Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:09946


This item is only available as the following downloads:


Full Text


'\
L
1110 XXXVil. IOUROI42
.r.:asfcltodM5,08
SABBDO 21 DE JuMo DE Itl2.
JICAUKEUAUUS A SUBSCKlf VA.U lo un*,
J*a,' o Sr. Antonio Alexandrino da Li-
as ; Natal, o Sr. Antonio Marquus di Silva ;
Arartyt o Sr. A. da Leaos Braga; Cear o Sr.
1. Jos da Oliveira$ Maraahio, o Sr. Joiqaim
Marquee Rodriguee; Par, MaooelPiaheiro 4
C; Amazonas, e gr. Jeronymo da Costa.
ENCARREGADO* DA SBSCBIPCAO DO 8DL
*'****** f. Ctodhi Palelo Din ; B.ht..
?.* 2 ll4,M A,TM : Rl de Jmeiro, o Sr-
joao re aira Martioi.
FMTE OFFICIAL
PARTIDAS DOS CUKREIOS.
Olinda todoa oa dias a* 9) hora do di*.
Igaarau, Goianna, a Pirahyba naa aegundas
a sextaa-teiras.
S. Antio, Beierroi, Bonito, Cantar, Altinho
a Garanhuns naa tergie-feirai.
Po d'Alho, Nazaretb. Limoairo, Breio, Pea-
qseira, Ingazeira, Fiorea, Vilia-Bella.Boa-Viaia,
Ouncary a Ex naa quanaa-feiras.
Cabo, Serinhiem, Rio Formoao, Una.Barreiroa
Agua Preta, Pimentelraa a Natal qaintaa eiraa.
IToaoa oa correto. P.rum .. iq horaa da roinhii)Segundo a 11 nona a 18 mnalo da uanhia.
EPHRMBRIDES DO MEZ DB JUNHO.
5 Quarto araacanta aoa 2 miaatos da mmhai,
12 La cheia aa 8 horaa a 33 niato da man.
18 Quario minvan( aoa 31 mintitoa da tarde;
26 La nova aa 3 horaa a 35 mino loa da tarda.
PREAMAR DB UOJE.
Prmeiro as 10 horas e 54 minatoa da larda.
AH11* u\Ji VA1-UKK8 UuSlttlHOS.
Pira a .ni /t Atgoai 5 20: para o norte
atl a Granja i 14 e 29 da aada mes.
riRTIDA I>08 OMNIBCS.
Para n-Raeife: do Apipwos s 61(2, 7, 7 1|2, 8
a.8 i|2 a a.; e Olinda a 8da m. a 6 da t.; de
Jaboat&o a 6 Ij2 da m.; do Caxang a Yarxia
** dm-i d* Btmfita s 8 da a.
i m *t! :. "r2 ^Weot < 3 1|2. 4,4 i|4.
4 ll2. 5, 5 li4, 5 1|2 a 6 da t.; para Olinda a 7
da o. a 8 1(2 da t.; pira Jaboatao a 4 da t.; para
o Cnsane e Tamo s 4 1|2 da I.: para BtmAca
aa 4 da t. w
60YERN0 DA PROVINCIA.
Expediente do da 19 delimite
- de 1H
Offlcio ao brgadeirocoumandsnte das armas.
Sirva-ae V. Eie. da expedir aa suai ordens,
aflm de qua aeja posta disposicao do subdele-
QO do aagaodo diatriclo da fregaezia da Boa-
?stt, urna praca da companhia de cavallaria at
gunda ordo, conforme eoiiiitea o Dr. chele
de polica oa offlcio deala data aob n. 972.
Communicou-ie ao Irafe de policia.
Dito ao meamo. Em vista do que inlorms
V.Exc. em offlcio dedo otrente, sob n.1202,
constato na asoma sonrrlco militar ao soldado
do quarto batalho de artllharia a p Joaquim
Jote Antones, aceilando-ee em seu logar para
completar o tempo de seu eogajamento.o paisano
Manoel Felippe da Hora, que fot considerado apto
para isio em inspec;io de sile, segundo o ter-
mo annexo ao eiUdo offlcio.
Dito ao inspector da thesouraria de fazenda.
Kestiluo V. S. o requerimenlo a qaa ae relere
aaua iolorma$ao de hontem, aob n. 550, aflm de
que mande pagar aoprimeiro cirnrgio do corpo
da aaude do oxercito Dr. Francieco Goncalves de
aV ."","lificacao de 15 diarios, a contar
oo l. at 17 da abril ultimo, tempo em que es-
tar elle incumbido do trataraeoto doa idigeu-
" ,ccmmettidoa do cholera aortas nacidade
de Olinda.
Dito ao meamo. Estando em termos o pret
junto em duplcate, mande V. S. pagar ao oego-
cianle Jos Joaquim Teixeira, ou pessoa por
elle autorisada. conforme aolicitou o chafa de
polica em ofBeio de hontem, Sob o. 961, a
quanlia de 349800 re., proveniente de etapes 'or-
nacidas pelo delegado do termo do Limoeiro ao
desertor do quarto batalho de artilharia a p
Joao Celestino da Silva, remeltido ao brigadeiro
commandante das armas em 12 do crrante mez.
Commuoicou-se ao chefe de policia.
Dito ao mismo. Altendendo so que expoz o
jniz da direito interino da comarca do Rio For-
moao em offlcio de 5 docorrente, recommendo
V. S. que mande pagar ao clrurgiio Manoel
i-ranciaco Pereira, oa pesaos por elle autorisa-
da, a qaaolia de 182$, como gratiflcaco pelos
amigos que prestou dorante a commissio de qae
foi incumbido pelo meamo julz de direito para ae
eocsrregir do tratamento dos desvalidos atacados
do cholera-morbus no segando dislricto da fre-
guezia de Una, a cootar de 16 al 29 de maio
prximo fiado, em que o juiz municipal do ter-
mo de Cimbree declara terofflciado ao delegado
de policia do Brejo, para demorar a ramessa para
esta capital, dos presos que te refera o outro
offleio do mesmo juiz de 31 da marco ultimo,
tambera junto por copla, conforme determinara
esta presideocia por causa da epidemia reinante,
2 .V2.,$e*?r de v- s- oi communicado em
data da23 de abril deate anno.
. Dito ao inspector* da thesouraria proviociel.
h* da0 '"'*:* informado dahoniem.
sob n. 348. recommendo V. S. que faca reco-
- mmv/ e deM* "eaoararia a quenUa de
<:tU# que para isso deixou o tbesoureiroda ex-
i^n dcalnratrajio do patrimonio dos orphos
Dr. Gabriel 8oara Kapoio daCsmara. em poder
de seu procurador nesta provincia Dr. Gabriel
Alcidea Rapozo da Cimera, devendo conservar
eaaa quantia em deposito at que o mesmo the-
aoureiro preate auas contas qnando voltar da
corte para ondeseguio a tomar aiseolo na cma-
ra dos Srs. deputados.
Dito ao meamo.Constando de informac.ao do
commandante do corpo de polica datada de
hoatem esob n. 264, que Jos Francisco de Pau-
la offerece a quantia de 30* pelas madeiraa pro-
venientes das tarimbsi qae foram ina alisadas
no qaartel daquella corpo, dava V. S. acceitar
esa ollerta despresando a de 20$ que fez Manoel
Vicente do Nascimento Viegas, segundo consta
da sau offlcio de 12 do corretesobn. 341, que
fita atsim respondido.
pito so meamo.Attendendo ao que requeren
o Dr. Felippe Nery Collaco. recommendo i V. S.
que renov com o aupplicaote sob as mesmas
condicoea a contrato por elle celebrado no anno
prximo passsdo para a impreaao dos orcamen-
tos e batneos dessa thesouraria, bem como do
relalorio do respectivo inspector com todos os
documentos que o acompaoharem.
Di lo ao director geral da ioatrucco publica.
De conformidade com a aua ioformacio de 11 do
corrente, aob o. 144, mande V. S. entregar ao
guardio de S. Francisco de Olinda rei JoSo Bap-
tiela do Espirito Ssnlo. o sea afllhado educando
do collegio dos orpbaos do Santa Thereza, da
oome Antonio Cyriaco Datra.
Dito ao meamo. Em vista de us informacio
de 14 do correte, aob n. 147, dada com refe-
reDC'a o director do collegij dos orphos,
mande V. S entregar a Antonio Joaquim de Al-
meida Gaedea Alcoforado, aa auss duts sobri-
nbu e tateladaa de nomos Francisca a Maris,
educandas diquelle collegio.
pito ao mesmo.Mande V. S. admittir no col-
legio dos orpbaos de Santa Tberezs, como edu-
cando, o menor de nome Jos Juvenal da Paz.
filho de Mana Rufina de Paz a Paiva, sobre que
versa a aaa informacio de 11 do corrate, sob
n. 145, e os papis qae devolvo.
Dilo ao director daa obrss publicas___Para qae
eu possa resolver circa da obra do cano de es-
gota para aa aguaa plaviaea eiiag nda.) na ras
dos Gaararspes ao aahir na praca do Chafariz, e
de que trata o oficio da cmara municipal do
le de 28 de favereiro ultimo, sob n. 24, so-
nre que versa a aai informacio n. 98 de 5 da
mata prximo flndo. faz-ae predio qe Vmc.
manda organizar e me remeta o orcamento des-
a obrs. ^
Dito ao Dr. Gervasio Campello Pires Ferreira.
Conatando de participado da secretaria de es-
tado dos negocios da Justina de 15 do mez passa-
do, qaa por decreto de 14 do mesmo mez S. H. o
imperador houve por bem ornear a Vmc. juiz de
direito da comarca do Principe Imperial na pro-
vnola do Piaaby : aaaim o cmmuoico a Vmc.
para aeu conhecimento e afim de que entre no
exorcicio do sea novo cargo no prazo de quatro
mezes, que psrs isso Ihe fizo. '
Dito.ao ageole fiscal da illuminaQao a gaz.
Compre que Vmc. indagando a causa de achar-ae
fia dias muito enfraquecida a iUstaioaco a gas
desta cidade, informe com oquetiver occorrido a
esse respeito, providenciando logo pelos ineios ao
seu alcance para qua cesse essa iofracco do res-
pectivo contrato.
Dito ao gerenta da companhia pernausbucana.
Podo Vmc fazer seguir para oa portn de seus
-------- -.,.* ......wr^w *j iyiraiiNin uva
diaa e horas indicados em sao offlcio de hontem.
Dilo ao Dr. Ignacio Nery.da Foosaia.Inteira-
JP,,(> eu offlcio da 16 do crranla da Utr Vmo.
dado per finda a aua commissao no 7* districto
da fregaezia S.nto Antonio, onde se scha ex-
tincta a epidemia do cholera-morbue, aguardo o
tnappa das pessou alli atacadas o fallecidas ; e
vaiendo-me d* opportunldade agradeco a Vmc.
S!L IliT i*,lsf gralaUameote prestou
em bam dos desvalidoi daaaella diatriclo.
de hoje datado leo inteirado de faaver Vmc. dei-
xado o exercioio do cargo de B* u h di da fre^
aezi. deS. Fr. Pedro Goocalva^Reoile wM
Ihe fa detarmnado aa aeu offl ciodeTc^55-
WU ao conselho sdminiatrsvo. Pro-,.-, 0
copMlbo adainislravo a compra doa ohwU
mencionados no pedido jantoToi qaaet aio .
cijos para ornecimeuto o aimoxarifedo do trae-
nal de nuriohi.
Portara.Para o conselho de julgamepto a que
vai ser aubmettido o guarda da aeccio urbana do
corpo de policia Honorato Jos Monteiro, pelo
tacto constante do incluso conselho de investiga-
do, nomeio.
. Preaideote.
Lapttao-fiacal-Joa Ferreira Teixeira.
Auditor.
Dr. promotor publicoFrancisco Leopoldino de
Gusmao Lobo.
Vogaes.
Tenente secretario Luiz Jeronymo Ignacio dos
Santos.
Tenante ajudntaJos Cunegandes da Silva.
Teuente quarlel-meatre Manoel Fernandes de
Albuquerque Mello.
AlferesAntonio MunizTivarea.
TenanteManoel Soarea d'Albergarla.
Dita.Os Srs. agen les da companhia braaileira
de paquetes a vapor mandem dar transporte psra
a corte por conta do ministerio da marinha ao 1
tenente da armada Jos Luiz Teixeira.
Dita".O Sr. gerente da companhia pernambu-
cana mande dartransporte at Macelo, no vapor
fersmunga, em lugares destinados a passageiros
de estado, ao Dr. Theodoro Machado Freir Pe-
reira da Silva, ebefe de policia de Sergipe, a aus
senhora e dous filhot.
AUDIENCIAS DOS 1'KiBUNAKS fQ CAPITAL.
Tribunal do commercio: segundas a quintas.
Ralacio: tarcaa a sabbados s 10 horas.
Fazenda : quintas a 10 horas.
Juizo do commercio : segundas ao meio dia.
Dito da orphloa: tiren a sextas a 10 horaa.
Primaira Tara do civil: tarcas a aitaaao meio
dia.
Segunda vara da eivel: q a ir tan sabbados l
hora da tarda.
Expediente do secretario do
govenio.
-Offlcio so coamaodinte das armas.S. Exc. o
Sr. presidente da proviocia manda declsrar a
^'iem re,D0,l!l M0 offlio o hontem, sob
n. 1,204, que nesta data semandou limpare con-
certar pelo arsenal de guerra o relogio da forta-
leza do Brum.
EDITAL
Secretaria do governo de Pernambaco 17 de
junho de 1861.
Pels secretaria do governo de aovo se convida
aos Srs. Francisco Corra da Silva e Mello e An-
tonio Pergeotinot Moreira de Souza, assim como
ao Sr. Jos Marta de Figoeirado, a mandare* pa-
gar o porte dos requarimentoi em que pedem os
offlcios de partidor, cootidor o distribuidor do
termo do Rio Formoao, afim de oa maamoa re-
quermenlos poderem seguir os sena destinos.
Joao Rodrigues Chives.
Despachos do dia 19 de junho.
Jcguertmentos.
Alexandre Ferreira dos Santos.leforme oSr.
commandante superior di guarda nacional desle
municipio.
Antonio Joaquim de Almeida Guedos Alcofo-
rado.Dirija-ae ao Sr. director geral interino da
inrtruc;ao publica.
Antonio Jos PimentalRemettido ao Sr. Dr.
juiz de direito interino da comarca do Rio For-
moao pars attender aosupplicaote nos termos do
aviao do mioisterio da iusiioa de 18 de iansro
desle aono.
Alexandrino Martins Correa Barros.Informe
o Sr. inspector da thesouraria provincial.
Clara Balbina doa Prazeres. Jante a auppli-
cante os documentos exigidos peios arta. 36 e 39
do regulamento de 28 de Janeiro de 1861.
C'iZ* Umtim de. M4gvet. SalMbea auppll-
cante o que exige o art. 39 do regulamento de 28,
de jaoeiro de t861.
Carlos Cyriaco Radien. Informe o Sr. com-
mandante auperior da guarda nacional deate mu-
nicipio.
Fausta Hermenegilda Pereira.A* vista da in-
formacao nao tem lugar.
Faustiniana Raymunda Torquata dos Prazeres.
Informe o Sr. director geral da loslrucco pu-
blica.
Guilherm Augusto da Silva. Informe o Sr.
Dr. juiz municipal da Ia vara.
Guardiio do convento de S. Francisco de Olin-
da. Dirija-se ao Sr. director geral interino da
instrucca publica.
Jos Vicente Lins.Informe o Sr. director dss
obrss publicas.
Manoel do Nascimento Luna. Informe o Sr.
commandante do presidio de Fernando.
Manoel Domiogoa de Sant'Anna. Informe o
Sr. director geral da instruegao publica.
Manoel Antonio de Souza.Informe o Sr. en-
genheiro director da repartico das obras pu-
blicas.
pectivo subdelegado, Manoel Antonio Francolino.
Saturnino Pereira doa Aojos, pardos, Adi, pre-
to, oaeravo de Ignacio Pereira do Valle, e Msnoel
Joaquim ds Costs, martimo, por briga, Isabil,
preta, liberta, por insultos, Silverio, preto, escra-
vo do Dr. Pessoa, por briga, e Firmino, preto.
eacravo, a requiaicao .dos seus senhores Bailar &
Oliveira.
No Io districto doa Afogadoa, foi nao s julga-
do improcedente, por falta de provea, o summa-
rio instaurado contra Antonio de Mello Albuquer-
que pelo crlma da ftrlmeatoa sommettidos na
pessoa de Mara Gomes da Silva, aenio tamben
foi preao o recolhido casa de detencio a ordem
do respectivo subdelegado, Miguel Verissimo de
Mello, tendo destino no dia segointe para chefa-
lan de policia.
No 2 districto dos Afogados, apenas foram pre-
sos a ordem do respectivo subdelegado e reco-
midos i casa de detencio, o pardo Antonio Tho-
miz AUes, por desordem, e Jos Francisco Mo-
reira, desertor do 4* batalho de artilharia a p
No districto do Poco da Panella, aomente foi
preso e recolhido i caaa de detencio, a ordem do
respectivo subdelegado, o pardo Joao Paulo, pelo
crime de ferimentos laves commattidos na pessoa
do pardo Manoel Francisco de Arroda, pelo que
se fez o competente aato da vaatoria.
Finalmente a delegada de policia do 1* dis-
lricto do termo do Recife, nao obstante ter feito
diversos interrogatorios sobre diveraoa factos cri-
minosos, prosegaio no processo instaurado contra
JoyiooCaroeiro Machsdo Rios, palo crime de es-
telionato, em consequencia da queixa dsda por
Lino de Parias, concluio a diligencia requerida
pelo machtnista da via frrea Jamea Harveyson,
tendo feito prender e recolher casa de detencio
a aua ordem ; Loaren;o, eacravo qae diz ser de
Jos Manoel de Barro* Wanderley, por andar f-
gido, Manoel, eacravo de Joaquim Francisco de
Mallo Santos, Vicente e Jos, pretos, escravos de
Jos ds Cunhs Guimaries, Joio Baptista, eacravo
de Manoal Goncalves, Cmdido, eacravo de Joao
Maris, e Pedro, escravo de HireoHno Dentellas
da Cmara, Angelo, eacravo de Isabel daa Chagas,
Amando, escravo de Cesar de tal, Constantino,
eacravo de Manoel Ferreira, e Eliaa, eacravo de
Manoel Goncalves da Silva, por terca sido encon-
trados depoia do toque de recolher, Francisco
Jos Marques, psra recruta, Francisco de Paula
Carneiro, Theolonio Jos de Carralho e Antonio
Jos Tavares, por insolencias.
Tenho concluido, deixando porm de fallar noa
demais districtos, sob minha jurisdiccio, visto
aellas no ter oecorrido novidade alguma, pelas
commantcacoes que recebi dos sabdelegtdos.
Deus gusrde a V. S. Illm. Sr. Dr. Crloa|de
Cerqueira Pinto, muito digno juiz de direito e
chefe de policia interino da provincia-.
O delegado suppleote,
i ot Antonio Cor rea d Silva.
PERNIMBUCO.
Commando das armas.
Quar tel-general do commando das
armas Je Pernambaco na cida-
de do Recife em 19 de junho de
1805.
ORDEM DO DIA N. 98.
O general commandante dss armas faz publi-
co, para conhecimento da guarnicio e devido ef-
feito, que nesta data precedendo inapeccao de
sauie, cootratoa nos termos da imperial proviaSo
de 11 de jsneiro de 1853 para aervir por tres an-
nos na banda de msica do 4o batalho de arti-
'naria a p, o muaico paisano Manoel Escoci do
Nascimento, que j tendo servido como msico
del* classe no dilo batalho o lempo marcado
por lei, perceber o premio de 200, pagos se-
gundo o disposto no regulamento do Io de maio
de 1858.
Faz publico outro sia, que oo dia 17 do cor-
rente contrahio novoengsjamento para servir por
mala aeis annos nos termos do dito regulamento,
o soldado da 8a companhia do 2* batalho de in-
famara Manoel Pereira de Lyra, segundo cons-
tou de officio do respectivo Sr. commandante da-
tado do referido dia. sob n. 493.
A8sigoado.So/idonio/o* Antonio Perra do
Lago.
Conforme. Jos Francisco Coelho, capito
sjadante de ordena encarregado do detalhe.
Repartico da policia.
Delegada de polica do primeiro
districto do termo do Recite, 12
de junho de 1362.
Illm. Sr. Submelto considerado de V. S.
os criaos e factos policiaea, occorridos na semi-
na anterior, no districto de mioba jurisdiccio, em
yirtude de ama ordem que oi copiada pela che-
fatura de policia.
No dislricto de S. Jos, foram cresos o reco-
midos casa de detencio a ordem do respectivo
subdelegado. Luiz Ferreira de Franca, Manoel
Inoocencio Pereira Cardoso, pardos, marceoeiros,
por briga, Mara da Assampcio dos Prazeres,
preta, fateua, por ferimentos leves, Antonia de
tal, parda, costureire, Joio de Souza
ASSEMBLA LEGISLATIVA PROVINCIAL-
SESSO ORDINARIA EM 16 DE JUNHO.
Presidencia do Sr. Bario da Vera Cruz.
A 1 1/2 hora da Urde, aberta a aeaso, ap-
provada acta da anterior.
O Sr. 1* secretario di conla do segointe
EXPEDIENTE.
Um officio do secretario da proviocia remet-
iendo os autographos das lila ns. 531,532 e 533.
que forem asnecionsdss pelo Exm. presidente ds
provincia.A archivar.
Sao lidas as redaccoes dos projectos n. 14, do
projecto que approva aa postaras da cmara do
Rio Formoao, e do que concede isenjio do im-
posto da decima para aa casas da compsnbia qae
encorporar F. M. Duprat.
E' Iido e rejeitado aa parecer da commissao
de saude publica, mandando pera o presidente
tomsr conhecimento da peticio, que a esta casa
dirigi o pharmaceutico Jos da Rocha l'aranhos.
ORDEM DO DIA.
1" Pte.
Entra em discassio e anprorada a emenda,
qua ficra empatada na sessao anterior, do aug-
mento quota para expediente do secretario do
presidente, aendo dispensado o iotersticio do pro-
jecto a requerimenlo do Sr. Souza Reis.
2" discussio do projecto que approva diveraoa
crditos supplsmentares aberloa pelo governo.
E approvado com aa aeguintea emendas, offe-
recdss pelo Sr. Feneloo, o qual pede dispensa
do intersticio para o projecto.
Accreicente-ie :.
6 Promotores fisca&s ,
| 7 Colleciores......
8 Escrivies.......
9 9 Empregadoi do consulado .
10 Agentes de bebidas espiri-
tuosas ....
4831920
2:32O180
134GR446
4:612*249
psra aa freguezlee da cidade, ven-
cendo cada um 500#.....
5 Cemrterio publico.
? Ordenado do administrador
dem do cspellio. inclusive o
gaisamento da oapella.....
dem do aacristSo ; .
dem do porteiro ,
dem do jirdieneiro.....
dem de doos guardas, veneendo
cada um 600*........
Venctmentoe de quatro coveiros
8 ***'r?eD*w, inclusive roupa,
aostesto e curativo de tres africanos
li'ree, veneendo es prmerros 1600
diarios, e os segundos 19160. A sa-
mara municipal poder elevar o nu -
mero tos covairoa o dos serventes
nos casos ezkaordtaaros .
5. Aluguel do paco da cmara
Expediente eimpresses, inclusi-
ve ae do cemilerio publico, o qual
ser oroecido pela cmara .
Jury e eleices......
Cusas em que condemada a mu-
nicipalidade ........
Negocios jadiciaes tentados pela
cmara..........
Liapeza de raaa e pracis .
Concert de predios.....
6. Cootinuacio da obra do ma-
ladouro publico, devendo a cmara
dsr preferencia ao acabamonlo por
arrematacio, depoia de approvado o
plano e ornamento pelo presidente
da provincia........
Desspropriaces : inclusive a da
casa da ra do Raogel, cojo con-
trato aa acha effectuado, e bem as-
sim da cssa da ra de tre da ma-
triz de Ros-Vista, qae impede a
communicscio com a ra da Alegra
Mea dos terrenos necessarios
P* a conatruccio d'um mercado
publico, no lagsrque a cmara jal-
gr aais conveniente, para um pes-
seio psblico, dando principio ditas
obras, depoia de approva dos os pla-
nos o ornamentos pelo presidenta
da provincia,, podando despender
at a quantia de 3605 com o levan-
tamento daa plantas e orgaoisscio
dos respectivos ornamentos .
_ 7. Para dar principio i edifiea-
co do pago da cmara, segundo o
plano ji approvado.....
8. Com a concluaio das obras
dos cemiterios de S. Loarenco e do
Pojo da Panella......" .
9. Planto d'arvores frondosas
as rase largas e pracu da cidade,
he do terreno, irrigacaO e con-
"Sie.........
Evantaaes edividaa passivas
DAS >a SEMANA.
16 Segunda. S. Jlo FraociscoIReiris.
20 Sext ^aftSK d* D6M ; S' ,oMM-
m aexia. &. Silverio p. m. s. Pmitmt*
21 Ssbbado. S. Luiz GonzeVa- S iSrSSk h .
22 Domingo. S. P.ulino "& KiJtl *' "*
ASSIGNA-SE
no Recife, em a livrarta da praca da Indeaan-
2:0009000
2:000000
9809000
3609000
6008000
4809000
1:2009000
3:800*000
8O0J000
1:1109000
2.4009000
3:000900o
7009000
2:0001000
1:0009000
6:1009000
9.000S0O0
33:0009000
12:0009000
2:5009000
4:0001000
6:5009000
e apoiam-se as seguintes emen-
Vio i mesa
daa :
Emenda aabstitativa do ultimo membro do 4*
do aaaQfet
Veosuisnto de trsbslhadores psra o enterra,
ostsjfo i asseio do cemilerio, inclusivo roupa-
auiunto cur*tiro de tros africanos HvrO.
Agalar.Lacena.Buarque.
Substitutivo ao altimo membro do 3* :
Coa doze guardas Aseses psra as freguezias
desta cidade, veneendo cada um 5009 rs.6:0001.
Augusto Leo.
Substitutivo ao6" art. 2 :
Coa o aatsdouro publico, sendo a obra (eita
por arrematado, depoia de oreada de novo e ap-
provada pelo presidente da provincia 6.0003.
Lucena.
O Sr. Coelho Cintra :Sr. presidente, sinto-
me abatido pelo peso da molestia que ae oppri-
me ha dias ; s o iaperioso dever qae ae trsz
hoje aqu, coa bastante sacrificio. V. Exc. per-
aitte que eu falle sentado ?
O Sr. Presidente faz slgnal afflraativo.
O Sr. Coelho Cintra :Voto cootra a emenda
do Sr. presidente, por ioatil e prejudicial. Vou
entrar coa bastante desaniao no debate do pare-
cer da commissao que ae discute, ns quslidade
de seu relator. Firme e ioabslavel cooviccao
acta no meu dbil espirito ; a commissao est
s.... d unidade.
O Sr. Rsrros Rarreto:Nio apoiado.
O Sr. Coelho Cintra :E V. Exc. aabe que por
maja eifor$oa que fa;a para ae reproduzir, i uni-
dade muliiplicando-ae por si mesmo, sempre dar
em resollido a unidade.
_ Eugenio,
----------z~: '-----~" "" ~" *"" pardo, carploa, por brisa, e Jos Pedro de Mo-
doetisoa os vaporea Parsvnonoa e Iguarast* nos raea. branco, aem proBaaao, por insultos.
dus e horaa indicados a u n0 diitricl0 de Sinl0 Aoi0^0t a|'4e qti|rf
testeauabis ioqaeridas no processo iostaarado
coaira o reo afflancado Jos Marlios ds Silva pelo
crime de ferimentos leves, ioqairiram-se tembem
dass leetemunhas oo processo instsurado contra
o soldado do 9 batalbio de infantera Joaquim
Jos deSant'Anos Sibir, polos crimes de feri-
mentoa leves e tentativa de estelionato ; foi mul-
tado Flavio da Silva, dono de aa botequim de
ras das Aguss Verdes, por iofracco do art. 1*
til. 11 daa poilurss municipios de 80de junho de
1349, tendo alm disao eido presos e reoeihidee i
casa de detencio, a ordem dessa juizo, Andrd
Sreino Tbemoloo da Silva, pedrero, Franelaco
ires de Mendonca, boleeiro, Ignacio Gomes de
Meoeses, pardos, Msnoel doa Santos Costa, ear-
roaeiro, Frincelino dos Ssatos Araujo, artistas, e
Antonio Thomaz Ribeiro, artista, trancos, para
recrotas.
No districto do Recife, apenas foram presoe e
comidos cu* de ditensao, (rreai o tea.
2409769
_ ., Fenelon.
Continuando a discussio adiada aobre o reque-
rimenlo do Sr. Lucena acerca dos negocios da
estrada de Tamandar, o 8r. Souza Reis requer
urgencia para entrar logo em discussio os pro-
jectos de orcamento municipal o de exeraicios
lindos.
2 discassio do projecto de exercicios fiados.
n approvado sem debate, e diapenssdo o in-
t? j re1"erimento do Sr. Souza Rea.
2 discassio do projecto n. 31 deste anno, qae
xa a despeza e orea a receita das cmaras da
provincia
Art. 1\ A despeza da cmara municipal da
provincia, psra o anno Onanceiro de 1861 a 1861
oreada em 180:677J000. '
Fica adiado.
Ai1, 2' A camar" municipal do Recife auto-
nssda a dispender, coa os objeclos designados
12ft00O0PhO, 8egUi0le,, qtt"H" de........
1' Venciuentos do secretario,
sendo 1:4005 e 6009 de grslifieacio
Idea do offlcial-malor, aendo
9009 de ordenado e 4002 de gra-
licacio.........
dem de 4 amanuenses, sendo
6009 de ordenado para cada na e
4009 de gratificado "
dem do correio e continuo, sen-
do 4009 de ordenado e 2009 de gra-
tiflcaco.........
2o Porcenlsgem do procarador,
4 |0 de toda a renda qae arrecadar
Veocimentos de contsdor, sendo
900$ de ordenado e 4009 de grati-
flcaQo .........
3" Ordenado do advogado .
dem do aolliciiador .
dem do porteiro judicial .
dem de quatro fiscaes; tendo ca-
da a a 6009 de ordenado e 4009 de
gratiflcaco, que ser percebida pe-
lo supplente em exercico .
Ideo do administrador do mata-
d0" .... i
dem dos fiscaes daa fregtezias
do Poco a Afogados, aendo 4509 de
ordenado a cada um e 2509 de gra-
tificasio, que ser percebida pelo
supplente em exercico ....
v Idea dos fiseaei de Jaboatao,
Varzea, S. Loureoco e Muribeca,
loado cada nm 2409 .....
Ordenado do cirnrgo da cssa de
^tonci*.........
dem do engenheiro cordeador,
sendo 19400 de ordenado 0 600 de
gratifleajio ; ....:. .
Man ie qaatto gMiOM KMI,
2OO0S0O0
1:3009000
4.0009000
6001000
3:960900fr
1:3009000
5009000
3508000
2009000
4:0009000
6009000
1:4009000
9609000
1:2009000
2:0009000
Nio obstante esta ingenua' confissio, vou dar
as necessariaa eiplicicoes a esclsrecimentos em
ordem a justificar o procedimento da commissao
oa ardua tarefa de qae foi encarregada.
An|ea porem de o fazer, permita V. Exc. que
eu declare com toda franqueza, qae a commis-
sao nio se desvanece de haver apresentado am
trabalho, isento de toda duvida a reparo, digno
de ser approvado por eata casa, aem a menor im-
pagoacio. Seas erros e tacanas eerism em me-
nor escala, se por ventura a commissao dispuzes-
se de maior espago de tempo, a outra fosse a ca-
pacidade e hsbilitacoes de seus memoros ( nio
apoiados ).
A commissao Sr. presidente est prompta a
aceitar emendas tendentes a desafrontar aioda
maia o prodacto da receita das cimarae aunisl-
paei, imprlmindo-lhea assim o verdadeiroe til
impulso, psra qae easaa corporales posssm ca-
minhar desassombradaa pela estrada doa me-
Ihoraaentoa pblicos, livre de torpecos ( auto
bem ).
Se pelo contrario, a emenda for para augmen-
tar a despeza, como a qae ae apieaenta, a com-
missao deseja ser convencida de seu erro psra
que possa aceita-la ou enlio negar-o seu apoio.
Disse Sr. presidente,|que a emenda era intil e
prejudicial ; e na verdade. Intil porque a com-
missio na verba designada no projecto de orea-
meato, que marca o numero de trabalhadores do
cemilerio, apreseota o nocessaro correctivo, por
isso que autoras a cmara s elevar o numero lo-
daa aa vezes que julgsr conveoienti ; lato em
casos extraordinarios ; prejudicial, porque a per-
manencia que a emenda quer no numero d'esses
Irabalhidoras trsz consigo um augmento de des-
peza desnecessaris.
Com relacio a emenda de qae se trata, nada
menos importa do qae a eflecliridade da um nu-
mero de trabalhadorea existente at aqu a ra;da
inspeco da cmara {uuniclpal. Qaanto a ala
Sr. presidente, a caaara a mais competente
para coohecer da necassidsde do augmento ou
diminuicio do numero de coveiros e de serven-
tes, por tanto deanecessarlo se torna essa per-
manencia estabelecida na emenda.
(Ha am aparte.)
O Sr. Fenelon :Permanencia quer a commis-
sao, consignando o numero de trabalhadorea que
deve haver.
O Sr. Coelho Cintra :Mas approvado que seje
o projecto hoje, e convertido em lei, amiohia a
cmara municipal podo aagmentar o numero de
trabalhadorea, ae assim julgar conveniente, o
que aa nio di com o qae quer a emenda.
Ha um aparte ].
O Sr. Coelho Cintra :Eolio se aaaim vola o
nobre deputado pelo artigo do projecto.
Um Sr. Deputado :Eu voto pelo pedido da
cmara, porque olla fez o calculo quando pe-
dio ees numero.
(ta um aparte).
O Sr. Presidente :Por eata forma o orador
nio pode continuar: alteoQio.
O Sr. Coelho Cintra :-Iusiato qne intil a v
emende, por isso qae no projecto existe o cor-1 das fra
1 recilTO qe commino ejta.be.lec.eu, tutorUudo [ Poican
a cmara pan augmentar o numero de trabalha-
dores, em casos extrsordinsrios, sem se dsr o
inconveniente de am augmento de despeza ex-
cesaiva.
O 8r. Aguiar :Nio ha permanencia porque o
regulamento da cmara previo isto qae quer a
nobre commissio.
O Sr. Coelho Cintrs :Como nio ha permanen-
cia ae existe a quota marcads em relscio a effec-
tividsde do numero ?
O Sr. Feoelon :Era necessaro orgar-se.
O Sr. Coelho Cintra :Sr. presidente nada disto
me sorprehende, eu j sotevis ludo qusnto estou
vendo a respeito dos corles e de outras ilumina-
Cdes que a commissio prope no projecto que se
discute.
Sr. presidente, eu estou intimamente conven-
cido, e a casi ha de concordar comigo, o quanto
difflcil destruir abusos e prejuizos, s priucipio
consagrados pels ignorancia, depois encorajados
pela longa pratics no decurso do tempo, e mais
larde protegidos e amparados pela fon;a irresisti-
vel de interesses privados, que bastante custa de-
ssrreigar-se (apoiados ).
Me parece que a commissio assim procedeodo
nio offendeu as prerogitivas da cimera munici-
pal, e menos ainda poz em duvida os servaos do
actual administrador do cemite'rio.
O Sr. Fenelon :A questao com a cmara
municipal.
O Sr. Coelho Cintra :Somos por ventura obrl-
gados a aatisfizer todos os pedidos da municipa-
lidade ? Nao nos cabe o direito de apreca-los,
redozi-los, ou tapprimi-los at ? Seremos nos
por ventura a chancellara da cmara municipal ?
O Sr. Souza Reis,:Nio senhor.
OSr. Coelho Cintra:Pode-ae ainda admittir
algum pequeo augmento no numero de serven-
tea, ou at meamo aatisfazer-se ao numero
proposto pela emenda, mas, respeito aoa covei-
ros, nio, nio possivel. O honrado deputado
sabe que a mortalidade media, regula de 6 a 8
pesioas por dia, aabe tambem, que s se enterra
no chao, soldado, negro cativo e algam indigente,
todos os mais vio para catacumbas, assim tenham
deixado alguma cousa, por pouco queseja ; aioda
mesmo oa pobrea encontram sempre, um com-
padre, um protector que Ibes di para o enterro
do smigo ou do prente, fica por tanto assim re-
duztdq o numero de covas a 2 oa 3 por dia, isto
, menos de meio defunto para cada um coviiro
(riso ) : acrisce ainda Sr; presidente que esse
servico se faz com sarama facilidade e rapidez,
attento a natureza do terreno, que todo arenoso.
Ora suppoohimos que por fatalidade, altera-
da a salubridad! publica, creacendo o numero de
bitos, o que Dos tal nao permuta ; nada mais
fcil do qae a cmara elevar o numero a 6, 8, ou
10, segundo entender.
O Sr. Souza Beis:Que s prerogatlra da cmara
garntese com isto no ha duvida.
(Us um aparte.)
O Sr. Coelho Cintra :Oh I meas senhores I
consome-se toda quanlia ; ama vez decretada,
trat-se logo de consumi-ls.
Um Sr. Deputsde :Euoo fago este juizo da
cmara.
O Sr. Coelho Cintra :Eu j Uve a diatincta
honra de oceupar por 8 annoauma dascadeiraa, e
sei como aii ao pralica.
O Sr. Aguiar :>' mi censura qae faz a c-
mara.
O Sr. Coelho Cintra:Nio irrogo tal censara,
longe de mim semelhante pensamento, entre va-
rios amigos que cont ni manleipalidade, aei que
est a frente d'easa corporacio am cidadio cujo
carcter nobre e elevado muilo aprecio, e nio
menos confio em seu zelo e probidade.
O Sr. Buarqae :Enlao vi confiando tambem
nisio.
O Sr. Coelho Cintra :A* vista d'estas ligelras
considerscoss, torno a declarar que, voto contra
a emenda por intil e prejudicial.
O Sr. Lucena :( Nio devolveu sea discurso ).
O Sr. C. Cintra :Sr. presidente, voto contra a
emenda qae augmenta o numero doa guardia
municipaes, porque conaidero urna ioulilidsde
perfeita ; o servico que fazem eases guardas, nio
corresponde com a despeza crescids, que com
elles despende a camera municipal.
O Sr. Lucens :Apoiado.
O Sr. C. Cintra:Os guardas municipaes no
fazem mais do que encorajar a indolencia dos As-
eses.
O Sr. Witrovio:Apoiado.
O Sr. C. Ciotra :Quando confeccinelo projec-
to, julguei de dever e entend ser necessaro di-
minuir o numero desses gusrdas, ouvi previa-
mente, alguna dos exactores da cmara, e bem
assim ao sea digno presidente, e de accordo com
esse cavalleiro desigaei someote no projecto o
numero de 4 psra acompanhar os fiscaes oas de-
ligencias, o que sinda assim ao entender da com-
missio, pode-se considerar ama inutilidade. Se
o fiscal as deltgencias que faz, precisa do auxi-
lio de forga publica, ahi tem o corpo de policia,
que sempre prestou-se a essa servico, e a quem
os flscaea devem recorrer no caso de necesaida-
de: este mutuo auxilio de dever de toda auto-
ridad e constituida (apoiados).
O Sr. Feneloo:Nio s psra isto, para
velarem na execugo das posturss municipaes.
O Sr. C. Cintra :Isto compete aoa flscaea, e
Deus nos livre, que os gusrdas entrem de parte-
ra no exercico de taes funecoes.
De msis, senhores, quem nio observa, quem
nio v quando trsnsita pelas raas da capital es-
ses guardas, obstroiodo as vendas e aa calcadas,
sem nada fazerem oa providenciaren!, porque a
tanto nio chega seas poderse ? Quaes sio os ser-
vicos que elles fszem ? dizei-me I
O Sr. Lucens :E' ama perfeita inutilidade.
O Sr. C. Cintra :A cmara neceasariamsnle hs
de emprehendec varias obras pode com proveito
linear mi dos que torea despedidos e julgsdos
habis para oa empragsr como feitores, j que
osempenhos, rogse pedidos,.faz coa que msi-
ta medid ulil deixe de aer approvada aim, dar-
Ihei aaa occapacio qualquer porque Sr. presi-
dente, taea guardas, parece, que al alo conside-
rados como eapregados pblicos, oblea liceocas
com ordenado etc.
O Sr. Barros Rarreto :Breve esli sendo
aposentsdoa.
O Sr. C. Cintra rSe acaso a emenda elevasae o
numero designado no projecto a 6, aioda ao> po-
dida votar por ella, por mera condescendencia
mis 12 como se pede, nio posso admittir, nao,
nio possivel acho muito exoesstvo o numero de
12, cuje despeza monta a 6 conloa de reis, e em
pura parda dos cofres municipaes. Concluo de-
clarando de novo, que voto contra a emenda
que se discute, tenho toda cooviccao no que
acabo de expor, ninguem me contialar com
vantsgem a inutilidade de 12 guardas muniei-
paea.
O Sr. Luiz Felippe diz que prestando toda a
cootiderscio aos pedidos feitos pela cmara mu-
nucipal, a mais competente psra.ajqixar de suas
oecessidades, est disposto a votar pela emenda.
que atiendo ao pedido da cmara, pelo menos
emqusnto bao for convencido da Inutilidade da
medida propoats.
Encerrada a discussio o artigo ippmiAo
com aa emendae.
Arl. 3" A cmara municipal da
cidade de Olinda autorisada a dea-
pender, coa os objectos doaigoadoa
de todas ss rendas qne arrecadar..
Ordenados do fiscal das daaa fre-
guezias da cidade.....
dem de Beberibe. 1 '.
dem de Para ti be. e do2* destric-
JS*M"""sTMfi 'endo cada um
dusouu ..........
Adfgdo.....: .
Espediente........
i 2 Cuslss de proceesos em qu
eondemnada a muoicipalidade. .
Luz e agua para a$ prisdes. .
Jury e eleicdss.......
Concert de predios, obraa, cal-
amento e limpeza daa ruaa, planto,
atnaoho e cooserac3o d'arvoredos
as prgis e russ largas ....
Evsntuaea o impressoes. .
3 Ao administrador do cemite-
ri ...........
Loveiro e aerveotes.....
Eventuaec .......
E spprovado aem debato.
n rl" A can,ara municipal da
Jllls de Iguarass autorisada a
despender, com os abjectos designa-
dos nos piragraphoa aeguintea, a
quanlia de 3.970SD00.
f 1 Ordenado do secretario. .
dem d um guarda que aarvir da
Porteiro.....*.....
dem d'um ajudaote do porteiro.
dem do advogado .
dem da dous flscaea, percebendo
odaviil, 2008000 e o de Itamsrac
^gP00 .........
forcenlagem ao procurador daa
quantias que arracadar, nio perce-
bendo menos de 2009000. .
2* Jury e eleices.....
Cusas de procissos criminaes, fi-
cando aatorisads a cmara a pagar
ao escrivo Luiz Francisco Bandeira
de Mello, e ao Dr. Msnoel Izidro de
Miranda o que ae Ihe eativer a de-
ver de costas da protessos crimes,
depois de legalisadoa ......
Espediente.....: .
Agus e luz para a cadeia: .
Obras, estamento e limpeza de
ru" ..........
Eventuaes ........
7139840'
4509000
1109000
12OJ00O
4x09000
1209000
6609000
5O9000
2509000
2:8209000-
4009000
6009000
4679000
2979160
9:0439000
40090000
1509000
8O9OOO
2509000
2909000
2389000
1009000
2009000'
6O9OOO
309000
1:9129000
I6O9OOO
3:9709000
Miranda e
Vio a mesa as seguintes emendas :
Ao 2o acressente-se e depois de
bem assim ao eacrivio de delegada.Cintra
Veiga PeaosWitrovio.
Cemilerio publico.Fenelon.
O Sr. Cstsnho:(Nio devolveu seu discurso.)
Encerrada a discussio 4 o artigo approvado
com as emendas.
Art. 5. A csmsra municipal da Goianna au-
torisada a despender coa os objectos designados
n s:7o7g. ,
Ll. Ordenado do secretario. .
em do porteiro......
dem do ajadanta do dilo ;
dem do fiscal, sendo 1509 de or-
denado e outro tanto de gratifica-
Cao, que ser percebids pelo sup-
pleule em exercico......
Venclmenlo do procarador, 6
por cento .de toda a renda que ar-
cadar........ .
dem do cirurgio da partido. .
dem do advogado......
dem.do repesador do acoague .
dem do administrador do mat-
douro .....
Sai ..i***
2. Jury e eleices.....
Expediente. ;......
Cusas de proceesos crimneos .
Alugueis de casa oceupadas pela
cmara e foros .......
Agua e luz para a cadeia I .
E'onlM........
Obras concert de ras e limpe-
zas das mesmas ......
8OO9OOO
3009000
1009000
3OO9OOO
2889000
5009000
4009000
509000
509000
609000
I8O9OOO
3009000
2699000
2692000
925fU00
4605900O
8:7870Q0
Vio s mesa as aeguintea emendae :
Substitutivo do penltimo membro do 9 Io do
*n. o.
Ao repasador do acougue 10O9OOO.Souza
Ke'-rAguiar.Goianoa.Augaito Lelo.
Ao 2. do art. 5. onde dizcuitas de procs-
eos cnmlosesacreacente-ae, fleaodo autorisada
a pagar ao actual eacrivio do jury o que aa lho
eitiver a dever de cuataa de processoa decebidos.
oiaona Lucena.
Encerrada a discussio o artigo approvado -
com as emendas.
Art. 6. A cmara municipal da cidade de Na- -
zarelh autorisada a despender, com os os ob-
jectos designados nos paragraphos seguintes, a _
quantia de 3:2035.
9 1. Ordenado do secretario. .
dem do porteiro......
dem do continuo, que servir
de ajudaote do porteiro.....
dem do fiscal da cidade. .' .
dem dos fiscaes das freguezias
dem do advogado .....
dem do encarregado do repeso.
Vencimentos do procurador, 6
por cento das quantias que arre-
cadar ..........
I 2. Expediente.......
Cuatas de procesaos criminaes .
Jury e eleicoee ......
Agua e luz para a endita .
Obras, coocerto de mas o compra
de objectos para o acoague. .
Eventuaes e dividas passivas. .
3509000
IOO9OOO
1009000
1009000
509000
IOO9OOO
1009000
m>s,paragr
tia da re
11* O
Idea
dem
que serv
aeguintea a qaan-
1
secretario....
ie do porteiro,
iv.io, naa cotil-
lo protaridor, i /,
8OO9000
4509000
2O0JO00
1908000
309OOO
5009000
1009000
200900
45O9OOO-
8339U00-
2J03900Q
Vio s meee as seguintes emesdas :~~
Ao art. 6 g 1. am lagar da ItjOjpdiga-M 500J. .
Velgs Pessoa.Cintra.Witravio.
Ao art. 6 2. cuataa da procesaos criminis,
acrescente-se inclasive as qua se deve aeVpiu-
motor publico Dr. Joaquim Eduardo Pisa depoi
da ligalisadas.Veiga Pessoa. .
E' approvado o artiga a as emendas.
Art. 7. A cmara municipal do Rio Faaaoio &
autoraada a despender com oa objectoa doaigoa-
doa noa paragraphos seguales a.quialn, de.....4
4:8889.
1. Ordenado do secretario-. .
dem do advogado .....
Idea do porteiro..
Idea do fiscal. ......
dem de um guarda, qae servir
de correio. .......
Porcentagem de 6 por cento ao
procurador, daa rondas que arra-
cadar. ..........
9 2. Expediente e desposas aiu-
dis. .......<.
Jary e elsicoes ......
Agua e luz para a cadeia .
Cuatis de procaoaoa criminaes .
Aluguel dp paso defamara .
Obras, limpeza de reas e concer-
t daa acamas ... .
Eventuaes ........
5001000
SOOjJOOO
1209000
400900
1209000
1932000
'

sbbbbV
4:8889000
So ms m 1*1 uiatw emendas)


----
*
Cosa o
Lepes. Araujo iBwqie. IgnseioJ
Leoo Luis Felippe.Batrqne.loata.-Caae.
Figueir ado.A1 va r o .
dem de m guarda o)sajjgMrta *i Uvjste a
cm lugar'4e 1909 dlga-ts )60|.5. H.Diud-
snond.Lopes..Ne to.
E* approvado o artigo wm.as eroeipiies. .
Art, 8. A semsre municipal da vll da Bata-
da aaioiisada a daapender.com o* objectoa de-
Moadoe ooi pangrapboe aeguuVRs, Y quaSftra e
1. Ordenado do seeretsrie. .
dem do porteiro. .....
dem do Oseal ....<..
dem do drogado. .
Porcentagem ao pioaujsaddaV 6
x>or cenlo das quantias 1Jue arrV
- co^r. *
1 Expedirte. ......
Jury e eleiedes........
Castas de procseos crimioaes .
Aluguel do pago da tmara .
Agua e loa para a caeuie. .
Obras, limpssa de ruae o cal-
cadas i ....... 3569000
Eventuaes, inclusive compra de
moMlU. "........ 141S000
C*ts^VafJjMI
criminaes
Usnpexe daa roaa o aveniaees

730JOOO
3l08pJ|
1000
124*000
1469000
709000
E* spvrovado.
Art. 16. A camera muoicipal da cidade do Ca-
ruai aatorieada a deapendar com oa objocloa
designadle joejaragraphoa siguiles, a qoantia
*| 3 BSoMto'lvnrrflWb .
dem* peaasiro
Ideosa* adOSMssla .
Idemo asa*. ......
VencttftofMMo Mrasusjals.
ladoa m po?sjenS*e tofo rao
da qn arrecedW. ...... WJJWO
i 2.* k#f lux para* cadeia 1000000
Jury e eleicoea....... 100*000
Coataa de procauoa criminaea 1509000
Limpeca do rau o otras 236060
Eventuaee ,....... OJiOOO
JONHO DE
tet.
\
designados os psflgrephoe segaintts
do^5009000.
4 i.* Ojcuoado toaecsetarie
Idenv^tptUiH. V- .
bles dh) fiscal
, ?ofs^atoad^eoowdor', i^r
que arruaafn. .
iip*dieaas>,
o eleieoe* *. -.
_uel db pagpola soasara. .
Agoa e IR para a cadeia. _
I*taAaa J ... _---_- ----
t*u*ipfl os procefoca uiiibiubou .
Obras a limpezssds ras .
Eroataaei ........
autorisada a oomara municipal
igoalar o proco daa catacumbaa o
ao cobra no comltorio do Recife.
E' approvado.
Art. 26, A canuta municipal 4o villa
antorisstf a despender com os o^ocloa riaaaaa alar modelo de mappas de receita o
AsC JO. O presidente da provincia Ico ato-
1UUA9UV
7009000
82J000
1:5002000
1:400*000

t.-W55000
E*oppMTBdo.
Are.*. A cmara municipal 4a ville.de Bar-
Oiwo aotoriaio a despender, com oa objectos
Jeeigoados nos paregrspfces sagainte a quantia
^le Ijvoug.
SI. Ordenado do secretarlo. 1509000
dem do porteiro. .'.... 409060
dem do fiseoi. .>.... 4OaO0O
Porcentagem de 6 por cenlo ao
proeatedor, de toda a renda que
rroeadar. -....... 629000
' S 2. Expediente e aaelo da osea
Jury eleicoea...... 509000
Agn e inz para a oadeia. % 60000
Aluguel do pace da cateara 1509000
Costas de procesaos criminaos. 8O9OOO
Para pagamento do atraso tea q*e
est no alugael da toan de auaose-
..... 378$0O0
........ 209000
EoenMeea
1:0408000
' approvado.
Art. iO. A cmara moceipol da Victoria
utortoada a despender, com os objectos desigoa-
doa nos paragrapboa eegvintet a quantia de
6:0599.
1. Ordenado dosecretario. 8009000
dem do porteiro. 8O9OOO
dem do a jadete tfo dito. 2409000
dem do fiscal....... 2409000
ldov do advogido ...... 3009000
dem de cirargiio. .. ^ 200JOOO
Pofcentagem do procurador. 6
twt canto das rendas qua srre-
*dot.......^ -. 360800G
Vencimentos do guarda do agou-
ge ..... ...... IOO9OOO
O. Jury e eleicoea. ..... 2309000
Expediento ...,., .. 305000
Agua o loz para a cadoia, medi-
esmeofart aoa indigentea aeoterra-
aoatoa........... 3229OOO
Aluguel do piro da cmara. I8O9OO0
Custas de procesaos liminaes 4509000
Obras, asseios daa roaa, calca-
mento e planto de aores as
P"C........- 2:3305000
Eventuaes, ioclutive compra de
mohilia para o jury e teotilios
paca a cadeia......... 347gOOO
^059S0OO
E**pprorado.
Art. 11. A cmara muoicipal da villa de Ipo-
joca autorisada a deapender, com es objectos
designaoa nos piragrapboe aeguinles a quantia
de 1:0109.
1. Ordenado do secretorio.. .
dem do porteiro. ... ...
dem do ilical. ... .
Vencimentos do procurador, 6
soroento daa quantias que arre-
cadar...........
2. Expediento. ......
Justas de prtcessos criminaes .
Jury e elic.des.......
Agua e luz pira a cadoia ..
Obras, e limpeza daa ruw .
Erentuaes ..-.-. .
Vai o mesa esta emenda ao 2.* do art. 16.
Onde dis castas de procesaos chmtnaes.addicio-
ne-te o qua ao estirar a dorar ao eseriro Jlo
Evangelista Forroira da Paz proveniente de iguaes
curtas.Witruvto.Voiga Peesoa.-^Cintra.
C approvado com a emenda.
Art. 17. A cmara nnratetpal da il* de S.
Bento aotorieada a deapender, com oa objectos
designados nos paragraphoa aegernlea a quantia
de 1:1009000.
|*1. Ordenado do secretario. .
IJem de porteiro. ; .
dem do fiscal da villa e do Ca-
nhotinbo, -percebeodo cada am ra.
509000..........
Porcentagem de 6 OjO ao procu-
rador........... 7290O0
2.* Expedlent....... 259906
ury eleicoe........ 409060
Cusas de procesaos criminaes. 459000
Limpeza de raas e obras 5009806
Evedtuaes.....' 789000
20O9OOO
4O9OOO
1009009
-1:1009000
E1 approvado.
Art. 18. A cmara aaanicipal da villa do Brejo
autorisada a despender com os objectos desig-
nados nos paragraphoa aeguintea a queatia de
76Og0O0.
$ 1. Ordenado de ecretarlo. 20O960O
dem do- porteiro...... 409000
Vencimentos do procurador, 6 0[0
da renda que arrecadar. .... 459000
2.* Ezpedieote...... 508OO0
Custis de procseos crimioaes. 8O9OOO
Jury e eleiedes ...... 409000
Agua e luz paree cadoia 90|000
Obraa o limpeza de rosa. 190g000
Eventuaes.......i 259000
E' approvado.
Art. 27. A cmara monicidal da villa do Oa-
rieerjr aotorisada a deapender com |os objectos
designados nos parsgraphos legainles, a aasnUa
de 499W.
1.* Ordenado do secretario 1209000
dem do porteiro m : 369000
dem do ajudante do meamo 249000
Agr a loz para a cadete : 5O9OOO
Jury o elei{ea....... 509090
Limpeza de roas e obrse 1509000
Stoahsaes. ........ 669O66
4969000
o bslsncos ia castoras manicipaes.
PTOvaJ.
36. As camaeaa asaaisipaeo ooderio
verbas rotadas taOB* contad* sn sobraa
mas a nao oer o osjsprtfs do omesso em
roe do munieipio.
E* approvado.
Art. 87. Slo ravegalas disosaicoM em con-
arlo.
E' approvado,
E' tambem aftprovaSo o seguite f^divo.
O^oo -oejam eligidas daa csmarsi muncipaes
de lora deeta cidade qae oejam presentas a asta
casa na aesso do anno vindouro; alem de suaa
contaa, mappas especificados de todaa aa verbaa
de ausa reodaa : e teem assim a relaco com o
numero de foreiroe o retaco de aeua devedo-
res.Cstanho.
Dada a hoto o 9r. presidente designa a ordem
do da e levanta a sesso.
Falleces de pbiysca pulmonar na meam
enfermara, o sentenetsdo Amaro Jos da Mello!
=
Da 19. -
A saber
Exista m
Entraran .
Sahiram .
Existsm. .
Noatonaot.
latreogeiros
863
7
4
presos.
1
. 366
.5.
. 29
. 72
. 6
REVISTA DIARIA.
' approvado.
Art. 28. A cmara municipal
brob autoriaada a deapoodr
designados noa paragrapboa aeguiotes, a qaantia
1.* Ordenado do secretario .
dem do fiscal .......
dem do porteiro. ; .
Vencimentos do procarador, 6O10
da rsnda que arrecadar. ....
2.* Aloguel do pace da cmara.
Agua e luz para a cadeia ...
Expediente ........
Eventaaea .......
da villa de Ca-
co m oa objectos
1509000
259000
300000
2I9OOO
489000
209000
209000
369000
3509000
7609000
2009000
8O9OOO
409000
609000
40g000
IOO9OOO
209000
209000
4009006
OJOOO
1:0109000
E' approvado.
Art. 12. A eemera m-anicipal da villa do do
Cabo autorisada a deapender eom os oqjectos
designados nos paragraphos seguintei s quantia
Ce 3:2899.
8 1. Ordenado do secretario. 3OO9OOO
dem do porteiro...... 50g!00
dem do sj adn te do dito 209000
dem do fiscal'....... 349000
dem do advogado ,.-..... 1509000
Poreeotagem do proeuredor, 8
por soto das quantias-que ir re-
cadar .......... 1969000
2. Empediento ...'.. 259000
Agua o luz paca a sadeia ... 15QS000
Castas de procseos crimioaes x 5009000
Dividas passivaa dos aune* oU-
riorea .......... 800JOO0
Obras, dando preferencia do
coeailetio publico, limpeza de rasa 9809000
Eventuaes........ 819000
E' approvado.
Art. 19. A camera municipal da villa do Bom
Conseibo autorisada a despender a quantia de
70O9OOO, com os objectos designados nos pa-
ragraphos seguales:
I 1." Ordenado do secretario.. 200$000
dem do porioiro...... 3O9OOO
Poreeotagem de 6 por cento ao
procurador, do toda a renda que ar-
recadar ; : 429000
2. Expediente...... 209000
Jury e eleigw....... 359000
Custaa de procesaos criminaea 50*000
Agua e luz para a cadeia 239000
Obras e limpeza de ras 2509000
Eveoluses........ 489000
7009000
Ao artigo 18. Depois de eventuaes, acreacen-
te-se inclusivo a factura de ama ponte sobre
o rio PapacacinbaMello Reg {Joaquimj.Wi-
truvio.Torre Bandeirs.
E' approvado com a emenda.
Art. 20. A cmara muoicipal da villa dePea-
queira autorisada a despender, cem os objectos
designados nos paragraphos aeguiates, a qoantia
1. Ordenado do secretario 2009000
dem do porteiro ....... 309000
Vencimentos do procurador, 6 per
cento da renda que arrecadar .
. Otdenado do advogtdo ....
2.* Expediente e aceio da casa.
' Jury e eleicoea
Agua e luz para a cadeia .
Custas e procesaos criminaes
Obrase limpeza de roas. .
Erentuaes......
5I9OOO
1009000
255000
509OOO
149000
609000
3009000
209000
3:2869000
8509000
E' approvado.
Art. 21. A cmara municipal da villa Bella
autorisada a despender com os objectos designa-
dos nos paragraphos seguintes e quantia de ris
1:000$.
1. Ordenado do secretario 2509000
dem do porteiro ;..... 6O9OOO
dem do fiscal....... 309000
Vencimentos do procurador, 6
por canto da renda que arrecadar 6O9OOO
2S Expediente I : 2 409000
Custas de procesaos crimioaes 40g000
Jury e eleices....... 509000
Agua e luz para a cadeia 4OS000
Aluguel de casa...... 6O9OOO
Obraa e limpeza de ras 3309000
Eventuaes :..... 409000
E' approvado.
Art. 13. A oamara municipal da villa de Pao
d'Alho aatorisada a deapender sqesntia de re.
3:7689090, com os objectos designados nos para-
graphos seguintes :
i 1." Ordenado do secreta rio.... 4009800
dem do porteiro................ IOO9OOO
dem decorreio, que serve de aju-
dante do porteiro................... IOO9O6O
dem do administrador do cemi-
terio................................. 250$0O0
dem do ropesador da villa....... 802006
dem dos repesadores da Soria do
Go e da Luz, WgOOO cada um 8O9OOO
Porcsnlagem de 6 0|0 ao procura-
dor, de toda a renda que arrecadar. 2269000
. 2. Expediente e compra de mo-
blle................................. 4009000
Jury e eleicSes.-................... lOOgOOO
Agua e luz para a cadeia........ 8O9OOO
Celes de procesaos criminaes.... 26O9OOO
Obras do munieipio, inclusive a
Ja, limpeza daa ras................ 1:5009000
Eventuaes........................ 1928600
. .
3:7689000
Val a asesa a seguate emenda :
Eventaaesinclusive oque se deve a Pergentioo
Saraiva Araujo Galvo pelo aea ordenado de ad-
vogado, dorante o lempo que servio,e oeste sen
sido eleie-se a verba.8. R.Fenelon.
E' approvado com a emenda.
Art. 14. A cmara municipal do Bonito au-
torisada a despender, com os objectos designados
oapurarathoe segantes, a quinUa de rs.
S:4759000.
51.a Ordenado do secMtario. .
dea., do porteiro......
dem do fiscal.......
Vencimentos do procurador, 6 0\Q
daa quaaAsa que arrecadar 888000
S i.' Expediente...... 209000
Jury e eleicoea....... HOfjOOO
Cusas de procejses criminaea 2469000
*ga e luz para a cadeia 879800
Ve Hmpeza de s..... 4709906
**M,l"e....... 509006
2509008
808080
469009
1:4759009
Vai i mesa a segainle emenda :
Depois de erentuaes, dganse inclusive fac-
tura de orna pontesinbasohra o rio Ipojuea na
powd de Grvala 20090OO.-Torrea Bsndaira.
Mello Reg. (Josqaim) *- Wttruvioi
xT apoTovado o artigo eom a emenda.
AvtulS. A cmara municipal de Gnanhuos
auooneeda s despeadsr, eom os cbjentos deaig-
"Ijjj0 Ptraphos segvjsjtef, a quantia ia
Ordenado do aecrotario .
Meo do porteiro.......
PoKSBtagem do procarador, 9 0|0,
da rauda oua arrecadir. .... 441000
J 8** Bedieoie...... IO9OOO
3y ssices, i t 509000
3009000
409OOO
1:0099000
E' approvado.
Art. 22. A samara municipal da villa de Bui-
que autoriaada a deapender, com se objectoa
designados nos paragraphoa aeguintea, a quantia
de 6(109000.
1.* Ordenado do secretario. 1509000
dem do porteiro...... 4O9OOO
Vencimentos do procursdor, 6 |e
da renda que arrecadar .... 369000
2 o Eleicoea ..;.... 208000
Aluguel do pago da cmara 729000
Expediente........ 2090(0
Obraa e limpeza de raas -2309000
Eventusss ..,.:.. 3290800
6009000
E' approvado.
Art. 23. Acamara municipal da villa de Flo-
res autorisada a despender, com os objectos
designados nos parsgraphos seguales, a quintil
de 1:4008000.
% i. Ordenado do secretario. 3O0900O
dem do porteiro...... 509000
Porcentagesa de 5 ,\ ao* proco-
dor, daa reodas que arrecadar .
Ordenado do Oseal.....
2 Expediente......
Jury e eleices ......
Agua e laz para a cadeia .
3.* Custaa de proceasos crimi-
naos ..........
Aluguel do paco da cmara .
Limpeza de ruaae obras .
Eventaaes....... .
659000
259000
309600
709000
4080(10
OOJOOO
1008000
5589000
709660
1:4008000
E' approvado.
Art. 24. A camira municipal da villa da Boa-
Visti autorisada a despender, com oa objectoa
deaigoadoa as paragraphoa eeguintas, a qvanlia
de 1:1469900:
S 1." Ordenado do secretario 280J000
dem do porteiro......- 6O9OOO
dem do ajudante do dito 209000
Porcentagem ao procurador, 6 ,\*
daaqasnUaa qae a-recadar 989000
g 2/ Expediente ...... IO9OOO
Jurye eleiedes...... 259000
Agua e luz pira a cadeia 208000
Cuitaa de procesaos criminies 6O9OOO
Obraa e limpeza da raas. 5739000
Eventaaes ..... ... 309000
1.1468000
E' approvado.
Art. 25. A eamara municipal da villa -do Ex
autoriaada a despender com oiobjeclos designa-
dos oes paragraphos seguintes.
31199800.
?**.* Ordenado do secretario
dem do porteiro ....
dem do procarador .
f *" BtpediMte .
Lux e agua para a cadeia .
Eleigoea e custaa dos pr>
crimioaes ....:.
Lisapsaa de rau ohiu
a qaantla de....
1009000
259000
20fh00
509000
iooo
E' approvado.
Art. 29. Aa cameras muncipaes ficam autori-
sadas a arrecadar, durante o anno fioaoceiro Ca-
uro, aa reodas provenientes daaseguiolua impo-
siges ;
1 .* Alaguis de predios munieipee.
2.o Foros e laudomios de terrenos maoi-
cipies.
3." Aferigoos de posos o medidas.
4." Licencaa de cordeacoes, conforme a ta-
bella o. 2 de 1843,lorganisada pele cmara mu-
nicipal de Recife. .
, 5.* Repesos de acougues.
6." Tais de dous mil res paga annualmer-
te, pelas licencaa que liverem os mscales o bo-
eeteiras que veoderem dentro de municipio.
7. Tsxa de dous mil ris obre as eoge-
nhocas.
8. Taxt sobre psssageos de rios.
9. Taxa sobre ss estradaa o poetes mun-
cipaes.
10. Taxa de oitanta ris por carga de fari-
nha e Ugumea vendidoa nos mercad oa pblicos,
icando aa cmaras obrgadas a foroecer aos ten-
dedores ou donos de taes gesteros as medidas
a Heridas.
11. Multas segando o cdigo do proteico cri-
minal e leis em vigor.
12. Multas por iofraccoes de postura.
13 Multaa provenientes de oleteos.
g 14. Maltas das cmaras, conforme o art. 19
13 da lei municipal n. 135 de 2 de maio de
1834.
15. Dizimo do capim de planta qae se vender
no municipio de Olinda.
16. Dizimo de mioocae dos municipios de
Flores, Buique, S. Beato, Pesqueira e Csbrob.
17. Quiohentos ris por cabaca da gado vac-
cum que far morto nos matadoaros pblicos a
particulares ; duzeotos ris por caneca de gado
auino, e cem ris do lanigero e caprino.
18. Quaesquer outraa taxia que aa cmaras
eittverem aatotisadaa a cobrar, o que nao tenham
sido abolidas,_______. ,
, ts. Ctvaas dos snnos anteriores. f
1 20. Saldo dos ditos.
g 21. Dcz mil ris por cada licenc para soltar
fogo de artificio, cando prohibido o uao de sol-
lar fogodo ar, que nao for dosystems Morel, a
quatro mil ris pelo soltar fogo do ar.
22. Dous por cento dos depsitos, na forma
do art. 105 de processo.
23 Boua mil ria por cada liesocs annual
ordenada pelo regulamento de 15 de juoho de
1854, para cobranca do imposto geral decretado
no art. 69 da lei do orcameoto de 1843 1844,
sobre luja, casas de commercio o outras de di-
versas deoomioaces, especificadas no citado re*
Rula ment de 15 de janho de 1954 e no art. 48
do regulamento de 10 de janho do 1850, Qcando
isenlos desla imposico os eatabelecimeotos que
o estiveram pelo art. 69 da lei do ore-amento ge-
ral de 18i3 1844.
8 24. Dszesseis mil ris por carro particular de
quatro rodas, de eixo, fixo, excepcao da cma-
ra do Recife que nao parceber cate imposto
oem oa que seguem at o 9 29 inclusive.
25. Dez mil res por dito de dase rodas,
dito,
26. Dezoito mil ris por dito de alugael de
quatro rodaa.
i 27. Ooze mil"ris por dito dito de duss
rodas.
28. Vinle cinco mil ris por cada m-
nibus.
29. Seis mil ris por cada carrocs, exceptua-
dos os vehiculos empregdos no servicp agr-
cola.
g 30 Cinco mil ris por liecnca para crtaos
de peixe.
8 31. Qqarenta ria por cada p de coqueiro
de produecSo pura negocio, devendo os ficaes
faxerem as collectas no ultimo semestre de cada
exercicio.
32. Dous mil ris por licenca para forno do
queimarcal, oa esleir.
Vo a mesa as seguintes emendes :
Additivo ao 9 17 do art. 29.Depoia das pala-
vras pblicos e particulares, acreicsnte-se, ni-
camente as freguezias da cidade e villas.--Bar-
ros Brrelo.
Supprima-se a 2* parte do 17 do art. 29.
Luceoa.
E* approvado o artigo cem os jg e com a pri-
meira emenda e a segunde regeilatta.
Art. 30. Ficam as cmaras muncipaes autori-
aadas a applicaram as sobras de su*a receltaa s
obras muncipaes.
Vai a mesa a segainle emenda: e a de tma-
ra aa desaproprisco do eemiterio existente na
respectiva cidade.M. Reg (Joaqutm).-Witru-
vlo.T. Bandeira.
E' approvado o artigo eom a emenda.
Art. 31. A (cmara municipal do Recife flea
autorisada a pagar o que deve ao eicrivio do ju-
ry Josquim Francisco de Paula Estevea Clemen-
te, importancia de. custs criminaes em que fOra
coodemnada a municipalidade, depois de legell-
ssdaa ollas coates. Igual atftorisacSo concedi-
da 4 cmara municipal da villa de Pao d'Alho,
para indemoisar a Manoel Antonio da Rocha
Uchda, o que eativer a dever de foros do terre-
no accapado pela dita cmara, legalisados que
sejam.
Vio u mesa as seguintes emendas :
A eamara municipal do Recife, flea autoriaada
a psgar desde j ao eserivao do jury Joaquim
Francisco de Paula Eiteves Clemente, a impor-
lencta de cusas criminaes em qae fora condem-
nada a municipalidade depois de legalisadas di-
tas codas.Araujo Barros.
Depois da palavra Clemente, dlga-se e ao Dr.
Francisco Domingaea da Silva, julz de dtreito e
Francisco Laopoldtoo de GusmSo Lobo, o mais
como no artigo. 9. R. Fenelon. Augusto
Leio.
E' approvado o artigo com aa emendas.
Art. 32. A cmara municipal do Cabo, au-
torisada a pagara Carlos Eugenio Douarche Ma-
vignier a quantia de 419500 proveniente de cus-
taa judicass. Igual autorleacio a cmara mu-
nicipal do Victoria, pars efioetoar o pagamento
das curtas jodieiae* ao escrivio do jury Belarmi-
no dos Santos Buido, depois de autenticadas
Isgaiitsdes.
' approvado.
Art. 33. As cmaras mauicipaes do Recite e
de Olinda, faro publicar pela imptenss es ba-
lancetea de receita e despeas do cada um trimes-
tre, designando a naturosa da despees, o I quam
sailsfeita, importancia da receita eom declara-
eio das verbas i que pertsneen.
Na sessao de hootem, depois da reitera do ex-
pediente, oceupou-ae a aeoambls provincial da
votacio daa emendas oftereeidas em terceira dia-
cussao o orcamenlo provincial, aa quaee foram
approvadas, sendo apenas rageitada urna que
elavava a 8 por eeote a porcentagem do juizo.
Entram em eaajuida em votacio as emendas do
orcamenlo municipal, sendo tedas approvadas.
Sio adoptadoa ambos oa orcamentos assim
emendados.
Sio approvadas as posturas das cmaras de S.
Bento 0 de Papaaaca.
Contina a discusso adiada do projecto n. 16
e de seus additivoa, sendo ainda offereeidos ou-
tros pelos Srs. Souza Res, Mello Reg e Wi-
truvio.
E* adiada o votacio por falta de numero dos
Srs. depatsdos.
Alm da continuacao das materias ji dadas,
consta a ordem do dia de boje da adopcao dos
orcamentos, que foram a eommisso respectiva
para a conveniente redaeco.
Deve boje ter lugar o encerramento dos
trabalhoada assembla provincial.
Acbando-se o -censor do Gymnssio ao
exercicio de regedor, por impedimento deste,
foi comeado para aubstitui-lo o padre Jos Gre-
gorio da Costa Carvalbo.
Hoje ae devor extrahir e terceira parte da
atgunda lotera a beneficio do Gymnasio Per-
nambucano, no comisiono da igreja de Nossa
Senhora do Rosario da freguezia de Santo Anto-
nio, deveodo o pagamento daa sortee de 5:0009
at aa de 109 comecar urna hora depoia da ex-
tra cg o.
De Pi d'Alho nos escrevem em data de
19 do correte:
Todo por c vai em paz, 0 o cholera, gragaa
a Dos, parece eatar extincto em toda a comarca.
< Ha oito din ainda morreo am meniao den-
tro da villa; porm, de eolio para c, nenhum
caso houve, e nao conata que esteja elle gras-
sando em outra qualquer paragem. b
Acarea da ageocia do correio de Florea nos
trsnsmiltem o seguate officio que o mui digao
Sr. Dr. juiz de direito da comarca dirigi ao Sr.
adminislrador do correio, o do qual esperamos
providencias:
Ilion. Sr.As irregularidadea que ha maito
observo na lioha do correio dessa cidade para
esta villa, nio me moveriam a encommodar ain-
da a V. S. com representages, alias proveito-
sas, se nio me parecesse que o mea silencio e
de outros funeeionarios publicas da comarca po-
de eoocorror parra augmentar a relachacio, em
que ae acha este impottinte ramo do servicp pu-
blico.
ti* Esta consideraco me obriga a manifestar-
Ihe aa faltaa que techo presenciado, afim de que
V. S. providencie de modo a evitar o clamor que
deltas reaulta.
a Alm de ter-se convertido em coitume o
abuso de ouaai nunca oa astaUlis chegarooa A
esta villa no dia designado, esta irregalaridade
no correte auno tem tomado tanto vallo, que
elle fazem-ae eaperar semanas inteiras alm do
tormo marcado.
Agora mesmo, teodo-decorrido duas seau-
nl, e Htinit. armim da tarcarri. nao temoa
noticia alguma da capital, nem recebemos corres-
pondencia publica ou particular. Sa am lempos
ordinarios esta demora aeonpre aeoaivel e pre-
judicial a todas aa clasaes da sociedade, na pre-
sente crise epidmica, em que a pontuelidsde
dos correios e a frequencia daa relages sao
anda mais necessariaa, lorna-se urna segunda
calamldade.
Reproduzindo-se quasi successivameole es-
tes abusos, sem que da parte da adminiatracao
ou das agencias appsregam providencias qae lb.es
ponham termo, devo crer que ou nio ebegam
ao conhecimento de V. S., oa qusndo cheguem
sao desfigurados por ioformagoss que se resen-
tem de inexiclidio: o este o motivo porque
resolv dirigir-me directamente a V. S.
a Alm da falta commum a quasi todos os es-
tafetas de demorarem-se miis do que devem, e
chegarem depois do termo prescripto, ha ainda
outro abuso commettido pelos correios residen-
tes na villa de Flores, que consiste em ficarem
am suaa caaaa, e s remetterem a mala agen-
cia desta villa dous, tres e mais dias, depoia que
alli chegam.
Dando sciencia i V. S. dealea (actos, nutro
a esperanga do que V. S., investigando as cau-
sis deeaaa irregularidades, pora termo a abusos
lio nocivos aos inleresies pblicos e particu-
lares.
t Dees'guarde V. S. Villa-Bella 2* da maio
de 1862.Illm. |Sr. Domingoa dos Passos Mi-
randa, digno administrador do correio publico
desta provincia.O juiz de direito de Pajeo de
Flores, Joaquim Gonalve$ Lima. >
Hontem comegou-se, perante o Sr. Dr.
juiz do commercio, a proceder i inventario da
sociedade em commanditaAmorim, Fragoso,
Santos & C., tomando-10 conta das letlras e
alguna papis de crdito.
Hoje deve continuar esse processo, leudo lu-
gar is 2 horas da tarde a roanio dos credo-
res, afim de ser nomeado depositario i massa,
que interinamente se acha confiada ao negoci-
ante Pedro C. von Sobsteo.
Consta-nos que fol transferida a partida do
Club Commereial: em consequencia dos ltimos
acontecfmeotos de nona praca.
Havendo suspeitas de desfalque no cofre da
caixa filial, a commissao directora da mesma cba-
mou honlsm os fiadores do respectivo tbesourei-
ro, e perante elles dea bataneo naa quantias con-
fiadas i sua guarda, e encoolrou falta de quatro-
centoa e cincoeota e tantoscontos.
A policis em pregn todos os meioa sea alcan-
ce, o contina as pesquizas, afim de descobrir o
ihesoureiro que desapparecea, sem que, at
hora em qua ascravemos, (8 da noite), tenba obti-
do resaltado lgum.
Movimento da casa de detenco do dia 17
de janho.
Exisliam...... 362 presos.
En (rara m..... 14
Sahiram....... 11
Sotad. ... 301
Alimentados a asta dos carrea provin-
c'............... 150
lioeiaaeBto da enfermarla do dio 20.
Tlveram alta :
Jos Antonio Viegts.
Pirmino Jos da Coala.
Jos, escravo de Baroardino Barbosa da Silva.
Manoel Vicente de Oliveira.
Teve balsa :
Roberl Blair, delirium tremens.
Na enfermarla da casa de detencio falle-
oeu ante-bontem de pbiysca pulmonar o preso
Amaro Jos de Mello, Bino de Maooel Forraira
e Mara Tberesa, pardo, casado, natural de Ga-
reohuna, 48 annos de idade, agricultor, estatura
5 pea e ama polegada, cabellos pretos e brancos
corridos, olhos pardas, rosto comprido, corpo,
nariz e bocea regulares, barbado, recolbido a
aquello eatabalecimento em data de 21 do agosto
do anno paaasdo, por ordem do Dr. chefe de po-
lica, sentenciado i galea perpetua pelo jury do
termo de Seriobaem pelos crimes de roabo, mor-
to e ferimeotos praticados na estrada de ferro.
Procedeu-ae a exime de verificado e identi-
dade d* pesaos no cadver pelo juizo municipal
da primeira vara.
0 fallecido (ora o chefe da quadrilha, que em
agosto de 1861 atacou os pagadores da estrada de
ferro em terraa do angenbo Minas-Novas. Foi
o que tomou maior parte no ataque e assas-
aioato daqaelies infelizes.
Tao grande peceador morrea dando sigoaea de
profundo arrependimento a verdtdeira contric-
Ci. Foi ouvido em conflssio pelo reverendo
capuchiobo Frei Seraflm, e recobeu oa sacra-
mentos que a igreja destina aoa qae tem de dei-
xer este sale de lagrimas o mizerias.
O sopor nacional Pertinunga, sabido para
Macei o portos intermedios, conduxio s se bor-
do 00 psssageiros seguintes:
Francisco Antonio Giffooe, Antonio Francisco
de Moura, vigario Getulio Vespariano Augusto ds
Costa, Rosa Aogelica de Sanl'Anna, Manoel Sim-
plicio Nicodemoa e um criado, Dr. Tbeodoro Ma-
chado Freir Perelra da Silva, sua aenhoia o 2
criados.
Matadodro publico :
Matiram-se para o consumo desta cidade 00
dia 19 do correte50 rezas. *
dem do dia 2065 ditas.
Obituario do da 19 de jlnho, no cemitb-
rio publico :
Joaquim Manoel de Carralbo, Pernambuco, 40
annos, casado, S. Jos ; cholera.
Guilhermioa Csodida Perreira Antones, Pernam-
buco, 22annos, casada, Recife; absorpeo pu-
rulenta.
Catbarina, frica, 70 annos, solteira, S. Jos;
gutro intente.
Antonio, Pernambuco, 3 annos, Santo Antonio ;
bexgas.
Amaro Jos de Mello, Perpambaeo, 40 annos, ca-
sado, Santo Antonio, molestia interior.
Dia 20
Tbeotonio, Pernambuco, 7 annos, S. Jqs, phtby
sica.
Fortunato, frica, 50 annoa, aolteiro, escravo,
Boa-vista ; varilas.
Joio, Pernambuco, 3 mezee, Recife : eclampsia.
Domingoa, frica, 60 annos, soltsiro, Recife ;
rheumatismo.
Paula Maria dos Prazeres, Pernambuco, 43 annos,
viova, Recife, tubercaloa pulmonares.
Amalia, Carolina de Mendonca Varejio, Pernam-
buco,"22 annos, solteira, Boa-vista ; phlbysica
lariogea.-
Guilhermina Vieira de Vsscoocellos e Silva, Per-
nambuco, 22 annos, edssda, Recife ; peritonite.
Appelianto, a resenda naelooajj
Itaaaaa Jbsssirs e o t
AftaaaW
aVmerwaaUaa,li|irl9B
da, a j us tica.
DlgTRISCTgAO.
Ao 8r. desembargador tjaetaoo Santiago :
.Am'mso orsaas.
AppellsnU,Jaaael Antonio de Urna ; sppcl-
lada, o jalao.
. Dia it opaorecar.
AtppuUasta, Heaoel de Pontea Franco : appel-
lsda, Manual amstios do Naaciment"
Ao Sr. dmeafeargador 8ilvsira -.
goeloco crimt.
Appellsute, ajpromotor : appellado, Joio
Prancisco de Moraea.
Ao Sr. desembargador Gil rana :
AppeUaso SWrss*. .
Appellante, o juico ; appellado, Jea Beato
Ferrstra da Silva.
Ao Sr. desembargador Lo a raneo Santiago i
Apptllao crimi.
Api ellante. o juizo ; appellado, Jos Gregorio
da Silva.
Ao Sr. deiembargador Molta :
Appellago crimt.
Appellante, o juizo : appellado, Jos Alvos e
ostro;
gravo deostico.
Aggrsvsnte, Lourenco f oggy ; sggrsTatto. o
juizo.
Ao Sr. desembargador Perett :
Appellaco crimt.
Appellante, o juizo ; appellado, Joio Andrade
do Naseimento.
AoorufO dt pttici.
Aggravante, Gaspar de Menezes Vasconcelloe
de Drummond ; aggravado, o juizo.
Ao Sr. desembargador Aceloli:
Kpptllacott crimei.
Appellante, Filippe Pereira do Naseimento t,
appellado, o juico.
Aggravo dt instrumento.
Aggravante, Francisco Nobrega Silvaira Gaval-
canti ; aggravado, o juizo.
Recurto commereial.
Recrrante, o juizo ; tacorrido, Manoel Ribi-
ro ds Silva.
Ao Sr. desembargador Uchoa Cavalcanti -c
Appellaco crimt.
Appellante, o juizo ; appellado, Msaool An-
tonio de Lima.
A' urna e meia horas da larde encerrou-se
sessio.
Communicados.
CHRONICA JUD1C1AR1A.
O vspor Ptrtinunga, que seguio hontem para
o sul, levou a sea bordo o nosso amigo o Sr.
Dr. Theodoro Hachado Freir Pereira da Silva,
ebefe de polica da provincia de Sergipe.
O apreep que damos is emioentes qualidades
daquelle magistrado, leva-nos a lamentar, que
Pernambuco, saa provincia natal, fique privada
doa bona ser figos que elle, qaer como magistra-
do, quer como sea representante na assembla
provincial, continuarla a prestar, por sua escla-
recida iotelligencia, carcter austero, grava cir-
cumspeecio, rigidez de principios, e irrepretten-
sivel probidade, cujas virtudes cvicas demons-
irou desde maito joven, qusndo delegado de po-
lica desta cidade, e nunca desmentio, quer como
juiz municipal do Rio Formoso, quer como jais
de direito de Garanhuns, quer como chefe do
polica intarioo da provincia, quer como depu-
tado provincial em sacceasivas legislaturas ; mos-
trando no exercicio dettas ultimas funcedes, qua
a aua independencia de carcter rene o talento
de orador diatiucto.
Compensa-nos, porm, do pezar de fiear Per-
nambuco privado dos valiosos servicos do Sr. Dr.
Theodoro Machado Freir Pereira da Silva a cer-
teza que temos da gloria e renome que este dig-
no magistrado vai adquirir na provincia de Ser-
gipe, qual felicitamos por ter naespinhosa di-
recclo dos seue negocios policiaes um mag s-
trado como o Sr. Dr. Theodoro Hachado.
Aceite o ooaso amigo, sem emudecer, estas
oossss expressdes do apreep em qae o temos,
cetto de qae nio as empresta o balito da lisonja,
qae por nauseabundo fax corar o bomem ho-
nesto.
A saber
Existem....... 365'
Nacionass.....
EatrangbirOa..
Mulberes......
Escravos......
Escrava......
256
29
3
71
6
, Tribunal da Relaco.
SESSAO EM 17 DB JUNHO DE 186i. ,-
P1ES1DEXCIA DOEXX. SR. CONSELREIRO ERHELIRO
DB LEAO.
A's 10horas da manbaa, presentes os senhores
desembargadoresCsetano Santiago, Silveirs, Gi-
tiraoa, Lourenco Santiago, Motta, Peretli, Accioli
e Ucba CavaJcaoti o oa jaizes de direito Mara-
nhense e Bandeira de Mello,faltando o Sr. desem-
bargador Guerra, procarador da coida, abrio-ie
a sessio.
Pastados os feitos, o entregues os distribuidos
denm-se os seguintes
JULOAHENT0S.
Aggravo de petico.
Aggravante, Jos Maria da Silva Teixeira ; ag-
gravado, o juizo.
Relator o Sr. desembargador Lourenco Sao-
liago.
Sorteadoi os Srs. desembargadores Gilirana,
e Accioli.
eu-ze provmento ao aggravo:
Appellacts crimtt.
Appellante, o juizo ; appellado, Antonio da
Motta Cavalcanti.
. A' novo jury,
Appellante, o juizo; appellado, Demetrio Ro-
drigues da Cruz.
A' novo jury.
Appellaco civtl.
Appellante, Manoel Gamillo Pires Falcao ; ap-
pellado, Paulino Pires Ferrelrs.
Confirmada a senteoca.
Revitta civel:
Recorrente, Thom de Souza Barbosa ; recor-
rido, Luiz Pereira de Souza.
Julgou-se condemnar o recorrente no prioci-
pal o juros de 6 por cento.
Habeas- cor pus.
Concedes-se ordem de babeas-corpas, pedida
por Pedro Joa de Mattos Taioha, para ser apo-
sentado em: sessao de 21 do correte, s 10 ho-
ras do dia, ouvida a a atondado competente.
DILIGENCIAS CRIMES.
Com vista ao Sr. desembargador promotor da
justica aa seguintes
Appellacts crimes.
Appellante, Casiiano Jos de Soaza ; appella-
do, o juizo.
Appellante, o juizo ; appellado, Hermano Jo-
s de Oliveira.
Appellante, Marcolioo Pereira ; appellado, o
juizo.
Appellante, o juizo ; appellado, Vicente Fer-
reira Lima.
Appellante, o juizo; appellado, Salastiano Pe-
reira de Mello.
DESlGNACio DE DIA:
Assignou-te dia para julgamento das se-
guintes
Appellaces crimtt.
Appellante, o juizo ; appellado, Joio Soares
de Souza.
Appellaote, o juizo ; appellado, Antonio Alvos
da Silva Cirola.
Appellante, o juizo ; appellado, Manoel Anto-
nio de Moraaa.
COMHlUCtO.
...... 11 i ^^^wsa
Praca do Recife 20 de
juuho de 1862.
IVs t\ualro horas da tarde.
Cotacdes da junta de corretores.
Nio boureram cotacoes.
.lfaudeajat,
kendimentodo dia 1 a 18. ,
(dem do dia 20......
268:8089451
8:148*510
2789569961
Movimento da alfaodvara.
Velamos entrados com fazendas.. 202
s ion ganaros.. 387
Velamos taidos eom fazendas..
< som gneros..
589
16
S62
^=- 278-
Total........ 865
Alimentados a costa dos cofres pro-
inciaea......................<............
Movimento da enfermarla do dia 18.
Tive baixa :
Jos da Silva Ferreira ; rheumatismo.
Dia 18
150
Existan).
Enlrsram.
Sahiram.
365 presos.
8
10
>
Existem. 363
Naclonaes .
Bstrangelros.
Mulheres. .
Escravos. .
Eecravas. ,
158
29
3
72
6
893
Total. .
Alimentados a cusa dos cofres provin-
cises. ....;....... 154
Movimento da enfermara do dia 19.
Tlveram bsixa :
Pirmino Jos da Costa, ulcera.
P^drojasaravo dcFifiptflejj osBttmt sasasj
appellado, Augusto Lou-
appellado, Jos Rodii-
appellado, Jos Paulino
appellado, Florencio Jo-
appellado, Jor do Valle
appel-
Appsllante. o juizo ;
renco da Silva.
Appellante, o juizo ;
gues da Costa.
Appellante, o juizo ;
de Mullo o outro.
Appellante, o juizo ;
s dos Santos.
Appellante, o juizo;
Pedrosi.
Appellante, BeraardinoJos Limeira
lado, o julio.
Appellante, o juizo ; appellado, Belarmino
Porfirio de Ferias.
AppeUante, o juizo ; appellado, Antonio Fraa-
cisco dos Santos.
*l>H>Wi o juizo ; appellado, Jos Parslrs
Appellaote, o jaiio ; appellado. Antonio Jal
do Sooza.
Appellaote, o promotor ; appelladw, Rita Ma-
ris e JoasjM Maria.
Appellante, o juizo
cisco da Silva.
Appellante, Joad Bazerra Pereira da Salva;
appellado, o juizo.
ApptllafQ* cioeii.
Appellaote, Joa Nerberto Castalio Branco ;
appellada, Francloso CavalcanU da AlBmaajSfSjaa
Mello. fc
AppallanU, Jas Thaotoaio da Silva Borgn;
p*siia^, Joto Vueluda SiiTa^oige*.
appelUdo, Roberto Frao-
Descarrogam no dia 21 de janho.
Barca americanaImperadorfarioha.
Patacho inglezBusybacalbo.
Barca inglezaEliza*llandamercadorias.
Brigue inglezElizabethmercadorias.
Barca inglezaSeteridem.
Barca ioglezaLindaearvo.
Barca ioglezaMirandaidem.
Lugre portugusJuliovinho eazeite.
Barca inglezaQueenferro.
Importa cao.
Patacho nacional Novo lima, viudo do Rio-
Grande do Sul, consignado a Amorim dt Irmios,
manifestou o seguinte :
6:204 arrobas de carne de charque, 40 cooro
seccos de refago ; a ordem.
Hiato nacional Invencivtl, iodo do Aracaty,
coasignado a Jos de S Leito, maaifeatou o t%-
guinte:
50 saceos com 37 1/2 alqueires de gomma da
mandioca e 85 molhoa com 1,700 pellos de ca-
bra ; a Prente Vianna & C.
32 saceos com 120 arrobas de cera de carnau-
ba ; a ordem.
Brigue inglez Elizabeth, vlndo da Liverpool,
consignado a H. Gibsoo, maoiiostou o segainle :
145 fardos e 47 caisas fazendas do algodo a
lonaa ; ao consignatario.
50 gigoa e 1 barrica louca, 44 eaixaa o lt far-
dos fazendas de liobo o de aigeeao, 1 caixa acei-
te, 1 dita sabio ; a Soulhal Mellors & C
2 fardos fazenda de algodio; a J. Crablreo
& C
160 barricas eerveja ; a Adamson Hovrie A C
4 fardos do 802 pecas, 12 calas, 2 barricas, S
caldeiras e 2 cbamins machioismo; a 8. P.
Johosloo &C.
4 fardos e 3 caixas lenc,6ee do algodio e fa-
zendas de dito o de la a algodio ; a Augusto C
de Abren. .
4 caixas e 12 fardos fazendas de algodio o ditas
elsticas; a Kalkmaon Irmios & C
1 caixa pegas de lati para engentaos; a M
J. Oliveira & Ftiho.
4 caixas (aseadas de liobo ; a I. Hillidiy.
3 fardos tapates; a Roslron Rooker & C
caixas fazendas de lioho : a Jonnaton Pater
4 C. '
2 macacos ; a Scett Wileou & C.
38 lardos fazendas de algodioe esnaborgos,
oaixas chi, 150 ditas folha de Flandres, i dita
tinto >ie escrever a tapia ; a Patn Nash & C.
40 toneladas de carvao de podra, 85 ditas da
dita qoeimedo, 25 saixaa a 64 fardos /airtda da
algodiio, dita para saceos o esoaawssw, 80 bar-
ricas carreja ; a ordem.
2 saceos amostras ; a diversos.
Barca a marica na Imptrado* viada de Phila-
delpfeia, consignada a Matseae Austia & C, ma-
nUestoa o seguale: m '
3,167 barriess feriaba de trigo, 5 ditas dita da
milho, 200 eaeeas lareHo, 10 caixas tbarlaantiaa,
10 ditas salsa, 3 ditas medica meatao, 12 farros da
cortar capim, 1 caixa dsguerreolypo ; aoi coq-
sifnatarios.
8 aalxaa salas de helio ; a anisen.
1 dita iajnora-ss ; o coasal.
58 eaixaa periumariaa, 1 dita anatas a dontaa
artwsiaes, 4 ditas lyaoa ; s Bear* farolera t C
1 caixa roupa ; a Thom Adamson Jsnior.
Tatacbo boUaodez Gramo, vlndo de Anvam,
consignado a Undezn. Wlld 4 C, nwoifsstoa o
osgantita:
1 dss tsaMo da Unbo, 1 paste amostres; a
Moohai & c,


i
-
J
A^


Ntut
_______
la lia, 1 dita
ljogar: Mello Lobo & C
100 ditas 'iIIm; r flthifhofUio & C.
a algodo, i pacota amoalraa ;
A Wlld a i
o di __
i Oneei of5 mth, para Vatparaite,
"aWaaf:
ebcr & C, 166 nccoi con 983 ai roba*
4 JMMMN -.frf*
Bngae portega ii 5. Manoel, para LUboi e
Porto, carrean:
i Lm*go, 900 suecos e S barri-
WMH 1.009 arrabal 30 libra* do dasacar.
Barca portugaea Sympathia, para o Porto,
nerregaram:
Feliciano Jsj^ote, 100 saccoi com 500 ar-
robas do atsueTr.
*** A Qwirs, 13 birriqaiolias coa 59 ar-
labas ti listeada Macar.
kriitt'/ina, pira Msrseitle, ear-
Dcagnn ICO aseaos com 3,000 arrobis d*
Macar.
Bul* nacional Mentafeiro, para o Rio 4a
Frata.'carragaram :
Amorim I toaos S70 barrica con 1,053' arro-
ba* de assucsr.
aaaBuutJijaorla de rendis Internas
gmmmmm *m raraaatfkaeo
loadtmento do ala 1 a 18. 22:0<458
Mam da da 20......2.41 Jj637
M57|ta
Conaalado provln eli
R *Qdf meato do dial a 18. .
Mam da dia 20......:
59:J56S330
3:12411470
62:380 J800
Movimento do porto.
......i m i i pi w i i i
Newio entrado no dia 19.
Pbtlaielphia31 dias, barca americana Impera-
dor, de 373 toneladas, capltio Power, equipa-
gem 12, carga 3,200 barricas com farinha de
trigo ; a Hatbeus Aaatio & C.
Naviot sahidos no mesmo dia.
Barcelona Brigue be*p*obol Dtit Hermanos,
capitao Fernande Torrea.
Ilacei e partos intermedios Vapor nacional
Pertinunga, commandante Moura.
Edita*?*.
O Dr. Trietio de Alencar Arante, offlcial da
imperial ordem da Rosa e juiz especial do
aommarcio daata cidade do Racife de Per-
nambiaco a ae termo por S. W. imperial qaa
Deus guarda etc.
Fago saber aos qaa o presente edital virem e
dalle noticia tiverem, que acha-ae aberta a f al -
lencia da firma social Amorim fragoso Santos
Vendo-sa da petigo da fl. 2, e do termo de
declarago a fl. 4, qae a firma social Amorim
Fragoao Santos & C, acha-se em eatado de in-
aolvencia, cosaando os seos pagamentos, hei por
declarada a (alinela da dita firma socisl; a
mando que am todos os seas ben, litros e pa-
pis a* pooham sellos na forma determinada por
lei. Noraeio curaloraa fiacaas da masaa fallida a
Johnston Pater S C e Henry Forater & C. qae
prestaro juramento ; e para nomeeco de de-
positario sajam convidados os crudo res para o
dia 21 do carrele mez aa 2 hora da tarde na
sala daa aadienciaa. Publique-** por editaes a
. fallencia, cuja asistencia legal dato do dia 16 do
aobredito mex, offlcia-se ao juiz de paz do res-
pectivo districto, para proceder a appasigao de
sellos.
Reeife, 18 da jaoho de 1862. Tristto de
Aleocar Araripe.
E mais se flao coatinha em dita aenteoca aqai
transcripta, e p%ra sea inteiro cumprimenlo con-
voco lodos os subditos credores, dos subditos
fallidos, para comparecerem no dia, hora e lugar
cima designados aQra de se proceder como dito
tica a nomeaco de depositario ou depositarios,
que hao de receber e administrar c/fovlsorlamen-
te a casa fallida.
E para que o presente chegae ascoohecimen-
to de todos, ser publicado pela impraosa, e
ffiredo ni forma do estylo.
Gidade do Recite, 20 de jucho de 1862. Ea
Adolpho Liberato Pereira de Oliveira, eacrevente
juramentado, o eacrivi.Ea Manoel alaria Ro-
drigan do Nascimento, escrivao o aubscrivi.
Triato de Alencar Araripe.
O lllm. Sr. inspector da thesc uraria provin-
cial, ein cumprimento da ordem do Ezm. Sr. pre-
sidente da provincia de 12 do correte,manda fazer
publico, que no dia 18 de setembro prximo ia-
turo, perada a junta da fazenda da mesma the-
aouraria, se ha da arrematar, quem pormenor
Atar a obra do eatgimeolo das russ do Arago e
Rosario da Boa-Yuta at sabir no paleo da Santa
Cruz, sendo a primeira 201 bragas qnadradas de
superficie a segunda 44 bragas tambem quadra-
das, que, razio de 50&O0O cada urna braja, im-
porta toda a obra em 12:2505000.
'A arrematado ser feita na orrr a da lei pro-
vincial o. 343 da 15 de maio de 1854, e aob as
clausulas especiaos abaixo mancionadas.
As peasoas que se propozereaa a sna arremata-
dlo comparegam na sata daa sessoes da referida
junta, no da cima mencionado, polo meio dia e
competentemente habilitadas.
F para constarse mandoa publicar palo Diario.
Secretaria da theaouraria provincial de Fer-
nambuco, 17 de jucho de 1862.O secretario A.
F. de Aonmneiaclo.
Clausulas especiaos para a arrematacao.
1.aO arrema ;acte dar principio aos traba-
Ihos trinta diardepois de assignado o termo do
contrato na reparlico competente, e conclui-las-
ha no prazo de seis mezes contados ds poca em
cjae lermiuir o prazo de trinta dia supra men-
eionado.
2.aO arrematante aera obrigado a attender as
obraees do engenheiro encarregado da anecio a
flacaliaago das trabalhos, concernientes a boa
execucao da obra.
3."Fica o arrematante aujeitoaobrarem toda
cua plenitude ai praseripcoes contilas no orce-
mente. m
4.*O pagamento ser eilo por prestacoes
meneaea correspondentes ao nunuro^de bragas
coocluidas, Gcando, porem, recolhido theaou-
raria, como deposito, para garantir a obra at fi-
nal ceactusao, a decima parte do valor dos cer-
tificados mensaaa ; as quae* Ihe Mfio entregues
viu mez depoia de concluida a obra ; e aendo que
ella se eche era bom estado, e calo asiim nao
acontece, o arrematante ser obrig.ido a separa-
la para ter dlreitoao recebimenlo.
5.* O arrematante fica igualmente sujeilo as
disposices dahl o. 286 qae dizeai respeito as
arrematbc&es.
6."Nao ser em tsmpo algum attendida qual-
quer reclamago por parte do arrematante ten-
dente a indemniaaclo qualquerqn seja ai alla-
gagoea em qae se basear para esse Km.
(Conforme]A. F. da Anuuociaefto.
O lllm. Sr. iospeclor da theaouraria provin-
cial, em cumprimeoto da resolaga da junts da
fazenda, manda fazer publico, que i atrematacao
do caiga manto das ras do Sebo e Trempe, at
encontrar o da raa do Mondego ; e da alimenta-
ria dos presos pobres da casa de detenco, fica
transferida para o dia 21 do crtenla.
E para constar s* mandn affliai o presante e
pablicar pelo Diario.
Secretaria da theaouraria provincial de Per-
cambuco 18 de jocho de 1862.O secretario,
Antonio Ferreira d'Annunciacao.
Perante a thesourria provine al, ra nova-
mente rea, para ser arrematado a qnem mais
dar ato dia 26 do corrente a.renda dus casas, abai
%o mancionadas, pertenceotes ao patrimonio dos
rphios.
RuadoQuslmado.
Harnero 1.Loja, poranno......... 276JHM0
dem idem.Sala do primairo an-
dar, idea, ida ni.............. 1OH0O0
llua do Crespo.
K. 3.Sobrado de tras andaras'<) lo-
ja, poranno...................... 1:402*000
Ra do Ranga].
Re* dafiadaia do Rtif*.
K. 17^Sobrado de dou* andares
loja, jar aano.................... a:OflO0O0
Raa da Uajae de Uena.
B. 22.Sebrado da um andar e lo-
ja, por aono...................... MlfOflD
loja,'i
Idem_26.

a
a
.

B
a
Ra do Torres.
N. 37.Sobrado da dous anderas e
tPP w9t aniM* -.............
I dan 38.Sobrado de doas salares
aloj*. idem......................
dem 39.Sobrado de dous andares
a loja, id*m-----.................
Bu* do Cordooiz.
N. 42.Caa trra, poranno........
dem 43.dem idem idam........
Roa da Moeda.
N. 44. Caa trra, por anuo.....
idea 45. s ....
Ideas 4B. c a
dem 47. ....
Ras do Amorim.
N. 48. Casa terrea, poranno....
dem 49. .....
dem 60. .....
Ida 51.- .....
dem 52. .....
dem 53. ._..
dem 54 Sobrado de don* andares .
eloja, idas.......................
Idam 55.Casa terrea, idem.......
dem 56. .......
Ra da Ateita de Peixe.
N. 57. C*aa terrea,por asno....
dem 58. ....
dem 59.Sobrado da um andar a
loja, idem........................
Ideas 60. Casa terrea, idem.......
dem 61. a .......
dem 62.Sobrado de am andar, e
loja, idem........................
dem 64.Gasa terrea, idem.......
Ra do Vigario. ,
N. 71.Sobrado de trea andaras e
loja, por anoo....................
dem 73.Sobrado de tres andares
e loja, idem.....................
Ra do Enea o lamento.
N. 76.Sobrado de dous andar* a
loja, por aono....................
dem 77.Sobrado de dous andares
e loja, idem......................
Ra da Senzalla Velha.
N. 78.Sobrado de dous andarea e
loja, por anno....................
Ra do Trapiche.
Ni 85.Sobrado de tres sndarea e
loja, por anno....................
Rus da Liogueta.
N. 86.Sobrado de dous andares e
loja, por aono....................
Raa da Cruz.
N. 87.Sobrado de dous andares e
loja, por anno....................
dem 88.Sobrado de dous andares
a loja, idem......................
dem 89.Sobrado de dous andares
e loja, idem......................
dem 90.Sobrado de dous, andares
1 o loja, idem......................
As arremataces sero feitas por lempo da tres
annos, a contar do 1 de julho do correte anno
ao fim de jaoho da 1865.
E para conatar, se mandou
Diario.
Secretaria da thesourria provincial
oambuco, 4 de juoho de 1862.
O secretario,
A. F. d'Annunsiafo.
501*000
401|000
303*000
3811000
6808000
451*000
191*000
301*000
201*000
561*000
271JO00
661*000
801*000
301*000
401*000
601*000
231*000
281J000
501*000
501*000
501*000
251*000
601*000
1:001*000
401*000
1:001*000
1:601*000
8065000
801*000
751*000
5818000
501SO0O
881*000
1:001*000
1:000*000
891*000
od
ote
publicar pelo
de V9t-
Delajijrai;s.
Correio
desta dada
leMasmtH
a yenda
do consalado pro
dos Alegados, da 20 por
t, e de 5 por
iralz pertencen-
aortl m principian) a
Ww*smofftfr19l Bsado'eensniado p rviSil S Pernajjibaa
??d malo de 1869.-*chele da wgaadsiscj
^^H?eirsM. Ribeiro.
> Illa. Sr.
ipiWi militar.
agurdenle.
Hoja (21) s 3 horas da tarde em ponto, sero
fechadas rmalas que deve conduzir o vapor
costeiro Inuaraesu com destino provincias da
Parabiba, Rio Grande do Norte, Cear e portos
intermedios.
Col lectora das rendas geraes do mu-
nicipio da cidade de Oliod^ l
> cotutor das reodas geraes do muaicipo^fc
Oiiads, avisa aoi Sra. contribuale, dos I y-
poitos sobre tojas, tabernas, e segunda dcima
addicional das corporales de mi mors, que
os 30. dias atis para pagamento bocea do co-
fre do segundo semestre, principiara no dia de
hoja 2 do crrante, e findam em 8 do mez pr-
ximo viodouro, pois que nao pagando dentro do-
referidos 30 dias, incorrem na multa de 3 %, na
qual j tem incorrldo aquelles dos Srs. contris
buintea que anda nao pagaram o primeiro semes-
tre.- Collectora das rendas geraes de Olinda, 2
de junho de 1862
O collector,
Braz Ferreira Maciel Pinheiro,
Collectoria proviaeial de
Olinda.
O collector de reodas provinciass de Olinda,
faz publico palo presente aos contribuintes da
mesma collectoria, que do dia 2 de junho pr-
ximo futuro principia-se a contar os 30 dias
uteis marcados para a cobranza a bocea do cofre
dos impostos lanQados seguiotes : segundo se-
mestre da dcima urbana do corrente anno fi-
na oceiro de 1861 a 62, 4 por centosobre aluguel
das casas de negocio, 5 por cento sobre a renda
das tasas perlencente aa corpora^is de mi
mora, 8 por cento sobre alugael de escriptorios
de advogado, tabelliao e escririo, e primeiro se-
mestre do imposto de 20 por cento do coosumo
de aguardante, findo este prazo iocorrero na
multa de 8 por cento os omisios. Collectoria
provincial de Olinda 28 de maio de 1862.
O escrivao,
Joio Gongalves Rodrigues Franca*
Perante o lllm. Sr. juiz de paz do 2 diatricto
da Ba-Vista lente Thom Garlos Peralte tem
de arrematarse am haata publica por ex*ca(io
da Joaquim Ignacio Ribeiro Jnior contra Tbo-
maz Pinto de Queiroz, nos dias 23, 26 e 30 do
corrente, diversos movis, constantes de cadeiras,
marqueza( bancas, laternas e quadros, sendo s
arrematado pelas 9 horas do dia
A administrado do correio desta cidade
precisa engajar estaflas : quem se aehar neslas
circumstancias apreieute-sa ao respectivo admi-
nistrador munido de attestados que abooam o
aeus coitumea e conducta.
Santa casa da misericordia do
Reeife.
A Illma. junta administrativa da santa cass de
misericordia do Recite, manda fazer publico que
oo dia 26 do corrente, pelas 4 horas da tarde,
na aala de su ai sessoes, ir praca o fornacimao-
to da carne verde qae houverem de consumir os
estabelecimeotos de caridade no semestre de ju-
lho a dezambro do correla anno : os pretenden-
tes dirijam as suss propostas a eat* secretara em
cartas fechadas no da a horas sprassdss.
Secretaria da santa casa de misericordia do
Racife 20 de junho de 1862.O escrivao,
F. A. Cavalcanti Cousseiro.
Santa casa da misericordia do
Reeife.
A Illma. junta administrativa da santa casa de
misericordia do Recifa manda fazer publico, que
oo dia 26 do corrente, pelas 4 horas da tarde, na
sala de aun sesses, irlo prac.a para sersm ar-
rematadas a quem mais der, as rendas das casas
abaixo declaradas, pelo lempo ^ue deeorrer do
dia 1.* de julho do corrente anno a 30 de junho
de 1863 : os pfatendentes derem comparecer
acompaohadoa da seas flidores, ou munidos da
cartas dntes.
R*ua do Padre Floriano na. 43, 49 e 63.
Traveisa de S..Joi n. 11.
Ra da Calcada n. 38.
Secretaria da tanta ca a de misericordia do Re-
eife 20 de ianho de 186*.O eicrirao,
F. A. Cavalcan ti Cousssiro.
0 conselho econmico do balalho de in-
fanlaii* n. 2, tendo de contratar oo segundo se-
mestre do anno que corre, o (ornedmanto dos
gneros abaizo declarado!, la. para
alimento de suea prscas na i i*itr,
convida aa pessoaa que sa % icatregn
de provar tan genaroi, a apreientarem Ha pro-
postas em carta fechada na secretara do mes-
mo baUlbSo no dia 27 de ata mez, i 10 horas1
da maabSa, a saber: assacar branco de caix,
e mescavioho refinado, arroz pilado, azeite doce,
b*c*lho, cama verde, cama eecca, caf em
gre, MJ*, maoteig francesa, toudnho, vua-
|n lacua, Quattti o Bwptcio a fernsji-
Uanoel Anselmo Perl _
6mS t|
soawelho admiabti
da guerra, ;'
ii:
Para o
16 libna da
t libras ds a
60 garrafas gran._
12 arrobas da aasaeac refinado em 6 birriqul
obia de 2 arroba cada ama.
60 garrafas d'sgaa da Labarraque.
50 garrafas de alcoel a 86 graos.
5 cacadas de azeite doce.
16 libras de aleatro.
6 librea de amoniaco liqaido.
6 librea de bicarbonato de eoda.
200 bichea hamburguesas, davaodo aerem re
mettidas aa caixio contando barro proprio.
1 balance decimal pequea com pesos.
4 libras de beojoio.
25 boioss de porcellsns de 8 oncas.
25 dito* de porcellana de 6 on$as.
20 libras decevada.
50 caixas da capsalas de copahiba.
2 libras de chloroformlo.
4 libras de carbonato de soda crylalisado.
8 libras de cara em grume.
20 libras de chlorureto de eal.
1 libra da dealochlorareto de mercario.
2 libras de eapoojat finas da t* qualidade:
9 libras da extracto de muruog.
12 jardaa de aaparadrapo inglez.
4 oncee da auencia de canalla.
4 enea* de dita de craro.
2 oncs de dita de Bar da laraoja.
1 libra de extracto de aieaeus.
2 oocaa de extracto de bardana.
2 ditai de dito da ceataari*.
2 ditas de dito de coloqatntldas.
4 ditas de dito dadaleira.
2 ditas de dito de fumaria. .
i ditas de dito de genciana.
4 ditaa de dito de rhuibarbo.'
4 ditas de dito da acilla.
4 ditaa de dito de aapenario.
12 eapatuiaa da oseo sortidas.
*> ditaa de ac aortida*.
9 oacaa de athige marcial.
4 oncas de eisencia de rosas.
8 libra de folhia de digitales.
2 libraa de fumaria nove.
1 libra de folhas do hortela pimenta.
1 libra de ditas da tanilago.
16 libraa da fioa da Robo.
2 fania de vidro grandes.
12 faadss do lado direito.
4 graes da marmore de 1 libra.
1 gral de podra grande de 16 libras de capa-
cidade.
8 libras de gomma arbica em p.
2 oncas de hydroferrro can ato de qaiaioo.
2 libraa de berva doce.
2 libras de incens
4 libras da ipacacuanha em p.
8 libras da ioderato de potassio.
2 libraa de iodurelo de chumbo.
1 libra de iodo.
8 oncas de kerme mineral.
6 arrobas de liohsca de Ia qualidade.
2 libraa de limalha de ferro pulverisada.
2 arrobas de maofeiga de purco.
2 arrobas de malvas.
64 libras de maon commam de Ia qualidade.
24 libras de macolla nova.
8 caadas de mel de abelbas.
4 oncea de nitrato de prata fundido.
10 eaderoos de papel da cores ortidos.
2 resmas de papel de Hollanda de marca gran-
de pastado.
2 libras de mirrha.
24 vilroa de oleo de mai'.cuco.
32 libraa de oleo de ricino.
31 libras de oleo de amendoas.
1 libra de protoiodureto de mercurio.
4 libraa de pommada de pipino franceza.
30 caixaa de pastilhas da Naff.
2 libra* de pastilhas de sa atocina.
4 libras de precipitado rubro de mercario.
4 maos de papel de nitro.
60 vidroa de pllulaa de Blancard.
12 caixas de pilalaa da vida.
12 vidroa de pilulaa vegetaei.
2 libras de pommada de cacao.
70 vidroa de pe de rog.
2 (rosas de peona* d'aco de 1" qualidade.
2 libra* de protocblorureto de mercurio.
2 ditaa de raz de valeriana.
2 ditaa de dita de genciana.
1 dita do dita da bialorw.
1 dita de dita de termentilla.
1 dita de dita de gilbarbeira.
1 dita de dita de sipo.
8 ditaa de resina de angico.
300 rolhas de cortiga (novas).
2 libras de salsa hortense.
8 libras de^sspermacete fino.
8 on^as de sulpbal<> de qsiaino de Pellitier.
4 libras de sueco de pepino.
48 vidros de salaa parrilha de Bristol.
4 arrobaa deaubhalo de magneiia.
2 arrobaa de aalaa parrilha.
2 libras de trtara emtico.
5 garrafas de vinagre de Ia qualidade
Vidros de 1 onca, 2 ditas, 4 ditaa e 8 dita*, 3
dazia* de cada um,
50 garrafaa de vicho do Porto de Ia qualidade.
12 vidroa de xaropea de Naff.
12 garrafaa de xarope peitoral inglez.
2 resmas de papel azul para embralho.
50 rolos de encerado de Sepeldriel.
Quem quizar vender laes objectos aprsente as
propostas em carta fchala* na secretaria do
conseibo, s 10 horas d maohaa de dia 30 do
corrente mes.
Sala daa sessoes do conselho administrativo
para feroecimento do arsenal de guerra, 20 de
junho de 1862.
intonso Pedro de $ Barreta,
Coronel presidente.
Francisco Joaquim Pereira Lobo,
Coronel vogal aecretario ictrico.
sao.
filos iarUsioi.
Pela recebedoria da rendas interna geraes se
faz pablico que neste crranle mez se linda o
praso do pagamento, sem multe, do segando se-
mestre do exercicio correte dos segaiotes im-
postos, decima addicional de mio-morta, impos-
to de 20 por cento sobre tojas, dito especial so-
bre casas de movis, ronpss fabricadas em pais
eatraogeiro, a que do 1.* de julho em dlante se-
ro pagoa com a multa de 3 iO
Recebedoria de Pernambuco 6 de junho de
1862.O administrador,
Manoel Garnsiro de Souza Lacerda.
- Pela theaouraria prorioclal se faz publico
que a arremataco doa reparo do aiUo n. 1 da
estrada de Parnameirlm, toi transferida para o
dia 26 do corred.
Secretaria da thesourria provincial de Per-
nambuco 13 de junho de 1862.O secretario,
Antonio Parreira da Anounciacao.
- Batalhao de artilharia a pe n. 4,
O conaelho ecooomico contrata para o forneci-
mento de anas prscas durante o %.' semestre* do
cerrante anno, oa gneros alimenticios segaiotes!
arroz pilado, assucar mascavinho refinado, azeite
doce, bacalho, carne aecca, dita verde, caf, fa-
rinha, feijo, leoha, manteiga franceza, pea de
6 oncas, dos de 4 occaa, sal, toucinbo e vina-
gre ; os ditos gneros devem ser de primeira
qualidade, e qnem os qulzer fornecer, pode apre-
aentar as suas propoilaa na secretaria do batalhao
al o dia 25 do correte, pela* 10 horas da ma-
cha.
Quartel na Soledade 16 de junho de 1862.
Jos Joaquim Ferreira de Paira.
2. tenante agenta.
Conselho ecooomico do batalhao de in-
fantaria d. 9.
Semwtra segundo ds julbo a deiemhro de 662.
Precisa o mesmo conielho contratar para suas
pragas arranxadaa os genero* seguiotes : *
Aisucar branco de carneo, arrox pilado, azeite
doce, caf em grao, farinha de mandioca, feijo
preio ou mulatioho, manteiga franceza, toucioho
de Sanloa, Lisboa ou da lerr*,',inagfo de Lisboa,
bacalho, carne senes, carne verde, lecha em
acha*, pSe* de qaalro e aels eneas : ss bases do
contrato serio presentada* pele ceoeelho na
respectiva secretaria palaa det horas da di* 28 do
correte, sem mais sapera, para o que convida a
concurrencia dos senhoras negociantes, como taes
conhecidos, e que se obriguem a fornecer lodos
os gneros, menos pies que de ramo diverso,
de boa qualidade.
Quartel aa cidade do Recile 14 de jucho
1861.O tenle satrejsrio. Jos Francisco
Horaes Vaaconcelloa.
Da orum Jo"Ma. Sr. inspector deita the-
oarerla, e sm ou"eraoela ds ordem do tribunal
do theaoaro n. 81 de *8 d MI del "<>. *>
pelo presente convidada pensionistas do es-
tado abaixo declaradas qaanw' ">\ea apreseota-
rem os ttulos- deelsratorios de ieva noclmentos,
afta da qae ae Ibes possa abrir o respectivo ai-
aentamanto, aob pena de ibes nao seren) pagos o
ditos vsoelmentos sem o referido assaotamento.
Francisca da Pureza da Oliveira a Silva,
Francisca do Reg Brrelo.
Ignez Amalia Goei de Brito.
Joaepha do Reg Brrelo.
Varia da Conctalo Cavilcanti Barros.
Mara Egypciiea de Loeio.
Mari* do Reg Brrelo.
Secretaria da theaouraria de faxenla de Per-
oambnso 27 de maio de 1862.
Servndo de officisl-maior,
Manoel Joa Pinto.
Conselho administrativo.
O coaaelho administrativo, para fornecimeqto
do arsenal de guerra, tem de comprar oa objectos
seguales :
Para prorimento dos srmazena do slmoxarifado
do araenal de guerra.
34 (echaduras para caixaa.
4 ditas pequeas para ditas.
5 arrobas de oleo de linbaca.
2 arroba* de amarello fraacac.
4 duaiea de brocha* sortidas para pintor.
Quem quirer vender t*a* objectos aprsente aa
sisea propostas em carta .fachada n* aecrataria do
comelho, a* 10 horai da manha do dia 30 do
correnta mez.
Sala das sesses do conselho administrativo,
para rorneeiaaaato do arsenal de guerra,"20 da
janeo da 1802.
Antonio Pedro de S* Brrelo,
Coronel presidente.
Franoitco Joaquim Pereira Lobo,
Coronal vogal aecretario interino.
Ocomelho ecooomico do batalhao de infan-
tina numero 2, tendo de contratar no aegundo
aemestre do aono que corra, o foroecimenlo dos
gneros sbaixo declarados, de boa qualidade,
para alimentos de suas pravas no referido se-
mestre, eonvida i pessoaa que ae quizsrem en-
carregar de prover taea gneros, a apreaentarem
suas propostas em carta fechada na secretaria do
masmo batalhao, no dia 27 deate mes s 10
horas da manhs, a saber: assucar braoco de
caiza, e mascavinho refinado, arroz pilado, azei-
te doce, bacalha, carne verde, carne secsa, caf
em grao, farinha da trra, feijo, manteiga fran-
ceza, toucinho. vinagra e lecha. Quartel no
Hospicio em Pernambuco, 20 da junho da 1862.
O alteras secretario,
Maooel Anselmo Pereira Guimaries.
Consulado de Portugal,
Segunda feira 23 do correte pelas 11 horas da
manha, em presenca do cnsul de Portugsl, se
ha de arrematar em ioilo publico, feito pelo por-
teiro do juizo de ausentes, na coebeira n. 27 da
raa do Imperador, que foi do finado soblitopor-
tugaez Joa Ribeiro de Faria, todo o material da
mesma, 4 carroa, 1 coup, 8 cavallo*. 1 carraca,
e vanos movis do uso do fioedo. A venda aera
feita a dinheiro* oa e praso, conforme melbor
coovier aos ioteresses do espolio. Recite, 17 de
junho de 1862.
Consulado de Portugal.
Quinta feira 26 do correte pelas 11 horas da
manha, perante o cnsul de Portugal, se ha de
proceder ao lerlo feito pelo poiteiro do juizo de
ausentes, de um* casa que foi do finado subdito
portugaez Jos Bernardo de Hedeiros, sita na Es-
trada Nova do Cachaog, e de varios objectos
existentes ns mesma, perteocsntei a urna taber-
na que ah havia. Recite, 17 de junho de
1862.
Cousulado de Portugal
Quarta feira 25 do correte pelas 11 horas da
manha, em presenta do cnsul de Portugal, se
hao de arrematar em leilo pablico, feito pelo
porleiro do juizo de ausentes, as fszendas e di-
id9 (! pvrleoceo* o Ubeleeimeuto.
que Rui do fina Jo subdito portuguez Joaquim Jos
Ribeiro de Olireira, ailo oa coa Direita o. 55,
oneia'*e acharo as mesmas fazendas, bem como
em seguida sa arrematario varios'movis per-
tencentes ao meamo finado, que se acham oa raa
do Rangel, caaa n. 46 de Jos Ferreira dos Res.
Recite, 17dejaabo de 1862.
Pelo juiz de paz do aegundo diatricto da
freguezia de Sanio Antonio se faz pablico, que
as audieoclas terio lugar as quartas-feiraa e
sabbados aa 3 horas da tarde, na raa do Ran-
gel o, 20.
Companhia de cavallaria de
Pernimbuco
Precisa-se contratar o fornecimento para o
segundo semestre prximo futaro dos gneros
abaixo mencionados :
Rancho.
Aisacar refinado, manteiga franceza, caf mol-
do, pies de 6 oncas, carne fresca, dita de char-
que, bacalho, teijao, azeite, vinagre, toucinho,
arroz, farinha de mandioca, verduras, temperos
e lenba em acbas pequeas ; schando-ss as por-
gues para almogo e janlar designadas naa res
poetisas tabellas, aa quaes se acham nesta secre-
taria a disposigio dos Srs. licitantes qae deso-
jaren) ver.
Forragens.
Racao para cada um cavallo em argola : 1 1 [2
arroba da capim de planta, 1|32 de alqueira de
milho, raeia libra de faretlo e 1 garrafa de mel ;
carreado alm disto por conta do fornecedor a
diaria de 15 paga a companhia de Beberibe pela
agua consumida com a cavalhada.
Ossenhores quess propoiaram a tal forneci-
mento dirigirao auaa propostas em earta fechada
a aecrataria desta companhia no di 26 do cor- i,
rente at aa 11 horas da manha.
Quartel no campo das Princesas 20 de junho
de 1861
Hanoel Porfirio de Castro Araojo,
Capillo commandante.
COMPUlHIaBRlSILEIIU
DE
MOOETEf k nvm.
At o di* 23 do crrante esperado dos portos
do norte o vapor nacional Paran, commandsn-
la capilaa-leaente Joa Leopoldo de Noronba
Tur reza o, o qual de pois ds demora do coito, me
aagair para os portos do sal.
Desde j reeebem-ie passageiro* e encaja-se
a carga qae o vapor poder condazir a qaaldeve-
r ser embarcada no da de sus chegada, *n-
commendaa e dinheiro a frete at o dia da sabi-
da as 2 horas: agencia ra da Cruz n. 1 -
ariptorio de Antonio Luiz de Oliveira Azevedo
& C
Rio de Janeiro
O brigue nacional Alfredos, segas com brevi-
dade a tasa meio earregamsnto tratado : para o
reato, trata-se com os consignatarios Marques,
Barros^ C. largo do Corpo Santo a. 6.
LEILO
A 25 do corrate.
O mu OllsWMi UUie a raanariaento
da Jama* Rvder A ;pof sator!.5o dolo.
8f. aepector da atindela e pfle-W*. a risco da
',M" ?erl"COT' M dttfl, 5274 S277.
toaWndo4pecM)^ceaeUjn|od avena-
das, vind*. de Livsrseel pelopsvtoglairln-
caio. como tudo foi aompeuataanaea veflcado
oa forma do eaiylo :
QUArtTA PEIRA 25
do (arresta, ao* maio di* are ponto, oo lugar ds-
tataao*) na qjta alfaodaga. *^
LEILO
Tasso Ir maos fazem leilo por couta da quem
pertepcer e por inurvencao do agente Peetaata,
de 27 pipaa de vinho tinte- da acrediUda arca
Bar, em Iota a rootade de* compradora* nre*-
mo pipa por pipa, a dinheiro ou a praso corno le
con ven tiooa r n acto da lailao : aesjuis-feir
23 do correte, aa 11 boraa em ponte, no are
mazem baria do Lif ramelo no Forte do Matto
Para o
Rio-Grande do Sul
com escala pelo Rio de Janeiro
seguir com toda a brevidade o brigu nacional
Mrquez de Olinda, de primeira marcha, tem
ji prompta a maior parte de seu csrregameoto :
para o reatante trata-ae com Manoel Ignacio
de Oliveira & Filho, no largo da Corpo-Santo
n.19.
Maranbo e ^ar.
O patacho Paulino segas em poucoa dias, tem
mil barricas de aaiucar tratadaa, para o reito
trata-se com oa conaignatartos Marques, Barro* &
C-, largo do Corpa Santo a. 6.
Rio de Janeiro
Pretende sagtrir com muita brevidade para o
Rio de Janeiro oreleiro e bem coohecido brigae
oaiionaicAlmirante, tem psrte de seu csrrega-
meoto prompto ; para o reato qae Ihe falta, tra-
ta-ae com os sus consignatarios Antonio Luiz de
Oliveira Azevedo, oo seu escriptorio ra da Cruz
numero 1.
\
C
LEILAO
DE
carro, 2 cavados
una negra.
O agente Pestsn* legalmente attorisado ven-
der por conta de quem pertencerem leilo pa-
blics 2 grandes e bonitos cevellos para carro, 1
carrinho de 4 rodaa que trabelha com 1 e 2 e~
vailoa e urna preta da meia idde: sabbado 2)
do corrente pelas 11 horas da machia na porta
da aisociago commercial.
Para Maranho e Para.
pretende seguir com muita brevidade o veleiro e
bem coohecido patacho nacional Emulacio, ca-
pitao Antonio Gomes Pereira, tem parte de sea
carregamentq prompto ; para o reato que Ihe fal-
ta, trata-ae cm oa seu consignatarios Antonio
Luiz de Oliveira Azevedo & C. no seu escriptorio
ru* da Cruz n. i.
Aracaty
Segu no dia 20 do crranle o palhabote San-
ta Cruz, reseb* carga a frote : a tratar com Cae-
tao Cyriaco da C.M. & Irmio, no lado do Cor-
Spo aoo n. 23.
liba de S. Miguel.
Pata a Ilha de S. Miguel, segu com muiU
brevidade o patacho porlaguez Lima de primeira
marcha, tem dous tercos do seu csrregameoto
prompto e para o vatio da carga, pa*tageiros:
trata-ae com oa aeus consignatarios Joio do Reg
Lima & Irmio : na ra da Cruz n. 38.
Para Lisboa.
Tem de aahir com muita brevidade o lagre por-
tuguez Julio, de superior marcha, tem .a maior
parte de aua carga comprada, e para o resto da
mesma e pasaagsiros, a quem offerece oa melhb-
res commodos, trata-se com o coosigoatario Tho-
maz de Aqaino Fonsscs, na rus do Vigario o. 19,
primeiro andar, ou com o capitao o Sr. Francis-
co Antonio Meirelles, na praca.
re
AVISOS COMPANHIA -
DE ,
Seguros mar-
timos.
Utilidade publica.
A direccao desta companhia convida aoa Srs.
accionista* a comparecerem no dia 23 do cr-
rante ao meio dia oo aeu escriptorio na ra da
Cadeie, aflm de elegerem um director e um aup-
plente.
Recite 18 de junho de 1862.
Jos P. da Cunha.
Feliciano Jos Gomes.
LOTERA
1IOJE 21 do corrente se devera'
extrahir impreterivelmente a terceira
parte da segunda lotera a beneficio do
Gymnasio Pernambucano. (terceira con -
cessSo) no consistorio da igreja de N. S.
do Rosario de Santo Antonio. Os burle-
tes e meios biihetes acham-se a venda
na respectiva thesourria ra do Crespo
n. 15, e as casas commissionadas pra-
ca da Independencia n. 22 loja do Sr.
Santos Vieira, ra dalmperatriz loja de
ferragens n. 44 do Sr. Pimentel, ra
Direita n. 5 botica do Sr. Chagas, e
na ruada Cadeia do Reeife loja u. 45 do-
Sr. Porto.
As sortes de 5:000$ at as de 10$ se-
ro pagas urna hora depois da extrac-
cao, easoutrs, porm, no dia imme-
diato logo que se ten liara distribuido as
istas.
O tliesoureiio,
Antonio Jos' Rodrigues de Souza.
Rio de Janeiro
segu com brevidade o palhabote cPledade, re-
cebe carga a frete; a tratar com CaetanoCyriaco
da C. M. & Irmio, no lado do Corpo Santo n. 23.
Bahia
Sagaa nesles diaa o hiale aSanta Ritas, recebe
carga a frete ; a tratar com Caetano Cyriaco da
C. M- & Irrr.o, lado do Corpo Santo o 23.
Theatro lyrico
Declara$o e protesto.
Hitje quinta feira 10 de junho de 1862, tendo
sido iotarrogada por aeim abaixo assigoado, a
Sra. Corbari, ae eslava prompta acumprircom
aaaa obrigsges do contrato que a liga contigo,
com o publico e com o governo daata cidade,
respondeu RECUSO, em quantonofor odian-
tado um mex de ordenado ao Sr. Belli I lato
ella disse na preaeoca do Sr. maeatro Innocencio
Smollz e de toda a companhia que eslava en-
satando a opera Luiza Miller para aabbado ; a
todoa eatao promptos a rapeti-lo, ae for preciso.
l'ortanto qaelqaer damoo, orejuizo ou desorden)
que disso possa resultar, a da interrapcao dos
espectculos, ji se sabe a quem devida.
Com mais vsgar darei minuciosas explica-
res.
G. Mahihanceli.
CASSINO POPULAR
BAILE
Para o Rio de Janeiro, recebe am resto ds
earga a frete a barca brasileira .Coneeicio :
tratar no escriptorio da Amorim Irmlos, raa da
Cruz n. 3.
Alaga-ae o primeiro andar da travess* do
Cimpello n. 4, proprio para rapares solteirot,
escriptorio a pouca familia.
Club commercial
A directora do club commercial, nio podando
ser estraoba ao* acaoteciosaato* qae ltimamen-
te se tem offerecido na praga, motivando um ge-
ral desgoslo, com eaptcialidade s pesioeado
commercio, a maior parte das quaea perteace
sociedade: tem reaolvido ficar sem effeito a rau-
niao familiar do correte mez, annunciada para a
noitedu dia 21.
Sortes para S. JSo e S Pedro.
Na ra do Cabugi n. 2 C, loja do lelo de oaro,
vendem-se sortes mnito bem feitas. para S Joio
e S. Podro, pelo barato preco de 20 rs. cada urna.
Para
Rio de Janeiro,
segu com toda brevidade a linda e veleira barca
nacional Iris, de primeira ctasse, capitao Gas-
par Leit* de Faria, a qual tem parte de aeu car-
raga ment prompto .-"para o resto, trata-ae com
oa aeua consignatarios Aranaga, Hijo & C, ra
do Trapiche Novo n. 15.
GOlPtfHU
BICUU
Ama,
Precisa-se de urna ama que seiba ceanhar e
engommar : na ra la-ge de Roaerio n. 22.
Fazem-se bolos, podinse pio-de-lot, par aa
Testas de S. Joio e S. Pedro, enfeitam-ae bao-
dejaa para bailes e casamento*, faz-se tad* e
qualquerencomosaada de ro*a* tanta para alo-
ja* como para caaa* particaiares daa que est
muito em moda aa aeohoraa trazerem para *-
feite na cabeca, assim como flores de todas aa
quaiidedee : na ra da Rods n. 48. sobra'lo'.
DE
MASCARAS EPHANT ASI A
MAGESTOSO SALO
Navega^o costeira a yapor.
Parabiba, Rio-Grande do Norte, Macau,
Aracaty e Cear.
O vapor Iguarassu, commandante Yianna,
aahir para os portos do norte at o Cear no dia
tt do corrente ia 5 boraa da tarda. Recebe car-
ga at o dia 18 ao maio da. Encommendas pas-
ssgeiros e dinheiro a frete at o dia da sabida a
2 horaa. Escriptorio no Forte do Mattoa o. 1.
Os credores do Sr. tteolo Alvea que h
ponco foi rbubado e soffre urna tacada dentro
de sen astabelecimento na cidade de Olinda, no
lugar Varadouro, queira apressnlar aa auaa con-
taa correles para ae poder reconh9ter o que o-
meamo senhor dave corto que nao o fazendo em.
5 dias o producto do estabelecimente ser ratea-
do palos que se apresentarem neite prazo, ta-
cando todos o maia sem poder reclamar, en-
trega das conta* aaro feltaa no armazem ao P
da Madre de Dos n. 5. ^_^_
Antonio Nunes e Oliveira reur*-se pata
fora da proviucia a tratar aa sua asuda, detxa
com npderea baaUntes para tratar de ae*i* nego-
cio cVmerciae e particelaras seu mano ios*
Nunes da Oliveira e o Sr. Amonto Lopes Breg.
Precisa-se de um calxeiro qaaajfiteja b.'-
billtado a tomar contada urna taberna a que d
fiador a sua conducta, faz-se algum ioteresee :
quem se achar habilitado dirija-ae a ra da Cru*
do Recite o. 36, que aharcom qoem tratar.
tBllOCa.
:.
no
JJ PALACETE DA RA DAPRAJA.
Consulado
Pela mesa do cnsul]
blico qaa os 30*Jia|
brapcj a bocea "
asanNrarnancairo
poatoa da dcima
proviaeial.
provincial aa taz pu-
15
Vaccas e bois.
w
s
Al
l4e Caaaino Popular dan hoja baila de
maacaras a aem lisa; aera manlida a boa ordem
e obasrvada* a* diaposicoes da r***ju*salo In-
terno approvado pelo lllm. Sr. Dr. anafe de, po- Wriao
raaarva
irada pa dimai, gralU; pi Mlhiiioa
21 fto con-eiute.
o dia cima mencionado haveH
talhairo tuiftoido m fot ? ftownf.
Attencai).
oleario Saiai.a A* CixvalhaiSeiw **cVe a
taaaaiiaael publico qua o ({> IbmiJsIo>*
cubada Piebie1$**&g*l
re.podente do Sr. Jto**J^?!
dito.
nao aatreta
ao san cre-
_0*a
,.li* pava ir aala
anteada coa n que anota
,a%
ndo 0 Sr. eaUaanin da
Z-"'EreaMa-Md.a.car*a ortWat**
< ....i uu taberna, com praltea wa aaaa ana
prateriodo-af
di PotU IM *0 Wats vaiatttt B,44,
team

al

--- --*


,/
TJHlff
DE
a vapor
H-OUp* lavada ~e fcogommada ao os p*pu, queira mandar
entregar essas quaatias que
existam etu seu poder coma
deposito, alias se ptHHicar
seu nome e mais cartas pelas
quaes se prova a existencia
deste negocio.
t>Sr. empregado publi-
co que receDeu diferentes
quantias para pagamentos de
objectos de sua reparticoj
*
U Dt JDNHO m leVM.
de Ramos 4 Pimentel.
Oa donoi doa numeres abaixo mencionados
podem mandar bascar ai roanas lavadas que es-
to promptas: 153. 123.jj?86. H. 138. 83, 109,
77, 84,1.52. 71. 70. li 34. 1. W
Desmentida aos Sw. Barroca k le-
ieiws.
Os herdeiroi dt D. Antonia H aria daastro,
respondendo 4 um aviso, feito em nomo fvfirma
social de Barroca & Medeirfn talvez que o altimo
deites senhorea nao teohs conccrrido para um
tal stio, em que se adverta ao p iblico para qae
pessoa alguna podesse contratar sobre tos bens
oeixados por aquella senhora, tem a declarar que
no dito aviso a falla duplicamente a Terdade,
pola ero exislem sentencia, como fallamente all
declara, que houveasem obrigado a dita se-
nhora, boje a seus herdeiros. a tasar a Barroca
Medelroa quaotia de 487549757, nem acco
que pende em julio, mat aim juli$smeoto algum
na que aepedia a dita D. Aotooiii aqulla quan-
tia, a pertenceote a firma de Barroca & Me-
deiros, e aim de Barroca & Castro em liquida-
jo, seado de mais que nos masaos autos deisa
queslo correm os arlijoe de ubjb reconveoco
por maior quaotia que a da ac^io : o qoe existe
para cora a firma de Barroca & Mcdeiros, urna
sen tenca por orla obtld contra a referida senho-
ra, qual sendo, como de duzentos e tantos
mil rii, os herdeiros trata m de pega-la, como
ji se entenderam com um daquelles socios, nao
obstante o importe da mesan pirovirde precos
de alguna cortea de vestidos mandados vir da
Europa pelo desditoen socio que ra do br. Bar-
roca, Jos Leo de Castro, irmao dos responden-
tes, para sua familia, e aasuSiegados depoisda
morte do mesmo, e ao Si', jVanoci. aprouvp debi-
tar a dita senhora no imparte delles para com a
outra rma,entretanto que oo cera aioda con-
tas em juizo, para onde fra chamado, da socie-
dade Barroca &. Castro em liqidcSo, nao obs-
tante decorridos qvalro anua depois do falleci-
mento do socio, e laom seoleocaa que
ainda no se deram, (avio ni os seus adver-
sarios como devedores daquelh ,'raado quanlia
por duas sentencas, que od existem, mailo ven-
turoso o Sr. Barroca pOrprevcr futuros ; aos
herdeiros s cabe a W na jueca, e conada nol-
is e rselido dojuiz, nao esaorocero na con-
ferida ; offereeum ao publico a'certido iofra, que
prva o ijuanto (alto o que se diste no tal avi-
so, que nio poder proiuzir o cfTeito d<8fjado de
nterromper a venda de alguas bens da referida
senhora, a qual foi ordenada pelo juiz do inven-
tario dalles para pagamentos de dbitos justifi-
cados, e nesta bypotheae, anda quando o Sr.
Barroca livesse essas duas inventadas sentengas,
e que ellas foisem em favor-de sua rma com o
Sr. Medeiros, nio teria direito a tolher aquella
venda, poiaoutro serla o meio que a lei Ibe con-
cederla, a muit menos por simples annuncio,
que, como aeeonhece, contem faliidader.
Illm. Sr. Dr. jais de direito. Direm os her-
deiros de D Antonia Mara |de Cistro, que para
bem de sea direito pracisam que o escrivo Ma-
ooel alaria Ibes certifiqese a questo de accao
ordinaria, em que se peala* a quaotia de ris
I8:754g757 mi dos supplcantei, dita D. An-
tonia, proposta em nome da Barroca & Medsi-
ros, ou de Barroca & Castro em liquidagao ; e
ae j houve julgado, queobrigisse a antecessora
doasupplicantes ou a estas snemos, a pagarem
a referida quaotia : pelo que pede a V. S. assim
o mande.E. B. Me.
Manoel alaria Rodrigues do Nascimento, serven -
tusrio victalicio do officio de ascrivio do juizo
eapecial do commeicio desla cidade do Recite
de Peroambuco seu termo, por Sua Magesta-
de Imperial que Deus Guarde, etc.
Certifico que pelo meu csrlorio pendem una
autos de acco ordioaria de Barroca & Castro em
liquidagao, contra D. Antonia atara de Castro,
hoje aeus herdeiros, cujo pedido de ris
16:226$587, a qual ainda nao foi jnlgada.
O referido verdade e aos supramencionados
autos me reporto.
Recite, 18 de junho de 1862.
Subscrevi e assigno.Em ce verdade, o es-
crivo,
Marjoel Maris Rodrigues do Nascimento.
AO COJMMERCIO.
Haveodo expirado o praso de duracao da
aociedade cotnmercial estabelecida nesta praca
sob a firma deAlmeida Gomes, Aires C.os
seus socios absixo sssigoaduj de commum
accordo resolveram dissolve-ls, entrando desde
o 1* do correte mez em liquidaciio, que flea a
cargo da extioctafirma, a qual nio est compro-
meltida em reiponsibilidade do qualquer oatu-
reta e julga nada dever nesta praca, pedindo
todava aquem quer que sejulgnr com direito a
algama reclamaco oeste sentido de se dirigir
com a maior breridade possivel A ra da Cruz,
armazem n 27.
Recite, 14 de juoho de 1862.
Antonio de Almeida Gomes.
Miguel Jos Alve.
Jos Nogueira de Souza.
Havendo espirado o praso de duraco da
aociedade commercisl estabelecida nesta priga
sob a firma deNogueira de Souza & C.os
seus socios abaixo signados de commum accor-
do resolveram diasolve-la, entrando desde o 1 do
correte met em liquidaco, que fica a cargo da
extiocta firma, a qual nao est comprometida
em respoDsabilidade de qualquer nalureza.
Recite, 14 de junho de 1862.
Jos Nogueira de Souza.
Miguel Jos Alves.
Antonio de Almuida Comes.
Antonio de Almeida Gomes, tem a honra
de participar aos sena amigos e ao corpo de
commercio que, nicamente em seu nome como
oui'o'ra, conljoua nos mesmos ramos de negocio
de que se oceupava a extiocta firma deAlmeida
Gomes, Alves & C., da qual fazia parte.
Reeife, 14 de junho de 1862.
Ra da Cruz n. 27.
ASSOCIACAO AMOR AO PRXIMO.
O actual thesoureiro da meare a aociedade,
comprou o meio bilhete de n. 2,692 da 3a parte
da 2a lotera a favor das obras do Cymnasio.
Francisco Jos de Paula Carneiro.
Thesoureiro.
A pessoa que no mez de uaio oa abril
ffereceu um santuario com i m geos, por troca
de una praoxes de boas madeiras, anoaocie s
sua morada para ser procurado por ama pessos
do mato que deseja fazer este negocio, ou diri-
gir-se a ra da Penba sobrado da esquina do Sr
coronel Joaquim Bernardo de Figueiredo no 1*
andar que achara con) quam tratar.
Audr Bolero sabdito italiano, relira-se
para o Ceera.
Jacome Ulysses e sua irona retiram-se pars
os por tos do norte do imperio.
Juiio Jos de Araujo subdito portuguez
egue no paquete francez pasa a Europa.
Custodio Antonio Soares, testameoleiro do
tuiado Ponciaao Lourenco da Silva, pelo preseate
roga aospaes dosafilhados e afllhedas do mesmo
finado que se apresen tem competentemente habi-
litados para raceber a quantia de rs. 50$000 cada
um qoe o mesmo finado em eu testamento dei-
ioi, isto no praso do 15 dias, os ra larga do
Rosario n. 46 .;-
Attenco.
Desde o dia 28 de abril prximo passado,
cfaa-aa fgida a ascrava Manoela, cabra, est-
tuza regalar, idade 38 anoos pouco mais on
meaos, com falla de denlas s frente e tem as
vaias daa pernss muito salientes ; levou comsi-
8 "aaa caixa com fazendas que andava venden-
do, ua importancia de mais de 2000000 igual-
mente cha-se fgida a escxwt Benedicta, pre-
ta, I i 35 snoos pouco mata ou aienos, esta-
tura reg^Ur, bu1o tabaqalsia, slada, nariz
fino, ollMM apatudps. barrigs saliente, e ps
grossos.
Oaam as aprehender queira lera-las i
Afilelos, do qainto sitio alm da i(;rja, que ae
recompensar. Outro sin?, protesta-s proceder
cora todo o vigor da lei contra quam quer que
aeja qua as tiver acoutado.
"--Jos Antonio Airas retir*-se pira Porta-
gal, levando em sua compaohia sua canbada.
Maria Thereza Barbosa. t
~ SilvinoGuilherme da Wrroi compra eacra-
?os de ambos os sexos: oa roa da Imperador n,
79, primatio andar.
Sslrador Rodrigaes da tVa v Janeiro.
Ha raa da Palma da frsgaazin de 8. Jos,
n. 59 se dir quam d- premio aOOJIWO coa by-
potbsca em saja lerraa,
I
* (
Faz-se publico a quem convisr, que a audi-
encia deste juizo que devia ser na terge-faira
14 do crrante, psssou a ser na seguoda-feira
23, por ser dia santo o referido dia 14. Pri-
meiro districto ds freguezia de Santo Antonio do
Racife, 20 de juoho de 1864.
Ra estreita do Rosario n. %%
primeiro andar.
O dentista Numa Pompilio planta denles arti-
ficiaos por grampos e ligaduraa e a presso do
sr, denles iccorruptives sobre oaro, systema
norte-americano e faz todas as operage* do sua
ra e com promptid.9 e limpeza
{ Dentista de Pars. *
15Ra Nova15.
FreJerico Giutier, cirurgio dentista
faz todas as operares desua arte a e co-
loca denlas artificiaos, ludo com -sdeln
rioridade perfeigo que as pessoas-,er.
tendidas Ihe reconhecem.
Tam agua e pos den ti fie ios, etc.
Alaga-se um preto de 20 snnos, para aervi-
go de alguma casa de familia oa qualquer oulro,
menos padaria, na raa Direita d. 95 ; tambem se
informa, para quem precisar comprar urna das
melbores tabernas na mesma ra, muito atrege-
zads, tanto para o mato como para a trra, e se
faz negocio a voniade do comprador, pela razio
do dono oo querer mais taberna, e tomar oatra
industria.
Aviso aos Srs. de engenho.
Um homam casado, que tem estado na Franca
ha mais de 10 snnos, se offerece a ensinar pri-
meiras letras e francez, e sua senhora, costara e
prlmeiras letras, pela pratica que j lem de ter
eosinado em alguna engenhoa desta provincia :
quem precisar, dirija se ao segundo andar do so-
brado da ra do Livramenlo n. 31, que achara
com quem tratar.
Preciaa-se alugar um preto para todo o ser-
vico de casa ; na ra do Livramenlo n. 31, se-
gundo andar.
k, RA M QUEMADO UM
PAt>hGEANDE20ilTIMEIiT Sortimento complato da aobracasacas da panno a 259, 289, 809 a 359, caaacoa maito bem
taitas a 25g, 28$, 30g a 85g, palatoU aaasaaados da panno preto da 16 at 259, ditos da caaamira
da cor a 159,181 a 201. palatols saceos da panno casemira da 89 al 149, ditos saceos da alpaca
m ri a l da 49 at 69, sobra da alpaca a merino de 79 at 109, calcas pretaa da caaamira ds
89 at 14f, ditoa da cor da 79 at 10$, roapaa para menino de todos os tamanhos, grande sorti-
mento da roupas da brins come sejam calcas, palstots, a colletas, sortimento de colletas pretos dt
setim, casemira a velludo de 49 a 9|, ditos para casamento a 59 a 69, paletots brancba de bra-
mante a 49 e 5f, calcas brancas maito finas a 5|, a am grande sortimento de fazendas fina s e mo-
dernas, completo sortimento de casomiras ioglezas psra homem, menino e senhora, seroalss ds
linho a algodao, chapeos da soldeseds, Uvas da seda de Joavin para homem e senhora. Te-
moa ama grande fabrica da alfaiata onda recebemos ancommendas de grandes obras, qae para
sso est sendo administrada por am hbil mestre do samelhante arte e um pessoal da mais da
oncoenla obrairos escolhidos, portento exceulamos qualquer obra com promptidao amis barato
de qae am oatra rxaalquer casa.
DE
J
|Estabelecido no lugar da Capunga,
mais prximos da cidade dt
DIRECTORO BACHA.REL EM MATHEI
leiHABS reiEDIA 16) SffilfJ)^
O director do intrnalo de S. Bernardo nao tendo evitado_j fieajmjb sacrifi-
cios para proporcionar aos seus alumnos ama perfeita 4a*aflH Saft, intel-
ectual e religiosa, offereceodo-lhes urna habitacao com todas sal i de sala-
bridade, habis professorea qae sao solcitos em prepara- los codH Ate a o flm
a que se deslinam, medico pratico que lhas faca comprehendsr oa pre loa da bygiene
e lhes cure as doencas, e finalmente um sacerdote ilustrado e honesto- m lhes expli-
que os principios da religiao christaa, espera aaa assim constituida aft |eixar o sea
estabalecimeolo de merecer dos Srs. paeadja familias o auxilio 4M com que j
alguna o tem honrado; e lhes roga, bem como a todas as pesseaa I snasadae, que se
diguem de visitar o mesmo seu ettabelecimento, onde sempre Sarao franco in-
gresso.
O collegio tem a sua sede as elegantes e espseosas propried m* Sr.* flava
Lasserre e dos Srs. Roberto & Filho, Capunga Velha. -
Com o flm de tornar maia brevas e commodas ascommueicac5es dos Srs. pses e
correspondentes, o director lhes avisa que as encommeajaa e todas aa correspondsn-
cias podero ser entregues na casa da residencia d sau irmao o Dr. Pereira do Carmo
ou na loja do Sr. Joaquim Ferreira da Costa, ra rfova n. 56.
T
. I

Hotel Tro- \
I vador. <
ffir i
N. kkRosario larga N 44(
9 O proprietario do hotel Tro- I
9 vador, ra larga do Rosario n, <
44, tendo desoecupado o tercei- <
ro andar, pela retirada dos ar-
9 tistas da companhia do circo i
f Grande Ocano, olerece-o para I
49 dar hoepedagem aos visitantes S
^ desta bella cidade, para o que se {
W acha elle devidamente prepara-
do, fornece comedoria, feita com |
49 asseio, por mdico preco, pelo (
9 que se recommenda mui espe- 1
/} cialmente aos Srs. de engenho j
que, ou por simples visitas, cu
I movidos por negocios, tenham 1
I de se demorar nesta praca, em 1
I cujo centro elle estabelecido. 1
Guimaraes & Villar!
COM LOJA NA
RA DO CE3PO M. 17.
Tendo um grande sortimento de fszendas de gosto pedem
As senhoras que
mandem vsr suss fazendss prometiendo servi-las o melhor possivel.
Acsbam de recebe'r palo ultimo vapor francez um grande sortimento de vestidoa
brancos bordados para 309, 409 o 509 e entremeios ricamente bordados largos e es-
treitos proprios para enfeitar vestidos brancos e roupas de noivas; manteletes e ca-
pas a Luis XIV e siias bordadas de todas as qualidades.
Esperam a protec das reapeitavels senhoras.
Quem espera sempre alcanca.
Mv
i nao mi
DE
Leandro k Miranda.
Ra do Crespo numero 8 A.
Sao chigados a loja da Unio Commercial de Leandro & Miranda, os desojados
F3 e muito commodos baldes da 13,15, 20, 25 e 30 arcos de precos de 39500 s 69.
Antiga loja franceza que foi|
"" de Gadauli ra Nova n. 11. i
Acaba de receber de sua encommenda um grande e variado sortimento de di-
versas mercadorias que se acham a vendana dita Toja por menos 10 por cento do que
em outra qualquer parte, a aaber :
Na ra de Santa Thereza n. 24 preeisa-se de
urna ama para cozinhar para duss pesioas.
Precisa-se de orna ama para comprar e co-
zinhar, para casa de homem solleiro ; na ra do
Qoeimado loja n. 42.
Ra Nova aM
casa de madama
Theard
Alm de oulros muilos objectos de mods para
senhoras e meninas, recebeu altlmamenteex-
cellentes chapeos de palha de Italia, gosto Ama-
zonas, a Travistas, Addaluz e Beatriz, ditos de
palha branca e deidres, dos gostos cima ditos,
ditoa de feltro, doa Roato* j indicados, dito de
alba branca e de cores escuras para mentos e
mleninaa.
m Recebem-se Bguiinos todos os mezes e faz-se
com perfeico vestidos, capas, manteletes e ves-
tiarios para meninoa se baptisarem.
Gompanhia Fidelidade de se-
guros martimos e terres-
tres, estabelecida no Rio de
Janeiro. com o capital de
16:000:000$.
Agentes em Pernambuco
Antonio Luiz de Oliveira Azevedo & G. compe-
tentemente autorisados pela directora da compa-
ohia de seguros Fidelidade, tomam seguros de oa-
e predios, no seu escriplorio,
vios, mercadorias
ra da Cruz o. 1.
Toda attenco.
Custodio Jos Alves Gaimares avisa ao res-
peitavel publico, principalmente a todos os seas
freguezes e amigos, que se madou da loja da
aguia de ouro da ra da Gabug para a ra do
Crespo o. 7, psra a bem coohecida o antiga loja
de miudezas que foi do fallecido foso Ceg, hoje
ser coohecida pelogallo vigilante,e pede ao
reapeitavel publico e aos seus freguezes e amigos,
que o queiram procurar no dito eslabelecimeoto,
onde achario um grande aortimenlo de miudezas,
que affijDga servir bem e vender por menos dez
ou Tinte por cento-. do aue em outra qualquer
parte.
m
NaruadoRaDgeln.181
' Cortam-se cabellos a 240 rs. 9
i Barbas a 120 n. A
. Alugam-ae bixas a 240 rs.
Tiram-se denles a 19.
' Sangram-se na loja a lg.
Amolam-ae navalbaa a 240 rs. J
Tesoares de costure s 120 rs., eas mais
conforme o tamanbo. w
Na mesma cas preciaa-se de um of- A
"cial de barbeiro. a
Na travessa da ra das Cruzes n.
2, paimeiro andar, tinge-se para todas
sa cores com presteza e com modo preco.
Para alugar.
Dous andares da casen. 118, no principio da
ra dp Filar em Fora de Portas, com mallo bona
commodos, ratftcados a pintados de novo, com
toda a limpeza J ^ moradia e fresca : dirijam-ae
s mesma ra
Arrenda-se a muito conhecido engenho
Qielaz sito aa freguesi* de Ipojuca ; moente
correte, maito bom d'agua : tem oa necessarioa
ediacios para o manejo ; e leu algans sitios de
lavradores : dista da vis farras e do porto de
embarque daas leguas : oa pretndanlas, podem
tratar, om o proprietario no
freguezia da Luz, ou com o Sr
Souza Baadaira n
dos Ratos,
Precisase de um trbala!
lies 4I0 refioacio, paga-se bem
M N dos Gasrarapej o. 29,
eoha pra-
"o, a tratar
Agua de malabar
do verdadeiro fabricante Lascombi, para
Ungir cabellos da cor que se quiser e com
um guia para seu uso.
Para presentes.
Ricas caizas de costurs com msica e
sem ella, o meihor presente qae se pode
dar a urna senhora que se estima.
Para hornees.
Ricos estojos contendo todos oa utenci-
lios necessarios para toilet de qualquer
pessoa que se Irata com murta limpeza,
contendo aavalhas, tesouras, pentes, es-
coras, frascos para pomada e cheiros, a fia-
dores, tloteiros, espelhos, pasta pars pa-
pis e maitos outros perleacespara ornea-
mo um.
Encerados.
Especiaes para cobrir mesa a 19, Ig50
e 29 o covado.
Para retratos.
Machinas de todos os tamanhos fraocezas
e americanas chimicaa para trabalhar am
todos os processos, copos graduados, fu-
nis de vidro, um grande sortimento de cai-
xinhas, de chsgrin, passepartousde crese
pretos e dourados, cuvetas horizontses e
vertieses, papel para retratos e todos' os
atencilios tendentes a esta arte; tambem
se collocam retratos em caiiinhaa e paase-
partous, mudam-se os qae estiverem mo-
fados Udo a vontade de seus donos.
Ricas bengalas
de verdadoira cana da India com pontei-
ras e casles de marfim, tendo nos cisles
muito bonitas figuras abarlas em relevo,
as mais bonitas que se podem acharnesle
genero.
Ditas de massa imitando alicorne.
Luvas de pellica
do verdadeiro fabricante Jonvin Si Filhos,
para homens e senhoras, brancas, de co-
res e prelas, e que continuarSo a receber
por todos os vapores francezes preco fizo
295OO rs.
Espelhos.
Desde o maior al ao mais pequeo ta-
manho com moldaras pelas e douradas
para ornamento de sala, sendo os vidros
muito grossos e de primeira (qualidade.
Para msica.
Instrumentos completos de chavea e
apistoo e tambem grande sortimento delles
avulsos com muitos melboramentos e dos
eviternas mais modernos do muito conhe-
cido fabricante Gaatrdt Aln, estes instru-
mentos se tornam muito recommendaveis
por serem maito perfeitos, e os mais mo-
dernos que existem no mercado.
Objectos diversos.
Fumo de harlebeke, marilaode, caporal,
vervique e americano, para cachimbos e
cigarros.
Seroulas de algodo de corea para ba-
nhos a 500 rs.
Camisas trancaras de todss as qaalidadas.j
Capotinhosde la psra meninos, muito
lindos de diversas cores a 1&500.
Ricas capellas brancas e de corea para
casamentes o mais elegante que aqui tem
vindo neste genero.
Chicotes americanos e francezea com
aoels e aem elle psra carroa, cabriolis e
csvallos.
Bandejaa grandes de 30 pollegadas 1 39.
Um grande sortimento de ocelos e le-
las de grao e miope.
Fundas para os quebrados das virilhas.
Velaa para carro e plano.
Leques de madreperola.
Ricos punhoa e gravatinhas para aenhora.'
Porcelanas e vidros.
Apparelboa e meios ditos de porcelsna
para jantar, candelabros de 4 e 5 luzes,
serpeolinas e lanternas com pioguetes e
sem elles, escarrsdeiras de vidro brancas
a de cores, ricas lanternas para carros e
coups, clices para vinbo e licores, redo-
mas com peanhas de todoa oa tamanhos
para imagens, vaaos para florea e encera-
das para carros de cores pretos, ditos
redondos e qaadrados para botar pratos,
lanternis a cendieiros a gaz.
Arrenda-se um sitio em Par-
nameirim
com casas de moradia, cocheirss, feilor e estri-
bara, alem de outras commodidades e boa visi-
nhanca, tem capim diario para 4 cavallos, cpquei
ros, e muitas outras arvores de fruto e ulilidade,
faz-se o arrendamento por um ou mais snnos, e
com condicoes ventajosas : trata-ae no largo do
Paraizo, n. 24 com S. A. Peres.
Quem precisar de urna criada para o servicu
interno de nma caaa: dirija-se travessa doa
Marlyrios n. 1.
Convoca cao de credores
Os Srs. credores do finado Marcelino
Antonio Pereira sao rogados a compare-
cer no dia 27 do crrante, as 12 horas da
maohs, no escriptorio do abaixo asaig-
nado, para serem pagos de suas comas
como for melhormente possivel. Reei-
fe 17 de junho de 18620 advogado,
J. Burgas Carneiro.

I

i
i
3KCM >
Figueiredo & Irmao
Ra Nova n. 18
Neste eslabelecimeoto baveri sempre um
grande sortimento do roupas feitas e por medi-
da, tanto para homens e para meninos e um
grande e variado sortimento de fazendas tanlo
ioglezas como fraocezas de bom gosto e barata,
assim como tambem diversas jolas de-oaro de 18
quilates e de brilhantes dos melbores fabricantea
de Paria.
O retratista americano
O retratista americano
O retratiata americano
O retratiata americano.
Ba do Imperador
Ra do Imperador
Ra do Imperador
Ruado Imperador.
Noros estylos de ambroiypo
Novos estylos de ambrotypo
Novos estylos de ambrotypo
Notos estylos de ambrotypo.
Muito baratos
Muito baratos
Multo baratos
Muito baratos.
Lindos cartes de visita
Lindos cartoes de visita
Lindos cartes de visita _w '*
Lindos cartoes de visita.
Precisa se fallar aoi Srs. Fu-mino
romes da Silveira e Jos Antonio de
Carvalho Brito, que moraram em urna
cas casas do Sr. Bartholomeu, as pro-
ximidades da casa de defrnco e desap-
pareceram, segundo diz um companhei-
ro de casa : nesta typographia.

Nos quatro estabelecimentos
bem conhecidos da ra Real
do Mauguinho ns. 54, 61, 62 e 63.
Presunto de fiambre.
a este mamado afiancaBda-a boa.'gualidade a 400 rffa libra,
te aa a libra a 700 rs. KkV''
O melhor qae tem vindo
Alar melada
r q
ha a libra a 460 rs.
\UfilJO ajoaerlio 0 metan que ha a 500 rs. a Kara.
Manteiga frioc.ia ^^ r,
jYJanteiga iogleza, llbrt T Hf *" iaba-
f alitos d0 gr01f 2*5oH
E mais todo quaoto tenal^H qus 11 torna enfadonbo aonunciar, poia que
vsa dea estabelecimentos verio oa Sra. fefaezea L^Hn completamente soitidoa de tu-
de qoaurto Iba pertence e qae logo coataaremos por eeOTeSi,
de Hambui^o
Alugam-ae o vendem-se por qualquer preco
na rea do Rangel o. 18, amola-ae todo o ferro
orlante.
sftlvWPvWlnPW *BTBTiWwBlwaFal WaTIW aavaar >> W WariW ?
' lorio de advocada!
Ruado Imperador n.
37,primeiro andar, a es-
querda.
Reste estabelecimento trabalha o advo-
gado Joaquim Borges Carneiro (gradeado
em direito pela faculdade do Recite) des-
de as 9 al as 3 horas do dia.
Advoga em todos os juizeae lribun-.es
desta praca, e entarrega-sj&"de negocios
para o iolerior da provinSt principal-
mente para as comarcas aj-Santo Antao,
Rio Formeao, Bonito, Naaaaaaa e Golanna.
Recebe gratuitamente tr ciuiss dos
desvalidos, nao podando clda qual tra-
ser mais de urna qaestao tpr vez.
No mesmo etlabelecinmo soiiettam-
se ttulos e paleles d sppre|idos p-
blicos a officiaea ds guarda nacional doJ
ipr, mediante Maka aiiendie.
tf sua tarta
abatituido, noaa
" paquim JoicSe Ca
Ir. bsalatel
Jtm
los de 8, Joo de lo
lidades, e bandejaa enteitadaa para
com perfeico ; asafattjL^Kbame. |
da a qualidade de p juem presj
?Jja-M i ni da t

COMPANHIA DA ESTRADA DE FERRO
DO
Recife ao Sao Francisco.
j (limitad A.)'
De conforrxiJade com aa inatrucedea recebidas
da reap^aava directora, faz-se publico que des-
ta data em diante sao convidadoa. os accionistas
desta compaohia a cumprirem com oa termos do
eviso que por ordem da mesma abaixo fkam
publicados.
Escriptorio da companbia, 20 de maio de
1862.
Por procaracao de E. II. Bramab, thesou-
reiro.
(AssigoadojR, Austin..

riviso.
Pelo pr
aolucao
nesta data tem-;
libra estdrlinajjlnr
paga aleo dia^O
faz-se publico que por ama re-
ctora deata companbia tomada
feito a ultima cbamsda de urna
cada aegao, a qual dver ser
de junho do prximo vindouro,
no Rio de Janeiro em casa dos Srs. Maua Mac
Gregor & C na Baha aoa Sr. S. S. Davemport
no escriptorio do the-
panhia. >
bem entendido que no
Imada ou preatacao aa-
arcado para sea pagsmenlo o
currer neaaa falta pagar juroa a
razo de 5 portento ao sano sobre tal chamada,
a contar desse dia at que aeja reaiiaado pa-
gamento.
No caso de alo effectusr o pagamento delta
chamada dentro' de tras mezes contados do dia
cima fizado para o embolso da mearas, ficaiSo
as aeces que incorrerem em tal taita eujeilas a
serem
estat
itafeshai
segundo as dlspoaicoea doa
dos drecteres.
r. Bellarmy, secretario.
i od Bcaad Stroete.
Oat
3rcanUl Pi
iffectivamenta i
fe;
agente do Banco
naaU cidade
r todas) os paquetes sa-
br o mesmo Banco Pnp PorSo a Lia-
boa, por qualquer somO Svista e a pra-
oa saquea a prazo serem
i mesmo Waste, na razo
so auno aoa portadoras
liar : asa roa da Crea-'
po n. 8 oa de Imperador a. 61.
Joaquim da Silva Castre.



I
7
numm ai Kiftino ^
Casa de stide em Santo
Ele
lM- .....
ja bem eonhecido, e
onvenientemente lAtosdo mu proviocia peloa relevantes
" que Um prestaste, contina dj melhor
xo da djteccao de leu proprietarl
ate tetlas as cianea, o< quaes
rae tratadas cos todo e telo icleresie
pre^s segnlntes :
Ptlnaeirt laase 3#000 ou mais.
Sejamdadita...... 25O0.
Tefcir dita...... SJJOOO.
Em qualquer das clatsea oa braocoa carao se-
paradoa doa negro. Oa alienado da 2." e 3.*
dnie nao furioso psg aro a diaria ordinaria,
sendo furiosos pagaro mais a quatta parte. Oa
alienados da 1.a claaae pagarlo aerando o ajusta.
Aluga-se o terceiro e qtatto andar da
casa da ra do Trapiche n. 18, a tratar oa mee-
ma caaa.
OMveira & Filho, largo do
aoa seohores
extraordinaria
abril prximo
60 os oo 1.a do art. 64 dos estatutos,
pelcicomo (indo o praso ser poata em vigor a dispo-
'sicao do artigo 72 doa meamos estatutos.
Secretara da sociedade Unio Benecente dos
Artistas Selleiros em Pernambuco 18 de junho de
1862.
Taurino Gaotidio de Horaea.
i.' secretario.
Proprlo pira roupa de eseraros o saceos da aa*
ucar : vende-ae oa rea da Cruz n. 1, eacriptorio
de Antonio Luiz de Oliaeira Ahij k C.
Na noita de 12 do correte deeapparecea om
cavallo pequeo ruosH |aj piolas de podres, e
tem signes alada bem Mnelos de tnr sido aten
cade do saogue. castrado e tem todc s os indares:
qaem o pagar e lavar no caes do Ra aoa n. 4 aa
r bem gratificado.
Galhermo Masden, subdito ioglez, val para
H Norte.
CLUB
A reunio familiar
na Bolle do da 11.
ttL,
ente mes ter lugar
Preciaa-aa de um menino portugus de 12
14 annoa da idade, para caixeiro de taberna na
rao Carnario o. 13.
Preciaa-ae de urna ama para todo servico
com deiembaraco, para casa de pouca familia na
ru das Cruxes n. 21.
P. Bapbael Romano, segu a ana viagem
ara o tul do imperio.
Fogode arti-
ficio.
O basar da ra do Imperador o. 6 aioda a
agencia da muito acreditada fabrica dii vluva Ru-
fino, aonde aa tomam todaa e quaeaquer eocom-
mendaa em tudo oque for relativo 4 ana arte, as-
aegarando-se nio s a melhor etecucao na con-
faccao dos artigoa, como a maior modicidade nos
seas precos. Nesta mesma casa ha sempreum
portador para faxer a condcelo daa encommen-
da, evitando aasim os ratea que a distancia daa
fabricas acarralan aoa aenhores compradores.
Perdeu-se
urna pulseira de onro na sexta-fera 13 do cor-
rente, indo pela ra das Aguas-Verdes at a ra
de Hortas: qaem a achou dirija-se a ra de
Hottas n. 15 que ser generosamente recompen-
sado.
Miguel Jos Alvea rog aa peasoaa, que por
qualquer ttulos se posssm julgar teui credoras,
se sirvam mandar apreaenlsr-lh'os no armazam
n. 27 da roa da Crus para setem por elle promp-
tamente pagaa.
Recite 14de juoho de 1862.
Precisa-sede urna ama para lodo servicode
de ama casa de pones familia : na ra do Im-
perador o. 50 2* andar.
Aluga-ae o segando e terceiro andar do so-
brado da ra da Crot do Recite, n. 25 a tratar oo
primeiro andar do mesmo.
O abano aasignado eatabelecido com caaa
de negocio na villa de Pao o'Albo previne a aeua
devedorea que hajsm de mandar aalisazer at o
Om do mez de julho do correle anno; e lendo
de dar conta de aeus pagamentoa nao lhe pos-
eivel continuar a fiar, e para nio causar desgosto
a seas fregueses, roga-lhes haja de mandar o
dinheiro quando mandar fazer suas compraa, afl-
aocando-lhe, que deste modo sero promptamen-
te aervidoa, e por precoa muito commodoa.
Francisco Xavier de Soasa Ramo.
Prectia-se de um caixeiro de 12 a 14 an-
no, qne tenha pratica de taberna : na ra do
Caldeirelro n. 60.
Pede-aa aoSr. Pavo, morador em Olinda,
que quando vier ao Recife, se dirija a eata typo-
graphia que se lhe precisa tallar._______________
Apparelhos d e porceliaua dou-
rada para cha de bouecas.
Ignacio de Aloja da agua branca desejaado que todos
|^EI9. { facam a vontade a suas bellas meninas est ven-
w i diado commodmente, essee beta-Tea spaarelhos
de poroallana dourada, e pintada a 1$500 e 25,
toada cada 6 caearss de chicaras, e os mata
pertences, a vista do que lodoa irao (munidos de
dinheire) para compra-loa na ra do Queimade
o. 16.
Ama.
, Urna mulher branca offereee-se para ama de
casa de familia, para cozinhar e engommar com
pereico : no segundo boceo largo da camboa
do Carmo, caaa n. 5.
Afcua le colonia ambria-
daesem o ser.
Isst estimada agua de colonia ambreada, de
que tantos a tanto lempo seotem a falta, acaba
de chegar em bonito frascos verdes, os quaes se
esli vendendo a 19500 cada m ; assim como
chegou igualmente um graohe ortimento da
verdadeira agua de colonia de Piver em fraacoa
e gsrraflnhas de diftauntes tamanhos, tudo la-
so na ra do Quemando, lojs da aguia bran-
ca n. 16.
*
Camisas inglezas.
Vandam-se superiores camisas inglezas com
pregas largaa pelo baratissimo prego de 358 du-
xia : na loja da boa f, na ra do Queimado nu-
mero 22.
Arroz barato
Na travesea da Madre de Deoa, armazena ns.
9 e 16, de Ferreira & Harlioa, vendase arros da
India trlguelroa lg a arroba, em aaccos de 4 a 5
arrobas, que muito convm para casss particu-
lares.
i. *
Previne-se que ninguem faca negocio com
a parte do eogenho Giqui da freguezia da Escada,
perlencente a Herculano Ludgero de Lemoa, por-
que existe execuso contra o mesmo pelo juizo
de direito especial do commercio deata cidade,
escrivo Manoel Hara, e j se extrahio executivo
dirigido s Justinas commerciaaa daquelle termo,
ofio se tendo effecluado a peohora por causa da
semana feriada.
Palitos do gaz.
Aeha-se o> DOvo supptido o duposito de pali-
tos do gai, e contlnuam a vender-ae muito em
conls, na travessa da Madre de Deoa na. 9 e 16,
armaseps de Ferreira 4 Mar lina*
Offerece-ae urna mulher para ama de leite,
na ra Velha n 19.
Sortes para S. Joo e S. Pedro.
Um pequeo olheto contando versos, tanto pa-
ra o principio como para o fim, oraees e ladai-
nbaa propriaa para ae poder fazer a novena do
Slorioao S. Joao : vende-se na ra do Impera-
or n. 15, das 9 horas da manha as 3 1|2 da
tarde dos diis'uteis.
Quam preciair de nm bom caiador, dirija-
se a ra do Raogel numero 34, sobrado primeiro
andar.
Precisa-sede um caixeiro que ce conheci-
ment de sua conducta para cbranos e entre-
gar assucar com urna carroca s fregaozias da
refinacao da Passagem da Magdalena ; a tratar
na meama casa.
Preciaa-ae de um caixeiro de 14 a 16 aooos,
dos chegados aponco do Porto, que aaiba ler
e eacrever oa ra do Rosario da Boa-Vista o. 41.
Deseja-se saber negocio de interesse da
verdadeira moradia do Sr. Francisco Duarla das
Neves, pois que nao encontrado na rna da Ca-
deia casa n. 46 e nem o ra da Seozala Velha
n. 136.
Casa para alagar.
Aluga-se urna casa na Gapuoga Nova, roa da
Amizade, a moderna, 2 salas, 4 quartos, coziuha
tora, quarto ao lado, cacimba com bomba, tanque
para baoho, grande quintal todo murado, com
muitaa arvorea de fruclo, aendo a maior parte
laraogeiras: a tratar na ra das Triocheiras n. 1.
Ama de leite
Bonitos paliteiros de porcel-
lana dourada.
Agora ninguem dalxar maia de ler em aua
mesa um bonito palitelro de porcellaoa dourada
pois que ellas se eslo vendendo a 19 e 1J50U
oa lojs da aguia braoca o. 16.
Ricas gollinhas e punhos
com botoes
Vendem-ae ricas gollinhas e punhos de cam-
braia e uato ricamente bordada com lindos bo-
tos, pelo baraliaaimo preco de 29 cada guarni-
lo : na ra do Queimado n. 22, oa loja da
boa f.
Queijos,
Vendem-ae na ra Direila h. 99, defronte da
loja de miudezaa, queijoa fiados do ooe no ul-
timo vapor a 29200, diloa a 2, ditos a 19800, di-
tos do aerto a 29, em libra a 560, diloa de qua-
Hu a 440, aletria a 400 re., macarrao O talharim a
320 a libra, caixoea da doce de goiaba a 19500,
leucinho de Lisboa a 320, sag a 320, cevadinba
do reino a 240 a libra, arroz a 140, e dito a 160,
Somata a 120, mantelga ingleza a 800 rs. a 1g.
Ita fraocesa a 720 e 800 re., cb hysson a 29800,
3|,e 89200, dito do Rio 22, vinhos de todas as
qualidadss a 500, 560, 640, 6u0 e 19. tainhas
mallo grandes vinda da Lsgoa a 400 ra., e cu-
troa muitoa ireoeroa.
latinas desem.
Gbegaram no vapor francezas bellas bolinaa de
selim branco para senhora, o vendem-ae em
conta na loja do vapor, ra Nova n. 7.
Precisa-ae de urna
Saola Cruz o. 64.
ama de leite ; na ra da
O Sr. Jos Gregorio Pereira lem urna carta
vioda do sul. 00 escriplorio do Tasso lrmos.
Precisa-se de um caixeiro na ruado Impe-
dor o. 24.
Preciaa-se de urna ama que aaiba eozinbar
e angommar para o servico de ama senhora ; na
ra das Aguas-Verdes n. 48 primeiro andar.
Pede-ae ao Sr. Al... da roa das Flores, que
pode vir buscar a cisaquinha que de meia cara
lhe foi concedida, por alvigaraa daa m en liras e en-
redos que foi contar ao Sr___ Oh ?l que horror!
que papel lo ridiculo eat fozendo o tal alco-
vita !!! en parece-me o que elle quer urna ca-
saquinha ou eoto quer passir um aeixo.
______________________________H. L.__________
Antonio Jos Vieira, subdito Portuguez, re-
lira-se para a provincia da Babia.
Attentfo.
Antonio Cosario Moreir
Dias, faz sciente ao respeita-
vel publico com especial idade
aos seus freguezes, que mu-
don o seu armazem da ra da
Moeda para a ra da Madre
de Dos n. 32, e est vendeu
do por menos do que em ou-
tra qualquer parte, pdlvdra,
chumbo e salitre e amanea a
boa qualidade destas merca-
dorias por serem de primeira
qualidade. _____
Dufour Joao e sua
Jacintho Raposo de Almeida, relira-ae para
o Rio de Janeiro.
Joo da Silva tamos,
medico pela Unlversidade
de Coimbra,
d conaultas em casa, das 8 s 10 horas da mi-
nhia, e presta-ae a qualquer chamado com a bem
coohecida promptidao.
AoafSs. consumidores de gaz
Nos nBzens do c4aa do Ramos n. 18 e 36
na ra do Trapiche Novo no Recife n. 8, ae ven-
de gaz liquido americano primeira qualidade e
recentemente chegado a 149 a lata de 5 gales,
aaaim como latas da 10 e de 5 garrafaa e em
garrafas.
: asas
Urna pessoa com bastante leite e aem fl- 9
aj lhos se offerece para amamentar urna crian- tj
a> (a em sua caaa : quem precisar annaacie.
a
Aluga-se o terceiro andar da casa na ra da
Cruz o. 13: a tratar no armazem.
Precisa-se de um bom
forneiro, e pagase bem : na
ra das Cruzes n. 32.
Aluga-se um subradode uro andar a sotao,
na ra do Senhor Bom Jesua das Crionlaa n. 35:
4 tratar na ra daa Cruzea o. 22.
Ama,
Preciaa-ae de urna
com toda a perfeico :
ama que saiba cosinbar
na ra Nova n. 47. loja.
Preciaa-se de urna ama uoicajnenle para
cosinbar para 4 pessoas : na ra Direita n. 17.
Quem precisar de urna ama de leite para
criar com bom leite e de boca costumes, che-
gada ha poucos dias do malto, dirija-se a rus
do Caldeirelro n. 5, que achara com quem'tratar.
Manoel Jos de Souza subdito portuguez
segu viagem para o Rio de Janeiro.
O Sr. Joaqulm Antonio de Santiago Lesea,
morador na Parahiba, mande sem demora ajustar
suas contaa com Garlos Frsderico, na cidade de
Pernambuco.
Iho menor, retiram-se
mulher Lucia e um -
para o Rio de Jai iro.
Yaccina publica.
Granando presentemente com alguma intensi-
dade a varila nesta cidade, o commiaatrio vac-
cinador lembra aoa cheles de familia qte, pelo
reglamento de 17 de agosto de 1846, nao obri-
gados a apresentar neata repartido toda.) aa pes-
soas que nao tiverem.tldo btrxlgas natursu%pMu
sido vaccinadas, aflnvde se lhes pralicar a inno-
culac/30 do fluido vaccinieo, isto dnrante as quin-
tas e domingos, no torreao da alfandeg, das 8
s 10 horaa da manha, e nos sabbados, na casa
de sua residencia, aegun&o andar do sobrado da
rna eatreila do Rosarlo n. 30. Recita 2 Je junbo
de 1862.Dr. Joao NapomucenoJ)ias Fat^ande,
eommisiario vaccinador publico.
imik
yamande,
Precisa se de urna ama, qne seja perfeita cozi-
nhaira, para caaa de homem solteiro, prefere-se
que seja de idade, na ra da Cadeia o. 11.
Aluga-ae ama escrava que saiba engommar,
coaer, ecoaiohar : a tratar na cass de banhos no
largo do Carmo.
wat
Nesta typographia precisa se fal-
lar ao Sr. Joao Goncalves Birgues
Franca que morou em Olicttift&lfcem
morar nesta cidade do Recite.
ao publico.
Sr. Alberto Ridoux.Saliseito com o an-
nnocio feito no Diario de hontem de que nao
liona sido traapaasado sea estabeleca
trem, devo no entretanto declarar so
ra que nao se confunda, que nao p
alguma entre nos dos tribunaes <~
naa existe urna peligo minha, pe
dados legaea moio de obrigar ao
pagar oa meua ordenados como lltbogrspho con-
tratado e engajado em Fraogs, pois qne de on*jp
modo nio tem querido Vmc. satisjazer as candi-
eles estipuladas oo contrato, isto. ; t. pagar o
que me deve.H Delporte.
^GRANDE
Laboratorio a vapor
DE
Lavagem e engommado
de roupa, de Ramos A Pi-
mentel.
Empreza importante, que vai preatando rele-
vantes servidos seos freguezes pela promptidao
e perfeic.au com que lava a roupa aem a estragar
PRESOS.
Roupa sorlidau-embora nao venham meiaa nem
lengos) 40 rs. por pega.
Pegas grandes isoladsmente 100 rs.
Roupaa de navio, vapore e hospitaes 70 rs.
Dita de familia que nao (regueza 80 rs.
Dita de doenle de familia que nao 4 fregusza
a 120 rs.
Urna rede ou cortinado de cama ou varanda
a 500 rs.
O preco doa engommados mdico e confor-
me as pecas, como costumam fazer as engomma-
deira.Tp preso da entrega da roupa lavada
8 dias, fepgommada 15, sendo que muitaa vezes
esti prompla asiles do praio. Deposito na ra
Nova.
Magdalena Pagliago Gironi, M. Mari e aa
familia subditos italianos retiram-e para Eu-
ropa.
K*t& mmmm etiatsMSMseae
8 Oficina pbotographica
RA DA IMPERATRIZ N. 14.
'Cartees de visitas, centipo, pho
tographia etc.
Len Ghapeilain, pholographo e auc-
ceaaor da casa Slall & C., achandoae
restibelecido da-grave enfermidade que
aoffreu, a qual o obrigou a eeparar-se de
seus irabtlhos por espago de dous metes, jj
offerece-se ao reapeitavel publico de- S
clarando-lhe que recebeu da Europa os 1
melborea reageotes neceaaarioa a seus 2
trabalhos, e que se acha promplo a tudo, W
que exigem os conhecimenlos de sua
profisso. A sua offleins estar aberta JJ
das 7 da manha as 5 da tarde.
KtKUC mKMKN6di9MS S65aC5flrt
Precisa-se fallar com o Sr. Joo Martina
Gonealvea, natural da cidade do Porto, e na sua
falta com algnem qne se praale a dar informa-
goees suas : na ra da Cadeia n. 12, eacriptorio
de Ballhar & Oliveira.
Betuna japoueza e outras mili-
tas novas perfumaras.
A loja da aguia branca acaba de despachar, de
sua encommenda um grande e bello aortimeoto
de floasperfumaras dos maia afamados fabri-
cantes, sendo as bem coobecidas e apreciadaa
banbas, japoneza, transparente, philocome im-
perial em bonitos copinos com lampa de metal,
dita nos copos grandes, dita em compoteiraa li-
sas e lapidados, leos de baboaa, philocome e
Lubio, pomadas ou cosmestiques, finos extractos
dos preciosos e escolhidos ebeiros Jackey-Ctub,
mil flores, miel de Inglaterra Marechal, Principe
Alberto, Gaorge IV, etc. etc. Recommeoda-ae a
todas as senhoras de bom gosto o uso de qualquer
desses estimadoa extracto porque aquella que
em urna sociedade, theatro, ou baile eativer com
sea tino tengo ominado de to sublimes aromas
ter por'terlo o prazer de ver as suas visinhas
da direita e esquerda lhe rendendo bomenagem,
perguntarem donna F. onde comprou esse tao
agradavel chairo ? E ella orgulhoas de aeu bom
gosto, mas com ar prazenleiro lhe reaponder :
na ra do Queimado loja da agua branca nume-
ro 16.
Fazendas baratis-
simas
Superior bramante de linho com duas raras de
largura a 29400 a vara, atoalbado da linho ada-
mascado com duas larguraa a 2S500 a vara, brim
branco da linho muito superior a 1 J440 a vara,
dito de cores, tazanda multo superior a 1?, dito
pardo de linbo paro a 800, lf e 19200 a vara, di-
to de quadrinhos muito proprio para caigas, ja-
Saetas e pal tota para meninos s 200 rs. o cova-
o, gangas trancen muito auperiorea a 400 ra. o
covado, cambraiaa francezaa muito floas a de
muito bonitos padrees a 260 e 280 o covado,
cambraia liaa muito fina a 45, 5 e 6# a pega com
8 1|2 varas, cambraia com salpicoa (ambem com
8 112 varas cada pegas a 4$500, dila mailo supe-
rior o melhor que ha neste genero a 11(500 a pe-
ga com 17 varas, ou a 800 rs. a vara, chitas fran-
cezas de muito boaa qualidadea e de lindoa pa-
dres a 240, 280, 300 e 320 o covado, fil de li-
nho liso muito fino a 720 a vara, larlatana bran-
ca e de corea a 760 a vara, toalhas de linho para
mos a 79 a dazia, ditas pelludas muito superio-
res a 119a duzia, gollinhas de cambraia borda-
das a 800 ra., manguitos e ollas de cambraia ri-
camente bordadas ilf o par de manguitos com
urna gol la, lencoa brancos muito Unos com bico,
renda e labyriotho a 1(280 cada um, diloa de
cambraia de linho para algibeira palo baratissimo
praco de 4, 5 e 69 a duzia, e assim um completo
sortimento de fszendas de todas as qualidadea,
que aendo a dinheiro vista se venderao por pre-
coa mui baixoa : na bem conhecida loja da boa
f, na ra do Queimado tj. 23.
Millies a 10,000 rs
Na ra da Cadeia n. 45, esquina da Madre do
Dos, veodem-ae borzeguina de Millies multo
bons a 10$ o par, assim como um completo sor-
(imsnto de outros calcados para horneo, senbo-
Iras e meninoz, tanto de Pars como de Nantis;
ambem tem constantemente sortimento de ma-
pa feitas e fazendas.
Vende-se um escrava- preto, de idade de
40 anno, que sabe cozinhar e fazer o mals ser-
vico de urna caaa, e tambem alfaiate, oa psr-
muta-ae por um outro, on por urna escrava, sen-
do que o motivo da venda se dir ao coa pradoj :
a tratar na ra da Roda, no segundo andar do so-
brado o. 17, daa 4 horaa em diente.
1-1
Papel amisade branco e de
cores.
Vende-se pacotescom 100 folhaa de papel ami-
sade branco e de cores a 800 e 640 cada pacote :
na ra do Queimado loja da aguia branca nu-
mero 16.
Camisas e ceroulas
Vendem-ae superiores ceroulas de linho muito
finas pelo barato prego de 269 a duna, ditas tran-
cadaa de algodo, mas de muito boa qualidade, a
179 a dazia, camiasa brancaa francezaa a 229,249,
26 e 309 a duzia, ditaa para meninos a 22$ a du-
zia, ditaa para homam com abertura de corea a
229 a duzia : na bem coohecida loja da boa f
na ra do Queimado n. 22.
Mencao! alterad!
Aos pais de familia, bom e ba-
rato.
Na loja n. 20 da ra da Impera tris acha-se a
venda um completo variado sortimento de boaa
fazeodaa, e que vista de suas qualidadea sao ba-
ratissimameDte vendidas, e para maia veracidsde
do que Dea dito, abaixo vo mencionadas algumss
daa ditaa fazeodaa, a saber :
GhiUa largaa cor fiza a 240 rs.
ladapolao fino com24 jardas a 59.
Cambraias da cores a 280,320 e 400 rs. o co-
vado- .,. ,_.____
Velludo prelo e de corea a 29.
Linden de corea a 160 rs. o covado.
Laogo pequeo a 80, 120 e 160 rs.
Chapaoa de caaior fino a 89.
Caltas pretas multo largas e finas a 240 rs.
Algodo trancado preto muito bom para vesti-
dos da eacravoa a 200 rs.
Cambraia liaa com 10 jardas a 29*
Cassa de salpicos com 10 ditas a 39-
Cambraia bordada para cortinadoa com 8 va-
ras a 2/.
Manguitos com gollinhas.
Vende-se manguitos com gollinhas, fazeods
muito boa, pelo bsrato prego de 2$000, gollinhas
e punhos ultimo gosto a 29000, gollinhas muito
finas e bem bordadas a lgOOO cada ama oa ra
do Queimado loja de miudezaa da Boa fama,
n. 35.
Tiras e ntremelos bordados.
Veode-ae pegas de liras bordadas de 2,500,
3,000. 3,500 e 4.000 entremeioa a I96OO e 29000
cada pega na ra do Queimado loja de miadezas
da Boa fama, n. 35.
Bonecas francezas.
Vende-se bonecaa francezas ricamente vestidas
49OOO e 59OOO, e f 000 bonecaa de cera com os
olhoa toovedeos a 2$000 e 39000, na ra do Quei-
mado loja de miudezaa da Boa fama, n. 35.
m c S." B|?B 0
IB-S- ^
2 B *j= 2 w
0 S J.dB .
2 1 2 pmmt
M 5 2 "3 .. c O
2 T3 s^ia P^
JS c-g 5 a * CD
. < <* S. VI
B.gsr &
2 ^3 = 0 2.r 0 S a ^ 0
2.< -o a
m a S2-5S O 5
-=-S- ss
S.OO 0 P >*
p
S " a. " O
1?= 3"I ; a O

O
.?
B Z. CD
g n 0*

-s* 2 ""
!f-| SA
3 s a r D 8 O JLPe
Olt. O
hmk
Fivelas de a^o para si utos.
Vende-se fivelas de ac para ainto a 19500 rs. e
29OOO na ra do Queimado loja de miudezaa
da Roa fama, n. 35.
Baleias.
Vende-ae baleias 120 rs. cada urna aspa de ago
para balo a 160 rs. s vara, bandes a 19500 rs. e
29OO o par, na ra do Queimado loja de miudezas
da Boa fama, n. 35.
Compras,
Compra-se constantemente lato vilho e co-
bre : na ra da Imperatriz n. 65.
Aviso.
Compra-se urna carroca para carneiro usada
ra dos Pires n. 42.
Tiras ou entremeios bor-
dados.
Vendem-se tiras ou entremeios bordados de
liados gostos, pelos bsratiasimos precoa de 19500
e 19600: a no galo vigilante, ra do Crespo nu-
mero 7.
Bom e barato.
Para a festa de
Santo Antonio e S. Joo.
Haoteiga ingleza boa a 800, 960, e 19120 flor,
am barril taremos abatimeato, dita frsnceza a
720. dita para tempero'a 400 rs., farinha do Rio
muito boa a 130 a libra, ameodoas a 240, nozes
a 160, trsqaea a 280 a carta, vioho Figueira a
600 ra. a garrafa, dito Lisboa a 500 e 400 rs., em
caada taremos abalimento, velaa sterlinsa a 740
libra, azeitonas muito novas a 19500 cada
Gascarilhas de seda.
Vende-se cascarrilhaa de seda para enfeitar
vestidos a 29000 a pega nrrua do Queimado
lojs de miudezaa, n. 35.
Meias de borracha.
Vende-se meiaa de borracha para quem padece
de erysipela a 159000 o par, meiaa de seda preta
para senhora a l|0O0 o par na ra do Queimado
loja de miudezaa da Boa fama, n. 35.
das seis portas
Livramento.
em Irente do
15,20,30 e 40
arcos.
Grande sortimento de satas a balo de arcos,
os melborea que aqui tem apparecido 00 merca-
do a 49500, >5, f>$ e 69500 cada um, d-ae para
mostra com penhor ; a laja est aberta al as 9
horas da noile.
Enfeites para caberas.
Vendem-se ricos enfeites pretos e de cores eom
borlla e franja a 59500, ditos de tranga com bor-
lla a 29500, ditos brancos e lago de fita a 29,
ditos de retroz com vidrilho a 19500, cintoa deli-
rados a 29, diloa de fita a I96OO, bandos de dina
para marrafa a 500ra. o par, masaoa de crala
500 rs., e.fios a 600 rs., jogo dedomin a 1, di-
to de vispora a 800 rs. ; na roa da Imperatriz nu-
mero 74.
Superior cal de Lisboa.
Tem para vendar am porco e a retalho Anto-
nio Luiz de Oliveira Azevedo & C-, no sea es-
criptorio ra da Cruz n. 1._____________________
Palmatorias devidro lapi
dado.
Vende-se palmatoria de vidro a I96OO rs., ditas
com mangas propriaa para rapazea a 49500 ra.,
cada urna, eacarradeiraa de vidro a 49500 rs.
e 59000 o par, na ra do Queimado' loja de
miudeza da Boa fama, n. 35.
Compra-se um preto de meia idade, de
^V.fw!"f! Aroprio Cflfi uma ei"Ta l"ra, azeitonas muito novas a 193UO cada urna
2Su vh. v? eDgomm" bem : Ha ruad> C", uncftreta, a 310 a garrafa. Alem disto tem um
dea Velha n. 35. 1___* ', .., ",. ,.i_,. -.ii..h. ,.
Votadas s
. Preciaa-ae de um bom cozinheiro ou uma
boa cozlnhelra, e tambem para fazer as compraa
na ra, sendo escravo preferido, e sendo capaz
paga-ae bem. "Tambem preciaa-ae de uma boa
coalureira e engommadeira, na meama casa n. Ai
da roa da Cruz do Recife.
Preciaa-se de 1.600| para seis mezes, by-
pothecaedo-se duas moradas de casaa terreas naa
principaea ras, rendendo todaa as duaa389O0O
mensaea : quam eate negocio qnizer annuncie.
Aluga-ae o primeiro andar de um aobrado
eom D008 commodos, e por prego coomodo: a
tratar na ra da Prsia com
randa.
Precisa-ae de um caixei
a 16 aonos para tabacos, com
la, piefariodo-ae dosItimos
ra de Portas, ra do Pilar, tb<^HH|
giao de Hi-
ga 8132
oajMmel-
l f em Fo-
SiCv
o dipi
Precisa-se de um caixeiro de 16 a 18 aonos,
deaaea chegadoa ha pouco do Porto, aiuda que
nao aaiba ler : a tratar na ra do Imperador, loja
a. 24, ia dir qaem quer.
Aluga-se um "escravo bom carroceiro, ou
meamo para qualquer outro aervi;o ; oa ra do
Livramento n. 22, terceiro andar.
Aluga-ae ata'
na ra d Impera
Arrenda-se
zia do Cabo, e ve
der, dirija-ae ao
nesta praca so Sr.
Cruz, ra de Hort
ttg^ma p
trft n. 42,
para caaa de familia
segundo andar.
genho.Sicupema ca fcegoe-
-se a isfra : quem o preten-
proprietario na Torre, -ou
Ionio Joaqoim de Almeida
casa n. 114.
f OBtrece-se nula peasoa para o aervico da
urna caaa.: quem de aeu* prestlmo precisar, dirl-
ja-s'a a ra do Porte o. 15.
,dor Rodrigues sh Silva vai ao W/ de
mjpi
Precisa-M alugar usa s
tracto o cass aoffrivel, sarrio
Mari
-se a caaa nwn
m arvorados de*
pracj: na ra' da
Aluga
16 : a tratar na
Antonio Luiz d
"le
a Azevedo;'
do Poco o.
------1 de
ado
andar, seado naa rasa seguales : Aurgr, Llvte-
mento, pateo do Carmo e Imperador (Idea4o paa-
aelo): quam rer, dirija-se ra do Q^
Joja a emgssos n, 13
Vende se um pequeo sitio as reas do
Giqui, tendo o mesmo 72 palmos de frente e
300 da fundo, com boa caaa de tsipa, a qual tem
2 salas, 2 quarlos, cozinhs fora, eatribaria para
um cavallo : quem pretender, dirija-se o mes-
mo lugar, a tratar com sua dona junto a taberna
do Sr. Tbom.
Cheguem que se est -
acabando.
Milho e farello muito bom, milho a 3g800 e
farello a 39500: oa rus do Imperador na taberna
da esquina defronte da caaa do Sr. Claudio.
Grande arma-
zem de ferragens e
competente sortimento tendentes molhados, que
tado se vender por menoa do que em outra
qualquer parle : no estabeleciment da ra es-
trella do Rosario, esquinada roa das Larangeiras
numero 18.
Vende-ae uma bonita escrava de 18 annos,
de boa conducta, e com aa habilidadea propriaa
uma casa de familia por ser recolhida ; na ra
da Praia o. 47, primeiro andar.
Potassa da Russia.
Vende-se em casa de N. O Bieber
C, successores, ra da Cruz n. 4-
Perfumaras muito finas e
baratas. .
Opiata ingleza a 19500 rs, dila tranceza a 500
rs., 640, 19000, oleo da sociedade hygienique
verdadeiro a 19C00 o frasco, oleo babosa de Piver
verdadeiro a 800 rs. o frasco, agua balsmica
para os denles a 15000, dita de Bolot tambem
para os denles a 1J000 o frasco, pomada trance-
za em paos a 500 rs. e I90O, 320 rs. sabooetea
muito fino a 640 rs., 800 rs. e 19000 cada um na
ra do Queimado loja de miudezas da Boa fama,
n. 35. .
Aiencao
Guimsres & Luz, donos da loja de miudezas
da ra do Queimado o. 35, bo'a fama, parlicipsm
so publico que o sen estabelecimento ae acha
completamente prvido daa melborea raarcadoraa
tendentes ao meamo estabelecimento, e mullos
outros objectos t gosto, sendo quaa todos reci-
bidos de suas propriaa encommendas ; e estando
ellos inteiramenta resolvidoa a nao venderem
Dado, aliangam vender mais barato do que oulro
qualquer; e juntamente pedem aoa aeus devedo-
ies que lhes mandem ou venham pagar os seus
dbitos, son pena de aeram iusticados.
A 200 rs,,so pavo.
Vende-ie chita frsnceza escura de cor fixa a
dous tustosa o covado: na ra da Imperatriz n.
60. loja e armazem do pavo.
miudezas na ra
Queimado n 49.
Gaz do melhor
a 600 rs. a garrafa.
Na ra Direita n. 7 e na ra
do do Queimado n. 75.
Antonio Francisco de Sodza Magalhes J-
nior, proprietirio deste estabelecimento partici-
pa ao commercio desta prga e a todos oa aeus
devedores, que desde 19 do correte mez p Sr.
Francisco Jos Correa Marques, deixoa de s
eaixeiro.
Urna carroc
'V
Vende-ae urna carroca em mulla boa estado,
com oa compeienlea arreios novos para um ca-
vallo : a trata*na ra do Trapiche b. 14, primei-
ro andar.
Cabriolet.
Attenco
* A 600 rs- a garrafa de gaz.
Conlinua-se a vender o melhor gaz, na loja de
fuoileiro, ra da Imperatriz n. 65.
A 2,5(500, s o pavo.
Vendem-se cortes de cambraia branca com 2 e
3 baados a 29500, ditoa de tarlatana braocoa e
de cores, com barras e babadoa a 39: na ra
da Imperatriz n. 60, loja e armazem do pavo de
Gama & Silva.
A 500 rs., s o pavo.
Vendem-se ss mais modernas a floissimas 15a-
zinhaa de quadrinhos e de flores soltas e palmi-
nhas, desembarcadas do ultimo navio vindo do
Havre,pelo baratissimo preco de quinhentos ris
o covado, e do-se aa amostras com penhor: na
ra da Imperatriz n. 60, loja e armazem de Ga-
ma & Silva.
Attenco
Se dotas moloques bastantes frail-
as f na rue
em iodajsn
mstrtrao Santo Antonio,
de ouro esmaltada ta '
a pessoa que achou-a
dirigir-se ao pateo 6
andar n. 24, que ser geneross
Joaquim Jos de Sant'A
retira^eMna o Rio de Janeiro.
Joa Antonio Alves-reVira-ae para Portugal,
lavastde**ilm aua compaahla *ua cunhada Harta
Tharsxa Barbosa,
Vende se um cabriolet de duas rodas e desear-
berto, em muito bom estado, e pintada-
om arreios para am cavallo : para,
cia dr Mr. Grosjean, na roa d
para tratar, na ra de Trapicha n.
apdar.
Um terreno.
Vende-se por preco eomajsodo um
roa do Hospicio, proprio
aa, havendo' terreno
am quintal eepseose : a
be d. 14, primelto aadar
oa sffl-
tioa, e
imero
terreno na
x ama ca-
com
Hrr na ra je/lfaDi*1
6
CrMgou para a loja da victoria, candieiroa a
gaz deuovoagostos eno:;. nulo para sais,
como para-aaeada e quastos e para oatraa mullas
cooaas: aa toja da victoria na ra do QeetstuBjK
o. 75.
Veno* se
Cao e pqu
vende- ]
para o
ai
lia de roupaa faita, arma-
da ra da Trapiche o. 26,
kono tam neceisidade da ir
da sua saude ; quem quizar,
ia.___________________________
no do aerto a 10| a arroba e
,., vloho da Figueira e do Porto
em garrafa a 400 rs. : na raa
ienzala Velha taberna o, 103, esquina do
bateo Lirgo do Recite.
Cabaias hespanholas, na
loja do pavo, a 400 rs.
Vonde-ae esta nova tazeoda de padrdesdelica-
dissimos com 4 1(2 palmoa de largura, propria
para vestidos de senhora a 400 rs. o covsdo: na
ra da Imperatriz n. 60, loja e armazem do pa-
vo de Gama & Silva.
Soaball Mellors & C, tendo receido or-
dem para vender o seu creacido deposito da rslo-
gios visto o fabricante ter-ae retirado do nego-
cio ; convida, portento, spessoaa que quizerem
fiossuir um bom ralogio de ouro ou praia do c-
ebra fabricante Kornby, a aproveitar-se da op-
portunidado aem perda da tempo, para vir com-
pra-Ios por cmmodo preso no aeu eacriptorio
roa do Trapicha n.28.
Ra da Senzalia Nova n. \%
Vende-se em casa, da S. P. Jonhston & C,
selns e silhes iagaazos, candieiros e castic.aes
bronzeados, lonas iagkzas, fo de vela, ehicotes
para carros e montara, arreios para carros de
am dous cavados, e relogios de onro patente
ingles.
Queijos
os mais frescos que tem vi ado a o nosso
mercado chegados no ultimo vapor a
2$000 e no pastado a 1#800.
Amendoas
confeitadas as mais bonitas que ha no
mercado a 800 e i# a libro : vende-se
nos armazens Progressista e Progressi-
vo no largo do Carmo n. 9 e ra das
Cruzesn. 36.
As afamadas agulhas impe-
riaes com fundos dourados,
e dedaes de marflm.
Acabam de chegar para aloja d'agaia branca,
ra do Queimado n. 16.
IOV#
Um grande negado de
vantagem.
Qaem quizer poaauir um rico cstabeleelmento
de cocheira com treacarros novos e seis cavallo.*,
incluindo tambem na venda, por ordena do dono,
uma vacca tourioaque d diariamente 69 de lei-
te: pode ir ver na ra do Imperador n.dfc
deposito de charutos
da Baha
um*
86 RUutVova 36.
Acaba da chegar ^este estabelecimento
ms charutos todos tabrisados,t______
que volla pal
na Babia, aaaim eom o lem eigarroa da todaa aa
qualidadea, fumo, cachimbos, baleas a outras
rcousas pertencentessos fumantes, tudo por ba-
sto proco.
Libras sterlinas
Vendem-se em essi 'ft WM 4 Jo*, Pc.a do
Qoipo Santo 13.
*m*
-gm^
Tnr



)
01
m
i
AS1MIQUL
o*
Fni** IMbor,
Veode-ss camuraiaia ;ortsn
i detenaos a i^^^^E
Pavo, da Gad|^^|^
tvach
Boa la StoQzaUa Nova n.4* S O PaVO.
Neste estebelesimento minia a haverum yea completo sortiaente de motadas a malas mote- los padraa a UO, 900, 180 ra. o eovaalo : sa-
fes pira ana^BO, ^ueWnai da vapor o< 'M* I"**rt n.0, laja,? Paaia a 6am
d farra batido
para dito
a eoado da lodos os umanho
& Silva.
ra com dllieadis-.
h a armasen da
nto da Iaporatrii
pedreas, moito modernaa, palo Itaratisaimo pro-
co da trezantoa e rite ria o cor ido ; na toja da
Guimariea & Silra, mi|do graspo o. 7 A, etqa-
na da ra do lanneridor.
Veodem-se eias de compo gao a 11 a ar-
rnba ; na ra da Roda n. 48, primeiro andar.
S nao faz bolo para
S. Joaoquem noquier,
eorqae no armazem da eatralla do largo do Pa-
raso n. 14,vende-te manteles tallista flor a 000
e 800 rs., tambam tem para 610 e 480, e france-
sa 16*0, vinho'bom a 480 e 400 ra.. traqaes
900' rs. a carta, (jo ai jo* a t$.
Liquidaco de fa-
zendas.
ISa ra So Crespo, leja n. 14
Veode-se para acabar, e por todo pro?o um
completo aorlimanlo defatendasllglexat, france-
xaa, aaistaa a tlltmaes, todas propias deata mer-
cado, e slgbmas recentemente chegadea.
Terreno.
Vende-ae um terreno com 30 palmos de frente
para a roa do Ser ou Uoo, e 3C0 palmoa mais
or menos de extantao al a ra da Saadade, com
igual (rente de SO palmoa, pelo que se poder
edfflcar dous belioa predios ; o dito terreno Oca
airar do edificio qne te est fazendo para o gym-
nasio provincial, e prosiaao a oora ponte da r,m
da Aurora para o tbeatra de Santa Iaabel; loca-
lidade aprazirel j pelo fresco e j pelo bonito
ponto da vista qne dsquofle lugnr se observa :
a tratar na mesma ruado Ser ou Uoio, cata
a.16.
Gasas
Vandem-e duas casaa terreas na ctdade de
OUnda, em boas poaices, sendo urna a. 16 os
ttdeira da Misericordia, e outra n. 1 na ra do
Malhiaa Ferreira, ambas de esquina fazendo por
isto melhorrista, serrindo a uliiroi para ettabe-
(^cimento, como sempre estere oceupada : a
fallar no bairro da Boa-Vista, ra do Ser oa
Uniao. caas n. 16.
Pee hincha
sem igual .
A 10$ o corte.
Riqalstimos cortes de vestidos de barege a de
fil bordado, bonitos padrdes, pelo diminuto pro-
co de IOS o corte : na loja de Guimnraea & Lima,
ra do Crespo n. 7 A, esquina da na do Impe-
rador.
Obras de vidro,
escarradeiras, e palmatorias
lapidadas com mangas.
Vende-sa na loja d'agaia branca mui bonitas
scarradeiras de ridros de cores a 4)500, 5 e 6,
assim como palmatorias de vidro lapidado com
mangas bordadas a 4)500 cada um : na ra do
Queimado, loja a'aguia branca n. 16.
Meias em -quaniidade*
Na toja-d'aguia branca acha-se um complato
tortimeeto de meias de todas as qualidades e
preces, sendo para homens, sanhorat. meninos
a meninas de 6 metes a 12 aooos. En numerar
oa diffetentes prscot confandir o pretndante ;
aetim quem se quizer convencer de qua.0 baratas
te esto ollas reodendo, dirigir-ae com dinhei-
ro dita loja d'aguia branca na ra do Queimado
numero 16.
Superior sebo em velas eem
pes, ca-xas de urna
arroba
Vandem Antonio Luiz deOlireiri Azorado C, no seu escritorio roa da Crnz n. 1.
Jacaranda superior.
Tem para vender Antonio LuizdeOlireira A-
7vedo & C, no te eteriptorio ra da Cruz n. 1.
Coraes lapidados.
Sao grossos que admira.
A loja d'aguia bronca acaba de receber urna
pequea quaniidade de coraes grostos lapidados,
oa qaaes servem para as voltas que ltimamente
usam as senhoras, e est, vendendo cada fio por
2j>. 2J300, 3 e 4 : na roa do Qaoimado, loja
d'aguia branca n. 16 : assim como recebeu mait
at bonitas pulteiraa de mitaangas.
sem segundo
Na ra do Queimado n. 55 loja da miadezas
de Jos deAzerodo Haia o Silra, es.S rendando
tedas as miudezas barsliasimat, a saber :
Papis de agulbas a balo multo supe-
riores a
ixas com muito Anas obreias a
Cartes com clcheles, tem algum de-
leito a
Frascos de macass peroit milito fino a
Caixlnbaa com papel pequeo de diver-
sos gostos a
Pacotes dito dito dito amizade a
Novellos de lioha de Gras a melhor
que ba a
Gaixis com agulhaa curtas de superior
qu alidada.
ntremelos, a pega com 3 raras i\2 t
Sabonetes muito finos a
Papis de sgulhes francezas com toque a
Pares de boiet para puobos de muitos
modelos a 240
Pares de meias creas para meninos a 160
Ditot de ditat cruas para pequeo a 160
Ditos de ditat para meninas a 200
Frascot com agua de Lavande embread a a 800
Ditot com ebeiros muito finos a 240 e 500
Diiot com banba muita fina a 240 a 320
Ditos com aoperior banha de urso a 600
Bttoa com oleo bsbosa muito fino a 210 e 320
Ditos com oleo do Rio muito superior a 500
Ritos com superior pbi.ocoree a 900
Ditos com banha philocome finissima a 19000
Ditos.com banha transparente a 600
Ditot com auperior agua de colonia a 500
Ditot com maeast (olo) a 100
Dito com superior opiata a 500 e 800
'oeidelinba redro V,com 200 jardas a 00
uHee da Cito dittt, branca de corea a SO
6arrftis-d* haba coas 160 jardas a 30
Masaos e lioha (rousa para bordar a 240
PwttesTtw rrrarftm J-wpnic.r qaalldaeVa tftOSO
80
. 40
10
200
7i0
720
40
-200
18000
120
10
Anda o Pavo a 200 rs.
Vende-te cbitt francesa eteura com diaiaato
toque de mofo a 200 rs. o corado, a ditas logia-
$20 rs. o cgtoo
Csmbrasas de cores finisaimia, delicadiaaimes ." a 1t l'; : ru" d* ImperstrU n. 60, loja da
Gama & Silva.
Vende o Pavo a 280 rs.
Gorgurlo de liaho qiie folio em rettldot para:
senhora ou roupa para aoeuiooa parece sediohas
a 280 rt. o corado, por ter grande porgao : na roa
da Imperatrit n. 60, loja e armazem de Pari de
Gama ii Silva.
XarlaUoado Pavo.
Venda-ae larlatana de lia com palmiohat sel-
tas a 820 rs. o corado : as rus da Imperatrit n.
60, loja do Pari da Gama & Silva.
O Pavo vende a 451500 rs.
Cortea de bareges com Boa de aada tando 22 co
vados, com barra, podendo e faser babadoe, pe-
lo baratitsimo prego da 49500, t na loja do Pa-
vornadalm pera tris a. 60 de Gama & Silra.
Vestidos de la. .
Vende-ae vettidoa do liaziohas tendo as salas
j promptat, com muita roda, propriaa para -
lo a 4f00, t na loja e armazem do Paro raa
da Imperatrit o. 60. da Gama & Silra.
NQSARliAZUKS
PROGRESSISTA
OE
Basquinas do Pavo a 4000
Vaatde-se ricas basquinas do fuetto mal bem
bordadas, fasenda que sempre sa vende por 121
e 169000 por 4*000, para aeerbar : oa loja do P?
rao de Gama 4 Silva, raa da Imperatrit
o. 60.____________
. Enfeites do Pavo.
Vende-sa ricos enfeites i torca e i Gtribaldi
com rieaa franjas e boietaa a 5J000,'diioa dos
meemos msis simples a 2J000 rr., e ditos de fitaa
cada um em eeo cartio : na roa da Imperatrfs a.
60, loja do Pari.
firilhantina suissa.
Vende-se brilhanlina salssa da quadrinhos, fa-
zonda muito encorpada para rettidoa a mait lar-
ga qae chita ingleza a 200 rs. o corsdo : na ra
da Imperatriz n. 60, loja a armazem do Parlo
da Gama & Silva.
Colchas (lo Pavo.
Vende-se ricas colchas da fusta Itabo-de
ranos tamanhos e diferentes desenos : oa ras
da Imperatrit n. 60, loja a armazem do Paro
de Gama i Silra
Chales pretos do Pavo.
Vende-se ot mais modernos chales pretos de
ponta redonda com bolota, guarnecidos de bito
de seda largo em lugar de fraoia a 6S000 : oa
raadalmperalrlz o. 60. loja do Pari.
Bales do Pavo.
Vende-ae rlcot baldes arendados com duassaiss
a bico am rolla, pelo baraliaeimo prego de 69,
ditos de madapolio francez muito grandaa com 6
arcos a 5jJ, ditot com 5 arcos a 3fi500: na loia
do Parao, ra da Imperatrit n. 60.
Bramante do Pavao a lOflOOO a peca.
Acaba dechegaraloja doPo,um*BWi por-
gao do acreditado bramante de linbo, com largu-
ra de brim lito, tendo 27 raras cada peca, esta
azenda propria para lences, loalhas, cerou-
las, camisas, etc.. e vende-sa pelo biratisiimo
preco de IOS pega, s na loja do Paro : raa
da Imperatriz n. 60. da Gama 4-SlUa.
Chales Garibaldinos.
Vende-se na loja do Parao, chelea da marin
muito grandes de littrinhas a Gtribaldi, p'elo ba-
ralissimo prego de 49500. pecbincha : na raa
da Imperatriz n. 60, de Gama & Silra.
Chales do Pavo.
Vende-se chales de merino multo grandes s
3, ditos de castas de coras a 800 ra. : m ros da
Imperatriz n. 60, loja do Pari.
Vestidos do Pavao,
E' pechiocha, cortea de cambraia brancos com
babados a 29500, ditos de tarlatana brancos e de
cret a 39, ditos com babadoa e duaaaaias muito
tuperiores a 49, pet,as de cambraia branca com
carociohoa brancoa e de cret, teodo 8 1/2 raras
cada pega, por 49. 7 1/2 raras, padrdea ooros a 29500 ; ttfdo itto se
encontr na loja do Pari, quer vende diohelro
a vista : na ra da Imperatriz n. 60, loja de Ga-
ma & Silra.
Alburnos de borracha.
Vende-se ot mait superiores alburnos -ou ao-
bra-tudos de borracha, proprioa para o inrerno a
139 r oa ra da Imperatriz n. 60, loja do Paro.
Cortes de phantasia,
Venda-se ricos crtesjde phantasia de duas salas
com delicados larores a 69 cada um : ba raa da
Imperatriz n. 60. loja do Pari.
Calcinhas doParSo.
Vende-ae calcinitas de cambraia bordadas para
nlna a la o nar : na Inin rtn Pmin m. h. t
menina a 19 o par
peratriz n. 60:
na loja do Parao ra dalm-
Gollinhas do Parao.
Vende-se golinbaa de cambria bordadoa e di-
tas de fil bordadaa a 500 rea : na loja do Paro
ra da Imperatriz n. 60.
Manguitos com gollinhas.
, 190UU e manguitos muito Ooos a 1 o par aja
ra da Imperatriz n. 60, loja do Paro.
Tiras e entre meios.
Vende-so liras bordadas tapadas e transparen-
tes, assim como entre-meios muito delicados :
na roa da Imperatrie o. 60, loja e armazem do
Parao.
Loja do Pavo ra da lrj/pera-
trii numero 60.
DE
(iYMVt SUA\.
Vende-te nette etlabelaMeato^oinast tazan-
das por pregot mait baraV|ae potsirel t
com o flm da tpanr diphefro, atiim como ama
grande porgao das ditas fizepdas intuirsmenteno-
rat, riadas pelos ltimos arm : os itonos des-
U astabelfiimerjt o r ogam a lodos ti as (regua-
zes, que se dam ao trabalho de procurar neata
Diario oa sonando) da loja do ravlo, porque
?Wo cartoiqna nao perderlo sai tmpoj

Lencos e luvas.
Vende-se lengos de cambraia de linho com la-
byriotho a 500, ditos de imitagiode labyrintho
a 19, luvas de sedss de todas as cOres a 500 ris,
enfeites pretos de vidrilho para cabega a 1$, li-
ras de relroz preto abarlas a 500 ris o par; na
raa da Imperatriz n. 60, loja do Paro de Gama
Si Silra.
Cambraias do Paro.
Pecas de cambraia fina com 101/2 raras a 69 a
pega, ditas com 8 1/2 varas s 49. ditas de 8 pegas
a 39, dita para forro, com 8 1/i varas a I96OO ;
a a ra da Imperatriz n. 60, loja do Patio, do
Gama & Silra.
DUARTE & C.
36 Ra das Cruzes de S. Antonio 36
9 LARGO DOC ARMO 9.
Nos os proprietstios dostes acreditados rmaseos participamos aos nossos numerosos
nS"88 qM ^ ^fL!* T'^-"a-.n>T'dl da !ela wcebemos <> Prop eneommonda os
noroolieMenio a molhau'os, o por isso podemos vender por meaos 10 por cento do
qw otwaqwld^er, eomo a experiencia o mostrar por isso pedimos a todos os Srs. da praga e do
rnauoj que oda so nao derara ao trabalbo da mandarem experimeour, o favor de o fazerem, cortos
ITKT' *** par*i"0 n5 Pouparemos foress para bem servil-es arada mais a pessois
renos aotendrfa, cortos da esclarecer aos compradores que sd, na roa das Cruzas n. 36 e largo
ao uarsao n. v, que de vera inderecar os portadores, pois muito sa ovildam com outras casas quasi
dos mesmoi ttulos (Progresista e Progressivo) pois sao as duas nicas filiaos.
Iga ingleza a mai8 nova emis mfm]m ^ merca(i0 a 900 rs. a libra.
Manteiga f ra n cesa a melbor^ue se pode desojar a 650 rs. a libra a em barril a
ww rs.
n~ J*nx,na o mais especial que se pede eacontrar a 29880 a libra.
Olla nySSOll 0 melhor que se poda desojar da 2M00 a *#800 a libra.
Ha preto 0 que M pda desej-ar ne8to genero a ^ a 1brt e a 1?600 o ordtur0#
QOeiJOS flaifleWgOS bagados aoultimo vapor a 2al700.
^deijo prato 0 mejh() do ^^^ 1600 rs 11braa Kjo intiro a50e n
Qliei/OS UO Sertao muito superior a 6Ors. a libra tamben temos para 500 rs.
Passas em caxinhas b IgOS em CalXf nhaS de 8 libras a 1600 e aOO rs. a libra.
Amendoag da Casca mole a 320 rs. no^e, a 160 rs. a libra muito novas
Ameixas trancez^s a lf a ,ibra e emIalas com 5nkas a 4ooo.
Mermelada superior ameihordo merclo
libra. "
Doce da casca da goiaba soo rs.
J. amaras em caixinhas proprias para mimo a 2*500 e 800 rs. a libra.
Latas COm frutas em Calda como peeogo, damasco, ginja, ,
alperxe a 600 rs.
AlIiendoaS COOfeitadaS com diversas cores a 800 rs.
V mnos generosos engarrafados dasseguintesqualidades, duque do Porto, Porto
esa ,3 1 secco' "^00* p,8Clor. Carcavellos, Feitoria, e Madeira aecca a
12 e 139 a duza e a 1*100 a garrafa e moscatel a 720 rs. a garrafa.
DIlCS mnioA prrtp.i r-'-'n^.dft600 a 4 ainada da fiOO a 600 s a aarrafa.
do Porto, Lisboa e Figueiral
S. JO AO'
VENDE-SE i\0 ARMAZEM
PROGRESSO
DE
Francisco Fernandes Duarte
largo 4a Fesha
V
'.
i am latas da duas libras a 400 rs. a
o caixao.
Srvelas
'<
das melhores marcas a 500 rs. a garrafa e 5P0O0 a duzia, ehanpanhe das
marcas mais acreditadas de 14 a 20 o gigo, cognhac o melhor .que se pode deseiar
a 900 rs. agarrafa. J
Ixeiieora (js-eiieDra iuliana a mais sublime que tem vindo ao nosso mercado em frascos grandes
a 2|000cada um.
rrasqucira COm 12 frascos de genebra de Holanda 9800
\xarraiOeS com 5 garrafas de superior vinagre a 1$000
Vinagre puro de Lisboa 240 ra> agma(, e, lf800 a canada
>i arra SqiUIlO 0 m>i.superior que se poe desojar a 19000 a garrafa.
aspermcete 0 mais superior do marcado em caixinhas de 6 libras a 49200 e 700 ra
a libra.
VelaS de Carnauba a ny500 a arroba a 380 a libra.
AUCOretftS comazeitonas as melhores do mercado a 1^400.
IXa8 com 1 arroba hespanhola contando raacaro talharim e aletria a 69000.
Caixinh
Vestidinhos a 4$500.
Vende se vestidinhos de seda enfeiladoa para
meninas de 2 a 3 anBoa a 4^500 : na ra da Im-
peratriz n. 60, loja de Gama & Silva.
Grosdenaples do Pavao.
Vende-ae grosdenaples preto moito ineorpsdo
a 13600 o corado : na roa da Imperatrit n.^OO,
loja de Gama & Silva.
Lanzinhas allemaa, novidade do Pavao.
Acaba da chegar pelo ultimo vpor um bonito
sortimanto de lanzinhas da Alterna aha com boni-
tas palmat de aada, tanda 4 palmoa da largara a
800 rit o o*ado : na loja do Pavao roa da Irn-
os ratriz n. 60.
Pavao.
Paleto
Vende-ae patftatt do
ditoa do
ureis s 4)500: t na raa da laapratria'n
Gama & Silva.
S com diversas qualidades de raassas coaao saja eslrelinha pevide etc., a 6*000
e 640 rs. a libra.
Chouricas e Pbos 08 melhoresdo m9rcado a 560 n a |bra>
iSala liles 0 melhor que se poda desojar a 700 rs. libra.
PreZUntOS 0 que so pode atajar de bom a 640 rs. a libra.
LilligUICaS finas em latas j promptas a 19600.
PeXe em latas cavallinhas pargo, e IragtndoBa 1,0600.
1 OUCn flO do reino a 280 rs. a libra do novo, o 240 rs. do velho.
tSanlia de porca a m8n,or ^ ^^0 em jats d910^a 4j00o.
MaSS 1 de tomate em lataada 1 librra a 700rs.
HaSSaS para SOpa talharimemacarrSo a 280rs,ealetria a 320 rs.
PalltOS lixauOS em macos com 20 macinhos a 200 rs.
"a pe gTeve pautado e liso muito superior a 49000 a resma.
Car Va UOCea 360. pimenu a 360, canalla 900 rs., ecominhos a 800 rs. a libra.
Pa htCS do gaZ a 29300 a groza e 20 rs. a caixinha.
5w 1 retinado 9m feotes de mais da urna libra a 160 rs. e potes 560 rs.
"fto U mito novo a 280 a libra e sevadinha 200 rs.
Farinha do Maraoso a 160 rs. a libra e goman a 80 rs. a libra e 29400 a arroba.
. do (Cear o melhor do mercadpde 89500 a 99500 a arroba.
aiX1D "a as mais elegantes, propias para mimos ou mesmo para guardar ioias de 400 rs.
a 19500 e temo com 6 caixinhas a 5f 000.
Chocolate hespanhol ^^01,000 aiibr..
Krvilhas portuguezas e francezase feijso verd,de eioa720 rs.
anta.
1 raques os melhores do mercado a 10 a caixa e a 280 rs, a carta.
Aa Vel em laus ebegado no ultimo vapor a 19600.
BoIaXha de SOda em laus a 1*400
BlaXinha ingleza a mais aova do mercado a 49500 a bar* e 300 rs. a libra,
A VelaS cnegadaa ltimamente a 320 rs. a libra.
Os memores gneros que vem a este mercado e por menos 10 por eento do ana en outra
quakiuer parte, garanundo-se a boa qualid.de, por isso roga-so a lodos o, Son. da ame. i
genhos e lavradores o favor de mandarem suas eneommendas a este muito acreditado Tn^2n da
JJjJ dfl vmm a d,flww,ca W e qualidade que faz, se fossem eompmdos em ta
^mtmj*1*8 confeitadas para sorte de S. Joo a 800 rs. a libra, tambero tan-so para
6*0 rs. a bra sendo em porcio, tanto de urna qualidade oaao de outra sa faa abati-
mento.
HaUtClga Im^leza da safra nova
barril se faz abatimento.
lAantaiga f r aa ta
%m^aa do veimo
de primeira qualidade a 850 *a libra, em
a mais nova a 640 rs. a libra, am barril a 600 rs.
29000 ditos cha-
muito frescos ehegados neste ultimo vapor a
gados no ultime navio a 19800.
jj. J mais superior que tem vindo a este mercado a 800 rs. a libra.
a ^f??11 me,nor 1ue h no mercado a 29800 e 29200 a libra, afianca-se a boa
qualidade. *^
"* UUX11II o que se poda desojar neste genero a 39000 a liara.
Glia pretO homeopathico a 29200 a libra em-porcao se abatimento.
I, r& t\UeS novoS t pav0 tran8ad0 a 320 rs. o em eaixas eom 40 cartas por 109000.
Li&vaS 4>m amomnoas confeiudas, proprias para mimo, contando mais eon-
. faitea e assucar candido por I96OO cada ama.
IfaSSaS em caixinhas de 8 libras chegadas altimamente a- 29000 cada nma e a retalio
a 480 rs. a libra.
ttOiaXinna de soda em latas com diferentes qualidades a 19440.
D Olalla na inglesa a mais nova que h no marcado a 49000 a barrica a a retalao
a 320 rs. a libra.
VinnO em pipa de superior qualidade Porto, Figueira e Lisboa 500, 560 a 640 rs.
a garrafa, e em canada a 39500, 49000 e 49500.
VnnOS engarrafados Duque do Porto, Lagrimas do Douro, Careavellos, Fei-
toria velho, e de outras maitas marcas acreditadas a 19200 a garrafa, am caixa a 129
tambem ha para 19000 a garrafa.
BHampaailie das marcas mais acreditadas a 159000 e 209000 o gigo, em garrafa a
1,580o
Serve ja da marca cobrinha ou de outras marcas conbecidaa a 59000 a duzia e 500 rs.
a garrafa. .^j,
a'falnas francesas e portuguez Z em lataa de 1 libra por 640 rs.
S&a$a do tomate era taitas de l libra por 806 rs.
imperial do afamado Abreu ede outros muitos fabricantes de Lisboa a 800 rs.
m.m01Xt8 TraneOZaS em laus de 1 e meia libra por 19500, ditas com 3 libras or
20800. ^
*kmenaoa& de csea mole muito novas a 320 is. a libra, em arroba por 80000.
KOZOSa 120 rs. a libra e em arroba a 30000.
Aletria, macar rae O talnarim a 400 rs. a libra, a em ata eom l arro-
ba por 69000. *
fuStrelliana, pevide e arroz de mass. branc. 6u amarella, a 640 rs. a libra, e em cai-
xinhas muito enfeitadas se faz obatimento.
traillOS Oe OOnteS lxados os maisbam feitosque tem vindo a este mercado a 280 rs.
tambem ha para 200 rs.
Pl*eznntoS tngjiezeS para fiambre a 800 rs. tambem hamburguez para fiambre a
640 rs. a libra e do reino o mais novo que ha a 560 rs. a libra.
LillOnriC/AS OpalOS mi{0 novas a 560 rs. a libra e em barril se tara abatimento.
9aiame 0 melhor petisco que pode haver por estar prompto a toda hora a 800 rs. a libra.
m OnOinnO do TeiaO mto no a sst rs. a libra e em barris de 1 e meia arroba
a 59 a 79 a arroba.
%jUOnrit^aS em latas j promptas para se comer a 19800 cada urna.
Banha "de poreo refinada em lalas wm 10 libras por ^900
Dita em barril Ba10 at e aWa a 440 A a 1bra eem ^^ a ^q rs
Cartoes eom bolla f ranee? VT0f03 ^n ^ a 500 <*& um.
Harmelada
a libra.
HaVmelada de Alperehe em latas de 2 libras por 19000 cada
Lattas em F metas
jam pera, pesego
UOeeS SeCCOS e em calda, em latas, de 4 a 5 libras por 29000.
v.nOCOVate hespanhol a 1J500 rs. a ibra, ditto frsncet a 19100 dttto poriqgma a
800 rs., afianca-se a boa qualidade.
I-*ale de primeira qualidade tanto do Rio como do Cear, a 2%Q rs. a libra, em arroba a
99500, dito mais baixo a 280 rs. e 8*500 a arroba.
^evaainna de Franga a mais nova do mercado a-240 rs. a libra, e em porcao se faz
abatimento.
^*Ca muito novo a"320 rs. a libra eem garrafoes com 5libras, por 29000.
"^ arinna do reino das marcas SSS ou galega, a 140 rs, a libra.
I>1 ta do Maranho alva e cheirosa a 160 rs. a libra a ata arroba 49500.
VelaS de carnauba refinada a 400 rs a libra, e am arrofca'o 129000. -
rVieltO doce refinado a 800 rs. a garrafa, e <>m eaixas a 99000.
Vinagre de Lisboa a 240 rs. a garrafa e em caada a 19800.
VWinO eherer. verdadeiro a 19500 a garrafa, a em caixa 149000.
VvanO branca do Lisboa o mm superior qua ha no mercado praprio pan mise a
640 rs. a garrafa a em caad a 49500.
^amtOS IUspros da fabcieaoM Brando em meias cixiahas, por 29500.
* suspiros do fabricante Catanho FHhos em meias axinhas a 29000.
urna,
de doce em calda as melhores que ha em Portugal como se-
damasco, ameixas, ginja e sereijas a 800 rs. a lata.
y de coi a%*te7de%\e\td|F Sardulias de Nautes,
60, de
Panninho do avio.
Vende-te pecat de panajnho finissimo com 10
varas a 6J : na ra da Imperairrx n. 60fcloj de
Gama & Silva.
Cinta em
Venda-ae coi!
com 10 conarioa
cOr fita: oa ra*
matea do Paria.
400 w7 a lata. '
Aaeite doce reflnadoo9acaae8oo .agamia,
Ar TOZ em aaeeot de 5 arrobas do vennemo a 29800.
m
LICOreS os mais finos que ha.no marcado a 19 a garrafa e 109 a duaia, tambem temo
parameos.
Alim doajjeneros anannciados encontrar o respsttavel publico todo na sor pertencen-
i a estes MrsksJar.tmoBtas. Os propietarios setsnjifieam que sitas pracoa s servirara para aquel -
ilas Snrs. qa*landarem sen competen te importe a lodos os demirs f reguana de livro ter m de aujei -
ai-M palo pracoi acosiumados, Ivo aqaeuie da fin de mjg
Bitas
am eaixas da 100 regala Imperial, ?iagantas, a PaneoteBas, a 29000 a caixa.
AlplSta muiu limpo, a I80ts. libra, em arroba 59500,
AzeitonSS muito novas, a 19600 rs. cada urna ancoren, a 4O0*rtw a garr
ArrOX de Alaranbw a 120 rs a libra* a 39700-a trroba.
* d pesus esa latos das melhores qaalidaoW^i^ paixa que ha em f onup
C\emebra de Hollamda ^ gtmfaa 25 amn* por 1900.
OStard ingUta muiu aova a 19000 ofvao (taasatta a 640 rs. o p*
Alam dos genero, cima meaeiaoados enconHar o raapeiuvel pflteo m<
manto de todo que i toadante a moraados.
~ *i
asV M 1 I *


L~


I

DMU0JMMUIB0ea*.Stt*O HDflMN
Grai n
TRl
Ferragens t toMaus.
iRa Dirdt*-~r89
Ym$. Jefte!!
Ricas bandaje" P o bollos de 3f a -'fOM^
Ditas ditarecrtate* e brdelas de S,500 n 2fM6
ExeelrentM tacM garlos cabo de d*m deiia
uaooaamo.
Dita dita dita etbo de viado a 49.
Dita dita d balaoco de 7* a 4J8Q*.
Colberee fian da metal principe, a >pa e chi
5*50 a 3**00. -i_. -,.
Ditae letinarre, datla H*.
Camas de vento. inditpensavets depoii do bollo,
loare amtrello de 5*500 a 5*.
fia de maia um sortlmeato completo do ledo
qae tendete a ferraftne miedeitt por um
preco ridiculo. ^^__________
Cal e potassa.
Vendem-se les dous ar-
tigos ultimameQte chegados,
no bem.coalieciilo e acredita-
do deposito da ra da Gadeia
o Recife n. 12, mais barato
do que em outra qualquer
parte. __j
Pauao de algodao da Bahia.
Vende-ae no eacriptorio de Antonio La d*
Oliveira Axerede & C. na rea da Crais n.l.
Aljfar fino imitando perola.
Vende-ae a 500 m. o Bo de aljfar fino, imi-
tando parola : na ra do Qaeimado, loja d'aguii
branca a. 16.
Vendem-se exceileates
presuntos para fiambre,, os
melhores que tem vindo a es-
te mercado, chegados ltima-
mente, a 600 rs. a libra, em
porco se farabatimento: no
caes d'Apollo n. 67, deposito
de sabo.
Ricos pianos *
de vanos autores, venciera-le fj}
em casa de Kalkmann Ir no aos & $
C, ra da Cruz n. 10. @
*-*-
De boje em diante cominea a hi verleite ao
peda vacca de manha cedo, na caaa o. 11 da
raa do Imperador, e tambem em alguma caaa
particular, e para iaao sahir a vacca por estas
roas a dar laite aquellas peaaoaa, qae qu xerern.
Superiores pennas dea?o
Gnedes & Gonsalvea com loja de miadexes na
raa da Cadeia do Recite n. 7, teem para Tender
as mala acreditadaa pennaa de fino ac de difie-
ren tas aatorea com grande nomeada: qaem aa
pretender, dirija-se a citada loja, teas preces alo
bem razoaveia.
A verdadeira essencia de ail
para engommado.
Acaba de ebegar para a loja d'aguia branca,
raa do Qaeimado n. 16.__________
Barato e bom.
Na ra do Queimado n. 43, es-
quina que volta para a Cbn-
gregaco.
Ainda se continua a vender.
Chitas largas etcaraa e Ca, corado, a 180 e
200 rs.
dem idem dem floa a 220 e 240.
Cambraia de cor omito Boa e fiza a 480 e 500
rs. a rara.
Organdyt de lindos padres a 640 a vera..
Cambraia de aalpicos, a pega com 9 rarai a 4$.
DiU branca muito fina, pe?a a 40800 e 1$.
Dita preta maito fioa, a vara a 500 rs.
Chita preta francesa fina a 300 ra. o covdo.
Liazioha moderna para vestidos a 500 rs. o
aovado. Do-ae mostraa cora peohor.
Vende-ae um riquisaimo sitio oas reas do
Giqai, lendo o meemo 72 palmoa de frente e 300
de fundo, com boa caaa de taipa, a qual tem 2
salea, 2 quartoa, cozioha fora, eetribaia para um
cavollo; qaem pretender, dirija-se ao mesmo
lugar, a tratar com sna dona janto a taborua do
Sr. Thom.
Caixinhas e cabazes para
as meninas trazerem
no braco.
Muito lindas caixinhas e cabazes para meninaa,
de 100 rie at 20500: na loja da Victoria, na raa
do Queimado n. 75. _____ __________
Enfeites para senhora,
Oa melhoraa enfeitea pretoa e de cores que ap-
parece a5)500, 6* e 6g500 : na loja da Victoria,
na ra do Queimado n. 75.
Loja de miudezas,rua do Quei-
mado n. 38 A, de Guimares
4 Rocha.
Chegaram oa botdea aa cornalina braotoa e en-
caro a dos, qae aa venda por 3) a darla, aa par If
o par pare pannos, s ha neeta loja, arases de
arnalioe pera roeartoe, e prapriac pasa eneastoer
em oaro s 1*, flautas de bano de i chavas cosa
caixi, pelo barata preco de 20$, pos de arras aro-
matiaado a 1|600, em frascos muito rindes a 3,
agultus victoria chtgou novo sorlimenta, o preco
o meaasa ce 120, csrteirss pare eacrever, pro-
priaa para viagem, com tintetros etc. a 12 e 169,
ntremelos bordados, a transparentes a 19500,
10800, -f, 21500 e 3, tiras bordadas para calcu
da maniaaa eaaiaa a 11 a t|, labyriattao ingles a
80, 100,120.160,XO0 a 240 ra a vara, fitaa finas
de groadenaple achamalotado propriaa pare cia-
tos s 1|500 vera, eolheree de metal principe
para cbi e topa, a 5 a 21500 a dazla, facas da
cabo de balanco a i a 7)000, abo de alado por
4|500. meiaa para homem a 1)800. 9*100. 3*600,
5* e 6* a daate, meras de seda para esttica tes-
cem-nascida, lindas corsa a 1* o par, meiaa da
algodao para meninos e meninaa a 240 o par, flo-
res erlificiees para enfeites a 1*,' capellae para
noiva, s s Esperance vende per 5|, de flor de
laraogeira, fitas de velludo largas* estreitinhaa
como ae proeura a 1) a peca da estrasta, tesouraa
para unbas te eco finas a 1)500, car vea etc. para
costara a 600, 800,1*280 a 1*600, pontudas de
ac para cortsr fies na comeco do laby rintho, s
.tem a Esperanza, qae vende por 1$, tinta aznl e
preta (verdadeir inglesa) e 320 a 640, qae ae
vende barata por ser receida directamente do
fabricante, pennas de ac iaglesas e de mnitas
quadadea a precoe differeates, popal elmaco ia-
glez, reama de 500 folbaa a 6) (pastado), dito al-
majo francs, resms de 420 felhas a 4* (pautado),
dito sem ser pautado a 3)200 a 4*. dito pequeoo
tarjado da preta a 1*500, dourado a 1|500, de
corea a 1*600, bordado como renda, e pintado
com palmas, rosas, etc., por procos razoaveis, a
ama infinidades da srtigos barates, escolbidos
com gosto e acert para aso domestico,especiali-
dadea viudas de encommenda, nao valas neste
mercado, que recebe esta cass conatantemente.
Ao rival sem iguaL
Ra larga do Rosario numero 30.
Fitas de reliado estreitinhae para enfeite s
peca 720 rs.
Sintos doarsdos s 1*600.
Ditas ditos com pomas sahidss a 3J000.
Ua para bordar sortdaa, libra a 6*400.
Estovas para cabello a 1*.
Dazia de meiaa craas para homem a 2*400.
Cartas do slfloetes a 100 ra.
Franjas pretas com vidrilho a 320 e 400 rs.
Enfeitea de retros com frsnja a 5*000.
Duiia de meias para senhora a 2*480.
Jentes a maesa para atar caballo s 500 rs.
Teaoarssordinarias para cortar parios a 30 n.
Sabonetes do bola de cores a 400 rs.
Franjas de tods.
Bisos pretos largos e ealreitos.
Trances pratsa com vidrilho e branca.
Escoras para anhas s 320 e 500 rs.
derritis da retros a 300 rs.
Tranca de seda de cores s 200 rs.
Carretera de liona a 30, 60 e 80 ri.
Linba do gaz laatroza a 30 rs.
DiU de Pedro Vs 30 rs.
Bap Paalo Cordeiro e Gassea 1*600.
DrtoJa'earon a 1).
Caisinhaa com papel para namoro a 2$ e 3*.
N. B. O dono dasle ettabelecimento prompti-
fice-se a mandar em eaiseiro com aa miudazas
qae qezerem em casa das familias que isto
erigir- _
Franjas pretas com vi-
drilho e sem elle.
Ricos aoTtimentoa de franjas pretaa e de cotes
com vidrilho e sera elle : na loja da Victoria, na
raa do Queimado n. 75. _____
Lianasde peso verda-
deras.
Linhas finta de
grandea a 240 ris :
do Queimado n. 75.
peao- verdadeirat, meadaa
na loja da Victoria, na raa
Phosphoros de segurancia
Phosphoros de segaranca, por que livra de in-
cendio, a 160 ris a caita: na loja da Victoria,
na ra do Queimado n. 75.
Para doces seceos.
Vendem-se maito bonitas caixinhai -redondas,
de madeira, de divertos tamanhot, forradas de
papis de cores, muito lina as, propriaa nica-
mente para doces seceos de qualquer qualidade,
pelo barato prego de *, 5 e 6* a duzia : na raa
do Queimado, na bem conhecida loja de miude-
ii8 da boa fama n. 35.
Para S, Joo e S. Pedro.
Veddem-se caixinhas com grande porgo de
amendoaa coofeitadaa, e alguns confeitoa pro-
prios para o ftatejo de S. Joo e S. Pedro, p*lo
barato preco da 800 rt. cada urna : na ra do
Queimado, na bem conhecida loja de mludexaa
da boi fama n. 35. -
4Uencao
dos se h o res boticarios.
E' chegado pelo ultimo navio um grande sorti-
mento de drogas dos Sra. Lanman & Kemp, in-
cluindo a salsa parrilha de Brislol, pastlbaa ver-
mrfeges, pettersl de Anacobarita, plalas (le Hat-
chios, e bilters de Hosteller; os senhores boti-
carios que precisarem destas drogas, eocontrsro
no armazem de Henry Forater & C., ra do Tra -
piche n. 8._______________________________
Luvasde Jouvin.
Vende-se luvas de pellica de Joavio brancas,
para senhora, ltimamente ebegadas : oa loja do
beija flor, raa do Queimado n. 63.
Baleias para vestidos.
Baleiaa muito grandes e boas a 160 ra* ama
na loja da Victona, na ra do Queimado n. 75.
Linha de croxel para la-
byrintho.
As melhores linhas de croxel para labyrintho,
uottilos monstros a 320 ris um : na loja da Vic-
toria, na raa do Queimado o. 75.
Borzeguins inglezes.
Nt red da Imperatrix n. *0 defronte da boneca
loja do Pinto, recebea-se pelo ultimo vapor um
grande souimeoto dos j bem acreditados bor-
zegaiBt ingleses qaa vende-se por 10$ e 11*. di-
nbeiro Ioro contedo.
losas arlificiaes paraca-
hdb.
A laja de beija-flor tendo recabMo bonitas io-
aas qaa se ests asando para 9t eabatios, vende
na raa ele Qaeimado aa loja cima n. 63.
Cambraias
Vendem-ae cambraias de cores ds baeitoa e
alegaateadeaeahoa a 280 e 320 rs. o cavado: as
rae da Imperatrii, loja n. 20. ^^^^^
Oliados.
Vsndem-te oliados pintados de lindas vistss e
paisagens, largaras ds 6, 7, 8 a 9 palmot, pro-
prios psrs mess de jactara 2*o corado : na ra
da Imperatriz, loja o. 20.
Borzeguins.
Ra da Imperatriz n. 10 loja
do Pinto.
Vende-se pelo baratlsaimo prego :
Borzegatos da luttre para homem a 8*.
Ditoa da beserro para bomem a 8*.
Ditos de eordavo para dito a 8*.
Por este prego s a dinbeiro i vista para li-
quidar.
Sintos dourados para se-
nhoras.
Lindos sintos doarados para senhoraa a 2*200,
ditoa de ponte cahida a 4*. ditoa de fita a 18600:
na loja da Victoria, na ra do Queimado o. 75.
Ricos espelhos de
moldura dourada para
salas-
Chegou para a loja da Victoria urna pequea
porco de ricos espelhos de varios tamanbos para
ornamentoa de salas, afflan;ando-te serem os
melhores em vidros que tem vindo : na loja da
Victoria, na rus do Queimado n. 75^__________
La para bordar.
Lia muito boa de todas as cores para bordar, a
7* a libra : na loja da Victoria, na ra do Quei-
mado n. 75.
Luvasde seda.
Vende-se luvas de seda eofeiladafi a 1JJ600,
2*000 2*200, ditas fio de Escoasia braocaa a ra.
700. dilaa de corea 800 ria, ditas de algodao a
280 ris ; na loja do beija flor, raa do Queimado
numero 63.
Escovas.
Vende-se escovas para dentea finas de diversas
quadadea a 120,160. 320. 400 e 500 ris : na
loja do beija-flor, ra do Queimado r. 63.
Liohas do gaz,
Caixinhas com 50 novellos de linhas muito fi-
nas do gaz a 900 ris a caixa, ditas com 30 no-
vellos a 700 ris, ditas com 10 novellos grandea
a 700 ria, brancaa epretaa: na loja da Victoria,
na ra do Qaeimado n. 75.
Jogo de domin.
Vende-ae jogo de domin finos a lg-200
loja do beija-flor. ra do Queimado o. 63.
na
Botes parapunho.
Vende-se. botes de punho finos de diversas
qualldadea a 200 rcis o par. que tambem aervem
para maoguitoa de aenhora : na loja do beija flor
ra do Queimado n. 63.
Occulos.
Vende-se occulos finos de armacio de
2, 1. 640 e 400 ris : loja do beija llor,
Queimado o. 63.
seo, a
raa do
Candieiros de gaz
Chegou para a loja da Victoria os melhores
candieiros de gaz que tem vindo ao mercado, por
precos commodos : na loja da Victoria, na raa
do Qaeimado n. 75.
Ricos sintos dourados.
Vende-ae sintos dourados a 2*. ditos de fita
com fivetls dourada a 1*500 : loja do beija fior,
rae do Qaeimado n. 63.
Ricas fitas para chapeos,
cinteiros, etc, etc.
A loja d'aguia branca acaba de receber am ex-
traordinario aorlimento de ricas fitas, to boas
em qualidade quao booitaa nos deaenhos, tendo
entre ellas o mais largo que jfjpasivel; astim
como algumas pecas brancas cjV o centro liso
proprio para inscripr.et, e mamas outras de de-
ferentes cores como de caf, rxa, escara, etc.,
etc., a como de sea louvsvel costume : s leja
d'aguia branca, na raa do Queimado n.. 16, ven-
de por preco com modo eaaas boas e bonitas fitaa.
Gravatas de setim com
ponta larga a 1$
Veodem-se gravatas pretat de bom setim e
com pon tas largas a 1* cada urna, to baratas
atsim s so acha na raa do Queimado, loja d'a-
guia branca n. 16.
Enfeites para cabeca.
Vende-se requisaimos enfeites para cabeca com
franja, e sem ella pelo barstisaimo prego de 58
e 5g000, ditoa de vidrilboa a 1*600 ; na loja do
beija flor, rua'do Queimado o. 63.
Carteiras.
Vende-se ricas carteiraa para guardar dinheiro
de ouro o prata a 2*000, 25500, 1*000, 18280 e
1*500 : na loja do beije flor : ra do Queimado
numero 63.
Rosas artiiciaes para cabello.
A. L. B. P. teodo receido um variado sorti-
mento de bonitas rosas que se slo usando para
cabellos, a de psnnos com folhs de velludo, ditas
de papel todas, as mais ricas que se pode encon-
trar vende-se ns ras do Queimado n. 63, loja
do beija flor.
Nova altenco.
Relogios
Van de-se em casa da Johnston Pater & C.,
. -^ do Vigsrio n. 3, am bailo sortimento de
elegios de oaro, patento inglez, de um dos mais
afamados fabricantes de Liverpool; tambem
ama variedad* de bonitos trancellins para os
mesmos.
Leja das 6 por-|
tas em frente do Livra-
ment.
[Baldes de 15, 20, 50 e 40 arcos.
Grande sortimento de baldes de arcos
os melhores netts fazenda e grandea,
chitas fraocszaa largas escuras a 22U e i
240 rs. o corado, ditts eatreitas rniudi- !
nhas a 160 rs. o corsdo, cambrsis lisa
para forro com 8 1|2 varaa a 2* a peca,
ditaa finas a 3*. 4*. 5* e 6$ muito finas,
ditas de salpiquinho com 8 li2 varas a
J 3*500 a pega, cobertas alcoxoadas bran-
caa e de cores para cama a 4*500 e 5Jr
caitas de cores francesas tintas seguras
_ a 320 ra. o corado, peca de bretanba de
I rojo a 25, algodao trancado alvo maito
C largo para toalhas a 1* a vara, enfeites a
i Garibaldi todos pretos a 5* cada um, len-
to eos brancos com barra de cores a 120. ca-
I da am, roapafeita de todas ss qaalida-'
dea maito baratea, a loja est aborta at
as 9 heras da noite.
Libras sterlinas.
' Vendem-se em cssa de Wilg & Just, praca do
Corpo Santo n. 13.
Grande
liquidaco por todo
o pre^o, na bem co-
nhecida loja do Ser-
tanejo.
!Boa do Queimado n.4S.j
Apparecam com di-
nheiro que nao deixaro
de comprar.
Chitas escaras finas a 160, 180 e 200
rs., cortes da vestido pretos bordados a I
velludo de cuito de 150* e se vendem 3
por 309,40*. 509 e 709.sahidas de baile 1
de vellado e setim a 12* e 13*, cannaas S
para senhora a 2&000 e 3*500, golliahas I
de cambraia bordadas a 500, 600, 700, S
800, 900 e 1*, ditas de fil bordadas a 120 *
rs., cssareqaes de fastio a 5*, 6*,7f, 8*,
meias de seds brancas o pretas para se-
nhora a 1*200 o par, liras de babados a
500 e 700 rs., laade qaadro enfeatadaa a
300 e 360 re. o cvado, cambraia preta a
400 e 440 rs. a vara, organdys de cores a
600 rs. a vara, fil branco adamascado
para cortinados a vestidos a 400 e 500
rs. a vara, cortes de collete da casemira
bordadoa pretos s 2* e 3*000, ditos de
vellado de cor e pretos a 3*. 49,59 69,
paletots de brim branco francezes a
3*500 o 49500, ditos de casemira de co-
rea o pretos a 149 e 169. ditos de alpaca
preta e de cores a 39,3|500, 4* e 4*500,
camisas de peito de llnho a 2*500, cortea
de collete de xorgurc a 1*500, 1*700,
2*200, 3g e 3S500. colletea feitos da brim
branco a 2*500, ditos feitos de gorguro
a 2*500 e 3*500, ditoa feitoa de caaemira
a 3J500, 48 e 48500, ditoa de vellado a
59, 6* e 7*, ditos de fusilo de corea a
18500, um variado sortimento de meiss
para homem e ssohora, grinaldas com
flores, chales de troco, espartilhos, o to-
da a qaalidade de roapas feilas para ho-
mem que ludo se vende por metade do
seu valor.
Sementes de hor-
talices
Na raa da Crax n. 32, deposito de pao e bola-
cha, venden-ae sementes de hortslicee vindeede
Lia boa.
Milho barato
a 3:500 rs. o saco
Vende-te em lotea de dez saceos para cima ao
referido preco, a dinheiro : no armazem a. 4,
defronte da alfa? dega.
Moendas e meias moendas.
Tatxas de ierro batido e
coado.
Machinas de vapor.
Bodas d'agua.
Rodas, dentadas etc., etc.
RudoBrumn. 38, fundido
de D. W. Bouman.
JNovidade.
Na nova exposico de azendas baratis-
simas na loja e armazem da Arara,
ra da Imperatriz, n. 56, de Maga-
lhaes & Mendcs.
Vende-te fazendas baratissimas para liquidar
a saber: chitas de cores bonitas a 160,180 e 200
rs. o cova'do, ditas frsncezss s 220 e 240 o cva-
do, ditas garibaldinas muito finas a 280 e 300 rt.
o covado, castss de cores fixas a 280 e 300 o co-
rado, organdis ds quadriohos muito finos a 320
rs. o covado: na ra da Imperatriz, loja da Ara-
ra n. 56.
Fazendas pretas
superiores.
Grosdenaple preto muito superior pelo dimi-
nuto preco de 2* o covado, panno preto maito fi-
no a 3, 4, 5, 6, 7 e 9f o covado, caaemira prata
muito una a 28, 2*500, 8, 3*500 a 4* o cavado,
mantea pretaa da blonda maito superiores a 12*,
manteletes de superiores grosdenaples pretos ri-
camente bordados a 35*, sobrecaaacas de panno
preto maito fino a 30*. casacas tambem de pannt
preto muito fino a 30*, paletots de panno preto
fino a 18 e 20*. ditos de caaemira de coaamea-
clada a 18*. superiores gravatinhss estrellas <
1*, ditsa de setim maco o de gorguro muito aa
periores para daaa voltas a 2*, ditas estreitiuhai
com lindos elfiaetes a 2*. superior gorguro pre-
to para colletea a 4* o corte, ricoa enfeites preto 1
a 69, e assim outrss mnitas ftzeodss que sendo i
dinheiro vists, vendem-se por pregos maito ba-
ratos : ns ra do Queimado n. 22, na bem conhe-
cida loja da boa .
HO
Torrador.
23Largo do Terfo--3$
Haotelgs inglese flor 1 800 e 960 rs. a labra,
dita franceza a 640 rs., banba de porco a 400 rs.
a libra, musas maito finas para sopa a 400 rs. a
libra, queijos do reino a 2*,ditos do sertio s 560
rs.a libra,aervaia das melhores marcaa a 500 rt. a
garrafa, urdinbaa de Nanlea a 400 ra., loucioho
a 320 rs., boIaebJoha iogleza a 320 rt. a libra.
aiaim como se venda outroa muitos jpneros ba-
ratissimoa, pasaaa a 400 rs. a librHflo muito
novas, e se algaem davidar venha ver no Torr*-
dor largo do Terco n. 23.
Muita atten^o.
Na loja de Silva Cardozo, ra do Im-
perador n, 40, vndese roupas feitas
de todas as qualidades pelos preqos
irais baratos possiyeis que se pode ima-
ginar, pois pode vir os reguezes com-
prar porque pechincha.
Ra do Crespo n. 7,
galio vigilaHle.
Ncata nova loja ba grande porco de caixinhas
com amendoaa propriaa para brioquedo de S.
rJoio qae se vende pelo barato preco de 800 re.
cada ama qaem deixari de dar a urna menina
urna caixinba ; tambem tem grande porco rJe
caixaa propriaa para doces secos que vende con-
forme seas lmannos a 6*. 5* e a 4* a duzia,
amendoaa avulata a 800 e 640 ra. a libra : a no
vigilante ra do Creapo n. 7i
SEDAS
Cinco tustes.
S na loja do pavo
vendem-se sedss de quadros, ditas de listras ao
comprido, e ditaa de listras atravessadas, ditas
de qeadrinhos, sendo dos melhores padres ede-
licadiaaimos gostos, com largura de chita inglasa
a 500 rs. e covado, pechincha, e do-ee aa
amoatras com peohor : na ra da Imperatriz n.
60, loja e armazem do pavo de Gama & Silva.
Toda alentelo ao gallo Vi-
gilante, que est quei-
mando.
Luvas de pelica.
As verdadeiras luvas de Javin, chegadiobaa
no vapor francez: s ao vigilante, ra do Cres-
po n.7.
Para os festejos de S Antonio
e S. Joo.
Trinas e galues.
A taperior trioa e volantes do Porto para ur-
nas, oratorios oa igrejas, qne se vende por me-
nos do que em outra qualqaer parte: s no vi-
gilante, ra do Creapo n. 7.
Cassa a turca do Arara.
Vende-ae cassas turca para vestidos de se-
nhoraa a 2(0 e 280 o covado, fattdes de cores a
S80 e 830/ aovado, taaaiohM 4* quadiinhoa
de bonitos goalos a 320 o covado, ditas chi-
naaaa oujto finaa a 500 e 640 o covado : oa rea
da Imperatriz, loja da Arara, n. 86;
A Arara vende as cambraias.
Vende-se pecas de cambraias lizas, a 12600,
e 2*000, ditaa finase 2*500, 30000e3*500, pegas
de caasa para cortinados, de 20 varas, 9*, ditas
de 10 varaa 4*500e 3* : na raa da Imperatriz,
loja da Arara, n. 56.
Vende-seos baldes do Arara.
Vende-se baldes de 15 a 30 arcos para senho-
raa, os maia modernoa que ha, ditos para meni-
naa a 2*. ditos pata aenhora, de brilhanlina,
muito grandea saias da cordao qae faz veses de
balao a 2*400, saiaa bordadas para senhoraa
a 28500, ditas de 4 paonoa a 3*000 e 3*500 ; na
ra da Imperatriz, loja da Arara, n. 56.
A Arara vende as capas.
Vende-se capas psra senhoraa as maia moder-
nas que ha a 6*, ditae de iazinhaa.lO* ; mante-
letes de grotdent pie preto, maito modernos a 25*
e 30* ; manguitos e golla de liobo a 2*500 ; gol-
la para aenhora a 500 ra., ditoa -de botozinho a
640 rs. I na ra da Imperatriz, loja |da Arara,
numero 56.
- Vende-se um carro inglez de 4
rodas em muito bom estado, urna pare-
Iha de cavallos com todos os arreios tudo
em bom estado, e um cavallo de sella:
na ra do Imperador n. 45, cocheira.
Barato para
acabar.
Ra do Crespo n. 14.
Cortes da veatldoa de eeda de 8* a 60*.
Ditoa de barege e gaie de aeda de 49 a 10*.
Chelea e manteletea de touquim bordados de
10 a 15.
Chapeos de aeda e palhinha para senhora e me-
nina de 1* a 5*.
Sedas de cores com pequeo deleito covado
500 rs.
Enfeites e camiainhas para aenhora a 1*.
Lavas de seda o par de 100 a 320 ra.
Chapeos de sol de seda para senhora de 500 a 2*.
Paletots de brim e alpaca preta e Te cores de
2$a6*
Chitas e csstas pretas francezas covado a 100 rt.
Riscados francezes covado a 140 rs.
Alpaca de l e seds lisaa e quadros de 320 a
500 rs.
Vellado de cores covado 2*.
Cortes de colletea de fusto de 200 s 400 rs.
Ditos de seda e velludo de 2* a 4*.
Casavequea e manteletea de fuato, cambraia
hordadas, de seds, de fil e saludas de baile
para senhoraa e meninaa de 22 a 5*.
Eoutroa muitos arligoa que sero patentes aos
compradores e qae se vendem a precea muito
mdicos.
Cascarrilha
Lindas pegas de cascarrilha de todas ss cores,
pelo baratiaaimo preco de 1*500 a pega : a no
vigilante, ra do Creapo n. 7.
Chapelinas para seohoras.
Lindas chapelinss ricamente eofeitadas, pelos
baratistimoa pregoa de 8* e 10*000.
Ditos com pequeo toque de mofo a 6*000: t
no vigilante ra do Crespo n. 7.
Touquinhas ou cbapozinhos
para criancas.
Lindos cbapozinhos para menina e menino a
4* e 6*000, ditos de feltro pelo baratissimo pre-
co de 3S000, bonetes de panno fioo e li;o de fi-
ta a 3SOO0, ditos de veludo fino a 4* e 3*500,
ditos de palbinhs a 3(000, touquinhas de aeda
muito lindas a 1*500, ditos de fil a 1*000: s
00 vigilante, ra do Crespo n. 7.
Manguitos.
Lindos manguitos com gollioha o maia fioo
que se pode encontrar, vende-se pelo baratiaai-
mo prego d 7J0OO, ditoa sem gollinha a 15500 :
a no vigilante, ra do Creapo n. 7.
GoUmtias de Lmho.
Lindas gollinhaa estampadas.............. 500
Ditas de liobo maita oi$........,........ 800
Ditas pretaa com vidrilho................. 2*000
S do vigilante, ra do Cretpo n. 7.
Meias.
Grande sortimento de meias tanto para homem
como para senhora, aendo de homem a 1*800 e
2*000, a finos a 2*800, ditas de le de Escocia a
5*000y dazia, ditaa pira menina a 2*400, ditaa
para/menino a 2*000 : a no vigilante, roa do
Greapo n. 7.
Vendem-ae acedes da Companhia Pornam-
bncana : na praca do Corpo Santo n. 11.
Escravos fugicot.
Madapolo da Arara.
Vende-ae pegas da madapolo elephante, mai-
to fino, com 40 jardas a 14g, ditos do 24 jardas a
4400, 4$, 5*. 5g5O0 e 6* : na ra da Imperatriz
loja da Arara, n. 56.__________________
do
O vigilante acaba de recebar novo sortimento
de diversos objectos qae se vendem por manos
20 por ceoto do que em outra qualquer parte.
Sintos para senhoras.
Rlquiatimos sintos dourados, pelo baratitsimo
prego de 2*. e com flvele ao lado a 4*, assim co-
mo de tita de seda ou vallado a 2g : s no gallo
vigilante, rna do Crespo n. 7. ___
ob-
A ioja d'aguia branca, ra
Queimado n. 16.
.Receben pelo ultimo vapor os seguintes
jedos :
Bonitas ligas de seds para senhora.
Grandes e bem tecidos bandes de dina.
Aapaa de ac, e fita elaatica para ces de balo.
Booecaa grandea mui bonitas e bom vestidas.
Bonitos baazinboa com 9 frascos da cheiros.
Lindas caixinhaa com 6 ditos de ditos.
Trancellim grosto de cor para guarnecer veatidos.
Luvas de camaraa braocaa e amarellaa.
Na raa da Madre de Dos armazem n. 10
A, ha para se vender superior farioha de man-
dioca a 3*700 o aacco, a ellas antes que se
acabem.
Lindos boies de banha para
presentes.
A loja d'aguia branca acaba de receber liados
boies de porcellana doarada com fina banha e
maviotaa ioecripedes, os qaaes por auaa delicade-
zas e perfeicestoroam-ae dignos para presen-
tas, e com etpecialldade ns actaal qnadra, quem
i goatar do bom dirigir-se com dinheiro & raa
do Queimado, loja d'aguia branca n. 16, qae acha-
SMfill 3eMMBM& tRM&MSMMBM r em qae bem o empregar
Enfeites.
Vendem-se os riquissimos enfeites da cabega
com fraoja e vidrilho a 5*, ditoa sem franja a 3*.
ditos trancadoa a 2*500, ditos do lago da fita e
bico de aeda a 2*: s no gallo vigilante, roa de
Creapo n. 7.
Agulhas.
A. L. B. F. tendo recebido agalhas impe risas de
fondo dourado, vende na loja do beija flor, raa
do Qaeimado n. 68.
Aoa senhores funileiros.
Vendem-se bigornas caladas da ac, bem
feitas, a 12*aeda urna, martelos cacados a 500
rt., (raneas a SfWO ; a elles, antes qaa te aca-
bem : na raa da Impeifatriz n. 65.
VENDR-81 ama mobilia ae smarello ao-
va, conloada as tagatptes pecas: am lofi, 12
cadeiraj, 2 ditaa de braco, 2 de balaceo 2 conso-
lase meea ae avalo da sala : para va r oa raa Di-
rettan. 137, leiundo andar, e pan tratar netts
tjpofraphifj
Fivelas para sinto.
Riquisaimaa fiverae de ac com madreperola no
centro a 1*200. ditaa de madreperola a 3S0, ditas
doaradinhas a 840 : a no gallo vigilante, rna do
Creapo n. 7. ** -
Mobilia.
DE
Modas francezas.
Ra da Imperatrizn. 1, de Ma-
dame Buessard Millochau.
* Recebeu novamente um bello sortimento de
modas, ricos chapeos de clina, e palha da Italia
para senhora e meninas, ricas camitinhas, e pe-
lerinas com maoguitoa, gollinhas de bico e de
cambraia, ricas fitas muito largas para vestido,
lindas rosas, e camelias para cabega, capellas para
ooivas e bailes, vestidos e mantas de blonde pa-
ra casamentoi, vestidos para baptisado, lavas de
pellica com doas botes, espartilhos feitos naa
melhores casas em Parla, fil de seda e de linho
para vestido, crep e tarlatana de todas as cores,
lenQosde cambraia bordados, fitas de seda de to-
das as largaras, trancas, franjas e gales, e bo-
tosa de todas as cores para enfeite de veatido, lu-
do de novo goalo e por prego muito razOavel.
Vende-se ama caaa terrea com aolo, aita
na ra das Cinco Ponas n. 19 : qaem a qaizer
comprar v entender-se com Heariqae Jorge, na
tra'veasa da Concordia.
Chegaram as desojadas rosas
artificiaos.
Agora deve cesssr o datgosto qae maitaa se-
nhoraa santitm por nao terem comprado dat pri-
ma ir aa rotas que aloja d'aguia branca recebeu,
isso porque dita loja acaba de receber am novo e
maia brllbante aorlimento dellas, vindo estas da
mais a mala dalicamente orvalbsdss. A senhora
que com s pequea quantia de 2* comprar ama
deseas-formosaarosaa, sentir! am effeito anda
Piano
, Vidrilho. ..
Lindos vidrilhos pretos e de cores, pelo bara-
tiaaimo preco de 1*600 a libra: a no gallo vigl- |.
lente? ra do Crespo n. 7.
Para entreter o tempo.
Oa lindos iegoa de dminos a 1*400, lindas cai-
xinhas com jogot de eispors s 900rs.: t no gal-
lo vigilante, raa da Oreaeo n. 7.______
A banha fina,
em copos frandee, chegoa pera a leaj d.agaa
branca, na e Qaaimado a. 16.
Na ra da Cambo* do Carmo loja n
12, vndese toda a qualidade de mobi
lia tanto ao gosto moderno como anti
ga, phanthasia etc. por preco mais
commodo do que em outra qualquer I maia rpido (relativamente ao caso) do qae
aqaelle tfue prodas o prompto allivio em qual-
qaer molestia. Cumpre, pois, qua se nao de-
moren) em as mandar comprar na raa do Qaei-
mado, loja d'aguia branca n. 16, poa do contra-
lio fiesro aem ellaa para S. Joo, o que nao
conven. Na meama loja vendem-se oatrasrocas
mais baralaa.
Vende-ae um pisno inglez em bom uso, por
prego commodo, proprid psra principiar-se to-
car : a fallar na ra do Seve oa Uoiaa, casa
n. 16.
parte, faz-se toda a qualidade de obra
de encommenda com a maior brevida-
de e o maior apuro da arte.
Arados americanos e machinas
para lavar roupg: em cata de S. P.
Johnston & G ra da SenzaHa Nova
a. 42.
Ricos
cortes de vestidos brancos
bordados.
Vendem-ae ticos cortes de vestidos brancos
bordadoa com S babados pelo baratissimo prego
de 5* o corte: na roa da QaoisMde n, 22, na
bem conhecida loja da boa, se,
Joo e S. Pedro.
Bonitas sortea para namorados. Ra raa Nova
D.8, lejado viado, acaba de receber ama pe-
quea porco de aoitaa dedicadaa aos amantes do
bom gosto, a qual se vsnde a 160 cada ama,
vista da barateza amante algum deisar de aa
comprar antea que se acabem ; tambem ha de
cnato.de 100 rs.. e a 40 rs. cada ama.
Caetas caligraphicaa
a 500 rs
Recentemente inventadas pelo profestor Scul-
ly, m quaea com a extraordinaria vaatagem de
obrigar e acostamar para aempre o discpulo a
pegar na penna de modo adequado, sendo gaar-
necidas eaaas canelas de peqaenaa chapas conca-
vaa nos lanares onde se devem colloear os tres
dedot, facilitando atsim muito a escripia, e con-
tribulado sobiemaneira para qaalqaer peasoa em
pouco tempo adquerir ama boa letra. Note-ae
ainda qae aervem tanta para adultos como para
meninos. A' venda, em cata de Gaedes & Gon-
celvet, rna da Cadeia n.'7 : Geilberme Scnlly,
profestor de caligraphta. Rio de Janeiro^ _____
Escravo fgido.
Fugio de casa do abaiio asaignado o escravo
Eufrasio de naeo, representa ter de 26 a 35 sn-
oos de idade, e com um pequeo lobinho cima
do olho, foi comprado ao tenente-coronel Joo
Francisco de Carvalbo Paea de Aodrade : qnem
o apprehender leve-o a rna do Trapiche n. 14,
qae ser bem recompensado.
______________Hanoel Alves Guerra.
150^000.
A quem trouxer o preto eacravo de nome F-
lix, que te acha fagido desde o dia 4 de abril de
1860, cujo escravo tem oa aignaes seguintes : es-
tatura baixa, corpo regular, cor fula, pouca barba,
ps um pouco apalhetados, representa ter 33 a
40 annot, naco HoQambique, tem dous denles
abertos na frente do lado de cima, e por cima do
nariz entre as sobrancelh.es dos olhoa um calom-
binho pequeo, que parece aer sigoal da trra
delle : obteve-se noticia certa que o dito preto
anda por trras dos engenhos Muribeca, S. Joo
e Eogenho Novo, como trabalhador e intitulan-
do-ae de forro com e nome de Joo Pescador,
pois j tem por costume quando foge mudar o
nome para Joo, elle tem un poucos de ofiicios,
que sao os seguintes : foi pescador, canoeiro,
caiador, e ltimamente era padeiro, a que per-
teoce, por isso roga-se aoscapilesde campo, oa
qualquer pessoa que o encontrar, prende-le a
traze-lo no pateo a Saeta Cruz padaria n. 6, que
recebar a quantia cima.__________________
Fugio no dia 12 de abril daate correla an-
uo do poder do abaixo aaaignado, o pardo de no-
mo Franelaco de 17 annosde idade, que tem bo-
nita figura, lerdos os denles, cabellos carapinhoa
e ruivos, tando sido este pardo escravo do Sr.
Dr. Antonio Borges da Fonaeca, de presumir
qae ande por algum dos lugares por onde o mes-
mo senhor tem viajado, como sejam Iguaraasu,
Goianna, Inga S. Joo, Campia, Serra do Tei-
xeira, Pao d'Alho, Limoeiro, aa tres villas da co-
marca de Paje de Mores, sendo qae segando se
suppoe etteja tambem no engenho Iohama por
haver sido visto ha poneos dias em Iguarasa por
ter amiade com ana mulalinhos desse engenho,
ainda de presumir que o dito escravo por ani
se inculque como a servico do dito Sr. Dr. Bor-
.ges da Fonseee, aflm de nao ser apprehendido :
qaem pois o aprehender ondeqaer que for encon-
trado ease escravo e o vir entregar ao seu legi-
timo dono na ruado Hospicio n. 6, quesera rt;
generosamente por elle gratificado.
Ignacio Luiz da Brtlo Ttborta.
Batatas .
Batatas novas a 80 rs, a libra no largo do
Terco**, ^
Ra da Senzaila Nova n. 42.
Neste estabelecimento vende-se: ta-
chas de ierro coado libra 110 rs. idem
de Lo^ Moor libra a 120 rs.__________
Amendoas.
Vendem-se ameadots ana frescos e avalaos e
os bons e rios yapis com cetalo para cortes
na indi Sosala Nova a. M,
Em fina de dezembro deeappareeeu o negro
crioulo, Bonifacio, ainda moco, baixo do corpo e
groaao, nadegaa grandes, tem falta de doaa den-
les ns frente, olhoa abagalbadoa, 6 maito regris-
ta e d para carandeiro ; tem sido visto pela Boa-
Vista e pelo bairro de Santo Antonio : uaem o
pegar e levar ao caes do Ramos n. 4 ser bsm
recompensado.
Desappareceu da fabrica da gas, o aaerave
Benedicto, no domingo 15 do corrate a 11 ho-
raa da maoha. levou camisa de chita e caiga de
algodao azal, tem os algoaea seguintes : cabel-
los cortadoa reole, altura regular, am peaee
fallo, idade 17 awt% 18 "nos, costume andar
calcado, jelga-es aj anda pela cambo* de
Carmo eaOO doimla-Wii domingo smeaea asaca
ecBoeire chamado Cyriaco, que mora ao pre-
meiro becco quem entre pelo pateo te l direita : roga se a vigilancia da peheta e qae o
Lleve a meama fabrica qae ser gaeerecemonie
eqaoaoacotlateefpaaWo
r
j


UJtteraiQca.
TJrd*
A familia de Gerniaadre.
lie, nao derenai
Nao me quero ca-
loteaos ss
> e itflft-i
Wrgi. <
CAPITULO XIV.
(Connaagio.)
Ni o foi a paixao, nao,, ea lio iei amar, _
6 provavel qu a raulhir qun me perteogs cao
seja feliz. Teho loffrido maito, e por iaao nao
poaso ser bota. Portento preciso que eu.ee-
quega Coriaanda, e que cu a felicito comiso ruei-
mo do pouco caso que fax de mim -T porm bem
cario que ella descobriu em mito umjiiflo-qae va-
le mala do que eu pensava. Uoja n wher como
ella lo prudente, teroa, de i firme, pede-
ra facer-o milagre de curar-m*. Porm nao me
permitUeto aspirar a esta lelieidade. Nio pos-
soo nada^io teoho aptidoe i adorna*; neis o-
nhecimentos que convlriam n vida dos campos,
e se ea delxasse o estado nnlilar, nao poderia
abrasar oiitro. Eu seria ura aerescimo -pezado,
despresirel talvez em urna familia laboriosa eomo
a sua. Portento eu me vou, pare nio rollar
man,.... a nio ser que quandlo eativer relho....
ie ate eolio sua irma pertislirem nao se querer
casarquem abe? quaodo passsr o lempo dos
raos amores, aerei talrez un homem excellente,
capia de urna amuade serla e digno de urna affei-
gao durarel. Adeus, meo primo, nao diga nada
disto a Coriaanda. Ella me dosprezeria alada
mais. Diga-lhe someots qaa ma arrependi, e
que pense em mimalgumas tozos em mas ora-
Coes. Adeus I
Ociarlo aperiou coa. torga a alo do caralleiro,
e desapperecea antes qua ase loroasse a si de
soa sorpresa.
Porm m minuto fdepoia Cetario toIIou :
Entretanto, espere, tire am* idea I disse- elle, a
mais lomea de todas Se por accaao eu berdiase
amanhaa? Bem 1 ao ea amaitina ficaase rico,
deixarua *i|ajjnf litar, e pedir-lhe-4a licenga de
tornar a r-ib.
Octavio, meu caro fllho.... adeus I Sim,
adeus I ditas o caralleiro enternecido, porm nao
querendo ceder sua commocio. Coohecia que
esto mancebo eslava sob o imperio de urna coo-
negao talrez paasageira, porm ingenua e gene-
rosa. Abragou-o e ditse-lhe:
Parta, parta, nio preciso que miaba ir-
mia aaiba urna s palrra de ludo isto I
O aenhor deixa-la-ha acreditar qua eatou
apaxonado por Hortensia ?
Ser melhor que alia ajsim o pense. Va-
mos, oo desanime. Parta I
Octario foi procurar aeu caralio e partiu a toda
a presea.
E' um maocebo encantador, um excellente
joven, disse o caralleiro a sua irma quando es-
ta ioierrugou-o. E' um tanto exaltado, com seu
ar tombador; quem o acreditara ? Porm tena
um excellente coraco e cobres ioatinctoa. Nos
nos abracamos. Ests tranquilla agora ?
Sim, sem duvida. Porm, porque razio
elle foi-se sem medizer adeua ?
Sanies nao teres recebido as suas despedi-
dlas? disse o caralleiro laocando aobre sua irma
um olbar penetranle, cuja inquielago soube en-
cobnr.
Todaria Coriaanda nio se illadiu. Nao obs-
tante ella ser destas almaa raras que parecer
destinadas a dominar as tempestades mundanas,
todaria era to astuta como outra qualqaer mu-
llier. Ella conrprehendera, depois de urna se-
creta hesitaqio interior, resaltado de aua modes-
tia, as ultimas patarras de Octario.
Sua risita, lagrimas, e seus arrebatamentos
me foram desde eolio explicados muito clara-
mente. Nao sabia ainda ae dereria offeoder-ae
por urna to rira'amizade. O caralleiro elo-
giando Octario, tranquillisara sus altivez e
dar a sua dignidade inquieta urna rerdadeira
taiiafacao. Vendo que elle a examina a furto,
adnobou que Ociarlo, ludo lhe coofesara sem
reserra, e, querendo saber como elle se expri-
mir, perguntou a seu irmo por que a obserra-
assim.
flierdar, e qae te elle
deixa-loei^HMI
Dite-ane, por qaa ?
Por qua aria ioaiil,
aar.
Por qua jataraa Oflaagrar-te a maua fllhos.
J" Ul Pfc abas que oo consinto Uto.
N ". encontrares am coradlo digno de
; ti; oio quera qae te sacrifiques.
Bem, bem, meu irmo ; temos muito lem-
i pensar nisto. Aiada nio eoconlrei este
anas estara bem caria do que dizia ?
a com urna tranquillidade tal que persua-
eu irmo, e at a ai mesma. As almai
as parecem algumaa vezes exe* nas,
se de boa rontada qoe ellas $tjbekcem
. e fallam a sineeridade. Eolretanio nsda
lato acontece ; ellA aoffrem como as outras,
ade, porm nao fatem caso dos seas pro-
ida soffrimontos, a quando os negam para
nao atormentar nem affligr o objecto de saa al-
taica o.
Corisanda sentio interiormente alguma me-
lancola, cuidando no isolamento a que se rotara;
porm reagiu podaroaamente contra si mesma,
s querendo oceupar-se de seu irmo.
O caralleiro bem qae nao tivease esperance
alguma de tornar a rer Hortensis, sentia-ae al-
liriado do urna secreta amargura. Hortensia
nunca amara a Octario, e eate nao pensara maia
em fazer-sa amar por ella. Hortenaia, paaaar
talrez umanno ou dousaemamar pessoa algu-
ma, dizia com sigo o camponez, e durante eate
lempo eu ficarei curado, esquece-la-hei talrez.
Corisanda, fatigada todaa as ooutes pelo traba-
ibo incessanle do dia, tioha por coatnme ador-
mecer como as criaogas, quero dizer, logo que
se dettara. Nessa noate oo adormeeeu to de-
pressa, e ouviu aeu irmo, que conrersava em
voz baixa, no leito, com Luciano. Isto durou
tanto lempo que ella admirou-se. A meia nou-
te ella despertou, a riu o caralleiro assentado
diantede sua secretaria folheando com ardor seas
relhos lirros.
Nio dormes ?
disse ella.
E tu, respondeu o caralleiro, por qae des-
pertastes ? Eu oo fiz barulho algum I
Corisanda adormeeeu profundamente. Quando
levanton-ae, ficou admirada por ver qae o ca-
valleiro restira os seas Irages da vespere.
Teu pae foi para os campos com o sau Ira-
ge de* domingo ? perguntou ella a Luciano qae
se lerantara tambem.
Meu pae, nao foi para os campos, respon-
deu o meniao. Nao o ouri sahir; porm elle
disse me'hontem a nouto, que rollarla ao ame-
obecer ao castalio do nono to, o marquez, a
bem rz, que roltou I
E como ? com* o pobre caralio, qae est
quasiaquado?
Nao, disse-me que pedirla emprestado o
potro do moleiro.
BuFT
at qaa basta
Uo cablr
Tee
te aobre oal
aoprat
como aa
I?1*6!"" e^cl lilo pliWrlle I
E verdade, bem |y qua se encalla mat
palos cantoa, e qae ha Ggaraa longaa cobo em
braco, atea da noeea encantadora prima flor-
(BDIlla)
Al enhoue aerad i Usa oeste loaco ramor f
dase o carallarro que se tinha aproximado da
madama de Serigoye do na mis para saada-
laa.,
[*> acidulamos em cousa alguma, rei-
por ventura estars doente ?
ra
Nao te observo ; respondeu o caralleiro,
penaara em outra coaaa.
Nada 1 replicou Corisanda. Nao me podes
engaara respeito da leus peosameotoa. Pala-
me francamente, bem sabes que nao tenho se-
gredos para ti.
Segredos I aaaim o espero Por rentura
podera ler segredo ?
Se os tiresse, sabe-los-hias. Por tanto
nao os leonas comigo, Conla-me de Oao modo
uciario fallou-te a meu reapeito.
O caralleiro hesitou, depois. posiuido de am
escrpulo de delicadeza :
Irma, disse elle, eate mancebo acbou-te
amare!, mala do que agella que elle julgava
amar hontem. Disse-ma qua estara trate por
nao poder offarecer-te urna existencia qualquer,
o que alam disto nao tioha certeza de poder fa-
zer urna mulhor feliz, nem mesmo ama mulber
a quem elle amaste muito. Partiu dizando-me
que nao qaaria mais tornar a ver-te, porm, que
se herdasse amanha, voltaria, com a mioha e
tua permiaao. Qae penaas de tudo isto ?
Julgo que nio voltar, por que nao ha de
lOI.IILi EH
A FILHA
DO
Ora I E elle partiu oeste animal bravio
que j matou o fllho mais relho do moleiro ?
Corre depressa, rae aaber ae isto verdade I
Durante este tempo, Coriseoda vestia a meni-
na, e se preparara para partir tambem a qual-
quer aconteclmento. Quando Luciano roltou
dizer-lhe que o caralleiro partir a galope sobre
o brario animal, ella toroou-se pallida e assus-
tada.
Fizeste mal em nao adrertir-me da idela
de teu pae, disse ella ao menino, que come;a-
ra a assustar-se tambera ; ha maito tempo que
elle nao monta a caralio, eno dereremos ficar
aqui tranquillos, em quanto talrez succeda al-
guma cousa em camioho. Vamos, Hargarldi-
nha; ramos Luciano, caminhemos pelo lado
que elle tomou, iremos o maislonge que poder-
mos, perguotando por toda a parte se o riram
passar, e se o caralio pareca aubmisso.
O caralleiro eatara j bem long; Partir an-
les de amanhecer. Chegou ao castalio justamen-
te na occaaio em que ae iam fechar todas as
portas do laboratorio. Todos os herdeiros ahi
estaram reuoidoa para a prora.
Quando Hortensia o tu apparecer, com os
olhos inflamados, a fronte banhada de suor, os
cabellos em desordem. esbaforido ainda com a
carreira deaesperada que acabara de dar. coro-
bateodo aempre com a bride e aa esporas os ca-
prichos de um animal aelvagem, ella tero medo
deste homem que se lisoogeiara de eequecer, e
julgou-ae dominada por urna fatalidade ricto-
riosa.
S Octario fez urna exclamaco de alegra, e
correu a apartar as moa do caralleiro, obeer-
vando se a porta oo ae abrira para dar paeaa-
gem a Coriaanda.
Vim s, disse-ihe o cavalleiro com urna
intencao severa e ao mesmo tempo alegre.
Porm o aenhor reiu, j maito, replicou
Octano. Vollar-me a esperance, herdarei tai-
vez, e ento....
Nao fagamos clculos; bem provavel qae
oioguem o consiga.
Sobre tudo, ae continuando-se a nao querer
experimentar. Ha duas horas que se psssa aqui
alguma cousa inaudita. Dizem que o Esphioge
eu madama de Germandre airiecipaodo-ae
a responder, o mesmo que dizer-lhe que temos
medo !
Porm ea nao tenho medo, mloha mi,
pois nio posso erer am coasas lio odiosas.
Quem (ex correr esta boato ? perguntou o
cavalleiro.
Nlogoem, e todos. O abbade comeceu por
tazar pergenias qae tem espalhado o Ibsto. Hi-
oha mi fez algumes porgantes ao criado grave
que ae intitula Mr. de Labreche, diante do juiz
de paz aqui presente, intimaram-lhe que jaras-
se a dissesse toda a verdade. Jurou qae nada
sabia, por cooaequencia nao jurou qae baria no
Esphioge alguma machina de deatrui-o. Esta
to lgica conseqaoncia augmentou o terror ge-
ral, e eis-nos aqui representando o papal mais
ridicula que se posas imaginar, morreodo ao
mesmo tempo de medo, e impaciencia, querendo
e nao querendo, gritando e rindo ao meamo lam-
po. Nao acha, que iato aqui parece-ae com am
hospital de loucoa ?
Codoi effeito urna singular agitaco reinara na
assambla. O tabelliio e o jaiz de paz que nao
eram herdeiros, s viam para elles a probabili-
dade de aerem sepultados sob as ruinas do cas-
talio, e oescrivo eatava paludo como umdefun-
to. Liles tres, resistiam aioda a febril impaci-
encia de Oetavio e de alguna outros tambem
animosos; porm a maior parte dos preteodentea
faziam um zuido semelhante ao de am exame
de abelbas, que procara eatabelecer-ae, e qae a
nada ae decide.
Estes grupos negros diridiam-ae, aprximaram-
ee, escolhiam um lugar, queriam partir, qaeram
licar. Era urna scena de conuso qaeduroa mais
de duas horas. Maodaram interrogar ou inter-
rogaran! meamo aos criados do defuoto, e a todos
os artistas que haviam trabalhado para elle. Na-
guem podia responder ; porm todos, vendo-se
em scena, e gravemente conaultados, julgaram-
se alguna personagena, e daram sua opiniio pes-
aoal. Uos ingenuos e ridiculos psrlilhram do
terror que lhes era suggerido, outros nao menos
sattsfeitos do que Labreche faziam-se muito ani-
mosos, e zombaram di idea de perigo. A asiro-
nles ora tranquila, ora cousternada, segua as di-
reraaa flutuaeces dos interrogatorios, e o juiz
ounha a rotos a proposico de esperar o resulta-
do de urna informaco de algumaa semanas.
A maioria ia votar affirmativameote, quaodo
o caralleiro declerou que em quanto a elle cin-
gia-se eatrictamente ao que ordenara a clausula do
testamento. Nao teoho tempo de rollar aqui,
dase elle; querodeiembarscar-mede urna prora
que considero como ama simples formalidade, a
um de deixar o campo livre aos outros. O teito-
mento duque esta prova serfeita primeiramente
pelos prenles maia prximos, por tanto oo poa-
so compreheoder, a ioquietaco do maior numero
porque estamos aqui quatro que assumiremos o
perigo da primeira tentativa.
Parece-me qae ae aabirmos saos e salvos, co-
mo nao duvido, todos podero ficar tranquillos.
Sim, cortamente, disse Octavio, eatamos aqui
S i?k pnmeira ,ere : madama de Sevigoy, o
sr. abbade de Germandre, o Sr. cavalleiro e eu.
fedimos que se faca o aorteio ; quando estiver-
mos lora da caasa, a segunda e terceira aerie, fa-
rao o que melhor lhes aproaver.
jf* Ixmi
o qaa tapaaaar ae. ^r~
S
moa com o
aqueeer.
ae de lo-
ntregsr-se
qtwtro horaa or arenos trtalos da mecnica
ntsl.e todos os syaalmss aplicareis a
aoaaa siogalar I aaenas via-n i. ,ii L
objeato de aaa
Nao deixoa apere
or no ^lar qusi
m exiote) viinal,
lito dnrou cinco rol
cecalo o dur.nte S o .DDadfK".^^
falta nada, nao tenho fllhos. sou am dos homens
?nahll-'.5,queex,,'em- P,ra Ia6 rriscareia
mtnba vida por causa de dinheiro ? Ha noventa
e oova probabilidadescontra ums que en oo ar-
otC.r|P. S T**"* P80 '- N I "0
locare! em nada I...
Pasaaram-sa ainda cinco minutos, e am mar-
mano de admiraco comecou a elevar-se. Na con-
fuaao daa rozea, o abbade desliogulu a de Octavio
que era muito clara a que dizia ao cavalleiro :
n .&". eLe" D0M0 ti0 oio iem med>'
o abbade tinha amor proprio. Fra bello,
amava aa malheras, e tinha ainda pretencoes : a
idea de passar a seus olhos por am homem de ex-
trema mansidaoera-lheinaupFortavel. Armou-
se de resolucao, estirou ama das maos, firme na
apparencia, sobra a cabeca do Espbingo porm no
momento de tocar nella realmente, tere uma ver-
tigem e sentiu-aa deafalleeer.
Tres reres quiz vencer sos indisposicio; porm
estar alagado de suor. Todavie aa senboras nao
o observavam, o juiz de paz, poueo tranquillo,
exigir que ellas se cooserrasssm por detraz das
esquioas, aBm de ter o pretexto de iotrincheirar-
aa tambem ; porm o Implacavel Octario eatara
oo meio do laboratorio com o cavalleiro e alguna
OBlros, e a cada tentativa e hesitscio da parte
do abbade, elle dizia eotre denles, de modo to-
dene que podease ser oavido de todos : Va-
mos I eoragem I diabo I parees que iato queima I
Aiada ? Tocar, e oo tocar 1 Ora, o charo lio
perde aeu tempo em observar I
Deste modo o menor gesto do abbade era
assfgoalado ou ioterpetrado, durante a aesso
por parte dos assisteolee.
O abbade sobreexcitado, porm incapaz de ven
cer o medo da morte ou de uma ferida qualquer
qae o deaflgurasse, receiou ficar doente. Deriaou
>sto paludo de Labreche, que, deixando o
nuar a
prora.
P ioulil, examloei maito, diste alia, nada
deveobri, nem compraheudi, o ec*co a attao-
cio fez-me flcir doente; sahindo da mesa I....
Nio I nio, 4 j bailante; renuncio a lito. Qaa
se apreaente am mais hbil.
A sorte decidir, disse Octario.
Tirou-se de novo a aorta. Sabia o nomo
avllete*.
Seos, olhos brilbaram com a:
gria, coUocoa-ie os balaustra
aberta, salteado por cima.
Vfi, miaba prima, disseOi,
xa a Hortensia; elle gil com
aonoi I
Porm, porque motivo,'desde pela manha,
responden ella, persegue-me com o elogio do ca-
valleiro? E' ama nova maoeira de sombar
delle f
Ah I dlssa Octavio, eis o castigo do mea ca
racter mu. Quando digo o que peoso
acredita mais f
Nao lato....
mudenca....
Neate momento, Corisanda aproximava-ae para
observar aeu irmio, e Oetavio disie-lbe com ex-
panso:
Prima, juro-lhe qua feco mais votos por
ene, do que meamo a senhora I
Hortensia viu as feiges de Octavio
presso, que nanea lhe vira.
"~i 4hL8gora sim> compreheodo. disse ella
sorriodo-lhe e apenando a mi de Corisanda.
Todos os oihosestavam filos sobre o cavalleiro.
O ridiculo accidente q8 sobreriera ao abbsde
oao baria feito rir a todos. Huitos pediam el-
plicaQoea. e outros explicaram da maneira maia
pbanlastica os effeitos da electricidade, a pilha de
t*
cabla deef
a ib i
d
rie-ae, dlsaa riramente o cavalleiro
deiUm-mei5(o a perder. '
diese Carilinda couttliiiU.j
i lio nao quiz que seos paraetea
ests tranquillo, porque qoerea
Pois bem I eis-me aqui, a
riaubam. N6s flearemo e morreremos
Puerers islo ? Porque deiejaa Unto hoja
, quando at agora aempre foite am ko-
dentoe amigo do trabalhof Ito, nio
que contines; porque o modo por qae
te expoteste esta maoba a montar em am mea
carao, e rir aqu arriscar-te a morrer. oo da
um toa pae da familia. Teoa outra idea, man
saque nao rsle nada para ti. nor-
osqaeceitea aquellas a qaem
nao me
porm nao comprehendo esta
uma ex-
irreiiitive
M primo I disse Octavio.
Sana
nio
eorpopor tras da parede, estirava estpidamen-
te o pescoco para ver o acontecimento.
Sr. Labreche, diese o abbade, com vez um
tanto extineta, abra esta janella.que tica por traz
de mim, abafa-se aqui!
Labreche obedecen a principio por am mori-
mento do habito da servir; porm, retirou-se
logo dizendo :
~ Pardio, Sr. abbade, porm iato nao entra em
minhaa altribuicoes.
< Labreche, exemplo do abbade, deixara-se
aposaar pelo medo. Nao queria expor-se, embora
perdesse o seu lagar.
O abbade foi mesmo abrir a jaoella um tanto
zangado. Voltou, passou uma das mos visirel-
mente agitada na cabega doEsphinge, apenas to-
cando-a de lere.
De repente a rieta perturboa-ae-lbe. faltaram-
Ihe as peroas, exhaloa um profundo gemido, e ca-
hia desmatado.
(Continuaco do n. Hl.)
Um aono decorreu. As relacoes de Eugenio e
Haria foram sbitamente ioterrompidas com a
conralesceoce. do relho mercador ; e a marqueza
occasionada por esse contratempo precipitou as
mutuas confidencias, qae at eoto haviam sido
incompletas ou tmidas ; finalmente antes que o
Sr. Hallorr podesse coocebor algnmasaspeits, os
dous jovens amantes eslabeleceram entre si uma
correspondencia activa.
N'uma terca-feira Mara notou que o andar de
seu pae era maia apressado que de cosame, e viu
mesmo apparecer-lhe nos labioso tregeito de um
sorriso satiafeito.
Ao sentar-se meaa janto de aua filha o mer-
cador linha o ar alegre: de vez em quando o sea
olhar hypocrita rolria-ae para ella com amor.
Mara reparou em toda essa pantomima ; maa
julgou ser o resultado de alguma especulagao bem
succedida, effectuada segundo os deseaos do am-
bicioso mercador.
Na sobremesa estando ella a retirar-se Hallory
a detera, e levando aos labios am copo cheio de
vinho, disse :
Quero dar-te uma faosa noticia, Haria :
famosa patarra de honra. Hoja falloa-se na
Bolsa a ten respeito.
E o copo foi esvasiado, e os labios do venturo-
so commerciante estalaram, como se o tiresse
penetrado de iodiairel conteatameoto o duplo
sabor do vinho e da noticia qua iadar.
Fallaram de mim na Bolsa ? perguntou Ma-
ra. E o qae qaerem comigo na Bolsa, meu
pae ?
O que querem comigo o qae qaerem co-
migo 1 replicou o relho cootrafazendo a voz da
filha. E'e moga, e eats no^tto de cisar: na-
da maia natural, suppooho eu.
Mea pae est rincando I axclamou Hara
que sem saber o que fizeste levou tambem o ca-
lix aos labios, e despejou-o de am s trago.
Brincando I Por minha f que nao I O ne-
gocio j rae bem adiaotado para que eu busque com eaiu aff7ct7c6es "mmTM^an9u.
occuiiar-t o. le tanlos momoj.
Maito adiaotado I
Sim, adiantado, conclaido, acabado, lerml-
queixo uma de suas mos, e com a outra aper-
tando-lhe aa mimosas mosinhas, replicou :
Como esto frias as tuas mos I Ora, deixa-
te de criancice, Mara. Isto am absurdo I Nao
respondes ? Vamos, tolinha, oo te assuslesaasim
com uma brincadeira .. Talvez tiresse eu ido mui-
to longe...
Oh I Era ento ama brincadeira, meu pae ?
interrogou a moga erguendo-ae, e filando em seu
pae um olhar acintillaote : pouco depois cahiu
desmaiada aobre a cadeira.
A voz forte do relho retumbou em toda a casa ;
e para logo acuda um exercito de criados. A mo-
ga foi conduzida ao sea quarto ; o mercador om-
pregou tanto interesse na sua saude, quando j
ria nella uma riscoodessa futura. No maia enca-
rcra como meras banalidades aquellas momices
que elle jalgara propriaa de todas as mogas, e
que dar ao diabo interiormente.
Tinha oa nao o direito de procurar para aaa fi-
lha o maior interesse possirel ? Esta questo oo
se tioha offerecido ao sea pensamento ; pois se-
ria o mesmo que perguntar-se-lhe se linha o di-
reito de sacar vista aobre o sea bsnqaeiro de
Lombard -Street.
Mara paaaou aquella noute em continua agita-
gio : no outro dia noappareceu ao almogo, eao
jaotar nao qaiz comer. Achou meio deescrever a
Elhott uma carta muito incoherente, verdade ;
porm comeado pouco mais oa menos a narrago
doqueae tinha passado na vespera. Airado
pae, j forte pela manhSa, augmentara durante o
dia.
O que iato quer dizer ? perguntou elle no fim
do jantar. O que significa tanto veame, e o que
foi que hontem tiveste ?
E* que Vmc, meu pae,respondeu Mara to-
da trmula, me disse hontem cousas espan-
tosas...
Espantosas I Eanto nio qaeres caira ? Para
que ao as mogaa ? Deixa-te disto, e converse-
mos um pouco, continuou o velho com um lom
mais braqdo, e reeolvido alaogarmo de uma tc-
tica maia prudente.
Atemoriaei-me, mea pae; e nio era para
menos... Se eu vivo to feliz ao lado de Vmc. I
A moga do seu lado empregava tambem a soa
innocente diplomacia.
Eu nao tenbo a vids nat minhaa mos, mi-
oha filha, e por isso qaero deixar-te amparada.
O casamento o remato de uma conta por parti-
das dobriDas. E vamos que eu tivesse de fallar-
le niato Com toda a seriedade o qaa me res-
ponderas ?...
Mis, mea pae...
Mas meu pae I Nao gostoc dme haver
nado, como qaixeres. Negocio-negocio ; e pala-
vra dada, palavra cumprida. J nio ha que des
dizer. Oa s minha filha, oa nio. Ha muito lem-
po que procuro para ti am bom casamento, eafl-
nal eocontrei am excellente partido, posso aue-
garsr-te. Sers viscoodessa,Mara 1 e no dia em
que eu vlr aa tuas armas brilbarem as porlloho-
las de tua carruagem, fecho a loja, e digo adeaa
ao negocio para ir descangar. Eolio, o qae
dixes ?
O que digo... repela machioalmenta a mo-
ga cujos dedos trmulos antretiobam-se a tres
minutos com os cantos de aeu lenco de cata-
braia..
O se'fi semblante eitava branco[umo a nev e
todo o corpo estremecii. '
,. O que lito? O qae virto ? Ests to pal-
hds... lo alemorisada I Pera qa< eite eapanto ?
Ful talrez um poaco precipitado, como dizia a
deunta tua maa ; nao ueeili preeangea. Mas
emfim o qae est feito, asta foito.
Mara tentou levantar-ae, ma achava-se Uo
iraca que tornoa a cahir cadn re mais pallida.
O reine aproiimoi-ie dola, e pi*Mn4o-lbe no
CAPITULO XIV.
Este parecer foi admittido por unanimidade, e
madama de Germandre coosentiu em dar o nome
de sua filha, resolvida a fazer-lhe ceder aua vez
ao cavalleiro ou ao capitio, sesahisse em primei-
ro lugar.
E o nome de sua irma, disse Octavio ao ca-
valleiro. Tem direito de aqui estar, e nao es-
Illa I
-7 Estar, responden o cavalleiro, a os de meas
fllhos tambem I
Octavio acompanhou o olhar de seu primo, e
?iu que acabavam de introduzir Corisanda que
gragea a deligenca eneootrada em camioho che-
gsva com Luciaoo e Margarida. O menino con-
vBr.ra om connotio, o madama de uermondre
comegsva a echar-lhe razio. Ella tol aisentar-se
janto de Hortensia qae dea-Iba.parte do que ae
paseava. Coriaande consideren como uma fbu-
la absurda o pretendido lago armado aoa herdei-
ros, e deu sem hesitar o seu nome e o dos dous
meninos.
O primeiro nome que sahiu foi o do abbade de
Germandre. Elle saudoa graciosamente a com-
panhia, maodoa abrir a balaaatrada, e collocoa-
se no interior. Seu ar alegre traoqailtsou a to-
0 velbo fez uma pausa, e bebeu lentamente
um copo da vinho Hadeira ; depois prosegua :
J ouviste fallar do Sr. viaconde Geraldioo
Seamplett ?
Li eate nome ama oa dais vezes nosjor-
naes. E' um jogador de profisso, nao isto ?
Esta pergunta da diplmala de am olhar tran-
quillo e firme, foi dar direito no alvo.
Nao ha] tal 1 replicou o relho ferilo e fa-
zendo rolar entre o ndex e o polegar es teteai do
aeu relogio. E' ama caluajnia, ama infamia I O
jomaos nao fazem se dio mentir. Lord Soamplett
~ am joven de alta socjndide, de familia maito
i
Boa : emfim um joven encantador qae dominan
ha de vinjantar aqui.
- **?
-v Aqu, sim: ento nao louienhor da convidar
um viaconde para a minba mesa, e de comprar
al ama meia duzia dallas, se tal fr a minha
rontada ?
Dizendo isto o relho mercaior mediabas mos
n llgibeiras, como it all devane incontrar to-
aos es viscondes do universo.
Ooca, maoja^dissa Maria levantindo-te,
beijudo-lhe twato-eilti nio Tlm pena
de aer comprados. Antes am negociante honrado,
do que com viscondes daspreaiveis, e que nos
despresam, a nos pobre gente de balcio...
Pobre gente de balcio I E' ama verdade : a
pequea nio deixa de ter a saa razo.
E o mereador, despejando o sea copo de Madei-
ra, tinha o ar to solemne e magnifico como se
fosie am doge de Veneza.
Toda a habilidade diplomtica da moga anni-
quillou se de encontr a resolago do pae. Asas
criada Jenny foi oncarregada de preparar-lhe o
atavio para qae ella apparecaase o mais bella pos-
sirel. r
Mostremos, -dizia Hallory, qae nosgente
de belclotemos tambem as nossaa Gibas bem
bonitas I
O visconde Scamplett, fldalgo arrutoado pelo
jogo da roleta o do ecarte, linha de al para ai de-
terminado requestar Maria; norquanto achava
muito conveniente adquirir alm de ama moga
bonita e bem educada, cem mil libras sterlinaa
de contado, as quaes seriara applicadas a susten-
tar os seus triotaedous annos perdidos de vicios
a a aolver a sua penuria, e divida antigs : eeeim
pole foi exacto ao convite.
Fex a corte a Maria como se tratasse de um
negocio, como ae deaempeohaaae ama formalida-
de. O jaotar do domiogo foi trate, aos enfa-
donhosgalanteioa que partiam dos labios do vis-
conde, a moga corresponda com o silencio o maia
glacial; sauaa maneiras poltdascom impasiivel
Indifferentismo.
O fidalgo seductor, homem do mundo, foi com-
pletamente batido naqaella justa pela filha de
um bargaez ; s a esperanca de crescido lacro
pecamario pode mitigar o enfado qae lhe causa-
va a derrota do sea amor proprio : e pois dtesen-
volveu ama eoragem a toda a prova. Proieguiu
sem cessar em saaa iouteis assiduidades, aureo-
lando o deapreso, cajo ultrage era apenas encu-
berto sob a teoue apparencia de ums polidez
constra&gida. Apezar da todo, nao desani-
mou.
O Sr. Hallory, a quem esse procedimenlo da fi-
lha molestara, e qae mais que tude lamia ver a
sorda de visconde escapar aos seus anhelos, acha-
va-se no maior embanco para oceultar de lord
Scamplett ao menos parte da verdade. Provoa-
lhe o melhor qae pdle qae tua filha era de um
carcter muito tmido, e que aquello procedimen-
lo nio passava de umadenae frioleiras propriat
de mofoi a que te nao devia dar o menor
peso.
Caneada j de lular a pobre Maria reslria-se
a acabar cem aquella aituago.coofesssodo asea
pae toda a verdade afim de escapar tortura qae
lhe inflingaos as pretengoes do visconde, quando
um acontecimento bem dramtico poupoa-lhe a
confidencia, que meditar.
N'um dia, em que Maria se achara fra com a
saa criada, riram entrar em casa por volU de
meio dia o velho mercador, e o seu adrogado, o
Sr. Jeffrey, homem honrado e sirudo. Nunca se
viu Hallory voltar aquella hora do esotro da
Cidade. Estara furioso, com as feigou contrehi-
das, os beigos trmulos de raiva. Foi direito ao
qcajin.de saa filba.roltou com uma escriraninba
que errembou, e enlregouae adrogado um masco
daartae que ali se achava.
O Sr. Jeffrey ooz os sculos, percorrea aquella
maiso de papera, e leu com o tom grave a pausa-
do de am magistrado a correspondencia: intima
dos dous imanteapois lora essa o segredo que o
mercador descotarira e que Unto o irritara. Hal-
lory ouriu a leitura com oa punhos cerrados, ai
reas entumecidas, oscabelloi rrigadoi eo olhar
flxo.
Nesie interim a porta se abre; Maria que
entra. Elle a v, e trmulo de furor, maa cem
dizer uma palavra, moslra-lhe oc papis disper-
to! aobre a meaa, e a eacriraninha de onde os
baria tirado. A moga soltoa tm grito agudo, e
cabla redoadjejeote no assoalho.
O idrogiOTcOrey era compidecidofiooaot-
Correram a soccorre-lo. Octario levou-o para
junto de jeoella, em quanto os velhos, e aa mu-
flieres, assustadaa, sahindo do sea entrincheira-
mento, interrogaran) o succedido com agona.
Foi am ataque de apopleja?
Nao I porque almogoa muito l
Ora 1 nao nada, calor.
Nao acrediten: nisto, elle recebeu ama com-
mogo terrirel, ea bem vi I
Ser ama machina elctrica?
W uma machina infernal de ora in-
rengo.
Ha talvez laminas de punhal, que fere quan-
do se paese a mo pela cabega do Esphioge ?
Elle estar ferido? Sim, elle tem sangue no
peito, eu o rejo I
Nao f abriram-lhe a camisa, e bem se riu o
sea collete de fia nella I
Em todo o case elle foi ferido por alguma
cousa, porque gritn-1
Nao I respoodia Octario a todos estes com-
stentarios que se cruzavam ao redor delle; o Sr.
abbade nao tocou em nada. Sua mo apenas
paaaou pelo metal, eu ro-lo juro I
Eoto I o qae honra?
Ora r elle tere medo, nada mais.
Ah 1 isto aingular dase am relho gen-
tllhomem qoe nao liaba .oda oxeado deixar sea
refugio, e qae atrereu-se nesle instante a mos-
trar sea bigode branco, cortado a moda de Hea-
rique IV ;. ioteiramente original!
Quer o senhor tomar o seu lagar?' disse Oc-
tavio rindo-se.
Nao ainda a minha rez, respondeu fra-
mente o bom homem, tornando a assentar-se.
O abbade roltou a si, porm nao quiz aprorei-
rea a Mana, procurou tranqnillita-la o melhor
que pode ; e aflual fe-la retirar-te. Mae nao lo
grou aquietar, a colera do velho, que Urda reco-
nhecia a atoeira que fizeraiproximindo um do
outro doua jovens da mesma edade e deste mo-
do preparaodo com.as suas proprias mos aquella
cataatrophe;
Como foi deicoberto o segredo da correspon-
dencia dos dous amantes? As coojecturas que
ambos fizeram a eate respeito foram baldadas: o
mais provavel era ter a mesma criada, que pro-
teger oa amores de Elllott, descoserlo tudo ao
Sr. Hallory para lircar-se de qualquer increpa-
gao, trahindo aaaim a aquelle, a quem tioha ser-
vido.
No dia seguinte Elllott recebiu a ordem de
apresentar-se em casa do seu patrio ao meloda
em ponto. O ar sombro e feroz do porteiro, e o
acolhimento glacial do criado pareceram-lne de
mu egouro. Essa gente o telegrapho mais
exacto para annanciar o mu ou. bom humor dos
amos.
Iotroduzido no- gabinete do Sr. Hallory o man-
cebo encontrn aquello reapeitarel persooagem
sentado defronte de uma mese coberta do papis.
Ao lado delle eatara o advogado.
Approxime-se, gritou o mercador segando
aobre Elllott um olhar inflammado. Oaaeas ar-
tificios esto doscobertos, aasuas perfidias conhe-
cidas 1
Perfidias I exclamou Elliott, empallide-
cendo.
Sim, miseravel, aim..... prosegua o ve-
lho ameagando o caixeiro com o panho cer-
rado.
Em nome do cu, modere-sa, lhe disse Jet-
frey haitiano ; e voltando-se para Elliott accres-
centou com sereridade: o senhor nio dere igno-
rar o motivo di jaita colera do Sr. Hallory.
Elliott nio respondeu, abaixou a cabega como
quem etpera ama explicagio.
Ah I infame, malvado I bradou Hallory. J
.o pae era am faclnora como elle, e por isso sui-
cidou-se.... Faga a meama cousa!....
A pallidez de Elliott tornoa-se cadavrica ; di-
lataram-ae-lhe as pupillaa : mae dirlgindo as vis-
tas para Jeffrey perecea pedir-lhe qae por merc
acabasse com aquella sapplicio atroz. Com ef-
feito o adrogado murmurou algunas palmas ao
oavido de Hallory, que se calou como que es-
pantado daa palavras que acabara de proferir.
Qoeira sentar-se Sr, Elliott, diste Jeffrey
com dogure.
Elliott, que com am morimento convulsivo ha-
ria aperlado o chapea que tinha as moa, dei-
xou-sa ficar mesmo de p.
Lembre-ae, conliauoa o advogado, de que
o meu amigo se acha n'uma posigo excep-
cional, e que foi o senhor quim nella o collo-
eou.
E tere o atrevimenlo de pensar que minha
filha seria para elle.... para elle I exclamou Hal-
lory erguendo-se da sua cadeira. Com mil dia-
boa I Ea.aqui estou para traostornar todos os seus
planot....
O aenhor nio pie pemar seriamente, re-
plicou o adrogado com a mesma tranquilla tere-
rdade, em que o-eir. Hallory poasa o a de va al-
liar-te com 1 toa peaaoa; lito uma cousa qae
salta aos olbos de todo o mundo.
.m. c"c,l*ua eieciriciaaae, a pilha de
roiia, o ralo erocado porcombinagoes metallicas
o multas oatras cousaa admirareis, para ae men-
cionaren! a proposito de am cofre da msdeira.
u caralleiro entretanto estar diaote do Ei-
phinge, o observara-o com arabiorto, e ai moi
nai algibeiras. lato durou elguns instantes.
tambem?0 grilou"lne 0cla": nio ler tocar
, Anda nao, respondeu sorriodo-se o caral-
leiro. Coraego a tremer.
Oaeohor? Ora I principie.
E' preciso fazer o que me ordenam, repli-
cou. o camponez, com ar extraordinariamente
alegre.
Quem lhe ordena?
Ah 1 isto segredo I
J trem baelante. Nao me falla mais Oetario!
isto nao a coasa mais fcil do muodo, compre-
hendo agora porque o esforgo da atleogo fez des-
matar, a pouco....
Ah I meu Deus! murmurou Hortensia in-
voluntariamente e com am aentimento de dr
inexplicavel; tambem elle ter medo?
Elle tem medo de nao conseguir, disse Oc-
tavio.
Veja I disse o tabelliio, sua pbysioaomia
est muito alegre I .
Eu, diste uma viuvs rica, acho qae elle
aperta os labios, e esruga as sobraneelhas, como
am homem que soffre.
E eu, dizia Lebreche quelles que estaram
a sea lado, creio qae ha ali uro fluido qua asphi-
xia quelles que se sproximam maito do instru-
mento.
Corisanda nao comprehendia as dirsgagoes pre-
tendidas scientificaa a reapeito do fluido. Come-
gou a admirar-se, e, em um momento em que a
physionomia de seu irmio parecen-lhe verdadei-
ramente contrabids, ellaaasustOu-te, e olho-u al-
ternamente para Horteoiia.
Eata nio te tinha retirado deita ver. Apezar
do convite do jais de paz e dai instancias de saa
me, estara de p muito perto de Eephinge, no
meio da ultima arcada do laboratorio, e comple-
tameote a descoberlo em caso de exploso ; nao
pensara em si meima.
De repente ella fez um geato de ioquietago. O
caralleiro acabara de bater com a palma da mo
na parle do cofre que lhe ficara em frente. Nao
houve movimento algara, mas a prova eslava co-
megada, e como elle linha aempre os olhos tiros
sobre a estatua, parecia qne esperava alguma
cousa de extraordinario.
Todos se commoveram ; Octavio tambem fez
uma exclamagio de interesse, e Corisanda ficou
assuitada aem saber porque.
Levanto se, retiro com autoridade Luciaoo
que queria correr para tea pae, e que lhe dizia
com alegra:
Eolio I meu pae?
Sim aim respondeu o cavalleiro. Porm
para que fazem tanto barulho. Vae-te Laciaoo
Lava tua Irma, islo me dfelrahe. H aqu ama
phaotaaial.... eccretcentou elle como fallando
etomaigo mesmo :
Ah eia umaifalta I uma falta enorme 1 nao.
am lago 1
O cavalleiro fallava de um lago armado a iotel-
ligencia do experimentador, porm a palavra sen-
do interpetrada pelo medo fez com que todos se
rerantasaem e se preeipitissem em tumulto para
a sahida, excepto Octario, Hortensia a quem sua
mae quera lavar em rao, e Corisanda que'se li-
OM Hortemia, -lerada por ato
Masante, elle tem ama idea falsa
qoe pensar qae ama malber sentir! s poda-
ra pertencer-lhe desposando a fortana ; porm
jaro qae se engaa I
Oh I meu Da as I m arma roa o cavalbeiro f-
ra de ti.
Oure-a,
realmente o menor perigo para o aenhor.
continu.
O caralheiro bcaito*em instante. Ai sierra-
de Hortensia harlatn-lBe alterado o espirito. Elo
le a observava com paulo, e haria eiqatsido a
seu trebalbo. Porm railoa-ibe a memoria, de-
um grito obserrando a pndola que a lbe cons
ceda cinco minutos.
Ah I deixem-me I disse elle continuando
seu axame; um homem geaeroso dere fazer to-
do pela feiicidade daqaella a quem ama, e am
pae dere expor-te por seus filhoi. Se bearesse
algara perigo.... porm nao e ha ; julgar iato se-
na ultrajar a memoria de nono tro. Meu Deus I
tu o res, exclamo elle com exaiCagao-, reapeito a
morte, tenho f, e amo.... eacleretei-me pois l
Vencida por ana cooriegio e rontarde e familia
aOastou-sa da grade. Lerada pela cvrioafdade o
reato da aeeemMa entro de novo na sal. Apa-
as baara deixadoao ceralheiro am infante da
socego, quando elle exclamou : Acertetl' Eolio
rendo qae lhe reataram tres minutos, tocou ra-
indamente, porm coto metbodo, naa garra do
Esphioge, nao umaa depois das oatras, porm
contando em roz baixa aquellas em que deria to-
car alternatlramente, rollando atraz para contar
anda, locando algunas rezea em duas ou trefao
meemo tempo, emfim obedeeendo a um calculo
de nmeros qae pareca ser-lhe dictado por tn
espirito inrisirel.
Terminada a operago, bateo< ligelrameate ao--
breo cofre, cujas quatro paredes-cabiram se mes-
mo tempo com o som musical a perfeito predu-
zido por uma harmona.
A pndula dar qualro horaa. eo tabelliio cha-
mado pelo caralheiro, assim como-o jaiz de par
e todas as teitemunbu leram no fando do cofre
esta inscrpgo gravada no brooze: A ti mi-
nha fortuna e minbas obras, pois que sobre os
mysteriosos ornamentos do Esphioge sovbeate
destinguir caracteres da eacriplura enliga per-
teneendoa quatro liogaas differeote, e fazer o
< calculo iodicado em formas resumid.
< S lirro, se eraa escraro do trabalho.- Geae-
roso se eraa araro. Se-me grato, se eras trwu
< iolmigo.
O caralheiro a quem se notificara parar lar o
qoe eatara iascripto sobre oe oroameotoi do Et-
Pbinge, leu : Treme I-Espera l-Procura Ie
deu uma coala eeecioU a perfeitemente exacta
da operago maibematice indicada no pedestal o
qae todos haviam tomase por um ornamente-.- O
nurtero 8 figurando por diversas reiei oo prieci-
pio de cada operago, fez coro qe o caralheiro
comprehendesse qae era precie proceder peras
oito aohas do Esphioge, e, unta rez senhor do
ponto principel, o resto fra ama simples quea-
tao de leitura, fcil para am pra-iieo- namiimatha;
Explicoa modestamente que, e qae baria-o em-
barazado e dialraido prorinha Oe faltas bstanlo '
grerea ou de caprichos muito arbitrarios noa ca-
racteres empregadea. O- marqaez quima ter maii
sabio qae a acieocia ; e foi preciso aderinhar o
que elle complicara por descuido- ou
tema.
por lyt-
0 caralheiro deu toda a honra de-aueceaso ao
pequeo Luciano, que, nao sabende- ainda lingua
alguma antiga, porm tendo mnitaereze ebser-
rado asestampasdos Irnos de sea-pae, des-
cobrira na respara, semelbanga da algasias fi-
guras extravagantes da bordadura do- Btphinga
fcom canas figuras hiaroglificas.dos maotiaaiiptos.
U caralheiro com estas explicagoes, baca estu-
oo misterio sem muito desvio.
-O qaa slgniflcam tantas pergantaa, e a ma-i rages, que parecem desUii84ij4hreparar ai
a extraordinaria porque m'aa (azem ? O que cat vit,ea,-#4ar ao homemloda a energa,fie
tea ea que poesa aotorlaa-las ? I elle ccceptlrel, tornos Walarra com o
MM
dlne
Poepe-te ao trabalho da negar a verdide.
Aqui esto cartas do seo proprio panho, que ex-
primem melhor oa seos senlimentos do qae o
senhor o poderla agora fazer. Tado est sabido.
Pois bem, senhor ; estat cartas foram por
mim escripus, e dirigidas a madsmoisella Hallo-
ry. Qualquer que seje a infeliz ailnaglo em qae
me acho, a bem que nio dorabou o primeiro a
conreinarpretender a mo dessa joven, tenho-
Iht porm dedicado atoa affegao que l norte
.poder*, irrcncir do auf peUv,
Oave-o ? Ouro o que diz este monstro.
eite infame ?
E Hallory patteiarade um lado para oatrocom
o passo rpido e agitado, langando sobre o man-
cebo uma chusma de imprecares, que aqui omit-
timos por mu grosseiras. O adrogado, chegao-
do-se-Ihe ao ourido, dirigiu-lhe com firmeza al-
gamas palavras, que o fizeram rollar logo ao sea
asseolo, onde deixou-se cahir murmurando sar-
das imprecagoes.
Est rendo,.Sr. Elliott, a-qaadree e pesar
condemnou o mea cliente com a aua condeca ea-
tourada ; pois nao lhe acho outro nome? E'
lempo ainda de abandonar os seus projectos in-
sensatos. Temos razea para recelar, vista das
expresadas contidaa em suas cartas, que a filha
do mea amigo tiresse escutado com algama com-
placosle as palavras de um amor presumpgoso,
e esperances que [o Sr. deveconvir) nsda juatiQca
nem a aaa edade e posigio, nem a aua fortuna
e o sea futuro, nem a sua educagio e nasci-
mento.
' Supprims, senhor, as duas ultimas palavras!
disse Elliott com forga.
que I Quer negar ? exclamou o relbo
mercador qae nio pdde conter-se. Quer negar
que um assalariado mea, am criado a quem
pago, om mendigo I
Elliott calou-se. O advogado, irritado com o
extremo sangae fri, e calma quasi insultante do
mancebo, replicn com meia alguma acrimooia.
Nio diacatamos sobre o sentido das pata-
rras. O negocio que nos interessa muito gra-
ra para admitlir esse genero de altercagio. O
bom senso e a honra prohibem-lhe a cootinaa-
gao de ama empresa condemoarel, iojuaU, lou-
ee, ridicula a todos os respeitos, e impossirel de
effectuar-se. O Sr. Hallory eati disposto a nio
consentir qae as coasas rao mais adianto.
E* rerdade, rerdade 1 Estou dtsposto a
isso, jaro por Deui 1
O velho mercador devorava o mancebo com o
olhar : o advogado porm contemplara com pal-
mo a firmeza e aerenidade de que aquello te re-
vesta.
Mas entao digamo que querem que eu fa-
ga ? pergunlou Elliott.
Renuncie j ede ama rez toda a sorte de
pretencoes a esle respeito : enri a madeinoisella
Hallory aa cartas que lhe escrereu: promelta ees-
ir ana correspondencia, e nao ter com ella
maic relacio ou commuoicaglo alguma. Em com-.
peotsgo lhe offerecemot em paiz estrangeiro um
lugar excellente, certo, e de mait qulnhentat li-
bras aterlinai de renda tobre o estado.
E' verdade, repeta o velho, prometto isso
tado.
E na sua ardente colera haria alguma cousa de
snpplicaote. -
Mas como Elliott nao respondeise ama s pa-
lavra, o adrogado com mais habilidade ainda fez
raler aos seas olhos a aua aitaagolprecaria em qae
se acharia mademoiiella Hallory no caso de am
calamento com elle; a insuficiencia doa seus
recursos pessons, que ca limitaram a mai pou-
cas libras esterlinas ; a terrirel perapectlra de
uma miseria que a ambor te efferecia eomo cas-
tigo da ingratido da Illa, e da ousadia do cai-
xeiro ; emfltn a ruina certa de um e outro.
Is de urna desata profundas respi-
que
tom
aval
icnoi
Elle reciba de noro o cofre pira prever que nao
o hara forgado de modo algum, e abriu-o-aul-
las rezes com extraordinaria fscilidade.
Foi deate modo qus o caralheiro toroo-se
marqaez de Germandre, e tomou, sem- cooteoU-
gao, poise de ama fortuna considerare!.
{Continuar-$ fto*j
. tomn a pal
triste e resoluto.
Hallory IncUpou-se para o ledo do mancebo,
boqai-aberto, com o pescogo ettendido, o ourif o
escuta para nao perder ama a de iui palmas.
Ponas cousac tenho para responder, date
Eugenio Elllott, aa impiajaque me tazem. De
qua quer modo qae inlerprtWm o man ciracter,
qualquer que poica >er a prnongio contra mim
T'ta l arcumstancias, contesto que nanea
ae reta, ae paoiamento commetter na acto vil e
to rerdade ; estou a sea salario, tambem ver-
etm ^r"daPdaee Um ^^ wnta^~
5m !i5!UiLro,, Hellory. as lagrimas salu-
dara dos olhos de Elliott, que armaado-se logo
de ora-eoragem prosegaia :
S0b7 mfmD?.D30 ID8 P,UP0U ca10a, lwgOU
aoDremim amargas reprehens8es..^ nio imoor-
ta I-Eu aa mereco. Longo tempe.cembatuloa-
hea?. mtn^,ldt- "oiaoUa Hallory co-
nhecia a minha pobreza, aabia quem. ea era e te-
ve lempo para observar-me de perto-: interesaou-
se por mimse houre imprudencia, nao se pode
negar que houra tambem maito beroUmo. par-
tilhei dos seas senmentos; fiz mal veteado
oem o rejo, bem o aei. Accusemme, aca-
bem-me de maldigoesea me submelto. Se el-
la retirar-me o seu amor, submeuer-me-hei ain-
.."f"-1!8 C0Htin,,ar ilar-me digno desea
amor (e dizendo ealas palarrss os oltaoa de man-
cebo scintillararo] nao se re Uo ril, ti cobarde
que o sacrifique a um interesse aualquer.... cum-
pnrei a patarra que Iba dei.
Esto rendo! Esto vende bradou Hallory
Um paroxiamo da colera seguiu-se a esta ex-
clamagao ; aa mais terrireu imprecagoes retum-
baram durante dez minutos sobre a cabeca do
joren Elliot.- o velho offegante, mal podendo pro-
nunciar aa patarras que o furor lhe diclara, pa-
rara de segando em segundo para respirar: na
seas pbrases entercortadas todos os epitheteave
imagens eapantadas se accumalaraai, toda* aa.
ajalaigoea que encerra o diccionario da TlCsTinri
ae enconiraram confusamente.
Ah miseravel.,.. infama!.... cOMluiu
alie. Fazer a corto minha ttllta |___QcSSw
desposa-i..... .asassina-la...r.pt.-u U< OM. .
que o faga... que e faga... Haremos, de ,r
Roubar aaiim a m velho... roubar-n I V*
oham, veoham todos dous affronUr a eninba o-
lera.... O meu advogado vae j redieir o teaia-
mento, ea qae flearo exprsala na jtobaaiaUi.
ra vontadet... Se quer casar com tnJnha flifi
hn." wwe?,e7"em-se Lhao-de morrer l\
t o velho ria com um rir convulso omnrt-
Saia,aia jtfaqui... caie-se... caae-aa...
o conselhoque lhe doa !....
O pobre EUielt, tara de. al, retlrou-ie tem sa-
ber para onde ia : quwt que denibadeT pelo
eabriolet de lord Scamplett, qae chegara naquel-
le momento.
Nio foi despedido, como ello esperava ; con-
tervaram-no em aea logan porm alguna das
depois deitpparecitt da caixa ama.tomma da
quinte libras esterlinas parteaceatoe caaaHal-
loryTodos os caixeiroe alroragaram-ae, aa por-
tas foram fechadit, i jutWca chamada ; correram-
te todaa ai carteiras: aa qoinza libsaa foram echa-
das oa cartgirade Eugenio EUiolt.
Accaiado de roabo domettico, a da funde
(emocrziemeni) o detgra^tdo foi conducido pre-
tensa do magistrado, quto interrogou, a depoic
levado a priso.
IVaqal ha pouco v-lo^emoa ir pan Ticwgate
misturar-te com o rebolalho da ejeeedade, oom
esses homens de vicios ioouiaveia, eavelheclfios
no cria* no opptobrio 1
fConlinaar-se-Aa.^
\
Imis, vi n pnuaiuguiu vuiaiuoiiti n w.
deahohieto, Son ei cttatiro, Sr, Pti, f-. Pirn, tip. DE M, F,DB PARIA FlLHO,ia.
i
m
. -
^'ftSi

-U.
aa i


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EQ8RL2WFQ_O5O4DW INGEST_TIME 2013-04-30T23:11:52Z PACKAGE AA00011611_09946
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES