Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:09936


This item is only available as the following downloads:


Full Text
I Sil

a*
.veos
OMERO 132
Ftr tres neiesadiaitadts IOOO
rtr tre ezes veicidos 6JOO0
~jm
-W *v-+r~.. ....a...
ttt&fttS 3* ittMM
SEGUIDA
O DE IMi.
uno laitedt i9|00O
Forte fraieo pira t sabserlptar
DIARIO DE PERIVAMDlftO.
E1CARREGAD0S DA SUBSCRIPgAO DO NORTE
Parahyba, o Sr. Antonio Alai;mclrio de Li-
ma; Natal, o Sr. Antonio Marques da Silva;
Aracatr, o Sr. A. da Lemoi Braga; Cear o Sr.
J. Jos da Olireira; Msranhio, o Sr. Joaquim
Marqaes Rodrigue!; Par, MacoelPinhairo 4
C; Amazonia, Sr. Jaronymo da Cesta.
ENCARREGADOS DA SUBSCRI 'CAO DO SDL
AlagOas, o Sr. Cla*dino Falca 3 Diaa; Bahia,
e Sr. Jos Martina Alvos ; Rio da Ja aeiro, o Sr
Joio Paraira Martina.
PARTIDAS DOS CORREIOS.
Olinda todoa oa diaa aa 9% hora a do dia.
Iguarass, Goianna, Parahyba naa siguodaa
o aextai-leirai.
S. Antio, Bezerroa, Bonito, Caruar, Altinho
e Garaohuns naa tsrjas-feiras.
Pao d'Alho, Nazareth. Limoeiro. Brejo, ?-
qaeira, Iogazeira, Florea, Villa-Bella, Boa-Viata,
uncary Ex naaquartia-feiraa.
Cabo, Serinhem, Rio Formoao. Una,Barrefroa
Agua Prela, Pimentelraa a Natal quintas feiraa.
Todos oa correioa partem aa 10 hora da manha

IPHBMERIDES DO HEZ DE JUNHO.
5 Quarto raicete aoa 2 minutos da manha,
12 Lea eheia aa 8 horia e 35 minato da man.
18 Quarto mngaanti aoa 31 minutos da tarde;
56 Lea nota aa 3 horas e 35 minatoa da tarde.
PREAMAR DE HOJE.
Primeiro a 1 ora e 42 minaros da Urde.
Segando a 1 hori e 18 minutos da manha.
PARTIDA 003 TATORES C0STEIR0S.
Para o aul ata Alagoaa 5 e SO; para o norte
ati a Granja i 14 a t9 de ada mea.
partida dos mnibus.
|"! Recite: do pipueot s 61|2, 7, 7 1|S. 8
0.8 1|2 da m.; de Olinda s 8 da m. a 6 da t.; de
Jaboatao s 6 1|2 da m.; do Caxangi e Vorzao
s 7 da m.: da Bem fica s 8 da m. '
. Do ft:. p,ra o pipueot a 8 1|2, 4, 4 1|4.
4 1(2, 5, 5114, 5 1|2 e 6 da t.; para Olinda la 7
da m. e 8 li2 da t.; para Jaboatao s i da t.; para
o Caxangi a Forcea ia 4 1(2 da t.; para Btmfica
AUDIENCIAS DOS TRIBUNAES YO CAPITAL.
Tribunal do ommereio : segundas e quintas.
Relami: tergaa a aabbadoa s 10 horas.
Pazanda: qnintaa a 10 horas.
Juizo do ommereio : eegnndaa ao meio dia.
Dito da orphioa: tarcas aextaa 4a 10 horaa.
Primeira Tara do cirel: torcas o axtas ao meio
dia.
Segunda Tara do dvel qaartas a aabbadoa 1
hora da tarde.
DAS DA SEMANA.
10 Terga. S. Marganda rainha ; Getalio
11 Quarto. S. Bernab ap.; S. P^rizio ooM.
2 Quinta S Joio da S. Facundo; S. OoorT.
i. o li,' o l?010 (- Pdroeiro da provincia.
14 Sabbado. S. Bazileo Magoo b.; S. Eiiaeo.
15 Domingo da SS. Trindade ; S Vito n.
ASSIGNA-SE
no Recite, en a livraria da praj da Indepen-
dencia ns. 6 e 8, doa proprieUrioa Manoel Ftauei-
roa de Faria 4 Filho. '"^
PMTE 0FFICU.L.
GOVERNO DA PROVINCIA.
Secretaria do governo da proviucii de Pernam-
buco 7 de junho de 1862.
Pela secretaria do governo convida-se de or-
dem de S. Exc. o Sr. presidente da prometa,
aoa Sra. productores e expositores conatantes da
nota abaixo traoscripta, e que ucompaohou o
aviso do ministerio da agricultura, commercio e
obraa publicas, de26 de abril ultirr o, a compare-
cer no palacio da presidencia aa 1 horas do dia
15 deate mea, afim de receberem os premios com
que os distingui ojury gerel da exposijio na-
cional da coate peloa productos por elles expos-
toa neata provincia.
Mota doa productorea ou expositores residentes
na provincia de Pernambueo qua foram pre-
miados pelo jury geral da expos jo nacional,
o cajos diplomas sao nesta data remetlidos a
respectiva presideooia.
Medalhaa de prats.
Araenal de guerra da provincia.
Aasociaco dos Artistas Seleiros.
C. L. Cambrooe.
Domiogoa Jos da Costa Lagea.
Joaquim Francisco de Mello Santo.
Joaqaim de Souza Haia & G.
Jos Pradinis.
JLivio de Souza e Silvo-
Manoel Feroandea da Costa & C.
Monteiro ((abricanle de assucar).
Medalhaa de cobre.
Arsenal de marinha da provincia.
Aisociajao Typographica Pernamb icans.
Eduardo da Silva.
Joa de Moraes Gomes Perreira.
Sitio do Carroll.Ponte do Uchoa,
Menudea honrosas.
Administrado da casa dos expostos.
Dita do collegio das orphias.
Jos Tbomaz Pires Machado Portel la.
tlaooel Bernardino de Moraes.
Schlapria.
.'Slall & C.
T. Lieulier.
W. Martineau.
Directora central da secretaria tle estado dos
negocios da agricultura, commercio e obraa pu-
blicas, em 26 de abril de 1862.O director, Jos
Agostinho Moreira Guimariea.
Joo Rodrigue Chives.
Expediente do dia S de junho

de 186
Offlcio ao Rxm.Sr. presidente d:i provincia das
oas.No vapor Persinunga seroom para es-
ivincia dus ambulancias aue destinara
enfermara militar de Taciratu, e rogo a v. Exc.
ae sirva de manda-Isa entregar ao V cirurgiio
Dr. Abraho Braoo da Cmara, ae nioda ae ochar
elle nesaa capital, e no caso contra! io de taze-laa
hegar a sea destino, enviando-m > a coota da
despeza que se flzer com a cooduejio das referi-
das ambulancias, afim da ser paga nesta provin-
cia. Offlcioa-39 ao director do arenal de guer-
ra para fazer embarcar u imbuan as e ao ge-
rente da compaohia pernambucann para mandar
transportar.
Dito ao commaodante daa armasSirva-ae V.
Exc. de determinar ao quartel-meitre do 7* ba-
talhio de infaotaria qae v recebei do arsenal de
guerra 40 molhoa de esleirs e 1 caixio vindos
da Bahia no vapor Paran cota destino aquello
batalhlo.
Dito ao mesmoQueira V. Exc, mandar apre-
aentar 3 pravas ao Dr. chefe de policio, boje s
40 horas da manha, afim da escoltarem um cri-
minoso de importancia e nma eicmva at a pro-
vincia das Alagoas, como rsquiaitou o mesmo
chefe de polica em offlcio de honlero, aob n.
904.Communicoa-se ao preside; te a remeasa
da escrava.
Dito ao ebefe de polica.Devolt o a V. S. as
contas em duplcala da despeza fei a com o for-
necimeoto de luz para o quartel d( destacamento
do termo de Plorea nos mezes de ji oho a dezem-
bro do anno paasado, que acompaiharem o offl-
cio do antecessor de V. S., n. 158, do 1 de e-
vereiro ultimo, afim de que seja sstisteita a exi-
?encia constante do parecer da :ontadoria de
azanda, datado de 22 de maio 1 roximo fiado,
jtnto por copia.
Dito ao mesmo.Passo s mos de V. S. para
qae proceda como for de direito, a represen tagao
feita pelo alfares reformado do ejercito Maooel
de Faria Lemos contra o delegado de policia do
lermo de Caruar alteres Manoel Germano de Mi-
randa.
Dito ao inspector da tbesonrsraiia de fazenda.
Orlo do conteudo de aua infora ac&o de 3 do
torrente, sob o. 511, dada acaree do requer
ment que devolvo, do 2a crurgiai do corpo de
aude do exercito, Dr. Flix Moreno Brandao, te-
nho a dizer, que exacto ter o su aplicante esta-
do as commissdes a que se refere e por isso de-
ve ser pago do que se loe estiver a de ver de seus
vencimentos, fazendo-se odescont) por elle pe-
dido no mesmo requerimenlo.
Dito ao inspector da tbesourari 1 provincial.
Recommeodo a V. S. que eatando em termos a
Inclusa folha que me foi remettida palo director
geral interino da instrucejio publiia.com offlcio
de 3 do correte, sob n. 134, mame entregar ao
director do collegio doaorphosdi Santa There-
za, em Olinda, a quanlia de 10333: 2, em que im-
portan os vencimentoa relativos ao mez de mato
ultimo, de varios empreados talarnos daquelle
eatabelecimento. OQiciou-ae ao director da ina-
truego poblica.
Dito ao director do arsenal de i;uerra.Man-
de V. S.fornecer a compaohia fiza de cavallaria
os artigos mencionados no pedido incluso.Com-
znanicou-se ao commaodante das armas.
u" *" !* de p,z ,ab,i,le foniamento de mi-
nha decisSo da mesma dais, determinando que
cesse de exercer o referido cargo, e qae Vmc.
dever comprir at ulterior decisao do goreroo
imperial, a cujo conheciment levei esse meu
aeto. Dsto anda signtQcar-lbe qae Dio era pre-
ciso ouv-lo para decidir a. queit&o de que ae
trata, como pondera Vmc. em sua resposta de 2
do correte, 4 cmara municipal do Recite, eque
por esta me foi traosmillida com offlcio de igual
data, visto qae assentava a decisao no fado de
aer Vmc. eleilo sem estar qualificado na reapec-
liva parochia, faci coja exactido ae verificou
pela secretaria do governo, que Vmc. nao con-
testou em seu citado offlcio.
Dito ao superintendente da estrada de ferro.
Iotairado do que expde o Sr. superintendente da
estrada de trro em seu offlcio com data de 2i de
maio fiado, deo ponderar-lhe para seu eonha-
cimento e fim conveniente que embora prohiba-
se o regula ment de 27 de abril de 1857, que pes-
soss do povo andem peloa trunos, isso nao au-
torisa que deliberadamente se Ibe aacriQque a
existencia, nao retardaodo opporluoamente ou
nao fazendo parar as locomotivas quaodo asslm
for neceasario, o que seria alm do mais ama
flagrante violaco da le criminal do imperio.
Portara..0 presidente da provincia confor-
mando-se com a proposla do Dr. chefe de poli-
ca interino, reaolve demiltir a Jos Franciaco
do Reg Barros, do cargo de Io supplenle do sub-
delegado do dislricto da Magdalena, 2 da fregue-
zia dos Afogadoa; e nomea para o mesmo cargo
a Joo Ignacio de Medeiros Reg.
Dita.O Sr. gerente da companhia Pernam-
bacana mande dar passsgem para Hacei no Ta-
por que hoje para all aegua, a 10 subalterno 2
inferiores, 22 pravas e um tambor do 7* batalhao
deinfsntaris, que seguem para Garanhuns.com
escala por aquella capital,
Expediente do secretario do
f soberao.
Offlcio ao brigadeiro commandante daa armas.
S. Exc. o Sr. presidente da provincia manda re-
moller V. Ezc. em aatisfacao ao seu officio dea-
ta aob n. 1.123, o incluso passe para o transpor-
te pela va frrea at GameUirt, da torca que tem
de aaguir amachas para aubatltuir a que ae acha
em Pimenteiras.
Diio ao Io secretario da assembla legislativa
provincialDeordem de S. Exc. o Sr. presiden-
te da provincia transmiti V. S. para tomar o
conveniente deslino os Inclasos autographos dos
*C'!ie ?' 525, 526 527. Promulgados pela as-
sembla legislativa provincial em aua presente
sessao.
Dito ao mesmo.Em additamento ao meu of-
. f ?,*!? correnle. o. 93, tranamitto por
copia V. S. de orden de S. Exc. o Sr. praaideo-
lgfsMfo"'*^-*-**** Pntntm m mmmMt
*.. *? #***T praaantea
provincial, a taformaca"o ministrada
peto cnete de polica interino, arca do avstem.
do servido da Umpeza eoapregado por Carlos Luiz
Cambronne, na casa de daiengo.
Despachos do dia S de junho.
Requtrimentoi.
Alexandre Goo^alves de Andrade Lima.Os do-
cumentos de que trata o aupplicante foram re-
metlidos ao goreroo imperial com officio n. 193,
de 15 dejulho de 1856.Dirija -ae ao ministerio
da Justina.
Clara Mara deS. Migael.Informe o Sr. direc-
tor geral da inslrucco publica.
Joseph G. Wrlmsioa.Informe o Sr. inspector
do arsenal de marinha.
Joo Joa Rodrigues.Passe portara conca-
dnelo a liteoca pedida com vencimentoa na for-
ma da le.
Jos Pedro Velloso da Silreira Jnior.Infor-
me o Sr. capilo do porto.
Padre Jos Zaearias Ribeiro. Informe o Sr.
Dr. procurador geral da tbesoararia de faseoda.
Manoel Jos Pereira Marinho.Prove que o
hiale mudou de proprietario.
Thom Jojquim da Veiga.Informe oSr. ins-
pector da thesouraria provincial.
Tbereza Geilhermina de Carvalbo. Volte ao
Sr. director geral interino di inslrucco publica,
para attender a supplicanta nos termos de suas
ioformacoes da 21 de abril e 29 de msio ultimo,
sobo. 94 e 121.
Coramando das armas.
Quartel-greneral do ominando das
arman de Pernambueo na eida-
de do Recite em 9 de junho de
186.
ORDEM DO DIA'N. 92.
O general commandante das armaa declara para
coobecimenio da guarnico e devido effeito, qae
segundo constou de officio da presidencia de 4
deste mez, com refereocia ao aviso do ministerio
da guerra de 15 de maio ultimo, o governo im-
perial deferiodo o requerimenlo do Sr. lente
do 9o batalhao de iofaotaria Maooel de Azevedo
do Nascimeoto, mandn qae toase corregido o
almanack militar na parte relativa as datas dos
aaaentamentjs de praga do referido Sr. tenente e
do Sr. tenente do mesmo batalbao Francisco Bor-
ges de Lima, declarando-se que este asseotou
praca a 17 de setembro de 1842, e nao a 17 de
setembro de 1840, e aquello a 28 de junho de
182 e nao a 28 de Janeiro do diio anno.
Assigoado.Solidonio Jos Antonio Perra do
Lago.
Conforme. Joti Francisco Coelho, capilao
ajudante de ordena encarregado do detalhe.
Nao ha quem, m aua coosciencia, tenha dei-
xado da applaudir o beneficio feito a provincia ;
principalmente qaando ae atiende para a aubsti-
tuco, que recahindo n'um cidado ntelligente,
probo, dedicado a seus deverea, pralico, que
nao oceupa posicio militsnte na poltica da pro-
vincia, offerece as maia fundadas esperances de
regenerado da tbesoararia.
E' a noasa conTleco sobre o acto de que tra-
tamos, qae ae erros tivesae commeltido o Sr.
Leo Velloso em sua admioislrago, de todos o
absolvera moa pelobem, que fez livrando a pro-
vincia do mal, que lbe fazia a continuacto do Sr.
Joo Carlos Winderley no csrgo de inspector da
thesouraria princial.
E sob a influencia de to profunda, quanto
sincera coovic;ao, que Tamos escrerer sobre o
assumpto.
No dia 23 dejulho do anno de 1857 o presiden-
te desta provincia expedio a seguate porlaria :
0 presideote da provincia usando, da attri-
buiejio, que Ihe concede o art. 1* da resoluto
provincial n. 243 de 18 de fevereiro de 1852 de-
mitte do legar de inspector da thesouraria pro-
vincial o bacbarel Francisco Xavier Pereira de
Brito, e oomeia para aervir o mesmo lugar a Joo
Carlos Waoderley, que entrar em exercicio de -
pois de prestar juramento e tomar posse. Ex-
pegsm-se as commuoicaces nacessarias. Pala-
cio do governo do Rio Granda do Norte, 23 de
julho de 1857-----Bernardo Machado da Costa
Doria .
E o demittido era um funecionario honrado e
severo 00 cumprimento de seus deveres I
Tinha muitos Blhor a fazer aubsistir ; e nao pos-
sala os recursos do Sr. Joo Garlos Waoderley.
nao dispunha, como este, de fazendaa de gado.
Entretanto naqaella occasio qs coraedes libe-
raes nao ae doeram ; isentos de toda s commise-
raco bateram palmas; o chefe, que era ento o
secretsrio da presidencia, mostrou-seimpedoroi-
do, como a rocha.
E nem houve quem imprecasse a Deus para que
aa lagrimas dos Qlbosdo Sr. Dr. Brito seconver-
tesse em raios, que ferissem aos filhos do Sr.
Doria.
D'entre muita gente, que, nesta cidsde havia
habilitada paja o cargo, ninguem Servio ; foi-ae
buscar do Ass o Sr. Joo Carlos, que l eslava
encostado aa auaa gloriosas recordaedes, e deu-
se-lbe a direeco da primeira reparlico provin-
cial I
E' qae o acto era todo politico e de reaeco, o
que aervis, era oautigo befe doa liberaes, apto
para por em jogo as forjas, que lhe iam entregar.
Os partidos nao tem cora:o, disse Lamartine ;
os partidos nao tem conscieocla, disse Tbiers ;
razio porque os liberan bateram palma ; inspi-
ravam-se doe senlimentos partidarios; mas son-
la se encontrarla a reprovagSO do proceder do
aovernn. uno *ro i* f >,ati
crifleava oa da proviocia.
Todos ae recordavim, de que o nomeiado era
o homem, que tora aecretarlo da presidencia por
muitos anuos, e oio havia quem ae nao lembras-
se de urna historia de patentes de oflkiaes da
guarda nacional, e de muitaa outras.
Todos Uslimavam sorte da infeliz thesoura-
ria provincial.
Desgraciadamente as previsoes realisaram-se.
O deleixo palrou sobre a raparti;io, que nis
mos do sotigo chele dos tulislas depois liberaes
traniformou-ae n'uma maquina poltica ; e nem
foi outro o pensamento que d ter mi non a no-
meac.o.
E os tactos foram-se desdando, de modo que,
dous annos depois, nm desfalque se Terificava no
cofre da thesouraria oa importancia de 14:9985308
O desfalque dau lugar a demissio do Luiz da
Fonceca Silva, que foi preso, processado e execa -
tado.
E o inspector nao sabia do eatado do cofre de sua
reparlico ; era o nico, qae o ignorara, quao-
do nio havia quem nio ouvisse fallar do caso.
O inspector ignorou ; nio obstante dispoem o
art. 27 4 do regulamente da reparticio o se-
guirte :
Compete ao thesoareiro :
Remelter ao ioapector no 1 dia de cada se-
mana um balaocete da receila o despeza verifi-
cadas na semana anterior; e bem asslm no 1* de
cada mez um outro das transacedes do mez an-
terior, com declararlo dos saldos existentes em
cofre suas especies cuja existencia ser verifica-
da pelo inspector .
Para o Sr. Joio Garlos Waoderley ess dispo-
siejio foi letra morts, como muitaa outras ou quasi
todas do regulameolo ; foi letra morta anterior
e posterior a verficaco actual do desfalque tanto
que ji na administrago actual foi neceasario que
a preaideocia ordenasse a sua execuco pela se-
guinte portarla:
< Esta presidencia lhe determina, que, alm
dos balances meosaes, de que trata o 17 5 do
regulameolo dessa reparlico, deve V. S. lbe re-
melter no 1 dia til de cada semana um batan-
ete resumido de receita e despeza da semans
antecedente com especificado dos saldos >.
Antes da expedigo desta portarla nem os ba-
tneos mensaes recebia a presidencia.
Depois do reconheetmento do desfalque a pre-
sidencia nomeo urna commiasio de exame do
estsdo da thesouraria ; cujo relatarlo foi um
corpo do deiieto contra o inspector.
{ Do Correio Natalense ].
l*do e approvado o segointe perecer :
Joao Francisco do Reg Maia, proprietario em
Apipacos e com empreza de omoibua requer que
esta assembla lhe commetta a conservaco da
estrada de Apipucoa.A' commiaso de agricul-
tura commercio e obraa publicas para bem funda-
mentar sua opioiio fcerea do objscto, requer,
"! residencia da provincia, ouvidas as repar-
tieses competentes, informe sobre a idoneidade
do pretndante e fundamento da pretendi.
Sala das commissdes 7 de junho de 1862.
Barros Barreta.Buarque Macado.
E lido e mandado imprimir nm parecer da
commiaso de negocioa ecclesiaslicos julgaodo
de spprovaco o compromisso da irmsodade de
Noasa Seohora da Paz dos Afogadoa com 'peque-
as^emendas apresentadas pela commiaso.
E lida, e remettida a commiaso de constitui-
cao e poderes a segainte iodica^o :
Indicamos que esta assembla represente ao
poder competente para que promova nesta pro-
vincia a cresQo de um banco agrcola e bypo-
thecario da emisso em favor da agricultura.S.
R.Arrada Falcio. Amaral.T. Baodeira.
Lucens. Cunha e Figueiredo. Alvaro. Luiz
Falippe.Ignacio Leo.Buarqae,Mello Reg
(Joaqun).Barros Barreta. Augusta Leo.
Souza Res.Machado Portella.Marjal.Vega
Peisoa.Cataoho.Witruvio.
E' lido e approvado o seguiote requerimento :
Requeiro que pelos canaes competeutes se pe-
ga o seguale ;
1 a tabella organissda pelo chefe de policia
fiara fornecimento da casa dedeleoco, depois da
si n. 511 de 18 de junho de 1861.
2* o parecer do medico da casa de dsteoco so-
bra aquella mesma tabella.
3 que se nos informe quem fornece o susten-
to dos escravos presos na casa de detencSo. e qual
a quantia que pelo mesmo sustento se cobra dos
Sra. desses escravos por cada dia de priso.
Souza Reis.
O Sr.Cuohs e Figueiredo (pela ordena 1 pede que
se nomeie nm membro para a commisso de ne-
gocios ecclesiaslicos.
O Sr. Presidente nomeia o Sr. Marjal.
O Sr. Luceoa /pela ordem) pede dispensa da
impresio para que o projecto que concede apo-
sentadora a Thomaz da Cunba Lima Canluaria
seja dispensado da impressio no que a casa con-
corda.
ORDEK DO DA.
I parte.
3* dscussio do projecto n. 13 deste anno. que
abre ao governo nm crdito de 11:000$ para pa-
gamento da aubvenco a G. Marinaogeli.
E' approvado.
Entra em discusso o compromisso da lrman-
dade da S. Lourenco da Malta, e e membro Souza
F^c7ty1o>B;nS"*o"comprorlisBs,0"d irmanaae
. mA ahora da Paz da freguezie dos Afo-
gadoa.Souza Reis.
Posto a votoa o projecto, apvrovado wm a
emenda, que atada fica aujeita a 2" discusso.
2* discusso da emenda apresenlada ao projec-
to n. 27, a qual concede 1 anno de ltcenja a Ju-
reocio Temporal para tratar de aua aaude a com
todos os vencimenlos.
K' approvada.
3* discusso do projecto o. 34 deste anno, que
concede um abate a Joio Francisco do Reg Maia
ex-arrematante da eatrada de Po-d'Albo.
E' approvado. -
Ia discusso do projecto n. 14 deste anno, que
isenta do imposto da decima ao edificio em que
est funceionando o hospital portuguez.
E' approvado.
Entra em discusso a emenda qne ficara empa-
tada, concedendo preferencia a extracio da lote-
ra concedida a favor do convento dos religiosos
franciscanos do Olinda.
Depoia de conaideraedaa que fazem os Srs. Ba-
ro de Murlbeca contra a emenda, e Catanho a
favor, ella approvada com urna sob emenda do
Sr. Buarque, que diz :sendo a ultima parte.
(Continuar-te ha.)
minajio publica, sobre a qual estabeleceu-s a
discusso, deixaodo de ser votsdo por faha de
numero.
Levanta-se a sessio depois das tres horas da
tarde.
A ordem do da de boje, alm das materias
dadas anteriormente, ompor-se-ha da terceira
dscussio do projecto n. 26. segunda dita da de
n. 28, primeira das posturas da villa de Bom Con-
seibo, primeira dita do projecto sobre collecto-
riss, e primeira dita sobre o professor de msica
do collegio dos orpbios.
No dia 15 derem ser conferidos pelo Exm.
Sr. presidente da provincia, peraote a commisso
da exposijo, os premios com o jury geral da
da corte distingui aos expositores desta provio-
Ao acto licita a assisteocia de qaalquer ps-
soa de coosideracio.
Acha-se designado o dia 28 do futuro mez
psra a reunio da-junta de qualificajso da fre-
guezia de S. Bento. visto nao ter tido em tempo
lugar a respectiva revisan.
A semana Onda foi abundante de ehuva,
bem que nio fosie ella copiosa ou forte.
Por portarla da preaiJeocia foram nomea-
dos, em substituirlo dos Srs. Dr. Dourado e Sal-
les Dotra, que pediram demissio. amanuenses
da secretaria de policia os Srs. Alfonso do Reg
Barros e Joaquim Jos do Reg Rangel.
No dia 5 do correte, larde, chegou ao
oosso porta, procedente da curie, com escala pe-
la Bahia, trazendo dous dias de visgem deste
ultimo porto, a canhonheira de guerra Ypiranga,
que havia sahido do primeiro daquelles portas no
dia 17 do mez prximo passado. Este vapor na-
vegou sempre vela, e veio reforjar a estajio
naval dests provincia em quanto se aprompta o
vapor Thetis, que brevemente o deve vir render.
Este ultimo commandado pelo Sr. primeiro l-
ente Manoel Antonio Vital de Oliveira.
No domingo (8) palas 7 horas da mauhia,
S. Exc. Revma. conferio na sua capella episcopal
a sagrada ordem de presbytero aos diconos do
quarto anno iheologieo do Seminario de Olinda,
seguintea Jos Esleves Vianna e Candido Jos
da Fonceca Csrvalho, oaturaes desta provincia;
Augusto Adolpho Soaras Kusewetter, do Rio de
Janeiro; Tranquilino de Araujo Boza e Jos
Ferreira Nobre. da Parahiba; Amaro Theot Cas-
tr Brasil e Antonio Germaoo Bezerra Barbalho,
do Rio-Grande do Norte. O primeiro,cantar a
sua missa noa, no dia 15 do correte na Igreja
do Espirito Santo, por occasiio da fest vidade de
Santo Antonio, e o penltimo no dia 13 tambera
do andante, no convento de S. Francisco de
Olinda, por occasiio da festividade do mesmo
santo.
No amaoheeer do dia sabbado (7) do cor-
mS; tVi'.?,iros d-angfh.,enJJo MlS
tanho andrim quasi preto, grande ferida na swe
oelha, e as costillas do lado4ireilo, com o
farro MCA cariado de peitoral ; oatro castanho
quasi amaralio, dous ps caljados, arresta os
cascos, urna estrella na testa, seguida de nma
beta estrella, de boas carnes, e bem feito; e
o ultima castanho, pequeo, cortado de peitoral
com urna pequea bellido, nm p caljado.
Quem os entregar, oa der noticias exactas do
lugar aonde elles se acbarem, recebar grande
Santa Cruz na freguesia da
na ra do Livramenlo n. 35,
paga no eogenbo
Luz, ou no Recite
segundo andar.
to
Cl
pro
dio em
cimentas
anno pro
das nacionaps
qae ?, S.
ordem
ctid mez
sm
mez d
npradito destacamento.
mandante superior ila guarda na-
arca de|Flores.Para que sepossa
rea do pagamento que V. S. pe-
5 de margo ultimo, dos veo-
ao mez de dezambro do
destscaniento de guar-
Ingazeira, faz-se preciso
em qne tere execojo a
taacia cootida ero nfficlo de 17 do
dezembro, que mandn dissolver o
PVS dirafcr geral da inslruc;o publica.-
Respondeodo ao officio que V. S. ine dirigi em
3 do torrente sob n. 136, tenho a dizer que pode
conceder a autorisa;o que pedio o director do
collegio dos orphios de Santa Tbe azn em Olinda
para fazer as despezss com sgus.izeite, retas e
oatros objectoa necesssrios eo consumo daquelle
collegio no corrette mez, visto ni ter sido ain-
* *,[f#mj*,S<0 ,otneminto de taes objectos,
Meando V.S. nalfHeliigendJLl* 4H ieta da4s
recommend a thesoj^aJBj|iicial que para
ease flm adente 10 aNasli>nnH3br a quan-
tia de II352OO constante do citada Meta.Com-
mntrtcon-se a ihesouraris.- T^
*'if0,,FLm# XiTer""&#' 4 Vmc. pars
INTERIOR.
PERNftMBUCO.
com Genuiaa de Souza
Rio Grande do Norte.
A demisso do inspector da thesouraria provincial
Na vida governativa tactos se dio de justija lio
notoria e imponente, que por mala, que o pre-
tendan] delurpar os clamores do despeitoe inte-
resses ofTeodidos, nio o conseguiro.
Sio tactos, que trazem em ai o cunho da ios-
tifleajo, porque tem a ssnejio irrecusavel.da
conacieocia publica.
E' o que nesta provincia se di com a demisso
do cidado Joo Carlos Wanderley do importante
cargo de inspector da thesouraria provincial.
Deveres to imperiosos o eatiram exiglodo, in-
teresses to vitaas o reclamavam, e circunstan-
cias tses se iam desdando, que o governo, que
o addiasse, irremissivelmeote devia de incorrer
oas mais justas censuras por seu deleixo e con-
veniencia na pessima gesto, que o demittido da va
aos negocios a aeu cargo, e uos escndalos, que
se iam tirando a limpo.
Nao ha quem descooheca, qae a presidencia
pralicando o acta da demisso, provea a neces-
sidade mais urgente e que se ressentia 1 pro-
vincia para a restaurajo de suas finaDjas des-
baratadas.
Leis, reguiamenlos, instrucj5es, ordene por
mais aeertadaa que houvessem, ludo iria naufra-
gar de embate ao deleixo tfesmoralissjio do
chafo da reparlijo.
ASSEMBLA LEGISLATIVA PROVINCIAL.
SESSO ORDINARIA KH 7 DE JUNHO DB
1862.
Presidencia do Sr. Barn da Vera Crux.
Ao meto dia abre-ae a sessio, approra-se a
acta da anterior.
O Sr. 1 secretario d conta do seguiote
EXPEDIENTE.
Um officio do secretaria da provincia, remit-
iendo aa informales pedidas por esta caaa da-
das pelo chefe de policia acerca do systema do
servijo emprega 1o por C. L. Cambronoe. ~A
quem fez a requisijio.
Outro remettendo os autogrsphos dos actos des-
ta sssembls, ns. 525,526 e 527 que foram por
S. Exc. o Sr. presidente da prorincia saocciona-
dos.A' archivar.
Urna petijio das moradores da freguezia de
Qulpap, ptdiodo a transferencia da sede da po-
roajio de Paoella para aquella freguezia. A'
commiasio de estelisties.
Oatra da Vicenta Ferreira da Costa, proprieta-
rio do edificio em qae faneciona o gymnasio pro-
vincial, pedtndo que lhe seja pago o alugael de
2:0009 que esta assembla j decretoa, que pela
presidencia lhe foi negada. A' commiasio de
petiQea.
Outro do mesmo Sr., participando ter S. Etc.
ficado inteirado do parecer da commisso da con-
tas e despezaa provineiaes sicensjn doa credikea
lupplemenlare ahartas ftaieataUjBBuWa?- A'
I missao de coutaj e de
REVISTA DIARIA-
Na ordem do expediente da assembla provin-
cial, em saa sesso de sabbado, foi lida urna in-
dicajo assignada por qussi todos os membros
presentes, afim de que se solicite do poder com-
petente, a creajo nests provincia de um banco
agrcola e hypoihecario com emisso.
Eotrando-se ni primeira parte da ordem do
dio, oceupa-se a casa da terceira discusso do
projecto que eris um crdito ,de 12:0005000 pa-
ra a empreza lyrica ; o que approvado e adop-
tado.
Segu-se a primeira e ultima discusso do
projeeto que approra o compromisso da irmso-
dade do Santissimo Sacramento de S. Lourenjo
da Malta, ao qual mandado um addilvo pelo
Sr. Souza Res no sentido de ser approvado
igualmente o compromiaeo da irmandade de Noa-
sa Senhora da Paz dos Afogados. E' approvado,
e a dscussio fica adiads, segundo o regiment,
para urna oatra definitiva.
Approra-se tambem em terceira discusso o
projecto que antorisa a preadencia a conceder
um anno de liceoja ao administrador do consu-
lado pro?in:ial, Antonio Carneiro Machado Ros,
bem comeo additivo que extende ease favor ao
praticante da tbesonraria proAncial Juvencio
Temporal.
Seguiodo-se a terceira dscussio do projecto
que concede urna indemninjo a Joo Francisco
do Reg Maia, apoiado o mesmo ; bem como
o em primeira discusso o projecto que lienta
do pagamento da decima ao edificio do hospital
portuguez.
' decido o empata em que ficou a emenda
aeerca da preferencia dada ao restante ds lotera
a favor do convento de S. Francisco de Olinda,
em sentido favoravel.
Passa em primeira diseusso sem debate al -
gum, o projecto deorjameoto municipal, entran-
do-ie a aegaida na discusso adiada do artigo
13 aeus paragraphoa do orjamento provincial.
Ora o Sr. Buarque, e abunda em argumentos,
em sustentajo do artigo ; e segu se-lhe o Sr.
Amaral, qae sustenta dnas emendes mandadas
mesa por elle orador.
E' encerrada a discusso, e enlra-se na vota-
gao da emendas, das qaaes sao urnas spprovadas
e outraa regeitadas.
O Sr. Barros Barreta pede urgencia para man-
dar meta um requerimenlo aolicitindo infor-
marles a presidencia sobre estar.ou nao Hornea-
do o aegundo oacrivao da provedoria e de ausen-
tas, porque juis e quando bem como se ao
tempo da nomesjio eslava ji saneciooada e pro-
mulgada a lei respectiva com commuoicajo ao
juiz ; sendo rotado ate artigo, approvado.
E' rotado o artigo 14, e pauando-se ao se-
guate approvado igualmente com o aagmente
da rerba em 30:000#000. O mesmo d-se com o
artigo 16, sendo regeitada nma emenda qu sup-
prieaia a lagares da barbeiro e oabellelaatro
enUiod o s*gtata, 4 mandado am adjditi
signan lo quote para o engonheito. tscai
Lists dos baptisados e casamentas feitos
na freguezia da Boa-Vista no mez de maio do
correte aono:
Jos, branco, com 10 mezes de nascido, filho le-
gitimo di Fraocelino Domingues da Silva e
Anna Argemira de Oliveira e Silva.
Joo, branco, com 4 mezes de nascido, filho le-
gitimo de Luiz Teixeira Pereira e Ignacia Apo-
loois de Mello.
Mara, branca, nascida a 16 de marco do corren-
te, filha legitima de Filippe Antonio Teixeira
de Albuquerqae e Eufrasia Francisca.
Eduardo, branco. com 10 diaa de nascido, filho
legitimo do capilo Basilio de Amorim Bezer-
ra e Olympia Adalia Pa de Amorim.
Luizi, crioula, com 4 mezes de nascidi. filha na-
tursl de Hara, escrava.
Francisco, brsnco, nascido a 21 de dezembro do
anno passado, filho legitimo de Francisco Lou-
renjo Ribeiro e Jesuioa Antera de Souza Reis
Pioheiro:
Amelis, branca, nascids a 15 de marjo de 1858,
filha ligilima do Dr. Eduardo de Barros Fal-
cio de Lacerda Cavalcanti de Albuquerque e
Joaquina Adelaide Havignier.
Adelayde, branca, com 15 dias de naseida, filha
legitima de Antonio dos Santos Cooceijo e
Maria dos Santos Cooceijo.
Cecilia, branca, nascida a 22 de Janeiro do cor-
rete, filha legitima do tenente Honorio Alves
da Silva eJoanna Francolina Alves da Silva.
Manoel, branco, com 2 mezes de nascido, filho
legitimo de Jos Carlos Cavalcanti .Los e Se-
rapbioa Anna Colort.
Dulac, branca, naacida a 12 de agosto do aono
pawado. filha legitim do Dr. Eduardo de
Barros Falcio de Lacerda Cavalcaoti de Albn-
querque e Joaquina Adelayde Mavignier.
Maooel, pardo, com 11 mezes de nascido, filho
natural de Hermills, escrava.
Ueunque, pardo, com 2 mezes de nascido, filho
natural de Esperanja, escrava.
Aotonio, pardo, com 23 dias de nascido, filho
natural de Antonio Carioso de Oliveira e Jo-
anna Pereira da Conceijio.
Aotonina, branca, com 8 mezes de nascids, filha
legitima de Joio de Fontes Braga e Anna Ma-
ra do Rosario.
Alcioa, branca, com 5 annos de nascida, filha
natural de Hermenegildo Coelho da Silva e
Umbelina Coelho da Silva.
Maria, branes, com 2 annos e meio de nsseida,
filha legitima de Joio Francisco Eateves e
Francisca Joaquina Eslevee Wanderley.
Bento, pardo, nascido em 28 de marjo desta an-
no, filho legitimo de Bento Francisco da Silra
eTheodora Joaquina Pereira.
Alexandre, branco, nascido a 23 de marjo do
correte anno, filho legitimo do Dr. Joaquim
Barbosa Lima Rita de Cassia Coelho Cintra
Aquilina, branca, com 2 annos de nascids, filha
legitima da Luiz Teiairs Pereira e Ignacia
Apolooea de Mello.
Francisco, brinco, nucido em 26 de margo de
1859, filho legitimo de Antonio Luciano de
Moraes da Mosquita Pimental e Mara Candida
Reg.
Manoel, crioulo, com 15mezes de nascido, filho
natural de Benedicta Maria di Inreojio.
Maris, parda, com 10 mezes de nascida, filha le-
gitima de Manoel Leandro Gomes Clara Ma-
ra da Cooceijo.
Arthur. branco, nascido a9 de Janeiro do correa-
ta anno, filho legitimo de Delfino Miguel da
Cotia e Ignacia Francisca da Costa.
Adelina, branca, naseida a 13 de setembro do
anno passado, filho legitima de Aotonio L
claao de Moraes de Mosquita Pimental e Mal
" -adida do Reg.
pardo, con U mim do acido, fllho*-
tural de Josjde Almeida Ferreira Francisca
snOiifl*
Gerlrudes, psrda, com 1 anno e meio de nascida.
filha natural de Jos Agostinho Santos Mari
Joanna de S. Pedro.
Julia, parda com 5 mezes de nascida, lha n-
toral de Dorotha, eicrava.
Mana, branca, nascid a 6 de julho do ana
passado. filha legitima de Francisco de Lo-
mos Duarle e Fellsmina Maria de Lemoa.
oa0* br*nco' n"ido em 28 de agosto de
1860, filho legitimo do Dr. Jos Rodrigues do
Fino e Maria Roialina Antones do Passo.
ldahna, parda, com 3 mezes de nascida, filha
natural de Maria Francisca da Silra.
Raymunda, parda, com 9 mezes de nascida, fl-
.Ihi nitural de Catharina. eicrava.
Anna. parda, com 3 mezea de naacida, filha le-
gitima de Grigorio Jos dos Passos e Benedicta
Mana da Conceijio.
Porfirio, pardo, com 2 mezes de nascido. filho
natural de Lucia, escrava.
Maria. parda, com 14 annos de nascida, filha
legitima da Manoel de Jess e Joaquina
Mana. *
Mara, parda, com 8 annos de nascida, filha
legitima de Manoel de Jasus e Joaquina
Maria. *
Sebaatiio, braoco, com 6 mezes a 23 diaa do
nascido, filho legitimo de Joio de Freitu Bar-
bosa e Virgioi Rraga de Freitaa.
Joio, braoco. com 6 mezes de naacido, filho le-
gitimo do Patricio Jos da Silva Saraiva e Aon
Joaquina de Oliveira e Silra.
Cypriana, branca, nascida am 16 de outobro d.
anno passado, filha legitima do Dr. Cypriano
Fenelon Guedes Alcolorado e Thereza de Si-
queira Alcoforado.
Naum, pardo, com 2 annos de nascido, filho na-
tural de Aureliana, escrava.
Maria, parda, com 5 mezes de nascida, filha le-
gitima de Joio Francisco de Souza e Maria
Joaquina da Soledade.
Luiz, branco.com 1 anno de nascido, filho legi-
timo de Fraociico Aotonio Cavalcanti Coua-
seiro e Anna Therezi de Lima Cavalcanti
Cousseiro:
Liurs, branca, nascida a 7 de Janeiro do anno
passado, filha legitima de Januario Constancio
Monteiro de Andrade e Elena da Silveir
Lins.
Cssamantos:
Pedro de Alcntara Velloso com Eleonor Msria
do Valle, pardos.
Joa Rodopiano dos Santos com Balbioa Alta do
Carvalho, braneoa.
Amando Borges de Mendonja com Anua Ferrei-
ra di Cuoha Lopes, brancos.
Bicardn Romualdo da Silra com Manoelln do
>.i"!fnc*a At Santa Cru, pardos.
Francisco Deodato Lins com Ganui
C..uoH.*lbri5.Mv
Amaral, brancos. "J"" Datto com.-
j "7. *"**?&<> poticu. (Estrado das parto
do da 7 de junho J
Foram recolhidos i casa de detenjio 00 dia
6 do correte :
A' ordem do Illm. Sr. Dr. chefe de policia :
os pardos Aotonio Feliciano das Santas, de 24
annos de idade, dado agricultura, e Ignacio
Luiz Severo, de 27 annos, mestre de assucar,
vindos da Japaraoduba. tormo de Agua Preta,
para recrutai, e o crioulo Manoel, de 26 anoo,
dado agneultura, escraro de Manoel Rolem-
berg. por andar fgido.
A'ordem do subdelegado de S. Jos : Maria
ds Assumpjao dos Prazeres, crioula, de 30 an-
nos, lavadeira, por ter ferido com urna laceada
a Bernardina Maria de Jess.
A' ordem do da Boa-Vista, o Africsno lirro
Leandro, de 24 annos, serrente, por ter feito fe-
rimentos graves oa pessoa de Urbano Jos Nobre
Alfonso Vianna.
A' ordem do da Varzea, Luciano Marques Go-
mes, pardo, de 19 annos, carpios, para cor-
recto.
O ebefe da 2a secjio:
J. G. de Maquila.
Passageiro do palhabote americano Grot-
land, sahido psra Philadelphia: C. H. Peker.
Passagoiros do vapor nacional Jaguaribt,
sahido para o norte;Apio Beserra de Mene-
zes, Jos Francisco do Nascimento e sua senhora,
Manoel B. da Ponucena, Alexandre Jos Vieira
Maooel Joaqaim de Amorim Garca, Manoel
Themotheo Ferreira Lustozia, Braz Marcolino do
Andrade e Mello, Augusta Gomes da Stlva, Jos
Paulino de Cistro Medeiros, Frsncisco de Par
Barrlo, Josquim Jos de Oliveira, Joaquim Josa
Medeiros Corris, Joa Bento Groba, Joio Luiz
Vianna, Francisco Ferreira de Novaos, Joio da
Lins Freir e 1 criado.
Movimeoto da enfermara da; casa] de de-
tenjio do dia 7 de junho de 1862.
Tiveram baixa para enfermara ?
Johao Calcum, diarrhea.
Manoel Francisco de Hollanda Cavalcanti, darlo
furfuracio. ^
Antooio Gonjilvas de Freitas, febre. ,..
Jos, escraro de Bernardino Barbosa In Silra
diarrba.
Obitcario do ou 7 de jcxho, no ctaniE-
sno publico :
Jovjniana, Pernambueo, 13 meses, S. Jos, in-
tente.
Caetano, Pernambueo, 28 snoos, eacravo, S. ta-
s, bexigas.
Jos, Pernambueo, 9 mozs, Recite, intarito
aguda.
Mirla, Pernambueo, 15 mi-utos, Boa-Vista, t-
tano.
Angelo, Afries, 50 snnos. solteiro, escraro, Boa-
Vista, sypbilide pulular.
Laura, Pernambueo, 4 dias, Boa-Vista, congeatio
cerebral.
Manoel, frica, 40 annos, Boa-Vista, affecjio
intestinal.
Fructuoso Jos Pereira Dntra, Pernambueo, 57
annos, casado, Boa-Vista, hepatite chrontca.
Mataoouro publico.
Mataram-se para consumo desla cidade, no di
5 do crrante 68 rezes.
No dia 798 idem.
CAARA MUNICIPAL DO RECIPE.
SESSO EXTRAORDINARIA AOS 5 DE MAIO
DE 1862.
Presidencia do Sr. Barro Reg.
Presentes os Srs. Reg Albuquerque, Heori-
ques da Silra, Maia, Reg, Seve Mello, fattando
com es asa o Sr. Barata, e sam ella o Sr. Canario
de Mello, abre-se a sessio, e I lida e approvada
a acta da antecedente.
L6o o seguinto
EXPEDIENTE, u*A V
Um officio do Exm. presideote da provincia,
remettendo por opta a portarla de 14 do abril
ultimo, pola qual nomeira por quatro annos, om-
"oa do dia 24 de julho prximo vlodeuro. sana-
i o Jnte municipal de orphioa uosto tor-
oaddadlos della constantes; rosoatmda
qu o Sr. presidenta ds eimiri, tndepeatnntado

m p


1 II ..
duho t* m*htwm. njftwu fuba m souo-m.imi.
do irt. 4" do de
dii 1857, decli
***
reto o. 2.01S d 4 de oerembr
ende que o poderaej. wSotar i are ole
direito da comarca ipe^cthesi do rl. 3*do ci-
tado decreto, e qujpgsrao reos eiesea, o de ne-
anum effeito as noaasscdes doi que o oio prea-
tremele odia cima Indicad:. Que ae fizas-
te o editaet do sentido da te :oswneDac. de
:S.Exc.
Outro do mesmo, duendo twi psra alalas**
veeolucio da assembla pro**n*il. Monee a a
mar municipal con urg.ueia, q mida etemSj|e
yesdido com as obras mo AeSe. ass publico, o
atado ni que ellas se acham, *^jnto*er pre-
-aciao anda para sua conclusio.-Qua ae ordenas-
eesa so engenheiro para informar com urgeocia
-qwaoio preciso roda gastarle, e o contador
para diter quesee se ha diepesriido.
Outro do mesmo, euncedeodc autoriiaeio para
-ae a qaantra de 9009(130 com a obra do
i do cemiterio de S. Loumnco da Matta.
\)e ae flzeseem edltsea aoaai: ciando estar em
reja a meama obra oos das 8, tO o 12 do cor-
rente.
Oatto de mesmo, secutando estar ioteirado de
Jtaver a cmara dispensado, em vista do eatado
ataal ds eos cofres, os oito iiuarda* que por
atoriMco ds preetdMicia de I!, de Janeiro all*
ana foram creados.Ioteirada.
Oulre do mea o, communicaido que S. M. o
Imperador, digoou se por aviio eipadido polo
i oste no do imperio, de 4 de at ril ultimo, man-
dar agradecer a cmara a (elicitico que he di-
rigi so dia 90 de marco paasadi pelo orgio da
osantisao que nomeoo para represents-ia na
aolemoidade da intuguraco di estalas eques-
trs, votada memoria oSr. 0. Fadro I.Iutei-
rode.
Oatto do engenheiro cordead-ir, informando o
reqaerimenlo, no qaal Hanoel Antonio Vieira
pee* que Ihe aejs permiltido cetr ecr agora a edi-
caole que requeren facer em 1857, pela cor-
diacas que naqeelre lempo Ihe foi dada, diz que
datera a oppor i pretnc'J do aupplicante,
-ialo que oordeacao nao lem de ser alterada.
Ceewodeu se.
Outro do mesmo, communicsn lo que o cercado
denominado do Pacheco, pertaiioenta ao eoge-
oho Peres, na freguezia dea Alegados, por si s
sha parece iasufflcieole para o ti n 4 que cmara o
destina, isto para a uatligem i o gado qae v'em
pata o consumo publica, sendo de necesidad
ajuntar-Ihe asis algum terreno de farsea para
que possa proporcionar ao mescio gado, seno
as pssto abundante, ae menos juanto seja io-
dipeo3el para a sua-austaotacao, mas que unin -
lo e-lhe o terreno denominado da Pitombeira,
4>oie sem duvida concorrer para isso com o ter-
reno baixo que Ihe Oca anneio ; e o cercado do
Pacheco asaim augmentado foraicer alimento a
urna grande porcao de gadc, ansim coma boa
paja para bebida do mesmo gano.Moiou-ie
remetter commisso uotneada para tratar de ss-
melfaaote negocio.
Outro do adminislraor do cemiterio publico,
remetiendo a relelo daa peascts fallecidas do
cholera-morbos no mez de abr ultimo, e que
all foram sepullsdss por ordem da policis.Que
oa) remettesse ao procurador.
Prestou juramento o segundo supplente do 4
disnielo de pss da freguezia ilos Aogados, o
otado, que em consequeocia de nao ler sido
quahficado, nao pode eiercer t cargo para qae
fora eleito.Concedeu a cmara ama licenja por
mais 6 me7.es com todos os veo inentos ao seu
secretario Manoel Ferreira Accio i.
Deepacharam-se as peticoes di Antonio Aires
Vilella, bachirel Ernesto de Aquino Fooseca, ba-
cfaarel Hermogeoes Scrates Taviren de Fascon-
elroa. Dr. Ignacio Firmo Xavier, Isabel da Sil-
veira Miranda Sera, Joaquim Je: Pereira, Joo
Antonio dos Santos, Joaquim Jos de Soasa, Joo
Saraiva de Araujo Galvio, Jos Jernimo Mon-
'atro, Manoel Ferreira Accioli, 'lauoel Antonio
Vieira, Monteiro 4 Soares, Narciso Jos da Coa-
te Pereira e outros, Paulino Rodrigues de Ollvel-
ra, Victorino Tetxeira Lata. ic.amou-ao
o. .
.., ouicial-
do secretario.
RCIO.
a do Recife 7 de
junho de 1862.
rVs quatTO horas da Urde.
Cotaco te junte eetireUrei.
Caal*.
Sosts Lostles 90 di. 85 7f* d. por fijKO.
J. 4* Cru aeefja- presidSje.
Job <> secreta
tendlmento de dll la C
dem de dia 7 .
ll5:fJT9J2n
23.9165894
139:536}105
Hovlmento da asirandefftat.
Yolamas entrados com fatendas..
lom gaaeroa..
Velss ----- A de composico venderm-
sa de 660 a 80 ra. a Hbrs.
Descont O rebato de leltrss raguloude
10 a 18 por eente ao anoo, dea-
contando a caica filial corea de
, 100 conloa de res a das por
cento ae ao**.
Fretea -.- Da Parafciva por Liverpool a 30,
pelo Isatro, e 3|4 por libra de
slgsae ; *e AUcei para e
mJ52 p^!t0'!J? """^
e tUR reto alntao.-^ Pt>
naMsaco para Ucrpoi a 27
oCt
lsstW, 5t8 (reio**-
Valamas sabidos

com fsxendas..
com gneros..
111
192
303
Desearrcgam no dia9 de junho.
Brigue italianoDainomercadorias.
Importoslo.
Patacho nacional Guarany, vindo do Rio
Grande doSul, consignado a Marques Barros &
C., msnifestou o seguale :
10,500 arrobas de chsrque e75coaros rsccuns ;
a ordem.
Hiate nacional kracaty, vindo do Aracaty,
cooaignado a Tasso lrmao, manifeaton o se-
guala :
150 barricas vasias e 30 saecoe com cera de car-
nauba ; a ordem.
Exporta pao
Do dis 6 de junbo.
Hiate ameriesno Grteland, pira Pbiladelphia,
carregaram :
Henry Porster & C, 524 couros com 17,080 li-
brea e 124 saceos com 662 arrobas e 24 libras de
slgodo.
Brigue sueco Sidon, para os porlos do Rio da
Prala, carregaram :
Amorim Irmos, 30 pipss com 5,520 medidss
de cachaca.
Brigae porluguez Activo, para Lisboa, carra
garam :
Manoel Ferreira da Silva, Tarroso, 225 saceos
com 1,125 arrobas de assucar.
Amorim & Irmos, 150 ssccos com 750 arro-
bas de sssucsr.
Barca porlugaeza Sympalhia, para Liabea,
carregaram :
Manoel Marques de Amorim, 7 barria com 252
medidas de rnel, 10 banicascom 44 e meia arro-
bas de assucar.
Miguel Jos Aires, 40 couro* com 640 libras.
Patacho portugus Maa da Gloria, para Lia-
boa, carregoa :
Joo Correa da Carvalho, 1 barril e 8garrafes
com 38 caadas de agurdente e 1 barrica com 3
arrobas de assucar.
Dia 7.
Brigue hespanhol Dous Irmos, pira Barcelona
carregaram:
Carralho Nogueira & C, 48 caibroa de quali-
dade.
Brigue poriugaez Sympalhia, para Lisboa car-
regoa :
Joi Joaquim da C Muura, 25saceos com 125
srrobas de assucar.
Beeebedorla de rendas Internas
sreraes de Pernatnsanee.
Rsndimento do dia 1 a 6 6:834*611
dem do dia 7.......1:833|440
aoffWry-*.
raocisco
Canuto jl "-
. .uipefliri.ei
enl:
Henriqaea da Silva.Reg:Helio.Maia.
Ser.Barata de Almetda.
Publica^oes a pedido.
8:1705081
Consalado provincial.
Rendimentodo dial a 6 22:75ig316
dem de dia 7......; 1:731)327
24:485*643
PRAA DO REGIFE
"JTS H0RAST)A TARDE."
Revista Semanal.
Fara o Exm. Sr presi-
dente da provincia ler
e apreciar.
Pergunta-se so Illm. Sr. Coronel T. C. Burla-
maque, fuocciooario zelozo dos tofres pblicos,
qeindo Ihe coostou, ou se achou archivada algunas
noticia de ler appatecido nos difft entes com aun-
aos que tem lido o presidio de 1- f mando, slgum
qae selembrisse de pedir ss gov>roo cal para o
iabrico dis obras do presidio; e lem sssim azei-
le fle Garrapato para luzes dsa lepartices slli?
Que ha feitoda grande quantida de de carrapsto
plantado no Gancho. Mulunguiiobo e Pedra do
Sode?
Ser vefdsde que tem vindo no hiate Sergipa-
o frtrs ests capital mais de seis Larris com azei-
tedartapto?
Aeabar-se-hiam ss pedrs calcaras do sueste ?
SrS caso virgem se fbr para slli remeltido laes
arttgos Sabemos que a cal bastnte ciara, e de
t>ouca gomma, mas nem por fsto se tem deizado
de fazer obras no presidio. Sao ospezas que ae
podem despecsar, porque o presidio nao preciss.
O inimt'90 dos acldalos.
latearte da inuocente piiiniuha Iaria.
Offtrtfida a' tual incontolaveis utai, lia* e to,
a$ xtnt, Srat. DD. Alaria Me.candrina de
Araujo Philadeplha Ernestina dt Almmda
Fortes Fortunata de klmeiio Fortes e J/a-
notl Serapio de Almeida For'.ei,
Nao choremo-ls, nao. Uci prsnto estril
Sobre os manes d'aman]3, insulto fora I
( Junqueira Freir.Inttti-
ra^ea do claustro).
Tio ernoas, coitadinba ....
Dsisou 0 mundo sorriodc !
Lovo-a Deus, porque o :u
Mi linha um snjo lio liido 1
Era um snjo, na verdade,
A innocenlinha Mara I
> Aqaella luz dos seus olhci___
Aquella los bem dizia I
E a pureza.... a logenaidade
Daquelle labio, a sorrit
To perfamoso... lo cas1 o
i Como 8 flor rtndida a atril ...
E iqaella entresaco disfna
Ao ver de pranto cobtlo
O rosto da mil qaertda 1...
Oh I era nt ao], per certo I (s)
Ei-la rae est radia ole,
Aoa pos do Eterno, no Enpyreo,
Tao poetisa.... lo linda
Cosno oos prados o lyrio
Sobeo ana fronte engalle 1
Mimoaa floreo pella
Pende daa aloa de outroi asios!
Oh 1 ole nao chotea poi oUal
Nlo esbra.- chela de jubilo
Apobrelyra que tanjo;
Ai! sio ptsnHem Mirla 1 ...
-Has chorea, qae ella era un njo 1
Maio 30 de 1862.
>.....
i. i.
inin1 ni
i4 ^ InnooBOto, pouce antes de
choroN ii M fWhjSMU.
Cambioa Sobre Loodrea saccou-se de
25 7,8 a 6 d. por i#000 re. ;, ***? *. aarellol
sobre Paris a 370 re. por f.,
sobre Hamburpo a 690 rs. por
M. B., e sobre Lisboa de 107 a
108 por cenlo de premio, re-
gulando por 6 50,000 oe as-
queada semana.
Algodo Odeata provincia Tendeu-ae a
llfOOO re. por arrobe, e ama
partida de 120 saccaa a 119900,
e o de segunda sorte a 10$000
rs. O da Ma a I1400rs., ea da Parahiba a
I295OO rs. por arroba.
Assucar-----------O braoco veedeu-ae de 39000
a 4g000 rs. por arroba., o some-
t 01 de 2JJ700 a 2*800 rs., masca
vado purgado de 2*300 a 29400
rs., e bruto a 11850 reis por
arroba.
Agurdente Vendeu-se de 529 a 55(000 rs.
a pipa.
Couros-----------Os seceos salgados venderam-
se 190 rs. por libra.
Arroz Opilado da India vendeu-se de
39OOO s 39500 rs. por srroba.
Azeile doce- O do Estreiio vendeu-se s 39
rs., e o de Lisboa de 38 a 3*300
ra. por gaio.
Bacalho- Retalhou-se de 10*000 a 129
rs. a barrica, ficaodo em .ser
2,500 barricas.
Btalas Venderam-se de 29 a 3(000 ra.
por arroba.
Bolaxinha Vendea-se a 39500a bsrriqui-
nba.
Cha-----------------Vendea-se de 29250 a 29450 rs.
per libra.
Carne secca- A do Rio Grande vendeu-se de
1*800 a 29400 rs. por arroba.
e a do Rio da Prata de 1*500
a 19800 ra., fiesndo em ser
89,960 arrobaa da primeira, e
34,312 da segunda.
Catvao de pedra A ultima renda foi a 149 "
tonelada.
Cerreja----------Vendeu-se de 49OOO a 6(000 rs.
a duzia de garrafas.
Farinba de Irigo-Somento entraran neata sema-
na 350 barricaa do Genova,
con as quaes o deposito hoje
foi do 14,450 barricas, sendo
6,000 de PhiUdelobia, 3,000
do New-York, 790 de Baltimo-
re, 950 de Genova, 490 fran-
cesa, e 3,400 de Trieste, reta-
Ihando-se de I69 a 259 '> por
barrica da primeira, 169 a255
ra. da segunda, de 18 a 20* ra.
da tereeira, 249 a 259 rs. dt
quarta, 20 ufa* re. da quin-
ta, e do 269 269000 rs. ds
sexta.
Geuebra- Em fraaqueira vendeu-se a
5JJ500 rs., e en botijas a 400 rs.
Louca- A iogleza veadeu ae com 290
ra. por cento de premio sobre a
factura.
Maoteiga A franceza vendeu-se de 580 a
610 re. a libra, o a iogleza de
800a 950. Coando em deposito
corsa de 1,200 barria.
Maesas--------- Venderam-se a 59000 re. a
Oleo de linhaca-Venden-se a 1(900 rs. porga-
lo.
p*".....Vendos-te a 0009 reis a
calza.
Queijos-----------Veoderam-ee de 19869 a 29309
ALFANDE6A Vt PUlAUBDCo.
Paua dos prego ios gneros sujeitos a direito
dt txportacAo. semana we 9 s 14 rfo uvc *os
junfco de 1862.
Mercadelas. Unidades. Valores.
Abanos..... cento I9OOO
Agurdente de cana. casada (380
dem restilada ou do reino. a 9380
dem caxaca...... > (340
dem geneka...... > (400
dem alcool ou espirito de
agurdente....... a 95OO
Algodao em carogo .... arroba 2(800
dem em rama on emla. > 11(200
Arroz com casca..... s (800
dem descascado os pilado. 3(300
Assucar mascarado .... a 2(100
dem branco ....... 39t00
dem refinado...... a 59OOO
Azeite de amendoim ou mon-
dobim. ....... taada 29000
dem de coco...... > 2*200
dem de mamona..... a 19500
Baiatis alimenticias .... arroba 19000
Bolacha ordinaria propiia para
embarque. ......
dem flsa. ....... >
Caf bom...... ;
dem escolha ou restolho >
dem terrado ...... libra
Caibroa........ um
Cal.......... arroba
dem branca......
Carne secca charque. ...
Carvo vegetal...... a
Cera de carnauba em bruto. libra
dem idem em velas. ... >
Charutos. ...... cento
Cocos seceos. ...... >
Couros de boi salgados libra
dem seceos espichados. >
dem verdes......
dem de cabra cortidos um
dem de osea. .....
Doces secos...... libra
dem em geleia ou masa
dem em calda. >
Espanadores grandes. um
dem pequeos .....
Esteiras para forro ou estiva de
navio........ cento
Estoupa nacional .... arroba
Farinha de mandioca. alqueire
dem de araruta..... arroba
Feijo de qualquer qualidade.
Frechaes........ um
Fumo em folha bom. ...
dem ordinario ou restolho.
dem em rolo bom .....
dem ordinaro restolho ... a
Gomma........ arroba
Ipecacuanha (raz) .... >
Lenha em achas..... cento
Toros........
Lenhas e esteioa..... um
Mel ou melaco...... casada
Milho....... 1 arroba.
Pao brasil ...... quintal
Pedras de amolar ... urna
dem de filtrar ......
dem rebolo ......
Piassava........ molhos
Ponas ou cintres de vaccas e
novilhos........ cento
Pranches de amarello de
dous custados.
I dem louro. .
I Salsa parrilha .
1 Sebo em rama.
Sola ou vaqueta
8(600
7*000
320
360
160
320
2(500
1(600
260
360
295OO
4(000
195
230
120
320
11(000
19200
400
600
4(000
2(000
209000
1(600
1
urna
i <
arroba,'
urna '
duzias

arroba
urna
cento
caada
5L
29OOO
26(000
2(000
II9OOO
5(000
200
1(800
59OOO
840
4(000
1(200
120
39000
169000
8CAO
MAOOO
6(000
2(800
1049500
709000
3*600
89OOO
200
280
dem diversas
Tapioca .
Travs. .
Uoh>s de boi.
Vinagre .
Alfandega de Pernaabuce 7 de junbo de 1862.
A pprovo.(Assignad o.) Barros.
^ O priaeiro conerente, Francisca de Paula
Goncalves da Silva.
O segunde confsrenle, Jas Haris Cesar do A-
aaral.
Conforme. O 4. escrplurario, Joaquim Albino
de Gusmao.
Movimento do porto.
Tabsado----------A ultima venda do de pinho foi
259000 rs. a duzia.
Toucinho- O de Lisboa vsndeu-se a 7*500
Bs o- ra. por arroba.
Vinagre -------O ds Portugal, vendeu-se de
1109 a 1259 rs. a pipe,
fisbo ...... O ds Lisboa veartSu-M de
2409 saTU rs, sis*, s o
225frr.
Navios entrados no dia 1
Rio de Janeiro 9 dias, palhabole nacional I'ie-
dade, de 241 toneladas, Capitio Jos Uarques
Viauna, tquipagem 11, carga caf e farinha
de mandioca e outros gneros ; a Joo Rodri-
gues da Silva Valle.
Navios sahidos no mesmo dia.
Lisboa Patacho porluguez alaria do Gloria,
capitio Antonio de Barros Valeote, carga aa-
suear e outros gneros.
Par Palbibote nacional Lindo Paquete, capi-
tio Joao Jos dos Que jos Jnior, carga dife-
rentes gneros.
Portos do norteVapor nacional Jagvaribe, com*
mandante Manoel Joaqnim Lobato.
Aatrio enrado no dia 8
Rio Grande do Sul 22 das brigue nacional Ale
grete, de 131 toneladas, espillo Francisco de
Assrs Goncalves Penna, qeipagem 10, carga
6:000 arrobas de carne secca : a Manoel Gon-
(alvee da Silva.
Vopio fitio no mermo dio.
Philsdslphia palhabole americano Groeland,
eapitao Heather, carga coaros e slgodo.
Editaes.
Perante a cmara municipal desta cidade,
estaroem prsea nos dias 9, 12 e 16 do corrente
aa rendas dos predios e impostes que eoostituem
o seu patrimonio, sendo o Orrendamsnto dos
predios por osa trtenoio, talhos de s;osgae e
impostos por um anno, lado pelos oreos por qae
actualmente se acham arrematados, como consta
do eicripto em mo do portetro, saber:
Alaguis da Praga da Independencia.
Impostos de afertc.des de pesos e medidas.
Ribeira do pene da freguesia de 8 los.
dem do bairro da Boa-vista.
Talhoa de acougues pblicos da freguesia de
S, Jos e Boa-vtsts.
Aluguel da casa da roa Imperial.
Imposto sobre carga de farinha.
Nieguen, excepto aqaelles que quizerem pa-
gar no aclo da arrematacio, ser admitiido tan-
car nos impoatos da eferieso, ribeiras, talhos dos
acougues e medidas de farinba. sem qu. spre-
sentem fiadores habilitados ss fotma da lei i
para ss ostras rendas bastsm rnente catn de
llanca.
Paco da cmara municipal do Recife, em sts-
sio de 26 de naio de 1862. Jos Cesarlo de
Mello, pro-presidente, m, Francisco Canato ds
Boa-visgeto, offkial-maior servlndo de secre-
tario.
Pela thesouraria prbvincisl ss fas publico,
qu o contrato de aterro a facer-se desde a roa
de Sebo at a entrada do Mondego, foi transferi-
do pira o dis 13 do corrente.
Secretaria da theeoursria provincial da Per-
namboeo 5 de junho de 1862 O secretarlo.
A. F. d'Annanciaco.
Faculdade de Direito
aapeticte do odttal la dirsatoris da 7 de marca
a wuausa bssbo.
Da ortesi do Esas. S>. dissstor, tisaetida
sngihs, es es pa siseo qsa sea rsa raado
datis meses, contados ds dala saeta, pan
a laatripeio des qaa pretendern concoirer ao
logar da lente substituto desta Faeutdado. vago
pela fallecfneolo do Dr. Manoel Moreira Guerra.
qae para elle lora nomesdo por decreto de 29 de
Janeiro de correte anno ; pelo qae todos os
5*|8*'W,*<*1 o dito lugar se podero apresenlar
desde Ja nesta secretaria, para inscrever seas no-
nes na livro competente, o que Iher permetli-
do fazer por procurac&o, ae estiverem a maia da
90 legoas desta ctdauie, ss Uvate justo impe-
dimento. Sio, perm, strijados a presentar
documentos que noitrssi aosssalttsde de cida-
dao brasileiro, a de que tinao Mis de seus
dirsitos civis e poliScos, ceJMiio d baptismo,
folhs corrida do lugar se sess doMaJlios, e di-
ploma de doutor por una das fscolfades de Di-
reito do imperio, ou psMfca ffetoa, iustificando
a impossbilidade da apresenteco do original, o
na mesms ocessiio podero entregar qusesquer
doeumaalos quo lulg.rem oevenientes, oueosso
titulo de habilitado, ou como proras de servicos
prestados ao estado,! hmaoidoe,ou i ssiencia,
dos quaes se lhes psssai recibo, ludo de confor-
f4e com MiZ 89 o 3 do decreto o.
1386 de 28 de abril de 1854, e 111 e seguintes,
de n. 1568 de 24 de bvereiro de 1855.
E para qae chegae ao conhecimenlo de lodos
mandn o intimo Ezm. Sr. director sfxer o'pro-
sente, que ser publicado pelas folhas desta ci-
dade e da corte.
Secretaria da Faculdade de Direito do Recife 7
de marco de 1869.O secretario,
Jos Honorio Beserra de Meneze*.
Secretaria da Faculdade 7 de junho de 1862.
Iftan lian *m ^ JM^nn^SSJuaBSk ^^a a^B^B)l*^SWAau
asassan ii*UV|io i"7a-*311 O u l*3Uck*Ja'|
Secretarlo.
De ordem do Illm. Sr. inspector da thesou-
raria de fazeoda desla provincia, se publica para
conhecimento dos ioleressedos a rela?So abaixo
transcripta dos credores de dividas de exercicios
fiados na importancia total de 4:3719996 r.,
cojo pagamento foi autoriaado pelas ordeos do
thesouro nacional ns. 90 e 91 de 14 e 20 de maio
ultimo.
Secretaria da thesouraria de fazenda de Per*
nambuco, 2 de iunho de 1862. Manoel Jos
Pinto, aervindo de official-maior.
Relaco a que se referen es ordens anpra.
Ministerio ds juslica.
AbiO Jos Tavare da SV8, eir-
cieio de 1859 a 1860.....
Estevo dos Anjos da' Porciancnla,
idem de 1858 a 1859.....
Flix Correa d'Araujo, idem de 1652
a 1855 .:......
Jos da Costa Dourado, (I J idem de
1859 a 1860. .......
Jos Piauhilino Mendea de Maga-
lhles, dem idem idem. .
Ministerio da marioha.
Francisco Goncalves d'Arruds.idem
idem idem........
Ministerio da guerra.
Jacintho Jos de Mello, idem idem
Joi Amonio Pealma, idem idem
Pedro Celertioo de Agaiar (Jos
Francisco de Moraes Vsconcellos
cessionario de) (2J idem de 1853 a
1856..........
Silverio da Costa Borges, idem de
1859 a 1860 .i .....
Ministerio do Imperio.
Jos Cardozo Ayres, idem de 1856
1857..... .
Ministerio dajustica.
Antonio Teixeira de Borba, idem de
1852 a 1853........
Francisco Gsrcia do Amaral, idem
de 1857 a 1858.......
Ministerio da guerra.
Abraho Moreira Barboza idem de
1853 a 1854......1
Antonio Francisco Segundo, idem
idem idem........
Antonio de Hollenda Cavalcanti de
Albuquerque, idem de 1856 a
1857..........
Antonio Joaquim de Freitas, idem
1854 a 1855......* .
Antonio Jos do Espirito Santo,
idem de 1812 a 1843. ....
Antonio Jos Machado, idem de 1850
1852..........
Arislides Duarte Carnei/o cu Cunha
Uams, dem o 1853 a 1854 .
ftMf A* Riieh D..io. ld.o> Ha
1851 a 1856....., ,t
CarL.nde Mor Caraiao, idem d
18o3 a 1854.......
Corlolano de Castro e Silv, idem de
1851 a 1854...... .
Flix Joi da Cmara
idem de 1844 a 1819
Francisco Americo Pereira Lego.
Idem de 1854 a 1855. ....
G u 1 Iher me Jos, idem de 1852 a 1857
Hermenegildo Aires Candido, idem
de 1853 a 1854. ......
Jacintho Jos de Mello, idem de
1851 a 1852 .......
Joao Eugenio, dem de 1852 a 1855
Joo Ferreira da Rocha. dem da
1852.1857. ...'....
Joo Francisco Segundo, idem de
1853 a 1854. .......
Joo Jos de Souza, idem de 1843 a
1844...........
Joaquim Altes de Freitas, idem de
1852 a 1857........
Joaquim Jos da Costa, ideas, idem.
Joiqaim Jos Moreira de Mendonc,
idem de 1836 a 1846. .
JosCaetano Feitosa, idem de 1853
a 1854 .........
Jos das Chagas Accioli, idem de
1853 a 1858........
Jos da Fonsecs, idem de 1853 a
1854 : .......
Jos Francisco Alves de Lima, idem
de 1842 a 1866. ......
Jos Francisco de Souza, idem de
1849 a 1839. .......
Jos Jernimo da Concelco, idem
de 1853 a 1854.v ... .
Jos Joaquim Caplelrano, dem,
idem, idem ..vi*.,
Jos Joaquim de Mondones, e Mel-
lo, idem, idem, idem k .
Jos Joaquim d a Rocha, idem de
1851 a852. .,.'....
Jos Lzaro de Csrvelho, idem de
1853 a 1854. .......
Jos Manoel. idem de 1852 a 1857 .
Jos Pereira Santiago,idem de 1853
1854.........
Jos de S- Luis Bimbert (Domingas
Maria da Conceico, mi de), idem
idem, idem........
Lino Gomes da Silva, idem de 1854
1855.........
Manoel Francisco Lopes, idem de
1853 a 1854 .......
Manoel Francisco de Souza, idem da
1854 a 1855 :......
da Hora, idem de 1853 a
Ministerio ds fazenda.
fosepha do lego Barrete, idem de
1854 a 1858. .......
Maria do Rolo Barrcto, iden de
1854 a 1858.......
Frsncisco do Reg Bsrreto Pereira,
idem idm .....
Frsncisco Xnionio de Siqueira Caval-
canti de Albuquerque, idem de
1853 a 1856. .......
Maria Francisca do Bogo herdeiros
de) Man ds 1855 t 1856 .
3609000
3601900
3609000
548156
4:3719996

2:00
5019000
-"A 801,000
Pimantel,
1029121
2|O0O
1799290
731117
179777
5855000
349OOO
I69OOO
208168
77J142
138340
1059554
4619666
99525
89227
669OOO
800
49200
23*100
119049
219683
29OOO
308400
398000
379120
269373
99515
58000
529023
319126
99525
79740
339138
209168
4459O6O
119151
289986
99525
399902
169333
99525
349944
99526
19917
418992
909168
119151
Psrovjte Ihesosrarm provincial val ttovj-
mente I araos, no dia 12 9o torrente, a nsdeira
dss tsrimbas do quartel do corpo da policio, as
quaes se inutilisaram. Os preleodentes podem
dirigifie mesms ttieiovrsrla, no dia iupra men-
cioosdo.
Secretaria da thesouraria provincial de Per-
nambuce, 3 de juahe de 1862.-0 secretario, A.
F. da Aoaunci$ao.
*O Illm. Sr. inspector da thesouraria provin-
cial, ero comprimeoto da resolueo da junta da
fazenda, manda fazer publico, que no dia 18 de
jonbo prximo futuro, perante a mesma junta se
hade arrematar a quero por menos fuer o forne-
cimento dos medicamentos e utensilios par* a
enfermarla da casa de4eleac3o desta cidade, por
tempe de um anno, a contar do 1* de julho do
corrente anno ao im de junbo de 1863.
Aa pessoas que ae propozerem a esta arrema-
taeo mrparecam na sala dss sessdes ds referi-
da juajte no dia cima mencionado pelo mel dia
e competentemente habilitados, onde acharo
presentes o formulario e cundicqes d'srremala-
co.
E para constar so mandoa .publicar o presente
pelo Diario.
Secraiaria da thesouraria provincial 26 de naio
de 1862. U secretario
A. F. d'Annunciaco.
O Illm.Sr.inspector da thesouraria provincial
em cumprimenlo da rosoluco da junta da fa-
zenda, manda fazer publico, qae no dia 18 de
junho, prximo vindoaro se ha de arrematar a
quem por menos fizer a impressio dos trabalbos
dss reparlicdes provinciana a ssber:
Balsncos e orcamento ds thesouraria e relato-
rio da inspectora, com lodos os documentos que
o arompanham, pela qoantia de 1:3729000 reis.
Secretaris do goveroo, assembla, thesoura-
ria, consolado, agencias, obras publicas, direc-
toria geral da ioslrucco publica e gymnazio pe-
la quantia de 2:8009000 reis.
As arrematac.es serio feilas por tempo de um
anno, a contar do 1 de julho do corrente anno
a 30 de junbo de 1863.
As pessoas que se propozerera a estss arrema-
tsc,Ses, compsregam na sala das sessdes da men-
cionada junta, no dia cima indicado, pelo meio
dia, com su as propostas em cartas fechadas.
E para cooslar se mandou publicar pelo Diario
Secretaria da thesouraria provincial de Per-
nambuco 26 de maio de 1862.
O secretario
.4, F. d'Annunciaco.
O Illm.Sr.inspector da thesouraria previo
cial; em cumprimenlo da resolueo da junta da
fazenda, manda fizer publico, que no dia 18 de
junho, prximo viodouio, perante a mesma jun-
ta se ha de arrematar a quem por menos fizer o
servico da capstazia do algodo do cooaulado
provincial, avallado annualmente em 3:9609000
reis.
A arrematacio ser feita, por tempo de 3 an-
uos, a contar do 1* de julho do correle anno,
a 30 de junho de 1865. As pessoas que se pro-
pozeren a esta arrematacio, comparecen} na sa-
la das seisei da mencionada junta, no dia ci-
ma indicado, pelo meio dia, com suss propostas
ein cartas fechadas.
B para constar se mandn publicar pelo Ota-
rio.
Secretaria da thesouraria provincial de Per-
nambuco 26 de maio de 1862.
O secretario
A. F. d'Annunciaco.
De ordem do Illm. Sr. inspector desla the-
souraria, eem observancia da ordem do tribunal
do thesoaro n. 84 de 28 de abril deale auno, sio
pelo presente convidadas aa pensionistas do es-
tado .bailo dol.r.J.. a 1y>mo nUW3 .pnjl.'nl.-
rem'os ttulos declsr torios deseusiveocimentos,
'" o lriea possa abrir o respectivo ae-
sentamnto,aob pena de lhes nao serem pagos os
ditos vaocimentos sem o referido assentamento.
Fraottses da Pureza de Oliveira e Silva, "
Francisca do Reg Brrelo.
Ignez Amalia Goes de Btito.
Josepha do Reg Brrelo.
Hara da Conceico Cavalcanti Barros.
Maria Egypciica de Lorio.
Maria do Reg Barreto.
Secretaria da thesouraria de fazenda de Per-
na m buco 27 de maio de 1863.
Servindo de official-maior,
Manoel Jos Pinto.
Pela thesouraria provincial,se faz publico,que
o contracto do aterro a fazer-se desde a ra do
Sebo at a entrada do Mondego, foi transferido
para o da 5 de junho prximo viodouro.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
baco 26 de maio de 186S.
O secretario
______________^Reelfo.
N. 17.Sehrtdo de dous andares e
]. por anno....................
N. 22.Sobrado de um aislar e lo-
ja, per anno............
dem 24 Sobrado de dos'andares
a toja, idem......................
dem 25.Sobrado de um 'andar e
toja, idea..................
Iden 26.Coas terrea, idem...".'."'.
dem W. .......
Mesa 30. a .......
dem 34. o .......
Ideas 32. s .......
Mas* 33. .......
Iden 34. -.:* .......
dem 36. > .......
Ras do Torres.
N. 37.Sobrado de dous andares e
loja, por anno....................*
dem 38.Sobrado de dous andares
e loja, idem......... ............
dem 39.Sobrado de dous andares
e loja, idem......................
Ra do Cordoniz.
N. 42.Casa trra, por anno........
dem 43.dem idem idem........
Ra da Moeds.
N. 44. Casa trra, por auno.....
dem 45. > > > ___
dem 46. > ....
dem 47. ....
Ra de Amorin.
N. 48. Casa terrea, por anno....
dem 49. .....
Mem 50. .....
dem 51. .....
dem 52. .....
dem 53. .....
dem 54.Sobrado de dous andar
e loja, iden......................,
dem 55.Casa terrea, idem.......
dem 56. .......
Ra do Aceite de Peixe.
N. 57. C*aa terrea, por anno.. .
dem 58. ....
dem 59.Sobrado de nm andar s
loja, idem........................
dem 60. Casa terrea, idem.......
dem 61. o .......
dem 62.Sobrado de um andar, e
loja, idem........................
dem 64.Casa terrea, idem.......
Ra do Vigario.
N. 71.Sobrado de tres andaras e
loja, por anoo....................
dem 73.Sobrado de tres andares
e loja, idem .....................
Ra do Encantamento.
N. 76.Sobrado de doas andares e
loja, por anno....................
dem 77.Sobrado de doas andares
e loja, idem......................
Kua da Senzalla Velba.
N. 78.Sobrado de dous aodarea e
loja, por anoo....................
Ra do Trapiche.
N. 85.Sobrado de tres andares a
loja, por anno....................
ttua da Linguete.
M. 86.Sobrado de dous andares e
loja, por anno....................
Kua da Cruz.
N. 87.Sobrado de dous andares e
loja, por anno....................
dem 88.Sobrado de dous andares
e loja, idem......................
dem 89.Sobrado da dous andares
e loja, idem......................
dem 90.Sobrado de dous anoarea
o loja, idem......................
As arrematarles serio feilas por lempo da tres
aonos, a contar do Io de julho do crtente anno
aofim de junho de 1865.
E pera constar, se mandou publicar pelo
Otario.
Secretaria da thesouraria provintial de Per-
ntmbuco, 4 de junbo de 1862.
O secretario, .
A. F. d'Annunclsclo."
Gollectoria das rendas geraes do mu-
nicipio da cidade de Olinda.
O coliflor das rendas garaea do municipio de
OWatf, arfara mur Sr. cvotrttraistM tOBnsT*-
postos sobre lojas, labsrnas, o segunda dcima
addlcional das corporscoes de moo mora, que
os 30 dias uleis psra psgamento i bocea do co-
fre do segundo semestre, principiara no dia de
hoje 2 do corrente, e fiodam em 8 do mex pr-
ximo vindouro, pois que nao psgsndo dentro doa
referidos 30 dias, incorren na mulla de 3 %, os
qual j tem incurrido- aquelles dos Srs. contri-
buales que anda nao pagaram o primeiro semes-
tre. Collectona das reodas genes de Olinda, t
de junho de 1862
O eollector.
Braz Ferreira Maciei Pinheiro.
Gollectoria provincial de
Olinda.
O eollector de rendas provlnciaes de Olinda,
rz publico pelo presente sos contribaintes da
mesma collecloria, que do dia 2 de junho pr-
ximo fularo princlpia-ae a contar oa 30 dias
uteis marcados para a cobranca a hoces do cofre
dos impostos lacgados seguintes: segando se-
,5519600
7019000
1451100O
5511000
1:3519900
5019000
4019900
6OO9O6O
2519000
5911010
4019000
3039000
3611000
680JJOOO
4519000
i9r|ooo
3019060
2OI9O6O
5619000
2-15000
"19000
99OO
3019OOO
4019900
6019000
2319000
281frJ60
501|090
501969O
591|960
2519960
6OI9OCO
1:0019900
4019090
1:0019OOO
1:6019000
806)900
801900O
7549OOO
.5812000
501|000
8819000
1:0019000
1:0008000
8919000
A. F. d'Annunciaco.
0 Illm. Sr. inspector da thesouraria urovin-: meitre da dcima urbana do corrente anno fi-
Maooel
1854
Maaoei Izidero
idem -de 1854 a
Manoel Josqnim
idem de 1852 a
0,0 Nascrtsenlo,
iras. :
de 8ssn Anos,
1857.
Manoel Jeoej Viauna, idem de 1848
a 1850
Manoel Vaz, idem d'e 1846 a' 1850
e 1853 a 1854.......
Mariano Ramos de Mondones, idem
de 1853 a 1854, .......
Pedro Jos Montenegro, iden da
o 1848 a 1849 ...... .
Sebasliao Antonio do Rogo Caval-
canti, (herdeirode) idem de 1851
Theodora liara da sa'i tacas* (tillo -
ra de aeua tUhos), iden ds 1848
a 1850. .........
Thiago Olimpio do Paula Moreira,
iden ds 1853 a 1855 ....
Vicente Isidoro do Rosario, idon
de 1853 a 1854 ..... .
519333
89340
119451
289000
9J525
69980
79980
116*166
149114
209884
20J000
351)467
655000
19060
19002
(l] Astas de eftsctuar-ie O pagamento desta
divida deve a thesouraria mandar revalidar o sel-
lo do reqaerimenlo de crsdor, se para toas 6n
se renette, devolvesde-o depois os thesssrs.
(2) Remette-se a thetoararia o ltalo' de ets-
sso, adra de qsa atoa da tsalasM as s pos
naoto aoja rsessfesaida a asslgsatsra a roto do
oodents, deveado ssr Ospoio roosviado ao the
sonjo ssrs fletr asswss 10 protesss.
cial em cumprimenlo da ordem do Exm. Sr. pre-
sidente da provincia de 30 de maio prximo lindo
reanda fizsr publico que no dia 12 do corrente,
se ha de arrematar perante a junta da mesma
tbeeoareria e a quem por msnos fizer s obra doa
reparos de que precisa a cssa do sitio numero 1,
na estrada do Parnameirim, pertencente ao pa-
trimonio dos orphios, avallada em 3109000.
A arrematacio sari feita na forma da lei pro-
vincial n. 543 de 15 de maio de 1854 e sob as
clausulaa especia es abaixo copiadss.
As pessoas que ss propoteren a essa arrema-
tado comearecam na sola dss sessdes da referi-
da junta, no da suppra mencionado, pelo meio
da e competentemente habilitadas.
E para constar se mandou affixar o presente e
publicar pelo Diario.
Secretaria da thesouraria provincial de Per-
nambuco, 2 de junho de 1862.
O secretario,
Antooio Ferreira da Anounciacio.
Clausulas especiaos psra a arremalsclo.
i. 0 cocearlos precisos oa casa do sitio n. 1
S?^Sitr'd*. d0 PM'im na importancia de
3109000 erao feilas de cooformidade com o res-
pectivo orcamento.
2.*O arrematante dar principio a obra no
praio de oito diae e a concluir no de aessenla
dias. ambos contados da dala da arrematarlo.
3.'O arrematante seguir todas as prescrip-
coes que Ihe forera dadas pelo engenheiro encar-
regado da obra, ficarl sojelto as disposiedes da
lei provincial o. 286, ss qse diz respeito a arre-
mala q a o.
4.aO pagamento ser eilectuado, depois de
codcIi 1Q8 s obrd.
5.aNao se admittir em qnelqeer tempo re-
clamacao alguna por parte do arrematante, ten-
dete o eaigontla Se indennisauiu.
O secretario,
Antonio Ferreira da Annunciacao.
O Illm. Sr. inspector da thesouraria pro-
vincial manda fazer publico, que do dia 3 do cor*
rente por diante pagam-se os ordenados dos empre-
gados provinciaes, vencidos no mez de naio pr-
ximo Ando.
Stcretaria da thesouraria provincial de Per-
nambuco, 2 ds junho da 1862.
O secretario,
Antonio Ferreira da Annunciajio.
Perante a thesouraria provincial, val novs-
mente prsca, psra ssr arrematado a aero mais
der no dia 26 do correte a renda daa casas, abai-
xo mencionadas, pertencentes 10 patrimonio dos
orphaos.
Rsa ds Quaimsdo.
Mswsto 1 Le>, porostro......... 2769000
Idan Iden.-Sala do prinairo M-
ar.iden iden.................. 1O290O0
Roa ds Crespo.
H. 3.Sobrado ds trae andaras e lo- _
j, potssne...................... 1:4039000
Ra le Raogel.
nanceiro de I06I a 62, 4 por cento sobre sluguel
das casas de negocio, 5 por eenlo sobre a renda
das casas pertencente sa corporales de mo
mora, 8 por cento sobre aluguel de escriptories
de advogado, tebelliio e eserivio, e primeiro se-
mestre do imposto de 20 por cento do consamo
de agurdente, Ando este praxo incorrero na
multa de 3 por cento os omino. Collecloria
provincial de Olinda 28 de maio de 1862.
O eserivio,
Joo Goocalves Rodriguea Franca.
Inspecco do arsenal dema-
rinha.
Fsz-se publico qua a commiisao de peritos
deste arsenal, examinando na forma determinada
do regulanento aconpanhando o decreto o. 1924
de 5 de fevereiro de 1854, o casco, machinas, ap-
parelbo, maslreacio, veame, amarras e anearas
do vapor de reboque e:Camaragibe da campa-
nea denominada Vigilante, aehoa todos esees
objectos em regular estado,
Inspecco do aiseoal de marioha de Porosa
buco 7 de janho da 1862.
H. A. Barbosa de Almeida.
Inspector.
Pela recebedoria da rendas internas genes ao
faz publico que neste crrante nes ce losa s
prsso do pagamente, sem multa, do segundo se-
mestre do exarcicio corrente doa seguintes im-
peitos, decima addiciooal de mo-noria, impos-
to de 20 por cento sobre lojas, dito especial so-
bre casas de movis, rsopaa fabricadas on pas
estrangelro, a qae do 1. de julho em diaate sa-
rao pagoa com a malta de 3 OrO
Recebedoria de Pernambuco 6 de janho da
1862.O administrador,
Manoel Csrnairo da Sosas Lacerta.
Cooselho administrativo.
0 conselho administrativo para fornecimesto
do arsenal de guerra tem de comprar os objectos
seguintes :
Para o presidio da Fernando.
87 naos de 40 palmos de comprimeoto.
7 pollegadas de face, para frechaes, t>
mieiras.
34 ditos da 37 pslmos da esjnprim
9 pollegadas de face, parollilaa 4
soarsa.
40 ditos de 25 palmos da compr
7 pollegadas de face, para espira*
84 travs de 22 pslmos de coasauneil
7 palmos de face, para pernas dssesoura*.
800 caibroa de 25 palmos de comprimeoto.
125 duzias de ripss.
50 barricas de canlo P reboque de pa-
redes.
200 alqueiroa de cal.
80 nllbelros de telhss.
30 vsrgaloes de ferro de 1 IjJ poUeiad*.
5,000 pregos caibraes.
3,000 ditos calzaos.
16,000 dltsfrtihoaT 1.
P*itAT balalhto da oUbU.
1 trena de 15 brajas.
SO caestoo.
50escovaa atol
isV
I
I
\
V
*-:
V
Jf J_
1 oh.


-- .:, ii........- -
n. ,.
i
i
I
11
fr
conselho,
juoho
malo
HP1 e 9 do
[eoelho adm niiitraiivo,
"Mi 4o |wna, 81 de
~iw te* sal,
i Coronel presidente.
a*W*ac*eco Joaqun Ptrtirt. Lcbo,
Cotoaei vogal McreUri > LLnteiIoo
Consulado provine al..
e fas pu-
ra a co-
matre do
2 dos im-
dis re-
e SO por
de 5 por
>er>.encen-
inc.plsm a
rnnmbuco
ida sicQo
...** ** tooiulado provincial i
buco que os 30 das uteia marca doa p
branca a boceado cofre da aerando ai
anoefloancelro eorreole de 1861 a 18
postea da decima dos predio urbanos
Cuasias deala idadeiB doa Atona do, c
canto do consumo de agurdente, e
canto aobre a venda doa bens de rali
te* a eorporacoes de mo mort ae pt
contar do dia 2 de juoho vindoaro.
Mesa do coniulado provincial de P(
28*de mato de 186-2.O chefe da eegui
> F. Ferreira M. Kibeire.
ha- Peranle a thaaouraria provincial, vio nova
tente pre$a para aerem arrematadla i queat
mais dar, no dia 12 da janho prximo vindoaro,
i renda daa caas, abata mencionad", perleo-
entea ao patrimonio doa orphaoa, a aa jar :
Raa do Sebo.
IWM tarrea o. 12, por anoo 160.
Rea do Roaario da Boa-Vala.
Casa terrea o. 14, por aooe SOI. '
Ra da Lapa.
Caa terrea o. 41. por aoao 182*.
* Ra da Cacimba.
Oa terrea n. 65, por anuo 300$.
Rui dos Burgos.
Osa tarrea o. 69, por anoo SOS.
dem a. 69, por anoo 1150.
Ra da Smala Velha.
Sobrado de doua andarea n. 79, por toco 6509.
dem idem n. 80, por anoo 650f.
Roa da Guia.
Caa terrea n. 83, por "anoo US.
IdD e.84, por aono 168$.
Ra do Pilar.
asa tarrea n. 96, por anoo 157$.
Raa da Madre de Deea.
Caa terrea o.35, por anuo 1:621 tf.
Estrada do Paroameirim.
itio n. 1, por aono 500$.
Sitio n. 2, por anrto 120f.
Forno da Cal.
Sitjo_p. 5, por anoo 352$.
irrematagoes sera o eitai pelo lempo que
ir do da da approvaco do cintrato ao
|e junho de 1864.
r conatarae mandn publicar pelo Diario.
miarte da theaouraria provincial Je Per-
ico, 26 de-maio de 18610 aecietsrio, A.
n. Ceaselkt admioislralivo.
onselho administrativo, para tornee: ment
JeTI Mina! de guerra, tem de comprar c s ooiecloi
egutntes :
Parra eicriptursco do hospital m litar.
Mhirteaaara registro dos medicamentos, de 8 a
180 folbai.
lasjfo para registro do material da t ofermarie
*PftO folhaa.
1 dtto para o recettoario de 80 a 100 folhaa.
1 dUo pata costa correte ou raa de 80 a
IWtolher.
1 dtlo para entradaa e sahidia, d> 60 a 80
olhai.
Wdito para a correspondencia official, de 60 a
lolhai.
t dito para registrar oa officios que ecober de
devJOaSOfotbaa.
1 dito para registrar oa objectos a catgo do en-
farmelro mor, de 60 folhaa.
4 dito para carga doa iostrumentoi i irurgicos,
ir 80 folhaa.
Todos eslea livroa devem ter o mean o formato
e cooteado todos papel da mesma <|ualidade,
qjiaeaqeer qu sej* aa folhaa de que acorneo -
nham.
Para o arsenal de guerra.
,50grosas de Avallas de ferro estancadas para
grvalas.
Quem quiter vender taea objectos apieaente aa
amas propoaUi em carta fechada aa aeci otaria Do
cooselho, as 10 doras da utaabla ao era 10 tfo
correte mez.
Ssla das sesses do conselho administrativo,
para tornad manto do arsenal de guerra, 6 de
junho dt 1862.
Antonio "Gome Leat,
. Coronel presidente.
Francisca Joaquim Ptrtira Lobo,
Coronel rosal aecretario interino.
Por eate subdelegada scientics- acha depositado um cavallo castanbo qie lbe foi
entregae pelo fiscal da mesma (reguezi; ; a pes-
aos qae.se juigar com direilo a dito cava lio. com-
psrega na mesma aubdetegacia, qee pro ando le-
galmente, ibe aera entregue.
Subdelegada de Marbeca 1.* de unho de
1862.-0 subdelegado,
Albuquerqe.
Conselho de compras ni va es.
Tendo-ae de contratar no dia 12 do crrante
roa, aob aa coodicfea do esiylo, e approva;ao
do Exm. Sr. presidenta da provincia, c foroeci-
meoto de ambulancias para'os navios di arma-
da, e o a vis melo do receituario daa en'ermaria
de msriohs e dos africanos, bem como, os servi-
dos de barbuiro ne'ceaiarioa a eilea eitabelect-
mentos, porm referinde-se somonte saogrisa,
applicaco de bichas e ventolas, formieeado-ai
0 contrstante, extracto de denles, e raspameoto
de canecas, ludo por lempo de doze mezas lindos
em juoho do anno prximamente viodoi ro; con-
vida o coneelho aos pretendentea a apr.seotarem
nesse dia mas proposlas at as 11 hor u da ma-
ntisa.
Promove-ae tambero nease meamo da a com-
pra, sob aa ditaa condicoea do estylo, c os objec-
tos do material da armada, abaiio dec arados, e
copvida mala o conseibo Sos que quein o vnde-
los a apresantarem igualmente suas proposlas na
referida bora.
Para oa navios da armada e arsenal de
marinha.
6 barra da bren, 20 libras de cera neta, 500
caibros de qaalidade, 50 folhaa de cobr > de 16/0,
1 escaler ds 6 remos{ 1 ditb de 4 ditos, 10 arro-
bas de estopa de algodlo, 1 lino mapi a de 100
fulhif, 100 pies de obraias, 1 arroba de pregos
de cobre de 1[2 potlegada para forro, 16 dorias
de taboaa de' amarello para aisoalho, 2 duzlas
de taboaa da pinho da Soecia de 3 pnllegadas,
16 duzlas de ditas de S ditas, 12 distas de ditas
da 1|S ditas,8 dunas de ditaa da 1 dita, 6 duziaa
de dttaa de loero para assoalho, 20 duz as de di-
taa-de-protio de 8\4 de pollegada, 5 a robas de
secante, 500 libros de tiota prets, 50 vigas de
qasifdade de 40 palmos cada orna. ) ditaa de
dtte de 60 ditoi.
Secretaria do conselho de comprta mvaes em
5 de juoho do 1862. O secretario,
Alexanre lodriguei dos Aojos.
* GoDsellit atroinistralivt).
O conselho administrativo, para fon ^cimento
do araensl de goi a. tem de comprar o i objectos
Me infsotarii de liaha.
ano izul.
de dito cor de rap,
case mira encarnada,
de dita azul claro,
de hollaoda de forro.
raras detrtm brinco,
algodozioho.
galio de prata da m lia polla-
raras
para soldados.
------ saati ososirn
paree de plsatUse aem sha>am{oe.
> parea de ditaa coso chonric*s.
tf ditas para msicos
------1 hsjars mitrlmi conforme o flgirta.
d toreados para os meamos.
ees eanter eajajder.Uea objectos sor sotte so
eaa eaarta foebala, na toonitarU do
' msnkis do ln II do
administrativo
de gue -r, 5 de
COIPANBIA
mtm* m i^hii mm.
GR4NDE CIRCO 0GE4N0
DE
SPALDING & ROGERS.
Positivamente ultimo dia
HOJE
Segundafeira 9 de junho;
BENEFICIO DA SANTA G 48A DE MISERICORDIA
Todos com b'rilhantismo apparecero.
Todo os cavallo te opresentaro.
Paguem 40000 pela cudeirat.
A causa i sagrada e o espectculo apparatoso.
Paguem 3JO0O se nao podem dar mais.
Joven Kate Ormond, andar a cavallo.
Joven Carlos Fish, andar a cavallo.
Ferdinand Tourniairer andar a cavallo.
Theodore Tourniaire, andar a cavallo.
Paguem 20000 pela platea.
A causa sagrada, e o espectculo apparatoso.
Paguem 45t500 se nao podem dar mais.
O CAVALLO HlRAM s ESFORCAH PURA FALLA.
W1LOIIHB, ATIRAR MCUamA'-B SB PRECIPITABA.
HA VER l'JA CHOVA DE PRATA.
IAVER CHA BRIGA COM OS SALTEADORES. *
COMPRE! B1LHETES, COMPREN BILHETES I
A CAUSA SAGRADA E 0 ESPECTCULO APPARATOSO
COMPRE BILBETES, COBPREH BILBETES. I
4 eompanhia disputar na emienda gymnastica.
A eompanhia se ligar en rivalidade acrobtica.
Sra. yforland representar.
Sra. Nobles representar.
Cadeiras somente 39000 reis
A .'causa sagrada e o espectculo apparatoso.
Paguem mais se poderen faze-lo.
Jorge Sharp, tem preparado novas pilhrias.
W. Duvema aprenden uns novos tregeitn.
Sr. Neal lem novos jugos.
ST. Worfwn*- re ti nwtn tzxxvttccs.
Platia smente a IS e quivhentos rlis.
A causa i sagrada e o etpeclaculo i apparatoso.
Paguen mais se poderen faze lo.
Sr. JV. Rogers apparecer na pantomima
A menina, bella Rogers apparecer
A menina Anna Worland appareer
Os commeiantes apparecero
Cadeiras a 30 platea 10500
A causa sagrada e o espectculo 6 apparatoso
Paguem mais se podem faze-lo.
SANTA CASA DE MISERICORDIA.
Bilhetes j promptos para a venda
Elles valem mais do que o seu prego
A causa sagrada e o espectculo apparatoso
Cadeira 30000 platea 10500
Este*estabeleciment< Circo sogee visgem para o Ra de Jaoeiro quarta-feira
bordo do brtgueflannafcpropriedade da eompanhia.Todas aaconlas concerneotea
la este estabeleclmento, subsequentesao dia deajuite e pagamento, que foiaexta-
feira paasada. dererio aer apreieoladab o'este eicriptorlo. afim de serem pagas
na quarta-feira prxima pela aianha. v '
Por ordem do Director,
W. T. B. Var Orsek JoanoR,
Secretario.
tiCANA
Navegaco costeira a vapor.
Parahiba, Bio-Grade do Norte, Macau,
Aracaty e Cear.
- P.aTi0r *l8""u.commaqdanle Viaona,
ssnira pira os portoado norte at o Ceara no dia
i*601!.'1"? l 5 hor" d* Urf- Reeba car-
ga te o dta 19 ao meio dia. Eocommeodaa paa-
Hgoiros e dloheiro a freleat o dia da ashida i,
a oras. Escrptorio no Forte do Mallos n.4.
Porto e Lisboa
Segu bretemente a veleira barca portugueza
Sympalhia. por ter aua carga, parte a bordo
parle engajada ; para o reatante e pasiasejros,
ita se com Bailar lOlireira oa ra da Cadeia
ds Recite n. 12.
(CU1IPJIIIIIJL \
DAS j
Messagenes imperiales.
At o dia 14 do correte' espera-ae dos portos
do eoi o vapor fraoees Biarn, eoamaodsale Ao-
bry de la No, o qual depoia da demora do esfu-
me, seguir psrs o Rio de Jeneiro, tocando oa
Baha ; para paaaa roa do Trapiche n. 9.
Para
Rio de Janeiro,
segu com toda brevidide a liada o veleira barca
nacional dril, de primeira clasae, capitn Gas-
par Leita de Paria* a qual tem parte d sen car-
regamento prompto ; para o resto, trata-se com
os seus consignatarios Aransga, Jijo 4 C, ra
do Trapiche Novo n. 6..
COIPASEIA PERiXAlBL'CA^A
Dt
i\avegacao costeif a a vapor
Parahiba, Rio Grande do Norte, Ma
cau do At*u\ Aracaty, eara' e
Acara cu'.
O vapor Jaguarlbe, oommandanta Lobato,
aahir para es portos do oorte at o Acarac,
no dia 7 de junbo aa 5 heraa da tarde.
Recebe sarga at o dia 6 ae meio dia. Eocom-
mendas, passageirose diuheiro a frote- at odia
da aahida a i hora; eacriptorio no Forte do
Mallos n. 1.
iO**,
Aviso* martimos.
Rio de Janeiro
O brigue nacional Alfredo, segu com brevi-
dade e tem meio carregamento tratado, para o
reato trata-se com oa coniigmtirios ITarquei,
Barros & C Isrgo do Corpo Santo a. 6.
. Para o Kio de Janeiro, recebe um resto da
carga a frote a batea brasileira Concedao : a
tratar no. eacriptorio de Amorim Imaoi, ra da
Cruz n. 3.
^^
COMPANHIAeBRASILEIRA
MDIBu*8S l TJUMMl.
Espera-ie doa portos.do sul at o dia 13 do
correte o ripor Ovrcfro db Sul, commandante
o capitao de mar e guerra Cervario Mancebo, o
dual depoia da demora do coslume seguir para
os portos do norte.
Desde j recebem-se passageiros, e engaja-so
a carga que o vapor poder conduzir, a qual da-
rer aer embarcada no dia de sua ehegada.dlohef-
ro a frete e encommondaa al o dia da sabids s
8 horas ds tarde : agencia ra da Crux n. i, es-
crptorio de Antonio Lola- de Orelrt Azevedo
4 c:
CQMPANHIA BRASILIRA
DE
Wf W | WMlft.
Aie o oa 23 do correte esperado doa portoa
do norte o vapor nacional J'orand. commandan-
te o cspio-teneote Jos Leopoldo de Noronhi
Torrezo, o qual depois da demora do coslume
seguir para oa portoa do sul.
Deade j recebem-se paasageiroa e eagaia-se
a carga que o ripor poder conduzir a qual dora-
r aer embarcada do dia de sata chegada, eo-
commendas e dinheirp a frete at o dia da salu-
da as 2 horas: agencia raa da Cruz o. 1, es-
riptorlo de Antonio Luis de Olireira Axeredo
o C.
Aracaty,
8#gne no da 10 do mex correte o blata San-
ta Cruza, recebe carga a (reta e pasas gal ros : a
trster com Csetano Cyrtaco da C. Irmlo. na
lado do Corpo Santo o. 93. '
Bareellona.
O brigue" haipaohol Dous Irmaos, capitao D.
Fernando Torras, qee vil sahir par* Bareellona
em poucos das, recebe slgums carga para com-
pletar o iea carregameBlf, com especislidadeari-
godao : a tratar com o meamo capillo,, ou com
o consignatarios Caf valho. Nognetre a C.
K Para.Lisboa segu com malta brevidsde o>
br4aa> Port AaU*, tea preaspiO a mator
parte do carregamento, para o resto que recebe
a frete ou para passageiros, aos queea offerece ei-
celleDtss commodos : trita-ae no eacriptorio de
Amorim & Irruios, rea ds Crat o. 3, oa eom o
VMlo Jos Antonio do Oliveira, na praca do
Commercto.
lahia.
Hate Santa lita* segae oest.a di aa ; para a
_ae* da carga trata-aa cosa Csetano Cyriac* da
l.W.t\ Ivaai*. >* **(fo dO Corao ganas* a. 18.
Para e> Hu tirana* 9*4 eesju* oa awtn
trorldade irlg imsi cCsmasaarasi, posjsW
taca* a aate : para tratar, o* eacrlf tefta d* aV
aaorim talos, ras di Crat a. I.
Janeiro.
FiTcZifZtfz'ir"'*"** Farinha r|e trigo.
Quarta-feira 1 i. do correnfe.
Wil A Juit farao leilio por interveneso do
geote Piolo e por conla e riieo da quem per-
tencer d* cerca 4 barrica! com farioha de trigo
existentes do armaiem dos Sra. Aotunes Guimc-
riss 4 C.,' onde se efluctuar o letlo slO ho-
ras do dia atimameaciouado.
LEILQ ~~
Segunda teira 9 do corrente
Malheus. Auatln A C. farlo leilo por nter-
veoco do ageute Oliveira, de 9 barricaa conten-
do opllmos presemos-para Hambre, os mais fres
caes, bem preparados e encapadoa e no melbor
eilado poeaivel, imporlsdos ltimamente da
America, e qaaas ouoea a este mercado chega-
ram superiores, atto que pode veriflesr-se an-
tecipadameota ao armaiem da farioba dos an-
duociaotssUo na rus da Beosaia Velha, onda
tr lugar o Isilo, oa aegunda-feira 9 do corren-
te, ao meio dia em ponto.
Seguada-feira 9 do corrente.
O agente Piolo far leilo a requerimento de
Joaquim M. Portella e por despacho do Illm.
Sr. joiz municipal da segaoda vara, de urna car-
teira, balcao, armarlo, 104 gsrrafaa com conaer-
?as^ US ditas com servejs, 12 ditss com licor,
60 frascos com molho, 50 duziaa de copos, urna
burra velba, 18 cadeiras, ama mesa, um sof,
2 eooioloa, urna eoaamoda, 2 pares de lanlemas,
2 jarroi e oatros objectos existentes no armaxem
e prmeiro sndtr do sobrado da rus da Croi n.
n. 7, onde ae effectuar o leilo no dia cima
meocoaado.
Principiar a* 10 horas.
LEILO
DE
Um escravo.
BOJE 9 DO CORRENTE.
S.0 ageate G*imares. por despacho do Illa. Sr.
r. juii maoisjpal da 1 rara, a requerimento do
Isatameoteiro dos kens deixsdos por fallecimento
de Felippe Nery, vender em leilfo um eacravo
*jo;o, com offlcio de e-iotor, eai seu escrptorio
ni raa da Cadeia do Recite 0. 1 audar, pelas
11 horas do dls cima.
LEILO
DE
um carro da alt'andega,
A dicjiinheiro ou a prazo,
Hoje 9 do comente ao meio dia
*$ iM.,u Go'OMriea, em seu escrptero oa
na da Cadeia do Redfe n. 3, I'aader.
'" ...... i ..........,............i
LEILIO
Dividas,
Quarta-feira 11 do correte a
lfcora da tarde.
0 agsote (joto IeTr novsmeot*
dividas aatrvaa da ._______
Soarea e?e Axeredo, lervinoo
fcflW N *#A*lon!o||1 i
J.

>a'____ --------------------------- ------------------
lm. Sr. Dr. juiz especial do coasaratete: a i
fiia> filiar* .fo.v*a *1 *_ _
hera da
reau.
lefio do dia quarta-feira 11 do'cor-
Avisos di y eraos.
A aessoa qoe annunciou precisar de quem as
eucarrsgasie.de urna menina de dous snnos e
meio pare acabar de criar; pode dirigtr-ee s ra
Velha n. 73.
GRANDE
Laboratorio a vapor
DE
Lavagem e engommado
de roupa, de Ramos mentel.
Empreza Importante, que vai prestando rele-
rsotes servidos ssas fregueses pels promptidao
e perfeico com que lava a roupa aem a estragar
PRBC08.
Roupa sortida (embora nao venhara meiai oem
leoijoi] 40 rs. par peca. .
r*as grandes isoladamente 100 ra.
Roepas de navios, vapores e hospilaea 70 rs.
Uila de familia que nao fregaeza 80 ra.
a ISO "* d0aQte d* f,Bll'a I"8" o freguesa
Urna rede ou cortinado de cama oa veranda
Mi fu
O prego doa engommadoa mdico e confor-
ma as pegas, como coilumam fazeraa eogomms-
delras. O preso da entrega da roupa lavada
8 das, e eogommada 15, aeodo que muilia vexea
eat prompta antea do prato. Daposito oa roa
Nova.
Rxiatiodo em poder do Sr. Francisco Aoto-
nio Pooiual.eomo que scoutado o eicnro-de nomo
Jeronymo, qoe pertenceu ao Sr. Jlo Bernardo
Ferreira, e boje da propriedade do abeixo asslg-
oado, o nao lando dtto senbor mandado at o pre-
sente entregar esse mesmo eseravo, como teoho
baatintea provea, por isao venho desde j pn.tes-
tar eoolra asas proeedimenlo. licando o Sr. Pon-
tual cario de que aera responsavel por qualquer
descamiebo que meo eseravo posia l-.r, como fu-
ga ou morte.
Flnrenjino Jos de Hllo.
Eogomma-se com toda a perfeic.o e brevt-
dade ; na ra do Amorim. caaa terrea n. 24
O abolso asaigoado faz acieote ao respeila-
vl publico e principalmente ao respeitavel cor-
po do commercio, que tem justo e contralado
vender a sua taberna sita no pateo da Ribeira n.
l.aoSr-Jos da Silva Santos, por isso pede a
todos os seus credores, para no praao de tres dis'
lhe apreseourem seas contas correotea, adm de
reaRsamento de aeus pagamentos conforme con-
veocionsrem, vtsto ter tambera vencido o praio.
Recite 3 de junho da 1861. '
___ Joi B*rnardino Alves.
Jos Baptista Nizet, subulo traocez. retira-
se psra o Rio de Janeiro.
Alugam-se o segundo o lercetro aodarea do
sobrado da ra doa Taooeiros no Recife o. 5, mui-
to fresco : a tratar na ra da Crus n. 31.
V*em precisar de ama ama da leite para
criar, codera procurar, que achara com quem tra-
lar, na raa da Lapa n. 13. no tercairo andar.
A pesaoa que annunciou dar urna criaoga
para criar, dirija-ae ao becco do Cirioca n. 3.
loja.
Preciaa-ae fallar com o Sr. Antonio Joaquim
de Jeaus Rodriguee da Fooseca, natural da fre-
guezfa da Graca do Arcebispado de Braga, para
aa lhe entregar carlaa de aua familia, na serra-
rla do Paulo Jos Gomes & Hedeiros, na ra do
imperador, ou na aerrarla da rea da Concordia
numero 1.
Anloni,. Pinto doa Sanios, sub )il ) portaauB
retira ae para o Tara com escala pela Parahiba!
Cesra Haranhio.
Ha para alugar trea eacravos mocos para qual-
quer servicos e urna escrava, casada que aabe
vender na rea, maa s ae aluga com o marido ;
qnam pretender dlrija-se a padaria do^nanaui-
nho que se dir; quem tem.
Joaquim Jos de Oliveira e Souze, risidenie ns
Parahiba do norte faz scieote ao respeitavel pu-
blico, especialmente ao corpo de commercio que
de boje em diaote se assigna por Joaquim Jos
de Oliveira Apolim por haver outros do mesmo
nome.
Dr. Siira nmo&:
Ellei eetabeleeimento j bem eoahecide, e tOft-
eeituado nesta provincia pelos relevaoUe s*vn-
Qos qaa tem preitado, contina o as melhore ?*-
dicdes debaixo da direccia de seo proprieUrio k
IiT. d.eBlM s la. ol quaes
ro traalos com tolo zelo e kleresse <
presos seguiotes :
Primeira classe.... '3j|000ou mais.
Seareana. dil....... 2,^
lerceira dita...... SyOOO
n.r.^n',,!lq"*r d" c,,,8e, "ocos flcarlo #-
parados dos negros. Oa alienados de 2. eT*
cisne nao furiosos pagario diarta ordinatt !
sendo (urioios psgsro mais a quarta oarta f
alienados da 1. classe paarao secundo .,',
Joao da Silva lanos,
medico pela Unlversidade
de Coimbra,
d consultas em casa, dss 8 s 10 horas da aas-
nhs, e presta-sea quslqaer hmado com abena
Conheclda promotidin.
Precisa-aede un caixeiro Portugus de 14
a 20 aonos deidsde, e qee tenha bailante prssac*
de taberna: em Pora de Portas, rea do IMst ta-
berna n. 84.
a ~Z D?,,PD"" no da 5 de correle, do ama-
do Sr. L. A. Dabourq, oa Cipuosta. m c*vao>
aissio pequeo,cimas e cauda da mesma cor asm .
andsres, magro: roga-ae as autoridades sotare*- '
teatss, ou a quem o appreheoder, de levar ao
seu dito sitio, ou raa das L^rangairas B.|7.
Ands fgido nesla aidade um eseravo de nomo
Crispiniano, com idade )o 25 aonos. editara re-
gular, barbado, e tere bexigas ha poueo tsmpo:
pede-se s polica e a quem o poder pagar qu a
leve a raa de Sol n, 21. Conato appsreeer perio-
do sitio do Girio, onde tem irmle aervindo ns
litio do Sr. Dumle.
Aviso.
Precisa-se paraa obras da ponte do Santa Isa-
bel, dous craradores bons, que s*jam bem ac-
Commodados.
Che gando a esta cidade hoje 7 de janho. foi-me
apreseniado um anoancio iocerto no Diario de
Pernmmiueo de 3 de maio nroximo psssado, em
que o Sr. Joaquim Lucio Mooteiro da Franca,
me chamaVa a pagar-lheduaa letlras.sendo urna'
da qaanlia da 2 000 ^ oalra de 3:5348620, em
que figura como saccador: Jlo Paulo de Souza
e como aceitante ee. Em coosequencia de seme-
Ihsnte annuncio apresso-me a declarar que sao
inleiramento falsas semelhaatea lettras ; sendo
que smente agora que dellas lite noticia.
OSr. Jlo Paul* q*e lanas pesaoas compro-
metteu ole quiz deixar de incluir-me no nume-
ro de auaa victimas.
Recita 7 de junho de 1862
Jorgs Ferreira Fernande de Siq ueira.
Quem annunciou precisar da 2008000 a premio
dlrija-se a ras dss Cruzes n 42, taberna.
Otlerece-se ama ama da maito boa coojusis
para eaia de familia inglesa : qeem a pretender.
dirija-ae a esta typographii, que l achara eos.
carta fechada onde ha de procurar
AUenc&o.
O abaixo assigoido declara que a tr-.
ma Rodrigues & Ribeiro, a nao ser aa.
elle aununciante pelos adiantameataat
que tem eito, a ninguem mais dest
praqa ou fra del la deve por lettras Ten-
cuas, exceptuadas as lettras aceita a
Luis Jos Rodrigues de Souza, garanti-
das por urna bypotbeca em bens de rai
pe tencen tes sociedade ; debito este
que se acha encampado em-mao da mes-
ma firma por mandado do juizo muni-
cipal da segunda vara, escri?ao Baptia>-
ta, e a requerimento da mulher do sac-
cador, a respeito do qual aresto pende
litigio. Fora destas leltras sr que se re-
fere esa* hypotheca, cuja importancia
est embargada em mao da firma, e
a lem do que deve ao proprio anntVn-
ciante por adiantamentos que tem feito
para manter-lhe o crdito, a ninguaia
majs dere a firma cima mencionada :
ha apenas urna lettra de 16t>$8T00 cjr-
dem do Sr. Barroca 4 Hedeiros, que e
tes dizem ter se extraviado de seu poder
e de feito, dos assentamentos ate* agora
examinados pelo annunciante, coqdlax
que nao foi paga, posto que p contrario
urna vez ao annunciante declarasse <*
seu socio. Postoque n5o auxiliado* >a
tes contrariado por este, o. annuhciaatfitr
felizmente tem conseguido manter o
crdito de urna firma de que faz parte.
Recife 7 de jnnhode'1862.
Manoel Joaquim Rodrigues de Souza.
Urna pessoa convenientemente habili-
tada se oflerece para faier escriptura
c5es commerciaes por partidas sins^ssau
ou dobradas : a tratar na ra Velba n.
93.
=r
RA DO QUEIMADO JttrflB
A$ER0UPr\S
. SerUmee* completo da aokr**asee*s de pi**o a IH. 28. MM e 3U
Za* ^'J.VSfc!*^?0 m**" "* r^oo*o*eaHra d* 8 t lof, drld
Sa.*2!*.!Jt^ ** **>hN *"**> orto* do 79 ata 1M,eeW W
y. 9m finto tammm^ d*stteeda
ssejBls
SOil
Mi
_ grande (atrio! de alfada**____
sendo adasialstraoje par hbil
tavssjtjei
aiaabova,
allejai
aaaaa*.
II
i\ iri
v-



|4ntiga loja fr anceza que foi|
de Gada ult ra Nova n. 11. "~
Aoeba de recebet fle su.'iieiieomu-.endaa um grande e variado aortimento de di-
versas mereadories e,a se actam a venda na dita loja por manos 10 por cenio do que
em outra qualquer parle, a n ber :

Agua de malabar
do Terdadeire tabricanle Laicoiabi, para
fingir cabellos da cr que -se quitar com
um guia para sea uso.
Para presentes.
Ricas caixas da costura ce m msica e
sem lio. o meihor presente que se pode
dar a urna senhora que se est ma.
Para horneo:*.
Ricoi estojos contendo todcs di ulenci-
lios neceisarios psra toilet de qualqaer
pessoa que se trata com mi.ita limpeza,
centendo naTalhas, tesouras, pentea, es-
covas, frascos para pomada e cheiros, fia-
dores, tinteixos, eapelhos, piats para pa-
peia e muitos outros perteect ipera o mis-
mo fino.
Encerados.
Eapaciaes para cobiir nieea a 19, lf,500
e 29 o covedo.
Para retratos.
Machima de todos os tamanhoi fraoeezaa
e ame*ricanaa chimicaa para trabalbar im
lodos os proceasoa, copos grdundos, fu-
nis de vidro, um grande aoriinieoto de csi-
zinhas, de chagrn, passeparl< as de corea e
pretos e dourados, envetas loruontaes e
rerlicae, papel para retratos e todoa o
lencilius tendentes a esta alte*, tambem
se collocam relratos'em caixinhas e passe-
partoua, mudam-ae os qaa eitiverem mo-
fados tudo a Tontadede aeus Iodos.
Ricas bengalas
da verddeira cana da India com pontei-
ras e castes de marfim, tend i nos cistes
muito bonitas figuras abertas em relevo,
as mais bonitas que se podeai achar neste
genero.
Dltaed massa Imitando ulicorre.
Luvas de pellica
do Terdadeiro fabricante Joun & Filos,
para homens e lenhoras, brincas, de co-
res e pretas, e que continan o a reerber
por todos os vapores trancen* preso fizo
29500 rs.
Espelhos.
Deade o maior at ao mais pequeo ta-
manho com molduras pelas donradas
para ornamento de aala, sendo os vidros
muito grossos e de primeira (qualidade.
Para msica.'
Instrumentos completos de chaves e
a pistn e tambem grande sortimento delles
avulaos com muitoa melboramenlos e dos
syatemas mais modernos do muito coohe-
cido fabricante Gautrftt Ain, estes instru-
mentos se tornam muito recommeodaveis
por serem muito perfeitos, e os mais mo-
dernos que ezistem no mercado.
Objeetos diversos.
Fumo de harlebeke, marilande, caporal,
vervique e americand, para cachimbos e
cigarros.
Seroulaa de algodao de cores para ba-
nboa a 500 rs. .
Camisas francens de todas as qualidades.
Gapoliohoade la para menioos, multo
lindos de diversas cores a 15500.
Ritas capellas brancas e de corea para*
casamentoao mais elegante que aqui tem
vindo neste genero.
Chicotes americanos e francezes com
aoels e sem elles para carros, cabriolis e
csvalloa.
Bandejas grandes de 30 pollegadas a 3$.
Um grsnde sortimento de oculos e lune-
tas de grao e miope.
Fundas para oa quebrados das virilhas.
Velas para carro e piano. -
Lequas de madreperola,
Ricos pnaos e gravatinhas para senhora.
Porcelanas e vidros.
Apparelhos e meios ditos de porcelana
para janlar, candelabros de 4 e 5 lazea,
serpentinas e lanternaa com pinguetea e
aem elles, escarradeiraa de vidro brancaa
e de cores, ricas lanterna*s para carros e
coupa, clices para vinho e licores, redo-
mas com peanhas de todos os tamanbos
para imagens, vasos para flores e encera-
dos para carros de cores' pretos, ditos
redondos e quadradoa para botar pratos,
lanternas e cendieiros a gaz.
ARMAZENI
ROtf P A P
13
Joaquim F. dos Santos.
40Ra do Oueimado40
Defronte do becco da Congregado letreiro verde.
Neste estabelecimento ha sempre nm sortimento completo da roupa taita da
todss as qualidades a tamben se manda ezecutar por medida i vontade dos fregae-
zea para o que tam um dos nslhores profassores.
Casacas ao panno prejo a 08,
35$ a
Sobrecasacosda dito dito a : 5* o
Paletots de panno preto e dn co-
res a 35, 80, 25, 10, 18
Ditos deeasemira de cores a 22,
15|, 12. 7 a
Ditos de alpaca preta golli de
velludo franceza a
Ditos de marin satim pretos o
'. da coras a >J a
Ditos de alpaca de cores a !> a
Ditoa de alpaca preta a9, 7 5 o
Ditos do brim do cores i 5f,
4500, 4 e
Ditos da bramante dalinho tran-
co a 6, 5| o
Ditos de merino da eordio rito
a 15 a
Calcha de casemira preta a de co-
res a 115, 10, 98, 7
Ditas da princoza e merino de
cordo prato a 5, 6500 a
Ditaa da brim branco a de ccraa a
5. 45500 e
Calesa da ganga da coras a
Gollete de velludo preto e c e co-
res lisos bordados a 12) ,9e
Ditoa de caaemira preta a da co-
res lisos a bordados i 6,
55500,5
Ditos de setim preto 5000
30OO0 Ditos de seda e setim branco a 6 o 55000
30*000 Ditoa de gorgurao de seda pratos
e da cores a 7, 6, 4
SOiOOO Ditoa de brim e fuato branco a
38500,26500 a
9*000 Saroulas da brim de linho a 2 a
Ditaa da algodao a 1600 o
105000 Camisas de peito defustao branco
e de cores a 2*400 a
85000 Ditas de peito de linho s 5, 4 a
8*500 Ditas de madapolo brancas a de
80500 cores a 8, 2*500, 2 o
Chapaos pretos de maaaa franceza
31500 forma da ultima moda a 10*,
88500 a
4*000 Ditos de feltro a 6. 5, 4 a
Ditos da sol de seda inglesas a
8*000 francezes a 148,12, 11$ a
Colarinhos de linho muito finas
65OOO novosfeitios da ultima moda a
Ditos da algodao
4*500 Relogios de onro ptenla a hori-
zontal a 100$, 90. 80g a 70J000
58500 Ditos do prata galvaniaados pi-
5000 tente e horizontaes a 40 a 30|000
Obrsa de ouro, aderemos e meios
8*000 aderecos, pulceiras, rozatss o
neis a
Toalhas de linho duzla 10$, 6 a 9J00O
38500 Ditas grandes para mesa ama 3 a 4500oj
5*000
39OOO
292OO
1*280
252OO
3*000
18600
7000
2*000
79OOO
5800
*500
0UB1O DB PSRNAM1CO; W SEGUNDA FEllU 9 D JUNflO >K ilfli.
Vrecisa-se para urna cata franceza
de um perito cotinheiro: a tratar na
ra Nova n. 21.
Aluga-se urna bella casado campo, comex-
cellanlea com modos, bella vista e bom banho :
quem a pretender, dirije-se a ra da Concei?ao
da Boa-Vista a. 26, que achara com quem tratar.
Preciaa-te de um amassador ; na padaria
a'lemaa de Santo Amaro.
Sociedaie bancaria.
Amorim, Fragozo, Santos & C. saeam e tomam
aaquea a praca de Lisboa'. ______
Nicolao Mileo, Nicolao
italianos, retiran-se para tora
Harrooi, sbanos
do imperio.
Mauoel Anot Bolelbo e sua (amina reti-
ram-ae para a Europa i tratar ao sua saude.
Quam qulzer dar a premio a quaolia de
200 aobra garanlia, annancie para tratar-ss a
tal reapeito. ________
__ Atuga-se urna cosa terrea na ra Direita n.
83: quem quizer. dirija-ae a ra da Penha n. 5.
Aviso.
Por pedido de algumas senhoraa o profenor
da liogua italiana vai breve comegar o carao da
dita liogua e pode anda admittir iras aenhoraa,
diacipulaa. Aa licgoes sao particularea e toma-
das com toda ezactido em auas respectivas ca-
sas e vencidas com um ceolo de lines para es-
crever, traduiit e fallar com o verdadeiro acento
a dita lingna e auas poezias. O professor mora
na ra da Soledade n. 66, casa com jardim e
aitio.
SEGUNDA EDICCVO
no
THESOURO HOMEOPATHICO*
orj
Vade-mecum do homeopatha
felo doutor
Cate livro que se tem tornado to popular,
qusolo necessario, acaba de aar publicado com
todoa os melhoramentos, qae a ezperieocia a os
progresaos da sciencia tem demonstrado. A no-
va edicto em tado superior primeira, en-
cofra :
1.* Mais ampias noticias acarea do curativo
daa molestias, com indicegoes mui proveitosas
dos medicamentos novos recentemenle ezperi-
menlsdos na Europa, nos Estadoa-Unidos e no
Brasil.
2.* A exposic&oda doutrioa homeopatha.
3-.* O estudo da apropriac&o dos- remedios se-
gundo as predominancias dos temperamentos,
das idades, dos sexos, e segundo as circamstan-
ciaa atmotphericas etc., ele.
4.* A preservarlo ou prophilaxia das molestias
hereditaria*.
5. A preservadlo das molestias epidmicas.
6.* Urna estampa Ilustrada demooalraliva da
continuidade do tubo ntesiinaldeade a bocea al
o anua etc., etc.
Vende-se na pharbacia especial homeopa-
-tuica, propriedade do author, ra de Santo
Amaro (Hundo Novo) n. 6.
Prego de cada ezemplar. 205000
N. B. Os senhores assignantes queiram man-
dar receber seua exemplares.
Na ras Direita, sobrado deam andar n 33, de-
fronte do nicho, arraoja-ae comida diaria para
qualqaer pesaos que queirs, tambem se eogom-
ma, faz-se doces de todas as qualidades, tanto
seceos como em calda, fazem-se bandejas de di-
versas qualidades de bolinhoa com figuras de lin-
dos modelos, tanto pira casamento como para
bailes, faxem-se pastis da nata, doce o'ovos eom
enfeites de alfinim para preaeoies, bolos chama-
dos de S. Joao com ramos, florea, capellas, le-
tras, tambem se faz jetees de substancia.
O Sr estudante que tem
recebido o Diario com o nome
do Sr. Da rio Fortuna Pessoa,
Aluga-ae na ra Imperial o segando antier
da casa n. 144 perto da casa do aabao : a faltar
na ra Direita n. 6.
- Por bnocadeira, no da 27 do prximo pas-
ssdo, carregaram de cima de urna commoda um
relogio de repetido, da casa n. 6 da ra. Direita,
e por isso pede-se ao csrregador que o v levar,
que ter de gratifleaco 25, ou qualquer peasoa
que o deacobrir.
Aluga-ae am mulato bom boleeiro, para
cass particular, ou mesmo para alguma coebeira
que seja boa : a tallar na ra larga-do Rosario n.
34, botica.
S
Antonio Joaquim dos Pasaos, ex-professor
do collegio de Bemfice, .legalmeote autorisado,
tem aberto as suaa aulas de lalim e francez ra
Baila n. 21.
Preciaa-ae da urna ama forra ou captiva
miAFA vir a Pita ivnOffranhl para coziodar e engommar em casa de pouca fa-
queira Vira esto, ivpugiapiiia mia:-na rua da imperatriz o. 47, prjmeiro
a pagar a assignatura alias se
publicar seu nome.
SilvlnoGuilberme
vos de ambos os sexos :
79, primeiro andar.
de Barroa compra escra-
na rua do Imperador n.
._ No engenbo Mega de Daixo com
porto para embarque vende-se cerca de
tres mil caadas de mel rovo.
Companhia Fidelitfade de se-
guros maritimos e terres-
tres, estabelecida* no Rio de
Janeiro com o capital de
16:000:000$.
Agentes em Pernambuco
Amonio Luiz de Oliveira Azevedo & G. compe-
tentemente autoriaadoa pela directora da compa-
nhia de seguroa Fidelidad?, tomam seguros de na-
' vioa, mercadorias e predios, no seu escriplorio,
rua da Crus d. 1.
andar.
Maooal Ferreira a Silva Tarroso, na rua de
Apollo n. 28. aaca sobre Portugal por o prximo
psquete inglez.
Prtciaa-ae de um pequeo dos ltimos che-
gados do Porto-: a tratar oa taberna da rua da*
Lingoeta o. 5.
Antonio Joaquim Vidal pardea urna cartei-
ra no sabbado 24 do maio do correle anoo, con-
tendo oito letraa, ou antes notas promisiones,
sacadas a seu favor pelo sea tx socio o Sr. Joio
Garlos Bastos de Oliveira na importancia de
4.500$, sendo as seis primeiras de 570 cada urna,
a aetima de 580, e a oitava e ultima de 500,
sacadas om 24 de abril dp corrente anoo, a pra-
sos da 6, 9, 12, 15, 18, 21, 24 r 30 mezea, assim
como qa trcenlos e tantos muris, sendo duas
aedulaa de 200 cada urna, e o restante de menor
valor, e oatros papis, e porque lne nao teoham
ido entregues os objeetos que elxa menciona-
dos, pus de ccordo ao secador d\s referidas no-
tas para as nao pagar a quem lh'aa presentar,
tanto mais quanto nao flrmou o annuaciante al-
gama dellaa, nico caso que daria direito a al-
Ruem recebe-las. Recife 31 -da maio da 1862.
O retratiaia americano t
O retralists americano
O retratista americano
O retratista americano.
Ba do Imperador
Rua do Imperador
Rua do Imperador
Rua do Imperador.
Novos estylos de ambrotypo
Novos estylos de ambroiypo
Novos estylos da ambrolypo
Novos eatylos de ambrotypo.
Muito baratos
Muito baratos
Milito baratos
Muito baratos.
Lindos carles de visita
Lindos cartees de viaita
Lindos carles de visita
Lindos cartoes de viaita.
>
Perdeu-se!!!
Ouem tiver echado deade a repartic&o do sello
al a esquinada roa de S. Francisco e dabl at
caaa abaixo mencionada, duas letras, aceitas
ambas por Placido Ferreira'de Mello, sacadas em
19 de maio, urna a tres mezes a outrs a cinco,
ambas de igual quanlia de 2645680, o quizer res
titui-las ao seu proprielario, pode leva-las rua
larga do Roaario n. 24, loja de joias, que ser
recompensado, certo de que nao pode servir a
quem as tiver echado, visto que estao tomadas as
cautelas legaes psra nao serem pagas pelo acei-
tante.
Gabinete medico cirurgico.*
m Rua das Flores n. 37.
# Serio dadasconssltaa medlcas-cirurgi-4J
ca pelo Dr. Estevo Ctvalcan de Albu- %
# quarque da 6 ss 10 horas da manhia, ac-
cudindo aos chamados com a maior bre- l
m vidade possivel. #
Z !> Partos. #
Z 2/ Molestias de pella. 0
8/ dem do olhoa.
0 4.* dem dos orgos genitaes. 0
m Praticartoda a qualquer operaco am q
0 seu gabinete oa em casa dos doantes con- aj
, forme lhes fdr mais oonveniento. al
Aluga-se o Sobrado do largo do'chafarizn.
1 (rua do Brum) : a tratar em Santo Amaro, pas-
sando a faodicjo, na casa que Qca defronte s
duaa primeiras arvorea.
Eduardo Duclua, cidadao francez, retira-se
para fora da provincia.
Os abaixo asaignadosfazem scieoteaocorpo
do commercio e aseua freguezes em geral, que
tem transiendo a sua caaa de negocio da rua da
Cadeia do Recife o. 55 para a rua Nova n. 18,
onde acharao sempre grande sortimento de fazen-
das de diversos gostos e qualidades, sendo sem-
pre servido com sinceridade e promptidio. Re-
cife 4 de jooho de 1862.
Figuelrado & IrmSo.
Preclaa-ae de um amaaaador e um fotneiro
que entenda bem de seu officio : na padaria da
rua larga do Rosario d. 16.
Precisa se Oe 2:000 premie.sobre bypo-
theca em casas, pagaado-ae oa juros menaalmen
te, o a.nm e meio : quem tv*r a quizer, pnnun-
np. ou dirija-ae ao largo oa metra o. 1
Vaccia publica.
Grassando preaentemente com alguma intensi-
dade a varila oeste cidade, o commiaaario vac-
cioador lembra aoa chefes de familia qae, pelo
regala manto de 17 de agosto de 1846, sao obri-
gados a apresentar neata repartilo todas as pes-
soaslque nao tiverem lido bezlgss naturaet, ou
aido vaccinadas, aflm de se Ibes praticar a inno-
culacao do fluido vaccinieo, isto dorante as quin-
tas e domingos, na torre&o da alfaodega, das 8
s 10 horas da maohaa, e nos aabbados, na casa
de sua reaidencia, segundo andir do sobrado da
rua eatreita do Rosarlo n. 30. Recife 2 de junho
de 1862.Dr. Joio Napomoceno Das Fernandos,
commissario vaccinador publico
1:200, oa rua do Queimado n. 26 se dir
quem os empresta, garantidos por bypolheca em
casa terrea.
O Sr. empregado publi-
co que recebeu differentes
quaotias para pagamentos de
objeetos de sua repartico e
nao os pagou, queira mandar
entregar essas quantias que
existem em seu poder como
deposito, alias se publicar
seu "nome e mais cartas pelas
quaes se prova a exibteflcia
deste negocio.
i.
Na travessa da rua das Cruzes n.
2, pjimeiro andar, tinge-se para toda
sa cores com presteza e commodo preco.
Compras.
I 0 advogado
i
Toda attemj.
Custodio Jos Alves Galmaraea avisa ao res-
peitavel publico, principalmente a todos ds seas
freguezes e amigos, que se madou da loja da
aguia de ouro da rua da Cabug para a rua do
Crespo n. 7, psra a bem conhecida e sntiga loja
de miudezas que foi do fallecido Joao Ceg, boje
aeri conhecida pelogallo vigilante,e pede ao
respeitavel publico e aos seus freguezes e amigos,
' que o queiram procurar no dito estabelecimento,
: onde acharao um grande aorlimento de miudezaa,
i q"ue affisnga servir bem e vender por menos dez
! ou viole por ceoto. do aue em outra qualquer
Innocencio Serfico de Assis
Carvalho transferio o seu escrip-
torio para a rua do Imperador
outr'ora do Collegio n. 50, pri-
meiro andar, onde pode ser
procurado para os muteres de
sua prolistao desde as 9 112 ho-
ras da manhaa at as 3 horas da
tarde.
s
Urna pessoa habilitada em escrip-
turacao mercantil por partidas simples
ou dobradas, do que ja tem pratica of-
ferece-se para fazer escripias commer-
cies mediante razoavel paga : as pes-
soas que de. seu presumo quizerem uti-
lisar se podem dirigirse a rua larga do
Rosario loja de louca da porta larga do
Sr. Joaquim Antonio Pereira, de quem
colherao todas as informacoes prscisas.
Compram-se aceoes do novo ban-
co de Pernambuco na rua da Cadeia
do bairro do Recife n. 22..
Compra-ae um preto de meta idade, de
bons costumes e proprio para sito, urna eacrava
qne saiba coser e eDgommar bem : na rua da Ca-
deia Velha n. 35.
Arrenda-ae o aillo do Ooado Manoel Joa-
quim do Paraizo, no Bongi, cujo aitio tem boa
casa de pedra e cal, boa cacimba que bebe-se,
enm muitos e diversos srvoredot, baiza para>ca-
pim, etem trra para plantar : quem o preten-
der, dirija-sea padaria da rua Imperial n. 51, ou
atraz da matriz de Santo Aotooio o. 16, primeiro
aodar. *
Rabe Schmeitau C. avisam ao respeitavel j
corpo do commercio deata .oras, ^" *. F.
W. Quiat com a sus retirada desla provincia dei-
xou de ser iocu de ana casa commercial desde
boje, sendo o dito senhor daaoaerado de todos e
quaesquer negocios pendentes a mesa a casa.
Recife 1.a de junho de 1862.
Compra-se constantemente lato valho e co-
bre : na rua da Imperatriz n. 65. __________
Compra-ae am cylindro para padaria, em
bom uao: na rua do Imperador, loja n. 29.
Corapram-se duas vaccaa, garantindo-se iree
garrafas de feite para cima ; quem aa tiver pode
dirigir-se a rua da Concordia n. 34.
Yendas.
i.'
Rival
Aos Srs. consumidores de gaz.
Nos armazens do caes do Ramos ns. 18 e 36 e
ns rua de Trapiche Novo no Recife ?. 8, ae ven-
de gaz liquido americano primeira qualidade e
receotemente chegado a 14 a lata de 5 galoes,
assim como latas do 10 e de 5 garrafas a em
garrafas.
O Dr. Carollno Fran-
cisco de Lima Santos,
mudou-ae da rua daa
Cruzes para a do Im-
perador, sobrado n.
17, em frente da igre-
ja de S. Francisco, on-
de continua no ejerci-
cio de sua prottssao de
medico.
1NTERNAT0
DE
Nesta typographia precisa-se fal-
lar ao Sr. Joao Goncalves Rodrigues
Franca que morou em Olinda e dizem
morar nesta cidade do Recife.
xmmmm nansa mmmm
Saques sobre Portugal.
O abaixo assignado agente do Raneo
Mercantil Portuenie nesta cidade, seca
efectivamente por todoa os paquetes so-
bro o mesmo Banco para o Porto o Lis-
boa, por qualquer somms vists e a pra-
zo, podando logo os saques a prazo serem
descontados no mesmo Raneo, na razo
de 4 por canto ao aono aoa portadores
q'ua assim lhe convier : as mas do Cres-
po n. 8 ou do Imperador o. 51.
Joaquim da Silva Caatro.
Gasa de saude
DO
r. Ignacio Firmo Xavier'
NA 1
PASSAGEH DA MAGDALENA. |
A tratar para a entrada dos doentea <
com o mesmo Dr. rua nova de Santa '
Rita n. 7. I
Altemjo.
OSr. Francisco Fernn des de Paria que leve
taberna na rua Vejha, queira ter a bondade de
apparecer na rua das Flores n. 37, segundo an-
dar, a negocio de eeu iatereaae.
Moleque
Na rua da Imperatriz o. 47, terceiro andar, ha
um moleque para alogar._____________________
O Sr. Antonio da Molla e Silva lem na ma
do Imperador n. 44, primeiro andar, urna carta
de importancia, que pode procurar das 8 as 10
horas da manhaa.
- Josepb Louis Gatloit, auodito briiannico,
retira-se para fora da provincia.
Carvalho, Nogueira & C,
e Rezende C.
Sacam sobre Lisboa e Porto, na ruado Vigario
o. 9 primeiro andar, e
mazem.
rua do Brum n. 58, ar-
Estabelecido no lugar da Capunga, um dos arrabaldes|g|
mais prximos da cidade do Recife.
DIRECTORO BACHAREL EM MATHEMATICAS
iiiiMfjd piiiiirM ns mm.
O director do internaIj de S. Bernardo nao tendo evitado esforgos nem sacrifi-
cios para proporcionar aos leus alumnos ama perfeita educacao phiaiea, moral, intel-
Wctual e religiosa, offereceiido-lhes urna habitaco com toda as condicoes de sala-
bridade, habeia prolessores jan sao solicitos em prepara-loa convenientemente so nm
a que se destinara, medico -rauco que lhes faca comprehender os preceitos da bygiene
e loes cure aa doeocet, e finalmente em sacerdote Ilustrado e honesto qae lhes expli-
que oa principios ds religii> clirisla, espara qaa assim constituido nao deixari o se
estabelecimento de merecer dos Srs. paes de familias o auxilio e coolanca com que jl
lignosa tem honrado; e lhes ioga, bem como a todaa as pesaoas interesaadaa, que se
liguen tfe visitar o mesmo seu estabelecimento, onde sempre encontrarlo franco in-
collegio teca a aea nade oaa pegantes e espaeosai propriedadea da Sr.* vluva
arre dot Srs. Roberto 4 Filho, Capuoga Velha.
Cota o fim de tornar n ais bravea a commodaa aa commuDicacoes dos Srs. paes e
terreandenlas, e directo* Ibes avisa qaa aeeocommsndas e todas aa corresponden-
cias pederlo ser eatregaes < a casa da reaidencia do seu irmo o Dr. Pereira do Cermo
o m loja do Sr. Jeaiuitn I 'orreira da CeaU, 4 cea Mova n. 56.
ISovidade
Amendoaa confeitsdas, sortee das mesmes, pa-
pis com estafo, todo muito novo, vende-se por
menos do que em outra qualquer parte : na rua
a Senzala Nova n. 30.
Fogode arti-
ficio.
O bazar da raa do Imperador o. 6 ainda a
agencia da muito acreditada fabrica da vluva Ru-
fino, aoode se tomam todas o quaesquer eocom-
mendas em tudo o que for relativo 4 sua arte, as*
segurando-se nao s a melbor execucio na con-
feceo doa artigos, como a maior modicidade nos
seas precos. Nesta mesma casa ha sempre um
portador para fazer a eondacQao das eocommen-
das, evitando assim os frates que a distancia das
fabricas sesrretam aos eeobores compradores.
Urna pessoa convenientemente
habilitada se prope a ensinar fora da
praca primeiras letras, latim e francez:
a tratar no pateo do Terco n. 55.
Attenco.
Antonio Cesarlo Moreira
Dias, faz sciente ao respeita-
vel publico com especialidade
aos seus freguezes, que mu-
dou o seu armazem da rua da
Moeda para a rua da Madre
de Dos n. 32, e est venden
do por menos do que em ou-
tra qualquer parte, plvora,
chumbo e salitre e amanea a
boa qualidade destas merca-
dorias por serem de primeira
qualidade.
Precisa-ae alugsr um moleque de 14 a 16
aonos : na roa da Palma n. 7.__________________
Xiuga-ae a caaa terrea aa rua do Fugo o.
16 : a tratar na rua da Cruz n. 1, eacriptorio de
Antonio Luiz de Oliveira Aze'edo.
C, J. Sba Precisa-se de alugar urna preta para carre-
gar fazendas com outra pessoa : na rua do Hos-
picio n, 62.___________________________
Precise-e de um caixeirojde 16 a 18 aonos
da idade, que seja portuguez, e.que teohs pratica
de taberna, para urna taberna no Cachaog : a
tratar na rua Imperial n. 4, confronte a matriz
noa.
Joao Acton,
pira Inglaterra.
subdito bntannico, retira-se.
Attenco.
Na rua da Cadeia Velha n. 24,primeiro andar,
entrada pelo becco Largo, ha urna pessoa. que ae
propde a fazer algumas escripias commerciaes,
tanto por partidas dobradas como aingelas, e por
precos com modos.____________
Aluga-se urna esersvs costnreirs, engom-
madeira, cozinba bem o diario, e trata bem de
urna casa, do que tem tido pratica ; a tratar na
rua das Crazes, sobrado de um andar por cima
do mareineiro, casa do Sr. Moreira.
Aluga-se urna preta para o servico da casa,
qual boa engooamadsira : na raa eo Crespo
"9, esquina.
Attenco
D. Josepha Hara dos Prazeres e Silva, meeira
do casal de seu finado marido Joo Heariqoes ds
Silva, faz certo pelo preaante, que tendo seu filho
Jos HenrMes da Silva restituido a procurarlo
que Iba tinha sido dada para tratar dos negocios
do casal com aannuneiaLta, em se* sitio na rua
Real, freguezia da Boa-Vista, n. 2, somente ago-
ra devem ser elles trstados.
Seram de Sonsa subdito
ra-se psra o Para.
poriugaox reil-
D. Hafalda Augusta Pereira de Farias pro-
fesaora particular mudou saa aula para o pateo
do Terco, onde continua recabar alamnas ; os
psis qae se quizerem ullliaar de sea prestimo a
podo proeurir no mesmo pateo D. 1, segundo
) andar.
Preciaa-se de doua meninos de 10 a 12 an-
noa, para taberna fora da pra$a : a tratar oa rua
larga do Rosario n. 35.__________-
Attenco.
__No dia 18 de fevereifo do snno correla fri-
gio do engenbo Cachoeira, comarca de Goiaona,
um escravo do abaixo assignado, de nome Flix,
com ossigoaea aeguiotes : cabra, altura e corpo
regulares, representa a idade de 35 anoos, pouco
mais ou menos, sem barba, cabellos carapioboV,
nariz achatado, cor um pouco desbotada, est am
tanto descarnado, e o que mala o caractariaa sao
duaa ou tres cicatrizea grandes na regiao doraal
aobre as costellas, procedentes de facadas que
aoffreu ba mais de 18 aonos, deve tambem con-
servar vestigios anligos de acoites as nadegas,
ezerce 0 officio decarreiro, enlrega-se a embria-
guez e tras camisa e cerooja de algodao azul ame-
ricano, ou camisa de msdapolo usada e caiga de
castor com vivos dos lados, a camisa a berta pela
frente com botoes 4 msneira de paletot, e a a-
zenda j est desbotada, qoando (oge muda sem-
pre de come, nega o seu legitimo dono, e diz-se
escravo da fazeodeiros do Aracaty, do Ico, ej>a-
tros lugsres : o abaixo assignado roga as autori-
dades policiaes e aos capiteade campo que o fa-
cen prender e remelter psra aquello engenbo
amarrado, e eom toda segranos possivel. Pro-
testa pagar com generoaidade a qaem o apreaan-
ter.Joaquina Joa Nunea da Cuuhi Machadov
sem igual.
Miudezas e rap.
Rua larga do Rosario numero 56.
Laa da corea sorlidaa, libra a 61400.
Siotoa dourados a I56OO.
Ditoa ditoa com ponas a 3D500.
Agulhaa fraocezas cartas e compridas a 60 ra
Ditaa cantlas a 120.
Pentea de masaa para atar cabello a 500 ra.
Ditos da dita idem (dourados) a 13100.
Carreteis de ratroz de cores a 320.
Escovaa para cabello muito boas a 800 el$.
Cartas de alfioetes a 80, 100, 120 e 140 ra.
Escovas para unhas muito boas a 320 e 500 rs.
Franjes pretaa com vidrilho a 320 e 400 rs.
Trongas pretas com dito a O.
Bicos pretos muito bons a 180, 240, 320 e 40
ris.
Carreteis de liona a 30. 60 e 80 rs.
Enfeites de relroz com franja a 5#300.
Meias para senhor Iduzia) a 2J500.
Ditas cruas para homem a 2$400 e 3J.
Tesouras ordinarias a 30 rs.
Franjas de lia eslreitas (pegs) a 900 rs.
Sabonetas de bola finos a 640.
Fraseos de diversos cheiros .a 320.
Linha de Pedro V a 30 ra.
Botoes para casaveqne a 20, 30 e 40 rs.
Rap Paulo Gordeiro (verdadeiro) a I36OO. .
Dito gasse grosso e meio grosso a 15600.
Dito dito fino a 18280,
E outras muitas mais miudezas que com a pre-
senta doa frbonsguezeesse venderao barates ,
Bom e barato
S no Torrador.
%3 Lwrgo 4o T O proprietario deste estabelecimento est ra-
solrido a vendar oa gneros muito mais barato
do qae em outra qualquer parte, manteiga ingie-
ra a 1J e 19120 a libra, dita franceza a 680 e 640,.
baoha de porco refinada a 400 rs. s libra, queijo
do serto a 560 a libra, ditos do reino a 15800 e av
254-00 cada um, meias latas de aardinhas da Nan-
tes a 400 rs., sao muito novas, e vendem-se oe-
tros muitos gneros que se torna enfadonho mea-
ciooa-los, a dioheiro contado.
Qoeijos.
defronte da
_orte no al-
a 1$800. di-
sag
Vendem-se na rua Direita.
loja de miudezaa, queije
limo vapor a 29200, dita
Hos do serto a 29, em lit
lha a 440. alelria a 400 :
320 a libra, caixdes da
toucioho de Lisbos a 320,
do reino a 240 a libra, arroz a 140,
gomma a 120, manteiga ingleza a 80O re. e1|,
dita frsoceza a 720 e 800 rs., cha hyssan s 28800,
Sfl.e 3*200, dito do Rio 2J, viohos de todas aa
qualidades a 500, 560, 640, 800 e 19. taiahaa
mullo grandes vindas da Lsgoa a 400 ra., e oa-
Ires muitoa gneros. ____ -
io e talnr&B a
goiaba a 19500.
a 320, eevadinaav
e dito a 160,
A peasoa que quer 2009 om garanta, ap-
psreca aa roa da Panba n. 25. amanbaa.
D. W. ?man a sua familia preteadeta
visitar Inglaterra.
A 5$ o covado.
Panno fino cor de rap : oa raa do Queimado
numero 47. _______
Remedio
rbeas anti
na botica
preco
infallivel contra as a
e recentes, nico depoaito
rua da Cruz n. 22,
IfWaWt'^T
4m
,-JTXT
i
- < ., i,

..



I
)
UjIPW PKWUMIUCO. SEGUNDA FURA 9 DE JDHHO DS 1861.
' I
Camisas ingieziis.
Vendem-aw ; Miioret camisas i igletae eom
prgu larga i p. a^be ratisslmo prego i e 159 a da-
lia : na loja da boa f, ai raa do Queimado a-
mara 22.
Ricas gollinhas e junhos
com botoes
Vende m-ae ricas goHinb e punho da eam-
braia futa o ricamente bordadas con lindos bo-
toes, pelo baratissimo prego de 29 cidi guarni-
cao: na ra do Qaeimado o. 12, na lpja da
Para doces seceos,!
Vendem-ie mailo bonitas caiiinbas redondas, |
de m adaira, da diviraos tmannos, forradaa da
papis de coras, muito lindas, propriaa nica -
manta para doces aeccoa da qualquer qualidade,
pelo barato proco de 4, 5 e 69 a duzia : na raa
do Qaeimado, oa bem conhecida loja da miude-
tas da boa fama n. 35.
Fazendas baratis-
simas.
Superior bramante de linho com duas vareada
largara a 29400 avara, atoalhado di linho ada-
mascado com duas largaras a 29500 1 vara, brim
branco da linho muito superior a iJ4-'0 avara,
dito de corea, tasenda multo superior a 1, dito
pardo de linho paro a 800,1| a 19200 a vara, di-
to da quadrinhos muito proprio pan calcas, ja-
queles o palelotspara meninos s 20) ri. c cova-
do, gangas francesas multo superiores a 400 rs. o
Ovado, cambraiaa francezas muito linas o de
muito bonitos padrees a 260 e 280 o covado,
eambraia llaa muito fina a 4J, 5 e 6) 1 peca com
8 1)3 aras, eambraia com aalpicoa tambero com
8 l|t varas cada pecaa a 49500, dita muito supe-
rior o melhor qao ba neste genero a JJ500 a pe-
sa com 17 varaa, oa a 800 ra. a vari, chita fran-
cezas de muito boa qualidadea e le lindoa pa-
droes a 140, 280. 300 e 320 o covads, fil de li-
nho liso muito Uno a 730 a vara, tai la tana bran-
ca e de corea a 760 a vara, loalhas de linho para
raaos a 79 a duzia, ditaa pelludaa m ito superio-
res a 119 a duiia, gollinhas de eambraia borda-
das a 800 rs., msnguitos e gollsa de eambraia ri-
camente bordadas a 29 o par de m inguilos com
aaaa golla, lencos brancos muito tiros com bico,
randa e labyrintho a 18280 cada im, ditos de
eambraia de linho para algibeira pelo baratissimo
prego de 4, 5 e 69 a duzia, o assim un completo
sortimeoto .de fazendas de todas ai qualidades,
qaa sendo a dinheiro vista se vendorao por pro-
cos mui baixo : oa bem conhecida loja da boa
f. na ra do Queimado o. 22.
Para S, Joo e S. Pedro.
Veddem-se caizinhas com grande porgo de
amendoaa confaitadas, a alguna confeilos pro-
Srios para o festejo de S. Joo e S. Pedro, ptlo
arato prego de 800 ra. cada ama : na ra do
Queimado, na bem conhecida loja de miudesas
d boa fama n. 35.
JiUeBCaO
dos senhores boticarios.
E' chegado pelo ultimo navio um grande-aorli-
mento de drogas dos Srs. Lanman & Kemp, in-
cluindo a salsa pirrilha de Briitol, pasiilbaa ver-
mfugas, peitoral de Acacoherila, pilulas de Bat-
chlns, e bilters de Hoateller: os senhores boti-
carios que preciiarem deataa drogas, encontraro
00 armszem tte Henry Forster & C, raa do Tra-
piche n. 8.
*mmmmmmm mmm m
4cabadeche!
gar ao novo
armizem
DI
Muita
Na loja de Silva Cardozo, ra do Im*-
peradom. 40, vndese roupas feitas
de todas ai qualidades pelea precos
mais baratos possiveis que se pode ima-
ginar, pois pode vir os freguezes com-
prar porque pechincha-.______v__
Camisas e ceroulas
Vsndem-se superiores ceroulas d linho muito
Aaaa pelo barato prego de 269 a duiia, ditas tran-
ftu de algodao, mas de muito boi qualidade, a
duzia, camisas brancas frsnceas a 229,24},
!6 a.30) a duzia, ditas para meninoi a 225 au~
ia, ditas para homam com aberturas de cores a
22f a duzia : na bem conhecida loja da boa f
na ra do Queimado n. 22.
Manguitos com gollinhas.
Vende-se manguitos com gollinhas, fszendi
muito tata, pelo barato prego de 2g(0O gollinhas
e puohos ultimo gosto a 2JO00, gollinhas muito
unas e bem bordadas a 18000 cada urna na ra
do Queimado loja de miudesas da Boa fama,
D. 35.
Tiras e ntremelos bordados.
Vende-se pegas' ae liras bordsc as de 2,500.
3,000. 3,500 e 4.000 ntremelos a 1 $600 e 2*000
cada pega na ra do Queimado loja de miudezas
dr Boa fama, n. 35.
Bonecas fraucezis.
Vende-se bonecas francezas ricamente vestidas
i 49000 e 5)000, e 2|000 bonecas do cera com os
' Olhos movedgos a 2000 e 39000, na ra do Quei-
mado loja de miudezas da Boa fama, n. 35.
Fivelas de ac para sintos.
Vende-se fivelas de ago para siotc a IJ500 rs. e
29000 ns ra do Queimado loja de miudezas
da Roa fama. n. 35.
Baleias.
Vende-se baleias 120 rs. cada un a aspa de ago
para b*lao 160rs. m or., b.orfc a 105OO c. c
2900 o par, na rus do Queimado loja de miudezas
da Boa fama, n. 35.
Cascarilhas de seda.
Vende-se caacarrilhaa de seda para eofeitar
vestidos a 29000 a pega na ra do Queimado
loja de miudezas, n.' 35.___________________
Meias de borracha.
Vande-se meias e borracha paraquem padece
de eryaipela a 159000 o par, meias de seda preta
para aeohora a IgOO o par na ra do Queimado
loja de miudezas da Boa fama. o. 3i.
Palmatorias devidro lapi
dado.
Vende-se palmatorias de vidro a ipfjOOrs., ditas
aom mangas proprias para rapazes a 49500 rs.,
cada urna, escarradeiras de vidre a 49500 rs.
e 59OOO o par, na ra do Queinado loja de
miudeza da Boa fama, n. 35.
Perfumaras muito tinas e
baratas.
Opiata iogleza a 13500 rs, dila Iranceza a 500
rs., 640, I9OOO, oleo da sociedad) hygisnique
verdadeiro a 1SC00 o frasco, oleo bi bosa de Piver
verdadeiro a 800 rs. o frasco, 1 ius balsmica
para oa dentea a 1*000, dila de 3otot tambero
para os denles a 1JO0O o frasco, pe mada france-
sa em paos a 500 rs. e I90OO, 320 rs. sa bonetes
muito fioo a 640 rs., 800 rs. e I9OOQ cada um na
ra do Queimado loja de miudezas da Boa fama,
n. 35.
A 200 rs ,so pavo.
Vende-se chita francezs escura de cor fiza a
doua tustdis o corado : na ra da Imperatriz n.
60. loja e armazem do pavo.
A 2#500, s o pavo.
Veodem-se cortes de eambraia bisoca com 2 e
3 baados a 29500, ditos* de tarlstana brancoa e
da cores, com barras e babadas a 39: na ra
da Imperatriz n. 60, loja e armazem do pavo de
Gama & Silva.
A 500 rs., s o pavo.
Vendem-se as mais modernas a fioissimas la-
zinhas de quadrinhos e de flores ti lias epalml-
nhu, desembarcadas do ultimo navio viudo do
Havre.pelo baratissimo prego de qu nhentoa ris
o codo,' e do-se as amostras coa p johor: na
raa da Imperatriz n. 60, loja e amazem de Ga-
ma & Silva.
C atraas hespanholas na
loja do pavo, a 400 rs.
Vende-ae
dtssimos coi
para vestid
ra da Impera
TO de Gama
fazeoda de pidrdesdelica-
.lmos de hrzura, propria
a 400 rs. > covado: na
loja e armazem do pa-
As afamadas agulhas iriipe-
. riaes com fundos dourados,
e dedaes de marfim.
Acabam de ebegar para a loja d'iguia branca,
ra do Queimado n. 16. *
IOVO
deposito .de charutos s
da Baha
a raeJe Aortas n. 15 jUnl0 0 gobrado novo
qaa volla para S. Pedro, oeste dep >site- Se en-
contrar sempre boos charutos tod; s fabricados
Da Baha, assim como tero cigarros da todss as
sjw teta desvaas*), cachimbos, bol as e outras
roeuaas perteocaotesaos fumantes, udo por ba*
ato prego.
Para brinquedo de S.
Joo.
Continua-se a vender amendoas pelo barato
prego de 640 rs. a libra, na ra Velba da Boa-
Viata o. 33, ra do Raogel o. 9, defronte a esta-
gSo daa Cinco Ponas n 140, ra Augusta, esqui-
na do neceo do Marisco o. 1, ra do Crespo nu-
mero 7.
Farinha.
Vendem-se saccas com farinha vindas do Pe-
nedo, muito boa, saccas com arros de casca, di-
las com milho, ditas com farello, oleo de ricino
em latas de 30 libras : no armazem do Teizeira.
defronte do eiai da alfindega.
Cheguem aogalLo ripian-
te que est torrando
como sejam.
Franjas.
Riquissimas franjas de seda de lindos gostoi
pretae ede cores pelo barilissimo prego de 200,
300.400 e 600 rs., dita preta com vidrilho a 400
e OO rs. : *6 no vigilante rus do Crespo n. 7.
* Bastos & Rego
Na rna Xova junto a Couceicao
des Militares n. 47.
m'arande e variada sortlmento da
roupas (ellas, calgadoae fasendas e todos
estes se vendem por pregos muito modi-
ficados como de sea costume, assim co-
mo sejam sobrecasacos de superiores pan-
nos es sacos feitos pelos ltimos figuli-
nos a 169, *&, 30# e a 35, paletota doa
meamos pannos preto a 16f, 18|. 105 o
a 24J, ditos da eaaemira deedr mesclado
e de noros psdres a 149.16, 189, 209
e a 249, ditos de caiemira de cor mes-
ciado e de novos padroes a 14$, 16$, 189,
209 e 24$, dito aiecoa daa mesmas ca-
semiras de cores s 99, 109, 129 e a 14$,
ditos pretos pelo diminuto prego de 89,
109 e 12, ditoa de sarja de seda a ao-
brecasacados a 12$, ditos de merino de
cordio a 129, dito de merino chines do
apurado gosto a 15|, ditos de alpaca
preta a 7$, 89, 99 e 109, ditoa saceos
pretos a 49, ditos de palha da seda fa-
zenda muito superior a 49500, ditos de J
brim pardo e de fusilo a 39500. 4| e a |
49500. ditos de festo brsoco a 49. grao- ft
de quantidade de caigas de casemirs pr- a
i t e de cores a 79, 89,9$ e a 10$, dius 3
pardas a 39 e a 49, ditas de brim de co- o
rea finas a -2$500. 39, 39500 e a 4$, ditas }
de brim brancos finas a 4$500. 59, 5J500
e a 69, ditas de brim lona a 5 e a 69,
colletes de gorgurp preto e de corea a
59 e a 69, ditos de casemira de cor o pre-
i tos a 49500 e a 5$, ditoa de fustao branco
I e de brim a 89 e a 395OO, ditoa de brim
1 lona a 49. ditos de merino para luto a 49
! e a 49500, calcas de merino para lulo a
1 49500 e a 59, capas de borracha a 99000.
I Para meninos de todos os lmannos : sal-
?' is de casemirs preta e de cor a 59.69 e
$. ditas ditas de brim a 2$, 3$ e a 3&50O,
[ paletots saceos de casemira preta a 69 e
a 79 ditos de cor a 69 e a 79, di-
tos de alpaca a 39, sobrecasacos de pan-
no preto a 129 e a 14. ditos de alpaca
preta a 5, bonets para menino de todas
Saa qualidades; camiaa para meninos de
todos os tamaohos, meios ricos vestidos
de eambraia feitos psra meninas de 5 a
8 annos .com cinco babados lisos a 8$ e
a 129, ditos de gorguro de cor e de lia
a 59 e a 69, ditos de brim a 3|, ditos de
eambraia ricamente borbados para ba li-
jados e multas outras fazendas e roupas
feitas que deixam de ser meocionadaa
pela sua grande quantidade ; astim como
recebe-se(toda e qualquer encommeoda
de roupas para ae mandar manufacturar
e que para eate fim temoa um completo
sortimeoto de fazendas de gosto e urna
grande officina de alfaiate dirigida por um
hbil mestre que pela sua promptidao o j
perfeicae nada deixa a deaejar. S
x CMSMSM'SH AKSMiKiMfiliMal
vr VlsW uarujj sMsW wwrw aVaH* .w ssvaaiai evsaiai erasi asvsaiaa ^u
Saias de balao.
Sao chegadas as commodas saias de bailo, de
arcoa de differentes tsmanhos, de 8, 10 e 12 ar-
cos para meninas, de 15, 20, 25, 30 e 42 arcos
psra seohora, por pregoa maia commodos do que
em outra qualquer parta : oa loja do sobrado de
4 andares na ra do Crespo n. 13, de Antonio
Crrela de Vasconcellos & C, successores de Jos
Moreir Lope.
Rival
sena segundo.
Na ra do Queimado n. 55, defronle do aobrado
novo, loja de miudezas de Jos de Azevedo Maia
e Silva, est queimando ludaa as auaa miudezas
pelos pregos que abaizo ae declara, poi a qusdra
boa para apreciar:
Duzia da meiaa creas maito eneorpadasa 29400
Dita de ditas brancas muito boaa a 1*600
Dita de ditaa cruaa muito finas a 4$000
Dita de ditaa brancas para aenhora, mul-
to finas 1 35000
Carriteis de retroz de todas as cores a 280
Crozas de peonas de ago de todaa aa quali-
dadea a
Dita de dita calligraphicas
Nvalos de linha muito grandes a 60 e
Gaizaa de agulhas perfeitaa a
Baralho portuguezes a 120 e
Groia da botoes de osso pequeos para
calcas
Tesouraa para unhaa muito superior qua-
lidade a
Ditas para costura muito finas a
Ditas pequeas porm finas a
Birilho frincezes muito finos a
Agalheiros com agulhsa superiqrea
j.Caivetes de aparar pennas de 1 folha a
Pares de sapatos de tranga da lia'a
Cartas de alfinelea francezea a
Pares de luvss branca* de algodao a
Escovas. para limpar dentes muito fi-
nas'a 200 e
Massos de grampos de todaa aa quali-
dadea a
Dedaes com fundo de ago a
Calzas com colzetes francezea a
Tiolerosde vidro com tinta a
Ditoa de barro om tinta auperior a
Areia preta mullo fina a libra a
Labyrintho por todo prego.
Vara de franjas largas brancas a
Pides de nova invengao para meninos a
Linha branca do gas pelo prego j sabido que
10, 20 e tres por doua, e outraa muitas miudezas
que vista far f pelaa anas boas qualidadea e
pregos ntao nao fallemos.
CHALES.
Grande pechincha na3|jk>ja do
Pavo.
Vendem-se os mais ricos chales com ponta re-
donda e borllas teodo as barras a imitagao de
pelucia e aatelioadss imitando aa capinh.a maia
modernaa pelo baratissimo prego de 49500, ditos
de 4 ponas a 49500,, ditoa a Garibaldina sendo
maito grandea a 5f: na ra da Imperatriz n.
60. loja do Paveo de Gama A Silva.____________
Saias bordadas a 25500.
Vendem-se ssias bordada multo bonitas a
295OO cada urna : na ra da Imperatriz n. 60,
loja do Pavo. de Gama & Silva. _________
Bales do Pavao.
Vendem-se baldes de bramante frances.com
arcos, sendo as melhores armagdes, pelo diminu-
to prego de 39 a 3$500: na rus da Imperatriz o.
60, loja do Pavao. de Gama & Silva.
500
19600
120
160
160
120
400
400
200
240
80
80
1$280
100
100
320
40
100
40
160
120
120
200
200
Saias com arcos de linho.
Vendem-se aa acreditadas saias com arcos de
linho que fazem as vezes de balio a 3$200_e a 4$
cada um, estas saias s ha oa loja do Pavo, ra
da Imperatriz n. 60, loja e armazem de Gama &
Silva.
Obras de vid iro,?*^
asuradeijls, e pamatorias
lapidadas com mangas.
Vende-ss na loja d'agaia branca mui bonita*
escarradeiras de vidros de cores a 49500, Se 6#.
assim como palmatorias de vidro lapidado coas
mangaa bordadas a 9500 cada um : na ra da
Queimado, loja d'*s*uia branca n. 16.
Meias em quantidade*
Na loja d'aguia branca acha-se um completa
soiiimento de meias de todas as qualidades a
pregos, sendo psra homen, senboras. meninos
e meninas de 6 mszes a 12 annos. Ennumerar
os differentes pregos confundir o pretendente ;
assim quero se quizer convencer de quo baratas
se esli ellas vendendo. dirigir-se com dinhei-
ro a dita loja d'aguia branca na ru do Queimado
numero 16.
Superior sebo em velas e em
pes, ca*xas de urna
arroba
Vendem Antonio Luiz deOliveirs Azev*do&
C, no seu escriptorio ra da Cruz n. 1.

Fitas. '
Riquissimas para cinteiroa a 800, 1$ e 12500
a vara, ditas com um pequeo toque a 400, 500 e
600 rs.: s no vigilante ra do Crespo n. 7%
Bicos.
Riquissimos bicos de seds de largura de 1 de-
do a um palmo a 100, 200, 300, 400, 800, 19 e
18500 a vara, ditoa de lindas cores a 100 e 200
rs.: s no vigilante ra do Crespo o. 7.
Botoes.
Grande sortimeoto de botoes de todss as qua-
lidades por lodosos pregos, ditosamarellos mui-
to lindos proprios para bonets a 19500 s groza :
s no vigilante ra do Crespo o. 7.
* Franjas de linho.
Grande sortlmento de franjas e galozinhos de
Mohos pelo baratissimo de 80 a 100 rs. a vara,
dita para cortinado a 29400 |e 39 a pega : s no
vigilante ra do Crespo n. 7.
Pentes para atar cabello.
Lindos pentes de tartaruga de todos es gostos
a 89 e 109, ditos de matsa virados a 19, ditos li-
sos pequeos a 400 rs. duzia, ditos "travesa
para menina de tartaruga a 39, ditos de borracha
a 600 rs.: s no vigilante ra do Crespo n. 7.
Facas.
Grao-Ie sortimeoto de faces de :cabo de marfim*
com pequeo toque pelo baratissimo prego de
89 a duzia, ditas psra menino muito finas a 7$,
ditas de osso a 29400, 39 e 49 : s 00 vigilante
ra do Crespo n. 7.
Golheres.
Grande sortimeoto de colberes de todas as
qualidades que se vende por baratissimo prego
conforme suas qualidades : s no vigilante ra
do Crespo n. 7.
--.-----------A. ..jg^-i- r||
ksaaa : aa prega do Corpa Uferta a. 11,
L5a.
Grande sortimeoto de la para bordar a 6$
libra, dita em caiziohas propria para familia
79: s no vigilante roa do Crespo o. 7.
Linhas.
Grande sortimeoto de linha de cores em novelo
pelo baratissimo prego de 1$ a libra, dita de csr-
eteis de cores a 210 rs. a duzia : e no vigilan-
te raa do Crespo o. 7;
Ra do Crespo n. 7, no
gallo vigilante.
Nesls nove loja ha grande porgo de caixinha
com amendoaa proprias para brinquedo de S.
rJoo que se vende pelo barato prego de 800 rs.
cada urna qoem detsar de dar a urna menina
urna caizioba ; tambero lem grande porgo de
caizaa proprias para doces secos que vende con-
forme seu tamaohos a09, 59 e a 49 a duzia,
ameodoaa avulsss a 800 a 640 ra. a libra : s no
v Rilante raa do Crespo n. 7r
Novo sortimento de fa-
zendas baralissimas,
Para meninos a 4$ 500
Vendem-se vesiidinhos de seda para meninas,
muito bem enfeitados, pelo diminuto prego de
4S500 cada um : na ra da Imperatriz n. 60, loja
do Pavo, de Gama & Silva.
Olhem para o Pavo,e leiam.
Camizinhaa com golliohaa e manguitos de eam-
braia bordados, fazenda mnito moderniasima a
59000.
Ditss de fusilo com salpico de cor a 39000.
Gollifihs bordadas com boloziobos a I9OOO.
Ditas ditaa de gostos a 640 e 800 rs.
Dilss com maogaitoa de eambraia bordados a
1$600.
Manguitos de esmbraia fina bordados a I5OOO.
Golliohaa bordadaa a 240 rs.
Romeiras de eambraia enfeitadas para luto a
3S00O.
Camizinhaa para senhoras bem enfeitadas a 3$.
Leocinhoa de linho com labyrintho para mo
a 29500.
Ditos a imitagao do labyrintho a 19 e a 19280.
Luvas de torgal enfeitadas de vidrilho a 500 e
e 640 rs. .
Enfeites pretos com vidrilhos a 89000.
Ricos enfeites a turca e Garibaldi a 5$500.
Ditos muito bonitos a 29500 e a 39500.
De tudo do-se aa amostras ficando penhor: na
loja do Pavo, ra da Imperatriz n. 60, de Gama
& Silva.
Jacaranda superior.
Tem para vender Antooio Luiz deOliveira A-.
zavedo & C. no seu escriptorio ra da Cruz n.l.
Coraes lapidados.
bao giossos que admira.
A loja d'aguia broocs acaba de receber urna
pequea quantidade de coraes grossos lapidados,
oa quaes aervem para as voltaa que ltimamente
usam as tenhoras, e est vendendo cada fio por
2, 29O, 3 e 49 : na ra do Queimado, loja
d'aguia branca n. 16 : assim como recebeu mais
aa bonitas pulseira de missa'ngas.
As seroulas d Pavo.
Vendem-se seroulas de linho trance 2 a a 29 o
par ou a 249 a duzia : na ra da Imperatriz n
60, loja da Gama & Silva. ____________^^^
NA
Miiila altencao
Ra larga do Rosario n. 38.
Vendem-se ricossidtos de fita de ponas cata-
das com fraoja na pontl cousa muilo moderna,
ditos de camafeu, ditos bordados com franjas a
23, 235OO, 39, 49 e59 cada um. rap de Lisboa,
dito grosso e meio grosso, dito Paulo Cordeiro,
dito fino, dito Rocha e Meuron, ago coberto para
baldes e muitos maia artigas de miudezas s
avistase dir o prego deludo.
Luvas de Jouvin.
Vende-se luvss de pellica de Jouvin brancas,
para seohora, ltimamente chegadas : Da loja do
beija flor, ra do Queimado n. 63.
Luvas de seda.
Vende-se luvas de seda enfeitadas a 1g600,
290O0 e 29200, ditas fio de Escossia branca a rs.
700. ditas de cores 800'ris, ditas de algodao a
280 ris ; na loja do beija flor, raa do Queimado
numero 63.
Escovas.
Vende-se escovaa para denles finas de diversas
qualidades a 120,160. 320. 400 e 500 ris : na
loja do beija-flor, ra do Queimado n. 63.
Jogo de domin.
Vende-se jogo de domin finos a lg-200
loja do beija-flor. ra do Queimado n. 63.
na
Botoes f)ara punho.
Veode-se boteade punho finoa de diversas
qualidadea a 200 rcia o par. que tambera aervem
para manguitos de seohora : na loja do beija flor
ra do Queimado n. 63.
Occulos.
Vende-ae occulos fios de armago de
29, 19, 610 e 400 ris : loja do beija flor,
Queimado n. 63.
ago, a
ra do
Ricos sintos dourados.
Vende-se sintos dourados a 29, ditos de fita
com fivella dourada a I95OO : loja do beija flor,
ra do Queimado n. 63.
Enfeites para cabera.
Vende-se requissimos enfeites para cabegacom
franja, e sem ella pelo baratissimo prego de 5$
e 5S000, ditos da vidrilhos a I96OO ; na loja do
beiji flor, rua'do Queimado o. 63.
Carteiras.
Vende-se rica carteiras para guardar
deouro a prata a 29000, 23500, 19000,
U500 : na loja do
numero 63.
dinheiro
15280 e
beija flor : raa do Queimado
Loja de Pavo ra da Impera-
triz numero 60.
DE
GiYMiV & SILVA.
Vendem-se as seguintea fazendaa por pregos
baratissimos afim de apurar dinheiro : capas
suissas a imitagao de sedas de quadriohos sen-
do de todas as cores e cores muito fizas a 200
rs. o covaopi brilhantinaa de qaadrinhos muito
encorpadas para veatidos de seohora e roupas
psra meninos sendo muito mais larga que chita
a 200 rs. o covsdo, gorguro de linho fazenda
muito nova para vestidos a 280 rs. o covado,
musselioa branca com 4 1(2 palmos de largura a
200 ra. o covado, grande e variado sortimento
de cusas para vestidos sendo os padrdea moder-
Dissimos e as cores fizas a 280, 300 e 320 rs. o
covsdo, chitas francezas de cores fizas escuras e
alegres a 240. 260. 280. 300 e 320 rs. o covado,
chitaaiogiezas a 140,160 200 rs. o covado,
corte* easee tendo 7 lv2 vara cada um a
29400ls., cortes de organdys com barras tendo
12 vara] cada corle a 59, cortea de baregea com
22covabs a 59, ditos com as saias feitas a 59,
laziohaa de corea a 280 rs. o covado, de todas
esta fazendas do-se aa amostras deizaodo o
penhor na loja armazem do Pavo, da Gama &
Silva, na ra da Imperatriz n. 60.
M&dapolo do Pavo.
Vendem-se fioissimas pegas de madapolo com
24 jardea a 49500. 498OO, 59, 5$500 e 69, ditaa
francezaa eofestadaa com 14 jardea, a 39: na ra
da Imperatriz n. 60, loja do Pavo de Gama &
Silva._____________________________________________
Lasa320 rs.
Veodem-se modernissimas lazinbas com pal-
mas a 320 rs. o covado: na ra da Imperatriz n.
60. loja do Pavo;
O Pavo vende a A$.
Pecaa de cambraias de coriohos brancos e da
todaa as cores tendo 8 1(2 varas a 49 : na raa da
imperatriz n. 60, loja do Pavo.
* O Pavo vende
cortes de eambraia mnito fina com dona babados
e duas saiaa sendo delicadamente bordados a
49, ditos sendo todos adamascadoa a 49 cortes
de phantasia fazenda finissima a 63, ditos a 49500
e 59 : na ra da Imperatriz n. 60, loja arma-
zem do Pavo de Gama & Silva.
Paletots e calcas.
Vendem-se palelola de panno preto fino .a 69,
calgaa de eaaemira preta a 49500, palets de faney
de cores a 69, calgaa de dito a 39500 : na ra da
Imperatriz n. 60. loja do Pav3o.__________________
mm *
sem segundo.
Na ra do Queimado n. 55 loja de miudezas
de Jos de Azevedo Maia e Silva, est vendendo
todaa as miudezas barslissimss.-a saber :
Papis de agulhas a balo muito supe-
riores a
Caizas com muilo finas brelas a
Cartes com clcheles, tem algum de-
leito a
Frascos de macasa perola muito fino a
Caizinbaa com papel pequeo de diver-
sos gostos a
Pacotea dito dito dito amizade a
Novellos de linha de Crux a meibor
que ha a
Caizas com agulhas curtas de ssperior
qualidade
ntremelos, a peca com 3 varas 1|2 a
Sabonetes maito finos a
Papeia de agulbaa francezaa com loque a
Pares de botoes para punhos de muitos
modelos a
Pares de meias cruas para meninos a
Ditos de ditas cruas para pequeo a
Ditos de ditas para meninas a
Frascos com agua de Lavande ambreada a
Ditoa com cheiros muito finos a 240 e
Ditos com banha muita fina-a 240 e
Ditos com auperior banha de ursoa
Ditoa com oleo babosa muito lino a 240 e
Ditos com oleo do Rio muito superior a
Ditos com superior pbilocome a
Ditos com baoha pbilocome finissima a
Ditos com baoha transparente a
Ditos com superior agua de colonia a
Ditos com macass (oleo) a
Ditoa com superior opiata a 500 e
Cartes de lioba Pedro V, com 200 jardas a
Ditos de dito dito, branca de cores a
Carriteis de lioba com 100 jardas a
Massos de linha frouza para bordar
Pentes de marfim de superior qualidade a
Olhem para o pavao
leiam.
Camisinhss com gollinhas e manguitos
de eambraia bordados, fazenda mo-
deroissims a
Ditas de fustao com salpicos de cor
Gollinhas bordadas com botozinho
Ditaa de todos oa* gostos a 640 e
Ditas eom manguitos de eambraia bor-
dadas a
Manguitos de eambraia bordados mailo
finoa a
Gollinhas bordadas a
Romeiraa de eambraia enfeitadas para
lato a
Camisinhss para seohors a
Lencioboa de linho com labyrintho para
mo a
Ditos a imitagao de labyrintho a II e
Luvss de torgal enfeitadas com vidrilho
Enfeites pretos com vidrilho a
Ricos anfeites pretos e de corea, a Turca
.Garibaldi
Grosdentple preto a I56OO, 1*800 e
Todaa estas fazendas vendem-se na ra da Im-
peratriz n. 60, loja e armazem do pavo, de Ga-
ma & Silva.
80
40
10
200
720
720
40
200
i $000
120
10
240
160
160
200
800
500
320
600
320
500
900
19000
Sementes de hor-
talices
Na ra da Cruz o. 32, deposito de pao e bola-
cha, vendem-se sementea de hortalicea vindas de
Lisboa.
ovidades da 4rara.
S na grande exposico de
fazendas baralissimas
na loja e armazem da
Arara, ra da Impera-
triz n. .56, de Mga-
lhes Mendes.
Vende-se o mais barato possival a saber:' la-
zinbas para vestidos de senhoras, eroopa de me-
ninos a 320 rs. o covado, la chineza de urna s
cor propria pra capas da moda com 4 e meio
palmos de largura a 640 rs. o covado, fustao de
cores para vestidos de senhoras a 280 e 320 rs. o
covado, casaas a Turca muilo Ana a240e28Ors.
o covado : na ra da Imperatriz loja da Arara
n. 56.
Arara vende as cambraias.
Vendem-se pegas de cambraias lisas s 11609 e
^ j 29OOO, ditas finas a 250O, 39000, e 3J500, golli-
nhas para senhoras a 500 rs. golla e manguitos
de linho a 29500. lengos branco a imitagao de
labyrintho a I96OO: na ra da Imperatriz lja e ar-
mazem da Arara n. 56.
Panno preto.
Vende-ae paono preto muito encorpado a
l$60O, 19800 e 29, e dito cor de caf : na ra da
Imperatriz n. 60. loja do Pavo.
Chales do Pavo!
Veodem-se chalea de merino eatampados mui
to grandea a 39. ditos de caasa adamascada
rs.: na ra da Imperatriz n. 60, loja
do Pavo de Gama & Silva.
500
100
800
60
20
30
240
19000
Veode-se urna ezcelleote casa terrea mu
arejada, sita na ra de Hottas o.' 92, bem cons-
truida, com d.ua grandea salas, tres quarloa, co-
zinha fora, quintal murado, com porteo para a
ra do Caldeireiro : a tratar na ra das Cruzes
numero 11.
Vende-se no sitio da viuva do fallecido Jos
800! Carvslho da Costa, estrada que vai para Bellem,
e armazem | em frente ao cemiterio doaioglezes, seis esbegaa
de gado, sendo vsccas e bezerros.
As saias da Arara.
Vendem-se saias brancas bordadas a _
ditas de 4 pannos a 3J e 3g500, cambraiaa de. ca-
rocinhos com 8 e meia varas a 49 a pega, corles
de chitas finas com 13 covados a 29500 : na tai
da Imperatriz loja e armazem da Arara n. 56.
Pechincha sem igual.
Cortes da chita francesa largs, de 11 .covados,
pelo baratissimo prego de 2g500, liadas chitas
francezaa largas a 200 rs. o covado, superiores
cassaa francezas de cores a 140 o covado, lindas
lazinhas de cores de superior qualidade a 400
rs. o covsdo: na loja do aobrado de 4 andaraa
aa raa do Crespo n. 13, de Antonio Corris de
Vasconcellos & C, successores da Jos Marta
Lope*.
Rosas articiaes para cabello:
A.L. B. P. tendo recabido um variado sorti-
mento de bonitas rosas que se esto usando para
cabellos, a de pannos comfolhi de velludo, ditas
de papel todas, as mais ricaa qae se pode encon-
trar vende-ae na ra do Queimado n. 63, loja
do beija flor._____________________
Agulhas.
A. L. B. F.tendo recebido agulhas imperiaes de
fundo dourado. vende na loja do beija flor, ras
do Quetosado o. 63.
Vende-ae urna eacrava mulata, de 22 annos
de id.ade, sem achaqaes e de bonita figura, a qual
lava, eogomma e cozinha o diario de ama casa
de familia : na ra do Hospicio n. 31.
A os senhores funileiros.
Vendem-se bigornas Calcadil da ico, bem
feitas, a 129 **d* urna, martelos calcados a 500
rs., trancas a 31500 ; a elles, antes que se aca-
ben! : na raa da Imperatriz o. 95.
FAZENDAS E ROUPAS FEITAS
DE
Bernardino Jos da Silva Maia.
43 -Ra do Queimado 43
Esquina que *olta para a Congregado.
Cambraiaa organdys padresj muito bo-
nitos a 600 rs. a vara.
Ditas moderna duqueza de Orleans a
560'rs.
Chitas largas escuras finas o (ovado a
240 e 260 rs.
Ditaa mnito finas verdadeira francezas a
300 e 320 rs.
Neste moderno ostsbelecimento se en-
contrar um. completo a variado sorti-
meoto de fazendas e roupaa feitaa por
pregoa mni razoavels. O desengao da
vista ver:
Paletotslde casemira saceos e sobrecasa-
cos a 109.
Ditoa de meia casemira dito dito a 5).
Ditoa de brim pardo de linho maito fi-
noa a 59.
Diloa de alpaca preta fina de 4| a 69.
Ditos sobrecasacos de panno muito fi-
no 229.
Ditoa de fustao da cor miudinho a 3f .
Caigas de casemira de cor a 5?, 69, 79
6 89000.
Ditas de dita prata a 79, 81 e 109.
Ditas de meia casemira a 39. 39500 e 9.
Ditas da fuio a ganga de cor a 29,2HO0
e 29500.
Ditas de brim pardo de linho a 29. 3f.
49 a 5.
Ditaa de dito branco a 29, 39 e 49.
Colletes de casemira preta a da cota4|
i5000.
Cambraiaa branca Anas a pega 39, 49 e 5J.
Ditas de salpicos com 9 varaa pega a 49.
Cbalea de la escocezes para as. senhoras
andarem em casa a 3j.
Lazinhas para vestidos o covado a 520.
Cambraia preta maito fina a vara a 500
ris.
Chitas fusilo para Vestidos o covado a
840 rs.
Saias balo arrendada a 59.
Leges de bramante de linho fino a 39*
Ditos de dito de algodao a 1$280 rs.
E outras maitas qualidades que s a
vista do fregus. Tambem manda fazer
roupas por medidaa.
De lado se do amostras com-penhor.
Arara est vendendo. I
Vendem-se pegas de madapolo elephante
mnito Ooo jcom 40 jardas a 149, dito de 24 jardas
a 49400, 49600, 59OOO, 59500 e 6g000. dito in-
festado a 3$, cortes de cambraia com barraa a
2S500: na ra da Imperatriz loja da Arara
n. 56.
Arara j vende as roupas:
Vendem-ae palitots de paono preto a .69500 a
89OO, ditos de casemira de corea a IO9OOO, cal-
gas de casemira preta a 49500. ditaa de corea a
5g500, palitots de alpaca a 3JJ500 e 49000, ca-
rnizas francezaa a 18600 e 29000, seroulas de li-
nho a I96OO e 25, collsrinhos de linbo a 500 rs.:
na roa da Imperatriz loja da Arara n. 56
Arara vende as capas.
Veodem-se capas perfeilamente modernas a
69000 e IOjOOO, manteletes de grosdensple prelas
muito modernos a 25g000 e 3O$O0O, chales de
la a JOOO, ditos de la e seda a 29000, ditos de
merino a 29500 e 49500 ditos de cepe de ponta
redonda a 78500 e 89: na raa dalmperatriz loja
da Arara o. 56.
Arara vai liquidar sua casa,
porque quer ir passeiar.
Vendem o maia barato pos'sivel para acabar,
chitas com pequeo toque de mofo a 160 rs.
limpas a 200 rs. o covado ditaa largas s 240. 260
e 280 ra. o covado, sao preta para luto a 500 o
640 rs. o corado, cassa preta a 280 rs. ocovada
cortes de casemira jirets para caiga a 39 e 3|500;
e outras muitas fazendas que se do as amos-
tras : na ra da Imperatriz loja da Arara nume-
ro 56.
Palitos da Arara.
Vendem-se ma"sos de palitoa linos para den-
tea com 20 massinhos a 200 rs. para acabar: na
ra da Imperatriz loja e armazem da Arara n. 56
de Magalbea & Mendes.
Borzeguins inglezes.
Ni rna da Imperatriz n. 10 defronle
loja do Pinto, recebeu-se pelo uItimo
grande sortlmento dosj bem ,t*,
segaias inglezes que veade-ee por 101 e 1
nheiro logo contado.______________
Vende-ae asa balea* do amrete
sado com vidros, e proprio para eaalaeec
beleeiraenlo, muita barato, aera
chincha: nr ra estrellado Rosario n
1 funileiro.






5*008
39000
1900
800
19609-

1C009 *
240
3900t
39OOO
29500
18280
500
800
68000
29000
*T^

-Jila.:



k=
Dl^MflllUMlCQ SEGWP4 f 11BA t MUQUIO M UU
-
8. JOAO'
VENDE-SE NO ARMAZEM
PR06RESS0
DE
Francisco Fernandes Duarte
largo da Penlia
A bfhha fina,
enl copos grande, ehego fiera losj d aguia
bran"ca, rui do Qaeimado d 16.
Libras slerlinas
Vende-se do escriptorio de Manoel Ignacio da
Oliveirs & Filho. Ursjfl do Carpo Santo n. 19.
Superior caldo Lisboa.
Tem -par vender im porreo e a ratalho Ante-
nio Luix da Oliveir Azevedo & Q., no tea n-
eriplorio ra da Crui n. 1.
Brincos pretos a toalao, e
outros objctos para
luto
Desiet obj tctoi da que hoja ioleliurjente tantas
familias precisan), na ioja d'aguia branca acha-ae
Vendem-se dus paves:
neata typograpbia.
Amendoas.
Vendem-se amendoas em frascos e avultos e
os bons ricos papis com estal pira sortes :
na ra da Seozsla Nova n. 80.
Algodo da tahia.
Proprlo para roupa de escravos e saceos de at-
sucar : vende-se na ra da Cruz n. 1, escriptorio
de Antonio Luiz de Oliveira Aievedo 4 C.
Agua de colonia ambria-
da esem o ser.
Essa estimada agua de colunia ambreadi, de
que tantos a tanto lempo sentem a Taita, acaba
de iSTl?.l.?Eff e "*. de differente.";mh7ldo i."
e aoeios dito, einteirot
eofaites para cabera, grampoa i
para segarar cabello, luras de torcl de seda e
pailita, meaa de eeda e algodo para, horneo
Os memore gneros que v m a este mercado e por menos 10 por cont do que em oulra
qualquer parte, garantindo-se a boa qualidade, por isso roga-se a todos orSore. da praga, de eo-
genhos e lavradores o favor de mandaren) suas encommendas a este rnuito acreditado armazem de
molhados, afim de varem a differema de pre$o e qualidade que faz, se fossem comprados em oulra
qualquerparte.
A.M*MdU*8 confeitadas para sorte de S. Joao 800 rs. a libra, tambem tem-se para
640 rs. a libra sendo en porfi, tanto de urna qualidade como de outra se fas abat-
ment.
KiafettHga Ivftlezti da safra ora de primeira qualidade a 1*000 a libra, em
barril se faz abatimento.
ftanteiga iraueixi a mas neva a 720 rs# a |br8) em barriI a 60Or8
yMlJM QO TtJlWO muilo frescos chegados neste ultimo vapor a 2*000 ditos che-
gados no ultimo navio ; 1*800.
y U.C1JO praiO 0 mais {Uperor que tera vn0 a est merca(j0 a 80o rs. a libra.
Ola nySSOu 0 meihor que u no mercado a 2*800 e 2*200 a libra, afianca-se a boa
qualidade.
^fc uXllll o que se podo desojar neste genero a 3*000 a libra.
Vjlia p\0 homeopathico a 2*200 a libra em porcao se faz abatimento.
1. raC|UeS HOYOS de pa/io transado a 320 rs. e em caixas eom 40 cartas por 10*000.
LAtaS COHl anVQflCim confeitadas, proprias para mimo, conlendo mais con-
feitese assucar candido por 1*600 cada urna.
raSSaS em caixinhas de 8 libras chegadas altimamente a 2*000 cada urna e a ralalho
a 450 rs. a libra.
liOiaXlUlia (j9 S0(ja em |atas com differentes qiwlidades a 1*440.
DOlaXllllia ngleza a mt; nova que h no mercado a 4*000 a barrica a a retalho
a 320 rs. a libra.
VlUI&O QM pipa desupjrior qualidade Porto, Figueira e Lisboa 500, 560 a 640 rs.
a garrafa, e em caada n 3*500, 4*000 e 4*500.
V1l\lOS 5Hgarrf ad>S Duque do Porto, Lsgrimas do Douro, Carcavellos, Fei-
toria velho, e deoutras loa'vtas marcas acreditadas a 19200 a garrafa, em caica a 12*
tambem ha para 1*000 a garrafa.
^-IiaMpaaYlC das marcas mais acreditadas a 15*000 e 20*000 o gigo, e em garrafa a
1,>800
WV#3ja da marca cobrinha ou de oulras marcas conhecidaa a 5*000 a duzia e 500 rs.
a garrafa.
a^littas francezas e portujuezas em la'as de 1 libra por 640 rs.
ML&fft 4$ tomate em taitas de 1 libra por 800 rs.
\meVx^8 fraiie&%&l3 em latas de 1 e meia libra por 15500, ditas com 3 libras por
9#WQ.
&.meil(iOft de casca mole tiuilo novas a 320 rs. a libra, era arroba por 8#000.
^ZCSa 120 rs. a libra e em irroba a 3&000.
\le\ta, maeaT?a i taWvaTm a 400 rs. a libra, a em caixa com 1 arro-
ba por 69000.
li8tre\\aYl8, pevide e arroz de massa branca ou amarella, a 640 rs. a libra, e em cai-
xinhas muito enfeiudas lie faz obatiraento.
alltOS A IMSllteS lixados 03 maisbam feitosque tara viudo a este mercado a 280rs.
tambem lia para 200 rs.
t feXilllV'.iiS Hg\tl.*i par fiambre a 800 rs. tambem hamburguez para fiambre a
640 rs. a libra e do reine o mais novo que ha a 560 rs. a libra.
VjHOlVri^aH OpaiOS :nuiio novas a 560 rs. a libra eem barril se far abatimento.
caame 0 melbor pelisco que pode haver por estar prompto a toda hora a 800 rs. a libra.
%. CillfilllUS dO W1W muito novo a 280 rs. a libra e em barris de 1 e meia arroba
a 5 e 7* a arroba.
V.U \\ 1Q.S.S em latas j proruptas para se comer a 19800 cada urna.
Bail* d poreo reuida em Utas com O libras por 49300.
Dita em barril mQ!bi ^Di e ajva a 440 K. a mm e em banii a 400 ra.
JartieS COm boUo CtaUCeX proprios para mimo a 500 rs. cada um.
1^**^***^a'^ imperial do ifamad Abreu ede outros muitos fabricanles de Lisboa a 800 rs.
a libra.
MarmeU da de Alperche em latas de 2 libras por 1*000 cada urna,
^aiiaS C Sfc U FHCtaS de doce em calda as raelhores quehaem Portugal como se-
. jam pera, pesego, damisco, ameixas, ginja e screijas a 800 rs, a lata.
lOCea S. CCOS e era calda, em latas, de 4 a 5 libras por 2*000.
1-yllOCOlate hespanhol a 1!>500 rs. a libra, ditto francez a 1*100 dilto portuguez a
800 rs afianca-se a be a qualidade.
V*aiC de primeira qualidsde tanto do Rio como do Cear, a 320 rs. a libra, em arroba a
99500, dito mais baix a 280 rs. e 89500 a arroba.
^evaaiUlia de Franca a mais nova do mercado^ 240 rs. a libra, e em porfi se faz
abatimento.*
^*$ muito novo a 320 rs. n libra e em garrafes cora- 5 libras, por 2*000.
Familia do reino das marcas SSS ou galega, a 140 rs.-a libra.
Dita do Maranhao alva e ebeiosa a 160 rs. a libra e em arroba 4*500.
W Ciaa de carnauba refinada ; 400 rs a libra, e em arroba o 129000.
i\Z>eita da Ce refinado a 300 rs. a garrafa, e em caixas a 9*000.
Vinagre de LUboa a 240 rs. a garrafa e em caada a 19800.
ViftYlO cherez verdadeiro.a 1*500 a garrafa, e em caixa 14*000.
VlUttO braneO de Lisboa o mais superior que ha no mercado proprio para missi a
640 rs. a garrafa e em caada a 49500.
^arUtOS, SUSpiros do fabiicante Brando em metas caixinhas, por 29500.
IIIOS suspires do fabricante Catanho Filhos em meias caxinhas a 2*000.
II1108 em caixas de 100 regala Imperial, Vjagantes, e Paneotellas, a 2*000 a caixa.
AlpiSla muita limpo, i8)ni. a libra, e em arroba 5*500,
Aieitona8 muito novas, i 1*600 rs. ca !a urna ancoris, e a 40b rs. a garrafa.
Alfil de Maranhao a 120 n a libra, e 3*700 a arroba.
PeiXe de postas em lats das memores qualidades de paixa que ha em Portugal a 1*500 rs.
Ctoartra 4e ftoaitda ^ ^^x^ Min 25 gaK,f por 99000.
n&OStarda ogleza muito rava a 1*000 ofrasooelranceza a 640 rs. o pota.
Alm dos gneros cima muactonados eoeontraa o respeitivel publico um coaopleto serra-
to da lado que tendente a no hados.
sanboras : com o compradores de tata o ai actos Apparelh08(Je POrCllaa d0U-
tari a maior contemplacao, atiento o Ampara! j. .. l a~ u
irueso: porSMdiriirem-sa rua do Qiel- rada para CM de DOIiecaS.
mido. Ioja d'aguia branca n. 16. A loja da agua branca desojando que todos
gua
facas a rootade a suas bailas neniis esta ven-
placlo, atiento o fim para
girem-aa i ra do Quai-
oca n. 16.
ArrOelaS OU argOlaS de borra- OeiHo commodamente' estes bonitos apparelbos
Chaara Sfo-lirar nanpic a ?e Hreillaoa dourad, e pintada a 19500 e 29,
tUVdld egUiar papeiS 6 tendo cada am 6 catares de cblcarai,^e os mai
mu tos outros trsteres 5,r?,?wf' v"la do i"e lodo (munidos de
A Uj. d'aguia branca rauba. um. porclo d. ,n,r0) P"' COmpr"los do Queimado
rroelas ou argolas da borracha, que acertada
mele se applicam a difTerenlea 'fina, como Um- .BOtOS palitei TOS de DOrCPi-
iversas ra- i r
bam leja para smmassar papis as d
particaa publicas, no cartorioa, escriplorios, .
annaiena, loja, boticas, tabarnaa, le., etc.,
lana dourada.
Agora ninguem deixari maia de ler em sua
meamo de alguna particulares, o que oa verdsda mesa um bonito paliteire de porcellaoa dourad
IlLe aR*5a c^Dpf"-" P'lo diminuto pre;o do poia que elle ae ealao vendando a lSe lji500
140 e 320 a dazla, para poupar-se o tribalho da na loja da .(rala branca n. 16.
MENOS DEZ POR CEMTO
NOS ARMAZBNS
PROGRESSISTA
36
BUAMTE *fc C.
ra das Cruzes de Santo Antonio 36.
9 Largo do Carino 9
. ipm s. intu b s. mu.
M t.~...Jr ProPneta.r,?s dests editados armazens di molhados psrcipam aos seus nume-
I- fregnaaaysepo, y*. 0s vapores navio, da Europa, recebam 'de suf propri. encommool
"SZZ^**^*? ,sso te* P"*<" acarregadas em diversos pLo. da Euro,
[T:M.\ tdM 5 .da ?!**' da gwAo e larradores o favor de mandsrem suas encom^ndas
ISSO
aos
AUenco
atar e desatar um masso da papis todas aa vezas
que se precita, assimeomoaa mai larga aerven BhUtiajapjUeZil 6 OUtraS U3U-
para aagarar earleirat. e manguitos da aenboras, *ac ._ _* ^^
e mesmo para pulseiraa de mistangas, adrartia-, Lcl> llUVaS perlUIUariaS.
da, porra, qaacada argola tem sua fivela ; van- A loja da aguia branca acaba de despschar de
dam-aa em dita loja d'aguia branca; ra doQaai- sua enconamenda um grande e bello aoriime'nto
0 n-6. ____ de finas perfuman do mai afamadoa fabri-
" caatea, sendo as bem coobecidas e preciadaa
banhat, japoneza, transparente, philocome im-
perial em bonitos eopinboa com lampa de metal,
.dita nos copos grandes, dita em compoteiraa h-
' sas e lapidadas, leos de baboaa, philocome e
Lubio, pomadaa ou cosmestiques, fioot extractos
GuimarSes & Luz, doooa da loja da miudezas dt?? Pwos a escolhidoa churos Jackey-Club,
da rma do Queimado n. 55, no* Tama, partUipim ? "ore*A miel ?, Ing^erra Marechal, Principe
ao publico que o acu ettabelecimento ae acha Alberto, aorge IV. etc. etc. Recommeqda-se a
completa menle prvido das melhoraa mercadorias *** ehoras de bom goslo o oso de qualquer
tendentes ao masmo ettabelecimanto, e muitos deMes ei'imados extractos porqoe aquella que
outros objctos de gosto, sendo quasi todos reca- em ".0Ba 80cle(la bidos do suas proprias encommendas ; a estando ,eo flno len5 orvalhado de tao sublimes sromas
elles intairamente resolvidos a nio vanderam ,erpor ce" P"ier d ?er s suss visinhas
Hado, afiancen! vender maia barato do que outro dao>re'la e esquerda Ihe reodendo bomenagem,
qualquer ; e juntamente pedem aos aeut davedo- P^'gjf^rem donna F. onde comprou ease to
res que Ibas msndem ou vsoham pagar o seus 6"(ei cheiro t E ella orgulhosa de sen bom
dnbiloa. ao pena da aeran jutticado. goito, matcom ar prazenteiro Ihe responder:
na ma do Queimado Ioja da agua branca nume-
Souhall Mellors & c, Undo recebido or- ro 16.
dem para vender o seu crescido deposito do rilo-
gios visto (abricaoUter-ae retirado do neg- Papel amSade branCO 6 de
eio ; convida, portaoto, s pessoas que quizersm
possair um bom rslogio de ouro oa prala do cu- COTOS.
ranMbrJMDU Kor"by-Proitar-sa da op- Vende-se pacotas com 100 folhas de papel ami-
portunidade sem parda da lempo, para vir com- sade branto e decores a 800 e 6*0cada pacote :
!"i rPr- c,onan,22 preC no "" ,rlPtorio o Qeimado loja da aguia branca Bt>
rna oo trapicha n.l. ________ mera 16.
ojjijiua.-^-*'^'a^ng------------------------------------------------
AUencao! atten&io!
Aos pais de familia, bom e ba-
rato.
Na loja n. SO da ra da Imperatriz icha-se a
venda um completo a variado aortimeolo de boaa
fazeodat, a que i riiti de uas qualidade to b-
ratiimameote vendida, e para mai veracdide
do que Oca dito, abaixo vao mencionadas algumaa
das dita fazeodas, a saber :
r Chitas larga cor fin a 140 r.
Madapoln Uoo com 24 jardas a 5}.
i Gambraias da cores a 980.320 e 400 rs. o ca-
vado.
Velludo prelo e de cores.a 29.
Lindeza de corea a 160 rs. o covado.
Loncos pequeos s 80, 120 e 160 rs.
Chapeos d catior fino a 85.
Chitas pretas multo largas e fina a S40 rs.
Algodo trancado prelo muito bom para velli-
dos di escravos a 200 rs.
Cambraia lu com 10 i arda a 2$.
Casta de talpicos com 10 ditas s 3j
Cambraia bordada para cortinados com 8 va-
ras a 2/.
Loja das 6 por-
tas em frente do
Livramento.
Ctssss bancazas de bonitos goaloa
320 rs. o covado, luvas'de trocil pretf
e da seda a 500 ra. o par, chitas franui
zaa larga escuras a 240 ra. o covade
ditas lian a 260 a 280 ra., fil de Hnho
liso a 640 rs. a vara, tarlatana fina de
tedaaaa corea a 800 rs. a vara, lencos
brancot com btrrs da cor a 19(00 a du-
zia e 120 rs.cada um, meiat para ho-
rnera a 1$I00 a ducia e 110 rs. o par,
chitas para coberta do bonitos dese-
nhos s 220 rs. o eovido, pegas de bre-
tanha de rolo a 29. ditas de cambraia lisa
com 6 1|2 varas a 39, mussalina encar-
nada a2i0 rs. o covado, ctleinhas para
meninas de escola a 19 o par, peitos
para camisa brancos da~ coras a 200
rs., pegas do cambraii branca de salpi-
co i 395OO, algodo entestado o melhor
a 700 rs.-a vara, dito braoco para loa-'
Ihas a 15 a vara, enfeites dos mais mo-
dernos a garibaldi a 69.loja est aber-
ta al as9 horai da noite.
Ra da Senzalla Nova n. 42.
Vends-se em casa da S. P. Jonhston -4 C,
sellins e silhes inglezos, candieiros e castigaos
bromeados, lonas ioglezas, fie de vela, chicotes
para carros o montara, arreios para carros de
um a dons cavallos, e relogtos de onro patente
ingles.
0 Livro do Povo.
Sehio luz publica o LIVRO DO POVO, publi-
cado sob a direcgo do Sr. Df. A. Marqaes Ro-
drigues, e cootm a vida de N. S. Josas Chtisto,
segundo a oarrago dos quatro evangelistas, t
maia os seguinles artigo: o vigario, o profoisor
primario, o bom homem Ricardo, a moral prati-
ca. Simio de Nantna, mximas e pensamentos,
a hygiene, os deveres dos meninos, e o Brasil
A publicago do LIVRO DO POVO nao s tem
por fim umormisar a leitura as escoles prima-
risa, onde cada menino aprende por um livro
difierente, e portaoto facilitar o trabalho do mes-
tre e do discipulp, como tambem vulgarissr, por
un prego baraliatiao, a historia do silvador do
mundo, e os melhores preceitos de moral.
Venda-so o Livro do Povo, no Recite, na
livraria da praga da Independencia ns. 6 e 8, a
500 rs. o exemplar em broebura, e a 800 rs. car-
toaado.
Queijos
os mais frescos que tem vindo ao nosso
mercado chegados no ultimo vapor a
2jjf000 e no passado a 1#800.
Amendoas
confeitadas at mais bonitas que ha no
mercado a 800 e 1$ a libra : vende-se
nos armazens Progressista e Progres-
vo no largo do Garmo n.. 9 e ra das
Cruzes n. 36.
i. asas
Ra da Senzalla Nova n. 42.
Neste estabelecimento vende-se: ta-
chas de ferro coado libra 110 rs. idem
de Low Moorlibra a 120 rs.
*** 0*M
1 Admirem as las*
2 baratas.
9 Lindas lia da tore de quadroa oda
A flores, de superior qualidade, palo bar-
I tistimo praga de 320 rit o ovado na
loja do sobrado da 4 andares, ra do
B Crespo a. 11. de Antonio Corris deVaa-
ajsj ceaeello & C, netessoras da Jos alo.
reir Lopes.
a mais aova a 700 rs. a libra e em barril a 000 rs.
superior que ha no mercado a 29400 o 39800 a libra.
los ueste ultimo vapor a 29200 e dos chegados no ultimo
Vndese um clariueto de ires chaves e urna
flauta de cinco chavea boa e barata, e maia algu-
ma covsa : na ra Imperial n. 80.
Tiras ou ntremelos bor-
dados
Vendem-se tiras ou ntremelos bordados de
lindos gostos, pelos bsratitsimos precos de 18500
e 1$600; i oo gslo vigilinte, ra do Crespo nu-
mero 7.
Vende-se superior vinho de Bor-
deaux S. Julien) em quartolas e meias
quartolas ltimamente chegado pelo va-
por francez : no armazem do Sr. An-
nes confronte a porta da alfandega. -
Sintos parasnhora.
Vendem-se os riquisiimos sintos com borla ca-
bida ao lado, muito chique, sendo o ultimo gosto
de Parit, poit parece-me que nio haver aeoho-
raa que deize de comprar : isto t no gallo vi-
gilante, ru do Crespo n. 7.
Enieites de cabeca.
Vendem-se oa riqnissimos enfeites, tanto com
franja como sem ella, por baratissimo prego de
22)500, 3 e 5: s no vigilante, ra do Crespo
numero 7.
Linda de peso.
V-endem-se as verdsdeiras linhas de peso, o
mais fino que se pode encontrar a 2f500 o mas-
sinho de 30 miadiohis, aasim como da outrss
qualidades : s no vigilante, ra do Crespo nu-
mero 7-
Potassa da Russia.
Vende-se em casa de N. O Bieber 4
IC, successores, ra da Cruz n- 4-

Gaz do melhor
a 600 rs. a garrafa.
fa ruaDireita n. 7 e na rua-
do Queimado n. 75.
Bom e barato.
Queijos do Serid a 500rs. a libra, gonsma da
ararula muito alva e nova a 100 rs. a libra, e en
arroba a 20800, cevadioha de Franca a 200 ra. a
liara, ancoratas com altitonas a ffSOO .- na na
d*s Cruzee 24. caquin* da traveata do Ouvidor
Atteeeao
A 600 rs a garrafa de gaz.
Coolinua-te a vender o malhor gas, na loja 4a
fuoiltiro, raa da Issparittu n. 65.
nossos armazens, afim de verem superior qualidade de gneros e diflerenga de pZ
Queyos do serta m mas frescos ^ mercado a c40 rs#, ^ .
Ixenebra italiana llm,j.B ml. .
om u j JST* das melhores. genebras que tem vindo ao nosso mercad
em frascos- grandes a 2, vende-se nicamente nestes armazens.
LingOIfBS em litas j promptss. iS00.
dlXinias 0s nuiselgantes que tem vindo de Franca, proprias para guardar iotas ou
fazer mimos d 500 rs. a 13600.
Salames do. jnelham do mere'do ..800 rs. a libra.
Manteiga ngteza de primera qualid.de a 800 a 090 rs. libra e em barril m
fara abatimento.
Manteiga francez
Cha hyssnn 0
Clla IlUilMl oqu.h.da melhor neste genero a 2500 a 300O a libra.
n) Pre oi, "P8"0' Tin Ulia IlTSSOn 0 aolhor que vem do Rio, em lata's da urna libra por 1800 e em porcao
se tara abatimento. r
queijos do reino ch9gadc
navio a 15300 cada um.
QUIJOS pratO eomo nunca veio ao nosso mercado a 1*000 a libra a inteiro a 900 rs.
I aios e chou 1*19;s muil0 novos a 560re#,Ubra em mio 9e far abatDMnt0.
eiXe eiil latas dediversos umanhos,savel, sardo, pargo. pescada,cavalla, lingu*
dos fritos, atura marenado, robllos e lulas de ligelada, da 1300 a 2*000 alau.
rOUCinllO dO r?ilOmultnovoaWOrs.a M*. e9500a roba a timba*
temos para 240 rs. a libra e 6500 a arroba.
Bail a de pr>lCO em latas eom O fibras por 43400 a 480 a-libra.
Marmelada imperial de todos os conservemos de Lisboa, em latas da libra a
meia e 2 libras a 750 rs. a libra
LataS COm frutas em Calda comosejampera, pecego, damasco, slper-
X6, ameixas a ginja, a 700 rs. a lata.
Vlarmelada de Alperceemlasde2iibrasper UOOOeadauma.
Doce da CaSCa da gOiaba SOOrs.e em poSrio se far batimento.
OOCeS SeCCOS ^ diflerentes qualidades em bcetis muito bem arranjadas a 3I00O.
i. Illa ras em caixinhas a 29500 e 600 rs, a libra
Passas em caxinhas de 8 libras a 2*500 e6oors. a libra.
1 lgOS da Comadre muito novos em cixinha de 8 libras e muito bem enfeitsdas a
a 2200 e 320 rs. a libra.
Krvilhas francezas e portuguevsasa640 72ors. a Uta.
MaSSl de tomate em latas de 1 Hbrra .eoOt*.
A.meudoa8 da Casca mole BUUo novas a 400 rs. a libra.
131 OZes nuito novas a 200 rs. a libra.
AmeiXaS franceZ^S era latas com 5 libras por 4000 e a 1*009 a libra.
CIl TCOlate heSpanllol a lflOO, francez a lfOOOepot tagnes a 800 rs. alibra.
Bol i Xi lilla d& SOda emlatas com differentes quilidades a 1*400 a lata.
MassaS pgra SOpa maCarrao e talharim a 240 rs, a libra e a caixa por 5*000.
v/ttIXlflliaS nruito bem enfeitada com pevide, rodinha, estrellinhs, etc. a 700 e 800
r AlllOS llXadOS paradentes em raolhos com 20 ssacinhos a 200 rs.
M. I^OlO Je ratlCeZ para limpar facis a 180 rs. e em porc,ao se far abatimento. .
fispermacete Superior asta avaria a 740 eem caixa a 760 rs. a libra.
Sardinhasde Nantes muito novas a 400 a 600 rs.
AS pista muito nova a 200 rs. a libra e 5*500 arroba.
AZdte doce refinado de diverjas marcas a 80U rs. a garrafa e 9*000 a duzia.
BolaCllilllia iogUzaa mais nova do mercado a 300 rs. alibra o 4*200 a barrica.
IxOina muito alva a 100 rg. a libra e 2*500 arroba.
V111 ti OS engarrafados duque do Porto, genuino. Porto fino, madeira secca, Carcavellos, nc-
tar, feitori a, velho secco, Musca tal a 1*200 a garrafa e 12*000 a duzis.
DltOS em pipa Porto, figueira e Lisboa de 500 a 600 rs. sgsrrsfa ede4*000 a 4*500 a ca-
ada.
SerVe|a9 das mais acreditadas marcas a 500 rs. a garrafa e 5*000 a duzia.
Gh a tlpan he das marcis mais acreditadas que h no mercado a 14* e 20* o gigo.
COgnaC inglez a 109000 a caixa e 1*000 a garrafa.
Ginebra d Hol iallda verdadeira a 7*500 a frasqueira e 800 rs. o frasco.
fAZeita 118 S em ancoretas as melhores que ha no marcado a 2* a a 400 rs. a garrafa.
I I'aCJIeS superiores em caixinhas a 10* ea 320 rs* a carta.
Pa llt. S d O g'a Z a 2*500 a groza e 240 rs. a duzia de caixas*.
$ 1 refinado m pacotas de mais da urna libra a 240 rs. a em porcao lera abatimento.
Cafe do RO o melhor que ha no mercado a 320 rs. a libra e 9|000 a arroba.
Seva lilllia de Franca amis nova do mercado a 340 rs. a libra.
Sag*U muito novo a 320 a libra.
Fariflha do JlaranllO mRUo ha a nova a 160 rs. a libra e 49800 a ar-
roba. ",
Velas de carnauba e de composico a4oors. a libra a a 139
a arroba.
Vinagre pUrO de LSboa ,210 rs. agarrafa a a 1*800 actnada.
Al&rra5(|UnO verdadeiro de zara, de limone, caf, manta, genepro, raaniol'iaijra,
curacu, rosa sublime e oulras qualidades da 19500 a 29 a garrafa.
Er Ya dOCe muito nova a 400 rs. a libra.
ArrOZ COra toque daVaraemsaccosde5arrobasa5assacaal50t
a arroba.
O na r UtOS vardadeiros superiores a 2* a eaixinha de 50.
SalmOll em lataS com duas libras o mais bem arranj.do qua tasa vindo ao
cado a 19400.
Mailtega em lataS com 4 libras a melher do marcado lacrado er
19200 cada urna.
V111 ag* re Aramia verdadeira muito aova a S20 a libra.
Alm destea gneros encontrar, e raspettaval publico em nossos araMzeae m eoaplel
sofmanta da ludo tendenu a molhados.
AmeildoaS Confeitadas w maU baratas que ha aa mareado a 800 rs. 9e>
a Ubra.-
"

*

tinaaSMa


FilRi
pn *
A leja do bnf^Qar lando receido bonitaa ro-
s que se esli osando para oa cabello*, veade
a roa do Queimado na |q, lctta, Bt p3.
Aljfar tino imitando perola.
Vendn-ee a 500 rs. o Bo da aljfar fino, imi-
tando parola : na raa do Queimaco, loja d'aguia
noca n. 16.
Cambraias
Vendem-ae cambraiaa de corar de bonitos o
alegsotes desenhos a 280 e. 320 rs. o corado : na
WaVl Imperstrli, loja o. 50
o i ii i un i r.i un ,
Oliados.
Veud*m- patateos, larguras da 6, 7, 8 a 9 palmos, pro-
prloe ciara masa de jantara ti o c3vado : na rus
da Imperatriz. loja p. 80.
Sapatos de horra-
cha para senhorasa
1,500 o par.
Estamos no mez Marianoo, a po- aso de no-
tesaidade que as senhoraa que bam se appticam
a esaa boa devoco ae previnem de um par de s-
palos de borracha, para sssim lerum oa ps ree-
eruardadoe da buenidsde, eem attenco a lio jus-
to a louvafel flm. esto ae venden do a 1*500 o
Sume" li" Qu,,a"d0* lJa d',,i, ^ca
Borzeg
jnSa
Ra da Imperatriz n.
do Pinto.
10 loja
Fundico
p*
ala Senxalla Novr n.4.
Nesta aalafcalaaimenta continua a haverum
completo aoTtiaiento de moendas meias moert-
das para engenho, machinas da vapor a taixas
da Ierro batido a eaado de todos os tamanho
para dito,
Sahio luz o
Gallo Vigilante.
Na ra do Crespo n. 7, sonde o respeitavel pu -
bllco achara um grande a variado sortimcnto de
mtudexas qae se rende por precos mala baratos,
10 por cento do que em oatra qaalquer parte,
sssim como seja, franjas pretsacom vidrilho e de
cores, utas de todas saqaalidades, franja e gala o
de linho, cascarrilhas pretas e de cores, froeosde
todas as cores, os riquissimos enfaitea de caneca,
galaoznhos de linho a da aeda para enleitea,
cnapeozmhoa para enancas, chapeliohaa para se-
nbora, bonets de panno e velludo multo finos
para meninos, fitas milito chiques para sintos,
msngnitos e gollinhas mailo finas, lencos de
cambraia de linho muito finos, e moitoa mala
objectos qae se continuar annaneiar, pola ven-
de-se lado por procos barallssimos por se achar
em liquidaeao. Na meema loja ae achara um
rico aortimento de amendoas e coneitos proprios
para qualquer mimo, que se vende pelo baralia-
simo preco de 1J600 a calxinha.
A verdadeira essencia de ail
para engommado.
a loja d'aguia branca,
Aeaba de chegar para
raa do Qaeimadon. 16.
Vende-se pelo baratiesimo preco :
Boriegulna de lustre para hornera a W.
Ditos de bexerro para hornera a 8fl.
Diiea de cordavao para dito a 89.
?r e,te pre5 dinooiro vista para 11-
Moendas e meias moendas.
Taixas de ferro batido e
coado.
Machinas de vapor.
Rodas d'agua.
Rodas, dentadas etc., itt:.
Ruado Bruna n. 38, fjndico
de D. W. Bouman.
Fazendas pretas
superiores.
asalKSnl^^S! "i"9 aPerIor P,0 dlmi-
oatopreco de2 o catado, panno preto mailo 0-
-..f. Vi4,5,,.7e..?* o otado, essemire preti
St..Da ," **,' ^' 3. W00 e I o aav.de,
mantas pretas de blonda mailo superiores a 12,
tnanleletea desuperiores grosdenaples relos ri-
camente bordados a 35, sobrecaaacae de paonc
fli m"',l 5TO ao^> caaacaa tamtem de panes
Sla. Ai.209, -ll-" ** c"ek de cor mee-
M;L f9, *Penore gravatints estrellas 1
i, a.iasde aetim maco ede gorguio muito a*
%>mM?"*J**? ToU" estreitinhse
2??JT fi '}amt? sPer' 8*grSo pre-
to para colletea a 4* o corte, reos ec faitee pretoa
ib e *"/'" outr" moU" enda# quo sendo a
aneiro i vista, vendem-ae por precoe muito ba-
Sffti'&m*'mtt "w- >- -*-
Caixinhas e cabazes para
as meninas trazerem
no bra^o.
Muito lindas caixinhas e cabazea para meninaa,
de 100 ria at 29500: na loja da Victoria, na ra
do Queimado n. 75.
Enfeites para senhora.
Oa melboraa enfeites pretos e de cores que ap-
pareee a 5*500, 6 e 6J500 : na loja da Vletoris,
a ra do Qaeimado o. 75.
Franjas pretas com vi-
drilho e sem elle.
Ricos sortimentes de franjas pretas e de cores
com vidrilho e sem elle : na loja da Victoria, na
ra do Queirosdo n. 75.
Ricos espelhos de
moldura douratla para
salas
Chegou para a loja da Victoria ana pequea
porcao de ricos espelhos de varios tamanhospara
ornamentos de aalaa, effiancando-ee seren os
melhorea em vidroa que tem vindo : na loja da
Victoria, na rus do Queimado n. 7$.

La para bordan
Lia muito boa de todas aa cores para bordar, a
7 a libra : na lojs da Victoria, na ra do Quei-
mado n. 75
Liuhas do gaz,
Caixinhaa com 50 novellos de liuhas muito fi-
nas do gaz a 900 ria a calza, ditas com 30 no-
vellos a 700 ria, ditaa com 10 novellos grsndes
a 700 ria, brancas e pretas: na loja da Victoria,
na ra do Queirosdo n. 75.
Candieiros e gaz
Chegou paras loja da Victoria os melhores
candieiros de gaz qae tem vindo ao mereado, por
precoa commodos : ns loja da Victoria, na raa
do Qaeimado n. 75.
Ricas fitas para chapeos,
cinteiros, etc, etc.
A loja d'aguia branca acaba de receber um ex-
traordinario sortimento de ricas fitas, to boas
em quslldade quio bonitaa nos desenhos, tendo
entra ellas o mais largo que poaaivel; aasim
como algumaa pecas brancas com o centro liso
proprio para ioecripedes, e muitaa outraa dedif-
ferentea cores como de caf, rOza, escara, etc,
etc., e como de aeu louvavel coatume : a loja
d'aguia branca, na ra do Queimado n. 16, ven-
de por preco roromodo essss bosa e bonitas fitas.
Grande
liquidado por todo
o pre^o, na bem co- !
nhecida loja do Ser-1
tanejo. g
Roa do Queimado n. 45. j
Apparecam com di-
nheiro que nfto deixaro i
de comprar.
Chitas escaras finas a 160, 180 e 100 8
T..cortes de testido pretos bordados i|
velludo de eaato de 150J e se vendem '
Grvalas de setim com
ponta larga a 1$
Vendem-se gratataa pretss de bom setim e
com pootss largas a 1| cada urna, lio baratas
aesim a aa acha na raa do Queimado, loja d'a-
guia branea n. 16.
Panno de algodo da Baha. I
Vende-se no escriptorio de Antonio Luis da
Oliteira Azetedo C, na ra da Cruz n.l.
Sapatos de bor-
racha-
... uasvtv UO l#VdJ K 86
por SOS 409. 509 e 709.aahldas de baila
velludo e aetim a 12j} e 13, camisas
Pra senhora a 2{000 e 3J500, golliehaa
8W, 900 e f9, ditaa de 016 bordadaa a 120
n., csssveqstes de fusilo a 59. 69.7J. 8,
meus de seda brancas e pretas para se-
"J0" ** o par, tiras de babadoa a
2"" 0"m ISaade quadro enfestadaa a
ow e 360 rs. o covado. cambraia preu a ff
400 e 440 ra. a vara, orgaodys de corea a X
600 ra. a vara, fil branco adamascado Z
para cortinados a vestidos a 400 e 500 8
rs. a tara, cortea de coHete de caaemira
bordados pretos a 29 e 39000. ditoa de
talludo de c6r e pretoa a 3|, 49, 59 e 6,
paletots de brim branco fraocezea a
3*500 e 49500, ditos de casemira de co-
rea pretos a 149 e 169. ditos de alpaca
preta e de cores a 3fc 3|500, 4 e 4*500,
camisas do peito de linho a 29500, cortea
Hm&U** fl>orttfo a IS500, 1*700,
t 2V200, 3J e 3500. colletea eitosdebrim
branco a 2a500. ditos feitos de gorguro
a 2*500 e 350O, ditos feitos de casemira
a 3J500, 4$ a 48500. ditoa de velludo a
0c 18500, um tariado aortimento de meias
para homem e aenhora, grinaldae com
flores, chalaa de froco, espartilhos, e to-
da a qualidade de roupaa feitas para ho-
mem que tbdose vende por meta de do
seu valor.
*mmm mnsmmmm
Grande
pe-
chincha.
Na ra do Queimado n 43 es-
quina que volta para a
Gongregaco.
chita larga cor cacara e fila a 180 e 200 ra. o co-
rado, dita mais fina a 220 e 240 rs. o corado,
adverte-se que quem quizer aer servido appareca
qaanto antea qne pechincha desta qualidade nao
dar eeaopre; na mesma loja vende-se eambraia
da superfina a 480 e 500 ra. a vara, liaslnbaa pa-
ra veatido a 500 rs. o covado, do-se amostras
com penhor.
Na ra da Gamboa do Carmo loja
Linhas de peso verda-
deras..
Lichas finas de peso verdadeiraa. meadas
grandes a 240 ria : na loja da Victoria, aa ra
do Queimado n. 75.
Phosphoros de seguranza
Phoaphoroa de aeguranga, por que livra de io-
cendio, a 160 ria a caita: na loja da Victoria,
na ra do Queimado n. 75.
A 19. 19500 e Bsj o par, agulhas Victoria a 120
rs. o papel, latnpartoas econmicas a 100 rs. a : """muuauuwiiiu ioja n
caiza, carteiras para eaerever a 14J e 169, calas 12, vende-se toda a qualidade de mobi-
6e7aduzia, meias para senhora, homem, me- 6a phanthasia etc. por preco mais
ninaa etc. por todo o preco, braceletes de cabello commodo do que em outra niialnnpr
com pedra rOza e amarella a M cada um : i r r0 Sa______ij j HUtlItiuer
ha na ras do Queimado loja Es^eranca n 33 A ^?arte, Z'K toda a qUahdade de obra
' de encommenda com a maior brevida-
Guimaries & Rocha.
Vendem-ae pipis com
na : no esea do Ramos n. 6.
agurdente de can- de e maior apuro da arte.
Baleias para vestidos.
Balelaa muito grandes e boas a 160 ris urna :
naloja da Victoria, na ra do Queimado n. 75.
A vender..
Urna victoria era bom estado e am lindo ca-
briole! novo ambos com arreies : pan vor e tra-
tar ra Nova n. 59, cocheira de P. Ed jardo Bour-
geois.
Linha de croxel para la-
byrintho
Aa melhorea linhaa de croxel para labyrintho
nvettoa monstroa a 820 ria um : na loi& da Vie-
totta, na ra do Qaeimado a. 76-
A 3#000 asacca,
Vendem-se saecas com arroz pilado com toque
de averia, proprio para galinba ; no caea do Ra-
mos n, 4.
Attenco
o
Chegou para aloja da victoria, candieiros a
gas de novoa gostoa e modelos, tanto para sala,
coaio paraeacada e quartoa e para ouraa muitas
e^suas: aa loja da victoria na ra do Queimado
n.75.
Sintos dourados para se-
nhoras.
Lindos ciatos dourados psri seohorae a 29300,
ditoa de poata cabida a 4, ditoa de fita a 1*600:
aa loja da Victoria, na ra do Queimado n. 75.
Cal e potassa.
Vendem-se estes dous ar-
tigos ltimamente chegados,
no bem couhecido e acredita-
do deposito da ra da Cadeia
do Recife n. 12, mais barato
do que em outra qualquer
parte.
Arados americanos e machinas
para lavar roupa : em casa de S. P.
Johnston
42.
& C ra da Senzalla Nova
u.
Libras sterlinas.
Vende-se em casa de Wild A Juat, na praca do
Corpo Santo n. 11, pritneiro andar.
Ricos
cortes de vestidos brancos
j^ bordados.
Vsnlem-ae ricos cortes de vestidos brancos
bordadas com 3 bab.do. plo baratissimo preco
Attenco
43 Ra do Amorim 43
CALCADO
45 -Roa Direia45
A epidemia declina sensivelmente, e o sea
completo deaapparecimento eati prximo! O
proprielario deate bem aorlido eatabelecimento
convida oa seus numerosos fregueses a substituir
o calcado -velho, que todo est cholenco, por no-
vo, e que poasa resistir s mil schotis e mazsur-
caa que vao aer danaadaa em louvor do realabe-
lecimento da saude publica. Os precos con-
vidan! :
HOMENS.
Bolinea afamadas Milis.
barricas.
Vandem-sa -a M0 re., dasoejidas, de feriaba
de trigo ; na ra DiraUa n. 78
Kscravos fuminos.
Fugioaoamaohecer do da 3 do correte
mea do engenho Pedregulbo da comarca de Na-
aaret da Malta, o eacravo crioulo de nome Be-
nedicto, com os eigoaes aeguiotea : idade an-
nos, alto, seco, ma;aes altes, rosto descarnado,
ei.m.aK,8r*nde?e '/" '" relWo *'Ca
.. q, U "i***' eh,*a d* "*. u'ndo em
ua companhia ama escrara de nome Rosa e
t" oa'afJS ^ me,m* 6 ,dade 3^.R;"co8
campo o aprehendam o levem a seu senhor no
mesmo engenho Pedregulbo que aVro reco
penaadoa com 100. H MC0-


>



s

non-plua-ullra Nantes.........
Nantes 2 bateras........'......
lustre....................
ingieres de botdes.............
batedores.......................
a couro de porco.......
bexerro e lastre...............
ingleies ps selvegeos.......-..
taxiados braaileiros............
Sapates non-plus-ultra................
a 8 bateriaa e meia..............
esmaga cobra..................
> Nantea S bateras vaqueta.....
> > 2 bateriaa bexerro......
a trabalbadores..........
a brasileiros de 35500 a..........
Sspatos 2 solas e salto..................
tranca portuguezes..........
franceses......
SENHOR AS.
Botinas dengosas.........
salto de bater.......
pechincha de 49500 .....
americanas 31500 a -
Sapatos de salto (Joly) .
a sem elle (dem) .
tapete; ....
a econmicos. : ,
lustre 32 e 33. .
MENINOS E
Ha de todo em relac.o e
dinheiro.
Um completo aortimento de couro de porco,
cordavao, bezerrp francs, couro de luatre, mar-
roquim. sola, courinhoa etc., que tudo ae troca
por dinheiro vontade do comprador.
ISJOOO
I29OOO
II9OOO
IO9OOO
105000
9*500
99OOO
99OOO
7500
5|500
79000
69500
59500
69OOO
59500
59OOO
29000
59000
29OOO
19260
150#000.
A quem tronzar o preto eacravo de nome Pe-
ion,"*,e atb" agt0 de8de odU 4 fle abril de
1860, cojo eacravo tem oa signaos seguiotes es-
tatura beixa, corpo regular, cor fula, pouca barba,
pea um pouco apalhelados, representa ter 35 a
4U annor, nacao Mogambique, tem dous denles
aberlos oa frente do lado de cima, e por cima do
naru entre as sobraneelhaa dos olbos am calom-
binho pequeo, que parece ser sigosl da trra
delle : obteve-se noticia certa que o dito preto
anda por Ierras dos eogeohoa Murbeca, S. Joo
e Eogenho Novo, como Irabalhador e inlilulao-
do-se de forro com o nome de Joo Pescador
pois j tem por costume quando foge mudar
nome psra Joio, elle tem uns poneos de offlcioe
que sao os aeguiotea : f0| pescador, canoeiro!
celador, e ltimamente era padeiro, a que per-
tence. ponaao rogt-se aos capilaes de campo ou
qualquer peaaoa que o encontrar, prende-0 e
traze-lo no pateo da SanU Cruzpadaria n. 6, que
feteber a quantla ac'ma. ^
Ausenlou se desde odia 1 de jucho do
poder da abaixo assigosda, a sua escrava, cabra
de nome Luisa, que repreaents ter 18 annoa d
idade. eatatura regular, com falta de doua denles
na frente, do lado superior, tem o dedo polesar
da mao esquerds quasl sem unbs. bem desem-
baracada 00 andar e no modo de fallar Jerou
alguma roupa de aeu uso, entre isto uma'saia de
labyrintho da largura de um palmo e bico cor-
respondente, um vestido de orgaodys azul e cha-
le de merino amareilocom barra ; costuma an-
dar descaiga. Roga ae a qualquer pessoa que
appreheod-la ou aouber noticia, participar ou
levadla a ra ealreita do Roaario, segundo andar
o. -2, que ser generosamente gratificado.Can-
dida Roaa DiasFernandes.
:
MENINAS.
nio ae deixa
59500
59000
4S000
29500
39OOO
I9920
800
500
800
sabir
Ilaiitciga
ingleza flor a 800 rs a libra,
ranceza a 640, cha a 29960, caf lavado a 820 e
280. qoeijoa a 19700, vinho a 400 rs. e 480, arroz
a 120. eapermacete a 740, chouri'caa a 560, novas,
toucinho a 300 rs., grao de bico a 160, sabo
msssa a 160, azeite de carrapato a 360, cerveia de
muito boa marca-a 500 rs., genebra a 560 o frea-
co ; no armazem da estrella, largo do Paraizo
numero 14.
Vende-se arroz pilado de
pelo barate preco de I96GG
4 a 5 arrobae.
muito boa qualidade
a arroba, taceos de
Nortes para S. Joo,
Fugto no da 12 de abril deate crtenle aji-
no do poder do abaixo assignado, o pardo de no-
me Francisco de 17 annoa de idade, que tem bo-
nita figura, todos oa denlea, cabellos carapinhoe
e ruivos, tendo sido este psrdo escravo do Sr
Dr. Antonio Borgea da Fonseca, de presumir
que ande poralgum dos lugsres por onde o mes-
mo senhor tem viajado, como sejam Iguaraast.
Goianna, Inga S. Joo, Campia, Sena do Tei-
xera, Pao d'Alho. Limoeiro, aa trea villas da co-
marca de Paje de Flores, sendo que segundo se
suppoe esteja tambera no engenho Inhamaa por
tiaver sido visto ha poucoadiss em Iguarass por
ter amizade com uns mulktinbos desse engenho
anda de presumir que o dito escravo por ab
ae inculque como a aervicodo dilo Sr. Dr. Bor-
gea da Fonseca, afim de nao ser apprehendido
quem pois o aprehender onde quer que for encon-
rada esse escravo e o vir entregar ao seu legi-
timo dono ns ra do Hoapieio n. 6, que ser msri
generosamente por elle gratificado.
Ignacio Luiz deBrlto Taborda.
Escravo rugido.
Contina a estar fgido deade os ltimos dias
de abril prximo passado o moleque Herculsno
que foi escravo do finado Hanoel Aotonio dos'
Pasaos Olivatra, tendo os signaea segrales : cor
fula, estatura regular, a falla um pouco descan-
sada e afinada, tem urna cicatriz n'um dedo d
urna daa mos, proveniente de um unheiro. ere-
presenta ter a idade de 26 annoa: roga-aeaaau
tondades pociaee a apprehenao do mesmo, *,
EV krT," ^"noll AD,onio Goncalvea, na rea
do Cabug, loja n. 3.
Fugio de casa do abaixo aasignado o seu
escravo Eatraxio, de nacao, representa ter 35 an-
noa de idade, e com um pequeo lobinho cima
?AfMgW<0-M tenente-coronol Joo
Francisco de Carvalho Paes de Aodrade : quem o
Vendem-se na raa doa Pires n. 20, sortes de
estelos ricamente enfeitadas, a raso de 2g o cen-
to, tanto em porcao maior como a retalho.
- Vende-ae umcabriolet em muito bom es^ I apprehende Teve-T MiTflXLTJ ?!em '
t^SS^SSSi 67Taffib D-14 e H-8 bem SSMff1 doiTr,plche D*M-4-
Manoel Alvea Guerra.
SEDAS
Cinco tustoes*
S na loja do pavo
vendem-ae sedea de quadro, ditas de listras ao
comprido, e ditaa de listras atraveaaadas, ditaa
de quadrinboa, sendo dos melhores padrdea e de-
lleadissimos gostos, com largura de chita ingleza
a 500 rs. o covado, pechincha, e do-se as
amostres com penhor : na ra da Imperatriz n.
60. loja e armaiern do pavao de Gama Silva!
Funileiro e vidracro.
Grande e nova officina.
Tres portas.
31RuaDireita31.
Reate rico e bem montado eatabelecimento en-
contrario os reguezes o mais perfeito, bem aca-
bado e barato no sea genero.
URNAS de todas aaqualidades.
-^iSIl1!?8 1*# rTaaam com o Jacaranda.
BANHE1BUS da lodos oe tamanboe.
SEMICPUS idem dem.
BALDES idem idem.
BACAS idem idem.
BAHUS idem idem.
FOLHA em caixaa de todaa aa grossu; as.
PRATOS imitando em perfeico a boa porael-
lana.
CHALE1RAS de todaa as qualidadea.
PANBLLAS idem idem.
COCOS, CANDIEIROS e flandrea para aual-
qaer sortimento. y q
VIDROS em ceixss a a retalho de todss oa ts-
mandaodo-aemanhos, botar dentro lia cidada
am Soda a parte.
Recebem-se encommendaa de qualqaer nata-
reza, concertos, que tado ser desempenhade a
contento.
Na taberna de ra de HorUe a. 16, confron-
te ao becco de S. Pedro, vende-ze espirito de
grdaselo subida, licores de todas as qualidadea,
aula, raiao a genebra, tudo por menos do que em
Q"**^9aaiqsr parte._______________
tfc"~ ^oade-ae um bom cavallo para sella e me-
eirro, oa trocase por oatro quo sirva
L^R2 l q,e lenha boB "fo 1-alxo: na
arto da Seleiade. ,obr.rto n, *
Dos premios da 1." parte da i." lotera, concedida por lei provincial para as obras damatriy
do Ouricnry, extrahida em 7 de junho de 1862.
NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS.
Relogios.
V^oda^a em casa da loboatoB Paur & C ,
:jlilS),,m n* 3' Mortiiaeo da
iSS^fP' ***** "f"' *
taadada do bonitos trascajUin i para os
l
2
6
9
13
17
22
S8
29
31
35
40
41
42
43
46
49
50
53
57
58
60
62
63
64
67
9
73
7
78
79
83
89
90
91
93
96
97
99
100
4
10
33
33
33
34
35
96
43
44
59
109
5
145
46
49
56
57
61
62
64
60
69
70
71
72
74
75
78
86
88
92
200
8
11
13
20
22
23
31
38
44
45
47
54
55
57
59
62
8
65
7
8
82
83
90
92
97
99
802
7
8

59
409
59
59
59
109
59
209
5J
321
22
26
27
29
30
32
35
36
38
41
42
50
51
54
56
57
431
62
67
69
72
73
75
79
82
85
92
94
400
1
4

8
10
11
16
24
29 800f
ae
37
39
40
42
4
50
M
55
56
60
209
58
109
109
59
470
84
85
94
95
97
501
2
3
4
7
8
11
13
21
30
35
36
42
43
46
48
50
51
60
62
66
67
74
81
84
85
86
91
603
11
16
18
21
22
24
28
29
31
84
42
44
49
59
209
59
NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS.NS. PREMS NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS.I NS. PREMS.lNS. PREMS.
lOj
5J
O escrivSo. Severiano JoHdt Moura.
646
47
49
51
52
56
57
58
59
71
73
77
80
81
83
85
88
89
90
94
96
98
99
702
9
14
18
20
21
22
25
27
36
38
44
45
46
50
57
58
63
64
68
71
76
80
81
84
89
59
209
5$
409
5|
209
59
100
51
799
802
3
9
10
12
14
15
21
24
29
31
33
34
35
38
39
40
43"
45
48
49
50
51
56
57
58
59
60
61
69
71
72
83
84
900
4
8
9
14
15
16
17
1
86
47
BO
87
58
59
209
59
209
59
963
75
80
83
85
87
88
97
1000
1
5
9
16
18
29
31
35
36
37
40
41
42
45
56
61
65
70
74
75
78
79
87
80
91
95
98
1110
13
16
17
18
23
24
80
8
41
48
43
44
46
591150
53
54
56
59
63
71
73
74
78
79
81
83
87
90
98
1203
4
6
8
16
18
13
34
36
42
48
44
46
il
86
72
76
84
83
86
87
8
90
84
8
1312
14
al?
M
23
85
59
109
59
13S9
35
36
37
38
43
44
46
47
49
50
52
55
62
63
78
79
84
97
1402
6
8
11
13
16
17
22
27
34
37
40
47
54
56
57
59
68
72
7
79
87
88
89
93
95
98
-4 1501
Tja.
109
10|
59
59j 1503
5
6
15
18
19
21
24
27
40
42
47
48
50
52
53
59
60
70
78
90
92
95
99
5$
409
59
109
5
2009
59
10
59
ios
59
1616 -
43
45
46
50
52
56
58
61
63
5
66
70
75
80
88
89
91
83
95
96
1701
8
5
7
409
5
~
1712
13
14
15
19
22
23
30
31
33
34
35
36
37
39
40
46
48
51
52
54
59
60
61
63
70
75
82
87
91
92
94
1802
5
7
11
12
13
20
21
25
29
36
53
57
71
13
59
109
59
109
59
109
55
1874
77
78
83
89
92
1902
4
5
6
7
11
16
17
31
33
35
43
44
49
52
56
58
63
65
66
67
70
76
TI
88
98
2002
4
7
8
14
17
20
24
25
27
80
84
86
38
49
42
46
5
,f
109
59
2048
52
53
55
56
60
62
66
69
70
72
75
78
79
85
86
90
93
96
97
2101
2
6
7
11
13
16
27
29
31
36
39
40
48
44
46
54
56
61
63
64
70
78
76
87
85
89
2201
Si
INS. PREMS. NS. PREMS.j NS. PREMS NS. PREMS.
109
59
2202
3
8
10
16
18
20
21
22
26
27
32
35
36
38
39
42
43
47
48
49
50
58
61
62
65
73
76
78
79
81
83
84
85
95
97
98
99
8303
7
11
17
20
22
24
88
29
83
34
59 2338
46
50
51
55
58
59
60
72
75
76
77
84
109
59
59
109
59
59
109
59
209
59
209
59
209
5J
92
93
96
97
2400
3
11
12
16
17
19
20
24
26
29
80
34
42
48
49
50
51
53
69
60
66
88
71
72
77
87
89
94
95
lOOf
59
51
57
59
61
63
65
80
81
82
85
88
92
96
2800
' 9
5
8
14
15
16
18
20
22
25
32
34
35
40
41
48
48
51
91
2663
66
68
70
82
88 5:0009
97 59
99 -
2700 -
1 -
8 au
12
20
24 _
27 -
29 _
30
32 -
33 j
36 _
38
88
40
41
42 _
43
44
45
53
55
56
58
59
84
68
68
78
79
80
409
i
i**.Tfp. Jf. p. FaWai & Fitt*.-I98t
100
59 84
86
87
88
_ 80
81
88
88
SflOo*
z



mmm<
fe.
DIARIO DA FMNAMBOCO. SEGUNDA fatULA Di JHHO DE 1M1
Udassasaida^oW

-------

Scenas da miaba trra, por Julio Cezar
Machada.
(Concluiio.) ,? i
Ah Nio ha nada mti| botuto, mis virgi-
nal, mais Untador, e ao meimo 'rapo mais ca*
10, do que aquellas modestas rapnrigas, do olhoi
grandes e lernos, sorriso meigo, olbar lmpido I
De urna forga graciosa, quo revel.i fugo nos olhos
e saogue as veas I passaado infferentes a
quera olhs para ellas, s perguotas que Ibes di-
rigem, s galanteras que lhes dUen>..aos pedi-
dos que lhes fazem I
Bibinha l bibinha I gritara ell ?. Quem a quer
i6in/io I
Urna das mios (Irma-se Iho elegantemente
na lharga; com a ontra amparan) a canastra so-
bre o chapea de varinai:um chapiu magnifico,
longo, petado, enorme I
Ellas arrancaran), indignada!, da sua gentil
cabega, o chapu das pastoras, o a louquioha das
modistas 1 Qualquer bella aisinr.
c Urna breve saia de bets azi i um eorpete
aem mangas,tal a sua simales toilette. O
lengo de chita clara, que lhes :obre o seio, a
tiracol, v-ae ali como um enfeit?, como um re-
cato, como urna teotacao p ama negaga aos ho-
rneas I Quem tem o diraito de o tirar, aquelle
lengo, cujas pontas se fechara em c sobre as
costas ?
Para ellas a Taidade human! cousa poucs.'
Sabem que ha luvas, por ver:m gente andar!
com as ruaos cobertas; apenas o que nio sabem...
que se chimam luvas I
Nunca sonharam, n'tima no: te de maio, te-
pida e perfumada, com o manto das rainhas, ou'
o vestido braoco das noivas. Se raioha para el-'
las vender duas eanaslras de peixe desde o sa-
hir do sol at ao levantar do mercado I Ser noi- I
va ler viote annos 1
_ N'um devnelo caprichoso de malher, ellas
nao asjiram nunca tnica, purpura, ou mes- '. desta crise ; variados motivos
roo is pompas e galas do nosso lempo. O bo-
que: para ellas o myllio; o sipato de setim,
vm mysterio. Que cousa sapeto de sellm ? O
cothuroo moderno nao por ventura umtaman-
quinho de orla vermelha e bico aiul?
A grandeza terrestre, a pompa, o fausto, a
sumptuosidado humana, cifram-se, a seu ver,
na ra das Flores; nao por ser das Dores, mas
por ser. .dos ourires I...
Quando passam por ali, os seus olhos vol-
Tem urna vista de desejos para es mostradores,
e ao divisaren) atravs das vidragus as largas ar-
tistas e de suas casas da
mercearia, hoja reconhecido econmicamente
como um erro.
Em m paiz livre a discussio sempra benfi-
ca. A exposigao da verdad, embora descubra
males multo graves e ainda malurea erros, nao
pode deixar de dar como resultado a procura do
remedio o que 6 um grande bem. Querer vivar
em continua illusao, engandote mutuamente
administradores e administrados, credores e de-
sdores, exportadores e productores, nao pJe
convr seno aos especuladores da de pecie sem coragko, que ajuma milhas eotre as
lagrimas das fsmiliaa arruinadas e aa dores inti-
mas dos horneas de estado. Diga-ae a verdade a
quem a deve saber.
Em um paiz rico, novo, povoado em relagao
aos limites da grande lavoura, cujo crdito no
exterior ainda grande, malea econmicos, pro-
violo de circumataocias accidentaos, nio tem co-
mo paradeiro a morle das industrias. Aos direc-
tores do estado cabe nestas clrcumstancias, nio o
papel pasiivo de espectadores, porm o papel,
mais digno e elevado, da mediros zelosos da des-
grana publica Belevem-nos a (ranquexs; ella
nos dictada somente pels amiaade ao paiz. Se
as nossss humildes observages (orem justas e po-
derem ser proficuas, no bem produzido, encon-
trramos a melhor desculpa da nossi audacia.
Aa duis classes mais imporlantea do pait, o
commercio e a lavoura, de qae provem ao eatado
a quasi totalidade da renda, acham-aeameagados
de ruina prxima e avallada.
Em vio os directores das fioangas procurara na
attenuagio das leis bancarias ir prolongando a
vida dos estabelecimeolos de crdito; em vio o
commercio vae lentamente liquidando as suas
cootas para o interior, e (azendo a passsgem dos
valores de mios iosoluveis para os lavradorea
acreditados; em vio a lavoura ae Iluda a si pro -
pria, e procura oceultar aos possuidores dos ca-
pitaes o seu estado de deperecimento ; o mal nio
pJe ser curado pela medicina da expectativa.
A doenga dos cafezaes, que affeela seriamente
ss colbeilas futnras, nio foi a causa primordial
tendiam ha muito
iavadidas, sem affectar o valor da trras culti-
vadas, que, ae contrario de todas as previsSes, se -
biram tambera extraordinariamente de prego.
O alqueire de mato doa municipios prineipaes,
qae valia ha 10 annos 300J, vale boje 1.000, e
o de terraa plantadas, qae valia OOJ, sabia a
300$. ao mesmo tempo o valor doa eapagos jl
cultvalos e abandonados, qae denominara ea-
potirat, e qae ha 90 annos eran os mais caros,
boje apenas scham compradores,
A razio esta, qae as florestas teem qaasi de-
sapparecldo om tolo o curso do Parabyba, desde
Campo-Bello a Sapucaya, e que ao mesmo tem-
po agglomeranJo-se nos municipios contiguos os
trabalhadores escravoa aubiram de prego aa plan-
lagdes formadas, que Ibes podem dar emprego,
e perdersm o valor as ji exploradas e gastas,
porque para estas seriara necessarios procesaos
agronmicos, que repugnara aos proprietarios de
estrave*.
Has, para chegar a esta situagao a lavoura te-
ve que embreohir-ae por ama senda tortuosa e
sem Em coohecido,o uso Ilimitado do seu cr-
dito.
Hoje chegou o dia da realidade, as plantages
nio podem prosperar mais, sem o melhodo de
gio o resaltado de 52,500:000}). E' com essa
soaamaqae a lavoura do caf, o commercio, osjdestre,
industriase hio de fazer faee aos impostos do es- As aguas dss salmourss teem grande valor co-
lado, aos juros e amortiiagao dos dbitos, e sos mo materia fertillsaote. Nos paires que recebem,
gastos de costeio. E' esta perspectiva por certo,' ou qae preparan grandes quaotidedaa de carnea
poueo animadora, e e conduelo nio pode aar ou de peixea, es salmouras poderlo fornecer
outra, sanio que sendo os espitase em circulagio cultura soccorros nao despresiveis, por cause do
i a trazer um -grande estremecimento para o crdi-
to agrcola ;eita desgraga imprevista apretaou
e desfechou Estamos passando por urna tran-
siegao difflcil, longs, delicadissima,a do traba-
Iho escravo para o livro da lavoura de explora-
gio para a de condenssgao, do trabalho bruto da
intelligeocia servil para a applicagio das ideas
mechaoicas e agronmicas i cullivagio do solo.
Mas para que esta transiegio se flzessessm que
todas as footes da riqueza publica fossem ferelas
; de morte, sem que os eslabelecimentos rurses se
abiodooassem. os valores territoriaes cassera
golas, destinadas a ornar as oralhas de toda a depreciados, e'o commercio de importagio desa-
lavradeira, de toda a varina, de toda a malher. credilado para com os paizes fabris, frs mister
de yenda, de tola a mulber do ovo, a sua voz que mi forte, robuata, guiada pelas maia adian-
hesita e treme ao apregoar.:Boi'p/ui, qaem a datas ideas econmicas, amparasse a lavoura e
quer Bibinha. ( esclaracesse sobre os seus verdadeiros ioteresses
a Ellas usam a manga da camisa arregagala e e a uzease passar a salvo da margem florida da
a pero mostra ; urna indiseripgao do lengo do infancia para a trra monumental da virilidade.
, sem perecer na passsgem por eotre os espiohos
ufucienle de urna jornada longa, por Ierras ridas, e al
pecoco diz-nos cousas deliciosa da alvara do
seu seio I Aodam apenas vestidas., o
ara nao andar nuas :o que, digan o que dis-1 quasi ao" Om de sombro e desaoimador aspecto.
Sjram, urna cousa linda no veri...o mesmo no Nao poesa o que diremos. Nao seriam os ho-
inverno, para um creatura inda mog ou que te- jnfens-positirUlas, que avaliam o peosador pela
nha ar disso... -trase.
Nao ha nada que mais me. rarade. e crafo" Esta
que mais me. rgrade, e
qua ao leilor timbem, como ama- urna mulher
bonita I
Mas, a prva que era apenas o sentido ar-
tstico qae me anima va desta vez, c que eu que-
ra antes contempla-las do que follar com ellas.
' porque a cootemplagjo da belleza feminina
eleva-se moitas vezes at i idea di alguma mara-
vilha das artes e a natureza vene da de qu ndo
em quaodo por ellas, nao teria termo de compa-
rado ao lado das obras ideaes do pincel dos mes-
tres 1 E' por que a arte escolhe e eperfeigJ. A
arte aproveita o talhe de urna, as feigoes de'ou-
tra, a esta a graga, aquella o ei canto; depois,
tu de tu o islo urna belleza suprema, que pare-
ce a pelreficagio do sooho 1...
< Como bom ser bella, menDeutl Polsquel
simples peixeira, simples remad ns nos barcos
do Douro, ou meaos ainda I simples mulher do
poyo, que psssa descaiga; simpas rapariga de
Aviotes com o seu lengo encarnado na cabega ;
simples rapariga da Magdalana com o seu eorpe-
te de damasco; simples raparig.i de S. Cosme
com o seu lengo de cambrala, i;ruzando-se em
tufos sobre um chaile vermelho...e fazerem-nos
lembrar suas irmaas, por que sio suas irmias en-
gendradas pelas caricias do pincel de Aonuocia-
eio, Rezende ou Pinto I
E* assira que essss amante) da natura,
tais escom*1* e n> ma artistas; assim que, em te dos os lempos,
os pintores e os esculptores povoi ram a arte eter-
na de mais creaturas divinas, do ]ue a natureza
offerece & implacivel fouce do lempo I...
a E depois, eu nio quera lemrar-me, Dio roe
iembrei nunca 1 que ellas adoravau o caldo d'un-
lo e o binho bierde, as michas adoraveis viss I
Da nioha parle, nunca urna oaservagio, urna
censura, um gracejo, se atreveu a perturbu a
suave harmona da micha almira;aol Ellas pss
Esta imagem exprime exactamente os tramites
porque tem passado a lavoura as Antilhas ingle -
zas, na Martiuica, Bourbon e na Guyeuoa.
O trabalho livre, qae l chegou emfim, e que
hojo as faz prosperar, em quaoto nos decahimos,
nio vea senio atravez de mil difficuldades, que
deteriam desanimar a proprietarios menos affou-
tos e a goveroos mrnos tenazes.
Nio esta a qualidade que falta aogoveroo do
Brasil; presisteole em suas vistas, se nao tem a
violencia das formulas exteriores, leve ao menos
at bem recente data, o mrito de nunca recuar
em materia legislativa, em poltica interna e em
experiencias ecoaomicas. Porque nao poler
ello acertar tambem na escolha dos meios; em-
bora custosos, se Ihe fizerem a exposigio verda-
deira do estado da iodustrii agrcola?
A tivoara ha perlo de viole annos, desde que
os gneros commerciaes foram preferidos as plan-
tagoes aos alimentares, deixou de ser urna indus-
tria de conservagao, para loroar-se especulagio
mercantil.
Esta propensio para trocar a lavoura eslavel,
de augmento gradual; de transmissio regular
as familias, por outra exposta a todos os azares
da lotera, em que o sol e a chuva sio as rodas
da fortuna, e os premios grandes lio raros como
naquella, invadiu rpidamente toda a provincia
do Rio de Janeiro, eicepgo de Campos, e hoje
abrange llapemerim na provincia do Espirito-
Santo; Pomba, Leopoldina, Mar de Hespanha,
Juiz de Fura, Barbacana, Rio Preto e Ayuraoca,
na de Hias, Banana!, reas, Quelaz e Silreiras,
na de S. Paulo, nio fallando em outros munici-
pios menos prodoctures, e ojo ullrjpasando
zona agrcola, que 9erve de cenlro e exporla-
qo o Rio de Janeiro.
Com estainvisio rpida dos terrenos devotuts
e de lavoura alimenticia pela especialidade de
caf, coincida lambem a alia dos bragos escra-
saram diante de miro, encantado s absorto, como I vos, cujo trafico illicito cessando completamente
figuras tiradas do marmore por Vidal Bastos 1 1 ha dez annos, veiu ameagar este enthasiasmo de
Eu podia ainda aqui Iranscrever fragmentos de explorarlo no periodo de sua maior ioleosidade.
quando nos falla d'aquelle sympathico lypo de
rapariga da Foz, e prefiro concluir e amostrar
om este periodo em que allude i castas filhas
de Peniche.
< Como ellas atravessam amerguradamento a
vida, preparando eofeites para a'felizesdo mun-
do I Simples doazellas, que puriieaes pela bo-
nestidade o ar da miseria que v>s pesa 1 Os ao-
jos por estarem de luto, nio de xam de ssr an-
tis, e as suas lsgrimas, em' vei de murchsrem
es flores da alma, avivam-lhes o brilho, desen-
volvis-lhes os perfumes abrein os coragdes
dogura e s virtudes da humilda.le. Atravez das
vossas rendas, v-se o cu 1 oh 1 innocentes,
trabalhae, pobresnbas 1 Nos casa raen tos, nos
bailes, as testas, esses cabeede;, osses punhos,
esses pequeninos lengos para conservar na mi,
essistirio por vos is alegras de vaidade; ainda
bem que li nio esles, collada!, para n&o em-
pallideceres de pena, quando ouvisseis chamar
xendas de Franga is rendas que 's fizestes I oh I
ficae ahi e trabalhae, pobresnbas I
- O livro conten anda as flre< tilvettres. Mar-
colina e anov.lt do casal, coitos singelos, re-
cordages de infancia, remorses e expiagio de
um erro, lembrangas, de um amor feliz que pas
aou I Se a leitora tem curiosida le de ver, com-
pre o livro, que nio ha de arrepender-se.
(Brax rizana.)
Situarao da lavoura e do crdito indi-
vidual em 1812.
Estado eeononiicot
a O segredo a alma do negoi o, ditado de ve-
laos carunenosos, que medem t ido pelo horison-
Se esta medida achasse os terrenos contiguos ao
littoral j explorado as matas em urna distancia
de viote leguas para .o interior ji destruidas, e as
fszendas formadas, teria lalvez sido um grande
beneficio immediato.
Os lavradorescessarlam de comprar escraros,
tratariam de aperfeigoar as suas plantages, pa-
gar os dbitos econleotar-se com os espagos que
lhes haviam cabido em partilha. Mas ha dez an-
nos as florestas do Rio Preto, Mar de Hespanha,
Muriah, Pomba, Caraogola e Rio Doce, estavam
muilo pouco devassadas.
O cultivador brasileiro conserva em parle a
tmpora dos Buenos e Lemos ; por natureza
amigo de invadir as malas, e transportar amiuda-
das vezes o seu rancho de sapo para lugares des-
conhecidos.
As mesmo passo a lavoura do extremo norte do
imperio, combatida por disseosdes civis, irre-
gularidades athmosphericas, e em cujas mios
se tioha accumulado numero de escravos supe-
riores ao das necessidades de seus estsbeleci-
meotos nio podia, sendo cultivadora de assucar
e algodio, segundo os metnodos rudime&laes do
tempo colonial, competir com a do sul, que pos-
suia mais vida, applicava-se ao caf, e formada
em lempos mais esclarecidos, sabia avaliar o ad-
judatorio que podem dar as torgas de mechanica
s do homem na iniustria agrcola.
As provincias do Maranbao, Peroambuco Cea-
r e mais larde tambem a Bahia, eocheram em
breve o mercado do Rio de trabalhadores arran-
cados s suas lavouras pela avidez dos especula-
rsdores.
O pregodestes infelzes augmeolou rpidamen-
te nesta provincia, e as natas continuaran) a ser
conservagio; smalas acabaram-se e o debito
agrcola esti patenta com toda a gravldade do
seu algarismo e de su relagao com a produegio.
Para quem pode calcular com exactidio relati-
va a divida formada pela lavoura nos consigna-
tarios do Rio, nos portos intermediarios, nos ca-
pitalistas de Valeoca, Vassouras, PWahy, S. Joio
do Principe, Nova FriburgJ, Parabybun, Para-
byba do Sul, etc.: nos commerciantes de gene-
ros de consumo primario do Rio e das localida-
des, e nos negociantes ambulantes que percor-
rem em numero avultado toda esta zona agrco-
la, nao exagersgio avaliar a somma em rls
S00,000.000)>. Graode parte dos productores ca-
recem de qustro a cinco annos de safra regular,
para chegarem liquidagio total.
E o que vemos na actualidade para assegurar
lavoura a possibilidade desta liquidagio pelos
tramites graduaos, como os aeus ioteresses e os
do estalo requerem, pois ella a fume da me-
lado da renda do paiz?
Em primeiro lugar cumpre examinar o capital
dos eslabelecimentos bancarios ; sio elles a fon-
te do crdito dos banqueiros, que ahi teem con-
tas correles, e se descontara ss letras. Pelos
baoqaeiros sio auxiliados os consignatarios a im-
portadores que passam muitas vezes por inter-
medio dos logistas e negociantes do interior os
espitaes para a lavoura, alsm do que esta toma
em griu secundarlo de crdito as mios da seus
correspondentes.
De passsgem, notaremos com a franqueza
usual, que digna de astimar-se, em um psiz
agrcola, a falta de crdito directo para a lavou-
ra, e anda mais a guerra dos idealistas esta
especialidade bancaria.
O dinheiro chega ordinariamente em lerceiro,
quarto e quinto gru de transmissio aos produc-
tores.
O premio que est fizado ha lempos nss fontes
do crdito a 9 0(0, nunca Inferior para o faxen-
deiro a 12, repetidas vezes eleva-ae a 15. 18 e
24 0[0 ; entretanto para os homens pratieos des-
necessario entrar em pormeoores, para provar
que a propria lavoura de caf nio di, termo me-
dio, mais de 8 0(0 do lacro liquido.
Se comtudo osespitses bancarios estivessem
em relagoes com suas necessidades, cessando
nestes annos de receio o commercio de especu-
ligao, fcil lhe seria attrahir a si em transscgdes
legitimas, embora indirectas, toda a somma dos
eslabelecimentos e com ella fazer face is diffi-
culdades : mas essa proporgio nio existe.
O banco do Brasil tem o capital realisado de
22,560:0003000, descontando 6,600:0001 applica-
das s caixas flliaes, sobram para esta zona agr-
cola 15,960:000g o Banco Rural e Ilypothecano
realisou todas as eotradas na importancia de
8,000:0008 : o Commercial e Agrcola tem reali-
sado 7,237:9008 ;a somma geral dos capitaes
bancarioa em circulagio neste mercado portan-
to de 31.197:900.
Possuiodo estes eslabelecimentos crdito rxsr-
cado pelos estaatos, e adquirido pela regularida-
de das Iransacgoes, podiam ir muito alm dos
seus fundos, porm nem os tem duplicado no uso
total do crdito.
O banco Rural e Hypolhecario emprs%on na
compra de ttulos de divida particular...',........
20,065:0318183 ;-o que r.lativ.meot> a seu
capital 2.508 para 1,000 ; o do Brasil--........
27,308:780g273 ;relaco de 1,71 para 1,000 ;
o Commercial e Agrcola 9,057:0949723 ; rela-
gao de 1,251 para 1,000 : a sommi total pois dos
ttulos de divida industrial de todos os ramos aos
bancos de 56,103:9068179.
Devenios acrescentar a estes capitaes os dos
particulares depositados nos bsoqaeiros os dos
oegocisoles de dinheiro do ioterior, as economas
dis classes trabalhadores, e os adiantamentos do
commercio de importagio ; que com grave de-
trimento do crdito commercial do paiz, e alte-
rado continua do cambio, se conservan) aqui
um um, dous, e mais annos.
Mas em urna poca de crise cooservar-se-hio
lodos esses capitaes em poder dos devedores, o
medo nio matar o uso do crdito, apressaodo as
liquidages ? A quem a lavoura ha de fecorrer
nesse caso ?
O sea mel de liquidagio regular a produe-
gio. Esta, no periodo de onze annos de prospe-
ridade, desde 1851 a 1861, variou entra a me-
nor exportagio annaal de sseess 1,657:520, que
(oi a de 1853, e a maior de 2,392:007 aaccas em
1855 : o termo medio annual nesse periodo de
de 2,028:898.
Accresce que de 1855 at hoje a produegio,
embora parega conservas-s firme, tem na reali-
dade diminuido, poissfa somma annual qaasi
relativamente approximada, nio acontece o mes-
mo com a zona em exploragio.
As fazendas tem augmentado coosideravelmen-
te, os bragos importados gravaram a lavoura
com enorme debito, e entretanto as colheitas,
que deviam crescer em proporgio, offerecem um
resultado, quando muito, sempre egual.
No aono em que entramos a espectativa
peior. Como o anno commercial nio est em re-
agio com o anno agrcola, a exportagio nao ex-
prime exactamente a produegio ; as safras
promptiQcam-se e exportim-se de junho a junho.
Porlantoba ainda em ser talvaz 500,000 sacess
da colheita anterior em poder e a ordem dos fa-
zendelros.
A doenga dos cafezaes. para quem de perlo
estudou oaestragos, embora digam o contrario
os idealistas, nao permiti esperar na somma geral
da produegio mais do que meia colheita : logo
neste anno a exportagio nao exceder a 1,500,000
saceos, ou 7,500 000 arrobas.
Queremos acreditar que apezar de todas as
contrariedades do commercio exterior, fiquem
no paiz 78 por cada arroba, no que nio somos
por certo pessimistas, dar portento a exporta-
inferiores is nectasidades da lavoura, misier
que o estado venha em tea soccorro.
E porque oio ? A mlsso- do estado deve cir-
cumscrerer-se a distribuidor das rendss ? Se
laaga mo do crdito para auxiliar as vias de
commuoicagao, a industria fabril, e o material
do servigo publico, porque nio ha de laogar tam-
bem para por ao abrigj da liquidagio forgada.do
desmantelamento, do desanimo, a industria ni-
ca, de que se alimenta toda a economa social, e
com cuja morte esls tambem tem de cahr pros-
trtda ?
Nio d o estado lacro aos intermediarios, iou-
tilise os clculos dos agiotas e dispeossdores do
crdito. Vi directsmenle i lavoura, e meada
districto agrcola, que ainda se conservar em es-
tado regalar, forme eatabblecimenlos da crdito
em que teja vedado is outras industrias muir-
se de capitaes. Empreste o estado o sea capital
lavoura, pelo juro em qae o tomar no exterior,
com a dlflereoga apenas dos gastos de admiois-
tragio e liquidagio. Este empreslimo externo,
sendo garantido com as fatarss bypothecas dos
compradores do dinheiro, nao pode chegar estes
i mais de 6 por 0/0 ao anno. Offerega o paiz aos
lavradores esta baraten de juros, e tempo egual
s faculdades indivlluaes de amortisagio, e quei-
ra delles por garanta a totalidade dos baos, pro-
hibindo as vendas sem autorissgao e destino
do pegamento do debito fondado, e compromisso
legal da cessagao de novos dbitos. Forme an-
teriormente, por meio de informajes mixtas de
negociantes, lavradores e funeciooarios pblicos,
o inventario secreto do estado de todos os pro-
ductores, e exija delles o juramento legal, e a
prova immediata de propriedade antes de lhes
confiar os emprestimos. Eatregue s admiolstra-
gio dos estabelecimentos por coocurso, em que
oio sejam os homens de letras e os protegidos
ioexperientes, os preferidos, mas ao contrario os
faoccionarios com pratica commercial, e com
angas avuliadas para todas as fraudes de crdito
que por falta de exame, directo ou connivencia
poderem pralicar.
No flm de alguns annos estas medidas cessa-
rio de pesar sobre o estado. As vias de commu-
oicagao estario adiantadas, as transmissdes de
propriedade, a subslituiglo do genero de lavoura
effdctuar-ae-bio aem ruina geral, e o paiz con-
servar e augmentar o sea rdito no exterior.
A populagio escrava, que tende a diminuir e ser
substituida em muitos ramos de industrls, estar
internada, e a emigragio expontanea comegari.
Ple ser que nos engasemos. Mas se estas
rpidas linhss, tragadas mais com a generosida-
de da iateogao do que com a pretengao de mos-
trar acieoeia, porque nada queremos nem po-
demos ser, peccarem por erro de raciocinio,
valha-oos ao menos como desculpa a vontadede
eatudar e acudir a um grande mal deste bello
paiz.
[Correio Mercantil, do Rio).
insectos nocivos e de plantas parasitss que o sal i 10g llM< podeM ldopt,ruM qa,lqer,
wmteotoque nada se perca.
A taiga daa forragens qaa se querem guardar
Mecas, de toda a conveniencia. Por causa de
excessivo calor e bumtdede, as forragens fermen-
tas), reduxen-se a p. e tornam-ae noiivaa aos
animaos, qae de mais as comem com grande dei-
prazer.
Economa rural.
Do emprego do sal na cultura e na
criacao do gado
O aal foi proscripto durante seculos, e consi-
derado como ama substancia esteriliaadora das
Ierres de culturs. Este prejuizo existia muito
tempo antea da ora christia, e aioda boje vogam
mullos precoocaitos esse respeito. Quem qae
n9o tem iido na Bibliaoque Abimelek, tendo-
se apoderado de Sicheo, destraiu completamente
essa cidade, e semeou sal oo local que ella oc-
cupava, para que a trra naoproduziise mais
colheitas 1 Esta passsgem publica foi iolroduzida
na legtstagio criminal de varios povos modernos,
e applicada como a mais rigorosa das penas.
Virgilio condemna aa trras onde esta subtien-
da domina ; e ainda que Plinio recommenda de
a dar aos aoimaes, assegura todava qae espa-
Ibada nos campos, ella eminentemente nociva
i agricultura. Este analhema, verdadeiro a res-
peito das grandes quanlidadea, falso quando o
sal applicado em pequeas doses.
O valor do sal como substancia eminentemente
(erlilisadora bato coohecido na Inglaterra des-
de, pelo menos, o XVI secuto ; no XVII Qze-
ram-se mullas experiencias para demonstrar a
aua accao benfica sobre aa colheita* ; e, deade
1826, poca da aboligio do imposto sobre o sal,
que os cultivadores ingleses comegaram empre-
gar essa substancia em larga escala.
Hoje est bem provado que o sal augmenta
muito as colheitas dos cereses, das plantaa de
pastos, q ir naturaes, qur artiflciaes.
Os inglezes costumam emprega-la misturada
com guano, ou com estreo, misturando o sal
na occasiio em que a trra est prompla a rece-
bar as sementes.
O sal empregado com muila vaotagem as
trras solas, sobretudo as estagoes seccas, por-
que elle absorve a humidade da almosphera e
conserva aquella que a trra tem naturalmente.
Tambem frequentemeate empregado so-
meando -o em p sobre a trra por entre as plan-
tas em pleno creseimento, s ou misturado com
outros estrumes artificiaos, sobretudo nos terre-
os cultivados com cereaes. O effeito coohecido
desta applicagio de impedir que os ps se der-
rubem, e de augmentar, em qualidade e em
quanlidade o rendimento dos grios. Igualmen-
te o empregam para destruir as mis hervas e os
Insectos.
sal e das materias orgnicas que conlm.
Conforme Boussiogsult o Payen, 9 bsrris de asi-
moura possuem tanta nateria (erlilisadora como
1,600 libras de estreo limpo de palhaa, e islo
quaoto so azoto, porque, quaoto ao phosphatode
cal. as salmouras, sio tres vezes msis ricas do
que o estreo limpo.
Empregam-se dous modos de utillsar as sal-
moras como eslrume : 1 incorporadas com a
trra por.meio de regras ; 2* mistursndo-ss com
o estrume : este ultimo modo o meia rsconal,
e muito asado pelos jardoeiros e horteles ;
grsgaa ao sea emprego, obtem-se bellos legumes,
lenros e saborosos, o que tambem ae pode con-
seguir empregsndo as escamas e os peixes podres.
Atteodendo agrande quanlidade de sal marinho
que cootm as salmouras, couvem empregs-lss
com precaasio e nunca em miiordse do que de
13 a 14 barris por cada 866,44 varas quadradas de
superficie.
II
Sa pode haver controversia sobre o emprego do
sal na cultura, nenhuma duvida exista sobre as
vsntagens do sea emprego oscriagio dos animis
domsticos.
Os amigos ji haviam reeonhecido essas vsnta-
gens. [J citei a Plinio. Os aotigos oio somente
davam ssl animaes, como tambem salgsvam as
palbas e feno. .
O sal administrado regular livra os animais-
de urna multidio de enfermidades que resuliem
de digestes mal feitas ; serve de preservativo
contra as molestias inteslinaes e verminosas; con.
tra a podridio, molestia lio lemivel nos animaes
ovinos, e contra a fluxio peridica dos cavallos,
isto contra a mais funesta affeccio, depois do
normo que ataca a especie ca vallar.
Os porros e as aves lem melbor sande, sio
mais fecundos e ficam com matores aptiddes ao
engordameoto.
Poucas pesise tem deixado de observar o pra-
zer com que as vaccas e os carnairos. como os
objectos sobre os quaes existe sal ou salitre, che-
gando mesmo beberem com avidez as ourioas
uns dos outros. Isto diz claramente porque nio
ha inslictos inuteis, quo as substancias ou alimen-
tos salgados coovra aos animaes.
Os animaes aos quaes se di rages desalgosio
geralmente de boa aande, adquirem mais promp-
tamente seu deseovolvimento e suas forgas, e
aquellos que se destlnam para o agougue engordam
com mais facilidade.
Asvaccis leileirss, submellidas a rgimen sal-
gado lem mais appelite ; ellas tem um bello as-
pecto, o pello liso, dio leite por maia tempo, e o
dio em maior quanlidade.
O oso do ssl d carne dos animis um sabor
especial, e, em geral, aquelles que sao nutridos
nos pastos salgados produzem carne de qualidade
superior.
Com o ssl as vaccas e os bois comem as palhas
as mais ordinarias e as hervas agrestes que regei-
tavam, inclusive as plantas que crescem nos ter-
renos hmidos ou pantanosos.
Sabe-se agora que os bois, os porcos e os eir-
neiros engordam promptamenle dando-lhe a co-
mer os bagagos das materias oleosas. Masa torga
nutritiva desles bagagos augmentar, e elles Aca-
rno mais apetitosos misturaodo-os com ama pa-
queas dse de sal.
Resta saber em qae quanlidade conveniente
administrar o sal aos animaes.
Consultemos a este respeito a pratica j antiga,
de algumas nagSes europeas.
Na Suissa, a ragio diaria para a especie bovina
de 150 granamos ; este peso dobrado para os
animaes destinados so agougue.
Na Hespanha 78 libras de sal sao distribuidas a
100 carneiros no espado de 5 mezes.
Na Inglaterra a ragio por dia :
Paracavallo.......170 granarnos (2)
Consiste a operacao preservadora, em salpicar
as forragens, esmada por carnada, com aal pilado
na razio de 4 libras de sal poresda 200 libras de
capim secco.
mmica agrcola.
Novo depsitos de guano.Azoti.
tas e mlneralistas, en azoto e
phospnoro. Applicacao do nevo
guano si cultura do trigo, do
arroz, algodao,tabaco, caunalde
assucar, etc.
William Webb e Sardy, de New-York, acabita
de importar nos Estados-Uaidos amostras do
guano descoberto, ha coasa de doas annov, as
ilbas Jarvia e Barker, grandes ilhss situadas ao
mar pacifico.
Urna companha se formn desde logo para
explorar essas novas mioaa de prosperidad*
agrcola.
roiiiLiE?.
ORIGINAL DO DIARIO DE PERNIMBUCO.
CXI
0
Urna mistura de sal com cal, na proporgio de
urna medida de aal para duas de cal, produz ex-
celentes effeitos. Para preparar esta mistura,
ajuntam as duas substancias, e forma-se um
montculo quejse cobre com relva, guarda-se em
am lugar preservado dosraios do sol, e deixa-se
em repouso durante dous ou tres mezes. Duran
te este tempo a mistura soffre urna decomposi-
gao gradual, e forma-se chloruretos de cal e de
soda, que sao duas substancias eminentemente
absorventes da humanidade.
Qusnto quanlidade de ssl que se pode espa-
Ihar na trra aem perigo, alguns cultivadores ex-
perimentados aconaelham de dous a tres alquei-
res por geira para os cereaes, e de quatta e meia
a|um alqueire para espiantas dos pastos nata-
res ou artificiaos.
Misturado com folhigem de chamio, com o
lodo daa vallas e canos, com a varredura das
ras ou estradas, o sal produz exeellentea effei-
tos sobre todo o genero de colheitas. A mistura
do sal com a fulhigem particularmente nlil a
plantas-raizes.
A poca a mais favoravel para espslhar o sal
oos 'pastos depois dos corles das plantas forra-
geiras ; porque nsssa poca a Ierra coberta por
ellas torna-ae o receptculo de inQnidade (de
Um boi a engordar. 170
Urna vacca de leite. 114
Urna dita preohe.. 114 o
Um boi de trabalho. 114 >
Vitalia de umanno. 85
Dita de 6 mezes... 23
Um carneiro...... 14
Um porco........ 85
Na Allmanha, a ragio de sal um pouco
menor.
Na Blgica, o goveroo proclamando naa lela do
paiz a necessldade do sat as explorsgoes agrico-1
las do criacao, regulou as rages do seguale
modo :
Para cada individuo da
especie bovina.. 64 grammos
especie cavallar 32
especie porcina.. 60
especie ovina.... 16 >
Na herdade de Bslchelbroo,na Alsacla, onde o
Ilustre agrnomo Boussiogualt faz continuas e
perseverantes experiencias para esclarecer muitos
pontos de economa rural, os animaes de man-
gedoura recebem por dia urna ragio de 52 gram-
mos de aal.com um supplemento de 17 grammos
de aal de Glauber ao sulfato de soda.
O uso desta ultima substancia para os carnei-
ros e os cavallos, muito commum em vsrios
pontos da Enroja e mesmo da America meri-
dional.
Os criadores concordam em reconhecer no sal
de Glauber urna acg3o mui vantsjosa sobre a sau-
de dos animaes porque ella serve ao mesmo lem-
po de purgante e refrigerante contra a aegio es-
candescente que resulta do uso continuado do
sal.
Dsve por tanto ser considerado esse laxante
como mui til para a asude dos animaes, mistu-
rado com sal commum, ou substituindo a este,
urna ou duas vezes por semana em egual peso.
Em urna circular com a dala de 14 de setembro
de 1859, o mioistro do commercio e agricultura
de Franga, fixou do modo segunte, as dses me-
dias de sal que se devem pregar para os animaes
adultos de estatura regular, por dia e por ca-
bega :
Um boi de trabalho........ 80 grammos de sal.
Comparando o novo guano cora o do Per,
achoa-se qae os primeiros cootm, ainda qaa
muito azotados, cinco vetes menos ammoniaco e
quatro vezes mala phosphatos animaes fcilmen-
te aasemelbaveis pelas plantas, do que o se-
gundo.
Essa pobreza relativa de azoto, e- essa riquea
em phospnoro, ser um inconveniente ou ama
vsntagem ? Parece qae a ndole do homem o
leva sempre para o exclusivismo, e que, mesmo
em objeeto de sciencias nio especulativas, ello
esti sempre disposto a imbuir-se de certas ideas
e a sustenta-las com o espirito de seits.
Eotretanto as sciencias nao se sssemeioen a
Minerva, que sahiu completamente armada do
cerebro de Jpiter. Filhas da observagio a da
experiencia, ellas nio crescem e nio se engran-
decen) senio s apalpadellas, errando as trev-as,
desviando-se do verdade ro camiobo pelo erro o
os prejaizos; depois de muitas vicissitudes, ellaa
entrara na estrada da verdade por acaso ; oulras
vezes, pelo genio de um s homem, outras vezes,
finalmente, pelos trabalhos reunidos e compara-
dos de todos aquelles que saccessivamente tra-
zara o seu contingente de vistss theoricas e da
factos colligidos.
A importantsima questio das malarias nutri-
tivas das plantas teem experimentado varias pita-
ses, como qualqutr outro problema iosoluval i
priori; porm muitas duvidas se teriam dissipa-
do, muitas hesitagoes teriam cessado, se ato
fora esse espirito de exclusivismo, esse fanatis-
mo qaa tem accommetlido aos chamicos e aos
agrnomos. Uns s jurara, pelo azoto, outros
pelos saes. Neohum tem razio absoluta ; ambos
teem razio relativa.
As plantas necessilam de miterias azota-
das? As plantas precisara de phosphatos e ou-
tros saes? Nenhuma das seitas nega isso, por
que seria descoohecer absolutamsnte as necessi-
dades da vegetagio. A disputa se reduz por
tanto a urna questio de precedencia, de supre-
maca.
Urna escola de agrnomos declaroa unanimen-
te qae a pobreza relativa em azoto coostilue
mus extrames, e que os saes, ineluindo os
phosphatos, nio tinnam senio ama importancia
mui secundaria.
Os estrumes, assim como os alimentos, sao
escrupulosamente classificados, conforme a pro-
porgio do azoto que eocerram peloa adeptos
desta seita, que de nenbum modo meten am
linha de conta o carboneo, nem os saes mino-
raos. Os da seita contraria principaram por
sustentar qe as plantaa ae nulriam somente com
saes mineraes; depois elles recaaram um pouco,
concedendo que o azoto repreaentava um certo
papel, porm muilo'acceasorio, em quaoto que O
carboneo e oa aaes mineraes sio essenciaes.
Slmsurio.A. artilhsrla rsiada, e os navioa en-
couragados. Nora rerolugio na marinha de
guerra.
(Continasgio).
Ao par e passo que o almiraitado ioglez mos-
tra va desdenhar os navios enco tragados, e ter to-
da a confiaoga nos caobes raa los, para os quaes
nenhuma especie de embarcagio elle julgava io-
vulueravel, causava extraohesa observar o gover-
no ioglez empregsr todos os seus exforgos no
parlamento, na passada sessit; fazer vibrar a
corda sensivel do povo britatoico, que nunca
deixou de ser generoso para a marinha, fim de
arrancar a enorme conceasio do 14 milbes e
meio de libras esterlioas, para refirmar a esqaa-
dra, e prov-la daquellaa c afosas machioas.
A leitora dos debales desta sestio sao por do-
mis curiosos, e tem hoje urna graode importan-
cia. Ella nos d a conviccio de qae o* ji nio ae
acreditava tanto na efflcacia le aemelhante ar-
tlharia, e de que se encontr* a nella graves de-
leites ; ou que havia ama c< mpleta antinomia
entre o pensamento do ovare, a do almirante-
do a este respeito. ,
E nio menos singular vw-se a Iogutarra
guiar milbes a milbes nss mais usadas ex pe- Dirt,
riencias, e assim mesmo mar:hir e hetitaglo qUi
em hesllagio, ao mesmo tempo qae a Frangaa-
: lirondo de ter sua J
marinha toda constituida de navios encooragados,
depositando nelles urna calma confisnga, que faz
a sua rival perder a cabega, e nem acreditar no
que v; nem no resultado de suas continuadas
invesligsgdes, expostss com lodo o delslhe nos
relatorios de seus dislinctos offi:laes.
Mas este tacto se explica naturalmente para
quem se recordar de que, o almirantado ae acha-
va dominado ioUiramenle pela opiniio de Sir
Howard Douglas, official velho, e autoridade res-
peitavel as cousas da guerra e marinha, que de-
clararaqua os navios inteiramente construidos
de ferro sio completamente inuteis para as exi-
gencias da guerra, quer armados como navioa de
guerra, quer como transportes.
Este parecer que elle deu a Sir Robert Peel,
quando este ministro quiz em 1845 fazer construir
urnas poucas de fragatas de ferro, fot aioda sus-
tentado pelo velho general em ama obra recente,
que sascitou ama refutagio completa do Sr. Scott
Ruasel, constructor do Grest Esstern, > que
mostrou os erros em que laborava Sir Douglas;
sem comludo convencer oleiramente o velhos
lords do slmlrantado, aferrados s suas ideas e
doutrioss, bebidas em ama longa vida labo-
riosa. ... ,
Pois bem ; schava-se o mundo martimo nests
situaglo expectsnte. quando estourou como ama
bomba a noticia do combate da dous navios en-
couracados americenos, nos quses anteriormente
nio se f alia va, e qae revellam sua apparigio de
un molo lio estrondoso; produzindo, como era
de esperar, ama immensa seassgio por toda a
Urna vacca de leite......... 60 >
Um boi a engordar 30 a.... 150 > (conforme
Um cavado, egua ou mulla. 30 a a edade)
Para 100 carneiros 150 a .. 200
Um porco 30 a ............ 60
O dobro quaodo ae trata de engordamento.
O modo de administrar o sal varia. Uas distri-
buem o sal sobre lelhas, pedraa planas em pan-
nos grossos, ou em coches ; outros o pde ao al-
cance dos animaes que vem lambe-loa e extra -
hem, pela sslivagio, o aal que Ibes netessario ;
outros o misluram com o capim. os grios, etc
outros finalmente o dissolve n'agua, e regam
com esta agua as palhas, o capim e os graos.
Oe resto, pouco improta o modo de faxer comer o
gao avite no sea plano ama:
Queris saber a historia dos dous hroes do
mar, que eotraram em aegio?
Ns a referiremos conforme a tradaegao que
acabamos de fazerdo jornal ioglez The Penny
illustrated Paper.
A Merimac. quando percorreu garboss os
mares da Europa, como modelo de coostruegio, o
mais bello spesimen de urna fragata a hlice, ar-
mada com formidaveis canhes c Dalghreen. de
invengio americana, e da forma de urna botija,
nio deu lano que fallar de si, como agora, trans-
formada em urna massa informe de ferro, em qae
a elegaocia daa formas, foi sacrificada aolidez;
urna especie de baleia semi erguida das aguas,
apreseotando ao firmamento sea dorso abobada-
do, no qual as bombas resvallam, sem lhe fazer
mossa alguma, como por sobre as escamas de um
crocodilo.
Originalmente construida como urna fragata de
40 pecas, tormos*, como dissemos; o orgulho
dos Estados-Uaidos, ella foi completamente mu-
dada depois pelos separatistas.
Suas dimeoses primitivas' foram 281 ps de
comprimento, e 52 de bocea.
Callara 23 pea d'agua. e era do lote de 4,000
tonelladas, sendo movida por urna torga de 800
cavallos.
Foi langada ao mar em 1856 e deixadaem or*
folk qo rompimento da guerra da separadlo.
Depois disso foi arrazada; mettida em um di-
que secco, e coberta com am revestimento obli-
quo de ferro.
Este peso addieional aprofundou-a mallo oo
dique, e difficultou extraordinariamente o aeu
laogamenlo ao mar : com multo costo experi-
meotou-se o systema empregado para por nado
o < Greal Eaatern, o qual aurtiu bom effeito.
Mas, vencido este embauco, reconhecea-se
que ella mergulhave quatro pis maia do que an-
tes, devido a am erro de clcalo; de sorte que
Qcara enterrada n'egaa.
Tudo quaoto entra na composigao das plantas
i para ellaa materia essenctal; por tanto o axoto
e as substancias mlneraea sio materias indispen-
ssveis.
Certas plantas precisara de maior quanlidade
de materias azotadas do que outras, em quanto
que essas outras precisam de maior quanlidade
de aaes.
A athmosphera urna mina inexaarivel do
azoto ; maa esse azoto nio ae acba em eatado de
servir de nutricio s plantas, sendo por tanto
necesssrio que elle se ache transformado em
saea assemslhaveis.
Em ultima analyse, porm, como esse gsz,
assim como o carboneo se acham em abundancia
oo meio fluido que nos cerca, pode dizer-se qua
as plantas prosperariam sem auxilios artifi-
ciaes.
Nao acontece porm o mesmo a cortos aaes
mineraes que, abaorvidos pela vegetacio, sao
depois transportados para longe, e deixam a trra
exhausta.
Consequentemente para obter colheitas ne-
cessario restituir trra o que essas colheitas
lhe roubaram ; e nao fallando senio nos sses oa
agentes mineraes, cada urna deasas colheitas
ilumina da trra massss enormes de saes do
polassa oa de soda, de cal e de magnesia
aulfatos, chloruretos, silicatos, phosphatos, xi-
dos, etc.
Aproveilando-nos dos trabalhos dos agrno-
mos Boussingaalt e Ville para fazer sobresahir a
verdade desta assergio, resulta que cada colheita
de 8,074 libras, palba e grio de trigo, extrahe da
Ierra 2,868 de carboneo e perlo de 900 de mate-
rias mineraes, as quaea o acido pboaphorico
entra por perlo de 92 libras, eotretanto que o
szoto apenas figura na dse de 80 libras.
Nio mais o azoto, diz o abbade Hoigao,
no Cosmos de Janeiro deste anno (1860;, mas
slm o phospnoro, agente f-irtilisador reclamado
hoje a grandea gritos, nem se trata mais de crear
szoto a bom mercado.
Em auas cartas sobre a agricultura, o bario
Justos Liebig, ama dasmsiores autoridades sobre
o assumpto, se exprime desta modo :
(Continvar-ie-na.)
Nio era posslvel deixs-la neste estado, e lor-
nou-se a resolugio de outra vez traze-la ao di-
que -, porm nesta operagio soffreu ella urna grao-
de averia, segundo publicaran, enlio os jornaes
do sal, que a fez considerar inespaz de nunca
mais affrontar o mar.
Comludo, coosegaiu-se torna-la urna exceden-
te batera fluctuante, que monta, alm de oito
pecas de grosso calibre, dous c Armstrongs s de
100, que dizem atravessar de parte parte ma-
ciseos de ferro, como os que eocouragam o < War-
rior, itoi Black Prioee > ; porm que nenhuma
impressao parecem ter feito no c Monitor.
E' bom recordar aqui que o < Warrior foi re-
vestido com chapas de ferro de seis pollegadasde
grossura, que oa opiniio do proprio Sir Douglas,
sio praiicamente impenetraveis.
E' este o campeio do sul; vejamos agora o do
norte, que ainda tem urna figura mais extravagan-
te ; esti fra de todas as tradiges de conslruc-
gio martima, e eotretanto ganhou a palma do
triumpho contra adversario lio tenivel.
O Monitor (aome perfeilamente adaptado ; por
que admoesta oa povoa, e oa previne) foi cons-
truido em cem diaa, conforme oa planos do capi-
tio Ericsson, e sua deacripcBo a aeguiuler
Apresenta externamente ao fogo da artilbariain-
miga um casco, tendo apenas 18 pollegadaa fra
d'agua, e ama especie de torra ou eidadella de
vinte ps de dimetro e nove de altara. O canu-
do da machina durante o combate 6 arriado ao
purio, sendo formado de pedagos que se podem
abatxar como o tubo de am oculo.
O casco agudo en ambas aa extremidades,
projectaodo-aa e Quejando a proa em urna pona
qae forma am ngulo de 80* com a linha ver-
tical.
tal, 124 de comprimento, e 34 de bocea, e for-
rado com urna chapa de ferro de tres oitavos de
pollegada.
Outro casco superior descanga neste, com as
amuradas perpendiculares e exlremidadesagudss,
tendo cinco ps de pootal, 40 ps e quatro polle-
gadas de bocea, e 174 pis de comprimento ; pro -
loogando-se para as amuradas do casco inferior,
3 ps e 7 pollegadas, e para cada extremidade 25
ps, servindo assim de proteegio ao propulsor, ao
teme, e a ancora.
As amuradas do casco superior esli compos-
tas com urna guarda interna do ferro, urna mura-
lha de carvalho braoco de 30 pollegadas de gros-
sura, coberta com urna chapa ou armadura de
ferro de cinco pollegadas de espeuura.
Era aegio de combate, o casco inferior est total-
mente submergido, e o superior est mergulhado
3 ps e 6 pollegadas, appsrecendo somente 18
pollegadas fra d'agua. O interior aberto para
o fundo como ama chalupa ; a tolda que a pro-
va de bomba une-ae com a do casco superior.
Nem amuradas, nem cousa alguma apparece, ape-
nas se v a torre, a casa do lome e a calxa de co-
bre o logar do canudo da maebioa.
A inclinagio do casco, inferior tal, que urna
bala, para lhe cansar avariaa, deve atraveasar
pelo menos 25 ps d'agua, e eotio ir de eocooiro
i urna superficie de ferro inclinada i formar um
ngulo de 10 poueo mais ou meos. No caso de
abordagem nenhum damno aofirari a batera,
conforme ae convencern) os confederados pela
actual experiencia; porque a uoica entrada pe-
lo carne da torta ou eidadella, que nio pode ser
escalada fcilmente, e mesmo assim s un ho-
mem de cada vez 4 qae pode desser ao navio. A
torre 4 giratoria e a prova de bomba, e
E' protegida por oito chapas de ferro de urna
pollegada de grossura, sobrepostas de tal maoei-
ra que s se v ama costurada urna pollegada de
grossurs.
A tolda coberta com am tocto de ferro, a pro-
va de bomba, plano e com ralos, suspenso por
vus de ferro batido alravessanlo-se 6 pollegadas
abalxo do cylindro.
O ar conduzido para o ioterior do navio, atra-
vs da torre, por meio de ventiladores. As esco-
tilhas sio de corredizas e cem ralos para dar luz,
e para a mosquetera trabalhar no caso de aof o
navio abordado.
Una roda dantada de seis pollegadas de di-
metro, movida por um engenho de cylfj
po faz gyrar a torre e a artilharii
, urna i avao-
cYadapiad a orna das pegas da micnine^abili-
ta aa artllbero a firmar a poniarla. *>
As pecas esli collocadas em eadae abortas na
torre as carretas sio feitas de nodo a aoppor-
"p:'r.C?o,geigo"roe,5tV. pegas ssrvlrau^ede 400
balas de ferro batido, (bricadas Novelety
Worhs, pesando cada urna 184 libr,a. e de costo
da 47 dollars.
Foram feitas forjando-se qqadrados de ferro,
que depois foram ao torno.
Balsa de ferro fundido se quebraran do en-
contr um navio como o < Mrrimas. >
[Continuarse ha).
Babia, 23 de malo.
E.'A.
'



S
HCal miro nnw.- ~ -w-------
E' de fondo de prato, tem 6 e 1[2 ps de pon-'doas pegas de 11 pollegadas
I Plftil. TTP. DI II. F. DI FAMA ttUO.1862.


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E23NH2BTL_EPHGOT INGEST_TIME 2013-04-30T22:36:53Z PACKAGE AA00011611_09936
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES