Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10015


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Anno
Quarta-feira 14

n n/^nfOpwblci-setodnios dlaque nao
0rei de guarda. O preso da aMlg.mura he
,.4,0fl0i porqiiartPl, rnj">"''""'"':' *
onuncloa -lo. MlMWilo Inferid,
,.o de 20 r$. por lii.ha, 40 r. em tvpo dif-
for
d
raso de 20 rs. po
fcrentc. o ai
rpelies pai* metade. O* uno
ajSMMianbr* psgaro 80 rs. por liuha e IbOrs.
em lypod.UfereDic. por cada publlcacao,,
PIUSES JJA LA ro EZpr. S!ARCO.
Crecente.* 1,4a hora e 4.J inlB. di ard
Llia chela, a 8. l 10 hora e 42 inin. da tard.
MinR I ua nova, a 24. a 11 horaa e46min. da manh.
ueiceiue,3l, ai 4lloras e35uiin.da manh.
PARTIDA DOS CORREIOS.
Golanna e Parhiba, s sen, e sextas-feiras.
Rio-G.-do-Norle, quintas-feirai aomeio-dia.
Cabo, Serlnhaein, Rlo-Kormoso, Porlo-Calvo
Macelo, no I .* a 11 e 21 de cada inez.
Garanliuos e Boolio, a 8 e 23..
Itoa-Vista e Flores, a 13 eW.
Victoria, s qulntas-fciras.
rtlimla. lodo o> das.
PREAMAR DE HOJE.
Primeira, 8hora e 30 minutos da manh
Segunda, s8 hora e 54 minutoa ta tard.
de ilaco de 1849.
n. m.
B1AS DA SEMANA.
12 Segunda. S. Gregorio. And. do X. dos
orph., doJ. dn rlvel c lo T. M. di 2. v.
13 Terra. S. Enfraila. And. doJ.doc. da 1.
y. edoj. de mi to. rlUt. de t.
14 Quarta. S. Mathtldea. Aud. do J. do c.
da i. v. e do I. de.pai do 2. dist. de t.
15 Quinta. S. ilenrlque. Aud. oJ. dos orph.
e do i. M. da I. v.
;S Ssit;. ?. Gfii*n. Kw\. de*, s c:t. c do
J. depaido I. dlat. de t.
17 Sabbado.S.Patricio. Aul. do J. do c.
dal.v. edoj do paz do 2 (list.de t.
18 Domingo. S. Gaurlel Arcbanjo.
CAMBIOS NO DA 13 DE MARCO.
Sobre Londres a 27 d. por 1/OO ra. a60 dias.
Paris
T.UIioa 108 por cento de premio.
Rlo-de-.lanriro ao par.
Desc. de Ictt. de boas Arma* a 1'/ ?.' ao mez.
Acces di coinp. de Beberibe, a SO j rs. ao p.
O uro Oncas hcspanriotas. 30#ni(0 a SO/IMO
Mocda de (i/400. 17^100 a 17^000
deAiHOAn 1WMM a IH40P
. de 4*000.... 9/9100 a !#400
Prata-Parcoe bra.Heiroa L4M80 a 2^100
Pesos columnarios. 1/080 a 2/000
Ditos mexicanos..... 1/900 a 1/920
IARIO
BUG
....
PARTE OFFICIAl.
GOVERNO DA PROVINCIA.
Illm. e**m. Sr.Tenho a honra Ho participar i
V. Exc. que cala provincia goza de pleno socego.
Dos guarde a V. Exc. Palacio do govorno da pro-
vincia do Piatihy, 5 de Janeiro do 18W.-Hlm. e
Exm. Sr. presidente da provincia de Pernambuco.
-O presidente, Anselmo Frontis f Perettii
Illm. e Exm. Sr.Cahe-me a honra de communi-
car V. Exc. que esta provincia ontins em paz.
n-nsguarde a V. Exc. Palacio do governo ds pro-
vincia do Para, 23 de fevereiro de 1819. Illm. e
Exm. Sr. presdeme da provincia do Pernambuco.
Jeronymo Francisco Coelho.
Illm. e Exm. Sr.Tenho a saUsfaco de participar
V. Exc. que a ordem publica nesta provincia se
conserva inalterada.
Dos guarde a V. Exc. Palacio do governo do M-
ranliBoem.l.*- de marco de 1849.- Illm. e F.xm. Sr.
presidente da provincia de Pernambuco.0 presi-
dente, ilerruhno Ferreira'Penna.
Ulm.e Exm. Sr..-Tenho a salisfacfio dncommu-
nicar V. Ex. que eata provincia goza do perfeit
Iranquillidade.
Dos guarde a V. Ex. Palacio do governo dn Cea-
reme de marco de 18*9. Illm. Exm. Sr. Manuel
Veira Tosa, presidente da provincia de Pernam-
buco. O presidente, Fatulo Augusto d'Aguiar.
Illm. Exm. Sr.Tenho a salisfaco de partici-
par a V. Ex., que esla provincia acha-se tran-
quilla.
lieos guarda a V. Ex Palacio do governo do Itio-
Ciamin-do-NurU-, 10 de marco de 18*9. Illm e
rxm.Sr. presidente fennenuto Augusto de Bdugalhaes Taque.
Illm. e Exm. Sr. Tenhn a snlisfacito de commu-
nicra V. Ex., quo esta provincia cuulina em per-
feito socego.
Dos guarde a V. Ex. Palacio do governo da Para-
laba, 1 > marco do 1849. Illm. e Exm. Sr. presi-
dente d* provincia de ivi namliueo. presidente,
Joo Antonio de Vasconcellos.'
RISPADO DE PERNAMBUCO.
/>. Jo*o da PurificacBo Marque PerdigSo, conego re-
granle de Sanlo-Agoslinho, por graca de Dos e da
Santa S Apoeiolica, bispo de Pernambuco, do conet-
lAodeS.M. I. O ,&c,kc.
A todos os nossos diocesanos sn le, paz e hencflo
Anda que em ludo o decurso da frgil existencia
do ente creado aeieditem os filhns da santa igreja,
que Dos nflo quer a mortedos percadores, mas que
osles so converUm, cvivain, comttido niais nos de-
venios recordar d'esta imprtame verda.lo, qnando
a conten plumos claramente demonstrada pela ce-
lele prolecc.lo que rocenti-mentc sobrnos desecti,
ot.rigando os agraciados a tiibularem maior gra-
tiililo e reconliepiment, verdadeiramente manifes-
tado pela porfelU correspondencia aos beneficios
immerecdameirte conferidos, consistente o*ia grati-
dflo e rt'cunhecinienlo no esforco de proceder de
maneira que no nos cunstiluamos indignos de sua
i reilerocao.-
A observancia das le de lieos, dos preceitos da
sania igreja, e das leis do estado, he o maior teste-
munho quo podnmos paletilear da gralidlo que o
dea tor exige da en atura. Conlradizer por palavras
ou fados esla asserio, lie o mesmoque ne^ar a
doutrina evanglica, acreditada desde que piinxi-
piou a ser promulgada" para durar at consutn-
mafo dos seculos.
O uoccado da sobarba, raz a que todos os crimes
estao arregados, pel qual a creulura se eleva con-
tra a ordem da natureza e designios da l'ioviden-
cta que a derrelo, he o objecto pretendemos combalar, para ovilarmos sua perpe-
lrar;ilo, e immdiata ou prxima puuicSo, ^elldo
couyenionle que a huiml lado ( virtude que Jesus-
iiiislo maisa| poral, al que j'Oi amor dos homens entregou seu
spiriio as maos de sea eterno pai y reprima uin
vicio que immensos malos occasioua.
Declamadlo*, portanto, contra esta vehemente pai
xfio, dominante ua maior parto dos habitantes no
orbe, esquecidos te entre o Creador ea creatura, revestida da fragili-
dade que a opprime durante sua precaria existen-
cia, conviiido-ihe ter sempre presente sua insulli-
ciencia q inaplioflo parase oppor as leis que o au-
tor da natureza ostabelereu para estuaem em vigor
na permanencia dos seculos seiii contradicfioi A
viole.,ta uaurpaco dos baos alheios he o maior al-
lantado que a human, altivez odia inventar i.uiu
su opior a leigerM'que obriga V honiem a suslen-
tar-se com o pilo que o propriu aur Ih'adquirir. O
contrario sentiiueiito lie uina pertoiu resistencia a
eterna dertoerrio
Celo que, esertdo melhor prevenir a prlica d'esto
vicio, que evitar o. seu exercicio, julgamos urgente
exhortar ua nossos diocesano a lesistencia do maior
dusc iines, qumio a tenlaeo o acooimetter, cou-
i veucidus ' daule como lnios no livro de ioi, quando nos
assevera que a vida humana he urna continua tenta-
flosobre ierra,. .
Nenhum meio para'venceraslentacOcsho mais efil-
cazque o verdadeiro Jejum, consistente na perfeita
abstinoncia das malignas inclinares que causam
a morte espiritual quolles que fram creados par
sermos templos do Dos vivo, diz S.-Lcflo papa, c
doutor da ssnta igreja.
Din poderoso lenitivo lem igualmente os chris-
lilos contra as tentaces quando se recordem das
que Jesus-C.hristo supporlou no deserto. Esto pas-
moso 0 assombroso faci, acontecido para nossa ins-
truccao, nos certifica que as tentaces silo ueces-
sarias a todo equelle que se delibera a viver pamen-
te em Jesiis-Christo pela exacclo dos propcios devo-
res. Jesus-Christo, tentado polo commum inimigo
do genero humano, e d'este triumphando, nos ensi-
na qual deve ser nossa conducta para roportarmus
^victoria que nos assignala seus discpulos, o faz
escrover nossos nomos no livro da vida reservada
para os que pela vigilancia evanglica se consti-
tuem merecedores de a gozarem pelos merecimentos
do Jesus-Christo, de cuja gloria somos coherdeiros-,
se nos violentarmos para a cons guir.
No ros admiremos, diz S -Gregorio pspa e dou-
tor da sania igreja, nflo nos escandalisemos dasten-
lacOes de Jcsus-Cliristo, suggeridas pelo principo das
trevasj'paM com as suas vencer as nossas tcntacOes,
assimeomo veioau mundo para com a sua vencer
nossa morte."
Quanto, porm, convenha resistir ao principio da
tentacSo, sendo funesta sua adherencia, todo o cliris-
tflo conhece, sciente de que, sendo o Inimigo com-
mum ebefe de lodosos que pralicam a iniquidade
necessailamente devem ser membros d'este errefe
todos os iniquos, segundo o mesmo sanio padre.
A lenlaco acommelte o homom por tres modos
para o illaqucar, principiando pela suggcsluo, con-
tinuando pela deleitacSo, e fiqalisandu pelo deido-
ravel consenso, ronsuiumado o qual, atienta a don-
ti ina do apostlo S.Tiago, flca o peccadnr illaquea-
do, ou laucado na sepultura do crime, cujo resul-
tado he misler prevenir pela seria reflexilo, atlen-
dendo que as illusOes do demonio meridiano, quan-
do s desespi raqilo, deuois quo' esle cruel inimigo apa-
nda no laeo os que Cativa pela culpa.
Nao succede, porm, assim quellesque, oppri-
midos pela affliccflo espiritual, osla supporlam com
a maior fidelidade para em verdado poderem dizer
Como o propheta rei: Se a inloleravel agua das
iribulacfles opprimio o raeu espirito, lieos e St-
iihor, a vossa proteccilo que implorei o encheu de
consolacflo. Preparemo-no, pois, para celebrar a
paixlo e morte de Jesus-Christo com as disposi-
Cfles que osle misterio de nos exige. Apreciemos
a redempctfu do genero liiinurno, consummada no
meio da turra, para nos cuiisliiuinnos dignos de
sua parlicipacilo.
A cegu ira dos judeus, autoresdo chrislicidiosup-
pottado m coiisequencia do irrevogavol decreto
da infinita sabedoria, c baseado na palernal predi
lecc3o com que Jestis-Clirsto amou os homens, an-
tes que estes oamassem, nos sirva d'eslimulo para
diestaruis as trevas do enlendimenlo, com que
Dos castiga a contumacia no crime, a mpiedade e
a corrupcHo do corceo.
Se admiramos as lenlacdes, s quaes Jesus-Christo
voluntaria o exteriormenlo sesulijeitou no deserto,
mais-devemos admirar quo posteriormente a tfio sau-
davel cxeiuplo hajain por lodo o universo clirislilos
irrefleciidos, a quem este misterio seja nseasivel
e indefTcrente na perpotracao dos mais enormes cri-
mes contra a 6agiada rcligio que prolessamos,
contras santa igreja o seu supremo chufe, e contia
os estados. -
Sondo natural ao homem espiritual amar a re-
compensa dos soOrirrientos que a Providencia Ihe
enva para o purificar, e qual o eterno lemuuerador
teni promctlido comprir aos quo pralicam toda a
jusiira, e no exeicicio dista estilo firmes al ao ul-
timo periodo de sua existencia, supportemos de ba
atente a penitencia quarosaiai, persuadidos deque
snienlo por esta podemos gozar o inefavel jubilo,
proveniente da resurreiguo do Jesus-Christo, com o
qual levemos resuscitar om espirito, renunciando
coro ingenua dcfrberacflo as obras da carne, na ex-
pecta?ao de recebermos a posterior gloria que a
mesma resurreislo nos assegura Itesidencia epis-
copal no Itecife, 10 de m.u co de I8i9.
Joo, bispo diocesano.
Outro do Sr. presidente, participando no poder
comparecer sesso por doonte.Inleirada.
Outro do vereador F.gldio Ferreira, do mestno teor
Inleirada.
Outro doctdado Francisco Mamede de Almeida,
participando achar-so no exercicio de juiz de paz do
t o districto da freguezia de S--Frei-l'edro-Concal-
ves na qualidade do 1 supplonle, por so ter ausen-
tado desde odia 2 do crrenle o juiz majs votado.
Que sp respondesse ao Juiz de paz continuasse om
dito exerricio, visto aclur-se juramentado e com-
petir-Ib" aemelhanle jurisdiccilo na falla e impedi-
mento do mais votado.
Outro do fiscal do bairro do Uecife, podindo o pa-
gamento da quanlia de 30,000 rs. qU4 desp^endra
com enlerramenlos do 9 cadveres humanos na igre-
ja de Madre-de-Deos desde o principio do corrento
anno, o de 11 animaos, de 2 do coi rente al o pre-
sente'.Que so passasse mandado.
Outro do fiscal doS.-Jos, reclaman lo pelos con-
corlos de que precisa o matadouro das Cinco-Pon-
C.Que se remotlesse copia de diio odlcio ao pro-
curador, e so Ihe ordenasseque mandasse procedor
a ditos concer'tos, respondendo-sc neste sentido ao
fiscal.
Oulro dp fiscal da Ba-Visla, pedimlo so mandas-
se pagar aoihesourciro da irmandade da Santa-Cruz
a quantia do 28.000 rs., em que importaram os en-
terramentos de 10 cadveres na mesma igreja, desde
onlubro dn anuo passado al 19 do correnle, segun-
do a conta quo junlou do mesmo.,Ooe so passasse
mandado.
Entrando em disciissflo o nfficio do concelho de sa-
lubridade que so achava adiado, respondendo a con-
sulta que a camua liie lizera sobre a materia de pe-
ticlo de diversos propietarios de refinaces de assti-
car nesta cidade, depoia de breve discussio, resol-
veu a cmara imleferir dita pelicilo sAb o fun la-
mento de nilo poder revogarou suspendoras lispo-
sicOes das posturas apprpfadas.
Ficottainla adiado, a requerimento doSr. verea-
dor Carneiro Monteiro, o ofticio do concelho de salu-
hridade, dando seu parecer sobre os lugares que Ihe
pareciam mais proprios para a coHo-acSo dosesta-
helecimontos industriaos que Irabalham com fogos
activos.
A requerimento do Sr. vereador flarata leve igual
d'Stinoa.peticflo dos propietarios e moradores do
bairro de S -Amaro, fcila ao governo da provincia,
e por esle mandada a cmara informar, pedindo o
eumpiimenlo do arl. 39 da lei provincial n. 228.
Foilidoe approvado um parecer assignado pelo
Sr vereador Caudino rclativamenle ao balaiiQO da
receila e despeza f'ila pelo procurador interino,
Mano.'l Ignacio de Oliveira l.olio, durante o lempo
que servio este lugar, e man lou-se expedir ordem
ao cont-idor para passar mandado de pagamento ao
dito Lobo da quanlia de 72,478, excesso da despeza
comparada com a receita, que foi por elle sunprido.
scundoomesmo balanco, assim como ao procura-
I0r para que exigisse do dito seu antecessor interi-
no tin caso de suida o nao ter fcito, a quanlia de
37 573 dos cinco por ccnlo extraludos dos ordenados
do's empiegados do mez de setemhro, constantes do
supramencionado balanco.
A requcrimenlodoSr. vereador Carneiri Montei-
ro, deliberen a cmara se ofllciesso o nsciirs, de-
teriiiinaiidu o fiel cumplimento das posturas, visto
que se teni observado negligencia na oxocueflo
dcllas.
Foi designa lo o da 5 do marco prximo futuro
para principio ds primeira sessflo ordinaria deslc
anno.
Despacharam-se ss pelices de Antonio Jnaquim
Ferreira do Souza, de Domingos Antunes Villaca,
do Innocrncio Anlunos de Parias, de Joaquim For-
nandes de Azevedo, do Jos Joaqnim do Mosquita,
de Joao Tho'maz Pereira, de Jofio Bento do Lagos,
deJoHo Pinto do Qucirs, dn Ludgro Concalves da
Silva, de Manoel Antonio dos Santos, de Manoel
Francisco da Silva Carricio, de Miguel Joaquim da
Costa, c outro, Viuva Carioca, e revanlou-sc a ses-
o. CU, Joo Joii Ferreira de Aguiar, secretario, a
subscrevi./'jo Albuquerque, presidente.Fumna.
Carntiro Monteiro --A. de llanos-IIaratn.--Borros.
DIARIO RPEliXASItUin.
BICirt, 13 DIMAHCO OX1849.
oraliiu d* n>viSTA.
De ofcio do juiz de direilo criminal dessa comar-
ca, datado a 15 do fevereiro ultimo, consta que toda
ella se acha em perfeita paz, e que os seus habitan-
tes ostentara o mais pronunciado espirito do ordem ;
sendo corto que alguns Iludidos que havism tenta-
do oppor-se a que enlrasse em exorcicio o delegado
nomcado para o termo do Ex, depozeram as armas,
reconhcccram aaulorida ledeque aquello funecio-
nario est revestido, e pacficos se rccolhc.ram s
respetivas habitacoes, protestando liel obediencia
ao governo e a qualquor de seus agentes.
Quasi loda a provincia, pois, respira paz; apenas
em um ou outro ponto appareccm pequeos grupos,
anda lesvarados da vereda da ordem c da legalida-
de. Entretanto, esperamos que dentro em breve
esses mesmos grupos so dissolverSo.
Taos Silo os effelos de urna administrac-lo tilo
justicera como a do Exm. Sr. Manoel Viera Tosa.
Temos f que", com os seus aclos, regulados todos
pelas leis e pela prudencia, S. Efe. consegui des-
fazer, maia por maia, a rede em que homens pou-
cos conscienciosos involvcram una porgo do povn
pernsmbucano ; bem como que, oblido este grande
resultado, S. Eso. nada esquecer por proporcionar
provincia os beneficios nialeriaes e moraes deque
ella tanto carece, eque confiamos alcancar da sua
BlUktracflO, jialriotismo o setividade.
PEaiMWBCc.
Cmara municipal do Hccilc.
SESSA EXTIIAORDINARIA DE 26 DE FEVEIIEIMO
DE 1849.
TitESinrNcu oo s. cAaasiao momibo.
Prsenles os Srs. Barros, Barata, Caudino e Vi-
snna, fallando com causa participada osS/s. presi-
dente e Egidio Ferreira, naem ella os Srs. Dr.-N'-ry
da Fonscca o Mamede, felo que os julgou u pro-pre-
sidente incursos no arl. 18 da lei do 1.* de uutubro
de 1828, brio-so a sess.lo, sendo lids eappruvada a
seta d'aiileceleiile.
(i secretario leu os seguinles oficios :
Um do Exm presidente da provincia, remetiendo
um exemplar do Diario de Pernambuco n. 41 de 21
do conenle. conteiido avisos imperiaes, expedidos
em dalas de 8, 9, 11 e 12 do Janeiro ultimo, todos
soiveudu uvidas uceo, i (Jas na exec. giluda lei re-
gulsmentr das eleicOes.luleiada e que se aecu-
sssse a reoepcao,
l'AllliCKU A QUE SR REFERE A ACTA CIMA.
Tundo examinado as contas dadas pelo procurador
desla cmara Manoel Ignacio de Uliveira Lobo, quo
servio interinamente desde 20 de setemhro al 20 de
uutubro do presente anno, sonima a receita 862.851,
o a despeza 972,902, havendo por isso um sold de
110,051, a que he responsavcl a cmara, do qiialjier-
tctice ao procurador 72,478, e 37,573 dos 5 por ccnlo
exlrahidos dos ordenados dos entregados, o da com-
missfio do procurador, sendo esta quantia perlen-
cenle .i eaixa econmica dus empregados, criada
por le provincial, ochando as conlas conformes, o
que mais circumslaticiadmetile se ( lo conhnccr.
pela conta corrente aqui junta, sssignada pelo pro-
curador interino, e o contador desta cmara Manoel
Gregorioda Silva, entendo quo devem ser approva-
das, mandando-se salisfazer os rs. 72,478 ao procu-
rador, o recolhendo-se ao cofre os rs. 37,573, per-
lencenles a Caixa econmica.
' lio quanto se me offerece a dizer em satisfacSo
do que me fui ordenado em ollicio de 6 do que rege.
Camar*a municipal da cidade do Itecie, 13 de nu-
vembro de 1848.
O vereador, Caudino Agottinho de Barros.
t,|O-C.RANnE-DO-*0BTK.
Temos vista urna carta escripia na cidade do-
Natal aos 9 do conenle.
O Sr. doutor Henvcntilo Augusto de Magalhes
Taques tomara posso da ptesi leticia a 24 do passado
OSr. Joilo Carlos W'andcrley, ao entregar s sdmi-
iiislracilo da provincia ao Sr. doutor Taque, tiverao
prazer de poder assovcrar-!ho que ella se ochava em
paz.
Iteinava a hiaior harmona ntreos Srs. Taques u
Wanderlev ; o pov lava musirs de salisfeito, o
ndo havia o mnimo rccciodcqoe a iranqiiillidade
publica Msso alii allerada.
"v'iiiiinr
CONSTITUIfiiO DE FIIANCV, PUBLICADA PELO
rrscn, peridico inci.i./.
rneAMBt.o.
Em nomo do senso commum o engonbo narinnai
ptoelama: u.'
1. a Franca por agora'frma urna repblica. Ks-
colheu esla forma de governo por Ihe parecer a me-
lhor, posto que Ihe lica a liberdade plena de mudar
amaiihilii para oulra, se assim lite aprouvor.
2 o A repblica li eterna, salvo se houverom re-
volocoes.
3. Os seus principios s.1o : loque a generala, bar-
ricadas, luminarias.
Tm por base: absolutamente nada.
?." Todos os Francezcs sao iguaes pcraiito esta
base, o participan igualmente dos principios da re-
pblica.
5." Os cidados devem muilo, mas nilo lauto co-
mo a reoublica.
6.' Oscidaditos sao ohrgados a defender a re-
publica toda a hora do (lia e da noile rom movis,
podras, plvora, e al com o seu ultimo real es sua
Vida, todas as vezes que a repblica exigir esle sa-
crificio. ... .
7. A repblica devo ministrar trahalho a todos
que o pcdi.cn ; o se os bravos cid.idflos nao quizo-
Fem trabalhar, deve Ibes dar dinheiro, se o livor.
8 A repblica deve muilo ; nesle momento deve
600 milliOs .16 francos o alguna cntimo. ara
qnando poder. ., .._-
Para garanta (lestes deveres o engonho nacional
docreta : ..
Arl l. 0 povo he soberano, e portanto cada rran-
cez He a trigesima-sexta tnilionesiina parle do mo-
narciia, nem mais netn menos.
a. O povo, poatu que goo dos direitosuo sobera-
I no, nao poder usar de cor6a.



i
3
3 Cada cidadflo tem em sna cas um asylo invio-
lavel, excepto, e tome-se tem tenlo, s halas, os
soldados, e nutras cousilas que acontcern eni oc-
casi.lo de molnis.
4. Todo o cidadflo pode entrar ou saliir sem receio
de ser detido ou preso; unir excepcflo : quandu
quizcr sabir da sua povoagflo dcve tirar passapoile,
im mu' alias podera ser deudo ao primeiro passo e
e ir para a cadeia.
5.' Fica abolida a censura, mas scrflo presos os
escriplores.
6 ft mprensa he livre, islo he, podo pensar e ex-
prrssar-se de modo que nflo desagrade, por exem-
plo, 0f 7." Os cidadflos teem dircito de reunir-se, comer,
fallar, cantar, chilrar, eescrever todas ss parvoices
de que frem capazes as suas caberas, niflos e pea,
urna vez que estes memhros do corpo publico nflo
f'acam cousa que lira os ouvidos, vista ou a sensibi-
lidade do poder.
8.* Ficam abolidos os principes o nobres, excepto
nos vaudevlleg, operas, comedias, contos de ve-
Ihas, novellas, e entro estas a historia.
9. A proprio lado nflo he roubo, mas o estado po-
de exigir o sacrificio ilc urna proprieiladu medanle
una justa indemnis 'u em um bon do thesouro.
10. Exigida esta propreJade, nunca se podera de-
volver
11. Os destinos da Franca concentram-sc em urna
so cmara.
12. Mas esta ser tamanhs, que nella caibam at
900 representantes.
13. Cada representante recebera urna rndemnsa-
{flo diaria para tabaco e rebugadns.
14 Ksle tabaco o rehugados sflo sagrados, os cre-
den-s nflo Ihe pdenlo fazer i cnhora.
15. O representanto os recebera anda em furias.
16. O estado contenta-se com um presidente, mas
que uflo.-cja inglez, nem turco, uem chim, nein au-
tropnphagu, mas fiancez, e dos mais puros. Sflo ex-
cluidas as criangis que tiverem menos de nula
annos. As mulbercs terflu lambcm em sua casa urna
, cmara, onde poderlo reinar c governar sem que a
repblica e inlrometta nisso.
17. Todos os Francezes, inclusos os surdos-mu-
dos, tem voz e voto na repblica, urna vez que rhe-
guem idade de discrigflo.
18. Qualquereleilor he apto para a presidencia.
19. O sutTragio he para lodos ; e emquanto ao es-
crutinio, se lirur.loas listas, nem mais uem meuus
do que se fossem barricadas, secretamente.
2o A divida publica continuar sendo divida pu-
bl.ca.
MI. A juslica he gratuita para osadvogados.
22. .Vio ha lei que obngue o cidadflo a trazer a
cruz da l.egiflo ue Honra, nem pena pura o que re-
cusnr i reslm Un- o pello.
23. Mi podera liaver escravidflo em Franca, mas
seivico militar.
2*. Todu o Francez nascc necessariamente soldado
nu guarda nacional.
25. Ocxeicito he um corpo sem cabera, porque
nunca pode deliborar.
26. A constituidlo garante aos cidadflos, urna Vez
que sejam comeuidos, os fogos artiiciaes c espec-
luculos gratuitos.
27. Fica a esculla dos Francezes designar a dala
da primeira revolugflo que se ha de Tazer.
28. Cunlia-sea presento cuiisliluigflo establida-
di' un nula vfl da nago fmnce/.a, o a fitileriiidade e
unnime acccdo de lodos os republicanos, anida
vertui'llios.
A constilugflo lem por rubrica urna vinheta que
representa um cflo il'ngoa que por.ieu a pista em um
chairo, onde isla um luastro rom qualro linios no
topo em dirccges opposlas apuntando para o napo-
leonismo, nioiurcbia, repblica vcrmi-lha, repbli-
ca moderada.
(0o Jornal do Commercio).
Nario sahido no mamo da.
Ass ; patacho brasileiro Laurentina, capilfln Joflo
Martina dos Santos Cardos, em lastro. Passagei-
" Jos Antonio Fernandes.
ro,
KDITAES.
0 Dr. Jote Thomaz Sabuco de Araujo Jnior, fidalgo
cavalleiro da casa imperial, cavalleiro da ordem de
Chriilo. juiz de direilo da primeira tara do erime cm
correictto, por S. IH. Imperial 'a quem Deo$ guar-
de, ele. '
Faz publico que, tendo findado a correicflo hoje,
12 do crrente, devcm os escivfles, solicitadores e
pessnas intereasadas comparecer em a casa de sua
ifsi.1 iici.i amanhfla 11, para receberem do escri-
vflo em sua presenta os autos, livros e mais pa-
pis, a presentados correicfln.
Recife, 13 do marco de 1849.
JosThoma Sabuco de Araujo Jnior,
Jonquim d'Aquino Fonseea, Dr. em medicina pela fa-
culdade de Parit, presidente do conreino geral de sa-
lubridade publica, commissario vaccinadi.r provin-
cial por S.M. o Imperador, membro correspondente
da tociedade de tciencias medicas de Lisboa, etc. ele.
Faz saber que ninguem podera ser vaccinado sem
que antes se faca inscrever, para o que lio neceSsario
que comparec na repartieflo as qnaitas-feras ou
salibados, das 8 s 9 horas da manhfla ; assim romo
quo pessna alguma nflo nodo ser inscripta sem que
declare com a maior exaelidflo o nome, idade, na-
luralidade, filiacflo ou senhoriu, estado e moradia,
indicando o numero da casa.
Sala dasscssOes do concelho, 12 de marco de 1849.
Jonquim de Aqtiino Fonuca.
Kxistcm na administradlo do correio geral dcsla
provincia cartas seguras para os Srs Domingos Mar-
lins Poples, Francisco Cnelio da Costa, Franrisco
Oleslino liamos de Saql'Ann, Ju-tiniano Fran-
klim, Ignacio Antonio de Ha i ros Fnlcflo, Jos Ignacio
( oinilua Jnior, Luiz Jos de Sa Araujo, Nicolao Ca-
n i-i Bez.
Correio de Pcrnmbuco, 13 de margo de 18*9.
O ajiulante,
Antonio Jos Lomes do Correio.
COMMEftUC
A LF ifU) IX A.
lii:,Mi|MI'ATO DO DA 13............ 17:185,488
lletcarregam ho>, 11 de marco.
Calera Rein-Detr mercaduras.
Haica l.igeira dem.-
Baica Golden-Heece dem.
lirigue />lo azeile.
IMPORTACAO'.
Avroru, lirigue brasileiro, vindode Huenos-Ayres,
entrado no corrente inez, consignado a Joflo Fran-
cisco da Cruz, manifostou o scguinle :
9406 arrobas o 8 libras carne secca, 14 couros sec-
eos, 1250 ponas; ao consignatario.
As casmhas
publico.
CONSULADO GER1,.
ItKNDIMrNTO 110 DA 13.
Geral ........
Diversas provincia
2:928,578
276,876
3:205,454
CONSULADO PttOVUNCIAL.
ItENDIMENTO DO DA 13............ 2:464,285
Movimento do Porto.
Varios entrados to dia 13.
Cenova; 30dias, banca garda Crrelo-Segundo, dn
258 toneladas, capilflo Jos Serra, oquipagein 14,
ein lastro ; a Jos Saporiti.
JJuenos-Ayres ; 33 das, patacho inglez Henry-Cu-
tvan, de 151 toneladas, capitflu Tilomas Vickeis,
equipageni 8, carga carnee aeho ; ao eupitflo.
nio-ie-Jaiiciro ; 25 das, lirigue brasileiro 1*11, de
216 toneladas, Capilflo .Nicolao llnirique Soares,
equipagciD 13, carga farlnha do mandioca, feijflo,
azoite-doce e batatas ; a Gabriel Antonio.
A cmara municipal da cidade do Kecife, etc.
Faz publico que, ein observancia do arl. 5. til. 1
arts. 5 e 13 lil. 4o, ail.7* lil fi e art. 2" do lit 12 das
posturas ein vigor, lem designado os lugares abaixo
declarados para cnterrau-enio de carnes corruptas,
e de animara morios, colloraces dos acougucs ora
situados por toda cidade, nialadouros pblicos, para
solUr-se logeles buscaps e bombas, pravas de
mercado do luir lalicra, fruclas, e outras especies de
Cumeslives, c de c.i(iiiii i: l-nlia devondo os hcou-
gues ser lemovidus dos lugares emqueseacham
para os novameule marcados no prazo de 30 das
contados da data desle.
PARA ENTF.RRAMENTO DE ANIMAES M0RT0S.
Bairro do Itecife.
Areial do Brum por um e oulro lado.
Dito de S.-Antonio e S.-Jos-
Areial das Cinco-Ponas ao correr do maladouro
por um e nutro lado at a praia de S.-]Oa exclusive.
Cito da boa-Vista.
O litoral dos Coelhos.
PARA ACOLCHES.
nteife.
Ilua da dina e Fra-de-Ports, a partir da primei-
ra Iravessa direila al o Pilar.
Santo-Antonio.
Palco do Paraizo, inclusive os beccos que dflo sa-
luda ra de S.-Francisco.
San-Jos.
da ribeira do mercado, eoacouguc
Da-Visla.
Ascasinhasda ribeira, e o lODUgue publico.
Para matado-tros.
O mesmo existente o nos Coelhos.
Para soltarse bombas e foguetes buscaps.
O lugar do S.-Amaro e ilha de Anua Bezerra.
PARA PP.ACAS DE IIORTAI.ICES E FRUCTAS.
Itecife.
Ra da Cruz.
S.-^nlono e S.-Josc
Largo do Paraizo o ribeira.
Boa-I'isla.
Dentro da rea da ribeira respectiva.
PRACAS DE CAPIM E DE I.F.NHA.
Itecife.
No veliiu Porto-das-Canas.
Santo- Antonio.
Praga de S.-Amaro a direila da casa de Jos Joa-
quim de Mesquisla uulr'ora Mundo-Novo.
San-los.
Areial das Cinco-Ponas.
BoaUsta.
No oilflo da igreja da Conreigflo-dos-Coqueiros.
i: para constar se mandou publicar o presente pela
imprensa.
Pago da cmara municipal d Recife em sessflo or-
dinaria de 12 de marco de 1849.
Manoel Jonquim do llego e Albuquerque,
presidente.
Joo Jos Ferreira de Aguiar,
secretario.
THEATUO DE APOLLO..
SADBAD0, 17 DE MARCO DE 1849.
Represeulagflo extraordinaria em beneficio de ma-
dama Camoin.
Primeira represcnlacflo de .
. L'ABBAYE DE SAINT CYR
drama a carcter em qualro actos e de grande espec-
tculo pelu Sr. Alexandre Duinas.
DA3KIA.
I'asso hispanhol, dancado pela aenhora Camoin.
INTERVAI.LO DE CjInT.
Grande aria italiana, cavatina d'Atilla, msica de
Verdy, cantada pela senhora Alexandre.
DANfA.
Novo r*s noble, dangudo pela senhora Camoin.
CANTO.
Philomle, romance novo, msica do Panleron,
cantado pela senhora Alexandre.
Une filie terrible, vaudeville novo e jocoso em um
acto.
Avisos martimos.
Para o Rio-de-Janeiro sahe, com a maior brevi-
dade possivpl. o i alacho nacional Conceicdo : para
carga, escravos a free e passageiros, trala-an Com
Novaos & Coinpauhia, na ra do Trapiche, n. 34.
Para oRio-de-Jaueiro sabe impreleiivplmen-
Icsabhado, 17 do crrente o patacho nacional Ku-
icipe capilflo Manuel Luiz dos Sanios; s recebe
miudezas, oscravos a frele e passageiros, para o que
lem excellciiics commoiliis: Ira-so com Luiz Jos do
sa Araujo, na ra da Cruz, n. 33.
-- O patacho S.-Joo- Vencedor segu para o Rio-
de-Janturo, no dia 15 do crrente: recebe passagei-
ros, e escra vos a frite : os preteudenles dirijam-se
ao sen consignatario, Francisco Alvcs da Cunta,
na ra do Vigario, n. II.
Para o Rio-de-Jaueiro segu com (oda a bre-
vidade o brigue brasileiro S.-Jos : para carga e pas-
sageiros lral-se com Caudillo Aguslinho de nar-
ros na pracinha do Corpo-Sanlo, n 66, ou com ca-
pilflo, Jos Ramos de Souza, a bordo do dito brigue.
Vende-se o hiate t'lor-do-ltetife, de lutado 34 to-
neladas, pregado e forrado de cobre, o proinpto a se-
guir viageni : quemo pretender, dirija-so a ra do
Vigario, n 5.
-- Paras ilha de San-Miguel pretende snhir, com
minia brevidade a polaca nacional Sociedade-Feliz :
quem nella quizar carregar, ou ir depassagem, di-
rija-se a ru do Vigario, n 8, a tratar com Joflo Ta-
vaies Cordeiro.
Vende-se o brigue denominado Algrele, forra-
do do cobre o promplo de todos os seus pertences
para navegar: quem o pretender, para examinar,
pode ir a bordo, o qual se acha fundiado defronte do
caes do Collegio, e para tratar-se, na ra da Cadeia,
n. 39, com Amorim Irmflos.
Para Lisboa pretende sabir, no dia 24 do crlen-
le, o brigue portuguez Novo-Vencedor, por lera
maior parle da carga prompta : para o rpsto e pas-
sageiros, para o que tem os mais asseiados comino-
dos ii-.iIh-m; rom os consignatarios, Thomaz de
Aquino Fonseea & Filho, ou com o capilflo Antonio
Jos dos Santos Lapa na praga do Commercio.
Vende-se o veleiro hiate l'aqucle-de-Maroim,
novo de 98 toneladas com dous bous escravos
maiinheiro.s: quem o pretender dinja-se para o
examinara bordo, ancorado em frente da ponte ,
na Hiuarragflo da carne secca o para ajuste, na ra
da Cruz, II. 3.
-- Para o JlaranhSo e Para segu com a maior
brevidade possivel o patacho Josena, capilflo Jos
Mara da Silva Porto : para carga e passageiros offe-
rece excedentes commodos os prelendeules iraiem
com o consignatario, na ra do Trapiche, n 44, ou
com o capilflo na praga.
Para o Rio-Crande-do-SuI seguir breve o bri-
gue Carlos.pur ter parle de.seu carregamento : ainda
recebe alguma carga, escravos e passageiros : quem
pretender podo onteiider-se com Amorim Irmflos,
ra da Cadeia, n. 39.
Para a Hahia sabe com brevidade 'o hiate S.-
Antiiiiio-I'encedor por ler mais da melada da carga
engajada: para o resto o passageiros, trata-so com
Joflo Francisco da Cruz, na ra da Cruz n. 3.
-- Para o Rio-de-Jaueiio sahe com muila brevi-
dade, por ler parle de sua carga prompta ,o patacho
nacional Eulerpe ; para o restante da carga, eacra-
vos a frele e passageiros para o que lem expelien-
tes com modos trata-so com Luiz Jos de S Aiaujo,
na ruada Cruz, n. 33.
Mannel Antonio Vieira vai ft Europa, e dcixa nnr
teus rmcuradore* os Srs. Antonio Tluarrc de OI-
Veir Reg e Antonio Duarte de Olivejra Reen Ju.
nior : julga nada devrr a pessna alguma ; porm, se
algiirm ce ulgarseu credor, aprsente sua eonta no
prn/o de 3 das.
Pcrante o Sr. Dr. Jnb. do cvrI da primeira vara
se ha de arrematar, por tres nracas, tima ct' desfi-
brado de tres andares e s"t!ln. Sita nn ra dn Trapi-
clie, n. 4, por cxecugHo de Leopoldo Jos da Cos-
ta Araujo contra seu (levador Jos Comes Villar, ad-
judicada no valor de 11:900.000, Escrivflo itrgn.
-- A pessoa quo annunciou a compra de um hia-
to, querendo urna barcada qusi nova, muff boa de
vela, da melhor conslrucgflo possivel e que carrega
de 36 a 40 oaixas, dirija-so a ra larga do Rozrio,
venda n. 40.
Manoel Pereira Lemog embarca para o Bio-Crin-
dc-do Su I, pelo Rin-do-Janeiro, o sea esetavo cnou-
lo, do nome Eatv8o.
Precima-
nhfla e fazenda larde, que seja possante, linda
mesmo nflo sendo bem ladino, pagamlo-se mensal-
menle trezemil ris : quem tiver annuncie, ou diri-
ja-se ra Augusta, n. 94.
Roga-se o Sr. T caixeiro ou negociante'de
couros seceos na Iravessa da Madre-d-Deos, $\vu,-
se pagar a quantla que nflo ignora onde mandou
entregar a barrica vasia no dia 20 do pioximo pis-
sado ; do contrario ter de ver o aeu nome por exten-
so lodos osdiasueste Diario.
Eduardo Dias Uraga declara'*ao res-
peitavel publico, que osannuncios firma-
dos com seu nome, piiblcndos no Diario
de Pernambttco n?. 54 e 55, n3o solei-
tos por rile.
--Quem livor urna preta fiel, quesaiba lavar, en-
gotnlnar e seja diligente para o servigo de casa e ra,
iiuercndo aluga-la, dirija-so a ra Imperial, larg
uas Cinco-Puntas, em casa do inajor. Bruce.
Pieciga-se ifeOO ou 200,000 rs. a juros com -
anga de urna boa firma : quem tiver annuncie
O abano assiguado participa aos seus credores
para que se dignem conipareper na sua venda, sita
na ra da Cadeia, n 1, para Ihe demonstrar o esta-
do actual do seu negocio, no dia 14 do coi rento
mez de margo, pelas 4 horas da laido.
Antonio Jonquim lavara.
A pessoa que annunciou querer urna casa por
400,000 rs. dinja-se a ra Vellia, n. 80.
50,000 ris
a qum descubrir ou entregar o prelo furtado do si-
lio do abaixo assignadn, nos Remedios, na tarde de
8 de fevereiro do corrento anno : guarda-sn segredo,
e presentando o preio nflo se perseguo e nem se
proceder contra quem o tenlm : o prelo chama-so
Vicente, de nagflo Beugiiella, altura, corpo e ps re-'
guiares, nunca falla, pelo que narece mudo, e quao-
do falla he muito punco eatrapalhado, confuso, a-
malucaio, anda um.pouco rsbarradp e reprsenla
35 annos; levou vestido ceroulas o carniza de algo-
dflo de mangascurtas e usadas : quem delle goulier
ou o appreheuiler, leve-o a ra dollangel,n 54, ao
abaixo assignado, senhor do ihesmo prelo, quo pa-
gar piompUmenle ; assim como tamben), na noite
de 2 para 3 do cumulo, fuilaram do moiflo em que
eslava amiirraila, no n a, de carga de 600 a 700 lijlos de alvenaria, cur-
ia, ainda nova, rom chapa de ferro na proa com
Leiles.
* letela raides.
"*-
O vapor Pnrnense recebe as malas pan
os postos do sul no dia (5, ao meio-
dia : as carias quo viercm depuis dessu
llora pagarflo o orlo duplo al urna
Hoje improterivelmente so fura leilflo de urna
partida de banlia de porco ein pequeos loles e a
vonlade do comprador : no caos da Alfandega,
portn do armazem do Sr. Francisco Das Ferreira.
M. S. Mawson tendo de rctirar-sc para Inglater-
ra pela galera llmndeer, fura leilflu de lo la a mo-
luli.i pialas n inaisuhjedos dosua Casa, inclusive
ii ni lindo e lioin coiiliecido piano na i ua Nova, n.
21, pi'iinoifu andar no dia que se annunciar.
Avisos diversos.
-O abaixo assignado fazsciente ao respeitavel
publico que tem dissolvido amigavolmoule a socie-
ladn quo linda com Manoel do Souza Paz sobro a
lii mu de Souza & Innao, na venda sita na ra da
i;.na, n. 9, licaiiilo d'ora em dimite gyiando ein seu
nome, assim Como obrigado e o umeo responsavel
i liquidagflodaquella firma. .
JoOo Francisco de Soma.'
urna peina partida, argolla na proae na pop, com
amarrago grossa de piasaa'ua, ti pof f 0r. S.S
leltras V F S, ja cobcrlas de hreu : quem dol, sou-
here der noticia na mesina casa cima, se pagara o
trabalho.
Kicforinq Francisco dos Sanios.
Roga-se ao curioso que tirou urna carta do cor-
reio, viuda do norte para A. M L. II., cuja neulium
presumo pode tr para quem a tirou, a nflo ser por
espirito de malvadeza, o que ludo se podera espe-
rar dcste que leve tal lembranca, que a haja de res-
tituir, pois sabe-se quem he ; e se nflo se exige por
auloridade competente he porque se quer csgolar
o> meios de brandura, e poupar a esse curioso a ve-
gonha de ser desmascarado cm publico ; o que se fa-
ra caso nflo reslitua a caita.
CHAPEOS DESOL
Ra do P as seto, n. 5.
Oh! quo pciinclu para o amavel e respoitavcl pu-
blico : novas sedas da molhor qualidado que se po-
de fabricar, porgaren) delncommenda e da melhor
faln ica d Frauga, recebidas agora. .
O fabricante deste estahelecimento adverte ao res-
peitavel publico dcsta cidade que elle possue pre-
sentemente um rico sortimenlo lie chapeos de sol,
assim como chapeos de sol de seda forta-cores, dos
mais ricos que teom apparecido neste mercado, e de
cores couhecidas ; ditos para senhoras de bom tom,
adamascados, lavrados, com suas competentes fran-
jas de retroz, ludo que tom do mais moderno o do
melhor goslo ; um completo gortimento de chapeos
de sol de panninho do lodsg ns cores o de todos os
tamanhog, para homens, senhoras e meninos : ha
laniliom igual sortimenlo de fazendas para cobrir ar-
magOes, tanto de sedas de cores, como de panniohos
trangadose lisos imitando seda. Adverte-se que os
freguezes serflo servidos com brevidade, e se acha-
rilo satisfoilos da boa qualidade, do bom gesto c do
bom prego.
Lotera do Iheatro publico.
Nflo obstante a morosidade que temhavido na ven-
da dos bilhetcs da ultima torga parta da 18.* lotera,
todava o thesoureiro, desojosn de fazer andar as res-
pectivas rodas o mais breve possivel, convida e ro-
ga aos amadores deste jogo quo se apressem a com-
prar o restodosbilhelosque exislein.
Antonio Ferreira Lina, tendo de ir'a Europa
tratar da saiile de sua senhora,. participa aos
seus l'reiii'ze# que a sua venda da ra Nova n.
3 cun iui'ia no mesmo gyro como t hoje ; n ven-
de a sua unir venda na mesma i ua n. 40, com os
fundos a vonladedoCompiadi)r ; um terreno na ru*
da Concordia com 17 palmos do frento o fundo
al baiXH-mar, com meiago no oiUto da caaa jun-
to ao mesmo terreno proprio para seedmcar | or
ler mais terreno junto que lamberji m rende ; um
palan.|iiiui um hum oso Outro aun lembra as pea-
soasquo teem leltras veneidjis em seu poder, que
elld faz algu.n abate rasoatef,easo qu.iram paga-las.
-(.abriel de Castro, por liaver oulro de igu-l no-
me, d'ora em diante se asignara por Gabriel Anto-
niode Casliu Uuiilans.
Quem sa propoaer a forneccr cauun para dous
caval.os, trazendo diariamente porla, Uirija-se a
ra do Hospicio, n 9.
MUTIl nn
.


_
m
_ Os abaixo assigna.Io, scienllficam an.rpspcita-
vd piil>lico,e mudo principalmente a inflas as pesso-
s qiM- teem penhores 'lo ouro em su po Icr, por !"
tundas compradas a casa, o* qncdovem vir tirar im-
prrt'Tivolmente,da dala doslo a 30 dias.devndo per-
ianto vir municiaios 'la quanlia q'ie se julgarem >e-
md >res .|e princifmt o juros, conforme ahaixo passa-
mo< declararos seus debito*.tanto de principa! co-
mo losjiiros;cerUs te que.lindo dito prako'.oao corre-
par'noando, serlo vendidos para pagamonto, ncando
aiuffl&u Inri ios no saldo <|e faltar Pra d)tO lquida-
mente, e se alg.iin dos ditos penhores Uver algum
sil.lo a favor, romptaniei.te se llie entregara:
Marciana Itita. Pacheco, .oradora em Nazarelli,
gnmento's ; e finrlo dito prazo, n5o o fa-
zendo, a annunciante tratar de concluir
u inventan* paru dar partilha aos lier-
rlirs.
&:
Coii|ee4 pal e juroa; Mara Francisca da Paz, nesta prag,
'i 920, principal e juros; Joanna Mara Baptsta da
onceiciio, 19,880 ris, nesta praca; Theodora .Ma-
ri, da Boa Borte, da ci lacle da Victoria, 11,920 res,
do principal e joros; Manool do Burros, de princi-
pa p juros 7*300 ris. l'ernambuco, 19 de marco
de 1819- ,
Victorino $ GuimarSti.
lima prela qui tem muito ebom leile, le ofiV
reco para criar ;qoem precisar, dinja-se Ponte-Ve-
Iha n. 8.
Aforanirse terrenos com com bastante fundo,
no sitio do Hospicio ja com as ruaa demarcadas;
os pretenden tes dirija. m-*e ao mesmo sitio, a fal-
lar en nii JoJo Ozorio de Castro Maciel Monteiro.
--Alog-se un sobrado com mutog commudos
para familia, no sitio grande da Soledade, do Snr.
Ileiculano Alves da Silva : tratar uo mes.no
sitio.
Quem livor um prelo moco de boa conduela ,
robusto esem vicios, que o qtioira negociar, ap-
pareca na ru doQueimadp,.n 17, egundo andar,
que se pagar generosamente.
--Precisa-sede um amado leite. preferindo-se
captiva : na ra da Assumpcao, defronle do muro
da l'enha, n. 36, segundo andar.
I.ino Jos que Hinquen) faca negocio, ou transaegao alguma ,
com una leltra do um cuulo de lis, aceita pelo an-
nunciante a Luiz de Franca Rodrigues Hamos, a qual
existo Iraspassada fraudulentamente a Luiz de 01. -
veira Lima; pois que, sendo o dito Luu do Frailea
devedor de maior quanlia ao annunciante, por fal-
la de ajuste do cotilas a que dito Luiz do Franca se
liavia negado conservava dita leltra em seu poder;
a vista pois o annunciante protesta a nao pagar em
nulo de quem quer que ella esteja para o que usa-
ra de lodos os ineiosquoestiverun ao seu alcance,
urna vez quesc acha munido de documentos para
soinelhante (lu.
Caetano Tavares Bruno retira-se pnra fra do
imperio.
Caetano Silverio da Suva .embarca para o Rio-
de-Janeiro o seu escravo Gaspar.
Precisa-se de um feitor, para um sitio perto
desta praca i na rus de S -Amaro, n. 8.
Aluga-se a propriedade do casa Je tres anda-
ros, na ra do Vigario, n. 23, onde moram os Srs.
Ilusell Mellors&C : a tratar com o seu pioprielaro,
na iuu do QuWinado, n. 20.
Miguel Aichanjo do Figueiredo embarca para o
llio-de-Janeiro o seu cscravo l.aureutino.
yuem precisar de um rapaz brasileiro de II a
15 auuo*.,_par* caixeiro de aJguiua taberna dirja-
se a Fi-a-ile-l'orlas, n 86, o qual lein as habilila-
joes uecessaiias para este II o.
--io; tiv.cr :;s !a com um quarto d-soecu-
padn, em alguma casa na froguezia do Co po-Saiito,
o queira aluga-la poralguns mezes annuucie.
-- Precisa-se alugar um moleq uc que seja fiel,
paia fuzur as compras e mais servlgo de una cas
da pouca familia : nu ra da Cruz, armazem n. 48.
PARA AS PESSOAS QUE TENCIO.NAM SEGUIR
VI\GEM.
Na ruado Rangel, n. 9, continuam-se a lirarpassa
portes para dentro e fra do imperio, despacha m-se
scravos e correm-se foi tus, ludo com brevidude e
prego muito commodo, como se lein dado provas ha
' oiio anuos.
Apparecou em Ierras do ei'genho Fra-gozo, em
casa de Paulo Manuel Lopes um escravo bucal, de
nomo A Mono de nagilo Congo o qual fo de Jos
da Costa Agr que liouxo ilo sertflo para vender
nesta p raga : quem fr seu dono, dirija-se ao an-
nunciante, que nSo seresponsabilisa pelo dito es-
craTo.
Na ra do Trapiche-Novo n. 8 precisa-se de
urna prela que seja captiva e que sailia tratar de
meninos.
DENTISTA.
M. S. Mawson, cirurgian dentista tendo-se de re-
tirar breve pura Inglaterra, off'Tece o seu presumo
ao respeilavel publico desta cidado durante o cuito
espago de lempo que anda tom de se demorar, em
quaulo arranja os pieparalivos de Sua viagem; ad-
vei lindo que sei iucansarel em servir boma ludas
as pessoas que su quizciem ulilisar de sua arle, quo
far a lempo, claOilein com commodidado nos pro-
cos : poden o procurar em casa de sua residencia,
na rus Nova, u. 21, | nin.iro andar.
() Sr. Amaro Gomes de Olivcira,
do engenho Cuniia-liraha presentemenle
delegado, ou subdelegado de Cruangy lie
rogado, pela ultima vez, de ir ou mandar
buscar urna curia que existo para Smc. ,
no secundo andar do sobrado n. 18, no pa-
leo do Crino.
D. Antoni* Florinda Pessoa de U( 1
!o,viuva do tenenle-corouel Jos do llego
lanos, avisa aos ere Jo res de seu casal,
que ella est procedendo a inventario dos
bens que ficaram por'faltecimeiilo do di-
to seu marido, pelo juico dos orphSos des-
la cidade, -pai a (pie, uo prazo de oito dias
da data desle, apresenteiu annunciante,
moradora na ra Nova, n 65, segundo an-
dar, os ttulos de sttis crditos para serem
conleridos, depos do que devein ellcs
juslilicaras suas dividas ciu dito inven-
tario para se separar bens para seus" pa-
Novo rap Amltiraliy.
No deposito geral deste rap a-
caba de receber-se urna nova porefto do mais
excellenle que lem appareciuo, e para o pu-
blico poder experimentar se apresentara urna
amostra,pois imita ao de princezo de Lisboa;
e continua-se a vender pelo mesmo preco
na ra da Cruz, n. 63, primeiro andar, assim
como se vendeo mais excellento cha brasi-
sileiro.
Um homem que lem boa leltra e rom pratira
de escripiuracno por ler servido muilo lempo o
lugar do guarda-livros so propOa a Irabalbar em
qualquerestabeleciment commercial pelo mdi-
co prego que se convencionar: a tratar na ra da
Calcada, n. 31, por detrs da Pcnha, ou auuuncie.
Officina de e cadernf&o.
'Ra ttlreiia do Rotario %
Nesta nllirina, que be diiigida por o padre Pernos
e Silva, aprompta-sc toda o qualquer obra de enc-
dernacilo a um preco moderado.
-- O abanto assignado deixou de ser caixeiro do
Sr. Candido Alberto Sodr da Molta, desde o dia 11
do corrento.
Domingot Jote de Amorim .
Precsa-sc do um homem de Idade para lomar
Jjonla de un sitio perto desta praca, eque trabadlo
no mesmo sitio ns ra do Caldeireiro, n. 46.
Aluga-se una grande oan, sita na ra do.
Cotovello, a qual fo do finado Jos Antonio Alves da
Silva: quem pretender dirija-se a,rua da Alegra,
casa, n. 34 : ua mesma casa, vond-se um cavado
alasio, .
-- Aluga-se a venda da esquina na ra do Caldei-
reiro com armacao para mediados ror mdico
aluguel, a qual be ptima para quem quizer princi-
piar : na praca da Independencia, lvraria ns 6 e 8.
Na galoria de ifaguerrnlypo do artista Guilher- S
me Fredercn VValter. na roa da Ca.leia de S.~M
Antonio, n. 26, lerceiro andar ,tiram se reir- #
tos muito superiores,pela invengo do Dagucr- 8>
rer, tanto em fumo como coloridos, das 7
horas da manhaa s 5 da larde; alUrmando-se
egarantndo-se, tanto a durabilidade das c- 0
re?f,como a porfeita semelhanca.
? Aspeasoasquese dgnarem favorcelo diri-
? jum-se casa cima mencionada. #
V O aniiuncianto previne ao respeilavel publ- 41}
? co, que pretendo demorar-se muito pouco 4f
f5 tempo ivsla capital, por isso previno a qual- *
? quer pessoa que precisar de seu retrato mu- #
m 10 fiel, ou qualquer pintura copiada, que ap-
f, parola antes do liui do mez, omcasa de sua ?
# icsidencin. #
fe
._;s do gralificac? a quem deseobrir
lous scravos urtados uo lelheiro du resliU';fio de
Franca & Innilo, na praia de S.-Rta, na noile de
quarU-feira 21 do correle feveroiro, ambos de na-
Co Rengela, e meio bucaes, com osseguiutps sig-
naes: Mniool, alto, magro, rosto redondo e peque-
no, ar alegre, pos e mos pequeos, caiiellas finas,
representa 25 anuos de idade, levou vestido camisa
o calcare riscudo de algod.lozinho, foi vaccnado lia
poucos das; e Joflo, tambem alio, porm menos
que o outro, grossura do corpo correspondente lia
altura, rosto sub e o comprido, testa larga e arram-
poila, ps grandes, lorno/.elos inehldos, venler
Hstaute saliente, falla um pouce fanbosa, repre-
senta 35 annos de idade; tiimbem foi vaccnado ha
poneos das, levou vesjido camisa de algodaoziubo
riscado o cale de algodo azul: quem os appie-
hender, ou delles di noticia ceita, recebera 100^
ris de gratificado, na ra do S.-ltila, Q. 85.
Fabrica de Todos-os-Sanlos
Firmino Jos Flix da Roza, com escrptorio na
ra do Trapiche, n. 4* avisa aos seus Ireguezes que
acaba do receber pela escuna Curiosa novo sorli-
menlo do excellente panno de algodo enlrancado
daquella fabrica optinio para ensarcar assucar e
para roupa de scravos. O annunciante conta que,
alm da azenda o desejo de animar a desenvol-
vimeiitode urna fabrica mteiramente nacional, pro-
mover o prompto consumo da sua receila.
No palpo da matriz de S.-Antonio, sobrado i.
4, tiram-sepassaporlesparadeniroe fra do impe-
rio assim como para scravos e correm-se folhas :
ludo por preco commodo.
Aluga-se a luja do sobrado n. 5 do Atorro-da-
Boa-Vista ptima para lodoogonero de negocio,
pela sua excedente localidado : a tratar no mesmo
robredo, a qualquer hora do dia oudetamhem se
fara negocio com a armaco envidracada, existente
na mesma toja.
-OSr. Jos Antonio de Azevedo, queira no prazo
deorlo dias, resgatar bs penhoresque empenhou ao
morador d segundo andar du roa do Queimado, n.
1 ; de contrario, se pora em exccuco o documen-
to que passou. I\a mesma cas vendem-se vanas
obras de ouro, um paliteiro de prala um colcha du
lo.lia sarja ile seda, setm, chales, mantas, los sa-
paiosdolustro.a 1,600 rs. ooplras muilas fazon-
das por pn?o coinuiodo para lquidaQ3o : bem como
se dir quem da diiibeiro a premio.
Agencia de passaporles.
Na ra do Colljegio, n. 10, e no Aterro-da-Boa-Vis-
ta lojas ns 48 e 78, continuam-se a tirar passapor-
les lano para dentro como para fra do imperio,
assim como despacham-se scravos, tudo com bre-
vidade. ,
-- Perdeu-se, no dia 9 do correnta na estrada da
villa do Cabo e Rio-Formoso um relogio sursso,
com raixa de prata lixada urna correntinha de ou-
ro e chavo de piala amarrada em um cordlozinho:
quem o adiar e levar ra da Matriz (la Boa-Vusta ,
ii 7, sm recompensado.
Piecis.i-se alugar umn escrava para o servico
interno e compras de ra de urna casa de pouca la-
milla : na ra larga do Rozario, n. 48.
Tiram-se passaporles para 'ontro e fra do im-
perio com a maior hrevi lade vossivel, e por mais
commodo pre(o do que ou tra qual(|uer pessoa: na
ra liireilH, ii 25, primeiro an lar, ncbarlo com
floem tratar, isto he, das 6 at 9 horas da mantilla, e
Jesla hora emdiantn na secretaria >le podra.
-- Precisa-s le um caixeiro brasileiro on roriu-
guez, le 12 a 14 annos : cm Oliivla, no Varadouro,
padiria ila ra do Raido.
-- Jos Peixoto da FonSrca e Mannel Mimes da Sil-
va, Porluguozes, ret.iram-SB para Lisboa.
Joaquim deAudrale Pessoa Pimenlcl, subdlo
d,eS. M. Fidolissma, relira-so para rra do imperio.
Dlo-se 200,000 rs. a premio sobre peohores : un
ra doLiviamenlo, n. 38, primeiro andar, se dir
quem d.
IIOMOEOPATIIIA.
As bexigas esllo assolando ha tempo, econt-
nuam a assolar esta capital; poucos silo os que se
lembram do recorrer a homceopalhia, quando ella
tem em si o nico verdadeiro especifico contra este
lerrive] flagello.
No periodo da invasflo. faz abortar rpidamente
as bexigas de peior carcter, impede formar-so mc-
tastaseno pescuco e apprecerem sollimentos gs-
tricos, losse e rouquido, catarrlio, salivacflo, diar-
rhea, &c. Finalmente, ho o antidoto deslu lamo de
peste, lano no periodo febril e eruptivo como no
ila madure/u o dececarjilo l'ernambuco, 14 de mar-
i;o de 1819.
J. f. Caianova,
Medico francez.
Ilomocopatliia.
Primeiro consultorio gratuito para os pobres
na ra ila Cadeia de S.-Antonio, ii. 22, dirigi-
do pelo Sr. J. B. Casanova medicolfrancez.
EsIp consultorio estar abertn desde as 9 ho-
rasda mandila al as 4 da tarde. Os pobres #
receberflo consultas e remedios gratuitamen- #
te: aprsenlando um attestadode pobreza de d|
seus vigarios ou mesmo de outro qualquor jf
sacerdote. #
Acbam-se fgidos, desde 3 de agosto do auno
passadn, dous scravos, do engenho da freguezla
de Ipojuca, com os signaes segumos : o primeiro
de nome Izidoro, cor trigueirn, allun regular, que-
xo bastante saliente, grosso do corpo, he ofllcial de
carpina ; a segunda de liOm'e Rila, altura maior
que a ordinaria, secca do corpo, voz rslripilosa,
sabe cozer, engommar e co/inhar suffrivclmpiite:
Ao casados: quem os pegar leve-os a sen senhor,
Loiirenco de S e Albuquerque Juninr.ou aojengenho
Guararapes, quesera generosamente recom clisado.
Ilpsapiarereu no da 7 de marco, urna es-
crava pela da Costa, bonita figura, idade 16 minos,
bem retinta, bons denles, nac"io Tapa, com o sig-
na! da Ierra (dous lanhosnas inacilss do rosto), fal-
lando impe redmente Fo ve>lida de vestido de
chita azul escura do raminhos amarellos, u-levou
urna cachninbn .dogue muito pequilia, c do foci-
nho prelo : quem a encontrar o der noticias, ou a
levar casa" do .Sr. Gustavo Jos do Reg, ra da
Unao ser bem gratificado.
m
m
do B
Aviso
aos amantes
>om sor ele
3 A casa de sorvelo da ra do Bangel estove
parausada por causa de molestia do propiie-
a tarn; mas agora loma a dar principio no
8 da 10 do correte', as 6 horas da tarde, al
9 liavergelo sempre com o melhor asseio
% possivel e sala para sonhoras onde serflo _
servijas rom respelo e prouipli'lo o "1" ^S
S lalvez nitoarnnlecn cm nutra parto: tiim- g
3 bem se recebem bilbelrs das mais casas S
9 arrediladas. F.si>era-sc, porlanlo, a coneur-BJ
S rencia cosiumada de bous freguezes com *j
g os seusOOrs. por Copo.
Urna paula muilo capaz, de 40anuos, se offe-
ece paia ama secca de casa lugar queja lem excr-
cdo ha annos : quem delta precisar pai esse mis-
ler, drija-sea ma da Cadcia-Velha, n. 17, segundo
andar.
-- OITercce-se um caixeiro para luja de niiudezas ,
que tem 5 anuos de pratica : na ra estrella do Ro-
tarlo, n. 11.
Joaquim Jos Almcida e Silva, cidadao brasilei-
ro, retira-se desta provincia para a Europa, levando
em sua rnmpaiihia sua mulhcr, Mananua Coii.es do
Rozario Torres.e dous filhos menores, Joaquim e lio-
zalina ; por sso quem se julgar seu credor queira a-
presenlar sua conta no prazo de oito dias para ser
paga.
-Nalojad'e Joo Donnelly, olfaale, na ra da
Cudeia do Ri-cife, n. 16, inda restam alguys dos
palitos de linho vindos do Inglaterra a 3,200 rs. ;
assim como folelos a 610 rs. cada um os qoacs
leeni dous forros i0 Irazero ; o oulras multas
obras quo se Vcnder.lo baialissimas como sejain
de pannos" finos, casimiias le cores o pretas,ecolletcs
de gorguro. Chegnem a ver,
Os Srs. padre doutoi Francisco Antonio de li-
veiro Rozelles, morador em Olillda,' c CIn islovo do
llollatida Cavalcanli de Albuquerque morador em
Aramlipe, engenho Ipojuca, queiram dirigir-so,, a
negocio do seos inleres>es ao segundo andar sobrado n. 18, no pateo do Caratos
Vendas.
-- Na Inja de Maya Ranos Nova, n. 6 ha presentemente urna collecQo de re-
tratos das pessoas mais distiuclns de Portugal e lles-
nanha como bem a rainba I) Mana II el-re D.
Femando, a imper'triz viuva e su filha os duques
Palmella, Terceira o Saldanha.os condes de Thnmar,
Antas p nutras personagens mais, lano cvis como
militares ; assim como ha tambem o retrato do prin-
cipe proscripto 1). Miguel de Braeunca que foi
nlliniomenta tirado do original. e sobrepuja a tu lo
sso o quadro em que se acha retratado 0 immortal
fondador do imperio nos ltimos paroximos da
vida ; promelc-so preco commodo aquellas pessoas
quo quizerem possuir caracteres tilo dislinclos. Ha
igualmente os livros segundes, chegados ultima
mente : Eugenio, romance martimo 1 v.; Monge
de Cister, romance 2 v.; Manual do jardineiro 2
v. ; Meditaces oji discursos religiosos, 1 v. pelo
cons'dheiro bastos ; Mximas o pensamenlos, 2 v. ,
pelo mesmo ; Pccriola 2 v., obra inloressante ,
traducida do Oancez; Rei ou impostor .drama ori-
ginal portugupz. Tudo por preco mais rasoavcl do
que em oulra qualquer parte.
Cr;tS.
-Compra-seurna prela moga, rocolbida, eque
saba cozinhar, engommar e coser, o tenlia boa
unducla : na ra da tUdeia-Vellia lo| n. M.
- Compra-se um a dous csaes do coelhos man-
sos : na ma do Vigario, n. 3.
-Compra-se urna casa torrea em chitos propnos,
silu nos bairros de Sanlo-Antoliioou Bon-Visla, sen-
do que mo exceda a 400,000 rs. : quem liver an-
-- Compra-se um hiato de 30 a 40 toneladas pro-
prio de manejar nesta cosa : quem livor annuiieic.
Compra-se urna escrava moca coin habilida-
des, principalmente de cuzinba e engommado, pie-
fenndo-se recolhida : pga-se bem : na pruga do
Commercio, n. 2, primeiro audar.
m O dono deste estabeleci monto nao leudo
>-3 podido conseguir veii'lo-lo por cuusa dos K|
H preleudenles mo quenrem de modo algum Qr,
; liear com as dividas que por serem muilas o %,t
& inontarem em grande quantia nilo pode o ^
H anuuiicianle deixar de menciona-las tara ?3
Ja com o productodellas podr mais facilmni- -_;
^ le saldar conlas com seus crodores, para oj
B pujo lini Ion' o aiinunciaule IVilo todas as ;;.
3 diligencias de negociar dilas dividas, [ anda ^
1S mesmo com grande prejuizo sea lano *
^ com os preleudenles a luja, como com os B
i mesmos llovedores (como de seus uuiiun- j
S oos anteriores so dcixa ver) o que, tend SS
SS ellcs comparecido cm muito pequeo iiumc- R
(g ro lalvez pelas circumstuncias do lempo js
iSx e rnesmo por muilos morarem a grande dis- ^J
B tuncia da praca resolveu o annunciante p
H entretantoaua elles cheguem., a sorlirde
gj novo a luja com fazendas novas, do diu>-
!j rentes quulidades e todas mu bem compra-
S das lauto em prego como em qualidadea fi-
M as, e principalmente de algumns para a
2 qiisresma a sabor : surja -hespanbola a 6S
| 2,400 rs. ; meiin, a 3,200 rs.; setm ma- >j
i OSO, a 3.500 rs. ; pannos tinos, a 3f, 3,500 igi
i/f 5,000 rs. ; princezu ilu duas larguras a
640e00rs ; n todas as mais fazendas so ;J
3 venderilo por diminuto prego, na formado ^
a coslumo; assim'como urna grande porgAo ^.
I de lencos linos iberios e bordados "le mu- ^
3 lo bonitos gostos, tanto para nio do senho- ^i
| ra como para meninas de escola a 160, 300 ^,-
S e 240 rs. ; o urna grande porcilo do chitas ES
I de bous pannos e tintas flxas, a 160 rs. o >-
3 covado. (
__Vendem-se potes com azeilo doce, com oito
garrafas, por 5,000 4S.: no caes da Alfandega ar-
mazem n 7.
AI.GODAO' DA BAHA.
Cunba & Amorim vendem o superior algodao
Irangado fabnc.i.lo na Babia cm pegas, pelo pre-
go do priueiru milo nu sua loja da ra do Itecde, n. 50.
PARA LIQUIDAR.
Vende-so cal virgem de Lisboa do superior qua-
lidade por prego mais barato do quo cm oulra
qualquer parlo : na ra da Cadeia do Recifo D. oO,
Aos Aunantes de boinjiosto.
No armazem de motilados atrs do Corpo-Santo,
n 66, recebe-sopor lodos os vapores vindos do sul
noreflo de cigarrilbos hospanlies ditos de palli.i de
milito, assim como superiores charuto* do vanas
quulidades : tudo se vendo por prego mais barato do
que em oulra qualquer parlo.
_ Vondo-se iinnipreta moca, de bonita figura ,
sem vicios nem achaques, o u,uo engomma, cozmha
o lava : preferc-so para algum engentuv na ra da
Cadeia do Recifo, n. 59.
Velas. U'i'snermni'eto.
Vendem-se em casa da Ricardo Rnyle.na ra da Ca-
daia-Vellia, ii. 29, suporiores'vclas de espermacete de
6 em libra. ,
- os mais ricos corles de cambraio s lo chegados
a loja da ra do Queimado u. 17 : vendem-sn pelo
diminuto preco de 2,210 rs. A elles.que sr arub.ini.
.[Sa livrmia do palco do Colirio,
ii. 6, del. da C. Dburadu, vende-se:
Le (inie du t.liri.sliiinisine, por Chate-
anljiiaul, obras de BoilOBU, grammatica
rrnncew, por Serene, geograpliia, pelo
|)r. Vcle/, e antros nmitos compendio
para as aulas, por preco muito commodo
- Lima Jnior &C. teem pnra vender o bem .'-
uhecido panno de Igudilo de Minas, muito proprw
para roupa de scravos; assim como um pro o h-
gado uliimnn.ente da Babia, propiio par lodo
servico; vende-se unicaiuenlo por una nfununiiM
,ui insignificante, que se dir "V""-
os quaes se podtn dirigir a ruada Cruz, n. ae
cundo andar. ,,..,:, ,
- Vende-sc um prelo bom c.noe.ro, de bonita h-
gu-a, mogo, o sen. achaques : que o pretender
^T^Xn^rn^del^tulicesdetodasas
usHd.de, eo muis novas poss.ve.s, ******
ximumente do Porto, por prego muito como.odo .
na ra Direita, vendan. 16.
-Vende-se um grande sitio, sito em Porto-de-Ga-
linluis com UC p 'le coqueiros, quasi lo ios botan-
p con. boa casa do viveuda. p.op.ia p-S nego-
cio' mi. m o pretender, di. ija-se uo mesmo lugar a
fallar co.n Ib-l.siaiio Jos l'imonla, ou a wtl dono,
Jos Tavares Pacheco.
- *-


ULTJIT
JIJLOS DK MARMORE.
Jos Saporili vende lijlos do.marmore azues e
orancos, por prego cornmodo: na ra da Cruz,
LONAS CRUAS DE I.I.NIIO.
Jos Saporili vende lonas cruas do linlio da lar-
gura das da Russia, t-or prego commodo : na ra da
Cruz, n 18.
Vende-se tima roohilia moderna em meio uso,
constante de cadeiras, sojIis um jugo de bancas,
uma mesa de meio sala, por baralissimo prego ,
urna riquissima cama franceza a mais rica que t-m
quise visto, eainda niio servida,.de jacarandi ,
um excellente guarda-livros com sua banra um
ptimo guarda roupa : na ra da Cadeia do Recite,
i). 51, segundo andar.
Foha de Flandres.
-Vendem-se caixas com folha de Flandres: em
casa de J. J. Tasso Jnior i na ra do Amorim, n. 35.
--Vendem-se 2 lindos moleques ; um dito de 20
muios, muilo bom olllcial .le ourives-.um prelo
i>cni robusto de meia idade ; 3 pretas com habili-
uaucs : no palco da matriz de S.-Antonio, sobrado
n- *, se dua quem vende.
LivrameiUo, n. 14.
Vende se chita escarate, a 2*0 rs. o covado ; brins
de linliode cores, para caigas e jaquelas ; um sor-
limento de chitas de cores lisas, a qnve vinlens o
covado ; lencos de cambraia bordados para mito ;
um sortimento de madapol>s de 160 al 240 rs. ;
cortes do cassa de ricos padrOes a 3.200 rs. e oti-
tras militas lamidas por barato prego.
Vende-se I ainlia de mandioca mili-
to superior por preco commodo : a bordo
do ptacho JSalividade, chegadode San-
ta-Catliarina, Aindiado no caes do Olle-
gio ; assim como tambem se vende nos
armazens do caes da Alfandega : trata-se
a bordo ou com Novaes & Companhia,
na ra do Trapiche, n. 34-
\ ende-se um terreuo na na do Sebo encos-
tado a casa que rali em respaldo pertei.cenlea o
Snr. Manoel Filippe, pela parte defleste, cujo
temno tem 62 palmos do frente e 150 do Tundo:
a tratar com Joflo VazdeOliveira.ua ra da Cruz,
Vende-se um liom cavallo de sella : na ra da
Cadcin ue S.-Antonio, n. 25.
Fc/jo mualnlio.
Vende-se feij.lo mulatinho : na ra da Cruz no
Jlecile, armazem n. 13.
Vendem-se (angas azues a 100 rs. o covado ,
cmaislargan 120 rs.; pecas de madapolio limpo
rom 20 varas, muilo largo, forlo e proprio para
roupa de osera vos ou para forro, a 3,000 rs c va-
rejado a 160 rs. ; selincta, a 180 rs. o covado ; brim
brancodtalgodflodclistras ,a 200 rs. o covado,
tirelanha fina de algodilo.a 200 rs a vara, e mais
grossa a 180 rs. ; lenfos de panninho todos brancos,
a 120 rs. ; ditos coro alguma nodoa a 80 rs. dilos
de cambraia .muilo grandes e com barra de retroz.
a 2*0 is.; Imhas Tinas milito fortes,.* 3-20 rs. a quar-
ta; ditasgrossas,a2*0is : na rua do Passeio, lo-
ja n. 17.
~ Vende-se superior potassa em barris pequeos,
desembarcada ha poneos das ; bem como tres bar-
ricas de tabaco em i : ludo por preco commodo:
no raes da Alfandega, armazem de DiasFerreira.

Continua-sea vender a verdadcia sarja de ]
seda bespanhola ; los prelos bordados de se- jjj
II da ; selim preto de Mario proprio para ves- &
*; lulo; um completo sortimento de panno pre- a?
,: lo lino, paraos preros de al 10,000 is ; 2
I Casimira prela elstica, milito superior; meias S
* de sda de peso pn tas e brancas ; un bom- i
* lo sortimento de cortes de volidos de seda, B
| branros, pelos c de cores fazenda de mui- *
lo goslo ; e oulras muilas fazendas pretas pro- fc
prias comprador: na ra do Queimado, qualro- t
cantos, Inja de Jos Moreira Lopes & Compa-
nliia, n. 29. jB
t
i
3
i
twmmwm mm mmm^mmmwmmmm
Vende-sc fumo cm folha para charutos, por
prego commodo : no armazem de Joaquim Flix da
Hoza na rua da Madre-de-Deos.
Vendem-se semerfs em saccas muilo grandes ,
a *,500 rs. : na ma da Madre-de-Deos, armazem de
"'"ente Fcrreira da Costa.
Aos a man les da boa pilada
se ofTercce o rar .Novo-Lisboa, no seu deposito da
rua larga do Rozario n. 2*.
--Na ruada Cruz armazem n. 33, vende-se cal
vir superior, ehegada ltimamente pelo brigue No-
vo- Ytncedbr de Lisboa, f or prego mais cm conla do
qua em uulra qualqucr parte.
Vende-se cal virgem de I isba, de superior
qualidade em barris de arrobas, cliegada nesle
mey. pelo brigue Mara-Jote: a tratar na rua do
liruin armazem de Antonio Augusto da Fonscca -
ou na rua do Vigario, n. 19.
Vende-se a taberna du rua das Cruzes, n. 20
com poneos fundos, i qual se vende por seu don',
rctirar-se : a tratar na merma venda.
-- Vende-se um cahriolet, de muito boas molas :
na rua das Flores, coclieira de Jos Mara.
Vinho barato.
Acha-sceslabelecidnna rua da Madre-dc-I)cos,
n. 36 um armazem de
Violtos da Figueira,
de ptima qualidade, a prego de 1,200 rs. a caada,
e a 160 rs a garrafa ; e para n5o haver dolo do com-
prador sero lacradas as garrafas e com rotulo, re-
cebendo-se a garrafa vasia, e dando-se immediata-
menle a oulra cheia tambem ha barra muilo pe-
queos proprios para quom passa a feata. O pro-
j-neiario deste eatabelecimenlo pede encarecida-
mente que se nSo illudam avahamlo, pelo diminuto
prego e sem couhecimenio de causa a qualidade de
sua fazenda digna por certo da estima dos verda-
deros amantes da boa pinga. Elle conta que quem
una vez provar, continuar com goslo e sem arre-
pcidimento. Eo bom preco!!.' A todo o exposto
aceresce o assio e boro acondicionaraanto, o que
tudo se poderi verificar em dito estabelccimento.
PURO VINHO DA FICUEIIIA.
Existe no armazem de moldados, atris do Cor-
po-Santo n. 66 uma grande porgflo deste genui-
no vinho que se est vendendn pelo diminuto pre-
go de 1,120 rs a caada e a 160 rs. a garrafa ; tam
bem ha em pipas que se vender mais em conla : he
este o melhorde todos os vinhos que se teem an-
nunciado pela sua simplicidade e ptimo paladar.:
quem uma vez o beber jamis deixar de e com-
prar.
Vende-se a venda da rua do Apollo, n. 21, com
poneos fundos: quem a pretender, dirija-se a rus da
Madre-de-Deos, Iraiar com Vicente Ferreira da
Costa.
No deposito de Me'Calmont & Companhia na
rua de Apollo, armazem n. 6, acha-sa constante-
mente grande sortimento de ferragens inglezas para
engeuhos de assucar coito sejam : taixas do ferro
coado de difTerenles modelos, os mais modernos ;
ditas de ferro batido ; moendas de ferro do mode-
lo adoptado, para armar em madeira ; ditas todas
de ferro, tanto para agoa como para animaes; ma-
chinas de vapor de frga de qualro cavallos e de al-
ia pressSo o mais moderno e simples que lie possi-
vel ; repartideras ; espumadeiras ; resfriadeiras de
ferro cslanhado; formas de ferro: ludo por prego
commodo.
Vendem-se sellins ingleses e camas
de ferro : na rua da Senzalla-nova, n. 4*.
Agencia da undicao
Low-Moor, rua da Senzalla-
nova, n. 42.
Neste estabelecimento contina a ha-
ver um completo sortimento de moends
e meias moendas, para engenho; ma-
chinas de vapor,e tachas de ferro batido e
coado, de todos os tamanhos, para dito.
Ferro
de todas as qualidadere dimensoes, cm barra, ver-
galh.lo, vergunha, arcos e chapa por prego com
modo : na rua da Madre-de-Deos, armazem n. 26.
Algodo trancado da fabrica
de Todos-os-San tos da
Baha ,
muito proprio para saceos de assucar e roupa ue es-
cravos: vende-se em casa de N. 0. Bieber & Com-
panhia na rua da Cruz, n. 4.
CIIA'BRASILEIRO.
Vende-se.ou armazem de molhados atris do
Corpo-Sanlo n. 66, o mais excellente ch i produzi-
do em S.-Paulo que tem viudo a este mercado ,
por prego muito commodo.
Presuntos.
Vcmlcm-se superiores presuntos inglezes para
fiambre chegados no ultimo navio; no armazem
do liragucz ao | do arco da Conceigfio.
Taixas para engenho.
Na fnndiglo de ferro da rua ilo Brnm acha-se a
venda um completo sortimento de taixas de ? a 8
palmos de bocea, por prego cornmodo, e com promp-
lidflo embarca-se. ou carrega-se em carros sem dcs-
pezasao comprador.
Calendo.
Vendem-se botina e meios ditos de I 'ilion para
honirm e menino ; sapillos de maroquini franrez,
por prego mais baialo do que em oulra qualquer
parte :' na rua larga du Rozarlo, n. 2*.
Na rua do Crespo lojade* poilas n. 12, ven-
dem-se chapeos de castor prelos, Je muito boa qua-
lidade a *,*0 rs.
FARELO EM SACCAS DE 90 LIBRAS :
vende-se no armazem de Vicente Ferreira da Costa
na rua da Madre-de-Deos, a 3,500 rs.
Vende-se'a vrdadeira potassa da
Hussia, desembarcada hontein, por pre-
co turnio rasoavel, vista de sua limito
superior qualidade : na ruado Trapiche,
n. 17, e rua da Cadeia, n. 34.
Madeira de pinho.
Na rus de Appollo, pegado ao armazem do Sr.
Molla ha um novo armazem com madeira de pi-
nho da melhor qualidade que tem vindo a esto mer-
cado c serrado de todas as grossuras o comprimen-
tos : vende-se pelo menor prego que he possivel.
Vendem-se taboas- america-
nas aleo palmos de largura
o de lodos os comprimcntos.quo lia muilolempo no
leem vindo e os frepuezes experimentando a falla
desla excellente qualidade. A ellas que sflo poucas e
toprero he barato. Atrs do tbeatro, armazem jun-
oj a marc, de Joaquim Lopes de A'lmeida. .,
Taboado de pinito da Suecia,
de 10 a 55 palmos
de comprime uto o melhor que tem chegado a este
mercado, em razflo le se poder envernizarem qual-
3nerohra por nflo Icr nos e ser muilo alvo sen-
o costado, costadinho, assnalho, forro o para fun-
dos de barricas : vende-se a prego que o comprador
lari lodo o negocio : alris do thcatro, armazem de
Joaquim Lopes de Almeda.
Tuhoado de pinlio.
Vendem-se taboas de pinho no
Forte-do-.Mallos armazem do Vianna e
no armazem do Machado, na rua de
Apollo, junto ao porto velhodas emoas,
e os mclhores pranchOes, costados, costadinhos e ta-
imas de todas as grossuras e comprmanlos por to-
do o preep.
Vende-se ca.' virgem de Lisboa,
chegada no ultima navio, em barris pe-
queos, por menos do que em outra qual
quer parte : na rua do Trapiche, arma-
zem n. I7.
Na padaria da rua da Guia, no Recife, haveri
todos os dias a venda o novopSo de Provenga fa-
bricado por outro modo que o actual e da melhor
farinha que ha no mercado : por este motivo nao se
pode fazer senSo a *0,80 e 160 rs.
Farelo,
em barricas a 4,000 rs\ saccas grandes, a 3,50o
rs., ditas pequeas, aS.SOOrs : no armazem de J.
J. Tasso Jnior, na rua do Amorim, n. 3.
FRECUEZIA.
No psteo do Torco, venda n. 7, passas superiore g,
a 160 rs. a libra ; farinha em sac'cas e em cuias a
200 rs. ; e contnua-se a vender todos os mais gene-
ros de superior qualidade por prego commodo.
Vende-se ago'ardente do Fraoga, verdadeiro
cognac, de qualidade muito superior,', cm caixas de
urna duzia ; barris de oilo cm pipa oom vinho de
elaret, romo riTlO COStuma vir ei ; uma porgo de
charutos de Havana, verdadeiros : na rua da Alfan-
dega-Velha, n. 5.
Vende-se o Tratado das Acc5es por
Mello Freir, traduccao do Dr. Itegucira
Uosta, a 3,ooo rs. cada volume : ia rua
doCabug, loja n. 18.
Polassa.
Dcsembarcou ha poucos dias uma por-
cao de harria pequeos, com muito nva
e superior potassa, e se acham venda,
por preco mais barato do que ultima
mente se vendia, na rua da Caricia- Vellio,
armazem de Bailar&Oliveira, n. ia.
FARELO
, em saccas muito grandes,
a 3'6oo rs. a sacca:
ao armazem do Braguezao p do arco da ConceigSo
Vende-se farinha le mandioca, de
muito superior qualidade : a bordo do
patacho Conceico, fundiado em frente
do caes do Collegio ; assim como tam-
bem se vende nos armazensdocaesda Al-
fandega por preco muito commodo : tra
la-se a bordo domesmo patacho, ou com
Novaes & Companhia, na rua do Trapi-
che, 11. 34. "
-Couliniiam-se a vender sacras rom superior
rolladas fabricas do llio-Crande-do-Sul, por pre-
go commodo : na rua da Moda, n. 7.
3s:sea::gBfses::@9<;ga:g atarjea?
$ Cera era velas.
Vende-se na rua doVigario, n. 19,
fffj segundo andar, caixas com cera em
Q velas fabricadas no lUo-de-Janeiro,
Jfil em uma das melhoiea fabricas, sor-
g tidas ao goslo do comprador, e por
P preco mais barato do que
I
preco
qualqucr parle.
que em oulra
i
;es;:sa':ea-ea'. anea: &&;
-- Troca-se um sancluario de Jacaranda vindo
de enconimrnda do Porlo, obra mnilo superior, com
Sons imagens ; umacommoda do mesmo pi, em
muilo bom uso ; dous vasos de porcellana com flo-
res chegados ha pouco de Franca, do ultimo goeto;
um iclogio de parede, em quadro graude, patente
suissn, com msica ptima pega ; duas redomas
do vidro para ler qualquer sanio com decencia : to-
do se vende por seu dono reliiar-se para fra da
provincia : na rua Nova, 11. S6.
- Vende-se, para fra da provincia, uma escrava
bem parecida com algumas habilidades : atrs da
igieja deS. Hila Nova n. *8.
ISa rua l)ireita,n. 17,
na cscadinha da alfandega armazem n. 1, e em
frente damalriz da Boa-Vista venda n. =, venuem-
se sarcuscom a melhor faiinha que existe no mer-
cado, chegada no ultimo navio do llio-de-Janeiro ,
por prego commodo.
Vende-se urna casa terrea com bastantes com-
modos em chaos proprios ua estrada que vai do
Hospicio para o rombal: na roa da Flores n. 25.
Novo trem tle coziiilia.
Vendem-se chaleiras, panellas c cacarolas de fer-
ro, forradas de louga : na rua Nova loja n. 16 de
Jase l.uiz l'ereira.
amarelln de bordar; uma carleira de amarelio da
uma s fare ; cadeiras ; anp.his; mesas do meio' do
sala ;jogos de bancas; toucadores^ tudo de aca-
ra ma ; cadeiras ; sophas e mesas dmelo sala tmlo
de p<> d'oleo; e mais diversos trastes; ludo por pre-
go commodo: tambem se vende um molequa com
principios de oflicio de marceneiro de 13 pan (3
anuos : na rua da Cadeia de S.-Antonio, loja de
trastes, de Antonio Teixeira dos Saulos, n. 18.
('asimilas linas, u 7,500rs.
Vendem-se superiores casimiras d cores, de su-
perior goslo e melhor qualidade, pelo barato prego
de 7,500 rs. o corte j dita tambem de eores thi
6,000 rs. o corte : na rua do Collegio, loja da estrel-
la, ii. 1.
Cortesa 1,280 rs.
Vendem-se superiores cortes de lirios pira ligas
a 1,280 rs. o corte azenda baratrssitna pela su
qualidadee cor liza : na rui do Collegio, loja da
estrella, n. 1.
Vende-so um ptimo candieiro fnncez, por
prego commodo : na rua Nova, loja d* fuhileiro, de-
fronte da Conceigfio dos militares.
Rascados instros, a 240 rs.o
covado.
Vendem-se os hem condecidos rseados monslros'
pelo barato piego de 240 rs.o covado, para se ac.
bar : na rua do Collegio, loja nova da estrella, n. 1-
Candieiros to sete foyos para
az, muito conomicos, a pre-
co commodo.
. _?' loj de Chardoh no principio do AIrro-da.
Bna-Trsta Vtmdem-se, por prego mullo commodo
candieirns de gaz de 7 luzes, que, ebrios cm 3 con!
trametadesdegaz duram com brilhontes luzes
20 horas ,ou noites, acezos das 7 a meia noite
tambem se vend. g-az, o mais sunerior que ha.
-Vendem-se 8 lindos moleques de nagoe criou-
los, de 8a 18 annos sem vicios.; 7 pretos .le 20 a
30 annos, ptimos para todo o servigo; um dito de
meia idade por prego muilo em conla ; uma pro-
la de meia idade ; nma negrota de 18 annos, que
cose perfeilamenle marca, faz lavarinto eugom-
ma n1o lem vicios e he recothida : na rua do Vi-
gario, n. 2*.
-- Vende-se uma bonita negrnha de 10 ii an-
nos, de muito boa conducta, muito sadia e com
principios de cozinha: vende-se por se nflo precisar:
quem a pretender annuncie.
Vende-se algodao da trra em ro-
s de 5o varas, a aoo rUs cada vara : na
rV do Queimado, qualro canto, loja
n.V).
I Vende-se um cavallo muilo novo e de muito
bonita Ogura ecr, bom para carro pelo laniaulio
e corpe e que he de boa bocea por estar aeoslu-
mado i comer secco : na rua Bella, n. 22.
Vfcnde-se milho novo e bom, a 4.500 rs o al-
nueire, medida vellia eemsaccas a 4/: no Forle-
dn-Matlo9 venda de Antonio J. Fernandos de Car-
valho.
Vendase um, porca ,Ie raca |)ah f muj0 .
uma porgoodecasaesdepombos muilo boas bate-'
dores a nVI rs cada casal: na rua da Florentina .
n. 16. i. '
VondrW-se oculos para todas as idades, de aro<
brancos edi ago; meias de algndflo das grossas ,
f>'itas a aguii'.a estas meias silo aconselhadas pela
medicina, con especiadade nos psizes umidos; su-
blimes nava Ibas de ago da China das verdadeiras ;
uma cun inliade 13 annos que he prepria para mu-
cania por j er habilidades, e ser muito bonita:
na rua laiga d'> llozario, n, 35.
-- Vende-se urna canoa de carrera por prego
commnde : na rua da Guia, venda n. 36.
Vende-se u m ca vallo caslalilio OVO O Com
bons andares |or prego commodo : na coclieira d?
ruada Florenlua.
-Vende-se un moleque crioulo, de 10 a Pan-
nos, de bonita (tura e sem achaques : na rua das
Cruzes, n. 40.
-- Vendem-se 3 indos moleques de 13 a 18 annos;
4pardosde16a 26a o nos ; 3 pretas de 12 a 20 an-
nos triido alguinai delliis habilidades ; urna negri-
nliai de 10 anuos ; to moleque de 10 anuos ; 2 pre-
tas de 20 a 30 annol. na rua do Collegio, n. 3, se-
gundo andar, se dirViuem vande.
4.
aa^=.
niicuuui.
\ ende-se superior sarja larga bespanhola pelo
barato rrego do 2,000 rs. ; pannos Tinos prelos pro-
va de limio pelo barato prego de 3, 4, 4,500, 5,500,
6,500 e 7,000 ra. o covado ; casimira prela teliui d
superior qualidade, a 2,800 3,000 e 3.500 rs. o co-
vado iselim Maco, do verdadeiro e de excellente
qualidade a 3,500, 4,000 e 4,500 rs. o covado ; cha-
peos d massa fraucezes os mais modernos, a 7,500
8.000 rs.; ditos de sol, do seda furla-cies do
melhor goslo, a 8,000 rs. ; o oulras multas fazeno
das de superior quali.tade.e muilo mais barato do
que em outra qualquer parte : na rua do Collegio
nova loja da estrella, n. 1. '
J Veudem-se esapadas prateadas para olllciaes da
guarda nacional: na rua Nova, n. 16.
-..Vendem-se os trastea seguintes: um tear de
Vende-se urna esclava que cozinha o diario de
uma casa e vende na ra : na esquina da rua do Li-
viamento, n. 1, primero andar.
-- Venue-seum p.elodeCerca de 45 annos, pro-
prio para o matto por t.r bastante couhecimenlo
da agncultura o tratar de;ado ; aiianca-se sua con-
ducta : ua rua do Trapicln u. 44, primeiro andar.
EscraTos Fgido
Ha villa do Hio-Fosnoso fugio um moleque do
nome Benedicto, del? annos pouco mais ou me-
nos, rosto redondo .estatura regular: quem o pe-
gar Jeve-oa seu snior, Manoel Antonio Soaies da
Silva morador na mesma villa ou nesta cWade ,
a Jos Humes Leal.
--Nodia 12 do'orrente, desappareceu, do sitio
das Itozciras, do najor Joaquim Elias de Moura o
seu escravo Quink-reira, moleque de 16 a 18 annos,
secco do corpo.neio fulo, nariz grosso chalo;
lem as mSos cabisas do oflicio de sapatetro que es-
lava api endeudo com o ilustre Vicente no Aterro-
da-ltoa-Visla ; quem o pegar, ou delle dor nolicia
cerla, leve-o jo dito sitio quo seri bem recompeo-
auo.
--fugio,. no dia 9 do correte, um preto de ne-
me Antonio, do gentio do Angola, alto, magro, rus-
to com pudo olhos um tanto eshugalnados e aver-
nielhadrs ; lem no beigo superior d* lado esquerdo
um earutinho | es grandes chatos c grossos e no
direito Aqi o dodo mnimo lilo unido que parece
conadj, fallas mansas ; lovou caigas de estopa e
camisa^zul; quandn anda curva se.par fenlo,
porein/le passos apressados; lio, cozntieiro ; levou
dous^opos d'agoa ; ha noticias que so occulia cm
urna certa casa a quem su roga queira o ir entre-
gar ao seu seulmr pelo contrario se proceder cos
' rigor .ia le. yuem o pegar leve-o a rua Nova n.
,14 Segundo andar, que aera recompensado.
'
i
I
i
l'f* : n> Ttp,
PBM'F. DI Wa.hU.-~ 1**9
MUTILADO
i


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EAM2TWE24_0TAVT5 INGEST_TIME 2013-04-30T19:56:02Z PACKAGE AA00011611_10015
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES