Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:09941


This item is only available as the following downloads:


Full Text
' .-'
r
T1
'
'- '"

*


IMSr
trw neies tdi'aBtadtV>|0Oo
treg aiezes rcvcidos 6f00
SABB1D0 14 DE JNH DE IM.
' m *j na
Por aino diando i9|00O
Porte fraico para subscriptor
MARIO DE PER1VAMBICO.
EJICARREGADOS DA SUBSCRIPTA O DO NORTE
Parahyba, o Sr. Antonio Alexa idrino de Li-
ma ; Natal, o Sr. Antonio Marque da Silva;
Aracaty, o Sr. A. da Lemoa Braga; Cear o Sr.
J. Joa da Oliveira; Marauhlo, i Sr. Joaquim
Marques Rodrigue; Par, ManoelPinhiiro *
C; \maaoo, o Sr. Jerooymo da Costa.
ENCARREGADOS OA SUBSCRIPTO DO SOL
Alaaoas, o Sr, Ctaidino Falsao Dial; Babia/
o Sr. Joa Mirtina Airea ; Rio de. anuiro, o
Jlo Pereira Martina.
PARTIDAS DOS CORREIOS.
Olinda todos oa diai aa 9) borat do dia.
Iguarass, Goianna, a Parahyba naa egund*
o aextai-eirai.
S. Antao, Bezerros, Bonito, Caraarfi, Altinho
Garanbiina naa targie-fer**.
Pao d'Alho, Naiaretb. Limoeiro, Brejo, Pes-
queira, Iogazeira, Flore, Villa-Bella, Boa-Viata,
Ouricury Ez nai quaitaa-feirai.
I Cabo, Serinhem, Rio Forraoao, Una, Barreiroa
Agua Preta, Pimentelraa Natal quintas feiras.j
(Todos oa correios partem aa 10 horas da manhiaj
IPHBMERIDES DO HEZ DE JUNHO.
5 Quarto cresceote aos 2 minatoa da manhia;
[12 La chela as 3 horas e 35 minuto 4a man.
18 Quarto minguan l* aos 31 minutos da tarde;
|26 Laa ora aa 3 horas 35 minuto da larde.
PREAMA1 DE HOJE.
i
Primelro as 5 horaa e 18 minatoa da tarda.
Segando as 5 horas a 42 minutos da manhia.
FAKTIDA DOS YAFORKS COSTEIROS.
.1 "f. ?' W Alagoas 5 20; para o norte
ata a Granja i 14 e 29 de sada mez.
PARTIDA dos oaniBcs.
"" R"e: do Apipucos s 6 li2, 7, 7 Ii2, 8
8 1|2 da m.; de Olinda ia 8 da m. 6 da t.: de
Jaboatao s 6 1|2 da m.; do Caxangi e Yanta
1 i m-'l d" Bemfiea s 8 da m.
4 1|2, 5, 5 li4, 5 112 a 6 da t.; para Olinda as 7
da m. a 8 1(2 da t.; para Jaboatao s 4 da t.; para
fif Vmrua S* 1'2 d* '*' P"a */
AUDIENCIAS DOS TRIBUNAES ya CAPITAL.
Tribunal do eommercio: aegundas e qointis.
Relacio: terga a aabbadoaslO horas.
Pazenda : qnintas s 10 horss.
Juio do sommereio : segundaa ao meio dia.
Dito da orphoa: larcas a asilas s 10 hora.
Primaira Tara do cirel: tercas a titas ao meio
dia.
Segunda vara do eivel: quartase sabbados l
hora da tarda.
I DAS DA SEMANA.
,2 5eg,nda- Mo a Fallelano mm.
10 Tere. S. Margar id a raioha ; S. Galaiio.
Ill guara. S. Bernabi ap ; S. rizio monga.
12 Quinta. S. Joio da S. Facundo; S. Onofre.
13 Saxta. S. Antonio f. padroeireda prorincia.
14 Sabbado. S. Bazileo Magno b.; S.Eliaeo.
15 Domingo da SS. Triadade ; S Vito m.
AsSIGNA-SE
no Resle, em a livraria da praea ta Indepen-
dencia n. 6a 8,do proprietarios Manoel Fignei
roa de Feria & Filho.
PARTE OFFICIJLL.
Ministerio da justiea.
Decreto n. 2,923 de 14 de maiv de 186S.
Rerega o art. 26 do decreto n. 863 de 17 de no-
vembro de 1851.
Het por bem, de cootormidade com a mioha
imperial e immediata resolucao de 12 de abril
tumo, tomada aobre a consulta dasetgiode
justiga do comelho de e eatado, decreta o se-
guinte:
Art. 1. De cada um dos interpr te i do eom-
mercio da praga do Rio de Janeiro cobrar de
emolumento pelas certide que passar, pelas
trducgoes que flzar, e pelos actos que praticar
nos termos do art. 10 1., 2., 3 e 4. do decre-
to n. 863 de 17 de novembro de 1831, o se-
gainte :
.-A*' ,De cada mel folna de Iraduccio ou certi-
tidio (art. 10 1. do decreto n. 853) 28, pago
pelo intereasado, no acto da entrega da tra-
dcelo.
Esta quantia derid* anda que a traducglo
ou cerlidao nao preencha urna Iaudu.
t ik ,r,duc5a0 certido liver oais que meia
'Iba, eada lauda contera palo menos rile o cin-
co lionas, e cada liona pelo meros trinta le-
Se s tradaegao for ordenada em consequencia
de procedimeoto official, eites emolumentos a
serao cobrados a final, se honrar enndemoagio.
2 Por exames, para verificagio da exaclidio
deoutra traduegas (artigo citado, 2.),6| de
".d*M?5"IB, pag0* D0 &na delIe > lJ"* 1ue
ntaresaido preparar o juizo.
Se o exame durar mai* de nm dia, o juiz co
fimdelle decretar aos interpretes urna diaria,
que nio ser menos de 4#500.
3". Por verbaimente verterem em liogua na-
aIo?8lJ5X,^poa,a, ou dePOmento (nttigo citado,
5 ) 1oO0 de cada interrogatorio, u pela inqui-
aigao de cada lestemu'nha.ou informante.
4'. Por examioarem a exactidao da tradue-
goea dos correctores de navio (artigo citado,
4J, o menos que rencem no caso do n. 2, sendo
o exame judicial.
Sendo a averlgaecao extra-julicial, e por or-
cem no caao do n. 1.
oeAri" h ?'ca reTfs.do o art. 28 o decreto n.
w <**J1 de novembro de 1851.
Franwsco Be Pais de Negreiros Layo Loba-
to, do meu contelbo, ministro a secretario de
estado dos negocios da juet!c.a, aisim o tenha
entendido e faga execntar.
Palacio do Rio de Janeiro, em 1 de raaio de
,dAi^jr,'**na*m do imperio.-Com
incajde JjBpexador.- Francisco de
ala da Piegrelros Sayo Lobato.
GOVERWO DA PROY1KC1A.
Expediente do da 11 dejunha
de 1862.
Offiejo ao Exm. preaidente da provincia da Ba-
ha. Parecendo-me plausiveis as razoes expos-
4ss pelo brigadeiro commandante da armas, no
o Hielo junto por copia, sob o. 1164 a data de 10
do corrente, vou rogar V. Exc. a expedido de
saas orden, ifim de que aigam com brevidade
para eata provincia o otSciaes consientes da re-
lago, tambem inclusa pertencentes a ala direita
do (elimo batalhan de infaulsria. o qu es o ni se
acbam.
1 aooommandanta dai armas.. Ds copia
i da infarmajao prestada pelo inspector da
thesonraria de fazenda, ver V. Exc a razo por
que fdra feita em notas de 50&000 1., a ultima
remetsa de dinheiro para o pagameato do corno
de guarnigao deita provincia, e que "as qaantia
para fsso necessarias sarao enviadas ao collector
aTac8ra, ,08 1ue all naja um dedamente
afflaogado.Fies assim respondido o oflicio de V.
Exc. de 31 de maio altimo, sob n. 1032.
Dito ao ebefe de polica. Para poder aatisla-
zer urna requiscao di aasembla legislativa pro-
vincial, datada de 9 do corrente sob n. 19, infor-
ma V. S., primeiro qaal a tabella oraniad pa-
ra (ornecimento da casa de detenga o depois da
lei numero 511 de 18 de junho de lc<61, segundo
qual o parecer do medico da mesma casa sobre a
indicada tabella, terceiro quem fornece o susten-
to dos eseravos presos, e qaa quaniia se cobrs
do senhorea de taea eseravos pelo ajlenlo des-
tes em cada dia de priao.
Dito ao inspector da thesouraria da fazenda.
Rtstituo V. S. coberto, com a copia da carta
qae me dirigi o provedor da Santa Gasa de Mi-
sericordia em 7 do corrente, o oflicio do mesmo
provedor de 20 de maio ultimo, e a conta a que
He se refere, alien de que mande iolemnisar a-
quella Sants Cesada quantia de 1049220 rs. por
ella despendida desde o primeiro de fevereiro
deste aooo at o citado dia 20 de maio com a in-
terinarla dos cholencos eslabelecidoe no hospital
Pedro II, e bem assim pagar de conormldade
com o clcalo feilo pela contadoria dessi thesou-
raria, como se v do parecer a qa-i se refere a
sua informajo de 3 deste mez sol) 0. 508, as
dianas a que tem dlreito osafricanoi livres em-
pegados na mesma infermaria, e qae constsm do
offico do mencionado provedor, sendo as do de
nome Ventura primeiro. a contar ao atente do
primeiro al 16 de fevereiro, dala em que segun-
do consta da predita carta, foi mandado para o
hospital dos Lazaros.
Dito so memo.Ao negociante Praneisco de
Paala Mindello, mande V. S. pagar os venci-
mentos relativos ao mez de maio ultimo, de 12
gnardis nactonaes destacados na cidade de Na-
zaretb, ama vez que eateja em termos o pret jio-
te em duplcala que me foi remettico pelo res-
pectivo commandante aaperior com oflicio de 4
do corrente, sob o. 136.
Dito ao mesmo.Ao alferes Euzebo Gomes de
Argolo Ferrao, que vai destacar em Garanhuos,
pode V. S. manaar adianlar 01 veocimentos do
torrente mez, no termos de sua informaco de
faontem datada, sob o. 530.
Dito ao ioipector da thesouraria pr07ocial.
Mande V. S. pagar a Manoel Figueii de Faria
Filbo, a quantia de 309000 rs. em que impor-
ten a impreasio de 509 exemplares Cas portaras
da presidencia nomeando supplentis de juizes
munielpaes desta provincia.
Dito ao inspector do arsenal de miirichi,Em
vista do que V. S. ioformou em ofScio desta da-
is sob n. 221 com referencia ao reqorimeoto
dos operarios belgas Jean Wallers e Manas De-
hiero: conheeido por Matbiaa Clerc o autoriao a
dar por nodo o contrato porque se olirlgsram el-
les a servir nesse arsenal, promoveado V. S. o
regresso dos mesmos operarios para leu paiz pele
meio que r mala econmico *
onal do Reeife.-Haja v. s. de -ipedir snas
dos batalbdei da guarda nacional so! sea com-
mano superior, este s postada em Irente do ar-
cosa Santo Antanio da ponte do1, fe ,, n0ve
horas da manhia do dia 15 do corre J' a'fi d!
fleompanbar a procisso e asiistir a f..na do mei-
rao Santo, que tem de ser celebrsda na igrei do
Espirito Santo.
Dito ao commandante superior do Rio Formo-
o.Queira V. S. expedir anas ordens para que
urna guarda da honra tirada doaagundo bi tal bao
de artilharia da guarda nacional sob sea com-
mando superior aasista aos setos da testa de San-
to Antonio que se tem de celebrar na igreja ma-
triz de S. Jos da fraguezia do Rio Formoso, e
acompaohe a procisaio do mesmo Santo no dia
15 do corrente.
Dito a director geral da iostrueco publica.
Respondendo o sea oflicio datado de 6 de maio
uliimo sob n. 112, teoho a dizer-lhe que ple
V. S. autoriaar a directora do collegio dos or-
phos a comprar os oilenta e quatro corados de
chita e sessenta e um de cassa que ainda reatam
da que foi comprada para as educandas d'aqoelle
collegio, remetiendo-me opportunamente a res-
pectiva conta para ser paga.
Dito ao juiz de direito de Garaohuns.Cons-
tando de parlicipac&o da commissao benefleente
por isse juizo nomeada para a freguezla de Pa-
pacara, datada de 30 do mez passado, que all
se deseorolveu a epidemia do cholera morbus
chamo a attencao de Vmc. para aquello ponto
da comarca aiim de que providencie em ordem a
que os desvalidos sejam promptameote soccorri-
dos podando se julgar necessario marcar ama
diaria amqaoto forera de absoluta neceasidade
os servicoe do cidadio Jos Pinto de Aranjo
Madeira, iodicado pela referida commissao para
encarregar-ee do tratamento dos accommettidos,
tendo em vista os limitados recursos de que dis-
pe o governo para essa despeza.
Dito aojuiz de direito de Flores.Pelo seu of-
licio n. 20 de 13 do mez prximo Ando fiquei in-
teirado de que por grsssar intensamente a epi-
demia do cholera morbus nos limites do termo
da Villa Bella com a povoacao do Cear encarre-
gou Vmc. ao Dr. Francisco de Paula Gsvalcaoti
de Albuquerque da commissao em qae j estere
de tratar dos indigentes, o qual foi depois dispon-
aado na data do seu citado officlo.
Dito ao director das obras publicas.Inteira-
do do conteudo de seu officio de 7 do correte
sob o. 125, tenho a dizer em resposta que pode
Vmc. contratar com o arrematante da obra da
coberta do edificio do Gymnasio Provincial ,
mn."le 1aan,,a 0a 1:9009000 a collocajio de
1,900 palmoa correntes de travs que se ainda fa-
zem necessarios na mesma coberta e que por en-
gao deixaram de ser incluidos no respectivo or-
namento segando consta do citado officio.
Dito a Jos Pedro dea Nev.Naa leudo des-
conhecidos presidencia quando den a decisao
comante da portara dirigida cmara munici-
pal desta cidade em 30de maio ultimo, e a Vmc.
em 9 do corrente oa tactos por Vmc. invocado
em aeu offlcio de h00tem em contrario mioha
decisao.oao pooem elles sdTTPpara embaracar o
exacto cumprimento que Vm. deve dar a dita de-
cisai emqaanto pelo governo imperial nio tor
a questao definitamente reaolvida por copia c-
mara municipal do Recite recommendaodo qua
communique presidencia a execujioque Uvera
citada portara.
Dito a Jos Firmo Xavier.Ficando inteirado
pelo seu officio de 9 do corrente de haver Vmc.
ceasado o exercieio de jaiz de paz do segundo dis-
tricto desta cidade at que o governo imperial
decida a hypothese em qae se seba Vmc. eolio-
cado, tenho a dizer-lhe qae em cumprimento do
mea dever, nao poda deixar de aubmelter ao
mesmo governo todos os papis relativos a essa
questao.
Portarla.O presidente da provincia confor-
mando-se com a proposta do Dr. chefe de poli-
ca interino n. 943 de 10 do correte resolve con-
ceder a Manoel Ferreira Antunss Villana a exo-
nerarlo que pedio do cargo de subdelegado de
polica da freguezia de Sanio Antonio desta ci-
dade e nomeia pars o mesmo cargo o quarto sup-
plents Manoel Antonio de Jess Jnior.
Dita.O presidente da provincia resolve con-
ceder 10 dia de liceo$a com vencimentos so Dr.
Abilio Jos Tavarea da Silva, juiz de direito da
comarca de Nazarelh, para tratar de sua saude.
Dita.O presidente da provincia tendo em vis-
ta o que requeren Camillo Augusto Ferreira da
Silva, tenente do segundo batalbo da guarda na-
cional deate municipio reaolve conceder-lhe 6
mezes de licenca para ir corte.
Expediente do secretario do
governo.
Officio ao juiz de direito Maooel Jos da Silva
Neiva.S. Exc. o Sr. presidente da proviocia
manda acensar recebda a-partecipsao qne lhe
fez V. S. de haver reassumido hootem o exerci-
eio do cargo de juiz de direito da segunda rara
desta cidade.
Dito ao Dr. Jlo f raociaco Teixeira.S. Exc.
o Sr. presidente da provincia manda acensar re-
ceido o offlcio de 4 do correte em que V. S.
communicoa ter entrado naquella data, e na qaa-
iidade de suppleote no exercieio do cargo de jai
municipal da legunda vara desta cidade.
da Molla explicarles a respeito da retirada do
ministerio passado, e deu-as o Sr. marquez de
Csxias.
Continuou depois a discassio do roto de gra-
cas, oa qual fomaram parta os Srs. visconde de
Jequitinhonha, ministro da fazenda, visconde do
Uruguay, Ferraz, visconde deMaranguape, minia-
tro dos negocios estrangeiros, Pimenta Bueno,
Nabuco, D. Maooel e marqaez de Olinda, ficando
adiada pela hora.
Hootem, na cmara dos deputados, depois de
ter o Sr. Paranhos exposto os motivos da relira-
da do gabinete de que fazia parte como ministro
da fazenda, tomou a palavra o Sr. Zacaria, pre-
tideote do conselho, e tormulou o programma do
ministerio de cuja organisagao se encarregra.
Seguio-se ento um debate, do qual damos o prin-
cipio no lugar competente, em que tomaram par-
te os Sr. Torres Homem, Pedreira, Saraiva. Tei-
xeira Jnior, F. Octaviano, Fernandos da Cunha
e Fleury.
Pasjsado-se ordem do dia, conlinaoa a dis-
cusslo das emendas feitas eapprovadas pelo se-
nado proposicio que regula as promoedes da
armada. Fizeram algumas considerarles o Sr.
Rodrigo Silva e presidente do conselho, e Qcou a
discussio adiada pela hora.
29
Continuou hootem no senado a Ia diicuasao do
voto de grabas ; oraram os Srs. bario de Qua-
raim, ministro da fazenda, Souza Franco, Souza
Ramos e bario Muritiba, tendo o Sr. Silveira da
Motta offerecido urna emenda, que foi apoiada.
A discussio ficou encerrada por nio haver casa
para votar-se.
Despachos do dia lt;de junho.
Requerimenlos.
Tenente Gamillo Augusto Ferreira da Silva.
Passe portara concedendo a licenga pedida.
Franklin Alves de Souza Paiva.Avista da in-
formado subsista o acto da presidencia a qae al-
lude o suppiicante.
Francisco Ignacio Pinto e oatros. Dirija-se ao
commandante superior interino da guarda nacio-
nal deste municipio.
offlcio do ministerio do imperio, datado de 30 de
ouiubro do anuo passado, relativas eleicio de
(altores que se fez no dia 1 de setembro do dito
anno, na parochiadeS. Jos da Campo-Bello, do
municipio de Rezende da proviocia do Rio de Ja-
De"J- *r haver sido annullada a qae se procedeu
ea 30 de dezembro de,1860; e nio eocontrando ir-
regularidades quepossam invalidar aquella elelgao
DBm feclamacio ou protesto algum contra a sua
legalidade, entende a commissao e-o propoe que
seja approvada a referida eleicio.
Pago da cmara dos deputados, em 23 de
maio de 1862.-J. J. Teixeira Jnior.R. F. de
Araujo L O novo ministerio acba-ae organisado da ma-
oeira seguinle:
do imperio,
de
Commando das armas.
Qaartel-seneral do commando das
armas Je Pernambueo na cida-
de do Recite em 13 de junho de
186*
ORDEM DO DIA N. 94.
O general commandante das armas faz publi-
co para o flm conveniente, qua a presidencia
na data de 7 do corrente exonero* o Sr. tenen-
te do corpo do eitado-maior de segunda claise
do exercito Alexandre Augusto de Fras Villar
do encargo de reerntador na freguezia da S.
Fre Pedro Conexivos do Recife: o que constou
de offlcio da mesma presidencia da referida
data.
Assigoado.Solidonio Jos Kntonio Pereira do
Lago.
Conforme. Jos Francisco Coelho, capitio
ajudante de ordens encarregado do delalhe.
INTERIOR.
Bio de Janeiro
27 de maio de 1861.
Hontem nio boure sessio por falla de numero
legal oa cmara dos deputados.
28 -
O Sr. ministro dos negocios estrangeiros apre-
sentou hootem, no senado, o programma do novo
gabinete. Por esta occasto pedio o Sr. Silveira
A cmara dos deputados approrou hootem em
i discussio o projecto que autorisa o governo a
conceder carta de naturalisacio de cidadio brasi-
lero ao subdito prutsiano Carlos Boltenstern.
Em seguida tratou ds naturalissQlo de Maooel
Carlos Godinho, cuja discussio Qcou adiada pela
hora depois de um debate entre os Srs. Viliela
Tarares, Cruz Machado. Silveira Lobo, Marlnho
Campos e Martim Francisco, suscitado por varias
emendas estendeodo o mesmo favor a diversos
estrangeiros.
Eotrando-se na segunda parte da ordem do dia,
continuou a discussao das emendas feitas e sp-
provadaa pelo senado proposiQio qae regula
as promoces na armada.
Depois de orsr o Sr. Torres Homem, fot offere-
clda o seguinte requerimento:
< Requeremos o adiamento dessa discussio al
que a cmara posta coovencer-se de que o mi-
nisterio eati disposto a executar fiel e restricta-
mente o preaente projecto de lei.F. de Salles
Torres Homem.S.'T. de Macedo. J. O. Nebia.
L. Cartos.Bretes.Diogo Velho.J. i. Tei-
xeira Jnior.A. Pereira Pinto.Confia de Oli-
veira.Gasparino.Lima e Silva.Salalbiel.
Barbota da Cjoho. Ferreira da Veiga. Cyrillo.
Tiberio.Calazaoa.Rodrigo Silva.F. Bezer-
ra.Almeida Pereira.Fiel de Carralho.La-
mego Coala.Cruz Machado.Maooel Feroandes
Vieira.J. de Alencar.Araujo Lima.Siqueira
Mendes.Jsguaribe.Costa Pinto.J. Paes de
Mondonga.Carneiro da Cuoha.SaySo Lobato.
Pereira Franco.Pinto de Csmpos.B. A. de
M. Taqnes.-J. M. da Silva Paranhos.J. H.
Figueira de Mello.Pedreira.Gama Cerqueira.
Paalino de Souza.Silva Nunes.Ribeiro da
Laz.Conde deBaependy.A. J, Henriqaes.
L. A. de Olireira Bello.A. J. de Paula Fonseca
A este requerimento addicionoa o primeiro doa
igoatarios a declaracio de ser o adiamento por
quinze das.
Oraram enlio os Srs. presidente do conselho e
Paranhos, e indo rotar-se o requerimento, o Sr.
F. Octaviano requereu a votarlo nominal, que
sendo approvada, deu o seguinte resultado :
Votaram a favor os Sr. Siqueira Mendes, F-
gueira de Mello, J. de Alencar, Fernandes Viei-
ra, Jaguaribe, Bandeira de Mello. Araujo Lima,
Carneiro da Cunhs, Diogo Velho, Hsoriques, Cor-
rea de Oliveira, Sergio de Macedo, Pinto de Cam-
pos, Paes de Mendooga, Paranhos, Leaodro Be-
zerrs, Fiel de Carralho, Calazans, Tiberio, Fer-
nandes da Cunha, Taques, Pereira Franco, Gas-
parino, Pereira Pinto, Silva Nunes, Almeida Pe-
reira, Pedreira, Paulino de Souza, Teixeira J-
nior, Sayio Lobato, conde de Baependy, Torres
Homem. Lima e Silva, Cruz Machado, Gama Cer-
queira, Salathiel, Brtas, Ferreira da Veiga, Ri-
beiro da Luz, Paula Fooaeca, Luiz Carlos, Cyrillo,
Rodrigo Silva, Barbosa da Cunha, Nebias, Costa
Pinto, Lamego, Bar cello e Bello ; e contra, os
Srs. Angelo do Amaral, Sena Carneiro, Leitao da
Cunha, Carvalbo Res, Vieir da Silva, Gome de
Soaza, Viriato, Fialho, Paraosgu, Aragao e Mel-
lo, Silvino Cavalcaoti, Viliela Tarares, Brandio,
Tavarea Baatos, Esperidiio. r itoLiaa, Augusto
Chaves, C. Madareirs, J. dureira, Saraiva,
Dantas, Junqaelrs, F. Octav j, SaldanhaMari-
nho, Martinho Campos, Paala Santos. Silveira
Lobo, Fonseca Vianns, orta, Otlooi, C Ottoni,
Lima Duarte, Carneiro de Mendonca, Cesar, Les-,
98, Martim Franciaco, Fleury, Couto, de Lamare,
Carlos da Luz, Amaro da Silveira, bario de Man
e Flix da Cunha.
ltimamente, indo votar-se o projecto do sana-
do que manda substituir em todo o imperio o ac-
tual sysiems de pesos e medidas pelo systema
mtrico francez, verificou-se nio haver numero,
e levantou-se a sessio depois de feita a cha-
mada.
Os Srs. conselbeiro Luiz Pedreira do Couto
Ferraz e desembargador Luiz Alves Leite de Oli-
veira Bello pediram demissio, o primeiro do car-
go de consultor do ministerio de agricultura, eom-
mercio e obras publicas, e o segundo do lugar de
presidente da provincia do Rio de Janeiro.
30
Tendo o ministerio presidido pelo Sr. conse-
Iheiro Zacaras pedido anle-hootem a ana demis-
jao, e sendo lhe esta aceita, foi chamado por S.
M. o Imperador o Sr. senador visconde de Abaet
para organisar o novo gabinete. Como, porm,
t>. Exc. solicitasse e obtiveaae dispensa desta hon-
rosa commiaao, foi ella commellida ao Sr. sena-
dor marquez de Olinda, e consta-nos que o mi-
nisterio se acha organissdo sob a presidencia de
S. Exc. que assumio a paita do imperio,
31 -
Hontem nao houve sessio no senado por filia
de numero.
*- mar dos deputados approrou hontem em
2 discuasio, depois de algumas observarles do
Sr. C. Hadureira, o projecto que autorisa o gover-
no para mandar passar carta de naturalisaeo de
cidadao Brasileiro ao aubdito portugus Maooel
Cario Godiobo, conjunctamente com varia emen-
das estendendo a rneim merc a diversos es-
trangeiros.
Entrando depois em 1* discussio o projecto que
faz o mesmo favor ao padre Acacio Perras de
Abren, Joaqaim da Silva Braga Breyner a Jos
Mara da Silva, Qcou encerrada a diacussio, nio
se rotando por falta de numero legal.
Foi apresentado o seguinte parecer:
a A commissao de conslituigiq e poderes exa-
minou as actas qae por copia acompanharam o
Preaidente do conselho e ministro
Sr. senador marquez de Olinda.
Ministro da justiga, o Sr. senador visconde
Maranguape.
Ministro dos negocios estrangeiros, o Sr. sena-
dor marquez de Abrantea.
Ministro da fazenda, o Sr. senador visconde de
Albuquerque.
Ministro da marinha.oSr. cooielheiro Joaquim
Raimundo de Lamare.
Mioitro a guerra, o Sr: conselbeiro Polydoro
da Fonseca Quintanllha Jordao.
Ministro da agricultura, eommercio e obras pu-
blicas, o Sr. senador Joio Lios Vieira Cansancio
de Stnimbu.
1 de junho.
No seoado, apresentou hontem o Sr. presiden-
te do conselho o programma do novo ministerio,
e_oSr. Das de Carralho deu em seguida explica-
coes sobre a retirada do g>bnete de 24 de maio.
Entrando-ae na ordem do dia, foi approvado
em 1* discussao o voto, de gracas, cahiodo a
emenda do Sr. Silveira da Motta, o a requerimen-
to do Sr. Mafra vencea-se urgencia para para ser
a 2* discussio amanhaa.
Tratou -se da la discussao da proposicio autori-
sando o governo pars cootratar a navegacio a
vapor do Rio de Janeiro a Santa Catharina pelos
portos intermediarios, e o Sr. Dantas requer, e
venceu-ae que fosse ouvida a cemmiasio de fa-
zenda.
Teve lagar a 2a discuisio do projecto que pro-
hibe a compra a venda de eseravos em exposico
publica debalxo de pregio, e foram approvados
os tres primeiroe artigos, com urna emenda do
Sr. Silveira da Motta ao 2, depois de orar sobre
o Io o Sr. Dantas. O art. 4 foi rejeitado, tendo
aobre elle fallado os Srs. Mello e Souza, Sinim-
b e Silveira da Multa.
Hontem, na cmara dos dapulados, o Sr. Lei-
tao dauoha fundameotou um requerimento, que
foi appkovado aem debite, pedinto ao governo
copla en parecer da seccao de juatiQa do conse-
lho deBstado, em virlude do qual foi expedido
um aviso acerca da guarda nacional do Para.
O Sr. Jaguaribe funiamentoutambem outro re-
querimento, que foi approvado depoia de algumas
observaedes do Sr. Figueira de Mello, aolicitaodo
do governo informacoes sobre as medidas empre-
gsdss para aoccorrer ts popularles ltimamente
ataeadas docholera-murbos na provincia de Per-
nambueo e para prevenir que o mal se traosmi-
lisse provinciss vizinhas, devendo vir com
taes informagoes a copia da circular a que ae re-
ferio o Sr. ministro do imperio em aeu relatorio.
Entrando-sa na ordem do dia, approvou a mes-
ma cmara o projecto que autorisa o governo s
passar carta de naturalisaeo de cidadio brasilei-
ro aos subditos portugaezes padre Acacio Ferraz
de Abreu, Joaquim da Silva Braga Breyner e Jo
Marta da Silveira.
Approvou tambem o parecer da commissao de
podere obre a eleicio primaria da parochia de
S. Jos de Campo-Bello, do municipio de Reten-
de, proviocia do Rio de Janeiro.
O Sr. marquez de Olinda, como presidente do
conselho, expoz o aeu progamma ministerial e
sobre este assumpto fallaram os Srs. Martinho
Campos, Martim Franciaco, Saraiva, Viliela Ta-
vsres, Brandio, Teixeira Jnior, Torres Homem
e Dantas.
Damos no lugar competente a integra desta
sessio.
ltimamente, indo votar-se o projecto do se-
nado, que manda substituir em lodo o impe-
rio o systema de pesos e medidas pelo systema
mtrico francez na parte concernenle s medidas
lineares de superficie, capaeidade e peso, verifi-
cou-se nio haver numero.
A fragata francezs La Paniore, entrada hon-
tem do Rio da Prata, tronxe-oos folha de Monte-
video at 22 do passado.
Havia naquella cidade noticias de Buenos-Ay-
resat20 do mesmo mez.
Conflrma-se a derrota de Peoaloza em S. Luiz,
pelo coronel Rivas, sabendo-se agora que este
ao atacara aquelle por ignorar o armisticio, mas
nio julga-lo valido celebrado por um governo de
proviocia, e recelar que o inlmigo aproveitasse a
tragos para reuoir mais torgas. Penaloza retirou-
se para a Rioja, e Rivas perseguindo-o, apode-
reu-ss das mulheres e filhos dos sequazes da-
quelle, para obrigar estes a vir entregar-se, re-
celosos pela sorte das suaa fsmilias. Proraodo
este facto que Penaroza nio fugio lio s como se
dizis, mostra ao mesmo tempo como se faz a
guerra oas proviociaa argentinas.
Na mesma Rioja reassumlo Villafaoe e gover-
no, declarando nullos e facciosos os actos do
goveroador, D. Luiz Brac, praticados durante a
sua ausencia.
Em Santig'o foram eleitos governador D. Ma-
ooel Taboada, aenadores Borjea a Galle, e depu-
tados Garostisga, Lezama e Ibarra.
Em Cirdova dispunha-se o general Paunero a
retirar-se da prorincia, jalgando-se aggravado
oa questao daa eleices, e em Tucuman ficara o
padre Campos de posse do governo.
Em Bueoos Ayres nada occorrera de interesie
poltico. Preparavam-se os festejos da abertu-
tura do coogreaso para o da 25, mas nio baria
anda toda a certeza de reuoir at entio numero
aufficiente de representantes.
O senado contiousra a oceupor-se do projecto
de estrada de ferro do aul e a camera dos depu-
tados da prolongarlo da do oeste.
O governo conceden por todo anno de 1862
urna subvenclo de 10.000 pesos mtnsaes para
perforarlo do pogo artesisno.
De Montevideo nada temos que referir senio a
apresentscio deam projecto oa cmara dos re-
presentantes declarando as incompatibilidades
parlamentares. Segundo esse projecto nao po-
dem ser eleitos senadores uem representantes os
fornecedores de qealquer repartirlo publica, os
que liverem qualquer contrato com o estado, oa
que tiverem a aeu cargo a arrecadscio de reodas
publicas, os prenles do presidente da repblica
ou dos ministros de estado, nem oa clrigos se-
culares que desempenbarem (anchoes da prela-
dos desde os blspo at aos coadjutores de curas.
Sobreviodo qualquer destss incompatibilidades,
perde o individuo o sea asseato no psrlamento.
Os juizes,-oe me cabros das juntas administrativas
a as cida daos qua for mam a lista dos jurados,
pgderao ser eleitos, tas perdern os seas cargos.
O Pueblo de 21 publica a seguinte carta do Pa-
raguay, a que nada podemos accrescentar :
O anico fim deata commuoicar-lhe que o
presidente ral convocar am conRresso para dele-
gar o governo no general aeu filbo. Espera-se
que este acontecimento se dar em breve, talvez
antes de um mez.
< A pessoa que me contou isto, que anda
segrede, assevera'-mo que a mudanza de governo
importar urna modificado muito favoravel ao
imonlio e adiaotamento commercial e poltico/
E' importante, se forverdade.
O Sr. visconde de Maranguape, misnistro e se-
cretario de estado dos negocios da justiQa, astis-
tindo hontem com seus eollegas sessao da c-
mara dos deputados, sentio-se inommodado e re-
colheu-se ssla dos ministros. Poco depois
maoifeataram-se em S. Exc todos os iymptom>s
de urna] coogestio cerebral, e, acudiodo imme-
diaiamente lodos os Srs. deputados doutores em
medicina que se acharara na casa, e muilos ou-
tros, resolveu-se a applicaco de urna aangria,
que foi praticada pelo Sr. eonselheiro Luiz Car-
los da Fonaeca. Entregue depois dos cuidados do
seu medico, e Sr. Dr. Moraes e Valle, qae com-
parecen logo, foi o Sr. visconde cosdazido para
sua casa em um leito porttil que se maodou
buscar ao arseoal de guerra.
Este triste scontecimento causou profunda e
dolorosa sensac.aooa cmara e pode dizer -se que
em toda a cidade apenas se divulgou a noticia.
Gonsts-noqueS. Exc. tem experimentado me-
Ihoraa e fazemos votos pelos sea prompto e com-
pleto restabelecimemto.
2
O estado do Exm. Sr. visconde de Marangua-
pe, ministio da justiga, contina a ser asss gra-
ve e melindroso ; cootudo, vista da att60ua;io
de algans dos symptomas mais sssustadores, nio
desesperam os mdicos de poder conservar a pre-
ciosa existencia de S. Exc.
3
O senado oceupou-se hootem com a approva-
q5o em 2a discussio da resposta falla do thro-
no, e nomeac.80 da commissao que a deve apre-
sentar asoc;o.
A cmara dos deputados approvou hontem em
primeiro lugar as emendas do senado proposi-
cio que approva as condicoes com que pelo pre-
sidente da provincia de Pernambueo a igreja do
collegio do Recife foi entregue irmandade do
Divino Espirito Sinto daquella cidade.
Approvou em 2" discussao o projecto que au-
torisa o governo a mandar passar carta de natu-
ralisacio de cidadio brasileiro a Antonio Jos
dos Sanios Azevedo, a Joio Feruandea de Oleno
o a VicJni/Dumuncel. conjunctimente com varias
emendas"*estendendo o favor a diversos estran-
geiros.
Adoptou o projecto do senado que manda sub-
stituir em todo o imperio o acluat systema de
peaoa medidas pelo aystema mtrico francez
na parta concernenle s medidas lineares, de su-
perficie, capaeidade e peso.
Continuou em ultimo lugsr a 3* discussio da
proposta do governo que fixa a despeza e orea a
r8oc'o 8*ral do imPerio P" o exercieio de 1862
a 1863 com as emendas approvadasoa 2a discus-
sao, e as seguiotes que foram apoiadas na 3a dis-
cussao, quecome?ou no anno passsdo.
a Pica autorisado o governo :
* a'\ Para re,er actui1 regiment de custas.
2. Para reorganisar o instituto dos advoga-
dos, regularisando o fdro civil, e garantindo oa
direitos nos formados as faculdades do imperio,
sendo obrigados a exame pnate estas os forma-
dos em faculdades estrangeiras que quizerem go-
zar dos direitos e prerogalivas dos graduados no
imperio. Costa Pinlo. Silva Nunes. Pe-
dreira.
Fies dispensado do imposto dos 5 / oa meia
sisa a companhia Guayba, estabelecida na pro-
vincia de S. Pedro do Rio-Grande do Sul, pela
acquisigio das embarcares de vapor que houver
de comprar para a oavegagie fluvial da mesma
provincis, no espago de dez annos, contados do
seu estabelecimento. I. R. Bsrcellos. A. da
Silveira. Silva Nenes.Oliveira Bello.B. de
Porto Alegre.
a O 5o do art. Io do additivo da Ia commia-
aio do ornamento aeja substituido pelo seguinte :
c Para Incumbir aos escrivies do civel, cumu-
lativamente com os tabelliies de notas e escri-
vies dos juizes de paz, sem dependencia de dis-
tribuigao, o larrsrem as escripturas publicas de
compra e renda de eseravos. Neste documento
nio ser transcripto por extenso o conhecimento
do imposto, declarando-se somente o seu nume-
ro e data, a quantia e a estsgan arrecadadora.
Ao artigo da 2a commissao do orgaraento.
9 do art. 4* sobre presas hespanholaa e da
guerra da independencia, accrescente-se des-
de j. Pereira da Silva. P. de Souza.
Ao 1* accrescente-se, quando trata dos jui-
zes mumeipaescom excepgio das varas lotadss
em mais de 2:4O0j(O00.J. de Alencar.C. Para-
nagu.
Tomaram parte no debate o Sr. Saraiva, mi-
nistro da agricultura, Junqueira, C. Madureira,
ministro da fazenda, e Mirtinho Campos.
O Sr. Dantas, depois de algumas obserrages,
offereceu um requerimento de adiamento que
nio foi rotado por falta de numero legal.
bate entre os Srs. Marinho Campos,. Teixeira J-
nior, Flix da Cunha e Figueira de Mello', fican-
do a discussio adiada pela hora.
Approvou em seguida o requerimento de adia-
manto olTerecido na aessio aotecedenta pelo Sr.
uanias i proposta do governo que fixa a despeza
de.8M 61863 8e"1 d imperi0 para cicio-
Entrou ultimameote em 2a discussao a propos-
ta do governo que fixa a forga naval para o anno
financeiro de 1863 a 1864. Oraram os Srs. Tara-
res Bastos e ministro da marinba ficando a dis-
cussio adiada pela hora.
Foi nomeado ajudante general do eaercito o
>r. tenente-general Jus Maa da Silva Bitan-
court.
O estado do Sr. visconde de Maranguape Um
melborado, visto hoje nae ter apparecido a reac-
gao lorie do dia de hootem.
_ 5 -
Passou hootem sem debate em primetra dis-
cussao, no aeoado, o parecer concedendo licenga
para o Sr. eonselheiro' F. Penna continuar na
presidencia de Matto-Grosso.
Continuou hentem na cmara dos deputados,
depois ds eleigio da mesa, que nio soffrea alte-
rago, a segunda discussao do art. 1. da propos-
tt do governo que fus a forca naval para o an-
no financeiro de 1863 a 1864. Oraram os Srs.
Paranbcs e Tavares Bailo, ficando a discussao
encerrada.
S. M. o Imperador, acompanhsdo pelos seus
semanarioa e os Srs. bario de Tamandar, e che-
fe de esquadra Parker, commandante da estaca
naval, visiten hootem dejmanhaa a fabrica da
companhia de refinagio e destilagio em Nilhe-
roy, desembarcando na ponte do estabelecimento
is9t|2 horas, e retirando-se s 11, teodo-o
examiuado minuciosamente.
Dirigiu-se depois ao eatibelecimeoto da com-
panhia Pona d'Area, onde ae demorn algum
lempo ; esleve a bordo do vapor Santa Varia,
pertencente a firma commercial desta. prag.
Irany & Braga, e aeguiodo para a ilha do Caj.
desembarcou e visitou a fabrica de carvio ani-
mal, guano artificial e graxa, que all func-
ciooa.
6
Hontem nio houve sessao
de numero legal.
no senado por falta
Acha-se encarregado interinamente da pasta da
justiga o Sr. ministro da agricultura, eommercio
e obras publica, conselbeiro Joio Lias Vieira
Canaansio de Sinimb.
S. Exc;, 6 Sr. viacoode de Maranguape, apre-
sentou, durante o dia de hontem e at as 5 horaa
ds tarde, algumas melhoras lensiveis ; e, ape-
lar da reaegio mais forte que ae maoifestou para
a noite, continuam os mdicos a nutrir esperan-
gas de restabeleciraento.
Sabbado foi entregue a S. M. o Imperador, pe-
lo 1* tenente da armada, Manoel Aotooio Vital de
Oliveira, um exemplar de csrtss hydronradhicaa
da costa do Brasil,-na extensio de 186 leguas,
comprehendendo as provincias de AIsgoas, Per-
nambueo, Parabyba a Rio-Grande do Norte, le-
vantadas pelo mesmo 1* teuente. e ultimameote
mandadas lithographar pelo governo imperial.
O Io tenente Vital de Olireira est concluindo
o roteiro que dere acompaohar as cartas, e ob-
teve de Sua Magestade Imperial a cabida honra
de acceitar a dedicatoria de aeu trabalho. Sua
Magesladade, com a benevolencia do costumes
animou odistincto official da nossa armada a pro-
seguir no estulo importante a que se tem entre-
gado com rantagem para ai e para o paiz.
Hontem nao houre sessio no senada por falla
de numero legal.
A cmara dos deputados regeitoa hontem em
primeiro lugar o requerimento de adiamento of-
ferecido pelo Sr. Amaro da Silveira ao projecto
que approva o decreto relativo ao contrato cele-
brado com Joio Carlos Pereira Pinto para nave-
gagao a vapor entre Montevideo a diversos por-
tes do Rio Grande do Sul.
Continuando portento, a segunda discussio
101 o mesmo projecto approvado, depois de algu-
mas observacoea dos Srs. C. Madureira; Amaro
da Silveira e Figueira de Mello.
Approvou tambem em segunda discussio a pro-
posla do gororoo que fixa a forga naval para o
anno financeiro de 1863 a 1864, bem como oa
seus artigos additivos.
Approvou mala em primeira discussio o pro-
jecto que revoga os arts. 27 e 23 do regiment
commum oa parle qae exige metsde e mais am
dos membros de cada urna das cmaras para ter
lugsr a installagao da assembea geral.
Occupando-se ltimamente em primeira dis-
cussio com o projecto declarando applicavel aos
empregados da junta do eommercio do Msra-
nbao s disposigao do art. 14 da lei n. 719 de 28
de setembro ael853. para Ibes serem pagos pe-
lo eorres geraes os orden idos que lhes Ucaram
devendo al a exiiocgio da meama junta, e veri-
licou encerrada a mesma discuasio.
Foi offerecido o seguinle parecer :
A commissao de cooslituigao e poderes ten-
do examinado a sleigio de e'.eitores a que se
procedeu por ordem desta augusta cmara, a 25
de agosto do anno passado, na freguezia de Gua-
rakessava, da proviocia do Paran, a achou re-
gular ; e de parecer que seja a mesma approva-
da, e recoohecidos como eleitores da dita paro-
cha durante a presente legislatura, os cidadios
eltitos pela mesma parochia.
Pago dt cmara dos deputados, em 5 de ju-
nho de 1862.-J. J. Teixeira Jnior.Oliveira
Bello.R. F. de Araujo Lima.
Entrou hontem do Rio da Prata o paquete in-
glez Afeney, com datas de Buenos Ayres at 29
e de Montevideo at 30 do passado.
Abriu-se effectivamente na primeira destasci-
Jades a 25 de maio o congresso da Repblica
Argentina. A respeito do que nelle e as cma-
ras provinciaes se (em passsdo, remellemos o
leitor para a carta do aosso correspondente
Das ostras provincias nao.havia noticia de im-
portancia. Continuavam as correrlas de Pena-
losa, quechegou a eolrar oa cidade da Rioja ;
esperava se porm que o indulto offerecido pelo
general Mitre lhes puzesse termo.
No Estado Oriental tioham os ministros apre-
sentado os seus relatorios ao corpo legislativo,
que approvou o projecto de canalisagio dos ros
S. Jos e Santa Luzia, a continuava a oceupar-
se da lei das incompatibilidades, da creagio d
um banco em Paysand, e da reforma do syste-
ma monetario e legislagio da impreosa.
Tinbam-as apreaentado, viodos de Tacuarem-
b, algms pedagos de quarls aurfero que coo-
tinham grande quanlidade de ouro.
Quamo ao Paraguay, revela um artigo edito-
rial do Semanario de 10 que o governo se pre-
para para algumas reformas 00 sentido democr-
tico, mas por ora nem pslavra a respeito do an-
ounciado congresso.
A ria frrea devia brevemente ebegar da ca-
pital capella do Tagua. Oa presos tioham sido
submellidos ao rgimen penitenciario, eslabele
cendo o governo na cadeia ama offleina de car-
pinteiro.
As noticias do Chilli sio destituidas de inte-
resse.
Eotrou hontem em discussio na esmera dos
deputados o art. 2*do projecto que approva o de-
creto relativo ao contrato celebrado com Joio
Carlos Pereira Pinto para a oevegagio a vapor
entre Mootetido e diversos portos de provincia
do Rio-Grande do Sal. O Sr. Amaro da Silveira,
depois de alguna coBsideraetes, offeretea um
requerimento de, adiamento, qte sateitou um de-
o banquete offerecido aos ex-miolslros'_
aete de 24 de msio pelos Srs. senadores
lados membros do partido da liga.
c 4's 5 horas da tarde foi servido o jantarT1
tavam presentes lodos os convidado*. ?
Msnoel convidou ao Sr. eonselheiro Zacsrj
Ges e Vasconcellos a oceupar o lugar de hol
Urna banda de msica totava porta do el
0 amigo que espontneamente preparouessa
sequiosa sorpresa nio quiz revelar o eu
< A profusio e delicada/* de banquete prepa-
rado em casa dos Srs. Jo Gongalres Gulmarae
& C. correspondeu dignamente solemnidad
da fesla.
A'e 6 licomegram os brindes.
Coabe em primeiro lugsr 1 palavra ao Sr..
eonselheiro Saaza Franco. 8. Exc. propoz ama
sudago aee oavalhelros que entfaram para os
conestios ds coro por um roto do parlamento,
tj|qe souberam abandonar o poder com' 1 meima

v




'
_L,

T


\
mm
BStros acaoaram i
e de prestar um setvico releven ti. Que pies
fcutoa do systeme repreeentetrvo do Brasil dia
34 4c maio di 18C2 ucou sendo ubi datasolem-
n, .fus el I* interprete dos sedimentos de teas
usigos, saudava em cada um dos membrosdo ga-
binete de 94 de malo um Iemjho do systema,
que todos detejim fortificar em uai bases un-
menta*.
O orador foi vivamente ini irrumpido pelos
ppliusos tos assisientes.
O Sr. conselbeiro Sacantes, lomando e pala-
bra, agradecen o brinde e dirigi 4 ttga patarras
nthaeieeticaa e animadores
Bomperam depoieoe vivas fperdsee, O fr.
ooselfeeiro Sarsiva saudou ao Sr. censelueiro
fabuco, como aqeelle que, por aeui ultimoa dis-
-cureee oo senado, aonuDcira o peasameoto da
liga e autorisara o aeu pregremtoa com e sua pa-
levra la o roepettavel.
ApplausosTapetidoi cobriram a rodo ora-
dor.
Soccedeu-lhe o Sr. F. Octav.aoD, que pedio
4 assembla o prestaste o memo tributo ao Sr.
O. Maooel que, deade ha tanto tempe, oa cmara
49*senadores, soube aempre defender com la-
4eolo e valor, as ideas liberaes e combaler os
busos da oiigarchia.
A eympaibla que o nbre aeoador inspira a
lodos, miuiIestou-6 ooa eetreoiloeoa applausos
oa que (ai recebido o brinde faite a S. Exc.
Seguir m-se as seguales saudacoes :
Oo Sr. depulado Pialo Lima ao Sr. viseonde
de Abaet, conselheiro leal da crea o poltico
aincero.
Do Sr. senador D. Maooel < Sr. depatado P.
Octaviano, luieiro da imprensa liberal.
ftl#*tt> P^IMla^taH^^ U DI lyflHft D> UM.
a O delegado prepara-se para com urna forja
de 40 homens entrar nss mallas espantar {para
tanga ou prendar taes visiUntes. a
Alaqas. No da ti comejaram s sesies
preparatorias da reapoclira essembla provincial.
NOTICIAS COMMERCIAES E MARTIMAS.
Montevideo, 31 de mata.
Cambio.Inglaterra, 40 3|4 a 41; Franca. 82
a 83 ; Genova, 80 a 81; Rio de Janeiro, 303300;
Beenos-Ayres, ao par, a*' m.
Olvide paMfca.--Cootol.dada, M ti. taute-
Iss do baa* Maai; ezlglvel, 39 rU. 0|o ; ovos
liluios oo na 42 a 44 ra. OetJ.
Deaeontoa. O banca oommarcial emprenta a
12 a receba a 8 ajeo auno. O banco Maai em-
presta a 15 a recebo a 10%) M aono. Na prsca
reRulam da 1 a 1 1(2 Oiq ao ov.
Pretea.hrgtaterra, 70 a 75 sb. tenrroa salga-
dos, 95 a 100 sb. ditos seceos, e 45 sh. os fardos
com 5 Oie de apa. Hi vre, 70 fr. toaros stlgi-
doa, 100 fr. ditos seccoa e 80 fr. as fardos com 10
Ojo de capa. Estados-Unidos, 1 cent, couros
salgados e seceos, e 7 pata, oa fardos com 5 Ou)
de caps. Brasil, carne seces 5 a 8 1|2 ra. para
o Rio de Janeiro, 7 ra. para a Bthia e 8 rls. para
Pernambuco, e 3 1[2 pat. por pipa com 5 Ojo de
capa.
A siiuaco de ooasoa mercados melhoroa um
pooco dorante a qeiozeoe, ellectuando-se aa ven-
das mais promplamente e a presos firmes com
tendencia a alta.
Os ailigos do Brasil Qcam emboa procura
principalmente o aaiocar, fume, agoardente, ca-
f e farioha, com pequea bsixa.
As Tandas realizad anale periodo foram :
Do Artitta, de Pernambuco, detp., 100 pipas
de agurdente a 77 oa., 625 barricas de assucar
braoau de 1* sorle e 150 meiis a 25 1(9 rte., 400
ditas do 2a e 23 ila., e 100 ditas m.acatado a 17
Dosr. depuiado Dantas n prensa progres- ja r|t>
*'* r*t,re.eoU(la pel" ,Sri-.lS,l\,nha *,tnh10 Oo Recife, de Pernambuco, desp., t.OM barri-
* F. claviaoo, e oulro unio e inlegndade do cas de assucar branco de la aorta a 35 i|9 il..
793 ditas de 20 a 23 ra., 60 ditas somenos a 19
rls. e 70 ditas msecavado a 17 rls.
Despscbaram-se de 26 da peaaado a 20 do cor
rente 44,960 coums vaccuoa aalgadoa, 31,033 di-
tos seceos e 28.083 qaiotaea de carne aecea. Fl-
lmpeno.
Do Sr. depulado Lesss 4 liga progressista e
ao Sr conselheiro C. Olloni.
o Oo Sr. depulado F. Octaviano ao joven o
incaoaaval lidador da imprensa, o Sr. Feliz da
c"ol?, cam em aer 1,300 toeroe salgados e 26,700 ditos
Oo Sr. depulado Martim Priocisco aoa Srs. seceos.
Butnsi-Ayru,
T.Oltooi e Feliz da Canha.
Do Sr. depulado Feliz da Cu o ha ao Sr. con-
elbeiro Jos Bonifacio de Aodrade e Silva.
Do Sr. depulado Tararea Castos ao Sr. Tbeo-
4)hilo Olloni.
Do Sr. depulado Theophilo C itoni aos Deis
oropugoadores da verdade do aysiema repreaen-
tefiro.
< Do Sr. conselbeiro Jos Bonifacio a imprensa
tribuna.
Oo Sr. deputsdo, conselheiro Psraoagu4, ao
povo ilumneme. Eita siuda;o foi vivamenta
pplaudida especialmente pelos deputados do ma-
aicipio neatro.
Segoiram-se varios oulros brindes aoa Sra.
Seuza Franco, T. Olloni, Marlinho Campoa, Pa-
renagu, Saraiva^Caroeiro de pos, Zacaras
o oatros senhores.
O banquete termino* pelo brinde de honra
dirigido a Sua Mageslade o Imperador pelo Sr.
oaielheiro Zacaras, az-preaidente do conselho ad cTdTa 25*do paaaado"a"l8"raTL paro'seccar
4le mtnutroa. de agosto em diante.
a Este bnnda foi acolhido com retpeilosa cor-
seceos.
27 de maio.
Cambio. Londres, 66 a 65(6; Paria, 83 a 82,5 ;
Gfoova, 82; Estados Uaidos. 1 'io de descont ;
Rio de Janeiro, 309600 a 3OS70O; Montevideo,
114 a 3|4 0|0 da descont.
Descontes. O banco recebe em metalllco e
osueda correte a 5 e empreata a 7 0|Q ao anno.
Na praca regulam em metallicode 1 i|4 a 1 1|2,
e em moeda corrente de 1 a 1 li2 0n so mez.
On5as 418.
Frelm.Inglaterra (lireclameula em bandeira
neutral) cearoa aalgados, 50 sh., ditos seceos, 90
sh ela
nos, os
Havre,
fr., e faj
Iha, coi
0|0 cenia., e
45 sh. ; a era navio oorte-america-
a 40 a 90 sb. com 5 0|0 de capa.
salgados 65 fr. ; ditos seceos 120
H) fr. com 10 0|0 de capa. Marae-
aeccoa, 100 fr., e fardos 70 fr. com 10
Estados-Unidos, couros seceos 3|4
dos f 6 com 60.0 de capa.
Carne secca. Venderam-se 34.500 qaintaes
lialidade.
- Terminado o banquete e ao nprozimarem-ae
Us janallas do club alguna doshonrtdos ez-mi-
nislroi, o povo que eslava a pin i a do no boule-
oard rompeu em vivas a Sua Hageatade o Impe-
rador, so partido progressiata e a o gabinete de 24
<* maio.
O Sr- depulado F. Octaviano correapondeu le-
vantando umvira I ao patritico povo braaileiro.
< A* medida qoe se ism retirando es ez-minis-
tros obsequiados e os parlamentares da liga, eran
vecebidos pelo povo com acclamacoes euthuasias-
nieoa.
A's 8 1\2 a msica acompanhada por muitas
yeaaoaa foi tocar em frente da caaa do Sr. depa-
rado liberal e ao mismo honrsdo representante do
municipio neutro.
De carne dos ros realisaram se algumaa tran-
aac;5ea importantes. ltimamente eiTectuo-ae
um contrato para aa aalgas daa zarqaeedas de En-
tre-Ros, 30 a 65,000 quintses, a 16 rls. f. a bor-
do. Estas zerqueadaa, segundo nos consta, j
mauram terca da 62,000 rezea para cumprir o
contrato.
Durante a semana venderam-se mais 15,000
quintaes a 15 rls. f. a bordo.
Fecbaram-ae oatraa vendas qae se conserva em
segredo, parecendo haver grande especulaco no
arilgo. ^
Hi em ser cerca de 77,000 quintaos.
Couros salgados.Venderam-se 39,100, sendo
os de novilbo de 43 a 411/2 rls. e os de vacca de
36 1/2 a 40 rls. Ficam em aer 8,500.
Ditos seceos.Vecderam-se 152.000 de varias
procedencias, sendo cerca de melade classifleadoa
e mesclados dos ros para os Estados-Uaidos; os
precos destes nelhorsram, porm os oulros sof-
* Termino* aasim com a miior alegra e calma
eco euaa pacificasdemooslracoea para sellarme- Franc, eIU|ia de 46 ,lg Hsl|>anha de
Itor ocanho desaa maniteateSio parlamentar. 45 a 47 rf,., e para oa Estsdos-UnidosT 42 e 43
i'ubMcamos em seguida a carta de agradec- r|s_
meci, aaaignada pelos Srs. aoaader D. Minoel e
d#pulit-o Tarares Basto i.
Sr. redactor.Incumbidos por Pinitos de
nosaos coJlegas, oa Sra. aenadorea e deputados,
aiinistroa do gabinete de 24 de maio, cumplimos
aim grato dever spressando-oos em manifestar o
anaior reooohecimealo para como o amigo ou
amigos que. conservando os eeus nomee em se-
rrado, espontneamente mandara a ama banda
Oe msica tocar em frente ao edificio em que ce-
lebrbamos a nom feata.
Correos lambem o dever de significar o
nosso.agradecisaento aoscidados que, porta do
tuesmo edificio, e por um modo reapeitador da
crdem publica, maoifeslsram as anas sympathias
A cansa do progreeao. >
Uootem nao hoave seaso no senado nem nv
amara dos deputados por falta de numero legal.
Rio de Janeiro. 6 de junho.
Cambio.Sdore Londres26, 25 7/8, 25 3/4.
Paria-365. 366. 388 e 370 rs. por fr.
Havre366 ra. por f.
Hamburgo693 e 695 por m. b.
Accoes.Do Banco do Brasila 650 e 70} de
premio.
Fretes.Para o Canal s ordens55 e57/6.
Liverpool50/.
Hamburgo50 sch.
Gothemburgo82 sh. e 6 d.
Mediterrneo.7 sb. e 6 d.
Prsta1.750 palacoes.
Geoeros.-Caf Ia regular 6100.6J800 e 7jl50;
lavado 88550 e 8JJ800 ; novo 7520. Asaacar
branco da Baha 3g00 por (a); dito mascavo de
Campoa 2g ; dito branco balzo do Uacei 3#450.
Sshiram para Pernambuco : a 26, a barca
portugaeza Flor de S. Simo. (j chegada); e
31, o brigue Almirante, (dem).
- gem, e o patacho inRleziVora Creina, com 10;
28, o brfgae Afaria Isabel, com 11 ; i 20, o pa-
tacho dioamarquez Ora, com 15 ; 4 31, o britrue
Sella, com 10; i, a bares iogleza Traoeller,
com 11; e 3, o brigue Auguste Lueie e a barca
Jean Daptisle, .ambos fraacezes, aquello com 16
e esta com 15 dias.
Bahia, 10 de junho.
26 1|8 e 26.
daole doalereometra da
buco lianoel Antonio Viegaa Jnior.
OURIO OE PERNAMBUCO.
Temos 4 vista jornaea e cartas do Rio, Bahia e
Aleg6as, dos quaes foi portador o vapor Cruzeiro .
do Sul, alcaocaodo as primeiras4 7, ss segundss "WOf.Sobre Londres
4 lie as ultimas 12 do corrente
Rio dt Janeiro.De novo hoave mudenca mi-
nisterial, por haver o ministerio Zacaras pedido
sua demissao.
Fallecer na comarca da Palma, provincia
de Goyaz, o juiz de direito Dr. linar le Marques
le Araujo Gas.
No dia 17 4o psssado o Ezm. Sr: couselhei-
ro Cucha e Figueiredo paas4ra as redeaa da ad-
tninitraco de Minas ao 3* vice-presidente co-
ronel Joaquim Cantillo Teizeira da Molla,
Lfi-se no orreio Mercantil:
Oe S. Vicente de Paila, fregsezia do muni-
cipio de Araruama, noa mandam urna obserra-
t}o curiosa.
Em fevereiro deste aono, oa 1 oha divisoria
dsquells freguezia com a oulra da villa, bocea
da noiie, bouve forte Irovoada e ventana aem
notavel resultado; mas em urna facha dease ter-
reno, que ter mil bracas de largura e cerca de
Psris365 a 370 rs. por fr.
Lisboa108 a 110 por cento de prem.
Hamburgo-685 a 685 ra. m. b.
MetaesDobloes hespanh'ies, 30g500 a 31*500
esc.
c da patria, 30000 a 30*100.
Patsces brasileosBf a 24
hespauhofig2 a 2)100.
mexicanos1J960 a 2000.
PERNAMBUCO.
observar como singular que a commissao de or-
Qameato se conserve silenciosa, quando ha aislo
censurada peleo differantea oradores qoe o pre-
cederam, entra em largas considerscoes 4cerea
do projecto de orcameoto qa arge rigorosa-
mente em differentea pontos, com detslaai mu
mui desenvolvidos.
A discassao Oca sdiada pela hora.
A ordem do dia de boje, alm daa materias J4
dadas, coasta rU.aiagjuvta disfinuB do projecto
Amanhla ter rogar o acto Oa conferencia
doe ooemios docretaAoa pelo jury (eral 000 ezpo
sileros dssta provincia.
Segunda-lsJra pao lira a reuaa-ae o conse-
lho de qualiOeaelo aguarda nacional da par-
enle de S. Mal, ae conoistorlo da respectiva
matriz.- -^r
Acha-se designado o dia 30 do corrente
mee paro a- retrtrrao.ds tercelra teaslo Judlciails
do jury deste termo do Recife.
Foi nomosdo ajndsnte do stereomelra dfi-
ta alfandega o Sr. lente Manoel Antonio Vie-
gaa Jnior.
Ha qaasi trinta dias, que vindo tratar de
negocios o Sr. Luiz Franeslino da Cruz Marques,
homem de importancia da Serra da RaU, foi re-
colhido ao eelado-maior do corpo de polica, sdb
urna simplea denuncia de haver tentado reduzir
4 esersvide a preta Julia Marta da Coneeico.
Admirou-noa a facilidade com que algaem
lancoe meo da penna para asim manchar a re-
putacSo dease senhor, que havia pratieado a
caridade de recolher em sus cass e sastentar
Julia, som nunca aequer Ihe bater nma rex.
apezar de ser ella dolada de m4o carcter, a
nsito dos pessiraos. Depeis das competentes ln-
dagacoea e interrogatorios, mallo digno a cons-
picuo Br. delegado Jos Antonio Correa da Sil-
va dea a aegainte aeatcaca :
a Nao sedepreheadendodas averiguacoes pro-
cedidas, indicio alguna de que Luiz Francello
da Cru '
atara*
que
certo.
vio p'asse alvarii de soltura favor do dilo Frn-
celino, deizando oa presentes autos archivados
00 cartorio. Delegada de policial do prlmeiro
districto do termo do Recife. TI de junho de
1862.Corria da Silva.
Acha-se, pos, livre esse senhor da grave se-
cusaco que Iha flzsram, aem que nenhuma
mancha Ihe resultasse, so contrario provsndo-se
por demais su probidade o boa t era teme-
Ihaute oegoclo.
Damoa os oossos emboras essa senhor, nu
mu digno Irmao e sogro, que tanto se esforca-
ram pelo seu livrsmento.
Relaeio dos eaptiaado* da freguezia de Santo An-
touio da cidade do Recife, no mez de maio de
186t.
Celestina, parda, Qlha natural de Senhorinht Ma-
ra d'Aleantara.
Jos, pardo, filho Itgitimo de Maooel Marques de
Almelds.
Clemeatios, parda, filha nalaral de Francisca Ma-
fia da Conceieio.
Ral, branco, fllho legitimo do bacbarel Francis-
co Ferreira Martios Ribelro.
Miquelins, parda, forra no baptismo por seu se-
ohOr Guilherme Augusto de Athiyde.
Epiphsnia. branca, fllha legitima de Miguel Fer-
reira Velloso.
Manoel, pardo, filho legitimo de Antonio Paulino
V 1 eir da Cunta.
Laari, branca, filha legitima do-Dr.'Joaquim de
Aquino Fooaec*.
Antonio, branco, filho legitimo de Jos Joaqaim
da Costa Maie.
Luiz, branco, fllho legitimo de Luiz Goncahes
Agr Jnior.
Mara, parda, filha natural de Francisca Albina
das (.hagas.
Guilhermina, parda, filha legitima de Jos Fran-
cisco de Araujo Lima.
Marcolloa, parda, filha natural da Maris Vianna.
Emilia, preta, adalta, de nacSo VagfJ, forra por
carta de liberdad*. assigoada por aeu senhor
Ricardo da Silva evea.
Laudada, branca, filha legitima de Joao Francis-
co dos Santos.
Ludgera, cabra, escrava de D. Heoriquetal'erpe-
tua da Silva CavalcanU. 1
Mot, branca, iha latMan Ow-*lolquUires Ha-
noel das Santos Lima. '
Manoelle, branca, filha legitima de Polic./po Pe-
reir da Silveirs. r.
Margarida, parda, escrava de Margarida de Souza
Teizeira.
Luiz, pardo, filho legitimo de Marcolino Francis-
co das Chagaa.
Joaquim, pardo, fllho legitimo de Marcelino
Francisco das Chagas.
Mara, brinca, filha legitima de Semiao Pereira
de Castro.
Benicio, pardo, filho natursl de Thereza Mara de
Jeaas.
Canuta, parda, filha de Joo Baptista dos Sanios
Cardozo.
Msriaono, branco, (lino natural de Aooa Francis-
ca Correia.
Ignacio, branco, filho legitimo de Joo Baptista
Gomea Peona.
dem de 1 8 de janho.
Gerlrudes, parda, forra por carta de liberda apre-
aeotada por seu senhor Geraldo Henriqnes
Maia.
Lucio, pardo, eecravo de D. Maiia Cardozo da
Silva.
Mara, branca, filha natural de Alchenia Mara da
Coneeico.
Fradovinda, parda, filfas legitima de Maooel Igna-
cio Gomea de Mello.
Um filho de Caetano Pinto de Veras, falta a
cerlido para aer aborto o assento.
Cao-amentos do mez de maio.
Antonio da Rocha Accioly Lina eom Francisca
Paes Brrelo.
Ceciliano Jos Ribelro de Vasconcellos com Ma-
ra Digna da Costa Csmpelio, licenes, falta a
cerlido para abrir assenlamento.
Bacbarel Manoel Antonio de Barros Silva com
Delmaoa Alezsndrina Rodrigues Franca.
Jovjno Jos Coelho com Mara da Peana Dou-
rado.
Alvaro Camioha Tavarea da Silva com O. Olimpia
Joaquina Domioguea da Silva, falta cerlido pa-
ra abrir assento.
anoei Antonio Monteiro de Andrado com Igna
ala Maris das Tirgeos.
De 1 8 de janho.
Antonio Josqeim do Nascimento Barros com Ca-
rolina Ferreira de Mours, licenca, falta a aer-
adlo.
Maooel Jos Goncalves Pereira com Anna Erme-
linda Arruda.
Repartic.Io na polica.
(Ezlracto daa partee do dia 13 do janho.)
Foram racolhidos 4 cesa de detenclo no dia IX
do corrente:
A' ordem do Illoj. Sr. Br. chele de polica,
os pardos Joa Feliaiaao Batboaa, da 30 annoa
de dade, 1 moar ve, o Galdlno Rodrigues do
Nascimento, de 21 aoaos, ooaieheiro, assim co-
mo o crioulo Hilario, 4o 22 sanos, esersvo de
Jos Joaquitn de Lima Balrio, vindoa do termo
de Santo Anlo, os primeiros dous para recrulaa
e o Itlmo por andar fagldo.
A ordem do Dr. juiz eapecial do commercio,
Amando Godofredo Lueaa, de 26 aonos, e Fran-
cisco de Paula Real, de 38 aonos, brincos, ofl-
cisea de justica, para coireceo. .
- A ordem do Dr. delegado do primeiio dis-
tricto, Joaquim Bzerra Csvalcanli de Albu-
querque, branco, do t5 aonos, que vive de ne-
gocio, para averiguares em crime de furto de
cavado.
A' ordem do subdelegado dos Affogados, Ma-
noel Francisco da Silva,, branco, de 45 anoos,
que vive de negocio, por so opprdr 4 aeco da
policia.
A' ordem de de Maribaca, o Africano Samuel,
de 48 aonos, escravo de Francisco do' Reg
Barroa de Lacerta, requlaicao deste.
A' ordem do de Ipojues, Pedro Gomea de
MouraJ branco, de 34 snoos, dado agricultu-
ra, como sentenciado 4 tres mezes de priso.
O chefe ds segunde seccio,
/. G. de Maquila.
Passageiroa do paquete a vapor nacional
..... n>'| fraatav nilUUUOHU I I i O \ja LU -
pello, Antonio Pedro de Alcntara Jnior, Fibri-
clano Jos Alves, Domingos de S Pereira J-
nior, Jos Alves Barbosa Jnior, Augusto Can-
dido Atahyde e sua senbora, D. Anna Joaquina
dos Prazeres, D. Henriqueta Tellea das Dores, D.
Felicidede Csodida o 1 filho, D. Anna Teizeira,
Sebaaliio Pioheiro Lobo, Jos Marques dos San-
tos, Joio de Cerqueira Ferrio, Jos Joaqaim de
Oliveirs, Julio Jos de Araujo, Joaquim Alfredo
do Oliveira Basto, C. Hoffmao, Ouarta Joa de
Miranda, 3 pracas e 1 escravo a entregar.
Seguem para o norte :-Mij_or Manoel Jos
Hachado da Costa, sua aenhora, 2 filhoa e 2 es-
cravos, Dr. Ouradio Guilherme, Bernardo Joa-
quim do Carmo, Francisco Demetrio Barbosa de
Moraes, padre Joaquim Coelho da Cruz, Victo-
rino de Souza Braga, Frei Jos da Santidade De-
metrio, Machile Mazio e Lemangi Gevianne.
Passageiroa do vapor nacional Pefiinunga,
vindo de Macei e portoa intermedios: Dr.
Gtspar M. V* de Drammond e sua familia, Dr.
J0S0 Antonio AUes ds Silva a2 criados. D. Me-
ta F. A. Carvalho e 1 filha menor, 3 fllhos me-
nores de D. Msria Serfico de Assis Carvalho,
Manoel Sebaslio Rosa Lina, Domingos da Silva
Torres, 4 pracas e 1 criminoso.
Movimento da caaa de detenco do dia 12
de junho.
Existism...... 360 presos.
visto, pedindo aer "comeado agente 4a leiloea
desta praca.Preste flanea.
Oulro de Christovo Ferreira Campee, Igual-
mente visto, pedindo ssr admftUdo a maurieela.
Como requer.
Oulro de Francisco Goncalves da Silva, lam-
bem visto, pedindo ser admltiido a matricula.
O meamo deapacbo.
Outro de Jos Joaqaim de Lima Bairo, pe-
dindo maUltular-ae.igual destecha-.
Oatro do agente do leiloea Fraocisco Ignacio
Pinto, atresnalando a nova fiaoea que nrsstou
para continuar o aeu effleio.Reajietre-ee a fian-
ce, a retnetu-se copia 4 theseuraria de fa-
zeudo.
Outro de Joaqaim Goncalves de Silva Roche,
pedindo o registro de urna esciiptera da bypo-
theca qae aprsenla.Registre-se.
Oulro ds Innocencia da Canha Goiaona Jnior
pedindo que ae Ihe d por cerlido. 4 vista do
bataneo desea constituate AntonioBotelhoPin-
to de Mosquita, es bens que fezem parte do ac-
tivo da ana caaa com seas valores.D-se.
Oulro do aesmo, tambem como proeursdor de
Antooio Botelho de Mesquita, pedindo por cer-
lido se aeu coostiluinte est matriculado como
commerciante.D-se.
Oulro de Luis Joa Marques, pedindo por cer-
lido se Joo Jacintho de Medeiros Reseode
commerciante matriculado, e se tem os seus II-
vroa registrados.O meamo despacho.
Oulro de Silva Leo & Companbia.por sea pro-
curador, pediodo o registro de urna escriptura da
hypotheca.Ajunte procuragao.
Oulro do A-tooio Luiz de Oliveira Azevedo &
Companhia, pedindo o regislro da compaohia de
seguros martimos e terrestres Fidelidade do Rio [
de Janeiro, da qual sao agentes. Visu ao Sr.
deaembargador fiscal.
Outro de Joao Fraocisco dos Santos, pedindo
por cerlido se Fraocisco Ignscio Tinoco do Sou -
za e Joo Fernandas Patente Vianna ao matri-
culados.Como requer.
Oatro de Bernardo Dupral, pedindo o registro
de urna procuragao.Como requer.
Outro de Izidoro Bastos de Oliveira, Francisco
Goncalves Nelto e Simuel, pedindo o regislro da
declaraco que apresentara em additamenlo ao
aeu contrato.- Na forma do parecer fiscal.
Outro de Jos Munis Teizeira Guimarea, pe-
dindo o registro do termo de fianza do sea offl-
cio de sgente de leiloeaRegistre-se. -
Outro do sgenle de leudes Francisco Gomes de
Oliveira, no meamo sentido.igual despacho.
Outro do agente G. Antunea de Oliveira, no
maemo aeulido.O meamo despacho.
Outro de Jos Rlbeiro Bastos e Joaquim Luiz
Vieira, declarando ter-ae Andado a sua socieda-
deaob a razo de Viuva Vieira t Compsohia.
Falta a assignstura da socia Senborinha F.
Vieira.
Outro de Rabe Schametlau, pedindo o regislro
de nma procuraco que ajantam.Registre-se.
Outro de James Crabtre& Compsnbia, pedin-
do csrlido de sua matricula de commerciante
matriculado.Como requer.
Oalro de Joa Pereira de Miranda Cunha, pe-
dindo por cerlido a sua nomeaco de caizeiro
de James Crablree de Companhia. Como re-
quer;
' ....."" .
Veame, sabidos som fasandas..
* om gneros..-
60
205
^- 65
Eolraram......
Sahiram
9
6
s

A saber:
Ezislem....... 353
253
Nteionses.....
Eslrangeiros..
Mulheres......
Escravos......
Escravaa......
62|
6
151
Totall........ 356
Alimentados a custa dos cofres pro-
neiaee...................................
Movimento da enfermara.
Tiveram baiza.:
Manoel Antooio Pereira da Silva, diarrhea,
Jos Luiz da Costa, indigestan.
Lourenco Gomea dos Sanios, diarrbs.
Jo* Veronico de Souza, broochite.-
- uTrAD0R0 rcauco.
Mataram-ae para consumo desla cidade, no da
13 do correle 66 rezas.
Obituario 00 da 13 de junho, no cejsist-
rio publico :
Joo Antonio Soares, Pernambuco, 28 aonos,
soltsiro, Boa-Vista, repeolinamente.
Theodoro, Pernambuco, 5 mezea, escravo, S. Jo-
s, gastro-broocblte.
Tertuliana, Pernambuco, 46 dias, Santo Anto-
nio, espasmo.
Florianno, Pernambuco, 4 annos, Ssnlo Anto-
nio, bexigas.
Olympio. Pernambuco, 10 mezes, escravo, Santo
Antonio, convulsdes;
Antonio, Pernambuco, 1 anno, Boa-Vista, den-
tico.
Aotonlo, Pernambuco, 1 hora, escravo, S, Joa,
espasmo.
P3
E 0 00 1 M 1 PS I Elflt
m 5 I ?!
fia a B ! F!

1 ^ : |
Ii i!
g
o
?e
t
I
w I
LLlfclMMwll,o-|g?
j^jJ^JF.minino. j g o
GHRONICAJUDICIARIA.
Tribunal do commercio.
SESSAO ADMINISTRATIVA EM i% DE MAIO
DE 1862.
tRB61DBHCI* DO SUH. SR. DESEMBARGADO
t V. A. DK SOUZA.
A a 10 horas da manhaa. reunidos os Srs.
deputados Reg, Lemos, e Bastos, o Senbor
presidente declsrou aberla a sesso ; sendo lida
e approvada a acta da ultima.
BXPBDIBNTE.
Foram presentes as cotacoes officiaes doa pre-
coa correnlea da praca, da' ultima semana.Ar-
chlve-ee.
despacho*.
Um requerimento de Jos Jacome Tasso, viste
pelo Sr. desembargador fiscal, pedindo o regtatro
da procuragao da companhia de seguros Novs
Permanente.Registre-se.
Outro da Olimpio Ferreira da Silva, tambem
1 > I
I I I
! Fsminino.

o 1 m 1 1 1 > 1_______________l
lili! Mssculino. Cq
tal I I I tal 1 g
Femlnino. j ?
*L Ll^UJM"c"n' jg-f
mI I I a I S
Femiuino.
I
1
SI
I
$
)
1
21
Masculino. _tp
------I
Feminino.
S
O
<
B.
z
o
o
o
B
o
ir.
G3
m*
BS
Bf
SO
!*
n
ce
%
o
>
Na tolalidade doa doeoteaeziatem 127 aliena-
dos, sendo4 homens e 10 mulheres.
Foram visitadss aa eofermariaa ealea 4 dias :
no 1. e 7 horas e 20 minutoa; no %." is 8 ho-
ras ; 00 3. s 7 horas e 10 minutos ; no 4. s
7 horas e 1|4 ds manha pelo Dr. Firmo no Im-
pedimento do Dr. Dornellas. A'a 5 1|2, 5 3|4, 5
3,4, 5 1(2 horaa da tarde, pelo meamo Dr. Fir-
mo, e s 8 1|2, 7 1(2, 8 1)4, o 8 1|2 pelo cirur-
gio Pinto Gnimsres.
Baar wIa-wg:iio#D~teaIho.
arca ing^zar-Jlranda-iden.
Barca ingleza-Linda-earvo.
Barca ingleza-Elitt Handa-f.Mnd a orveja*
Patacho loglezFloreat mercaderas
Isaaporta^Ao.
Barca inghu EHia Mande, viuda de Liverpool
ssMigMds a James Ryder & C, maBifeato. o
seguate :
130 fardos e 43 calzas tecido de algod&o aoa
cooiiigoatarios. *
100 saceos arroz, 26 caixas cha, 50 barra sali-
tre, 1 catxa utaaailioa de escriptorio, 12 ditas
panninhoa e tecido de aigodao, 2 ditas sellias : a
Milla Lalhem 4 C
283 taboaa de plnho, 125 barricas cerveja, 27
caizesch,50 barra maolelge, 50 ditoe atoa,
25 toneladas de earvo de pedra: a Johoaton Pa-
ter & C.
1 embrelho sapatos, 2 ditos presuntos a touci-
nbo ; a I. H. Louwe.
* .c,'x" le*id0 de Igodo a la ? Linden-
WH A Ce
2 fardos e 1 caizs brlm de algodo e loalhas ; a>
Ferreira & Oliveira.
50 gigoalouca ; a Southal Hellora 4 C.
10 taras de ferro. 4 ealzas tecido de algodo,
94 ditas cha, 8 ditas folhas de cebre, 2 barritas
barnlha, 200 dilaa cerveja ; a ordem.
10 tsxaa de ferro, 1 moinho em 9 virgens, 3
cylindros, 1 virola, 2 carrelaa, 2 tamborea, 1 cal-
za e l cxe ; a S. P. Johoaton & 0.
1 caiza tecido de algodo; ajames Crablree
oC c
1 dita se mentes de algodo; so Ezm, presidente
da provjoeta.
270 barricas cerveja, 6 calzaa tecido de algodio
adiiae aellina; a Adamsoo Howie & C
21 fardoa a 11 canas tecido de algodo, de li-
nho, de linho e algodo. cobertorea de la e al-
Boaao, mantas idem ; a Roatroo Roolter & C
2O0fogareiros, 20 chipas de fogo, 4 barricas
ferragens. 1 dita tints, 1 calza mTadezaa, 1 dita
camisaa de algodo, 3 ditas lonas; a Isidoro
Hallyday & C-
50 caixas lioha, de algodo, 50 barricas barri-
Iba, 1 dita ferragens, 1 dita cutelerie, 2 eaixaa
cadareo, 100 dilaa folhaa de flaodree, 8 feixea
folhaa de ferro. 1,213 barras e 355 feixes de ferio.
90 feizes ps, 1 barrica campeche, 5 fardoa fio, a
barricas e 2 calzaa candieiros. vidroa e torcidas,
2 barricas uteosilioa de botica, 4 barricas alvaia-
de ; a S. P. Johnslon & C.
100 barrilinhos chumbo, de muni;o, 8 barricas
ozldo de chumbo, 6 ditaa pedra hume, 8 ditas
azarco ; Bartholomeu F. de Souza.
2 caizas chpeos de sel ; a Wild & Jast.
25 ditas tecidos de algodo ; a E. A. Burlo & C.
40 fardoa dito dito e de lioha; a N. 0. Bieber
& C.
10 caizas fecldo de algodo ; a C. Jos Aitley
4 C.
7 dilas dita de linho ; a Isidoro Helliday & C
67 barra pize ; a M. T. F.
1 caixa brlm de linho ; a Patn Nash & C.
8 ditaa miudezas, 1 dita tecido de algodo e
la, 1 dita e 1 barrica ferragens, 12 ventileooree,
j3 barricaa instrumentos de agricultura, 1 caixa
esporas e sacarrolhss, 60 bsrricss chumbo de ma-
meso, 2 barris tintas. 4 ditaa facas, 5 feixes de
ferro, 100 ditos ps ; a Parante Vianna .C.
Vapor nacional Cruzeiro do Sul, vindo dos
portoa do sul maniteatoa o seguinle ;
1 csixo chspeos, 3 ditos cigarros: a Ferreira
& Araujo.
1 calzte volumea imprsssos; a Jos Barboss
de Mello.
1 pipa lirio ; a Meuron & C.
5 fardos fazendaa; a Souihall Mellora & C.
2 calzaa mercadorias : a Joaquim Bernardo do
Res.
1 csizote livros impreuos ;a Nogasira de Sou-
za & C.
1 caizao chapeos ; a Pinto de Soaza fe Bairo
2 calzaa e 1 volame eharutoe ; a Jos Leopoldo-
Bourgard.
1 caixa o ditos ; a Jos Di si Brando.
5 ditoa ditos, 1 sicco milbo ; s ordem.
1 csizote ; a Jos de Vasconcelos.
1 volunte ; a Caetano Pinto de Veras.
1 calzle ; a caiza filial.
1 volame ; a M. F. de Fan'a.
1 dito;
1 dito
1 dito!
1 dilo ; a R Carlea Leite,
1 dito ; a Domingos Alfonso Ferreira.
1 dito ; ao Ezm. presidente ds provincia.
1 caxote ; ao Dr. Antonio G. de Almeida.
1 caizote ; a James Korable.
1 caiza de folha : so Dr. Manoel Alve Costa.
Vspor oscional Persinunga, procedente doa-
portos do norte, manifeatoa o seguiote,;
1,170 couros sslgados seceos ; a ordem.
Exprtatelo
. Do dia 11 de junho.
COHHKRCIO.
Pra2a do Recife 13 de
junho de 1862.
\s cuatro horas da tarde
Cotacoes da jnnla de cor reto res.
Nao houveram cotacoes.
J. da Cruz Maeedo presidente*
John Gatissecretario.
a Thoroaz JUT."
a Ealevao & C.
i a Jos Pereira Vianna.
a Jos Joo de Amorta.
Airandesjft.
Rendimentodo da 1 a 12. ,
dem da da 13 ....
209:359|595
13.4071673
222.767*268
Movimento da alfaurfeart*.
. Velamea antradoa com fazendaa.. 279
> om ganaros.. 187
466
Brigse francs Joo Parmentier, para Msr-
seille, carregaram :
Cala fe Irmos, 890 saceos com 4.000 arrobs
de assucar.
Brigeie sueco Sydon, para o Rio da Preta, car-
regaram :
Amorim & Irmos, 400 barricas e 30 meias di-
taa com 3,254 arroba a e 13 libras de assucar.
Barca americana Azelia, para Philadelpfaia,
carregaram :
mS** Au8lil> C., 606 coaros salgados com
20:410 libras.
Brigue italiano Chrittono, psra Msrseiller
cirregoa :
F. Dragoo, 200 saceos com 1,000 arrobas do
assacar.
Brigue portuguez Activo, para Lisbs, carrs-
garam :
Manoel F. da Silva Terroso, 188 aaccoa eom
940 arrobas de assucar,
Amorim & Irmos, 250 saceos com 750 arroban
de dito.
Brigue braaileiro Afentageiro, psra o Rio da
Prata, carregaram :
Amorim et Irmos, 40 pipas com 7,860 esna-
das de cazaca.
REVISTA DIARIA.
Na sesso de honlem ds assembla provincial,
entroa em terceira discusso o projecto n. 28
... or.es. de fargur. cerca de t^flT^f.^rfS
iE? ?' df,,xUn"r SK2& ?eD,0-.d0 8nl d. "mo PProvsdo em deb,e
^m&t^il\hM:*'^ P-, E- approvado igualoTunte em lerceiuscu...o
j: aiTr iWo de'mo.0n. mesm. facha J.^S LZVt!**1Si?lt
^osda medonha com vento aul, redobrsndo de'na ordem do da "" iara airar
^lt\iV.!Vn}?J'0}l' eOI5 Ch-aud6l Contina a prhneira disciuso adiada do pro-
?tl?igr.""^0fll,a,0h0ld!, 01W d? v:U.nha.l ecto n. 35. que oceupa-se da abertura de eredi
Todo o aivoredo coa derribado ou corlado como to sapplementar: e tomando
aa lese por machado ou fouce. Na manha ae-
gainte jaziam morios mui los pasearus e avea do-
mesticas e os paizesqoa se conserravam em ta-
nos. Tal foi a quaotidade de pedrea cabidas,
que s 11 horaa deaea manba houve neeeseidade
de quebra-laa forca de eazada para dar peesa-
gem pela caacella de urna caaa, de onde tioha
ale aehir urna familia.
A pessoa que nos escreve um fazeodeiro
avel daquelle municipio.
Em coosequencia de ser pouca a tro-
na capital, reeolveu o Ezm. Sr. pre-
orar a ala eaquerda do7*balalho de
i no Diario:
-nos do Rio Pardo
por aqu nao vai bem relajamente s
peradas, que oestes ltimos dias le-
** "lfBgens que freqaentem a mar-
lerde deste rio. Em um ilesies ultimoa
reram dous ataques, no lagar deoeml-
das Pedras. Oa kngrea colioearam -se
i noa casa, eom inlaaco da assasslnsr
M dalia, porm neeaa o:ca.io foram
poralgumarpragaa de polica. Trea
disto o delegado reuni urna forca de
ios, e ful ao citado Rio daa Pedrea, a
ido-os dea com um ranche de (rosco de-
r elles, onde na noila wletedente ha-
. rmdtaalo, dlftjnto urna miJisa beirado
Rio, daht segairam em procura da aldeia em
aoram, mu.to no Mito das maius e perlo
Mappa demonstrtivo dos doentes curados e fallecidos no hospital da veneravel ordem terceira de
S. Francisco do Recife, do dia i 1 de margo a 16 de maio de 1862.
o Sr. Fenelou a
palavra, Irats de dar explicares respectiva
commissao, quanto s duviJas spreseniadas pela
mesma com relaco distribuico do votado
para reparos e conservarlo das obras publicas, e
de argui-la por havjr excluido do projecto urna
parle da quaotia pedida, aasim como pronuncia,
se pela opiniao decorrente do acto addiciooal de
dever o presidente solicitar da assembla prono-
eial, quando em faoccoes, s coocesso dos crdi-
tos supplemeolares. e nao abri-loa por si.
0 orador conclue por mandar urna emenda
auppressiva de dous periodos do parecer da
commissao, por haver demonalrado a improce-
dencia dolas. Sendo apoiado. votada e e eppre-
vada, bem como a do Sr. Luiz Pelippe.
' approrado o projecto em pria eir duena-
so.
Contipa a discassao adiada do atl. 36 do orca-
meoto provincial, na qual loma a palavra o Sr.
Catanho, a Gm de juslittear urna aua emenda re-
duiindo a imposicao sobre o algodo.
Alm dalo, o orador responde a argumentacio
do Sr. baro de Muribeca. em urna daa prece-
dentes sesse, em relaco concurrencia para
a renda publica da zona algodoeira, cujo gozo
dehionstra nao aer equivalente aasa concurren-
cia equiparada coa aquella da zona aeaiseareira.
Ora em seguida o Sr. Arroda Falcao, arguio-
do a commissao da orcameoto pela alca da iaa-
f?TS* *fhr# ^aV*' < 9*-o qae red ua
aquella aehre oa esaravos, e conclue por mandar
fc^zttinsKS^ o.
1862

a
y
i

>
9
>
a



a

a

Marco.


>
Abril.
>

a


a
a
Ma'o.

a
KOMES.
PauliDo Gomea Persira............
Viceocia Mara Gama..............
Merenciana Mara da Peaha.......
Mria Rodriguea Chaves...........
Romo Rodrigues Chatas..........
Ildefonso Raymuado Jorge.........
Jos Francisco de Mello...........
FeluOoofra.......................
Marcolino Evangelista.............
Ploroda liarla da Coneeico......
Joaquim Beoto Peres..............
Belmira Mtria do Espirito Santo..
Joo de Souia Leite................
Fesmino Jos ds SaotvAnns......
Felippo de s Tiego..............
Benedicto Jos Custodio...........
Jos Ignacio Ribairo..............
Seraph.m de Soaza Barbosa........
25
25
3d
75
13
i7
30
2
27
31
38
23
55
Z3
30
30
65
50
Ieojaea........
Ourieery......
Recife........i
a

a
Becada ........
a
a
Ignarass......
Hespsaha......
Naxsreth ......
R. G. de Norte.
B. de Caluama.
Jaeoato .....
Alagoas......
Muribeca......
CeruaiA.......
Casado .
Solleiro.
a
a
a
a
a
Caaado .
Solleiro.
Cesado .
Solleiro.
Casado .
Solleiro.
a
Casado .
a

*
Almocreve.......
Coaturelra........
Coz'oheira...... .
Sem occupac,o...
Boleeiro..........
Sem oceupeeo...
Servente.........
a
a
Lavsdeira........
Boleeiro..........
Coa tu reir........
Canoeiro.........
a
Agricultor........
Canoeiro.........
Agricultor........
>
o
o.
o
Livre
a
a
a
>
a
a
a
a
a
a
a
a
a
D
a
a

"O
Pardo.
a
Preta
Parda.

Branco
Pardo.
a
a
Prela .
Branco
a
Pardo.
Preto.
Pardo.

a
Vatzea....
St. Antooio
S. Jos....
St. Antonio
a
a
Escsds....
a
Boa Vista .
St. Antonio
a
a
a
Pocioho...
Uno.......
Curcarsnss
Bebedeuro
ENTRADAS.
S
5
81/1
V4
11 1/2
6 1/2
11
11 1/2
8
9 3/4
4/1
I
3
1
2
11
1/2
1/2
1/2
8
11/2
8
78/4
Cholera.
a
a
a
a
a
a
a
a

a
a
a
a


a
a
SABIDAS.
a
a
m
e
5
19
9
9
11
1.
101/1
oi/a
5
6
10
191/4
e
81/2
6
6
25
181/
tos
98
1681/2
63/4
191/2
141/2
111/9
947
9
214
91
175/*
81/8
17
44
511/9
5

7 11 13 5
18
OBSERVA!, AO.
. r.elnna h ^,Lm L. lega Fr"clM0 ,0, ^^ Lea1' oesrregado do tratsmenlo doa cholericos otile hospitaL compre-nos dizer algama coate roiptUo. A medicina ocsta em nr.i foi
nlco No oriodo .5 anriaSS. S credllamos em, lwot unUormea, nea em eapeoicoa inf.lliv.ia. Nao se 4oo om cm de choleS q^dtaU^
Una^S^XV^nJJ1}0 o\ "edlMBie2 \?' 1* "'rlo# e P'ooitadoa, U.to interno como ezterno.e at .amo da ipeeacnanha emlargae toses, aa n lago a !3mluS
Sctel ePdo. vomUos en S.o fllifom!' 1Qmff ".? M- > PPo.endo a anciedade precordial, a afflicelo e oppresso epigraatloa, o uor fro t fiKnl. {ueVSfX
m\\Vl!to!S do V"?alt?' b,.1 COl.Upl '*ir66M' M' '* Mia pel coolra,io POiMU < aate ilVdo mrbido : na epidemia actual, em proaoiUo^tatto.
imJ^^^t^n^Ju^lJ\}A Ffe,,ira.en,e 9m *, ?i abeleriooa non termioou por febre lyphode. Temos o prszer de teoUrir quo daranlo sTtpMeX^atM^3
t?, 90 "o mio de 18! recolhWo, Df'rm'0>. "t" Mt P^mom que de bom grado ae prtsta.aa a> trrico do. tkoitrlcot. Hotpital da Tetmartl orle?urea? S
Stereuria dt veneravel a,
AMignado.-JT^Mel Fefieio da
VLiiaSfMSk' "^
dt 1862.
*

TTHT
-1 ^ 'W
..... m.
-
J-. -"



I
7
tt-m"~


-

k:
-
MMttg JT mjUMWWJ 4 t*a^O0 II #t IMWQ O i*.
Ja^ -
Birca trncete Joto Parmener, pira M*t-
aeille.carregaram
Cele Irmaos, 100 saceos cese. 500 arrobae de
nucir. T
Birc americios AseJia, pata I'hilidafltl*.
srrejiram: r
jO^iiJ"*1* *C- *7 m altados cam
Kia^:^lU|,,6"Sy1,'flrt*a p-1?i- *$*'
B altes 4 Oliaira, 900 santos com 4.500 arro-
nas de asiucar.
Brigusauasa Sidn, pers o porlos do Rio da
rrata, carregerars:
**Mm & Irmiss, 40 barricas cob 8,031 ar-
faba e 24 librai da assucar.
eeebedtorla da rendas Internas
SeraMM-de Peraaaaneeeo.
Reodlmento o dia 1 a 12. 15<86J74
Mam s dia 13......1:402|285
1:4B9A259
Consulado provincial.
Reodlmento do dial a 12. 43:7221204
Uta da dia 13......; 2:6461230
46:3683434
Movimento do porto.
havioi entrados no dia 13..
Rio de Janeiro e porlos intermedios5 dias e 19
fcjrea paqaete a npor nado asi Cruzeiro do
Sul, da 1,100 loneiidaa, comee t.nd inte o ca-
Oilao da mar a guirri Gervazia Mancebo.
Macero e portos iotermedioi24 horas, ti por
nacional Pentunga, da 422 toneladas, com-
mandante Manoel Rodrigues dos Santos Houra.
Terra-Nova35 das, barca inglesa Cotutancia,
a 2*8 toncadas, capillo I. E. N. Jarvis, eqai-
pegem 14, carga 3055 barricas con bacalho ;
a Johmton Pater & G. Seguio para os portos
do sal.
eaove63 das, polaca italiana Galilea, de 160
toneladas, capillo Emmanuel Solara, equipa-
gera. 10, carga massas, paisas a outros gne-
ros ; a Atnoriai Irmao. Tem a bordo 10 pai-
segeiroa. "
Rio de Janeiro14 das, brigue nacional A\mi-
mxrante, de 218 toneladas, capitao Joaquim
Jos de Oliveira, equipagem 12, carga caf e
outros gneros; a Antonio Luiz de Oliveira
Aze vedo & C.
Lisboa24 dias, lugre porluguez Julio, de 277
tm*lf**> eepilo Antonio Meirelles. equipa-
e"n 5,-?arga *,ol>o, fioagre o outros gne-
ros ; a Thooiaz de Aqaino Fooseca.
Navio sahidot no mesmo dia.
AssBirca nacional Atrevida, capillo Claud-
no Jos Raposo, em lastro.
Rio-Grande do Sul-Barea nacional Santa Uaria
Boa-Sor te, capitao Manoel Luis dos Santos,
carga assucar.
Edtaes.
y
Antonio Bernardo Quloteiro, caTilleiro da im-
perial ordem da Rosa, major ce remandante do
terceiro batalho de infantaria da guarda na-
cional do municipio do Recite e presidente do
eonselho de qualificacao da parochia da Boa-
Vista por S. M. I. etc.
Faca saber aos que o presente et tal virem e a
qaem possa ioteresssr que no dia 16 do corren-
te s 9 horas da maoha, estar reunido o rete-
nido eonselho no coniistorio da igreja matriz co-
mo determina o art. 83 do decreto n. 722 de 25
da oatibro de 1850.
Qaarteldo commanlo intiriao do terceiro ba-
talho de infantaria da guarda nacional do rou-
nuiBio do Raeife 12 de juaho da 1662.Antonio
Bernardo Quioteiro, maior commaodanla inle-
nno.
O Illm. Sr. inspector da tbesoiiraria provin-
cial, em cumprimento ;di resolano da junta da
lazenda, manda fazer publico, que no dia 18 de
juqIm prximo futuro, perante a aesma junta se
na de arrematar a quem por meno flzer o foroe-
cimeolo dos medicamentos e utensilios para a
enfermara da casa da detenc-ia dt.% cf dad, por
lempo de um auno, a cootar do 1' de julho do
torrente nao as fim de junho de 1863.
As pessoas que se prepozerem a esta arrema-
tarlo comparecam na sala das sessfes da referi-
da junta aodia cima mencionado pelo meio dia
e competentemente habilitados, onde acharan
presentes o formulario e condicedes d'arremata-
jia.
K par toostar sa mandou publicar o presente
pelo Diario.
Secretaria da thesouraria provin:ial 26 de maio
de 1862. O secretario
A. F. d'Antunciago.
0 Illm. Sr.inspector da thesouraria provincial
esa casnpriaente da resolucao da junta da fa-
zenda, manda fater publico, que no dia 18 de
junho, prximo viodouro se ha do arrematar a
quem por menos fuer a impresso dos trabalbos
das repartieres provincias a saber .
Bilancoa e ornamento da thesouraria e relato-
rio da inspectora, com todos os documentos que
oacompanham, pela qoantia de 1:372000 res.
Secretarii do goreroo, assambla, thesoura-
ria, consalado, sgencias, obras publicas, direc-
tora gera I da instrueco publica e gymnazio pa-
la qoantia de 2:8005000 reis.
As arremataees aero feitas por lempo de um
anno, a contar do Io de julho do correte aono
a 30 da junho de 1863.
As pessoas que se propozerem a estas arrema-
tares, comparecam na sala das sessoes da men-
cionada junta, no dia cima indicado, pelo meio
dia, com suas propostas em cartas fechadas.
E para constar se mandou publicar pelo Diario
Secretaria da Ihesoeraria provincial de Per-
nambuco 26 de. maio de 1862.
O secretaria
A. F. tTAnnunciago.
O Illm.Sr.iospector da thesouraria provin-
cial; em cumprimento da resolueo da junta da
azeoda, manda fazer publico, que no dia 18 de
juaho, prximo viodouro, parame a mesma jun-
ta se ha do arrematar a quem por menos flzer o
servio da cspatszia do algodo do consulado
provincial, avaliido aooualmeote em 3:9600000
reis.
A arremataco ser feita, por lempo de 3 an-
uos, a contar do Ia de julho do correte anno,
a 30 de junho da 1865. As pessoai que se pro-
pozerem a esta arrematarlo, comparecam na sa-
la das seisdes da menciooadi junti, no dia ci-
ma indicado, pelo meio dia, com auai propostas
em cartas fechadas.
E pars constar se mandou publicar pelo Dia-
rio.
Secretarla da thesouraria provincial de Per-
oambuco 26 de maio da 1862.
O secretario
A. F. d'Annunciago.
Da ordem do Illm. Sr. inspector deita the-
souraria, eam observancia da ordem do tribunal
do thesoaro n. 81 de 28 de abril deste anno, sao
pelo presente convidadas as pensionistas do es-
tado abaixo declaradas iquanto antes apressnta-
rem os ttulos declaratorios deseus venoimentos,
atim da que sa lhes poisa abrir o respectivo as-
entamento.sob pena de Ibes nao serem pagos os
ditos vancimenios sem o referido asseotamento.
Francisca da Pureza do Oliveira a Silva,
Francisca do Reg Brrelo.
Ifaet Amalla Goes dq Brito.
Josepha do Reg Barreto.
Uaria da Coaceico Cavalcanti Barros.
Mara Egypciica de Locio.
Maria do Reg Barreto.
Secretaria da thesoararia da fszaada de Per-
ca mbaco 27 de maio de 1862.
Sarriado de oficial-naor,
Manoel Jos Piolo.
-O Illm. Sr. inspector da thetoaririi pro-
vincial em cumprimento da ordem do xm. Sr.
presidente da.provincia, de 7 do correnl*. man-
da lazer publico, qua no(j, 3 rindouro peraoieajunta da faienda a mesas
'"^^"atar a quem por me-
DQ,Himi9?*4? *?***** riasbo Chacea os
liusulss especiaes abslxo copiadas.
As petaeaa qae se propotarea a i!Htt *..
tKao comparecam na sal dss seaos a Mfari-
ls jantt, no dia saaraneecionade peld meto
di* competeotemeote habaNtida*.
E para constar se mandos effixar e frsente e
peWicar pele Diario.
Secretaria da thsaoarara provlsslal da Par-
nambuco. 11 de jaoho de 1862.
O aaerstarie, Antonio Ferreirs da Aaseociacao.
Clmiuias speciaes para a arreoteftacio.
1.* Os reparos precisos ee arco do {Chacn, na
importancia de 1*20(000, serio fettoi de con-
fersafdade com o respectivo orgamento, approvs-
do pala directora em eonselho.
2^* No praio de 15 dias o arrematante princi-
piar a obra, reuoindo os materiaas, e logo que
as agn de riacho Chacn deram lagar, ar o
aterro do reabee as mais obrai,
S. O arremaUete observar restrictamente as
initruccdis deigenheiro encarregido da flsea-
lisacio e direccao dos trabalbos, e be easim o
qae a respailo diz a le provincial n. 280.
4.a O pagaaeato ser effectaado ea dea* pres-
leces iguaes, se:do a primaira quando s aterro
esitver de todo concluido, a a segunda logo qae
as obras aslirerem coocluidas. O arrematante nao
Bcar aujeito a respoosabilidade alguma, depoii
de ter estregado a obra.
5." O arrematante nao ter direito a iodamni-
sacao alguma, qualqaer que seja o motivo em
que ae bisear para tal flm.
Conforme.O aecretario, Antonio Ferreira da
Aoouociacao.
O Illm. Sr. inspector da thesoararia pro-
vincial, em cumprimento da resoluto ds junta
da fazenda, manda facer publico que ae contrata,
por lempo de tres mezes, a coatar do *, de ju-
lho prximo vindouro, o fornecimento da alimen-
tacao s dietas para oa presos potrea da casa de
deteocao, a saber:
Alimenticio.
Domingo.A.lmo .
Um pi de treeoecas
Urna ooca de caf.
Dues ongas de assucar.
Janlar..
Urna libra de carne verde.
Urna onr/a de toucinho.
Um dcimo de farioha.
Lenha e asi.
Segunda-feira.Almoco.
O mesmo que 00 domingo.
Jaotar.
O mesmo que no domingo.
Terca-feira. Almoce.
O mesmo qae no domingo.
Jaotar.
O mesmo que no domingo.
Quarla-felra.Al mojo.
O mesmo que no domingo.
Jaotar.
Meia libra de carne secca.
Urna onca de toucinho.
Meio dcimo de feijo.
Um dcimo de farioha.
Lenha e sal.
Q j i n t a f e i ra A1 m 050.
O mesmo que no domingo.
Jantar.
O mesmo qae no domingo.
Sexta-feira.AlmoQO.
O mesmo qae no domingo.
Janlar.
Mala libra de bacalho.
Meio dscimo de feijao.
Um dcimo de farioha.
Bas oitavas de azeite.
Urna ooca de vinagra.
Lenha e sal.
Sabbado.Almoco.
O mesmo que no domiogo.
Jantar.
O mesmo que na sexta-feira.
Dietas para os doentes.
N. 1.
Almoco.
Um quarto de gallinha para trea caldos do
da.
Lenha e sal.
N. 2.
Alunes.
Um pao de tres ongas na sopa de caldo de gal-
linha.
Lenha e sal.
Jaotar.
Um quarto de gallinha cozida.
Duas oncas de arroz pira canja.
/ N. 3.
Almoco.
O mesmo qae na ditla n. 2.
Jantar.
O mesmo que na dieta n. 2, e mais um quarto
de gallinha estada.
Um pao de tres ongas.
Lenha e sal.
N, 4.
Almoco.
Duas oilavas de cha da India.
Um pao de tres ongas.
Duas ongas da assucar.
Lenha.
Jantar.
Urna libra de carne verde.
Um dcimo de farioha.
Lenha e sal.
N. 5.
Almoco.
O mesmo da dieta n. 4.
Urna libra de carne assada.
Quatro oocis de arroz.
Um pao de tres ongas.
Lenha e sal.
As peaoas que quizerem fazer dito forneci-
mento apresentem aa suas propostas em cartas
fechadas no dia 18 de junho do correte anno,
oesta thesoararia, pelo meio dis, onde encoolra-
ro as condicoes com qae deve ser effectaada a
arrematagao.
E para conilar se mandou afflxar o presente a
publicar pelo Diario.
Secretaria da tnesoursria provincial de Per-
nambuco, 28 de maio de 1862.
O secretario,
Antonio Ferreira d'Aonunciag8o.
Oe Correio.
Hoje (14) as 3 horas da tarde em ponto fechar
se-ho as malas que dere eooduzir o paquete
brisilelro Cruzeiro do Sul, chegado hontem dos
portos do sal, e com destino aos do norte.
Correio gera!.
Relaco das cartas seguras viadas do
sal pelo vapor a Cruzeiro do Snb pa-
ra os senhores abaixo declarados.
Aureliino de Azaredo Mooteiro.
Antonio Robra de Almeida.
Coriolano Augusto de Loyola.
Caetano Pinto da Veras.
Ignacio Ramos Porto.
Palix Justiniano de Albuqaerqte.
Ildefonso de Souza Reis.
Josquim Jos da Motts.
Josqaim Ribeiro de Soasa Froes.
Lauriana Lucas Monteiro.
Manoel Jaonario Bezerra Montenegro.
Manoel Jos deSiqaeira Pilsnga.
Manoel Ignacio de Oliveira.
Norat A Irmos.
Rufloo Augusto do Almeida.
Vsente Jos de Brito.
EsperldlSo Zamiro de Souza.
Cooselko administrativo.
0 eonselho administrativo, para fornecimento
do arsenal de guerra, em cumprimento ao art.
22 do regulamenlo de 14 do dezembro de 1852,
faz pablico qae foram acaitu aa propostss dea
senhores abaixo declarados.
Para a fortaleza de Ilamirac.
Jos Hygloo de Miranda :
1 aastre psrs heatdeira, com 65 salmea de
comprimento a 3 1|2 de grossura por 655.
Para o preiidio da Pareando de Noronhs.
Manoel Nascimeoto de Araujo :
50 barricas com cimento romano da priestira
qualidsde s 10.
Caetano Jas Masdaa:
800 caibroa de 25 palmos da comprimante a
500 rs.
125 duziaa de ripia de 15 palmea de eompri-
meoto a 000 rs.
Jos Hygloo de Mifsodi: 1
87 travs de 40 palmos de comprimeejlo a da 71
poli egida de grosiun a 10J.
34 ditas de 37 palmee de eoorpriaeseo e 9 pol-
Isgadas da grosaars a 12J.
40 ditas ds 25 palmes de comprimento a 7 pol-
legadas da grossura a 5*800.
84 di tas de 22 pemos de comprimento e 7 pol-
legadae de grossun a 5|600.
Jos Rodrgaos da Silva Rocha :
5 milhsfros de pragos caikraas a 4)800.
8 aitheiros de ditos cu.es a 2J500.
Ssntoa Oliveira & C.:
30 vergalbdes de ierro redondo de 1 1(2 polle-
gsda da gassaura a 6f o qaiotal.
10 mil pragos ripeas a 1J300 o milhelro.
Para o corpo da ga'arnicio de Cear.
Jos Rodrigues di Silva Rocha :
457 pares de clcheles grandes pretos a 15 rs.
o par.
Para o arsenal da guerra.
Joao Jos ds Silva :
50 grosas de dvallaa de ferro estenhadae para
grvalas a 2$.
Para o V hatslhlo de infantaria.
Jos Rodriguea da Silva Rocha :
50 cansas de pao para escripia a 30 rs.
Joao Jos da Silva :
50 escoras molles a 320 rs.
O eonselho avias aos foroecedorea cima, que
devem recolher os gneros cima uencieasdos
no dia 20 do eorreuta, na lecrelaria do memo
eonselho, s 10 horas da minhaa, a excepcao do
mastro pan a bandeira da fortaleza de Ilamarac
que ser entregte em dita fortaleza por tonta do
fornecador.
Sala das sessoes do eonselho admiuitral'vo,
pars fornecimento do arsenal de guerra, 13 de
jaaho da 1862.
Francisco Joaquim Pereira Lobo,
Coronel rogal secretario interino.
DO
BEBERIBE.
O Sr. caixa o commendador Manoel
GoncaWes da Silva eita' autoriado a
pagar o 28* dividendo desta companhia
na razao de 3#200 ri. por apolicc :
advertindo-se aos Sr. accionistas que
este dividendo sera' pago em cobrs,
visto ser na especie que o Sr. caixa tem
recebido dos arrematantes dos chafari-
zet e bicas pertencentes a esta compa-
nhia.
Escriptorio da Companhia 27 de maio
de 1862.O secretario interino, Justi
no Pereira de Faria.
Companhia
DO
BEBERIBE
No da 14 do corrente pelas 12 horas
do dia tera' lugar no escriptorio da
companhia ra do Gabuga' n. 16, a a-
renla tacao do rendimento dos chafarizes
e bicas por bairros ou total idade e por
espaco de um a tres annos, como mais
convier a companhia, sob as bazes
abaixo transcriptas e mais condiccoes
patentes no escriptorio ; os Srs. lici-
tantes comparecam com seus fiadores ou
declaracao dos mesmos no mencionado
dia devendo ser as propostas em carta
fecltada.
Bazes sobre as quaes se dev
lanzar.
Barro do Recife.
Chaariz e bica do caes da
alfandega. ... 5:097#269
Dito da ra da Cruz. 6:539360
Dito da rui do Brum. .. 3:565f518
Dito do Forte do Mattos e
bica.......2:753898
THEATRO
DE
Santa Isabel
COMPANHIA LYRIC4
es
Sabbado ide juuhode 1862.
11." Recita da assignatura.
BELIZABIO.
Principiar s 8 horas.
Os bilhetes esto renda
calo.
no dia despeets-
G. Marinxngeli.
C4SSIN0 POPULAR
BAILE
DE
Mascaras e sem ellas.
HOJE 14
M
COMPANHIA rER!U!BlICAU
SI
Navegago costeira a vapor.
Parabiba, Rio-Grande do Norte, Macau,
Aracaty e Cear.
O vapor clguarassu, commandante Vianna,
sshir para os portos do norte at o Cear no dia
XI do corrente i 5 horas da tarde. Receba car-
ga at dia 18 so mtio dia. Eocommendas pss-
sageiros e dioheiro a [rete at o dia da sabida s
horas. Escriptorio no Porte Ir. Maltoa n. 1.
oo
PALACETE DA RITA DAPRAIA.
A soeladade Casaino Pipular dar hoje baila a
pedido de varios amadares do Cassino; asr rean-
uda a boa ordem e observada as disposices do
regulameoto interno.
Entrada pan damas gratis, caralhiiro 2>.
17:954^045
Bairro de Santo Antonio.
Chafariz do largo do Carmo 7:8300096
Oito do largo do Paraizo. 6:455$223
Dito do Largo do Passeio. 3:132^038
Dito ds ra do Sol. 2:934^709
Dito da ra da Concordia. 2:9320769
23:2S#835
Bairro da Boa-Vista.
Chafariz do caes do Capiba-
ribe e bica dito. 5:8020*57
Dito da caixa d'agua da ra
dos Pires......5.1760526
Dito da prac,a da Boa-Vista. 5:0270923
Dito do largo da Soledade. 7600868
16:7670574
Joi.
Bairro de S.
Chafariz do largo da
beira.....
Dito da ra Imperial.
rt-
12:6000000
5:2500000
17:8500000
Escriptorio da Companhia do Beberi-
be 10 de junho de 1862.
O secretario,
Justino P. de Farias
Directora das obras militares
Tendo a directora das obras militares da man-
dar eonstreir urna pequea casa para deposito de
cubos, no quartel do 9." batalho 'de infantaria,
convida as pessoas qae sa qneiram propor stal-
rftCo. a aomnarecerem na dita directora |oos
dias 13,14 e 16 do corrente mez, das 10 horss ds
manhaa a 1 di tarde.
Directora das obras militares de Pernambaeo
12 de junho de 1862.O escripturario,
Joao Mooteiro de Andrade Malvina.
Arsenal de guerra.
Por ordem do Illm. Sr. coronel director ae faz
publico que nos termos do aviso do ministerio da
guerra de 7 de marco de 1860, se tem de mandar
manufacturar o seguate:
206 sobreeasseas de panno asul.
82 calen da dito panno.
57 frdelas de brim.
273 calesa de dito.
128 capeles de paaoo azel.
Qaem quizar arrematar o fabrico de ditos arti-
go*, oo praso de 25 dias, compsreca na sais da
directora pelas 11 boraa do dia 16 do corrate
raes, eom sus proposta em qee declare e menor
precoe qual sea fiador.
Arsenal de gaarrs de Pernambuco 11 de jinho
de 1862.
O amanuense,
JoSo Ricardo da Silva.
Pela reeebedoria de rendas internas terses se
fas publtco qae- oeste correle mes se flods o
preso do pagamento, sem mulla, do segando se-
mostr do exsrcicio corrente dos regatles im-
perios, decima addiciooal de mio-mort, impos-
to de 20 portele sobre tojas, dito especiar so-
bre osees de moris, reopes fabricada* em pala
estraogelro, qae do 1.* de julho em alante *-
rio pagos eom a sostu da 3 OjO
Reeebedoria *. Pernambuco 0 de irfuho dt
1862.-0 administrador,
Csroeiro da Souza Laoerda.
Alisos martimo*
* ilio de Janeiro
O brigue nacional Alfredo, segu com brevi-
dade e tem meio carregaminlo tratado, para o
reato trata-se com os consignatarios Marques,
Barros & C. largo do C>rpo Santo n. 6.
Rio de Janeiro
Pretende sfguir com muita brevldade pars o
Rio de Janeiro oveleiro e bem conhecido brigue
nationsIcMmirsote, tsm parte de seo cirrega-
meoto prumpto ; para o resto qee Iba falta, ira-
ta-se com os spus consignatarios Antonio Luiz de
Oliveira Azevedb, no seu escriptorio ras da Cruz
numero 1.
COVAMIA PERiUIBlCANA
DE
Alavegaoaocosteiraa vapor
Macei pelas escalas
O vapor Persiouoga, commandante Maura,
sahir para os porlos do sol locando naa escslas
no dia 20 do corrente. is 4 horas da (arda. .
Recebe carga at o dia 18. Encommendas.
passagairos e dioheiro frote at o dia da sahi-
da ao meio dia: escriptorio no forte do Mattos
n. 1.
L#*.i!fts.
LEILaO
Em continuacao.
Seguoda-feira 16 do crrente
0 agente Pinto, novameote autorisads pelo in-
ventariante dos beos deizados por .Uiecimento
de D. Mara B. Ferreira de Campos. por des-
pacho oo s do juiz municipal da segunda va-
ra, como do juic de direito especial^U eom-
mercio tar leilao dos predios abaiio declarados,
s saber:
10 cssss terreas sitas em chaos proprios ns
Estancia, roa de Henriqoe Dias, nomerac,o par
de 2 a 20 cada urna com urna porta e duas ja-
nellas, grande quintal s cacimba, e urna dellas
com grsnde solao.
1 dita dita sita no becco do A;ouue da fre-
guezia da Bia-Vista com quintal e cacimba.
1 sobrado o. 104 oa ra da Senzala Velha
eom 3 lojas oo oito e nma na frente.
O referido leilao ser effectuado as 11 horas
do dia cima mencionado oo escriptorio do re-
ferido agente, ra da Cadeia n. 9, onde sa dar
qualquer informacao a respeito.
Para Maranh&o e Para.
pretende seguir com muita brevidade o releiro e
bem conhecido patacho nacionilaEmulacao, ca-
pitao Aotonio Gomes Pereira, tem parte de seu
carregamento prompto ; para o resta que lhe fal-
ta, Irata-se com os seus consignatarios Antonio
Luiz de Oliveira Azeredo Si C. no seu escriptorio
ra da Cruz n. 1.
IB
Rio Grande do
Sul
O patacho nacional Palma segu com toda a
brevidade porsivel por ter a maior parte do sea
carregamento j prompto, e recebe o resto da
carga poj frete mdico : trata-se com Bailar &
Oliveira, rus da Cadeia n. 12.
IS
Rio de Janeiro
segee com brevidade o palhabote Piedades, re-
cebe carga a frete: a tratar eom CaetanoCyriaco
da C. M & Irmao, no lado do Corpo Santo n. 23.
Baha
Segu oestes dias o histe eSaola Rita, r.ecefce
carga a frete ; a tratar com Caetano Cyriaco da
C. M" & Irmao, lado do Corpo Santo n 23.
Aracaty
gegaa no dia 20 doco-rente o palbabote San-
ta Cruz, recebe carga a frete ; a iratar com Cae-
tano Cyriaco da C. M. & Irmao, no lado do Cor-
po Santo n. 23.
- Pera o Kio de Janeiro, recebe em reito da
carga a frete a barca braiileira Cooccico : a
tratar no escriptorio do Amorim Irmaos, rus da
Cruz n. 3.
Janeiro.
O brigue nacional Deolinda segu com are-
vidade, e receba alguma carga a frete : trata-se
com os consignstirios Marques, Birros & C, lar-
go do Cor^o Santo n. 6.
Para
Rio de Janeiro,
sega cose toda brevidade a liada e reletra barca
nacional Irla, de primeira ctssse, capitao Gas-
par Leite de Paria, a qual tem parte da aau car-
regiment prompto : para o resto, trata -se com
os seus consignatarios Aranigi, Hijo & C, roa
de Trapiche Novo o. 0.
Porto e Lisboa
Segas brevemente veieirs barca' portuguesa
Sympithii, por ter san carga, parte a bordo
[ parte engajada ; para o restante s paeeaseiroa.
irata-se eom Balsar4 Olreira ns ras ss Cadeia
I la Recife n. 12, ^
GRANDE
Laboratorio a rafwr
Lavagem e engommado
de roupa, de Ramos Pi-
mental.
Empresa importante, que ai prestanrlb rea-
ventes servicos seas freguezes pela promptidie.
e perlic.ao com que lave a roupa sem i eatrSgir
PREfOS.
Roups sortids (embora nao venhara meiai Oes
lencos] 40 n. por peca.
Percas gran les Isladi mente 100 rs.
Roupas de navios, vapore e hospitaes 70 rs.
Dita de familia que oso fregeeza 80 rs.
Dita da doente de familia que nao 4 freguaia
a 120 rs.
Urna rede oa cortinado de cama on veranda
a 500 rs.
O preco dos engommsdos mdico e confor-
ma as pecas, como costamsm fizaras engomms-
dairas. O praso da entrega da roupa lavada 6
8 das, e engommsds 15, sendo qas mullas vezan
est prompta antes do praae. Deposite ne> rae
Nova.
- Joaquim Viar Rodrigase vea Europa-.
^05octaco npogrrtphica
pcvnamlucaua
Domingo 15 do correte, i 10 horas ds ffia-
nhaa, hiver sesso extraordinaria da assem-
bls geral do eonselho director.
Secretaria da Asiociaco TyoogrsphU Per-
nambucana 13 de junho de 1862.
Juvencio Cessr,
1* secrelario.
LEILfiO
SE
Dividas,
Seguoda-feira 16 do corrente
a 1 hor* da larde.
O agente Pinto levar novamente leilao ai
dividas activas da mesia fallida de Jos Antonio
Soarea da Axevedo, aervindo de base o maior pre-
}o otTerecTdo, por assim lhe haver determioado o
Um. Sr. Dr. juiz especial do commercio : a 1
hora da tarde do dia quarta feira 11 do cor-
rente.
Um cay alio
Segunda feira 16 do corrente.
Por autoritario do Illm. Sr. Dr, juixdo com-
mercio e por ordem dos curadores Oscaes da
rnassa filuda te Luiz Antonio de Souza Ribeiro,
o agente Pestaa far leilao.de um expeliente e
bem conhecido cavallo, pois que tem excellen-
les marchas e linda figura, o qual ser vendido
por conla da mesma rnassa : segends-feira 15 do
correte^ pelas 10. horas da manhaa na porta da
associaco commercial.
LEILAO "
Precisa-se de 3:00ug a premio, garantiodo-
se com ums propriedade neiti cidade ; a quem
convier assancte para ser procurado.
Precisa se de um bom coxinnsiro ee urna
boa cozinhelra, e tambem para fazer as compras
na ra, sendo escravo preferido, e sendo capix
paga-se bem. fambem pre.'ise-sa de ama boa
coslureira e engamraadeirs, ni mesma casi 0.4S
da ra da Crin do Recife.
Precua-se de em caixeiro de 16 a 18 annos,
desses chegados ha pouco do Porto, aioda que.
naoeaiba 1er : a tratar na ra do Imperador, aoj
n. 24, ae dir qoem quer.
Aluga-se um molnque para criado : qiteo
o qaizer, dirja-se a ra da Penh n. 1, prmeiro
andar.
Na ra du imperador o. 75. terceiro aojar,
precisa se de urna ama qae coziohe e compre
bem.
Francisco Drago, subdito francs, val &
Europa.
Pugto no da 11 do crreme um escravo
crioulo de nome Severino, cgo do olho esquerdo.
alto, cheio do corpo, cor preta, idade de 22 aneo,
rosto redondo, sem barba, ps a mos grandes,
cujo escravo achava-se tratando na cass de saad-a
do Sr. Dr. Ramos, remettido pelo seu senhor
Faocisco Manoel de Souza Oliveira, o qual man-
dou buscar pelo abaixo assignado, para segnir
para o engeoho ds C'choeira, onde m moras,
e tendo dito escravo fgido, por iaso pede-ae aos
capies decampo ou qualquerpessoa dopvoque
o virem, prendara e recolhsm cadeia desta ci-
dade, ou levem ao abaixo asiigoado, na ra Di-
reita n. 3, que sero gratificados.
Jos ds Ponsecs Silva.
Aluga-se um prcto de 20 aonoa, para st-rvi-
go de alguma casa de familia ou qualquer oulro.
menos padaria, oa ra Direita n. 95 ; tambora se
informs, para quem precisar comprar ums as
melhores tabernas oa mesma raa, muito afregae-
zads, tanto para o reato como para a Ierra, e ee
fax negocio a vootade do comprador, pela razio
do dono nao querer mais taberna, e turnar ouira
induatria.
Jos Ribeiro de Vascoocellos jnior e Cae-
tano Pereira de Brito rogam aos amigos do padre
eaeatre ex-provineial do convento dos religiosos
Carmelitas neata cidade, Fr. Joao da Assumpc*>
Houra, fallecido no dia 17 de mex ultimo em
Tacarel, para assistirem a urna mina que, atel
eterno desaaoco do meemo, pretndeos mandar
dizerno dia 17 do correte pelas 7 horas da ma-
oha, na igreja do Carmo.
DE
Pannos avariados.
A 17 DO CORRENTE,
O agente Oliveira far leilao por conta e risio
de quem perteocer de um fardo de pannos su-
perfinos, averiados a bordo do navio Dorothea
capillo J. Bonn, na sua ultima viegem proce-
dente de Himbargo para esle porto :
Terca feira 7
do corrente, ao meio da em ponto, no sea es-
criptorio, raa da Cadeia n. 62, prmeiro andar
por cima do armazem do Sr. Henry Gibson.
Avisos t!**rso$.
GLANDE
Laboratorio a vapor
DE
Roup* Uvada e engommada
de Ramos *t Pimeatel
Os donos dos nmeros abiixo meocionados
podem mandar buscar as roupas lavsdas que es-
lo promptas : 89, 100, 144. 26, 20.108.115, 78,
64.47.110.141.93.119.53.143.11.
Ao Sr. Joto de Sene Azevede se prec isa
fallar na praca da Independencia n 22.
Aluga-se nma casa na Paisagirn da Magia-
lena, com 2 sala, 4 quartos, solio, 2 camaii-
nhss no mesmo, cozlnha fora, quintal murado,
ptimo banho no fando ; ai pessai que preten-
deren), dtrijam-se a ra Direita n. 3.
O retralieis americano
O retratista americano
O retratista americano
O ratratiila americano.
Roa do Imperador
Ra do Imperador
Rus do Imperador
Ra do Imperador.
Novos eslylos de ambrntypo
Novos estyloe de embrotypo
Novos eslylos de smbrolypo
Novos eslylos de embrotypo.
Muito baratos
Muito baratos
Muito baratos
Multo baratos.
Lindos cartoes de visita
Lindos cartdes de visita
Lindos cartoes de visita
Lindos cartos tfe viaits.
Injeccao Brow
Remedio nfaUivel contra as agrior-
rheai antigs e recentes, nico deposito
na botica ranceza, ra da Cruz n. 82
preco 3J.
Guiiiares k Villai
COM LOJA NA
RA DO CRESPO M. 17.
Tendo um grande Orlimanto de fszendas da goito pedem
As senhoras que
mandem ver suas fazendss prometiendo servl-lss o melbor possivel.
Acabam de receber palo ultimo vapor francez um grande sortimento da veaisoa
brincos bordados psra 30*. 40 e 50 e ntremelos ricamente bardados terses e ee-
treitoa proprios psrs enfeitar vestidos brsocoa e roupss de noivss; maaieletaa ca*
pas a Luis XIV e saiaa bordadas de todas as quelidedes'.
Esperam a proteceo
daa respailareis senhoras. rflSaV
Quem espera sempre alcauca.
P
vXJW ;
--p
^

1


T




criplwiodeadvoacia]
Ra do Imperador n.
[37,primeiro andar, a es-j
querda.
Neste etUbelecimecto trab hs o advo-
gido Joaquina Borgea Carneiro (gradaado-
em direito pela faculdade do llecie) des-
de ai 9 at m 3 horas do dio.
Advoga em lodoi os juizoi iribun es
desta praQi, e entarrega se (le negocios
para o ioterior da provincia, principal-
mote para ea comarcas de Santo Anteo,
Rio Formoso, Booilo, Nazarelb e Goianna.
Recebe gratuitamente as cautas dos
deavalidos, oao podendo eaa qual Us-
ier mais de uma-qaeslao por ves.
No meimo ettabelecimento solicitam- |
se ltalos e patentes de empegados pu- 1
bucos e officiaes da guarda nacional do 9t
Interior, mediante mdico enlipendio. V
Em tua (alta e impedimentos sera
substituido, oos negocios civtit, pelo Sr. a
Dr. Joequim Jote da Campo, e nos do Wt
erime pelo Sr. bacbarel Jorge Dornelias *
Ribeiro Fesaoa.
-~- -"'^ aufiiL ayBAJMSAJtftivt
Na na Direita, sobrado de om indar n. 33, de-
Ironle do nicho, arraoja-te comida diaria para
qualquer pessoa que queira, tambem se engorra-,
ma, (az-ae dtices de todas as qaalidades, tanto
seceos como em calda, fazem-se bandejas de di-
versas qualidades de boliobos com flguras de lin-
dos modelos, tanto pui casamento como para
bailes, fatem-se pastis de nata, doced'ovos com
enfeites de alflnim para presenil s, bolos chama-
dos de S. Joo com ramos, flore, cepellis, le-
tras, e. tambem se faz jaleas de substancia.
^SUBIDO
14 DI JNHO 6
TERIA
Prccisa-sc
licusa-ac f
de uro caizeiro pequeo para padana ; a tratar na |
SABBA.DO 21 do corrate se devera'
extrahir impreterivelmente a terceira
parte da segunda lotera a beneficio do
Gymnatio Pernambucano (terceira con-
cessSo) no consistorio da igreja de N. S.
do Rosario de Santo Antonio. Os bilhe-
tes e meios bilhetes acbamse a venda
na respectiva thesouraria ra do Crespo
n. 15, e as casas com misionadas pra-
ca da Independencia n. 22 toja do Sr.
rui eatreita do Reaario n 1.
Em fina de dezembro4easppareceu o negro
crioulo, Bonifacio, ainda moco, bixo do corpo e
groaso, nadegaa grandea, tem (alta de dona den-
tes na (rente, oaos abaga'hados, i muito regris-
ts e di para eursodeiro ; tem sido vigo pela Boa-
Vista e pelo bairro de Saoto Antonio : qaem o
pegar e levar ao caea do Ramos d. 4 ser bem
recompensado. _______

Caballo
Ns noita de (2 do corrate desappaiecea um
cavallo peqeeno ruco com pintas de peire, e
Santos Vieira, ra dalmperatnz loja de tem signses alada bem distinctos de tnr sido ata-
ferragens n. 4* do Sr.
Direita n. 3 botica
na ra da Cadeia do Recite loja u. 45 do
Sr. Porto.
As sortes de 5:000$ ate' as de 10$ se-
rao pagas urna hora depois da extrae-
rlo, e as outras, pore'm, no dia imme-
diato logo que se tenham distribuido as
listas.
O thesoureiro,
Antonio Jos Rodrigues de Souza.
No caes o'Apollo n. 45, comura-se urna
escrava preta que entenda de costura e aogom-
mado, pasa-te bem e ae jor preta melhor._____
Aiuga-ae a caaa terrea da ra do Pogo n.
16 : a tratar na ra da Cruz o. 1, eseriptorio de
Antonio Luiz de Olivcira Atevedo.
Pimentel ra! ><> do sangue. castrado e tem todos os andares:
do Sr. Chagas, e uem *-' e lev" MM d *"*0t D' 4 "'
ii bem gratificado.
Novidade
Amendoas con(eitadas, sortes das mesmss, pa-
pis com estilo, ludo muito aovo, veode-se por
menos do qae em outra qualquer parte : na ra
da Senzala Nova o. 30._________________
Manoel Jos Leite tendo agora no-
ticia de que pelo juizo do commercio
da cidade do Recite se tem justificado a
ausencia do annunciante em lugar in
certo e nao sabido apressa :e a declarar
que tendo vendido o est; beleciment
que nessa cidade tinba com sciencia de
seus credores, a cu jo pagamento foi
destinado o producto da mesma venda,
tratou de entregar-se a profissao de
agricultor para cujo fim esta' desde en
to de publico residindo nesta villa do
Paco de Camaragibe, provincia de Ala
goas, onde tem recebido cartas de pes-
soas de seu conhecimento e de cutas
com quem tem negocios, sendo no Re-
cite, alem do procurador extrajudicial,
quee'oSr. Manoel Gomes Leal, deixou
constituido advogados eprocurador par?
trataietn de suasquestoes queacham-se
em andamento.
No amaohecer do dia aabbado 7 do corren-
te, urtaram do legar denominado Estrada Nova,
tres cavallos de cangalha, sendo um castanho
andrino, quast preto, grande, ferido oa aarnelha,
e as costellas do lado direito tem um ferro, cor-
tado de peitoral; outro castanho quasiamarello,
t pea ciliados, erraste oa cascos,urna estrella na
testa, seguida de urna hstra estrella, de boas car-
nes bem (eito, o ultimo castanho, pequeo,
cortado de peitoral, com nma pequea bellide, e
um p calcado : quem oa entregar ou der noti-
cias exactas do lugar onde elles ss scharem, re-
ceber grande paga no engenho Santa Cruz, na
freguezia da Luz, ou no Recite na ra do Livra-
meoto n. 36, aegundo andar.
xmmuam mmm mmmm
E Saques sobre Portugal. j
0 abaixo assigoado agente do Banco
Mercantil Poriuenae nesta cidade, aaca ]
efleclivameote por todoa os paquetes so- bre o meamo Banco para o Porto e Lis- ]
bos, por qualquer aomma vists e s pra- S
zo, podendo logo os saques a prazo serem 5
descontados no mesmo Banco, na razio 1
de 4 por canto so anno aos portadores j
que assim lhe convier : naa ras do Cres- 1
po n. 8ou do Imperador n. 51.
Joaquim da Silva Castro.
M44646<565 -5i6*65i6ai65i63t
anal% t Wl erialm artel sanan VeUV areu*s> anana* enan ssvm^ea*
Precisa fe tallar aos Srs. Firmino
Gomes da Silveira e Joe Antonio de
Carvalho Brito, que moraram em urna
das casas do Sr. Rartholomeu, as pro
ximidades da casa dedetencao e desap-
pareceram, segundo diz um companhei-
ro de casa : nesta typograpbia.
CONSULTORIO ESPECIAL HOIE0PATB1C0
DO DOUT0B
SABINO O.LPINHO. ,
Ra de Santo Amaro (Mundo
Novo) n. 6.
Consultas todos os dias atis desde as 10 horas
at meio dia, acerca da seguiutes molestias :
moltstiat da mulhtrtt, moltttiat da trian-
cas, molatiat da ptlU, molutiat do$ oihot, tno-
Ustiat iyphililieat,todat al (pactas de (tbrtt,
ftbrtt inttrmitttnft sanas eon$qutneiat,
fHARMACU KSPBCUL HOUEOrATUlCA.
Verdadeiroa medicamentos homeopathicoa pra-
jandos som todas as cautela neceeaariaa, in-
sllireis em seus effeitos,tanto em tintara,coma
tro glbulos, pelos pregos mais commodos pos-
tris.
N. B. Os mediesmentos do Dr. Sabino sao
nicamente vendidos em sua pharmacia; todos
que o forem (ora della a (alsas.
Todssascarteiras o acompanhadas de um
Impreaso com um emblema em relevo, tendo ao
reopr as seguintes palavras : Dr. Sabino O. L,
Pinno, medico braaileiro. Este emblema posto
Igualmente na lista dos mediesmentos qae se pe-
de, As carteiras que nao levaremesseimpresse
issim marcado, embora enham natampa o no-
na do Dr. Sabino ao (alaoa
Aluga se.
Na ra do Sol n. 21 ha para se lagar um en-
cllente moleque copeiro, e cosinba o diario de
ni caaa.
Coolra o annuncio que em nome do Sr.
Lourenco Bezma de Siqueira Cavalcanli ae tem
publicado nette Diario*, prevenido que nao se
ftga tranaaeco alguma sobre os bens do Sr. Sal-
vador dos Ssntos Monteiro Cavalcanli. por todos
ibe eatarem hypothecados desde 1845 por es-
cripUra publica pastada no ctrtoiio do esciivao
Bolcao na cidade da Victoria, so declara, que
quando ltimamente o Sr. Jo ruina Salvador
Peasoa de Siqueira Cavalcan preteodeu com-
por-secom os seus credores, garaotindo-os por
meio de bypotheca, nao t de seut proprios bena,
cmodos de diversos seus paren.es, mostrou a
petsoas conspicuas e fidedignas urna carta qae
dizia si rescripta pelo dito Sr. Lourenco Bezerrs
ao Sr. Salvador dos Santos, decltrando-lhe es-
tar prometo a astigotr a escripvura necettaria
para nullificac&o daquella bypotheca de 1845,
pois que oada maialhe devia. Eco qualquer das
hypotheses que se poderlo deduzir de laes (ac-
tos, os credores directos do Sr. Jitquim Salva-
dor nao pretciodiram dos bens do Sr. Salvador
dos Sautjs, tanto quanto possam ser bulantes a
soluto do que est sujeito no debito do Sr. Joa-
quim Salvador, porque coolam com o testemu-
nbo daquellas pessoas por quem a mencionada
carta (oi vista para aulbenticar a sua integra em
juizo, corroborando-a pela etcripiura de bypo-
theca commum dos bens dos prenles do Sr.
Joaquim Salvador, que, apezar da nao ebegar a
ser sssigosda, (oi lanzada as noUs do labelliao
Almeida nesta cidade, em jsneiro do presente
anno, e nella (oram comprehendidos os bena do
Sr. Salvador dos Santos como espousavel em
parte e signatario de diversas ledras que conati-
tuem debito paaaivo do Sr. Joaquim Salvador;
havendo oSr. Salvador dos Sands Monteiro da-
do procuraco a seu lho Joaqun Salvador para
bypoibecar seus bens, do que tudo bem clara-
mente ae v, que os bens de qae se (alia esta-
vam desembarazados pan poden a ser bypote-
cados.
Os crdores.
fVttencao.
Ao rival sem igual.
Ba larga do Rosario numero 36.
Fitas de reliado estreitinhss para sneite a
peca 720 rs.
Sintos doarsdos a 1&600.
Ditoa ditoa com pontaa cnidas a SfOOO.
Lia para bordar sortidas, libra a 69400.
Eacovas para cabello a lj.
Duzia de meiaa cruas para bomem a 2^400.
Cartaa de alfioqtes a 100 rs.
Franjis pretaa com vidrilho a 320 a 400 rs.
Enfeites de reros com franja a 59000.
Duzia de metas para senhora a 28400.
Pentes de m*ss para atar cabello a 500 rs.
Tesouras ordinariaa para cortar pavios a 30 rs.
Sabonetes de bola de corea a 400 rs.
Frsnjas de seds.
Bicos prelos lsrgos e estreitoe.
Trancaa pretaa com vidrilho e branca.
Estovas para unhas s 320 e 500 rs.
Carriteis de retroz a 300 rs.
Trsnca de seda de corea a 200 rs.
Carreteis de lioha a 30, 10 e 80 rs.
Linha do gaz lustroza a 30 rs.
Dita de Pedro Va 30 rs.
Rap Paulo Cordeiro e Gtssea 19600.
Dito Heuron a 1S.
Caixlnhas com papel psra namoro a 1$ o 39.
N. B. O dono deate ettabelecimento prompti-
fica-se a mandar um caixeiro coa as miudazas
que quizerem em cesa das familias que isto
exigir.
iNa ra do Rangel n. 181
Cortam-se cabellos a 240 rs. v
Barbas a 120 rs.
a3| Alagam-te blxas a 540 rs. ak
i Tiram-ae dentea a 1.
V SaDgram-te na loja a 13- w
A Amolara-se navalhas a 240 rs.
Tesouraa de costurs a 120 rs., e ss
conforme o tamanho.
9 Na mesma cass precisa-se de um
a cial de barbeiro. A
Aluga-se um escravo bom carroceiro, ou
mesmo para qualquer oulro servico : na ra do
Li 'ramenio n. 22, terceiro andar.
Joo Marlios, subdito portugus, em virlu-
de de baver outro de igual nome, dests data em
diante assignar-se-ha por Joo Martina da Silva
Villela. Becifo 11 dejunho de 1862.
Precisa-se de urna ama para o aervico de
urna casa de familia, preferindo-ae escrava : ns
rus das Cruxes n. 20, 2o mi ir.
A casa n. 68, aita na Pasaagem da Magda-
lena, ao entrar da Estrada Nova, freguezia dos
A togados, pertencente s metade da mesma a Jo-
s Moreira da Silva Jnior, acha-se penhorada
por execugo do juizo especial do commercio,
escrivo Manoel Maria, como consta do livro do
depositario geral desta praca.
M
de Hamburgo
Alugam-te e vendem-se por qualquer pre;o
na ra do Bangel n. 18, amola-se lodo o (erro
ortaplp.____________________________________
Precisa-se de 2:0009 a premio de 1 por cen-
to sobre bypotheca em um sobrado novo que
val o triplo da quantia cima : quem tiver ao-
nuocie para ser procurado._________________
Figueiredo & Irmao
Ra Nova n 18
Neste ettabelecimento havera sempre um
grande sortimento de roupss feitaa e por medi-
da, tanto para hoinens e para meninos e um
grande e variado sortimento de (azendas tanto
inglezas como (rancezas de bom gosto e barataa.
assim como tambem diversas joias de ouro de 18
quilates e de brilhanlet dos melhores (abricantes
de Paris.
Precisa- se a lugar um sobrado t liante gran-
de, de um a dous andares, sendo em boa ra, as
(regueziss de Santo Antonio ou S. Jos, sdian-
lar-te- ha alguma quaotia sobre meima rends,
ou se (aro os conestios precisos psrs serem des-
contados, cito o mesmo predio assim o exija,
offerecendo-se arsim melhores garantas que pos-
sam baver sobre tal contrato : quem quizer diri-
ja -se a loja de loucj na rus larga do Rosario n.
26, que dir quem quer.

mais
o(-
Aula*
C. Alcborne (em aberta a sua aula de inglez na
ra do Hospicio n. 44.
Attenco ao publico.
Quem quizer possuir o melhor dos eslsbeleci-
mentos de coebeira da ra do Imperador, dirja-
se ao da meama ra n. l, que achara um espa-
coso estabelecimento livre e desembarazado por
um negocio mui commodo para o comprador,
com tres carroa novoa e 6 cavallos excelleotes,
tudo a vootade do comprador.
a mais nova a 640 rs. a libra, tm barril a 600 rs.
ultimo vapor a 29000 ditos
che-
a boa
SOCIEDADE
Unio Beneficeijte
Matima.
De
ordem do Sr. presidente acieotifico ttft> se-
Dhorea aocios efTectlvos, que btveri tsseml
gert no dia 16 do correte, pelas 7 horas dia lar-
novia ad-
9 Urna pessoa sem filhos se offerece psra %
% amamentar ama crianca em sua cass: %
# quem precisar annuacie. 8

Fogo de arti-
flcio.
O bazar da ra do Imperador n. 6 ainda 6 a
agencia da muito acreditada (abrica da viuva Bu-
fino, aoode se tomam todas e qusesquer encom-
mendss em tudo o que (or relativo sua arle, as-
seguraodo-ae uo a a melhor execucao na con-
ic5io do* rtigoa. como a maior modicidade noa
c partidor para (azer a condacQo daa encommen-
das, evitando assim os (retes que a distancia daa
fabricas acarretam aos seohores compradores.
de, afim e se proceder a elei^ao para
ministracao, conforme marca o att. 39 dos esta-
tutos.
Secretaria da sociedade Unio Beneficente Ma-
rtima 11 de joobo de 1862.
Ballhasar Jos dos Beis.
!. secretario
Carece-se de urna preta para vender (ato,
ptgando-se o aluguel meoaal de 20 : a tratar
com Bernarda Maria da Cooceic.o, no Arraial,
sitio junto a mangueira de lavar roupa.
Joaquim Vieira Rodrigues rae a Europa.
Aluga-se o terceiro andar do sobrado n. 46
da ra do Amorim, tambem aluga-se o primeiro
andar e armazem do sobrsdo da roa do Cordoniz
n. 6, pintado de novo, proprio para (imilla ou
eseriptorio deslgum commercianle por ficar per
to do embarque e repartieres" publicas : quem
pretender, entenda se com seu proprietario Cos-
me Jos dos Santos Coelho, na ra do Vigario
numero 8.
Joaquim Simdea Rodrigues de Mello, ao
retirar-se para a cidade de Mamanguape, onde
tem commerciado, avisa a quem convier, e prin-
cipalmente ao respeiltvel corpo commercisl des-
ta e daquella cidade, que nada deve a pessoa al-
guma, visto por meio de transscc,des j haver
pago a todos os seus credores.
Urna pessoa convenientemente
habilitada se prope a ensinar fora da
praca primeiras letras, latina e francez:
a tratar no pateo do Terco n. 33.
II6Ra da Cruz-A 6~
O Dr. Rocha Bastos .
d consultas todos os dias.
Curs radical e em pouco dss moles-
lias sypbililicas e dos orgos genito un- 1
-- narios. *p
Consultas de graca das 8 as 9 horas da <
manha. |j
Luiza
Europa.
Bukbam, Bntanoica, relira-ae para
Capello.
Noengenbo Gaipi, (regaezia de Ipojuca, pre-
cisa-se de um sacerdote para capello ; quem
pretender, dirija -se a ras do Alecrim n. 2, a tra-
tar com o proprietario, que de presente aqui ae
acba nesta prsc.a, ou com o sea lho Jos Flix
da Cmara Pimentel Jnior.
MM) Mi
DE
A mesa regedorada irmaodade do S. S. Sa-
cramento da matriz do Corpo Santo convida a
todot os seus irmos para reunirem-ie em o nos-
so contittorio no prximo domingo 15 dejunho,
fim deelegera nova mesa, para cujo acto pede
encarecidamente a coocurrencia de todos.
O escrivo,
Miguel Joaquim da Costa.
Casa.
Aluga-se o primeiro andar do aobrado do caea
de Apollo n. 22, que dea em (rente da ponte no-
va, com commodos psra grande familia ; a (aliar
na ra larga de Rosario n. 34.
Engomma-se com
ruado Jardim n. 8.
asteio e perfoicio ; os
Arreoda-se um bonito sitio na estrada de
Joo de Barros, com casa pira grande familia,
cocheira, estribarla, caaa debanho, muiloa arvo-
redoa de (ructo, capim para todo anno para 12 ca-
valloa, viveiro de peixe, coqueiros, etc. : na ra
de Apollo n. 3!, armazem.
Leandro k Miranda.
Ra do Crespo numero 8 A.
Sao chegados a loja da Unio Commercial de Leandro c$ Miranda, oi deteja(
e muito commodos baldes de 13,15,30, 25 e 30 arcos de precios de 39500 a 69.
Nos quatro estabelecimentos
bem conhecidos da ra Real
do Manguinho ns. 51, 61, 62 e 63.
. a m i, k una
Presunto de fiambre.
* nfhor *lmlna vindo a este mercado afiancando a boa'qualidade a 400ri. a libra.
[rmelada 0 melhor qie ^ g ]bH a 700 rfc
issas bh, n0T 1ae ht a libra m
-
|U3I JO do jierlio o melhor que ha a 500 rs. a libra.
Manteig'a fr,neia libia 700 re.
iteiga iogleM un, 720, 800,900 e 11 o melhor qnt ha.
C. I. Shawo, subdito inglez, val a Enroca
Preciaa-ae de m caixeiro de 12 a 16 anuos
de idade, e com pralica de taberna : a tratar no
becco Largo n. 6.
A arrematado oos beus do finado fedro
Borges de Cerqueir, que nao se pode etfectuar
no dia 7 do correte, deve ter lugar no dia 17,
depois do meio dia, no lugar j indicado, em pre-
senta do Illm. Sr. Dr. jwtz de orphioa desta ci-
dade.
Manoel Barbosa da Silva pede a quem tiver
letras aceitaa pelo Sr. Luiz Barbalbo de Vatcon-
cellos, que aa aprsente psra receber no teu ven-
cimeoto, no engenho Cajabust, que prompla-
mente serio sitiafeilas, ou na ra do Cabug ao
Illm. Sr. Vicente de Paula Oliveira Villatboas
para o meamo fim.
Preciea-se oe urna
coziohe : na ra larga do
do andar.
ama qe eogomme e
Bosario o. 22, segn-
CLUB CONHERCUL.
A reunio (amiliar do corrente mez ter lugtr
na noiln do dia 21.
Ulferece-ie urna mulber para ama de bo-
mem aolleiro, para comprar e cozinhar: na ra
do Ouro o. 66.
Bolos fiaos para S. Joo e
Santo Antonio.
Os melhores bolos de S. Joo de todas as qua-
lidades, e bsndejss enfeitadas para casamento,
com perfeico ; assim como crome.podios, e to-
da a qualidade de pastelera : quem preciaar di-
rija-se ra da Penba n. 25.________
3-Rua estrella do Rosario~3
Francisco Pinto Ozorio continua a col-
locar dentes artificiaes tanto por meio de
molas como pela presso do ar, nao re-
cebe paga alguma sem que as obras nao
fiquem a vontade de seus donos, tem pos
outras preparace s as mais acreditadas
para conservaco da bocea;
Aos Srs. correspondentes
de engenhos.
Para maior commodldade daa pestoas que re-
cebem sssucar e tiverem de remetter gneros pela
via (erres, se tem estsbelecido om armtzem na
raa da Seozala Velha n. 7, por detrs do estabe-
lecimento do Sr. Bairao, onde ae achara peaaoa
que se encarrega de os (sser conduzir de qual-
quer das ras desta cidade at a esttco, sendo
semelhsnte servico feito gratis para oa fregueses
do armazem, e para oa que o nao forem se con-
vencional, aendo tudo feito com promptido e
garantindo-se a fiel entregs de tudo quanto s
receber: a tratar no meamo armazem.
SltlO.
Precisa-ee alngar um sitio com arvoredoa do
(rncto e casa aoffrivel, perto dt praca : oa ra da
Senzala Velha n. 96. n/darie. ___________
< Fas-ae venda de urna escrava de idade re-
galar, urna negrinha de 10 a 12 annos, im mula-
jpa J tos ^ x gf01, tt5K iaiia ,40
B al,,kTq8'?10* *!<* molhados que ss toros enfadonho annunciar, pois que liiooo'dn 1*, nm moleque de 10, e outro de fia
vista ios eetabeleenentot m) oa Srs. treguases como ae achara completamente sorUdoj de ta- Sanaos : i Iratar di roa do Crespo, loja da esqu.
Jo tsala lhe perleoce e que lojo cootinssremot por etta folha. loan.^. ""
lrmandade do Di-
vino Espirito Santo. -
De ordem da mesa regedora, convido a todos
os nosaos irmoa a comparecerem em nossa igre- >
ja domingo 15 do corrente, 4a 9 horaa da manha,
afim de encorporados, irmos busesr a imagem do
glorioso patriarcha Saoto Antonio do arco da
ponte do Recife; aasislirmoa sos (esta a recon-
duzir no Om da meama ao aeu arco a imagem do
meamo glorioao Santo.
Consistorio da irmtndsde do Divio* Espirito
Santo 1 I-de junho de 1862.
Antonio Aagutto Santos Parta,
tarto.
nnmm
S. JI AO'
VNDESE NO ARMAZEM
PROGRESSO
DE
Francisco Fcrnandes Duartc
8 Largo da Penlia &
Os raelhore3 gneros que vera a este mercado e por menos 10 por ce oto do que em outra
qualquer parte, garantindo-se a boa qualidade, por isso roga-se a lodos os Sors. da prac,a, de en-
genhos e lavradores o favor de mandaren) suas encommendas a este muito acreditado armazem de
molhados, afim de verem a diflerenga de pre^o e qualidade que faz, se fossem comprados em outra
qualquer parte.
taBOTemWM confeitadas para sorle de S. Joao a 800 rs. a libra, tambem tem-se para
6i0 rs. a libra sendo em porcio, lauto de urna qualidade como de outra se faz abati-
mento.
s.fta*^S^ .^\CZe\ da safra nova de primeira qualidade a 850 a libra, em
barril se faz abatimento.
stmntaiga traneexa
^mWj#a| **0 TC1 alO mul0 frescos chegados neste
gados no ultime navio a 19800.
VJueijO praio 0 mi\s SUperor que tem vindo a este mercado a 800 rs. a libra.
Olla IiyaSOll 0 mf/bu que h no mercado a 2J800 e 2200 a libra, afian$a-ie
qualidade.
*** UUX1H1 0 que e p0je desejar neste genero a 35P0OO a libra.
VJUa pYQVO homeopathico a 2*200 a libra em porgo se faz abatimento.
aVaTtaV^tMS HOYOS je pavo transado a 320 rs. e em caixas com 40 cartas por 109000.
La&taS COHl &UlQIid0&S confeitadas, proprias para mimo, contando mais con-
feitese assucar candido por 1}600 cada urna.
r&SS&S em caixinhas de 8 libras chegadas altimamenle a 29000 cada urna e a relalho
a 480 rs. a libra.
oOl&XlIliia de soda em latas com differentes qualidades a 19440.
ft0\&Xa1lu& ingleza a mais nova que h no mercado a 49000 a barrica e a relalho
a 320 rs. a libra.
V VUAlO tBM ppa de superior qualidade Porto, Figueira e Lisboa 500, 560 a 640 rs.
a garrafa, e em caada a 39500, 49000 e 49500.
VH\lOS eHga*raai&OS Duque do Porto, Lagrimas do Oouro, Carcavellos, Fei-
toria velho, e de outras muius marcas acreditadas a 1200 a garrafa, em caixa a 129
tambem ha psra 19000 a garrafa.
~,\\ai*prt*\lG das marcas mais acreditadas a 159000 e 20000 o gigo, e em garrafa a
1,51800
ScTVeja da marca cobrinha ou de oulras marcas conhecidsa a 59000 a duzia e 500 rs.
a garrafa.
B&TYlYliaS francezas e portuguezas em latas de 1 libra por 640 rs.
Mlft des tomate em. taitas do i libra por 800 rs.
VWttlXUS traUCCXnS em laus de 1 e meia libra por 15500, ditas com 3 libras por
2800.
\mfilldoaS de casca mole muito novas a 320 rs. a libra, em arroba por 8#00O.
Koie a 120 rs. a libra e em arroba a 3000.
WetTa, HiaeaTIalC C taWiarm a 400 rs. a libra, a em caixa com 1 arro-
ba por 69000.
ltLalrtllatVia, pevide e arroz de massa branca ou amarella, a 640 rs. a libra, e em cai^
xinhas muito enfeitadas se faz obatimento.
PalitOS d dottiS ixafios os maisbem feitosque tem vindo a este mercado a 280rs.
tambem ha para 200 rs.
PreaUtos illgVtZCS psra fiambre a 800 rs. tambem hamburguez para fiambre a
640 rs. a libra e do reino o mais novo que ha a 560 rs. a libra.
CuQtt T as e palOS mut0 novas a 560 rs. a libra e em barril se far abatimento.
SaVamQ o melhor pelisco que pode haver por estar promploa toda hora a 800 rs. a libra*
X OUCtlVft.0 do TtiaO muito novo a 280 rs. a libra e em barris de 1 e meia arroba
a 5$ e 79 a arroba.
Cu tlTl^aS em latas j promptas para se comer a 1*800 cada urna.
ftaUUa de pOYCO re0ada em latas com 10 libras por 4#300.
Hita MU DaTtil muito fina e alva a 440 rs. a libra eem barril a 400 rs.
CaTtOeS eOsB bollo CraneOZ proprios para mimo a 500 rs. cada um.
^latmelada imperial do afamado Abreu ede outros muilos fabricantes de Lisboa a 800 rs.
a libra.
Hat"melada de Alperehe em latas de 2 libras por 19000 cada urna,
LaUaS C4m*F metas de doce em calda as melhores quehaem Portugal como se-
jam pera, peiego, damasco, ameixas, ginja e sereijas a 800 rs, a lata.
Doces SteeOS e em calda, em latas, de 4 a 5 libras por 29000.
CllOCOlatfi hespanhol a 19500 rs. a libra, ditto francez a 19100 ditto portoguez a
800 rs afanc,a-se a boa qualidaJe.
Caf de primeira qualidade tanto do Rio como do Cear, a 320 rs. a libra, em arroba a
99500, dito mais baixo a 280 rs. e 8500 a arroba.
SevatHnha je Franca a mais nova o mercado a 240 rs. a libra, e em porcio se far
abatimento.
Stgtt muito novo a 320 rs. a libra e em garrafes com 5 libras, por 29000.
FaYUlia do reino das marcas SSS ou galega, a 140 rs, a libra.
Dita do Maranhao alva e cheirosa a 160 rs. a libra e em arroba 49500.
VelaS de carnauba refinada a 400 rs a libra, e em arroba o 12000.
rVzeitS dOCe refinado a 800 rs. a garrafa, e em caixas a 99000.
Yinagte de Lisboa a 240 rs. a garrafa e em caada a 1*800.
VinUO cherez verdadeiro a 19500 a garrafa, e em caixa 149000.
Vn\iO btaUCO de Lisboa o mais superior que ha no mercado proprio para missa *
640 rs* garrafa e em caada a 4*500.
CnaiUtOS suspiros do fabricante Brando em meias caixinhas, por 2*500.
DitOS suspires do fabricante Catanho & Filhos em meias caxinhas a 29000.
BitOS em caixas de 100 regala Imperial, Viagantes, o Panentellas, a 29000 a caixa.
AlplSta muta limpo, a 180rs. a libra, e em arroba 59500,
AxeitOliaS muito novas,
ArrOl de Maranhao a 110 rs a libra, e 39700 a arroba
Pelxe de postas em latas das metiore* qualidades de poi que ha em Portugal a
GteueliTa de Hollanda em gtTraf5es com 25 garrafas por 99000.
MlOStarda inglesa muito nova a 19000 o frasco e franeeza a 640 n. o pot
Alm dos gneros cima mencionados encontrar o respetare! publico uro
manto de todo que tendente a molhados.
w


a 19600 rs. cada ama ancoreta, e a 400 n. a garrafa.
*tna

"T


7
~"'
rl*!"
DUWO DI PKUUJUUCO. SIMADO 14 DE JDHHO DB 1801.

>
Be4#-s&aoSr, Dr. Filip-
pe Carneiro de Olioda Cam
pollo o favor de quaudo vier
Recife apparecer em casa
de Adriano A Castro,, que
multo se lhe deseja fallar.

Precisa-te da ama ama para comprar e co-
inhar : a tratar na ra do Queimado ti. 4, pri-
miro anclar.
2
3
> *>
Neitatypographia precsale fal-
tu- ao Sr. Joao Goncalves Rodrigues
Franca que morou em Olinda e dizem
inorar nesta cidade do Recife.
Aluga-se am ailio na Estrada Nova, com
boa casa, grandes baixia de capim, e alguna ar-
roredot ; na roa da Cruz n. 56.
i ediccvo
DO
O Dr. Carolioo Fran-
cisco de Lima Santos,
medou-se da roa das
Cruzea para a do Im-
perador, sobrado a.
17, em frente da gra-
jo de S. Francisco, on-
de continua no exerei-
cio de aua profissSo de
medico.
mmm
Attenco
Antonio Cosario Mo reir
Dias, fa* sciente ao respeiU-
vel publico com especial i dad e
aosseus freguezes, que um-
dou o seu armazem da ra da
Moeda para a ra da Madre
de Dos n. 32, e est venden
do por menos do que em ou-
tra qualquer parte, plvora,
chumbo e salitre e affia&ca a
boa qualidade destas merca-
dorias por serem de primeira
qualidade.
C0MPASBIA DA ESTRADA DE FERRO
DO
Recife ao Sao Francisco.
(limitada.)*
Da contormidade com is inilrucgdes reeebidss .
da respectiva directora, taz-se publico que des,- i idades, dos sexos, e
THESOURO HOMEOPATHICO
ou
Vade-mecum do homeopatha
pelo doutor
8AM0:LMaW.
Este li?ro qae se tem tornsdo tio popular,
quanto necesssrio, acaba de ser publicado com
todos os melhoramentQs, qae a experiencia e os
progrestos da sciencia tem demonstrado. A no-
va edicgo em tudo superior primeira, en-
cerr :
1.* Hais ampias noticias acerca do curativo
das molestias, com odeseles mui proveilosss
dos medicamentos novos receotemente experi-
mentados na Europa, nos Estados-Unidos e no
i Brasil.
2. A exposicao da doutrina homeopatha.
3.* O estudo ds spropriaco dos remedios se-
gundo as predominancias dos temperamentos,
segundo as clrcumsUu-
Bom e barato.
Para a festa de
Santo Antonio e S. Joao.
Manleiga ingiera boa a 800, 960, e 19120 or,
am barril (aremos abalimanlo, dita franceza a
720. dita para tempero a 400 rs., (arinhs do Rio
muito boa a 130 a libra, amendoaa a 240, nozes
a 160, traques a 280 a caris, vicho Figueira a
600 rs. a garrafa, dito Lisbos a 500 e 400 rs., em
caada (aramos sbalimento, velas sterllnss a 740
a libra, azeitonaa muito novaa a 10500 cada urna
ancoris, a 310 a narrar. Alem disto tem um
competente sortlmeoto tendentes molhados, que
lado se vender por menos do que em oulra
qualquer parle: no eatabelecimento ds ra es-
trena do Rossrio, esquinada ra das Larangeiras
oumero 18.
ta dala em diaole sao convidados os sccionistas
dests companhia a cumprirem com os termos do
sviso que por ordem da mesma abaixo Qcam
publicados.
Escriptorio da companhia, 20 de maio de
1862.
Por procurarlo de E. H. Brsmsb, thesoa-
reiro.
(Asslgnsdo)R. Auslio.
Aviso.
cias atmosphericas etc.-, etc.
4.* A preservado ou prophilaxia das molestias
hereditarias.
5.* A preservadlo das molestias epidmicas.
6.* Urna estampa Ilustrada demonttraliva da
continuidade do tubo intestinal desde a bocea al
o anua etc., etc.
Vende-aa na pbarhacu especial houeopa-
TiiicA, propriedade do author, ra de Santo
Amaro (Hundo Novo) n. 6.
Piejo de cada exemplar. 209000
N. B. Os aenhorea assignantes queiram man-
dar receber seu exemplaras.
dentista k Pars.
15Ra Nova15.
Prederico Gaotier, cirurgio dentista
faz todas as operapoes dess arte a o co-
loca denlas artificiaos, tudo com sdeln
rioridade o perfeieao que as pesso? s- ,er.
tendidas lhe recohecem.
Tem agua e pos dentificios, ele.
Pelo presente faz-se publico qae por urna re-
soluto da directora desta companhia tomada
netta dala lem-se feilo a ultima chamada de urna
libra esterlina por cada acgo, a qualdever aer
paga aleo dia 30de junho do prximo viodouro,
no Rio de Janeiro em casa dos Srs. Haua Mac
Gregor & C na Bjhia eos Srs. S. S. Davemport
& C. e em Pernambuco no escriptorio do lhe-
soareiro da mesma companhia.
Pelo presente fica tambera entendido que do
caso de nao ser a dita chamada ou preslsco sa-
tisfeita al o dia marcado para seu pagamento o .
accionista queincorrer nessa falta pagar juros a
raiao de 5 por t-ento ao suoo sobre tal chamada, i
a cootar desse dia at que aeja realisado o pa- j
gamento. 5
No.caso de nao effectuar o pagamento desta
chamada dentro de trea mezes contados do dia '
cima flxado para o embolso
as aeges que incorrerem em tal falla sujeitss- a
serem confiscadas, segundo as disposicoes dos
estatutos a este respeito.
Por ordem dos directores.
(asignado)N. H. Bellarray, secretario.
199 Greshsm House, Od Brord Streele.
Sociedate bancaria.
Amorim, Fragozo, Santos & C. sacam e tomam
saques a praca de Lisboa.
Silvino Guilherme
vos de amboa os sexos :
79, primeiro andar.
de Bsrros compra escra-
na ra do Imperador n.
Companhia Fidelidade de se-
guros martimos e terres-
tres, estabelecida no Rio de
Janeiro com o capital de
16:000:000$.
Agentes em Pernambuco
Antonio Luiz de Oliveira Azevedo & G. compe-
tentemente autorisados pela directora da compa-
r" Ef?. -2i"ia iDhia de seg'os Fidelidade, tomam seguros de na-
vios, mercadorias e predios, no seu escriptorio,
ra da Cruz n. 1.
VENDE-SE ama mobilia de amarello no-
va, cociendo as seguinles pecas: am sof, 12
cadeiras, 3 ditas de braco, 2 de balango 2 cooso-
los e meia de mel de sala : para ver na ra Di-
reila p. 127, aegundo andar, a para tratar nesls
typographia.
Scabadeche!
gar ao novo
armizem
_ i
Bom ebar
S no Torrador.
DE
Fuadico da Au-
rora.
Nests grande e be m montada fabrica de machi -
oismo, a mala antiga no imperio, continua-se a
execalar com a maior presteza e perfeicao en-
commandaa de toda a qualidade de machinas usa-
das no psiz, tendo sempre prompto o seguinte :
Grande aortimento de moeodas d canna de
todos o syslemaa e tamanboa.
Machinas de vapor de diversss qualidades.
Taixas fundidas e batidas.
Cvos e bocees para fornalhai.
Bronzea e aguilhoes.
Rodas, rodelas e rodas d'agus.
Guindastes Oxos e porlstis.
Machina de cylindros para padaris.
Sorras de ac para serrara.
Patexas para barcos, etc., etc., tudo por prego
que bem convida.
Bastos & Reg]
Na roa Nova jonto a Conceico
dos Militares n. 47.
TJm grande e variado aortimento de
roupas feitas, calcados e fazeodas e todos
estes se vendem por precos muito modi-
ficados como de aeu cosame, sssim co-
mo sejsm sobreessacoa de superiores pan-
nos e casacoa feitoa pelos ltimos flgari-
nos a 169,289, 809 e a 359. paletots dos
mtsmos pannoa preto a 16J, V8|, 109 a
a 149, ditos da casemirs de cor mesclado
e de novos padres a 14$, 16}, 18}, 20
a a 24}, ditos de casemira de cor mes-
clado e de novos padres a 14$, 168, 18),
20$ e 211, ditos saccoa das mesetas cs-
semiras de cores s 99, 10*. 129 e a 14g,
ditos prctos pelo diminuto preco de 89,
105 e 12*. ditos de sarja de seda a ao-
brecasacados a 121, ditos de merino de
cordo a lij, ditos de merino chinez de
' apursdo gosto a 15*,. ditos de alpaca
' preta a 78. 89, 9 e 10, ditos saceos 1
prelos a 4, ditos de palha de seda la- i
1 senda muito superior a 49500, ditos de m
brim pardo e de fustao a 3*500, t) eij
49500, ditos de fusto braoco a 49. gran- |?
de quenlidade de caigas de casemira pre- ob
ta e de cores a 79, 89,9g e a IOS, ditas J
M Lftfgo 4o Terco _3
O proprietario deale eslabelecisaeolo est re-
solv lo a rendir os gneros muito mais baratos
do que em oulra qualquer parle, msnteiga ingle-
xa a 19 e 19110 a libra, dila franceza a 680 e 640.
baoha de porco refliada a 400 rs. a libra, queijo
do serto a 560 a libra, ditoa do reino a 1J800 a a
z*400 cada um, meiaa Islas de sardiobas de Nao-
tea a 400 rs., sao muito novas, e vendem-se ou-
tros muitus gneros que se terna enfadonho mea-
copa-los, a dioheiro contado.
1!
Vende-se um carro oe trabalhar na alfan-
dega e um boi : para tratar no pateo do Terco n-
12, taberna. *
Fil
Perdeu-se!!!
Oaem tiver echado desde a repartic&o do sello
A OS rSS. Consumidores de gaZ at a esquinada raa de S. Francisco a dshi at
Nos armazens do caes do Ramos ns. 18 e 36 e "" abi" mencionada, duaa letras, aceitas
400
a wu rs. a Yara.
Na ra da Imperatrix n; 48, junto a padaria
franceza, loja do Porto.
garrafas.
a
i larga do Rosario n. 24, loja de joias, que sera
recompensado, certo de que nao ide servir a
s
Parva I il A iVnrrnm no ti'-' i quem as tiver achado, visto que estae tomadas as
\u e Rezende C.
aias de mosselina
lante.
- Manosl Ferreira da Silva Terroso, na ra de
Apollo n. 28. sses sobre Portugal por o prximo
paquete ingles.
Ra estreita do Rosario n. %%
primeiro andar.
0 daatista Numa Pompilio planta denles arti-
ficiaea por grampoe e ligaduras e a pressa do
ar, desates iocorruptiveis sobre oaro, syetema
norte-americano-e faz todaa as operase es de aua
v ra e ce m promptido e limpeza
-4B4f U9
Gabinete medico cirurgico.
XRua das Flores n. 37.
Sarao dada conscllaa medlcas-cirsrgi>
Seas palo Dr. Este vao Cavalcasti de Albo-.
qaerque da 6 se 10 horas d-amanhia, ac-
49 cudrado sos chamados com maior bre-
m Tidade possivel.
m 1** Partos.
9 2.-* Molestias de pella.
3/* dem do clhos.
< 4.* dem dos ergios genitaea.
^ Preiicartoda e qualquer operaco em
^ sau gabinete ou em casa doa doantea ton-
m forma Ihes fOr mais conveniente.
Toda atten^o.
Sacam sobre Lisboa e Porto, na ra do Vigario
o. 9 primeiro andar, e ra do Brum n. 58, ar-
P"em.__________________________________ Custodio Jos Alves Gaimaraes avisa ao rea-
o~ .-----~", ,- peitavel publico, principalmente a todos os seas
dr. empregaOO pUOll- fregueses e amigos, que se madou da loja da
CO Ollft rPOPhpll lfiTn*AnfAa -' de ouro da ra da Cabug para a ra do
Crespo n. 7, para a bem conbecida o antiga 4oj
Vacci&a publica.
Grassaado presentemente com algn iotensi-
dade a varila nests cidade, o commissario vac-
cinador lembra aos ebefea de familia que, pelo
regalamento de 17 de agosto de 1846, sao obri-
gados a apreseotar nesta reparticao todaa as pes-
cas que nao tiverem tido bexlgas naturaes, ou
aido vaccinsdsa, afim de ae lhea praticer a inoo-
calagao do fluido vaccinieo, tslo durante as quin-
tas e domingos, no torreas da alfaodega, das 8
alO horas da machas, e noe aabbados, na cass
da-aua residencia, aegundo aodi'do sobrado da
ra estreita do Rosario n. 30. Recife 2 de junho
da44362.Dr. Joo Nepomuceno Dias Fernindei,
commissario vaccioador publico.
"uo ic^oucu uincJCULca Crespo n. 7, para a bem conbecida
quantias para pagamentos de fle miud,iM sue foi do fedo jataogo, *oje
*, \ r aeri conbecida pelogallo vigilante,e pede ao
0 OjeClOS de SUa repartlCaO O respeitavel publico e aosseus freguezes e amigos,
x-. ^m -._____ _____:_________j _'qua o queiram procurar no dMo eatabelecimento,
naOOSpagOU, queira mandar onde ecVarae um grande sorlimento de miudezas,
Ant_t>sTir cae miAntiaq a\u* "I*e afflsD5* etvir bem e vender por menos dez
OlllS^gai CSSas quanildS que <,u Vjnte por cento. do aue em oulra qualquer
existem em seu poder como E_i___________________
deposito, alias se publicara ]*&Z??SFJiy&
seu ome e mais cartas pelas [^^^^^.^^il^^^i
quaes se prova
deste negocio.
Na travessa da ra das Cruzes n.
2, pjimeiro andar, tinge-se para todas
sa cores com presteza e commodo preco.
Gasa de ssnde em Sanio
existencia P,ra eflcb do dito DRnho,. embarque
j porta : a tratar ua ra do Hospicio o. 17.
Na ra da
francezt, loja
a 3$200.
Imperatriz n. 48,
do Porto.
junto a padaria
Manteletes.
Manteletes de grosdenaple preto a 10, 15, 20 e
25$ ; na ra da Imperatriz n. 48, junto a padaria
franceza. loja do Porto
fraclsa-se e urna ama para coziDber, para
casa de pequea familia ; oa ra Augusta n. 114
Dr. Silva Ramos.
Este eatabelecimento j bem conhecido, e con-
ceptuado nesta provincia pelos relevantes serv-
eos que tem prestado, contina nis meibores con*
diques debaico da direceo de aeu proprietario
receber doentes de todas as claases, os quaes se-
rio tratados com todo a zelo e iclefasse pelos
precos seguinles :
Primeira classe___ 3JOC0 ou mais.
Seganda dita...... 2$500.
Tercena dita...... 2000.
Em qualquer das classes es brancos ficaro se-
parados dos negros. Os alienados de 2.' e 3.a
classe nao furiosos pagaro a diaria ordinaria,
sendo furiosos pagaro mais a quarta psrle. Os
alieaados da 1.a classe pagaro segundo o ajuste.
Joao da Silva lanos,
medico pela Universidade
de Coimbra,
d consultas em casa, das 8 s 10 horas da mi-
nhaa, e preata-se a qualquer chamado com a bem
conhecida promptido.
Precisa-se de
duas pessoas:
MM
umu ama para cozinhar para
na ra de Santa Thereza n. 21.
f reclsa-se de um caueiro para lomar con-
ts de urna taberna, e no caso que agrade se lhe
dar at interesse : em Fora de Portas, ra do
Pilar n. 86, se dir quem que precisa.
Joaquim Rodrigues Maia de Oliveira,
dito portuguez, vai ao Rio de Janeiro.
sub-
C ompras.
Compra-se urna casula com seus pertences,
daas dalmticas com todos os seus pertences,
um veo de hombro, e urna capa das porgeos, tu-
do j servido e em bom estado : quem tiver e
quizer vender, dirija-sea ra larga do Rosara n.
26, loja de louca, que dir quam pretende.
Compra-se
urna escrava moca que coziohe e engomme, que
seja sadia e aem vicios : na thesouraria das lote-
ras, ra do Crespo o. 15.
Compram-se aceces do novo ban-
co de Pernambuco na ra da Cadeia
do bairro do Recife n. 22.
INTERNATO
DE
^Estabelecido no lugar da Gapunga, um dos arrabaldes|
mais prximos da cidade do Recife.
DIRECTORO BACHAREL EM MATHEMATICAS
ii8rMM Pinina ifi mm.
O director do intrnalo de S. Bernardo nao tendo evitado esforcea nem sacrifi-
cios para proporcionar sos seus alumnos ama peXeita educacao phisiea, moral, intel-
ectual e religiosa, offerecendo- he urna habitaco com todas as coodiedes de salu-
bridsde, hsbeis professores qae nao solcitos em prepara-loa convenientemente ao fim
a que se destinam, medico pratico que lhea faca comprehendar os preceitos da bygieoe
e Ibes cure aa doeocas, e finalmcntci um sacerdote Ilustrado e honesto qae lhss expli-
que os principios da religiao ebrista, espera que assim constituido nao deixar o aeu
eatabaiecmento de merecer dos Srs. paes de familias o auxilio e conflanca com que ji
alguna o tem honrado ; e Ibes rogs, bem como a todas ss pessoss Interessadas, qae se
diguesn da visitar o mesmo sea oslabelecimeoto, onde sempre encontrarao franco ia-
gresao.
O eollegio tem a aua sede aaa elegantes a espacosas propriedadea da Sr.* viuva
Lasserre a doa Srs. Roberto k Filho, Cspuoga Velba.
Com o fim de tornar mais l revs e commodas as communiesedes dos Srs. pses e
correspondentes, o dirsclor lhei avisa que as encommendss e todss as correspondeo-
ciss podarlo ser entregues os cass da residencia do aaa irmo o Dr. Pereira do Carme
oa bc loja do Sr. Joaqun Ferreira da Coila, a ra Nova n. 56.
Comprarse um preto de meia idade, de
bons coslumes e proprio pars sito, urna eserava
que saibs coser e engommar bem : ea ruada Ca-
deia Velba n. 35.
Compra-se constantemente lilao viiho eco-
bre : pa rui da Imperatriz n. 65.
Compra-se urna casa terrea em bom estado
e bons commodos, tendo quintal, cacimba e por-
teo, as ras dos Martyrios ou Hortas : quem
quizer vender, annuncie por este jornal para ser
procurado.
Compram-se aeces oa Companhia de Be-
beiibe : na ra do Crespo n. 25 A, se dir qaem
compra.
Comprasa-te
que sejam limpas.
na ra Uireila n. 99 garralas
Vendas.

Vende-sa o engenho Venturoso, sito ns fre-
gaezia de Agua-Preta, por preco mdico, moen-
te e correte, com ndame para 500 pies, estufa,
urna dittilaco toda de eobreqae distils ama car-
ga por dia, com casa de viveods, senzala, esas
! da farinha, estribara, tudo coberto de lelbs, com
ama safra para 1,500 paes, e 20 animaea de rods,
d-se com slgum dinheiro vista e desobrga na
praca, ou letras com boas firmas : quem preten-
der, dirija-se ao mesmo, a tratar com o proprie-
tario tlanoel FilippePaea de Lima, Ismbem ven-
de-sa urna propriedade na mesma freguezia per-
tencenteao mesmo com 1,500 bracas em qaadra-
do, por preco mdico, toda coberta de matas,
com abertura para edificar-ae um eogenho com
distancia de tres legoaa da cltacio de Trombeta :
quem pretender, dirija-se ao mesmo engenho
ou s raa do Queimado n. 21, que dar as iufor-
maoss necessirisi.
Superiores peonas de ac
Guedes Goosalvea com loja da miudezas na
raa da Cadeia do Recife n. 7, teem para vender
aa mais acreditadaa peonas de flno ac da difi-
renos autores cora grsode nomeada : quem ss
pretender, dirija-ae a citada loja, seus precos aio
bem rasoaveis.
. Vende-se o engenho Poeta, sita oa fregue-
zia da varzea : a tratar na casa da esquina ds
raa do Crespo para a raa das Crasas.
Esperanza
Loja de miudezas,rua doQuei-
mado n. 33 A, de Guimares
A Rocha.
Gfatf-~i /v. -H_iA* 4a comilioa brancos eo-
caroadDs, que ae vende por 8$ a dazta.eu por 1S
o par/ara punhos. s ha nesta loja, crazes de
cornafna para-rosarlos, e proprias para encaaloar
em uro a 1$, flautas de bano de 5 chaves com
caixa, pelo barato preco de--90$, pos de arroa aro-
matiaado a 1550*3, em frascos muito lindos a 3jJ,
agwlbas victoria chegou novo aortimento, o prego
o mesmo de 120, carteiraa para eacrever, pro-
prias para viagem, com tinteiros etc. a 12 e 16,
ntremelos bordados, e transparentes a 18500,
19600, 28, 500 e 3#. tiras bordadas para calcas
de meninas e ssiss a lg e 2$, (abyriotho ioglez a
80, 400. 120,160. 200 e 240 ra. a vara, utas finas
de .grosdenaple achamalotado proprias para cin-
tos a IfSOO s vara, colherea de metal principe
para cha e sopa, a 58 e 2500 a duzla, facas de
cabo de balanco a 6 a 7yOOO, cabo de viado por
450C, meias para homem a lgOO, 29100, S56OO,
5e6j a duzla, meiaa de seda para crianza res-
cem-nascids, lindas cores a t o par, meias de
algodo para meninos e meninas a 240 o par, flo-
rea artificiaos para eofeites a 1$, capellas para
noiva, so a Esperanza vende por 5J, de flor de
laraogeira, fitas de velludo largas e eslreitiuhas
como se procura a 1 a peca da estreita, tesouras
para unhas de ac finas a lj&500, curvas etc. para
costura a 00, 800, 1^280 e 15600, pontudas de
ac para corlar fios no comeco do labyrintho, s
lem a Esperance, que vende por 1$, tinta azul e
preta (verdadelra iogleza) a 320 e 640, que se
vende barata por ser recebida directamente do
fabricante, pennaa de a-co inglesas e de mnitas
qualidades a precos difTereotes, papel lmago io-
glez, resma de 500 folbas a 65 (pautado}, dito al-
majo frincez, resma de 420 folbas a (pautado),
dito sem ser pautado a 8&20O a 49, dito pequeuo
tarjado de preto a 19500, dourado a 1J500, de
eores a 15600, bordado como renda, e pialado
com palmas, rosas, etc., por precos razoaveis, e
ams infinidades de arligos baratos, escolhidos
com goslo e acert para uso domestico,especiali-
rtades viodas de eucommenda, nao vistas neste
mercado, que racebe esta easa constantemente.
tetinas deselini,
Cbegsram no vapor fraocez as bellas botinas de
setim brsnco para aenhora, o vendem-se em
coota na loja do vapor, ra Nova n. 7.
Vende-se
com carro; na
um bonito cavallo, que iraoalha
ra da Imperatriz n. 20. loja.
Millis a 10,000 rsa
Na raa da Cadeia n. 45, esquina da Madre do
Oeos, vendem-se borzeguins de Millis muito
bons a 105 o par, assim como um completo sor-
limento de oulros calcados psrs horneas, senbo-
ras e menino:, tanto de Paria como de Nautas;
tambera tem constantemente sorlimento de rou-
pas feitas e fazeodas.
Vende-se urna bonita escrava de 18 anuos,
de boa conducta, e com aa habilidades proprias
i urna casi de familia por ser recolhida ; na raa
da Praia n. 47, primeiro aodar.
Vende-se na loja da ra do Creapo n. 25.
um violo aioda novo, excellente, por prego com-
modo.
Vendem-se bois mancos de
pasto.
Vendem-se bois msnsos gordos de pasto na
estrada dos Aflictos dafroote do Sr. mtjor An-
lunes proprio para campos a tambem bois da
campos no mesmo lugsr.
A letria.
Aletris nova com 25 libras, s csixa por 4|000
ende-se na ra da Imperatriz n. 6.
Attenco.
Pombos.
Vendem-se casaes de pombos o borrachos : na
ra do Hospicio n. 48.
pardas a 39 e a 49, ditas de brim de co-
res finas a 2|500, 89, 39500 e a 4J, ditas
de biim brancos finas a 4J50O. 59, 5|500
e a 65, ditas de brim lona a 59 e a 69,
colletes de gorgurao preto a de ores a
59 e a 69, ditos de casemira de cor e pre-
los a 49500 e a 5$. ditoa de fusto branco
e de brim a 89 e a 39500, ditos de brim
lona a 49, ditos de merino psrs luto a 49
e a 49500, calcas de merino pars luto a
49500 e a 5}, capas de borracha a 99000.
Para meninos de tolos os tmannos : cal-
cas de casemira preta a de cor a 51,69 e
78, ditas ditas de brim a 2f, 3| e a 39500,
paletots saceos de casemirs prela a 69 e
a 79 ditos de cor a 69 e a 79, di- 1
loa de alpaca a 39, sobrecesacos de pan-
no preto a 129 e a 149, ditos de alpaca
preta a 59, booets para menino de todas
as qualidades, camisas para meninos de
todoa os tamsnhos, meioa ricos vestidos
de cambraia taitas para meninas de 5 a
8 annos com cinco abados lisos a 8| e
a 129, ditoa de geTguro de cor e de la
a 59 e a 69. dltes de biim a 39, ditos de
cambraia ricamente borbados para bapti-
sadoa e multas oulras fazendaa e roupaa
feitas que deixam de ser mencionadaa
pela sua grande quanlidade; assim como
recbense toda e qualquer encommenda 1
de roupaa para se mandar manufacturar *
e que para eate fim temos um complato
ortimecto de fazeodas de gosto e urna S
grandeofficina de alfa ate dirigida por um K
hbil -mestre que pela sua promptido e <
perfeicao nada deixa a desojar.
Atteneao
Na grande exposicSo de fazendas bara-
tissimas, na loja earmazem da Arara
na ra da Imperatriz n. 56, de Ma-
galhaes & Mendes.
Vendem-se fazendas muito bsrstss psra liqui-
dar, a saber: lszinbas escossesas dequadrinhos
para vestidos de senhorss e roupa para meninos
a 320 rs. o covsdo, ditas muito finas a 500 ra.,
ditas chioezes de 41(2 palmos de largo a 640 rs.
o corado, fustao de cores para vestidos de senho-
ras a 280 e 320 rs. o covado, cassss toda de co-
res para vestidos de senhorss e meninos a 240 e
280 rs. o covado : na rus da Imperatriz, loja da
Arara n. 56.
Cambraia da Arara.
Vendem se pecas de cambraia branca lisia
19600 e 29. ditas Moas a 2J500, 39 e 39500, cassa
para cortinados muito tina com 20 varas a peca a
99. ditas de 10 varas a 49500 e 3. golliohas para
seohoras e meninas a 500 rs., manguito e Rolla
de linho a 2J50O: na ra da Imperatriz, loja da
Arara n. 56.
QCarne de Serid.
(1E' chegada a veradeira carne de Serid, e os
bellos queljos de Serid muito frescos ; no anti-..
go eatabelecimento da ra estreita do Rosarla,
esquina da ra das Larangeiras._____
Roupa feita da Arara.
Vendem-se paletots de paooo preto a 69500 e
8|, caigas pretas de casemira a 4J500 e 59500,
paletots de alpaca a 39500 e 49. calcas de brim
de cores a 29500, camisas francezas finas a 28 a
295OO, ceroulas de linho a I56OO e 29, colarinhos
de linho finos e 500 rs.: na ra da Imperatriz,
loja da Arara n. 56.
Arara vende os baloes.
Vendem-se baloes de 15a 30 arcos, o mais mo-
derno que ha para senhoras por todos os presos,
ditos de brilbantina muito grandes, saias de ccr-
do que faz vezes de balso por 2$500, saias bor-
dadas para senhoras a 29500, ditas de 4 pannos
3$ e 3{500 : na ra da Imperatriz, loja e arma-
zem da Arara n. 56.
Luvasde Jouvin.
Vende-se luvas de pellica de Jouvin brancas,
pan aenhora, ltimamente ebegadas : na loja do
beija flor, ra do Queimado n. 63.____________
Luvas de seda.
Vende-se luvas de seda eofeitadas a lg600,
2&0O0 e 2*200. ditas fio de Eacoaaia blancas a rs.
700. dita de corea 800 t\, ditas de algodito a
280 ris ; na leja do beija flor, ra do Queimado
numero 63.
Escovas.
Vende-se eecovaa para deotea finas de diversas
qualidades a 120, 160. 320. 400 e 500 ris : oa
loja do beija-flor, ra do Queimado o. 63.
Jogo de domin.
Vende-se jogo de domin fios a i_00
laja do beija-flor. ra do Queimado n. 63.
na
Botes para punho.
Vende-se boteade punho fios de diversas
qualidades a 200 rcis o par. que tambem servem
para manguitos de seohora : na loja do beija flor
ra do Queimado n. 63.
Occulos.
Vende-se occulos finos de armacao de ac a
29, 19, 640 e 400 ris : loja do beija flor, ra do
Queimado n. 63.
Kicos sintos dourados.
Vende-se sintos dourados a 29. ditos de fita
com vella dourada a I5500 : loja do beija fior,
ra do Qaeimado n. 63.
Enfeites para cabeca.
Vende-se requissimos eofeites para cabeca com
franja, e sem ella pelo baralissimo prego de 58
e 58000, ditos de vidrilbos a 19600 ; na loja do
beija flor, ra do Queimado o. 63.
Carteiras.
Vende-se ricas carteiras para guardar
de ouro e preta a 29000, 2J500, 1&000,
I55OO na loja do beija "flor"
numero 63.
dinheiro
lg-2S0 e
ra do Queimado
Rosas artilciaes para cabello:
A. L. B. F. tendo recebido um variado sortl-
meoto de bonitas rosas que se esto usando para
cabellos, e de pannos comfolhs de velludo, ditas
de papel todas, as mais riess qae se pode encon-
trar vende-se na ra do Queimado n. 63. loja
do beija flor.
A gulhas.
A. L. B. F. tendo recebido agulhasimperiaes de
fundo dourado. vende na loja do beija flor, ra
do Queimado n. 63.
.4os senhores funileiros.
Vendem-se bigornas calcadas de ac, bem
feitas, s 129 cada urna, martelos calcados a 500
rs., trancas a 3g500 ; a alies, antes qae se aca-
bem : na raa da Imperatriz n. 65.
Venda de engenho.
Vende se, hypotbeca-ae ou permuta-se por
casas squi dentro da cidade, ou acgdea de com-
pactase, o excellenie engenho Hussambique, de
muito boas trras, com machina nova a vapor,
cajo eogenno est silusdo logo adianle do Ca-
chaog, e acha-se livre e desembaragado : a pea-
sos que o pretender, pode enleoder-se com o aea
proprietario Fraaeisco Ribeiro de Brito. morador
na estrada dos Afflictos, terceiro sitio depois da
greja.
Madapolo da Arara.
Vendem-se pegas de madapolo Elephanle en-
testado, muito fio o, com 40 jardas a 149 3 pec*i
ditas de 24 jardas a 494OO, 496OO, 5g, 59500 e 69,
dito entestado a 39 : na ra da Imperatriz, loja
da Arara o. 56.
Libras sterliivas.
Vendem-se em casa de Wilg & Just,. pisca do
CorpoJSanto n. 13.
REMEDIO INCOiMPARAVEk
UNGENTO HOLLOWAT
Milhares da individuos da todaa as nacfox
podes* testemunhar as virtudes desteremdio
incomparavaleprovaremcaso necessario,que
pelo uso que dalle fizeram lem seu carpo
membrosinteiramentesosdepoisdehavar m-
pregadointilmente oulrostratamentos. Cada
pessoa poder-se-haconvencer dessascuras ma-
ravilhosas pala I eitur dos peridico, que Ih'ai
rolatam todoa os dias ha muitos annos; 1
maior parte deltas sao to sor prndenles qu
admirara os mdicos mais celebres. Quantas
pessoas racobraram com este soberano remedio
ousodeseusbragos e pernas, depois dedu-
permanecido longo tempo nos hospitaes, o ta
deviam soffrer a amputago I Dallas ha imu-
casquehavendodeixadoesses, asylos der,ade-
timentos, parase nao submeterem aessa'opa-
rago dolorosa foranscuradas completamente,
mediante o uso desse precioso remedio. C
gumas das taes pessoa na enfusao de seu reco-
rmecimento declararan estesresultados beneB-
cos diante do lord corregedor e outros magis-
irados.afimda ais autenticare sua a firmitiv
Ninguem desesperara do estado desande sa
tivesse bastante con Canga para encinar este re-
medio constantementeseguindo algnm tempo o
tratamento que necesslassa a natureza do mal,
cujo resultado seria prpvarincontaauvelmenta.
Que tudo cura.
O ungento he ntll, mais particu-
larmente nos seguintes casos.
Inflammagao da[bexiga
da matriz
A111011 loas.
Bellas smendossconfeitadaa, dedicadas pars ss
sortea de Santo Antonio, S. Joio e S. Pedro a 720
a libra ; no muito coohscldo deposito da ra
larga do Rosario n. 35.
Veode-ae ama escrava crioula, com bom
leite, ptima psra criar, e de boa conducta : na
ra da Praia a. 47, primeiro andar.
Vendam-se vseess paridaa a bois psrs csrrogs:
no becco daa Barreiras, olaria n. 10, se dir quem a p etender, dirija-se a mesma,
venda. I quem tratar.
Veode-ae urna taberna com poucos fundos
na rea de S. Gongalo da Boa-Vista n. 25 ; qaem
qus achara com
lporcas
Gaimbras
Callos.
aneares.
Cortaduras
Dores de cabega.
das costas.
dos mambros.
Enfermidades da cutis
em ge ral.
Ditas de anus.
Erupges escorbticas.
Fstulas no abdomen.
Frialdada ou falta de
calor as extremida-
des.
Frieiras.
Gingivas escaldadas.
Inchacas.
nflammagao do figado.
Vende-se esta ungento no estabelecimento
gara! d Londres n. 244, aStrand, a a na loja
de todos os boticarios droguista a outras pes--
soas ancarregadas da sua Tonda em toda a
-marica do sol, Havana a Haspanba.
Vende-se a 800 rs cada bocetinha conten
urna instruego em portuguez para explicar o
modo da azar uso desta ungento.
O deposito geral em easa do Sr. Soum,
pharmaceutico, na ra da Cruz n. 32, ira
Pernambuco.
Lepra.
Males das pernas.
dos peitos.
de olhos.
Mordeduras de reptis.
Picadura de mosquitos.
Pulmoes.
Queimadelas,
Sarna.
Supuragoes ptridas.
Tinha, em qualquer
parte qua seja.
Tremor de ervos.
Ulceras na bocea.
do figado.
das articulacoas.'
Veas torcidas oa no-
das as pamas.
amencan
Em easa de N. O. Bieber & C, lacceasoras,
ra da Crus n. 4, vendem-se :
Hachinaa para regar hortas e espim.
Ditas para descarogar milho.
Ditas para cortar capim.
Selins com pertences a 109 e 209.
Obras de metal principe plateadas.
Alcstrio da Saecia. ['5L-
Vernii da alcatrio psra navios.
Salsa parrilhade primeira qualidade de Par.
Vinho Xerez do 1836 em caixas da 1 duzla.
Cognac em caixas da 1 duzla.
Aradoa e grades.
Brilhantes. L___i
Csrrocu pequeas.

.


-
r' -
TTTr


I
T
.____________
----------------


Rival
sem segundo.
Na rui do Queimado o. 55, defrotte do obrado
doto, loja de mludezai de Jos de Asurado ILaia
e Silva, eati queimando tudaa ai suas miudezaa
peloi pregos qua abaixo ae declara, po i a qnadra
boa para apreciar:
Duzia da metas cruas muito encorpadnsa 29400
Dita de ditas brancas maito boas a 19600
Dita de ditas cruas maito finas a 4g00
Dita da ditas brancas para senhora, mul-
lo finas a 8J080
Cartitnia de retroz de todas ai cores a 5801
Groias de peonas da ago de todas at cuali-
dades a 500
Dita de ditas calltgvaphica 19600
Nvelos de linha maito grandes a 60 e 120
Caixaa de agulhai perteitas a 160
Baralhoa portuguezei a ISO e 160
Groza da botoes de osso pequeos para
caiga a 0
Teaourai para unhas maito superior qua-
lidade a 40
Ditaa para costura muito finas a
Ditaa pequeas porra finas a MO
fiaralboi franeezes muito finos 240
Agulheiroi com aguibsi luperiorai 80
Csoivites de apara*; penuas de 1 folhi a 80
Pares de sapatoa de tronga de laa a 11*280
Cartee de a Hueles francesas a 100
Parea de luvss brancas de algodo a 100
Esaovas para limpar dentes muito li-
nas a 200 e 320
Massos de grampos de toda ai quali-
dades a 40
Dedaes com fundo de ago a 100
Caixaa com colxetes franeezes i 40
Tinteirosde vidro com tinta a 160
Ditos da barro com tinta superior a 120
Areia pret multo floa a libra a 120
Labyrintho por todo prego.
Vara de franjas largas brancas a 200
Pios de nova iaveogo para meninos a 200
Linha branca do gaz pelo prego j sabido qua
10, 20 e tres por dous, e outraa muitas miudezas
que i vista far f pelas mas boss qualidades e
preces entao-oo fallemos.
Obras d vidre,
escarradeiras, e palmatorias
lapidadas com mangas.
Vende-sa na loja d'agiia branca mol bonitas
sacirradeirai da vidroi da coras a 49500, 5 a 6|,
assim como palmatorias de vidro lapidado com
mangas bordadas a 4*500 cata um : na risa do
Qaeimado, loja o'aguia branca n. 16.
A banha fina,
em copos grande, afaegsm para a loaj u.sgais
branca, raa 4a Qeniroeto m 16.
Libras sterlinas
Venda-se no eicriptorio de Ha noel Ignacio
Oliveira & Filho, largo do Cerpo Santo n. 19.
de
Meias em quantidade-
Na loja d'aguia branca acha-se um completo
sortimento de malas de todas aa qualidades e
pregos, sendo para homena, senhoras. meninos
a meninas da 6 mazes a 13 annos. Enoumerar
os difiranles pregas contundir o pretndeme ;
assim quem se quizar convencer de quao baratas
se esta o ellas tandeado, dirigir-se com dinhei-
ro i dita loja d'aguia branca na ra do Queimado
numero 16.
Superior cal de Lisboa.
Tam para Tender am porgao a a retalho Anto-
nio Laiz de Oliveira Azevedo & C-. no sen as-
eriptorio ra da Cruz n. 1.
Superior sebo em velas e em
pes, cavxas de urna
arroba
Vendem Antonio Luiz de Oliveira Azorado &
C, no seu eseriplorio ra da Cruz n. 1.
Jacaranda superior.
Tem para vender Antonio Laiz de Oliveira A-
zevedo & C, no seu eseriplorio roa da Graz n. 1.
Novo sortimento de la-
zendas baratissintas,
NA
Loja do Pavora da Impera-
triz numero 60.
DE
G\MrV & SIL,ViY.
Vendem-se s seguintes fazendas por pregos
baratissimos afira de apurar dioheiro : capis
suissas a ioiitaco de sedas.de quadrinhos sen-
do de todas aa cores e cores muito Oxas a 200
rs. o covado, brilhanlinaa de qua Iriuhos muito
encorpadas para vestidos de senhora e roupas
para meninos sendo muito maislarga que chita
a 200 rs. o covado, gorgurao de inlio (azenda
muito nova para vestidos a 280 rs. o covado,
rausselina branca com 4 1|2 palmos de largura a
200 rs. o covado, grande e variado sortimento
de cassas para vestidos seodo os padrees moder-
nsimos e as cores fizas a 280, 300 e 320 rs. o
covado, chilas fraocezasde cores fizas; escuras e
alegres a 240. 260. 280. 300 e 320 rs. o covado,
chtas inglesas a 140,160 e 200 n. o covado,
corles de cassa feudo 7 \[2 varas esda um a
2}40O rs., cortes de organdys com barras tendo
1* varaa cada corle a 59, corles de bu reges com
2i covado a 59, ditos com as aaias fritas a 5$,
laziohasde cores a 280 rs. o covado, de todas
eslaa fazendas do-se as amostra:) deixando o
penhor na loja e arroazem do Pavao, da Gama i
Silva, na ra da Imperatriz o. 60.
Goraes lapidados.
. bao grossos que admira.
A loja d'aguia broces acaba de receber urna
pequea quaotidade de coraos grossos lapidados,
os qaaes serven) para as voltea qaa ltimamente
usam as senhoras, a esl vendendo cada fio por
23, 29500, 3 e 4? : na ra do Queimado, loja
d'aguia branca n. 16 : assim como recebeu raaii
a bonitaa pulaeirai de miaaengas.
Brincos pretos a balo, e
outros objectos para
luto
Desses objectas do que hoja iofeHimeote tantas
familias precisara, na loja d'aguia branca acha-se
am bom sortimento delle, sendo brincos e rose-
tas a bal&o, pulaeiras modernas de grossas a for-
tes coalas, alneles para pello, ditos tsmbem pre-
tos, am caiiinhas, bonitaa a modernos adfago*,
e meioa ditoi, einteiros de Olas arelas pretas,
en faites para cabega, grampos da no vos moldas
para segurar tabello, Luvaa da torca1 do sada a
pellica, meias de seda algodao para homena e
aanboras : com os compradores de tasa objectos
ae ter a maior contemplagao, aliento o fim para
que sao: por issoedirigirem-aa raa do Quei-
mado, iloj d'aguia branca n. 16.
Ra da Seczalla Nova n. 42.
Norte estabeiecimento vende-te: ta-
chas de ferro coado libra 110 rs. dem
de Low Moor libra a 120rs.
6,000 rs.
CHAPEOS DE SOL DE SED.U
Ra da Imperatriz n. 48, junto a padaria tran-
cara, loja do Porto.
Amendoas.
Vendam-se amendoas em frascos e avulsos e
oaboosa ricoi papeii com estalo para tortea:
raa da Senzala Nova n. 80.
na
Algodao da Babia.
Proprlo pira roapa de eseravos o saceos desa-
tancar : vende-se na ros da Cruz n. 1, eseriplorio
de Antonio Luiz de Oliveira Azevedo & C.
Agua de colonia ambria-
da esem o ser.
Olliem para o pavao e
Bfladapolo do Pavo.
Vendem-d fioissimas pegas de madnpolo com
24 jardas a 45500, 4*800, 59. 53500 e 69, ditaa
francezas entestadas com 14 jardas a 39: na ra
da Imperatriz n.60, loja do Pavao do Gama Si
Silva.
Lais a 320 rs.
Vendem-se moderoissimas laazinhas com pal-
mas a 320 r*. o corado: na ra da Imperatriz n.
60. loja do Pavao.
Camislnhas com golliohss a msnguitos
de cambraia bordados, fazenda mo-
deroissima a 59000
Ditas de fusto com lpicos de cor 39000
Gollinhas bordadas com botozioho 19000
Ditas da todos os gostos a 640 a 800
Ditas com manguitos de cambraia bor-
dadas a 19600
Manguitos de cambraia bordados muito
finos a 19000
Gollinhas bordadas a 240
Romeiras de cambraia enfeiladas psra
Uto a 39000
Camisiobas para senhora a 39000
Lenciohos de lioho com labyrintho para
moa 29500
Ditos a imitagio de labyriotho a lf, e 15280
Luvas de lorgal entenadas com ridrilho 500
Eofeites pretos com vidrilho a 800
Ricos aofeites pretos e de cores, a Turca
e Garibaldi 63OOO
Grosdeniple preto a I96OO, 19800 e 2JOO0
Todaa estis fazendas vendem-ae na ra da Im-
peratriz n. 60, loja e armazem do pavao, da Ga-
ma & Silva.
Easa estimada agua de coloniaambreadi.de
que tantos a tanto lempo sentem a falta, acaba
de chegarem bonitos frascos verdes, os quaesse
esto vendendo a 19500 cada um ; assim como
ArrelaS OU artZOlaS de borra- che?? .iglmrate um graobe sortimento da
" sejv** uc uuiia jterdadeira agua de colonia de Piver em frascos
Cha para Segurar DapeiS e ,e grannhss de differeoles tsmaohos, ludo is-
muitos outros misteres. -"-"" d0 Queimd0> ,oil da aguU bran-
Camisas inglezas.
Vendem-se luperiore csmisai iDglezai coa
pragaa largas pelo bantieeimo prega de 359 a da-
lia : na loja da boa f, na raa 4a Qaeimado nu-
mero 12.
Ricas golnbas e punhos
com botoes
Vendam-se ricas gollinhas a punhos do cam-
braia e fusto ricamente bordadas com Modos bo-
tos, pelo baratiasimo prego de 29 cada gurni-
go : na ra do Qaeimado n. 22, na loja da
boa f.
so na rus
ca n. 16.
.roeS ZSZS S& $; Apparelhos d eporoellaua dou-
mente aa applicam a differentes flns, como tam-
ban) aeja para ammassar papis as diversas ra-
pa rtigts publicas, nos car torios, escrip torios,
rada para cha de bonecas.
A loja da agua branca desejando que todoa
fagam a vootade a suas bellas meninas esl ven-
dendo commodamente esiei bonitos apparelhos
de porcellana dourada, e pintada a 19500 e 23,
tendo cada una 6 casares de chicaras, e os mais
perteoees, a vista do que todos iro (munidos de
dioheiro) para compra-Ios na ra do Queimado
n. 16.
rmateos, loja, boticas, tabernas, ate.,'etc.,
meamo de alguna particulares, o que na verdsde
vale apena comprar-se pelo diminuto prego de
240 e 320 a duzia, para poupar-se o trabalho de
atar e desatar um masso de papis todas as vetes
que se precisa, assim como as mais largasservam
pira segurar carteiras, e manguitos de senhoraa,
e mesmo para pulseiras de missangaa, adverta- loilitns nnlitpirna de luirpo
do, porm, que cada argola tem sua fivela; veo- ,r>Ul,'OS PU*iT*!8 O pOrCCi-
dem-ae em dita loja d'aguia branca, ra do Que!-1 lana dourada.
mado n. 16. '.
Agora ninguem deizara mais de ter em aua
mesa um bonito palitelro de porcellana dourada
pois que elles se esli vendendo a 19 e 1J500
' na loj da agaia branca o. 16.
Fazendas baratis-
simas
Superior bramaste de lioho com duas varas do
lsrgura a 29400 s vara, atoalhado da lioho ada-
mascado com duas Isrguras a 29500 e vara, brim
branco de lioho muito superior a 1|440 s vara,
dito de cores, fazenda multo superior a 15, dito
pardo do linho paro a 800, 19 a 15200 a vara, di-
to do quadrinhos maito proprlo para caigas, ja-
queles e paletota para meninos a 200 rs. o cora-
do, gangas francesas maito superiores s 400 rs. o
covado, cambraisa francezas muito finas e-da
muito bonitos padroes a 260 e 280 o covado,
cambraia lisa muito fina a 4f, 5 e 69 a pega com
8 1[2 varas, cambraia com salpicos tambem com
8 1(2 Taras cada pecas a 40500, dita muito eupe-
rlor o melhor que ha oeste genero a 1 lg500 a pe-
ga com 17 varas, ou 1 800 rs.4 ara, chitaa fran-
cezas de muito boas qualidades e de lindos pa-
droes a 240, 280, 300 e 320 o covido, fil de li-
oho liso mullo fino a 720 a vara, tarlataos bran-
ca e de corea a 760 a vara, toalbaa de linho para
mos a 79 a duzia, ditas pelludas muito superio-
res a 119a duzia, gollinhas da cambraia borda-
das a 800 rs., manguitos a gollas da cambraia ri-
camente bordadas a 29 o par de manguitos com
urna golla, longos brancos muito fios com bieo,
renda e labyrintho a t$280 cada um, ditos de
cambraia de linho para algibeira palo baratiasimo
prego de 4, 5 e 69 a duzia, e assim um completo
sortimento de fazendas de todaa aa qualidades,
qua sendo a dioheiro & vista se venderao por pro-
cos mai baizoa : oa bem coohecida loja da boa
f, na ra do Queimado o. 22.
Para doces seceos.
Vendem-se maito bonitaa.caizinharedot^aa,
de madeira, de divartos tmannos forrada de
ppela da coras, maito Hndae, proprias nares-
mente para doces seceos de qualouer fluaUdda.
pelo barato prego de 4, 5 e 69 a duzis : Trua
do Qaeimado, os bem conhectda loja da miuda-
aaa da boa fases n. 35.
Para & Joaee S. Pdr.
Veddem-Se caixiohaa com grande porco da
amendoas coofaitadas, a alguns coneitos pro-
prios para o festejo de S. Joao e S. Pedro, pl0
barato prego de 800 rs. cada ama 1 na ra do
Queimado, na bem conhecida loja de miudezas
da boi fama n. 35.
AUeHfaO
dos seuhores boticarios.
E' chegado pelo ultimo navio um arande sorti-
msnto de drogas doa Srs. Lanmao & Kemp, in-
cluindo a salsa parrilha de Bristol, paslitkaa ver.
miugas, peiloral de Anacoberita, pilulaa da Hal-
cbios, e bittars de Hosuller ; os senheres boti-
carios que preciaarem destas drogas, eocontrsrSo
no armazem de Henry Forster & C, rae do Tra-
piche o. 8.
O Pavo vende a $.
Pegas de cambraias de corinhos brincos e de
todas as cores tendo S 1)2 varas a 49 : na ra da
jmperalriz a. 60, loja do Pavao.
O Pavo vende |
cortes de cambraia maito floa com dom babados
o duas saias seodo delicadamente bordados a
49, ditos sendo todos adamascados a '<5, cortes
de phantasia iazenda finissima a 6$, ditos a 49500
e 59 : oa ra da Imperatriz n. 60, loja e arma-
zem do Pavo de Gama & Silva.
Panno preto.
Vende-se paono preto muito encorpado a
1(600,19800 e 29. e dito cor de caf: na ra di
loiperatriz n. 60. loja do Pavo.
Chales do Pavo.
Vendem-se chales de merino eitampadoi mui-
to grandes a 39. ditos de cassa adamascada a 800
rs.: na rus da Imperatriz n. 60, loja e armazem j
do Pavo de Gama & Silva I
sem segundo.
Na ra do Queimado n. 55 loja de miudezai
de Jos de Azevedo Haia e Silva, est vendando
todas ss miudezas barslissimss, a saber :
Papis de agulhas a balo muito supe-
riores a
Caixaa com muito finas obreias a
Carldes com clcheles, tem olgum de-
leito a
Frascos de macass perol j muito fino a
Caiiinhas com papel pequeo de diver-
sos gostos a
Pacotes dito dito dito smizade a
Novellos de linha de Crux a melhor
que ha a
Caixss com agulhas curtas de superior
qualidade
Eotremeios, a pega com 3 varas 1[2 a
Sabonetes muito finos a
Papis de agulhas francezas com toqae a
Pares de botoes para punhos de muitos
modelos a
Pares de meias craas para meninos a
Ditos de ditaa cruaa para pequeo a
Ditos de ditas para meninas a
Frascos com sgua de Lavando ambreada a
Ditos com cheiros muito fios a 240 e
Ditos com banha muita fio a 240e
Ditos com superior banha de urso a
Ditos com oleo babosa muito ioo a 240 e
Ditos com oleo do Rio muito superior a
Ditos com superior philocome a
Ditos com banha philocome finissima a
Ditos com banha transparente a
Ditos com superior sgua de colonia a
Ditos com macasiS (oleo) a
Ditos com superior opiata a 500 e
Cartes de linha Pedro V, com 200 jsrdaa a
Ditos de dito dito, branca de cores a
Garriteis de liohs com 100 jardas a
Massos de linha frouxa para bordar a
Pontea de marfim de superior qualidade a
80
40
10
200
7i0
720
40
200
18000
120
10
Atiendo
Guimsries & Luz, donos da loja de miudezas
da raa do Qaeimado n. 35, boa fama, participam
ao publico qaa o sen estabetecimento se echa
complexamente prvido daajnelboraa mercaderas
tendentes ao meamo estabelecimento, a muitos
outros objectos ie gosto, sendo quasi todos rece-
bidos da suas proprias encorameadas ; a estando
elles inteiramente resolvidos a nao venderem
fiado, afiangam vander mais barato do qne outro
qaalquer ; e juntamente pedem aos seus devedo-
res que Ibes mandem ou veoham pagar os seus
dbitos, so pena de serum juatigadoa.
Soahall Mellors & C, Una o receblao or-
dena para vender o seu crescido deposito do rslo-
gtoa viilo o fabricante ter-ie retirado do nego-
cio ; convida, portanto, s pessoas que quizerem
posiuir um bom relogio de ouro ou prata do c-
lebre fabricante Kornby, a sproveitar-ie di op-
poriunldade sem parda da lampo, para vir-com-
pra-loa por commodo prego no seu.oscriptorio
ra do Trapicha o.28.
Loja das 6 por-
tas em frente do
Livramento.
Banha japaneza e outras mui-
tas novas perfumaras.
A loja da aguia branca acaba de despachar, de
aua encommenda um grande e bello sortimeoto
de finas perfumaras dos mais afamados fabri-
cantes, seodo as bem coohecidaa e apreciadas
banhaa, japooeza, transparente, philocome im-
perial em bonitos copinhos com lampa de metal,
dita nos copoa granes, dita em eompoteiras li-
sas e lapidadas, leos de babosa, philocome e
Lubin, pomadas ou eosmestiques, fiaos extractos
dos preciosos e escolhidos ebeiros Jackey-Glub,
mil flores, miel de Inglaterra Harechal, Principe
Alberto, Gaorge IV, etc. etc. Becommeoda-se a
toda as senhoras de bom gosto o uso de qualquer
desies eslimados extractos porque aquella que
em ama sociedade, thealro, ou baile estiver com
eu Uno lenco orvaihado de to sublimes aromas
ter por corto o pnzer de ver as suas visiohas
dadireita e esquerda Ihe readeodo homenagem,
perguotarem donna F. onde comprou esse to
agradavel cheiro ? E ella orgulhosa de seu bom
goito, mas com ar prazenteiro lhe responder:
na ruado Queimado loja da agua branca nume-
ro 16.
Camisas e ceroulas
Vendem-ae luperiores ceroulas de lioho muito
finas pelo barato prego de 269 a duzia, ditaa tran-
cadas de algodo, mas de muito boa qualidade, a
179 a duzia, camisas brancaa francezas a 2*9,249,
26 e 309 i duzia, ditas para meninos a 22$ a du-
zia, ditas para bomam com aberturas de cores s
2z9 a duzia : na bem conhecida loja da boa f
na ra do Queimado n. 22.
Manguitos com gollinhas.
Vende-se manguitos com gollinhas, fazenda
muito bda, pelo barato prego de 28000, gollinhas
e puchos ultimo gosto a 29000, gollinbaa muito
fiuas e bem bordadas a 18000 cada nma oa raa
do Queimado loja de miudezas da Boa fama,
n. 35.
Tiras e ntremelos bordados.
Vende-se pegas ae Urss bordadas de 2,500,
3,000, 3,500 e 4,000 ntremelos a 19600 e 29000
cada pega na ra do Queimado loja de miudezas
da Boa fama, n. 35.
240
160
160
200
800
500
30
600
320
500
900
I9OOO
800
500
100
800
60
20
30
240
19000
Cassas fraatazaa dnJtonilaa coatoaja
320 rs. o covado, luvas de trogal preSas
e de seda a 500 rs. o par, chitas fran?-
saa largas escuras a 240 ra. o covada,
ditaa fins a 2C0 e 280 ra., fil de linho
Uao a640 rs. a vara, tarlataaa lina de
todas ss cores a 800 rs. a vara, lengos
brancos com barra de cor a 19400 a du-
zia e 120 rs. cada m, meias para ho-
ra em a IfSOO a daiia e 120 rs. o psr,
chitas para coberta de bonitos dese-
nhos a 220 rs. o covado, pegas de bre-
tanha de rolo a 29, ditas de cambraia lisa
com 6 1)2 varas a 39, musseiioa encar-
nada a 240 rs. o covado, calcinbas para
meninas de escola a 19 o par, peitos
para esmisa braneos a de cores a 200
rs., pegas da csmbraii branca de salpi-
co s 395OO, algodo entestado o melhor
a 700 rs. a vara, dito branco para toa-
Ihas a 18 a vara, enfeites dos mais mo-
dernos a garibaldi a 69,1 loja eat aber-
ta al as horaa da noite.
Papel amisade branco e d
en res.
Vende-se pacotes com 100 folhaa de papel ami-
sade branco e de cores a 800 e 640 cada pacote :
.0 16. -
Ra da Senzalla Nova n. 42.
Vend-se em casa da S. P. Jonhston & C,
sellins e silhoes inglezos, caodfeiros e casligaes
bronzeados, lonas ioglezas, fio de vela, chicotes
para carros e montara, arreios para carros de
um a dous cavallos, e relogios de onro patente
ingles.
Aencao! allenea!
Aos pais de familia, borne ba-
rato.
Na loja n. 20 da ra da Imperatriz scha-ie a
venda um completo a variado sortimento de boas
fazendas, e que vista de suas qualidades sao ba-
ratissimameote vendidas, e para mais veracidsde
, do que Qca dito, abaixo vo mencionadas algumas
das.ditas fazendas, a saber :
Chilas largas cor fiza a 240 rs.
Madapolo lino com 24 jardas a 59.
Cambraias de cores a 280.320 e 400 rs. o co-
vado.
Velludo preto e decores a 29.
Lindeza de cores a 160 rs. o covado.
Lengos pequeos a 80, 120 e 160 rs.
Chapeos de castor fino a 89. ^ :
Chitas pretas multo largas e finas a 240 rs.
Algodo Irangado preto muito bom para vesti-
dos da vscrivoi a 200tb.
Cambraia lisi com 10 jardas a 29.
Cassa de salpicos com 10 ditas a 39.
Cambraia bordada para cortinadoa com 8 va-
ras a 2/.
0 Livro do Poyo.
Sahio luz publica o LIVRO DO POVO, publi-
cado sob a direegao do Sr. Dr. A. Marques Ro-
drigues, e conlm a vida de N. S. Jess Christo,
segundo a narrago dos quatro evangelistas, e
mais os seguintes artigos : o vigario, o professor
primario, o bom homem Ricardo, a moral prali-
Ca, Simo de Nantua, mximas a pensamentos
a bygiene, os deveres doi meninos, e o Brasil.
A publtcago do LIVRO DO POVO nao s6 tem
por fim umformiaar a leitura as escolas prima-
rias, onde cada menino aprende por um livro
difireme, e portanto facilitar o trabalho do mes-
tre a do discpulo, como tambem Tulgarisar, por
am prego baratiasimo, a historia do sslvador do
mundo, e os melhores preceilos de moral.
Vende-se o Livro do Pavo, no Recife, na
livraria da praga da Independencia ns. 6 e8, a
500 rs. o exemplar em broebura, a a 800 rs. csr-
tonarJo.
N.AUA JUV UUiiJXLlUU M.A6
PAt7hlGEJLNDE201TIMEIiT
^ASEROUPKS
Sortimento completo da sobresaaacos da pinna nt, 289, 80f a 359, caaaeo multo bata
faltas s 25$. 28$, 308 35J, paletots acasacadoa d panoo preto da 16 at 259, ditos da aaaemira
de cor a 159. 18J e20g, pal fots liceos da panno 9 cisemira da 89 at 149, ditos saceos ds alpasa
w erin s la 9 *t 148, ditos ue cor o 79 at 108. roupas para menino de todos os tamanhoi, grande lorti-
manto de roupas de brins como leism caigas,paletots a colletas, sortimento da eolletss pretos de
m. casemira velludo de 49 a 9g, altos par casamento a 5) a fift, paletota brancos da bra-
* *. 5|. caigas brancas m'io finaa 58.a um randa sortimento de fazendas fin e rao-
?*?M ""E}8*'' sortimento de casimiras inglezas para haauem, menino a aenhora, eeroelae da
itnno a tgoeo ehapeoa de sol de seda, luva da aada da Joavin para homem leahora. Ta-
V? !,?". S^VVt1"1 atf"i onde recebam wcaaaawda da grandea obras, qaa pas
ao ceta seouo aJmhrrairada por aa hbil mialri de semelaanta arta a usa paaaoal da mais da
oncoanta obrairoi escolhidos, portanto aiecutavaos lualquar obra com promptidao a mais barita
de aa am outra qualquer mi.
Queijos
os mais frescos que tem vindo ao nosso
mercado chegados no ultimo vapor a
2$000 e no passado a 1$800.
Amendoas
confeitadas ai mais bonitas que ha no
mercado a 800 el $ a libra : vende-se
nos axmazens Progressista e Progresst-
?o no largo do Carmo n. 9 e ra das
Cruzesn. 36.
Tiras ou entremeios bor-
dados
Vendem-se tiras ou entremeios bordados de
lindos gostos, pelos baratissimos pregos de 19500
e 19600: s 00 galo vigilmte, ra do Crespo nu-
mero 7.
Sintos para senhora.
Vendem-se os riquissimos sintos com borla ca-
hids ao lado, maito chique, seodo o ultimo gosto
de Pars, pois psreee-me que nao bravera senho-
ras que derxa de comprar : isto s no gallo vi-
gilante, ra do Crespo n. 7.
Bonecas fraucezas.
Vende-se bonecas francesas ricamente vestidas'
49000 e 59OOO, e 28000 bonecas de cera com os
olhos movedgos a 29000 e 39000, oa ra do Quei-
mado loja de miudezas da Boa fama, n. 35.
Fivelas de ac para sintos.
Vende-se fivelas de ago para sinlo a 19500 rs. e
29000 na ra do Queimado loja de miudezas
da Roa fama. n. 35.
Baleias.
Vende-se baleias & 120 rs. cada urna aspa'de ago
para balo a 160 rs. a vara, bandea a 19500 ra. e
2JO0 o por, 00 ru> do Qoin.do l^j. dd miudezas
da Boa fama. o. 35.
Cascarilhas de seda.
Vende-se cascarrilhaa da seda para enfeitar
vestidos a 29000 a pega na ra do Queimado
loja de miudezas, n. 35.
Meias de borracha.
Vende-se meiaa de borracha para quem padece
de erysipela a 159000 o par, meias de aeda preta
para aenhora a 1$000 o par na ra do Queimado
loja de miudezas da Roa fama. n. 35.
Palmatorias de vidro lapi
dado.
Vende-se palmatoriss de vidro a 15600 rs., ditas
com mangas proprias para rapazes a 4*500 rs.,
cada urna, escarradeiras de vidro a 49500 rs.
e 59000 o par, na ra do Queimado loja de
miudeza da Bda fama, d. 35.
Enfeites de cabeca.
Vendem-se os riquissimos enfeites, tanto com
franja como aem ella, por baratissimo prego de
29500, 39 e 59 : a no vigilante, ra do Crespo
DemeTO 7.
Linha de peso.
Vendem-se as verdadeiras linhas de peso, o
mais fino que se pode encontrar a 28500 o mas-
sin"ho de 30 miadinhas, assim como da outras
qualidades : s no vigilante, raa do Crespo nu-
mero 7.
Queijos.
Vendem-se na ra Direita n. 99, defronte da
loja de miudezaa, queijos viudos do norte no ul-
timo vapor a 29200, ditos a 29. ditos a I98OO. di-
tos do sertao a 29, em libra a 560, ditos de qua-
lha a 440. aletria a 400 ti., macarrlo e talharim a
320 libra, caixoas da doce de goiaba a jfiOO,
toucioho de Lisboa a 320. sag a 320, casadinit
do reioo a 240 a libra, arrea a 140, e dito a 160,
gomma a 120, mantel* ngleza a 800 ra. a i&,
dita fnnceza a 720 e 800 rs., cha hyaaeo a 29800
38, e 39200, dita do Rio 2 viohoe de todas a
quaUdadaa a -500, 560, 640, 800 a 19, *
muito grandes viadas da Ligoa a 400 rs., a ou-
tros muitoi gneros.
Vende-ae urna sagra de maia Idaae, aem
vicios aem achaque* algum, a por barsto Braga :
na ra di Prsia o. 31, prmelro andar.
Potassa da Russia.
Vende-se em casa de N. O Bieber
C, successores, ra da Cruz n. 4
&
Gaz do melhor
a 600 rs. a garrafa.
Na ra Direita n. 7 e na ra
do Queimado n. 75.
Attenco
A 600 rs a garrafa de gaz.
Cootioua-so a vender o ra albor gaz, na loja de
funileiro, ra da Imperatriz n. 65.
Attenco
Chegoa pira a loja da victoria, candieiroi a
gai da novoi goitoa e modeloi, tinto para sala,
como para aseada e quartos a para outras maltas
couaas: as loja da rictoria aa ras lo Quaimado
0.75.
Perfumaras muito unas e
baratas.
Opiata iogleza a 19500 ra, dita franceza a 500
ra., 640, 19000, oleo da sociedade bygienique
verdadeiro a 19C00 o frasco, oleo babosa de Piver
rerdadeiro a 800 rs. o frasco, agua balsmica
para os denles a 19000, dita de Botot tambem
para os denles a 18000 o frasco, pomada france-
za em paos a 500 rs. e 19000, 320 rs. sabonetes
muito lino a 640 rs., 800 rs. e 19000 cada um na
ra do Queimado loja de miudezas da Boa fama,
n. 35.
A 200 rs ,so pavo.
Vende-ie chita franceza escura de cor fin a
dous tustis o covado : oa ra da Imperatriz n.
60. loja e armazem do pavo.
A 2#50,so pavo.
Vendem-se cortes de cambraia branca com 2 e
8 babados a 29500, ditos de tsrlataoa braocos e
de cores, com barras e baados a 39: na ra
da Imperatriz o. 60, loja e armazem do pavao de
Gama Si Silva.
tara brinquedo de &
Joo.
Coatinua-se a vender amendoas pelo barato
prego de 640 rs. a libra, na roa Velha da Boa-
Vista n. 33, ra do Raogel n. 9, defroole a esU-
c3o ds Cinco PoDtaa o 140, ra Augusta, esqui-
na do becco do Harisco n. 1, ra do Crespo nu-
mero 7.
Dhegoem ao gallo vigilan-
te que est torran?o
como sej'am.
Kaaojaa.
Riquisiimai franjas de seda de linios goitoa
praUa e de cores pelo baritissimo prego de 200,
300.400 e 600 rs., dita prets com lidrilho a 400
e 500 rs. : s no vigilante rus do Crespo n. 7.
A 500 rs., s o pavo.
Vendem-se as mais modernas a flniasiaaas Iaa-
zinhas de quadrinhos e de flore solas Spalai-
nhas, desembarcadas do ultimo navio viodo do
Havre,pelo baratiasimo prego de quinheatos ris
o covado, e d3o-ie ai amostras com penhor: na
ra da Imperatriz n. 60, loja e armazem da Ga-
ma & Silva.
Cabaias hespanholas, na
loja do pavo, a 400 rs.
Vende-so ast nova fazenda de padresdelics-
dissimos com 4 1(2 palmos de largura, proprla
para vestidos de senhora a 408 rs. o covado: na
roa da Imperatriz n. 60, loja a armasem do pa-
vo de Gama Si Silva.
Fitas.
Riqalaaimas para einteiros a 800, e 1*500
a vara, ditas com um pequeo toque a 400, 500 e
600 rs. : s no vigilante ra do Crespo o. 7.
Bicos.
Riquiasimos bicos de seds de largura de 1 da-
do a um palmo a 100, 200, 300, 400, 800, 19 e
1|500 a vara, ditos de lindss cores a 100 e 200
ra.: s no vigilante ra do Crespo o 7.
Botoes.
Grande aortimeoto de botoes de todas as qua-
lidades por lodosos pregos, ditosamarelloa mui-
to lindos proprios para bonets a 19500 a groza
s no vigilante ra do Crespo n. 7.
Franjas de linho.
Grande sortimento de fraojas e galozinhos da
linhos pelo baratissimo de 80 a 100 rs a vara.
dita para cortinado a 25(00 (e 39 a pega : a no
vigilante ra do Crespo n. 7.
Borzeguins inglezes.
Ni ra da Imperatriz n. 10 defronte da boneca
loja do Pinto, recebeu-se pelo ultimo vapor um
grande sortimento dos ji bem acreditados bor-
zeguim ioglezes qae vendase por IOJ e 119, a di-
oheiro loso contado.
Sementes de hor-
lalices
Na ra da Gru n. 32, deposito de pao e bala-
cha, vendem-se sementes de hortalices viadas da
Liaboa.
Muita attenco.
a
Na loja de Silva Cardozo, ra do Im-
perador n. 40., tende-se roupas feitas
de todas s qualidades pelos precos
mais baratos possiveis que se pode ima-
ginar, pois pode vir os reguezes com-
prar porque e pee hincha .
loa do Crespo i. 7~
galio vigilante
Neata nova loja ha grande porgo da caixiohaa
com amendoas proprias para brinquedo de Si
rJoio qae se vende pelo barato prego de 800 ra.
cada un quem deizari de dar a urna menina
urna caixinha ; tambem tem grande porgo da
caizas proprias pera doces secos que vende con-
i forme seus tamanhos a 69, 59 a a 4f a duzia,
-k.. ... i;. amendoas avulsss a 800 a 640 rs. a librn : ao no
sVcibam de chegar para a loja d aguu brama, vigille raa do Crespo n. 7.
ra do Queimado n. 16. r _______ -
As afamadas aguihas impe-
riaes com fundos dourados,
e dedaes de marfim.
MOYO
deposito de charutos s t^WJK^
Tapetes para sala
(3,000 rs.)
Ra da Imperatriz n. 48, juato a padaria fraa-
da Baha
I
5,000 rs.
na ra de Hortas n. 15 junto a sobrada novo]
que volts psra S Pedro, neste deposito se en-j Chalet de marin estampidos muito grandes :
cootrsr lempre bons charolo! todos fabricados, na raa da Imperatriz n. 48. junto a padaria frm-
na Babia, aiim como tem cigarros da todas a* caza, loja do Porto.
qualidades, fumo, eachimboa, boiges a outras i
reoaias pertencentessos
atanrago.
Vendam-se aegoaa
bncina : oa praga do Corpo
fumantes, todo porba- B
tal
da CompenMa Parnoa- bern
arpo Santo n. 11. > Con*
Vtude.su maito boa caree do amr-tao 44)0
libra, cha bysson superior s 19800 a libra.
ralis de apramela s 700 rs. s libra : aa ta-
baroi daoomioasja do armazem do sal, ra da
Comeigao n. 6.
_
.*


/
' i' mk
DIOM M WJWAMM3CO UHU 1
lesas
bello.
paraca-
A lojt do beija-flor Uodo recebido boniUi ro-
tti que se eslao mando para os cabellos, vende
na wi do Queimado na toja cia a. 63.
Aljfar fino imitando perola.
Vendte 500 rt. o fio da aljfar fino, imi-
tando parola : na ra do Queimado, loja d'aguia
branca n. 16.
Cambraias
Vendam-ie eambreias de eorea de bonitos
le|aates deseo boa a 280 e 320 rs. o covado : n
raa a laaperetris. toja n. SO.
(Miados.
\GENCI\
DI
Fundico Low-Moor,
Boa ala Senzalla Nova n.4.
Neste esubeleeimento continua a haverum
completo sortimento de moendas a raeias moen-
das para eogenho, machinas de vapor a tabeas
de ferro batido a eoado de todos os lamanho
para diio,
iBi-se oliados piolados de lindas vistss e
paiisfeoe, larguras de 6, 7. 8 e 9 palmos, pro-
prios para mesa de jaotsrs 5? o corado : na ra
da Imperalriz. loja n. 20.
Sapat
OS de borra-
cha para senhorasa
1,500 o par.
Estamos no mez Marianno, a por isso de ne-
cessidade que as senhoras que btm se applicam
a essa boa devogio se previnam de um par de
patos de borracha, para assim terem oa ps res-
guardados da humidarte, eem attencao a to jus-
to e louvavel flm. esli se veodendo a 1A500 o
par: na ra do Queimado, loja d'aguia branca
numero 16.
Borzepins.
Ra da Imperatriz n. 10 loja
do Pinto. -
Vende-se pelo baratissimo preco :
Borxeguins de lustre para homem a 8;;.
Ditos de bexerro para homem a 8?.
Ditos do cordavao para dito a 8jj.
Por este preco e a dinheiro vista para li-
quidar.
meias moendas.
ferro batido e
Moendas f
Taixas de
coado.
Machinas de vapor.
Rodas d'agua.
Rodas, dentadas etc., etc.
Ru doRrum n. 38, fundicao
de D. W. Bouman.
Sahio luz o
Gallo Vigilante.
Na ra do Crespo n. 7, aonda o respeitsvel pu
blico achara m randa a variado sortimento de
miudezas que se vende por precos mala baratos,
10 por cento do qae am oatra qaalquer parte,
sitim como sejs, franjas prelas com vidrilho o de
cores, Otas de todas as qaalidades, franja e galio
de ltoho, cacorrilhas pretas e de cores, frocos de
todaa as coras, os riquissimos enfeites de esbeca,
galozinhos da Hnho e de seda para eoleitea,
chapeozinhos para enancas, chapelinhas para ae-
nhora, bonete de panno e velludo muito finos
para meninos, fitas muito chiques para sintoe,
manguitos e gollinhaa muito finas, lencos de
cambraia de linho muito finos, e mnitos maia
objectos que sa continuar annunciar, pois ven-
da-te ludo por precos bsratlseimos por se achar
am liquidado. Na mesma loja se acbari um
rico sortimento de amendoaa e confeitos propries
para qualquer mimo, que se vende pelo baratis-
simo prQO da 1|600 a caisinha.
A verdadeira essencia de ail
para engommado.
Aeaba de ebegar para a loja d'aguia branca,
raa do Queimadon. 16.
Caixinhas e cabazes para
as meninas trazerem
no braco.
Muito lindas caixinhas e cabazes para meninas,
de 100 ris at 29500: na loja da Victoria, na ra
do Queimado n. 75.
MENINAS.
se deixa
5&500
55000
4S000
2*500
39000
1920
800
500
800
sabir
Enfeites para senhora.
Os melhoras enfeites pretos e de cores que ap-
parece a 59500, 69 e 6J500 : na loja da Victoria,
na ra do Queimado n. 75.
Fazendas pretas
superiores.
Grosdenaple preto muito superior pelo dimi-
nuto preco de 29 o covado, panno preto muito fi-
no a 3, 4, 5, 6, 7 e 9g o covado, caaeraira pre
muito fina a 2g, 29500, 3, 39500 o 49 o covado,
manta pretas de blondo maito superiores a 129,
manteletes de superiores grosdenaples pretos ri-
camente bordados a 359, sobreessacas de panno
preto muito fino a 309, casacas tambera de panno
preto muito fino a 309. paletols de panno prete
fino a 18 e 209, ditos de cssemira de cor mee-
i^?- *"* suPe"ore< gravatinhaa estreitas i
19, dita de selim maco ede gorgurao muito su-
periores para duas voltas a 29, ditas estreitiuhai
com lindos alfinetes a 29, superior gorgurao pre-
to para colletes a 49 o corle, ricos aofeTtes pretos
a 69, e assim oulras multas fszendas que sendo i
dinheiro vista, vendem-se por precos maito ba-
ratos : na raa do Queimado n. 22, na bem conha-
eida loja da boa f.
SEDAS
Cinco tustes.
S na loja do pavo
vendem-se sedaa de qutdros, ditas de liatras ao
comprido, e ditas de listraa atravesssdas, ditas
de quadriohos, sendo dos melhores padres e de-
licadisslmos gostos, com largura de cbita inglesa
a 500 rs. o covado, pechincha, a dao-ie as
amostras com penhor : na ra da Imperatriz n.
90, loja e armasen do patio de Gama & Silva.
Fuoileiro e vidraceiro.
Grande e nova officina.
Tres portas.
31RuaDireita31.
Nesle rico e bem montado estabelecimeoto en-
contrarlo os fregueses o mais perfeito, bem aca-
bado e barato no seu genero.
URNAS de todas asqualtdades.
SANTUARIOS que rivalisam com o Jacaranda.
BA.NHEIRUS de todos os tamanhos.
SEMIGUP1AS dem dem.
BALDES dem idem.
BACAS idem idem.
BAHUS idem idem.
FOLHA em caitas de todas as grossurat.
PRATOS imitando em perfeigo a boa percal-
lana.
CHALEIRAS de todas as quslidsdes.
PANELLAS idem idem.
COCOS, CANDIE1ROS a liendres para qual-
quer sortimento.
VIDROS em caixas a a retalho de todos os ta-
mandsodo-se manhos, botar dentro da cidade,
em toda a parte.
Recebem-se encommendas de qualquer nata-
reza, coocertos, que tudo ser desempernado a
contentn.
Franjas pretas com vi-
drilho e sem elle.
Ricos sorli mantos de franjas pretss e de cores
com vidrilho e sem elle '. na loja da Victoria, na
raa do Queimado n. 75.
i n has de peso yerda-
deiras..
Linbas finaa de
grandea a 240 ris :
do Queimado o. 75.
peso verdadeiras. meadas
na loja da Victoria, na ra
Phosphoros de seguranza
Phosphoros de seguranza, por que livra de in-
cendio, a 160 ris a caixa: na loja da Victoria,
na ra do Queimado n. 75.
Baleias para vestidos.
Baleias muito grandes e boas a 160 ris urna
na loja da Victoria, na ra do Queimado n. 75.
Linha de croxel para la-
byrintho.
As melhores lionas de croxel para labyrintho,
novellos moostros s 320 ris um : na lo|a da Vic-
toria, na raa do Queimado o. 75..
Sintos dourados para se-
nhoras.
Lindos siotos doursdos psrs senhoras a 29200,
ditoa de ponta cabida a 49, ditos de fita a 1&600:
na loja da Victoria, na ra do Queimado n. 75.
Nova alieneo
> vigilante aeaba de recebar noro sortimento
de diversos objectos que se veudem por manos
20 por cento do que em oatra qualquer parte.
Sintos para senhoras.
Riquissimos sintos douradoi, pelo bsralissimo
prec^ de 29, e com fivels ao lado a 49, assim co-
mo de fita de seda ou velludo a 2g : s no gallo
vigilante, rna do Crespo n. 7.
Enfeites.
Vendem-se os riquissimos eofeites da cabeca
com franja o vidrilho a 59, ditos sem franja a 39,
ditos trangadoe a 29500, ditoa de lie.o de fita e
bico de seda a 29: s no gallo vigilante, ra do
Crespo n. 7._____________________
Fivelasparasinto.
Riqusimas fivelas de ico com madreperola no
centro a 19200. ditas de madreperola a 380, ditas
doeradiohas a 840 : e no gallo vigilante, ra do
Crespo n. 7.
Ricos espelhos de
moldura dourada para
salas.
Chegou para a loja da Victoria urna pequea
porgao de ricos espelhos de varios tamanhos para
ornamentos de salas, affiaogando-se serem os
melhores em vidros que tem vindo: na loja da
Victoria, na ra do Queimadon. 75.
La para bordar.
Lia muito boa do todas as cores para bordar, i
79 a libra : na loja da Victoria, na ra do Quei-
mado n. 75.
45 -Ra Direiia4S
A epidemia declina seaeivtmeote, a o sea
compiti dessppaiecimenta est prximo\ O
proprielarie deste bem sortido astabeleoimento
convida oa seus numerosos fregueses s substituir
o saleado velho, que todo eati cholenco, por no-
vo, a que posta resistir a mil chotis e mazzur-
css que vio ser dsnsadaa em louvor do restebe-
lecimento da saude publica. Os precos con-
vidara :
HOMENS.
Botinas afamadas Milii. : 128000
non-plus-ultrs Nantes......... 129000
Nantes 2 bateriss.............. 11JC00
> lustre.................... 109000
> ingleses de botoes............. IO9OOO
bstedoret....................... 99500
couro de porco....... 99000
> bezerro a lustre............... 99000
inglezes ps selvigeos......... 7(500
raziados braiileiros............ 5|500
Sapatdes non-plus-ultrs................ 79000
> 8 bateras e mela.............. 69500
> esmaga cobra..;............... 59500
Nantes 2 bateras vaqueta..... 69OOO
> > 2 bateras bexerro...... 59500
trabajadores.......... 59000
> brasileiros de 38500 a.......... 29000
Spalos 2 iotas e salto.................. 5JJ0O0
tranca portugweies.......... 2&000
francezes......19280
SENHORAS.
Botinas dengozas......
salto de bater. .
pechincha de 49500 a.
> americanas 38500 a .
Sapatos de sallo (Joly)
sem elle (idem) .
pete;.....
a econmicos. ; .
lustre 32 e 33.
MENINOS E
Ha de tudo em relelo e nao
dinheiro.
Um completo sortimento de couro de porco,
cordavao, bezerro francs, couro de lustre, mar-
roquim, sola, courinbos etc., que ludo se troca
por dinheiro vontade do comprador.
mmmmm-miiBmmmu
Grande
I liquidado por todo
i o pre$o, na bem co-
g nhecida loja do Ser-
ta nejo.
Ra do Queimado n.4S.{
Apparecam com di-
nheiro que nao deixaro
de comprar.
Chitas escnrss finss a 160. 180 e 200
rs., cortes do vestido prstos bordados a
velludo de custo de 1509 e vendem
por 309,409, 509 e 709. sabidas de baile
de velludo e setim a 129 e 139, camisas
I pira senhora a 2;000 e 39500, golliahaa
'de cambraia bordadas a 500, 600, 700,
800, 900 a 19, ditas de fil bordadaa a 120
rs., cssaveques de fastao a 59, 69J8,89,
meias de seda brsncss o pretas para se-
nhora a 19200 o par, tiras de babados a
500 e 700 rs., laade quadro enfestadas a
300 e 360 rs. o covado, cambraia prela a
400 440 rs. a rara, organdya de corea a
600 rs. a vara, fil branco adamascado
para cortinados e vestidos a 400 a 500
rs. a vara, corles da eollete da caaemira
bordadoa pretos a 29 e 39000, ditos de
velludo de cor e pretos s 89, 49, 59 e 69,
paletots de brim bronco francezes a
395OO a 495OO. ditos da casemira de co-
res o pretos a 149 e 169. ditos de alpaca
preta e da corea s 39,38500, 49 o 49500,
esmisaa da peito de linho a 29500, cortes
de cohete de gorgurao a 19500, 19700,
2920O, 38 e 38500, colletes leitos de brim
brsnco a 29500, ditos feitos de gorgurao ]
a 2f500 e 39500. ditoa feitos de casemira 2
a 38500, 48 e 48500, ditos de velludo a |
59, 69 e 79, ditos de fusilo de cores a |
18500, um variado sortimento de meias S
psra homem e senhora, griosldss com ]
flores, chales de froco, espartilhos, e lo- I
Cda a qaalidade de roupas feitaa para ho- &
mem que tudo se vende por metade do
E seu valor. S
^bjwBbw wnllaisM ff^vfilavIavsIvK
i
Lio has do gaz.
Caixinhas com 50 novellos de linhas muito fi-
nas do gaz a 900 ris a csixa, diUe com 30 no-
vellos a 700 ris, ditas com 10 novellos grandes
a 700 tis, brsncas e pretss: na loja da Victoria,
na ra do Queimado n. 75.
Candieiros de gaz
Chegou para a loja da Victoria os melhores
candieiros de gaz que tem vindo ao mercado, por
precos commodos : ns loja da Victoria, na raa
do Qaeimsdo n. 75.
Ricas fitas para chapeos,
cinteiros, etc, etc.
A loja d'aguia branca acaba da recebar um ex-
traordinario sortimento de ricas fitas, lo boas
em qaalidade qeao bonitas nos desenos, tendo
entre ellas o mais largo que possivel; assim
como algumas pegas brancas com o centro liso
proprio psra inser pces, e muitss oulras de de-
ferentes cores como de caf, rOxa, escara, etc.,
etc., e como de sea louvavel costume : a loja
d aguia branca, na raa do Queimado n. 10, ven-
de por prego commodo essas boas e bonitas fitas.
Nobilia.
Vidrilho.
Lindos vidrilhos pretos e de cores, pelo
isimo preec
Unte, rus do Crespo n. 7.
. bsrs-
Uasimo preco de I96OO a libra: s no gallo vigi-
Para entreter o *empo.
Os lindos jogos de dminos a 19400, lindes cai-
liabas com jogos de vispora a 900 rs.: s no gsl-
lo vigilante, raa do Crespo n. 7.
No srmstem da ra daCraz
--------- n. 38, vnde-
se um preto da maia idade. muio sadio a boa
para servico domestico, e um mulslinbo de 11
proprio psra psgem.
annos
1
Voode-sa ama carroca par? avall
MsBguiaho, sitio afronta da espolia.
00
Gravatas de setim com
ponta larga a 1$
Vendem-se gravitas pretas de bom selim e
com pontas largas a 19 cada ama, tao baratas
assim s se acha na raa do Queimado. loja d'a-
guia branca n. 16.
INo duvidm que na ru
do Crespo n. 17, loja de
Guimares A Villar.
GWVe$teeurna senhora dos ps_
ate a cabera. sea
Principiando pelea chapaos de palha a 1
Garibaldi e chapelinaa de pilha de Italia
oa mais superrores qae tem vindo de
Franca.
Manteletes de grtfs bordados, capas e
casaces a Lulz XVI, sedas de cores e
moireantiquea pretos e de corea e aca-
bando pelos respeitaveis baldes de crox
e de musselioas e qae vendem biratie-
simo. Senhoras fregaexas a vista faz f,
mandaos ver.
Na ra da Camboa do Carmo loja n.
12, vende-se toda a qualidade de mobi-
lia tanto ao gosto moderno como anti -
ga, phanthasia etc. por preco mais
commodo do que em outra qualquer
parte, az-se toda a qualidade de obra
de encommenda com a maior brevida-
de e o maior apuro da arte.
Arados americanos e machinas
para lavar roupa: em casa de S. P.
ohnston 4 C ra da Senzalla Nova
u. 42.
Ricos
cortea de vestidos brancos
bordados.
Vandsm-se ricos corles de vestidos brancos
bordadoa com 8 babados pelo baratissimo preco
de 5} o corte: na ras do Queimado n. 22,
bem eonhecida loja da boa f.
na
ptiga loja franceza que foij
de Gadault ra Nova n. 11.
Acaba de receber desuacncommends um grande e variado sortimento de di-
versas mercadorias que se acham a veodana diU leja por menos 10 por cento do que
em eutra qaalqusr parte, a siber:
Cal e potassa.
Vendem-se estes dous ar-
tigos ltimamente chegados,
no bem conhecido e acredita-
do deposito da ra da Gadeia
doRecife n. 12, mais barato
do que em outra qualqaer
parte.
Pao no de algodo da Babia.
Vende-se no eacrlptorio de Antonio Luiz de
Oliveira Azevedo & C. na rus ds Craz n.l.
Reiogios.
Vende-se em casa de ohnston Pater & C,
. do Viga rio n. 3, am bello sortimento de
lelegios de ouro, patente ingles, de am dos mais
afamados fabricantes de Liverpool} tambem
ama variedade de bonitos tranaitns para os
mesmos.
A 5$ o covado.
Panno fino cor de rap : na su do. Qaeieaado
na mero 47.
Agua de malabar
do yerdadeiro fabricante Lascombi, psra
tingir cabellos da cor que se quizer e com
um guis psra seu uso.
Para presentes.
Ricas caixas de costurs com msica e
sem ella, o meihor presente que se pode
dsr a urna senhora que se estima.
Para horneas.
Ricos eslojos contendo todos os utensi-
lios necessarios para toilet de qualqaer
pessoa que se trata com maita limpeza,
contendo navalbas, tesouras, pentes, es-
covas, frascos para pomada e cheiros, ala-
dores, tlnteiros, espelhos, pssta psra pa-
peia e murtos outros porteases para o mis-
mo Qm.
Encerados.
Especiaes para cobrir mesa a 19, 1|500
e 1) o covado.
Para retratos.
Machinas de todos os tamanhos francesas
e smericanaa chimicaa para trabalhar am
todos os procesaos, copos graduados, fu-
a de vidro, um grande sortimento de cal-
imbas, de chagrn, paasepartous de cores e
pretos a doursdos, envelas horizootaes e
vertieses, papel para retratos e lodos os
atencilios tendentes a esta arte ; tambsm
se collocam retratos em caixinhaa e paase-
partous, mudsm-se os qae estiverem mo-
fados lado a vontade de seus donos.
Ricas bengalas
de verdadeira cena da India com pontei-
ras e castdes de msrfim, tendo nos castoes
muito bonitaa figuras abertas em relevo,
as mais bonitss que se podem achar neste
genero.
Ditas de msssa imitando alicorne.
Luvas de pellica
do verdadeiro fabricante Joavin & Filhos,
psra homena e senhoraa, brancas, de co-
res e pretas, e que contlnuaro a receber
por todos os vapores franceses preco fizo
29500 rs.
Espelhos.
Desde o maior at ao maia pequeo ta-
manho com molduras pietaa e daradas
para ornamento de sala, sendo os vidros
muito grosaos e de primeira [qualidade.
Para msica.
Iostramentos completos de chaves e
apiston e tambem grande sortimento delles
avulaos com muitos melhorsmentos e dos
syitemss mais modernos do muito conhe-
cido fabricante GaatrOt Ain, estes instru-
mentos se tornam mnito recommendaveia
por serem maito perfeitos, e os mais mo-
dernos que existem no mercado.
Objectos diversos.
Fumo de harlebeke, marilaode, caporal,
vervique e americano, para cachimbos e
cigarros.
Seroulas de slgodo de cores para ba-
os a 500 rs.
Camisas francesas de todss as qualidide.
Capotinhos de laa para meninos, mullo
liodos de diversas cores a 19500.
Ricas capellas brancas e de cores psra
easamentoso mais elegante qae oqui tem
vindo neste genero.
Chicotes americanos e francezes com
aoels e sem elles para carros, cabriolis e
csvsllos.
Bandejas grandes de 30 pollegadas a 3J.
Um grande sortimento de ocelos e le-
las de grao e miope.
Fundss para os quebrados dss virilhas.
Velas psra carro e piano.
Lequss de madreperola.
Ricos punhos e grsvatinhas pars senhora.
Porcelanas e vidros.
Apparelhoa e meios ditos de porcelana
para jantar, candelabros de 4 e 5 lszes,
serpentines e lanternas com pinguetee e
sem elles, escarradeiraa de vidro brancas
e de cores, ricas lanternas para carros e
coups, calicea para vinho e licores, redo-
mas com peanhas de todos os tamanhos
para imagena, vaaos para florea e encera-
dos para carros de corea e pretos, ditos
redondos e quadrados psra botar pratos,
lanternss e cendieiros s gaz.
ARffiAZEM
ROUP AFEITA
Joaqum F. dos Santos.
40-Rua do Queimado40
Defronte do becco da Congregado letreiro verde.
Nesle eatabelecimento ha aempre am sortimento completo ds roupa fsita da
todss as qualidadea e tambem se manda execatar por medida vontade dos fregue-
ses para o qae tem am doa melhorea profassorss.
Casaeas as panno prelo a 0$,
35f a
Sobrecasacosds dito dito a 359 o
Paletots de panno preto e de co-
res a 35, 809, 259.109,189 e
Ditos de casemira da cores a 229,
151,129.79 e
Ditos de alpaca preta golla de
velludo fraacezas a
Ditos de merino setim pretos e
de cores a 94 e
Ditos de alpaca de cores a 59 a
Ditos de alpaca preta a99,79,59 a
Ditos de brim de cores a 51,
49500,49e
Ditos de bramante dalinho bran-
co a 69. 5g e
Ditos de merino de cordao preto
a 159 a
Caigas de casemira preta a de co-
res a 1S9. 109, 9f. 79 e
Ditas de princeza e merino de
cordo preto a 59, 69500 a
Ditas de brim branco ede corea a
59. 49500 e
Calcis de ganga de cores a
Collete de velludo preto e de co-
res lisos a bordados a 1X9,99 e
Ditoa de casemira preta e de co-
rea lisos e bordados a 69,
59500,59
Ditos ds setim preto
309000, Ditos de seda e setim branco
309000
a6e
209000
99OOO
109000
89000
89500
88500
39500
49000
89000
69000
49500
3g500
9000
89000
59OOO
59000
Ditos de gorgurao de seda pretoa
a de cores a 79, 69, 49 e 59OOO
Ditos de brim e fualo branco a
31500,29500 a 39OOO
Seroulas da brim de linho a 29 a 29200
Ditas de algodio a 18600 a 19280
Camisas ds peito de fusta o branca
e de cores a 29400 e 29200
Ditaa de peito de linho a 5$, 4 J a 3*000
Dltaa de madapolao brancas e de
cores a 39, 29500, 2* s lf.600
Chapeos pretos de massa francesa
forma da ultima moda a 10;l,
8g500 e 79OOO
Ditos de feltro a 69, 59, 49 e 29000
Ditoa de aol de seda ingleses e
francezee a 14J, 129, llf e 79000
Colarinhos ds linho muito Anos
no vos f sitios da ultima moda a 9800
Ditoa do al goda o 9500
Relogioa de ouro pslente e hori-
zontal a 10OS. 909. 80| o 70|000
Ditoa da prsta galvanisados pa-
tente o horizontaea a 40} a SOfOOo
Obraa de ouro, aderecos e meios
aderecos, pulceiraa, rosetas e
aneie e 9
Toalhas de linho duzia IOS, 6* 9J00O
3J500 Ditas grindes para meaa urna 39 e 48O00 i
Atten^o Cafliornia!
Na raa Nova o. 42. defroote da igrejs de N. S.
da Conceigao, veodem-ae fazendas por todo o pre-
go para se liquidar.
Barato s na California!
Na ra Nova a. 42. veadem-se fazendas por
um terco So sen valor, para apurar dinheiro,
Oh que admiracao !!!
Fazendas baratiseimas por todo e qualqaer pre-
go ; i uto na loja da California, roa Nova nu-
mero 42.
Vendem-ae doas escravos, sendo um criou-
10, multo mogo, de bonita figura, e bom oficial
de tanoeiro, faz toda e qualquer obra tendete a
sua proQsao, e monta qualquer dinilajo por
ter disso pratica, e urna negra tambem croula,
muito moga, bonita figura, e propria para qual-
quer aervigo de casa : no caes do Ramos, sobra-
do o. 2.
Vende-se potes com doces de diversas frutas
em calda de Lisboa, latas com mermelada, latas
com queijos do Alemtejo tao frescoa como os re-
qaeijoes da trra, queijos de manteiga e de coa-
lha muito frescos, e latas eom masa de tomates
de 2 libras a I928O rs. : na ra do Imperador
n. 28.
I A elles antes |
ique se acabem.f
m Aos no vos cortes de chita.
@ Superiores cortes de chita franceza f$
tij| larga com muito lindos padrdes e gran- r>.
de variedade de cores fizas com 11 co- *
vados a 29500: na loja do sobrado de 4 W
fP andares ra do Crespn. 13. A
I As las antes |
Ique se acabem.|
: Lindas lss para vestido, de qoadros e &
xr> de flores com cores escuras, bastante Jt
r finas pelo baratissimo prego de 240 rs. w
fxy covsdo: oa loja do sobrado de 4 sn- i&
A dares ra do Crespo n. 13. a.
I Fazenda com
ftoque de avariaf
Madapolao fino, algodio largo e cam- aL,
jn brsia branca ordinaria propria para for- I?
y ro, tudo com um pequeo toque de s?
~| avaria por pregos muito bsratos: sa lo- &3
I ja do sobrado de 4 andares na ra do c>
[ Crespo n. 13, de Antonio Crrela da "
9 Vasconcellos j G. ^
Tamaneos
por menos prego do qae em outra qualquer parte,
de todas as qaalidades, tanto a retalho como em
porgo : na grande fabrica da ra Direita, esqui-
na da travessa de S. Pedro n. 16.
Escrayos lugioos.
Escravo fgido.
Fugio de casa do abaizo assfgoado o escravo
Eufrazio denagio, representa ter de 26 a 35 an-
nos de idade, ecom um pequeo lobinho cima
do olho, foi comprado ao tenente-coronel Jodo
Francisco de Carvalho Paes de Andrade : quem
o apprehe.oder leve-o a ra do Trapiche n. 14,
que ser bem recompensado.
Manoel Altes Guerra.
150^000.
A quem trouxer o preto escravo de nome Fe-
;'oonqUe 8Cha fBgd0 deSde 0dia 4 de 8D"I 10
18G0, cujo escravo tem os signses seguintes : es-
tatura^baixa, corpo regular, cor fula, pouca barba,
ps um pouco apalhetados, representa ter 35 a
40 annos, nagao Hogambique, tem dous denles
abertos na frente do lado de cima, e por cima do
nariz entre as sobrancelhas dos olhos um calom-
binho pequeo, que parece aer aigoal da Ierra
delle : obteve-se noticia certa que o dilo prelo
anda por Ierras dos engenbos Muribeca, S. Joo
e Eogenho Novo, como trabalbador e intitulan-
do-se de forro com o nome de Joao Pescador,
pois j tem por costume quando foge mudar
nome para Joao, elle tem uns poucos de officios
quo sao os seguintes : foi pescador, canoeiro!
calador, e altimamente era padeiro, a que per-
lence, por isso rog-se aos capitacs de campo, ou
qualquer pessos que o encontrar, prende-lo e
traze-lo no paleo da Santa Cruz padsria n. 6, que
receber a quantla ic'ma.
Fugio no dia 12 de abril deste renla an-
uo do poder do abaixo assignado, o pardo de no-
mo Francisco de 17 annos de idade, que lem bo-
nita figura, todos os denles, cabellos carapinhoa
e ruivos, tendo sido este pardo escravo do Sr.
Dr. Antonio Borges da Fonseca, de presumir
que ande poralgum dos lugarea por onde o mes-
mo senhor tem viajado, como sejsm Igusrass,
Goisons, Inga S. Joo, Campia, Seira do Tei-
xeira, Pao d'Albo, Limoeiro, as tres villas da co-
marca de Paje de Flores, sendo que segundo se
suppoe esteja tambem no engenho Inhamaa por
bever sido viato ha poucos dias em Iguarass por
ter amizade com uns mulsllnbos desse engeBho,
aindade presumir que o dito escravo por ah
se inculque como a servico do dito Sr. Dr. Bor-
ges da Fonseca, afim de nao ser apprehendido :
quem pois o aprehender ondeqaer que for encon-
trado esse escravo e o vir entregar ao seu legi-
timo dono ns ruado Hospicio n. 6, quesera mu)
generosamente por elle gratificado.
Ignacio Luiz de Brtlo T#borda.
A
DE
FAZENDAS E ROUPAS FEITAS
DE
Bernardino Jos da Silva Maia.
43 Ra do Queimado 43
Esquina que *olta para a Congregacao.
Neste moderno eatabelecimento se en-
contrar am completo e variado sorti-
mento de fazendas e roapss feitaa por
pregoa mol rasoaveis. O desengao da
vista ver:
Paletots]de cssemira saceos e sobrecaaa-
ooaa 109.
Ditoa de meia casemira dito dito a 59.
Ditos de brim pardo de linho maito fi-
aos a 59.
Ditos de alpsca preta fina de 49 a 69.
Ditos sobreoasacos de panno muito fi-
no 229.
Ditos de fuito de cor miadinbo a 3|.
Caicas de caaemira de cor a 59, 69, "9
e 89000.
Ditas de dita prsta a 79, 89 e 109.
Ditaa da meta casemira a 39. 39500 e 4j.
Ditas de fuslo o gsoga de cor a 29,29400
029500.
Ditas de brim pardo de itabo a 29. 8f,
49e59.
Ditaa de dito branco a 29, 39 e 49.
Colletes de caaemira preta e de coeaof
?5*000.
Cambraiaa organdya padres] muito bo-
nitos a 600 rs. a vara.
Ditas moderna duqoeza de Orleans a
560.
Chitas largas escuras finas o covado a
240 e 260 rs.
Ditaa muito finaa verdadeira francezaa a
300 e 320 re.
Cambraias branca finas s pega 39, 49 e 5$.
Ditaa de nlpicoa eonv9 varas pega a 4.
Chales de 13a escocezes para as senhorss
andarem em easa a 89.
Lazinhaa para vestidos o covado a520.
Cambraia preta maito fina a vara a 500
reta.
Cbitaa fastio para vestidos o covado a
840x0. .
Satas balo arrendada a 5*.
Lengea do bramante de linbo fino a 39.
Dilos da dilo de algodio a 1J280 rs.
E oulras maitas qaalidades qae e a
vista do fregus. Tambem manda faser
reupas por medidas.
De lado se do amostras com penhor.
; Escravo fgido.
Contine a estar fogido desde os ltimos das
de abril prximo passado o moleqae Herculano
que foi esersvo do finado Msnoef Antonio dos
PittOM Oliveira, tendo os signaos segables : cor
Tale, estatura regular, a falla um pouco descan-
sada e atinada, lem urna cicatriz n'um dedo d<
urna daa mios, proveniente de um anheiro, ere-
presenta lera idade de 26 annos: roga-ae as au-
toridades policiaca a apprehenso do meamo t
sua entrega a Manoel Antonio Gongalves, na ra
do Cabug, loja n. 8.
Attencao.
No dia 18 de fevereiro do snno correte fu-
gio do eogenho Caohoeirs, comarca de Goiaona,
um escravo do abaixo assignado, da nome Flix,
com osslgoaes seguintes : cabra, altura e corpo
regulares, representa a idade de 89 annos, pouco
mais ou meos, sem barba, cabellos cerapinbos,
naris achatado, cor um pouco desbotada, tila am
tanto descarnado, e o que mais o caracteree ao
deas oa tres cicatrizes grandes na regiao dorsal
sobre as costallas, procedentes de focadas que
soffrsu ba mats de 18 annos, dere tambem con-
servar vestigios aotigos de agoites as nadegas,
exerce o officio decarreiro, entrega-*e a embria-
guez e traz camisa e ceroula de algodio azul ame-
ricano, oa camlss de madapolao usada O calca da
castor com vivos dos lados, a esmisa aberta\ela
frente com botos maneira de paletot, e a la-
zenda ja est desbotsds, auando foge muda aem-
pre de nome, nega o seu legitimo dono, e diz-se
escravo de fazendeiros do Arscsly, do Ico, e ou-
tros lugares : o abaixo assignado roga as autori-
dades policiaes e ees (apilaos de campo que o a-
cam prender e remettex para aqullo eagenho
amarrado, a com toda segaranga possivel. Pro-
tests pagar com generosidade a qaem o apresen-
tar.Joaqaim Jos Nones da Coaba Hachado.


T
m
RABIADO 14 01 I
DE iiai.
IIII Mll
Litleraiiira.


-
O coronel Manoel Perchada Silva,
elogio nechrologico por Joaquina
Pinto de Campos.
L deaappareceu do litro dos Tifos mais um
,varo exeraplar, re ais um dedicado amigo. A fu-
nesta noticia eocheu-me a principio de assombre
e de afflicco ; aalisQt depois os deveras de mi-
nistro do altar, invocan lo as bengaos do Altissi-
tno sobre essa alma candida; comptetarei os orB-
cios da amixade, langando a'gumas perpetuas e
saudades sobre a lousa do Jutto.
Fugirei, nestas piucas patarras, dos artificiosos
ornatos da rhetorica humana Quaodo sincera
a dr, ecbristo o objecto della, nao coaprehen-
do eloquencias aenio da siog illeza e verdade.
Estas linbas dirigem-se na i de iotelligencia a
inlelligeoeias, mas de coragau a corages. Se os
chos de um grande imperio nao repercutem to-
dos o nome do coronel Manoel Pereira da Silva,
sei que ha l no meu campanario obscuro multas
lagrimas que secoafuodemccm as miohas, mul-
tas almas oppressas da mesnn dr, mudas espe-
ranzas eguaes de que o galardo supremo corde
na vida eterna oa feitos da transitoria.
Quanto a trra do meu nasr.imento ha sido fla-
gellada pela justiga divina 1 Eises serldes remo-
tos, mas to favorecidos pela oatureza, produzem
caracteres de rija tempera, peitos leaes, horaens
como foiam nossoe avs, e a quem difficllmeote
imitam as civilissgoes rschiticasdos grandes focos
de populagio.
Dentro em cinco annos, p >rh do tugurio de
meu velho pae, quantos homens distioclos nao
teem ido pagando o feudo un versal I O coronel
Francisco Barbosa Nogaeira, typo de honesdade;
o teueole-coronel Simplicio Pereira da Silva, o
mejor Victorino Pereira da Silva, to zelosos ser-
vidores da ordem publica ; o lenle -corone! Joo
do Prado Ferreira, victima impune da mais cruel
barbaridade; o capitio Alexandre Jos de Cam-
pos Barbosa, bemquislo na comarca; o padre An-
tonio Gonjlves Lima, symbolo de bondade e ob-
jecto da publica veoerago d; quedes poros por
auas preclarissimas virtudes, eis aqui outros tan-
tos conterrneos meus, que pouco antecederam
ao meu recem-finado amigo na maoso dos
justos I
Nao teotarei urna biographia. Estes homens
bons e modestos, divorciados das grandes cida-
des, mediado os limites de su is aspiragoes pelo
dos seus horisontes, mais ambiciosos da estima
que de grandezas, mais vidos de paz de cons-
ciencia que de ostenlosas famas, no teem biogra-
phias, ou, qnando as teem, sao curtas: oasceram,
beneficiaran.'morreram Nao faiem edes gemer
os preloa nenj cansar as tubas com o alardo de
suas segoes; f suas ciozas quasi se envergonham
de nossas postbumas commemoragdes mun-
danas !
E' aso de oradores profanos ir bascar os seus
hroes no bergo, e acompanha-los desde os pri-
meiros passos at o cume das grandezas, onde as
turbas os considerara ditosos. Ditosos elles I
Essas msgestades sao ltalos segados pela fouce
da morte, e que, iofeehados em medonho feralro,
representan: confusesdaaoberba, desengaos de
mortalidades; cbimeras, sombras, nadas 1 Diloso
o crente, esae sim: para elle a religiao, que o
aconselhou na proaseridade, consolou-o nos dias
adversos; para elle o transa alegra, a motte
sobrevida!
Mas quem foi na trra esse horneo), cuja campa
tantas lagrimas inuodam ? Era na minha provin-
cia um dos nomes mais respetados ; algumas
palavras, porm, para os que fra .della o nao co-
oheceram.
Foi o coronel Manoel Pereira da Silva, lho le-
gitimo do capitio de ordenanzas Jos Pereira da
Silva, o mais rico fazendeiro de toda a comarca
do Pajea de Flores. Desaladamente educado nos
principios da religiao, da moral, da ordem, nunca
vmsdia dess looga existencia deslisou dos
preceitos que lhe Impunha a misso reservada a
eoa legitima, e, cada vez deanno para anno, mais
arraigada influencia I
Quaodo nos tristes dias de 1824, a provincia de
Pornambuco se viu abalada polos eslorcos dos
que attenlavam contra o principio mooarchico,
Pereira, aioda bera joven, se maoifestou ardente-
menle em defeza das grandes ideas com que a
monarchia se consolidou.
Erguendo-se, pelo declinar do anno de 1831. a
farejo de Piolo Madeira, em Cariris-Novos, Pe-
reira proceden eomo o mais firme sustentculo
da ordem e da legalidad; e ao seus esforcos e
de seu valenle irmio o tenente-coronel Simplicio
Pereira deveu-se o nao ter a cenlelba revolucio-
naria sallado no territorio de Pernambuco, oude
alias a coospirsgio da Pinto Madeira tinha gran-
des filiscoes.
Na grave crise do anno de 1818, quando a in-
surreico campeava triumphantu em grande par-
te da proviocia ; quando o poder publico se acha-
ra totalmente desprptegido, desenvolveu o coro-
nel Pereira a mais heroica energa, e viu-se em
poucoi dias testa de 1,500 horaens, apresentan-
do-se em toda a parle onde runa a correr um
risco, ou um servico a prestar.
Eatre os mil incidentes honrosos desses dias
tristes de guerra civil, um bastar para dar idea
da grandeza dessa alma.
Era um de seus mais pronunciados ieimigos o
coronel Nogueira Paz, o qual nio poupava exci-
tages para se medir com o siu adversario. Ho-
rneara o Sr. conselheiro Penna o coronel Pereira
delegado da comarca de Florea, com instrueges
e poderes para debellar e suffocar o movimento
revolucionario. O coronel Nogaeira Paz, seu ini-
migo pessoal, era o chefe ostensivo dos subleva-
tos.
Chrgaram emfim s maos; dous dias durou
um sangrento combate, com mudos ferimenlos e
nortes, e, no calor da balalha, Pereira fez ao seu
- adversario prisiooeiro. E' frequente serem em
aes circunstancia?, rpidos e dacisivos os pro-
cedimentos: os usos da guerra e principalmente
da guerra civil, punham a vida do coronel No-
gueira Paz disposigio de quem tiobs por seu
violento inimigo.
E que fez o coronel Pereira ? Deu-lhe a liber-
dade sam condices, e os meios de evadir-se, pe-
dindo-lbe somente que nao tornasse a atteotar
contra a ordem publica, e que entre ambos se
suspendesrem as malquerencia, at que a paz se
restabelecesse. Est acto da inaudita generosi-
dad lhe custou gravea dissaborea censarse de
amigas e eslranbezas dogoverno ; masquio sua-
vemente lbe nao lera esse rasga da perteito ca-
Talleriamo embalado a consciencia ?
Santelmo daquellas vastaa regios, enteoderam
sempra os governos geral provincial que era
conveniente honra-lo e depositar em to purea
maos a mais larga porgao de poder, de que fosse
faclivel investir quem deliberara psssar a vida e
descansar os restos aob o cu que o vira nascer.
Assim preencheu Pereira todos os lugares mais
importantes da comarca de Florea.
Nomeadoseu prefeito, pela patritica sdminis-
traco do Sr. visconde da Boa-Vista, seguiu no
cargo al 1840. Occupo oa primeiros lugares
de policia, sob aa successiras denominarles. Na
ua qualidade militar, como mejor, tenente-coro-
nel, coronel, commandaote superior, sus infatl-
gavel aclifidade s6 era egualada pela mais firme
dedicacao ; pois, como S. Jeronymo diz de Ne-
pociaoo, em cada tima das suas virtudes era fa-
manha a eminencia que para nenftuma oulra
partcia deixar cabimento.
Ao meu Ilustre amigo se de*ea em grande
parte o abortar da rebelliio do Ex, a qual em
correspondencia com os facciosos de Minas e S.
Paulo, ameagara Invadir aa provincias septentrio-
naes, com perigo para a ordem, monarchia e ver-
t aceir liberoade. Esse servico lhe valeu o ha-
bilosa imperial ordem do Cruzeiro.
Nao s todos os presidentes como lambem os
governos lho conferiram altas msoifestagoea de
a prego S. M. O Imperador, remunerando este ser-
vidor leal, lhe poz no pedo, onde to enrgico
pulsara o amor da patria, alm do habito do Cru-
zeiro, o oflicialato da Rosa, a commeuda da Rosa,
e nem deixou passar occasio de patentear quio
gratos lhe eram os desioteressadoe, uteis e nobres
se r vi eos d esse que boje na patria celestial goza o
verdad*iro premio de suss virtudes.
E de feito, constitua o coronel Manoel Pereira
di Silva a mais legitima, como a mais extensa
influencia de que um l.omem se possa ufanar Nao
era a riqueza, o cargo, a torga que exerciam as-
cendencia sobre pobres, oppressos ou dependen-
tes ; era, pelo contrario, a caridade que sobre-
dourava a riqueza, o bem-fazer que tornara o car-
go amavel, a justiga que dispensava oppressdas.
Firme, enrgico, deatimido, quando lamentaveis
crises publicas exigiam eaforgo e vigor, para logo
veltara, apenas os horisontes ae desanuveavam.s
normaea condicoes do seu carcter, todo benevo-
lencia e candura. Nao primava o respeitavel ao-
cio por vasta superioridade de talentos, pela ex-
cedencia de urna castigada iostruego ; mas nin-
guem possuio em maior grao os poderosos dotes
de uocgio, auavidade, ternura. Modelo de sizu-
deza, typo de compostura nos gestos e acc&ee ;
exacto observador dos deveres chrisios e sociaes,
actuava seu influxo braodemente sobre tudo p que
o cercava : causa protegida por elle eslava julga-
da, era a do justo e do honesto.
Nunca para tal influigao recorreu & violencia ;
e todava era o grande ageute da paz naquella co-
marca, hoje cubera de luto. Onde sabia de odios,
nao descansava at os apagar ; onde lhe consta-
vam dirlsoes de urna familia, corria, e nioguem
lhe desprezava a interveogo ; onde lhe denun-
ciavaminfelizes, desvair los contra a Ni, ou con-
tra os c os tu mes pblicos, paternalmente os pro-
curava, adverta, revocava. Qjem ha denostas pa-
ragens, d'ora, avante, com a mesma voz recta,
forte, autorisada, chamar ao bom caminho os po-
vos que lio fcil perverter, que to custoso
moralisar ?
Assim o compreht-n lem all os cidados, ines-
peradamente viuvos de taolo amor, arrancados
violentamente pela morte a ama unio to doce e
de tantos annos. Apeos! rehentou a noticiado
transito do coronel Pereira, foram universaes as
manlfestacoes de angustia, do primeiro ao ultimo
cidado. Nao seja a minha boca, mas a de outro
meu amigo, egual ao (loado nos dotes do corago,
e testemuuha desse solemne transe, que narre a
scena grave e magestosa. Desculpe-me o bene-
mrito cidado, se confio ao publico palavras va-
sadas pela ddr no seio da amizide ; phrases cujo
dealioho as torna em tal momelo mais cloque-
les; devenios ambos, paguemos ambos ao nosso
finado com o sacrificio do nosso amorproprio.
Eis como o'uma caria, datada de Villa-Bella a
3 do correte, ae exprime o honrado amigo de Pe-
reira e meu :
Quanto a elle, pols, nao o Um
jemo-lo antas.
E roa, 6 Albos e netos do vari
popalaces suas to amadas, rev
moda do que ji nao exaltae-*
quaocia de tal vida, ante a eloqaencis
te I Nao aossobre o vosio espirito ante as diffl-
culdades ds tarefa ; imitae-o I Perpelaae pti-
camente oadictames, os srestos moraeado tnrly-
to finado ; e o cidado, a familia, o campanario,
a patria, a moral, o dever, a religiao cobriro
aioda de flores a campa do que pelos (eitos vive
e sobreviveu pelo exemplo.
Rio de Janeiro, 28 de malo de 1862.
A familia de Germand re.
a Nao aei por onde comece, nem por onde ter-
mine esta desditosa caria, porque urna ddr extre-
ma me opprime ooste momelo em que nao sou
seohore mim, nem sei memo oade esl mioha
cabega 1 Desde as 5 horas da manha que os si-
nos desta villa dobram a (loados, e os homens de
todas aa crengas polticas confuodem-se em tor-
no de urna desolada familia, para chorarem o pas-
sameolo de um hornero que, seodo pae de uos,
irmos de outros, amigo de todos, e s mal visto
dealguma alma mesquinha e invejosa de suas
eminentes virtudes, mereceu sempra o mais dis-
uado lugsr eolre sous concidsdos, que o i Jola -
iravam. Esse homem o nosso imcomparavel
amigo coronel Manoel Pereira da Silva I Aca-
bou-se o elemento de ordem e seguraoga de nos-
sa comarca, a influencia mais pacifica e legitima
do interior de nossa proviocia.
: Ah meu amigo saber desta noticia pela lei-
terade urna carta alinhada sob a mais olorosa
presso da saudade, duro, pelo interesse que
inspirava o vallo de que me oceupo ; mas pre-
senciar a lastimosa scena, fazer estalar o cora-
go no peito 1 Ouvir os gemidos pungentes da fa-
milia e de innumeraveis amigos que lhe cercavam
o leito. e as exclamag^s de ama populaco in-
teire, em quaai todas as casas desta villa ; ver
correr um pranto espontaneo dos olhos de homeos
e mulheres, de velhos e mogos, de ricos e de po-
bres, e at das proprias criangas ; ver todo um
povo abatido lngaros maiores clamores em torno
de um homem j cadver, sao cousas que nao ae
descrevem, porque a alma absorta concentra to-
das as suss torgas para nao mais que sentir.
Segue-se nesle relatorio fnebre a descripgSo
de um pathetico espectculo, verificado tres dias
antes da morte, qusodo o coronel chamou ante
seu leilo os fllhos e um amigo, e comegando pelss
palavras : Cochero que *ou morrer, mas nao
me afflijo fez a todos recommendagSes que por
si s bastavam para revelar a boodade daquella
grande alma. Nao as transcrevo, porque nesse
legado de affaigdes figura o meu nome to cons-
picuamente, que o passameoto do coronel Perei-
ra me empenha ainda em mais profunda gralido
que os impagaveis servico durante a vida pres-
tados a quem bojo quasi deplora nelle a perd de
am segundo pae 1
O que chrislamente vivera findou a vida como
am christo ; pois que outra cousa a morte
christa seoo urna especie de somno delicioso,
de que se a corda j nos bracos de Jess Cbristo,
e em posse da hersoga do Seohor ? Cum dede-
rit dtlectis suis smnum, ecct howreditas domini.
CAPITULO II.
(Continuagao)
Urna tal obstioago de desaso e agilaglo ner-'
vosa desanimou um pouco a Hortensia. Vamos
diese ella comsigo, preciso melhorar sua aorte
sem que elle aaiba, porque oa lestemuohos de es-
lima o martyrisam, e nunca a teros amisade ci-
vllisari este infeliz carcter.
A sineta annunclou nste momento a chegada
da peasoa que ae eeperava, e Labreche entrou lo-
go com ar apressado.
A Sra. baroneza de Germandr, manda dizer
a Sra. condesas, que j se dea o signal para se
reunirem na aala das audiencias. D'aqui a um
quarto de hora far-se-ha a leitura do testamento.
Mademoisella de Germandre e su sobriohs es-
perara tambera ao senbor cavalleiro para lomar
lugar.
Vou j, responden o cavalleiro agitado ; e
asseotou-se, como se jurasse a si mesmo nada
fazer a este respeito.
Hortensia vendo que elle nio cuidara em offe-
recer-lhe o brago, e quepedindo-lh'o, expanha-o
a urna nova crise, tomou o vea dizendo-lbe :
mea primo nao tardar muito nao verdide ?
Ir I responden Silvano como sahiodo de am
sonho. Para que ? Com que flm T Nao sou da-
quelles que esperara, e nao me permittido de-
sojar. ..
Tu sabes, meu pae, disse Luciano, que
preciso estar l em atteogo aos outros, e para
que nao se espere. ..
Sim, verdade f replico* o cavalleiro, irei
certameote. Vae, Luciano, accompaoha taa pri-
ma, j os sigo.
Luciano nao esperou que Ih'o dissessera duas
vezes, offereceu o brago a Hortensia com urna
cmica gentileza.
O cavalleiro, fleando s e livre dessa luta in-
terior quesustentava, cahiu sobre urna cadeira, e
sentase banhado de am suorfrio. A Tome, fa-
diga e agitago tinham-no abatido muito, e to-
dava elle nao pensava absolutamente em comer
para recuperar as forgas. Eslava completamente
entregue a um drama silencioso, que o tornava
quasi loaco.
c Quem ser eata mulher ? dizia elle em am
monologo interior que se ressentia da desordem
de suas faculdsdes. Meu Deus 1 meu Deas I esta
mulher um aojo, o eu que nao achei urna s
palavra para agradeeer-lbe I. Porm dar-lhe
minha filha I. .. nao, nunca 1 A pobre menina
lomara hbitos que nao converiam ao sea esta-
do, e seria preciso que sua ms adoptiva renun-
ciasse ao casamento. Mais tarde eu mais cedo
se arrepeoderia disto, a menina tornara para mi-
ab,\ eompanbia e julgar-se-hia infeliz por dei-
xar o laxo pela miseria.
c Nao, nio o coosentirei I... Porm se recuso,
ludo sa acabar 1 Nao verei mais, a esta joven
senhora I eu hesitar hoje, ella vira a minha casa.,
passar um dia, urna hora talvez. E demais, em
que peosas la, infeliz ? Ella bem conbece a la
miseria, nao Ih'a oceultaste, e desfarga-la agora
seria intil porm lia nao a v ioteiramente.
Quando le encontrar cultivando com tuas proprias
roaos teu miseravel ceoteio com leu barro e tus
vacca, ella rir. Fsze-la rir I... Eu morrena de
dor.
O cavalleiro cooheceu que pensando nislo cho-
ra va como urna cria oca. Vergonhoio, liotpoa o
rosto, e levantou-se com esforgo, reprenneeden-
do asi mesmo. Ainla urna vez disse elle com-
sigo, em que peosas tu velho louco, dize-me ?
Aproximas-te da velbice e ella. .. urna me-
nina I
Tu ests quefmado pelo sol, mgro,iat' cal-
gado, mol veatido, s desasado, timidof Oh I
porm sar limitado a ponto de flear dsente, de
perder a razo. com ella aobretudo, extraor-
dinario I E anda conservaa illusdes. como I
illusdes I ser possivel ? seria urna loucora t
a Eis o que viver em um deserto. A imagina-
go nao se gasta. Conserva-se sempre joven e
desordenada.
Meu Deus I Como nos tornamos maravilhados
e fascinados diaote da mocidade e belleza I Porm
eu nao sou to tolo como entra isto minha fami-
lia, e meus pobres visiabos que me lomara por
am orculo. Ora I quando voltar para casi,
preciso ter esquecido este sonho, porque se eu
me tornasse triste, infeliz, e doeote, o que seria
de meus filhos.. e de minha irma... Doeote I
eu o es toa I Ha duas horas que me sinlo to fra-
co como um caoigo ; tenho calor, e fri, tenho
sede 1. Ah I tenho (orne 1 E eu que nem pen-
sava mais nisto I
u cavalleiro langou olhos espantados ao redor
de ai, e, vendse s, precipilou-se sobre ama
bandeija de bolos sovados, que Luciano-deixar
intacta. Achou este regalo muilo mediocre,
ere. Prefereria antes como Esa um pralo de leo-
tilhas ; porm nao poda escolher. Bebeu parte
de urna garrafa de leile de amendoas, que lhe pa-
recen muito insipida.
Principiava a tomar forgas, quaodo- Labrecbe
entrou e encoolrou-o de bocea cheia. Foi urna
grande morlificagao para o cavalleiro ser assim
sorprendido em flagrante debito de voracidade in-
discreta.
Porm Labrecbe que tioba soffride de todos os
outros homens, mudas grosserias, e a quem a
affabilidade do cavalleiro consola-va um pouco,
tralou com particulares altenges :
llesta garrafa i Pareceu-me antes um cha-
tone) I
Ifove. prove, malhor da adega diese
Labceefce enchendo o copo do cavalleiro.
Depois encheu um para si, por habito, e ma-
quinalmente. O cavalleiro maquinalmente tam-
bera, tocn com o een copo no de Labrecbe.
Ambos estavam diversa, e vivamente preoccapa-
dos.
Sr.cavalleiro I que dia I disse Labreche, quao-
tas cousas rao succeder. Compreheodo bem que
V. S. se tenha esquecido de almocar. Eu mesmo..
nio pude dormir a noute passada 1
De que me falla o senbor ? disse o cavallei-
ro. Ah I do testamento I nem disto me lembrava.
Ora I seu amo ler-lhe-ha em duvida legado al-
guma coues 1
Asim o espero I assim o espero 1 Sr. caval-
leiro ; porm para V. S. seria indifleraote bor-
dar urna to graude fortuoa ?
Iudiffereote ? Nio I Porm como nao espero
eousa alguma, nao quero absolntamente pensar
mato. Ji tenho soffrido muilo sem fazer illusdes
ridiculas I. ..
Eis o que digo lambem comigo 1 Talvez o
que pens seja smente illusio. O Sr. marqaez
talvez se tenha esquecido de mim. E se assim
succeder. oo caso de V. S..herdar, pego-lhs que
por sua bondade me cooserve em sea servico ;
posso servir-lhe de alguma utilidade ; recebi edu-
cagio, escrevo bem, e sei redigir toda a qualida-
de de carias.
Obrigado I obrigado I o seohor muilo bom!
Porm...
Porm, o Sr. cavalleiro descoma talvez de
minha dedicagio. Jelga que en proteja o capi-
tio de eseadores ?
Quem ? o Sr. Octavio ? E que me importa,
meu charo, que o seohor o proteja ?
Nao protejo pessoa alguma contra o Sr. ca-
valleiro 1 Eu ha pouco diase-o a joven senhora 1
A quem ? a madama de Sevigny ?
Sim, aenbor, a joven senhora, que segundo
ougo dizer, casa coro oSr. Octavio.
O cavalleiro nada disse. porm sua mo tremeu
quaodo poz o copo sobre a mesa. Acabava de
receber oo corago ama profunda ferida.
Porm como este casamento oio est aioda
feito I replicou Labrecbe, sei...
O que sabe o seohor ? disse o cavalleiro.
Perdao, porm talvez seja V.S. a causa de
que elle ae oio faga.
Como I ea ? est loaco.?
Nao, senhor, ha pouco na galera, oavi cer-
tas palavras.. .madama de Sevigny, estsva irri-
tada coolra o espilao, e prohibia-lhe que zombas-
se de V. S.
Zombar de mim ?
Sim seohor,o M Octavio levou toda a ma-
nha a zombar de V. S. e deu-lhe um apellido
que, por culpa dede, lodos j sabem.
Deveraa I Que apellido ?
Chamam-lbe o camponez.
Smeote I Nao to mu como eu pensava.
E' muito mu, diHamante, e se este cap-
to nao fosse um tao grande duellists, eu acoose-
Iharia a V. S. que nao consentisse que elle o es-
carnecesse I Alm disto impacienta madama de
Sevigny dizendo-lhe que ella est apaixonada
pelo Sr. cavalleiro. ..
Cale-se 1 disse este com firmeza. Eis pro-
posites loucas de que oio quero aaber. Aqui
tem disse elle, oiTerecendo-lhe urna moeda, pelos
seas bons servigos, porm rogo-lhe que nio con-
tinu com estes commeatarios.
Nao seohor, obrigado, disse Labreche um
taoto offeodidd pela altivez de seu protegido,
nao fsllei esperando psga. De mais isto mallo
para V. S., e pouco para mim. Eis que toca a
sineta pela ultima vez, e se ne se apresentar,
fechar-se-bo todas as portas.
Eogana-se, disse o cavalleiro fazendo signal
para que elle se retirasse. Sem me acbar pre-
sente, nao se principiar I Diga que me espe-
ren) (
Picando s, o cavalleiro eochen o copo, e tra-
gou-o lentamente como um homem que na
occasio sabia domioar-se,
Em p e tranquillo diaote ds mesa, resuma
rpida e claramente suas ideas.
Este Octavio um duellists, dizia, e este
dueltista zombou de mim. E eu que nao me
apercebi disto! Ou antes pressentia- e nao
quera acreditar. Dizia a mim mesmo que as
fallas de costumes loma a pessoa eusceplivel e
injusta ; lm de que um parete prximo......
am offlcial F am bomem de espirito E' oeste
modo que vae o mundo. Urna saudago mal
feita, um veatido fra da moda, expdemoos, ao
riso daquellea que deveriam adverlir-oos, e
mesmo defender-nos em caso de necessida-
dadef
Pego perdi da interrompera Y. S. disse elle
porm venho dizer-lhe que d aqni a dez minutos..
Dez minutos, responden o cavalleiro, resol-
vida a vencer sea scanhamentoao menos em pre-
aenga de um crisdo, lempo mais que suficiente
para satisfazer a fome que tenho, e. .
Oh I mea Deus I e V. S. hoje nao foi ao
buffete ?
Nao peosei absolutamente nisto.,.
Eolio, corro a buscar-lhe. ..
Nao, nio 1 i muda tarde, nio tenho mais
fome, smeote desejava tomar um pouco de cer-
veja. .
Oral isto nao val nada depois de se ter comi-
do doce, nao quer antes um pouco do Madeira ?
Madeira ? onde ha ?
Seja assim 1 oio fugirei diante do ridiculo,
vou entrar por ultimo, e s, nesta bella assem-
blal Quero achar-me em fice dessa grande
sociedade, e saber se um homem honrado que
tem aoffrido toda sua vida sem ae qaeixar deve
ser escarnecido pelos tolos I Quero saodar as
seohoras sem derribar os movis 1 Obrigar os
homens a aandarem-me sem rirem I Quero
sabir d'aqui sem que minha irma e meus tilhos
crem por meu respeito, onvlodo dizer que o
ehefe de sea familias, entro urna vez em sua
vida na easa de seus paes, e todos zombsram de
sua figura I
O cavalleiro endireitou-se, abotoou sea velho
gibo, tomou com facilidade o grande livro que
nao qaeria expr-se a perder, cobriu sua larga
fronte com o velho chapu da repblica, e diri-
gia-se para a sala da audiencia, cujo caminho
aehou por intuigo.
Sua irma e seus ti lho* inquietes pela sua
[demora, vieran) ao aeu encontr. Elle os fez
passar adente e entro por ultimo, com am
pssso firme, ssudando toda a assembla com
(ranquillidade.
Todos oa parete j se acbam reunidos;
disse o escrivao do uiz de paz. Fecbae aa
portas I
CAPITULO VI.
As grandes resolugdes do cavalleiro de Ger-
mandre s serviram psra dar-lhe ama firmes,
sem a qual poderia passar, porque nioguem cni-
dava em epilogar, e o proprio Octivio priacipia-
va a Bear seriamente abalado pelo verdadeiro
accidente desle dia a leitura do testamen-
to. Cada um a pensava em ai, e em tomar um
aspecto conveniente para disimularas a miada-
des muito vivas; quando o tibellio elevo/ a
voz no meio deste silencio que tinha alguma
cousa de solemne.
Quaodo elle acabou de fallar am sileocio es-
pamodico, succedeu ao da attengio, e s no fim
de alguos instantes, Octavio resolveu-se a rom-
pe-lo. O joven conde pedia para elle e para
todoa os outros, urna segunda leitura da clausula
priocipal.
Sen pedido foi immediitameote approvado por
todos, porque esta clausula era bastante singular
i para poder ser comprehendida com fsclUda
de.
c Consagre! minha vida assciencias dizia o
testador, ce quero dar toda alaba fortuna, son
reserva da menor parcella aquello que te apo-
derar dos eegredos que investigue! com ardor
duraote mioha longa vida. Sio necessarios para
eata conquista amitos conhecimeotos especiaos e
profundos, oa am genio particular de iniciati-
va. Como nio desejo trisar aloha familia de
minha heranga, a ella exclusivamente que en
admiti e convido a tentar a terrivel prora ebaixo
mencionada.
Terri'ell disse o abbade muito embaraza-
do ; porque ser terrivel ? O seohor tabelliio
poder explicar esta palavra ?
Nada posso explicar, respoodeu o tabel-
liio. Nao recebi confidencia alguma pes-
soal. Lea smente, a nao me compete com-
mentar. Depois continaoa :
c A prora consiste em acbar um mel para
abrir, aem forga*ta nem danniflca-la, urna obra
de mecnica de am grande prego, que esti no
fundo do meu laboratorio, sobre am pedestal de
jsape esypcio, oode est escripto o numero 15
em lettras de bronze. Este objecto am cofre de
forma oval contendo em cima urna figura de
Esphioge, em ouro, nio precisando de outra
deaignagio nem descripgo porque nio ha outra
obra felta por mim que tinha um emblema se-
melhante.
a Eis como entendo e ordeno que se proeedsm
as provas:
Far-se-ha um sorteio que contenho tres
series : a primeira comprehendendo meas p-
renles mais prximos, a aaber: mea irmio, o
abbade, os fllhos e netos de meus irmios j fal-
lecidos. A segunda serie comprehender meas
prenles mais prximos depois dos da primei-
ra. O mesmo succederi com a terceira. Se
algum dos meus parete mais ou meos prxi-
mos nao fr apto para resolver ate problema, a
prova do Esphioge, nio ser tentada por pessoa
alguma ; e se alguem attentasse com o consen-
timento da familia, se obtivesse algum snecesso,
nao constituira direito algum a miaba he-
ranga. >
Segoia-se am artigo muito desenvolvido sobre
as precauges que se deveriam tomar, para que
nio podesse ter lugar, algum exsme occalto e
particular; a sobre a escolha das pessosa enear-
regidas do cuidado de fazer respeitar a vontade
do testador.
Tudo fra previsto com urna lucidez de espiri-
to, como para desanimar aquellos que se podes-
sem lisongeiar de conseguir abrir-la pela forgs ;
dizia tambem que se o EsphiDge, depois da pri-
meira abertura, nao estivesse em estado de ae
tornar a fechar e abrir fcilmente, a prova aeria
considerada como nulla, a serie das experiencias
terminadas, e a fortuna do marqaez consagrada a
estabelecer diversos premios scientificos por elle
designados com muilo cuidado e precisio. Este
estabelecimenlo deveria ter lugar, se algum dos
prenles do testador, nio resokresse o pro-
blema.
Um trale murmurio accolheu esta segunda
leitura. Cada qual considerou saaa> es persogas
malogradas.
A prova oio offerecia meios de ser bem sueee-
dida ; pois s era concedido um qnart de hora
a cada pessoa designada para tenta-la. E' ver-
dade que se tinha o direito de observar, antece-
dente e conectivamente o objecto maravilboso
durante ama hora ; porm aem tocar aeile e
sempre em presenga das pessoas destinadas a sua
guarda.
Por este motivo iam ser tirados os scellos do
laboratorio, afim de que a familia reunida po-
desse ver o Esphioge, e para qae cada um depois
do exame, tivesse a liberdade de renunciar a
prova, offeracimenlo muito misterioso que, como
se pode crer, despertou a maia pungente cuno-
aidade.
Finalmente a prova decisiva, aquella que con-
sista em abrir o cofre durante am quarto de
hora, devia ter lugar no dia seguinte, afim de
que aa pessoas que se julgassem competentes,
podessem reflictir e at consultar as obras espe-
ciaos que seacbavam na bilbliolbeca. Era-lhes
offerecida francamente a hospitalidad, no cas-
talio, al este dia.
Tudo isto produiia ama mistura de temor
e impaciencia. Ira mediata mente foram ao la-
boratorio acompanhadoa do merdomo e Labrecbe
que, nio obstante estar mudo triste por nao es-
perar legado algaaa, estar* imd pouco satisfeito
de ter a representar um papel oeste nego-
cio.
O juiz de paz e sea escrlrio, depois de tiraren)
os scellos com grande leotidao, roaodsram eotrar
primerrameat o madama de Germandre e sua fi-
lha, com m ademoisella Coriaanda e atargarida,
depois o abbade, o cavalleiro, Luciano e Octa-
vio ; os prenles de segunda ordem e os de ter-
ceira foram logo admittidos depois destos, com
uma regularidad excessiv.
Todos tinham pressa de ver a maravilha, tanto
qae a decente tranquillidade dos primeiros inlro-
duzidos, parecia aos outros o roubo de algans
preciosos instantes coosagradoa ao exame.
O laboratorio do marqaez era uma vaala sala,
singulsrmente construida, e cuja dispoaigio par-
ticular admirou a todos. Era abobadada, e divi-
dida em tres partes por verdsdeiras frtificagea
de pedra de caotaria, com arcadaa abortas no
meio.
Por detraz de cada diviso estavam arrumados
com ordem es numerosos cofres, mais ou meos
ricos e complicados, que o marquez confecciona-
ra com auaa proprias maos, sem admillie alguna
artista no emprege de seus meios secretos.
Todos estes cofres eram resguardadoa por
grades bem fechadas e unidas. Era impossivel
tocar nelles para procurar, por meto de deieo-
erto que nio partencia precisamente a poca al-
guma.
Octavia criticn esta figura de am falso carec-
er a que nada tinha qae salisflzesse polo qae
toca a arle.
Quanto ao cofre aasemtlhava se a ama empa-
la e Ociarlo eslava persuadido que isto ara am
pedaco de madeira aem especia alguma da le-
grado.
Julgava que o marques, reaolvido a legar taa
fortuna as sociedades scientUUaa, quizara grace-
jar com seus herdeiros engodaado-os comuna
esperanga ridicula.
Esta opiniio emittida em voz bastante alta, (o
ouvida por todos e accrescsntou o desanimo que
a vista do cofre tinha ji inspirado. Entretanto,
nem todos jalgaram qse Uto fosse am pedaco da
madeira datilhas.
A grade que o rodeara oio permittla que aa
aproximassem bastante para aperceberf.ni a me-
nor sepsragio em sua masas, potan fjrovaval-
meote ahi baria alguma Uos punham calos,
ostros armavam-ee da todas aa saetas possireis,
alguna julgaram perceber pea>QC fondas, nio
hara certeza ; porm ningaem qaeria reonntiar
a prora.
Nao custava nada experimentar f Err toncara
nio faze-lo I
Ora I sem duvida, todos nos experimentare-
mos, e os desastrados recUmaraas a indulgencia
do publico; disse o abbade com ar inquieto.
Porm ea, acrssceotou madama de Ger-
mandre, assustada pela pbvsionomia do abbade,
oio esqusgo a palavra que Unto a prooccupou
oeste singular testamento. Porque razao s pro-
va qualificada de terrivel, aporque elle previo
nteeipadamente, que slgoOs renunciariam a
Olifl i _
O cavalleiro, que recostado contra a grado,
examinava o cofre com ama attengio completa-
mente calma, tomou entio a palavra.
Acbo, disse, o negocio completamente ex-
plicado, pelas advertencias relativa* a abertura
do cofre. E formalmente prohibido a qualquer
pessoa, servlr-se da torga pbysica, para nio ar-
ruinado. E' portsnlo uma obra delicada, e como
o testador lhe attribue um grande prego, est
subentendido, que aqaelle que o arrairtar, ser
disto o responsavel para cora oa herdeiros, qoeea-
quer que elles sejam. Alim disto o autor de na
obra to perfeita devia pensar com tristeza na
eventualidade de so a destruigao e nao me* admi-
ro absolutsmente do cuidado qae elle tomou ds
advertir os desastrados, ameagando-os meatno,
um ponco com perigo* imaginarios.
E' uma explicagao como outra qualquer,
disse Octavio; porm, ama primo, porque diz
que isto uaga obra perfeita ? como o sabe ?
E mea primo com sobe o contrario? res
pondeu o cavalleiro.
Eu nao afirmo nada, e o aenbor afirma.
Sim, replicou o cavafleiro.l ouso afirmar
que este cofre tem jautas, cerno nao ae pode da-
vidar, e ellas esli dispostaa ce tanta precisio
qae o trabalho admirare!.
Eolio, oio admitle, que isto possa ser uma
misticago?
Nao, oio admiti iato.
Porque?
Porque respeito a memoria de mes lio. So
o seohor nao a reapeita, oada tenho com isto,
porm ha depermittir-me que ni pense d mes-
mo modo.
Esta resposta foi dada com tal firmeza qae se
presseotia oella alguma provocaga, o- qae ad-
mirou mudada parla de um bomem lio tmido.
Octavio sorriu com desdm, e dirigiodo-se depois
para Hertensis disse-1-he em voz baixa :-
Sabe, dase elle, qae o sea primo eampo-
noz, falla comigo de rm modo benv arrogante?
Vejo que minha prima transtorooa-lhe a ca-
bega I
Coolra o seohor?
Talvez I quem sabe ?
Octavio I esti lonco ? A que proposito....
Tudo aqui mysterio, mioha querida Ior-
tencia, e oio me encarrego de adviohar cousa al-
guma. Digo smente qae este camponex obrar
prudentemente, seodo o aais polido para comigo
porque estou mni pouco disposto a paciencia.
Nao tenho culpa que ai singularidades de qae es-
tamos rodeiados, aggravem-me os ervos.
Ora I vejo que o despeilo de nio bordar,
faz-lhe desecar brigar com- alguem. Porm, ae
absolutamente preciso que sea decepgio techa
este trale resoltado, aeria- maia honesto de ana
parte procurar oatro, em lugar do cavalleiro.
Porque? Porque considera-o como O ho-
mem mais inoftenaivo dos que abl est-o? Acei-
ta-lo-hei por tal, ae nao s apartar do papel que
lbe convm e minha prima feria bem em adver-
ti-lo, porque parece ter sobre elle uma influen-
cia maravilboso, que estes modos de vatootio nio
lbe ficam nada bem.
O cavalheiro oada ouvi deste dialoga eito em
voz baixa.
Cootioaou a observar o Esphioge com ana
tranquillidade-que parece, estupidez para todos
que o observaram.
No fim de am quarto de bora, ello-deixou a
grade, e aproiimaodo-ae dsua Irmas,.diasa-lha
ao-ouvido ;
Nada mais temos que fazer aqui. Acbo in-
til rollarmos, porque nao tenho conbecimento
lgum do negocio, e nio serei eu quem se expor
ao perigo, de frastar a heranga aos outros, que-
brando alguma mola do oofre, cujo raechanismo
de modo algum pbsso adiviohar. O sol est qaa-
si a recolher-se, temos que aodar muilo para
chegar em easa antea ds noute.
Sim, sim, parlamos* raspe n.iu Coriaanda,
estou aborrecida de estar aqui, e ea meninos I-
cariam fatigados deitando-sa tarde. Vae com
Luciano, por o cavado a carretes e eu farei aa
bertaa progressistas, apoderar-se dosegredo por despedidas a nossa prima Hortensia, e daqai a 5
llnikiki a p r- (\ A kb Ht ii d s rt I a ri Vi n A r\ minill na n l > n pd n a r i\ i \ r\ i A i\ ~>
VOLHfiTIH
-ORIGINAL DO DIARIO DE PLRNAMBUCO.
mwm mmL
CXII
ScstsURio.A artilhsria raiada, e os navloa en-
couragadoa Nova revolugio na marinha de
guerra.
(Continuagao).
Coma descripgo que acabamos de publicar
as Resentas passadas, podem muito bem os
leitores fazer uma idea daa duas baleras fluctuan-
tes qae entraram em acgo, melhor talvez do que
se lhes spreseotassemos un. desenho exacto
deTUs.
De proposito nos demoramos no desenvolvi-
mento deste assampto ; porque queremos com
elle familiarisar povo braaileiro, e discutir de-
pois o que nes convm fazer nesta coojuoclura ;
para nao Acaros ioteiramente desarmados; por
que se o Times, em nome da Inglaterra chegou a
cheirar amargamente por nao ter mais marioba
de.guerra que preste, nio re sdmirar que nos
confessemos na mesma situacao. Quem diria, en-
tretanto, que chegirismos a esta egualdade de
sluaeo I Mas nos estsmos co melado do secu-
to XIX, que ji tem visto tantas maravilhas, e que
parece querer legar ao seculo vindouro as maia
estupendas descobeslas. E ji Vctor Hugo o dis-
se algoresc o scalo actual o eiulo dos mi-
lagree da seisneis, qae faz do vapor um cavado,
da pilha de volla um obreiro, am crrelo, do sol am pintor; que abre sobre os
dous infinitos essas duss janellas, o telescopio so-
bre o infinitamente grande, e o microscopio so-
bre o infinitamente pequeo, c eocontra no pri-
meiro sbysmo astros, e no segundo abysmo in-
sectos que lhe demonstran) Deus; supprime o
tempo, supprime o espago, supprime a dor es-
creve uma caita de Paria Londres e recebe a
resposta em dez minutos; amputa as pernas de
um bomem, e o homem canta e ri.
Esta cloquete a precia gao de nosso SOCulo. fei-
ta por um dos maiores genios que elle lem pro-
duzido, de uma justiga admiravel, e nos dis-
pensa mais commeotarios.
Atleodamos agora descripgo desle certamem
siogular, em que se resolveu uma graode ques-
to naval, conforme a lemos no citado petiodico
inglez.
Um correspondente que presenciou o com-
bate entre o Merrimac e o Monitor foroe-
ceu a seguinle noticia a um jornal de New-Yoik;
a narragio comeca oa oocesiio em que os navios
eslsearam-se reciprocamente.
A' principio o navio confederado psrecia per-
plexo e hesitava, fiogindo espanto ao ver a ex-
travagante machina que ae lhe approximava. Eo-
lio o Merrimac encurtou a distancia que os
separava, at que houvesse entre elies o inter-
vallo de uma milha. Ambaa aa bateras fizeram
alto. O < Merrimac fez logo ao Mionesota, >
ao qual nao respondern). O navio rebelde, em
consequencia atirou oo Monitor ; este repli-
cn, tocando no Merrimac i petlo do lume
d'agua.
c Ao ver islo o cMerrinac prineipiou a fazer
foso sem cessar, adrando primeramente sobre o
< Monitor com suas pegae da popa, a de vez em
quando com as dos lados sobre o Minnesota.
0 logo durou uma bora oa 4u>s. AmtOS OS 04- L
excedencia confiado as mudas entranhas do
Esphinge.
Viam-se por todos os lsdos innumeraveis ins-
trumentos bem ordenados, a forja, os torniobos,
braceos, cadiohos, todo o material luxoso e es-
coltado dos trabalhos de serralheria, ourisesaria,
marceneria, que taoto absoiveram os ltimos
snoos do misterioso velho.
Finalmente no fundo da terceira divisio do la-
boratorio, o cofre n. 15 ele va va -se sobre sea pe-
destal de jaspe.
Era, pelo meaos na apparencia, um pedaco de
madeira macisss, oval, de dous psde altara, e
tres de largura, aem alguma especie da ornamen-
to, fechadura, paratusos, fendas, ou junturas,
com que se podesse presnmir a existencia de
uma mechaoica interior ,e de uma abertura pos-
sivel.
O Esphioge em ouro, mu miseravelmeote de-
sechado, sobre uma esculptura antiga, estara
ornado com delicadeza de faixas mu bem acaba-
das e a base que o ligara ao .cofre, estar ador-
nada com uma especie de grego de um gosio to-
rios fazendo logo reciprocamente. Urnas vezes o
Merrimac mosirava querer retirar-se perse-
guido pelo Ericsson, e vice-versa.
a As 10 horas e um quarto o Merr'mac seo
c Monitor dimiouiram a distancia, atiraodo o
primeiro sobre o ultimo duaa bandas uma alraz
da outra. Estas foram rpidamente respondidas
pelo < Monitor. O fogo era to rpido, que oio
se via mais qae uma ouvem de fumaga branca,
c A muralna da fortaleza, a tolda dos navios
no porto, as casas e aa eminencias se cobriram in-
tei rameo le de marioheiros, soldados e burgue-
zes. Emquautoque o fogo se succedia Tapidamen-
te, estes espectadores se mostravam silenciosos
como se duridassem do resoltado. Bem depressa
a sus impaciencia foi aatisfeita vendo a ampia fi-
gura do < Monitor com aa estrellas e listraa
fluctuando oa popa, movendo-se a roda do Mer-
rimac com a facilidade do pato emeima d'agua.
A distancia entre oa doua era de 40 ps. Nesle
circuito as pegas do a Monitor oio estavam
ociosas; atlravam iocessaotemente balas contra
sen adversario, das quses dizem recebeu duas no
costado.
As 11 horas o Minnesota > rompen o fogo
ajudando o Monitor no combate com o < Mer-
rimac. O Mionesota alirava balas raras de 9
pollegadas; porm que apparentemente pouco ef
feito produziram. O a Merrimac dirigiu o fogo
sobra a canboneira c Dragio, atiraodo-lhe bom-
bas, ama das quses tocoa e rabentoa-lhe a cal-
deira. O < Dragio eslava prolongado com o
a Minnesota diligenciando arreda-lo.
a Na hora seguinte a batalha continaoa enesr-
bigada eolre o < Merrimac do lado rebelde, e
oa navios da Uniio, o < Monitor, Minnesota e
While-ball ; mas sem remitido particular.
O Mionejota (.triado,de melhor alvo pi*
minutos estaremos reunidos.
Cinco minutos? Nao, um quarto de era,
disse o cavalleiro. E' preciso que o pobre ani-
mal coma am poaco de ava, porque estou bem
certo que o acbaro muito feio para delle ae-oc-
cupareme depois.... julgodo mea devoc-des-
pedlr-me de madama de Sevvgoy.
Nao, nao, respoodeu vivamente Coisanda,
madama de Sevigny nao pensa mais em nos..El-
la que conversa com muito interesse, eom sea
primo, o capitio. Portante melhor deixa-los
tranquillos.
Minha irma too razio I pensoa> o caval-
leiro cujo corago se apertou rendo-de longe a
anima gao do colloquio de Hortensia a-Octavio,
no vio de uma anuda. Farei bem ea. deixar que
me esquegam, e esquecer tambem l
Foi busesr Luciano que eslava como coUado a
grade do Esphioge. O menino pedia-lh com
instancia qae o deixasse at o ultimo momento.
[Connuar-s ha.)
ra os Merrimac, o ultimo fazia-lhe fogo fre-
quentemente, alirando alternadamente contra o
Monitor. O Merrimac fez muitas lentati-
var de passar a toda torga o c Monitor, para
atacar e metler i pique o Mionesota. Todas
eatas tentativas foram frustradas pelo c Moni-
tor. Em urna dellas o < Merrimac correa seu
esporo ou roslrum, a toda forga contra o costa-
do do < Monitor >; porm o nico e(feito qae pro-
daziu, foi adorna-lo um pouco. Pelo contrario o
c Merrimac > na sua tentativa soffreu o sgngado
gome do < Monitor. >
Diz o inventor que oeceasario um grande pe-
so (670.000 libras) para forga-lo debaixo d'agua,
o qual elle pode supportar alteodendo a saa coos-
truegio.
c Os navios coofederados York Town e Pa-
trele Heory ambos encouragadoa conserva-
ra m-se em diataocla do < Monitor ; o primeiro
navio oo principio da aegio leve a temeiidade de
approximar-se ao respeitavel alcance do c Moni-
tor, > eale fez-lhe fogo lavando-lhe o abrigo do
homem do leme, e aem duvida mataodo-lhe al-
guos coofederados. O c York-Towu retirou-se do
combale.
A peleja encarnigou-se fortemeote de ambos
os lados; as resistentes bateras moviam-se a ro-
da ama da outra com a pericia, facilidade e des-
treza de athletas experimentados. O a Merri-
mac, a posto que fosse o mais forte, nio se po-
da mover com a destreza de sea antagonista;
por tanto o c Monitor tioba a vantagem da es-
colher a poaigio.
Um quarto de hora antes do meio dia, o t-
enle Hepburn, offlcial encarregado dos slgoaes
na plataforma da fortaleza Monroe, partecipou ao
general Woolqueoc Monitor tinha traapesaado
o costado do < Merrimac, > e em paucos minu-
tos o ultimo eslava em completa retirada, diri-
gindo-se para Sewell's Poiot, sendo perseguido
durante alguos minutos pelo a Monitor.
lOi Merrimac a evidentemente soffreu ava-
riaa em grande escala, e em uma occasio sup-
poz-se que elte fosse pique.
< Depois abrigou-ae debaixo das bateras con-
federadas em Sewell's Point, parou e fez signal
para ser soccorrido por seas compaabelros, que
foram correado em retirada.
c Subseqoentemente dous vapores de reboque
ou canhoneirss visram prolongar-ae com elle, o
levaram a reboque e seguiram para Norfolk. Isto
Qoalisou o combate.
c Depola disto soubemos que o a Merrimac
soffrsa maito.e acta smente esta va sendo repa-
rado.
c O peqqenoa Monitor, pelo contrario, flcou
illeso; foi tocado vinte vezes; nomibalmente, a
casa de abrigo do homem do leme duas vezes;
a torre nove vezes; o costado, poaco mais oa me-
nos oito vezes; e a tolda tres veies. O nico
ponto vulneravel foi o tal abrigo, que tem de ser
melhorado.
c Parece que este marsvilhoso navio, acres-
cents a todas as suas qaalidadea, a de aer um ex-
cedente barco para o mar. Apanbou ama forte
tempeatade em sua viagem para Norfolk e por-
tou-se admiravelmeote. Tem bastante estabe-
lidade, e pouco alira-se as vagas, o contrario do
que antecipadamente se'suppuoha.
c Nos congratulamos com o capitio Ericsson
por esto sea brilhanto satcesso. Estamos istia-
leitos por sabernos, qae o teneote Wordeo, ni-
ca pessoa ferida a bordo do < Monitor, a nio est
effeclivsmente ceg, como ae receiava.
Do que tica dito se totora, que o pequeo < Mo-
nitor, construido era. lio curto espscoda.ton-
po (cem dias) peto incansavel mecnico o Sr. Esics-
son, e naturalmente por um. prego muito infe-
rior ao que custou a Warrior, e a Black Princo
Inglaterra (3,810:000^000 cada uma 1 muito
superior a estes vasos de guerra; pois que at
demoostrou excedente qnahdade para o mar ( o
que nos custs a acreditar) emquanto que a War-
rior, nao obstante a quielacao das aguas na doca
Victoria, moatrou pouca ealabilidado em auaa li-
onas d'agua, bastando uma chapa de mais em
qaalquer doa lados para influir notavelmante na
posigo do navio, o faxe-lo adornar logo ; eeode
que se conjectureva i vista disto, cono naito
fundamento que so ella, com mu tempo, a vis-
so obrigada a tomar um porto qualquer, Useodo
nicamente usa do panno, por nao. ter ma* car-
reo, soffrese perigosos balangos de boa bordo a.
este bordo.
Ouen porm, este Ecieaaon, Inventor ale
semelhsnte navio? Para os borneas do mata da
scienca nao um nome descoabecido ; pois que
bastante gloria o illusira j; mas como eacrere-
mos para differentea olasses de leitores, nos pa-
rece qae nos deremos demorar dando algumas
noticias acerca dalle.
Na seguate Resenh* satisfaremos a cariosida-
de publica,
E. .
'
(Conitaifar-ac-no.f
Bahis, % de mato.
P1RN, TYP. DB M. F.DI FAMA FILMO. 1862.
i

.'

m.


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E2GMTSE7H_G2NKYG INGEST_TIME 2013-04-30T21:47:24Z PACKAGE AA00011611_09941
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES