Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:09956


This item is only available as the following downloads:


Full Text
llt XXXVIII. IOIE10 229
' i m m
Ptrtrt aezesaiiuttdts SfOOO
ftr tre mezt vetcidoi 6J000
SABBADO 4 II OTDBM 91 ISI2.
Piran iiiiita llfOH
Ptrt fhuMt ira t iibic rlitir
DIARIO
NCABRBGADOS DA SUBSCRIPCAO' SO NORTE.
Parahyba, o Sr. Antonio Alexandrioo da Li-
ma ; Natal, o Sr. Antonio Marques da Silva
Aracaty, o Sr. A. da Lamoa Braga ; Caira o Sr.
J. Jo. da Olivera : Maranhio, o Sr. Joaquim
Msrques Rodrig.es ; Para, Manoal Pioheiro &
C; Amazonia, o Sr. Jeronymo da Coita.
ENCA.RRBGAD03 DA SBCRIP^AO' DO SOL.
Alagftaa. o Sr. Glandino F.lcaoDiaa; Baha,
o Sr. Joa Mirtina Airea; Rio da Janairo, o 8%
j oao
Partir Mirtina.
PARTIDAS DOS CORREIOS.
piinja todos oa dita as 9 % horaa do d
EPHEMERIDES
MEZ DE OUTUBAO.
. tea^ massvTmS** !,5 LQ",?
chala aa 6 horaa
to miogaante aa 9 hona da manr,a.
S. Aoto, Bezerroa, Bonito, Caruar, AltiohoP* Lut D0T" nor 55 mtnitoe da tarde.
p^d^AlhoMkr5A;irT^, r Qo,r, umm*" 9 hor, 3 mlnul0 "
rao a Alho, Natereth. Limoaro, Btejo, Pea-1 manha
quera. I.g.zeira, Flores. Villa-Bellt, Boa-Vista. "na''
O.ricury a Ex na q.rtas-feira. "'I
Cabo Serinbem. Rio Formo.' Usa, Barretros PREAMAR DE HOJE.
itE. 2"0,ta '" N,1al <*n'-feiras. Primeiro al hora a 42 minuto, da manhis.
(Todoa oa correio. parlera 10 har, da m.oh8j|segundo a 1 hora e 18 minuto, da tarda.
PARTIDA DOS YAP>HESl C0STE1R0S,
j (,. a. _. I ,P*ra ,"1 ,l6 Alagoaa 5 20; pare o Berta
atoa da mangu a Granja 14 e 29 da cada mez.
PARTIPA DOS MNIBUS.
Par. o Recite : do Apipucos s S 1|2, 7, 7112,8
e 8 1|2 da m.; da Olinda a 8 da m. e 6 da t.; de
Jaboalo t 6 1|2 da oa.; do Caxang a Varna
a 7 da m.; da Btmfica i. 8 da ffl.
m ?% *?th yro. lf*MM *3 112. *. w.
4 Il2, 5, 51|*. 51i2 e 6 da t.; para Olinda s 7
V* 4 d' t,; 'a^atWo .4 d. t.; para
o Caxang a Farxsa 4 lfl da t; par. Btmfica
Al 4 Q* t.
AUDIENCIAS DOS TRIBUNA** DA CAPITAL.
DAS DA SEMANA.
un |egaod- ?' URUl Atchwjo; S. Fraterno:
30 T,c, 8. Jeronymo b. deutor da egreja.
4 Sobado. S. Franciaco de Aaaia fondador.
5 Domingo. O Senilsimo Rosario de N. Senhorr.
ASSIGNA-SE
Q |no' Rfe. em a livrarla da praca da Indanan-
Segunda Tara do airal: qiarlaa a aabbadoa a 1 dan' Moa propriatarioi Manoal Fia?!-
hora da tarda. roa da' r,ri* Filho-
Tribunal do commareio: segunda. quintil.
Relago ; tergaa o aabbadoa s 10 hora/
Fazenda : qnintaa s 10 horaa.
Jufzo do commareio : segundas .o meio da.
Dito da orphaoa: tergaa a aaxtaa ia 10 horaa.
Primeira rara do cival: tergaa a aaztaa ao meio
dia.
HITE OFFICUL
COVEIWO DA PROVINCIA.
expediente do alia l de outubro
de 1869
Offleio ao Ezm. pre.idaote da provincia do Rio
orando do Norte.Responden 1o aos offlcios que
V. Exe. ma dirigi em 20 e 56 de s.tembro ul-
timo, compre-me dizer a V. Exc. que dei o con-
veniente deatino ao. .vitos da l.tra. qae acom-
?.?". "**" offloa na importancia de
l.66iioO.-Remelteu-eeaoinspector da thesou-
rari. de lazenda.
Dito ao comm.cd.ote da. .raas. Sira ae
>. Eic.de expedir aasuas ordens para que am.-
OBla s 9 horaa do di. ae aprsente no tribunal
do jury um. gi.rd. de linba comm.ndada por
inferior, quedeTor comparecer todoa oa dia. a.
maam.s hora, emqu.nto dir.r a presente seiso
do mesmo t-ibunal, *0m de manter all a nacea-
aaria ordem. Communicou-se ao raspettiro
juiz.
Dito ao mesmo.SirTa-se V. Exc. de informar
acerca do qua pede no incluso requerimento o
r.eruta Tiburtioa Soarea da Silra.
Dito ao mesmo.Em cumprimento do dispos-
to no aviso da repsrtigao da guerra de 13 da se
tembro ultimo, sirva-se V. Exe. de informar ao-
bra o incluso requerimento am qua Mariana
Pereira Bernardina pede a tr.naferencia par. o
bitalbao deca;adore. d. Bahi. de aeu filbo cabo
d. esquadra do7#batalhao de infaLtaria Joaquim
Antonio Teixeira.
Dito ao mesmo. Para cumprimento do dis-
posto no aviso do ministerio da guerra de 19 de
aelembro ultimo, sirva-se V Exc. da mandar ex-
trahir as fea de officios dos segnnlos tenentes do
4# batalho de artilharia a p Horacio Altes da
Silva e Felippe Marquea dos Santos Jnior.
Dito ao commaodante do corpo de polica. __
Defirindo o requerimento do aolJado da sec;o
urbana do corpo sob sea commaodo Antonio Mar-
cello de Aodrade, aobre que V. S. intor.sou em
cilicio n. 431 de 30 de setembro prximo fiodo, o
autoriso a tranaferi-lo para a seceo rolante do
mesmo corpo.
Dito ao director das obraa militares Autoriao
V. 5>. a empreitar a axecujo de daas paredes di-
misorias entre a cavallarla e o lugar que serve de
rancho no quartel d. compendia Qz. de cal-
lara, pala qiantia de SijlSO constante do orca-
mento annexo ao s.u ofOcio de 9 de agosto oltimo,
sob n. 130.
Dito ao iospector da thesouraria da fazenda.
metto a V. S. os inclusos raquerimeotos do
orncial-maior Antonio Leite de Pioho e official
Francisco Licio de Castro, pira que mande pa.
gat o que se estiver a dever-lhea por t*rem exer-
cido interinamente aa funecoes de secretario dea-
ti presidencia.
Dito .o meaao.Mande V. S. pagar ao enge-
oh.uo Jo.quim Pire. Carneiro Monteiro a grati-
ficrao qua vence no m.z de setembro ultimo
como eogeobeiro flst.l da. obras da ponte de
trro em construc;io entre o theatro de Santa
ii'bel e a ra da Aurora, lata haver elle cum-
prido com aa auas obrigai;6ea em todo aquella
mez.
D.lo so mesmo.Transmiti a V. S. para o m
conveni.nle, o incluio recibo que me foi envalo
pelo Ezm. ministro plenipotenciario do Brasil em
Londres, do qual consta tarem oa contratadorea I
da ponte de ferro entre o theatro de Santa La-
bal e raa da Aurore, Hondo *ean & C. rece'
b'do a importancia da prestaeao que em virtude(da NapoleSo III tem
em algn, lugar?s pro ximos da proyocia do
Cear etc.
Em vez deForam iambem franqueadas ao pu
Mico onze milhas d. quinta a ultima aetcao
" lr',e da ,,rU e ultinja eego.
No periodo final am rez dae retribue com
excet.oo. ..forco. empregadoa em prl do seu
melhoramento, V. Exc. coohece perfeitameote
os seus recursos e .. .na necessid.desdeve
ier-see retribue com excesao os esforcos em-
pregados em prl de aeis melhorameotos. V.
Eac, conhece perfeitamente oa aeua recursos a
aa auaa necesaidades. ,
EXTERIOR
CORRESPONDENCIA DO DIARIO DE PER-
NAHBUCO.
Braiellas, 7 de setembro de 1869.
A noss. estrella. Uto o ponto para que
qevem aem ceaaar convergir aa noasas vistas
laxer com qua a cid.de eterna, aobre quem vinte
e cinco aeculoa ho accumul.do todo o geuero
a fi u *!' se totne "PlenlWa capital do reino
da Italia I
Estaa palavras foram outr'ora pronunciadas
pelo conde de Cavour do alto da tribuna.
Por lar querido cuenprir esse designio, por ter
querido arrancar o seu paiz ao dominio verso-
ohoso de Napoleao III, G.rlbaldi-o h.re de
hoDtem, o libertador da Italia, o amigo generoso
oe Vctor Emmanuel, a qetm prodigalisou o seu
sangue e os reinos conquistados com o prestigio
de aeu aoni, Garibaldi-vencido. f*rido, iosul-
tado, e pnslooelro est prximo a aer lavado
como um Til criminoso peraote o senado italiano,
inst luido em alto tribunal de justica I
Coberto de sangue que corra de auaa feridas
fot transportado para Spezzia esse velho ilii.lre,
esse titn modarno, quem o amor d. patria
tornara joven e forte, nao lando mais do qua
>!gomas pobres mulheris que o lamentavam de
longe chorando aobre to doloroso espacta-
culo I
A llalla ficou consternada, mas quasi qua im-
passivel: apenas alguns sobresalto a agitacoes
se produziram n'am ou n'outro ligar sioistra
nov. de ter .ido Giribaldi ferido, vencido, e
preao. Sa o maodaram par. o exilio poda a
Italia eonvencer-ae de que fie. em o teu genio
bom.
Em Turin Rattazzi, iuatrumento de Napoleao
III, triumpba 1
a VJe diz elle aos repreacnt.ntaa daa naques
estr.ngeiras, vele! A bydra da revolu5So foi
a que era isto
estaa: conven-
Tencida ; entretanto jlgaveia
Os factoa ah
muito difficill
cei-vos pots I >
E elle cam oa aeua collegas ufanos e trium-
phanesapr.saam.e em expedir par. P.rts a.
noticias telegraphicas, e pedir a recompensa de
seu trabalbo, que Roma I
Garlbaldi, a personificado mais ideal do povo
italiano, que ia oblar a ctdade eterna a preco de
seu sangue: Rattazzi e Vctor Emmamel a pe-
dem como reeompaosa da saa iogratidao. que
espanta o orbe inteiro I Mas o hornea sphioge
das Tulherias regeita as solicitudes com ar im-
passvel e com um paludo .orrtso Ibes responde
iambem por sua vezTor* "umusl
A questao romana / r- -
ultimas i>-----*.a bflu
l?ale. A comedia
do respectivo contrato devi." sar-lbe all en-
tregue.
Dito ao mesmo. Para satiafazer a requlsi^So
do Ezm. presidente da Parahiba em offlelo de 18
de setembro ultimo, sob o. 5,193. sieva-se V. S.
deenviar-me com a poasivel brevidsde, a guia
doeaplto Jos Anselmo Rodrigues, transferido
para o eorpo degasrnico dsquella provincia.
Dito ao mesmo.Recommeodo a V. S. que em
vista dolneluao reciba mande pagar ao delegado
do termo de Santo Aotao Alexandra Jos de Hol-
laoda Cavalcanti, ou a pessoa por ella autorisada
a quaniia de JOS porque contrato! com Antonio
de Souza Brito a conducho doa remedios e bas-
ta deatinades ao tratameoto dos indigentes ac-
commettidoa do cholera-morbus no termo do
liaique, aegundo consta de officio do masmo de-
legado.
Dito ao meemo.Transmiti a V. S. para seu
conhacimeDto e expedirlo das convenientes or-
dens, a inclusa copia do officio que me dirigi o
Ezm. presidente do Rio Grande do Norte em 25
de setembro ultimo, solicitando a devida ezecu-
?ao da ordem dada pela tbesouraria de rendas
dsqaella provincia ao seu agente nesss par. ser
paga com a importancia que ae fdr arrecadando
a quaotia de 5;0li335. com que o n.gociaote
desta pra$i Manoel Joaquim Ramos e Silva tira
supprido em Pars os estudantea Francisco Gomes
da Silvs Jioior e Hermoganes Joaqiim Barbosa
Tinoco.
Dito ao conseibo administrativo do arsenal de
guarra. Informe o conseibo adminiatrativo do
araanal d guerra acerca do que representa no
incleso officio o eommaodaote do presidio de
Fernando com referencia a mat.ri. prima que te
tem torneado p.r. a fabrica deaapato. no mes-
mo presidio.
Portari..O presidente da provincia teodo m
vista o qus requereu o Io e.aripturario do con-
aulado provincial Francisco de Paila e Silva, e
tiem assim as ioforma(daa ministradas seu res-
peito pelas repartiere, competentes, raaolve con-
eeder-lhe 4 mezas de lcenga com vencimentos
na forma da le para tratar de sua sa.de.
Dita.O presi lente da provincia tendoem vis-
ta o que requereu o linete da 1 companhia do
3* batalho de inf.otaria da guarda nacional des-
ta municipio Francisco Antonio de Assis Goas, e
bm assim o qua a esse respeito informou o res-
pectivo commandante auperior em officio de
hontem, sob n. 117, resolva prorogar por 6 ma-
zes a hcenca concedida ao referido tenenta por
portara de 23 de br.Ljriiimo para tratar de sus
aaude.
Dita.O Sr. garante da companhia pernambu-
cana de navegscao aoateira mande dar traneporle
para a capital daa Alagoaa am lugar destinado
para pssaageiros da estado no primeiro vapor qie
para all aegair a Joao Bernardino da Silva, sendo
o transporte a r.
Bespaeboa do da 1 de outubro.
Requtrimentoi.
Frsnciaro de Paila e Silva. Paase portarla
coocedendo qaalro mezes de licenca com Tanci-
meotoa na forma da le.
Jaan Wildendbate.Informe o Sr. inspector da
tbeaourari. de fazenda.
Jos Felippe.Ioforme o Sr. capitio do porto.
Hara Benedicta doa Prazerea.Informe o Sr.
inspactor da thesouraria da fazenda.
1o
enhor de
... ERRATA.
No relatotio com qn o Ezm. Sr. Dr. Correa
passou a administrado da prosinca doren) a-
zer-ai aa seguinles emendas :
Em vez deJustifica catas medidaa a conve-
oianiia de simplificar a escrlpturacso de evitar
a entrega a particalarea de ebequa. que poem
ser pagos ao portadordere lr-.eJistica es-
tas medidaa a convaoianeia de aimplitlcar a ea-
crpt.raQao e de evitar etc.
Em vez deTomando i vista da intenaidade
da epidemia se em lguns lugaraa prximos da
provincia do Coar que ella invadase a loogin-
qua comarca da Boa-Vista da- *-^jajaaJ
mendo-aaqua arista ''-qtensid d.mia
ridiculo; aobremo^o
Peragoy pede a sua dmissao ao taso de q
exercito francez evacu a cidade da Roma : e o
aenhor de Thouvenel declara fazeroatro tanto. O
principa Napoleao guarda silencio; contm os
saus impatoa. Houve grande e renhida discussao
entra a mper.lriz, protectora do santo-padre, e
alguna dos ministros. O imparador nao proferio
p.Iavra ; ma. qu.ndo ee.sio do conselho an-
d.v. pouco mais ou menos em meio elle levan-
tou-se. e dise: tsenhores, fio em Roma.
A visti destas palavras torooi-se impossivel
qualquer discussao: os senhores de Thouvonel
e Peraiguy nao ae lambraram mais de demiasao :
o Imperador, aempre impenetrav.l, parti para
Biarntz com a imperatris triumphaole.
Eat pois decidida a man.taoc.io do statu quo
em Roma. Rattazzi nao pod.r mais illudlr ao
parlamento italiano, dando-lhe esperaocas, que
nfo el em auaa mos realisar. Os jornaes ga-
nhos forga de subsidios nao podem mais colorir
as opinin do goveroo Trances, e eogodar a
opioiao publica aonunciand-lhe como prximo
m deaenlaco qua est bem longe de verifl-
car-se.
Quanto lempo anda durar esa.'manulencao
do siatu quo ? E' o qie ninguem ple determi-
nar: na nossa opiniao erram aquelles qie atrr-
ditam em alguma mudan;, logo depoi. d. volta
do imparador de Biarritz. Os proprlos amigos
d. Italia de.eaper.rn hoje: crise minialerial de
Paria acabou-ae; foi um. comedia. O seouor
de Imhans, director da typographia do ministerio
do interior, leve a demisso que pedio. O se-
nhor de Breilhard foi nomesdo director da
Pretse.
Quanto ao Mxico, contioi a ser elle objecto
de pouca preoecupacao para a Fraoc/. Ninguem
divida da prxima tomada dsqualle paiz ; porm
a indiir.reori mais abaoluta acolha as noticias
qie nos vem d'ali.
Na Allem.nha o dualismo austro-prusaiano vai
divdodo cada vez mais os eapiritos. O Wur-
t.mberg e a Bavlara regeit.ram o trtalo com a
l-raos. a Prassis ameara-as, no caso de que
ellas nao voltem a melhores santimeotoa, com a
diaaoluQao do Zollverein, assoziaco aduaneira
titee ie.
A Auttri, ou antes os aeus estadistas fazem'o
mais que podem .par. se aproveit.rem da capete
ae deaf.vor em que cahio a Pnssl. em virtude
de .u. poltica reaccionaria. Antea que a Dieta
germnica eotrssse em feries, a Auttri., e mais
oilo ast.doi da Confederado aubmetteram
mesma Dieta um projecto de reforma federal,
com qie j tive occaaio de eutreter oa aeua lei-
torea. Trata-ae de a o nal. r* Dieta, que s re-
presenta oa govarnoa, aaD"'aasembla de delega-
do, dat differentei aaa.mblat legislstiv.a da
Allem.nha, que ae aocarregarao de decidir to-
daa aa qiatt*. sobra a legialirio interior. Pro-
pe ae mais creirio da um tribao.l federal
para jilgar aa diaeeocdta entre os differenteb
estados, e algumaa iambem esp.ciaea entre os
governos.
Os que tom.ram a iniciativa desea reforma eatao
perfeitamente convencidos de que as aass proposi-
Qoes eatao loge de realiasr oa votos de untdade
qieWrm nasao allemia. Mu tambera nao
s cvilenta q.e essa assemblta de delegados,
cuja idea ha multo desenvolv, seria preciosa
pelo fado de que desumaria de algima forma a
Dieta allema conatltictonali.sndo-a, como tim-
bera 4 certo que im p.rl.m.nto allemio com
um poder central poderi. mol bem aahir de ama
iastit.lcao deaaa nttureza. Eia porque a Prussia,
que a viaa na quetto ailemit m interease
egosta, oppe-ae com todaa aa forqaa & reforma,
qie ne dizer do .. miol.tro dos negocios es-
trangeiro.o enhor de Barn.torff, darla novaa
torgas i Dieta.
Felizmente a Austria, qae com tode e frenque-
z. eocetou imi nova era de libardade e de pro-
gresso, nao ae intimida com oa palavret a a mas-
cas que partem de Berln : ao contarlo est bem
decidida a eatreittr aa siaa reiteres com a Alle-
mtnba, como aioda ha poicoa diaa aOltncava o
Imperador ao prndente d. aaaemblaa doa iiria-
awawiloe allemca que reaoio-ae este anno em
y launa.
Urna prova muito oxpreselva daa iotencea da
Auatna a este respeito o convite que acaba da
dirigir a assjciago protestante Gustavo Adolpho.
aiim de que esta celebre em Vianna a su rei-
niao do anno prximo vindouro. Semelbante tac-
to 6 digno de toda a atiendo por aer Austria
um p.u to catholico OSr. de Sehmerling mi-
nistro da estado, quis provar com isto, como .He
mesmo tonfessoi. que a Austria regenerada sabe
us.r de tolerancia e respeito psra com qialquer
que seja a ereDss. ^ '
Antea de tratar da Belglcs permitta-ma dizer
aiguma cousa aobre a criaa muito seria qie eat
eminente na Prsala. Na semana viodoura a ca.
?,'' la.r.? de oecipar-se da discaaaao do
-K!110 m.ihl": "moamaioris liberal eat
enrgicamente resolvida reieitar o orjamanto e
f. oPf',e.X,r!(>rdi0rl" PPreorganizo frau-
dulenta introduzida pelo goveroo o p.sso que
este iitimo teima em .usteatar .. tua. medidas
apesar da cmara, e do povo, procavel qae ot
seguate correspondencia lhes transmita a noti-
cia de dissolucao, teraaira no reino actual.
Entretanto devamoa coofesssr que se o rei e
seus ministros se conduzem como despot.., tam-
bera os liberaes da Prussia, oa qaaes profassam
os principios do partido deGotha, nao sao menos
culpatoa.
Foi contra estas ltimos qua ii em mil e oito
ceios a qiarenta e oilo o celebre V.rnhagem es-
crevi. a teguinte:
* A emigracio da Coblame, o tratado de'Pell-
nitz nao eram mala hostia i nacao francezs do
que o sao os prfidos que flzeram o seu oinho em
Francfort. >
Esses tagarellas germnicos, qua se enthi
siasmam, e abram a boca como se qulzesse en
golir os povos, e que s fazem exhalar seu habi-
to empeatsdo, foram os proprios que engendra-
ran! ettt estado mistravel ara que te acha mer-
? *\ a pal^i,, llaaia- Se periga a causa da
iDerdade a culpa dalles, que team provocsdo
todos os horrores, que soffremos, com a aua hy-
pocnsia, falsas concuspisctnclaa, egosmo e bal-
zeza ; que impellem o paiz a urna defesa toreada
por ae ver este trahido na sua honra, por ver
a sua liberdade entregue em maos suspeitas. pos-
ta em perigo, e calcada ps. >
Fico aqu. Iufehzmeute nal. tem mudado de-
pois que o Sr. de Varnnsgem, illustre amigo de
Atexinire e de umbolt, exhalou nttttt linhat
o aeu desespero patritico, k
Contloi anda a aer a mesma Prassit ameaca -
da pela reaejo, eujos inimigos mais tarrifis
sao. conforme a sua propria politice dyoastica. a
arrogancia e orgulho da nobreza.
A raiobs da Inglaterra chegou e Antuerpia a
doua dette mez acompsnhada dos seis cinco -
itiosprineezas Helena. Luisa e Beatriz, e prin-
cipeaArthur a Leopoldo; allt foi recebida pilo
duq.a e duqueza de Brabante, conde de Flan-
dree, e o ministro inglez na nossa cortelorJ
Howard de Walden, que a condiziram a Bfuxel-
laa.
A comitiva da reinha compe-se-da um nume-
roso petsoal, do qual t citare! lord John Rut-
ee!, ministro a secretario de attido doa negotios
estrangeiros.
Sua msgeatade e ai princezss dirigiram se im-
mediatamente ao caatello de Lsacken : da toda a
comitiva a lord John Russell as acompanbou :
os mala foram para o palacio de Brixellaa. T'
a familia real conserva o lato o mais rlgoro.Utle
por isso tem sido impossivel dlstiagatc-.e as tfi
?oet da llluttre vluva, que parti quints-fe|ra
para a All.manha, .flm de visitar plamenta o fu-
gar em que n.sceu o homam, que ella nao pode
esquecer. *
A estada simultanea em Bruxellts do principe
Lbrittlano de Dinamarca e saa filha Alexandra,
nolva do principe de Galles, faz suppr-se com
razao que a rainha quit em preseoca do rei, tu-
ior de aeua Qlhos, confirmar as ultimas disposi-
Soss de urna unlo diga, sob tolos os pontos de
chimar sobre si a atlenjio doa homena politi-
COa>>
Sapponho que apenas o principe de Galles, que
naeceu 9 de novembro de 1811, inteirar a idade
de vinte e um annos, a raioha abdicar, retiran-
oo-ss completamente dos negoeios. Loogas con-
ferencias tiveram ligar em Laeken nestes ltimos
das entre o rei Leopoldo, que vae passando me-
tbor, lord John Russell e lord Cowley chamado
a toda a pressa de Paria, para onde voltou no
mesmo dia.
A futura joven e encaotadara rainha de Ingla-
terra, a princesa Alexandra, tem por p.e o prin-
cipe Christiano, que um dia talvez venha a auc-
ceder ao rei de Dinamarca.
Por esta razao, e viata da maneira porque se
complica a qiesto achlesmg-holatein entre a Di-
namarca e a Allamanha, ease casamento apre-
aeuta um aapect j todo poltico.
O principe de Gallea chegoi esta manha. a
Bruxellas, a pretende seguir para slenle, afim
de ver a aua nolva, e 'alli par. Allamanha aiun-
lar-se com a raioha sua me.
Quanto a nossa politica inttrioraeha-ae tido
em ferias. Depois de votado o tratado com a In-
glaterra, o qua teve lagar em ambas as camirat
1*86ima* 1862 0' f9thada a ,M,ao le8>li de
Diaa depoia parti para Londr.a o nono mi-
nutro dot negocios strangeiros, que foi miito
feliz em obter anda do gabinete inglez, antea ds
permute de rectificacoe, certas concesses im-
portantes, entre cutrasuna direito proteccionis-
ta provisorio pelo espaco,de dous anno. p.r. o.
tos de algodao ordinario, como lioha sido recla-
mado peloa iodu.tri.es de Gande.
Foi ese um bom s.ccesso diplomtico, porque
ordinario os Inglezes nao coacedem cousa
tt,\ 5 ?u" a mor,e. evitando a guerra
evil. Foi-lhe enviado um parlamentario; e
eiie respailando a baodeira com que de looge
ine acenam. do rei aei companheiro d'armas. e
oa paz, ordenoi sai gente que fizaatealto. Fa-
ni demora 1 Oa eersaa/iers aproveitam-ae delta
Pa galgar as emineneiaa, e os g.ribaldinoa que
nao respailara a traijo vSem-ae de repente cer-
cados. r
, P m,",ri0 bcudelra da paz havia promet-
lidoi. Garlbaldi em nome de Pallavcino, tai
chere, que aeria retardada a marcha dot teas.
prometas q.e foi tcolhldt com alegra, por laso
que uanhaldi esper.va deste modo evitar de ama
s yez o derramamanto de ima gota de saogue
..<*D." ."' 8 P,,s,Ta tjdo de um n.gro ar-
arttiiclo Imaginado para darse lempo ao. btr-
tagtten de envolverem o hroe n'im cerco.
k dMB'ale'ro de Riello, que o. garlbaldinos
unnam de atrare.aar para escapar criel ne-
cessidide de urna lucia fratricida, em um abrir a
fechar dolhos oceupado pelas tropas reaes.
Eatao Palltncino eaqueceodo e aua antiga ami-
aade com Garlbaldi, e que fra ditcipilo deate
na guerra, intima ao oobr. gaerreiro a ordem de
render ae, intmagao que nada menos era do que
m insulto, e ordena logo o ataque.
O sigoal da guerra civil 4 dado, nio pelo ho-
mem amigo da Italia, mas pelo hornera sectario
do instrumento de Napoleio III. GsribslJi pro
patria non fimtdiis mori foi ferido logo pri-
meira descarga, etmmediatamante depois recebe
um golpe de bayoneta ; mas fariram-o na pero.,
porque qual o italiano que ce atrevera (az.e
airo do seu corajao ou da sua cabeca 1 Assim
mesmo nao pode mala combater.
Entretanto os seas voluntarios conservara-se
firmes como homens que sabem fazar da vida im
sacrificio. Os beriaglieri apaas all aprende-
ram a dar a morte por trairao e aorpreza. Ella.
r,m e,n numero de 1,800, porm um exercito
de 18,000 homens espalbados pelos srredores
assegur.vam-lhes um apoio decisivo.
Fico aqoi; e ae tido isla exacto, como creio,
o grao que foi promptamente concedido a Palla
viclno como recompeas. urna deshonra p.ra a
casa de Saboia ; e para elle urna mancha em
aeu escudo to indel.vel, q.e como e de lady
Macbeth todaa as aguas do mar nio a firo des-
apparecer.
deeempenbastes vosssa nobrea e honrosas funt-
?oes > assfgoalaodo sempre vossas deciaes, oa
presenta sesso judieiaria, com o eunho da maia
firme a maia comlinte justija I
Sim, senhor.3. A presente sesso judieiaria
e um faca qu. vai ficar gravado na memoria de
todo. ; por qus nao houve o ella am s jilgamen-
li cuja, deciae. nao foa.em verd.deirameote
jiataa e ioterramente despida, deaaea sentimen-
giezes marajos Padro Goncslves de Lima, brac-
eo, de 58 ancos de idade, e Manoel Maria Ma-
ceas, t.mbem brsn'co, de 18 annoa, o primeiro por
briga e o aegundo a requiaigodoreapactivo son-
tul.
A' ordem do subdelegado de Stnto Antonio,
Joo Francisco da SiJva, roulo, de 27 annta de
idade, canoairo, por siaapeltaf da aer eacravo.
^tUMiUCO
REVISTA DIARIA-
Hoje, no ligar e hora do cottime, se extrahir
a seguoda parte da primeira lotera da Santa Casa
da Misericordia.
. A eeeola ceot'al do methodo Csslilho fes-
teja hoje o S6u nono annivaraatio.
Nesta testa d o respectivo protessor ums copia
do deseovolvimento dos seus alumnos.
t- De Pao d'Albo eatrevem-nos em data do
1 do correnta o aagiiote :
< As Impertinentes chavas j nos deixiram ;
estamos com sol e calor de vero.
c As bezigas aioda continuara nlo miito pro-
gressivamente.
O processo dos escrevos q.e tentaram contra
o aenhor, eal concluido, quanto a ioqeirtsio. A
polica prende ha pouco doua desertores o um
lid rao de caal|0. ,
Todo o Pao o'Alho est m p.z. O teu esta-
da
N
k
alguma sem a certeza de ganhar o duplo. Sei
Iambem de fonte pura que o ministro Rogier es-
pera levar a fim muto brava o sei gigantesco
projecto sobre o iibertamento do Eacalda, aca-
bando com os embarscos que aioda hoje aollre
all a navegigio.
Antes do encerramento da sesso o senado oc-
ipou-se tambem da qaeatlo de cemiterios, e
a pos urna longa discussao, n. qual o Sr. Frere Or-
ban ansleotou com brilhaoU eloqu.ocla o. prin-
cipio, de.eovolvido. na outra c.m.ra pelo aeu
colleg. de interior em tres discursos, cada um dos
quaes pode-ae reputar tos obra prima, o senado
r.eovloi a peticao aos mioistros da justc,a e in-
terior par. explicacoe. Porm j hoja a imprena.
calholiea, outt'or. to aatyrtca e abaoluta, nao
oua. maia com o meamo zalo ardente defender
preteocao do clero catholico.
Esta qaesto rollar aioda : mas emqianto se
nao decide compete le civil e ao governo im-
pedir qae im cura diga para o cadver de im
hornera : Nao cumprio os seus deveres reli-
giosos, logo nao pode repousar no cemilerlo ao
lado doa liis.
Com quanto persista aioda a agitaco em An-
tuerpia por cauca daa foitiflcce, todava
.^ q"ne T ella Perdenlo de iutentid.de. O
partido flamengo, que quiz eapeciltr com ease
descontentamente, e que molto contribiio p.ra .
violencia dos raeetings, de qie fallei j em outra
occaalao, vio-aeeofraq.acdo do lado en. que ma-
oso esperara. Um jornal multo importante de
Haye acaba de publicar am artigo em que com-
bate toda a idea da aympathia annexaco das
provincias belgaa Hollanda, e declara que as
duaa nacea irm.s Blgica e Hollanda, jmala
tomaro as armaa aeno para defender ama a
outra dos ataquea do exterior.
P. S. Agora mesmo recebo ama carta de Ta-
rn conteni e respeito da prlao de Garlbaldi
certss particularidades descooh.cilas, qae voa
dar em aeguida para aquelles de aeus leitores
que aa Interesssm por asta qieato.
Gtribaldl chegou Aapremonte com a divisa
A ordem do de S. Jos, Dionisio Benedicto,
ri- "JK?:.*" p\" ?ao duer de patronato qae ionio, de 40 annos de idsde, pombelro, por in-
assoberbam o recinto do tnbanal | fraeco de po.tura..
A' ordem do da Boa-Viata, os pardos Bsymun-
do Jos da Lima, de i aonos de idade, catraei-
do quanto aal.bridada vai bom ; nao tallando
em algim reato de defluxo e sarampo. E nos poi-
cos caaoa de bexigas.
a Millos engentaos eatao moando, e a maior
parte prepar.-ae para iaso.
No segundo districto d. freguezia deQuipa-
p deram-aa na noite de 10 do paasado ocur-
rencias, de qae poderiam ter conseqienciss des-
agra la veis a oo ba ver predominado a pridencia
caracterstica do re.pectivo aubdeleg.do, o Sr.
Manoel Florentino dos Santos.
Reunida em Quipap ama torga composta de
guardas naciooaes e pesao.a do povo, ao mando
de Antonio Monteiro, aaguio ella dalli por entre
ezcesaos e provocando alarma, e foi carear no
quartiirao do Salobro a casi do respectivo ins-
pector Simeo Gomes, na qual sa commetteram
aa maiores violencias. Mas nao encootrando a
a foram para o povoado do Jurera., onde re-
alde o aubdeleg.do ; o qu.l ento teve conheci-
mento do tacto, aabendo alm disto que aa pea-
ceasi da forr>a ha va m sido notifica das pelo capi-
tao Campello para aquella diligencia, qae se fan-
dava em estar proceaaado o referido inspector
pelo julio municipal, a reqierlmento do mesmo
Campello, por haver prendido a im seu escravo,
qie alta noite achava-se em um batuque, arma-
do de faca e ccete, pelo que havia sido este es-
cravo procurado pela aabdelegaelt.
Ora, em pretenda de til occirrenclt, o aubde-
gado portou-se com digoidade e criterio, apezar
do menoscabo asiototo aia aitoridade, tanto
mal quanto ae fizera esptlhar em Quipap qae
I a forja tinha por fim prende-lo. Fez resttbelecer
a ordem, mandou ptrt s.as casas aotiodlvidioi,
que nao eram guarda, n.ciooaee, e deixoa aos
que o eram que continuassem na diligenei. res-
peitando aasim o que the parec, a.hir fora da
su. competeocis.
Comprehende-ae no entretanto que semelh.n-
tes aberraces nao deven tar curso pela incon-
veniencia, que dallas resultara aempre; as auto-
ridades se devem mutua deferencia para q.e o .
aervigo publico corra regularmente, e nao seja al-' de priso com trtb
terado o eoceg, elemento poderoto da paz e do aoffrer
Incremento da. localidades. E pois, importa que
a aitoridade auperior tomando exaeto conhaci-
mento do occorrido, oo deixe a sei salvo o abu-
so oude elle estiver, mesmo porque nos consta,
qae alm de prelerico dessa deferencia, deu-s
a da ordem escripia para a referida diligencia am
districto estranbo. r
Tamos ooticiaa da villa do Bonito.
Reinava tranquilidade e a salubridade publica
achava-se em boas condices.
As autoridades esforgavam-ae por bem cim-
prir os seus deveres, dando-se aa moa par. fa-
zerem urna re.lid.de a garanta doa diraitos dos
cldados.
A sesso do jury se tinha encerrado, depois de
correrem os respectivos trabalhos com ordem, e
de serem marcados com o sello da juatiga os jil-
gamentos. Na sesso da encerramento pronun-
cio o seguate discurso o Dr. juiz do direito Ju-
lio Barbote de V.scoocellos, que v.i miito bem
visto na sia comarca por aia ioteirasa e ca
racter.
c Senhores j.iies de fscto.-Tendo tido jilga-
dos ot dozi proceetos, que me foram apresenta-
doa e preparadoe pelo Sr. Dr. juiz minitipal dea-
te termo, nio t no primeiro dia como no eorrer
da presente sesso judieiaria, comprebendtndo
ellas dezeseis reos de diveraoa crimes, como sa-
bis ; dos q.aes foram absolvaos seta e condem
nados dez; e comminicando-mi o mesmo Sr.
Dr. juiz municipal nio haver mais proceasos pre-
paradoa para aerem aabmattidoa julg.meoto n.
presente sesso jadlcisria, compre-rae agora, se-
nhores, enierra-la. Mas, anteado o facerme per-
mittiraia que vos dirija algumaa pala 'ras : para
as qoaes eu desde j imploro vossa alinelo e be
nevolencla; e as quaes eu vos rogo que nao
enxerguets o mais leve sentimento de lisonja o.
mor proprio, e aim a slocerid.dde da gratidao.
Srs. juizes de facto.Eztremsmente.atisfai-
to palo brilhante e edmiravet procedim.nto que
tiveatea na preaente aeno judieiaria, primeira
que tenho a honra de presidir, eu nio poeso dei-
xar de vlr na preaente ote.alio, em que fiadaatea
os vossos tr.b.luoa, e poaaiido do maior jubilo,
camptir o grato devr de coBgratular-meeomvos
co pela maneira lio digna t t&o IoititcI porque.
de ordiosrio
do jury. Assegiro-vos, senhores, que prestas-
>s as paiz um immenso e grandioso aervico ;
pot que, senhores, quando a justic distribuida
cota verdadeira Igusldade, dessa distribuicio re-
a 8mPre ordem e a garanta de noasaa li-
oerdadeg e de nossos stgradoa dlreitoa de aegu-
ranca lndividatl a do propriedade; tem o que
nao pode haver progreaao. e tido ae abysraa no
profundo pelago da anarchia I
e Mas, senhores, a qae foi divido lio assignala-
do triumpho da Justina na presente sesso judi-
eiaria ? a vos, senhorea, em primeiro lagar j por
que aoibettes compreheoder ecemprir to nobre
e lao dignamente oa voaaoa deveres I a vt, se-
nhores, qie soibettes preztr vosses reputagdes;
e que, como verdtdeiros brasilairos, dettet um.
prova nao equivoca doa votsos sobres senlimen-
tos de patriotitmo, e de que detejtei sincera-
mente o augmento e o progresto moral de ootst
patria eommum. Em segundo lugar, senhores,
meu dever coofettar-ros tambem e com o mais
vivo eontentamento o taco, que esse bello, ae
Den q.e agrldoce, triumpho da instiga na pre-
sente ...sao iudici.ris, foi sam duvida a em gran-
de parte devido, como creio que o reconhecereis,
ao millo digno Dr. promotor publico dest. co-
rsaria, que no ae. posto de honra soube sempre
?". nUr com Tefdadeira dedicarlo, lealdade e
intellig.ncia os legtimos inleraases d. j.stiga.
Agora, senhores, me permitt'rela que, desta
c.dair. qae immerecidmente oceupo, eu voa
renda tambem na preaente e to aolemne occa-
aio os votos da maia viva e aincera estima e
gratidao pela nimia bondade com qae vos dig-
nas-tea tratar-me na presente aeaso judieiaria.
Eu, de certo, aeohorea, nao etperava outra cou-
sa de cavalleirot tao dlstioctos ede to fina tdu-
cagao, qua sabem mai bem compreheoder c pre-
sar o que honra, o qia dignidade e o q.e
clvild.de.
Recebe!, poia, senhores, rainhat despedidas; e
aellas dignai-vos aceitar um fraco porm solem-
ne e sincero test.munho de mea reeoohecimento
e de rainha estima e gratidao. Deaejo-voa cor-
dealmente q.e ao regressardea para vossos lares,
cootinueic a isufruir em companhia de vossas
k,t ,mi''a, a n'*ia perfeita ssude acompa-
"hada aempre daa mais perennes prosperidades.
AfHsngo-vos q.e procura rei merecer vssa es-
tima, conflanga e apoio, com que cont e espero ;
nao por meio ds forg e do poder de que se acha
revestida mlnhs aitoridade nesta comsrea, mas
sim pelo mea proceder e por meus actos, que
com a maia robusta t em Dos, espero siero
"mPr? revestidos daqiells imparcialidade que
te hoje oa tem presidido, e deaaa justica gi,
como defioio ogranie Dupin, consiste na" votta-
at firme e constante de dar a cada um o due i
seu. i
com.rea, ae nao o se. progr.s.o e o .eu aug-
m.oto moral o material, e a m.i. completa ai im-
parctal distribitgo e admlnistragio da justtga ,
. nease empenho, poia, que espero e cont com
o vosso apoio e com a vossa coadjuvago.
Nutro a mala iotima sonvlcgo q.e cada um
de vos nao hesitar coneorrer com todas as for-
cea para aemeihaote fim e para que a le e o
principio de autoridade sejam sempre respeitados
a ?111"" Pr I"8, senhores, aelhor que
o cidadao soffrs com tlgima resigntgo o excet-
so da autoridade e depois q.eixe-se, do que d
o triste exemplo de urna obstinada resistencia
no primeiro cato elle mottra aua obediencia e
tea respeito 1 -i e a aitoridade, e oo abdica de
im legitimo direito de qoeixa qae no segando
caso perde-o ; e se entrega as terriveia e funes-
tas coniequ.ncias de urna resistencia; alm de
que, stnhorea, em am paiz como o oosso aonde
esiamoa cercados de tsotas garantas, mnea se
jistirje. a reaisteocia a aitoridade.
Nutro finalmente, senhorea, a mais intima
convicge que cada um de vos se presar de ser
um vlente e intrpido soldado que, ao primeiro
loqie do clarim acidir ao chamado d. patria,
e se apresentar logo na vanguarda para rapellir
aquellas que tentarem pertirbar a paz e a tran-
quilidade publica.
c Attim, tenhores, qae coneorreremos todos
nos, mas sempre .bragados cruz do Calvario, e
ctdt vez mais flrmet e fervorosos em nossas
rengas no cstbolicismo e sabmissos igreja de
liorna, pira o progresso e o engrsndecimento
moral a miterlal da noisi patria eommum, que,
as bellas insiituiges qua a regem e no eabio e
virt.oto monarcha que temot i ventura de pos-
r, ella tsm o penhor mais nobra e mais sega-
ro de su prosperidade e de sia felicidade.
Est encerrada a presente sessio judieiaria. >
O reo Jos Joaquim de Santa Aona Slbir,
que hontem respondeu pirante o jury por crimes
oe haver tsntado vender como proprio um caval-
lo .Iheio, e de haver eito offensaa phiaicat *m
um intptctor de qiartoiro, o Sr. Mariaono doa
Res Espinla, foi condemnado pelo primeiro fac-
ffrer a peoa de dous anoos e do., mese,
e pelo aegundo facto
a pena de am mez de priaio e pagar a
multa correspondente a met.de do lempo.
O oM'z Santa Ann. foi recooherido como de
aertor do exercito, e por esse grave crime d.ve
er s.bmetti lo conselho de gierrs, onde bem
n.tiral qae lhe seja inflingida urna oiln con-
demoago.
Eit-.ni, porlanto, ama datsts existencias des-
venturadas qua aa perdem para aempre na car-
reira ignominiosa do crime. A' lado isso seres-
ce qae o accisado bastante joveo.
Eotre oitros procseos apretenttdoi pelo
r. Artijo Btrros ao pratidtnte do jury, figura
aquella em q.a reo o pardo Antonio Jos At-
pieri, contra qiera o ministerio publico pede a
imposlgo ds pena de gales perpetuas pelo sssas-
ainato commettido n. pessoa do portugus Liiz
de So.z. a Silva.
E' esta ama c.uss de aumma
cijo julgamento ae espera toda
era taes estos detejavel.
Hontem, por tarde, cegato pera Haco, por
determinacao do mai digoo Sr. chafe da soata
estajeo aaval, a soccorrer o Tspor Iguarass, a
corvetade guerra vapor Tpiranga.
A' bordo do vapor Cruzeiro do Sul seguio
hontem o Exm. Sr. Dr. Manoel Fr.oci.co Correa,
que foi aeompanhado at bordo pelea p.saoas
maia dlstioctss de nossa capital, diviaando em
todoa oa semblantes verdadairo pez.r pala aia
partida.
Desejamoa qae, ventos propicios cooduitm o
sea deatino, e que aaja S. Exc. compre compra-
hendido e estimado por aquellea no centro de
qtvem vi ver.
RBrARTlCO D polica.
(Extracto das partee doa diaa 2 c 3 do cor-
rente J
Foram recolhiJos i cata de deteocio. no dia
i de correte :
?' ordem do Illm. Sr. Dr. chefe de polica,
Argemlro Baptiata da Silva, pardo, de 16 annoa
de idade, sem officio, para recruti.
A.' ordem do Dr. delegado do primeiro dittric-
ta, Jotnna Umbellna Caplatrano da Silva, parda
de 40 annoa de idade, costereira, por sospelta d
ser eterava.
gravidade, em
a eircumepeegio
ro, por furto de carillo, e Antonio Francisco da
Silva, conbecido por Praieiro, para averigiagoe
aobr. o mesmo crime.
A' ordem do da V.rzea, Antonio Francisco oa
Simo d. Cunha, pardo, de 45 asnos de idade,
dado agricultura, por briga.
A' ordem do da Cspunga, Albino Antonio do
Valle, bresco, de 18 annoa de idsde, corrieiro, e
Manoel Fernandea Vianna, t.mbem branco, de
igual td.de, aarralhelro, amboa por terem eidrt
encontrado, 9 horas da noite em casa de um
tal Miel, como eal declarado oa dita parte.
O chefe da segunda secgao,
_ /. G. de Mesq-uita.
Movimento da casa de dteselo do di 2
de outubro :
Exiatiam......
Eotraram
A asber:
Sahiram
Existem .
Naciooaes.
Mulheree .
Estrangeiros
Essr.vos .
Escravac .
Total. .
330
11
10
presos.
>
>
331
230
4
35
55
7
331
. mira u ue castro e um escrav
Francisca Xavi.r dos Ris e um escravo, i
perlal marlnheiro, 4 apr.ndizea dito e um
A' OTdam do tabdelegido do R**,, 0i porta*
Alimentados a casta dos cofres provin-
C1,"v- .......... 14^
no movimento da enfermarla da cas. da
detengao, de qa.rta-feira 1* do corrente, decl.-
rou-se que foi para a casa de aaie do Dr. Ra-
mo, Severino Barroa da Silva, cora vtriolaa :
tico, a remetta de nenhum effeito por ter tilo
potto em ltberdtde.
Paaasgeiros do vapor nacional Cruzeiro do
oul, vindo dos portoa do norte :
Csrlos Joo Ribeiro de Lima, desembargado:
Basilio Torreo Jmior ca filha, Manoel de
Mello Cardoao Barata, Manoal A atolo Pereira,
Fraociaco Manoal de Soiza, Aurelio de Aodrade
Silva, Antonio d. Cunha, Jos Sabino de Olivei-
". Benedicto Joa doa Santos e ira fllho, Anto-
nio Nunes Teizeira de Mello, Jote Janutrio Ara-
nha, lrineo de Araujo Bezerra, Antero Jacome
de Araujo, Bernardo Joa Ferreira Gutmo. Mar-
celino de Souza Trarasso, 3 pregas do exercito,
urna eterava a entregar i Kalkminn & C.
Segutm para o aul :
Dr. Pedro Miris de Lacerda, teoente de enge-
oheiros Cbrysolito Ferreira de Castro e aua se-
nhora, Abel Augusto Cesar, Joo Paulo Velloao e
sua senhora, ama filha e dous escravos, D. Ca-
rolina Amelia de Caalro, Bernardino Joa Morei-
ra, D. Maria Roaa de Jeaus. D. Mara de Jesia
Sonsa, Abr.ham Aztical, Agostinho Pereira da
silva Aotont* Piolo doa Santoa, lente Alalina
uuarte ticdinho, Ipamtnooda Americo Pereira
da bouza, Antonio Manoel Saraiva de Sampsio.
Maooel Antonio Pereira. Alvaro Pamplona da
tonaeca, Maooel Ambrosio da Silveira Torrea,
de Caatro e um escravo, Dr.
um im-
- recra-
la, 7 recratas e am desertor do exercito, 24 es-
cravos a entregar.
Obituario do da 3 ob outubro, ho ce-
murrio publico.
Antonio Xavier Corris Lima, Paruambuco, 27
annoa, aolteiro, Boa-Vult, bezga.
Mara, Perntmbuco, 2 mezet. Rerife. diarrha.
Manoel da Silva, Portugal, 45 anoos, vluvo, Boa
Vala, ulcera gangrenosa.
Libauia, Pernambuco, 8 anoos, Santo Antonio,
molestia da intestinos.
Pedro, Pernambuco, 3 annos, Santo Antonio,
bexigas.
Janes Baladay Sala, Hespaoha, 25 annos, aoltei-
ro, Recifa, febre amaralla.
Falippa, Pernambuco, 2 annos, S. Jote, ente-
nte.
Venceslao Jos da Silva, Pernambuco, 80 annos,
casado. Racife. interior.
Amelia, Pernambuco. 6 anoos, S. Jos, bexigas.
Manoel Moreira da Silveira, Rio Grande do Nor-
te, 50 annos, caaado, Boa-Vists, hydropisit.
CHRONICAJUDICIARIA.
Tribnnal do commercio.
SESSAO ADMINISTRATIVA EM 2 DE OUTU-
BRO DE 1862.
PRESIDENCIA DO BXH.SR. DE3EKBARGADOR
> f. A. DE SOUZA.
A's 10 horas da manha, reunidos os Srs.
ieputados Rago, Lemos, Malveira, e Rosa, o br.
presidente declarou aberta a aesso.
Foi lida e approrada a acta ds sesso antece-
dente.
EXPEDIENTE.
Foram presente, a. cotscoes officiaes dos pre-
gos correles da prsc,a, da ultima semana.Ao
archivo. >
DESPACHOS.
Um rtqierimento de Joa doa Saolos Pereira
Jardim. pediodo o regltlro do dittrato e ajaste
Qna 1 de contta da aoeiedada q.e h.vi. neata pre-
ga tob a firma de Jardim & Comptnhtt.Reeit-
tre-se:
Outro de N. O. Bieber & Compsnhis, taecesso-
res, pedinio o registro de ami procarsco q.e
ajuntam.Como reqiercm.
Outro de Manoel Frsncisco de Azevedo e Fran-
cisco Jos de Asevedo, pedindo o registro de aeu
contrato social.Regiatre-ae.
Sendo presente os autos de moratoria de Fi-
geeiredo & lrmlo O tribunal mandou proce-
der a ama diligencia.
SESSAO JUDICIARIA EM 2 DE OUTUBRO
DE 1862.
PRESIDENCIA DO EXH. SR. DBSEXBARGADOR
SOUZA.
Ne impedimento do secretarlo, Reg Rsnge!.
A' meta hora, o Exm. Sr. presidente abri a
sesso, estando presentes os senhores desembar-
gadores Villares e Silva Gaimares, e os senhorea
depilados Reg, Lemos, Malveira e Rota.
Lida, (ol approvada a acta da sesso ante-
rior.
- SUXOAUBIfTOS.
Foi aaaignido o accordio proferido em sessio
de 25 de setembro ultimo, aa appellagio em qae
sao :
Appellantes, Antones &
Seve, Filhos 4 C.
Foi esaigoado o accordio proferido na sessc*
aotecedente, entre portes :
Appellante, Jos Pereira da Cunha ; appella-
ihJ ""> Antonio Baptiata Gitlrana
e Jos Antonio Lopes.
Appellante, Manoel da Silva Passos. rapreaen-
tante de Novaes 4 Passos do Rio de Jaoeiso o
appellados, Tasso & Irmio, curadores da matta
taluda de Novaes 4 C. deca cidade.
Deaprezaram-u os embargos.
Appellantea, o Dr. Juveocio Altea Ribeiro a
oitro ; appellidq, Antonio Gome* da Canha
SUvc.
Irmio ; appellados.

mu TU Ann/


-
"^
Foi reformad o accordao.
PASSAGEHS.
Appellante, o commendador Antonio di Si-
qaeira Cavalcanti; eppelladeu, Francisco de Pae-
la Carneiro Lelo e Estevo Joa Paas Barrote
Appellante, Joto Pinto do Oliveirs o Souza ;
uppellado, Ha noel Januerio Bezerra.
Do Sr. desembargador Silva Gaimares ao Sr.
desembargador Villares.
Appollaatea, Kalkmaao Irmaoi K Gompanhia -
eppellado, Jos Abes da Silva Gaimares.
Do Sr. desembargador Villares o Sr. desem-
bargador Silva Guimares.
AOCIUVOS.
Aggravanto, Jos Norbarto Castello Branco :
fgravado, Josa Flix da Cimera Pmentel.
Teve provimento.
Nada mais houve.
MARIO | TEWAMICO, V 54BBADO 4 N OUTUBRO DI 186,
Communicados
=?' lQmJ?0,/, Sr- Dr- ttenso Becerra Cir-
neiro da Cuoba baldos de melos eom que pos-
ea m deturpar a sua reputado, que apezar de tu-
00 ae ostentar sampre muito alta e tora do al-
cance da ovaja e maledicencia, asseotaram de
lanzar mo de tudo para cevar o sea cancor con-
tra o dito doutor.
Neste iQtuito tem elles reproducido pela im-
prenta copias de leotencas dadas oett'hora con-
tra o Sr. D% Carneiro da Cunhi^ quaes, como
jase tem evidentemente demonstrado, revelam
ornete a incaroicada perseguirle que de certot
potentados merecen o dito doutor, pela indepen-
dencia de carcter que sempre moitrou quinde
jais municipal de Iguareei.
Neste caso est a venda de m eieravo feita
pelo dito dootor, aqu nesla cidade, do que fai-
iOu-ae 00 aeu Otario de 25 do pastado.
Felizmente podemos explicar eite negocio a-
valmenle pela maoelrs aeguiote :
O ti: Carneiro da Cuaba eomprou em Pao de
Alho a Joaqnim da Silva Vleme nm escravo
por qaiobeotos mil rit (naquelle timpo eram
deste proco os de melhor 6gur.) Este contrito
(o effeclaado dentro da villa de Pao d'Alho, pola
forma, e maneira porque ae v no papel abaixo
transcripto, e anda exiatem duaa das teotemu-
nbas : plisados mezea o Dr. Carnairo da Cuohi
venden oo Recite o dito escravo, que sao lo pos-
suido algum tempo pelo novo comprador, appa-
recau o legitimo dono do escravo, e o comprador,
iregou-o aera obter um documento peloqualo
Dr. Garneiro podesse haver do vendedor Joa-
qaim da Silva Valente a importancia porqae ha-
via comprado.
O Dr. Carneiro da 'Cunha negou-se de resti-
tuir o diobeiro que havia recebldo de Manuel
Joaquim Pascoal Ramos, sem que este lbe eotre-
gasse um documento pelo qual se podesie pro-
yar ao vendedor Valente, que tinha apparecido o
legitimo dono do eacravo. Ora, Manotl Joaquim
Pascoal Ramos propoz urna aeco ao Dr. Garnei-
ro da Canha, e juntando ento o docamento do
qual precissv o Dr. Carneiro da Cunha para ha-
ver do primeiro vendedor Valente o dinheiro qe
lbe bavia dado pelo escravo.
A relacao, aviita do referido documento man-
dou ao Dr. Carnairo da Cuoba que pagasse, e
elle munido com essa senlenca cobrou de Joa-
quim da Silva Valente o aeu dinheiro.
Saiba-ae mais que o Silva Valente tinha aido
posauidorde boa f. Havia comprado o escravo
a am ladro, que morava peito de Oinda ; le-
vou isto ao conbeclmento da polica, e o dito la-
dro foi preso pelo subdelegado do lugar.
Copia do papel de venda.
Dos bens que livremente possuo, vendo,
como de fado vendido teobo ao Sr. Dr. Louren-
co Bezerra Carneiro da Cuoba, o meu escravo
-Joaquim, pelo prego e quantta de quioheotoi
mil ria. (50O3OOO) quantia que devia ao mesmo
Sr. Dr. Carneiro da Caoba de renda do engenbo
Macaco, do qual elle eonienhor ; o por aaaim
o ter contratado, traosfiro ao meamo Dr. Carnei-
ro da Cunha toda a potse e domioio que tenho
em dito escravo, podendo possul-lo como seu,
que e tica sendo de hoja por diante, aasignando
este de me penho com as testemuohae abaixo.
Pao o'Alho 8 de seterobro de 1847. Joa-
quim da Silva Valente. Teetemunhas. Mauri-
cio Francisco de Lima. Bernardino Pereira de
Lira.Francisco do Rgo Albuqaerque
As duas primeiras anda exiatem.
Mauricio Francisco deXlma hoje negociante
abastado no Recife, e Bernardino Pereira de Li-
ra proprietario tambem abastado em Pao de
Alho.
Y.
baa de forlua, ella meito me honra e anno-
btece, sahlnoo en sempre pobre d'esis o outraa
commiisoes que bel tido neaU provincia e na do
rara, a o paseo quo oatros em tsea condices se
locepletem I Errou, pola, em ciato, a fez antea o
men elogio, proporclonando-mo, alias, ama boa
occasiao de explicar aqaillo de qae a vos publica
oralmente, Indinada t maledicencia, te occo- pait.
fiara la *< nal--___________ _n_ _*__.___ r -.
u i! Mm .c,m.lnho"Bh l o eieravo'acima estove em mea poder por
\^LET!l'tl0' ^"a* ""'T "1,<".qoaio quix vende? por ae
cumprxmento de mus deveres, etc. meamo de eo. extremamente bebado o fajo. pode V Exc asar
reas paredes do urna priso mate do ama vot deata minha reapoata como Iho eonvier
S "!Ud0 mlDh, l,td,de Prao P'1"0 A D*y- E- a,*-o venerador-JoZoFrtdtri co
tanto qaanto me permiUem, se bem que pelo de Abre* Reg.
Jalao ctrcetdas e mil lulerpretadaa aa lela do _____
pava, talvez inflimmada por aguusfienffeetoe
meu. ~
Nao satisfeito o mea virolento eggressor eom
Pr0r,r fer,r_Bie B0 W o bemem, qae se pr-
". man telar, tent a ttotbem acatar mi-,,... -,-
una pobre iDlentgencla, oaaendoioainaarque a qae tem representado naaae
referida correspondencia fdra talvez por mim agora aer manifest ao pabllco,
!_?5*a ""*?.*! 6 m*.Dl* de <,erer com M0 Foi Mlm 1u 6 altiaiameote por occasiao do
anda dar um bote em minba moralidade.fazen- aRimo de meua procdssos. qaaodo me psrecla
d0c_V,_,_rJn.!,.r!l-*nl0. de a,"ein I iapoiaivel o termo deases processos originados
ana doa ootrot e que fuodando-se eoabora em um
MARANHAO.
Eotretanto respeitando o dsoero do terceiro, A 8ii -------;------~
e me havts imposto silencio qaanto ao verda- V _T. rflajOP PraBClSCO rrimo de SoilZa
delro motivo do toda essa pereeguic.io ; acredi-
tando mesmo qae o melindre de- cooecieneu do
jalz, fa-lo-hia mais tarde apercerber-ie do papal,
negocio, o que val
Son o primeiro a reconhecer, como confesso, sua
elevada posi^ao social e grande aeperieridade de
sua inteHigencia ; mas tambempermiUa-se-me
dizerteobo certa repreaentt^ao na socisdade,
maja acaohada e menoa brilhante, porm qalc
mais til e proveitosa qae a aua; poiso am
pergaminho igualmente conferido por ama egre-
gia Faculdade e que multo me honra I
Naturalmente, porm, o meu accasador affectou
certo desproio em saaa exprestdes a mea respei-
t0> Pr c8i talvez deesa mintia proflasio, que
at o faz asquecer de que bou tambem, anda
qae immereeidamente, graduado na scienda ; e
lbe trarei, por esta occasiao, memoria aa bellas
-__*** com l0^ o venerando fallecido senador
Jos Saturnino, respondeu ao Sr. conaelbeiro
Jobim, qae o apoatrophou de militares forma los
naa academlaa I.......,
Entre minha obacuridade e o brllbantltmo fas-
tigioso do meo contendor val ama disttncia
immensa, nao ha davida; maa ella pede talvez
; mesmo fseto, maa aempre sob novaa faces, ae
team feito reviver, offereci finalmente artigue de
tuspeico Deseados em motivos lageea e intriga-
velmeote provades, afim de qae apreciadoa esses
fados, examinada essa qeeitao de moralidade pu-
blica pelo tribunal do jury, em coja conadanca
se acham vivos taes factoa de eacandalo, se res-
tabelecesie o imperio da le, que qoer decalo
sem parcialidade, e oxame aem odios nsm pal-
idea.
Depoit de offerecida saspeicio em audiencia
de 14 de agosto deste anoo na forma do art. 250
do regalamento n. 120 de 31 dejaneiro de 1842,
foi adiada a misma audiencia para o da 21.
Bem looge de ae reconhecer suipeit> o juU,
que chegou a mentir por este modo propria
eonacieocie; sem o porceber, apreasoa-ae a daf
novaa pro vas de sua suspeicao com o sen proce-
dimento tllegal e precipittdo na audiencia adiada.
Dando cometo
,u a este maie cedo, do qae de coa-
t?__!T5i- #"?.,?'?,rts d0 n,orce8 d lum.8 eootendo que a distancia, a que moro.
Nada dLqhflUeJ-T" I d"U '"" ao -w comp.racimento. decre^
armar nrg.,re Jdupl' lol',1,(lat me 1UI1 1 "- P"a de priso por auppoato quebra-
Sdto'a? ??. _,M 1 ?Ut : P2Te' a-de,"JWmo chegnei pela, dez hora, sala daa audien-
e rl. rnlS rP"qaidade' mode,ta P0,1Ci.;.U c0<* meu .drogado. Anda assim e apezar
a_k_K Lfi*"- d* m6" 8re,or; ? ';.o ">o me- advogado demonstrido a
n. r.\* fnhecidpi por eites seoborea.tque illogalidade do procedimeoto e a n.nhuma appli-
m nh. ,.m MS- rapou.o tranquillo cacao, que especie podiam ter, aa disposigoe.
nreso mereddnfenCU Tl mttl' de" '**" qnebramento da fl.nQa por falta' de
A__ ?d I_.k iaparedmento s tendel do jury, que nao s
dafur. L7o P hi' 1"?.n,Plr"a 41- -**-_ sem hora marcada tovia insisti
S* ';orern,?1 deentio, aabem lodoa 00 o mesmo juiz em miohe prieo ; e apezar de
Bonito que os .legtimos candid.tos dos partidos a.har-me preaente deixou de roceder in"rro
conservador e liberal eram oa illustros o dlstinc-
toa Srs. Dre. Mello Reg o Godoy, aendo este
digno senhor, ao qual nao tenho a honra de cq-
ahecar pessoalmeats, o geneloo representante
do partido popular daqaella localldade a quem
o Sr. Dr. Vilella tomou atalm o lagar; e que,
nao obstante o apoio ou bioeplaclto dogoverno,
aenio t:a a violoocia, S. Exc. nao se assentarla
boje am urna das casis do parlamento I
Quaoto aua conducta oeste aagutto recinto;
reconheco-me incompetente para aquilata-la;
maa estimara antes que o mea antagonita fl-
zesse appello, nao aoa asus inclytoi collagaa da
actualidade, qaaodo S.- Exc. se moitra
(eu o acho antes epiceno) mas slm
Ugos ooipanheiroa da
palavras eu me louvaria
Paraphraseando
Assistindo nos a parada do da 2 do correte,
por occasiao da posse de S. Exc. o Sr. presidente
de provincii, presenciamos o seguinle ficto, que
nos poz estupefacto. Ei-lo : /
Tendo o Sr. coronel Hygino Jos Coelbo, com-
mandaote da brigada, se dirigido pars o parque
de arlilbaria, por noter alguna erros oa demora
nos movimentos dos caohoes proveniente da pou-
ca ou nenhuma urlica des soldados, como sabe-
mos, pala falla que ba de soldados para os exer-
cicios, exasperou-se S. S. por til modo, que em-
pregou entre outras expressdes, com que censu-
rava aos officiaes, a de b.... sendo esta dirigida
ao Sr. 2* teoenta Carlos Esteves de Tristao Gui-
mares, que ontendeu, e muito bemnao a dever
repellir.
Tanto pode o respeito a dieciplioa nesta oficial;
quanto a falta de delicadeza devida aoa seus su-
bordinados ti'aquelle II
Louvamos tanto a prudencia com que se houve
nessa occaaio o Sr. lente Carlos Esteves.
evitando um conflicto prejudicial a diatiplina ;
quanto censurando a inconsiderado do Sr. coro-
nel Hygino, avltindo os seus officiaes a faca dot
soldados e do povo, quando oa deve respeitar
conforme a le.
Aconselhamos o Sr. lente Carlos Esteves, a
nao repraeentar contra aemelhante procedimento
de am seu coronel; por que podem-no sajeiter a
um conseibo de guerra, pira piovar que noltez-se
merecedor de tal injuria.
O publico preaenciou o compor.tamento de am-
bos, e o ha de fizar jaallca. O Sr. tenante Car-
los Esteves da Freitas Gaimares, nao ficou des-
fonceltaado, e o Sr. coronel Hygino JoiCoelho
acou.... aendocoohecido.
on, seohores redactores, seu constante leitor
* ?
Recife, 3 de outabro de 1862.
Pequen* replica do capite Aniorini
Bezerra ao Sr. Dr. Jcronvmo Vilella,
nao tanto em respo9ta este senhor,
como em
Satisfacao ao publico. ( )
__* \? Brme PrPO'l<> de oada mais dizer
ao br. Dr. Vilella, qaalquer que fosse a sua rei-
posu a mioha correspondencia para a ultima
Jtevtsta Mthtar ; maa bavendo S. Exc einda
procurado ferir-me, atacando minha moralidade,
-e forcoso dealrutr o sea gran le ca vallo de bata-
Iha.iato o meu auppoato deafalque para com
fazenda publica, bomba que me atirou no fioal
de sua looga catilinaris, esperando pOr-me assim
-ora de combate I
A' mesqakiba insinuaco, pois, que me faz,
oa que relumbra das palavras que terminara o
jcervodedialribeaqae me lancou, aaaacando-me
ildoes que nao me cabem, e atiraodo-me con-
vicios que mal Ihe assentam ; opponho. em al-
teo 5a o ao publico, cuja respeiUval opinio muito
acato, os documentos que abaiio figo ioaerir, e
dos quaes se evidencia qae, devendo ea entrar
para a th eso arara, por ajuste final do miahaa
comas, na qualidade do ox-director da colooia
de Pimantelras, com am saldo a-favor da fazenda.
juramento eu era credor desta em qoasi igual
quantia, que nio me havia sido Lavada em coott
no tempo competente, ou quo me tioha sido
losad* por falta de formalidades, naa queogo-
jeroo ltimamente reconheceuo meoldireito, or-
denando que as me Uzease o pagamento de sua
maior parle, que deva aaaim aer encontrada com
o aaldo a repor.
O IIuirado a ntegro Sr. inspector da theaou-
raria nao poda deixar de enviar minha conta
para ojafzo doa faltos, e este de proseguirnos
termos da l, rjois que be-t quaoto* sio
intoieraates oa severas ss dsposicoes qae regem
usVi' pre,land0 1 B abril, em mato
! _r_ Pr0edia',o. julfao expe-
-nnSuii da art. __.P'tle' <,"e P^' do
pector nio .cquieace- d'-SSlV^J"'.':
da que eaUv. prompto a (a,**-. to3aSoVpd.
niegralque au nao podia enl*e realisar.
Ss, porm, o meo detrator quiz alludir com a
putilcacao do tal documento i minha falta de
(*) A data dos documentos em segnida justi-
cs a demora da pubjusco.
aos seus an-
advaraidade, em cujas
a seu respeito.
as expresados do meu adver-
saria, eu drei. Qoilmeote : marchar com pru-
dencia e rtflexao descrer e aberrar dos meios
constiluciouiOaconslhar a moderacoo_acei-
tr o perdo adherir a liga ter'giveissr e
mostrar-se, como sempre, verstil: s mais
brilhante earreira poltica que ae posea iove-
jar !... ... Ao menos resta-me a satisfi;o de
ter levado S. Exc. a facer urna nova e definitiva
proflssao de f. Anda bem 1.......
Recife, 29 de setemDo de 1861.
Bratilio de Amorim Bezerra.
N. 1.
MINISTERIO DA AGRICXRA.
Dia Wdejulho.
Terceira directora.
Ao mesmo (M. da fazenda) para que ae pague
ao bacharel Brasilij de Amorim Bezerra a quan-
tia de 582J258 rs divida reconbecida por este
ministerio, e proveniente da graticacao te ICOS
1 que vanceu deade o 1.* de julho a 10
gatorio e maia formalidadea da lei, mandando
imtnediitsmeote faser-lhe cooduaao doa antos,
para coademnar-me como me condemnou logo
de pois.
Felizmente, porm, o meritissimo tribunal da
relacao, a quem fot preaente em reeurao de ha-
beas-corpus eise noro fado comprobatorio da
suspeicao, relaxou a prisaoquetioirregalarmeo
te soffrt durante duas seminas.
Tudo isso, entretanto, se compreheode ; tedo
sso poie ter por explicacao o desejo de viogaoc.1
cusa da autoridade qae se exerce, i custa desse
Jeposto sagrado, que o poder publico confio,
neutro Mas o que cuitt a crer, o que iocompativel com
quem pretenda os foros da honestidade, alo os
molos que ora sao amprega.oa pra evitai-ae
n urna questo de lamma moralidade e de grande
melindre para o juiz a llberdade na decisao o a
verdade da opinio publice, caje expresso pro-
voque), e1 para a qual faco o meu appello alncero
e de perfeita cooQanca.
De feito eu nao podia prever que naste terreno
mello dioso collocada a questo de suipeigao. ae
procurasse anda aia-la e mesmo estorvar os
juizes de preferirem sua decisao, como agora ae
est fazeodo, e o publico vai ver.
Realmente, apezar de exigir o regulsmento ci-
tado toda a presteza na dacisio dos artigos de
suspeicao, todava s com o Um maoifeato de
praiicaram-se todas easaa arbitrariedades ji de-
""S* _i*_ ,omen,e W eonvocado o jury para o
o da 29 do correte sitembro, um mez e quinze
dias.depoia de offerecida a suspeicao, e durante
oa quaes foi apezar de tudo e com atropello de
todas as formulas profer la ama aentenca da con-
demnacao pelo juiz dado de suipeito I
Aioda mais : tado foi feito em myslerioso ae-
de dezembro_de j. S? &*?* + \ Kli'S?d1 so^Sa.e^olTm t^KSC
coma oo lugar mais approprlsdo para a funda-
cao de ama colonia agrcola aob a direcc&o de
irados trapplatas.
(Sjpplemeato do Jornal do Commercio do Rio,
de 7 de agosto de 1862.)
N 2.
Certifico, em virtud do deipacho retro, que
dos documentos archivados nesta reparlicao, per-
ntes s cantas das despezas faltas palo sup-
ou so m. nos annexar-ss sos autos a lista dos
jaizes sorteadoal
Uliimaminte no dia 24 do correte mez de se-
tembro fui intimado para o comparecimento
sessao de 29, na qual coolinaaram os escan-
dilos.
Na propria sala da sessSo emisiarios jogavam
a arma da caballa em favor do auipeitado; fo-
ram-me at moairadia
aos ju
dlodo-lhos os votos
Pilcante. bacha7el Bra.llig de"Amorim Bezerra ram'me "'! nJoal' P<" Ig^s amigos cartas
Itf"m pr0TlD.cia co"l qi" oo ajuste daa men-'flai ,
ejgbadtacoDt.. no orclei. de 1860 61. dedu- ^Tn"^.* ?
mesma colonia, ao eicnvo Franciseo adiada a
em nome do juiz. ao qual
quera eu detr,cralitar I Ri
gento da
Eduardo Benjamn, rehtivo so referido exerci-
co ; caja importancia nao cooata dos asseotos
do supplicspte ler elle recebldo at o prsenle.
i. para constar, eu Ignasio Francisco Uirtins,
segundo escriptursrio, passei a prsenle,
Contadoria da thesoararia de fazenda do Pir
nambuco. 3 de outubro de 1862
Emilio Xavier Sobreira de Mello
N. 3.
d ir.belbos. foi sindi
sessao para o dia 6 de eutubro, exac-
tamente o dia mercado antecedentemente pare
a correicao no termo da Eeceda, onde dtvem
adiarse presentes o promotor publico, fiscal e
membro daa sessea do jary, e daes teslemunbas
do suspetante, a aaber. o eacrivo do jury na-
quelle termo da Estada e o juiz de paz do pri-
_____-1.?62-0 C0Dtsdor. i Viro dtTido'do __o Tugar I
Daste moda se revela um plano iniquo, e qae
Em emprmenlo do"de"spacho retro, certifico I SU^*_SLt2__ ___!_ "r"!he T,,*'
aer o tracho do offlcio n fa,a' c..ni. I_?_.* co-bimcio Infernal coatra dtreltos
. a que se refere o supli-
cante, do tbeor seguate :
... Devendo ea entrar para os cofres da the-
souram com a quaniia de 866*536 rs, visto se
ler recouhecido o engao que bouvera na res-
pectiva secQSo da cootsdorls, de 500* contra
m,By h^aoto eu despendido effed'ivamente a
de 692J183, como provo pelos documentos com
que ostroe aquella minha petiso ; estou prom-
dlo a recolhtr, a que realmente exiite em meu
P7i-,perleoceD,e aiea publici, isto a
74J33J rs ; qaanto so mais qae despend, ee-
nao com legalidade impugnada pro formula
pela contadoria,
nao se me pode, com jual poderia com ingente sacrificio realisar sua en-
trada em ultimo reeurao, quando o governo as-
sim o entenda, por nao julgar procedentes mi-
nbia allegSoea.... Recite, 28 de abril de 1862
ts par constar, eu Carlos Joo de Souza Cor-
rea offlcial da aecretaria da tbeaoararta de f-
zenaa de Peroambaco, pssiei a presente em 2 de
outnbro de 1862,
AiMgD ~ Sa"l-d0 <>e offlcial maior, Ua
noel Jos Pinto.
importantes ; urna cbicane indigna de juizes.
Pactos dests ordem nao precisam de commen-
terios: basta exp-los, e o commeotario que cada
11 m flzer o melhor reconhecimento do meo
bom direito.
Digoem-se, Srs. redactores, dar publicidade
eetae linhas. e com isto muito obsequiaro ao
bou constante leitor
Joo Leandro de Barroi.
Eicada 1 de outubro de 1862.
Srs. redodorei.Cooheceodo o Dr. Jos Ta-
aorneaos com moralidade, que | varea de Cunha e Mello, nao podemoa deixar na
qualidade de seu arribo, de dizer ilguma co'usa
em aeu favor, visto como injusto, e ciprixoia
mente accuaido por alguna aeua desalmados, e
gratuitas iaimigos.
Exercendo o Dr. Jos Taveres o lugir ds juiz
municipal do termo de Campia-grande pro-
vincia de Parablba, leve de conceder urna ordem
de habeas-eorpus acert Individuo, por enten-
der que sofiria urna prtao llegar. Foi esse acto
que deu lugar aoa intmigos do Dr. Tavares, ac-
cusa-lo pelos jornaea o'aquella provlnda. En-
tretanto devemoe dizer, que apezar de ae ter o
Dr. Tavares, defendilo ventajosamente pelo pe-
ridico Despertador, dea iojuataa e mieeraveie
accusico*sdos aeua ioimigos. nao recusa aceitar
a diacusio aobre a comeseao da habeaa corpua,
como de qaalquer acto seu, cmo magistrado.
Exprimiodo nos por aemelhante modo 'nao te-
sen conceituado Diario para expor ao publico' mos Por &a> lioogr 0 nosso amigo, maa dizer
urna causa celebre, em qae ae me tem envolvido ? Tar"de. quando tem elle aabido exereer o seu
lugar com digoidade, merecendo ao mesmo lem-
po de todoa oa amigoa d'aqaella provincia, pelo
desempenbo de seus deveres, e das importan-
tea diligencias que tem effectuado, cooseguiodo
a priso do mullos criminosos, ser pelos meamos
elogisdos, como hei de mostrer.
Sao proieguiremos, esperando que os ini-
iorrespondencias
A justica na cidade da Victoria.
Sri. redacloret.Recorro hoje aa columnas de
ha
quaa dous annos na comarca de Santo Antao.
Ella cauaa qae antea a cauaa de todos, do
qae urna causa mioha, acha-se em termos de
ser apreciada pelo jury da Victoria.
E porqae agora maamo quando chegada a
occasiao de proferir aeu voto a opinio publica
da comarca, o tribunal morslisador e credor do 1
espirito publico, meamo aasim sao postos em jo-' ml6 do honrado juiz municipal d Campina-
go todoa oa maioa, anda oamenoe decentea para ['ode, ou recoohecam a iojuitica dea ateusa-
eviiar-se urna decisao, da qual receiam os meuai506" a-oe ,ne i"*"*, oo o aceaatm em forma
ioimigos ; ea dira melhor, oa inimigoa de toda por 1ue dezejemoa discutir a vida inteira do nos-
acomarca, e o que ainia mala grave, oajaisea ,0.aBi-0, e mostraremos e inteireze, rectldao
de ceja jusIiqi declimi pente os meas conci- e J-all5a '<>m que tanto se tem deetioguido n
didoa, qu ae acham convocados em jury ex-
traordinario ; nao poaae deixar de vir a im pren-
sa cubrir esses ioimigos com a indignecao do
publico sensato pela apreciado doa fados,
fiesuml-los-hel quaoto me for possivel.
_ Tendo eu Incorrido eomo im pector de quartel-
rao da villa da Escada no odio do Dr. jaiz de di-
reito da comarca por motivo, que oeqnella villa
multo conheddo ; maa que todava julgo dever
anda agora caler por envolver elle o nome de
am pobre pal de familia, ae nio o de urna mu-
laer queeoube alterar neste por aquella a pureza
de te bello titulo, sou desde hs doas annos vic-
tima de odio garado pela coacuepteeoda, que co-
mo empregedo da polica Mve occaaio de con-
trariar um meu perseguidor, posto que de certo
modo inscientemente.
Com eTeito desde aoto so me inatenraram
proceaaoa do ueponsabilidada at hoje em nu-
mero de trea. Neaaea procesaos teem sido pre-
teridas as rormulas garaniidoras de mioha lber*
dada e de meas outtos direitos do acensado, co-
mo consta al de accordio do meretiaamo tribu-
nal da relacao, nica tente para onde tenho es
ciado a sie de justija, com quo tenho sido alor-
meotado.
Sempre condemnado pelo jaiz, quo para coas-
Uluir-se em nica ioitincia ma tem faixado to-
' vlaa aaluuraa de reeurao, nao duvidando
avtooA ministerio do imperio de 11 de eetubio
exerdeio de aeu lugar.
Com a poblicacao, Srs. redactoros. da presen-
te, Ibeaficar obligado o seu constante leitor
Pablica;oes pedido
Tendo a abaixo assignada no dia 9 de agosto
deste anno com prado a Btolo de Freitas Guima-
raes, vendalho, morador oa rea de Apollo, por
intermedio do corrector Justino Martina de Al-
me Ida o eacravo Nicacio, que Ihe havia entregue
para eate fim o corrector Olivere, morador na
?*.*1*8 V!och.e.,ra8' C" cravo represente a
idade de 40 a 50 annoa pela quantia de 475|000
rs., e lando o dito corrector sffianfado que o
meamo escravo ora vendido para pagar ama le-
tra, o qae tambem sOUngava que o meamo es-
cravo nao era bebado, aem fujio, acontece qae
no segando dis depois da compra (alta ugio a
dito escravo, e eomo ssteja a abaiiu assignada
prampta a provar que o dito eacravo nao s
bebado como fujao de profiosio, por isso protes-
ta tambem basar o importe que pelo dito escra-
vo deu, para o que espera a abaixo assignada en-
contrar toda proteteto naa aatoridadea do seo
pais.
Recita, 27 de setembro do 1862.
11 a ari *> Caro Souxa Vianna.
Illm." e Exm. Sr.D. Maris do Cirmo de Soa-
U Vla_o_.-0 que tenho o responder a V. Exc.
reo fnrtt do consellio do ca-
pito Jacaranda.
Continuando reaponder aa accuaacoia que
pelo Dr. Joaquim Gomea de Souza lbe foram fei-
* na cmara doa deputadoe, nos numeros 539 e
145 do Jornal do Commercio da corte, oceu-
pou se o Sr. M.jor Soasa Agolar do farto do
cooselho do capillo Jacareada.
Eu s aguardava isto j-ara tratar deste negocio
com o desenvolvimento que elle merece : mas
confesso qae nao esperava, nem podia esperar
que o Sr. Souza Agular achaise conveniente por
em discusao o meu carcter, quando s se treta-
va de um fado, para o qaal cootessa-se Intima-
mente persuadido de que nao coneorrl.
Referindo-se a mim, diz o Sr. Souza Aguiar
no principio do sea artigo, que, possuido de sin-
cera dr, vai revelar fado* que Um de laucar
urna sombra detfavoravel sobre um carcter em
Que se une o talento com a bos ndole, mas cuja
raqueta e tal que fcilmente obedece a qualquer
m influencia que o bafege.
Se em seguida o Sr. Souza Aguiar nao decla-
rasae que est intimamente persuadido de que
nenhuma connivencia tive no desapparecimento
ao processo, todo o mundo pensarla qae caa re-
vetico teria por m provar o contrario daquillo
meamo de que eatf S. S. intimamente persua-
dido. '
Portento, o peoiamento do Sr. Souza Aguiar,
o seu nico fim Ungir aobre o meu carcter o
que chamaurna sombra deifavoravel e de-
monstrar qae elle de ama fraqueza tal que f-
cilmente obedece a qualquer me influencia que o
bafeje.
'Por maia deaagradavel qae aeja, nao ha reme-
dio aenao ecceitar a disceeao neste terreno, j
fl*J Sr. Souza Aguiar aprendeu de aaa ex-ver-
dadeiro secretario e amigo Jacirand a nao de-
fender-se sem acornar oa outros.
Quanto ao mea carador respooderei cabal-
mente aoa argumentos ad hominem com que o
atice, e mosirarei que o Sr. Souza Aguiar, que-
rendo pintar o mea carcter, retrato o carcter
daquelle, que em urna alti'posigo leve a censa-
ravel fraqueza de aervlr de passivo instrumento
aos planos de um homem cheio de crimea, e que
0 arrattou a praticar oa malorea despropsitos.
Qaanto so negocio Jacaranda, firmado em do-
cumentos, exporei todas as circunstancias que
antecederam eanecederam ao farto do cooselho ;
e o publico apreciar at qae ponto a amizade e
protecsao dada pelo Sr. Souza Agolar ao capitao
Jacaranda Toi a cause desse lameotavel aconte-
cimeoto, e ae o capitao Jacaranda linha ou nao
razo para contar com seu apoto depois de pra-
ticado ease ficto.
Serei ento toreado a dizer ao Sr. Souza Aguiar
que se at certo ponto de sua admiotatrico pres-
tel-lne os impoi tantee ser vir 01 qae S. S. hoje re-
cord pera laucar aobre mim a tal sombra detfa-
voravel, porqae nesse tempo nao podia pre-
ver o aeu futuro procedimeoto para comigo, o
turto do processo, nem que, dado elle, e ao paaso
que eu tao nobre e lealmeoto-procedi para com o
Sr. Souza Aguiar, nao beailasae S. S. em aacri-
ncir-me para talvar ao aeu amigo.
Serei toreado a dizer-lha com documentos
aue, se deizei de frequentar a secretaria, foi :
1 porque nao podia dirigir ama repattico em
que o capitao Jacaranda ia da parte de S. S. le-
var lnatruccea verbaea e designar os emprega-
dos que quera que Uzease este oa aquello aervl-
50 ; 2 porqae S. S. linha este capitao cooao o
seu verdadeiro secretario, tanto qae por letra
delle eram dirigidos officios da presidencia, como
um que hei de estampar na imprenaa ; 3*. por-
que S. S., mandndome eitadar cerina materias
e dar sobre ellas pareceres eecriptos, os despre-
zava para, ouvlodo pessoas incompetentes, man-
dar sustar processos crimes pendentes e crear
foro civil em districtos de paz ; 4o, finalmente,
porque S. S., apezar de dizer que sempre me
tratou com franqueza a consideraco, tioha comi-
go a maior reaerva e fez o"que pode para des-
cooslderar-me.
Serei forgado a lembrar-lhe que, depois do
furto do processo, e quando eu aecuaava o capi-
tao Jacaranda de aer o aeu autor, S. S. passiva
muito tempo com elle no aeu gabinete portas
echadas.
Serei forejado a recordar aa terriveia e com-
^ettedoraa palavris pronunciabas pelo Sr.
Sjnza Aguiar dlante de mim e de outraa peasosr
pe occasiao da nomeaeso do segundo conaelho
*r*aa? ?,_e?.id : SE CApITAO JACARANDA
TfULV?*, CONSELBO .1NIMIG0, TER UM
AMIGO (INI)
O Sr. Souza Aguiar nao tem mala direito mi-
nba reserva.
Identificando-ae com o capitao Jacaranda e fe-
rlndo-me para defend-lo, elle d-ma o direito
de accuss-lo de ter pela fraqueza de seu carc-
ter, e cedendo influencia de aeu amigo, prepa-
rado a aituaco em que leve lagar o furlo, o ao-
bretudo de ter mesmo custa do sea eredito pro-
curado encobrir esae crlme revoltante e defender
o seu autor.
Nioguem pode dizer que ha abuso de confiante
em quanto tenho dito e hei de dizer sobre esse
facto.
Se a questo se dsse entre mim e um tercei-
ro, e ea viesse revelar fados passadoa enlre
mim e o Sr. Souza Aguiar, hsverla abuso de con
flanea ; se eu viesse revelar factos estrenhos
qnestao, haveria abuso deconfianQa ; felizmente,
porm, nada dalo se di e ea sigo qaenlo rev
lacio o exemplo do Sr. ex-presiden te.
O Sr. Souza Aguiar pretende reaponsabilisar-
me por urna ioformaco, redigida por mim,
verdade, mas, segundo ss suaa imtruccoes e an-
da mala por elle assignada, quer apresentar-me
ao publico como um empregado negligente no
cumprimento de seus deveres ; como um ho-
mem de mo carcter, e pars itto inventa factos
e oceulta a verdade oa a altara 11
Pola bem, na aerie de arligoa que com eita
abro, ver o publico quem fot que nao soube ou
nao cumprio o seu dever e qual o carcter fra-
eo que obedece a qualquer m influencia que o
bafeje.
Para provar o que pretendo, basta-me nica-
mente o (arto do cooselho do capitao Jacaranda.
Peco ao publico que 16a com alinelo o que
vou escrever e que me julgue e ao Sr. Souza
Aguiar.
S. Laiz, 24 de setembro de 1862.
Ovidio da Gama Lobo.
(Do Publicador Aforanhtnsi.)
J, caixa tecldo do algodo; a Lindan] Wild
L 'Yi0' *! uixu t,cld0 de 'odio ; a Bra-
ga s. hM6J"Ld05? "x" l"o de algodo, 2 ditas
.__a dit0' 3 dl" c'B,i" de -el* aeiae de
algodio, ; a ordem.
2 fardos fio; a Scott Wilson & C.
a c,,",1 Joi do algodo, 1 dita ditos de se-
da o latidos da lia e algodio; a Ferreira 4
Araujo.
h '".'o de lia o algodo, 1 dita tapetes
de veibutioa, 1 dita malea de algodo. lencoi de
cambraia e fumo pera chtpoa ; a J. Keller & C.
.i 5-2 t6c,do dt lia e Igodo, 1 dita dito de
i.f_ZM.____"_ l barrica ferragens; a
Iudoro Halllday ti c.
tazas para as-
Rostron Roo-
Pater
150
lllday & c.
caixas toslhasde algolo, 15
aecar; a Johmtoo & C.
1 fardo cobertores de la; a
kdr & C.
7 fardos tosido de linho; a Johnston
ff Xa
82 caixas e 33 fardos leddo de algodio,
nr,cV e"ea : Adamaon Howie & C
2 calas o 12 laxas de ferro ; a D. W. Bow-
man & C.
46 barricas a 30 caixas ferragens. 10 ditas ac,
Ir. Pr*,8* c,ixa" mittdezaa: a Prente
Vianna & C.
7 pecaa e 1 caixa macbioiamo : a A. Irmos.
12 bsrras de ferro, 2 barricaa o 3 caixas appa-
relhos ; para o gaz.
50 gigoa loury; a Southall Hellors & C.
f! most"da e conservas, 2 barris sal;
a Wild & Just.
3 iiaachi, 1 dita biacoutos; a Marques & C
30 barricaa cerveja, 25 birria barrilha causti-
ca 7 caixea phosphoros ; a fereira C.
I barrica agu de sods; a Phipps Brothers
c.
25 calzas qaeijoa; a F. G. da Olivsira;
1 caixa colherea de .forro, t dita obras de ca-
bello, fitas, sedea, etc.; a Heorique 4 Aze
9 barricas utensilios de botica : a Caora Bar-
bosa. '
100 barris manteiga ; a I. Pal C.
5 ditos dita ; a Amorim C. -
50 ditos dita ; s T. A. Fonsics.
3 cama vlnhoi a Rothe& Bldoulac.
2 saceos e 2 calxaa amoatras: a diversos.
Bngueportugaez S. Joo, viodo deCette, con-
signado, msniUstou o seguate:
200 pipas o 300 birris vinho, 130,000 kilo-
g'ammos de sal.
Vapor nacional Cruzeiro do Sul, viudo dos
portos do norte, manifestou o ssguinte:
... De Belem.
1 caixa com 144 latas de fumo pcido ; a Jos
Leopoldo Bourgad.
De Maranhio.
osacroa farinha de mtnatoca ; ao desembar-
g'n Dl F- B-Ithsr da Silveire.
298 saceos arroz ; a ordem.
Brigue iog!ez Jane, vindo de Terra-Nova, con-
sigmdo a Johnston Pater t C, menifeslou o
seguinle :
3.000 barricas bacalbo; aoa meemos.
Hiato nacional Santa Anna, vindo do Araca-
ly, consignado a Gurgel 4 Irmo, manilaatou o
seguate;
70 barricas e 235 saceos gomma, 62 ditoa ce-
ra de carnauba, 62 molbos palles de cabra, 552
meios de sola, e 8 calxaa velas e carnauba ; a
ordem.
Brigae iogtez Stella, vindo de Terra-Nova.
consignado a Siandera Brothers 4 C, manifea-
tou o seguate:
2,870 barricas bacalhfo ; aos mesmos.
Exportado
do dia 1 do outubro.
Patacho ingles Ifersey, para New York, eer-
regaram :
Wild & Jast, 1,160 saceos com 5.800 arrobaa
de aiiucar.
dem do dia 2.
Bngae portuguez Uargarida, pira Lisboa, cai-
regiram :
Amorim Irmos, 6 barris com 225 medidas de
me).
Beeebedorte de rendas Interna
_, S**a_ de Pernarobneo
Rendimentododia la 2 2358S980
dem de dia 3......; 1:8338175
Ea, Manoel de Cirralho Pasa de Aodrade,
eecrivio o anbscrevi.
Triitio de Alencar Araripe.
O Illm. Sr. inspector da theeouraria de
fazenda desta provincia, em cumprimento da
circular do theaouro datada de 28 de julho ulti-
mo, sob d. 49, manda fezer publico que tica iber-
io p ra o da 6 de outubro viodouro novo Con-
curso para preenchimento dos lugares de prali-
caoteo da alfandega deata meama provincia, co-
mecmdo oa examea a 10 horas da maoha ao-
bre aa aeguinles materias : 1.a grammitlca da
lingua verncula, leitura e eecripta correcta e
crrante ; _. theeria da eacrlpturaco mercm-
lil por pirtidaa simples e dobradas e auas ap-
plicigea ao commercio o a admiotatrigo da
fazenda ; 8.a arllbmettca e auss applicsces ao
commercio com eepedalidade i reduegao doe
pesos e medidas naciomes e estraogeiroa, calcu-
lo de descomo e juros almplea compoetos,
theorias deesmbios e suss applicicea ; 4.a no-
?6es de algebra; 5.a tradueco correcta das lin-
gaaa iogleza e frsnceze, ou palo meos da ulti-
ma ; 6.a principios geraes de geograhia, de his-
toria do Brasil, deesiitulio commercitl. Aquel-
lea que prelenderem ser admittidos ao concur-
so, devero previameote provir qae tem 18 sa-
nos completos de idade, que esto livres de cul-
pe epena, e que tem bom comportamento.
Secretarla da theaouraria de fazeode de Per-
oarnbueo, 28 de agosto de 1862. Serv ido de
offlcial-maior, Manoel Joe Pinto.
Faculdade de direito
De ordem do Exm. Sr. director interino se faz
publico que no da 4 do vindouro, ia 10 horas da
maoha, ter lugar o coniurao da caoeira de in-
glezdocureo preparatorio deeU Faculdaae.
Stcretaria da F. cuidado d Direito 30 de sa-
tembro de 1862.O secretario,
Jos Honorio Bezerra de Meueies.
Dedirteft
4:1925155
fioaunlado provincial.
Rendimento do dia 1 a 2
dem de 41a 2
1.-55U910
492J416
2:044326
lo
r.:r*e
M "0 da 3-
New49 .j, ejtw erema Tempesl, de 300
n0;_laK"_CapUao K18 e -,4>u Darrtcas com farinha ae trigo e mala g-
neros ; a Henry Foiter 4 C.
Navios sahidos no mesmo dia.
Asiucinhonefra nacional yptranoo, comman-
dante 1 lente Alvin.
Asivapor brasilero Pertinunga, commandan-
te Francisco Jos da Silva Ruis.
Porlos do sulvapor brasileiro Cruzeiro do Sul,
commandante o capitao de mar o guerra G.
Mincebo.
Consulado de
Franca.
O capitao Dizac do navio fiaocez Darlignec,
em reparaco neste porto, precisa loasar a risco
cerca de quinze col tos de rete (15:0005) para pa-
8 differentea despezas qae fez ute porto.
O dito emprestlmo, o qual .era raembolaevel
em Bembiy, lagar do deatino do dito novio, serfc
garantido pelo mesmu navio, casco, apparelhoa,
mcame vlctaalhaa eaeu carregamento.
Aa peasoaa que prelenderem fizeraste adimta-
menio, sao convidadla a romparecerem svgunde-
fera 6 do crrante ao meio dia em ponto, c
chancellara do consulado da Franca, onde ter
lugar a oita adjudicado, em preie-.ca do Sr.
cnsul de Franca, a quem por menoa flzer.
Pernambuco 1.a de outub'o de 1862.
V. de Lmont.
Cooselho administrativo.
O conseibo administrativo, para foroetimeoto
do arsenal de guerra, tem de comprar os objec-
tos seguinles:
P* os armazens do arsenal de guerra.
500 caados da azete do carrapato.
Quem quizer vender taea objeitoe aprsente aa
auaa propostas em carta fechada na aecrttiria do
cooselho, s 10 horas da msnha do da 6 de
outubro prozimo vindouro.
Sala daa sessdes do conselho administrativo
para fornecimento do arsenal de guerra. 29 do
setembro de 1862.
Antonio Pedro de S Brrelo,
Coronel presidente,
Francisco Joaquim Pereira Lobo,
Corooel vogal secretirio interino.
O araenal de guerra contrata, em vista da
autorlsaco do Exm. Sr. presidente desta pro-
vincia, o transporte dos aitigos abaixo declarados
para as provincias ah designadas :
Para o Maranho.
; 16 caixoea com armamento.
Para o Piauhy.
10 barris com 2 arrobas de plvora cada um.
Para oCeari.
25 ditos com dita, 20 cunhetes com cartnxame
para aalrs, conten lo mil cartazos cada am o
quatro mil pederneiraa.
Para a Parahiba.
12 raparos Onofre pera o forte do Cabedello.
Convida pois aoa meatres, ou donoa das en -
bsreaedes que se quizerem prestar ao aervico
indicado, a compare erem na secretaria deeti ar-
senal no dia 3 de outubro prximo vindouro
pelaa 10 horas da manhaa.
i. *___&,oria do araenal de guerra, 30 de outubro
i aa 1862. O escriturario, Francistp Serfico
d Assls Carvalbo.
n T\r T,i.r, ( .1 "_""I-------------- |-.... v.= uianuua its ueierauro prximo
de Alencar Araripe offlcial da im- fl.mulaa de nevio, 20 flamalae de eacaler
COIUUkikCIO.
Pra^a do Recite 3 de outubro de
186*.
Ai quatro horas da tarde.
C0TAC.0B8 OFVICUES.
Nao houveram eolaedes.
Cruz Macadopresldentei
John Gatissecretario.
Allandega.
Uudlmentedodlal a 2 .
Ideas do dia 8 .
27:3415977
29.258tf060
56:600|O37
a-o-lme-to da allaa_e_ra.
relames entrados eomlaxendas..
aoa gneros..
Volamos sahidoa oa fasondaa..
< com gneros..
171
465
Descarregam ne dia 4 de outubro.
Eacuna ioglezaGeorgianamercadorias.
Berea americanaImperadorfarinha.
Barca ioglezaStella bacalhio.
Brigue hambarguez-Mathildo-mercadoriai.
Importarlo.
Patacho inglez Georgiana, vindo de Liverpool,
consignado a Mills Lathem 4C, manifestou o
ssguinte:
101 caixas e 29 fardos teddo de algodo, 6 di-
toa dito de la, 4 ditos cobertores de algodo, 2
caixas brim do linho o algodo, 80 toneladaa fer-
ro bruto, 30 ditas carvlo de podra: aos consig-
natarios.
27 fardos tatido de algodio, 6 barricas vidrot;
a J. Crsbtree & C.
4 fardoa teddo de la ; a Pattn Nash 4 C.
10 ditoa dito de la o algodo; a Lfgtbovro
4 C.
2 fardos panno de algodo; a E. A, Bur-
loAC
c
J
MI I
II
Ann

perlal ordem da Rosa e juiz de direito especial
do commercio dista cidsde do Recite e seu ter-
mo capital da provincia da Peroambaco por
S. M.I. e C. o Sr. Dom Pedro II, que Deoa
guarde etc. *
Fac.0 saber pelo presente que por este juizo e
cartono do escrivo que este subscreveu corre
urna execuco de aentenca enlre partea a aaber
exequentea Fraga & Cabral e executadoa Joo
DuerteMigmarioi C., que teodo-ae feito pe-
nhora em dinheiro ne quantia de 514*840 rs.,
que sa echa recolhldo no dapoalto geral perlen-
centea aos executadoa em audiencia do dia 29 do
mez prximo passado por parte do solicitador
Joaquim Mariobo Cavalcantl de Albuquarque
procurador doa exequentea me fdra fello o re-
quarimeoto seguate :
Aos 29 de salea, bro de 1862 nesta cidada do
Itecife de Pernambuco em publica audiencia que
aoa fetoe e partea fazia o Dr. juiz de direito ea
pedal do commercio Trieto de Aleocar ArarUe
nella pelo lolicitidor Joaquim Marinho Caval-
! cao de Albuquerque procurador doa azoquemos
lora aecusada a peobora que ae aegue faita am
dinheiro pertencante aoa. executidoa reqaerendo
que a estas ficasiem assignados os diaa da lei
paaaando-ao oa editaea da eatylo para a citaca
doa credores incertos. O que oavido pelo jaiz
houve tal requertmento por deferido. Extrahi o
preiente do protocolo das sudisncies e junto o
mamado de penhora.Ea Joo Vicente de Tor-
rea Bandeira eacravente iaramantado o escrevi.
Eu Manoel de Carvalhe Pees de Andrade escri-
vo o aubacrevi.
Por forca do deferlmento dado a ecte requert-
mento o eacrivo reapectivo fes passaro prssin-
oeditel com o prazo da 10 das, pelo qual ae-
- ciladoa oacredorea loceras afim de que den-
lo mesmo prazo comparec,am neate juizo cl-
. ido o que ihea for a bem de aeu direito e
juatica sob pena de revelia.
E para que chegue a noticia a quem ioteresssr
possiimandel passar editaos que sero affixados
e publicados.
. Dsdo e pistado oeita cidade do Recife aoa l
de outubro de I861.-Eu Manoel de Carvalbo
Paos de Andrade, eacrivo o aubacrevi.
n. r .s _'ta?. A,en' Araripe.
O Dr. Triatao de Alencar Araripe, offlcial da Im-
perial ordem da Rosa e juiz especial do com-
mercio deata cidade do Recife de Pernambuco
gua'r" etcT POt S* In,peral I"6 O*0
Paco sabor pelo preeenieque no dia 13 de ou-
tubro do correte anno, so ha de arrematar por
venda a quem maia der, em prtca publioa deate
juizo, depoia da audiencia reepectiva ama ca-
noa de 60 palmoa de comprido e 7 de bocea, pro-
dundo da coocertos o calafeto, avaliada em
JOOyOOO, a qual partencente a Manoel do Am-
paro Csj, e vai a preca por execuco que con-
tra o meamo oneaminha Thomax Teizelra Beatos;
o na falta de licitantes, aera arrematada pele
prego da adjudicado com o abatlmaoto respec-
tiva da lei.
E para que chegue a noticia a quem eonvier,
mande! paasar edltees, que sero affixados 00a
lagares do costme e publicados pela lmpreoss.
Dado e pesiado nests cidade do Recife de Per-
imouco, aoa2 diaa do mes de outnbro de 1862
ib eun
B
Conselho de compras navaes.
Tendo-sede promover a compra aob a maneira
e condices do eslylo, dos objedos abaixo decla-
rados, perienceatee ao material da armada, con-
vida o conselho sos prelendentes a apresentarem
saas propostas em cartas fe outubro prximo at aa 11 horaa da manhaa em
que isso dever ter lugar.
Para provimento do almoxarifado de
marioha.
4 arrobas de agua-raz, 600 covidoa da baetl-
Iba para cartuchos, 20 arrobas de er, 6 rolos da
I chumbo em leocol, carvo de pedra na quantida-
de que for precisa para oa navioa da armada e
marioha at dezembro prximo, 50
robaa de merlim linha~deYarca~, 99 arrobas de
oleo de liohaca, 800 libraa de tinta piet, 800 li-
bras de tinta brsncs de lineo, 200 libras de lints
verde, 2 pecas de tapete, 70 loros de angico de 1
a 1 iit palmo de dimetro, 10 duzias de taboss
de amarello para assoalho, 10 duziaa de laboaa 1 o
cao-carga para assoalho, 4 duziaa de louro para
forro, 6 barris de breu, 100 cobertores de lia
20 compacoe, 5 pegaa da cabo de linho de 2 pol-
legadaa. 5 pecaa de cebo de linho de 20 1{2 pole-
gadas, 5 pecaa de cabo de linho de 3 poliegadas
5 paras de cabo de linho de 30 1)2 poliegadas, 20
colchos de linho cheios de la, l esc.ler de 6
remos, 1 escaler da 4 remos, e 10 arrobaa de es-
topa da algodo.
Sala do conselho de compraa oivses. 30 de
setembro de 1862. '
O secretario,
Alexandro Rodriguea doa Aojos.
Arsenal de guerra.
Por ordem do Illm. Sr. major director interino
do araenal de gaerra ae faz publico, que nos ter-
mos do aviso do ministerio da guerra de 17 de
marco de 1860, ae tem de mandar manufacturar
o aeguinte :
365 sobrecasacas de panno verde.
365 calesa de panno verde.
949 cilcas de brim braneo.
57 dlvisss diversss.
Quem quizer arrematar o fabrico de ditoa arli-
goa, 00 prazo de 25 das, compareca na aala da
directora do meamo araenal, pelaa 10 horaa da
maoha do dia 7 do correte mes com aua pro-
posta, em que declare o menor preco, e qual seu
fiador.
Arsenal de guerra de Pernambuco 3 de outu-
bro de 1862.
O escriptursrio,
l-raneiico Serfico de Assls Carvalho.
"_2 ^m' Sr. contador, aorviodo de inspector
da theaouraria provincial manda fazer publico,
que do dia 4 do correte por diante pegam-ae os
ordenados dos empregados provinciaes, vencidos
no mez de setembro prozimo Ando.
Secretario da theaouraria provincial do Per-
oambaco, 3 de oatabro de 1862.
No impedimento do societario,
O official-maior,
Misad ijfonio Ferreira.
Tribunal do commercio.
Pela aecretaria do tribunal do commercio do
Pernambuco ao fas publico que na dala iofra foi
admettido matricula o Sr. Joaqaim Francisco
do Espirito Santo, ctdanao brasileiro, de 40 annos
de Hado, residente nests cid.de do Rede, ende
cata beleeido com ccaa de commercio de eom-
misioes.
Secretsris do tribunal do commercio de
nambuco 3 do oatabro de 1862.
Rogo RiDgel,
No impedimento do official-maior.
Per-
Correio.
PoU adminlatricao do correio so fas publico
i=_a_;-5Kr_yaM^^^_^^sr^-
porto do rasllV dependencia do a_- ffirq^ "^>o_i..deat_o 4 Pro.iada do
\
><
'




r
Di"AftIO D* ntlUMIOCft. Si BA DO 4 Di O1UBR0 E i
sor.
THEATRO DE SANTA ISABEL.
s
s
~
C9
m
i 3 3
^1 3 tt
a O
-J i
i a ce
OQ
LICOES PRATICAS
DB
IPilf WM MWMM
I DI
#4
O
00
"O
-o
3
o
o
-o
O
t
O
-
i
I-
Primeira parte.
1." Symphonia pala orehestra.
*. A barr mgica pelo Sr. Estevio
Bu isla y.
V A eseaJa perigosa, pelos Srs. Julio e
1 A PERCHA BOLA
pelos irraaos Buislay.
i Segunda parte. .
5. Pirmides 4 tros pessoas pelos Clowns;
Tereeira parte*
6* SALTO DO NIAGaRA
pela segunda vez, pelos Srs. Greuet e Amede.
7. OS INDIOS SELVAGENS
baila e sorprendente pantomima, na qual apparecem indios bravos, serpenies do deserto, pyramids, sillos enormes e sorprendentes voltas, concluindo
pelos tiros de punhaes sobre o artista que se acha preso preso prancha, por todos os artistas da eompanhii.
Presos do costume. Comejar s 8 horas.
FUNDIQAO
Netta graadae bsm roouRda fabriee d
CASSINO POPULAR
Bail e concert
NO
MAGESTOSO SALAO
DO
PALACETE DA RITA DA PRAIA.
Sabbado, 4 do corrate.
O beneficio annuociado para o di 27 foi trana-
ferido para o da 4 do corrate por motivos im-
previstos, que s depois das 4 horas da Urde o-
ram condecidos.
O beoeflclado peda ao raspeitarel publico e
aos aeai amigos e affeicoidos deatnlpa daata
trntfreucia involuntaria,e espera toda a sua pro-
tecco, nao obstante a desapiadada guerra que
todos os que procuram um recurso hones-
to oas almas geoerosas costumam soffrer de al-
guem.qse s se alimenta em fazer mal.
O resto doa cartdea a cha m se em poder do be-
neficiado no botel Trovador do dia do civerli-
mento no mencionado palacete. Para damas gra-
>. civilheiros 28.
auso.* suma
Para Lisboa.
Sihir com.-toda a brevidade o multo veleiro e
bem conhecido brigae portaguez Comante co-
pit j Augusto Culos dos Rea, por tar j a bor-
do grande parte do aea carregameoto: para o
reatante da carga e passageiroa, paraosquaes
lera excellentes cummodos: trata-as no escrip-
torio de Manoel Igoacio de Oliveira & Filho lar-
go do Corpo Santo n. 19 on com o capillo na
praca.

lio de Janeiro,
pretenda aagair om malta brevidade o veleiro a
tem cooheeido patacho nacional cCapaan, ta-
ptfao Theotonio Jos da Silva Ros, tam parta
da arrogament prompto : para o reato qaa
Iha (alta, trata se comoa sss consignatarioa An-
o ato Lula do Olivaira Axavado & C. no sea es-
r i -.lorio, raa da Crui n. 1.
Maranho e Para
Segaa com brevidade o veleiro brigua escana
Graciosas, capito Antonio Mara da Costa e
Iva, por tor alguma carga para amboa oa por-
ioa : para o reato trata-aa com o consignatario
Antonio do Almeida Gomes, ra da Cruz o. 27
Lio de Janeiro
Pretenda aagair com maita brovidada para o
Rio de Janeiro o veleiro e bem cooheeido brigae
nacional Almirante, tem psrte do seu carre-
gameoto prompto, para o resto qaa Ibe (alta trs-
la-se com oa aeus consignatarioa Antonio Laiade
Oliveira Azevedo &C, no sea escriptorio, ruada
Croa d. 1.
Precisa-ae frotar um navio de 1." claaae
para Itrar a carga do brigua aaeco Sidon, con-
demuado no Ceari, conaistindo de ponco mala oa
menos 1,300 barricaa da aaaacar e 60 pipaa da
aguardante, daqaelle porto para Buenos Arres.
Offertis em caita fachada, recebe-so at sigun-
da-feira ao maio dia, &o consalsdo da Suacia o
Noraeg, raa da Craz n. 4.
ria da raa Imperial n. 187 e pertencente ao mes-
mo fallido, ssaim como de
Um escravo
por noaesj Francisco, da 82 annos da idade, par-
iente a mesn-.s maaa* (o qual acha-ae fgido).
O leilao aera eflactuado a 11 horaado dia ci-
ma maoeionado em o escriptorio do referido
agente, ra da CedMa n. 9, onde aa encontrar
desda ja oa livros, quaderooa, lettras o mais do-
comentos qne prov*m as refiridaa dvilss.
DE
io deJaneiro.
Bretead"oa;ir com 'iuit brevidade '
a bem conheeldo brigae nacional aDama
tao Joa Maneel Vleira; o qual tem parte u .oa
carregameoto prompto: para o reato qae lhe fal-
ta, trata-sa comosaeaa consigoatarioa Antonio
Luiz do Oliveira Azevedo dt C, no sea escriptorio
roa da Cruz n. 1.
100 saceos com
arroz da India.
Terca-feira 7 do corrate.
O agente Peatana vender por conta de qaam
perteocer 100 asccos eom arroz da India, de-
sembarcado ltimamente em um oa mais lotea
a vonlide ; terca-feira 7 do correte pelaa 10
horas da manha no armazem do Annea defron-
te da alfandega.
DE
a Babia
oii multa brevidade pretenda aegair o beta o-
ahacdo a veleiro brigae eacana Joven Arthar
apite Joaquim Antonio Goocalves doa Santos)
taro parta da aaa carregsmonto prompto ; para o
:-sto qae lhe falta, trata-ae com oa saua conaig-
natarioa Antonio Laiz da Oliveira Azevedo 4 C.
ao sea esc-jp taris raa da Craz n. 1.
Le

O brigae por tuga iz Lata //, capito Antonio
Prsucieco Viaira, a aahir com brevidade por ter
parte do aea carregameoto prompto, para rea
e passageiros trata-aa com oa consignamos F
S. Rabello k Filho, raa da Csdelsn. 55.
J
COIralO NGilU
ai
Mavegaco costeira a vapor.
- Parahiba, Rio Grande do Norte, M-
cau, Aracaty, Ceara' e Acaracu'.
O vapor fJagaariboa, commandanta Lobato,
aabir para os portos do norte at o da Granja
no dia 7 de outubro aa 5 hora* da tarda.
Recebe carga at o dia 6. Encommendaa, pas-
sageiroa a dinheiro a froto ate aa 2 horaa do dia
da aahida. Escriptorio no Fort* do Mallos nu-
inero 1.
COlPAlUm PERIUiBCAilA
DB,
Jlavega$o costeira a vapor
Macei lelas escalas.
O vapor Mamaogaapa, commandanta Moura,
aahir para os portos do sal de aaa escala no dia
4 de oatabro s 8 horaa da tarda.
Receba carga ate o dta 3 ao meio dia. En-
camm.ndaa. paa.agairoa o dinheiro a frete at
o dia da aahida s 8 noria; escriptorio no Fo'- ,
do Mallos n. 1. _____ ..!
Urna toja de funileiro
A' ra da Praia n. 25.
Pelo agenta Eazabio aefar leilao do ama loja
contando diveraaa obraa feitta de folha de Flan -
drea, queaero veodidaa em am lote sem limite
e pelomsior prego ou am peqaanoa Iotas, tndo
a vontade doa compradorea qae devero apro-
veitsr a occaaio conveoteote : cojo leilao ser
affeetuado am presenes do reapectivo proprieta-
rio do eatabelecimento, no dia ssbbstoslO ho-
raa do dia 4 do corrente na loja raa da Praia
n. 25._____________
DE
lint sobrado
Terca (eir 1 de outubro.
O agento Pinto far leilao s 11 horas do dia
cima mencionado do sobrado de 2 andares so-
to n.38,aito em chaos proprioa na raa do Ran-
gel, o qual tem grande quintal o cacimba, em
aeu eacriplorio raa da Cadeia o. 9.
Duas casas terreas
Terca-feira 7 de outubro.
0 agente Pinto far leilao a 11 horaa do dia
cima mencionado, de duaa casaa terreas sitas
em chaos proprios, sendo ama na ra daa Man-
gueiras n. 7 o outra ns raa do Aljaba n. 2, am-
bas n. ciddo-^^llndi.^nraOcTpto-rio"ra5
a Uadela n. 9. ____________________
~Y08 i \ --RTMK- !
ARITHMETICA
___Trea vezea por semana
SEGUNDAS, OUARTAS, E SEXTAS,
Ra larga do Rosario n. 28, Io tndar.
PRE^O io$ooo poa MEZ
ATTENgAO!
A aula da eacrttiirecio mercantil dirigida por
M. Foaseca do Medeiros, principiar a funceionar
do l da oatubro vindouro om diante, recebando
discpulos psra serem lecionadoa trea vezas por
semana, das 7 horaa aa 9 da noite, nos diae se
gands, qua.ua, o sextas, pelo honorario SDensal
cima mencionado, aatiafaito adiaatfaao, como
preie em todas aa aulaa de ioatracco superior.
A longa pratica que tem o annuociante de ae-
npturar pelo metbodo do partidas dobradaa.
ff'1 deleeionar ha quaal cinco annos nesta
Cldade, com o melhor aproveitameoto daa di-
veraaa pessoas qoa ae achaco emprogadaa no
commercio, garaotam a qaem de aea preatimo se
qairer utillaar o desojado resaltado.
A eacritorijao dos livros commerciaea por
partidas dobraoaa. alm do eer o nico jateme
que pode e&tisfazer o dlsposto em nosso codiao
commercisl. urna aciDCia facUlima qaa pode
ter conhectda de qualqaer qae tanha vontade da)
prendo-la.
Cerrem-so os oavidos a vos do ogoismo da al-
gina guarda-livros qua pregam as grandet di/R-
euliadtt daa partidas dobradaa com o intento do
resumirn, o mais poaaivel o numero dos aaa
ppasaem esae grande thuouro.
Cpmo complemento do enslno de escriturasSo
addicionsr o annanciante aquella da radueco
do raoedas osirangairaa. calculo de juroa, a for-
ma da c-strMr ama conta corrente aimpleao com
jaroa ; Qoalmente tudo qnanto for til o necea-
sario saber aquellos que se deoicam ao com-
mercio.
As pessoas portento que desojaren, mtrica-
'r",e qaairam deisar aeua noaee raa Larga
do Rosario n. 28, primeiro andar, junto ao arma -
zem do loaca da porta larga.
4o commercio
M. Fonsccti de Medelro se offerece aoa
are. commerctaoles, quo deaejsrem aprender a
escriturar por pardaa dobradaa a dar-lhea liceaf
em aoaa esenptortos. tarde ou a noite, nos dia.
torcas, quintas e ssbbadoa do cada semana, me-
diante ama mdica paga.
Entre aa grandea volagens que resaltara para
os Srs. commerciantea do conhecimooto da fa-
ct/imo aciencia do gaarda-livroa, accresee aquel-
la do habilita-loa a poderem escolher quem bem
oa airva nessa ramo de trabalbo eommercial, de
modo aanao serem iludidos por charlalaea, co-
mo acontece aempre com aquellea que avaiiam
do metilo do goarde-lirroa pela sua bonita latir.
As pessoas que do offerecimento do annan-
ciante ae quizerem uiillar dirijam-ae a raa Lar-
ga do Roaarto n. 28, primeiro andar, junto a lo
ja de louga da porta larga.
na^IS tln?. J^Lrl '!!". p,r* c? #"omm.ndaa U toda a qaalidade da machinas asada.
no pan, lanao aempre prompto o aegointe :
Grande aorlimento do moeodea de caona da todo, oa ayst.mas a taraanboa
Machinas da vapor da divarsss qualidadae. I^Poaaas a lansannaa.
Taixaa fundidas a batidas.
Crivoa o boceas para fornalhae.
Bronzas o agutinte.
Rodea, rodotaa a rodas d'agaa.
Guindastes flxos e portitis.
Machlnaa do cylindroa para pedera.
Sorras do ac para serrana.
Fatexaa para barcos, ote., ote, tndo por proco qae bem eonalda.
aTOMSJMJlVD S IPIPaOTAU
"fflWfJSr*
CHAPAS WEBIC1HACS
ELECTRO-MAGNTICAS EPISPASTICAS
De Bieardo Kirk
Para serem applicadas s partes affectadas
sem resguardo nem incommodo
Muito conhecidts nesta corto o em todas as *
provincias deste imperio pelos satis infalliveis re-
sultados em todos os casos da inflammacao stjam
externas on internas ( eom cansado e falta de
respiraco ) como do estomago, figado, bacp,
bofes, rins, tero, paito, palpitarlo de corceo,
garganta, olhos, erysipelas, iheumatismos, para-
lysia a todas as effecjoes nervosas, etc; etc.
Igualmente para quaesquer incha^oes, fon-
das, tumores intastinaes e venreos, escrophulas,
lobinhos, papos, etc., etc, sejsm qual for o seu
Leilao
Vende-se urna rica mobiiia do Jacaranda com
tsmpo de pedra, compoita do 1 aofi, 12 cadeiraa
da guarnirlo, 4 de bracos, 4 de balanco, 1 mesa
redonda, e 2 consolos con grandes eapelhoa de
moldara de Jacaranda : oa pretendentea dirijam-
ae a roa da Cadeia n. 9.
LEILAO
P't'ine-aea qaem eonvier qae ama boa oar-
1 do telheiro ora forma de irmasom qae Joa-
q oorae d* alUma caaa da raa doa Cuerera pee, eata
edfRcada em terreno qae nao portence ao mea-
mo Septos, o qaa o respectivo proprietsrio est
resollido a rahave lodo qaem quer qae compre
dito telheiro.
LEILAO
DE
5'
IfiMS.
Terca-feira 7 do corrate.
0 agente Pinto far leilao a requerimento do
carador fiscal da maaaa fallida de Manoel R-
betro da Silva o por mandedo do Dr. jaiz espe-
cial tflrwanmepjio dss dividas acllvaa na im-
portanctad> 4:393*983 tt.t procedentes da pada-
w Boa tita para escrever.
Veode-ae a 610 rt. a garrafa : na livraria ns.
b e8 da ataja da Independencia.
Livro das Dores
Gontendo o officio, modo de reaar a coro, sea
tanario de todas ss oraedes para deprecar aa Do-
rea de Maris Santiaaima : vende-ae a 320 rs. na
livraiia da prace da Independencia na. 6 e 8.
' ciasse do commercio.
Curso de liugua franceza
noite.
JosSoares d'Azevedo, professor de
lingua e litteratura nacional no Gjm-
nasio do Recife, tem abeito um curso
pralico-theorico de lingua franceza pelo
novo systema de OllendorlF, para a
ciasse do commercio que nao pode fre-
quentareste estudo de dia. As pessoas
que desejarem fallar e escrever esta lin-
gua, podem dirigirse a' residencia do
annunctante, ra de Rita Santa Nova
n. 47.
Ama de leite.
Qaem precisar alirgar ama oxcellente ama com
muito bom leite : dirija-ao a raa dos Prea nu-
mero 5. ________
CONSULTORIO KSPIGIAL HOlEiriTIIG*
do BorjToa
D SlINO 0. L. PINHO.
Ru*. de Santo Amaro (Mundo
Noy) n. 6.
Consultas todos os das uteis desde as 10 ho-
ras, at o meio dia, acerca das seguintes moles-
tias ; molestias da mulheres, molestias das
crianzas, molestias da pe/te, mohstias dos
olhos, molestias syphiticar, todas as espe-
tes de febres, febres inier mitientes e suas
ijonsequencias,
PHARMACIA ESPEttALHOMEOPATHICA
Verdadeiroa medicamentos horneopathicos pre-
parados com toda cautela neeessarias, incluiiveis
seus effeitos, tanto em tintnpa, como em gl-
bulos, pelos procos mais commodos possiveis.
N. B. Os medicamentos do Dr. Sabino sao
nicamente vendidos em sua pharmacia; todos
que o forem fora delta sao falsas.
Todas as carleiras sao acompanhadas de um
impresso com um emblema em relevo, lendo ao
repor as seguintes palavras : Dr. Sabino O. L.
Pinho, medico brasileiro. Este emblema posto
igualmente na lista dos medicamentos que se pe-
de, As carteiras que nlo levarem esse impresse
assim marcado, embora enham na lampa o no-
me do Dr. Sabino sao falsos.
Precita-se de um rapaz que leona bastante
pratica de molhadoa a qae efltnie aea aompor-
tamsoto, para caixelro om ama boa eaaa na villa
do Pilar am Alagoae : treta-ae na raa da Cadeia
do Recife, loja o. 56.
Almanick de lerabrantas
Luso-Brasilejiro.
POR
Castilh
Para 1863 I
Chegou ltimamente este tao nteressante al-
maoack, e vende-a* na lifraria econmica ao p
do arco de Santo Antonio.
ARCHIVO PITOBESCO
Jornal de recreioeinstrueco.
Publica-se sem analmente este lotereaaante jar-
nal em Lisboa, Ilustrado de multas estampas e
collsborado por mullos dislinctoaescriptores. Ca-
ds anno fortr. um volame de 4116 psgin a. J
ae acham publicadoa 4 volamea oropletoe e par-
te dn_i? pl, Aaeigna-ae na livraria ecooomica.
ao pe do arco da Santo Antonio
Por esta aubdelegacia ae faz pablico que ae
acham depoaitadoa um garrote o am csvallo ru-
co, magro, com cangilha : quem se Jalger com
direito, comparega, qae provanlo, lhe aei en-
tregue.
Subdelegada |dos Alagados 30 de setembro de
1862.-0 subdelegado,
Pedro Maris de Abreu.
Na rna do Rangel n. 38, primeiro an-
dar, tnge-se de todas as cares com presteza t
proco razoavel.
Arreinataap^o.
Pelo jaizo municipal da |." vara, depois da
subienda do dia 3 do corrento, vai pre{i de
venta orna morada de ceee mei-agai tita na roa
da Poata Velha do bairro da Boa-Vista n. 31, por
ax.cusio da Henry, Poreter dt C. coolra os ber-
deiroa da viuv. de Jos Leo de Ciatro, avalla-
da por 400 p
Arremattco.
Pelo jaiso municipal da primeiri vara, depois
da audiencia do dia 7 do correle vai a praca
por venda ama eeerava com 29 anooa de idade,
do tervico domestico, avallada em 600a, por
exeeacao de Caetsno Cyrisco da Costa Morera
contra oa herdeiroa da D. Antonia Marta de Cis-
tro, escrivo Santos._______
No dia 7 do correte, pelas II horaa da ma-
nha, depola da audiencia do Sr. Dr. jaiz de or-
phsos, ae bao de arremattr os alugaeis do sobra-
do n 15, da dona andares, alto na rus do Visarlo,
pela quantia do 800# por anno, sendo o arreoda-
mento por tempo de troa annos, a vai i praca a
reqaerimento de Maxlmiano Francisco Regeeira
Daarte. como tutor d. aeaa Albos.
No dia 7 do orreote, depott de Onda a au-
diencla do Sr. Dr. jais de orpoloa, deverlo aer
arrematadoa oa objectoe de ouro, nrata, movis,
moblie, escravoa, madelre, canoas, om carro
bastante asado, com arreioa aipda am bom esta-
do, talo pertencente ao caaal do finado Joao Ma-
noel de Siqueira, como j foi annamciado, sendo
que as madeiras, portadas, portas travs, caver-
nas, canois, o carro com oa arralas : podem ser
visto pelos pretendeoles no telheiro no oitio ds
casada raa da Concordia n, f
MI .Tl AH
ineontestavel, e as innmeras curas complotma
obtidas as diversas molestias em que for'sa
applicadas, o fazem merecer e conservar a
confianza do Ilustrado publico, quo j ti ve a
honra de merecer delle 25 annos de existencia c
de pratica.
N, B. Nesta corte e de todcs os pontos deste
imporio recebem-se participaseis satisfactorias a
respailo dss ditas Chapas Medidnaes.
As encommendas das provincias deven*, ser
u dirigidas por escripto, com todo o cuidado de
tamanno e profndela, por meio da suppurac,o fazer as neeessarias explicaces, se as chapas sao
serao radicalmente extirpados. | p,ra homem, senhora, menino, ou enanca
( Estas Chapas nao podara fazer mal de declarando a molestia e em que parta do corno
forma alguma, ellas tem sido applicadas aos existe. ^
olhos com o melhor successo, vejsm-se os altesta- \ Para inchas5es, feridas, lobinhos, papos etc
dos de curas completos queja foram publicados o molde justo de seu tamanho em um podaco da
^ O ST } ., P*^1 a dec,arai0 ond exis,e fim ^^
u uso de las acconselhado e recetudas por chapa seja da forma da parto, affectada. iToara
habis dtsBctos facultativo., su. eficacia ser bem appliead. no se lugar P
Pode-se mandar \ir de qualquer ponto do imperio do Brasil
As chapas sarao acompanhadas das suas cora-1 Consultos as pessoas que se dignarem honra*
potentes expliceos, a tambera de todos os ae- lo com a sua confianca, todos os das sem ax
cessonos necessarios para suas applicacoes. | eepcao. das 9 horas da manha s 2 da tarde
do Parto 119
Para as encommendas ou informasws dirijam-se a pharmacia de Jos A
ra do Queimado n. 15.
Archivo p'lorosco.
Rogs-se aoa lllms. Srs assi.naniea dsste jor-
nsl de mandarem receber aa 5.a e 6.a caderoetaa
do 5 anno, chegadaa ltimamente de Liaooa no
vapor inglez : na livraria econmica junto ao arco
de Santo Antonio.
SEGNDAEDlkiO
THESOURO HOMEOPATHICO
ou
Vade-mecum do hou.eopa.tho
pelo rteutor
. i. ipniffi.
ste livro que se tem tornado tao popula
quanto necessario, acaba de sej publicado com
lodos os melhoramenios, que a experiencia e os
progressos da sciencia tem demot3trado. A no-
va ediccao em tudo superior primeira, en-
cerra:
1. Mais ampias noticias acerca do curativo
das molestias, com indicagoes mui proveitosas
dos medicamenios novos recentemente experi-
mentados na Europa, nos Estados-Unidos e no
Brasil.
2. Aexposigaoda doutrina nomeopatha.
3. O esludo da apropriafo dos remedios, se-
gundo as predominancias dos temperamentos,
das idades dos sexos, e segundo as circunstan-
cias atmosphericas etc., etc.
5. A preservado das molestia, epidmicas.
6 Uma estampa Ilustrada demostrativa da
continuidade do tubo intestinal, desde a bocea at
oanus etc., etc.
Vende-se na pharmacia especial omeopa-
tbica, propriedade do autor, ra de Santo
Amaro (Mundo Novo) n. 6.
Preco do cada exemplar.... 209000
N- B. Os senbores assignantes queiram man-
dar receber seus exemplares.
Consultorio medico cirurgko
S-m\l\B\ GluUlalA CASA BO F13ND\0--*
Consulta por ambos os syslemas,
Em consequencia da mudanga para a sua nova residencia, o proprietario deste estobeleci-
mento acaba de faz^r uraa reforma completa em todos os seus medicamentos
O desojo que tem de que os remedios do seu est.belecimen nao seconfundam com os da
nenhum outeo, vfalo o grande crdito de que sempre gozaram e gozara ; o proprietario tem tomado
a praeaucao da rascrever o seu oorae era todos os rtulos, devendo ser considerados como falsificados
todos aquellas que forem apresentados sem esta marca, e quando a pessoa que os mandar comorar
queira ter maior certeza acompanhar uma conta assignada pelo Dr. Lobo Moscozo e era papel
marcado com o seu nome. smtm
Outro sim : acaba de re;eber de Franca grande porSo de lindura de acnito e belladona, re-
medios eses de surama importancia, e cujas propriedades sao tao conhecidas que os mesmos Srs
mdicos allopathas empregam-as constantemente,
Os medicamentos avulsos qur em tubos qur em tincturas custaro a 1 o vidro
O proprietario deste estabelecimento annuncia a seus dintese anigos que tem commodos
sumcienles para receber alguna escravos de um e outro sexo doenles eu que precisen, de alcuma
operacao, affiaocando que serao tratados com todo o desvelo e promptidao, como sabem todos acuel-
les que ja tem Udo escravos na casa do annunciante.
Asituaso magnificada casa, a commodidade dos banhos salgados sao outras tantas vanta-
gens para o prompto restabelecimento dos doenles.
As pessoas que quizerem fallar com o annuucianle devem procura-lo de manha at as 11 ho-
ras e de tarde das 5 em diante, e fra dess horas acharaoem casa pessoa com quem se poderao en-
________tender na ra da Gloria n 3 casa do fundo do Dr. Lobo Moscozo.
aseociacao Egpogtraptttca
pcvuamnucana
Atten^o
Precisa se da 1:5000 com bypotheca em ama
caaa tarrea deaembsra;ada, que val muito maia,
e paga-se o premio da am e meio par cento com
opraso qae seconvencionar : qaem qoizer fizer
este negocio annuncio naata Diario para asr pro-
carado.
Prtciaa-aa da ama peaeoa baetantamente
versada am atrtpturago morcentii ptra forma
lar o tomir a ata cargo a eacripta da ams caaa
omraereial eat.belesida n'oma daa mala pr-
ximas provinclaa do nort.: a par das habili-
ti^daadava ella reanir tsdoa os prelitados qae
sao preciaos para se mer.cor ama plana con-
fianza : qaam ae aehir nsstas tircumatantias, in-
dicar em carta fchala au nomo o raiidentis,
na Loja da bea f. ra do Queimado o. 22.
Aluja aa o 1. anlar da caaa n. 86 di raa
da Imparalriz ; a tratar no aegundo andar da
mesroa.
Prociea-ae alagar um praio para o servico
axtsrno de ama padarla : no pateo do Terco nu-
mero 40.
Os aoohoroa qae compraram oa ramea do
imposto do subsidio do gado no municipio do Re-
cife peiteocenles s fragaezias da fora da cidade,
qaeiram mandar & raa da Soledad, o. 68 stlisfa-
zro u t'.rao qaariel vencido, qaa )4 deveriam
ter feito com a pootaalidade qae lhes foi impos-
t, a sao obrigades. ______
Fugio ao dia 16 do loez pasfado o escravo
Luiz, da idade da 18 a 19 anooa, de eslitaea re-
galar, cabelloa pretoa o poaso .arapiohadee, na-
riz maito chato, e pea pequeos ; pada se a
qaam qaer qaa o potsa pegar, leva-lo r.a d.
Gloria am cata do teaente-ctrontl Antonio Ger-
mano Cavakiati da Aloaqaerque, qaa aera ro-
eoropensado.
AUei(ao!l!
Roga-seaoSr. B. A A. toaba a bondad do
apparacar na raa do Mogaeira n. 18, oa oo arse-
nal de gaerra, a negocio qae nao igaora, do con-
trario ver aea nome por extensa em todos os
jornees.______________________
Offerecem-se
doaa repasta para trabalhadores de refioae.ao. do
que j tam pratica do meamo aarvico : qaem
precisar annuncie ou appar.ca em Pora d. or-
las, roa do Pilar n. 112, loja de funileiro.
Domingo, 5 do correte, hever aeifo ordi-
naria do conselho director, no lugar do coslume.
Secretaria ds Associa;o Typograpbiea Per-
nambucana 2 de oulobro de 1862
O primeiro secretario, Silva Litis.
Carros fnebres pateo do Pa-
r ho n 10
No pateo do Para izo casas n. 10 e 12,
existe o bem conhecido e acreditado-
estabelecimento de carros fnebres de
qualquer ordena para deunctos e ao-
jos e bem assim armacoes de ecas para
grandes e pequeos oflicios, tudo a von
tade dos pretendentes. Tambem se en-
carrega de fernecer todo o necessario
sem o menor encommodo das partes,
tudo com asseio, ponbualidade e precos
commodos. Nao com alicantinas,
enredos etc., que se procura acreditar
um estabelecimento e com as pro vas dos
factos, portante quem se quizer desen-
gaar (precisando) dirija-se ao mesmo-
estabelecimente a qualquer hora do dia
ou da noite que se protesta sera' bem.
servido em tudo e por tudo.
#
SEscriplwo de procu
!
radoria.
PREG1SA-SE de um ceixeiro|oara taberna
de Idade 14 a 16 aonoe: na ra Dirita n. 93.
O aillo da Matriz da Vanea de Joa Corris
da Silva por aleunho Jos Pelona, acha-ae by-
polhscado o abaixo ataignado ; portanto, nin-
gaem faga trao.aecio por hypulheea oa compra
com o dto sitio aem primeiro sa entender com o
annuDoiante. Recite 2 de oatabro de 1861.
Laii Antonio doa Sanio. Per.ira,
A. C. K dt Barios Pona da Lata,
solicitador nos aodilorioa daata citado,
tncarrega-ie da qaalqoar qaastao ga-
rante es julios eceletiastiet, civil, cri-
minal ocooaraereial, como daa appella-
;oe. viadae doa termoa do fora, como
do oatraa provincias. Continua a rece-
bar caaes de partido.
Qaem peit qaizer lh confiar aa aaaa
demandae poderao dlriglr-ao a roa es-
treittdt Rotarlo no escriptorio n. 27,
on ota aoa rttldoncaa na roa da Santo
Amaro eaaa n. 26, qae fica per tras da
raa do Sol junio a raa Nova.
:
Alaga-se ama tata tarrea nos Afogsdoe, raa
do Motololomb n. 20, com mullos commodoa,
tendo 2 sala., 4 quartoa, coiioba fora, estribsria.
cacimba, cota boa agua, tinque, grande quintal
com fructeiras, t tambem tt venda a meama casa.
ttndo a meama ieila ha poueo toatpo, por laao
aat tm boa tetado, nao p-teisa taasjr*atT aspa-
sa: a tratar aa raa do Qaaimado n. 52.
1
b


BUHO II fIfJtUUCCO. V SAMADO DI OUTUIRO I xle,
&HM
P^vGBAHDI20IlTIMEHTo
Preciss-se de nmi ana qae tenbe habilitiQou
pira o aervigo interno de ama cus de familia,
especialmente rata engommarecozinhar : i tra-
tar oa ra da Gadaia do Recita n. 41.
9 O. Francisca Antonia rerei-
9 reir Correa, nao poendo des- Q
# pedirse de todas" as familias #
jg com cjuem entretinha relacOes (|
de amizade, pela brevidade de f$
9 sua viagetn, aprcveita ledo pre- f|
sent meio, oferecendo seu di* $
minuto prestimo na corte para
onde vae residir. *j|
$ **
Alagt-se etla da trente de primairo an-
dar do (obrado da rui Nora u. 16 : a tratar na
maama rea o. 39._____________
Aquadro LuiBi, ariUta iynco da sompanbla
Marinaogslt. rellra-so para a Earopa.
No pateo da matriz de Santo Antonia n.
17, lava-ae e eogoxnu-ie pelo prego de 100 ra.,
a paga ; quem urecie-r diriji-iu a dita caa.
i
*-
O abaixo aaaignado, conneddo per Xteo Bexi-
ga, enliga mente com loja de calcados atrai da
presa da Independencia, travessa daa Cruzes t
boje cctn o mesmo eatibelecimento na rus da
Imperalrii, oati'ora aterro da Boa-Vista, ao pe
do bacco doi Ferrairos o. 89, participa a aeui
nameroioa freguezes tanto da praca como ne-
gociantta do met?, e dettt enero qaa eali bem
aeitido para servir bem seas freguezes e vend
' muito barato como de coatume vender
ESTRADA DE FERRO
DO
RECIFE A SAO FRANCISCO.
Domingo 5 de outubro haver um trem de excurso
i a Agua*preta.
Com grande diminui^o de prccos, a saber:
Primeira classe (ida e voita) .... 6/J00O
Segunda classe (ida evo! U) 5^000
Terceira classe (ida e vclta) .... 4$000
O trem partir das Ciaco Pont as s 7 horas e meia da minhaa e passar pelas estacoes
intermedias conforme a tabella geral, chegando a Agua Preta as 11 e meia damanha
A partida de volta d'ahi ser as 12 horas para assiin facultar aos senhores passageiros,
mais lempa para descanso epasseio em Gimeleira,doo.de s partiro as % horas 16 da tarde
Mediante ajuste previo feito no escriptorio da com>anhia, os passageiros encontrar o
carros especiacs para as re unid es de amigos que desejarem faier a excurso at a Agua
Preta, ou algum outro ponto intermedio da liona frrea.
____________________________AssignadoE. H. Bramah, superintendente.
Bilhar, buhar, buhar.
Ra larga do Rosario n. 44,1. andar.
O proprietario do hotel Trovador, nao poupando esforcos e sacrificios pa-
ra bem servir os seus amigos e freguezes, acaba de reformar o seu estabeleci-
mento e installar no mesmo mais um rico bilhar de mogno de sua propria en-
commenda, fabricado em Paris com todo o esmero e perfeicao por um dos mais
habis artistas nesse genero, em o qual os amadores deste passa-tempo, encontra-
rn urna distraccao to necessaria ao espirito e ao mesmo passo to innocente.
No mesmo se encontrarao quartos preparados para as pessoas que quizerem per-
noitar.
O proprietario espera a' concurrencia de seus amigos e freguezes, scienti-
ucando-llies tao somenteque serao servidos cpm todo o asseio e promptidao, a'
dar da modicidade nos precos.
Para passar o vero.
Aliuam-ae dues caaaa margem do Capibari-
be : iihi do Bonifica na Panagem da lisgdalena;
prinuira com 8 quartoe, qeintal, cacimba, tan-
que, etc., pnco de 140 per anoo : a aegunda 4
quino, cozlnha fora, 2 tilas e 1 gabinete, preco
de 150g por anno : a tratar na rea eatrelta do
Rolarlo o. 4.
DE
ROUPA FEITA
DE
ujmM & mm.
Na ra Nova n. 47, junto aGoncei$o dos Militares.
Neitegtao'e armazem de roapaa fe i la s ha tuo qaanto tendente a roapis feitae, tido por
S ricos muito modificados como 4 de tea coate roe : aobrecaiaeaa e cssaca de panno fino a 253
88, 309 e 35$, piletotado meimo panno a tic, 16S< 18S e 203. ditos aaccos de caaemira de cor
a 78, 8, 99, 10, 12* e 149. ditoa aobre de 169a l89.ditoa de alpaca de cordo a 89, diloa de
marin oe cordo d. 12$ a 149. mica de caaemira de cor e pretaa a 59. 69,7g. 89; M o 10$, col-
bu i ou meamaafaieodaa a 39500, 49 e 59, ditoa de brim d* cdr e brincos a 29, 5&S00 o 39. cal-
is de brim branco de 49 a 59, ditas de brlm de cor a 39500, 39. 39500 e 4$, ditaa de merino de
fordio a 4$, 59 e a 69, pletela seceos de alpaca preto de 38500 a 49. diloa de brim de cdr
raneo s 2J500, 39, 49 e 59. ditoa de alpaca branco a 6$, ditoa de palha de aeda a 8$, camiaaa
erouias de linbo e de bramante, chpeos de todaa aa qealidadea, roapa de todas ss qualidades
para menino, aasim como tamos em grinde torllmento de fssendas escelhidaa de todas as qaali-
dades tanto de p*nno como de casemira e brina para mandarmoa spromptar qatlqaer encom
menda qne nos for incambida, o ene para este fim temos a xa grande oficina de alfaiate com cem
operarios dirigida por um meatre trances o Sr. Cario Laurent. tres contra mestre dirigido pelo mea-
mo. cada mm deste com sea espedsiilade, does cortando cales, ins cortando collete, o Sr. Lsu-
rent cortando obraa arandes de todaa as qualidades.
_____Esta grande cfflctna pala sea perfeicao e promp'ido nada deixa a desejsr.
Frincis o Miciel de Soez.
Sortimento completo de sobrecasacos de psnno a 15, 28, 30 35, casacas muito bem' ^tDJt0omo e ae co,lun,e Tend" m"lto
Taitas a 25, 28, 309, 355, paletots acasacados de panno preto de 16 at 259, ditos de casomira
decora 159 189 e 209, paletots saceos de panno ecasemira de 89 at 14#, ditos saceos de alpaca,
merino el de 4 at 69, sobre de alpaca e meria de 7 at 109 calcas pratas de casemira de
8 at 149, ditas de cor de 79 at 10, roupas para menino de todos os tamanbos, grande sorti-
mento de roupas de brins como sej ara calcas, paletots e collete?, sor timen to de colletes p retos de
metim, casemira e velludo de 49 a 9, ditos para casamento a 5 e 69, paletots brancos de bra-
mante a 4 e 5, calcas brancas muito finas a 59, e um grande sor limen to de azendas finas e mo-
dernas, completo sortimento de casemiras inglezas para homem, menino e senhora, seroulas de
ilnho e algodo, chapeos de sol de seda, luyas de seda de Jouvin para homem e senhora. Te-
mos urna grande fabrica de alfaiate onde recebemos encommendas de grandes obras, que para
uso est sendo administrada por um hbil mestre de semelhanta arte e um pessoal de mais de
cincoenta obreiros escoltados, por tan to executamos qualquer obra com promptidao e mais barata
po que em outra qualquer casa.
Arisiidei Duarte G ma tenio urna padaria
parfeitamente montada com toda accommodidade
que se pode desajar em em bom eitabelecimen-
to, e a qaal eit trabalhando, e muito bem afra-
geezad, porai nao podendo eatar atesta deste
sea estabelecimento por ter de cuidar de outros
negocios, convida a algaem que qaeira sociar,
tomando a direecao do negocio, ou que qaeira
fizar em arrendameiilo pelo tempo qae conren-
cionarem : quem pretender dirija-ae ao Pie, > da
Paoalla do mesmo estabsieclmento oa a rus do
Cabagi n. 7.
Furto.
Furtiram do aitio de Antonio Alna Barboia,
em Santo Amaro, na noile de 23 para 24 do roez
de setembro p. p., orna vacca pranbe, branca
lavrada, tndo por aignaes as galhis grandes e
abertaa, rom a marca poaeo simel na anca da
lado direilo AB : roga-ae aa peisoaa que della
livarem noticia de deciararem na ra dos Gua-
rsrapes n. 28, ou no mesa o s'.lio onde se dai
gralifieago. exlRndo ae.
Preciaa-se de1:000| a premio com typo-
theca em ama casa nesta praca : quem qaizar
(asar este negocio, annancie para ser procurado
oa dirija-ie a raa Bella n. 6, caaa de lianoel Jos
di Silta Gabral.
Ana.
Precisa-se alagar urna ama para o servico in-
terno e externo de ama caaa de pequea fami-
no becco dos Ferreiros n. 7.
lia
Nuita atlencao.
Arrends-se o angenho Sinto Amarl-
nho ailo nafregaezia da Varzea, a nma
legas, moeote d'agaa com boas maltas
e terrsa Je plintacdei, a tratar na ra da
Praia casa n. 53, tsreeiro andar. A pro-
pietaria e mais herdeiros proteitsm
contro todoe qaalquer dsmno qae a x-
rendeira fizar de consentir, nato nao
ter arrendado dito engenbo de' doto e
por cooieguinte nao poder criar nova
aafra. Rcclfe 10 de aetembro de 1862.
LOTERA
Mudautja.
Albert Aichoff, rebjoeiro, madoa o sea etta-
bslecimento da raa da Cruz n. 11 para o Caminho
n. 61. O mesmo pede aos sens fregueze,
' distnbuicao
Rovo n. 61.
que ainda deixsram
relogios psra concertar,
mandar busca-Ios no praso de 15 das, do con-
trario alo rendido! para pagamento de seu tra-
balho.____________^__________^^
Precisa-ae de ama aenhora que atiba con-
renientemante primeras letrss para sosioirama
menina em am engenho oa fregnezia de Ipojuta,;
distante da aiti;3o da Escida deas legaas e meii:!
qaem eitivir mstis circumitancias e quizar, an-1
nuncie para aer procurado e tratar-ae do ajaite. i
Precisa-te (altar com o procurador d Ma-
noal Franciaco da Silra Garrido, oa qloem aaaa.
aazes ftr;a : oa ra Dtraila o. 66, primairo andar I
_ IIOJE do corrente mez se extra-
hira' a segunda parte da primeira
;lotera a beneGcio da Santa Gasa da
Misericordia, no consistorio d igreja
deN. S. do Rosario de Santo Antonio.
Os bilhetes e meios bilhetes acliam-se
a venda na respectiva thesouraria ra
do Crespo n. 15, e as casas commis
sionadas ra da Imperatriz loja de fer-
ragens n. 44 do Sr. Pimentel, praca
da Independencia n. 22 loja do Sr. San-
tos Vieira, ra Direita n. 3 .botica do
Sr. Chagas, e na ruada Cadeiado Re-
cife loja n. 45 do Sr. Porto.
As sortes de 5:000$ at 10$ serao
pagas urna hora depois da extraccao,
o e as outras.no da immediato depois da

das listas.
Servindo de thesoureiro,
Jos Rodrigues de Souza.
fl
ama
Frdi
ir
Ama
Precisa-ae de urna ama secca sem filhos psra
casa de pouca familia : na loja de livrosao i do
arco de Santo Aotooio.
RA
DO
IMPERADOR
55.
RA
ao
IMPERADOR
55.
DE
J. VIGNES
Os pianos desla amiga fabrica sao hoje assaz conheeidos, para que seja necessario insistir
sobre a sua superioridade, vantagens garantas que offerecem aos compradores, qnalidades estas
ineontesuveia qae ellos tem definitivamente conquistado sobre todos os que ten apparseido n'esta
pra^a ; possuindo am teclado a machinismo que obedecem todas as vontades e caprichos dos
pianistas, sem nanea falhar por serem fabricados de proposito e ter-se feito ltimamente melho-
ramentos imporu.nussimos para o clima deste pau ; quanto as vozes sao melodiosas e flautadas, a
por isto muito agradavea aos ouvidos dos apreciadores.
Fazem-se conforma) ts encommendas, unto nesta fabrica como na do Sr. Blondel de Pars.
socio correspondente de U Vignes, em cuja capital foram sempre'premiados em todas as expo^
No mesmo esubeleciment se acha semprenm esplendido e variado sortimento da msicas
in melhores compositoras da Europa, assim como harmonios a pianos harmnicos, sendo nido
vendido por preces Atrito razoaveis.
Atteneo.
Candido Rosalino Tarares de Mello r'"nde
abrir am talho de caroes rerdea no dia 5 do cr-
ranla, m sea eatabalactmento no lirgo do Hos-
picio : aa pessoas moradoras ais proxlmld.dea
daqoelle lagir como sejim : rus da Aurora, Hos-
picio.Formos, Imperatriz, I Iba dos Ritos etc.
poderao dirigirse ao estabelecimento do annan-
cante, onde serio serridas nao i com cirno da
primeira sorte, como com pre;o maito rszoavel.
t I Sf Q gA D S ISUlI
IRADUZIDO DO IXGLEZ DK
ROBERTO SODTHET
ELO
Dr. Luiz Joaquim de Oliveira e Castro
E annotada pelo
CONEODR. J. C. FERNANDES PI
NHEIRO.
6 magnficos volumes em 4a primorosa-
mente impresso e encadernado em
Pars, 6J000.
Obra completa 36#.
E' geralmente recoohecide como a melhor his-
toria do Brasil a do Ilustre poeta ingles Roberto
Soelhey, pela lmparcialtdade que dita a saa ele-
gante peona, bem como pelo jadieiofo aso qae
aoabe faser dos preciosoa dotumentos qae tare
a saa diaposi(io. Fas muodo luterano cabal
jslica i elevigao de penssmeotos e aos grandes
predicadoa do historiador ioglez : Humboldt, vis-
condes de Cayi e S. Leopoldo, Porto-Alegre.
Abren e Lima, Varnhagen, Constancio, Sainl-
Hilaire, Ferdinand Dente, Armil'ge e maitoa ou-
tros taaram della com oa maiorea elogio.
Ninguem depoia della escrevsu sore o Brasil
ssm que puzesie em cootribulcio o impor-
tintisiimo trabalho, devendo Beaachamp e al-
guna outros a esta circamstsncia a popalaridade
qua adqairiram os seaa Irnos.
Sendo, porm, a edijo Ingleza rarissima e
da um pngo fabuloao, epoaco ealgarissda entre
na a lingaa da Milln, raraa lio aa pessoss qae
tenhsm em susa bibliotheess a primeira historia
do Brasil escripia por um homem da qaam noa
devanaos afanar qae com semelhaola assam^tu
se bsja oceupado. Esta falta acaba felizmente de
aupprir o Sr. Dr. Luis Joaquim de Ol reir a
Ciatro, variando psra o nosao idioma todaa asga
laa e primores de eatylo que se encontram do
original, a hbilmente guardando a maia escru-
pulaaa fiJelidaae, impriaio lhe esse caobo dea-
aleo de qae tanto neceasitava urna obra de tal
magnitade.
Foi alem diiso a presente edicio enrlqaadda
de notas qae a pSe em dle com os dotamantos
histricos recentamante daacobertos e dos esta-
dos que sebre ellee ae tem feito oestes ultimo
lempos. A esse trabalho deu cabal deaempeoho
o Sr. conego Dr. J. G. Feroandea Pioheiro, um
dos nonos Iliterato que com mais solicitarte se
tem entregue aa pe quizas historicss e cajos ei-
criptos andam pelas maos do todos.
? obra completa formar 6 magnficos ?olu-
mes em A', a 69 cada am, os quaes podem ser
tomados separadamente.
O S-. Edaardo Moriason, altimamente chegado
a Pernambaco com a obra completa reobe aa-
slgnstursa no hotel Luis Paechi, raa do Trapi-
che, desde 8 horas da manbaa at aa S da tarde.
Modista brasileira.
Avisa so reipeita-el pdico e todas as sass
fregaesiis qua fas leda obra tendente a sus arte,
miis barato do que em outra qualquer parta as-
sim como S'jam vaalidoa decaaamentos e bai-es,
montsriis, roupes frsnceies, capis brancas,
toiletes proprio para a manbaa,cassedes de case-
mira e de outra qutlquer fizenda, cobre chpeos
fitsnlo em estsdo como que viesas a loja e
vestatrios de menlDos e manlnas do melhor
gosto de Paris, dminos de goilo oifieieotss pa-
ra homeoe e aeuhoris, tudo islo se tai com toda Psreira em sua correspondencia inserida noeDia-
prompdao a limpeza, reaponssbilissndo-se pe- '
Precisa-se de urna mulher pa-
ra ama de duas pessoas, que
saiba bem engominar e cosi-
nhar : na ra da Cadeia do Re-
cife n. 58, primeiro andar.
%? ZC aSP <9& W* ^5- 4J6? ?^ ? 5Ry SSJP ST gfT %
O major Antonio da Silva Gusooao, conaa-
ahor do engenbo Potoai por Ulules legitimo 6
para 7 anno, o qaal foi levantado em trras do
engenho Souzs pelo seu legitimo proprietirio, o
espito Jos Antonio Pereira, vendo um aonuncio
por tintas veses repelido no Diario de Pernam-
baco, que j aborreca a todos qasoto o lisro,
do Sr. Antonio Gomes de Macelo, morador no
Rio Formoso oa seu arrsbalies, no quil este se-
nhor diz so pablico ser o legitimo senhor e pos-
saidor das trras do engeoho Souza a daqaellas
em que esli edificados mais dous engenhos,
convidando a qaem quizer ver seas ttulos ir ao
Rio-Formoso, responde ao mesmo Sr. Macedo.
qae nao est disposto a ir ver seus papis velhos)
e qae avista das explica -oes dadas pelo capilo
iaqualqaer Mta que hoaver, timbera engom-
an ie para fora com todo saseio o prOmptidio
ns rus Direita seguido aadir o. 9, seno a en-
trada pela raa aa Penhs.
Baltar t Oliveira sacam
Porto.
sobre a praca do
toqui
Baltar & Oliveira veodem Ut>raa .'.
Arrcnda-ae ama grana p*rt do sitio d
oqaairo, denominado Mara Feriaba, oa fregne-
zia de Haraoguape : a tratar, no oganhe MBri-
bara, fraguizla da S. Lourenco da Malta. f
Admirem-se e approveitem-se
Retratos de antrotypo a lj nm ; na mais acre-
ditsda eantiga officlna de photogrsphia deata ci-
dade, na raa do Cibagi n. 18, entrada pelo pa-
eto da matriz.
AUgim-ae o !.' e 3. andarea do aobrado
o. 112 da ra da Seozsls Velha : qaem oa pre-
tender dirijs-se so sotao do meamo, ou a loja de
chapeoa da raa da Cadeia n. 42, que achara com
quem tntar.
Josephu Nicols Van Balck ritira-se psra
fora da provincia.
Damioicaa Cornelia Leenaerta ralira-se pa-
ra fora da provincia.
Da*ja-ae fallar com o Sr. Jos da Cosls o
Soazs, que j moroa na cidade do Rio-Formoso,
s negocio de interasse do mesmo senhor ; oa
ra oo Amorim n. 33.aegundo andar.
Roga-se a pessoa que deu um re-
logio inglez ntigo, de prata, descober-
to, para concertar, na ra Direita n. 19,
loja de relojoeiro, ha ja de o vir buscar
no prazo de 8 dias, do contrario sera'
vendido para pagamento : dirija-se a
ra dos Mar t y i ios n. 26.
Precisa-se de urna pessoa que se
encarregue de cobrancas nesta cidade,
mediante porcentagem e dando conhe-
mento de sua capacidade : dirijam se a
esta typographia em carta fechada com
as sniciaes F. F. M.
Alumm-ie mei-iguas no oic-o dis Bar-
relras n. 4 ; a tratar no meamo becco n, S.
Resposta. I
Em resposls ao snnuncio inserido neate Dia-
rios, preveniodo ao publico schar-se hypoihe-
cado o sitio pertencente aos herdeiros ae Jlo
Hermioo da Costa Barradas ; tem a dizer-se qae
o referido sitio foi judicialmente adjudicado, do-
vendo o mnunciante declarar aau nomo e a na-
tureza do documento
Aiug* ae para passar a testa,
Urna casa terrea no Poco com comino dos psra
grande fimilii; na rus Nova n. 47.
Preeisa-ae de urna negra para alagar : na
ra do Hoaptcio n. 62.
Joa Gomea Albergara faz aaber ao publico,
que nao se respooeablllsa por neohums.tranasc-
cao feitapor aeafllho Usooel Gomes Albergarla,
nem Umbem aceita qaalquer recibo que elle te-
nba paassdo dets dita rm diaot* por cobraocia
de dividas pertencentsa so anonadante.
Reci'e, 30 de a>tembro de 1862.
A rogo de Jos Gomas AlbergsrisRufino Jos
F. de F'gaatrio._________
Aluga-ae a loja qae fice nos fundos do so-
brado qae fsz quina psra o pateo da Sants Crac,
caja loja serve para deposito de msssis, taberna
ou oatro qaalquer negocio ; quem a pretender,
dirija-se a xas Direita n. 91, primeiro andar.
Precisa-ae de ama ama para tratar de deaa
meninos de 6 e 7 snnos: na rus da Seniala Vc-
lha n. 96, padaria._______
CORPUS- JUR1S
Traduzido na lingoa francesa com o tex-
to latino ao lado.
Veode-so na livraiia universal, na do Impera-
dorn. 51. ________
Alags-se urna boa casa na Capuoga velha,
com pequeo aitto, varios arroredos de fraclo,
e bom poco com sgoa para beber; s se aluia
por festa : a fallar na ra do Queimado o. 71,
loja.
O sbsixo ssslgnsdo (as publico que e pro-
prietario de daae quintes partes do sobrado da
raa Direita n. 45, de que se acha de posse, por
eeirlptara publica, tsbellio S ; e eonatando-lhe
que o mssmo sobrsde vsl praca por ancucSo
de Qulteria Mara Theodora contra snoel Lobo
de Miranda Heoriqueesaa mulher, osquaea ape-
nas sio proirietirio de tres psrtes, declara em
lempo o esposto para que ninguem se chame a
Ignorancia. Recite 1.* de outubro de 1861.
Amonio Mara Q'Connall Jersey.
Antonio Fisch e Vicente Flscb, subditos ila-
lianos, retiran-so para Macelo.
rio de Peroambuco n. 209, ao mearco major Gua-
rni que cabe o direilo de convidar o Sr. Here-
do para que, se tem razio, como iceules, propo
nha logo ccio de reivindicarlo 10a propriatarios
dos trea engenhos edificados em trras que pre-
sume suss. Mas parece que o Sr. Macedo tendo
tslvec encontrado em algum lugr onde o finado
vigirio costamavs guardar stus papis, algum
documento dessss tarraa, alus sem valor algum,
-e mlodesse chalo, e correase psra alm-
* faser-ae coobecaiioe prop,. _;k-d.t.?--
lor. a mesmo ln o prazer da ver o seu>
n. -do repelido no Dfari, dizendo com ufi3
na que nio eal costumado a possair o slheio,
sem se lembrsr que esta epilbto pode muito*
bem caber a aquelles que pretendem maliciosa-
mente perturber o socego de quem legitime e pa-
cificamente possoe seus predios. Finalmente os
proprietarios dos engenhos Souza, Potos e Par-
naso, rogam ao Sr Macedo que se apnsente
quanto entes em uno fuendo valer o seu direi-
lo, que melhor sssim do que sndsr pertarbsn-
do cidadaoa honradoa e legilimos proprietarios.
pois nio ha quem acredite que o Sr. Macedo es-
teja a tantoa annos doente, como disse, sem que
tivesse podido embargar todas essss obrss: qui
jure suo ulilur, nemini f.cit injuriare.
I Companhia |
@ DE m
Seguros martimos, i
2 SEGURIDADE.
2 Estabelecitla no Rio de!
( Janeiro.
AGENCIA RUADO VIGARIO N.tO.S
Atteneo.
Companhia Pidelidade de se-
guros martimos e terres-
tres, estabelecida no Rio de
Jaaeiro, com o capital de
16:000:000^.
Agentes em Pernambuco
Antonio Laiz de Oliveira Azevede & C. compe-
tentemente aatorisadoa pela directora da compa-
nhia de segaros Fidelidad, tomam segaros de na-
vlos, mercadorias e predios, no sea escriplorie,
raa da Crusn. 1.
Aluga-se o armazem do
becco da Boia n. 2 a tratar
na ra da Imperatriz n. 40.
Ama.
Pieciia-ie de ums sma de meia idade que se
encarrigae do servico de ama casa de pequea
familia : a tratar na raa do Queimado, loja de
ferragens n. 37.
de
piel
K
1
- Aluga-se urna ama para o servico interno
urna casa excepto cozinhsr : na ra do los-
o n. 64.
Saques sobre Portugal.
O abalzo assigoade agente do Banco
MertantU Pertuenae nesta cidade, asea
offestivameote por lodos os paquetes so-
bre e mesmo Banco para o Porto e Lis-
boa, por oaalqeer somma ivista e a pra-
xo, podando logo os scqaes a prazo serem
descontados no mesmo Banca, oa razio
de 4 per eento ao anoo aos portadores
qae aasim lhe convier : as raas do Cres-
po n. 8 o do Imperador a. 51.
Jeaauim da Silva Castre.
Qaem annenciou precisar de ama senhors
para enelnar aa freguazia de Ipojaca m um en-
genbo diiije e rea do Ja>dim o. 30.
Com 22 annos de granJe pralica de mestre de
aiseotsmento de aparar o assaear de censa pelo
melhor systema adoptado as Aotilhas, e Um-
bem meilre do mesmo sssucsr, como de urna a
oulra cousa coete pelos Illms. Srs. de engenhos
a quem tem tldo a honra de trsbslhsr MdocI
J*quim A._de01ivetre, sssimofferece o presu-
mo de seu tralalho, tracto da Untos, annos da de-
tocio e (diga, aoa reipeiUvei.it,,. fle tD.e_
oboe, tanto desla provincia de Parnfmfcuco como
de outra quilquer do imperio, qae o q boorar com a aua sffavel acelUcio e amor a in-
dustria ; sproveitando por assim o posseirem am
bom e econmico aeDlamenlo, tanto ns grande
dimiouicao de consumo de combustiveis como na
presteza e facilidade da limpeza da caldeira o
apuro das taixaa.nao ae em pregando msis que mu
pequea quantidade de bagseos a proporco dos
vaaos; apurando por tarefa, em termo regular
oO pies de magnifico assucsr, como consta do que'
loi ltimamente apresentado em lasca na expsi-
to desta provincia de Pernambaco.
Pelo melhor systems asenla os slambiques do
deililar aguardante, montando com gosto e ssseio
a deililacio para diminuigao do brajos e facili-
dade do trabalho.
Tem a aeu cargo officiaes de pedreiros, e ss
aun empreadas ajusla-as pelo mais commodo
posiivel, pois deseja mais aervir bem que ganhar
muito : pode aer procurado na prsc.a do Livra-
mento, loja de hzendas de Jos Rodrigues Coe-
lho n. 8, oa por este jornal.
... jgBBBggBB ......- O
Of
/
m ta>
3-Rua estrella dt Rosario-3
Francisco Pinto Ozorio continaa a eol-
locar denles artificiaes tanto por meio de
molas como pela pressio do ar, nie re-
cabe paga algama sem qae as obras nio
flqaem a Tontada de seus denos, tem pos
outraspreparacoe smala acreditadaa
para conservaco da bocea;
Aluga se ama prele qae sabe cosnbsr, en-
gommsr, coser e fazer todas ae compne de ama
caa : na ra da Cdia do Recite n. 64.
Precisa-so slugir um preio, des 6 horas do
dia s8 : na raa do Rmael n.69
Ataa-aat a loja do obrado da rw* 0
dla Velha n. 49 ; na rta da oioru nj.
Banco Unio.
Establecido na cidade do Porto.
Agentes em Pernambuco. *
Antonio Luiz de Oliveira Aze-
vedo A C.
VTSacam por todos os paqaates eobre e meamo
Banco a prazo oa vlata, s sobre asagenslas em
Ltsbos, Figaeira, Coimbra, Avaire, Viseo, Villa-
Real, Regoa, Vianna do Caatello, Guimaraes,
Bareelloi, Laroego, Covlhaa, Braga, Penafial,
Braganfa, Amarante, a ello diaa, oa ao praso
ae se convencional: ne sea escriptorio ra da
ras a. 1.
CttCnMfilsKMMarCII eiSfiMSMX
( Dentista de Pars.
19RuaNo^a19.
Frederieo Gsutisr, eirorgo dentista
fsz todas as operacoes dess arte a e co-
loca denus artificiaos, todo com -sdsln
rioridade e perfeiQio que ai pssoai-,en
tendidas lhe reeonhecem.
Tem sgua e pos dentificios, ate.
I
ite.
MSWH
Preclss-se alegar ama eacreva para eom-
ir a fsser o servico externo de ama caaa de
, fiel a sea vicios:
ferrsgens n. 14
itii Ari
il
;
\


DUL1 BI flillAItlGCQ ee SABBaDO 4 DI tUtTBuO DI i 161
Padaria e
cofeitaria.
Domlngoe Joee da Canha Lagos, premiado palo jury da exposico nacional da 1861 ,tom ama
madalha de prata, avisa aoa ssua frtguaiai am garal, qaa ata satebeleclmonto na na da Senxala
Novan. TO. tomo melhorsortimenlo, prepara bandeljae no molhor goalo, receba Dconmondaa
de po-da-lo, boloa inglesas, bolos impsrises, aletrla da ovos, podios, pastis, propara preautoa
da fiambre, doces de fractaa seceos o do caldaa para atarar o oxportacio, respoossbiliss-st ptlaa
boaa qualldadao bou acoodtciouimento, vmiepor menoi pre^o postivsl:
Pao commam.
rioulo.
> Provenga.
do familia.
Bolachaa economicai.
commam.
fina com letralro.
Bolachiohai do aranta.
alliadot.
regaliaa.
coradoea.
> Garibaldis.
carioca*.
a catroilaa.
aoda*.
dible.
(alias.
> partcula*.
Biscoato doco.
Biscoitinho.
> de Hambargo.
Bolachiohai inglesas.
do lait.
s> partfasos.
Biicoato aguado.
palitoa.
Parinha do arante.
Lataa com bolachiaha da ararata.
> biicoatoa loglexai.
Bolachinhia fraucexaa.
> meopathia.
eapadat.
flnaa para ch.
Boloa do amor.
Boloi saleaos.
a raivae.
chinaze*.
> csaadinhos;
> da la reina.
gamas.
a aspielooea;
a illemiei.
> massspas. casta nnos.

afogaiados.
i cestinhia do amandoas.
i > de orra-doc*.
slstquins.
sss.
po-de-lo torrado.
> aneis.
trochas.
pingos de tochas.
lagoe de coco.
a aranhaa da coco.
> cocada d'oros.
> chocolata.
palitoa.
aroendoa?.
6 qusltdadea de paitilhis.
Vinbo da caj.
10 quilidados de doces seceos.
l > o da calda.
4 > de gela.
ImmsDtos doces eitrangeiroa.
Aaaacar canda e raflaado de todas as qaalidadea.
Figaraa da anisar.
Xaropa e capll da todas aa (motas.
m O abaixo attignado pede encare-
cidamente ao Sr. Candido Lope de Mi-
randa, que lhe responda a ultima carta
que por mim lhe foi indere^ada e se
aisim o nao fzer ettou resolvido a pu-
blicar em todos os jornaes minuciosa-
mente as circumstancias porque o mes-
mo senhor deixou de aze-lo, pois que
estou munido de documentos. Recife 3
de outubro de 1862.
Amaro Benedicto de Souza.
t
Hoje (sabbado) tem de ser se-
pultado no cemiterio inglez, Hen-
rique Gibson, as 5 horas da tarde,
sao convidados os amigos do -falle-
cido para assistirem a este acto de
piedade.
ARMAZEM
wimm.
13Largo do Terco23
O proprieUrio desle novo armazem, enda os gneros por meaos do que em outrt qualquor
parte, afiancando-sa a boa qualidade de qualquer genero comprado neste armazem.
Manteiga ingleza da primeira qualidade a 720 e 800 rs. a libra, e em psrSo a 700. n.
dem francaza da safra nova a 600 rs, a libra e em meiosbarris, a 660 rs. a libra.
Quaijos flamengos chegados ltimamente a 2, do vapor passado a 19800.
Caf de primeira o segunda sorte a 260, 280 a 300,rs. a libra, o om arroba i 85 e 99;
Servejas das melhores marcas a 480 rs. a garrafa, e a duzia a 59000.
Vinbo engarrafado do Porto a 19000 a 1 #200 a garrafa, o a duzia a 99000.
Dito em pipa das melhores marcas a 480, 560 640 rs. a garrafa.
Massas, para sopa a 320 rs. a libra, e em caixa de urna arroba, por 69000.
Azaite doce de Lisboa a 720 a garrafa e de carrapato a 360 rs. a garrafa.
Sardinhas de Nantes muito novas a 380 rs. e em porgao se faz abatimemo.
A!m dos gneros annunciados, encontraro sortimento completo mais barato do qu*
em outra qualquer parta, por virem a maior parte delles por conta propria.
CUP
Tcr M
Commisses,
Joo BaptisU da Rocha
continua a recabar usurar, algodao, coaros e
mais gneros que lhe figim a noora consignar
do qae promette dar Inteiro cumprimento de sis
profisaao e se compromette a remetter peloa mis-
mos p-ji tadores o liqaido des ganaros racebldoa
ou cumppir as ordens deseas remetentes para o
qae oa Srs. de engenho e outroi podem dirigir
f uas remessaa ra Direila n. 94 e 95, qoe ahi
o domiallio e ettabel.eimento do annunclante
sonde sci encontrado todos os dias o a toda a
hora.
9 Manoel Francisco Correa, nao
0 tendo tido tempo de despedir-se
f$ pessoalmente de todas as pes
^ soas que o honraram com sua $
%fc amizade, pede-lhes despulpa @
& desta falta involuntaria.
No armazem du ai Boa-vmtr, tem
vandordoue et*ravoa A. U 20 annos da irtd.
Joa Alvos Fernandea, Joaquina Mailloi
Farnandea e Manuel Aires Ltasa eordial-
macie agradecem a todaa aa pessoaa qaa
se dignarsm acomptnhar at ao cemiterio
publico o cadver de sem maito prosado
pao Manoel Jos Farnandas, e desde j
lhe tributa um voto de sincera gratido
por lo caridoio beneficio.
Francisco Footaoo auoailo ntsuauboi vio
para Macat.
lo sal aa Boa-Viataf tem para
Escravoi para lugar.
Alagam-se msnsalmente aloco wcravos por
prego commodo para armazem de aaaucar o tra-
piche, oa oatro qualquer eslabtleclmento : na
ra dos Giararapos n. 88._____________ ';
Arrtnde-ae um sitio con baixa de capim e
casa de vivando, am o lugar do Laca, (reguexU
da Vane. : a tratar na ra de Hortaa n. 24, pri-
meiro aodar.
Aviso
El abaixo assigoado participo ao publico e
principalmente ao corpo do commercio, que da-
la data am vante deixou de ser mea calxciro e
ioleressado no negocio o Sr. Jos da Silva Car-
vslho, e como este ia comprar algumas vetes
debaixo de minba firma, taco saber que por mais
nada fico raspooaavel deata data em dlante. Re-
cito 3 do outubro do 1862.
-___________Laiz Ponceca de Macado.
rreclaa-ae de ama ama para oaervico in-
terno de ama casa ( de viiva]: na ra de S.
Franciaco n. 52.
' Desapparecea no da 26 do selemoro do la-
gar Plorotta da eidade de Olinda, um eavailo
mellado tgemado, cliaaa pretas, volladas para o
lado etqusrdo, cauda rapada, com 4 pea calcados
do prcto, o casco etqaerdo bronco, bebo em
branco, com um slgnai ou estrella na testa, car-
regador baixo, molo a osquipar, e um pouco des-
carnado : quem o pegar dirija-ie ao primeiro si-
tio na estrada do Roaarinho a direitt, que ser
gratificado.
Aluga-ae ama escrava qaa coiiuha, cose a
engomse, para o artico ioterno de cata; na raa
do Imperador n. 50, ttreeiro andar.
Compras.
Compra-se"na casa rerrea no bairro de
Santo Antonio, com commodoa para urna familia
regular: neata typograpala se dir quem pre-
tendo.
GRANDE LI0D1DAQ&O
Loja do Payao.
Comprsm-se moleques de 12 a 14 aooos
de idade, aeodo de benitas fisuras; na ra do
Quaimado, loja de torragena o. 13.
Compram-se
predios Uvres detembarscados ; na rna do Vi-
gario n. 8.
Yendas.
Atten$ao.
Urna pestos que aa acha empregada
no commercio e dispondo de algum
tempo offerece-ae para tomar conta de
qualquer. cacripturaco para (azer por
qualquer tyttema, tambem pode ir ea-
crever em caa : qaem de sea prsstimo
se quizer utilisar pode dalzar sua mora-
dia em carta (echada na ra larga do
Rosario o. 30, primeiro andar, com as
iniciis L. L. L. ou annuncie para aer
procurado.
Attenco.
Os possaidores de acedes da aociedade Baila
Harmona, qae as quizerem vender com lucio
do 2$ em cada ama, dirijam-se ra do Vigario
n... aegundo andar.
Precisa-ae de 4 serventes eteravoa para
duat obras na Capunga, paga-ae bem : na raa
das Crutet o. 22._______________
Jn.rrt. c0,u Braodao 0T6*airo~tSBao'
'r ao Rio de Janeiro daixa h>u idade por aeu
jijturdores em primeiro lugar ao Sr. Flavio
l'.rfeira Cato e em igUDdo ao Sr. Pedro Igna-
-cio B.'p lista Junior.e na eidade da Victoria a o Sr.
Jos M-.rcolino de Mello. Recito 2 de oatubro
de 186S.
Leis prtvinciaes.
Vende se por 1[ a colleccao de leis
provinciaes do corrente anno, assim co-
mo as de todos os annos antecedentes
ao mesmo preco : na livraria n. 6 e 8
da praca da Independencia.
Na praca da Ialepandencia, livraria ns. 43 e
8 vendem-se o seguate :
Regiment interno das aulas v 500
Regulamento do cemiterio 500
Dito d. cata de detengo 640
Regiment Interno do gymouio 500
Regulameoto daa eolleioriaa 500
Dito das taclas publicas e particulares 320
Poaturas da ornara de Goianna 320
Ditaa da dita do Recito 1JO0O
do 1836 a 1862 a
Collacco daa leis provinciaes
If cada urna.
eimao
Defroiite do becco da Congreg$o letreiro verde.
Watts attabeleclmanto ha aampre am aortimonto completo do roupa toita do
todas as qualidadas e tambem ao manda axecutar per medida i vontada des (regae-
zaa para o qaa tem um doa melhores protessoras.
I Ditos de setlm preto 5$000
3010001 Ditoa de aoda o stiro branca a 6 o SgOOO
3OJO0 Ditos da gorgurao de seda pretos
a do cores a 79, 69, o SAOOO
309000 Ditotdebrimo (uatao brasae a
31500, S9500 o 3JO00
f^OOO Stroulaa da brim de linhe a 2| o 29100
Dittt da algodo a 1&6O0 a 19280
109000 Camisas de paito dafuttio braaco
oda corea a 29400 o 29100
8(000 Ditas de peito de linhe a 59. 49 o 8aO00
>9500 Dltaa de madspole brancaa a da
|500 coras a 89.29500,29 o 1|600
Chapaos prtlos de msssa (ranceza
39500 torme da ultima moda a 103,
85500 a 79OOO
49OOO Ditos do (eltro a 63, 59, 49 a 29OOO
Ditos do sol do aada inglezea o
89OOO (rancezesal4f, 119, 11| o 79000
Colarinhoa do linio muito finos
69000 novottoitioa da ultima moda a 3800
Ditos de algodao 9500
495OO Rt'or-ioi do onro patente o hori-
zontal a lOOg, 909, 80| 701000
2J50O Ditos do prsta galraniaadoa pa-
9000 tente o horizontaes a 409 tOfOOo
Obras do otro, adereces o molos
89000 aderecaa, pulcairaa, rosetas
anaia a
Toalhaa do linho duzia 10J, 69 o
81500 Ditas grandas para meas urna 39 o
Casaets es panno preto a OJ,
85f
Sebracasacosde dito dito a 359
Paletots da panno prato o do co-
rea a 359, 809, 259,109,189 e
Dites de casemira do coros a 22$,
15f,129.79o
Ditoa do alpaca prota galla do
velludo (rancezas a
Ditoa do merino tatito pretos o
do coras a 9| o
Ditoa do alpaca de corea a 59 o
Ditoa de alpacapreta a99,79,59
Ditoa de brim do cores a 51,
49500,49 a
Ditoa de bramante delinhe bron-
co a 69. f a
Ditoa de merino do cotdio prsta
a 159 a
Caleaa de asumir prata o da co-
rea a 129, 109, 9|, 79 o
Dltaa de priocoxa e marin da
tordo prato a 59, 69500 o
Ditas de brim branto ede corea a
59. 49500 e
Caleaa de gauga do corea a
Collete do vellido preto o do co-
res Usse bordados a 129,99 O
Ditoa de casemira prata o do co-
ros lisos
59500,59
o kordadoa a 69,
9
91000
49OOO]
SDSS
DR
O arrematante do imposto de atoricao do
municipio do Recito aviaa a todoa na senhores
proprielarios de cssas abarlas, que desde o dia
l.'de oulubro corrente sa acha aborta a respec-
tiva caaa na roa Velha n. 27 da freguexia da Boa-
Vi ti, das 9 horas ds manha s 4 da tarde, e
para maior presteza ecommodidade dos intsres-
aados propde-ae a mandar petaoa compatente-
mente habilitada aferir, quer nos eatabelecimen-
tos desta ciade, como nos seas ssburbios.
Flsvio Ferreira Cilio,
Aarremat-nte do contrato.
Mappas de Colton.
H. M. Lae acha-se na ra do Qielmailo n. 4,
primeiro aodar, para receber ts assignaturss das
peaaoas que quizerem munlr-se de urna elegante
colleccao de mappas geogrsphicos, daa 10 horaa
at o mel dia.___________________
Francisco Antonio de Carvaltao, realdente na
villa da Eacada, e aolititador daquelle foro, se
enerrega de qualquer questo ou cobraog amt-
gaval oujudici.latente, para o que tono aa necea-
sartas habilitacosa, o pode ser procurado na re-
ferida villa, na roa do Compraflado, ou entender-
se, quem quiter utilisar-te dos seue servicos,
nesta praca com Antonio Comea da Cunha e Sil
a, na ra da Cdeia do Recito, loja n. 50.
Aluga-se urna caaa sita na ra da PraU do
Caldeirairo n. 37 : quem pretender, dirijs-se a
praca da Iodepondencia ns. 32 o 34 qae achara
com qaem tratar.
A kwrtghi & C. muiaram-ae da raa da
Cruz d. 61 para a ra da Cadela n. 14.
100$ de graticaco.
No dia 12 de marco desta anno desspparecei
do engenhu Mallo-rosto de Porto-Calvo, o es-
cravo Semiao, com os slgnaea segolotes : mogo
de 24 a 25 annes, alto, um pouco vermelho, do
Mocambique, pouca barba, com (alta de um dente
na (reote, bem parecido, largo daa eapadoss, la-
Ibado pelo roalo o pelo corpo ; presume-se que
teoba seguido para a Paralaba m procura dos
fllhos do flnsdo Antonio Francisco do Reg Bir-
ros : roga-ae as auttridades polictaet o aoa ca-
pltea de campo qie apprehendam o dito eacra-
vo, o conduzam-no ra do Rangel o. 18, se-
gowrlo rular, que fran a rtomp,nn do 1009.
AeiicSo
Barato para acabar.
Ra do Queimado n. 6, loja de Macha-
do dt Santos.
Veniem-se collarinhosde esguiao a Garibaldi,
_ muito finos, pelo diminuto prego de 6J40O a u-
dej^ii(atcoade viagem muito proprios para con-
duzir roupa ou ou'ro qualquor objeelo. pelo ba-
rato proco de 3(800 cada um, camisae de linho
inglezaa para meninos de todaa aa idades, barato
que admira, ditaa para homem, muito flnaa e
preco tommodo, chapeos do sol de aeda inglezes
a 89500 cada am, ; isto te vende para liquidar.
Vende-se
urna preta de 28 annos, para o servico
ordinario de urna casa: na ra do Pilar
n. 62. Aluga-se tambem essa mesma
casa.
AUencao.
Na ra da Lingoata n 1, venia-te por barato
preco grazis de caximbos de diversss qualidades
osmiis bonitos que em Iones se pode encontrar
Stjs groza. muito bm acoolicionados.
Gneros de primeira neceasi-
da^e, baratos.
Msoteiga iogltza flor a 800 ra., (ranaeza a 600
rs., cha a 2$560, cato do Rio a 280 o 240. arroz a
100 ra.. toucioho a 280. chooMcas a 480, queijos
muito freacos do vapor a 29200 a 1}500, al unta a
150, velas steariuaa a 60, do Ar.caiy a 400 ra..
maaaa de tomate a 700 ra. a libra, gomma a 100
rs., sabao mata a 160 e 200 ra., cerraja branca
o preta a 500 rs. a garrafa, vinho tinto e brsnco
a 480 a 400 rs., szeite do carrapato a 320 ; no
armazem da estrella, largo do Paraizo o. 14.
Acha-se este eslabelecimento completamente
sottido de todss aa (azendss de lia, lioho, algo-
dio o aeda, as quaes se vende mais barato que
em outra qualquer parte a diuheiro a vista, e
roga-ae aoa aeohorea compradorea de darem-sc
ao trabilbo de viaitarem eato eslabelecimento ou
procuraren! neate Diario, oa annuncioa da loja
do Pavo que nao deizario de se sgradsram,
tanto das (azendas, como dos presos, o de todas
se dao ss smottras deixando ficar um penhor, ou
mandam-se levar at (azendaa a amostras pelos
caxeiros da ctsa, acha-se consUntemeole este
estabeiecimento aberio das 6 horas da manbaa
aa nove da noite na ra da Imporatriz o. 60.
Retalhos do Pavo.
Vendo-te porcao de rttalhos de chita de todas
aa qaalidadea, ditos de cateas de cores, ditos de
csmbrsia branca, na raa da Imperatriz n. 60,
loja do Pavo.
Capinhas do Pavo.
Vende-so capinhas muito bem (eitas com
mtngaa o sem ellaa para aenhora, e manteletes
de vellido e pelos muito bem entallados o ri-
camente bordados : na ra da Imperatriz n. 60,
loja do Pavo.
O Pavo vende para luto.
Setin da China, (azenda sem lustro propria
para vestidos, capis, roupo para homons, tendo
6 palmoa de largara a 2s50U rs. e 3;U o cova-
do, alpaca preta flnissima de todos os procos o
qislidadea, ditas de cordao, princeaapretis, e
casssa pretss, meiss de teda preta para senhora
a 1$000, entoilea pretos oa mais modernos a
5(000, chalea de merino pieles a 59000, na ras
da Imperatriz n. 60, loja do Pavo.
Grosdempie do Pavo.
Vcndc-se grosdensple preto muito encorpado
que sempre se venden a 2}500 rs., o vende-se
o 18600 rs. o covsdo, dito a 19800 ra., dito a
39OIO o covado s com o fim de apurar dioheiro,
velludo tr de cal com pequeo toque de mofo
a 1J600 rs. que eproprio para vestidos ou roupa
de meninos, na ra da Imperatriz n. 60, loja do
Parlo.
Camisas para senhora e me-
ninas vende o Pavo a
15000.
Vende-aa camisas de madapolo fraocez muito
bem tnfeitadas proprias para meninas de 10 a
14 annos e ditas para aenhora pelo barttisaimo
preco de I90OO cada urna, toroando-se esta
fazenda muito mais barsts, attendendo ao alto
^reco que tem chegado o madapolo, vende-te
,eata paibincba a na loja e armazem do Pavo
na ra da Impertlrlz n. 60, de Cama & Silva.
Bramante do Pavo a 1U#000
a pessa.
Vende-se pessa de bramante de linho com 35
jardas, com a largara da Hamburgo aendo pro-
prio para leoces, toalhas, seroulss, etc., ests
(azenda vende-se a IO9OOO a pesss e meia pessa
por 5$00O tornndose muito mais barato que o
prego que aloalmente se vende o madapolo e o
algodoainho, vende-se esta pecbincha s na loia
do Pavo, ra da Imperttriz n. 60, de Gama &
Silva.
Sebastopool do Pavo.
Vende-se esta fazenda muito nova e muito
encorpada e de urna s cor propria para palitos,
calc/s, colotes, ate, na loja do Pavo na na da
Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Palitos do Pavo.
Vende-se palitoa de panno preto e tur de cato
pelo baraliasimo prego de 79000, ditos de Fancy
de cores a 69OOO, caleaa de caaemira preta a
5(000, ditaa de cor a 5(000, a na loja do Pavo
ra da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Bordados do Pavo.
Vende-se maoguiloa com punho e gola, pelo
baratissimo proco de 19280 ra., manguitos de
cambraia bordados a 800 ris, goliohss de cam-
braia bordadas e de fil a 400 ria, cada urna,
urna grande porfi do tiras bordadas e entre
meios, por procos bsratttiimot, s na ra da
Imperatriz o. 60, loja do Pavo.
Chales do Pavo.
Vonda-ae chales de merino eatampadoa sendo
mu.lo grande a :S;UU, cites imia^o de ralruz
com palma a 3gUuo. oiioa de Wrlalana a 800 ria,
ditoa Gsrlbaloi 4$00O, na ra a Imperatriz n.
60, loja do Pavo.
Biscadinhos do Pavo.
Vende-se riscadiohos fraocez miudinhos pro-
prios para vestidos e reupas para meninos a
240 ris o covado, na ra da Imperatriz n. 60
loja do Paro.
Cortes de vestidos
s o Pavao.
Vendse cortea da vettidoa de cambraia
branca com babados pelo baratissimo prego de
29500 rs. cada um, corlea de ditos de larlataDa
com barraa o babados, broncos o de cores a
39OCO, ditos de cambraia brsocos com babados e
duaa aaias a 4S000 ditos de (anlazia com baba-
dos de cores a 59000, tudo isto por menos da
La e seda do Pavo.
Veode-ae lt e aoda do quadroe propria para
vestidos a 400 ris o covsdo : nana da lmpers-
tris n. 60, loja do Pavo.
Chitas do Pavo, franceza e
ingleza.
Vendem-se chitar (rsncezss os padres msis
novos que tam viodo so mercado a 280, 300 e
320 ris, e muito flnaa a 400 ris, ditas ioglezts a
160, 180, 200 e 240 ris o covado, sendo por me-
nos que em outra qualquer parto : s na loja do
Pavo, raa da Imperatriz n. 60, do Gama &
Silva.
Las do Pavo.
Vendem-se lazinhss, sendo de qasdrinnos de
palmiohaa de llstrinhas e do urna s cor. a mo-
Ctmbique pira capia e.vealidoa a 400 e 500 ria
o eovado : s na loja do Pavo, na da Impera-
triz n. 60.
Phantasia do Pavo.
Vendem-sa ricos vestidos de cambraia phanta-
siidos com lindos lavores de seda, pelo barata-
simo prego do 69 cada corte, tendo de todaa as
cores, vendem-se por este prego para acabar :
s na loja da ra da Imperatriz n. 60, de Gama
& Silvs.
Vestido do Pavo.
Vendem-se ricos vestidos brsncoa bordados
com aeda, proprios para noivas, e aasislir casa-
rxtntcs, pelo barato prego de 9 : na loja do Pa-
vo, ra da Imperatriz n. 60, de Gama & Silra.
Seda do Pavo a 500 ris,
Vendam-se sedas de quadriohos e de lislra a
5Q0 ris o aovado, ditas miodinhss a 720 ria ;
s na loja do Pavo, rus da Imperatriz n. 60.
Cambraias do Pavo.
Vendem-se pegas de cambraia lias com 8 e 1)2
varaas39, dilas a 49: s na loja do Pavo, ma
da Imperatriz n. 60.
Tarlatant do Pavo.
Vsnde-so tarlatana branca e de cores, fil liso
branco, dito lsvrado, dito de palminha : na ma
da Imperatriz n. 60, loja do Pavo.
Cera de Carnauba.
Vsnde-se cera de carnauba do auperior qua!.-
dade : na rus da Imperatriz n. 60, loja do Pavo.
Casemira do Pavo.
Vendem-se cssemiras enfettadas de quadriohos
e listras miadinhas, sendo corea escuras a 33300
o corte para caiga, vende-se a meama faitr.:.-.,
tendo duaa larguras a 19800 o covado : na rus da
Imperttriz n. 60, loja do Pavo.
Exposico decassasna loja do
Pavo.
Vendem-se as modernas cassas organdys, sen-
do as mais bocitis qne tem chegado ao mercado,
pelo bartttsiimo prego de 280 e 310 ria o cova-
do, do-sa as amotlras deixando per her : na lo-
ja e armazem ao Pavo, ra da Imperatriz n. CO.
de Gama & Silva.
Ricos vestidos brancos a 20$
na loja do Pavo.
Vendem-se ricos vestidos de cambraia braceo
bordsdos a agulha, e que chamam croch, muito
proprioa ptra bailes e casamento*, fazends que
em outra qualquer parle vende-so por muilo
msis dinheiro e vende-se apenas por 209 cada
um: s na rus da Imperatriz n. 60, loja do
Pavo.
tasemiras a3,200rSo
Na loja do pavao.
Vendam-se casemirssenfestsdaade quadrinhos
listras miidinhas, sendo cores escuras a 35200
o corte para caiga ; vendo-so a mesma fazenda,
tendo duaa Urgirs, a 1-S00 o covado ; isto na
raa da Imperatriz n. 60, loja do pavo.
Extraordinaria li-
quidado
NA
Loja da Arara ra da Impera
triz n. 56.
Vendem-tc rctaihos de fazendas de todas ts
qialldadas por barato prego, chitta oseares *
180 e 200 rs. o covado, dit:s fraocezas cores fizas
a 210,880 e 320 t. o co-ado, rassaa frarjcezaa
fioaa a 280, 31)0 a 320 rs. o sofodo, organdya
muito fino para vestidos a 280 e 320 rs. o cova-
do: s na Arara ra t Imperatriz.
Arara vende oWtiui a 280 rs,
Vende-se oleslim de linho para vestidos a 260
i, o covado, fustao ds cores para vestidos de se-
nhora e roupa do meninos a 280 o 320 rs. o co-
vsco, popeliLs d China pira vestidos a 320 rs.
o colado, ieogoa braoeos finos a 200 rs. esda
um, m.ns cruja pa homem a 120 rs. o par :
= a ra da Imreratriz loja da Arara o. 56.
ftoupa feita da Arara*
Vende-j.3 paletots de psnno preto a 68500 e
8#, ditos de brisa e to ging a 2J500 e 39, Bal-
eas de casimira pela a 49560, oitsa de ces a
! misas franceras a 1S600 o 21. soroulss oe linho
melado do seu valor, o vende se s na loja do 1600 e 89, colannhot do linho para homem a
Pavo ra da Imperatiiz
Silva.
n. 60, loja de Gama &
chimico com privilegio de Inven^iio, autor da medicina do-
mestica dos palzes calidos, etc.
Este xarope preparado com substancias paramente vegetaes tem sido empega-
do com xito pelos mdicos mais eminentes no tratamento das molestias syphiliticas,
e os benficos resultados colhidos de sua appicacao, tem rendido a seu autor milha-
res de certificados, que provam sua elScacia as molestias venreas, escrobuto, rheu-
raatismo, escrophuls, (alporcas) bobas, pspeiras, erisipelas, opheulmi- .^pingeos,
leucorrha, (fluxo branco) suppressao de menstro, gotta, sarna, elephanlbiase dos
membros inferiores e todas as affecces cutneas e syphiliticas,
para curar completamente en 24 horas pancadas, sicairizes a feridas de qoalquer
natareza que sejam por
Arault chimico
l'ico deposito na pharmacia franceza de P. Mairer k C.
38BA DO IMPERADOR38
Juros dt dous por ceuto.
Preciaa-ae do 6009 a 1:0009 a juroa de 2 0(0 ao
moz por tempo do um anno, com faypotbeca am
um* psrta de um bom aobrado, a qial parte 4 do
l:750g, pagsndo-ae oa jiros monaalmeote : qitm
quizar dar aata qoaatia, pdese entender com
Frederico Chavea, na na da Imperatriz o. 19,
que esa alomado.
Ama.
Preciaa-ae de ama ama para homem soltelro :
na raa da Imperatriz o. 4, taberna ao p da pon-
to ; tambem se compra um rologio patente ingles,
prlmaira qualidade.
Aloga-ao urna caaa na raa da Calcada n. 45,
com 2 quartoi, 2 salas, cotinha (ora o quintal: a
tratar na na do Ooeimado o. 32.
Aluga-ae a caaa torrea da na daa Tnnebai-
raa o. 32 : a tratar na Boa-Vista, na da Alegra
moro 32. __________
Domneos Joaquim Ferreira (as aclaole a*
rsapeitavul publico muito principalmente a sana
{(reguezes, que desped o de aia casa o sea ciixtl-
ro Victorino Lopes da Costa no dia 29 de satem-
' bro de 1862._______________^^_
Ns roa do Queimado, loja n. 10, compra-so
ma machina do torro para deacarocar algodo,
senda das que Uabalbam sen animal.
Attenyo.
Vendam-se tres escravas mogas, de bonitaa fi-
guras, viadas ha poico do serto: a tratar na
raa da Cruz o. 40, primeiro aodar, ou na na da
Cadela, loja n. 21.__________'
Fazendas baratissimas na ra
da Imperatriz numero 20, a
saber:
Bramante com 10 palmos de largura a 11500,
grosdcnaples pretos a decores, (azenda muito
encorpada a I56OO e 1&800, riacados escaroa para
vettidoa a 160, cambraias para cortinados a 2
dltaa llaaa a 2}, tapetoa fiooa a Cj, caitas de co-
res muito lata a 280, velludo verde e encarnado
a 29, meiaa para meninos e meninas, chitas lar-
gas e eatroitaa, madapolea, algoddas, brins, gan-
gas, e finalmente completo sort.mani da (azen-
daa de lei, que o dono do eatabelecmetlo est
reaoltido a vendar muito barato, s com o Qm
de apirsr dinheiro.
N. 5Ra da Imperatriz1S 5
Loja de modas da esmeralda.
Sao chegadas as faapelinis de seda ptra te-
nhons, do ultimo gosto, ts quisa se vendem o
mais barato poaaival
Ifennas de ouro.
degou ltimamente de Now-Yoik um rico
aortimonto de peonas de ouro. (bricadaa por
Davsou Varre & Hyde, a achtm-se 4 venda na
livraria encyclobedica do Joa B.rboaa de Mallo,
na da Cruz. Estae ponnas sao ioeomparavol-
mente superiores a de ago, oa qualquer oitro
metal, pola cooservam-ao por mailoa annos com
eacrUtartgao continuada, nunca perdendo saa
elaallcldade, os bices tio do diamanto e garanti-
dos a nao cahir: acha-se na meama loja grania
vatiedade do canetaa portaiia do O'ata o ouro.
Cofre de ferro com segreme a.
Vende-se mallo borato im escolenle cofre de
(erro de provade fogo, proprio para gairdar II-
vroa e dinheiro : no ru Vonae-so fumo da torra para cbarutoa; na
Boa-Vlata, ra Oa Aloarto n. 81.
Sal co Assu'
Para ver a bordo do hiato Santo Amaro, e pa-
* lr,Ur eom A-010"!0 Luis d'SMiveira Azorado
Ck C. no seu estriptoiio ma di Gru a. 1,
500 rs.: na rus da Imperatriz loja da Aran cu-
nero 56.
Laazinlia da Arara a 520 rs.
Vendem-se lizinhts ara vtslidos a 320 rt. o
covado, dilas tinas s 400 e 500 rs. o covado, cas-
sas chinezas de quadrinbos psrs vestidos de so-
nhora a imitsco de sediohas de quairos a 240
e 280 rs. o covedn, pees de esmbrtia lias a
186O0, 23, 3# e SgUO, cbeilores de alcodao a
19: ns rui da Impnratrit loja da Arara n. 56.
Arara vende fil para mojqueteiro de
cama a 160 rs. o covado.
Veule-se fil para mosqieleirode cuna a 160
rs. o co ado, dito da linho para vestido a 720 e
880 rs. a va-s, dilo Uvredo a 1(120 a vara, "ar-
latana a 800 rs. a vsra, longos psra rap a 1*20
rs. cd> um : na ra d; Imperatriz loja da Ara-
ra n. 56.
Para as reunioes do club Arara vende.
Vend-se urna nova (azenda por nome vtre-
cianas de quadriohos Je ssda de coras a 500 rs.
0 covsdo, ditas com campo oscampinado e pal-
mas de soda t 6(0 rs. o covado : na ra da Im-
peratriz loja daArira n. 56.
Arara vende ss case mi ras a lfS&SO IS.
Ven*e-r.-so catemiras finas para capas de to-
nhoras a 1J180 rs. o covado, ditas para caiga e
cort a 23LOO, 3J500 e 49 Anas : na roa da Im-
peralrii leja da Arara n. 56.
Arara vende o babadim para vestidos
a 500 rs
Vende ie babadim pira vestidos a 500 rs. o
covsdo, ritos cortes de organdys para vealidos
com 25 covados por &#, ditos com h> -ovados a
75, ricoa cortes de la a Garibaldi com 22 covs-
d
vados a 63-500, cortes de castas Gnas a 2(500.
ditos de ditas finas com 12 1)2 covados a 29500 :
oa -ua da Imperatrit loja da Arara d. 56.
Riscado a Garibaldi da Arara a 280 rs.
Vende-aa riacado a Gaibaldi para volidos a
280 ra. o cora jo, chales de cores a 640 rs., ditos
de merino estampados a 3ff, an(eils para aenho-
ra a29 : na rus ds Imperatriz loja da Arara nu-
mere 56.
BalOes de 15 a 40 arcos.
Vendem-so ricos btles americanos do 15 a
40 srcos pira senhora, ditos para meninas a 2,
ditos da brilhantlna e do madapolo para se-
nhora, salas de cordao qae (az voz de balo a
2^400 : na raa da Imperatriz loja da Arara n. 56.
Finos bordados da Arara.
Vendem-se finos bordados deliras transpiren-
tos da largara de 45 dedea a I92OO e 1$600 a pe-
ga lem 3 1|4 varae, pegas de enttemeios a la.
1930O e 19600, manguitos e gollioha do linhe
para aenhoras a 29, goliat bordadas a 43. dita
para vealidos. tendo 4 e 1|2 pal-. do bitoiinbo a 640 rs., capinhaa bordadaa para
"IL*.""" C0-ni dellc,d01 P'dtoes miadiohos meninas a 1J ; na na da Imperalrizloiada Ara-
a 400 ris o covado : na aia da Imperatriz 0. 6Q, ra n. 56. *mprain toja
Arara vende madapolo a W.
'frVV" ?**'.*> ""Polao multo floo
com 10 1,2 j.rdaa a 45, p,5., dt p,BDinbo com
1 cS4" a 5*' 8r8f* da linho para veatidos
a 230 rs. o covado : oa raa da Imperatriz loja da
Arara n. 56.
Palitos de denles a S00 rs.
Vendem-so massoa da palito* de denles com
20 matiohas par 200 rs. para acabar: na na da -
Imperatriz loja da Arara n. 56.
Musselina do Pavo.
Vtnde-se mosselina branca com 4 t/2 palmos
a 240 ris o covado, laslnha com palminhas a
320 iia o covado,s nana da Imperatriz n. 60,
loja do Pavao.
Com 22 covados o Pavo.
Vende-se cortea de vestidos de hereje tendo
22 covodos cada um corte, pelo bantiatimo pre-
go de 49OGO, cortes de vestidos de la tendo as saias j (eitas a 49OOO, na na da Imperatriz
n. 60, loja de Gsma & Silva.
Organdy do Pavo.
Vende-te cortas de organdy com bonitas bar-
ras, tendo 22 1/2 covados cada corte, pelo bara-
tissimo prec') do 4)500 rs., s m ra da Imps-
ralrlz n. 60, loja do Pavo, de Gama & Sira.
Alpakin do Pavo.
Vende-so ettt nova (azenda do linho, sondo
muito levo propria para veatidor e roupa de
mtninos por ser de ama 16 tOr de lislra a de
quadros miudos proprio para aa aonboras que
(orem pssssr a (eata 00 campo, e vende-se a 280
ria na loja do Pavo ra da Imperatriz o. 60,
de Gama & Silva.
Cambraias do Pavo, com sal-
picos, a 3$.
Vendem-se pegas de cambrsiss com salpicos,
csrocinhos brancoa e de tr, tendo 8 1/2 varas ca-
da corte, pelo barttissimo prego da 3$ cada urna,
ditaa maia finas com as mesmaa varaa a ig, cr-
I tea de cassa de ir ultimo gosto, com 7 1)2 varas
a 29500 ; oa loja o armazem do Pavo, na da
Imperatriz o. 60 de Gtma & Silva.
Organdy do Pavo.
Vende-se. cassa organdy a 280 ris o covado,
casss de varios padres a 240 ris : s na loja do
Pavo roa da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Organdy de la a 800 ris.
Vende-se fioissimo organdy do lia, sendo fa-
zenda inteirameote nova no marcado, com deli-
cadsimos deaenhoa muilo tranaparentea a 800
ris o covsdo: na ra da Imperatriz n. 60, loja
do Pavo.
Organdy de seda a 800 ria.
Vende-ae organdy de seda maito transparente
psra vestidos, com delicadas cores, bonitos dese-
nos a 800 ria o covado : a na loja do Pavo,
na da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Cabaia do Pavo,
Vende-ae eata nova (azenda com o titilo de
cabaia, propria
loja do Pavo.
Crinolinas do Pavo.
Vendem-ao crioollnaa ou baldea de arcos, aen-
do americaooa qae sao os mala bem armados
mais (orles, tendo de 6, 10, 14, 20, 15, 30 e 40
srcos, vendem-ae mala btrato que em oitra qual-
quor parte, tambem ae vendem baldes mullo fi-
os com grandes bsbados, que parece duat saias
ditca de bramante muito bom (ai lia : na nada
Imperairii n, 60, loja do Pavao, de Gama & Silva.
mi mi Annf


6
m&WO DI tEMAMBUCO SABBaDO 4 l OUl'iBO M tttl
DIMINUIC&O DE PREGO
Vndese por menos de 15 a 20 por cento.
FRANCISCO FERNANDES DUARTE.
10 Largo da Penha 10
A vantagem que o propretario desia acreditado armazem de molhados tem oSaracido, ha
sido conhecida pelos seus numerosos fregueza?, mas como assim aiada hajara alguns senhores que
nao se tem dado ao trabalho de esperimentar, rogo a todos ellas o favor de mandaren comprar
suas encoramendas no armazem Progresso do largo da Penha n. 10, afim de varificarem a exacti-
do do meu annuncio e a diflerenga de prego e qualidade que faz, se fossern comprados era ou-
tra quslquer parte, por isso desojando o propretario a coniinuacjio de lodos Srs. que s digoarem
frequentir esteestabelecimento, tem deliberado garantir toda e qualquer qualidade de gneros ven-
didos nesle armazem, podendo assim mandar comprar suas encommendas por pessosi pouco
praticas que serao tambera servidas como se viessem pessoalmente, devendo haver para com os
portadores, toda recomrnendac.ao, aQra de que nao se enganem com o armazem indicado.
V 111IIO O "OrtO superior am garrafoes de 5 garrafas a 29600 com garrafo
L3 gTimaS dO I/O UTO especial vinho do Porto, o melhor que tem vinde ao nosso
mercado a 19 a garrafa, e era caixas a 109.
VinllOS ^enerOSOS Cames, D. Luiz, D. Fernando, Maria Pia, Nctar, Du.-
que do Porto. Carcavellos, Gnamisso, e Feitoria de 900 a 19 a garrafa, e era caixa
de 99 a 109.
AU6H1 ClieTez 0 melhor qoese pode desejar a 19200 a garrafa.
IWW DYoMaVCO engarrafado a 640 rs. a garrafa, afianca-se ser de superior qualidade,
tambem ha de barril para 500 rs. a garrafa.
HUIIO *MH piffl porto> Figueira e Lisboa das marcas mais acreditadas a 400, 500 e
560 rs. a garrafa, m caada a 39900, 39500 49000.
Tialio Bordean*,
S. Tiestefea 800 rs. a "garrafa, e em caixas 895oVe 99000.
I dem m riSCa tel verdadeiro de Setubal a 640 rs. a garrafa e em caixas a
Maateig* inglezfe
abatimento.
*Mamtega trance v* mais nova do mercado a 560 rs. a libra, e em barril
e 600 rs.
ivila pel'Ola 0 qUe se p0|a desejar neste genero a 39000 a libra.
VaUa uuXim 0 mas superior que tem vindo ao mercado a 39400 e 29800 a libra.
vaa liySSOM n0 disfazendo no parola e huxim, o que se pode desejar a 29700,
25200 e 19600 rs. a libra.
%\kk fPtO homeopathico a 2*000, 19800 e 19600 rs. a libra, afi.anc.i-se ser de
superior qualilade.
Q -eiyoS do reino chegados neste ultimo vapor a 19600, 19800 e29. edos do
ultimo navio de vela de 19400 e 19500.
-Tlg"0S C.G CODiinadrC ebegados neste ultimo vapor em caixinhas, muito proprias
para mimo de 8 libras por 19500, e em libra a 240 rs,
avoSSaS as mais novas dd mercado a 280 rs. a libra, eem caixas de 14 a 15 libras por
29500.
U ^8 rochas e brancas das meloores que ha em Portugal a 500, 640 e 720 rs. a libra.
iOCe de g'OIM (dacasca) muito superior a 500, 560 e 640 rs. o ctixo.
31.&*HM3uM1<* imperai do afamado Abreu e de outros muitos fabricantes de Lisboa em latas
muitoenfeitadas de 1 1[2 e 2 libras a 640 rs.
JwSm le alperClie a mais superior que tem vindo ao mercado, em latas de 2 li-
bras por 8f'0 rs. cada um.
* ale\S MU C&ldO. pera, pecego, damasco, araeixas. serejas, ginja e alperche, em
laltas de 1)2 libra por 600 rs.
Esperanca
Ra do Queimado n. 33A.
Recebea Uval da pellica a Joovln que venda
por 25500.
Ligaa da itda listiat para atacar malas, mal
Undaa coree, qae Tanda por 29000.
Tranca branca para debrom da collate, vende
a vara por 160.
Lamparinaa compoiic.ode barro, qua eomvin
te ria da astil* doce ae nutra lea imi noite, a
cal 100 rii.
Fitai da vallado largtt e eotreitaa, barata.
Peotei da borraxa, de volta para oteoinae a
IgOOO.
Palito da foco, urca doxia da caixinhaa da
madtira maito baa, cojo anvoltoria oa garante
da humtdade, qie venda por 200 reta a daxla.
La para bordar a aaar touca, a libra 89000.
Botoes da cornalina para pmnhoa, brancoi, en-
carnados, pretoa para luto, o par I9OOO. *
B loes.
Seieotiflcamoa aoa noisos fregoeies qoe cha-
garam etto a tanda oa estimadot briacoa ba-
ldea de UdM a torea, par 19000.
Voltaa a bilo, aaal turquexot, parola, anear-
nado coral, cor de rota, aaal claro, etc., a 29OOO,
39OO a 49OOO
Alfiociea a bello, a 2J000.
Grampaa a bailo, a 39000 49000 o par.
Bracelete! a bailo daa meauui corta daa vol-
taa, a 28000 a SgOOO o par, podendo compor-te
am aderezo completo com diminuta qaantia; aa
ptaaoaa que prateadaram comprar catea objectot
que moda (rigorosamente fallando), dirija-se
a Etperanca raa -do Queimado b: 83 A, que at
ata
tandierosa gaz.
Dinheiro aviita.
Na raa da Cadeia do Recita n. 66 A, toja da
arragana daBaatoa, chegaram novoa candielros
a gtx. veoie-tt palo dlminata prtco da 29500,
S9 e 49 cada am ; o dono daata ettibeleclmeoto
taado de rectabar am grande aortimeoto do can-
diairoa, dctda j previo* ao raapatlavel pabllco a
aot aeaa (rtgutztt, q*t vanda mala barato do qae
ootro qnalqaer, pota recebe cata gtoaro da aua
aonta propria.
MODIFICADO DE PRECOS
MENOS 10 a 20 POR CENTO
NOS
Remedios do Dr. Madway
Prompto alivio.
Beaolatlvo renovador.
Piluln regaladoraaJ
Racantamenta ebegadoa pelo navio Mertay ;
vende-ae na botica dancaaa no Rtcife, na da
Crui n. 2.________________________!_^_J
Atten$o.
Vende-te por commodo prego a rita armse.ao
da marnora doaatabaleeimento da raa Nova n.
43 garaate-ae o arrendameoto da caai: 01
pretndanlas podem se dirigir ao meimo esta-
belecimanto qae echarlo com quem tratar.
Vendem-te pipis,qairtolis.toneletat nar-
ria proprioa para asalte, ftrradoa com arcoa da
Ierro ; tambem aa vtnde am carrinho da caire-
lar gencToa para am a bal : na roa nova de
Sania Rita a. ae dir qaem vande.
PROGRESSISTA
E
IP1H111ITO
NA
Ra das Cruzes n. 36, e largo do Carmo n. 9.
79000.
perfeitamen'.e flor a 700 e 800 rs. a libra, e em barril te faz
a 560
esta dla objaclo prlutiro dalla.
Toalhas de lnho para
mo.
Vendem-se muito bota toalhaa de linho para
mo pelo baratisilmo prego do 79 a dazia ; na
toja da boa ( oa ra do Queimado n. 22.
A 2$400 rs. a duzia.
Vandem-ae longos braneoa finoa para algbti-
rt a 21400 rs. a daxta: na ra do Qaeimado n.
22, na loja da boa f:
Brim branca de linho.
Vande-se maito bom brim branco do linht
bastante encorpado a lg-280 ra. a vara ; na raa
Chat la rosa, Marg, Medoque e S. Julien de Medoque, do Qaeimado n. 22, na bom conhecida loja da
_____a. __ __?____au>baa *\m*%f\*\ D#) 18.
Manguitos e gollas bordadas
por menos de meta de.
Vendam-aa mallo soparioiea mangaitoa e gol-
iat de cambraia da fil ricamente bordadaa pa-
lo baratiaaimo prego da 29 cada am par da man-
guitos com ama golla: na raa do Qaeimado n.
SI, na bam conhecida loja da boa f.
Golnhas baratas.
Vandam-se golliobat de cambraia bordadaa
pelo diminato prego do 640 rs. cada ama i na
raa do Qaeimado n. 22, na loja da boa f.
Pdletots brancos.
Vendem-ae superiores palotots braneoa da
bramante de linho pelo barato pngo da 59500
ra.: na ra do Queimado n. 22, na loja da boa
f.
E' mais barato do que
chita.
Superiorea cambraiaa franeexaa de riqalaiimoa
padroaa dalo barttitalmo prego de S80 a 310 ra.
o corado, aendo que maito barato do qae chi-
tt : na ru do Qaoimado n. 22, na bom coche-
cida loja da boa (.
Ricas mal vi n 8.
Acabam de chegar a loja da boa f na raa do
Queimado n. 22, liaiinhaa maito finas para vea-
tidot denomioada malvioaa, com riquissimot
ptdrdei qae se vendern pelo mdico prego de
500 rt o corado :na referida loja da boa f na
raa do Queimado n. 22.
Chapeos de palhq escura
Vendtm-te muito bom chapeta de palba es-
caro para homent maito proprioa para o campo
pelo baraii,simo prego de 3j* : oa ra do Quei-
mado n. 22 na bem conhecida loja da boa f.
Fil Je linho e tarlattna
Venda-te sapeiior fil de linho lito muito fino
a 800 rt. a rara, asaim como tarlatana branca o
de corea tambem palo barato prtgo de 800 rs. a
vara: na raa do Qaeimado n. 22. na loja da
boa f.
superior bramaute de al-
go&Q.
Vende-te suparior|bramante de algodo com
10 palmo da largara maito proprio para lengea
vitlo que ae econmica todo o trabalho de cos-
tara, pelo barato prego de 15600 rs. a vara : na
ruado Qaeimado n. 22, na bem conhecida loja
d boa .
Guardanapos para mesa.
Vendem-ae ezcclleotea guardanapoa para ma-
ta pelo baratitiimo prego de 25500 ra. a duaia :
na loja da boa f na ra do Queimado n. 22.
tamisas inglezas,
- Vendem-ae superiores camlaaa ioglezaa com
abertnrat de linho, palo baratittimo prego de 30,
40 e 50$ a dazia : oa raa do Queimado n. 22, na
loja da boa t.
Cimbradas finas com salpicos.
Vende-ae cambraia floa com aalplcoa para ves-
tido! a 49500 o corta, dita maito fina a 800 rs. a
vara: na raa do Queimado n. 22, na loja da
boa f.
Lazinhas muito finas
para -vestidos.
Suparlores lazinhas para raatidoa da malta
bonitos padrdeaqaa aa vandam palo baratittimo
prtgo da 440 rt. o corado : na raa do Qaaima-
do n. 21. no loja da boa f._________________.
Abacaxis.
Vandem-sa abacazia a 500 ra. e a 1J cada am,
attim como quem preciaar da alguma ancom-
menda avultada queira participar dias antet, poli
o abalio asiignado tem grande qaant'dtde effee-
tivamente: ra do Trapiche o. 26.
Joo Gomea Jardim.
Vandt-te am barro do Rio Grande do Sul,
mallo gardo; novo, e maneo : quam qalier diri-
ja-ae junto aponte pequea do Chora-mtnino,
can n. 11; a na meama casa vende-ae am bol
maito manso e carro'ga.
Jarros de porcelana com
banha.
Vendem-ae bonitoa jarroa de porcelana doara-
da com banha fina, pelo admravel prtgo de 39
o par, o aem ella a 2 : aaaim barato, j se sabe
qaa 4 na raa do Qaeimado, loit d'aguia branca
oamero 16.
Scientificam aoa seus fregnezas que am virtude do actual estado de apathia commercial re-
olvem vender todos os seus gneros por monos do que outro qualquer anunciante e offereeem para
garanta da superior qualidade de seus gneros as competentes amostras de cha, manteiga, caf,
arroz, tapioca, araruta, etc.; etc., para que pessoa alguma duvide destas qualidades, a vista de to
resomidos procos.
Convidara portanto ao publico desta eidade a de fora, a virem fazer sua dispensa am ditos
armazens, afim da pouparem annualmente de 1009000 a 2:0009 conforme a custumada des-
pez de cada chefe de familia, economa esta que muito til Ibes deva ser, sem que seja mister
soffrer a mais insignificante privajao do custumado diario de seu passar, devendo porem manda-
ren], aos armazens indicados.
r
s?

Farello e milho.
Vande-se farello, milho e arroz do Maraohao
nalravesaa da Madre de Dos ni 5.
I
?i
9
a>

o.
o
2?
5"
b"
ta
ce
O
8


Sb
al3g,5ll
. o -. -,
8-h S -
3

II
3 3
5
ID
s
s

S.
O
3

B S.
09
a.!
i" 5
S a
u
n
CD H
M
11
- 3.
8-
5s
e.B
2t o >
*| SI
fe Di- 3.
cr
3
a libra,
da casa particular de Lamego a 320 e 400
rs. a
da soda da melhor marca com differentes qualidades a 19400, afiaega-se a
qualidade, assim como tem latas grandes com bolachinha proprias para lancha a 29400
B* lg'OS (em lat) proprioa para mimo ham enfeitadas com 5 a 6 libras por 19200 cada urna.
im.!llCIX3S Tt'iriC6Z3S em compoteiras de vidro com tampa do mesmo, com 3 1(2
a 4 libras por 39.
BGelOl&t dosmelhoresfabricinies da Europa, hespanhol a 19000 rs. a libra, fran-
cez a 19000 rs. portuguez a 640 rs. a libra, garante-se ser do melhor que ha no
mercado.
A?rt6KlriS de casca molle muito novas a 240 rs. a libra, e em arroba a 79000.
tVfVlaWafl francazas a portuguezas era lalta, da maias libra por 640 rs.
iaSSa par^ SOpa estrellinha, pevide e rodinhas a 480 rs.
??aunto do Tino vini0
libra,
? *a? Para fimbre chegado nesle ultimo vapor a 400 500 rs. a libra.
1 OUQlQllO ios IA\>G-> 280 rs
Ghoiir^is do reino as mais novas
ril com urna arroba por 109000.
jlame francez o hamburgusz a 640 e 70 rs
IVlUmllla** NaBtf em laUas 360 ., em porco se faz abatimento.
ttt.lUm Tefm% a 360 e 400 rs.
Cj^OOlS nOV.iS novas a 610 rs. o cenlo e em caixas a 79000.
varOlTima de engommar muito alva a 100 rs. a libra, e era sacco a 29560 a arroba.
Sj^ta COm pexe do escabeche das seguintes qualidades : savel, frito, dito de es-
cabeche, corvina, cherne, verugo, congro, gors," linguados, peixe espada, pescada
etc., etc., a 19300 rs. a lata. r
q1&s do oapoTmctsoto
caixa 151500 rs.
Bitas d^ c&THeHib* refinadl a 360 rs- a 1bra# e tm arrobt a m
GhariltOS SUSpirOSe(Dcaixas inteiras dos melheres fabricantes de S.
39500, ditos em caixinhas com 50 por 29.
a libra, e era barril 7900O
do mercado a 440 rs. a libra, e em bar-
a libra, petisco prompto para se comer.
as raais superiores do mercado a 640 rs. a libra, aem
o
s
s
3
r
B
CD
B
S
Obras de labyrintho
Na loja d'tgnit branca vendem-ae toalhas de
osgaiio com bonitos e bem tecidos labyrinthos,
lendo de dont c qoatro lados com bicot a tem
elle ; assim como mni bonitos e bem asabadoa
Mcos largos, a grades para lencos, o qae tudo st
reode barato irnti da per(ei;ao de lies obras :
reata, pois, qaa approveitem etsa boa occatio,
e dirijtm-sa com diohelro roa do Qaeimado,
loja d'aguia branca n. 16.
Cal de Lisboa
4$ o barril.
Tam para vender Antonio Lab da Oliveira A-
levedo, no tta eicrtjtorio raa da Craz n. 1.
Southall Mellort & C, teodo recebido or-
dem para vender o eeu creaeldo depoaito do rtlo-
gioi, visto o fabricante ter-se retirado do nego-
cio ; convida, portanto as pestots qaa quizerem
pottuir un bom relogio de ouro ou prata do ce-
lebre fabricante Kornby, a aproveitir-se da op-
portanidtde tem perda de tempo, para vir com-
pra-Ios por commodo prego no aaa eicrlptorio raa
do Trapiche n. 38.____________________
hjeccio Brow
Remedio nfallivel contra as agnor-
rheas antigs e recentes, nico deposito
na botica ranceza, ra da Cruz n. 22,
preco 3#.
Pulseiras de cabello com cha-
pa dourada, e trance1'ns
para relogios.
. A loja d'agaia branca acaba da recabar a aaa I
naommends das to deaejadas polaeiras deH-r"" re-
bollo com differentes e bonitas tracis, tendo el- -r s.
las chapas doartdat de delicados modellos com cr-ffo
la
o
o
i1 a
I E
9
ti'
8-s
to
B
0

- B

o
5" =
O o q.
- oa
o 3
_ S aa S
S r.
B.g "
03 5 -o S
B
B
o
en
O
O >
o
-I
00
1
o o
a
c

m
%
f
B .
cu
O o
Si tsat 2. i
2 i S
2 o. B o
1**1 l*Z
- r a E 5
i*a
fi
B

B
CU
O
f

OQ _
a Cu
Cu O
8
Wm
a
m
CD
o
o
-a
B
Cu
a
B
el
< o
3 $
Cu
O
B
i S
v
O
o
?
a
3
s
a
S B "
afi?
2.T3 g* S
aa < .
B
o
o
Cu
a

icg
I &
5' Q3
- a
S 9
o <%>
- N
-- P5
34
a m
= 2
I-
31
i -
i*
?
8
s
e
B
a
OJ
m
s
S
a
m
a
B
cu
o
-o
te
O
I !
I 1.
a
B
sr
o
o
o
B>
B
U
0>
B"
<*'
OS
tu
B
I
OO
o
B
2.
; l
cr o
^10 a
mB b
Lvi s
v>% a.
M o. o
"S
as
Sis
m > 5 5
3 gti Ia!
r a s's. m
j" Cb s <*
Cu o
u
f!
OS
Cu
O
a B
o
B
Cu
O
i"
a>
oa
f
Cu
O
B
g
o
3
S
ss B sr
n 9 9
B B
B
cr
a
B
ir. =
n
a*
B
OO
B
o"
fi
8
B
B
ce
B
B>
5"
B
O
<

Cu

B
B
CU
O

llff
w 9 CD
O B
oj
a O
u-h)
osS s
5
-
to 9
B s, W_ O
o ad
> & > 2 9 .
*0 = 2. -. w
o-"^-a
B-os
1 3
S,B5
0-0
o
n
S
s
S
3
B
O
<
6)
O
3
Cu
O
s-
B
-
s
cu
J
u
B
B
O
CU
O
B
* 9
Flix
Oavaneiros em caitas inteiras a 3|t00, ditas em maias ditas por 1&600
1 Slg"a rr 11 Qa de Hanna os melhores que tem vindo ao mercado a 19800 a caixa
com 50 charutos. *
dem Regala, Imperial, Paientelss, Qasm fumar sabara, Trovalores, Viaiaotej Emi
los a 29 a caixa com 100 thirutos. ^^ ^m
v1
erveja preta das marcas tonenta, ou XXX a 5500 a duzia, a S00 ra. a garrafa
dem branca d8s marcas mais acreditadas a 4#, 4150(3
gar.afa a 400 rs.
e 4|800 a duzia, e em
muito novo om garrafSea com 5 libras por 1400 com garrafio, eem libra a200 rs
&eWliima do Franga a 200 ra., em porco se faz abatimeoto.
Farinha do *1aranha^Iva ,ch9iroxttl60rg., Iibra, e4|500 aarroba
Ss.13"10 d RCOm0d0 **"" U0' 260e280rs., em arroba 7*500,
Am\l"oo.que se Hedawjar neste genero de 80 a 10 "' e em i
4PtV t\fu*0 C 8m garraf59S com 5 8arraras Pr ^^O com garrafo.
W4 11 re6nadea ga"afas brancas a 800 r8'e em 8500-
^evauri m^l0 140 rs a ,.brj e em arfoba
Vinagre de Lisboa a24o
4ttenca0.
Vende-so ama eaerava de idada 15 aonoa,
crioala, com habilldadM, eoja eaerava atbe en-
gammar, cotinhar, coser fastr labyriotho, bor-
dado de marca, maito sadia, veoda-se para pa-
gamento da am casal a afflanca aa a boa con-
dacta : quam pretender dirija-se a ra da San-
ta Rila v.lhi n. 87.
Escravos.
Vande-se ama mulita peca da ldado da 20 to-
nos, perfeitt engommadeira, coiinhoira e costa-
rtira, daaa negriohas de 10 e 11 annoa da idada,
qae j cosem tofirirel ; na raa da Cadeia do Re-
cite, loja n. 64.
gr5e, cm 5 g.mh, P" %z i: vst *' mo-un,bm ki
em
Colla,
Vende-ae colla da Bahia, a melhor qaa exiate
00 mercado, palo barato prtgo da 640 a libra e
sendo para arroba sa vendara por tuenoa: na lii
de farrtgtna tita na raa Nova n. 35.
Vendem-se superiores ?elas de
spermacete em caixas de 25 libras ca-
da urna : na ra do Trapiche n. 9.
Vende-ea urna eaerava crtqult, de boa fi-
gura, repreaenta 30 a tantoaannos de idada sa-
tn, fiel, e propria para todo o aerlcode cita e
roa, vende bohnbot etc. ; lava de enaabosdo o
UlT^ aJ?6IB P",ten Raogttn. 60, aegando andar.,, para ajaatar-ie.
padrta e stm ellas, o qaa de melbor goato se
pode dar em tal ganaro; tstim como trtncellni
compridoa e curtos, com pttaador doirtdo ptra
rtlogiot. e por qae de talo isso a quantidade a
pequea e nao chtgar para todos os prettn-
dentet, convem que te apressem em mandar
comprar taes obrat na loja d'agaia branca, raa
do Queimado, n. 16.
mmmmm mmm vnmmm
Nmlujadabandeira
que vende barato,
I
na ra da Cruz do Rtcife 1
Manoel Josa da Fonceca, partecipa a
todoa os seus fregaezes a juntamente ao
respeitavel publito, que tem grande sor-
timento de regadorea, oso da Europa, islo
vende-se muito btrato, babus, becisi,
banbeiroa, baldes pira despejo, badas d
senleapa, gamelas para banho, latas para
depotito de farinha ou oatra qualqaer
serventa, canecas para conduiir agna,
machinas para caf, baliiot para compra;
ha tortimantode outraa cu unas obras a to-
das de diferentes lmannos e juntamen-
te envernisadts de diversas cores ; rece-
bem-se encammendat o se fabricara
vootada de teus donos e jautamente se
afianza a boa qualidade e perfei;lo das
mestfras obrat; ha folha de flandret o es-
tanboam vergainhas 700 r#., vernii co-
pal 19200 rt., latas de arroba 1{000
ra., cocos a 15400 ra., canecos a I9OOO rt.,
regadoras a 15280 rs., bthut grandea a
40000 rs. e peqaanoa a 600ra., bacias
I grandes a 45000 rt. peqaants a 600 rs. 8
Tadoisto vende-sa oa loja de fanileiro, <*
que por aignal tem ama bandeira na por' m
Ita que gira com o vento, asta chama-te X
a loja da bandeira.
Duas vaccas taurinas.
Fas-tt negocio do grande vaniagem com a me-
lhor eocheir* da roa do Imperador, com 4 carros
novot, ioclaindo-ae netta venda, com liceaca do
dono, daaa ezcellentea vaecaa tooiinas, ptridat
de pouco, o qae do do Utte diariamente 7 a 8b.
Nao se quer todo o dinhairo & vista, apaas orna
peqaena parte, a o rtsto am letraa a conttoto : a
tratar ni roa do Imperador n. 12.
Sellins de ryter.
Alvaro & Mtgalbaes, satabelaaidoa com loja do
hiendas flota na na do Crespo d. SO B, acabara
de reetber pala ultimo vapor ingles uai caixa
com difiranles sallfns, sendo os mais btm trabs-
ibtdoa e do mais elegancia que tem vindo a aata
praca. Ettat sellins sao do bem conKecido e do
mal afamado fibricanie de Londres, Ms. Pyltr,
um dos ftbricantea mais premiado oa expotica
de Londrea. *
Para nuivas
As maia Intereaaantea botlnta frtncezts, tanto
de setim como de durtqoe braceo para noivaa :
na loj> do Tapor, rus Nova n. 7.
Cal nova e velha,
A nova chegada ltimamente nobrlgoe cGona-
taotea, vende-ae na raa do Trapicha, armaiem
amero 9.
o
Oh
O 5-
O -
n
a
o
o
o
B9
B
O"
s
S
3
o
**2 s o-
5 6
at o.
o> o
cS m 00 o f\
.21
r-" w
cg
no
n o
lf
pi
B .
CC3 B
3 aa
f
Q- SM)
>g <= s I-
r
a>
9
o
5
fi
a.
a>
CJt
oa
-
O
o
^0
5 s
* B
era

3
o
S.
-o
1 1
o
B
s
s
o
o
o
t
o
o
e
B
B
c
p
5 -
o B
00
~
oa
1
e
s*
00
o
1 rs

mi
c
*V2)
ce
&
9
O
o
se
o*
GE
=1
*T3
B>
o
!
.
& en o
B >B
- 50
1 g
os
BPS
g I I
*r
o. a
"O -
"S. C6
5 CO
? e a 5
3
o
a
B
n
O
B
13
O
a
a.
a
5
00
O
O)
O
S" 5 09
- aaaaaEl
B PCI S- -
a> "i
- m -
O
o
fi
o.
a
a
S a^
i Si



b r
? *
fla
pp
Cr*
o
o

B
I
o. C/5
B
i S i ?
o p
i Ig
f 12
_ Oa
o
B 5* p
i 2
aa j^
SP
Vi
1 -
f-Nfi
a. n
s.Lf
~ 2. Cr g 55-
m a .
8 9
2 r^a 2
B
Si
s!
3
a
O a>
SOcr
*.
5
cfg
D
o
fi>
o
1:
en B
o
o o,
i!
o. 5
o> n
- e,
B
^ _
2 !9
O
B *
m g
" &
*=52S
& SB*
-S te


2:.
"* S =
Oi B
rj)
a
o.
01
B
s-
, -. m
** n -,
a. -1
Sis-
o 5*
o o

a o c
B> 2.-o
I
4
a I O a. s I
QP3< 5 2.
2^-l

f *
O
B
2 a-
s
P H-l
e B o na
" 3. o
s- o s ? S
J o
g BV-E.. B>
"
S
o
f
B
a
a
fisi
O
1.
O-
o
5
S
o
o
n
B
3
fi?
5"
o
B
O
o
?s
0 m fi 2 O
w S. 9
= spg
O. m
a>
o
B
i
5
S
O" 2.
B9f
* S.
-. 2
t> 8
^P
- ^.
* si
B-
0 B
si
fi ^
"I
>
,1
L
Vtndem-ta tres venaxianas osa bom nao
na raa do Csbug n. 16, lo]a,

MUTILADO
>
vm^^FS&L "" Aaf "ais M.9" ** deSflJr' 360
txfcNLBKA DE HOLLANDA. Em garrafoes.ooBi mais do 15 garrafas o 5800 e frasouei-
raa com 1* fraseos a 6*506 o 600 rs. o fraseo. '
AMENDOAS CONFEITADAS. Mnlto novas e do diversas cores a 800 ra. a libro.
DOCE DA CASCA DE GOIABA. Soporlor a 800 n. o caixio com 4 libros, tambem temos
grandes com 8 libras o 99 codo um.
QUEIJOS 3UISS0 E PRATO.-Os melhores qoe se podo desejar o 00 ra. a libra do prato o
800 rs. osuisso. r
CHAMPANHE. Dos melhores fabricantes que vam ao mercado, do 12 a 181000 o cito. *
1500 a garrafa. *o#uuv o gg0
LICORES. Os mais finos que se pode desejar a 800 a garrafa e 9900O a duiio.
COGNAC INGLEZ. O mais especial que se pode desejar a 1000 a garrafa, o 100C0 o
duna tambem tomos superior para 700 a garrafa, e 8000 a duxia.
SER VEJAS-----Das milhores marcas a 59 a duzia, e 500 rs. a garrafa.
NOZES. -. As melhores do mercado a 120 rs. a libra e 39200 arroba.
prtsc. x5SyE'"" L'ZOe Pau,ado melhor do morcado a 4000 a resma,
FKU1AS EM CALDAS. Pesego, pera, damasco, rainha Claudia, ginja, serejas, o moranso
a 560 rs,a lata, e 69000 a duzia -**> -- > e.
X



BUHO Di FiUMMIOOt. SaBBaDO 4 DE OU1UBAO N 1861.
Uvas,
Vende-ie tu maito auperiores 480 n. a li-
bra : no largo do Garmo esquns da na de Hor-
tia o. J.
Chega vapor para o vi-
gilante.
Aoo para balo.
Sao chegadas aarerdadelrae aitaaa 01 ajo pira
coacertar 011 faiar baldea, que com ama pequtnt
qaantla qualquer senhora poda faier um grande
balo, pota rende-se pelo baratissimo preco da
140 ra. a rara, oa pega com 50 matroa a 5)500 : *r* Pela maito floa (libra)
MML
sem segundo.
Na raa do Queimado n. 55, loja da miadezn
de Joa da Azarado Mala a Silra, est qoeimando
todaa aa ama miadezaa muito boaa baratlaai-
"s, a uber :
Sapatos de tranca de lia millo superio-
res a
Ditos de la para maninoa de peito a 200 e
Parea de botei pira panhoa a
Giixia com pipel de dirersss qaalidadaa
ortido a
Ditoe de corea o melhor qae ba a
Tbeaouraa de 6 polegadaa a
1|440
400
J40
s no gallo Tigiiante, ra do Creipo n. 7.
Cordo de borracha.
Tambem sao chegadoa oa cordozioboa da bor-
racha e de retrox, aortidoa, de lindaa corea e da
todia 1a groaaaraa, que & maito ae desejora, tan-
to pira palaairaa como pan debram de collete,
e para muitaa outras obraa: a no gallo Tigiian-
te, rea do Creapo n. 7.
e de seda.
aeperiorea fllai da
Fita de borracha
Tambem ao chagadia aa
borracha, aaiim como de aeda preta, propria para
debrum de resudo, como pira collete, qae ae
rende pelo barato preco de 160 ra. a rara : a
no galle rlgilante, ra do Creipo n. 7.
Machinas americanas.
Km caaa de H. O. Bieber & C., successores;
ra da Cruz n. 4, rendem-ae :
klachinaa para regar hortaa e captm.
Ditia para deicirocir milho.
Ditaa para cortar captm.
Salina com pertenece a 10$ e 05.
Obraa de metal principe prateadaa.
Alcatro da Saacia.
Verniz de alcatre para narioa.
Salea parrilhade primeira qailidado de Pari,
Vinho Xerez de 1830 em caizaa de 1 dnzia;
Cogoac am caizaa del dazia.
Aradoi e gradea.
Brilhantea.
Carrocaa pequeas.
Arados americanos e machinas
para lavar roupa: em casa de S. P.
Johnston 4 C ra da Senzalla Nova
u. 42.
&mmmm-mmm fLoja das 6 por-|
tas em frente do Li
vramento.
Baldes de 15, 20, 30 e 40 arcos.
Grande aortimento de bales de arcoa 8
os melhores oesta (azenda o grandes, chi- i
taa (rincezaa lirgaa escuraa a 210 e 240 1
ra o corado, cambraia liaa para for- 3
re com 8 i[2 raraa a 29 a peca, ditaa S
uai a 3$, i$, 59 e 6| muito fins, ditaa .
da aalpiqeiaho com 8 1)2 raraa 30500
a peca, ooertae alcoxoidaa brancaa e de
corea para cama a 49500 e 5$, casias de
cores fraocezaa tntca aaguras a 320 rs. o
sondo, peci da bratanba de rolo a S|,
algolo trincido airo maito largo para
toa>has a 1$ a riri, enfeites a Garibsldi
Kilo pretos a 5$ cada am, leocoa brac-
eos com barra de coree a 120 cada am,
ronpa feita de todas aa qualidadea meito
baratas, a loja est aborta ate as 9 hons
da noite.
Paca de fita para eos, de aaperior qaa-
lidade a
Norellos de llnha qae tem 200 jardas a
dem dem de 400 jardas a
dem idem de 800 fardas a
Linha do gaz de 10 e JO jardaa a tres por
doaa 4 barato.
Giixaa de folba com phospboros a
Cornetaa de chifre para entreter meni-
nos a
Carriteia de linba de 100 jardaa a
dem da Alexaodre maito superior a
Dazia de (acta a garlos, cabe preto, mui-
to finas a
Ciixas com colxetes franceses a
Ditas com phospboros do gaz a
Ditas com dito de rea maito superior a
Caixia com isess para accender charutos
Duziis de maiaa crias muito encorpa-
daa a
Duzia de meiaa brancaa a
Duxla de meias brancas multo finas para
senhora a
Mtios com grampos de todaa as quali-
dadea a
Boleas muito finaa para guardar dinhei-
re, serrem tambem para guardar fumo,
e aarrem tambem para senhora a 500 o
Thssouraa paquanas, porm multo fi-
nas a
Ditia para unhas tambem muito supe-
riores a
Marca pira cobrir, sao peqaenas, porm
o proco convida a
Parta de meias de cores para meninos a
Pares de meias brancaa para meninas a
Groza de pennaa d'aco de todas aa qua-
lidodee a
Caizas com 100 anrelopes muito finos a
Groza de botoes de louca pntiadoa a
700
700
40
100
320
40
60
120
80
80
30
100
35J500
40
20
20
40
28400
1}600
8000
40
800
200
400
10
160
200
500
IJOOO
240
i
s
i
^ mmmm -wammmmmm
aa
Vende-se em casa de N. O. Bieber
C, successores, ra da Cruz n. 4.
Manguitos com gollinhas.
Tenda-se manguitos com gollinhas, fszenda
muito toa, pelo barato prego da 2J000, gollinhas
e punhos ultimo gosto a 29000, gollinhaa muite
finaa a bem bordadas a ljJOO cada urna na ra
do Quaimade loja da miudazis da Bea fama,
o. 35.
Venden*- se tachas de
ferro cuado do fabricante mis
acreditado: na ra do Bruto
n. 28 B, armazem de Jos da
Silva LoyoskC.
S ie vigilante.
Aderecos pretos
Tambem chegaram oa liados aderecos prctoi,
sendo dan pulseiras, roiitas, alflnetes, ludo em
urna caixlnha, iotclramenle cousa ora nesta
praga, todos muito delicadoa pela grande mo
de obra que tem, pola sa peaaoaa de bom gosto
saberao apreciar : s no galle rigilante, ra do
Crespo n. 7.
Lindos enfeites para ves-
tidos.
Sao chegadaa no rapor ingles as ricas flotes de
relludo que ao admirareis pela delicadeza das
lindas cores, poiscom pequea quantis ae senho-
ra* podero enfeltar os ricos resudes que sari
muito apreciarel, pelo baratiaaime prego de 19
e duzia : s no gallo rigilante, roa do Crespo
numero 7.
CALCADO
45 -Ra Direita4S
A. epidemia declina eensirelmente, s o sai
'ompUto desapparecimento est prximo I 0
proprieterio deste bem sortide estibelecimento
eocrida os seas numerosos freguezes a substituir
o calcado Telho, que todo eat cholarico, por no-
ro, e que possa reaiatir 4a mil achotis e manar-
eis que rao aer dansadaa em louror do reatabe-
iecimento da aaude publica. Os preces con-
ridam:
fhantasia I
Pentes com enfeites.
A. loja d'agua branca acaba de recebar lindos a
noriaslmos pentes com enfeites pendentes, obra
do muito gosto o ultima moda para seohoras, os
quaea caita re de 5 a 129. conforme os difiranles
e agradareia moldas ; aisim oa pratendentes man-
dara qusnto antes oa loja d'aguia branca, roa do
Qaeimado n. 16._____________________________
Conservadores para ca-
bellos de senhoras.
A loja d'aguia branca receben cases delicadoa
enfeitee para cebicas de senhoras, os quiee alera
da galantera tem msis a aiogulsridade de con-
serrar perfeitsmente o atado dos cabellos, o sao
ellas da um gradiado mu fino o ornado com fl-
nissimoa ridrilhos, o que ee tornam tao agrada-
reis 4 riata de todos, o rendem-se pelo diminuto
preco de 19500 esda um. Uso na ra do Qaeimado
loja d'agua branca n. 16.
Ra da Seuzalia Nova u. 42.
Vsnds-sa em easa da 5. P. Jonhston & C,
sellins o silbos inglczos, eandieiros o castieaea
bronzasdoi, lonas inglesas, fio do vola, chico tai
para carros o montara, arrotos para carros de
um a dous cavallos, o r elogios do onro patente
ingles.
Rival
sem se
gundo.
Sebo
de superior qealldade, em barricas
rende ae a prego mdico : na rus
0. 9 primeiro andar.
e caixotes,
do Vigsrio
HOMENS.
Botinas afamadas Milis. : .
> non-plas-ailra Nautas.........
> Nantcs 2 batera..............
s a luatre....................
a inglezes de boldes..............
a batedores.......................
coure de poreo.......
becerro e luatre................
a inglezee pea stlragens.........
a taxiados braaileiroa............
Sapatoes non-plua-altra................
Tiras e ntremelos bordados.
Veode-se pecas de tiris bordadaa do 2,500,
3,000, 3,500 e 4,000 enttameios a 19600 e 2*000
caaa peca n- ra do Qaeimado loja de miudexaa
da Boafima.n. 35.
Boneca* francezas.
Vande-se bonecaa franeexas ricamente reatidaa
49000 e 59000, e 1*000 bonecaa de cera com os
olhoa moredeos a 28000 a 3OO0, na ra de Quei-
mado loja da mludazae da Boa fama, n. 35.
121000
129000
111000
lOftOOO
109000
99500
99000
99000
79500
51500
79OOO
69500
59500
69000
59500
59000
29OOO
59OOO
29000
19280
Fivelas de ac para sintos.
Vande-se ralas de ac para ainto a 19500 rs. e
29000 na ra do Queimado loja de miadezaa
da Boa fama. n. 35.
Baleias.
Vende-se baleias 4120 rs. cada ama aspa de ac
para balo a 160 ra. a rara, bandea a 19500 ra. a
-2900 o par, na rus do Qaeimado loja de miudazis
da Boa fama, n. 35.
J chegaram os remedios
do Dr. RaduayResolutivo
renoador, prompto allivio
e pilulas reguladoras,
No droguista Raymuado Carlos Lette
Irmso. ra da Impertriz n."2.
Cascarilhas de seda.
Vande-se aacarrilhas de aada para enfeitar
?stidos a 29000 a peca na ra do Queimade
loja de miadezaa, n. 85.
fneite>s para senhora.
Os melhores eniaitea pretos a de coras que *p-
paroee a 5$50j, 69 e 6J50C : na loja da Victoria,
na ra do Queimado n. 75.
a 8 bateriaa e meia..............
a esmaga cobra..................
a Nantea 2 bateras raqueta.....
> a 2 bateras baxerro......
a a trabslbadores..........
brasileiros de 3J500 a..........
Sapatos 2 solas o salto..................
a tranca portuguezes..........
a a franeczes......
SENHORAS.
Botinas dengozaa.........535500
salto de bater.......- 5J000
a pecbiocha de 4*500 a. iSOOO
a americanas 3|500 a 29500
Sapatos de salto (Joly) .. | 39OOO
a sem elle (idem)......19920
tapete:........ gOO
a economieoi. :...... 500
a lustre 32 e 33....... 800
MENINOS E MENINAS.
Ha de tudo em nlscao o ao se deia sshh
dinheiro.
Um completo sortimento de couro de porco,
cordsro, bazerro francez, couro de lastro, mar-
roquim, tola, courinhoe etc., que tudo ae troca
por dinheiro a Tontada do comprador.
larato qne admira.
Ra do Amorim n. 43,
Vendem-se saccas com milho noro a 21500
ditas com farinha a 29500. '
Vendem-se caixoes va-
sios, roprio para funileiro
e bahuleiro, a 1280 cadaum :
nesta typographia se dir.
Boa fama n. 35.
Ra do Qaeimado n. 55, loja do miadezaa de
Joae do Axcrede Maia e Silra, conhecide por Jo-
s Bigodinho, est rendendo tudo peloe precos
j sabidos, porm quem nao aouber tenha a
bondade de rer o qae bom o baratissimo:
Fraacos de Larande muito finos, a 800
Ditos de oleo babosa aupsrior, a 320 a.. 500
Frascos de agoa de colonia muito fina a 400
Ditos de dita grandes superior, a 600
Caixas com pos cor de rosa para limpar
dantos, e.......s 160
Daxla de sabonetas moito Anea, a 600
Virss de bico das llhis, est no resto, a 80
Carriteia de linha preta muito grande,
e tem muita linha, a.................. 160
Bengalas do melhor gosto, a : 500
Tinteiroe com Unta muito boa, a 160
Baralhos de cartaa frincaxas, a 240
Ditaa de cartas portuguezas muito fi-
nes, a ; :....... 160
Varas de fita de reliado recortada, a 160 240
Frascoe de banha de arco maito supe-
rior, a........... 600
Ditos de dita transparente, a 800
Frascos de macaca parola, maito fino, a 200
Ditoe de dito oleo, muito fino, a 100
Varaa de fita para faxer aintos dos ma-
lhoroa goato, a........ 500
Babado do Porto para todo o prego. .
Labyrintos maito finos para todo preco.
Barra com phosphoros muito bons, a 160
alisaos de linha fina para bordar, a .... 240
Cartaa de colchetes superiores a 40 e 80
Eocoras para limpar dentea, a 200 e 400
Carriteia de retrox de todas ss edrts, a 240
Bonecaa nuss potm muito bonitas,
240 e.................. 350
Graratss do duas rollas muito supe-
riores a,........... ..............;... 800
Fios o masaos de coral de qualquer qua-
IfcUde a............................... 500
Sabonetea grandes e mnlto finos, a.... 120
Agalheiroa com agulhaa...... 80
Fitaa para espsrtilhoa grandes o pe-
queos a 60 e........ 80
Varas de bico de 3 e 4 dedos, a 120
Caixas com sgulhas frsncezss cartas, a 200
Linbsa em cartoea brancas o de co-
res, a ............................,___ 20
I7~ J .- ~" Abs-se renda no aacriptorio de Antonio
vende os seguales ob- L"!xde ^fr-4" *"*e f a obra eacriptapalo risconde de Uruguay,Enaaio
Sobra o Diraito AdminiatratiTo ; daixamoa da ta-
e cabazes pars
as meninas trazereiD
uo bra^o.
afeito liadas eaixnhss a tibazaa piramantaas,
da 100 ris st 29500: na loja da Victoria, na rat
do Qu*ioido n. 75.
Franjas pnitas com
e sem elle.
Bicos eortimentos de franjas pretae e de adres
ooi rldrilhoe sam elle : na loja da Victoria, na
rea o Queimado n. 75.
iuhasd** peso ^erd^-
deiras..
Linnaa finaa de
grandes a 240 ria :
do Quaimade n. 76.
paae rerdadairas. meadaa
na loja de Victorie, na ra
Phosphoros de seguran^
Phospboros de seguranea, por que lirra de a-
eaudl*, 160 ria a caixa : na loja da Victoria,
aa ra do Queimade n. 75.
Meias de borracha.
Vande-se maiaa de borracha para quem padece
de erysipela a 1590O0 o par, maiaa de aada preta
para aenhora a 1&0O0 o par na ra do Queimade
loja de miad cas da Boa fawa. n. 35. ________
JPerfu.iT *ri**vurit ^
baratas.
'Opiata ioglexa a 19500 rs, dita francesa a aOO
rs., 40, 9000, oleo da sociedade hygieniqua
crdadair a I9OOO o frasco, oleo baboss de Pirar
rerdadeiro a 800 rs. o frasco, agua balsmica
para oa dentea a 19000, dita de Botot tambem
par os dentes a 1JOOO o frasco, pomada france-
sa em paos a 500 rs. e 19000, 320 rs. saboneta*
multo fino a 640 rs., 800 rs. o 19000 cada um ns
ra do Queimado loja de mtudazas da Boa fama,
n. 35.________________
Cartas finas para vollarete
A loja d'aguia branca acaba de receber um bom
sortimento de csrtas com tintss mui finas, papel
VI lu(lr0l P*co, e caracteres de noros desenhos,
' representando ss flguraa oa grandea personagens
! das guarna da Itilia o outros. J se r, pois,
que com uos baralhos assim bons e bonitos, tor-
ca-se ainda maia deleitarel o entreter-se parte
di ooaie no divertido roltarete, tendo sempre
*3padilba, manilha, baatn, etc., etc., e pelo con-
trario am pichoso, ao quilos boliohosea chara-
.' a do bom cha do dono da casa far esquecer e
pouco que perder. Oa baralboe de canto redon-
do e dourado castem 69 a duzia, 01 immedistaa
S#, e outros 49, ?g>00 e 39. Tambem hs finas
paraoa apalxonades da bisca, eapidilha, etc.,
, riata do qae nao ha maia a canssr-se, o pretn-
dante dirigir-se com dinheiro ra do Queima-
do, loja d'aguia brsnca n. 16, que aera bem ate-
rido conformo o lourarel cosame.
Plvora e chumbo
veida.
JooJos deCarvalho MoraesFilho,
competentemente autorisado vende pl-
vora superior de diflerentes marcas e
chumbo de varias qualidades por pre-
co commodo : q prptfi^dflntfi pdente
dirrgh -s"e a sua loja de ferragera na ra
o Queimado n. 15, a contratar.
Vende-ae urna mulata de 18 1 20 anooa,
9joiti figura e prendada : a tratsr na ra da Au-
rora n. 70, segundo andar, das 3 horas da tarde
at aa 6.
jectos abaixo mencio-
nados.
Grampos a balo com pendente doarados a Sf
o psr.
Pontee imitando tartaruga para bandea, nlti-
0.0 goato a 39 o par.
Firelaa para aiotoa, faxenda inteiramente ora
a 29 o par.
Alfinetes pretos com doarado para senhora, in-
teiramente noros a29 cada am.
Botoes pretos com doarado para peones, inlei-
rsmente noroe, e 29 o par.
Botoes de tartaruga para punhos a I95OO o par.
Na rus do Queimado, loja de miudexas n. 35,
da boa lama. _____
Tinta para marcar roupa. -
Vende-se tinta para marcas roupa a 19.
Agua de malabar para Ungir caballoa a 59 o
(raaco: na ra do Queimado, loja de mtudaxaa n.
35, da boa fama.
Cartas finas para jogar.
Vende-se duxia de baralhos de cartas flnss com
as pootas douradaa a 69, dita sem ser dourada a
39500 e 4f : na ra do Queimado, loja de miu-
dezas n. 35, boa fama.
car elogios a eata obra, basta o nomo de sea au-
tor para a tornar recommendada, duoa rolamos
em brochara IO9, ancadarnado 11|.
REMEDIO INCOMPaRiVH
OMGBSTO HOLLOWat L
Multares de individuos do todas as nsce e
Hmtostomnnh.ias ,irtudes dM,.r
mcompararoloproy.romoMo nocessario am.
p*, uso quo dol. fiz.rail ,ea W
p.ra.n.cido !./ ..m/o" ho?.T"''"""
tniajMnto que nocesstasse s naturoz. do k--l
InflsaiHaco ds beiifa
da matriz
Lepra.
Malos das pernss.
dos peitos.
de olhos.
Mordeduras de rops.
Picadura do mosquitos,
Pulmoes.
Queissadelas.
Sarna.
Supurasoes ptridas.
Tinha, oss qualquer
parte que seja.
Tremor de ervos,
ulceras na bocea.
do figado.
das articulares.
Vaias torcidas ou B0-
das as pernss.
Ba da Senzalia Noy* 45
Neste estabelecimento vende-se: ta-
chas deferro coado libra ilOrs. idem
de Low Moor libra a 120 rs.
Lencos brancas
com barras de cores para meninos a 13
a duzia.
A loja d'aguia branca tambem rende bons e
bonitos lencinhos brancoe com barraa de cores,
proprios para meninos, pelo diminuto preco de
19 a duzia. Arista da limitscio do prego taires
slguera desconfi ds bondade da fazenoa, mas
psra desengao dirigir-se,prerenido de dinhei-
ro, i roa do Queimado, loja d'aguia branca n. 16,
onda oa achar patentes.
Alporcas
Caimbras
Gallos.
ancores.
Cortaduras
Dores de cabera.
das costas.
dos msssbros.
Enfermidadas da cutis
am geral.
Hitas do anus.
Erupcpas escorbticas.
Fstulas no abdomen.
Frialdade ou falta de
calor as extremids-
des.
Frieiras.
Gengivss escaldadas.
Incbacas.
nflammacio do figado.
Vende-se este ungento no estabelecimeTJta
goral de Londres n. 244, Strand, a ds lojs
de todos os boticarios droguista a outrss pos*
soas encanregadas de sua renda em toda a
America do sul, Havana a Mespanba.
Vendo-sa a 800 rs cada bocetinba conta
urna instrueco em portuguaz para explicar ;
modo do (azar uso deste ungento.
O deposito gersl em casa do Sr.-Socas.
barmacoutco, na ra da Crux n. S2, am
pernambuco.
Ba.eias para yestido.
Balelae muito grandes e boas a 160 ris ama :
na loja Ja Victoria, na ra de Queimade n. 75.
Linha de croxel para la-
byrintho.
As mekberes linhss de croiel para labyrinthe,
nerelloa nwnstros a 820ria am : na leja da Vic-
toria, na raa do Quaimade o. 75.
Sintos doarados para se-
nhoras. .
Lindos alles dearadoe para aenhoraa a 29-209,
ditos de poeta cahlda a 49, ditoa de fita a 19606:
a, loja da -Victoria, aa ra do Queimado n. 75.
icos espetaos de
moldura dourada para
salas
CheSjOa para a leja 4a Victoria ama pofaena
c-orcao de ricos eepelboa de varios tamanbsc para
efuameates de salas, affiaaeando-se serosa 01
meihoree em ridroe qae tem rindo : na loja da
Victoria, na rea do Queimado n. 75.________^^
L& para bordar,
Laa maito boi de todas as corea para bordar,
79 a liara : na loja da Victoria, na taa do Quei-
made n. 75.
Liabas do gaz,
Csixinhas com 50 norellos de linhaa maito fi-
ase io gaz a 900 ris a saixa, ditas com SO no-
rallos a 700 ris, ditas com 10 norellos grandes
a 700 ris, brancaa o prataa: na loja da Victoria,
a ra do Qaeimado n. 75.
Veode-se iyn fardamento rico e outro ordi-
nario para offictal da guarda nacional, todo em
perfeita estado : oa raa Nora loja o. 7.
Aos Srs. consumidores
de gaz.
Noa armazene do caes do Bamos ns. 18 o 36, e
oa ra do Trapiche noro ( no tlecie ) n. 8, ae
rende gaz liquido americano primeira quilidade
! e recenlemente chegado, a 159006 a lata de 5 ga-
lBs, assim como latas de 10 o de 5 garrafas, e
embrralas.________________
loupa feita muito barata.
43Raa d Queiiuado 43
Lojada esqua* que volta para
a Congregacao.
Veside-se
Palelota de casemirs, eacios, a 8, 0 e lOf.
dem idem aobrecssaeoa a 9 10 e 129.
I-iem de meia casemire, aaccos e sobrecasacos
a 49. 49500 a 5S.
dem de marin de cordio a 6, 7 o 89.
Iiem de alpaca preta a 4, 5, 6 a 89.
Ide-n de fustao e ganga a 2J500 39 e 4y.
Calca de caaemlra preta a 7, 8 e 109.
dem de cores a 5, 6, 7 e 99.
Calcas da meia caaemira a 39, 39500 e 49.
dem de brim pardo e branco a 2, 3, 4 e 59.
Ideea de fustas o ganga a 25, J9500 o 3#.
dem da merin de cordao e meia casimira
pretil a 49, 49508 e 59.
Calcas de princesa a 39600 e 49.
Golletea pretos para luto, aendo de merino fino
e caaemira oprinceza a 3, 4 e 59.
Golletes de casemirs de cor a 4g- 49500e 59.
dem de brim branco e pardo a 3g, 39500 e 49,
oulraa muitas qualidadea de roupa feita, qae
sempre se reode por meos do qae em outra
qualquer parte ; o daaeogano da riata rer.
Libras sterlinas
Vendem-se no escriptorio de Manoel Ignacio
de Olirotra & Ptiho, largo do Corno Santo n. 10.
Cera de cariT-*.ub%
Vende-se cera de carnauba em siseos, inulto
bis oualidade a 89 a arroba ; no armaiam do
%il*ltJ 00 caei aa aifarj jrga.
Papel de diversas qualidades.
Vende-se papel de beira dourada a 19400 ; di-
to adamascado a IgtOO ; dito de c.es a 800 rs.
dito branco a IgOO ; asul a 900 rs. caixinba :
na loja do beija-flor da ra do Queimado n. 63.
Gravatinkas para senhora.
Vendem-se graraliDhaa de seda para senhora
de diversos goslos a 800 rs.: ra do Queimado,
loja de Beija-flor n. 63.
Tinteiros e arieiros.
Vendem-se escrivaniohss de metal fino a 19 :
ra do Queimario, loja de beija-flor n. 63.
Fitas para debruar.
Vendem-se fitas para debrum de vestido a 280
ris ; trancinhss de linho para eofeitar roupa de
meninos e senhoras a 80 rs. e 120 peca : ra
do Queimado loja do beija-flor o. 63.
Carteirinhas para senhora.
Vendem-se cirteirinhis para guardar dinheiro
a 19000 e 19200 rs.: ra do Queimado, loja do
beija-flor o. 63.
Pentes de tartaruga.
Vendem-se pentes de tartaruga rifados dos
msis modernos qae ha a 89OOO ; ra do Queima-
do, loja do beija-flor n. 63.
Pentes de burraxa para menina.
Vendem-se pedes para at.r cabellos de me-
ninas e aenhorss a 640, 800 rs. ; ra de Qaei-
mado, jo-ja do beija-flor n. 63.
Bandejas.
Vendem-se bandejas fioas de dirersos gastos a
i$500, -2g000 : ra do Queimado, loja do beija-
fljrn.03.
Toucas de laa.
Vendem-se toucas de laa para meninos, de di-
fersaa qualidadea a 800 ra. e aapatiohoa tambem
a 600 rs. : ra do Queimado, loja do beija-flor.
n. 63.
Touca dores,
Vendem-ee toucadorea de Jacaranda a 29OOO,
290OO: ra da Queimado, loja do beija-flor n. 63.
Coral.
Vende-se 0 da coral a 580 rs. e rostas a
I5SOO: ra do Qaeimado, loja do beija-flor n.03.
Anvtlopes.
Vendem-ae anrelopea adamaacados a 19300 ;
ditos brancos a 18010; ditos cuea a 1j}200 rs. :
ra do Queimado, loja do beija-flor n. 63.
Uvas e macees.
Vende-se na ra da Cadeia de Seeife n. 25,
d-efronte do Beeco Largo a libra a 400 e 540 rs.
e caixaa a 149 com 38 librar, caicas com ma-
cee a 35g.
Fitas de laa para debrum.
Vandem-se paces de fita de lia para debram a
lf, e em rara a 120 rs., ditaa de aeda a 29400, e
em rara a 240 : na raa do Queimado, loja da
miudexaa n. 35 da boa fama.
No vos pentes
L de tartaruga e maesa,
'ora dour&do e sem elle,
para atar cabello,
A loja d'aguia branca acaba do receber esses
pentes de qae as senhoras tanto precisaram para
igaalar aos pequeos dourados. O aortimento
pequeo, porm completo, porque tem de tarta-
ruga e masss, douradoa e sem o ser. A belleza
* perfeicao delles difficil destrtrer, o por isse
liinitamo-nos a dlzer que ellas ao de um dse
i.b.0 norissimo de apurado gosto, o de castosa
execucao, na qual o artista elerou-se por sua
pericia. Tem alies a forma de um laco de fita no
centro do que ae conhece o feche por meio de
urna flrella, isso alam de rendados, tanto os de
tsrtaraga como os de masaa. Agora, pola, qaa
apparece ebom.conrem qae as aenhoraa ae nao
demorem em mandar comprar na loja d'aguia
ranea, ra do Queimado n. 16.
Viagens Polares.
Sahio a' luz, e acha-se a' venda na
Livraria Econmica, a obra vertida do
inglez pelo primeiro tenente da armada
Collatino Marques de Souza, a qual
tem por titulo Descobertas e Aventu-
ras nos Mares e Regioes Polares
POR
Sir John Leslie,
Roberto Jameson
s
Hugh Murray.
Esta importante obra compor-se ha
de dz olhetos, do custo cada um de
Rosas e bouquets
artifciaes com che ros
A loja d'aguii branca acaba de receber lindas
rosas e bouquets artificiaos com agradareis chei-
roa, as quaea serrem para trazar-te na mo as
occaaioes de bailes, casamentos, etc., etc., o que
aqu novissimo, oorm da maito gosto, e pouca
deipeza ; custsm 19 e le5(0, e acham-se nica-
mente aa ra do Queimado, loja d'aguia branca
numero 16.
Reiogios.
Vende-so osa casa de Johnston Pater d C,
. j do Vigsrio n. 3, um bello sortimento de
i elogios do ouro, patento inglez, do um dos msis
afamados fabricantes de Liverpool; tambem
asa variedade de bonitos trancollins para os
mesmos.
Chegado pelo va-
por fraocez s para o vigi-
lante finos pentes de mar-
rafa .
' besado oa lindos pentinhos dourados com
muitaa lindas molduras do differentea-goslos pa-
ra mairafa oa trarcasos, pois s com a rista os
compradores sabero aprecier o quinto sao deli-
cados pelo baratissimo preco de 3g00o o par :
assim como sem ser dourados de lindoe gostos,
pelo barato preco de 29 : na ra do Ceeapo n. 7.
S6 no gilo rigilante. ros do Crespo n. 7.
Gr*mps a balu.
Tambem chegado as lindas grampas a balo,
coasa multo ltnda : a no rigilante, ra do Cres-
po n. 7.
Para atar cabello.
Tambem ha chegado linios pentes de tarta-
ruga todo entrsncade com fila de borracha, de
forma qae o cabello amarrado fita dentro de um
engradado, inteiramente coasa ora, e de muito
gosto, assim como com lsco e lizos de lindos fei-
tios, que se rende por preco maito razoarel : s
00 rigilante. rus do Crespo n. 7.
Laa ^ara bordar.
Tambem ha euperior la para bordar
que se rende a 19, e em cada caixinha maito fina
pelo baratissimo preco de 79 a caixlnha : a no
Tigiiante. ra do Crespo n. 7.
Espelhos.
1 meias moendas.
ferro batido e
Moendas
Taixas de
coado.
Machinas de vapor.
Rodas d'agua.
Rodas, dentadas etc., etc.
Ru do Brum n. 38, fundicSo
de D. W. Bouman.
(CM
nova de Lisboa.
0 enligo deposito de raa do Bram n. 66, arma-
zem, acaba de recebar a superior esl de Lisboa
da maia ora que ha no mercado, chegada am
destes dita pelo brigue portagoez cConstinle,
jue so rendo por presos muito ommodos,
< h imuiucm aa aiatmi iaa para coraar que te
18, e e ornada de um mappa dos mares rende por 69 a libra, assim como la do familia
polares, e de bellas estampas, que suc-
cessivamente acompanharao os folhetos,
que mensa 1 mente se publicarao.
Rival sem
igual
Ra larga do Rosario n. 63,
junto da botica do Sr. Bartholomeu.
Pedro Paulo Tinoco de Souza. dono deste es-
tabelecimento est sempre reeolrido rendar mal-
lo barato todaa as mludasaa de sua loja, para o
qae tem um rico sortimento, como tejara :
Cartoea de colchetes a 40 ra
Carriteia de linha igual de Aiexandrea 80 ra.
Ditoa de dita de 100 jardaa a 40.
Linhaa da eroxel para bordar (maaso) a 640 rs.
Tinteiros com tinta e Umpa de metal a 180 rs.
Pentes de borracha para alisar a 560 ra.
Escoria pira limpar onhas a 820.
Ditia para limpir dentee a 240.
Ditaa para limpar roupa a IJOOO.
Ditae para Umpar cabello 19000 ra.
Estampas do todas ss qualidades a 160rs.
Las para bordar, sortlda, libra a 69400 rs.
Br toes de lioho psra casareqaa a 10 rs.
D. tos de ceda para dito a 30 e 40 rs.
Sintos dourados a 19500
Csixss de panai de ac a 400 ra.
Ditas de metal com peoaa a 100 e\100 rs.
Botoes para punbo a 120 e 180 ra.
Agolhas franceses em caixlnha a 220 ra.
Rozetee com pedra mallo bootlis a 400 rs.
Colxetes pretos, 14 pares a 60.
Alamarea para capote, dazia, a 800 r.
Pulsairaa de cootas anudas a 19280 o par.
Grarataa com botas a 19000.
Meias para aenhora a 2g00. rs. a doxia.
Bico preto de linho por todo prego j>ara acabar.
Assim eon?o tem para trocar imtgens de san-
to Antonio, Se>bor dos Paseos, o S. Benedicto
do barro a 39000 ra. cada um, maito bsrsto |
por ser maito perfeito.
funileirovidracel
Grande e nova officina.
Tres portas.
31Bua Direita31.
Reste rico e bem montado estabelesimci. .
sentraroosfreguezeso msis parfeite, bem aca-
bado a barato no sen genere.
URNAS da todaa as qualidades.
SANTUARIOS que riralisam coe o jsame:,
BANHEIROSde todos os tsmsnbos.
SEMCUPlASideuidem.
BALDES idem idr,-.
BACAS idem \da\ .
BAHUS idem idm.
FOLIIA em calzas de todas as grossumt.
TRATOS imitando em pvrfcico abes p^rse).
lana.
CHALE1RAS de tadaa aa qualidades.
PANELLAS Idem tdetr.
COCOS, CANDIE1R0S Canoras pi> Bi -
uor sortimento.
VIDROS em salas e a rettlho d< todws u u-
Eandatdo-semsnhos, botar dentro da eid ,
em toda a parte.
Recebei-se entommendaa de qa!Hs... tais-
reza, concertos, que tudo stri deserornhetts. a
ccnttnto.
ikei^iji
DA
w-loer,
Boa da Seni-.allst Nova n.4*.
Neste estbalasimento continua a harercx
completo sortimento de moendas e meias meett-
daa para engrano, machinas de rapor e tausa
de ferro batido o coado de todos ostsmanho
para dito,
Cal e potassa.
Vfrtfdein-6 te dona ar-
tigo* ltimamente chegado?,
no bem conhecido e acreditan-
do deposito da ra d Cadeia
do Recite n. 12, maia barato
do que en* outra qualquer
parte
Vende se
Tambem ha grande sortimento de espelhos re-
dondos de moldura doarados do todos oa tsms-
nbos, com excellente ridro, que se rende pelo
bsratissimo de 3|, 4| a 5| : a no rigilante, raa
do Creapo o. 7.__________
Sintos.
Tambem chegado oa maito desejados aintos
com riese flrelaa de concha o borlla ao lado
cousa muito chique se rende pelo barato preco
de 49, assim como ricaa Areles para sintos com
pedrinhaadelindoa gostos que se rende a 1J600
e t|; s no rigilante rea do Creapo n. 7.
Potassa da Russia
e Americana.
N* 'MrlPtori de Mane el Ignacio de Olireira &
Filho, largo do Corpo Santo n. 19, por prego
maia barato do que em outra qualquer parte.
Para o baile do
club.
Vende-se na loja do pava
Ricos cortee de restidos de cambraia branca,
primorosamente bordados a crox, sendo oa mais
bonitos qae tem rindo e eeto mercado, e ren-
dem-se por precos bsratissimos, na raa da Impe-
ratriz n. 60, loja e armazem do paro.
urna csrroca com boi, tudo em bom estado : a
passoa que qaizer, dirija-ae a praca da Indepen-
dencia n. 17, que se dita quem a vende.
IseraTosfgiuo^.
Sal
a bordo do hiate Dous
j tar com Tasso IrmSos.
Irm5os : a tr-
Altelo
No dia l*do torrente ausenlou-se o mulsiinbo
Manoel, escraro, de 14 sonos de idsde, com os
aignsss seguintes : cheio do corpo, eflr clara e
mscilenta, cabellos garapiohos, olbos pequeos
e como de quem soffrea nelles encommodo, tem
falta de um dente na frente no qaeixo superior, a
primeira rista mostr acaobamento proprio dos
escraroa do campo, tem o andar feio, as moa e
pea curtos e gtoiioa 1 ponto de pirecerem jocha-
dos, lerou camisa de algodio de listrss, e cal-
ca azal ora, chapeo de palha de carnauba asi-
do, sappoe-se qae anda aqai mesmo na cidade,
risto qae a ella reio pela primeira re, ou que
leona acompanbado algam comboy de almocre-
res; este mulstinno pertence aos orphoa do
fallecido Francisco Antonio Gayao, netos e tute-
lados da Exm. Sr." D. Emerenciana Mora da
Piedade, aenhora do eogenbo Junco na comarca
de Nazareth ; roga-se as aetoridadea politiaes
capitea de de eompo, e a qualquer pessoa, tanto
da cidade como de fre.a spprehensso do referido
mulatinho que se gratificar generosamente, na
raa de Apollo n. 43 primeiro andar.
n7-F,g1 1" dd "onto mex am escre-
ro de nome Pedro, qae representa a idade de 4
a 50 annos. altara regular, groase do corpo, tent
is naosgtoisss o cortadas por tor oficio Ve sa-
"nguegeiro, o na mi direita dere ter ainda
ni11'11 D,n,riio P er poico tempo
qoo elle soffrea esso mil, tambem o capinheiror
J sinnal mais saliente por onde pode ser captu-
rado por aer cairo : quem deile soober oa ti-
rer nstieis, drija-se a raa do Queimado o. 14,
loja da ferrageae, que aoro geneiaamente recom-
pinaado.
MUTILADO
u
i


8
3E
DIARIO M IMBAMICO, SiBBADO 4 DI OUTUBftO Di ih
Litteratura
0 que vae pelo mundo.
O grao daqae Constantino, da Hjsss, diriga
seguinte proclamacio aos policoi :
o Piicoi I S. M. o imperador e re mea
augsito irmo, quiz dar aos .seus tal Mos poli
coi, ama prora ndubitavl dos seus se; timentoi
benvolo! para com ellas, nometndo-nio seu re-
presentante nesta reino.
aAcceitjndo a obrigago.de queapprouve ao mea
augusta soberano encarregar-me, nao duaimalel
es difficuldadei da minha miasao. Mis a puresa
dos tutus sentimentos, a esperanza que tanho
em uaus, e a sympathia de todos os polacos que
amam rerdsdelramenta a saa patria, e o inte-
ress* qaa tem pela sua rerdadolra fdieldade, me
laspiram toda a confian;'.
a Com estas saotimentoa obedezo vox do cea
soberano, e como penhor doa maus sealimentoi,
trouxe-vos comigo o que o mea corsgio tem de
mais charo, minha esposa e meas rlihos, e pro-
ced desta manaira immadialamente depois do
atteotado commettido contra o repraieatanta do
imperador. Forte da minba consciencia e da ia-
teogao qae tanho de consagrar todas aa minhas
lorgaa a vossa fortuna, vlm para entre vos ni-
camente com o acedo da cooBaoga illimltada
que em tos depositive. E todava apenaa Unba
chegado ao paiz estar j armado o brago do ai-
sassino, qae desde logo me quiz dar a mora. A
morta procurara-me no maio da mullidao qaa
se reuna parame receber,e segua os meuspr-
meiros paaaoa qmindo me apresentava perante o
altar do Senhor. S a Providencia me salvou.
c Dasde ento, maia doas allantados sa com-
metteram contra o homem que a confianza do
imperador e rei esco heu o'eutre va, e me ha-
vla dado para collaboradorda minha grsnde mis-
sao. A mo da justig slcanc.au os criminosos. O
governo de S. M. saber punir as conspirares
criminlas, (azendo gosir ss pessois bem inten-
cionadas da protecco da lai.
Polacos 1 Permitiris vos, que um part lo
Criminoso, qae nao numeroso, verdade, maa
que perverso at ao furor, e que recorre aos
ruis horriveis meios, levante ama barreira en-
tre o throno e o povo, e embarece o cumprimeo-
t) das generosas intenges de sua mageitade ?
Sjffrereis tos que, sb o pretexto da llberdade
e do amor da patria, urna coojorigio aveoturosi
encha >le terror a n.-cio com amesgas incestan-
tes '.' Mostrae-vos dignos dos vossos gloriosos
aotepasssdos e peniat que at aqai nenhuma pa-
gina da voaaa hiatoria est manchada com ac-
(dis lio abominareis. Gonvencai a tolo o mun-
do, pela vossi conducta, de qae rageitaes toda a
aolidariedade com os crimes deshonrlos para a
naci.
As grandes reformas resolvidas palo impe-
rador e rol para salisfazer aa verdadeiras necea-
aidadei, e qae j eato postas em txecuco, e
taes sao : a creago do cobaelno de eatado ; i
orgaoisago das escolas e da repartirlo de ios-
truegio e dos cultos ; a emancipado dos jadeos ;
a crtago dos eonselboi dis cldadeae dos crcu-
los ; a reforma da administrago todas eslaa
medidas testemunham claramente a plena solli-
citude de oosso augusto monarcha a rosso respei
to. Nao permilli.pois que a sua completa execu-
gao e o sea deaenvolvimento alleiior possam ser
embarazados por um partida, qaa sacrifica o io-
lereiie do paiz realisacao dos seus principios
revolucionarios, por um partido que s pJe des-
truir eno edificar.
< Polacos I Depositae em mim urna confianza
egusl qae eu depositei em vos. Ligae-vos a
mim com um uoico seotimeoto, t'abslbemos de
accordo para a f i-tuna da Polonia, e pegsmos a
Ijus que abenge os nossos exforgos, e ama
nova era de prosperidad^ e de fortuna se abri-
r,'t para erla patria, que tanto amo.Constan
lino.
Eis a celebre pr;slamagio, dirigida por Ga-
rlbaldi aos hngaros, cbamando-os guerra :
a Hngaros I
Que faz a Hungra I
Essa nobre nago que o oltomano, victorioso
por toda a paite, viu surgir diante de si para de-
fender a Europa eivilisada : essa naga dianta da
qual se inclina o orgulho dos Habsburgo pedin-
do auxilio e piedadeessa oscao dormir sem-
pre ?
a Hngaros, nosios irmos A re*olgs est
cas vossaa frontelras, olbae e rede fluctuar noa
muros de Belgrado o estandarte da liberdada :
prestaeallengao e ouvireis a fuzilaria dos serros,
que ce levantaram em msssa pira defender os
seus direitos, combatenlo valorosamente contra
um despierno extremo.
a Evos que fazeis? V, povo forte, qae nao
tendes lido, como a Italia, a desgraga de aar tic-
tima de aele lyramnos, vos, povo de soldado.qua
esperaes ? Estao quebralas as vossai espadas ?
fiarela esquecido os vosso marlyres, haveii re
cegado os vossos juramentos de viogaoga ?
a Fue-ros as promessas felizes dos vonos
oppresiore*? Daris crdito aos que vos aconie-
iham aceitis os offerecimentos insidiosos da
Austria, que parece boje disposta a dar ouvidos
aos vosso pedidos, equt se prepara j para ros
arrtocar fraudulentamente o que voi d contra
Tootade ? Polereis por ventara espersr litldide
e boa f de um gobern engalo e traidor, que
depois da catastrophe de Vilagos despojou das
suas riqaezas urna nago ioteira ? ou enlao dei-
xaes-vos illudlr com a louca esperaogs de obler
a vossa independencia pelos meios legaes, meios
nsafficientos para libertar o povo ? ou anda o
que seria peior, esperareis, para vos sublevardea
o so-corro do aslrangeiro ?
Desgrrg para a Hungra, desgraga para to-
dos os povos opprmidos, se obedecerdes a estas
cobardas cooselhos, e sa julgirdes libertar-vos
da Aastria de oatra maneira que nao seja por meio
da guerra.
< Irma, nao deixie fagir a occaaiio favora-
vel. Os servos combaten pela libardada pela
maocipago de ama raga opprimida, tos tac bem
carecis da llberdade, Umbant ioi opprimidoi,
e man do qae a qaalqaer outro poro incambe o
dever da vos elavardea ao ponto a qoa davem
negar vossaa glorilas aspiragdes, o ser-
vlgos que tendes prestado ctvillsaglo.
cOi servos os mootenagrinos combatir con-
tra o despotismo, e vos, conservas-vos debaixo
do jugo de nm despotismo feroz ; tendes sobre o
cortgao um peso que vos abafa, a Austria, caja
existencia haveis maitaa razas airado, porque
barcia sido o escudo qae a protegis, e qae em
recompensa desies servigos, rilo os vosso di-
roitos, anniqailoa as rossaa libardada*, Untoa
fazer desspparecer a rosta liogaagoo, fes povoar
as trras do exilio com os melhores do* roiioi
fllhos, e eochea a vossa eidade de masoorraa.
Dallareis de ter em vos mesoioi ; j nao
tereii coofiaoga as rossas forjas a no rosso va-
lor ? Mas nao esquaceis qae em 1818, haris se-
guido na rossa marcha trlumphsl at Viertas,
aonde qaebrasles o throno lauguinolenio doi
Hibsburgos.
Hoja, os lempos ao mais propicios, a Rul-
is nao esteoder a saa mo de aoccorro a Ao-
"ia : foi paga com muita iogratidao ; a Prassia,
ncae caitis, nao lbe hade prestar o sea apoto
contra vi I Congam I Sois bsstsntes forte* para
que deixeia de sar u Jaciosoi. Nao dais crido*
roz que vo* aconselha urna paciencia lgoomio-
sa ; escatae a voz da roasa consciencia qae ros
clama ; avante 1 vaote 1 ImiUe a Servia o Mon-
tenegro I Imitae todos aquellos qae em todos
os pontos da Europa acsndsm O faeno di revo-
lado.
< A Italia ama-ros como seas irmaoe, jaron
pagar-ros o sangua que haris ^derramado por
ella em rite campoa de bitalba ; ella bongos
memoria sagrada de Tcckery, morto por ella ;,
Italia convida-rosa rlr tomar prtenos comba-
tes, que, em nome ds santa fraternidad* dos po-
ros, rae da novo dar ao despotismo.
c Filhos da Arpad, queris trabir os rossos r-
meos ? Queris faltar ao rendtz-vout dai oaces,
qusquerem lutar contra a lyrannia ?.
Abandonada por ros, a llberdade correrla
grandes perigos ; mas a vossa honra flearia para
sempre perdida, e os martyrea de Arpad have-
rlim de maldizer-voscomo fllhdi degenerados.
Oh l conhego-ros, e nao darido de ros.
A Hungra, por multo lempo adormecida por
amigos prfidos, acortar ao grito da liberdade,
que soa hoja as margeos do Daoablo, qae
amanha ha ds soar em toda a Italia, e quando
der a hora solemne dos povos, estou corto da qae
ros encontrare!, phalanges inrenciveia nos cam-
pos de bstalha, aonde ha de ter lugar o duello
da liberdade e da lyrannia, da barbaria a da el-
vilsacao.
26 de julho de 1862.
ct Garibaldi.
O general Rlapka responden t easa proel*
magao coto a aagaiote carta :
c General : Acabaea de chamar os hngaros
s armas. A' rossa roz poderosa terism respon-
dido os meas concidsdos, se tiresseis dado esse
grito de guerrs frente dos rossos roluntarios
anidos s t'opas reaes, para marcharmoa de
commum accordo contra a dymnaatia dos -Haba-
burgos. Agora nao pode ser attendida, porque oo
a roz da Italia, mais a de um homem qae ira -
bilha por destratr a ia proprls gloria, e qae
compromette o sea nome e a sus fortuna nos
tristes azarea da guerra civil.
( Para impellir os hngaros imurreicao, ci-
tar-ros-bei o axemplo dos serrinos dos gregos e
dos montensgrinos. Este exe^plo effactlva-
mente ama liego pira a Hungrli ; maa indica-
Ihe que deve eipsrar am momento mais propicio
se nao qaizer expor-se sos mesmos desengtoos e
aos mesmos desastres. Os servios, os gregos e
os mootenegrinos jelgaram derer responder a
um chamameol) egaal ao qae acabaes de nos di-
rigir. Daviam ter sido apoiados no seu movj-
menlo e anda croio qu* vos esperam. Qae mag-
nifica occasiao tendes perdido de continaar o
magnifico papel de libertador, qaa com tanto lu-
zimeoto haveis encetado. A sorta de todos esses
poros engaados as suas esperaogas nao nos re-
concilia com a oppresso ; mas aconselha-nos a
economisar as nossas torga* para circunstancias
mais faroraveis.
c lata prudencia rerdadeiramente patritica
deaagrada-ros, e fallae-nos dos dossoi deveres.
lito dar-nos o di'eito de recordar-vos os vos-
sos. Nao certoque o haveis eaqutcids-ssparan-
do-vos, como haveis feito, dos poderes legaes
consagrados pelo voto do povo.e levantando con-
tra elles o eatandarte da insarreigao ? Detenda
ros, que alada lempo, nesse funesto camiohi,
deixae de trabalhir a taror da Aastria, e de to-
das as reaeges europeas, querendo apressar.de
mais a liberdade da Italia. Affastae della tolas sa
ameagaa da gaerra civil, que sao o espanto de
lodosos bons cidados. Assim o exige rosso
pastado, assim o exige o vosso nome e assim o
exigem as esparaogas que tondas feito nascer nos
povos qaesoffrem, e que nao podis engaar
sem f < Pelo que toca Hungra, esta qaer e dera
obrar, e j demontlron que sabe fiza-la. Has
para intentar esse novo sforgo, ao mesmo lem-
po que ha deouvira roz doa seas amigos, ha de
aconselhar-se sobretudo com a sua consciencia.
Julgar-se-ha ditosa no dii di Iota, ss poler dsr
a mo Italia anida comiigo contra a Austria.
Quaira Oeus que possaas nene dia tornar a re-
presentar o papel que a vossa boa fortuna pare-
ce reservar-ros nos acontecimentos contempor-
neos.
a Recebei, general, a segaranga do maa affec-
luoso reeonheelmeuto.
' Turln, 23 de agosto de 1861
Jorge Klapka.
OLHETI
A nago suprema.
O universo, esas corpo completo, qai sahiu
da* ao* do Creador por sia nica vontad, in-
dependent* de qaalqaer auxiliar, mallo eabora
psnsem, e creiam algumas aoeiedades modernas,
qae]i exista a materia, d'onda o denomlnarem
o Actor dassa immenss obra supremo archlctecto,
contem, como todo* o* carpos, partei essen-
ciaes, e partes accidentaes ; qada d'aquellaa
traria neeessartamente aa rnlna, ao pasto qae i
destas matilaris-o ponas. Ora onsiderando-o
sob o aspecto Dicioal o todo das nagei com-
pletara a obra sob ponto qae encaramos,
constilue a ai aaitormldade. Todos oa corpoi
conteem em ei s psrte vital qae domine, e impe-
ra sobre ss damals, como no corpo humano a ea -
btga impera sobre os demats membros : anirr
podsmos diser qae s parte sublime do univena
icmpre exista e existir sempre, por qi* aenJo
dependen t9 della todas as ostras nio se podo con-
esber o desspareclmenlo desta e s sobrevivencia
das ostras, s o qae se di as pirtss do indivi-
duo, d-se no individuo em relsgo s especie,
qte forma, nesta para os gneros, se muitai
retei am poro te levanta contra ana parte
mala tcbUme, como as partei inferiora* depen-
dentes ds nm corpo contrs a laperior seo gaia e
luitentacalo, ssmpre por ama exorbitsoela, qae
ordinariamente traz incorenlentes a esse mesmo
corpo, e sirra-nos ds exemplo s celebro ligio do
aabto La Fontalae am saa jadicioss fbula do
Estomsgo e dos membroi.
Quando, percorrendo a historia, encontramos
eisss immensas, e poderosas nagriai sargiodo co-
mo qas di Ierra, rlgorando em aaa ririlldad*.
dando leii ao mando, e logo depois correndo s
precipitarse nos abyimos do pssssdo pela
suecenao deisu evolagoes. nos reconhecemos
qae ellas seguam a lei nitirtl das partescom-
pltmenttres, e que nao podem ser considendi*
a psrte vital desse corpo, poia so assim fdra elle
soffreria a consequencia da le nataral, a nao se
pode ra conserrar, nem aegair sus marcha: d'ahl
o appsrecimento o detapparecimeot) das nsges,
a sua fuzo em qaelqner oatra nada importan-
do, at mesmo a sua sido, ao grande plano, e
circanscrerendo-se na saa esphra sem prodnzir
a commoclo geral, qae oceseionaria, ae consti-
tuisse a paite rital desse todo; e se 6 rerdsde,
ue o homem esti para naci, como cata para o
todo das nsgoes mutat mutandit, o qae o ho-
mem sendo am ente natursmente social nao po-
do existir em sociedsdc sem ss sabmetter, con-
servndole as rsias de sss justa sfficisneis,
fim ds nao prejadicar as libsrdsdes doi demait,
e melhormente poder conservar e fruir a saa,
tambem real, qaa, como conhecido, elle tenha
am paddr qne jnlgae quando elle se elera cima
dos limites tragado* de conrormidade com es in-
teressea doa demtis membros, bem como exerga
esss mesma autoridad* a respeito dos qne os
constrangsrem no uso desse mesmo goso.
Esa relagao conhecida e incontestarel do ho-
mem para a na$a.o, existe em i* nagoos conside-
rada* como membros desse grande corpo que
acabamoa de figurar, o dorando aer entre ella*
a snpremaaquella qae mats ascendencia tirer,
mais poder, e mais forgs moral, roconheclda es-
ta, est ri*to que toda* as mala Ihe davem urna
especie dtsubmisso compatiral com a digoida-
de de esda ama dellss, bem como do auxilio ne-
cessario sob pena de aoiqullamento parcial.
Obterrando o uno natural detie crpo ni
remo* qae a nago ealholita, sendo edifcala
poderoaa por saa propria naturess, o tendo do-
mis a prediccao, que nenham poder a destruirla
a aaprama nago do universo, aupremacta tan-
ta* reze* reconheclda por Pepino, Cirio* Magno
e outro*. a ponto de coo*iderarem-*e-lhe sab-
atinos, quanio submettiam. outras ; de dsa-
rem-a qaando punham aavoutraa em contriba#-
?ao ; conaultarem-a quiadb dictarsm leis as Qf-
tras; de ampliarem os seus meios de acgo qvrfn-
do os coarclsram as oatrss.
Se iarocamos os fados pira prora do qae rl-
moa de dizer remos que, so passo qae es demsis
nagois, sageilas le do fioitiimo surgem o se
desprenlem deixsntlo do msppa um vacuo para
logo ser prehenchldo por oatra, a nagio catholi-
ca impera a dezoito scalos no meio do* rsi-
rens, sem qae alies posssm sbslsr mi s pa-
dre do edificio cstholico, qaal rocha, qaa psrs-
cendo so obserrador inexperto ser dentro em
pouco, presa do faror das indomireis ondas at-
iento a sua pertinacia, repelle firme, e Inabala-
rel sua temeraria relataocia, o diz olhando so-
beranameottEa exitto iodependeote de ti, re-
cua, oa tert rictima de tua mesma indiscripgo.
Esse facto, que, aquellos metmot, qae riolen-
POR
AMEDE ACHARD.
XXIX
(Continuagaodon. 227.)
Bella-Rosa lioha leilemunhado silenciosamen-
te aquella scena hotrivel e o corago confrangia-
se-lhe nc paito.
No momento de retirar-ae, passou por diante
do sea anligo lenla, que o reconhecendo logo,
exelam)>! com um trensporte de furor :
Oh 1 Ao menos esta ha de matsr-me I
_E avaogou para elle. Bella-Rosa levava j a
rnao aos copos da saa espada quando o Sr. de
Nancrais agarrando-o pelo brago lhe disse com
ro solemne :
Sr. Grlneaal, tua msgestade nao lht du
urna espada de crucial para mancha-la !
O ferro j meio deiembaiohado volteo ao stu
lugar, e Bella-Rosa rellroa-se lentimenta com
os demais ofkiaes.
O Sr. de Villabrais ficando s. eslremeceu : a
espada cabia-lhedstmos desfallecidas, um saor
fro humedeceu-lhe ai fontes, e elle cambaleou
e eahiu.
Passsda ums hora depois que Uvera lugar a
scena qae descrevemos, o sargento de La Deroula
entrou na hospedara com o ar de quem tem orna
mlssao delicada a preenchtr. A' prlmeira vista
percebeu o Sr. de Villebraii sentado n'ama ca-
deira com os colovelosspoiados sobre a mesa, e
cabega eotre aa mospaludo, silencioso e com
as feigs transformada. A espsda achara-ae
anda no cbo. As vetas tinhsm aldo apagadas :
apenas ama canda de ferro saspensa no tecto
aclarara a rasta sala, cujos ngulos fleavam qu-
si na obicarldade.
La Droste den tres passos avante, e tirando o
seu bonete, incliooa-se levemente.
Sr. de Vulebraii! disto elle.
O Sr. de Villebrsla ettremeceu como um ho-
mem a quem despertam de profundo somno. Er-
gueu a cabegs traottornada pelo furor e humi-
liacao, e depoit de Oxar a vista por alguoa mo-
mentos no rosto de La Deroats allamiado pelo*
claioei raeillantei da canda o reconhecea :
Oh 1 Traz-me algnm cartel de desafio T
Nao, senhor, trago-h* ama ordim.
Urna ordem 1
E foi mim que oa Sr*. officiaes do regi-
ment escolheram para lh'a intimar.
Inslenle k*
E o Sr. de Villebrais n'am accAio de raira
saltou sobre a aspada, agarroa-a pela folha. e
suspend u os pesados copos por cima da cabega
de La Deroate : mas o sargento racaando uto
passo, lerou a mi ao cinto, paxou por urna pis-
tola que apaotou para o seu adversario, dtzsndo
com este ar da boohomia que lhe era pecu-
liar :
lindo a conitisniia a toreando a lgica, nio teem
podido apagar do dominio nlvertal datpanta
qaalqaer antro, se nio qae (alio essa ilhi carea-
da da misarla a da fom, da paraagniclo, da
anlqaUamonto material; nm bollo exemplo,
ae a nio aer ella am ramo d'aqaella mageatoia
arvore, cajas raitei biohinio-sa na frtil huml-
dade do poder infinito trantmitte-lhe o mait eti-
cas conforto, poderla resistir aoa tito repetidos
golpss de tio pertinsz cegador? l
E' rerdade que, darante o reinado desiei de-
zoito gigantes inexpagnaveis, algamas folhas
melfadsdas desta arrore eterna tem-ss despren-
dido, a ahlodo sobre o choreo, qne as recebe,
taem germinado hervs psrssytss. Mi* quid
inde T E' am fseto, qae nada altera, por que ao-
melhanle i qae, am invern cerrado fox des-
prender ama folha, o condatida por insobordioa-
do forado, foi deixtda tobre o lodac.il, auja tor-
io parlecipa, e onde para tem pro te confande,
reratta-se ead rea mait ricss com a grata che-
gada da (aronea prima vera: assim qaando o ra-
mo oaropea perda ma folha dessecada pelo sol
da soberbs, o impellida pelo faracio do orga-
loo, esebmorgida no charco do protestantismo
fructot, o flores sargiam no ramo americano,
qaando qaalqaer cerrago se levanta contra essa
arrore, que ampira o uolrerso com sus sombra,
nutra-o com seas tractos, mltiga-o com sea or-
ralho, esse arbitro das nagas do mundo v
centenares ds espadas erguerem para defenle-lo
da uiurpagio, qaa lhe projettam a judies, qae
vivtm cgos de taz ; centenares de escudos aira-
ressarem os mares para soccorrer suss necessl-
dtdet temporarias ; centenares d'almat ritar*.jp
de todoi os ngulos do mandoA distancia aWo
aniquila o rerdadeiro lago, qae une os homens
i Deas, risois o nico representante deise es-
tandarte maravilhososobre a Ierra, nos somoi
rossoa sublitoa.Esses stteitidoi repetidos por
espigo de dezoito sculos, esiat demontlragoes
tio voluntarias, o todo o occorrido na historis da
nsgio catholica prora a taa lapremacla aobre ai
demait
Se pitiimoi doi fados aos argumentos, che-
gamos s resaltado! ainda mais satisfactorios :
assim como o sol o ceotro do systema plane-
tario Iluminando e vivificando sl OS logares
msis recnditos do aniverso, assim a nsgio cs-
tholica o centro do systema nacional, Ilumi-
nando e vivificando com saa almo calor todas as
nagdes, at mesmo aquellas, que parecem estar
menos so alcance de sus aegio benfica. Atsim
como o sol Imperando sobre os demsis astros vi-
te e brilhi com existencia e laz proprias, a na-
gio catholica existe e.impra com existencia e po-
der proprios.
Oquisnagio catholica em relago s de
msii nagdes, se nio a rainha deltas, como o sol
em relsgio aos de mais astros o ssu rei absoluto ?
Qut astro j oasoa arlziobar-se do sol que elle,
com seo poder soberanamente repulsivo nao o
arrojisse para longo de si? Qae nago j se le-
rantou contra s nsgio catholica, que nio fosse
logo humilhada a at annlquillada?! I 1 Qae
astro j podo eclypsar o aol ? Qae nagao j po-
de offascar a nigio catholica ?
O sol o rei doi litros, parte mais nobre da-
quelle corpo celeste ; a nsgio catholica a rai-
nha daa nagdes, a pirte mais nobre deue corpo
terrestre.
Como, e o que mais quereii, homent cegoi I
de bs moito Dolidos pelos lirro* santos, ri, que
tsndss olhoi, nio para ver, ipezar di laz meri-
diana, qae iononda e esclarece o universo i
Surdot, que tendel ouridoi, nio para ouvir o
brado unisono, qaa resoa de todoi os aogalot
do mundo 1 homem endurecidos, que tentaes
maito embora repelliodo a roz intima da cons-
ciencia, qae ros brada : oio levantis a mi sa-
nio em favor dsqueUe, de guam depende rossa
vida real, e duravel lili
O aniverso foi creado e dado em patrimonio
cathollclemo (Unum ovile, et unus pastor.) Qi
vibora, qae envenena a damnifica o seio q- a
aquece, e qual ingrato, qae cospe as mos, que
deveria eternamente beijar, ros ros rebellaei
contra iquelle a quem toda vossa vida seria poa-
ca para agradecer, e ro jalgaes multo tdiin-
tados 11
E' qae o homem nanea progride tanlo como
qaaodo trilha o caminho do erro I
O aojo rebelde n'um momento atraressou o
eiptg) e precipitou-te nos abyimos 1
Aprende! not fados, qae ai nagdes Um lass
leis, qae precito nio olvidar.
As de miis nacoes cilio para a catholica como
a parte para o todo, o individuo para o ge-
nero.
Se a verdadeira las, pela saa affusio tos eega,
longo do pretender apagar essa tocha universal
(cousa lmpoMirel I) qae ros deslambra a vida,
procarae antee acostamar rossos oiuos i rerda-
deirs las.
Sempre que invidimos a esphsrs alheia tor-
namo-nos fracos, se contri o interiores por co-
barda, se contra oa auperiores por temeridade.
Quod Dei Dto, quod Cesaris Ceiari, mas se Ce-
sar for o represntente de Deat cobre a torra,
nio sophsmes por isso.
Recite 1862.
L. E. Rodrigues Vusna.
Agricultura
Joguemos francamente, senhor; V. S. nio
mais meu offluial ; assim pois sdrirto o de qae
se avangar um passo.se locar em minha pessoa,
fago-lhe saltar os milos.
O Sr. de Villebrais alirou a espada da encon-
tr parede com tanta violencia qne ella roon
em estilbagos.
La Darovle toroou a depr a pillla no cinto,
e raplicou com toda a fliugma :
Sr. de Villebrais, venho preveni-lo por par-
te dot Sn. oficlaei do regiment, no qnil V. S
sirviu nt qaalidide de lente, de qut te liver a
audacia de apresentr-se amaohaa no quartal oa
na parala, ellea ver-se-bao constraogidos a cas-
tiga-lo com o panno de suas espadas frente
de todo o exercito. Assim pois iutimo-lhee or-
dem de partir immediatamente, a menot que
queira passar por eise tr-lamento, e sir depois
entregue ao preboste tob a accuiaglo do crlme
da aiiasslnato. Teoho dito.
O sargento tornon a por o bonete e labia. O
Sr.de Villebrais nao se moveu : estiva como qae
fulminado por am raio. Eivasiira at ai fezea o
calix da hamiliigo e da rergonha. Muito lem-
po flcou attim lilancioco, estremecendo-lhe de
rez em quando todo o corpo : afinal ergeea-se
mala paludo do qae am cadarer, com o olhar
abrazado. Arrancou ai dragonas e attroa-as ao
cbio, com ama faca deapedagoa as flores de lis,
pregadas na sua farda, tiroa a pluma branca do
seu chspa, pisou-a i pos, e apanhaodo os co-
pos e um pedago da espida, que tioha aldo es-
migalbads, melleu-a na bsinha e retlron se.
Passado algum lempo nm cavalleiro aahia do
acampamento. Depoia dt ter andado ama boa
distancia, parou o cavallo tobre am outalro, e
rollou-ie para o lugar que acabava de abando-
nar. Mil chammaa crepitavam no ar ; ot bra-
doa dai lentinellas retumbavam de re em
quando.
O Sr. ds Villebrais, pois era elle o cavalleiro,
effutou o aeu manto para am lado, algou-se nos
estribos, e contemplo o campo de guerra onde
fluctuara o estandarte francas. O seu brago agi-
toa-se no ar leraolado pira o cu, cajas terriveis
maldig&es pareca imprecar. Um derradeiro.bra-
do parliu dos teui labioi frtmentsi de raira.
Viogaoga I exclamou elle.
E lmpt'llndo o cavallo pira o lado daa fron-
teiraa da Blgica, deaapparaceu as t-evas da
noate. *
Na distancia de tres legan tcintillartm o pri-
meiroe fogot das linhas inimtgas. Detiio pslas
sentinellas hespanbolss, o Sr. de Villebrais pe-
dia ao offidal ommandantedo posto, qae o le-
vaste ,resanca do aen ganeral. Com effeito,
sendo / iado pelo proprlo offisial, consaguiu
ebegir tend do duque de Caitel-Rodrigo, go-
vernadorsda Blgica por tua mageitade rei di
Hespanha.
O daque estar* tsntsdo diante de ama man
coberla de cartas e planos geographicot : os aju-
dantas de campo, preparados de batai e eiporai,
dormiam pelot cantoa da tend.
O qae ha de novo ? perguntou elle ao ba-
ralho qae flzeram os reeem-chegadoi.
Trago-lhi um aslrangeiro, am militir, meu
I gineral, respondea o official.
Novo systema de assentamento pa-
ra os engenhOs de fazer assucar,
fabrlcadospelooSr.tfohn Wetsen.
Acha-se em nosia prorincia o senhor John
Wetion engenheiro smericsao, chegado em de-
sembro do anno prximo panado da provincia
do Maranho, onde esleve contratado pelo governo
diqnellt prorincia pelo atpigo de doai annoa.
Ali eitabelecee ello not engenhoi de fazer at-
racar machinsa de raa inveogo com s qaan
muito aproveitonaquella provincia,segundo altes-
tadoi, e informaron de tenhoret de eogenhos
d'ali, posioai retpeitireii e de todo o conreito,
como tejam et Sr*. Dr. Cirios Fernindei Ribei-
ro, desembargador Siqaeira Pinto, coronel Ja-
clntho Gomes, Franciico Marques Rodrigue*, Bor-
ges, Viaona, coronel Jos Coelbo, Dr. Vilheoa,
outros maitos, nos engenhos e propriepades noi
qaaes fet melboramentoa cenaideravels.
Aqu chegado o Sr. Wetion proc'urou alguns
seohores de engenhos desta provincia para o flm
de contratar a edificagio de aiientameotos, ra-
mo em qae infelizmente ainda not achamot mui-
to atrasados, at maio nio pode dsr-nos a conba-
cer o seu syslems ; ans sanhores de angeoho por
falta de meios pecuniario!, ou por demiii afern-
radot a antiga rolim, causa segura do poaco pro-
reito, que desm fabricas te tem tirado ; outros
talrez por nio quererem serot primeirot> estibe-
Iecer lae* atientamentos recelosos do resallado,
deixaram de o chamar, perdendo desta arte pelo
menos a gloria da iniciativa de melhoramento
tio proveitoso.
Felizmente, porem, para a nossa provincia em
maio do crranle anno, o Sr. commeodador Ma-
noel Jos da Costa, senhor do cogeoho Hercez da
fregaezia do Ipojeca. nio se poupindo sacrifi-
cios, chamou o Sr. Wetion, odificoa sea assen-
timenlo, e pelo resultado recooheceu, que nao
tioha perdido seu trabalho, do qual ha de segu-
ramente tirar inleresses duplicados.
O mentimenlo feito em Mercez pelo Sr. Wetion
tem as seguiotes dimenses : 70 palmos de com-
prmeme, 11 de largura, 13 de altura. Tem cinco
taxat: a Ia com 6 palmos de dimetro, a -> com
6 1(2, a 3a com 7, a 4a com 7 c 1|2, a 5a com 8
palmos. O bneiro tem 14 palmos de dimetro e
89 de altara.
O assentamento com estas dimenses d o re-
saltado seguinte : cose cem urna rapidez extraor-
dinaria, consumindo muito poaco combustlvel,
ou por oatra o bigago somente, o necesiitando de
multo menos brago i, do que os qae sio precisos
para o maneto dos nossos ordinarios assenta-
mentos.
Na moigem de experiencia qaando o mela-
ment de Hercez eslava ainda hmido, e com
caldo de canna de acas anda verdes, cosa em
um tarifa (etpago de 24 horas] ciocoenta pes de
assacir de laperior qaalidade, gastando a mei-
ma porco de combuitivel, qae gsstsm nossos
asseotamentos ordiosrioi pira fazer de vinte e
cinco triota pies de asinesr ordinario : ora se
tsse iiteotamneto feito de poaco,logo no primetro
dia de experiencia coteu ciocoenta pes, hade ne-
:- "o correr da safra coser de iotanla
em pes, de modjj que alem das ni mu.
ja poetadas, ainda se offerece a econslnia
de combustlvel, lempo, questao rital em toda e
qualqaer indaitria, sobre tado em nono piiz.
Anda o Sr. Wetion eitsbelecau no engenho
Jatmim do Cabo, pertencente ao Sr. tenentg-co-
ronel Joaqeim Uanoel do Reg Brrelo, um ou-
*ro asitotamtnto com proporget menores, o
quil cose de triota s quarenta pes, quando an-
teriormente all se fazia de doze a qulnze pes
gestando a mesma porgio de combustivel.
Hoje que j nao pode aar considerado o syste-
ma do Sr. Wetson como urna cbimera, ou meioil
licito de ganhar fortuna, e sem urna perfeits reali-
dade, anteriormente a tiesta da poritnhores de an-
geoho de Maranho,e atualmente reconhecida nei-
ta provincia, de esperar qae o* enhore* de enge-
nho d'aqul compenetrem-se de seas interesses
reiei e conlribaam para qae nossi prorin-
cia nio cedo o paseo ao Hsrinbio no progreuo
da iodaatria agricnls.
Vimos os tribilhoi do Sr. Wetion qae aoi fez
o firor de dar a coohecer algamis mechinal de
taa inraogio, com a acqalaigio das qaaas, esta-
mos convencidos, qut maito gtnhiria nona pro-
vincia ; bem como itjam machinas psrs ssccar
o aasucar oa faze-lo perder coass algama de
ou qualidades : machinas proprias para o fa-
brico de fsrinha de mandioca, etc. etc.
Alem de ludo o qae lavamos exposto, o Sr-
Wetson se offerece ao gorreno de noisa prorincia
pira coostrair por meio de ama machina de aui
nveoco as estrsdos do interlor,(dss qaaes mui-
to necessltames) mediante um ordenido, oa por
am contrato ; e particularmente aos seohores
de engenhos pira faztr eitrada permanentei nos
partido, outra falta de que se rusentem os nos-
sos engenhos, falta esta qae oeeasiooa mullos
pnjulzos quer nos animaes de strrlgo, quer nos
escraros.
Com doas negros e quatrobois o Sr. Wetson se
compromette fazer o mesmo servigoque fariam
duzenlis homens em egaal espsgo de tempo.
obrigando-se a nio receber paga algama se nao
cumprir o seu trato.
E' de notsr-se que essas estradat podem ser
faltas tanto as rarzeas, como na* ladeira*.
O
cido
o
oosso
jos
como
ticul
'ei
su
O duque fitou o Sr. de Villebrais.
O Sr. francs?
Slm, general.
De onde raen?
De l, disse o tenenti, aponiendo com o
pollegar por cima do hombro para o lado do
acampamento trances.
Do campo inimigol exclamou o daque.
Sim, senhor.
E o que quer eolio ?
Venho offerecer-lhe o mea breco e a minha
espsdi.
Ah I comprehando, torno o duque com
um gesto que exprima tanta sorpreza como des -
preo.
E depois de cario silencio proseguiu .*
O senhor iqui rcia t*r ni qualidade de de-
terlor.
Eoeana-se, senhor, rim iqui como am ho-
mem que quer vingar-ae.
Neile cato tem am grave iosalto a panir?
T3o grave, senhor, que quebr! a minha es-
pada como v ; ma* ealoa prompto a unir oalrs
lamina a estes copos psrs ferir i aqaelle* qae me
feriram I
Pono contir com a raa dtscripgio no caso
de qu* seja acolhido? "
Pode no siso de que se me conceda o aae
ea pedir.
E o que pede?
Algam homens determinados, e odireitode
coodazi-los onde me aproarar qaer de dia, qaer
de nout.
Te-Ios-ha, o tambem um aalro-condutto.
Eolio entrego-me i taa deieripgao, Sr.
daqae.
O daqaa de Csttel-Rodrlgo pego* n'ams penas,
escreveo algumas palavras sobre am papel que
entregos ao Sr. de Villabrais.
Aqui ettf a ordem: agora responda ao qae
lhe roa perguntar ; mas atienta btm qae te en
cooienti em fiser tado o qae me pedia, com a
meima fsclltdade manda-Io-hei eoforcar, ae nio
me diuer a rerdade.
Por este lado eitoa tranquillo. Pode per-
guntar.
O ra Luis XIV chegou a Chirleroi?
Nao, mas ha de chegar amanha.
Qaal o seu projecto? DeiXar ai mrgaos
do Sambre, oa avaogar para dlanle?
Sappoi-se qae o exercito levantar o acam-
pamento para invadir os patzet hespanhei, qae
tem ordem de conqalstar.
Temos anda as pragai de Denii, Mons,
Toarnai, Manbeoge e Qaesooy.
Em tres dlsa serao ella* toda* tomada*.
-. Senhor, eiquoce que et fallando ao gorer-
nador da provincia ? '
Nio esquego; ogoreroador me interroga, e
tu respondo.
Se acredita tanto no ncceiso da* armas
frsncezas. o qae reln batear eotre nos?
Ji diite, teohor a vinganga I
Esi bem, retire-ie : qaando tirer precltio
dos teut tervigoi, maodi-lo-hei previnir.
Apeoaa lahiram, o Sr. de ViUebrail volloa-se
pira o official que o acompsohsra.
O seohores tecm por aqai em algam regi-
ment do exercito desses homens que nao reeaim
ote empreza algama, e qae sao capazei de ar-
riscar tudo na etperanga de am ganho licito ?
Infaliimeote nio nos faltam homens desta
ordem. Se o aeohor procurar soldados, ha de en-
contrar bandidos.
Quer ter a hondada de condazir-me ao
qaartel deesa gente?
E' maito porto por detraz daqaella monta.
Serrem no corpo do Sr. duque de Ascot.
O official spresioa os passos.
Aqui eiti, senhor, diste elle parrado janto
da mouta, o apootando para urna lioha daa ten-
dal em qae epezar da hora arangsda da noate
echoira am raido confu* de cantoi e de gritos.
Ao redor dai tendal allamiida por candelas
fltat notctnoi dasespiogirdaria-ie grande nu-
mero de soldados qne jogarsm aos dsdos em ci-
is dos tambores: outros dormiam aqai e acola,
oatros bebiam, e outros fiaalmente qaeationaram.
A* garrafa* rasias roaram em pedan os, o* joga-
dore* praguejaram, o* mais irascivels apoiaram
as suas palarrai com a mi as pistolas ; ss m-
Ihares tam e rioham parando no* logare* em qne
o aviara soar mala ouro. A nm canto estorcta-se
am soldado entre dous conrscelros que lhe esra-
ilirim a bolsa.
Ha aqai homens de todoi o paizss, disse o
ofTwiil a o Sr. de ViUebrail; o qae menos tem
fetto conta ji doce desergoes. Sapponho qae se
ha de eotender com elles.
O Sr. de Villebrais lengn am olhar Irritado
tobre e Heipanhol.
E* o que remos ver agora, senhor I
E dizendo estas patarras diriga-se para o pri-
metro grapo.
Cinco oa seis soldados sentados de ccoras agi-
taram am relho copo ennegrecido pelo aso: os
dados roncaram rolando aobre o tambor.
Um dellee qae tioha perdido torca o bigode
com ama das mios, e som s ontra remechia as
algibilras.
Aqai estio cinco ducados, disse o qae tioha
ganho. quem oeqaer?
Piro o mea aabre contra o cinco ducados,
raiaoodea o qae havii perdido, o qaal desabo-
cando o cintario attroa-o sobro o tambor.
O Uu aabre I Vale ao maito doat dacadoi ;
a folha de ferro e o panno de cobre.
Poii bem, replicoa o outro, aqui estio miii
ai mlnhai pistolas : s&O armai qne ji mitinm a
dez catholicoi e a dez hngaenotes.
O Sr. d Villabrais poatou a taa mi no brago
do toldado.
Fico com o sibre por dss ducados, e doa
mal* dez pelo bngo qae o lusteots.
Eiti dito I exclsmou o soldado reodo o di-
nbeiro lozir. Joga agora, Conrado.
Coarado laogon oa dsde* e perdeu ; di terceira
res j nio ttnha cenia algam*.
Mea official, disse elle ao Sr. de ViUebrail
qae aeompaobara aa peripecia* do jogo com oa
brtgo* erando. Eu tambem tenho nm aabre e
um brago para maneja-lo : deieja-ot eguil-
raente?
Aqai tem por ambo* rate ducado.
Prompto I exclamo* Conrado mettendo o
diabtiro as lgiblras.
Coorido, disse am io outro toldado que
chegava naquelle momento (rajando o uniforme
do* haisiroi, Joinoa a loura leve a phsntasia de
ponuir am collar com ama raz de oaro ; o eu
nao tenho mais nada leno o meu cavallo: se
aceitas a parada ramos jogar.
Compro o carillo, e lomo a rcititair-lh'o,
atalhoa o Sr. de Villebrais.
O carillo e o diohelro para mim I replUou
o hunaro contando as moedas de oaro.
Sim, com ama condfgo.
U na sol Ora islo nada.
O dono e o cavallo me seguirio a toda a
parte onde os quizer levsr.
Pode coolar com amboe.
No fim de noa quarto de hora o Sr. de Ville-
brais tioha recrutado a saa gente ; e qaando ae
dapaoha a partir um furriel ioterreiu : era um
homem de aapecto feroz e assignalado com urna
cicatris.
Eolio, como isto? perguntou alie. Voc*
nio olio engajado* ao servigo do Sr. duque de
Ascot, oosso general ? Pois s elle 6 quem lhe*
pode dar permiatio para deixir o regiment.
Sim, elle ou o goveroidor da provincia, re-
plicn o br. de Vllebraia apreaentando a ordem
do duque.
O furriel percorrea o papel claridade de ama
candeia.
Urna ordem e um aalro-condatto 1 Parde,
mea official ; se falle! foi por amor da disci-
plina.
O' tenbor di diiclplfm, eoto nio aera ca-
paz de ir tambem por amor dot dacadoi aonde
vio ettet braroi ?
O furriel, qae io chimtra Bark, apertoa o cin-
tario, tomos o aeu ahogo, e acompanhou o Sr.
de Villebrais sem responder patarra.
Haviam na pequea tropa qaa o teoente con-
daziu ao poasoque lhe fra designadoum Lor-
raino, doas Wallons, am do Franco-condado,
am Piemootez, doai Suiiot, doui Hollandezes
do paiz deueldret, e am Bvtro, qae era o
furriel.
O Sr. do Villebrais dispoz ao redor d* ti o*
eus noros acolytos, e examinou-os alternamen-
te. Pouco depois Un* diue :
Ter cada um meia pdola de sold por dia
* urna pistola nos das de expadigio.
Bravo 1 exclamou o Piemootez.
O serrigo da noate aeri pigo pelo do-
bro.
Bom, ebierroaodo Fraoco-toodado. Dor-
mir! de dia.
A prlmeira palarra davem citar promptot ;
o primeiro cigoal derem psrtir; primeirt or-
dem derem matar.
Se 4 so tato, pode contar que eit Indo feito,
diue o furriel.
Agora podem retirar-ae todos, menos Con-
rado.
Ot bandidos desapparecersm, e Coorado sen-
tou-se s um canto ao passo qaa o Sr. de Ville-
brais remexla a sua mala, de onde tiroa um
papel.
Ouga, replicn elle, e nio te eeqneci de
coma algumi do qualhe rou dizer.
N*o cae bal de eaqaecer.
futu
eises
Sr. Wetson homem pratlco e de reconbe-
merllo. e que tio til nos podar ser p.ra
ro, merece por certo nao saltencodo
governo, qne tem mostrado lio bons dese-
de melhorar a nossa decadente agricultura
-o tambem a do* seohores de engenho em par-
ar, osq.aei por forga de aea* proprio* inte-
bi devem procarar melhorar o fabrico do as-
r, syitema de moagem e plantigio.
m um paiz agrcola como o ooaso, por cer-
to urna fortuna, que se nio deve desprewr, quan-
- spparece um homem como o Sr. Wetson
m aprovincia seguramente dever grsnde parte
sua prosperidade futura, se nao forem de-
presados os tea* aervigo*.
uca
do
que
de
Pernambaco deve despertar do lethargo, o da
ionercia, em qut tem ettido lubmergido at bo;e.
A nossa agricultura definha indo am progressao
continua na escola do regresso, o prestes ser de
todo aoniqalllado visto a defficiencia de bracos
que cida da augmenta, senao se procurar substi-
luir esses bragos, que desapparacem por machi-
nas, dasquaes as colonias europeas tio bom re-
saltado tem tirado, aufenndo riquezas immeusa.
Nao concluiremos esta noticia sem fazer urna
reflexe qae ae no* offerece ao fazermos a com-
pareci entre esta provincia e a do Maranho,
onde ha pouco tempo so comegou a cultivar a
canna de assucar.
Ha pouco* aonoa ainda a provincia do Mara-
nho importava aisucar, qas lhe era enviado di
Parahyba o Pernambuco, hoje j exporta.
A' que ser isto devido ? A' riqueza do slo tio
somente? Nao por certo, porque a riqueza do
slo por ti i, lem a persarerangs, e o trabalho
Intelligente, nidi produz.que possi fazer a pros-
peridade de um paiz.
A csusa primordial da prosperidade da agri-
cultura n'aquella provincia, 6 o espirito de pro-
gresso, que anima os respectivos proprietario,
oo despresindo os conhesimentos uteis daquel-
les, que mediaoU um pequeo salario, Ihes vao
entregar as chaves de thesouros inexauriveis : a
tambem o sentimanto pstrioco, de que se ach
poida..governo d'aquella provincia, qua S9
tem moatrido encangavel no deBuvolvimeuto da
agricultura. r
Possam estas poacis linhas despertar o nosio
governo, e os nossos seohores de engenho, qua o
nosso futuro ser grandioso.
F. A. C.
Ao eocirrar-mot eda noticia foi nos dito qua
o Dr. Gerrazio Gonsalre di Silva, Sr. de enge-
nho Cuca da freguezia de Serinhiem pretenda
montar um assentamento pelo ayslema dos do Sr.
Wetson. Deus o anime, e com elle, a maitos ou-
iro, por que i deite modo poderemos augmen-
tar a produego do aisacar, melhorando em soas
qualidades.
)
Deve partir muito cedo para o acapmamen-
to francs, onde far todo o possivel por pe-
ndrar.
Fique V. S. certo de que o hei de fazer.
Iotorme-se do quartel de arlilharia. e pro-
cure l dascobrir am tenent-i chamado Grinedal:
os soldados o conbecem pelo nome de Bella-
Rosa.
Hei de deicobrlr.
Entregue-lhe cata carta; como r nio tem
enderego : maa eicripta por ama mulhar.
Oh I Palarra* de mulher sao am engodo ps-
ra os homens I
Diga a Balli-Rosa que a pessoa que lhe en-
va ests carta o espera a daas legu.s distantes
do acampamento por detraz de Morlanwels perto
de urna matta que deve ser maito sua conhe-
cida.
Sel bem onde : am excellente lugar para
emboscada,
Foi justamente o que peosei hontem pas-
sandoporl. Faga com que o teneote Bella-
Rosa o liga at este ponto.
Ha de tegair-me.
Se obtiver isto, dar-lhe-hei vintt lalz.
Conto-ot j como gaohos.
Muito bem : agora um eonselho. Se dei-
xar saspeitar ulguma coaaa corre o risco de ser
ali eoforcado.
Minha mi, que era algum tanto fettiedra
me pradiaso qae eu morrerii afogado. J v que
por este lado nadi reeeio.
Eolio sigs : aqai tem a carts.
Nada maia?
Nida; o redo me compete.
Ao detpontar da aurora Conrado parliu. Era
um homem ji muito habituado a aventuras pe-
rigosas, que por diversas reces cabira em poder
do preboste e que oada mala tema. Tinha o p
ligeiro, o olho vivo, a mo destra, e a lingui
prompta. Pars s minio qne ii deiempenhar.
vestiu-se com a roupa de camponez, oceultando
>>or balso della um punhal e duaa pistolas para
qualquer erentualidade.
No momento em que ariitou u primeiris ten-
da do acampamento francs eatrondou ali um tiro
de pega, aoaram o clariot, rufaram oa tambores
emil gritoi te elevavam aos sres. Conrsdo pa-
rou. Vlu entra as loogas raas daqualla eidade
improvisida agitar-se ama multldo deofflciaei-
muitoi eorritm a galope didribuindo as ordena
por todss as partea. Oa regimenlos tomavam as
armas; os estandartes fiactuavam soltos ao
rento.
Todo o exercito se schs em movlmento,
observoa o bandido. Tanto melhor I Ningaem
dar por miaba presooga.
E com o paaso resoluto encirainhou-ie pira o
acampameoto: quando atraresssrs ss paligadas,
sua mageitade Luiz XIV tambem ali entrara pe-
lo lido de Cbarleroi.
(Con/iauar-ie/>o.)
DIM.F.DIF.dtFILHO. \
V.
MIITI AhO?


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E18ZQ42G1_GLV9X2 INGEST_TIME 2013-05-01T00:11:17Z PACKAGE AA00011611_09956
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES