Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:10013


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Anuo XXV.
0 f>M/l/OpnbHM-setodn6sdlaqne uo
for(.> de guarda.. O preco da asignatura he
je I'000 r*. porquarlrl, ptgiu ndi ntiini. Os
iniiuiiclos do asttgnintcs sao injeridos
raao de JO r. por liuli, 40 rs.em Ijpo dif-
ireme, as rerfelicaios pela uirlide. O nao
a,il(,'iianla pagarSu 80 ra^por lluha e I60 r.
(iii typo dhTereotc, por cada puollcacSo.
PHARS DA LA IfO MKZ DF. MARCO.
Crcaaratc. il,iil horat e 43 mi"- *:l'S'
Ui chela, a 8. t Whora 144 "!" |"*r
tualovTa MT, 11 hora. fcl"- ^hl
Segiinila-feira 12
PARTIDA DOS CORREIOS.
Oolanna c Parahlba, s se gs. e sextas-felras.
Bio-G.-do-Worlc, nuintaa-feira aomelo-dla.
Clw>, SerinWSem, llio-Formoso, Porlo-Oalvo
Macelo, rtl. a II e 21 de cada mcz.
Garantios n Bonito, a 8 e 21.
on-Vista e Flores, a 13 e 28.
Victoria, A qulnias-lclras.
Olinda, todo* Ol dill.
PREAMAR DE HOJE.
Prlmelra, 'b" hora 54 minutos da man),
Segunda,.is 7 botas e 18 minutos da Urd.
.
le Ufarlo de 184.
N. 7.
MAS DA SEMANA.

12 Segrnida. s. Gregorio. And. do I, dos
orph., doJ. iln rii el do J. M. di2. v.
13 Terca. S. Rufraiia. And. doJ. doc. da I.
v. e do J. de pai do 2. dlst. de t.
14 Quarta. S. Mathildes. Aud. do J. do c.
da i. v.nliiJ. .le p.-u -i<> -.. disi.de t.
15 Quinta. S. Henrlnue. Aud. do J. dos orph.
. doi.Sl.ili 1. v.
16 Sexta. S. Cyriaco. Aud. do J. do civ. edo
J. depasdo 1. dist. de t.
17 Sabbado. S. Patricio. Au1. do J. do c.
da I. v. c do J. de pac do 2. dist. de t.
18 llamingo. S. Gabriel Arcbaajo.
CAMBIOS NO DA 10 DE MARCO.
Sobre Londres a 27 d. por 1/000 rs. ab.1 das.
&ri .--
Lisbo.i H'iS por cento de premio.
Ri-de-Janeiro no par.
Dse, dele, de boas firmas a 1'/, % an mea.
Acortes da comp. de Beberlbe, .ftOf rs. p.
uro.-Oncaa tieipanhola. 30/Oi* :*l/500
Mocda de(i#40v. 17/300 a I7.50O
. deli/400n. 16/200 a ttJW m
de4/000.... 9/00 a 9/400
PraU-Patacoesbraslefros /fm a 2/T100
Pesos coliimnarios. 1/WW a 2/000
Ditos mexicanos*^ 1/000 a 1/J20
DIARIO D
OFFICIAL.
GOVERNO DA PROVINCIA.
EXPEDIENTE DO DA 8 DK MAtigO. ^
- ofileio.Ao presidente da linliia, remeUendq urna
ordem hrl.uiz Gome Ferreira, negociante desta
renca, aobre a caM< U-Hretoo Whately & C. man-
dando pagara Joa Vreira de Paria Aragflo Alaliba a
ouantia de I8.4A0 rs, impot.staia de llonca* le
cliloroformioquoS. Exc. remelteu para os los Pitaes
d>. cadoria mililar. ... ...
Dito.Ao comoiandante das armaa, declarando
que pode S. F.xc. mandar alista fin ora dos corpo
de primeira linlia da guarniclo desta provincia ao
paisano Cesario Fortonito dos Santo e fazer con-
servar na pratja em que se aclia o recruta Firmino
1 itndrisucs Ramos, percebondo caila lint dalles a gra-
tifieacRo de ceslo e Tinte mil res, na forma do re-
eulamenlo que acompnnhou o decreto de 18 de no-l
vembro prximo passado, tiste terem-se oiTerecido
voluntariamente nara assentar praea a ostansm as
cireumslancia tfe prestar servcos.8cienliucoo-so
o iimpector da Mgadoria militar.
Dilo.-Aoweamo, coramunicando ha ver concedi-
do tres zea de licenca o 1. cadete 2." sargento
da 5 rompanhia do t, baUluao de cacadores, Fran-
cisco Marlinho do Campos, para acompanhar al a
provincia do Rio-Krande-doul a v.uva lo camino
graduado quartel-meslre do meamo btflalh.10, Ame-
rico Fernandos da Cunha, morlo no combale deata
citlade em 2 de fevereiro proemio Pssado.
Hito.Aotenonle-corooel tlo2 bata Inflo da guar-
da nacional do municipio de Cimbras, Joflo l.cite
Torres Gallindo, louvaudo o procedimento cem que
S me. sobouvenss diligencias que participa ter-rei-
to contra os rmwtlosos. a recuuuneodando juo
transmita aps sena commandadosos.agradecimen-
tos da presidencia pelos servieos que hilo prestado a
bem da Iranquillidade publica.
D4to.-k-A ttaspar Cavalcante de Albuqucrque Lcha,
dizemto car scienle do baver S.'me. entrado no
exercicjoi do cargo de supplenle do ju municipal e
de orplios no termo de Serinliflem, na qualidade de
I vereador mais votado
HiiA.ao juiz dodircilo inlerino da comarca do
io-Formoso, declarando rfe n nomeaQflo para ser-
vir iiilerina'mcnle o ofllcio de tabelliflo do judicial c
notas compele ao juiz municipal, como he cx-
presso no iso de 1* de dezo.mbrn de 1847, quo re-
melle por copia.liiteirou-se o juiz municipal res
pecilvo.
DitoA0 inspector da pagadura mililar, ordenan
do que, caso eslejam em termo as documentos que
remelle, pague an boticario l.uiz Pedro das Noves a
.Iuanlia de (33,120 rs. por medicamentos que, a re-
quisio Inspector .lo aiinal Icmarinha, forne-
red ella para os pi isioiioiros boleados que so achatn
em iralamenlo na enfermara d'aquelle eslabcleci-
meiito, o ao administrador da meucionada eufermu-
lia a somwa de 216,117 rs. ptdo que ha despendido
no mcz de fevereiro referidos prisioneiroa.Comnitinicou-se ao inspec-
tor to arsenal de mannlia.-
Dito.Ao mesmo, ilelerminando entregue no pn-
iro-tinir desle porto, ou a pessoa nutotisnda por ello,
a quftnlia de 25,000 rs. que se despendeu no dia 2 de
fevereiro tillimo cotii o jornal de vinl'e.remadores
qurt giiarneeeram n lancha que rebncou paradefron-
te do arsenal de marlnha a barca Tentativa-Feliz,
helada pelo goYcrno pma deposito do presos.Sci-
enliflcou-se o inspector do arsenal de marinha.
lito.Au innna, inandailJoque in.icrntiise o ar-
senal de marinha da quanlia de 98,400 r., despen-
dida com o desembarque do carne secca e farinha
vin.laa^ln Rio-de-Janeiro na fragata l'araguau.
InleiroH-so o inapeclor do arsenal de marinha.
Dito.Ao inspector do arsenal de marinha, dizen-
ilo que, visto ser necessario que baja 'aquello ar-
senal um guarda loarmazcm em que se deposita a
lerriimenla das oTJcinas respectivas, pode S. me.
chamar para cemelbanle servico a Jos do Nascimen-
lo llilieiro, e arbilrar-lhe a diaria de qualiocontos
ris.
Dito.Ao inspector da alfandcga, utjctafivulo que,
segundo espirito da autorisaciio dada pelo govur-
no iiipcrial, enlende que o empregado suspenso,
que S. me. se refere, no lem direilo ilgum a quaes-
qticr veneimentos, que devem ser pagos por inleiro
aoque foi noncado em suhslituicflo, mas que vai
levar os** duvida ao conhecimento do governo impe-
rial para -que baja de resolv- la como for mais justo;
c oideiianitu que fio onlanto considero S. me. j
suhsiittritio como se estiveso deiniltido, por ser
esla a iiilelligerJBi que a presidencia da a referida
iiulorisaco, dfvendo porm o nomeado prestar li-
atHfa cornMptMMleule para restituir o que percehor,
se o governo imperial resolver o contrario.
i'oitana.-lnamittioUo do cargo de promotor pu-
blico da comarca do Flores ao hachare! Augusto Jos
l'eixoto. Fizeram-se as particpaerjes do eslylo.
Dila. Nonieando delegado d termo lo Serinliflcm
a Gaspar Cavalcanle de Albuquerque Ucha.Parli-
cip*u-se ao diera de polica.
1DF.M DO PA -
,^do.--Ao inspecior da theaouraria da fazonda,
nutoriaando-o a mandar por disposieo Jo inspuc-
lor da pagadorla mililar a quanlia de 112:754/637 rs.
em que importa o pedido para as despezas d'aquella
repaitica*m o mez da fevereiro ultimo, vlslo estar
elle de accordo com a* ordene exilenles.
Dito.Ao ctpililo do porto, declarando que n.to
he possivel autorisar a medida solicitad por S. me.
por vigorar anda a postura municipal quo prohibe
a estraceflo de pedras dos arrecife deste porto;
tanto mais quanto ainda se nfla acha approvndo o
plano do mellitiratnento do mesmo porto.
Dito. Ao cnmmandaule das armas, communi-
cando quo fira cxped'nl a eosweniante erdem ao
commandanle do vapor Affomo pata dar passagem
para a coito famili do finado capullo Anenco
Fernandes daCtinha ; bem como aos ofllciaes e ca-
detes, mencionados na rolacflo que S. F.x. enviou.
Dito.--Ao inspector da thoaouraria da fazenda pro
vincial, rccommenJando haja de dar as precisas or-
den para quo soja paga a quem competir quanlia
de 80/860 rs., em que, aegundo as duas cunts que
remelle, importam as substancias compradas pelo
presidente do conoelho geral de salubridad*ipara a
fuinigacflo de navios chegados de porto infectados
pelo cholera-morbus.'-Scienliflcou-se o presdeme
do referido concclho.
Dito.Ao mesmo, significanilo-lhe, para que faQa
constar ao administrador das obras publicas, que
lem nomeado ao engenheiro l.ieutier para exami-
nar as obras do dcimo Unco da estrada do Pao-do
Albo.
Dilo.--A'. cmara municipal do Exu, acensando re-
ceido o officioqueS mos. dirigiram presidencia,
acompanhado de copia da acta da apuru^flo gcral da
eleicoato vereadores d'aquella cmara.
Dito.A' inesma. observando que devem S me,
suspender n'aquclle municipio os irabalhos relativos
eleicSo at que 0 governo ordene quo a ellas se
proceda.
INTERIOR.
CORRESPONDENCIA DO DIARIO DF. PF.RNAMRUCO.
Rio-de-Janeiro, 24 de fevereiro de 18t9.
O transporte nacional Pavuna, entrado das Alaguna
na tarda de 17 do crrente, deu-nos a inesperada no-
ticia dos estrontloso aenteclmentos de I'ernanv-
tuco.
Inacredilavel era o boato de ser atacada a capital
como promettiam os caturas de l aos de c, o com
que estes ameacavam diariamente o governo desde
a chegada do hnperatrii, procedente dos pottos do
norte, nos primeiros diss do corrente mez ;e por
issoto subido foi o grao de tlcsaponlamento n'esta
corle, qtio.impossivel he descrev-lo. Com pffeito.
he mister cohsitlerar-se essos bnmens na mais com-
pleta carencia de um seilil derasilo, para acreditar-
se na tamanha ousadia quo os levou s portas da
cidade, scnilo s da propria residencia da primeira
aulondaile da provincia, tendo por eseopo galgarem
urna posiQflo por sobre cadveres de irmflos, impor-
tancia da qual nlosouberam ou ho quizeram du-
rante os ullimos cinco annos comprchender. IJcfto,
litjSo tamaiiha he essa, que ao no leve JMxarae
repelir ao povo, pobre povo victima le desalmados
aniliicioaja! He mister que a imprensa ordeira do
imperio ja incansavel om mostrar ao povo quaes
s3o seus verdadeiros amigos ; he mister faz-lo ro-
uliecnr que esses homens quando dcima, lem o
seu governo direilos prop1 ios em cleicdes. silo inn-
narclnslss at o servilismo ; apenas apeados do po-
der, a monnrcliia he podre ; fphrase do (nado Nones;
o povo lem sido lyrannisado ha 26annos; pOem
cni leilflo as tahona'do Ihrono quo elles lauto com-
prometieran! para comas provincias, arrogando-lho
O direito de interferencia nos aclo da mais livre es-
culla d'ellas ; e com estas e oulras llust>#s e pro-
messaslevam os pohies decspiriio a um 2 de feve-
reiro de 49 !
A o,"posic!lo lem-se esforgado em fazer crer que
o infeliz Nunes fui victima de tim assassinato a nao
de um combate leal, e para isso dizem que foi seu
assassmo um soldado do quarlo batalhflo de arli-
lluria, mandado para este lim pela polica. Ora, se
O quarlo halalhlocra o que guarnida o ponto o ra-
zia fugo vivisaimo sobro o inimigo, nada mais natu-
ral do quo lor sido o Nunes e lodos os mais do son
sequilo que perecersm, morios pelos soldados do
quaito batalbSo; mas n malevolencia que aliunda
as almas vis nao admiti que o liro que malou o
Nunes fOsse resultado do combate : dflo-lhe umao-
rigoin digna d'aquelles que assassinaram de embos
cada o iuleliz commandanto superior de Coiannay
oulros.
Lamento clmenlo sinceramente a morle do Mi-
nes, porque creio que era dos rebeldes o nico que
se votava decoracSo sua causa, que elle stippunha
usa c nobre, mas nio lenho motivo algum para
lamentar mais a d'elle do que a :dos inclize que,
elle illudid, e oulros para darem expnnsfln a todo o
odio e ......cz; do corado, !cv:ram s matane
honivcl e porventura sem igual na nossa historia.
E se esses infeiizes nio merecem tilo subida compai-
xflo. nSo lenho cxpressies para fazer sentir dr
intensa que experimcrtlo pela perdados bravos de-
fensores dn ordem, de mistura como profundo res-
peito quo me inspiran) homens cu jo herosmo irb-
irapassa toda a credibilidad humana, e os poo alcrh
doa anligo Cregos o Romanos. Assim digo do e-
xercUo, armada e lodos os demais cidadOos que vo-
luntaria e vaientemenie se pres.aram ande guo
'da aatvat;ao de una das mais importantescidades da
America.
A un olficial da guarniQBo do J/fatuo, entrado a
,90 n'esle porto, ouvi que os soldados choravam com
pranio juvenil a p^rda do seus ofllciaes; que os sol-
idados que alii aportaran, idos do norle no S.-S$-
baitiio, choravam do raiva por nSo chegarem a tem-1
po de compartilhar com seus irm.losd'armas as fa-I
digas e Irabalhos por que passaram no memora-
vel 9 de feveTeiro ; ouvi mais ( e isto corta as enrdas
docoraefloo maisimpe lernido }que um do pobres
homens arrastrados pelas torpes scilticcocs dos ca-
titea, no momento do expirar da ferida que leve no
combalo, dizia: Antes quero morrer assim do que
acoulado pelos Porluguezos. Tal ora a infame ca-
lumnia que Ihe baviam mcltido na cabera. Fsses
fados que acabo de referir juslilicam le sobejo o
conceitoque faqo dos vencedores e vencidos, e mi-
nlia indignacilo sobe a poni de n.lo poder reprin\i-
la, quando vejo homens tilo corajosos, Iflo dignos do
combaler por melhor causa, scrcm cobarde o infa-
memente sacrificados, comhalenlo por causa lilo vil
e mesquinha / Cumpre, pois, a.) governo dar cabo
dos ississinns do povo ; lirc-llics todos os meios de
accilo, o nao tema que a monarchia e a intosridade
do imperio sejam jamis amentadas I Os brasileros
silo um povo de hroes ; mas cumpre quo o governo
seempenho em evitar que ambiciosos fementidos
c vnlham dos bons instinctos e herosmo do povo
pnra perpelrarcm crimes horrorosos, arrastrando-os
a um 2 de fevereiro O desordeiro he um verme que
corroe a sociodado atacando-a om seus orgffOS mais
vitaos; cumpre, pois, nos responsaveis pela nianu-
tensao e hem-eslar d'ella, p-la ao abrigo d'essea
vermes a expensas de quaesquer sacrificios.
Como creio que o modo por que acabo de expr-
mir-me pode faze-lo supptV que cu abjuroi a minha
jmparcialidade a respeitn dos dous partidos polticos
queso pleilcam entrnos, mo pareco conveniente
tima cxplicacflo a nicu respoilo quea benignidaJe
dos seus leitores dcscujpar.
- Semprc que no exame ou apreciaeflo das idetas que
caraclerisam os dous grandes partidos polilicos do
brasil lenho empregado algum lempo dispensavel
das minhas occupa^Ocs, e que sobre ellas he mo li-
tado com loda a calma lo espirito, acbei-mo colloca-
do n'um ponto equidisdante dos extremos de ambos,
nunca acreditando que por nenhum delles valessoa
pena do scriicar-sc um homem que, como eu, ne-
nhum inleresso pessoal l.nuiediato ou remoto lem
em que governc o'partido A ou It, e livro-me Dos
de l-lo jamis. Na nossa poltica segui sempre o
cleiUmu: assim. por exomplo, uo me agrada a
exagerada cenlraliaaclo dos saquaremas, nem as
franqueza provinciaes los luzias;quero com estes a
lei das incompatibilidades, mas no quero como
elles urna la llha los interesses caprichosos do mo-
mento, tilo manifeslamente contrara consltui-
c.To. Itcfrmm a consttuico, sequerem os in-
eompatiblidadof. Agradam-me mais o espirito
conservador cideias de ordem dos saquaremas ; em
quanto nIc reformaren! a consltuiciio, respeitcm-
ni, cumpram-na. Eis resumidamente qual fui sem-
pro o mcu pensar acerca dos dous partidos polticos
do brasil. .
Pergunlo agora,--qual tem sido boje o proceder
do Partido ssnla-luza ? Discute elle cssas ideas,
discute elgum principio poltico novo ? Occupa-se a
iinprensa opposieionista em discutir os actos do ac-
tual ministerio, em censurar-lhe os erros, em mos-
trar a sua habililaclo para de preferencia a ello as-
cender ao poder ?Nflo, por coito. Lina parle da
opposicflo corren s armas') arvoroua bandcirade
urna coi.stituinte; d cmbale nilo no ministerio,
mas ao governo, monarcliia, a cnnsliluicao; ninea-
C o edificio social em suas bases ; o, para Cegar aos
seus lilis, gritn aos pobres incautos : lia 26 an-
nos nflo temos memorado a nossa coiid.ciio somos
boje mais escravos dos l'oilugueyes do que o fomos
antes da independencia ; vngai-vos dos tralii.ionis
que vos venilom aos portuguezes, tomai-lhos a ri-
. ueza>que elles v.,s teem roubado... corramos ao tte-
efe, cunamos!. |-alii va essa pobre gonlc corren-
do Capital comprada pelos l>orwyuees a Hrasne.ro,
trahdoret Desalmados, que assim abusam la cre-
duhdadc lo povo Tolere. conscrvnr-nK neutro
enire
dein
mu
como a cumplicidade.
Huir., parlo da opposicflo, a mais numerosa e
moderada, conservou-se na corte o as domis pro-
ulidade do povo! lolerei conservnr-me neutro
ntre os que] assim proceden o os defensores d>^i or-
en, ? NO, ceta mente; porqunntoo indilTereil.s-
o nesto caso, alin de injusto, he Uo condcmnsvel
nooerau, rain i "-" -........ ',,.. Alna un
incias, de bracos cruzados, cornos ol oS filos e m
er.in.ih.ico. a espera do resultado da lula n s na
c, I na tornad; mas por lim M ^^TZ
raiar para as bandas de Pernambuco loram e,, que
o decidirn, a sor echo da ....prensa aMrClnca doSM
provincia; emlin. quero crer anda quo Dm MtfM
r cumpiiees, mas a verdad. ^V&^SlSt
efles as mallas do Caluca, eslava... lodos a I ci a
da prez., nflo Uataram do afTaslar de s. as -i pe.US
e apparencias de cumplicidade; se .mo concorreram
deala parte da opposco, ass.u. como ne cncl.o de
iiidignacflo e desprezo para con. a oul a .
(^icluoaqu a mnha *0^ffi!l
jo baver juslilicado a minha approt P""^
J.n..n n,.i. nara os saquaremas do que para os
luzias.
dem, 27 de ferereiro.
Interromp a minha le antes d'honlem por ter sido
transferida a sahida lo vapor; vou, pois, dar ro-
nceo a esla, nolciando-lbe que por decreto do 19
do torrente bouve por bem S. M. dissolver a cmara
doa deputados, convocando outra para o 1. de Ja-
neiro futuro. E pata que os seus leitores se compo-
netrem da necessidade q.lo forcou o ministerio a
aconsclhar corria essi medida, em tolas as cir-
cunstancias, extraordinaria, siiccintarnente expo-
r o quo so ha passado cnlro o ministerio c os mem-
bros da cmara.
O decreto do adiamanto das cmaras, lido na ulti-
ma sessflo do anuo passado, longe do ser recebido
pela opposic,o como medida dictada pela molera^flo
e tolerancia do ministerio, deu causa a ella propa-
lar que a dissolueflo fnra denegada pelo Imperador
ao ministerio, e por isso foi a cmara adiada e nflo
lissolvilla. Por mim digo que nunca cri om some-
Ihante boalo; porque, liavci.ilo i corfla resolvido,
em sua sabedoria, apear do podOr um partido que
j bavia invalidado loJos os sous homens de eslad
em dlTeronles ministerios, aom quo realsassem as
iileius que, quando na opposico, prgavatn, sendo
que o ultimo d'elles nem Imita apoio no sonado,
nem enntava Igualmente nn cmara urna maiorla
compacta e decidida; resolvendo, digo, a eoroa
chamar a si um ministerio lirado do seio do parldo
opposto, sera um fnclo em cxemplo nos aunaos da
poltica dn mmido civilisado, fado nilosuseeplvel
de explicacao salisfacloria, negar ao novo ministe-
rio a dissolueflo da cunara que Iflo infensa s* Ihe
manifestava. Enlond cu, c mo mo engae., quo
n ministerio, adiando e nflo dissolvendo a cmara,
dava mostrtis da sua prudencia e tino poltico ; por-
quanlo, nflo contando cmara em seu seio urna
maioria bem caractersada a favor da poltica quo
doseia do poder, o que evidentemente revela o faci
do nelia solTrer derrota duas vezes o ministerio Pau-
la Souz.i. era possivel o mesmo provavel que os
aclos justificativos da poltica moderada c tolerante
do ministerio, no decurso do adiamanto, angarias-
sem-lhe maioria, embora Iransiloria, conlanto que
disnensnsse o paiz de passar presentemente pela cr-
so le urna dissolueflo. Has, eircumslanctai r.lheins u
ba vontade, como o havia previsto o aclual presiden-
Codo concclho, viscomlo d'Olinda, vieram de tropel
dar desmentido ao ministerio da boa esporanca em
que so embalara do nflo ser necessario laucar mflo
d'essa medida extrema. Ah est a deputaeflo do
Pcrnambueo frente de bandos que sons embustes o
sedueces Ihe lizoram adeptos ; al.i ostflo pelas de-
mais provincias os membros da cmara (salvas hon-
rosas excepcoes) tentando insurgir o povo contra o
governo, animando, insuflando os calucs para
nflo largarem de mflo a obra tanta da ennguiHa ta
liberdade. A vista dislo, que cumpria azer ao go-
verno ? I'ma de duas : ou dissolver a cmara para,
despidas as inmunidades do depulado, por freio s
paixoes desencadeiadas com que elles amcacam
Iranslornar a nossasoeiedade: ou conservara c-
mara abandonando o posto, alvilrecuja ennsoquon-
cia infallivcl, as circnmslanrias prsenles, sera
liliquear a monarchia, nr.aslranilo em sua queda a
nacflo a um abysmo insoiidavcl! O ministerio adop-
lou oprimoiroalvitre; anda bem Seremos salvos .
A policia lem dado buscas em ligninas casas lo
irastel vell.os, que s-lo aqu denominadas cusas de
helchioret em honra lo primoiro instituidor dn 1.1o
importantes eslabclccimenfo', que assim se chamnva.
e tem approhendido lodo o armamonto vcll.o e novo
qucfiorl lem encontrado. A opposicflo lem rnli-
cularisado em seus peridicos a polica denominan-
lo-a policia dot belchlorei.
A ni t. cliuva que cabio as vsperos o das de
enlrmlo nflo permitlio concurrencia aos bailes mas-
carados, tornand.i-os assim Inspidos o. mais possi-
vel, segundo informaram-me os amadoros.
0 ministrofrsncez, lija dcliullienval, rct.r.i-seem
nevo para a Franca.
Commuiiiquealiiaos catucas que o Mercantil do
19 do correle, reforindo os acnntccimcntos do Por-
iiambuco o a mora do Nones Machado, diz que enn-
tra os coi.cclhos doa amigos foi elle pAr-se a testa
dos movimenlos revoim-oiiarlosque mine. :cs mo-
recram approvac.V.. Note-se que a parto Poli-
,., IsTaaa. do Mercamil, S^b a qual se faz es a
leclaracflo, hequasi exclusivamente escripia pelo
urbano ; digo iiiii, porque o l'rbano oceupa-se so-
mete dos negocios do Pernambuco, c nem lodos os
artigos desta parlo do Mercantil dizem respoitQ a es-
sa provincia.
As folhas da opposicflo disseram a semana passa-
da otic 0 nosso exercito era lesprezivcl.porqun com-
mnha-sn exclusivamente de liberto. Que .bera-
Oes Al quorem rermar oslo pangrapbo da nos-
aconslituit;lo!.....Para estas refor.pas liberaet be
uc t:s homens querem constituate.....
Os catucas cslflo desesperados com a. derrota que
ofrreram ahi em Pernambuco. Ouga o que diz um
\o< fidedignoi que semprc se communicam dah com
) mercantil. .0 corpo do Nunes.qtiando passou pelas
, ras desta cidade, foi insultado pela canalha ele
V, ainda se estilo servinda do povo, c ja ooMm
canalha lio mal feito, do ccrlo, que se, ii sulio um
,orlo : um povo nunca deve de.xar tW|Wn%
m,a mesmo par. *gfffr^$?%E
ns mtVndam rcpe'iuVas'cinzas'dos ...ortos: ao mor-
deve o povo d.zer : requieicat i pac*.
No momento Cm que aahia antes-d lionlem o D-
1 Sdffl&Sffi!? | ov.nc.aPla San-1'edro-do-
tropa para sulTocar a rebelda.
...,s!a cu o governo celebrara com o ministro
.merc.noqToodumlral.du de allianca niTenaivi.o
Scfensiv que ..... to honroso nos he; nflo posso porem,
cirail rlllw veracidade da nol.cn, porque apeasoa
nue m-i.comniunicou, se bem que me mcreca todo
2"red tooconsidoracao, nao allirmou-me o fado,
lo

-


.
transmfta-me simplesmonte o boato que corra.
Faco votos para que assim soja.
Noticias do Rio-Crande annunciam que a missiio
Le l'rdour tere o resollado que giTalmenle se espe-
rava ; ism Iip, que Rosas persiste em um tratado so-
bre as bases llood com os seus e os apndices do O-
ribe, c que por eonsequencin niiu vieram a um a-
t /do Rosase Le Ptdour.
Todas as provincias do sul e centro do imperio
gozam a mala perfeila tranquillidade; e uma carta
que recebi hojo de Sao-Paulo noticia-me quo a op-
posiciloest satisfeitissima coro a administradlo do
Pires da Molla.
lll.lll!llllPEBN.lBBn:il.
Bror, 11 BIN1BOO DI 1MI.
HONRA K LORIA AO RXCELLBNTISSIMO SBNIIOR
MANOKI. VIE1RA 70STA.
Bem roinpreheiidciidn as ncccssdides da provin-
cia ; certndequeo governo cobre-sedo gloria, e
approxlma-se du Divindade quandodesdohra o man-
to protector sobre os que, confessando os proprios
erros, supplices Ihe imploran) perdio dos delicies
commettidos ;decidido a empregar todos os meios
ao seu alcance para que nao mais corra neste l'er-
nambiico o precioso sangue brnsileiro, o Exm. Sr.
Manocl Vieira Tos, vendo as Coreas imperiaes co-
brir-sp le louros cm todas as paragens cm que se
oncontram com os rebeldes, e nada tendo porcon-
seguinte a recciar de qualquer acc3o enlre estse
aquellas, apenas soube quo em Sibir-da-Serra
acliavaiii-o em armas alguns homens Iludidos,
mandn f7er constar alli quo por decreto de II de
Janeiro prximo passado S. M. o Imperador dign-
ra-se de conceder amnistia a todos aquellos que,
lendo-se rehollado, se apresentassem as autorida-
des legitimas, dentro do prazo de tres dias, conta-
do do de tal declararlo.
Ao tomar scmelhante resoluciTn, s. Exc. calcula-
ra, sem duvida, com sua tilo condecida prudencia,
<|uo ella produzira o almejado erTeilo, queremos
dizer, reronduziria ao gremio da familia brasilcira
aquella porciio de filbos desvairados : o facto, feliz-
mente, nilo so veio provar quanto fra acertada a
medida que se elle decidir a adoptar, senilo tambem
testificar o seu grande tino administrativo; isto he,
veio demonstrar que S. Exc, qual babil medico, sabe
graduar o remedio pela natureza o inlensidade do
mal que se propOe a curar.
Sim; logo que o Sr. teenle-corohel Jos Fcrrtji-
rad'Azevedo, a quemS. Exc. incumbir a execuc^o
do philantropico decreto imperial, manifestara cm
SibirO qual a nubre missfio de que ia encarregado,
o Sis. Domingos Affonso-Ferreira e Bernardo Jos
da Cmara apressaram-se em se Ihe aprcscnlar com
ll cidadlos, bem como a cntregar-lbe o armamen-
to e o cirtuxsme do que eslavam de posse, segundo o
atiesta o spgunt.c documento official:
Jllm. e F.xm. Sr.Apresso-me em communicar
V. Exc. que hnnlrm, pelas 6 horai da manhila,
- puz em vigor a portara de V. Ene, quo cm vir-
rteconhecimento e gralido ao dislincto Rabiarlo "chnvam-seospalhados por toda a cidadeagentes po-
que deserte tcslemunha quanto se aoha disposloa & enc.rrega.los de capturaren,, em qualquer
poupar o sangue do povo confiado sna dirocclo.'....
Continu S. Exc. a proceder assim mostr quo,
magistrado esclarecido, sabe combinar os preceilos
da Justina com os da cleroeneia, e cont com n ad-
miradlo e respeilo de lodosos bons Pernambucanos,
de lodosos Urasileirossensatos.
VAPOR DO SUL.
O vapor S.-Sebasiio, chegado hoje dos portos do
sul, Irouxe-nos as duss cartas, que inserimos no
lugar competente, escripias a -t c 2" de feverciro
em como
sprimoL
e os se-
ullimo pelo nosso correspondente na crl
diversos jornaes fluminenses c hahian.
ros datados de 25 a 27 do citado fe
gundos de 17 dessa mez a 7 do corren!
As noticias da corto limitam-sc as que no* ta o
correspondente, cuja narrativa vai em ludo de ac-
crdo com o que lomos nos peridicos.
A data dos Estados-Unidos, que por ultimo se re-
fere o Jornal do Commercio, lio mais anliga do que
aquella que aecusmos em o n. 51 do Diario; isto he,
apenas alcanca a 17dc Janeiro.
A linlih ficra tranquilla.
A Tolerancia n. 47 noticia um fac|o tanto mais hor-
roroso quanlo revela que anda senilo acabramos
Cainrt, que ainda ha homem lito perverso que
tenta cunlra os dias do seu proprioirmo.
Recciosos de omiltirmos algiims circumstancia
ilesse aclo de requintada feroeidade, vamos trans-
crever as linhas por que aquello peridico o levou
ao conhecimento dos respectivos leilores. Ei-las:
Ser a ferociilaile o distinctivo ila poca actu-
al, ou hn o esquccimpnto da historia intima ilos po-
vos nos diversos periodos da sua vida secular, quo
nos faz encarar com tanto horror e sorpreza os cri-
mps de que lemsido victima a humaniJado nestes
ltimos annos ?
por toila a parto csses crimes se hilo succodido
com niedonha frequencia; no Rrasil, porcm, na
Babia principalmente, ellos sorprenden! mesmo as
almas as mais indomaveis, os coraces os mais fer-
renhos.
He conveniente nao rctrac,a-!os memoria do
publico, coja moralidade naila ganharia com isso, p
nilo he senilo mao prado nosso, corvando-nos aos
ingratos deveres da missiio que aceitamos, que
narraremos o seguinte ahominavel fado, tilo succin-
taniente quanto podremos.
a O governo da provincia acaba de receber do
juiz de direito de Urub um olllcio em que refere
que na madrugada de 21 de Janeiro fra a villa desse
nr.me acnmmellida por um buido de assassinos an
mando de Jos Antonio Cuinarios, que, depois de
assaltar a cadeia, arromba-la, prem liherdade aos
diversos criminosos o arcabuaajr aviim subdelegado
qucseapresenlra para obstarli tsmaiibu altentado,
se dirigir casa do leu irm*o, o comftiandaule su-
perior Jos Antonio to Arsujo Guimariles, ohjecto
tle seus odios inveterados, o desso assalto a pozera
em cerco, e ahi se baira por mais de 24 horas con
una satilia inaudita, de que resultar minias mor-
ios, e entro ellas a do majoi Guimarilea, filho daquel-
le commandante superior, que, se adiendo inhabili-
tado para maior resistencia, cercado da esposa e dos
lilhos, abracado com uma imagoin, sahra a pedir
misericordia a seu irmo. Vas este, nao contente
com o immenso estrago que havia feto, com as ermi-
tas mortes do que era autor, com a do proprio so-
hrinho, que j houvcra dado a alma ao Creador in-
scnsvt-l ao painel que se Ihe aprosenlava aos odos,
ousa anida insistir na morte do infeliz. Os assassj-
iude do decreto le 11 do Janeiro prximo passado -"os' P0,em' ''lles 1ue "9u t'ri,m "" >rmhos, recuain,
concedo amnistia aos individuos apresentados no!'lesohedecem as ordens fratricidas; mas ellas sno
Pntp, a aquelles dos indigilados que escapassem
""s cercos, as duas horas eslavam na presenca do
"uslre magistrado 10'ou 12 pessoas, que, por for-
ll|na, haviam sido encontradas as proprias casas,
"Igumasnn meio de indicios eprrovas mais quo suf-
icientes da sua culpabilidade. Entro ellas estsva
"quelle Ribeiro, e qur filsse acaso ou denuncia,
'oi elle sorprendido o agarrado, em S.-Miguel,
com 500 e tantas cdulas falsas de 1/rs., t ou 18
de 5/rs., e a amostra de una chapa de 50/ rs.!!!"
Ao lempo que era preso, corria-lhe o prestant" sub-
delegado Moiiinhn a casa, as portas do Cirmo, e
ahi encontrava, alm de uma multidiio de instau-
menlos, tintas, preparares chimicas, ooutrosoli-
jectos proprios do fabrico do papel, encontrava, di-
zemos, mais'1:800/ ou 1:900/ ris em notas de 18
rs., novissimas, o ainda por assignar.
As eslampas de 5, eSO/rs., que ainda ndo ti-
2 caixas marmoleada, I ditas chocc-hle, a lia noel
do San tos.
1 caixnle sementes, 5 Islas legume; a Thomiz
Dias.Sonto.
1 barril presunto e choungas, 1 caixa massas; a
Vicente AWes de Suza Carvallirf.
5 caixas cera lavrada ; a Firmino Jos Flix da
rtoza.
19 larris chouricas, i dito toucinho; a Jos Pt-
reir da Cunda.
I eaixote chocolate, 1 caixa amenas, 3 ditas amen-
iloaa confeiUdas; a Marcelino Jos Concalves d
Fonle.
*8brricas8ardinhas, 28 latas peixedeeseabech*
1800 molhos de ceblas, 1 gaiola com uma rua ; i
Joiio Antonio Cil.
1 barril viudo tinto ; a Jos Goncalves da "l^nte.
10 barricas e 10 caixas toucinho; a Antonio Joa-
qun de Soma Ribeiro.
Jenny-lAnd, brigue sueco, vindo de Nowcaslle, en-
pedrs ; aosconsignata-
CONSULADO GERA
RE.NDIMENTO 1)0 OIA 10.
Coral ...... ................. *:52J,393
Diversas provincias............... ,867,961
--------- |
?.781,351
prazo de 3 dias ; e que boje, pelo mciu-dia anre-' reilcra,,l,s> nos hra^os dos lilhos oda espoza, es-
sentaram-se 101 individuos, entregan lo-mc lies- "e,ldo com a imagem de Dos, o infdiz succuiiibe
sa occasiflo seus armamentos e cartuxanie, osa""' P"nl,a,;'das, logo seguidas do saque da sua
quaes fram apresentados por Bernardo Jos da !Cl,M Uo roubo dos seus.papis, do incendio de ou-
Camara e Domingos Alfonso Ferreira. Tenho es- lros' e da ru'"," tudo 'Iu"nl possuia.
peranca dse me apresenlurem al a manhila mais alguns, que o n.1o lzoram por n.lo estarem i>re- scn,cs *> Mucaubas, as demais autoridades rugirm
gentes. ou occultaram-so, o a villa mleira. assim aterrada e
o Dos guarde a V. Exc. Quartel doterceiro baU-,ab!,urU' licuva e"tr,,PUOi, genio das ruinas.
IhiSo do ai i hhana o pono engenho Sibir-da-Ser-l Es!,e ,lomem t'enieiidainenle perverso, ousava
ra, 10 de marco de 1849. lllm. e Exm Sr Ma-'Cl,"scrva",a em iCU dumiII|o c no dos seus asseclas ;
noel Vieira Tosa, presidente da provincia. -- Jos mas 3i uul0' ldadf!i .'"caes oesde eniao, e o govorno
Ferreira de Auttdo, lenente-coronel commandan-
le do terceiro batalhao.
E, i vista disto, oque dirio aquelles que ompre-
henderam a ruim tarer de incutirem no animo dos
incautos que a missiio do actual governo era somon-
te perseguir massacrar o povo R Como sejustilica-
rSo ai.te aquelles que Ide observaren) quanto mal
quadraoepitdoto de perseguidor ao governo que,
cercado dos laureis do vencedor, amnistia aquelles
que, arnda Iludidos, seapresentam com as armas
na mo, e caridoso os absolve desse delicto ? So lecm
conscicneis, cbrir-M-hao de pejo, o Confessariio
da provincia desde ja, invidaiu os niaiores esforcos
para a captura o castigo dessa abomiuavel e mons-
truosa lera.
Consta-nos que as mortes andavam em vinte e
lanas, i,
A 3 tiesto mez a polica da Babia apprehendra a
corto traficante, n.lo s militas notas falsas de diver-
sos valoies, senilo lamben os instrumentos e pre-
parativos com que se elle dispuiiha a promplficar
maior portjSo dessa moda, como tudo consta do se-
guinte artigo da referida folha :
A provincia c o imperio acaban de receber do
mu tiigno chcfeile iiidlei n *r n. innn u.r(n
Wanderley. um servico t.' m'air ai'ncee impor-
nliam sido derramadas no publico, consta-nos que Irado no corren te mez,consignado Me. Calmont 4 C.,
silo do rarissima pcrreicrlo e taes que fra mpoaa>-i manifestou p seguintei:
vel, sem ir aos talOos, distingu-las das verdadcira's.1 159 toneladas carvao de
A assignaturas que as cobrem silo da mais fiel se- ros.
melhaufa, o papel perfeitamcule Igual aodo gover-
no, e ludo tilo bem desempenhado e exacto, que
he justo lamentar que a cabal pericia desse mi-
Serayel no lenha sido aproveitada em bem da hu-
ma nidaili'. Alm do que fica dito, notou-se que essas
cdulas eram de militas series diversas, pelo que
frca era que, uma vez emitlidas, o governo, tilo al-
lamonle prejudicado, tivesse de recolher as suas,
nilo desta ou daquclla serie, como al aqui, mas de
toilas ellasconjunctamente. Emquantn, porm.se nilo
cfTccluasso essa opera?o, eniquauto ignorasse o go-
verno que as havia falsas de todas ai terui, ia o pu-
blico incauto recebendo-as, o iam enriquecendo a
sua cusa os mil agentes, passadores, asocios desse
homem fatal.
Sabe a polica que se deviam emttic, das de 5/
rs.,quantias enormes, ja tendo de amostras para os
diversos lugares do imperio, e havendo encommen-
das superiores a 200conlos, feitas do Rio, Pernam-
buco, Rio Grande, Alagas, Sergipe, Maranho e
oulros lugares.
Para quem souber s protervia e descaro com
que se ia fazeudo o trafico do papel falso nesla pro-
vincia; para quem reflectirnas sommas enormes quo
deviam costar aos cofres nacionaes o recolhimeuto
e siiltituicao por inteiro de todas as stries de so-
llas ile um, cinco o cincoenls mil ris; para quem
ponderar no consideravel prejuizo do sem numero
de pessoas quo em proveilo de alguns ladrOes ha-
viam de ser victimadas por essa praga ; para quem,
einiin, qur pelo lado moral, qur pelo econmico,
encarar o servico"do Sr. Wanderley, ver que im-
possivel Ihe era fazer ao Brasil oulro maior, que o
tle acabar nao s com u perigo dessa emissilo falsa,
como com o da presenca prejudicialisma em seu
seio do autor (leanlos males. Consta-nos que esse
Ribeiro foi o autor das sedulas de 2| rs. azues, das
do 20/ rs. amarellas, e da 100/ rs. verdes. Quanto,
pois, nao cusa este homoin funesto a .comuiuuhSo
brasileira .'-Parahens ao Sr. Wanderley! Parabens
aoExui. Sr. Marlins! Parabens a sociedade .'
ALFANDKGA.
RENDIMENTO DO DA 10............
Detcarregam hoj; 11 de marco.
Patacho loper farinha.
Brigue Eliza bacalho.
Rarca Ligeira morcadorias.
Brigue Emma bacaldo.
Calera Rein-Deer mercadprias.
7:M6,495
CONSULADO PROVINCIAL.
RENDIMENTO DO DA IA,............ 1:069,549
......,,,
ItlO-DE-JANEIRO.
camiios ao oa 26 di fverriho db 1849.
Cambios sobre Londres. ...... 25 l /2 a 25 l i
Paria.........nominal.
llamburgo......68^ a 685
Metaos. On^as hespanhlas.....31,200 a 31,600
da patria.......31,000
Pecas dei,loo, velhas 18,000a 18,500
Pesos hespanhes......8,020 a 2 oso
v da patria.......2,000 a 2,010
Pataces...........2,000 a 2,010
Apolicesde 6 por cento...... 86a86l|9
provinciaes.........8*
( Jornal do (Jommercio.)
BAHA.
CAMBIOS SO OA 7 DB MASCO DF 1849.
Londres ............'. 86
Pars...............340
llamburgo ...........nominal
Lisboa.............. 120 p. c.
Melt*.
4
Oncas hespnnimias........31,500 a 31,600
mexicanas.........31,300 a 31,500
Pecas de 6,400......... 17,500a 17,800
Modas de 4,000.........9,400 a 9,600
Pataces brasileiros..... 9,006 a 2,010
hespandes....... 2,000 a 8,010
> mexicanos ...... 1,980 a 9,000
{ Mercantil.)
um celebre porluguez Ribeiro, re|.alista o donrador,
cond.cido nos qualro cantos do imperio peto mais
liaul de quanlos se oceupam nesse mister crimino-
verno seja devidamento apreciada por aquelles a
qnem possa aproveitar, oque influa'para quedepo-
nham as armas esses destrozos rebeldes que ainda
percorrem alguns pontos da provincia !...,
Honra c gloria ao Exm. Sr. Vieira Tosa, que, fiel
cxeculor dos parternaes decretos do Sr. D Pedro
se esforc. por fazer senlir a todos os seus subdito^ev^^o^u, PB^^^]
quanlo leem a esperar da sua imperial niumli- "uVi'Ll'S sus"'US- EfiectivamenU, ao meio-dia,
ceacia..... icomo^L.^l^Sbdek'8tll, dodverioa dislrictos
I com ordew de cercarem correrem mui tas casas :
no, Irntou o Sr. edefe do polica, desde que aqu
edegou, de colhcr a seu respeilo, e a respeilo de
ouiros fabricantes e passadores de papel aqui resi-
trentes, as mais minuciosas informuces c noticias.
iel.1 er.r.vcrou jncanaavel nesso plano de, pesquizas, e
"' iu e.i l'"'Fh0l"em. 3 do torrento, que, daven-
IMPOItTACAO'.
Ligeira, barca portugueza, vinda de Lsbs, en-
trada no crrente mea, consignada a Francisco Se-
veriano Rahollo& Filho, manifestou o seguinte:
57 podras do cantara, 1 barril vinho tinto, 1 tlito
dilo -branco, 1 dito vinagre ; a Angelo Francisco
C rne i rn. '
1 barril vinho tinto, 1 dito hranco, 1 dito'vina-
gre; a Joilo Pinto de l.emosc Filho.
1 barril vinho tinto. I dito dito branco ; a Manoel
da Cimba Cuimar.les Ferreira.
6 barris azeite doce ; a Antonio Martins de Car-
valho.
77 barrise67 pipas vinho tinto, 8 pipas elltbarris
vinho hranco. 20 pipas.10 meias ditas e 1 barril vina-
gre, 8 varas do lagedo, 2 caixoles livros imprssos,
I eaixote livros o panno do Moho, 10 barris paios.10
ditos chouric,as, 10 caixas toucinho, 90 barris azei-
te doce, 45 barricas e 4 barriliuhos sardinhas; a
FranciscoSeveriano Rabello & Filho.
44 barrios toucinho; a Manoel Nunosda Silva.
758 pataces hespanhes e brasileiros, 112 pecas
de cabos. 9 caixas toucinho, 4 barris vinho tinto, 20
saccas fejflo, 6 ditas grito de bico, 10 ditas com-
nhos, 33 barricas sardinhas, 12 caixas toucinho, 6
golprlhas amendoas, 7 barricas alpista ; a Joaquim
Francisco Torres.
13 barricas sardinhas; a Luiz Jos da Costa
Amorim.
20 pipas o 1 barril vinho linio, 50 dilas vinho bran-
cp,50 barricas farinha de trigo,lo barris e lOCKixotes
bolnclias ; a Tlmniaz de Aquino Fonseca & Filho.
Mcia pipa vinho tinto ; a Caudino Agoslinho do
Barros.
1 caixotinho imprssos; a Manoel da Silva Santos.
6 eaisotesaoee; .-. Otiveira & (nSos.
5 barris paios, 5 ditos chouricas, 10 caixas touci-
nho ; a N^scimento de Amorim.
1 eaixote bordOes para guitarra: a Joo Jas da
Cruz.
2 barris vinho tinto ; a Carlos Augusto Rordorf.
2j barricas sardinhas, 12 ditas aloisia ; a Anto-
nio Jos Carvaldo Cu una riles.
21 barris vinno Unto, 14 fardos capachos, 1 lerno
condenas, 90 barrioas cevada, i barril paios, pre-
sunto, o chounca ; a Augusto Cezar de Abreu.
20 barris chouricas; a Manoel Ignacio de Oli-
veira.
4 barril chouricas ; s Joaquim Anto>iio*dos Santos.
I eaixote livros, 3 barris viudo tinto ; a Bernardo
Antonio de Miranda.
1 csixole peridicos; a Joo Jos de Carvalho Ma-
raes.
Assuear
Couros -
Arroz- -
PRACA DO BECIFE, 10 DE MARCO DE 1849,
AS 3 HORAS DA TARDE.
Revitta semanal.
Cambios ----- Sacou-se a 27 d. por 1,000 rs.
Algodflo ----- o de primeira sorte vendeti-se a
4,100 rs por arroba, eode se-
gunda a 3,700 rs.
Os presos fram os mesmos da
semana antecedente, e as entra-
das regulares.
Vendeam-ses 100 rs. por libra,
dem 4o 8,000 a 9,400 rs. por
quintal do niladn a vapor.
Azeite doce--------dem a 8,600 rs por galflo do do
Mediterrneo, e a 3,000 rs. do de
Portugal.
Bacalho ----- O mercado foi supprido com 1300
barricas, viudas do*Estados-Uni-
dos. Ficaram por vender 2000.
Ileta|l.ou-sede12,00a 12,500
rs. por por cada banica.
Carne secca As vendas, em psrti.las, regula-
ran) de 2,600 a 3.000 rs. Fica-
ram em ser 49000 arrobas, inclu-
sive um carregamenlp do Rio-
Grande-do-Sul.
Fariuha de Irjgo Exislem por vender 7500 barri-
cas, inclusivo 1200 entradas e.-ti
semana. .A de Richmond re-
taldou-se a 18,000 rs por barri-
ca, a de Bastimore a 11,000, a de
l'hiladelphia de 17,000-a 18,000,
a ate Trieste, marca SSSF, a ris
20,000.
Passas ------ Venderam-se de 9,800 a 3,000 rs.
por caixs.
Vinhos ------ dem de 115,000 a 116,000 rs. por
pipa do de Lisboa PRB, de 100,000
a 109,000 o de outros autores, e
de 80,000 8 85,000 oda Figueira.
Ficaram no porto 90 navios, a saber: Samerica-
fSOS, 3 sus'.rie<>s, '"* hrasileiros. 1 brmense. 3 dina
marquezos, 4 francezes, 1 tiamburgaaa, 91 mglezos,
7 poiluguozes, 2 sicilianos, H sardos e 7 suecos.
Movimeiito do Porto.
_________________________________________-_________________________,^ :._______
A'aeo entrad* no < I.
Kio-.le-Janeiro ; 38 dias, patacho >ror Uplo,
de 173 toneladas, capullo Jos Mara Vianna, e-
quipagem 11, carga cara; a Amorim lrmfioa.
rYaroi eahklo mtsmo di: f
Londres; barda ingiera Sir-Kdmiri-Paget, capillo
Andrew Beckley, carga a mesma que trouxe.
Gibraltar; polaca sarda Anttnielte, capilo Jeflo Bsp-
tlsta Fradega, carga assuear.
ii rniv/ri


J.UU.

capitflo Jonathan Lirjis Ju-
Cork brig^ie inglez Vestal, capitflo AVilliam Taylor,
Mr? assoear.
llu<-nns-Ayres; polaca sarja /feuoco, capitflo Jo0
Bautista San-Miguel, carea assucar o ago'ardente.
Trieste; barm. ingina Charlotte, cspitflo Nicols
l.anpssty, arca assucar. ...
:.... '<.%.. .fi.! t i.^ifii camino sre-
noel Itfnacio F.m commisso ; brigu-.MCuna brasi1e.ro Canopo,
cominanlantooprimoiro lente JosC di
Christa d'Onro.
OburiacaS.
Fun.leou no LameirflO, para acabar .lo carregar. a
barca inste Maloolm
P-ior.
Navtoi entradui no da II.
ItiO-le-Janeir. Babia Maeei ; 13 .liase 12 horas o
ilo oWnto porto 17 hora, Tapor brasileiro Sam-St-
batliilo, ile 300 toneladas, commandante o primei-
ro lente Antonio Xavier do Noronha Torrezflo,
eqUipagem 89. Passageiros, Pedro Muniz Brrelo
de Aragllo com I escravo, Jos Ribeiro PeroiraCui-
marfles, Thomaz da Costa Ferreira Serrflo, Jos
Joaqun) l,anlnto da Rocha com um escravo, Do-
mingo Jos da Silva Couto, Manoel Raymundo
Toljes de Meneaes com 1 escravo, Francisco Jos
da lloclla Filho com 1 escravo, Filif pe Jos de Al-
meida com 1 escravo, Luiz Filippe Sampaio Van-
os, Clioplmno Pita gori com 1 escravo, C.uilhermi-
, oo Marques jlo Souza com 1 escravo, Ernesto Po
dos Mares Cua com escravo, Antonio l.uiz Af-
fonso doCa'rvalho, Nicolao Alfonso de Carvalbo,
Francisco Xavier .fq Carvalbo l.ima, Sohastiflo An-
tonio Cardse. Jjsquim de Mello Rocha, Francia
coG. Mendea Bastos, Bento Jos Fernandes de Al-
ineidaeom 1 oscravo, Antonio Lope* Ferreira da
Silva, Joflo Ferreira do Moura com 1 escravo, Joflo
Cerqeira Lima, Luiz Cerqueira Lima, Antonio
Teixeira Pinto, Gonzalo Vioira de Carvalbo Mello
com 1 escravo, Manoel Joaqnim deAlmeida Mou-
ra, Joflo Jos Miranda, Manoel Jos de Carvalho,
Fr. Jos TlMHpaz de Florencia, o e pililo. Jos Mu-
niz Ta va res com 1 cantarada, Joaqnim Rodrigues
deOliveira com escravo, Manoel Comes l'erelra
Jnior, Brasileiros; i.uilherme Hughes. Inglez;
para os portos do norte, Adolpho- Chrisplniano
Valderato, Dr. Frauciaco Rodrigues I'
ex-.solda.los.
Ilahia; 13 das, brigue austraca*Abiel-Kader, de 229
toneladas, capitflo Luca Dubota, oquipagem 8,
em lastro ; a ordero.
Liverpool ;40 das, barca ingleza Golden-tleece, de
312 loneladaa, capitflo Josepl Palelborpo, equipa-
geni IG, carga fazendas ; a Russell Me llors & Com-
panhia-
As; 12 dias, patacho brasileiro Sa%-Jos7rencedor,
de 143 toneladas, capilflo F.uncisco Jos de Anu-
jo, equlpagem II, earga|sal, rourna o cora da car-
nauba ao eapilo. Passageiros, 3 escravos a en-
tregar Veio arribado e segu para o Rio-de-
Janeiro.
Navio tahidot no metuxo da.
Rio-de-Janeiro; vapor brasileiro do guerra D.-Af-
jomo, commandante o capitflo de mar e guerra
Joao,umMarques Lisboa. Passageiros, os leantes
doexercilo Jlo Francisco Leal Bruce, Jos Joa-
quina dos neis, Jos Ignacio Coimbra, Miguel Joa-
qun) Leal Uruce, o cadete Joaqnim Francisco de
Oliveira, o priineirocirurgio do Armada Francis-
co JU's da Cosa e 178 roe-ruta-
Nevr-Tork ; brigu hamburguez l-erdenaml, capilSo
F. Groot, carga assucar.
GihraKar; briguesueco Adolph, capitflo E. I'. Wills-
lo.i, caiga assucar,
dem bngue-escuna inglez Fanny, capitflo Alcxo
l.umbaru, carga assucar.
Copenhagem ; brigue dinamarquez Chrislian, capi-
lflo A. Honcliell, carga assucar.
Parahiba ; biale brasileiro i'orahibano, capilflo Nico-
lao Frauciaco da Costa, carga varios gneros.
Leudes.
O Sr. cnsul conta de quem pertncer, e por i.itcrvengSo do cor-
redor .Oliveira, o arrendamrnto a mezes, dando-so
Manca, do terreno etelheiro na rua Nova, oulr'ora
do eslabolocimenlo de carros do tallecido aiik.;'.-
Jaussome, subdita francez : boje, 12 do frrente,
as II horas da manhila, no consulado de Frauda o
cm presenta do referido Sr. cnsul, na rua do Trapi-
che-Novo.
Jones Palnnc O. farflo leilflo, por intervengan
do corretor Oliveira, de grande sortimeulo de fa-
zendas inglezis, principalmente de pannos, e ou-
tr.is proprios para a actual quaresma : lerQa-feira,
13 do corrente, s 10 horas da manhila, noseuar-
mazem, rua do Prapiche-Novo.
-----' .'
T
Avisos diversos.
DITA ES.
Miguel Archanjo Uonteiro de Anirade official da im-
perial ordem da Rota, cavaJIeiro da de Christo e int-
pector da alfandega de l'ernambuco, por S. M,
Imjerador, que Deot guarde, etc.
Faz saber que no din 13 do corren(e se hilo de arre-
matar em praga publica, po-ta da mcsnie, ao ineio-
dia, 199 corles de colleles de fustilo tracawlos de cu-
piui, na valor de 160 rs. cada un corte ; sendo a ar-
rematadlo livre de direiloa ao nrremalanto.
Alfandega, 10 de nfnrc,o de 189.
Miguel Archanjo Uonteiro de Andrarle.
Miguel Archanjo Uonteiro de Andrade,
Fax saber que no dia 14 do corrento, ao meio-dia,
e na porta da alfandega, se hilo de arrematar em has-
ta publica, I r.iixa coui 45 bocel is deameixas con-
fe i tadas com 57 libras, no valor de 36,000 rs. ; 2 di-
tas com 80 frascos de amendoas cuberas com 64 li-
bras, no vtlor de 56,000 rs. : ludo impugnado pelo
amanuense Con;alo Jus da Costa c S, no despacho
sol) o ii. 3783 : sendo dita 8rrcinalac,io subjeita a di-
rcilos.
Alfandega, lo de marco de 1819.
Miguel Archanjo Uonteiro de Andrade.
Declaracoes.
A cmara municipal-contina na sua sessflo or-
dinaria do da 12 do corrente por dianle.
O secretario,
Voflo Jote Ferre'ra de Aguiar.
A1S05 UKi illlUOS.
para o Itio-de-Janciro segu com io a bre-
vidade o brigue brasileiro S.-Jot : para carga pas-
sageiros trals-se com Caudino Agoslinbo da Bar-
loe na pracinba doCorpo-Santo, n 66, ou com ca-
pitflo, Jom: llamos .le Souza, a bordo do dilo brigue.
Venda seo blat llur-do-Ucife, dclolodc 31 to-
neladas, prrgadoe foirado de cobre, o promplo a se-
guir v-iagem : quem pretender, dirija-so a rus do
Vigario, n. 5^
Miguel Archanjo de Figueired embarca para o
Rio-de-Janeiro o scu escravo Laurentino
Gabriel de Castro, por hayeroulro do igual no-
me, d'raem.disnleseassignar por Gabriel Arito
nio de Cuslro Quintaos.
OSr-. que mora no largo da Santa-Cruz baja de
mandar pagar a quanlia de 22,000 rs. do fazendas
compradas no da 13 de jullio do anno passado, an-
tes do dia 15 do presento mez, se nflo quizer ver seu
nome por extenso nesto Diarit, na rua da Cadeia do
Recifo.
Joaqnim Jos Almeida e Silva, cidadflo brasilei-
ro, retira-sedesta provincia para a Europa, levando
em sua enmpanhia sua mulhor, Marianna Comes do
Rozario Torres,e dous lillios menores, Jnaquim o Ito-
zalina ; por issoquemscjulgar scucredor queira a-
presentar sua conta no prazo do oito dias para ser
pagav
Novo rap Andarahy.
No deposito geral deste rop a-
caba de reeober-se urna nova porqflo do mais
excedente que lem appareci.io, o para o pu-
blico poder experimentarse apresen tara urna
amostra,puis imita ao de princoza de Lisboa;
e continua-se a vender polo mesnio prego
na rua da Cruz, n. 63, primeiro andar, assim
como se vende o mais excedente cha brasi-
sileiro.
Offercce-se um caixeiro para loja de miudezas ,
que lem 5nnosde pratica : na rua estrena do Ro-
zario, n. II.
No dia 13 do corrente, se hflo do arrematar, em
praca publica do Sr. doulor juizdo civef*lla primei-
ra vara as casas terreas da rua da Florentina us
16 e 18, sendo urna habitada e oulra em arniazem ,
no estado que se declarou nos aununcios inseridos
nos Diriot de 22 e 23 do mez prximo passado, ava-
hadas em 6:000,000 de ris.
-- Precisa-se alugar urna prela boa quitandeira :
na rua do Hospicio, n. 2, .
Um homem que lem boa- letlra e com pratica
de escripturaeflo por ter servido muito lempo o
lugar do guarda-livros, so propOo a trabalbar em
qualqucreslabelecimenlocommercial polo mdi-
co prego que se convencionar: a tratar na rua da
Calcada, n..34, por detrs da Pcnha, ou anuuncie.
Ofticitiu de e.cadernaci.
Rua ittreila do Rotarlo 8
Blo-se 200,000rs. a premie sobro penhnros : na
rua doLivcamcnto, n.. 38, prin.eiro am'ar, so dir
quem di.
-' A ham-se fgidos, desdes de agosto do anno
passado, dous escravos, do engaito da freguezia
de Ipnjuca, com os signara seguintes -. o primeiro
de nome Izidoro, cf trigueira, altura regur, quei-
*n b*f.t;rt ?lirnle. grosao ilneirnn. he official de
curpina; a segunda de nome Rita, altura maior
qoe a ordinaria, scea do corpo, voz eslripitosa,
sabe cozer, engommar e enzinhar soffrivelmente:
so casados: quem os pegar leve-os a ?eu sonhor,
Lourenco de Sa e Albuquerquc Jnior,ou aojengenho
Guararapes, quesera generosamente recompensado.
Luiz Pedro das Neves Iransferio a sua botica da
rua da Cruz, n. 47, para a mesma rua, n. 50.
O Rvm. Sr. padre Maooel Joaquim de N. Senho-
ra Mili .los llomens queira procurar duas cartas que
se acham na rua do Queimado, loja n. 16.
Besappareceu no dia 7 de marco, urna es-
crava prela da Costa, bonita figura, idade 16 anuos,
bem retinta, bons dentes, nacflo Tapa, com o sig-
na! da Ierra /dous landos as mac.1as do rosto), fal-
lando i.nperieitamente. Foi vostida do veslido de
chita' azul escura de raminhos -amaretlos, o levou
urna C8chnrr.nhn .logue muito pequea, e de fici-
nhojjreto : quem a encontrar e der noticias, ou a
levar casa do Sr. Gustavo Jos do Reg, u rua da
(Jniflo ser bem gratificado.
Existe noescriptorio de Oliveira Irmflos & Com-
panhia una caria para o Sr. Jos Soares de Oliveira,
vinda de LisbOa.
. Antonia Florinda l'essoa de Mcl-
lo,vinva do tenete-coronel Josdo l\ego
Barros, avisa aos credores de seu casal,
que ella est procedendo a inventario dos
Leus que ficornin por fallecimcnlo do di-
to seu marido, pelo juio dos orphSos des-
la ridade, para que, no prazo de oito dias
da dala deste, aprsentela annunciante,
moradora na rua Nova, n. 65, segundo an-
dar, os titulo* de seus crditos para serem
conferidos, depois do que devem elles
justificar as suas dividas ein dito inven-
tario para se separar bens para seus pa-
gamentos ; e indo dito prazo, nao o fa-
zendo, a annunciante tratar de.concluir
o iuventano pera dar parlilha aos lier-
Jeiros.
Antonio Ferreira Lima, lendodeir a Europa
a tratar da saJe do sua senhora participa aos
seus freguezos que a sua venda da rua Nova n.
Pcecfsa-se de um pequeo de 12 a 16 annos jue
tonhaalgomi pratica de loja do miudez-as: m rua
larga do Itrrzario, n. 26.
Precisa-se le um caixeiro brasileiro, ou portu-
8ez. de 12 a 14 anuos-: coi Olinda, rua do Balde, no
Virado.mi.
Antonio Borges, sua inulher Arma Juba f.us
filhiM mnnr. Manoel n Joflo e seu sobr.nbo se
Maya, imlos subditos ponuguozes, retiram-se para
fra do imperio.
Aluga-se a lr>ja do sobrado n. 5 do Aterro-da-
Boa-Visia ptima par todo rygonnro Ae nogoclo,
pela sus exCellenlelocalidade : a tratar no mesnio
sobrado, a qualquer hora do dia ', Olido tamben) se
far ne( na mesma loja.
--Precisa-se de pretos trabajadores qoesejam
fortes: pagam-so vanlajnaaroenle : quem os liver.
dirija-se rua da Concordia, n. 8.
Arrenda-so o engenho l.eflo, situado na fregue-
sa da Escada, com casa de vivencia, senzalla, serra
d'agoa, torno, casa de purgar com furos o corrente,
caa de rtame com assentamento, dita de engenho
com moenda para moer com agoa, um molenete de
bostas na mesma casa, assentamento do cinco taixas
san defeito, cinro casas para lavradores, todo co-
berto de lelha, com 400 f'mas boas o pelo commo-
do prego de 600,000 rs, annunes: os protendentes
dirijam-se ao engenho Vicenle-Campello, a tratar
com Manoel Gongalves Poreira Lima, ou com Anto-
nio GonQalvesPercira, na rua Nova, n. 58, terceiro
andar."
Compras.
3 continua no mesnio gyro pomo al boje ; e ven-
de a sua outra venda na mesma rua n. 40, com os
fundos a vonladcdo comprador; um terreno na .rua
da Concordia com 17 palmos do frente e fundo
at haixa-mar com mciacn no oililo da casa jun-
to ao mesmo terreno proprio para so edificar por
ter mais terreno junio que tainbem se vende ; um
palanquim em bom uso Oulro sim Icmhra as pes-
soas que tecm lellras vencidas em seu poder, que
elle faz algum abato rasoavel,caso queiram paga-las.
I)esejam-se arrumar de caixeiro de qualquer
estabeipcimonlo dos pequeos brasileiros : quem
dcllis precisarannuncie.
lima parda muito capaz, de 40 anuos so olTe-
rece para ama secca de casa lugar queja lem oxer-
cido ha anuos : quem dola precisar paia esse mis-
ler, dirija-se a rua da Cadeia-Velha, n. 17, segundo
andar.
Os Srs. padre douloi Francisco Antonio do Oli-
veiro Itozellcs morador em Olinda, e Ch. islovflo de
Hollanda Cavalcanti de Albuqucrque morador em
Arandipe, engenho Ipojuca, queiram dirigir-se a
negocio de seus inleresses ao segundo andar do
Compra-so um a dous casaos de coelbos man-
sos : na rua do Vigario, n. 3.
-Compra-se una casa terrea em chitos proprios,
sita nos bairros do Santo-Antonio ou Boa-Visla, sen-
do que. nflo excede a 400,000 rs.: quem liver an-
nuncie.
Compra-se apelle de iim veado capoeira : na
rua do Caldoirciro, alias dos Marlyrios, sobradi-
nlio ii. 4.
Compram-se dus csqravas que saibam coser,
engommar o nflo sejam viciosis : na rua liireila, u.
21, esquina do becco da Penha.
Comprarse, sem eitio um trancelim de bom
ouro com sua cruz ludoftiiii o peso de 8 a 10 oi-
lavas : na rua Compra-se urna balanza pequea de (landres,
ou de pao com os pesos de urna quarta at 8 libras,
em segunda inflo :quem liver annuncie.
-- Compra-se um hiale de 30 a 40 toneladas pro-
prio de manejar nesta costa : quem livor annuncie.
Compra-se urna negrinhadffC a lOannos c um
moleque da mesma idade, isto para urna encoui-
incnda : na rua larga do Rozario. n. 35.
Compram-se bnrris vasios, de todos os tama-
itos : na praca do Comnicrcio, n. 2, primeiro
andar.
;-Compra-se urna escrava moq com habilida-
des, principalmente de cozinliae engoinmado, prc-
ferindo-se recolhida : paga-se bem: na praca do
Commercio, n. 2, primeiro andar.
~fc-
Vendas.
Nesla offlrina, que he dli igida por o padro Pernos
e Silva, aprompla-se toda o qualquer obra de onc- sobrado n. 18, no paleo do Carino,
demacro a um preco moderado. OlTerece-se um moco brasileiro
M. S. Muwsoii leudo de retirar-se para Inglater- duela solteiro o que lem boa
ra, pela galera llarndeer, fara loilflu de toda a nio-
bilia pralasomaisobjectosdesua casa, inclusive
um lindo e bem conhecido piano na rua Nova n.
21, primeiro andar, no dia que se annunciar.
-OSr. Jus Antonio de Azevedo, queira no prazo
deoilo dias, resgataros pciiboresque empenhou ao
morador do segundo anlar da rua do Queimado, n.
"14 ; de contrario, se pora em ex-cuQflo o documen-
to que passou. Na mesma casa vendem-.se varias
obras do ouro, um pahteiro do piala un cujeha da
India sarja de seda, selim, chales, mantas, los s-
nales de lustro, a 1.600 rs. e nutras muilas fazen-
das por prego com modo para liquidagilo : bem como
se dir quem da dinheiroa premio.
Roga-seaoSr. que na tardo do dia 16 do reve-
r ro passeando com outro na rua da Ordem, dei-
xou,cahir urna caiteira aosignal de levar a mflo a
bocea que se I he fez de urna casa queira ir rece-
be-la pois que llie deve ser precisa, coniqUanto s
coutenlia carias do correspondencia.
Arremala-se urna escrava de nomo l/abel, que
se acha no deposito geral terca-feira 13 do cor-
renta depois da audiencia da primeira vara.
I'erdcu-so, no dia 9 .locorrente, na estrada da
villa do Cabo e Rio-Formbso, um relogio suisso,
com caixa de prata lixad urna correnlinba de ou-
ro e chave de prata amarrada em um cordfloziubo:
quem o echar elevar rua da Matriz da Boa-Vista ,
n. 7, sei recompensado.
Itesponde-sc a pergunta fella a irmandado do
SS. Sacramento de S.-Antonio que ella n,1o .levo
acto algum feito pela irmandado, segundo e colli-
geda pergunta einquantoo mais nflo se est rc-
solyido a dar-se pasto a be.-tas menos o irmflo da
pandilha.
Precisa-se alugar urna escrava para o servieo
interno e compras de rua de urna casa do pouca fa-
milia : n rua larga do Rozario; n. 48
Tiram-se passaporles para dentro o fora do im-
perio com a maior hrevbiado possivel, e por'mais
com modo prego do que outra qualquer pessqa .* na
rua Direita, ll. 25, primeiro andar, acbarflo com
quem tratar, isto be, das 6 al 9 horas da manhfla, o
deata hora em dianle na secretaiia de polica.
Prccs-so de um caixeiro brasileiro ou poilu-
guez.de 12a 14 anuos: em Olinda, no Varodouro,
padaria da rua do Baldo.
jos "c'.oto da Fonseca e Sano! Nones d Sil-.
ra, Portuguezei, retiram-sc para Lisboa.
O reveremlissimo Sr. Aureliano do Castro Vian-
m, eapelir.o da corveta do guerra estacionada nos-
a provincia, queira mandar receber urna carta de
seu pai, na praca da Inderendencia, -livraria nme-
ros 6 e 8.
-Joaquim deAndraJe Pcssoa Piroentel, subdito
de S, M. Videlissima, retira-se para fra do imperio.
do boa con-
cltra para caixei-
ro de engenho, ou outro qualquer estahelccimcnto
queseja decente, menos venda: na rua larga do
Itozaiiu, loja do louga n 26.
O substituto do philosopbia e geometra do rol-
legio das arles avisa a quern couvier que a matr-
cula drsla ultima aula se acba abcrla em casa do
sua residencia, na roa do Matbias-Kerreira, n. 45.
UITereco-se una ama para todo o servieo de una
casa de familia capaz, excepto compras de iua:
quem a precisar, dirija-se rua do ..-Francisco ,
n. i.
yk
iv .
m
Amaro Gomes de Oliveira,
S do engenho Canna-Braba presentemente
I delegado, ou subdelega.lo do Cruangy, bn H|J
^ rogado, pela ultima vez de irou mandar -j
glS buscar urna caria que cxislc para Smc. (,.>.
)1 no segt/ndQ andar do sobrado n. 18, no pa- $jri
S ico do Carino. |;> '
'(i .^
-- Pcr.leu-se, no dia 9 do correte s 3 horas da
Urde, da rua do Vicario at a travessa da Lirgo.Ha,
urna carleira de algrbeira, contendo 4 lettras.uma de
1:294,000 rs aceita pelo Sr. Joflo lavares Cor.leiro ,
com o recibo no verso de um cont do ris; outra
de 255,000 rs. aceita pelo Sr. Jos da Fonseca Soa-
res e Silva ; outra de 1:000,000 do ris aceita pelo
Sr. Joaquim Pinheiro Jacome;e a oulra do 200,000
rs. aceita pelo Snr. Joflo da Molla llotellio ; 30 a
40.000rs. coi cdulas; e nutras, papis miudos. Ro-
garse a quem a achou do ficar com o dinheiro o le-
var as lellras a mesma rua do Vigario sobrado n.
8, que se Iheagradcer ; assim como se declara quo
os aceita riles so acliaoi prevenidos para nao paga-
ren! senflo a Manoel de Souza lavares.
INo pateo dn matriz de S.-Antonio, sobrado n.
4, liram-se passaporles para dentro e fra do impe-
rio assim como para escravos o correm-sc folhas :
ludo por prego commodo.
Na loja do Joflo Donnclly, alfaiale, na rua da
Cadeia do Recifo, n. 16, ainda restan) alguns dos
palitos do linho vindus de Inglaterra a 5,200 rs.;
assim como colletos a 640 rs. cada um os quaci
tem dous rorros no Irazeiro; o outras muitas
liras quo se venderffo baralissimas ,iomo sejam
de pannos linos, casimiras de cores o pretas,e colleles
de gorgurfiu. Chcguerri a ver,
Fazem-so caixas para aderegos ou qualquer
joia por prego com.nodo : na rua das Flores, n. 19
Antonio Gomes Moreira Jnior embarca-se pira
Portugal.
Os mais ricos corles de cambraia so chegados
loja da rua do Queimado ll. 17 : vendem-se polo
diminuto prego de 2,2t0rs. Aelles.quese acabam.
Velas do espeniiac'C e.
Vendem-se cm casa de Ricardo lloj le.na rua da Ca-
deia-Velha, n. 29, superiores velas deesperuiaceto do
6 em libra.
Vende-se um grande sitio, sito em Porto-de (;a-
lnhas, com 116 ps do coqueiros, quasi to los botan-
do, e com boa casa de venda, propria para nego-
cio : quem o prolender^djrijarse ao mosmo lugar a
fallar com llelisiario Jos Cimenta, ou u seu dono,
JosTavares Pacheco.
Vende-se algodao da Ierra em ro-
los de 5o varos, a aoo ris cada vara : na
rua do Queimado, quatro cantos, loja
n. 29
Lima Jnior & C. locm para vender o bem co-
nhecido panno de algodflo de Minas, muito proprio
para roiipa de escravos ; assim como um protocho-
gado ltimamente da Ilahia, proprio para todo o
servieo; vende-se nicamente por urna circunstancia
mu Hsignilicante, queso dir aos prelendontes,
os quacs se podin dirigir a ruada Cruz, n. 28, se-
gundo andar. '.
___Na livraria do pateo do Lollegio,
n. t, de J- Ja C. Dourado, vendem-se:
Le Gnie du < hristianisme, por Chate-
aubriand, obras de Boleau, grammalica
franceza, por Sevene, e outrns nimios
compendios para as aulas, por preco mili-
to commodo
Vendem-se, na 1 ua do Crespo n. 14, terceiro
andar, das 6 as 8 horas da manhfla o das 2 as 4 da
larde, os livrosabaixo declarados todos em bom
estado: .....-
Diccionarios de Muraos da quiula edicgflono-
vos, por
I niieloiica deQuinliliano, 2v.
I Cicero tirationes, l y.
1 Vioira, diccionario inglez, 2 v.
I Homero lliade.
I Historia da Creca.
Clemenlos de civilidade.
I MonlcpelicT.
1 Fonseca, diccionario F. P. e P. F. 2 v.
1 Mestre francez.
I.hmond.
Telomaque.
I Itisloria anliga.
I Historia sagrada.
lloratio,2y.
Pbedro,1 v
Virgilio.
1 Tito Livio, 1 v.
I Snlustio.
Klemento decividado.
. Manual enciclopdico.
1 Quintilianodo Vilalolos.
1 Lgica do Condilnc.
1 Melhaphysica de Cardozo.
t Droz, aplicagrlo da moral.
1 l.igio de geographia.
I Manual de agricultura braslleira.
1 Auxiliador da industria nacional.
40,000
6,000
1,000
16.000
2,000
1,000
800
1,000
10,000
2.000
2,000
1,280
1,600
3,000
4.000
1,000
80O
2,560
1,X>
1,1
3,000
9,BO
1.2SO
1,28
1,600
1,000
8,000
1,00




Vetidom-sn (angas azues a 100 rs. o covado ,
e mais larga a 120 rs.; pegas do madapolao limpo ,
com 20 varas, milito largo Torio o pmprio para
r.niiiii de escravos, (Mi para Turro, a 3,000 rs o va-
ri-jado a 160 r.s. ; sctiuc la, a 180 rs. o covado ; briin
braveo de algodilode lislras a 200 rs. o covado ,
liiviiinli.i I: ii.. do algodilo a 200 rs a vara, e maja
grossa a 180 rs. ; leudos de panuiiho lodos brancos,
a 130 rs. ; ditos cun alguma nodoa a 80 rs. ; ditos
de cambraia omito grandes ecom barra de retroz,
a 240 rs.; linhas finas muilo Tortea a 120 rs. a quar-
ta ; ditas grossas, 2*0 rs : na ra do Passcio, le-
ja a. 17.
Continua-sea vender a verdadeira sarja de
seda hespanhoia ; los prelos bordados de se-
da ; setim preto de Maco proprio para ves-
tido ; uro completo sor lmenlo do panno pre-
to lino, paraos precos de 4 ale 10.0UO is.;
casimira preta elstica, muito superior; meias
de seda de peso prelas e brancas ; um boni-
to sorLimento de cortes do vestidos de seda,
brancos prelos e de cores fazenda de mui-
lo goslo ; e oulras mu i tus Tazendas pretas pro-
prias da quaresma por prego vontade do
comprador: na ra do Queimado, quatro-
cantos, Injn de Jos Moreira Lopes f Conipa-
nliiu, n. 2.
a
i
Vende-so Tumo cm Tolha para charutos, por
prego commodo : no armazem de Joaquim FeliX da
Hoz, na ra da Madre-do-Deos.
Vendeni-se seuicns em saccas muito grandes ,
a 4,500 rs.: na ra da Madrc-de-Deos, arinazem de
"cenle Ferreira da Cosa.
-- Vende-se superior potassa nm barris pequeos,
desembrcala lia poucosdias ; bemeomo Ires bar-
ricas iie tabaco em | : ludo por prego commodo:
no caes da Alfandega, armazem de Das Ferreira.
Aos a man tes da boa pitada
- so offerece o rap Novo-LisliAa, no seu deposito da
na larga do Rozario n. 2i.
Fejao mualinlio
o mais superior possivol, novo o sem macula: no
armazem de Francisco Dias Ferreira, no raes da Al-,
laodcga a prego rasoavel, o ainda mais a quein le-
var os competentes cobres.
Vemlc-sc firinha de mandioca mui-
to superior por prpeo commodo : a bordo
do p i ludio flaliviclade, chegadode San-
ta- Calhurina, fundiado no caes do Colle-
gio 5 assim como tambem se vende nos
armaiens do caes da Alfandega : Irala-se
a bordo ou com Novaes & Companbia,
na rua do Trapiche, n. 3$.
Vende-sc um relogio, sabonete de ouro muito
l>om regulador por preco commodo : na rua larga
do l'.ozario, n. 26.
Vende-se um lerreuo na rua do Sebo encos-
tado a rasa que est ra respailo pet tencenlc o Sr.
Manuel Filippe pila parle do leste, cujo terreno
tpin n triitircom Joo Vazde Olivrira BTua da Cruz,
n. 51,
Vende-se um bnmravallo de sella: na rua da
Cadeia no S.-Antonio n. 25.
Yende-se una escrava moca sadia e de muilo
boa conducta : vende-se para pagamento de una di-
vida : na rua da Saudi.de primeira casa com BolfiO,
que lira io sul com Trente para o Hospicio.
Vende-se, ou aluga-se una canoa que carrega
800 lijlos: a lialar com o lenle-coronel Mauuel
Joaquim do llego Alhuqurrquc.
\ ende-se, no arii.nzeui do Bacelar Teijiio mui
to novo, de todas as qualidades a 7.0U0 rs. a sacca
de tres piarlas O familia a 4,500 rs. muito su-
perior.
Vcndc-se vinho do l'orlo e de Champanlia de
muito superior qualidnde, por prego roininodo : na
na da Ciuz, n. 40.
Frijao mnlatinho.
Vende-se feijfio mnlatinho : na rua da Cruz no
Rccifc armazcm n. 13.
-- Nn rua do Crespo, n. 17 vende-se velludo ver-
de muito superior.
--Na rua da Aurora, n. 62, tereciro andar conli-
m'ii-sc a vender o verdadeiro xaro pe do bosque,
chegado ltimamente do Itio-de-Janciro* quem dil-
le precisar pode mandar buscar a qualquer hora do
dia.
Vende-sc um preto canoeiro de 25 annos, bem
sadio : na rua da Madre-de-l)eos, loja n. 34.
I o!lia de 1 landres.
Vendcm-se raizas com Tolha de Flandres : em
casa de J. J. Tasso Jnior : na rua do Amorim, n. 35.
--Vcndom-sc 2 lindos nioleques ; nm dilo de 20
annos, muilo hom ofticial de ourjvcs um preto
bem ioIiusIo de meia idade ; 3 prelas com Viabili-
dades : no pateo da matriz de S.-Antonio, sobrado
n. 4, se dir quem venda.
C. Starr & Companhia, convencidos de qno a
rdnduccfin das formas de assucar para n casa de pur-
gnr, hesemiluvida o sarvigo que mais mortifica a
escravalura de um engenho, e (tosejando quanlo
possivcl he o tnellioramenlo dos Srs. agricultores,
toem inventado e conseguido construir varios car-
ros do ferro que facilitam de urna maneira admiravel
esle pesadsimo Irabalhn. |
As pessoas interessadas silo convidadas a inspec-
cionar, na fiindicfio da Aurura cm Santo-Amaro, esta
mui til invenco.
--Vendem-se 3 fortes pianos,ebegados pelo ultimo
navio Trancez de muito boas vozes superioresos
de nutro qualquer que lenba apparecido, ede novo
o.o tcllii que nao deixraflo de agradar ao comprador;
charutos de llavana, por prego niais commodo doque
em oulra qualquer parte; uji cmplelo sorlimento
de instrumentos de msica, tanto de metal romo
de madeira ; bustos do gesso representando muito
fielmente a rainha Victima e o principe Alberto)
relogios deouroe de prata, ebegados ltimamente
da Suissa. F.stcs relogios quo sao muilo bem aca-
bados, se tornam muito reconiiiiendaveis a qual-
quer particular e ailverte-se que ha entre elles
alguns que anda m oilo dias sem precisaren! de cor-
da ;-oa rua da Cruz, no Uecife, n. 55.
Vende-se um prolo pega : o motivo por, que se
vendo se dir ao comprador : no Alcrro-da-Boa-Vis-
ta,n. 12 primeiro andar.
-- Vendo-se una venda com poucos fundos, a
qual vende muilo para Ierra o que pdela presen-
ciar o comprador a dinheiro ou a lellras com boas
iiimas : uo paieo do ierro, n. 28.
Livramento, n. 14.
Vende se chita escarate, 1240 rs. o covado; brins
de luido de cores para caigas e jaquetas ; um sor-
tmenlo de chitas de cores lisas a nove vintens o
covado; lengos de cambraia bordados para mo;
um sor ment de madapoles de 160 at 240 rs. ;
cortes do cassa de ricos padroes a 3.200 ra. e ou-
lras muitas fazendas por barato prego.
.-Yende-se sarja de seda hespanhoia, moilo |boa
para vestidos prelos pelo commodo prego do setc
patacas o covado : na rua da Cruz, n. 18, primeiro
andar.
TIJOLOS DF.MARMORE.
Jos Saporiti vende lijlos de marmore azues e
brancos, por prego commodo : na rua da Cruz,
n. 18.
LONAS CRIJAS DE I.INIIO.
Jos Saporiti vende lonas cruas de linho da lar-
gura das da llussia, por prego commodo : na rua da
Cruz, n. 18.
Vende-se urna mobilia moderna em meio uso,
constante de cadeiras so;.li um jugo de bancas,
urna mesa de meio sala, por baralissimo prego ,
urna riquissima*cama franceza a mais rica que tem
aqu se visto, e ainda nfio servida, de Jacaranda,
um excellenle guarda-livrns com sna banca um
ptimo guarda roupa : na rua da Cadeia do Itecife,
n. 51, segn lo andar.
Vende-se um preto de naglo, proprio para lo-
do o servigo por prego commodo : na rua das Flo-
res, n. 19.
Vendem-se 3 escravos mullo bons tendo um
delles principios de alTaiate e que silo proprios pa-
ra o servigo de engenho: na rua do 'trapiche, n.
34, casa do Novaes &-C.
Na ruada Cruz, armazom n. 33, vende-se cal
vir superior,chegada ullimamento pelo brigue /Vo-
vo-Yencedor de Lisboa, por prego nuil em contado
qua cm oulra qualquer parte.
Vende-se urna preta crieula de 30 annos pouco
maisou menos que lava de salan, cozinba alguma
cousa .cose ehflo e Taz todo o mais servigo de una
[casa : vende-se por sen senhor retirar-se para Tora
da provincia na rua da MoJa, n. 19, segundo an-
dar.
Vcndem-se queijos londrino os mais Trcscacs
que ha no mercado ; massas finas a 320 rs. a libra ;
chocolate de canclla, fino e de Lisboa; latas com sar-
dinhas; azeile doce lino, por prego commodo: na
rua da Cruz, n. 62.
Vinho barato. ,
Acha-se estsbelecidn na rua da Madre-de-Deos ,
n. 36, um armazcm de
Vinhos da Figueira,
de ptima qualidade, a prego de 1,200 rs. a caada,
e a 160 rs a garraTa ; e par no liaver dolo do com-
prador sero lacradas as garrafas e com rotulo, re-
cehendo-se a garrafa vasia, o dando-se immediata-
mente a outra cheia lambem ha barris muilo pe-
queos proprios para quem passa a fesla. O pro-
rrietario deste estahelecimento pede encarecida-
mente que se nSo illudam avahando, pelo diminuto
prego e sem conhecimenlo de causa a qualidade de
sua fazenda digna por certo da estima dos verda-
deros amantes da boa pinga. Elle conta que quem
ui ia vez provar, continuar com goslo e sem- arre-
pt .id i ment. E o bom prego!!.' A todo o esposto
accresceoasscio e boro acondicionamento, o que
tuilu se poder verificar em dito estahelecimento.
PUMOVLNHO DA FIGUEIRA.
Existe no armazem de moldados, atrs do Cor-
po-Santo n. 66 urna grande porgio deste genui-
no vinho que se est vendeodo pelo diminuto pie-
rudo 1,120 rs a caada ca 160 rs. a garrafa ; lam-
bem ha em pipas que se vender mais em cunta : he
este o nielhor de lodos os vinhos que se teem il-
uminado pela suri siiripliridade e ptimo paladar :
quem urna vez o beber jamis deixar de o com-
prar.
Vende-se um rnvallo rugo-poinho, que esl gor-
do c tem bous andares, sellado e prompto; urna
marque/a de amarello, quasi nova ; vende-se por seu
dono retirar-se para lora do im.crio : na rua Nuva,
n. 56.
Vende-se cal virgem de Lisboa de superior
qualidade, em barris de 4 arrobas, chegada neste
mez pelo brigue IHuria-Jotc : a tratar na rua do
llruin armazem do Antonio Auguslo da Fonsera ,
ou na rua do Vigario, n. 19.
Algodao trancado da fabrica
de Todos-os-San tos da
Baha ,
muito proprio para saceos de assucar e roupa de es-
cravos : vende se cm casa de N. O. Bicber & Com-
panhia na rua la Cruz, n. 4.
CHA' BRASILEIRO.
Vende-se.oii armazem de molhados airas do
Corpo-Sanlo n. 66, o mais excellcnto ch produzi-
do emS.-Paulo, que tem vindo a este mercado ,
por prego muito commodo.
Presuntos.
Vcndem-se superiores presuntos inglezes para
fiambro ebegados no ultimo navio: uo armazem
do flragucz ,ao j c do arco da Conccig.1o. .
Taitas para engenho.
Na fondigilo de ferro da rua lo Brum acha-so a"
venda um completo sorlimento de tai xas de 4 a 8
palmos de bocea, por prego commodo, e com promp-
lidilo embarca-so, ou carrega-so cm carros sem dcs-
pezas ao comprador.
Vende-te a venda da roa do Apollo, n. 21, com
poucos fundos : quem a pretender, dirija-se a rua da
.Madre-de-Deos, tratar com Vicenta Ferreira da
Cosa.
No deposito de Me. Calmont & Companbia a
rua de Apollo, armazem n. 6 acha-se constante-
mente grande sorlimento de ferragens inglczas para
engenhos de assucar, corro sejam : laxas de ferro
coado de dTerenles modelos, os mais modernos;
dilas de Trro balido ; moendas de ferro do mode-
lo adoptado, para armar em madeira; ditas todas
de ferro, lauto para agoa como para animaes ; ma-
chinas do vapor de frtrga de quatro cava los o de al-
ta pressflo o mais moderno esimples que be possi-
vel ; repartideras ; espumaderas ; lesfriadeiras de
Trro eslanhauo; formas de ferro: tudo por prego
commodo. -
Vendem-se sellins inglezes e camas
de ferro : na rua da Senzalla-nova, n. l\?.
Agencia da ftindico
Low-Moor, rua da Senzalla-
n o va, n. 42.
Neste estahelecimento contina a ha-
ver um completo sorlimento de moendas
e meias moendas, para engenho ; ma-
chinas de vapor,e tachas de ferro batido e
coado, de todos os tamanhos, para dito.
Ferro
de todas as quIdailese dimensoes, em barra, vrr-
galhlo, verguinha, arcos e chapa por prego com
modo : na rua da Madre-de-Deos, armazem n. 26.
Mercadiriat a vender em grosto e a retalhn.
Chapeos de sol, de seda, ricos e simples, para ho-
rnero osenhora sapitos parasenhora : hicos prelos
c hrancos ; chapeos do palha ; fitas; flores ; maule-
leles; chales ; robes de barege e de nutras fazendas ;
hejoiitorias; meias do todas as qualidades ; luvas de
seda novas ; lencos de todts s qualidades; gravatas;
avetitaes ; roupa fcila ; perfumaras c papel. Dirigir-
se rua da Senzalla-Velha n. 112 terceiro andar.
Calcado.
Vendem-se botina e moiosditos de lib*,.para
homem e menino ; sapa los de maroquim francez ,
por prego mais barato do que cm oulra qualquer
parte : na rua larga do Rozario, n. 24.
. Na rua do Crespo loja de 4 portas, n. 12, ven-
dem-se chapeos de castor prelos, de muito boa qua-
lidade a 4,400 rs.
FARELO EM SACCAS DE 90 LIBRAS :
vende-se no armazem de VioenteFerreira da Costa
na rua da Madre-de-Deos, a 3,500 rs.
Vende-se a verdadeira potassa da
Rnssia, desembarcada hontem, por pre-
co muilo rasoavel, vista de sua muito
superior qualidade : na rua do Trapiche,
n. 17, e rua da Cadeia, n. 34>
Madeira de pin lio.
Na rua de Appollo, pegado ao armazem do 8r.
Molla ha um novo armazem com madeira de pi-
oln da melhor qualidade que tem vindo a este mer-
cado e serrado de todas as grossuras e comprimen-
tos vende-se pelo menor prego que he possivel.
CHITAS ESCARLATES, A 240 RS. O COVADO.
Na rua do Livramento, n. 14, vendem-se chitas es-
carales, pelo diminuto prego dedoze vintens o co-
vado ; lergos de n So com biro as ponas a *80
rs.. e oulras muitas chitas a nove vintens o co-
vado.
Vendem-se taboas america-
nas at 5 palmos de largura
o de todos oscomprimcnlos.que ha muilo lempo nito
leem vimlo e os freenezesexperimentando a Talla
lesta excedente qualidade. A ellas que sito puncas e
loprego he barato. Atrs do Diestro, armazem jun-
0. a mnre, de Joaquim Lopes de Almeida.
N 0 V 11) A D E.
Verde ainha.
No armazem da rua da Madre-de-Deos, 0. 36 aca-
ba de chegar ( pBrvexpeculago) pelo brigue Ven-
tuia-Fetiz ', rercntemenlc chegado do P'.-rlo, o mais
excellenle vinho verde para os amantes se refres-
carem com esle pele : mandem a elle emquanto se
nfln acaba, por ser urna so pipa ;e pBra nto escanda-
llar os amigos c fresuezes n.fn se altera o picgo
do 160 rs. por garrafa.
raimado de pinito da Suecia,
de 10 a 55 palmos
dccomprimenln o melhor que tem chegado a este
mercado, em razo do se poder envero zar em qual-
qnerohra por nilo ter nos e ser muito alvo sen-
do costado, costadinho, assoalho, forro e para fini-
dos de harneas : vende-se a prego que o comprador
far lodo o negocio: atrs do Iheatro, armazem de
Joaquim Lopes de Almeida.
Taimado de pin lio.
Vendem-se taboas de pinito no
Fnrlf-do-iMallos armazem do Vianna e
no armazem do Machado, na rua de
Apollo, junio ao porlo velho das cninas,
e os melhores pranchOes, costados, cosladinhos e ta-
hoasde todas as grossuras e comprimenlos porto-
do o prego.
--!\'i rua da Cruz, armazem n. 33, veitdcm-se pe-
nas de croa, chapos de palha cera de carnauba e
sola, por prego cmodo para liquidagilo do coritas.
Vende-se ca.' virgem de Lisboa,
diegada no ultima- navio, cm barris pe-
queos, por menos do que em outra qual-
quer parte : na rua do Trapiche, arma-
zem n. 1?.
Na padaria da rua da C.uii, no Recife haver
todos os dias a venda o novo pilo de Provenga fa-
bricado por nutro modo que o actual o da melhor
farinha que ha no mercado : por este motivo nSo se
pode Tazer senSo a 40, 80 e 160 rs.
Farelo,
em barricas a 4,000 rs.; sacras grandes, a 3,50o
r8., ditas pequeas. a^oors : no armazem de J.
i. Tasso Jnior, na ruado Amorim, n. S.
Vende-se ago'ardenlo de Frauga, verdadeiro
cognac, de qualidade muito superior, em cairas do
urna duzia ; barris de oilo en pipa cun vinho de
clar'et, como n.lo costuma vir cu; urna porgad de
charutos de llavana, verdadoiros : na rua da AlTan-
ilega-Velha, n. 5.
Vende-se o Tratado das Accoe.s por
Meiiu Freir, iraducciTo do Dr. IVegueira
Costa, a 3,ooo rs. cada volume : na roa
doCabug, loja n. 18.
Potassa.
Desembarcou ha poucos dias urna por-
cao de harria pequeos, com muito nova
e superior potassa, e se acham venda,
por preco mais barato do que ltima-
mente se renda, na fu da Cadeia-Velha,
armazem de BailarckUIiveira, n. 12.
FARELO
enisaccas muito grandes,
a 3'6oo ra. sacca:
00 armazem do Braguezao p do arco da Conceigllo
Vende-se farinha de mandioca, de
muito superior quaridadr : a bordo n
patacho Gmceica, fundiado em frente
do caes do Colcgio ; assim como tam-
bem se vende nos rmaseos do caes da Al-
fandega por preco muito commodo : -tra-
ta-se a bordo d" mesmo patacho, ou com
Novaes & Companhia, na rua do Trapi-
che, n. 34.
Vende-se urna escrava moga de boa figura ,
com algumas habilidades: na rua estreita do Haza-
rio n. 20, segundo andar.
FR1XUF7.IA.
No pateo do Torco, venda n. 7, passas superiores,
a 160 rs. a libra ; farinha em saccas ,e em cuias a
200 rs.; c continua-so a vender lodo oa mais gene-
ros de superior qualidade por prego commodo.
C. A. Prendera Rrandis retirando-se para fra
do imperio vende um carrinho do 4 rodas, para
4 pessoas em bom estado; um carrinho de 2 rodas,
com o seu bem midiendo ca vallo rugo, arreios, etc.,
0 ultimo a entregar no dia de sua sabida :.na rua
do Trapiche, n. 16.
- Vendem-se batatas em arrobas de muito boa
qualidade : no caes da Alfandega, armazem do Fran-
cisco Dias Ferreira.
-- (Jontinnam-se a vender saccas com superior
colla das fabricas do Itio-Crande-do-Sul, por pre-
go commodo : na rua da Moda, n. 7.
-- Vende-se urna preta crioula, moga, para todo o
servigo de una casa: na rua das Cinco-I'onlas,
n. 112.
dj Cera em velas. f
i Vende sena rua do Vigario, n. 19, ti)
} segundo andar, caixas com cera em flj
93 velas fabricadas no hio-de-Janeiro, 03
3 em urna das mcUior es fabricas, sor- M
w lidas ao gosto do comprador, e por S?
"preco mais barato do que em oulra {JJ
1 qualquer parle.
:@ bvm bvs BM B"& a::e as: a:ss:s&:
Vendem-sovarios escravos, n salwr : urna fre-
a de Angola de 30a 35annos, rom um lindo II-
1 lio de 7 anuos, a qual sabe cozinhar engommar ,
e he boa quilandeira ; um prito da (-osla de
40 anuos bom Imtador de um sitio, e lambem bom
ganhador, queda diariamente um sello; umpnto
d Angola, proprio para lodo o servigo ; um lindo
mulatinho de 7 a 8 anuos, sem vicios, e que lie mui-
lo sadio : todos por prego con.modo por se qnerer
liquidar : no Alerro-da-lloa-Vista, fabrica da lico-
res n. 17.
Troca-sc um sancluario do Jacaranda vindo
denc'ommenda do l'orlo, obra mnito superior, enm
suasimagens; umacommoda do mesmo pao, ero
muilo boro uso; dous vasos de porcellana coro flo-
res ebegados ha pouco de Fryiga, do ultimo goslo;
um relogio de parede, ero quadro grande', patente
suissn, rom msica ptima pega ; duas redomas
do vidro para Isr qualquer sanio com decencia: In-
do se vemlaj#or seu dono relirar-se para fra da
provincia : na rua Nova, n. 56.
--Vende-se, para fra da provincia urna escrava
bem parecida com algumas habilidades 1 airas da
igreja de S. Rila Nuva n. 48.
]Sa rua Direita.n. 17,
na esesdinha da alfandega armazem n. I, c
fenle da matriz da Roa-Vista venda n =, vendem-
se sacoas com a iiiolhor farinha que existe no Barr-
eado, chegada po ultimo navio do Riu-de-Janeiro ,
por prego commodo.
Vende-so urna casa terrea com bastantes com-
modos em Chflos proprios na estrada que vai do
Hospicio para o Rombal: na rua da Plores ,.n. 25.
Escravos Fgidos
- Dcsapparceou, no dia 8 do correnle s JO ho-
ras do dia, um cabrinha de noroe Thiagn, de 12
annos cor amarellada, lingoa branca, olhos gran-
des c upados ; levou camisa ile cbila azul .caiga* de
elisin, cin/cnta ja velims, e culr ,,K"" W* dcs"
tas; quem o pegar leve-o aruado Collegio, subiado
de um andar n. 5, que ser recompensado.
Da villa do Itio-Formuso Tugio om inolequc dtj
nome Benedicto, de18 anuo pouoo aaaia u me-
nos roslo redondo estatura regular : quem o pe-
gar leve-o a wtu senhor, llano! Antonio Soarcs da
Silva morador na lucarna Tilla, ou tiesta eldade ,
a Jos Uomes.Leal.
--------!
Pr^N. : NA TTP. Dt M.r. DI TIBIA.lB40.


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EK81YXSJJ_FWO5HM INGEST_TIME 2013-04-30T21:49:36Z PACKAGE AA00011611_10013
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES