Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:09944


This item is only available as the following downloads:


Full Text
i
!
'<
-
f
AI10 IXXHIII. 1MEBO140.
Hr tres buzos adan Udts 5f 00o
rP tres urna veneida* 6|000
.(ttUttrlIHikM:

iw- jS^fW
_ L__......_____t, -:1
QABli ffilll 18 L JOMO DE Ult.
>e*
Ptr aaoa adiantado 19$00O
Porte fraaeo pira a ubseriptor

DIARIO DE PERIVAMDICO.
ESCARRRGADOS DA SURSCRIPCAO DO NORTE
Parahyba, o Sr. Antonio Alexandrino de Li-
ma ; Natal, Sr. Antonio Marquen da Silva;
Aracaty, o Sr. A. da Lemoi Braga; Gear o Sr.
J. Jos da Ollfeira; Maralo, o Sr. Joaquim
Marqvea Rodrigues; Par, Hanoel Pinhtiro 4
-..; Amazonaa, o Sr. Jerooymo 4a Costa.
ENCARREGADOS DA SURSCRIPCAO DO SOL
Alarias,o Sr. Claudino Faleo D: ai; Baha
o Sr. Jos Martina Airee ; Rio da Janeiro, o Sr-
Joao Partir Martina.
PARTIDAS DOS GORREIOS.
Olinda todos os dias aa 9# horas do dia.
Igaarass, Goianna, Parahyba as segundas
sextaa-Ieiras.
S. Antio, Bezerros, Bonito, Garuar, Altinho
Garanhans as tergaa-feirae.
Pao d'Alho, Nazaretb. Limoairo, Brejo, Pea-
queira, Igazeira, Flores, Villa-Bella, Boa-Vista,
Oucurye Ez naaquartae-feiraa.
Cabo, Serinhem, Rio Forraoso, Una,Barreiros
Agua Preta, Pimenteiras a Natal quintas feiras.
(Todos os crrelos partem aalOhoraada-manhaj
IPHEMERIDES DO MEZ DB JUNHO.
5 Quarto crascanta aos 2 niatos ds manhaa;
,12 La chela as 3 horas e 35 minuto da man.
18 Qnarto atingan ta aos 31 minuto da tarde.
26 La nova aa 3 horas e 35 minutos da larde.
PREAHAR DE UOJE.
Primeiro as 8 tora e 30 minutos ds tarda.
Segundo as 8 horas a 54 minutos da manhaa.
PARTIDA DOS VAPORES COSTKIROS.
Par. ,u, at Alagoaa i 5 a SO; para o norte
at a Granja i 14 e 29 de tada mez.
_ PARTIDA DOS MNIBUS.
- iS LB,eWV d -api/meo s 6li2, 7, 7 1|S, 8
8. M:* m.; de Olinda s 8 da m. 6 da t.: de
Jaboata s 6 1 2 da m.; do Caxangi a Varxta
7 Ja .: de Bemfica s 8 dx m.
i : a45 1|2 e 6 da *' **n 0linda *
da na. a 8 1[2 da t.; para Jaboalo a 4 da t.; para
o Caranga a Varxta 4 1 2 da t.; para Bemfica
AUDIENCIAS DOS TRIRUNAES ya CAPITAL.
Tribunal do ommereio : segundas e qnintai.
Relago: tercas e sabbsdosslO horss.
Fazenda : quinta a 10 horas.
Juizo do ommereio : eegundaa ao meto dia.
Dito de orphos: tercas e sextas a 10 horas.
Primeira vara do cirel: tercas e eztas ao malo
dia.
Seganda rara do eivel: qaartaec eabbadoa II
hora da tarde.
UTE 0FFICIAL.
GOVERNO DA PROVINCIA.
Expediente do da 14 de junase
de 1862
Ofllclo ao Ezm. Tice-presidente da provincia de
Minas Geraes.Com o officio de V. Exc. de 30 de
maio ultimo, recebi doas exemplares da expsi-
to que foi presentada a V. Ezc. pelo Ezm. Sr.
conselheiro Jos Bento da Cunha e Figueredona
occaailo de passar s mos de V. Ezc. a adminis-
trago detsa provincia no dia t7 daqaolle mez.
Dito so Exm. biipo diocesano.Para aatiifazer
a deliberagao da assembla legislativa provincial,
contida em officio de 13 do correte, aob n. 50,
airva-ae V. Exc. Kvma. de dar o stu perecer acer-
ca do incluso projecto deste auno, aob n. 29.
Dito ao commaodante das armas.De confor-
midade com o que solicitou o Dr. chele de polica
ioterino em officio n. 953 de 13 do correte, sir-
ra-ae V. Exc de mandar augmentar com mais
qaalro pravas o destacamento de Olinda.
Dito ao mesmo. Em vista do que informa V.
Exc. em officio de 13 do correte, aob n. 1,186
conainto na eacuaa do aervigo militar do cabo d
esquadra do 4o batalho de ariharia a p Manoel
Florencio lavares, aceitanio-ie em seu lugar
para completar o lempo do aeu engamunlo, o pai-
sano Antooio Pedro dos Aojos, que fui conside-
rado apto para iaao em iospecgo de saude, se-
gundo o termo aaoexo ao citado officio.
Dito ao meemo.Transmuto a V. Exc. para o
fim conveniente, a certidao dos sseoiatoeotos que
tem no corpo de guarnigo de Mioas Geraes o al-
teres Joaquim Jos Luiz deSouzs, a qual me foi
enviada com aviso da repartigo da guerra em
aaliifago a rquisigao de V. Exe. constante do
seo officio de 7 de abril ultimo, aob n. 693.
Dito ao mesmo.Communico a V. Exc. que em
aviao de 3 desle mz declarou-me o Ezm. Sr. mi-
lilitro da guerra ter approvado a deliberado que
omou V. Exc. de mandar proceder a conseibo
de investigado sobre a oceurrencia havida entre
o capitao do 10 batalho de infantaria Pedro-Af-
fonso Ferreira e o sublelegado de polica da fre-
guezia da Boa-Vista desta cidade.
Dilo ao mesmo. Communico s V. Exc. pira
seu eonhecimento e direegao que, segundo me
loi declarado em aviso da guerra de 36 de maio
'l>mo, ae conceder naquella data ao capilo do
4 batalho devartilharia a p Jos Pedro Nolasco
Pereira da Cunha 4 mezea de licenga para tratar
de aua ssude.
Dito ao mesmo. Queirs V. Ezc. enviar-me
urna certidao doa assentamenlos que tiver no 2o
batalho de infantaria, a que pertenceu o capillo
reformado do exercito Joaquim Bernardino de
Magalhaes Garcez, aflm de aer traoamiitida a re-
partigo da guerra, conforme a exigencia contid.
em aviso de 3 do correte. r^
Dito ao iospector da tbesouraria de fazeada.
Reslituo a V. S. os documentos relativos ao pa-
gamento que pede o pharmaceulleo Joaquim de
Almeida Pinto na importancia de 8:223ji(9, pro-
veniente de diveraas ambulancias que forneceu
para o tratameoto do cholera-morbus em dife-
rentes comarcas dt provincia, afim do que eon-
ormsodo-se com a sua informagao de 13 do cor-
rente, aob n. 549, mande pagar somenta a quantia
de 7:7900170, fleando o restante demndente de
informages que nests data solicito pura melhor
esclarectmento da duvida suscitada a esse respei-
to pels cootadoria deesa repsrligo. Com esse
pagamento e outros de igual natureza Oca V. S.
autorisado a diapeoder, sob minha responsabili-
dade, nos termos do art. 5 9 1* do decreto n. 288i
do 1* de fevereiro deste anno mais a quantia de
20:00(9, visto achar-se quasi extinelo o ultimo
rdito de 10:0005 que maodei abrir pera as des-
pezai com aoccorros aos desvalidoa accommetti-
dos desse mal, segundo consta de sua informagao
n. 480 de 26 de maio ultimo.
Dito ao mesmo Em observancia do aviso da
repartigo da guerra junto por copia, sirva-se V.
S. de maodar pagar ao major do 4o batalho de
artilhara a p, Carlos Felippe da Silva Mnniz e
Abreu, nao s as despezss de comedorias que
houver felto com a sua ida e volta ao presidio de
Fernando pelo aervigo que all foi prestar para
instaurar o consalbo de investigagao ao eapitao
do mesmo batalho Jos de Cerqueira Lima, como
tambera as vaotagens de commissao activa de
I engenhara durante a inspeegao das forticsges
para que foi nomeado.
Dito ao mesmo.Transmuto a V. S. para seu
conhecimenlo e execuglo copia do aviso de 28 de
maio ultimo em que o Exm. Sr. ministro do im-
perio commuoicando-me haver aido augmentado
o crdito destinado a deipezas com soccorros p-
blicos nesta provincia, d outras providencias s
esse respeito.
Dito ao mesmo. Nao havondo inconveniente
mande V.S. adiantar ao almoxarife do hospital
militar a quantia de 1:2009, constante do pedido
incluso, afim da occorrerasdespezas daquelle es-
tabelecimenlo na segunds quiozena do presente
mez.
Dito ao provedor da Santa Casa da Misericordia.
Pelo officio de V. S. datado de 13 do correte
flquei inteirado de haver a junta administrativa
da Santa Casa de Misericordia nomeado ama com-
missao composta dos Srs. Antonio Ilercuiaoo de
Souza Baodeira e tenente-corooel Antonio Carlos
de Pinho Borges para astistir no dia 15 deste
mes as 11 horas da manhaa a destribuigao dos
premios com que o jury geral da exposigo da
corte destingaio a alguna dos productores e ex-
positores residentes nesta provincia.
Dilo ao presidente do conselho administrativo.
Constando de aviso da repartigo da guerra de
do correte, que fora nomeado naquella data o
coronel Antonio Pedro de Si Brrelo para presi-
dente desse conselho, e devendo por isso cessar
a commissao em que eslava servindo interina-
mente o tenente-corooel reformado Jote Antonio
Pinto, assim o communico V. s. para seu co-
nhecimeoto e devida execoglo.
Dito ao director das obras militares.Pars que
possa o governo imperial resolver acerca da col-
locacio dos apparelhos para a tllumlnngio a gaz
da companhia de artfices desta provincia, cum-
pre que V. S. em observancia do aviso da repar-
iigao da guerra de 5 do correle aprsente urna
nota da despeza que ora se faz com a iluminarao
ordinaris e orgamento da que se farl com a de
gaz, declarando o prego do consumo de cada ho-
ra porcombustor, era como o numero destes e
os logares em que sao el I es precisos.
Dita ao commaodante superior do Recite.
Quira V. S. expedir seas ordenspara que urna
guarda de honra tirada dos corpos da guarda na-
cional desle municipio asiisla a tests do orsgo e
Te-Deliro, que se tem de celebrar na matriz des-
ta fregaezia no dia 19 do correte.
Dito ao commaodante superior de Olinda e
IgueMSS.Convm queV. S. Informa ae Joa-
quim Jos Ferreira de Almeida coutemrlado para
tenante da 8* companhia do batalhio n. 9 de in-
fantaria da guarda nacional do muoici-.io de Olin-
da na proposta a que se refere a sus 'informaci
de 6 do corrente, o mesmo que foi nomeado
alferes da 2a companhia do mesmo batilhao com
o nome de Joaquim Jos Teixeira de Almeida.
Dito ao juiz dedlreito de la vara. Designo a
v me. nos termos do art. 111 da lei n. 602 de 9
de setembro de 1850 e 20 do decreto n. 1.135 de
18 de fevereiro de 1854, pera aervirde relator da
junta que tem de julgar em 2ainstancia o 2asar-
gento do 1 batalho de arlilharia, e furriel do2
batalho de infantaria da guarda nacional deate
municipio Raymundo Aotunes Coelho, e Ayres
Nyllo de Lima Freir, e rem*tto-lhe os respectivoe
cooselhos de desciplioaa aflm de qae para isso
compsrega no palacio da presidencia no dia 28 do
corrente pelas 11 horss da manhaa.Officioa-se
ao commaodante superior do Recite para mandar
avisar os tenentes coronis Jlo Valeottm Vilella,
Francisco de Almeida Leal Seve e Jos Francis-
co Pires, para fazerem parle da junta.
Dito ao gerente da companhia Pernambucana.
Pelo seu officio de 13 do correte, co ioteira-
do de ter Vmc. transferido para o dia 20 do cor-
rele, a sahida do vapor Persinunga para os por-
tos do sul.
uito ao conselho administrativo.Promova o
conselho administrativo a compra de medica-
mentos e objeclo constantes do pedido junto, os
quaes sao precisos a pharmacia central militar
desta provincia, no futuro semestre, nao a para
seu abastecimento, como para satisfazer as requi-
sijoss dasdiversaa eofermarias militares, perten-
centes a esta guarnlgo.
Portara.O presidente da provincia, alten-
dendo ao que representou o Dr. chefe de polica
ioterino em officio n.952 de 13 do corrente, re-
solve supprimir o districto de policis denomina-
do Maneota, e terceiro da freguezia de It?ui-
rass.
Dita.O presidente dajajroviocia conforman-
do-se com a proposla de m. chefe de polica io-
5*""J S88. de.3l do miz pretrito, o n. 952.
de 13 do correte, resol ve conceder ao eapito
Francisco Borges Leal a exooerago]que pedio do
cargo deaubdelegado do districto de Maneota,
terceiro da freguezia de Iguaraas.
Dita.O presidente da provincia, atlendendo
ao que requeren o alferes do nono batalho de
intantaria, Herculano Geraldo de Souza Maga-
haes, e tendo em vista o parecer da junta mi-
litar de saude, resolve cooceder-lhe tres mezes
de licenga, nos termos do artigo 106 do regala-
ment de 27 de ootubro de 1860, para tratar de
sua saude.
Dita.O presi lente da provincia, eonforman-
do-se com a proposta apresentada pelo tenente-
corooel commandante do batalho n. 9 de inten-
tara da guarda nacional do municipio de Olinda,
sob que informou o respectivo commandante au-
penor em data de 6 do corrente, resolve, de con-
formidade com o artigo 48 da lei numero 602 de
1 de setembro de 1850, nomear para offltiaea do
referido batalho oa cidadlos seguintea :
Primeira companhia.
Tenente, o alferes da mesma, Jos Joaquim Lo-
pes de Almeida.
Alferes, o sirgento ds mesma, Manoel Ignacio
da Silva Braga.
2* companhia.
Tenente, o alferes da mesma, Antonio Ferreira
Lobo.
Alferes, o guarda Vicente Ferreirs Nenes de
Paula.
Dito, o sargento qusrtel meslre, Jos Pedro de
Castro,
3a companhia.
Alferes, o sargento ajudante, Francisco Ludgero
NunesVianns.
Dito, o guarda Antonio Francisco Guimares.
4a companhia.
Alferes, o guarda Marcolioo de Souza Tra-
vassos.
5a companhia:
Capilo, o tenente da mesma, Joaquim Estanislao
Cavalcanti de Albequerque.
Tenste, o alferes da terceira, Pedro Simo da
Silva Braga.
6a companhia.
Tenente. o alfares da qusrta, Evaristo Vieira Lins
Cavalcanti de Albuquerque.
7a companhia.
Capilo, o tenente da segunda Chrslovio Pereire
Pioto.
Tenente, o alferes da terceira Jos Elias de Vas-
coocellos. n
Alferes, o guarda Jlo Francisco da Lapa.
8a companhia.
Capitao, o tenente da primeira, Jos Nunes de
Paula
Expediente do secretarlo do
governo.
Officio ao iospector da thesouraria de fazenda.
S. Exe. o Sr. presidente da provincia manda
transmittira V. S. a inclusa ordem do thesouro
nacional, n. 105.
Dito ao primeiro secretario da assembla.S.
Exc. o Sr. presidente da provincia manda trans-
mittira V S. para ter o conveniente destino, os
inclusos autograpbos dos actos de nmeros 531.
532 e 533, promulgados pela assembla legislati-
va provincial em sua presente sesso.
Despachos do dia 14 de jonho.
fequerimenlos.
Balbino Guedes Alcoforado.Informe o Sr. Dr.
director geral da iostruego publica.
Domingos da Silva Campos.Ioforme a cma-
ra municipal do Recife.
Alferes Herculano Geraldo de Souza Maga-
Ihes.Pasie portara coocedendo tres mezes de
licenga nos termos do artigo 106 do reglamen-
to n. 2.677 de 26 de ootubro de 1860.
Hermelioo Elsea da Silva Caneca.Remettido
ao Sr. director geral da iostruego publica para
attender ao aupplieante, de conformidade com o
parecer do reapectivo conselho de 5 do cor-
rele.
Irmaodade do Santissimo Sacramento da fre-
guezia de Santo Antonio do Recife.Dirija-se ao
commandante superior interino da guarda na-
cional desle municipio a quem se officia no sen-
tido quo requer.
Pedro Alexaodrino da Costa Machado.Infor-
me o Sr. Dr. juiz municipal do termo do Cabo.
das da semaba.
16 Segunda. S. Jlo FranciscoIReois
17 Tergs. S. Therez. raiohe^.'Wio de Arezzo
18 0-arta. S Leoncio m.; 8'. Amando b.
S.".?U-e*c^rp? de De" ; S* ,M"*
M aexti. S. Sil*erio p. m. ; S. Prudente.
21 Ssbbado. S. Luiz GonzaRa: S. Terenei h m
22 Domingo. S. Paulino b.; S. Nica, **
A9SIGRA-SE
je Recife, em a livraria da praga da Indepen-
dencia ns. 6 e 8, dos propietarios Manoel Fiwaf.
roa de Faria & Filho. ^
ASSEMBLA LEGISLATIVA PROVINCIAL.
SESSAO ORuINARlA EM 13 DE JUNHO.
Pretidencia do Sr. Luiz Felippe, primeiro te-
eretario, continuada pelo Sr. Bario da Vera-
Cruz.
Ao meio dia abre-se a sesso.
E' lida e approvada a acta da anterior.
O Sr. 1 secretario d coota do seguinle
EXPEDIENTE.
Urn officio do secretario da provincia, remet-
iendo a relago dos presos que forera reeolbidos
I cadeia do termo de Garanhans.A* quem fez a
requisigo.
Um requerimeoto do bacharel Pergentioo Sa-
raira de Araajo Galvo, pedindo qae na le do
orgamento municipal ae marque qnota para paga-
mento do que a cmara municipal de Pao d'Alho
lhe deve de seis mezes de seu ordenado como ad-
vogado que foi daquella cmara. A' commiiiao
de orgamento municipal.
E' lido a approvado o segaiote parecer:
A commissao de posturss e negocios de cama-
ras, examioando alteotamente as posturas da
cmara municipal da villa de Nona Seohora
do O' de Ipojaca, de parecer que as mesmas se-
jam approvadas com as alteragdes seguintes:
Supprimidos os artigos 2 do titulo 3; 7 e 10
do titulo 4a, diga-se quando se reqeerer I c-
mara licenga para a factura de qualqaer obra, re-
querer-se-ha igualmente o niveliamento e cor-
deago ; aasim como os mais preceitos symetri-
cos; os que infrigirem em todo ou em parte o
presente artigo sero multados em 209000.
Art. 12 do mesmo titulo supprima-se a ultima
parte.
Sala das sessdes da commissao de negocios de
cmaras, 13 de junbo de 1862.Pedro Alfonso__
Amarsl.
ORDEB DO DIA.
Ia parte.
Terceira discusso do projecto o. 28. que con-
cede a t'.M. Duprat iiencao de decima e outros
impostos para as casas, armazens, etc., da com-
panhia que elle encorporar nesta cidide.
E approvado sem debate.
Terceira discasso do projecto n. 14 deste an-
no, qae iseota do imposto da decima a casa do
sitio Cajueiro, aonde faneciooa o hoapital porlu-
guez.
E' approvado sem debele.
Primeira discusso do projecto n. 40 deste an-
no, qurmanda pagar as dividas de exercicios lin-
dos.
E' approvado sem debate.
Continuado da primeira discusso do psreeer
com resolugo da commissao de orgamento pro-
vincial. r
A commissao de fazenda e orgamento, tendo
em attengoo pedido de crditos supplementares
felto pelo presidente da provincia em 12 e 15 de
maio prximo passsdo diversss consigniges da
lei do orgamento vigente, e a demonstrago da
oecessidade desse crdito feita pela thesounria
provincial, e considerando que d'entre as des-
pezas que se refere aquello pedido as que por
sai natureza nao podem soffrerdemora no paga-
mento, e pela insufficieocia da quota votada pre-
cisan] de crditos supplementares para serem sa-
tisfeitas sao nicamente as que se fazem com os
expedientes des repartigoes, reparos, conservsgo
das obraa e eventaaes.
Considerando que a importancia destas despe-
zase de'30:6469558 sendo : para expediente daa
repartgdes 1:549|480 para reparos e conserva-
cao 14:299S174, e para eveatuaes 14:7999904.
de parecer qne se adopte a resolugo com quo
conclueeste parecer.
Entretanto a commissao jatea de seu dever fazer
sentir casa qae, entre ai deipezas feilas, se-
gundo a incompleta damonslrsgao remettida pela
tfc;eourana. multas nao tem juitflca^ao poialvel.
_ E' asiim que na verbaexpediente da secreta-
rla da presidencianola-se a despeza Je cincoen-
ta mil ris com impresses, qusndo este servigo
feito em virtude do contrato, que a commissao
suspeita lesivo aos interesses da fazenda provin-
cial. E par desta despeza eocontra-se ainda a
de 1369 de aisignaturas do Diario de Pernam-
ouco.
Na mesma verba parece commissao excessi-
va a despeza de 1:1249 verificada em 10 mezes
nicamente com papel, peonas e tinta, e a de
810$ com livros e encadernages.
No expediente da repartigo dss obras publicas
dous crditos snpplemsntares j foram abarlos
pela presidencia da proviocia verba volada de
llf?&' 'lu6 eleTID despeza feita com ella &
1:6969 e entretanto exige-se ainda o crdito sup-
plementar de 3609; relevando observar que da
demonstragio que a commissao tem presente nao
consta a applicago que teve a quantia despen-
dida.
A demonstrago remettida revela toda saa in-
sufficieocia na deapeza effectuada pela verba
reparos e cooservago das obras publicas: por-
quanto tendo sido dotada esta verba no orgamen-
to viganle com a quantis de 60:0009000, a de-
monstrago alinde ama distribuigo pela qual
coube 43:0009000 nicamente para tal servigo.
Nao cooceba a commissao qae baja quem teoha
o arbitrio de redaziras verbas decretadas por esta
assembla e que tornada ella desl'srle insufflcien-
te, pretenda-se justificar necessidade de crdito.
Entretanto como se allega, embora se nao prove
a oecessidade de semelhante crdito, e a despeza
que elle tem de occorrer de natureza que eres-
ce com a demora na salisfago della, a commissao
propoe-no.
Finalmente, pelo qae respeita verba de
eventuaes, a commissao deplora que gratiQca-
coes se paguem I diversos empregados por ser-
vidos que sao ebrigadoa em suas respectivas re-
partigoes e que, como estas, outras despezas que
nem ao meos podem aer consideradas provio-
ciaes, figurem all, dando cabimento aesgotar-se
a verba respectiva.
Entretanto aconselhando a commissao i casa a
concesso do crdito contido na resolugo infra,
requer que urna copia deste parecer seja remetti-
da presidencia da proviocia, para que S. Exc.
scientificado de tamanhos abasos faga-os cessar.
Art. nico. Fica aborto um crdito supplemen-
tar de 30:6489558 para que o presidente da pro-
vincia possa occorrer devidamente s despezas
com as verbas declaradas nos seguintes para-
graphos:
Ia. Expediente da secretaria da
provincia.........................
2. Dito da repsrligo das obras
publicas..........................
3. Dito do consulado provincial.
9 4. Reparos e conservagoes das
obras publicas....................
59. Eventaaes...........,........
Revogsdss as disposigoes em contrario.
Sala das commisses, 4 de jaoho de 1862.__
Barros Brrelo.Souza Res.
O Sr. Feoelon (Daremos em outro numero.)
Vai a mesa e apola-ae a seguinle emenda:
Supprimsm-se os periodos que comegsm pelas
palavras demonstrago nao concilie. 'Fe-
nelon.
Encerrada a discusso o psreeer approvado
com as emendas dos Srs. Luiz Felippe e Feoelon,
e o projecto em primeirt discusso.
ORDEM DO DA.
2a parle.
Contina a segunda discusso da receita da pro-
vincia no projecto de orgamento provincial.
O Sr. Catanho comega porestranhar a maneira
pouco sgradavel de se Isngarem na cssa propoai-
ges pouco proprias de sua digoidade attribuio-
do-se a alguns deputadoa acharem-se engajados
com as partes para lhes darem votos em favor de
suas pretengdes, dizendo mesmo. que esse* que
sssim procedem julgando-se Uvulneraveis, nem
por isso deizam tambem de ser censurados fora
mesmo da casa; e fazenda referencia aoSr. ba-
rio de Muribaca qae algasias veces tem attri-
buido estes fictos a seos collegas, diz quel Exc.
-tambem nao estaa talvex livre de colpa, por
leso que outia dizer-ie, que 8. Ex. rotara ha
412*480
3609000
7779000
14:2999174
14:7999904
bem poaco dias por urna iodemnlsago ao Sr.
Entrando na materia do projecto, o honrado
memoro faz a comparago da quaotia com que
concorre o centro da proviocia para o cofre da
provincia, os gozos que elle tem em face da
quantia com que concorre para eates cofres, o
jalga que o centro da provincia nao olhado
com aquella atleogo com qae se doa olhar.
Em referencia emenda que est sobre a mesa,
ofTereeid* por um honrado depulado, elle orador,
se pronuncia em seu favor, porque eotende que a
industria algodoeira da provincia precisa de toda
a proteegaoe julga at que urna inconveniencia
ir sobrecarrega lo com maior imposto, essa io-
duaina que to precaria, que est sujeits-
tantas eventualidades.
O honrado membro faz ainda largas conside-
ragoes sobre a materia, desceodo i aoalyse dos
differenl.s do artigo.
Sr' ^rruda Pslco defeodendo a emenda que
mandn mesa dimiouindo o imposto do algo-
dao da 3 para 2 por 0i0, diz qae nao v razo
para esse augmento proposto pela commissao de
orgamento, porque a estribar-se ella no aug-
mento de prego que tem tido o algodo no mer-
cado, esse motivo to precario que nao deve
levar a casa a fazer semelhante augmento de im-
posto. Em sua opinio nlo s o algodo que
deve ser favorecido, e como diz o honrado depu-
lado, tambem merece seria atleogo dos poderes
pblicos, e por isso qae ba poucos dias propoz
i casa para que ama represeataglo fosse dirigida
a iisembla geral, pediodo a creagao de um ban-
co agricola e hypotbecario na provincia, porque
enlende que s assim os agricultores podero,
elles que lutam com a deficiencia de bragos e
com a falta de capilaes, acham quem lhes em
preste dinheiro com que possam melhorar seu
trabalho.
A Fraoga, porexemplo, diz o honrado depula-
do, nem por ser no paiz principalmente indus-
trioso, deixa no olvido a agricultura, ella a pro-
tege e protege extraordinariamente, e como o
Brasil que exclusivamente agrcola, diz o hon-
rado membro, tu de tratar a agricultura com
tanta indifferenga, com tanto desfavor ?
Em ocncluao o orador diz que se asienta, na
grata espersnga de que a casa nao deixar de
approvar sua emenda, assim como urna outra
que offereceu tambem casa, a qual o orado;
justifica com mailo boas razoes.
u Sr. Feoelon: (Daremos em outro nu-
mero).
Tendo dado a hora, a discusso fica adiada.
O Sr. Presidente designa a ordem do dia, e
levanta a sesso.
SESSO ORDINARIA KM 14 DE JUNHO
1 DE 186S.
Presciencia do Sr. Bario da Vera Cruz.
Ao meto dia abre-se a sesso e approva-se a
acia da anterior. .
O Sr. 1* secretario declara nao haver
EXPEDIENTE.
Le-se e approva-se a redaego do projecto qae
concede aposentadoa ao profesor de msica do
collegio de orphos Thomaz da Cunha Lmi Can-
luana.
O Sr. Netto (pela ordem) como membro da
commissao nomeada para Ir examinar o estado
em que ae acha a estrada de Tamandar, l um
relalorio circumstanciado do estado daquella es-
trada.A casa rica ioteirada.
Vae a mesa e apoiado o seguinle reuueri-
mento.
Requeremos que seja remettida urna copia do
relatorio ao Exm. presidente da provincia para
que providenciando no sentido de serem cortados
quaesquer abusos, evitando-se taes prajuizos aos
cofres pblicos, manda (azer offecliva a respon-
sabilidade contra quem de direito for, e tiver
coneorrido para taes abusos.Netto.J. A. Lo-
pes.Cataobo.
.0 Sr. Drumond fpela ordem) pergunta se pode
fazer algumas observagoes sobre o relatorio que
acaba de ser lido, por isso que tendo feito parte
da commissao nomeada pela casa, para examinar
a estrada de Tamandar.deixou de assigoaresse
mesmo relatorio.
O Sr. Presidente declara que nao estando em
discusso o relatorio, mas sim o requerimeoto,
nao pJe scceder ao pedido do honrado mem-
bro.
O Sr. Souza Res (pela ordem) diz que nao
preteade oppor-se ao requerimeoto, mas que nao
sendo elle mala do que a conclnso do extenso
relatorio qae acaba de ser lido, lhe parece qae
deve pelo menos ser adiado al que fdepois de
impresso o relalorio,possa a casa emittir um juizo
seguro.
O Sr. Presdante observa ainda que o relatorio
nao se acha em discusso que sobre elle nao tem
a casa de emittir um juizo: por consegunte que
a discusso tem de versar aobre o requerimeoto
a respeito e que poder qualquer senhor depu-
lado indicar o qae lhe parecer conveniente.
O Sr. Lacena, justifica e man'ds mesa o se-
guinte requerimento:
Requeiro o a diamento da discusso at que ve -
oha can o relatorio da commissao nomeada
pelo governo para examinar a estrada de Taman-
dar.Lceos.
O Sr. Netto :Nao posso, Sr. presideote, votar
pelo requerimeoto feito pelonobre deputsdo, nao
s porque pode ser dispensado esse ada ment,
como tambem porque a razo qae deu o nobre
depulado que fez o requerimeoto, nao muito
plausivel, islo o esperar-se por urna veato-
rla foita por parte do governo nessa mesma es-
trada.
O objeclo de que nos encarregamoa nomeando
essa commissao, j como que urna falta de
conflanca depositada no governo na constraego
desta estrada, por cooseguinte, qualqaer informa-
gao que nos chagar boje da parte do governo,
nao poder ser bem recebida, principalmente
quando em contrapesico a esse parecer, qualquer
que elle seja, se acha a opinio de urna commis-
sao oomeada por esta assembla.
Um Sr. Depulado :Mas o nobre depotado pao
pode dizer desde j que est em cootraposi-
go.
O Sr. Netto :Em qualquer hypothese nao nos
pode servir de guia.
O Sr. Lucena :Eniao para que foi esss com-
missao nomeada ?
O Sr. Netto : Eu votei amente pela nomea-
go da commissao desta casa.
O Sr. Lucena :Mas a casa vota por ambas.
O Sr. Souza Res : E isto prora contra ludo
qaanto oisse o nobre deputado.
OSr. Netto:Eu declaro que nao votei por tal
commissao do governo.
O Sr. Souza Reis : Isso foi o nobre depulado,
nio foi a esas.
O Sr. Netto : Pois bem : ainda mesmo admit-
tiodo que a casa precisasse de informaces, to
especiaes para votar aobre o requerimeoto que
se acha oa mesa pediodo rejafeosabilidade dos
sgeoles do governo, equi sarveaM um exame feito
por nrn engenheiro daa abras publicas, que me
forneceu agora meo nobre colleg'a o Sr. Drum-
mond. o qual eu nao sei aa poderei ler*pelo mo
estado da letra.
O Sr. Drummood :Muito obligado I
WSr. Netto : E' um exame feito em 14 de
egoato, tendo a estrada aido acabada effectiva-
mente em maio. (Lft)
Ei3 aqui: diz elle que nao pode transitar pela
estrada em agosto, por isso n3o pie tomar as
dimeaioes ; creio que foi costeando sempre pr-
ximo a estrada, mais ou menos como lhe foi pos-
sivel, declaro por cooseguinte, que essa estrada
em que se gastaram 35 conloa de ris, alguns
mezes depois de sua entrega effecliva, nao se po-
da por ella transitar, a ponto.de nao poder to-
mar-se as suas dimensoes, fazer-sa um exame
sobre ella. (Continua a ler.)
Por cooseguinte, temos um parecer dado por
um engenheiro da repartigo das obras publica*,
mteirameale de aecordo com a commissao. De-
pois, nos nao podemos saber quando chegaro a
casa essss ioformagdes da parte do governo, e eu
julgoque esta caa devia depositar bastante con-
flanga nosnaembrosda commissao, principalmen-
te quando se acham elles conteste* aobre seu re-
latorio.
Um Sr. Depntado :-Um nao assigooa.
O Sr. Netto : Se acaso falta a assigoatura de
um, foi sobre eousa to simples, que nio estabe-
lece mesmo divergencia algums...
Um Sr. Deputado: Urna falta de assigoa-
tura? I
O Sr. Netto :A razSo da falta da assignatura
meo nobre collega, posso sffiaogar-lhe que por
motivo to simples, qae nao eslabelece mesmo
divergencia alguma entre oa membros da com-
missao, todos concordam no estado pessimo da
estrada.
O Sr. Buarque :A commissao deve merecer
toda a confianga.
O Sr. Drummood : E merece.
O Sr. Netto: Me parece que nao havendo
aqui queslo seoo de fado, e sendo o facto ve-
rificado por alguns raembros desta casa, nao po-
de por-se em duvida a informagao dada por es-
ses membros para se esperar informages de fra
afim de votar-seo requerimento.
Um Sr. Deputado : Tanto mais que ji leu
urnas informages officiaes.
O Sr. Fenelon i S por isso nao, que a lettra
est em mo estado.
O Sr. Netto: De mais, por tal forma se tem
manifestado a opinio publica acerca da mcons-
truego daquella estrada, que de toda a conscieu-
ia podaremos proferir um voto pediodo a res-
ponsabilidadedaquellea agentes. E depois, o nos-
so voto nao um voto de condemnago, pede-se
apenas a respoosabilidade, ainda fica a defeza a
esses agentes se aciao o juizo da commissao nao
for inteiramente exacto.
Por tanto, em vista da opinio publica que se
tem manifestado caosurando essa mesma estrada,
em vista desse parecer dado por um engenheiro
da admtnislrago das obraa publicas, em viita do
relatorio lido 4 casa pela commissao nomeada
para fazer esse exame, eu pego que deixando de
votar-se pelo requerimento de adlamento, vote-
mos pelo de respoosabilidade dos agentes do go-
verno, vislo que a cssa nao pode mais estar em
duvida, vista das informages ministradas.
Eu poderia acrescenlar alguma cousa, mos-
trando a utiiidade que ba em pedir-se a respon-
sabilidade desses empregados.
Um Sr. Deputado:O relatorio devia concluir
por ella.
OSr. Netto:Poda.
O Sr. Fenelon :Devie.
O Sr. Netto: Devia, nao ; nos notinhamos
obrigago de pedir respoosabilidade.
O Sr. Lucena :Era a nica concluso.
O Sr. Netto: Apezar de ser o relatorio con-
trario estrada, nos nao tiohamos obrizaco de
pedir....
(Trocam-se apartes.)
O Sr. Netto : O que certo que nao in-
cumba commissao o dover de pedir no mesmo
relatorio a respoosabilidade dos agentes : esta
casa tem o direito e nao a obrigago de o fazer.
Porm isto nao vem muito ao caso.
Senbores, na casa mesmo se tem confessado
as grandes sommas que a proviocia tem despen-
dido em beneficio das obras publicas...
Um Sr. Deputado:Em beneficio?
O Sr. Netto: Em beneficio; a casa tem vo-
tado somente em beneficio, agora nao se ler fei-
to a applicago devida dessas quaotias que a ca-
sa vola, caso dlffarente.
A casa tem confessado por mais de urna vez,
que os cofres pblicos se acham esgotadoa, e que
as obras publicas sao um verdadeiro sorvedouro
dos diobelros da provincia, e essas grandes des-
pezas feilas nao corresponden! ao estado das
suaa obras; ora este exemplo de chamar res-
poosabilidade os empreiteiros e os agentes do go-
verno que teem concorrido para esses escnda-
los, nao sea de grande utiiidade provincia, de
incontestavel vantagem?
Um Sr. Deputado:Os senhores pedem a res-
poosabilidade ?
O Sr. Fenelon :Em separado.
O Sr. Cunha e Figueiredo :E nao devia o re-
liloo ser remettido a commissao de obras pu-
blicas ?
O Sr. Souza Reis :Apoiado o que se devia
fizer.
Um Sr. Deputado :Isso seria urna Mta de
confianga sm urna commissao nomeada pela casa.
(Nao apoiados).
(Trocam-se apartes.)
Um Sr. Deputsdo :A commissao nao pro-
flssional, deve our-se a quem o seja. (Apoiados).
O Sr. Netto :Se o governo, e sao os seus
agentea que teem abusado despendeodo mal os
dinheiros pblicos, como pedirmos informages
desses mesmos agentes para fazer effectira a sua
responsabilidade? Nao aeria de esperar que el-
les fornecessem informages cootrs si.
Eu, senbores, contra o o meu modo de pensar
teaho-me desprendido dos principios que podem
dar torcos a urna questo, para mesujeitara ama
discusso toda positiva que achomaispropria dos
corpos deliberativos; eu podia moslrar-vos a dif-
ferenga que existe entre o progresso material o o
progresso moral da provincia.
Um Sr. Deputado :Acerca da estrada de Ta-
mandar ?
O Sr. Witruvio:Para concluir acerca da es-
trada de Tamaudar.
Um Sr. Deputado :Iria muito looge.
O Sr. Netto :Mostraodo-se qae o progresso
moral est muito a quem do material, ou admlt-
tlndo mesmo a bypothese de que nao estivessem
em desiquilibrio essas duas torgas, que ss obras
publicas teem absorvido completamente os di-
nheiros pblicos em prejuizo de outras neceasi-
dades mateaes da provincia, ss poderia coo-
cluir que deveamos promover a punigao deasea
escndalos que se tem dado para evitarmos no-
vos abusos.
Por isso digo, tenho me abstrahido de todas
essas coutas para somente (argumentar com oa
factoi. _____
O Sr. Fenelon :Eu creio qae faz bem.
O Sr. Netto:En com isto me acanho de alga
ma aorte. tenho to pouca esperieocia, qae fleo-
como que atado a cada passo.
Um Sr, Deputado : liso acontece a toJos aua
sao verdea. *
O Sr. Lacena Elle jl nao verde.
ih?. .rS.-Sr' D,eootauo :~E sos eje sao verme-
lboa entao nSo acontece ?
,.? fnr;iiNeMo :~Eu' PftDto, seohoresv peca
que continuemos n-a discuno do reqaserimento.
por isso que versando o relatorio apenas sobre
lacios, tactos que nao podem ser contestados
mesmo que se nao queira attribuir o odio de
parte da commissao eontra o engenheiro e con-
tratador dessa estrada.no ha neeessidade de ma*
demora.
Eu julgoque urna testemnnha de vista serv
oe prova, e aendo a commissao contesta oes tac-
tos que se oarram no relatorio, nao vejo raza
pan que deixe de ser approvado o requerimento.
que peda a reaponsabilidade desses agentes e dr>
empreiteiro da estrada.
OSr. Lucena sustenta o seu requerimento.
O Sr. Urumond : (Nao devolveu o aeu dis-
curso.)
ORDEM DO DIA.
Continuago da 2a discusso do projecto de or-
gamento provincial.
O Sr. Baro de Maribeca como membro ds com-
missao responde as considersges feilas pelo ora-
dor que o precedeu na Urbana oa sesso ante-
rior.
Encerrada a discusso o artigo approvado-
com os paragraphos e as emendss seguintes :
Supprima-se ss palavrasagentes de leudes
e accrescenle-se^meio por eeoto sobre o pro-
ducto dos leos com exeepgo dos judiciaes.
Fenelon.
Sello de herangas e legados na conformidade
da le n. 510.
S. R.Feoelon.
509 sobre aa casss de commissao de esersvoa.
Fenelon.
Substitutivo do 9 15 :
10 por ceolo de novos e velhos direitos pela
nomeagao dos empregados proviocises, e 20 por
centos pela aposentadoa eiubilago dos meamos
empregados.Arruda Falco.
Em," de ,0 rs Pr liota d9 tbaco, dga-
se200 ria por libra de tabaco fabricado, 1920
por arroba do nao fabricado, 39 por milheiro de
charutos e 19500 pslo de cigarros, o mais como-
no artigo.
S. R.Fenelon.
Ao 14 em vez de 2 por cento, diga-se 4 por
cont.Arruda Falco.
Ao 9 3 do art. 36em vez de 3 por cento do
algododiga-se 2 por cento do algodo,Cata-
nho.Arruda Falco.
Art. 37 ('entra).
Vai a mesa e apoia-se o seguinle substitu-
tivo :
A despeza do espediente dis repartigoes ser
teiio por arrematago, sendo todos os pedido
dirigidos a tbesouraria provincial pelos respecti-
vos chefes.Fenelon.
0_ Sr. Baro de Muribeca faz diversas conside-
rsges sobre os substitutivos do Sr. Fenelon od-
poodo-se a elle.
O Sr. Fenelon responde as considerar-oes fei-
las pelo orador que o precedeu.
Posto a votos o artigo regeitado, sendo o>
substituvo approvado.
Continuando a discusso dos 9 que ficaram
adiados acerca dos expedientes de diversas repar-
tigoes, vo a mesa as seguintes emendas.
l-lMa""' 3 8 20 em T9Z de-l:4409-diga-se
4 ASLart* M 3 ,m Tez de 7305OOOiga-se
1:4UU9-
, irt*27 2*em t" de 7309000-diga-se-
S. R.Fenelon.
Sao approvados os paragraphos com as daa
ultimas emendas, ficando a primeira empa-
Art. 38 (entra).
E' approvado.
Art. 39 (entra).
Vai a mesa o seguinle substitutivo.
Substitutivo ao srl. 39.
O presidente da provincia fica autorisado a al-
terar como entender mais conveniente e equita-
tivo a tabella ultima dada acerca da distribuigo
da porcentagem dos empregados do cooselsdo
provincial, sendo a mesms tabella suspensa em
sua execugo actual.Mello Reg (Joaquim).
Amaral.Veiga Pessoa.-Cataoho.Aguiar.
Encerrada a discusso o sabtivo appro-
vado.
Entra o art. 40.
E' approvado.
Vai a meas o seguale:
Arligo addilivo para ser colloeado aonde on-
vier as disposigoes geraes.
Os impostor, laxas, ou outras quaesquer fne-
posiges proviociaes, "Jo podero de aaode al-
guna ser arrecadados por agentes de municipio
diverso.
E' approvado.
S. R.Coelho Cintra.
O Sr. Netto (pela ordem) pede que seja impres-
10 no jornal da casa o relatorio que apreseuiou
como membro da commissao nomeada para exa-
minar a estrada de Tamandar:
Dada a hora o Sr. presidente designa a ordem
do da e levanta a sesso.
REVISTA DIARIA.
Na sesso de bontem da assembls provincial
entrando em discusso a emenda apresentada so-
bre os negocios de Tamandar, toma a palavra o
Sr. Netto, e faz varias coosiderages em ordem a
mostrar a improcedencia do adiamento requeri-
do pelo Sr. Lucena, respondendo ao Sr. Drum-
mood, membro dissidente da commiaso, e in-
crepando ao empreiteiro, a quem reputa respon-
savel principalmente.
O Sr. Drummond segae-se-lhe na palavra,
sustenta saus enuneiadoa acerca da materia,
cooclue por deacrepar da opinio de ser respon-
savel o empreiteiro, como preteodera o prece-
dente orador.
Coocluida a discusso, regeitado o requeri-
mento de adiamento, e approvado o outro, que
manda remetter copia do relatorio & presidencia
pira as convenientes providencias.
E' approvado o projecto aobre credltoa no~
plementares em 3a discusso.
R' votado em 3* discusso o projecto sobre
exercicios findos, eotrsndo consecutivamente em
discusso o projecto do orgamento proviocia), ao
qual sao offerecidas varias emendas, que sao
apoadat.
O Sr. Souza Res oblando a palavra, trata de
arredar de si, em nome 4a commissao da orna-
mento, de qae membro, as increpages que
mesms foram feilas pelos varios oradores, que
em segunda discusso impugnaran o projecto de
orgameato, entrando para isto m coosidersgos*
justificativas do trabalho uwajenimisso, e em
analyses dss argumentsges produzidss na caaa
sobro varios ramos da renda publica ; a conclua

nusssa

1 '*'


aaaaaaaanaB t
DIA1I0 DE mNAMIUCO. QUAAT* FIU 18
mM*
r
181.
iMhi da raceita
jMNdiliii, de mane!
pode
Tor taxer a conj^^^Hfl
r ve m seo peai r io .
previsto pe flPMBfe. 0 orador lecha o mu
Uaeeno, olTerecende vs- ou.enda i, que sla-
UleceodoaB disfOrtcoas do ntojectc, regettadet
es segunda dtscasso,, derxees < ser votadas por
falta 4 numero.
Bada a hora, levanta -ni est, sonco adiada
ai com o.
Sao designado pelo Sr. presdete o Su. de-
liuisdoe Buarque de Macedo, Moscas*, e Arauja
Berros para levaren 4 sanees vatio* actos 1%-
ielativos.
A ordam do da de boje coattama a- ser a os
roa anterior, cene, incluao da tarteir* 4ian,aao
flj orcameoto municipal, cvjo parees* o se-"
quinte :
A comtniffao de tontos e negocios de tama-
Tas eocioio, depoie de aisiduo IrabaUro, a ar-
-.ua terete- de que fot eocarregada; e tem a
ioore de presentar ae coDhecime.nU> criterio
da illuslrada sjemeles o resultado de suasave-
sigeecoea eexemes robre os relatnos, balances,
tCMMBto* o contas daa esmeran municipales,
<0ie Ibe forsm presentados; etebem que a es-
reitezs do tesa pe *lhe neo perraitisue esmirrl tra-
na como devera, e a quasi neotiuma prubabrii Ja-
do dealilidade de um afanoso tra&alho, actuaae
siio se eximio de compulsar todos oa documen-
tos, procedeode no aeu eame, combieaodo aa
lirersaa lonniii. com as qotai desif cadas oa
lei provincial'Q, 489 e ordene evo vigor.
O estado precario da arracada ;o e deitri-
baico das rendas rousiicipaes em felacao as
ante* arpretentadas o niais desamiaador, sal-
ivo mui raras excepcoes. Sobre <>s defaitos inhe-
rentes urna adniiulstrace collecliva, accreace
a falta irreparavel de cunauiiireni as munici-
palidades seus rditos qursi que exclusivamente
-com um peasoal intil deaoeces* srio. Picando
atsim impostibtliladaa de pdeteos satiefzer a
weceeaidades. mais palpitantes de leus munici-
piof.
lueestao de psse as muuicipekdedes, nao se-
jam ellas mais telizes -ora sua admioisiracao, pu-
dendo, quaudo besu administrados aeus redi-
toa, era s fazer face a despezas com o pes-
-soal indispensavel, mas ainis avencar a outros
Una de grande utifldade, abandontodo-o estado
la inercia a qae alias parece que eat&o coadem-
nds.
< Este eatado de cousas prora demasiadamente
pouco ou quasi neiihum cuidada com que se
procede a tal respeito : mas a coemisso, spesar
dt> seu desanimo, quiz tirar liquido de suas a-
preciaces iaeoto ds toda duvida repsro, e as-
sim admiltio todas as contas ijue Ihe foram apre-
seoladas, de boaou m condico que (oasem.
Cmara municipal do Recite.
Adeapeza decretada foi de 101:O6'3#0OO ; arre-
aflou a cmara 106:II3$000, deepeudeudo com
as diveraaa verbas lU:t03&UOO, tlcaodo asaim
m sa Ido para o correte anuo de 5:4559600.
Orea a cmara a receita futura de 02 a 63,
iocluiodo o aaldo, em M5:30zg000 inferior do
bao da-60 a 61 em B17$000 e comparada com
a de 59 a 60, apparece a notavel differenc.a de
10:887J000, eicluiodo desea aprecia^ao o.pro-
ducto dos impostos que passaram a aer cobradoa
pela thesouraria provincial. A commlisao nao
v motivo algum plausivel que justifique ealade-
preciacao da receita futura e se persuade, que
rctivsodo-se como convem s arrecadacao dos
utpotos designados nos 2, 5,-6, 8. 18,19, e
preciando a vorbjalugueis de predios, que o
balaceo mostra um augmento satisfactorio, pode-
de se elevar senj-temor deterro, a renda futuras
-120:0(X1000./^
i A commiasso na pode deixar om silencio a
despera subida coe se faz com o eemiterio pu-
blico, e prope a conveniente reduecjio no nu-
raero de trabalbadores e coveiroa, deixando ao
cuidado da camara4 augmenla-lo nos casos ur-
ajeles.
V^HvW^TM

em cima beb?ram vlnho,.
aanfavidn dw^sMd tito testos sobre o katcao; <>
dar-so o^ dejScil psssa que o tal senllnella cooservava-se semprn
na mesma posicao com os olhos em Bento, quo
estava mais morto do que vivo, ufo s com rue-
do dos ladrees, como por se ver estar sendo rou-
bado sem poder dar remedio,
Depois de lerem ji sahido, um delles volta,
vai i cama onde aioda eitam Beato, e com um
ferro descarregou-lhe.nm golpe no peito dueo,
e anda actirn Beeto seo grilou, pase contrario
deu um peqaes assaa-do. tngisisas que afca
morrido, depoi do qjsn nada- raaia iMuve. Pela
manhaa, pjoraa, o aasaradetM d aatbrado da> ci-
ma da venda, miaato. gentidoa, Sssacem, e eo-
dao que ae deeaxibf tudo, asudatasB echadas do
^aintol urna rasca das-sjonta, sn iaai>gie e tcaawe
lun d Bento.
a Comparecen logo o delegado tenente-coro-
nel Pasada, e 'mais tarde o Dr promotor, tendo-
ae levado esa p esqu zas, diligencias e averigea-
coes para so descobrir os autores do crime al 6
boraa da tarde.
c O delegado immediatamente mandn cha-
mar um -medico oo Recite, e cemparecendo o
Dr. S Fereira nao sd proceden a vestoria, como
curou s ferida, declarando que era o ferimento
leve.
Diversos autos de perguotas foram feitos a
varias pessoss; mas por ere nada se tem deaco-
cober'.o. seado cerlo todava que oeate negocio ha
mysterio, porque, alm do mais, Bento na ves-
pera maodou chamar a um aeu amigo de oome
Joae Goelho, que foi feitor de Sr. Henry Gibaoo,
e Ihe declarou que naquella noute deixtva de
existir, ou afogado ou da qaalqur maneara, vis-
te que oap tinha dioheiro sumcieole para pagar
pra;a, e se havia de passsr por urna vergonba,
eato quera morrer.
Neata sitac.ao o Goelho, como bom amigo,
'trabalhou multo para desvanece-lo ; e logo mao-
dou dizer a Joo Ctrointeiro, morador no Mao-
guinho, que viesse ter com Beui j, conlaado-lhe
ao mesmo tempo o occorrido; de modo que
quando chega Carpiateiro no outro dia, acha
Bento nao suicidado, mas ferido por outreui e
roubado I
c Declarou o Dr. S Pereira que rraviam dous
ou trez golpes na ferida nao teodo a profundi-
dade de urna polegada, e que haviam dous arra-
nh'a em cima e embaixo, sendo que o ios
trumento nao fdra lacea, mas sim outro qual-
quer que ferira como que serrando.
Ha mysterio, repito: a polica contina cas
suas iodagacoes. a
Repartico da polica.
(Extracto das partea do dia 17 de jaoho.)
Foram recolhidos casa de deteogo no dia 16
do corrate:
A' ordem do Dr. delagado do prlmeiro dis-
tricto, o crioulo Guilharme, de 45 annoa de ida-
de, escravo de Manoel Feroantea alascirenhas,
requisico deste.
A.' ordem do subdelegado do Recife, Jos Fran-
cisco Cardoso de Mello, braoco, de 17 aoooa, cai-
xeiro, por desobediencia; o crioulo Sverioo,
de 22 snaos, escravo de um tal fonseca. por an-
dar fgido e o Africano oaquim, de 55 anoos,
escravo da Bilthar & Oliveira, & requisicio des-
tes, por insubordinarlo.
A' ordem do de Santo Antonio, o Africano An-
tonio, de 24 annos, escravo de Jos Antonio dos
Santos\ Coelho, por ser encontrado depois do to-
que de tecoiher.
A' ordem do da Capunga, os pardos Manoel
Ignacio^Bezerra da Mello, de 23 annos, pedreiro
e Manoel Rodrigues AUe?. do 67 annos, dado
agricultura, por embriaguez e disturbio.
A' ordem do dos Afogados, os pardos Romo
de Fraoc, de 30 auno, e Manoel Raymundo do
Espirito-Stnlo, dados tambera agricultura, por
se toruarem suspeilo*.
O chefe da segunda scc.ao,
/. G. de Me$qiUta.
de deten;o do dia 16
Forsm visitadas as eofermarina estes 4 das :
no l." as 7 horas, e 10 minutos; no 2." a 8
horas e 10 mnelos ; no 1.* s 7 horas j no
4.* as 7 l)t horas da maoha pelo Dr. Firmo
no impedimento do Dn Oornellaa ; e s 5 112,5
3(4, 5 1(2 5 t|2. hora* da tarda, pelo mesmo
Dr. Firmo, e 9, 10, 81)4, 7 3(4 e 7 li4
pelo cirurgio Pinto Guimaraes.
3SE
PoMtea.}e a pdL
Patacho brasilttro Paulino, rindo do Marsnho,
consignado a Marques Bsrtos & C, manifestoa o
tesjajiu:
593 aaocoa milho, 700 ditos arroz, 360 ditos fs-
rinho seeca de msndioca, 1 dito sesnaate de al-
~ SCO meiolUn tela, 200 barriKfarinha de
17 eunhetes machados, 2 rodaje 1 eixo de
r ordem de diversos.
2 barril oleo de cnpshiba; B. Francisco de
Boina.
30 pipas viano, 900 batsUa azeite deoliveirs,
SB seceos alfacema, 8 bartaquiataa alpiste, 250
aailtahas cartas de bicbioJtaa ; a M. L R. e Silva
A Gsnro.
Patache inglez fiusy, ad de Tarra Nova,
aosigoado a James Grabtre 4 C, aaaiftilou o
aguiate:
a.439 bsrricss e M aasUa baeatbe, 8 cairas
salmao em conserva, 16 ditas Isgostas em dita ;

As rednecoes e cortee propostos pela com-
snissao no projecto de ornamento das cmaras
municipaes, tem nicamente por lim deasfron-
tar como convem o producto de receita, extir-1
pando assim o cancro roedor de suas enlrahas,
encorajando essaa corporales para, que pos-
ta m meihormeale cuidar no bem estar e afor-
iiioseameoio das eidades e villas entregues
eus cuidados e zelo.
A coDstruc;ae de mercados pblicos,a limpe-
xa das ruaa e pracas, o planto d'arvoredos fron-
dosos coocorrera muito, em duplicada vaoiagern,
para o embelezamento doa sitios, recreio deseas
habitantes, e pureza do ar atmospherico.
A eommisio ve-se inhibida de propdr me-
didas respeito dos grandes dispendios que ha
annos consom o matadouro publico, na ausen-
cia dos esclarecimentoB que pedio cmara, e,
jinda nao lhe foram ministrados.
Giras cmaras.
As cmaras municipaes de Olinda, Goianna,
Pi d'Albo, Iguarast, Nazareth, Victoria, Gara-
jihuns, Rio-Formoso, Csruar, Bonito e Boa-
Vista satisQzeram o preceito da lei, autenti-
cando as despezas com os respectivos mandados,
de accordo com as verbas decretadas.
a As demais cmaras, nao obstante aexiguida-
deda renda, apenas preencheram a formalida-
de, da remesas do balance e do orcameoto fu-
turo, conlendo em resumo quanto receberam e
juanto despenderara, aem neobuma outra expli-
caco nem documento. Dahi a necessidade de
se nniformisar o systsma de receita e despera
das cmaras municipaes, pis que muito impor-
ta para tomada de cootas e examo da respecti-
va commisso. Parece que o meio nico e tai-
vez o mais eflicaz, seria a remessa de mappas
impressos e convenientemente descriptos, para
todas as municipalidades. Esta despeza que poti-
to importa, contribuira maia que muito para o
bom acert das invesugaces do exame e toma-
da de contas, guiando o legislador passo segu-
ro no camioho da verdade.
Algumas cmaras ado exhibirm suas contas,
devendo regular para estas a lei de ornamento do
anno anterior.
Em concluso a commissae de parecer que
ejam approvadaa as contaa daa cmaras muni-
cipaes, cujos or;amentos vao abaixo descriptos.
Sala das commiasoes, em 19 de maio de
1862.M. Coelho Cinlra.-J. M. M. da Veiga
Tesaos.A. Wilruvio Pinto Baodeira e Accioly
de Vasconcello?, u.
A coberta de zinco da torre do Livrameoto,
oo-lo communicam, est prestes a cabir; e se
assim acontecer, ser em prejuize dos sobrados
-vizinhos a dss pessoas que infelizmente passa-
rem pela ra na occasiao.
A'viata do exposto, pede-se a cmara muni-
cipal providencias, ji que a irmandade parece
mostrar indifferenca para ease eslado, sem im-
portarsa com os estragos que delle podem re-
sultar.
Foi comeado o Sr. coronel Antonio Pedio
de S Brrelo presidente do eonselho admi-
cistralivo para o fornecimeoto de arsenal de
Movimento da casa
de junbo.
Exisliam......370 presos.
Eotraram.
Sahiram,......
9
17
A saber
Existem....... 362
Nacionaes.....252
Estrangeiros.. 3t
Mulheres...... 3
Escraos...... 70
Escravas...... 7
Total........ 362
Alimentadoa a cusa dos cofre pro-
vineiaes...................................
Movimento da eufermaria.
Ti^eram baixa :
Manoel Ferreira de Aievedo, bronchite.
Innoceocio Jos Francisco, aslhms.
Teve alia :
Francisco Jos Marques, por ter
liberdade.
Existem em Irotamento 45
A saber:
Livres ...............
Escravos............,
Molestias em tratamenlo:
Febres ............... 7
Bronchites.......... 5
D'arrha............. 3
Clicas............... 3
Rheumalistno ........ 3
151
sido posto em
34
6
Sarnas................ Jf
Otile.................. 8
Daltros................ J
Ulceras................ 2
Fermentos............ l
Eoterite chrouica..... 1
Phtysica pulmonar. .. 1
Asihraa............... 1
Gangliooile............ t
Gonorrha.....,...... 1
Anemia............... 1
Hernia................ 1
Bubao................ l
Passageiros do hiato nacional ramaragioe,
sahido para o Penedo : Jesuino M. Malheiros
Braga e Mara Joaquina de Jess.
Matadouro publico :
Matuam-se para o consamo desta cidade no
dia 17 do correte79 rezsa.
Obituario do da 17 de junho, no cemite-
rio publico :
Pedro Advincula dos Anjos, Baha, 35 annos,
casado, soldado, Boa-Vista, hypertrophie.
Hara, Pernsmbuco, 6 mezes, S. Jos, varilas.
Mana Eugenia da Conceisao, Pernambuco, 50
annos, Tluva, Boa-Viste, tubrculos pulmo-
nares.
Joanna. Afric, 45 annos, solteirs. eserava, San-
to Aotooio, bexigas.
Rita Mara da Concedi. Goianna, 40 annos, sol-
teua, Santo Antonio, bexigas'
Manoel Anlonio Montelro de Andrade, Pernam-
buco, 74 annos, casado, Santo Anlonio, s-
ate.
111 LIGRIMA AOFWADO FR. MOIRA.
Memoria toa mnltiplicabi
tur, tt Domen tuum repeletu
i progenie in progenins.
Vendo, senhorea, testas vetes oecopar
as paginas deste Otario nomes ae homeaa,
cujos servicoa preatadoa licam muito a
quem do cumprimento de seus deveres, nao
posao senhores tolerar que Dque em olvido
O nome de um religioso, q* deaemrH>-
nhando com ioteireza a misso, que lb
fora confiada, veou ao seio do Eterno para
receber a corda que lhe eslava reservada
Sim embora son norae teuba sido apagado
do livro da vida, elle vivera sempre entre
n.
Tal senhores, o mereclmeato que
posaue aquelle, que, nesta vida ae dedica
a religio e as leltras ; indifferente aea
acasos superior a mesma morte ; aeu bri-
Iho alravessar as mais coodensadas tro-
vas ; a mesma mo do tempo. que parece
desrespeitar todo, nao i oler exlioguir a
sua glorie! Sim, senhores, os homeos de
saber, oa seus meamos maiores rivses reo-
dem boje um preito de sincera homena-
gem, queimam incens de respeito a
aquelle cuja vida enchia de gloria o claus-
tro caruielitano, ceja perda hoja todo o
claustro com seus compaDheiros psrecem
pungentemente carpir !
Senhores, filio do finado padre meslre
ex-provincial Fr. JoSo d'Assump^ao Mou-
ra, cuja gloria no claustro nunca offuscade
far que aeu nome seje sempre repetido
entre os seus companbeiros, como um dos
ornamentos do claustro carmelitano.
Tal senhores, o destino glorioso
d'equlles que nesta Tida ae dedicara s
Dos e a (ciencia 1 E nbora seu nome dea-
Ca a morada doa mortos elle existir sem-
pre e rre repelido com gloria de geraejio
em grr;o.
E* este o tropho glorioso a coiOa im-
mortal que est reservada aos homeos de
saber e oe vrlude 1
Sim Fr. Joo d'Assumpco Moara I
Vosso nonaeser entre nos com gloria re-
petido. O mesmo claustro vos olharsem-
pre como um dos seus Irophosl
Sacerdote respeitavtl vos que to no
bremente desempenhaste a misao augusta
de que fuste encarregado I Vos que visa-
te* sempre sobmisso aos preceitos do
Eterno gozai hoje l oa manso dos justos
o premio da beraaventuranca Evadido
eos tropegos de umt trra inhspita, in-
grata voastes aoa bracos do Eterno, e ahi
gozando a presenta do vosso Creador, re-
cebei esta lagrima de saudade que ao es-
crever desle veris sobre o papel aquelle
que em vossa vida nao podendo cantar as
voseas glorias, carpe hoje a vossa perda.
Fr. Pedro da Purificaco Pax t Paiva.
Exporta fo
Do dia 17 de junbo.
Barca ngleza Jurando, para Liverpool, carre-
garaat :
Sawndera Brolhera & C, 550 saceos com 2,750
arroba* de assvcar.
Brigua hespaohol Dota Irmo$, para Barcelo-
na, ce rregaram :
Aranaga Hijo & C, 26 saceos com 140 arrobas
da algodo.
Bngae italiano Chriilo/ino, para Marseille.
carregou ::
F. Dragn, 700 saceos com 3,500 arrobas de
assuear.
Reele 23 de maio de 1862.Aletear Ararlpe.
B maisse na cootioha e neja aljama Quita.
couia maia so deelarava em tal despacho aqu
transcripto. Btendo asupplicante produsdosuaa
lealemunhas que justiflearam a ausencia do sup-
plicado em lagar nao sabido, sellados e prepara-
dos os autos e subiram minhs concluso, e nel-
ies dei a aentenca dotheor, forma, modo e ma-
neira seguiote:
Hei por justificada a ausencia de Antonio Pe-
dro de Berma Qaealcaate Calo, qoeae mostrou
achar-se san lujar locarto; astiin mando, que
sefe^a a ciUo edilal requarida com praso de
30 dias, pague o justicinte aa cuates.
Recife 31 de maio de 1862.Triitao de Alan-
car Ararpe.
E mais a nao continha em djta aenienee aqui
mui bem e fielmente copiada e transcripta, aem
sen cumprimento, vigor e real execuco o res-
pectivo escrivo faz.passax a preeeute carta de
editos com o praso de 30 dias, pelo qual chamo,
cito e hai por citado o supplicado pira que com-
parece oeste juizo deotro do referido praso,
nm de allegar sua defesa e porlaoto toda e qaal-
quer peasoe prente, amigo ou conhecido do re-
ferido supplicado o poder fazer atiente acerca
do que tica expendido.
O presente ser publicado pela imprensa, e
atezado nos lugares do costume.
Recife 6 de junho de 1862.
Eu Manoel Mara Rodrigues do Nascimento.
escrivo o subscreai.
Tritlo de Alencar.Araripe.
Bri|ue-Daienal Jreiwogeiro, para o Rio de Ja- ** Triato de Alencar Araripe, ofcial da im-
neiro, carregou
O capilo do mesmo Firmino Maria Torelly. 20
barricaa com 152 arrobas e 29 libras assuear.
Hecebeuora de rendas Internas
geaBi*aea de Pernambuco.
Randtmeato do da 1 a 16. 19:00*496
ldm do diz 17...... 860152
20:350S648
Consialado provincial;
endisenlo do dia 1 a 16. 55:0z9S098
tdam da dia 17......: 2:318036
57:347|134
Movimento do porto.
Navioi entrado* no dia 17.
Arscaly16 dias, hiate nacioaal Invencivel, de
38 toneladas, capito Antonio Joaquim Alves,
equipsgem 6, carga couros, gomma e outros
gneros ; a Jos de S Leilfio.
Maranhao 46 dias, pstacho nacional Paulino,
de 187 toneladas, capilo Fiaocisco de Salas
Jnior, equipsgem 11, csrga farioha de man-
dioca e outroa gneros; a Marque, Barros
&Q.
liba de S. Miguel 26 dias, patacho poriuguez
Lima, de 243 toneladas, capilo Bernardo Pin-
to Correa, equipagem 10, em lastro ; a Joo
do Reg Lima & Irmo.
Havre39 dias, galera franceza Adele, de 372
toneladas, capito G ga mercadorias ; a Tisset Freres & C.
Ballinme- -42 dias, barca americana W. H. New-
man, de 415 toneladas, capilo James Geret,
equipagem 11, csrga 3,720 barricas com fari-
nha de trigo o outroa gneros ; a Philips
Brothers &C.
Navio sahido no memo dia.
Penedo Hiate nacional Camaragibe, capito
Virginio Jusliniano dos Ssntos, carga assuear
a outros gneros.
.dita**.
ahi
havia.
-z.
Recite, 17
de junho da
Gaixa Filial do Banco.
EM 17 DE JUNHO DE 1862.
A'caixa desconta as letras at 4 mezes a 10 */
e recebe diuheiro ao premio de 8 */
Praca do Recife 17 de
junho de 1862.
tYs quatro horas da tarde.
Cotaces da junta decorretores.
Nao houveram cotaces.
J. ds Cruz Macedo presidente.
John Gatissecretario.
aUfasadesKa.
Rendlmentodo dia 1 a 16. .
dem de da 17......
*47;739#670
11.1475975
258:887*645
lowlmento da alfaodegca.
guerra.
E| urna nomeaco que muito honra ao gover- MsHa, Pernambuco, 2 annos, Santo Antonio, in-
qo imperial pela recoohecida sizudez e probida-
de do referido Sr. coronel S Brrelo.
Acba-se provisoriamente servindo o lagar
de segundo escrivo de capellas, residuos e au-
mentes o Sr. Domingos Jas Nanes.
Lotera.A qae ae acba venda a ter-
eira parte da aogunda a benecio do Cymeaeio
Peroambucano, que se devard extrabir sabbado
SI do preaeote, no consistorio da igreja de Nossa
Senhors do Rosario de Santo Antonio.
Aeerca do ferimeolo e roubo de que fdra
victima o veodelho Bento na cidade de Olinda,
e do qaal demos ante-nenlem noticia,do-nos os
eeguintes detalhea :|
A' ama hora da madrugada do dia sabbado
14 do correte, na cidade de Olinda, lugar do
Varadouro, foi arrombada a porta posterior da
nabitago de Bento Alves, qae estando a dormir
mo preaeotio esss violencis feita sea porta.
Mas logo que eotraram os ladro**, aeendeodo a
luz.fizeram despertar a Bento, que em tses con-
jeaurss enteodeu que o melhor meio de es-
capar era flogr que eslava dormiudo, e assim
Um dos ladros seotau-ae na cama do lado
dos pea, como que da senllnella, e oa ostros
ratsrstn de saquear a venda; a'onde por ultimo
eiersm ao quarto em que Beato estira, e abra-
os behi urna caixinha, liraraaa daqeelle
i;tO0fOOO em ouro e prata, e desta 500f em s-
dalas. Bento pdde contar cinco ladros pardos
escaros e alguna acakoclados; par^a nao cooha-
casj Mbuai.
c Consuinado poreafl pornta o roubo, foram os
Jadres u sardinhas da Naatss, tbrlrim ama ls-
flammaco gastroentente.
Manoel, Pernambuco, 2 annos, Santo Antonio,
tumor.
Valamea entrados comfszendas..
a tom ganaros..
Velnmes
a
sahidos
>
com fazenda*..
com gneros..
223
271
== 494
26
420
r 446
El
se
i *. | Masculino. ^
e> I mj ot I I i g sa
.LLLIglFwB">">o- !?i"
I I Si
m Masculino.
I I I
1*1*1
r-'sminino.
II
K>
l.l
I*
Mssculino.
-
FemDno.
i!
rj.LLUi-""15-
SI
! Feminino.
t I, sn I

Isl
Mssculino.
35
I I
I IS5
I Feminino.
&>
3
2
o
i
re
o
o
o
r.
^2
C5-
Sr"
O
i
SO
o _.
O
ce
>
c
o
a
s
o
Descarrsgam no dia 18 de junho.
Brieue italianoDainopedra.
Barca inglezaElza 11 indamercadorias.
Barca ioglezaSuterdem.
Barca iuglezaLindacarvao.
Galera francezaAdele -queijos.
BatachoioglezFlorestmachinismo.
Brigue ioglezElizabethmercadorias.
Patacho ioglezBusybacalho.
Importaco.
Vapor francez Bearn, procedente de Bordeaux,
consignado a companhia, manifeslou o seguiote :
2 barra vinho, 5 caixas chales, fazendaa e miu-
dezas ; a F. Sauvage & C.
1 catxa peales; a Joo Falque.
1 dita relogios, 1 dita amostras; a Wild &
Jual.
2 ditas livros ; a Almeida Gomas Alves &C.
1 dita luvas ; a Viuva Lecomte.
1 dits sedas, 1 volume modas ; a E. A. Burle
& C.
1 dita msica ; a I. Vigoes.
1 dita galoes ; s Christiaoi Irmaos.
1 dita sanguesugas; a Sodr & C.
50 ditas queijos ; a L. S, N. O. Bieber i C.
60 ditas ditos ; a Bren Jera Breadla.
25 ditas ditos ; a Tasso Irmos.
20 ditas ditos ; a Krabbe Thom & G.
22 ditas ditos ; a Ralkmann Irmoi.
2 ditas fazenda de algod&o, 2 barra vinho, 1
volume amostras; a Joo Keller & C.
2 caixas baldes ; a Denker & Barroso.
100 dllaa vinho ; a Alberto de Sonsa.
2 ditas roupa, merceatia e flores artificiaos ; a
Cmara S Gulmarea.
1 caixa qaadroa; a O. Soaza Frange.
1 dita camisas; a J. J. Espirito Santo.
1 dita msica ; a J. Lomonier.
1 dita chales; a Ferreira & Araujo.
1 dita modas ; a Vaz & Leal.
1 dita ditas ; a C. Fenelon ALcoiorado.
1 dita fazenda de la ; a Ch. Leclsre.
2 volumes porcelana ; a F. Dubarry.
1 volume livros a S. Guimaraes & C.
1 dito retratos; so cnsul da Franca.
1 dito roupa e Utas ; a L. de C. P. de Andrade.
1 dito amostras ; a J. Almeida Piolo.
1 dito obras de ouro, 1 dito sineles ; sNorst
Irmos.
1 dito amostras ; a L. Wild & C.
1 embrulho desenhos ; a J. Joaquim da Costa.
1 volume objeclos de chimica ; a Freitas Bar-
bosa.
1 dito amostras ; a J. Souza Campos.
50 caixas batatas; a J. G. Fontes.
6 ditas celds de tomates ; s T. A. Fonseca.
1 dita marceara ; a A. Luir de Oltveira Aze-
TedO. M.
2 dilas queijos, 4J toros, 1 caixa litros ;
a F. G. deOliveraJ M,
2 caixas queijos 1 flvss Guimaraes.
2 volumes lavas e livros; a Seve Filhoi & C.
100 barril msnleiga; i Tisset freres.
Pela iripecco da alfandega se faz publie
rae no da 18do corrente.mez, porta da mesmo
reparticao, e depois do meio dia, se nao de ar5
qsmatar 460 garrafaa de cervejs contendo tl;a
medidas, valor da medida 840 rs. total 96*600 -
955 garrafas vasias de vidro escuro ordinario, pe-
sando 1,750 libras, valor da libra 60 rs. 1155500,
vindix de Brialol pelo navio ingle Siluan, eotra-
do m 13 de maio do correte aooo, e abandona,
das aos direitos pelos negociantes Tysset freres,
eendo a arrematado livrede direitos ao arrema-
tante.
4* eec;ao da alfandega 16 de junho de 1862.
O Io escripturario, Firmino Jos de Olieslra.
O Dr. Tristaode Alencar Araripe, official da im-
perial ordem da Rosa e juiz Je direilo especial
do commercio desta cidade do Recife, capital
desta cidade do Recife da Pernambuco, e seu
termo, por S. M. Imperial e Constitucional, o
Sr. D. Pedro II, a qnem Deus guarde etc.
Fa;o saber aoa que a presente carta de edilos
virem e dtlla noticia tiverem, que por parle da
direceo da caixa filial do Banco do Brasil nests
cidade, me foi feita a peticeo do Iheor, forma,
modo e maoeira seguiote :
A direcQo da caixa filial do Banco do Brasil
nesta cidade, requera V. S. que se digne sdmit-
ti-la a justificar a ausencia de Martina & Irmo,
que acham-se ausentes desta cidade em iugar nao
sabiJu, a lim de julgada por seo te 05 a a justifica-
cao, sejam os supplicados citados por carta edital
com o prazo legal para responderem aos termos
de ama acgo de letra que a supplicsnte Ihea mo-
re Jos Esteves dos Santos e outros, e para to-
dos os termos da execugao, al final arrematado
e integral embolso da supplicante.Escrivo, Ma-
noel Mara. Pede V. S. deferimento, e espera
receber merce. Procurador, R. J. Barata de Al-
meida.
E mais se nao continha e nem alguma outra
couaa mais se deelarava em dita pelicao, aqu
mui bem e fielmente copiada e transcripta, oa
qual dei o. despacho do theor aeguinte :
Sim, marcado o dia 28 do correte mez, pelas
12 horas da maoha. Recife 23 de maio de 1862.
Alencar Araripe.
E maisse nao continhae nem alguma outra cou-
sa mais se deelarava e mostra em dito despacho
aqui transcripto. E tendo a supplicaote produzi-
do suastestemuohas que justiflearam a auaencia
dos supplicados em lugsr nao sabido, sellados e
preparados os autos, subiram a miohacoocluaio e
nellea dei a seotenga do theor, forma, modo e
maoeira aeguinte :
Hei por justificada a ausencia de Martins & Ir-
mo, queae mostrou estarem em lugar incesto;
pelo que mando, que se faca a citacao edital com
praso de iriota dias na forma requerida. E pa-
gue a justificante aa cuates. Recife 31 de maio
de 1862.Triito de Alencar Araripe.
Emaia se nao continha e nem alguma oulra
couaa maia se deelarava e mostrara em tal sen-
tenga aqui transcripta, por forca da qual o escri-
vo que esta escreveu fez passar a preseute pelo
qusl cilo e hei por citados os referidos supplica-
dos, para que comparegam oeste juizo dentro do
referido prazo, afim de allegarem aua defesa, pe-
na de revelia. O presente ser publicado pela im-
prensa e affixado nos lugares do costume. Recife
5 de junho de 1862, 41* ds independencia e do
imperio{do Brasil.
En 'Manoel Mara Rodrigues do Nascimento,
escrivo o subscrevi.
Tristo de Alencar Araripe.
0 Dr. Tristo de Alencar Araripe, official da im-
perial ordem da Rosa e juiz de dlreito especial
do commercio desta cidade do Recife capital da
provincia de Pernambuco e seu termo por S.
H. I. e C. o Sr. D. Pedro II, a quem Dos
guarde etc.
Faco aaber aoa qae a presente carta de editoa
virem e della noticia tiverem, que por parte do
presidente e directores da caixa filial do banco
do Brasil me foi feita a petico do theor, forma,
modo e maoeira seguiote :
Illm. Sr. Dr. juiz do commercio. A direceo
da caixa filial do banco do Brasil nesla eidade re-
quer V. S. que se digqe de admitti-la a justifi-
car a ausencia de Antonio Pedro de Barros Ca-
valcante Calo, qae se acha em lugar nao
sabido, afim de aer citado por caita edital para
oa termos da acgo de letra que a supplicante
propozera ao supplicado Braga & Antones e a
outros, requer que julgada por seuteoca a sua
juaiificago ae pesae a carta requerida com o pra-
so legal para por elle ser o supplicado citado pa-
ra os termos daacc> e saa execuco.-w*Sacrivo,
Manoel Maris.
Pede V. S. eJ)s|aiioMnto. Espeta receber
merc.Procucadji f. J, Barata de Almeida.
E mais se n* drntinha, a neo alguma outra
couaa mal se deelarava e moalrava en tai peli-
cao, na qual del o seguiote despacho :
Sim, marcada a 28 do corrate mez.
perisl ordem da Rosa e juiz de direito especial
do commercio desta cidade do Recife, capital
desta provincia de Pernambuco e aeu lermo
por S. M. I. e C. o Sr. D. Pedro II, a quem
Dos gaarde etc.
Faco aaber aoa que a presente carta de editos
virem e della ooticia tiverem, que por parle do
presidente e directorea da caixa filial do banco
do Brasil nesta cidade me foi feita a pelicao do
theor aeguiote :
Illm. Sr. Dr. juiz do commercio. A direccao
da caixa filiel do banco do Brasil nasla cidade,
requer V. S. que ae digne admilti-la a justifi-
car a ausencia de Antonio Jorge Guerra que se
scha em lugar nao aabido afim de aer citado por
carta edital com o praso legal para fallar aos ter-
mos de urna aeco de letra que a supplicante lbe
propoz e Joo Fernandos Vieira de Mello e Jos
de Aquioo Fonceca, ficaodo logo citado pata to-
doa os termos da execugao, requer a V. S. que
julgada por senteacs a dita juslificago se paase
a carta requerida.Escrivo Manoel Maria.
Pede a V. S. deferimento.Espers receber
merc.Procurador, R. J. Barata de Almeida.
E maia sa nao continha em tal peligo aqui
transcripta, na qual dei o despacho do theor se-
guiote :
Sim, marcado o dia 28 do correnle mez as 11
horas da manha.
Recife 23 de maio de 1862.Alencar Araripe.
E mais se nao continha em tal despacho aqu
transcripto, depois do que fora a mesma petigo
deslribuila ao escrivo desle juizo Manoel Maria
Rodrigues do Nascimento. E teodo aaupplicao-
te produaido suas lestemuobas que justificaram
a ausencia dos supplicados em lugar nao sabido,
subiram os autos mir. < concluso e nelles dei
a aentenca do theor seg .nte :
Hei por justificada a (ausencia de Anlonio Jor-
ge Guerra, que se prorou estar em lugir acer-
t; aaeim mando que seja citado por editos de
30 dias para o fim requerido, e pague a justifi-
cante as cusas.
Recife 31 de maio de 1862.Tristo de Alen-
car Ararlpe.
E mais se nao conlioha em dita sentenga aqui
mui bem e fielmente copiada e transcripta, e em
observaocia o referido escrivo fez pasear a pre-
sente carta de editos, pelo Iheor da qual chamo,
cito e hei por citados os supplicados para que
dentro do indicado praso de 30 dias comparegam
neste juizo afim de allegarem sua defeza acerca
do expendido nesta carta sob pena de revelia.
Portento toda e qualquer pessoa, prente, ami-
go oa conhecido doa referidos supplicados pode-
ro fazerem scienle de ludo quanto tica dito.
O presente ser publicado pela imprensa e s fil-
iado nos lugares do costume.
Recife 3 de junho de 1862, quadragesimo pri-
meiro da independencia a do imperio do Brasil.
Eu Manoel Maria Rodrigues do Nascimento, es-
crivo o subscrevi.
Tristo de Alencar Araripe.
na qae
Mtts
Coasulado <1 Portugal.
Qaarta feira 25 do correte) pelea II horas da
manha, em preieoca do cnsul da Portugal, se
hio de srremeter m leilao publico, feilo pelo
porteiro do juizo da ausentes, as fazendas e di-
vidas actlvaa perleocentea so estabeleeimento.
que tai do fioedesubdito poituguez Joaquim Jos
Rtbairo da OlUeire, sito na ra Direita o. 55
onde se acbam sa meSmas 'alendas, bem como-
era, seguida aa arrema tarso varios movis per-
terecMtee ae mesmo finado, que se acharo na raa
do Rangni, casa o. 46 de Jos Ferreira dos Res.
Recife, 17dejaeho de 1862.
Conselho d qualificaco da parochia
de S. Fre Pedro "encalves.
Pelo presente sao convidados eompareceretn
00 dia 20 do correte, pelas 10 boraa Ida manhaa
no cooaistorioda igreja matriz de S. Fre Pedro
GoncaWes, afim de sarem inspeccionados os ci-
dados abaixo declarados :
Antonio Leonardo Rodrigue.
Antonio Coelho de Mello.
Cyriaco Jos Coelho.
Eetevo Jos da Metts.
Florippe Libralo Cezar do Amaral.
Galdloo Brasilioo dos Santos.
Ismael Cazar Ouarte Ribeiro.
Jos Maarioo de Biteocoart Lacerda.
Joaquim Dativo Talles de Souzs.
Jos Francisco Caelho da Pas.
Joo Caetaoo Coelho.
Jco Caucio de Barros Arsujo.
Joo Pereira Reg.
Leopoldo Marqueada Assumpco.
Manoel Pereira Pinto Grillo.
Napoleo Olympio Pretis.
Victoriano Lins Franco.
Sala docooselho 17 do junho de 1862.Jer-
nimo Emiliano de Miranda Castro, primeiro l-
ente, secretario docooselho.
Directora das obras militares
A directora das obrss militares necessita com-
prar biombos para o hospital militar : qaem os
quizer vender aprsente suss proposlas os dita
directora, em qualquer dos diss 17, 18, 20 e 21
do correle mez.
Directora das obras militares de Pernambuco
16 de junho da 1862.O escriplursrio,
Joo Monteiro de Andrade Malvina.
THEATRO
DE
Santa Isabel.
COMPANHIA LYHfCl
DE
tt.ML\UW\NGY,L.l.
12.a Recita da assignatura.
Repete-se a.MUITO APPLAUDIDA OPERA
I Due Foscari
' O Dr. Trisito de Alencar Araripe, ofQcial da im-
perial ordem da Rose, e juiz especial do com-
mercio desta cidade do Recife de Pernambuco
e seu termo, por S. MJ. e C o Sr. D. Pedro
11, que Deus guarde etc.
Fago saber aos que o presente edilal virem, e
delle noticia tiverem, que a requerimenlo d
Bastos & Lemos, acha-se aberla a fallencia de
Bernardino Domingues Horeira, pela sentenca do
theor seguiote :
Vendo-se destes autos achar-se em estado de
insolvencia o commerciente Bernardino Domin-
gaes Moreira, eatabelecido com armazem de car-
ne secc ni ros da Praia desta cidade, hei por
declarada a falleocia do mesmo commercianle 5
datar do dia 29 de abril ultimo, e mando que em
todos os ben, livros e papis se poobam sellos.
Pira caradores fiscaes da mesma falleocia no-
meio os credorea Bastos & Lemos que prestaro
juramento, e sejam convocados os credores para
o dia 20 do correte mez s 12 horas da manha
na sala das audiencias fim de se nomear depo-
sitario.
Expela se mandado de captura contra o fallido
em deferimento ao requerimenlo do Dr. promo-
tor publico, e fallencia publica por editaes, se-
guiodo-se os demais termos legaes.
Recife 7 de junho de 1862.Tristo de Alencar
Araripe. '
E mais se nao continha na presente sentenca ;
e tendo-me os referidos curadores (iid.es reque-
rido a nomeaco de depositario para ter lugar o
inventario da respectiva massa. fora por este
juiso nomeado o credor Manoel Alves Guerra : e
para cumprimento da predita seotenga coovco a
todos os credores do sobredito fallido para com-
pereeerem no dia, hora e lugar cima designa-
dos i flm de -se proceder a nomeaco de deposi-
tario ou depositarios que ho de receber e admi-
nistrar provisoriamente a casa fallida.
E para qae o presente chegue ao coobecimeo-
tode lodos, ser publicado pela imprensa, e af-
iliado na forma do eslylo.
Cidade do Recife 17 de JuDho de 1862.
Eu Adolpho Liberato Pereira de Oliveira, es-
crevente juramentado, o escrevi. Eu Manoel Ma-
ria Rodrigues do Nascimento, escrivo, o subs-
crevi.
. Tristo de Altncar\Araripe
Joao Bernardino de Vasconcellos official da im-
perial ordem da Rosa, mejor conrmendaole in-
terino do 2" batalho de lofentaria da guarda
nacional deate municipio, e presidente do coo-
selho ds qualificaco da freguezia de S. Jos
desta cidade por S. M. o Imperador etc. etc.
Fago siber aos que este edital virem, e a quem
possa ioteressar, que no dia 20 do torrente mez
as 9 horaa da manha se achara reunido o con-
selho de qaaliticaco no consistorio |da igreja de
Nossa Senhora do Terco que ora aerve de matriz
da referida freguezia como determina o art. 33 do
decreto n. 722 de 35 de outubro de 1858.
Quartel do commando do 2a batalho de io-
fantaria da guarda nacional em 17 de junho de
1862.Joo Bernardino de Vasconcellos.
Qaarta-feira 18 de junho de 1862.
Principiar s 8 horas.
Os bilheles eslo vends no dia do espect-
culo.
Alisos taritimos.
Para o
Rio-Grande do Sul
com escala pelo Rio de Janeiro
seguir com toda a brevidade o brigua nacional
Mrquez de Olinda, de primeira marcha, tem.
j prompta a maior parte de seu csrregamenlo:
para o reatante trata-se com Manoel Ignacio
de Oliveira & Filbo, no largo da Corpo-Santo
o. 19.__________________
Maranhao e Park.
O patacho Paulino segu em poneos dias, tem
mil barricaa de assuear tratadas, para o resto
trata-se com os consignatarios Marques, Barros &
C, largo do Corpo Santo n. 6.
Rio de Janeiro
Pretende seguir com muila brevidade para o
Rio de Janeiro o veleiro e bem conhecido brigue
nacional Almiranteo, tem parta de aeu carrega-
ment prompto ; para o reato qae Iha falta, tra-
ta-se com os seus consignatarios Antonio Laiz de
Oliveira Azevedo, no seu escriptorio ras ds Crai
numero 1.
Para Maranhao e Para,
pretende seguir com muita brevidade o veleiro e
bem conhecido patacho nacional aEmulace, ca-
pito Antonio Gomes Pereira, tem parte de sea
carregamento prompto ; para o resto que lbe fal-
ta, trala-se com os seus consigna lar ios Antonio
Luizde Oliveira Azevedo & C. no sea escriptorio
ra da Cruz o. 1.
eelara$es.
Consulado de Portugal,
Segunda feira 23 do correte pelas 11 horas da
manha, em presenca do cnsul de Portugal, se
ha de arrematar em leilao publico, feitopelo por-
teiro do juizo de ausentes, oa coebeira o. 27 da
raa do Imperador, que foi do finado sublito por-
tugaes Jos Ribeiro de Paria, todo o material da
mesma, 4 carros, 1 coup, 8caallos, 1 eerroga.
e varios movis do uso do finado. A venda ser
feita a dioheiro oa a prazo, conforme melhor
coovier aos interesses do espolio. Recife, 17 de
junho de 1862.
Consulado de Portugal. '
Quinta feira 26 do crrante pelas 11 horas ds
manha, peranta censal de Portugal, so ha da
proceder ao leilao feilo pelo porteiro do juizo de
ausaotes, da urna casa que foi do finado subdito
parlaguez Jos Bernardo, de Madeires, sita na Es-
trada Nova do Cachanga, o de varios objeetos
existentes oa mesma, ptrtanctules a urna taber-
Rio Grande do
Sul,
0 patacho nacional Palma segu com tods a
brevidade porsivel por ter a maior parte do sea
carregamento ji prompto, e recebe o resto da
csrga por frete mdico : trata-se com Baltar &
Oliveira, ra da Cadeia n. 12.
Aracaty
Segu no dia 20 do correte o palhabote San-
ta Cruzo, recebe carga a frele; a tratar coa Cae-
tao Cyriaco da C. M. & Irmo, no lado do Cor
Spo ano n. 23.__________________^^______
Ilha de S. Miguel.
Para a liba de S. Miguel, segu com muila
brevidade o patacho poriuguez lima de primeira
marcha, tem dous tercos do seu carregamento
prompto e para o resto ds carga, e passageiros :
trata-se com os seus consignatarios Joao do Reg
Lima i Irmo : na ra da Craz a. 38.
Para Lisboa.
Teas da nenie com muita bravidada o lugre por-
tugus Julia, de superior marcha, tem a meier
parte de sea carga comprada, e para rosto da
mesase a passageiros, quem offerece oenrolho-
res nommodos, trata-se com o consignatario Too-
maz de Aquioo Fonseca, aa ros do Vigario o. 19,
primeiro andar, ou com o capito o Sr. Francis-
co Antonio Meirelles, oa praca.
#

alauaaaMI
m
\mismsm*swsMm****^.
aam aaaaaaaal
i_. .i Ua i"
I

>
etsautel.



*
y
MM
LUsiAJO Mt inilAMBUfia -* QARTA SfittA HSJVRHO DI fe.
..,;-'. Vi. '*_? *_ "".."" ^' i '"!.
ri i,

Rio de Janeiro
age Com brevidade palbabele Pledade, re-
cabe earga 1i-frete: tratar com Csetano Cyriaco
dC. M a Ifaaao, no lado do Carpo Santo n.W.
Baha
8eg neste dias-i|rrate Santa Rita, recebe
carga a frete ; tratar com Caetano Cyriaco da
C. M-& Irmao, lado do Corpo Santo a. 23.
Para o Rio da Janeiro, recebe a m reato da
carga a frete a barca braseira Conceicao : a
tratar no escriptorio de Amorim Irmaoa, ra da
Crux n. 3.
Janeiro.
O brigue nacional Deolinda segu com bre-
vidade, e receba alguma carga a frea : trata.ie
com oa cooiigoatarioa Marques, Bu ro & C, lar-
go do Corpo Santo n. 6.
Paral
Rio de Janeiro,
segu cono toda brevidade a liada e veleira barca
nacin! Ira, de primeira claaie, capitao Gas-
par Leita de Paria, a qual tem parte de se car-
regamento prompto ; para o resto, trata-se com
oa sbus coaaignatarioa Araoaga, Hijo a C, ra
do Trapiche Novo n. 6.
COMPINHU PERMMBUC4M
Navegbalo costeira a Yapor.
Parahiba, Rio-Grande do Norte, Macau,
Aracaty e Cear.
O vapor Igearassuo, commandance Vianna,
sahir para os portos do norte al o Cear no dia
SI do correle s 5 horas da tarde. Recebe car-
ga al o dia 18 ao meio dia. Encommendas pae-
asgeiros e dinheiro a frete al o dia da sahida s
St horas. Escriptorio no Porta do Mallos n. 1.
coipawia PEmiBUc.vu
DE
JMavegaeo costeira a vapor
Macei pelas escalas
O vapor tPersinuoga, commandante Moura,
aahir para os portos do sul locando as escalas
do dia SO do corrale, s 4 horas da tarde.
Recebe carga at o dia 18. Encommendas,
passageiro e dinheiro a frete at n dia da sahi-
da ao meio dia : escriptorio no forte do Mattos
n. 1.
Rio de Janeiro
O brigue nicional Alfredo, segu com brevi-
dale a lem meio carregamsnlo tratado : para o
reato, trata-se com os consignatarios Marques,
B'rroa& C. largo do C>rpo Santo n. 6.
LEILO
DB
Vaccas* e 6ois.
Sabbado 21 do corren te.
As 11 horas do dia cima mencionado 'barata
leilo por conta e risco da quem perteocer e aem
reserva de prego de cerca de 8 vaccas paridas e
alguns boia, na ra da Concordia em frente ao
telheiro edificado no porto das canoas.
ic:
Avsso ^?rno.
LOTERA
SABBADO 21 do coi rente se devera'
extrahir impreterivelmente a terceira
parte da segunda lotera a beneficio do
Gymnasio Pernambucano. (terceira con
cessSo) no consistorio da igreja de N. S.
do Rosario de Santo Antonio. Os bilbe-
tes e meios bilhetes acham se a venda
na respectiva tbesouraria ra do Crespo
n. 15, e as casas commissionadas pra-
c da Independencia n. 22 loja do Sr.
Santos Vieira, ra dalmperstriz loja de
ferragens n. 44 do Sr. Pimentel, ra
Direita n. 3 botica do Sr. Chagas, e
na ra da Cadeia do Recite loja u. 45 do
Sr. Porto.
Assortes de 5:000$ ate' as de 10$ se-
rao pagas urna hora dep os da extrae-
cao, eas outras, porrn, no dia imme-
diato logo que se ten ha m distribuido as
listas. '
O thesoureiro,
Antonio Jos Rodrigues de Souza.

Urna pesaos com bastante leite e sem fl- 19
tj) lhos se offerece para amamantar urna crian- %
4P ca emaua casa: quem precisar aonuncie. jj)
&
A arrematarlo dos beas do finado Pedro
Borges de Cerqueira, que nao se pode effectuar
no dia 7 do correte, deve ter lugar no dia 17,
depois do meio dia, oo lugar j indicado, em pre-
senta do Illm. Sr. Dr. juiz de orphSos deata ci-
dade.
yocacao de eredores
Os Sr. eredores do finad* Marcelino
y Antoniarereira sio rogadoa a compara- l
car no da 27 do crrante, as 12 horas da i
manhaa, do escriptorio do abaixo assig-
oado, para sareai paga* da ana* tonta
como for melhornsenle possivel. Reci-
fe 17 de junho de 1862 O advogado,
J. Barga Carneito.
EMHW9IHiee!K-eN SMMSMMK
Alaga-ae um preto de 20 aonos, para serv-
eo da alguma casa de familia ou qualquer outro,
meaos pedaria, na ra Direita n. 95 ; tambem se
informa, para quem precisar comprar urna das
melbores tabernas na mesma ra. muito aregne-
zada, tanto para o mato como para a larra, eit
faz negocio a Tontada do comprador, pela razao
do dono aio querer mais taberna, e tomar ostra
induatria.
Oafoar Joao e sua mulber Lucia e um 11-
iho menor, retlram-se para o Rio de Janeiro.
Aviso aos Srs. de engeiibo.
Um homem caaado, que tem estado na Franca
ha mais de 10 annos, se offerece a eosinar prl-
meiras letras e francez, e aua seohor, costura e
prlmeiraa letras, pela pralica que j tem de ter
eosinsdo em alguna eogenboa desta provincia :
quem precisar, dirija-se ao segundo andar do ao-
brado da roa do Livramento n. 31, que achara
com quem tratar.
Aviso
Joaquim Teiieira Arouca, subdito portugus,
vai a Portugal tratar de ana saude, levando em
sua companhia para seus servicos o sen criado
Flix, de nacao Angola.
Aluga-se o lercetro aodar da casa na ra ta
Cruz n. 13 : a tratar no armazem.
O Sr. Joaquim Antonio ce Santiago Lessa,
morador na Parahiba, mande sem demora ajustar
suas contas com Carlos Fraderico. na cidade de
Pernooobuco.
COMPANHIA BRASILEIRA
DE
mm&fes nm.
At odia 23 do corrente esperado dos portos
do norte o vapor nacional Paran, commandan-
te o capito-leuente Jos Leopoldo de Noronha
Torrezo, o qual depois da demora do coslume
seguir para os portos do sul.
Desde j recebem-se passageiros e engaja-se
a carga que o vapor poder conduzir a qual deve-
r aer embarcada no dia de sua chfgada, en-
coramondas e dinheiro a frete al o dia da sahi-
da as-2 horas: agencia rus da Cruz n. 1, es-
criptorio de Antonio Luiz de Oliveir.i Azevedo
& C.
GRANDE
Laboratorio a vapor
DE
Lavagem e engommado
de roupa, de Ramos *ft Pi-
mentel. j
Empreza importante, que vai prestando rela-
vantes servicos seus freguezes pela promplido
e perteico com que lava a roupa sem a estragar
PRECOS.
Roupa sortida (embora nao venham meias nem
lengosj 40 rs. por peca.
Pegas grandes isoladameote 100 ra.
Roupas de navios, vapores e hospitaes 70 rs.
Dita de familia que nao fregaeza 80 rs.
Dita de doente de familia que nao freguaza
a 120 rs.
Urna rede ou cortinado de cama ou varanda
a 500 rs.
O preco dos engommadoa mdico e confor-
me as pecas, como coslumam fazer as engomma-
deiras. 0 praso da entrega da roupa lavada
8 dias, e eogommada 15, sendo que muitaa vezaa
est prompta antea do praso. Deposito na ra
Nova.
Precisa-se e um bom cozinheiro ou urna
boa cozinhetra, e tambem para fazer as compras
na ra, aendo escravo preferido, e sendo capaz
paga-se bem. Tambem precisa-se de urna boa
costureira e engommadeira, na mesma casa n. 42
da ra da Cruz do Recife.
Quem predas* da ama criada para sarria*
interno da nnu easa: dinja-M & travessa do
Mirtyrioi n. 1.
Practsa-se alugar um preto pava iodo o e*T-
vico de casa ; na raa do Livremeato n. 81, se-
guodo aodar. ,
Agencia Ffomiiense
COMJIISSOES
CASA DE-
E (MMMCOES
DE
Arthur Marte C.
RIO DE JANEIRO,
Ra da Alfandega numero 62.
Recebem em consignaco toda e qmlquer raer-
cadoria, podeodo o commiteote sacar a metade
da importancia tnts facturar *- fl dtss de
vista.
Encarregam-se de representar qualquer casa
commercial como agentes, asaim como de ven-
der e alugar esclavos pagando os alaguis adian-
tadossem perda de das, comprar* vender es sai,
chcaras e qualquer estabelecimentos commer-
cial, fabril ou agrcola, cobranc* da dividas e
herancaa tomando a aeu cargo o remoller em
qualquer lugar que se lbea designar as quantias
Cobradas.
Tiran diplomas, cartas impertas tods e
qualquer certidao, dio mesadas, pagam peosdea
de collsgio e comprsm bilhetes4e lotera.
Os proprietarios deate eatabelecimnto garn-
teme todas as pessois que e digoarem honra-
loa com suas ordena, qa empresa rao leda aeti vi-
dade neceaaria, afim de obter np mais breve
tempo possivel os interesses de seus commitlen-
tes, a que encontraro em todos seus actos, leal-
dade o pontualidade, que convera a lodo o com-
mercianle que presa sua reputsco a que deaeja
augmenta-la.
Todas as peasoaa qne- quizerem hoorar os an
nunciantes com alguma ordem, poem a elle se
dirigir directamente com toda coofiaoca.
Sociedade bancarii.
Amorim, fngoio, Santos & C. aaeam a tomam
ssgsjM a praca de Lisboa.
ltenlo.
Na ra Imperial o. 80 anaioa-se tocar flauta
e clarinete muito mais barato *do qne qualquer
outro pode ensioar : quem quizer dirija-s a ca-
aa*aeima s 7 horas da noite m di ante.
CllB C0WIBf|.4L.
M reuniao familiar,do correnta mez lera lWir
na noitB do dia SI.
Jos Peixoto de Almeida, subdito portugue/,
vai para o Rio de Janeiro
FigueireiJo & Irmao
Ra Nova n. 18
Nate eUabelecimenlo havar sempre um
grande sorlimento de roupa feitaa e por medi-
da, tanto para horneas e para meninos e um
grande e variado sortimaoto de fazeodaa tanto
loglezas como fraocezas de bom gosto a baratas,
asaim como tambem diversas joias de ouro de 18
quilates a de brilhaotea dos melbores fabricantes
de Pars.
AS
de Hamburgo
Alugam-se a vendem-se por quslquer preco
tvai ra do Rsngel n. 18, amulara lodo o forro
f Saques sobre Portugal.
O abaizo assignsdo agente do Baneo i
Mercantil Ponuenae nesta cidade, aace 5
eiTeclivamoni* por todos os paquetes so- 0
tre o mesmo Baoco para o Porto a Lis- I
boa, por qualquer somma avista a a pra- ft
zo, podeodo logo os saques a prazo serem O
descontado no mesmo Banco, na razo fl|
de 4 por canto ao anno aoa portadores 3
qu* aasim Ibeconvier : as ras do Cras- 9
po n. 8 o do Imperador o. 51.
Joaquim da Silva Castro.
Precisa-se fallar aos Srs. Firmino
Gomes da Sitveira e Joe Antonio de
Carvalho Brito, que moraram em urna
das casas do Sr. Baitholomeu, as pro
ximidades da casa dedetencao e desap-
pareceram, segundo diz um companhei-
ro de casa : nesta typographia.
i Bolos faos para S. Joo e
Santo Antonio
O melhorea bulos de S Joo de todas aa qua-
lidades. e bandejas enfeitadas para casamento,
com perfetcao-; sasim como crame. podios, e to-
da a qualdade da paslelaria : quem precisar di-
rija-sa b rna da Penha n. 25.
Alugam-se as caaas terreas n. 1 7 da ra
do Hospicio : a tratsr na ra do Encantamento
n. 13.
km M*Msa*eii mmmmm*
Imperial Instituto tlog
Bom CouaeUio. %
Precisa-se de am bom cosinheiro.
m fiWMfiaMaKMe 9wsini6h
Pracias-ae de um forneiro e um amassador
que aaibam desempenhar o fabrico da arte de fa-
zer pao: na ra larga do Rosarj) o. 16 na-
darla.
Lces.
LILAO
l'reciaa-se de um caizetro de 16 a 18 anuos,
desses chegados ba pouco do Porto, aioda qua
nao aaiba ler : a tratar na ra do Imperador, loja
n. 24, a dir quem qua.r.
DE
S 0 barris de vinlio bran-
co PRR.
O agente Pestaa vender por conta da quem
pertencer 50 barris de vinho de Lisboa branco de
PRR ebegado ltimamente e despachado eats
semana, em um ou mais lotes a vontade dos
comprsdores : quarta-felra 18 do corrente pelas
10 horas da manhaa largo da Altan !(;.
BA
Metade do sitio com casa dg vivenda
(norg) no lugar do Peres freguezia
de Afogados.
SEM LIMITE.
Sendo metade a dinheiro e metade a
prazo.
O agente Guimaraes autorisado pelos proprie-
tarios do sitio com essa de vivenda no lugar ci-
ma declarado, far lello pelo maior prego que
podar obter, seodo a casa a pouco edificada de
fosto moderno com commodos para qualquer
amilia por grande que aeja poia tem 2 ptimas
alas, 4 qaurtos, dito para dispensa, cosinha fora
espicota, cocheira, estribarla para 3 ou 4 oral-
Ios, cacimba U priocipiada d'agua doce, aitlo
com grande exten^ao com multas arvores frc-
tifaras a quasi todas novas em cojo reside actual-
mente o Sr. Jorge Naabit: em sen triptorio
raa da Cadeia do Recita B. 8, primairo andar,
pela 12 horas do dia. '
OARrA-FEIRA 18 DO CORRBNTE.
Para quaiqaer ioformacSo devsrao entenier-
M com o referido/geBl*.
Ra Nova d. 32
casa de madama
Theard
Alm de outros muiloa objeclos de moda para
seoboras e meninas, recebeu ltimamente ex-
cellentes chapeos de palha de Italia, gosto Ama-
zonas, Tra*iU, Addaluz e Beatriz, dito de
palha branca e decores, dos gostos cima ditos,
ditos de feltro, dos gostos j indicados, dito de
palha branca e de cores escuras para meninos e
meninas.
Recebem-se figurinos todos os mezes e faz-se
com perfeicio vestidos, capas, manteletes e ves-
tuarios para meninos se ha plisaren).
Caixeiro.
sitio.
Praciaa-ae alugar um aobrado baatante gran-
de, de um a dous andares, sendo em boa ra, as
fregueziaa da Santo AotoDio ou S. Jos, sdian-
tar-ae ha alguma quaotia sobre a mesma renda,
oa se farioos con ce rio* preciso para serem des-
contados, oso o mesmo predio asaim o exija,
offereceodo-sesssim melbores garantas que poa-
sam ba*er aobre tal contrato : quem quizer diri-
ja-se a loja de louga os ra larga do Rosario o.
26, que dir qnem vier.
Fogo de arti
ficio
O bazar da raa do Imperador o. 6 anda a
agencia da muito acreditada fabrica da viuva Ru-
fino, aonde se tomam todas e qusesquer encom-
mendas em ludo o que for relativo sua arte, as-
aegurando-se nao s a melhor execugao oa con-
feceo dos rticos, como a maior rno licidacie nos
seus precos. Nesta mesraa casa ha sempre um
portador para fazer a condaeco das encommen-
das, evitando assim os fretes que a distancia das
fabricas acarretam aos snhorea compradores.
Perdeu-se
urna pulseira de ouro na sexta-feira 13 do cor-
rente, indo pela ra das Aguas Verdes at a ra
de llortas: quem a achou dirija-a a ra de
Hortis n. 15 que aera generosamente recompen-
sado.
Perdeu-ae um bracelete de ouro na noiie de
14 do corrente, do arco de Santo Antonio at a
praca da Independeucia : pede-se a quem o achar
quereodoreslitui-lo a sua dons, na ra das Flo-
res n. 29. ser gntifleado._________
Attenco.
Quem scho** na noite de domingo, 15 do cor-
rente, urna pulseira de ouro com conchas em
forma de rosas, na praga da Independencia, quei-
ra restitui-h na ra Direita n. 93, primeiro ao-
dar, onde sar recompensado generoaamente.
Adverte-e que fui vista a pessoa que apanbou-a
e que conhecida.
Precisa-se alugar um sitio com arvoredos de
fructo casa soffrivel, perto da praga : na ra da
Seozala Velha n. 96 padaria.
Faz-se venda de urna e-scrava gular, ama negrinha da 10a 12 annos, um roula-
tioho de 14, um moleque de 10, e outro de 5 a 6
annos : a tratar na ra do Crespo, loja da esqui-
na n. 8.
Aluga-se a caaa terrea da ra do Fogo o.
18 : a tratar na ra da Cruz n. 1, eacriptorio de
Aolonio Luiz de Oliveira Azevedo.
Casa para alugar.
Aluga sa urna casa na C'punga-nova, ra daa
Paroambucaoas, com commodos e bem tratada,
com um grande quintal todo murado, bstanle
rvoredo, cacimba tanque; o aluguel bara-
to^ ra d Imper-dor d. 46.
A adluat me
tisjimSap.ran
la!, esa conaeq
Anda se roga ao Sr. studante
que tem recibido Diarios com o no-
rae de Daro Fortuna, desde o anno
passado, e nao tem pago, fazendo l-
timamente mudanca da entrega para a
ra Bella, que mande pagar a assigna-
tura, alias se publicar seu nome.

- Urna pessoa convenientemente
habilitada se propoe a ensinar fora da
praca primeiras letras, latim-e francez:
a tratar no pateo do Terco n. 33.
1 (iRa da Cruz161
O Dr. Rocha Bastos
d consultas todos os dias.
^ Gura radical e em pouco dss moles- |
tiss syphililicas e dos orgaos genito uri- I
narios. *3
8 Consultas de graca das 8 as 9 horas da SQ>
manhaa.
w^^ew^-dKSieaiHiisfiNsji
CONSULTORIO ESPECIAL BOBEOPATMCfl
DO DOL'TOR
n SABINO O.L.PINHO.
Ra de Santo Amaro (Mundo
Novo) n. 6.
Consultas todos os dias atis deadv aa 10 horas
at meio dia, acerca da seguintas molestias :
molatiai da mulhiru, molestias ata erian-
fat, moltttias da ptllt, molistias dos olhot, wio-
sstxas syphicas, todas as upteiss d fibru,
fsorts mtirmitttntis ciua$ constqutneias,
fHAHMACU ESPECIAL HOBUKOPATHICA .
Verdadeiroa medicamantoa homaopathicoa pa
jaradoa aom todaa aa caatela neceaaariaa, in-
allireis em ssus effeitos,tanto em tintura,coma
am glbulos, pelos pregos mais commodos pos-
srais.
N. B. Os medicamentoa do Dr. Sabio aa*
anicmante rendidos em aua pharmacia ; todo
qo o forem lora della a falaaa.
Todas as carteiras o acompanhadaa da in
lmpreaao com um emblema em relero, tendo ao
reopr as seguintaa paiarraa : Dr. Sabino O. L.
Pinho, medico braaiieiro. Bata emblema posto
Igualmente na liata dos medicamentos que a pe-
de, Aa carteiras qaa nao I erarm essa imp^aasa
asaim marcado,embora eabam nitimps, 9.to-
ma do Dr. Sabino sio-&lso
Preciss-ae de um menino estrsogef qne se
queira dedicar ao commercio, em caaa de Perro
& Maia ra do Queimado n. 10.
Entulho gratis.
D-se urna por;3o de entulho, e coliga a quem
precisar do mesmo, para atterroa etc. mandando
buscar em earrogss, 00 principio da raa do Gua-
rarapes, ao p da intendencia de marinha ; diri-
jam-se refinaco na ra do Pilar n 118.
Na ra do Ltrramento n.38 primeiro aodar,
precisa-se fallar ao Sr. Antonio Pergeotiao Uo-
reira de Soma.
DeoGratias.
esa regedora da irmandade doSan-
mento de Santo Antonio desta capi-
aequencia da concluso das obras in-
tanores de aua igreja mtriz. faz celebrar no- dia
19 do corrente a pomposa solemnidade de Corpo
de Deas com vesperas, festa e Te-Deum. proce-
dendose do dia 18 (vesperas) pelas 4 horas da
larde ao acto solemne da bencao das venerandas
imageus.
Na festa ser executada a grande orchestra a
celebremissa matrizpregando no Eraogelho o
Exm. Sr. D. Abbade de S. Beato de Olioda, e a
noite o Kvd. padre mestre Antonio de Mello e
Albuquerque cantando so q Te-Deum grande de
Jos de Lima.Officiar em todos os actos o mui-
to Rrd. Sr. conego igario da freguezia.
A mesa julga opportuno declarar para conhe-
cimento do publico que, a vista da bulla apost-
lica concedida especialmente esta irmaudade
por Sua Santidade o popa Leo XII, lucram in-
dulgencia plenaria em forma de jubileo tolos os
Geis que coofessados t commangados, concorre-
rem a asta igreja matriz no dia de sua solemni-
dade a orarem pela paz ecoocordia etc.
A meaa aproveila a occaaio para pedir aos dig-
nos moradores daa ras Nova, Cabug e largo da
Matriz, para illumioarem as freote de suas casas
naa ooites del8e 19.
Consistorio da matriz de Santo Antonio 14 de
junho de 1862.O escrivo, Francisco da Silva
Rogo.
Ao commercio.
Ha vendo expirado o praso da duraco da soeie -
dade commercial estabelecids nesta' praca sob a
arma de Almeida Gomes, Atves & C, os seus
socios abaixo assign-ados de commum accordo
resolveram dissolve-ts, entrando desde o Io do
correte mes em liquid*co, que Uca a cargo da
exliocla firma, a qnal nao est comprometida
am responsabilizado de quaiqaer natureza, e jul-
ga nada dover nesta praca, pedindo lodavia a
qura quer que ae julgar com direito a alguma
reclamaglo naate aeotido de se dirigir com s
maior brevidade possivel rus das Cruzas arma-
zem n. 37.
Recife, 14 de junho de 1862.
Antonio de Almeida Gomes.
Miguel Jof Alves.
_________Jos NoRueira de Souza.
Havendo expirado o praso sociedade commercial estabelecida nesta praca,
sob a firma de Nogueira de Souza & C, os seus
socios abaixo assignados de commum accordo re-
solveram dissolv-Ia, entrando desde o 1 do cor-
reate roez em liqaidacao, que ca a cargo da ex-
lincta llrma, a qual nao est compromtala em
responsabiiidade de qualquer natureza.
Recife, 14 Je uoho de 1862.
Jos Nogueira de Souza
Miguel Jos Alves.
Antonio de Almeida Gomo.
O retratiaia americano
O retratista americano
O retratista americano
O retratista americano.
Ra do Imperador
Ra do Imperador
Ruado Imperador
Ra do Imperador.
Novoj estylos de smbmtypo
No vos estylos de ambrotypo
Novoa eaiyload mbrolypo
Novos estylos de ambrotypo.
Muito baratos
Muito baratos
Muito bsratos
Muito bsratos.
Lindos carios de visita
Liodoa cartes de visita
Liodoa carldes de visita
Liodoa cariosa de visits.
Precisa-se de urna ama que aaiba eoziober
e fogommer para o servicn de urna seobora ; o
ra das Aguas-Verdes n. 48 primeiro andar.
Pede-ae ao Sr. Al. da ra das Flores, que
pode vir buscar a casaquinha qu de mei earae
Ihe foi concedida, por alvicaras dss mentiras e en-
redos que foi contar ao Sr.....Oh illl quehorruf
que papel to ridiculo est fozeodo o tal !-
vita III d parece-ma o que elle qr e urna ca-
saquinha I ou ento quer patstr um seixo.
H. L.
Antonio Jos Vieira, sabuiio Portugus, re-
tira-se para a prnvinria da Rahia.
Jacimho Kapoeu ue Almena, reura-s para
Rio de Janeiro.
No dia 20 do Correte mez pelo meio ais.
finna a audiencia do juiz municipal da primeir
vara tem de serem arrematados varios traste da-
amarillo e outras madeiras, a um eacrav p*-
nhorsds por execjgao de Saveriano Pinto ou-
tros contra Luiz Adolpho Rigord por ser ul-
tima prsc.
Anlooio de Almeida Gomes, lem a honra
de participar aos seus amigos e ao corpo de com-
mercio que, nicamente em seu nome como ou-
tr'ora, coctioua nos mesmos ramos de negocio
de qua aa occapava a extinta firma de Almeida
Gomea, Alves & C, da qual (azia parle Recife,
14 le junho da 1862. Ra da Qm n. 27.
Miguel Jos Alves roga as pessoas, que por
qualquer ttulos se possam julgar seus eredores,
se sirvarti mandar apreseotar-lh'os no armazem
n. 17 da ra da Gru para serem por elle promp-
tarenle pasas:
Recife 14 de junho de 1862.
i'rectsa-s* Ue um aix-no ae 14 a 16 anuos,
dos chegados aponco do Porto, que taiba ler
e escrevar na ra do Rosario da Roa-Vista o. 41.
eseja-seaoe,r negocio de ioteresse d
verdadeira moradta 00 Sr. francisco Daart da
Neves, poia qua nao encoalrado oa ra 4a Ca-
deia casa o. 46 e nem n na* da Seozala Velha
n. 136._______________________________________
Precisa-se de um caixeiro na ra o lmue-
dor n. 24.
Aluga-se o segundo e texaeiro andar do as
brado da ra da Crnt do Recife, n, 25 a tralar a
primeiro andar do mesmo.
O abaixo assigoado estabalecido coa cace
de negocio na villa de Pao d'Alho previne a seu
devedores que hajam de msndsrsatisfazer at a
Qm do mez de julho do correte asno; e tendo
de dar canta de seu pagamentos nao Ihe pes-
eivel continuar a llar, e para nao causar desguato
a seos |freguezes, roga-lhe baj de mandar o>
dinheiro quando maodar fazer suas compras, B-
ancaodo-lhe, que doste modo serio promptasuen-
te servidos, e por presos muito commodos.
OSerece-se urna mulher para ama dt leiu-r
na ra Velha n 19.
Aluga-se o terceiro e qi
casa da roa do Trapiche n. 18,
ma casa.
arto andar dar
a tralar aa mea-
Sortes para S. Joo e S. Pedro.
Um pequeo fjlheto contando verso, tanto pa-
ra o principio como para o fim, oracea>e ladai-
ohaa proprias para se poder fazer a Dovena do
gloriosos. Joao : vende se na ra do Impera-
dor n. t,5, das 9 horas da manhaa as 3 Ii2 da
tarde dos dhs uteis.
Precisa-sa de um menino portuguez de l
a 14 annos de idade, para caixeiro de taberna oa>
ra do Carnario n. 13.
Guiiharmo Masdeo, subdito inglez, vai par
o Norte.
Precisa-se de urna ama para todo servica
com desembarazo, para casa de pouca familia na
ra das Cruzes n. 22.
P. Baphael Romano, segu a
para o sul do imperio.
sua viag-rn-
Precisa-sede urna ama para todo servico de
de urna casa de pouca familia : aa ra do Im-
perador n. 50 2* aodar.
Aluga se um sobrado de am andar e solio,
oa ra do Senhur Bom Jess das Criou'as n. 35:
a tratar na rus das Cruzes n. 22.
Arrenda-se um sitio em Par-
nameirim
com csias de mora di a, cocheiras, feitor e estri-
bara, alem de outraa commodidades e boa visi-
nbanca.tem capim diario para 4cavallos, coquei-
ros, e muitss ontras arvores de fruto e utilidade,
faz-aa o arrendamenlo por um ou mais aonos, e
com condicoes vantajosaa : tr*t-ae no largo do
Paraizo, n. 24 com S. A. Peres.
Attestado
Rheumatismo muito agudo ere urna
perna.
Eu abaixo assigoado atiesto que teodo sido ata-
cado pelo espseo de 4 annos de am rheumatismo
muito agudo em urna perns, aam querer obedecer
a immensos remedios qae achei, finalmente diri-
gi-me ao Sr. Ricardo Kirk, escriptorio na ra do
Parto n. 119, o qual me applicou as auas chapas
madicinaes, e logo no espaco do 15 dias obtive
melbores que j poda andar, o que me era im-
possivel faxer aotes. Agora eslou livre daa do-
res sgudissimas que soffrie meachoparfeitamen-
te bom.
m teslemunho da verdade Ihe passo o pre-
sente.
Hanoel Jos Pereirs da Foosacs.
Recoohecids verdadeira a assignatura supra
pelo tabal|'ao.Pedro Jos de Castro.
Precisa-ae alagar um primeiro ou segundo
andar, aendo as ras seguintes : Aurora, Livra-
mento, pateo do Cuino e Imperador (lado do pas-
seio) : quem tiver, dirija-se ra do Queimado
loja de ferragens n. 13.
Aluga-se a casa na ra do Corredor do His-
po o.24, com commodos para familia ; a tralar
na travessa do Queimado o. 9, que faz* esquina
para a ra larga do Roaario, taberna.
Joo de Souza Vieira, subdito portugus,
relira-se para ailhade S. MiRuei.
Ao publico.
Previne-se a qualquer pessoa que queira lo-
mar conta ou negociar o estabeleciment j litho-
graphico de A. Ridoux, qae pende urna execucao
contra a mesma casa para couranca de salarios
vencidos e nao pagos, 6 que quem qver que tome
conta, ter de sujeitar-se s consecuencias da
mesma execucao e aeus onus.
Henri Del porte.
Aluga -se o terceiro andar do sobrado n. 46
da ruado Amorim, tambem alaga-ae o primeiro
andar e armazem do sobrado da roa do Cordoniz
n. 6, pintado de novo, froprio para familia oa
escriptorio da algum commercianie por ficar par -
to do embarque e repartiere publicas: quem
pretender, entenda-se com seu pro prieta rio Cos-
me Jos dos Santos Coelbo, na ra do Viiario
numero 8.
Ca vallo.
Sr. Henriquea Delporle o' seu aononcio ao
publico estampado no Diario de Peruambuco do
dia 17, folha 3a columna 4o conten s maolirss.
Nunca contratei a venda do meu estabelecimento
nem ninguem tomou conta d'elle. Sou sempre eu
que o dirijo, Vmr. bem o sabe e isto que Ihe
zanga ; Vmc. fez esse aonuncio para me des-
conceituar perante o publico : seus esforcos sao
baldados. Nao pende execucao oenhuma contra a
casa, contra mim, o que muito difireme, e
qusndo oa lribunaes liverem pronuncalo o julga-
meoto, ento veremos qual de nos dous ter
razo.
Recife 18 de junho de 1862.
A.Ridaux.
FUNDIQAO DA AURORA.
Nesta grande e bem montada fabrica de machinismo, a mais antiga no imperio, continuase a
executar com a maior presteza e perfeicao encommendas de toda a qualidade de machinas usada
no paiz, tendo sempre prompto o segainte :
Grande sorlimento de moendas d canoa de todos os systemas e (amachos.
Machinas de vapor de diversss qualidades.
Taixas fundidas e batidas.
C'ivos e boceas para fornaihas.
Bronzea e aguilhes.
Rodas, rodetas e rodas d'agua.
Guindastes flxos e portatis.
Machinas de cylindros para padaris.
Sorras de ac para serrara.
Fatexas para barcos, etc., etc., ludo por preco que bem convida.
Altenco.
Alaga-se ama mei-agua prximamente aca-
bada, com 2 salas, cozioha, qaarto grande, quin-
tal murado, alta aa ra do Gazomeiro ; a tratar
no sobrado ao norte do mesmo, a beira do rio,
que abi aluga-se por 128 moosaea.
Mencao!
Na nota do 12 do corren!-slesappsreceu. um
carvallo pequeo ruco com pialas de peirez, e
tem signaes anda bem distinttos de tor sido ata-
cado do ssngue. castrado tm todos os-aodar'es;
quem o pagar *>evar no caes doRsmaM.4. se,- riada Silva BragaTJ
Lta bem gratificado. r bo, em tercelroTfr.
Precisa-ae asber qem nesta praca o corres-
pondente do Sr. Jos Eilippe de Santiago Ramos,
senhor do eogenho Canoa Rachada ; na roa Nova
o. 42, loja der>onte da igraja de N. S. da Cancei-
080 dos Militares.____________________________
Joao Ferretra, subdito porluguez, retirase
para Europa.
Francisco Jos Ri
trstar de sua saode,
res, em primeiro
lo Braga val a Europa
gsrseus proeurado-
lher Custodia ala-
os- Srs. Melle Lo-
se Carneiro.
Quem duvidar venht ver na loja econ-
mica em liqaidacao da ra Nova n. 42
Sobreeasacos de psnno preto s oa ra Nova n. 42 a 20$.
Palatots de cssemira mesclada ultimo gosto 159.
Ditos de panno e de cores a 15$.
Ditos de alpaca obra bem trabalhada e boa fazeoda a 3}.
Ditos de ganga, para admirar a 29500.
Ditos brsncos de brsmantes e pardos a 3$.
Caiga de excelleote casemira que s o padro admira, por 7-J.
Ditas gosto inglez a 5$.
Ditas da brim de lona a 3$.
Colletes de cssemira, a eacolhera vontsde um 4$.
Ditos de gurgurao ou setisa a 39-
Ditos de brim branco a 2$.
Ceroulas de algodo de linho 18200.
E outras muitss fszeodss que nao seaoouociam para nao enfadar ao fregu-
guezesque s se vende barato na loja econmica da California, na'ra Nova o. 42.
Admirem as senhoras
Ns loja econmica da rus Nova n. 42 grande sortiment de faien las para liquidar por
todo preco levando dinheiro compram fazendas.
Cortes de cambraia bordados a Jagulha, de duas Safas, quem se almirar venha |
ver a fjj, Jvx
.Dito de dito de babados a S$.
Cimbraia franceza lindos padres, covado 240 rls.
Chitss muito largas, a 200 rls o covado, para acabar.
D tas ioglezss muito finas a 160 res o covado, para liquidar.
Sedinhs de quadros gosto escoces, covado 500 ris para queimsr.
Cambraia de aeda quadros maiores, covsdo 300.ris.
Rareie, covado 400 ris, lindos padroas,
Excelleote chalim sem reserva de prego
Tarlatana de todaa as corea com 8 palmos de largura, covado
Cambraia de salpico branca boa fazenda vara 500 ria;
tacllas e manguitoa a balo, boje modernos, por 1$50B ris.
Meias psrs senborss pelo diminuto prego de 200 ris o par.
Dita psra meninas de a 8 annos, 160 ris o par.
Leos branco para otaos bordados oisiimos a 500 ris.
#
i
v:
t
.
---------------------------------------------1-------------------------------


ftfM M tULIUnUGO. *- QU4ETA fUA4 1*maeWK> t llil
r
I

Pede-se ao .Sr. Di\ Filip -
peCaraeiro de Olinda Cam
pello o favor de quaiado Vier
ao Recife apparecer em casa
de Adriano A Castro, que
muito se lhe deseja fallar.
gvtnoGuilberme de Bsrroa compra eacra-
to de amboe o sexos : na ras do Imperador d.
79, orianeiio andar. ________ .____________
Saltador Rodrigues da Silva
Janeiro.
val ao Rio de
s
s

O Dr. Carolloo Fran-
cisco de Lima Santo*,
mudou-se da ra das
Cruzas para a do Im-
perador, sobrado i.
17, em frente da igre-
ja de S. Francisco, on-
de continua no exerci-
ci de sus prosf ao de
medico.
NciU typoijFeptk precita- fal-
lar ao Sr. JoSo Goscaves Rodrigues
Franca que morou em Olinda e dizem
morar netta cidade do Recife.
A luga-ao m ailio na Estrada Nov, com
boa casa, grandes baixia de capim, e alguna ar-
voredos ; na rna da Cruz n. 56.
SESMA EWOJAO
THESOURO HOMEOPATHICO
ou
Vade-mecum do hqmeopatha
pelo dontor
uwm i. iphiii.
Bate li?ro que se tem tornado tao popular,
quaoto necessario, acaba de sar publicado com
todoa os melhoramentos. que a experiencia e os
progressos da sciencia tem demonstrado. A o-
ra ediccao em ludo superior primeira, en-
cerr :
1.* Maia ampias noliciaa acerca do curativo
daa molestias, com iodicacoes mui proveitosas
dos medicamentos notos recenlemente experi-
mentados na Europa, noa Estados-Unidos e no
Brasil.
2.* A exposicaoda doutrins homeopstbs.
3.* O estudo da apropriacao dos remedios se-
gundo as predomioanclaa dos temperamentos,
da respectiva directora, (az-se publico que des- j a"s idades, dos sexos, e segundo as circumslso-
ts data em diante sao convidadoa os acciooistsa eie etmosphericts etc., ele.
desta companhia a cumprirem com os termos do *.* A preeervaco ou prophilsxia das molesliss
aviso que por ordem da mesma abalxo Ucam hereditaria.
publicados. | 5. A preservsco das molestias epidmicas.
F.scriptorio ds companhia, 20 de mao de! 6 Uma estampa illustrada demonstratlva da
1862. > continuidade do tubo inteatinal desde a bocea al
Por procurasao de E. H. Bramab, thesou- noi elc-> e,c
reiro.
Precisase de urna ama, que aeja pereila cozi-
oheira, para caaa de homam aolteiro, preiese-se
que seja de idade, na ra da Cadeia h. II.
COMPANHIA DA ESTRADA DE FERIO
DO
Recife ao Sao Francisco.
(limitada.)*
De conformidade com aa iostruteoes recebidas
MI&
Alaga-se ama escrava qae ssiba engominar'
eoaer, ecoaiobar: a tratar na casa de banbos no
largo do Carmo.
C ot&pras.
(Asaignado)R. Austio.
Aviso.
Pelo presente faz-se publico que por urna re-
tolucao da directora desta companhia lomada '
netta data tem-se (eito a ultima chamada de urna
libra esterlina por cada accao, a qoal deveri aer,
paga at o dia 30 de jucho do prximo vindouro,
oo Rio de Janeiro em casa doa Srs. aiaua Mac
Gregor & C na Bihia aoa Srs. S. S. Davemport!
& C. e em Pernambuco no escriplorio do the-
soureiro da meema companhia.
Pelo presente Oca tambom entendido que do
caao de oao ser a dita chamada ou preatacao aa-
tisfeita at o dia marcado para seu.psgamento o i
acciooista queincorrer nessa falta p'agar juroa a
razio de 5 por cento ao auno sobre tal chamada,'
a cootar desse dia al que seja realisado o pa- j
gamento.
No caso de nao effectuar o pagamento desta
chanada dentro de tres mezes contados do dia '
Attencao.
Antonio Cesario Moreira
Das, faz sciente ao respeita-
vel publico com especialidade
aosseus freguezes, que mu-
dou o seu armazem da ra da
Moeda para a ra da Madre
de Dos n 32, e est venden
do por menos do que em ou-
* I* l cima tizado para o embolso da mesma, ficarao
tra qualquer parte, pOlVOra, as eccoes que iocorrerem em tal falta sujeilas a
chumbo e salitre e alfianca a ZZ^Trl^r'6
boaqualidade destas merca-
dorias por serem de primeira
qualidade.
seneneietiettcttsae -aweiwieg
Dentista de Puris.
| 15RuaNova-15. i
Frederico Gautier, cirurgio dentista
5 faz todas as operacoes desua arle a e co-
jp leca denlas artificiaos, ludo com sdeln
ft rioridade a perfeicao que as pssoas-,er
S tendidas lhe reconhecem.
X Tsm agua e pos den ti fie os,, etc. jai
Mmmmm msws mmmmm
Vende-ae na pharmacia especial hohkopa-
thica, propriedade do author, ra de Santo
Amaro (Mundo Novo) n. 6.
Preco de cada exemplar. 200000
N. B. Oa aeoboreaaasignantes queiram man-
dar receber seus exemplares.
Companhia Fideliuade de se-
guros martimos e terres-
tres, estabelecida no Rio de
Janeiro com o capital de
16:000:000$
Agentes em Pernambuco
Antonio Luiz de Oliveira Azevedo & C. compe-
tentemente autorieadoa pela directora da compa-
nhia de seguros Fidelidade, tomam seguros de na-
vios, mercadorias e predios, oo seu escriplorio
ra di Cruz n. 1.
Toda attenco.
Ra estreita do Rosario n. 22,
primeiro andar.
O dentista Numa Pompilio planta dentea arti-
flciaea por grampos e ligaduras ea preasao do
ar, denles ioeorruptiveia sobre ouro, syatema
norte-americenp e faz todaa as operacoes de sua
vrtae com promptido e limpeza
Gabinete medico cirurgico.
#j Ra das Flores n. 57.
*f Serodada consaltas medlcas-cirurgi-
ca pelo De. Esteva o Cavalcanti de Albu-
querque da 6 as 10 horas da manhia, ac-
9 cudindo aos chamadua com a maior bre-
as vidade possivel. ai
a) I") Partos. i
a 2.* Molestias de pella. aj
S.* dem do olhoa.
y A.' dem doa orgaoagenitaes. ai
a Praticaritoda equalquer operacao em a)
af seu gabinete oa em casa dos dos mes con- a)
forme lhea fdr mais conveniente. as
eess9
Vaccioa publica.
Graisando presentemente com alguma intensi-
dsde a varila cesta cidade, o commissario vac-
cioador lembra aoa cheles de familia que, pelo
regalamanto de 17 de agoalo de 1846. sao obri-
gados a apreaentar oeita reparticao todas as pes-
soas que nao tiverem lido bexlgss naturaes, ou
aido vaccinadas, aflea de se Ihes

Custodio Jos Alves Guimares avisa ao rea-
peitavel publico, principalmente a todos os seas
freguezes e amigos, que se mudou da loja da
as dlsposicoes dos : '""i* do ouro da ra da Cabug para a ra do
' Crespo o. 7, para a bem coohecida a amiga loja
Por ordem dos directores. f de miudezas que foi do fallecido Joao Ceg, hoje
(A-ssianadoJ-N. II. Bellarmy, secretario. \ e, onhecida pelogallo vigilante,e pede ao
199 Gresham Houae, Od Brord Streele. respeitavel publico e aos seus freguezes e amigos,
. que o queiram procurar no dito estabelecimento,
i c j j ; onde acharao um grande sorlimenlo de miudezas.
A.OS rSS. COnSUmidoreS de gaZ! que amanea servir bem e vender por menos dez
Alburnos de borracha.
Vende-M oa maia superiores alburnos ou so-
bra-tudos de borrachs, proprios para o invern a
128: na rna da Imoeratrizn. 60. loja do Pa>ao.
Cortes de phantaiia,
Vende-ae ricos crteajde phantsaiade^duas salas
com deMeados lavorea#f|Vcada um : na ra da
Imperalrii n. 60. loja do Pavao.
Compra-se urna casula com seus pertencet,
duss dalmticas com todoa oa aeua pertences,
m veo de hombro, e urna capa daa pergea, la-
do j servido e em bom estado : quera tiver e
qulier vender, dirija-sea roa larga do Rosara o.
ZP. lo|a de louca. que dir quem pretende.
Gompram-se acedes- do novo ban-
co de Pernambuco na ra da Cadeia
do bairro do Recife n. 22.
Compra-ae um preto de meta idade, de
nona costamos e proprio psra alto, urna eacrava
que saiba coser e engommar bem : na ruada Ca-
deia Velha n. 35.
Compra-ae conatantemente latao vilho a co-
bre : na ra da Imperatriz n. 65.
Compram-ae accoea da companhia do Bee
beribe : na ra do Crespo n. 25 A ae dirq'u-m
compra.
Compra-se urna csss terrea de pedra e cal
oo bairro de Santo Antonio, porm que nao ex-
ceda de 1:000|: quem tiver annnncle por este
jornal para aer procurado.
Aviso
Compra-se urna carroca para carneiro usada
ra doa Prea n. 42.
Calcinitas do Pavao.
Vande-se calcinhsa de esmbraia bordadas para
manida a 19 o par: na loja do Pavao ras da Im-
peratriz o. 60.
Gollinhas do Pavao.
Vende-se golinbas de cimbria bordados e di-
tas de fil bordadas a 500 ria : oa loja do Pavao
ra da Imperatriz n. 60.
Manguitos com gollinhas.
Vende-se manguitos com gollinhas bnrdadss a
1*600 e manguitoa multo Anos a 1$ o par : na
ra da Imperatriz o. 60, lo]a do Pavao.
' Vendem-se expelientes
presuntos para Hambre, os
melhores que tem vindo a es-
te mercado, chegados ultima-
mente, a 600 rs. a libra, em
porco se farabatimento: i>o
caes d'Apollo n. 67, deposito
de sabo.
Veflc
Compra-ae na
que sejam limpaa.
ra Direita n. 99 garrafas
Vendas.
Nos armazens do caes do Ramos ns. 18 e 36 e
ns ra do Trapiche Novo no Recife o. 8, ae ven-
de gaz liquido americano primeira qualidade e
recntenteme chegado a 140 a lata de 5 galoes,
asaim como latas da 10 e de 5 garrafas em
garrafas.
ou vinte por
parte
cento. do que em outra qualquer
Arrenda-se o engenbo S. Gaspar, na fre-
guezia de Seriohaem, com lerrsa todaa da var-
zeas muito Isvradias, encllenles partidos rods
da moenda, piogue cercado, matas e mengues
o servico do dito ewtenho, embarque na
a tratar na ra do Hospicio n. 17.
Carvalho, Nogueira C, ?"a-
e Rezende
2 i^a ra do Hangel n. I8S
Sacam sobre Lisboa e Porto, na ra do Vjgario
n. 9 primeiro andar, e ra do Brum n. 58, ar
mazem.
Cortsm-se cabellos a 240 rs.
Barbaa a 120 rs.
Alagsm-se bixas a 240 rs.
Xiram-se denles a 1}.
Saogram-se na loja a 1$.
Amolam-se navalhas a 240 ra.
Tetouraa de costura a 120 rs., ess
conforme o tamanho.
Na mesma cass precisa-se de um
Acial de barbeiro.
mais
of-
Na travessa da ra das Cruzes
de
n. 28.
O Sr. empregado publi- P
co que recebeu differentes ||
quantias para pagamentos de
objectos de sua reparticao e |
noospagou, queira mandar #
entregar essas quantias que
existem em seu poder como
i.~,;*~ i*A i.i- l a iravessa da ra das ruzes n
deposito, allS Se publicar 2, pWiro andar, tinge-se para todas
SeU nome e mais Cartas pelas sacores com presteza e commodo ireco.
quaes se prova a existencia j AttODCO )
Precisase de urna sma para cosinhsr em csss
No caesa'Apollo n. 45, compra-ae urna, dajapaz solteiro : na ra daa Agoas-Verdea
escrava preta que eotenda de costura e engom-
mado, paga-se bem e se fdr preta melhor.
Gasa de ssude em Santo
4maro. j
Dr. Silva Ramos.
Este estabelecimento j bem coohecido, econ-
eeituado nesta provincia pelos relevantes servi-
cos qaa tem prestado, contina nss melhores con-
dicoes debaixo da direc;ao de seu proprietsrio
receber doentes de todas as classes, os quaes se-
ro tratados com todo a zelo e icteresse pelos
precos seguintes :
Primeira classe.... 30000ou mais.
Segunda dita...... 29500.
Terceua dita...... 2JJ0OO.
Em qualquer das classe oa braceos ficarao se-
parados dos negros. Os alienados de 2.a e 3.a
classe nao furiosos pagaro a diaria ordinaria,
sendo furiosos pagaro mais s quarta parte. Os
alienados da 1.a classe pagaro segundo o ajuste.
Joao da Silva Ramos,
Para lugar.
Dous andares da casa n. 118, no principio da
) ra do Pilar em Fora de Portas, com muito bons
commodos, rectificados e pintados de novo, com
toda a limpeza, boa moradla e fresca: dirijam-se
a mesma ra n. 112.
Vendem-ae veas de compoico a ll| a ar-
roba ; na ra da Roda n. 43. primeiro andar.
Loja do Pavao ra da Impera-
triz numero 60.
DE
GtVMV & SIL.VA.
Vende-se neste estabelecimento todas as fazen-
daa por precos mais baratos que possivel s
com o fim de apurar dioheiro, assim como urna
grande porco das ditas fazeodaa inteiramente no-
vas, vindas pelos ltimos navios : os donos des-
te estabelecimento rogam a todoa os seus fregue-
ses, que se deem ao trabalho de procurar oeste
Diario es annuncios da loja do Pavo, porque
estao certos qne nao perdero aeu tempo.
Ctmbraias organdys a 280 rs.
Vende-se cambraiaia organdys com dilicadia-
simos desenos a 280 rs. : na loja e armazem do
Pavao, da Gama 4 Silva, na ra da Imperatriz
n. 60.
S o Pavo.
Vende-se finissimaa cassas francezas de varia-
dos padrdss a 240, 260, e 280 rs. o covsdo : na
ra da Imperatriz n.60, loja do Pavo de Gama
& Silva.
Tiras e entre meios.
Veode-se tiras bordadas tapadas e tranaparen-
tes, assim como eotre-meios muito delicadoa :
na ra da.Imperalria o. 60, luja e armazem do
Pavo.
Lencos e luvas.
Vende-se lencos de cambrala de linho com la-
byrinlho a 2J500, ditos de imitaco de labyrintho
a 1J, luvas de sedaa de todas as cores a 500 ris,
enfeites pretosde vidrilho para cabeca a lj, lu-
vas de retroz prelo abortas a 500 ria o par : na
rua da Imperalriz n. 60, loja do Pavo de Ga ma
& Silva.
Cambraias do Pavo.
Pecas de cambrsia Qna com 101/2 varas a flf a
peca, ditas com 8 1/2 varas a 4, ditas de 8 pecae
a 3, dita para forro, com 8 1/2 varas a 1600 ;
na rua da Imperatriz o. 60, loja do Pavo. da
Gama & Silva. ________
Vestidinhos a 4#500.
Vende se vestidinhos de seda enfeitados oara
meninas de 2 a 3 annos a 45500 : oa rua da Im-
peratriz n. 60. loja de Gama Silva.
Grosdenaples do Pavao.
Vende-se grosdenaples preto muito iocorpado
a 18600 o covado : na rus da Imperatriz nA60,
loja de Gama & Silva.
Lauzmhas allemaa, novidade do Pavo.
Acaba de chegar pelo ultimo vapor um bonito
sortimento de lanzinhasda Allemanha com boni-
tas palmas de seda, tendo 4 palmos de largura a
800 ria o covado : na loja do Pavao rua da Im-
paratriz n. 60.______
Paletots do Pavo.
Vende-se palitots de panno preto fino a 69,
ditoa de faney de cores a 60. calcas de casemira
preta a 42500 : s na rua da Imperatriz n. 60, de
Gama Si Silva.
Panninhos do Pavo.
Vende-se pecas de panninho floissirao com 10
varas a 6S : na rua da Imperatriz n. 60, loja de
Gama & Silva.__________________________
Chitas ern cortes.
Vende-se cortes de chita franceza muito una,
com 10 covados a 29400, affiancando-se ser de
cor fiza : na rua da Imperatriz n. 60, loja e ar-
mazem do Pavo.
%
I
8
8
Aindao Pavo a 200 rs.
Vende-ae chita franceza escura com diminuto
toque de mofo a 200 rs. o covado, e ditas iogle-
zaa a 140 ra. : na rua da Imperatriz n. 60. loia de
Gama & Silva.
Vende o Pavo a 280 rs.
Gorguro de liaho que feito em vestidos para
eenhora ou roupa para meninos parece sedinhas
a 280 rs. o covado. por ter grande porco : na rua
da Imperatriz n. 60. loja e armazem do Pavo de
Gama & Silv".
Tarlatana do Pavo.
V*nde-ae tarlatana de la com palmiohaa aol-
taa a 320 ra. o corado : na rua da Imperatriz n.
60, loja do Pavo de Gama & Silva.
praticar a inoo- ,. i tt a a
culaco do fluido vaccinieo, isto durante asquin- mf 010,0 itMl I niVPP^lflflnP
tas e domingos, no torreo da alfcndeg, das 8! mtU,V;l |J^a ^J ui V CI SlUdUt
fis 10 horas da maoha, e nos sabbados, na cass 1 Ap PAIIYI\\tQ
de sua residencia, segundo and ir Co aobrado da
rua estreita do Rosario n. 30. Recife 2 de junho
de 1862.Dr. Joo Nepomuceno Diss Fernandes,
ommissario vaccioador publico.
d consultas em casa, das 8 s 10 horas da mi-
nha, e preata-se a qualquer chamado com a bem
conhecida promptido.
Joaqutm Teueira Arouca, negociante eata-
belecido na cidade do Rio Formoso, declara a
todos quantos mantem relacoea de negocio com
aquelle seu estabelecimento, qae tem dado socie-
dsde ao Sr. Antonio Antunes Pereira Bastos, o
qual na qualidade de gerente e ioleressado no
mesmo negocio, sob a razo deArouca & Bi-
tos, desde maio do corrente anno, e habelitado
como est para ludo, o competente para rece-
ber e para reformar, como bem lhe approuver,
lodos os dbitos amigos do eatabelecimento, es-
perando o annunciante de seas devedores, que
nao se escusem ao cumprimento disto. Declara
mais que o negocio do seu estabelecimento social
somente debitado actualmente nesla praca pe-
los Srs. Cuoha Irmos & C. e Marques, Gomes &
C. ; e que, em particular, elle Joaquim Teixei-
ra Arouca, devedor de ttulos a vencer ao Sr.
Manuel Jos da Cuoha Porto, s e nicamente, e
ae alguem mais se julgar seu credor, aprsenle
se nesses oito dias no escriplorio dos Srs. Cunha
Irmoa & C, oa rua da Madre de Deus n. 3, para
a solucao. Recife 17 de junho de 1862.
INTERNATO
DE
|||Esta*feecid no lugar da Gapunga, um dos arrabaldes^
I mais prximos da cidade do Recife.
DIRECTBO BACHAREL EM MATHEMATICAS
illI/LifO) PlfEfitA DO rMfil,
Arrenda-se o muito coohecido engeoho
Queluz sito na freguezia de Ipojuca; moente e
corrente, muito bom d'agua : tem oa necessarioa
edificios para o manejo ; e tem alguna sitios de
lavradores : dista da via frrea e do porto de
embarque duas leguas : os preteodenUs, podem
tratar, com o proprietario oo eogenho Poco ds
freguezia da Luz, ou com o Sr. Dr. Antonio Her-
culano de Souza Bandeira nesta praca, na liba
doa Ratos,
O Pavo vende a 4#500 rs.
Cortes de barsgea com fios de seda tendo 22 co-
vados, com barra, podeodo-ae fazer babadoa, p;-
lo baratsimo preco de 4*500, s na loja do Pa-
vao roa da Imperatriz o. 60 de Gama & Silva.
Vestidos de la.
Vende-se vestidos de laziohas tendo ss saias
ja promptaa, com muila roda, proprtaa para ba-
lo a 4$00, s oa loja e armazem do Pavo rua
da Imperatriz o. 60. de Gama & Silva.
Basquinas do Pavo a 4#000
Vende-se ricas basquinas de fuslo mui bem
bordadss, fazeoda que sempre se venden por llf
e 16)000 por4lf000, para acabar : na loja do Pa-
vo de Gama & Silva, na rua da Imperatriz
o. 60.
Ricos pianos
de varios autores, vendem-se
em casa de Kalkmann Irmos &
C, rua da Cruz n. 10.
De hoje em diante continua a haverleite ao
peda vacca de msnha cedo, na casa o. 12 da
rua do Imperador, e tambem em alguma casa
particular, e para isso sabir a vacca por estas
roas a dar leite aquellas pessoas, que quizerem.
Enfeites do Pavo.
Vnde-se ricos enfeites turca e Gsribaldi
com ricas fraojas e bolotas a 5SO00, ditos dos
mes n os mais simples a 2J000 rs., e ditos de fitas
cada um em sea carto : na rua da Imperatriz n.
60. loja do PavSo.
Brilhantina suissa.
Vende-se brilbaolina suissa de quadrinhos, fa-
zonda muito encorpada para vestidos e mais lar-
ga que chita iogleza a 200 rs. o covado : na rua
da Imperatriz n. 60, loja e armtzem do Pavo
de Gima Silva.
As pessoas que se julgarem credoraa da
casa do finado Maooel Cabral morador em Alagoa
Grande hajam quaoto aotes de se apreaenlarem,
ou mandarem suas procuracea visto j se ter
dado principio ao Inventario ej se ter avisado
por carta e nao terem apparecido.
Colchas do Pavo.
Vende-se ricas colchaa de fusto de linho de
varios tsmanbos e differentes desenos : na rua
da Imperatriz n. 60, loja e armazem do Pavo
de Gama & Silva
SOGIEDADE BAMARIA
Amorim, Fragozo, Santos & C.
Em virlude da requiaico feita pelo cooselbo de
fiscalisac.,10 faz-se mister prompta reunio dos
socios da sociedade em.commandita Amoiim, Fra-
goso, Sanios & C, pelo que, pelo preaente convi-
damos os mesmos socios a comparecerem boje
18 do corrente, pelas 10 horas do dia, no aalo
da Associaco Commerciat Beneflcente.
1
O director do intrnalo de S. Bernardo nao tendo evitado aforeos nem sacrifi-
cios para proporcionar aaTMua alumnos ama perfeita educaco phisica, moral, intel-
ectual e religiosa, ofTcruftpilo-lhes uma habitaco com todas as coodicoes de sala-
bridade, habis prolessorea'ejse sao solieitoi em prepara-loa convenientemente ao fim
a que se destinara, medico pirtico que Ihes face comprehendsr os preceitos da bygiene
elhes cure aadoeocas, e fnafanente um aacerdote illualrado e honesto qaa Ibas expli-
que os principios da religio cfriata, espera qaa assim constituido nao deixar o seu
estabelecimento de merecer dos Srs. paea de familias o auxilio e conQaoca com que j
alguna o tem honrado; e lhen Hnfr tas) como a todaa as pessosa intereasadas, qua sa
diguem da viailar o mesmo seu tsTabelecimento, onde sempre eocontraro franco in-
gresso.
O collegio tem a sua ade naa elegantes a espijosas propriedadee da Sr.* viuva
Lasserre e dos Srs. Roberto Com o fim de tornar maia bravea e commodaa aa communieacea doa Srs. paea e
correspondentes, o director lhea avisa qua aa encommendaa.e todaa aa coreeapondan-
cias poderlo aer entregues ds caaa de residencia do aeu irmo o Dr. Pareira do Carmo
ou ata loja do Sr. Joaqun Ferreira da Costa, rua Noca q. 56.
ML&a
Chales pretos do Pavo.
Vende-ae os mais modernos chales pretos de
poota redonda com bolota, guarnecidos de bico
de aeda largo em lugar de franja a 6$000 : na
rea dilmperatriz n. 60. loja do Pavo.
Bales do Pavo.
Vende-ae ricos bales arendados com duas saias
e bico em volts, pelo baratissimo preco de 6$,
ditos de madapolo francez muilo grandes com 6
arcoa a 5J, ditoa com 5 arcos a 3500: na loja
do Pavo. rua da Imperatriz n. 60.
Bramante do Pavao a lOflOOO a peqa.
Acaba de chegar a loja do Pavo, urna nova por-
co do acreditado bramante de linbo, com largu-
ra de britn liso, tendo 27 varas cada peca, esta
fazenda propria para lencee, loalhas, cerou-
las, camisas, etc., e vende-se pelo biratisiimo
preco de lOfl a Mea, s na loja do Pavo
da Imperatriz n. 60. do Gama & Silva.
Barato e bom.
Na rua do Qeimado n. 43, es-
quina que volta para a on-
gregaco.
Ainda se continua a vender.
Chitas largas escuras e fizas, covado, a 180 e
200 re.
dem idem idem fiaa a 220 e 240.
Cambraia de cor muito Qna e Gis a 480 e 500
rs. a vara.
Organdys de lindos padres a 6(0 a vara.
Cambraia de salpicos, a pees com 9 varas a 4$.
Dita branca muito fina, peca a 4^800 e 5g.
Dita preta muito fina, a vara a 500 rs.
Chita preta franceza fina a 300 rs. o covado.
Lazioha moderna para vestidos a 500 rs. o
covado. Do-se amostras com peohor.
Veode-ae um riquissimo sitio nss artel do
Giqui, tendo o mesmo 72 palmos de frente e 300
de fundo, com boa casa de taipa, a qual tem 2
asas, 2 quartos, cozioha fora, eetribsria para um
cavallo; quem pretender, dirija-se ao mesmo
lugar, a tratar com sua dona junto a taberua do
Sr. Thom.
Thealro lyrico.
Veode-se pormetade do valor uma assignatu-
ra de cadeira : quem quizer annuncie.
I Hotel Tro- S
! vador. I
>N. 44Rosario larga N 44
O proprietario do hotel Tro-
\ vador, rua larga do Rosario n.
f 44, tendo desoecupado o tercei- %
| ro andar, pela retirada dos ar-
I tistas da companhia do circo 9
| Grande Oceaqo, oerece-o para 9
\ dar hoepedagem aos visitantes #
desta bella cidade, para o que se fl
f acha elle devidamente prepara-
do, fornece comedoria, feita com |
I asseio, por mdico prego, pelo &
I qxie se recommenda mui espe
} alente aos Srs. de engenho ^
I que, ou por simples visitas, cu ^g
| movidos por negocios, tenham %
| de se demorar nesta praca, em
$ cujo centro e' elle establecido, fl
as.
Vendem-se duas casas na povoacao do Gama-
leira, termo da Eacada, sendo uma na rua de Pa-
pacara, e a outra ao lado da estacio, muito boaa
para principiante que queira se estabelecer, por
serem perto da feira ; a tratar em Gameleira com
-o Sr. Joo Venancio, ou na raa do Qeimado nu-
mero 47.
*mmmm mmmmmmm
Acaba (lechei
gar ao novo
armazem

*Bastos & Rego\
Na rna Nova jauto a Conceicao
dos Militares d. 47.
Dm grande e variado sortimento da
roupaa feitaa, calcados e (azendas e todos
estes se vendem por precos muito znodi-
ficadoa como da aeu cosame, assim co-
mo aejam aobrecaaacos de superiores pan-
nos o caaacoa feitoa pelos ltimos figuri-
noa a 269, *89. 309 e a 359, paletota doa
mesmos pannos preto a 16f, 18f, 209 a
a 249, ditoa de casemira de er meeclado
e da novos padroea a 149.169, 189,209
a a 249, ditos de casemira de cor mes-
ciado e de novos padroes a 14f, 16|, 189,
209 e 245. ditos saccoa daa mesmss ca-
se miras de corea a 99, 109, 129 e a 14f,
ditos pretos pelo diminuto preco de 69,
109 e 129, ditos de sarja de seda a so-
, brecasacados a 12$, ditos de merino de
i cordo a 15}, ditos de merino chioez de
1 apurado goato a 159, ditos de alpaca
preta a 7|. 89, 99 e 109, ditoa saceos
1 pretos a 49, ditos de paiha de seda fa-
zenda muito superior a 49500, ditoa de
brim pardo e de fusto a 39500, 49 e a
49500, ditos de fusto tranco a 49, gran-
de quantidade de calcas de casemira pre-
ta e de corea a 79, 89,9g e a lOg, ditaa
pardas a 39 e a 49, ditaa de brim de co-
res finas a 21500. 89, 39500 a a 4|, ditas
de brim brancos finas a 4f500. 59, 5J500
e a 69, ditaa de brim lona a 59 e a 69,
colletes de gorguro preto e de corea a
59 e a 69. ditoa de casemira de cor a pre-
tos a 495OO e a 5S. ditoa de fusto brinco
e de brim a 89 e 39500, ditos da brim
lona a 49, ditoa de merino para luto a 49
e a 4$5O, calcas de merino para luto a
49500 e a 59, capas de borracha a 99000.
Para meninos de lodosos tamanhoa : cal-
cas de casemira preta a de cor a 59,69 e
78, ditas ditaa de brim a 2g, 8f e a 3*500,
paletots saccoa de casemira pieta a 69 e
8 a 79 ditoa de cor a 69 e a 79, di-
toa de alpaca a 39, sobrecasacos de pan-
no prelo a 129 e a 149, ditos de alpaca
preta a 59, bGoeta para menino de todas
ss qualidades, camisas para meninoa de
toioa os tamaohos, meios ricos vestidos
5 de cambraia feitos para meninas de 5 a
8 annos com cioco abados lisos a 8f e
a 129, ditos de gorguro de cor e de la
a 59 e a 69. ditos de brim a 89, ditos de
II cambraia ricamente borbadoa para bapti-
B sadoa e muitaaoutraa fazeodaa e roapaa
i feitaa que deixam de aer mencionadas
* pela sua grande quantidade ; aasim como
I retebe-se toda e qualquer encommenda
a de roupas para ae mandar manufacturar
jB e que para eate fim temos um completo
SS sortimento de fazeodaa de goato o uma
Jjl graode officina de alfaiate dirigida por um
hbil mestre que pela sua promptido a
perfeico nada deixa a desojar.
s&eMSMOKa MSSKMSMSaKMSl
REMEDIO INCOMPARAVEL
UNGENTO HOLLOWAY
Milhares da individuos da todas as nacSes
pdeos testemunhar as virtudes desteremedic
incomparavale provaremcaso necessario, qna,
pelo uso que dalle fizeram tem seucorpoe
membrostnieir meo tesaos d epois de haver em-
pregado intilmente outrostratamentos. Cada
pessoa poder-se-haconvencar dessascurasma-
ravilhosas pala leitura dos peridicos, quelh'aj
ralatam todos os dias ha muitos annos; a a
maior parte dellas sao tao sor prndenles que
admiram os mdicos mais celebras. Quantas
pessoas recobraran com este soberano remedio
o uso de seus bracos a pernas, depois dedur
permanecido longo tempo nos bospitaes.o tea
deviam soSrer a zmpuiaco t Dallas ha iaau-
cas que^iavendodeixado esses, asylos depade-
timentos, parase nao submeterem a essaope-
raco dolorosa foram curadas completamente,
mediante o uso desseprecioso remedio. Al-
gumas das taes pessoa na enfuso de seu reco-
nhecimento declararais estes resultados benfi-
cos dianta do lord corragedor e outros magis-
trados, aGra da aaais su ten tica rem sua a firma tiy
Ninguem desesperara do estado desande se
tivessebastante confianca para encinar este re-
medio constantementeseguindo algnm tempo o
tratamento que necesstasse a natureza do mal,
eujo resuludo seria provar ncontesuvelmante.
Que ludo cura.
O ungento he a til, mais particu-
larmente nos seguintes casoat.
rua
Na rua de Santa Thereza n. 24 precisa-se
uma ama para cozinhar para duas peuoas.
de
Precisa-ae de ama ama para comprar e co-
zinhar, para casa de homem solteiro : na rua do
Qeimado loja n. 42.
Na rua da Palma da freguezia de 8. Jos,
n. 59 ae dir quem di a premio 4009000 com hy-
potbeca em casa terrea.
Pelo juiz de paz do segando diatricto da
freguezia de Santo Antonio se fsz pablico que
as audlaociaa tero lugar as quartas-fetraa e
sabbados ss 3 horas da Urde, na rea do Rin-
gel n, 20,
Chales Garibaldinos.
Vende-se na'loja do PavBo, chales da merino
muito grandes de listrinhaa a Garibaldi, pelo ba-
ratissimo preco de 49500, pecbincha : na roa
da Imperatriz o. 60. de Gama A Slla.
Chales do Pavao.
Vende-se chelea de
3$, ditoa de cassaa de
Imperatriz n. 60, loja
merino muito grandes a
es a 800 rs. : na rua da
o Pavo.
Precisa-se fallar ao Sr. Dr. Guilberme Cor-
deiro Cintra negocio de aeu muito interesse :
na rua Estreita do Boaario n. 1.
Precisa se de uas irabalhador qu teoba pra-
tica de refinacio, pajare bem eerviaeJo, a tr.Mar
oa raa dea Geararapec ar, 98.
Vestidos do Pavo.
E' pechiocha, cortea de cambraia brancos com
babadoa a 29500, ditoa de tarlatana brancos e de
corea a 39, ditoa com babadoa eduaaaaias muito
superiores s 49, pe<,as de cambraia braoca com
carocinhos brancoae de corea, tendo 8 1/2 varas
cada peca, por 49. cortes de eMeas de cores com
7 1/2 varas, padtoea novos a 29500 ; lado isto se
encoolra na loja do Pavao, qae vende dioheiro
a vista : na ruad ImperatrizWK. loja de Ga-
ma & Silva. 3?
Grande armazem
TRES TORTAS
Ferragens e miudezas.
53Rua Direita53
VivaS. Joao!!
Ricaa bandejas para oa bolloa de 3$ a 28000
Ditas ditas recortadas e bordadas de 3 500 a 29500
$!m a So e B"fo' cab0 de 0M0 d"a
Dita dita dita cabo de viado a 49.
Dtla dita de balanco de 79 a 48800.
eSSffinM de 0Be,al principe, sops e cha
5S500 a 39200.
Ditaa lutinagre, duzia 1*800.
Lamas de vento, iodispensaveis depois do bollo.
[ouro a amareilo de 59500 a 59
Ha de maia um aortimeoto completo de todo
que e tendente a ferragens e miudezas por um
preco ridiculo.
Alporcas
Gaimbras
Callos.
Ancores.
Cortaduras
Dores de cabeca.
das costas.
dos membros.
Enfermidades da cutis
em gsral.
Ditas de anua.
Erupcoes escorbticas.
Fstulas no abdomen.
Frialdade ou falta de
calor as extremida-
des.
Frieiras.
Gangivas escaldadas.
Inchaces.
ndammacao do figado.
lnflammac.o dalbexiga
da matriz
Lepra.
Males das pernas.
dos peitos.
de olhos.
Mordeduras de reptis.
Picadura de mosquitos.
Pulmes.
Queimadelas,
Sarna.
Supuracoes ptridas.
Tinha, em qualquer
parte que seja.
Tremor de ervos.
Ulceras na bocea,
do figado.
das srticulsces;
Veas torcidas oa no
das as pernas.
Vende-se este ungento no estabelecimento
gsral de Londres n. 344, tStrand, e na loja
de todos oa boticarios droguista e outras pes-
soas ancarregads de sua venda em todt a
America do sul, Havana e Haspanha.
Vende-se a 800 rs cada bocetinha contim
uma instrnceio em portuguez pera czpliear o
modo de faser uso desta ungento.
O deposito geral em aasa do Sr. Soum,
harmaoeutico, na rua de Cruz n. 12, am
psrnambuco.





f''
>-<
DIAHOM: FBWUMIUOO^- QUsUkTA ffiiaU UU^UO DI 1861.
Rival
.
89 ftlj
sem segando.
Na ra do Quaimado n. 55, defron e do sobrado
do, lojt le miudezas de Joi de J.zeredo Mala
e Silra, est qaeimsndo tuda as suaa miudezai
peloa preccu que abeixo ae declara, i oiu a qoadra
boa para apreciar:
Duzia de meiaa eran maito eneorpada a 400
Dita de ditas brancas Alto boas a 1*600
Sita de ditas cruas tnuito Boas a 4g0Q0
DiU de ditas brancas para aanbora, ami-
to linas a 3JO00
Carriteis de reros de todas aa corea a 280
Grozaa de penosa de ac de todas ai qnali-
dadas a 500
Dita de diUs ealllgraphicas 1*600
Noratos de liaba muito grandes a 6) e 120
Caitas de agulhas perfeitss a 160
Baralboa portugueses a 110 e 160
Groza de botoes de osso pequeos jsis
_ >ca a ISO
Tesouraa para unhas muilo superior iu,-
lidade a 400
Ditas psra costara maito finas a 400
Ditas pequeas porm finas a 800
Baralhoa (rancezea muito finos a 510
Agalheiros com agulhas superiores 80
Caivetes de aparan pennas de 1 (ol ia a 80
Pares da sapatoa de tranca de lia a 1|S80
Cartaa de alfinetea frsncezes a 100
Paras de luvss brancas de algodio a 100
Escoras para limpar dentes maito fi-
nas s 200 e 320
Masaos de grampos de todas as qvsli-
adea a 40
Dedaes com (ando de ago a too
Caizas com colxetes (rsocezes a 40
Tinteiros de ridro com tinta a 160
Ditos da barro com tinta superior a 120
Arela preta muito fina a libra a 1-20
Labyrintho por todo preco.
?ara de franjea largas brancas a S00
ridea de ora iovengao para meniros a 200
Linhs branca do gaz pelo prego ja sabido que
10, 20 e tres por dous, a oatrss muitas miudezaa
que rala Tara ( pelaa anas boai cualidades e
presos eolio nao fallemos.
Obras de vidro,
escarradeiras, e palmatorias
lapidadas com mangas.
Vende-se os loia d'agaia branca Jgui bonitai
escarradeiras de vidroa de corea a ifaOO, S e 69,
aaaim como palmatorias >e ridro lapidado com
mangas bordadas s 4sJeW-aada um : iltn do
Oaeimado,loja d'aRuia branca n. 16.
Meias em quantidade*
Na loja d'aguia branca acha-ie um completo
sortimento de meias de todss ai qualidades e
procos, sendo psra homens, senhoras. meninos
o msninss de 6 mszes a 12 annos. Ennumersr
os difiranles prscos confundir o pretndeme ;
sssim quero se quizer con vencer de quo baratas
se esto ellas vendendo, dirigir-se com dinhei-
ro i dita loja d'aguia branca na ra doQueimado
numero 16.
Piano
Vende-se um pisos ioglez em bom uso, por
pofSMemoaado, proerid psra priocipiar-ss to-
car : a asilar na ra do Ser ou Uuio, casa
o. 16. : 4 1
Ra da Senzalla Nova n. 42.
Nette eitabelecimento vende-se: ta-
chas de ferro coado libra 110 W. dem
de LowMoor libra a 18 ra.
Superior sebo em velas e em
pes, ca'xas de urna
arroba
Vendem Antonio Luiz de Olireira Azevedo &
C, oo seu escriptorio ra da Cruz n. 1.
Jacaranda superior.
Tem para Tender Antooio Luiz de Olireira A-
serado & C, no aeu escriptorio ra da Cruz n. 1.
320 rs. o ovado
Cambraias de cores finistimas, lelicadisaimos
padres, e muito modernas, pelo baratissimo pre-
co de trezentoa e rite ria o corado ; na loja de
Guimaraea & Silra, rui|do Grespo o. 7 A, esqui-
na da ra do Imperador. L _
Vende-ae a taberna
n. 74, com pouces fundos
familia : quera pretender trate na
silo na ra di Aurora
e tem ce mmodos para
nieama.
S nao faz bolo para
S. Joao quem nao quizer,
porqse no armazem da estrella do largo do Pa-
raizo n. 14, vende-se manteiga inghza flor a 900
e 800 rs., tambem tem para 610 e 4 SO, e france-
sa a 640, rioho bom a 480 e 400 rs.. traquea a
300 rs. a carta, qoeijos a 2$.
Liquidaco de fa-
zendas.
Na ruadoCrespO loja n. 14
vende-se para acabar, e por todo progo um
complete sortimento de fazendas inslezas, trnce-
las, suissas o allemes, todas proprias deste mer-
Cado, e algumas recentemente chegadtis.
Terreno.
Veode-se um terreno com 30 palmos de frente
para ra do Ser ou Uoo, e 30C pulmo* mais
ou meaos de eitenso at a rea da Saudade, com
igual frente de 30 palmos, pelo t ue se poder
edificar dous bellos predios ; o dito" terreno flea
tras do edificio que se est fazende para o gym-
naaie provincial, e prximo a ora >octe da ra
da Aurora para o tfceatro daSaota Isabel; loca-
lidade aprazivel J pelo fresco eje pelo bonito
ponte de rista que daquelle lugar se observa :
a tratar na mesma ra do Ser ou Uoio, casa
B. 16.
Gasas
Vendem-se duas casas terreaa na cidade de
Olinda, em boas posiges, sendo urna o. 16 na
ladeira da Misericordia, e outra o. 1 na ra do
Malhiaa Ferreira, ambas de esquino fazendo per
laso malhor rista, aerriodo a ultima para estabe-
lecimeato, como sempre estere oceupada; a
fallar no bairro da Boa-Vista, ru do Ser ou
Uoiao. cass n. 16.
Pee hincha
sem igual
A 10$ o-corte.
Jliquissimos cortes de restidos da barege e de
fil bordado, bonitos padres, pelo diminuto pre-
co de 10j o corle : na loja de Guias raes & Lima,
rus do Crespo n. 7 A, esquina da ra do Impe-
rador.
Coraes lapidados.
bao grossos que admira.
A loja d'aguia bronca acaba de receber urna
pequea quantidade de corsea groaaos lapidados,
os quaes serrem para as roltaa que ltimamente
usam as tenhoras, e esli vendendo cada fio por
2$, 245OO, 3 e.49 : na ra do Queimado, loja
d'aguia branca n. 16 : assira como recebes mais
as bonitas pulseiras de misssogss.
Caetas caligraphicaa
a 500 rs
Recentemente inventadas pelo profesior Scel-
ly, ss quaes com a extraordinaria raniagem de
obrigar e acoatumar para sempre o discpulo a
pegar na penna de modo adequado, sendo guar-
necidas essss canelas de pequeas chapsa conca-
ras noa lugares onde ae derem collocar oa trea
dedos, facilitando assim muito a escripia, e con-
tribuido sobiemaneira para qualquer pessoa em
pouco tempo adquerir urna boa letra. Note-ae
anda que aerrem tanto para adultos como para
meninos. A'renda, em casa deGuedesi Gon-
calres, ra da Cadeia n. 7 : Guilberme Scully,
professor de caligrapbta, Rio de Janeiro.
Arroz barato
Na travesa da Madre de Dos, armazens ns.
9 e 16, de Ferreira & Martina, rendase srroz ds
India trigueiro alga arroba, em aaccoa de 4 a 5
arrobas, que muito convm psra casas particu-
lares.
Amendoas.
Vendern-se amendosa em fraacos e aralsos e
os boas reos papeia com estala para sortee:
oa ra da Senzala Nora o. 30.
Algodo da Baha.
Proprlo para roupa de esersros e saceos de as-
sucar : rsnde-se na rus da Cruz n. 1, escriptorio
de Antooio Luiz de Olireira Azeredo & C.
palitos do gaz.
Acha-ae da noro supprido o duposito de pali-
tos do gaz, e continuara a vender-se muito em
conti, na trareasa da Madre de Dos ns. 9 e 16,
srmszsns de Perreira & Martina"
Libras sterlinas
Vende-se no escriptorio de Hanoel Ignacio
Oliveira & Filho, largo do Cerpo Santo o. 19.
Agua de colonia ambria-
da esem o ser.
Esas estimada agua de colonia embreada, de
que tantos a tanto tempo ser,tem a falta, acaba
de chegar em bonitoa fraacoa rerdes, os quses se
estao vendendo a 19500 cada um ; aaaim como
chegou igualmente um graobe sortimento ds
rerdadeira agua de colonia de Pirer em fraseos
e gsrrafinhas de differentes tsmsnhos, tudo la-
se na ra do Queimado, loja da aguia bran-
ca n. 16.
de
Apparelhos de porcellaua dou-
rada para cha de bonecas.
A loja da agua branca desejando que todoa
facam a rootade a auaa bellas meninas est ven-
dendo com moda mente estes bonitos apparelhos
de porcellaoa dourada, a pintada a 19500 e 2$,
tendo cada um 6 catarea de chicaras, e os mais
perlenees, a rista do que todoa irao (manidos de
diobeiro\para compra-loa na. ra do Queimado
r* 16. \
Camisas inglezas.
Vendem-se superiores camisas, inglezas com
pregas largas pelo baratissimo preco de 35$ a du-
zia : na loja da boa f, oa ra do Queimado nu-
mero SS.
Ricas gollinhas e punhos
com botoes
Vendsm-se ricas gollinbas e punhos de cam-
braia e fuatao ricamente bordadas com lindos bo-
toes, pelo baratissimo preco de 29 cade gusrni-
cao : na ra do Queimado o. 82, na loja da
boa f.
VENDE-SE urna mobilia ae s mar el lo o-
ra, contendo as seguintes pecas: um sot, 12
cadeiras, S ditas de brgo, 2 de balando 2 conso-
los e mesa de meio de sala : para rer na ra Di-
reita n. 127, aeguodo andar, e para tratar neste
typographia.
Superior caldo Lisboa.
Tem para rendar am porfo e a retalho Anto-
nio Luiz de Olireira Azeredo & C-, no seu oe-
criptorio ra da Cruz o. 1.
Botinas deselim,
Chegaram no rapor fraocez as bellas bolinas de
setim branco para senhora, o reodem-se em
corita oa loja do rapor, ra Nora o. 7.
Millis a 10,000 rsa
Na raa da Cadeia o. 45, esquina da Madre do
Dos, rendam-ae borzeguina de Millis muito
booa a 103 o par, assim como um completo sor-
timento de outros calcados psra homens, senho-
traa e meninos, tanto de Paria como de Nantss;
ambem tem constantemente sortimento de rou-
pas feitas e fazandas.
A banha lina,
em copos grandes, ebegou para s loaj d(aguia
branca, raa do Queimado n. 16.
Venda-se um eiAio preto, de idade de
40 annos, que sabe comhir e fazer o mais ssr-
vico de urna casa, e tambem alfaiate, ou per-
muta-ae por um outro, ou por urna eacraru, sen-
do que o motivo da renda se dir ao comprador:
a tratar na ra da Roda, no segundo andar do so-
brado n. 17. daa 4 horaa em diante.
40
10
2U
750
720
I
40
se 111 segundo
Na ra do Queimado o. 55 loja de miudezaa
de Jos de Azeredo Uaia e Silra, est vendando
todas as miudezaa baralitsimaa, a saber -
Papeia de agulhas a balo muito supe-
riores a ge
Caixaa com muito finas obreias a
Cartes com clcheles, tem algum de-
leito a
Frascos de macass perola muito fino a
Caixinhaa com papel pequeo da direr-
oe gosloa a
Pacotea dito dito dito amizade a
Noretlos de linhs de Crux a melhor
ue ha a
isa com agulhas curtaa de superior
quslidade 200
ntremelos, a peca com 3 rarae 1\2 a IgOOO
Sabonetea maito Booa a 120
Papeia de agulhas francezas com toque a 10
Pares de boies para punhos de muitos
modelos a 240
Parea de meias cruas para meninos a 160
Ditoa de ditaa cruas para pequeo a 160
Ditos de ditaa para meoinas a 200
Frascos com agua de Lavando embreada a 800
Ditos com cheiros muito finos a 240 e 500
Ditos com banha multa fina a 240 e 320
Ditos com superior baiTna de urso a 600
Ditoa com oleo babosa muito fine a 240 o 320
Ditos com oleo do Rio muito superior a 500
Ditos com superior pfailocome a 900
Ditos com banha philocome finissima a l&OOO
Ditos com banha transparente a 800
Ditos com superior agua de colonia a 500
Ditos eom macass (oleo) a 100
Ditos com superior opiata a 500 e 800
Carioca de linba Pedro V, com 200 jardas a 60
Ditoa de dito dito, branca de corea a 20
Carriteis de lioha com 100 jardas a 30
Masaos de linha frouza para bordar a 240
Pentes de marfim de superior ou alidada a 15000
Brincos pretos a balo,
outros objectos para
luto.
iSouios paliteiros de porce-
lana dourada.
Agora ninguem deixar mais de ter em sua
mesa um bonito paliteiro de porcellana dourada
pois que ellos se estao vendendo a !# e I50OO
na loja da aguia branca n. 16.
Banha japoneza e outras mul-
tas novas perfumaras.
A loja da aguia branca acaba de despachar, de
sus encommenda um grande e bello sortimento
Desses obisetos de que hoja infelizmente tantas de finas perfumariss dos mais afamados fabri-
familias precisara, na loja d aguia branca acha-se I cantes, sendo as bem coohecidss e apreciadas
um bom sortimento delles, sendo brincos e rose- i banhas, japoneza, transparente, philocome im-
tas a balao, pulseiras modernas de grossas e for- perial em bonitos eopiohos com tampa de metal,
tes eontss, alfinetea para peito, ditos tambem pre-' dita eos copos grandes, dita em compoteiraa li-
tos, em caixiahas, bonitos e modernos aderecoe,
e meioa ditea, cinteiros de fitas e firalas pretas,
eofaites para cabera, grampos de no vos moldea
para segarar cabello, luras de torcsl de seda e
pellica, rceias de seda e algodo para homens e
senhoras; com os compradores de taes objectos
se tera maior coatemplacSo, altete o fim para
queao: por iaaodirigirem-ae f ra do Quei-
mado. loja d'aguia branca n. 16.
aas e lapidadas, leos de babosa, philocome e
Lubin, pomadas ou cosmesliques, finos extractos
dos preciosos e escoltados cheiros Jackey-Glub,
mil flores, miel de Inglaterra Harechal, Principe
Alberto, George IV, etc. etc. Recommeoda-se a
todas as seohoras de bom gosto o uso de qualquer
desses estimados extracto* porque aquella que
em urna sociedade, iheatro, ou baile eatirer com
aeu fino lenco orralhado de lo sublimes aromas
-------- lera per cerlo o prazer de rer aa saas risiohas
AITOeaS OU argOlaS de DOrra- a dreta e esquerda Ihe reodendo nomenagem,
pergantarem donna 'F. onde comprou eise tao
Fazendas baratis-
simas
Superior bramante de linho com duas raras de
largura a 29400 a rara, atoalhado da linho ada-
mascado eom duas larguras a 2#500 a rara, brim
branco da linho muito auperior a 1|440 a rara,
dito de cores, fszends multo superior a 1#, dito
pardo de linho puro a 800.1# o 1 j-200 a rara, di-
to de quadrinhoa muito proprio para calcis, ja-
3netos e paletota para meninoa a 200 rs. o cora-
0, gangas francezss maito superiores a 400 rs. o
corsdo, cambraisa francezaa muito finas e de
muito bonitoa padres a 260 e 280 o corado,
cambraia lisa muito fina a 4$, 5 e 65 a peca com
8 1|2 raras, cambraia com aalpicos tambem com
8 1)2 raras cada pec.as a 45300, dita muito supe-
rior o melhor que ha neste genero a 11(500 a pe-
ga com 17 raras, ou a 800 rs. s rara, chitas trn-
celas de muito boas qualidadea e de lindos pa-
drees a 240, 280, 300 e 320 o corado, fil de li-
nho liso muito fino a 720 a rara, tarlatans bran-
ca e de corea a 760 a rara, toalbas de linho para
moaa 79 a duzia, ditaa pelludas muito superio-
res a 119a duzia, gollinhas de cambraia borda-
das a 800 rs., manguitos e gollaa de cambraia ri-
camente bordadas a 29 o par de manguitos com
urna golla, lencos braocos muito tinos com bico,
renda e labyrintho a 1(280 cada um, ditoa de
cambraia de linho para algibeira pelo baratissimo
preco de 4, 5 e 69 a duzia, e assim um completo
sortimento de fazendas de lodaa aa qualidades,
qus sendo a dioheiro riata se renderao por pre-
cos mui baixo : oa bem conhecida loja da boa
f, na ra do Queimado n. 22.
Camisas eceroulas
Vendem-se superiores ceroulas de linho muito
finas pelo barato preco de 269 a duzia, ditaa tran-
cadas de algodo, mas de muito boa qualidade, a
179 a dazia, camisas brancaa francezaa a 229,249,
26 e 309 a duzia, ditaa para meninoa a 22fi a du-
zia, ditas para homam com aberturaa de cores a
229 a duzia : na bem conhecida loja da boa f
na ra do Queimado o. 22.
Para doces Slggos.
Vqndem-se multo bonitas caixiubts redondas
de madeira, da diversos tanaan*, toradas oi
papis de cores, muito lioas, pftpnaa nica-
mente para doces seceos de qualquer qualidade,
pelo barato prego de 4, 5 e 69 a duzis : na rea
do Queimado, oa bem conhecida h>j* da anua-
zaa da boa fama o. 35.
Para S, Joao e S Pedro.
Veddem-ae caixiohaa com grande ,porcao(d>
amendosa coDfeitadas, e alguna nfeitea pro-
prios para o faatejo de S. Joao e S. Padro, ptlo
barato prego da 800 rs. cads rma : oa ra de
Queimado, na bem conhecida loja de miudezas
da boa fama n. 35.
-----------------------------------------------------i-----------.........
Atteneao
dos seuhores boticaiioaL
E' chegado pelo ultimo nario um grande sorti-
mento de drogas dos Sr. Lampan Jfemp, Io-
Cluiodo a salsa parrilba de Brislol. pattilnas ver-
milugas, peitoral de AoacoherHa, pillas de flat-
chins, e bitters de Hosleller : os seuhores boti-
carios queprecisarem destas drogas. apou-iMo
no armszem de Henry Forater & C., ^ua do TFa-
piche n. 8.
.v

i
ha para segurar papis e
muitos outros misteres.
A loja d'aguia branca recefceu urna porgao de
borracha, que
srroelaa ou argolas de borracha, que acertada-
mente se applicam a difieren tea fina, como tam-
bem seja para ammsssar yapis as diversas re-
partigos publicss, nos cartorios, esoriptorios,
armazens, lojaa, boticas, tabernas, etc., etc., o
agradare! ebeiro ? E eJ.la orgelhoui de aeu bom
gosto, mas com ar prazenteiro ihe responder :
na ra do Queimado loja da agua branca nume
ro 16.
Manguitos com goliinhas.
Veode-se manguitos com gollinhas, fazenda
muite toa, pelo bsrato prego de 2g000, gollinhas
e pnaos ultimo gosto a 29000, gollinbas muito
finas e bem bordadas a 1(000 cada urna na ra
doQueimado loja de miudezas da Boa fama,
o. 35.
Papel amisade branco e d
cores.
Yende-se pacotes com 100 folhaa de papel ami-
meamo de alguna particulares, o que na rerdsde aade branco e de ores a 800 e 640 cada pacote :
a2Sa comPr"-e Peto diminuto prego de aa ra do Queimado loja da aguia branca nu-
240 e 320 a duzia, para .paupar-se o Irabalho de 'mero 16.
atare desatar um masso de papis todae aa rezea
que se preciso, assim come aa maia largaa aerrem
Tiras e ntremelos bordados.
Vende-se pegas de tiras bordadas de 2,500,
3,000. 3,500 e 4,000 ntremelos a 19600 e -000
cada pega na ra do Queimado toja de miudezas
da Boa fama, n. 35.
para aegurar carteiras, e manguitos de senhoraa, I
o mesmo para pulseiras de missaogas, adrertin- i
flllencao! atteneao!
do. porm. que cada argel, tem su. iu.1. ; >o-J Aos pais de f^fc^ bom e ba-
dem-ae em dita loja d'aguia branca, ra doQuei-
mado o.46.
Guimaraea & Luz, doooa da loja de miudezaa
da ra do -Queimado o. 3o, boa fama, articipam
ao publico que o sea eelabelecimeote ae cha
completamente prvido das melhores mercadoriaa
teodentea ao maamo estafeelecimento, e muiloa
outros objectos de goato, sendo quaai todoa rece-
idos de sues proprias eoeammendas-; a estando
ellea inteiramente resolvidos a nao renderem
fiado, atianeam vender mais barato do t|ue outro
qualquer ; e juntamente pedem aoa aeua deredo-
res que lhes maodem ou renham pagar os seus
dbitos, sob pena de aerem iusiigados.
Souhall Mellors & C, tendo receDiao or-
dem para rendar o aeu crescido deposito de rslo-
gioa visto o fabricante ter-se retirado do nego-
cio ; coorida, perianto, speesoas que quieerem
poseuir um bom relogio de oaro ou prata da c-
lebre fabricante Kornby, a aproreitar-sa da op-
portunidade sem perda de tempo, para rir com-
pra-loa por commodo preco no aeu escriptorio
roa do Trapicha o.28.
* rato.
Na loja o. 2C da ra da Imperstriz acfaa-se a
'renda um completo a variado sortimento-de bota
I fazeodva, a qe 4 rista de sues qualidades sao b-
ratissimameute rendidas, e para maia reracidsde
do que tica dito, abaixo vio mencionada* algumas
das ditaa (atendaa, a saber :
Chilaa largea cor fixa a 240 rs.
MaBspolo tino com 24 jardaa a 5f.
Cambraias de corea a S80.320 40O k. o co-
aavala.
Velludo preto e decores a 29.
Lindeza de corea a 160 rs. o covado.
Lengos pequeos a 80,120 e 160 rs.
Chapaos de castor fino a 85.
-Chitas proteo muito largas e finas a 24d rs.
Algodo trsngado preto muito bom para resti-
dos de scraroa a 200 ra.
Cambraia lisa com 10 jardas a 29.
Csea de aalpicos com 10 ditas s 39.
Cambraia bordada para cortinadoa com 8 ra-
ras a 2/.
Ra da Senzalla JNova n. 42.
Vende-se em casa da S. P. Joobston & C.4
sellins e silhoes inglazos, candieiros e casticaeE
bronzeados, lonas inglezas, fio do vola, chiclas
pa-a carros o montara, arreios para carros de
um a dous cavados, e relogies de oaro patente
ingler.
0 Livro do Poyo.
Sahio luz publica o LIVRO DO POVO, publi-
cado aob a direcgo do Sr. Dr. A. Marques Ro-
drigues, e cootm a rida de N. S. Jess Chrieto,
segundo a oarrago dos qualro evangelista*, e
mais os seguintes artigoa : o rigario, o professor
primario, o bom hornera Ricardo, amoral prati-
ca, Simao de NaoUia, macjmaa e pensameotos,
a bygiene, os de veres dos meninos, e o Brasil.
A publicago do LIVRO DO POVO nao s tem
por fim uoiformisar a leitura oas escolas prima-
rias, onde cada menino aprende por um livro
difireme, e portento facilitar o irabalho do mea-
tre e do discpulo, como tambem rulgarisar, por
m prego baratiasimo, a historia da sslrador do
mundo, e os melhores preceitos de moral.
Vende-se o Livro do Poro, no Recife, na
livraria da praga da Independencia ns. 6 e8, a
500 ra. o exemplar em broebura, e a 800 rs. csr-
tonado.
Tiras ou ntremelos bor-
dados
Vendam-se tiras oa entremeios bordados de
lindos gostos, pelos bsralissimos pregos de 19500
e 1J600.- s no galo vigilante, ra do Crespo nu-
mero 7.
MUDO QUEIMADO M.A6
.GBANDIMTIMENT2,
NDASEROUPnS
Sorlimento completo da sobreciaacos de panno a 259, 289, 309 e 359. eaaaeoa maito bem
attae a 251,98|, 30S a 35f, paletota aciscados do panno preto de 16 at 259, ditos do easemira
da cor a 159,181 SOf. paletota saceos do panno o casemira de 89 at 14$, ditos saceos da alpaca
2. .56.!-U d* ** l*6*' obrt de ,,pnM merD6 dt 7* ,t i0*> Prl" de casemira de
> 1*1, ditoa de cor de 79 at 1C$, roapas para menino de todos os lmannos, grande sorti-
mento da roupss de brins como sejam calgaa, paletota a colletes, sortimento de colletss pretos ds
""?' M*eml1r* Tellud0 de ** ,lit0 Pa ment a 59 69, paletota brancos de bra-
aanta a 49 5f, calgaa brancas muito finas a 5J, e am grande sorlimento de fazendaafinaa e mo-
oaraaa, completo sorlimento de casimiras inglezas psra homam, menino a senhora, seroalss de
linho o algodo, chapeos de soldeieda, lufas do aada da Jourio para homem o senhora. Te-
sma grande fabrica de alfaiafe onde recabemos ancommendas do grandes obras, qe para
* i1 rad* ?or "a Ba',i' ">* di oielhanti arte a um pessoal do mais ds
a^caaaiaobrauosessolbidoj, prtalo afaulamosqualqer obra eom promptjdeo e aais barato relos
oa qoe em ostra quslguer casa, ,
Queijos
o$ mais frescos que tem vindo ao nosso
mercado chegados no ultimo vapor a
20000 e no passado a 1#800.
Amendoas
coneitadas at mais bonitas que ha no
mercado a 800 e 1# a libra : vndese
nos armazens Progresista e Progressi-
vo no largo do Carmo n. 9 e ra das
Gruzesn. 36.
Bom e barato.
Para a festa de
Santo Antonio e S. Joao.
Manteiga inglezaboa a 800, 960, e 19120 flor!
em barril taremos abalimenlo, dita franceza a
720. dita para tempero a 400 rs., farinha do Rio
muito boa a 130 a libra, amendosa a 240. nozes
a 160, traquea a 280 a carta, rioho Figueira a
600 rs. a garrafa, dito Lisboa a 500 e 400 rs., em
caada taremos abalimeoto, velas sterlinas a 740
a libra, azeitonaa muito noraa a 19500 cada urna
ancoreta, a 310 a garrafa. Alem diato tem um
competente sortimento teodentea molhados, que
tudo se vender por menos do que em outra
qualquer parte : no eatabeleclmento da ra es-
trena do Rossrio, esquina da ra das Larangeiras
numero 18.
Veode-se ums bonita eacrara de 18 annos
de boa conducta, e com as habilidades proprias
orna casa de familia por ser recolhida ; na ra
da Praia o. 47, primeiro andar.
Bonecas fraucezas.
Vende-ae bonecas francezss ricamente restidas
4900O e 59OOO, e zJOOO bonecas de cera com os
olhos moredgos a 29OOO e 39OOO, na ra do Quei-
mado loja de miudezaa da Boa fama, n. 35.
Fivelas de a^o para sintos.
Vende-se Arelas de ago para sinto a 1|500 rs. e
29000 oa ra do Queimado loja de miudezas
da Roa fama. n. 35.
Vendem-se os seguintes gneros, ltima-
mente chegados, por prego commodo: barricas
com bacslho, caixas com batatas de duas arro-
bas, linguigas, ancoretas com azeitonae, aihos em
canaslras pequeas, siccos com caf, milho, fare-
lo, arroz de casca e farinha de mandioca ; no
primeiro armazem do caes da slfaodega confron-
te ao arco de N. S. da Conceigao n. 63.
IM&
Baieias.
Veode-se baieias A120 rs. cada urna aspa de ago
para balao a 160 rs. a rara, bandees a l9500rs. e
2900 o par, na ra do Queimado loja de miudezas
da Boa fama, n. 35.
das seis portas
Livramento.
em trente do
15,20,30 e 40
Cascarilhas de se'da.
Vende-se caacarrilhaa de seda para enfeitar
vestidos a 89000 a pega na ra do Queimado
loja de miudezas, n. 35.
arcos.
Grande sorlimento de saias s. balao de arcos,
os melhores que aqui tem apparecdo no merca-
do a 4950O. 59. 6$ e 69500 cada um, da-so' para
amostra com penhor ; a loja esl aberla at as9
horas da noite.
Meias de borracha.
Vende-se meiaa de borracha para quem padece
de erysipela a 159000 o par, meias de seda preta
para senhors a IgOOO o par na ra do Queimado
loja de miudezaa da Boa fama, o. 35.
Palmatorias devidro lapi
dado.
Vaode-aa palmatorias de ridro a l9600r., ditas
com mangas proprias pars rapazes a 49500 ra.,
cada urna, escarradeiras de ridro a 49500 rs.
e 59OOO o par, na ra do Queimado loja de
miudeza da Boa fama, n. 35.
e
Perfumaras muito tinas
baratas.
Opiata ogleza a 19500 rs, dita franceza a 500
rs., 640, I9OOO, oleo da sociedade liygieoique
rerdadeiro a I9COO o frasco, oleo babosa de Pirer
rerdadeiro a 600 rs. o frasco, agua balsmica
para os deotes a 19000, dita do Bolot tambem
para os denles a 1JO00 o frasco, pomada france-
za em paos a 500 rs. e 19000, 320 rs. sabooeles
muito Uno a 640 rs., 800 rs. e I9OOO cada um na
ra do Queimado loja de miudezas da Boa fama
n. 35. '
A 200 rs.,sopavo.
Vende-ae chita fraoceza escura de cor fixa
dous tustois o corado: na ra da Imperatriz
60. loja e armazem do pavo.
Potassa da Riissia.
Vende-se em casa de N. 0. Bieber
C, successores, ra da Cruz n. 4-
Queijos.
Vendem-se na ra Direita n. 99, defronte da
loja de miudezas, queijos rindoa do norte no ul-
timo rapor a 29200, ditos a 29. ditos s 1*800, di-
tos do sertao a *fj, em libra a 560, ditos de qua-
iSL" I40, ,leltU 40 "' m"o e talhanm a
320 a libra, caixes de doce de goiabs a 19500
toaclnho de Liaboa a 320, sag a 3*0, eeradinh
do reino a 240 a libra, arroz a 140, e dito a 160
gomma a 1J0, manteiga ingleza a 800 rs. o 1*.
i.lt r,l!?M 720 800 rs., cha hysson a 29800.
BS. e 39200, dito do Rio 2J, rinos de todasae
qualidades a 500, 560, 640, 800 e 19, tainhas
multo grandes viudas da Lsgoa a 400 ra., e ou-
tros muiloa gneros.
Vende>ae.^negra de rais idade, aem
notBMhaqUs algum, o por barato proco ;
i na rea da Rala n. 31, primeo aodajp
Gaz do melhor
a 600 rs, a garrafa.
Na ra Direita n. 7 e na ra
do Queimado n. 75._________
Atteneao
A 600 rs- a garrafa de gaz.
Continua-ae a vender o melhor gaz, na loja de
fuolleiro. ra da Imperatriz o. 65.
Atteneao
o
Chegoa para a loja da victoria, candieiroa a
gas de noros goitos o modelos, tanto para sala,
como para aseada e quartas e para outras multas
eoQses: oa loja Ja victoria oa raa do Queimado
0. 71.
A2#500,sopavo.
Vendem-se cortes de cambraia branca com 2 e
babados a 29500, ditos de tsrlstans brancos e
de cores, com barras e babados a 3 : na ra
da Imperatriz o. 60, loja e armazem do pari de
Gama & Silra.
Enfeites para caberas.
hJu?deTsericof rnfei,es fetose de cores eom
fol. sSf.D,.," ^' [tM e ,r"Cs com or-
lo a a 29500, ditos brancoa e laco de fita a 2
Dar maSlff ,,?rdne ^ 1W00' b"doS d* c,ina
para marrafa a 500 r. o par. masaos de corda
500 rs., e fios a 600 rs., jogo da domin al, di-
to de rispora a 800 ri. ; na ra da Imperatriz nu-
mero /4.
Luvasde Jovin.
Vende-se luras de pellica de Jouvin brancas
para senhora, ultimament chegadas : ra loja Uu
beija flor, ra do Queimado n. 63.
Luvas de seda.
L Y de*,e luTS de seds enfeitadas a lfifiOO
29000 e 29200. ditas Go de Esco.si. braocaa a m
700. ditaa de cores 800 rls. ditas de algodo a
280 res ; na loja do beija flor, ra do Queimado
nuiHPro DO.
Escovas.
Veode-se escoras para dentea finas dedirewa'!
quahaades a 120, 160. 320. 400 e 500 ris
loja do beija-flor. ra do Queimado.n. 63.
oa
loja
Jogo de domin.
Vende-se jogo Je domin finos a 10200
do beija-flor. ra do Queimado n. 63.
na
Botdes para punho.
Vende-se botoes de punho finos de diversas
qualidades a 200 rcis o par. que tambem srrem
para manguitos de senhora : na loja do beija flor
ra do Queimado n. 63. J
A 500 rs., s o pavo.
Vandem-se ss maia modernas e finissimas lia-
zinhas de quadrinhos e de flores solas e palmi-
nhas, desembarcadaa do ultimo navio rindo do
Harre.pelo baratissimo prego de quinhentos ris
o corado, e dao-se as amostras com peohor: aa
ra da Imperatriz n. 60, loja e armazem de Ga-
ma & Silva.
Occulos.
Vende-se occolos finos de armario de ico a
29. 19. 610 e 400 ris : loja do beija flor, ra do
Queimado o. 63.
Cabaias hespanholas, na
loja do pavo, a 400 rs.
Vsndo-so sata nova fazenda de padres delica-
dsimos eom 4 1|2 palmos de largura, propria
para vestidos de senhora a 400 rs. o covado : na
rus da Imperatriz n. 60, loja e armazem do pa-
vo de Gama & Silra.
As afamadas agulhas impe-
riaes com fundos dourados,
e dedaes de marfim.
Acabam de chegar para a loja d'aguia branca
ra do Queimado n. 16.
IOVO
deposito de charutos s
da Baha
oa roa de Horlaa n. 15 junto o sobrado noro
que rolla para S. Pedro, oeste deposito so en-
contrar sempre boas ebarutoa todoa fabricados
na Babia, aaaim como tem cigarros do todas aa
qaalidades, fumo, cachimbos, boleas o outras
rcousas pertencenteaaoa fumantes, tudo por ba-
ato prego. -
. ~ Veoaana-ae secse da Gompanhia Pernam-
bacana : oa prega do Corpo Santo a. 11.
Ricos sintos dourados.
Vende-se sintos dourados a 29, ditos de fita
eom flrella dourada a 19500 : loja do beija Ir.
ra do Queimado o. 63.
Enfeites para cabeca.
Vendo-so requissimos enfeites para cabeca rm
1-lS;6 sem elIa wl baratissimo preco de 58
e 5S00O, ditos de ridrilhos a 1960fLAa. loja do
beija flor, rua'do Queimadoj.63. ^*fi
Carteiras^
Vende-se ricas fletas para guardar dioheiro
de ouro e prata a 29000, 2S500, I9OOO, 1|280 e
IJ500 : na loja do beija flor : ra do Queimado
numero 63.
-------------------------------a-
Rosas artifitiaes para cabell.
A. L. B. F. leodo recebido um rariado sorti-
mento de bonitas roaes que se estao usando pata
cabellos, e depataos comfolhs de relludo, ditas
de papel todas, aa mais ricas que ae pode encon-
trar vende-M na roa do Queimado a. 63 loia
do beija flor. -
golhas.
A. L. aVl. tendo recebido agulhas imperiaes da
fundo dourado. rende na loja do beija flor,, ra
do Queimado n. 63.
Aoa seohores funileiro
Vendem-se bigornas calcadsa da seo,
feitas, a 12f cada urna, martelos calcadas a
ra., trancas a 3$50u ; a eHei, antea daa se ai
bem : oa raa da Imperatriz n. 65. ,-_
Veoda-ae sai ube
ama das melborea raas,
tratar oa raa DIreiU a.
P
_ afreguesa.:
poneos fundos *l
-
j- ^ -L' :


,. I 1.1
. ...J.,.,,'.'
*i
D
- QUATA f JUBA U Dt HJWO M XSfaV
T
barato
a 3:500 rs. saco
Veoie-sa.em l,e ifte* "o P"' i' ?
rtfarido t6W. iobeiro : do .umazom d. 4,
defronte Vende Se uk carro de Imbelhar na alfa
dei. eom bol /" tratar no pateo do Terco
f 2? taberpa. _____________________
Bolacha
do milho prprif f-f eacraToa i 5*000 a arro-
ba : a roa eitreila rio Rosario o. 13.
Roupa feita da Arar*.
etn-ie paletots de panno preto a 6*560 e I
8j, caigas pretas de easemira a 4J500 e 5*500,
piletole de alpaca a 3*500 e 4*. cateas de brim |
d corea a 1*500, camisas francotes fina* a Sfl
#500, eenvlat fe Ifefee e 1*|M t, eeierta
de lioho fios e 500 rs.: a na* a lflaperalris, ]
loja da tere n. 56.
Arara vende os bales.
Vendem-se baldas da 15 80 arcos, o mais mo-
derno qae ha para senhoras por todos os oreos,
ditos de brilbaotioa muito grandes, aaias de cor-
dio que (as vetes de bailo por 28500, saias bor-
dadas para senhoras 2*500, ditas do 4 pannos
35 e 3J500 : na roa da Imperatrit, loja e arma-
ren) da Arara o. 56.__________________,
TT*-
-I
:- NO
Torrador.
n-Largo do '/ferfo--28
Itantelga iogleta flor a 800 e 960 rs. a libra,
dita trapeos* a 640 ri., baeba de porce a 400 rs*.
a libra, massas maito finas para sopa a 400 ra. a
libra, queijos do reino a 2#,dosdo sertao a 560
rs.a libra.aerveja das roelbores tomas a 500 rs. a*.
garrafa, sardinhas de Mentes a 400 rs., toucioho
a 320 rs bolachinha iogieta a 320 ra. a libra,
aiaitn como se vende outros mijitos gneros ba-
raiissimos, passas a 400 rs. a libra, sao muito
aovas, e se alRuem davidar venha ver no Torra-
dor largo do Torco n. 23.
gMNHN 9MMM wummmi
Loja das (J por-]
tas em frente do Lrvra-
mento
SBaloes de 15, 20. 30 e 40 arco$.
Grande sortmento de baldes de arcos
es melhores aesta taienda e grandes,
chitas (rancataa largas escuras a 220 e
210 rs. o covado, ditas estieitas miudi-
fitas a 160 rs. o covado, cambraii lisa
para (orre com 8 1(2 varas 11 2S a pega,
ditas finas a 8#, 4 5* o 6J muito finas,
gdiUa de salpiquinbo com 1|2 varis a
3*500 a pega, cobertae alcoxosdas bran-
cas e de cores para cama a 4*500 e 5$, -,
2 cassas de cores (rancezas lintas seguras li
E a 320 ra. o covado, pega de bretaoba de ^
II rolo a 2jJ, aigodao trangado alvo maito B
S largo* para ttfalh as a 1* a vara, eneites a g
Garibaldi todoa pretos a 5* cada um. len- m
eos braneos com Mirra -e cores a 120 ra- o
Ja om, roupa feita da todas as qualida- jj
Sdea muito baratas, a loja est aberta at a
as 9 horas da noit. 9
Attengo
Na grande exposiejio de fazendas bara-
tissimas, na loja e armasen da Arara,
-Barua da Imperatriz n. 56, de Ma-
galhaes <& Mendes.
Vendem-se fazendas rouilo baratas para liqui-
dar, a saber: Iaziobas eicosseaas de quadrinhos
para vestidos de senhoras e roupa para meninos
a 320 rs. o covado, ditas muito finas a 500 rs.,
ditas chiuezes de 4 1|2 palmos du I; rgo a 610 rs.
o covado, fusio de cores para vestidos de senho-
rai a 280 e 320 rs. -vado, ci res para vestidos do senhoras e meninos a 240 e
280 rs. o covado : na ra da Iaiperatriz, loja da
Arara n. 56.
Madapolo da Arara.
Vendem-se pegas de madapolo Elephante en-
testado, muito fino, eom 40 jardas a 14* a pega,
ditas de 24 jardas a 4*400, 4*600. 5$. 5*500 e 6*.
dilo entestado a 3* : na ra da Imperatrit, loja
da Atara o. 56.
Libras sterlinas.
Vendem-se em cass de Wilg & Juat, praca do
Gorpo Santo n. 13.
__ Vande-se na loja da ra do Crespo o. 25,
um violo ainda novo, excellente, por prego com-
modo.
Vendem se bois mancos de
pasto.
Vendem-se bois mansos gordos de pealo na
estrada doa Aflictos defronte do Sr. mejor An-
lunes proprio para campos e tambem bois de
campoa no meamo lugar. __________^
NOS ARMAZENS
RESSISTA
PABaAPESTA
"*!*
Cainbraia da Arara
Vendem se pegas de carabraia branca lsi a
1*600 e 29, diUs finas a 23500, 3* e 3*500, casta
11 ira cortinados muito fina com i! varas a pega a
90. ditas de 10 varas a 4500 e 39, goltiohas p'ara
senhoras e meninas a 500 rs., manguito e golla
de lioho a 2J50O: na ra da Irtperalnz, loja da
Arara o. 56.
Esperanca
Loja de miudezas.rua do Quei-
mado u. 33 A, de Guimares
& Rocha.
Chegirarn O boles de cornalina braocos e en-
carnados, qus se vende por 3* a duzta, oa por 1$
o par para punhos, s ha nests loja, entes de
cornalina para rosarios, e proprias para encaatoar
em ouro a 1*. flautas de bano de 5 chaves com
caixt, pelo barato prego de 203, P* de arro> aro"
matisado a 1*500, em frascos muito lindos a 3*,
agulhas victoria chegou novo sortmento, o prego
o mesmo de 120, carteiras para escrever, pro-
prias para viagem, com tintelros etc. a 12 e 16*,
eotremeios bordados, e transparentes a 1*500,
1*800, 28,2*500 e 3*. tiras-bordadas pera calcas
de meninas e ssias a 15 e 2*. labyriotho ioglez a
80, 100, 120,160, 200 e 240 rs a vara, fitas finas
de grosdeoaple achamalotado proprias para cin-
tos a 1J500 a vara, eolherea de matal principe
para cb e sopa, a 5* e 2J500 a duzia, facas de
cabo de balanco a 6 e 7*000, cabo de viado por
49500, meias para homem a 1*800, 2*200, 3*600,
55 e 6-5 a duzia, meias de seda para crianga res-
cem-naacida, lindas cores a 2* o par, meias de
aigodao para meninos e meninas a 240 o par, flo-
ras arlificiaes para enfeites a 1*. capellas para
noiva, s a Etperanga vende por 5J, de flor de
laraogeira, fitas de velludo largas e ettreitinhas
como ae procura a 1* a pega da estreita, tesouraa
para unhas deago finas a 1*500, curvea etc. para.
costura a 600, 800,1*280 e 1*600, pontudas de
ago para corlar fios no comego do labyrintho, s
lem a Esperanca, que vende por 1J, tinta azul e
preta (verdadeira iogleta) a 820 e 640, que se
vende barata por ser recebida directamente do
fabricante, peonas de ago ioglezas e de mnitas
qualidades a precoi difiranles, papel almago io-
glez, resma de 500 folhas a 6* {paitado), dito al-
mago frincez, resma de 420 folhas a 4* (pautado),
dito sem ser paulado a 3*200 e 4*. dito pequeo
tarjado de preto a 1*500, dourado a 1(500, de
cores a 1*600, bordado como renda, e pintado
com palmas, rosas, etc., por pregos rtxoaveis, e
ama infinidades d arligos baratos, escollados
com gosto e acert para uso domealico,especiali-
dades vindas de eucommenda, nao vistas neste
mercado, que recebe su cata, conatanVemonte.
llttM&t
DE
1^
Leandro k Miranda.
ftua do Crespo numero 8 A.
Sao chagados a loja da Uoio Commertial de Leandro & Miranda, oa desojados
e multo commodos balden d 13,15, 20, 25 e 30 arcos de pregoa de 3*500 a 6*.
Nos quatro estabeleeimentos
-----bem conhecidos da ra Real -
xlo Manguir ho ns. 54v, 61, 62 e 63.
F^emiiiito e fiambre.
O meihor que tem vinlo s este mercado afiangando a boa'qualidade a 400.rs. a libra.
MariTieia'da 0 meihor qae ha a libra a 700 rs.
ftSSrtS 8] mais aovas que ha a libra a 480 rs.
\ til JO ,j0 $eri50 0 raelhor que ba a 500 rs. a libra.
M&Dtega frBOCMa a Htra 700 rs.
j\Ja'lltetga inglea a libra 720, 800, 900 e 1* o meihor que ha.
lSa 11 tOS 4 g82 grOM 5|5oo, duzia 240 rs.
E maUludo quanlo tendete a molhados que se toros eofadonho annunciar, pois que
s vitti d"< rilahalaflimftn^fl veriio os Srs. fregeezes como se acham completamente sorltdos de lu-
do quanto lhe pertence e que loz.o continuaremos por esta folha.
,
Guimares & Villar!
COM LOJA NA.
BA DO CRESPO M. 17.
Ten Jo um grande sortmento de fszendas de gosto pedem
As senhoras que
f manden) vr suss fatendaii prometiendo seri-las o meihor possivel.
ijoj 6 A>aabm de receber p lo ultimo vapor francet um grande sortmento de vestidos
brincos bordados para 30l 4(1*e 50* e eotremeios ricamente bordados largos e es-
irailir* pr"f*'" p*'* r'" nidos braocos eroapaade noivat; manteletes e ca-
' p4 a Luiz XIV saiaa boniac'ias de tedas as qualidades.
Egperam a protec^ao
tfai respeitaves senhoras.
Queci espera sempre alcanga.
DUARTE & C.
36 Ra das Cruzes de S. Antonio 36
O LAUCO DO GARMO O.
Nos os proprietarios destes acreditados armazens participamos aos nossos numerosos
freguezes que por todos os vapores e navios de vea recebemos de nossa propria encommeoda os
melhores generos'^endente a molhados, e por issn podemos vender por menos 10 por canto do
que outro qualquer, como a experiencia o mostrar por isso pedimos a todos os Srs. da praga e do
mallo, que anda se nao derana ao trahalho d idarera experimentar, o favor de o fazerem, certos
de nada perderem, pois pare isso nao pquparemos torgas para bem servil-es e ainda mais a pessoas
menos entendidas, certos de esclarecer aos compradores que s na ra das Cruzes n. 36 e largo
do*Carmo n. 9, e que devera indere$ar-os portadores, pois muito se ovildam com outras casas quasi
dos mesmos ttulos (Progressista e Progressivo) pois sao as duas nicas filiaos.
Manteiga ngieza mas nova em\s superior do mercado a 900 rs. a libra.
MaiTteiga frail Ce3a a meihor que se pode desejar a 650 rs. a libra e om barril a
600 rs.
Cb llUxitt) o mais especial que se pode encontrar a 2880 a libra.
Cha hySSOll o meihor que se pode desejar ds 29400 a 29800 a libra.
Cl pretO 0 que se pode desejar neste genero a 2i a libra e a 19600 o ordinario.
QUeijOS fl UiiengOS chegados no ultimo vapor a 29 e 1*700.
Qtieijo pratO 0 melho do mercado a 600 rs. a libra ejwnlo inteiro a 500 rs.
Qliei/oS do SertlO muito superior a 640 rs. a libra tambem temos para 500 rs.
Passas em caxinhas-de 8 iibras a 29500 esoors. a libra.
FigOS em CalXnhaS de 8 libras a COO e 200 rs. a libra.
Amen(loa8 da CaSCa mole. 320 rs. e nozes a 160 rs. a libra muito novas
meixaS fratiCeZI S a l a libra a era latas com 5 libras a 4000.
Marmeladd Superior a meihor do mercado em latas de duas libras a 400 rs. a
libra.
Doce iJa casca da goiaba a soo rs. o caixso.
M. a Illa ras em caixinhas proprias para mimo a 29500 e 800 rs. a libra.
Latas COm friltas em Calda como pecego, damasco, ginja, ameixasi
alperxe a 600 rs. _
AmendoaS COIlfeitadaS COm diversas co'es a 800 rs".
VnhoS generOSOS engarrafados das seguintes qualidades, duque do Porto, Porto
fino, Pedro V, velho secco, genuino. Nector, Carcavellos, Feitoria, e Madeira secca a
129 e 139 a duzia e a 1*100 a garrafa e muscatel a 720 rs. a garrafa.
JJltOS tn pipa proprios para mesa de 39600 a 4* a nada e de 500 a 600 rs. a garrafa,
do Porto, Lisboa e Figueira.
*SerVt jaSdas melhores mareas*, 504 rs. a garrafa e 59000 a duzia, chanpanhe das
mareas mais acreditadas de r49 a 20* o gigo, cognhac o meihor que se pode desejar
a 900 ra. agarrafa. i
C*enebra ja verdadeira hollanda m garrafes de 16 garrafas a 69000 cada um.
Genebra italiana a mais sub'me que tem vindo ao nosso mercado em frascos grandes
a 2*000 cada um.
Frasqiiera Com 12 frascos de genebra de Holanda *800
GarrafoCS com 5 garrafas de superior vinagre a 19000
Vinagre puro de Lisboa ,240 rs. agarrafa e a 1*800 a caada.
a-vi ar raSCJUino o misuperior que se pode desejar a 19000 a garrafa.
liSpermaCete o mais superior do marcado em caixinhas de 6 libras a 49200 e 700 rs.
a libra.
Vel&S de Carnauba a n*500 a arroba e380albra.
AUCOretaS comazeitonas as melhores do mercado a 10400.
GlaixaS com 1 arroba hespanhola conten do macaro ulhtrim e aletria a 69000.
Oaixiwhs S com diversas qualidades de msssas como sija estrelioha pevide etc., a 6*000
e 640 rs. a libra.
CllOUrJcaS^e FaOS os melhores do marcado a 560 rs. a libra.
Salames o meihor que se pode desejar a 700 rs. libra.
i reZUntOS o que se pode dezejar de bom a 640 rs. a libra.
LngUCaS finasem latas jpromptas a 1*600.
PeXe em lataS cavallnhas pargo, e linguadosa 10600.
JL OUCinnO do reino a 280 rs. a libra do novo, o 240 rs. do velho.
Banlia de pOrCO a meihor do mercado em latas de 10 libras a 49000.
MaSS i de tomate era latas de 1 lbrra a 700 rs.
MaSSaS para SOpa talharime macarrao a 280rs,ealetria a 320 rs.
PalltOS lixadoS em macos com 20 macinhos a 200 rs.
Papel gTeVe pautado e dw muito superior a 49000 a resma;
El* Va d0*Ca 3G0, pimenta a 360, canella 900 rs., ecomiahosa 800 rs. a libra.
PalltOS do gaZ a 29300 a groza e 20 rs. a caixinha.
9B1 retinado 0m pacotes de mais de urna libra a 160 rs. potes 560 rs,
9Ug.ll muito novo a 280 a libra e sevadinha 200 rs.
Farill ha doMaranhao a 160 rs. a libra e gomia a 80 rs. a libra e 29400 a arroba.
Gafe do K.O e do Cear o meihor do mercado de 89500*a 99500 a arroba.
C-aiXl n Ha S as m,s elsganies, propias para mimos ou mesmo para guardar joias de 400 rs.
a 1*500 e temo com 6 caixinhas a 5*000.
ChOCOl*te hCSpanllol verdadeiroa 1*000 rs. a libra.
ErvilliaS portUglieZaS e frailCezaSe feijo verde da 640 a 720 rs.
a lata,
1 ra<|UeS os melhores do mercado a 10* acaixa ea 380 rs. a carta.
*3aVel em latas chegado no ultimo vapor a 19600.
Bolaxinha de soda era utas a 1*400
BolaXinha i ngleza a rass nova do mercado a 4*500 a barrica e 300 rs. a libra.
AvelaaS chegadas ltimamente a 320 rs. a libra.
Sardinhas de Nantes a 400 n. a lata.
AEet3 dOCe refinado a 9 a caixa e 800 rs. garrafa,
ArrOZ 9m SiCC0S 0 5 arrobes do vermelho a 99500.
VENDE SE NO ARMAZEM
PROGRESSO
DE
Francisco Fcraandes Duarte
largo da Penlia

Os melhores gneros que vem a este mercado e por menos 10 por eeolo do que em outra
qualquer parte, garantiodo-se a boa qualidade, por isso roga-se a todos os Son. da praca, da en-
geohos e lavradores o favor de mandarem suas encommendas a este muito acreditado armazem de
molhados, afira de verem a difleren^a de preeo e qualidade que faz, se fossem comprados em outra
qualquer parte.
Ab\M^*1W8 confeitadas para sorte de S. Joo a 800 rs. a libra, tambem tem-se para
6i0 rs. a libra sendo em ponjao, tanto de urna qualidade como de outra se faz bati-
mento.
LatCiga. l.a^l6Z%\ a safra nova de primeira qualidade a 850 a libra, em
barril se faz abatimento.
M.&\Yta\&& \T\B9Xa a mais nova a 640 rs. a libra, m barril a 600 rs.
^HlJ#* frescos chegados neste ultimo vapor a 29000 ditos ba-
gados no ultimo navio a 19800.
Sf pn*%0 o mais superior que lem vindo a este mercado a 800 rs. a libra.
G IVA ny SSOll 0 meinor que na no mercado a 29800 e 29200 a libra, afianca-se a boa
qualidade.
&a nllXllH 0 qUe e pode desejar neste genero a 39000 a libra.
Clia pTftVO homeopalhico a 2*200 a libra em porgo se faz abatimento.
t Tagnes HOYOS de pavio transado a 320 rs. e em caixas eom 40 cartas por 109000.
Latas COm amfitldoas confeiudas, proprias para mimo, contando mais cou-
feitese assucar candido por 1*600 cada urna.
PaSSaS em caixinhas de 8 libras chegadas altimamente a 29000 cada urna e a ralalho
a 430 rs. a libra.
BolaXinnO (jl ,0da em latas com differentes qualidades a 19440.
Bo\axVll\ia ingleza a mais nova que h no mercado a 49000 a barrica e a retalho
a 320 rs. a libra.
VAu\\0 eM pipa de superior qualidade Porto. Figueira e Lisboa 500, 560 e 640 ra.
a garrafa, e em caada a 39506, 49000 e 49500.
VillllOS engarrafados Duque do Porto, Lagrimas do Douro, Carca vellos, Fei-
toria velho, e de outras mailas marcas acreditadas a 1*200 a garrafa, em caixa a 129
tambem ha para 19000 a garrafa.
lYiampftmne das marcas mais acreditadas a 159000 e 20*000 o gigo, e em garrafa a
1(5800
SfiTVeja da marca cobrinhi ou de oulras marcas conhecidaa a 59000 a duzia e 500 rs.
a garrafa.
ILTVlWiaS francezas e portuguezas em latas de 1 libra por 640 rs.
Mata de tomate em tallas de 1 libra por 800 rs.
V**H\>S traiieia8 em latas de 1 e meia libra por 1*500, ditas com 3 libras por
20800.
&.n\endoA"J de casca mole mu'uo novas a 340 rs. a libra, em arroba por 8#00O.
|JIOXeS a 120 rs. a libra e em arroba a 3#000.
rVAetTlft, macar rae e taVUarm a 40O rs. a libra, a em caixa com 1 arro-
ba por 69000.
&StftUata.a, pevide e arroz de massa branca ou amarella, a 640 rs. a libra, e em cai-i
xinhas muito enfeitadas se faz obatimento.
PalltOS de dellteS ixados os maisbem feitosque tem vindo a este mercado a 280ra.
tambem ha para 200 rs.
PreZantOS iagVtieS para fiambre a 800 rs. tambem hamburguez para fiambra a
640 rs. a libra e do reino o mais novo que ha a 560 rs. a libra.
C\\Oar$aS e palOS rauj,0 novas a 560 rs. a libra e em barril se far abatimento.
Salame o meihor petisco que pode haver por estar pro rapto a toda hora a 800 rs. a libra.
X OaeinaO do reiSO muito novo a 28O rs. a libra e em barris de 1 e meia arroba
a 5* e 79 a arroba.
CllOaricas em Urasji promptas para se comer a 1*800 cada urna.
BanVia de poreo refinada em latas com 10 libras por 4*300.
Dita em barril m,^ gna e aivt a 440 rs. a libra barril a 400 rs.
dar toes eom bollo t raaeeZ proprios para mimo a 500 rs. cada um.
niarmelaaa imperial do afamado Abreu e de outros muilos fabricantes de Lisboa a 800 rs.
a libra.
marmelada de Alperehe em latas de 2 libras por 19000 cada urna,
L*attas CUlniCtUS de doce em calda as melhores quehaem Portugal como sa-
jara pera, pesego, damasco, ameixas, ginja e sereijas a 800 rs. a lata.
DoeeS SeeeSS e em calda, em latas, de 4 a 5 libras por 29000.
CbOCOlate hespanhol a 19500 rs. a libra, ditlo francez a 19100 ditio portuguez a
800 rs afianca-se a boa qualidade.
Caf de primeira qualidade lano do Rio como do Cear, a 320 ra. a libra, em arroba a
99500, dito mais baixo a 280 rs. e 8*500 a arroba.
Sevadinha de Franca a mais nova do mercado a 240 ra. a libra, e em porcao se faz
abatimento.
SagU muo novo a 320 rs. a libra e em garrafes com 5 libras, por 29000.
Farlaba do reino das marcas SSS ou galega, a 140 rs, a libra.
Dita do Maranhao alva e cheirosa a 160 rs. a libra e em arroba 49500.
VelaS de carniuba refinada a 400 ra a libra, e em arroba o 12*000.
AzeitS dSee refinado a 800 rs. a garrafa, e em caixas a 99000.
Vinagre de Lisboa a 240 rs. a garrafa e em caada a 1*800.
Vlabo cherez verdadeiro a 19500 a garrafa, e em caixa 149000.
V nbo branca de Lisboa o mais superior que ha no mercado proprio para missa a
640 rs- a garrafa e em caada a 4*500.
CnarUtOS suspiros do fabricante Brando em meias caixinhas por 2*500.
DitOS suspiros do fabricante Catanho Filhos em meia caxinhas a 29000.
DitOS em caixas de 100 regala Imperial, VUgantes, e Paneotllas, a 29000 a caixa.
AlplSta muia Hmpo, a 180 rs. a libra, e em arroba 59500,
AieltoaaS muito novas, a 19600 rs. cada urna ancoris, ea 400 rs. a garrafa.
ArrOZ de Maranhao a 110 rs a libra, e 39700 a arroba.
LlCOreS os mais finos que ha no marcado a 1* agarrafa e 109 a duzia, tambem temo
para menos.

Pelxe de postas em latas das meteoros qualidades de peixe qw ba em Portugal a 19500 ra.
Genebra de Hollanda tm garraf5es uam 25 garrafas por 9*000.
Alsm dos gneros annunciadosencontrar o respeiuvel publico tudofp for pertencen- MKM>t~mAa ^ A aJft
te a asas estabeleeimentos. Os proprietsriosaciealificam que estes presos so soniram para aquel- ipiOBiaroa ingiera muito nova a 19000 o frasco a franceza a 640 rs. a poli.
las Snrs. qaamandirem seu competente importe e todos os demris fieguetas de Uva*! de sujei- j Alm dos gneros cima mencionados encontrara o respemvel publico um completo seru-
lar-se pelos pracos acoslumados, salvo aqutHes da fim de mez. *eto de tudo que f tendente a molhados.
I
%


I
-


m


>
\
L
DUWO DB ERNAKBCCO QUiRTA IRA 18 DE J3HO DE 1862

bello.
finca-
k loja do beija-flor leudo receV'lc btwitas ro-
sea que se eato usando pira oe-onlmiios, vende
oa ra do Qualmedo ni loja Mima n. 53.
Aljfar fino imitando perola.
Veode-eee500rs.o Qo da aljofsr fino, isai-
tando perola : nitiido Queimado, loja d'aguia
branca n. 16.
Cambraia;
i-ae cambraiaa de corea de bonitos e
alegaalw deaenhor 280 e 320 ri. o ccvado : na
rea i a Imperetrit. lojan. SO.
Oliados.
Vaodem-ie oliadoa pintados de Urds vistas e
paissgena, larguras de 6, 7. 8 e 9 palmos, pro-
prfos para meaa de jantara 29 o corado : na rea
da Imperatriz. loja n. 20.
Sapatos de borra-
chapara senhoras a
,500o par.
Ettsmos do mez Marianno, a por sao de ne-
eessidede qne aa sanhoraa que bam se applicam
a eisa boa devoco ae prefioam de um par de ta-
patoi de borracha, para ataim terer o ps rea-
geardados da humidade, eem attenciio a to jei-
to e louvavel fim, eato ae vendando a 1(500 o
par: na rea do Queimado, loja d'aguia branca
numero 16.
Borzeguins.
xWENCW
DA
Fundilo Lw-Mwr,
. Ba d Senralla^Nva .4.
Neste eetebeletinaD(o eonernua a haverum
completo sortimento de moendss meias moen-
das para engenho, machinas de vapor e taixai
de ferro batido e coado de todos os tamanho
para dito,
CUCADO
45 Roa Direila-45
Superiores pennas dea^o
Gnedee di Gon;elvee com loja de Enldese* na
na da Cadeia do Recite n. 7, teem para vender
aa maia acreditadaa pennaa de fioo ac de dilTe-
rentes autorea com grande oomeada: quem aa
pretender, dirija-ae a citada loja, eeaa precoa o
bem razoaveia.
A verdadeira esseocia de ail
para engommado.
Acaba de chegar para aloja d'aguia branca,
rea do Queimado o. 16.
Caixinhas e cabazes para
as meninas trazerem
no braco.
Mnito liadas caixinhas e cabazes para meninai,
de 100 ria at 29500: na loja da Victoria, na rea
do Queimado n. 75.
Ruada Imperatriz n. 10 loja
do Pinto.
Vende-ie pelo baratitsimo prego :
Borzeguins de luatre para bomem a 89.
Ditoa de beierro para homem a 80.
Ditos de cordavo para dito a 89.
Por este prego i a dinheiro i vists pera li-
quidar.
metas moendas.
ferro batido e
Moendas f
Taixas de
coado.
Machinas de vapor.
Rodas d'agua.
Rodas, dentadas etc., etc.
Ru do Brum n. 38, fundilo
de D. W. Bouman.
Fazendas pretas
superiores.
Groadenaple preto muito superior pelo dimi-
nuto prego de 2j> o colado, panno preto muito fi-
ne a 3, 4, 5, 6, 7 e 9( o corado, casemira preta
muito una a 2(, 29500, 3, 38500 o A* o covado,
maDtaa pretaa de blonde mnito superiores a 12},
mantelete! de superiores grosdenaple pretos ri-
camente bordados a 359, sobrecasacas de panno
preto muito fino 1 309, casacas tambero de panna
preto muito fino a 309, paletots de -panno preto
fino a 18 e 209, ditoa de cssemira de cor mes-
ciada a 189, superiorea gravalinhas ei.treitas 1
1|, ditaade aelim maco o de gorgurao rouito se-
periorea para deas voltaa a 29, ditas estreitiuhai
com lindos alfiaetes a 29, auperior gorgurao pre-
to para colletea a 49 o corte, ricos enfeites pretor
a 69, e assim outras muitas (szendaa que sendo 1
dinheiro vista, vendem-ae por ptecos muito ba-
ratos : na ra do Queimado n. 22, na bem conht-
cida loja da boa f.
Enfeites para senhora.
Os melhorea enfeites pretos e de corea que ap-
parece a 59500, 69 e 6(500 : na loja da Victoria,
na ra do Queimado n. 75.
Franjas pretas com vi-
drilho e sem elle.
Ricos aorlimeotos de franjas pretas e de cores
com vidrilhoe sem elle : na loja da Victoria, na
ra do Queimado n. 75.
Lionas de peso verda-
deras..
A epidemia declina sensivelmente, e o sea
computo detapparecimeato est proiimo I O
proprietario deete bem lortido estabelecimento
convida os seui numerosos fregueses a substituir
O calcado velho, que todo'est cholerico, por no-
vo, e que possa resistir s mil schotis e mazzar-
cas qne vo aer dansadas em louvor do resta be-
lecimento da aaude publica. Oa precoa con-
vidam:
HOMENS.
Botinas afamadas Milis.
s non-plus-ultra Naotea.........
> Nantaa 2 bateras..............
lustre....................
inglezes de botdes..............
> batedorez........................
a couro de porco.......
> beierro e lustre...............
> inglezes ps selvsgens.........
a taxiadoa brasileiroa............
Sapates non-plus-ultra................
123000
12*000
119000
1O9Q00
IO9OOO
99500
99OOO
99OOO
795OO
5|500
79OOO
69500
595OO
69OOO
59500
59OOO
29OOO
59000
29000
19280
MENINAS.
nao se deixa
595OO
59OOO
4(000
29500
39000
19920
800
500
800
sabir
Linhas fins de
grande a 240 ria :
do Queimado n. 75.
peso verdadeiras. meadas
na loja da Victoria, na ra
Phosphoros de seguranza
Phoapboros de aeguranca, por que livra de in-
cendio, a 160 ris a caixa: na loja da Victoria,
na ra do Queimado n. 75.
Baleias para vestidos.
Baleias muito grandes e boas a 160 ris urna
na loja da Victoria, na ra do Queimado n. 75.
SEDAS
Cinco tustoes.
So na loja do pava o
vendem-se sedas de quadros, ditas de listras ao
comprido, e ditas de liatras atravesiadna, ditas
de quadrinhos, sendo dos melhores pndres ede-
lieadisaimos gostos, com largara de chita inglesa
a 500 rs. o covado, pechincha, e dao-se as
amostras com penbor : na ra da lio pera triz n.
60. loja e armatem do pavo de Gama & Silvs.
Linha de crdjLel para la-
byrintho.
As melhores linhas de-croxel para labyrintho,
novellos moDstros s 320 ris um : na lo)a da Vic-
toria, na ra do Queimado n. 75..
Sintos dourados para se-
nhoras.
Lindos siotos dourados psrs senhoras a 29200,
ditoa de ponta cabida a 49, ditos de fila a 1&600:
na loja da Victoria, na ra do Qaeimado n. 75.
Ricos espelhos de
moldura dourada para
salas
Chegou para a loja da Victoria urna pequea
porcao de ricos espelhos de varios lmannos para
ornameoloa de salsa, afllaocaodo-se seren. oa
melhores em vidros que tem vindo: na loja da
Victoria, na ra do Queimado n. 75.
SJ| Vende-se ama carroca para carallo
Manguioho, sitio defroote da capella.
DO
Attenco.
Ao rival sem igual.
Ra larga do Rosario numero 36.
Fitaa de vellodo eslreitinhas para enfeite a
peca 720 ra.
Sintoa dourados a 19600.
Ditos ditos com poolas cahidas a 3j000.
Las para bordar sortidas, libra a 6;:i00.
Eacovaa para caballo a 19.
Duzia de meias cruas para homem a 29400.
Cartas'de alfiaetes a 100 ra.
Franjas pretaa com vidrilho a 320 400 rs.
Eofeitea de retroz com franja a 59000.
Duzia de meias para senhora a 29400.
Penlea do massa para atar cabello a 500 rs.
Tesouras ordinarias para cortar palios a 30 rs.
Sabonetea de bola de cores a 400 n.
Franjas de seda.
Bicos pretos largos e estreitos.
Trancas pretaa com vidrilho e branca.
Escovas para unhas a 320 e 500 rs.
Carriteis de ratroz a 300 rs.
Tranca de seda de cores a 200 rs.
Carreteis de linha a 30, feO e 80 rs..
Linha do gaz lustroza a 30 rs.
Dita de Pedro Va 30 ra.
Rap Paulo Cordeiro e Gissea I96OO.
Dito Mearon a 19.
Caixinhas com papel para namoro a :i( e 39.
N. B. O dono deste ettabelecimento prompll-
fica-se a mandar um caizeiro com aa iniudazas
que quizerem em casa das familina que isto
exigir.
La para bordar.
Lia mnito bos de todas as cures para bordar, a
79 a libra : na loja da Victoria, na ra do Quei-
mado n. 75.
Linhas do gaz,
Caixinhas com 50 novellos de linhas muito fi-
nas do gaz a 900 ris a caixa, ditas com 30 no-
vellos a 700 ris, ditas com 10 novellos grandes
a 700 ris, brancas e pretas: na loja da Victoria,
na ra do Queimado n. 75.
Candieiros de gaz
Chegou para a loja da Victoria os melhores
candiairos de gaz que tem vindo ao mercado, por
precoa commodoa : na loja da Victoria, na ra
do Queimado n. 75.
3 bateras e meia..............
> esmaga cobra..................
> Nantes 2 bateras vaqueta.,...
a 2 bateras bezerro......
> trabalbadorea..........
> brasileiros de 3f500 a..........
Sapatos2 solas e salto..................
> tranca portaguezes..........
s > francezes......
SENHORAS.
Botinas dengozas........ .
> salto de bater. ......
> pechincha de 49500 a. .
> americanas 3|500 a .
Sapatoa de asilo (Joly) J .
sem elle (dem)......
tspete;........
a econmicos. :......
lustre 32 e 33.
MENINOS E
Ha de tudo em relc.o e
dinheiro.
Um completo sortimento de couro de porco,
cordavao, bezerro francez, conro de luatre, mar-
roquim, sola, courinhos etc., que tudo se troca
por dinheiro vootade do comprador.
Grande
!8 liquidado por todo
o pre^o, na bem co-
g nhecida loja do Ser-1
tanejo.
[Ra do Queimado d. 45.|
Apparecam com di-
nheiro que nao deixaro
de comprar.
Chitas escuras finas a 160, 180 e 200 '
rs., cortea de vestido pretos bordados a
velludo de cusi de 1509 e se vendem
por 309,409, 509 e 709. sahidss de baile
de velludo e setim a 129 e 139, camisas
para senhora a 2000 e 39500, gollienas
de cambraia bordadaa a 500, 600, 700, ,
800, 900 e 19. ditaade fil bordadas s 120 1
ra., casavequea de fualao a 59, 69,7$, 89,
sseiaa de seda brancas e pretas para se-
nhora a I92OO o par, tiras de babados a
500 e 700rs., lasado quadro enfestadaa a
300 e 360 ra. o covado, cambraia preta a
400 e 440 rs. a vara, organdys de coras a
600 rs. a vara, fil branco adamascado
para cortinados veatidos 400 e 500 i
rs. a vara, cortes de collete de casemira '
bordadoa pretos a 29 e 39000. ditos de
Talludo de cor e pretoa a 39, 49, 59 e 69,
paletots de britn branco francezes a
39500 a 4950O, ditos de casemira de co-
res o pretos a 149 e 169, ditos de alpaca
preta e de cores a 39,3(500, 49 e 49500,
camisas de peito de lioho a 29500, cortea
de collete de Korgurao a 19500, 19700,
29200, 3g e 3S500, colletea feitosdebrim
branco a 29500, ditos feitos de gorgurao
a 29500 e 39500, ditoa feitoa de casemira
a 38500, 4$ e 48500, ditos de velludo a
59, 69 e 79, ditos de fusto de corea a
18500, um variado sortimento de meias
para homem e senhora, grioaldas com
flores, chales de froco, esparlilbos, o to-
da a qealidade de roupaa feitas para ho-
mem que tudo se vende por metade do
seu valor.
CMS &4MM8M3 NSMSMBdKNS
Ricas fitas para chapeos.
cinteiros, etc, etc.
A. loja d'aguia branca acaba de receber um ex-
traordinario sortimento de ricas fitas, lo boas
em qualidade quao bonitaa nos desenos, tendo
entre ellas o mais largo que possivel; assim
como algumas pecas brancas com o centro liso
proprio para ioscrtpcoes, e muitas outras dedif-
ferentes cores como de caf, rc-xa, escura, etc.,
etc., e como de seu louvavel costume : a loja
d'aguia branca, na rus do Queimado n. 16, ven-
de por prego commodo essas boas e bonitas fitas.
ara brinquedo de S.
Joo.
Continua-se a vender amendoas pelo barato
prego de 640 rs. a libra, na ra Velba da Boa-
Vista n. 33, ra do Rangel n. 9, defronte a esta-
cSo das Cluco Ponas n 140, ra Augusta, esqui-
na do becco do Marisco n. 1, ra do Crespo ne-
znero 7.
Borzeguins inglezes.
Na ruada Imperatriz n. 0 defrom.eda boneca
loja do Pinto, recebea-se pelo ultimo vapor um
graode sortimento dosj bem acreditados bor-
zegsiDs inglezes que vende-se por 10;}ell9, &di-
nheiro logo contado.
Grvalas de setim com
ponta larga a 1$
Vendem-se grvalas pretas de bom setim e
com ponas largaa a 19 cada urna, tio baratas
aisim s so acha na ra do Queimado, loja d'a-
guia branca n. 16.
Nova attenco.
O vigilante acaba de recebar novo sortimento
de diversos objectos que se vendem por manos
20 por cento do que em outra qualquer parte.
Mobilia.
n.
Na ra da Gamboa do Carmo loja
12, vende-se toda a qualidade de mobi-
lia tanto ao gosto moderno como anti-
ga, phanthasia etc. por preco mais
commodo do que em outra qualquer
parte, az-se toda a qualidade de obra
de encommenda com a maior brevida-
de e o maior apuro da arte.
Arados americanos e machinas
para lavar roupa: em casa de S. P.
Johnston & G ra da Senzalla Nova
u. 42.
Sintos para senhoras.
Rlquissimos sintos dourados, pelo baralissimo
prego de 29. e com fivela ao lado a 49, assim co-
mo da rita de seda ou velludo a 2g : s no gallo
1 vigilante, ra do Crespo n. 7.
Sementes de hor-
talices
Na ra da Cruz n. 32, deposito de pao e
cha, vendem-se sementes de bortalices vi-
Lisboa.
la-
de
Vende-se um clarioeto de 13
xua Imperial o. 82.
f
chaves: o a
Enfeites.
Vendem-se osriquiasimos enfeites de cabeca
com franja e vidrilho a 59, ditos sem franja a 39,
ditos traocadoa a 29500, ditos de lago de uta e
bico de aeda a 29: s no gallo vigilante, roa do
Crespo o. 7.
ICOS
cortes de vestidos brancos
bordados.
Vendem-se ricos cortes de vestidos brancos
bordados com 3 babados pelo baralissimo preco
de 59 o corte : na ra do Queimado n. 22, na
bem conhecida loja da boa f.
;a loja fraoceza que foij
de Gadault ra Nova n. 11.
Acaba de receber de sua encommenda um grande e variado sortimento de di-
versas mercadorias que se acham a vendana dita loja por menos 10 por cento do que
em outra qnalquir parle, a eaber :
Fivelaspara sinto.
Riquissimas fivelas de ac com madreperola no
centro a 19200. ditas de madreperola a 320, ditas
douradiohas a 340 : s no gallo vigilante, ra do
Crespo n. 7.
Vidrilho.
Lindoa vidrilhos pretos e de cores, pelo bara-
lissimo preco de 19600 a libra : a no gallo vigi-
lante, ra do Creapo n. 7.
Para entreter o tempo.
Os lindos jogos de dminos a 19400, lindas cai-
xinhas com jogos de vispora a 900 rs.: s no gal-
lo vigilante, ra do Crespo n. 7.
Vendem-se travea de louro muito novas e
por prego mais barato do que em outra qualquer
parte; qaem as quizer comprar, dirija-se ao caes
do Ramos n. 4, ou a ra Direita n. 99.
Cal e potassa.
Vendem-se estes dous ar-
tigos ltimamente chegados,
no bem conhecido e acredita-
do deposito da ra da Cadeia
doRecife n. i% mais barato
do que em outra qualquer
parte.
Panno de algodo da Bahia.
Vende-se no escriptorio de Antonio Luiz de
Oliveira Azevedo & C, na ra da Cruz n.l.
Relogios.
Vende-se em casa de Johoston Pater & C,
. -t do Viga rio n. 3, um bello sortimento de
1 elegios de onro, patente inglez, de um dos mais
afamados fabricantes de Liverpool; tambem
ama varedade de bonitos trancallins para os
mesmos. ajft^ ....
Vend
rea do
mbos.
de pomhos o borrachos : na
n. 48.
Agua de malabar
do verdadeiro fabricante Laacombi, para
ungir cabellos da cr qae se quizer e com
um guia para seu uso.
Para presentes.
Ricas caixas de costura com msica e
sem ella, o meibor presente que se pode
dar a urna senhora que se eslima.
Para homens.
Ricos ealojos contendo todos os utensi-
lios neceaserios para toilet de qualquer
pesaos que se trata com muita limpezs,
contendo navalhas, tesouras, pentes, es-
covas, frascos para pomada e cheiros, fia-
dores, tioteiros, espelhos, pasta para pa-
pis e muitos outros perleacespara o reta-
mo fim.
Encerados.
Especiaes para cobrir mesa a 19, 18500
e 29 o covsdo.
Para retratos.
Machinas de todos os tamsobos frsncezaa
e americanaa cbimicaa para trabalhar em
toilos oa proceasos, copos graduadoa, fu-
nis de vidro, um grande sortimento de cai-
xinhas, de chagrn, ptssepartoua de cores e
pretos e douradoa, cuvetas horizontaee e
verlicaes, papel para retratos e todos os
uteocilios teodentes a esta arte ; tambem
se collocam retratos em caixinhas e paase-
parloua, mudam-se os qne estiverem mo-
fados ludo a vontade de seus donos.
Ricas bengalas
de verdadeira cana da India com pontei-
raa e caatdes de marfim, tendo nos castoes
muito bonitas figuras abertas em relevo,
aa mais bonitas que se podem achar neste
genero.
Ditas de massa imitando ulicoroe.
Liivss de pellica
do verdadeiro fabricante Jouvin & Filhoe,
para bomens e senhoras, brancas, de co-
res e pretaa, e que continuarlo a receber
por todos os vapores francezes preco fixo
2|500 rs.
Espelhos.
Desde o maior at ao mais pequeo ta-
manho. com. molduras pietaa e douradaa
para ornamento de sala, sendo os vidros
muito grosaos e de primeira (qualidade.
Para msica.
Instrumentos completos de chavea e
apiston e tambem grande aortimento dellea
avulsos com muitos melhorameotos e dos
syttemas mais modernos do muito conhe-
cido fabricante Gautrot Ain, estes instru-
mentos se tornam muilo recommeodaveia
por serem muito perfeitos, e os mais mo-
dernos que existem no mercado.
Objectos diversos.
Pumo de hsrlebeke, msrilande, caporal,
vervique e americano, para cachimbos.e
cigarroa.
Seroulas de algodo de cores para ba-
ndos a 500 rs.
Camisas francezss de todas as qualidadas.]
Capotinhos de lis para meninos, muito
lindos de diversas cores a 19500.
Ricaa capellas brancas e de cores para
estamentos o mais elegante que aqui tem
vindo neste genero.
Chicotes americanos e francezes com
aoeis e sem elles para carros, cabriolis e
csvallos.
Bandejas grandes de 30 pollegtdss a 39.
Um grande sortimento de ocelos e lune-
tas de grao e miope.
Fundas para os quebrados das virilhas.
Velas para carro e piano.
Lequsa de madreperola,
Ricos punhos e gravatinhas para senhora.
Porcelanas e vidros.
Apparelhos e meios ditos de porcelana
para jantar, candelabros de 4 e 5 luzes,
aerpenlinaa e lanternas com pinguetea e
sem elles, escarradeiras de vidro Brancas
e de cores, ricas lanternas psra carros e
coups, callees psravinho e licores, redo-
mas com peanhas de todos os tamanboa
para imagens, vasos para flores e encera-
dos psra carros de cores e pretos, ditos
redondos e quadrados para botar pratos,
lanternas e cendieiroa a gaz.
Muita atterttjao.
Na loja de Silva Cardoto, ra do Im-
perador n. 40, vende-se roupas feitas
de todas s qualidades pelos preops
mais baratos possiveis que se pode ima-
ginar, pois pode vir os freguezes com-
prar porque pechincha.
Boa do Crespo n 7, no
gallo vigilante
Nesta nova loja ha graode porcadde caixlohae
com ameodoas prophas psra brinquedo de S.
rioeo que se vende pelo barato preco de 800 rs.
cada urna quem deixari de dar a urna menina
urna camnba ; tambem tem grande porcao de
canas propnss psra docea secos que vende con-
forme seus tamanhos a 69, 59 e a 49 a duzia.
amendoas avulsss a 800 e 640 is. a libra : t ne
vigilante ra do Creapo n. 7i
Toda altencao ao gallo vi-
gilante, que est quei-
mando.
Luvas de pelica.
As verdadeiras luvas de Juvin, chegadinhaa
no vapor francez; s ao vigilante, ra do Crea-
pon. 7.
Para os*festejos de S Antouio
e S. Joo.
Trinas e galOes.
A superior trina o volantea do Porto para ur-
nas, oratorios ou igrejaa, que se vende por m-
noa do que em outra qualquer paite : s no vi-
gilante, ra "
outra
do Crespo"n. 7.
Cascarri'ha
Lindas pecas de catcarrilha de todas as cores
pelo baralissimo preco de 19500 a peca : a ao
vigilante, ra do Crespo n. 7.
Chapelinis para
Lindaa chapelinss ricamente enfeitades,
baratsimos precos de 89 e 109000.
Ditos com pequeoo toque de mofo a 64000:
no vigilante ra do Crespo n. 7.
seohoras.
pelos
t
ARMAZEM
?lsE2
ROUPA F
>I3
Joaquim F. dos Santos.
) 40-Rua do Queimado-40
Defronte do becco da Congregaco letreiro verde.
Neste estabeleciment ha sempre um sortimento completo de roepa feita de
todsa as qualidades e tambem se manda executar por medida vontade dos trege-
les para o que tem um dos melhores profassores.
Touquinhas ou chapozinhos
para enancas.
Lindos chapozinhos para menina e menino a
49 e 69000, ditos de feltro pelo baralissimo pro-
co de 3SO0O, bonetes da panno fino e ltco de fi-
ta a 3SOO0, ditos de veludo fioo a 49 e 39500.
ditos de palbinha a 3(000, touquinhas de seda
muito lindas a 19500. ditos de fil a 19000: s
no vigilante, ra do Crespo n. 7.
Manguitos.
Lindos manguitos com gollinha o mais fino
que se pode encontrar, vende-se pelo baralissi-
mo prego da 79000. ditos sem gollinha a 19500:
s no vigilante, ra do Crespo n. 7.
Golliuhas de linho.
Lindas golliohaa estampadas.............. 500
Ditaa de linho muita finas................. 800
Ditas pretas com vidrilho................. 2jfO0O
S no vigilante, ru> rio Crespo n. 7.
Meias.
Grande sortimento de meias tanto para homem
como para senhora, sendo de homem a I98OO e
29C00, e finos a 2J800, ditas de fio de Escocia a
59000 a duzia, ditas para menina a 29400, ditas
para menino a 29000 : s no vigilante, roa do
Crespo o. 7.
Casacas ae panno preto a 08,
351 e 309000
Sobrecaaacosde dito dito a 359 o 309000
Paletots de panno preto e de co-
res a 359, 809, 259,109,189 e 209000
Ditos de casemira de cores a 229,
15S.129.79e 99000
Ditos de alpaca preta golla de
velludo francezas a 109000
Ditos de marin setim pretos e
de coras a 8 a 89000
Ditos de alpaca de cores a 59 a 89500
Ditoa de alpaca preta a9|, 79,59 e 35500
Ditoa de brim de corea a 51,
4*500, 49 o 395OO
Ditoa de bramante delinho bran-
co a 69. 5g o 49000
Ditos de merino de cordao preto
a 159 e 89000
Calcas de casemira preta ede co-
res a 129, 10, OS, 79 69000
Ditas de princeza e merino de
cordo preto a 59, 69500 e 49500
Ditaa de brim branco ede corea a
59, 49500 e 5(500
Calcas da ganga de cores a JjOOO
Collete de velludo preto e de co-
rea lisose bordados a 129,99 e 89OOO
Ditoa de caaemira preta o da co-
res lisos e bordados a 69,
59500,59 3S500
Ditos de setim preto 59000
Ditos de seda e setim branco a 6 e 5{000
Ditos de gorgurao de teda pretos
ede cores a 79, 69, 49 e 5000
Ditos de brim e fustao branco a
3S500, 29500 o 39000
Stroulas de brim de linho a 29 e 29200
Ditas de algodo a I96OO o I926O
Camisas de peito defustao brance
e de cores a 29400 e 29200
Ditas de peito delinho a 59, 49 e 3O00
Ditas de madapolo brancas e de
cores a 39, 29500, 29 e 1(600
Cbapeoa pretos de matsa francaza
forma da ultima moda a 10JJ,
8(500 e 79000
Ditos de feltro a 69, 59, 49 a 25000
Ditos de sol de seda inglezes e
francezes a 14(, 129, US e 79000
Colarinhos de linho muito fines
novosfeitios da ultima moda a 9800
Divos de algodo $500
Relogios de ouro patente e hori-
zontal a IO05, 909. 80( a 70(000
Ditos de prata galvaniaadoa pa-
tente e borizontaea a 409 30(00o
Obraa de ouro, aderecos a meios
aderecoa, pulceiraa, rosetas e
aneis a |
Toalhas de linho duzia IOS, 6 91000
Ditas grandes para meaa urna 39 e 4900q i
hscrayos fgidos
DE
FAZENDAS E ROUPAS FEITAS
DE
Bernardino Jos da Silva Maia.
43 Ra do Queimado 43
Esquina que volt a para a Congregaco.
NetUjnoderoo eslabelecimento se en-
contrar um completo e variado sorti-
mento de fazendas o roepss feitss por
precos mui razoaveis. O desengao da
vista ver:
Paletotsjde casemira saceos e so breca sa-
cos a 109.
Ditoa de meia casemira dito dito a 59.
Ditos de brim pardo de lioho miito fi-
nos a 59.
Ditos de lpica preta fina de 49 a 69.
Ditos sobrecasacos de panno muito fi-
no 229.
Ditos de fusto de cor miudinbo a 3$ .
Calcas de casemira de cor a 59, 69, 71
083OOO.
Ditas de dita preta a 79, 89 e 109.
Ditas de meia casemira a 39, 39500 e 49.
Ditas de fusto e ganga de cor a 29,29400
e 29500.
Dilss de brim pardo de linho a 2#, 8S,
49e59.
Ditas de dito branco a t|, 39 49.
Colletea de casemira preta e de cor a4(
e59OOO.
Cambraias organdys padrees] muito bo-
nitos a 600 rs. a vara.
Ditas moderna duqueza de Orleans a
560 ra.
Chitas largas escuras finas o covado a
240 e 260 rs.
Ditas muito finas verdadeira francezas a
300 e 320 rs.
Cambraiaa branca finaa a pega 39, 49 e 5(.
Ditas de salpicos com 9 varaa peca a 49.
Chales de ISa escoceses para as senhoras
andarem em casa a 3J.
Lazinhas para veatidoa o covado a 520.
Cambraia preta muito fina a vara a 500
ris.
Chitas fusto para vestidos o covado a
840 ra.
Saias balo arrendada a 5$.
Lences de bramante de linho fioo a 89.
Ditos de dito de algodto a 1(280 rs.
E outras maitas qualidadee que s a
vista do fregus. Tambem manda faser
roupas por medidaa.
De todo se do amostrsscom penbor.
Escravo fgido.
Pugio de casa do abaizo assigoado o escravo
Eufrazio denaco, representa ter de 26 a 35 aa-
nos de idade, ecom um pequeo lobinho acim*
do olho, foi comprado ao tenente-corooel Joo
Francisco de Carvalho Paes de Aodrade : quem
o apprehender leve-o s ra do Trapiche n. U
que ser bem recompensado.
Manoel Alvos Guerra.
150,0000.
A quem trouxer o preto escravo de nome Fe-
llxnquee acha fygid0 desde oda 4 de abl de
1860, cujo escravo tem os signaes seguiotes : es-
tatura baixt, corpo regular, cor fula, pouca barba,
ps um pouco apalhetados, representa ter 35 *
40 annot, naco Mocambique, tem dona dentea
abertos na frente do lado de cima, e por cima do
nariz entre as sobrsncelhas dos olbos um calom-
binho pequeo, que parece ser signal d& trra
delle : obteve-ae noticia certa que o dito preto
anda por trras dos engenhos Muribeca, S. Joo
e Engenho Novo, como trabalhador e inlitulan-
do-se de forro com o nome de Joo Pescador
pois j tem por costume quando foge mudar
nome para Joo, elle tem uns poucos de offlcios
que sao os seguintes : foi pescador, canoeiro'
caiador, e ltimamente era padeiro, a que per-
tence. porisso roga-se aoscspitesde campo o
qualquer pestoa que o encontrar, prende-o 4
traze-lo no paleo da Santa Cruz padaria n. 6, qae
ereber a quentia cima.
Fugio no dia 12 de abril deste correnla an-
uo do poder do abaixo assignado, o pardo de no-
me Francisco de 17 annosde idade, que tem bo-
nita figura, todos os denles, cabellos carapinhoa
e ruivrs, tendo sido este pardo escravo do Sr.
Dr. Antonio Borges da Fonseca, de presumir
que ande por algum dos lugares por onde o mes-
mo senhor tem viajado, como sejam Iguarsss.
Goianna, Inga S. Joo, Campia, Serra do Tei-
xeira. Pao d'Alho, Limoeiro, as tres villas da co-
marca de Paje de Flores, sendo que segundo se
suppde esleja tambem no engenho Inhama por
haver sido visto ha poucos das em Iguarass pos-
tor amizade cora uns mulatinhos desse engenho,
ainda da presumir que o dito escravo por at
se inculque como a servico do dito Sr. Dr. Bor-
ges da Fonseca, afim de nao ser apprehendido s
qaem pois o aprehender onde querqeefor encon-
trado esse escravo e o vir entregar ao aeu legi-
timo dono na ruado Hospicio n. 6, quesera ma
generosamente por elle gratificado.
Ignacio Luiz de Brito Taborda.
Em fins de dezembro desappareceu o negrs
crioulo, Bonifacio, ainda moco, baixo do corpb
grosso, nadegas graodea, tem falta de doaa den-
les na frente, olbos abagalbadoa, muito regrrt-
ts e d para curandeiro ; tem aido viato pela Boa-
Viata e pelo bairro de Santo Antonio : quem e
pegar e levar ao caea do Ramoa n. 4 ser bem
recompensado.
Acha-se fgido.
O escravo Innocencio, crioulo.de 30 annos pou-
co mais ou menos, bem preto,corpo tecco, estatu-
ra regalar, com pouca barba, cortador de car-
ne, e costumava trabalhar no acougae grande d*
ribeirt de Santo Antonio, rogase a qaem o pe-
gar de leva-lo a ra da Gloria e. 94, qae seri
gratificado, onde igualmente se receber noticiar
do mesmo, eto nao o queiram prender.
Escravo fugiaoT
Fugio do abaixo assignado o seu escravo Ma-
noel, de naco, maior de 40 annos, com es sig-
naes seguintes : estatura regular, olhos grandes
e avermelbados, cheio do corpo e sem cicatrices
no rosto, costums embriagar se, e levou ao pee-
coco am ferro qie lalves Iba tenba tirado alguese
qae o aceita, e contra qaem aer uceeeder cosa
todo o rigor da lei. Para oeeuJtar ferro, coa-
turna embrulhar um lenco de meaeira que lh'e
encobre, falla pouco e costuma andar ganhando
pele roa e noe deposites de carvao, foi comprad*
a aa doa herdeiros do Asedo Fraocisco Augusta
da Coala Guimarea. levou vestido camisa de naf-
ta azul e calca de brim : a peesoa qae o treasse
ao armtzem na roa da leas a. 38, aera grarttaV
eeda. tW ^
Jfsu^
- __

___;---------:-----------.-------------



mm

DB fIRNAMBDCO -
A familia de Germa
rao paiz o nhlr da ana rida char-
regato que murmurara alegremente da pe-
t*ena campia verdejsnte, aseapando-ae em li-
geiris toalbaa de cachopoa tendidos aqu e aco-
la-.....liblas estrelles e comprida. que separa-
CAPITULO VII TI vam os brsgoa dorio, e urna quantidade de s-
(ConliSuacaQ) mieirot falas e olnioa, planta* telvagans quaba-
Felizmepte Ociarlo nao aiia*a ahi. Camiohara Bha?am eom rolupluoaidade auai delicadas rai-
nes ou qualro leguas por hoatol're aeu ligeiro *ei na hmida areia ; mais alisle um boiqoe
andaluz, elegaute e forte animfj de gurupa cuna- tpesso inundado em parte, pequeos lagos aem
noje da moda,
m Iropheu de
prida de mais, lypo que
porm que agrada va cnt
victoria.
Nesti poca um oBicial francez licaria deshon-
rado, se gaiopasse levanlando-se sobre os es-
tribus, "J
Delxou a alguns pepins aoglomiuaoos do bos-
que modo de-encartar a veloz carrerra do cavallo in-
gles. Nossas bellas raga indigecus roestavam
alla destruidas pelo lypo banal qoe depoia inva-
diu a todas; porm a hespanhola untara em gran-
de voga, c o carallo de Oclavio era um bello an-
daluz, de cor preta tuzidie, e desembsragado no
galope como um arco um pouco eocapusado, que-
ro dtier, que puchara os (reos sobre .eu peito de
bano, coberlo de urna espuma 6ranc Para onde corra eisiaa nos) biilhante ca-
pilio ? Sabia-o elle mesmo ? lluvia cedido de
berto. Levantou a vista e fia, i um lado di
pina em declive e cercada dsltas mouta
dotlflll
fllha do
ajicioho, mi
te o rastolho
profun'didade onde balougara o penacho das grs-
mioaa ; por toda a parlo viim-se arvores, gran-
des pastagtns, um reverso de colliua atulhado
de pedacosde pedras de cantarla, e plantado aem
arte, de engranados msctssos de verdura, um
verdadeiro bosqueziobo de opera, nm extraordi-
nario ar de misterio e abandono, de recolhimen-
to e melancola, tal era o dominio do cavalleiro
de Germandre, sanctuirio realmente apropriado
miatara de torga e languidez, de reaigoagio a
pathica, e vontade altiva que o earacterisavam.
Estes recantos igooradoa, a quem urna curva
de terreno, ou zimborio de verdura, oceultam al-
gumas vezes durante annos aos exploradores da
natureza, tere grandes attractivos para aquellea
qne os descbbrem, conquista preciosa e fugitiva
como todas as bellezas que nao se roubam aes
ultrages as solides inaccessiveis.
Basta um proprielario qae tenha oecessldsde
boa vontade ao desejo de ir gyrar choupana de Corisanda ; porm, a_ proporgio que para que estas bellas vegetages desappsregam
se informara do caminho, sabia que era tolon- sol) o maxado, assim como as grandes sombrea,
ge, que nao se poda invocar qualiii er acaso, para oa lmpidos ribeiros, os grandes reaervatorios
explicar o fim desemelhante carrei.ra. lentamente cheios, a lenta frescura da immovel
E todava ella avancava aempre. (lizendo que athmosphera, raras plantas de urna localidade
nao custaria nada evangar mais um pouco. De feliz achrdo e embriaguez dos botnicos. Neste
sorte quenoOm de nove leguas do visgem, via |ug'f colhia Balamina impaciente,que seria pre-
uma grande torre, que Ihe fra descripta pelas ciso ir multo longe para ac0-la em outro lugar,
pessoas da viziohanga, e que recon'ieceu pelo te- Circe Parisiena, que se costa muito a encontrar,
irndo, assenlado obliquamente sotre um cyli- o sobre os declives da tollina, muilM outras
dro tfUQCido de parede circular. plantas, que a charra arranca iodos oa das em
Nao tioha mais aetteiras nem guritas, o lempo aeus arroteamentos, e acaba por fazer desappare-
ikera-lhe justiga, assim como a lodas as obras cer ; a giesla sagiltada, a planta umbellifera de
adjacentes, e o cavalleiro, nao possuindo nieios folhas compridas e as panaceas de corollaa dou-
com que levantar estes vestigios feudaes, rranda- radas.
ra fazer um telbeiro sobro seu torreao, destinado Sobre o regato, vi gigantescos trevos, de que
de ora em dianta para guardar os raolhoi de os bellos lilas paraaes eram realzados pelos in-
trigo, seclosazues e prateados que tanto abundara na
Urna grande sala anda intacta no primeiro an- folbagem do aalgueiro.
dar servia ara eccelleirar a cclheits das batatas, As hastes da saponaria cobertaa de flores en-
alimenlo anda bastante novo noa cimpos do cen- carnadas trepavam s encantadoras philipeodo-
tro, e que, mais ecooomico ou mais adiantajo 'as, as co'i.pridas irepadeiras brancas enrola-
queseas viziohos nao se envergonhavam d o vam-se as espigas purpureas da salicaria. Nos
comer. charcos dormiiavam indolentemente alguns in-
O lugar que ficavs por baixo do torreao servia dividuos desta familia poticamente chamada hy-
de estribara e galinheiro. drocharis, belleza das aguas.
Ao lado da torre, ainda bastante eleada, appa- Qoe vigor de progresso, qae furor de desabro-
recia a humilde casa dos pobres Goimsadre. chmenlo, que selvagens perfumes, e que gra-
Um quarlo baixo do XV secuto, resto da anti- (as imprevistas em um pequeo canto de trra
ga casa, eslava abatido por um enorme tecto de respeitadoou reservado pelo acssol E, como se-
colmo, todo dourado de hervas pinheiras. e ce- ria bella e florida toda a trra se o homem e os
lidoniaa, cuja liuha montona era cestruda pelos animaes nao existissem I oh 1 meu Deus 1 As
icagos ramos da vinba. flores descuidadas, os patsariohos escrutadorea,
Grandes) nogueiras occullavam os humildes e os insectos deligenles trabalhariam bastante,
ceileiros, e o aprisco apenas elevado alguns ps pois que transportando sobre suas azas, e sobre
cima do solo. Um agradavel murmurio de cas-
callnhas, chegava at os ouvidos do viajante ;
porm a agua oceultava-se misteriosamente a
seus olhares sob urna espessa vegelagiio.
Octavio apeiou-se, ordenou a sea criado que
suas patas a poeira dos filamentos, as abelbas
e os passarinhos sao grandes agentes de fecundi-
dades, esemeam tanto quanto colham. Porm
a cabra intrata el que quer gozar de ludo, o as-
no que nao dispensa os cardos mais prvidos de
fojse procurar urna estribara qualquer para seus espinhos, o pesado boi, que a cada passo que
cavallos, e camiohou por urna eslrada hmida, d esmiga urna quantidade de plantas e iniec-
loda cercada por cebes, de tal formr que, julgan- tos.... Todava necessario que ellea vivam.
do dirigir-se para a habilaeo, alliistou-se della Sao tambem bellos e bons. O asno manso e
iosensivelmente, eachou-se no fundo do valle- arrasoado. Porm esta insleme gramnea que
zinho, a margem dos regatos. iuvade tudo, este triumphaote trilicum, produc-
Esta localidade est situada em Berry, a pouca to misterioso, que sob o nome pomposo de fru-
disuncia dos {imites da Creuse e de Aliieres. E' ment, reoega todos os seus humildes anlpas-
pouco conhecidados passeiadores, e todava nao aados e vae expellindo todas as suas irmas ple-
muito aTastada da Chatre, e aquulles que pas- beas, plantas iouteis ao homem !.. com que di-
sam pela cidade e castello de Erantes (antiga reito I
morada dos BoisJor) parara quesi sempre a
fante das Fougres; sem saberem que a dous
pastos dahi, descobririam um dos mais bellos
lugares do paiz.
Porm o homem quer vivar ; parece que a
vida urna preza disputada com furor por ludo
o que respira. Sim, este mundo urna grande
batalha, e um horrt?el matadouro. Admiram-
do as
re Bo-
rlado,
andre.
Com effeito, logo que se avista a aldeia e a se de que as sociedades nao saibam organisar-se,
torre arruinada que serve de granja ao cavallei- quaodo aioda nao acharam o meio de vivar em
ro, o terreno abaixa-se repentinamente, nivella- paz com o solo que as sustenta I
so sob a passagem de urna corrers muito clara Octavio de Germandre nao fazia todas estas re-
e Iigeira, e abaixa-se de novo at o loilo do ri- flexdes iouteis.. Sabreador indiffereute ; calca-
beiro, onde, depois de ter dominado parallela- va sos ps esta abundante rerdjira, e nesia occa-
mente de seu leito mais elevado, o regato arre- sio s Ihe achava uliltdade para limpar-lhe as
mega-se ou antes se desusa de um modo sublil, botas sojas pela poeira.
por entre enormes pedras mergulhaodo por falla B*m viu que se tioha engaado no caminho ;
de um leito mais fundo, no lado de ana campia, nao se affligiu por isto, porque nao devia estar
cujos arbustos misturados de juncos, d3ita de muito affjstado da lorre; estimara mais encoo-
raslos. trar Corisanda paslorando sea rebauho em algu-
Um moinho, hoje novo e bem edificado, e en- ma campia sombreada, do que ir apreseolar-se
to muito baixo e arruinado, aproveita destea- a seu irmo.
prasivel regato. Ahi enlra-se em tm vasto jar- Nocamloho achava um pretexto para esta visi-
iiui ioglez, que os azares do terreno e as neces- ta inverosmil, porm a pro.porc.ao que se aproxi-
snades de cultura crearam sem ter consciencia mava do flm, repugoava-lne a ids de urna men-
osto. Grandes campias em decires encaixl- tira e a allitude de um seductor,
lhamo regato que parece querer oeceultar-se sob Farei talvez melhor, dizia elle, descangar
cortinas de arvores e espinheiros, porm que, aqu urna hora ou duas, pedir urna coleado pao
por momentos descobte, contra a vontade seu es- de rala nesle moinho, e vollar sem fazer tentativa
pelho immovel relido por urna comporta e tres alguma para ver a touca brauca de minha prima,
ou quatro escoadouros inclinadoa onde a aguase Se a encontr, por acaso. juro, que Ihe direl
comprime, ferve e assemelba-se a ama torrente, qae vim para var os lugares onde a rosa respira,
E' depois das chuvas de maio, oa das lempesta- em estylo romntico ; e que nao ttoh'a a indis-
des do esli que estes pequeos bracos do ladro, cripgo de procurar. Em quanto pensava des-
sabidos de um vasto e misterioso reservalorio, te modo, um cao preto sahiodo de urna sebe,
que retem por muito lempo as aguas adormec- dirigiu-se para elle com furor, porm delido pe-
das, correm de urna vez em grande quantidade e lo ribeiro, o animal ladrava enraivecid do lado
enchem com rumor argentino o silencioso oasis, opposto, porque a vista deste uniforme to novo
Octavjo adratrou-se deste aspecto imprevisto para elle exasperara-o. Ocapilo estiva desco-
las Qcavam am frente, oa
lero, Ldano, armado 1
maior qae lis, arraataad
da borva sitada em qu
rolava-ss obre a herva
de amonloar. Octavio
e viu o tocto rustico da
ao cimo daa arvores, ch
campias Inundadas que servia
liga habitadlo, ou antes para
ao antigo lugar de cagada dos
Oclavio pensou sublrair-se s vistas dos lbos
do cavalleiro ; porm os ladridos'do So o haviam
(rbido. Margarida que no'tatla ftrda, vira o e
reconbecera-o. Mostrou-o a sea froto que lar-
gou o ancinho e correu a recebar seu hospede.
Como I o senbor, meu capitio? disseo
menino com ar tranquillo e modos desembaraga-
dor; nao esperramos re-lo aqu. E' a meu pae
que procura ? Nao est em casa. Porm o
mesmo, o senhor descargar em nossa casa e ai-
mocara. Margarida, rae arisar a lia|y
Assim fallando do outro lado do ribeiro. L-
dano fazia sigoal a Octavio para transpo-lo com
elle, e a alguns passos mais adianto reaniram-ae
atravessando urna ponte de praocbas musgosas.
O capilao alegrou-se bastante por saber que o
cavalleiro ficiva no caminho com o relho caval-
lo o queso rollarla muito tarde. Achara-semsis
a vontade para explicar-se com os meninos e Co-
risanda. Eis-me no meio de um aprisco, pen-
sou elle ; e porque razio nio farei urna gloga
innocente durante salas daas horas ? lito ser-
vir-me-ha de calmante para meu despeilo a res-
peito de Hortensia, e para minha decepgao sobre
a berenga.
Oitario eatava, cono se v6, muito longe, de
animar em ai mesmo um mu peosamento. A
respeito de qualqaer outra linda pastorinha, como
diziam as operas cmicas deste lempo, teria sido
provavelmeote menos escrupuloso ; porm, nao
obstante ser soldado, conservava muitas ideas
aristocrticas para nao respeitar ama mulher de
sua familia. Urna psrenta prxima que trazia
seu nome, era para elle como urna irma. Na
vespera, vendo-a vestida de camponeza, esque-
cera um poseo o gr&u de parentesco; porm ven-
do o retrato de sua av, tambem camponeza me-
tamorpboseada em grande senhors, encootrava a
nogo dos lagos aerios e respeitaveis da familia,
e se eslava alguma cousa apaixonada, nao o coa-
fessava, e attribaia ludo a amisade.
Quaodo dirigia-se com Luciano para casa, a
pequea que correr adiante, voltou para dizer-
Ibes que a tia Corisanda fdra lavar. Sei enlao
onde ella est I disse Luciano. Venba comigo....
Por aqui, nao na falta d'agua, disse elle coudu-
ziodo o capito ; porque alm do rio e do regato
lemos anda ama bella fonU. Rodearam ainda
algumas arvores, e Octavio viu a campooeza
ajoelhada dianle da fonte, eosaboando as camisas
e os leogos dos meninos. Nao pareca fize-lo
muito depressa; porm sua mo firme e ligeira
em im instante fazia muito servigo. Em seu
trabalho nada parecia apressado nem penoso; di-
vertia-se lalvez em sentir maus na agua lmpida
e fazer saltar aobre seas bragos as perolas, colori-
das pelo sol, que levantava o piu de bater roupa.
Um grande sabugeiro espargia aobre ella estrellas
da verde luz por entre suas folhas recortadas.
Ella hara descido a coifa sobre os hombros para
preservar o pescogo daa mordeduraados mosqui-
tos. Eslava vestida do mesmo modo que na ves-
pera, porm ainda com mais ausleridade em seu
modo de (rajar : em quanto trabalhava, canlava
a meia voz, unt versos de presepe.
Octavio a primeira vista nao a achou mais lia-
da ; porm quaodo ella o viu.sorria-se e sua se-
vera i'hisionemia lomou urna aanla amenidade
qu Ihe restituiu o seu encanto.
Nao posso apertir-lhe a mo, disse olla le-
vantando-so ; est muito fra e molhada, porm
felicito o pela aua viola de todo meu coragao.
O que o traz por aqui, meu primo ? Espero, que
nao seja para armar cootenda I Nao, o senbor
jurou-meser bom, e o homem s deve ter urna
palavra.
Quero ser bom, ao menos para ouvi-la di-
zer que o aou, respoodeu Octavio, e se vim aqui,
e porque teoho de fillar-lhe. '
Bem I replicou Corisanda. Eolao, vamos al
a casa I Meninos I vo por a toalha na mesa e se-
cender o fogo. Eu os sigo. Se alguma cousa
de aegredo, disse ella esttndeodo com cubado a
roupa molhada aobre os ramos das arto dtgi
agora em quaolo os meninos nao esto at) ; por
que estes nos fallara muito. Diga-me, m .. pri-
mo, o que quer dizer-rsa refere-aea meu*rfmao?
CAPITULO XI.
A franqueza de Corisanda embaragou alguma
cousa aOctavio. Elle pretendiadizer quafra man-
dado por madama de Sevignye por urna parte da fa
milia a fim de ioduziro cavalleiro a apresentar-
se para as provas dodia aeguiote ; porm ao ver
a conQanga de Corisanda, nao leve animo de men-
tir. Decidiu-se resolutamente ; e disse a made-
moisella de Germandre :
Nao ; vim para fallar -Ihe de mim smente ;
son um egosta, como v I Tolavia para pres-
tar-lhes um servigo, eu ira at o flm do mundo I
Porem nao podeodo aer-lbe til em nada, pen-
sei em mim, e flz urna viagem de dez leguaa pa-
ra pedir-lhe um conselho. Se acha que urna
inconveniencia ou iodiscrtgo de minha parte
10 DE 1M1.
bora ; tsrei
lisado.
f porque
asilo pezar porem
raplicou Cari-
nio m estranho : meu primo,
no com irmaoa, s^bsjaho i jud da
lay enteada, minha qvSda tia f
Bk verdade l Ento, meusobriaho, esn-
as-se. Aposto que vem fallar-me d Hor-
tensia ?
. Sim, a aenbora reprehendeu-me hootem, e
reflecti. Reconheci que tibha razio, e que se
ella nao me amava, ra por culpa mioha. Po-
rem descobri outra cottsa que nio estar certo
dehavela amado, e nesta duvida, evo. despo-
sa-la ? Pego-lbe |que respoada-me logo, de
lnspirago I
Respondo que, nio porque assim torna-la-
bia infeliz. Porem atienda-me ... e ella agora
quer desposa-lo ?
Neo se trata hoje deste negocio ; porem se
eu herdasse amanhaa?
Julga, que o amar amanhaa ?
Nao I porem julgo que mais de ama vez
ella pensou em desposa-me para impedir-
me de 11 car pobre ; s acho, que toroando-me ri-
co, deveria fazer o mesmo a sea respeito.
Porem madama de Sevigny nio pobre I
Vivecommodamente.
Bem I entio ? Sabe qae nio. soleado na-
da deatas historias de pobrea(e ricos? Oa ama-
as, oa nio se ama eia tudo ; segundo pens I
l MU
Octavio explicara ana visita, e fora bem reca-
bido ; estara inleiramente convertido opiniio
de Corisanda ; offerecsu-lhe o braca, e no cami-
nho, experimentott, o dezejo, ao mesmo lempo
carioso e terno de interroga-la sobre ella pro-
pria.
Sabe, disse elle, tomando no outro brago a
cesta desta Nauztca rastica, que a seobora urna
pessoa admirase! ? Sabe decidir as questes de
amor, as mais deliodas com a f o persuaaio de
urna muiher que conheceria o verdadeiro amor ;
e entretanto.... nunca amoa pessoa alguma I
nio verdade, minha respeitavel tia ?
Nunca, respondeu, ingenuamente Corisan-
da. Diase-lhe isto hontem. Nio me querendo
casar, amei meu irmao, e sua pequea familia ;
eis tudo. Porem isto nao bastante para saber
o que amar ?
Deveria bastar: basta taires pira as al-
mas puras e dedicadas 1 Porem eu nao aou lio
feliz como a seohors, minha cara amiga ; ape-
nas conheci meas paes, lenho tido poneos ami-
gos verdadeiros, e aiada nio amei realmente a
oioguem.
Pobre primo I lastlmo-o 1 respoodeu Cori-
sanda, com ingenua commiseragio ; porem eis-
nos chegados. Assente-se, vou fazer-lhe depres-
sa urna ommeletta.
A aenhora meama ?
E qnem a faria ? Creio qae nio ser Mar-
garida 1
Serei eu, replicou Octavio. Julga que um
militar que tem tantas batalhas no costado ;
nao sabe cosinhar alguma cousa ?
Dispulou-se em pouco sobre quem faria a am-
meletta. Oclavio estava alegre aem saber por-
que.
Tinha o coragao alliviaJe do seus aborrecimen-
tos ordinarios aesta athmosfra de simplicidade,
A casa tuina um aceio e urna ordem admiraveis,
era baixa e um lano escura ; porem espagosa e
fresca. Estava moblliada destas grosseiros mo-
vis moda hollaodaza, entio multo despresa-
da, porem bastante procurada hoje e que ae prin-
cipia a pagar caro, al as choupanas. Os cam-
ponezes cuidadosos em buoir seus trastes com
um panno de sarja, dao-lhes um lustro que nao
fere a vista, como o reraiz moderno.
Corisanda era que cuidara da limpeza e con-
servado desta|mobilia respeitavel. Estes graodes
armarios cujas portas esculpidas representam ca-
gadas ou bitalbas, estas mezas de carralho, re-
algadaa por urna enormegriualda de flores e fru-
tos sm relero, cadeiras de fundo falso, onde os
protestantes oceultaram sua biblia; aparadores
e bofeles qu-* nunca perderio seus nomes clasai-
cos nos campos, nomes emprestados a moda pe-
lo romanlissimo, asquees a Literatura (oi obri-
gads a deaprezar quaodo appareceu a moda da
cor local,
O leito do cavalleiro collocado a um canto da
sala, bastante largo para agasalhar urna familia
ioleira, fazia com que o s pae e o filho ah es-
tiressem a vontade, da outro lado um leito mui-
to aemelhanle, occulio por urna cortina de aar-
ja azulen partilhado por CorlsinJa e Margarida I
Nesta metma sala comia-se, cosinhara se ; e
cavalleiro ah entregara-se a noute a suas areri-
guacoes scientiricaa ; e Corisanda fiara ou osia
to pslo cavalleiro, em despexa
tanta elle dormir sob ama ch*
aentar a asa masa lodos os ca
procara-lo a hora da comida
fallando da sua houpeoa, o
se delle, davam-lhe sempre o
nhor de, e ol sbtrivaoi sm s
os aapalos portafl
Nada disto era pito servil
do psssado, e aim urna i Herencia ins
dignidade do carcter. '
O cavalleiro era estimado, e tanto menos fal-
lado, porquanto era um dos mais pobres da fre-
guezia.
Todos haviam gaoho na venda dos bens na-
cionaes. S elle nao tirera um meio de augmen-
tar seu pequeoo domioiq.
Entretanto era o msis salisfeito ni apparenel,
porque dispensava sem parcimonia sua diminuta
renda, e at fazia favores.
Nioguem o tema, quero dizer, nao o corteja-
ram com esses modos bypocritas, com que sio
tratados osavarentos ; porm estimaram-ao tan-
to quanto ae pode amar um auperior.
Geralmente, deremos contessar, n&o succede
assim.
Tantas atlenges, respeito, espirito de justiga,
tem ocamponez em suas relagdes com oa ds sua
classe, quaudo se torna astucioso, desconfiado e
secretamente hostil contra aquellas que Ihes sio
superiores em fortuna, nome ou educagio.'
' o resultado desta vida emparedada pelo iso-
lameoto, que modificar a civilisagao cresceate ;
para julgar-ae o campooez preciso por-se em
susa condigdes e nao affastar-se dellas.
Octavio comprehenleu a situagio deste ramo
de aua familia, vendo entrar muitos risinhosqae
riaham procurar o cavalleiro para falltr-lhe, e
que nio o echando, retiravam-se depoia de terem
polidamenle indagado o motivo de asa ausencia.
Algamai visiabas curiosas riersm admirar a fi-
gura e o uniforme do bello capitio, porm, nio
foram indiscretas nem maldizenles.
Era evidente qae Corisanda era sempre a seas
olhos a doozella, e que temaos cooduzir-se mal ^[\l''
Corlsaa
_ iro(
P-!___
rsalguep^s,
tenSa.
qua o onvidoa
r rime,
essioo ; apa-
nossa prima Hor-
o, respondeu Octavio, Dio ma di*
ante. Porm quero ror m tua
em eoopaKio
vert
pase
01
esta
Lucia* Has 0 jveotal de sua irmit-
zinha, afal mversara com Octavio.
Nao aeha istn i mala bello do que o cas-
lello de Germandn No sea grapde jardim nao
se veem destas flore io ba.ribeiros que mur-
murara ; nem tantos -lago'slios qua otos se quer 1
Crelo que teaf Ottario,
que sentindo-se cada rez mal! D diaposto, co-
megava a a preciar o encanto irtameote
isto aqui muito bello, e ti alto bem
nao cortar estas arvores ; parq* O taoclo-
na corta-las, nao assim f
Oh 1 de forma nenhums t Bill que nn-
guem tocar nellas antes de Margarit i casar;
porque isto ser o aeu dote. Para este tempo
ellas Valerio uos dez mil francos se continuam a
crescer como agora.
Apage Como conhecea os negocios. E (a
dote ? Sabes sem darda onde acha-lo?
Sim, sei, acola em cima.
Na torre ?
Nao ; atraz della. Mallas pessoas tem pe-
dido a meu pae que mande abater a torre, para
comprar-lhe aa pedras de cantara, porque nio as
ba boas no paiz; porem elle disse : Quaodo to-
das aa pedrea forem vendidas a a lorre destrui-
da nao tornar a apparecer. Seria melhor pro-
curar a pedeira do onde aa tiraram. Alfanas
pessoas zombaram delle, e Ihe disseram : Eatas
pedras vleram de longe. Nanea boato pedrelri
no paiz. Poram os Romanos quem trosxeram
os materiaes da torre, nao se sabe d'onde. Elles
eram muito feiticeiros, constrsiram obras qua
ningaem pode reedificar. Mea pae daixou-os
Fez umi escavagio do lado da torra
com ama pesaos alTavel obsequiosa que. a lodo, ^ buraco, que UnhVrtd. f tos pelo, an
os respeito. .e conduz.a lao bom. lig0| e ondfl ^ his ^'^ ^ ota
excavagio cima do terreno, e ahi .6 haviam pe-
dras que se esmigalhavam como pao ; por baixo
s bavia areia do rio e todava elle dira :
FOsLHETIM
e no enlrelanto este interior, era lio casto como
o de urna cellula, e tambem conservado como
umaalode visitas. Senta-se ahi a incensante.
vigilancia e a pacifica actividade da mulher que
empregou niato toda sua vida, pascada e futura,
cajos sonhos nao fraoquearam jamis e curto
borisonla de sua esfera.
O pateo era tio'acetado como a casa. Por urna
inevagio que parecau um pouco audaz a aeus
risiohos, o cavalleiro reservava diante de aua
porta um recinto gradado que nao era transpoa-
to pelos animaes domsticos, e que impeds que
at galinhas lbe entrassem em casa, Urna latada
de dematitis o sombreava, e o solo era areiado.
Um aceiojtoextraordinario admirava as pessoas do
lugar, e nao obstante tudo ter sido dispo.to e fei-
pellos
Octavio era etfomeado, e forgoao lbe foiaorrir
vendo apparecer depois da ommelleta duaa per-
dizes, quo o cavalleiro bavia morto em aeu do-
minio, ama salada e um queijo.
Tudo ahi havia, al fructas. S taltou vioho ; o
lugar nao o produzia, e nio havia dinheiro para
compra-lo.
Corisanda confessou isto sem acaobamento al-
gara, e o capitio gaboa a cidra francamente, nao
obstante ser ordinaria ; porm aeu coragao e es-
tomago, teraamenle dilatados, nio estavam de
forma alguma disposlos critica.
E' aiogular, dizia elle a Corisanda, que sju-
dada do. meninos, servia-o com urna graga en-
cantadora, e sem enfada-lo com vias ceremonias :
acho-me aqui o mais feliz do mundo 1 Esquego
tudo o que me aborrece e irrita em outra parte.
Acho seu interior e sua existencia arranjado.com
urna arte, e prudencia extraordinaria. lia em ana
casa justamente todo o necessario para ser feliz,
e refleciindo-se, reconhece-se, que tudo que nio
ba aqui intil senio nocivo para a indepen-
dencia, razio, e saude. Gomego a comprehenler
porque ae julgam felizes. Este, meninos... e eu
que aborrego os meoio 1 aio tio bellos, oca-
gados e servicies. Eu ama-los-hia... amo-os
talvez I Margaridinha c asente que_a abrace?
Como ella aceiada, a sen affectagio, e como
tem a. faces rosadas... L' a aenhora minha prima
quem sabe tornar oa meninos supporlaveia, a po-
breza elegante eos coragOes enfermo., de saude ?
Eu desejaria, que seu irmo cbega.se agora. Fui
grosseiro bootem com elle, e clmenlo I nao o
estou mais, e pedir-lhe*hia a aua amizade.
Bem I muito bem, disse Corisanda batendo-
lhe brandamente no hombro. Porm, porque te-
ve ciumea?...
Ella parou vendo que Luciano a ouvia.
Tive ciumea, replicou, pensando que meu
irmo herdaris?
Sim, aim, isto, dis.eOctavio ; foi um mu
peosamento que deleito, e de que quero ser cu-
rado.
Bom 1 disse Luciano. Eu hontam bem re-
parei isto. Por esla razio tambem nio o estima-
va, porm como tornou-se bom rapaz...
Tu me perdoas? respondeu Octavio, pon-
do-o a cavallo sobres perna, e deixando-o bro-
car com aa suas dragonas. Ora 1 sejamos amigos 1
Queres ir a guerra comigo ?
. Daqui a mais algvtn tempo, nao digo que
sio ; porm agora, bem v que preciso que fi-
que com meu pae para ajuda-ln a herdar.
ah e jutgas que elle bordar '! Ests certo
disto, talvez I
Sim, estou 1 respondeu Luciano com um
serio imperturbarel.
Veja como sio o. meninos I disse Corissn-
da rindo-se, nio duridam de nada ; porm como
que teu pae abrir o famoso cofre, risto nao
rollar ao castello ?
Oigo-te que rollar, respondeu Luciano
aoimando-se ; elle voltar, porque Ihe direi que
assim preciso. E bem sabes que elle me al-
lende 1
Quaodo nio dizes loucaras I e agora tu as
dizes. Fallas por fallar I Farias melhor levando
teu primo para dar um passeio emquanto levanto
a mesa.
Octavio preferira Qcar ; porm tema incomo-
A FILHA
DO
Fotte e violenta balia a chura sobre o. tectos e
calcadas de Londres : era isto era melado do
mei de margo de 1827. Aenava-ms no meu ga-
binete espera de quem viesse consuttar-me
ninguem apparecia. Sem duvida os meusdoen-
te. por muito qae psdecessem nio se streviam a'
aventurar.e na. ra. innundadas, e as.im com-
prometer mais os restos de urna snnde j bastan-
te compromettida.
Medico joven, como era entio, o meu coragao
estava isenlo da insensibilidade que a looga pra-
tica prodaz, pois senta anda vira mente os sof-
rmenlo, dos meussemelhantes. Esse endurec-
meato, que a experiencia traz consigo, nio tioha
ainda fechado a mioha alma i todas as emogoes,
e sozioho no meu gabinete de estudo com os co-;
to vellos apoiados no panno da chamin, os olhos
tixos no cu d'onde se desprendiste torrentes d'a-
gua, reflcctia tristemente na impotencia da me-
dicina, e da legislagio para curarem os males
do corpo e da alma.
Na lista dos meus doenles tioha eu um pobre
pedreiro, que lodas a. mantisas Irazia-me para
cultsm o seu estado rerdadeiro, e escreveu-me
I do campo pedindo-me que consultaase um me-
| dico hbil. Espero que me fallar com toda a
franqueza, doutor.
Mas, mioha senhora, aem ter risto a doen-
te eu nada posso dizer de positivo. Os melhores
| mdicos nesles casos fundara as suas obserragoes
em meras conjecturas.
Far-lhe-hei saber toda, as particularidades
necessarias. Conhego muito a minha amiga : ba
bem pouco lempo que estivo com ella.
Como quizer, senhora ; estou s suas or-
den..
Sentei-me defronte della, langaodo sobre o re-
logio, que tirei da algibeira, um desses olharea
admoestadores, de que fazem tio frequente uso
os mdicos e os advogados.
A pessoa de quem fallo tem mais alguns
annos do que eu : andar por trala, os meaos
anda. Pesare, recente, e crueis, porque paa-
sou, commoreram-na bsstaole, e cootribuiram
para alterar-se-lhe fortemente a .sude. Essa
pessoa na rerdade tem aoffrido muito I
Sem duvida a sua amiga foi mal succedida
em algumas esperanzas, que Ihe eram bem gra-
tas: parece-me j comprehenderpena, do co-
ragao, nao isto mesmo ?
Pouco mais ou menos. A minha amiga te-
ve urna affeigao bem terna, muito artiga j,
bastante honrosa ; estsra para casar : mas so-
brevienta obstculos difficeis de demorer-se qae
se oppunham realisagio do. sea. desejos. E'
urna historia muito longa, e eu nao quero sacri-
ficar a nossa entrerista a urna narragio tocante,
porem romanesca. Essa pobre amiga seotiu-se
ver um menino escrofuloso, molestia que come- affectada do peito ; recela que a tsica ae declare.
gara a affectar egualmente a sua mulher: causa-
va-me d esta mi.erarel familia..
Urna visita a essa gente nada me custa, di-
zia eu comigo mesmo : alguns passos de msis I
E dispuz-me a pratlcar urna boa acgo indo ao
triste asylo daqselles enfermos obscuros.
Era fim um lerrivel accidente veiu complicar a
sua situagio.
Eu me tinha levantado, e achira-me junto
chamio com o relogio na mi, suppondo que se
tralava de alguma deasas consultas Insignifican-
tes, com que as mogaa roubam muita. vezes ao
O meu cabriolet esperava-me porta, e a chu- madico um tempo precioso reclamado por verda-
Ta continuara a cahir cada vez mais forte : nes-
se Interim entrou-me no gabinete urna moga de
cerca de vinte annos, cuja phistooomia revelava
grande agitagio, e cojas maneiras annunciavam
hbitos dstindos.
Essa moga era delicada, esbelta, de nm lalhe
elevado ; o sea andar era gracioso ; o vestido
molhado pela chava desechara coa.molla per-
feicio formas elegantes.
Vejo que vae sabir, senhor doutor, me dis-
se ella ; pego-lhe s poucos minutos de alten-
tenha a bondade de seo-
ama ciideira em que
gao
Minha senhora,
tar-se.
Conduzi-a para junto de
ella se deixou- antea cahir.
Joio, atice o f0go. A senhora deve e.tar
traapassada de fro ; algumas got ts de vioho Bor-
deaux ha de fazeNpe bem Aproxime-se
chamine; converslftemos por a.gum tempo, se
bem qae dero preveoir-lhe de qae tonho hoje os
momoto contados.
- Oh 1 8r. doutor nao a^aarel do. tena
momentos precioso. Aquecerei apena, os ps.
Nio se trata de mim, senhor, ma dn ama amiga
que multo preso, e sosia a asa siiude venho pe-
dir-lhe alguns esclaredajotos bem precisos. A
minha amiga est doerrt^Efecnla que Ihe oc-
vu
deiros soflamemos
Mas a esta patarra accidentecomecei a crer
que se tratava de alguma cousa serla, em que
poderia ser til, e seotei-me outra vez. Causa-
va-melmpresaioo embarago da mo;a : havia pou-
co nexo na sua historia, e o ioteresse core que
falla va da doente, parecia-me terno de mais, e
deraais profundo para urna amiga.
Qual foi o accidente, minha senhora ? per-
gunlei-lbe.
Urna queda que deixou-a estendida no
chao : pa.aou-lhe por cima do pello um cabrio-
let, e julgaram-na morta por pouca. horas.
Qoebrou alguma costella ?
Nio, Sr. Dr. ; mas soflreu borrivelmente.
Escarra sangue ?
Sim.... parece me que aim.
E a moga fingu procurar urna carta em que
deviam achar-se esclarecimeotos minuciosos.
Reparando para ella com mais attengao vi que ti-
nha os olhos ebeio. de lagrimas. Custara-me
muito a conciliar essa tio riva emogio com aa
isas primeiras patarras.
Permilta-me, Ihe disse eu, que Teja e.a
carta em qae sem duvida estario os apontamen-
tos enviados sobre a saude de sua amiga.
| Perdi, me refplicou ella, ha ahi atgaos na-
godos muito particulares. J die ao Sr. Dr.
sv .
que eslive com ella ltimamente, e posso dar-lhe
os esclarecimeotos precisos acerca do sea estado.
Esta pessoa sent alguma or no peito ?
Sent, do lado direito.
Tem febre noute, e pela manhia ?
Tem, Sr. Dr., e nessas occasides as miosQ-
cam muito quentes : sent urna especie de afflic-
co e ioquietagio geral.
E' incommodada por urna tran.plragio abun-
dante ?
Sim ; noute principalmente.
E toaae ?
De urna maneira dolorose, segando me
disse.
A' que tempo tem essa toase ? Antes ou de-
poi. do accidente?
Se bem me record, um anno depois do seu
casamento j a tinha...
Do seu casamento 1 exclamei eu.
A moga esquecera-.e de que me havia dito
nio (er podido sua amiga ca.ar-ae como deseja-
ra. Comprehendeu que acabara.de cahir n'uma
contradicoio, e vivo rubor coloria-lhe repentina-
mente o paludo semblante.
Desculpe, eoganei-me... queria dizer um
anno depois da poca em que derera ter logar es-
se casamento.
Deque natureza essa tos.e? urna tosse
secca, muito repetida ?
A principio nio era assim to iocommoda ;
mas depois tem soffrido extraordinariamente.
A pallidez da moga augmentara cada rez mais:
ama auspeila passou-me pelo espirito como um
raio que atrareaaasse as nurens.
Minha senhora, pego-lhe que seja franca ;
est me parecendo qae essa amiga a senhora
mesma. Vejo-a na verdade multo indi.posta.
Re.ponda-me: nao lato?
A moga estremecen, e o seu embarago aug-
menlou de um modo bem risirel. Procurou aio-
da occoltar a pertarbagio que a agitara, e che-
gou mesmo a bilbuciar ama ootra perguota aem
sentido. Afloal dis.e:
Se aoabe.se, doalor. que pena me faz o es-
tado desia peas.oa, e o. receioa que me inspira...
Tio boas qualidadas 1 Tanta distinegio 1 E se
Ihe eu dissesse quanto a amo l...
Tranquilli.e-ae, senhora : torne a si, e con-
tinu a dar-me os esclarecimeotos que sio pre-
cisos, para que su possa de urna maneira efflcaz
ser til pessoa que tanto Ihe interesas.
Pois bem, replicou com a voz ainda trmu-
la; diga-me francamente, doutor,o qae pensa ?
Pode harer alguma esperangs, oa o mal aem
remedio?
Todos os symptomas, que a senhora mein-
dicoa, aSo graves o psrlgoaos.
Neste caso sio perdidas todaa aa esperan-
gas? perguotou ella cam a vos tio fraca, que
mal podia ser oavida.
E'-me impossivei responder sem primeiro
ver a doente, e interroga-la sobre mil circums-
taociss pequeoinas, e que sio entretanto bem sig-
nificativas. Ella deve ter o seu medico assis-
tente...
Tem... sim... tem..'
A sua hesiugio continua va, e eu a attribaia
diffintdade M*J tioba em sustentar ama rasntira,
llrBealdadsvWlsrente s nsturezas boas e -
Se o estado de fortuna, M que as) cha a
lioave ahi urna grande destruigio, sstou certo
disto, e visto que em muito. lugares o granito
penetra na trra, e qae a torre edificada da
grioito, devo achar urna areata continua de gra-
nito, que ser possirel um dia explorar. Tanto
procurou, at qae achou. E' verdade que nio te-
mo, ainda o meio de fazer o. primeiro. traba-
lho., porem haremos de te-lo, e meu pae sem-
pre me diz : S tranquillo, tens ali pao para leus
relho. dias 1
Cispite I disse Octavio admirado do bom
senso de seu priminho, como fallas sobra essas
cousa. 1 Coaheces o granito, .abe. o que 4 urna
destruigo, urna aresta, fallas dos Romano, como
um homem de.abusado I E* teu pae quem te en-
sina tu lo isto ?
E muitas outras cousas ainda ; porem dis-
ae-me que nio devemos gabar-noa do que sabe-
mos, e pego-lhe, meu primo, qua nao m'o por-
gante.
Nio corre risco algum, meu primo, nao soi
capaz de (azer-te passar por um exime. Sabes..,
.aba, disse elle vendo chegar Corisanda que aca-
bara sen trabalho, q fui muito mal educado ? e
que, os aeohores com seus modos de campone-
zes me excederiam em muitos pontos ?
Este menino tem muito desejo d aprender,
respoodeu Corisanda, e o paa deve saber muito,
porque logo qe tem alguma bora vaga, est
agarrado com os livros. Porem eu nio aei nada
absolutamente. Nao tenho tida tempo de apren-
der.
Pelo contrario, a senhora abe muito, mi-
nha bella tia. Aposto que adevinha pela ponta
do dedo muitas comas que ignoro.
Sim I e eu aposto que nio I
Primeiramente, abe ordenar urna cass, de-
pois coser....
Ob 1 sim I cosinhar tambem alguma cou-
sa, fazer meias, cortar camisas e mesmo vesti-
dos. Se falla sobre isto, sei muito para urna cam-
pooeza.
E a cultura das trras ? Aposto que sabe
cultivar um jardim, e mesmo un campo e um
prado ?
E como o oSo aaberia eu ? Conhego tam-
bem a dispeaigio e arraojo de um moinho, a cal-
tura de urna mata, quaodo e como preciso
plantar, semear, colher tudo O que cresce sobre
nosias trras. Se eu nio o aoubesse, porque
seria cega ou preguigo.a.
E como a aenhora activa e perspicaz, co-
mo aeu chefe de familia um homem instruido,
resalta disto que se tivesse urna grande trra a
administrar, e urna casa a governar, seria mil ve-
zea mais intelligente e activa do que urna jo-
vea educada na. sociedades, sabendo dansar, to-
car piano e toucar-se a grega, ou a romana. Mi-
nha prima, a senhora conheceu aua av paterna?
Aquella, cujo nome teoho ? Nao I eu nio
era nateida ainda quando ella morreo, porm
dizera que seu retrato existe no castello do de-
fanto marqaez e algumas peasoas dizem que me
parego um pouco com ella l
(Continuar-se-ha.J
pessoa deque falla, Ihe permute viajar oa Italia
e ao si da Frangeque o faga immediatameote,
pois o conselho mais til qae Ihe tenho a dar.
Receio qae circamatancia. particulares se
opponham a isto.
Mas nao tem familia que a poisa ajudar?
A sua familia nada far... nada absoluta-
mente para salva-la 1...
E forte convulsio agitou-lhe os membros ; len-
tou leraotar-se do seu asiento, mas nelle toroou
a cahir, exclamando em pranto :
Bem o vejoestamos perdidos! Perdidos
para sempre I Oh I meu pobre marido I Est tu-
do acabado; j nem urna esperance podemos
terl...
Acontracgao de suas feigoesaugmentou, e aps
alguna espasmos violentos, aeus olhos se fecha-
ram, ecahiu n'um desmaio de que a cusi con-
seguiu arranca-la.
Eolio comprehendi o innocente artificio em-
pregado por essa moga, am de certificar-se do
rerdadeiro estado em que se achava seu marido.
Quando toroou a si, abundantea lagrimas cor-
nam-lhe dos olhos, e do peito se Ihe escaparam
gemidos, que me cortaram o coragao :
Desculpe, Sr. doutor, desculpe; eu o en-
gaara : bem v qae nao estou costumada a
mentir. Tenha piedsde de mim I Sou 15o disgre-
gada... Oh 1 louca 1 louca I para que vim eu con-
aultar-lbe? Nao seria melhor consirrar a minha
ignorancia, que me permillia ao menos cooceber
urna esperangs, ainda que raga? Agora, meu
Deus Iagora est ludo perdido... Meu marido I
meu marido !...
As convnlies recomegaram, e debatendo-se a
moga eos bragos do meu criado que acudir ao
ruido, o aeu lenco cahiu no chao, e rolou no as-
soalho um guinu que ae achava embrulhado
n'um pedago de papel.
Algumas particularidades nos seus vellidos, e
algumas patarras de sua conreraagio deram-me
aconhecer urna pobreza real oceulta aob aquella
appareote elegancia. Tornei a atar n'um canto do
tengo o guinu, que era o prego desuado con-
sulla medica, e que fora lalrez arraneado a lon-
ga. e doloroia. ecooomias.
Pedi-lhe que subiste comigo aomeu cabriolet,
e me conduzi.se no mesmo Instante aa cata ;
recatou, pretextando que a apparigio de um me-
dico seria perigoaa para seu marido, visto como
se achara elle ainda illudido acerca do seu esta-
do. Muito commoridocom aquella scena, fl-laao
manos promeller que me tornara a procurar, e
pedi-lhe que deixaasa para outra ves o pagamen-
to da consulta que queria absolutamente satis-
azer-me.
Ora bem ; dizia eu fechando a porta depola
qae ella se relirou com paaao varillante: eis-
aqui ama pagina sombra da vida humana que
vae abrir-ae a meua olhosl A dor do corpo e da
alma, unida dedtcagio aem proveito, e virlu-
de ignorada 1 Sempre a contiauag&o do grande
capitulo social, sempre as mesmas miierias, e a
meama injusliga, transformadas, em le, e coitu-
si I *
. Panado! dias aorprenda-AJBpe arredore, da
Chaocery-Lane um desses agttalros que multo
sbondaram no mez da margo
bilhete de visita, qaea]a.via
moca,dera-me a eoancer qu
madama Elliott, e qui widia. ao
Coart, pequea roa qae desemboca em Cbance-
ry-Lan.
Eu nao ia em cabriolet, e a chava cumegava a
molhar-me a roupa. Velu-me ao peosamento re-
colher-me a urna loja, oode talvez podease obter
alguns esclarecimentos acerca daquells senhora,
que me havia muito intereaado, e que seria na-
turalmente conhecida na vizinhanga.
Enorme taboleta encarnada, toda ebeia de Ul-
tras pretas, indicav que William Parren achava-
so autorisado a vender todoa os objectos proprios
do commercio. Entrei oessa loja, pequea e obs-
cura, accumulada de artigos do especiara curio-
samente arrumados, cujo dono, baixo e cdxo, de
rosto vermelho e earugsdo, oceupava-se em pre-
parar alguns embrulhoa.
Seria impossivei distinguir o que por ali havia
osauelle receptculo tenebroso, se duas candeiaa
collocadas no balcao nio o allumia.s apezar ds
fumaga que deltavam. O noiso homem tinha *
appareocia de um velho rato ao meio de suas
provitdes subterrneas. Pedi-lhe permissio para
seotar-me em um banco que l se achava at que
a chu va passasse; contenliu cortezmente. Era
um verdadeiro palrador, e nunca cansava fallan-
do doa seus viziohos e vizinhas, urna vez que
deixassem-n'o estender-se acerca da excellencia
e superior qualidade dos seus artigos.
Quando Ihe falle dos Elliott, disse-me:
Oh! conhego-os: Toe-k's Coart n. 4. Ha
dous para tres ase] que ahi reaidem. O marido
nao goza de boa saude, e tambem nio dou mullo
pela da mulher.
Sabe em que se oceupam, e que profisto
(eem ?
Quanto a isto, replicou o especieiro alon-
gando o seu labio inferior, esutpeodendo osocu-
los al a fronte calva, como se procuraase des-
pertar o peosamento, quanto a isto nada posso
dizer exactamente. O mancebo parece-me que
fot empregado no commercio ; ensinou tambem
msica : e a mulher trabalba em costuras.
Eu tioha na algibeira o bilhete de visita, em
que madama Elliott escrevra o aeu nome nessa
letlra miuda e elegante, cujos menores tragos an-
nunciam urna fina educagio. Admirava-me que
fo.se de urna costureira a mo que havia tragado
aqaelles caracteres.
Ao qae parece, elles nio aio felizes, repli-
que! eu : os seus negocios nao vio bem ?
O senhor empregado da justiga? me per-
guntou o velho, piscando o olho, e tratando pela
ioflexao da aua voz o horror involuntario que ios-
pira um ofQcial do justiga meamo aquellas que
o empregam.
Nao : aimplesmente no ioteresse dos
Elliott que fago estas perguntaa: conhego -os pou-
co. Eolio nio esli elles em boas circumitan-
ciaa?
A fallar a verdade, acho que nao. Falta-
lhea o crdito; entretanto pagara bem, justiga
lhes seja feila. Tambem o que gastara muito
pouco, muito pouco. A' principio meia onga de
,ch de tarceira qualidade, a urna libra da aasuear
todoa oa diaa, boje gastaos o mesmo de quatro em
quatro dias, e tudo de qualidade inferior 1 Mas
spram s dinheiro s vista ; antas isto. Alm
que o meu cb mais ordinario vale bem os
melhorea que por ahi veodem : permuta que lh'o
memiiuhoeomamiraveUesI re para um
Son
cdxo, mas natural nos da tua proflsaio, trepou a
um lamborete, agarrou urna caixloba eovernizada,
cuja lampa fez saltar com urna pressio do dedo
index, e despejou na palma da mi esquerda urna
mistura detettavel de folhas da vioha a de abra-
ohos silvestres, que assemelhava-se com o cha.
Aquella qualidade que chamava elle superior pa-
recen-me digna de um premio de invengio, e
deixei o honrado fabricaote tornar a despeja-lo
na caixiuha continuando os seus commeotarios
magnifico, sobre a propriedade medicinal de.ia
eslranha composigio.
Os meus prego, sio rasoaveis, cootinua
elle, e nio compreheodo a razio por qae madama
Elliott nao vem mais vezes comprar aqai, alvo
a ella e sea marido vivem na mais restricta eco-
noma.... A ultima vez que c veiu queria um
bocado de tapioca e de sag para aquello; infa-
lizmeote de ambaa aa cousaa uio me re.tava nem
um grio. Vendo muito, meu caro aenhor, mal-
lo ; apezar de ser pequeo o meu armazem, como
v. Sobreludo o arroz, que teoho, muito pro-
curado, por ser de urna qaalidade til saude.
Quero moslrar-lhe o meu arroz de primeira qai-
lidade.
Est boro, veref spois. A* proposito nao
mediase que o Sr. ElUott dava ligos de mu-
sica ?
Dava, sim ; e toca flaota muito bem : eu
mesmo tive a boodade de- recebar carta suas
quando elle se apreseatava em aonuocios pelos
jornaes. Porm s lbe conheci um discpulo....
E agora ?
Agora ? O discpulo parta, e a flauta tam-
bem ; urna bonita flauta preta com chavea da
prata. Vi urna egual em casa do Sr. Brokiog,
que mora ali eaquina do lado esquerdo, e qae
empresta dioheiros sobre penhores. Sou capaz
de apostar cem contra um em como a mesma
flauta do Sr. Elliott, que talvez tenha por ella-ob-
tido dinheiro a cioco por cento: muito mu ae-
godo tomar emprealado sobre penhores.
E' mu na verdade.
Tambem, continuou o especieiro tagarella,
a perda nao grande. A flauta prejudica o pei-
to, a o Sr. Elliot nio robusto. A mulher bem
Ihe dizia com a sua vozioba doce Meu caro
Eugenio, nao toque, esta maldita flauta. > ASra.
Elliott tem a voz de urna daqaeza, ou de alguma
cantora qae representa os principies papel, em
Drury-Lane. Sempre quiz ver ae o .eu caro a
e.perava aporta; ma. qual se vem ella mea-
ma comprar um sold de quilquer cousa I
A entrada de um fregus oecapou a attengao e
reoal cortezia do relho especieiro, que tornos a
puchar o. oculos para o aeu ossudo naris. Afloat
a chuv. cessou.eeu deipedt-me delle agrade-
cendo-lha o abrigo qe me hari prestado s saa
casa.
(Coninar-M *o.)
PlRN.tt?. DE U. F.DE FARIA 9r I|lfi0. V32.
"*-*
I
*

i
-rili a rvXl


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ETJFX4H9E_RT0MR9 INGEST_TIME 2013-05-01T00:57:56Z PACKAGE AA00011611_09944
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES