Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:09947


This item is only available as the following downloads:


Full Text
J
^>
A1I0 XUVIII. 1D1SM143.
Nr tres m^icsudianlados 5900O1
tres mms vencidos
S5GSDA mu 23 D JOMO DE IS62.
Por ano o adlaatado i9|00O
Porte fraict para subscriptor
EJIOAUREUAUU IM SUBSUBli-VAU HO.NUlilfc.
Parahyba, o Sr. Antonio Alexaodrino de Ll-
mi; Natal, o Sr. Antonio Marques .la Silva ;
Araeaty, o Sr. A. de Lemos Braga; Coarl o Sr.
J. Jos da Oliveira; Maralo, o Sr. Jcaquim
Marques Rodrigue; Para, ManoelP nheiro &
C; matones,* Sr. Jeronymo da Costi.
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPTO DO SDL
Algdas, o Sr. Claudino Faleo Diis; Baht.
o Sr. Jos Hartins Alees; Rio de Janeiro o Si-
Jlo Pereire MarMfls.
I'AKTIDA l)OS CQRREIOS.
Olinda todos os dias as 9X horas dodia.
Iguarass, Goianna, e Parahyba as aegundas
sextas-leirai.
S. Anto, Bexerros, Bonito, Cantar, Altinho
Garanhuns as tercai-feirn.
KPHEMER1DIS DO MEZ DE JUNHO.
5 Quarto crescente aos 2 minutos da manhaa;
12 La cheia as 3 horss e 35 minuto da man.
18 Qaarto minguen te aos 31 minutos da tarde.-
Pod'Alho, Nazare'tb. Limoeiro, Brejo, Pes- K La nova as 3 horas 35 minutos ds tarde.
qaeira, Ingazeirs, Flores, Villa-Bella,Boa-Vists,| ..-______
OuriearyeExanasquartas-eirae. PREAMARDE HOJE.
Cabo, Serinhaem, Rio Formoso, Uns,Barreiro8'pHm.,,n mn.-i _inM. .i. ,.,.
Agua Preta, Pimenteiras Natal quintas eiras.|Prim,,r0 809 54 "* da *>.
(Todos os correioa parten ea 10 horas da manbalSegando aos 30 mnalos da manhia.
rAimuA voa Para e aul ala Alagoas 4 5 9 20: para o norte
at a Granja 14 a 29 de cada mez.
PARTIDA DOS MNIBUS.
Para o Recite: do pipueois 6 li2, 7, 7 li2, 8
.8 1|2 ds m.; de Olinda s 8 da m. e 6 da t.; de
Jaboaao s 6 1)2 da m.; do Caxang e Vanea
s 7 da m.; de Bemfica s 8 da m.
. Pi Vf! :.Dm -*>V> 3 1|2. 4, 4 1(4,
4 li2, 5, 5 li4, 5 1|2 e 6 da t.; para Olinda s 7
da m. e B lp da t.; para Jaboato s 4 ds t.; psra
?nTE 0FFICIAL
o Caxang Versea s 4 1(2 da t.:
as 4 da t.
AUDIENCIAS DOS TRIBUNAtS ra CAPITAL.
Tribea! do sommersio: segundas quintas.
Rilaco: terca sabbados s 10 horas.
Pazenda : quintas s 10 horss.
Juizo do sommersio : segandas ao meio dia.
Dito de orphos: tarjas e sextas s 10 horss.
Primeira Tin do civil: tiren e extasae meio
dia.
para Zmca'Seganda viri do STSl: qarlas* abbados l
bora da tarde.
I
GOYERXO Di PROVINCIA.
LE N, 53*.
O bacbarel Ha noel Francisco Corris, presiden-
te da provincia de Pernambaco.
Fago saber a todos os seus habitantes' que a
assembla legislativa provincial decretou e eu
saocciooei a rasoluco seguinle :
Art. nico. Fica desde j, aberto un crdito
dedoze contos de ris, addiciohal coiisiimacso
do art. 15 da 1! n. 510 de 18 de junho de 1861,
para pagamento da subvengo que tam ilireito'
Jos Marinangeli, pelos espectculos lvricos que
der no theatro de Santa Isabel, dentro do aooo
flnanceiro ; revogadas as disposigoes eoi eon-
trario.
Usndo, portito, a todas as autoridal >s s quem
o conhecimento e execucao da present) resolugo
pertencer, que a cumpram e fagan cumprir lo
inteirameote como Dalla se.contm.
0 secretario desta proyincia a faca imprimir,
publicar e correr.
Palacio do governode Peroarabuco, 20 le ju-
nho de 1862, qaadragesimo primeiro da indepen-
dencia e do imperio.
L. S.
Manoel Francisco Corre* a.
Sellada e publicada a presente reoluco nesta
secretarla do governo de Pernambuco, ios 20 de
junho de 1862.
Joo Rodrigue! Chavti.
Registrada a 11.... do livro 5" de leis provio-
ciaes.
Secretaria do goveroo de Pernambuco. 20 de iu-
nhodel862. '
Fortunato da Silva iVeves.
Expediente do da 18 de i tnho
de 18
Offleio ao brigadeiro commandaote d.is armas.
A vista da informaco ds Dr. chefe de polica
interino, da requisito do commandanto superior
da guarda nacional deste municipio <> do que
dl82ne a ,e8uda P"te do art. 79 da el n. 602
de 19 de setembro de 1850. arva-ae V. Exc. de
mandar por em liberdade o recruta Valeiiato Jos
Eustaquio.
Dito ao provedor da Santa Casa de Misericor-
dia.Remello a V.S.para ter a devida exicuco
o novo eompromisso da Santa Casa de llisuricor-
dia desla cidada datado de ,17 de marco ultimo e
approvado pela lei numero 531, de 9 do cor-
rente.
Dito ao inspector da thesouraria de fixenda.
e conformidade com a sua ioformagao de hon-
tem sob n. 554, dada acerca dojrequeriioento que
devolro do alferes do 7 batalho de infamara
1 ^rreia de More. V "ai destacar no pre-
sidio de Fernando, maoae V. S. adas tar-lhe o
sold do cotrente mez.
Dito ao mesmo.Respondendoo seu ofllciode
lo de maio ultimo sob n. 427, ciba-mc declarar
a v. que o destacamento de guardas nacjo-
naos da eidade do Rio Fokmv Oitniaorvnfeni
dia 5 do citada ma> ->**io, segando consta
cflhrfu ao (UauyXrd dlreilo, daxj l
do corrante^hrTlsopde V. S.(asar iffllTO o
pagamento dos vencimentos daquellu dnataca-
mento conforme se ordenou em 10 mez.
Dito so commandante do presidio de :jeraindo.
Attendendo ao que expoe o brigadsiru com-
mandante das armas no officio inclu por copia
com referencia a outro do coronel commandante
do 2." batalho de infantaria recommeado a Y. S.
mui terminantemente qae providencie a que na officina desso presidio se fubriqae de
boje em dianta calcado com a perfeicio do par
de sapatoi que com esta lhe remeti para ser
devolvido com brsvidsde e que com ello possa ter
a dura;o exigida por lei.
Dito ao director das obras militares.Avista do
que V. S. ioformou em seu offleio de 16 do cor-
rele sob n. 103, o autoriso a mandar szer o
concert de qae precisa o cano de mg Modas
aguas que seacumalam ni praca d'armanda forta-
leza do Brum, pela quaotia de 7OSOO0 por V. S.
oreada.
Dito ao director da colonia militar da rimen-
*elrAo seu offleio de 13 do crrante rBspon-
do dizendo-lhe que peda vir a esta oapital no
principio do mez julho prximo vindeuro para o
fim de prestar cootas a thesouraria de lazenda
doa dinbeiros despendidos nessa colotnn durante
o trimestre de abril a junho deste anne.
Dito ao director do imperial instituto do Nossa
Senhora do Bom Couselho.Iotelrado palo seu
ofllclo de 12 do correte de ha ver Vmc. em gra-
tldao ao honorfico titulo deImpert Instituto
de Nossa Senhora do Bom Conselho-que foi
confiado por S. M. o Imperador ao collegio do
mesmo nome, posto a diiposigao desta presiden-
cia doas lugares pars dous penclonisias pobre
e orphaos tenho a dlzer-lhe que nesta dita levo
ao coDhecimento do goveroo imperial ensa sua
manifestaco de reconhecmento.
Dito a Jos Moraes Gomes Ferreira.Nio ten-
do Vmc. comparecido no palacio da preiidencia
no da 15 do corren te para recebero piemio com
que o destinguio o jury geral da expjsiijao na-
cional da corle, pelos productos por Vnc. expos-
tos nesta provincia remetlo-lhe inclusa uma me-
dalha de cobre acompanhada do rsped ivo diplo-
ma que me foi enviada com o aviso do minisle-
2? I1 8"pul1"!".ommercio obra* i ublicaide
26 de abril ultimo.
Dito a Hanoel Barnardino de Moiaeii.-No
teudo Vmc. comparecido no palacio da presiden-
cia ao dia 15 do crranle para recaber o premio
com que o distingui o jury geral ia exdoii-
-qlo nacional da corto peloa productos por Vmc.
expostos aesla provincia remetlo-lhe incluso o
diploma de mengao honrosa que me h i onviado
com aviso do ministerio da agricultura commor-
cio e obras publicas de 26 de abril ul limo.
Iguaes-a Schlapris, Slall & C-. L. V. Lieuthier,
W, .Martineaa.
Portara.O presidente da provine nos ter-
mos dos artigos 25, e 26 do novo coinpiromiaso
a a Santa Casa ba Misericordia da eidade do Re-
cife, de 17 de marco ultimo approvado pela lei o.
531 de 9 do correle resolra oomear.
Mordemos.
Dr. Jos Antonio de Figaeredo.
Bacharel Antonio Mara de Faria Noves.
Joaquim da Silva Caatro.
Manoel Gonoalves Ferreira da Silva.
Mordomos supplentes.
Commendador Manoel Figuera de Faiia.
Bacharel Jos Hamede Alvos Ferreira.
t-apitao Antonio Ferreira da Aununciaco.
Joaquim de Almeida Pinto.
iSLf.*6 Paala 0li?ei VUm Boas.
- 5f,lonl a Provincia cootornando-
!fa?Ll 2? d0 Dr.chefa de re Licia inte-
rino daUdo da hoje sob 978. resol ro exonerar
do cargo de .ubdeleg.do 49 t'itUao da fre-
gaezia deS. Pedro MartyrtSod8 oiiactn Fran-
cisca das Chagas ISalgaeiroa, Mr aMI1 0 haver
o tenente
Lina Caldas.'-Communicou-se" ao^JKe"?^
llcia. r
Despachos do da 18 de j nk0.
Requeritnjintot.
Antonio Jos Pinto.Volle ao Sr. inspector da
thesoeraria de fazenda.
Francisca Mara da Concei;ao.Intorme o Sr.
Dr. chafe de polica.
Francisco Alves Teixelra.A vista da infor-
mado indeferido.
Jos Lopes da Silva Cardoso.Informe o Sr.
impector da tbesoararia provincial.
Joaquim Dias Borba.A viita da informaco
do commandante interino do batalho, e do res-
pectivo commandante superior.Como requer.
Manoel Lopes d'Albuquerque.Informe o Sr.
inspector da thesouraria provincial.
Mara Ponciana da Conceico.Informe o Sr.
Dr. provedor da Saola Casa da Misericordia do
Recife.
Manoel Antonio de Souza.Informe o Sr. ins-
pector da thesouraria provincial.
Monte Po Philarmonico dests eidade. Infor-
me o Sr. procurador fiscal do thesouraria defa-
zenda.|
ERRATA.
Por ter aahido incluid! em um so offleio a ma-
teria dos dous publicados no Diario o. 142 de
21 do corrente e dirigidos ao Dr. ebefe de poli-
ca e inspector da thesouraria de fazenda ao es-
tes novamenle abiixo transcriptos.
Offleio ao chefe de polica.Remello a V. S.
para seu conhecimento copia do offleio de 1Q de
maio prximo lindo em que o juiz municipal do
termo de Cimbrea, declara ter officiado ao dele-
gado de polica do Brejo para demorar a remessa
para eita capital dos preso a que se refere outro
officio do mesmo juiz de 31 de margo ultimo,
tamberu juato por copia conforme determinara
esti preiidencia por causa da epidemia reinante,
e ao antecessor de V. S. foi communicado em
data do 23 de abril deite anno.
Dito ao inspector da thesouraria.Attenden-
do ao que expoz o juiz de direito interino da co-
marca de Rio Formozo em officio de 5 do corren-
te recommendo a V. S. que mande pagar ao ci-
rurgio Manoel Francisco Pereira oa a peasoa por
elle autoriada a quanlia d 182# come gratiflea-
;o pelos servicos que prestoa durante a com-
misio de que foi incumbido pelo mesmo juiz de
direito, para se encarregar do tratamenio dos
deivalidos atacados do cholera-morbus no 2* dis-
tricto da freguezia de Uoa, a contar da 16 at
29 d maio ultimo e a razio de 143 diarios.
PEUmWBUCO,
4SSEMBLE4 LEGISLATIVA PROVINCIAL.
SESSAO ORDINARIA EM 17 DE JUNHO.
Presidencia do Sr. Bario da Vera Cruz.
A 1/2 hora da tarde, aberta a sesso, ap-
provaoa a acta da aolerior.
O Sr. 1 secretario declara nSo haver
EXPEDIENTE.
ORDEM DO DIA.
1* parte.
Entra em discasso o requerimento qae fcra
adudo acerca da estrada de Tamandar.
,0 Sr. Netto ;(Nao devolveu o seu discurso.l
*-*->rwaimiIIU .u'qillO deTOlreii o asa UH-
OS pedidos, e qaando.Souza Res.Baro de
Muribeca.Barros Brrelo.
N. 16.
Supprima-se o artigo additivo ao cap. 3*, bem
como as emendas aos 3, 8,13 e 23 do srt. 36.
Souza Res.Barros Brrelo.Baro de Muri-
beca.,,
N. ti.
Art. Fiea o presidente da provincia autorisado
a contratar com quem mais vantagens offerecer,
e da conformidade com os ornamentos o planos
e parecer da directora das obras publicas, o cal-
cimento completo da eidade do Recife, fleando o
dito contrato dependente da approvago da assem-
bla provincial.
S. R.Buarque.
N. 18.
Juros da Ia serie das apolices emittidas em vlr-
tude da lei n. 488.................... 2:7009000
Dfferenca de moeda para paga-
mento da illumioaco a gaz desta ei-
dade. calculada sobre o cambio de
25X53310-5...................... 5:575*800
8:275800
Fenelon.Baarqae.
Costeio de 50 lampedes............ 3:285000
Dfferenca de cambio.............. 262(800
Buarque.Fenelon.
OTereco como emenda o seguinle parecer :
A commissao de legislacao, examinando com a
devida attenc.o o regulamento que foi dado, em
virtude do art. 20 da let n. 511, para as collecto-
rias, de parecer que seja o mesmo approvado
com as emendas qae propde varias de suas dis-
posic.des, sendo essas emendas impressas para en-
traren) em diacasso.
Ao 14 do art. 5. adjieione-seisla attribui-
cao pertencer ao adjunto do procarador fiscal,
oo que relativo a divida activa.
Ao art. 11,supprima-se o seu finalinclusi-
ve a divida activa, seus jaros e multas.
No art. 12,reduza-se a 9 % a porcentagem.
No arl. 13,reduza-se a 6 % a porcentagem.
O art. 34,seja substituido pela seguinte dis-
posicaoa arrecadagao da divida activa ser re-
colbida collectoria com guia do ajudante de pro-
curador fiscal, qaem compete a respectiva fis-
calisagao.Luiz Felippe.
O Sr. Souza*Reis :(Nao devolveu o seu dis-
curso.)
Dada a hora, a discusso fica adiada.
O Sr. presidente designa a ordem do dia e le-
vanta a sesso.
Vera Cruz.
e spprovada
Lao.)
SESSO ORDINARIA EH 18 DE JUNHO
DB 1862.
Presidencia do Sr. Bario da
A' 1/2 hora abre-se a sesso
acta da anterior.
O Sr. 1* secretario d conta do segainte:
EXPEDIENTE.
Um officio do secretario da provincia remet-
iendo a copia miniatrada pelo chefe de polica do
etenQo.A* quem ex a requisic&o.
podido e nomeia para o mesmo Canr j
do 9 batalho de infantaria Antonio ]
ado, e
RDEH DO DA.
V. parte.
3a discusso do projecto que approva diversos
crditos supplemenlares sbertos pelo governo.
E' approvado sem debate.
3a discasso do projecto de exercicios lindos.
E* approvado sem debate.
Para a commissao que tem de levar alguna ac-
tos a saoceo o Sr. presidente nomeia aos Srs.
Dr. Barros, Buarque e Veiga Pessoa.
3a discusso do projecto de orgameuto provin-
ChUo
Vo a mesa e apoiam-se as seguintes emen-
das:
Additiro so att. 8.
N. 1.
Ficando o presidente da provincia autorisado a
mandar pagar ao professor da freguezia de S. Jo-
s desta eidade Joaquim Antonio de Castro Na-
nas, a quanlia de 3418600 qae se lhe est a dever
por demasa no alaguel da casa em qae funciona
sua auli.Buarque.
N. 2.
Supprima-se o additivo n. 25.- Torres Ban-
deira.
N. 3.
Art. 29. Em vez de 9:316106, diga-se ris
10:364328.
S. R.Buarque.
N. 4.
Ao $ 2 do art. 26 diga-se 8 % a augmeote-se a
verba com 300*000 de gratifleago para o 2 es-
crivo dos feitos da fazenda.Witruvio.
N. 5.
Supprima-se a emenda do Sr. Cuoha e Figaei-
redo ao cap. 9.Barros Brrelo.
N. 6.
Ao art. 7 addicione-ae com aluguel de casa do
professor de S. Jos 200JOOO.Wittuvio.
N. 7.
Art. 13 no 7 depois da palavra eidadediga-
se e 1:0009000 para a matrix de Iguarasa.
Amaral.
N. 8.
Art. 13 no 2 depois da palavra edificiosdi-
ga-ae sendo 1:0008000 para reparos do recolhi-
mento do Santo Cora;o de Jess de Iguarass.
Amaral.
N. 9.
Ao art. 13. *
Inclusive 1:0000000 para as obras da matriz de
Garanhuns e 1:000 para os reparoa da de Buique.
Torres Bandeira.Witruvio.Catanho.Mello
Reg (Joaquim).
, N. 10.
Ao artigo substitutivo do 39 acrescente-ae
cando contemplados oa deslribuic.o da porceota-
am osgaardas e o porteiro, cujo ordenado ser
ratparado aquellas dos terceiros escripturarios.
witruvio.
N. 11.
Ao art. 13 7 com a continuadlo das obras da
igreja matriz ue S. Loarenco da Malta, a quantia
de 2:0003000 e com a matriz de Iguarass 1:0009.
Agesto Lao.Luiz Felippe.Mello Reg (.Joa-
quim). Aguiar.Witruvio,
DISPOSICKS GBRAES.
W. 12.
Substitutivo.
Fica approvada a destribaigio da porcentagem
pelos empregados do consulsdo provincial, fsita
por portara de.... e igualado o ordenado do por-
teiro ao de 3* eacripturario.
S. R.Baarqae.
Rendat com applicaco etpecial.
N. 13.
Art. O producto do pedagio das estradas e
pontea ser applicado nos reparos e conservaco
dessas mesmaa obras, devendo ser arrecadado por
cada duas leguas as eatradaa provinciaes, e de
conformidade com o respectivo regulamento.
S. R.Buarque.
N- 1*
Emendas adoptivas ao projecto de oreamento
provincial.
Ao art. 20 depois da palavra Recife, accrescen-
te-seinclusive os dotes dss exposias.
Ao art 33 accrescente-sa1:75#217.
Ao artigo additivo que restabelece as congruas
dos coadjutores aerescente-se 12:6009. Souza
Res.Biro de Muribeca.
N. 15.
Additivo ao substitutivo do art. 37 do
F .e
*\wy^uBwi^^&&&
qae tem de levar oa
20 1 hora da tar-
orsa-
difauM .Aofinil acreseente-se-o presidente ds pro-
uixeHM Mro. i tqCI, regaiu. 0 modo por que devem ser feitos
oWm
a commisio desta casa
actos a sa necio oo da
de. Inteirada.
Um requerimento de diversos propietarios de
acougaes neita eidade pedindo a revogaco da
poitura municipal que prohibe a existencia de
taes eetabelecimenlos as lojas de sobrados o
casas terreas com solio.A' commissao de ne-
gocios de amares.
O Sr. Aguiar (pela ordem) teDdo em ama das
seisoes paseadas felto uma reclamacao pedindo
a commissao de policia uma providencia a rea-
peito do fado com elle occorrido de ter o pro-
pietario do Diario, que publica os trabalhos da
casa, se negado a entregar-lhe um seu discargo
que proferto na casa acerca dos negocios elello-
raes de Goisnna, e at agora nenhama provi-
dencia tenha sido tomada, nenhuma explitaco
mesmo lhe tenha sido tomsda, e eatando certo
porm que a commissao de policia nao despresou
o seu pedido, nem por modo algem coosentir
qae o escndalo o mais revoltaote, e rebelda a
mais inquallficavel da parte desse proprietario,
continuem violando um contrato que faz com a
casa, sem uma providencia qualquer; pede o
honrado membro uma explicago da parte da
commissao, quinto convenha para que o publico
qae leu esta sua reclamacao, veja que ella nao
foi despresada pela nobre commissao de po-
licia.
O Sr. presidente dix que preveodo o contrato
para o apanhameBto dos debates da assembla o
caso de doenca, morte ou faga dos tachygraphos
contralados, se deve uma dessas hypotbeses,
porque um dos tachygraphos tinha por doente
deixado de se apresentar para cumprir as obri-
gaedes do seu coolrato, pelo que vio-se o con-
tratante da publicacao dos debates na necessida-
de de empregar am outro tachygrapho, o mesmo
que apanhou o discurso a que se refere o nobre
membro, mas que negando-se esse tachygrapho
por desiotelligeneias com o contratante entrega
desse discurso, nio poda sar a isco compellido,
visto como notem conlrato que rteso o obri-
gue. A vista disto, dix S. Exe., nio ha remedio
a dar-se reclamacao do nobre membro, nem
pode ser por tal culpado o empresario.
ORDEM DO DA.
Continuaco da 3a discusso do projecto de
oreamento provincial.
vo a mesa e apoiam-se as seguintes emen-
das :
N. 21.Ao art. 26 2.Em lugar de 6 por
cento da cobranza judicial, diga-se8 por cento
sendo o accrescimo devidido entre o juiz e o
procurador fiscal ou seus ajadantes.
f S. R.
iG, de Drummond. -
t N. 22.Ao art. 26 4*.Diaria a um aer-
i,eMn5AgMUflc,ao de 48*000 wliro
1:2003000.
S. R.
J. Mallo Reg: i
W. 23. Additivo. Ao 60-menoa as
fractas.
_ _. m Ltlx Felippe.
N. 24 Para deas pontea, sondo uma no
no Serlnbem defronte da villa do mesmo nome,
e oulra no rio Ipojuc defronte da villa da Esca-
da.Alvaro.Neto.Amaral.Cunha Figueire-
do.Ignacio Leo.
O Sr. Buarque: Senhor presidente, o artigo
substitutivo oflerecido por alguna honrados col-
legas autorisa o presidente da provincia a alterar
como entender mais conveniente e equitativa a
tabella ltimamente dada acerca da distribaicao
da porcentagem dos empregados do consulado
provincial, sendo a mesma tabella suspensa em
sua execucao actual.
Anda nao Uve, senhor presidente, a honra de
ouvlr a nobre commissao de ornamento, acerca
dos motivos que teve psra dar por approvada
essa tabella; mas estoa bem persuadido, que
foram ellas bastante poderosas para que assim
a determloissem.
O artigo substitutivo mandando reconsiderar a
tabella, parece qae nao ella equitativa, fax crer
que essa tabella en cerra defeitos que reclama m
essa reconsiderado; entretanto, senhores, creio
que os nobres depatados signatarios do substitu-
tivo se aeham em erro, por qaanto a reconsde-
ragao dessa tabella, importa um acto iuiquo e
deshumano. E' iniquo esse acto, por quanto a
tabella existente eminentemente equitativa, e
iodo aquello que Itfls&f nu yiIi para ella
comparando-a com a amiga dlstnbuico das
qaotas, ha de reconhecer a verdade que acabo
de proferir na casa.
(Ha um aparte.)
O Sr. Buarque: A tabella antiga era com-
pletamente desigual, o namero das quotas des-
tribuidas nao se achava proporciooalmente de-
terminado com relaco a cathegorii dos empre-
gados. Nella o administrador da repartigo
tlnha 13 qaotas, os cheies de seccao 12, os pri-
meiros escrlptararios 7, os lanzadores 6, ss se-
gundos escripturarios 6, os terceiros 5, e o fiel
5. Desta simples leitura se v que o numero de
13 para 12 nao aa acha na relaco que deve ha-
ver na cathegoria do admiotatndor da repartigao
para os chefes de seccao ; em seguida se observa
que teodo estea^lfhpotas, osprimeiros escrip-
turarios JeovJ," o qae um desequilibrio bem
pronunciado: manifest.
Se o administrador que o chefe da repartico
tem mais uma quota do que o chefe de secejio,
como explcirqae o primeiro eicripturario teoha
menos 5 quotas do que o chefe de seccao, quan-
do se pode efflrmar que a cathegoria do chefe de
secgo para a do primeiro eseriplurario nao a
mesma qae entre aquello e o administrador da
repartido 1 Emum, eu creio que quando a casa
mandando reconsiderar essa tabella antiga, co-
nheceu ipjo fado esse desequilibrio, que agora
tratei de demonstrar, sendo por tanto intil
acreicentar sobre elle alguma cousa para mos-
trar que efectivamente essa antiga tabella era
desigual, nao guardava proporgo.
Antes porm de ir adiaote, aenhor presidente,
ea lerei a antorisacao concedida por esta casa
para que o preaidente da provincia reformaaae
ou destribaisss melhor a porcentagem do consu-
lado.
No art. 31 da lei do oreamento vigente se nota
o seguinte: (15) empregados, ficando o presi-
dente autorisado contemplar o porteiro com a
cathegoria de 3 eseriplurario, e bem assim os
guardas, na que Ihes competir pira regular e
com ellas repartir a porcentagem......
O Sr. Witruvio ; J v pois que nao mandou
reconsiderar a tabella, mas sim incluir os guar-
das e o porteiro.
O Sr. Baarqae :Pois bem ; eu deiejarei mai-
to que o nobre deputado demonstre o que acaba
de dizer.
Sr. presidente, eu quera que se me explicas-
se o que significa destribuir quotas ao porteiro e
aos guardas da repartico, qaando alies as nao
tioham, nao ser reconsiderendo a tabella ;
quero que se me diga qaal o meio pratieo de
resolver este problema. Tanto o espirito desta
casa foi mandar reconsiderar a tabella, que ac-
tualmente se d uma antorisacao anda mais am-
pia do que aquella, por que ae enlende que esta
nova tabella, alias mullo equitativa,-nao agrada,
nao satisfaz o espirito de maitos, ou a um fim
qaalquer. ^s
A tabella, Sr. presidente, contempla mais o
porteiro a os gaardas, e toda a tabella qua uves-
se de destribuir qaotas para esees agentes, teria
sem dunda da ir procura-Ios naa quotas que
percebem 1 aquellas dos empregados que esto
JA"r1"" _a/iuinhoadn. It A aun A raaular.
quoe natural, lato oque effestivameote
r^ajfe^B^ss rTsu&,qe
nao reconsiderando completamente easa ta-
bella, e estabelecendo uma proporcionalidade,
entre as qaotas dos diversos empregados atten-
dendo as suas diversas cathegorias? Eu enten-
do, senhores, que este o nico meio pratieo,
o meio mais equitativo, maia humano mesmo
para que se chegaaie ao fim desejado, ao fim
qae se teve em vista mandando reconsiderar a
tabella.
O qae se pretende faxer agora mandando-se
reconsiderar essa nova tabella, e alem disto aus-
pendendo-se a aai execucao 1 Sem davida uma
melhor deslribuico as quotas ; creio que este
o fim< Mas, senhores, ser poisilvel dar-se uma
maior deslribuico as quotas ? Creio que nao.
Para que essa destribuigo sejs equitativa ne-
cessario que nella baja proporgo com hierarchia
dos empregados ; isto que os empregados al-
tamente collocados tenham maior numero de
quotas e que a differenga de uns para ostros seja
correspondente a cathegoria dos cargos que elles
exercem. Eis aqui, aenhores, um principio
verdadeiro, segundo o qual se pode dar essa des-
lribuico. Mas, senhores, se vos examioardes 1
actual tabella, veris, que o administrador tem
17 quotas, o chefe de secgo 14, os primeiros es-
cripturarios 12, os segundos 10, os langadore
10, os terceiros escripturarios e o porteiro oito,
e os guardas duas ; veris portento a proporcio-
nalidade melhor estabeleelda, aquella que aeria
mais para desejar, e que perfeitamente cor-
respondida a cathegoria dos diversos empre-
gados.
Um Sr.
mais.
O Sr. Buaaqae :O porteiro tem de mais diz
o nobre depatado ; mas se a tabella tem esse
deleito....
Um Sr. Deputado Fica sanada pela
menda.
O Sr. Buarque":D'onde se collige isto ? Por
ventura o dizer-se que o presidente fica autori-
sado a alterar como ialgar mais conveniente a
actual tabella, podar fazer com que o porteiro
tenha menor ordenado Creio que nao ; creio
que vista do substitutivo o presidente nao pode
deixar de contemplar o porteiro na cathegoria
de 3' eseriplurario.
(Crasam-se diversos apartes.)
O Sr. Buarque :Se a assembla determina
qae o porteiro seja contemplado na cathegoria de
3 eseriplurario, como pode elle ter menores ven-
cimentos do que os terceiros escripturarios f Eis
aqai o qua nao comprehendo.
Depois disso, senhores, como se tem a deshu-
manidade, permitta-se-me a expresso, de man-
dar suspender a tabella, determinando-se que o
porteiro e os guardas, fiqem privados dessas
quotas ? Esse porteiro, e esses guardas, que mal
tero o neeeasario para a sua subsistencia, anda
mesmo com essas quotas, esses homeos que ne-
cesiariamente contavam com esta iosigoifican-
tissima remaoerago para occorrer as suas mais
vitaea necessidades, como ficaro ? Como ae
comprehende, senhores, que esta casa admita
um substitutivo, que manda suspender essas qao-
tas, commettendo uma iciqaldade, urna desbu-
manidade desta ordem ? Oh I aenhores I Pois
eoto, alem de qaererem que se considere a ta-
bella, pretende-ae anda suspender os vencimen-
tos desees pobres empregados 1
O Sr. Mello Reg (Joaquim):Elles nao vive-
ram al o anno passado sem esias quotas?
O Sr. Buarque:Mas o nobre deputado nao
sabe que odese, que mesmo deshumano, to-
das as vezes que se d uma remunerago a um
empregado com o carcter de permanente e mais
tarde se lhe vem arranea-la 1
O Sr. Mello Rogo (Joaquim):Nao se lhe ar-
ranca.
O Sr. Buarque :Desde o momento em qae
vs mandaes suspender a tabella qae consigna
duas quotas os pobres guardas do consulado,
elles por certo nao coulinuaro a perceber essas
qaotas sem que a tabella aeja reconsiderada.
O Sr. Agaiar:Isto ser um motivo para que
o presidente a reconsidere immediatamente.
O Sr. Baarqae :Entao o que os nobres depu
lados qaerem com isto, atlrar um projeelil pa-
ra que o presidente da provincia com maia pres-
sa reconsidere 9U9 teto. (Nao apoiados) E' a con-
sequencia; quer-se colloear o presidente debii-
xo de um presso, quer-se-lhe stirar uma bom-
ba ardente para que sem demora ae
iravalho di sei antecessor.
OA UA EMANA.
f* SePDdt J.i0 ".' ; S> EdeltruV rainluu
24 Terga. & Naseimeolo de S. Joo Bafcptista.
55 Quarla. S; Guilherme ab. ; S. Febronravsvm
i26 Quinta. Ss. Jso o Paulo irruios B,W
7 Sexta. O Sanlissimo Corceo de Jesa's
3 nbi?d0* SI L,a0 "M* Argemlro m.
29 Domingo. A purea de Nossa Senhora.
ASSIGNA-SE
|no Recife, em a llvrarla da praga da Indepen-
dencia ns. 6 e 8, dos propriatarios Manoel Fioee-
Iroa da Farla ex Filho. "
Senhor presidente, eu comprehenao a neceen-
dade que temos do tempo e portento concluirei
as miabas obiervagoes sobre este ponto.
Mais ama palavra em justificago das emendas
que offereci. e concluirei.
Existe um additivo meu autorisando o presi-
dente di provincia a contratar o ealgamento da
eidade do Recife. Moatrando assim que me acho
coherente com as coosiderages oflrecidas por
mim casa em meus discursos ulteriores, nao
direi cousa alguma em susteotago dessa medida,
alem do que Uve a honra de manifestar aos meus
nobres collegas: deizo sua apreciago, ao aeu
criterio o mrito desla idea.
Urna oulra emenda eleva a verba das aposen-
tadoras com a quantia neeessaria para pagamen-
to *do ordenado do medico aposentado Dr. Joo
Jos Pinto.
Offereci anda outra disposigo mandando fazer
applicago especial do pedagio das estradas e
pontee, conservago e reparos dess mesmas
obras. E' anda umi consequencia dos discursos
qae eu profer nesta casa, mostrando conve-
niencia da se dar uma applicago especial a essa
renda, nao como tem sido at hoje arrecadada,
mas fazendo-se effeclivo o regulamento respec-
tivo.
Foram estas apenas aa emendas e additivos
que offereci a considerado da casa. Nada mais
direi.
O Sr. presidente:Tem a palavra o Sr. Torres
Bandeira.
Vozes:Votos, votos.
O Sr. Torres Bshdeiri:Cedo da palavra.
O Sr. Witruvio :Cedo da palavra.
Encerrada a discesio o projecto posto a vo-
tos e approvado com as emendas de numeros 2,
3, 7, 8, 11, 13. 14. 15. 16 e 20, 21, 22 e 23.
3a discasso do projecto de orgamento munici-
pal.
Vo a mesa e apoiam-se ~as seguintes emendas
que entram em discusso com o projecto.
Additivo as disposigoes geraes.
a Fica a cmara municipal de Olinda aulorisa-
da ajconlratar o afora ment perpetuo de 23 pal-
mos de terreno alagado, sito na ra Imperial
desta eidade com Joo de Medeiros Raposo ou
com quem melbores vantagena offerecer.S. R.
Veiga PessoaCintraWitruvio.
Cmara de Iguarass.
a Art. 4o 2* depois do cogoome Miranda
acresceote-se ao eserivo Jos Mara de Caldas
Brando e o official de jastiga Manoel Ferreira
de Mondongao mais como no artigo.Ama-
ral.
Cmara do Limoeiro.
c Com mobilia para a easa das seases do jury
800*000.Catanho.
Cmara de Peaqueira.
a Com mobilia para a sala das sessoes do jury
2OO9OOO.Catanho: a
Art. 13 2 na terceira parte inclusive o
se deve ao bacharel Francisco Teixeira de S
cuitas atrasada!, desde que exerceu
da juix municipal e delegado de polici
aentido eleve-se a verba.S. 11.Aug'
C. Fenelon. >
0 O. Cu.k t iBma> ODidorac5ea em
jaatificago de as emendas.
Encerrada a diicuMio a a ptojaeto approvado
com as emendas, ficando ellas anda depeadendo
de 2* discusso.
Contina a discasso do projecto n. 16 deste
anno com os additivos offerecidos.
Val mesa o seguinte additivo :
0 fornecimeoto para o sustento e curativo
dos presos pobres e escravos ser feito de con-
formidade com as consideragdes feitas pelo me-
dico da casa de detengo om 16 de agosto de
1861 sobre a tabella organsada ento.Souza
Res.
Verifieando-se nao haver casa, a discusso fi-
ca adiada.
O Sr, presidente designa a ordem do dia e le-
vanta a sesso.
Deputado : Has o porteiro tem de
e-
neste
sto Leo
SESSAO ORDINARIA EM 20 DE JUNHO DE
1862.
Presidencia do Sr. bario de Vera Cruz.
A 1 hora da tarde aberta a sesso approvada
a aeta da anterior
O Sr. 1* secretario d conta do seguinte
EXPEDIENTE.
E* lido e deixa de ser julgado objecto de deli-
beragSo o seguinte projecto :
A assembla legislativa provincial de Pernam-
buco resolve:
Art. nico. Fiea o presidente da provincia
autorisado a mandar pagar a Jos Polycarpo de
Freitas professor jubilado de primeiras letras do
collegio dos orphos a differenga de 200*000 ris
que tem deixado de perceber de seu ordenado il-
udo pelos est utos do mesmo collegio de 13 de
Janeiro de 1855 desde a data da publicago des-
ses estatutos at hoje, e d'aqui por diante; re-
vogadas as disposigoes em contrario.
Sala dis commlsses em 20 de junho de
1862.Torres BandeiraWitruvio.
O Sr. Buarque declara como membro da com-
missao nomeada para levar a sanego alguna ac-
tos legislativos que S. Exc. dissrs que os tomava
na devida sonsiderego.
ORDEM DO DA.
- 2* discusso das emendas apresentadas em 3a
discusso ao projecto de orgamento provincial.
Sao approvadas a exeepgo da qae augmenta
a porcentagem da cobranga do judicial.
2a discusso das emendas ao projecto de orga-
mento municipal em 3a diicuisao.
Sao approvadas.
Eotram em discusso e sao approvadas as pos-
turas da cmara municipal de S. Bento.
3a discusso do projecto o. 16 deste anno.
Vo a mesa alguos additivos.
Verificando-se nao haver casa fica a diseusso
adiada.
O Sr. preaidente designa a ordem do dia e le-
vanta a sesso.
REVISTA DIARIA.
Na sesso de sabbado oceupou-se a assembla
provincial na hora do expediente de am requeri-
mento do Sr. Agaiar eerea do estado mo da il-
lumlnago publica ; e fundamentando o seu re-
querimento, notou irregularidades que na mesma
se do.
E' approvado o requerimento, em que sao so-
licitadas informad-oes a presidencia.
O Sr. Witruvio reclama sobre a omisso da se-
ta, quanto a approvago das posturas da cmara
de Papacaga ; e rectificado esse engao no sen-
tido da reclsmago.
Sendo lida a redaego do orgamento municipal,
a mesma approvada; o que d-se para com a
provincial.
E' votado e approvado sem debate o parecer da
commissao de policia sobre a publicago dos tra-
balhos da essa.
Em seguida lida a acta de eoeerramento di
sesso com as formalidades do estylo, dando o
Sr. presidente por terminados os trabalhos da pre-
sente legislatura.
Achi-se no exercicio da 2a vara municipal
o Sr. Dr. Francisco de Araujo Barros, ordenando
que subissem 4 sea conclaso todos as feitos que
estivessem preparados.
Reissamio a dlreeco do Curso Commercial
Pernambacaao o S. Dr. A. Witruvio Pinto Ban-
deira e Aecioli da Vaeconcelloi por taram-ie con-
cluidoa os trabalhos da iisembtta provincial, na
qual tinha o mesmo Sr. assjktoi
No dia 19 celebren eit t Apostlo,
de Olinda, sua primeira missa o m. Sr. padre
veja esse Amaro Theoth, orando nesaaNMcnuado 0 Rtdj.
1 Sr. padre Jos Eitoref Yjet,
Nao houve pompa neise acto, mas gaardou at
decencia conveniente.
O celebrante novel deveria sabir ao aliar pele
enmeira vez na festividade de S. Antonio, no cea-
vento de S. Freaeisco daquella eidade : o que to-
tova nao teve lugar por impedimento.
De Ulioda dizem-nos, que os furtos a os rom-
bos se vao alh succedeado; pSfUs sao abalr-
dai noile. e a seguranga de propriedade urna
burla, visto os ataques que lhe sao feitos inmu-
nemente. *
Este estado reclama por providencias enrgicas
e por maior actividade da parte das autoridades,
tanto mais quinto um pequeo destacamento de
meia duzia de pregas, que all ba, mal chega para
guardar a cadeia, aem comportar o servigo das
rondas, alias mui neceisirio em tal aituago.
O Sr. Dr. Theodoro Machado Freir Pereire
da bilva, chefe de policia nomeide parda provin-
cia de Sergipe, seguio no dia 20 para ahi, aflm d
ir entrar em exercicio desse cargo.
Desojamos prospera viagem a S. S., e que em
sua eipinhosa commisio eontinae a prestar ao>
paz os seus bous servigo,. como o tem at hoie
praticado.
Remettem-nos o seguinte :
Achamo-nos em veaperae de S. Joo, eos
amantes desse brbaro brinquedo de fogo buscap.
se preparara para grandes manobras. Ha sugeiti-
ohos que com pistolas e grandes bombas tem de
atordoar os ouvidos dos pacficos visinhos, e de
quem por soflmenlos physicos nao os pode
soffrer. v
As changas recem-nsseidas e mesmo de mais
loaga idade passam nessas noites por fataes sus-
tos, que oa Ibas acarretam coovalsoes, e nellss
suecumbem, ou fleam com soffrimentos chronicos
incuraveis; emfim de toda a maneira mui pre-
judicial semelhanle brinquedo, que produz incen-
dios, derrama o susto, e faz victimas.
Pedimos ao Illm; Sr. Dr. chefe de policia que
providencie nao s nesta capital, como tambem
nos suburbios, e ainda em Olinda, aonde se os-
tenta a despeito da policia o tal furor.
A vista dos acootecimentos extraordinarios
que tem tido lugar oestes ltimos dias, nesta pra-
ga, a commissao permanente do Novo Banco de
Pernambaco, composla do preaidente da direcgo
Manoel Gongalves da Silva e dos directores ge-
rentes Joo Ignacio de Medeiros Reg e Luiz An--
tono Viein, convido a toda a direcgo e ao fia-
cal do goveroo o Sr. Joo Gongalves da Silva para
proceder-se am balance geral na eatx\ letras
e em todoa os valorea que' ezistem no estabeleci-
mento, e tendo isto lugar nos dias 20 e 21 do cor-
rete, foi tudo acnalo exacto e conforme.
Na quinta-feira noite S. Exc, o Sr. pre-
sidente da provincia, dignou-se visitar o Gabine-
te Portuguez de Leitura, mostrando-ae satisfeito
por eoeotrar um estsbelecimento em estado flo-
reseente, como esse.
Perante o Sr. Dr. juiz do comraercio con- -
cluio-se sabbado o inventorio da sociedade em
ommanditaAmorim, Fragoso, Santos & C.,ao
jual ssaistiram os curadorea fiscaes da massa fal-
lida, o depositario interino e o socio Fragoso, re-
conhecendo-se haverem mais de mil contos de rs.
C^'.Iaaaiaa d oom peiBoai, figurando quatro
Bgljis pala somma de 936 contos, as seguioles
pa*c?Ua/:.UIM 287 *,r 23&> oult 297 e a
qnarta f 34.
A*s daas horas da tarde desse mesmo dia teve
lugar a reuniao dos credores, oa salla daa audi-
encias do Sr. Dr. juiz do commercio, para o fim
de nomearem depositarios aos heos da massa, S
qual comparecern) 59 cridores diversas pendas
mais interaliadas, que nao poderam tomar parte
na votago, por se nao acharem legalmente pre-
paradas.
Sendo proposta, pelo Sr. Dr. juiz do commer-
cio, a eleigo de um, dous ou mais membros pa-
ra depositarios, decidia-se que fossem tres por
30 votos contra 29.
Passando-se votago, sahiram eleitos os Srs.
P. C. von Schoslen 40 votos.
S. P. Jonhslon 32
C. J. Astley 21
J. Jeronymo Monteiro 21 <
decidindo a maioria que servissem todos qustro,
visto o empate dado.
Amanheceu no sabbado aberta a porta da
prensa de algodo doa Srs. Brito 4 Jos Luiz, no
forte do Mattos, reduiindo-ie o roubo alguma
roupa, visto nao teram os ladroes encontrado
nada na carteira que arrombaram. Sappde-se
haverem os ladroes pernoitado oa prensa, por
quanto nenhum indicio se notou de arrombamento
ea porta ou telhado.
O mu digno Sr. administrador do nosso
Correio, apenas recebeu o officio, que publicamos
em a antecedente Revista, pedio ao Sr. Dr. juix
de direito de Flores fizeise instaurar o respectivo
proessso de responsabilidade aos agentes de Villa
Bella o Flores, pelo deleixo com que aonsentem.
seja feito o servigo postal. Mil louvore, pois,.
rendemos esse Sr., pelo lnteresse que toma no
exacto cumprimento dos deveres de seus subordi-
nados. Eis o officio que elle dirigi :
111 ra. Sr.Sciente pelo officio qae V. S. me di-
rigi em data de 24 do mez de maio ultimo, que
os ajudsntes em exercicio dos agentes do correio
em Flores e Villa-Bella, teem tolerado as irre-
gularidades, abasos e relaxagoes dos estafetas
qae para all se dirigem, o que tanto mais me
leva a crer, quanto me consta que o estafeta De-
metrio Martina Vianna, expedido desta adminis-
trarlo no dia 22 daquelle citado mez, fleara em
Flores, como da verba laogads na respectiva guie
pelo ajudante do agenta em Villa-Bella aev&
haver all chegado o referido Demetrio, qaando o
contrario se verifica de aua assergo ; venho por
issorogara V. S. a expedigo de suas ordens no.
sentido de serem responsabilisados na forma da
let aquellos referidos ajudantes de taes agencias,
dignando-se V. S. communicar-me o resul-
tado. '
Daos guarde a V. S.Correio de Pernambuco,
19 de junho de 1862.
Illm. Sr. Dr. Joaquim Gongalves Lima, jaizd-
direito de Flores.
cO administrador,
Domingos dos Passos Miranda.
Repartico da polica.
(Extracto das partes dos dias 19, 20 e 21 de ju-
nho.)
Poram recolhidos i casa de detengo no dia
18 do correte :
A' ordem do subdelegado do Reeife, o belga
Joaquim Verbiest, de 32 aonos de idade, dado &
agricultura, por desobediencia ; o pardo Joaquim
Dias da Silva, de 22 aonos, eitivador, por sus-
peito. e o africano Pedro, de 55 iodos, escravo
de Felippe Nery dos Ssntos, por andar fgido.
A' ordem do de Santo Antonio, Boaventara Jo-
s Candido, pardo, de 23 annos, serrador, por
crima de ferimentos leves, e vai por isso ser pro-
cessado, a Ricardo, tambem pardo, de 25 annos,
escravo de Antonio Valenlim da Silva Barroca.
por andar fagido.
A' ordem do de S. Joa. Alexandre Pereira de
Brito, semi-branco, de 30 annos, pedreiro, a Fir-
mina Jos da Costa, crioulo, de 27 annos, ganha-
dor, por briga.
A' ordem do da Boa-Vista, Pedro, africano, de
24 annos, escravo de Mariano Jos Barbosa, re-
aisigo deste.
-Dia 19.
A' ordem do Illm. Sr. Dr. chefe de polica, oe
pardos Herculano Monteiro da Costa, de 18 an-
nos, pedreiro, e Luiz Jos Maniz, de 19 annos,
tornatrs pata recrutas.
A' ordem do Dr. delegado do primeiro distric-
to, Vililteo Cardoso Rodrigan de Barros, pardo,
de 22 annos, pescador, para recruta.
K' orden do subdelegado do Reeife, o ameri-



KA I ITiil A iS Al
kV
. -
-I I I l-A^lV #
.-:
i


< atobert Blaee, o* 43 ati 101, bg arijo, i re-
liaicio do especliro contal
A' ordena do de Santo Antrr io alanccl Aatoaio
-de Nojoia Nitro, pardo, de 32 amos, ferreiro, por
auapeiis de ser deeerior, A4surodn tel Frsn-
ieco de Anejo, crioulo, de f>or briga.
A.' ordem do da Capuuga, Ereq uiel, crenlo, de
45 aono, eacravo de Joa Vt ret da Cruz, como
indiciado no crime previsto oo arl. 199 do cod.
dan.
Da 20.-
A' ordem do Illra.<6r. Br.. .befe de polica, oe
C'rdoJos Joaquim de Sant' toma*.da 20 ton*,
adado lagricutlura.enlnciaciaeapneilado; Joea
Aatontda SilvaBaodeira.de 24 armee, ftrreira;
*,aM*no Jo,e de ****. ** 20 annea sata
fflcio, como desertor; Alixttidte Barbos da
**, brinco, (de 20 atino, sapaleiro, para re-
trata ; e Joo Cameiro Duarte cu Btrros da Sil-
va, tambern braoco, de 20amos, ddo i a>ric*l-
aw, como pronunciado ent.crimci de estetttonslo,
iodo, ledos do termo de Nata -eiti.
"" A ordem do Dr, juiz de direetc da segunda ra-
a criminal, Manoel de Acev-do Pontea, portu-
gaez, de 26 anooa. que ke do negocio, pronun-
ciado m crime de iallencia culpoaa.
A' ordem do Illm. Sr. Dr. cfaefe de polica, o
jardo Graciano Jorge de Freita, de 2 anooa,
*em offlclo, o crioulo Aoljnio Francisco daa
Cbagas, de 18 aoDoa, marcenciro, para recrotaa.
A* ordem dcDr. delegado do 1" dstricto, Joan-
ana Brasilioa da Cotta e Silva, briinca, de 20 ao
-no, cofctureira. por inaultoa i robado um ios-
.pecior de qaarteiro.
A'ordem do aebdelegado de Santo Antonio, o
crioulo Joa Miria, da 14 aoiiot,, eacravo de um
al Amara), por disturbio, tundo declarado aer
ira*.
A' ordem do da Boa-Viate, o pardo Armando,
e 12 annos, eacravo de Laii Sonies Ferreira,
x^quieicao deate.
A' ordem do da Capuoga, o aldeano Antonio,
e 30 aonos, eacravo de Antonio da-Cunha Soa-
ses Guimarea, por tar aido encontrado depois do
oque de recolher abofeteando a outro.
O chafe da s< ganda seceio,
/. G. de desquita.
Uovimento da caaa de c etencao do da 20
de junbo.
Exiatiam...... 866 preso.
DIARIO DE PEBNAMBDCO *f 5R6CR01 fRIRA
Mtfla,
ellaaao, Jos lento
Appellante, o jaizo ; appellado, Manoel Bexer-
ra das Nave.
I Appallsnte, Pedro Antonio Alve; appellado,
Jos de Souza Das.
Appeliante, o iulzo ; appellado, FraociKo Mar-
Una Gome.
Anpetiante, o juizo ; appellado, Julo Andrade
do JWutitt. :
^A^jjj*afc jajio ; afwladaV Joa Gre*
Appaalante, jatea ; 0a*j[a4o, Jote Air,
bitos k
Appaanfau o jeito
Ferresr* da Silva.
JtfjWtlante, o promotor J appeHadtr, Joio
Ffancitco de Moraea.
Appeliant, Joaquim Pedro de Almeida ; ap-
pellado, o juixo.
AppeUante, Victorino' Airea da Si Ira ; appel-
lado, o juixo.
DISTRIBTIQaO.
Ao Sr. desembargador Gitirana :
Appsllac&o civel
AppeUante, Paulino Prea Ferreira : appella-
do, Manoel Camillo Pires Falcao.
Ao Sr. desembargado* UchVGavaleanJl:
Recurso commercial.
Recorrente, o juizo ; recorrido, Claedio Du-
beux.
Encerrou-se a sesso a 1 hora.
* Eotraram...... 14 D
Sahiram....... 7
Existem....... 387
A aaber:
Naeionaee..... 261
Estrangeiros.. 27
Mulberes...... 4
Escravos...... 75
Escrava...... 6
150
ippttlapS
AppeUante, Ignacio Goa
o, o juixo.
cnmes.
o mes Utrinho
appelle
n B n o
3 3 s a* V-m M- i a* m 3






: 1 * l
8
W I
I
I -
I I I
I SI
S5
HascaBo. !
______________I
I
Famioino.
8?
8 5.
I I I
-I
_ Masculino.
o> I
lili
Faminiao.
e M
I'I
lili
N>
Masculino.
I I
I I
Femioino.

NascaliV- !
2
o
<
S
f
o
o
c
m
o
S
I I I
;i o i i
! m, { Feminino.
o I to I_____________
9 <>
Miscalioo
I I I
I I I
al
Feminino*
la
3*
ti
Na lotalidade dos doents existem 133 alie-
nados, sendo 4 homens e 16 mulheres.
Fiirara visitadas as enfermaras estes quatro
diaa: no primoiro a 7 horas : no segundo a
8 horas e 3(4 ; no terceiro a 7 horas elj4 ; no
qaarto 6 horas e 3|4 da manhia pelo Dr. Fir-
mo no impedimento do Dr. Dornellaa ; e a 5 e
3|4, 5 3j4. 5 1(2 da tarde pelo meamo Dr. Fir-
mo ; a a 7 112. 81 (2, 7 e 35, 8 hora da manhia
pelo cirurgiao Pinto.
OURIO DE PERNAMBUCQ.
Total........ 873
Alimentados a casta dos cofres pro-
vinciaea...................................
Movimen'.o da enfermara do dia 21.
Teve baia
Jatooymo Peesoa da Silva ; broochite.
Paeaageiros do vapor naonal Jjuarasst,
ahilo para ut porteado norte : Bollero Andrea,
Ignacio Lourenco Dias, Vicent'j Ferreira Los de
*eula e 1 criado, Joo Antonio da Rocha, Frede-
rico da Costa Mooleiro.
Paasageiroa do vapor nicional /ajuori6e,
arindo de Aracareportoa intermedios: Pedro No-
lasco Baptista e um escravo. Fraociaeo Ferreira
Comea M., Joaquim Jos deCa-valho Mendooga.
Jos Alores do Nvsclmento, D. Jone; ha Mara do
Palrocioio e um filho menor, Dr. Llvioo Pinto
Braodo, sua senhora, amsobrinho menor, dous
criados e dous escravoa, Apolioario P. de S. e
Felippe de Souza, Joo Bsrrozo de Carvalho, Er-
tnilina de Moura Mello, Manoel Alves Leasa, An-
tonio Lourenco de Sbuzs, Manot l Pereira de Aze-
vedo, sua aenhora e 1 eacravo. AcIonio P. Benl-
emmuller. Primo Pacheco Bcrgo, Manoel da
Almeida Baatoa, Francisco Moreira Maia, Fran-
ico Botelho e aua aenhora, Jos Bodrigues de
Andrade, Miguel Jos Ilorende d'Assuraptlo,
Antonio Francisco Monteiro da Silva, Antonio
Jote Duarte Coimbra. dous escravos entregar,
Jooquim da Fooaeca Silva, Dr. Franciaco Lucas de
Souza Raogel, sua aenhora, dous futios menores
de 3 annos esete escravos, Frac cisco Pereira No-
*aea, D. Maria do Rosario A Lina, Ettevo Coe-
Ihoi de Mello e um escravo. Rosemiro Coelho d
llello, Jos Jaouario Aranha, capillo Aoacleto
Joa de Mattoa, um ofBcial que o acompanha e o
amarada deate.
Matadouro publico :
liataram-ae para o coasumo deala ctdade^no
*a 21 d9 crrante98 rexea. \
Obituario do da 21 de j.jnbo, no cnits-
mo publico :
Miria, Parnaonbuco, 18 dias, S. .os ; ttano.
Rita, frica, 70 aono, solteirj, eserava, Boa-
Vista ; hypericardto.
franaelino Chacn- Filho, Pernamtuco, 8 annos,
Boa-Vista ; congesto cerebra .
Joaquina, frica, 60 annos, viuvs, S, Jos ; hy-
dropasia.
CHRONICAJUDICIARIA.
Tribunal da ReUieao.
SESSAO EM 21 DE JUNIO DE 1862.
PRESIDENCIA DO EXM. SR. CONSEI.HEIRO ER1ELINO
DE LEO.
A's 10horas da manhaa, presentes os senhores
deaembargadoresCaetaao Santiago, Silveira, Gi-
tirana, Lourengo Santiago, Motn, Peretti, Accioli
e Ucha Gavalcan e os juizes de direito Mara-
nhense e Bandeira de Meilo.fallando o Sr. desem-
bargador Guerra, procurador di carda, abrio-ae
a sesso.
. Paseados os feitos, e entregue.! os distribuidos
deram-se os seguales
JLLOAMENTOS.
Agqravo de petico.
Aggravante, Loureogo Puggy ; aggravado, o
juixo.
Relator o Sr. desembargador JIotta.
Sorteados os Srs. desembar jad ores Peretti,
Accioli.
Negou-se provimento.
Aggravante, Antonio de Siqueira Cavalcanti;
aggravado, o juizo.
Relator o Sr. desembargador Gitirana.
Sorteados os Srs. desembargadores Accioli,
e Peretti.
Negou-se provimento.
Aggravo de instrumento.
Aggravante, Francisco Nobrega Silveira Caval-
anti ; aggravado, o juizo.
Relator o Sr. desembargador Accioli.
Sorteados os Srs. desembargadores Peretti,
Motta.
Negou-se provimento.
Recurso commercial,
Recorrente, o juizo ; recorrido, Manoel Ribei-
ro da Silva.
Relator o Sr. desembargador Accioli.
Sorteados os Srs. desembargadores Peretti,
Ucha Cavalcanti.
Negou-se provimento.
Appellac5e$ crinan.
AppeUante, Jos Bezerra Pereir da Silva;
appellado, o juizo.
Nullo o processo.
AppeUante, o juizo; appellado, Deodato Fef-
xei ra Campo.
A' novo jury.
DES1CNACA0 DE DI.U
Assignon-se dia para julgumento das ae-
guintes
Appellaces crimet.
AppeUante, o juizo ; appellado, Jos Firmino
deMedeiro*.
AppeUante, o juizo ; appellado, Antonio Ma-
noel do Nascimento.
AppeUante, o juizo ; appellado, Manoel Bezer-
ra dos Santos.
Appellante. o juizo ; appellado, Maria Balbi-
na da vonceigao.
Appellante, o juizo ; appellado, Lourengo Jos
OI rfllXSO
AppeUante, o jaizo ; appellado, Manoel Bao-
Aisla do Reg.
Appellante, o juizo ; appalladc, Feliciano Meo-
dea dos Santos.
Appellante, o promotor ; arpe!lado, Manoel
Ignacio da Silva.
. Appep"le. o juizo ; appellado, Manoel doa
AnjOl do Nascimento.
PP*lla8t$ civeii.
Appellanle. padre Emjruio do IU.o Tocano de
Brlta ; appellada, a ifmaodade < o Llvramento.
Appellante, a fazenda : appc dada, Francisca
Thomizia da Conceico Cunha.
Appellante, Antonio Alvea Crrela Lima: ao-
lieUado, Pedro Lopea da Queiri Tatahira.
u Kt^irvssrd<,B,rro,; ,pp,u
^jsaiija si leguiatei l0M ^ ^ ^
a-i
wr-
BS
oSC
fe
o
P3
Fia
< Havia tallecido deasa epidemia no 1 do cor-
rente o Sr. Dr. JoaoDomiogues Ferreira Retallo.
A 12 do correte entro arribado no noaao
porto o brigua ingles BSitk Sith, capitib J, Mi
Boiatton, em viagen} da Brdl*ater em lagia-
terra, para o Cabo da Boa Biperanca, o qaaDde
arvorou dos mastaroa de gaveaae da rergafrao-
da na altura do Cabo de S. Roque. Sendoa4 a
porto mais prximo que podia demandar, tcti-
U4ia em que e ach aaaia o la; iq^ pretaad* aio do
reformavaa .vaHay qa aoffr osBaastiraaajao, asea n
eguiravscu daakio. 5 Xti,.
i7ir sagointe:
? Ora emfim tasaos^ afaoltrceatabalecido nea-
taaafitall
? Ti
Pelo vapor costeiro Jaguaribe, recebemos ear-
tss e jornaes do Cear at 18, do Rio-Grande at
20 e da Parahyba at 21 do correte. Delles co-
lhemos o seguiote:
Cear. Fallecer, victima de urna congesto
cerebral, o Sr. Jos Xavier de Caatro Silva, pae
do mui digno Sr. Joo Baptista de Castro Silva,
inspector da nossa thesourafia geral, com 80 an-
nos Damos de nossa parte ao Sr. Castro Silva
os verdadeiros sentimeotos por essa perda que
acaba de soffrer.
O Exm. Sr. presidente da provincia, no em-
pento de aoccorrer convenientemente os lugares
asfaltados pelo cholera, maodou contratar alguns
mdicos no Maranho, deatribuindo oa diapooi-
veis na cTpital pelo Saboeiro, Pacatuba, Sobral,
Acaracu e Santa Anoa, acompanhando-os dame-
dteamentos, baeta e dinheiro.
fc.18 o resumo dn noticias do* l*urcrmetlla
meltidoa pelo cholera:
Capital.Faocertm, do i" a 13 do correle,
6S pesaoaa, fleaodo muitas atacadas.
Maraoguape.Apenas alguna casos benignos se
tem dado, oeohuma victima resultando. Ha dous
mdicos os Drs. Rufino de Aleocar e Marcos,
mas falta d medicamentos.
Santo-Antonio.O mal grassa com intensi-
dade.
Aratanha e S. Francisco.Na primeira fallece-
r o Sr. Villa-Real, em cooseqnencia do abalo
que sol'reu com a extinego da familia do sogro.
No segundo apenas casos de cholerioa apparece-
ram, fallecendo, entretanto, um homem vindo de
Pacatuba.
Acarape.Nodia 21 do Crrente fez ali a sua
entrada, levando em seis horas urna pessoa, e ata-
cando muitas.
Varze-alegre.Grandes sao os estragos causa-
dos pelo mal, que j conta 120 victimas em pou-
co mais de dez dias.
Maria Pereira eTauh. Nenhum caso sedera
anda na primeira, sendo o terror da populagb
enorme. Maia de 140 victimas jase contam no
segundo.
Pacatuba.E' presentemente este o ponto mais
agouWdo pelo mal, de tola a proviocia, porquao-
lo o numero das victimas augmenta espantosa-
mente todos os momentos, chegando a 20 pes-
aoaa fallecidas no dia 4 do correte. Qualrocen-
los e tantos eram os affectados do mal; poucos
recursos teodo os iodigentes.
Ico.Declina a mal, fazendo de ves em quan-
do urna ou outra victima : a Tena, S. Matbeus e
Lavras comegam a ser invadidas, mas benigna-
mente.
Crato e Jardim. Em nenhum ponto destas
duas comarcas se desenvolveu por ora o mal.
L se no Pedro II, acerca do Aracaty:
Contina o cholera a fazersuas victimas nes-
ta cidade, porm o numero deatas val diminuindo
consideravelmente, assim como o numero dos no-
vamente accommettidos. A cifra dos mortos ele-
va-se a 230, entre os quaes se contam mui tos dos
lugares circumviziohos.
E' de lamentar tantos soUrimento, a perda
de tanta vida, sendo muito aensivel o passarueo-
todo padre Ttto Jos de Castro Silva e Henezea,
que deu a alma ao Creador no dia 22 do prximo
passado. A commisso da aoceorros resolveu
deittr luto por oito dias pela morte desle seu
maito dislincto membro.
No Io do corrente fechou-se a enfermara
choleric, lita no armazem da collectoria. De
132 pessoas que nella entraran, falUceram 48,
e cararam-se84. Cumpre notar que a maior par-
te dos cholencos para l foram j quasl no ulti-
mo periodo da molestia, e que uos quatro ou seis
apenas entraram inmediatamente expiraram.
c Na Catinga do Goes contina o cholera com
menos intensidade; no Jequi apenas tem havi-
doa cholerioa.
Na Paasagem a morte tem poalo termo
doeoga de alguns, entre os quaes se conta a mu
Iher do Sr. Jos Saboia ; porm os doentas em
tratameoto nao correm perigo de vida: o Sr.
Firmino contina a prestar maito boos servigos.
Na Canda-Quebrada o quadro lastimoso pe-
lo desanimo da populagao, que abandona os
doentes: para ali tem convergido a altence da
commisso de soccorros.a qual tem poste em ac-
go todos os meios possiveis para salvar aquello
poro tmido, mandando um enfarmeiro oSr. Pei-
xoto e aaa mulber para ajudarem ao cirurgiao
Brrelo Nobra, e aoimarem a aquella geota, en-
viando colxdes, cobertore, remedio e alimento
proprio para as dietaa doa doeotei: consta-nos,
que depois das ultimas providencias o povo est
mais animado. O Sr. Brrelo Nobre tem sido in-
cansavel no tratameoto doa doeotes, ooute e dia
trabalhava; porm oo liaba ali quero o aju
daaae, a appellara someote para sua dedicegao :
actualmente auxiliado por um bom enfermeiro a
enfarmaira pode tirar malhorea resallados de
seus incessantes trabalhos.
' Xolu PWM Ua habido cholerioa.
No Cobreiro contina o mal; porm eata ce-
de com applicago dos primeiros remedios.
Em Piraagy parece que cessaram oa casoe
fataea, o mal tea declinada consideravelmenu.
< Da Paripoeira u ultitnas noticias sano eram
isoDgeiras ao manos sao aa aaalfcorea qae tornos
tido, em compareci s dos outroa povoadoa.
Em S. Bernardo, Ngemdo as ultimas noticia
tinham j sueeombdo maia da cem pessoas de
inte lias,, M majtiae fekviat panado sesK
novidade ffapolr d primeira' Itrvatfo, e j todo
emba4vaa-flo na doee- preaempcat o>qe
llnhs elle retirado, quando de repente doua in-
dividaoe, viudos umdo Cear-marim e outro da
Maeabyba, importaram de novo essa mercadoria,
sendo elles mesmos as primeira victima de sos
propria importagio: verdade que por sea cul-
pa, pois que escooderam-se, e s manifeslaram
o sea mal oo periodo slgido-cyanico, quando
lhes nao foi mais possivel ooculta-lo, eimpossi-
vel a cora. Depois dettes tem cahido mais oito oa
das pessoas, daa quaes s ama morrea qassi de
repente, e todss as outras ou j esli boas, ou
acham-se prximas isso ; devendo-se este bom
resultado Misericordia Divina, e depois della
inteliigente e zelosa clnica do Dr. Bolvar, que
em sea qualidade de medico do partido publico,
quam tem carregado com este pesado e perigo-
so servigo, sem nenhama retribuicao especial pa-
ra elle, seno a agrsdavel sstisfago qae tem to-
da a conaciencia sincera, como a sus, de ser til
humanidade.
< No Cear-merim contina o mal sem querer
anda ceder; j anda por 80 o namero das victi-
mas feitss ao valle dessa ribeira; os proprios
convaleseidos tem recahido, e alguns morrido :
cumpre porm dizer, que isto nada em com-
parado dos estragos de 1856, qae andaram ali
por perto da 1,500 pessoas.
Na Macahjba tambern apparaceu a peste,
que parece baver ausentado a sede da seu domi-
nio no engenho vizinho Perretro-torto, do Sr.
corooe'l Eatevio Joa Barbosa de Moura, que, se-
gundo ae diz, j perdeu nove pessoas de eu caaa
eotre fmulos e escravos ; teodo elle mesmo es-
capado milagrosamente, visto que fol secommet-
tido com gravidade. Por fortuna do meamo coro-
oel a presidencia, apenas soube que o mal se ha
va declarado em Maeabyba, fes partir para l o
medico Dr. Egas Muir, que havia aqui chegado
ha tres dias, o qual teve a coragem de tlxar a su
barraca de campanha no meamo campo, em que
o cholera levantara a sua tenda, e suspeadra o
seu estandarte de guerra: e eata heroica reaolu-
>-} gao do Sr. Dr. Egas tanto foi til caaa do Sr.
g 1 coronel Eslevo, cujas perdas oioguem poder
rt | avallar al onde suberiam, nao ser esta ieliz
circumatancia, como proveitos ao crdito e re-
putagao do Sr. doulor, que por esta forma fleam
aqu confirmado por urna aulheoticidade, que
ntnguera de boa f poder contestar.
Consta, que no Ass o mal, depois de quasi
extincto, reapparecra e fizera novas victimas,
mas em pequeo numero : e em Nova Cruz, on-
de tambern eata va forte, parece que j vai de-
clloando. *
Pelo que observo, j vejo que to cedo nao
noa veremos livres de semelbante fWgello. que
deaapparece e apparece, nasce e renasce, morre
e vive, quando muito quer e Ihe aprsi.
a Por isso s oo fim da batalha se poder con-
tar com mais ou menos certeza quantos mortos e
tenaos lcaram no campo, e nos respectivos hos-
a Em um dos primeiros dias deste mez oa vil-
la de Arez, da comarca de S. Jo, um mulato,
eacravo de Joa Tavares Guerreiro, matou seu
senhor o desappareceu, sem que nem urna auto-
ndade, ou meamo pessoa do
APrM"*'ne a declarar que esse eicravo que
de faito andava fagido nao mea, mas de meu
ajeara Francisco Msnoel de Soaza Ollvetrs, con-
aenhor do engenho Cachoelra.
JSatieaoto, como a polica oa quem quer que
*^la JMartes que ae pablicam diariamente,
persuadan de que dito ewravo me pertencia,
atada desta vex, aperar de ea ter felto pablesr
mana rexea um aonuncio pedindo a appreheo-
dito escravo a daciaxando box extenso o
nome, para ser conbeaida- a peaeoa qaem
Pieria ser ntrague nettasisdkjL anda desta vex
aenbor, quea que que elle redillo a
parte oo meamo eilylo astil e>delieardo em que
tem sido redigidas oaraev lata ,eacravo per-
hmcente am tal Fonteea; ataixo asaignado
tfeciara-lhe que bem eshejRto nauta cidade
fftrde troprietarir/, tm trerpatentes da guarda
naeiooal ende- Ihe- parece-qae poaco ignorara
ser o sea nomeJos da Fooseca Silva.
por ieoieoga a cummloago com qae
foi citada a notiScad. a folhas tras vrso, e man-
do que slgam-ae os eTeitoa legaes da commina-
naglo, e pague o notificante aa cuetes.
Recite. 1 de marco de 1861trlatlo de Alen-
car Aranp.
Certifico finalmente qae a aenteoca passou-se
m jalgado.
..
Communicados.
r------ povo procurasse
prend-lo. O desamparo foi tal, que sabendo do
lacio o br. Dr.juiz de direito Paula Fessoe, que
reside cinco leguas de distancia na cidade de
9. Jos, cabega da comarca, e fazeodo em sa so-
uciiuoe pela boa admioiatrage da justiga, partir
para ali algumas pragas de polica no deaigntode
prender-se o escravo criminoso, estas voltaram
?tii, por no eocontrarem na villa nem o
auDdelegedo, nem alguem por elle, e nem ao rae-
noa o juis de paz. que as dirigase. e nem amtim
quem dsse nniicia de taes autoridades. Ha mni-
<_ gente, meu charo aeohor, que s gesta e pro-
CB" memo esapeohadsraenle sar delegado ou
BOTill^n^ emoo..de. eleices. na" rjrirJ
wsaeirr canrndatos. e satifazer, err orne da
ei.aeauaa vingancas contra oa ae draa-
_u e tea,P *o paa para o drn dcAer tra-
rio ;
balhadores baratos, a as vezes at degrarja; n
que apenas chega o cholera, ou se approxima.e
nao se espera delle lucro algum, mas sntes ris-
co, vai abandonando o cargo com o mesmo des-
amor, com que o pote deixa a foote, e a camisa
o corpo; tlcaodo assim acephaloa cargos para oa
quaes existem nomeadoa um effectivo e seis sup-
pleotes: por fortuna nossa estes casos sao a ex-
cepgao da regra.
No tal municipiozioho de Arez, outt'ora al-
dea dos Indios do Surubaj, os escravos ho se
tornado celebres por desobediencia, e atteotados
conire seus proprios senhores, principalmente os
do engenho Baldun, que parecem estarem avisa-
dos isso : entretanto que no possivel csti-
ga-losdevdamente, porque os mesmos senhores
empenham-se com os jurados para os absolverem
prefenado a impunidade do atteotado o novo
risco de sua^ vida, e os seus interesses particu-
lares, sntisfsgao dis lele, e aoexemplo da mo-
ral publica.
E' assim que o egosmo, este cancro mortal
das sociedades modernas, como diz Cesar Cantu,
vai Itvrando no meio de nos, e preparando um
horroroso futuro nossa posleridade, que com
juala razao se queixar de nos, sua sntigudade,
por nao havermos suffocado o mal em sua nas-
cenca.
A presidencia apenas teve participado offl
cisl do juiz de direito repeito deste a'conteci-
raeoto, demittlo o subdelegado de Arez; e no-
meando para este lugar o alferes Costa de primei-
ra iinba, o fez partir immadiatamtnte com urna
torga para aquella localidada no presuposto de
instaurar o respectivo processo, e persvguir at
prender o dalioquente. Nosei, porm, qual le-
ona sido por hora o resultado desta enrgica e
acertada medida.
Estavamos sem um violem oa thesourarta ge-
n quando o Cruzeiro do Sul, que nos trouxe a
jubilosa noticia do feliz desfecho que teve a gran-
de questSo dos ligaeiros e conservadores verme-
ltios no Rio de Janeiro, e oos desassombroa a
probabilidad dadissolago da cmara doaaeoho-
res deputados, enlrego aqu 40.000* para as
nossas despezas; com o qual auxilio, crelo, que
ja oevido ao Sr. visconde de Albuquerque, no
s respirsmos, como ainda ficamos contentes, por
que ao menos por estes dous mezes os emprega-
aos geraea est o seguros de serem pagos em.dia.
Em compensago, porm, o cofre provincial
acna-se em lastimoso estado: com urna divida
paaaiva de 50:000, elle no pode solve-la com os
recursos ordinarios ; pois que as entradas alm
a* pequeas e interpolladas, mal chegam para ir
acodiado s oecessidades mais clamorosas e ur-
gentes : os dizimos prodnziram a melado do que
deram oos ltimos annos favoraveia ; a lavoura
aoda nao yendeu a su* safra; e o commercio
est redazido s pequeas compras, que se ah
*k5 a6"8 pra5* : wnao 'or" hST"m descido
de 50 0|o os pregos dos gneros alimenticios, no
sei, como se veviria nesta proviocia do Rio Gran-
de do Norte, e especialmente nesta excntrica ci-
dade do Natal, caja populagao subsiste raerefi
dos cofres pblicos.
Coocluo esta dizendo-lhe, que acabim de
ebegar noticias de qae o cholera j vai appare-
cendo nos diversos pevoados de nossa costa ao
norte, mas sem carcter aterrador. Seno fra
tato, no havria maior aotego, de qae aquello de
qugozamo, principalmente agora que camoa
desassombrados do tal tat de dissolago da c-
mara dos senhores depatados, que trazia tudo em
urna roda viva, teodo medo una das eleigoes e
saaeon8eqaencias.compre ms, e algumas vezes
funestas; e outros alegres, porque esperavsm
embarcar agora a bises, e ganhar o jogo. Deus
porm que pai de os todos, decidi, como era
de jaatiga decidir: isto aalrrBceci o interesse
maligno de alguns sos interesses bem entendidos
de todos.
Paranyia.Neohum jornil Ufemos, nem carta
do noaio correspondente; entretanto, cartas par-
licularesdizem-noa que nada ha digno da mengo.
A declarajo e protesto do Sr.
Marioangeli do Diario de
sabbado 21 do correntn
L. Corbari, em resposta so protesto e declare-
gao do empresario lyrico G. Marinangeli, ao-
menle por differenga ao respsitavel pobllco. cu-
ja opioiao acata, dfx:
Que nao foi sujeitada interrogatorio al-
gam, pois dSo conhece no Sr. Marinangeli au-
toridade para a elle compel-la :
a Qae apenas, teodo sido extempornea-
mente consultada se cantara oa no no ebeatro
para que se contratara, responden como deva,
que jamis isso se recusara, e astranhando qae
aemelhante pargunta Ihe fosse feita :
. """ Que, devendo tmente de si cuidar, no
impozera condico de ser pago o artista Belli,
de cuja sorte todava ae compadece, mis somente
a de se ihe pagar no eomeco doa mezes seus
salarios, porque delles que tira os meios de
subsistir:
Qoe, informada de tentar-se o eosaio
da opera Laura Miller, pensou comtigo mesma
como se prescindiris nella do papelVallen
que era destinado ao Sr.Belli, estando este
despedido da companhis, e foi s n#ste proposi-
to que receiou que pela ausencia delle nao po-
dese o traoalbo correr bem, mesmo por ter a
respondente de cantar em urna parte da opera,
sem acompaohamento da orchestra e somente
ajudatfa pela parte do baixo:
* Finalmente, que o protestos e declarages,
ou melhor as enwpatorias do Sr. Marinangeli,
nem Ihe intimidam, nem 0 eacusam aosolhos do
governo e do publico, que tem muita illustrago
para nr-se da forma porque nellas quer encon-
trar o Sr. emprezario lyricofortes desculpa,
sem aperceber-se do que ha oo paiz juizes com-
petentes e leis que regutam a vtrdadeira ma-
neira dos justos proUstos, e, sota as quaes de-
sejra a respndeme ser pelo Sr. Marioangeli ar-
restada.
Recife 27 de jucho de 1862.
Luiza Corbari.
Pubiicaees a pedido.
Para o Ixm. gr. iaistri da guerra ver.
...A.r.-. 1 L** *? 8"a. ~ Todf o oficial de
2m.?. emprego para tira qualquer lacro, por qualquer
2f"JB" m*t a..M qnoiBBderinteir.-
?alw. ,e*ll,a inMIivelmento-
VA' V'l'> d? "r,ig0 'pr'' D08 P,rece. ttenden-
do aa terrivei accasagoes qae ae tem f*it0 pelos
diversos joroaes desta capital contra o actual
commandante do presidio de|r?ernaodo, que o Sr
coronel Trajano Cesar Burlamaque se acba n'el-
le comprabeodido.
Palo foro commam foi tambern apresantada
contra o Sr. Burlamaque ama denaocia, e cona-
lando-noa qae o mesmo Sr. coronel fra pronun-
ciado pelos crimes de estelionato e cooirabando,
Ignoramos o motivo por que ainda a autoridade
competente no fez comparecer perante o tribu-
nalr espectivo a esse senhor, o que s se poder
explicar por om oepolismo ioqualiflcavell
Assim, pois, eooscio da illustrago, honradez,
e mparcislidade do-digno general a quem foi
confiada a pasta dajguerra, ficamos tranquillos,
certos de que em breve ser responsabilisado es-
se funcciooarlo pablico, que tanto e to escanda-
losamente tem abusado do poder que ihe fei
outorgado.
Exm. Sr. Alm de outras medidas que sao
de indetlinavel necessidade para o presidio de
femando, a de maior urgencia a confecgo da
um regulamento porque s assim a le no ser
a Tontada do commandante, e os dinheiros p-
blicos no serao esbaojados com tanto escndalo.
O Veterano.
Para o Illm. Sr. procarador da cora,
fazeada e sobrania nacional ver.
Teodo sido formulada pela promotora publica
urna denuncia acerca das prevarieages pralica-
das pelo coronel Trajano Cesar Burlamaque, ac-
tual commandante de Fernando, e havendo o
Exm. Sr. preaidente da provincia mandado ouvir
a le respeito ao digno magistrado procurador da
eora pedimos a S. S. para que com a sua pro-
verbial soilicitade d andamento a essa questo,
que muito interessa a urna das muitas victima*
do calamitoso governo do Sr. Burlamaque.

PIU^A DO RECIFE
A'S HORAS DA TARDE.
IteBta StaUMl.
A Iallencia da caaa baoearia-Amorim, Fragoso
Samt^tex-- .o dea.ppM-^B,Bto do thasoa-'
rairo da cnxa filial do Banco. paraUsaram ioTet-
r^?"'iMduaicgoesda (emana, de modo qe
nada ae tas, aptoas colamos : H
Cania teesja--------A doi M0 Grande vendea-aa da
1M0 a 28400 por arroba. ,
ik5,i0d' !,aUl de ^00*
llVOO, ficando em aer 73,000
da primeira e 30,000 da se-
y aod.
Pannha de trigo-Tlvemoe doas carregamentoa
sendo aaa de Btltimore, qe
aeguio para o a u 1, a ou tro de
- Pbiladelpbia qae deicarregou.
Retalhoa-se de 16J) s 2&J a de
Philadelphia, de 18} a 251 a de
New-York, de 18$ a 20 a de
Baltimore, de 24g a 25{t a da
Geoova, de 205 a 22 a france-
z e de 26$ a 289 a de Trieste ;
ficando em aer 5,200 barricas
da ortraeire, 800 da aegenda,
*00 d. tereelrs, 800 da quarle,
400 da qeuu j.600 da sexta.
ALFANDEGA DK PERAMBDCO.
Pauta dos preco dos gneros suititos a dirtitn
de exportaco. Semana de 23 a 28 do meza*
junho de 1862.
JPercadorlas.
Abanos.....s ,
Agurdente de cana. .
dem restilada ou do reino.
dem caxaca.....
dem genebra.....
dem alcool ou espirito
agurdente .
Algodo em carogo .
dem em rama ou em l. .
Arroz com casca ....
dem descascado ou pilado.
Unidades. Valores.
19200
8400
9*00
tm
8*oo
de
cento
caada
a

>

arroba

a
Senhores redactores: Li no Mario de Per-
nambuco de 18 de correte, na parte da pelicia, a
noticia da prisco de am eacravo de Mae Seve-
e 15 pe- nao, crioulo, de 22 anoes, ptrtsnetnu a um tal mesma petico do
Kesposta ao desmentido dos herdeiros
da Senhora D. Antonia Hara de
Castro.
A verdade como o sol, qae no
eclipse pode obscurecer, mas no
anniquilar-se
Acabamos de 1er no Diarto de Pernambuco
a. 141 um annuncio, desmentindo outro que fi-
lemos, prevenindo aos compradores dos predios
pertencentes ao casal da finada D. Antonia Ma-
ria de Castro, ou a queta interessar possa, qae
taes beos no podiam ser alienados, por se acha
rem obrigados ao pagamento de 18:7549757
notsa casa, em virtude de duas sentencas do jai
zo especial do commercio.
Veja oadvogado dos mesmos herdeiros a exis-
tencia dessas duas seolengas; com um solemna
desmentido, que jlga provar com urna certido
do juio em que se trata da acgo proposta por
Barroca i Castro, esqueceodo-se de que alm
desla existem mais duas aegoes : urna propostt
por Barroca 4 Medeiros para pasameolo d-
d '' 1A"**"1***** ou1ta Pr Antonio V. da
SilvaJBarroc, por dissolugo da sociedade.
partllba doa beaa aociae*. '
A'dita questo da qual o Sr. advogado ajuniuu
cerlidao, eat ajoda pendente, e por isso anda
os herdeiros pdem netrir esperaoca de absol-
vico.
Mas na segunda j obtivernos sentengs a lavor*
sendo a finada condemnada a pagar-nos no 200
e tantos mil re, como se diz em nome de seus
herdeiros, mas 4549820, como diz a certido que
a baixo publicamos.
Na terceira tambern teve noiso socio o Sr.
Barroca seotenga a favor, sendo a herdeira do
socio Castro, condemnada apagar-nos 18.3069757,
como se prova com outra certido que Itambem
em seguida ajuntamos.
A'viata destes documentos, o publico bem po-
de ajazar de que parte est a falsidade, e quem
dee ser desmentido.
No querendo nem tendo tempo para susten-
tar polmicas pelos joroaes ; mesmo porque
ainda nutrimos amigaveis religoes com alguna
herdeiros, deusmos de parte a acclamago que
se faz em nome dos mesmos, falsas e infundadaj
allegages, lanas vezes repelidas e desatendi-
das aos respectivos auto, para no oceupar-
oos de acautelsr nossos direitos como legtimos e
reconhecids credores de casa commercial Barro-
ca & Castro em liquidago, para salvar a honra
da qual e sustentar aeu crdito e pontualidad,
oos sacrificamos, com oa enormes pagamentos
que fizemos, que conforme o exame feito pelos
peritos nomeados, sommaram nada menos do que
261 coritos de ris. Origem principal de nossa
queda I
Por tanto, para que os herdeiros, assim como
os compradores ao sejam Iludidos, repelimos
que taes bens no podem ser alienado?, em
nossa interferencia ; para compartilhar a sorts
dos mais credores no privilegiados : protestan-
do proseguir na competente exeeugo, logo que
os herdeiros estejam legalmente habilitados nos
respectivos autos.
Recife, 20 de junbo de 1362.
Barroca & Afedeiros,
em liquidago.
Certifico, a vista dos autos de execagao de
seotenga por mandado executivo, ser a impor-
tancia constante do mesmo, de ris quatro coo-
tos e cincoenta e quatro mil e oito centos e via-
ioV qual cn-e 1002.
O referido verdade, e consta dos indicados
autos de exeengo de sentenga que me re-
porto.
Cidade do Recife, 1. de janho de 1862.Eu,
Manoel Hara Rodrigues do Nascimento, escri-
vo, sabscrevo e assigno.
Certifico, em face dos respectivos autos de no-
tiflcago comminatoria, qae a petigo inicial pe-
dida por certido, do theor, forma, modo*e
maneira seguiote :
Illm. e Exm. senhor. Dlx Antonio Valentim
da Silva Barroca, socio liquidante da casa com-
mercial Barroca & Caatro, que, de aecrdo com
a Sra D. Antonia alaria de Castro, herdeira do
fallecido ocio Jos Leo de Castro, para acabar a
liquidago da cas, havendo mandado extrahir o
competente balango em 31 de agosto prximo An-
do, propozera em 14 do corrente selembro a di-
viao e partilha na forma do art. 248 do cdigo
commercial, e como por este artigo tem a mes-
ma senhora 10 dias para reclamar o que fr
bem de seu direito, reqaer o supplicante V.
Exc, que para mais legalidade a sobredita pro-
posta seje judicialmente intimada suppli-
cante. "
Par* o que peda o snpplicante V. Exc. Sr.
d^m e8D6c''l do commercio deerimento
a T nntonl Valenlin> d Silva Barroca.
'a Si aolugo do pastivo por obriga-
ges directas, devem concorrer ambos os socios
na forma do art. 346 do cdigo commercial :|
Antano Valentim da Silva Barroca com doua
tercos trinta e seis contos seis centos e trese mil
qulohentos e quatorze ris ; D. Antonia Hara
de Castro com am tergo, desoll contos frsenlos
a seis mil sete centos e cincoenta o seta ris.
A herdeira do socio Castro obiigar-ae-ha a pa-
gar ao Barroca & Medeiros por saldo do qae a
ossa em liquidago lhes dore, desnito contos
treaentoa a sais mil sete cantos e cincoenta e
aele ris-Somma cincoenta e qaatro contos
novecentos e Tinte mil duxentos e setsnta e um
ris.
Certifico
Su un cu i que t ritme re.
Se quando, senhores, um empregado qualquai
se deshss da senda, que Ihe proscripta pelo de-
ver, pela honra, pela moral, acarris sobre si
toda s odiosidade e execrago publica ; e se tor-
os por consequencia digno da mais grave e justa
centura ; assim tambern direitos a reclamar de
nos o contrario (.isto nossas sympathas, nossos
elogios, nostos emboras ) aquello que soube
honrada e desveladamente cumprir a missSo de
que foi encarregado ; tal senhores o insigne
professor de musics do collegio dosorphos, o
Sr. Tnomsz da Cunha Lima Cantuaria, a quem a
mu sabia e esclarecida assembla provincial
acaba de aposentar do lugar de professor de m-
sica, eujos relevantes servigos prestados a este
collegio sao delles tetlemunba quasi a nago in
tetra, porque rara a provincia em que no exie-
tam ao menos um ou dous discpulos deste n-
clito professor mestrando em differentes coros
de msica I
Sim, tenhores. um homem que, alm de vinte
e cinco annos de servigos ao collegio dos or-
pbaos, prestou-se mais nago por espaco de
quioze annos no servigo militar, intermediando a
estes servigos mais onze annos prestados na s
como mestre de cacella, parece que este insigne
professor assim encanecido no servigo publico na
idada de 70 anoos, coberto de enfermdsdes re-
sultantes do exercicio de sua profisto, tem di-
reito mais que irrecusavel sea aposentadora,
que lbe sendo concedida pela sabia assembla
provincial, se acha hoje somante pendente da
sincgo do mui sabio e xeloso administrador des-
ta provincia, o qual, ornado, como no s de
4*bedoria como da reriidao a juslica. nao duvi-
dar coulrmar este acto, que urna perfert V -ifM,0" melaco.
Jlrecla equidade.
A E certo de qae do Exm. administrador desta
' provincia no existe meos sabedoria, rectido e
equidade do que na esclarecida assembla pro-
vincial, considero este acto j confirmado ; e co-
mo tal me apresao com todo o Corpo collegial a
tributar ao Sr. Cantuaria oe nossos votos de re-
conhecimento. os nossos parabeo.
Receba, pois, o Sr. Cantuaria nossas felicita-
cues, nossos emboras;' reconhecidos, stenlos, e
tao relevantes servigos prestados por S. S. no
podemos delxar de affirmar-lhe, que o uosso re-
conhecimento ser eterno, e que seu nome jera
sempre lembrado neste collegio.
Concluimos, pois, faxendo votos ao Todo-Pode-
roso tanto pela conservago dos dias deste gover-
no ilustrado, que soube apreciar o ment da
S. S., como pela dos dias de S. S.. afim de que
possa bem gosar a palma de seas trabalhos, que
Ihe agora concedida ; assim Ihe deseja todo o
corpo collegial do seu vice-director.
Pr. Pedro da Purijicacb Paz e Paiva
Assucar maseavado
dem branco......
dem refinado......
Azeite de amendoim ou mon-
, dobim........
dem de coco ....;.
dem de mamona.....
Batatas alimenticias ....
Bolacha ordinaria propria para
embarque.......
dem fina........
Caf bom......
dem escolha oa restolho .
dem terrado......
Caibros ........
Ca..........
dem branca......
Carne secca charque. .
Carvo vegetal......
Cera de carnauba em bruto. .
dem idem em velas. ; .
Charutos.......
Cocos seceos.......
Couros de boi salgados .
dem seceos espichados. .
dem verdes......
dem de cabra cortidoa .
dem de onga......
Doces seceos ......
dem em geleia ou massa .
dem em calda. .
Espanadores grandes. .
dem pequeos .....
Esteiras para forro ou estiva de
navio......; .
Estoupa nacional ....
Farinha de mandioca. .
dem de araruta.....
Feijo de qualquer qualidade.
Frechaes........
Fumo em folha bom. .
dem ordinario ou restolho.
dem em rolo bom ,
dem ordinaro restolho. .
Gomma........
Ipecacuanha (raz) ....
Lenha em achas.....
Toros........
Lenas e esteios.....


#20
28500
105000
8800
3S300
28100
39IOO
59OOO
'raca do Recife 21 de
juQlio de 1862.
\s t\iuuro horas da Urde.
Cotaces a junta de corretores.
No boureram cotaces.
Airaadega,
.sedimento do dia 1 a 20. .
Idsra do dit 21. ... .
276:9569961
7;4708J6
184:4279787
ovlmenlo da alfandega.
Velamos entrados com fazendas.. 15
a rom gneros.. 294
Velamos
a -
lahidos
aem fazendas..
com gneros..
309
13
1
-=- 14
Descarregam no dia 23 de janho.
Barca mglezaEliza llandamercaduras.
Barca ioglezaLindacarvo.
Lugre portugaezJuliovinho.
Brigue ioglezElizabethmercadotias.
Patacho hollandexGranoferro.
Galera franeexaAdele -mercadoria.
Patacho ioglexBuaybacalho.
Barca americanaImperadortrelo.
Exporta fo
do dia 20.
Barca ingleza Miranda, pora Liverpool, carre-
garam :
Saonders Brothers & C, 400 saceos com 2,000
arrobas de assucar.
Patn Nash & C, 210 saceos com 1,109 arrobas
de algodjto.
Barca portugueza Sympathia, para Lisboa,
carregaram :
Carvalho Nogueira 4 C, 100 saceos com 500
arrobas de assucar.
Manoel Pereira Le moa, pelo brigue portuguez
S. Manoel, para Lisboa e Porto, carregou 2 bar-
nquinhat com 4 arrobas e 10 libras de assucar.
Carvalho Nog aeira & C, 500 saceos com 2500
arrobas de assucar.
Dia 21
Barca ingleza J5ixa Hands, para Liverpool,
carregaram :
Phipps Brothers & C, 808 saceos com 4,040
arrobaa de assucar.
Barea iogleza Jfiranda, para Liverpool, carre-
garam :
Patn Nash 4 C, 6T aseos com 358 arrobas e
20 libras de algodo.
Beeebedorla ce rendas Internas
eraea ele Pernambuco.
de
Pao brasil \ 4 V
Pedras de amolar VJr
Idem de filtrar.....
dem rebolo......
'".........
rontas ou chifres de vaccas e
novilhos ,......
Pranches de amarello
dous cuslados. ...
dem louro.....
Sabo.......
Salsa parrilha ."..!!
Sebo em rama. .* .
Sola ou vaqueta ....
Taboas de amarello| .
dem diversas ....
|aPoca......
Tves.......,
Unhts de boi.....
Vln8pe........canaua
Alfandega de Pernambuco 21 de junho de 1862.
Approvo.(Assignado.) Barros.
O primeiro conferente, J. H. Borges Diniz.
Barros Cavalcante de Lacerda.
O segundo conferente, Carlos Augusto Lias de
SfQSJBBSa
Conforme. O 4."
de Gusmo.
caada 29000
> 29200
B 19500
arroba I9OOO
B 45OOO
B 85000
B 85600
B 75000
libra 320
um 360
arroba 160
B 320
B 25500
B T5600
libra 260
B- 360
cento 2*500
B 45000
libra 190
B 230
B 108
um 320
B 115000
libra 19-200
B 400
B 600
um 45000
B 25000
cento 209000
arroba 15600
alqueire 15600
arroba 35800
B 15000
um 55COO
> 185000
B 75500
B 125000
B 55000
arroba 29000
> 26$000
cento 25OOO
119000
um 5S0OO
caada 200
arroba; 1J800
-**-*-* &#GO
uina. - 80
B* 45OOO
B 1|200
molhos 120
cento 39OOO
urna I69OOO
B 85OOO
libra ICO
arroba 255000
B urna 65000 25800
duzias 104$500
7O9OOO
arroba 39600
urna 89000
cento 200
caada 280
escrplarario, Joaqaim Albino
Movimento do porto.
Navio sahxio no dia 21.
Portos do norte Vapor nacional Iguarats.
commandante M. de M. Vianna.
No boaveram entradas.
Navios entrados no dia 22.
Acaracu e portos intermedios5 dias e do ulti-
mo porto 12 horas, vspor nacional Jaguaribe,
de 500 toneladas, cammandante Manotl Joa-
quim Lobato.
Navios sahidosno mesmo dia.
Aracatypalhabote nacional Santa Cruz, capi-
lao Jos Victorino das Neves, carga fazendas e
outros gneros.
Editaes.
Randimento do dia 1 a 20.
dem da dia 21.
24:4575122
1 .-0221200
25:479*312
Conaalado provincial.
1 Fonnca, por andar fagido.
i nelra seguate ;
a senlenca de que trata a
theor, forma, modo a ma
Randimento do da 1 a 20.
i Mam da dia 21. .
:i
62:380f800
1:878|1I
M-167J991
_ O Illm. Sr. inspector da ihesourana pro-
vincial manda iazer pablico, para conheclmento
dos intereaaados o art. 48 da lei provincial n.
150 de 18 de junho de correle anno.
Art. 48. E' permiltido pagar-ae a meia siza
dos escravos comprados em quelquer tempo su-
perior a data da presente lei independente de re-
validaeo e multa, urna vez que os devedorea
actuase deste imposto, o facam dentro do exer-
cicio de 1861 a 1862, os que oo o flzorem ficaro
sujeitos a revalidarlo e multa em dotro, sendo
am terco para o dtnuociante. A thesouraria fa-
r annanciar por edita 1 nos primeiros 10 dias de
cada mez a prseme dispotigo.
E para coottar se msndoa affixsr o prsenle a
publicar pelo Diario.
Secretaria da thesouraria provincial de Per-
oambuao 8 de julho de 1861.O secretario,
A P. d'Annunciac.o.
O Dr. Trislo de Aleocar Araripe, offlcial da im-
perial ordem da Rosa, e juiz de direito espe-
cial do commercio desta cidade do Recife esea
termo, capital da proviocia de Parnambuco,
porS.M.l.eC. o Senhor D. Pedro II, que
Dos guarde etc.
Paco aaber pelo presente, que no dia 23 do
mez de junho do corrente anno ae ho de arre-
malar por venda, a quem mais der em praca pu-
blica deste jaizo, e depois da audiencia respec-
tiva, oa alugueia da casa terrea sita na ra doa
Prazerea da Boa-vista, avaUadoe em 30* men-
aaea, a qual casa pertancente a D. Engracia do
Amparo Santa Rosa e seas duas Albas, e se
acham penhoradoa os mesmos alugueis, por exe-
cuco que coatrs a eamas eocaminham Gama
4 Silva ; e na falta da licitantes serao arrema-
tados pelo preee da adjudieacao, com o aba tinen-
to da lei.
B para qae ehegae a noticia a qaem convier,
mandei pacear editaos que ssro afflxados nos
lugares do costume, e publicados pela im-
prensa.
Dado e ptssado nesta cidade do Recite da Per-
nambuco so nove diaa do saex de msio de 1862,
quadragesimo primeiro- da independencia e do
imperio de Brasil.
la Manoel de Carvalho Paes de Andrade escii-
vo o subscrevi.
Trilito da Ale&c u Aiarip*
i

. a
.*
Ju.
~l TT____-


.-*
>""br- fWs;
-*x*
'.
a uu TrtMko ae snncmt ArertpeeJMinriaiT
POdal OtdMD> OO t ji* deri, ^p^,
^ocoomerto desto idade 4o Recua .SpuTl
desta provincia de Pernambuceo em aa termo
D. Podro II i qaeni r>tm faatde oh:.
delte noticia titerera qae i dio 13 da joi.he ae
Jf !riM^,'!lr .po.r Jni* MB> ? *
pracapnblica deste Jeito, do sala do* auditorios
iom b.rcoca denominada Rio Formoso; piulada.
ejeetada e coecerteda do boto com todita 01
Saeee aparelhoe.proaMli laterTiagem. afiliada
Drumaonle do rafe, a q.al 4 perln cito i
lanoel Perora de f igueiredo Toudelh ,(tiii
prega por execugo que lhe more Aracagu Hijo
& Compaab.
B oio fiavendo lanzador que cabra o prego da
avaiiago. a arrematadle eeti (oita pelo valor da
adjuduago com o abatimeoto da lei.
& para que chaguo ao cenhecimento de todoa
mandei pastar editaos que sero publictdoii pela
imprenta e .miados do lugares do cosame.
Recife, M de maio de 1862. Sr. H.mt el Mara
Rodrigues do Naictmeoto, eacrivo (> mbei-'
oravi.TriiiSo da Alencar Araripe.
DIAJUO M PE1HASUC ^ SEG
etieiraeor^.
Collectoria provincial de
Olinda.
O collector de rendae provincia de Olinda,
ai publico palo presente aoa contribuintsa da
raeema coilectoria, que de da 2 de jorobo pro-
injo utaro principia-so a coatar oa 30 diae
uleu marcados para a cobraoga a bocea do cofre
doa imposto lang.do seguate : aege>do e-
meitre da decima urbana do correte a ano fi-
nauceiro de 1861 a 62, 4 por cento aobre aluguel
das caaas de negocio, 5 por cento sobre a renda
das asas perteocente ae corporacoa de mao
morta, 8 por cento sobre aluguel de esc iptorioe
de advogado, tabellio e eacrivo, e primelrj se-
mestre do imposto de 20 por cento do (ontiamo
de aguardante, nodo eate prazo iocorrero na
alta de 3 por cento os omisios. Co,lectora
provincial de Olinda 28 de maio de 1862
O eacrivo,
Joao Geogalvea Rodrigues Priora.
. ~1Pe'*Bt9 Sr- jai de pe do 2* listricto
da Boa-Vista leneote Thom Carlos Pen tte tem
do arrematar se em hasta publica por erecago
de Joaquim Ignacio Ribeiro Jnior contra Tho-
tnax Pinto de Queirox, nos dias 23, 26 SO do
correte, diversos moris, coatlantes de cideiras,
marqueza. bancas, laieraas e qaadres, sendo a
arrematado pelas 9 hora do da
A admioistrago do correio desta cidade
precisa eogajar estafetas : quero se achar nestas
circumstanetaa apreseute-se ao respective admi-
nidrador munido de attealadof que abioem os
seus coslumes o conducta.
Santa casa da misericordia do
Recife.
A Illma. junta administrativa da ssnta caja de
misericordia do Recife, manda fazer publico que
no dia 26 do coirente, pelas 4 horas da tarde,
na sala de suas sesses, ir praga o foroclmen-
i? car08 ***** bouverem de comumir os
estabelecimentos de earidade no semestre de ju-
lho detembro de correte ano o : oa prt tenden-
te dirijam aa auas proposls a esta secreiaria em
Carlas fechadas no da e horas aprasadas.
Secretaria da santa casa de misericordia do
Rtcife 20 de junho de 1862.O escrivo.
F. A. Garalcanti Cousieiro.
Santa casa da misericordia do
Recife,
A Illma. junta adaioielratira da asla casa de
misericordia do Recifa manda fazer publico, que
no dia 26 do correo te, petaa 4 horas da ti rd*. na
sala de auaa aessoes, irlo praga para seren ar-
rematadas a quem mais der, as rendas di casas
abaixo declaradas, pelo lempo 4'ue decorror do
dia 1." de julho do correte anno a 30 de jaoho
de 1863 : os prelendentes devem comparecer
a com pao hados de leus fiadores, ou mridos de
cartas dasles.
Ra do Padre Floriano na. 43, 49 e 63.
Traveisa de S. Jos n. 11.
Ra da Calcada n. 38.
Secretaria da santa casa de misericordia do Re-
cife 20 de junho de 1862.o w-*
I?, ^c-ralcanli C'juss, iro.
o cooawii-^ .aootlco do batalho de in-
fantera n. 2, teooo de contratar no aeguado se-
mestre do anno que corre, o fornecimeito dos
genero* abaixo declarados, de boa qu.lidade, para
alimento de suas pravas no referido semestre,
convida as pessoas que se quizerem encajregar
de provertaes genero, a apreseotarem svas pro-
postas em caria fechada na secretaria do rr.es-
mo batalho no dia 27 deste mea, 4 10 horas
da manha, a saber: assucar branco de cnixa,
e mascavinho refinado, arroz pilado, azeiledoce,
bacalho, carne verde, carne secca, c.if em
grao, feijao., manteiga frsnceza, touciabo, vioa-
gre e lanha. Ouartel no Hospicio em Poroam-
buco, 20 de junho de 1862.O alferes societario,
Hanoel Anselmo Pereira Guimares.
Pela recebedoria da rea la internas giraos se
faz publico que nesle torrente mez se finia o
praso do pagamento, sem Inulta, do segundo se-
mestre do exercicio correte dos seguiotes im-
poitos, decima addiciooal de mo-morla, impos-
to de 20 por cento sobre lojas, dito especial so-
bre catas de moris, roupai fabricadaa cm paiz
estrangeiro, e que do 1.a de julho em diante so-
rao pagos com a multa de 3 0|0
Recebedoria de Peroambuco 6 de iunho de
1862.O administrador,
Uanoel Carnairode Souza Lacerda.
Pela theaouraria proviocial se faz publico
que a arrematarlo dos reparos do ailio n. 1 da
estrada de Parnameirlm, loi transferida para o
dia 26 do correle.
Secretaria da Ihesoararia provincial de Per-
oambuco 13 de junho de 1862.O secretario,
Aotonio Farreir da AnauE cia;o
Consulado provincial.
Pela mesa do consulado provincial se f:z pu-
blico que os 30 diaa uteis marcados para a co-
branza a bocea do cofre do segundo sementro do
anoofloanceiro torrente de 1861 a 1862 dos im-
postas da decima dos predios urbanos das .[re-
gnezias delta cidade e dos Afogados, de 10 por
cento do consumo de agurdente, e de 5 por
eenlo sobre a venda dos nens ;e raiz pertencen-
tes a corporales de mao morta se principiis a
contar do dia 2 de junho vindouro.
Mesa do consalado provincial de Pernambaco
26 de malo de 1862.0 ebefe da segunda sscco
F. Ferreira M. Ribeiro.
Conselho administrativo.
O conseibo administrativo, para forneciment
do arsenal de guerra, tem de comprar o o:jeitos
seguiotes :
Para prormonto doa armazena do alm01 miado
do arsenal de guerra.
34 [echaduras para caia.
4 ditas pequeas para ditas.
5 arrobas de oleo de linbaca.
2 arroba de amarello francez.
4 duzias de brochas sorlides para pintor.
Quem quizer vender taes objeclo aprestioto as
auas propostas em carta fechada na aecret irla do
cooselho, as 10 horas da manhaa do dia 30 do
eorrente mez.
Sala daa aesides do cooselho administrativo,
para fornecimento do arsenal de guerra, 20 de
junho de 1862.
Antonio Pedro de S Brrelo,
Coronel presidente.
. Francisco Joaquim Pereira Le bo.
Coronel vogal secretario interino.
Oconielho econmico do batalho de infan-
tera numero 2, tendo de contratar no aegundo
semestre do aono que corre, o fornecimecto dos
gneros abaiio declarados, de boa qualidade,
para atimentoa de auaa pracaa no referido se-
mestre, convida s pesioas que se quizara o en-
ea rregar de prover taea gneros, a apreaeotarcos.
ewaa propoUa em caru fechada oa aecretaria do
masmo batalho, no d\ 27 deete mes aa 10
hora da manhs, a aaber; sasoear branco de
caixa, e mascavinho renader, mttdi pilado, azei-
te doce, bacalha, carne verde, tarne secc ,df
em grao, farioha da ierra, feijao, isinteiga fraa-
eeza, touciuhe, vinagre e leaha. Qaorlel no
Hospicio em Pernambaco, 20 de junho de 1862.
O alferea secretir;
lianoel Anaeimo Pereira Guimari ,',.
Consulado de Portugal,'
Signo da feira 23 de eorrente pelas 11 boas da
manhaa, esa preseoca do.eonsel de Portugal, se
ha de arrematar em leilao publico, feito pele por-
tejro ao jaiio de aaseiuei, na eosktira n, 27 da
raa do Imperador, qu foi eo tinado edbiiito por-
tugaez os Ribeiro de Farra, todo o material da
mesma, 4 carros, 1 coirp, 8cvallo,l carroca,
e varios moveia do uso do finado. A venda aera
feita a dioheiro oa a prazo, conforme melbor
coavier aoe laneaeaiea do eapolio. Recife, 17 de
junho de 18L .
Consulado de Portugal.
Quinta feira 26 do correte pelea 11 hora da
manhaa, porania o coneel de Portugal, te ba de
proceder ao leilo feito pelo porteiro do juizo de
ausente, de ate casa que foi do Aado aabeito
portugus Joe Barnardo de Mtdeiros, sita na Es-
trada Nove do Cachaog, e de varios objectos
ezisteotes os mesma, pertenctotes a ama taber-
na que ahi havi. Recife, 17 de juche de
186S*
Consulado de Portugal.
Quarla feira 25 do correle pelaa 11 hora da
manhaa, em pretenda do coruul de Portugal, se
bao de arrematar em leilo publico, feito pelo
porteiro do juizo de aeaantes, aa ftzendaa e di-
vidas activas parteoceoles ao eatabelecimento,
que foi do finado subdito portuguez Joaquim Jos
Ribeiro de Oiiveirs, sito na raa Direila n. 55,
onde ae achara aa meamaa fasendas, bem como
em seguida s* arrematarlo varios movis per-
tententes aomeemo finado, que aeacham arrea
do Rangel, eaaa n. 46 de Joa Ferreira dos Reis.
Recife, 17dejaab de 1862.
Companhia de cavallaria de
Pernambuco
Precisa-se contratar o fornecimento para o
segundo semestre prximo fuUro dos gneros
abaixo mencionado :
Rancho.
Atsacar refinado, manteiga frsnceza, caf moi-
do, paea de 6 ongas, carne fresca, dita de char-
que, bacalho, feijao, azeite, vinagre, toucinho,
arroz, farioha de mandioea, verduras, temperos
e_lenba em achaa pequeas ; achaodo-se aa por -
fes para eltBOCO e jantar desigoadaa oas res-
pectivas tabellas, aa quaes se acham aeata aecr-
'aria a diaposigo dos Srs. licitante* que dese-
jarem ver.
Forrageos.
RsQo para cada ara cavallo em argola : 1 1[2
arroba de capim de planta, 1(32 de alqueire de
milho, meia libra de farello e 1 garrafa de mel ;
correado alm disto por coola de foroecedor a
diaria de lg paga arcompanhia de Beberibe pela
agua coosumida com a cavalhada.
Os senhores que se propoiarem a tal forneci-
mento dirigiroauaa propotta em carta fechada
a secretaria desta companhia 00 dia 26 do cor-
rete at aa 11 horaa da machia.
Quartel 00 campo daa Priocezaa 20 de junho
de 1862.
Hanoel Porfirio de Castro Araojo,
.Capitao commandante.
A audiencia do juiz especial do
commercio de hoje tera' lugar as 2 ho-
ras da tarde.O escnvo do juizo, Ma-
noel Mara Rodrigues do Nascimento.
Conselho administrativo.
0 conselho administrativo para fornecimento
do arsenal de guerra tem de contratar o forneci-
mento alimenticio para a companhia dosmenorea
do arsenal de guerra, nos mezes de julho e agos-
to prximos vindouros.
Pi de 4 ongas, bolachas, manteiga fraoeeza,
asiucar refinado de 2> sorle, caf em rao. cha
hysson, carne verde, dita secca, batalho, feijao
preto ou mulatinho, arroz do Maranbao, toucinho
de Lisboa, vinagre de dita, azeite doce, fsrinha
de mandioca da ierra-.
Quem quizer contratar taea gneros apreaeole
aa auaa proposlss em carta fechada ai aecretaria
do cooselho as 10 horas da manhaa do dio 30 do
eorrente mez.
Sala das sesses do cooselho administrativo,
para fornecimento do arsenal de guerra. 20 de
janbo de 1862.
Antonio Pedro de S Brrelo,
Coronel presidente.
Francisco Joaquim Pereira Lobo,
Coronel vogal secretario interino.
Perante o Ulm. Sr. juiz de paz do 2.9 dia-
tritio da Boa-Viata o tenente Thom Carlos Pe-
rettl, se tem de arrematar por execugo de Joa-
quim Ignacio Ribeiro Jnior, contra Thomaz Pin-
to o Queiroz, diversos movis constantes de ca-
deiraa, marqueza, baocas, lanternas, .e quadros,
fOdo 'M gmimmmtm'm rrcmolfl^flo no OT S9, a Ve-
nda* 26, e a tercelra no dia 30 do eorrente,
k"^af mtDhio.
o Illm. Sr. regedor interino do Gymnasio
manda avisar aos pais, tutores 00 corresponden-
tes dos alumnos internos, meio pensionistas e
externos do meamo (Gymnasio, que no dis 23
do correte priocipia o recebimeoto das mensa-
lidades correspondentes ao terceiro quartel, que
e linda em setembro deste anno.
Secretariado Gymnasio Provincial de Pernam-
buco 21 de junho de 1862.0 secretario, A. A.
Cabral.
0 cooselho econmico do 7 batalho de
iofantaris, precisa contratar o fornecimeoto de
geoeroa alimenticios no segundo semestre do
correte aono, portaoto aa paaaoas inleressadas
apretenlem-se com saas propostas em certas fe-
chadas oa secretaria do dito batalho 10 horas
di manhaa do dia 25 do torrente. Quartel oas
Cinco Ponas 21 de junho de 1862. O alferes
eocarregado do rancho, Joaquim Alves de
Freitas.
Oi'jveira Azevedo, 00 seu eacriuiono raa da Gnu
numero 1.
Para Maraobaa e
pretende seguir com muita brevidade o velairoe
bem eoobecido patacho nacional Emulacta, ca-
pitao Antonio Gomea Pereira, tem parte de satf
carregameoto prompto ; para o resto que lhe fal-
ta, trita-ae com oa aaaa conslgnatarioa Antoao
Lils de Oiiveirs Asevedo 4 C. no seu eaeriplorio
ra da Cruz n. 1.
A PSU M Humo Pt iSfti.
Atteacao
llhadeS. Miguel.
Para a liba de S. Miguel, aegue com muit*
brevidade o patacho portuguez Lima de primeir8
marcha, tem doua terco do seu carregameoto
prompto e para o resto da carga, e paaaageiroa :
tB|fgaecom 01 seu consignatario Joo do Reg
Lima 4 IrmSo : na raa da Cruz n. 38.
Para Lisboa.
Tem de aahir com muita brevidade o lagre por-
tugus Julios, de superior marcha, tem a maior
parte de ana carga comprada, e para o resto da
mesma e passsgsiros, a quem offerece oa melho-
res commodoa, trata-ae com o conaignatario Tho-
maz de Aqaioo Fonseea, na rus do Vigario n. 19,
primeiro andar, ou com o capitao o Sr. Francis-
co Antonio Meirelles, ae praca.
Para
Rio de Janeiro,
aegae com toda brevidade a liada e veleira barca
nacional Iris, de primeira classe, capitao Gas-
par Leite de Paria, a qual tem parle de sea car-
regameoto prompto ; para o resto, trata-ae com
oe aeua consignatarios Aranaga, Hijo & C, raa
do Trapiche Novo n. 6.
L*iloe*.
LE1L40
50
DE
caixas com massas
de nerri.
0 agente Pestaa vender per conta de quem
pertencer 250 caixss com excellentes massas de
nerri desembarcadas ltimamente, em lotes a
vontade, pelas 10 horas em ponto (por causa do
agente ter outro leilao a effectuar), armazem do
Aones dnfronle da alfaBdega.
LEILAO
Fugio do eageobo Cajabuss 00 dia 20 do cor-
ita me, o^cabra Ignacio, com oa aigoaes ae-
tW: eiUWra regular, eapedaada, aem barba
lgum#, Pernea am pouco arqueadla, cabera
im laoto g.'ande, dente limadoa, idade 32 an-
nos, multo i*v,G0 e bom carreiro. Eate cabra
tem pareles e irmao 00 lugar Olho o'Agu
d'Ooga em Ta-juar.tiuga. para onde j fez ama
fgida, levoa am le* com roupa e foi vestido
de camiaa e caiga asai, teodo por coatame mat-
ear fumo: quem o vagar leve-o ao eogenho
meocioaado que ser generosamente recompen-
sado.
Mademoisella e madame Carride laCbane
retiraui-se para Franja.
O bichara! Marcos Corris da Cmara
Tamarindo, asus aogros, irmioa e eunha-
dos ausentes, agradecer sumariamente aoa
seus numerosos amigos o caridoso obse-
quia que lhe fizeram de acompanhar 30
eltimo jazigo aua nunca esquecida e mul-
to idolatrada esposa, fllha.irms e confia-
da D. Joaquina Josepha de Figaeiredo Ta-
marindo ; bem como ae coofessam grato
a todoa aquellas que se dignara m ssittir
a miaaa do aelimo dia que pelo eterno re -
pouso da mesma mandou celebrar aeu ma-
rido 00 dia 31 de maio do mez passado.
Villa Relia 2 de jaoho de 1862.
Sortes pera S. Joao e !. Pedro.
Na raa dofiabug n. 2 C, loja do lelo de ouro,
vanaem-ae sortes mnito bem feita. para S Joao
e 8. Pedro, pelo barato prego de 20 ra. cada ama.
Ama,
Precisa-se de ama ama qae aaiba cozinhar
eogommar : na ra Iaga do Rosario o. 22.
a
Fazem-e bolos, podins-a pSo-de-lel, gara as
testas de S. Joio e S. Pedro, enfeitam-se ban-
deja para bailes e casamento, faz-se loU e
qualqaereneommeoda deroaaa taoto para aalo-
j como psra caa oarticalarea das qae eil
muito em mode se aeoboraa trazerem para n-
feite na esbega, iim como flores de todas aa
qnalidade : oa rus da Roda n. 48. obrado.
Preclsa-ae de um caixeiro que esieja ha-
bilitado a tomar conta de ama taberna o que d
fiador a aua conducta, faz-se algum interease :
quem ae achar habilitado dirfja-ee a ra da Cruz
do Recjfe o.30,true aahrlcom quem tntar.
Aos rS. cousumidoresde gaz
Noa-arejazaoi do C** o Ramos oa. 18 a 36 a
na ra do Trapiche Noto ni atolle o. 8, ee vea-
de gaz liquido americano primeira- queiidade retentemente chegai'io \t$ a teta de 5 galo**.
aitim como latas t 10 e de 5 garrafas, a es
garrafas.
O Sr. Joaquim Antonio de Samugo Les**.
morador na Parahiba. mande aem demora aiostar
auas contaa com Cwlos rrederico, oa cidade do
Pernambaco. J
Fugio no largo do Garmo, aa noite de 20
do correte, do poder de um cargueiro, urna
burra com os aigoaes aegointea : cor um pouco
ruca, cabeca podres, tamaoho regular, tendo aa
partase maoa Bas : quem a livor echado pode
leva-la a ra Formoaa o. 17, que aera recom-
pensado.
Oa berdeiros cuoseuhores do ngenho Bru-
jo na fregutzia de Serinhaem juoto ao transito
da via frrea team aeeentado entre si vender ou
trocar por casas oetta cidade aa auaa reapectivas
parles ou escamo levar o eogenho a praca por
arrendameoto a quem mais der : quem preten-
der dirija-ie a ra da Crui o. 47. tercairo andar.
"Wo da 23 oo correte depoia da auoiencia
do juiz de paz da fregoezia de S. Jos, se ha de
arrematar por venda a quem mais der urna jan-
gada e seus perteoces caja jangada e seas per-
lences fui penhorada a Manoel Antonio Correia,
por execucio 4 Manoel Aotonio doe Sanio.
O abaixo*asigodo declara que a casa n.
24 doRecco Largo 4 da sua residencia e nao de
Franciaco Daarte das Neres, como declara nesse
Diario de 20 do correte, sendo certo que a
moradia desse individuo segundo consta 4 na
fonle da impureza, sita no primeiro aniar do
sobrado n. 136 da ra da Seezala Velha no Re-
cife.
Jos alendes Daarte.
BE
3 canoas sendo urna para familia, outra
para capim ou serrico de otaria e a
outra finalmente para carrego de li-
jlos pois carrega 1,500 a 1,600.
, SEM RESERVA DE PREQO.
Quinta-eira 26 de junho ao meio dia.
O agente Guimares competentemente aatori-
sado vender em leilo tres caneaa em perfeito
estado, eocaviIhada de cobre, muto seguras por
serem muito bem fabricadas e someote empre-
gida ai madeiraa cicupira e amarello, para exa-
me dos pretndanlas eatarao na vespera e dia do
leilao no Porto das Canoas juoto ao telheiro on-
i? *eri afleetuado o lnilo.
*
LEILAO
DE
Vaccas e bois.
Quarta-feira 25 do eorrente,
A 11 horaa do dia cima mencionado ha ver
leilo por coola e riaco de quem pertencer e
aem reaerva de pre^o de cerca de 8 vaccaa pari-
das e alguna bois, oa raa da Concordia em frente
ao telheiro edifledo oooortodaa Canoas.
Avi$o.
A viuva do finado teneote Francisco Xavier
Cavalooti de Atmeida por eate convida a todos
os credores com quem seu finado marido tioha
relaces commerciaes nesta praca para apreseo-
tarem os seus docameotos o mais breve que Ihes
for possivel, para os legalisar, visto como vai-se
proceder ao inventario dos beos da casa pelo jui
zo des orphos ; pois com quaote tenha de fazer
as deelsnces de todos es credores, e com os
quaes j tem enlabolado urna concordata sobre
seus pagamentos, e poder continuar com o nego-
cio, todava te toros mistar esta formalidade da
lei. Victoria 17 de junho de 1862. '
L. Rover, sabdito
Janeiro.
francez, vai ao Rio de
Bailar Oliveira
Porto.________________
Prsciaa-sede urna ama
n. 12, segando andar.
aacam aobre a praca do
no pateo do Terco
risos Marinmos.
COMPANHIA BRASILEIRA
DE
At o dia 23 do eorrente esperado dos portos
do norte o vapor nacional /'aran, commandan-
te o capito-tenente Joa Leopoldo de Noronha
Torrezo, o qual depois da demora do coatume
seguir para oa poftoa do aal.
Desde j recebem-se passageiros e engaja-se
a carga que o vapor poder conduzir a qual devo-
ra aer embarcada no dia de eua chegada, en-
commendas e dinheiro a frele al o dia da sabi-
da as 2 horaa: agencia raa da Cruz n. 1 ea-
eriplorio de Antonio Luiz de Oliveira Azevedo
& C,
Rio de Janeiro
O brigua nacional Alfredo, aegae com brevi-
dade e tem meio carregameoto tratado : para o
reato, trata-ae com oa conaignatarios Marquei,
Barros & C.. largo do Corpo Santo o. 6.
Para o
Rio-Grande do Sul
com escala pelo Rio de Janeiro
aegoir com toda a brevidade o brigns nacional
Mrquez de Olinda, de primeira marcha, tem
ja prompts a maior parte de sea carregameoto :
para o restante trata-se com Hanoel Ignacio
de Oliveira & Filho, no largo da Corpo-Santp
Os lafe
Maranho a Para.
O patacho Paulino segu em poucos diaa, (em
mil barricas de aasucar tratadaa. para o reato
trata-ae com oa consignatarios Marques, Barroa &
[C. largo do Corpo Santo n. 6.
LEILAO
A 25 do cor/ente.
O agente Oliveira far leilo a requerimeoto
de James Ryder & C., por autorisa;o do Illm.
Sr. inspector de aifandega e por conta e risto de
quem pertencer, de RS n. 5170, 5274 e 5477
conteodo 84 pega de'casias estampadas a v.ria-
das, vindaa de Liverpool pelo navio ingles Trin-
culo, como ludo foi competentemente verificado
na forma do eatylo :
QUARTA-FEIRA 25
do correle, ao meio dia am ponto, no lugar de-
signado na dita aifandega.
LEILO
Tasso IrmSos fazem leilo por coota de quem
pertencer e por intervencao do agento Pestaa,
de 7 pipaa de vinho linio da acreditada marca
BA em lotaa a vootade doa compradotea mea-
mo pipa por pipa, a dinheiro ou a prazo como se
convencionar no acto do leilo: seganda-feira
23 do eorrente, as 11 horas em ponto, no era
mazem baro do Livrameoto no Forte do Hatto
Avisos diversos.
COMPANHIA
DE
Seguros mari-
tQlOSo
Utilidade publica.
A direc^o desta companhia convida aoa Srs.
accioniatas a comparecerem no dia 23 do cor-
rele ao meio dia oo aeu eseriptorio oa ra da
Cadeia, afim de elegerem um director e um aup-
plente.
Recife 18 de janbo de 1862.
Joa P. da Cunh.
Feliciano Jos Gomes.
Alega-o o primeiro andar da travessa do
Ompello n. 4, proprio para rapazea aolteiroa,
eseriptorio e pouca familia.
Rio de Janeiro
Pretende seguir com muita brevidade para o
Rio de Janeiro o velero e bem eoobecido brigue
nacional Almirantea, tem parte de aeu carrega-
meoto prompto ; para a reato qae iba falta, tra-
Empresta-se 1:0008 eom eguranc*
ta-ao con o atea conaignatarios Antonio Luiz do beaa de raiz : aa raa Direta o. 82*
Para salvar duvidaa, Ignacio Antonio Bom
ges declara que oceupa o aobrado de um andar
ailo a ra da Guia n. 26, com relaco a Francis-
co Duarte daa Naves, que se diz morador em
um segundo andar da casa com aquello n. 26 a
mesma raa da Gaia, se faz .certo qae em dita
ra, com esse numero s existe a asa do au-
nanciaole e que assim mesmo Duarte das Noves
deve ser guardado pela inspeccao policial, para
nao andar occnltando aua verdadalra moradia e
apreaentando-a como naa casas por oatres oc-
cupadss.
oa
Attenco.
Dsade odia 28 de abril prximo passado acba-
regular. Ve 38 annos pouco mais ou menos.
am UtiE^ltolu ni fr.ol., tem as veio. 4
pernas enhilo salientes; fevoa comsigo urna cai-
xa com fazendas que anda va vendendo oa im-
portancia de mais de 2009000. Igualmente adia-
se fgida a eacrava Baoedicla, prela, idade 35
annos pouco mais ou rueo, estatura regular,
muito tabaquista a pitadas, nariz fino, olhos
apertadoa, barriga aaliente e ps grossos : quem
aa apprehender queira leva-las aoe*Afilelos, no
quinto ailio alm da igreja que ae recompensa-
r : outro lini, protesta-se proceder com todo o
rigor da lei contra quem quer que seja que as ti
ver acoitadas.
-a*9etsj>tt>.)
Gabinete medico cirurgico.J
Ra das Flores n. 57.
0 Serio dada consalta medicas-cirargi-
9 cas pelo Dr. Eitevo Cavalcanti de A15u-
a) qaerque da 6 aa 10 horas da manha, ae- i
f) cudindo aos chamados om a maior bre-
as, vidade possivel.
S 1-" Partos.
m 2.* Molestias de pello.
3.* dem do olhos.
aj 4.* dem doa orgoa genitaes. .
cj Praticartoda eqaalquer operaco em
gm seu gabinete ou em casa dos dosntes con-
E forme lhes for maia conveniente.
Attenco.
Olegario Ssralva de Carvaibo Neiva declara ao
respeiiavel publico que o anouoeio feeerido oo
Diiriode Pernambueo n. 139 chamaado o cor-
respondente do Sr. los Filippe Santiago Ramoa
seDhor do eogenho Canoa Racbad, nao acarreta
ao mesmo senhor descrdito algum ao sea cr-
dito.^______
O aonaeocio chamando o Sr. ealudanle da
ra Bella para vir eta typographia, nao se
eoteode com o que mora na casa n. 21, sim com
o de outra caa, da mesma ra.
Precisa-tedeum caixeiro portugoezdel2 a
16 annos, para taberna, com pralica ou aem ella,
preferiodo-ae doa ltimos chegados: em Fora
de Porlaa raa do Pilar, laberoa o. 84.

9 Urna petsoa com bastante leite e sem fl- CJ
:lhoe ss offerece para amameotar ama crieo- ca em sua casa : quem precisar aonuncie. en

Frecita-se de urna ama forra ou captiva pa-
ra o ser-ico do comprar e cosichar: oa ra do
Imperador aobrado a. 37, aegundo andar, enlar-
da direits.
Queco precisar de om bom caiador, dirja-
se a rea do Raogel numero 34, aobrado primeiro
andar.
Precisa-se de um caixeiro que dfi conbeci-
menlo de sua conducta p&ri cobrancas e entre-
gar assucar com urna carroca s fregaezias da
refioacSo da Paasagem da Magdalena ; a tratar
na mesma caaa.
Attenco,
Antonio Cesario ftloreira
Dias, faz sciente ao respeit-
vel publico com especialidade
aos seus freguezes, que mu-
dou o seu armazem da ra da
Moeda para a ra da Madre
de Dos n. 32, e est >endeu
do f>or menos do que em ou-
tra qualquer parte, plvora,
chumbo e salitre e affianca a
boa qualidade destas merca-
dorias por serem de primeira
qualidade.
0 Livro dt Poyo-.
Sihio luz publica o LIVRO DO POVO, publi-
cado aob a direceo do Sr. Dr. A. Marques Ro-
drigue, e contm a vida de N. S. Jeaus Cbristo,
segundo a oarraco doa quatro evaogeliataa,
maia os seguiotes artigo: o vigario, o professor
primario, o bom homem Ricardo, a moral prati-
ca, Simo de Naotua, maximaa e peosameotos,
a bygiene, os deveres dos meninos, e o Brasil.
A publicarlo do LIVRO DO POVO oo s Um
por fim uniformissr a leitura as escolaa prima-
rias, onde cada menino aprende por um livro
differente. e portaoto facilitar o trabalho do mos-
tr a do discipalo, como tambem vulgarisar, por
am preco baratistimo, a historia do ailvador do
mundo, e os melhores preceitos de moral.
Vende-ae o Livro do Povo, no Recife, na
livraria da praca da Independencia os. 6 e 8, a
500 rs. o exemplsr em brochara, a a 800 ra. car-
tooado.
Agencia Fluminense
CASA DE
COMMISSOES E CONSIGNARES
DR
Arthur Marte C.
RIO DE JANEIRO,
/ua da Aifandega numero 62.
Recabem em consignado teda e quslquer mer-
cadoria, podendo o consabiteDte sacar a melado
da importancia de aaaa' facturas a 60 di
visls.
Eocirregam-se de representar qualquer
~- rxr^ciua |POasVltCa.
Craisan Jo presentemente com alguma intensi-
dade a varila oesfa cidade, o commiasarlo vac-
cioador lembra aoa cheles de familia que, pelo
regulameoto de 17 de agosto de 1846, sao obri-
gados a apreseotar oesta repartirlo todas as pes-
soas que oo tiverem tido bexlgss oaluraes, ou
aido vaecinadas, afim de se lhes praticar a inno-
culaco do fluido vaccinieo, isto durante as quin-
ta e domingos, no torreo da aifandega, cas 8
s 10 hora da manha, 0 nos ssbbados, na casa
de sua residencia, segundo andar do aobrado da
raa eatreila do Rosario o. 30. Recifa 2 de junho
de 1862.Dr. Joo Napomuceno Dias Fernandes,
commissario vaccioador publico.
Nesta typographia precisa-ie fal-
lar ao Sr. Joao Goncalves Rodrigues
Franca que morou em Olinda e dizem
morar nesta cidade do Recife.
Aluga-ie o primeiro andar ae um aobrado
com boos commodos, e por prego commodo : a
tratar na ra da Praia com Jos Higino de Mi-
randa.
Precisa sa de um caixeiro portuguez de 12
a 16 annos para laberoa, com pralica oa aem el-
la, pjsferinio-se dos ltimos chegados ; em Fo-
ra de Portas, ra do Pilar, taberoa o. 84.
Sitio.
Precisa-ae alugar um sitio com arvoredos de
fructo e casa soffrivel, perlo d* prac.a : oa ra da
Seozala Velha n. 96. padaria.
Aluga-se a casa terrea da ra do Fogo n.
16 : a tratar oa ra da Cruz o. 1, eseriptorio de
Aotonio Luiz de Oliveira Aze*edo.
Precisa-se alugar um primeiro ou segando
aodar, aeodo oas ras seguiotes : Aurora, LWra-
mento, paleo do C'rmo e Imperador (lado do pai-
aeioj: quem tiver, dirija-ae i raa do Queimado
Ioj< da ferragena o. 13.
Gasa de saude em Sanio
Amaro.
Dr. Silva Ramos.
Este estabelecimento j bem eonhecido, e con-
eeituado nesta provincia pelos relevaotes servi-
dos que tem prestado, cootios osa melhores con-
dicoes debaixo da direceo de seu propietario
receber doentea de todas as classes, os quaes se-
ro tratados eom todo e zelo e interesse pelos
presos segaiotea :
Primeira classe___ 39000oumait.
Seganda dita...... 2*500.
Terceira dita...... fOOO.
Em qualquer das classes os brancos ficaro se-
parados dos negroa. Os alienados do S.* e 3.*
classe nao furiosos pagaro- a diaria ordinaria,
aende fuiioaoa pagaro maia a quarla psrte. Os
alienados da 1.a cUsae pagaro segando o ajuste.
Aluga se o terceiro e quarlo andar da
cass da roa do Trapiche n. 18, a tratar na me-
I ma caaa.
Lt..
_ aballo aaiignado eatabelecido com cata
commerciel como egenee"aMm como" de ven-;e DTC0 Vlii -6/o 'Alho previne a seus
der e alugar eeeravM paliadoM aleguis adian^n6",?0'" T ^/V" ""'''
" i fim do mez de julho do correte anno ; e teodo
tadoasem perda de dias, comprar e vender caaas.-,.
chcaras e qualquer e.abeTecimenloa commer-rffj" H1" de '" *'*""l0$ nio lh Pr-
etal, fabril ou agrioola. cobrangade divida, e ?"i!?!l__" fl"'e L"" ^ "?'" de5g0"
herancas lomando a tea cargo o remellar em i* "" J"ue;e'- '<>-* >} qualquer lugar que ae ibes designar as quantias ?vu,odo ".dar d?er "comprai, afl-
cobrada. "u<" h" "" apgando-lhe, que deate modo aereo promplamen-
Tiram diplomas, cartea imperiaes e toda e "^oa por preco muito commodoa.
qualquer eerlido. do meaad.s, pagam peosoee Fr.ociaao Xavier de Souza Ramo.
de collegio e compram bllhetes de loteria. { Preciaa-ae de um caixeiro oa ruado Impe-
0 proprletarioa deate eatabelecimeoto garan- dor n. 24.______ *;j_ _________
tem a todas as pessoas que se dignsrem honra- '
los com aaaaordeas,que empregaro toda aclivi*
dadonecessaria, afim de obter oo mais breve;
lempo possivel os ioleroaaee de seus committen-.'
tes, e que eocontraro em todos teas actos, leal- ihx1/a nalfi lTavI^rABacrlo^A
dado e pentuiHdade, que onvem a todo o com- UitUlCO Oftlft U llIVerSlCiaie
merciante que preaa aua reputaco o quedeaeja, JA >a:L
aucmeot.-ia. 'i ae toioibra,
Todi aa pessose qae qalxersm honnr os so d eonsultae aa aaw, das 8 a 10 horao da hi-
^S*a^t?m ,,f,ma ordem, podem a elle se nhia, e prosta-ao a qaaloaer thamado tosa a baco
dirigir directanaai ton toda sonfiaoca, coahedda pramptido,
Pretia.-se de urna ama que taina eoiinbar
e angommar p.,a 0 aerffeo de ama serthora ; n
ra das Aguas-Verdes h.- 48 atimviiro sgdar.
Laboratorio a vap>-
DE
Lavagem e eng^mniado
de roupa, de Ramos mentel.
Empreza importante, que val preatando rele-
vantes servigos i teas freguezet pala promplidio
e perfeij com que lava a roupa sem a estregar
PREf^S. ^
Roupa sortida (embora nao venham meia nemr
ienQos] 40 r. por peca.
Pega grandes isoiadsmente 100 ra.
Roupa de navios, vapore e hoipitae 70 re^
Dita de familia que oo fregaea 80 rs.
Dita de doente de familia que nao i freauei
a 120 ra. "
Urna rede ou cortinado de cama oo varandar
a 500 rs.
O prego dos engommados mdico e confor-
me aa pegas, come coitumam fazer a engomma
deiras. O preso da entrega da roupa lavada *
8 das, e engommada 15, sendo que muitas vroesr
eit prompta antea do praio. IVeposito na ru
Nova.
Precisa-se de um bom cozmheiro ou ano-
boa cozinbetra, e tambem para fazer as compra
oa ra, aeodo escravo preferido, e aeodo capa*
paga-se bem. Tambem precisa-se de urna bo
costurara e engommadeira, na mesms casa o. 4*
da ra da Cruz do Recife.
Precisa-se da 1.600$ para seis meze, by-
pothecando-se duas moradas de caen terras oasr
principies ras, rendendo todas as duas 38gOtO
mentaea : quam este negoeio qaizer annuncie.
Arreoda-seo eogeoho.Sicupem oa fregue-
zia do Cabo, e vndese a safra : quem o preten-
der, dirija-se ao seu proprielario na Torro, ou*
nesta prega ao Sr. Antonio Joaquim de Almeidar
Cruz, ra de Hortas. cas> o. 114.
OlIrece-e urna paaioa para o servigo ds>
urna casa : quem de seu -presumo precisar, diri-
ja-se a ra do Forte n. 15.
Alugam-ae dous moleiues bastantes prati
co em bota(*uim : n ru Diraita n. 3.
Houtem indo um pequen aa T Ueum un
matriz de Santo Antonio, perdea urna pulseira
de ouro esmaltada com flores a rodado esmalte;
a pessoa que arhou-a quereodo entrega-la, pode
dirigir-se o paleo do Paraizo, aobrado de am
andar n. 24. qua aer generoiameote ara ti B ca d o.
Joaquim Jos de Sam'Anoa e sua mulber
rt>tira-se para o Rio de Jineiro.
Jos Antonio Al ve retirase para Portugal,,
levando em aua companhia aua cuohada Mana
Thereza Dareosa.
SOCIEDADE
TOO .FCENTE
DOS
ARTISTAS SELLEIROS
Em Pernambaco.
ScientiQco aos seohores socios eflectivos, que
em sesio extraordinaria de aasembla geral d
dia 27 de abril prximo passado foi concedido i>
praso de 60 dias a todos aqueltes que eato in-
cursos no 1.* do art. 64 doa estatutos, ataim
.como nndo o prsto ser posta em vigor a dispo-
aigo do artigo 72 do meamos estatuios.
Secretaria da sociedade Unio R-neficenle do
artistas Selleiros em Pernambuco 18 de junho da
1862.
Taurino Canltdio 4e Mora*.
1." secretario.
Precisa-se oe um caixeiro a 12 a 14 u-
oos, que tenha pralica de taberna : na ra do-
Laldeireiro n. 60.
Pede-se ao Sr. iao, moradur em Onua-
que quando vier ao Recife, se dirija a esta ivpu-
graphia que se lhe precisa fallar.
Ama.
Urna muiher branca offerece-ae para ama do-
casa de familia, pira cozinhar e engommar rom
perfeigo : no segundo Decco largo da emboa-
do Carmo. caaa o. 5.
Joao da Silva lanos,
Previoe-se que uiuguem faga negocio com
a parle do eogenho Giqui d freguezia da Escads,
perleaceate a Herculaao Ladgere de Leaao, per-
qu existe execugo contra o mesmo pelo juio
de direito especial do commercio desta cidade.
escrivo Manoel Mari, e Ji se extrahio exeeutivo
dirigido s justigas commerciaas daquelle termo,
nao se tendo effectuado a peohora per causa da
semana feriada.
Gasa para alugar.
Aluge-se urna casa na Capuuaja- Nova, raa da
Amiz.de, a moderna, 2 salas, 4 qoartos, cozfuba,
fora, quarlo ao lado, cacimba com bomba, tanque
para baoho, graode quintal todo murado, om
muitas arvores de fructo, sendo a maior parto
laraogeiraa: a tratar na raa daa Trincheiras n. 1.
Ama de leite
Precisa-se de urna
Santa Cruz n. 64.
ama de leite ; na ra di
Precisa se de um bom
brneiro, e paga-se bem : ua
ra dis Cruzes n 32.
Ama.
Preeia-se de um
com toda a perfeigo :
ama que saiba cosinhar
o ra Nova n. 47, leja
Precisa-se de ama
coainhar para 4 peasoaa :
ama nicamente para
na ra Direita n. 17.
Hanoel Jos de Souta suodilo
segu vlagem para o Rio de Janeiro.
portugus
Magdalena Pagliago Girom, M. Mari e su
familia subdito italiano retiram-se para Eu-
ropa.
Oficiua photogrHphica
KUA DA 1MPERATR1Z N. 14.
ZCartdes de visitas, cenotipo, pho-"
tographia etc.
Len Chspellain, photograoho e suc-
cessor da casa Stall & K., atbaodo se
reettbelecido da grave enfarratdade que
otlreu, a qual o obrigou a separar-e de
seus trabalhos por espaga de dous metes,
ofierece-se so respeitaei publico de-
clarando-lhe que receben da Europa oa
melhores reagentes necessarioa a seas
trabalhos, e que se a cha prompto a ludo,
que exigem os cosheeimentos do sea
profiso. A saa officina estar aborta
daa 7 da manha as 5 da tarde.
Precisa-ae fallar com o Sr. Joo Marti
Gongalvee, natural da cidfde do Porte, e na s
falla coa alguom qae aa presto a dar informa-
gees aoee: aa ra da Cadeia n. 12, escriptori
de BaHbafa Oliveira.
'. Preclia-e de ama preta qae alrva para to-
do servigo e psra vender a tarde na ra a : a tra-
tar ua raa Bolla n, 5



I

L
W.. ^.-____i
.-. ,



D1A110 DB PRRNAMBCO. ^SEGUNDA TORA SI DI JNHO DB 1162.
Desmentido aos Srs. 15 rro^ A Mc-
deiros.
O herdeirot de I}. Anlooi Mara de Castro,
respoodeDflC uta aviio, feito na nome da (Irma
social de Barreo & Mederns Ulvezque o ultimo
. estes sanhorst nao tenha coicorrldo para um
tal afio, eta que te adverta a > publico para qv
-pesaoa alguma ped se. contr l r scbre os beol
deixadot por aquella senhora, I ?m a declarar qot
no dito avito se falla duplica jnle a verdade,-
pos oem exislem senteocas, c< me (altamente all
se dallara, que houvessem ( brigado a dita se-
nhora, hoje a seus herdeirot, a pagar a Barroca
c\-Medelrot a quantia de 18:7MJT57, neta accao
que pende em juizo, mas sim julgameoio algum
na qual se pedia a dita D. Aot na aquella quan-
tia, nao pertencente a firma de Barroca & Me-
deiros, e sim cae Barroca & Rastro ejo liquida-
ao, teado de mais que aot di i$wo autet deisa
questao correm el artigos dt urna recoawenco
por maior quantia que a.da ac<;ac : o que existe
ara com a firma de Barroca j M jdeiros, urna
sentenga por ella oblida contri a referida senho-
ra, a qual sendo, como de duzenlot e tantos
mil rit, os herdeiroa tratan dci paga-la, como
j se eDtedera,m com um daq relies socios, nao
obstaote o importe da mesis provir de precus
e alguna cortes de venidos Blindados vir da
Europa pelo deaditoso socio qu i fra do Sr. Bar-
roca, Jos Leo de Caatro, irru o (loe responden-
tes, para sua familia, e aqui c lefados depoisda
norte do mesmo, e ao Sr. Bar oc.t aprouve debi-
tar a dita aeohora no importe dilles para com a
outra firma, entretanto que cao (lera ainda coo-
tas em juizo, para onde fra clamado, da aocie-
dade Barroca & Catiro em Ilqi idiclo, nao obs-
tante decorridos quatro anuos depoit do falleci-
meoto do socio, ese jconta com senlencas que
aindj nao se deram, tanto que di os seus adver-
sarios como devedores daquel i grande quantia
por duat senteocas, que oo:;iatem, muitoven-
turoto o Sr. Barroca por pievur futuros ; aoa
herdeirot s cabe a fe na justioa, e confiada cel-
ia e recudi dojuiz, nao esoiorecerao na cou-
tenda ; offerecem ao publico a cerlido infra, que
prova o quanto falso o que te disse no tal avi-
so, que nao poder produzir o lcito d sejado de
interromper a venda de algu.m bens da referida
senhora, a qual foi ordenada p>lo juiz do inven-
tario de lies para pagamentos de dbitos justifi-
cados, e nesta bypothese, ai ida qaando o Sr.
Birroca livesse essas duas inventadas sentencas,
e que ellas fossem em favor rio su a firma com o
Sr. Medeiros, nao leria direito a lolber aquella
venda, pois outro seria o meio que a lei lhe con-
cedera, e muilo menot por simples annancio,
que, como se conbece, conlem falsidades.
Illm. Sr. Dr. juiz de direito. Dizem os her-
deiros de D. Aotooia Maa do Castro, que para
bem de sea direito prciiarja.*a^o,escrifo Ma-
coel Mara Ibes certifique ae .1 qtU|io de accio
ordinaria, em que se pedia 1 quantia de res
_ 18:7548757 mi dos supplici otiis, dita D. Ao-
" tonia, proposta em nome de Barroca & Medei-
ros, ou de Barroca & Castro em liquidacao ; e
se j houve julgado, queobrigisss a antecessora
dos suplicantes ou a estes tu ano*, a pagarem
a referida quantia : pelo que pudo a V. S. assim
o mande.E. R. Me.
Maooel Mia Rodrigues do .V- cimento, serven-
luario victalicio do officio do cicrivo do juizo
especial do commercio desla cidade do Recite
de Pernambuco seu termo, por Sua Magosta-
do Imperial que Deus GuarCo, etc.
Certifico que pelo meu sartorio pendem una
autos de accao ordinaria de B rreca & Castro em
liquidacao, contra O. Antnic Mara de Castro,
hoje seus herdeiroa, cujo cedido de ris
16:226$587, a qual ai oda nao loi julgads.
O referido verdade e aos suprameocionados
autos me reporto.
Recife, 18 de junbo de 1862.
Sebscrev e assigno.Em f de verdade, o es-
crivo,
Maooel Mara Rodrigue! do Natcimento.
O Sr. empregado publi-
co que recebeu differentes
quantias para pagamentos de
objectos de sua reparticaoe
nQ.08pagou, queira mandar
entregar essas quantias que
exista i em seu poder como
depos al&s se publicar
seu nome e mais* cartas pelas
quaes se prova a existencia
deste negocio.______*_______
le publico a quem eovier, qua a audi-
encia detle juizo que de*ia ser na terqu-faira
24 doaorranta, psttou a ser na tegunda-feira
23, porser da nal rtWo dia 14. Pri-
meiro districto da tro anto Antoqio do
Racife, 20 de juoh
Ra estreita do Rosario n. 22,
primeiro andar.
O dentista Numa Pompilio planta denles arti-
ficiaea por grampos e ligaduras a preaso do
ar, dentes ioeorruptiveia aobre ouro, syatema
norte-ameriesno e faz todas as operaces de sua
rtae com promptido e limpeza
$ 9SISII QWfiAtfililMMi GMMHM8
Dentista de Pars. a
15Ra Nova15.
Freilerico Gautier, cirurgiao dentista
a faz todas as operaces desua arte a e co-
H leca den tas artificiaes, tudo com -sdeln
ft rioridarle e perfeicao que as pessoas-,er.
5 tendidas lhe reconhecem.
t Tein agua e pos dentificios, etc.
S&I3NSMSMS
AO COMMERCIO.
Uavendo expirado o prasc de duracSo da
sociedade commercial estabelecida nesta praca
sob a firma deAlmeida Gomo, Alves & C.os
seus socios abaixo assigoados de commum
eccordo resolvern dissolve-ln, entrando desde
o 1 do correte mez em liquidacao, que fica a
cargo da extincta firma, a qnal nao est compro-
mettida em respooiabilidade ie qualquer natu-
reza e julga nada dever nes a prega, pedindo
todava a quem quer que se julgar com direito a
alguma reclamac.ao oeste senlido de se dirigir
com a maior brevidade oossiv A 4 ra da Cruz.
armazem n. 27. T
Recife, 14 de junbo de 1862.
Antonio de Almeida Gomes. ]
Miguel Jos Vives.
Jos Noguein de Souza.
Uavenao expirado o priso de urasao da
aociedade commercial estabei.-cida nesta prtQa
sob a firma deNogueira de Souza & C-~*os
seus socios abaixo assigoados ce commum accor-
do reaolveram dissolve-la, entunilo desde o 1 do
correle mez em liquidacao, < ue fica a cargo da
extincta firma, a qual nao et compromettida
em responsabilidade de qualquer natureza.
Recife, 14 de junbo de 1862.
Jos Nogueia de Souza.
Miguel Jos Alves.
Antonio de Almeida Comes.
Aviso aos Srs. de engenho.
Um hornero catado, que tem ettado na Franca
ha mais de 10 annos, se offerece a ensinar pri-
meiras letras e francez, e sua senhora, costura e
prlmeiras letras, pela pralica qoe j tem de ter
ensinado em alguna engenhoa deata proviocia :
quem precisar, dirija-se ao segundo andar do so-
brado da ra do Livramento n. 31, que achara
com quem tratar.
Precisa-se alugar um prelo para todo o ser-
vico de casa ; na ra do Livramento n. 31, se-
gundo andar.
$
INTERINATO
DE
RA 2)0 UEIMM0 N46
j?BAMDI20RTMERT2,ftfit;
DASEROUPKSFt:!'-
Sortimento completo de sobreessacos de panno a 159, 289. 309 e 359, casacos multo bem
faltas a 258, 28$, 30$ e 35f, paletots acaaacados de panno pretode 18 at 259, ditos de casemira
de cor a 159,18g 20$, palttots saceos de panno e casemira de 89 at 149, ditos taceos de alpati
m crin e la de 49 at 69, aobre de alpaca merino do 79 at 109, calcas pretas de casemira de
89 at 14$, ditos do cor do 79 at 10$, roapas para menino de todos os tamanhos, grande sorti-
mento de roupas de brins como seiam calcas, paletots colletas, sortimento de colletas pretos d
letim, casemira velludo de 49 a 9$, ditos para casamento a 59 o 69, paletots brancos de bra-
mante a 49 5f, calcas brancas multo finas a 5$, e am grande sortimento de fazendaa fin s e mo-
dernas, completo sortimento de caaemiraa inglesas para homem, menino senhora; seroalas da
linho ealgodao, chapeos de sol de seda, luvas de seda de Joavin para homem e senhora. Te-
mos urna grande fabrica de alfaiale onde recebemos encommendaa de grandes obras, que para
sso est sendo administrada por am hbil mastre de semelhante arte o um pessoal de mais da
oncoenta obreiros escolhidos, portanto execulamosqaalqaer obra com promptido mais barato
de queem oatra aalquet cata.
fEstabelecido no lugar da Capunga, um dos arrabaides^
mais prximos da cidade do Recife.
DIRECTORO BACHAREL EM MATHEMATICAS
O director do intrnalo de S. Bernardo nao tendo evitado esforces nem sacrifi-
cio! para proporcionar aos seus alomos ama perfeita educacao phisica, moral, intel-
ectual e religiosa, ofterecodo-lhea urna habitacio com todaa ae condiedes de sala-
bridade, habis professores que to solcitos em prepara-loa convenientemente ao fim
!*^f a que te destinara, mdico pratico que Ihes faca compreheodar os preceitos da bygiene
& e lhes cu/e asdoencas, o finalmente um sacerdote Ilustrado e honesto qae lhes expli-
" que os principios da religiao christa, eapera qve attim conttituido nao deixar o seu
es(abelecimeoto de merecer dos Srs. paet de familias o auxilio o confianca com que ji
alguna o tem honrado; elbea roga, bem como a todas aspetsoas interessadas, que se
digaem de visitar o mesmo seu ettabelecimento, onde sempre encontratao franco in-
gresso.
O collegio tem a sua sede as elegantea e espac.osas propriedades da Sr." vluva
Lasterre e dos Sr. Roberto & Filho, Capunga Velha.
Com o Qm de tornar maia brevas e commodas as communicacoes dos Srs. paes e
correspondentes, o director lhea avisa que as encommendas e todaa as corresponden-
cias podero ser entregues na casa de residencia do seu irmo o Dr. Pereira do Carmo
ou na loja do Sr. Joaquim Ferreira da Costa, ra Nova n. 56.
Antonio de Almeida Gomes, tem a honra
de participar aos seos amiges e ao corpo de
commercio que, nicamente 1 m seu nome como
oul'cra, continua nos meamos ramoa de Begoclo
de que aeoecupava a extincta (Irma deAlmeida
Gomes, Alves & C>, da qual fazia parle.
Recife, 14 de junho de 1862.
Ra da Cruz o. 27.
A pessoa que 00 mez de malo oa abril
offereceu um santuario com : -rugeos, por troca
de una pranxdes de boas mac iras, anouocie a
sua morada para ser procurad) por urna pessoa
do msto que deseja fazer esti negocio, ou diri-
gir-se a ra da Penha sobrade da esquina do Sr
coronel Joaquim Bernardo dn Figueiredo no 1*
andar que achara com quem tratar.
Hotel Tro- I
vador. 1
. -44Rosario larga N 44
O proprietario do hotel Tro- i
vador, ra larga do Rosario n. t
44, tendo desoecupado o tercei- i
ro andar, pela retirada dos ar- 4
tittas da companhta do circo i
Grande Ocano, oierece-o para (
dar hoepedagem aos visitantes L
desta bella" cidade, py.-alFque c $SP"j
acha elle debidamente prepara- |~
do, fornece comedoria, feita com |
asseio, por mdico preco, pelo |
que se recommenda mu espe- ;
cialmente aos Srs. de engenho i
que, ou por simples visitas, cu i
movidos por negocios, tenham i
de se demorar nesta praca, em i
cujo centro elle estabelecido.
Guimaraes k Villar
COM LOJA NA
BA DO CRESPO ]f. 17-
. Tendo um grande sortimento de fszendas de gotto pedem
As senhoras que
mandem vtr suat fazendat prometiendo serv-las o melhor possivel.
Acabam de receber pslo ultimo vapor francez am grande sortimento de vellidos
brancos bordadoa para 30$, 40$ e 50$ e ntremelos ricamente bordados largos e es-
treilos proprios para enfeitar vestidos brancos e roapas de. noirs ; manteletes e
pas a Luiz XIV e saias bordadas de todat as qualidadet.
Esperam a protec dai respettaveis senhoras.
Quem espera sempre al cauca.
eandro & Miranda.
Ra do Crespo numero 8 A.
Sao chigados a loja da Uoio Commercial de Leandro & Miranda, 01 detejadoa
muito commodos baldes de 13,15, 20, 25 e 30 arcot de precos de 3;5O0 a 6$.
Na rus de Santa Thereza n. 24 precisa-se de
urna ama para cozinhar para duas pesioas.
Precisa-se de urna ama para comprar e co-
zinhar, para casa de homem solteiro ; na ra do
Queimado loja n. 42._______________________
RuaNovan.32
casa de madama
Theard
I Anta loia fraoceza que foi
ele Gada^t ra Nova n, 11,
Acaba de receber desuaencommenda um grande e variado sortimento de di-
versas mercadoriaa que se acham a vendana dita loja por menos 10 por cento do que
em outra qualqutr parle, a saber :
Companhia Fidelidade de se-
guros maritimos e terres-
tres, estabelecida no Rio de
Janeiro com o capital de
1-6:000:000^.
Agentes em Pernambuco
Antonio Luiz de Oliveira Azevedo & C. compe-
tentemente autorisadoa pela directora da compa-
nhia de seguros Fidelidade, tomam seguros de na-
vios, mercadoriaa e predioa, no aeu escriptorio,
ra da Crnzn. 1.
Aodr Rotero
para o Oar.
subdito italiano, retira-ae
Juliao Jos de Araujo subdito portuguez
segu no paquete francez pati a Europa.
Cuatodio Antonio Soares, lestamenteiro do
finado Ponciano Loureogo da Silva, pelo prseme
roga aos paea dos sfilhados e t&lhsdas do mesmo
finado que se apresentem con petentemente habi-
litados para receber a quanlit de rs: 5O5OOO cada
um que o mesmo Qnado em :eu testamento dei-
xoa, isto no praso do 15 dw a, na ra larga do
Rosario n. 46
Jos Antonio Alves retira-se para Portu-
gal, levando em sua compai hii sua cunhada,
Maria Thereza Barboza.
Silvino Guilherme
vos de ambos os sexos :
79, primeiro andar.
de Bi rroa compra escra-
na na do Imperadorn.
Salvador Rodrigues da
Janeiro.
Silva vai ao Rio de
Na ra da Palma da frei;ue:iia de S. Jos,
n. 59 se dir quem d a prem o 400&000 com hy-
potbeca em caaa terrea.
Anda se roga ao Sr. estudante
que tem recibido Diarios com o no-
rae de Daro Fortuna, desde o anno
passado, e nao tem pago, fazendo l-
timamente mudanca da entrega para a
ra Helia, que mande pagar a assigna-
tura, alias se publicar seu nome.
Urna pessoa convenientemente
habilitada se propOe a ensinar fora da
praca prlmeiras letras, latim e francez:
a tratar no pateo do lerco n. 33.
[16Ra da Cruz 6
O Dr. Rocha Bastos
da consuttaa todos os diat.
Cura radical e em po.ico das moles-
Stiis ayphUiiicas dos orgiios genito uri-
narios.
Consultas de graca daa i as 9 horas da o
maobaa. S
mmmmm-mmmmmm
Sorkspara S.Joao eS.Pedro.
Um pequeo folheto contando versos, tanto pe-
a o principio como para o flu, oraedes e ladai-
nhas proprias para se poder fazer a novena do
glorioso S. Joao : vende-se na ra do Impera-
dor n. 15, das 9 bous da manbia ai 3 1(2 da
Urde dos dita utei.%
Toda attenco.
Custodio Jos Alves Gelmares aviaa ao res-
peitavel publico, principalmente a todoa oa seas
freguezes e amigos, que se mudou da loja da
aguia do ouro da ra da Cabugi para a ra do
Crespo n. 7, para a bem coohecida e sntiga loja
de miudezas que foi do fallecido Joao Ceg, hoje
teri coohecida pelogallo vigilante,e pede ao
respeitavel publico e aos seus freguezes e amigos,
que o queiram procurar no dito estabelecimento,
onde acharao um grande aorlimento de miudezas,
que affianga servir bem e vender por menos dez
ou viole por cento. do que em outra qualquer
parle.
!(Ma ra do Rangel n. 18S
' Cortam-se cabellos a 240 rs.
i Barbas a 120 rs.
I Alagara-se bizas a 240 rs.
' Tiram-se dentes a lfi.
P Sangram-ae na loja a lg.
) Amolam-se navalhas a 240 rs.
ITesouras de costura a 120 rs., eas
conforme o tamanho.
) Na mesma casa precisa-se de um
> icial de barbeiro.
Na travessa da ra das Cruzes n.
2, pjimeiro andar, tinge-se para todas
sa cores com presteza e commodo preco.
Precisa-sede um trabalhadorque tenha pra-
lica de refinado, paga-se bem servndo, a tratar
na ra doa Gaararapea n. 28.
Fogo de arti
ficio
O bazar da ra do Imperador n. 6 ainda a
agencia da muito acreditada fabrica da vluva Ru-
fino, aoode ae tomam todas e quaesquer encom-
mendas em tudo o que for relativo 4 sua arte, as-
segurando-se nao s a melhor execuco na con-
feeco doa artigos, como maior modicidade nos
seus pre;os, Nesta mesma casa ha sempre am
portador para fazer a coodocco daa encommen-
das,.evitando ajsim os frites que a distancia das
fabrlcaa acarretam aos aenhores compradores.
Miguel Joa .Aives roga as pessoaa, que por
qualquer ttulos sa ,iossam julgar seus credoras,
se sirvam mandar apreseatar-lh'os no armazem
n. 27 da ra da Cruz para serem por jelle promp-
lamente pagas.
Recife 14 de junho de 1862,
Agua de malabar
do vefdadeiro fabricante Lascombi, para
Ungir cabellos da cor que ae quizer e com
um guia para seu uso.
Para presentes.
Ricas caixas de costura com msica e
tem ella, o meihor pretente que se pode
dar a urna tenhora que te estima.
Para homens.
Ricoa ettojos conlendo todos os utenci-
lios necessarios para toilet de qualquer
pestoa que se trata com muita limpeza,
conlendo navalhas, tesouras, pentes, es-
cobas, frascos para pomada e cheiros, afia-
dores, tlnteiros, etpelhos, pasta para pa-
peia o muitos outros perteacespara o mes-
mo Qm.
Encerados.
Especiaes para cobrir meta a 1$, 1J500
e 20 o covado.
Para retratos.
Machinas de todos os tamsnhot frsncezat
e americanaa chimicaa para trabalhar am
tonos os processos, copos graduados, fu-
nis de vidro, um grande sortimento de ca-
xinhas, de chagrn, passepartoua de corea e
pretos e dourados, cuvetss horizonlaes e
verticaet, papel para retratos e todos os
ulencilios teodenles a esta arte; tambam
se collocam retratos em caixinhas e passe-
partoua, mudam-se os que ettiverem mo-
fados tudo a vontade de seus donos.
Ricas beu galas
de verddeira cana da India com pontei-
ras e caaldes de marfim, tendo nos casloes
muito bonitas figuras aberlas em relevo,
as maia bonitas que se podem achar nesle
genero.
Ditat de massa imitando ulicorne.
Luvss de pellica
do verdadeiro fabricante Jouvin & Filhot,
para homens e tenhorat, brancas, de co-
res e pretas, e.que continua rao a receber
por todos os vapores francezes prego fizo
2^500 rs.
Espelhos.
Desde o maior at ao maia pequeo ta-
manho com molduras pretas e dooradas
para ornamento de sala, sendo os vidros
muito grossos e de primeira (qualidade.
Para msica.
Instrumentos completos de chafes e
apitton e tambem grande sortimento delles
avulaos com muitos melhorameotos o dos
syitemas mais modernos do muilo conhe-
cido fabricante Gautrdt Ain. estes instru-
mentos se tornam mnito recommendaveis
por serem muito perfeitos, e os mais mo-
dernos que existem no mercado.
Objectos diversos.
Fumo de harlebeke, marilande, caporal,
vervique e americano, para cachimbos e
cigarros.
Seroulaa de algodo de corea para ba-
nbos a 500 rs.
Camiaasfrancezaede todas as qualidades.;
espolinos de laa para meninos, muito
lindos de diversas cores a 10500.
Ricas capellas brancas e de cores para
casamentes o mais elegante qne aqui tem
vindo oeste genero.
Chicotes americanos o francezes com
aoeis e sem elles para carros, cabriolis e
cavallos.
Bandejas grandes de 30 pollegadaa a 30.
Um grande sortimento de oculos e lune-
tas de grao e miope.
Fundas para oa quebrados das virilhas.
Velas para carro e piano.
Lequas de madreperola,
Ricos punhos e gravatinhas para senhora.
Porcelanas e vidros.
Apparelboa e meios ditos de porcelana
para jantar, candelabros de 4 e 5 laxos,
serpentinas e lanternas com pinguetea e
tem elles, escarradeiras de vidro brancas
e de cores, ricas lanternas para carros o
coupa, clices para vinho e licores, redo-
mas com peanhas de todos os tamanhos
para imageos, vatot para florea % encera-
dos para carros de cores e pretos, ditos
redondos e quadrados para botar pratoi,
lanternas e cendieiros a gaz.
Alm de outros muitos objectos de moda para
aeohoras e meninas, recebeu ltimamente e x-
cellenles chapeos de palha de Italia, gesto Ama-
zonas, a Travialas, Addaluz e Beatriz, ojkn de
palha braoca e decores, dos gostot cima ditot,
dito, a filtro. H"i- on.ifli indicados,
palha branca e de cores escuras para m
meninas.
Recebem-se figulinos todos os mezes ^Taz-se
com perfeicao vestidos, capas, manteletes e ves-
tuarios para meninoa aebaptisarem.
Arrendase um sitio em Par-
nameirim
com caaas de moradia, cocheiras, feitor e estri-
bara, alem de outraa commodidades e boa visi-
nhanca, tem capim diario para 4cavalloa, coquei-
' ros, e muitas ontras arvores de fruto e utilidade,
faz-se o arrendamento por um ou mais annos, e
com condiedes ventajosas : trata-se no largo do
Paraizo, n. 24 com-S. A. Peret.
O retraliaia americano
O retratista americano
O retratiata americano
O retratista americano.
Rna do Imperador
Ra do Imperador
Rus do Imperador
Ruado Imperador,
los de ambrotypo
10 ao amfcrolypo
tylos de amDnxypc
Novoa eitylos de ambrotypo
Muito baratos
Muito baratos
Muito baratos
Muito baratos.
Lindas carloes de visita
Liodoa cartei de visita
Lindos cartdes de visita
Lindos cartea de visita.
U3 UltUl,
.'S de Novosestyloi
., i Novos ettylos
I -i
i

Nos quatro estabeledmentosrf
bem&onhecidos da ra Real
do Mauiuinho ns. 51, 61, 62 e63.
Presunto de fiambre.
O melhor qae tem vindo a este mercado afianzando a boa'qualidado a 400 rs. a libra.
M rmela da 0 melhor ,M ha, ubw a m .
i" aSSaS ai mais oras que ha a libra a 480 rs.
\liej|0^ do sertao o melhor que ha a 500 rs. a libra.
Manteiga fraDcm ,1^ 700 rf#
l\anteiga inglesa a n 720, 800, 900 e 10 o melhor que ba.
PalltOS do m gro S|500> dutia J4Q rs.
B mais lado quanto tendente a molhados que se torna enfadonho annunciar, pois que
a vista dos estabelecimentos verio os Srs. freguezes como se acham completamente sortidoi de tu-
do quaoto lhe perteuce e que logo coutinuaremos por lita olha.
Figiieiredo & lrmao
Ra Nova n. 18
Nette estabelecimento haver sempre um
grande sortimento de roupas feitaa e por medi-
da, tanto para homens e para meninoa e um
grande e variado sortimento de fizendaa tanto
inglezas como francezas de bom goslo e barataa,
assim como tambem diveraaa joias de oaro de 18
quilates e debrilhantei dos melhores fabricantes
de Pars.________________________________________
M
de Hamburgo
Alugam-se e vendem-se por qualquer preg
na ra do Rangel n.18, amola-se todo o ferro
orlante.
*R e>m wtow cn WTTT WJW WmH VBV s*w WWIW WoW **
"Escriplwiodeadvocaeiaj
Ra do Imperador n. S
[37, primeiro aodar, a' es r
querda.
Neste estabelecimento irabalha o adro-
gado Joaquim Borgea.Carnelro (graduado
om direito pela facldade do Recife] des-
de as 9 al as 3 horas do dia.
Advoga em todoa os juizos e tribun- es
desta praQi, e en:arrega-se de negocios
para o interior da provincia, principal-
mente para as comarcas de Santo Anlo,
Rio Formoso, Bonito, Nazareth e Goianna.
Recebe gratuitamente as cautas dos I
desvalidos, nao podeodo cada qual tra- S
xer mais de urna questao por vez.
No metmo ettabelecimento solicitam- so
se titulot e patentes, de empregadoa pu- 8
blicos e officiaes da guarda nacional do
interior, mediante mdico estipendio.
Em aua falta e impedimentos ser
substituido, nos negocios civeis, pelo Sr. 1
Dr. Joaquim Jos da Campos, e noa do C
crime pelo Sr. btcbarel Jorge Dornellas Q
| Ribeiro Pettoa. S
2tfdi5i6dl3M3 dS^SSfiii^Sirf ^
Bolos finos para S. Joao e
S. Pedro.
Os melhores bolos de S. Joo de todas as qua-
lidadet, e bandejaa enfeitadaa para caaamento,
com perfeicao ; assim como creme.podins, e to-
da a qualidade de pastelera : quem precisar di-
rija-, e s ra da Penba n. 25.
Precisa-se fallar aos Srs. Firmino
Gomes da Silveira e Jos Antonio de
Carvalho Brito, que moraram em urna
das casas do Sr. Bartholomeu, as pro*
x'imidades da casa de detencao e desap-
pareceram, seguido diz um companhei*
ro de casa : nesta typographia.
COMPAMI1.1 DA ESTRADA DE FERRO
DO
Recife ao Sao Francisco.
(limitada.)*
De conformidade com a instruccoes recebidas
da respectiva directora, faz-te publico que del-
ta data em diante sao convidados os accionistas
desta companhia a cumprirem com os termos do
aviso que por ordem da mesma abaixo Ocam
publicados.
Escriptorio da companhia, 20 de maio de
1862.
Por procuragao de E. H. Bramab, thesou-
reiro.
(AssignadoJR. Auttio.
Aviso.
Cayallo.
Na noile de 12 do cortete desappareceu um
cavallo pequeo rugo com pintaa de pedrez, e
tem aignaes ainda bem distinctos de ter sido ata-
cado do sangue. castrado e tem todos os andares:
quem o pagar e levar no caes do Ramos n. 4, se-
r bem gratificado.
CLU COMMERiAL.
A reuoiao familiar do corrente mez teri lg
na noile do dia al.
Aluga-se ama ama para oso de familia
na ra da Imperatriz n.,.42, segando andar,
Pelo presente faz-se publico que por urna re-
soluto da directora desta companhia tomada
oeata data tem-se feito a ultima chamada de urna
libra esterlina por cada accao, a qnaldever ser
paga aleo dia 30 de junho do prximo viodouro,
no Rio de Janeiro em casa dot Srs. Maua Mac
Gregor & C, na Baha aoa Srt. S. S. Davemport
& C. e em Pernambuco no escriptorio do the-
coareiro da meama companhia.
Pelo preaente fica tambem entendido que no
caso de nao ser a dita chamada ou prestado sa-
i.isfeita al o dia marcado para seu pagamento o
accionista queincorrer naasa falla pagar juroa a
razo de 5 por cento ao anno sobre tal chamada,
a contar desse dia at que seja realisado o pa-
gamento.
No caso de nao effectuar o pagamento desta
chamada dentro de tres mezes eontadea do da
cima fixado para o embolso da metma, ficaro
aa acc.oes que iocorrerem em tal falta aujeitas a
serem confiscadas, segundo aa ditpoiicei dos
estatutos a este retpeito.
Por ordem dos directores.
(Assignado)N. H. Bellarmy, secretario.
199 Grosham Houte, Od Brord Slreele.
Saques sobre Portugal.
O abaixo assignado agente do Banco
Mercantil Portnente netta cidade. taca
effectivameote por todos os paquetes to-
bre o mesmo Banco para o Porto e Lia-
boa, por qualquer somma avista e a pra-
zo, podendo logo os saques a prazo serem
descontados no mesmo Banco, na razo
de 4 por canto ao anno aos portadores
que assim lhe eonvier: ntt roas do Cres-
po n. 8 ou do Imperador n. 51.
Joaquim da Silva Castro.
J-
x ~ -r- -.

_,
-a.


7
Precisa-se
Mondego o. 109
Feitor.
j feltof tasado
m*mm VtkgttOm. SgGCTPA FIULA-gS Pg-JOHflO M **.
ni na do
Aluga-se um Mcn aillo na eali ti iJmo
da Barroa, com millo arTfttdos, gritado casa de
vivenda, estribara, eocheira, casa ai a feitor,
cata de biabo : a tratar al ra das Tilnchelraa,
casa o; 19, cartorio, ou oa ra ora de Santa Ri-
ta, casa n. 5.

55IE
ras.
Libras sterlias
Vende-se no eictiptorio de Manel Ignacio de
Ollvalra & PjMso, largo do Cerpo Santo n. 19. -
Algodao da Baha.
Proprio para roapa de eacravoa a saceos de as-
saesr : rende-seca rea da Cras n. 1, escriptorio
de Antonio Laix de Oliveira Azarado & C.
tan^H
Arroz b
Na trarasWO*; Madre de
e 16, de Penetre Apartin;
_jdia trigueiroa 1$ a arroba..
arrobas, que uilo,enrm para asas partlem-
Deos,.
--------------I r**-
Iodia trigueiroa 1$ arroba, em taceos de 4 a 5
attins, vendo-se arre* da
Compra-ae eonatantemente lalio ralbo a co-
bre : na ras da IsaperatrU, n. 65. ^_____
Compra-ae em preto de me a idade, de
bons costamos e proprio -^ara sito, urna eacrara
Se saiba coser e eogommar bem : aa xua da Ca-
a Velba n. 35.
Compra-ae urna cas na fregeos* da Boa-
Vista qae tenha com modos para a lili* : a tra-
tar na travessa das Barreiras o. 10.
Compram-se
ganars raiiaa : na raa Nora n. 16.
Yenda*.
Vende se um pequeo sitio na ArSaa do
Giqui, tendo o memo 72 palmos de frente e
300 de fundo, com boa casa dTaipn, a qual tem
Ssalas, 2 qaartos, coxinha fora, estribara para
ani carallo : quem pretender, dirija-se ao mes-
mo lagar, a trata? com sua dona junto a taberna
do Sr. Thom.
Agua de colonia ambria-
da esem o ser.
Esta estimada agua de colonia embreada, do
qae tantee a tanto tempo- sentem a-falta, acaba
de ebegar em bonitos frascos verdes, os quaesse
estao vendeudo a 1JJ50O cada am ; aaaim como
chegou igualmente um granbe aortimeoto da
rerdadeira agua de colonia de Pirer em frascos
a garrafinhas de differentea lmannos, todo ia-
o na raa do Queimado, loja da aguia bran-
ca d. 16.
palitos do gaz.
Acha-se de noto sopprido o deposito de pali-
toe do gaz, e continuara a vender-ee muito e
conta, na trareesa da Madre de Dos na. 9 o
armazena de Ferreiraf& Martina'
Vendem-sa t roa
loja de miudazaa,
tisto vapor a SJBO
la do serlio a 2$,
defronte da
rte no ul-
19800,-di -
i de qua-.
Camisas inglezas.
Vandam-se superiores camisas ioglezai com
pregas largas pelo baratiaaimo prego de 359 a da-
lia : na loja da boa f, na raa do Queimado na-,
mero 21....
Iba a 440, aletria a 400 rs., macarrao e talhanm a
110 a libra, caiioea da doce da goiaba a 19500,
loacioho de Lisboa a 320, sag a 320, cevadioba
reino a 240 a liara, arroz a 140, e dito a 160,
mma a 120, manteiga ingleza a SOfA. a 1$.
lia francesa'* 790 e SOOrs., cbhyason s 22800,
i, e 89200, dito"'do Rio 25, rinhos de todas as
qualidadea a 500, 560, 640, 800 e 19, tainha*
multo grandes vindas da Lsgoa a 400 rs., a ou-
tros muito gneros.
Cheguem que se est
acabando.
Milho e farello muito boro, milho a 38803 e
iarollo a 39500 : oa raa do Imperador na taberna
de eaquina defronte da essa do Sr: Claudio.
Apparelhos de porcellana dou-
rada para cha de bonecas.
Aloja da agua branca desojando qae todoa
facam a vontade a suaa bellas meninas est ven-
dendo commodsmente esses bonitos apparelhos
de porcellana dourada, e pintada* 19500 e 2$,
tendo cada am 6 casares de cbicaraa, e os mats
pertences, a vista do que todos iro (munidos de
dinbeiro] para compra-Ios na raa do Queimado
o. 16.
Bonitos palitiros de porcel-
lana dourada.
Agora ninguem deixar maia de ler em sua
mesa um bonito paliteiro de porcellana dourada
poia que elles se estao rendendo a 19 e 19500
na loja da aguia branca n. 16.
Ricas gollinbas e punhos
com botes
Vendem-se ricas gollinbas e punhos de cam-
braia e fusto ricamente bordadas com lindos bo-
tosa, pelo baratisalmo preso de 29 cada guarni-
do : na roa do Qaeimado n. 22, na loja da
boa f.
Grande arma-
zem de ferragens e
miudezas na ra do
Queimado n. 49.
Antonio Franciaco da Souza magalhes J-
nior, proprietario deate eatabeleciineoto partici-
pa ao commercio deata praga e a todos oa sena
devedores, que desde 19 do corre:te mez o Sr.
Francisco Jos Correa Marques, deixou de ser seu
caixeiro.
Urna carroca.
Vende-ae urna carroca em muit bom eatado,
com oa compeientea arreios novos para um ca-
rallo : a tratar oa ra do Trapiche n. 14, prime-
ro andar.
B&nha japoneza e outras mili-
tas novas perfumaras.
A loja da aguia branca acaba de despachar, de
aua encommeoda um grande e bello aortimeoto
de finas perfumaras dos mais afamados fabri-
cantes, sendo as bem coobecidaa e apreciadas
banhas, japoneza, transparente, philocome im-
perial em bonitos copinhos com lampa de metal,
dita nos copos grandes, dita em compoteiraa li-
sas e lapidadas, oleoa de baboaa, pbilocome e
Lubin, pomadaa ou coamesliques, finos extractos
dos preciosos e escolhidos ebeiros Jackey-Club,
mil Dores, miel de Inglaterra Marechai, Principe]
Alberto, George IV, etc. etc. Recommeoda-se a
todas as senhoras de bom goato o uso de qualquer
desses estimados extractos porque aquella que
em ama sociedade, thealro, ou baile eativer com
aeu fino lenco orvalha Jo de to aublimea aromas
lera por certo o prazer de ver as suas vlainhas
dadireita e esquerda Ihe rendendo homenagem,
pergantarem donna F. onde comprou esse to
agradavel cheiro ? E ella orgulhosa de aeu bom
goato, mas com ar prazenteiro lhe responder:
na ra do Queimado loja da agua branca nume-
ro 16.
Escravos venda.
Vende-ae ama mulatinho de 16 annos, de bo-
nita ligara, e um escravo preto de 14 annos : na
ra do Queimado n. 46, loja de GOes & Baato.
Becco Largo n, 39
Vende-se manteiga ingleza a
melhor do mrcalo pelos
precos seguintes :
Manteiga ingleza a 900 rs.
Uita dita flor a l$200rs.
Queijo do sertao a 560 rs. a libra.
Cafe em.grao a 320 rs. a libra.
Tudo na taberna da esquina do Bec-
co Largo yoltando para a Senzala Nova
n. 39.
mmmmmmmm mmmm
Acabadechei
Papel amisade branco e de
cores.
Vende-se pacotes com 100 folhaa de papel ami-
sade branco e de corea a 800 e 640 cada pacote :
na ra do Queimado loja da aguia branca nu-
mero 16.
Fazendas barats-
imas s
Superior bramante de linho com duaa varas de
largara a 28400 a vara, atoalbado da linho ada-
mascado com duas largaras a 29500 a vara, briso
branco de linho muito superior a lf440 a vara,
dito de corea, (azeoda multo auperior a 10, dito
pardo de linho paro a 800, 19 e 19200 a Vara, di-
to do qaadrinhos muito proprio para taigas, ja-
qaetas e paletots para meninos a 200 ra. o cova-
do, gangaa francezas muito superiores a 400 ra. o
covado, cambraiaa franjezas muito finaa e de
muito bonitoa padrdes a 260 e 280 o covado,
cambraia lisa muito fina a 4J, 5 e 6$ a pega com
8 12 varas cada pecae a 455U0, dita muito supe-
rior o melhor que ha neste genero a 1 lg500 a pe-
ga com 17 varaa, ou a 800 rs. a vara, chitas fran-
cezas de muito boaa qualidadea e de lindoa pa-
droes a 240, 280, 300 e 320 o covado, fil de li-
nho liso muito fino a 720 a vara, tarlalana bran-
ca e de corea a 760 a vara, toalhas de linho para
moa a 79 a duzia, ditas pelludas muito superio-
res a 119 a duzia, gollinhaa da cambraia borda-
das a 800 rs., manguttoa e Rollas de cambraia ri-
camente bordadas a 29 o par de manguitos com
urna golla, lencos braocos muito finos com bico,
renda e labyrintho a i$280 cada am, diloa de
cambraia de linho para algibeira pelo baratiaaimo
proco de 4, 5 e 69 a duzia, e assim um completo
sortimento de fazendas de todaa aa qualidadea,
que sendo a dinheiro vista se venderao por pre-
cos mui baixos : na bem conhecida loja da boa
f, na ra do Queimado n. 22.
Camisas e ceroulas
Vendem-se superiores ceroulas de linho muito
finas pelo barato prego de 269 a duiia, ditaa tran-
cadas de algodao, mas de maito boa qualidade, a
179 a duzia, camiaaa brancas francezas a 229,249,
26 e 309 a duzia, ditaa para meninos a 22$ a du-
zia, ditas para homam com aberturas de corea a
229 a duzia : na bem conhecida loja da boa f
na raa do Queimado n. 22.
Bolinas deselim.
Ghegarem no vapor fraocez as bellas botinas da
setim branco para aenhora, o vendem-se em
conta na loja do vapor, roa Nova n. 7.
Milites a 10,000 rsa
Na raa da Gadaia n. 45, esquina da Madre do
Dos, vendem-se borzeguios de Hillis muito
boos a 10$ par, assim como um completo sor-
timento de outros calcados para bomena, senho-
traa e oaeniuoz, tanta de Taris como de Nantes;.
ambtm tem constantemente sortimento derou-
pas feitas e fazendas.
Cal e potassa.
?Vendem-se estes dous ar-
tigo* ltimamente chegados,
no bem conhecdo e acredita-
do deposito da ra da Gadeia
do Recife n. i% mais barato
do que em autra qualquer
parte. ______
A verdadeira esseucia de ail
para engomm&do
Acaba de chegar para a loja d'aguia branca,
ra do Queimado n. 16. ________^^
eranca
Vende-se um escravo preto, de idade de
40 annos, que sabe cozlohar e fazer o mais ser-
vico de urna caaa, e tambem alfaiate, ou per-
muta-se por am oulro, oa por urna escrava, sen-
do que o motivo da venda se dir ao comprador:
a tratar oa ra da Roda, no segundo andar do so-
brado n. 17, daa 4 boraa em diante.
Caixiihas e cabazes para
as meninas trazerem
no bra Muito lindas caixiohos e cabazes para meninaa,
de 100 ria al 29500: na loja da Victoria, na ra
do Queimado o. 75.
Enfeites para senhora.
Oa melhorea enfeites pretos e de cores que ap-
parece a 59500, 69 e 6$50O : na loja da Victoria,
na ra do Queimado o. 75.
Menead! alteocao!
A.os pais de familia, bom e ba-
rato.
Na loja n. 20 da ra da Imperatriz acha-ae a
venda um completo e variado sortimento de boas
fazendas, e qae a vista de suas qualidades sao bs-
ratiasimamente vendida, e para mais verscidade
do qae fica dito, abaixo vo mencionadas algamas
das ditas fazendas, a saber :
Chitas largaa cor fixa' a 240 ra.
Madapolo fino com 24 jardas a 59*
Cambraiaa de corea a 280.320 e 400 rs. o co-
vado.
Velludo preto e de cores a 29*
Lindeza de cores a 160 r- o M;di>.
cenaos pequenoa a 80, 120 e 160 ra.
Chapeos de caaior fino a 89.
Chitai pretas multo largas e flnaa a 240 ra.
Algodao trancado preto muito bom para vesti-
dos de escravoa a 200 rs.
Cambraia lisa com 10 jardas a 29.
Cassa de salpicos com 10 ditas a 39.
Cambraia bordada para cortinadoa com 8 va-
ras a 2/. ____ '
gar
ao novo
armazem
DK
Bastos & Mego*
Manguitos com goliinhas.
Vende-se manguitos com goliinhas, fazends
muilo bda, pelo barato prego de 2J0CO, goliinhas
e puohoa ultimo goslo a 29000, gollinbas muito
finaa e bem bordadas a 1$000 cada ama na ra
do Queimado loja de miudezas da Boa fama,
n. 35.
Tiras e ntremelos bordados.
Vende-se pegas a~e uraa bordadas de 2,500.
3,000, 3,500 e 4,000 ntremelos a 19600 e 29000
cada pega na ra do Queimado loja de miudezas
da Boa fama, d. 35.
Bonecas francezas.
Vende-se bonecas francezas ricamente vestidas
49000 e 59000, e 2|000 bonecas de cera com os
olhoa reovedeos a.2*000 e 3S000. na ra do Quei-
mado loja ii" miudoiai da Boa Puna. >. oa.
Franjas pretas com vi-
driho e sem elle.
Ricos sorlimentos de franjas pretas e de cores
com vidrlho e sem elle I na toja da Victoria, na
ra do Queimado n. 75.
mhasde peso verda-
deiras..
Liabas finas de peso verdadeiras, meadas
grandes a 240 ris : na loja da Victoria, na ra
do Queimado n. 75.
Phosphoros de seguranca
Fhosphoros de seguranga, por que livra de in-
cendio, a 160 ris a caixa : na loja da Victoria,
na ra do Queimado n. 75. ___________
Baleias para vestidos.
Baleias muito grandea e boas a 160 ris urna
na loja da Victoria, na ra do Queimado n. 75.
Linha de croxel para la-
byrintho.
Aa melhores lianas de croxel para labyrintho,
no vellos monstros s 320 ris um : na loia da Vic-
toria, na ra do Qneimado n. 75.
Loja de miudezas.rua do Quei-
mado n. 33 A, de Guimaraes
A Rocha.
Chegaram os botoes de cornalina braocos e en-
carnados, que se vende por 39a dn/.ia, ou por \$
o par pira punhos, a hi nesta loja, cruzes de
cornalina para rossrios, e proprias para encaatoar
em ouro a 15, flautas de bano de 5 chaves com
caixa, pelo barato prego de 20g, pos de arros ro-
matiaado a 19500, em frascos muito lindos a 39;
agulhss victoria chsgoa novo sortimento, o prego
o mesmo de 120, carteiras para eacrever, pro-
prias para viagem, com tinteiros ele. a 12 e 169,
entremeioi bordados, e transparentes a 19500,
19800, 2$, 29500 e 39. tiras bordadas para cairas
de meninaa eisaiaa a 15 e 29, labyrintho inglez
80, 100, 120,160, 200 e 210 rs. a vara, filas finas
de grosdensple achamalotado proprias para> cin-
tos a lg500 a vara, colherea de metal principe
para cha e sopa, a 59 e 2g500 a duzia, facas de
cabo de balaogo a 6 e 79000, cabo de viado por
46500, meiaa para hornera a 19800, 29200, 396OO,
5$e69a duzls, meias de seda para ahoga res-
cem-nascids, lindaa corea a 29 o par, meias de
algodao para meninos e meninaa a 240 o par, flo-
res srtiflciaea para enfeites a 19, capellas para
noiva, .so a Esperanga vende por 5J, de flor Le
laraogeira, filas de velludo largas e estreitinhas
como se procura a 19 a pega da estreita, tesourss
para unhas de ago finas a 19500, curvas etc. para
coatura a 600, 800, 19280 e 19C00, pootucas de
ago para cortar fios no comego do labyrintho, s
lem a Hsperaoga, que vende por 1J, tinta azal e
preta [verdadeira ingleza) a 320 c 640, que se
vende barata por ser recebida directamente do
fabricante, reunas de ago inglezas e de mnitis
qualidades a pregoa differentes, papel almsgo in-
glez, resma de 500 folhas a 69 (pautado}, dito al-
mago fraocez, resma de 420 folhaa a 49 (pautado),
dito sem ser pautado a 3&2C0 e 49, dito pequeuo
tarjado de preto a 19500, dourado a 1|500, de
cores a I96OO, bordado como renda, e pintado
com palmas, rosas, etc., por precos razosveis, e
ama infioidades de aTtigos baratos, escolhidiis
com gosto e acert para uso domestico,es^eda.:-
dades viudas de encommeoda, nao vistas neste
mercado, que recebe asta casa cooatantemente.
Re lo gi os
Vande-se em casa de Johnston Paier C ,
.w do Vigario n. 3, um bailo sortimento a
lelogios de ouro, patente inglez, de um dos mas
afmalos fabricantes de Liverpool; tarcbein
ama variedada da bonitos trancellins para es
masaos.
Fivelas de ago para siutos.
Vende-se fivelaa de ago para ainlo a 19500 rs. e
29OOO na ra do Queimado loja de miadezaa
da Roa fama. n. 35.
Tiras ou ntremelos bor-
dados.
Vendem-se tiras ou ntremelos bordados de
lindos gostos, pelos baralissimos precos de 19500
e 19600; s no galo vigilante, ra do Crespo nu-
mero 7.
Na raa Nova jauto a Conceico
dos Militares n. 47.
Um grande e variado sortimento da
rompas feitas, calgadose fazendas e todos
estes se vendem por pregos n.aito modi-
ficados como 4 da sen costumr, assim co-
mo sejam sobrecasacos do sup mores pan-
nos e casacos feitos pelos ltimos figuri-
nos a 269,289, 309 e a 359, paletots dos
meamos pannos preto a 16$, 18g. 209 e
a 249, ditos de casemira de cor mesclado
e da novoa padroes a 149.160, 189, 209
e a 249, ditos de casemira de cor mes-
ciado e de novoa padroes al4|, 16J, 189,
209 e 24g, ditoa saceos daa nesmas ca-
aemiraa de corea a 99, 109, 1 9 e a 14f,
P ditos pretos pelo diminuto prego de 89,
109 e 129, ditos de sarja de seda a so-
brecasacados a 12J, ditoa de merino de
i cordo a 129, ditoa de merin chinez de
8* apurado goato a 159, ditos de alpaca
preta a 7$, 89, 99 e 109, ditos saceos
g. pretos a 49, ditoa de palha de seda fa-
w zenda muito superior a 495(0, diloa de
brim pardo e de fusto a 3J50 4| e a
i 49500, ditos de fasto branco a 49, gran-
5| de quantidade de caigas de semira pre-
H ta e de corea a 79, 89,9| e a 1 )$, ditaa
pardas a 39 e a 49, ditaa de brim de co-
res finas a 29500, 39, 39500 i a i, ditaa
Sde brim brancoa finaa a 4$50 e a 69, ditas de brim lona a !>9 e a 69,
Scolletee de gorguro preto e de corea a
59 e a 69, ditoa de casemira c e cor e pre-
tos a 49500 e a 5$. diloa de fustiio brsnco
e de brim a 39 e a 39500, ditjs da brim
lona a 49, ditos de merino pa:a luto a 49
e a 495OO, calcas de merino pr.rs luto a
495OO e a 5J, capaa de borracha a 99000.
Para meninos de tolos os tan anhos : cal-
cas de casemira preta o de ce r a 59,69 e
73, ditas ditaa de brim a 2|, .'lf a a 3(500,
paletots saceos de casemira preta a 69 e
a 79 ditos de cor'a 69 a a 79, di-
tos de alpaca a 39, sobrecasacos de pan-
no preto a 129 e a 149, ditos de alpaca
preta a 59, bonete para menino de todas
[as qualidades, camisas para mininos de
l todos os lmannos, meis ricos vestidos
jf de cambraia feitoa para meninas de 5 a
'58 anoos com cinco babadoe lisos a 8J e
a 129, ditos de gorguro de cor o de ISa
a 59 e a 69, ditos da brim a 19, ditos de
cambraia ricamente borbados pora bapti-
i'aados e mullas outras fazend_s e roupas
feitas que deixam de ser mencionadas
pela sua grande quantidade ; assim como
re de roupas para se mandar manufacturar
a que para este tira temos am completo
sortimento de fazeodas degisto o urna
grande ofilclna de alfaiate dirigida por um
hbil mestre qae pela sua tromptido a
perfeigio nada deixa a deseiir.
*mmmm mmmmmmm
Injecco Rrow
Remedio infailivel coa ra a agnor-
rbeai antigs e recente*, v mico deposito
na botica trance, ra da Cruz n. 22,
preco 3|.
Bom e barato.
Para a festa de
Santo Antonio e S. Joo.
Manteiga ingleza boa a 800, 960, e 19120 flor,
em barril faremos abatimenlo, dita franceza a
720. dita para tempero a 400 rs., farinha do Rio
muito boa a 130 a libra, amendoas a 240, nozes
a 160, traquea a 280 a carta, vinho Figueira a
600 rs. a garrafa, dito Lisboa a 500 e 400 rs., em
caada faremos abatimento, velas sterlinas a 740
a libra, azeitonas muito novas a 19500 cada urna
ancoreta, a 310 a garrafa. Alem disto tem um
competente aortimeoto tendente a molbados, que
tudo se vender por menos do que em outra
qualquer parte : no estabelecimento da ra es-
treita do Rosario, esquinada ma das Laraogeiras
numero 18.
Baleias.
Vende-ae baleias 120 rs. cada urna aspa de ago
para bailo a 160 rs. a vara, bandes a 19500 rs. e
29OO o par, na rus do Queimado loja de miudezas
da Boa fama. n. 35.
Cascarilhas de seda.
Vende-se cascarrilhaa
vestidos a 29OOO a pega
loja de miudezas, n. 35.
de seda para enfeitar
na ra do Queimado
Meias de borracha.
Vende-se meiaa de borracha para quem padece
de erysipela a 159000 o par, meias de seda preta
para senhora a 1000 o par na ra do Queimado
loja de miudezas da Boa fama, n. 35.
UNTA
das seis portas em trente do
Livramento. 15,20,30 e 40
arcos.
Smtos dourados para se-
nhoras.
Lindos sintos dourados para senhoras a 2;-200,
ditos de ponta cahida a 49. ditos de fita a I56O :
na loja da Victoria, na ra do Queimado n. 75.
Ricos espelhos de
moldura dourada para
salas
Chegou para a loja da Victoria urna pequea
porcao de ricos espelhos de varios tamaobos para
ornamentos de salas, afSaogando-se serem os
melhores em vidros que tem vindo : na loja da
Victoria, na ra do Queimado n. 75.
Grande sortimento de asas a bailo de arcos,
S^Of!?ar'f,'^fl',u.iSfi!k anparecido no merca-
VpoUO, 5J, bg e 69500 cada am, aa-ae para
raoste4 com penhor ; a loja est aberta at as9
horaVd* noile.
o m
do a
Enfeites para cabecas.
Veodem-se ricos enfeites pretos e de cores com
borlla e franja a 59500, ditos de tranca com bor-
lla a 29500, ditos brancos e lago de fita a 29,
ditos de retroz com vidrlho a 19500, cintos dou-
rados a 29, ditos de fila a I96OO, bandos de dina
para marrafa a 500ra. o par, massos de crala
500 rs., o fios a 600 rs., jogo do domin a 19, di-
to de vispora a 800 rs. ; na ra da Imperatriz nu-
mero 74.
La para bordar,
Laa muito boa de todas as cores para bordar, a
79 a libra : na loja da Victoria, na ra do Quei-
mado n. 75.
Superior cal de Lisboa.
Tem para vender em porgo e a retalho Anto-
nio Luiz de Oliveira Azevedo & C, no sen es-
criptorio ra da Cruz n. 1.
Potassa da Russia.
Vende-se em casa de N. O. Bieber &
C, successores, ra da Gruzn. 4*
Palmatorias devidro lapi
dado.
Vende-se palmatorias de vidro a I96OO rs., ditas
com mangas proprias para rapazea a 49500 rs.,
cada urna, escarradeiraa de vidro a '49500 rs.
e 59000 o par, na ra do Queimado loja de
miudeza da Boa fama, n. 35.
Perfumaras muito tinas e
baratas.
Opiata ingleza a 19500 rs, dita franceza a 500
rs., 640, 19000. oleo da sociedade bygieniqwe
verdadeiro a 19C00 o frasco, oleo babosa de Pirer
verdadeiro a 800 rs. o frasco, agua balsmica
para os dentea a 19000, dita de Botot tambem
para os denles a 1$00U o frasco, pomsda france-
za em paos a 500 rs. e I9OOO, 320 rs. sabonetes
muito Uno a 640 rs., 800 rs. e 19000 cada um na
ra do Queimado loja de miudezas da Boa fama,
n. 35.
Attencco
Guimaraes & Luz, donos da loja de miudezas
da rea do Qaeimado n. 35, boa fama, participare
ao publico qae o sea estabelecimento ae acha
completamente prvido das me'hores mercadoraa
tendentes ao mesmo estabelecimento, e muitos
outros objeclos e gosto, sendo quasi todos rece-
tados de suaa proprias encommendas ; e eatando
elles inteiramente resolvidoa a nao venderem
fiado, afiangam vender mais barato do quo oulro
qualquer ; e juntamente pedem aos aeuadevedo-
res que lhes mandem ou veoham pagar oa aeua
dbitos, son pena de serem iusligado*.
Attencao
Chegou para a loja da victoria, candieiros
gaz de novos gostos e modelos, tanto para sala, Gama & Silva,
como paraescada e quartoa e para outraa muitas
couaas: na loja da victoria na ra do Queimado
o. 75.
Vende se a lojinba de roupas feitas, arma-
go e poucoa fundos da ra do Trapiche n. 26,
vende-ae porque o dono tem neceaaidade de ir
para o mato tratar da suasaude .* quem qaizer,
apparega na mesma.
Vende-se caroe do sertao a 105 a arroba e
em libra a 360 ra., vinho da Figueira e. do Porto
a 39200 a caoada e em garrafa a 400 ra. : na ra
da Senzala Velha taberna n. 102, efquina do
becco Largo do Recife.
Escrava.
Vende-se urna escrava sadia, sem vicios, e
muito trabalhadeira : na raa da Crez n. 38, se-
gundo andar.
Libras sterlinas.
Vende-se em casa de Wild
Corpo Santo n. 13.
& Juit, praca do
Madeiras.
Continua a vender-se travs e enxa-
mes em pequeas e grandes porqus,
por preqo commodo : tratar na ra
da Praia n. 53.
Vende-se uma taberna em. Api-
pucos com pequeos fundos, boa loca-
ldade e commedos para familia: a tra-
tar na ra da Praia n. 55.
A 200 rs,,so pavo.
Vende-se chita franceza escura de cor Qza a
dous tusloss o covado : na ra da .Imperatriz n.
60. loja e armazem do pavo.
A 2^500, s o pavo.
Vendem-se cortes de cambraia branca com 2 e
3 babados a 29500, ditos de tarlatana brancos e
de cores, com barras e babndos a 39: na ra
da Imperatriz n. 60, loja e armazem do pavo de
A 500 rs., s o pavo.
Vendem-se aa maia modernas a finissimas la-
zinhas de quadrinhos e de flores soltas e palmi-
nhas, desembarcadas do ultimo navio vindo do
Havre,pelo baratiaaimo prego de quinhentos ris
o covado, e do-ae as amostras com penhor: na
raa da Imperatriz n. 60, loja e armazem de Ga-
ma i Silva.
Soaball Mellors & C, tendo recebtdo or-
dem para vender o sea crescido deposito da rslo-
gios visto o fabricante ter-se retirado do nego-
cio ; convida, portento, s pessoas que quizerem
poaauir um bom relogio de ouro ou prata do c-
lebre fabricante Kornby, a aproveitar-se da op-
portunidade sem perda da tempo, para vir com-
pra-Ios por commodo prego no seu escriptorio
raa do Trapicha n. 28.
Linhas do gaz,
Caizinbas com 50 norellos de linhas muito fi-
nas do gaz a 900 ris a caixa, ditas com 30 no-
vellos a 700 ria, ditas com 10 novellos grandea
a 700 ris, brancas e pretas: na loja da Victoria,
na ra do Queimado n. 75.
Ihoja'das 6 por-|
tas em frente do Livra-
mento
[Baloes de 15, 20. 50 e 40 arcos. V
Grande sortimento de baldes de arcos S
os melhores nesti fazenda e grandes, S
chitas francezas largas escuras a 220 e m
240 rs. o covado, ditaa ealreilas miuii- ?1
nhas a 160 rs. o covado, cambraia lisa |
JS Dora forro com 8 1[2 varas a 29 a pega, a.
| ditas finas a 39, 49, 59 e 6$ muito linas, jg
' ditas de salpiquinho com 8 1)2 varas a v
m 395OO a pega, cobertas alcoxosdas bran- j
* cas e de cores para cama a 49509 e 5$, ^_
Ib cassaa de corea francezas tintas seguras m
X a 320 rs. o covado, pega de brelanha de 5
I rolo a 23, algodao (rengado alvo maito S
S largo para toalhas alia vara, enfeites a *
I Gsribaldi todos pretos a 59 cada um, len- |
2 eos brancos com barra e cores a 120 ca- a
j da um, roupafeita da todas as qualida- j
u des maito baratas, a loja est absrta at eu
as 9 horas da noite. &
Libras sterlinas.
Vendem-se em casa de Wilg & Just, praca do
Corpo Santo n. 13.
Candieiros de gaz
Chegou para a loja da Victoria os melhores
candieiros de gaz que tem vindo ao mercado, per
pregos commodos : na loja da Victoria, na raa
do Queimado n. 75.
Ricas fitas para chapeos,
cinteiros,-etc, etc.
A loja d'aguia branca acaba de receber um ex-
traordinario sortimento, de ricas fitas, to boas
em qualidade quo bonitas nos deseuhos, tendo
entre ellas o mais largo que possivel; assim
como algamas pegas brancas com o centro liso
proprio para inacripgdes, e muitas outraa de dif-
ferentes cores como de caf, rdxa, escura, etc.,
etc., e como de sea louvavel costume : a loja
d'aguia branca, na raa do Queimado n. 16, ven-
de por prego commodo easas boas e bonitas fitas.
Ra da Senzalla Nova n. -42.
Venda-se em casa da S. P. Jonhston & C,
sellins e silhoes inglezos, candieiros e castigaos
bromeados, lonas inglezas, o de vela, chicotes
para carros e montara, arreios para carros de
um a dous cavallos, e relogios de onro patente
inglez.
Grvalas de setim coin
ponta larga a 1$
Vendem-se grvalas pretas de bom setim t
com pontas largas a 19 cada urna, to baratea
assim s se acha na ra do Queimado, loja d'a-
guia branca n. 16. .
Nova allenco.
O vigilante acaba de receber novo sortimento
de diversos objectos que se vendem por menos
20 por cento do que em outra qualquer parte.
Sintos para senhoras.
Riquisaimos sintos dourados, pelo baratissimo
prego de 29, e com Uvela ao lado a 49, assim co-
mo de tita de seda ou velludo a 2$ : s no gallo
vigilante, raa do Crespo n. 7.
Um grande negocio de
vantagem.
Quem quizr possair am rico estabelecimento
de eocheira com tres carros novos e seis cavallos,
incluindo tambem na venda, por ordem do dono,
uma'vacca tourina que d diariamente 69 de lei-
te: pode ir ver na raa do Imperador o. 12.
Cabaias hespanholas, na
loja do^pavo, a 400 rs.
Vende-ae esta nova fazenda de padroes delica-
dissimos com 4 1(2 palmos de largura, propria
para veatldos de senhora a 400 rs. o covado: na
rus da Imperatriz n. 60, loja a armazem do pa-
vo de Gama & Silva.
As afamadas agulhas impe-
riaes com fuados dourados,
e dedaes de marflm.
Acabam de chegar para a loja d'aguia branca,
ra do Queimado n. 16.____________________
Cabrio let.
j Vende se um cabriole!de duas rodas e deseo- '
fasto, em muito bom estado, e pintado de novo,'
com arreios para um cavallo : para ver, na affi-
cina de Mr. Crosjean, na ra da Florentina, e,
para tratar, na ra do Trapicha n. 14, primeiro
andar. ________ ________ Acaba de chegar neste estabelecimento um
1T------7---------------------------- completo sortimento de relogios de ouro o prata,
Um terreno. sendo descoberto, com ponteiro grande no cen-
Vende-se por prego commodo am terreno na tro, e vende-ae por prego mulllsslmo barato.
ra do Hospicio, pronripnara se edificar ama ca-; "r^ T ihrnQ tariins.a
sa, hsvendo terreno suffioieute para ficar com J-ilOra SMJruua
am quintal espagoso : a tratar oa iua do Trapi-' Vendem-se em casa de Wild & Jst, pr&ga do
be o. 14, primeiro andar. gorpo Santo a. 13,
Queijos
os mais frescos que tem vindo ao nosso
mercado chegados no ultimo vapor a
2jS000 e no passado a 1800.
Amendoas
confeitadas as mais bonitas que ha no
mercado a S00 e 1# a libra : vende-se
nos armazens Progressista e Prpgressi-
vo no largo do Carmo n. 9 e ra das
Grzesn. 36.
Attencao.
56 Ra Nova 36.
Enfeites.
Vendem-se os riquissimoa. enfeites de cabega
com franja e vidrlho a 59, ditos sem franja a 39,
ditos trangados a 29500, ditos de lago de fita e
bico de seda a 29: a no gallo vigilante, raa do
Crespo n. 7. ____________
Fivelas para sinto.
Riquissimss fivelas de ago com madreperola no
centro a 19200. ditas de madreperola a 320, ditas
douradinbaa a 340 : s no gallo vigilante, ra do
Crespo n. 7.
Vidrilho.
Lindos vidrilhos pretos e de cores, pelo bara-
tissimo preco de 19600 a libra : s no gallo vigi-
lante, ra do Creapo n. 7.
Para entreter o tempo.
Os lindos jogos de dminos a 19400, lindas ca
zinhas com jogoa de vispora a 900 rs.: i no gal-
lo vigilante, rus do Crespo n. 7. ._________
A banha fina,
em copos grandes, chegou pera a loaj d.agaia
branca, ra do Queimado n. 16.
Na ra da Comboado Carmo loja n.
12, vende-se toda a qualidade de inobi.
lia tanto ao gosto moderno como ant-
ga, phanthasia etc. por preco mais
commodo do que em outra qualquer
parte, az-se toda a qualidade de obra
de encommenda com a maior brevida-
de e o maior apuro da arte.
I Grande
|liquidacao por todo
o preco, na bem co-
nhecida loja do Ser-
tanejo.
Ra do Qneimado n.45,
Apparecam com di-
nheiro que nao deixaro
de comprar.
Chitas escaras finas a (60, 180 e 200
rs., cortes da vestido pretos bordados a
velludo de casto de 1509 e .se vendem
por 309,409, 509 e 709. sabidas de baile 1
de velludo e setim a 129 e 1:19, camisas J
para senhora a 29OOO e 3$500, gollishas 1
de cambraia bordadaa a 500, 600, 700,
800, 900 a 19. ditas de fil bordadaa a 120 j
rs., casaveques de fusto a 59, 69,75,89, ]
meias da seda brancas e pretas para se- 5
nhora a 19200 o par, tiras de babados a *
500 e 700rs., lasde quadro entestadas a 3
300 e 360 ra. o corado, cambraia preta a
400 e440 rs. a vara, organdys de cores a 5
600 rs. a vara, fil branco adamascado 1
para cortinados e vestidos a 400 e 500
rs. a vara, cortes ds collete de casemira |
bordados pretos a 29 e 39000. ditos de i
velludo de cOr a pretos a 39, 49, 59 e 69, j
paletots de brim branco francezes s '
39500 e 49500, ditos de casemira de co- 1
res pretos, a 149 e I69, ditos de alpaca J
preta e de cores s 39,3500, 49 e 49500, ]
camisas do peito de linho a 29500, corlea !
de collete de gorguro a I90OO, 19700,
292OO, 3g e 3g5O0, colletes feitos de brim
branco a 29500, ditos feitos da gorguro
a 2950O e 39500, ditos feitos de casemira 1
a 3J5O0, 4$ e 4J500, ditos de velludo a j
59, 69 e 79, ditos de fusto de cores a 1
1S500, um variado sortimento de meias '
para homam e senhora, grinaldas com
flores, chales de froco, espartilnos, e to-
da a qualidade de roupas feitas para ho-
mem que tudo se vende por metade do
seu valor.
Arados americanos e machinas'
para lavar roupa : em casa de S. P.
Johnston & C ra da Senzalla Nova
u. 42.
Ricoa
cortei de vestidos brancos
bordados.
Vendem-se ricos cortes de vestidos brancoa
bordados com 3 babados pelo baratissimo prego
4a 59 o corte: na raa do Queimado ?, 33, na
tena conhacida loja da boa 14.
Caetas caligrapbicaa
a 500 rs
Rscentemente inventadas pelo professor Scul-
ly, s quaes com a extraordinaria vantagem de
obrigar e acosumar para sempra o discpulo a
pegar na peona de modo adequado, sendo guar-
necidas essas caetas depeqaenaa chapas conca-
vaa nos lugares onde se devem collocar os tres
dedos, facilitando assim maito a escripia, e con-
iribaindo sobiemaneira pata qualqaer pessoa em
pouco tempo adquerir urna boa letra. Note-se
anda que aervem tanto pata adaltoa como para
meninos. A'venda, em caaa de Goedes t Gon-
galves. roa da Cadeia o. 7 : Guilberme Scolly,
professor de oaligrashta, Rio de Janeiro.


ftM


M

V" '
CTiA
Fundicao Lov,-Mer,
Ctkbrlts di-gc
titnoi dMDbo a 280 n.' na loj armasen do
Pao, da Gama & Silva, oa rma da Impeaeim
d. 60.
Bu de. Senaall ova n.4'. S a PaV&O.
Nesla estsbelesimenlo continua a haverum Vende-ie finiuimaacuasi franceaf da taria-
completo sorlicaento do moeniaa meias moen- dos padrn a 140, 860, a 280 ra. o corado : oa
das para engenho, machinas da vapor tai xas [ Imperatrle a^OO. loja do Pavi.o da Gama
'--ro bjalo e coado da todo o tamanho *"' j- -, _______
AindaoPavoa2O rs.
Venla-se chils fraoceza escura com diminuto
toque de mofo a 200 ra. o aovado, ditis ingle-
tas a 140 rs.: oa roa da Imperalrli n. 60, loja de
Gama & Silva.
320 rs. o covado
Ombraias da corea fiaiaaimus, delicaaissimos
padroas.e multo modernas, pe o baratiasimo pro-
co de IreiBDtoa e vinte ris o sondo : na loja de
Guimariea & Silra, ru*|do Grei-pa a. 7 A, esqui-
na da roa do Imperador.
Veodem-ae *ias de coa po'go a 11( a ar-
roba ; na ra da Roda n. 43, nrimeiro andar.
S liaofazbolocara
S. Joo qtfem nifo qui icr,
porqae no armazem da estrella U> largo do Pa-
raizon. U,vende-se manteiga iDglea flor a 900
e 800 ra., tambera tem para 6i) e 480, e (rane-
la a 640, vioho bom a 480 e 4 00 ra traques a
300 rs.a caria, qnijos a 2.
Liquidaco de fa-
zendas.
Na ra do Crespo, loja n. 14
Vende-se pars acabar, e por Lodo proco um
completo sortimeoto 4e foseadas inglesas, france-
zas, suisias a allemaes, todas poprm deite mer-
cado, e algumas recenlemente :hegadss.
Terreno.
Vende-se ua terreno com SC palmos de (rente
ara a rea do Ser ou Uoiao, < 300 palmos mais
ou menos de extenso at a rua da Saudade, com
igual frente de 30 palmos, pile que se poder
edificar dous bellos predios ; o dito terreno flca
alraz do edificio que se est (azao nasio provincial, e prximo a componte da rua
da Aurora para o tbeatro deSaata Isabel; loca-
lidade aprazivel j pelo fresen e j pelo bonito
ponto de vista que daquelle < ug ir se observa :
a tratar na mesma rua do Seve oa Uoiao,' casa
n. 16.
Casas
Yendem-se duas casas terreas oa cldasta de
O'inda, em boas poaicoea, sendo ama n. 16 na
ladeira da Misericordia, e outra n. 1 na rua do
Msthias Ferreira, ambas de esc nina fazendo por
]*so melhor visW, serviodo a ultima para estabe-
lecimento, como sempre esteve oceupada : a
rallar nobairro da Boa-Vista, rua do Seve ou
Unio, cass n. 16.
Pechiocha
sem igual
A 10,jf o corte.
Riqaiwimos corles de vestidos de barege e de
fil bordado, bonitos padres, pelo diminuto pre-
co de 10 o corte : na loja de Guimnraes & Lima,
rua do Crespo o. 7 A, esquina rador.
Obras de viiiro,
escarradeiras, e palmatorias
lapida-las com mangas.
Vende-sena loja d'aguia braica mu i bonitas
escarradeiras de vidros de cores a 49500, 5 e 63,
assira como palmatorias de vic ro lapidado com
mangas bordadas a 4)500 cada um : na rua do
Queimado, loja a'aguia branca 11, 16.
Meias em quaritidade*
Na loja d'aguia braaca acha-se un completo
sortiraento de meias de todas as qualidades e
precos, sendo para horneas, aecharas, meninos
e mininas d* 6 mszes a 12 annos. Ennumerar
os differeotes pregos confundir o pretndeme ;
assim quero se quizer convencer de quao baratas
se esto ellas vendendo, dirigir-se com dinhei-
ro dita loja d'aguia branca na rua do Queimado
numero 16.
\feue o Ptao a 280 rs.
Gorgurio de liuho senhora ou roupa para meninoa parece aadiohas
a 280 rs. o corado, por ler grande porc&o : na rua
da Imperatrli o. 60, loja e armazem do Pavio de
Gama & Silva.
Tarlatana do Pavo.
Vande-se (arlafana de Ha com palminhas sol-
tas a 320 rs. o covado : na rua da Impratrii d.
60, loja do Parlo da (jama & Silva.
O Pavo vende a 4#500 rs.
Cortea de barages com dos de seda tendo 32 co-
vados, om barra, podando-ae (atar babados, pe-
lo baralissimo preco de 4)500, a na loja do Pa-
vio ras da Imperatriz n. 60 de Gama & Silva.
Vestidos de la.,
Vende-se vestidos de laziobas tendo aa saiaa
j prometas, com multa roda, proprlaa para ba-
leo a 4800, s aa loja e armazem do Pavio rus
da lmperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Basquinas do Pavo a 4$0D0
Vende-se ricas basquinas do fusta o mu beso
bordadas, (azenda que sempre se venden por llf
e 16jr000 por 49000, para acabar : oa loja do Pa-
vio de Gama & Silva, na rua da lmperatriz
o. 60.
Efeiles do Pavo.
Vende-ao ricos eofeites turca' e i Giribaldi
com ricas franjas o bolotas a 5(000, ditos dos
mes nos msis simples a 2(000 rs., e ditos'de fitaa
cada um om sea earlio : na raa da lmperatriz n.
60, loja do Pavio.
Br Unan ti na suissa.
Vende-se brilbaolina suiasa da quadrinhns, f-
zenda muilo encorpada para vestidos e mais lar-
ga que chita inglesa a 200 rs. o covado : na raa
da lmperatriz n. 60, loja armazem do Pavio
da Gama & Silva.
Colchas do Pavo.
Vende-se ricas colchas de fasio de linho de
varios tsmanhos a differenter desenhos : na rus
da lmperatriz n. 60, loja a armazem do Pavio
de Gama & Silva
Chales pretos do Pavo.
Vendase os mais moderos chales pretos de
ponta redonda com bolota, guarnecidos de bico
de seda largo em lugar de franja a 6)000 : na
rua dilmperalriz o. 60. loja do Pavao.
Bales do Pavo.
Ven Je -se ricos baldes arendados com duas salas
e bico em volta,'pelo baratissimo prego da 6J>,
ditos de madapolio (rsncez muito grandea com 6
arcos a 5$, ditos com 5 arcos a 8(500: na loja
do Pavao, rua da lmperatriz o. 60.
Bramante do Pavo a lOflOOO a peca.
Acaba de chegar a loja do Pavio, urna nova por-
gao do acreditado bramante de linho, com largu-
ra de brim liso, tendo 27 varaa cada pega, esta
fazenda propria para lences, loalhas, cerou-
las, camisas, etc., e vende-se pelo baratissimo
prego de 10$ a pega, s na loja do Pavio ; rua
da lmperatriz n. 60. da Gama A Silva.
Superior sebo em* velas e em
pes, ca'xas de urna
arroba
VenJem Antonio Luiz deOliviira Azevado &
C, no seu escriptorio rua da Cruz r. 1.
Jacarrand superior.
Tem para ven3er Antonio Lu i ele Oliveira A-
zovedo & C. no saavi! sriptorio rua da Craz n. 1.
Coraos lapidados.
hao'grossos que admira.
A loja d'aguia brones acaba de receber urna
pequea quanlidade de coraes grossos Ispidados,
os quaes servem para as voltas que ltimamente
usam as senhoras, e esti vendando cada fio por
25, 23500, 3 e 4 : na rua do Queimado, loja
d'aguia branca n. 16 : assim cono :e*cebeu mais
aa bonitas pulseiraa de missaugia.
Chales Garibaldinos.
Veode-se na loja do Pavao, chalea da merino
muito grandes de ltstrinhas a Garbaldi, pelo ba-
ratissimo prego de 49500, pecbincba : na raa
da lmperatriz n. 60. da Gama & Silva.
Chales do Pavo.
Vende-se chales de merino muito grandes a
33, ditos decassas decores a800 ra. : na rua da
lmperatriz n. 60, loja do Pavio.
Vestidos do Pavo,
E' pechiocha, cortes de cambraia brancos com
babados a 20500, ditos de tarlatana brancos e de
cores a 35, ditos com babados eduassaias muito
superiores a 44, pegas de cambraia branca com
carocinbos brancos e de cores, tendo 8 1/2 varaa
cada pega, por 49, corles de cessas da cores com
7 1/2 varas, padres oovoa a 2*500 ; tudo isto se
eneontra na loja do Pavio, qua vende dinheiro
a vista : na rua da lmperatriz n. 60, loja da Ga-
ma & Silva.

iOTMt
sem segundo
Na rua do Queimado n. 55 toja da miudezas
de Jos de Azevodo Mais e Silv-i, osti vendando
todas as miudezas barstissimas, a saber :
Papis Ue agulbas balio muito supe-
riores a
Caias com muito finas obreiss i
Carloes com clcheles, tem algara de-
feito a w *-
Frascos de mscass perola muito uno a
Caizinbaacom papel pequeo d< diver-
sos gostos a
Pacotes dito dito dito amizade a
Noveilos de lina* de Crux a mtlhor
que ha a
Caixis com agulbas curto de superior
qualidade
Eatremeios, a peca com 3 varal 1(2 a
Sabonatea maito linos a
Papeia de agulbaa francezas com loque a
Parea de botoea para punboa de mullos
modelos a
Pares de meias crass para meninos a
Ditol de ditas trusa para pequen > a
Ditos de ditas para meoinaa a
Frascos com agua de Lavande amoscada a
Ditos com ebeiros muilo finos a tWe
Ditos com banha maila fina a 240a
Ditos com superior banha de ursoa
Ditos com oleo babosa muito fino a 240 a
Ditos com oleo do Rio muito supmor a
Ditos com superior pbilocoma a
Ditos com banha philocomefinisiima a .
Ditos cem banha transparente a
Ditos com superior agua de colonia a
Ditos com macaas (olee) a
Diloa com superior opiata a 500 <<
Csrles d Haha Pedro V.cem 206 jardas a
Ditos de dita' ano, branca de coros
Carrileis de linhi com 100 jardas a
Masaos de linha frouza para borlir i
Pentea d marflm ii p.rior aunlldi
80
40
10
200
40
200
.ljOOO
* 120
10
240
160
160
200
800
500
320
600
320
500
900
19000
800
500
100
800
60
20
340
Loja I11 Pavoru da
tru numeroso.
DE
Vende-se oeste estabelecimeu'lu todsiasazan-
das por pregos mais baratos qu 1 possivel s
cora o fim da apurar diahetro, sssita orno urna
grande porgio dea ditaa [siaatdaa inMrameate na-
vas, viudas palea ltimos oavieo : os dotea na-
ta aitabelecimeute rogsm a todos os seas fragua-
zea, que se dem ao trabalbod) prooura^^B
Dian os anounados da UJa da Pavio, perqu
SIM aarlos qne nao perderlo isa toapo.
Alburnos de borracha.
Vende-ae os mais superiores alburnos ou so-
bra-tudos de borracha, proprios para o invern a
128 : na rua da lmperatriz o. 60, loja do Pavio.
Cortes de pbantatia,
Venda-ae ricos crtesjdo phaotaeiada.duaa saias
com delicados lavores a 6j cada um : a rua da
lmperatriz n. 60. loja do Pavio.
Calcinitas do Pavo.
Vende-se calcinhas de cambraia bordadas para
menina a lj o par : na loja do Pavio roa da lm-
peratriz o. 60.
Gollinhas do Pavo.
Vende-se golinbas de cambria bordadoa e di-
taa de fil bordadas a 500 ris: na loja da Pavio
rua da lmperatriz o. 60.
Manguitos com gollinhas.
Venda-se manguitos com gollinhas bordadas a
I96OO e manguitos muito finos a 1# o par: os
raa da lmperatriz a. 60, loja do Pavio.
Tiras e entre me i os.
Vende -ao liria bor Jadas tapadaa e transparen-
tes, assim como entre-meios muito delicados :
na rua da Imperatria n. 60, loja a armazem do
Pavio.
Lencos e luvas.
Vende-se lencos de csmbrsia de linho com la-
byrintho a 2$500, ditos de imitagiods labyrintho
a 1, luvaa de aadas de todaa as cores a 500 ris,
eofeites pretos de vidrilho para cabega a lf, lu-
vas de relroz preto abertaa a 500 ris o par ; na
rua da Imperatria n. 60, leja do Pavio de Gama
& Silva._________________________________
Cambraias do Pavo.
Pe$as de cambraia* (loa com 101/2 varas a 6# a
paga, ditas eom 8 1/2 varaa a 4, ditas de 8 pegas
a 3$, dita para forro, com 81/2 varaa a I96OO ;
ns-rua da lmperatriz o. 60, loja do Pavio, de
Gama & Silva.
Vestidmhos a 4$500.
Venda se veslidinhos de aeda enfeitados para
meninas de 2 a 3 anBoa a 49500 : na rua da lm-
peratriz n. 60, loja de Gama Si Silva.
Grosdenaples do Pavo.
Vende-se grosdenaples preto muito incorpado
a 1*600 o covado : na rua da lmperatriz 0.^60,
loja de Gama & Silva.
Laatighars nllema, novidade do Pavio. c*_p"i
Acaba da chegar pelo ultimo vapor um bonito
sortiraento de lanziaheeda Allemanha com boni
tas palmas de seda, tendo 4 palmos da largura a
oHv reis e cavado ne "eja no % avsp rea ew
paratriz 00.
Taletots do Pavo.
Vende-se palitots de panno preto fino a 6f#,
ditos de fsncy'de cores a 69. calgae de cssemira
pru* 4500;oa raa da lmperatriz a, 60, da
Gama & Silva. __________
Panmnhos do Pavo.
Vande-se pegas da panainho flnissimo com 10
varaa a 6S : na rua da lmperatriz o. 60, loja de
Gama & Silva.
CUit&s em cortea.
Vande-se cortea de ebria trncese maito fina,
com 10 cavado 2400, atTlaocando-ee ser da
Cor fixa: na raa aa lmperatriz n. 60, loja a ar-
naiaca do Pavio,
, DE
DUARTE & C.
36 Rua das Cnizes de S. Antonio 36
O LAUCO DOC ARMO O.
Nos os proprietarios destes acreditados armaiens participamos aos nossos numerosos
freguszes que por todos os vaporea e navios de vela recebemos de nossa propria eneommenda os
memores generos;iendente a mol hados, e por isso podemos vender por menos 10 por eento do
que outro qualqner, como a experiencia o mostrar por isso pedimos a todos os Srs. da pra$a e do
matto, que ainda se nao deram ao trabalho da mandaram experimentar, o favor de o fazerem, eertos
de nada perderem, pois para isso nao pouparemos forcas para bem servil-es a ainda mais a pessoas
menos entendidas, eertos da esclarecer aos compradores que s na rua das Cruzes n. 36 e largo
do .-armo n. 9, i que devaan inderecar os portadores, pois muito se ovildam com outras casas quasi
dos mesmos ttulos (Progreesista e Progresivo) pois sao as duas nicas filiaos.
Manteiga ingleza a n,a8 nova emas 3Uparior do mercado a 900 rs. a libra.
Manteiga francesa a mdbor que se pode desojar a 630 rs. a libra e em barril a
600 rs.
VQft nUXllll 0 mBs especial que se pode encontrar a 2>880 a libra.
Llla nySSOll 0 sjsjlhor que se pode desejar ds 29400 a 29800 a libra.
Ulla DretO o qua se pode desejar neste genero a 21 a libra e a 19600 o ordinario.
QliejjoS fiamengOS cheg.dos nouUimo vapor a 29o 1W>0.
QeiJO pratO 0 melho do mercado a 600 rs. a libra e sendo inleiro a 500 rs.
\J lieiyoS dO Serta-O muito superior a 640 rs. a libra tambara temos para 500 rs.
Passas em eaxinhas de 8 libras ,,9500 esoors. a libra.
FigOS em CalXnhnS da 8 UJmi a WOO o IOO n. a libra.
AlliendoaS dtt Casca mole 320 rs, nozas a 160 rs. a libra muito novas
AmejXaS franCeZ^SalialibraeemlatascomSlibras a 4000.
Marmelada Superior a msIbor do mercado am latas de duas libras a 400 rs. a
libra.
Doce da casca da goiaba 8oo rs. o caixao.
J. a lila l'd S em caixinhas proprias para mimo a 29500 e 800 rs. a libra.
LataS COm frutas em Calda como pecego, damasco, groja, ameixasa
, alperxe a 600 rs.
AtliendoaS COnfetadaS com diversas coes a 800 rs.
V innOS generOSOS engarrafados dasseguintesqualidades, duque do Porto, Porto
uno, Pedro V, velho secco, genuino. Nector, Carcavellos, Feitoria, e Madeira secca a
129 e 139 a duzia e a 1100 a garrafa e moscatel a 720 rs. a garrafa.
l_|ll '8 em nina propiios pmauu J.,aoo 4* ...J -< a ae* a ovo garrafa
do Porto, Lisboa e Figueira.
CHsTVe jaS das melhores marcas a. 800 rs. a garrafa e 59000 a duzia, ebanpaohe das
marcas mais acreditadas da 14 a 20* o gigo, cognhac omelhorque se pode desejar
a900rs. agarrafa.
Ixeneora verdadsira hollanda era garrafSes de 16 garrafas a 69000 cada um.
jGllCra italiana a mais sublime qua tem vindo ao nosso mercado em frascos grandes
a 2}000cadaum.
rrasqiieira com 12 frascos de genebra de Holanda 800
virarraiOeS com 5 garrafas de superior vinagre a 19000
Vinagre puro de LlSbOa ,240rs. a garrafa e a 19800 a caada.
Marrasquino 0 maiisuperior que se pode desejar a 19000 a garrafa.
SlSperma CetC o mais superior do marcado em caixinhas de 6 libras a 49200 e 700 rs.
a libra.
VelaS de carnauba all500aarrob e380 a libra.
AnCOretaS comazeitonas as melhores do mercado a 10400.
C^aiXaS eom 1 arroba hespanhola contendo macarao talhirim e aletria a 69000.
ri i
' j IX1HII'< S, com diversas qualidades de massas como saja estrelinha pevide etc., a 6*000
e 640 rs. a libra.
Chouricas e Paios os melhoresdo mercadoai 560 Ut a ,bra#
salames o melhor que se pode desejar a 700 rs. libra.
I reZUntOS o que se pode dezejar de bom a 640 rs. a libra.
LingUlCaS finas era latas j promptas a 1*600.
PeiXe em latas cavallinhas pargo, e lioguadosa 10600.
lOUCinhOdo reino a 280 rs. a libra do novo, e 240 rs. do velho.
Banha de por CU a melhor do mercado em latas de 10 libras $ 49000.
MaSS i de tOlIl ate am l8tos de 1 librra a 700 ra.
MaBSaS para SOpa ulharimemacarraoa 280 rs, e aletria a 320 rs.
r alltOS llXadOS em macos com 20 aaaci&hos a 200 rs. /
"a pe greVe pautado liso muito superior a 49000 a resma;
br Va d0C*ea 360, pimenu a 360, canalla 900 rs., ecomiahos a 800 rs. a libra.
P&llt l S do gaZ *a 29300 a groza a 20 ra. a caixinha.
Ta 1 retinad O am pacotes de mais da urna libra a 160 rs. o potes 560 rs,
^agll muito aovo a 280 a libra a aavadinha 200 ra.
r arin na doMaranhao a 160 rs. a libra e gomma a 80 rs. a libra e 29400 a arroba.
*-jQle UO lilO e do Gaar o melhor do mercado de 89500 a 99500 a arroba.
.1 n lia S i3 mais elegantes, propias para mimos ou mesmopara guardar joias de 400 rs.
a 1*500 e terno com 6 caixinhas a 5*000.
.Chocolate hespailliol vwd,deUp a 1*000 ra. a libra.
Kr vil has portuguezas e francezas feijoverdada6oa7io rs.
a lata.
I raques os melhoras do mercado a 10* acaixa ea 280 rs. a carta,
em latas chegado no ultimo vapor a 19600.
Bolaxinha de sodamutasai*4oo
Bol a Xnha itlgleZa a mais nova do mercado a 4*500 a barrica e 300 rs. a libra.
AVelaaS-chegadas ltimamente a 310 rs. a libra.
Sardinhasde Nantes400 rs. a uta.
AkeiU dOCe refinado 9 acaixa eSOOrs. agarrafa, .
ArrOZ ea saceos do 5 arrobas do vermelho a 29500.
LlCOreft os mais finos que ha no mercado' a 1* a garrafa e 109 a duzia, tambera temo
para menas.
Akm doa gneros annunciados encontrar o respeitavel fabliao tolo qtta for par
te a estes estabeleci raen tos. Os proprietarios sctenriacara ajara estes p reos ao aetviram pal
res Snrs. qne mandaram ana competente importa e lodos os domis freguezas detono* tora m
tar-aa palos pracos acosutinados,, salvo aqueJles da um da moi,
8. JO AO
VNDESE NO ARMAZEM
PROGRESSQ
VE
Francisco Fernandes Duarte
alargo Aa Penha
f\
Os melhores gneros que vem a este mercado e por menos 10 por canto do que em outra
qualqner parte, garantindo-se a boa qualidade, por isso roga-se a todos os Snrs. da praca de en-
genhos elavradores o favor de mandaren) suas encommendas a esta muito acreditado armazem de
molhados, afim de verem a differenca de preco e qualidade que faz, se fossem comprados era outra
qualquer parte.
^****8 confeitadas para sorte de S. Joao a 800 ra. a libra, tambera tem-se par
6a>0 rs. a libra sendo em poreio, tanto de urna qualidade como da outra se faz abati-
mento.
Vlamtega lmg\eZ* da safra nova de primara qualidade a 851 a libra, m
barril se faz abalimento.
liantolga tranCtaza a mais nova a 640 rs. a libra, era arril a 600 rs.
'^l** W MllO muilo frescos chegados neste ultimo vapor a 29000 ditos cha-
gados no ultimo navio a 19800.
?J* V 1*'** o mais superior que tem vindo a este mercado a 800 rs. a libra.
*!?? melhor 1ue h no cercado a 29800 .e 29200 a libra, afianca-se a boa
qualidade.
"" IIUXIBI o qUe se ^ desejar nesle genero 390OO a libra.
ti Ua pretO homeopathico a 2*200 a libra a poreio se faz abatimento.
i. ra^aes HOYOS e pav0 ir,n8ado a 320 rs. e em caixas eom 40 cartas por 109000.
Li&iaS COm amOsldoaa confeitadas," proprias para mimo, contendo mais con-
feitese assucar candido por 1*600 cada urna.
IraSSaS em caixinhas de 8 libras chegadas altimamente a 29000 cada urna e a retamo
a 480 rs. a libra. *
DOiaXlUlia j, goda em i,ts com fferentes qualidades a 19440.
ftOiaXiJfciia ingleza a mais nova que h no mercado a 49000 a barrica e a relalho
a 320 rs. a libra.
VmYlO OM pipa de superior qualidade Porto. Figneira e Lisboa 500, 560 a 640 rs.
a garrafa, e em caada a 39500, 49000 e 49500.
Vn\lOS engarrafados Duque do Porto, Lagrimas do Oouro, Carcavellos, Fei-
toria velho, e'de outras maitas mareas acreditadas a 1*200 a garrafa, em eaixa a 129
tambera ha para 19000 a garrafa;
"uMaapa'B*Uft das marcas mais acreditadas a 159000 e 20*000 o gigo, e em garrafa a
1800
SOTVeja da marca cobrinha ou de outras marcas conhecidaa a 59000 a duzia e 500 ra,
i___.---------- ojraa-------------------------'
k* "'aaS francezas e portuguezas em latas de 1 libra por 640 rs. >
lrlae& 40 tomate em taitas de 1 libra por 800 rs.
\^*1X*S trncelas em latas de 1 e meia libra por 1*500, ditas com 3 libras por
20800.
rUneiMaOaS de casca mole muito novas a 320 ra. a libra, em arroba por 8#000.
NOZeSa 120 rs. a libra e em arroba a 30000.
Wettla, mae*Y*&e O talhatm a 400 re. a libra, a am caixa com 1 arro-
ba por 69000.
liStreVll^na, pevide e arroz de massa branca ou amarella, a 640 rs.-a libra, e em cai-
xinhas muito enfeitadas se faz obalimento.
allOS lie aeUteS xadoa os maisbam feitosque tem vindo a este marcado a 280 re.
tambem ha para 200 re.
PreZHlltOS ingleZeS para fiambre a 800 rs. tambera hamburgus para fiambre a
640 rs. a libra e do reino o mais novo que ha a 560 re. a libra.
LiUOnrlafc e paiOS mut0 novas a $60 rs. a libra e em barril se far abatimeato.
saiame-o melhor petisco que pode haver por estar prompto a toda hora a 800 rs. a libra.
K OUClOn dO reaO muto novo a 28O rs. a fiBca e em barris de 1 e meia arroba
a 5* e 79 a arroba.
lino nY\Q&& em latas j promptas para se comer a 1*800 cada urna.
BaH.ua de poreo reflnada em latas com 10 libras por 4*300.
Dita em barril mul0 fina e alva a Ai0 M# a libra e em ban a 400 .
GSTtoeS eom bollo franeOZ proprios para mimo a 500 re. cada um.
\l&r melad* imperial do afamado Abroa ede outros muitos fabricantes de Lisboa a 800 re,
'a libra.
maYmelOda de Alperehe em latas de 2 libras por 19000 cada urna,
aUaiiaS C*m r metAS de doce em calda as melhores quehaem Portugal como aa-
jam pera, pesego, damasco, ameixas, ginja e sereijaa a 800 rs. a lata.
DoeeS SOeeoS e em calda, em latas, de 4 a 5 libras por 29000.
(- nOCOlatO hespanhol a 1950*0 rs. a libra, dille francex a 19100 ditto portugus a
800 n.j afianca-aea boa quaJidaJe.
late de primeira qualidade tanto do Rio como do Cear, a 320 rs. a libra, em arroba a
99500, dito mais baixo a 280 re. e 8*500 a arroba.
^^^adtUaa de Franca a mais nova do mercado a 240 ra. a libra, o m por$ao se fas
abatimento.
Sag muito novo a 320 ra. a libra e am garrafea eom & libras, por 29000.
r armna do reino das marcaa SSS ou galega, a 140 rs, a libra.
Dita do Maranhao alva e cheirpsa a 160 re. a libra e em arroba 49500.
VelaS de carnauba refinada a 400 rs a libra, e em arroba o 12*000.
rTaXeitO dOCe refinado a 800 rs. a garrafa, c> em caixas a 99000.
Visagre de Lisboa a 240 rs. garrafa e em caada a 1*800.
Vlabo cherez verdadeiro a 19500 a garrafa, a em caixa 149000.
Vnbo braneo de Lisboa o mais superior que ha no mercado proprio para missa a
640 ra a garraa a em caada a 4*500.
VbarntOS susjdws do tgcaate Brandao em meias caixinhas, por 2*500.
UttOS suspiros 4o fabricante |nho & Filhoa em meias eaxinhas a 29000.
BitOS emeaaalalOi regala prial, Viagantes, e Panentellis, a 29000 a eaua.
AtptSta muita limpo, a ltOre.arrbra, e em arroba 59500,
Altitonas muil0 novaaj K re. cada urna ancoreu, a a 400 n. a garrafa.
AtTfOt VMaranho a 120 re abra, e 89700 a arroba.
l^*Xe de postas e*4aiaVafljbores quatidadas de paixa que harem Portegala 19500ra.
Genebra de Hollanda #m garfoes com 25 garrafas por 9*000.
\0St tt muito-aova a 1900# raata a fraacera a o pote.
WPmSfft? >eaaerieionados encontrar o reapeitaval pnHico um eonsplete serH-
meflta de tado que (andante a molhados.

* l




; i
%_____________________________________________________________ .__________________________________.. ....'.
Y QUIJO Di MSBHMlPQtt 88GUM4 FgIBA ti DE JUMO M mi
azem
Ferro ^RfO.
jtaoll
Mu bonl Tpara os bollo* da 3J| a 21608
Ditas ditas recortsdas e bordad.s de 3 .500 a 99500
Excllentes facas e gitfoa cabo de os so dazia
85300 a S|800.
Sita dita dtu t.bo do viado a 4.
Dita dita de b. la oca de 7 42800.
Colheres flnss de metal principe, sopa e ci
5|500 a 38299.
Dita lannre, duda 1*800.
Camas de venta, tndlapeoaavels dept ia do bollo,
loara amarello de 5*500 a 5*.
Ha de mata am sortimento completo de tado
qae tendete a ferrsgens miada tan por un
proeo rldroulo. ________
Yeodem-se excelllentes
presuutos para fiambre, os
melhores que tem viudo a es-
te mercado, chegados ultima-
mente, a 600 rs^alibra, em
porco se far abatim e>nto: no
caes d'Apoilo n. 67, deposito
de sabo.
ao rival sem igual,
ftuft lorg* do Rosario numero 36.
fitas de Tallado aatreitinhaa para anfeilo
Mea 790 ra.
Sin toa doaradoa a I96OO.
i Ditoa ditoa com pootas cabidas a S|000.
Lia para bordar aortidaa, libra a 69400.
Eecovae para caballo a 1|.
Daala da meias craaa para homam a 29400*
Cartaa da alflnetea a 100 ra.
Frania pretas com vidrilho a 310 o 400 ra.
Batetas da retrae com franja a 59000.
Duzia de aeias para saohora a 29400.
Pentea da maa para atar caballo a 600 rs.
Tseoerae ordinaria! para cortar parios 30
Sabanetea de bola de corea a 400 rs.
Franjas de aeda.
Bicoa pratoa largos e oatraitos.
Trancas prataa com vidrilho e branca.'
Eicovaa para unhas a 320 e 500 ra.
Carriteia de ratroz a 300 rs.
Tranca de aeda de corea a 200 rs.
Carreteis de liaba a 30, 60 e 80 rs.
Linha do gaz laatroza a 30 ri.
Dita de Pedro Va 30 ra.
Rap Paele Cordeiro e Giaae a 1&600.
Dito Mearon a 1J>.
Caizinhaa com papel para namoro a Sg a 39.
N. B. O dono deste estabeleeimento prompli-
fica-ae a mandar am caiieiro com as miudezas
que qaiierem am casa daa familias qae lato
exigir.
^^KolodaArara
e-aa pac, ia da nada pollo ele ph a o te, mal-
lo Bao, eos 40jardss'a 14J, ditos 4* 14 jardas a
fMO, *MB3rIe 69 una roa da Imparatris
lojad AraMl k56.'
A loja d'aguia branca, ra do
Queimado n. 16.
Rscebea pelf/alrtmo vapor oa seguintes ob-
jectoe:
Bonitas ligas de aeda para aenbora.
Grandes a bem tecidoa bando de dina.
Aspas de ac, e Ata elstica para cee de balso.
Booeeaa grandes mui bonitas a bom vastidss,
Bonitoa baaziohoa com 9 fcascoade cheiro.
Liadas caixinhas com 6 ditos de ditos.
Traocetlim grosto de cor para guarnecer vestidos.
Lavas de camaraa brancia e amarellaa.
Lindos boioes de banba para
presentes.
A loja d'aguia branca acaba de recabar lindoa
boiea deporeellanadourada com. fina banha a
maviosas inseripedes, os qaaea porsuaa delicade-
zas e perercoistoroam-se dignos para preseo-
laa, e com eapetiatidade na actual quedra, quam
goatar do bom dirigir-ae com dioheiro raa
do Queimado, leja d'aguia branea n. 16, qae icha-
em qae bem o emprogar.
m
m
Ricos pianos
de varios autores, vesulera-se
WF ------------- -------------^^a--------------------------------------
aj} em casa de Kalkmann IrmSot &
m C, raa da Cruz n. 10.
* dementes de hor-
Barato e bom
Na raa do Queimado n, 43, es-
quina que volta pare, a Con-
gregacao.
Ainda se continua a vender.
^Chitaa largas eacsres e fizas,* coiado, a 180 e
--filKJ 1*0.
dem idem dem fioa a 228 o 240.
Cambraia de cor omito fioa a fixa n 480 o 500
rs. a vara.
Organdya de )indospadrdesa-640a vara.
Cambraia de salpicas, a peca com 8 varas a 4$.
Dita braaca maito fina, pega a 498(19 e M.
Dita preta maito fina, a vara a 500 ra.
Chita preta franceza fina a 300 ra. o covado.
Laazinba moderna para vestidos a 500 rs. o
corado. Oo-ie i mostrea com oeuhor.
reas d
' Veade-ae um riquisaimo sitio o as -
Giqui, teado cr mermo 72 palmos da (reate e 300
de fundo, com boa casa "de taipa, a qual tem 2
salas, 2 quartos, cozioba fora, eatritaria para um
cavallo; quem pretender, dirija-se ao mesmo
lugar, a tratar com aaa dona junto i taberua do
Sr. Thom.
Para doces seceos^
Vendem-e multo bonitas caixiofcss redondas,
de madeira, de diversos tamaobos, forradas de
papis de cores, muito iinae, pro|iriaa nica-
mente para doces seceos de qualquer qualidade,
pelo barato preco de 4, 5 e 6} a duzia : na raa
do Queimado, oa bem conheclda loja de miude-
zaa da boa fama n. 35.
Borzeguins iiglezes.
Na raa da Imperalrix o. "0 defronte da boneca
loja do Pinto, recebeu-se palo ultimo yapor um
grande aortlmento dos j bem acreditados bor-
segeioa ioglezes qae veade-ae por 101 e \ 1#, i di-
oheiro loco cootado.
talices
Na raa da Cruz n. 32, deposito de pao e bola-
cha, vendem -se sementes de hortalicea vindaade
Liaboa.
Milho barato
a 3:500 rs. o saco
Vende-se em lotes de dez saceos para cima ao
referido prego, a dinheiro : no armazem n. 4,
defronte da alfandega.
Novidade.
Na nova exposicao de azendas baratis-
simas na loja e armazem da Arara,
ra da Imperatriz, n. 56, de Maga-
lbaes & Mendes.
Vende-se fazendaa baraliisimaa para liquidar
a saber 4 chitas de cores bonitas a 100,180 a 200
rs, o covado, ditas francezaa a 220 e 240 o cova-
do, ditas garibaldioas muito finas 380 e 300 rs.
o covado, cassas de corea flxaa a 280 e 300 o co-
vado, organdis de quadriohos muito finos a 320
rs. o covado : na ra da Imperatriz, loja da Ara-
ra o. 56.
Fazendas pretas
superiores.
maple -preto maito superior palo dlmi-
}o de 2$ o eoado, panno puto maito 8-
.. 5, 6, 7 e 9| o covado, ssgtaira prsU
Ina a SI, t00. 9, 3*500 al fo cavado,
tretas da blonda multo sapWOres a 121,
lea de aupertores groadenaplea pretos ri-
_ bordadoa a 359, sobraaasaess da panna.
preto muito fino a 30, casacas Tambera de panna
(ret muito fino a 309, paletoia da panno prato
no a lie 20fa ditos da casemira de cor mea-
tleda a I89, superiores gravalinhas estreitas s
li ^u* da aetim macio a de gorgario maito aa-
paria/ea pira daas voitas a 9t, ditaa estreiUbhai
com lindo alfinetea a 29, aaperior gorgurao pe-
lo para coHelea a 49 o corte, ricos anfeiles pretos
a 69, e sssim outraa mnitaa fszeodaa que sendo
diobeiro i vista, veodem-ie por pregas maito ba-
ratos : na ra do Queimado n. 22, oa bem conhe-
sida laja da boa t.
Ghegaram as desojadas rosas
artifciaes.
Agora dave cessar o desgosto qae muitaa sa-
nhoraa aaotism por nao terem comprado daa pri-
mairss rosas que a loja d'aguia branca receheu,
liso porque dita loja acaba de receber am nov e
maia brilbaote aortimenlo dellaa, vindo estas do
maiaa mala dalicamente orvalbadas. A senhora
qae com a peqaana qaantia de >9 comprar ama
deassa formosaa rosaa, sentir am effeito anda
mais rpido (relativamente ao caso) do que
aqwelle que prodaz oprompto allivio em qual-
qaer molestia. Cumpre, pois, qu ae nao de-
morem m as mandar comprar na ra do Qaei-
mada, loja d'aguia branca n. 16, pola do contra-
rio ficarao sem ellas para S. Joio, o que nao
convm. Na mesma loja vendem-se outraa rosaa
maia baratas.
SEDAS
Cinco tustes.
S na loja do pavo
vendem-se sedis da qaadroe, ditas de listras ao
comprido, e ditaa da iiatras atraveaaadas, ditaa
de qaadrinhoa, sendo dos melhores psdroes a de-
licsdissimos gostaa, com largura de chita ingiera
a 500 ra. o covado, 6 pechincha, e dao-ie aa
amostras com penhor : na ra da Imperatriz n.
60. loja e armaiem do pa5o de Gama & Silva.
Toda atteBCoao gallo vi-
gilante, que est quei-
'^mando.
Luvas de pelica.
As verdejeiras luvas de Javin, ebegadinbas
00 vapor frsncez: 16 ao vigilante, ra do Cres-
po* n. 7.
Para os festejo d? S Antonio
e S. Joto .
Trinas, e gajV*.*.
A aaperior trina o vylsnH-v Porto para ur-
aas, oratorios oa igrejas, .1:-v,v- ^ude por me-
nos do que am outra a/sai^uer p^ite : so no vi-
gilante, rus do Crespa n. 7. %
Gascarrilha
Lindas pecas de cascarrilha da todas as cores,
pslo baralissimo proco de 1500 a peca : s no
vigilante, raa do Crespo n. 7.
loa do Crespo o. 7, no
gallo, vigilante.
Nssla nova loja ba gtttde porcao de caixinhas
com amendoaa proprias psra brinquedo da S.
rJoo qaa so vende pelo barato preco de 800 rs.
cada ama quem deixar de dar a ama menina
urna caixioba ; tambero tem grande porcao de
caitas proprias psra docra t?eos que vende con-
forme seus tamanhoa a 69, 09 e a 49 a dazia,
amendsea svulass a 800 a 640 ia. s libra : s co
vigilante raa do Crespo n. 7i
1 1 1
Attenco
A 600 rs a garrafa de gaz.
Cootioua-ss a vender o melhor gax, na loja- de
aoileuo, raa da Imparatris d. 65.
Chapelinas para senhoras.
Liadas cbspelinss ricamente eofeltadss, pelos
baraunimos precoa de 89 e IO9OOO.
Ditos com pequeo toque de mofo a 68000: s
no vigilante ra do Creapo n. 7.
S* Joo e S. Pedro.
Bonitas sortee para namorados. Na ra Nova
o. 8, loja do viado, acaba de receber urna pe-
quena porcao de aortaa dedicadas aos amantes do
bom gosto, a qaal ae vende a 160 cada urna,
vista da barateza amante algum deixar de aa
comprar antea que se acabem ; lambem ha de
oslo de 100 rs., e a 40 ra. cada ama.
Batatas novas
Terco n. 23.
Batatas .
80 rs. s libra
no largo do
Moendas p meias moendas.
Taixas de ferro batido e
coado.
Machinas de vapor.
Rodas d'agua.
Rodas, dentadas etc., etc.
Ru do Brum n. 38, fundicSo
de D. W. Bouman.
Para S% Joo e S. Pudro.
Veddem-ee caixinhaa com grande porco de
amendoaa confortadas, e alguna confeitoa pro-
pnos para o faatejo deS. Joo e S. ledro, palo
barato preco da-800 ra. cada urna : na ra do
yueimado, na bem con,hecid loja de nsiudezee
oa bot fama n. 35.
Gassa a turca do Arara.
Vende-se casase turca para vestidos da se-
nhoras a 210 e 280 o covado, fastoes de cores a
280 e 320 o covado, liazinhaa de quadrinhoa
de bonitos gostos a 320 o covado, ditas chi-
nelas multo finas a 500 e 640 o covado : na ra
da Imperatriz, loja d Arara, n. 56.
A Arara vende as cambraias.
Vende-se pegas de cambraias lizas, a 18600,
e 29OOO, ditaa finas a 29500, 3S000 e 39500; pecae
de aasa para cortinados, de 20 varas, 99, ditaa
de 10 varas 4500e 39 : na raa da Imperatriz,
loja da Arara, n. 56.
Aleflyo
dos sehores botieaiios.
' chegado pelo ultimo navio um rinde sorti-
mentode drogas dos Uta. Lanman & lemp, in-
clatodo a salsa psrrilha de Brislol. pastillas ver-
mfugas, peit o ral de Aoacoherita, pilttlis de flat-
cbins, e bitters de Hoateller : os senlior bo-
canoa que precisarem deatas drogas, eiceotraro
no armazem de HenryForster & C, rus do Tra-
piche n. 8.
Luvas de Jouvin.
Vende-se luvas de pellica de Joavio brancas
para senhora, ltimamente ebegadas : oa loja do
beija flor, ra do Queimado n. 63.
Luvas de seda.
r. yS?dQ"*e ,UT8 de seda enfeitadas a 1S600
29000 e 29200, ditas fio de Escossia brancas a
700. ditas de cores 800 ris, ditas de lgodo a
280 ris ; na loja do beija flor, raa do Queimado
numero 60.
Escovas.
Vende-se escovas para deotea finas de diversas
qaalidadeaa 120,160. 320. 400 e 500 ris : na
loja do beija-flor, ra do Queimado n. 63.
Jogo de domino\
Vende-se jogo de domin finos a 1J-2C0 : na
loja do beija-flor. ra do Queimado n. 63.
Vende-se os bales do Arara.
Vond... b.lOua o ts a 30 arco para seaho
ras, os mais modernos que ha, ditos para msoi
M* a **^ito* p5ra 8ennora. de brllhantlna,
maito grandes saias da cordo que faz vexes de
baleo a 29400, saias bordadas para senhoras
a 2gS00, ditas de 4 pannos a 39000 e 39500 ; na
raa da Imperatriz, loja da Arara, n. 56.
losas artificiaes para ca-
bello.
A loja do beija-flor tendo recebido bonitas ro-
saa que se esto usando para os cabellos, vende
na ra do Queimado na loja cima n. 63.
Cambraias
Vendem-se cambraias de cores de bonitos e
alegantes desenhos a 280 e! 320 ra. o covado: na
ra da Imperatriz, loja n. 20.
da Imperatriz, loja n. 20.
A Arara vende as capas.
Vende-se capaa para senhoraa as maia moder-
nas que ha a 69, ditas de la a rio has 109 '. mante-
letes de grosdensple preto, muito modernos a 259
e 309 ; manguitos e golla de lioho a 29500 ; gol-
la para seahora a 500 ra., ditoa de botozinho a
640 rs. : na ra da Imperatriz, loja |da Arara,
numero 56.
Oliados.
Vendem-se oliados pintadoa.de liadas valas
fiasen. J";*?"" 7. 8 S? pSSS., pro-
30 arco para seaho- c
. prlos para mesa de antara 29 o covado
na ra
Borzeguins.
Ra da Imperatriz n. 10 loja
do Pinto.
Vende-se pelo baratissimo preco :
Borzeguini de lustro para homem a 89.
Ditos de bezerro para bomem a 89.
Ditoa do eordavo pace dito a 89.
Por este preco s a dinheiro i vista psra li-
quidar.
Ra da Senzalla Nova n. 42.
Neste estabelecimento vende-se: ta-
cha de ferro coado libra 110 rs. idem
de Low Moor libra a. 120rs.
Barato para
acabar.
Ra do Crespo n. 14.
Cortes de vestidos de seda de 89 60$.
Ditos de barege a gaze de seda de 49 a 109.
Chales e manteletes de touquim bordados de
109 a 159.
Chapaos de seda e palbinha para senhora e m e-
oiaa de 19 a 59.
Sedas de cores com peqaano deleito covado
500 rs.
Eofeites e camisiohss para senhora a 19.
Luraa de aeda o par de 100 a 320 rs.
Chapeos de sol de seda para senhora de 500 a 29.
Paletols de brim e alpaca preta e de cores da
2J a 69.
Chitas e cassss pretas francezaa covado a 100 rs.
Riscados franceses covado a.140 rs.
Alpaca de l e seda lisas o quadros de 320 a
500 rs.
Velludo de cores covado 29.
Cortes de colletea de fust&o de 200 a 400 rs.
Ditos de seda e velludo de 29 a 49.
Casavsques e manteletes de fusto, cambraia
bordadas, de seda, de fil e sabidas de baile
para senhoras e meninas de 2g a 59.
Eoutros muitos artigos que se rao patentes aos
compradores e que se vendem a presos muito
mdicos.
Touquinhas ou chapozintios
.para enancas.
Liodos chspozinbos para menina e menino a
49 e 69000, ditos de feltro pelo baralissimo t --
(o de 35000, bonetes de psnno fino e lico d. i-
ta a 330OO, ditos de veludo fino a 49 e 3j?5uu,
ditoa de palbinha a 3gOOO, touquinhaa de seda
muito lindas a 19500, ditoa de fil a 19000: s
no vigilarte, ra do Crespo n. 7.
fisc/avos fogoo^.
Manguitos.
Lindos manguitos com gotlioha o maia fino
que se pode encontrar, vende-se pelo baratissi
mo preco da 79000, ditos sem gollinha a I95OO:
s no vigilante, ra do Crespo n. 7.
Golliohas de linho.
Lindas gollinhas estsmpadas.............. 500
Ditaa de linho muila finas................. 800
Ditas pretas com vidrilho.................2(000
S no vigilsnte, ra do Crespo o. 7.
1505000.
A quem trouxer o preto escravo de aome Fe-
!'. q legido desda odia 4 de abril de
1860, cujo eaeravo tem os sigases seguiotes : es-
tatura bsixa, corpo regular, cor fula, pouca barba,
pea um pouco apslhetados, representa ter 35 a
40 aonoi, naco Hocambique, tem dous deotea
aberlos na frente-do lado de cima, e por cima do
nariz entre as sobrahcelhaa dos olhos um calom-
bioho pequeo, qae parece aer signa) da trra
delle : obleve-ae noticia certa que o dito preto
snds por trras dos eogenhfs Msribeca, S. Joo
e Engenho Novo, como trabalhador e intitulan-
do se de forro com o nome de Joo Pescador,
poia ji tem por eostusce quando foge mudar o
nome para Jlo, elle tem uos poucoa de cilicios
que sao os aeguiolea : foi pescador, caooeiro!
caiador, e ltimamente era padeiro, a que per-
tence, porisao rogs-se aoacapitaade campo, on
qualquer pessoa que o encontrar, prende-le e
traze-lo no paleo da Santa Cruzpadaria n. 6, que
receber a qaantia cima. 4
Meias.
Grande' sortimento de meias tanto para homem
como para senhora, sendo de homem a I58OO e
29OOO. e finos a 2)800, ditas de fio de Escocia s
59OOO a dazia, ditas psrs menina a 29400, ditas
para menino a 29000: s no vigilante, ra do
Crespo d. 7.
Na raa da Madre de Deoa armazem n. 10
A, ha psra se vender superior farinba de man-
dioca a 39700 o sacco, a ellas antes que se
acabem.
Modas lancezas.
Ruada Imperatrizn. 1, de Ma-
dailie Buessard Miliochau.
Recaben novimboio um bello sortimento de
modas, ricos chapeos de clina, e palha da Italia
iara senhora e meninas, ricas csmisinhss, e pe-
erinas com manguitos, gollinhas do bico e de
cambraia, ricas fitas muito largas para vestido,
lindsa rosas, e camelias para cabeca, eapellas para
ooivas e bailes, vestidos e mantas do blondo pa-
ra casamento!, vestidos para baptisado, luvaa de
pellica com doas botdes, espsrlilbos feitos as
melhores caaos em Paria, fil de aeda e da lioho
para vestido, crope e tsrlataoa de todas as cores,
lenqos de cambraia bordados*, fitas do seda de to
das as larguras, trancas, fraojas e galoes, e bo-
tos de todas as corea para enfeito da vestido, lu-
do do novo gosto e por proco maito razoavel.
iViPaM)S
Torrador.
23-Largo do Terfo-W
Hanteiga ingleza flor a 800 a 960 rs. a libra,
dita franceza a 640 rs., banha de porco a 400 rs.
a libra, maesas maito finas para sopa a 400 rs. a
libra, queijos do reino a 29,ditosdo serto a 560
ra.a libra,ierveja daa melhorea marcas a 500 rs. a
garrafa, sardinhas de Nantes a 400 rs., toucinho
a 320 rs., bolacbinha ingleza a 320 rs: a libra,
aisim como se vende outros muitos gneros ba-
ratsimos, passas a 400 rs. a libra, sao muito
novas, e se alguem duvidar venba ver no Torrs-
dor largo do Terco n. 23.
Muita attenco.
Na loja de Silva Cardozo, ra do Im-
perador n, 40, vende-se roupas feitas
de todas as qualidades pelos preces
mais baratos possiveis que se pode ima-
ginar, pois pode vir os reguezes com-
prar porque pechincha .
FagTo no da 42 de abril deste correnta so-
n do poder do abaixo assignado, o pardo de no-
me Francisco de 17 aonosde idade, qae tem bo-
nita gara, todos oa dente, cabello carapinboa
eruivos, tsndo sido este pardo escravo do Sr.
Dr. Antonio Borgea da Fooseca, de presumir
que ande par algum dos logares por onde o mes-
mo senhor tem viajado, como sejam Iguarass
Goianna, Ig S. Joo, Campia, Seira do Tei-
xeira, Pao d'Alho, Limoeiro, aa treavillaada co-
marca de Paje de Florea, sendo que segundo a
suppoe esteja lambem no engenho Iohama poi
bsver sido vlito ha poucosdiss em Iguarass por
ter amizade com una mulatinbos desse engerjbo
anda de presumir que o dito eaeravo por ab
serincsjlque como a servicodo dito Sr. Dr. Bor-
ges da Fonaec, afim de nao ser apprehendido :
quem pois o aprehender ondeqaer queor encon-
trado esse escravo e o vir entregar ao" seu leai-
timo dono na ra do Hospicio n. 6; que ser mal
generosamente por elle gratificado.
Ignacio Luiz de Brito Taborda.
Erafins de dezembro desspparacau o negro
crwulo, Bonifacio, ainda moca, baixo do corpo e
grosso, nadegas grandes, tem falta de dous den-
tes na frente, olhos abugalhados, muito regris-
tae d paracursndeiro ; tem sido visto pela Boa-
Vista e pelo bairzo de Santo Antonio : quem o
pegar e levar ao caea do. Ramos n. 4 ser bem
recompensado.
Desapparoceu da fabrica do gaz, o escravo
Benedicto, no domingo 15 do correte s 11 bo-
ris da nJanhSa, levom^aiisa de chita e calca da
aigodao azul, tem osfBacs segnintes : cabel-
los cortados rente, atura regular, um pouco
tullo, Nado 17 pata 18 anuos, costuma andar
calcado, jurfla-se que anda pela camboa do
tarmo onde dormio no domingo cm casa de um
canoeiro chamado Cyriaeo, que mora no pri-
meiro beccO quem entra pelo pateo do Carmo
direita : rogase a vigilancia da polica e qne e
lexe a mesma fabrica que ser generosameol
recompenaado e quem o acollar aera punido
^S Vende-se um carro inglez de 4-
rodas em muito bom c*tado, urna pare- w
Iha de cavallos com todos os arreios tudo I
em bom estado, e um cavallo
na ra do Imperador
Attenco.
de sella:
n. 45, cocheira.
Vende-se urna casa terrea, com aolo, ~t
na ra das Cinco Pontas n. 19 : quem a quizer
comprar v entender-se com Henriqae Jorge, na
travessa da Concordia. 8 '
Piano
Vende-se umpiano inglez embomuso.Dor
preco cooomodo, proprid psra prlncipiar-se to-
car : a fallar na ra do Seve oa Uoiao, casa
Botes para puuho.
Vende-se boioes de punho finos de diversas
qualidadea a 200 rcia o par. que tambem nervem
para manguitoa de aenbora : na loja do beija flor
ra do Queimado n. 63.
Occulos.
Vende-se occulos finos de armarlo de ac, a
29,19. 640 e 400 ris : loja do beija flor, ra do
Queimado o. 63.
Ricos siutus dourados.
Vende-se sintos dourados a 29, ditos de fila
com Avalla dourada a 19500 : loja do leijs flor,
ra do Qaeimado n. 63.
Enfeites para cabera.
Vende-ie requissimos enfeites para ciibecacom
franja, e tero ella pelo baralissimo preco de 5J
o 58000, ditos de vidrilbos a 19600 ; mi loja do
beiji flor, ra do Queimado n. 63.
Carteiras.
Vende-se ricas carteiras psra gaarda dinheiro
deouro e prata s 29000, 25500, I9OOO, 15280 e
18500 : na loja do beija flor ; ra do Queimado
Duenero 63.
Desde o da 28 de abril prximo passado,
lacha-so fgida a escrava Manoel, cabra, esta-
tura regular, idade 38 annos pouco mais ou
menos, com falta de denles na frente e tem aa
veaa das pernas muito salientes; lvon comsi-
go urna caixa com fazendaa que.andava venden-
<". na importancia de mais de 2OO9OOO igual-
. 2 ". ;e L,gida a esava Benedicta, pre-
ta, idade 35 annoa pouco mais ou menos, esta-
tura regular, muito tabaquista, atilad; nariz
fino, olhos aperlados, barriga saliente, e peo
grossos. r
Qaem aa aprehender qaeira leva-las aos
Afilelos, no quinto sitio alm .da igreja, que se
recompensar. Outro sim, protesta-se proceder
com todo o vigor da lei contra quem quer oue
seja que aa lirer acontado.
a> .

* toteria, concedida por le provincial para a edifieacao (
casa do Gymnazio Pernambucano (3/ concesso), extahida em 21 de junho deilr32.
NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS.
Rosas artifciaes para cabello:
A.L. B. F. tendo recebido um variado sorti-
mento de bonitss rosas qua se esto uiamle para
cabellos, e do pannos comfolha de velludo, ditas
de papel todas, as mais ricas qae so pede encon-
trar vende-ae na raa do Queimado a. 63, loja
do beija flor.
gulhas.
A. L. R. F. tendo recebido agulhas imparlaos de
fundo dourado, vende oa loja do .beija flor, raa
do'Qaeimado n. 63.
VKNDE-8S urna mobilia oe amrelio no-
va, conloado aa sagaintes pecas: ao sol, 12
cadeiraa, 2 ditas da braco, 2 de balan?) 2 eonso-
lose mesa de meio de sala : para ver na raa Di-
retU n. 127, segando andar, a para tiatsr neste
^ypogrsphia._________
Pao no de algodo da Bahia.
Vende-se no escriptorio daAntob Lniz da
QHvetra Azevedo & C, na rao da Cria n.l.
Aljfar fino imitando perola.
Vanda-soa500rs.o fio da aliofar Ano, iaj|.
taso parola: na na do Qsslmado, lojs VipSi
bMaKSta.10, "
7 59 147 59
8 '48 _
1 01
23 52 _
25 53
3* _ -55
35 56
39 __ 62 mjgm
4*2 63 __
45 65
46 67
47 69 .
49 72
51 _ 74
52 77
54 79
60 - 80 409
63 81 209
78 - 82 5!
79 -_ 84
82 85
83 1009 90
84 59 93
85 ... 96
86 mim 98
88 99
91 ' 210 _
92 f7 IM
93 18 _
96 21 ^
97 26
100 mm 27 _
3 mmm 28 _
5 i 29 _
12 H. 33 _
15 __ 37 _
17 3 109
21 _ 48 59
22 ' 45
2* _ 53 Mas)
28 _ oa
30 mm 56 aa
31 18 ~%
33 00 aaa.
H36 M 63 aaai|
"37 ' *
38 72
42 75 aaaai
43 79 .
45 " 80 0-wcri tfcb
283
85
o
95
300
3
5
6
8
11
16
23
24
29
34
38
42
45
48
49
51
52
84
57
64
67
73
76
TT
84
95
98
99
405
8
13
18
24

88
31
43
47
48
51
52*
56
87
60
59
409
59
59
m
462
63
66
70
73
76
78
81
82
88
90
91
92
96
97
99
500
2
5
8
lt
15
20
21
25
28
30
32
34
37
- 4fl -
41
48
47
52 -
61
73
76 -
78
84
88
83
80
H 92
99
601 *
2
8 ^
4 r
605
7
o
11
12
13
20
21
25
26
35
36
38
41
42
a
46
58
59
60
63
72
77
79
95
99
701
6
11
12
13
21
28
29
48
45
48
50
54
55
56*
63
65
66
67
68
78
75
78
79
59
NS. PREMS.
781 109
82 59
e* 400S
85 5g
92 _ 90
94 __ 94
801 10$ 1007
4 59 8
5 __ y
10 mt 13
11 _ 15
15 __ 22
17 26
21 27
26 tftm 29
27 ggmgg. 32
33 mttm 35
39 ^ 46
57 tmtMm 47
60 I 56
61 m^^ 58
63 ... 61
64 _ 63
70 _ 77
73 mm 79
76 ^ 80
77 _ 90
78 M, 94
82 _ 97
86 mim 98
88 _ 1105
93 _ 7
96 H
97 as* 28
905 28
7 83
10 36
12 40
18 41
26 mm. 44
28 _ .47
32 _ 49
39 109 54
43 51 56
48 61
47 62
48 . *>*> i 84
58 -65
6 VI 88
NS. PREMS. NS. PREMS. -NS. PREMS.
970
76
87
88
89
5
209
5
ios
5J
1170
71
72
73
80
81
83
86
88
92
93
98
1203
4
6
13
15
18
22
26
29
32
36
40
42
43
47
48.
48.
50 .
58
62
68
84
90
95
97
1306
9
11
16
- 17
19
26
10$
5
10QJ
59
109
59
109
59
409
59
5J so
33
36
44.
47
1351
54
56
57.
64
66
68
70
71
74
75
77
78
80
81
84
88
89
95
96
97
98
1401
9
11
12
14
16
18
22
31
39
40
y
52
59
60
62
63
68
72
78
79
84
90
93
94
95
97
59
109
58
NS. PREMS. NS. PREMS. NS.
109
59
1501
2
3
6
9
12
17
22
24
25
26
36
37
38
43
45
46
50
55
58
64
80
81
86
88
91
93
96
97
98
99
1800
3
8
11
13
16
. 18
.2
; 24
98
80
31
33
34
35
38
40
49
5S
209
59
1652
53
55
57
58
59
60
64
68
69
73
74
85
86
91
9
95
97
99
1704
9
10
12
18
23
25
29
83
35
46
48
49
50
99
54
58-
3
64
71
83
86
*2
85
98
1802
5
7
10
13
59 1814
15
22
23
25
27
29
30
44
47
50
52
56
64
67
70
73
74
76
81
87
88
90
91
95
97
99
1900
10
15
16
17
2T
28
29
80
38
49
43
51
>W
57
62
69
73
77
79
80
200
59
209
59
109
59
PREMS.jNS. PREMS.
-59
409
59
209
59
109
59
109
59
1981
86
93
2001
5
8
10
21
27
34
35
36
40
42
43
44
45
46
50
51
53
55
56
58
62
66
72
75
77
81
82
83
84
86
87
88
I 92
2103
5
11
15
14
90
99.
94
31
34
39
42
5?
20*
8009
59
109
5
109
5*1
NS. PREMS.
2144
47
48
51
58
63
64
- 65
66
78
-79
83
84
88
89
92
97
2201
8
3
6
12
13
16
94
27
32
36
38
48
48
49
51
56
49
62
63
68
78
75
76
84
86
88
80
06
5
NS. PREMS.
209
59
109
59
2308
10
12
13
17
19
i 22
23
25
27
28
29
31
32'
85
38
41
44
45
51
- *i
71
74
77
81
83
84
86
91
92
93
95
97
2400
3
5
8
14
17
59
109
109
59
409
59
NS. PREMS
2466
72
73
74
78
81
85
86
87
88
89
94
98%
2501'
4
6
7
8
16
_ s
28
30
59
- 1
209
59
38 -
46
51
52-
55
60
71
76
77"
79
81
oa _
28
31
33
37
41
2302 5:0009 48
6 59 4
7 -n_5*
JM-Afc*M, l \itm* rt.
88
84
'87
93
95
98
89
860*
4
5
**<
18
15
17
909
59
NS. PREMS.
2621 59
23
24 -
35
37 _
43
46 _
50
51
54
65 _
69 -
75
. 77 -
84 -
96
97
98- -
970J -
7
10 -
13
15
209
5*V
109
25
29
4
M
45
46
49
50
52
55
59
60
61
7
> 70
7t
79
81
84
a
91
86
97
9800
I


miiktm
-J=i
.
- -



LiUeratura.
A familia de Genuaadre.
xiv
(Conclasio.)
Urna hora depois, so restiva dmsa numerosa
assembltia o do'o aenhor jde Geimandra, e tua
fjfCilia, Hortensia, Octavio o a baioneza. O b-
baJe lanubeni partir, bastaste locommodado, e
receloso de Ohir doeote, longe doi seus babitoi.
O castellao julga/a que nao detona rter ai ou-
i.-u pessoas, nao achava convei.ieUe parecer fes-
tejar aua titwit em ubi caja, cuja porta inda
estav cobsrta da lelo. Pedia aumonte a Horten-
sia e a OtUio que te. dtnaraiiera dous ou tres
dial. I ortensia nao jula^^H&oveaiente ; po-
i mi que acfc na amo lempo Mr. de
Gerraandt, joven, i to perfeito,
disie qaa *e devia, ea Ui elle e sua
irma, aceitar o enfile, pan aio parecer Inve-
jar ana elicidade. a
B ffcatirprimo, dase muilo baixo
Octavio, oaodereret refirar-me
Nao, reipondeu o cavalheiro, aotriado ; se
o senhor tiveae headado ib mea 'lagaf deixar-
me-bta partir assim?
Nao, certamenle I
fique, temoa qae conversar seria-
libo, leu maia respeitavel emulo, alguna
tai oncea leu indecisos ni, ni. Da-
as fltbo nirata a lodedade, 01 canctere cora
pasmosa precliio : nem a mals leve ruga, nem
o irigo phystooomico rnebos apartante lhe es-
capa. Ser ve-se, porem dos meios meeanicoe, da
photographia, do -*-'--------------
DUttt^lJWKAMBOC **Mtok FMU 491* MU* Pfi i$M
1
aaaam
photographia, do dgueRe*iypp/-rni i e a* atr-
aco.geo. tio asaetea olo tato Hfl. Olavio
VMUIet maneja o platal cosa mi da maatre,
oa seus lypoi pialadoi a largos traeos, e com ea-
ses toni ardentea que
gua do mais p
A Rede
goes do*.
pletamente-
o,
cTatteriismtr escola va
je sO o genio uuatX1
lilis personagens circula
s da Damas Qlho des-
ro de.Ticiano le dittin-
portr*i-emrton.
Uiujtraa admiracorea lheitnaoem onamarim alia
a echa, para reiponder aoa sea byaac apai-
sonados, phraaos repastadas da maja "jioreote
ironi.
ilesconhecido a Mago
conde Joao d Graenthaf,
Um homem
(aliar a o
loucot oaj Ifiaslaa da artista. Cal
lar aborflatm ou secreto present
obligar o conde Joio,
resillir-lhe, are:ebero descoabscldo
ifmsrim.
la
d msn bellas coso
i o fea.genio ichi-se aera-'
; a eaa-Ciprichoia Inagim
Eotao
mente.
E ea, senhor, dase Libree! apnrexlmen-
do-se com urna graca cheia de dignidad, ^ft va
deixaracasa? # '
-s Nunca, Sr. ae Labreche, rupendeu o etva-
lheiro ; nao me (es bootem a lionra de IpcaY os
copos comigo ? Digne-se fazer-uoi servir o jan-
tir, e faga com que o sesjjor capjio participe do
yioho da madeira, que o snior abete lio
bem.
Depoii da sobremesa,
terrajo coa Octavio.
Heu charo primo, lhe dnftrJe, est sem-
pre decidido a deixer o aervie < "csar-leT
o cavalheiro foj para o
Sim,
tarada;
nao leot-ndo alcancar
meu primo, e 10 a gtena oio eativer
porque neste caso, teiia mu gosto
as dragoaii de coronel.
Eis o que multo bem peonado r cois
guerri se asiim o precito; por ira epois desta
campaoba volte aqui. Minha Irmia querendb
sempre abandonar o pouco que uhet era favor de
meusfllhostem muilo direo de um bello dote.
Procure eotao fazer com que elli o ame Ser!
multo (eliz se o aeohor o cdnsiauir. a aerMfm
que isto nao ser difflcil, anconi oi a sr o eue*
tem sido a vinte e qualro horas. q
r*?8 a 'S.0'' 01Me bironez, que
estaba por detrs delle. e ole o ouvra, nao cui-
da em tornar a casar-se, charo primo ? "
n.h 8enh*" M,u" wlhiiro ae ea
UUSaSoc..*
Eil obrigado a faie-lo, diise Oelavio, por
que Horleosia ama-o, ella o disss claramente pe-
dindo-Ibe que Qcasse pobre I f
O cavalheiro entroa como um lonco no salo
onde Hortensia conversara com nademaisella de
bermandre; lendo cada ama dallas um menino
sobre os joelhos.
Horteoaia, disie-a esta eom ?ox.tomiiiOTtda : En-
lao l senbora quer sar sempre saa ale?
Madama de Sevigny algL^crioi. Urna patarra
que responder; alia toro, lie tmida com o
campooez, quanto este o CTrTa sido dous lias an-
tes para com ella ; apertou M.r,-ndl cibtra o
coracao oceultmdo seu rosto Sos Sellos louros
da menina.
S
O caralheiro seotia-se eloquenie. la diter as
cousaa jnaia bellas do mundo, por.im nao as di"
se, porque caba chorando aos joelhos de sua
Um aono depoia, oa vespera do daplo ctta-
XM' dHUS vtiaot e das ao Prt.s"s
obras de madura e as pinturas utyrlcis do eas-
tello foram tiradas cuidadosamente a levadas pa-
ra o muzeu da provnola, porqa 0:i tardes da fa-
milia Germandre diziam com razan que estes ai-
somptos crueis s sinstros nao deviam mais en-
tristecer urna casa onde o amor e a eondanca es-
ta vam dora avante seguros de rein.ir.

Geouoii Sahd.
Chambry, 8 de jucho de I86t.
(Traducso de Emiiia Luna.)
?ao pode galopar tm,Mtiirilade pelo muado da
pbanjuia Ai aestDtlStkiaB-se oa Alleaaaoha,
nesss patria dos lylphoe. e dos encaotamsttpa,
ondeas ideas as mais positivas icolorellam o
Hjysticismo o: ntaii exaltado : trra abengoada
dot poetat, cheia de tradiepes, do crengas absur-
das talvez, mas brilhantea oa pooaa. A sua he-
reaoa 4 urna artista itetnintote, ootidade collo-
cida ra da atjao regular seeaatona da oosia
moderna aocjedade, que, a asa girar compssss-
do, monda, decot, scha lodoa aquellas que se
elevaa cima do nivel commum.
Magdalena assceu em umt tribu da artillas n-
mades. Nao conhecan pao, e aua mae urna ci-
gana, atirou-a s taboas de um theatro de aldea,
spenas ella comejou a andar.
Nao lhe (ez nanea ora alago, nunca urna cari-
cia ; nem mesmo a rezar lhe eniiooa. -Has como
as pisotea desabrochadas na eacurido- sabem
buscar a luz. vergando-sa, torcendo-se de mil
modos ; assim os grande espiritos, mpelldos
por una torga ignota, nao poden ficaj naa tro-
vas em que naaceram ; rompem todos os obsta-
culos e por flm expaodem-se ao sol da gloria.
Foi o que acontecen a Magdalena. Ningaem a
edacou, ninguem< a aconselhou, nioguem lhe
mostrou o camloho que devia trilhar. M*a Mag-
dalena, belja e joven aantia o talento e a impi-
racao ferverem-lhe no cerebro : vergou-se ao
eitutfo, veoceu milhires da difflcaldadea. e dabi
a algum lempo poda, dizer chela de orgulboEu
fou a Magdalena do theatro imperial, a artilla
inspirada que-faz delirar Venna, e a cajos ps
rojam-ae priocipee, poetas, millonarios, muito
felzes quando Ihes deixo beijsr as pontaa dos
meas eothurooe,Cada um de seus das era
marcado por um novo triumpho, e saa .vida lor-
nouaae urna festa perenne.
Vi*eu por algum lempo feliz nesss atmosphe-
ra radiosa; mas em breve disaipoi-se-lbe a em-
briaguez ; a gloria que ella phaotasira trra da
promisiao, agora se lhe augurara mudo e calci-
aaoaTIeserlo. Caogavam-a j essas eternas psi-
mas.'esses louros. esses ramalhetes sem flm : as
ovacoes nada diziam ao seu espirito ; j nao fs-
ziam vibrar urna fibra do seu corago : Mag-
dalena bocejdo. Comega va a crer que a gloria
nao podia ser a nica ambigao de urna mulher o
noico mobil da sua vida. '
Os seas enthuiiaslas davam proporc5es eolios-
saes aos seus ramalhetes. mandavam vr florea
a Ja* pa8*va,n sommas fabulosas pelas rari-
dades do genero, e arrasavam estufas preeiosss
para tapetarem as ras por onde deviam passar
oa seus cavallos: Magdalena bocejava sempre.
Urna noute, sosinha e meia louca, abandona o
seu palacio. Para onde vae ella asiim. aguatada
pelo vento norte, e enterrando na nev oa mimo-
sos pes babitaados a pisar arminbos ? Vae con-
sultar um santo, o prior doa franciscanos, sobre
o estranho mal que lhe embacia a vida. O
com effeito um sanio sacerdote
o horrorise. Elle ama a arte, rivi
e compadece-sedos artistas, dessss criaturas ex-
cepcionaes lio desgragadu no maio da sua elii
cidade ; porqoo tem .petitea e aentimentos que
o vnlgacho oaoooiende, e que o mundo muitaa
vezas nao podo satUlazer. "i
^horadaprwnQtehegou. Mauri
arhoniemde corlgioleal, de coostie
oxhortar ao conde Joao, para que
e ajalle Magdalena. Escond
um bioaao, ella ouve, em vez
mphaes ds ha pouco, as verdad
_ os juixoi os mais aeraros, as aprti icoes
a i mais duras subra o tea carcter o coi icio.
Sai mi de fernderruba-a do leu altar, arrtn-
tt-lhe em pedagota chlamyde triumphal qaelhe
ondeara aobre o hombros, e segurando-a pelos
cabellos, esbofeteia-a sem d nem piedade. E'
a momelo tenirel para essa mulher orgulhosi,
porque tem os d ?us grandes dotes que Deas so
concede aos seus eicolhidos, talento e foraosun.
A colera a suffoe. Oh I se o dosconhecido a
visae, Juno irritada, com as aobraneelhas frangi-
das, a face paluda e oa olhoa lampejaodo sinis-
tramente, por bruvo que fosse, teria medo deise
odio implacavel, tremendo, e (ugiria aiautado,
se nao se lhe lanjasse aos ps pedindo lhe par-
deo. O conde Joao estima Mauricio, aeu primo ;
mas ha na vida situages (aties, antea ai quaea
o9o ae pode recuar. AliJ airas do biombo, est
a mulher a quem ana, em frente delle est Mau- i
ricio, urna affeico da edade juvenil, um cora-
gao oobre e elevado ; preciso entretanto que
sacrifique um dos dous. Nao podia hesitar, a nao
ser am eobarde ; desafia aeu primo, Mauricio
aaba ; amanha ellas se ho de encontrar como
inimigosimplsctveii. Porem Magdalena que la-
do ouviu, Magdalena que mulher, e mulher su-
perior, nao conteole que outro, que nao elle, a
desaflronte ; quer vingar-se, mas por suaa pro-
pras moa. Comprebende que aquello icono-
clasta furioso adora q, idolo qaa Insulta ; ou
phrases com que ,i vilipendiou' ella ve bem claro
que eane homem a ams, a qaa a ama loucamente.
Ella o convidar |)ara urna cea, e eotao a lom-
baria fra e inciaiva dilacerando aquello edragio
apaixonrdo, aquello cerebro am desvario, doer-
lbe-ha mais do que o ferro de ama aspada e a
bala de urna pialla.
F1^m.orta'1,*bebi' exelaamUa; ores-ms
i durante a cela Ira ftra 0 vldro de rt-
nan? >r um. outro de urna .ubstantiajearte. Nio
? 5f ,I^^e^'MlT 8u*lT^ lrioqae
que lh o diz em phreaf lias de fogo
ca, it( arrlo j mas estos mocta d se4e; d-
a
me agua
"No eope d'agua qaa beb daspl
Iba raoiara Wolfran.-
i. venen que
qae fonm proferidla. Oade qaor qoti extalaT
homem, exista neceuariamant a d;r, o soffri-
menlo. a morU, por qaa aates flagalloa sao oa
borriveis effellos da primeira calpa que atompa-
obam o genero humano, desde o lelvagim ata o
partlcipinte dettt heraaoa forctdt. l
*--------
,_> ftjNapdaa]
e de paixao.
Passar da morte rida, do daieipero elici-
ap; era mallo. Magdalena aente ama revolelo
em todas as suas ideas, e vencida par aisa tnex-
gotavel clemencia da divlndade, bamWa-te, a em
tterroroso impeto de gratidio. exclama con-
trtets Eu craio em Daus I
Com essa phrasatermina tRedtmpeSo.
dida epopa do ajoor.
K
tbe oa WMd.eono.af mcarreira. Qu*-
torta metal nstdla aom aeu consorte em Gara-
buns.mala dotis mases na Iaperatris, quai
doutaunoeem Tatitratti, ara anno a oito mezaa
PM,0*^agib. tret anuos e dout me-
..:. ..
ao tt
af L q"! leTmo a'o. o leitor pode atef ama
idea do entrecho deata drama ; mis o quelkna
podemos fazer avallar o brilho do eitylo, a d
hcadeza da phrasa. a riqueza dos iacidontes, cal
qual maia hbilmente dramatizado.
Aqui, como em Paria, as bellezas do prologo a
dos douspnmelrosactoapaasaram um pouco des-
apercebidaa; a maasa geral doa eepectadorea nao
poda comprehender certas situaedes por demais
elevadis; mas, slnda como em Parla, do teraei-
ro acto em diante os applaasos do publico foram
constante! e estrepitosos. E' que timbara atoE
cugao nada deixou a desejar. ^
.u-S,*^Ad^ly do papal do Mig-
aaiena, deteapaobou-ocom tal maestra e rigor
que aorprendeu mesmo aquellos que sio seus
mais srdentes admiradores.
Esperam mallo do sea talento; mae nao tanto.
O typo da Magdalena taires o mais difflcil do
repertorio moderno. Loureira, ria, ardente, ir-
nica, incrdula, apaixonada, orgulhosa e vioga-
tiva, a grande artista raramente pronuncia phra-
ses que estejam de accordo com o aeu pensamen-
to. Ha nella daaa mulheres; urna escondendo a
outra; mas nio tio bem que nao a deiie ser vis-
ta aqui oa acola.
prior
Magdalena nao
THEATRO
Jetarlo Feailet.-A fteileiapco.
Urna daa feigdss caractersticas da poca lute-
rana qae alravessamos, o abandona cada vez
mais completo do verso pela pron. Os grandes
mestres s ao metro auieiUm ai compoiicdes dar
folego curto ; nn grsaiJl'producgces, porem, H-
berlaa-ae de suasexginams tacaDhas e pueris
para remontarem-se coa alais libeidade i mys-
tenosu alturas do sublime. Hoje j se nao quer
agradar ao ouvldo, prcura-ae fallar alma, j
se nao tenia esconder sob as restes rogagantea
da palavra aonora e retumbante, d i phrase des,
mas cadenciada, a pobreza da idea, a magreza da
concepclo. As bellezas de convenci tem sido
substituidas por bellezas reaea ; o peosamento
nao mais sacrificado ao rhythmo, a inspirag&o
ja nao lata a ponto de eafalfar-ae contra a tyraa-
sii da rima ; a liberdada panetroa :io mando da
poesa, a abi, como no mundo poiiiico, grandes
tem sido os seas milagros.
Fot Chateaubriand quam primairc ioiciou essa
reforma litteraria: os Martyret a os Notchex abr-
rara una nava ara. Mullos atonipioharam o
cantor de Cymodoce e de A tala ai ora senda
por elle percerrida ; mis nenhum toa tanto bri-
lho, com tanta feHcldada como Octavio Feuillet.
Dalila e a Reiempo lio dous magnifico poe-
mas em prosa.e ha em cada linha doiaaadous ad-
miraveis dramas, maia verdadeira joeitia do qaa
em muitas deasas ayolamadas'epotas qaodor-
miam em poantas. livrarias, como faliot dolos
em abandonado aliares.
Octavio Feuillet, alm de ser um grande lyrico
um extraordinario dramaturgo : entre elle e
Sua experiencia grande. De um volver d'o-
Ihoi conheceu que o mil de Magdalena eatara no
vacuo de aeu coracao, e disse-lhe simplesmeote:
Ama, e sers curada.A consciencia da arliata
ja lhe aegredre, poucoa momentos antes, ene
conielho. Encontrara no pateo do clautro um
bello mancebo, de ar trislonho a potico, que ali
dimavaa ti ; seu torsgio to (rio, eatrame-
cera:eraa affinidade de duas almai qua aailoa
*o patenleava. Mas ella nao TOra aenaloe Done-
VDia por tinto tempo ; Qzeram na aceptica aos
vinte annos, no desabrochar da vida, oa quadra
das illusoes, como o era Vollaire aos setenta,
quando j linha um p no tmulo : duvida, poia,
do amor, como duvida_de Daus. Acredita, po-
bre orgulhosa, que^Bum sopro humano pode
fazer brilhar umajejlHelh) naquelle mootao de
liazas, que tero nOTo'gar do toragao. Que ne-
nhum affecto pode entrar no ieu aeio de marmo-
re. Cerra, pois, os ouvidos voz de Deua e
roz di consciencia, e corre a consultar a atien-
cia.
A scienefa I iilo Wolfran Matheus, o sabio
que l a buena-dicha, e vende venenos ; qae il-
lude o espirito e intoxica o corpo; qae nao er
no cu nem no inferno, e que faz tanto caae de
aeus semelhantes como da pobre rolinha. esti-
ca nico ente que o ama, e qae alie sacri-
fica sem hesitir em ama experiencia chimico.
Wolfran Matheua I o scepticismo incarnado, o or-
gulho personificado, que senlindo que a sus in-
lelligencia nao pode chegar de eu; nega a
existencia dena entidadeauperior, pan nio re-
conhecer ninguem cima de ai.
_ E's (raca, Magdalena, diz Wolfran, o teu es-
pirito se verga anta os prejuizos estpidos dessa
lociedade que ambos nos entes privilegiados, de-
vemos desprezar. Se forte 1 colhea roaa odeixt
o'espinho, goza e sers feliz.
Mas se ainda assim me-aborrecer 1 pergun-
ta-lhe a psecadora.
Eutao sote resta adormecer tranquillamente
no aeio de oossa mae commum : mata-te.
Ultima e eateril palavra da
apoucada & va I
E noute da natal. As familias burguezas jada
ha muito repouaun, ludo silencio; porem alem
no bairromais sriitocratico, brilba illuminado o
palacete de Magdalena. Ella d esta noute ao
conde de Graenthil, ao principa Eriofit, ao daqae
de Estival e a lord Scheffled urna cea esplendida.
A lem i11" "^rfumada e tepida, esgolados
o Marsalla e o Joanoisberg, se dere decidir urna
grande queatao, que oassumplo dss coaveraa-
goet da alta sociedade de Vienna.
Havia um anno que esses fldalgos por causs
de Magdalena.tinham estado prestea aaebaterem.
E intil essa mertandade, disse-lhes ella, lle-
conciliem-se : de boje a am aono eu Ibea direi
quem o mea preferido. Um anno tinba decor-
ndo, chegri a noute de natal. Magdalena la
cumprir a aua promaaaa. Todoa os quatro fidal-
goa, a flor da aristocracia e da fortuna, ali estio
reunidos : ba apen is am convidado de mais; aaae
convidado o homem que ioaultou Magdalena.
Elle damora-te ; mas ella sabe que elle ha de
rir ; dl-lo o aeu coragao, e ella se Tingar. Oh I
tomo o ha deesmagarcom o peso do tea des-
dora ; como, com os seus dedinhos c6r de roa,
maia ioexoraveia do qae at tenazea ardentea do
atormentador, lhe ha de ella romper ama
urna todat at fibras do coragio I
por
aciencia humana,
A voz d.i religo (aliara mais so caragao de
Magdalenr ; mas da aciencia (allra-lho razio,
e tomo lh um vidro de veneno, e parliu, porem parliu mais
trille aindt do que viera-..
Estamos so camarim ds Ilustre artista.
Magdaleua acaba de receber urna ovogio es-
Irondoia ; maa aeu espirito, em ve de prender-
se etsss coroat a eataa floree, que ama platea
ea delirio lhe arrojou aoa pea volta-ae todo para
aquella rielo potica, apaixonada, que entreviu
sob as arcuiaa do claustro; a, quando seus maia
Ei-lo emra. Deas I a rielo poetisa qaelhe
apparecee quando pedir i relieiao consolo para
aa auas dores. ^
A pescadora turba-ae, sua altivez dobra-se, o
seo epiriio a abandona. Mas todo isso passa como
um relmpago : Magdalena rolla a ai. Exalta-
se, pede vinho, e como sent que sosinha nao
pode lutar contra a emoglo qaa a domina, exige
de aeusconvivasquo enlouquegam com ella. Mau-
ricio conserra-ao (rio e polido no meio deisa
tempestada ; oa sarcasmos, que lhe atira Mag-
dalena, a oitentici) que ella faz dos seus vicioi,
resvalam aobre elle sem o impressionarem, como
pellotas atiradas por um brago de eriangas sobre
urna couraca de bronze.
Elle a ama, entretanto, e Magdalena bem o
sabe ; maa a aua frieza irrita-a de maia enrmais.
Ha um momento em que (raquea ; mas a leda
em brere desperts. Mauricio quer retirar-se,
ella exige que fique, que aaaiata escolhs que rae
(azer; nesse momento psssarla por cima do seu
cadver, que (osse para precipitar-se em um
abysmo. Escolhe o conde Joio, como estolheria
ErlotTou d'Eitivil, nivelando-te assim con a mais
nfima das creataran ; mas Mauricio empallide-
ceu ; (oi urna dor bem (orle essa que o'tar empal-
lidecer assim. Magdalena est viDgada, o ho-
mem que a inealtou deria teraoffrido maflo.
A alegra do conds Joio dar apenaa um mo-
mento, a illas! derrua se esvae. A'i srws de-
claragoes apaixonadaa Magdalena reaponde com
ama girgalhada, a quando elle lhe falla de seu
amor, ella perguota -lfa*por Mauricio. O conde
comprebende tade ; nio e elle, e sim Mauricio, e
preferido. Nem urna queixa sshiu de senla-
bios -r um cavalleiro o conde Joao.Quereque
o T* chamar 1 pergunta-lhe. Francamente,
m, responde-lhea artists.
Eita noute rao decidir da vida -de Magdalena;
ou ser amada por 1 su ricio, oa seguir o cense-
Ibo do velho alchimiita, e ir descansar no- seio
da nossa mi commum.
Ah est Mauricio: maia (rio, maia calmo, maia
asolete do qae o lora na hora da ceia. O amor
(erre-lhe no intimo do peito ; maa nio podo, nao
deve, nio quer amar a eaia mulher que de joe-
laoa ae lhe offerece. A lata entre os dous 4 ter-
nvel. De am lado a frieza, superficial, sim ;
mas glacial, complata, dictada de antemio pela
eoneciencia, pelas tais da delicadeza e da honra.
Do outro a paixio i maia aincera, arrebatada e
louta, a paixio que oio comprebende o meio ter-
mo da resignagao, qua quer a pone do objecto
amado oa entao a morte. A lata proaonga-se.
Magdalena protesta, roga.implora.chor, soluca ;
Mauricio responde-lae:
#Comedia ; aemsre comedia.
A lataj nio pcssivel.
E' ama rochs, Sr. Mauricio, exclama Mag-
dalena com ama gargalhada anda mala angus-
tiada a dolortsa lo qae o saa aoltctr de ha
pouco.
Tem razio, tudo isso era ama comedia : ven-
FOLHETI1I
ORIGINAL DO DIARIO DE PEMIHIBUCO.
USIiift lAfiflfllA
CX1IL ,
Sobuiuo. A irtUhtris ralada os narios an-
coaragadoa. Nora rarolug&o na marinha de
guerra.
(Continuago.)
Dar corpo a esse typo, a esse almsgama de tan-
tas qualidsdes oppostas, represents-lo tomo o so-
fiU 0,loell", um trenieno:ssmo entargo; mat
a ira. Adeiayde consegua-o, econseguiu-o com
o maia completo xito. Alm disso, ht no cor-
rer do drsma tituagSai em que urna arliata ape-
nas talentosa naufragara irremiaslvelmente; taea
sao a acea muda representada por 'detrs do
biombo no trceiro acto o todo o ultimo acto. S
urna artista dotada por Deas com os msis eleva-
dos dons aa poderia executsr, como as execatoa
5 8* Ade,yae- Vence ella, pois, urna gran-
de batalba, e venceu-a completa e gloriosa-
mente.
O Sr. Amosdo, no papal de Mauricio Fosder,
desse allemio potico e enlhusiasta, maa honra-
do at ferocidade, moslrou-seo que ; um ar-
tista inminente, chelo de fogo e qae cultiva com
amor a arle que abragoa. Temo-lo' visto trum-
phar muitaa vesea; mai, creia-noi, nunca suba
tio alto como na Redempgo.
O publico recompenso* os esforgos desses dous
grandes artistas chamndolos acea rro fim do
terceiro e no flm do quinto acto.
O Sr. Reis estere verdaderamente maphiito-
phelico. A risadinha sinistn, que continuamen-
te lhe brincara noa labios deicoradot, (azia medo;
(o a encarnagio perfeita detsa horrivel persona-
gem, Wolfran Mstheas.
Os Srs. Heller, Pedro Joaquim, Tasques, Gra-
ga.... basta; oio diremoa maia oada a respeito
desses senhores ; pois estamos cansados de elo-
giar, e nio podemos com justica delsar do (aze-
lo, tratando delles na Redempgao.
Loa vamos al agora ; maa preciao que censu-
remos algama cousa, que o publico levado por
esse espirito maldoso das massas, lio incrdulo
quando ae elogia, eomocrente quando ae critica.
Mas o que censuraremos f Oscenario? Erimpoi-
sivel. O-luso e propriedade daa acenaa, exac-
tdao dpi caractarUlieos a doa esluarioa, e o nao
eiqueclmeDto de Deabuai deisea mil nadas a*
mu en seene a todoa admlroa.
Nunca drama algum fot sasim montado entra
nos.
A' vista diaso os nosso
aparea sio grandes :
nao acbamos menor censara a (azer, o qe ser-
vira para dar-nos esse ar deimparcialidade par-
vaque tanto encanta o beodos___ Ab I perdi,
j acbamos (elizmente alguma cousa a censurar;
oa intervallos foram ppr demai longos".
[Correio Mercantil, do Rio.)
0
Como promeltemos na ultima lleit nhq, vamso
apieseotar am esbogo biogrsphico lo eipao Eri-
csson, conforma ao le na excellenl)olira do cap-
to de mar a guerra da marinha n aaozt E. Paria,
Troi d ffctliet jropaltiM, qia lefia ser fami-
liar I todos oa notaos ofllcUee*, e quu entretanto
mu poucos coohecam.
O capillo Ericsson tuteo, e 411
rio no exarcito da saa nacjlo; porm residi mui-
tos annos na Inglaterra, onda ira consldsrado
como mecanice de grande ip.t5ll.gwna; o qae
revela o sea iaer.
Pedia sua patente em junho de 1836, e-no cur-
so deste anno, (ea numerosas ;x#arieacias ea
Londres com um btreo modelo d dona pos de
eomprimenlo (o";61) qua rarolteara i roda de
ama biela circular; o cajapeqaeaa mBM I r
morilla por vapor. Os resultados foram satisba-
tarios, e em 1837, um navio de lEm, 73 da eom-
primenlo, Sm, 44 de ponUl, o om, 91 calado d'a-
gua (ai onttruldo no Tamita, e denominado
Francti B. Qqiem; o qual (oi langado ao mar
em 19 de abril de 1837, e experimentado em 30
de agosto do meamo anno.
O resultado tornou-se muito notare!; porqoo
olla attlogia logo i noa relotidade de 10 milhat
por hora, e reboeou ama eicuna americana de
140 toneladas aom urna reloeldade do 7 milbi, o
o paquete meriuno Taranto cot a de 4 lit.
Estis experiencias se renovaram taquantemenle,
e Erictson convidou os lotds do almiranlade pira
examinar a marchada seu pequeo ntrio.
tidida por meio de raciocinios, o sim por enaaios.
Paraca que dasgostoso por isso Ericsson abando-
nou a Inglaterra, a tevou aua invongio pira a
America.
No invern da 1837 am barco do eanal, domi-
nado Novelty recebis um propulaox de Ericsson,
a navegou entre Mintheater Londres. Foi o
primoiro exemplo ds am navio a hlice, empre-
ado em um t\m commarcial,
Neata tempo Ericsson enlendeu-se com um o(-
fl Roben F. Stoohton, bornem de talento, de ener-
ga q da recataos, qua encantado peloa reaultadoa
d*-Ericsson, fez construir um navio, caja machina
era directamente articulada i hlice.
Algtimas palavras sobre a vida e
morte da JBxma. Sra. D. Joaquina
Tosepha de Figaeiredo, otTereel-
daao sea toconsolavel esposo o
Sr. Dr. Marcos Correa da Cmara
Tamarindo, e aos seas penalista-
dos paes os Exms. Srs. brlgadei-
ro Joaquina Bernardo de Figuei
redo e D. Isabel Joaquina de Fi-
goeiredo.
Maliar timens Dominum^ipta
laudatibur.
A mulher qua tem* ftanhor,
asa e a qae ser louvad..
Pror. cap. 31 v. 30..
A aentenga. de morte proferida por Deucentra
o nosso primeiro pae e aua descendencia, tem
sido, desde aquello momento (atal para o genero
humano, am motivo perenne de dor, da luto e de
pranto, que nio ceasar em quanto dorar o mun-
do. Memento homo quiu pulvis es, et in pulve-
rtm reverteri, diste o- Senhor; e estat terrivew
patarras., echoando ao mesmo tempo em todo01
ngulos da* ierra, resosm lncessantamente aos
ouvidos dos morties, como o som de urna trom-
beta (atal, que anouncia a inexorabilidade com
f srte, e a todos oi momentos, cbo-
ra-ae.neale vale de lagrimal, a aorta doa paes^>
dos Olhos, doa irmios, dos esposos a-des smigosfr
e feliz aquello que tem lampas para chorar,
nellas eda a paixio, que Iheeonsome a alma,.
que o balsamo da consolaco obra mais Offleat-
menle na dor qae o eme no pnnto.
etmo atibamos de presenciar ams
scenai, que m01 trisa a trale raa-
e haremoa dito; assisiindo na egre-
i* villa aa exequias da Exa. Sr/ D.
* Joiepha de Figueiredo, eipoia d'o Sr.
larcos Correa da Cmara Ttaarindo.quedei-
zaram nos impressionadoa do mais vivo sent-
ionio de son morte. m proprio nausolu er-
0 nssa vista, os cantos (unebres que re-
wavam aos nossos ouvidos, a magostado doa mi-
nistros sagrados, que prenda a nossa attengio,
' luto que vestiam as pessoss miit notsreis all
reunida!, ai nenias proferidas em sua memoria,
analmente todo o apparalo lgubre que se ma-
lpara aos nossos sentidos, e fallava-nos ao
solo, ludo annanciara o sea doloroso passa-
ot*aio..Poueas vezes em nossa vida temos soffri-
do os pungentes efleitos qua nesss occasiio ex-
perimentamos I E' que o nosso triste coragia
achava-se aob a pressao do duplo seotimenlo ds
morte de pessoa Uo distincta e rirtaoss, e das
recordagSBs dolorosu, que estas seenaa desper-
tam sempre na alma maguada do que aoflre.
Em quaolo algama hbil peana oio ae encar-
rega de deterever o quadro aompleto daa aecaf
rlrtaosat deala illuilre senhora.incumblmonoi da
tragar com o nono grosseiro pincel o esbogo de
alguns actos de aua vida, como prora do aprego
que laxemos de suas virtudes e amarais quaH-
dades.
Nascida na cidade do Heclfe aos 21 de deze ro-
bre de 1814 de amadas mais distinctas familias
da proviocia, e educada eom lodo o desvelo aob a
direcglo de seus amorosos paes, o Exms. Srs.
brigadeiroa Joaquim Bernardo de- Figueiredo e
D. Iaabel Joaquina de Figueiredo, esta virtuosa
aanhore, eoaprehendendo que a rirtade' o prin-
cipal adorno, e o meibor ltalo de nobreza de
urna donzella christla, esmeroa-se, desde os seas
mais verdea annos, em cultive -la, conformando
os seus actos com as prescripgdes da religo, e
tornando-se um modelo de virtudes, que fazram
aa delicias de sua familia.
Unindo sua sorte a de sea digno esposo em 25
de outuhro de 1861, seu noto estado, proporcio-
nino mais ampio desenrolrlmenlo aos excelen-
tes dotes de sea espirito, maio-r realce e expan-
sio deu s suas virtudes; pois aquella que, em
urna edade anteeipada, tinba aido na casa pater-
na um modelo daa donzellas, estar destinada,
abragando o estado conjugal, a ser mai tarde,
como foi o typo da esposa.
Sobando conciliar a nobreza de sao* alma- eleva-
da com a pratica das virtudes domesticar que sio
o apanagio da nalber perfeita, ella som- faltar ao
decoro de aua posiclo, e s conveniencias da so-
ciedade,- exercia dignamente as virtudes qae alo
maia apreciaveia naa pessoas de seu seso, eondi-
gio o estado. Era extremamente amarel pelas
bellas qualidades de espirito, polida edutagao e
umsaffabilfdadodeapida'de prsampglo egrio-
bx r moeata ata lodoa os aetaa-, ci-twa'au >muat
itentagio, indulgente aam deaprezo do prximo,
discreta e prudente aem orgulho e sem baixeia,
econmica sem deixar de despender o necessario',
aonsirel e terna aoa soffrimentos da humanidad-
de, quanto o poda aer am coracao boa formado.
Estas virtudes juntas a urna aareridade de eoslow
aes, pureza de senitmentos, brandara de carc-
ter, e docilidade do genio a constitulam am ente
perfeito.
Doue aeolimeo*oe porem viivelmonte pare-
ciam impreasionar mais alma deata virtuosa sa-
nhora t V o temor de Den e am aferr aos prin-
cipios e praticas d religo,. que lhe inspirara tio
louvavei virtudes* Bate aanto temor, tendo a
batila que diriga seu espirito, sea coragao e
todos os seus acto pelo eamioho proscripto no
Declogo, a tornara-digna de todo o louvor: Jf-
ier lime ni Dominum, ipsa laudabitw; t o
amor extremo de aeu esposo, objecto de seus des-
velos e caricias. Este amor idenliflcava tonto ea-
tes dout consortet que pareciam constituir ama
a pessoa. Nio necessario na sociedade cooju-
gal nem mais amor, nem mais harmona-do'que
se encontrara nestes dons esposos. Parece que a
semelbaoga de caracteres, de espiritos e de sen-
timentos que nelles havia. er desta (e-
ta uiau. o terno etpoao, em se delirio de fe-
licidad, ufanava-ae de poder dizer com o nosso
primeiro pae:Eis-sqai o- osso de maus aseos, e
a carue de minha carne.
Ella nio ignorara que rida rolante o pan 01a
do magistrado a obrigaria a sacrificios inauditos,
qua a sua delicada compleigio, e debela forgas
mal poderiam comportar. Mas o predilecto amor
de seu esposo lhe inspirou o dessjo de partilhsr,
como partilhou, de todos os seus iosommodos e
soffrimentos, sepuando-se de aua chara familia,
exponde-ae a longas e peniraia viagens pelo ia-^
terior de varias provincias, e residindo em laga-
res remotos e insalubres, aflm de proporcio-
Sir Charles Adam, deeano do almirantad Wlllam Symonds, entao luraayot, Sir Edirard
Parry, e o almirante Beaufort, e outrat (Mateas
de dittincgio, embtretram em SoameM9t-Hoaae
na chalupa do atmiranlado, qae (oi rebocada
pelo Francie B. 0ien com urna velocidade da
10 milhaa quasi por ora..
Apezar tiesta experiencia favorltel, o capillo
Eiicston, por inexplicaveit rtzoe, nenhuma anl-
opagio recebtu, e decltrou, emflm, qae o obsta-
calo provioha de qae Sir William Symonds jal-
gara qae um propulsqr collaeado i r, impedirla
de gorernar convenientemente.
Uma tal aupposigo era, i fardada, natural M-
qualla pota; todava nio pauara de-ma tup-
poHao, a temalnanta queetto oio derla ni de-
alli para a navegagio commercisl, e centenas de
navios alo hoja i hlice, e o typo Ericasonmnirer-
salmente seguido.
Seu procurador, o conde Adolpho F. de Rosen,
obteve por flm, em 1843, ama ordem do goreroo
(ranees para estabelecer am propulsor Ericsson i
bordo da. (ragata da 44 pegas, a Pomone, com
ama machina de 220 caralloa, collocada tambem
inteiramehte aob a flaataagio como no Prtn-
eston.
ans servigos prestados por
i.em diversas loajdades, como
juiz municipal, deorphaos.de-
e juiz de direilo interioo,- lio
areeeram ao governo do pal,
veram um despacho de accea-
a eootemplagio de poder rlfer
trt cdflla!, oa em comarca riilnha, onde eativet-
ae em contacto com ana familia, e gosaaie dos
commodee que lhe davam direilo aua nubada
conducta, Hluttragio e relevantes servigos. Mi-
sera e mesquinba no nosso paiz a sorte do ma-
giitrado honesto, T||fjbi sua tarrelra s tonta
com os propriosrecarsos.

A ultima peregrinago que o amor conjugal
lhe fez eaprebender, para acompanhireeu espo-
so, (oi dirigida i esta comarca, para onde esta
linha aido ltimamente despachado juit munici-
pal e de o Ss* Aqu chegou em marco de 1859,
e (o recebida Com todas as demoostrages de
sympathia, qaa inspirara as pessoss qae se schsm
as sass condigoes.
Em breve gaobou, com as bella qaslidades do
seu espirito e trato ameno, os corceos daa pes-
soas com quem relacionou-ae, fazeodo-se ese-
dora da grande eeU|m e consideragio, deque
sempre gotea, tanto nosta comarta, como- am to-
daa as mais para onde a aorte de sea marido a
levou. Km todoa partoprsiUhu o bem qur po'd,
dmwitj rdadttras attelges a (ez de mrito a
mahr-juswlpreciacao, manteado aatrettas ratf-
1 pessoas dignas de sus particular e-
tim, e tratando com bondad e benefleicencia
todos qee ptocuravsm abrigo en suas rirtades.
Mals da tres annos vi vea entre eos satiafelta
eom 'os bellos ares do sertio, nio soffreodo em
sos sade senlo alguns incomttode gstricos,
que nenhum reseio lhe inspiraran); e qasndo sa
dispunha, para em novembro prximo rsgreaaar
capital, e abtagir sau desrelador paos, no.
proposito de nunca msis os deixsr, r#o qvrar-a Di-
vina Providencia coSeoder-lbe, e i sua familia
eite prazer. Seos das estavam contador, o oio
era possirel oltrapassir o termo que lhe fora as-
signado : Conttituiiti terminus ejus, qrti pros*
teriri non polermt.
Accommetllda de ama poesmonla, qae penco
depois convertea-se em browchite, segando a
qualeigio do facultativo asstateote, e esgola-
dos intilmente es recurso trtattpentico do ln*
gar, rende aeu espirito ao Creador, ama hora
e cincoenfa minutes da manhia do- da 55 de
maio flndo, depoia de haver solicitado e> recebido
todo os soceorros da santa egreja; der qae foi
sempre predilecta fllha. Gonaerrou at ultima
hora a falla, os sentidos, a razio,- a urna adera-
rel presenga de espirito, d que se profvleeea
para animar e eoatolar a seu esposo, e ir ami-
gas que prutearam em torno do- leito de-dor.'
Sua candida olma, desprendendo-s darpri-
ses d corpo, tubiu a cu no malo dar preces e
orscee de dova ministros do Senhor qua astistl-
ram at oa ltimos momentos, a no meto da-
bengios e das lagrima daqueites que notla pera
desmame verdadeira amigaoaeloaa bemleitora.
E vos, rnconsolavel esposo, ocarinhosos paes,
a quem ostelaaentavei acooteefaenlo wbaer-
mi aarb da#r diam*-* acti70S
aoia'oa pezatnes, a ar sogunraga do acompanLar-
roa no justo lentlmeato qae lics vossos sensr-
rels corseos. A rote dor prefuwds. o rosto
sentimeolo ineomparaeel, porque- na escala dan
piixes humanas nio ha am sentimento egual a
que resulta da perda de orna Idolatrad* esposa e
querida fila. Por mais doloroso porta nao teja
este sentimanto, cumpre-noi lembrar que aomoa
chriitioi i que as virtudes da Ilustre finid 1, e
Oa conaolagei da religo en con Ira moa aa le-
nitivo a t&e pangante don A religo- iapon-
do-nos profundo respeito- aoa decreto A cea,
completa resigmgio i vontade de Deu, o plana
coofianga em aua divina bondad o misertmdie,
eniina-noa que a morte dos justos, aerado o torao
da vida, o principio de ama eternidade-glariosa.
Este preeeito atienta am am Mottmeato> uni-
versal, que eiti gravado no coragao de-todoa oa
homem. Por um tentizuento qae nio poeade-
finir, dizia Cicero, a minha alma, tomando- am
vio para a elernidade, parece nio doscobrir na
morte maia do que o principio da vida. A aoste,
dizia Pndaro, o reareno i verdadaita vid*. Se
. naa 6 am boa, dizia-o, conde de Segur, o anor-
ta- o aeu. frucio. Garsett dase: .
....." A morte s termo
Da vida,da exiilenta nao......
Descsocemos poi na eficacia deata verdades.
a a firma eonflanca de que aquella qu objec-
to- do nosso pranto s deixou o rnaoltorio mortal
qae a cingia, para receber no toa a cern da im-
mortalidade, que- sana rirtade lhe oonqaietaraa
pois a malhar temante a Dea a qaa ser loa -
rada oa ierre, e premiada no cu : Mulir ti-.
meni Dominum, ipta laudabitur.
Villa-Bella, S da junbo do 1862.
J- G. Lima,
Eiteafio foi experimentado em 1839 parante
muitos homens proflmionaet, e dea os maia sa-
tisfactorios resultados, rebocando com urna velo-
ddada de 5, 5 11* as, quatro grandes alrarengas
carregadas da atrio.
No flm desee mesmo aono o cepillo Ericsson
tornoa para a Amurica, e ah tem residido sem-
pre at hoje.
Pouco depois de sua chegids, ellecf oseguiu que
sua inrengio fosse adoptada pala marinha dos
Sitados Unidoi; e ao Prineeton recebeu maeM-
a linht d'agua, e primelraf deste lyttem que
forim construidas,
lSeu propalior tea sido geUimeat admiUido
Em 1844 o governo ingles enearregava o mes-
mo conda de (azar o mesmo na (regata Amphion;
de sorte qae as machinas destes done narios fo-
ram na Europa as primeiras situadas (ora do al-
cance dat balu, a ai primeiraa corlecadaa hor-
sontslmente e obrando directamentesobrs a h-
lice. ,
Os doas nrrlee satlsflzeram completsmenle^; e1
marche que se esperava era de cinco mtus, a
tirou-se sete ; (attenda-se que aa machinas erara
de mu pequea forg para ellea, e puramente
auxiliares.)
Isto decidla do destino do propulsor Ericsson,
que (oi geralmente adoptado antio na Frang.
Depois deata atete applieagoet e deseojbertaa
mecnicas, Ericsson ehamou a attengio publica
Quando ellas eram pomposamente annunciadaa
ao publico como substitutivas e machinas mo-
vidas palo vapor a'agua, o angenheiro civil Aris-
tide Vncent, em ana obra Cuide de commsndan.
des. navios vapeur ]a ptognottieava que en ama
ora decepcio atraz da qual ae corra ; e prora-
va, cora em calculo mu simples, quesera preci-
so oaze reres mais superficie exposta, ou onz
retes mais tempo e combuetivel para.facer o ar
abaorrera mesmsqasnlidsde de calor, quaabior-
ve a agua, de aorte qua, catando a (ote do ar e
dedo rapor na razio de l,35:t,a despesa para
at obter eran :: 11;1; cuitando eravtWfloltiva a
potencia mechanica do ar dilatado de oito vezet
mala de qae a do vapor d'agua, sem vantagemsl-
gamaem compensagio i-enrqae al difflcnl
e parigos no emprego deitan e nutra eram ideu-
ticia. .
iilem
lam menos ellos no homem qae som paree veranea
os faz, mallo saber, e um desojo vehemente da
sonquistejr novas (oigas da na taraza para a uso o
gozo das nagoes modernas, animada pee am im-
pulso de progresan irreaisUrel, e qae da da
tendera msis este griu de perfentfbilidade i
que prete fadada nga humana.
Quando todoa aa persuadiam que o capillo
Ericson se tinha daaanimado em aua porflosa tar-
reira, o visto qu nio se fallara em aan nome, eia
que da novo est o mudo cheio com elle por
causa d invengo oeste navio terrtf el. dotado de
tio poderoso meios a deetsulgio, de que aasaa-
mot ds fallar.
. Eia quam 4 o cepille Brieeaoa, porcujos riscoa
se 1 onstruiu o Jfenifor, eujo nome ser etarna-
mante celebre, d'ora a vantu aos aauaes mari.
timos.
1
saios, e de qn>e eiparavac
que todava nao correepondei
i ezpectatira polo que (onm 1
Nio obataatev axitlem muitaa raschioas. tendo
por motor o ar dilatado, entre outrn ida cata
da meada am Londree j mas nenhuma i bordo
de narios.
^aj^lle tirar proreito da poten-
re da dilatagio doa
ama machina calrica aobre
denominen Caorio Sphip, que
4 attaago pablita por algn
u completamente em esque-
que luirsetleroi eitsi eonloi, alo ioto
Sufjpomos qud os nossos leitotea nio terio
aonlido o tempo que perdaram para travar co-
ahecimento com um bornea em-cuja cabege le
aayla asaim a chamma sagrada 4o genio.
BihiaSTdemiio,
B. A.
[Continuarse ha.)
i


a?a
Pl&fl, IIP, DI ai, r,DI FAWA et FttBO, tfV


'w*,
iw
^-^


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ELHWJ5G5J_1RHI1L INGEST_TIME 2013-04-30T20:10:22Z PACKAGE AA00011611_09947
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES