Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:09930


This item is only available as the following downloads:


Full Text
aaaaaaa
wmmm
mm
c^
/
f

IHilll. I0ME8Q126
Jw 4rt* inezes*diiUidos 5|00ft
rr tre mezes vencidas 6J000
SEGUIDA FEII 2 DE JDHHO DE MU.
m<
Per une adiaaUdt 19f00O
Porte fraiet par t sibscriptor
i........
DIARIO DE PERNAMRUCO.
ESCARREGADOS DA BUBSCR1PCAO DO NORTE
9arahyba, o Sr. Amonio Alex nidrino da Li-
ma ; Natal, o Sr. Antonio Harqnss da Sllvs ;
Araeaiy, o Sr. A. de Lemoi Braga; Ceari o Sr.
J. Jos da Olia/eira; Maranhio, a Sr. Joaquim
Marquee RodrHgu**; Par, Hanoel Pinhairo 4
C; imazonae, b Sr. Jarooymo da Costa.
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPTO DO SOL
Alagas, o Sd Glaadino Faleao Diae; Baha.
Sr. Joa Harfins Airea; Rio da Janeiro, o Sr
Joaa Partir Martina.
KPHBMBRIDES DO MEZ DB JUNHO.
PARTIDAS DOS COR REOS. I
Olloda todo* oa dias aa 9# boraa do da.
Igearass, Goianna, a Parahyba naa segundas! 5 Qaarto c reaten te aoa 2 mina toa da manhia;
^Stmmm, Bonito, c.ru.r, Altinho !! 7." ethela!" 3 h.orM e mf"t0 da
Garanhuns as laraafeiras. *" 118 Qaarto mingesnte aos 31 minutos da tarde;
Pod'Alao, Nazaretb. Limooiro, Brejo, Pea- l6 Laa ora aa 3 horas e 35 minutos da tarde.
queira, Iogazeira, Florea, Villa-Bella, Boa-Viste,
Ouncarya Ex naaqua.t.a-feiraa. PREAHAR DE HOJE.
Cabo, Sertohiem, Rio Formoao. Una.BarreiroaL.,___. _. .
Agua Preta, Pimeoteiraa Natal quintas feirae.iFrtln,,ro 7 DOras e *2 nsito da tarde.
|(Todoe oa crrelos partem aa 10 horas da manhaa Segando as 8 horas a 6 mnalos da manha.
. rARTIBA DOS TAPORBS COSTE I ROS.
Para o sul ata Alagoaa i 5 e SO; para o norte
at a Granja i 14 a 19 da aada mez.-
PARTIDA DOS OMKIBUS.
|" *: do Apipucos s 61|2, 7, 7 li*. 8
a.8 1|2 da o.; de Olinda a 8 da m. 6 da t.; de
Joboatao s 6 i |2 da m.; do Caxang e Varxta
* i n de B*mfi< 8 da m.
i i,o Tfl:. P*"? *&"* i 8 1>*- W.
4 li2. 5, 5 li4, 5 1|2 e 8 da t.; para Olinda la 7
da m. e 8 1$ da t.; para Jaboato a 4 da t.; para
o Caxang* Varzta a 4 1,2 da t.; para Bemfica
PIUE
AUDIENCIAS DOS TRIBUNAES ya CAPITAL.
Tribenal do eommereo : segundas e qniotaa.
Relaco: tercas e aabbados a 10 horaa.
Fazanda : quintas a 10 horaa.
Julio do commercio : aegundaa ao mel dia.
Dito de orphaos: tercas e aezUa a 10 horaa.
Primeira rara do eivel: tercas e sitas a* meio
dia.
Segunda rara do tlral: quartaa o aabbadoa 1
borada Urde.
DAS DA SEMANA.
2 Segunda. S. Eraamo b. xa.; S Marcarifam m
3 Terca. S Ovidio b.; S. p/m,v m7?OH5*
4 Quaria. S. Franci.co Caracioli; s/OririMft.
5 Quinta. S. Mariano m. ; S. Bonifacio
6 Sezta. S. Norberto b.; S. Aman"
7 Sabbado. S. Roberto ab. ; S. Li^,
8 Domingo. Paseaos do Espirito Saa
ASSIGNA-Sg
no Recite, em a lirraria da praca da Indet
denela os. 6 e 8, dos propriatarios Hanoelr
roa de I aria A Filho.
OFFICIU.
papis que me
GOVERXO Di PROVINCIA.
Expediente do di 8 de malo
de 1J8S
OiHcio ao cornmandaoAe daa arman.Respondo
VFfi! de V' Elc# h ** ao '"en1 sob o.
I,US* direndo-lhe qu pode autor sar a daspeza
aecesaaria coro o praparo de urna pequea am-
bulancia com oa me< icameotoa proprios a coro-
bater o cholera.morb as, afim deaer enriada para
Tamandar, onde se deeenvolveu aqnelle mal.
Dito ao meimo. ude V. S. Tazar cooduzir de
Tamandar para o arsenal de marinha pelo ca-
noeiro Hanoel Aoljonio de Souzi, mediante a
'"'* de ^ ca(nda da respecra fortaleza,
aflm de aer concertaba no nieamo a-seal.Fias
asaim respondido > offlcio de V. Lie. de 2i do
correte, sob n. 1,0)48.Commuoicoa-se ao ins-
pector da tbesourajria de fazenda.
Dito ao mesmolSirva-se V. En:, de expedir
aa suas ordena paira que hoje, pelas 4 horas da
taras se sene pollada am frente da igreja do Es-
noto .Santo urna/ guarda, tira de fizar as honras
unebres deviJ/s a0 fallecido alfere reformado
ds guarda nacional deste municipio Antonio An-
fPires; corto V. Exc. de que nesls
dem para que pelo ar.ienal de gaer-
ra seja (urnecido o cartas/ame de mosquetera que
para isso ior preciso.Ufficieu-ae ueste sentido
ao director od arsenal d guerra.
Dito ao mesmo.Para que eu pussa satsfszer
a exigeocia da saembla legialat.va proriocial
coolida em otficio de hontem datido sob n. 39.
-' -it V. Exc. da informar se os spparelhos de
liopezs do systema Cambronne, ollocados nos
estabelecimeutos militares preenabem derida-
mepte o seu flm, sem iocoovenieate algsim.
Offlciou-se oeste sentido ao chefe dn polica acer-
ca dos apparelhos empregados oa c.iaa de deten-
Cao e-ao proredor da Santa Casa ds Misericordia,
xelalUamenle aos que se acham em uso no hos-
pital Pedro II.
Dito ao ebefe de polica.Transuitlo V. S.
para seu coohecimeoio e direc5o opia do offlcio
de nootem sub n. 209 dirigido pelo impector do
arsenal de marinha emresposta ao que ihe ende-
rece! em 26 do crrente para manjar apreaeotar
ao delagado do Io diatricto deste termo como V.
>. solicitou em seu offlcio n. 209 de 24 deste
mes o maehinista e foguista daquelle arsenal.
Dito ao inspector da tbesoararia de fazenda.
Transmuto V. S. para os conreo entes exames
as inclusas actas do conselho administrativo para
tornecimento do araeoal de guerra, datad js da 16
o 17 do corrente.
DUai prBTMoe U coro aaawriuia Uimnia
nacional Sirta-se V. S. de interpor o seu pa-
recer acerca da iodemnissc,o que pode o Dr. Fi-
lippe Lopes Nelto, pela dasaproprincao de um
terreno de que posseiro em (renta do caes do
Hamos como se *e dos Inclusos
serao devolvidos.
Dito ao capitao do porto.A' V. S. ser apre-
santado o recrata de marioha Antonio Tiburcio
de Parias psra que lhe d o conveniente destioo
depois de inspeccionado. Commuaicou-te ao
chefo de polica.
Dito ao director do arsenal de guerra.Em
vista de sua informacao de hooteo datada, sob
n. 50, mande V. S. (oroecer as ICO bandoleiraa
requisitadas polo commandante do 9'balalbode
infantina, e quecooatam do pedido junto.
Dito ao meamo.Esa vista de si a informacao
de hontem sob n.151, o autoriao a fornecer ao9
batalhao de infantaria por coota de pedido geral
do mesmo batalhao os 80 pares de sspatos cons-
tantes da relacao junta.
Dito ao mesmo.Mande V. S. ss.isfazer o in-
cluso pedido de livros para escripiura<;o do 2o
batalhao de iofantaria.
Diio ao commandante do corpo Tendo em vista o sea offlcio dest, dats sob o.
* i? u,orl, a mandar dar baixs do servico
so soldado da secgo volante do corpo aob seu
com mando Jos Ignacio, visto ler fu t Usado o seu
eogajameolo e nao querer conlioui t no meamo
aernco. O que commuoico V. S. para seu co-
nhecimento e ffo resposta ao citade offlcio.
Dito ao meamo.Pode V. S. mandar apresan-
lar ao brigadeiro commandante dan armas, para
o servico do exercilo. os soldados tli seccao vo-
lante do corpo aob seu commaodo Francisco Ig-
nacio dos Santos e Antonio Jos de Souza, e bem
assim excluir do mesmo corpo o guarda da ur-
bana, Hanoel Beroardo Saluslianc de Oliveira,
que posto tenba, como aquelles, ptisma conduc-
ta, casado, segundo csala do offlcio que V. S.
e dirigi hontem sob o. 231, que fica aasim res-
ondido.-Offleiu-se oeste sentido >o comman-
dante daa armas.
DUo ao commandante superior da guarda na-
cional de Santo Aolao.Sirva-ae V. S. de expe-
/flir suas ordeos para um doa corpis da guarda
baciooal sob seu commsodo superior preste ums
gaarda de honra para atompaobar a prociaso e
aaaiatir aos aclos da festa que se tein de celebrar
o dia lde junho prximo vindotro, na igreia
matriz da fregaezia da Eacada.
Dito ao director das obras militar u.Approvo
o ajusta que, segundo o seu offlcio de hootem
alado, aob n. 91, fez V. S. com Rufino Hanoel
a uuz Couaseiro para exeeu(ao dj concert de
que precia* o quartel do 4 baltlbao de arlllharia
a p. BMdianle a quantia de 148M0 conataote
d* oreamento por V. s. apresentailo com o seu
offlcio de 12 do corrente sob o. 2.
Dito ao juiz de orphaos.Seguoto participn-
os hoje o cnsul da Franca, commucico V. S.
qne hootem fallecen oesta cidade, tem nada ab-
solutamente deixar, o subdito dajuella nagao
ataance Puech de menor idade e que morara com
aea irmao.
Dito ao delegado de Grvala.Hoja Vmc. de
miniatrar conducho para doua ca xoes com re-
medios ie seguem com destino ao termo do
Buique s ser entregues ao respectivo juiz muni-
cipal remetiendo a coota para aer o >porlunamen-
te paga.
Dito ao ajudanle do procurador fiscal ds the-
searara provincial.Com aioclusa copia do pa-
recer do conselbeiro presidente da i (lacio com a
qual concordo respondo o offlcio ipie Vmc. me
dirigi em 27 de margo ultimo, plindo provi-
dooclas oarca de urna precatoria que dirigi ao
juii municipal e de orphioa do teruo de Seri-
awlam, afim de aer citado Luiz Piwlino Caval-
centl de AlDuquerque. oa quslidado di 1 testa-
nienteiro de D. Luiza Francisca Cav ilcantt choa
precaloris "in4' 'i0 camPri,,a l mencionada
l,2LX^,h0 de con,Pr" naf,ef.-Promo-
!! \E!!?i '0mprM navaesa ..cquisicodoa
It'dlt'"*1 con'nte. do iu offlcio de
smenlo do aImoxanlado do arsenal de marinha.
*.Uaua;T.PerrTente I8 P'ovlrcla.endoem
vuta o que requereu o ootinuo da inirticio das
obra.. ..Mi..., Joo Jo.quia, de Si ue .5 V.e
lio e bem assim a informacao do soectivo di-
ntU datad, d. hontem, oh o. ?a f.I
conceder ao mesmo continuo dous metes de u!
cenes com reo cimento para tratar de sua ssde.
Dita.O presidente ds provincia, cooforman-
do-se com a proposta do Dr. chefe de polica, da-
tada da hootem, e aob o. 867, resolve nomesr a
Joao Nicolao ames da Holta. para subdelegado
de polica da freguezia de Goianna, e Antonio
Goncalves de Oliveira, para igual lugar no dia-
tricto de Podras de Fogo e a Juio Ribsiro Cam-
pos de Vascoocellos, tambem para anbdelegado
de Pootas de Pedrs. Offlclou-se oeste sentido
ao chefe de polica.
Expediente do secretario do
governo.
Offlcio so 1* secretsrio da sssembla legislati-
va provincial.S. Exc. o Sr. preatdente da pro-
vincia, a quem dei scieocia do objecto do offlcio
de V. S. de 16 do correte, sob o. 32. msnda re-
metter V. S., para aer presente i aasembla le-
gislativa provincial a inclusa nota eapecificada da
despeza que se tem feito pelas consignares de
le do ornamento vigente, que por ioaufflcientes
obrigaram os pedidos de crditos supplemeotares,
sendo oells incluida a do corpo de polica e da
uluminacio publica.
Despachos do dia S8 de malo.
Requerimento$.
Aogelo Francisco ds CostsInforme o Sr. Dr
director gersl ds nstruccio publica.
Habitantes e proprielarios da povoacio da Pon-
lezinha.Informe o Sr. eogeoheiro flscsl da es-
trada de ferro.
Jos Francisco de Sooza* Chaves.Dirija-se ao
Sr. commandante superior da guarda nacional da
comarca de Santo Anio.
Joaquim Ferreira de Araujo Guimares. In-
forme o Sr. iospecior da tbesooraria provincial.
Jos da Costa Braodo Cordeiro A Catao. J
foi attendido.
Maximino Narciso Sobreira de Helio.A* vista
do que pondera o Sr. director geral interino da
iostruccao publica em seu offlcio de 23 deste mez
subsista o despacho de 10 de Janeiro ultimo.
INTERIOR.
Rio de Janeiro.
10 da maio.
O senado approvou hootem em terceira discos-
aso o projecto que declara de fests nacional o
da 12 de outubro, e adiou al i discnsso do or-
gamento a proposigo sobre prelencio da eompa-
nhia de paquetea de vapor.
Entrando em primeira discassao oulra propo-
eicao, reconheceu-se oo harer casa e ievaatou-
sa asesaao.
A cmara Jos deputados elegeu hootem ss se-
guintes commisses :sexta do or^irnuoio e coo-
tas, penades e ordenados, (azenda e iuatica ci-
vil.
O Sr. ministro do imperio leu o relstorio ds
repartido a seu cargo; e o Sr. ministro da fa-
zenda, alm do relatorio, apreaentou tambem as
propostas da le do oreamento e de crditos sup-
plemeotares.
11
Por falla de numero legal oio honve hoo-
tem seaso do secado nem oa cmara dos depu-
tados.
Com prszer consignamos a pnblicaco de mais
um livro til, um desaes livros que recommen-
dam gratido do viodouro o oome qne Ihes bri-
Iha na primara pagina. Referimo-nos hi$toria
da independencia da provincia do Maranho pelo
Sr. Dr. Luiz Antonio Vieira da Silva, obra cujo
titulo basta para recommenda-la, pelo que, faile-
cendo-oos o tempo para analysa-la miudamente,
nada mais della diremos, ao meos por hoje.
12 _
Por decreto datado de 8 do corrente foi o Sr.
Antooio Pedro de Carvalbo Borges. exonerado do
cargo que exercia de eocarregaao de negocioa do
imperto no Paraguay, e posto em dispoaibilid.de
inactiva, lando o governo imperial desaprovado
que sem autorisacaodeixasse o seu posto ese re-
colbesse esta corte.
commisses dejustica crimnale diplomacia, ma-
rinha e guerra, e redaeco.
Os Srs. ministro da jastica o da guerra leram
os relalorios das repartieres a aeu cargo.
O Sr. Tarares Bastos enuncion algumas inter-
pellacdes.
- 14
Hontem nao honve aassao no senada por falta
de numero legal. N^
A cmara dos deputados elegeu hontem as com-
misses de camaraa municipaes, asaemblas pro-
vincias*, commercio, industria e artes, e instruc-
Qo publica.
Oa Srs. ministros dos negocios estrangeiros e
da agricultura leram os relalorios de suas repar-
tieres.
Foi a presentado e lido o projecto de reaposta
falla do tbrono.
As noticias dos combalsa navaes de 8 e 9 de
marco prximo passado aos Estados-Unidos im-
pressionaram vivamente a nossa armada, que,
como a daa nacea mais cuitas e adiantadas da
Europa, recooheca que acaba de operar-se ums
completa revoluco na arte da guerra naval. Es-
ta asaumpto grave e importante, que oceupa ac-
tualmente a altengao dos goveroos estraogeiros,
oo nos podis (car ealrsobo, oem deixar oe me-
recer a seria alteuco dos poderes do Estado, vis-
to que se trata de um novo sytema de torca ma-
rtima, cuja excelleocia psrece que os fados se
eocarregam de demonstrar.
Qual porm sejs o meio de scompsnhsr esse
adiantamento em relaeso nossa marinha de
guerra, a quealao magna que o Sr. ministro da
marioha procurou elucidar, convocando ante hoo-
tem urna reunio dos offlciaes superiores da arma-
da nacional.
Effoctuou-se esta reuniao anle-hootem s 7
horas da ooite oa secrelsria de marioha, schao-
do-se presentes msis de cincoeots offlciaes. O
Sr. ministro da repartico expoz a materia que
tioham de tratar, e tendo ouvido algnmaa opi-
nioes nomeou para responder a alguna qnesitos
que apreaentou urna commisso cooposts dos
srs.; almirante bario de Tamaodar, presidente,
chef.de esqusdra Tavares, chefe dedivisso La-
mego, capito de mar e guerra Alvim, espito de
iragaia Segundino, capitao teneote Peasos, e di-
rectorea Level e Hattoa, aervindo de aecretario
com voto o primeiro offlcial da aecretaria Anto-
nio Carlos Cezar de Helio e Andrade.
A reunio termioou s 10 borss da noite.
__ n
O senado approvou hontem em primeira dis-
cuasao a proposico mandando imprimir os pa-
recers do conseibo de estsdo. a qual entrou lo-
go em segunda discussso. Orsram os Srs. Fer-
rar, msrquez de Olinda e ministro do imperio e
foi rejeitada.
Passaodo-se a tratar da primeira discassao do
projecto prohibiodoqualquer publicacao pela im-
preosa sobre sentencas pendentes de recurso, foi
retirado a pedido de aeu autor.
Adiou-se em primeira discussio a proposico
approvando a apoaenUdoria do juiz de direito Jo-
s Frsncisco de Arruda Cmara, al qne o gover-
no informe se o sgraclado ainda existe.
Foram depois rejeitsdes em primeirs discusso
es proposicoes anlorisindo o governo a conceder
sociedsde Auxilisdors da Industria nacional um
telhelro situado no campo da Acclamac,o; e a
mandar abrir urna eslrsda os margem do rio Doce
na proviocia do Espirito Santo, at cidade de
Ilabira, em Hioaa-Geraes,depois de orarem sobre
ests ultims osSrs. Ferrsz, mioistro das obras pu-
blicas e Diss de Carvalbo.
Esgotada a ordem do dis, foi lido e a imprimir
o projecto de resposta talla do throuo.
A cmara dos deputados approvou honten as
Foram nomeados:
O teoente coronel Joaquim Rodrigues Braga,
commandante do primeiro corpo de csvalla-
ria da guarda nacional da provincia do Rio de Ja-
neiro ;
Camillo Jos dos Santos, tenente coronel com-
mandante do stimo batalhao de iofantaria da
mesma provincia ;
Antooio Candido da Cruz Hachado, coronel
commandante superior dos municipios do Serr e
Conceico, da provincia de Hinaa Geraes;
Antonio Galvao da Franga Freir, escrivio de
orphaos do termo de S. Luis do Parabylioga, na
provincia de S. Paulo:
Joo Luiz da Costa Jnior, thesoureiro ds se-
cretaria da polica da corte.
15 -
Entrando hontem em Ia discusso oo seoadoo
projecto que prohibe a veodade escravosem ex-
posicao publica, recooheceu-se oo haver casa, e
flcou a discusso eocerrsda.
A cmara dos deputados elegeu hontem ss com-
misses de saude publica, estalistica, coIoqssqo,
catachese e c'mhsaco dos iodioa, e de agricultu-
ra, mioaa e bosques. O Sr. mioistro da marioha
leu o relatorio da repartico a aeu cargo.
Reuoio-se hootem a commisso directora da
praga do commercio, aob a presidencia do Sr.
veador Jos Joaquim de Lima e Silva, a flm de
tomar coohecimento da aeguiote representsco,
que lhe foi dirigida pelos negociantes de lmpor-
lacao e exporlacso oella subscriptos :
i Illms. Srs. membros da commisso da preca
do commercio, Os sbsixo assigoados, negoci-
antes nesta praca, foram sorprendidos com a in-
lerpretacio que o meritissimo tribunal do com-
mercio deu ao art. 56 do cdigo commatcUI, des-
ligando os correctores do segredo que o mesmo
artigo Ibes impozdever guardar.
a Ve-se que com essa interpretadlo fleam oa
correctores obrigadoa a relatar oa uegocioa que
forem ultimados por aua ioterveocio, aioda oaas-
mo qne ihes seja exigido o conveniente segredo.
Parece que nao bem fundada a interpreta-
cao que o meritissimo tribunal do commercio dea,
porquanto, sendo os corretores depositarios deis
dos segredos mercaotis, devem ser diacretos, pa-
ra oo falbar a coofiao^a que oelles r^pousa, no
eotanlo que se for justa a referida ioterpretsco
nos acharemos oa oeceaaidade de dispeosar os
corredores para as traosacedas de rercadorias.
< E' esta urna queslo de grande transcenden-
cia para o commercio desta praca, a por isso pe-
dimos s Ilustre commisso da praca do commer-
cio que se digoe representar aogoveroo imperial
a respailo, para dar a derida explicaco ao refe-
rido artigo.
< Rio de Janeiro, 9 de maio de 1862. Luiz
Amonio Alves de Carvalbo Joo Jos dos Reis
& C,E^trenne 4 c. por procuraco de G. Rudge
Jnior & CW. Wilsoo, I. Biooche Debioona &
C.Arthur Hoss & CDomingos Ferreira Pinto
& CJaime Romaguera. Jos Lopes da Costa
Horeira & C. Horeira Irmos & Campbell.
BairdLe Cocq 4CHamaoo & CJos Roma-
guera. Calb&CFratelli Zigoago.Ewbaok
Lowodea & C, por procuraco de N. Dreyfua Aio.
L. Dreyfus Lecoole & CAugusto Laba A
C. uimares & Ribeiro. Rodrigo JosTei-
cheira deCarvalho 4 C. Ulnch Stengel & c
Maooel Leite Basto & C. Fooceca Baatoa & C.
Oliveira & Uagalhaea. Haciel 4 Coala.Ma-
chado Braga 4 Irmao. Samuel Irmos 4 C.
Teixeira & Paea.Nuno & Goncalves. Guima-
res & Schroeder.Jos Ouarte da Foncecs Sil-
va.Piolo & Filgurras. Ribeiro Tersdorf & C.
randao Baatoa ACruz.-Fraocisco Antooio Talles
de Lastro 4 C Souza & Sobrinho. Costa Pe-
reira, Paira* C. Keretein 4 Ricke. A. P.
Guimariea Pioheiro & C. Porto Irmo &C-
Terminada a leitura da representsco, foi aure-
sentada, e depois relirsda a pedido de seus au-
tores, a segumte proposta :
o Propoobo que se ajunte a repreaentaco doa
oegociantes exportadores e importsdores, que tem
de ser levada por sts commisso aogoveroo im-
perial, os seguioles quesitos:
Io Que seja permittido aos correctores colar
diariamente melaes, cambios fundos pblicos,
scQoes dos bancos, etc. desconlos, etc.
< 2* Que aa outraa colacse de gneros mer-
cadarias sejam feitas semsnslmenie. com toda a
fidelidade.
Rio de Janeiro, 14 de maio de 1862. Fran-
cuco Antonio Goncalves.Jonh Glover.J. Mer-
ven Correr .
A commisso resolved levar a repreaentaco ao
coohecimento do governo imperial nos termos em
que est concebida, e. passaodo a tratar da re-
forma do actual regulameoto da prsca, deliberou
incumbir dessa tarefa orna commiasio, para a
qual foram nomeados os Srs. veador Joa Joaquim
it'K^Waffl"0 MtW F6rrer* '
15
Hontem nio hoave aeaso no senado oem na
cmara dos deputados por fslta de numero legal.
Foram removidos s seu pedido :
O juiz de direito Ovidio Gullhon da comarca de
S. Borja, no Rio Grande do Sal. para a de San-
tarem, no Para, ttcando sem effeito o decreto de
sua remocao para 1 do Principe Imperial na pro-
vincia do Piauhy ; F
O juiz municipal e de orphaos do termo de Tres
Pootas, ns provincia de Hinaa Geraes, bacharel
Heorique de Cerqueira Lima, para o da Barra
Mansa, do Rio de Janeiro.
Foram oomesdoa :
O bscharel Gervasio Campello Pires Ferreira,
juiz de direito da comarca do Principe Imperial ;
Joaquim Jos de Camsrgo, tabellio e escrivio
de orpbos do termo de Poota Groase, oa provio-
cia do Paran ;
Joaquim Jos do Nascimeoto, dem do termo
de Flores, na proviocia de Peroamboco :
Igoacio Thomaz de Freitaa, partidor e cootador
do termo de Barreiros, oa mesms proviocia ;
O major Antonio Jos Fernandea de Barros,
coronel commandante superior da guarda nacio-
nal de Harolm, Rosario e Divina Pastora, os pro-
viodpia de Sergipe ;
O teen te-coronel Camillo de Souza Cauto,
ehef* do estado-aaior do commando superior do
Rio Bonito e Capivary, na provincia do Rio de
Janeiro.
Foi designado ao juiz <& direito Carlos Cerquei-
ra Piolo a comarca de Garanhuns, em Perman-
cubo, para nells servir. Meando aem effeito o de-
creto que lhe designo* a do Rio Pardo, em Hinaa
Geraes.
Foram perdoadas :
A And rea G era Id a da Silva, a pena de 2 mezes
de prisao e multa impoata pelo juiz de direito da
2a rara crime da corte ;
A Augasto Falcooet e Henry Stamperts, dem
idem.
Foii redazida a melad* do tempo a pana de um
mez de priso a que foi coodemnado Joo Joa-
quim Pereira Leite Castos pela meama autori-
dad e.
Por decretos de 14 do correte foi demittido do
cargo de director do arsenal de guerra da corte o
corooel Alexaodre Maooel Albioo de Carvalbo. e
oomeado em seu lugar o coronel Jos da Victoria
Soares de Andrea, director daa obras militaraa.
Por aviao da mesma data foi nomeado director
daa obras militares o coronel Francisco Gomes de
Freitss.
Em onsequencia do fallecimeoto do Sr. Joao
Pedro da Veiga, foi aeu fllho. o Sr. Saturnino
Ferreira da Veiga nomeado pelo governo, para
substitui-lo merinamente no carga da thesou-
reiro das loteriaa.
Coosts-oos que o Sr. conselbeiro Antooio Jos
de Bem, contador do thesouro, est eocarragado
da fiacalisir o processo das loteras, e de propor
ao governo os meios de fazer reverter em bene-
ficio dos cofres do thesouro ama parte dos lucros
que deixa essa servico.
17
A cmara doa deputados cooclulo hontem a
eleico das commisaea permanentes, elegeodo a
de obras publicas, a de negocios ecclesiasticos e
a do exsme do thesouro.
Occupou-se em seguida com o art. 1 do pro-
jecto do aeoado que autoriaa o goveroo a conce-
der s corporacoes de mo-morta licenca para
adquirirem ou possairem por qoalquer titulo ter-
reos ou propreda es necessarias para ediQca-
caojde igrejas. capellas, camiterios extra-muros,
bospitaes, caaes de educaco e de aayio, e quaes-
quer outros eslabelecimeotoe pblicos. O Sr. Jun-
quelrs, fazendo algumas observsces, offereceu
um requerimento ds adiamanto, que fot appro-
vado depois de um debate entre o mesmo senhor
e o Sr. mioiatro da fazenda.
Seguio-ae lhe a discusso do projecto, Ismbem
do senado, que manda aubstituir em todo o im-
perio o actual systama da pesos e medidas pelo
avleme mtrico francez, na parte concarnante
B,#af* lineares, da superficie, capaeldade e
2e?; .'Slf'L (o* pprovado sem discusso. O
laobuem a pprovado depois de ter o Sr. Ta-
varea Bastos offerecido um requerimento de ada-
menlo, q*a rol rajellado, bocado m debala
entre os Srs; Figueira de Mello, Paula Fooseca.
Sllveira Lobo, ministro da faieoda, Gomes de
Souze e o mesmo Sr. Tarares Bastos. A discus-
so do 3* lcou encerrada depois de um debate
entre os Srs. F. Octavieno, ministro da fazeoda,
Go'mes de Souza e Paula Fooseca.
Da ordem do dia o. 313 publicada em 14 do
correnta pela repartilo do sjudaote-geoeral cons-
ta o aeguinle : .
Acontecendo frequentes vezea acharem-se
nos hospilaes e enfermarlas militares pracas do
exercilo s quaea aa maoda dar balsa do aervico,
quer seja por iocapseidade pbyaica, qoer por
acabameoto de tempo marcado por tai, determi-
na o Sr. teoeote-geoeral marquez de Csxias, pre-
aidente do cooselho de ministro, mioistro e se-
cretario de estado dos negocios da guerra, que
nao ae Ibes d sita dos meemos hosuitaes e en-
fermaras aeno qusodo pelos Srs. facultativos
competentes forem considerados em estado de
poderem t-la, afim de evitar-se que taes pra-
cas, sem recursos para se trstarem, ten ha m de
recorrer caridade publica aotea da haverem re-
cobrado a sade, od acbarem-ae em estsdo de
procarar qoalquer oceupaco pela qual poasam
obter os meios de subsistencia ; exceptuaodo-se
porm dasla disposico aa que puderem ser trans-
portadas para auas provincias, se o desejarem ; e
as que liverem familia, ou meioa para aeu trata-
ment fra daquellea estabelecimeotos.
c Por immediata e imperial resotuco de 26
de abril prximo passado, lomada aobre consulta
do conselho supremo militar, honve por bem S.
H. o Imperador mandar declarar que o Sr. capi-
to do corpo de guarnilo do Cear Joaquim da
Rocha Moreira, teodo sido raiotegrado por decre-
to do 31 de agosto de 1835 oo porto que tioba
quando foi demittido do aervico, desnecesssrio se
torna um acto pelo qual ae lhe cont o lempo em
que estere demittido, visto que a eootagem do
tempo por elle requerida coosequencia da rein-
tegrecjiooblida.
c Por immediata a imperial resoluco da mes-
ms data supra, tomada aobre consults do conse-
lho supremo militar, houve por bem Saa Hagea-
tade o Imperador maodar declarar que o Sr. te-
oente do corpo de eatado-maiorde 2* classe Joo
Carlos Correa Lemos oio est oo caso de obter,
como requema, que aua antiguidade no posto
de alfares_se cont da data em que fra elevado
por commisso a esse posto, visto que nelle nao
fra confirmado, e aira promovido por decreto de
11 de aetembro de 1843.
c Nomtacao.Do Sr. 2o cirargio do corpo de
aade Dr. Vicaote Ignacio Pereira para servir ns
proviocia do Rio Grande do Norte.
c Trona/rencios.Dos Srs. alfarea Antonio
Loves de Siqueira, sjudaote, e Jos Feliciano da
SilvaiKelly, da flleira do 1* batalhao de infanta-
ria, o primeiro para a flleira, e o segundo para
ajudaote do meamo batalhao, como requereram ;
1 cadete do meamo batalhao Pedro Alves Bezer-
ra, para o corpo de guaroico do Cear.
c tcancas concedidas.Aos Srs. capito do 2
batalhao ae artilhena a p Feltcio Paes Bibeiro,
tres mezes, com sold e etape, de prorogaco da
que obteve para tratar de aua aade; capito do
meamo corpo Antonio Carlos de H>gelhes, tres
mezes, com sold simples, para tratar le sus
sale nesta corte.Aviso de 5 do correte, ap-
provando a olla licenca.
< Dito do 1 regiment de artilharia a cavallo
Joaquim ds Coala Reg Mooteiro, quatro mezes,
com aoldo o etape para tratar de aua aade nea-
la corte, onde se scha.
Capito da compaohla de cacadores de Ser-
gipe Luiz Antonio Favilla Filho, trea mezea para
tratar de sua ssde na proviocia da Baha.Avi-
ao de 10 do correte approvando a dita licenca.
c Teoente do corpo de guaroico da provincia
de Hioas-Geraes Joaquim Jos dos Psssos, para
ler por menagem a e*pital da mesma provincia,
ond"* tem de responder a cooaelho de guerra.
< 2*|cirurgiodo corpo de sade Dr. Jos Au-
gusto de Souza Pitanga, quatro mases, com sol-
do e etape, para tratar de sua aade aond* lhe
coovter.
c Alteres do corpo de guarnilo do Cear Po-
lycarpo Vieira Brasil, que aa acha oesta curte,
tres mezea, com sollo o etape, potando gzala
a. provincia de Santa Cslbsrioi.
Condecoraco.Foi concedida a de cavallelro
da oraem da S. Benio de Aviz ao Sr. capillo do
corpo da guaroicio do Piauhy Urbano Fernandos
M Barros por estar comprehendido as dispoai-
coes do alvar de 16 de dezembro de 1790 De-
creto de 5 e diploma de 9 de abril do corrente
aono.
18-
Hontem oo houve sesso oo seosdo por falta
de numero legal.
A cmara dos deputsdos occupou-se hootem
em primeiro lugar com um requerimento do Sr.
Silveira Lobo pediodo que o goveroo informa
1 perturbaces de ordem publica a que
allude em aeu relatorio o Sr. mioistro da justica,
em que pontos do imperio se lm manifestado, e
quaes aa providencias para abafar a desordem to-
madas pelo governo. Depois de um debate en-
lra o* Srs. mioistro da Justina, Zacaras, Salda-
nha Harioho, mioiatro da fazenda e o meamo Sr.
Silveira Lobo, flcou a discusso adiada pela hora.
Em aeguida approvou o art. 3o do projecto do
senado que maoda aubstituir em todo o imperio
o actual systema de pesoa e medidas pelo syste-
ma mtrico fraocez, na parte conceroeote a me-
didas linesres, de superficie, capacidade e peao.
Trato* em ultimo lugar daa iotarpellacas an-
ouociadas pelo Sr. Tavares Baalos, pediodo in-
lormacea ao governo aobre negocioa do Para-
guay. Oraram o mesmo Sr. Tavarea Baetos e o
Sr. mioistro dos negocios estrsogeiros, fleando a
dlacosso encerrada.
Escrevem-nos de Sanios em 13 do corrente:
a Eatrou sote-hontem neste porto a fragata a
vapor Amatnos, trazendo oa maatroa dos joaoe-
tes desarvorados, em coosequencia de ter apa-
ohado um violento tufo de S., acompaohado de
groaaa chava de pedra. estando vela na noite de rn^uu r, H.M "f.rM*"l P">J*]<>
de 9 do corrente. oa altura da ilha de S. Sebas- ?..,"1* .'l??d,fr ec4llV0 ?brfr a?quesiio da
tio.
a Perdeu tsmbem o panno
pus do spparelho.
da verga e alguna
oo honre a lamentar perda de
o Jornal da Bahia, de 14
< Falizmeote
vidas. >
19
O vapor de guerra Gequetinhonha, eotrado
hontem do Rio da Prata, donde sanio 00 dis 8,
oio trouxe folhsa. Refere porm o commandan-
te haver naufragado na Poota Brava, no mesmo
lugar onde se perdeu o vapor Pedro U, o brigue
braaileiro D. Joo, procedeote do Mediterrneo,
com vinho e sgaos passageiros. Nao coostava
que se tivease perdido vida alguma.
Sob aate titulo diz
do crtenle :
a Conata-nos que o governo IorUs approvou a
seguranea dada pelo cnsul de S. M. Britnica,
nesta cidade ao Sr. teneou-coronet Hoocorvo de
que neobum receio devia ter eid mandar os seus
navios dabaixo da bandeira nacional coala da
frica, urna vez que se empregassem exclusiva-
mente em commercio licito ; porque era da po-
ltica, o mesmo do interesse do governo britni-
co scorocoar e desenvolver quaoto pudesse o
commercio licito na costa da frica, pois que
asaim faieodo, tomj/rs aa medidas mais seguras
psra a eitmceio do trafico de eacravos, e os
navios brasileiros, longe de aereas espturados
pelos cruzadores britannicos, recabenam. ao
contrario, toda prutaeco a garantis que aa cos-
tuma dar aos navios dss potencias amigaa e
alnadas.
a E* msis um servico que tamos a registrar de
quaoto o Sr. Horgam se empeohs no augmento
do commercio do nosso porto. >
20
Hootem nao houve sesso no seoado por falta
de oumero legal.
Entrou hontem am discusso oa cmara dos
deputsdos o projeclo deresposls falla do thro-
00. Oraram os Srs. Zacaras, Barbosa daCuoha,
Vieira da Silva e Nebas.
Foi offarecida a aeguiote emenda sabstitutiva
do ultimo periodo da resposta:
c A cmara examinar os relalorios dos dife-
rentes ministerios, apreciando devidamenle aa
informacea quo cooliverem sobre o estado dos
negocios a aeu cargo.
a Seohor I A cmara dos deputsdos sgrade-
ceodo profuodameote Vossa Hagestsde Imperial
a eooflsoca benevolencia com que invoca o
patriotismo e aa luzea dss represntenles da
ns;io para prover, como cumpre, a respeito de
tsotas e to vsriadas oecessidsdes do psiz, asse-
gura Vossa Magostada Imperial que de aua
parle prestar a maia leal cooperaco, afim de se
promoverem os verdadeiros ioteresses do estado,
com que se identificsm os ioteresses e a gloria
de Vossa Magostada Imperial.Z. Ges Vas-
concellos. *
Eslo ioscriptos com a palavra os Srs. Cruz
Hachado, Araujo Lima, Siqueira Hendes, Sala-
thtel, Bandeira de Helio, Rodrigo Silva, Fernan-
dea da Cunha, Figueira de Helio, Bello, Piolo de
Campos, Sergio de Mscedo, Ferreira da Veiga,
Calazaos, Gama Cerqueira, Almeida Pereira,
Gasparioo e Correa de Oliveira, a favor; o con-
tra, oa Srs. Gomes de Soaza, Jos Bonifacio, Vi-
riato, Furtado, Pinto Lima, Tavares Bastos,
Braodo, Ottoni, Foosecs Visnna, Msrtim Fran-
ciaco, Lima Duarte, Saldanha Marinho, Villela
Tarares, Lailao da Cunha, Helio Franco. Juo-
queira, J. Madureira, S e Albuquerque, Fleury,
Dantas e Silveira Lobo.
Foi apreseolado o aeguiote parecer :
c A commiaso da coostitoico o poderes, tendo
examioado oa papis relativos eleico de elei-
torea a que ae procedeu em 30 de julbo do aono
paseado na freguezia de Nosss Senhora da Con-
quista da villa da Victoria, do 3 dislricto da
provincia da Babia, achou regular, apesar de
defeilos que em protestos se allegara, oa quaes
oem esio sufficientemsnte provados, oem se-
riaos, bastsntea para ae decretar a nullidada da
mencionada eleico, repetiodo-se pela terceira
vez o processo eleitoral.
Nestes termos a commisso de psrecer que
seja approvada a eleico de eleitorea a que ae
procedeu em 30 de julho do aono passado na
freguezia de Nossa Seohora da Conquista da villa
da Victoria.
c Paco da cmara, em 19 de maio de 1862.R.
F. da Araujo Lima.Oliveira Bello.
Entrou hootem do Rio da Prata porto* do
sal do imperio o paquete Tocantins, Com datas
de Hootevido al 13. Pono-Alegre 14, Rio
Graode 15 e Santa Catharioa 17 do torrente.
Havia em Montevideo noticias de Buenos-Av-
res at 10.
As eleices de Cordova foram perturbadaa pela
interveoco da torga armada do geoeral Pauoero,
que eoviou immediatamente dous emisssrios a
Buenos-Ayrea expltcst o mu procedimento, urna
de cujas desgranadas cossequencias seria talvez
obter a que o cougresao ae reuoa no da marcado,
demorando aasim definitiva organiaaco da
repblica.
Entretanto parece ter-se extinelo os ltimos
resto* da guerra civil.
Pena!*** entro* ai cidade 4* S. Luiz i
de 1,700 homeos: rechecado, porm, tres dia
depois por forcas do governo de Cordova.offere-
ceu depr as armas, pedindo apeoaa aeguraoca
para a aua pessoa e para as dos seus offlciae*.
Suspenderam-se as hostilidades emquanlo so
submetiia esta proposta aceitacio do presiden-
te interino Hitre.
Em Mendoza foi nomeado goveroador interino
O. Meltton Arroy>. Nao aceitou este goverxto
que passou so ministro D. Flanklin Vlaoie-
n*"-0' seo,dorp eleltos por esta provincia sao
D. Vicente Gil. D. Francisco D. Correa, snp-
plente Francisco Delgado, e os depatados
D. Eusebio Blanco (ministro). D. Arittide* Vil-
lanneva, e supplenles D. Francisco Cms.
Em S. Luiz foi eleito goveroador proprieterio
corooel D.Juan Barbeylo, que compz o se* mi-
nisterio com D. Buenaventura Sarmiento D.
raustino Berroudo, e a legislatura de Cataaar-
ca aceitando a renuncia do goveroador D. Jos
Luis Lobo, nomeou em sau lagar D. Moses
omill, que escolheu D. Gregorio Horeno par*
ministro interino do governo.
Um vilenlo temporal no Rio da Prata causots
considerareis sinistros, seotindo-se al um llgei-
ro tremor de trra na ilha de Martim Gar-
ca.
Do estado Oriental pooco lemos que refe-
rir. Sanccionou-ae le, de que j fallamos, a
respeito da navegajo dos ros cajas margen*
mbas perlencem republics, bem como a*
oulras duas que cream a povosgo de Belm
sobre o Uruguay eotre os srroos Boicu e Ga-
cuy, e urna villa de Ceballoa aobre roniira do
Brasil, defroote da nosss Saot'Anna do Livra-
mento.
A cada umi destas novas povoaces se marcean,
duas leguas quadradas de trra.
Cabio na cmara dos representantes, o projecto
r<
gararla apostlica, e vo entrar em discusso
Igumas reformae que se intenlam fazer na
legislagao relativa guarda nacional.
O brigue braaileiro U. Joo, de cujo naufragio
demos uolicis, perdeu se boten Jo no casco do
malfadado vapor Pedro II.
Salvaram-se a tripuladlo toda e trinta e tres
paaaageiros italianoa, a cujo alojamento proveu o
chefe poltico de Montevideo sem querer aceitar
do coosul da Italia o pagamento das des-
posas.
No acto da psssagem do barco naufragado para
lancha houve alguma coofuso, chocando o
capitao a receiar que os passageiros o aasaa-
sinassem, mas felizmente nenhuma desttrsca so
oeu. *
O Semanario do Paraguay diz terem-se final-
mente ajustado amigavalmeote com a loglaterra
as questoes peodeates, que eram qualro.
A primeira era a de Santiago Consist, a
aegaoda a reclamagao inglesa por lar oTaragaay
faltado ao respeito devido ao cooaul britanoleo ;
a terceira osuccesso do vapor paraguayo Tacuari
noslilissdo no porto de Buenos Ayres por forcas
navaes da Ioglalerrs ; e a quarta a collisio do
meamo Tacuart, com o vspor ioglez Lilh C.
roHV, cuja desgraja se coocedeu urna indem-
nisasao pecuniaria.
De Valparaso havia dalas at de 9 de abril. O*
cereaes tioham subido considera velmente de prego
e dizia-se que os indios preparavam urna iova-
sao no territorio argentino, sabendo desguarneci-
da a frootelra.
Mont, ex presidente do Chile, foi acensado pe-
rante a autoridade comoeteota por actos de ad-
mioistracao durante a sua presidencia. A Ittpu-
ottea de Montevideo diz que na America do Sul
o primeiro exemplo de nm ex-preaidenle acc*-
ssdo judicialmente dentro de um aono depois do
apeado do poder.
Da proviocia de S. Pedro do Sal pouco temo
que ooticiar.
O chefe de polica, que, como dissemos am 9>
do corrente, panira para o Rio Graode em com-
miasio, dirigi se costa do Albardo para co-
mer novaa informales sobre os aconteetmentos
que ae aeguiram ao naufragio do navio Ioglez
frxnceof Watts. S. S. regressou ao Rio Grande
no da 7, leodo verificado a falsidade da denun-
cia de assassioatos commetlidos as passoss do
alguasdos iri pola otes daquelle navio. O dele-
gado de polica. Dr. Caoarlm, ainda permaneca
na costa, e conseguir a captara de vario* indi-
viduos comprometidos nos roabos que ento se
flzeram.
As folhss de Porlo- Alegre referem que a 24*do
passado fora espancado oa Cruz Alta o Sr. Ber-
oardo Aotooio Rodrigues, juiz municipal do
termo, e que, spezsr daa diligsocias feilss, ainda
a* nao havia descoberto o aggressor, que conse-
guir evsdir-se.
A presidencia da proviocia approvra a delibe-
raco tomada pelo general commaodaole das ar-
mas de estabelecer urna parada militar entre a*
cidadesdo Rio Grande edo Jaguaro, para seren
levadas cota promptido as ordena transmittida
a esse altimo ponto. Eata deliberaco foi toma-
da em coosequeocia da fslta de agua no Sangra-
douro para a nsvegaQo de vaporas.
L-se do Corrtio do Sul de 4 :
< Temos a lamentar um bem deploraral acci-
dente I
c Hootem. aeriam 5 ou 6 horaa da tarde, ana
moco portuguez, de 20 aonoa de idade pouco mais
ou menos, estsva socando urna pouca de plvora*
na fabrica pyrotechoica do Sr. Jos Joaquim da
Cunha, ra do Menino Dos, do outro lsdo do
Riacho.
< Tioha ao p de si um barril de plvora do
duas arrobas, qusodo, fosse imprudencia ou acaso
incendiou-sea que eslava dentro do plo, com-
muoicando-se ao barril instantneamente ar-
remeasando horrivelmeote mutilado e morto o
misero operario.
c A exploso foi terrivel, e houvera lilaiSiaii
dissirna em desgracas se nio fose estsr elle fa-
zendo esse perigoso servico so raso, longe de urna,
pequea casa, onde se schsva o deposito da fa-
brica. Assim foi o malfadado a nica vicUas* do
seu desaso ou negliceocia ; porm elle, coitado I
ficou lio destrocado que era quasi impossivel
conhec-lo. o
A meama folha de 6, dando noticias da Cruz
Alta diz :
* Nao sa limitan ao attentado contra o Sr. Dr.
Bernardo Rodrigues ss ms noticias rindas liil
mamante do iofeliz municipio da Cruz Alta.
* Na quiota-feira sania foi eocontrado o cada-
ver de nm pobre portugus velho, chamado Ger-
vasio Antonio Pereira Bastos, morador no Iiaqul.
onde tinna familia, qe and.va *m agencias da
vida peloa hervaea do Campo-Novo, acosapaaaa-
do de um peo, Salvador de Arroda.
* O misero tioha sido entortado *o interior ala
aua propria casa, estando aata trancada achan-
do-ae a chave em cima do telbado.
< O crime pareca datar j de alguoa das,
que a putrefaeco do cadver denuncira-la
exialeocia oa caaa fesbsds, dei* lugar ao
rombamenlo dest*.
< Havia indicios de roubo, mas aem poder-at-
ibe calcular a importancia, recalando a* apol-
las deaae odioso homicidio da am vela* dacraaito
e eofermo no citado Salvador da Arruda, que na-
cinco ou seis dias qu* dsaappares*ra.
lf
*t**L
i.,
asa 1 aa
*
r7Tt



-----------
---------------1-:.-,
*
DiAllO DE PEBMMBUQO. SEGUNDA RIBA 2 DI IUHHO DE 186.
i* ,

St. Baodeira de Mello : Sr. prndenle., os
nohres depulidos fier.am imt liga <\om va ao li-
ase advenarios, mss ceesequefactes de utna
liga sao de tos si ido graves, icii'jcidi-m 4 na-
ceutdide de um dU ideas que, representsm
oecenidide de todoa os di, isto os princi-
ploa, oa principios que tustenlam ma coila or-
dem que temos coongrado como indispeusavel.
O, Sr. Vilella lavares ; Esla liga di muito
cuidado ao governo e a V. Exr.
O Sr. Baodeira de Mello : fteriorea, o aa
circumitancies de paiz feasem *trordiatias,
Iae so trataste de salvar patrie, de debeUer no
ministerio que a atraiqoaaao, sacricio exif Wo
por eme clrca* saecias seria aert, seria Men
A potisii nada liaba par im colbido aiad
eaelhaote rsapoho. _
Em ata de 11 d tambera Corrsw a agua-
te noticia : _,._
O Exm. Sf. preiidente toiou en wetdaee-
c*o sa quenas qe levotav x ai exeeasives de-
loewoee'a cmara do Algrete no expeoieute dea
rooi Bfe de terreos e ar uamentos da nova
freartUlBrao rroio Salean, re ommendaodo i re-
ferida cantara em cilicio de II do correte que
aja de preittfr a estes negotii 11 a preferente el-
leoitn a que.tsm direito.
" u foi S. Eir. servid autorlsar
'lando coro ta : o o estreg que as
abusivamente o n citadas matas.
sidente foi mullo bern irjspirsdo
as medida ; ambas loncorreram para a
desenvotacio da domi freguezia, siim
ata para o niethortneriio e progreaso de
oa aquella parte da provincia, t
) Dimrio o Rio cartas da fronteira do Chuy, un data de 1, dit :
' d JA rnica noticia que dos tranimittem, alies
i detacradavel, cade teri So preso oo Olitnar
atado 'Oriental ), e posto t ti tronco, o Sr. An-
tdaCogia Sirveira, mo?.j bern morigerido.
teeretarlo e redactor da Tribuna, folba qae
inKicava em Jaguarao, jfflcial da guarda
I, coro cajaa insigoiea se achara revestido
ande o prendern I
laVae oa mesma folha :
ja i mi ni "Irrirr. --- L~ tempoa (erio ao
Kooal Campos m Olimar, teodo fugi-
ilo 4o departamento de Mildomado, veio
dous companheirt u em Cebolaty, e
">eodo-se etrridoi dalli deram duis lacadas em
*im pardo Wpatax deJoao Bar ro, e cercaodo a
asa deite oode todoa e recoheram, degollaran)]
ana infeliz eriancinha de 4 a 5 annos que ficra
*riacndo lora da porta 1
* E oo da 24 cinco ledres i ttacnrs ro em nosso
erritorio a aa de Gandido 'A tilla, e roubaram -
dtete*) patajes, producto do uos noviihos que
dasvis vendido faiia dous dias ureioi praleadose
Mea quasrto puderam levar I
Ka "Santa Cathancia oada cchorrera deiolerea-
pon da labida do ultime vapor.
*ffectuou-ae aole-hontem si matriz de Petro-
-jKdia, o arto da agra;ao do novo birpo de S.
. Paulo D. Sebaitiao Pinto d > Reg pelo Sr. ar-
csowpo de Athenis, interoun:i apostlico, as-
-sfstido dos-Sra. cooielheiro N .rciso e MeireUea e
eaawgo Geraldo tLeite Baito.
Bttava prsenle 4 ceremonia o Sr. bispo de
Cayat
As 5 horas da tarde o novo I spo oflereceu um
xcelleote jmtar aot Sri. iDtenmocio e saus aa-
-siataoles, achaodo-se entre os convidados msttas
peesoas disliocia?, autori ladei, etc.
Por Drovliao de 17 do corrtrle do Sr. bispo,
r.onde capellao rur, foi nomeilo meatre de ce-
rmnoniaa do aollo episcopal o M.vm. padre Jus-
tino Fuado de Heodonca, vicario collocado da
freguezia de -Pirahy eda vsra da mesma comarca.
21
O senado approvou honlem :>em debate em se-
gunda discusso o parecer da mesa sobre os re-
Huerimentos dos pretendentes ao lugar de offi-
asl da-secretaria.
Votou depois em primeira discusso a propo-
slcn regulando a disposi;ao do art. 10 da lei
n. 876 de 23 de agoito de 1855, na parte relati-
a ao esefeicio dos membros 'le conseibo naval.
Pairando a mesma proposi;io immodiata em
anajstada discusso, requereu o Sr. visconde de
#aqttiohoDba qe fosae ella rmettida i com-
misso de marioha e goerra pira interpor o aeu
{tsrceer, e assim te venceu.
ltimamente entrou em primeira discus o o
projecto de resposta 4 falta lo ihronoxe iicou
diado pela hora dapoia de orarrm oa Srs. Car-
neirode Campos, Dantas, mioiitro da agricultura
fiakueo.
A caca ara doi deputadoi ap[rovou hootem em
vrisseiro lugar o parecer da commiw&o de pode-
res sobre a eleigo primaria que te procedeu
em 30 de julho do aooo panado na freguetia de
flossa Senbora da Conquista, di villa da Viclo*-
ri. do 3* dtstricto da provincia da Bahia.
Eotraram depois em diicuniic> as emendaa do
senado propoai;o que regula as promoc6es na
armada.ajDrou o Sr. de Lamarc.
Cootiouou o ultimo lugar a i; Iscuisao do pro-
jecto de resposta 4 falla do rhreno. Oraram os
Srs. ministro da justica e Gomes de Souta.
Ambas asdiscussea ficaram diadas pela hora.
- 2J
O senado coatiouou na aeiiao de hootem a
discutir o t-rojecto de resposta S falla do throoo.
Oraram osSrs. Candido Ilorgea, ministro do im-
perio e visconde de Albuqucrqi -, e ficoa a dis-
cusso adiada pela hora.
Contioaou bontem na esruara dos deputtdoi a
discusso daa emendas feilas a tppruvadas pelo
aenado 4 propoiican que regula is promoQdes o
armada. Orou o Sr. Rodrigo Sil' i, ficaodo a dia-
cuisao adiada pela liera. ,
Pasaaodo-se 4 segunda parle di ordem do da,
proaeguio a discusso do proje:lo de resposta
{alia do throno com a emenda do Sr. Zacaras.
Cnube a palavra ao Sr. Bandeira de Helio, re-
lator da commisso, o qoal, leudo sustentado o
jirojicto por ella offereodo, co adulo o aeu dis-
curso noa segaintea termos : t
Sr. presidente, concluirei o meu discurso fa-
endo urna observaco aobra a rcsolugao que to-
tnararo os cobres deputadoi, noniui antigos ami-
gos e correligionarios, de aban lonarem o terre-
no em que todoa ni jualos pro: iravamos servir
a o pata.
Lmanlo, senhorea, sinceran ente eita diver-
encii. Eslava acoitumado a rabalhar.com os
cobres depatsdos......
O Sr. Zacariai : Em 1852 V. Exc. eateve se-
parado, quando oa destinos do pul! esta va m coo-
ario, aeria Jua^illrado pela f rede doaawamte-
cimeatias ; asas, bi cireaarsiaaKiaa norsaaesera
qaa es a f hita aa, a q cenbecem o apregoam, osa circumilancias paci-
Scaa to paia, a por -oseta osaolhaata aaarlfleio
um paaso que bero merece que oa nobrea depu-
lidos o reconsiderem ama e muilaa teses....
6 Sr. Saraiva : Os aeottorea nao tiveram mo-
do do Sr. Paranhoi, e querem qua oteobaaos
do Sr. tlooi ?
O Sr. Baodeira de Heiio : Eu uae poiso dis-
cutir qu estoes pessoaes, que na realidad depen-
den do muito exame.
otoo ditia, sa eatitessemos en eircamstan-
cias excepcionaea, se o geveroo trataste de des-
mantellar o pair, de reduzir tud a ruin, eu
admilliria o procedimeolo doi noacea deputadoa;
mas, quando oa acarea deputadoa slo oa primei-
ros a suitenlar que ludo sa acha era um estado
normal, qua ludo caminba regular a pacifica-
mente, bascaren os nobrs depoiados auxilio no
mel daqueiles contra quera eombateram, contra
qaem luiarem..... s vejo oitso presta de conse-
guir maioria, aiaroria de um da, porque os ami-
gos doi nobres deputadoa eao aioda o qua se
schaoa osa aoligas ieiras do partido eanserva-
dor. Peco que reconsiderem esla paaao que de-
ram.
O Sr. Zacaras: Poda com to bom modo.....
O Sr. Baadeira de Mello :ISr. presidente, te-
cho a eiperanca de que os nobres deputadoa nao
se demorarlo muito lempo neisea arraiaea, e tol-
la rao ao .gremio dos seus antigos amigos. Consi-
dero a separacao dos nobres deputados como a
do ramo de urna artore que se desprende delia
pela epiderme, pela cisca, licando, porm, segu-
ro ao troaco pelo esotro.
Oa nobres deputados nao eitao dealigados de
oa; apenas a caica que ae romped 4 nao
posaivel que deixem de estar presos ao troaco do
grande partido, pelos priocipioa que eempre ra-
conheceram e seguiram com tanto eotbusiasmo
e com tanta dedicacao. ,
Em seguida proDuociou o Sr. F. Octatiano o
seguinte discurso :
Sr. presidente, quando um ministerio campos-
lo de conservadores da antiga tempera, a cujs
firmeza de principiea u 01 liberaea temos pres-
tado a maior homeoagem, faxeudo-lhe decidida
oppoi(ao dentro daa raas do nosso direito,
quando eaee ministerio, reconhaceudo qua a ai-
tuaedo nao aua, pede aoa adversarios as sois
ideas, embora mal compre hendidas e mil in-
terpretadas (ipoiados), para prolongar urna exis-
tencia ingloria e alravasser mais urna sesso, era
do nosso deterexpor ao paix as raadea por que
nao podemos, nem mesmo assim, prestar apoio
a ene mioialerio. Era do nosso detar correr 4
tribuna, e com a lealdade e fraoquesa do nosso
coslumo encelar urna discusso d principios.
lias, Sr. presidente, discutir como T Discutir,
quaado o presidente do cooselho se retira desta
casa, e asim abandona os seus collegas? Discu-
tir, quando o Sr. ministro da justica se mosira
ancioio por urna solucao, a com lodo o funda-
mento, porqaa a situaco do goterno normal ?
{Apoiodos.j Quando o Sr. ministro da jusilla cla-
ra e fra.carnete propoc bontem a questao do
gabinete, nao querendo que a fallado throoo se-
is ama simples homeoagem 4 corda, mas ama
homeoagem ae goterno ? Quando o oobre rela-
tor da cemmissao nos acaba de diaer, em oome
de seus amigos, que. nao h discusso possivel,
que a discusso seria prematura ou inopportu
Da ? (Apoiadoi.) Quando anda elle que nos diz
qua naa actuaes circumalancias oa homens poli-
ticos nao precisara de um debate nevo ?
Senhores, nesta silaaco anormal, creada pelo
gabinete, eo nos licito outre partido scoao
aceita-la tambera oi, 01 da opposigao. (Apoia-
doi.) Poderiamos discutir por satiifacao de amor
proprio, maa prejudicanoo os gravea lnleressea
doeilado. (Maitos o potados). Poderiamos propor
uru adiamento, pira que o (uierno * em coiio'ic.oes oormaes e o Sr. presidente do coa-
selho voliasse 4 esta casa ; maa fdra um expe-
diente que nada resolvera, a dos queramos urna
solucao. ----------
Nestaa circumstancias, o grupo liberal, em
cujo nomo leaho a honrare fallar, cujo orgio
sou oeste momento, quer servir aoa iolereaaes
pblicos, salisfaxeodo a anxiedade da gabinete e
do paiz (apoiados), quer que a corda veja a opi-
nio publica do meio das irevas do governo,
quer que a situico sa aeclare. (Apoiadas).
O grupo liberal....
O Sr. Bello :E o outro ?
O Sr. F Ociaviaoo :O nobia depuiado -ma
luenga, deixe-me concluir.
O grupo liberal aceita a resposta ao discurso
da corda como homeoagem 4 mesma corda ;
aceitaba emenda, apresentada com o nosso coa-
curso (apoiados) pelo pobre depuiado represen-
tante do outro grupo Ilustrado e cotavel daala
casa. (Apoiados).
Para nos esta emenda nao significa, no mo-
mento actual, urna simples cortezia 4 corda ;
significa um voto de desconfiaoca ao gabinete.
M mi lis apoiados).
A situar o pois, d ira para a oada oppoai-
(o, assim como lambem clara para o minis-
terio.
Sr. preiidente, j4 que fallei no nosso concurso
sos nobres deputados qua ae aeolam no cen-
tro, direi que oso reoonhecemoe no gabinete
E' lato o qua Otemos, a por rata qe temos
ooucorride cora oa honrados repceseotantee da
grupo moderado. (Muito beca},
E, senhore, ae aioda me leste licito Usar na
alluiae i sm cloquele diacarso pronunciado na
outra tribuna do parlamento, eu dira :Jaque
o Sr, ministro da justica recorre a maulo do Sr.
Nabisco de Araujo para se defender das arguicoes
fettaa oeita casa, nos poderiamos para explicar a
situico do paix citar tambim a esclarecida opi-
oiao o mesma Sr, trabuca de Araujo. /Apoia-
dos).
lataaiuitoi paite).
Vaaas :-Ou^am 1 w(im I
Or. Presdanla :Atteag t
O Br. F. Octavisno: Qusnd a nobres ml-
nietros cham a lituacio definida, quando ea-
lawdem polo seu procedimeirto a potos toses do
saus amigos que a discusso ser em prejuizo das
iotaraisea pablices, nao qaireuioi oppor-rhes
ec banco, nem interromper a marcha do goterno
para roalisar o aelo, com qua nos tem ameacado,
da dis9luc,ao. Devemea todos coacorrer pira
que a coros daeida o qu em aua sabedorla echar
mais conveniente. (Apoiados).
Assim, declaro qua prescindimos de discutir
com os nobres ministros. (Apoiados; muito
bemi'
Pato qua loca 4a eleigoea neita ultima provin-
cia, aaba se agera com mais io'dividusQo quo
teodo corrido regularmente ao primeiro dia, o-
ran ao sedando suspensas pelo goveroador da
provincia salm de evitar o dernmamento de saogus
prestes a correr eotre os paisanos a os offlciaes
da dlvtte de Pannero que coocorriam 4s urnas.
Mitre, como preiidente interino da repblica,
maodoa proceder all a novas eleices por todo o
mez crreme, ou, o mais tardar, noa primairoa
domingos de junho, declarando ao mesmo lem-
po, que urna vez principiada as eleiques nio-
sot visgem da experiencia, quo tete lugar para a
tilla de Uprica.
c O vapor parti ao meie dia. Lsvoa a sea
bordo S, Exe. o Sr. presidente da provincia, o Sr.
Dr. chele de polica, mullos senhores deputadoa a
entras muitas pessoar.
Foi lambem a msica de polica que, tocos
aellissimas pegas durante toda a viagem.
c Fundeou o vapor em lio perica i 2 horas a 5
mnalo.
a Ahi iervio-ae asa opparo ImrcA, qae tete
lugar eos duaa mexaa urna aa coaarta, qaa foi
uem poda suspendo-Isa, parlencendu ao con- presidida por S. Exc. oSr. praaideala da protio-
resso julgar da tua validada. \ ca, a outra na caraira, prendida pelo Dr. iapi-
beguodo noticiai da artista bata, liona o coro-, Asi.
Del Rivas, ignorando taires o irmisticto ea pro- < Durante a lunch flzersm-ae maitos brindes
poitis enviadas a Buenos-Ayres, cabido sobra com eotknaiasmo eaoimacao.
Peoeloza, que, dispersada toda a las gente, fu- i a O vapor lem de comprimeolo, entre as per-
B' -pendiculirii 135 ps, largura oa coberta 20. lar-
Do Eitado-OrleotalQada se refere quo possa in- gura coa nanas das roda 86. Tem toda
teressar oa leitorea Tinhs chegado a Mootetido
o Sr. D. Buenaventura Seooa, ministro do Per
acreditado junio da coofederaio argeotioa, re-
pblicas do Paraguay a Uruguay, a Imperio do
Brasil.
Noticlaa de Venezuela diziam que a provincia
de Maraciibo se separan pira aonexar-ae 4 No-
ta-Granada, oade aa tropas dogoternador Canal,
Antes de conc'uir direi 4 cmara qe depa- j na Eatado de Santander, havtam aido batidaa pelo
tacao liberal de S. Paulo desejava protestar ener- general federalista Santos Gutirrez, triumphao-
gicameoie contra a epreeiec&o que o oobre mi-
nistro da justica fez da actual preiideocia da-
quella provincia, maa cede da palavra para oc-
caiiao mais opportaoa.
Oblave depois a palavra o Sr. ministro di fa-
zenda, e diste :
O reqaerimento que acaba de oftereoer o no-
bre depuiado pelo mi^uicipio da edite, nao pode
deixar de ser aceito por mira o pelos meus 00
bres collagaa.
Deade que a illuatrada oppoaicao a primeira
a dizer que a siiua^io potinca do paiz est defi-
nida e clara ; que nao lem maia que parguotar
ao governo, nem o governo precisa atis de co-
gitar para saber qusea sao as intencoes de seus
adversarios; nao aeremos oda que poreraos o
menor embaraco a ease desenlace que os nobres
deputados tanto 4eejm.
Sr. presidente, honlem dUia-ie que o ministe-
rio nao mereca apoio, porque aa aass ideas
eran retrogradas, e hojo sa nos vem dizer que o I
ministerio nao pode existir porque adoptou ideas
do partido liberal, e o grupo liberal da caraira
prefere que essas iddas aejam reiiisidas pelos
conservadores de sua Telcao. (Apoiados a cao
apoiados )
(Ha varios spartss.)
Aqai se dos dissfl que a coilicAo parlamentar
nao liona por fim *eno derribar o ministerio
actual ; do senado se diise hootem que a coa-
ligio devia ter por fim a creacao de um terceiro
partido.
A situagao poltica do paiz, pois, ns apioio
dos nobres deputados, e segundo aa auas de-
claracoei, eit4 definida. Voto, pois, pelo eocer-
ramento.
Ninguem mais pedindo a palavra, encerroa-
ae a discaseo, e procelendo-se 4 volscso, foi
approvado o projecto com a emenda do Sr. Za-
aarisa.
Votaram contra a emenda os Srs. Salathiel,
Rodrigo Silva, Pedreira, Luiz Carlos, Brotas,
Ferreira da Veiga, Caroeiro de Mendooca, Gas-
parinc, Almcida Pereira, Cslaaans, Correa de
Oliveira, Hmriques, Pigueira de Mello, Leandro
Bezerra, Ribeiro da Luz, Pinto de Campos, Ne-
bias, Paula Foosece, Araujo Lima, Torres-Ho-
rnera, Taquea, Cyrillo, G. Maduretra, Paulino de
Sooza, Silva uoes, J. de Aleocar, rVreira La-
ge, Sergio de Macdo, Carlos da Luz, Caroeiro
da Caoba, Lima e Silva, Paraobos, Sayo Loba-
to, Couto, Peroandea da Conba. Fiel de Carva-
Iho, Cruz Machado, B arce I los, Barbosa da Cu-
nha, Bandeira de Mello, Bello a conle de Bae-
peody.
Votaram 4 favor oa Srs. : Silveira Lobo. Hor-
ta. Vilella Tararea, Junqaeira, Fonieca Vianoa,
Marlim Francisco, Fialho, Jos Bonifacio, SeAl-
buquerque, Gomes de Souza, Sil sino Cavalcaot,
Me
nados 1 conservadores. Nessa occaiiaoouvi mu- actual (que para viver aioda alguna meies.de-
taa cousai que ainda lenho oa m '.norte.
pon d ma primeira deiorganiacao, foi procurar
O Sr. Baodeira de Mello : En larei a respeilo o auxilio do oobre ministro do imperio; o direi-
to de nos pedir contaa pela alliao(a em que oci
adiamos.
urna explicarlo ao nobre deputido ; no entre-
tanto dttei ao nobre deputsdo que muito grave,
aouito atia a responsabilidad e que os nobres
deputados assumem por esla divergencia oas cir-
cumatanciai era que noaachamos.
OSr.Zacaras : Nao prec so lembrar : te-
mos a mesma liberdsde que r.
1852
O oobre ministro do imperio dos diise o aono
pissado que uo bivia 00 paiz patudos, a que
elles se formariam oa presaoca das necesidades
ptrblicss. (Apoiadoi). Eu, porm, odo pertengo
Exc. teve em 4 escola do nobre ministro do imperio ; eu pens
que ha realmente no paiz parlidoa definidos com
ideta e sputeoes ; a, se o nobre ministro do
imperio quiz ter a missao iogloria de ser mioii-
accommodsQoes piecisis, cooveaieDtemeote pre-
parada.
a Fiodo o lunch, voltoa o vapor para a cidado
4s 4 horas a fundeou oeste potto 6 horas a tres
quirtos.
o mi lempo e o mir csvadofoi talvaz ama
das cauaaa da pouca velocidade do vapor teodo
tido para a ida 4 ltapatica 2 horas, a para a vol-
ts 2 e 3/4.
c No da 23 do correte por urna hora e maia
Canea ai armas do da larde, deu-ae um deploravel aioiatro na es-
trada deferro.de que rasaltoa a mora do Joa-
quim Pereira de Souza, casado e com filos, a
cooluzes e ferimeolos leves em Maooel Clsudi-
no Ferreira da Silva e Manuel Paulo da Silva,
todos operarios da meama estrada. O acoola-
cimeoto leve lugar pelas circumalancias segua-
les :
c Vindo da Boa-Vista urna porcao de carros
carregados de barro para enlulbo da um tanque,
e ficaodo no lugar em que tioham de deacariegir
voliou pouco depois a locomotiva para oa recou-
Aniouio Joaquim de Santa Barba- duztr, porm com tal (orea de vapor que, 4 des-
peito dos sigoaea hilos, eu ella tal encontr so-
bre os carros, que laocoa os irabelhador que
anda se athavam dentro, uos 00 maio da estra-
da, oulros ficaram no fundo dos carros, succe-
dendo cahir oo liilbo o infeliz Joaquim Pereira
A pattida do paquete Paran para os porlos de Souza, que morrea logo por terem paasado
do oorte Qcou transferida por ordem superior al as roda da locomotiva por cima do hombro di-
segundo aviso. ; reito, que licou quaai separado do corpo.
25 O Sr. subdelegado da fregosla da Penha
Nao houve honlem sesso no senado por falla procedeu ao competente corpo de delicio na vic-
de numero para isio sufficiente.
do iguilments em Papayan e
dictador gODeri! Mosquera.
Do Cbile oada ; e da Solivia rafaria-aa que a
ex-presidente Belz rejeitara a peosao de 8.000
pesoa annuaes qua o general Ach lhe offerecia
para relirar-se 00 paiz e ir rendir onde lhe con-
viease. Ao mesmo lempo procurava-se persua-
dir o geoeral Saola Cruz a volver a Lima.
Pela imperial reaoluc&o da 21, lomada sobre
consulta do cooselho supremo militar de 5 do cor-
rete, foram reformados, como pedirn), os capi-
les-lenenles
ra e Antonio Pedio Caroeiro Pereira da Cuoba,
o primeiro com a graduac&o de capilo de fraga-
ta e oaegundo 00 posto era que ae acha, vencen-
do ambos o aoldoque teem actualmente.
Hootem nao houve sesso oa cmara dos de
putados por falta da oumero legal.
tima, e prnsegue nos interrogatorios e mais 10-
'; veatigaedea em laea caaoa oeceaaarias. >
; a Cooila-noa que em cooaequeocia da priso
. do machinisla Aldersoo.os outros macbinists, "-
xeram parede e oo se quizeram prestar ao ser-
0 novo gabioete acha-se orgaoiado do modo vico do ttafego da estrada de (erro, pelo que fo-
seguale : ; ram interrompidas as viagecs ordioariaa 1
Presidente do conielho o ministro do imperio, i E' am faca inqualificavel, digno de severa
o Sr. conselheiro Zacaras de Gea e Vascoo- censura, a que as autoridides do paiz devem lo-
celloi.i
Mioistro da justiga, o Sr. Dr- Francisco Jos
Fuado.
Mioistro dos negocios estraogeiros, o Sr. sena-
dor Cados Carneiro de Campos.
Ministro da faxenda, o Sr. secador Jos Pedro
Diaa da Carvalho.
Ministro da marioha, o Sr. Dr. Jos Booifacio
de Andrada.e Silva.
Ministro da guerra, o Sr. barao de
Alegre.
mar dele coohecimeolo, alim da serem coove-
nientemeote punidos os seus sulores.
Sergipe.eohuma noticia eocoolramos nos
joroaes, qua mereca meo(ao.
klagoas.H se bavia procedido segunda
apurar^o, pelas cmaras municipaea compelen-
tes, das eleices para deputados pro nuciae.
- Conflrmou-ie infelizmente a iofausla noti-
cia do paiiameoto do Dr. Eugenio Auguato do
Porto-, Coulo BelmoDl, juiz municipal de Porto da Fo-
. lha, seodo, tanto na localidide da sua resideocia,
Mioiatroda agricultura, commercio o obras pu- como oa capital, muito seutida a aua moite, como
bllcas, o Sr. conselheiro Antonio Coelho de SA e o demonslram as provea ioequivocas qae lhe de-
Albuquerque.
DIARIO OE PERNAMHUCO.
Sabbsdo fintlearam nosso porto os vapores
francez Guiante do sul e nacional Oyapock do
oorte do imperio, seodo portadores oe noticias
com as datas seguales : Rio 25, Baha 29, Ala-
ram os seus collegas 01 Srs. Drs. Possidooio de
Carvalho Horeira, Jos Aotooio de Magalhiea
Bastos, Aurelio Ferreira Espiobeira, Mariaooo
Joaquim da Silva e Antonio Piolo ds Rocha, o'um
memento solemne que mandaram dizer no dia 24
e ao qu ti aaiialio o Exm. presidente e grande
oumero de peasoas gradas da provincia.
Parahiba. O oosso correspondente diz-nos em
30 o seguate : I
Coasti-me que alioal terminaran) as ses-
-- *. n *.:u f%n n rt ^ vvuan-ujD uuu anual iciuiuaiaiu a ota-
faon m ",nb.a-Rl-Gr". *S S!-2*a6 PV," d0 Pf8"00-, j p.reciim permanentes; sendo que em urna
Rio deJanexro.-A. noticia de mal importancia ellas bouve urna troca de insultos lerioi entre
Carvalho Beta de Ltmare, Pranagu4, Lena,
Feriado, Aragio o Mello, Braodo, Leitao da
Cuoha, Diotas, Saraiva, Marlinho Campos, Vi-
nato, F. Octaviaoo, Zacariaa, Espendio, ueiar.
Amaro da Silveira, Paula Santos, Lim. Buarte,
Vieira d* Silva, Olloni, Pinto Lima Fleary,
Tavares Bastos, C. Ottoni, Serra Carue'O, No-
nes Goncalves, barao de Porto -Alea e Feliz
dv cunna. .
Nao eativeram presentes os Srs. fjiogo Velho,
Gama, Cerqueira, Siqueira Mendes, Lamego,
Teixeira Juoior. barao de Mau, Pecira Piolo e
Angelo do Amaral.
-23 -.
Ilontem nao houve sesso do senado por falta
de numero legal. *
Entrn honlem n 1* discusso ns cmara dos
deputados o projecto qae autaiisa o goveroo a
conceder carta de naturelisacio de cidadio br-
aileiro ao aubdito nruasiino Carloa de Botteni-
lern. Por falla de numero legal ficou a discusso
encerrada.
O ministerio pedi aole-hontem a sua demii-
so, e Sua Magestsde o Imperador se digooa
aceita-li.
O Sr. conselheiro Zacaras de Ges e Vascoo-
cellos foi encirregado de organisar o novo ga-
bioete.
O Sr. Bandeira de Mello:: Eu davo dizer o
que emendo a respeilo do passo imporlaotiasiijo
qae dio os meus amigos e corriligiooarios, se- tro espera de partidos, pode ficar certo que re-
paraodo-se daquelles com queni sempre milita- jeito por mim a por meas amigos, semelhaole
ram nos mesmos arraiaea.
-Senhores, eu j pertenci s.an partido diver-
(gento, eu e nsuilos amigos membros desta caa
separ4mo-nos, em 1854 da griade maioria do
partido conservador.
O Sr. Pinto de curar atliidos em arraiea estraoboa.
O Sr. Baodeira de Mello : Littio proclama-
anea urna idea, formulamos urna queixa seria,
diziamos que a repte*entaco Da:iooal nao tiohs
jaoto do goveroo do niiz a coo'si 1 ra<;o que de-
adra ter ; que o irslema representativo reclama-
ara que o delendeasemos cootra cutos desvos da
aaaaadejisiracio.
O partido que eolio se propunln a semelhaole
fim foi^or isao chamado ptrlameclar ; elle pro-
canvant sstisfacao de .urna oecesiiidade aentida,
reoanhecida por todos.; quera 3 equilibrio dos
poderes polticos os medida prese-ipta pelacoos-
ltatcie. Combitemos com aa os ias proprias for-
cea, oregean necessaria para reeigoarmo-oos a estar
tra do poder at qne pela adneeti de oovoeami-
oa podeasemos nos converter em maioria.
Zeta reiigoicio noi eonobrecia aos nosiaoa
P*0**!** olhos e ao olhos do pan, porque um
toaolo profundo noa dizia .que faziames o
btm da paiz. Caminbavamoa sem ofreguidio,
!^M0,.ta MP"*nca de trlum 1.10, esperanza
*Vt 00,aat?,>va de recorrer a: s adversarios.
" *' 8,"" : V. Exc. tem toedo doa libe-
fafMv
O Sr. Baodeira da Mello: sia., eaperavamo
CMatituirmo-Dos algom di. em m .na, ma oio
ii,iado-nos aos nosios adverisrim para um fim
psaanaairo.
*. Saraiva : V. Exe. tem nado doa libe-
sana e u6t nao.
r. Baadeira de Mello;-Oiubre depaUdo
fif* medo dos hber.es ?
n,i' F0e*,7,,0: 'oto ao moso 1
O Sr. Bandeira de Mello: C oca V. Exc. o
tu 2f-llno : ~ p,rU0 '"x w P-
P ooitneso.
missao.
Maa, se recoohe;o a existencia de partidos ;
se os meas amigos nao se aaicidaram por ama
renuncia impossivel de seas priocipioa liberaea,
acaso es to alies imposeibilitados tle se unirem
com os eooservadores moderados, quaodo estes,
nao de hoje, maa da ha muito, teem contenido
oa tribuna qua lempo de altender seriamente
s ideas liberaes, e de aceitsr-se o progreaso co-
mo coodicao da vida para o proprio partido con-
servador ? (Apoiados). E porque haremos de ra-
cuar diante de urna alliioea com eaaa grupa il-
luitrado, quaodo o goveroo lambem oo-la veio
solicitar, pediodo empresladsa algomia de noi-
sas ideas ?
O Sr. Mioistro da Justica :A que idea se re-
fere V. Etc. quaodo diz qae aa pedimos empres-
ta das para viver 'l
O Sr. F. Octaviaoo :Aioda baotem V. Exc.
defeodendo-se disse-nos qaa o grupo liberal
oo poda estar com o cooservador moderado,
porque o goveroo bavia satisfeito a aepira;ea
liberas. (Apoiados.)
O Sr. Minutro di Justioa : Aa ideas de alli-
viar a guarda nacional do aervico ordinario a
*s outraa reformaa presentadas oos relatnos
aao ideas proprias do partida conservador.
(Apoiados).
O Sr. F. Octaviaoo: V. Exc. nao leu o
relatorio do aan coUega de Imperio, a por
tose dia que o ministerio oio pedio empres-
tadas as nossas ideas; aao lase, varia qae
elle parece am cortejo aos liberaea, em muitoa
pon toa, aaslm como um cortejo o relator io de
V. Exe.
O Sr. Miototro da Jnatica : Aa vardidelras
ideas liberaea sio do eossarvsdoras /apoia-
dos eoio ipoiadoi^ porque a maior liberalismo
existe na nossa consliluicao.|
O Sr. F. Octaviaoo : Mu, cono en la duen-
do, por que razie oio teremoa o direito, quando
o ministerio o tova pera solicitar o noaao concur-
so, de eicolber aoire oa conservadoras aquellas
qne no precesa t molbor f a raaiieapazeede
Usar as aspirarles do progresa ? (Apoiidoa).
A aabida do paquete Paran para os portes do
norte ficou transferida, por ordem superior, para
hoje s 4 horaa da tarde.
2*
Hootem oio houve sesio no senado oem oa
cmara dos diputados por falta de oumero legal.
Consta que o oovo mioialerio se acha orgaoi-
sido sob a presidencia do Sr. conselheiro Zaca-
riaa de Gea e Vsscoocellos, que assumii4 a pas-
ta do imperio.
Foram oomeados:
O bacbarel Francisco Leile da Costa Belm,
jais do direito da comarca do Rio Pardo, am Mi-
nas-Geraes ;
Luiz Goosaga da Costa, tabelliio do judicial e
notas do termo de Saota Lazia, em Sergipe ;
Joao Pedro de Meodooca, eacrivio de orphos
e ausentes do termo de Jaodiahy, em S. Paulo ;
Franciaco de Assia Mooteiro, partidor do ter-
mo de Mogy daa Cruies, oa dita provincia;
U bacbarel Adalioo Candido Carnoiro da Cu-
oha, taoeole-corooel commaodaote do 1 aaia-
Ihao de anheria da guarda nacional da Para-
hyba ;
O capilo Jos Lope Xavier, idem dem do 1
batalhao de 10fsalaria da provincia do Rio de Ja-
neiro.
Foram reconduzdos :
O bacbarel Gustavo Gabriel Coelho de Sampaio,
00 lugar de juiz municipal e de orphios dos ter-
mos de Sanio Amaro a Maroim, na provincia de
Sergipe ;
1 O bacharel Thomax Costa Fr reir Ser rao, idem
da 1* vara da aapital do Mirmhio.
Foi exooerado Ubaldo Theodorico de Pinto, do
lugar de secretario de polica da provincia do
Paraoi.
Foi declarado vago o oflicio da 1 tabelliio de
notas a eacrivio da orphioado termo da Estrella,
oa provincia do Rio de Janeiro, pela impoaiibili-
dade de exerce-lo oservenluario Jos Alves de
Faria.
Foi perdoada a Delpbioa Emilia da Conceicio
a pena de um mez de prixio a multa, imposta
pelo subdelegado' de polica do 2 disiricto de
Saol'Aooa,do municipio da corle.
que nos trouxe o Gutenne sem duvida, a da re-
0 Franco, J. Madureira, Saldanha Marinhoj "rada do ministerio Cixns, a a entrada do Zi-
charia de Ges.
S. M. o imperador resol*eu tomar luto por
seii mezes pela morte do sen augusto cuchado
Sua ltei raal o principe ds Cipua, a por 14
das pela dess alteza real a gria-doqueza Au-
gusta Malhilde de Schwurin.
Pelo ministerio da marioha foi expedido
am evieo, coneedeado aos individuos paisano,
qo aetvlram noa navios daa compaotras Braat-
leira de Paquetes a Vapor e de Navegacio e Com-
mercio do Amazonas, que assim o requererem, o
uso do uniforme de 1 lente aos commaodan-
les, e de8* lenle aos pilotos, durante smenle
e lempo em que esliverem ao sarvigo de taes
compaohiaj; o uniforme ser em tado igual ao
do olBqjes da armada, com a differeorja de se-
rem S farda ou sobrecasacs e bonet avivados de
amarello ; o meamo uniforme ca perleoceodo a
lodos o individuos a quera se teoha coocedido
oa baja de conceder o uso da farda de offlcial da
armada.
Foram oomeados:
O capilo-tenenle Theotonio Raimundo de Bri-
to, pira preeocher a vaga deixada pelo fallecido
captfto-tea o te Pedro Garca da Cuoha, na com-
missao eocarregada de confeccionsr um projecto
do reguiameoto dos serviccs interno e externo
'das forets oavae.
O |. lenle Eusebio Jos Aotuties, secretario
e judate do ordeos docbefede divisio Francis-
co Maooel Barroso, commtodanle da forca oa-
val o Rio da Prata.
O escrevsute da direecao da artilharia do ar-
aeoal de mariuha da ene Manoel Candido Ro-
drigues Silva, amanuense da secretaria da inspec-
cao do mesmo arsenal.
L-ae no Comi Mercantil:
Pela experiencia a que ao procedeu, sao ex-
celletilei aa machinas do vapor Sania Uaria.
Trabaloaram as ealdeirsa a 20 libraa de presso
cora grande facilidade. Aquello vapor percorrea
era 37 miautos a distancia de que vai da ilha dos
Ratos a Paquete, calculada em 9 milhas marti-
mas. Sua velocidade, pois, calcula-se ser de 15
milhas por hora.
Alem deeta vantagem, lem o Santa Mario
ouiraa que oos lio enancadas por peasoas fide-
digna!. E* de solida e elegante construccioe of-
ferece vastaa accommoda^des para os passageiros.
Minas Geraet As ultimas datas recebiJas oa
corte erara de 15 do paasado :
Fallecer i 4o major Joaquim Cailoa de Fi-
gueiredo, com 70 aooo de idade, membro proe-
mioiote do partido liberal.
Ao recolher-se pira casa em a maohia de
15. o cidadio Venancio Ribeiro doa Rea recebeu
um tiro de emboscada, do qual cra bastante-
mente mal.
Hivia aido contrtala por 13:3009000 a
coostruccao de ama ponte sobre o Rio-Graode,
poseo abaixo do arraial da Piedade ; concorrendo
exponlaoeamente com a quaotia de 3:0009 diver-
sas pssioas de S. Joao da El-rei.
S. Paulo.Ho concurso 4 qae se proceder na
faculdade do direito para preenchimento de urna
vaga de lente sustituto, foram approvados : o Dr.
Manoel Antonio Duarte de Azevedo, e Rvm. Dr.
Mamede Joa Gome da Silva, seodo este pela
quinta ves.
Paran.Urna desalmada, fllhs de um pobre
lavrador das margeos da rio Paraty, assasainou
seu pai, tendo por testemuoha sua mii e iimos,
ficaodo o crime oceullo al qae urna cacador en-
cootrou o cadver laocado do mato. Achavam-
se presos a parricida, qae tem penas 13 annoi
de idade, aua mii e irraios.
Foram aoapeosos do exercicio de seus em-
pregos: pela inspectora da alfaadega, o 2. con-
fereote da mesma Jos Antonio Pessoa do Bar-
ro ; a pelo juix maotcipal Rocha Vimos, o 1.*
tabelliio de Paraoagui Maooel Al*es da Silva.
Espirito Santo Acaba do ebegar 4 capital am
completo estado de loucura, o vigarlo da fregue-
zia de Garapira, Francisco Mantos de Castro,
teodo ltimamente, em om dos accessos, iooti-
lisado lodos os livros e documentos perteoceotea i
matriz.
Bahia.No da 15 tomn, possa docommaodo
daa armas o Exm. Sr. brigadeiro Maooel Mouiz la-
vares.
Nessa mesmo dis sprasentaram as sua tbe-
ses para o concurso 4 am lugar de opositor da
seceo de aciencias aecesaoriaa. os Srs. Drs. Vir-
gilio Climaco Damazio a Livloo da Bastos Va-
rella.
liavia-ae maoiteatado oo ancoradouro a la-
bre amarella, pelo que o Exm. preaideole da pro-
vincia mandara abrir o lazareto da MonUerrst.
L-se oo Diario;
c Reaaou bootsm (16) o vapor Don ato Julho
O paquete francez Satntonoa, entrado hootem
do Rio da Prata, trouxe dalas de Bueoos-Avrs
at 15 e de Mootividdo at 17 do crreme.
Os peridicos da primeira dealaa eidadea pu-
blicara a meossgem dirigida pelo goveroador 4
legislatura provincial por oecisio da abertura
oo 1 do correla. Reaume-aa oo seguate ;
Triampbo do partido da liberdade iniciado am
Paveo ; pai eotre oa povoa argentinos; confia o-
ca oo porvir, prosperldade sempre cresosnte do
commercio ; oslado fiorescente da faxenda ; cr-
dito da admioiitracao ; proteccao da'ida ao Ira-
balho e i toduilria ; adiantameotoi materiaes do
pala, cooelruccio da oevaa aatradaa de ferro.
Para o eoograaao qaa deve reunir-ie a 15 do
correla davem-se como feilas as elei(esem En-
tre-Ros, Corrientes Saola F, Mendoza, S, Juao,
Tucamao, Calamares a Bueoos-Ayres, de nudo
que aa aapnoh que a faits doa rapreaeotanlaa de
Cordova oio obstara ibarluri co dia morcado.
alguna membros. Amsohis, por tanto, leri la-
gar a inslellacio da mesma, que consumi em
conslituir-se viola e olio dias ; pois o dia legal,
para a sua iostallaco, o dia 3 do correte.
Das ultimaa noticias viadas da villa de Ca-
baceiraa constara acbar-ae gravemente enferme
do cholera morbua o juiz municipal respectivo,
Dr. Alvaro Nstor de Albuquerque Mello.
Este oosso cooproviociano lem baa quali-
dadea, hoo*sto aa viar a aaecumbir deixa
filhot em mulla tenra idade.
Fago votos pira que elle se rettabilece.
A quesldo naclelo, ou antes a da rau-
lher redivivacootiut a prender a atlencio pu-
blica e segundo ioformaedes que me transmit!-
ram est prestes a siu termo, por pirteda poli-
ca deita provincia.
a Ao passo que Adete se mostra resignado
a sua sorte, vai o commindaote superior Anto-
nio de Albuquerque publicando avalaos, oos
quaea oa factos aio invertaos a geito e goato
dosse senhor.
O melhor dssse negocio, deveri ser, eio-
cooteslavelmeote o aer, o relatorio que o dig-
no chela de polica, Dr. Rigaeira Coala ter de
appresentar ; seodo que pretendo procurar obter
urna copia para Iranamitlir-lh'a, viato a publi-
cado do meamo muito eoovir a desmascarar a
maligoidale de iodividuos, que estao aempre
proraptos arcarem contra a verdade,
Pode ser que factos postariores rae fseam
crr oio mulher coas que rae oceupo, filha do
coramaodauia superior Antonio de Albuqueiqae;
maa oo que ha podido colher a polica, em suas
cootiouadaa e minucioiaa iodagsfes, ha moti-
vos mais que aufflcieniei, para crr-se s mu-
lher que est sob a guarda da auloridade e que
se iolitula(Mirta Umbelioa de Albuquerque Mara-
nho, a mulher de Aoacleto Jos de Mallos,
que assim se chamava, a qaal fdra enterrada oa
cspella do engenho Caoba, por aupporem-oa
realmeote mora, quaod o eslava appireote-
meote.
a Da villa do Teixeira coosts um pequeo
deslurbio, eotre um official da guarda nicionil
a urna praca aa ordaos do mesmo, sem resulta-
do desagradavel e a chegsda ali da forca de linba
que para ali aegoir.
< O ioverno coolioaa peaado a carrancudo e
oeste momento chove a bom c lio ver.
Jlio Granito do Norte.A seguinte missivs
do nosio cerraspoadeots contera quaoto occorreu
ps a paissgem do Jaguaribe.
Se o Sr. Dr. Aquioo Fonceea estivesae no
meio de aos, a fosse como ah foi, eocarregado
de redigir e bolelim official do cholera morbua,
elle diriaassim em seu estyllo claro a fcil a res-
peilo desta provioda.
O cholera tem iovsdido toda a proviocia do
Rio Graode do Nort com excepcio de maitos
poucos povoados.
< Desta fez o centro tem loffrdo muito mais
do que s beirs mar: pode-se sssegurar porm,
que oio chega a trezaotas o camero das victimas
que al boje bio suecumbido.
Preseotemeote oa lugares, qne mais sofirem
sio; Ceari-meriffl, e Nova Cruz; oio se pode
entretanto dizer, que as perdas deltas sustentam
a miolma compareci com aa da cidade do lo no
Ceari.
< Pelas noticias ltimamente recebidas coosts,
que o mal j est axtioclo am todos os lugires
primeirameole atacados, e oaquellea emque aio-
da reina j vai em completa declioaeie.
c Bolelim particular daala cidade de Natal:
a Em diaa da semaoa paseada manifestoa-se
oesia cidade o cholera, traxido por dous iodivi-
duos, que viersm da capella do Gear4-merim :
depois delle foram mais tres pessoss aneciadas do
mal.
c Deslss cioco esesparam tres, seodo destes os
mesmos dous iodividuos,.qae vieram da capella
a morrersm doas, 4 saber: nm menino e nota
mulher ana irmie.
Nestes dous ltimos, a molestia fez progres-
sos lio rapidoi, qae quasi os malo instantnea-
mente, aio obstante todas as ipplicaces da arre
que Ihei fea o Sr. Dr. Bolvar, que, como j lhe
diise. squi acreditadsimo em sua dioica. Al
sata momento oio ha mais urna s pessoa doen-
te da pea te.
a S. Exe. o Sr. Dr. Laio Velloso visitn nm
per am dos doeotes, dsado-oos assim oaxemplo
de aeus sentimentos de homanidade, e da qae
alo duvida sacrificar 4 eitee a aoa propria exis-
tencia.
a Toda vida, e por toda parte oa grande fo-
ram aempre o eapelho doa paqueaos: Deus per-
milla poia, qae com prebendamos a ligio qua elle
SOS eotinoa.
a Nao obstante exislirem apeis se le cootos d
rie no cofre geral pata toda ai suas despeis in-
cluiiMye^da epidemia, m saslasdeixon o Sr.
Br. LelW do oa Ingsrea. queja, tedetnirim.
< Delta vez oa esfafloenio flzeria a tolhelt,
qua eiparavaai 4 exeropfode de 185 ; taea hou-
veram, que ficaram ioleirjH|aJ|iVH i agua oo
luco ; vareada, qua esla aSHKI oooraa dos
dinbeiroi publicoi lem custado charo i a8r. Lelo
Vellozo ; nao sei, te aioda haver api aua pello
lugar, eos que possam maia por oa i os se-
nhores logrados ; mii nomo a cono] lantri-
ria aio o eximirla dos botea}.' lacia,
oeata caao antea so lira, porquel ando-
qne padece, porque esHaojaoof.^,
a Quaodo e kgiiimo pracuradj aan-
cia de haver eampridooa lelrlH espidi aa
ordena do aeu committente, elle flca tranquillo,
lejam quaes forera ai ceniurai, que se vej
xpoito : o que acontece ao Sr Dr. Laio Val-
llo.
Encerrou-ie oo dia 23 a primeira lanao dea
jurados desta capital, que rara aberta i 19. fo-
ram presentes ao tribunal 5 reos, seodo 4por fe-
rimentos livea, e 1 por ferimento grave.
Destes 5 reos dous deisaram da ser jnlgadoe
por entender o juiz de direito, qte a proceieo,
qae lhes dixis respeilo oio poda ser submetlido-
ao jury em coosequeocii de faltas, que o torna-
vara aullo, ordeoiodo por isso, qua foseaax alto
aoada : dos outros 3 dous foram condemnadoi,
e 1 ibsolvido, de caja decisio appellou o mesmo
juiz da direito.
Se relectirrnoi, que fazem mais de 6 mexes,
que se reuni a ultima seno do jury dest cafitlal,
e que agora acresceu ao seulerro 0 maalcipio
de S. Gongallo, concluiremos, que a seguranc
individual marcha em muito boaicoodic{ea lantc-
qui, como all, onde s fot ella envernante nl-
fendida por occaiio do ultimo issaisiaito, de
que lhe dei noticia n'e minha penltima eart.
< O invern oo nos tem faltado: 14 por fr
a abundancia extraordinaria ; aqu mesmo nesta
cidade aa couass vio muito melhores do que es-
lavara. >
Cear.Em data de 28'diz-nos o nosso corres-
pondente : \
Priocipio esla rectificaVodo urna ooticia qne
lhe dei na mioba de 13 do
a Nio exacto que na Si icatinga tivessem fi-
cado cadveres insepultos
urubs.
lli gente que se aprazi
eitar oeate caio a pesaos qt
cavel para eata cidade dai
noticia, a aaja carta eu vi..:
< Calo o oome, para gai
que oo .meu entender oio
quero faliaise 4 verdade, parallhe aervir de cor*
reccio. \
a O cholera vai continuando) a atacar malta
gaole, e a tazer algumas victim\as.
a At honiem o oumero dos (morios nesta ci-
dade era de 31, sendo 28 mulhereV, 7 hornead,fr
2 meninos um de cada aexo.
< O miior numero a qae ebegoe a mortaiida-
da foi nos dous ltimos domiogoa,* n'am doa
quaes falleceram 5, e oo> outro 6.
a Ma multa geote qae so acha aletrorlssda ;
oque contribuir mallo para fize-la succumbir
sa (ftr atacada..
a No meio disto, perm lisengeiro ver que
quaii todos cumprem com o leu "uver, a que
muitos te excedem oa maoeira por $u-o-o f.-.-.
aera. VV
< Na minha oplnio, quem mito se tem des-
tinguido sao as duas eofermeiras do hospital de
caridade, Mara Thareza, e Senborioba ill
Estas duas mulheres desde o dia 13 do cor-
rete, que oio tem um momelo de descamo,
oceupando-so em tratar e consolar os cholerieoe
que tem affluido tuelle hospttsl. Daquellae
boceas oio aahe urna palavra que revela um pe-
queo eofado ; ao cootrario, com a melhor bs,
vonlade se prestara a ludo qae leode a procurar
allivio aquellos iofelizes, com bsstante docili-
dade.
c Para estas daas verdadeiras irmas de ctri-
dade, todo o aoalameolo, a veoeraeio oio aio de-
ba ais.
c A eofermeira Mara Thareza foi atacada do
lerrivel mal, victima lalvez de saa dedicacao;
felizmente oio obstante a iotensidade da molestia,
boje nao cauaa mais reeeios a sua existeocia.
< O corooel Francisco Fidelios Barroso acbao-
O-to ao rxtrcielo da deIegatr>*Saodo ao daWO-
volveu-aqui a epidemia, prestos relevantes servi-
dos, que jmala serio esquecidos pela popola;io
a quem aoccorreu, o pelos Ceareoses que o viram
aollietto curar de tudo qae podia contribuir para
combater o mal, e tua nio propagacAo.
Mil louvores aio devidos ao prestante eidido
o Sr. Fidelios.
Fallo nelle porque j nio f achs no sxerci-
cio de delegado, por ter assumide o cargo o pro-
pietario Dr. Jos Antonio Rodrigues.
O Sr. Fidelle, porm, nio deixoa alod de
prestar todos os aaxiliosqae a classe pobre oio
tem ceasado de reclamar da saa beneQcencii.
c Nio trato da maia ninguem, porque entendo
aeria prematuraraeoie, e meamo porque lenho
certeza que alguos debsixo de mal destorcida
caridade oceultsm e ancapam multo am-
bicio.
correle.
calinga ti
serviudo de pasto aoa
em mentir; parece
e eecreveu do Cas-
do to desagradare!
....
Ipdar conveniencia,
leviam haver com
"s
Exm. Sr. 5008 rs. para o mesmo
a 0 Sr. Ildefonso Jos de Abres eotregou 4 S;
Exc. Rvm. OOOOS para ser distribuido 4 pobre-
za ; urna outra pessoa qae soabe occaltar-se man-
dou ao meimo
fim.
O Iguarass, iqui chegado hootem, trouxe dee-
sa 5UUJJ rs., producto de urna eubacrlpeio agen-
ciada abipelo Sr. F..F. Borges entre algaoa teas
amigos, cuja quaotia deve lar igual destino.
c Neste mando terio estes seohores, ao prsxer
quo oos d4 a pratica de ama boa accio, a retri-
buiga d de' sus philaotropia ; no outro, encontra-
do o premio delta. %
< Deas Ibes augmente os bens, para poderem
acudir aos necessitados.
c Nidi tem faltado nesta cidade 4- popeiaco.
0 governo tem medicoaem todoa o dtetrctos, aa
boticas acbam-se por elle autoriaadasaa proraptt-
ficarem as receilaa, que com a desiguacko de po-
bre. Ibes sio enviadas pelos mdicos, ne hospital
de caridade ba am deposito de carnal, colxss o
coberturas, e de alguna vveres psra ea indigen-
tes : no palacio episcopal ha es mola em dr-
nheiro.
a Parece que se tem feito o qae humanamente
possivel pera aiteoaar os effiitos do flagellev
que nos auola.
Desejava duoci ter que dirigir sensuru
oioguem, e sempre ter oocssiio de tecer elogios j
mas infelizmente a conducta de algaoa aio pac
mttte piasir em silencio, e sem o devido estig-
ma o seu procedimeolo.
O mdico Francisco Alves Pontea,dM
do clrnrgiio-mr do exercilo nesta pr*
que d'iqui sabio para o Ico esa 22 do f
paisado com medicameatoa ; que recebeu etOp
rs. de ijuda de cuito, qae foi veoceodo ama dia-
ria de 309 ti*, com o adiaolameoto de naa mea ;
oo dia 12 do correte aioda estiva 4 leguas !
do lugar do seu destino J 1 1...
a Dixem que dahi maodoa om portador ao dele-
gado pediodo-lhe provideociaaae de moda a qae
podesie passar o rio, visto ir em commisia do
goveroo, e oio dever faze-lo 4 ana casta I
c Accresceotam qua e delegado lhe responder
que, podia seguir vigem, que all Dio se real*
aava delle 11
a Bem hija o delegado aa tal (ez I
a Vate diaa para caminhir 76 peqaenaa la-
gun em tal emergencia I
a E' provavel que se julgue coa direito s ser
agraciado ; com elTeito assim deve ser, dsndo-ae-
lhe o titulo da Rizio da presteza.
c O cholera havia deaappereeldo do Ico no dia
5, appareceodo apenas um oa den cisos rlsnn
dia at 8 do correte.
< Na comarca do lobamum lem feito bstanlo
victlmai, eotra ellas pessoasmui notareis como o>
Dr. Joiu Fernaodes Vieira, vigarlo de S. Ma-
theus, e dixem timbea qaa o de S. Joae do Pila-'
cipe.
c Bula de cholera.
< O aaiucar refluido qaa aqai ae cooaome
todo importado desea proviocia. Infelizmente
laea seoboros refinadores sio baa penco cone-
cieociosos, porque esto genero lea viodo onaaer
que posilvel. Laocado am qnilqner Mqnido
aprsenla urna quaelidada da eapuma imrauoda
qua causa nauseas I
< Peco-lbe qua internonha o seneaUoso eapa-
nho pira com estes senhores, e ver aa aa abijan
da continuar a lio mal sedare* se IrafMaaa;
ta nao podam vender sor 4, vendan par % anea)
ala impiojao gato por tabre.
c UtUase era.
N Pacalub o cholera est lateado Bulto
^#
#

a
w*-j*. ., llt.
III ""! ti lli
-su
H^v
^-J,
nat


u
9-.
.ftti-jia oh?j *t-t Asm Aossaas .*wi .a*iw na okk
4
HAMOM
ue *-
a* a M jumo at
morra ni \0 peaaois,
Ci.
co presldeocul foi adiada
prximo a absrlara di as-
en consequeicia de se acha-
Ijaarno garal algunas duvi-
de membroads mesma.
pannos de idade, Theodo-
paea na poveaciu de S. Bay-
fogeoho Martlita, era Guima-
JWvado sempre o uso completo
que extractamos dos jornaes,
losio correipoodenle :
ouvida urna comnisao de medi-
, o Ezm. Sr. conselheiro presidente da pro-
Incia poi esa execucao o privilegio que urna lei
incial coocedeu compaohia .l.oil, que tero
P fio o abastecimeuto das aguas nesta ca-
flMal.
O privilegio concedido cov.paohia Aoil
coasiste oa prohibigo do eomm-mo de sgua,
que nao for da mesma compaohia, po leodo com-
, .* Portillares sendereas agua de sua pro-
leaade. Algunas pesaoaaa.ua compraos e ven-
aeo sgua dos sitios prximos i cicade, e que vi-
vera deste pequeoo commercio, eatiio dispostas a
continue-lo, pretextando qae nao commereiam
m sgus, mas que a vendan.
ia peaos, adversarii da companhia, mo-
Brer por aeotimeotos poli tiros, dizem em
Me jornaes que a sgua do oocanameoto
ie*t turrada, que para bebar-se pre-
-la, e que nao haver torcas humanas
ranguem o povo a beber a igua que oo
divergencia de opioioes tum occupado
a cousa os espiritos, mis isi o tudo nao 6
fuetiroteio de plvora seccs, jorque a ven-
^* S" particulares nao prohibida, e ee-
i pode baba-tas vontade. Alem disso a
agua da compinhta ja ae epraaenta noschsfsriies
rara a de bom asbor, e natural e tmiensivelmen-
te vai sendo preferida pelo publico, visto que
vendida por motada da preco porq m veodem os
jMrttculare*. Nesta ponto, n'uma logitima coo-
currencia, que est o futuro nrorpero da com-
paohia.
c Neates ltimos tempos tem ha vi do nesta pro-
vincia una morimento hatecaru digno de allea-
^ao. Em meos de ni anno leai sihido dos
prlos do Maraoho varias obras, o cootam-se
neise numero o Almanak do Ma> mho. Alna-
Dale de Lemaraocaa Braeiletras, P iioaao Ma ra-
jbanse, o Liwo de J**o,* 0 apuse* lo Ua Presi-
dente e Urna Asaembla. Acha-an no prb as
Xres lyns, poesas dos Drs. Traja o o de Carva-
rao, Almeida Braga, e Marques Bodrigues.e aca-
ba de sabir luz o jornal O Artitto.
* Eoi traosfarido do estado mi or do qoioto
atalnao de iofantarii. sonde aehua-se preso,
pira bordo da crvela Unido, o car. tao Joaquim
i ,r! *' ^octa Jacaranda, que nsta respon-
dido conselho de^uerra pelo cr.me de roubo
plvora do IsboratfHo pyrothenico, segundo
coosla do respectivo pAoceaso. O mclivo da trans-
ferencia por ter o dito capillo fallado, escrip-
.o, e apregoado fela imprensa doulrinae aoar-
cnicas, -.j'r, por este modo, em i>erigo a dis-
ciplina militar.
Oa adres Francisco Cibnl, vii.irio eoeom-
raendado i freguesa* do liapicur i-meirim. e
Manoel Aluno Barboss, vigario ds (reguezia do
Cururup acabim de prestar valioso! servicosem
prot de suas avelbas.
A este respeito diz o Publicaior Maranhen-
M o seguate :
Esteva & frente da matriz do Curarnp qua-
' ata cihir, e veodo o respectivo c IsTde, e muilo tarde poieria ser 1:"aotada com
o dinheiro rti provincia, sabio i esmola de
port em porta dos seus pirocbimos, e poude
a conseguir o frootespicio e parle d i paredes la-
teraes do templo, sendo Indo de pedra e cal.
&a mais nao fez. se tola a igreja nao foi cona-
m. luida mala slidamente, foi por nao ter ido
o producto da aubscrioco sufcictite para 4s-
80.
Qussi no mesmo estado ds matriz do Curu-
-nspa estar a do itapicu'-meirim, e o nresmo
zela que deseavolreu o vigario daquelis trague-
zia pare raedi4avrj.au. grej; am^rego* o Sr.
padre FrantiscoGatral para reparar a sua.
Ox*l que to las aa fregaasiaa tivessem a fortuna de encontrar para seus pasto-
res sacerdotes como oa Srs. Barbosi e Cibrsl, e
qae o zelo polHtco, peto quat a maior pane del-
les se toruim to distinctos,. se toroaase um dta
em zelo religioso.
Piauhy.Hiveodo-se desenvolv io o cholen-
morbus aa comarca do Principe Im| erisl, o Exm.
presidente da provincia tomou as providencias
eceaaariaa, de accordo coa urna co umissio me-
i dica que chamou pira junto de ai.
Para Nosso correspondente d j-no o se-
guinte :
Cbegou hontem fz) palas duas horas da tar-
de, trazando urna bella viagem, o vapor Oyapock;
apesar disto fecha boje as roalis s 8 po-
ras da nolte, e pretende partir pela endrogada da
manle,
a Andamos sempre s pressss coc estes vapo-
rea ; o qee fizar porem, se nao se. eitarmo-uos
s vontades de quem mais pode I
Dasta vez, e contra meu costunie, serei li-
mitadiisimo ; porque nenhumas novilades hou-
veram depois da partida do Cruzeiro to Sul, que
posaam dar materia para tornar agradavel a pre-
sente correspondencia ; entretanto, n que sei ahi
vai.
c II i je embarca anal com deslino essa pro-
vincia, o chefe de polica dests, Dr. Dlyotho Jos
lieira. QueroJcreditar aa eerteza da viagem,
porque S. S, dVz constar pelo Diario do Grao-
fari,* deipedlndo-se doa seui amibos.
< Todos os cargos judiciarios desti capital fl-
csra em interinidades; isto, sem duvids, um
alai para o bom e regalar andamia lo da jua-
ti{s.
< A provincia poreai vai marchatuo na mais
completa paz, assim como satisfatorio o seu es-
lado de aalubridade publica.
a O commercio tem-s reanimado mais sigu-
ana cousa no presente mez.
a O rend ment de alfsodega, pelo qne respet-
osa importacao produiio al hontem Iz1:123g000
a quinto a exportaqo tem havido lQueocia aa
procura de gneros para embarque, tendo se fre-
iado alguna navios para conducir bot'acha e cas-
tanha sos porlOS de Inglaterra.
c Para Portugal e Franca ha tamben animacio
sobreludo para aquelle reino grande a qusn-
tidsde de passageiros que agora se^uem, com
pasticularilsde a bordo da barca Anu zonas, pois
consta qne levar uns setenta, alrn Jos que vio
(aa navios, e a maior parle deprimeira
Faca-se Ha se houvessem vapoi eique des-
iaaorlo seguwtsem para a Europa oa inra a Ame-
rica do Noria, que de inlereases e passageiros
conduciran) ,
< Entretanto como por ora nao k i outros re-
cursos, oa viajantes deeta provincia vio se apro-
?itaodo do que estao ao seu alcanoe, e asaim
tratam deempreheoder as viagens en oavioade
vais, pois que para este porto alguna ha com ex-
caileatescommodidsdes, especialmei t a os por-
tugueses que oestes ltimos lempos a tem cona-
draiaa.
a Haolem aqai chegou o preaidenU do Pisnhy
qne oaa quiz desembarcar oo Maranhsu, por cau-
a daquarenteaa que ahi.fnem as passageiros
qae vem dos postos do sul ; quiz antis sugeiiar-
se a mais alguna das de viagem e de x ora aeate
cUade, do qaa aolrer urna recluso sanitaria
osase provincia.
* 9 ,IPr fot aqai admittido livre pralica,
depai de postas em execuco aanecsiiarias pres-
cripsoes recommeodadas pela ciencia.
rs que o Maranna aiods confie em
:fSr!A^9m^^^lj,^M\^s^ ftr?:ib-! *#** *. r-u-
sea rigorea qaaretiVsnsries; qusado o
sal de morte os recursos humanos
floeasl
Un impro-
a Com Uto dio quero dizer que aa i toridsdes
ucsrrepaaas o. ,uae pufja.iCa, abaodonem o mal
"?5*?;pt>",aeUt0M acreditar no faialie-
aem Uatus extremas quioi u por ota
alio ha graades otl.os p.r. taso, por qae os re-
ceioa e a medo as apidemi.s sao o ii primairo
a maior mal. r
Fiada asta eoviaudn-lbe as altara iiM mari-
imaa, qaa aao as seguate* : '
a Niviss i descaiga.
Gaaaioaa, ascuas dinamirajuau.
Fteil, aacnasa danamarqaaza.
Cipibsribe. brigue hamaurguez.
laoaaga. brigaa pattaguaz.
a Ctavioa i carga.
Hara, patacho americano panNevi -Taik.
em-
Nl praga
dia W do eorreate
. -t Aessseaee.'idem dem para Lisboa
do ornte.
Flor do Ver, idem idem para Liverpool at
ao flm do mez. a
NOTICIAS COMMERCIAES E MARTIMAS.
Bumos Ayrw, 9 d$ maio.
Descont.O banco em roetaliico e moeda cor-
rele empresta a 7 e recebe a 5 0|Q so anno. Na
prses regulam ana moeda corrate de 1 a 1|2, e
em metslllco da 1 1|4 a 1 |tS Ofrj ao mez.
De artigos da imporUgo eilectuaram-se as ven-
des siRuintes :
Do Johanna Elisa de Peroambuco o cerrega-
meoto de 1.500 Darrieis a 409 meiis de sssucar,
o brauco a 17 i ,1, 18 3j < a 1S l4 ra. f. em de-
posito, o somenoi a H ra. f. idem, e o maacavo
13 rls. f. idem.
Da productos do psiz vendersm-se 19,500
quiotaea da carne secos para comecar a secesr em
sgosto em diaote, a 18 rls. f. por quintal 6.000
ceuros vaceuns salgados s preco reservado, 4.000
di os de novllho de 43 s 43 Ii4 rls. de prsls, 3,700
*!L2A3 1|4 |U* 600 dUos Ta a 38 li4 rls.
e 2,000 ditos do potro de 34 libras a 16 rls. f.
14
Dascentoa.0 banco recebe em metallico e
moeda correte a 5 e empresta a 7 Oin ao anno.
Ni praca regulam de 3|4 a 1 0|ft ao mez.
Venderam-se l.aOOcouroa de novllho salgados
2-, ''.926 Hitas paraguayos a 49 rls., e t.000
ditos de Entre Rio a 48 !i2 rls.
r> u M*t*vido, 13 de maio.
Cambio.Inglataterra, 40 MI e 40 5|8 d. por
peio eorrente; Fraoci. 81, 81 Ij4 e 81 1(21.
por ooca, conforme a firma : Genova, aem aacca-
dores ; Ro de Jsoeiro, aem Irsosaccoes; Buenos-
Arres, ao par segundo a firma, leudo se tambem
saccado a 1 4 0|f) de descont.
Divida publica.Consolidsda, 16 ra. as cante-
laa do banco Hau ; exigivel, 3 rls. idem ; no-
-vos ttulos, 42 s 43 0|fj de valor.
Descootos.O banco commercial empresta a 12
e recebe a 8 Otrjao anno ; o banco Mau empres-
ta a 15 e recebe a 10 O.o ao aono ; ni praca re-
galsm del 1|4 ll,2 0,oao mez.
. aretes.logliterra, 5a a 65 sh. couros salga-
dos; 100 sh. ditos seceos, e 45 sh. os fardos com
* 01" de caps. Havre, 70 Trancos couros salga-
dos; 110 frsacoa ditos seceos; e80 francos os
fardos com 10 OlO de capa. Estados Uoidos, 5,8
te. couros seceos; 1(4 cts. ditos salgados, e 5
pas, oa fardoe com 50|0 de capa em oavio ame-
ricano. Braail, carne aecca 4 rls. para o Rio de
Janeiro; 5 rls. ara a Baha, e 6 rls. para Per-
oambuco, com 5 0|p de capa.
Cambio.Sobre Inglaterra 41 d por peso cor-
rete. Franca, 81 1|2 francos por onca. Geuo-
vs, 81 francos dita. Rio de Jaoeiro, 30500 dita.
Bueooa-Ajres, ao par.
So rama m os saquea por este paquete : 15,000
J! .I8|",er. 41.000 francos sobre Franca,
e 20,000 francos aobre eoovs.
Divida publica.Consolidada, 16 a 17 rls. as
cautelas do banco Hau, nominae.. Exigivel, 32
e 33 rls. Novoa litulos, 44 a 45 li2 0|0 do valor.
Descootos.O banco commercial empresta a 12
e recebe a 8 OlO ao anno. O banco Mau
psesta a 15 e recebe a 10 Or ao aono.
regulam a 1 1|8 a 1 0|0 ao mez.
4An6i!es:~'0gla,erra : 70 sb- ouros salgados,
100 sh. ditos seceos, e 45 sh. os fardos com 5 OlO
de caps. Hsvre: 70 francos couros salgados, 110
francos ditos seceos e 80 fraocos os fardos com
10 0|0 de capa em navio norteamericano. Es-
tados-Unidos : 7 ct. couros seceos, 5,8 cts. dos
sslgados, nominal, e 7 pas, os fardos com 5 0,n
de caps. Brasil: carne seccs, 4 1,2 rls. para o
Rio de Jaoeiro, 5 1(2 rls. para a Baha e 6 lr2
rls. para Peroambuco com 5 0,0 decapa.
Os productos dd*psiz manlm os precos ante-
riores, exceptuando os couros vsecuos salgados,
que durante a quiozeoa baixaram 2 a 3 rls. por
cada peso de 75 libras.
Venderam-se :
Carne seccs.Um carregamento para a gavina
a 15 1,2 rls. f.
Couroa salgados 5,000 de Entre Ros, 8 n|0
de vaces. m
1,500 de potro desta provincia a 44 1,2 rls.
d/p.
6.800 ditos dos Ros de 14 a 16 lt4 rls. d/p.
Ditos seceos 2,000 pira o Havre, 1.3 de no-
7>lh. Wrli. dlp., 300 para Hespanba a 59 rls.
dem, 2.400 para os Estado Unido, a 55 e 56
rls. idem, 5,000 de 21 libras a 57 rls. idem, 6 000
sem peso garantido, a 57 e 58 rls. idem, 1,190 a
58 rls. idea, 4,28 a 48 e 49 rls. idem, 15.700
sem classifieagio a 57 e 59 rls. idem, e 5,000 do
Paraguay a 59 rls. idem.
Em ser 1,000 couros raecuns salgados, 38 800
ditos seceos.
Rio Grande do Sul, 14 de maio.
Cambio.Sobre Londres saccaram-se 9 000 li-
bras esterlinas a 2j o a 5 lii, poguenaa opara-
?5es. Pars. 160.000 francos a 378 e 380 rs. Rio
e Janeiro, cerca de 80.000JS, a 1 0|0 90 das ; 4
e 5 0|0 10 diss. Peroambuco, fez-se um peque-
no negocio a 20 0,o 15 alas. HsmDurgo, a 7T5
rs. por marco banco.
Frttea.Para o Canal a 65 5 0,0 para couros
salgados, Rio de Janeiro 410, Baha 510, e Per-
oambuco 640. Cooiinuam a ser procurados os
navios. Moeda nacional papel 6 1t2 e 7 OO de
premio. '"
Assucar.Eotrou um carregamento de Par-
nsmbuco no Cysne que (lea em descarga. Ven-
dea-se a partida do brinco do Algrete de 4 400
a 59200, e algum mascavo a 35300 a 3#4O0.
Veooeu-se tambem parte do carregamento do
Htaa, e oulns partidas da existencia a igual
freg. Este srtigo tem boa procura, mas os com-
pradores teem custido annuir s exigencias dos
possuidores.
Carne seccs.Temos grsode deposito deste ge-
nero, roas continuam escassss as boas qualidades
teodo-se vendido oltiojaraeole um carregamento'
escolhido psra Peroambuco a 29 por arroba, por
cajo motivo colamos o bom de 1J800 a 2S e o
despsrelho de 1 i 1JT700 por arroba, segundo sus
quahdade.
Couros vaceuns seceos. Foram mnito procu-
*on09,^.venderam'8e a8 i8lencias de Pelotas de
280 a 290 rs. a libra, e algaos lotes psssados es-
colhidos a 295, e couros da 12 libras para baixo a
auU rs.
Ditos salgados.Tambem nao nos consta haver
deposito, pois 08o s se tem vendido attnmas pe-
queas partidas que haviim psra dispdr. como os
que se beneflciam quasi todos eslo tratados ; co-
tam-se de 145 a 150 rs. a libra de novilho e de
vacca 30 a 40 rs menos as cotafde* suprs.
Gorduras Nao nos consta de transacedes ; os
possui lores em Pelotas esto firmes em 49 a gra-
xa e 59 o sebo.
15
Cambio.Londres, 25 1/4 a 25 d.; Paris, 378
S, r^- Han>burgo, 715 re.; Rio de Jaoeiro, 1
0/0 a 60 e 90 diss. 4 a 5 0/0 a 10 ditos: Bihia,
nominal; Peroambuco. 2 0/0 a 15 das.
Moeda. Papel nacional 61/2 a 7 0/0 de pre-
mio.
. Ffeles.Ioglsterra, couroa salgados. 55 sh. e
SO/0, e cinza, nominal; Rio de Janeiro, 400 a
441) rs.; Bahis, 500 a 540 rs.; Peroambuco, 600
a 640 ra.
Rio de Janeiro, 24 de maio.
Cambio.Sobre Londrea, 25 7/8 e 26 d. 90 diaa.
Paria, 308 dem.
Msrselha, 365 idem.
Hsmburgo, 60idem.
AcQoes.Bsnco do Brasil, 70$ de premio.
Frates.Brdeos, 100 frs. pele vapor.
Canal vis Santos, 72/6.
Lo odres, 0/.
Constsntiuopla. 70/.
Genero. Assucar maacavo de Macei, 2J400
por rj).
Dita de Campos, 21500 por @.
Mweiga. ig
Caf lavado. 89500 por (|.
Jacaranda, 600*000 por ouzia de onco-
neiras.
Boletim ultima hora.
Daraole o periodo que panamos em resista
houve em nosso mercado de importacao ligeiro
movlmeoto, circumacripto entretanto a saliaajo
daa necessidades normaea do coaaumo.
Nos ltimos diaa augmeataram as entradas, po-
rm actualmente pouca alteraco apreseotsm os
principaea artigos, ae excepluarmos o azeite do-
ce, cujos precos tm bsixsdo esa seguida aossnp-
MMSiUilorM nao tm levadle*- vosa Serta.
no dia 25 A francesa aoperior alcincou ots ultima vsodas
19 a comBoaei 40 rs.
O sal schv-se frouio em comTequerreitrdtrajrsn-
.,! e?lrd 1" aucceeeram-eeae deearvo acusa
allludimos.
Os possuidore* de vioho sustentara o trltrmos
precos do artigo; aa bou msreas do d Lisboa
tem oblido 300|, e o do Mediterrneo os precos
anteriores, Ocando o depoaito deate reduzido de
novo, depois das transacedes recentes, a 836
pipas. ^'
No mercado de exports;o houve muilo pouca
actlvidade, mantendo-se em reserva os exporta-
dores de caf ante os ltimos prejos do produelo
que os seos possuidores sustentsm com firmeza.
as pequeas vendas effectuadaa desde a par-
tida do paquete ingles Onida oota-se, em rela-
gao s colacoes que eolio vigoravam, urna peque-
a baixa noa precos dss qualidades separadas, da
Ia boa para baixo.
A extracto do assucar foi pequea, e pautada
pelas necessidades do consumo.
No dia 16 abrio-se o cambio sobre Londres,
-aesndo-se a 25 7/8 e 26 d., e desde eolo at es-
ta data_tem-aa effectuado a quasi totalidade das
operacoe ao primeiro algariamo. ao quai o cam-
bio fecha firme.'
Sacoo-se aobre Franca de 365 a 368 ra., e so-
ore Hamburgo hoja a 690 rs.
Sobre Lisboa e o Porto raguleu a tabella se-
guate :
113 0/0............ viata
112 O/o............ 30 diaa
1110/0............ 60 a
110 0/0............ 90
Chegaraa, preceden le de Peroambuco:
16. o brigue almirante, cosa 35 diaa de viagem ;
17, o bngue-e.cuna /oDen-irtnur, com 32 ;
21. o brigue Veloz, com 18 : 22, o brigue Ledo,
com 22.
Baha, 28 ate mato.
Cambios.Sobre Londres26 Ii8 e 26 d. por
19000.
a Lisboa106 a 110 por ceoto de prem.
MetaesDoblos beapaoU-ies, SlgOO a 329000.
da patria, 3I000 a 319500.
Pecas da 69400 velhaa
de 49OOO
Patacoes brasileiros2*100.
hespaoboes29IOO.
_ mexicanos1J900 a 29000.
Fretea.Para Bremeu e Hamburgo50 a 52 1,2
sch.
Gibraltar67 fi2 sch.
Gottemburgo 70 a 75 sch. por ton.
Canal e porto ioglez50 a 52 sch. por
too.
Continente57 1,2 a 60 sch. por ton.
Liverpool40 e 45 sch. por ton.
New Tjrk60 sch. por ton.
Marselha60 a 70 ach. por ton.
Londrea50 ach. por ton.
Cbegaram, procedeotea de Pernambuco:
15, o patacho ioglez Fanny Palmer, com* 6 das
de viagem ; 16. o brigue Trovador, com 10, e
o brigue bremense Slad Batel, com 5 ; 17. a
barca inglesa Annt'e Scott. com 6; 21, o brigue
Seis rmos, com 8; e 22, o lugre hollaodez
Felicitas, com 5.
Sahiram, para Pernambuco : 25, o brigue
Alfredo ; e 27, a escuoa Iris.
miBUC.
ASSEMBLA LEGISLATIVA PROVINCIAL.
SESSAO ORuINABIA EM 31 UAIO.
numero le-
approvada a
Presidencio do Sr. Luiz Felippe, Io secretario.
Ao meio dia verificanJo-e haver
gsl e abrindo-se s sesso lida e
acta da anterior.
O Sr. Io secretario d conts do seguiota
EXPEDIENTE.
UmofHco do secretario da presidencia trans-
miltindo por copia a portara pela qual S. Ere. o
Sr. prndanla da pro.noto prorogou a aessio
deaia assemblea, at a dia de junho. Iotei-
Adela,
Outro remllenlo 40 exemplarea do relalorio
do provedor da Santa caaa de misencordi A
desinbair.
Urna petigo de Joao Evaogelists Ferreira da
Paz escrivo do crime ecivel fleCaroar pedin-
do que se marque quota na lei do orcameoto
para pagamento ds quaotia de 434J390 que Ihe
deve a cmara municipal daquelle termoA'
commisso de ornamento municipal.
Outra de Joo Rodrigues professor publico pri-
mario do collegio dos orphios, pediodo que se
declaren elle se acba eompreheadido do pro-
lcl T desle anno'. J4 pprovado pela assem-
bles.A commiso de legislegSo.
E' lido e vai a imprimir o seguiote proiecto :
A commissao de ostraecao publica, exami-
nando com o devido cuidado a oeticSo de Joa-
quim Jos de Cirvalho Siqueira Varejo, na qual
pede que revogada a lei queaapprimio a ca leira
de desenho eaubetacida oo gyaraaaio provincial,
seja elle peticionario reintegrado 00 ensioo da
mesma caleir, de qae era prefeasor por provi-
sao do governo, atlendeodo que a grandeza e im-
portancia da provincia deve-se tambem medir
pelo seu systema de estados ; stlendendo que o
desenho urna das disciplinas que oo podem
deixar de eotrar em um plano regular de etu-
dos, como oo poda ser coatestado por urna as-
semblea tao llustnd como a desta provincia ;
atlendeodo que os motivas de economa, que do-
rara lugar a suppresso di referida cadeira ou j
oo existem, Mi nao Um s mesma torga, que ti ve-
ra m ao lempo daquelle acto; atlendeodo que an-
da quando essa ctrcumslsocia pesasse do mesmo
modo sobre a provincia, mesmo assim se devia
restaurar o ensioo de urna disciplina de to re-
conhecida atilidade para a perfeila edcelo da
mocidade ; atlendeodo que
aa deapezaa feitas
o sempre producti-
pri meatos receidos auccesei va mate.
A ter veja continua a obter prompta sahid,
crescendo o valor daa pnmetraa marcas.
O deposito de farioha da trigo em primeira mi
da 21.963 barriese, a a procura do artigo coa-
liaua aa pequea eacala.
A aiaoAeig *oglaa du altimatneQl* 800 r.
com servicos dessa ordem
aa, palo que os poderea publico nodevem re-
cusr diaote dellas; atienden lo que o peticiooarlo
exerceu sempre o seu magisterio de modo pro-
veitoso a aeus alumnos, como prava cora os do-
cumentos com que ioslruie a sua pelico. e que
Bao toado commettido falta atguma no desem-
penho de seus deveres est no caso de merecer
ser attendido em seu pedido ; por todas estas
raioes de perecer que se adopte a seguate re-
solucao. *
A assemblea provincial de Pernambuco re-
Art. enico. Fica restaurada a cadeira de dese-
nho do gymossio proviucisl supprimids pelo art
da lei o. 511 de 20 de junho de 18M, oreen le-
grado no respectivo ensinojeom a proviso que
ja tiobs, e com os veocimeutos que euto perce-
bia, o cidado Joaquim Jos deCarvalho Siauei-
ra varejo. *
Revogadas as disposifdes em contrario.
Sala das commissdes 30 de maio de 1862
Araujo Barros.Torres Bindeira.
. E' '>J e deixa de ser julgido objeeto de de-
liberago um projecta apreaentado pelo Sr. Ban-
deira que concede a Francisco Cavatcanli de Al-
buquerque ex-arrematante do subsidio dos mu-
nicipios do Recifee Goianoa, o perd&o da divida
pela.qual seaeha obrigado com a thesoursria.
Urna petieao de Liberato Xiburtioo de Miranda
Miciel professor publico,pedindo que se Ihe man-
depagar o ordenado que deixou de recebar dii-
raTrte o tempo em que estere processado A'
commissu de legislacio:
1 tLd.-6flci ad,0<, P0' 'er pedido a palavra
-o Sr. Soma ftats, o segu ule parecer :
A commisso de posturas e negocios de cma-
ras examinaodo o art. addicional ao art. 4. do til.
11 das posturss de 30 de junho de 1819 ds as-
mara municipal desta cidade de parecer que o
raesuo seja approvado.
Sita daa comtniesdaa, 31 de maio de 1861.
Pedro AffoDso.Amoral.
E' lido e tica adiado por ter pedido a palavra o
Sr. Souza liis, o seguale parecer :
A commisso de posturss e negocio da c-
maras, .examinando ataantamenle aa posturas
saoexas da cmara municipal do Rio Formoso e
logazeira, de parecer qaa sejam a mesm*s
approaadaa ; asaim como oa artigos addicionaes
de postaras formuladaa pela cmara municipal
da villa de Ingizein em 11 da Janeiro do cor-
rale anno.
SaU daa aommiwoes, 81 da malo de 1862
Pedro Affuoio.AmsraL
Vai mesa e approvado o siguila rsasmst
asento: ^^
Rsqueremos que galamasan sobre aacol-
sKloriaaeeja fesBsOatd i aomaoisao delagiaU-
oaci* Beo.Luiz Felipp'e.
(Contimnr-st-hn.)
9EV1STI OURIA^
Na ordem d expediente da assemblea provin-
cial, os sesso do sabbado, aendo apreteutado
um projecto, qne mandara relevar ao Sr. Frao-
1 ? LV,,,eMrti de Albuquerque do debito a que
ostejs obrigsdo pira com a -fazaoda provincia I.
como arrematante, nao o mesmo jvigado ma-
teria de deliberado.
. Eniraodo em seguida na primeira parte da or-
dem do da, cootinuou-se na ultima discusso
da meada offereclda peloSr. Sonza Res so pro-
l,e*0 5, que approva a aposentadoria do Dr.
Jlo Jos Pinto ; e tomam pars na discusso em
tmpagoaco os Srs. Buarque, Lceos e Witruvio,
e em defeza oa Srs. Souza Res a Baro de Muri-
beca,
0 Sr. Luceni reqoer urgencia para a discus-
so, e sendo ella approvada, ora em contrario e
mesmo *r. bato de Moribecs.e jnlgsda a materia
por discutid, regeitsds a emenda, e approvado
o projecto integralmente.
1 aaaindoa segunda parte da ordem do da con-
tioaou a discusso do srtigo tt a seus ; e sen-
do retirada a emenda de Sr. Buarque, votado
0 artigo conforme o projecto. Segu-ae o artigo
i*, ao qual vo mess varias emendas, auaten-
aoao com a palavra o Sr. Buarqae om sobsti-
tutira, qoe onVrecera ao mesmo, senlo adiada
snsl a discusso pela hora.
A ordem do dta de boje, alm daa materias j
dadas, comprehende a 1" diecasso du proiecto
o. 29 e a 2 sita da de n. 17.
"T''orn>am-ooa que a segunda bomba da estra-
da do Csxaag achi-se em estado de dsaibar pela
gran do exea vajo que soffreu o leito da estrada
sobre mesma bomba.
Afim do prevenir maiores desperas sos cofres
coa o levantamanto completo de ootrs bombs,
bom ser que se facara os reparos desde j.
O conservatorio dramtico da Bahis, sob
proposta do seu presidente, acaba de approvar
para son correspondente nesta previacia ao hr.
Dr. Joao Baria de Monea Navarro.
. "TV*"1 C8r' da fregoexia de Sinto Antonio
da liba de S. Miguel diz o seguate :
aseora di tarde quando esteva par sabir a
procissao do enterro do Senhor, por occasio daa
eaduengas, leTe lugar um sbalo de Ierra nao mui-
lo pequeo, com o que algumss peasoas se assus-
tsram : o povo que stava oesta Igreja foi pru-
deote em socegar, diado occasio a que o acto
cootmuasse e se coacluisse. Nao acontece ou-
tro Hoto os matriz da ridade, que depois do aba-
lo oao cootinueu a funtc^o.
~" YJ trabilhos legislativos da sssembla pro-
vincial foram prorogados at 9 do correte mez.
O governo imperial conceden o seu eze-
quatur oomeacta do Sr. Dr. Pedro Jos Nuoes
pira agente consular de Portugal na cidade
do Rio turra oso.
Foi oomeado juiz de direilo da comarca do
Pnoctpe Imperial o Dr. Grvaaio C'mpello Pires
Ferreira.
O Sr. Joaquim Jos do Nascimento ach se
oomeado tabellio e escrivo de orphos da co-
msres de Flores.
Para partidor e contador da Barreiros foi
oomeado o Sr. Ignacio Tbomaz de Freitss.
Ao Sr. Dr. Cirios de Cerqueira Pioto foi
designada a comarca de Garaohuoe para servir
de juiz de direilo.
Rkpartico oa polica. [Extracto da psrtes
do dia 31 de maio.)
Foram recolbido essa de detencSo no dis
31 do correte :
A' ordem do Um. Sr. Dr. chefe de polica.
Joo Josino de Mesquits Ramos, pardo, de 20
onos de idade, boleeiro, por briga.
A' ordem do Dr. delegado do V dislricto,
Be oto Jos da Silva, crioulo, de 28 annos, car-
pina, pira averiguacea em crime de roubo.
A' ordem do subdelegado de Santo Antonio,
Manoel Flix, ou Haooel Xaer Cavalcanti, par-
-da, de.30 aono, eaooelro, por desor lem.
A O chele da 2" aeeco:
\ J. v. ae tresquila.
Passageiros do vapor fraocez Guienne, vio-
do do RL7 da Jaoeiro Babia : B. Ruckelshau-
en, Joao Francisco da Silva Novaes, F. Augusto
Ricardo, Dusrte Gsimaraes e 279 para os porlos
da Europa.
Passsgeiros do vapor nacional Oyapock,
viodo dos portos do norte: Dr. Luciaoo de Ho-
rnea Sarment, sua senhora e 1 escravo, Dr.
OiympioMeira e 1 escravo, Rlymuodo Torqua-
to de Oiiveira Gomes, Josean Human, Francisco
Marques Rodrigis e 2 fllhos, Autonio de Mi-
galhes Basto, Gabriel de Araujo Silva, sua ae-
nhora e 1 fillii. Manoel Joaquim Luz, L. G.
Fnncs, Jutlo Floreado di Costa, Manoel Jos
Ferreira do Nascimento, Manoel Jos Simas,
Mtooella do Nascimento Jess el Qlho, Guilher-
mnia Hara Neves, Miguel Garcez Alves Lima e
1 fllha Joao F.freir Passo Silva. Joo An-
touio Colaco Dias, Joaquim Jos Medeira Correa,
Antonio Fraacisco de Piola Rosario, Pedro Lopes
de Mendonga. Jos Joaquim de Barros, Jos V-
ceotedos Santos Leal, Jos Pedro Baptisla Car-
oeiro, Jos Virgioo Gomes e sua seohors, Au-
gusto Gomes da Silva, Manoel Uedeiro, Joa-
quina da Silva Coelho e 2 escravos a entregar.
Seguem para o sul; Dr. Joo Caetauo Lis-
bos e 1 criado, Jos da Silva Pires, Manoel Jo-
s tmanles, D. Mara Joaquina Cstaohede, D.
Bernardina Catanhede, Jos Fiorindo Torres de
Albuquerque, 9 pragas de prst e 30 escravos
eotregar.
Paassgeiro do brigue nacional Alfredo, rin-
do da Babia: Francisco Sobral Montes.
Passageiros do vapor fraocez Guienne, sa-
ludo para Bordeaux e portos intermedios: Joo
Pedro Vogeley. Thomsz Teixeirs Bastos, Bartho-
lomeu Fraocisco de Souzi, Carlos Eugelhird,
Heorique de Oiiveira Soare, Samuel Nathin,
Paulo Florentino B*rthoto, Josaah Ilumino,
Francisco Mirques Rodrigues e 2 fllhos meno-
res, Antonio Barbosa de Barros, D. Claudios Se-
nboriohs de Carvalho, Raymundo Bernardo Las-
serr, saa senhora e 1 fllha menor, Mac Hom-
burger.
Obituario do da 31 de maio, no cemite-
rio publico :
Weocealo da Costa Barros, Peroambuco, 12 au-
oos, Santo Antonio, queimadura.
Filippe, frica, 49 anuos, solleiro, escravo, Boa-
Vista, phtysica pulmonar.
Mara, Peroambuco, 18 rrmes, S. Jas, be-
xigis.
J0S0, Pernambuco. 50 anno, aoltelro, escravo,
Boa-Vists, cholera.
Mara, Peroambuco, 4 anaos, Boa-Visls, bexigas.
Paulo, Peroambuco, 39 dias, escravo, Boa-Vis-
ls, coovulses.
Jeronymo Merques de Souza, Pernambuco, 58
annos, casado, S. Jos, cholera.
Theoteoio Jos de Albuquerque, Pernambuco,
70 uoa, viuvo, Boa-Viaja, gaalro ente-
rite.
CHRONICAJUDICIARIA.
. TriboBal do commerek).
SESSAO ADMINISTRATIVA EM 30 DE MAIO
DE 1862.
rRES1DENCI DO KXX. Sil. DE3KBARGADO
, F. A. DK SOUZA.
A a 10 horas ds manha, reunidos 01 Sr.
pulidos Lemos e Bastos, o Sr. presideote de-
clarou aberta sesso para mero expediente, e
aesigoou o depulado Lemos para aervir de secre-
tario.
DESPACHOS.
Um requerimento de Francjaco Googalvee Net-
to, Isidoro Baatos de Oiiveira e Samuel Halliday,
psdiodo o registro da declaraco que sjuatam em
additamento ao seu contrato de 22 de abril de
1858.Sejs ouvido oSr. dosembargador fiscal.
Outro de Antonio Pereira da Cuaba, por sen
procurador, pedindo o registro da sua nomaacao
de caixeiro de Heory Gibaoo.-Registra-aa.
Outro de Mello Lobo & Compaohia, pediodo o
registro ds escriplwa de bTpothaoa que apresen-
lam. Regiatre-aa.
1 Osaaro a> Bernacilloo Duprat, pedindo o rsgis-
ire da proaura^ao que aaroaaats.Hegiatre-sa.
aro *** Jaco-me Tieso, sittsfazaado o des-
pacho de 27 da marco ultimo, pedate o registro
da stacuiaeio da oampaoaia do sagurea martti-
moa Nova Permmenso.Vula a Sr. daaotnbsc-
gdor QsceL
Ostro de Joo Carias Basto d Ollaoira, po-
diodo o reahsfro do papal de arrandanrento lon-
toRegistre a.
Outro de Lindelino Ulyssas Ferrelrs ds Rocha,
aixeiro de C. J. Astley 0r Companhi, pedindo o
reatstro ds saa oomeseo.Registre-se.
Wro de Jas sYada Pestaa, presentando o
tormo de fiases que prastoa pelo excesso da que
fotarbitrads sos sgentea de letlao.Vista ao Sr
desembargador fiscal.
Outro de Ackwsiht 4 Companhia, pedindo por
ettido se a ua firma ae aeba matriculada nea-
N tribunal.DI se-lhes.
Oulro dos mesmos, peJindo por cartidio ae se
aeba registrado neste tribuosl a nomesco de seu
caixeiro Joo Pereira da Cuaba. Como reque-
rem.
Por nlo hsver mal nada que tratar, o Sr. pre-
MdJente encerrou s sesso urna hora da tarde.
Tribuual da Relaeiio.
SESSAO EM 31 DE MAlO*DE1862.
PRlSiDEHCIA DOEM.'SR. COSSEtHElRO ERHELIRO
* DE LEiO.
A 10horas da msnha, presente os senhores
deeembargadores Cetauo Santiago, Gitirsns,
Lourenco Santisgo, Motta, Peretti, e osjaizes de
direito Doria, Alencsr Aratipe e Neiva, faltando
os Srs. desembargsdores Silveira, ehfta C'val-
caoti eGuerra, procurador da corfts, abrio-e a
aessao.
Nao bou vera m distribuiedes.
Psssados os feitos, e entregues os distribuidos
deram-se oa seguales
JUIiGAMEKTC-9.
Aggravsnte, Elena Mari do Carmo : argrs-
vado, o juizo.
Relator o Sr. desembargador Caetano Santiago.
Sorteados os Ss. desembargadorea Peretti,
Motta.
Deu-sa provimento ao aggravo.
DILIQEHCIAS C1VE1S.
Com vista ao Sr. desembargador procurador
da corda e promotor de capellas
Appellacaocivel.
Appellaote, Jos Francisco da Costa Lima ;
sppellado, o promotor de capellas.
Com vista ao Dr. curador geral
Appellagoes cioeis.
Appellaote, Mara Josepha Leite ; appellsds,
a parda Benedicta.
Appellaote, Mathias da Costa Barros ; appel-
lade, Jos Antonio Pacheco.
DES1GNAQA0 DE DIA.
Assigoou-se dia para julgameoto dss se-
guiotes
Appellacoes crimes.
Appellaote, o juizo ; appellado, Manoel Fran-
cisco de Hollaods Ci'atcinti.
Appellaote, o promotor ; appellsda, Aona
Cavalcanti de Albuquerque.
Appellaote, o juizo; appellado, Joo Ro-
berto de Santa Anna.
Appellaote, Francisco da Coala Soares ; sppel-
lads, a jualiga.
Appellaote. o juiao ; sppellado, Mmoel Perei-
ra da Silva Castro.
Appellaote. o juizo ; appellado, Rufino Jos
Pacheco de Medeiros.
Ao meio-dia encerrou se a sesso.
Marqusa Wo
Braodis.
DO
6(6
Cmara municipal do Recife.
Mataiouro publico da cidade do Recife.
Matsram-se para consumo dests cidsde .
mez de msio do correte snoo 2,680 rezes, cons-
tantes ds relaro infra.
Viuva Adelo & Compaohia........
Venceslao Machado Freir Pereira da
Silva...............................
Joo Chrisoatomo de Albuquerque.
Virginio Horacio de Freilas ........
Manoal de Souza Tavares.............
Manoel Paula de Albuquerque......
Bellarmioo Alves de Arocha......
Francisco Candido da Paz............
Jos Francisco de Souza Lima......
Maxi-niaao & Lucas de Mello......
Joaquim Jaclntho....................
Ernaito Celetlioo de Uundonca......
Feliciano Joaquim da Costa ........
Miguel Al-*. !_;....................
Jos Joaquim Ferreira...............
Herdeiroi de Luiz Aotooio de Barros
Pedro de Athayde....................
Luiz de Fraoc Soares................
Joaquim da Costa Ramos............
Antonio Francisco Ferreira..........
Pedro Francisco da Costa.............
232
203
192
165
159
156
156
152
121
109
7
72
ej
55
36
30
29
13
11
1
lustras ; a A. C.
sol de seda, ca-
ca e
a Jai o
*r
2,680
Cmara municipal do Recife, 31 de maio de
1862.
O procurador,
Jorge Victor Ferreira Lopes.
PubCdes a petado.
A. directora da Companhia do Bebe
ribe que tem de unecionar no anno
Snanoeiro da Companhia, que do
de maio de 1862 a 30 de abril de 1863,
(icou composta da maneira seguinte :
Director.
Ocommendador Jos Pereira
Vianna com.....195 votos
. Vice director.
Jos Joao de Amorim com 145
Secretario.
Justino Pereira de Faras com 196
Caixa.
O commendador Manoel
Goncalves da Silva com 139
Adjuntos
Jos Brando da Rocha com 203
Bernardino Jos B Monteiro
com. .... 201
Padre Antonio'-da Gunha e
Figueiredocom. .193
Antonio de Souza Moretra
com. .....139 5
Jos Joaquim da Silva com 129
CommissSo de exame de contas.
Commendador Bento Jos F.
Barros com.....205
Commendador Joao Goncal-
ves da Silva.....189
Luiz Antonio Vieira com, 125
ClMMKaxflQa
Praca do Recife 31 de
maio de 1862.
\s qiiatro horas da tarde.
Colacoes ta junta de cairelares.
Cambio.
Nao hooreram cotages.
J. da Cruz Hace Jopresidente.
Jobo Gatiasecretario.
randegra.
Raodlmeato de da 1 a 30. .
Mam do di. 31 ....
480.401*191
i 9.307J578
489 908*769
Movleaaeuto da alfandesrai.
Vela mas entrados coas laxacdas.. 122
> ora canaroa.. 21
ImportsM^o.
Vapor iojile Paran, procedeole de Soaiaanap-
ton, manifestou o seguinte :
1 caita rap ; ao agente ds conoaM
16 ditas dito ; s Thomaz de Aaaioo PBsaaca.
1 embrulho amostras e 200 barda manteiaa ; a
Mills l.itha ni C
25 ditos dila, 6 cairas fazendaa de Isjtrdo, f
dits coral, 1 volume telesc
amostras; a Johoetoo Paler
100 caass batatas ; a A. L?
do & C.
56" ditas dita ; a Francisco Si
& Pitho.
15 ditas doces, 1 dila peixe ; a
CE l..
10 drtaa queijos ; s Brander
2 ditas ditos; M. Joi Goncel'es da Fanta
25 ditas ditos, 1 caixa hvros, t pubUceede >
Tasao Irruios. *,
2 caixss queijos, 4 ditas faieodas de alRoaaa
1 embrulho amostras ; a Soothall Mellors& C, *
71 cams cha, t dita escoras. 1 dita nairajaua
particulares, 2 err,brulhos amoitrs ; a Haarrr
Gibsao. ^^
1 caixa cha ; a Feotn.
1 dita dito. 1 dita maoteiga ; a F rao sisea Go-
mes de Oiiveira Sobrinbo.
1 cexto bichea; a Manoel
Silra & Georo.
22 caixas (aieodas de algodao. 1' q
1 embrulho amotri ; a Ser Filhorr
4 caixas fazeodas de alirodao, 1 Mbfalholii
1 rolurce amoitras ; a James Crsbtra'A C.
1 caixa sedas, 1 dita miudezas, 1 dita periuasa
ru, 1 dita instrumentos (urantes : a L. Aataai
da Siqueira.
1 caixa joiaa, 1 dita um relogio, 1 embruja
amostras ; s Raba Schmettsu.r
1 caixa (azeodas de algodao ;
& C.
1 dita sedas, 1 dita calcado. 1 nWnlhn ana
tras ; a E A. Busle & C
1 rolume relogio e espingarda, etc.; a Araaa-
g o C. .
1 caixa fazendaa ; a Bastos & Lemos.
1 dita objectos de toilele ; a Mr. Aleics.
1 dita chapas de cobre; e T. H. Calla.
1 olume lirros ; a J. F. Forde.
1 bahu roups ; a F. A. de Pinho.
1 Cxi fazeodis de la, 1 rolume amostras ; a
Schipheillim & C
2 ditas roupa e modas ; a Vez t Leal.
1 dila objectos de 'escupinos ; a G. S. Huoi.
1 dita msicas a roupas theatraea; a G. Man-
oangeli.
1 encapado lirros ; a A. M. C. Soares.
.2 caixas ditos; a J. A dos Saotos Lessa.
1 rolume jornaes ; C. L. Cambroooe.
1 embrulho coohecimenlos. 2 ditos amostras
a C. J. Aslley & C. ^^'
i dito papis; a F. Dragn.
1 caixa modas ; a L. de M. G. Ferreira.
1 dita imagens; a V. J. Momeiro.
1 embrulho lirros ; a Jos Antonio de Araujo.
1 caisa roupa ; i Linden Wild & C
32 birria unto par os wagoos da estrada de
ferro ; a Wariog Brothers.
1 caixa agulhas, 1 dila bilhetes; a J. A. M.
Dias & C.
2 ditas calcado, 1 embrulho amostr
de Abreu.
5 caixas e 1 olume chapeos de so
misas, fazendas de algodao, vestidos de
diversos objectos, 3 volumes amoitras :
Keller & C.
2 fardos pannos de la ; a ordem.
1 caixa fszendas ; a Ferreira & Araujo.
4 ditas folhas de cobre. 1 dita obras de (erro ;
a S. P. Jhnsloo & C.
1 embrulho deseuhos, 2 voiumes amostra i a
AdmsooH. &C.
1 caixa bordados ; a Domingos AWes Matheur,
1 rolume amostras ; a Chrisuam IrmSos.
1 embrulho amostras; a Patoo Nash & C.
1 dito ditas; a Wild & Just.
1 volume ditas ; a P. Souvage & C.
1 dito ditas; Feidel Piolo & C.
1 embrulho dilaa ; a &o>t-oa Rouker & C.
1 dito dilas ; i P. F. Needham.
1 dito ditas ; a Aikwcight dt C.
i Hiln <1ita.l : a ti- Cuimar* T *
1 caixa ditos ; a B. C. de Olrveira.
1 dita dilas ; a N. O Bieber & C.
1 embrulho ditaa ; a C. W. K. Chapmao.
1 embrulho amostras ; aR Lightbauraet
t dito ditas; a Daramayer & Carneiro..
Palhabole oaciooal Principe, procedente
Bio Grande do Sul, consignado a Manuel N
da Sila, manifestou o seguate :
12,326 arrobas de carne secca da charque, MW
ditas de sebo em rama, 700 ditos d graxa em be-
xigas, 60 couros vsccuqs seceos avariadoa; a
ordem.
Vapor nacional Oyapock, procedeole dos por-
tos do Norte, msnifesiuu o seguiote:
380 saceos arros doMsraohao ; a Almeida Go-
mes AUes & C. e ouiros.
2 firdos ; a Amorim lrmos & O.
53 rollos salsa ; a S. T. Bastos & [rmos.
1 encapado ; ao Dr. Sabino Olegario Ludgero
Piuho.
1 caixo ; a S. Meller & C.
I encapado ; a J. V. da C. Bastos.
1 dito ; a Almeida G. A. & C
Hiate oaciooal Camaragibt, viodo de Penedo,
cooeigoaoo a L. Burgas de Cyqueira, manifestou
o seguiote :
TOO lata
Araujo.
134 saceos arros pilado, 229
maodioca, 22 ditos milbo, 30
casca, t barris oleo de linfaice
versos.
Expnrtai.ro
Do da 31 de maio.
Barca ingleza Netherton, para Liverpool, carra"
garam :
Phipps Brothers & C, 2 saceos com 8 erraba
de algodSo.
Polaca frincczi Tambel, para Harseille. casca.
giram :
E. A. Bsrle & C, 600 saceos com 3,000 arro-
do asiucar.
Patacho portuguez Mara da Gloria, para Lia*
boa, carregaram
F. S. Rabello & Filhos, 180 saceos coas 900
arrobas de assucar.
Patacho portuguez Luzitano, para o Bio da
Prata, carregaram :
Barquea Barroa & C, 90 barricaa com 640 ar-
robas e 14 libras de asucer.
cebe.iorla de rendas tnt
fwaea de Per mean buco
Rrndimento do lia 1 a 30 27:803f2W
td.m do da 31......2:468i65t
30:271W
RENDIMENTO DA RECEBEDORIA DEPRENDAS
INTERNAS GERAES DE PEnNAMBGO DO
VEZ DE MAIO, A SABSB :
Foros de terrenos do marinha ..
Laudemios.......................
Siz dos bens de raiz.............
! Decima addicional das corpora-
coes de mao morta.............
! Direitos novos e velhos e de
I chancellara...............,
Ditos de patentes dos officiaes da
guarda nacional................
Diurna de chancellara...........
Mulla por infraeces do regula-
mento........................
Sel lo do papel fixo................
Ditodo proporcional.............
Premio de depsitos pblicos....
Emolumentos.................
Imposto de Corretores.....i......
Imposto sobre tojas e casas de
descont:;.....,......
Dito sobre casas de movis, rou-
pas, ele. fabricados em paiz es-
traogeiro............
Tasa de escravos.........
Cobranza da divida activa .
Indeaanisares...........
do
oleo de ricino; a Jos Augusto de
ditos farioha da
ditos arroz ceas
a ordem de di-
131
7:944120
TTfWO
1:267*632
_s= 143
Velaoiss. neldos com (asaadaa.. 62
> com i oaa roa.. 450
s#er 512
Daaaarrca>m ao dia 2 da janbo.
Brigue italieaoCraslefioa-Hial
Burea iaglasaQaaen of Ihe flaut faiaorJaa.
Bria.ua haoi>uigaai-oliaa-carrao.
Brigaa iafleaSeao-iaem.
P.itaeho iuglezliarrlelbicalho.
608tt
sabfam
4.65lv
47tSM
MsjH
1:58C|30D>
30:271 IBiaV
un a>
Recebedoria de Pernambuco 31 de
Mast.
O escrirJo.
Manoel Antonio Simoes doAnarttl.
Cu-aalado r or atetar
lento do dta 1 a 30. ...
da da 31......t


LaHat-dC



-------




=
do as-
DireitosdeOO rs. por
sacar esuwudo :,,"
Dito de Ora. per cenada d agur-
dente, eU.M--..............
Silo de 7 01o do mrt ......
Dito de 8 por cento de couroi
ecos, verdes e espichados.....
Dito 1 |lgodoo expor-
ldem idea > 5 ide'm 'dos mais
enero exportados. .
CptexB!390 rs. por sacca de
aigodao exportado .......
30} sobro escraos despachados .
Decima dos predios urbanos .
98} vs. por meia siza de es-
cravos...-..>.......
Sello de herancas e legados. .
10 por cento de novos e velhos di-
reitos dos empregados provin-
*iaes. ...... ......
Imolumentos de polica.....
OOl do consumo d'aKuardente .
Dito de 2 0)0 sobre os premio*
maiorea das loteras............
linenlo de 4 por cento sobre di-
"tbeleci melos tu
CONS JI.ADO PRO..dem terrado
DE MAIO DE 1862. iCaibros .
I Cal. .
I dem branca
a 390

23:2tt|035
1:7OO|K30
09#454
2:8505099
2r74l9983
4711881
880000
1:1108000
6:356*705
2:5438000
5128380
l 0|0 ti IroDi
Honsultorios mdicos
riptorlos.............
Imputo de 12 por cento sobro
diversos 'estabelecimeotos .
Imposto 50} rs sobre casas de
crspeos, perfumaras e roupa
feiu, modas e bilhar............
Imposto sobre carros, mnibus,
Carroca e vahiculos........
MaloOkv sobwB producto de ca-
da leilo........................
Dito dadLanm cento.............
Foros dodifraa activa.............
tuices e reposices.....
altas por infracedes ......
esa
de 1862.
do consulado provincial 31 de maio
O 3a esjripturario,
Antonio Rodrigues de Albuquerque.

Aigodao
Assucar -
Agurdente -
Couros-------------
Arroz
Batatas
Bolaxinha
Caf---------------
Cha-.....-
Carne aecca- -

PRAQA DO RECIFE
31 DE'MAIO aiK SOS
A'S 3 HORAS DA TAUDE.
Revista Semau; I.
Cambios Os saques da semana pan o
vapor Iraocez regulou de 25
3|4, 25 7i8, e 26 0. por 1000
rs. sobre Londres, le 370 a
372 rs. pr f. icbre Pars, 695
rs. por M. B.. sobre Hambur-
go, e de 107 a 108 por cento
de premio sotre LUbos, ele-
vando-te a SS 130.000 as Irao-
aaccoes.
._____O desta provinein vendeu-se de
11*000 a 12J0C0 r. por arroba
nos priroeiroa dtas da semana,
e de 10} a 11 ? rs., depois da
ebegada do va)orda Europa.
O branco vecceu-se de 3J0O0
a 4(200 rs. por arroba., o some-
nos de 28700 s 2;t800 rs .masca-
vado purgado do 2}250 a 29500
rs., e bruto de 1J880 a 2^100
res por arroba
Vendeu-se de 5:2} a 55$000 rf.
a pipa.
Os seceos sanalos veoderam-
se de 190 20) rs. a libra.
...___Opilado da lona vendeu-se de
39O00 a 39500 rs. e do Mara-
nbo a 35300 is. por arroba.
Aieite doce* A ultima eoda do de Lisboa
foi a 3C0O poi galio.
Bacalho--------Relaihou-ee de 10000 a 12}
rs. a barrica, Meando em de-
.... Venderam-se ce 3} a 3(320 rs.
por arroba.
Vendeu-se a :i;j500 a bsrriqui-
nha.
Vendeu-se de 89 a 8}500 rs.
por arroba.
Vendeu-se de 2j250 a 2}450 ra.
por libra.
A do Rio Grande vendeu-se de
1700 a 29400 is. por arrobe
e a do Rio da Prata de 19200
a 11800 rs., fiando em ser
- 94,300 arroban da primeira, e
i* 50,500 da secunda.
Ceivao de peda Veodeu-se a H90OO a tone-
. lsda.
Cerveja >- Vendeu-se de 41.000 a 6J0O0 rs.
a duzia de garrafas.
Farinha de trigo-Retlbou-se lie 16$ a 25$ rs.
por barrica ce Philadelphia,
18}a25SdeNw-York, de 18}
a20}rs. de llaltimore, de 219
a 25$ a d" Genova, de 20}
a 22| rs. a fianceza, e de 269
a .289 rs. a de Trieste ; Oca nao
em ser : 7.00C barricas da pri-
meira, 4.000 ila segunda, 700
da terceira, 8>0 da quarta, 600
da quinta e 3,(00 da ultima.
Genebra- Vendeu-se a nOO ra. a botija, e
a 55500 a frasqueira.
- A iogleza -endeu se de 285 a
295 ra. por ceulo de premio so-
bre a factura. \
Afranceza vendeu-se de 580 a
600 rs. a librt, e a iogleza de
900a 930. fleandoem ser certa
de 2,000 barris.
.-------Venderam-se a 59000 rs. a
caixa.
Oleo de. liobaca-Veudeu-te a 1J800 rs. por ga-
lio.
Vendeu-se de 69 a 8g000 rs. a
caixa.
OftlameoRos venderam-ae de
19800 a 292OII ra-
Odepinho veileu-se a25}000
ra. a duzia. |
O de Lisboa veudeu-se de 7J500.
a 89000 rs. p>i: arroba.
O de Portugal, vendeu-se de
1109 a 120} m. a pipa.
O de Lsdo vendeu-se de
240} a 2609 is. a pipa, e o
de ouiroa paizea a 220}000 a
dita,
As de componico venderam-
ae de 660 a 080 rs. a libra.
O rebate de lultras regulou de
10 a 18 por cento ao anoo, dea-
contando a c< ira filial cerca de
300 cootoa de rea a dez por
cento ao aono.
Para Liverpool a 27 6 pelo
lastro, e 5\8 por libra de algo-
dn : nominal o do Canal a
40.
Carne secca charque. .
Carrito vegetal......
Cera de carnauba em eruto. .
dem dem em velas, .
Charutos. ......
Cocos seceos. ......
Couros de boi salgados .
dem seceos espichados. .
dem verdes ......
dem de cabra cortidoa .
dem de onca......
Docea seceos ......
dem em geleia ou masaa .
dem em calda......
Espanadorea grandes. .
dem pequeos.....
IEsteiras para forro ou estiva de
navio......;
Estoupa nacional s
Farinha de mandioca. .
45*ROOO Idem deararuU.....
9 I Feijao de qualquer qualidade.
Frechaes........
Fumo em folha bom. .
dem ordinario ou reatolho.
dem em rolo bom .
dem ordinaro restolho .
Gomma ........
Ipecacuanha (raz) .
Lenha em achas.....
Toros........
Lenhas e esteios. .
Mel ou melaco......
Milho........
Pao brasil ......
Pedras de amolar .
dem de filtrar ....
dem rebolo......
Piassava.......
Puntas ou chifres
novlhoa.....
Pranchoes de amarello
dous custadoe. .
dem louro.....
Sabo.......
Salsa parrilha ....
Sebo em rama. .
Sola ou vaqueta .
Taboas de amarello) .
dem dirersaa ....
Tapioca......
Travs.......
Uohas de boi. .....
Vinagre
2569000
3889400
2379600
2:8928240
I
0OO9OOO
15CO00
2724004
69000
1}943
217954o
1849232
48:3949258
fibra
um
arroba


libra

cento
libra
>
um
libra



cento
arroba
lqueire
arroba

um

>
>
arroba
>
cento

um
caada
arroba,
quintal
urna


molbos
360
160
3M
4|000
IfOOO
260
360
J}500
4|000
195
aso
120
300
llfOOO
19200
600
600
41000
28000
209000
presente e
de Per-
295OO
268000
28000
119000
58000
200
185O0
59OOO
840
480O0
18200
120
de vaccaa e

de
cento 39OOO
urna

libra
arroba
>
urna
duzias

arroba
urna
cento
caada
169000
88000
ICO
25;
10495' K)
709OO0
4}000
890OO
200
-280
Alfaodega de Pernambuco 31 de maio de 1862.
Approvo.(Assignado.) Barros.
O primeiro conferenle, Antonio Carlos de Pi-
nho Borges.
O segundo cooferente, Joaquim Aurelio Wan-
derley.
Conforme. O 4. escrplurario, Joaquina Al-
bino de Gusmo.
Movimeiito do pono.
Navioi entrados no dia 31.
Rio de Janeiro e Bhn 6 dias, vapor francez
Guienne, de 1167 toneladas, commandante
Eooutb, equipagem 116.
Portns do norteVapor nacional Oyapock, de
1,170 toneladas, commandante o primeiro te-
nenie Ponte Ribeiro.
Rio-Grande do Sul25 dias, palbabole nacional
Principe, de 216 toneladas, capito Barnardi-
no Rodriguea Pinto, equipsgem 9, carga 12,326
arrobas de carne, a Rodrigues Nanea.
Babia7 dias, brlgus nacional Alfredo, de 216
toneladas, capitao Igoacio GuucaWei Lima,
equipagem 10, carga farinha de mandioca, fu-
mo e outros gneros; a Marque Barros & C.
- Navios tahidos no meimo dia.
Bordeaux e portos intermediosVapor francs
G'uienne. commandante Enoui.
E para esestar ao meada afflxar o
publicar pelo Diario.
Secretaria da ibesoararia provincial
nambuco, 28 de malo de 1862.
O secralario,
Aelenio Fsrreira d'Aonunciacio.
O Dr. Tristio de Alencar Araripe, offlcial da im-
perial ordem da Roa, o juiz de direito espe-
cial do commerclo dests cidade do Recite ca-
capltal deata provincia de Pernambuco e aeu
termo, por Sua Ma gestada e Coastitueioosi e
Seober D. Podro. II, a quem Deus guarde etc.
Face saber eos que a presento carta de edito
'irem o delta noticia titerero, que por parte oe
Jos Antouio Alves de Briio me foi falta por es-
cripia a peticao do theor, de verbo adverbum, da
forma modo o maneira leguinte '.
IIIm. Sr. Dr. juiz do direile especial do cora-
mercio.Diz Jo Antonio Alves de Brillo, por
seu bastante procurador, qae aeodo-lhe Joaquim
Salvador Pessoa da Siquaira Cavalcaoti, Joao da
Silva Pessoa de Siqueira a Antonio Jorge Guerra,
davedorea da quantia de 1:6009000, alm dos res-
pectivos joros decorridos, toso proveniente da
letra junta i vencida o convenientemente pro-
testada, por ellea accd, o porque s judicial-
mente poderi oaupplicaolo baver do s suppilca-
doa o aeu effeclivo embolio, para isto vem re-
querer a V. S se digno esanda-los citar para na
primeira andiencia deato juizo verem asaignar-ae
os des diaa da le i referida letra, afim de lindos
ellea, e nio allegando o supplicados defeza rele-
vante.serem condemnados ao pagamento ee prin-
cipal, juros estipulado o costas, Meando tambera
logo igualmente citados para os termos ulteriores
da causa, al final sentenes e sua execuco, tedo
sob peua de revelia. Entretanto como para a
cilacio do devedor Aolonio Jorga Guerra ae faz
oeceasario orla da edito, isto estar ella ausen-
te, aem saber ae do lugar de aua residencia, re-
quer porisso o supplicsnle a V. S. se digne man-
da-la pasear com o prazo da le, perraittindo a
necessaria e previa jusii&ca(ao,digoaodo-aetam*
ben mandar paasar carta precatoria as joslicas
da comarca do Cabo para a citaco do devedor
Joao da Silva Peaaoa de Siqueira, visto ser elle
i morador.
Aisim pois, pede a V. S. defenmeoto.E. R.
M.O advogado Vieira do Amoro.
E maia ae nao conlioha o nem algama outra
cousa ao declaraa am lal pelicao aqui mui bem
o fielmente copiada e transcripta, a qual sendo-
me apresentada nella del o despacho do tbeor,
forma, modo e maneira aeguiote :
Citem-se expedida a csrla precatoria e marcado
o dia 12 do correte mez para a juslificacao. de-
pois da audiencia. Recite 8 de maio de 1862.
Alencar Araripe.
E maia se nao continua e nem alguma outra
cousa mais se declarara e mostrava em o men-
cionado despacho dado na referida pelicao, de-
pois do que se Ozera a destributeio do tbeor,
forma, modo e maneira seguiote :
A Manoel Mria.Oliveira.
E mais se nao conlioha o nem alguma outra
couia mais se declarava e mostrava em tal des-
triboico aqui mui bem e fielmente copiada e
traoacripta. E teodo o supplicante prodazido
soas leclemunbaa que declararam que o suppli-
cado se ach'va em lugar incerto e nao sabido, o
referido eacrivao Maooel Maris Rodrigues do
Nascimento, fez sellar e preparar os proprios au-
tos e subiram a minha coocluso, e aendo com
effeiio por mim recebidos, nellaa dei, profer a
seolenca do tbeor, forma, modo e maneira ae-
guiote :
Hei por justificada a ausencia de Antonio Jor-
ga Guerra, queae provou achar-ae am lugar in-
Rdita.
Manteiga--------
Musas-
Panas -
Queijos----------
Taboado-----------
Toucinho- -
Vinagre-----------
Vinho ----------
?elaa--------------
Descont -
Fretetfr----------
O Illm. Sr. inspeclor da tbeaouraria pro-
vincial, em cumprimento da reoluco da jonta
da fazeoda, manda fazer publico que se contrata,
por lempo de tres mezes, a contar do 1 de ju-
lho prximo vindooro, o fornecimento da alimeo*
tacao o dieta para oa presos pobres da casa de
deteocio, a eaber:
Alimentacio.
Domiogo.Almo
Um pao de tres o o cas.
Urna onca de caf.
Dues on;as de aisucar.
Jantar.
Urna libra de carne verde.
Urna onca de toucioho.
Um dcimo do farinha.
Lenha e sal.
Segn la-feira.Almoco.
O mesmo que no domingo.
Jantar.
O mesmo que no domingo.
Terca -feira.Almoco.
O meamo que no domiogo.
Jantar.
O mesmo que no domingo.
Q ja rta-feira.Almoco.
O mesmo que no domiogo.
Jantar.
: Meia libra de carne secca.
I Urna onca de toucinho.
Meio dcimo de feijao.
i Um dcimo de farinha.
' Lenha e aal.
Quinia-feira"AlmoQO.
O mesmo que no domingo.
Jantar.
O mesmo que no domiogo.
Sexta -feira.AlmoQO.
O metmo que no domingo.
Jantar.
Meia libra de bacalbo.
Meio dcimo de feijao.
Um dcimo de farinha.
Doas oitavas de azeite.
Urna ooca de vinagra.
Lenha e sal.
Sabbado.Almoco.
O mesmo qae no domingo.
Jantar.
O mesmo que na sexla-feira.
Dietas para os doentas.
N. 1.
Almoco.
Um quarlo de gallinha para trea caldoa no
di
cerlo ; aasim mando, que seja citado por editos
de trinta dias para o a> requerido, E pague o
justificante aa cusas. Recife 24 de maio de 1862.
Tristio de Alencar Araripe-
E mais se nao conlinha e nem alguma outra
cousa mais se declarava e moatrava em lal sen-
tenca aqui mui bem e fielmente copiada e trans-
cripta dos indicados autos, e por fores do que o
referido esenrao fez paasar a presente carta da
edito com o prszo de trinta diaa, pelo qual cha-
mo, cito e hei por citado o referido supplicsdo
Aolonio Jorge Guerra, par que compreos oeste
juizo dentro do referido praao. flim de allega'
sua defeza acerca do expendido. Portan** toda-e
quolt|uoi pcMoa, patente, tnico ou )> ido *o
referido aupplicado, o poder fazer scieua de lu-
do quaoto fica dito. i.
E para que chegue ao coohecimeno de todos
mandei paasar editaes qua sero publicados pela
imprenss e afiliado nos lugares do costme:
Dado e passado nesla cidade do Recite, capi-
tal dests provincia de Peroamhuco, aoa 30 de
maio do anno do nascimento de Nosso Senbor
Jess Cbristo de 1862. 41 da Independencia edo
impetio do Brasil.Eu Manoel Haiia Rodrigues
do Nascimento, escri>ao, o subscrevi.
Tristo de Alencar Araripe.
A cmara municipal do Reeife principia a
segunda sesaao ordinaria dtsta aaoo no dia 2 de
junbo futuro.
Secretaria da cmara municipal do Recite 30
de maio do 1862. Francisco Cnuto da Boavia-
gem, official-maior aerviodo do aecratario.
Conselho admioistraUfo.
O oonselho administrativo, pata fornecimento
do arsenal de guerra, em cumprimento ao art.
22 do regulamento de 14 da dezembro de 1852,
faz publico que foram aceitas as propostas dos Srs.
abaixo 'declarados.
Para o hospital militar.
Heorique Peiegrino da Vera Cruz:
Noa medicamentos qua foram regiatrados pela
quanlia de 2:0159600, sob a condic.So de serem
entregues na botica do n\esmo hospital, no dia
7 de juuho prximo vindoaro, para serem exi-
midos oa forma do coslume.
Para o arsenal de guerra.
Joio Jos da Silva :
30 milbeiroa da pregos csixaes a 2}500 o mi-
Iheiro, oa quaea devem aer recolhidoa no dia 2
de junho prximo viodouro.
Sala daa aessdes do conselho administrativo
para fornecimento do araeoal de guerra, 30 de
maio de 1862.
Francisco Joaquim Perexra Lobo,
Coronel vogal aecretario interino.
Conselho administrativo.
O conselho administrativo, para fornecimento
do arsenal de guerra, tem de compraros objeclos
seguintes:
Para o corpo da guarnico da provincia do
Cear.
457 pares de colchetea pretos.
Para o araeoal de guerra.
500 caada de azaite de carrapato.
Para a pharmacia militar desla provincia.
Quem quizar vender taes objeclos- aprsente as
propostas em carta fchala, na secretaria do
conselho. is 10 horas ds manha do dia 6 de
junho prximo vindouro.
Sala daa aeasoes do conselho administrativo
para fornecimento do araeoal de guerra, 30 de
maio de 1862.
entonto Goma Lal,
Coronal presidente.
Francco Joaquim Pereira Lobo,
Coronel vogal secretario interino.
Conselho de compras navaes.
Tendo-se, sob as condlc5es do esiylo e appro-
vacio do Exm. Sr. presidente da provincia, de
contratar no dia 5 de junbo prximo, por trez
mezes lindos em setembro tambem prximo, o
fornecimento dos objeclos abaixo declarados, pa
ra os navios ds armada, e eslabelec memos de
msrioha ; bem como a lavagem de roupa destes
mesmos estabelecimeotos, convida o conselho
sos pretendenles a apresentiiem suas propostas
oesse dia at ia 11 horas da msnba.
Objectot, viveret, dietas e outro objectoe de
contumo.
Arrez do Maranhao, agurdente de 20 graos,
azeite doce de Lisboa, azeite inferior, aucar
branco groaso, aramia, aletria, assucar branco
refinado, bolaxioha, bacalhio, bolaxa, carne
secca, caf em grao, carne verde, carnauba em
vellaa, cangica ou milho pilado, cevadiaba,ch,
cal preta o branca, farinha de mandioca do paiz,
feijao. galliohes, manteiga franceza, maotelga
iogleza, mate, pao, pedra de alveoaria e de
cantara, brutas, sabo, toucinho de Lisboa, ta-
pioca, Ujollo de alvenaria grosss, vinho de Lis-
boa, vellaa atearioaa e vinagre de Lisboa.
Sala do conselho de compras navaes, em 30
de maio de 1862.
O secretsrlo,
Alexandre Rodrigues do Anjoa.
a frea ou para psssageiros, aos quaea offereee ex-
celleoUs commodos : trtate no eseriptoriode
Amorlm & Irmo, raa da Cruz n. 3, ou eom-o
capllio Jos Antonio de Oliveirs, oe prsce do
Commercio.
8
m?
COIPANHU PEKKaIBUGaIU
es -
Navegado costeira a vapoi
Parahiba, Rio Grande do Norte, M-
cau do Assu', Aracaty, Ceara' e
Acaracu'.
O vspor aJsguaribe, commandante Lobato,
sabfri para oa portoa do norte at o Aearac,
no dia 7 de junho as 5 horas da tarde.
Recebe carga al o dia 6 ao meio dia. Encom-
mendaa, passageiros e diuheiro a frete at o da
da sahida a 1 hora; aaeriptorio no Forte do
Mattos d. 1.
rVracalv,
Segu no dia 10 do mez correnle o hiato San-
la Cruza, recebe carga a frete e passagairoa : a
tratar com Caetaoo Cyrlaco da C. M. Irmao, no
lado do Corpo Santo n. 23.
Baha.
Hiate Santa Rita segu oestes dias ; para o
reato da carga trata-se com Caetano Cyriaco da
C tf. & Irmo, no lado do Corpo Santo n. 23.
Rio de Janeiro
Segu com toda a brevidade o patacho S. Ja-
neiroo, capito Joao Gaspsr de Oliveira, tem par-
e de aeaxarregameoto prompto: para o restante
trata se com o consignatario do mesmo Manoel
ti ves Guerra, ou com o capito.
Freta-s para o Rio da Prata um navio de
primeira classe, lotado am 1,500 ou 1.600 barri-
cas : quem o pretender, dirija-te a Bailar & Oli-
veira, ra da Cadeia do Recife n. 12.
Para Maranhao e Para,
O hiate Garibaldi, capito Custodio Jos Van-
na, tratar com Tasso 4 Irmos.
Para o Aracaty
o hiate naclooal Jaguaribe pretende seguir at
odia 8 de junho por ter parte da carga piompta ;
para o resto e passageiros, trata-aa na ra do
Crespo n. 14, ou com o mestre a bordo, defronte
do caes do Ramos.

meira qualidade, liso a lutado, as 11
dia cima mencioo8do*1fc seu eecnpm^^l
Trspicbe Novo n. 18.
LElL&r)
A do corrate.
O agente Oliveira far leilo de 5 catata cos-
iendo cada urna 12 duzias de couro da lastro a
de 30 pecas de borracha, ludo no aatada a qae
se acha, e por conts e risco de quem petteacor,
nao obstante ter s venda de ser feita a praxo ou
a dioheiro com descont ;
Quarta-feira 4
do crrante, ao meio dia em ponto, no escripto-
rio do referido agente, ra .da Cadeia n. 02, pri-
meiro andar. I%l
LE1LA0
A 3 de janho. *
O agente Oliuelra pora em leilo publico pele
segunda ves, por ordem a em preseoca do Illm
Sr. oonsul de Franca netta cidade, no respectivo
consulado e por con la o risco de quem prteseos
a barca franceza salarie Nicols, visto que os
coocorreolea ao primeiro nenhnm Unco oflere-
ceram sobre o preco estabelecido para eobrir os
gutos de reparoa comecados e outros feitios com
a mesma barca neale porto, cujo axame continua
a ser franqueado no lugar do aeu ancoradooro, s
em seguida os viverea anteriormente annoncis-
doa ; ludo de conformidade com aa maamascoa*
diccoes e clausulas anteriores, exposlas a novo,
ou antecipado exame, no escriptorio do dito
agente:
TerQa-feira 3
de janho ao meio dia em ponto, se mencionado
consulado de Franca, ra do Trapiche Novo n.
14, segundo andar.
LEILftO
BE
Quarta-feira 2 de juuho.
O agente Pinto far leilo a reqaerimento dos
curadores Aseses ds massa fallida de Jos Anto-
nio So a res de Azevedo, e por mandado do Illm.
Sr. Dr. juiz eapecial do commercio daa dividas
perteoceotea a meama massa, s 11 horaa do elef
cima mencionado em aeu escriptorio ra da Ca-
deia n. 9.
O CIRCO
GR4NDE 0CE41N0
D<* lauracd*.
o patacho portuguez Mari da Gloria capito
Antonio de Barros Vlente, a sahir com brevida-
de por ter a maior parte de seu carregamento
prompto, para carga e passageiros para os quaes
t-m excelleoles commodos trata-se com os con-
signatarios P. S. Rabello & Falbo, ra da Cadeia
n.55.
Para o Rio Grande do Sal segu com muita
brevidade o briguo escuna Gaanabara, recebe
carga a frete : para tratar, no escriptorio de A-
morim Irmos, rus da Cruz o. 3.
Para o Aracaty
segu com toda a brevidade o hiate Exalaco
para carga o passageiros, trata-se com Gurgel Ir:
misa, na ra da Cadeia do Recife n, 28, primei-
ro andar.
Rio de Janeiro
segu com multa brevidade o brigue nacional
Encantador por ler parte da carga engajada :
para oque Ihe falta, trata-se com os consignata-
rio Viuva, Amorim & Filho, na ra da Cruz nu-
mero 45.
A 2 de iunlio
O sgeote Oliveira far leilo a requisice dos
consignatarios J. Keller & C., por ordem e em
preseoca do Illm. Sr. cnsul da Blgica neata ci-
dade, e por conta e risco de quem parteocer de
JKaCTCn. 60, urna caixa coolendo 50 duzias
da lencos de linho, avadados a bordo do navio
francez Sphere, capito Ribas, na sua recente
viagem proeedanle do Havre para este porto :
Segunda feira 4
de junbo, a 11 horas da manha, no armazem
dos sobredi tos J. Ka lie r 4 C, ra da Cruz do
Recife.
------------_------------------------------------S.-----------'Si'
Aysos diyersos.
DE
Unidades. Valores.
do
ALFANDEGA DE PEFAMBUCO.
Pauta dos prego dos generot sujeitoe a direito
deexporlacio.Semana de'.i al do mez de;u-
ho de 1862.
Mercaduras.
Abano.....
Agurdente de cana. -
dem restilada ou do reino.
dem caxaca.....
dem genebra.....
dem alcool ou espirito
agurdente......
Algodao em caroco .
dem em rama ou eml. .
Arroz com cuca ....
lem descascado ou pilado.
uucar masca vado
dem branco.....
dem refinado.....
Aceite de amendoim ou mes
dobim.......
dem de coco .....
I de mamona ....
mesticias .
saria propria par
cento
caada

>
9

arroba

>
>
>
>
cenada
9
*
arroba
dem
o restolho

9


Lenha esal.
N. 2.
Almoco.
Um po de tres enras ns sftpa de caldo de gal-
linha.
Lenha e sal.
Jantar.
Um quarto de gallinha cozida.
Duas oogaa de arroz para canja.
Lenha, aal e vinagre.
N. 8.
Almoco.
O mesmo que na dieta n. 2.
Jantar.
O mesmo que na dista n. 2, e mais em qnarto
de gallinha aasada.
Um pao de trea oncas.
Lenbs e sal.
N 4.
Almoco.
Duas oitavas de cha da India.
Um pao de trea oncas.
Duaa oncas de sssucar.
Lenha.
Jantar.
Urna libra de carne verde.
Um dcimo de iarinha.
Lenha e sel.
N. 5.
Almoco.
O meamo da dieta n. 4.
Urna libra de carne assads.
Ouatro oocas de error.
Um pi de tres osess.
Leoha o Bal. .....
As peaaoa que quizerem fazer dito forneci-
mento apresentem aa suas prepostas em cartas
hadas so dia 18 de Junho do correte aoao,
tbesooratia, pele meto dls, onde encontr-
rio as condigoes com que dore ser effedaada a
WW aneaMUcio.
Conselho administrativo.
O conselho administrativo para fornecimento
do araenal de guerra tem de.comprar os objeclos
seguintes :
Para o preaidio de Fernando.
87 paos de 40 palmos de comprimenlo, tendo
7 poilegadas de face, para frechaes, tercas e ce-
mieira.
34 ditos de 37 palmos de comprimento, tendo
9 pollegadas de face, para linhaa de assentar te-
sonras.
40 ditos da 25 palmos de comprimento, tendo
7 pollegadas de face, para etplgoes e portadas.
84 travs de 22 palmos de comprimento, tendo
7 palmos de face, para pernas de tesoaras.
800 caibros de 25 palmos de comprimento.
125 duzias de ripas.
50 barricas de cimento para rehoque de pa-
redes.
200 alqueiros de cal.
30 milbeiros de telbas.
30 verga loes de ferro de 1 1|2 pollegada.
5.000 pregos caibraes.
3.000 dito ciixaes.
10,000 ditos rtpses.
Para o 7* balalho de infantaris.
1 trena de 15 bragas.
50 canelas.
50 escovas moles.
Quem quizer vender taes objeclos aprsente as
suaa propostas em carta fechada na secretaria do
conseibo, s 10 horas da manhia do dia 9 do
junho prximo viodooro.
Sala daa sessoes do conselho administrativo,
para fornecimento do arsenal de guerra, 31 de
.maio de 1862.
Antonio Gomes Leal,
Coronel presidente.
Francisco Joaquim Pereira Lobo,
Coronel vogal secretario interino.
18000
S380
3t0
S340
400
500
2S700
111500
lfOOO
2S800
2|100
3100
4500
tfOOO
1S60U
11880
1JKMK)
MMPMiam
SPALDING & ROGERS.
HOJE
TERC-FEIRA
s
2 e 3 de junbo. .
Haver urna nova e brllhante pantomima, pela
primeira vez, intitulada
JACK
0 GIGOTE MATADOR.
COM
Bellissimo* ornamentos
Uysltriosos jogos
Transformares e metamorphotes
Produzxndo effeitos excitantes.
PERSONAGENS.
Jack, o matador de gigantes. Joven Carlos Fish.
Cassarola, o cozinheiro......Jorge Sharp.
Antropophago, o gigante..... B. Magnflin.
Kntropophaga, a giganta..... II. Me. Cormick.
Olhos malignos, e tres outros
criados..................... A companhia.
Eva IPara ervir de ceia. Bella Roger, meni-
e >e comidas pela gi-< na, e Anno Wor-
Jfariajganta................{ latid, dita.
1 krle de montar a cavallo.
Gy m naiticas.
Acrobticas,
E equilibrios
paloa maia notaveia artista o cavallo.
Ltfiie*.
LEILO
DE
Um predio chao
proprio.
Ter^a-feira 3 do corrente as
11 horas.
Pelo agente Eozebio se vender em leilo no
dia 3 do corrente um sobrado de um andar no
Caminho Novo ou ra da Esperance n. 45, com 2
por loe de frente e 422 palmoa de largura, 62 di-
tos de fundo em armazem estabelecimento de
molbados. no andar superior 2 janellas, 2 salas,
3 quartos, este predio novo e f-ito a moderna
acabado a um aono ; a madeira de qualidade
louro e amarello. boas ferragens e a mo de obra
tanto de pedreiro como de carapina com per-
feicao e seguranca, incluiodo um bom quintal
cercado de 30 palmos de largura e 151) ditos de
fundo, com cacimba de boa agua, bem planta-
do, garante-ae a auperior qualidade do terreno
por ser frtil; iulga-se que este predio d um
rendimento le 6OO9 por anno, e os Srs. preten-
denles que o forem examioar com anteceden-
cia coohecero a probabilidade o para melhores
infjrmacoes acharo o ref-rido ageote promplo
a presta-Ios no seu escriptorio ra da Cadeia n.
45, onde ser effecluado s_ti horas em ponto.
DO
BEBE RIBE.
O Sr. caixa o commendador Manoel
GoncaWes da Silva esta' autorisado a
pagar o 28* dividendo desta companhia
na razo de 3200 rs. por apolicf 1 :
advertindo-se aos Srs. accionistas que
este dividendo sera' pago em cobre,
yisto ser na especie que o Sr. caixa tem
receido dos arrematantes dos cbafari-
zes e.bicas pertencentes a esta compa-
nhia.
Escriptorio da Companhia 27 de maio
de i862.O secretario interino, Justi-
no Pereira de Faria.
Tribunal do commercio.
Pela secretaria do tribunal do commsrciode
Pernambuco se fas publico que oesla dais foi
dmtlttdo i matricula o Sr. Lulz Amonio Rodri-
gue* do Almaida, oa qualidade de agento do lei-
Iom doata praca.
Secretaria do tribuoal do commercio de Per-
nimbecoWdemaioda 1868.
tata* Julio Guimaras.
Offlcial-maior.
Nesta typOj
lar a Sr. Daro
Nesta typographia {flcisa-se fal-
lar aoSr. Manoel Joaquim Pereira Ma-
galhaes, qae se mudou do Campo Verde
ou Baixa Verde.
LOTERA ,
Sabbado 7 do corrente anda-/.
rao mpretei*iv el mente as rodas da pri-
meira parte da primeira lotera a bene-
ficio da matriz de Ouricury. no consis-
torio da igreja de Nossa Senhora do Uo- -
saro de Santo Antonio. Os bilhetes
acham-se a venda na respectiva thesou-
raria ra do Crespo n. 15, e as casas
commissionadas ra da Imperstriz Ioja
de ferragens n. 44 do Sr. Pimente),.
praca da Independencia n. 22 loja do
Sr. Santos Vieira, ra Direita n. 3 bo-
tica do Sr. Chagas, e na ra da Cadeia
do Recife loja do Sr. Porto.
As sortes desde a 5:000#\t as de 10
serlo pagas de i hora da tarde em dian-
te desse mesmo dia da ex trcelo, e as
outres logo que se tenha feito a distri-
buicao das listas.
O thesoureiro,
Antonio Jos Rodrigues de Souza.
Casa de saude
m
LEILAO
DB
DO
'Dr. Ignacio Firmo Xavier.)
NA
k PASSAGEU DA MAGDALENA.
A tratar para a entrada doa doenles <
" com o mesmo Dr. ros nova do' Santo
t Bita n. 7.
Representacoe todas as noi-
tes (excepto quartaa-feiras e seb-
eados), e todos os domingos de
tsrde.
Por ordem do director,
W. T. B Van Orden Jnior,
Secretario.
Aysos martimos.
M
C0UANH1A rUUUIBOCftlU
>
Navegacao costeira a vapor.
Macei pelas escalas.
O vspor Psrsinuogst, commsndsnte Houra,
aahir para os portos do sol locando as escalas
no dia 5 de Junbo as 4 horas da tarde.
Recebe carga at o dia 4 ao meio dia. En-
commendas. passageiros e dlnheiro a trele al o
dia da sahida ao meto dia : escriptorio no torta
do Mallos n. 1. -o,, r >' 1 ssisll
Pare Lisboa segne com malta brevidade o
brigue < Pon Active lem prompto e mstor
porte do carregemento, e pare o resto que recebe
Ouro, brilhante e diamante.
Segunda feira 2 de junho ao
meio da.
Pelo agente Gulmaraes em seu escriptorio na
roa da Cadeia n.3, primeiro andar.
LEILAO
DE
Roupa feita, calcado e um
cabrioiHeomarreios.
QuiDta-ffira 5 do corrente.
O sgeote Luis Antonio Rodrigues de Almeida
far leilo por conta e risco de quam perteocer
e em reserve de preo de 1 caixa com cauca
e traquea de panno fino, vestidos psra meninos,
cortes de colletes de gorguro, chapeos de sol
para aenboras, 4 calzas com calcado e um ca-
briole* em perfeito eatado com arreioa; as 11
borss do dia cima mencionado em aeu escrip-
torio ra da Cadeia do Recife o. 48.
LEILO
Urna pessoa convenientemente
habilitada se propoe a ensinar fora da
praca latina e francez : a tratar no pa-
teo do Terco n. 33.
Preciaa ae de um manir o de 12 a 14 an-
uos que tenha alaoma pratica de taberna na ra
do Amorim o. 17.
__ O abaixo assiftoado em nome da actual me-
sa regedora da irmandade do Santiaaiao Sacra-
mento da matriz da Roa-Vista, convida a filos
os seos irmlos para comparecerem no domingo
8 do correte peda 9 horas da manha, afim de
em mea geral proceder-se a fleic.ao don' amos
fuorcionarioa qae tem de reger no anno de 1862
a 1863.. Consistorio 1 de junho de :I83.flres-
crivo. Ricardo Pereira de Paria.
Vende-se orna preta de 30 tonos pouco
maia ou menos e urna filha malatiolia de ft au-
no, vinda do malo para pagament : queei a
pretender dirija-se a pra$a da le dependencia
n. 7 e 9.
O abaixo assignado declara qae o nome de
sua sogra que fallecen oo dia 80 da malo eha-
mava-ae Rita da Atsumpcio Cesar o nlo Rits
Cardozo de Menezes como saino na liste doe h-
bitos.
J. B. N. Figaeireato.
Pfoprio para escript
Aluna-e e primeiro andar do eobradoj
ds Cdela Velha n. 27proprio pare
A
Quinta-feira 5 do corante.
Rotbe & Bidoulac (rao leilo por intervencao
do agente Pinto e por conta o risco de feem
pertencer da t calas cela papel ds peso da pri-
escrlp
s tratar na leja do meamo.
Aos Srs. coQsumidoreid i gaz.
Nos armases do cie o Rassoe aa. 18 e M e
na rus do Trapicho Novo no Reeife B. 8, se ven-
de gsz liquide americano p-imeir asMIsfo e
receetemente caogeeo a Mf a loto de o guies.
sssim como latas d 10 e d 5 gnirefM ,A,e
srsneUs.
L

it-

i
i
\


MB

MARIO DB PKRHAMB13G0.
-__________;__________
- SEGUNDA FilBA 2 DE JUHHO DI IMS.
' '!'------------------------
=

fe w UM wms.
J. NOITE
PARA AJ SE DE COalMERCIO.
*Aie?edo tem de abrir
pratJcotheorico di Lingua
novo systema ele Oilen-
clatte do cocnrjxercio que
far este estu:lo de dia.
: desejarem falla r e eicre-
Eta lingua, podem dirigir se a' re-
a do annunciante, rus de Santa
Bita Nova n. 47, ate o dia 31 de maio.
Empreza de illu-
miaa A vista de multas queixas i empreza
de gaz participa ao publico, proprieta-
riose moradores as diversas casas que
se queixam da insuficiencia e mesmo da
falta total de illuminacSo publica, que
ella esta' sempre prompta a collocar os
lampeoes cuja falta se faz scutii, logo
que receba do governo prcnncial as
competentes ordens, da raen na forma
mandara' encaar gaz em tod is as casas
particulares, gozando os proprietarios
destes da grande diminuidlo de precos
estabclecido em marco prximo passado.
Chama tambera a attencao dos mora*
dores das muitas ru&s aonde nao che-
garam ainda os lampeoes pn!blicos, ao
facto que com certo numer: de casas
particulares, a empreza esta' prompta
a collocar o encanamento ge ral a sua
custa pelo servico destas, inda que
nao esteja autorisada a collocar a illu-
minacao publica.
Outro sim faz publico que para as ci-
sas particulares ss quaes dev<: o gaz ser
conduzido de distancias considera veis
(cima de 100 pes por exemplo) eolio-
ca-se o devido encanamento pelo mni-
mo custo e trabalho dos uiateraes, e
em certos casos por menos anda.
ass' "' 1 milTii'i imrsiiiiM etc., vendem-se
pelo mnimo preco que permita o
grande prejuizo em quebras e despezas
estando a empreza determinada a fazer
quaesquer sacrificios para atisfazer ao
publico.
Rostron Rooker & C.,
Gerentes.
Aluga-se o segando andar do sobrado d. 55
da ra da Cadeia com grandes ccinmodos para
familia : para tratar, na ra do imperador nu-
mero 48.
0 abaixo asslgnado, como berdeiro do casal
dos finados Joio Manoel de Slqueira e sus ma-
lher). Isabel Miria da Silva Slqueira, atisa s
passoas a qusm o dito easal talaje a dever, apre-
seotem auaa cootas o ttulos de dividas, so in-
invenlatianle Joio Uaooel de Slquaira Filho, pa-
ra serem examinadas legalisadaa aQm de serem
descriplaa no inventario e dar-ae bens, quando
ae proceder parlilha para os saus pagamentos,
pois o inventario est a concluir-se, e o annun-
cianle nao se sujeita a pagar qualquer divida que
appareca depola das partilhaa, e nao eateja dea-
cripta ou junta sos autos de inventario. Recite
87 de maio de 1862.
Daarle Boraes dSilvi.
Pde-se aoa Srs. Jos Mendes Rodrigues
Campello, Francisco Xsvier Uarneiro da Guoba,
o favor de apparecerem na taberna da roa dos
Marlyrios n. 36 s negocio
Carvalho, Nogueira C,
e Rezen Sacara sobre Lisboa e Porto, na ra do Vigario
o. 9 primeiro andar, e ra do Bram o. 58, ar-
mazem.
Kmtmmm mammmmmm
Saques sobre Portugal.
O abaixo assigndo agente do Banco
Mercantil Portuenie neata cidade, ssca
effectivsmente por todos os psquetes so-
bre o mesmo Banco para o Porto o Lis-
boa, por qaalquer somma avista a pra-
zo, podendo logo os saques a prazo serem
descontados no mesmo Banco, na raio
de 4 por canto ao anoo aos portadores
que sssim lhe convler : nss ras do Cres-
po n. 8 os do Imperador o. 51.
Joaquim da Silva Castro.
iMfiNwaKMi -mmmmmm
SilvinoGuilherme de Barros compra escra-
vos de ambos os sexos : na roa do Imperador n.
79, primeiro andar
Casa para alugar.
Aluga-se a da ra de Santo Amaro n. 40: a
tratar no eicriptorio da viava Amorim ct Frlbo,
ra da Cruz o. 45.
Sociedade bancaria.
Amorim, Fragoso, Santos & C. sacam etomsm
aqo.es psrs s prae de Lisboa.
Manoel Ferreira da Silva Tarrozo
sobre
saca

Atiendo.
Um mefo que deiiou de continuar
com seas estados por falta de meios por
ter ama boa latir e escrever v.tm acer-
t se offerece aos illastres t; admicos
deeta aculdade para escrever algumas
postitas mediante urna pagt mensal.
Tameem entesado de escriptui.igao e se
offerece paja Jaer algumas escripias
ambulaDlaSJV ffcUr ni ru da Cigala
do Recife o. 28.

Precisa-ae de ama ama para cosiahar para
casa de pequea familia: na roa i. guita n. 114,
sobrado.
Joo Leopoldo do Reg Villa i-, tem contra-
tado vender a sua taberna aita na ra Direita o.
48; ae alguem se julgar com dimito a impedir
este negocio, comprela na meso, i, no prazo de
quatro das, a contar dests data. Recite, 27 de
malo de 1862.
Aluga-se a espaciosa casa da usquina ds rna
Formosa n. 14, pintada e ladrilhi la de novo : a
tratar na ra da Cadeia do Becife ti. 62, primeiro
andar.
SEGUNDA EDlGClv
DO
THESOURO HOMEOIATHICO
ou
Vade-mecum do ho: iieopatha
pelo doutor
>.LOT1.
Este hvro que se tem tornad (i lio popular,
quanto necessario, acaba de ser publicado com
todos os mellioramentos. que a experiencia e oa
progreaaos da actencia tem demonstrado. A no-
va edlccao em todo superior primeira, en-
cerr :
1.* Mais ampias noticiss acerca do curativo
daa molestias, com iadicacea "tiiu proveitosas
los medicamentos novos recenlemeote ezperi-
tnentados os Europa, nos Estac os-Unidos e no
Brasil.
1.* A exposicao da doatrina h( ineopatha.
3.* O estudo da apropriaco d >s remedios se-
cundo as predomioaocias dos temperamentos,
daa idades, des sexos, e segundo ss circumslan-
ciaa atmosphericas etc., etc.
4.* A preservado ou prophila:.ia das molestias
i^reditaria.
5. A preservaco das molestias epidmicas.
6.a Urna estampa Ilustrada denonstrativa da
CMlinuidade do tobo intestinal desde a bocea at
o anas etc., ele.
Vende-se na phaiimacia espi :ul homeopa-
tjuca, propriedade do aulhor, ra de Santo
Amaro (Hundo Novo} n. 6.
Pre?o de cada exemplar. ,
M. B. Oa aeohorea assigoaotes
dar ceeeber seus exemplarea.
Novidade
Anandoaa confeitadas, aortes las mesmas, pa-
pis com estalo, talo muilo novo, vende-se por
menos do qae em oulra qualqaer parte : na ra
a Seozala Nova n. 30.
Gasas para alugar.
Segando andar da casa n. IX cu ra do Encan-
tamento, loja n. 33 da roa do Vigario, com r-
aselo para taberna : a tratar na roa da Cadeia
da Recita a. 33.
II
ra do Apollo n. 28,
tugal,
O abaixo assignado d 50*000 a quera lhe
achar dous cavallosque lhe furtaram do engenho
Pacas, freguezia de Agua Prela, na nafta> do dia
15 para 16 do correte mez de maio de 1862, com
oa igoaea aeguintea:
Um ruco, grande, com muila dios e cauda, e
esta cachada, no queixo direito, no lugar da lan-
dre um caroco, no pescoco acompanbando a fuel-
la urna eapada romana, em grao, lendo s um, e
tem todos os quatro caacos brincos, gordo e bar-
rigudo, o ferro maia vizivel que tem um h.
Um dito rudado, lalhado, de bom tamaobo, nm
poaco sellado, com o cabello da clina e caada
branco e preto, no cabo pela parte de dentro tem
um lubioho ou caroco, e em cima da anca em
um lado e outro tem signaes de maca quasi
iguaes, que se tornara conhecidos, porque o ca
bello maia preto, capado, gordo, e tambera um
pouco barrigudo, tem andares : quem os achar e
os levar ao dito engenho, ou no Recife, ra nova
de Sania Rita, ahi reteber a gratificado cima,
e flcar-se-lhe-ha muito obrigado.
Francisco Botelho de Mendoo a.
Para escriptorio.
Primeiro andar da ruada
Cruz n. 24.
Aluga-se este primeiro andar : a tratar na ra
da Cadeia n. 57.
Terga eira, 3 de janho, ir pela ultima ves
praca o engenho Desterro, aituado no termo de
Iguarass, por meio da arrendamento trienal, a
contar do ultimo de malo do crrante anoo 4
maio da 1865, peraoteo Sr. Dr, jutzdos orphos,
na aala das audiencias : quem quizer arrematar
o referido engeoho, comprela oo lugar indica-
do, munido dos comoeleoles fiadoras.
Aluga-ae por 30$ ao mez o vasto armazem
do sobrsdo n. 52, sito na ra da Gula, e o segun-
do andar do meimo, com bastantes commodos,
por mdico prego : a tratar na roa de Hurtas nu-
mero 14.
[Escriptorio deatlvocaciaf
Ra do Imperador u.
Manoel Pereira Lopes
Ribeiro,
cora loja de barbeiro na ra do Rangel a.
transferio sos morsdia para o n. 18 da meams
roa no qual se acha prompto para todos os mis-
teres de ana profissio como seja tirar dentes,
sangrar, pentear, smolsr.spplicar rentosas pela
pressao do ar, poda ser procurado a qualqaer
hora, assim como tem sempre sortimento da bt
xas para alugar.
Jos Ferreira Veiga, subdito portuguer, re-
tira-aa para a Bahia.
Preciaa-se de dous amasadores : na pada-
ri da ra Imperial n. 179.
Preciaa-se de um caixeiro para taberna eom
pralica oa aem ella, dando fiador a sus canduc-
ta : nc ra do Hospicio o. 28.
No largo do Carmo, sobrado o. 20, vende-
se um escravo moco, cozinbairo e chapelleiro,
Precisa-s* alagar nm preto para todo aer-
vqo externo de ama padaria : no pateo do Terco
numero 40.
Aluga-ae na rus da Alegra n. 7 duas ne-
gras, urna sabe bem cozinhar, eogommar, lavar
e tratar de meninos, a outra sabe fazer todo me-
noa eogommar.
Arreoda-ae um aitio no lagar da Torre, o
qaal tem soffrivel cssa de viveoda e accommola-
Qea para grande familia, cocheira, estribara,
tanque e cacimba, bastantes arvoredos de irado,
baixas para capim, etc.: na roa da Aurora o. 60,
oa nos quatro cantos da ra do Queimado, loja
amarella de Antonio de Moura Rolim.
Os abaixo saaignadoa declarara que tendo
perdido um vale da quantia de 1039, aasignado
pelos Srs. Cesar b Itenezes, e deates senhores j
recebido dita importancia, fica sem effelto dito
rsle, nao pdenlo assim pessoa slguma dalle
atlllsar-se. Becife 30 d mal de 1862.
Gurgel Irmaoi.
Aluga-se um mulato de 18annos, bom eo-
peito e com principio de boleeiro : a tratar na
ra da Aurora n. 70, segundo sndsr.
Precisa-ao de irabalhtdores de padaria qae
aaibam fabricar pao e bolacha com perfeicio : na
roa do Quartel de Polica n. 16. Na mesma ad-
mitte-se um forneiro de primeira elasse.
Ao commercio.
Em coosequencia da chegada do paquete in-
glez nao pdde ter lagar na quarta-feira a reanio
de credores do fallecido coronel Joo Jos de
Gouveia como se havia aonunclado, fleando
transferida para segunda-feira 2dejunhos3
horaa da tarde em ponto.
OSr. Francisco Cavalcanli, que tendo em-
Ida Imperial n. 3.
Eocarrega-se da mandar lavar tanto da varrela
coma deaablo na crystalioa agua do rio Beber!-
be, a de eegommar com a maior perfeic&o toda
Jaalidade de roupa com pequea demora de 6 a
diaa, garante-ae qaalquer falta ou extravio que
possa apparecer, satisfaz se a vontade do dono
quando queira para eata ou aquella dit : quem
preciaar, pode dirigir-se a mesma casa para tra-
tar dos presos, qsre aero os maia commodos pos -
sivels.
A pesaos que precissr de um uniforma para
boleeiro, em bom eatado, dirija-se a rsa Direita
numero 11.
No dia 3 do correcto, depoia da audiencia
do Ulm. Sr. Dr. juis municipal da primeira vara,
se bao de arrematar em presa publica do mesmo
juizo, por execuclo de Custodio Alves Rodrigues
da Costa contra Bernardo Ferreira Loureiro, di-
versos ateocilios existentes na padaris do mes-
mo, em Santo Amaro, bem como urna carroca e
dona cavados: quem preteoder pode examinar
taes objectoi em poder do depositarlo particular
Jos Jacinlbo de Carvalho, morador na travesss
do Lima, no mesmo lugsr, e ver os valores cons-
tantea do escripto em mi do porteiro dos audi-
torios : a altima praca.
SOCIEDADE
nio Beneiicente
MatUlas*.
Pela terceira vez cientfico aos senhores so-
cios atrssados, que no dia 4 de janho expira o
praso de 30 diss para se porem quites, como foi
deliberado pela aaaerabla geral de 4 da maio, a
dests dala em dianle podem cootar-seiliiminados
conforme o artigo 12 3.* dos estatutos.
Secretara da sociedade Uniao Benecente Ma-
rtima Si de msio de 186S.
Balthsssr Jos dos Reis.
! secretario
Sapatos de bor-
racha-
A 1, 1*500 e 25 o par, agulhas Victoria a 120
rs. o pspel. lamparloaa econmicas a 100 rs. a
caixa, carteiraa para escrever a 14$ e 169, calxaa
para costura a 8 e 16$, gmxa francesa econ-
mica a 640 o pote, facas americanas psra meaa a
&5 e 7 a duzia, meias para senbors, homem, me-
braceletes de cabello
Paletots e caloa.
Vendem-se paletota de paoao Ino a 69.
caleaa de cssemira preta a 19901 1 tai faney
de cores a 69, calcas de dito a 1JI na roa da
lmperalrlz n. 60, luja do Patio.
AsserOulas do Pavo.
Vendem-se aeroulas de lioho francesa alfo
par oa a 349 duzia: na rna da J mperalriz n
60, loja ds Gama & Silva.
CHALES.
ninaa etc. por todo o preco, .
com pedrarflia e amarella a 59 cada um : s Grande pechicha na loja dO
ba na ras do Queimado loja Esperance a. ai A,' r_ _
Guimarics & Rocha.
80
40
10
200
7i0
720
40
00
igooo
ISO
10
Compras.
usr. franciscoi^svaicanu, que
Por- j barca do na Parahiba em urna jangada para eata
I cidade, acooleeu que deserobarcaase na ilba de
Itamarac, se avisa ao mesmo que seus bahu
se acham no ra da Madre de Dos o. 2.
A pesaos que aonunciou querer 400 a 6009
sobre peohores de ouro e prala, pode procurar
na raa dosQasrteis, loja do sobrado n. 12.
Compram-se aegoea da companhia de Be-
beribe : na ra do Crespo n. 25 A se dir quem
compra.
Compra-ae urna prela que aaiba eogommar
e cozinhar, de idade de 20 a 30 annos, que tenba
boa conducta: qaem tiver. dirija-ae a praca da
Independencia ns. 23 e 25, que agradando pa-
gs-se bem.
Compra-se um reloglo de patente in-
glez em segunde mi e d-se prefe-
rencia sendo descobsrlo : na ra do
Queimado n. 28.
s
I
8
i
8
S
8
8
. 209000
jueiram man-
6--Ra da Cruz\ 61
O Dr. Rocha Bastos
di conaultaa todos os das.
Cura radical e em pono dss moles-
tlia ayphiliticas e dos orgos genito uri-
narios.
Consultss da graca das 8 i 9 horaa da
S37, primeiro andar, a es-
querda.
Neste estabelccimento trabalha o adro-
gado Joaquim Borgea Carneiro (graduado
em direito pela faculdade do Recife) des-
de as 9 at as 3 horas do dia.
Advoga em todoa os juizos e tribunses
desta prac.i, e enearrega-se de negocios
para o interior da provincia, principal-
mente para aa comarcas de Santo Aolo,
Rio Formoso, Bonito, Nazarelb eGoianna.
Recebe gratuitamente as causas dos
desvalidos, nao podeodo cada qual tra-
zer maia de urna qaestso por vez.
No mesmo eitabelecimento solicitam-
se ttulos e paleules de empregados p-
blicos e oDiciaes ds guarda nacional do
Interior, mediante mdico estipendio.
Em sua falta e impedimentos ser |
substituido, nos negocios civeis, pelo Sr. I
8Dr. Joaquim Jos da Campos, e nos do 8
crime pelo Sr. bscharel Jorge Dornellas *
Ribeiro Pessoa. 8
k wttieatsais MOHCMeMeiMie &
Attencao.
Antonio Cesario Moreira
Dias, faz sciente ao respeita-
vel publico com especialidade
aos seus freguezes, que mu-
dou o seu armazem da ra da
Moeda para a ra da Madre
de Dos n 32, e est venden
do por menos do que em ou-
tra qualquer parte, plvora,
chumbo e salitre e affiauca a
boa qualidade destas merca-
dorias por serem de primeira
qualidade.
Toda attencao.
Custodio Jos Alves Gaimarea avisa ao res-
peitavel publico, principalmente a todos os seas
freguezes e amigos, que se madoa da loja da
aguia de ouro da roa da Cabug para a ra do
Creapo n. 7, para a bem coohecida sntiga loja
de mtudezas que foi do fallecido Joio Ceg, boje
ser conhecida pelogallo vigilante,e pede ao
respeitsvel publico e sos seus fregueses e amigos,
que o queiram procurar no dito estabelecimento,.
onde acbario um grande aortimento de miudezas,
quesffisn^s servir bem e vender por menos dez
ou vinte por cento, do que em outra qualquer
parte.
Precisa-se alugar urna preta para
vender : no Corredor do Bspo n. 15.
Na travessa da ra das Cruzes n
2, paimetro andar, tinge-se para todas
sa cores com presteza e commodo preco.
Pedido
i polica oa qualquer pessoa do povo. a appre-
heosao de um preto de nome Hilario, crioulo, de
idade 28 anoos, mais ou menos, fgido em 23 do
presente, estatura e corpo regulares, tosanle
preto, pouca barba, quando falla, alem de ser
apressado gigueja um pou" no andar muilo
direito e miudinho e affectado, os psapalheta-
dos, ussva de calca e camisa de algodao de lis-
Ira, mas quando fugio fartou urna calca de panno
preto, duas de brim branco, algumas camisas e
ceroalas, as quaes tem o ultimo nome do abaixo
assignsdo no cs, urna manta de pescoco de sd*
azul com pequanos brdalos de branco, e um
alfinete de ouro com nm retrato de cornalina
encarnada, um reloglo de prata doorada com um
trancelim de ouro, a oulros objectos que anda
aenao podem descobrir; filho de Santo Aotao,
e foi escravo nease lugar de Conrado Nunes de
Souto : quem o pegar leve-o a raa Direita u. 17
oa 28 Jos Joaqaim Lima Bairo, que genero-
samente recompensar.
Deseja-se contratar um Rvm. Sr. sacerdote
para capellio de ama fazenda muilo agradavel
por sua posicio e commodos, como ama capella
bem paramentada, perto da freguazia do Brejo da
Madre de Deoa : quem o pretender, dirija-se a
roa da Aurora n. 68, terceiro aodar, a tratar com
Jos Josquim do Reg Barros.
Aluga-se ama oegrinha de 16 annos para
casa de familia : na ra da Guia n. 26.
Preciaa-se de urna ama : no psteo do Tergo
n. 12, atgundo andar.
Joaquim Ferreira de S vai s Europa.
Bartholomeu Francisco de Souza, segaiodo
viagem para Europa no vapor francez aGuienoe,
e nao teudo ae despedido pessoalmeote de todos
os seus amigos o faz por este meio, offerecendo-
Ihes seu preslimo onde quer que est.ja.
Alaga-se um escravo bom carroceiro, ou
mesmo para outro qualquer servido : na ra do
Livramento n. 22, terceiro andar.
Compra-se um ou dous caixoeapropnos pa-
ra taberna, mas que tenham de 8 a 10 palmos de
comprimento : na ra dos Pires n. 38, taberna.
Compra-se um preto de meia idade, de
bons costumes e proprio para sito, urna e,cr*T8
que saibs coser e eogommar bem : na ra da C-
dela Velha n. 35. ,
Compra-ae urna preas de spsrar papel:
na ra da Santa Cruz n. 14, ou aonuncie.
Venda.
mik

afs Consultas de gra^a
8 raaoha.
Mi _a_i ir iirri:
Nesta typographia precisa-se fal-
lar ao Sr. Joo Goncalvt \ Rodrigues
Frasvca que morou em 01 inda e dizem
morar nesta cidade do Recife.
Iojeccao lirow
Remedio infallivel contra as agnor-
rbea* antigs e recentes, nico deposito
na botica Irancesa, roa d Cruz n. 22,
preco 3f.
Hontem a oite 19 do corrale maio,
a entrada do circo americano, perdeu-ae Z
um relogio de patente inglez descober- "
to, e com a caixa do fundo liso leod./ 9
no centro um pequeo circulo com o j*
desenho de am ciato seguro com urna J
fivels, do fabricante Leis Woolf, snp- 9
p5e-se que a entrada quebrara a fita gfe
que o segurava ao pesclo e que sahin- J
do do bolso peto impulso cabase oo *9
chao: quem schoa quizar entrega -lo A
a sea dono pode leva-lo a raa do Tra- *
picho n. 4, primeiro aodar, que aera
gratificado generosamente. ap
Santo Antonia.
ezena do glorioso Sanio Antonio, conside-
ravspnjeote augmentada, ntidamente impressa e
embruchurads, com capas proprias, acha-ie
venda os rus do Imperador n. 15, das 9 horas da
msobaa as 3 112 do tarda.
embruc
Precisa se de urna sma que saibs cozinhsr: a
tratar na raa larga do Rosario n. 12, segando
andar.
Fogodeart-
ficio.
O bazar da raa do Imperador o. 6 ainda a
agencia da muito acreditada fabrica da vluva Ru-
fino, aonde se tomam todas e quaesquer encom-
mendas em ludo o que for relativo sua arte, as-
segaraodo-se nao s a melbor execuco na con-
feceo dos artigos, como a maior modicidade nos
seus precos. Nesta mesma casa ha sempre um
portador para fazer a condacejio daa eocommen-
das, evitando assim os frates que a distsocia das
fabricas acarretam aos senhurea compradores.
O Sr. empregado publi-
co que recebeu dierentes
quantias para pagamentos de
objectos de sua repartico e
naoospagou, queira mandar
entregar essas quantias que
existflai em seu poder como
deposito, alias se publicar
seu nome e mais cartas pelas
quaes se prova a existencia
deste negocio.
- Preciaa-se de urna ama de leite : na rna do
Rangel n. 7, segundo andar.
Attemjo.
Vndem-se dous sitios na Boaiiagem, ambos
com Ierras propriss, sendo um de'.lea com duaa
casas de pedra e cal, oa permula-ee por casa nes-
ta prsca : a fallar na praca da Independencia nu
maro 17.
tfdttiKM}* M3MH SMSMS.fiMK
Acaba de
chegar
novo armazem
DS
I4ST0S & MEGO
Na ra Nova junto a Con-
ceico dos Milita-
res n. n,
Dm grande e variado aortimento de
roupas le tas, calcados fazendas e todoa
estes sa vendem por procos mnlto modi-
Ocsdos como de seu costume,assim como
sejsm sobreessacoa de superiores pannoa
a casacoa feitos pelos ltimos figurinoa a
26|, 289, 309 35|, paletots dos mesmos
pannoa preto a 16j, 18J. 20# a 24,
ditos de case mira de cor mesclsdo o de
novos padrees a 149,16|, 18*. 209 e 249,
ditoa saceos dss mesmas casemiras de co-
res a 99,109,129 o a 149, dltoapretos pe-
lo diminuto prego de89,10|, e 128, ditos
de sarja de seda a aobracaaacadoa a 12|,
ditoa de merino de cordao a 129, ditoa
de merino chines de apurado gosto a 159,
ditoa de alpaca preta a 79. 89, 99 a 109,
ditoa aseos pretos a 49, ditoa de palha de
seda fazenda muito auperior a 49500, di-
tos de brim pardo da fustao a 3 5500, 49
c a 49500, ditos de fualo branco a 49,
grande quaotidade de caleaa d a caaemira
preta o de corea a 79, 89, 9 e a 10, ditas
parda a 3jj a a 4#, ditas de brim de cores
Qossa2|500, 39, 89500 a a 4f, ditas de
brim brancos finas a 4*500, 5f, 59500 a
69, ditaa do brim lona a 59 a a 6f, e olla tea
da gorgurao preto da corea a If a 61,
ditos de caaemira da cor a pratoa a 48500
a a 59, ditos de fustao branco e da brim
a 39 a a 39500, ditoa de brim lona a 4f,
ditos da merino para luto a 49 a a 49500,
caleaa d e marin pa ra 1 uto a 41500 e a 5J,
capaa da borracha a 99. Para meninos
da todos os tamaohos : caigas de casemira
preta a da cor a 5|, 69 o a 79, ditas ditaa
da brim a 2|, 39 a a 39500, paletots sac-
eos da caaemira preta a 6| a a 7, ditos
de cor a 69 a a 75, ditoa de alpaca alj,
sobreessaaos da panno prato a 1SJ a a
14, ditoada alpaca preta a 59, boneta
para menino da todas aa qualidade, ca-
miaaa para meninos de todos oa tamanhos,
meios rito vestidos da cambralaletoa
para meninaa da 5 a 8 annoa com cinco
baados lisos a 89 e a 12|, ditoada gorgu-
rao do cor a de lia a 59 e a 69, ditos do
brim a39, ditoa da cambraaricamente
bordadoa para baptisados.e muitas outras
fazendas a roupas faltas que deixam de
ser mencionada* pela aua grandequanti-
dada; assim como recaba-aa toda o qaal-
quer encommenda da roupaa para aa
mandar manufacturar a que para eata flm
temo am completo aortimento de fazen-
da da gosto a urna grande oficina da al-
faiata dirigida por am hbil meatra qae
pola aa promptidi a perfaicao nadadei-
xaa daaajar.
sem segundo
Ns rus do Queimado n. 55 loja de miudezas
de Jos de Azevedo Maia e Silva, est vendando
toda as miudezaa baratissimss, a aaber :
Papis de agulbas a balio multo supe-
riores a
Caixas eom muito finas obreias a
Cartea com clcheles, tem algum de-
leito a
Frascos de macass perols muito fino a
Caixinbaa com papel pequeo de diver-
sos gosto s
Pacotes dito dito dito amizade a
Novellos de liona de Crux a melhor
que ha a
Caixaa com agulhaa curtas de superior
qualidade
Enlremeios, a peca eom 3 varaa 1)2 a
Sabonelea muito fios a
Papsia de agulhaa frsncezas com loque a
Psres de botoes para punbos de muitos
modelos a 240
Pares de meias crass psrs meninos a 160
Ditos de ditss crass para pequeo a 160
Ditos de ditaa para meninas a 200
Frascos com agua de Lavando embreada a 800
Ditos com cheiros muito finos s 240 e 500
Ditos com bsnhs muits fins s 240 e 320
Ditos com superior baoha de orao a 600
Ditoa com oleo baboss muito fino a 240 e 320
Ditos com oleo do Rio muito superior a 500
Ditoa com superior pbilocome a 900
Ditos com baoha philocome finissims a 19000
Ditos com bsnba transparente a 800
Ditos com superior agua de colonia a ^ 500
Ditos com macasi (oleo] a 100
Ditos com superior opiata a 500 e 800
Cartea de linha Pedro V, com 200 jardas a 60
Ditos de dito dito, branca de cores a 20
Carrileis de liaba com 100 jardas a 30
Maaaos de linba frouxa para bordar a 240
Penlea de martina de superior qualidade a 1&000
Rival
sem segando.
Na ras do Queimado n. 55, defronte do sobrado
novo, loja de miudezas de Jos de Azevedo Maia
e Silva, est queimando tudas as suas miudezaa
pelos precos que abaixo se declara, pois a qaadra
boa para apreciar:
Duzia da meias cruas muilo eneorpadas a 29400
Dita de ditas brancas muito boas a 15600
Dita de ditas cruas muilo finas a 4$0O0
Dita de ditaa brancas para senhora, mui-
to finas s 3S000
Carriteis de relroz de todas as cores a
Grozas depennas de ac de todas as qua.ll
Pavo.
Vendem-aeos mais ricos chales com poeta re-
donda e borllas leodo as barras a imiiaco de
peluda e asaeiioadssimitsodo as capinh.s mala
modernas pelo bantissimo preco.de 49500, ditoa
da 4 ponlaa a 49500, ditos a Garibaldioa sendo
maito grande a 59: na ra da Itnperatriz s.
60, loja do Pav&o de Gama & Silva, j
Saias bordadas a 2#50O.
Vendem-se saias bordadas multo bonitas a
295OO cada urna: na ra da Imperatriz o. 60,,
loja do Pavio.de Gama & Silva.
Bales do Pavo.
Vendem-se bales de bramante francas coa
arcos, sendo aa melhoressrmaces, pelo diminu-
to prego de 39 a 8JJ500 : na ra'da lmpa4iz n.
60, loja do Pavao, de Gama & Silva.
Saias com arcos de lioho.
Vendem-se ss acreditadas saias com arcos de
linho que fazem aa vezea de balio a 3J200 e s 4f
cada um, eatas saias s ha na loja do Pavo, raa
da Imperatriz n. 60, luja e armazem de Gama c%
Silva.
Para meninos a 4#5G0
Vendem-se veatidinbos de seds pareasssniaa,
muito bem enfeilados, pelo diminuto preco da
4(500 cada um : na ra da Imperatriz d. 60, loja.
do Pavo, de tiama t Silva.
Olhem para o Pavo e leiam.
CamtztDhaa com golliuhas e manguitos de cam-
braia bordados, fazenda muito moderoissima a
59000.
Ditss de fustao com salpicoa de cor a 390O0.
GolliRbas bordadaa com botaoziohoa a I9OOO.
Ditaa ditaa de gostos a 640 e 800 rs.
Ditaa com manguitos de cambraia bordados a
1J6O0.
Manguitos de cambraia fina bordadoa a IJOOO.
Golliohss bordadaa a 240 rs.
Romeiras de cambraia enfeitadas para loto a
3J0O0.
Camizinhas para senhoras bem enfeitadas a 3JJ.
Lencinhoa de lioho com labyrintho para mo
a 29500.
Ditos a imitacao do labyrintho a 19 e a 19280.
Luvas de torcal enfeitadas de vidrilho a 500 a
e 640 rs.
Enfeites pretos com vidrilhos a 89000.
Ricos eufeiles a turca e Garibaldi a 58500.
Ditos muilo bonitos a 2&500 e a 39500.
De ludo dao-se aa amostras ficando penhor: na
I loja do Pavao, ra da Imperatriz n. 60, de Gama
MzlA
Preciss-se de ama ama para comprar e cozi-
nhar para casss da rapazas solteiros: na ras de
Apollo a. 36, primeiro andar.
***--------.. www w
Vendem-se pipaa com agurdente de can-
na : no cae do Ramos o. 6.
A 3$000 asacca,
Vendem-se sseest com arroz pilado com toque
de avaiia, proprio para galinha ; no caea do Ra-
mos n. 4.
Vende-se umi cssa terrea na roa do Padre
Floriano n. 35, com 8 mei-aguas no fundo da
mesma caaa, sendo o terreno proprio : a tratar
oa ra da Peoba n. 9.
a
Vende-e um ptimo quaito alaaio, bastante
possanie e manteado, multo proprio pare servico
de carroca ; para ver-se, na cocheira da raa da
Paz a. 13 A, a tratar de seu ajaale, as raa de Li-
vramento n. 92, terceiro andar.
dades a 500
Dila de ditas calligiaphicas 1:600
Noveloa de lioha muilo grandes a 60 e 120
Caixas de agulhaa perleitss a 160
Baralhoa porluguezea a 120 e 160
Croza de bolea de osao pequeos para
cales a 120
Teaouras para unhas muito superior qua-
lidade a 400
Ditas para costura maito finas a 400
I Ditas pequeas porm finas a 200
Baralhos francezes muilo linos a 240
Agalbeiros com agulbas superiores 80
Caivetes da apara.- peonas de 1 folha a 80
Pares de sspatoa de tranca de lia a 1|280
Cartea de alfinete francezes a 100
Parea de luvsa brancas de algodo a 100
Escoras para limpar dentes muito fi-
nas a 200 e 320
Masaos de grampoa de todas as quali-
dade a 40
Dedaes com fundo de a;o a 100
Caixaa com colxelea francezes s 40
Tinteirosde vidro com tintas 160
Ditos da barro com tinta auperior a 120
Areia preta muito fina a libra a 120
Labyrintho por todo prego.
Vara de franjas largas brancas a 200
Pies de nova invengo para meninos a 200
Linha branca do gaz pelo prego j sabido que
10, 20 e tres por dous, e outras muitas miudezas
que viata far f pelaa anas boas qualidades e
presos eatao nao fallemos.
Novo sortimento de fa-
zendas baralissimas, j
NA
Loja do Pavo ra da Impera-
triz numero 60.
DE
GAA & SIlAiV.
Vendem-se as segaintes fazendas por precos
baralissimos afim de apurar dinheiro : capaa
suissas a imitacao de sedss de quadrinhos sen-
do de todas as corea e cores maito fizas s 200
rs. o covsdo, brilbaolinas de quadrinhos muito
encorpadaa para vestidos de senhora e roupss
psra meninoa sendo muito maia larga que chita
a 200 rs. o covsdo, gorgurao de linho fazenda
muito nova para vestidos a 280 rs. o covado,
musselina branca com 4 1\2 pal moa de largura a
200 ra. o covado, grande e variado aortimento
de cassas para vestidos sendo os padres moder-
nissimos e as corea fizas a 280, 300 e 320 rs. o
covado, chitas fraocezasde cores fizas escuras e
alegres a 240, 260, 280, 300 e 320 rs. o covado,
chitas ioglezas a 140,160 e 900 rs. o covsdo,
cortes de cassa tendo 7 1)9 varas esda um a
29400 rs., corles de organdys com bsrrss tendo
12 varaa eada corte a 59, cortea da bareges com
22 covados a 59. ditos com as saias fetas a 59,
liaziobas de cores a 280 rs. o covado, de todaa
estas fazendas dao-se ss amostras deixando o
penhor na loja e armazem do Pavo, de Gama &
Silva, oa ra da Imperatriz n. 60.
Madapolo do Pavo.
Vendem-se fioissimas pecas de madapolo com
14 jardas a 49500. 4800, 59. 58500 e 69, ditas
francezas enfeatadas com 14 jardas a 39: na roa
da Imperatriz o. 60, loja do Pavio de Gama &
Silva.
Las a 320 rs.
Vendem-se modernissimas liszinhss com pal-
mas a 320 ra. o covado: na roa da Imperatriz n.
60, loja do Pavo.
O Pavo vende a &$.
Pera de cambraias de coriohos brsncos a de
todaa as cores lendo 8 1(2 varaa a 49 : na raa da
imperatriz o. 60, loja do Pavo.
O Pavo vende
corles de cambraia mnlto fina com dous babados
a dnas saiaa sendo delicadamente bordados a
49, ditos sendo todos adamascadoa a 49, cortes
de phantasia azenda finissims a 6$, ditos a 49500
a 59 : na raa da Imperatriz n. 60, loja a arma-
zem do Pavo de Gama & Silva.
Panno preto.
Vende-se panno preto maito encorpado a
If600,19800 e 29, e dito cor de cat: na raa da
Imperatriz o. 60, loja do Pavio.
Chales do Pavo.
Vendem-se chelea de marin estampados mui-
4 Silva.
Papel de todas as qualidades.
Vende-se a 49*00 de quadrinhos, ditos pauta-
dos a 39600, dilo almaco pautado a 4/ e 492G0,
dito greve a 4g60O. emetizinhas de diveraaa co-
res a 640 e 19, dilo branco pautado a 800 rs,, an-
velopes de cor a 640, dito branco a 90 rs. : oa
loja do beije-or, ruado Queimado n. 63.
Ricos cintos dourados:
Vende-se a 29 e 2*500, ditos de fita a 19600,
filaa para debruohos de ccllete a 280 a peca, tiras
bordadas a 19 a la200 ; na loja do beija-flor, roa
do Queimado o. 63.
Vendem so lesouraa finas para costura a
19, dita para nnha a 640 e 800 rs., ditss finas a
900rs. a duzia, peotes oe travessa para menina a
640 : na loja do beiia-flor, ra do Queimado Ho-
mero 63.
Si utos para senhora.
Vendem-se os riqoiasimos sintos com borla ca-
bida ao lado, maito chique, sendo o ultimo goito
de Paria, pois parece-me que nao haver senho-
ras que deize de comprar : isto s no gallo vi-
gilante, ra do Creapo o. 7.
Enfeites de cabeca.
Vendem-se os riqaissimos enfeites, tanto com
franja como aem ella, por barallssimo prego de
29500, 39 e 59: s no vigilante, ra do Crespo
numero 7.
Linha de peso.
Vendem-se as verdadeiraa Unhas de peso, o
mais fino que se pode encontrar a 2J500 o mas-
sinho de 30 miadiohas, assim como de outrar
qualidades : s no vigilante, ra do Crespo nu-
mero 7.
Vendem-se manliohas de coral a 2$, 2940O,
e fios de coral a 720, massiohos de contas miu-
diohesde diversas cores s 140, caiztnbaa de al f-
celes a 200 ra. e 240: na loja do beija-flor, raa
do Queimado n. 63.
Veodeui-so luvas de pellica de Jouvin bran-
cas para senhora e homem, chegadas no ultimo
vapor: na loja do beija-flor, ra do Queimado
numero 63.
Vende-se cascarrilha de seda de todas ss
cores a 2J e 2|400 a pega, linh de Pedro V a 20
rs. o csrto, gravatas de seds estreitinhss s If :
na loja do beija-flor, ra do Queimado n. 63.
Vendem-se ricos enfeites a 59 e 59500, di-
tos de vidrilho a I96OO, aderemos pretos a 29500,
rosetas pretas & 160 rs. o par, gollinhaa arelas a
800 rs. e lg : loja do beija-flor, ra do Jifima-
do n. 63.
Vendem-sa carteiras proprias psra guardar
dinheiro de ouro e prata a 19 e 13200, esporas
finas de ago a 1$, baodeijas de lindos desenos a
I95OO, siulur&o de borracha a 200 rs. e 240, ben-
gslaa de canua a 29 e 29500, chicotes finos a 29
e 29500, de eslalo, ditoa aem ser de estalo a
640, loucas de la para meninos a 19, sapaliabos
de la a 800 rs., ditos de merm a 1$500 : na
loja do beija-flor, ra 0 Queimado n. 63.
Vendem-ae penies de tartaruga virados a 8
e a 99, carretel de linba de 200 jardas a 940 a
duzia, clcheles de diversas qualidades a 40, 60
a 80 rs., ditoa bordados a 100 rs., masaos de
grampas a 40 e 80 ra., ditos em caixinhas a 120
rs. : na loja do beija-flor, ra do Queimado nu-
mero 63. ^.
Vendem-se toocadores de Jacaranda a 2J200,
ditos brancos a 29, caixinhas com espelhos psra
navalhas a 29 e 2f400, colheres de metal princi-
pe para sopa a 496OO, ditas para cha a 99400, con-
cha para assucar a 640, oculos finos a 400 rs.;
na loja do beija-flor, ra do Queimado n. 63.
Vendem-se caivetes finos a 800 rs., eefea-
zes para meoinaa de eacola a 3, 4 e 59, carteiraa
com agulhaa francazaa a 940, caixaa de peonas
de sgo a 500 rs., meias para senhora cruas a 240
o par ; na loja do beiia-flor da ra do Queimado
numero 63.
Atienen! attencao!
Aos pas de familia, bom e ba-
rato.
Na loja n. 20 da ra da Imperatris acha-se a
venda um completo a variado sortimento de boaa
fazeodas, e qae vists de suas qualidades sio ba-
ratiaaimarceote vendidas, e para maia vera-cidade
do que fica dito, abaixo vio meocionadaa algumas
dss ditas fszendas, a saber :
Chitas largas cor fiza a 240 rs.
Madapolo fino com 24 jardas a 59.
Cambraiaa da cores a 280.390 e 400 rs. o co-
rado.
Velludo preto a de cores a 29.
Lindeza de cores a 160 rs. o covado.
Lencoa pequeos a 80,190 e 160 rs.
Cbapaoa de csator floo a 89.
Chitas pretas mullo largas e lloaa s 240 rs.,
Algodio trangado prato muito bom para vesti-
dos da ascravos a 900 rs.
Cambraia lialcom 10 ardasa 2f.
Casss de salpicoa com 10 ditas s 39.
Gambrsia bordada para cortinados com 8 va-
ras a 9/.
Vaedsm-se dous porcoa inglezes
qae devom agradar amito a
para erleeio
to grandes a 39, ditos da cusa adamascada a 809 saahor de engenho, ou mesmo par
ra.: na raa da Imperatriz n. 60, loja a armatast eatrada de Joo de Barrea, 1
4a Pavio da Gama 4 Sil*s. Cscala, para aa tratar da ajuste
Bts^aeaaal "

M-




H.RA.D.W.OD1,,,.
AAFEST
JO A O
-se no m\m
FR00RESS0
DE
Francisco Fernandes Duarte
liarlo ila Penlia
o mi is superior que lem vindo a este mercado a 800 rs. a libra,
o melhor que h no mercado a 20800 e 2*200 a libra, aianca-se a boa
marcas mais acreditadas a 159000 e 209000 o gigo, e em garrafa a
Os melhores gneros q m vem a este mercado e por menos 10 por ceoto do que em onlra
qiMlqer parte, garanudo-se t iwa qualidade, por isso roga-se a todos os Snrs. da praca, de en-
gaitos eravradcres o favor de rutmdarera suas encommendas a este muito-acreditado armazem de
moihaJos, afim de verem a diffurenca de preco e qualidade que faz, se fossem comprados em outra
qulqiier parle.
JMMMJW* confeiudis para sorle de S. Joao a 800 rs. a libra, tambem tem-se para
f*0 rs. a libra sanee em por$ao, tanto da urna qualidade como de outra se fax bati-
mento.
Wla&tega l|g\eK* da safra novada primeira qualidade a !#000 a libra, em
barril se fzabalimenlo.
ttanteiga frtmec xa a mais nova a 720 r3< a ,ibra> era barr, 1600 rS
^UCi}61 O TeiQ muito frescos chegaiosnesle ultimo vapor a 29000 ditos che-
gados no ultimo navio a l98oO.
Queijo praio
Gha. UyHsoa
qualidade.
Jr uuxnii 0 que e wde desejar neste ganM0 a 3?f0OO a 1bra
jLjUa pteiO homeopatbic:> a 2*200 a libra em porcao se faz abatiraento.
i. i <\nes n.wo d pavio lransado a 320 rs e em ttMg eom 40 cattas por 10WOO
ti&taSCOm am^UiO^ confeitadas, proprias para mimo, contando* mais con-
fettese assucar cand. lo por 1*600 cada urna.
las em caixinhas de 3 libras chozadas altimamente a 2*000 cada urna e a relalho
a 430 rs. a libra.
OOiaXiniia d soda en [alas com djferenles qualidades a 1*440.
BOiaxlFill* inglfzaaiuis nova que h no mercado a 4*000 a barrica e a relalho
a 320 rs. a libra.
ViH.no & P*P* de superior qualidade Porto. Figueira e Lisboa 500, 560 e 640 rs.
a garrafa, e em cana la a 3*500, 4*000 e 4*500.
ViUftOS eag&r?*lV44>* Duqua do Porto, Ligrimas do Douro, Carcavellos, Fei-
toria ve'Iio, e de outras muas marcas acreditadas a 19200 a garrafa, em caixa a 12*
tambem ha para 1*030 a garrafa.
Ch&imp>4\c das
14800
OtTVj da marca cobrM i ou de outras marcas conbecidaa a 5*000 a doria 6 500 rs.
a garrafa.
*"*** francezas e portuguozas em latas de 1 libra por 640 rs.
M*$% <5 tomate m tattas de 1 libra por 800 rs.
A.'iHlXfc8 f rafeen*:'.&S em latas de 1 e meia libra por 1*500, ditas com 3 libras por
90800.
%m^H. W#2te# a 120 rs. a libra e em arroba a 3#000.
tY\e\ll, maCJiTrati \ft.\Viatim a 400 rs. a libra, a em caixa com 1 arro-
ba por 69000.
Ki&irelll auft, pevide ( roz de massa branca ou amarella, a 640 rs. a libra, e em cai-
xinhas muito enfeiudus se faz obatimenlo.
* ailnOS de l^U^Ci xados o? maisbsm feitosque tera viado a esta mercado a 280rs.
tambem ha para 200 rs.
YreXUmot VDgY*-Z 640 rs. a libra e do reino o mais novo que ha a 560 rs. a libra.
CAkuiiTiga e pato muito novag a 560 rs a libra eem barr ^ far aba,ment0.
l me o melhor petisco riue pode haver por estar prompto a toda hora a 800 rs. a libra.
m. tiUClUli <--' do tfe &Q mui,0 novo a .8o rs. a libra e em barris de 1 e meia arroba
a 59 e 7* a arroba.
^HOttfl*8 em latasj r rompas para se comer a 1*800 cada nma.
Baha de poreo Itfinada em ,alas wm 10 libras por 4|300<
- em T"* muito fina e alva a 440 rs. a libra eem barril a 400 rs.
A irduwi, propnos para mimo a 500 rs. cada ura.
,. imperial lo afamado Abreu ede outros muilos fabricantes de Lisboa a 800 rs.
a libra.
airmelada de Alpenhe em latas de 2 libras por 1*000 cada urna,
rUCl.'SS de doce em calda as memore quehaem Portogal como se-
jam pera, pesego, d masco, ameixas, ginja e sorejjas a 8U0 rs. a lata.
Mocea se ce.is e 9m caida) era lalas> & 4 a 5 libras por 2$ooo.
l^nOCOlfcU hespanbola 1*500 rs. a libra, ditto francez a 1*100 ditlo portuguez a
800 rs alianza-sea boa qualidaJe.
** de primeira qualidade amo do Rio como do Cear, a 320 rs. a libra, em arroba *
99500, dito mais bai o a 280 rs. e 8*500 a arroba.
dfl Franca i mais nova do mercado a 240 rs. a libra, e em porcao se faz
abatimento. r *
*8U muito novo a 320 rs a libra e em garrafSes com 5 libras, por 2*000.
* *lUft* do reino das marcas SSS ou galega, a 140 rs. a libra.
Ulia do Maranbao alva e clmirosa a 160 rs. a libra e em arroba 4*500.
W ela ^ carnauba refinada a 400 rs a libra, e em arroba o 12f000.
&Zeit$ doce refinado i, 800 rs. a garrafa, e em caixas a 9*000.
Vinagre 0 Lisboa a 240 rs. a garrafa e era caada a 1800.
*'*^a0 cherez verdadeiro i 1*500 agarrafare em caixa 14*000.
M nUO braceo de .L*oa 0 mais superior que ha no mercado nroprio para missa a
640 rs. a garrafa e en caada a 4 J>50.
j^. suspiros do fabricante Brando em meias caixinhas, por 2}500.
suspire do fabrican o Catanho & Filhos em meias caxinhas a 2*000.
| em caixas de 100 rafalla Imperial, Yugantes, e PaneDiellas, a 2*000 a caixa.
AipiSla muita limpo, a iBOrs. a libra, eem arroba 5*500,
AieUOIia nn,ito nova, a 19600 rs. cada urna ancoreta, e a 400 rs. a garrafa.
Arroz de Maraohao a 1M rs a libra, a 8*700 a arroba.
^ de postas em latts dm melhores quabdades de peixa que ha em PortmJ a 1*500 rs
GMefcra 4e H,.lla aa ^.^ com 25 ^ ^ ma
Abanhaflns,
Libras slerlinas
Vende-e no aicriptorlo de Manoel Ignacio de
Olivaira Filbo, largo do Cerpo Santo n. 1.
,~ vD^f- d eiquina da ra di Con-
cecio da Boa-Vlata n. 47, em muito boa logar :
3"lM pretend*r ^'U- do Cbug n
Superior calda Lisboa.
Tam para venAer em porcio a a ratalko Anta-
nio Laiz de Olivaira Amado 4 C-, no ea -
criptorio ra da Cruz n. 1.
Brincos pretos a balo, e
outros objeclos para
luto
Deues objactoada que faoia lof.Uimente UnUa
fimilus prectiam. na loja 4'ag.i brea acn.-ae
m bom aortioaaio dellea. aendo brtaco. a ioe-
taa a balas.iMiras moderna de gro** afor-
es cont. .lBa.teii para peito. ditos tambem pre-
lo, em caninha, booito e Bodarooi .dereco.

nf.ite para cbe?a, grampo da novoa molde '
Vendem-se dous paves:
nesta typographia.
No arm.xem da I. a. Borla 4 C, roa da
tl^tUSat'" "oe,UBto ">to =
Amendoas.
Vandem-aa ameodoa em frascoa e avultoa a
os boa rico papel com eilato pira aortei
na raa da Sensata Nova n. 80.
Algodo da Baha.
Proprlo pira roupa de eseravoe a aascoa da a
ucir : Tanda-aasa na da Crui n. |, eacriptorio
a Antonio Laiz de Olheira Aiavodo dt C
Relogios
Vande-sa em casa da Johnston Pater 4 C,
.<<** Viga rio n. 3, un bailo sortimento de
lelogios da onro, patente inglet, de nm dos mais
afamados fabricante da Liverpool; tambem
nma variedad da bonitos trancellina para os
meamos.
Agua de colonia ambria-
da esem o ser.

m > ttii n ii m i
MENOS DEZ PQR CET0
NOS ARMaZENS
PROGRESSISTA
iPiHkiiiif
I

n T
36
Ess eatimada agua da colonia ambreada, da
que tanto a tanto lempo entera a falta, acaba
, dai abegar em booito truco verde, os quaes se
pelliea, mete de sed a algoo para homn a eftao f endendo *500 cada am ; aaiim como
lanhoras : com os compradores de taai obiacto CDe50u 'fiawla um graobe orlimento da
se ter a maior coate*pUgae, attaoto o flm para Ter" de colonia de Piver em fruco
quewo: poriuodirigirem-ia i raa do Oaei- *rr*flnhia da differentea tamsoho, tudo U-
mdo, loja d'agaia branca n. 16. ,0 n* r" do Queimado, loja da aguia bran-
ATaaparaU 3^ ^ettosdeporceltanadou-
A loja d aguia branca receben Broa porcao da f,5,m ontade a us bella meninas est ven-
irroeta ou argot. de borracha, que acertada- 2eDdo commoamente este benito epearelho
mente aa appieaaa a difTerente fina, como tam- "* poreellana dourada, a pintada a 1*500 a M
tum e) fiara uusuw |epeia nao divewa ro- ,eBdo cada nn> 8 cawre de cblcara, e os mata
partigo. pablicas, no cartorios, eMriplorios, S?1*61?*"' ,,,a d qn todos irao (munidos de
SStett^SRt'frSl! SS"*^ -mpr.-,o. oar.edoQuaim.do
4?.^.Xfo7?Si XaSSEBE : BoitosI Paliteiros de porcel-
a*ara desatar um muso de papis toda* aa veres lana d0U rada.
mdo n. e. *>Q,e Banha japoneza e outrasmui-
tas novas perfumaras.
A loja da aguia braoca acaba de despachar, de
. ua encommenda um grande e bello sortimento
de unas porfumariis dos mais afamados fabri-
cantes, sendo ss bem coobecidas e apreciadas
buimarae & Lux, dono da loja da miudezas banna. japoneza, transparente, philocome im-
da rea do Qaeimado n. 35, boa Cama, participial S?"*1 ea> bonito copiohoe com lampa de rretal
ao pebliso que o sea estabelecimento se acba no coPo gran'.es, dita em compoleiraa li-
completamenle prvido das meihores marcadorisa se lapidadas, oleo de babosa, philocome e
tendente ao meemo ettabelecimenlo, e muito *jUDln> pomadaa ou cosmeslique, lama extractos
oatros objeotoa a goato, sendo quaei todoa race- "? P'loiooescolhidos cbeiroa Jackey-Club
bidoi da auaapropria encommendaa ; a eaUndo m,'w re9, miel d* Ingtelerra Marechal, frincip
elle ioteiramento resolvidoa a nao vanderem A,berli dorge IV. etc. etc. Becommeoda-ae a
Hado, afian^am vender maia barato do que outro 'od,, senhoras de bom goito o uso de qualquer
qaalquer ; e juntamente pedum aoi aeua dedo- de>ies eitimados extractos porque aquella que
rea que lbaa maodem ou vanham pagar o seas em BBa soc'edsde, thealro, ou baile estiver com
debtto, son peo* deserem jeetieado. seu Uno lengo orvalhado de to sublimes aromas
Soahall Mellors & C, tendo recebido or- ierlpo,r ce,, pr,,er de TW s u visinhas
dem para vender o seu creieido deposito da ralo- dad,re,,a esquerda Ihe readeodo homenaaem.
. 10.
Attenco
gu vtfo o iabticint ter-ae totiado do nago- Per6"Dl,rem donna F. onde com^rou eaae tio
ci ; convida, portaoto, s pecioa que quixerem af?rada,,el chairo T E ella orgulhosi de eu boro
poaauir um bom relogio de ouro oa prata do e- g0"0' roa* praxenleiro ihe responder:
lebre fabricante Kornby, a aproveitar-ss da op- na r*d> Queimado loja da agua branca nume-
portunidade aem parda da lempo, para vir aom- ro ,6,
?Mdo\ro%"." prefi0 M"dptoiia Papel amisade branco e de
cores.
BUHTE : C.
ra das Cruzes de Santo Antonio 36.
-.._. -*r-ro do Carino 8
em frascos grandes a 2 t-n/68 geaebras qua ** ao nosso merced
a granaes a 29> 'ende-se nicamente nesles armazens.
L.1 lgU 19aS em latas jajjromptas a 1 800.
Salames dos melhores do merc*do a 800 rs. a libra.
MantfaIf.tt!mnenfoIeZa ^ 8 "' -
Manteigra /raneeaa mais nova 700 rs. a Iibra a em barr| a m
r\ & }JSSpn is superior que ha no mercado a 29400 a 29800 a libra.
ia nilYm 0qu b^mor neste genero a 2#500 e 30000 a libra.
t/Jla pretO muito superior vindo a primeira vez ao nosso mercado a 2,200 a libra.
2%^qua vem d0 Ri0'em ,au,s da um'libra i r I*
0"eJnavio ^?08r00cI1d.OumChegad0S *"" "'^ V3pr' 22 9 os *** *-
Quijos prato
como nunca veto ao nosso mercado a 1000 a libra e inteiro a 000
rn.
muito novos a 560 rs. a libra e em porgao se far abationj|ttv
Loja das 6 por-|
tas em frente do^
Livramento. /
Casas (raocezas de bonito gostea a
320 r. o corado, luvaa de trogal preta
e de eda a 500 ra. o par, chitas Trance-
lis largas escura a J40 r. o eovado.
ditas fioaa a 260 e J80 rs., 016 de llnho
liso a 640 rs. a vara, larlatana fina de
todas aa cores a 800 rs. a vara, lencoe
branco com barra da cor a 1|400 du-
sia e ISO recada am, meias para ho-
rnero a lgSOO a dazia e 110 rs. o par,
chita para coberta de boniloa deae-
nhot a 220 r. o eovado, pecaa de bre-
tanha de rolo a Sp1, ditas de cambraia lis
com 6 i\i varas a 3, mustelin encar-
nada a 240 rs. o covao, calcinhas para
menina de escola i 11 o par, peito
pan esmisa brancos o de core a 200
rs., pecas de cambraii branca de lalpi-
co a 33500, algodo entestado o melhor
a 700 r. a vara, dito branco para loa-
lbas a ig a vara.enfeitea dos mais mo-
dernos a Raribaldi a 6, loja eit abor-
ta at as 9 horas di noite.
\ ende -se pacotas com 100 folhaa de papel ami-
sade branco e de cores a 800 e 640 cada pacote :
na ra do Queimado loja da aguia branca nu-
mero 16.
A boa ra
Ra da SenzalLa Nova n. 42.
Vende-se em casa da S. P. Jonhston & C,
sellios e silhoes inglezos, caodieiros e caslicas
bronzeados, lonas inglezas, fio de vela, chicotes
para carros a montana, arreios para carros de
um a dous cavallos, e relogios de onro patente
ingle*.
Vende-ae ou arrenda-ie um grande pro-
priedide meito parto da praca. com grande ole-
ra de dous foroo, capelli. urna boa ca de vi-
veoda, diversas caas habitada, dous grandes
viveiros, muitas arvores de fructo, iacluiive di-
vero coqueiro : a tratar com o Dr. Souxa Reis
ou com o major Belarmioo do Reg Barro na-
ta cid.de, oa ni Magdalena, W M
0 Livro d Poyo.
Sanio luz publica o LIVRO DO POVO publi-
cado aob a direccao do Sr. Dr. A. Msrq.es Ro-
dngues, e contm a vida de N. S. Jeo Chrito
segundo a-oarracio dos quatro evangelista a
maia os seguiotei artigo: o vigario, o profos'sor
primario, o bom homom Ricardo, a moral prali-
ca, Simo de Nantua, mxima e pensamentos
a byglene, os devore do meninos, e o Brasil '
A pubticacao do LIVRO DO POVO nao tem
por nm umtormiiar a leitura na escola piimi-
riaa, onde cada menino aprende por um livro
differente, e portaoto facilitar o trabalbo do mu-
tre e do ducipulo, como tambem vulgarfiar or
am prego baratiuimo, a historia do ailvador do
mundo, e oa melhore* preceitoa da moral
Vende-se o Livro do Povo, no Reeife, na
hvrana da praca da Independencia na. 6 e/8, a
ww ra. o exemplar em brochura, a a 800 rs. cir-
lonado.
veode golliohas a puohos com botoes para se-
obora, (ateoda muito boa, e pelo barattasimo pre-
Co daSg : Da ra do Queimado n. 35, loja de
miudezas da boa fama.
Alteeca*ao vigilante
Na ra do Crespo n. 7, loja que
foi do fallecido Joo Ceg,
est torrando por todo o
preco.
Cora es.
Os verdadeiros fios de coraes redondos assim
como rair, poi o mais superior que tem viodo
ao mercado : i no vigilante ra do Crespo n. 7.
Mirranga ou continlias.
Micanga ou conliohas de muito linda cores a
J40 r. o micioho : a no vigilaote ra do Cres-
po n. 7.
Conttnhas do Rio.
Continuas douradinhaa miuda e grossa proprlo
para pulceiraa das quaes se eatao ozando muito
por aer ultimo gosto, a 840 rs. o macinho, asiim
como aljosr b.anco ede cor a 300 r.: a no
vigilante ra do Crespo n. 7.
Lencos brancos para algibeira.
Ainda se vendem lengos brancos fino* para al-
gibeira pelo baraliaiimo prego de SJMOO a duzia :
na loja da boa na ra do Queimado n. 2.
Meias para senkora.
Vendem-ae meias finas para senhora pelo ba-
ratsimo prego de 39600 a duzia : na raa do
Queimado n. 22, na bem conhecida loja da
boa T.
Pcnnas d'aco.
As verdadeiris penas inglezas caligraphicas a
10400 rs. a caixinha : i no vigilante ra do Crea-
do n. 7.
Banhas ou leos e cheiros.
A superior banha transparente a 900 rs. o
frasco. *
Dita em latas de folhade meia libra a 500 rs.
Dita em latmhas de quarta a 310 rs.
o TerJad.iro oleo da aociedade bygieniea a
900 rs. o frasco.
Dito macanar e muito fino em frasco peque-
o a 19600 a duzia.
A verdadeira agaa da eolonia fraico grande a
900 rs.
Dito pequeos maimo em garrafinba i 400 r.
Dito com superior agua de flor de laranja fras-
eo grande a 400 rs.
Dito com encllente agaa celesta frasco gran-
de a 15.
Dito frssquiohos pequeos com vioagre rugi a
400 rs.: s no vigilante roa do Crespo n. 7.
Para conservar dentes.
asento de todo que
Os verdadeiros pos da ociedade bygieniea pa-
aioeas de ouro de 16$ e 20$ ra denle'em frasiuinhos de vidro o mai 0pe-
Veode-ee no eacriptorio de Manoel lanaetr.de r.ior.9u"V>m ?* P' baratiaaimo pre?o
Oliveira & Fllho, largo do Corpo Santo n. 19.
Queijos
mais frescos que tem vindo ao nosso
mercado chegados no ultimo vapor a
20000 e no paseado a 10800.
Amendoas
coneitadas a% mais bonitas que ha no
mercado a 800 el j a libra : vende-se
nos armazens Progressista e Progresi-
vo no largo do Garmo n. 9 e ra das
Cruzes n. 36.
Multa attenco.
Na loja de fura Cardozo, ra do Im-
perador n. 4V0, vndese roupa* feitas
de todas as qualidades pelos precos
mais barates possiveis que se pode ima-
ginar, pois pode vir os freguezes com-
prar porqu pechincha.
_ preco
de 18 o (ratqulnho, asiim como em caixinhas
quadredlnha a 200 rs.: i no vigilante raa do
Crespo n. 7.
Gollinhas e pulceiras.
Lineas gollinhas a pulceiras de micanga pelo
baratiuimo prego de pulceiraa a gollinhas 3f,
pulceiras 2 e gollinhas lj> a 18500: a no vi-
gilante raa 4o Crespo o. 7.
Sestinhas
Seitin ha muito linda com seu par lenca pa-
ra menino 38 e 49. assim como iodiapenaaveia
de cantinhaa ou micaoga proprios para menina
trazar no braco com leacinho pelo baraUasimo
prece de 18 : i no vigilante rus do Creepo nu-
mero 7.
Tintetros.
Tinteiros proprios para menieo da escola oa
meimo para quem osqaizer comprar por bara-
tiuimo preco a 800 ra.: a no vigilante ra do
Craipon. 7.
Polassa a Russia.
Vende-se em casa de II. O Bieber &
C, succestores, ra da Cruz n. *
Paios e chur5ris
. P? *ftJ,S dediversos Umanhos, savel, sardo, pargo. pescarla-, valla, lingoa-
dos fritos, atm maraado, robllos e lulas de tigelada, de l3t>0 a 29000. a lata.
TOUClilllO lO reino mailonovo a Sao rs. a libra e 9500 a arroba a ur.6.
temos para 240 rs. a libra e 61500 a arroba.
Banha (le POICO em latas com 10 libras por 4*400 e 480 a libra.
MarmeladA imperiHl de todos os conservemos de Lisb6a,em lata, da liban*
meta e 2 libras a 750 rs. a libra 0*^vF
Latas COID frutas eiU calda comosejampera, pecego, damasco.slpar-
xe, ametxas a guija, a 700 rs. a lata.
Viarmelada de Alperceemiala8de 2Iibraspor lf000cada um
OCe da CaSCa da gOiabrt 800 e em pocraosefar abatimento.
J^^CeS SeCCOS diferentes qualidades em hcelas muito bem arranjadas a 3S00O.
limaras em caixinhas a 2*500 e 600 rs, a libra
f'assas era caxinhas de 8 Jibr s ,25ooe6o0rs.. ibr..
I lDOS Ca COraadre muito novos em cixinha de 8 libras e muito bem enfeitidas a
, #20O 320 ra. a libra.
t'iTViihas francezas e portuguesas a 64o 720 rs. a lata.
MaSS i de tOUl te em ialas de t iibrra a 8OO rs.
AraeildoaS d{ CaSCa mole BUto novas a 400 rs. a libra.
JX OZeg muito novas a 200 rs. a libra.
AllieiXas franCeZ sS m latas com 5 libras por 4#000 e a 1*00 a libra.
Chocolate hesptlllol a 1200, francez a l000e portuguez a 800 rs. a libra.
liOl Xilina d SOda em latas com difiranles qualidades a 1400 a lata.
^laaSaS pa ra SOpa macarrao e talharim a 240 rs, a libra e a caixa por S9Q09.
V^a IXlflU&S muito bem enfeitadas com pevide, rodinha, eslrellinha, etc. a 700 e 800
' aiItOS IlXatlOS njra dantas era molhos cora 20 macinhos a 200 rs.
JyOIO i? raCeZ para limpar facis a 180 rs. e em porfi te far abatiraento.
Espermcete SU perur sem avaria a 740 e em caixa a 760 rs. a libra.
Sardinhas de Mantes mUito novas a400 e eoo rs.
AlpiSta muito nova a 200 rs. a libra e 5500 arroba.
AZeitS doce refinado de diverjas marcas a 80U rs. a garrafa e 99000 a duzia.
BOlachllllia nglezaa mais nova do mercado a 300 rs. alibra o 45200 a barrica.
l^Oina muito alva a 100 rs. a libra e 2*500 arroba.
V inllOS engarrafados duque do Porto, genuino.Porto fino, madeirasecca, Carcavellos, nc-
tar, feitorta, velho secco, Museatel a 1*200 a garrafa e 129000 a duzia.
D 108 em pipa Porto, figueira e Lisboa de 500 a 600 rs. a garrafa ede 4*000 a 450O a ta-
ada.
oerVr jaS das mais acreditadas marcas a 500 rs. a garrafa e 59000 a duzia.
'-*il:- ipa 11IIi.' das marcas mais acreditadas que h no mercado a 149 e 209 o gigo.
UOgliaC inglez a 109000 a caixa e 19000 a garrafa.
Ginebra d& Hollallda verdadeira a 79500 a frasqueira e 800 rs. o tnmo,
AZeita n8S en ancorlas as melhores que ha no marcado a 2* a a 400 rs. a garrafa.
M I'aCJlies superiores em caixinhas a 109 e a 320 rs* a carta.
i t llt S do gaZ a 29500 a groza a 240 rs. a duzia de caixas.
*lb 1 retinado m paeotes de mais de urna libra a 240 rs. a em porcio ter abatiraento.
Lfftf do RlO 0 melhor que ha no mercado a 320 rs. alibra e 9*000 a arroba.
3eVa lllia de Franca amis nova do mercado a 240 rs. a libra.
Sa ^U muito novo a 320 a libra.
Farnha do Mar ll lia O mnito al va e nova a 160 rs. a libra e 19800 a ar-
roba.
Velas de carnauba e de coraposico a4oo rs. alibra a i%*
a arroba.
Vinagre purO de LlSboa ,240 rs. agarrafa e a 1*800 a caada.
2a^^as^Ui,,0 virdideiro da zira, de liraone, caf, menta, genepro, mando*'*
curacu, rosa sublime e outras qualidades da 15500 a 29 a garrafa.
Er Va doce muito nova a 400 rs. a libra.
ArrOZ COTO toque da ava ra em saceos de 5 arrobas a 59 a saana a l5f
a arroba.
Cala TU tOS verdadeiros superiores a 29 a caixinha de 50.
Salmn era lataS cora duas lbrai o mais bera arranjado que tem vindo ao mar
ando a 19400.
Vlatltega eiU latas com 4 libras a melhor do mercado laerado
89200 cada orna.
V 1IIagre an garrloeseom 5 garrafas de superior qualidade a 19200.
A ra r li f a verdadeira amito nova a ^20 a libra.
Alm destes gneros encontrar a saBpjitavel publico era nossos araasan um cnstftat
sortimente da tudo tendente a molhados.
Amendoas CllfeitadaS mi* baratas que ha noaaaraa4a iSMn.
a Abra.

;a.


Dumo M mhuiamboco sasom mu tu jotho de ...
tosas itiiMm para ca-
bello.
* \d0 !2,,*a* Una 'M*bi.lo bonita, ro.
m ro. do Qu.im.do qi toja tejua n. 68.
Aljfar fino i mita ad o perola.
Vende-se a 500 rs. o fio de s|,>fsr fino, imi-
snoe perol : na ra do Queimae roja d'agula
VTAlHt n. lo.
Cambrams
Vendem-se cambraia. da coren de booitoa
alegantes deseohoi a 280 a 320 n o covado: na
ra da Im peratriz, loja o. SO.
Sftp
diados.
adem-se oliados pinl.doi de odis tiIh e
fc Urguras da 6, 7. 8 e 9 palmo, pro-
Besa de jactara tj o corado : na ra
eralriz, loja n. 20.
atos de borra-
cha para senhoras a
1,500 o par.
Ealaaot no mez Marianoo, por sso i de ne-
eessidade que aa saoboraa que bsin se applicam
aessa boa devogao te previnam de uro par de as-
palos de borracha, para assim lerem os ps res-
guardados da humidade, eem altar.nao a to jue-
to e louvavel fin>. esto ae vender do a 14500 o
MBtflS!- 9 Qanm*0' l0ia "'w. "
Borzeguins,
Ra da Imperatriz n 10 loja
do Pinto.
Vende-se pelo baritiaiimo preco :
Bomgaiae de lustre para hornea a 83.
Olios de bezerro para homem a 8jL
Ditos de cordavo para dito a 8.

Attenc
D.
3,800
rs
I AMlLLUem grande sicco*. c'iagadoullima-
jnerjte, muito novo e bom a 38t 0 : em frente
Majfandega, na armizem do Aonrs.
Fazendas pretas
superiores.
Oroidanaple preto mujlo superior pelo dimi-
autoereco da12 o corado, panoo |ireto muito 0-
. *. a i"-?.9* c'do, caaemira preti
muito flna 25. 3500. 3, 3*500 a l o covado,
maotas prelas de bloode multo su priores a 12a
mantelete* de superiores grosdenaples prelos ri-
camente bordados a 35, sobrecasacaa de panno
weto muito flno a 30, casacas tam era de panne
preto multo fino a 30. paletots d, panno preto
?i- ".L20* dUoa de lemir. de cor mes-
ciada a 18, superiores grsvalinhsa estrellas i
flU\2m T0llM a dil" Cuabas
to para colletee a 4 o corte, ricos i afeites preto.
StJ 8"lmou,ra ">" fszendsi qe sendo i
f. .'* ,MHi' "- Por prrcoe m.ito V
d.,,jaMd.ttb,oa0f2Ue,m'd0n- D *" "h-
Obras de vidro,
escarradeiras, e palmatorias
lapidadas com mangas.
Vende-se na loja d'aguia branca mui bonitas
escarradeiras de vidro* de core* a 4|500. 5 a 6|,
assira como palmatorias de vidro lapidado com
mangas bordadaa a 4*500 cada um na na do
Qaeimado, loja d'agula branca n. 16.
Meias em quantidade*
Na loja d'agula branca acha-se um complato
soitimento de maiaa de todas as qualidadea a
precoa, sendo para homena, aeohoras, menino
* ".T'0"* de 6 see a 12 amos. Bnoumarar
oa difiranles pr.gos coDfaadir o pretaodente ;
aula quem se quizar convencer do quio baratas
aa eslo ellas vendendo, diriglr-se com dinhei-
ro i dita loja d'aguia branca na ra do Queimado
numero 16.
Superior sebo em velas e em
pes, ca'xas de urna
arroba
Vendem Antonio Lua deOlivoira Azevsdo &
C, no seu escriptorio ra da Cruz n. 1.
Jacaranda superior.
Ten para vender Antonio Luiz de Oliveira A-
zavedo & C, no seu escriptorio ra da Crex n. 1.
Coraes lapidados.
Sao grossos que admira.
A loja d'agnia bronca acaba de receber urna
pequea quantidade de coraes grossos lapidados,
oa quaes aervem para aa voltas que ltimamente
usara as lenhoras, o asta vendendo cada fio por
2, 2500, 3 a 4 : na ra do Qaeimado, loja
d aguia branca n. 16 : aasn como recebeu miis
aa bonitas pulseiras de miaeaogas.
Feijo superior.
Na ra do Viga fio n. 10, armazem,
tem para se vender muito superior
feijo.
Atten^o
43 Ra do Amorim 43
Vende-se arroz pilado da
pelo barato preco de 1600
4 a 5 arrobas.
muito bos qualidade
a arroba, taceos de
Olliera para o pava e
Camisiohas com golliohas e manguitoa
de cambraia bordados, fazenda mo-
daroissima a
Ditaa de fuslao com salpicos de cor
Golhnhaa bordadaa com botaozinho
Ditaa de todoa os gostos a 640 e
Dilaa com manguitos de cambraia bor-
dadaa a
Manguitos de cambraia bordados tatito
fios a
Golliohas bordadaa a
Romeiraa de cambraia enfeitadas para
luto a
Camiainhaapara aeohora a
Leocinhoa de linho com lsbyrinlho para
mao a
Ditos a imitacao de labyriotho a M e
Lujas da torcal enfeitadas com vidrilho
Eoeiles pretos com vidrilho a
Ricos anfeitea pretoa e de corea, a Turca
e Garibaldi
Grosdeotple prelo a 1600,1800 o
Todaa eataa fazendaa vendem-se na ra da lm-
1 peratriz n. 60, loja e armazem do pavao, de Ga-
ma & Silva.
5*000
3JKKK'
18000
800
19600
le ooo
S40
3000
3000
2500
1J280
500
800
6gOOC
sooo
A vender.
Urna victoria em bom estado e um lindo ca-
briolet novo ambos com arreios : para ver e tra-
tar roa Nova n. 59, cocheira de P. duardo Bour-
geois.
Borzfguins iaglezes.
Ni rus da Imperalriz n. 10 defro.ite da boneca
loja do Pinto, recebeu-se palo ultiuo vapor um
grande aorlimento dos j bem acn litadoa bor-
segains ioglezes que vende-se por |l)f e 11, di-
Dheiro logo contado.
Nova expsi-
to de candieiros
agaz.
O proprietario da nova ezpoaico avisa a todos
os consumidores de gas hydrogeoio que tem re-
ceido novameote urna qualidade dti gaz super-
fina, li.im como tambera de todaa ni qualidades
communs qae se vendem oeste mei<:ado, girsn-
tndo o mesmo proprietario a qialidade que
?ende naata de falsicges. Tambvm avias qua
tem recebdo grandes remessas de cindieiros que
?ende em porco e a retalho pelo rreco da fac-
tura, cuja vaotagem pode ser coi liecida pelos
pretendiles, teodo aempre neale estabeleci-
mento todoa os uteocilios pertencectes ao con-
sumo de candieijos a g.z : na ra ^(lva n. 20 a
w, loja do Carneiro Vianna.
O proprietario da nova exposicio >viaa ao pu-
blico queiseus estabelecimaotos se sebam todos
haberlos at aa 9 boraa da coi a iilumioa-
J o mesmo gaz hydrogenio cimtendo nos
mensas* estabelecimentoe orna riqai .lima saUria
de quadros que muito intratar a cu ioaidade das
familias que quizerem visitar esien eatabeleci-
mentos, assim como um numeroso sortimento
de objectariaa que por goato ae podom comprar
garantiodo aos concurreotea a franqueza do in-
gresao em seus eslabelecimentos : mi ra Nevi
n. i 4, loja de Carneiro Vianna.
6
A loja da victoria, candieiros
gas de noros gostos e modelos, lauto para sala,
cono pareasoeada e quartos e para o. tras muitas
coasas: na loja da victoria na ra ( o Queimado
n. 75. ^
SEDAS
Cinco tus.oes.
na loja dopav.o
eoraprfdo. e ditaa de Waa atreves-idas, dilaa
LdEm^^ P^droe'a ede-
o rs. o covado, pechiocha
amostras cosa peohor : na ra da
60. loja e armazem do pavio de Ga
fHl5t'*1"a ""'"'w e
f**71je"M' proprlo, commodoa
{^Irsuie par. a rio Captbactbo
tender, dinja-ss rea Nora n. 47.
ii dio ae as
Ir peratriz n.
'i & Silva.
?'>co da Pa-
para grande
! .uein pra-
Sementes de hor-
talices
Na ra da Cruz o. 31, deposito de pao e bola-
cha, veudem-ae sementeada hortalices viudas de
Lisboa.
Milho a 3^500 a sacca.
Milho de superior qualidade em lotea de dez
saccas para cima ao prego cima, no armazem n.
4, defronte da porta da alaodega.
Novidades da Arara,
S na grande exposieao de
fazendas baratissimas
na oja e armazem da
Arara, ra da Impera-
triz n. 56, de Maga-
lhaes Me rules.
Vende-se o mais barato possivel a aaber: la-
zinbaa para vestidoa de seo boraa, eroupa de me-
ninos a 320 t$. o covado, la chineza de urna s
cor propria para capas da moda com 4 e meio
palmoa de largara a 640 ra. o covado, fusto de
corea para vestidos de sennoraa a 280 e 320 rs. o
covsdo, casias a Tarca multo fina a 2i0e-280rs.
o covado : na ra da Imperatriz loja da Arara
n. 56.
Arara vende as cambraias.
oJS?ein"ae pe?a* d# mbraiaa lisas s l600e
8000, ditas finas a 2500. 3000, e 3S500, golli-
nhaa para senhoraa a 500 ra. golla e manKaitos
de lioho a 2500. lencos branco a imitacao de
labyriotho a l600: na ra da Imperalriz loja e ar-
mazem da Arara n. 56.
As saias da Arara.
Vendem-se saias brancaa bordadaa a 2&500
ditas de 4 pannos a 3g e3S500,cambraiae deca-
rociohos com 8 e meia varaa a 4 a pega, cortes
de chitas Unas com 13 covadoa a 2500 : na i a.
da Imperalriz loja a armazem da Arara d. 56.
Arara est vendendo.
Vendem-se pecas de madapoln elephante
mano lioo com 40 jardas a 14, dito de 24 jardas
4400. 4600. 5000. 5500 e 6$000. dito in-
LeK^ a 3' co,le, de esmbraia com barras a
ijow: na ra da Imperalriz loja da Arara
n. ao.
Arara j vende as roupas.
ad.em*,e palUoU 4* P"Dno Pret0 SOO e
OflWW, ditos decasemira de corea a KWOOO, al-
lel? c"1emi" P'et s 450O. ditaa de corea a
Ogaw, palitots de alpaca 3g500 e 4000, ca-
Sh" fiSS^il 160 e 2W. soulaa do li-
nho a 15600 e 25. collsriohoTde linho a 500 rs.:
na ra da Imperalriz loja da Arara n. 56.
Arara vende as capas.
(JS?dem,'*acaP8 Perfeitameute modernas s
W0 c lftJOOO. manteleta de groadenaple prelas
modernos a 25J000 e 308000. chales de
Ricos
cortes de vestidos brancos
bordados.
Vendem-se rkos cortes de v.stidos bronces
boraadoa com 3 babados pelo baraiissirno preee
de 5 o corte: na roa do Qaeimado o. 23, na
bem conhocids loja da boa f.
Camisas inglezas.
Vendem-se superiores camisas inglezas com
pregaa largaa pelo baratissimo prego de 35 a da-
lia : oa lega da boa f, na ra do Queimado nu-
mero 22.
Ricas gollinhas e punhos
com boies
Vendem-ee ricas golliohas e pannos de cam-
braia e fosto ricamente bordadaa com lindos bo-
toes, pelo baratissimo praco de 2 cada guarni-
co : na ra do Queimado n. 12, na loja da
boa f.
Fazendas baratis-
simas
Superior bramaete de linho com duas varas de
largura a 2400 a vara, atoalbado da linho ada-
maacado com duas larguras a 2500 a vara, brim
branco de linho muito superior a 1(440 a vara
dito de corea, fazenda mullo superior a 1, dito'
pardo de linho poro a 800,1 o 1200 a vara, di-
to de quadrinhos muito proprio para caigas, ja-
qaetaa e paletola para meninos s 900 rs. o cova-
do, gangas franceses muito superiores s 400 rs. o
covado, cambraiss francezas ailo finae e da
muito bonitos padreea a 260 e 280 o covado,
cambraia liaa muito fina a 4$, 5 e 6 a pega coa
8 1|2 varas, cambraia com salpicos tambem com
8 1(2 varaa cada pegas a 4500, dita muito supe-
rior o melbor que ha neste genero a 11|500 a pe-
ga com 17 varaa, oa a 800 ra. a vara, chitas fran-
cezas de muito boaa qualidades e de lindos pa-
drdes a 240, 280, 300 e 320 o covado, fil de li-
nho liso muito fino a 720 a vara, larlatana bran-
ea_e de corea a 760 a vara, toalbaa de lioho para
mos a 7 a dnzia, ditas pelludaa muito superio-
res s 11 a duzia, gollinhas de cambraia borda-
daa a 800 rs., manguitos e Rollas do cambraia ri-
camente bordadaa a 2 o par do manguitoa cpm
ama golla, lencos br.ocoa muito fios com bico,
renda e labyriotho a 1g280 cada um, ditos de
cambraia de linho para algibeira pelo baratissimo
prego de 4, 5 e 6 a duzia, e assim um completo
sortimento de fazendas de todas aa qualidades,
que aendo a diobeiro visla se vendero por pro-
cos mui baiio. : na bem condecida loja da bos
f, na ra do Queimado n. 22.
Camisas e ceroulas
Vendem-se superiores ceroulss de lioho muito
finas pelo barato prego de26 a dnzia, dilaa tran-
gadas de algodao, maa de muito boa qualidade, a
17 a duzia, camiasa brancas francezas a 21, 248,
26 e 30 a duzia, ditas para meninos a 22$ a du-
zia, ditaa para hornero com aberturas de corea a
22 a duzia : na bem conhecida loja da boa f
na ra do Queimado n. 22.
Manguitos com golliohas.
Vende-se manguitos com gollinhas, fazenda
muilo boa, pelo barato prego de 2JO0O, gollinhas
e punboa ultimo goslo a 2000, gollinhas muito
fioaa e bem bordadaa a 1000 cada orna na ra
do Queimado loja de miudezsa da Boa fama,
Tiras e ntremelos bordados.
^5.0de;, pe5*" tfe "" bordadaa de 2,500.
3,000, 3,500 e 4,000 eotremeios a 1600 e 2000
cada peca na ra do Queimado loja de miudezas
da Boa fama, n. 35.
fiouecas francezas.
V#ode-ae boneca. francezas ricamente veattdss
49000 e 5000. e SfOOO.bonecaa de cera com os
olhoa rr-ovedgos a 2fOOO e 300O, na ra do Qaei-
mado loja de miudezas da Boa fama, d. 35.
Fivelas de a50 para siutos.
c*.?,de""6 flTe,a de co pera sinto a 1500 rs. e
21000 na ra do Queimado loja de miudezas
da Roa fama, n. 35.
Baleias.
AGENCIA
FuDdieolow-Moor,
*n da Senzalla Ifov n. 4.
Heite esta beles man lo continua a haverum
completo sortimento de moendas a meias moen-
JM P*r "genho, machinas de vapor e taixas
de ferro batido e coado de todos os lmannos
para dito,
ahio aluzo
Gallo Vigilante.
K!a ru d? CrM> 7, aonde o reapeitavel pu -
Mico achara am grande o variado sortimento de
?n!,!IM qae Tena Pr Pre baratos,
uporcentodo qae ea ootra qualquer parte,
li? i0.00 MJ*' fr"i" P"u >m vidrilho o de
STTi. todaa OeWede, franja e galio
de linho, cascarrilhaa pretaa o do coree, frocoade
*g*i."* H.uissimos oofeites de cabega,
gakaoainhos de lioho a de seda para enleites
k P80IDboa P,ri rieocee, cbapeliohaa para se-
nbora, bonets do p.ooo o vallado muito finos
para meninos, fitas muito chiques para aioios,
msngmtos o gollinbss muito finas, lengos de
camoraia de linho muito finos, a mnilos mais
objectes qae se continuar aonunciar, poia veo-
*u por P1*?0 baratiaimos por se achar
am liquidago. Na mesraa loja se achara am
rico sortimento de amendoas e confeitoa proprios
para qualqaer mimo, qua se vende pelo baratis-
simo praco de 1J600 a caizinha.
A verdadeira essencia de ail
para engommado.
A'ab"dechegar para aloja d'aguia branca,
roa do Qaeimado n. 10.
Caixinhas e cabazes para
as meninas irazerem
no braco.
. Jel 'indas caizinhas e cabazea para meninas,
de 100 ris at 2500: na loja da Victoria, na ra
do Queimado o. 75.
Enfeites para senbora.
Os melhorea enfeites pretos e de cores que ap-
parece a 5500. 6 e 6J500 : na loja da Victoria,
na ra do Queimado n. 75.
Franjas pretas com vi-
drilho e sem elle.
Ricos sortimeotos de franjas pretas e de cores
com vidrilho e seo* ello : na loja da Victoria, na
ra do Queimado n. 75.
inhasde peso verda-
deras .
Linbas finas de
grandea a 240 ria :
do Queimado o. 75.
peso verdadeira*. meadaa
na loja da Victoria, na ra
Phosphoros de seguranza
Phosphoros de seguranga, por que livra de in-
cendio, a 160 ris a caixa: na loja da Victoria,
na ra do Queimado n. 75.
Baleias para vestidos.
Btelas muito grandea e boaa a 100 ris urna :
oa loja da Victoria, na ra do Queimado o. 75.
Linha de croxei para la-
byrintho.
Inores lionas de crozel para labyriotho,
monslros. 320 ria um : na loja da Vie-
ne do Qaeimado o. 75.
Rios espelhos de
moldura dourada para
salas
Chegou para a loja da Victoria ama pequea
Ae m
noval
toria,'
Calcado
Joo Jos Pereira eom loja o fabrwTde ci 5T
do na ra larga do Rosario a. 12 junto a batir,
do Sr. Pinto, participa .o publica qa tem ei-
poato em a dita loja diversss qualidades do cal-
cados feitos na mesas, os quaes sao sem diffe-
renga eloooaa igu.es aos franceses, mas como o
Joo Jos de Pigueiredo teo a boara de parti-
cipar a seus numerosos freguezes que ero seu ea-
tabelecimeolo de fazeodaa fio.*, na roa do Cres-
po n. 9, se encontra um completo sortimento ala
lasendas do ultimo goslo e mais baratas qae em
outra qualquer parte por se querer liquidar, ee-
e3WOO?' d<> P",h' da Ilalia para aenh0M M
Ditoa de seda psra s.nhora a 12 e 261.
?^2awortea da 8ed Bito bosta gestos a 80
u%ce*jB f *' o al vVUlu O stsa rv
propriatario n pode wr juiz oa csaaa propria .'i81*,,:
por aao pede aos seu numerosos ftegu.zes eeoirlea. "denaple de 30, 40 e 45J, ailo
publico em geral, que ain4a mesmo que neo
queira comprar, comtudo venh.m ampre ver as
amoalraa e admirar o trabalho dos artiataa per-
nambucaooa que trabalh.m am sus fabrica, pois
ae assim o fizerea, indubilavelmente apreciarn
o esmerado trabalbodoe msanos: e ae alem dis-
ao alteoderem a eatago actual jaaie deiiaro
de comprar porque alem de a obraaer de muito
maia durago acreace mais a circunstancia de
caaUr um diminuto prego em relacio aosfran-
cesas. rw^
Machinas para lavar roupa.
Honteiro, Lopea & C. receber.m machina pa-
ra lavar roupa ystema ioteirameote novo e
adoptado a este paz, pois qualquer pessoa pede
trabalhar com ellas por ser o seu aso o mais sim-
ples que se poderia desejar, aendo tambem mais
sconomico o breve : quem quizer comprar diri- i TaPscur. distante desta capital seis e meta
jam-ee a roa da Cadeia do Recite o. 30, que se i Llf80-*8' tendo lerr" da mor producco*nara
3,000 paes aoouaes, boas malas e todaa as obras
precis.s para locrar-ae, boos lavradores, dooe
cvrcadrs ; e tambem vende-se, no caso de convir
ao comprdor, urna boa aafra criada : a tratar no
mesmo eoRenho, oa na ra do Limmealo n. 32
segundo andar.
MafcOOO.
Chales de casemira muilo rico* a 11*000
nhraTs.' br"DC0, ^ "d* d* ia3!P*'a "
Vestidos prelos bordados a velludo.
Ditos de cores de diversos gostos e precoa. a
muitoa outroa artlgos para senhoras a borneo*
muito modernos, e mais barato que em parte tE
Vende-se a prestsgoes aunases o engento
Santa Croz, sito na reguezia da Luz, a margosa
lhe dar todaa a ezplicacdes 'por'eacriprpo-
deodo siber dos seus bons resultados por j se
p:!?rmS..7e%rriCd.ld'eegl0 C rpt" "^
Attenco.
Vendem-se muilo boos violos pelo diminuto
prego de 6, bordes psra diloa a 120 ra ditos
para rabeca a 80 rs., cordas de tripa a 40 rs. : os
ra da Imperalriz, oatr'or. aterre da Boa-Vista
oja de miudezaa o. 58, junto a loja do ravao.
Calcado francez
Chegado ae novo.
Grande sortimento de bolinee para hornero, e
as mais bellas para senboras e meninas : na loja
de vapor, roa Nova n. 7.
% Mobilia.
Na ra da Camboado Carmo loja n.
12, vende-se toda a qualidade de mobi-
lia tanto ao gosto moderno como anti
ga, phantbasia etc. por preco mais
commodo do que em outra qualquer
parte, az-ie toda a qualidade de obra
de encommenda com a maior brevida-
de e o maior apuro da arte.
Arados americanos e machinas
para lavar roupa: em casa de S. P.
Johnston & C ra da Senzalla Nova
u. 42.
tvmmmmm mmmmmmm
Grande
meias moendas.
ferro batido e
Vende-se baleias 120 rs. cada urna aspa de ago porgo de ricos espelhos de varios lmannos pare
psra balaoalOrs. a vara, bandees a 1500re. e ornamentos de salas, affiangando-se aerea M
^U o per, na rus do Queimado loja de miudezas melhorea em vidros que tem vindo : oa loja da
a fama, n. 35. Victoria, na ra do Queimado o. 75.
Cascarilhas de seda. 'f.a nui-a Kn.i**r1oi*
i-se ca.carnlha de seda para enfettar *** |/XI d UUI lid I ,
Vende-
vestidos a 2000 a pega na rea do Queimado
lojs de miudezas, n. 35.
Meias de borracha.
La mnito boa da todas as cores psra bordar, a
7 a libra : na loja da Victoria, na raa do Quei-
mado n. 75.
Vende-sa meiae de borracha para quem padece SintOS (lOUFAlns; narl CP-
de eryaipela a 15000 o par, meia. de seda prela ^"tW9 UUUI pdl d be-
para senbora a lfOOO o par na ra do Queimado
loja de miudezaa da Boa fama, n. 35.
Sapatos de borracha para
senhoras.
Vende-se espatos de borracha para senhoraa e
meninoa a 1500 rs. o par, sapatiohos de la para
ereangaa a 1000 rs. o psr, ditos merino ai*S500 rs.
toncas de la para creangas a 2J000,1000,800 rs.
sapatinhos de seda ricamente bordados proprios
para ba plisados a 3000 o par, aa ra do Qaei-
mado loja de mindezas da Boa fama, n. 35.
Palmatorias de vidro lapi
dado.
Vende-se palmatorias de vidro a l600rs., dilaa
eom mangas propria* para rapazea a 4500 ra.,
"S*** arradeirae.de vidro a 4500 rs.
a 5000 o par, na ra do Queimado loja de
miudeza ds Boa fama, n. 35.
Perfumaras muito finas e
baratas.
P'ta inIe" W00 ". la francesa a 500
ra., 640, 1JO00, oleo da sociedsde bygicoique
verdadeiro a 1C00 o frasco, oleo babosa de Piver
verdadeiro a 800 rs. o frasco, agua balsmica
para os denles a 1000, dita de Botot tambem
para os denles s t$000 o frasco, pomsds frsnce-
za em paos a 500 rs. e lu00, 320 rs. sabooetes
multo fino a 640 rs., 800 rs. e 1000 cada um na
ra do Queimado loja de miudezas da Boa fama,
muito
m!.? l*00^ dUo de <> "000, ditoa de
Son SSR e 4*500 dil08 de W poaU
tetara $L ': rBa dataperalri loja
Arara vai liquidar sua casa,
porque quer ir passeiar.
Vendem o mais barato possivel para acabar
imn\\? V',U"0 ,0que de oo a 160 raTe'
limpas a 200 ra. o covado ditaa largaa a 240 260
1^,Va C ad0.' Ca,,a *nu 280ra.oco..,i9
corle, de casemira preta psra caiga a 3 e 8|500.
e outra. auitaa fazendaa que se do aa amoa-
Ie^ oa ra da Imperatria loja da Arara nuae-
Palitos da Arara.
. T^^S^ faos de palitoa finos psrs den-
u <^P> ssaaMobea 200 rs. paca ac.bar : o.
!u f"^ easaeaa da Arata n. 56
de Msgalbiei i Mendes.
A 200rs,sopavo.
Vende-se chita frsncezs escara de cor fiza a
dous tusto.s o covado: na ra da Iaperatris o.
ou, loja e armazem do pavo.
A2#500,sopavo.
Vendem-se cortes de esmbraia branca com 2 o
3 babados a 2500. ditoa de larlatana braceos e
de corea, com b.rraa e babados a 3: na roa
da Imperalriz n. 60, loja e armazem do pavo de
Gama & Silva.
A 500 rs, s o pavo.
Vendem-se ss mais modernas e flnissimas 12a-
zinhas de quadrinhos e de floree solas epalmi-
nhas, desembarcadas do ultimo navio vindo do
Havre.pelo baratissimo prego de quluheotos ris
o covado, e do-ae aa a mostrea eom peohor : na
ra da Imperalriz n. 60, loja e armasem de Ga-
ma & Silva.
Cabaias hespanholas, na
loja do pavo, a 400 rs. .
Vando-ao aata nova fazeoda do padrdes delica-
dsimos com 4 1|2 palmoa de largura, propria
para vestidoa de senhora a 400 rs. o covado: na
rus da Imperalriz n. 60, loja e armazem do pa-
vao de Gama fc Silva.
As afamadas agulhas impe-
riaes com fundos dourados,
e dedaes de marfim.
?cabaa de ebegar para a leja d'aguia branca,
ra do Queimado n. 16.
Vendem-ee eocoo* de compaobi. Paroam-
bucana : oa prega do Corpo Santo n. 11.
nhoras.
Lindos sinlos dourados para senhoras a 2200,
ditos de ponta cabida a 4, ditoa de fita a H600:
na loja da Victoria, na ra do Qaeimado n. 75.
Liohas do gaz*
Caixinbas com 50 novellos de liohas muito fi-
nas do gaz a 900 ris a caiza, ditaa com 30 no-
Tei!? a,700l ria dil" com 10 novelloa grandea
a 700 ris, brancaa e pretas: ns loja da Victoria,
na ra do Queimado n. 75.
Candieiros de gaz
Chegou para a loja da Victoria os melhores
candiairos de gsz que tem vindo ao mercado, por
pregos commodos : na loja da Victoria, na raa
do Qaeimado n. 75.
Ricas fitas para chapeos,
cinteiros, etc, etc.
A loja d'agula branca acaba de receber um ex-
traordinario sortimento de ricaa fita, lo boaa
em qualidade quo bonitas nos desenhos, tendo
entre ellas o mais largo que possivel; assim
como algnmaa pegas brancas com o centro liao
proprio para ioscripgdes, e muitas outraa de dif-
ferentea cores como de caf, rxa, escura, etc.,
etc., e como de sen louvaval costume : s loja
d'aguia branca, aa raa do Qaeimado n. 16, ven-
de por prego commodo essas boas ebonitaa filaa.
Grvalas de sem com
ponta larga &i$
Vendem-se grvalas pretas de bom setim a
com pontae largaa a 1 cada ama, lo baratas
assim s se acha na raa do Queimado. loja d'a-
guia branca n. 16.
Manteiga para os bolos de
S. Joao.
Vende-se no largo do Carmo, esquina ds ras
S.2?rt" ?. nteiga tngleza a 800 rs., 900,
11120 e 1|440^ francesa a 7*0. e 800 rs. muito fi-
na, cb a 2560. 2880 e 3200. amendoas a 360,
cboHri5aa a 480 'oucinho a 320. aag a 320, flgos
' 80ama 1*>, libras de queijo do serto a
720, a sendo inteiro a 640, queijos do reino a 2
uro, cauao com 3 libras de doce de oiaba a 640,
vinhos da todaa as qualidades a 480, 560 e 640.
llOSt0 i M0 ra "arralado da JOOO .t
lo00 multo Ooo, oUo da ricino a 800 ra. a gar-
rafa, e em libra a 640, elalria a 400 u., m.car-
rao e lalbaria a 320, grasa em latea a 1200 a
d>. "> lata a 120, baobs de porco a 400 rs.
a libra, e outroa muilos gneros por commodo
prego.
Panno de algodo da Bahia.
Ai^LlV.* ^''P'orio de Antonio Luiz de
Oliveira Azevedo ^ C, na roa da Cruz n.l.
Ra da Senzalla Nova n. 42
Neste estabelecimento vende-se: ta-
chas de ferro coado libra ItQ ra. den
de Low Moorlibra a 120 rs.
Iliquidacao por todo
i o preco, na bem co-
s nbecida loja do Ser-
tanejo.
Ra do Oueimado d. 4S.I
Apparecam com di-
nheiro que nao deixaro
de comprar.
Chitas escaras finas a 160, 180 e 200
'cortes de vestido prtos bordados a
velludo de custo de 150 e se vendem
por 30, 40, 50 e 70. aabidaa de baile
de velludo e aetim 12 i> 13, carona*
para senbora a 2000 e 3J500. BollRhas
de cambraia bordadaa a 500. 600 700
800. 900 e 1, ditaa de 016 brdadaa' a 120
rs., casaveques de fuslao a 5, 6.72,8,
meias de seda brancaa e pretaa para ae-
eJL?"^1*200 p8r ra de abados a
500 e 700 rs., lias de quadro enfeitadas a
800 e 360 rs. o covado. cambraia preta a
400 e 440 ra. a vara, organdys de cores a
6(J0 rs. a vara, fil branco adamascado
para cortinados e vestidos a 400 e 500
rs. a vara, cortes de collete de caaemira
bordados pretos a 2 e 3000. diloa de
vallado de c6r e pretoa a 3. 4, 5 e 6,
paletots de brim branco fr.ncezes a
33500 e 4500. ditos de casemira de co-
res e pretos a 14 e 16. ditos de alpaca
preta e de cores s 3,3|500. 4 a4500,
camisaa de peito de ltnho a 2500, corlea
de colleta de aorguro a I9500. 1700.
2200, 3| e 3S500. colletes feitos de brim
branco a 250O, ditos feitos de gorguro
a 28500 e 350O, ditos feitos de casimira
a 3|500, 4$ o4f500, ditos de velludo s
o. 6 e 7, ditos de fosto de cores a
18500, um vanado sorllmeoto de meiaa
para homem e aenhora, grinatdas com
flores, chalca de froco, espartilhos, e lo-
Sda a qualidade de roupas feilae para ho-
mem que tudo se vende por metade do
seu valor.
mm mmmm mmmmm
Rival
sem igual.
Miudezas erap.
Ra larga do Rosario numero 36.
La de cores sortidas, libra a 68400
Sintos doarsdos a 1S600.
Ditoa ditoa com ponas a 3(500.
Aeulhaa francesa curtas e compridas a 60 rs.
Dilaa cantlas a 120.
Peotea d ro.tea para atar cabello a 500 rs.
Ditos da dita idem (doeradoa) a 1200.
Garreteis de ratros e orea a 320.
Eacovaa para cabello meito boaa a 800 e 1.
Cartas de alfieetes a 80, 100, 120 e 140 re
Escoras para unh.s meito boa. 320 500 rs
Frenj.s pretas com vidrilho a 320 e 400 rs.
Trog.a pretaa com dito a 240.
Bicos pretoa muito bons a 180, 240, 320 o 400
Carreteis de linha s 30, 60 e 80 re.
Enfeites de retros com franja 5300.
Meias para seohor (duzia) a 2*500./
Ditaa craaa para homem a 2400 e 3
Tesouraa ordinarias a 80 rs.
Franjas de la eatreitas (pega) a 900 rs.
Sabonetas de bola finos a 640.
Frasco de diveraoa cheiroa a 320.
Linha do Pedro V a 30 rs.
Botdes para eaaaveqne a 20, 30 1 40 re.
api Paelo Gordeiro (verdadeiro) a 1600.
Dito gaaae groaso e meio roaso a ltfQO.
Dito dito fino a 1|28, *^
K oatras muitas m.ia miudezas que com a pre-
senga dos bona freguezes se vendero baratas
Moendas *
Taixas de
coado.
Machinas de vapor.
Rodas d'agua.
Rodas, dentadas etc., etc.
Ru do Brum n. 38, fundicSo
de D. W. Bouman.

jNo duvidem jue na rui
{do Crespo n. 17, loja d*
Guimaress* Villar.
S*-Veste se urna senhora dos pesl
ate' a cabeca.
Principiando pelos chapeos de palba a
' Garibaldi e chapeiioaa de pi Iha de Italia
i oa mai* superrores qae tem vindo de
S Frsngs.
S Manteletes de gros bordado, capas e
I casaeoea a Luiz XVI, sedas de corea e
moireantiques prelos e de cores e aca-
so, bando pelos respeilaveia baldea de croz
e de musselinas e que vendem baratia-
j simo. Senhoras fregeczas a vista faz f,
M mandem ver.
Na ra do Vigario n. 10, arma-
zem tem para vender por precos m-
dicos o seguinte:
Superior vicho do Porto em barris de 8-
Dito dito dito engarrafado.
Cofres de ferro pro va detogo.
Algodo trancado da fabrica da Baha.
Balancas decimaes,
Carneiras inglezas para selim.
Pregos caixaes e enxadas portuguezas;
Gal e potassa.
Vendem-se estes dous ar-
tigos ltimamente chegados,
no bem conhecido e acredita-
do deposito da ra da Cadeia
doRecife n. 12, mais barato
do que em outra qualquer
parte.
Queijos do Serid
k 500 tas a libra.
Ra Hrga do Rosario n. 37.
Vendem-se queijos do Serid a 500 rs. a libra,
assim como o. mais gneros por menos prego do
qae em outra qualquer parte.
Vende-se um carrioho de 4 rodas, em mul-
lo bom estado, com arreioa e urna parelha de ca-
vallos adeslrsdos : na ra da Aurora o. 60.
Vende-ae urna scrava de oago, de meia
idade, qae cotinhe, engomma e lava muito boa *
quem a preteader, dirija-se a roa da Gloria no-'
mero 60.
Na ra da Guia, taberna n. 9, vende-se urna
eacrava de lodo o aervigo, muito aadia e sem vi-
cios.
Eseravos fgidos.
-
Atteo^o.
Vendem-se doas eerrecaa em bom estado, e
dona bola proprios para todo o servteo : a tratar
Es era va ftigMa.
No da 16 do correte fugio ama eacra*a de no-
me Antonia, cabra, cabellos annelados, meio
ag.stado, estatura regular, cheia do corpo, com
taita de dentea na frente, ps grandes, um pouco
abertos, representa 1er de idade 40 annos, pouco
maia ou menos, levou no corpo vestido de chita
rota camisa branca, chales branco; roga-se ss
autoridades poticiees, capitea de campo, e riis
pessoas em geral, a captura da dil. esersva, e
traze-la na rus larga do Rosario o. SI, fabrica de
cigarros, que se recompensa com generosidade.
rrotesta-se conira quem a tiver oceulta.
JZ2& D? iV2 de b,il ae,, 'oriente aa-
. Pr.Pn,1" '110 8M'Knlo. o p.rdo de no-
mo Francisco de 17 annos de idade, que tem bo-
aAEftZPZ? deDlM' "* carap.nbo.
eruivoa, t.odo do este pardo escravo do Sr.
Dr. Antonio Borgea da Fon.eca, de presum
que ande por algnm doa logare, por code
mo sennor tero viajado, como sej.m Iguaraw*\
xatr.0n5iIn?..!-,.a-0* Capi0a' Serra doIelT
xeira, Pao o Albo, Limoeiro, as tres villas da co-
marca de Pajeu de Florea, sendo qae segundse
suppoe estej. tambem no engeoho Iohama per
naver sido visto ha poucoa dias em Igueraua pe
ter amizade com uns mulallnbos desse engeabe,
o anda de presumir que o dito escravo m abi
se inculque como a servigo do dito r. Dr. Bor-
gea da Fonseca, aflm de nao ser sppreheadido t
quem pois o aprehender oodeqeer quefor encon-
trado esse escravo e o vir entregar ao seu legi-
timo dono oa ruado Hospicio o. 6, qae ser ttvi
generosamente por elle gratiBcado.
Ignacio Luiz de Brilo Taberda.
Escravo fgido.
Contina a estar fgido desde os ltimos diss
de abril prximo passado o moleque Herculane,
que foi escravo do finado M.noel Antonio doa
Peeaoe Oliveira, tendo oa aigoaee seguiotee r eet
fola, estat.r. regular, a falla um pouoo deacao-
eaea e aunada, tem urna cicatriz o'ua dtfeG*
ama das n so, proveniente de um uoheiro, e re-
presenta lera idade de 96 aooea: ruga ae as .a-
loridadea policiaca a apprebeorfo do maame,
aua entrega a anoel Antonio Goocalves, aa roa
do Cabyg, loja n^S.
Fagio de cas. do abaixo aaaigoado o sea
esersvo Eufrasio, de necio, representa lar 8
nos de idade, e com am pequeo lobiobo ,
do olho, foi comprado ao lente corono! j
FranctMO de Carvalho Paes de Aodr.de : ijuem o
apprehender leve-o raa do Trapiche o. 14, qae
ser bem recompensado.
fsnool Aires Guerra.
I
a
*#
*
.

a-------------^_





DiaiO DE FIENAMBCO.
FB1A t 01 JQHBO DE I MI.
Tflftfflf* ^i
Solemnidade da ainoima ao dos mar-
tyrcs do Japao, pele Saito Padre
pie IX.
Logo que ae acharaos reun ai na capital
do orbe calholico uo sufflcienie oumero de bis-
paa, o Papa celebra com elleset m o sacro col-
legio dona consistorios pblicos \ lo menos, se-
fundo o numero dos assumplos eai que tenha
que fallar.
Nesus reunies defeode-se i ssntdade doa
bemaventuradoa que vo aer objecto da canooi-
eeclo.
O Papa encerra o cooalalor o, dizendo que
otea de decidir sobre o assurolo to grave,
quer consultar a opioiao doa car I ia.i e prelados
que o cerca m.
ttapoia oelebram-ae muitos consistorios se-
ma* Ikoa, ere que se discut >m as actss da
psaanma eattfoissgo.
Cada cerdea), cada blapo consultado, d a
aua opioiao verbalmeote, dizendo se ha on nao
opposigo da aua parte.
Cbegado o dia da caoooisago, e segaodo as
jccoea da corte romana, leva-- 3 aquella i ef-
otn aa seguintes cereaiooi 1:1.
Baslica do Vaticano apresec la um magni-
feo golpe de vista, pelo seu resp ea*. A'a dea horas da manha, entre urna dupla
fila de aoldadoa, desee em duaa ilas da capella
Simo, urna grande prociaso co roposta de todo
o clero secular e regular de Rom 1; tanto oa re-
ligiosos como os aacerdotes levaai um cyrio ac-
ceso na mao. D'pois veem-se os esianlartea
coro os rer Boa mariyres que :ie ho de ele-
var sobro osa Bu ; todas as aul ri la Jes roma-
nas, eccIVaiaiHn e civis, a capel a papal, e pre-
ladoa em luzuosos hbitos pon, ii tai, levando
egualmente todos um cyrio aceao aa mo.
Chegadoa & S. Pedro, o Papa desee da Sedia
gesiatoria, adora o Santo Sacramento, sobe de-
sigam o aeo Bm : que 09 atnloi mariyres 00-
lo blenlas m do Seohor, e que ella noa conceda,
poiasmattaleiceeso, podarmoa sustentar com
torca corsgem es combates que esto para vir ;
que aSsnlitsima Virgen, i orotergao poderosis-
aima da qual temos devido flear aioa e aalroa
al eate momento, ae digne conliooar-ooa e aua
prcteccao. e que noa inspire ama perfeitsrosig-
naclo i divios vontade para que aaaim como ella
pronunclou o Ftat espetado pela geraedea hu-
manas : Ecee aneilta Domini, f/foi mihi seeun-
dum verbum uum. (Eis aqu a escrava do 8e-
ohor, fara-te em raim segundo a tua palsvra)
posaamoa do mesmo modo animados por ella, di-
zer tambera ao Seohor : Ecce lervi tui, fiat nobit
secundum toluntalem luam (Eis aqu oa leus
escraioa, fajase em nos segando a tua Ton-
tada).
Oepoia disso, nao noa reata raaia do que pe-
dir ao Seohor que ae digoe de fazer descer so-
bre ne todos a ana benco : que ella desea so-
bre acomoanhia (I), que produziu lantoa hroes
para o ce, e tantos defensoras egreja ; e que
he di com ella a forga para manter a observan-
cia regular, os preceitoa exemplares da vida,
rau grado de tantas lulas. Que eata benco d
mtelligenciaao notso pobre espirito, ecoramooi-
que torca a este braco dbil I Que a meama ben-
go consol e proteja a lodos aquellos que traba-
lham em sustentar a barca da egreja combatida
pelas vagas, para que as soaa vozes nosejam
cobertaspelo bramido da tempeatade que se de-
aeocadeou 1 Que sirva finalmente para reanimar
todos os boos e converter oa mus.
poia a o throao, e recebe ali a obediencia d to-
dos os prelados qu s encontrara no-sanctuirio.
Os estaudartes deque fallmoi depusilam-ae
em Tolla do Santo Padre, e sobra a sua cabega
v-ee brilhar cercada da mil luz;j, um quadro
que reoreseota a feata do dia (a do Ponteoste,
a da Trindade, etc.,/
O cardeal procurador da canoniijgao. acompa-
uhado de um advogado consistorial, encaminha-
aa para o Papa, elhe pede por tres vezea que
proceda canooisago.
Ao primeiro pedido o Sanio P< ir responde,
pata bocea de um dos secretarios, que um nego-
cia da tanta importancia, oecessarto seracom-
panhado de orscoes, e desenlo do seu Ihrooo
anida a ladaioha de todos os sanios.
Ao segundo responde que priiueiro que tudo
preciso invocar aa luzea do Es mito-Santo, e
passaodo a paramentar-a?, comees, a cantar
Veni Creator.
Ao terceiro pedido, o secretario do Papa res-
ponde, dizendo que Sua Santidedo vae pronun-
ciar o decreto definitivo, e enli.o o edvogado
consistorial, que acompanba o car leal procura-
dor, d gracas ao Padre Santo em nome desle
prelado, emquanlo que esle prelali Iba vae bei-
jar as mise aa vestes.
O advogado consistorial pede ei tio aos prono -
tarioa apostlicos que lam em vtz alta o decre-
to que acaba de se aoounciar.
Apenas ae verifica eata leilura < tilda o Papa o
Te Deum que continaado pe i cantorea da
capella pootificis. Oa concurre tes sjoelham,
afli o caphio, e todos os sinos de Roma tocara
durante urna hora.
Ao Te-Deum segu -se a invocara official doa
novos aslos, o o Pontifico langa >i sua benco
aos concorrentea.
Sua Sanlidade canta depois ama missa solem-
ne, e quaodo termioa o Evangelb 1 pronuncia o
panegyrico dos bemaveolurados que foram caoo-
niaadot.
No offertorio avanesm os cardeses a trez a
trez, seguidos dos postulantes e dos parentea dos
novos santos, apreseotando ao Pija ofJerendas
de cera, pao e rioho.
Concluida a ajina, langa o Suinmo PootiQce
urna benco sotamne, da janella de S. Pedro,
retiraudo-se drpos para jos saus aposentos.
A cpula, a fachada e os poriici n da baslica
do Vaticaao eslo, duraste a noite, tirilliaotemen-
le iluminadas.
Por essa occasio o Saoto F dre prenun-
cio u a seguiole allocugo:
c Cortamente nao ha nada que podesse aajra*
darmai9o meu corajao do que a ceremoftia ate
que todos nos estamos sendo lestemuohas, e qoe
augmenta o numero doa aervoa dn Daus a dos
santos que, multiplicando-se, nao cessam da in-
terceder por nos, e o ble m nos, dtnderatam pro-
pitiationit abundantiam. a abund< 1 icia de mi-
sericordia neuessarla para obler a .:onverso dos
engaados e los apstalas ; a abonlaocia de mi-
aericordia necessaria para susteotai com firmeza
e com resigna gao a guerra e oa s Itri mantos, a
assistir depois aoslriumphos da paz.
a Sim, urna cooaolaco para n n pensar que,
na aolemnidade que teremos brevemente de ce-
lebrar, citaremos rodeados de aitn escoltadas,
do collegin dos cardeaes e dos bt^pos nosaos ir-
mos, Sr um|bello espectaculn este, de ver
C pastor supremo 00 meio dos o otros pastores
3ue tem sustentado unanimemei le os direiloa
esta Santa S, e mitigado com a-- su as consola-
doras palavras a nossa cor profunda.
Vera aqu a propoaito menckcar urna carta
que recebemos, baver apenas 48 horas, de urna
grande cidade da Italia, ou para ineihor dizer,
da capital da Lombardia. Esta crta foi dirigida
Sor um eccleataatico que ae iolitala conego, a
iz-se nella : < Tomae cuidado que na prxima
reuniao dos bisposem Roma nao 10 declare como
dogma de f o poder temporal. Se eate pobre
padre, que mait ealimariamos chamar bora padre.
ealUeaae aqai presente, nos lhe Uamos, como
vo-lo dizemoa a vos que me ouvis : Ficae culo
qae a santa s oo aasteota come dogma de o
jtader temporil, mas declara-o uecessario e io-
4|Sfaaiavrl. em quanto durar es i ordem eala-
lielecila pela Providencia, para ansteotar tnde-
pendencia do poder espiritual. Quereriamos di-
tar-lhe : Cootemplae os santos martyees que
nao temeram dar. e que deram, o seu sangre a
sua sida pela defeza da egreja.
c Qaetfriamos dizer-lhe : Como tendea tanta
preasa de manifestar voaaoa reci ios, que viastes
po-los dianta dos olhos do aigarb da Jesu-Cbris-
lo, ouvi a sua voz que vos encommeoda a v6s,
ao cabido de que fazeia parte que oucaes o
vosso pastor immediato, e cuileis em praticar
aiotaaauaa ordans mss egualmenle os seus
cooselhos ; pois se vos e os *01 ios collegas nao
obadecerdes, vos e alies Acaris aaeravelmenle
fawdtdot.
Quereriamos dizer-lhe : Recoamendaa-ves aoi
-aotisaimoa mariyres que penleram tudo para
tto perder a Deue.
Recebemos, de u m reino qu i oos visinho,
eacriptos assigoados por slguiu ecclesiaalicos,
nos quaes se nos dirige a inatnucco bypocrita de
renunciar ao poder temporal, qua para ellea, oa
antea para aquellea que os afcot teiham, multo
iocommodo e obata consum :o de seos de-
signios anti-chrlstos a ante- ;ciaes : mas ao
meamo lempo ebegam-noa cartas, assigoadaa
tambero por ecclesiaalicos, qae teem o cuuho de
ama reapettoaa adbeao a eata 11 na s.
Deataa cartas resulta que aquelle goveroo.
ou seus representantes oa emisssrios, mandsm
formulas impressas, qae vimoa e lmos, persua-
4indo a alguns padrea oa clrigos miseraeis que
aa aaaigoem, com o duplo iataito de fazer crer
qua o clero sustenta o absurdo principio da io-
compalibilidade do poder eapiri.ual com o poder
temporal, de aaparar o clero inferior de seus
proprios bispos, de qae, neste lempo, s admira-
val concordia tem feito
inleiro.
< Oa bons eccleaiaaticoa que ios escrevem pe-
dem-nos que nao demos credi.o as aberragdes
ajease dimiouto|namero de individuos engaados,
algoos dos quaes foram aorprnndidos, a outros
comprimidos pelo medo a pras' r a aaa assigna-
lura. Que a asla a fique pe medida, acarea
ceniam astea boas padrea, que aa anas convic-
tas sao taaa, que nao adrante n oenhuma duvi-
aobra a neceaaidada do pod#: temporal : e pe-
dom oos em aooseqaeocia quo pvrdoemoa aos
esgos que oio aabem o qae fetoin. E oos ccres-
cantamoa qaa aquellea cagos, conduztdos como
estao aando por oetroa, catrac aessa abysmo da
nada quaai iaapoasivel nunca suir.
DETALHES BIOGfiAPHIGOS.
c Na qaarta-fetra SI, ao meio dia. soffteu a
pena de morte o capito Nithaniel Gordoo, pelo
crime de ae haver empregado no trafico de es-
cravos.
o Poueos aconlecimentos dests natureza teem
causado ama to profuoda e doiorosa seosaco,
nem se fizeram aqui nunca esforgos to extraor-
dinarios para aslvar a vida de um reo. E ver-
dade que tambem pela primeira vez se castiga-
ra com pena ultima um semelhante delicio.
c Natnaoiel Gordoo, tilho de paea americanos,
tinha oascido no mar i bordo de um oavio in-
gles. Dedicado depois carreira martima, che-
gou com o correr dos lempos a serespito de am
oavio oegreiro, cojo cargo desempeohou por al-
guns annos.
No vero da 1860, commandaodo a galera
Erie, aahiu da Havana com deatioo ao rio Con-
go, na coala occidental d'Afica. Em 7 de agos-
to carregou 897 escravos negros, fazeodo-se im-
mediatamente de vella, e 00 dia 8 pela maoba
foi apurado a 50 miiha da cune, pelo vapor dos
Estados-Unidos Mokicaro, a conduzido a Monro-
via, onde oa negros foram pos tos em iiberdade.
0 Mohicaro regreasou immediatamente para
os Eitados-Uoidos, Irazeodo preao o capito Cor-
dn e a Iripolago do Erie. Ioatsorou-ae o com-
petente processo, mas daquella vez Gordoo aahiu
abaolvido. Tudavia, o procurador do dlstricto
dos Estados-Uoidos nao se deu por satiafeito, e
tendo appetlado, instauroa-se segundo processo,
o qual leve vista noa dias 6, 7 e 8 de novembro
de 1861, flcando Gordoo declarado culpado o
coodemnado morte.
a Todos os que at agora se teem dedicado so
trafico e teem sido apprehendidos em flagrsnte,
teem soffrido urna priso mais ou menos looga e
ama forte mulla, alem da perda do navio, maa
a nenhum se tinha imposto anda a pena de mor-
te. Nao acooteceu aisim com o capito Gordoo ;
e am v3o emprsgou o aeu advogado oa maioraa
eaforgos para o salvar, oegsodo-se mesmo os
juizes at ao ultimo momento a aaaigoar a seo-
tenga de morte, por isso que na sua opinio, isso
seria autorisar a immolago de um homem po-
bre e desgragado ante o altar do fanatismo (slo
palavras textuaes) ; mas o procurador do dislric-
lo com a lei na mo, verdade, anda que com
exeessivo rigor, demooslroa a necessidade e a
conveniencia da execugo para aatiafazer a opi-
nio publica. Afioal pronunciou-se a aentenra.
c Desde ento at 21 deste mez nao se tem
deixado de trabalhaf a favor do reo, recebeu duaa
petigi's urna atraz das outras, a primeira aaig-
nada por 5,000 cilados, a segunda per 35,000,
pedindo a commatago da peona. Mas tudo foi
intil ; o presidente oao annuiu a ellas, o a ni-
ca cousa que fez a favor do reo foi prorosjar o dia
da execaco Qiando-o para 21 de favereiro, em
lagar do 7, segundo eslava iodicalo oa seateoga.
ftaavanecidas desta raanelra todas a esperan-
.a, e vendo approtiuisr-se rpidamente a lior
tal, tentaram os amigos do reo de Ibe evitar
palo menos a infamia da execugo, e apezar de
todaaaa precaugoea dos carcereiroa e vigas con-
seguirn envenena-lo com estrigrina. Apenas os
vigas ooiaram os primeiros symptomas do en-
venenamento, cbamaram a toda a pressa os me-
daos da cadeia, os quaes empregaram lodos oa
malos possiveis para oeutraliaar oa effeitos do
veneno, consegaindo-o em psrte, maa o enfer-
mo fieoa to proalrado e abatido, que receiao-
do-ae oo podesse viver at a hora da execu-
go, deu-se ordem para se apressarem os prepa-
r a ti vos.
a A's onze horas da maohaa senliu-sa o reo
cAr de cobre, os cabellos cor de aze viche, (nariz
grosso chalo, os bsieos proaasineotes.oa olbos
obliquos, a cabega grande. Entretanto ravelam
indiligencia a sagacidade.
O veatuario deaapootou a curiosidad*. Em lu-
gar do ricas cabaias da cores garridas, da borda-
duraa, da pedreras, aaam da ampias tnicas de
panno oa seda da cor escura, qaa prendera 00
peecoge : aalgaa da easaa branca, a chinella da
marroqu*. Os poohaes qaa traxam cinta aos
pares, que deaoociam na excelleneia doa lavo-
rea a hierarenia do dono. Usam da chapeo re-
dondo da palha sem fundo, imitscao doa que
oitentam as pastorss soissas ; e notou-se que as
abaa dos que perteuciam aos primeiros fuoccio-
narioa eram doiradas na parta inferior. Os ca-
ballos da alguns, alados em traoga davam-lbes o
aspecto femeoino. Outros trasiam a cabega rapa-
da. Signal da barba nio ae via am oenhum. Co-
mo chovia, abrirm esquisitos chapai de chuva
verdea, asuea e amarelloa.
Entrando para aa carruegene do camarista, do
prefeito e do geoeral, os cochetros mettersm a
trote; e deadelogo oailloaUea hospedes foram to-
mados do suato de cahir. Agarravam-se As porti-
nholas, s almofadss, custsndo a p-loa i von-
tade. De quaodo em quaodo laogavam as vistaa
aobre a multido que oa contempla va embaabaca-
da ; e aorriam ao recoohecer que eran alvo de
intensa cariosidada.
Apanaaae apearam trataram da tomar a refoi-
ao. A sobriedade a aaa diviaa. Seolaram-ae
mesa servindo-se dos tai he res europeas. Co-
meram arroz e legamos feitoa em agua e sil, gal-
linhas e frangoa cosidos. Palveruaram ampia-
mente de pimeota e eapeciariaa oa pratoa qua Ibea
apresenlaram. Beberam vinno aam difficuldsda,
posto que em mui pequeas porcoes. Limpa-
vam-ae a miudo aoa guardaoapos, mostrando
exemplar aceio oo so no modo de comer, como
em todo o vestuario.
A bsgagem que oa acompanba immensa. Ba-
hus de sndalo artiaticameote sculptados socor-
ran) numerosos presentes destinados ao impera-
dor o aimperatris.
Sabe-ae qae os Japonezes trabalhsm como nin-
guem o cobre, o ferro o o ac. Trazsm magnfi-
cos sabres a punhaea, preciosaa telaa de seda, a
obraa ioimitaveis am porcelana e chatio.
A' noute foram coadatidoe ao tbeatro principal
ondedavam a opera Rainha Topazio, e o drama
Jeruaalem. Os embaixadoree, pracedidoa de to-
chas sccesss, foram iostallsdos no camarote da
prefeilura : o sequilo nos da maoicipalidade o de
outrai autoridadaa. Os dous priocipae* embaixa-
doree aeotaram-ae entre Mr. da Maupaa e sua
aenhora. O scenario brilhsote preodeu-lbes a
alleogo ; o por meio do interprete faziam nu-
merosas perguotas sobre o enredo da pega e os
acceasorioa, ouviodo ludo com grave alleogo.
A' dsoga deaenrugaram a fronte; o exhibiam aeu -
aivei cooteotameolo. Um bailado de marujos
bsm executado nao tere a oa applausos da pla-
tea. Oa Japoneses deram palmas como os euro-
peos no auge do euthusiaamo.
No dia 5 as 10 horas da maoba eotraram para
os wagoosda via frrea deLyon. O marquez de
Traviao, e os embsixadores|iam na carruagam de
gala. Apezar de aer coohecido no sea pan o ca-
mioho da ferro, apezar de o terem percorrido no
Bgypto.o trem nao pdle partir i bora indicada
por caaaa da exceotricidade doa viajantes asiti-
cos. Entrsvam fcilmente para as carruegens e
aentavam-ae.
Apenas, porm, se abria a portinhola aaltavam
logo para a trra, maoileatando repugoaoeia em
estar n'um vehculo fechado. Alguns pediam por
favor que os deixaaaem ir nos carros deacebertos
oa bagagem ; o houve japooez que saltou para a
plataforma onde havia orna porgio de cabras, li-
songeando-ae de fazer o trajelo junto com os cor-
ngeros animaes.
Quatro offlciaes japonezes de olho tarvo o sem-
blante transtoroado oegaram-se redondamente a
entrar para o vagn. Diaseram por vis do in-
terprete, qae Ibes esqaecera 00 hotel das Colo-
nias urna caita com fitas de subido valor, a qae
iam busca-la. O chaoceller da agencia do mi-
nisterio nos negocios estraogetros acudi a pan-
derar qae oio devnm ter o moaor receio, porque
00 dia aeguiote receboriam o objecto sao o salvo.
mtfres da casa imperial am cinco carroagaos do
galla para aooduzir os Japonesas s Taitherlss.
Um destacamento da cavaltaria fazia a guarda
da honra.
O prestito, dopoia de atraveaear a prace do Pa-
lals-Royal, a ra de Rivoli o a praga do Carroa-
sei entrou no pateo daa Tuilherias, oodo eslava
postsdo um regimeoto do iofaolaria.
O cortejo era organisado do segainto modo: Na
frente doua mogos de estribelra a cavallo. Urna
carruagem paxada a doua cavallos, onda iam qua-
tro oobrea Japonezea com dona sabr cinta
designados pslo chote para levaram o cofre coc-
iendo a carta do Taicouo ao imparador dos Fran-
ca sos.
Urna carruagem a seis, em qae iam :Mats-
daira-Yvraoioco-Eami, Kionokou-No-Kami, se-
gundo e terceiro embaixador, com o titulo do
ministros ; o o bsro Sibuet, secretario do intro-
ductor de embsixadoras. Ao lado am mogo de es-
tribera.
Urna carruagem a seis, em que iam Tekeoho-
Oatehy-Simodzoske-No-Kami, ebefeda embaixa-
da, eom o titulo de ministro plenipotenciario,
acompaohado do bario Lsjos, introductor de em-.
bailadores. Ao lado dous mogos de ostribeirs.
Duss csrraageos com outroa offlciaes japonezes.
Doua mogoa deeslribera.
Os membros da embaixada apearam-se 00 pos-
tigo do relogio ; e ajuslaodo i.cintura o segundo
aabre, que 00 Japo o slgoal de fidalguia. foram
recebidoa pelo duque de Cambacres, camaristsa,
acbando-ae formados em lioba os cera guardas.
Depois de paasarem pela galera da Paz, e pelos
magnficos saldes do palacio, eotraram oa sala do
throoo.
O imperador, a imperalrlr o o principe impe-
rial a ha va m-se sentados no solio, tendo ao lado
oa principes Napoleo o Mural, as priocezas Ha-
tbildee Aooa Mural, o em torno os offlciaes-mo-
ros, prelados, geoeraes, digoitarios, os camaris-
tas a as damaa de SS. IIM. todoa com os aeua ri-
cos uniformes.
O ministro dos negocios estrsogeiros, Mr. de
Touvenel, eslava presente.
O embaixador Tekenbo Outchy, tendo feito
profunda reverencia, leu no sea idioma o segua-
te diacurso, logo tradazido pelo interprete :
c SenborI
c Segando aa ordena de S. M. o Taieouo, te-
moa a honra de apresentsr-nos boje oa audiencia
deV. M.
c Depois da cdocluso do tratado entre a Fran-
ca eo Japo, aa relaces entre os dous paizes ten-
dera a deseovolver-a'e cada vez mais. O nosso so-
berano oncarrega-oos por consegu o te de entre-
gar urna carta pessoal V. M., e de exprimir-lhe
ao mesmo lempo a sinceridade da aua dedicago
e o deaejo de ver o tratado cumprido.
c O 04880 soberano ordenou que fizemos saber
respeitossmeote a V. M. que liga muita importan-
cia a qua em virtude da imperial benevolencia, a
embaixada enviada Europa seja reconduzida
ao seu paiz em ama embarcago de guerra fran-
ceza.
c Terminamos exprmindo os melhores desejos
pelo bem-estar de V. M. o de aaa aagnata fami-
lia, assim como pela ventura e proaperidade da
nago fraoceza.
imperador raspondea:
< Folgo muito ao ver pela vez primeira em
Frange os representantes do imperador do Japo.
c O tratado que celebramos ha de produzir,
assim o espero, felizes resaltados pata ambos os
paizes.
Nao duvido que a vossa residencia em Fran-
ge permita qua apreciis exactamente a gran-
deza da nossa nago. O accolhimento qae en-
contrareis, a a Iiberdade de qae gotae ho de
convencer-vos deque a hoapitalldade ama das
primeiras virtudes de um povocivilisado.
c Com gosto vos farei recoodurir so Japo em
am navio de guerra, a levareia eom a grata re-
cordago da vossa via-gem Europa a certeza do
meu empedr em estrellar com o vosso paiz as
mais amigaveis relagoea.
Os Japonezes mostraram-ae contentes por terem
am navio do guerra francez para voltar ao aeu
paiz.
Vieram em um vaao ieglez, e des-ejam eonhe-
rero tratamento que Ibes dar o governo de ou-
da abrir-lhe o voolre com a espada, risesndo-a ds
lista doa vvenlas I
Os embaixadorea e o seu aaqaito fizeram irrup-
So osa ras, lojas e edificios pblicos de Paria,
or toda a parla ae mostrara vendo, examinando
e aprandendo. O muaea da historia natural pren-
deu-lhes vivsmeote a attengo ; o ouvlram deu-
das explicaedea acerca do msstodoote, do mega-
thsrium o de outros (ossais. Algana, peritos em
astronoma, foram ver os melhores telescopios, e
tencionam levar alguns para o seu pair. Com-
prara vidamente agulhas de marear, relogios,
sextantes, oitantei, clepsidras, passaros emptlha-
dos e cariosidades mtchaoicas.
Para que se sjuize de bagagem que trouxeram,
baata saber, que pagaram mais de 4,000 francos
pelo seu traaaporto de alaraelfia a Pars. Pro-
tendera levar nao meaor porgan de volamos para
o Japio, oio esqaeceodo vasilhas de Champagne,
Cnypre, Malaga o Porto, violtos que merscem s
saa predllecgio.
E' de crer quo o Taicoun e a corle confirmen)
o voto doa embaixadorea a esle respeito; e que
o gosto por esses prodactos se {propague repica-
damente no paiz.
Quaodo se reflecte que em 1637 se publicou um
edito 00 Japo punindo cora pena de morte lodo
aquelle que se dispozesss a aabir do territorio
para viajar, pode avaliar-se a importancia da
transformago social desses povos, logo que en-
trera em Isrgo contacto com osearopeus, que vi-
sitera os paizes da maior civilisseo.
CASAUENTOS REAES.
Dix-se que o principe Guilherme de Orsoge
casa com a princeza Anna Mural; o que por ease
motivo a rainha de Hollanda ( prenla do impe-
rador dos Francezes como Qlha do rei de Wutem-
berg) se diriga a Pars.
Tambem corre que o conde de Flaodres, filbo
do rei da Blgica, caaa com a princeza Hara Isa-
bel, Clha da raioba de Heapaoha.
EXPOSigAO UNIVERSAL PERMANENTE.
Ao caboa succede a ordem ; aa exposiges uni-
versaes al agora oo teem sido seno urna pro-
clamago ; vo ar urna instituigo.
A idea de urna exposigo universal permanen-
te boje ama idea plenamente approvada pelo
imperador dos Francezes. O projeclo est feito ;
vae executar-ae.
Todos os productores, de todos os paises, po-
dem obter lugar no Pilis do l'Expositioo Uoi-
verselle Permanente, mediante ama renda an-
nual de 30 francoa por metro quadrado para os
productos; o de 15 francos pela mesma superfi-
cie na parede para aononcioa, legendas, etc.
A abortara desae immeoao palacio, cuja cons-
truego stliogiri proporgoes imprevistas, effec-
tuar-se-bs logo que as asaigoaturaa doa indua-
triaes de todos os pairea tiverem garantido a oc-
cupagao de 50,000 metroa.
Urna cemmiaao ser Borneada peloa subscrip-
tores. E justificada que lhe seja a subecripgo pa-
ra 50,000 metros, cobrar as rendas adiantadas
por um aooo.
At li os subscriptores nao torio quo pagar cou-
sa algama.
Todas aa demaia ioformagoea do-ae 00 eaciip-
torio Place Vndeme n. 10, onde ae pode tomar
conbecimeoto, por menores, daa eoodigdes da
sabscrtpgo, o da lisia dos m Justnaes que ji ad-
heriram ; e ce>o numero permute comegar os tra
balhos immedialamenle.
O suato profundo, a desconfianga que osteotavam Ira poderosa nago.
deram entender, q.ue a catxa periencia aoa em-, Amiramoa a belleza daimperalriz e o imponeo-
baiudores, qua eslava commettida guarda doa > ta> a>tacuro da tOrto imperial ; nat era um
mais aliviado; chamou o manhall e deu-lhe
algaos objectos para serem como recordago en-
tregues a ana mulber. Ento notificou-se a Gor-
doo que eslava chegada a sua ultima hora e pa-
ra qae podesse ir pelo seu p, se lhe administra-
ran) at cinco tagas de agurdente. A sceoa tt-
oal parece que foi espanloss ; conduzido em Dra-
gos ao cadafalso, ebegoa ali moribundo, e a aua
phisiooomla decomposta e livida ; eos olhos en-
vidrados, ji pelo effeito do veneno, j pelo d
agurdente que se the havia administradp, fiza-
ra ealremecer de horror todos os circunstan-
tes. Deala maneka pois procurou abreviar-
se to repugoante acea, cobrindo a toda a pres-
sa a cabega do reo com o fatal gorro negro e ten-
gando-lbe a corda em volta do pescogo. Um ni-
ato depois Gordoo era um cadver.
t.
<*
A EMBAIXADA JAPONEZA.
Os embaixadorea japonezes cuja visita i Euro-
pa foi annunciida em lodos os joroaes, e que, se-
gando afflrmam algn, devem apparecer nao ao
as corles Paria e Londres, como, am Vienna,
Berln, S. Petersburgo, Madrid e Lisboa, chega-
ram a 4 do correte ao porto de Marselha a bor-
do do magnifico vaporioglez Himalaya.
A'a cinco horas da tarde eaaea peraonageos cora
o seu squito descera m aos escalares, e dirigi-
ram-ae para o caes.
A afiluencia de povo era immansa, nao s no
logar do desembarque como naa ras adjacentes.
Os marujos das erobarcagdea marcantes aubiram
s vargas psra melhor divisaren) os singulares
asiticos.
Dous batslhdes do regiment n. 64 faziam s
guarda de boora ; e um esquadro de buasares
devia escoltar os embaixadorea al ao hotel daa
Colonias.
O marquez de Treviso, camarista do imperador,
o senador Maupas, prefeito das Bocas do Tbo-
dano e o geoeral 'Aurelles de Paladine, com-
mandante da divisSo militar, aguardavam no caes
aflm da cumprimeolar os recem-ebegados. Os
navios de guerra deram ama aalva de onze tiros,
o a tropa apreseotou armaa e bateo baodeiraa aoa
representantes de S. M. japoneza.
Osdiplomataa aoseis, aaiatidos de doze offl-
ciaes ou fuocetooarioa, e seguidos de viole e tan-
tos fmulos. O primeiro embaixador Iam de eda-
de ciocoenta anooa, e chama -se T*ke-No-Ootschi-
Shidnozuke-No-Kami. Osea alter cao pouco
msis ou meos ds mesma eilade, denomina ae
Malsudaira-Iw*oi No-Kami. O terceiro Kig-
vok-Noto-No-Kami. A dualidado parece condi-
go lodisoeasavel em qusesquer actos pblicos do
Japo. Um fuoccionario coala sempre com ou-
tro, que pensa, discute e resolve com elle, parti-
thando completa mente a aaa reaponsabilidade.Tio
I habituados ae acham a esse carcter oobre, que
por occasio de aaaigoar-sa o tratado de coramer-
cio entre a Gra-Brelanha o o Japo, logo qae o
plenipotenciario ioglez poi o sen nomo : Lord
Elgio e Kioeardtoe diaseram os negociadoras im-
periaes: que *tam perfeitameoto lord Elgio, po-
rm que oo eoxergavam Kioeardioe. Muito cus-
lou a coovence-loe de qae am s individuo se
jalgsvs habilitado para legislar tio importante
documento.
Os Francezes, habituados a contemplar os Co-
chinebinos e os Siameses, nao cootavam com phy-
sionomiss attrahenles. Entretanto a resudada
exceden a expectativa. t
Os Japonezes parecerm horrando. A pello
offlciaes, e qae a sua falta poda attrabir-.Qes se-
vero castigo. .
Na Asia oa chefeBo brineem com oe.S%bordi-
atrn. ^0> -
Qiaalquer emisso de pequea importancia po-
de fazer cahir s cabera do fmulo indiscreto. Re-
cooheceu-se a inatilrfade daa palavras paracoo-
reoce-los.
Nao ae qaereodo asar da violencia, partiu o
tram ; e os offlciaes foram a p- ao hotel, cercados
de tarbea do curiosos-, acharara a famosa cana no
meio do grande jubilo-, e partir 00 comboyo das
dez hora da noute.
Eotre os da comitiva figurara am velbo de
aspecto venerando. Dtt-a qae boazo, minis-
tro da religiojapooeza Empacha urna cepa de
vioha, o Iraz cinta ama especio de rosario. No-
tou-ae que reparavam mallo as erases colleca-
daa as eajrejas e na fachada dos hospicios.
A 6, foram alojar-so no grande hotel da Lyon.
Desta vez aurprebendeu-oa o luio dos saldes, a
riqueza das cortina, a elegancia doa movis.
Nao ae farlavam de anegar s joaellaa e de aorrir
para o povo, qae ao conserva va a pin hado em
frente do edificio.
A noute a esplendida illumioago a giortto dos
aposentos, realgando aa douraduras, oa crie-
taea o as porcelanas merecen o sea especisl en-
comio.
Devem assistir a 7, a ama revista de tropa na
praga de Bellecoarl, e se derem a esse espect-
culo a alleogo qae teem prestado aos corpos mi-
litares destinados a fazer-lhes as honras devi-
| das por corto acharara motivo para alorada e
agrsdavel meditaeio. No dia 8 aeguaram para
Paris.
O Japio, qae manda pela terceira vea oa aas
representantes Europa, estreioa-se am 1685.
eoviaodo daes embsisadas, urna ao papa Inno-
ceocio XII, outra ao rei de Fraoga Luii XIV.
Nossa poca gaalaram os japooezee tres annos
para ae traoaporlarem deYeddo a Roma o a Ver-
aailles.
Agora pouco mata de tres mezes coosumirsm
em egusl trajelo. Oxsl que a recente raissio
aos Estados-Uoidos, o a actual ia diversas cortas
europess conlrbuam para familtariaar ea mag-
nataa do axlremo oriente com oa cosiutne, os re-
cursos, a illustraco e a tolerancia dos povos maia
civilisadoa I
A naci japoneza, que desde o comego desta
aeculo ba feito aenstveis progrewos a msisadi-
anlada de toda a Aaia. Nao ha por aaaim dizer,
ramo algara daa aclencias, das arles a da indus-
tria qae lhe seja desconhecido. Desde que o
commodoro americano Perry foi aquello paiz,
adoptaram alio telegrapboelctrico, o ocaminho
do ferro, que provavelmente anda objecto de
curioaidsde, e nio de traoaporte comraum. A aaa
marioba, consideravel ha alguna scalos, cum-
prehende diversos bsrcoa a vapor tripulados e
dirigidos por indgenas.
Em NsDgasaki preparara-ae lodoa oa instru-
mentos malhematicos. Ha fabricas de aedas,
porcellsnas, o obraa da diario oxcelleotea. Na
tempera doa metaea na factura n'armaa braocaa,
em vidros, em liotorsriaa primam entre os mais
habis.
Em Yeddo ensina-ae publicemeate a maior
parte doa iodiomaa europeas. Ha escolas em
qae se aprende o bollsndoz, o ingle, o ruaso, o
francez, o portugus. A biblioteca imperial a
mais opulenta da Ass.
Um paiz com to variados recursos, com tanta
avidez de eatudar a aituaco doa oalroa povos,
deve em pouco lempo concorrer para o augmen-
to do commerdo o da navegag&o da Europa o da
America.
Cumpre pois, aeolher com a maior cordealida-
de oa seua embaixadores, e peohora-los com to-
dos os farorea e atlengoes.
loa equan lawpvauve nunca suir. (i.) a ordem de S. Francisco, qae nao u-
< Procnramoa por nossa par ; que os manejos n0I beoemerlu de Portugal, como o raostra o
tetidenlee a ftpirar do rebnh> os pastorea nio'tratamento que lhe deram os libertino em 183.
A EUBaIXaDA. POLONEZA.
Apenas os embaixadores do Japo chegaraffl a
Paris encerraram -se, segando o estylo do seu
paiz, sfim de evitar o contacto com os profanos,
antes de se haverem avistado com o poderoso im-
perador doa Francezes.
Apenss admittiam com difficoldada saa pre-
senga alguna empregados do pago, incumbidos
de os orientar acerca daa ceremonias da recep-
gio.
No dia 13, s deas horas a meta da larde, apre-
sentsram-se no hotel do Louvre Mr. Feuillet de
Chouibaa, mestre de ceremonias, e vrtoi offlciaes
momelo perderam a gravtdade do parle, ou ma-
nifealaram aenaivel emoli.
A desconaoga um doaeua caracleristicos, a
para lomarom o menor accordo reflectem proloa-
gadrmeote.
Os ofJficiaes-mres ds casa imperial li vera m tra-
ba lbo para oa fazer aobir s oarruageoa ;- e quao-
do lhes offereciam a mo para subirera, oo s
aceitavsm sem que ns Frsncezes descatgassem a
luva, traate para etloa de todo o ponto ignoto, e
qae ezcitou a aaa hilaridade.
Qoando os membros da embaixisda qaoriam as-
soar-ae, puchavam de una papelinho do aeda de
30 centmetros quadrados, de que tratera baata
proviso : o- fiada a operace arremegavam o leo-
go ao chio.
Na audiencia tovavam em guisa de cobertura
capilar ura bonnet quadrado de carlo- preto se-
guro com dous corddes dosoda verde, que atam
por baixo da barba. Todoa aaam sandalias de
palha tecida, aeguras por ora cordio que passa
entre o dedo grande e o mnimo. Isam de urna
especie de meias de algodio grosso braneo ou pre-
to, a bertas junto aoa dedos doa ps.
Vestiam ampias casacas de estofo forte com
enormea mangas, vendo-se por baixo urna camisa
de algodo braneo e de mangas estrellas. As cal-
gas eram em forma de bocea de aino, chegando
quisi aoa artelbos. O primeiro embaixador trazia
caaaca de groaaa seda gredelem cem florea de cor
mais escara lecidas, o caigas verdes-gaio. O se-
gunda e terceiro embaixador eovergavam casaca
verdes com flores a ramos cor de violeta, caigas
azues claras. A casaca do secretario de embai-
xada, Chtbala-Sadarato, era cOr de laranja, e aa
calgaa verdea. Os outros offlciaes exhibiam traga
anlogo ns forma, porm de coros escaras, os-
tentando no peilo os brazoes de armas de cada
um.
Os japonezea nao levavam anneis, Dem pedra-
das ; mas os seus sabres supprem aaaaz a deffl-
ciencia, porque sao joiaa de aubido valor, nao a
00a preciosos ornatos do pooho, como osa folha
que cortara como na vainas, o as baiohss. Pren-
dem-n'os cila com cordea'de seda verde.
Difieren) no comprimento os dous sabres de que
asara ; um lera quareota centmetro, outro am
melro ; oste qae serve nss grandes ceremo-
nias.
Entrando 00 hotel do Louvra depois de au-
diencia imperial, o chefe da embaixada convidou
a jaotar o baro de Lajas, o bsro Sibuet, Mr.
Feuillet de Conches e outras personagena. No
banquete figurava am enorme rodov.lho, quaai
cr, que oa japonezea acharara dallcioao, o que
alguna francezes por obsequio ss esforgaram por
tragar, fazeodo bstanles caretas. O molho, se-
gundo o costante, era aaturado de especiaras.
Alguns pratoa orientaos preparados peloa cozi-
nbeiros da embaixada foram adiados mais sup-
porlsveis pelos earopeus. O vol-au-vent de ca-
rnario, O suprme d vainille, e i sobremesa a
Charlotte rue merecern os gabosdos gastrno-
mos japooezes. Acerca dos viohos, reoegam com-
pletamente as sass produeges, aliram-ae ao Bor-
deus ao Borgonha, e eobreludo ao Champagne
com desosada furia, aam quo peream a decorosa
compoatura. Durante a comida beberam enorme
quaotidade de agua queole, especifico oriental
qae dio como excellente para facilitar a digesto.
A' sobremeaa o chafe da embaixada fes um brin-
de ao imperador, ao qual aa correapondeu com
outro ao Taicoun. Depois do jaotar oa fmulos
distribuiram aos convidados ricos leqaes, e pe-
queos cachimbos japonezes de bellos lavores.
Paseando aoa aaloea do hotel, oa embaixadores
oio cessaram de fumar, o de beber licores, coa-
versando flaeotemeote por via dos interpretes com
todos os presentes. Mr. Van der Voo, secretario
interprete do consulado de Fraoga em Rotterdam,
conhece a fondo o japooez, e foi mu til neala
reumio, porque excedia mnito na facilidade da
compreheoaio oa indgenas que aprenderam fran-
cs e ioglez em Yeddo. Coofeaaaram francamen-
te, que oa aorprendeu a audacia a a sem ceremo-
nia dss muliides que eocontraram as diversas
cidades, encaraodo-os Dto a filo, de p, com ar
iodlfTereote ou sombeteiro. No Japo quaodo se
aprsente em publico qualqaer personsgem lodo
o povo que percorre ss mss para, slirs-se ao
hlo, com a face cosids 4 lerrs, am lestemanho
de sdmirsgo, respeito e temor. Adm-Uem qaa
a operagio i torga de repetir-se a cada canto deve
ser sigo incoeemoda a doiorosa, mas para ellea o
povo miado urna eanalna qae mui feliz se con-
sidera1 em que nao d rontade qualquer notare
TECIDOS DE CASCA DE AHOAEMVtV.
Notava-se na exposigo de Marselha um pro-
duelo, cuja descoberta pode de algum modo in-
tereaaar aoa sericicultores.
B' atoa amostra <*e pao00 fabricado com a cas-
ca dos ramos mais delgados da- amoreira.- Eate
panno parece o panno de lioso ordinario ; 0 po-
de servir aos meamos usos.
depois conheeia pelo neme de Gsdis. A ata
chamou PliaU hvguitm Julia Gaditana.
Tito Livio di aluda conhecimento de ums Car-
tia ra do Eslreito deGibrsltar, qasndo rolara
qaoLelio eshira dsqoelle Eslreito. e que com
sua armada chegira a Cartela, cidade aituada na
costa do ocano, onde o mar comega a alargar.
Ambrosio de Morales colloea a cidade de Car-
iis em Algezira ; o P. Marisna em Tarifa ; Vi-
var em Cartsya ; Pompooio lela affirma qae na
Lasttania havia urna ilha chamada Cariis oa
Erythis, qae foi habitada por Geryio ; e trei Bar*
nardo de Brito, fundado na autoridade de Andr
da Rezenie, diz ter existido a ilha Erythis, en
Cartela, perlo do cabo de S. Vicente.
Al aqui, poi, nao ha mais do qae opinides
relativas a este aasumpto, resultando dallas a
existencia de varias cidades com o nome de Car-
tela.
Vejamos agora se podaremos chegar a admit-
llr como verdadeira, ou pelo menos como vero-
smil, urna cidade de Cartia na coala do Al-
garve.
Escriptores antigos descrevem a famosa Car-
tia como povoaco martima muito notavel por
suas pescarlas a marinhe, tanto em tempo doa
phenicios e ksrlhagenezes, como 00 do imperio
romano, fazeodo meogio de ums torre que nella
houve.
Escriptores gregos, bem como outros moder-
nos, lhe deram o nome de Tartaaao ; maa tam-
bem sabido, que Tarteuo chamaram algana geo-
grapbos s todoa os lugares comprehendidos entra
o cabo de S. Vicente e o monte Calpe.
A aldeia de Quarleira, aituada na costa do
Algarve entre oa portoade Albuteira o Para, .ao-
bre urna lmpida e formosa prala baabada palo
ocano.
Neala praia est erguida ama antiga torre,cha-
mada da vigia, que ontr'ora devera figurar a
maior distancia do mar, se se attender aoa mu-
tos vestigios de edificages romanas que aqaelbra
aguas boje cobrem. All tem por fzes sido en-
contradas nao poucas medalhas rom ansa, que at
cario ponto offerecem boas presumpgea do quo
no lugar de Quarletra podara ter existido a oa*
lebre Cartia.
Poaauimoa tres destts medalhaa, todas da ca-
br, cootendo symbolos e inscripges da colonia
de Cartia, sendo urna deilas senada naa proxi-
midades da villa de Lonl. qae poneo dista da
Qaarteira : nesla medalha v-se no anverso ama
mulher coroada de (orre, tend em frente em
caracteres vsiveis s palavra Cartia -, tu
reverso, j um tanto deteriorado, am symfcoio,
qne bem figura ser am lera.
Parece portanto dar-se irrreka uoiTormidade
entre as descTrpges que se conhecem d a antiga
Cartia e as crrcumlincias especisea da aldea
de Quarleira.
%
Invocando anda o testemuuho dos aatnrea,
apresenta-se um argumento, qne maito pode-au-
xiliar esta investigago.
Aa diveraaa meadaa de fio, e a pequea qaanti
dada de caaca, em meia preparaco, que acom-
panhavam os apcimeos de tecido, provam de
quanla vantagem serta o utilisar a materia lecivei
da amoreira, de qu al boje- se nao tem Uredo
partido algum.
Quaodo a folha da amoreira-, pela terrivel mo-
lestia do bicb, ji oo pode, verdadeiraraeole, ser
eoosiderada como um produoio veoal, eata des-
coberta de certo apreciarel para oa proprieta-
rios de amoreiraes.
O-actual poasuidor do brevet'd'iovengo para a
exiraego do fio tecivel da amoreira o Sr.Brs.
Mas, como se pode ver, n'uraa parte, de um re-
lalorio sobre a expoaigo universal de Paris, pu-
blicada no c Bolelim do ministerio daa obras pu-
blicas, em 18571, a idea ji antiga, e ha expe-
riencias concluientes de Mr. Da vio, disttnclo fa-
bricante de lanificios de Paria, aobre a seda-di-
rectaisto 4, sobre a materia tecivel extrahida da
amoreira sem a intervengao do bicho.
EUBOgO MYDROFUGA PARA AS PAREDES.
Tem-se empregado ltimamente, em Paris.
com exceileote* resultados a aeguiote receita.
Alcatro de huiha.......92
Gordura de caroeiro......2
Gomma laca ......4
Resioa de pioheiro...... 1.3
Sulphato d'alumioa scee e em po-. 0,5
"io
Funde-se : osftbo, a gomma e a resioa. lu-
corpora-se, no mixto, o alcatro, } misturado
com o sulphato d'alumioa. Fervo-sa daranta
meia hora mechando sempre.
Applica-se quaate mediante urna brocha ordi-
naria.
O licenciado Jorga Cerdoso afflrma aer Santo
Hesychio o primeiro pregad or do mysterios m
f entre oa povos martimos da Luaitania depojl
dos apostlos, e que em Crter exerceu aqatalro
santo varaTo eata miaso evanglica ; a dando-ae
Santo Hegichlo como primeiro pastor da egre-
ja osaooobense, que- a pouca ftist a ocia demora-
va do lugar de Quarleira, nao parecer talrox
inverismil, que de Oaaonoba se dirigase ello a
Cartia,. e qae ali exeroesse osea-sagrado mina-
te rio.
Fr Vicente Salgado, coidadoao investigador
das satiguidadea do Algarve, segaindo esta opi-
oiao, diz nio s baaoa-la em nolicias'.de escripto-
res que coosultou a tal respeito, como tambora
na tradigo daquelles povos.
Difcil sempre em' materias de tsnla contro-
versia tentar demonstrar o qae a noite dos sca-
los sepaltoa para sempre naa suas iodiapensa-
veis sombras.
O que faci averiguado, -qua se a aldea de
Quarleira oo foi oomo se presume, a Cartia
dos phenicios karthegioezea o- romaoos, foi ama
outra povoago romana, porque assim o dizem
as suas ruinss, em que so observa a eoohocida
argamasas, de que os obreiros de Roma faziam
usoem suas construegoes.
ARCEBISPO DE GOA.
Terminaram aa qaeatea entra a Saota S o o
goveroo portugus acerca desse prelado. A curia
deixou de exigir qae ello fosee a Roma, e rece-
beram-ae as bullas de coofirraago e o palito. O
arcebiapo nao lardar poia em partir para os es-
tados da lodia, onde a sua preseoga vivamente
reclamada peloa fiis.
[Jornal do Commercio, de Lisboa.)
Vestigios de edificactes romanas na
aldeia de Qaarteira, na costa do Al-
garve.
Da vatias cidades com o nome de Cartea, le-
garan) memoria i poateridade muitos escriptores
antigos.
O autor da Anliouedad Explicada deecreve ama
deataa cidades, duendo ter existido 00 extremo
da baha de Gibraltar, no aitio chamado Ro'ca-
dillo, oodo peno de ama torre quadrada ae ma-
nifestara oa vestigios de suas ruinas, como restos
de morslhas que circomdavam famoaos edificios,
em cujos eotulhoa ae acham fragmentos de bellos
marmrea de primoroso lavor o de vasos de tr-
ra de cor arroxads, os quaes presume Ambrosio
de Morales que serism fabricados de orna arga
[ de Saguoto, que os romanoa tiabam em grande
aprego ; e accresceota o dito sutor terem sido
all encontradas varias moedaa consulares, em
qae figura a cabega de Cybele coroada de torrea.
Do outra cidade de eaual nome, junto a Kar-
Ihano Espartara, falla Tito Litio ; o Polybio di
noticia de urna outra, coja posicio geographica
nao descreve. _
Clovsrio diz qua naa ilhaa Bsrleogss JhL"d
oa povos da Tyro ama cidade denomioieujrcar-
la, qual oa pheoicloi chamara Gadlr, eeodo
Por noticiae que ltimamente recebemoa, aca-
bemos que os vendavses que esta aooo laote-cas-
ttgararc a costa do Algarve, arrasUndo wra|o
leito do ocano grandes carnadas de arelas, dei-
xaram em deacoberto na praia de Qusrlaka se-
guros vestigios de urna povoago romana, como
alicorees de difieren tes edificios apuredea.de va-
rias dimensoes aendo a mais coaemuat da- am
melro de altura, e havendo ama aertre estas pa-
redes da extenso de quatorze pasaos, em caja
parte superior se observa urna facha da mosaico.
Alem de tudo iato nos dizem egualmenro terem
ali apparecido varias moedas imperatorias.
Quarleira porm hoje urna aldea de peana-
dorea. Povoago aass mingaada, compoa-w dn
cabsnas de janeo e algunas caaas ae elveoaria-
Ainda li exiate de p a aua antiga torre, non
como a aua ponte, talvez nao menos antiga ao-
bre a ribeira que corta a estrada entre Faro o
Albofeira.
O mar tem colhido para seu recosto grande
parte da praia, obstruiodo do um modo lamenta-
so a onseada qua outr'ora dera abrigo a moilot
barcoa de pasca, e famoaas armadas, se com
effeito foi ali a antiga Cartia.
Alguna monarchas portuguexea
ram pela prosperiJade daquellas
Em 1297 deu el-rei D. Dial:
ss terrssdo Quarleira a Martim
a clausula de es povosr com cin
res; o foi ali que el-rei D. Joao
primeira vez enslnsr s
anear.
O terremoto de 175*sate esjon
que 11 a pobre povoago^vFqa*
tes a irem conatruir auaa rvend!
taoc|a do mar, o da velha torre
maoecidp como teatemuoha im
sagem dos scalos.
A respeito dss novas descoberlss ai
a palavra aatorissda dos antiqoarioa el
tes, que aa foram pesioilmeote observar

1 canoa do
u-
(foca.J
FIIM. TTP. DE H. i. Dlf ARIA 61 VlU0.1Ha%
*-
-L
--


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E6P974EX8_P2B276 INGEST_TIME 2013-05-01T01:07:03Z PACKAGE AA00011611_09930
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES