
--Aluga-se o pi i u eiro andar da casa 11. Si. pti-
mo para esrriplorio por ter as portas multo segu-
ras : a tratar no arinazem da dita cusa.
Aluga-se um escravo moco, o d. excellenle
conducta: ten o preslimo de cozinhar o ordinario
lo nina casa: quem carecor dirija-s. ao Forto-do-
Mallos, prensado Joaquim Jos Ferreira, ondea-
cbaia com quoin tratar sobre o ubjecto cmqius-
tilo.
Aluga-se o primeiro andar da casa n. 53 dama
da Cadeia do Itecife, o qual lem qualro'salas, seis
111.11 los, dous gabinetes o r.ozinha : a tratar ua mes-
ma casa.
. No dia 23 de marco do concille snno spparerru
em casa doahaixo assignado, na ra estrella doltn-
/.aiio, 11 30, segundo andar, um leolrqir* do nonc
Cela no, o qual uo sabe dizer bem quem he seu ir-
nhor : quem sobre elle tiver direilo, dirija-se o
mesmo lugar indicado,que, dando os signaos rer-
tos, se ihe entregar. Declara mais o abnixo assigna-
do, qu.sa nflo ies| ousabilisa pela fuga. Anlomo
Carvalho de Al incida.
-- Prclende-sc alugar um sitio cm qualquer lugar
dcstes arrabaldes, por 30 a 60 dias, nflo distaiuln
mais desta cidade que um legoa : na Praca-do-Coni-
ineicn, n.-J, 011 annuncie.
Ahiga-se um sitio na csliad.i de le*
lin com casa para pequea dinilia, hoos
rvoredos de fi netos, Iij trra para plan-
tadlo e pasto para ter animalmente dii>'
vaccas : na ialn ica de licores de Predi-
rico Chaves, no Atciro-da-Ba-V>L''
n. 17.
Joaquim Ignacio Xavier retira-se para fra do
imperio.
Aluga-se um silio qoe tenha algumaS fructeiras,
coqueiros, etc. com baixa Ircsc-i pala-***'"', do
Manguinliu al o Monleiio : quem tiver appareca ps-
ra.tralureui casa de Rayinuiidu Carlos Leito.
P.clsa-se ile um liomom, anida mesmo qiicse-
O abaixo assignado Uz scicnte ao publico, que
0 sobrado por elle penhorado ua cidade de Olinda,
na ruado Amparo, 11. 41, perlcncenle ao fallecido ja casado, para turnar conta do um silio eliabalhar
Josoda Silva Rolelho, ja soacha por elle desemba- no mesmo : atris dos MartVrios, rus do CaldoirVrro,
racuilo, por lor recebido da herdeira, a senhors D.
1 liorez.ii Maibilde de Jess,o importo da oxecuc'flo da
letlra quo com a mesma litigava. Jos da Siha
orara.-
- CuristovoCuilhvrme Rrekenfeld embarca para
o Rio de-Janeiroa parda de nome Paulina.
- Vflo a prava no dia 29 do Corrente os bens par
IK'i llli\ : liPrsiici t iiwioi.i,,.. ,l^n a?.U^.: _i_ _- _i
11 46.
- Jos Joaquim da Costa Cnirrarfles, subdifo f-< r-
tuguez, retira-se par fra do imperio.
Joflo Jos de Carvalho Moraes embarca par o
Rio-de-Janeiro o seo escravo do nomo Bendie^n
do naeflo Cos.
Antonio Jos de Olivoira, Brasileiro nato, mo-
tencenies us bera'ncus jacentes dos fallecidos Anta:-1 radar no Aterro-dos-Afogados,yi fazeruma viagem
ftojol.o|i8 Antonio Meire, laRk>-deJneir.
MUTILADO



-- Jos Soares de Azevedo, professor de lingos
franceza no lyeen, tom aherto em sua casa, ra do
Rozario larga n. 36, segundo andar, um curso do
nilF.TORICA o POTICA, e ouiro de GF.Of.RAPIIIV e
HISTORIA. A pessoas que desejarem esludar urna
ououtra destas disciplinas, pdem dirigir-se a in-
dicada residencia, dcmanhla al s 10 horas, o do lar-
do a qualquer hora.
*- O aferidor roga a todas
as pessoas que conduzem mel. agoardcnlo, azelc
anda nfio aferiram.quequanlo antes venham aferir,
pois o lempo da { riglo el a acahar-se.e os fiscaes
respectivos passaro dar as corridas Jo costume, e
aquellas que cnconlr.irem sem estar ateridas ueste
a'ino ile',l819>scri1o multadas em 2,000 ris cada urna,
o obrigadas a aferir; assim como previne aos genito-
res de tojas, que, estando prximo o tempo da revi-
slo, tifio Ihea passar verba de revisfio, sem (|iie es-
tejam exaclas com o padrilo da cmara, e para esse
fim j tem preparado urna porgfio de varas e covados
ja ateridos para aquellos que precisurein.
Francisco Anto-flio de l.ima retira-so para o lo-
de-Janoiro.
O credo res lo inglcz John Wilson compare
desna arte, pode o procurar em casa do sua resi- eslabelecimentn ao Sr. W. Bauch, nqual Rea res-
a. __ e O nnriMiml .,,..,>.. i. ^ ^ i t
gam no da ssbbado, 31 >lo correnlo no consolido fJor esta folha de que usar contra aquelles quo se
lirilannico na ruado Trapiclio-Nofo ao meio-dia
em poni -- Pcrnsiiibuco, 23 de maizudo 1819. A
Auautin* Cov/ier, cnsul.
Precisa-se de urna ama do leile forra ou capti-
va, masque tenha hom Icite : na ra ds Cinco-Pon-
tas, n. 95, ou annuncie por esta folho, para ser pro-
enrada.
Aluga-se um sitio na estrada de Belm com
casa para pequea familia muitas frulciras boa
Ierra para plantacao, pasto para ter duas vaccas ,
por prego commodo : no Alerro-da-Boi-Vista, fa-
brica fe licores, n. 17.
-* O aferidor, em conformi-
dade do artigo 8.* du regulamento da enmara, roga
aos Srs. fincara, que estando a |ndnr-se o lempo da
aterigo anda nJo appareccu individuo algum para
aorir regoss le lo palmos, cravei que sao obri-
gados a usarcm todos os mostrea pedreiros, earpi-
nas, canteiros, vendedores de mndeiras e lodo a-
quelle que lem nocessidade ilesa modida, afitn do
que venham aten las, do contrario ser prejudica-
do em sua arromatagflo.
Precisa-so de um caixeiro que diVfidor a sua
conducta e que tenha bstanle pralica de venda ,
para recobor por lulango urna das melhorcs vendas :
quem estiver neslas circnmslancias annuncie.
-- Dosappareceti, nodia 21 do corrente, oseravo
Jofio, Cabund ; representa 50 anuos de idade ; talla
minio atravi'ssailn, magro, estatura ordinaria; tom O
beico inferior 'erilo le calor de ligado ; levou ca-
rniza de algodozinhn rom mangas curtas, c calca de
algolfio azul, remendkda iln joellto : quem o appro-
hender leve-o a ra da Caileia-Vclh, n. 17, pri-
moiro andar, qoe ser gratilicado.
Quem annunciou querer comprar o drama He
radio ou Focas, por 2,000 ra., dirija so aloja dos
.Srs. Guerra ik Silva, na ra Nova, onde tamhem a-
cliara a Alzira ou os Americanos, cncadernada, por
3,000 rs., e mili as iiiuilas quo se desejarem, cuja en-
couimcnda se recebe, deixando iPnho-ro de sigual;
assim como vondem-se msicas para thealros parti-
culares, etr.
Alnga-so a luja sita na ra de Santa-Rila n.....
rom minios bpns commodos para familia, cozinha
fora, quintal separado do sobrado, cacimba e porllo
que bota para ama da praia de Santa-Rita: quem
pretender, andar do sobrado da esquina do breco do Serigailo.
-- Participa-so ao Sr. Manoel Ignacio de Siqueira
que -tenha a hon lado mandar pagar a quantia do
2,080 rjs, importancia da sua carta do ordoin, que
leu a 28 ile agosto de 1847, porque al esta dala mo
tom sido paga pelo sen correspondente.
Fabrica de Todos-os-Sanios
Firmino Jos Flix da Roza, com escriplorio na
ra do Trapiche, n. 44 avisa aos seus freguezes que
acaba le rccpber pela escuna Curiana novo sorli-
mcnlo do escolenle panno le algodflo entramado
daquelln fabrica. ptimo para ensaccar assucar e
para roiipa de escravns. O annunciante cotila que,
almda fazenda o desejo de animar o desenvol-
vimiento de urna fabrica inteiramente nacional, pro-
mover o promplo consumo da sua receita.
-- Guilherme Augusto Rodrigues Selte, tendo an-
nnnciado por este Diario, que ia ao llio-de-Janeirn ,
nnnulla agora esso anniinrio visto que, havendo
fetoaccommolagfio na causa de compromisso quo
muvia a seos credores nSosgtie mais para a cor-
te o recurso de revista que os mesmos interpozerom
s sentencias obllas em favor do annunciante no
tribunal darelacRo testa cidade. Guilherme Selle,
agora que osla novamente rehabilitado no commor-
cio e de posse de todos os livros, ttulos e mais pa-
pis pe'tencentes a sua anliga casa de negocio, quo
existiam no doposito geral, avisa e roga a todos os
seus llovedores, tanto di praca como do mallo para
que Ihes vilo pagar no Aterro -da-ltoa-Vista n. 10,
{loupantlo-o assim aos motos judiciaes, e publicarlo
rcciisarcm a pagar-lhe,
-- Aluga-sc urna sala o alcova em um primeiro an-
dar, propria para um homem solleiro, ou escrip-
lorio de algum advogado : a tratar na ra doQuei-
mado, n. 9, secundo audar. Na niesma casa precisa-
se de urna pessoa quo saiba fazer pilo e bolacha e
que queira ir para urna villa do mallo.
Alogam-semobiliasda forma que convier aos
freguzes, para rasas particulares ou por das ; beni
como cadeiras para qualquer festividade, OU funo-
ral, por proco muilo commodo: na ra Nova, ar-
maicm ti. 67.
Aluga-se urna ama para o servigo interno de
una casa de familia t na ra das C.inco-I'onlas ,
n. 112.
Jos Fernandes Guimarcs, Porluguez, retira-
se para tora do imperto.
Quem precisar ie um raixeiro poriiiguf z pera
caixeiro do qualquer airumagiio, excepto venda,
o qual da fadnr a sua conduela annuncie.
A quem convier vender um milheiro do telhas
de boa qualidado botando-as nos Arrumbado?, di-
rija-sc a ra da Florentina n 16. Na niesma casa
vende-se urna poica de raga lia li muito gorda c
propria para crior-so.
Prccisa-seile um fllcial de lanoeiro que en-
lenda lambem do dislillar e queira subjeitar-se a en-
gajar-sc para um eiigcnho distante lala cidade II
leguas : a pessoa que esliver no-tas circiimstancias,
p de dirigir-se a tratar com o doutor Francisco Jofio
Carnero da Cimba, na praca da Roa-Visla, casa da
osquina da ruado Aragilo.
O doiilor Jote Bcnlo da Cunta Fi-
gueiredo mudou-se para a ra da Auro-
ra, casa n. q^
Francisco Luiz Pereira, subdito portugtcz, reli-
ra-se para tota do imperio.
nonaavol por todas as dividas contralllas pela ex-
tincla lirma, assim como o nico autorisado a robrar
dosdevedoiesda mesma lirma, ficando desta manei-
ra nulloo annuiiciofoilo pelo inesuin abaixo assig-
nado em 16 do correnle mcz. lindara mais que est
de enntas justas com F. C. Rlstcr. Johonn Itnsen-
brock.
~ OlTerecom-so para caixeirosdous poquenos, sen-
do um potuguez o Otilio brasileiro os quaes silo
espertos e dilo (ador a sua conduela : na ra do
Queimndo. n. 6.
Compras.
Compra-se urna prela, ou parda que cozinhe
beme ongomme e sejn desembarazada: nao se
olha a prego : na na do Vigario, n. 24.
--Compra-se um bilbar que esteja em hom esta-
do: quointiver annuncie.
Compra-se una casa terrea no bairro da Uoa-
Visla, na ra do Arago ou na da S.-Cruz do lado
da sombra : quem tiver annuncie.
Compra-so una escrava, mucama tecolhida,
preta ou mulata, que engomme bem ecoza qualquer
costura Com pcrfeiciio ; paga-sc bem : na ra Nov..,
Vendas.
m
SI Na gureria de dagtierrntypo do arlisla Guilher-
# me Frederico Walter. na ra da Cadcia de S.-
# Anlenio, n. 26, terceiro andar.-tiram se relra-
# tos muito superiores,pola in wneflo de Daguer-
# rer, lauto em fumo como coloridos, das 7
# lloras da manhfia s 5 da larde; adlrman to-se
$ garatitindo-so lano a tlurabilidade das c-
49 res, como a perteila semelhanca.
9) Aspessoasquesc dignarem favorcelo diri- -e*
^ jatn-se casa cima mencionada. m
(OS O aiiiiuncianlo previne ao respeiluvel pnbli- 9
PJ> co, que pretende demorar-se muito pouco ff>
9ti lempo nesla capital, por isso previne a qual- %
quer pessoa que precisar de seu retrato mili- **
> lo fiel, ou qualquer pinlurn copiada, que ap- f
fft f an>Qa antes do fim do mez, em casa de sua t
# esideiicia. i,
s
- Itoga-se.ios Srs. Jos Joaquin deAlmeida Gue-
des o padre Francisco Antonio doOliveira Uozellos
moradoi-es em Olinda, Christovilo de llullanda Caval-
vanlede Albuquorque, moradorem Arandcpo, enge-
iiiio Ipojuca, Amaro Comes de Oliveira, -senlior do
engenho Canna-llraha, c Antonio Coneia Pessoa lo
Mello, senlior do do Vertentcs, o favor do dirigirein-
se ao segundo andar do sobrado n 18 do pateo do
Carmo, pata negocios do inlercsses, e na falla dir-
se-lia quaes sito esses negocio.
-Aluga-se a lujado sobrado n. 5 do Aterro-da-
Roa-Visia ptima para lodoogonero do negocio,
pela stia excellente localidadc : a tratar no mesmo
sobrado, a qualquer hora dodia ondetambem se
Tara negocio com a armacio envtdrajada, existente
na mesma Inja.
O abaixo assignado adverte aos devedores da
rasa to tinado Jos Antonio Alves da Silva, para que
nao paguerri quantia algumn sem scientificar c en-
tender-so com todos os herdoiros, o por consequen-
Cin'eom o abaixo assignado na qualidndede marido
administrador do urna das hnrdeiras, visto que no
Uventario daqnelle, que se deu princtoio a fazer-se
em dezpmbro do 1847 peto cartono do escrivo Mol-
la, nonliuma mcnsio se tea anda de seinclhantes
dltidas, e quo por isso lican o dorador responsavel
para cada um dos herdeiros na parto que Ihe deve
caber da respectiva ilivida, e na mesma conrormi-
dade responsavel o devedur queja tenha pago algu-
mn quantia sem o nssentimento do abaixo assigna-
do, pOr anda se n.lo ter concluido o inventario e
partilha. Recite, 25 de marco de 1849.ilarcellino
Jmi< iMpu.
Fabrica de cspelhos.
Joto Dubois fa publico quo presentemente acaba
df HioiHar urna fabrica de por ac em cspelhos de
maior tamauho : as pessois que se quizerem utilisar
- Os abaixo assignados, subditos portuguezes, simlo Luiz retira-so hrevcmonle para os portal
retiram-se para tora do imperio: Manoel da Silva do sul pelo quo declara ao respeitavel publico, que
Almeida, Domingos Josc Ferreira d Silva, Joaquini lem granue sorlimento de obras de uro o brilhan-
da Silva Costa Faiadelos, Miguel Francisco Ferreira,
Francisco da Costa Fenls, llernardino da Cosa e
Souza, Antonio da Silva Torres, Jos Concalvcs da
lli.cha, Francisco Jos da Silva Morara, Julio da Gra-
ca llastos, Scrafim Baptistada Silva llastos, Caetauo
do Paiva Ferreira, bernardo Leile Peixolo Guima-
riles, Jos do (lliveira, Miguel Rodrigues Pinto e
J
os Rodrigues Pires da Maya, levando este ultimo em
sua companhia, Maria Candida de Azevedo, tamhem
portugueza.
-- Jos Antonio Rrauco, subdito porluguez, reti-
ra-se nara fra do imperio.
-- lugam-se os segundo e terceiro andares da ca-
sa n 15 ita ra da Cruz
Precisa-se de urna pessoa forra ou captiva, pa-
ra irabalbar na destilaco da imvessa da Concordia.
Retira-so para fora do imperio llcnrique Zim-
nujj, com sua senhora cqualro lilhas menores.
-- lio-se 500,000 rs. a premio sobre hypolheca col
urna casa : quem pretender, dirija-se ao Aterro-da-
Doa-Visla, n. 63, quo se dna quem faz este negocio.
Aluga-ae tima casa terrea, sita na Iraveasa do
l.ivramenton. 12 :a trati'r na ra larga doRozario,
n 39, segundo andar.
Precisa-sede urna ama torra para oserviQo in-
terno de urna casa de pouca familia : na ma larga do
Rozarte, n. 48, primeiro andar.
- liosappareeoo no da 23 do corrente o mulali-
nho de nuaie Vicente, de 12 anios, levando cal;a
le lila azul, jaquela le briol risendo, camisa de ma-
dapuliio, suj esem chapeo: consta que anda mes-
mo pelo bairro do^nto-Anlotiio : quem o pegar lo-
ve-oarua dos Trinchciras, n. 50, que ser recom-
pensado.
Francisco Jolo de P.arros embarca para o llio-
de-Janciro o seu escravo crioulo, de nomo Olympio.
Urna pessoa que tem de so retitar para fra des-
Ja provincia vende urna niohilia em muito bom es-
tado com os seguintcs ohjcclos : duzia e mcia de
cadeiras, um supla, urna mesado meio de sala,
um jogo de bancas, um toucador, sendo estes ohjec-
tos de Jacaranda urna marqueza, una mesa ds-
tica um aparador urna cama de madeira Goncalo-
Alves urna cadeirinlia de arruar muito rica una
rommoda um armario do pinho um guarda-ves-
tidos, um banheiro de folha sendo todos estes
ohjcclos de muito bom goslo e em estado o mais
porfeito possivel, por prego muilo rasoavcl: na ra
lidia, n. 40.
Jos da Maya contina a ensinar a lingoa in-
gleza a pode ser procurado em casa dos Srs. Veitch
Bravo & Companhia, a ra da Madre-de-Deos.
-J. Maya havlng again fixed bis residence in
Ibis lown. beg lo inform bis friends and Ihe pulilirk
in general, lh.it lie conlinnra lo leach Ihe porlu-
guese lang'uage; and wtll duly altend lo addresses
leftwilhMess." Veitch Bravo & G.
Precisa-se do om feitor solleiro, e que traba-
dlo de enxada entenda de jardim e horta : no sitio
ao pj' do porto da Oponga.
Aloga se a propriedade de casa de tres anda-
res, na ra do'Vigario, o. 23, onde moran os Srs.
Russell Mellors & C : a tratar com o seu proyrietario,
na ra do (uoimadn, n. 20.
O Sr Francisco Goncalves da Costa, que leve
padaria em Olinda, queira dirigir-se a praca da In-
dependa, ns, 6. c 8, para so Ihe fallar a negocio de
seu ulerease.
O ahaixp assignado avisa ao publico que lem
dissulvido a sficrdade que gyrava debaixo da firma
deJ. Itosenbiocle ct Companhia, e vendido o mesmo
Vendc-sc superior familia do mandioca em sue-
cas de alqueire a 4,000; bem como os frescaes
queijos do Minas a 800 rs. cada um na ra do Vi-
gario venda n. 15.
-Vendem-so saccas com farinha : na ra da Cruz,
n. 62. e na ra de Apollo, nrmazcm n. 4.
Vende-se um moleque de 20 annos, do nacflo,
ou Iroca-se por ontro que seja pequeo e capaz ite
aprender ollicio: no pateo da matriz do S.-Antonio,
sobrado n. 4, s dir quem faz esto negocio.
No Aterro da-Boa-Vista, do-
li n te da boneca,
ha chegado um novo e completo sorlimcnto de col-
gado francez do Indas as qualidades, lano para
homem como para senhora ; bem como os bem co-
nhecitlos sapalos do Aracaly para homem : ludo
or prego conunodn
Vende-so a obra do Voltaire, em 4 v. Telema
co em francez ; Historia de Inglaterra; Tnouipson ;
o Vigario de Wakefield em ingles, Titi l.ivio ; Cor-
nelia ; Horacio em dous voliimcs ; Ovidio ; Carlas do
Cicero, em lalim: ludo em bom estado, por prego
commodo : na roa do Queimado, n. 16.
Vende-se um lindo randieiro francez. por pre-
go rommudo: na rila Nova, hija de funeiro, de-
fronte da (onceiglo dos militares.
500 ris rada um.
Na ra do Queimado vindo do Rozarlo, segunda
luja u. 18, vendem-se lengua pretos da seda a 500
rs.; ditos de cores ,a 500 rs : lengos floridos de I la
com franjas, proprios para hombros a 500 rs. ; to-
vas de pellica para senhora, a 400 is. o par; alpaca
de linho, a 500 rs, o rovado ; t- outras muitas fazen-
das por prego comnioJo.
Obras de otiro.
tes chegados ltimamente de Fmngii : as pessoas
que desojare ni comprar ditos ohjcclos dinjam-se
ao Hotel-Francisco no Recite, Trapicho Novo, n. ,
que se venderlo por prego commodo.
No armazetn da ra Nova n. 67, acaba de re-
echer-so um sorlimenlo de loucadores de vatios la-
manhns cadeiras de palhiuhas a duzia a .' /, 3>/,
45,000,50,000.72.000 c 84,000 rs .- ricos sophs,
lauto de Jacaranda como de oleo ; bancas de nido
desala ; mesas elsticas para 20 o mais pessoas ; di-
tas de jogo, de niogiio e do oulrs qualidades ;
commndas, bancas ; eslojos para navalhas; cadei-
ras ib> viagem ; dilas paia esriiptiiragSo j estante
paia livros; armarios, guarda-roupas ; e ou!r< s tnui-
los ohjcclos que a vi>ta dos prelemlcnles eslaro
patcnies e se vendero por prego muito commodo.
Vende-se tima bandeira nacional,
lodade damasco, bordarla de ouro,c ain-
i!i nao usada: M ra Nova, se^uoilo
.indar ra casa n. :18, alcas o Iioras do
lia, o das 5 s 4 di tarde
Vende-se nina redo nova de arrasto por prego
ronrmodo : na ra da Praia-do-t/ildeireiro, n. 9, se
dir quem a lem.
Vende-se a venda d.i ra Nora. n. 40, cornos
fundos a vnnlado do comprador : vende-se por sou
doiio retirar-se para fra : a tratar na mesma venda.
Xaropc do bosque.
Acaba de rhegar pelo vapor S.-Sebas-
tio urna boa pnrcao dcsle xarope ; ve 11-
de-se no deposito na rna do Trapiche,
n. .'|, e 11a ra da Cadeia do Recife,
n. o.
Vcndcm-se, na ra da Moda, n. 10 segundo
andar dous lian Iros de azeite de carrapalo noros.
um randieiro francez, de meio de sala, em bom uso;
11 m dito de metal aniarello para cozinha ; um laixo
de cobre maneiro com bom uso ; um par de man-
gas de vidro lavradas de muito bom goslo ; una
bandeja imitando charflo de milito hom gosto : lu-
do se vende milito barato, por seu dono retirar-so
bem como 11111 sdlim cm hom uso com seus ar-
reios.
Vende-sc urna negrinha de8annos, muilo lin -
da c queja cose sofTrivel: na ra Nova, n. .">.
Un Man 11 Mu airo* de ivipor, 11 1,200 rs. a-arroba,
em saccas a vonladc do comprador : no armazem do
Bacelar defronte da escadinha da altandega ou a
tratar com Jos llapiisla da Fonseca Jnior, na ma
do Vigario, 11. 25
Para quom precisa.
Vende-se una halanga nova, guarnecida de lolfo
e com correnles do mesmo um lerno de pesos do ,s
libras al meia quinta um hrago do autor Romlo .
barril com niel de engenho na ruada Cndeia do Re-
cite armazem n. 8.
i iiiiiiiHO tniiio
de superior qualidade, por prego mais commodo do
que em nutra qualquer parle cm alqueires, Mu em
suecas: a bordo do patacho 0tffM4s, 011 a fallar
junio ao arco da CouceiQO luja de ferragens, de
Jos Oas da Silva.
Aiiulii exist'-tn na rna da Praia, n. 35, 15(abnas
de rostadinho c 24 ditas de assoaibo, ludo de ama-
relio e que linio FO vciide-para se lechar conla de
venda : o dilo (ahoadn faz muito cotila aos marc-
neteos por estar ha mais de um anno no armazem,
estar bailante serco e tifio abrir mais feilo om obra:
a tratar as Cinco-Ponas, n 32.
Vemle-se muito em conla um pi-
ano novo de Jacaranda, feito por um dos
melbores autores ; a\ ra do Queimado,
loja de ferragciui, n. 10.
Vende-se superior tumo em iolba
para capa le cbaiutos, por prco com-
modo; no armazem de Francisco Dias
Ferreira, no caes da Alfandrga ' tamliem
se vendem no mesmo armazem Larris com
loarinllO de Santos, muito bom e barato.
- Na ra estrella do Rozarte, n *, vendem-se os
seguales romances o Fspifio lo campo neutral,
4 v. ; o Joven Siciliano, 4 v. Adriana, 3 v ; Euge-
nia 2v. ; 0 Salteador Saxonio, 2 v. ; Julia 2 r.;
A uguslo e Cabiiella, 2 v. ; Mrquez de Renondour, 1
v. ; primeiro e segundo volumos do Archivo Popu-
lar : lambem se aluga qualquer dcstas obras por
prego muito rasoavcl.
Vende-se um escravo ptimo cozinheiro, e de
bom paladar por ler pralica ha bastante annos nni
urna casa capaz o qual lambem sabe remar,o poris-
iara cozinheiro|do algum navio ; ello
so he proprio | _.
I lambem sabo tratar de ja va I los : vende-so para fo-
ra da paovinria, por motivos que se dirio ao com-
prador: na na do Queimado, loja de terragem ,
bo
mente na provincia: na ra da Florentina, n. 16.
Vondc-se, por commodo prego a posse do um
terreno alagado, sito no aterro do Varadouro cm
Olinda do lado do rio salgado com 100 palmos de
frente c fundos al a baixa mar do mesmo rio, fo-
reiro cmara ilaqiiolla cidade e quepaga de fora
animalmente 2,500 rs.: no Aterro-da-Boa-Visla,
n. 55.
Vende-sc panno de algodn da Ierra, m uilo en-
corpado por prego commodo : na ra do Crespo,
n. 23.
Vcndcm-se chitas linas de muito superior oua-
lidade, polo preco de 120, 140 e 160 rs o COVadO i
na rui do Crespo, n. 23.
Vende-se um habito dt Chrislo, esmaltado;
una cabritilla muito bonita com habilidades: para
liquidago de conlas : na rna larga do Rozario ,
n. 35.
Vende-se urna comnicnda nova do Cruzeiro :
na roa da Cadeia de Recife, n. 51.
Vende-se um pardo sapaleiro sadio e sem vi-
cios : na ruada Cadeia-V'elha, n. 33.
-Vende-se um moleque do 15 a 16, anuos proprin
para pagem por ter bonita figura, st.bcr bem ser-
vir u ma mesa e trotar le sala pot estar a islo acos-
lumado na ra da Cruz, n. 51.
Vende-se um bom escravo pora todo o servigo,
por ser corpolcnto o sadio, por prego commodo : na
ra do Collegio, a tratar com Sebastifio Jos Comes
Penna.
-- Na casa de modas francezas de madama Millo-
rhau no Alerro-da-Boa-Vista n. 1, derronle do
ehal'ai 1/ ha para o lempo da qnaresina mantas de
bico, manteletes de seda chamaloto e DIO i btcos
pretos verdadeiros; cabego de bico I uvas curtas e
compridas, com dedos e semolles; fil de huno ,
iso o bordado; lengos de mflo, muilo ricos, lam-
bem se fazem euVctivamenlc chapeos, toncados e
vestidos de senhora por prego barato, e de moda
verdadeira.
Unolre Jos da Costa vende saceos
com feijfto de todas as qualidades, muito
supeiior, pelo diminuto preco de 5,ooo
rs. cada sacca : no armazem de Uacellar,
em frente a escodinba da dlfandega.
Vondem-se caixas, nit as ditas, equarlas dilas,
com passas. as primen as a 4,000, as segundas 1
2,000, cas ultimas a 1,000; no largo da AlfanJega,
ai nia/em 11 7, de Francisco Oas Ferreira.
Vende-se farello em sacas de noventa libras
na ma da Cruz, n. 15, casa de W. Bauch.
11 10.
Vcndcm-se dous escravos mogos sendo um
prelo de 30 anuos c urna preta de 20 o primeiro
vende-se com a condigno de er para agricultura ,
anda mesmo sendo por menos de seu valor: na rna
da Cadeia do Recife loja de Joo Jos do Camino
aloraos, ,
Vende-sc 11 ma negrinha crioula dol annos,
propria para o servigo do casa c vender n ra : ven-
dc-sc por necessidade ; na ra do Mondego, n. 107.
Vende-se um earneiro milito lindo moxo, ca-
pado e manso, propiio para menino: na ruado Ara-
go rdinagao n> 36.
Vendem-se 12 lindos moloques do nagfio e crion-
los, do 12 a 20 anuos setn vicios nem achaques ; 4
prclos ptimos para lodo o servigo ; 2 ditos de meia
idade, muilo em conla, e que sfio ptimos para sitio;
3 prels, sendo urna tollas boa vendedeira de roa :
na na do Vigario, n.24.
Vende-se una parda de 26 annos, perita en-
gomnttdeira ,e que cozinha bem o diario de urna
casae cose muito bem ; no tom vicios nem acha-
ques : vende-so por precisilo : ns ra da Concordia,
,1 direita, segunda cosa lerrea se dir quem vende.
Madeira de pinho.
.Va ra de Apollo, pegado ao armazem do 8r. Mol-
la ha um terceiro armazem com madeira de pinho
da mellior qualidado que lem vindo s este mercado,
e serrada de todas as grossuras o eomprimentos :
vende-se pelo menorprego que he possivel.
Na ra do Trapiche armazem n. 34, defronte
lo Hotel-Pistor vendeoi-sc presuntos queijos lon-
drinos, conservas, moslarda alcapras, salmo .
sardinhas em latas : ludo o mais fresco possiyel ;
camisas de algottozinho, brancas e de cores len-
gos de scia verniz prelo de nova invengo que
conserva a madeira : ludo por progos rasoaveis.
Vende-sel flauta ,1 crtente para relogio, 1
gatnfio com podras de marliin : na ra larga do Ro-
zario n. 24.
\ el les, freguezes, que se es-
lo acabando.
Vendem-se lijlos de todas as qualidades e tama-
nhos a voiiUnie dos compradores fabricado nos
m-rabaldes da praca a qualquer hora do da : a tra-
tar na praca do Corpo-Sanlo no armazem de as-
sucar de Domingos Soriano Gongalves Ferreira.
Vende-so, em Olinda atrs do Amparo 11.11 ,
leile sem agoa. j*.
- --x.
aav
- *-



,
- -

Vcndom-se gangas azues, a 100 rs. e mais lar-
nn-i i cova,,; ""as de madapolo limpo,
minio largo e encorpado, proprio para forro e para
roiipa do escravos a 3,000 rs. ; hrim do algodflo
e lislras a 200 rs. o covadp ; hretanha ""a, muito eneorpada a 200 rs. a vara o mais
grossa a180rs. ; linhas finas urna quarta por 320
s- o grossas a 2*0 rs. ; lencos do camhraia, omito
unos o com seus entalles a 320 rs. ; dous bahuszi-
f'hos chertos de tartaruga proprios para guardar
J's por commodo proco ; chitas a 6,7, 8 e 9
vileos e muito finas, decores fixas e do bonitos
padres a 280 rs. : na ra do Caes, n. 17.
Aos nitantes de bouigosto..
Nftarmazem de motilados atrs do Corpo-Sanlo,
n. 66 recebe-se por todos os vapnros viudos do sul
porcBo de cigarrilhos hespanhoes ditos de palha de
millio, assim como superiores charutos de vari
qualidadcs : ludo se vende por prego mais barato do
que em outro qualquer paite.
PARA LIQUIDAR.
Vende-so cal virgem de Lisboa de superior qun-
lidadc por preco mais barato do qno ein oulra
qualquer parle : na na da Cadeia do Recita n. 30.
Home barato no Patxeio-Puhliro, faja de Biunoel
Jouquim l'asroal Hamos n. 19.
Vendem-se pannos linos de muito boas qualida-
des, preto, n3/,#, 4/500 o 5/000 rs. ; merino a
3,200 rs. ; alpaca, a 80 rs. ; sarja a 2,000 e 2,100
rs. ; lencos de sarja a 1,0(10 rs.; rlseados monslros
de padres os mais modernos que teem vindo, a 280
rs.; ditos francezes a 200 o 2*0 rs.; cortes do Ifla, a
^',000 rs. ; dilos de casimira a *,000 rs. ; risrados en-
carnados*, a 220 rs.; cbilas milito finase modernas,
a 280 rs. ; um completo sorlimcnto de oulras mais
ordinarias a 160c 200 rs. setim preto, a 610 ; ris-
rados para camisa, a 100 rs. ; pecas de brclanha com
varas a 2,000 rs ; urna porclo de madapolo lino ,
4,000 rs. a pega ; pecas de Cambraia lina entestada ,
3,500 rs. ; suspensorios, a 100 rs.
trelo de l.itb'ia, em barricas :
vendc-se no armazem do Vicento Ferreira da Costa ,
na ra da Madre-do-Deos a 3,600 rs. novo e chc-
gade ltimamente de Lisboa.
irci ,
em barricas a 4,000 rs.; saccas grandes, a 3.50o
rs., ditas pequeas a 2,800 rs : no armazem de J.
J. Tasso Jnior, na ra do'Amorim, n. 3.
Tabeado de pitillo.
Vendem-se taboas de pinlio no
Forlc-do-Maltos ,rmazciii do Vianna e
no armazem do Aindiado, na rtia de
Apollo, junio ao porlo velho dan Canoas,
e os mclliores pranches, costados, costadinhos e la-
lioasde. todas as grossuras e compriinenlos porto-
do o prego.
Vende-se ca.' virgein de Lisboa,
ebegada no ultima navio, em barra pe-
queo*, por menos do que em outru qual-
quer parte: na ra do Trapiche, arma-
zem n. f.
Ven.lem-se loros de angicn de superior quali-
dade sendo de 12 a 20 palmos de eornpi monto : na
ra do Vigario, n. 5.
Continuam-se a vender saccas com superior
colladas fabricas do Rio-Crande-do-Sul, por pre-
go commodo : na ra da Moda, n. 7.
Taimado de pin lio da Suecia ,
de 10 i 5> palmos
mercado, em razflo de se poder enverni/.arem qual-
qncrobra por uo ter nos e ser muito alvo sen-
do costado, cosladinho, assoallio, forro c para fun-
dos de barricas : vende-se a proco que o comprador
laii lodo o negocio: atrs do thcatro, armazem de
Jouquim Lopes de Almcida.
J-Useadow nioiisros, n 240 rs. o
(ovado.
Vnndcm-sc os bem conbecidos riscados monslros,
pelo baialo pceo de 240 rs. o rovado para se ara-
bar : na ra do Cocgio, loja nova da estrella, n. 1.
Polassa.
Desemharcon lia poucos dias urna por-
ao de barris pequeos, com muilo no.Va
: snpeiior potassa, e se acliam a venda,
por preco mais baialo do que nltima-
ineute se vetulia, na ra da Cadeia-Velba,
armazem de Baltai ckliveira, n. 12.
Velas de psperroaeete.
Vcndem-se em casa de Ricarda Roylc.na ra d.i Ca-
deia-Velha, n. 29, superiores velas de espormacetc do
i; cm libra.
--I*n travesea da Madrc-dc-Deos, n. 13, c no depo-
sito da pailaria ile nina s porta, na iraca da S.-
Cni7, vcnde-se ludo quinto se fabrica na referida
padaria como tamboni escolente cha liysson e as-
quear rolinado do fabricado na ra das Larangoiras.
alcodao' nA baha.
Ciinlia 0. Amorim vendeui o superior algodfiQ
trancado, fabricado na Rabia em pecas, pelo pro-
co de primeira mflo na sua loja da ra da Cadeia
i! Vendo-so cal virgom do Lisboa, de supeiior
qualidade em barris de* arrobas ebegada ueste
inez pefb brigue Maria-Joi : a tratar na ra do
llruih .armazem do Antonio Augusto da Ponseca ,
ou na ra do Vigario, n. 19.
-- Vendem-se dous Iremos com os seos competen-
tes consolos de muilo bom gosto c de modelo o
mais moderno pussivel : na ra da Cadena do Reci-
te na esquina que vulla para o Itecco-I.arpo, n. 24,
segundo andar.
Vendem-se seliins inglezes e camas
de ferro : na ra da Senzalla-nova, n. ]>,
<*> Low-Moor, ra da lienza 11a-
iiovo, n. 42.
Nesle estabelecimento contina a ha-
vei um completoiiortimento.de moendas
e ineias moendas, para engenhu; ma-
chinas de vapor,e tachas de ferro batido e
coado, de todos os tamaitos, para dito.
Ferro
de lodas as qualidadcs e dimensOes, em barra, ver-
galhilo, verguinha, arcos e chapa por prego com
modo : na ra da Madre-de-l)eos, armazem n. 26.
rolha de Flandres.
Vendem-se caixas com folba de Flandres: cm
rasa de J. J. Yasso Jnior : na ra do Amorim, n. 35.
--Vendem-se semeas em saccas muilo grandes ,
a 4,500 rs. : na ra da Madre-de-Deos armazem de
Vicente Ferreira da Costa.
Aosamantes da boa pilada
so offerece o rap Novo-Lisboa, no seu deposito da
ra larga do Rozario n. 2*.
Vende-se potassa superior e* por
commodo preco : no armazem do Dias
Ferreira, no caes da Allandega.
Vende-se superior arroz por preco
commodo: no armazem do Dias Ferrei-
ra, no caes da AlfanUega.
-- Vende-so um osoravo de nagflo proprio para
qualquer Iraballio por ser bastante corpulento, o
(nal se ncba alugado na padaria da caixa d'agoa na
ra do Pires : vetlde-BO por prego coimnodo, por ha-
ver necessidade: para ve lo, na mesma padaria, aon-
de se dir quem o dispon.
Vende-se familia de mandioca, o
mcllior que ha no mercado, c por preco
commodo, em saceos : nos armazens de
Dias Ferreira, Bacellar, e n. 1 no caes da
A lan (lega.
Vende-se um cscravo de 28 a 30 annos sadio ,
robusto e que be proprio para silio por .ter sido a
sua oceupagilo, ser muilo bom horlclilo he fiel e
de boa figura : vende-se por seu senhor retirar-se
para lora do imperio : na ra da Moda, n. 19, sc-
.......Ir. .I...I..-
.. ..,.
Vinbo barato;
Acha-scestabolecidona ra da Madre-de-Deos,
n. 36 um armazem de
Vinhos da Figneira,
do ptima qualidade, a prego do 1,200 rs. a caada,
e a 160 rs-a garrafa ; e para nlo havor dolo do com-
prador serffo lacradas as garrafas o com rotulo, re-
rcbemlo-se a garrafa vasia, e dando-se immediata-
mente a oulra ebeia : lambem ha barris muito pe-
queos proprios para quem passa a festa. O pro-
I rietario desle cstabelecimento pede encarecida-
mente que se n3o illudam avahando, pelo diminuto
prego e sem conbecimenln de causa a qualidade de
sua fazenda digna por certo da estima dos verda-
deros amanles da boa pinga. Elle conta que quem
ui 1a vez provar, continuar com gosto e sem arre-
pt.idimento. E o bom proco!!.' A todo o exposto
accresce o asseio e boro acondicionamento o que
ludo se podera verificar em dito estabelecimenlo.
Vende-se resina de angiro muito superior i bro conservas lalinbas com biscoulinho inglez :
lude de superior qualidade e vindo de Liverpool na
barca ingleza Etlher-An, entrada nudia 17 do cor-
rele vende-se por prego mal commodo do 411c
em outra qualquer parle : no armazem d moldados,
airas do Corpo-Sanlo, n. (iii.
Luvasde pellica-
Vendcm-se luvas do pellica para bomem e senho-
ra ; ditas pretal de seda, com palmas e sem ellas;
meias de seda, brancas e pretas para senhora : na
ma doQueimado.n. 16, loja de Jos DiasSmoes&
Companhia.
Luvas de pellica, a 400 rs.
820 rs., levando de8 libras para cima : na ra da
Cadeia do Itecife, loja de ferragens.de Joo Jos de
Carvalbo Muraos.
Vendc-se um fardamento completo para ofll-
cial ,on inferior de cavallaria da guarda nacional,
cujo faldamento ainda niio foi servido, e vendc-se
qualquer pega a vonlade do comprador na ra No-
va n. 16.
Vende-se a verdadeira potassa da
tUissia, desembarcada hontem, por pre-
co muito rasoavcl, vista de sua muito
superior qualidade : na ruado Trapiche,
n. 17, e ra da Cadeia, n. 34*
Vcnde-se, a bordo do alacho rVoro-L**, fun-
dcado drlronte do Forte-do-Maltos Nperior farinba
de mandioca \im'a de S-Calbarina ; bem como
farinba de roilho : a tratar no mesmo patacho, ou
na naga do Conimeroio n. 6, primeiro andar.
Alcodao iiaocado da fabrica
re Todos-os-Sanlos da
Itahia ,
muito proprio para saceos de nssucar e roupa de es-
cravos: vendo-so em casa de N. O. Iliober & Com-
pouhia na ra 'la Cruz, n. *. .
Vid ros para vid tacas, a 6#0<)
rs. a caixa de 100 ps cbicos e:n porgOes do oito
Caitas par cima : em casa de Kalkmann Irmflos
na ma da Cruz, n. 10.
Presuntos.
Vendem-se superiores presuntos inglezes para
fiambro, ebegados no ultimo navio: no armazem
do liraguez ao do arco da.Conceigfio.
Taitas para engeoho.
Na fundigao do ferro da ra do Rrum acha-se a
venda um completo sorlimcnto de laixas de a 8
palmos de bocea, por prego commodo, e com prom'p-
tidiio embarca-so, ou carrega-se em carros sem dcs-
pezas ao comprador.
--Ainda ha pura vender na ra do Queimado, n.
19, um pequeo numero de saacas com arroz pilado,
muilo superior )0r prego commodo para acabar.
A *,000 rs.
a sacca de farinba de mandioca de boa qualidade,
vindo j onsccada do Riode-Janciro : no armiizem
do llacelar, dofronteda escadinha da Allandega ou
.1 fallar com Jos Raplista da Fonscca Jnior, na ra
do Vigario n. 25.
-- Vendem-se 3 salvas de prala de diflerentes la-
manbose de gosto moderno; 18 eolheres para sopa ;
12 ditas para cha ; um paliteiro : lodos estes objec-
tossio de gosto muilo moderno : na ruada Cadeia
do Itecife, u 38.
Calyado,
Vendem-se botins e moios dilos de l^bda, para
bomem e menino ; sapalos de maroquim francez ,
por prego mais Jiaralo do que oni oulra qualquer
parte : na ra larga du Rozario, n. 2*.
Na ra do Queimado vindo do Rozario, segun-
da loja n. 18, vendem-se longos de seda a 500 rs. ;
chapeos de sol, de se Icngos degarga pura senhora, com um pequeo de-
da massa, brancose pretos para meninos, a 1,500
ris.
Vendem-se presuntos inglezes para fiambre;
latas com bolachinhas de Lisboa ; ditas de ararula ;
ditas do marmolada de 1, 2 4 libras ; ditas de sar-
iliuhas; ditas de homilas; ditas de cliecolate de
Lisboa ; frascos do conservas ; ditos d'agoa de flor
de la n nja; barris com azeitonas brancas de Elvas ;
garrafas com vinho moscatel de Setubal e da Ma-
di'ira ; queijos de prato, fresca es : tudo novo e
chegado ltimamente do l.isboi : na ra da Cruz ,
no Itecife, n. *.
Aos Srs. armadores.
Trina, volante, galflo largo e estreito: tudo se
vende por prego commodo na ra larga do Roza-
rio, n. 2i,
Vcnde-se Elementos de Dircito Pu-
blico pelo Dr. Aiilran, para o primeiro
e segundo anno da academia jurdica : no
pateo do Collegio, n a.
f.HA' BRASILEIRO.
Vende-se.on armazem de molhados, airas do
Corpo-Santo n. 66, o mais excellente cha produzi-
do emS.-Paulo, que tem vindo a este mercado
por prego muilo commodo.
Vende-se urna escrava de 22 annos sem echa
ques nem vicios e que co'-nha o diario de urna ca-
sa lava, e he ptima quitan.deira : yondo-se se-
ment para comprar um preto: cm Olinda, ra de
Mathias-I'crreira, sobrado n. 6.
Fn;< uezia.
Ne paleo dn Terco, taberna n. 7 vcnde-se farinba
em saccas de alqueire modida volita por *,500 rs.,
eascuiasa 200 ra.
f mmmmmmmtmmmm mmmmmmmm
1
y Continua-se a vender a verdadeira sarja de
seda bospanhola ; los pretos bordados de se-
da ; setim preto de Maco proprio par vos- g
;$ tidojum completo sorlimento do panno pre- j|
to fino, paraos pregos de at 10,000 rs. -
Oasirnif nrnla e!uS'Ca, iiuiio SpCriO"; iCt;. jj
jl de seda de peso, pretas e brancas ; um bom- :.'
2 lo sorlimento de cortes do vestidos de seda, |
I branros pretos e de cOrcs fazenda de mui- *
* lo gosto ; c outras muitas fazondas pretas pro-
y prias da quaresma, por prego vonlade do ;|
* comprador : na ra do Queimado quatro- i
^S cantos, loja de Jos Moreira Lopes & Cumpa- |
ft libia, n. 29.
wmmwwmww.m mmfmwmmwmm
Barato.
Capachos de lodas as qualldades ; luvase meins de
seda preta e de outras muitas qualidades ; bicos o
fitas ; (esouras ; garganlilbas ; e ontros muitos Oh-
jectos por prego mais baralo do que em oulra qual-
quer parte : assim como um rosto de calgado para
senhora, por todo o prego : na ra larga do Roza-
rio, n. 2*.
m periores queijos londrinos.
Queijos londrinos, presuntos (inglezes para fiam-
Sal do Assu'.
Vende-se sal do Ass: a bordo do patacho S.-Cru
ouao lado Corpo-Sanlo loja de massames, n. 23/'
-- Vendc-se um preto de 20 a 25 annos, com in-
fici de carniceiro, c que d dous cruzados por da
na ra Imperial, n. 39,
Vonde-sc urna cadeira cm moio uso comi-
dos os portences por prego commodo : na ruado
l.ivramnnto, n. 1*.
o par.
Vcndem-se luvas de pellica para senhora e me-
ninas a too rs. o par: na ma do Queimado n. 16,
loja de Jos Dias SimOes & Companhia.
Wtencflo-
Na ra Nova, loja de ferragens, n. 20, de Jos Fcr-
nandes Prente Vianna vondom-so os mais ricos
apparelbos de metal fino para cha que aqui teem
vindo ; panellas cagarolas e fregideiras de ferro
tudo forrado de porcellana, as quacs se lornam
moito iccommendaveis tanto pola durac.lo, como
polo asseio em que somprc se consorvam ; riquissi-
mas eolheres do metal do principe para sopa cha,
terrina e arroz ; superiores facas de cabo de marfim
e de chifre de viado ; tudo por prego cmico lo, por
isso que est sa acabando.
Vende->e una negrjnba crioula, de 1* a 10
annos, por prego commodo : na na largado Roza-
io n. 28, armazem de louga.
Vendc-se licor em garrafas, muito
bom, e'por preco commodo: na run do
Trapiche, n. 3/, a tratar com Novacs &
Companhia.
Vendem-se 3 lindos moloques do 12 a 18 annos;
duas pretas de 18 a 20 annos cun habilidades; urna
m ulutiuha do 16 annos ; 3 negrinhas de 10 a 20 an-
uos ; pardos de 16 a 20 annos ; um preto de mia
idade ; um lindo muleque do 10 anuos : na ra do
Collegio, 11. 3, segn Jo andar, se dir quem vende.
Ainda exisle um testo dos ricos corles de cam-
hraia os quaes para se acabarem se estilo venden-
de por 2,000 rs. o corte : na ru do Queimado, n. 17.
.Aa loja ta ma do I.mmen-
lo, n ti),de Antonio Luiz
de Brilo Coireia,
vondom-so sapalos de du raque francez para se-
nhora, a 2,000, ditos de setim preto o branco a
1,920, ditos de couro de lustro, para mocinha, a
l.i.on dilos do maroquim pera meninina a 800
ris, dilos do duraque de Lisboa para mena a 6*0
ris, sapates de lustro Coitos na trra, para lio-
mom, ditos do Aracaty para dilo, sapalos de marro-
quim para senhora e bomem, couro de lustro em
pellos, mu 1 Toquins, sola, graxa, eoulrosaviamen-
los; sendo tudo bom, o por barato prego.
1N0 Alerro-da-Bo-Vista, de-
i ron te da i oncea,
adinheiroa vista, os bem conbecidos horzeguins
fraueczes para bomem a (,000 rs. ; sapatOesde cou-
ro de lustro a 5,000 rs: Cheguem, freguozes que
feilo a 6*0 rs.; lencos braucos, a 160 rs. ; chapeos |se eslflo acabando.
Vendo m-f
transparentse com barras de lindos borda-
dos, brancas e de cores, a 2,000 rs. o corte ;
suspensorios linos de meia, a 120 rs. pr;
meias para senhora azues, mesrladas, r-
xas, esverdeadas e pretas de 120, a 200 rs.
o par ; botfies de duraque preto, a *0 ra. a
duzia : no paleo do Carino n. 18, secando
andar.
Allenco.
Vendem-se superiores velas de espermtcete, por
prego commodo ; bem como 11 m relogia abnete
ile ouro, ptimo regulador, por barato prego: na
ra larga do Rozario, loja n, 26.
% os possoidos de bom goslo.
Veude-se um par de pistolas inglezas primorosa-
mente acabadas no rubrico-, rom todos os acceaso-
riogparaa sua conservagilo o asseio, tudo franja--
do em urna caixa de madeira^de tnogno forrada do
velludocarmisim : para ver, na ra da Cadeia do
Recife, lojan. 31.
Carnauba.
Vende-se, n ra da Cruz, n. 21, urna porgffo de
cera de carnauba de superior qualidade, e por lo-
do o prego.
Vendem-se 12aecoes da companhia de Beberi-
be : na ra do Queimado, loja n. 37 A.
Vende-se urna loja de couros sola e calcado ,
com os undos dn !00 s 120/ rs. : cor,.Id* uhi
comprar, por se dar a armago por 10/ ra., isto por
seu dono ter de relrar-se para fra : na ra do l.j.
vramento, na entrada do boceo do padre, 11. i.
Vendem-se couros, sola, sapatos, marroquina,
bonetes de panno fino e outras muitas cousas por
prego mais commodo do quo em outra qualquer par-
to : na ra do l.ivmmcnlo, loja ao p do nicho.
Vendem-se barricas com farinba de trigo SSS e
americana em barricase meias Jilas; feriuna de
mandioca muito superior em accaa grandes : lu-
do por preo comino lo : na ra du Vigario, n. II.
Vende-so um terreno na estrada nova que aira*
vessa da Solelade para o Manguinho com 50 pal-
mos do frente e S50 dilos de fundo cercado rom
cacimba dentro de boa agnado beber, o com um
bom lelheiro : no pateo da S.-Cruz, n. 9.
Vende-se a venda do caes do Ramo, que vende
muilo para a praga e para o mallo: a tratar na
mesma venda.
Vende-se um diccionorio geographico, hist-
rico e descriplivo do imperio do Brasil, por prego
commodo: na ruado Queimado, n. II.
Aos Srs. acadmicos.
Vende-se urna obra de direito Lix Teixeira
muito barato : no Alerro-da-Uoa-Vista, 11 10. .
vende-se umaprea iioa paia vender > tua ,
por ter muila pralica de 25 a 26 annos : vcnde-se
por seu senhor retirar-so para a Kuroja : na ra da
Cruz, n, 37.
Escravos Fgidos

tupio, no dia 20 do correnle um casal de es-
cravos do engenho Passo-Coinprido da enmarca
de Nazarelh com os signaes soguintes : a mullu-r
he mais escura que maiido ; tem o cabello aver-
melhado c pegado, olhos grandes e apitombados,
cara comprla beicos bicudos, peitos regulares ,
semblante fechado pouco desembaracada, de ne-
me Luzia : o marido de nome llernab, de eslura
regular olhos vivos barba serrada; tem um de-
do de um dos ps mais alto do um talho de macha-
do ; sabe ler o escrever ; be bem fallante e muilo
desemharagado ; he bom offcinl de carpira de loda
obra ; costuma andar calgado. Roga-se as autorida-
des policiaese pessoas particulares, que os appre-
hendam e lovem- os an dito rngcnho que ser o ge-
nerosamente recompensados.
Acha-se fgida, desde o dia 22 do correte, a
preta l'lorinda, da Cosa com o rosto tal liado ; le-
vou vestido preto. Roga-se as autoridades policiaet
e capitos de campo que a apprehcndam e loveni-na
aotiapiche da Companhia A mesma'preta colunia
andar nos bairros da Roa-Vista e Recife, principal-
mente no l'oito-do-Mallos.
Iiesapp.nreceu, no dia do corrente o cscravo
Jeronymo do estatura regular, cabello pichaim ,
denles polifilos, olhos grandes, nariz quasi chato,
bocea pequea espaduas largas, bem feita do cor-
po, ps pequeos e cavados barba smenle no bu-
go com poucos cabellos por baixo do quixo, cara
redonda, de cor cabra, de 20 annos ; levou caigas e
jaqueta de chita desbolada, camisa de pregas pela
abertura ; dizem que o dito cscravo fugira para se
unir a fdrga do Morara. Roga so aos capilaes de
campo, que cm vii lude dos signaos cima declara-
dos ha vendo occasi&o de presos da frga do Moraes,
hajam do conferir os signaes para ver se olTerece oc-
casifio de o pegarem. E sea bem recompensado
quem o levar a lijucupapo, a Manuel Montniro da
Oveira. Adverte-se que o cscravo lem o vicio de
fumar charutos.
--Fugio, no dia 19 do corrente, urna preta dena-
gfloRcnguela.de nome Marcellina bem fallante,
olhos quebr. dos eubugalliados, beigos virados es-
tatura baixa o secca ; levou vestido encarnado e pan-
no da Costa : quem a pegar leve-a a ra do Rozario
da Boa-Visla, u. 5*, que sera recompensado.
Fugio, no dia 16 do corrento, um moleque
nome Joaquim de nagu Congo, de 16 a 18 anuos,
cor fula, rosto redondo olhos papudos; tem um
denle tirado na fenle: quem o pegar leve-o* ra
da Conceigao da Boa-Visla n 10, quo sera gene-
rosamente recompensado.
Contina 8 eslar fgida a preta Leonor de oa-
gflo Angola, baixa olhos papudos, sendo o esquer-
uo meio zarolho, rosto lambem papudo ; consta que
anda pela Boa-visla e estrada de S.-Amaro com-
prando Iructas : quem a pegar leve-a ao becco do
Sarapatel, 11 ti, q" "ra gratificado.
IMH : NA TVP. DE M< F* Dh FAMA
149
ILEGIVEL