Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:09949


This item is only available as the following downloads:


Full Text
AIM IXIV.U. IWfilO 145
-------~m a s*i i
Pir tres nezesasaltados ftfOOo
- Ptr tres unes Yeieidii 6$0
/
QUINTA FEH1 26 DE JDSHO DE 1162.
Par un adiaiUdt 49|00O
Porte fraiet para tiiiieriftor
--.
EMUAKKKUAUOs DA SUriSCKU'y\U i)o Wuut.
Parahyba, o Sr. Antonio Alexnndrino de Li-
ma ; Natal, o Sr. Antonio Marques da Silva ;
Aracaty, o Sr. A. da Lemoa Brag; Cear o Sr.
J. Josa da Oliveira ; Maraohio, o Sr. Joaquim
Marque* Rodrigue; Para, Man>el Pinh.iro &
C; mazonaa. Sr. Jeronymo da Costa.
ENCARREGADOS DA SBSCaUICAO DO SUL
Atsgoaa, o 8r. Claadino Faleao Diaa; Bahia.
? \r' iff**rtim Altea ; Ro da Janeiro, o Sr-
Job Paraira Martina.
EPHEMERIDES DO MEZ DE JUNHO.
partidas dus cor reos.
Olinda todos oa diaa as 9K horas do di i.
Iguartssa, Goianna, a Parahyba naa segundas
eeztae-feiras.
S. Anto, Bezerros, Bonito, Cantar, Altinho
Garanhuna as tercas-feiras.
Pao d'Alho, Nazarelh. Limoairo, Brejo, Pea-
queira, logazeira, Florea, Villa-Bella, Boa-Vista,
Ouricary e Ex naa quar tas-feiras.
Cabo, Serinhem, Rio Formoao, Una.Barreiroa ,_.,.- q i..,, rj mln_...
AguaPreta, Pimentelraa Natal quintas feiraa.jPrim,,r0 2 hor" e 54 >* ">
(Todos oa corretea par tem ai 10 horas da manhaSegindo aa 3 horas e 18 mnalos da manha.
5 Quarto craacente aoa 2 minuto da manha;
12 Las chela aa 3 hons e 35 mnate da man.
18 Q a arto minman te aoa 31 minutos da tard;
56 Laa noTa aa3 horas 35 minutos da tarde.
PREAMAR DE 110JE.
fAniiuA uva vacukks cusrBiRua.
Para e sul at Alsfos*. i 5 SO; para o norte
at a Granja 14 a 29 de sada mas.
PARTIDA DOS MNIBUS.
Para o Recite: do Apipucot s 61]2, 7, 7 l,, 8
a.8 1)2 da m.; de Olinda i 8 da m. 6 da i.; de
Jaboniio s 6 i|2 da m.; do Caxang a Varzea
i 7 da m.; da Btmfica s 8 da m.
Do Ratifa : para o Apipucot s 8 liS, 4, 4 1|4,
4 1|2, 5, 5 li4, 5 1)2 e 6 da t.; para Olinda as 7
da m. a 8 1 [2 da t.; para Jaboato a 4 da$.; para
o Caxang a Porrea s 4 1|2 da t.; para BimAca
aa 4 da t.
AUDIENCIAS DOS YRIBUNAJU va CAPITAL.
Tribunal do eommercio : segundas quinfas.
Ralaco: tercas a asbbadosalO horaa.
Pazanda : quintas s 10 horas.
Juizo do eommercio : segunda ao mel dia.
Dito de orphios: tarjas a sextas s 10 horas.
Primaira vara do civsi: tsrgss s sitas ao malo
dia.
SegaDda Tara do ivl: qaartasa sabbsdoi l
hora ds tarda.
lUAS VA 6EJIAMA.
J3 Segunda. S. Joio sac. ; S. Edeltrudes rainha,
,S4 lerca. cga Nsscimeoto de S. Joo Baptista.
25 Quarts. S. Goilherme ab. ; S. Febronia v.m.
if* Quinta. Ss. Joio a Paulo irruios mm.
27 Sexta. O Santissimo Coragio de Jess
Sabbado. S. Leao II p.; S. Argemlro m.
29 Domingo. A pureza de Nuasa Senhora.
MtTE OFFICIJUL.
GOtTSRNO DA PROVINCIA.
4.a seecoSecretaria do goverco de Peroam-
buco 93 de junho de 1862.
Pela secretaria do goTerno conviJa-se os Srs.
adieos que qaizerem ir prestar os servigos de
sua arte oa proTintia do Cear onde reina o cho-
lera morbos comparecer oa mei mn aecretaria
onde aero contratados com as con lices seeain-
tes: *
< t? seterfr paro aqoalla provfaeta te.ro que
lor ordaaado, daado o governo transporte de ida
o volt* comedorles a bordo.
2.* vencer a gratifleagao diaria di 209000 reis,
desde a data do embarque at celebrar o contrac-
to definitivo com o presidente da mesma pro-
vincia ou at o dia do seu desea bsrque nests
capital, ae nao se effectaar esse contracto.
Joao Rodriguet Chaves.
Expediente do dia 21 c e junhe
de 186*
Officio ao inipector.da tbesourarin de fazeo la.
Reverto a V. S. os papis que vitrain annexos
a sus informagio de 7 do correte aob n. 526,
relativos ao pagamento que pedem Jone Pereira
Jacintho Jnior & C* da quaotia de 162J720 reis
proveniente de medicamentos que foroeceram
para o tratameoto dos iniigeotes a-.acados do
cholera morbas oesta cidade, tenho a dizer que
mande effectaar esse pagamento coa o abate de
SO por cento sendo 5 por cento mecos do que
propoz a contadoria dessa thesour; ra e 5 por
cento msisdo que o abate feito aos pbarmaeeu-
ticos de Goianna.
Dito ao meso.Heja V. S. de expedir suai
ordens para que pela reparticao competente se
arreeade a importancia da despeza que deve pa-
gar Joaquim Jos do Nascimento Wenderley pela
aua carta de tabelliio do pablico, jailicial e notas
e escrivo de orphios, capellas e residuos do
termo de Flores constante da nota junta por co-
pia.
Dito ao mesmo.Em Tista das razies pondera-
das pelo inspector ds thesouraria provincial e di-
rector da repartido das obras pabl cu, nss io-
ormacoes juntas por copia, nao poce ser stteo-
dids a medida, proposla pelo ioapectorda alfan-
dega desta cidade no officio de 10 ile abril ulti-
mo, que veio aonexo ao de V. 8. n 303 de 11
d'aquelle mez relativamente a conliuuacao at o
arco da Conceigio, por conta doa cofres provin-
ciaes do calgamento qae se est face ido em fren-
te do edificio, m que funeciom i mesma al -
fandega. O que declaro a V. S. pan seo conhe-
clmento e am de que o faes consta ao refer lo
inspector.
Dito ao meemo.Em vista do que informa V.
S. em seu officio desta data aob n. 561 o autor-
as a mandaradiaotar o sold do presen.e mez ao
capito do 10. batalhio de infantarii Joio Theo-
doro Pereira de Helio, que segu pata Bshis, a
reunir-se ao seu corpo.Commouicou-se so
commandante das armas.
Dito ao inspector da tbesouraria provincial. -
Transmiti a V. S. para seu conhecin ento e exe -
cucao copia (U lei o. 534 ao do cor reo ce aDrlQ-
4o desda j aa rdito devf feOOO* wta al-
cin al a contigocao do art. 15 da 1)1 n. 510 de
18 de junho de 1861, para pagamento da sab-
venejio a que ti ver direilo Jos Marinangeli, pe-
jos espetaculos lyricos que deu- no theatro de S.
Iiabel-deotro do crranle anne financeiro.
Dito ao mesmo.Respondendo otfflcio de 21
de marco ultimo aob n. 172 em que V. S. pedia
um crdito sapplementar de 3898140 reis para
pagamento das deipezas com o expediente do
curso commercial em fevereiro deste anno com
o coasumo do gaz na casa de detenco, nos me-
zes de dezembro e Janeiro prximo fie los, e com
aremofiio de um lampiio da illuminago desta
cidade, tenho a dizer qae poda V. S. mandar ef-
iectuar esse pagamento Ttsto j existir crdito
para elle.
Dito ao mesmo.Nos termos de sus informa-
cao de 3 de abril ultimo sob n. 261, mande V. S.
pagar a Joio Jos de Carvalho Jnior ou a pessos
por elle autorisada conforme sollicit>a o com-
mandante superior da comarca do Boato em of-
ficio -de 7 de abril ultimo a qointia de 1833560
res em que segando consta dos papns que de-
volvo importara os vencimentos de urna escolta
de guardia nacionaes que conduzio prezos de
justics d'aquella villa para esta cap al visto j
baver crdito para easa pagamento.
Dito ao mesmo.Certo do contedo de sua in-
formarlo de 2 do correte aob o. 2 7, recom-
mendo a V. S. que mande effecluar a restituicio
que por officio de 15 de marco ultimo se mandn
facer da quantia de 395000 reis qae pagou o se-
minario episcopal de Olinda do imposto de 5 por
cento cresdo pelo 6 12 art. 40 da lei da orgamen-
t vigente, visto j haver crdito pan esse fim.
Officiou-se ao bispo diocesano.
Dito ao mesmo.Reverto a V. S. i conta em
duplcala que veio aonexa a sua informarn de 2
de malo ultimo sob n. 255 aflm de qu< conforme
aollicitou o Dr. chele de policio em oflicio n. 527
de 5 de abril protimo fiado mande pagar a Ha-
noel Francisco da Craz a quantia de lOgOOO reis
froveoienle de um semestre vencido om dezem-
ro do anno prximo passado, do aluguel da ca-
sa qae serve de prisio no 3a districto ds delega-
da desta cidade, visto j haver creditc para esse
pagamsolo.Commaicos -se ao chele de po-
Dito ao director geral da iosiruccao publica.
Em vista de sua informago de 18 dn correte
sob o. 154 mande V. S, admiuir no imperial ins-
tituto de N. S. do BoaTConsekho o mecor Jos de
Soazs Reis: em um dos lugares postoi a dispo-
aicio desta presidencia pelo respectivo director
como prova de recoohecmento por ler S. H. o
Imperador conferido ao mesmo eslabolecimento
o titilo de imperial.
Dito ao direetor das obras publicas.Teodo
nesta data concedido a Antonio Climaio Moreira
Temporal, a autorisaco qae pedio pira escoar
s aguas do quintal de sua casa n. 2 da travessa
do Peixoto para o cano feito por essa *epart(io
em frente da mesma essa ums vez qae se sugei-
te elle alero das condices apresentada pelo ea-
geoheiro Peixoto, oa isfermacio que >or copla
acompanbou s de Vmc. datada de 18 (o correo-
la, aob n; 132 a repor no eatado em qo se acha
o calcameoto qae para esse fim lor arrancado
conforme indica a cmara municipal desti sida-
de, em aua informago de 2 deste mez sob n. 60,
assm o comrrnico a Vme. para aeu conheci-
mento, e aflm da que mande lavrar o competen-
te termo de obrigaglo sem o que nc poder o
npplicante dar principio a easa obra.Olllciou-
ae a cmara municipal do Recite.
Dito a cmara municipal do Bonito. Com a
copia da portara desta data, em que djehra aer
o tercairo supplente do juizo municipal e de or-
Shios deste termo, no faluro quadrienio A atona
os Pereira e nio HanoerJoi Pereira. como por
equivoco ae disse na portara de 23 de abril ul-
timo, -
Dito ao Dr. Jos da Silva Gasmio, facultativo
da colonia militar de Pimenteiras.Pelo Sea ot-
ado de 12 -do correle, fiqaei inteirado de ter
declinado em grande escala a epidemia do cho-
lera-morbos que reina no districto dessa colo-
nia.
Portarla.O presidente ds provincia atienden-
do ao que represeotou o presidente da cmara
municipal 4o termo do Bonito, resolve corriglr o
eogsno que ae dea na portara de 23 de abril ul-
timo, declarando que o tercero supplente do
jalz municipal romeado para aquelle termo An-
tonio Jos Pereira e nao Haooel Jos Pereira,
por equivoco se deu na referida por-
tara'.
Remeitea-saepor copia ao juiz der direito do
Bonito e ao m orpbaos.
Dita.Os m Kres agentes da companhia bra-
sileira de'paojHha a vapor mandem dir trans-
porte para a Arte por conta do ministerio da
guarrs no vapor que se espera do norte, as pra-
vas constsntes ds> relagao junta.
Dita.Os saibores agentes da companhia bra-
sileirs de paqiaies a vapor mandem dar trans-
porte para a Babia, no vapor que ae espera do
norte, por contado ministerio da guerra, ao se-
gundo sargento Francisco Googalves Rodrgaos
Praoga, sua mulher e um fllho menor, e bem as-
aimao soldado Joequlm Francisco Hsciel, Feli-
zardo Jos do Rege e Haooel Jos do Naacimeolo,
todos perteoceulM ao dcimo balalnao de infan-
tera.
Dita.Os aanhores agentes da companhia bra-
sileira de paquetes a vapor mandem dar trans-
porte para Hacei, por conts do ministerio ds
guerra, no vapor que- se espera do norte, a forga
composta de un. inferior, um cabo, doze pragas o
am tambor, que vio rsnder s pragaa do dcimo
batalhio de rntanlsntaria, destacadas no termo
do Buique, comarca de Garaohaas.Commuoi-
cou-se ao commandante daa armas.
bastar para que o mundo possa julgar quem tem
razio.
< Pelo qne me diz respelto, hespsnhol como
sou, podis bem comprebender qae nio posso
apoiar urna mudaoga radical ao systema politico
deste paiz, ae ae Ibe deve impor a monarchia de
um principe d'Austris.
Os alliados vieram, ligados pela convengio
de Londres, e nio podamos aeparar-nos dells,
sem commelter um grande erro.
c Julguei dever retirar-me .com aa mlnhas tro*
pas. Irei esperar aa ordena do mea governo para
a Havana, e poderei regressar Europa para o
mez de aetembro ou outubro.
c Nio iendo lempo para mais. Os meta cam-
pamentos a ** e sou, etc.
Prim.
Expediente do secretario
IXoverno,
do
Officio bo inspector ds thesouraria de fszenda.
=Consta de pasticipagao do Dr. Joaquim Jos de
Aodrade, juiz municipal e de orpbaos do termo de
Nazarelh, qae em 20 de mato prximo Ando en-
trou elle no gozo da liceogs de cinco diaa que Ibe
foi concedida : e S. Esc. o Sr. presiden te da pro-
vincia asstm orneada eommaoiear a V.S. para
sua intaUtgwcis. --'
Despachos do dia SI de junho.
fieoucrimeno*.
AotonioClimaco' Moreira Temporal.Consedo
a autorisagao pedida., augeilando-se o suppliean-
te aeoendicoee que lhe forem indicadas pelo di-
rector da saparligio daa obras publicas com quem
se dever entender a esse respeito.
Antonio de Soaza. D-se-lbe passsgem de
proa.
Dr. Flix Moreno Brandio.Informe o Sr. ins-
pector da thesouraria de fszenda.
Francisco Q*mtm da SH'd rielra___R.molli-
do ao Sr. juiz dj-Mireito da com-res do Bonito
-ara Uoer o Ms-ytKTrtO como jvilgor de ]-
tigs. -"*
Joaqaim Jos ds Rocha. D-se-lbe de prda.
Major Joio Francisco do Nascimento.Informe
o Sr. inspector da thesouraria provincial.
Joaquim Haooel de Siqueira Cava1canti.=Re-
metlido ao Sr. Dr. juiz municipal do termo de
Cimbras para atteoder ao aupplicante nos termos
do aviso do ministerio da justiga de 18 de Janei-
ro deste anno.
JoSo Googalves.=Ji se remetteu ao governo
imperial o conhecimento qae jantou o auppli-
cante para o fim de lhe aer distribuido o premio
com que o distingui o jury geral da expoaic.30
nacional.
Hanoel Jos Pereira Marioho.=Passe portera
coocedendo a licengs requerida de conformidade
com as ordens em vigor e com as condigoes de
levsr at tres passsgeiros designados pelo gover-
no, iodependenle de retrbuigao.
Maooel de Azevedo Santos.=A' vista da infor-
mago nao pode por ora aer attendido.
Paulioo & Irmio.=Iaforme o Sr. inspector da
thesouraria de fazenda.
Siunders Brothers & Comp*nhia.=Passs por-
tara coocedendo a licenga pedida.
Thereza de Jess Azevedo.Aprsente o me-
nor ao Sr. inspector do arsenal de marinha.
A tentativa dos voluntarios Italianos no Tyrol
deu lugar a que pelo ministerio do reino em Ta-
rn seexpedisse urna circular aos psrftitos, para
annullar o mo effeito que produziram certos
boatos. Esle documento concebido nos segua-
les termos :
c Turin, 15 de maio.
c O governo teve conhecimento de que em
muitas partea do reino algumas pessoas mal ins-
piradas fazem preparativos militares clandestinos
para urna expedigio, qne queriam acreditar ter
sido compreheudida; seoio com o consent men-
t, pelo menos com a conveniencia do preprlo
governo.
c Para justificar esta empresa apresentava um
nomecharo ao paiz, e que (ido em grande con-
siderado pelo governo, e tenlava-se tambem fa-
cer acreditar que esta tentativa insensata exci-
tada e dirigida por elle.
O governo julga ter justas razOes para decla-
rar destituida de todo o fundamento a menor
parte que o Ilustre deputsdo tenha tomado em
semelhaote empreza, qae nio poda deixar de
comprometer gravemente tudo quanto a Italia
tem alcanzado at agora pela sua sabedoria e pe-
la sua coragem.
No entretanto, Sr. prefeito, procurareis com a
iotelligencia e zelo pelas comas publicas, de que
j baveis dado provas tio distinetas, de conven-
cer os vossos administrados de que o governo,
longo de tolerar, condemna aquellas deploraveis
tentativas, de que est resolvido-a nio recuar
perante meio algum para as impedir, maniendo
com mi firme a autoridade da lei. .
c O abaixoassigoajo tem plena con flan ja de
que obrareis com a maior vigilancia nesta.dr-
comstancla para chegar a ser perfeitamente in-
formado, de tado quanto se podease tentsr nesss
provincia, para traduzir em actoa aemelhantes
projectos, nio desprezando coasa algama para
impedir por meio de conselhos, e mesmo da tor-
ga, qualquer procedimento qae teda a por em
perigo a ordem publica, e o respelto devido s
lea.
c Conformando-se com estas ioslricgdes, de-
verieis sem demora por em execagio oa meioa
qae julgardes msis convenientes, segundo aa cir-
cunstancias, para levar ao conhecimento do pa-
blico vontade firme do governo a este respeito.
imito folgo
i na cama-
o-aa animada
de maito bons desejos de secundara aegio do
iverno.
Na thesouraria de fazenda flz celebrar com Eu-
genio Amerieo da Paixao e Silva o contrete
de que V. Exc. achara copia na aecretaria da _
presidencia para o transporte ao cemiterio dos adultos, ei 25 rs. para oa prvulos, a 29 rs.
ASSIGNA-SE
no Recife, em a livrara da praga da Indepen--
deneia ns. 6 e 8, dos proprietarioa Hanoel fantas-
ma de Faria 4 Filho.
damos a aaude publica. A este rea
de applaudir o eoocurso que encontr!
ra municipal da capital mostrando-sa animada
boni
governo.
primelo da misso qae Ibe aseignada, reduzi a
300g00f>annuaes o ordenado do castellao do ce-
miterio & cargo da Santa Casa, e a 69tf000 oa ven-
cimentos do escrivo ; supprimi o eenprogo de
continuo, fazendo accumular eoas o- lugar vago
de ama enfrmeiua o servigo de srvenle, que era
executado por pessos differeote; elevei a 509 rs.
os pregos das catacumbas do cemllerio para os
' E'IU lalalMr
O director geral.
c Fontana.
(/orna! do Commercio, de Lisboa.)
INTERIOR.
Commando das armas.
Quartel-greneral do commando daa
armas Je Pernambneo na cida-
de do Recite em "4 de junho de
1869.
ORDEH DO DIA N. 100.
O general commandante das armas determina
que aeja desligado do segundo batalhio de infan-
tera, por ter de embarcar hoje para a provincia
da Bihis, o Sr. capito Joio Theodoro Pereira
de Helio, com o fim de reuolr-se ao sea batalho
dcimo de iota otaria.
Assignado.Solidonio Jos Antonio Pereira do
Lago.
Conforme. Jos Francisco Coelho, capito
ajudante de ordens encarregado do detalhe.
Rclatorio com qae o quarto vicepresi-
dente commendador Jos Antonio
Hachado passou a administraco da
provincia, ao Exm. Sr. Dr. Jos Den-
t da Cunta Figneiredo Jnior.
Illm. e Exm. Sr.Ao retirar-ae da provin-
cia o Exm. Sr. Dr. Hanoel Antonio Duarte de
Azevedo, na qualidade de 4* vice-presidente ti-
re de assamir, no dis 12 de fevereiro altimo, a
sua administraco, qae agora entrego a V. Exc.
Fazendo-o, veoho cumprir com o dever de ex-
pdr-lhe o estado dos negocios pblicos ; e por-
que no relatorio daqaelle digno ex-presiden le,
que com geral applauso governou a provincia,
encontrar V. Exc. ampios escleresimeotos sobre
o p em que deixou os diflereotes servigos, apre-
aento-lhe essa pega, que timbem mais urna
prova da illustragio do aeu autor, para limitar
a minha expoaigio aos actos e ao lempo da mi-
cha curta admioistragao.
Tranquillidade publica.
A tranqoillidade publica nesta provincia um
tacto permanente, gragas a boa ndole do povo
cearenae, que ae distingue pelo sen amor aotra-
balho e as sabias instituigoes que noa regem.
Essa verdade, folgo de dizer, nio deixou de
ser confirmada durante a minha administragao.
Saude publica.
EXTERIOR.
xivel
lamentar.
Dito ao juiz municipal do>ej0._Conilltndo de
officio dease juizo de 21 dertevereiro ultima, que
nio appareceram concurrente! aos> oiBclos de
partidor e distribuidor desse terme-^* Manien-
do-lhe qae ponba novamente a eaK-se e re-
meta copia do aerial pan ser reprodiSiox oseta
capital.
Dito ao commissarlo vaccinsdor pro hjcisl
Remello a Veje un* calimas cooleado lobos de
pJ Vaccinieo.
Da Opinione Nacionale extrahimoa a seguinte
caria do general Prim, datada de Orizaba a 14
da abril.
< Meu charo amigo :
c Sabis ha multo lempo qne o destino iofle-
1 e muito mais forte do que a vontade dos
homens. Se eu podesse duvidsr disso, ficaria
convencido pelo que acaba de acontecer aqu. A
trplice allianga j nio existe $ os soldados do
imperador ficam nsste pala para edificar om
throno aflm de asseetar nelle o archiduque Haxi-
niltano,_em quanto que os soldados de Inglater-
rai e de Hespanha se retirara do aolo mexicano.
Vos qae conbeceie a dedicagao que tenho pelo
imperador, e a estima verdaderamente fraternal
qae conservo pelos vossos bravoa soldados, e por
tudo quanto diz reepeito Frsnga, podis com -
prehender o desgosto que sent a minba alma,
seodo obligado a abandonar o campe da batalna,
e a deixar os meus carneradas, quando era o mea
maior empenbo bater-me pela mesma cansa que
os frsncezes e no mesmo campo de batalba.. Mas
tornoa-se-me impassivel conservar aqu, aem
esquecer o que sou e o qae devo minhs rainha
e ao mea psiz.
< Em summs, a verdade que os commissa-
rios do imperador se separa rana fiettivamente
o partido de
o reeommandr,Vffici0 de 31 d ." L wnvengao de Londrea, tomando -----
SaU e o n^eTdo. Ar? ?U9. B,e """'",,, operar.m por ana propra conU. 0 pretextOoi a
v?mur "Plenles que se lores ja- proteegao qae ae quiz dar aos emigrados mexl-
canoi, a Almonta, etc., qu chegaram Vera-
Cruz dizendo que vinham com tengio de destruir
a repblica para crear ama nova monarchia a fa-
vor do archiduque Maximiliano.
Dspois, na conferencia do dia 10, cinco diaa
antes das negociagoes com governo, Mr. de Sa-
llfey declarou que j nio quera tratar com o go-
verno de Jurez.
c No altimo processo verbal tudo fei bem ex-
pressado, tudo ficou bem estabelecido por exten-
io, como dizem o diplontu, e esle documento
Achava-se a provincia as melhores condigoes
sanitarias, a febre amare-Ua qne tinha apparecido
em Sobral, e alguna casos de varila neata capi-
tal e na villa do Acarac, tinham aido comple-
tamente extinetos pelaa providencias emprega-
das. Esse lisongeiro estado, porem, aintodize-
lo a V. Exc, cessou com a invaaio do cholera-
morbos, que graassndo naa extremas da provin-
cia da Parahiba, tansmittiu-se cidade do Ico, e
dalli s villas e povoados da comarca, tre-
guara de Milagree da comarca do Jardim, e logo
cidade do Aracaty, que flea desta capital a pe-
quea distancia de 30 leguas.
Segundo aa ultimas noticias, qae elcanesm o
dis 18 do mez prximo passado, a epidemia na
cidade do Ico tiohs tomado proporgdes assasta-
doras, causando algama mortalidade, e afectan-
do crescido numero de pessoas; e no Aracaty,
cujas noticias chegam ao dia 27, apesar de sabir
a 60 e tanto o numero dos accommettidos, pos-
eo sensiveis eram ainda os efteitos ds molestia,
que entretanto comegava a generalisar-se esten-
dendo-se aos diatrieloa vistnbos.
Parecendo ioertavel que d mal se propague a
esta capital, providenciei em ordem a que pi
fossemos por elle apanbadoa desprevenidos dos
necesssrios recursos para combite-lo.
Nomeei seis commlssoea d soecorros pars oa-,
tros tantos districtos mdicos, em que divid a
cidade com atlribuigdea de presltrem a popala-
glo pobre, alem da remedios e dietas, todos os
meios indispeosaveis para o seu curativo.
Alem destas, exlate mala. Borneada ama com-
missao medica, que tem por fim auxiliar o go-
verno oo emprego das medidas reclamadas pela
situagio, sendo presidente" della o inspector de
saude publica o hbil medico Jos Loerengo de
Castro e Silva, que oom os demais membros bons
servigos ha prestado;
Julgando ndispeniavel a existencia de
taes, em que sejsm recebidos os dosnt
gentes, mande! prompliflear quantidsde
cenles do camas e coichoes, e aatorisei a tr
diatinctos commerciantes desta praga a compra
de ootros objectos para seren montadas. \r*i
enfermaras, oa mais se o exigir a necesiiaadi
Exped terminantes ordens no sentido de
levado ao maior grao poisivel o selo e lia,
da cidadt, removendo-se das reas e pragas qa
qaer focos de iafecglo que nsllts ex
mesmo modo providenciei certa i
dsdsdoi geoeto* slimeoHetoi, tWH
slm qup.veatBin ao mexejrdo aquelle* que prio
en mo estado de corrupgao, posum traa*
cadveres daa peaaoaa que fallecerem do chole-
ra-morbas no caso de iva invaaio na capital.
Acerca dos demais ponto* do interior, sao es-
tas as providencias que dei.
Em todas aa cidadea villas o povoados mais im-
portantes da provincia, nomeei commtssdes de
soecorros ; nos lugarea mais povoados e onde
por casiaegulnte o facultativo nao pode levar as
suss istias a todos que della oeeessitam em
suss propriai caas, aatorisei o estabeleclmento
de enfermeras, onde sejam tratados os indigen-
te, qdejtssim acbarao um abrigo contra a in-
temperie do tempo que fieariam expostos em
suas rssMtagoes insalubres.
Pos aVdiapoaicao da commissio do Ico a quan-
tia de2:00OSOO, que deve aer applicada ao for-
necimento de dietaa e outros soecorros de qae
neceisitsr a populagio indigente ; e para esta
serem prestados os da medicina, maodei contra-
tar dooa medicoa ali residentes, mediante ums
gratificacao diaria, que pode ser elevada at 209
Qz seguir o delegado do cirurgiio mor do exer-
cilo Dr. Francisco Alves Pontos, levando comsigo
urna bem provida ambulancia, alm de outra que
tinha sido remstiida anteriormente, e preveni a
commissio de que podis mandir convidar em S.
Joio do Principe um dos dous madicos que ahi
existem, ae Uto parecesse necessaro, como tai-
vez veha a aucceder, por ter sido atacado da
epidemia reinante o Dr. Pedro Theberge, um dos
dous primeiros de que fallo.
Para as comarcaa do Crato e Jardim flz partir
o medico do corpo de ssude capito Aotonio Ma>
noel de Medeiroa; para S. Bernardo o Dr. Anto-
nio Heodes da Cruz Guimaries perleocente ao
mesmo corpo, e o cirurgiio Amerieo Fabiano da
Bsrreto Nobre pars a cidade do Aracaty, onde
tendo mandado contratar mais dous mdicos que
sBo residentes na cidade, sabe ltimamente que
um dalles se achs doeote e imposibilitado de
prestar servigos.
Gonstsodo-me que na cidade de S. Bernardo
existe um cirurgiio, e nio sendo sufflcieote um
s medico, vista da crescida populagio que ali
ha, julguei conveniente manda-lo tambem con-
tratar. 0 mesmo tiz em outros lugarea em que
me constava que havia mdicos, maodaodo pre-
venir, para prestarem os seus servigos professio-
naes logo que sejam precisos, na cidade de Bta-
nte am e na de Sobral um, na Quixeramobim
um, e um cirurgiio; na villa de Haranguape um,
ojt do Saboeiro um e urna pessoa curioaa ; que,
segundo informa a respectiva commissio, tem
habllitaedes para curar.
Alean das embalaras que remetti para o Ico,
mandefftambem para o Aracaty, S. Bernardo, Te-
Iba, Crato, Soboeiro e Cachoeira ; sendo conve-
niente fue desde j V. Eie. tome igaal provi-
dencia a reapeito dos municipios msis ameags-
dos, taes como Cascavel, Baturlt. Queixeramo-
Dioa, a*y*- r.inn a. joso ao Prncipe, oa
qs j tsclsmsrm por lia.
Sou Informado de que o medico existente em
Quixersmobim se echa gravemente doeote, osen-
do essa urna cidade de numerosa populagio, bem
como a de Baturit e Crato, nio aera por certo
sufficiente um s facultativo em cada ama dellas:
V. Exc. attender ests necessidade como en-
tender compatlvel com os meios de que dispoe
para acudir aoa reclamos, que partem das difle-
reotes localidades implorando soecorros.
Ha oa provincia, como V. Exc. ve desta expo-
aigio, falta de mdicos qae possa m ser distribui-
dos por onda, na presente quadra, sejam os seus
serrgos necesitados, e 08 pouco que temos
acbam-se espalbsdos grandes distancias. Por
esta razio e pela carencia de outros recursos so-
licite! ao Exm. presidente de Pernsmbuco nio s
o engsjamento de cito msdicos pelo meaos, co-
mo a remessa de algans medicamentos, langando
mi psra eata viagem, atienta a urgencia com
qae convinha fosse ella feits, de um vapor da
companhia Pernambacana.
O mea pedido foi benignamente acolhido por
aquella digno administrador; mas, infelizmente,
nio pode elle obter o numero solicitado de m-
dicos, tendo engajado smente um, que ainda ae
conserva na capital, e um cirurgiio que segaiu
para o Aracaty. Na aecretaria do governo V. Exc.
encontrar copia do termo dos sana cootratoa. Pe-
la mesma reparticao foram receidas sessenta
carteiras com remedios e quatrocenlos sessenta e
cinco fraacoa com tinturas correspondentes, de
que slgumss j tem sido distribuidas.
Para a rinda deates soecorros o gerente ds
companhia Vigilante, Francisco Ferreira Borges,
poz disposigao do governo o vspor Camaragibe
de propriedade da mesma companhia, aem outra
despeza mais pare oa cofres pblicos do que a
feita com o combastivel; do mesmo modo a
companhia Maranhense racebeu gratuitamente a
bordo de um dos seus vapores, e levou para os
portos do norte, toda carga e paaasgeiros que
conduzia o vapor Jaguaribe da companhia Per-
nsmbucans, mandado d'aqui voltar para Pernam-
buco, como flea dito cima.
Consignando o procedimonto dessss dnaa com-
panhiaa, folgo de nesta pega deixar-Ins om tea*
temunbo de minha gratidio, e applaudir o loava-
vel desinteresse com que assoeiam os seus esfor-
eos aos do governo, quando se trata de aoccorrer
a bumsnidade.
Dando igaal prova de philaotropia, nao posso
deixar em silencio e de agradecer os donativos
que flzeram, ede que V. Exc. poder dispr, a
saber : o diatincto medico Sabino Olegario Lud-
gero Pinho da quantia de 2009 Pra aer distri-
buida coa aaelasses menos desvalidas ; o pres-
limoso negociante destt praca JosSmilhde Vas-
concellos de cem leoges e igual numero de (ca-
misas para servirem nss enfermaras que forem
montadas, com s condigio porm de serem trans-
feridos depois taes objectoe pera a Santa Cass de
Misericordia: e o honrado tenente coronel Luiz
Antonio da Silva Vianoa, commandante do 1* ba-
talho da guarda nacional desla capital, em seu
nome e da digna offlcialidade aob sea commando
da casa que tem alagada para quartel do mesmo
batalho, am de nella serem recolhidoa os en-
fermos sccommettidos do cholera morbos:offe-
rectmenlo que eceeitei pelas boas a eco m moda-
gss que tem o edificio pera esae fim.
Aljamas das medidas que ficam mencionadas,
j foram approvadas pelo governo imperial, como
V. Exc. se dignar de ver do aviso do ministerio
do imperio dr K do mez prximo passado ; e
at este momanto tem sido reaUsadas na thesou-
i fazenda com os diverso*"misteres desoc-
corros pblicos, despezas que montam na quan-
tia d* l:347j670rs.,comprensodidas nessa sotu-
rna as gratiQcagoea correspondentes a um mez,
adiantadas a dous OS mdicos militares que esli
em commissio, i i razio de 30S000 rs. diarios
cada um, a quantia de 50OJO00 dada cools di do
re, a as aj i* de casto de que preciiiram
para aa despezas de viagem.
.o
de cada sepultura para os primeiros e a 1$ rs.
para os segundos, iseotas sement d'esea contri-
buico as pessoas pobres : e- fltei a diaria da 900
ra. para aaoellea que, nio sesdo indigeeteajRV-
correrem Santa Casa para nella recebaren ira -
tamento.
Esta medida que tende a diminuir aa despezss
do eslabelecimento, e a alargar os recursos ds
sus receita, foi por mim approvada provisoria-
mente, e era reclamada pelas necessidsdes do
costeio da Santa Casa, que nao pode subsistir com
s subvengio que lhe d a provincia, e com as
poncas rendas que tem.
Este eslabelecimento pelo fim humanitario a
que destinado e em vista dos beneficios j pres-
tados classe desvalida, merecedor da attengo
de V. Exc.
Arremaocao do dizimo de gados.
O dizimo dos gados grossos,]que o ramo mais
importante da receita provincial, vae sofftendo
um decrescimento progressivo de son a anno, e
lato por causas maiaou menos conhecidas, sendo
a mala podeross o depreciamento do gado.
O producto das arremstagdes deste imposto nos
ltimos tres snnos o que se v do seguinte
quadro:
1859 115:5084000
1860 91:83l000
1861 85:5069000
Resulta a differenga comparativamente ao pri-
meiro destes aonos, qae aquelle em que o di-
zimo aeelevou a maior cifra, de 23:577f000 para
o segundo, e de 6:4259000 comparado este com o
terceiro.
No correte anno, o resultado da concurrencia,
que leve lugar em margo, foi de 60:653$0O0, me-
nos que o do aooo passado a quaotia de ria
24:8539000. Isso levou-me a tentar segunda con-
currencia, que, sem resultado melbor, verificou-
se no seguinte mez de abril, produziodo um aba-
timento de 5:8509 rs. em relsgio ao total epreseo-
tado ns antecedente.
Alm da baixa -do prego do gado, qne regula
por quasi metade do que cuatava antes, coocorreu
para tio notavel diminuigio no dizimo, este so-
n, s reduegio no valor dos quartos. decretada
pela resolugio provincial de 10 de aetembro ul-
timo.
Resolv', pois, mandar entregar 19 freguezias
pela quantia 35:9539000, com o prejuizo de rs.,
2:9309000, em vista do que renderam o anno pts-
sado ;|flcaodo para ser.cobrodo por arremalagao o
dizimo da freguezias ds capital, Maranguape, S.
Bernardo, Riacho do Singue, Quixeramobim,
Mara Pereira, Telha, lc, Pereiro, Saboeiro, La-
vrss, Brejo Grande, Cascavel, Caoind e Baturit,
a respeito das quaes as propostas offerecidas nao
podiam ser aceitas sem sensivel depressio na re-
ceita la proTioco.
O alvitre qae tomei foi dictaedo pelo deiejo da
remover um prejuizo, que era certo e immedia-
to, e se afinsi de constas nao for possivel evta-
lo, acredito que nio poder aggrava-lo, a tem a
vaotsgem de eoaaiar um systema de exaegio, cu-
ja eficacia talvez aeja approvada pela expe-
riencia.
Estio nomeadoa colleclores especiaos, que com
as convenientes instruegoes do digno inspector da
thesouraria provincial, devem promover a junta
dos gados, e entrega-Ios a seas donos depois de
arrematados no leilao, que para isso j foi an -
nunciado.
E para que bem posiam desempenhsr aa suas
fuocgoes, officiei s autoridadealocaes recommen-
dando-lbes que a esses exactores prestassem au-
xilio e coadjuvagio de que houverem mister.
Obras publieas provinciaes.
A excepgio das obras que esta va m em anda,
ment e prosegaem conforme compatlvel com
ss forjas dos cofres provinciaes, s maodei cons-
truir um pequeo cano que deve commanicer-se
com o cano principal da ra Formoss, para dar
sabida s aguas do servigo do edificio di Santa
de Hisericordia, o qual se acha em viaa de ser
concluido.
A' requisigio do commandante do corpo de po-
lica dei-lhe autoriaagio para mandar calar e fa-
zer alguna pequenoa repsroade que necessita o
respectivo quartel, bem como exped ordem para
o csiamento dos quartos do collegio de educan-
dos qae precissvsm desse melhorameato, como
representou o director.
As despezas com um e outro servigo, avnltaram
em muito pouco.
Compillagio das leis provinciaes.
No seu relatorio d conta o meu antecessor do
cootrsto que com o Dr. Jos Liberato Barroso ce-
lebro* para a impressio e publicsgio da compil-
lagio e ndice das leis provinciaes.
Tonda o Dr. Jos Liberato procurado informar-
se oa corte e em Pernsmbuco aobreo prago deste
trabalho, requareu-me a rescisio do cootrsto,
que nio poda cumprir sem grande prejuizo, por
ter de facer despezaa superiores i remuoersgo
concedids.
Nao era justo exigir-so o sacrificio do contra-
tante, que na ausencia de urna sanegio penal
nio se julgava elle obrigado ; e attendendoa
utilidade qae resulta de ama obra to necesssris,
e com que j iem feito o cofre da provincia a des-
peza de sua orgaoissgo, nio duridei reformar o
contrato, elevando a 7:5009 rs., quando exigi o
emprezario a qusntia de 5:0003 rs. quedevls per-
ceber, e determinando que, em vez de trea vo-
lumessomente, constasse a obra de trea ou qaa-
tro, conforme ficasse a encadernagio mais ele-
gante e conveniente. Salva esta alteragio, o con-
trato subsiste em todas as suss parte*.
Sao estes os actos de minba administragio.qae
pareceu-me conveniente relatar V. Exc.; ou-
troa de menos alcance de que prescind, constam
da secretara da presidencia.
Abstendo-me de fszer alterages, limitel-me
tio smente ao qae era reclamado pela marcha
dos negocios, e exigido por novas necessidsdes a
que convinha atteoder.
Sem poder, por tanto, experimentar a grata
aatisfaegio por grandes servigos que tenha pres-
tado, tarefa superior s mohasforga*. resta-mea
coosciencla de nio haver creado embaraces V.
Exc, a quem desejo om feliz governo, qual tem a
provincia direito de esperar do patriotismo e il-
lustragio do V. Exc.
Digne-ae V. Ex*, a aceitar os protestos de mi-
nba maior estima e disuada considerado.
Deus guarde V. Exc. Illm. e Etc. Sr. Dr.
Jos Bento da Cunha Figueiredo Jnior. D. pre-
sidente desta provincia.
Josi Antonia. Machado.
(Do Pedro II.)
das diversss repartieres, e desejando a conrmis-
sio de orgsmeoto fazer applieagio de sea novo pra
cipio.pelo qual o excedente da quola votada ser
pago pelos emolumentos desea* repartieres, devo
anda urna vez prender a atteagio da cass sobre
este objecto, por isso que trata-se de apreciar,
agora, que ae discute a verba expediente da ae-
cretaria do governo, o prmeiro resultado dessa
applicagio. Segundo as basas aeguidaa pela tbe-
souraria d fszenda, bases filhaa da experiencia,
verba necessaria ao expediente d'aquella repar-
tigao, comprahendida a diaria de dooa serventes,
de 6:2219000, que sendo reducida pela nobre
commissio de orgamento baiiou 2-9009000 don-
de se v que ha ama dtffereaee de cerca de 4 con-
loa de res..
O Sr. Feueroa s 3:32l|000. > -
O Sr. Buarque : diOerenga esta que, ad-
metttdas ss mesmas circunstancias ou a media
por que se regulou s thesouraria, dever ser pago,
seguodo o principio da commisso pelos emolu-
mentos, da ropartigio. Occorre-me fazer aqu a
applicagao de um dos argumentos de que me ser-
vi quando offerecendo algumas conaiderages ge-
raes ceres do srgamento, impugaei semelhsnto
principio. Os em pregados das repartieres onde
se percebem esses emolumentos teem mesqui-
nhos ordenedos, que s auxiliados por aqueles
podero bastar a sua subsistencia. Se eate facto
verdadeiro ; se esses empregados quando pre- '
tenderam os cargoa que hoje lne aio confiados con
taram com esses emolumentos como necessarlos
a sua manutengio, quando tratamoa da aecretaria
do governo vemos que all, mais que oalras par-
tes, a injuitiga que se quer asnecionar torna-se
revoltete,
Na secretarla do governo o trabalbo augmenta
de dia em dia ; a csrgo desla repartigao se acham
todos os servigos administrativos do governo cen-
tral, alm do que paramente concernente a ad-
ministraco da provincia. O governo imperial
tem creado novas repartieres na provincia, e to-
das ellas sao dependencias da aecretaria da pre-
sidencia. J v a cas que se por am lado os
emolumentos foram elevados ba poico, nio se
pode contestar o augmento quotidiaoo do traba-
lbo.
N3o ignoramos.senhores, s dedicagao com que
se trabalha naquekla reparticao, onde o eapirito
do homem de letras se deixa aniquilar pelo pezo
do trabalho material ; e que apeaar disso os sen*
empregados nio se retiram antes daa 5 e 6 horas..
O Sr. Portella : E as vezes a noute.
O Sr. Buarque : e s vezea a noute, co-
mo diz o nobre deputado.
O Sr. Soasa Reis : E s que horas comega o
aervigo ?
O Sr. Portella : Aa 9 e meia.
O Sr. Buarque : O trabalho da aecretaria se
acha devidamenle destribuldo ; para cada ramo
de -servigo ha ama aecgio que comporta a cor-
respondencia de todas as repsrligdes que teem
relages naqoella especislidade com a presiden-
cia, e todas essaa aecgdea teem encargos bastan-
tes pars qae seas empregados consumara todo o
tempo jorosleiro.
O Sr. Portella : Compare-se o expediente des-
ta assembla com o da secretaria da presidencia,
bt lSO.
O Sr. Buarque: Este argumento do nobre
deputado procedente. Na verdade, aopasso qae
para ests caaa ae vota 6009000 para o expediento
de dous mezas de sessio, aqui onde o aervigo
limitadissimo, na aecretaria do governo onde as
relages se eslendem a toda a provincia, corte
e mesmo a outros pontos do imperio apenaa se
destina 1:4409000.
He parece, Sr. presidente, que o principio da
commissio de oresmeuto .applicado a secretara
do governo d am resaltado urna iniquidade.
Demonstrado como fica a insufficievaia da verba
decretada no orcamente, o desfalque ou talvea a
absorpgio completa dos emolumentos daquellare-
partigao aera inevitavel.. .
( Crusarsm-se apartes ).
O Sr. Busrque ; Eu re ests applicagio a
cada urna das repsrtiges se preciso for, e mos-
trare! quaes aquellas em que o principio da com-
missio suscepluel de resultado.
Um Sr. Deputado : Nio encontrar muitoe.
O Sr. Buarque ; J v portante a caaa que
nao este o meio de remedisr os malea tio in-
vocados pela nobre commissio acerca do mo em-
prego que ae faz da verba expediente por iaso que
vai ferir a urna classe de empregados que neces-
sita desses emolumentos para sus subsistencia.
Desejando portante votar com a justiga que
acooselha-noa a consciencia nio posso deixar de
adherir a emenda proposts pelo illuslre Sr. Dr.
Portella, que melbor que nos esl no caso de
apreciar aa necessidsdes do servigo administrati-
vo da provincia, e portante maia habilitado a fixar
a verba iodispensavel para o expediente da se-
cretsria do governo.
Saiet aa de. Misericordia.
1 de margo altimo, e na for-
mlsso, nosneei a mea
Gasa deHtssjttcordia, qu
moa posee no di* 19 do
--------_Jdou peesada mesa e
| de suss funegea.
-ou es lembr&dase solieras-
tas pela nova meas, qae se moattaAdigoa esteces-1
a da transacU, no muito bem qae stste servir,
=

PERMrMUCO.

4S8HBLU LEGiSL4TIYA
Disearso do Sr. Dr. Baarcjue etcf Ma*
cedo, aa saas&o de 3 do yassado.
O Sr. Buarque : Yeado que se ierafc alte-
ivwtwlo iouYTrtiaio e calidad Bocua-1rasQM du verba* caasigaad** pira expodieulc
REVISTA DIARIA-
Ser debalde o nosso clamar com relagio *
irregularldadea do crrete ?
Ainda que o seje, nio cesssrsmos de consigna-
las, afim de qae ao menos o silencio nio aa au-
torise.
De Hamaoguape, provincia da Parabyba, com-
municam-noa em dala da 12 do correte que alli
apenas haviam recebido Diarios at 4 de abril! 11
E a lato aera preciso comento ?
A S.Exc. o Sr. presidente daquella provincia
solicitamoa suas viatas providente* pera esse ra-
mo do pablico servigo que tio irregularmente 6 -
feito.' Quando o pub'ico contribue, deve ser bem
servido.
Temos noticias do Rio, qae nos relatam ha-
ver aido o mez maano, celebrado alli com van-
tegem notavel, ragas aoa eaforcoe do Rvm. Sr.
Pr. Caetano do Hessins qae com a sua boa von-
tade e eapirito evaogelco, tem e Hienda d* se -
reproduzir fructuosamente para aa alma*.
A carta a qae noa referimos, ssaim reas :
O mez de Hara foi frequeotedo por multa
gente de todaa as condigoes sociies, eicedendo
ss eonflsses ao numero de duas mil.
* No dia 31 pontificou S. Exc. Rvm. oSr. his-
pa de S. Paulo, e a noite cantea o Te-Dtum lau- -
da mus.
No dia seguate disse miss* o mismo Sr.
acompinhado pelo coro da* Menina Mariannas,
pregsndo o Rvm. coaego Fonseca Lima, celebre
orador sacro da Bahia. Concluido o sermo, S.
Exc. Rvnj. recebeu os nmalbite* de odorfera*.
llore* queaa meoinaa oflertavam a Virgem, rei-
nase dos aojos, e em seguida deitou-lhea ao
pescogo com edificagio do numeroso auditorio
medalha milagrosa.
c A' tarde deale meamo dia, S. Exe. Rvm..
aeompannou com mitra e bculo a procissio ds
meninas, que percorreu o pateo do S. Sebaatseo,
do templo tradiccionat dests provincia do stie do-
Janeiro, onde reuniram-sc algunas iras mil pea-
aoaa, que no aileocio mais complot* avisan a,
vos ebeia de ungi de verdad* do digan pre-
feito dessa sua miraculoaa P*aba, ncleo pec-
feito de vare* apostlicos. _. _,
Os exercicios rellgloaw* o- mes de Maris, *
a voz do Rvm. Fr. Ca**sno tersm um trtnmphc-
psn a religiao oeats corte, ende, ha mais la-
difierenca do qa* sen**.
O Sr. cor*fAJhs.to Padro de S Bsrreto
j enltou ** exerWto. do logar de presidente do
conselbe sd ministra Uso para o rotoecimeote da,
arsenal de (berra.
Foi coosidev.ao tem effeito portarla, qa
oomesvs *abite\esja4s d 1* istriete ds ft-Mesia
de Goianna o Sr. Joio Nicolao Gomes da Helia..
Dacldnodo 1*6 temos noticia! dos lili*
moa dita fr ai proxipA pesiado.
f
i
\
i
(
I'MI
1 II su"" ads-tsn I % #
j


UXM


>"*

-...
DIARIO DE mNAMBPCOi Q1T1 flfK4 16 t* JOSHO DE ItSl.
i j s4aiemo#, 0coa <*cUor aili o
bolera em Dos de abril prximo ,
WSBOfcohavia atada ti
tm, onde o mo
aimo invadido as fa ten
A mortalidad doaotlot ae o 4a
ota* peston, con ioclosore< ata do Rvm.
rdte Vicente e do Sr. Aoiontorjllieii, ociado
i typograpala nacional do Jornal V Tc,
a Telha a pidemia ha f<**aa*eliers* rgo, acodo daplicadameoa 1
lutcio do mu habilaoiet pota
ea pirtuaei, em conteq1
.adre c>alll abandonado a taralii4a e jtM
jiouco digno ao ministerio ajaieaioalfco a aaasz-
.flede anglica.
Em S. Malheus nao menor* tlrtgo. Falte-
cea o vigrio respectivo, bem amo o'pharma-
-cotro-lo. ,-
Ho Tuh d-aa maama, t ridse precio
_ ac aido eiedas, entre as lo commandanle superior, l)r. Jas Bailoa, pa-
Ir* Augelim, etc.
N poocao da Vanea Alegre,(regueiia da La-
wraa, a deveeiacao nao menor, canto a tanta
ji lo a victima*. O Rvm. paire Pontea ca-
pellao d'eaee povoado, urna de.u
u Riacho do Saogue taina tambera a epi-
Jemsls.
No Crate, porem apenaa reinan benignas cho-
lerioas, segundo aa ultimas noticia.
Folgamoas de ter octatiao.de registrar o bello
4>apel, aaa deaenvolvau na qaac>ra do chorara
Mis ixrtesrao o aoaao antiguo f.vai. Sr. padre
Theodulpho Franco Pinto Banoeira, digno eere-
moniario ptrachial do Ico ; a islo facemos Ho-
to mais quanto faodameptado p :1o testera unho
las primeiras autoridades d'alU.
O jun de direito da comarca, o Sr. Dr. Loiz
Jote de Medeiros, altala affirn i ti va mente aos
juiso seguinlea : Se quaodo o chelera-mor-
*us apraaeolou sata desaenvel>tmnlo as iroroo-
acca desta provincia oom as da Parahyba. elle,
convite do Kvas, visarte da frefuezia da Telha,
litigio aa para aquella tocalidaea, onde estere
osea n eierclcio penitenciario cora o poro.-
Se eofb oapparecimeolo docholtra n'eita fregue-
sa, no lugar denominado C;*iira, He parti
aBmediaiea&ente para esta cidade.Se desde o dia
ai que maniefeetou-se n'esta cidade a epidemia,
rile prealoa-se, como exiga o seu meter sa-
cerdotal.Se finalmente, no periodo do faror da
adoaasia, sendo sua familia numerosa, compue-
rta de seus pais.'irmaos a mais renles, quaai
aedoa accommetlidos, foram oa oiio por ella soc-
otrido e tratados, coaciliando o bem estar da
familia cora o cu a; primen da aeu de ver sacer-
dotal, seas em nada prej.dica-io.
O jais municipal, a Sr. dr. Urmelino Ferreira
Clao, atiesta e jara aob o jram oto do sea car*
o, que sempre presencio* osupp-iieante aadar
aeata cidada exerceado actos de leu ministerio,
tarante a iovaaae de bolera ; e consta-me que
lie nanea te nagou a quem quer que o procu-
recae, salvo qasode eslava doetitt.
O delegado do termo, e Sr. major Joaquina
Tinto Nogueira, atiesta, que o R id. padre theo-
dulpho Franco Pinto.fiaodeira lera tido muilo
tooi conduela, tanta civil como eligise ; e no
tempo do cholera que invadi esta cidade, o mes-
cao se -prealou com todo o amor e caridade,
acudiodo a lodos es enfermos, e mesmo prestan-
do-Ibes remedios para seus cura ti os : isto atiesto
por ser lestemuoba ocular.
O Sr. Dr. Rufino u'Aleocar, um doa mdicos
'all, attests, qe o Rrdm. padre Theodulpho
Franco Pinto Bandeira, durante a crise do chole-
Ta-morbus nesta cidade, preatou relevanlissimos
erT;os. Por toda a parle e qualquer hora do
da e da ooite, em qualqaer par? ondeaua pre-
enca era reclamada, mesmo dislanle da cidade,
lie all se achara com promptidio, comprehen-
deudo poig durante ama tal crise a rerdadeira
anisso de um ministro de Chriito. >
O Rrdm. padre Minoel Caelaoo da Silva, pre-
idenle da cmara, altala c ei verdade ludo
juanto oRfd. padre Theodulphd pergnnta em
eua peli$o, accreaceodo anda que no periodo
mais perigoso di ioteosidade do (bolera, quando
oa demata sacerdote ae ochavan; todos doenle,
o mesmo R-d. padre Theodulpho s e a p Arme
-resisti, Mccorrendo de prompto aos numerosos
Aferraos, sem consentir qne morrease urna s
pesaos sem confisrao.
Pedem-nos que lembremos quem de di-
-reito fr, qae fa-a reparar os estrsgos que se no-
ta no calcameoto da estrada do Mooteiro, com
rave prejuito das pessoas que p>r all tranzitam
carro oa 4 cavallo.
K companhia brasileira de paquetes a v^
por pretenda nada pagar pelo servico da prallca-
frem de nosso porto, e dahi nascu a recusa nao
e ao pagamento do (razado cor ".o do que ae ia
encendo por esae trabalho, elevmdo a divida
7:?47#472. Vendo os nossos praticos calcados as
pea oa seus direitos, e qussi que perdida a sea
linda, reaol-eram nao ira*JB mai; buscar oa va-
porea (ora da barra, a datar da ctn g?da do Para-
n, ceja pilotegem, entretanto, accederam
viata do pedido do Exm. Sr. presidente da pro-
tinci, qae (bes asaegurou, bateado na promessa
do Sr. agente nesta cidade, serem elles embolsa-
Adas at o vapor que aqui deve chegar 13 do
prximo jaiba.
Cmquanto entre nos Uso se davr, a direceo da
companhia oa corle procurara cor seguir seas io-
xeatos, recorreodo ao Exm. Sr. mmiatro do com-
toercio aob o pretexto de achir-f e iseata desse
pagamento ; o que felizmente nao logrou, por ter
encontrado, na seceso do imperio doconselho de
alado, caracteres aaee honrados para repellirem
aemelhante acto de vardadeira fraude, como se
deprehenle do seguinte officio, que se l no Jor-
mml do Commercio, de 27 do pasuido-
Ao Sr. cuostlheiro de estado Pimata Bueno,
communicando baver-se S. M. o Imperador con-
formado com a cooaulta da secc/io dos negocios
do imperio, em reqnerimenlo da companhia bra-
sileira doa paquetes, prelendendo nao estar sa-
jeia ao imposto da praticagem oas barras de
Pernambuco e Babia, oncluindo a referida coo-
aulta que tal prelencao ioadmisslvel. Igual
os Srs. Uarquec de Olinda e vii conde de Sapu-
aliy. .
A' vista, pois, da presente respotta de espa-
rar veja easa clasae retribuidos r s seus servicos,
eem que de novo seja levada a en pregar meios
aemelhaotea aos j embregados.
.. Para evitar davidaa, declaraiboj que al bo-
je nenhum escripto recusamos tobre a falleocia
da aociedide em commsnditaA. norim, Fragoso,
Santos & C, nem contra, nena pi, e qae de bom
irado franqueamos noasaa colornas discusso
desee negocio.
Remetiera-nos o seguinte para publicar-
-tnos :
Acaba de ser comeado para o lagar de aju-
mante do steraometra da alfaodt(;a desta provio-
ia o Sr. Hanoel Antooio Vi-gan Jnior, 2* l-
cenle ds armada, reformado. O relavantes er-
vicos prestados por esse digno >fficisl em dilTe-
reolea pocas, a splidio e nimio zelo empregados
odesempeoho de commiaides importantes para
nal de mirioha desta provincia alguna cargos,
como o de commandante da companhia de artifl-
cee, que o exerceu com a maior honradez, tendo
ddo o primeiro para ella nomeaio ; o de eocer-
regado do observatorio meteorolgico do meimo
atabelecimanto, e altimamente o de professor
< cadeira da primeiras ledras le que era pro-
prietario, nos move a crer, que osse funecionsrio
j lio habituado aos servicos da najio ir na-
juella alfandega prestar-se com a mesma dedi-
tapo e inlerease.
. rtan
dosdeveroa qae lhe inrpfie una Hataram-ae para o consumo (relia cidade no
fllaarjloJao melindrosa, ist no firme proposito dia ti 10 crtente 8
da nlo pon par esforrjos, aura d fjoadjuvar o
eoajtnefcto hooeeto a probo com todos os recur-
sos da todito de qae dtspoe, sendo para notar
qae posie&o da caifa nesta parte summamen-
t* lisoogeira, podendo, dentro dos limitas legase,
elevar, em vista do sea importante (ando dispo-
evarrov
oatdi|d.lera*er^^'MaitMi, tesja ratsai* i mas* b mil oantos
saaa Uoiealavarl a aVl"e 'aa.
pala I* d socwr- tAl*s do dasrtsw eoasMIrada no* cotas do
Otjcia ia harereoa a heieseairo d* calas, de q casos, de /ae
eiaossa feibss nada asis a*
era DOtaait* edeaa, te o lo
no do sBBtssiax
sTontaaa atitasw aoaao parle
No dia 93 do mesmo 81.
Obituario do du 14 di ohho, lo
ato ruanco : ^Ha
Hara Bernardina ajella Pax da Honra, Per*
nambuco, 30 ausro, viava, Santo Antonio, b*-
xigas.
ItMrtfjpjkt Julia ateooMp
basa. aaaes,-sotaaf, Boa
toaoatair.
eslanda lado
(oda, orno
no-
oieosl Cetwtifo, sahid es Urda de Bal do ae- sariaaa*, frica, 6 annoe, se-Hewe, 8. jt( ftt-
Hasasai, P^rnamoaato, mezeo,
AUoandrina ErvaaJIr^e Anpels de U>,
aso, sotsasia, Iw.-Vlsaa.
taaco. atao
limonares.
rente com deatieo ao Rio da Janeiro, por haver
partido o meetaro de velacho 4 roilhaa ENE do
cabo do Santo Agoslinho na noile de 24, quando
aavegava com veolo SSE fresco, com aguacelroc
o mar TMstsotemente agitsdo. Pelisraeote ne-
nhum damno, alm dao avadas do navio, ha a
lamentar; Apenaa Toi ella deacoberlo de trra ae-
guio o vapor de reboque, com os compelentss
soccorros e o pratico da barra, afim de trazo-Io
para o porto, ende fundeou a 5 horas da tarde.
Repartido da polica.Extracto dos par-
tes dos dias 24 e 25 de jaobo.
Porim recolhidos a casa de detencio no dia
23 do correte.
A' ordem do Illm. Sr. Dr. chele de polica, An-
tonio Jo Bereira Braco-forte, brinco, de45an-
ona, peecador, rerxetiido da preaideocia do Rio
Grande do Norte, por oentenciado fgido do pre-
sidio do Fernando,
A' ordem do eubdelegado do Recife. Sabino
Olegario do Eapirito Santo, crioulo de 26 aonos,
oslivsdor, por desorden).
A* ordem do aubdelegsdo de Santo Antonio,
Icio Elealerio de Deue, pardo, de 88 annos, ca-
noeiro, a Gersodo Gomes, crioulo, de 24 snnos,
tanoeiro, por brigi.
Dia 21.
A''ordem do Illm.Sr. Dr. chefe de polica, oa
pardoa alanoel Antooio da Paixao, de 14 auno,
carpiaa e Valerio Rodolpho de Almeida, de 16
annoa, violeiro, para recrutas.
A' ordem do Dr. delegado do 1* diatricto, ea
pardos Fabriciano Pollcarpo do Espirito Santo,
de 24 acnos, pedrelro e Primo Luciano, de 37
aonos, cozinheiro, por infraccio de postaras mu-
nicipaes o tarebem Valdevino Ribeiro da Silva,
de 27 enona, dado negocio, por insultos irro-
gados um inspector de quarteirao.
A' ordem do subdelegado do Recife, o marujo
portuguez Joio Maooet, de 32 anees, por deao-
bediencia.
A' ordem do de Santo Antonio, o portuguez
Antonio da Silva Villela, de 44 annos, carroceiro,
e Francisco Salvador Barbosa, crioulo, de 42 an-
anoos, talhador de carne verde, para evorigaa-
coea em crime de estellioosto.
A' ordem do da Boa-Vista, Joio Biptista da
Silva, crioulo, de 33 annoa, cezinheiro, por em-
briaguez e reiiatencia prisao, e Pedro oa Eze-
quiel. tambera crioulo, de 13 aonos, escravo de
Jacinlha Mara dos Prazeres, por deslirdem.
A' ordem do de s. Jos, os crioulos Joio Ha-
noel da Roas, de 29 aonos, barbeiro, igualmente
por desordem, e Jos Vidal do Sacramento, de
25annos, pescador, por infraccio de posturas
mooicipses, Qcando a disposicio do Dr. delegado
do Io disiricto.
O chefe da segunda sec;io,
/. G. de Mezquita.
flammcao.
Elmira, Pernambuco, 4 annos. Recite, gsrro-
lilho.
Josepba de Jeeus Simos, Pernambuco, 45 snnos,
solteira, Santo Antonio, pbtjeica-pelmonsr.
Umbelin Demetrio Vann, Rio Formeae, 19 as-
nos, solteiro, Recife, ioflamma^ie noo ioslea-
tinos.
Usria, Pernambaco. 7 dias, S. Jos, espasmo.
Antonia Baria do Amor Divino, Pernambuco, 90
annos, soiteira, Boa-Vista, variolar.
Silo, a pao pars uso pprovOcAo do xm'.
ptootdeoto da provincia.
eepatbaram-se ao pelicoas do Antooio da Sil-
va Caseoso Jnior, Antonio Alvos Vilelis, D.
Jabado de fi. Beoto, Joaqaim Cvalcante de Al-
taOMSjaa Los, major Joio Francisca do Rogo
Mata, Jacintho Leodoro do Sscramonto Romos,
Jasaino Augusto dos Santos Fragoso, Joio Sarai-
va d Araajo Galvao, Joio Antonio da Silva Tei-
PdoaTia> aira, JoiMametoAlv^Ferroto, Usaoal Alves
Guerra, Manoel AntoiaaaVieJasiBaaaGermsna
MarU doa Santos, Dr. VsUSDda ferotta do Reg,
e levantoa-ae a aesslo.
Ea Francisco Canuto daj Bdo-Viageso, offleis)
tttior s escreti no loafdBMoto de secr*ta-
o. Reg Albuqoerqna, pro poasideoU. Cezsrio
do Helio, Heoriqoaa d aatvi. Bapa, Barata de
ArosoMo, Ue Be+e, Mello, Reg Mar.
phsjrsica-
Aatonlo
Perna
tubercu
Movimenlo da
de junbo.
caso de detencio do dia 23
A saber
Exisliam.
Entraram.
Sablram.
Existem.
Naciooaes .
Eslraogeiro.
Mulheres; .
Escravoa. ,
Escravas. .
3S2
4
14
772
presos.
a

263
27
4
71
7
372
Total. .
Dia 24
Existiam...... 372 presos.
Entraram.
Sahiram.......
12
4
A aaber
Existem....... 380
Correspondencias.
Raa do Crespo.
N. 3.brado de tres andaras a lo-
ja, por ai ao......................
Roa do Rangel.
Ra da Cadeia do Recito.
N. 17.Sobrado de dous andaras o
loja, por sano....................
Ras do Hsdre de Deas.
N. 22.Sobrsdo de um ondor e lo-
ja, por anop......................
dem 24 Sobrado do dous andaros
0 loja. dem....................,M
dem .-Sobredo da um sodar a
ojie, M#a.t,MI>,,,t(,,,,.....,,,
dem >Csm terrea, ido.....
dem 27. a .......
dem 30. .......
Ideo SI. M .......
dem 32. b .......
dem 33. > .......
dem 34 o > .......
dem 36. 1 > .......
Nacionaea.....
EalraDgelro* ..
Mulheres......
Escravos......
Escravar......
270
29
* 4
70
7
149
Total........ 380
Alimsntadoa a cusa dos cofres pro-
vinciaes...................................
Movimento da enfermarla do da 25.
Tiveram baixa :
Jos Ferreira de Oliveira ; cephalalgia,
Manoel Ferreira do Nascimenlo ; aslhma.
Vctor Joa Ferreira ; ascite.
Manoel Jos do Nascimeoto ; pleuriz,
Laiz, Africano livre ; contuoao.
Joio Gomes ; intermitente.
Gaspar,. escravo de Jos Leopoldo da Silvs.
pleuriz.
Tiveram alta :
Antonio Joaquim de Oliveira.
Joo, escravo de Feliciana.
Passageijoa do vapor Paran sshido para
00 porlos do sul:cspilso Joio Theodoro Perei-
ra de Mello, sus senhora, 4 lilhos e 1 esersva,
Manoel Jote de Souza, Joa Eestaqaio Ferreira
Jacobina, Claudio Alfonso Correia, Francisco H.
Jnior, Francisco Dusrte de Oliveira, Jos Pet-
xolo de Almeida, capitio-leoente Bonifacio Joa-
quim de Santa Aona e t ciiado, Jos Luiz Tai-
xeira, Joaquim da.Hulla e Souza, Jos Alvos
Pinto de Almeida, Aodr Jos Ferreira (Africano
livre). Joto Vleme Fernandes de Souza Gome,
Joao Jos Rodrigues, Catao G. de Castro e um
esoravo, Jos Marques das Santos Carrega
Antonio de Souza Juuiur, Ignacio Francisco Pe-
reira da Silva. 1 sobrinbs e 1 fllho meoor, Ja-
cinto R. do Almeida, Joaqvim R. Hala de Oli-
veira, Antiocbo A. Ribeiro, Juliana R. de Albu-
querque, Esmeraldina J. de Albuquerque, Tho-
roaz Antonio, Francisco Barreto e 1 criado, Jeao
Dufori e 1 Qlho meoor, Francisco Degloin, Joio
F. Wathuio, Joio Burgette, P. Raphael Bussan,
Antonio Jos Vieira, Mark L. de Oliveira, Fran-
cisco Paplo, Aristides da Silveira Lobo. Jos
Joaquim de Moraes, Daniel Floriane da Rocha,
Joio Cimillo de Araajo, Candido Jos Alves da
Silvs, Joio Joaquim A., Francisco Goocalves
Rodrigues Frange, Luiz Gomes Ferreira e 3 es-
cravos, .81 pracaado exercito, 18 retratas, 1 i*
ssrgeoto e 20 escravos a eotregtr. -
Passageira do brigue nacional Encantador,
sahido para o Rio de Janeiro : Anua Bernar-
da Flor.
a
3
j
o
<
n
Onpondo-se no Rio de Jaaelro a um concur- S
o todo penoso, sujeitou-se a ir examloado em |
diJJsreotes materias, conseguindo opiimelro lu-!4i
tr entio os mais oppositores seus companhelros'oBo
la quem merecen a palma : o :overno em vista "
disso aprouvs nomeo-Io porporlaria de do cor-9S
reate. ; 5 a
< A' to habilissimo o ioesast vel pal de faml-'^S
lia ama tal nomeacio foi de toda justico, e com i *
eaaas exemploa de equidade que o go ver no do 5
H. coatuma premiar o merlt) de lao zelosos'fe
*** la fc
, ** oodecorado o nosso smigo com o habito in
H 2?!!I-*?tB Rm'- "' "Itimameote.g
de ser agraoi.do com o de Christo, em rocom-\
peoss desses servio,. (2
a Folisrtsodo, pols, so Sr. tenante Viogas por
asis esas honrosa prova deeootlaDr;a que acaba
-de rocebor de S. H. o Imperador, deaejamos-lbe
^ue regrosse a esto provlndo om feliz viogem,
*qOie seu noro emprego, ntinue a gozar'
"^CP0""" de 1" n>p f credor.>
oigamos de poder cootioaar
z
w
a
o
que a cooflaoca, lio for
ommertfo, depeis dos la_
*ea porqna vimos de patear
aer-se. Os psgsmentos do
Itimoo diss todos pontulmo;__
casas bancarias prestado
i deaeootaado a paixa fill______________
f da rdit, sogaado sobj di informado.

oaioruaj
5
I I 19
I I I
oannjsipi
8
00
ce
.1
fi
ouinirnaj
2 I
I I
* I B I *
I i"
oannjssM
J5I* I
I I I
ri=
I
oajamujj
I i
oniinsssm
I I I
I I I
T
n
ooiojmo.,1
I I I I
lili
3 -oniinMaH | j | -
N
ooaiajj
I S I I I. I B
I I I
N-o*o*l* |" |" I 'I
8
5.
1
a
-1
110-
straLartlu!!! Na 'otalidade doa doeotes existem 137
I motonai... D,0, seDd0 n<"ne 1 mulheres. a,
rea7abele-L2f,.m viarftiB as enfermarla a satos quatro
lanitn *'' .n0_.We
fetoa, fondo as
^."'"IToaaao nof
terceiro ia 7 horas o 20 minutos.
uario .1 7 borMde_sjnsj*e polo Br. Pama
ollas; e 4a 5e 5 1,2
----------J&mo. Ai 8 li4, 8, 7
.3i4daaBho polo oiroadjIaW Hoto.
CMARA MUNICIPAL DO RECIFE.
SESSO EXTRAORDINARIA AOS 12 DE MALO
DE 1862.
Prtiideneia do Sr. Henriquet da Silva.
Preoentes os Srs. Haia, Seve, Barata, Reg,
a Helio, faltando com causa oa Sr. Barros Rogo,
e Reg e Albuqaerque, o sem ella o Sr. Gexario
de Helio, abrio-ee a ser-sao, o foi Itda'o appro-
vada a acta da antecedente.
Leu-oe o seguate:
EXPEDIENTB.
Um ofBcio do Exm. presidente da provincia,
Dr. Manoel Franciaoo Corre, communicando
haver no dia 30 de abril prximo lindo tomado
poaae do cargo de presidente, para o qual toi
ooroeado per carta imperial de 3 de marco
ultimo.Que ae aecuaesee a recepcio.
Oulro do mesmo, communicando que em
virtude do art. 2a do decreto de 35 de oulubro
de 1831. tranamIUira a aseembia legialatlva
provincial o artigo do postaras, que acompanhoa
o officio da cmara sob n. 49 de 5 do correu-
le.Inleirad.
Outro do mesmo, declarando em resposta ao
officio qne s cmara dirigi s presidencia om II
de abril ultimo, que o director das obras publi-
cas participou em dala ae 8 do torrente, que
foram logo eiecutadee os coucertos de que pre-
citada a pequea ponte do Chora-Menino de que
trata o citado officio,Inteirada.
Oulro do Dr. inspector da saude publica, di-
zendo que teodo de viaitar as boticaa deata
cidade, pedia bouveeae a cmara de ordenar aoa
Qscses da devidas freguotias, que. o acompa-
nhastem naa respectivas visitas.Qae se effi-
ciasse aos tiseses nesta sentido, e se respondesse
ao inapector de saude que ficsvsm expedidle as
convenientes ordens como exigir em sea citsdo
officio.
Outro do Dr. juiz municipal sappleole da 2a
vara, Joio Francisco Taiteira, commuoicaodo
haver pisssdo so seu sucessor, no dia 6 do cor-
rente, o exercicio da meama vara. Intei-
rada.
Outro do advogado ao presidente da cmara,
dizendo que a rapidez da viagem, que ia fazer
ao Rio de Janeiro, oio lhe permiUia pedir licen-
c a meoma cmara, como era da seu costume,
eapersva que lh'a coocedesse, e tevasse ao co-
nbecirtento da cmara, de cuja benevolencia
contara que retiBcasse a graca pedida, e em sua
ausencis, que nao seria looga, cava fazendo
suas vezes o Dr. Cypriano Fenelon Gaedea Al-
coforado.Inteirada.
Outro do engenheiro cordiador, informando o
requerimento no qual D. Isabel da Silva Miranda
Seve, pede para fazer frente e oildes de podro o
cal em sea terreno na ra do Brum, onde pre-
sentemente existe um barracio de madeira, mas
reqaer para que seja alterada planta ds cidade
relativamente ao alinhamenlo tragado naquelle
lugar, diz que aeha atlendivel a pieencao da
supplicante, por quanto o alinhamenlo aegunio
o quarteirio de catas exiatenlea em fronte da
preca do Chafarxi lhe parece mais regular do que
o em discuiaao resul*ta-ia que o ogaobaito pr-
sentatse a planta com a alterarlo requerida para
que ae posas pedir ao governo da provincia.
Outro do procurador, presentando o balsncele
da receila e despeza municipal no mez de abril
prximo Un lo,A' commiisao de policis (Reg o
Albuqueqner, e Heorique da Silva.)
O/Tro do contador, remettenJo a nota de
quanto se lera gaato na obra do matadouro pu-
blico desde o 1 de oulubro de 1854 al 30 de
setembro de 1861, (5&476$35i.-Alddualque
o engenheiro cordiador remenease lambem a
nota do que preciso anda gastar-so coro dita
obra, alim de se levar ao coahecimeolo do Exm.
presidente da provincia como exigi no officio
que foi lido na sessio ultima.
Outro do fiscal do Recife, informando a peli-
gao, na quil Joaquim Jos Pereira AlhaoJra
requer licenga para estabelecer ama padaria na
raa do Caes do Brum, conforme o risco que
aprsenla, declara qne pelo o arl. 4a das postu-
ras addiciooaes de 13 junbo de 1855 s per-
miliido estabelecer padatias ni ra do Brum
desde a parte nao edificada at a Fortaleza, pa-
recendo-lhe todava que ae pode conceder dita
licenca, oio conforme indica o'supplicante no
risco apreseolado, mas sim ficando o torno em
frente do da padaria que lhe flca vsioh, por
quanto assim construido nao havtr inconveni-
ente algum. Commuoicou-se no sentido ds
ioformacao.
0 Sr. Mello, encarregado das obras do mata-
douro publico, represenion que oa curraea
daquelle eatabelecimeato pjarteoeentes s cmara,
precisam do ser reparados/por quanto as madei-
ras se acham todaa podres, bem como as porlei-
r* que para os meamos dio entrada. Man-
dou-se ordem ao engenheiro para fazer o orea-
ment, e ser logo executada dita obra.
A como-issio especial eocorregada de exami-
nar o tereco do eogeoho Peres para nelle eslabe-
lecer-se o logradouro de gado destinado so
eooaumo publico, o assim observar- o que
disj.oe o 8 7* do art. 66 da le do 1 de oulubro
de 1828,. a presentando o seu parecer sobre a
conveniencia de tar ou nao adoptado o mesmo
terreao pars o fim que se pretende, divergi entre
si, e esda um dos dous membros aproseotou eeu
parecer em separado:
Um, o Sr. Henriques da Silva, eotende que
o terreno denominado do cercado do Pacheco
do meamo eogenho, accreacentado com o terre-
no do rancho da Pitombeira, como informe
engenheiro, di commodo para o descanco o
psstsgem do gado, e por isso de parecer qae
se cceile a exposicio ou proposta do propie-
tario com a modificQo por elle Caita, pois s
cha rasos vel,- que usssa exposicio o proprieta-
no demonstra a raotagens que celbeii a cma-
ra da acquiaicio dessa terreno, que sem duvida
o mala proprio para o fim que se almeja, oio
so por ser abnodaote d'agua, como por sus car-
ta distancia do matadouro, sendo que o aeu
prego nio execessivo, atienta a coudicio doa
paga melos.
Outro.o Sr Mello, diz que como membro da
commiisio especial comeada para extmioar o
terreno em qoeatio, dea parecer favoravel,
aiteodendo ao miu estado om que acommoda-
do o gado Irazido para consuno; qae fot sus
opiniio ama a amara deiia aaber, primeire,
qual o valor do terreno, o mesmo que mais al-
gaem o examioaose, quer quanto a exteocio a
quer qaanio a fatiilidade ; que teodo de ae infor-
mar a presidencia qqal o valor do mesmo terre-
no par que aatotlse a cmara lavar effeito o
que dispoe a lat foi o dito terreno de novo
examinado pelo engenheiro. o esto poe o eom-
missio ioteiramenle om duvida, quaolo a eapa-
cidade e fertaiidade ; que o valor ultimo do oro-
pneUrio do 25:000|OO ra^ com certas eondi-
Se, que se acham eacripUs, a attoadeodoque o
terreno oio 6 do grande exteaelo, a nem frtil
de pasto, e que o central, com ama entrada de
cento e vlnte palmo*, oiojide ter o valer do
oatro qualquor, seu parecer que s ae poderi
comprar por 15:000foBOr., excluida a con*
diedes de barreira o entradaa.
Pollo o pareceres om dscussio, reaolveu se
por fim que o engenheiro apresentssse a planta
para se poder resolver, e era qaento isla se no
rlzesse, fioaosam ditos pareceres eddiados.
EsUndo emprca o atierro de camilerie do S.
Lourenco da Hatta, o nao appareceodO HcUaolo.
e havoado urfancia do ser ferta quistos antea
easaohr, madea-aa si seu la-la por admkuV
Sri. Redactores.-'Constando aos abaixo as-
aigoadoa qae algamao pessoss pdom duvida so-
bro a boa harmona o amizade que nos une ae
empresario, pedismo-lhoo o favor de mandar
imprimir seguinte carta, que nos dirigimos ao
eranrezario no dia 17 do correte mes, a que
elle deixou de mandar publicar.
Pernambuco T8 de Junbo de 1862.
Puadiuimo Sr. G. Marinangtli Ne abai-
xo aaaignadoa, tendo sabido qae algum dos sr-
tistas da nossa companhia lhe tem dado dosgo-
tos, espslbando falaidade contra Vmc, e do
contratos que nos liga, declsramos formal e li-
vremente, que nenhum motivo temos de quei-
tar-oosda saa direccio, nem ds msoeira com a
qual noa tem tratodo at boje, manelra que
mais de amigo e compaoheiro que de empresa-
rio; como tambera que Vmc. tem mantido per-
feitamente toda a condlc,oes dos noisos con -
tratos, nosquaes nio ao obrigou de oos pagar
aa mentalidades adiantada. .
De nossa vontide fszemot a pretante declara-
gao, autorindo-o a faier della o uto que jul-
gar melhor, e com toda eatlma noa protestamos
Seas amigos e eacripturados.Innocenzo Smot-
ti.Lola Stella.Vicenzo Tartini.Cario Bar-
tolucci.Domeoieo Orlandini.Ernealo Borghi.
G. B. Gotti. Luigi Aqadro.Jos Thomaz
Cavlcaoti de Albuquerque.Joio Francisco da
Silva Braga.Joa Rodrigue Ferreira.Luigi
Bofli,LuigiBaffaniAndrea Portegi.Hsnoel
Caetano de Siqueira.Beroardino de Senoa.
Miguel Joaquim Lobo.
Pernambaco 17 de janho de 1862.
ERRATAS.
No commanicfdo do Diario o. 142 de sacha-
do 21 do correte, na 31* linha em vez de
mudecerleia-seenrubecer, e na 33a linha
om vez deempretlaleia-seempeit.
COM1IKKCIO..
Fraca do Recife 25 de
juuho de 1862.
\s i\uUro \voras da Urde.
Cotaces ia junta de corretores.
Nao houveram cotagoes.
Alf ara.
landimentode dia 1 s 23.
dem do dio 25 ...
2964251501
10.3x28837
306.748*338
Roa do Torrea.
N. 37.Sobrado de dous andaros o
loja, por anoo....................
dem 38.Sobrado de doas andares
e loja, dem......................
dem 39.Sobrado de dous andares
loja, idem......................
Rus do Cordooiz.
N. 42.Casa Ierra, por aono........
dem 43.dem idem idem........
Rao da Hoods.
N. 4. Casa torra, por son.....
dem 45. > ....
dem 47. > > ....
Rui do Amorim.
N. 48. Casa ierro, por anoo....
"em*).- > .....
dem 50. > i .....
dem 51.-*
dem 52. .....
"era 53. .....
dem 54.Sobrado de dous andares
e loja, idem.....................
dem 55.Casa
1:402J000
2:000$000
50}000
8011000
5511O00
701|000
5tooe
Siltoo
1:351*000
5019000
401VOOO
6000)000
2511000
5fll|000
4011000
303*000
861|000
6801000
4519000
lOtfOOO
3019000
2019000
5619000
2718000
6610000
8OI9OOO
3OI9OOO
4019000
dem
6019000
2319000
2818000
5018000
5019000
5018000 .
20I9OOO
6OI9OOO
Movimento da alfaimelesajrai.
Velemos entrados corr atendss.. 186
om generoo.. 486
Volames
a
ishidos
a
aom faxenda..
om gneros..
672
46.
144
.=- 190
Desrregam no dia 26 de janho.
Galera frincea Adele mercadorias.
Brigue ioglezElizabelhmercadorias.
Patacho hollandexGruemercadorias.
Barca americanaImperador trelo o farioha.
Barca inglesaLindacarvio.
Barca ingleaElia Handeo reato.
Lugre portuRueaJuliovioho.
SMebedoria de rendas Internas
Jvsraieai aV eraatnitoco
K.odira.nto do tita 1 23. 28 099A347
dem do dia 25......1.585J148
1:0019000
4019000
1:0019000
1:6019000
8068000
8019000
7519000
5818000
5018000
8819000
1:0019000
1:0009000
8919000
29:6819495
Couaalado wrovlnelnl.
Randimento do da 1
ldm da dia 25. .
a 23.
70:501|520
515513
76:047|033
Movimento do porto.
-Yauio iahidos no dia 24.
Portos do sulVapor nacional Paran, com-
mandanle o capitio-tenenle Jos Leopoldo de
Norooha Torrezio.
ParahibaPatacho italiano "sena.capilo Bar-
tulen, em lastro de assucar.
Nio houveram eotradao.
Navio entrado no dia 25.
Terra-Nova30 dias, barca inglesa Cora, de 284
toneladas, capitio Jame Wallace, equipagem
14, carga 2783 barricaa com bacalho ; a Jo-
hntton Pster & C.
Navio sahido no mesmo dia.
Rio de JaneiroBriguo nacional Encantador.
cipilio Amonio Pedro doa Santo, carga ci-
mento o outros gneros.
Haga-
1029221
258000
1799290
7387
179777
Eiitaes.
Pela inspeegao da alfandega se fax publico
que no dia 28 do correnle mez a porta da mes-
ma reparticao e depois de meio dia se bao de
arrematar os objectos constantes dos volumes
abaixo declarados, considerados abandonados
em virtade do 2a srt. 301 do regulameoto de
19 de setembro de 1860 tendo a arremaiago li-
vre de direitos so arrematante.
1 embrulho contendo 2 caixinhas de papelio,
sera numero, com 24 nvelos de linha de algo-
dio pesando li_4 de libra, valor da libra 18, total
250 r.
. 1 embrulho da marca SXCP o. 144 e 146, con-
tendo 4 pares de meiao de algodio ordinarias
curtas e grandes, valor da dusia 19200 rs.. tutal
18066 r. .
18066.,
1 barril ra marca DJGB, contendo 12 tioteiro
de cobre a ouat ligas bromeadas em obra nao
elassifleado, petando 38 libras volor da libra
19200 rs., 459600 r*.
PRC1 caixa n. 13 vindadoPorto na barca in-
glesa Oleytoa, contendo 12 libras ae lisa em
panno, valor da libra 134 rs., total I96O8 rs.; e
10 librss de aris pora escripia, valor 310 rs.
1 calza aem numero vioda do Poito na barca
Ingleza Bonita, conloado 42 [caicos com mus-
tarda em conserva, pesando 36 libras, valor da
libra 267 rs., 99612 ro.
5 catxas da marca AMS contendo 576 libras de
botos de malha, valor da libro 600 r., 3451600
rit.
1 caixa aem numero da marca GG, vioda do
Rio Grande do Norte, contendo 5 chapeos de
aeda redondos para homsm, um 59, total 259.
13 chapeos de Ii ordinario para bomem valor
de um 1J200 r. total 159600 rs.
1 embrulho da marca CH, o. 19 e 20, viodo do
Hamburgo, contendo 4 pare de meiao de algo-
dio, valor da duzia 32, total 19066 r.
SO cairas da marca diamante A, vindas de
Lisboa na barca portugoesa Progressisla, con-
loado 18 1|3 de dazits de garrafas intoiras de 4
por medida, conf 55 medidas de vinho-doce. va-
lor da medida 29100 r total 1159500 rs.
4.asecc,ao da alfandega 25 de janho de 1861.
O 1* escrlptursro,
Firmioo Jote de Oliveira.
Pranle a thesourarU provincial, vai novs-
menU o prsea, para ser arrematado a qnem mais
der no dia 28 do correte a rende das casas, abu-
zo mencionadas, pertencentes ao patrimonio doa
orphioo. T
Ra do OuaimadQ,
amero 1.Loja, por anoo......... 27NMI
Idom Idom.-Sala do-ptlmeiro a> *'W~S
dar, idem idtm,..,.,,'........... 10Jt|000
terrea, idem.......
56 a a > .......
_ Ru do Axeito de Pelxo.
N. 57. Casa terrea,por aono....
dem 58. ....
dem 59.Sobrado de um andar o
loja, idem........................
dem 60. Casa terrea, idem.......
dem 61.- > .......
dem 62.Sobrado de um andar, o
loja, idem........................
dem 64.Casa terrea, idem......,
Ra do Vigario.
N. 71.Sobrado de tres andares e
loja, por anoo....................
dem 73.Sobrado de tres andares
e loja, idem .....................
Ra do Encantamento.
V 76.Sobrado de dous andares o
loj, per aono....................
dem 77.Sobrado de dous andares
o loja, idem................\.....
__ e u R da Seozalla Velho.
N. 78.Sobrado de dous andarea e
loja, por anno....................
Ru do Trapiche.
n. 80.Sobrado de ir andarea e
loja, por anno....................
Raa da Liogueta.
i. 86.Sobrado de dous andares e
loja, por aono....................
Ra da Cruz.
N. 87.Sobrado de doua andares o
loja, por aono....................
dem 88.Sobrado de dous andar
e loja. idem......................
dem 89.Sobrado de doua andar
e loja, idem....................,.
dem 90.Sobrado de dous andarea
o loja, idem......................
As arremataceaaerio feitas por lempo de-tres
anno, a contar do Ia de julho do corrente anno
ofimdejuoho de 1865.
E para constar, se mandou publicar pelo
Diario.
Secretaria da tbosouraria provincial de Per-
nambuco, 4 de junbo de 1862.
O secretario,
A. F. d'Aoounclacao;
Do ordem do Illm. Sr. impector da thesou-
raria do (azenda dests provincia, ae publica para
conhecimeoto do interesssdoo relecio abaixo
transcripta dos credore de dividas de exercicio
Codos aa importancia ioi.| da 4:37i996 r*.,
cujo pagamento foi autorisHo pelas ordena do
thy.ouro nacional na. 90 91 aeliexOde anaio
ultimo.
Secretaria da Ihesoarsria de fazenda de Per-
nambuco, 2 de jaobo de 1862. Manoel Joa
Pioto, sejvindo de oficisl-maior.
Relacao a que ae referem a o'rden aupra.
Ministerio da justica.
Abilio Jos Tavare da Silva, exer-
cicio de 1859 a 1860.....
Estevio dos Aojos da Porciuncula,
idem de 1858 a 1859.....
Flix Correa d'Araujo, idem de 1852
Jos da Costa Dourado, 1J idem de
1859 1860. .......
Jos Piaubilino Mendcs de
Ihes, idem idem idem.
Hinisterio da marinha.
Francisco Goocalves d'Arruda.idem
idem idem........
Hinisterio da guerra.
Jacintho Jos de Mello, idem idem
Jos Antonio Pestaa, idem idem
Pedro Celertno de Agaisr (Jos
Francisco de Moraea Vconcellos
cessiooario de) (2) idem de 1853 a
1&56..........
Silveno da Costa Borges. idem de
1859 a 1860 i .... .
Ministerio do imperio.
Jos Cardozo Ayre, idem de 1856
1857.....: .
Hioiaterio da justica.
Antonio Teixeira de Borba, idem de
1852 a 1853. ......!
Francisco Garca do Amara), idem
de 1857 a 1858.......
Ministerio da guerra.
Abrahao Moreira Barbota idem de
1853 a 1854......
Antonio Francisco Segundo, idem
idem idem........
Antonio de Hollsnds Cavtlcanti d
A'hquerque, idem de 1856 a
, 857 ..........
Antonio Joaquim de Freitas, idem
1854 a 1855........
Antonio Jos do Eapirito Sanio.
idem de 1842 a 1848. ....
Antonio Jos Hachado.ldem de 1850
a 1852..........
Aristides Duarte Carneiro da Cunha
Gama, idem |de 1853 a 1854 ; .
Bernardo da ocha Basto, idem de
1851 a 1856.......
Carloa de Moraea Camisao, idem do
1853 a 1854 .......
Coriolano de Castro e Silva, idem de
1851 a 1854........
Feliz Jos da Cmara Pimsntel,
idem de 1844 s 1849 ....
Francisco Americo Pereira Lago,
idem de 1854 a 1855.....
Guilnerme Joa, idem de 1852 a 1857
Hermenegildo Alves Candido, idem
de 1853 a 1854.......
Jacintho Jos de Helio, idem de
1851 a 1852 .......
Joio Eugenio, dem de 1852 a 1855
Joio Ferreira da Rocha, dem da
1852 a 1857........
Joio Franciaco Segundo, idem da
1853 a 1854. '. ...
Joio Jos do Souza. idem de 1843 a
1844...... .
Joaquim lveo de Freitas, idem de
2 1857........
Joaquim Jos da Coala, idem, dem.
Joaqaim Joi Moreira da Hendonc.
idem de 1836 s 1846. ,
Jos Caelaoo Feitosa, idtm de 1853
,0Sr5M chaM AcaioU, idem de
1853 a 1858........
Jos da Fonseca, idem da 1858 a
Jos Francisco Alves ds lima, idem
, de 1842 a 1855. ,~. .
J<" Francisco de Souza, idem do
? 1849 a 1850........
Joa Jernimo da Coocoisao, idem
da 1853.1854. [
Jote Joaquim Caplstrano, Ideal.
Mam,4dm, ......I
Joai Joaquim do Mndente, o llal-
lo, Idea, idm, i4oai
I Jo Josoaim d a Rocha, idem do
JLiar de Cairalbo, idem de
*BO5 m I"Jv4 #
Jos Haaocl, idea dolSSal^ 1857 .
Jo Pereira SsnUsgo.Mom do 1853
a 1854 .........
Joa de S. Luiz Bimberl (Domingas
Maria de Coocrtcio, mii de), idem
idem,dem.........
Um Guates da gilva, idem de 1854
1855 ....,.
Manoel Francisco Lopes, idem da
1863 1854 ... ...
Msooel Fraoeisco de Souza, idem de
1854 a 1855 :......
Hanoel da Hora, idem de 1853 a
aOvO ....... a.
Manoel Izidoro do Nascimenlo,
idem de 1854 a 1855.....
Hsnoel Joaquim da Santa Ano,
idem de 1852 a 1857.....
Manoel Jas Vianna, idem da 1848
Hanoel Vas, idem de 1846 o* 1850
e 1853 a 1854 .......
Mariano Kmoa>de Hendonce, idem
de 1853 a 1854.......
Pedro Joto Honlenegro, idem do
1848 a 1849.......
Sebaetiio Antonio do Rogo Caval-
canti, (oerdeiro de) idem de 1851
a 1752 .........
Theodora Haria da Ezaltacio (luto-
ra de seu lilhos), idem de 1848
0 lOOv. .aa......
Thiago Olimpio do Paula Moreira,
idem de 1853 a 1855 ....
Vicente Izidoro do Rosario, idem
de 1853 a 1854. ....
Hinisterio da fazenda.
Josepba do Reg Barreto, idem de
1854 a 1858. ..:....
Haria do Reg Brrelo, idem de
1854 a 1858......,
Francisco do Reg Barreto Pereira,
idem idtm .....
Francisco Antonio de Siqueira Cavtl-
canti de Albuquerque, idem de
1853 a 1856........
Maria Francisca do Reg [oerdsiros
de) idem de 1855 s 1856 .
' 11017
209168
119151
5858000
249000
169000
208168.
778142
138340
1059554
4619666
99525
89227
669OOO
800
492OO
93gl00
119045
219683
29OOO
308400
398000
379120
269373
99515
58000
529023
319126
99525
79740*
339138
209168
4459060
119151
289288
99528
329002
169333
*m
349944
(1) Antes de effectusr-se o pagamento desta
divida deve a theeouraria mandar revalidar o ael-
lo do reqaerimento docredor, que para esae fim
se remelle, devolvendo-o depois ao ihesouro.
_(2) Remette-se a thesooraria o Ululo de cs-
aio, alim de que antes do realisar-so o paga-
mento aeja reconhecida a assignatura a rogo de
cedente, devendo ter depois reenviado ao iho
souro para flear nnezo ao procesao.
0 Illm. Sr. inspector da tbesoararts pro-
vincial em cumprimento do resoluc.io da junta
da fazenda, manda convidar aoa proprieWrios
abaizos declarado, pira eotregarem na meama
thesoursris no prazo de 30 dias, o contar do dia
da primeira publicacao do presente, a importan-
cia das quotss com qua devem entrar para o cal-
ca ment da ra da Laraogeirase partes da do
Queimado, a comecar da eatramidade da do
Rangel al a etquina da ra Estrella do Rosario,
conformo o disposto na lei provincial n. 350.
Adrerle-se que a falta da entrega voluntaria
ser punida enm o duplo das referidas qaota,
segundo o artigo 6* do regulamenlo de 20 de de-
zembro de 1844.
Ra das Lsriogeirta.
N. 2Claudio Dubeuz .....
dem 4Anna Maria da Coocelco.
dem 6Anno Thereza do Sacra-
mento. .........
dem 8A meara......,
dem 10Ordem 3a de S. Francisco
dem 12Hara do Caroso Uoreira
Fragozo, Bernardina Jacinlha Mo-
reira Fregozo, Francisco Moreira
Frtogozo.........
dem 14Marcellioo Jos Goocal-
ves da Ponte........
dem 16Irmaodade do Divino Es-
pirito-Santo. .......
dem 18Dr. Felippe Lopes Nelto .
dem 20Aotonio Ferreira braga .
dem 22Jos Francisco Fernandea
dem 24Herdeiros de Antonio Lei-
te Pita Ortigueira......
dem 26Antonio Jos Dias*. .
dem 08 H^fdeifo* de Antonio
Mello Corte, : .
dem 30Irmendade do S. S. Sa-
cra menlo de Santo Antonio. .
dem 1Joio Antonio Carpinleiro
da Silva..........
dem 3Joaquim Aotonio da Sil-
oira..........
dem 5Barlbolomeo Francisco de
Souza..........
dem 7Joa Pioto da Coala. .
dem 9Joio Fraoeisco da Sanio .
dem 13Jos Gongtlves Torreo .
dem 15 Herdeiros de Antonio
Helio Cortes........
dem 19Joio Nspenueono de Pau-
la e Silva.........
dem 21Viuvade Victoriano Jos
de Medeiros.
Alberto da Sil-
729OOO
459OOO
369000
369000
549000
1209000
139O0O
379500
165J000
219600
368000
279OOO
_95900O
459OOO
289800
21960O
e>
289800
1358000
369000
309000
1228400
Joaquina Xavier
Ferreira riamos'.
-
dem 23Elizo
veira.. .
dem 25Aona
Carneiro. .
dem 27Hanoel
dem 29Luiz Gomes Silverio
dem 21Francisco Luciano do Re-
g Calalo & Filhos.....
Saa do Queimado.
N. 20Herdeiros de Silvana Haria
Pereira Lobo e Jos Joaquim Pe-
reira de Hendonca......
dem 22Hanoel Ignacio de 011-
eira...........
dem 24Matbias Lopes da Costa
Maia......: .
dem 26 Joaquim do Souza de Mi-
randa Coulo........
dem 28 Antonio|JotdeMsgtlhaes
Baetos..........
dem 30Viuva e herdeiros de Jos
Leio de Castro.......
dem 32 Rodrigues & Ribeiro e Jos
Franciaco Lavra Peona ....
dem 34Joa Francisco Lavra. .
Sem 36Rodrigues & Ribeiro. ; .
dem 38Antonio de Azevedo Pe-
rcirs *>.<.>
dem 40Herdeiros de Franciaoo
Gonr;alves Rodrigues.....
dem 42Albino Joa da Silva. .
dem 44Bernardino Joa Montelro
dem 46Filhoa de Manoel Carnel-
no Lina ;......
dem 48Dr. Sebesllao Goo;slves
da Silva o Dr. Ludgero Goarjalree
da Silva.........
dem 50Viuva e herdeiros de Joio
Manoel Pereira de*Abren .
dem 52C pellas dos Prazeres de
Guararapes ........
dem 31Antonio Jos da Maga-
lhiea Beatos........
dem 33Jos Moreira Pontean Al-
bino Jos Ferreira da Cunba. .
dem 37Irmandade dso almas do
tteClte. ....aaa.a
dem 39Antonio Jos de Haga-
lhes Bastos.......,
dem 41ViscondedeSaassaaa. .
Idea 48Jos Prsocisco Lsvra. .
dem 45Jos Francisco Lavra Peo-
na a.aa.a..a
dem 470 mesmo......
dem 49Bernardina Jos Moo-
teiro ...........
dem 51BereardiBo Lopes de Oli-
?oiro ......
dem 53*lonoceocio Rodrigues Li-
me .....
dem 570 mesmo. :
Idea 59-Alexsodre Joa da Silva.
dem tiOrpbie Jo4 Rodrigues
Idoa 63Bernardina Lopes e Oli-
veira ......aa...
Ida 65Hara do Carmo Nunos
Ferreira.........
Uem 7Uordeiroa4a Joio Vieira
Lima..........
jlWAlexandre Joo da Silva.
71Antonio Pereira de Oli-
1 llamo. .......
Meo 734) moemo......
Idea 75Orpbio Joio Rodrigues
7-lezsor Jt'W mi?.
29521 dem 79-0 masmo. ,
129800o
458000
103f50O
3690 00
128600
289800
36|000
219600
I359OOO
908000
97950O
9O9O0O
2409000
2408000
2OS92OO
90f,000
909000
1508000
1509000
-1209000
4509000
3759000/
519833 i
39340
119151 i
28|000 \
florar 9fd20 \
S99E0
79980
IIO9I66 14114
209384
208000
358467 .1
658000 1
169000 1
29OOO 1 ;
3609000 |
3608000 1
3609000
518156 V
249838 1 t
4:3719996- 1
759000
579600
909000
758000
45f00O
459000
459OOO
459000
9O9OOO
008000
59000
009000
459000
451000

k itii Ar.A
L
I
Jblv
,_. 0-
,x,


/
mtmmmuuM -mm*.aiuiwbomwat
Ui ir o presante i
da Per-'
I
a
Braara Montar m meaaoa
publicar pelo Diario.
Secretaria di thesouraria provincial
oambuco, 14 de junhode 1862.
0 a ra.ario, j
Antoaio Partaira eVAt ouoetace.
De ordam da inspecco da alfsa>1e;a ae faz pu-
, qae ezietindo do rameos da elfandege a
_ do prazo marcado no art. 301 lo regulamen-
de 19 da aateabro da 1860, la marcadoriaa
lo daiignadaa, sao con id dos 3a aaas donos,
o* consignatarios virem despach i-las no prazo
da 30 diaa, eealadoa doata data, fiado o qal se-
rlo arrematadla em haata publica, aim que thea'
fique competiado allegar coma ahuma contra oa
effellos desta reoda.
Armaiem n. 1.
Harcaa AP S1 aaia n. 1491 viada do aul no
rapor brasileiro S. Salvador, enlra io>m 20 de
evembro de 1847 ; a Brandar a Biandis.
Latreiro1 ambrulho n. 11714, odo da Him-
bargo pelo patacho hollao'dex Elisabeth, entra-
do em 19 de outabro de 1S58; a J. Keller & G.
Schalbeitlia1 dito a. o., viodo do Havre pela
barca franeeza Rio Grjadese, < oteada em 8 da
julho de 1859 ; a J. Keller & C.
Leireiro1 dito a. o., violo do Hm re pela galera
Olinda. entrada em 10 de agost i de 1859; a
Moateiro Lopes & C.
dem1 dito a. a., vindo do Havre pala galera
Olinda, entrada eaa 10 de agosto do 1859 ; a H.
Brota.
B1 dito n. 193/191, vindo do H n pela gale-
ra Olinda, entrada em 10 de age ato de 1859 ; a
H. Bruto.
H B 4 C.a1 dito o. 25/28, vindo do Havre pala
(alara fraocexa Adole, entrada tmIJO de agos-
to de 1859 ; a H. Brum.
Le.relro1 embrnlho a, n., vindo do Havre pela
galera tranceza Adele, entrada em 110 de agosto
1859 ; iH. Bram.
dem t dito a. o., vindo do Havre pela barca
(raneeza trato, entrada em 22 je setembro de
1859; a H. Bram.
dem1 dito a. o., vindo do H< vre pela barca
(raneeza Aralo, entrada em 22 le setembro de
1859 ; a Ferreira Matheus.
R B1 dito n. 19297, vindo do H: vro pela barca
fraoctza Villa de Bollogoe, entrad* em 1 de
oitobro da 1859 ; a Ferreira Halheus.
Latreiro1 dito a. o vindo do Hnvra pela barca
(raneeza Villa de Bologoe, entrado em 1 da oa-
labro de 1859 ; a Ferreira Milhius.
TriaogulolR1 dito a. 66. viodo do Havre pela
barca francesa Ville da Bologoe, entrada em 1
de outubro de 1859 ;*a Ferreira Matheus.
J P A & C 1 dito a. n., vindo dollsvr pela ga-
lera (ranean Berthe, entrada em 31 da outubro
de 1859 ; a Ferreira Matheus.
Letreirot dito a. o., viada do Havre pels ga-
tera francesa Berthe, entrada eni 3-de novem-
bro de 1859; a Luiz Antonio do Siqueira.
dem1 dito s. o., vindo do Havie pela galera
(raneeza Berthe, entrada em 3 de novembro da
1859 ; a J. da Silva Faria.
dem1 dito a. o., vindo do Havre pela galera
(raneeza Berthe, entrada em 3 d novembro de
1859 ; a F. 8o dem 1 dito a. o., viodo Havre pela galera (ran-
eeza Berthe, entrada em 3 de novembro de
1859 i mi. Keller & K.
E L 1 dito a. 24, vindo doHsvia, pela galera
(raneeza Berthe, entrada em 3 ce novembro de
1859; al. Keller &G.
Armezem n. 1.
Marcas M L & C. 1 caiza o. 1109 linda do Havre,
pela barca (raneeza Sphere, entrada am 17 da
novembro de 1859 ; a I. Heller i, C.
Letruiro1 embrulho a. n. viodo do Havre, pelo
brigue (rancez Belem, entrado cm 30 de no-
vembro de 1859; a F. Soavage (: C.
Mousseu & Vioassa.1 dito aem numero vindo do
Havre, pelo brigue (rancez Belera, entrado em
30 de novembro de 1859; a F. Siavage & G.
Arsnazam o, 5.
Marcas T. I. Medeiros.1 embrulto sem namero
vindo do norte, no vapor nacional Princeza de
Joauville. entrado em 9 de nove ubro de 1858 ;
a T. I, Medeiros.
M. M. Rocha.1 dito aem namero vindo do norte,
no vapor nacional Cruzeiro do Sal, entrado em
29 de novembro de 1858 ; a Manuel H. Rocha.
Francisco Figueiredo.1 dito aem numero vindo
do aul no vapor nacional Cruzeiro do Sul, en-
trado em 29 de dezembro de 1838 ; a Francisco
Figueiredo.
H G 1 dito aem'namero vindo di nc-rte, no va-
por nacional Igaarasa, entrado em 11 de Ja-
neiro de 1858 : a ordam.
Pedro A Lobo Hoscoso. 2 caixaa aem numero
vindaa do norte, no vapot nacional Iguarasa,
entrada em 24 de marco de 185. ; a Luiz An-
tonio Vieira & C
51. Fonta.1 dita aem numero viuda de Sou-
thampton, no vapor portuguez Portugal, entra
da am 29 de setembro de 1859 ; a L. Antonio
Vieira & C.
travesso B 2 sacco sem oumero vindo de Li-
verpool, na escuna dinsmarqieja Arance,
entrado em 19 de ontubro de 1858, a Patn
Neeh&C
Armazem o. 6.
lfajcaa G C2 ceixotea aem numero viodos do
Maranhao, no hiate nacional Lodo Paquete,
entrado em 23 de maio de 1855 ; a ordem.
Armazem n. 7.
Harcaa S travessao.2 ambrulhos no. 610 e 620
viudos de Hamburgo no bngus hamborguez
Augusto, entrado em 3 de ontuliro de 1859, i
Mousen & Vinnassa.
21 & V.1 dito o. 42 vindo da Hamburgo no bri-
gue hamburguez Augusto, entrado' em 3 de
outubro de 1859, a Mousen & Vinnassa.
FC1 dito n. a. vindo de Hamburgo no brigue
hamburguez Augusto, entrado em 3 de outu-
bro de 1859, a Joto Baptiata Frrgoao.
Armazem n. 8.
Jareas H diamante L. P.1 caita n. 1 vinda de
Liverpool na barca iogleza Eliza II mds, entra-
da em 6 de agosto de 1859, a Jobnston Pa-
ter & C
Diamante R,12 barricas sem nuciero vindas de
Sonthampton no vapor ioglez Magdalena, en-
trado em 29 de novembro de 18tO, a W. Rey-
mundo & C.
Diamante G.1 bah sem numero vindo de Lia-
boa no brigue portuguez Comitente entrado
em 8 de (evereiro de 1859, a Re lint.
Diamante A.20 caitas sem numero vindas de
Lisboa no brigue portuguez Constante, entra-
do em 8 de (evereiro, a Rolim.
Sem marca.1 dita sem numero rinda de Lis-
boa no brigue portuguez Progressisla, entrada
em 11 de marco de 1860, a ord :m.
'Armazem o. 9.
Atareas M diamante FHYVQ. 1 atrio de ps sem
namero viodo de Liverpool pe i barca ingle-
za Genoveva entrada em 24 de sgosto da 1858,
E. H. Wyatt.
Armazem n. 9.
Marcas J. Pater & C.1 embrulho sem numero
vindo de -Liverpool, no brigue inglez Eliza
Handa, entrado em 9 de abr de 1861, a
Johoston Pater & C.
-Diamante A.1 caiza sem numero vinda da Li-
verpool no brigue sueco Rekettn, entrada em
10 de mar(0 de 1859. a Marques Anaorim.
MM 3 barra aem numero viudos do norte no
vapor nacional Oyapock, entrado era 3 de no-
vembro de 1858, a S. J. Teixeiri E asios.
Sem marca.1 pega de estopa sem numero vinda
da Babia,na sumaca nacional lo'tenis, n-
trala em 10 da (evereiro de 18511, a ordam.
M- Figueiii de Faria.2 embrulhoa aem Bu-
mero vindos da Liverpool no vi por portuguez
Portugal, entrado em 26 de junho de 1860, i
Manoel Figueiroa de Faria.
i1. M. S. 1 lata aem namero viada da Europa
no vapor inglez Brasil, entrado i m 25 de julho
de 1860 ; a Manoel Silveira.
T & l. 1 barril sem namero, vii do de Lisboa
no brigue portuguez Promptidi.o, entrado em
22 de eeUmbro da 1858 ; a Manael Duacte Ro-
drigues.
M. 1 barril sem numero, vindo da Liaboa no
brigue portuguez Relmpago, entrad em 18
de maio da 1859 ; a Thomaz de 'iqi.ino Fonce-
ca & Filho.
Sem marca, 2 gaiolas aem nam-ro, vindas no
brigue portuguez Pcomptldo, entrada em 26
de dezembro de 1850 ; a ordem.
M.1 caiza sem numero, vinda do Porto pelo na-
vio portuguer Amalia I, entredi era 24 de ja*
lho de 1861; a Manoel Jos da Foueeca.
M F C 14 maocas de albos sem namero, via-
das do Porto ao Wigue eerUi||nez Amalia I.
-entrado em 26 de julba ata 11161 ; a Ignacio
Ferreira da Ceeta.
Armazem a. K).
Marea 8 & T. 1 eaixa n. 76, vinda do Rio te
Janeiro ao brigue nacional Jov m Arthar, ees*
tredo em 31 de marco de 1800 ; I ordam.
Sem marea. 1 eaixae aem aami ro, viadas ala
Rio-Grande Ve Harte pala baiua Arroga
entrada en 1 da novembro d. 1860; if
Aire Ferretra.
-listas.4, riada d
nat Igaaraaa, entrado am f aiiata^aal8
il
a K.alkman Irmlos.
Letreiro. 1 embrulho n. 128, viodo de Ham-
burgo oa escuna hamburgaeza Venena, entra-
da am 2 de jeoho de 1860 iD.P. Wild & G.
L M.1 caita a. 2, vinda de Hamburgo na barca
sarda Pealo, entrada em 29 de marco da 1860;
a B i atoa A Leaos.
T P 4 R. 19 caitas de os. 1 a 19, vindaa de
Hamburgo no brigue hamburgoez Aoelle, en-
trado em 31 de oatubro de 1860 ; a D. P. Wild
4* eecco da aKandegs. 14 de junho de 1862.
O r aacriplararlo,
Firmino ioe da Oliveira.
O Illm. Sr. inspector da thesouraria pro-
vinaial manda azer publico, para conheclmanto
dos intereasados o art. 48 da lal provincial n.
150 da 18 de iaoho de correnta anno.
Art. 48. E' permittido pagar-ae a meia alza
dos eacravos comprados em qaalquer temposu-
perior s data da presente lei independenle de re-
validado e multa, urna vez qae oa devedores
actate desle imposto, o (acam dentro do exer-
cicio de 1861 a 1862, oa que oto ofizarem flearao
aujeitos a revalidaco e multa em dohro, sendo
am terco para o denunciante. A thesouraria ta-
ra annanciar por edital noa primeiros 10 dias de
eada mes a presente disposgo.
E para constar ae mandn affizar o presente e
publicar pelo Diario.
Secretaria da thesouraria provincial de Per-
oambuco 8 de julho de 1861.O secretarlo,
A F. d'Aonunciacio.
Pela secretaria do govarno coovida-ae os
Srs. mdicos qe qulzerem ir prestar os serrigos
de s.ua arte na provincia do Ceari onde reina o
cholera-morbus s comparecer na masma secre-
taria onae serao contratados com as conlicqes
seguintes:
1." Segair para aquella provincia logo que Iba
(or ordenado, dando o govarno transporte da ida
a volta e comedorias a bordo ;
Ia Vencer a gratiQcacao diaria de 20| desde
a data do embarque at celebrar o contrato de-
finitivo com o presidente da mesma provincia oa
at o dia do tea desembarque nesta capital, sa
nao aa eBeetaar esse contrato.
Secretaria do governo de Pernambaco 23 de
junho de 1862.
Jlo Rodrigues Chavea.
Dee.arases.
Correio.
Relago das cartea seguras vindas do norte pe-
lo vapor Paran, para os Srs. abaixo decla-
rados.
Dr. Antonio Agripino Xavier de Brito.
Dr. Antoaio Witruvio Pinto Bandeira e Accioli
de Vaaconcellos.
Fernando Antonio de Agotar e Almeida.
Goocalo Jos Alfonso.
Dr. Jesuino Jos de Freitaa.
Dr. Joaquim Jos de Campos.
J o o. Valen ti m Vi le la.
Jos Braodo da Rocha.
Major Jos Francisco da Silva.
Jos Goncalves Malveira.
Kaikmann Irmos & C.
Manoel Varella do Nascimeoto Jnior.
Pala administrado do correio deota cidada
ae (az publico parafioa convenientes, que em vir-
tudedo disposto no art. 138 do regulamento dos
correios de 21 de dezembro de 1844, e srt. 9 do
decreto n. 785 de 15 de maio de 1851, se proce-
der a consumo daa cartea existentes nesta admi-
nistraco pertencentes ao mes de junho de 1861
no dia 3 do mez prximo, s 11 horas da ma-
nbaa na porta do mesmo correio, e a respectiva
lista se acha deade j etposta aos intereasados.
Correio de Pernambaso 23 de jnnho de 1862.
O administrador,
Domingos dos Passos Miranda.
Directora geral da instrueco
publica.
Por esta reparlicao se (az publico que o Illm.
Sr. Dr. Joaquim Pirea Hachado Porte lia reassu-
mio boje o exercicio das unecoas de director ge-
ral por se ter encerrado a ataembla legislativa
provincial, onde se achava com assenlo.
Secretaria da instruccao publica de Pernamba-
co, 23 de iiiDho de 1862.
- XJJH- ? O ser rol.rio.
Salvador Henrique de Albuquerqut.
SexU-feira 27 do COTTCnre, BnOa a udienr
cia do Sr. juiz de paz do 3.a dismeto da (reguetia
da Boa-Vista, aera arrematado em praca publica
am sof de jaesrand avaliado por 308, 2 conso-
los de Jacaranda com pedra marmore, avaliado
por 405, e 1 mesa de Jacaranda com pedra mar-
more, por 303, tudo em bom estado, a por exe-
cuqSo de Jos Baptista Ribeiro de Faria contra
Manoel Jos da Lana ; a ultima praca.
Consulado de Portugal
do araefja da guerra tem ae comprar os
seguintes : ,. L
Para o 9* batalhlo ale Infestarla de Baba. I
2 estadios triangulares de metal.
1 trenas de 15 bracas eada ama.
Quera qalxer vender taes objectoa apreaenta aa
sass propostas em carta (echada na secretaria do
conselho, s 10 horas da manhaa do dia 2 de
julho prximo vindonro.
Sala daa aessoea do conselho administrativo,
para (ornecimeoto do arsenal de guerra, 25 da
junho de 1862.
Antonio Pedro de Si Barrtto,
Coronel presidente.
FraMitto Joaquim Pereira Lobo,
Coronel vogal aecretario interino.
Santa casa da misericordia do
Recife.
A Illma. janta admiaiatrativa da santa casa de
misaricordia do Reei(e manda (azer publico, que
no dia 26 do correte, pelas 4 horas da tarde, na
aala da anas sesses, irlo & prec.a para aerem ar-
rematadaa a quem maia dar, aa rendaa das casas
abaizo declaradas, pelo tempo dia 1.a de julho do correte anno a 30 de junho
de 1863 : os pretendentea devem comparecer
acompanhadoa de aeaa fiadores, ou muaidos da
cartas deatea.
Ras do Padre Floriano na, 43, 49 e 63.
Travesea de S. Jos n. 11.
Ra da Calada o. 38.
Secretaria da aanta caaa de misericordia do Re-
cife 20 de ianho de 1862.O escrivio,
F. A. Cavalcanli Coussatro.
Pela thesouraria provincial se (az pblico
que a arremataco dos reparos do sitio n.l ds
estrada de Faraameirlm, loi transferida para o
dia 26 do correnta.
Secretaria da thesouraria provincial de Per-
nambaco 13 de junho de 1862.O secretario,
Antonio Farreira da Anounciaci o
Consulado provincial.
Pela mesa do consulado provincial se (az pu-
blico que oa 30diaa otis marcadoa para a co-
branza a bocea do cofre do segando semestre do
anno financeiro crreme da 1861 a 1862 dos im-
postas da decima dos predioa urbanos das fre-
guesas deata cidade e dos Afogados, de 20 por
cento do consumo de aguardante, e de 5 por
canto sobre a venda dos bena de raiz pertencen-
tes a corporacoes de mao mors ae priocipiam a
contar do dia 2 de junho vindouro.
Mesa do consulado provincial de Pernambuco
26 de mato de 1862.O chee da segunda seceo
F. Ferreira M. Ribeiro.
Conselho administrativo.
O conselho administrativo, para fornecimento
do araenal de guerra, tem de comprar oa objectos
seguintes :
Para provimento doa armazeoa do almotsrifado
do araensl de guerra.
34 [echaduras para caitaa.
4 ditas pequeas para ditas.
5 arrobaa de oleo de liohaca.
2 arrobas de amarello (rancez.
4 duzlaa de brochas sortidaa para pintor.
Quem quirer vender taes objectos apreaeote as
suss propostas em carta (echada na secretaria do
conselho, aa 10 horas da manhaa do dia 30 do
correte mez. 1
Ssla daa aeasoes do conselho administrativo,!
paca fornecimento do arsenal de guerra, 20 de
junho de 1862.
Antonio Pedro de S Brrelo,
Coronel presidente.
Francisco Joaquim Pereira Lobo,
Coronel vogal aecretario interino.
Consulado de Portugal.
Quinta feira 26 do correte pelas 11 horas da
manhaa, perante o cnsul de Portugal, se ha de
proceder ao leilo feilo pelo peiteiro do juizo de
ausentes, de urna casa que fo1 do finado subdito
portuguez Jos Bernardo de Medeiros, sita na Es-
trada Nova do Cacbang, e de varios objectos
existentes na mesma, pertencentes a urna taber-
na qae ahi havis. Rectfe, 17 de juuho de
1862.
F
Conselho administrativo.
O conselho administrativo para fornecimento
do arsenal de guerra tem de contratar o forneci-
mento alimenticio para a companhia dos menores
do araenal de guerra, nos mezes de julho e agos-
to protimos vindouros.
Pao de 4 atean, bolachas, manteina (raneeza.
saiucar refio*do de 2* sollo, -cate em grao, c^uj-p-
hyason.'carne ver Je, dita secca, baealhao, feijo | Cl
prato ou mulallnho, arroz do Maranhao, touciuho I correte mez.
7libras ae ce*aaa. '
0 caixaa do apealas de copahiba!
5 IfbrVs ate chloroormio.
4 lbr* i*) carbonato de aoda crvataliaado.
8 libr de cera em fjpae.
20 libras da chlorureto*"te eal.
1 libra da .ieflochlorarelo de mercarlo.
i libras de esfonjas fioas da Ia qualldede;
2 librea da estrado de mbruogu.
12 jardas de esparadrapo inglez.
4 oocas de essencia de canalla.
4 onc.ii de dita de cravo,
2 oncaa de dita de flor de taranja.
1 libra de extracto de alcacos.
2 oncas de extracto de bardana.
2 ditas de dito de ceotaurii.
2 ditas de dito de coloquiutidas*
4 ditas de dito dedaleira.
2 ditaa de dito de fumaria.
4 ditaa de dito de genciana.
4 ditaa de dito de rhuibarbo.
4 ditaa de dito de acula.
4 ditaa de dito de aapenaro.
12 esptulas de oseo sortidaa.
6 ditas de ac aortidas.
2 oocas da ethige marcial.
4 oncaa da essencia de rosaa.
8 libras de folhaa de digitales.
2 libraa de fumaria nova.
1 libra de folhaa de horlelaa plmenla.
1 libra de ditaa da tuoilago.
16 libraa de fioa de ltobo.
2 funis de vidro grandea.
12 tundea do lado direito.
4 graes de marmore de 1 libra.
1 gral de pedra graode de 16 libraa de capa-
cid a o e.
8 libraa de gomma arbica em p.
2.oncas de hydroferrro cioslo de quinino.
1 libras de herva doce.
2 libras de incens.
4 libras de ipecacuanha em p.
8 libras de iodurato de potaaaio.
2 libras de iodurelo da chumbo.
1 libra de iodo.
8 oncas de kerme mineral.
6 arrobas de linhaga de Ia qualidade.
2 Itbraa de limalha de ferro palveriaada.
2 arrobaa de manteiga de porco.
2 arrobaa de malvaa.
64 libraa de mann commum de f* qualidade:
24 libraa de macolla nova.
8 caadas de mel de abelhaa.
4 oocas de nitrato de prata fundido.
10adornos de papel de corea sonidos.
2 resmas de papel de Hollanda de marca gran-
de paulado.
2 librea de mirrha.
24 vidros de oleo de mastruc,o.
32 libras de oleo de ricino.
32 libraa de oleo de ameodoas.
1 libra de protoiodnreto de mercurio.
4 libras de pommada de piplno francesa.
30 caixas de pastilhas de Nad.
2 libras de pastilhaa de santonina.
4 libraa de precipitado rubro de mercurio.
4 roaos de papal de filtro.
00 vidroa de pilulae da Blancard.
12 caizas de plalas da vida.
12 vidroa de pilulsa vegetaes.
2 libras de pommada de cacao.
70 vidroa de pa de rog.
2 groaaede pennas 'tqo de Ia qualidade.
2 libras de protochlorureto de mercurio.
2 ditas de raiz de valeriana.
2 ditas de dita de genciana.
1 dita do dita de historia.
1 dita de dita de termeotilla.
1 dits de dita de gilbarbeira.
1 dita de dita de sipo.
8 ditas de resina deaegico.
300 rolhsa da cortiga (novas).
2 libras de aalsa hortense.
8 libras de esperncete fino.
8 oncas de aulphsto de qeinino de Pelliar.
4 ltbras do sueco de pepino.
48 vidros de salsa parrilha de Brlstol.
4 arrobas de sulphato de magnesia.
2 arrobas de salsa parrilha.
2 libras de trtaro emtico.
5 garrafas de vinagre de Ia qualidade.
Vidros de 1 nn-a, 2 ditaa, 4 ditas a 8 dita, 3
dazias de cada um,
50 garrafas de viobo do Porto de Ia qualidade.
12 vidros de tarops de afi.
12 garrafas de tarop peitoral ioglez.
2 resmas de papel azul para embrulho.
50 rolos de encerado da Sepeldriel.
- Quem quizer vender taes objectos aprsente as
pro*usas* em caria IeCBa9a, na secretarla o
cooelho. is 10 horas da manhaa do dia 80 do
a
coirANiM riRiunicAiu
DB
Navegacocosleiraa vapor
Parahiba, Rio Grande do Norte, Ma-
cau do Assu', Aracaty, Ceara',
Acaracu' e Granja.
O vapor eJagwartae, commandaala Lobato,
sabir para oa portoa do norte at e Granja,
no ola 7 de julho as 5 horaa da tarde.
Recabe carga at o da 5 ao mel dia. Encom-
rcendaa, passageiros,* diubeiro a (rete at o dia
da sabida as 2 horas; eseriptorio no Forte do
Matas b. 1.
Aenco
SSb,

Para Maranhao e Para,
pretende aeguir com multa breridade o voleiro e
bem conbecido patacho nacional Emulacao, cs-
pito Antonio Gomea Pereira, tem parte de sea
csrregamento prompto ; para o reata que lbe fal-
ta, trata-ae com oa aeaa consignatarioa Antonio
Luis do Oliveira Aievado & C. o seu eseripterio
ra da Cruz n. 1.________________
Ilha de S. Miguel.
Para a liba de S. Miguel, segu com muita
brevidade o patacho portuguez Lima de primeira
marcha, tem dous tercos do seu carregamento
prompto e para o rosto da carga, o passageiros :
trata-ae com os seus consignatarios Joao do Reg
Lima Irenao : na ra da Cruz n. 38. -
Fugio no dia 20 O crtente, o sjat-
cravo pertttacente ao Sr. Dv. Cai-otin
Francisco de Lima Santos, de nome
Adalberto, o qual bastante conhecid
Sesla cidade e intitula-ae de forro, -Coa*.
o signa es seguintes : olhos granees,
testa larga, "pouca barba, pernas una
pouco arqueadas, kaixo etc., etc. r >t>
commenda se aos capitaes de campo c
mais autoridades policiaes de o prend^-
rem e rcmefte-lo a casa de seu senhor*
na ra do Imperador n. 17, que sera'
generosamente recompensado aqueHe
que o levar.
Atten^o.
Para Lisboa.
Tem de sahir com muita brevidade o lugre por-
tuguez aJulioa, de aeparior.marcha, tem a maior
parte de sus carga comprada, e para o reato da
mesma e passsgsiros, a quem offerec os malho-
res commodos, irata-secom o consignatario Tho-
maz de Aquioo Fonaeca, na rus do Vigario n. 19,
primeiro andar, ou com o capitao o Sr. Francis-
co Antonio Heirelles, na praca._____________
rara
Fagio no dia 20 do crreme o escravo Adal-
berto, pertencenle ao Sr. Dr. Carolino Franciero
da Lima Santos, o qual bastante conhecid
nesta cipade. eintijula-se (orre, com oa eigaee
seguintes: olhos grandes, testa larga, pene
barba, pernas am pouco arqueadas, beizo, etc. -
recommenda-ae aoa capitea de campo a maia*
autoridades policiaes, de prendarem renset-
le-Io casa de seu senhor, oa ra do Imperador
n. 17, que aeri generosamente recompensado-
aquella que o levar.__________ ______
Fugio honiem nouie a eacrava Josepbev
crioala. alta, chela docorpoe muito prea, pro-
cura o Recife: quem a sppreheoder e a trouxer
a aeu senhor abaizo asiigoado, ser muito ben
recompensado.
Serrara 25 de junho de 1862.
Filippe de Souzs* Lio.
Francisco A. ae Finbo val
de seus nogocios.
a Earopa tratar
Rio de Janeiro,
segu com toda brevidade a liada e veleira barca
nacionil Ira, de primeira classe, capilo Gas-
par Leite de Faria, a qual tem parte de sea car-
regamento prompto : para o resto, trata-se com
os seus consignatarios Aranaga, Hijo & C, ra
do Tcapiehe Novo n. 6._______________
Ldloes.
Antonio Joaquim de Asevedo, sublito por-
tuguez. retira-ae Dar Sergipe.
Precisa ae de um l'oriuguez para tenor d
engeoho, prefendo-ae aoheira; quem preten-
der dirija-se i praca di Boa Vista, cssa n. 5
segundo aodar.____________^_^_^___
Advocada
O bacharel A. R. de Torres Bandeira contina*
no etercicio desua proGsso de advogado, tem o*
sea escriptorio na casa de sus residencia, rus do*
Imperadora. 37,sgundo andar, entrada a direi-
ta, onde role ser procurado das 10 horas da ma-
nhaa at as 4 da tarde.
Destilador
OTerece-se um moco Portugus para estilar
nests praca ou em algum eogenho, para o quer
tem bastante pratica : quem precisar, dirije-se
Capanga Velha, nos qustro cantos, taberna d>
Hespanhol. que dir quem ae ofTerete.
Precisa-se de urna ama ptra casa de poucat
familia ; na ras do Amorim, segundo andar, nu-
mero 31.
LEILO
Quita-feira 26 do corrente
O agenta Almeida far leilao por coota e risco
de quem perleocer de obras de ourode 18 e 14
quilates, ama rica livraria contando muilas obras
de direito e litteratura, diveraos moveia, um
carro de 4 rodas (Victoria) com caita e farragem
toda nova, am cabriole! qnasl novo e dous aa-
valloa ptimos andadores, as 11 horas do dia
cima mencionado em seu escriptorio ra da
Cadeia do Recife n. 48.____
LEILftO
Curativo
Nao se lendo effectuado no dia 23 o leilo da
cocheira qae foi do nado subdito portuguez Jos
Ribeiro de Faria, ir novamente prega no dia
26 por urna hora da tarde.
Juizo dos feitos da fazenda
nacional.
No dia 26 do correte, na sala das audiencias,
perante o Illm. Dr. juiz dos faites da fazenda na-
cional se vender em praca publica, s 10 horas
da manhaa, um telheiro de pedra e cal, coberlo
de telha, avallado por 1:6003, pertencenle aos
herdeiros do finado Pedro Antanio Teixeira Gui-
mares, cujo telheiro se vende para pagamento
da fazenda nacional.
Recife 23 de junho de ^862.-0 solicitador,
F. X. P. de Rrito.
Conselho de compras navaes.
Tendo-ae de contratar o fornecimento, aob ss
condices do estylo, dos objectos abaixo declara-
dos, por tempo de tres mezea at setembro pr-
ximo, convida o conselho aos pretendenles a apre-
sentarem suas propostas em cartas fechadas, no
dia 27 do corrente mez at as 11 horas da ma-
nhaa, em que iaso se effectaar.
Para a companhia de aprendizes
artfices.
Bonelado uniforme, ditoa para o serviQo, blu-
sas de algodao azul americano, ditas de brim
branco, camisas de algodozioho, caigas de brim
branco, d tas de algodao azal americano, cober-
tores do la, colchse de lioho cheioa de capim,
colchas de algodao, fardetaa de panno azul, fro-
nhas de .algodiozinho, lencos pretos para grva-
la, leocoea de algodozioho, aapatos, saceos de
guardar roapa, e traveaseiros de linho cheios de
capim.
Para oa imperiaes martnheiros e
aprenditea ditoa.
Booets de panno azul, camisas da brim braneo,
caigas de algodao aiul americano, ditaa de brim
branco, ditas de paono aznl, camisas de algodao
azal americano, fardas de psnno azal, lencos
pretos para gravis, polainaa de panno preto e
aapaloa.
Para os fazlleiros osvaes.
Bonels de chapa* e pala, caigas de brim branco,
fardetaa de panno azal, ditas de brim, grvalas
de sola de lustre, polainas de panno preto e es-
patos.
Para os africanos livres.
Caigas e camisas de algodao azal americano.
Para os africaoos livres.
Camisas de algodozioho, saiss de algodao
azal americano.
Acompanbario aa propostas as amostraa das
fazeodas para os objectos de fardamentos, os
quaes aero facturados de contormidade com aa
medidas que se derem aos contratantes.
Ssla do conselho de compras navaes 23 de ju-
nho de 1862.O Secretario,
Alexandre Rodrigaea des Anjos.
A admioistrace do correio desta cidade
preciaa engajar estafetas : quem ae Ichar neatas
circumalancias apreaeute-ae ao respeslivo admi-
nistrador munido de-attealados que abanera oa
seos costamos e conducta.
Santa casa da misericordia do
Recife.
A Illma. junta adminiatratlva da aanta cass de
sniaericordia do Recife, manda tazar publico que
ao dia 26 do crranle, palea f horaa da tarde,
na sala de suss sfasoes, ir i praca o fornecimen-
to da carne verde qae heuverem de consumir oa
estabelecimentoa de carldade no semestre de ju-
nto a dezembro do corrente anno: os pretenden-
tea dirijam as suss proposlas a esta secretaria em
cartea.lechadas no dia e boras apresadas.
Secretaria da santa casa de misericordia de
Recife 20 de junbo de 1862.O escrivio,
F. A. Cavalcanli Cousseirp.
COuSellle) fidlRifiiSaTfitiVfi.
0 cuDjeiao etfnifrativa pera
de Lisboa, vinagre de dita, azeite doce, fsiinha
de mandioca da Ierra.
Quem quizer contratar tses gneros apreaeote
aa auas proposlss em carta fechada na secretaria
do conselho as 10 horas da manhaa do dia 30 do
corrente mez.
Sala das aesses do conselho administrativo,
para fornecimento do arsenal de guerra, 20 de
junho de 1862.
Antonio Pedro de S Barreta,
Coronel presidente.
Francisco Joaquim Pereira Lobo,
Coronel vogal secretario interino.
Peraote o Illm. Sr. juiz de paz do "2." dis-
tricto da Boa-Vista o tenle Thom Carloa Pe-
retti, se tem de arrematar por execuco de Joa-
quim Ignacio Ribeiro Jnior, contra Thomaz Pin-
to de Queiroz, diversos movis constantes de ca-
deiras, marqueza, bancas, lanlernas, e quadros,
sendo a primeira arremataco no dia 23, a se-
gunda a 26, e a terceira no dia 30 do corrente, s
9 horai da manhaa.
O Illm. Sr. regedor Interino do Gymnasio
manda avisar aos pas, tutores ou corresponden-
tes dos alumnos interooa, meio pensionistas e
externos do mesmo iGymnasio, que no dia 23
do correte principia o recebimento das meosa-
lidsdes correspondentes so terceiro quarlel, que
se finda em setembro deste anno.
Secretaria do Gymnasio Provincial de Pernam-
buco 21 de junho de 1862.O aecretario, A. A.-l
Cabral.
-< Por esta subdelegacia se faz publico que se
scha depositado desde a manhaa do dia 24 do
correnta, na cavallo castenho de tamanho rega-
lar, com o p esquerdo calcado de branco, e in-
leiro, com o espiohaco bastante maltratado pro-
veniente de cangalha, o qual cavallo fdra appre-
hendido por suspeitas de ser furtsd'o : quem for
seu legitimo dono, comparece nesta subdelegacia,
que provando lbe ser entregue.
Subdelegacia da freguezia de Santo Antonio do
Recife 25 de junho de 1862.O aabdelegado,
Manoel Antonio de Jess Jnior.
Tribunal do commercio.
Pela secretaria do tribunal do commerciode
Pernambuco ae faz publico ter-se neata dala lau-
cado no competente livro o distrato aocial da fir-
ma Travaasos Jnior & C que exiatio neata ci-
dade ; fleaodoa cargo do et-socio Victorino Jos
de Sooza Travaasos Jnior a liquidago do acti-
vo e paaalvo aocial, exonerado por isso Manoel
Jos da Silva Harquea da respoosabilidada a que
aatava aujeilo pelo contrato ealebrado em 30 de
maio de 1857.
Secretaria do tribunal do commercio de Per-
nambuco 25 de junho de 1862.
Julio Guimaras.
Oficial -maior.
de ma-
sis das sessoes do conselho administrativo
para fornecimento do araenal de guerra, 20 de
junho de 1862.
Antonio Pedro de S Brrelo,
Coronel preaidente.
Francisco Joaquim Pereira Lobo,
Coronel vosal secretario interino.
*\sos stanUmo.
DE
3 canoas senda urna para familia, outra
para capim ou ervico de otaria e >a
outra' finalmente para carrego de ti-
jolos pois carrega 1,500 a 1,600.
SEM RESERVA DE PREgO.'
Quinta-feira 26 de junho ao meio dia.
O agente Guimares competentemente aatori-
sado vender em leilo tres canoas em perfeito
estado, encavilhads de cobre, muito seguras por
aerem muito bem fabricadas e somenle empre-
gsda as madeiras cicupira e amarello, para eza-
me doa pretndanlas eataro na vespera e dia do
leilo no Porto das Canoas junto ao telheiro on-
de ser efectuado o leilo. ___
COMPANHIA BfUSILEIRA
DE
Espera-ae dos portos'do norte at o dia 30 do
corrente o vapor Cruzeiro do Sul, commandante
o capito de mar e guerra Gervazio Mancebo, o
qual depois da demora do costume seguir para
os portos do aul.
Desde j recebem-se passageiros, a engaja-ae
a carga que o vapor poder conduzir, a qual de-
ver aer embarcada no dia de sua chegada,diohei-
ro a frete o eotommendaa at o dia da aabida a
2 horas ds larde : ageneia ra da Cruz n. 1, es-
criptorio de Antonio Luiz de Oliveira Azevedo
Pelas pilulas paulistanas.
Hydropisia.
Por ter conbecimento de um curativo de hy-
dropisia, obtido por Carlos Pairo Etchecoin, d
S. Paulo, procurei o mesmo tralamento para am
escravo meu, ochado este desde os ps at a ca-
neca com as sflicedes da morte ; logo que tomou
as pilulas paulistanis a os tarops, aa aiiucoes
foram diminuiodo, e em menos de50diaa o meta
escravo sarou perfectamente ; nao ae pode cha-
mar curativo, mas sim um milagro. (J sabi-
do que a hydropisia molestia curavel.)
Em testemuoho da verdade assignei o presente)
para ser conhecido de todo o publico e a gloria
ao senhor de lo bom e infsllivel curativo. Fre-
guezia do O' 20 de dezembro de 1859.
Joo Luiz de Barros.
AGENCIA PRINCIPAL
119 Ra do Parto :> ,
RIO DE JANEIRO.
E em Pernambuco, deposito na phirmscia do
Jos Aletaadre Ribeiro. ra do Queimado n. 15~
Sancha Candida Correia, PorUigueza, reii-
ra-se para Portugal, levando em sua companhia
Haria Alvea do Araujo, Braaileira.
LEILO
O agenta Almeida far leilo por conta e najo
de quem pertencer, da 25 barris com toucioho
de Santos, no armazem do caes da altandega da
viuva de Joaquim de Paula Looes, as 11 horas
do dia cima. ______________
Pra o Aracaty
Segas o hiato nacional Invencivel, que an-
da recebe alguma carga : a tratar com Jos S
Leilo Jaoior u com o capite a bordo.
Rio de Janeiro
O brigue nacional Alfredo, aegue com brevi-
dade e tem meio carregamento'tratado : para o
reato, trata-ae com oa consignatarios Marques,
Barros & C. largo do C>rpo Sanio n. 6._______
LEILO
DE
Carro, cabriolet e
cavallos.
Sexta feira 27 do corrente.
O agente Almeida far leilo por conta e risco
de quem perleacer,de 1 carro de 4 rotas com a
coiza e ferrageos nova e 1 cabrtolet novo nooito
maneiro e com excellentes molas, 2 cavallos
ptimos andadores, ao meio dia, na coebeira do
Sr. Ignacio defronte de S. Francisco. ______
No da 21 Oo correle fugio au chegsr n>
engenho Camaregibe, vindo de volia do Recita
para o eegeoho Tiuraa na freguezia de S. Lou-
renco da Malta, o escravo Jovencio, crioulo, da
idadede 20 a 25 annos, pouco mais ou menos,
que tem bonita ligera, altura regular, cor fula,
rosto redondo, alguma barba, e coatuma trazar
suissas, testa larga, nariz arrebitado, bocea regu-
lar, denles limados, lavou camisa e eclea d* al-
godao, e chapeo de palha, tudo j usado, cujo es-
cravo foi comprado ao Sr. Jos Ezequtel da S;I,
morador no engeoho Barba, na comarca do Li-
moeiro, freguetia de Bomjardim : roga-se as au-
toridades policiaes e capules de campo a aua cap-
tura, e leva -lo ao eogenho Tierna, ou na rus da.
Aurora, casa n. 82, terceiro andar, que ser ge-
nerosamente gratificado.
Precisa-se de um bomem
em um sitio de espim ; oa ra
andar n. 37.
para trabalhar
Nova, segundv-
Inspecco do arsenal
rinha.
Da ordem do Illm. Sr. inspector, na contormi-
dade da antoriaacio do Exm. Sr. preaidente da
provincia, faco publico, qae em 26,28 e 30 do
corrente mez ach-s venda na porta do almo-
xarifado de msrinha, daa 11 horaa da manhaa ao
meio dia, o casco do brigue Cearenae, com oa
objectos fuos, avaliado em 150g.
Insaecco do aiseaal de marioha de Pernam-
buco 22 de jnnho de 1S62.
H. A. Barbosa de Almeida.
Inspector.
CoDselho admiaistrativo.
0 conselho administrativo, para fornecimento
do arsenal de guerra, tem de comprar os objectos
seguintes:
Para o botica do hospital militar.
16 libras de scido tartares.
16 lrbraa da alfazema.
60 garrafas grandes de agurdente.
42 arrobaa de aasucar refinado em 6 barriqui-
nbaa de 2 arrobas cada ama.
60 garrafas d'agua de Labarraque.
50 garrafas de aleool a 36 groa.
5 caoadaa da azeite doce.
16 libraa de alcstro.
6 libraa de amoniaco liquido.
6 libras de bicarbonato de aoda.
200 bichea hamburguezas, devendo serem re-
metiidss am caixio cootendo barro proprlo. .
1 batanea decimal pequea coa pesos.
4 libros de benjoio. *>
25 bolees de poraellana -de 8 oacas.
SS ditos de pornlUot. t t oa.as.
Para o
Rio-Graode do Sul
com escala pelo Rio de Janeiro
seguir com toda a brevidade o brigue nacional
Mrquez de Olinda, de primeira marcha, tem
j prompta a maior parte de seu carregamento :
para o restante trata-se com Manoel Ignacio
de Oliveira & Filho", no largo da Corpo-Santo
n. 19.
Maranhao e /'ara.
O patacho Paulino segu em peueoa dias, tem
mil bsrricss de aasucar tratadas, para o reato
trata-ae com os consignatarios Marques, Barros &
C., largo do Gorpo Santo n. 6.
LE1LAO
DE
Gneros, armacao e mais pertences da
taberna sita na ra da Praia ri. 42.
EM UM OU MAIS LOTES.
O ageste Guimares autorisedo pele propie-
tario da referida taberna a levar em leilo em
Iotas a vontade dos Srs. compradores pelas 11
horas do dia
SEXTA-FEIRA 27 DE JUNHO.
James Ryder & C-, consignatario* da bar-
ca ingleza Eliza Hands, que tendo indo na
mesma barca dez toneladas de ferro bruto a or-
dam, pedem a quem fdr dono de mandar despa-
char e de tomar coota oo prazo de 24 boras. o>
contrarlo ser vendido para pagamento daa dea-
pezas.
Recife 26 de junho le 1862.________________
OITerce-s am mogo Portuguez de 16 an-
nos para caixeiro, o qaal d conhecimento de
sua condula : n< ra do Rangel o. 69
Rio de Janeiro
AVISO* dl**TOO*.
Aluga-se a caaa na ra do Corredor do
Bispo n. 24, com commodos psra familia :a In-
terna travessa do Queimado n. 9, que fax es-
quina para a ra larga do Rosario, taberna.
Precisa-se para urna cssa esirengeira aa
pouca familia, urna boa cozinheira, preferiodo-
se urna que aeja Portugueza: a tratar na rus do -
Trapiche n. 8. Ia andar._____________________
Annuucio.
Precisa-se contratar urna pessoa para ensinar
primeiras letras, grammaiica portugueza e prin-
cipios de arithmeiica em um eogeoho distante
legua e niela da terceira seceo da estrada da
ferro ; ns ra estrella do Rosario n. 23, aegun
do aodar._________________________________
Vende-ae uosa.escrava crioala, de laade >
a 30 annos, que lava, engomma e cozinha tajo
com perfeico: lrala-ae na Iravessa da Madre
de Dos n. 13.
Vende-saama barcaca muito telera promp-
ta a navegar, urnas folhaa de candas e um pran
chao todos com 60 pslmos de cumprimeato pro-
prios para ae abrir urna alvarenga, e um pardo-
moco e robusto : a tratar com Jos Hygioo da
Miranda.
Urna oeasoa com bastante pratica de soiu-
dazas se offerec para caixeiro : a tratar na Ira-
vessa do Rosario loja de miudezas de Mala &hj
Lsndelino, que dar aa ioformacoes necesssrias
Pretenda aVagoirciBS muita brevidade, ^ra 0
Rio de Janeiro o veleiro e bem contado brigae
naaionalAlmirante, Um parteydaea carrega-
mento prompto ; para o reato he Iha-falta, tra-
tares coa as aeaa consignatario Antoaio Late da
Oliveira Azevedo, no seu escritorio roa da Cruz
oumero 1.
Quem preciaar de Urna peasoa habilitada
em cobranzas Unto pars tora como dentro da
cidade annuocie ou queira procurar na ra do
Qaelmado n. 18 A. _________________J
- rreeiaa-se de urna ama forra ou captiva
para ledo aervicp de ama caaa de pouca familia :
na rna^Aefioita'a n.^07 '
J """Pretisa-sa de urna ama sem tilho, que le I
' nba bom a baalanle Uite : a traUr na ra Nova"
de Santa Rita o. 17. defronte da rlbeira do peize.
AUenco.
Na grande exposicSo de fazendas baia-
i atissitnas, na ja e armazem da ara-
ra, na ra da Imperatriz n. 56, de
Magalhaes k Mendes.
Vende-se farades muito baratas pira liqui-
er, a sabeflaziobas escossOzes de quadrinho.
ara vestidos desenhorae roupa de roen moa m
320 t'i. o covsdo, ditas muita Boas a 500 re., di-
tas ehioezaa com 4 1/2 palmos de largo 640 re.
o covado, fuato de cores para vestidas ibores a 280 e 320 rs. o covado, cseas s ture*
de cores para vestidos de seohora
240 e 28o covado : na ra da Imperatriz.
loja da arara n. 56.
fara a Ilha (te femando
O Mala aTino sel
cer|a a pafcsageiros qu'
dogoTaroo: traU-i
rlotto, ao largo do
do i*4*J jHAhf. 'e"1**
obtenham a permiasio
t o *apilao Peieu Jtte>
Ssnlon, 6,
Precisa-je alugar ama preta excava que
saiba coiinhar ; na roa das Cisnea em Sanio An
tooio n. 41. segundo dar.

- Precisa-se ilugar um sitie com
artroredos e pasto sufliciente para 0 vac-
cas annualaesate i na ra da Lingoeta
n. 1/taberna de Duarte.
-ae 4
oculoa iactaaaacem
rea de ac em osee caita, aa qual tem o come
do fabricanteAdi quera achou, late i ;*
l SonitU Non u, 42, u saca graufieado com 10*.
Cambraias da anra.
Yendo-se BBas de cabrale branca toas.
l600 e 2$000. ditas flass e 2500, 3| VW-
caasas para eortioadoa mallo floas com *'
a pessa a 9000, ditas com 10 *"^JaT30Oer
3OO0, golinhas para senhotas e menta* a 5UW
rrTmsngoiioa.e golaade linho a 2>500 : aa cu*
da Impiratriajoja da arara n. 56.
Arara vende oswbatOee.
Vende-se baldee da 15 a 80retnj es ma mo-
de cordo crae fas v*aede baile fW WMO. sale
bonhidas para s^a^rree a 2|500, tUa ej pan-
am SfOOO e 82300 : na rw de ImpmWU "
fflassns da arara o, 56,

)
i
ML



___ BlAllft PB ttmMBOOO am QIHPT4 IBA 16 01 JlMiHO ftfe *.
o labrado da ru
ra do Cabugi n.
Al gase
r
o Caldtiretro n. 2
A.
a tratar na
Francisco A. da Piano deir.a encarregdo
de mi negocio* como eu prim 'iro procurador
o Sr. Estevio da Caoba Medeiroi, m segundo
lugar o Sr. Joi Ribeiro da Guohi Guimarea, e
im terceiro lugeT o Sr. Goame Jos dos Sintoa
Calado. Recite 26 de junho de 11)62.
Pedro Nolaeto Baplisia, proleasor e msi-
ca, acha-ae d-e Tolla neata capital, realabelecido
da ana saude : quem preciaar de aeu preatimo,
procure-o na ra daa Crazee n. 3.
Precisa-ae de urna ama que aaiba coznfcar
e eogommar para o servfco da um aanbora ; o
Recite, becco Largo n. 1 A.
Quem ver coalas coai o bngue dinamar-
qus Johennes, capitao H. Breikmolde, appa-
reca no consolado de Dinamarca, ra do Trapiche
n. 18 para ae verificar e pagar neiten tres dita.
Recite 25 de junho de 1862.
-
Precisa-ae de ame ama para ctaa oe pouca
familia, que aaiba engommar e conchar perfeita-
-mente ; na ra da Concordia n. 6i>.
Indmnisadora
Em camprimento da disposigao do art. 19 dos
estatutos da Compenhia de Seguros Martimos
Iudemnia Jora, aerao vendidas em leilao publi-
co, porta da Asiociscao Commerelal, do dia 28
do correte, pelaa 10 horas da manhia, 45 accoea
da meama Companhla, em 6 lotea, sendo :
O 1.a de 10 accoea de na. 51 a 60.
O 2 de 10 accoea de ni. 61 a 70.
O 3. de 10 acedes de nt. 121 a 130.
O 4. de 5 acefies de na. 251 a 255.
O 5.* de 5 accoea de ns. 466 a 470.
O 6 de 5 accoea de ns. 496 a 500. ______-
Precua-ae de ama ama a tara conchar:
na ra do Ranael-n. 7, apeando andar.
Perdeu-se do dia de S: Jo), na misaa da
madrugada, am alQnete de peito, da igrefi do
Corpo Santo at o largo do araena, de marinha :
quem achou e quizer deacarregar sua cooscieo-
cia. leve em Fora de Portaa, na la do Pilar n.
143, na taberna do Sr. Jos Be trio, que ser
recompensado.
Ao respeitavel publico em geral, e ao
corpo do commercio em particular.
A. C. P. de Burgoa Ponce de Len, em satisfa-
tfo aos desejos de seu sogro o Sr. commendador
Antonio de Siqueira Cava lean ti, vida de agricultura e depoia a lo commercio,
acha-ae boje em prega do no loro dista cidade co-
mo solicitador de causas, e cesta condicao offe-
rece aeua seivicos aos que quiaerem lbe confiar
aa anas demandaa, eaaencialmentc as que devem
eer tratadas perante o juizo comtaercia!, nao s
porqae ae jalga de alguma forma habilitado, co-
mo porque neala eapecie osis se dedicar.
O solllcitador Burgoa ae prestar gratuitamente
a fazer valer oa direitoa doa que realmente po-
bres, estiverem olorosamente sob a oppressio
dos descomedidos e insuportaveii caprichos de
injustos poderosos.
Elie pode ser procurado na ra de Santo Ama-
ro, caaa n. 26, que fica por Iraz ila ra do Sol,
das 6 a 9 horas da maohaa, e das 3 &s 5 da tar-
de, e no intervalo de 9 as 3 horaa, no eacriptorio
da ra ealreita do Rosario, sobrad o a. 27, ou na
sala daa audiencias.
A padaria do leo do norte, ra do Cotovel-
lo, preciaa de am foroeiro que de .m peo he o sea
dever
Aluga-se um preto moco pa a casa de pai-
to oa botequim, com a condicao di aer desconta-
do no aluguel o importe de comed ra que ae
tratar, para o mesmo o ir entregai a um preso na
casa de detenco: a tratar na ra Direita n. 106.
Eatio para alugar-se o prim ;irc e segundo
andares de um sobrado na ra de Aguas-Verdes,
e a loja do sobrado da roa Direita ; qaem preten-
der, falle oa ra daa Cruzea, aobrado n. 9, peoul
timo aobrado qaem vai da ra do Quemado para
S. Francisco, lado direito. Tambem ae alaga
eate mesmo sobrado, se bouver q.era compre a
mobilia que no mesmo se acha.
Urna casa para s lugar.
Aluga-ae urna casa terrea na ra da Conceicao
da Boa-Vista c. 31, com muilaa coinmodidadea
para ama familia, por prego coma odo ; a tratar
na ra Nova o. 20, loja de Ctrneiro Vianna.
C/>
o
o
o
S --Roa estreita do Rosa rio3
9 Francisco Pinto Ozorio continua a col- fj
9 locar dentes arlificiaea tanto por meio de
a molas como pela presso do ar, nao re- 9
9 ceba paga alguma sem que as obras nao #
# fiquem a vontade de aeus dono:, tem pos aj
9 outras preparace as maia acreditadas S)
# para eonaervacao da bocea: m
xsstttiieitti
CONSULTORIO ESPECIAL HOiEOPATHICO
DO DOUTOR
SABINO O.L.PIMHO.
Ra de Santo Amaro (Mundo
Novo) n. 6.
Consultas todos os dias tela desde aa 10 horas
te meio dia, acerca da seguintis molestias:
moUttiat da mulhtrt, mohstiat das crian-
cas, molestias da ptlU, molistias ios olhot, mo
Ustiat syphiiiieat, todas astsptccs dt ftbrts
ftbrts inltrmiUtntt satas consequtncias,
rHARJUCIA ESPECIAL HOMOf.kTBICA .
Verdadeiros medicamentos homenpahicos pre-
jaradoe som todas as cautela neceasariaa. n-
alliveia em aeua effeitos, tanto em tintura,orna
m glbulos, pelos presos mais c< mmodos pos-
areis.
N. B. Os medicamentos do Dr. Sabino sito
nicamentevendidoaem sua phaimacia; todos
que o foremfra delta aa falsas.
Todas as carteiras io acompan hadas da am
impreaso com um emblema em re ve, tendo ao
reopr aa seguintes palay ras : Dr. Sabino O. L.
Pinho, medico braaileiro. Este emblema* poato
igualmente na lista doa medicamentos que se pe-
de, As carteiras qae nao levarem esseimpresso
assim marcado, embora enham na lampa os-
me do Or. Sabino sao falsos
LOTERA
Sabbado 5 de julho prximo anda rao
impreterivel mente as rodas da primeira
parte da primeira lotera a beneficio da
matriz da freguezia da Estada,no con-
sistorio da igreja de N. S. do Rosario
de Santo Antonio. Os biihetes e meios
bilhetes achamse a venda na respec-
tiva thesouraria ra do Crespn. 15,
e as casas commissionadas praca da
Independencia n. 22 loja do Sr. San-
tos Vieira, ra da Imperatriz loja de
ferragens n. 44 do Sr. Pimentel, ra
Direita n. 3 botica do. Sr. Chagas, e
na ra da Cadeia do Recife loja u. 45 do
Sr. Porto.
As sortes de 5:000$ ate as de 10$ se-
rao pagas urna hora depois da extrac*
cao, eas outres, porm, no dia imme-
diato logo que se tenham distribuido as
listas.
O thesoureiro,
Antonio Jos Rodrigues de Souza.
Attencao.
Aotouio Cosario Moreira
Dias, faz sciente ao respeita-
vel publico com especialidade
aos seus freguezes, que mu-
dou o seu armazem da ra da
Moeda para a ra da Madre
de Dos n. 32, e est renden
do por menos do que em ou-
tra qualquer parte, plvora,
chumbo e salitre e amanea a
boa qualidade destas merca-
dorias por serem de primeira
qualidade.
Vaccina publica.
Grasasndo presentemente com alguma intensi-
dade a varila neata cidade, o commiaaario vac-
cinador lembra aoa chefes de familia que, pelo
regalamenlo de 17 de agosto de 1846, sao obri-
gados a apresentar neata repartteo todas aa pes-
soaa que nao liverem lido bezlgaa naturaes, ou
aido vaccinadas, afim de ae lhea praticar a inno-
culago do fluido vaccinieo, iato dorante as quin-
tas e domingos, no torreio da alfaodega, das 8
a 10 horaa da manhSa, e nos sabbados, na caaa
de sua residencia, segundo andar do aobrado da
roa eatreita do Rosario n. 30. Recite 2 de junho
de 186%.Dr. Joao Npomuceno Di Farnabdaa.
commissario vaccioador publico.
Aluga-ae o 2* e 3" andar do aobrado da ra
do Amorlm, muito freaco e por prego comnio-
do : a tratar na ra da Cruz do Recite n. 31.
Precisa-se de urna ama para casa de muito
pouca familia : a tratar na ra da Senzala n. 140,
junio ao becco do Capim.
Aluga-ae um aillo no principio da Estrada
Nova, com boa caaa de morada, cocheira, eatri-
baria, qnartos para pretos, doaa grandea baixa :
de capim e alguna arvoredos por barato prec.os
na ra da Cruz n. 56, ae dir.
Precisa-ae fallar aos herdeiros do Sr. Do-
mingos Antonio de Siqueira, a reapeito do solo
da casa da ra do Calabouco, foreira aoa meamos
herdeiros : oa livraria n. 6 e 8 da praca da In-
dependencia.
Rival
sem segundo.
Na ra do Queimado o. 55, defroi.te do sobrado
novo, loja de mtudezaa de Jos de AzovedoHaia
e Silva, est queisoando tudaa as iua.i miudezas
pelos precos que abaizo ae declara, poia a qaadr
boa para apreciar:
ttuzia do meiascruas muito eneorpadaaa 8400
Dita de ditas brancas muito boas a 18600
Dita de dita cruas muito finas a 4X000
Dita de dltaa brancas para senhora, inul-
to Anas a SjOoo
CarrKea de retroz de todas aa corea a 80
trezas de peonas de ac de todas an quall-
dadeaa < 500
Dita do ditaa calllgtaphicss
Noveles de linfas muito grandes a 69 e
Caixas de agulhas perfeitas a
Baraifees portuguezes a 120 e ^
Croza 4 botdea de osso peaueApa para
acalca a \
Tesourae aera nhas muito sperioV
lidade a %
lias para costara muito finas a
ilae peqaenaa porm finas a
Baraihoa frasacezea muito finos a
Agailheiroa coas agulhas superiores
Caivetes da asacar pennaa de 1 ott*
Parea de sapatoe de tranca de lia a
Cartaa de alflnetea francezea a
Paras da lavas braoeaa de algodo a
Escovas para limpar dentes muito fi-
nas a 800 a
Masaos de grampoa da (odas as qa ili-
dades a
Oedaaa com fonda da ac a
Caitas cata colxetes frapcazes a
Tinieiros de vidro coot^aU a
Ditos ate barro coas tinta superior
Arela preta muito fina a libra a
Labyrntho ser todo pra$o.
Vara da franjas largas brancas
Pifie* da no*a invengo
Lioha branca do gas
10, 30 a traa por dous,
que vista sr (i palaa
9i*Boi Mtla aio taUwipi,
19600
120
160
160
180
380
C0IHPAINHI4
DE
Seguros mar-
timos.
Utilidade publica.
Nio tendo no dia 23 do corrente reunido-se
numero sufficienlede accionistas para formar a
asaembla geral, por iaao a direccao convida no-
vameote aos Sn. accionistas afim de se reani-
rem no dia 26 do corrente ao meio dia no ea-
criptorio deata companbia na ra da Cadeia n.
48 parase proceder a eleicao de um director e
um sapplente.
Jos P. ds Guoha.
__________________Feliciano Jos Gomes.
Precisa-ae de um caizeiro portuguez de 14
a 16 aonoade idade para taberna, qae tenha al-
guma pralicada meama : no pateo da Santa Cruz
esquina da ra Velha n. 12.
_ Precisa-ae de um trabalnador para refina-
?o : a tratar no deposito da ruado Raogel n. 9.
1 Dentista de Pars. *
15Ra Nova15.
Fredarico Gautier, cirurgio dentista
faz todas as ppera,des deaua arte a e co-
loca dentes artificiaos, ludo com -sdeln
rioridade a perfeico que as peasoas-.er.
tendidas lhe reconhecem.
8Tera agua e pos dentificios, etc.
M3M0MQ4JH BN9 mmmmx
Compauhia Fidelidade de se-
guros maritimos e terres-
tres, estabelecida no Rio de
Janeiro. com o capital de
ieiO00:000.
Agentes em Pernambuco
Antonio Luiz de Oliveirs Azeredo & G. compe-
mente autoriaadoa pela directora da compa-
&W$ti
i
KA M QUEIMADO M.i6
.GEANDE20ETIMENT2
DASEROUPKS
Sortimanto completo da aobracaaacoa da panno a 859, 289, 30* a 359, saaacos maito bam
taltaa a 25f, 28J, 30|e 35$, paletots acaucados do panno preto de 16 at 859, ditos da caaemira
da cor a 159,188 e 80$. paletots saceos da panno a case mira da 89 at 149, ditos saccoa do alpaca
?-,r!?6.-1*,-.* 4*,t6*,^bre,d!*Joa,, merino da 79 at 109, caigas pratu da casimira de
89 at 14$r ditos da corda79 at 10$, roepas para menino de todos os tamanhos, grande sorti-
manto da roupas da brina como seiam calcae, paletots a colletas, sortimento da colletas pretos da
setlm, cssemira a velludo de 49 a 9$, ditos para casamento a 59 a 69, paletots brancoa da bra-
mante a 49 5f, caigas brancas maito finas a 5$, a am grande sortimento, de fazendas fina s e mo-
dernas, completo sortimento de cssemiraa ioglezas para homem, menina a senhora,. sroslas da
linho o algodao, chapcoa da sol de seda, luvss da sada da Jouvin para homem a senhora. Te-
moa urna grande fabrica da alfaiata onde recebemos oncommendaa da grandes obrss, qaa para
sao est sendo administrada por um hbil meatra da samelhanta arta a am pessoal da maia da
oncoenta obreiros eacolhidoa, portento aiecutamos qu alqter obra com .promptido o maia barato
de que em outra qualquer casa.
Guimares k Villar
COM LOJA NA
RA DO CRESPO 1!. 17. jf
Tendo um grande sortimento de fszendas da goito pedem
As senhoras que
msndem vsr suaa fazendas prometiendo servi-las o melhor possivel.
Acabam de receber pilo ultimo vapor francs am grande sortimento de vestidos
brancoa bordados para 309, 409e 509 e entremeios ricameole bordados largos e es-
treitoa proprios para enfeitar vestidos brancoa e roupas de noiras: manteletes e ca-
pas a Luis XIV a saias bordadas de todas as qualidades.
Esperam a protecijao
das respailareis senhoras.
Quem espera sempre alcanga.
1TERNAT0
DE
Antiga loja franceza que foi|
" de Gadaultlrua Nova n. 11.
a
ohia inseguros Fidelidade, lomam aeguros de na-
vios, mercadoftias e predioa, no seu eacriptorio,
ra* da Cruz o. i.-
300
900
o qaa
is iniaderas
bou c alidadas e
Toda attencao.
Custodio Jos Alvos Guimares avisa ao res-
ieitavel publico, principalmente a todos oa aaaa
reguazas a amigos, que se madou da loja da
aguia da ouro da ra da Cabug para a ra do
ceapo 7, para a bem conhecida a amiga loja
de mtudezaa qae foi do fallecido Joio Caga), bola
aerl eoahecda pelogallo vigllaate,* peda o
respaajrel publico a aoa aeas fregueses e amigos,
que o qoairam procurar no dasLaalabelacimeoto,
onde acbarlo nmgrsof tgff Ao da miudezas,
qmt afflaoca servir benTH f>or meaos des
oa viola por ceoio. do ji(r*Y*utra uajquar
pateta*
Acaba de receber de sua encommenda
versas mercadorias que se acham
em outra qualquer parte, a aaber
Agua de malabar
do yerdadeiro fabricante Lascombi, para
Ungir cabellos da cor que ae quizer e com
um guia para aeu uao.
Para presentes.
Ricas caizaa da coatura com muaica e
aem ella, o meihor presente que se pode
dar a urna aenhora que se eslima.
Para hornees.
Ricos estojos contendo todos os utenci-
lios necessarios para tollet de qoslqaer
pessoa que se trata com muita limpeza,
contendo navalhas, tesouras, pentes, ee-
covas, frascos para pomada e cheiros, afla-
dores, lloleiroa, espelhos, paala para pa-
pis e muitos outros perleacespara o mes-
mo Qm.
Encerados.
Eapeciaes psrs cobrir mesa a 19, 1,500
o 29 o covado.
Para retratos.
Machinas de todos os tamsnhoa francezasi
e americanaa chimicaa para trabalhar am
todos os proceaaoa, copos graduados, fu-
nis de vidro, am grande sortimento de cai-
xinhas, de chsgrio, pssepartoua de corea e
pretoa e douradoa, cavetas horizontaes e
vertieses, papel para retratos a todos os
utencilios tendentes a esta arte; tambem
se collocam retratos em cafxiohas a psse-
partoua, mudam-ae os qaa eativerem mo-
fados lado a vontade de seus dooos.
Ricas bengalas *
de verdadeirs esoa da India com pontei-
raa e caatdes de marfim, tenda noa castoea
muito bonitas figuras abertas em'relevo,
as mais bonitas que so podem acharneste
genero.
Ditas de massa imitando alicorne.
Luvs de pellica
do verdadeiro fabricante Joavin & Filhos,
para homens a senhoras. brancas, de co-
res e pretas, e que continuarlo a receber
por todoa oa vapores francezea preco fizo
295OO rs.
um grande e variado sortimento dedi-
a rendana dita Toja por manos 10 por cento do que
Espelhos.
Desde o maior at ao maia pequeo ta-
manho com molduras pietaa e douradas
para ornamento do sala, sendo os vidros
muito grossos e da primeira [qualidade.
Para msica.
Instrumentos completos da chavea a
apiston e tambem grande sortimento delles
avulsos com muitos melhorsmentos e dos
systemas mais modernos do muito contie-
ndo fabricante Gaatrdt Ain, eates instra-
msntos se tornam maito recommendaveia
por aerem maito perfeitos, e os mais mo-
dernos que ezistem no mercado.
Objectos diVersos.
Fumo de harlebeke, marilande, caporal,
vervique e americano, para cachimbos e
cigarros.
Seroulaa de algodo de cores para ba-
nhos a 500 rs.
Camisas francesas de todss as qualidades.;
Gapotiohos de lia para meninos, muito
lindos de diversas cores a 19500.
Ricas capellas brancas, e de corea para
casamentoao maia elegante qae aqai tem
vindo neate genero.
Chicotes americanos e francezea com
aoeis e aem elle para carros, cabrioleta e
cavallos.
Bandejas grandes de 30 pollegadas a 39.
Um grande sortimento de ocalos o le-
les de grao e miope.
Fundas para oa quebrados das virilhss.
Velas para carro e piano.
Leqaea de madreperola.
Ricos punhos a gravatinhas para senhora.
Porcelanas e vidros.
Apparelhos e meios ditos de porcelsna
para jantar, candelabros de 4 e 5 lazes,
serpentinas e lanterpas com pinguetee e
sem elles, escarradeiras de vidro brancas
e de cores, ricas lanternas para carroa o
coups, calicea paravinho e licores, redo-
mas com peanhas de todos os tamanhos
para imagens, vasos para flores e encera-
dos para carros de cores a pretos, ditos
redondos e quadradoa para botar pratoa,
lanternas a cendieiros a gaz.
Nos quatro estabeledmentos
bem conhecidos da ra Real
do Manguinho ns. 54, 61, 62 e 63.
Presunto de fiambre.
O melhor qae tem vindo a esta mercado afiancando a boa'qualidade a 400 rs. a libra.
[Vkf rmelada 0 melhor qM ha a librt 1700 ri
r aSSlS at- maia novaa que ha a libra a 460 rs.
\U6J JO o ,ertio o melhor que ha a 500 rt. a libra.
AlaBt6ga franceza a libra 700 rs.
Manteig^ ;?*ei a Ubra 720, 800, 900 a 19 malhor qaa hit.
aR& tOS i0 Vl ait 81500, dalia 840 rs.
B maia lado quaff'0 teodaaie a molbados qaa aa toras enfadonbo annunciar. poia qaa
a vista dos flstabalecimaoAP* '***<> &* fregeezea como se acham completamente sorlldos de l-
ea tasarte Uta perteuica $* f onti"aioa por es la f olba.
^Estabelecido no lugar da Capunga, um dos arrabaldes
mais prximos da cidade do Recife.
DIRECTORO BACHAREL EM MA.THEMATICAS
sfiisi6) mmm m mm
O director do internato de S. Bernardo nao tendo evitado eaforecs ncm srcrifl-
cioa para proporcionar aos seas alumnos ama perfeita educaeao pbiaica, moral, intel-
ectual e religiosa, offerecendo-lhes ums habitacio com todas as coDdcea de salu-
bridade, habis professores que sao solieitos em prepsrs-los convenientemente so fim
(7^ a que se destinara, medico pratico que Ihes faga comprebendar oa preceiloa da bygiene
jsejt e lhea cure aa doeocaa, e finalmente um aacerdote illustrado e honesto qae lhea expli-
que os principios da religiao christaa, espera qaa assim constituido nao deixsr o seu
estabelecimenlo de merecer doa Srs. paea de familias o auxilio e conanca com qaa ji
alguna o tem honrado; e lhea roga, bem como a todaa as pessoas interssadas, que sa
diguem de visilar o mesmo seu estabelecimeolo, onde sempre encontrarao franco in-
gresao.
O collegio tem a sua ade as elegantea e espac,osae propriedades da Sr.* viava
Lasserre e doa Sra. Roberto ti Filho, Capunga Velha.
Com o fim de tornar maia breves e commodas aacommunicacoea doa Srs. pses e
correspondentes, o director Ibes avisa que as encommendas e todas ss corresponden-
cias poderao ser entregues na casa de residencia do sea irmo o Dr. Pareira do Carmo
ou na loja do Sr. Joaquim Ferreira da Coala, na Nova n. 50.
'
iioirai
DE
Leandro k Miranda.
Ra do Crespo numero 8 A.
Sao chegadoa a loja da Unio Commercial de Leandro & Miranda, os desejsdos
e muito commodos baldes de 13,15, 20, 25 e 30 arcoa de precoa de 39500 a 69.
Ra Novan. 32
casa de madama
Theard
Alm de outros mullos objectos de moda para
senhoras e meninas, recebeu ltimamente ex-
cellentea chapeos de palha de Italia, gosto Ama-
zonas, a Traviataa, Addaluz e Bealriz, ditoa de
palha branca e decores, dos goaloa cima ditoa,
ditos de fellro, dos gostos ji indicados, dito de
palha branca e de cores escuras para meninos e
meninas.
Recebem-se figulinos lodos os mezes e faz-se
com perfeico vestidos, capas, manteletes e ves-
tuarios para meninoa sebaptisarem.
Arrenda-se um sitio em Par-
uameirim
con cmmmm da moradia, COChefroy, .-rttr. vm-
baria, alero da oqtraa commoddadea e boa visi-
nhanQa, tem capTmBTrio para 4 cavalloa, coquei
ros, e muilas outras arvores de fruto e utilidade,
faz-se o arrendamento por um ou mais annos, e
com coodiedes vantajosaa : irata-ae no largo do
Paraizo, o. 24 com S. A. Perea.
Figueiredo & Irmo
Ra Nova n. 18
Neate eatabelecimento haver sempre um
grande sortimento de roupas feitaa e por medi-
da, tanto par homens e para meninoa e um
grande e variado sortimento de fazendaa tanto
inglezaa como fraocezaa de bom gosto e baratas,
assim c,omo tambem diveraaa joiaa de ouro de 18
quilates e debrilhantea doa melhorea fabricantea
de Paris.
K3VIMS
de Hamburgo
Alugam-ae o vendam-ae por qualquer prego
na raa do Raogel n. 18, amola-ae todo o ferro
orlante.
jscripterio de advocada!
H Ruado Imperador n.
^37,primeiro andar, a es-j
querda.
Neste eatabelecimento trabalba o adro-
gado Joaquim Borgea Carneiro (graduado
em direito pela faculdade do Recife) des-
Sde as 9 st as 3 horaa do dia. _
Advoga em todoa oa juizoa a tribunsea
desta pracs, e entarrega se da negocios
para o interior da provincia, principal-
mente para aa comarcas de Santo Anlao,
SRio Formoso, Bonito, Nazareth e Goianna.
Recebe gratuitamente aa causas dos
desvalidoa, nao podeodo cada qual tra-
zer maia de urna questo por vez.
No meamo eatabelecimento solicitan:-
se ttulos e patentes de empregadoa pu- J
blicos e officiaes da guarda nacional do |
interior, mediante mdico eatipeodio. 8
Em aua falta e impedimentos ser flt
* aubslituido, dos negocios veis, pelo Sr. 8
I Dr. Joaquim Joto da Campoa, e noa do jK
2 crime pelo Sr. bscbarel Jorge Dornellaa O
m Ribeiro Pessoa. S
ieaM8NS wmmmmm&
Bolos fios para S. Joo e
S. Pedro.
. Os melhores bolos de S. Joio de todaa as qua-
lidades, e bandejaa enfeitadaa para caaamento
com perfeico ; assim como creme, podins, e to-
da a qualidade de paatelaria : quem preciaar di-
rija-ae a roa da Penba n. 25.
O retratiaia americano
O retratiata americano
O retratiata americano
O retratiata americano.
Raa do Imperador
Ra do Imperador
Ra do Imperador
Ruado Imperador.
Novos estylos de ambrolypb
Wovos esiylos de ambrotypo
Novos eatyloa de ambrotypo
Novoa estylos de ambrotypo.
Muito baratos
Muito baratos
Muito baratos
Muito baratoa.
Lindos cartes de visita
Lindos cartdes de visita
Lindos cartdes de visita
Lindos cartes de viaita.
Aos rSs. consumidores de gaz
Nos armazens do caes do Ramos ns. 18 e 36" a
na rus do Trapiche Novo no Recife n: 8, aeven-
.de gaz liquido americano primeira qualidade e
recectemente chegado a 149 a lata de 5 galea.
assim como latas de 10 e de 5 garrafas e em
garrafas.
L. Royer, subdito
Janeiro.
Bailar & Oliveira
Porto.
francez, vai ao Rio de
sacam sobre a praca do
Aluga-ae ama ama para caaa de familia
na roa da Imperatriz o. 42, segundo andar.
. Preciaa-aa de orna ana para comprar e co-
zinhar, para caaa de homem aolteiro : na ra do
Queimado loja n. 42.
Fogo de arti
ficio,*
O basar da raa do Imperador n.
agencia da maito acreditada fabrica
nao, aonde aa tomam todaa a quai
meadas em todo o qde for relativo
segurendo-ao nao ad a melhor en
faceto doa artlgoa, como a maior
aeus precos. Nesta meama caaa
portador para fazer a'condnccao daa _.
ji anexa
:*" acairitaa ata laaiaraa compradora!.
OMPAMIIA DA ESTRADA DE FERRO
no
Recife ao Sao Francisco.
(limitada.)-
De conformidade com aa instrueces recebidas
da respectiva directora, faz-ae publico que des-
ta data em diante sio convidados os sccionialas
deata companbia a cumprirem com os termos do
aviso que por ordem da meama abaixo ficam,
publicados.
Eacriptorio da companbia, 20 da maio da
1862. .
Por procuracio de E. H. Bramas, thesou-
reiro.
(AaaignadoJtt. Huatio.
Aviso.
Pelo presente faz-ae publico qae por ama re-
soluQao da directora desta companbia tomada
neata dala lem-se feito a ultima chamada de urna
libra esterlina por cada accio, a qual deveri aer
paga al o dia 30 de junho do prximo vindouro-,
? o Rio de Janeiro em casa doa Srs. Maua Mac
Gregor & C, na Bahia aos Sra. S. S. Davemport
a. C. e em Pernambuco no eacriptorio do the-
soureiro da meama companbia.
Pelo preaente fica tambem entendido que no
caso de nao ser a dita chamada ou preatacao sa-
tisleita at o dia marcado para aea pagamento o
accionista que incorrer neaaa falta pagar juroa a
razo de 5 por cento ao auno sobre tal chamada,
a contar dease dia at qae stja realiaido o pa-
gamento.
No caso de nio eiTectusr o pegamento desta
chamada dentro da trea mezes contados do dia
cima flxado para o embolso da meara.!, ficaras-
aa acucies ae iocerrerem em tal falta sajeitaa a
serem confiscadas, segundo aa dlepoaicdee doa
estatutos a eate reapeito.
Por ordem dos directores.
(AssignadolN. H. Bellarmy, secretario.
199 Gtaahsa House, Od Brord Streete.
t


"J

:---r
DM10 PK WittMMOeV* OCBTA FURA bH JOWHO DE .86*:
Casa de sande em Santo
4naro.
ir. Silva Ramos.
Este estabelecimenlo j bem cochee do, econ-
eeitudo nesta provincia pelo relevat ti servl-
(oi que tem prestado, contina na me botea cota-
digoes debaixe da directo de aeu pt( prietario
receber doantes 4e*odatM classes, ei quies se-
ro tratados toa todo o telo e icteiesie pelo
pregos seguinlea :
Primeira elssse.... 3j>000ou uai.
. Segunda dita...... 29500.
Tercena dita...... J>000.
Em qualquer das claasea oa brancoi Ocarao se-
parados dos negros. Os alienados d) !." e 3.*
clisas ao furiosoe pagarlo a disria ordinaria,
sendo furiosos pagaro mais a qaarta psrte. Os
alenseos da 1.* clasae pagaro aeganco pajuata.
Aluga-se o terceiro e quarlo andara da
casa da ra do Trapiche n. 18, a tratir oa mea-
ros cass.
- Algs-ee um boa sitio ns su t de Joto
da Barros, com mallos atvoredoi, grande cata da
vlvende, estribarla, cocheira, casa para faltar,
caaa de baoho : a tratar na ra das Trinchen-as,
casa n. 19, velorio, oa na ra aova da Santa Ri-
ta, cass n.5.
Aluga-se o sitio da Man-
gabeira,ea (reate aoJardim Botnico emOlinda,
obrado com oito quartos, tret salas de (rente e
sala de traz, cosichs tora, boa agua de cacimba
a melhor da dita cidade, com arrores de fructas,
miogueiraa, mangabeiras, maracujaes, coqaeiros
a muitas mais fracleiras, baixa de capim, rucado
para plantelo, capoeira con lanha, olaria
prompta para (azer lijlo grosso e fino, lonca e
telba; quem pretender dirija-se s Cioco-Pon-
tas casa n. 111._____________________________
Aluga se a casa terrea
junio do sobrado cima citsdo e muito freses
mas pequea ; com as mesmas qualidades de
(rucias que o do sobrado; quem pretender
dirija-se s Cinco-Poolaa casa o. 112.
Joo da Silva tamos,
medico pela Unlversidade
de Coimbra,
d consultas em caa, das 8 s 10 hon s da mi-
nha, e presta-se a qualqier chamado :om a bem
cooheclda promptido..
Mademoiselle e madame Carride la Charle
ratlrara-se para Frange. _
Os herdeiros a coosenhores do enf ;uo Bre-
jo na fregMsia da Seriohaem junto io transito
da fia frrea team assentsdo aire si vender ou
trocar por caaas nesta cidade as suas -espectivas
partes oh mesmo levar o engenho a prnca por
arrendamento a quem maia der : quem preten-
der dirija-ae a ra da Crut n. 47, tero iro andar.
Preciaa-ae de um bom coiinbeiro ou urna
boa coilnheira, e tambem para fazer ts comprss
na ra, sendo escravo preferido, s< ndo capaz
paga-se bem. Tambem precisa-se de urna boa
costureira e engommadeire, na mesma casa n. 42
da ra da Cruz do Recite.
Alugam-e doasmolequea bastantes prati-
coa em botequim : na rua-Oireita n. 3.
Attenco.
. O abaixo a asigna do faz aciente, nao obstante j
o ter feito por divergas vezes, quem quer que
1ulerease llver que nao faca negocio de qualida-
de alguma com Leopoldo do Reg Barros, rela-
tivamente aoa beoa do casal do finado coronel
Francisco Jsciotho Pereira, por quinto, alm (le
se acharem aquelles bens embargados pelo juiz
de orphos, tem de se proceder nova partilha,
como foi determinado pelo tribnnal da relago
por aentencaa j passadas em julgado.
Recite, 23 de junho de 1862.
Manoel Jacintho Pereira.
-]> i, i
Casa para alugar.
Alaga-se urna casa na Gapunga Nova, rna da
Amizade, a moderna, 2 sslas, 4 quartt s, aoziuha
fora, qaarto ao lado, cacimba com bon ba, tanque
para banho, grande quintal todo murado, com
muitas arvores de fructo, sendo a maior parte
laraogeiras: a tratar na ra daa Trincheras o. 1.
Ama*
Precisa-ae de urna
com toda a perfeico :
ama que saiba cosinbar
na ra Nova n. 47. loja.
Precisa-se fallar com o Sr. Jo 10 Martina
Gongalves. natural da cidade do Porto, o na sua
falta com aigaem que se prtste a dar iiforma-
goees suas : na ra da Cadeia n. 12, 'scriptorio
de Balthar & Oliveira. ________
Jos Antonio Das Laraogeira, val para
Europa tratar de saa aaude.
Empresta-ae 1:0000 com aeguiaoga
bens de raz : na rui Direita n. 82.
em
Ama,
Precisa-se de urna ama que saiba cozinbar e
eogommar : na roa larga do Rossrio i. 22.
a
Remedio infallivel contra Magnor-
rheai .antigs e recentes, nico deposito
na botica franceza, ra da Cruz n. 22,
preco 3f. j a*j
SEGlPDAo EDICTO
THESORO HOMEOPATHICO
ou
Vade-mecum do homeopatha
pelo doutor
. i. wm.
Este livro que se tem tornado to- popular,
quanto necesssrio, acaba de aer publicado com
todos os melhoramentoa, que a experiencia e os
progressos da aciencia tem demonstrado. A no-
va edieco em tado superior 'primeira, en-
terra :
1.* Mais ampias noticiss acarea do curativo
daa molestias, com indicagea mui proveitosas
dos medicamentos novos recentemente ezperi-
mentados na Europa, nos Estados-Unidos e no
Brasil.
2.* A exposico da doutrina homeopatha.
3.* 0 estudo da apropriagao dos remedios se-
gundo as predominancias dos temperamentos,
daa idades, dos sexos, e segundo aa circumstsn-
cias atmosphericas etc., ele.
4.a A preservadlo ou prophilaxia das molestias
hereditarias.
5. A presrvenlo daa molestias epidmicas.
6.* Urna estampa Ilustrada demonatrativa da
continuidade do tubo intestinal deade a bocea at
o anua etc., ele.
Vende-ae na pharmacia especial homeopa-
thica, propriedade do author, ra de Santo
Amaro (Hundo Novo] n. 6.
Prego de cada exemplar. 209000
N. B. Os aenhoresassignantes queiram man-
dar receber seua exemplares.
REMEDIO INCOMPARAVEL
UNGENTO H0LL0WAT
Milhares df individuos da todas as nsca
podera testemunhar as virtudes dests remeds
incomparaveleprovaremeaso necessirio.qua,
pelo uso que delle fizeram tem seucarpos
membrosinteiramentesosdepoisdehaver em-
pregado intilmente outrostrelamernos. Cada
pessoa poder-se-haconvencer dessascuras ma-
ravilhosas pelaleilura dos peridicos, quelh'ai
ralatam todos os das ha muitos anuos; a i
maior parte deltas sao tao sor prndenles qui
admiram os mdicos mais celebras. Quantai
pessoas recobraran com este soberano remedio
o uso.de sens bracos e pernas, depois dedm
permanecido longo tempo nos hospitaes, o le
deviam soffrer a ampuiajo I Dallas ha imu-
casquehavendodeixadoesses, asylos depade-
timentos, parase nao submeterem aessaope-
racao dolorosa foram curadas completamente,
mediante o uso desseprecioso remedio. Al-
gumas das taes pessoa na enfuso de sea reto*
nhecimento declararam estes resultados benfi-
cos diante do lord corregedor e outros magis-
trados,afinada mais autenticaren! sua a firma v
Ninguem desesperara do estado desaude u
titease bastante confianza para encinar este rs-
medio constantementeseguindo slgom tempo c
tratamento que ecesstasse a natureza do mal,
cujo resultado seria provar incontestavelmente.
Que ludo cura.
O ungento he utll, mala particu-
larmente nos segulntes casos.
Alporcas
Caimbras
Callos. .
Aneares.
Cortaduras
Dores de cabera <
das costas,
dos membros.
Enfermidades da cutis
em geral.
Ditas de anus.
Erupces escorbticas.
Fstulas no abdomen.
Frialdade on falta de
calor as extremida-
des.
Frieiras.
Gangivas escaldadas.
Inchacoes.
nflammacao do figado.
fofiileiro e vidraceiro.
Grande e nova officina.
. Tres|or$ts. f*
31Ra Direita31.
Nasto rico e bem montado ealabelecimento en-
toatrarao os (regaezes o maia perfeito, bem ac-
bado e barato no sea genero.
URNAS de todaa as saudades.
SANTUARIOS que rivalisam com o Jacaranda.
BANHEIRUS da todos oe tamanhos.
SEMICPlAS dem dem.
BALDES idem dem.
BACAS idem idem.
BAHUS idem idem.
FOLHa em caitas de todaa as grosanras.
PRAT0S imitando em perfeicao a boa portal-
lana.
CHALEIRAS de todaa aa qualldadea.
PANELLAS idem idem.
COCOS CANDIBiROS e (landres para qual-
quer sortimento.
V1DR0S em caitas e a retalho de todoa oa ta-
mandando-ae manhos, botar dentro da cidade,
em toda a parte.
Recebem-se encommendaa de qvalqaer nata-
reza, concortos, que tado aeri desempenhado a
contento.
Ni ra da Palma da freguezia de S. Joi,
o: 59se dir quem d a premio 4005000 com by-
potbeca em caaa terrea.
Fazem-ae bolos, podios e plo-de-lol, para as
festas de S. Jlo e S. Pedro, enfeilan -se ban-
dejas para bailes o casamentos. faz-se toda e
quajqaor etuiamenjl de fosas tanto [ ir 1 aSO- I
jas como paira casia particulares daa que eit
muito em moda aa senhoria trazaren para en-
feite na cabega, assim como flores de todas as
qualidades : na ra da Roda o. 48, sobrado.
$ !
Urna pessoa com bastante leite e nem fl- fjt
sy lhoa ae offerece para amamantar um< crian- %
m (a em aua caaa: quem precisar annuncie. #

Aluga-se a cass terrea da ra do Fogo n.
16 : a tratar na ra da Cruz o. 1, eacriptorio de
. Antonio Luiz de Oliveira Azevedo.
O Dr. Carolioo Fran-
cisco de Lima Santos,
mudou-se da ra daa
Cruzea para a do Im-
perador, sobrado n.
17, em frente da igre-
ja de S.Francisco, on-
de continua no exerci-
ao A* mi prolaeao ce
medicoV
!
GRANDE
Laboratorio a vapor
DE
Lavagem e engomociado
de roupa, de Ramos A Pi-
mentel.
Empreza importante, que vai prest indo rele-
vantes servicos sena freguezea pela promptido
e perfeicio com que lava a roupa sem a estragar
PREgOS.
Roupa aortida (embora nao venham ineiaa nem
lencos] 40 rs. por pega.
Pegas grandes isoladamente 100 rs.
Roupas de navios, vapores e hospital 70 rs.
Dita de familia que nao fregaeza 8) rn.
Dita de doente de familia que nao 4 treguara
a 120 rs.
Urna rede ouxortinado de cama o* raranda
a 500 rt.
o prego doa engommadoa mdico e confor-
me aa pecas, como coatamam fazer as aogomma-
deiras. O praso da entrega da roupi lavada
8 das, e engommada 15, sendo que m litas vazea
eat prompta antea do praso. Depos to oa ra
Nova.
Miguel Jos lves roga as pessoa*, que por
qualqaer litlos se possam julgar aeus credoras,
se sirvam mandar apreaentar-lh'os no armazem
n. 17 da ra da Crac para aerem por ele promp-
tamente pagas.
Recite 14 de juobo de 1862.
Pracisa-se de urna ama
n. 12,.aegpodo andar.
no pal > do Terco
Gabiaete medico cirurgico.J
ej Ra das Flores n. 57. *
# Serio dada conssltaa medlcas-i.inirgi- a)
cas peloDr. Estevo Cavaleanti di Alba- %
Sqaarqueda 6 as 10 horas da machia, ac- aj
cudiodo aoa chamados com a maicr bre- aj
Svidade possivel.
1- Partos.
gm 2.' Molestias de pella.
9.* dem do olhos.
a 4.a dem dos orgaoa genilaes.
tj Pralicartoda a qualquer operacAo em
Z aeu gabinete oa em casa doa doente s con-
^ forme Ibes fdr maia conveniente.

Attenco.
s
Rosa-so sos devedores massa fallida de Jos
AntonioSoares de Azevedo, que teve taberna.na
ra do imperador, o obaeqaio. de irem oa man-
darem pagar seus dbitos ra do Crespo n. 3,
loja de miudezas.
Inflammacao da baxigt
da matriz
Lepra.
Males das pernas.
dos peitos.
de olhos.
Mordeduras de reptis.
Picadura de mosquitos.
Palmees.
Queimadelas,*
Sarna.
Supurarles ptridas.
Tinha, em qualqaer
parte que seja.
Tremor de ervos.
Ulceras na bocea.
do figado.
das articulado es.
Veas torcidas ou. no-
das as pernas.
Vende-se' este ungento no estahelecimento
geral de Londres n. 244, Strnd, a na loj
de todos os boticarios droguista e outras pss-
soas encarregadss de sua venda em toda s
America do sul, Ha vana e Hespanha.
Yende-se a 800 rs,, cada bocetinha conten
ama instruccao em portuguez para explicar o
modo de fazer oso deste ungento.
O deposito geral emeasa do Sr. Soum,
harmaceutico, na ra de Cruz n. 22, an
pernambnco.
5
O bacharel Witmjvio po-
de aer procurado na ra
Nova n. 23, aobrado da ea
quina que volta para a
camboad Carmo.
Precisa-se de um caixeiro portuguez para
taberna sita na Casa Forte, de 10 a 14 annoa de
idade, dsndo-se preferencia aos ebegados ha
pouco ; a tratar na ra do Hospicio o 28 ao p
do quarlel.
Precisa se de um caizeiro que entenda de
pharmacia : na botica da rna do frbug o. 11.
SOCIEDADE
Unio Beneficente
MariUma.
De ordem do Sr. presidente scienlico sos se-
nhores socios effecllvos que no dia 27 do corren-
te palaa 7 horas da tarde, haver sessio de as-
sembla geral afim de tratar-se do art 39 cap. 7
dos estatutos.
Secretaria da sociedade Unio Beneficente Ma-
rtima 23 de junho de 1862.
Balthasar Jos dos Reis.
________ secretario.
Thomaz de Aquino Fonseca saca sobre Lis-
boa, na ra do Vigario n. 19, primeiro andar.
Joo Leandro de Barros, natural de Per-
nambuco, avisa ao publico que tendo chegado ao
sea conhecimento que nesta provincia eziate ou-
tro individuo de igual nome, tem resolvido, afim
de evitar engaos, aasigoar-se.de boje em diante
Joo Leandro de Souza Leo, eacolbendo assim
entre os dous ramos de aua familia Barros, e Sou-
za Leo, este por aquelle.
Manoel da Costa Ferreira, subdito portu-
guez, retira-se para fora da provincia.
Alugam-se o terceiro e quarto andares ds
ra do Cabug n. 16, e o ailio da Ponte de Uchda
defronte do caes : a tratar na botica do Pinto, ra
larga do Rosario o. 10.
:
:
0 Livro do Povo.
Sabio luz publica o LIVRO DO P01rO, publi-
cado aob a directo do Sr. Dr. A. Marqaes.Ro-
drigaes, o contera a vida de N. S. Jess Chrlato,
segando a narracao dos quatro evan|;eliiUs, a
maia oa seguales srtigoa: 0 vigario, a plofeseor
primario, o bom bomem Ricardo,*m>w[praM-
ca, Simio de Naotua, mximas i pe*analos,
a bygiane, os deveres dos menioo so Briail.
A publicecic
por nos uouora
riaa, onde cada
differestte, e por
tre e do discpulo,1
im preso baratissimo, *
mandola oa memores
Vende-se o Livre
livraria da praca di .
600 rs. exemplar em brechara, e a t* 0 rs. car-
tonada.
'aeacolHS
Por
Ihc
vubju
do silva
de mo al.
Jovo, no *eel_
pendencia o 1.1 el
Aluga-se urna casa t6rrea o. 23 na travetsa
dos Qaarleis, outr'ora rea do Senhor Bom Jesns
das Crioulas ; trata-se na ra Direita n. 8.
Attenco.
4*
Na casa de pasto da roa do Arago n. 1, em
frente ao largo da Boa-Vista, fornece-se comidas
em cass e para fora, por commodo prego e com
asseio.
Alaga-se uma.casa na Soledade com coma
modos para familia, e graode quintal o. 54 ; n-
botica da roa do Cabug o. 11.
I
Hachinas americanas.
Em casa de N. O. Bieber & C., successorts,
ra da Cruz n. 4, vendem-ae :
Machinas para regar borlas e capim.
Ditaa para descarocar milho.
Ditaa para cortar capim.
Selins com perlences a 105 e 205.
Obras de metal principe prsteadas.
Alcatro da Suecia.
Veroiz de alcatro para navios.
Salsa parrilhade primeira qualidade do Para.
Vinho Xerez de 1836 em caixas de 1 duzia.
Cognac em caizaa del duzia.
Aradoa e grades.
Brilhantes.
Carrosas pequeas.
CALCADO
45--Ra Direita-45
A epidemia declina sensivelmente, e o sea
completo desapparecimento eat prximo! 0
proprietario deste bem sortido estabelecimenio
convida os seus numerosos freguezes a substituir
o calgado velho, que todo est cholenco, por no-
vo, e que possa reaiatir s mil sebolis e mszzur-
caa que vo ser dansadas em louvox do reatabe-
lecimento da saude publica. Oa precos* con-
vidan) :
HOMENS.
Bolinas sfamadss Millas.
d non-plua-altra Nanles.........
> Nanles 2 bateras..............
> > lastre....................
> ioglezes de boides..............
> bstedores..................'.....
> couro de porco.......
bezerro e lastre...............
ioglezes ps selvsgens.........
s taliados brasileiros............
Sapates non-plus-ullra................
> 3 bateras e meia......?.......
Urna pessoa convenientemente
habilitada se propoe a ensinar fora da
praca primeiras letra, latim e francez:
a tratar no pateo do Terco n. 33.
MWilIflLEIjC "W JCeHuHZtllH
6 nada Cruz16
O Dr. Rocha Bastos
d consultas lodoso das.
Cara radical e em pouco daa moles-
tias syphiliticas a dos orgaos genito uri-
narios.
Consultas da graoa das 8 ss 9 horas da >
manbo. ff
travesa da ra das Cruzes n.
lio andar, tinge-se para todas
com presteza e commodo preco.
agooo
12JW00
119000
109000
109000
99500
.99OOO
99000
79500
51500
79OOO
69500
59500
69000
59500
59OOO
29000
59000
29OOO
19280
MENINAS.
ae daixa
lotinas desetim,
Chegaram no vapor francez as bella botioaa da
setim brsnco para senhora, 6 veodam-ae em
sonta na loja do vapor, ra Nora n. 7.
Algodo da Baha.
Proprlo para roapa de escravoa e saccoa de aa-
anear : vende-so na raa da Cruz n. 1, eacriptorio
de Antonio Laix de Oliveira Azevedo & C.
Agua de colonia ambria-
da esem o ser.
Essa estimada agua de colooiasmbreada.de
que tantos a tanto lempo se&tem s falta, acaba
de chegar em bonitos frascos verdes, os quaesse
eslo vendendo a 19500 cada um ; assim como
chegou igualmente um granbe sortimento da
verdadeira agua de colonia de Piver em frascos
e gsrraflnhas de differeutea tamanhos, ludo la-
so na raa do Queimado, loja da aguia bran-
ca n. 16.
Apparelhos de porcellana dou-
rada para cha de bonecas.
Aloja da sgua branca desejando qae todoa
facam a vontade a suas bellas meninas est ven-
dendo commodamente esses bonitos apparelhos
de porcellana dourada, e pintada a 19500 e 2$,
tendo cada um 6 casarea de chicaras, e os mats
perlences, a vista do que todoa iro (manidos de
dioheiro) para compra-Ios na ra do Queimado
n. 16.
Ra estreita do Rosario n. 22,
primeiro andar.
0 dentista Numa Pompilio planta denles arti-
fleaespor grampos e ligaduras a a preaso do
sr, denles iocorruptiveis sobre ouro. systema
norte-americano e faz todas as operarles de sua
rta e com promptido e limpeza
FeitoR
Precisa-se de um feitor casado
ondego n. 105.
na raa do
Uootem a noite fugio a escrava Joaepba,
alta, bem prtta e cheia do corpo, procara o Re-
cite : quem a apprehender e trouxer a sea se-
nhor, abaixo assigoado, ser bem recompensado.
Serrara 25 de junho de 1862.
Filippe de Soaza Leo.
tu ompras.
Compra-se um cachorrinbo d'aga peque-
no ; quem tiver dirija-se a ra Direita n. 60, de-
posito : na mesma casa vende-se um carro da
alfandega com trea meies de praso.
Compra-ae o cDiario de Pernambuco n.
285 da dezembro do anno prximo paseado: na
livraria n. 6 e 8 da prara da Independencia.
Compra-se conslsntemente la tao vilho e co-
bre : na ra da Imperatriz n. 65.
Compra-ae am preto de meta idae, da
bona costames e proprio psra aito, urna eaerava
que saiba coser e eogommar bem : na ra da Ce-
dis Velha n. 35.
Compra-se urna casa na fregaezia da Boa-
Vista que tenha commodos para familia : a tra-
tar na travessa daa Barreiras n. 10.
Yendas.

Engenho.
Bonitos paliteiros de porcel-
lana dourada.
Agora ninguem deixar mais de ter em sua
mesa um bonito palitelro de porcellana dourada
poia que elles se esto vendeodo 1;e 19500
oa loja da aguia branca n. 16.
36 Ra Nova 36,
Acaba de chegar neate estabelecimeDto um
completo sortimento de reiogioa de ouro o prats,
aando deacuberto, com ponteiro- graode no cea-
tro, e vende-ae por preco muitissimo barato.
Camisas inglezas.
Vandam-se superiorea camisas loglezaa com
pregas largaa pelo baratissimo preco de 359 a du-
na : na loja da boa f, na ra do Queimado nu-
mero 22.
B&nha japoneza e outras mui-
tas novas perfumarias.
A loja da aguia branca acaba de despachar, de
sua encommenda am grande e bello sortimento
de finas perfumariaa dos mais afamados fabri-
cantes, sendo as bem conbecidaa e apreciadas
banhas, japoneza, transparente, philocome im-
perial em bonitos copinhos com lampa de rr etal,
dita noa copoa grandes, dita em compoleiras li-
sas e lapidadas, leos de babosa, philocome e
Labio, pomadas ou cosmesliques, finos extractos
doa preciosos eescolhidos cheiros Jackey-Club,
mil flores, miel de Inglaterra Harechal, Principe
Alberto, George IV, etc. etc. Recommeoda-se a
todas as aeohoras de bom goslo o uso de qualquer
desees estimados extractos porque aquella que
em ama sociedade, theatro, ou baile eativer com
aeu fino lenco orvalhado de to aublimes aromas
lera porcerto o prazer de ver as suas visinhas
da direita e esquerda 1 he rendendo homenagem,
perguntarem donna F. onde comproa esse to
agradavel cheiro ? E ella orgulhosa de seu bom
goato, mas com ar prazenteiro lhe responder:
na raa do Queimado loja da agua branca nume-
ro 16.
Papel amisade branco e de
cores.
Vende-se.pacotes com 100 folhas de papel ami-
sade branco e de cores a 800 e 640 cada pacote :
na ra do Queimado loja da aguia branca nu-
mero 16.
Ricas golmhas e pimhos
com boies
Vendam-ae ricas gollinhas e panhos de cam-
braia e fasto ricamente bordadas com lindos bo-
loes, pelo baratissimo preco de 29 cada guarni-
rlo : na ra do Queimado n. 22, na loia da
boa f._____________________
Fazendas bartis-
simas
Superior bramaste de linho com duas varas de
largura a 29400 a rara, atoalbado da linho ada-
mascado com duas largaras a 2$500 a vara, brim
branco do linho muito superior a 1|440 a vara,
dito Ve corea, fazanda multo superior a 1?, dito
pardo de linho paro a 800, 19 e 19200 a vara, di-
to do quadriohoa muito proprio para caigas, ja-
quetas e paletots para meninos a 200 rs. o cova-
do, gangas francesas muito superiores a 400 rs. o
covado, cambraias francezas muito tinas e de
muito bonitos padres a 260 e 280 o covado,
cambraia lisa muito fina a 48. 5 e 69 a peja com
8 1|2 varaa cada pegas a 49500, dita muito supe-
rior o melhor que ha oeste genero a HgaOO a pe-
ga com 17 varas, ou a 800 rs. a vara, chitas fran-
cezas de muito boas qualidades e de lindos ra-
droes a 240, 280, 300 e 320 o covado; fil de li-
nho liso muito fino a 720 a vara, tarlatana bran-
ca e de corea a 760 a vara, toalhss de linho para
mos a 79 a duzia, ditaa pelludas muito superio-
res a 119a duzia, gollinhas de cambraia borda-
das a 800 rs., manguitos e ollas de cambraia ri-
camente bordadas a 29 o par de manguitos com
urna golla, leocoa brancos muito finos com bico,
reoda e labyriotho a 1(280 cada am, ditos da
cambraia de linho para algibeira pelo baratissimo
preco de 4, 5 e 69 a duzia, e assim um completo
sortimento de fazendas de todas as qualidades,
que sendo a dioheiro vista se venderlo por pro-
cos mui bsixos : na bem conhecida loja da boa
f, na ra do Queimado o. 22.
Camisas e ceroulas
Vendem-se superiores ceroulas de linho muito
finas pelo barato prego de 269 a duzia, ditas (ren-
gadas de algodo, mas de muito boa qualidade, a
179 a duzia, esmiaas brancas francezaa a 229, 249,
26 e 309 a duzia, ditas para meninos 22 a du-
zia, ditaa para homam com aberturas de cores a
2X9 a duzia : na bem conhecida loja da boa f
oa ra do Queimado d. 22.
e
'"----/-- "P im palmen,
tambem arranda-ie mdiote as devidas garan-
tas, no caso de nao apparecer comprador que
chegue ao justo prego, o engenho Serrarla do
municipio da villa do Cabo, e que oelle existe co-
mo rendeiro o Sr. Antonio Manoel do Reg Bar-
ros, cuja venda aera effectuada comprehendendo
todaa as trras qae demarcara o mesmo engenho :
os pretendenles dlrijam-se ao abaixo assigoado,
que se acba devidamente auloriaado para tratar
desse negocio.Caetano Piolo de Varas.
Peixe em conserva.
Vende-se salmn e lagoslas em lasas de 1 a
2 libras, ebegado'ltimamente 00 patacho inglez
Busy de Terra Nova, em casa de James, Crab-
tree & C., ra da Cruz n. 42.
Vende-se
das boss rnaa da
tnalmente 4009 :
n 58.
parte de um sobrado em urna
Boa-Oista, a qual rende ac-
a tratar na ra da Imperatriz
Vende-se ama casa terrea na ras do Soce-
go da Boa-Vista, a qual tem bona commodos ; a
tratar na ra da Imperatriz n. 58,
Sitio venda.
Vende-ae um aitio pequeo, porm ptimo de
larras, com muitas laraogeiras, coqaeiros e mais
arvores fructferas, chao proprio, na eatrada de
Joo de Barros, em frente ao porUo do da viscon-
dega de Goianna; a tratar na roa estreita do Ro-
ssrio n. 38, segundo andar. 5
Venda de predio e terreno
com algum dioheiro a vista e o resto
a praso, com seguranca no mesmo
predio.
Vende-se a melado do aobrado aito na roa da
Concordia o. 34, e tambem a mefade do terreno
no fundo do mesmo sobrado, com frente para a
caaa de de tenca o; para qualquer informago de-
vero os pretendentes emendar-se com o agente
Guimaraes, em sea eacriptorio na ra da Cadeia
do Recife n. 3, primeiro andar, daa 10 horas da
manba ao meio dia, e daa 3 a 5 da tarde.
ltenco! aliento!
Aos pais de familia, bom e ba-
rato.
Na loja n. 20 da ra da Imperatriz aeha-ses
venda uaucompleto o variado sortimento de boas
fazeodaa, e qae 4 vista de suas qualidadea sao ba-
ratiaaimamente vendidas, e psra maia veracidade
do qae flea dito, abaixo vo mencionadas algunas
das ditaa fazendas, a saber :
Ckit.s t.rgaa cor fin a 240 ta.
Modapolo lino com 24 jardas a 59-
Cambralaa de corea a 280,320 e 400 rs. o co-
vado.
Velludo preto e decores a 29.
Lindeza de cores a 160 rs. o covado.
Lencos pequeos a 80, 120 e 160 ra.
Chapeos de castor fino a 89.
Cbitai pretas multo largaa e finas a 240 rs.
Algodo trangado preto muito bom para vesti-
dos da cacravoa a 200 ra.
Cambraia lias com 10 jardas a 29.
Cassa de salpicoa com 10 ditas s 39.
Cambraia bordada para cortinados com 8 va-
rasa 2/.
mmmmm mmm mmmm
I
i
i4eabadeche-i
Mlies a 10,000 rs.
Na raa da Cadeia n. 45, esquina da Madre do
Dos, vendam-ae -borxeguioe de Hilliea muito
bons a 10J o par, aaaim como um completo sor-
timento de ontroa eslgados para homena, senho-
tras-e meninos, tanto de Paria como de Naotea;
ambem tem conatantemente sortimento de rou-
pas fritas e fazandas.
> esmaga cobra..................
> Nanles 2 bateras vaqueta.....
a b 2 bateras bezerro......
> trsbalbadores..........
> brasileiros de 3(500 a..........
Sapatos2 solas e salto..................
tranga porlugaezes..........
franeezes......
SENHORAS.
Botinas dengozas........ .
> aalto de bater...... ;
> pecbiocha de 49500 a. .
a americanaa 3J500 a .
Sapatoa de salto (Joly) J .
sem elle (dem)......
> tapete: .' .
a econmicos. :......
lastre 32 e 33.......
MENINOS E
Ha de tudo em relag&o e nio
dioheiro.
Um completo sortimento de couro de porco,
cordavio, bezerro francs, couro de lustre, mar-
roqulm, aola, courinhos 1etc.1 que todo se troca
por dioheiro vontade do comprador.
59500
59000
4S0OO
29500
3000
19920
800
500
800
sabir
Grande arma-
zem de ferragens e
miudezas na ra do
Queimado n. 49.
Antonio Francisco de Souza Megalhea J-
nior, proprietario desle. eslabelecimento partici-
pa ao commercio deala praga e a lodos os seae
devedores, que desda 19 do correte mez o Sr.
Francisco Jos Correa Marques, deixou de ser sea
caixeiro.
Escravos venda.
Vende-se ama mulatinho de 16 annos, de bo-
nita figura, e um ecoravo preto de 14 annoa : na
raa do Queimado n. 46, loja de Gea & Basto.
Sitio.
recisa-se de um traOalhador que leona pra-
refinagio, paga-se bem seniodo, a tratar
; oa rta dos Gaararapes a. 28,
Pao de senteio.
Chegou a nova feriaba de senteio e (continua
haver po da mesma feriaba naa qaartaa e sab-
Preciss-se alugar um sitio com arvoredos de, bsdos, em Santo Amaro padaria allemia, na
ruclo e cass soffrivel, perto da prsga ; na ra da
SeflisU Velha o. 96, padaria.
'Boa-Vista rus da Imperatriz o. 22 e no Recife
{en Fora de Perlas praga do Chifaris p, 47.
gar ao novo
armazem
DB
[Bastos k liego]
Na roa Nova jauto a Conceico
dos Militares 11. 47.
Dm grande e variado aorllmento de
roapaa le tas, calgados e fazendas e todos
estes sevendem por pregos muito modi-
ficados como 4 de seu costume, assim co-
mo sejam sobrecasacos de superiores pan-
nos e casacoa feitos pelos ltimos figuri-
noa a 269,289, 309 e a359. paletots dos
meamos pannos preto a 165,1&I* 209 e
a 249, ditos de casemira de cor meaclado
e de novos padroes a 149.16|, 189, 209
e a 249, ditos de casemira de cor mes-
ciado e de novos padroes al4f, 16f, 189,
209 a 24f, ditos saceos das mesmas ca-
aemiras de cores a 99, 109, 129 e a 14 j,
ditos pratos pelo diminuto prego de 89,
109 e 129, ditos de sarja de seda a so-
brecasacados a 12f, ditos de merino de
cordo a 1S9, ditos de merino chinez de
apurado goslo a 159, ditos de alpaca
preta a 7{, 89, 99 e 109, ditos saceos
pretos a 49, ditos de palha de seda fa-
zenda maito superior a 49500, ditoa de
brim pardo e de fuato a 39500, 4# e a
495OO, ditoa de fasto branco a 49, gran-
de qasniidade de calgaa de casemira pre-
ta e de corea a 79, 89,9J e a lOf, ditaa
pardaa a 39 e a 49, ditas de brim de co-
res finas a 29500, 89, 39500 e a 4f, ditaa
de brim brancos Qnaa a 4$500. 59,- 5J500
e a 69, ditaa de brim lona a 59 e a 69,
colletes de gorguro preto e de eorea a
59 e a 69, ditoa de casemira de cor e pre-
tos a 495OO e a 5g, ditoa de fus tao branco
e de brim a 89 e a 39500, ditos de brim
lona a 49, ditoa de merino pars lulo a 4$
a a 49500, calcas de mer,in para lulo a
495OO e a 59, capaa de borracha a 99000.
Para meninos de todos os tamanhos : cal-
gas de casemira preta o de cor a 59,69 e
78. ditas ditaa de brim a 2J, 8| e a 39500,
paletota aaccoa de casemira preta a 69 e
a 79 ditoa de cor a 6| e a 79, di-
tos de alpaca a 39. sobrecasacos de pan-
no preto a 129 e a 149. ditos de alpaca
preta a 59, bonets para menino de todas
aa qualidades, esmisaa para meninos de
todos oa tamanhos, meios ricos vestidos
de cambraia feitos para meninas de 5 a
8 annos com cinco babados lisos a 8f e
a 129, ditos de gorguro de cor e de lia
a 59 e a 69, ditoa de bim a 89, ditos de
cambraia ricamente borbedos para bapti-
sados e multasoatraa fazendas e roapaa
feitaa cfUe deixam de aer mencionadas
pela saa graneeqaantidade ; aaaim como
retebe-se teda e qualquer encommenda
i de roopas para se mandar manufactarar
1 e qae pare este fim temos m completo
sortimento de fazsBdasa, de tost e ama
Erando officina dad gg dirigida por am
sbil meslre qae Ha promptido e 1
paifeigio nada dexa a deaejsr.
Manguitos com gollinhas.
Vende-se manguitos com gollinhas, fazenda
muito boa, pelo barato prego de 2S00O, gollinhas
e puohos ultimo gosto a 29000, gollinhas muito
finas e bem bordadas a 1JOOO caria ama na ra
do Queimado loja de miudezas da Boa fama.
n. 35.
Tiras e ntremelos cordados.
Vende-se pegas e tiraa bordadas de 2,500,
3,000, 3,500 e 4,000 entremetas a I96OO e 2$0O
cada'pega na ra do Queimado loja de miudezas
da Boa fama, n. 35.
Bonecas francezas.
Vende-se bonecas francezas ricamente vestidas
4000 e 5J00O, e 2J00O bonecas de cera com os
olhos n o vdeos a 2{000 e 3J000, na ra do Quei-
mado loja de miudezas da Boa tama.n. 35.
' Fivelas de ac para sintos.
Vende-ae fivelas de ago para sinlo a 19500 rs. e
29000 na ra do Queimado loja de miudezas
da Roa fama. n. 35.
Baleias.
Vende-se baleias 120 rt. cada urna sspa de ago
para bailo a 160 rs. a vara, bandes a 19500 rs. e
23OO o par, na ra do Queimado loja de miudezas
da Boa/ama. n. 35.
Cascarilhas de seda.
Vende-se cascarrilhas de seda para anfeitar
vestidos a 29000 a pega na ra do Queimado
loja de miudezas, n. 35.
Meias de borracha.
Vende-ae meias de borracha para quem padece
de erysipela a 15J0OO o par, meias de seda preta
para senhora a 1J0OO o par na ra do Queimado
loja de miudezas da Boa tama, n. 35.
Palmatorias devidro lapi
dado.
Vende-se palmatoriisde vidroa l600rs., ditas
com mangas proprias para rapazes a 49500 rs.,
cada urna, escarradeiraa de vidro a 49500 rs.
e 59OOO* o par, na-ra do Queimado loja de
miudeza da Boa fama, n. 35.
Perfumaras muito tinas e
baratas.
Opiata ingleza a 1*500 rs, dita franceza a 500
rs., 640, 190G0. oleo da sociedade bygieniqae
verdadeiro a 1JC00 o frasco, oleo babosa de Piver
verdadeiro a 800 rs. o frasco, agua balsmica
para os denles a I9OOO, dita de Botot tambem
para os denles a t$000 o frasco, pomada france-
za em paos a 500 rs. e I90OO, 320 rs. sabonetes
muito fino a 640 rs., 800 rs. e I9OOO esda um na
roa do Queimado loja de miudezas da Boa fama.
n. 35.
A 200 rs.,so pavo.
Vende-se chita franceza escara de cor fixa a
dous tustoes o covado: na ra da Imperatriz n.
60, loja e armazem do pavao.
A 2#500, s o pavo.
Vendem-se cortes de cambraia branca com 2 e
3 babados a 29500, ditoa de tarlatana brancos e
de cores, com barras e babados a 39: na ra
da Imperatriz n. 60, loja e armazem do pavao de
Gama & Silva.
A 500 rs., s o pavo.
Vendem-ae aa mais modernas a finissimss la-
zinbas de quadriohoa e de florea soltaa e palmi-
chas, desembarcadie do ultimo navio viodo do
Havre,pelo baratissimo prego de quinhentos res
o covado, e do-se aa amostras com penhor: na
roa da Imperatriz n. 60, loja e armazem de Ga-
ma & Silva.
Cabaias hespanholas, na
loja do pavo, a 400 rs.
Vende-ae estsnova fazenda de padroes delica-
dissimos com 4 1(2 palmoa de largara, propria
para vealidos de senhora a 400 rs. o covsdo : na
ra da Imperatriz n. 60, loja a armazem do pa-
vo de Gama & Silva.
As afamadas agulhas impe-
riaes com fundos dourados,
e dedaes de marfim.
Acabara de ebegar para a loja d'aguia branca,
ra do Queimado o. 16.
Cabriolee.
Vende se um cabriole!de duas rodas e desco-
cerlo, em muito bom salado, e pintado de boto,
com arreloa para asa cavallo : para ver, na ofi-
cina de Mr. Croijean, na roa da VUorenttpe, 9
para tratar, aasal Trapiche n. 14, primeiro
andar.
m terrea*--m
edificar ama ca-
para flear com
na roa do Trap-
Vende-se pi _
roa do Hospicio,
ss, bsvendo terreno sol
am quintal espacoso : a tratar
eheo. 14, primeiro andar.
|
/
.1%


--t,
: .

%
Ricas fitas pai a chapeos,
OUUO DI
cnteros, el
A.1oje d'agata brauc aceb
traordinario aortimenio da
em qualidade qeo bonitas t
entre ellas o mala Ur|o que
como sgnalas pe;as brancas
proprio para inser pges, i
Cereales corM como de caf,
ele,, como de aeu Ioutbt
d'aguia branca, na raa do Qv
da por prego commodo eaaas
c, etc.
i d receber un ex-
icaa Btaa, lio boas
os desenboa, tonda
possivel; assim
coa o centro liao
juilas outraa de di-
rflia, a acara, etc.,
al coatume : a loja
imada a. 16, ten-
bous e bonitas fitas.
Grvalas de stim cqmj
pont largs. a 1$
Vendem-se gravitas preti s le boa strWm
cora ponas Iara a 4* cada urna, to bmtaa
assim ae m acba na ra do C ueimado, leja, d'a-
guia branca n. 16.
Nova atteiifao.
O vigilante acaba de recelar novo aortimenio
de diversos objeclos que seieolem por manos
20 por cania do que en oetra qualquer parta.
Sitos para st
Rlquisaimos sintos dourado
preco de 29, e con vela ao 1;
no de fita de aeda ou reliado
vigilante, roa d* Crespo n. 7.
nhorts.
', pelo baratsimo
do a 49, assim co-
a i$ : s no gallo
Enfeites
Vendem-se os riquiasimo <
com franja e vidrilho a 5fl, dit
ditos trancados a 29500, dito
bico de aeda a 29: a no gallo
Crespo n. 7.
afeites da cabera
)S iem franja'a 39,
a de la5o de fita e
vigilante, ra do
Fivalaspara sinto.
Riquissimaa fivelas de ac ce m madreperola no
centro a 19200, ditas de madrnperolaaSSO, dita
douradinhat a 340 : s no galla vigilante, raa do
Crespo n. 7.
Vidrilho.
Lindos vidrilhos pretos e de cores, pelo bara-
tissimo preco de 13600 a libra: s no gallo vigi-
lante, rus do Crespo n. 7.
Para entreter o tempo.
Os lindos jogos de dminos 111*400, linda, cai-
linhas com jogos de vispora a !I00 rs.: s no gal-
lo vigilante, ru do Crespo o. 7.
A banha fina,
em copos grandes, chegou pi ra 1 loai d.agaia
branca, ra do Queimado n. 16.
im&
das seis portas em trente do
Livramento. 15,20,30 e 40
arcos.
Grande aortimenio de saiaa n balao de arcos,
os melhores que aqu tem. apparecido no merca-
do a 4*500, 59, 6g e 6*500 cada un, d se para
amostra com penhor ; a loja esl iberia at as 9
horas da noile.
Guimsres & Lu, donos da loja de mludezas
da ru do Queimado n. 35, boa arria, partisipam
ao publico que o aeu estabelecimento se acha
completamente prvido das melliorus mercadorias
tendentes ao mesmo eslabeleciinento, e muitos
ulros objeclos -e gosto, sendo quisi todos rece-
bidos elles inteirameote resolvidos it nao Tenderete
fiado, enancara vender mais barato do que outro
qaaiquer ; e juntamente pedera aon aeus devedo-
res que Ibes mandem ou veDbain pagar os seas
dabitos. oD pepa rieseram juatl;lo.
Sonhajt Mellors & C, ten 1o receido or-
dem para vender o sen crescido deposito de rslo-
gios visto o fabricante ter-se retirado do nego-
cio ; convida, portento, spessoas que quizerem
possuir id bom relogio de ouro ou prata do ce-
lebre fabricante Kornby, a aprt ve;.tar-se da op-
portunidade aem perda da lempo, para vir com-
pra-Ios por commodo preeo co leu escriptorio
roa do Trapicha n.58.
Ra a Senzalla Nova n. 42.
Vende-se era casa da S. P. Jonhsion 4 C,
sellios e silboes ingiero, candeiros e castigaos
bronzeadog, lonas.ioglezas, fio Je vela, ehicotes
pTa carros e mentara, arreios para carros de
um a dous cavarlos, e relogioi de onro patenta
ingles.
Queijos
o mais frescos que tem viudo ao nosso
mercado chegades no ultimo vapor-a
2#000 e no panado a 10800.
Amendoas
coneitadas as mais bonita ( que ha no
mercado a 800 ei# a libra : vende-se
nos armazens Progressista e Progressi-
to no largo do Carmo n. 9 e ra das
CruZesn. 36.
m grande negocio de
vantugein.
Quem quiser possuir m rico isti.beleciment
de coebeira com tren carros ?, e,IB(l c,Uos
ocloiBdo tambera na venda, por >rdm do dono,
urna nsn tounoe que d dlsriarr *a^ n de Ui-
te; noia. )r ver na raa do Imper..ann"^,
Chegou para a loja da vjetorli, candleiioa a
gat a novos gostos e modeles, i joto para sala,
eoroo paraeseada e quartoa e pan outraa multas
*: oa loja da victoria na do Ousimado
. 70.
Esperanca
i
BITAmftft M HJM
Loja de miudezas,rua do Quei-
mado n, 33 A, de Guimares
4 Rocha.
Chegarara o botes de cornalina brancos en-
carnados, que se vende por 39 a dista, o por If
o par para pnaos, s ha nesta loja, erases de
cornalina para roaarloa, e proprias para eocaatoar
em ouro a 19, flautas de abano da 5 chaven coa
caia, pelo barato preco de SOf,. pos de arros aro
maulado a 19500, em frascos multo Hados s 39,
agulhu victoria chagou doto sor timante, n pasco
o mesmo de 120, cartelras para escrever, pro-
prias para Tiagem, com tintelros etc. i 11 e fjg,
ntremelos bordados, e transparentes a 19300,
19800, 2f, 29500 e 85, tiras bordadas para caifas
de meninas e salas a 1 e 29, IabyriDlbo ingles a
80,100,120.160, 200 e 240 ra. a vara, fitaa finas
de grosdeneple achamalotado proprlaa para cin-
tos a 1 $>00 a vara, colherea de metal principa
para cb a sopa, a 59 2S500 a Ansia, tacas da
cabo de balaoco a 6 e 79000, cabo de viado por
49500, meiaa para homem a I96OO. 29*00, 39600,
59e69 a daxla, meiaa de aeda para crianca rea-
cem-nascids, lindas cotes a 29 o par, meiaa da
algodio para meninos e meninas a 240 o par, flo-
res arliflciaea para enfeites a 19, eapellaa para
noiva, a a Esperance vende pee 5g, de flor de
taraogeira, fltaa de velludo largas e estreltinbas
como se procura a 19 a peca da eatreita, tesouras
para nnhaa de eco finas a 19500, curvea ete. para
costura a 600, 800, &280 e I96OO, pootudas de
ago para corlar flos no.comego do labyrintho, a
tem a Esperance, que vende ptrrtg, tinta atol e
preta (verdadeira Inglesa]' a 820 e 640, que ae
rendei>arata por ser receida directamente do
fabricante, pennas de aen inglesas o de mnitaa
qnalMades a pregos differentes, papel Imacc In-
gles, resma de 500 folhaa a 69 (pautado), dito el-
mace francs, reama de 420 olbas a 49 (psutado),
dito sem ser pautado a 39200 0 49, dito pequeo
tarjado de preto a 19500, dourado a 1|500, de
cores a I96OO, bordado como renda, e pintado
com palmas, rosas, etc., por preces rszoaveis, e
ama infioidadea da artigoa barates, eseoihidos
com gosto e acert para uso domestico,especiali-
dades vindas de eucommenda, nao vistas oeste
mercado, que rscebe esta casa constantemente.
<
NOS ARMAZENS
PROGRESSISTA
PM6IS0IVO
DE
Aelogios.
Vende-se a casa de Johnston Palor A C,
. -4 do Viga rio n. 3, um bailo sortmento de
telogios de ouro, patente inglaz, de um dos mais
afamados fabricantes da Liverpool; tambem
ama variedade da bonitos irancellins para os
mesmos.
|Loja das 6 por-!
tas em frente do Livra S
ment
"Baldes de 15, 20. 50 e 40 arcos..
Grande sortmento de bsldes de arcos
os melhores nesta fazenda e grandes,
chitas francezas largas escures a 221) e
240 rs. o covado, ditas sstreitas miodi-
nhas a 160 rs. o covado, cambraia lisa
para forro com 8 1(2 varas a 29 a -peca,
ditas finas a 39, 49.59 e 65 muito Anas,
ditas de salpiquinho com 8 1 [2 varas a
39500 a peca, cobertaa aleoxoadas bran-
cas e de cores para cama a 49500 e 5J,
caaaas de cores francezas tintas seguras
a 320 rs. o covado, peca de bretaoha de
rolo a 2J, algodao trancado alvo multo
largo para toalhas a if a vara, eofeitea a
Garibaldi todos pretos a 59cada um, len-
cos brancoa com barra de cores a 120 ca-
da um, roupafeita da todas as qualida-
des mnito baratas, a loja est abarte at
v ai 9 horas da noite. M
mmmommm tmmmm m
Superior cal de Lisboa. -
Tem para vendar em porcio o a retalho Anto-
nio Luix de Olivelra Azevedo & C no aen si-
criptorto raa d* C*w n. 1.
Mobilia.
DUARTE4C.
36 Ra das Cruzes de S. Antonio 36
O Il-ICiO DO ARMO O.
t,*,..^ N&osproprieuriosdestes scwditados rmaseos participamos aos nossos numerosos
freguzes que por todos os vapores o navios de vela recebemos de nossa propria encomtnsnda os
S 8MIero,^dnienu Wss, e por isso podemos vender por menos 10 por cont do
que outro qnaiquor, como a experiencia o mostrar por isso pedimos a todos os Srs. da praca e do
15.L22 M ^a dera.m'0 tr,blho de a atperimentar, o favor de o faseremTcertos
"'Sf' Pk P8 ,88, D* poupsremos foress para bom servil-es o ainda mais a pessoss
menos entendas cortos de clarecer aos compradores que s na ra das Cruzes n. 36 alargo
ZtD.V, i q,Uo ena. mderer o po'Wdores, pois muito se ovildam com oulras casas qussi
dos mesmos ttulos (Progressista e Progresivo) pois sao as duas nicas filiaos.
'^8 gleza a m\s nova e njjjg gupar^r 0 mercado a 900 rs. a libra.
al2Sm lancea a meIhor M pode deiejar, ^ M., ,ibra e em barril
Ovil rs -^
rK' i"X,ni mS MpeeiaI Ia9 M P0*1* eDCOn,rar 2880 a libra.
L/lia IiySSOn 0 elhor que se poda desojar da 2&400 a 2*800 a libra.
Pre ^ue se V6*0 desear ns,e genero a 29 a libra e a 1*600 o ordinario.
QlieijOS flimengOS chegados no ultimo vapor a 2e>lf700.
Qile j O presto o adho do mareado a 600 rs. a libra e sendo nteiro a 500 rs.
^Uei/OS dO SertO muito superior a 640 rs. a libra tambem temos para 500 rs.
Passas em caxnhas de 8 libras .moo esoo.. ubr..
*IgOS eiH CalXnhaS de 8 libras a 1600 a00 rs. alibra.
AineildoaS da Casca |o!e 320 rs. e noza, a 160 rs. a libra muito novas
Ameixas francezasa!|alDraeeralalas C0m5Kbras a4#000.
Marmelada superior a mbotdo m*erc,do em iat.s de dua,ubr.. 400 rs..
libra.
Doce da casca da goiaba a 800 rs. o caixo.
1 amaras em caixinhas proprias para mimo a 2*500 e 800 rs. a libra.
Latas com frutas em calda cmodo, damasco,gin., .&<*
lperxe a 600 rs.
Amendoas coafeitadas diversas cores. soo rs.
OS g'eiierOSO&engj^fajoj das seguntaa quaUda^ duqua do porU)> porw
fino, Pedro V, velho secco, genuino. INector, Careavellos, Feitoria, e Madotra seeca a
129 e 139 a dusia e a lflOO a garrafa e muscatel a 720 rs. a garrafa.
' do"mo^iJifaTF&ZX*'***" ^" C"aaa e d9 T,0 a ? a ''
derVejaSdas melhores mareas a 500 rs. a garrafa e 5*000 a duria, cbanpanhe das
marcas mais acreditadas da 149 a 209 o gigo, cognhac omelhorque se pode desojar
a 900 rs. agarrafa. *
UreneOra da verdadera bollanda em garrafdes de 16 garrafas a 6*000 cada um.
^aieneDra ^italiana a mais sublime que tem vindo ao nosso mercado em fraseos grandes
t 29000 cada nm.
rraSCJlieira com 12 frascos de genebra de Holanda 9800
vorarraiOeS com 5 garrafas de superior vinagre a 1*000
Vinagre puro de LlSbOa a40 rs. a garrafa e a IfSOO a caada.
Marrasquino 0 mti*superior que se pode desejar a 1*000 a garrafa.
SiSpermacete 0 mais superior do mareado em caixinhssde 6 libras a 4*200 e 700 rs
a libra.
Vel8 de Carnauba all500aarrob. eSSO alibra.
A.nCOretffrS comazeitonas ag memoras do mercado a 1#400.
V^aiXaS com 1 arroba hespanhola contendo macaro talharim e aletria a 6*000.
waiXlnu3S com diversas qualidadesde raassas como stja estrellaba pevide etc. a 69000
e 640 rs. a libra.
Chouricas e ?a os os melhores d0 m9rcado a 560 rs. a ,bra.
salames o melhor que se pode desejar a 700 rs. libra.
PreZUlltOS 0 que se pode desejar de bom a 640 rs. a libra.
LngUlCaS finas em latas jpromptas a 19600.
PelXe em latas cavallinhas pargo, a linguados a 1.J600.
X OUeinflO do reino a 280 rs. a libra do novo, e 240 rs. do velho.
Banha de UOrCO a raelhordo mercado em latas de 10 libras a 4*000.
Massa de tomate flm utas de i tm a 700 rs.
MaBSas para Sopa talbarimemacarraoa 280 rs.e aletria a 320 rs.
PailtOS llXadOS em macos com 20 macinhos a 200 rs.
i a pe greve pautado e lito muito saiperior a 4000 a resma;
tV Va docea 360, pimenu a 360, eanella 900 rs., ecomiohos a 800 rs. a libra.
PalltOS do gaZ a 2*300 a groza e 20 rs. a caixinha.
5a I retinado am vteoUja de ma8 d, ma ttan a 160 rs. potes 560 rs,
^ftg" muito novo a 380 a libra e sevadinha 200 rs.
Farillha ***** 160 n. a libra a gomm a 80 rs. a libra e 2*100 arroba
P i? *d0 ^^ ma,hor do mewado 8*00 9*00 ba.
ai X1 n Has, ma|g elegantes, propias para mimos ou mesmo para guardar ioias de 400 rs.
a 19500 e temo com 6 caixinhas a 5000.
Chocolate hespanhol ywd.de,ro a 19OOO rs. a libra.
.l^.POrtU8'Ue^S C franCeSCaS Nao verdad. 640. 720 rs.
1 raques 08 melhores do mercado a, 10 acaixaea 280 rs. .carta.
oaVel em latas ebegado ao'ultimo vapor a 1*600.
Bolaxinha de sodaem i.u.. 19400
iSoIaXnha ingleza a maia nova do mercado a 4*500 .barrica e300 rs. a libra.
AVelaaS chegadas ltimamente a 320 rs. a libra.
Sa rdinhas de Nantes, 400 rs. a .u.
Aaeite doce refinado 99. cx. e'sop r.. gMr.f.,
ArrCZ am saceos d. 5 .rrobas do vermelho a 3*500.
LlCOr6ft o mais finos que ha no mercado a 1 a garrafa a 10* a duxia, tamben temo
para-
Na ra da Gamboa do Carmo loja n.
12, vende-se toda a qualidade de mobi-
lia tanto ao'gosto moderno como anti-
ga, phanthasia etc. por preco mais
commodo do que em outra qualquer
parte, faz-se toda a qualidade de obra
de encommenda com a maior brevida-
de e o maior apuro da arte.
mmmmmmHamtmm m*
rande
|liqiiidaco por todo
I o preco, na bem co-
s nhecida loja do Ser-
tanejo.
Ra do Queimado n. 45 J
Apparetjam com di-
uheiro que nao deixaro
de comprar.
Chitas esenraa floae a 160, 180 e SOO
rs., cortes de vestido pratos bordsdos a
vallado de custo d 1509 e se vendem
por 309,409. 509 709. sabidas de baile
de velludo e eetim a 129 e 139, camisa,
para senhora a 29000 e 39500, gollBbas
de cambraia bordadas a 500, 600, 700,
800, 900 a 19, ditaade al bordadaa a 120
rs., caaavequea de fustao a 59, 69,75, 89,
meiss de seda brsncas a pretaa para* se -
ahora a 19200 o par, tira, de babado. a
500 a 700ra., laade qaadro enfeatadas a
300 e 360 rs, o covado, cambraia preta a
400 e 440 ra. a vara, organdya de core, a
600 rs. a vara, fil braoco adamascado
para cortinados e vestidos a 400 e 500
r*.. vara, corte, d. collete de csaemira
bordadoa pretoa a 29 e 39000. ditea de
vallado de cor e pretoa a 89, 49, 59 a 69,
paletots de brim branco trncese, a
39500 a' 495OO, ditos de casemira de c-
rea e pratos a 149 e 1&9i dito da alpaca
preta a de core, a 39,3|500, 49 .49500,
camisas de peilo .de lioho a 29500, cortea
de collete de gorgoreo a 19500, 19700,
2900, 35 e SgOO. eolletes (eitos de brim
branco a 29500. ditoa Cello, de gorgurao
a 29500 e 39500, ditos feito. de casemira
a 3J500, 45 e 45500, ditoe de velludo a
59, 69 e 79, ditos de fuato de corea a
15500, nm variado aortimeoto da mal.,
par. homem e ssnhora, grioaldaa com
flores, .hales da Croco, espartilbos, e to-
da a qualidade de roupa. Celta, para ho-
mem que tndo ae v.nda por matada do
aeu valor.
Xf MftfiM SIIIHbIS flMuattflKtfrMOsai
Caetas caligraphicaa
a 500 rs
Rpcentemonte inventadas pele proCessor Seul-
ly, as quaea eom a extraordinaria vaniagea de
obrigar e acoalumar para seeapre o discpulo .
ppgar ns penoa de modo adequado, aetjdo guar-
necldaa esaaa eanetaa de pequeas chaaaeeouca-
vae nos lugares ende ae devem eeUoeaf e. tren
dees. CaciUtanie aaaim mnito a eaeripie, e en
tribniedo aobiamaneira para qualquer peasoa es
S? *"" ' ittaari'a^ltiS^^ O.proprtst.rte-ci^Bc.m.o.ue asas preces s sarviram p aquel-
gaives, ra da Gadea nT? : Gailbaraae Ssnlly, I "*M>n> 1Qt mandarem seo competente importe a lodos os dermis freguezas de livro lerim de suet-
profeaaor decalifraphu, tiee /anetre, ttar-ta ptlos preee* Mostumados, salvo afusiles da fim do mez,
F ABA A FBSTA
S. JO AO'
VENDE-SE fVO ARMAZEM
PROGRESSO
Francisco Fernandes Duarte
ftargo ila Penlia
O. melhores gneros que vem a este mercado e por menos 10 por canto do que em ooJra
luabioer parte, garantjndo^e a boa qualidade. por amo roga-ee todos o. Snrs. de ptm l
^^"^^^^^^ ^m.iu,^iudoPTmaznde
^tee?' ^? ytnm tlB$n0^ de Pres e aiKdada qna faz, se tossem comprados em entra
^"J1** coneitadas para sorte de S. Joo a 800 rs. a libra, tambem tem-se para
6*0 rs. a libra sendo em porcio, tanto de urna qualidade como de ontra se fas aBati-
mento.
liamt\g& ImgleZla da safra nova de primeira qualidade a 850 a libra, em
barril se (as batimento.
Wmutiga framxa a ma? Mn a 640 n a ljbra> m btrrjI a 600 n
ttl\*B do Teimo mnifs> frescos chegados neste ultimo vapor a 2&0O0 ditos che-
gados no ultimo navio a 19800.
5. V P^**0 o mais superior que tem vindo a este mercado a 800 rs. a libra.
v/? mrfhor ^ua n n0 ***<*&<> 2*800 e 21200 a libra, afianca-se a boa
qualidade.
** B^XIUI 0 que se pode desejar neste genero a 39000 a libra,
Ola pTCtO homeopathico a 2200 a libra em porjao se faz abatimento.
1.TaqUeS nOYOS Q ^[0 Uia$hAo a 230 rs. a carta ees. cains eom id cartas por
98000. r
Latas eom amendoas confeitadss, proprias para mimo, contendo mais con-
feitese assucar candido por l|60O cada urna.
IraSSaS em eaixinbas de 8 libras chegadas altimamente a 29000 cada urna e a retalho
a 480 rs. a libra.
DOiaXinna da soda em latas com differentes qsalidedes a 19440.
ttOlaxinna inglesa a mais nova que h no mercado a 49000 a barrica e a retalho
a 320 rs. a libra.
VlUnO eW P&na de superior qualidade Porto. Ftgoerra e Lisboa 500, 560 a 640 rs.
a garrafa, e em caada a 39500, 49000 e 49500.
VinllOS engarrafados Duque do Porto, Lagrimas do Douro, Careavellos, Fei-
toria velho, e deoutras mnitas mareas acreditadas a 19200 a garrafa, em caita a 129
tambem ha para 19000 a garrafa;
-iiiaMpanne das marcas mais acreditadas a 159000 e' 209000 o gigo, e em garrafa a
10800
SeVeja j. marca eobrinha ou de oulras mareas conbecidia a 59000 a duzia e 500 rs.
a garrafa. ~ -------~_- ________^^
"* "" Has francezas e portuguezas em latas de 1 libra por 640 rs.
**$* tomate em tattas de 1 libra por 800 rs.
rV aateiXaS f ranelas em iatas de 1 e mei. libra por 19500, ditas com 3 libras por
2^800. r
rm.menOnS t casca moie muito n0vas a 320 rs. a libra, em arroba por 80000.
\0ieS a 120 rs. a libra e em arroba a 30000.
WetTla, maeaTTae e talhatVm 400 rs. a libra, a em caixa com 1 arro-
ba por 69000.
EiStVellinna* pevide e arroz de massa branca ou amarella, a 640 rs. a libra, e em cai-
xinhas muito enfeiladas se faz obatimento.
lfailtOS de* denteS liados os maisbsm feitosque tem vindo a este mercado a 280rs.
tambem ha para 200 rs.
Tf einntOS ngltZeS para fiambre a 800 rs. tambem hamburgus para fiambra a
640 rs. a libra e do reino o mais novo que ha a 560 rs. a libra.
lanOI&YiC.aS e paiOS mul0 n0Tas a 56q r8. a libra eem barr se far abatimenlo.
Sata me 0 melhor petisco que pode haver por estar promplo a toda hora a 800 rs. alibra.
T Onenno do reino muito novo a S80 rs. a libra e em barris de 1 e meia arroba
a 59 79 a arroba.
-UOUTjaS em utas j pro raptas para se comer a 1*9800 cada urna.
ftanha de pOteO refinada em latas com 10 libras por 49300.
Dita em barril muto fina e aiva a 440 r8; a ,ibra eem hmil a 400 rSa
CartoeS eom bollo traneez. proprios para mimo a 500 rs. cada um.
ill.armeiana imperial do afamado Abreu ede outros muitos fabricantes de Lisboa a 800 rs,
a libra.
marinelftda So Alperche em latas de 2 libras por 19000 cada nma,
C *M U metas Q doce em calda as melhorej que ha em Portugal como se-
jam pera, pesego, damasco, ameixas, ginja e sereijas a 800 rs, a lata.
IJOCeS StCeOa e em calda, em latas, de 4 a 5 libras por 29000.
CboCOlatO hespanhol a 19500 rs. a libra, dilto francez
800 rs., afianca-se a boa qualidade.
dale de primeira qualidade tanto do Rio como do Cear, a 320 rs.
99500, dito mais baixo a 280 rs. e 89500 a arroba. .
^evadiniia de Trance a mais nova do mercado a 240 rs. a libra, e era porr5o se fai
abatiesen to.
^aS*^ muito novo a 320 rs. a libra e era garrafdes com 5 libras, por 29000.
K.WlHlin. do reino das marcas SSS ou galega, a 140 rs, a libra.
Dita do Maranho alva o cheirosa a 160 rs. a libra e em arroba 49500.
elaS d carneaba refinada a 400 rs a libra, e em arroba o 129000.
VxeitO n#ee refinado a 800 rs. a garrafa, e em eaixas a 99000.
Vinagre de Lisboa a 240 rs. a garrafa e em eanada a 19800.
W InnO chere verdadeiro a 19500 a garrafa, r am caixa 149000.
VlnnO braneo de Lisboa o mais superior qua ha no mercado proprio para missa
640 rs. a garrafa e em caada a 49500.

a 19100 ditto portugus a
a libra, em arroba a
Cbarntos
suspiros do fabricante Brandan em meias caixinhas, por 29500.
suspiros do fabricante Gatanho Filhos em meias caxnhas a 29000.
em eaixas de .100 regala Imperial, Vigantes,.e Paneotellas, a 29000 a eaixa.
Ditos
Ditos
AipiSta muita limpo, a 180.. alibra, e em arroba 59500,
AieitonaS muito novas, a 19600 rs. cada urna ancore, e 1 400 a garrafa;
ArrOX de Maranho a 120 a libra, e 39700 a arroba.
rOlXe da postas em lates das melhores qualidades de peixa que u em Portugal a 19600 re.
Genebra Ae HolVanda g,,,^ co^ 28 g,mfM ^ 9fm.
itMlntn ia^u muU n*ae 19008 o frasee e franeexa a e*0 n. o pete.
Alm dos gneros cima mencionados enoontrir o respeitavel publico um completo sti>
ment de todo que (endent a noafaadoa,
i

o.
aiea-i
.-X


m
i
\
Titas eu entremeioiPbor-
dados.
L
PUMO M nUAMBOGO CODITA FEWA M DI JOTBO DI UM
"V
iSft*
ro T.,
fordadoade
mtieemi 0*raas, a* tfKO
galofgi*^.* so graspo nu-
Potassa di Rusia.
VeaAe-seemGMa deM. O. Bieber
C aucceosore, ra da Cruz n. *
&
Vende-ae carne do aerlo 1(J a arroba
em libra a MO ra., rinho da Figuei a e do Podo
3S00 a uoida m garrafa a 400 ra. : na rea
da Senzala Veltaa taberna o. IOS, enquia do
boceo Lirgo do Racifa.
Escrava
Veode-ee ama oscrara aadia, lem vieioi, e
muito trabilhadeira : aa rea da Cruz n. 38, se-
gando andar. __-
Madeiras.
Continua a vender-se travos
mes em pequeas e grandes
por preco commodo : t tratar
da Praia n. 53.
e enxa-
porcGes,
na ra
Vende-se urna taberna em Api-
pucos com pequeos fundos, boa Ioca-
1 ida de e com modos para familia : a tra-
tar na ra da Praia n. 53.
Veodo-se ama inorada de :aia terrea aa
na do Dique, chot proprioi ; quepa a quier
comprar, procure oa raa Augusta, caca terrea n.
56, que ae dir quem rende, e ajustar, podeodo
procurar da 6 s 9 do dia em dame. ^^^^^^
Veudem-se exoellentes
presuntos para fiambre, os
melhores que tem viudo a es-
te mercado, chegados ultima-
mente, a 600 rs. a libra, em
porco se farabatimento: no
caes d'Apollo n. 67, deposito
de sabo.
Ao rival sem igual.
Ra larga do Rosario numero 36.
Fitaa de vallado ealreitinhti para tneite
peca 720 ra.
Sintos doaradoa a 19000.
Dttoa ditoa com poataa aahidaa a 8*000.
Lia para bordar aortidas, libra a 6}400.
EacoTii para cabello a 1$.
Daxia da meiaa craaa para boma* a 29400.
Cartae da alfioetes a 100 ra.
Franjis pretaa com Tidrtlha a 820 a 400 ra.
Eofeitea da ratroz com fraaja a 59000.
Daiia de meiaa pare senhora a 29400.
Feotes de musa para atar cabello a 500 ra.
Teaearaa ordinarias para cortar parios a SO ?n
Sabooetee de bola de cores a 400 rs.
Franjea de seda.
Bieea pretoa largos a estreitea.
Trancae pretaa com ridrilho e branca.
Escoras para anbas a 320 e 500 re.
Carriteia de ratroz a 800 rs.
Tranca de aeda de cores a 200 rs.
Carretela da Hoha a 30, 60 e 80 rs.
Liaba do gaz lastroza a 30 rs.
Dita da Pedro Va 30 rs.
Rap Paelo Gordeiro e Gasae a 19600.
Dito Mearon a 19.
Gaiiinhaa com papel para namoro a 2$ e 89.
N. B. O dono deste estabelecimento prompli-
ftca-sa a mandar am aaizeiro com aa miadazas
que qaizerem em casa das familias qae isto
eilgir.
Cambraias
Vendem-se cambraias de cores de bonitos o
alegaatea deaeabea a 286 a 396 ra. o tarado: fea
raa da Iaaperatris, loja o. 20.
Cambraias organdys a 280 rs.
VaM> aa cambraitia organdya com dilicadis-
almoa ftaaoboa a 280 ra. : oa loja a armazem do
Par&o, de Gama & Silva, na rea da Imperatriz
n. 60r
S o Pavo.
Vende-se finiuimaa catata francazaa da varia-
dos padrta a 240. 260, o 180 rs. o eovido : na
Ra da Imperatriz n. 16 loja 'sj;iprrua.6o.ioj.do pi.i. g..
do Pinto.
Borzeguins.
Vende-se pelo baratieeimo preco :
Borzeguins de lustre pare horneen a 89-
Ditoe da bazarre pan boaaam a 89.
Ditos de cordavao'para ditaa 8f.
Por eate prego t a dinheiro vista psra li-
quidar.
Aindao Pavo a 200ts.
Venda-ae chita franceza escora com diminuto
toque de moto a 200 rs. o corado, e ditas ingle-
zas a 140 ra.: na raa da Imperatriz n. 60, loja de
Gama & Ira.
Ricos pianos
dj de varios autores, vendem-se
Sem casa de Kalkmann limaos &
C, ra da Cruz n. 10.
Barato e bom
Na ra do Queimado n. 43, es-
quina que volta para a (7on-
gregacao.
Anda se continua a vender.
Chitas largas escures e nas, cralo, a 180 a
200 rs.
dem idem idem fiaa a 220 e 240.
Cambraia de cor maito fina e fixa a ISO e 500
TS. a rara.
Organdya de lindoapadrdesa 640 i rara.
Cambraia de salpicos, a pega com 9 raras a 49.
Dita branca muito fina, pega a 4-JS00 e 55.
Dita preta muito fina, a rara a 500 rs.
Chita preta franceza fina a 300 ra. o corado.
Lazinha moderna para vestidos a 500 ra. o
corado. Do-ae amostraa com penhor.
Para doces seceos,
Vendem-ae maito bonitas caixio is redondas,
de madaira, de diversos tamanhos Torradas de
Papis de cores, muito lio Jar, prrpr'iam nlsa-
meule para doces aeecoa de qualqut r quaUd.de,
pelo barato prego de 4, 5 e 65 dnzia : na raa
do Queimado, na bem conhecida loja do miude-
zaa da boa fama n. 35.
Para S, Joo e S. Pedro.
Veddem-se caixinhas coro granle porga o de
amendoas coafeitadas, e alguna ^confeitos pro-
prios para o faatejo de S. Joo e S. Pedro, pelo
barato preco de 800 rs. cada ama : na ra do
Queimado, na bem conhecida loja do miudezss
da boa fama n. 35.
Borzeguins inglezes.
Na raa da Imperatriz n. *0 defronte da beneea
loja do Pinto, recebea-ae pelo ultimo rapor am
grande aortimento dos j bem acreditados bor-
segaina inglezes qao vende-se por IOS ell, a di-
nheiro (oro contado.
Fazeadas pretas
superiores.
Groadanaple preto maito superior polo dimi-
nuto preco de 2a o eovado, panno preto maito fi-
no a 3, 4, 5, 9, 7 e 9| o corado, eaeemira preU
muito Boa a 2f, 29500, 8, 39500 a 49 o corado,
maoUa pretas da blonda mallo sapariores a 129,
manteletes de superiores groadenaplea pretoa ri-
camente bordados a 359, sobrecaaacas de panno
preto maito fino a 309, casacaa. tambem da panna
preto muito fino a 309, paletota de panno preto
fino a 18 e 209, titos da casemira da cor mes-
dada a 189, superiores graratinhaa estreilaa a
19, ditaa de selim maeo a de gorgarao muito sa-
periores para deas roltaa a 29, ditas estreilliihai
com lindoa alfioetes a 29, superior gorgarao pre-
to para colletea a 49 o corte, ricos anfeites pretos
a 69, a asaim oatras multas fizendss que senda t
dinheiro 4 vista, vendem-se por precos maito ba-
ratos : oa ra do Queimado n. 22, na bem conhe-
cida loja da boa f. __________^^^
Vende o Pavo a 280 rs.
Gorgurao de liaho que falto am vestidos para
aenhora ou roapa para meninos perece sediohaa
a 280 ra. o corado, por ter grande porco : na roa
da imperatriz n. 60, loja e armazem do Pari da
Gama & Silva.
Tariatanado Pavo. '
Vende-se tarlstana de la com palminhas sl-
ita a 320 rs. o corado : na ra da Imperatriz n.
60, toja da Parlo da Gama & Silra.
O Pavo vende a 4$500 rs.
Cotleadebarageseom fios de seda tendo 22 co-
rados, com barra, podeodo-ae fazer babados, pe-
lo baratiaimo preco de 49500, a na loja do Pa-
ri raa da Imperstriz o. 60 de Gama & Silra.
Sementes de hor-
talces
Na ra da Groz o. 32, depoaito de pao e bola-
cha, vende m-se se mentes de horlalices rindas de
Lisboa.
Novidade.
Na nova exposicao de azendas barat-
simas na loja e armazem da Arara,
ra da Imperatriz, n. 56, de Maga-
lhes & Mendes.
Vende-se fazendaa baratiasimas para liquidar
a aaber : chitas de cores bonitas a 160,180 a 200
rs. o corado, ditaa francezaa a 220 e 240 o cora-
do, ditaa gsribaldinas muito fioaa a 280 e 300 rs.
o corado, casias de corea fizas a 280 e 300 o co-
rado, orgsndis de quadriohoa muito finos a 320
ra. o corado : na ra da Imperatriz, loja da Ara-
ra o. 56.
Cassa a turca do Arara.
Vende-se caaaas larca para resttdos da se-
nhoraa a 210 e 280 o corado, festoes de corea a
280 e 320 o corado, lazlnhas de quadrinhoa
de bonitos goatos a 320 o eovado, ditaa chi-
nelas muito finas a 500 e 640 o eovado : na rea
da Imperatriz, loja da Arara, n. 56.
SEDAS
Cinco tustes.
S na loja do pavo
rendem-ae aedas de qaadros, ditaa de listras ao
comprido, e ditas de listras atravessadae, ditas
de qaadrinhos, sendo dos melhores padroes e de-
Ucadiaalmos gostos, com largura de chita ingltzi
a 500 rs. o corado, pechincha, a do-se as
amoatras com penhor : na rifa da Imperatriz n.
60, loja e armazem do pari de Gama & Silra.
Vestidos de la.
Veode*se raalidos da lisziohae tendo as salas
j promptas, com malta roda, proprtaa para ba-
lo a 4900, s na loja a armazem do Pari rea
da Imperatriz n. 60. de Gama & Silra.
\ENCI\
DA
Fundicao Low-Noor,
da Seo zalla Nova n.4*.
Masa estbales i meato continua a harerom
completo sor timen to de moendas e meias moeo-
das para engenho, machinas da vapor a toixas
de farro batido a coado da todos os tasnanho
para din,
Vendem-ae relea ae compoicao 119 a ar-
roba ; na ra da Roda n. 49, primeiro andar.
S nao faz bolo para
S. Joo quem noquuer,
porque no armazem da estrella do largo do Pa-
raso o. 14, vende-se manleiga inglesa flor a 900
e 800 rs., tambem tem para 640 e 480, a france-
sa a 640, vinho bom a 480 e 400 rs.. (raqaes a
300 rs. a arta. quijos a 29.
Liquidaco de fa-
zendas.
Na ra do Crespo, loja n. 14
Vende-ae para acabar, a por todo proco am
completo aortimento de fazeodastnglezas, france-
zaa, satsaas a allemaes, todas proprtas* deste mer-
cado, e algumaa recentemenle cbegsdas.
Caixinhas e cabazes para
as meninas trazerem
no brao.
Muito lindas caizinhas e cabazaa para meninas,
da 100 ria at 29500: na loja da Victoria, na ra
do Queimado n. 75. ^______
Franjas pretas com vi-
drilho e sem elle.
Ricos aorlimeotoa de franjea pretas e de cores
com vidrilhoe sem elle : na loja da Victoria, na
raa do Queimado n. 75.
inhasde peso yerda-
deiras..
Liabas fins de
grandes a 240 ris :
do Queimado n. 75.
peso rerdadeiraa, meadas
na loja da Victoria, na ra
Basquinas do Pavo a 4$000
Vende-se ricas baeqainae de fusta o mu i bem
bordada, fasenda que sempre se renden por lzj
e 169000 por 49000, para acabar : oa loja do Pa-
ri de Gama & Silra, na raa da Imperatriz
n. 60.__________________________________
Enfeites do Pavo.
Vende-se ricos enfeites 4 turca e Garibaldi
com ricaa franjas e bolotas a 5J000, ditos dos
meamoa msis simples a 2J000 rs., a ditos de filas
cada um em sea cartio : na ra da Imperatriz n.
60, loja do Pavio.
Terreno.
Vende-se um terreno com 30 palmos de frente
para a raa do Seve oa Uoiao, e 300 palmos maia
ou menoa de exteoaao at a ra da Saadade, com
igual frente de 80 palmos, pelo que se poder
edificar doua belloa predios ; o dito terreno Oca
atraz do edificio que ae eatfazendo para o gym-
aesio provincial, e prximo a nova ponte da raa
da Aurora para o tbeatro de Santa Isabel; loca-
lidade aprazivel j pelo fresco e ji pelo bonito
ponto de vista que daquelle lugar se observa :
a tratar na mesma ra do Ser ou Unio, casa
n.16.
Phosphoros de seguranza
Phosphoros de seguranza, por que lirra de in-
cendio, a 160 ria a caiza : na loja da Victoria,
na ra do Queimado n. 75.
Baleias para vestidos.
Ballas maito grandea e boas a 160 ria urna
oa loja da Victoria, ns ra do Queimado n. 75.
Linha de croxel para la-
byrintho.
As melhores lionas de croxel para labyrintbo,
no vellos monatros a 320 ria um : na loja da Vic-
toria, na ra do Queimado n. 75.
Ra da Senzaila Nova n. 42.
Neste estabelecimento vende-se: ta-
chas de ferro coado libra 110 rs. idem
de Low Moor libra a 120 rs.
Arados americanos e machinas
para lavar roupa: em casa de S. P.
lohnston & G ra da Senzaila Nova
u. 42.
A Arara vende as cambraias.
Vende-se pe^aa de cambraias lizas, 18600,
e 29000, ditaa fioaa a 29500. 3g000 e 39500, pegas
de cassa para cortinados, de 20 raras, 99, ditaa
de 10 raraa 49500 e 39 : na raa da Imperatriz,
loja da Arara, n. 56.
Vende-se os baldes do Arara.
Vende-ae baldea de 15 a 30 arcos para senho-
rss, os maia modernos qae ha, ditoa para meni-
nas a 29, ditos para aenhora, de brilhantina,
muito grandea saias da cordio que'faz rezes de
balo a 29400, aaiaa bordadaa para aenhoras
a 2$500, ditas de 4 pannoa a 39000 e 39500 ; na
raa da Imperatriz, loja da Arara, n. 56.
A Arara vende as capas.
vraav-se capas,para senhoraa mb.. .<.,
as que ha a 6$. dilu da liiiah 10 minie?
leles de grosdenaple preto, maito modernos-a 255
e 309 ; maoguilos e golla de linho a 29500 ; gol-
la para senhora a 500 ra., ditoa de botaozinho a
640 rs. : na ra da Imperatriz, loja da Arara,
numero 56.
Luvasde Jouvin.
Vend-ae luras de pellica de Jouvin brancas,
para senhora, ltimamente ebegadr s : na loja do
beija flor, ra do Queimado n. 63____________
Luvasde seda.
Vende-se loras de seda eofeitdss a 1600,
29000 e 29200, ditas fio de Escoisia brancaa a rs.
700. Usa de corea 800 ria, ditas da algodio a
280 ria ; na loja do beija flor, ra do Queimado
numero 63.___________'________ ^_^^
Escovas.
Vende-ae escovas para deotes finas Je diversas
qualidades a 120,160. 320. 400 e iOO ris : na
loja do beija-flor, ra de Queimado o.. 63.
Jogo de domin.
Vende-se jogo de domio finos a lj200
loja do beija-flor, ra do Queimado n. 63.
na
Botes para pinino.
Vende-se botes de punho finos de direrssa
qu a lid a des a 200 rcla o par. que tambora aerrem
para manguitos de senhora : na loj o beija flor
ra do Queimado n. 63.
Occulos.
Vende-se oceulos finos de armario de
39,19. 640 e 400 ria : loja do beij i fhr,
Queimado n. 63.
50.
ra do
Madapoln da Arara.
Vende-se pegas de madapolio elephaote, mal-
lo fino, com 40jardaa a 14$, ditos do 24 jardas 4
4gi00, 40, 59, 5g500e 69 : na ra da Imperatriz
loja da Arara, n. 56.
Moendas e meias moendas.
Taixas de Ierro batido e
coado.
Machinas de vapor.
Rodas d'agua.
Rodas, dentadas etc., etc.
Ru do Brum n. 38, fundicSo
. de D. W. Bouman.
Oliados.
Vandem-sa oliados pintados de lindes ristss a
paissgens, largarse de 6,7, 8 a 9 palmos, pro-
prios para masa de jantara 29o corado : oa ru-
da Imperatriz, loja n. 20.
Toda alinelo ao gallo vi-
gilante, que est que-
memdo.
Luvas de pelica.
Ai verdadeiris loras de Juvin, chegadinbas
no rapor fraocez; s ao vigilante, ra do Cres-
po n.7. __________
A loja d'aguia branca, ra do
Queimado n. 16.
Recebeu pelo ultimo rapor os seguintes ob-
jectos:
Bonitas ligas de seda para aenhora.
Grandea e bem tecidoa bandea de clina.
Aspas de ac, e fila elstica para ces de balo.
Bonecas grandea mui bonitas e bom vestidas.
Bonitos bauzinhoa com 9 frascos de cheiros.
Lindas caizinhaa com 6 ditos de ditos.
Trancellim groaio de cor para guarnecer rostidos.
Luvaa de camua brsncsa e amarellaa.
Lindos boioes de banha para
presentes.
A loja d'aguia branca acaba de receber lindos
boies deporcellanrdourada com fina banha e
maviossa inacripedea, oa quaes porsuas delicade-
zas o perfeiQes tornsm-se dignos para presen-
tas, e com eapecialdade na actual quadrs, quem
goatardo bom dirigir-a com dinheiro rea
do Queimado, loja d'aguia branca n. 16, que acha-
r em que bem o empregar.
Para os festejos de S Antonio
e S. Joo.
Trinas e gates.
A saperior trina e rolantes do Porto para ar-
naa, oratorios oa igrejas, qae se reode por me-
nos do que em outra qualqoer parte : s no vi-
gilante, ra do Crespo n. 7.
Cascarrilha
Lindas pegas de cascarrilha de todas as cores,
pelo baratiesimo prego de 15500 a pega : so no
vigilante, ra do Crespo n. 7.
Chapeiinas para
Lindaa chapeiinas ticamente enfeitadas,
baratissimos presos de 89 o IO9OOO.
Ditos com pequeo toque de mofo a 6&O0O:
oo vigilante ra do Crespo n. 7.
senhoras.
pelos
s
Brilhantina suissa.
Vende-se brilhaotina suissa de qaadrinhos, fa-
zenda maito encorpada para vestidos e msis lar-
ga qae chita ingleza a 200 rs. o corado : na raa
da Imperatriz n. 60, loja a armazem do Pari
de Gama & Silra.
Colchas do Pavo.
Vsode-se ricaa colchas de fustio de lioho de
rarios tamanhos e differentes deseohos : na ra
da Imperatriz n. 60, loja a armazem do Pari
de Gama & Silra
Chales pretos do Pavo.
Venda-se.os mais modernos chales pretos de
ponta redonda com botla,-guarnecidos de bico
de seda largo em lugar de franja a 69000 : na
raa dalmperatriz o. 60. loja do Pari.
Bales do Pavo.
Vende-ae ricoa baldes arendadoa com duaa saias
a bico am rolla, pelo baratissimo preco da 69,
ditos de madapolio francez muito grandes com 6
arcos a 5$, ditos com 5 arcos a 3g500: na loja
do Pavao, ra da Imperatriz n. 60.
Bramante do Pavao a 100000 a peca.
Acaba de chegar a loja do Pavo, urna nova por-
co do acreditado bramante da linho, com largu-
ra de brim liao, tendo 27 raraa cada pega, esta
fazenda proprla para lences, loalhas, cerol-
las, camisas, etc., o reode-se pelo biritisiimo
prego de 10| a peca, s ns loja do Pavo ; roa
da Imperatriz n, 60, da Gsma & Silra.
Gases
Vendem-ae duas casas terreas na cidade de
Olinda, em boas posices, sendo urna o. 16 ns
ladeira da Misericordia, e outra n. 1 na ra do
Hathlas Ferreira, ambas de esquina fazendo por
isso melhorrista, servindo a ultima para estabe-
lecimento, como sempre estere oceupada : a
fallar nobairro da Boa-Vista, ra do Sera ou
Uoiao, caaa n. 16.
Obras de vidro,
escarradeiras, e palmatorias
lapidadas com mangas.
Vende-ae na loja d'agaia branca mui bonitai
escarradeiraa de ridros de cores a 49500, 5 e 69,
assim como palmatorias de ridro lapidado com
mangas bordadaa a 49500 cada um : na ra do
Queimado, loja d'aguia branca n. 16.
Chales Garibaldinos.
Vende-se na loja do Parlo, chales de merino
muito grandea de listrinhas a Garibaldi, pelo ba-
ratissimo preco de 49500, pechincha : na roa
da Imperatriz n. 60. de Gama & Silva.________
Cofldaje /// Pa^an.
Veo-,8 chatas de merto maito grandea a
3ff, ditoa de casias de coros a 800 rs. : oa ra da
Imperatriz n. 60. loja do Pavo.
Vestidos do Pavo.
E' pechincha, cortes de cambraia brancos com
babados a 29500, ditos de tarlstana brancos e de
cores a 89, ditos com babados e duas saias muito
superiores a 49, pegas de cambraia branca com
carocinhos brancoa e de cores, tendo 8 1/2 raras
cada pega, por 49. cortes de caasas de cores com
7 1/2 raras, padres 00vos a 29500 ; ludo lato se
encontr na loja do Pavo, qua rendo dinheiro
a vista : na ra da Imperatriz n. 60, loja de Ga-
ma & Silva.
Alburnos de borracha.
Vende-se os maia superiores alburnos ou so-
bra-tudos de borracha, proprios psra o invern a
129: na rna da Imperatriz n. 60, loja do Pavo.
Meias em quantidade-
Na loja d'aguia branca acha-se um completo
soilimento de meias de todas as qualldadea e
precos, sendo psra homens, senhoras. meninos
a meninas de 6 mezes a 12 annos. Enoumerar
os differentes prsgoi confundir o pretendente ;
assim quem se quizer convencer de quo baratas
se esto ellaa vendendo, dirigir-so' com dinhei-
ro i dita loja d'agaia branca na ra do Queimado
numero 16.
Sntos dourados para se-
nhoras.
Lindoa aintos douradoa par aenhoras a 29200,
ditos de ponta cnida a 49, ditoa de fita a 1*600 ;
na loja da Victoria, na ra doQaeimado n. 75.
Ricos espelhos de
moldura dourada para
salas-
Chegou para a loja da Victoria urna peqaena
porgao de ricos espelhos de varios tamanhos para
ornamentos de salas, aflianQando-se serem os
melhores em vidros que lem viudo : na loja da
Victoria, na ra do Queimado o. 75.
La para bordara
La maito boa de todas as cores para bordar, a
79 a libra : na loja da Victoria, na raa do Quei-
mado n. 75._______________________________
Linhas do gaz.
Caizinhas com 50 novellos de linhas muito fi-
nas do gaz a 900 ris a ciiza, ditas com 30 no-
vellos a 700 ris, ditas com 10 novellos grandes
a 700 ria, brancaa e pretaa: na loja da Victoria,
na ra do Queimado n. 75.
Superior sebo em velas e em
pes, ca xas de urna
arroba
Vendem Antonio Laiz deOlireira Azerado c\
C, no seu escriptorio ra da Cruz n. 1.
Jacaranda superior.
Tem para vender Anlooio Luiz de Oliveira A-
zaredo & C, no aea escriptorio ra da Cruz n.l.
Coraes lapidados.
Sao grossos tjue admira.
A loja d'aguia bronca acaba de receber urna
peqaena quautidade'de coraes grossos lapidados,
os qaaes serrem para aa rollas qae ltimamente
usam as senhoras, e est .endeudo cada fio por
29, 29500, 3 a 49 : oa ra do Qaeimado, loja
d'aguia branca n. 16 : assim como receben mili
sa bonitas pulseirai de missangas.
Kicos sintos dourados.
Vende-se sintos dourados a 29, ditos de fita
com fivella dorada a 19500 : loja do beija flor,
raa do Qaeimado n. 63.
Enfeites para cafoeca.
Vende-se requissimos enfeites para cabera com
franja, e sem ella pelo baratissimo p -ego de 51
o 5f,000, ditos de vidrilbos a I96OO ; na loja do
beija flor, ra do Queimado n. 63.
Carteiras.
Vende-se ricas carteiras para guarde r dinheiro
de oufo o prata a 29000, 2g500, 1J0O3, 1$280 e
19500 '. na loja do beija flor : ra do Queimado
numero 63.
Rosas artiticiaes para cabello:
A.L. B. P. teodo recebido um raiiado sortl-
tnento de bonitas rosas que se esto usando para
cabellos, a de pannos comfolha de velludo, ditas
de papel todas, aa maia ricaa qae te pode encon-
trar rende-ae ns raa doQueimsdc n. 63, loja
do beija flor.
Chegaram as desojadas rosas
artificiaos.
Agora dora cssssr o deagosto qae muitss se-
nhorss ssntlaaa por nao terem comprado das pri-
meiraa rosas qua a loja d'agaia branca recebeu,
isso porque dits loja acaba de receber am aoro e
maia brilhaote sortimento deltas, rindo estas da
mais a mala dalicamente orralhadas. A senbora
que com a pequea quantia de S9 comprar ama
deesia formosas rosaa, aentir am effelto anda
maia rpido (relatiramente ao caso) do qae
aquelleque prodaz oprompto allivio em qual-
qaar molestia. Compre, poia, qua ae nao de-
morem am as mandar comprar na ra do Qaei-
mado, loja d'aguia branca n. 16, pois do contra-
rio ficaroaem ellas para S. Joo, o que nao
conven:. Na mesmaloja rendem-se oatras rosas
mais baratas.
Touquinhas ou chapozinhos
para enancas.
Lindos chapozinhos para menina e menino a
49 e 09000, ditos de feltro pelo baratissimo pre-
go de 39000, bonetes de panno fino e ligo de fi-
ta a 390OO, ditos de reludo fino a 49 e 39500,
ditos de palhinln a 3J0OO, louquinbaa de aeda
muito lindas a 19500, ditos de fil a 19000: s
no vigilante, ra do Crespo o. 7. .
Manguitos.
Lindos manguitos com gollioha o maia fino
que se pode encontrar, vende-se pelo baratisai
mo prego da79000. ditoa aem gollioha a I50OO:
s no vigilante, ra do Creapo n. 7.
Agulhas.
A. L. B. P.tendo recebido agulhas imperiaesde
lando dourado, rende na loja do beija flor, rus
do Quetmido n. 63.
VENDE-SE urna mobilia oe amarello no-
va, contando aa seguintes pecas: am sof, 13
cadeiras, 2 ditas de braco, 2 de bilanco 2 eonao-
los e mesa de mel da sala : para ver na raa Dl-
relta n. 127, segundo andar, a para tratar neals
^ypographia.
Panno de algodo da Bahia.
Venda-sa no escriptorio da Antonio Lola da
Oliveira Azeredo & C na roa da Cruz n.l.
Aljfar fino imitando perola.
Vanda-se a 500 rs. o lio da aljfar fleo, imi-
tando perola : na ra do Qaeimado. loja d'agaia
Batatas oras
Terco n. 23.
Batatas .
80 rs. a libra
no largo do
.Gollinhas de linho.
Lindas golllnhaa estampadas.............. 500
Ditas de linho maita finas................. 800
Ditas pretas com ridrilho................. 29000
S no vigilante, ra do Creapo n. 7.
Cortes de phantasia,
Vende-se ricos crtes|de phaotaatade.duas saias
com delicadoa larorea a 69 cada am : na ra da
Imperatriz o. 60, loja do Pavo.
Calcinitas do Pavao.
Vende-se calciohas a> esmbraia bordadas para
menlna^a 19 o par : na loja do Pavao raa da Im-
peratriz n. 60.
Gollinhas do Pavao.
Vende-se goliobas de cambria bordadoa e di-
tas de fil bordadas a 500 ris: na loja do Pavo
ra da Imperatriz n. 60.
Manguitos com gollinhas.
Vende-se manguitos com gollinhas bordadas a
1J600 e manguitos muito flnoa a 19 o par : na
ra da Imperatriz n. 00, loja do Pavao.
Meias.
Grande sortimento de meiaa'tanto para homem
como para senhora, aendo de homem a I98OO e
29OOO. e fios a 2|800, ditas de fio de Escocia a
59000 a dnzia, ditaa para menina a 29400, ditas
'para menino a 29000: s no rigilante, ra do
Crespo o. 7. *
Grande armazem
TRES PORTAS
Ferragens e miudezas.
53Ra Direita53
Viva S. Joao!!
Ricas bandejas para os bollos de 3f a SfOOO
Ditas ditas recortadas e bordadas de 3,500 a 29500
Ezcellentes facas e garfos cabo de osso dazia
Sf200a296O0.
Dita dita dita cabo de riado a 49.
Dita dita de bataneo de 79 a 4fM0.
Colherea finas de metal principe, sopa a cha
5(500 a 39x00.
Ditas lallnagre, duzia 1}800.
Camas de rento, indiapeaaareis depeis do bollo,
ioaro o amarello de 59600 a 59.
Ha da mala um aortimento completo de lado
qaa tendente a ferragens a miudezaa par um
proco ridiculo.
Urna carroca.
Vende>sa ama carroca am multa bom estado,
com os eompelentee arreloa noros para am ca- [ses, que se deem ao
NO
Torrador.
%%Largo do Tergo-ZS
Mantelga iagleza flor 1 800 a 960 rs. a libra,
dits franceza a 640 rs.. banha da porco a 400 rs.
a libra, massas maito finas para sops a 400 rs. a
libra, queijoa do reino a 29,ditos do serto a 560
rs.a libra,ser veja da melhores marcas a 500 ra. a
garrafa, aardiobaa de Nenies a 400 rs., loucioho
a 3-*i rs., bolacbinha ingleza a 320 rs; a libra,
as. como se reode outros muitos gneros ba-
ratsimos, psssas a 400 ra. a libra, sao maito
oras, o se algaem deridar renha rer no Torrs-
dor larga do Terco n. 23.
Tiras e-entre meios.
Vende-se tiras bordadas tapadas e transparen-
tes, assim como entre-meios muito delicados :
na ra da Imperatria n. 60, loja e armazem do
Pavo.
WNM*
sem segundo.
Na rus do Queimado n. 55 loja da miadesas
de Joa de Azevedo Maia a Silra, est rendando
todas as miudezas baratlssimas, a aaber :
Papis de agulhas a balo mullo supe-
riores a
Caizaa com muito finas obreias a
Cartoes com colchetes, tem algum de-
faito a
Frascos da macaste perola muito fino a
Caizinhas com papel pequeo de diver-
sos gestos a
Pacotes dito dito dito amizade a
Novellos de linha de Crux a melhor
que ha a
Caizis com agulhas curtas de saperior
qualidade
ntremelos, a peca com 3 raras 1[2 a
Sabonetes maito finos a
Papis de agulhas francezas com toqae a
Pares de botes para punbos de muitos
modelps a
Parea de meias craal para meninos a
Ditos de ditas cruas para pequeo a
Ditoa da ditas para meoinaa a
Frascos com agua do Larande ambreada
Ditos com cheiros muito finos a 240 e
Ditos com banha maita fina a 240a
Ditos com saperior banha de arso a
80
40
10
200
720
720
40
Lencos e luvas.
Vende-se lencos de cambraia de linho com la-
byrintbo a 29500, ditos de imitscode tabyrinlho
a 19, luras deaedaa de todas aa cores a 500 ris,
enfeites pretos de ridrilho para caneca a lf, lo-
ras de relroz preto abertas a 500 ris o par ; na
raa da Imperatriz o. 60, loja do Pavo de Gama
& Silva._________________________________
Cambraias do Pavao.
Pesas de cambraia fina com 101/2 varas a 69 a
peca, ditaa com 8 1/2 raraa a 49, ditaa de 8 pegas
a 39, dita para forro, com 8 1/2 raras a I96OO ;
na ra da Imperatriz n. 60, loja do Pavao, de
Gama & Silra.
Vestidinhos a 40500.
Vende-se vestidinhos de seda enfeitados para
meninas de 9 a 3 annos a 49500 : na ra da Im-
peratriz n. 60. loja de Gama & Silra.
Grosdenaples do Pavao.
Vende-se grosdenaples preto multo incorpado
a I96OO o corado : na ras da Imperatriz n\^60,
loja de Gama & Silra.
200
1SO00
120
10
240
160
160
200
800
500
320
600
Candieiros de gaz
Chegou para-a loja da Victoria va melhores
candieiros de gaz que tem rindo ao mercado, por
precos commodos : na loja da Victoria, na raa
do Qaeimado n. 75.
ICOS
corte. de vestidos brancos
bordados.
Vendem-se ricos cortes de vestidos brancos
ordadoa com 3 babados pelo baratissimo preco
22,
d Fa o oiu : o. tu.
bem conhecida loja da
do-Queimado t.
boa f.
na
Atteneo
A 600 rs- a garrafa de gaz.
Cootiaua-se a vender o malbor gaz, na loja de
unileiro, ra da Imperatriz n. 65.
EscraYos fugioo:
1505000.
A qaem trouzer o preto eacraro de nome Fe-
liz, que se acha fgido desde o dia 4 de abril de
1860, cujo eacraro tem oa signaes seguintes : es-
tatura baixa, corpo regular, cor fula, pouca barba,
ps um pouco apalhetados, representa ter 35 a
40 annos, nagao Mocambique, tem dous denles
abertos na frente do lado de cima, e por cima do
nariz entre as sobrancelhas dos olbos um calom-
binbo pequeo, que parece aer aigoal d& trra
delle : obtere-se noticia certa que o dito preto
anda por trras dos engeoboa Muribeca, S. Joo
e Engenho Noro, como trabalhador e intitulan-
do-ae de forro com o nome da Joo Pescador,
pais j tem por costume qaando foge mudar o
nome para Joo, elle tem uns poucos de cilicios,
que sao os seguintes : foi pescador, canoeiro,
caiador, e ltimamente era padeiro, a que per-
tence, por isso roga-se aoscapitesde campo, on
qoalquer pessoa que o encontrar, preode-lo e
traze-lo no pateo da Santa Cruz padaria n. 6, que
receber a quantia c Cal e potassa.
Vendem-se estes dous ar-
tigos ltimamente chegados,
no bem conhecido e acredita-
do deposito da ra da Cadeia
doRecife n. 12, mais barato
do que em outra qualquer
parte.
A verdadeira essencia de ail
para engommado.
Acaba da chegar para a loja d'aguia branca,
raa do Qaeimado n. 16.___________
Fugio no dia 12 de abril ueste correnta an-
no do poder do abaizo aaaignado, o pardo de no-
me Francisco de 17 annos de idade, que lem bo-
nita figura, todos os denles, cabellos carapinhos
e ruivos, lando sido este pardo eacraro do Sr.
Dr. Antonio Borges da Fonaeca, de presumir
que ande por algum dos lugares por onde o mes-
mo sennor tem viajado, romo sejam Iguarass,
Goianna, loga S. Joo, Campia, Seira do Tei-
xeira, Pi 'Alho, Limoeiro, aa tres Tillas da co-
marca de Paje de Flores, sendo que segundo se
auppde es teja tambem no engenho Iohama poi
harer sido rielo ha poneos dias em Iguarass por
ter amizade com ana mulatinhoa desse engenho,
ainda da presumir que o dito escravo por abi
se inculque como a servicodo dito Sr. Dr. Bor-
ges da Fonseca, afim de nao ser apprehendido :
qaem pois o aprehender ondeqaer que for encon-
trado eaae escraro e o rir entregar ao seu legi-
timo dono na ra do Hoapicio n. 6, qae aera mu
generosamente por elle gratificado.
Ignacio Luiz de.Brito Taborda.
Lanzinbas allemaa, novidade do Pavao-
Acaba do chegar pelo ultimo vapor um bonito
aoftmenlo da lanstnhaeda Allemanha com boni-
tas palmas de aeda, teodo 4 palmoa de largara a
800 ris o corado : na loja do Pavao ra da Im-
paratriz n. 6Q.________________^^^^
Loja do Pavo ra da Impera-
triz numero 60.
DE
CoANLA k SIluV \.
Vende-se neate estabelecimento todas as fazen-
das por precos mata baratos qae posslrel s*
com o flm "de aparar.dinheiro, aasim como ama
grande porco das ditas fsseodas inteirsmente o-
ras, rindas peloa ltimos navios : os donos des-
te estabelecimento rogam a todo os seusfregua-
procurar oaata
Paletots do Pavao.
Vende-ae pal i tota do panno preto fino a 69,
ditoa de faney de corea a 69. calcas de eaeemira
preta-a 49500: s na raa da Imperatriz n. 60. de
Gama & Silra.
Roa do Crespo n 7, no
gallo vigilante.
Nesta nova loja ha grande porco da caixinhas
com amendoas proprias para brinquedo de S.
rJooqaaaa rende pelo barato prego de 800 rs.
cada ama qaem deisar da dar a ama menina
urna caixinha ; lambem tem grande porco de
calzas proprias para doces secos que rende con-
forma sens tamanhoa a 69, 59 e a 49 a dazla,
amendoaa avalan a 800 a 640 rs. a libra: a no
vigilante raa do Creapo n. 7.
Fugio o abaizo aaetgsjedo o se escravo
Joo, Angola, otis que paraca ctiealo, maior de
40 annos, eom ca segninles ligose : estatura re-
gola r, magro, eom oe olhea averna el hados, e um
jOelbo inchado ; tem o reato cumprido a coatuma
traser nm brinco na orelba eaquerda. muito
ladino e ha poneos das rollen do Rio de Janeiro.
o'onde estera para ser vendido. de presumir
que se intitule forro, o qae para isso minta Foi
comprado ao Sr. Jos Pealo da Reg Brrelo,
que houve por comprs da Sra. D. Maria Rita da
Mello, do engenho Serrarla. Sappoe-se que elle
fugiife para sil, ou immediages sonde disse tem
filiaos. cmbalo e tem a falla nm poueo ro-
qaenta. Roga-se sos Srs. espitaos de campo e as
snthortdsdes polidaea a esptara deste escraro e
quem o trouxer so armazem do abaixo aaaignado
ser generosamente recompensado, & rus da Cruz
n. 33.
___________* Domingo* Rodrigu fe Andradt.
1. trsbalho de
Diario os snnanrios da loja do Parlo, porgas
scWo tartos qao nao perderlo ata lempo.
Panninhos. do Pavao.
Vende-se pecas de penninho flnissimo com 104
raraa a 9f : na ra ds Imperatriz n. 69, loja de
Gama & Silra.
Chitas em cortes.
Vanda-se cortea do chita francesa maito fina,
com 10 corados a 19400, afflaacando-aa sar da
cOr fiza: na raa da ImpsiaUU a. 60. loja c K,-
mazem do Parlo;
Piano
Vaado-sc um piano ingles em bom oso, por
preco commodo, proprid para principiar-ao to-
car : a fallar na ra do Ser oa Unio, casa
n. 19.
Atteneo
EofeUes para senhora.
Oa malbor! enfelteo pretos e da cOres qua ap-
parece a 5*500. 69 a 6$500 : na laja da Victoria,
aa ius do Qaeiaoaf i, 75,
Fugio do engenho Cajabasa o dia SO do cor-
rete mez, o cabra Ignacio, com oa aignaaa oe-
guiotes: estatura regular, eapadaado, aem barba
algunas, pernaa pouco arqueados, cabega
um tanto graodo, denles limados, idade 33 an-
nos, maito ladino e bom osrrairo. Sale- cabra
tem prenles e Irmos no lagar Olbo d'Agaa
d'Onca asa laqoaritioga, para mido j fea urna
lugida laroo sa leaco eom roapa o foi restido
de camisa e calca azul, tendo por costme mea-
car fumo: qaem o pegar le ve-o ao engenho
meaciontdo aoo aoi gooereomaonte rwompea-
MfO.
-M6^^fk%t\\t\
I


a*
_ -L___~V-


Litteraiira.

Os mysterios da roca.
H* das noi cahiu nu mios ni* romince en
qualro parles : "hiu dos preloi de Guiratin-
gueti.
Tinha por titulo os Jfpsrerto da rofa. Myste-
rios da roga I Dasenos, lucilo entre dous
sentimentos.
Abrimos o livro levado fot dcat motivos: i
curiosidade do artiita, e una idea despeita. .'
A patarra mysterio, como ti.ulo da obra, nos
lembrou um romance, que temo* na infancia, da
peana de Eugenio Sue. Etn tegnndo lagar de-
sejavamos saber quem era esse ".ovo campeao que
se atirava imprensa e affroi tara eise ser la-
constante, mobil e fluctuanle, que se chamao
publico.
Nos lbe tomamos o paasapote a ver te o ro-
desvam as formalidades da lei. Temos.
Logo 6 primeira pagina, aquello accento acai-
pirado, a devastido do here, o cyoismo de ho-
rnera e os vicios do interlocutor, nos pintaram
exactamente o ser degredado que pde em almoe
da o iitineto sanguinario, e loma se machine de.
horrores em vista do dinheiro.
O parentesco intimo de Eugenio Sue as reve-
la no modo de fallar do Capador. Essa giria de
Pars, tao bem apanhada pe o romancista, e
posta em luz pelo talento obiervador, iospirou
ao Sr. Vicente Flix de Castro o itinerario se-
guido.
No quadro tenebroso deste drama de uogue,
onde o ouro o protogenita, u a luxurla o des-
(echo, ha dous personagem prhcipaes que do
vida e andamento i acgo : Leopollo e Joio An-
tonio.
O Capador, o peilo-cabelludo, o pae Inda, a
Gegonha, o Feiliceiro, sao com(arsas sujeitos ao
movimento e principio deexecugio insuflado pe-
los dous pimeiros. Ainda aqai Eugenio Sue in-
terven).
O carcter devasso, lubrico e repugnante des-
tes hroes da crpula ainda o reflexo paludo
dosChurinadas, Mestre-Eschola, a Lubie-Homem
e tantos oulros velbacos. Assim aquella fur-
rumpesca, que a amasia de Joto Aalonio, a so-
lidaria de sea crime de moedeiio-t'also, nos re-
cords a Coruja, meeira impdica de projectos ne-
fandos e tramas criminosos, urd tos contra a no-
nestidade e contra a innocencia.
Um do* priocipaes hroes, aqualie sobre o qual
o imaginlo autor mais carregou a* cores, e apre-
sentou em relevo, o commendador que traz-ci-
garros atrs da orelha e tira figo do isqueiro,
sonhando com o baronato, com seus planos de
luxuria, coocessoes libidinosas e audacia devas-
ta, Jacques Ferrand, o tabeli i, embora mo-
dificado no que diz respailo ao Ugar em que vi-
ven e a sociedade em que se achou.
Aquello personagem mysterios:', que o des-
enlace do quadro de horrores, i apparece por
vezes salvando a familiacom s;u genio protec-
tor, nos lembra ainda Rodolphoo principe de
corado generoso e alma grande. At aqu ha ae-
melhioga.
mo na liiteralura moderna, ao modo de Adolpbo
Obermano, ou a Volupt de Siint-Beuve.
Embora o autor eoofeese a sua voceg Hile-
raria e ama torga irresi.tirel qe o leva oara aa
ell^L'!f* ?bra 0| no o1*0*0 Al dss Ili-
terata* do desespero, como a denomina Goethe
que praaide boje ao cyclo litlerario. Nio ha ah
pagtnae que qeeim.m, perfume que enbriag.
nio sente-se a cutis lasciva qie entristece e v.r-
ligim at ao desejo da norte.
r.^nai'S* P,den off^ora que e apode-
ntS?a Um Pw0b* hmen. eaocherta-lhe
grmodat; aa jeito de George Sand.
O romance nao nos faz fechar o livr rom n
lA[T'a cabe?a ardea,e '
ML'r",iiBB,/0IB.",ce ', Scudery ou
Mme.CotUo>;tetmioanto como, n ...i.,d7!
a leitura dos Mysterios da Roca, a alna tiI
2,A*;?,p!.nl0 ""^"'o. e a moralice do d".:
OIAUO DI PMWAMBBQOi M> QQfln.A FUaU M DI JuMBn ft ilH.'
[o*tro. lugares t^M^J^^
Piruio romnc?,ur n^rVc^"55.? *"
^Sas^s^/K-S^^o
i. ion. ,. ,___. d, nntmSHi.
RKri2 >"""" "lewnl. aerc" leu0."."
nnB-f.DlH monolono lo africano (ivera um ocho
Onde esta pols,
mancitta ?
a novidade e o mrito do ro-
E*t na traduccao Qel, e no :aolo particular
dedescrever Leopoldo, Joo Antonio, Apollina-
rio ; e estes conlhieres de surtum e sapalo bran-
co, que inspiram horror as aldeias, nss villas,
s3o chamados capaaga*.
E' necessario ter vivido no interior da provin-
cia, neise* pequeo* lugares, onda meia dozia
de homens segura a mentida bala:15a dephantas-
tica justiga, ou nessas villas iufelhea ignorantes
onde comega e se estende o reii do dos man-
does, para comprehender-se o vijor do carcter,
a exaclidao histrica, em pregada polo Sr. Flix
na descripcao de Leopoldo e de Apollinario.
Onde virdea o homem cynico, mas rico, estu-
pido, mais audaz pela impunidad), calcsr o po-
bre (Simo) arrancar-lhe a lagrimt, aubjuga a au-
toridade (Apolinario) arrasta-lo pelos cabellos e
paronear-se do crime, lereis Joac Aalonio.
E quando encontrardes na aldua o dinheiro
Como Proteu, tomau*o mil larmii, sorptaadDd
a mulher, murchando-lhe na fronte a coroa vir-
ginal, arrancando-a do ieito o delxando-a no
proilybulo, com os olhos em lagr mas, o deses-
pero na alma, e o exterior por ult.mo (legran, le-
reis Lespoldo.
Como o commendador, elle s tem nm Deas :
o dinheiro ; urna s religiao: o inedo ; urna i
crenca : a degradaco humana.
E' na aldeola, portanto, que viv o patsa essa
serie da monatros, que marca aua forlana pelos
ligaramos do crime, e amonloasoturna* pelo nu-
mero da tapias, ja do jogo, j da ai j do
commercio do saogue humano.
Um dia a jnatica (pene pede ciando ] apanha o
condemnado por Deus, livra a Ierra de seus ca-
rnes, mas nem sempre assim ; neto sempre a
culpabilidade punida, porque o oaro subsiste
sempre como o talismn da impunidade.
Temos, portanto, que louvores io devidos ao
romancista, porque, se ba semelhinga de Euge-
nio Sdeyafelo ao contexto da obn e esgares dos
personagns, ha no eniaoto urna :or local dada
pelo 'autor, ura cunho de sioele pirtkular que se
revela na vnrdade da descripcao, n>s faz esquecer
a influencia' transatlntica pelo retrato a daguer-
reotypo, IV a combiuacfto do particular com o
universal, isto de certa exiilencit de (acto* qne
conslituem typos, embora especiaesi qoanto ao
desenvolvimento e ao modo de existir, e revela-
cao condicional.
Fantt nao exclusivamente alleino, nem Wer-
ter, nem D. Joo : sao typo*.
Assim, oque em Paria era o fruto da miseria,
da carencia de traba I ho e da auseccia da morali-
dade, em nosso paiz, o producto da relaxaco
das leis penaes, da corrupcio indina das autori-
dades, e dessa negacao para o trabalho, que em
certa ciaste passa em heraaca de paes a filhos,
como um peculio leproso.
O mrito do Sr. Flix est, poi, nessa lntoi-
ao profunda, associada ao ealudo minucioso
eilo sobre os diversos caracteres do aeu ro-
mance.
A lingaagem obscura, ininlellif >e. e viciada
do capaoga do interior est fielmente descripla
110 personagem lgubre do Capador. E cada um
de nos, qae mora no in'erior da p -oviocia, nes-
sas cidadet, strapas de eunuchoi e minas ex-
ploratoria* de apaniguadoa procuo.iules verrinos,
sabe muito bem o que aio 01 Apnllinarios e os
Gnimaraes.
Flor-de-Abril, o anjo mulher, 11 sertanejs
que se cobre de flores e turre o cinto melanc-
lico do sabia, o teniindo o corceo annnviar-se
e as palpebras humedecidas, ignora o que amor,
e nao sabe que a ana na tu reza de a al ter vae en-
trando nease periodo revolucionan) em qae pre-
cisa deixar as nonecas para pensar nos esponsae*.
E' o oasis, onde a imaginaoao caucada dos vul-
tos asquerosos do* Sr*. Joo Antonio e Leopol-
do vae refreacar-ae, ref.zeodo-se di) for;a* para o
destecho do romance.
O carcter de Eugenia secundario ; ponco
trantparece na aecao ; o autor apenas o etbo-
con ; mas attraclivo por aquella olhar melan-
clico, que revela a victima da paixo pura, ar-
restando as vastes rota* no caminh 3 do infortu-
nio. E'a minha predilecta ; aqueta cahiu, mas
pelo amor, sbenQoando.
Carolina tradnz al carto ponto o aiaor como o
entendem corajes puros, que nao coctam como
engao por parla dos amantes. E' mulher.
O Dr. Luir Alvares 6 eoraco no!re.
O baro da Roiha-Negra. 0 Sf Hanoelzinbo
doa -bon* olhos, o posta mimo 10 que faz Ter-
sos de qualro liohas, os dous amigos, e aa duas
irmaas,*no Indivldnalldadea batni.i.a, ", 00-
dem ser apontadas a dedo, como flelwnle co-
poesia.
^p
nnd'o^aTlete6- -ar teve tanto alcance no
sen-
piados de aens originaes.
O romanee esta bou na
opoiao; ha
Wlt> p qae ie thuat, im roaai ce atino, eo-
J toa autora illustre.
lc.nhU.?VbandrnVr,e d9 n0Ma ri1ue" Pe-
no?SaMte"?daVmfl""m d\ Pererln"
E Atal foi a Eva
doPN,.UeVa ae8Uirem0,
exemplo da America
tido.
A natoreta nlo
Sr.TAreDcaSrtambr D0M0 CPer ^^o
AfohieaTo.' Gmrany ^bemoderradeiro
re5aD,nf?n.nde M^alhSes "mbem corre, fio-
bisa .liU Vent0 e eculou CC daa inu-
.r.r.mg hV'-i'0- ,9U- ,ir0- M" eMM Mf"5
SSSS.. abdrormece0u.,nd0lenle -"-A
ii.mv B0 B0,.i" da P"C* publica. 00 pugilato
i.nr hUC ?**. vae esbanjando l!do o
. Todo mundo quer ser dep.-
tem cultore*. a lampada de
umdo o apenas o eicravo pas-
mVed"?in.!nbrad0pari ra,ando 0! "<>>
.0.l8^. Vicente Flix de Castro est oeste raan
rSy'^^L^y0' "<<> ler. mas
S a mediocrid.de requer a aombra. o eloaio
op0aUrVod.0,hyperDO,e "ue '6l PVg.0ng:0r
Tudo hoje ephemero, ecriolo s nream
ridT m a?rll,i* lem o'ro"ampo para ele'!
cicio, maa uto ha de passar. Esperemo.
fflluiie-8m, b.men" d0 fuluro' ,e. xprewo
Sil .!? CrUle?' Pro" cial, melhor combinada que a noita tiverem
lempo e e.criptores que vivam Pk. c a
nao eterevam para viver. crevr, e
[Corrtio Mercantil, do Rio./
Um casamento da poca.
DRAMA DO SR. C. DO AMARAL TAVARESa
I.
A mocidada nao cansa em seas esforco* rege-
neradores. Bis a mais alta verdade que pode-
mos colher do aceptlciamo em que *e e.preguicam
os membros da telha gera5o. Quem disser o
tontrario mente le suprema da humanidade,
mente propria conscieocia, mente a Deu*.
Qnando Condillac figurava o homem como urna
estatuatiue ae anima proporto das sensagoes
que experimenta, quem sabe ss elle quera so-
monte escrever a ultima expresso do materia-
lismo ? Quem abe se elle nio quererla cele-
brar a apotheose moral da sociedade, traduzindo
a causa pelos effeito*. aa sonsacos pelo movi-
mento ?
Sim, o movimento todo;no trabalho; o tra-
balho 4 a vida.
Um da. conta-nos Chauteabriand, comparan-
do-ae o genio do Shakespeare estatu equestre
de Philippe IV em Nossa Senhorade Parts, res-
poDdeu Diderot: Sim, mas qne pensarieis vos
se esta estatua, crarando o seu lmo, eslendendo
assaas manoplas, brandindo a sua espada pu-
zesse-se a cavalgar por dentro da calhedral? s
Aceito a parbola de Condillac. Has para
explicar nm phenomeoo grndioao, a resurreico
do espirito incrdulo existencia immaterial, lias*1
e para entender* aublimitude a que a alma dea-
crida, ae eleva, ou ao calor de algum ralo ardento
do sol, 0. i luz de alguma estrella que brilha no
espaco.on ao tom cte alguma harpa melodioMno
leoclo ando da nonta.
Este ministerio 6 o da mieraiura.
Ella encanta 01 que a cultivan, e oa qae a ad
miran Suave cauterio que faz cicatrizarem as
eridaa sangrentas do eoraco, ella mais que
um deleite, um remedio. Potencia mlraculosa
qne rehabilita a victima do erro sem o sacrificio
piacular da sensibilidade intima, ella (ola pri-
meira, como ha de ser a ultima palavra da sabe -
doria humana. *
Dizendo a Iltteratura, digo a poesa. '
E pretandeis acabar com a poeiia ? Actbe com
a* flore vigota* do pradoa: fazei qae o mar nao
ae revolva envendas; fazei que os astros aicre-
cm no firmamento; fase! que oa patsaro* nao
soltem melodiosos gorgelos ; fazei que o peilo
uffoque os gemidos da saudade ; fazei 'que a
mulher desappsrec,* do mundo I..; E' um im-
potiivel lo serio, como a immutabilidade do
lempo.
II.
islas reflexes cahiram-me espontneamente
da penna, Ulve iodevidamente com a leitura do
drama do Sr. Amaral. Nao sai. Ha* nao e po-
dem marcar prlori 01 limites do enhuslasmo. E
en enthntiasmei-me devoras.
Nao tntrarei na questo de saber a que eicola
pertence ou q.e escola encetou o Sr. Amaral
nesta sua composigo. Tenho quasi me conven-
cido de que os crticos ho perdido o seu lempo
em procurar o ponto de ioterseceo na* difieren
tes productos litterariot,
J peoson assim Alfred da Vigoy :
c II n'y a ni maitre ni cole en poeie ; le seul
maitre c'eal celai qui daigoe faire descendre daa
l'homme l'motion fconde, et taire sortir les idee
de nos fronta, qui en sont bris quelquefois. >
Assim que, parece-me de melhor aviso o qae
me proponhodesenvolver o drama do Sr. Ama-
rsl aob ura ponto de vida geral.aem prend-lo a
especiosidades estheticas, ou a minudeocia* es-
tipuladas. Ene ponto de vista redozirei ao que
me parece bello, .0 qne me parece alheio ou
auperior ao* precelos e as regrai da' arte. E'
como o caracterisava Royer-Collard : O bello
sente-se, nao ae define. Elle est por toda parle
em nos e fra de nos, as perfeicoes de nosia
natureza e na* maravilhas do mando seosivel;
na energta independente do pensamenlo solitario
e na ordem publica das sociedades ; na virtude e
as paixes; 00 prazer e naa lagrimas; na vida
e na morte. >
Crer-ae-hia, outr'ora, que o presente offereces-
se lio frtil colbeita ao genio cubicoso do poeta?
Que a vida real e positiva de hoje alimeotasse lo
bellos gommos de doces inspiraedes?
Crer-ae-hia que o astro, as musas, ou Apollo,
nos termos da antiguidade, assislissem a com-
munho actual, e nao domioassem nicamente o
paasado ?
As condiges varia veis e novas em que se con-
siderara o homem e aaociedade, que decidem
esta qaestao.
Eu, por exemplo, nao me inspirei ainda se nao
no que pertence s tradices historia ; nao
senti ainja a minha imaglnaco animar-sese nao
diante desses vultos heroicos, desses monumen-
tos vetustos que o tempo evita dos olho* da ge-
ranio moderna ; entretanto sei que ha um Ibe-
aouro a escavar neata exiatencia de agora ; sei
que ha urna.fonto preciosa de poesa nesle viver
dioturno e montono do secuto que vae.
O drama doSr. Amaral sjudon-mea firmar esta
ids. Vejamo*.
III.
Um calamento da poca a narraco animada
ae um aeises acoatecfmemua que icPpt.^a git
diai contemporneo, quaai deaapercebido ou
ignorados nenhuma emoco produzem nos espi-
rito vulgares. Apenas o poeta recolhe a imagen
deasaa tragedias occultis, e idealisa-as em am
luadro que faz tremerem aa mullides.
Elvira, prototypo de candora e de aingeleza,
dedica os primeiros sonhos de amor pessoa de
Eduardo. Contrsrisda na effusio do seu peilo
por um interine srdido de sen pae, tem de cal-
car os sentimentos que nutre, e de recebar como
eiposo nm homem de todo indiflerente. Eile, se
tinha urna boa fortuna para cegar os olhos de um
ambicioso, nao tinha com tudo os dotes primo-
rosos da alma, que sao os penhores sagrados da
filicidad* conjugal. Entio, saciado j do gozo
material, nico q.e est ao alcance de nal.rezas
brutaes, ella reneg. pura convivencia de s.a
esposa, e basca no ardor de novas conquistas ma-
tar a sie concupiscente que o devorava. O amor
proprio offendido, a decepeo porque j passra,
o indifferentismo com que a tratsvam, constran-
geram Elvira a desear da grandeza moral, e obri-
garam-a a apreciar oa gaUnteios de um amigo de
seu marido, de nome Carlos. *
Neste ponto, urna mulherdeasaa que a socie-
dade, contempla nos seas saldes, a qne s se ap-
pllcam a innocular o veneno da vbora,projecta
urna vioganca contra aquello de quem fra nm dia
engaada, e contra eate de quem o eatava sendo.
Ests vingan;a effeetna-ae fazendo ella com q.e
seja lida urna carta que fra dirigida por Carloa a
Elvira, e na qual se emprazavam para urna en-
trevista. Encontrada quasi em flagrante, a es-
posa procura justiQcar-ae perante ae. marido,
porem debalde. Elle a deaampara at morrer.
Ella morro quasi desamparada de todos, sendo
am dos poucosq.e Ihe aj.daram o pentamento
aquella que primeirimente a amara.
Tal a aumma do enlrecho que o Sr; Amaral
formn no ae. drama;
Neate Intuito, a phanlatia conterva-ae sempre
robusta ; o seu estylo enslnua-se na proporcio
conveniente daa altu.c.5ea ; o aeu fim eteeula-se
com toda a fcilidade e pro&ciencia;
Ao ver a marcha bem delineada em que o au-
tor collocou as diversas pessoa; ao ver as con-
ssqueocias lgicas o naturaea que elle deduz dos
principios; ao ver o bailo colorido de qae aerviu-
se com a applicaco dos vario epiodioi, eu creio
poder afflrmar q.e o Sr. Amaral Tavare um
poeta dramtico.
Permiltam-ne exemplificar.
A Iota que se trava no coragio doa dous iofo-
lizes amantes, ora contra o poder paternal, que
Ihes rouba a maia lisongeira esperan;, da sua vi-
da ; ora contra a sociedade, que lhes impede a
fuga, ameagaudo-os con am estygma, nao
dos brilhantet relevos qne enchem o primeiro
acto.
O natural do desenbo en que se destsc.m os
diferentes personsgens do drama, symbolissndo
a accao mullicor 4o gremio social, e ligando-se
todos por urna cadeia idntica de ioleresse.'de ca-
prichos, de aspiragst, na verdade de nm m-
rito Incontestavel.
O contraste dos caracteres, plauslrei e intlli-
genle, sem as antinomias de Vctor Hugo, e com
a gradoag&o dos incidentes, oa qnando nm pae
levanta a voz imperiosa e arbitraria para trocar
aua fllha por um puntudo de ouro, on qnando ella
tsura* c.bega, togada en Ugrimas, pira rice.
per o golpe tremendo, oo precia* de ser mais
bem ((tentado para merecer applaueoa.
A pertpesU pungente que fecha o quarto acto
serve para o desenlace no quinto, est confor-
e ao qne acomelbam o mais aparado gosto e o
wnhecimento cabal do jogo mechanico das com-
posigots ihe.lraet.
A Itimas scenai, emflm, onde a pobre Elvira
ve aproiimar-se a hora .tal; onde, a brago. com
urna enfermidsdd JaujMiel.-'tlia depara com o
homem a queja toUmh u ptimeirt- amor, e que
n.Gcadeixoudoam* ^seo^ae, por urna
compunego tardla.votj ogar.^e qnalhe perte
tudo aqui regularmente acallado.
Sem fizer gala dos meu J.izos, nio a me d
da comparar o desenvolvimento phllosophico a o
primor de estylo que.encerra este drama ao que
tenbo lido de mais puro no theatro. Limbra-me
o Fr. Luiz de Souxa de Garrelt, qne aporta em
dolorosa angustias a alma do espectador com a
eloquencia de urna fra catastrpbe. Lembra-me
a frescura das imagens, a simplicidade dos senti-
mentos de yufiea e Romeu, nm que o poeta in-
glez, na phrase de um critico, langou os mais pro-
fundos olhares sobre a natureza human. E' o
que basta.
IV
Ora, com estes elementos fcil devra ser, como
effectivamenteo fol, o conseguir o flm moral que
se propoz o autor em seu drama. A moralidade
da poesia, escreveu G.stivoPlanche, nao comis-
te na expresso explcita, mas sim na expresiio
implcita de um conselho applicavel pratica da
vida.
Isto poslo, fagamos spplicsgo ao trabalho do
Sr. Amaral. O poeta vae a perguntar socieda-
de : Torqna calculaes com o positivismo igno-
bil do dinheiro, a ponto de o preferirdes cons-
ciencia e honra? Porque atiraes no lodogal in-
fecto de urna riqueza derassa a imagem de um
futuro risonho, o thesouro inviolavel das aspira-
ges de urna virgem? Porque suppiantaes os d"i-
reilos mais sagrados da natureza, e impondes a
um eoraco a paciencia do algez, que ha de es-
trangula r-se a si proprio?
E', para assim dizer, a razio de ordem. Segun-
do a impresso que tem sentido o poeta em face
da um acontecimehto, vigora-lhe a phantasia.
Qnando 1 mulher, como sempre, q.em iospira-
Ihe o genio, ao v-la estorcer-se as anclas de
nm fim prematuro, no combate cruento e amargo
da mocidade com a morte, elle nao cooclue, mo-
ralments fallando, oo poda concluir melhor do
que o Sr. Amaral. E' que a vis superba forma:
do pantheismo nao lem o horisonte infinito do
dogma catholico ; o quando aquella estacou dian-
te osse poema de Goethe, este sinda caminha de-
pois do poema de Dante 1 E' que em moral nlo ha
outra, universal e eterna, que a do christia-
oismo.
Assim, quantis vezes houver lugar a tragedia
ou o drama, tantas ser urna nova ligio o arre-
pendimento, o remorso. Eis aqui a moralidade
da poeaia na pega de que me oceupo.
Vele ali urna flor que murchra 00 ambiente
mephytico de urna sociedade corrupta; um dia
vicejo. e sorrlu como a anglica em botio ; ou-
tro dia queimaram-lhe a aere e a* cobriram de
lama. Se a m.lher, como j disse alguem, nm
anjo que nos adormece, e nos seus bragoi nos le-
va a urna regiio de soubo de harmonas deseo-
nhecidaa; se a aua alma se perde comoosco em
um infinito de amor, como assss aves q.e voam
a noute, e se mergulhsm no solo do mysterio,
vde-.ssm pena! vendida, ultrajada, condem-
nada prostituigio do espirito, tao infame-, fio
vil, como a prostituigio docorpo. Vede nm co-
ragio que pulsara por urna paixio generosa, pul-
sando agora com a energa funesta de urna doen.
ca incurajel; &.!<> murcha* u rotas daquelias
race*, exmelo o lume' doa olhos, fros o glidos
aquellos libios gentts; v6de sem urna lagrimal
o transito infausto daqueila victima. Nio. Os
sentimentos mais santos e puros formara naquelle
momento urna triodade mysteriosa pan fallaren
em nome da religue: a amizade, o amor e a pie-
da de cercam o leito de Elvira para o desempenho
completo do fim moral.
A mestra da aua infancia, s.a madrinha, mi-
nistra-lhe palavra* decomolagio. Eduardo, seu
primeiro, seu nico amor, nio s o medico que
a assiste, am irmlo que absolve-a. Seu pae,
seu brbaro pae, va finalmente aos seus bragos
para recolher-lhe o ultimo suspiro, o proteger
su* neta contra os golpes da orphandade.
V
Tudo q.anto depois disto eu podesse notar de
incorrecto ou de incongruente nessa obra, nio
m'o deixariam perceber as ideas substanciaos e
os bellos episodios que a caracterisam. Em con-
sequencia, nio tenbo senio que offerecer um voto
lisongeiro ao Sr. Amaral, com aconviegio de ter
elle acertado comoinestimavelsegredo da poesia
dramtica.
Por ultimo, s lsmento que preciosos trabalhos
oio sejam ainda entre nos devidameote compen-
sados. Peza-me dizer com o Sr. Lopes de Mon-
donga: Trate ituagio do um paiz q.e glorifica
a n.llidades que se reputam uteis, usurpando
um titulo que nio justificara, e dedica apenas urna
dislrahlda attengio aos talentos, que s poderio
determinar no futuro o valor da poca em que
floresceram.
Eis o que o pouco tempo permittiu-me escre-
ver sobre a composigio do raeu Ilustrado colle-
ga.Dr. Agrario de Sonza Henezes.
Baha, 28 de novembro de 1858.
T
.
pe aa reva maia coodtnsada. Tftob.m
embora quebrada *uaa iiatuaa, aejasa
ea eeer
nao
, Ia"
" Pgina(. era que historia leal
ais bellas secos ; a nio do lempo 'alise as
ostripcoes, desfigure os bustos, apague o aaia
engenbosos emblemas ; aq.elles sobre quem se
dernmaram seu beneficio, sao os verdadeiro
monumentos dos hroes, eeonservare su
branca a despeito meimo da inveja, apeaar mea-
mo do odio, e seu nono asr Iransmittldo as
ultimas ideas ; o destino glorilo reservado aos
bemfeilores da humanidade.
E qne nos quer'djzer este lgubre apparalo,
estas imagens da morte, que se o&erecem a mi-
nha vista? Que tristeza annuncia sata respeiU- Juma
vel assembla, cuja edificante piedade, |e cobre
reconbecimento eu nao sei assaz louvar. Que
me quer significar este pavor que admiro espi-
Ihado em voisos rostos? Em vao pretenderan*
tiludir eale fatal daawngano. O luto, esta pompa
fnebre, este lugvj < apparalo, este tmulo q.e
parece elevar aU Bu os tristes monumentos
da nossa mortalidaata ; estas luzes qae mostrara
com mais evidencia o nosio nada ; estes despo-
jos da morte, Indo nos est dizendo: D. Joaqui-
na Josefa de Figueiredo Tamarindo mort. A
mmortaiidade de aau nome e grandeza de Sua
alma .nao pode livrar da destrulgio o barro
frgil, que ella havia animado. T, triumpbas-
lea era fim, ioimiga inexoravel dos vvenles : t
te jactars tal vez da augusta presa da tua vora-
cidade, quebraste os lagos de um feliz conor-
co ; deixastes iuconsnlavei um' esposo fiel, e
paea carinhosos : qae fataes deapojos do leu vio-
lento imperio I M*is aonde est depois disto,
cruel, a tua grande victoria ? Ubi est moravic-
toria1 l.a ? T roubastes, verdade, urna espota
amada, urna fllha q.erida, mas a immortalidade
da aeu nome nio est sujeila ao leu poder, a*
suas virtudes eternatario o seu nome.
Suspendimos, poi, por um po.co a nona
oor, .par. vermos os motivos, que a justificara
e confessemos em flm, as virtudes de que foi do-
lada a Esm. aeohora D. Joaquina Josefa de Fi-
gueiredo Tamarindo.
Nascen ella na cidide do Recife no dia 21 de
dezembro de 1813 : aeua (ilustres progenitores
sao os Exms. Sr. brigseiro Joaquim Bernardo,
de Figueiredo, a leasVon Izabel Joaquina
de i-igeeiredo, teve ella- a feliz aorte de dar a
mao de eapoaa, ao mu digno Sr. Dr. Marcos Cor-
6a oi m Tmarindo no dia 25 de oulubro
de 1851: aeodo elle nomeado promotor pOblico
da comarca de Garantaos, ella para all partiu
em sua companbta a 27 de abril de 1852, sendo
depois disto nomeado Jrjfz municipal do termo
di Iroperatriz na provinait do Cear. ella nao
duvidou acompanha-io, que teve lugar a 19
de outubro de 1833, o quelgualmenta praticou
era suaa viagens a Taearat em 1854, ao pago de
Gamaragibe na provincia de Alsgoas em 3 de
dezembro de 1856, e finalmente para eata villa
onde chegaram a 31 de margo de 1859. Q amor
paterno,a aua delicada constituigao, seas pade-
cimentos pbisicoi, as fadigai que cansara u ton-
gas viagens, a inhospitalidade que multas vezes
se encontr, nada foi capaz de fazer recuar a
bi esposs, e nem ao menos hesitar em acom-
paohar su esposo, ella comprehendeu bem o
preceto do Seohor, quando no Ganeseap. 2o,
v. 23,. diz: por amor de seu marido deixar a
mulher a aeu pae, e a aua mi, o a elle se uni-
r, e serao dous em um s corpo. Propter quod
relinquet homo patrem et matrera, et ad herebit
uxon su ce, et erund do in carne una.
Nascida de paes illuslres, oceupando na socie-
dad um lugar destincto, j pelos seus ascen-
dentes, j pela posigao de aeu digno esposo, e
j pelas suas proprias virtudes. D. Joaquina,
nao secomparava a essas nutrieres orgulhosas
q.e a todos despresam, e que a lhes sabe bem
1 incens da adulagio ; no seu domicilio ella se
i* t-
-**
iras !- *-*
- oran ter con os guarda, e dista-
ran : nio eooteia a ninguam, o que te pissou na
SS1"10- Dasjo.?orpr.io, gr.ndw en
eiroi wfc^ -els> dizer, qne, enqnanto
aZNit "iucla.' exdama ,fada 9"to Agoati-
nri-J- W ogiro. *,M Pe'or que o
primeiro I Fogei da luz da verdade, q.efes sus-
entar a mentira a par. prov.r qu os disdpS-
lemunhas, qne presencianem o coto', eraquanto
Dormas tu, infeliz astucia, que preicrutaudo
machioagoet vaos inventara* lio miseraveit eva-
Bjl**S>8 I
istlaste sos soldados que;dormiam na
guarda 1 Premlando-os com dinheiro!
E como eoodemoaate o que havlim xommet-
tido osuppotto crime? Impondo-lhe somente o
silencio; na nao te atrevendo jen frente delles
a negar a resurreigio. nem meaos a acc.ia-loi
do crine que tentaras imputar-lhes.
Oh I santo poder da verdade I Como fasea
emudecer os impos, ainda quando mais lhes era
preciso que fallaasem 1
Tu astucia infeliz emudeteste ; querist qne
tambem emudecessem os discpulos do homem
peas ; ellos porm proteitiram cootr essa tua
louca pretengao, o fallaram e deram testemnnho
da verdade.
Tastem.nho IndubiUvel.fgrandioso, nnico/por
que fot sellado com o singue dos q.e morreram
confirmando-o at a derradeira hora entre os
mais alrozes supplicios I
Oh I vede-os antes da manhia que se segua
ao sabbado, da celebracao da paseboa en Jern-
SatH.
Tmidos como ss ovelhss, spenas virara o pas-
tor ferldo tresmalharam.
Jess dissera aos que o prendiam: tinite kot
aoxre ; dsixse ir embora estes que me aoompa-
nbam ; e todoa el les se fonm. June diicipufi
omne* relicto eo, fugerunt.
Apena* Pedro o segua ; as de longo, e tran-
ndo de medo.
No atrio do summo sacerdote nega tres vezes
o mestre; e terceira ves Jeius voltava para
elle os olho, o gallo cantara, e Pedro fugia da-
quelle lugar para chorar amargamente a sua Ira-
quese I
E ainda quando-as piedosi mwlbnes volta-
va m do monumento a dar a noticia dr resurrei-
gao, ainda entio Pedro e o discpulo amado, nao
queriam acreditar I
Camiohavam ambo* junto; mas Joarocorren-
do mais, chegou primeiro, e haveodo-se incli-
nado, vlu os lengos postos de-parte-v ma nao
entrn.
Veiu logo Pedro que o segua, errrou- no se-
pulcro, e viu os lenges postos de parte. E o
lengo que Jess Uvera sobre a cabega,- nao es-
lava com os leng83, mas dobrado em um lugar
separado.
E depois eotrou Joo, e viu, e creu que al-
guem haveria levado o corpo de Josas Coristo,
porque os discpulos ainda nao tinham bem en-
tendido as es:ripturas, ainda nio sabiam bem,
quanto importara, que elle resurgisse dos nor-
tosl E forana-se para suas casas 1
Sao estas aa patarras do proprio Evangelista I
alas spenas Jess lhes apparece depois de re-
suscitado ; apeoas elles se convencen) de que ,
Jess, o aeu meitre quem vem lar com elle* ;
apeoas observara que aperar de Elle trazer abar-
las ainda as feridss, apezar da comer e beber
com elles, todava entra e daaapparece depois es-
tando as portas techadas ; apenas Thom met-
iendo as raaos as proprias feridas de Jess, re-
conhece que o roorlo no Golgolha vive, que Je-
mostra afavel com todos: esual era < --------^Tl" rn"" "." "u,,",u ""' 1"" ""
E....,..1 ,Sup4...f" m"h.ro "MElaSE?2SSSS?"'"""""'
Parecer do jury dramtico.
Nos abaixo assignados, membros do jury esco-
lhido para dar o seu parecer sobre o drama do
Sr. Amaral Tavares Um calamento da poca, e a
critica do Sr. Dr. Agrario de Souza Menezes ao
mesmo drama, tomot de voto que devem ser ap-
pcovadoa tanto o drama como o juizo critico.
Ha mait: O jury, animado dos desejos de ver
aempre estimulado o talento, que a mingaa do
incentivo desfallece ou renega da mistio provi-
dencial q.e Ihe coube de Deut, de voto qne o
conservatorio empenhe todoa os esforgos em prol
da representagio dramtica da meama prodncgo
na occailio mais opportuna.
Babia, 28 de novembro de 1858.Dr. Carlos
Frederico Xavier dos Santos Asevedo.Dr. An-
tonio Alvares da Silva.Pompilio Hanoel de Cas-
tro.Joaquim Honteiro CamiDho.Hsnoel Cr-
rela Garca.Joaquim Anselmo Aires Braneo.
Fr. Francisco da Natiridade Garneiro da Cunha.
[Diario da Bahia.)
DISCURSO
funebre recitado pelo reverendsimo vigario Ala-
noel Lopes Rodrigues de Barros, na matriz de
N. S.da Penha de Serra-Talkada da comar-
ca de Paje de Flores, por occatio da missa
do stimo dia do infaustopassamento da Enm.
senhora D. Joaquina Josefa de Figueiredo Ta-
marindo, esposa do bacharel Marcos Correia
da Cmara Tamarindo,
Non recedet memoria eju, e
nomen eju requiretor a gene-
ralioneln generalionem.Sua
aeges Jamis lerio eiqeecdi,
e a gloria de seu nome ser
ptrpetusda.
# u Ecl- C,P *) t. 13.
O ab.Usado merecimento poaaue um valor, qne
nio. pode ser posto em davids. Sobranceiro aos
1 rtvezei, WbrajiyMro m lIWI, m DrtUtO ror*>
'
Ella fuj caritativa, e como ? Como o manda a
religiio ebristis, oceultando a mi esq.erda o
que liberalisa a direila. Ella ouviu a lei evan-
glica, e conheceu o idolo da caridade. E para
leslemuoho do que acabo de dizer, cito para de-
porem ao p d'aquelle mausolen tantos pobres a
quen ella soccorreu em s.as necessidades; ella
em tempo nenh.m fot indiflerente aos.malea da
humanidade..
Tempo de felicidades e bonanga, quinto vos
correales accelerados na vossa duragao I Esti-
rara cheios os destinoi gloriosos desta virluoai
mu'her. _Elli tinhi j preeociido a carreira que
lbe fra Creado, o trela 4* .,, mi** ealav
-ouiyicw. ma j desceu a essas (moreda aub-
'rr.ne..,,,,,,,!,,,,,, aombrtos para dormir do
p donde naiceu. O clamor da magos aera em
breve ouvido pelos arredores do lr paterno.
Ah I eu me parece J catar ourindo o pranto, os
solagos, os ais d'aquelles desranturados paea
que em urna edade tio avangada vio aoffrer um
golpe talvezo mait cruel de iui vida. Evos des-
consolado esposo, a quera o espago de 11 anuos
incompletos, passados 00 goso de um feliz con-
sorcio, gravo, em vosso coragio urna amisade
que durar em quanto vo durar a vida ; reeebei
oa nossos psames, nos vos acompanbamoa em
vosia dr. Rocolbei, pois, os frutos do desea-
gano, que nos est inspirando a triste solemni-
dade deste dia. Enxugae o vosso pranto na pia
crenga de qne a alma de vossa esposa virtuosa
entrou para o numero dos escolhidos do Senhor.
01 Deus, Deur santo e cheio de magestado
se os soffrimenlos da finada, de quem viemos de
fsllar ainla nao grangearam a vossa presenga,
as preces da egrej. reunidas lao saogue do cor-
deiro que foi ha ponco offerecido pelo digno mi-
nisiro do santuario, purifiquem as manchas in-
separaveis da fragilidado humana, e Ihe alean-
cera o eterno descango. Requiescat in pace.
Amen.
Consamada a obra da redempgo, faltava con-
s.mar-se a da f. E consumaram-se ambas en
tres das.
Consumon-se a da redempgo pela cruz ale-
vanlada ; consamou-se a da f pela pedra do
monumento cabida.
A da redempgio pelas bumiliages: 1 da f
pela glorlficagio. A primeira pela morte: a se-
gunda pels vida.
Aq.ella pelo suppiieio: esta pela resurreigio.
flesurrexi Domtnus t>er, resurrexit, sicut
atxt.
Da que serviram as lucubragoes dos m.s con-
tra aa eternas delerminages de Deas ?
Disseram elles a Plalos : a aqaelle seductor,
emquanto *vo, proclamava que havia de resus-
citar ao terceiro dia 1 Aquello seductor r Se-
ductor como reflecte a sublime aguia da egreja, o
santo bispo de Hipponia. seductor, era o nome
que davam a Nosso Senhor Jess Christo, para
consolagio de seus servos, q.ando tambem os
impos desle lempos lhes chamam seductor 1
Oh I nio vo envergonbaes, ministros do altar
se vos dio esse nome, por vos conservardes fiis
ao meitre, por que nio deseis aos antros sotur-
nos, onde a impiedade coospira contra a egreja,
onde de noite eatuda a calumnia infamemente,
que no dia aeguinte vos cuspir aa fronte.
Coniolae-vos, sncceisore dos apostlos, e v,
pontifico rei sacerdote do Altinimo ; consoiae-
vos, ae vos chaman seductores por conservar-
des intacto o llieso.ro da f.
Consolae-roa; q.e tanbam a o rei dos res, ao
monareba da paz, ao mestre da verdade e scieo-
cla eterna, ao Verbo de Deus os antigos pharl-
seus cbamaram seductor l
Manda guardar o sepulcro estes tres das
continuaran os impos, para que nao acooteg
virem os discpulos, furt.ram o corpo morto, e
dizerem ao depoia a lurbas resurgiu dos mor-
ios pois esse engao sarta mais fatal, do que
o primeiro.
Era a Providencia permitliado que os naiores
toimigos do Salvador, os mais empenhados em
occultar a verdade, 01 philosophadores e espiri-
tos Ixvru daqueila poca preparsssem, sem o
quererem, inconcussa prova da Ditindade de Je-
sns, fllho de Marta.
t Tendes soldados s vossss ordens, lhes res-
ponden Plalos ; ide, pontea guarda, como vos
psrecer melhor.
E elles psrliram, levaram comsigo os guardas,
pozeram-os em roda do sepulcro, e sellar.m a
pedra delle.
O engao peior qae 9 primeiro foi o vosso.
loucos, presumido de sabios. Punheis guardas
ao sepulcro, nio pravaudo
------------- -.0*...M WH I.1..HV i, ex .cita ir
meu, a pedra sellada salto, fora da aeu lugar,
os guardas espantados cehirara por morios com
susto.
O aojo do Senhor loceos a pedra com ana mi.
e a pedra revolvida MaWla que se vine o se-
pulcro vio.
Sobe Jess Cbrtito ao cea na presenga delles ;
e elles que q.arenta e trea disa antes fugiam
ante as turbas armadaa de paos e eapadas, ei-
los de cidade em cidade, perante judena e gen-
tos, parante letrados e ignorantes, perante gen-
tes inermes e soldados, perante ricos e pobre,
perante principes e subditos, as roas, as pra-
gas, nos templos, na cboupana dos pobres,
nos palacios dos reis e dos grande; ei-los
por toda a parte, a toda hora, perante lodos,
aera insolencia, mas sem tenor, inabalaveis. fer-
vorosos abrazados em sanio zelo o amor de Deus,
soltando aos q.atro ventos da Ierra o grandio-
so, e ind.bitavel testemunbo, o testemnnho nni-
Vaaiia raaiitpilna :. .urreiil I ______
B quando a ty.aoD.ia do* pharUeo* e a dos
Cesare, auxiliada pela rueldade doa procnsu-
les e algozes. os msodavam occullar a verdade,
elles respondate aos Cesares, aos phariseus, pa-
rante os procnsules e vista do atgoze da-
queila poca, como responden seas saccessores
aos successoresdaqueila Ces.te,daqueHes pha-
riseus, perante os successores daquelle* procn-
sules, e vista dos successores dsquelles algo-
zes : oio pdenos calar o que Jess nos man-
dn pregar; nio podemos enmudecer, qusndo
Jess nos maoda fallar; nio podemos esconder
a verdade, que o nundo ten preclso de saber :
non possumus
Dizei qne Elle nao resnsciton. Nio pdenos:
non possumus.
Dizei que Elle nao era o Christo. Nio pode-
mos : non possumus.
Ao menos nao preguis toda iua dontrins.
non possumut.
Ao meos nio a preguis em te* neme, iro
possumus.
Ao menos ensinae-a em voi beiza JYo* pos-
sumus. ^
Ao nenot nao fagBe*^3hfr. i velhat crengas
do mundo. Non possumug,
Ao menos a.bmetiei-vs#isynagogi. Vo* pos-
sumus. K- .
Ao menot retpeitse os dolos. Non possumus.
Ao menos nao preguis nem na praga, nem
naa r.a, nem no templos perante oa dolos,
nem nos palacios perante os sabio o perante oa
reis. Non possumus.
Desist de evangalisar, se nao queris ser cas-
tigado!. Non possumus.
Obedecei, se nao queris morrer. Non pos-
sumus. *
E foram castigados. E morreram I
E o inferno armou-se contra elles com todos
seua horrores; e elles nao trepidaram.
Ergueu-se diante delles o patbulo; e viram-co
erguer. Impvidos.
E j ante aquella pavoroso appnrato da morte,
bradavam-lbe ainda os peraeguidores : calae-vos.
E elles affrontando as furias Be Sitanas, respon-
dan! mansamente como cordeiroa: nao podemos:
non possumus.
E subam os degrns do patbulo; e ah de so-
bre aquella tribuna que deita para a elerntdaale*
aolt.vam ainda aos qualro ventos da trra e bran-
do logante que havia de reperentir-se no orbe *
surrexit dominus : resussitow Jesns I
Nao procuravam glorificar-se a si com a morte
esses simplicis do corsgio, porque da ai nada
mais diziam, seuio : nos o vimos.
Nio eram elles q.e se chamavam a si meamos
deuses, o. enriados de Dense seus propueaaa;
mas lestemunhava qne o Deua era o suppticid
do Golgotba I
Nio affirmavam nenhnma dontrir.a de que fos-
sem autores; affirmavam que lodo quanto presa-
va m, lhes fra ensinado pelo maitre.
Para ai nio careavam nenhuma loria., das que
podem deslumhrar homem carnaes nao levaran
a mira em nenhum Interesse, com que pudessen
lucraron para a fortuna durante, vida, on paro,
a fama depoia da morte.
Para si nada, a nio aeren, os tormentos, oa
despresos, a morte aSrootoaa. dos stelerados,:
para Jess e por Jess ludo 1
Para Elle a realoia eterna por Elle rodea com-
batas : para Elle o diadema ; por Elle as tortu-
ras : para Elle a diviodada; por Elle as *uml-
Ibagoes: para Elle a gloria ; por Ella aa aoVoo-
tas: para Elle adorag&ea; por Elle o **ppticio :
para Elle o amaraobre toda* aa cousu, a por essa
amor o saogue e a vida.
Oh I onde se viram sectarios tio loncos, loucos
tio corajosos, corajosos lio humildes, b_umildaa
tio hroes, e hroes tio deiinteresaadas, e alma
lio stngela ?
Oh I testemunho iadubitavel, grandioso e ni-
co escripto sobre o cadafalso pela mi dos mal*
humildes, mais siogslos, e mafe desinteresados,
e ao mesms tempe os mais, firmes, mais cons-,
tintes, mais inabalaveis dos homens l
Tastemunbo do sangqe titnplesmenle humano,
que eicorreodo do alto, dos patbulos vinha hu-
que esies guardas ?i-
" Sobre'V f.d^!!ftn!y^ .... < 00"!Thr.a0J a"- fl-" palbulos "nha hu-
(Continuar e-ha.)
sem e rscontuc.itehl
Deusl

u


HW9 V.SIO. 1 -
Has malicia do hoatn relho alada, nio qo.il' PIRN, TIP, DI M, P,9i FAIIa ft FILflO. 1882,

f\ /r-i
-f-v.
I


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EGG4UYV81_48Y0PO INGEST_TIME 2013-05-01T00:58:33Z PACKAGE AA00011611_09949
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES