Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:09902


This item is only available as the following downloads:


Full Text

ill* <., .:___SBM

un xzzru I01IIO 300
Ptr Ir mtits dilatados
Ptr tres mezes vencidos 6(000
SAMMO 21 II DEZEIBRO II lili
Por *int adiaiUdt 49|000
Ptjrte fraut tara t snlwi ittr.
All
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPTO DO NORTE
o
Parahyba, o Sr, Amonio Alexandrioo de Li-
ma ; Natal, o Sr. Antonio Marques da Silva ;
Atacaly, o Sr. A. de Lemoa Braga; Geari o Sr.
i Jos de Oliteira; Maraohio, o Sr. Joaquim
Mirques Rodrigues; pir, Justioo J. Ramo*;
Amazona*, o Sr. Jerooymo da Costa.

PARTIDAS. UUS COK REOS.
Olinda todos oa dias as 9# horas dodia.
Iguarass, Goianoa, e Parahyba as segundas
e sexlas-feirat.
S. Aniso, Bezerros, Benito, Caruata, Altinbo
e Garanhuos naa tercas-feira*.
Pao d'Alho, Nazarelb. Limoeiro, Brejo, Pes-
queira, Iogazeira, Flores, Villa-Bella, Boa-Vista,
Ouncury e Ex as qua Us-feiras.
Cabo, Seriohiem, Rio Formoao, Una.Barreiros
Agua Preta, Pimenteiras e Natal quintas feiras.
[Todos os correios parten as 10 horas da manhia)
EPHEMERIDES DO HEZ DE DEZEMBRO.
1 Lia nova as II horas 57 mina toa da tarde.
9 Quarto crescente tos 50 minutos da manhia.
17 La chela as 5 horas 31 niatos da tarde.
55 Quarto minga anta as 7 horas e 32 minutos
da tarde.
31 La ora as 11 horas e 35 minutos da man:
PREAMAR DE 110JE.
Primeiro as 3 horas e 30 minutos da manhia.
I Segando as 2 horas e 6 mina tos da tarde.
DAS DA SEMANA.
23 Segunda. pServulo adv. contra a paralysia
24 Terge. S. Gregorio m. ; S. Hermina m.
25 Quarta. eg Nasemento de N. Sr. Jess Cbrislo
26 Quinta. S. Estevo prdto-martyr.
27 Sexta, s. Joio apostlo e evangelista.
28 Sabbado. O Santos Innoceotea mm.
29 Domingo. S. Tbomaz are. de cantarla m.
AUDIENCIAS DOS TRIBUNAES DA CAPITAL. IENCARREGADOS DA SUBSCRIPCAO DO SOL.
Tribunal do commercio: aegundas e quinlss.
Relacio: tergas, quintas e sabbadosaslO horas,
Fazenda : tergas, quintas e sabbadosaslO horas.
Juizo do commercio : quartaa ao meio dia.
Dito de orphioa : tercas e aextas as 10 horas.
Primen Tara do civil: tercas sextas ao meio
da.
Segunda Tara do civel: quartas e sabbados a 1
hora da tarde.
PIBTE OFFICIIL.
Ministerio do imperio,
CIRCULAR.
3 ecf-ao. Rio de Janeiro. Mioiiterio dos ne-
fc,os aS ia,Pe". em 13 de dezembro de 1861.
Illm. e Exm. Sr.Por aviso de 15 de outubro do
auno lindo, se declarou presidencia da provin-
cia de Mioaa-Geraes que, determinando o 8 3o
do art. i do decreto o. 1,082 de 18 de agosto do
tnesmo anuo, que baja tantos collegios eleitoraes
quantas torea aa cidades e Tillas do imperio : e
t sao exialindo disposico alguma que exceptu
deata regrt as Tillas creadas depoia da divisao
eleitoral daa provincias, nem havendo motivo pa-
ta que se d semelhaote excepeo, devem for-
mar collegios eleiloraes as Tillas norameote
criadas, logo que sejam instaladas.
Por outro aviso de 12 de aelembro ultimo se
declarou que, depois da designado geral dos
collegios eleiloraes, feita em Tirtude do citado
decrete n. 1,082, nenhum pode ser creado seno
por acto legislativo, vista da expressi dispoai-
?ao do art. Y do dito decreto ; e que por isso
nos municipios ioslallados depois daquella desig-
nado nao devem ser creados collegios eleilo-
raes. embora teobam de dar mais de vinle elei-
tores.
Estando, portanlo, em contradicho os dous Te-
lendos aviaos, e convindo que aobre lio impor-
tante assumpto se execute a le de modo unifor-
me, houve por bem S. H. o Imperador ouvir
secgao dos negocios do imperio do conselho de
estado, a qual, em conaulta de 9 do mez odo,
loi de parecer que a doutrina estabelecida pelo
mencionado aviso de 12 de setembro a verda-
deira, e se deduz da confrontado daa dispo3iges
-,"!>\':\ 3*' do "' 2 daquelle decreto, em
virtude dos quaes indispeosavel o acto legials-
tivo para que se altere a primeira designacao dos
collegios eleiloraes feita em observancia do mes-
mo dt-creto.
Confrmando-se o mesmo augusto senhor com
esle parecer, por sua immediata resoluco de 7
do correle mez. maoda declarar V. Exc. que
80 por le podo ser alterada a designacao dos col-
legios eleiloraes feita em 1860, flcanio, portanlo
revogado o mencionado aviso da 15 de outubro
do aono prximo pretrito.
Deus guarde V. Exc. Jos Idelfooso de
souza Ramoa.Sr. presidente da provincia de....
3" secgao. Rio de Jaoeiro. Ministerio dos ne-
gocios do imperio em 13 de dezembro de 1861.
Illm. e Exm. Sr. Foi presente S. AI. o Impe-
rador o oficio de 18 de outubro ultimo, em que
V. Exc. perguot se, tendo silo exlincta a villa de
&. Vicente Ferrer. depois de feita a divisao e de-
signagao dos collegios eleiloraes dessa provincia,
devem osseus eleilores votar no cullegio do mu-
nicipio de S. Benlo. que ficou incorporada a
dita villa, considerando-se exiiocto o respectivo
collegio eleitoral, ou se deve este subsistir nao
obstante aquella extioeco.
Sendo ouvida sobre o referido officio a secgao
dos negocios do imperio do conselho de estado
oi de parecer, em consulta de 9 do mez Ando,
que nao podendo ser alterada seno por lei, n
forma da 2 parle do art. 2o do decreto n. 108z de
18 de agosto de 1860, a desigoagio dos collegios
eleiloraes feita em virtude do mesmo decreto, e
daodo-se essa alterado taoto na creacao como
na extioegao de taes collegios, deve subsistir o
da extmcia villa de S. Vicente Ferrer, em quanto
o poder legislativo nao resolver de oulro modo.
Cooformando-se S. M. o Imperador com esle
parecer, por aua immediata resoluco de 7 do
correnle mez, assim o manda declarar i V. Exc.
para sua iotelligencia e execugio.
Deus guarde a V. Exc. Jos Ildefonso de
Souza Ramos. Sr. presidente da provincia do
Maranhio.
3 seegio. Rio de Janeiro. Ministerio dos
negocios do imperio, em 16 de dezembro de 1861.
Illm e Exm. Sr.Tenho presente o officio n. 54
de 28 de agosto uliimo-, em que.V. Exc. submet-
te consideradlo do goveroo imperial a solugao
que deu aos seguimos quesitos propostos pela
cmara municipal da capital desta provincia:
1.* O vereador reeleito que, sendo convidado
para prestar juramento, nao comparece, nem a-
presenla a aua escusa, na forma do art. 20 da lei
do Io de outubro de 1828, incorre na multa do
art. 28da mesma lei?
2.* O cidadio que no quatriennio findo era
vereador, e no actual foi ele:to aupplenle, nao
comparecendo para prestar juramento depois de
convidado, nem apresentaodo escusa, tica tam-
bera aujeito multa referida ?
3.o Pode ser multado o veresdor ou supplente
eleito que nio comparecer psra prestar juramen-
to, depois de convenientemente convidado?
Fuodando-se na disposigio das portaras de 28
de fevereiro e 2 de julbo de 1833, responden V.
Exc. afirmativamente aos referidos quesitos, ac-
cresceotando que contra os eleilos que sendo cha-
mad js para prestaren) juramento como vereado-
res ou suppleoles nio se apresentam, nem d3o
razoes suficientes para serom escusados, pode
haver procedimento criminal por infracto do art.
128 do cdigo penal.
Em resposta cabe-me declarar que a decisio
por V. Exc. dada est de accordo com o que se
acha estabelecido pelas citadas portaras.
Deus guarde V. ExcJos Idelfonso de Sou-
za Ramos.Sr. presidente da provincia do Ama-
zonas.
Ministerio da jastica.
Circular.Ministerio dos negocios da justics.
Rio de Jaoeiro, 25 de outubro de 1861.Illm. e
Exm. Sr.A falta de eselarecimeolos mais com-
pletos no processo dos coocursos pata provimeo-
tos de oficios de juatiga, aeja em relaja qua-
lidade dos mesmos oficios, seja por nio mencio-
nar-se a razio da vacatura e a poca em que fo-
rana creados, ignorndose nao poucas vezes se
devam ou nio continuar a prover-se, visto como
a creagio de taes oficios depende de legislagio
provincial, nem sempre presente ao goveroo im-
perial, dando taes oceurreocias lugar provi-
montos indevidos i que forzoso reparar pelo
piejuizo de ioteressados, exige que V. Exc, alm
das ioormagee nos reqoerimeotos relativamen-
te idoneidada de cadaum dos pretendentes, na
forma do decreto n. 817 de 30 de agosto de 1851,
remetta em oficio separado copia do edital que,
em virtude do art. 11 do mesmo decreto, tem V.
Exc. de msndar afiliar na capital dessa provin-
cia, e publicar pela imprensa com a declaragio
do dia em que foi afiliado e publicado, e em que
deve terminar o prazo do concurso.
Nesse edital necessario que V. Exc. faga
consignar a data da lei, decreto ou provisto que
ereoo o oficio que se vaf*p0ra concurso, o mo-
tivo da vaga, e o oome da pessoa que anterior-
mente servia-o, bem como se a vaga ae limita
ao officio que se tem de prover, ou se se eiteode
todos os aonexos; cumprindo-rae prevenir a
V. Exc. qua oa requerimentos que d'ora avante
vierem a esta repartigio sem estas formalidades
serio deTolvidos sem que dalles se tome conhe-
cimeoto, annunciando-aa asta oceurrenda no jor-
nal em que so publicam os acloa offlciaes para o
conhecisaenlo dos ioteressados.
E porque t bem da regularidad do servigo
multo conrea Tlter delongas, e anda o extra-
vos que soffrem os requerimentos dos preten-
dentes, nio Tindo todos sob a mesma direegio e
relacionados, dever V. Exc. remett-los na for-
ma indicada, depoia de haver cada preteodente
pago no correio o sello a que est obrigado, visto
Irstar-ae de negocio de interesse particular.
Deus guarde V. ExcFrancisco de Paula de
Negreiros Sayo Lobato.Sr. presidente da pro-
vincia de. .
Alagoas, o Sr. Glaudino Faleio Dias; Babia,
o Sr. Joa Martina Alvea; Rio de Janeiro, o Sr.
Joto Pereira Martina. '
EM PERNAMBUCO.
Os proprietarioa do pumo Manoel Figueira da
Faria & Filho, na sua livraria praca da Indepen-
Idencia na. 6 e 8.
2* seccao.Ministerio d# negocios da Jusga.
Rio de Janeiro, em 9 de dezembro de-1861.
Illm. e Exm. Sr. Tendo o contador do julzo de
Campo-Maior, nessa provincia, coosultado ao juiz
de direito da respectiva comarca, ae em vista do
aviso de 25 de jaoeiro de 1856, devia contar ao
escrivo 3 de busca de um inventario em que
funecionou o juiz, requerimento de um herdei-
ro, tendo antes cootado a mesma quantia pela
busca do mesmo inventario, funecionando entao o
juiz exo/Juio, em prestigio de contas de um tu-
torao que respondeu o referido juiz de direito
que indevidamente foi contada busca ao eacrivio
do inventario para prestigio de contas, porque o
aviso citado nio podia revogar a diapoaicio da
ord. liv. Io til. 89 13. que expressamente man-
da o contador nao cootar buaca deautoa de in-
ventarios nodos ou parados, quiodo nelles func-
ciooar o juiz em causas de orphios, o que se deve
entender nao s quando o procedimento fr ex-
offlcio, seoao i requerimento de partes, pois que
o mesmo aviso, looge de ir de encootro esta
disposigao, est antes em harmona e subordinado
a iotelligencia da ord. citada ; nio acooteceodo,
porm, outro taoto na primeira hypothese, por-
que, nesse caso, fuocciuoou o Juiz requerimen-
to dos herdeiros, que nio sao orphios, deveodo
por cooseguiule contar-ae busca tantas vezes
quantas forem requeridas cerlides de quaesquer
autos liados ou parados, na forma do art. 107 do
regiment de cusas: eotendeu V. Exc. i quem
oi submellida a duvida pelo juiz de direilo, que
o aviso de 25 de Janeiro de 1856 ae oppoe inlel-
ngencia dada pelo mencionado juiz, pois que,
vists delle, sendo o caso justamente de orphios,
sempre se conla busca para o eacrivio, viato que
estao revogadas nio s as disposigoes do antigo
r.e8imDt0 de cusas, mas tsmbem a ord. liv. 1*
tit. 89 13. nio pelo aviso, que apenas expli-
cativo, porm pelo decreto o. 1,569 de 3 de mar-
go de 1855. E S. M. o Imperador, cujo conhe-
cimento levei o oficio de V. Exc. n. 23 de 15 de
juoho ultimo, acompanbado daa copias relativas
tal queslio, bouve por bem mandar approvar a
deliberagao tomada por V. Exc, o que communi-
co ,V. Exc para sua iotelligencia.
Deus guarde V. ExcFrancisco de Paula de
negreiros Sayao Lobato.Sr. preaidente da pro-
vincia do Piauby. r
2 seccao.Ministerio dos negocios da justica.
Rio de Jaoeiro, em 11 de dezembro de 1861.
Illm. e Exm. Sr Tendo V. Exc. recommenda-
do ao chefe de polica dessa provincia nio s que
cohibisse as prises sem ordem por escripto, as
que tinham por pretextoindagages policiaes
em cnmesaQangaveis, a falta de apresentacio de
nota de culpa deotro de 24 horas, e o veame em
que algumas autoridades cullocavam oa particu-
lares com a conucgio de oficios de urna para
outra localidade, preudendo aquellos que se ne-
gavaa tal senrigo; como que tambera fkesse
obserrar o disposto nos artigos 144 e seguintes
do regulamento n. 120 de 31 de Janeiro de 1842
a respeito da policia e economa das prlsoes; e
bem assim rocommendaodo igualmente aos juizes
de direito e municipaes o exacto cumprimento da
le, na parle relativa execugio das sentengaa
cnmioaes para que as prises nio excedam o
tffmpo das condemnages, fazendo aaber a essaa
autoridades que ellas nio leem a faculd.de de o-
bngar os particularea a conduzlr oficios, visto
existirem crrelos, e na falta delles offlciaes de
justiga que devem enesrregar-se de semelbsntes
commiases: houve por bem Sua Mageslade o
Imperador, a cujo conhecimento levei o oficio
dessa presidencia n. 45 de 24 de setembro ulti-
nio, em que V. Exc. submelle alta considera-
gao do mesmo augusto senhor aa deliberares
que tomara, mandar approvar as providencias a-
cima relatadas,
Deus guarde V. Exc.-Francisco de Paula de
Negreiros S*yo Lobato.Sr. presidente da pro-
vincia do Rio Grande do Norte.
Ministerio da agricultura, commer-
cio e obras publicas.
Directora central.N. 32.Rio de Janeiro.
Ministerio dos negocios da agricultura, commer-
cio e obras publicas, em 9 de dezembro de 1861.
Illm. e Exm. Sr.Nio sendo procedentes aa
razoes allegadas pelos negociantesGuilherme Car-
valho & C, no officio que dirigiram a V. Exc,
e que acompanhou seu officio de 12 do mez pas-
sa jo, para se julgarem dispensados de presentar
o balancete das operagea que tem effecloado e
continuar a effectuar a agencia da companhia
de seguros martimos Seguridade, do Rio de
Janeiro, estabelecida na capital dessa provincia,
nos termos do decreto n. 2,679 de 3 de novem-
bro de 1860, convem que V. Exc. Ibes faga cons-
tar que, comquaolo nao sejam obrigados a con-
feccionar um balaogo idntico ao da companhia
de que filial a agencia que administran), nem
por isso se devem suppor desligados da obriga-
qSo de se ciogirem ao modelo aonexo ao referido
decreto, formulado para as compaobias de segu-
ros, em tudo o que fr de possivel execugio,
quando liverem de dar coota do estado das res-
pectivas operagea, cando sujeitos s penas que
a legialago impe aos seus infractores, se conti-
nuaren! na inobaer>aocia do citado decreto, cujo
cumprimento recommendo a V. Exc.: o que tudo
j foi decidido em aviso de 26 de agosto ultimo.
Depois guarde a V. ExcManoel Felixardo de
Souza e Mello.Sr. presidente da provincia de
Pernambuco.
G0VERN0 DA PROVINCIA.
Expediente do goveroo do dia 34 de
dezembro de 18*31
Oficio ao brigadeiru commandante^das armas,
Sirva-se V. Exc. de informar acerca do que
pede no incluso requerimento Hermano Jos
Loureogo da Silva.
Dito ao mesmo.Sirva-se V. Exc. de expedir
suas ordena, para que regresse i seu corpo o ca-
pitio Antonio Francisco Avila do 10* batalbio de
iofantaria e toda a forga de lioha que exiate na
Tilla do Bonito, sob o seu commando.
Dito ao com mandante superior do Rio Formozo.
A Tila do que expe o chefe de policia,em offl.
ciu n 1282 de 16 do correte, com referencia
outro do legado do termo de Barreiros, naja V.
S. de expedir auaa ordena para qua sejam substi-
tuidas por outrss as 20 armas com eorreiame do
batatbiu n. 45 da guarda nacional dessa comarca,
que oram foroecidaa ao destacamento de Barrei-
ros, e aa qua alli se acbam em servigo sejam re-
eolhidas ao arsanal de guerra para seren concer-
tadas.Communicou-se ao chefe de policia.
Dito ao coamandaute superior de Santo Aalio.
Pode V. S. mandar receber do presidente do
conselho administravotl do arsenal de guerra, oa
doua livros que requisitou em oficio de ti de ou-
tubro ultimo, o chefe desatado aaior da guarda
nacional aob aeu commando superior, para oa ree-
pecvos conselhos de qualneacio e de revista.
Dito thesourarii de fazeada.Exptca V. S. u
suas ordeos para que os destacamentos que ora
seguem para Tilla Bella e Florea sejam pagos de
seus vencimeatos pela respectiva col lectora con-
forme solicitou o brigadeiro commandante das ar-
mas, em oficio de hoolem datado sob o. 2119.
Communicou-se ao commandante das armas.
Dito ao mesmo.Certo do conteudo de sua in-
formagio de hontem sob n. 1244.auloriso i V. S.
?.ilA.pa8ar aC*8* &3Bboaquaotla de
1.4UUSIKJU rs. em que importara os medicamentos
vendidas ao couselbo administrativo do arsenal
de guerras para a botica do hospital militar como
se v da conta quedevolvo em duplicata coberla
com oficio do presidente do mesmo conselho de
3 do correnle sob n. 89.
Dito i mesma.Em.vista da coota junta em du-
plcala que me foi remetlida pelo preaidente do
couselbo administrativo do araeoal de guerra, em
officio de hootam sob n. 95, mande V. S. pagar a
quantia de 2-2J0O0 em que importam dous livros
comprados para a guarda nacional da comarca de
Santo Antio.
Dito i mesma.Respondendo o seu officio de
hontem sob n. 1241, tenho a dizer que pode V. S.
aceitar o oferecimnto que faz Luiz Jos de Sou-
". ds quantia de 508000 pelos objectos apprehen-
didos ao alferes Joaquim Jos Luiz de Souza.
Quanto porm arrematagao da obra do passadi-
go para a gente p do bairro de Santo Antonio
ao do Recite ja ae resolveu por oficio de hooiem.
Dito i mesms. Visto que segundo consta de
sua informagao de hontem sob n. 1,239, nio ba
inconveniente no pagamento da quantia de......
390JM60, que se esti a dever a Joio Jos da Silva,
Jos Rodrigues da Silva Rucha e Joio Ignacio
Ribeiro Roma, proveniente de varios objectos que
forneceram ao conselho administrativo do arsenal
de guerra, com destinlo bosflal militar, como
se ve daa contas que devolvo ertas com o of-
ficio do mesmo conselho de 13 de novembro ul-
timo n. 83, o autoriao a msndar effectuar esse
pagamento.Communicou-se ao prosidente do
conselho.
Dito mesma.Constando de oficio do briga-
deiro commaodaote das armas, de hontem dala-
do sob n. 2,125, haver sido admillido no dia 20
do correnle, na qualidade de servente do hospi-
tal militar o paisano Sabino Joio Climaco da
Cruz, assim communico V. S. para seu conhe-
cimento.
Dito i mesma. JAutoriso i V. S. nos termos
de sua informagio de hontem, sob n. 1,245, a
mandar adiaotar cada um dos teoentes lti-
mamente promovidos Antonio Raymundo Los
CUdas, Luiz Jos Ferreira Juoior, Antonio Jos
Ribeiro e Manoel Jacintho Marques de Oliveira,
tres mezes de sold-como pedem nos requeri-
mentos quedevolvo e que me foram remeilidos
pelo brigadeiro commandante daa armas em offi-<
ci de 19 do correte sob n. 2.091. Communi-
cou-se ao commandante das armaa.
Dito meama.Ao alferes do 2o batalhao de
iofantaria Jos Domiogues Ramos, designado pelo
brigadeiro commandante das armas para coodu-
zir a quantia de 1 000 com deatino i collecioria
de Garaohuns, mande V. S. abonar o sold do
correte mez, bem como as vantageos que-rhe
compelirem pelo seu trajelo desta capital para
aquella comarca.
Dito mesma. Ao alteres do 2o batalhio de
Iofantaria Manoel Joaquim de Oliveira Crucha-
iruz.que vai commandar o destacamento da villa
Bella, sirva-se V. S. de. mandar abonar o sold
do presente mez, bem como as vantagens desta
capital aquella lugar.Communicou-se ao com-
mandante daa armas.
Dito thesouraria prorincial.Deferindo os
requerimentos que rieram aonexos aos seus offl-
cos de 25 e 30 de novembro ultimo, sob ns. 593
e 607, affloriso i V. S. a mandar por em haata
publica os reparos do que precisio as casas n.
97 da ra do Pilar e45da ra da Moeda, porteo-
cea tes so patrimonio doa orphios e cuios alugueis
foram arrematados por TraTasso Jnior & C.
e Theodoro Jos da Silra, serviodo de base essa
arrematagio os orgamentos juntos por copia, que
me foram remeilidos pelo director das obras pu-
blicas com officio de hootem sob n. 287.
Dito ao director das obras publicas.Autoriso
a Vmc a mandar fazer por adtnioistragio os re-
paros que se tornara necessarios noa raios do aul
e norte da casa de detengio, os quaes segundo o
orgamentoque acompanhou o seu officio de hon-
tem sob n. 289. importam em 312g.Communi-
cou-ae thesouraria de fazenda.
Dito ao Sr. rice-conaul da Sardenha.Commu-
nico ao Sr. Joa Teixeira Basto, Tice-consul da
Sardenha nesta provincia, que segundo me foi
declarado em aviso expedido pela repartigio dos
negocioa estraogeiros em 5 do correnle, S. M. o
Imperador houre por bem conceder a nomeagao
do Sr. Joio Baptista Cerrutl para cnsul do reino
da Italia, as provincias da Baha, Sergipe, Ala-
goas, Pernambuco, Rio Grande do Norte, Cear,
Piauhy, Maranbio e Par, com residencia na
primeira destas. Renov ao mesmo Sr. cnsul
os protestos de minha perfeita eslima e conside-
ragio.Fizeram-se as communicages necessa-
rias.
Dito ao conselho administrativo.Promova o
consalho administrativo a compra dos objectos
constantes dos dous inclusos pedidos, os quaes
sao precisos para o hospital militar.Com mu oi-
cou-se i thesouraria de fazeoda.
Dito ao juiz de direilo de Garanhuos.Remet-
i por copia i Vmc. o oficio que me dirigi o
presidente da cmara municipal do Buique.com-
municando-me nio tero prasidenle do quadrie-
nio findo Thomaz de Aquino Cavilcaati deferido
juramento e dado posse aos novos vareadores,
como the fora ordenado por esta presidencia em
lz de outubro ultimo, copia n. 2, pelo que lome-
ra a deliberado de o fazer por ai, recommendo
Vmc que noa termos da lei respoosabilise o
referido presidenta ds cmara municipal do Bui-
que do referido exerciclo paasado, por nao ter
cumprido a ordem, que para aquelle fim lbe to-
ra tranamittlda.
Dilo ao superintendente da estrada de ferro.
Dando cumprimento ao aviso junio por copls, ex-
pedido pela repartigio de agricultura,commercio
e obras publica* em 6 do correle, recommendo
ao Sr. superintendente da estrada de ferro desla
provincia a ioteira observancia do que dispe o
art, 155 do regulamento de 26 de abril de 1857,
o qual expressa e terminantemente estatu que
os marcos dss vias frreas seja destribuidos de
750 em 750 bragas.
Dito i directora do thealro de Santa Isabel.
Communico directora do theatro de Santa Isa-
bel para seu cooheetmento e direegio que, tendo
em vista a aua informagio de hoje datada acabo de
conceder a permissio pedida por Antonio Teixei-
ra da Fooceca Leio para dar no mesmo theatro
um espectculo em seu beneficio.
Dilo cmara municipal de Garaohuns.Res-
pondo ao oficio que me dirigi a cmara muni-
cipal de Garaohuns em 3 de outubro prximo du-
do sob o. 5, duendo que reslitua is cmaras
municipaes de S. Beato e do Bom Conselho, a
parla que Ihe pertence na renda do semestre
de jaoeiro I junho, guardando a devida propor-
gio eotre a arrematagio do trimestre anterior,
de que fez parte o referido semestre e a que se
effeetaoo posteriormente para cada um doa refe-
ridos muolcipios.Expedirm-se as communica-
ges is cmaras de que cima se trata.
Dito ao jou municipal aupplenle em eiercicio
ffo termo de Cmaro Jos Fraocisco de Azevedo
Lyra,Recommendo Vmc, que d audiencia
as parles com regularizada reaidindo na cidade
ou ella indo para isso tres veses por semana
pelo menos, aum ue que nio veoba a soffrer o
servigo e adminislregio da juatiga.
Portara.O presidente da provincia resolve
conceder a exoner^cio que pedio o capitao Jos
Pedro Nolssco PeretrtOa Cunta do cargo de da-
legado de policia 3o termo do Buique, comarca
de Garanhuos.Communicou-se ao commandan-
te das armas.
Despachos dodia 84 de dezembro
de 1861.
Requerimentos.
Feliciano Marques Vianns.J se ordenou o
pagamento que pede o supplicante.
Capitao Joio Theodoro Bezerra de Mello.
Passe portara coucedendo quinze diaa de licenga
com vencimeotos.
Capitio Manoel Pereira de Souza Burity.Co-
mo requer.
Maooel Peres Campello de Almeida.Informe
o Sr. director das obraa publicas.
COMMANDO DAS ARMAS.
Quartel-seneral do commando das
armas de Pernambuco na cidade
do Recife em 84 de dezembro de
1*61.
ORDEM DO DIA N. 8.
O general commandante daa armas, em addi-
tamenlo sua ordem do dia o. 4 de 17 desle de-
zembro, julga conveniente chamar atteu7io doa
Srs. commandantes dos corpos, e mais pessoas
militares perteoceetes i esta guarnigio para a
psrte de sua ordem do dia n 2, de 27 de abril
de 1848, abaixo transcripta, relativamente uni-
formidade dos corpos, publicsdano primeiro
commando das armas, queexerceu nesta provin-
cia, afim de qae teoha fiel observancia.
Igualmente faz constar, que no dia 22 do cor-
rente, pelas duas horas da larde, atravessando a
praga de Pedro II, observou que a guarda do the-
souro nio eslava cosa a precisa vigilancia, por-
quaoto ao brado d'armas da aenlinelia, as mais
pragas chegaram formatura em completo desali-
nho, sendo que, o proprio oficial, o Sr. alfares
Joaquim Americo da Silva, que a commaudava,
I se apreseotou a aua frente inleiramenle desabo-
; toado, procedimento sem duvida muito digno de
admoestagio ; por isso espera, que essa e outraa
faltas se naoreproduzsm nesta guarnigio; ebem
assim, que osSrs. offlciaessupenores de dia e de
ronda de visita, teobam o maior cuidado as que
fuerera is guardas, em oio consenlirem a menor
falla, ou desmazelo neste tio Importante ramo do
servigo.
Os Srs. ajudanies de ordena, rdbdario alterna-
damente s referidas guardas, mencionando em
suas partes, nio s as novidades ou faltas que
encootrarem nellas, como se cumprem seus de-
veres oo acto de recoohecerem s rondas.
Finalmente nio pode o mesmo general com-
mar* queS ande irregulari.dade existe nos corpos desla
K"3?Sio, quanto i maneira de ae execuiarern as
comneocias militares, quando sao encontrados
pelfs subditos, os.qua Ibes sao superiores ; por-
qusnto dous iudividupaae nio encontram unifor-
mes nessas continencias, i nio ser o de lirarem
da cabegs os bonetes psrafazerem grande corlezia,
habito este que se tem iotroduzido geralmente, e
que o mesmo general muito reprova. Portanlo
"pera, que os Srs. commsodsntes dos corpos,
quem oio falta o preciso zelo pela di-ciplioa dos
mesmos, fagam corrigiresla falta nos seus subor-
dinados, seguindo-se com toda a restricgso o que
semelhaote respeito se acha marcado as or-
denangas militares adoptadas oo exercilo.
Copia da parle da ordem do dia cima referida.
Tendo hontem observado, por occasiio da posse
do Exm. Sr. presideote da provincia, que alguos
individuos militares se apresentaram no palacio
do goveroo, nio obstante a solemnidade do dia,
desuoiformisados una, e & paisano outros, proce-
dimento que alm de se nio compadecer com oa
principioa de disciplina, que tanto deve interessar
a todos quantos lem a honra de perteocer dis-
tiocta e nubre protissio militar, accreace nio estar
elle de accordo com o respeito e acatameoto de-
vidos s autoridades superiores ; e por isso o
commandante das armas, tem as maia fundadas
esperaogas de que a briosa ofllcialidade de que
se compe esta guarnigio, jamis se apreseniar
no palacio do goveroo, mxime na presenga do
Exm. Sr. presidente da provincia, e no quartel do
commando das armas, tanto por motivo de ser-
vigo, como para promoverem os seus ioteresses,
se nio militarmente vestidos com os uniformes
permitlidos por lei.
Outrosim, o commandante das armas espera do
zelo dos Sra. commaodantea de corpos da guar-
nigio, a mais eficaz vigilancia, para que oa indi-
viduos de seus respectivos commandos, nio alle-
rem por pretexto algum a regularidade dos uni-
formes, que se acham estabelecidos para os mes-
mos corpos.......................................
Assigosdo. Solidonio Jos Antonio Pereira
do Lago.
Conforme.Candido Leal Ferreira, capitio
ajudante de ordena encarregado do delalhe.
ORDEM DO DA N. 9.
O general commandante daa armas, faz publi-
co, que a presidencia deata proviocla coocedeu,
por portarla datada de 23 do correle, um mez de
licenga de favor para tratar de aua sa le, ao Sr.
Io cadete do 9" batalhao de infamara Joio Fran-
cisco Paes Brrelo.
Assignado.Solidonio Jos Antonio Pereira
do Lago.
Conforme. Candido Ltal Ferreira, capitio
ajudante de ordena encarregado do detalhe.
INTERIOR.
BIO DE JANEIRO
11 de dezembro de 1861.
Foram apreseotados : o conego Joio Jos da
Silva Peganha Baptista, na igreja do SS. Sacra-
mento corle; o padre Domiogoa Lourencods
da Silva Penedo na de Nossa Senhora da Apre-
seotagiode Iraj, do municipio da corte, o padre
Manoel Correa de Figueiredo, na do Espirito San-
to da Barra Manaa da diocese e provincia do Rio
de Jaoeiro ; o padre Geraldo Ernesto da Silveira
Valle, na de Nossa Senhora da Piedade da mesma
diocese e provincia ; o padre Manoel Florentino
Cassiano de Campos, oa de S. Jos do Rio Preto
da mesma diocese e provincis ; o padre Jos Pe-
reir Duarte Carneiro, na de S. Matheusda dita
diocese e proviocia do Espirito Santo ; o padre
Antonio Comea Coelho do Valle, na de Santa Mara
da Bocea do Mooie da diocese e proviocia de S. Pe-
dro do Rio Grande do Sul.
Visitaram hontem a expeaicao 1,841 passoas
que com9,807 dos dias anteriores sommamll 148,
Sio hoje inspectores os Srs. marques de Abran-
tes, Dr. Oliveira Fausto e Fernaoaes da Cuoha
A entrada da 1| por pessoa.
2- II .
Hontem 30 dia do paasamento de S. H. F. o
Sr. D. Pedro V. celebrou-se ama missa no paco
da Boa Vista. 4 qual sesistiram SS. MM. a AA.
II, os semanarios o offlciaes da Casa imperial.
As 10 horas da manhia dirigiram-te SS.MM. ao
convento d'Ajuda.e ali oorram a missa do ani-
versario do fallecimento de S. M. a primeira im-
peratriz do Braail.
Comparecern! esta ceremonia a corte e o
ministerio.
_ Emi commemoragio do fallecimento de S. M.
F. o Sr. D. Pedro V. e do infante D. Fernando,
mandarna Mtxmaos enfermos do hospital da Ve-
neravel OrdouTTerceira de STFrancisco da Peni-
tencia, dizer hontem urna miasa com libera-me
na capella do meamo hospital, convenientemente
armada para esse fim.
Na mesma intengio pia mandaram celebrar
missae aole-hontem o Gabinete Portaguez de Lei-
tura: e hontem as sociedades Portugueza de Be-
neiicencia, Club Portueose, Apollonia e Euterpe
Commercial.
.Por decreto de bontem fol oomeado capellao
alferes da repartigio eccleaiastica do exercito o
padre Francisco Mara Pereira da Cunha.
Por decreto da mesma data foi transferido ps-
ra a 6* companhia do batalhio de cegadores de
Matto-Grosso o capitao do corpo de guaroicio de
Minas Geraes Jos Heoriques de Souza Aguiar.
Hootem visitaram a exposigio 566 pessias, que,
com 11,148 dos dias anteriores, sommam 11.714.
Sao inapectores oa Srs. viaconde de Barbacena
Dr. Dias Carneiro e Joaquim Antonio de Azevedo.
O prego da entrada hoje de 500 rs. por pessoa.
Ao Sr. coronel de engenheiros Frederico Car-
neiro Campos foi aceita a demissio que pedio de
secretario da 2a directora geral da secretaria da
guerra, e nomeado para esse lugar o Sr. coronel
de engenheiros Galdioo Justiniano da Silva Pi-
mentel.
Por decreto de 11 do correnle foi nomeado
Fiordpardo Cardoso Cordeiro para o emprego de
porteiro da thesouraria de fazenda da proviocia
de Santa Catharina.
Por portara da meama data foi nomeado. Jos
Galdioo da Veiga para collector daa rendas geraes
no municipio de Santa Mara Magialena, lti-
mamente creado na provincia do Rio de Jaoeiro.
Por portara de 12 do correte foi demettido do
lugar de 4o escriturario da alfandega da corte
Joa Augusto Borges Monteiro.
Por decreto de 11 do correte tiveram licenga
para permutar as respectivas igrejaa os vigarios
das fregueziss de Santo Antonio de Padua, da
provincia e biapado do Rio de Janeiro, e de S.
Jos d'Alm Parahyba, da provincia de Minas
Geraes e raspado do Rio de Jaoeiro.
Visitaram hontem a exposigio 1,320 pessoas,
",-*"" H.7I4 dos dias aoterioreasommam.....
13.034.
Sao inspectores de dia os Srs. cooselheiros Dias
de Garvalbo, Mariz Sarment e teneote coronel
Louto Soarea. O prego da entrada hoje de la
por pessoa.
Viaitaram hontem a exposicio 478 pessoas,
?!.a0m 13,034d"'di"Priores, sommam^..
Sio inspectores do daos Srs. Dr. Cesar Burla-
maqui, Nascentesde Azambuja e Ignacio de An-
drade.
-15
aoi decrel de M do correte foram comeados
cirurgies do corpo de saude do exercito, em
virtude do art. 156 do regulamento do respectivo
corpo de saude, os Drs. em medicioa Evaristo
unes Pires, Davioo F, ederico de Csrvalho e
silva Francisco Baptista da Rocha, Alfredo Can-
dido Guimariese Luiz Francisco de Murinelly.
Por decreto da mesma data foi transferido pa-
ra o 10 batalhio de iofantaria o major do corpo
de guarnigio de Minas Geraes, Mauricio de Souza
Tavora, e para eate corpo o major dsquelle bata-
lhao Joao de Castro e Silva.
Visitaram hootem a exposigio 926 pessoas, qu e,
com 13,512 dos dias anteriores, sommam 14,438.
Sao inspectores do dia os Srs. msrquez de
branles, Dr*. Oliveira Fausto e Ferosndes da
Cunha. a entrada hoje gratuita. Por conveni-
encia publica nio hiver destribuigao de bilhetes
como no domingo aoterior, sendo franca a eotra-
da at completar-se a lotagio do edificio. A nota
estatiatica do numero dos visitantes ser feita na
occasiio da saluda.
16 _
Eolrou bontem de Montevideo, d'onde traz da-
tas al 6 do correnle, o vapor de guerra francez
Entrecasleaux.
Derrotado na Canada.Gomez pelaa forgas por le-
nbas, como disemos, o reato do exercito federal
ao commando do general Virasoro, tudo pareca
sorrir i causa de Buenoa-Ayres.
A' data da sabida do vapor j devia tr entrado
em Cordova a columna expedicionaria aabida do
Rosario, da qual se affirmava ter alcanzado as-
sigoslado triumpho aobre as forgaa que o gover-
nador Allende irazia ainda reunidas, e cartas do
Salto recebidas em Montevideo annunciavam ter
rebeolado em Corrienlea contra o governador
Rolon urna revolugo capitaneada por Molina e
Laceres.
Chegava-se at a asseverar, invocando cartas
viudas da Eotre-Ros, que o m o vi ment de Cor-
rientes tinhs auaa ramiflcages naquella provio-
cia, e que ci seria eatranho ver de um momen-
to para outro entrar Urquiza foragido em Monte-
video, ou receber-se a noticia de achar-ae preso
o famigerado caudilho, porquaoto j o goveroo
de Buenos-Ayres lioha reforcado a sua esquadra,
preparaodo-se para assestar "o ultimo golpe.
Anda que i estas noticias algum descooto se
queirs dar, parece que nunca dever ser tanto
que nao possamos antever j prximo o termo
da luta com o triumpho da poltica de Buenos-
No Estado Orieotal nada absolutamente occor-
rera digno de nota.
De Montevideo communicam-nos ultima ho-
ra, que segundo noliciaa naquella instante rece-
bidas de Enlre-Rios, aceitara Urquiza aa baaes do
paz propoalaa pelo general Mitre, cuja diacri-
gao se eotrega. Ioclinando-se a dar crdito i es-
ta noticia, nio no-la garante todava o nosso cor-
respondente como segura.
Visitsram hontem a exposigio 4,495 pessoa.
18933 M DUr,ore' on>am
Sio inspectores do dia os Srs. visconde de Bar-
bacena, Dr. Dias Csroeiro Joaquim Antonio do
Azevedo.
A entrada hoje de 11 por pesaos.
De ordem do dia a. 297, publicada ao dia 14
do correte pela repartigio do ajudante-general
consta o segulote:
Teudo sido concedida em data de 11 do cor-
renle ao Sr. eorooel do aorpo de eageoheiro
Frederico Csroeiro de Campos a exooecseao cus
pedio do lagar de secretario da segunda directo-
ra geral desti secretaria de eaiado, a nomeado
para o substituir o Sr. eorooel do meas atsssnl
Galdioo Juslioiauo da Silva PiaseoteJ
publico para conhecimento do eiercilo, o ord ara
?.0H.Sr; ^nen'- "rquea de CsxUsVprV-
ria?S...?*M!.",a d6 mial,r". "inistroVsaWe-
torto de estado dos negocios da guerra.que manda
elogiar o meociooado Sr. coronel Frederico Car-
neiro de Campos, pelo bem quedesempenhou essa
commiatio.
O mesmo Sr. ministro, quem foi presente o
rea torio da iospeccio porque acaba de passar o
batalhao de engenheiros. e no qual o Exm. Sr.
lenente-ganeral inspector faz menaio da boa or-
dem, asieiu e regularidade que nolou em todos
os ramos do servigo que depeodem do respectivo
commaodo, determina que se louveo Sr. tenen-
te-corooel do estado-maior de 2* classe Jos Pe-
dro Heitor, commandante do referido batalhio
pelo zelo com que se dedica ao deaempeoho das
funegoes desse cargo, esforcaodo-se por fazer che-
gar aquelle corpo ao grao de instruegio que exi-
ge o seu destino especial.
Nomeaces.Do Sr tenente-general Jos Mara
da_Saliva Bitteucourt, para inspeccionar o Io bata-
lhao de iofantaria;
Do Sr. coronel do corpo de engenheiros Galdi-
oo Justrsuano da Silva Pimentel, para secretario
da segunda directora geral desta secretara de
estado;
Do Sr. major do corpo de estado-maior da 2*
classe Antonio Joaquim Coelho doa Santos, para
ser encarregado do recrutamento na capital da pro-
vincia de Sergipe e seu termo ;
Do Sr. capitn do corpo de estsdo-maior de 2*
classe Joio Anselmo da Cruz, para secretario da
inspecgao do Io batalhio de iofantaria, cargo
do Exm. Sr. teoente-general Jos Mara da Silva
Bittencourt;
Do Sr. alferes do corpo de estado-maior de 1*
classe Eduardo Jos Ramos, para ajudante de or-
deos da mesma inspecgio;
Do Sr. capitio do corpo de engenheiros Fran-
cisco Pereira da Silva, para ficar disposigio do
Sr. ministro dos negocios da agricultura, com-
mercio e obras publicaa;
Do Sr. Io lente do corpo de engenheiros Ma-
ooel Gomes Borges, para servir na proviocia de
Sergipe, em subslitoigio do Sr. espili do mes-
mo corpo Francisco Pereira da Silva ;
Do Sr. Io tenente do corpo de engenheiros An-
tonio Eleuterio de Camargo, para aervir na pro-
vincia do Rio Grande do Sul disposigio da res-
pectiva presidencia ;
Do Sf. 1* tenente do corpo de engenheiros
Chrysolito Ferreira de Castro Chaves, para aeguir
psra a proviocia do Cear, disposigio do res-
pectivo presidente;
Do Sr. Lourengo Mara de Almeida Baptista,
alumno do 4* anno da escola de medicina da cor-
le, para alumno pensionista de medicina e cirur-
gia do hospital militar desta guarnicao. Em 25 de
novembro Ando.
Do Sr. bacharel Jos de Saldanha da Gama Fi-
mo, para o lugar de repetidor ioterioo da aula de
acieociaa physicaa da escola central. Em 25 de
novembro lindo.
De Sr. Joaquim Jos Gomes, para o logar de
almoxarifedo arsenal de guerra da provincia da
Bahia.
Exooeraces.Do Sr. coronel do corpo de en-
genheiros Frederico Carneiro de Campos, do lu-
gar de secretario da aecunda directora deata se-
cretaria de estado, por heve-la pedido.
Do Sr. major do corpo de engenheiros Sebas-
tiao Jos Basilio Pirrho, da commissio em que se
acha na provincia "do Amazonas, devendo reco-
lher-se corle
Do Sr. capitio do corpo de estado maior de 1*
classe Autonio Jos Dias Nuoes, dolugsr de aju-
dante do depoaito de artigos bellicos da cidade do
Rio Grande, por have-la pedido.
Do Sr. Francisco Baptista da Rocha, do lugar
de alumno pensionista de medicina ecirurgia do
hospital militar da guarnigio da corte, por have-
la pedido. Em 25 de novembro findo.
Traosfereocias.Dos Srs. eorooel Aotooie Pe-
dro de Alencastro, e capitio Carlos Jos Pereira
das Neves. ambos aggregados ao corpo de enge-
nheiros, para effectivos no mesmo corpo. Decreto
de 3 do crreme.
Do Sr. major do 6 batalhio de iofantaria Mi-
guel Jeronymo de Novaea, para o 8* da mesma
arma. Decreto d 2 do correte.
Dos Srs. espilies do corpo de guaroigio do Es-
pirito Saoto, Aotonio Cabral de Mello Leoncio,
para a 5" companhia do 7o batalhio de iofantaria ;
e Xildenco Cicero de Alencar Ararlpe do corpo
de saarolgio do Maraohio para a 3a comparhia do
de Piauhy. Decreto de 2 do correte.
Vio*nS? nontein expoaigio 380 pessoas, qua
com 19,933 dos dias anteriores, sommam 19,313.
Sio inapectores do da oa Sra. cooselheiros Dias
de Carvalho, Mariz Sarment e lenente-coro-
nel Couto Soares.
A entrada de 500 ris por pessoa.
Abre-se hoje ao publico aaala que cootm os
productoa vin jos da proviocia do Par, Amazo-
nas, e Minas-Geraes.
18
Abrio-se hontem no palacio da exposigio mais
urna sala, que pelos objectos curiosos e ioteres-
santes que encerra urna das importantes que
ver-se podem. Contera os objectos rometiidos
dss provincias do Amazonas, Par e Minas-Ge-
raes.
A boa ordem que reina nesta aala permilte fa-
zer idea do que seria a exposigio toda, se tivesse
havido o lempo indispensavel paradispor conve-
nientemente as cousaa; e alm da boa ordem
nola-ae aioda a elegancia de decoracio. pela
maior parte formada de redes em si raesmas dig-
nas de serem expostas.
N'um rpido volver de olhos nio podemos to-
mar nota de quanto alli ha crOdor de eapecial men-
gao, nem esse por hoje o nosso proposito. Ape-
nas desejsmos dsr urna ligeira idea das muita
preciosidades qae se encontrara ns nova aala.
Como curiosidades atlrahem a attengl diver-
sas armaa, canoas e Tartos objectos perlencente
aos indios do norte, a como producios saturaos
ou industriaos mereesm particular esludo 40S
amostras de madeiras, gommas e resina em grao
de abundancia, borradla, plantaa medicinaes, o
Tsoeno em que ae imfeebem aa flechas, materaoa
de tinturara, multas obras de parta enlraogada,.
como chapeos, cesto*, ele., alguna coreaos, mui-
taa amostras de arioha, difieren tes liquides al-
eoolicoa, ama intereasaote collecgao mineralgi-
ca, entre a qual sobresahem belliaaimas argas,
e com especialidad* cerdas de tueum brancas
alcatroadas, mandadas fazer peloaraenal de mari
nba ao Para, para se experimentar o uso que dol-
as se podar fazer a bordo dos oavlos. E' una
objecto este que vale bem a pena de acurado ea-
ludo.
Entre os productos da provincia de Minas es
parUlular vimos chombo, cobre e dismaoles, a*V
Sedeo, quina e amostras de caslos de um bicha
de seda indgena.
Vietaram hoolem a expolio 393 pastees
SwT" AXS !*" ,o,trtorM' ""5
. issss^^ *UUmvm
t^^Hm 6rtr ,kwU) dM 3 X hora da
1 eaai. PWS *" ,*U,,,U T ,*"Q
Jrif^Lftf*!*4? ScbJmid. coosol geral da Au-
ra* 2lV01 "** P* sTlf o impa-
Por decreto
Mrt com a nomeacio de caralleir
***W da Cer do farro.
lo de 13 do correte oi uonerad* e
rea. ZtT
^ r


t*>
IAJAIO 1 ri&l4HlD00. SABBjDO 28 K DEZEMBRO BE 1861;
=


__

____ V
Sr. Jos Muta ds-ala-e Plae **iv* do >n'^^WgfflUIO MlBEPTimi>Jpwlaal e' mM de
cnsul geral So Braail na Grecis
Visitaram bonts
19.1
19,7.
Sao inspectores do dia os Srs. marques di
Abrantea e Or. Oliveira Fausto.
O esto da exarostelo estar dota aborto dss
10 al boros da tarde, serte o prego da entrada
1*600 por pessoa.

Foraa seeeadoa:
Juiz aaiietpal de orbaos alo termo de Cas-
tros no Paveai, o bacharel Jos Antonio Coelho
RaoMlhoc
dem se Pindssaaehanfaba, bacharel Fraocis-
coU T otado;
dem ir Abbadia, fea libia, bacharel Manoel
AniunesPimeotel Jnior;
Idea de IUpeminm, bacharel Manoel Jorge
Rodrigues;
Ideas de Araxi. ees Mima Geraes, o bachsrel
Antonio Lou renco de Araujo ;
Secretario da polica do Para, Beroardino de
Sena Lameirs;
Contador do geral, na corle, Jos Christino da
Costa Cabral;
Distribaidor idea, Jeto Salerno Toscano de
Almeida;
Eacrifio de orphtee idam, Manoel Hilario Pi-
res Perrao;
dem do commercio, Joaquia da Costa Leita ;
Partidor do termo de Campia Grande, Justino
Peasoa Cvalcaale;
dem e contador do meamo termo, Francisco
de Salles Pequeo;
Tabellio e eacrivo de orphaos de Pedraa de
Fogo, Romualdo Primo Cavalcante de Alba-
querque;
dem idem do dito termo, Jos Xavier de Mi-
randa Heuriques;
Partidor e distribuidor do termo de Iubaiani-
nha, em Sergipe, JuoGongaWes Drummond ;
Coronel commandante superior da guarda na-
cional da capital do Piauhy, o lente coronel
Thomaz de Aquino Osorio ;
dem da de Paraty, no Rio da Janeiro, Jos
Francisco da Silra ;
dem de Jacarehy, em S. Paulo, o tenente
coronel J >aiuim Fraoriaco de Paula Machado;
dem de Ta-iuary, oo Rio Grande do Sul, o
tenente coronel Manoel dos Santos Cerdoso de
Meaeaee;
Tenente coronel commandaole do batalho de
Dentaria o. 11 da guarda nacin! da provincia
do Rio de Jaaeiro, Antonio Jos Ribeiro ;
dem do batalbio n. 18, o capilao Carioa Vieira
da Coala;
dem do corno de ca vallara n. 23 do Rio Gran-
de do Sal, o capilio Antonio Pereira de Oliveira ;
dem do corpo de cavalWria o. 8, o major F-
delis de Abreu e Silva ;
dem do batalbio da reserva n. 10, o capilio
Joao Flix Maia ;
dem idem do o. 11, Thomaz Jos Pereira ;
dem chufe de estado maior do commando su-
perior do Rio Pardo, na dita provincia, Francis-
co Antonio de Borba ;
dem idem do de Taquary, Antonio Joaquim
Doroellaa;
Major commaodanle do esquadrio n. 7 da mes-
ma provincia, o capilao Primordio Sentino de
Aza inbuja;
Majores ajudantea de ordens do commando su-
perior de Saota Maria da Praga do Monte, os es-
pitaos Joo David de Medeiros e Joaquim Aires
Valeoga Jnior;
Gapito aecrelaro geral do meamo commando,
Joao Silvelra da Fontoara ;
dem quartel mestre, Gaspsr Pereira da Silva ;
dem cirurgiao mor, Francisco Custodio da
Silva ;
Capilao quartel mestre do commando superior
da capital do Ceari, lente Bernardino Jos Pe-
reira Pacheco;
dem idem do municipio do Conde, na Babia,
o tenente Olympio Ceaar de Oleir Leile.
Foi reconduatdo no lugar de juiz municipal do
termo de Rezende o bacharel Hilario Comea No-
guera de Caslro.
Foram concedidas as domissoes que pedirsm :
ao bacharel Msximiaoo Francisco Ouarle do lugar
de juiz municipal de Mansos no Amazonas, e Luiz
Amonio da Cuoha Ferreira do de promotor de
capellaa e reaiduo da Estrella.
Foi perdoado:
A Amaro Soares das Neves o resto do lempo
que Ibe falta pira comprimeoto da penado viole
annos de priaao, imposta pelo jury de s. Joao
Nepomuceoo, em Minas Geraea ;
A Luiz da Silva, coudemnado pela auditoria
de marioha da corte, idem ;
A Antonio Gorgolino Gomes o comprimeoto da
pena de dous anuos de trabaiho a que foi con-
demnado pelo conselho d guerra, por crime de
desergio ; ^- '
A Francisco' Antonia Pereira de Carvalho a de
qualro me tea de prisa o a que foi condemnado
pelo jutsruanicipal da 3* vara da corle.
Foi-feduzlda a tres aonoa e meio a pena de
ss'.e annos, nove mezes e quiaze dias a que foi
-condemnado Adriano Schoudermsrk, pelo jury
de N. Sra. da Graga, em Santa Calharioa.
Visitaran hootem a expostcao 102 pessoas, que,
com 19,729 dos dias anteriores, so m mam 19,831,
Sao iospectores do dia os Srs. viaconde de Bar-
bacana e Dr. Augusio Dias Carneiro. O edificio
estar boje aborto das 3 ia 6 X horas da tarde,
sendo o prego da entrada de 1JJ000 por pessoa.
Partera boje no vapor Tocantint o Sr. conse-
lheiro Joaquim Aalio Feruandee Leo, presiden-
te no mea io para a provincia da Babia, e o Sr.
blspo do Msranbo, que val lomar posse da sua
diocese.
rendas.
S. Etc. o Sr. conselheiro Aniso ebega em ama
poca, relativamente i que atravessou a vice-
presideneia, liVre de embaraeos.
A provincia ae vai reergueodo da crise porque
paawon; a safra tea sido mui grande ; os rendl-
meotoa sfflaem ( e eomasercM se anima; a
queatso irritiote do regulamento orgnico est
solvida, aa eleic&es aroviociaes lerminsda, etc.
Com anea principios polticos conheeidoa, sua
grande urlica administrativa a proverbial he-
aaaildade de carcter pode fazer multo Babia.
Dos permuta que no fim de ana ad ministra -
Ci poseamos cobn-lo de heneaos como o faze-
moe so digno Bahiaaoo Que Ibe entrega daqui ha
pouco as redes do goveroo.
No dis 15 Ozersm-se as eleicoes de deputsdos
proviociaes, e sahirsm eleitos os seguales se-
nhores, faltando apenas noa dous ltimos dis-
trictoa alguns colleglos.
1* dislricto.
Kogenheiro Sepulveds.
Caslro Rabello.
Tenente-coronel Magalhes.
Botelho.
Francellino.
J. L. Couto.
2o districto.
Dr. F. X. Pinto Lima.
Dr. A. L. Alfonso de Carvalho.
Dr. Fraoklin A. M. Doria.
Tenente-coronel A. C. da Rocha Medrado.
Dr. Joio L. Japiass de F. M.
Conego Brsadio.
Dr. Ildefonso Jos de Arsujo.
Dr. Pedro A. Falcao Brando.
Araujo Lima. m
3* districto.
Dr. Hugolino. .
Dr. Romualdo.^ ef
Padr Moraes.
Hygino Pires Gomes.
Dr. Sodr Pereira.
Dr. S Almeida.
Vigario Lemos.
Dr. Abreu.
Dr. Comea da Silva.
4 districto.
Franco.
G. Dantas.
Po.
Vigario Rocha Visnna.
Viga rio Ricardo.
Dr Salusliano Souto.
Domingos Seixss.
Dr. Seorio.
Capilao Benlo Alvlm.
Em coosequeocia dos abusos reconhecidos na
administradlo do hospital dos Lazaros pela com-
misio nomeada para inspecciona-lo, que fez nm
quadro que horrorisa do estado em que eocon-
trou este humanitario estabelecimento, nomeou
S. Exc. o Sr. vice-preaidente varios cidadioa pro-
bos cojo immediato cuidado e direccSo entre-
goa-o, dando um regulamento apropriado aos
los que tem em vists, que reerguer esta casa
philaniropica da situacSo deploravel a que a con-
duziram.
Funcciona o jury actualmente, e tenho ouvido
dizer que suas decises teem sido diladss por mui-
ta iodulgeocia.
Falleceu e sepoltou-se no dia 22 o Sr. Jusu-
riano de Castro Rabello, ultimo administrador do
consulado. Foi um empregado probo e exemplar
segundo affiangam, que em paga de meio secuto
de servicos leve apenas um habito da rosa. Des-
gostos particulares e pblicos apressaram oa diaa
de sua existencia.
O digno Sr. Dr. chefe de polica envida lodos
os esforcos, cogita todos os meios para desempe-
nhar o alto cargo, que deve confianza do go-
veroo imperial.
Ha dias reuni em sus residencis todos os em-
pregado8 de polica, delegado, subdelegados etc.,
e appellando para o coocurso detudos, msnifes-
tou quaes eram suas intenedes, e o que esperava
delles.
Duvido, porm, que correspondan! so seu ap-
pello ; porque estes lugares sao apenas oceupa-
dos por ioteresse eleitoral, e nada raais.
E' assirn que os larapios nao teem medo de'fa-
zer das suas costumadas iravessuras, principal-
mete agora que estamos na Festa, na qual lodos
se querem divertir, aioda que cusa alheia.
Nao posso ser mais extenso desta vez, porque
sou curio-o, e quero tamben, ver o acto da posse.
A oossa alfaooeaa reodeu al hontem 394:7199,
o commercio es?'1 mui animado.
Granja ..
Santa Quitea
Crato ....
Barbalha
Lavras .......
Jardn.......
J
CORRESPONDENCIAS DO DIARIO DE
PER.NAMbUCO.
Babia 84 de dezembro de 1801.
Presidente/ habemut. E' a nbvidade que hon-
tem foi annunciada toda a populago da Babia
pela oz mageatosa dos canhdes da corveta Dow
de Julho, e do forte do mar, que saudaram a
insignia que trazis arvorada o vapor Tocantint,
ao entrar quasi ao por do sol.
ImmediaUmente lodo o mundo official se agi-
tou. embarcou-se nos eacaleres predispostos, e
dirigio-se para o paquete, onde com effeito ae
achava S. Exc. o Sr. conselheiro Anto e sus
Exma. familia, e S. Exc. Rvma, o Sr. biapo do
Maranhio, que segu no mesmo paquete para
sua diocese.
O Sr. presidente receben todos com affabili-
dade, desembarcn logo, e acompanhou o Sr.
vice-presidente, para tomar domicilio em pa-
lacio.
Hoje urna hora de larde deve ler lugar a
posse, com a solemnidade do eslylo.
A admioislraco ioterina do Exm. Sr. Dr. Cha-
ves daqui ha poucos justantes pertencer histo-
ria, que iofallivelmenTe ha de marca-la com nm
titulo honroso; porque foi mui til esta pro-
vincia, e demonstrou da maneira evidente que
nao somos logoveroaveia, como propalan todos
os que naufragara em sua dtrecgao, por nao aa-
berem comprehende-ls.
O Sr. Chsvts sdquirio jus i gralido dos Be-
bannos pulas provas consunta* de isteresse pe-
los melhorameolos de seo paiz, que manifestou,
pelos beneficios que Ibe soube fazer, pelo impul-
so que dea i slgumas obras de primeira neces-
sidade, sobretu 1o por pretender estabelecer um
goveroo honesto, juaticeiro, que nao pactuava
com transaegoes; o que Ihe valeu algumas des-
alfeigSes, que deve desprezar; porque certa-
mente nao eram seus amigos os sitiados qne o
queriam converter no poder em um instrumento
dcil de sena caprichos, sem ae importarem com
o sacrificio de sus digoidade, e nicamente pro-
clamando que em poltica ludo permlttido,
principio immoral e delestavel, que e nova ge-
ragao vai dando um desonvolvimeolo fatal, que
convm quanto antea coarctar.
Foi, por sem duvida, por estas considersedas
qua deixou de aaneeiooar se seguioles lea da
aaaembla provincial, com paamo de una, com
reprovaco de pouco/, com applaueo de toda a
provincia. j
Em 18tle nov%mbro.Lei que aposenta o
Cear.
Fortaleza 18 de dezembro.
Fazem hoje apenas tres dias que lhe escrevi a
minba ultima, e principio esta por pedir-lhe, que
iolerpooba o seu valimenlo, afim de ver se sio
mudados os dias da sabida dos vapores da com-
panhia brasileira, do Rio para o norte, para evi-
tar que quem estas provincias muitas vezes pri-
vadas de receberem as noticias da Europa ; o que
j tem acontecido e hade continuar, se se persis-
tir a serem expedidos os vapores 4 e 20 de ca-
da mez; porque sendo acbegada esia do vapor
francez 12, e algumas vezes 13, como auccedeu
este mez; e a doioglez 28, claro est que mui-
tas vezas bao de chegar essa depois di partida
dos vapores brasileiros para o norte.
Se nao fosse a demora de dous dias que leve
na Baha o Oyapock, teriamos fleado sem a ma-
la da Europa este mez.
Est ao alcance de todos os inconvenientes que
daqui resultan) ao commercio, e de presumir
que o goveroo imperial em sua sollicitude pelo
bem do paiz, atienda ao reclamo que o aeu hu-
milde correspondente fsz em aome do commer-
cio desta pequea priga, e quic do daa deoaia
provincias que ficam ao norte da de Pernam-
buco.
J ebegou a votacio do collegio da Granja
para deputados pio'inciaes ; apezar de ler slli
obtido 22 votos o Dr. Leandro, nao pdde figurar
no numero dos 12, ficando abaixo do menos vo-
tado por 9 volos.
E' pois a deputago do 2* circulo a mesma que
Ibe disse oa minba ultima.
Do 3* circulo falta aioda aaber-se a volagio dos
collenios de Jardim, e Barbalbo, cujo resultado
suppoubo nao alterar a seguinte lista dos msis
votados al hoje, a aaber:
Dr Benjamn. 204
Dr. Fructuoso ... 188
Dr. Fraoklin ; 187
Padre Daniel ... 181
Dr. Theodulpho 181
Dr. Gervaaio ... 178
Padre Pedro ... 145
Quezado.....125
Dr. Arnaad. ... 87
Dr. Gonce lo Sonto 55
20
15
25
10
355
Jante i estes mais 22 de Mereatnape, e 19 de
Canind, que os conservadores se obrigaram a dar
ao Dr. Pompeo, e ahi tem oa I 'fetos dos quses
u m so oio discrepa.
Addieions maia una cea vo|Hh arraija fu-
randa aqu e all, e lereaoa o homem com 487
votos. lato o menos qajaau lhe dou.
Divida agora a votagau dos 877 eteitores con-
servadores polos Drs. Arsujo Lima, Jagaaribe,
Francisco Domiogues, e deaembargador Figueira,
e veja quaolo toca cada um delles ?
Nao me espanlarei se vir o nome do Dr. Pom-
peo collocado em segundo lagar na lista tr-
plice I
E nio valia a pena que dous desses candidatos
sacrificassem s ideas do psrlido que esto li-
gados, a vaidade de algumas dezenaa de votos!
Rccoohego e coofesso com muilo prazer, que
qual<|uer um dos tlustres candidatos tem muilo
mereci ment, e digno de representara provin-
cia na cmara vitalicia; maa devem lembrar-se
que a sua ambiguo, enabora mui legitima, traz
com sigo a desuoiao do partido oa votacio, ao
passo que os contrarios urratn fileiras, do que
resulta toda a probabilidade de triumpho para a
opposiQo, conseguindo encaixar na lista trplice
o sea membro mais proemieote.
Estou bem convencido de que islo que scabo de
dizer, o mesmo que escrever na rea borda do
mar, maa ao menos, nio quero dsr lugar que
depois, quaodo chegar o arrependimento tardo,
nio diga ninguem com razio Se eu soubera.
Foi nomeado promotor publico da comarca da
Imperatriz o bacharel Joaquim Antonio Alves
Cordeiro. Falla-se que ser nomeado para a do
Aracaty o bacharel Augusta Barbosa de CasHro e
Silva ; um e outro tomaram o grao oo dia 9 do
correte na academia do Recite.
O nosso prelado pretende visitar Cascavel,
para onde deve aabir no dia 23 do corrente.
Os seus compositores fizeram ama que me pu-
zeram a arder.
Na que lhe dirig em 3 do corrente, e que foi
publicada no Diario de 11, disse eu : a L esta-
vam algumas quem em lempos bem pouco re-
motos ouvi proclamar Rainhas eque hoje j
passam desapercibidas.
Nao eocontraram outra palavra que mais lhes
agradasse do que pouco para a engolirem ?
E assim ficou o contrario do que eu havia es-
cripto.
Ora, que grande admiraco seria ver se boje
encasquilbado um rosto que ha 12 ou 15 annos
resplandeca pelo macio, e avelludado da cutis ?
Que haverta de estraoho em uns olhos que bou-
vessem perdido grande parte do seu brtiho ?
O que me espanta e causa sorpreza, ver como
algumas das nossas bella, por assim dizer, da
noite para odia decabem completameute deaeus
encantos : urnas se tornam gorjas como baleas,
e psrecem outras tantas saccas de algodio ; ou-
tras ficam magras como espicho, sem labios suf-
ficientes para ihe cobrirem a dentadura (que mui-
tas vezes j nao natural,) e com urna cioturinha
que faz temer ve-las quebrar por ella quando fa-
zem um en avant ou chasses crouer...
Deus me livre que algumas que eu conheco
sdubessem quem era que lr*rava estas lionas.
Far-me-hiam arrepender da minba indiacrigao,
fazendo-me seoiir do modo msis penoso, para
mim, que Ibes fosse possivel, que nem todas as
verdades se ditem.
E' verdade que outras, vendo nadescripeo que
shi Oca, retratada algama rival, rae quizessem
demonstrar o seu reconhecimento por meio de
algum amaveltorrito, maseu renuncio-o de boa
vontade; tenho medo, e muilo de todas ellas,
porque sempre ouvi dizer que A mulher
como a Rota, que est sempre cercada de espi-
nos, com os quaes mimosea quem se Ibe sp-
proxima.
Adeus.
P. S No momento de fechar a presente, Uve
conhecimento da votacio de Jardim, e Barbalha
para deputsdos proviociaes, a qual speoss sug
meolou o numero de votos aos candidatos que
cima meouionei, e mudou.poueo, a ordem em
que estavam collocados.
Eis o resultado :
Dr. Beojamin. .
Dr. Franrklin .
Dr. Fructuoso. .
Dr. Gervasio .
Padre Daniel .
Padre Theodulpho
Padre Pedro .
Guesado. .
Dr. Aroaud. .
Belarmino .
Menalippo .
Dr. Gonzalo Souto
A4e a &' corridas foram as que desperta-
raa maior interes. pteaio Monlentiro, Sentintlla e Bohtmio ; ven-
cen SanlMwKa anotado peto Sr. S Brito ; oes-
te entrara J-fttot'a, Indio e Pampear : feoceu
Ino mamado pelo Ir. U. Torres.
c Na 6* corrida foi vencedor Faceiroconduzi-
dopetoSr. J.Freitas; na 7" Tupy palo Sr. J.
Teixelrs.
e A 8* corrida leve lugar entre os vencedores;
o primeiro cavado qne chegou ao ponte foi Tuiy
montado pelo Sr. J. Teixeira, maa tendo alguos
parii-io antes de dado o signal, a corrida ficou
sem effeito.
O terreno escolhido parece oio ser apropria-
do para o Qm. itotou-se tsmbem pouca ordem,
o que desculpsvel visto ser esta a primeira
corrida que d o Jockey Club. >
c Temos ooticias de Minas, que alcangam al
9 do correte, e pouco liaongeiras sio ellas.
No da 11 do correle mez prximo Qndo,
no arrala! do Carmo, Francisco Teixeira de As-
sis foi assaltado por tres individuos ; travou-ae
lula renhida de que resultou a tnorle de um dos
assallantes e graves ferimentos em oulro e em
Assis. Supponha-sa que o crime linha por ori-
gem questes de familia.
c No dislricto do Espirito Ssnto dos Coqoeiros
deram-se em outubro tres homicidios; os crimi-
nosos anda nio tioham sido]cspturados.
c No dislricto do Carao da Cachoeira, a 17 de
novembro foi assassioado Manoel Rodrigues Bar-
reto ; um dos assassioos j se achava preso.
a Fdra recolhido eada da Diamantina Fran-
cisco Alves dos Reis, que sssasaiora brbara-
mente sen aobrioho Joaquim Alves dos Reis,
arrancando-lhea os olhos e praticando outraa
atrocidades.
c Temos noticias de Goyaz at Io de novembro.
c Effectuara-se a eleicio provincial no dia 20
de oulubro.
c Fdra processado, por ordem da preaideneia,
o coliector geral de Saota Cruz por nio ler dado
corita de600fquese achavam em seu poder. De-
pois de preso, evadir-se.
c Pelo juiz municipal de Cstalio fura tsmbem
processado e pronunciado o juiz de direilo do
Rio Paroabyba por crime de sedigao e tirada de
preso do poder da justi;a.
Bahia.Em oulri parte encontrarao os leito-
res a nossa correspondencia, que narra quanto
occorreu.
NOTICIAS COMMERCIAES E MARTIMAS.
Montevideo 4 de dezembro de 1861.
Cambio.-Inglaterra, 41, 41 1(4 d. por peso
correte ; Fraoga, 82. 82 1|2 frs. por oo;a ; Ge-
nova, nominal; Rio de Janeiro,sem transaegea;
Bueoos-Ayres, ao par.
Divida publica.^Consolidada, 16 rls. as cau-
telas do banco Mau. Exigivel, 31 rls. 0|0. No-
vos ttulos a veocer, 42 rls. 0[0.
Descontos.O banco commercial d a 15 0|0,
e recebe a 9 0[0ao aono. O banco Mau d a
18 |0, e recebe a 12 0|0 ao anno. Na priga re-
gulara de 1 a 1 1|2 0|0 ao mez.
Rio de Janeiro, 19 de dezembro de 1861,
O camb'o.Sobre Londrea fecbou-se hoje a
25 7|8e26d. 90 d. v.
Chegou, procedente de Pernambuco, 16
do crreme, o patacho americano Lygthnenga,
com 6 dias de viagem.
Sahiram par' Pernambuco: a II, a barca
ingiera Anne Lo ; 13,o brigue chileoo A/e-
Elvira, branca, lb a legitima de Jos* Peres da 4 caiiOH ftitWtrosrros e srbostos, '
Cruz e Virginia Maria Peres. r, tmoest MareaUeo Joe,G. Fonte.
Fraocuco, tad, escahvo de Joaqui* Machado 1 kanHinho vinho, 1 canastra maclas, 2 gaiol-
Porbna., .-".*. \ lss canarios* opadre Thomaa Coelbo Eslima.
FelUmffca, parda filha legitima 4e Fedro Jos de 1 galoHa aoxixos ; a Alfredo Jos Antunas Gui-
SWIarAnW e Prorida Maria Liof. martes
1 barrica sardiohas, 1 garrafao feijao. 19 vola-
mes louga, vMros, mobilis e roupa osada; a Joa-
qaim Luiz Viera.
teore, e a barca Aurelia ; 15. a birca ameri-
cana E Pluribut l'num ; e 18, aa barcas ame-
ricanas Flying Clond, e American Eagle.
PERNAMBUCO.
REVISTA DIARIA.
274
260
226
219
216
181
180
167
140
82
79
74
DIARIO QE PERNAMBUCO-
Sendo este o circulo de excepgio, d smenle
8 deputados.
A deputago prol corr poe-ie em sua totalidade
de conservadores ; lio me admirare!, porm, se
durante o biennio em que,tem de funeciooar, al-
guns de seus membrosvirarem as casaeas, porque,
isso hoje est muilo em moda, a d'entre elles co-
nheco eu alguna, que aioda nao ha muilo lempo
andarn fazeodo fonal.
Na Granja fez-ae parlilha de el el toree para a
eleico de aeoadorea : no Acarac, Santa Anna,
a Sobral, venceram os conservadores.
Aioda nao temos noticia de se haver feilo a
eleigio no Crato, mas consta por carias recebidas
hontem, que all, Barbalha a Lavraa tambera
houve concordata, leudo, porm, em Lavraa os
liberaes, smeote um terco (15) dos eleitores.
Dizem que no Ico os liberaes pretendaos apre-
senter-ae ; quanlo mim isso nio pasear de
pala v ras.
Cada vez me persuado mais ds poasibilldade
que existe de figurar na lala triplica o ooms do
Chefe oppoaicioniata Dr. Pompeo, deidoisto s-
mente 4 falta de anio do partido conaervador, ou
de alguns caodidados que preferem isso, re-
nuncia de alguoa votos que podem obter, e que
de nada Ibes serve.
E' por certo para lastimar que tendo o corpo
eleitoral da provincia mais de dous tercos con-
servadores, se deixem estes suplantar por nume-
ro muilo inferior AO seus contrarios
Para esclarecer-lhe melhor o negocio vou de-
co.UouodadirtelorUdaia*a de eafaofeeitoe,', "ra-lo por algarismos.
oBealo Jos Rtrigues com a aui respectivo er- a provincia tea 1.264 eleitores, desloe 877 alo
conservadores a 887 riberas*, j coaaalo os vo-
lea que ae ibe cederam por ooncordsu, i saber:
Marafjswpo.... 21
denado.
c Em 12 do correte.Lei que regula o venci-
manto do prof-ssor jubilado ia svtiga escola nor-
mal, Bellarofloo Gratuliano de Aquino, e e do
proeasor d rbosorica, Heoriqua Teixeira dea
Sanios Imbassaliy.
f-Ea5 M "rrente.-BeeolfJa qua eleva a
dirtat^searWfajadaaecre
dt v
Lei que augmenta es
or<
doa
Aracaty
Ouixesomabia. 4
labsmuas..... 13
AroMMoa...... 17
Caoiai........ 11
Imptrnt.. ., 48
Temos vists jornaes do Rio e Bahia, que al-
cancam os primeiros 20, e os segundos 24 do
correle, dos quaes foi portador o vapor To-
cantint.
Rio de Janeiro.Foi demittido, seu pedido,
do commsodo do vapor Jfaj. o Io tenente Fran-
cisco Manoel Alvares de Araujo, sendo nomeado
para substilui-lo, interinamente, o 1" tenente Joa-
quim Jos Pinto.
Por decreto de 10 do corrente mez forsm
nomeados vice-presidente e membro do conse-
lho fiscal do imperial instillo Rio-Grandense de
agricultura, os Srs.: Dr. Luiz de Freitas e Cas-
tro, coronel Abel Cortea da Cmara, bario de Ja-
cuhy, BeDJamim Avelino, Dr. Dionisio de Olivei-
raSilveiro, Eslacio Jos Monteiro, Francisco Btp-
tisla da Silv* Pereira, Francisco Jos Bello, Fe-
hpoe Beoicio de Freitas Norooba, Jos Heberl,
Dr. Joio Rodrigues Faguodes, capilio de fragata
Jos Ricardo Coelho de Abreu, lente coronel
Andr Machado de Moraes Sarment, Luiz Anto-
nio de Medeiros, Justioo Antonio Pinto de Mi-
randa. Jos Innoceocio Pereira, Joslgnscio Tei-
xeira Jnior, Dr. Luiz da Silva Flores, Luir Jos
da Footoura Palaeiro, commeodador Manoel Fer-
reira Porlo Filho e Dr. Roberto Laodell. E por
decreto da mesma data foram nomeados vice-
presidente membroa da directoria do mesmo
Instituto os Srs. commeodador Patricio Correa da
Cmara, tenente-coronel Antonio da Silva Ma-
nante, Fernando Folser, Joaquim Lopes de Bar-
roa, Jos Luiz Cardoso de Salles, Lopo Gongal-
ves Bastos e Dr. Maooel Jos de Campos.
Por decreto de 14 do correle foram no-
meados segundos cirurgi&es do corpo de sade do
exercito, em virtude do art. 156 do respectivo re-
gulamento, os doutores em medicioa, Evaristo
Nunes Pires, Da vino Frederico de Carvalho e Sil-
va, Francisco Baptisla da Rocha, Alfredo Candi-
do Guimares e Luiz Fraocisco de Murinelly.
Por decreto da mesma data fot transferido
para o 10 batalho de iofantaria o major do cor-
po de guarntcio de Mioaa Geraea, Mauricio de
Souza Tavora, e para este corpo o major daquelle
batalbio, Joio de Castro e Silvs.
Fallecer, no dia 15, o Sr. Francisco do Pau-
la Brito, aoligo proprielario de lypographia oa
corte.
L-se no Correio Mercantil:
c No dia 16 de oulubro prximo passado foi re-
cebido em audieocia aolemoe, pelo presidente da
repblica de Venezuela, o nosso ministro resi-
dente junto desie estado, o Sr. Fraocisco Adol-
pho Varnhagem.
Terminada a ana resposla ao discurso do Sr.
Varohagem, disse o presidente: Ajustada de-
finitivamente a queatio de limites entre eala re-
publica e o imperio, nao haver entre oa paizes
outro Qm aeoio tornar de dia em da maia es-
trella, benofica e cordial a amizade qae oa4iga.
Oa votoa que fazea o vosso soberaoo e sen povo
pela prosperidade desta repblica, sao sincera-
mente correspondidos por ella e por mim. Tenho
prszer vendo que, para traoimitU-ios reciproca-
mente, (oi escolhido nm tao digna ergio.
< Com os vossos principios de moderacio, jus-
liga e reciidio, nada ser mais fcil do que alean-
gar o duplo objecto da voasa missio, e asseguro-
vas que encontrareis da parte Ao mea goveroo a
maior cooperario. >
a Em presenga de um numerlo e brilhante
eoncurao dfl espectadores effectuaram-se snte-
boutem (15) na Frala Verraelha as corridas Ao
Jocktf Club.
O smadores quecorrersm achavam-se ves-
tidos elegantemente ealgunsMsonlavam benitos
aa vallas.
Na primeira trrida fot vaoeedor o Cabrito,
oodotMo pelo Sr. A. Costa; oa segunda o Al-
tila, peto- Sr. t. Freilal aa (erceira Pichte,
peloBr. Y. Torre.
Contando-se que chegae hoje o vapor da Eu-
ropa, a sendo que isto se realise horas em que
possamos remetter para o norte um resumo ds
noticias, de que for o mesmo portador, por meio
de um avulso ou supplemeoto, ser este encaral-
nhado aos oossos agentes as differentes provin-
cias, de quem portaoto polerao os oossos assig-
nantes hav-lo ou mandar receber, quaodo por
acaso nio o encootrem annexo au Diario de sua
assigostura.
A nao dar-se, porm, essa coincidencia, ficar
a populago desselado do imperio faltadas noti-
cias procedentes da Europa, e de que o Tocan-
tint po leria ser o conductor para o norte, visto
que ainda subsiste a inconveniente alierago, por
que passou a saluda dos vapores brasileiros desta
escala. ^
Nao sendo, por tanto, conheeido o motivo im-
perioso e determinante desla ultima modiQcagio,
e nem estando demonstrada a necessidade deala,
quando ludo acooselhs pelo contrario orestabe-
lecimento do estado anterior, parece que isto
deve ler logar, ao passo que assim ter-se-hs st-
tencio s reWcoes commerciaes das provincissdo
norte, que a isto tem tambem inauferivel jus.
Aceita vel como esta idea, necaasaria como
demonstramos a sua pralica, cootaaes que o go-
verno imperial tratar de adheri-la para logo
reslabelecendo as sabidas dos vapores da compa-
nhia Brasileira nos dias 7 e 23 de cada Aez, co-
mo foi, e cor.vm qne sejs.
Foi concedida a exoneraclo qne pedio o Sr.
Caetano Jos Cabral do posto de capitio da aexta
companhia do batalho numero 23 de Infantera
da guarda nacional de Santo Anto.
Por conveniencia do servigopublico foi exo-
nerado o subdelegado de Mari-ola, o Sr. capilao
Firmino Theotonio da Cmara Santiago.
Foi nomeado delegado de Serinhiem o Sr.
tenente-coronel Coriulaoo Velloso da Silveira ;
e para primeiro suppleote do mesmo cargo, vago
por essa nomeagao, o Sr. Jos Cavalcanti de Al-
buquerque
Por portara de 23 do correte foi concedida
permissao para permularem as respectivas ca-
deiras aos Srs. professores de Pona de Pedras
Jos Francisco de Souza e de Aguas Bellas Libe-
rato Tiburlinode Miranda Maciel.
Foram nomeados tabelliies e escrivaes de
orphaos de Pedras de Fogo os Srs. Romualdo Pu-
no Cavalcanti de Albuquerque e Jos Xavier de
Miranda Henriques.
No Tocanttns veio al a Bahia o Exm.Sr.
bispo do Maranho.
O Sr. major Joo de Castro e Silva foi re-
movido do dcimo batalho de iofantaria desta
guarnicao para o corpo da gnarnigio de Minas
Geraes, sendo substituido pelo Sr. major Mauri-
cio de Souza Tavora, que eslava nesse corpo em
igual posto.
Do Apody lemos noticias at 6 do que
corre.
O invern pareca approximar-se peloaannan-
cios almosphericos, pelas armage quo tem ha-
vido, .segundo a expreasao popular. No entre-
tanto pelas chuvaa de oulubro, que foram boas,
acha-se o serlio em condiges de poder esperar
por algum tempo por ellas.
O Sr. Dr. Delphioo havia deixado naquella data
o exercicio dojuizado de direito, que fdra assu-
mido pelo juiz municipal oSr. Dr. Aodrade, em
consequencia de haver reeebido communicagio
official de sua remogio pata Pao d'Alho. O re-
ferido doutor estava sanir para Pao dos Ferros,
onde ia assittir a eleigio de juies de psz e va-
readores, seodo de crer que agora para l sigs o
Dr. Andrade, como constavs.
Vaticioava-se que taes eleigoes seriara ganhas
pelo partido conservador, que arranjra ordena-
da e convenientemente a qualifleagio.
Na villa de Mossor lavrava grande Intriga.
Havia sido ahi processado um individuo pelo fur-
to de um chocalho 1 e dizia-ae que o dono ou
proprielario desse intlrumento eavallar era um
rico fazeodeiro do Catle do Rocha, que para pro-
var o seu seohorio ao furlado, mandara ao dele-
gado 150 dos taes instrumentos. Este processo,
que conheeido pelo procetto chocalho, assenta
bem nss embirrancias, que ebeiram esquisiti-
cea, do respectivo autor ; o qual todava um
excedente criador muilo franco, segundo o nosso
noticiante. E' quo lodos lemoa a nona pata-
branca.
Relago dos baptisadoa da fregosla de San
to Aotooio do Recite, de 1 a 16 do correte:
Arthur, pardo, filho natural de Romana Rita
Xavier.
Antonio, pardo, filho nalural de rriaa Maria Aa
Conceifio.
Antonia, crioola, escrava do Anoa rsula dos
Santos.
Avelina, brinca, fltba nalural de Maria do Cor-
ceo de Jess.
Belebior, pardo, liberto.
Bernardo, pardo, esersvo de Manoel do Rege
Sea rea.
CeciHs, branca, filha nata ral de Ludovina Frao
ciaca Ayrea de Almeida.
Hermenegildo, pardo, filho natural de Maria Ale-
xandriaa da Coneeicio.
Helena, parda, filha legitima de Francisco Ramos
da Cruz e Victoria Maria da Cruz.
Joaas, crioulo. eaeiavo de Miguel Jos da Mella.
late, braoco, filho legitimo Ae Beojamim Fran-
cisco da Silvs e ertrudes Magna da Oliveira.
Jos, pardo, filho natural de Mara Joaquina.
Josepha, parda, escrava de Antonio Garca.
Lino, pardo, exposlo em casa do tenle Fran-
cisco Borges Lesl.
Manoet, brsoco, filho legitimo de Msnoel do as-
cimento Ayres de Almeida e Candida Maris
Amella de Almeida.
Maximiaoo, braoco, filho legitimo de Joaquim
Ferreira da Coala.
Maria, branca, filha legitima de Ignacio de Amo-
rim Lima e Maria Carlota Pessoa de Amorim.
Olympio, branco, filho natural de Francisca Xa-
vier Accioli.
Sentina, crioula, filha legitima de Manoel Pedro
de Castro Nunes e Justina Maria do Nasci-
mento.
Valeriaos, psrds, filha legitima de Vicente Jos
Raymaodo e Luiza Maria de Frange.
Um lhode Augusto Cessr da Cunhs, com licen-
ga a 6 deate.
Um filho de Theodorico Bensem dos Santos, com
licenga em 7 deste.
Un filho de Jos Maria de Aleocar, com licenga
em 7 deste.
Cssamentos:
Julien Francia Lenormaod com Roze Adele
Fleury, com licenga em 6 do correte.
Maooel Pereira de Carvalho com Maria Severioa
Lina.
Domingos Jos Avallar com Anna Rozs de Lira
Flores.
Guilherme Muniz de Souza com Guiihermina Cor-
deiro da Silva.
Jos do Reg Pacheco com Anna Maria do Reg,
com licenga em 7 deste.
Joio Pedro da Rocha com Maria Ignez da Silva,
com licenga am 13 do correte.
Antonio Teixeira da Fonceca com Anna Gomes
de Oliveira.
Manoel Jos Visnna com Leopoldina Theodora
dos Passos.
Nos dias 24 e 25 do correte foram reco-
Ihidos casa de detengio 15 homens e 3 mulhe-
res, sendo 15 livres a 3 eicravos, a aaber : a or-
dem do Dr. chefe de polica 1, a ordem do sub-
delegado do Recite 1, a ordem do de Santo An-
tonio 2, a ordem do de S. Jos 3, a ordem do da
Boa-Vista 1, a ordem do da Capunga 1, a ordem
do dos Afogados 2, e a ordem do da Varzea 7, in-
clusive os crioulos Lucas, escravo de Francisco
Xavier Cavalcanti Lina, e Antonio e Rufina, es-
cravos de Joanna Marquesita Cunhs.
Passageiros do vapor nacional Tocantint,
vindo dos portoa do sul:
Capito-teoente Franiscco Jos de Oliveira,
tenente Gabriel de Araujo Lima, aua aenhora e
filha, Temistocles Joaquim da Silva, Bslbina Eu-
genia de Fsria e um filho, Joio Boa?entura Bas-
tos, Antonio de Psdua Pereira Pacheco, Francis-
co Crispim da Silva. Dr. Adalides Jos de Leo,
sua senhors, um filho, tres escravos e ama cria-
da, Dr. Americo Kabiao de Freitas Brrelo Nobre
Antonio de Souza Naya, um filho e um escravo,
Joio. Antonio Machado, Joaquim Fraocisco dos
Santos Msia, Thomaz de Aquino Oliveira, Fran-
cisco Jos Baptisla, Joaquim Maria Tooeida de
S, Henrique Gustavo Benno Nobelino, Joio Jo-
s Alves, Jos Aotooio de Lima, Pedro Advincula
dos Aojos, um primeiro sargento e sua aenhora,
um furriel, dous soldados e um ex-praga, Len
Cbapelain, sua senhors e urna escrava, Carlos Ro-
dolpho Tincb, Antonio Maria Durio, Hermaon
Lulhez.
Seguem para o norte :
Capitio Benedicto Jos de Barros, sua senhors
e tres fllhos, tenente Luiz Thaumaturgo da Guer-
ra Machado, tenente Ghryslito Ferreira de Cas-
tre Chaves, alteres Joio Gualbeno de Souza C >r-
reia, -Joaquim Googalves de Lima, Dr. Jos de
Almeida Martina Costa e sua senhora, Agostinho
de Almeida, Francisco Acacia Correa, Dr. Leo-
cadio de Andrade Pessoa, um praca e tres ex-
preeat,
HORTALIDAOE DO DIA 25 DO CORRENTE :
Joio Fraocisco Carneiro, Pernambuco, 32 annos,
casado. Muribeca, estupor.
Jos Pereira da Coneeicio, Pernambuco, 60 an-
nos, soiteiro, Boa-Vista, telsoo.
Isabel Gardioez, Pernambuco, 25 annos, soiteiro,
S.Jos, phlysica.
Maria, Pernambuco, 6 mezas, Boa-Vala, tubr-
culos.
Anna, Pernambuco, 2 annos, Santo Antonio,
tosse.
-26 -
Dativo Fraocisco Pedroza, Pernambuco, 26 an-
nos, casado, S. Jos, hepstite sgads.
Antonio, Pernambuco, 3 dias, escravo, Santo An-
tonia, coovulsdes.
Honorato, Pernambuco, 25 annos, solleiro, ea>
cravo, Boa-Vista, tubrculos.
Quitea, Pernambuco, 2 annos, Boi-Vista, um
tumor.
Julio Tavares de Aquino, Pernambuco, 12annos,
Boa Vista, cougeslio cerebral.
COMHfiCIO.
Banco do Brasil
A directoria da caixa filial, saca so-
bre o Banco do Brasil qualquer quantia
a vista, e ao par. Becife 17 de dezem-
bro de 1861. O secretario, Francisco
Joao de Barros.
2 galollas coxixos, 1 vivelro canarios; Joio Pe-
reira Moutinho.
barricas paire, 3 canastra maesas, 9 vivelres
e galollas pombos gsllinhss, canario coxixos;
a Joio Joaquim de Oliveira.
1 barril presunto, 1 caixio raizea e florea; a
Campos Si Lima.
1 dito vinho ; Thomaz Coelho Estima
1 caixio Hinho; a L. Augusto F. Vtelra.
1 barril vinagre ; a Flix Pereira da Silva.
1 dito vioho; a Jos Marques dos Santos A-
goiar.
1 caixio imagem ; a Jos dos Santas Neves.
2 barris peixe ; a Jaaquim Monteiao da Cruz.
1 dito farinhs ; a Funcecs & Silva.
1 canastra magias ; a Joaquim Moreira Gar-
rido
1 dita batatas, 1 lata feijoes, 1 barrica casta
nhas; a Franciaco Moreira Pinto Barbosa.
3 calzos linha ; a Jos Alves da Silva Guima-
res.
1 esnastra caslanhss ; a Guilherme Jos de
Souza.,
6 latas doces : a Jos Joaquim da Silva.
6 cndeles miudezaa : a Tbomaz Fernandes da
Cunhs.
4 barra vinho ; a Manoel Alves Ferreira.
3 caixoes Dor de sabugo ; a Jos Joaquim da
Silva Guimares.
5 milheiros de sal; ao consignatsro.
1 caixio obras de prala ; Francisco Gomes de
Maltoa Juoior.
1 caixio cruz de pratal bandeira de damasco
etc.; a Joaquim Francisco dos Santos Maia.
4 caixea linha, 1 sacco feijao ; a Prente Vi-
anna dt C.|
4 barricas castanhas ; a Joaquim Cardozo de
S&C
2 canastras magias : a Jos Gomes dos San-
tos.
Exportacao.
Dia 21 de dezembro.
Barca americana Rabeca, para o Rio da Prata,
carregaram:
Joboslon Pater & C. 850 barricas com assucar.
Barca hamburgueza Emma, para o Canal, car-
regaram :
Jamea Ryder & C. 600 sacos com 3:000 arrobas
de assucar.
dem do dia 23.
Brigue ioglez Odem, para Liverpool, carrega-
am :
Patn Nask & C. 363 sacas com algodio.
Barca iogleza Bonita, para Liverpool, carre-
garam :
C. J Aslley dt C, 920 sacos com 4 600 arrobas
de assucar.
Barca iogleza ConUance, para Sandy Kook,
carregaram:
Johnston Pater & C. 800 sacos com 4:000 arro-
bas de assucar.
Brigue ioglez Hanrielt, para Greenock, carre-
garam :
Johnston Pater & C. 1:700 sacos com 8:000 ar-
robas de assucar.
Brigue ingles Mertey, para New Yorck, carre-
garam :
Joa Moreira Ramos 300 sacoa com 1:500 arro-
bas de assucar.
barca fraoceza /anna Cali, para Marseille,
carregaram:
Joio Keller & C. 1:000 sacos com 5:000 arro-
bas de assucar.
Tissel Frere, 200 sacos com 1:000 ditos dito.
Barca poitugueza Gratido, para Lisboa, car-
regaram :
Manoel Ignacio de Oliveira & Filho 880 sacos
com 4 400 arrobas de assucar.
Patacho portuguez Jfareiaf, para Lisbos, car-
regaram :
Feliciano Jos Gomes 200 sacos com 1:000 ar-
robaa de assucar.
Amorim Irmos 500 sacos com 2:500 ditos dito.
Sumaca haspanHola Sloverat, para o Rio da
Prala, carregaram :
Amorim Irmios 250 barricas assucar.
dem do dia 24.
Barca iogleza Odem, para Liverpool, carrega-
ram :
Patn Nash &C. 300 sacas com algodo.
Barca iogleza Meliora, para o Canal, carrega-
ram : >
Patn Nash & C 1:717 sacos com assucar.
Barca brasileira Adelaide, para o Rio da Prata,
carregaram:
Bastos & Lemos 530 barricas com assucar.
Barca portugueza Gratido, para Lisboa, car-
regaram :
Antooio Ferreira Monteiro 40 barricas asiucsr.
Barca americana Rabeca, para o Rio da Prata,
carregaram :
Johnston Pater & C. 400 barricas assucar.
Barca ingleza Conttanca, para Sandy Kook,
cirregaram :
Johnston Pater & C. 700 sacos com 3:500 ar-
robas de assucar.
Barca iogleza Harrielt, para Greenock, carre-
garam :
Johnston Pater & C. 600 sacos com 5:000 arro-
bas de assucar.
Brigue ioglez Mertey, para New York, carre-
garam :
D. P. Wild & C. 2:000 couros salgados.
Becebedorfa de rendas internas
geraes de Pernambuco.
Rendimento do dia 1 a 26. 35 326J467
Alfandega.
Rendimento do da 1 a 26. .
dem do da 27......
567:3289356
15:532*884
582.8611240
dem do da 27.
Consulado
Rendimento do da 1 a
dem do dia 27. .
2:226a758
37:553*225
provincial
26.
83:979875
10.546,929
94:526*804
Movintenio da alfandeeja.
Volamos entrados com fazendas..
9 > eom gneros.. 24
Volemes sabidos
c >
aom fazendas..
com gneros..
24
55
265
------ 320
Descarregam hoje 28 de dezembro.
Brigue portuguezS. Manoel sal.
Patacho InglezZerosal.
Barca dinamarquesaOliotaboado.
Patacho americano Abbi Thanlertaboado.
Galera inglezaRossmuodferrageos.
Barca inglezaPrescitaferragem.
Bsrca inglezaSarahferro e carvo.
Brigue DrasileiroBeberibecharque.
Imprtaseme?.
Brigue inglez Kat Me Lea, vindo de Terra No-
va, eonaigoado a Sauoders Brothers & C., mani-
festou o seguinte:
2:186 barricas e 66 meias bacalhlu, 10 tone-
ladas de ferro bruto; sos mesmos.
Brigue inglez Harriet, vindo de T. Nova, con-
signado a Johnston Pater, manifestou o seguin-
te :
2:650 barricas bacalhiu ; aos mesmos.
Pstacho americano Alby Thaxter, vindo de
Boston, coosignsdo a Henry Forster & C mani-
festou o seguinte:
161:771 ps de madeira de piaho, 16 vergas e
25 remos.
Patacho nacin I Garibaldi, vindo de Araca-
j, cooaignado a Taaaa A Irmio, manifestou se-
guinte :
79 caitas e 6 bsrricss assucar ; a erdam.
Brigue portugus S. Miguel I, viudo do Porlo
conaignado a Maooel Joaquim Ramos e Silva, ma-
nifestou o seguinte :
10 aaceoa courinhos, 1 caixioaalpiedes ; iMi-
theas 4 Rodrigues.
2 eaixoes magias ; a Manoel Moreira da Coate.
1 daa imagess ; a Gabriel Antalo da Costa
Quistaos.
1 barriiinbo nozes ; a Beoto Alves de Cruz.
2 ditoa paite salgado; a Joa Fernaedes Pa-
quete. t.
2 caoaaSraa afias; a Joaqun* Franeiaeo a
Silva Jnior.
I caixss eoelhes e coelheira ; a Guilherme
Ferreira Floto.
sr
Horat.

Athmosphtra
B |, .
as I xriccao.
I
| Intensidade.
I
3 2 S 8 'o \rarhmhtit.
o
s
09
| Centgrado.
I .
gas arg.
jTyfforoatro.
Ciilarna nydru-
meiriem.
se
8
ce
pe
'a a a>
i -8 -* S I
* a o .5
Franctt.
/tifies.

%
i
MoTiivenio do pono.
Navio entrado no dia 27.
Rio de Janeiro e portoa intermedios6 diaa e 11
horas, vspor brasileiro Tocanttns, commaodan-
le o primeiro tenente Pedro Hyppolito Duarte.
Nio houveram aabidas. _____
Candida,'arae, fllha lagHiaa da Aotooio de
Paula Mello Helena Joaquina Tasso.
A noite clara cora algans oevoeires, rento ENE
regulsr e assim araanheeu.
OSC1LACXO OA *#.."
Freamar as Oh. 41* da manhia, altura5,4 p.
Baixi-mar aa 6 b. 30* da tarda, altura 1,9 p.
Observatorio do arsesal de marioha, 27 de de
sembr de lat.
rouaho sTxm.,
I* lente.
i
Editaos.
O IIIm. Sr. inspector da thesouraa provincial
em virtude da resolucio de junta da fazeada
1 dito reiratoe; a Maooel Alves Ferreirs. uso da fazer poblico, qae o aiaaaaSScia da obro
* 1 oalxaoiiohe raustcae;} aManoel Ferreira da do celcamenioda ni doaanWaOvrfe Caapa daa
Silva Tsrrozo. Prtooeaas. ficoa transferida para 9 de jaoetro pro-
t latas salpicse; a Aotooio Josa Doa tejos. |ao viidosr*

^~1


IARIU O f IRilMIUU). u. SABBADO 2t DI DEZEMBRO lili
(*)
K para constar te mandn afiliar o presente a
pobhear pe Diar
Secretara da thesoarari provincial da Per-
nambuco, -3 da dezembro da MlO secrela-
rio, A. Ferreira da Aooanclacio.
O lKm.Sr.inspector da thesourarla provincial,
em comprimenlade ordem do Exea. Sr. pres-
danle I provincia da do correnta, manda IT-
zer publico, que a arrematado da obra da eolio-
cacao de carns de ferro desu cidade at Apipueo
flcou transferida para 10 de Janeiro prozimo fu-
taro.
E para constar se mandn afiliar d prevente e
publicar peld Diario.
Secretaria da thesouraria provincial de Per-
nambuco, 93 de deierobro de 1881.O aecreta-
rio, A. Ferraira da Annuoelacao.
O capuao Eduardo Frederico Baoki, cavalheiro
da imperial ordem da Rosa, juiz de paz do se-
gundo anno, desla freguezia de S. Jos do Re-
cite, era exercicio no primeiro, em virlude
dalei.
Fago saber, que devendo proceder- se na ter-
ceira dominga de jaueiro prximo futuro a revi-
so da quallficaco na conformidade do art. 25 da
lei de 19 de agosto de 1846, ae faz mister que os
eleitores a anpplentes abaixo desigosdoa compa-
regam, afim de proceder-se formacio 4a junta
de qualificaQau : pelo que na execugo do art. 4
da refer i le convoco-os para qu ae acbem na
igreja da Senhora do Terco, pelas 9 horas da ma-
nbaa da mencionada terceira domioga de Janeiro
do auoo prximo futuro, sob peo j de incorrerem
na mulla commiuadi pela soeama lei, flcodoou-
tro sim eoteodidos de que a junta aer organlsa-
da de contor.nidada com o decreto o. 852 de 19
de setembro de 1855 e decreto n. 2621 de 2 de
agosto do anno pasaado.
Eleitores.
Os Srs.:
Innoceocio Serfico de Assis Carvalho.
Egidio Benriques da Silva.
Franciaeo Antonio da Chagia.
Francisco Antooio Peretra de Brito.
Fraocisco de Paula e Silva Lina.
Antooio Ferreira de Lima e Mello.
Custodio Manoel Theodoro.
Tibnrcio Valeriano Baptista.
Joio Joiquim de Figueredo.
Francisco Brum de Barros e Silva.
Gaetano Moreira Fooles.
Cielo da Costa Caro pello.
Maooel Joaquim Biptisls.
Norberto Nuuiz Teixeira Guimarles.
Fraocisco Joaquim de Souza Viegas.
Emilio Americano do Reg Gazuoib.
Jos Francisco de Souza Lima.
Joo Tavarea da Cruz Fonseca.
Jos Francisco de Meoezes Amorim.
Modesto Fraocisco das Cbagas Canabarro.
Maooel Antonio de Alcntara.
Franciaeo Perreira dos Sanios.
Joo das Virgeus Moita.
Joao Antonio de Mello.
Maximiano Francisco das Nevea.
Jos6 Anselmo Goniaga de Oliveira.
Manoel Jos de Jeaus Americo.
Beato Alves Rodrigues Tupiuambfi.
Rufino Antonio de Mello.
Antonio Soares de Carvalbo.
Supplentes.
Os Srs.:
Manoel Ferraira Accioli.
Francisco Canuto da Boa-viagem.
Antonio Moreira de Mendonca.
Manoel Jos Teixeira Baslos.
Jos Antonio Pinto.
Eduardo Frederico Banks.
Joaquim Lucio Monleiro da Franca.
Dr. Joo da Coala Ribeiro Machado.
Joo Soarea da Fuuaeca Vellozo.
Joo Xavier da Fooseca Capibaribe.
Hermenegildo Coelbo.da Silva.
Filippa Santiago Cavalcaati de Albuquerque.
Joo Antonio da Silva Pereira.
Manoel de Almeida Lima.
Jos Fraocisco Beoto.
Justiniaoo Antonio Alves Soares.
Jos Francisco dos Santos Miranda.
Joaquim Pedro dos Sanios Bezerra.
Jos Paulino da Silva.
Mauoel Joaquim Perreira Esteves.
Antooio Francisco Lisboa Esleves.
Jos Simplicio de S Estoves.
Jos Maria do Amaral.
Miguel Jos da Silva.
Alexaodre Sergio de Moraes.
Joo Francisco Bastos de Oliveira.
Joo Baptista hurlado.
Francisco Mauoel de Almeida.
Antooio Procopio de Souza Barcellos.
Bellarmioo Alves de Arouxa.
E para constar mandei fazer o presente para
ser afiliado nos lugares mais pblicos da fregue-
zia e ser publicado pela imprensa.
Fregaezia de S. Jos do Recite, 13 de dezem-
bro de 1861.Eu Jos Goncalr es de Si, escrivao
o e9crevi.
Eduardo Frederico Banks.
triosos desle offlcio : quem se julgar eom direilo
comparece, que pro
Subdelej^
1861.O
rod
de compra navaei.
contratar, rob as eondicos do el-
o fornecimento dos objeetna aballo ded-
rado; convida o conselho aos pretndeme I
apresentarem toas propoitas, em cartas fechadas,
no di 28 do torrente mea at aa 11 horas da ma-
ibia, em que isso ter lugar.
Para os navios.
SO arrobas de cairo velho.
236 corados de baetilba, para cartuxo.
60 pioa de lacre.
5 resmas papel hollanda.
16 arrobas a 5 libras de plvora groiss.
Para os navios e arsenal.
40 pi de ferro.
500 agulhas, sorlidas, de brim e lona.
100 arrobas de oleo de linhaca.
5,000 ps de picho de riga, tortido, de 1 8
polegadas.
Para o arsenal.
3 mds de Sjps de dimetro e 9 pclegadas ale
grossura.
36 tabosa de picho ou cedro de 3|4 de pole-
gada.
24 ditas de amarello de 1 polegada.
24 ditaa de piobo de 1 1|2 dita.
12 ditas de 2 ditas.
6 ditas de 3 ditas.
50 Mames, para escaleres.
20 loros de genipapo.
Secretaria da iospeceo do arseoal de marioha
de Pernambuco 22 de dezembro de 1861.
O secretario,
Alexaodre Rodrigues dos Aojos.
THEATRO
DE
Santa Isabel
SABBADO 28 DE DEZEMBRO. -
Ultima vez que a companhi-t do cx-em-
prezario Germano tera de apreseotar
seas trabalhos a este Ilustrado pu-
blico.
Recita extraordinaria
BENEFICIO DO ACTOR
TI IYC lllt.
Depois que a orcheslra, dirigida peloSr. Colas,
tlrer executado urna linda ouvorlura, subir
scena o excellenle drama em tres actos, divididos
em quatro quadros, do Sr. Jos Romano,
29
ARMA
Paquetes iaglezes a vapor
At o dia 28 do corrate espera-se da Europa
o vapor Tyne o qual depois da demora do eostu -
me, siguir para a-Rto de Janeiro, locando na
BahM : para passsgens trata-aeeom os agentes
Adamsen Howie & C. na roa do Traqlche novo
a. 4*.
Acarac
O vapor Iguarass, da companhia Peroambu-
eana, segu no dia 31 at o Acarac, recebe car-
ga e passageiros : escriptorio no Forte do Mallos.
Para
ou
ueei*ra<;os.
HOMU E GL0RI4.
Actores os Srs. Nunet, Ravmundo, Valle, Lel-
te, (ampos, Sania Rosa, Joio, Teixeira, e aa
Sras. D. Isabel e D. Jesuioa.
No flm do drama a orcheslra execntari a nova
qusdrilha de contradanzas, composico do Sr.
Colas, intitulada
Os Estallantes de Recite.
Fioalisari o espectculo com a linda comedia
em um acto,
TRIBULAgOE VENTURA
Principiar s 8 horas.
0 actor Teixeira cordeaimeote agradece a to-
dos os aeua collegas o lerem-se prestado gratui-
tamente a trabalhar neste espectculo; tambem
espera merecer a protecc do publico a quem
anticipa o seu roto de gralido.
Ro de Janeiro,
segoe por estes das o veleiro brigoe Cruzeiro
do Sul : para a pouca carga que Ihe falta, e es-
eraros, trala-se com os consignatarios Antunes,
Guimsres &C, no largo da Assembla n. 15.
Para o Rio de Ja-
neiro,
pretende segufr com multa brevidade o brigue
nacional Veloz, tem parle de seu carregamen-
lo a bordo ; para o resto que lhe falta, trata-se
cora osseus consignatarios Azevedo .4 Meodes,
em seu escriptorio ra da Cruz n. 1.
Da ilha de S. Miguel
espera-se at o dia 30 do correte o patacho por-
tuguez Lima, por anlhonomasia o PapaMilhas,
de primelra marcha ; para o resto da carga e
passageiros, para os quaes tem excellentes com-
roodos, trata-se com os consignatarios Joio do
Reg Lima ijlrmio, na ra de Apollo o. 8.
Teodo a comoaohia de vapores do Rio alte-
rado a sabida dos seus paquetea, a gerencia da
Companhia Peroambucaoa tem de conformidade
resolvido que a sahida dos seos navios do 1. de
Janeiro do anno prximo futuro em diante, le
effeclue da maneira seguale :
Portos do norte a 5 e 20, portos do ui no 1.
e 15, de cada mez.
Quando, porem, o dia marcado fdr santifica-
do, a sahida lera lugar no dia anterior.
Para o Rio Grande do{Sul segu com multa
brevidade a barca Saudade, capito Jnsquim An-
tonio Das da Silva, recebe carga a frea e para
tratar com Amorim Irmos, (ra da Cruz n. 3.
Para o Rio de Ja
neiro.
O veleiro patacho nacional Capuan, pretende
seguir com muita brevidade, tem parte de seu
carregamento prompto, para o resto que lhe falta,
passageiros e escravos a fretes trata-se com os
seus consignatarios Azevedo & alendes, no seu
escriptorio ra da Cruz n. 1.
ELIXIR DE SAUDE
MMWB2
Citrolactato de ferro
!3uleo deposito na botica Ae f oaquim M*rtiu\io
da Cruz Cor rea., roa do Calinga n. II,
em Pernambuco.
O Dr. H. Thermes (de Chalis) aotigo pharmaceuticoapreaenta hoje urna nova preparacio
do ferfaom o nome de elixir de cilro-lactato de ferro.
Parecer ao publico um luxo empregar-ae um meamo medicamento debaixo de formulas lie
variadas, maso homem da setnela comprehende anecessidade e importancia de urna tal vari-
dade.
A formula um objecto de muita importancia em therapeutica; 4 um progreaso immenso,
quando ella, maniendo a easeocia do medicamento, o torna agradavel, fcil epossivel para todas as
tdades, para todos os paladares a para todos os temperamentos.
Das numerosas prsparaedes de ferro at hoje coohecidas nanhuma retine tio bellas qualida-
des como o elixir de cilro-lactacio de ferro. A seu sabor agradavel, rene o tomar-seem orna pe-
quena dose, e ser de urna prompla e fcil diasoluc,ao no ettomago. de modo que completamente
assimilado; e o nio produzir por causa da lactina, que cootem em suacompostcao, a constipado de
rentre frequentemenle provocada pelas outras preparaedes terroginosas.
Batas novas qualidades em nada alteram a sciencia medicamentosas do ferro, que sendo orna
substancia da qual o medico se nio pode dispeusaa em sus clnica, de Incomparavel ulilidade
qualquer formula que lhe d propriedades taes, que o pralico poaaa prescrever sem receio. E' o
que cooseguio o pharmaceulico Thermes com a prepsraco do citro-lactacto da ferro. Asslm este
medicamento oceupa hoje o primeiro lugar entre as numerosas prepararles ferroginosas, com o
altala a pralica de muilo mdicos dislinclos que o tem eosaiado. Tem sido empregado como im-
meoso proveilo as molestias da languidez ( colorse paludas cores ) na debilidade subsequente as
hemorrhagias. naa hy lropesias que apparecem depois das intermitentes na incontinencia: de orinas
por debilidade, as perolas brancas, na escrophula, 40 rachitismo, na purpura hemorrhagica, na
coovalescencia das molestias graves, na chloro anemia das mulheres grvidas, em todos os casos
em que o saogue se acha empobrecido ou viciado pulas fadigas, affecees chronicas, cachesia tuber-
culosas, caocrosa, svphllilica, excessos venreos, onanismo a uso prolongado das precaucoes mer-
curiae.
Estas enfermidades sendo mui frequenles a sendo o ferro a principal substancia de que o
medico tem de lanzar ro&o para a* debelar, o autor do citro-lactato de ferro merece louvorea e o
reconhecimento da humaoidade, por ter descoberto urna formula pela qual se pode sem receio
do ferro.
Para homem.
Palitots d casimira a lOf e 12, dltoi de brim
de indos #e recot. el;n oecaaeotira de -ores e
S* 8* oil de b"m tf. i!. 2|
VfiOO: na ra da Imperatriz leja da arara de 4
porUa o. 56, de Magalhes & Meodes.
Opiata iugleza
para dentes.
Est finalmente remediada s falta que se sen-
ta dessa apreciavel opiata inglesa lio proveito-
sa e necessana para oa denles, isso porque a lo-
ja d'aguia branca acaba de recebe-la de *ua en-
commenda, e continua a vende la a 1)500 rs. a
eaixa; quem qoizer conservar seus denlas per-
feitos preveoir-se mandando-a comprar em
dita loja d'aguia branca,ra do Queimado n. 16.
Feijo em saecos.
Na ra do Vigario n. 10, elcriptorio
de Hatheus & Rodrigues, tem para ven
der multo superior ieijao em sacco.
Gabinete medico cirurgico.f
(9 Ra das Flores n. 37. *
# 8erio dadsaconsfcllaa medicas-cirurai- Sk
cas peloDr. Batevio Cavalcanti de Alba- Z
0 querque das 6 ss 10 horas da maonla, ae-
# cudiodo aos chamados com a maior are-
SJ vidade possivel.
sa 1'* Partos.
0 2.* Molestias de pelle.
9 3.* dem do olhos.
^ 4.* dem dos orgos genitaes.
U Praiicar toda equalquer operario em Z
aj aeu gabinete ou em caaadoa doanteacoa- Z
aj forme lhes fr maii conveniente.
Consultorio medicocirurgico
Consulta por ambos os systemas,
Em consequencia da modanga paro a sus nova residencia, o propietario desle eslabeleci-
mento acaba de fazer urna reforma completa em lodosos seus medicamentos.
0 desejo que tem de que os remedios do seu estabelecimeoto nio se confundam com os de
nenhum oulro, visto o grande crdito de que semore gozaran) e gozam ;o proprietario tem tomado
a precauco de ioscrevero seu nome em todos os rtulos, devendo ser considerados como falsifica-
dos todos aquelles que forem apresentados sem esta marca, e quando a pessoa que os mandar com-
prar queira ter maior certeza acompanhar urna conta assigoada pelo Dr. Lobo Mosaozo e em pa-
pel marcado com o sen nome.
Outro sim : acaba de receber de Pran;a grande porcio de tincturs de acnito e belladona, re-
medios estes de summa importancia e cujas propriedades sao to conhecidas que os mesmos Srs.
mdicos allopathas empregam-as constantemente.
Os medicamentos svulsos qur em tubos qur em linduras custario alio vidro.
O proprietario desle estabelecimeoto annuncia a seus clientes e amigos que tem commodos
sufficienles para receber alguna escravos de um e outro sexo doentes ou que precisem de alguma
operario, affiangando que sero tratados com todo o disvelo e promplido, como sabem todos
aquelles que i tem tldo escravos na casa do annuncianle.
A ailuacio magnifica da casa, a commodidada dos banhos salgados sao outras tantas vanta-
gens para o prompto restabelecimento dos doentes.
Aspessoas que quizerem fallar com o annunciante devom procnra-lode manhia at 11 horas
e de tarde das 5 em diante, e fora destas horas acharao em casa pessoa com quem se podaro en-
ander : ra da Gloria o. 3 casa do Pundo.
Dr. Lobo Moscoxo.
mm
Precisase de um menino forro para trabalhar
em urna fabrica de velas; a tratar na ra da
Cruz n. 6, armazem.
Os eocarregados do festejo de Nossa Senho-
ra da Concrtcio na ra do Jtrdiro, nio podando
solemnisarem a mesma Senhora como coatuma-
vam em consequencia daa ordens contrarias de
S. Exc. Rvma., deliberaram-ae a fazer na igreja
de S. Jos de Riba-mar urna aolemoe ladainha
00 dia 2* do corroote pelas 7 horas da noite, ooe
de esperam a concurrencia de todoa os devotos
que conlribuiram para o meamo festejo.
Antonio Jos Pereira aluga ou vende o seu
sitio em Santo Amaro, passando a casa ds Ulna.
Sr. Amonio Jos Gomes do Correio ,- os pretn-
denos dirjam-se a ra Nova n. 26, loja.
ts)
bacbarel Witrutio po-
de ser procurado na ra
Nova o. 23, sobrado da es-
quina que volta para a
camboa d Carmo.
Pela subdelegada da freguezia de Santo
Antonio do Recife se faz publico, que fora reco-
lhido casa de deteugao hoje 27 do correte o
preto Alexaodre com os sigoaes seguinles t al-
tura regular, secco do corpo, cor prets, que diz
ser escravo de D. Leonor, senhora do engeoho
Cachoeira do termo da Escada, e que dahiaahira
para procurar senhor de ordem de sua senhora,
sem que irouxesse autoiisaco alguma para dito
fim : quem ao msmo tiver dlreito, dirija-se a
mesma subdelegada, que provando o seu domi-
nio lhe'ser eotregue. Recife 27 de dezembro de
1861.O subdelegado suppienie,
Manoel Antonio de Jess Jnior.
Tribunal do commercio.
Pela secretarla do tribunal do commercio re
Pernambuco se faz publico que nesta data foi
inscripta no l'mo competente a carta de registro
do brigue Adeliidea, do qual sio ptoprietarios
Mtnoel Aotooio Marquea e Boa ventura da Silva
Vinhas, e mesire o primeiro proprietario.
Secretaria do tribunal do esmroercio 26 de de-
zembro de 1861.- Julio Guimaries, ofcial-tnsior.
Correio geral.
Relacio das cartas seguras rindas de sul pelo
vapor brasilelro cTocaotios para os senhores
abaixo declarados :
Christiam Irmios.
Fiiippe Daltro de Castro.
Graciliaao Ocfc. ^a Cruz Marlias.
Gaspar Joaquim Correia de Meoezes.
Joaquim Piolo de Campos.
Ignacio Cetaeo Alencar Kodevalho.
Jaciniho Tibericn Esmeraldo.
Joaquim Augusto Perreira Jacobina.
J. Gilseno de Mesquila.
Joio Alves Ferreira.
Jos Aotonio da Costa.
J.Cardoso Silva Pinto.
J. Gomes Perreira.
J. Joaquim Googalves Bastos
J. Nicolao Rigueira Costa.
J. Velloso Soares.
Luiz Augusto Carvalho.
Leopoldo Gtlvao Uchoa.
Manoel Asaujo Alcoforado.
Satyro de Oliveira Dias.
Victorino Jos Ferreira.
Correio.
Pela administrado do correio se fax publico,
que as malas que deve conduzir o vapor brasl-
leiro Tocantinsa chegado hootem dos portos do
norte, e com destino aos do sul serio fechadas
hoje (28) as 3 horas da tarde em nonio. As cartas
para o seguro serio receidas at ama hora.
lo accordance vrith lhe act 6 geo IV cap.
87 a Meetiog of British residenls will be held at
this office 00 Friday the 27 th lostaot at 12
O'clock (nooo).
Briiish Consulale Pernambace Decenaer 20 th
18M' A5tGon.
A, B.M." Aclnq Cnsul.
Vice-coDsuUdo de Hfspa-
nha em Pernambuco.
La csnclileria del vic6 eoosulado de S. M. C. se
ha mudado para la cali* de t* Cus R. 5i.
Por esta subdelegada se fas publico, que
se acha depositado um cavallo ruco padres, grao-
de, com outros sigoaes, que foi entregue a esta
subdelegada por Antonio da Rocha Braga, Por-
tugus, SBoraduf no laigl, par o un pegada em
seu sitio, e ser estranho ao lugar, dando os indi-
cios de ser fortado, pela eompaobia dos ndus-
tsos martimos.
1 1 1 i. 1
Paremdireitura.
Sabe nos prximos dias o bem conhecido hiate
indo Paquete, e s pede receber miudezas : a tra-
tar com os consignatarios Almeida Gomes, Alves
& C, ra da Cruz n. 27.
Kio Grande do Sul
Segn por toda a semana vindonra o patacho
nacional aTigre por estar recebendo hoje 27 de
dezembro a maior parte de sua carga ; recebe
anda cerca de 200 barricas de sssucar, e escra-
vos a frete : trata-se cora Bailar & Oliveira, ra
da Cadeia do Recife n. 12.
COMPANHIA BRaSILEIRA
DE
pAPEfft nm%.
' espera lo dos portos do sul ate o dia 28 do
torrente um dos vapores da companhia, o qual
depois da demora do costume seguir para os
portos do norte.
Desde j recebem-se passageiros e engaja'-se
a carga que o vapor poder conduzir, a qual de-
ver ser embarcada no dia de sua chegada, en-
commendas, dinheiro a frete al o dia da sahida
as 2 horas : agencia na ra da Cruz o. 1, escrip-
torio de Azevedo & Mendes.
INTERMTO
DE
Estabelecido no Ju^ar da Capung, una dos arrabaldes||||
COITINHIA PEFMMBlCilU
COMPANHIA BRASILEIRA
DE
wratn'S a wii.
Dos portos do norte esperado at o dia 31
do correle o vapor Oyapock, cora mandante ca-
pitn de mar e guerra Gervasio Mancebo, o qual
depois da demora do costume seguir para os
portos do sul.
Desde j recebem-se passageiros e enga-se a
carga que o vapor poder conduzir, a qual devera
ser embarcada no dia de soa chegada, encom-
roendas e dinheiro a frete al o dia da sahida s
2 horas : agencia, ra da Cruz n. 1, escriptorio
de Azevedo & Meodes.
DI
IMavegacao costeira a vapor
O vapor Persinunga commandanle Moura, sa-
hlr para os porlos do sul de sua escala no dia 31
de dezembro as 5 horas da larde.
Recebe carga at o dia 30 ao meio-dia, encom-
mendas, passageiros e dinheiro a frete at o dia
da sahida as 2 horas : escriptorio no Forte do
Maltos n. 1.
Para a Bahia segu o palhabole Santo Amaros,
para alguma pouca carga que lhe falta trata-se
com seu consignatario Francisco L. O. Azevedo,
na ra da Madre de Deus o. 12.
Arijos COMPANHIA PHtlUlBCCANA
Navegacfto costeira a vapor
Paraliiba, Rio Grande do Norte, Ma-
cau do AssiT, Aracaty, Ceara',
Acarac' e Granja.
O vapor Jaguaribe, commandanle Lobato,
sahir para os portos do norte de sua esoala at
a Granja ao dia 4 de janeo as 5 horas ds
tarde.
Recebe carga at dia 3 ao mel dia. Encom-
raendaa, passageiros e dinheiro a frete at o dia
di Sbhida as 2 horas : escriptorio no Forte do
Mallos a. 1.
Para Lisboa.
A veleira bem conhecida barca porlugueza
Gralidio. capillo Antooio Pereira Borgea Pes-
taa, pretende seguir com inleira brevidade ;
tem parte do seu carregameolo prompto, para o
resto que lhe falta e passageiros, para os quies
lem excellentes commodos, trata-se com seus
consigoaiarioa azevedo & Mendes, no sea es-
criptorio da roa da Cruz n. 1, ou com o capillo
na praca.
Para a llha de S. Miguel deve sagair com
maita brevidade o briRue escuna portugus Clio,
capilo Domingos dos Santos. Recebe um resto
de sarga a frete e passageiros : a tratar com A-
morira Irmios, toa da Cruz o. 3, o apa o mes-
*o eapBio. '-*r HR
Para Aracaty e Ass.
Hiate fieaa Irmios; para carga trata-se com se recompensar
Martios & Iroso, oa 00a o metre Joaquim /ot
da Silveira.
Grande laboratorio de la-
vagem.
Podem mandar buscar a roupa lavada de ns.
87. 35. 274, 256, 239, 266. 91. 171.176,248,261,
292.158. 265.168. 202. 219, 293, 137, 144, 140,
228,212,189,243,295.169.
Pede-se e rogs-se ao Sr. Dr. chefe de poli-
ca, que olaecom atleocio j que e Sr. fiscal n3o
se importa, que V. S. mande providencias para
que as negras nao facam pracas no largo do Pas-
selo Publico debaixo dos ps de arvoredos, pois
que fazem multas e boas cousas, e mullas pala-
vras que ss familias nio podem ehegar as va-
randas, de maoeira que dio 8 horas da noite e
ellas esto com alumnia, Incommodaodo as vizi-
nhancas.
Est para alugar a loja do sobrado da ra
da Aurora n. 80 : a tratar na mesma casa, se-
gundo andar.
Furto decavaUo
Na noite de sabbado II do correte para do-
mingo furtaram dous quartos capados grandes,
um ruco pedrez e o oulro preto com dous pea
calcados, ambos trabalham na carraca, e tem sig-
nsl nos peitos : quem souber delles participe ao
seu dono aa ra Imperial n. 335, que ser gra-
tificado.
Aluga-se o {^imeiro andar da cata
n. i2, da ra do Encantamento muito
fresca, e com poucos commodos: i tra-
tar na ra da Cadeia n. 35, coda Joao
Ribeiro Lopes, ou no armazem da mes
ma cas*.
A pessoa que precisarjU- Aoco' para
caixeiro de qua!quer_^fmT?mde marcineiria ou
ieilea por ter toda pratiea naa officnas, tanto
para compras como para vendas, e o mais preci-
so oestes esiabetedmentas, vJirrfa-M praca da
Boa-Vista n. 9, que far-se-bs ledo negocio.
D OS* #0 analto aastftaade eeeppereeeu
no dia 90 de correte um cabrioha da nome Be-
nedicto, de idsde de 10 a 12 annos, levou esmisa
ato rtecedinfeo de cor, tesa ama maree de ftida
em orna perna : quemo pegar leve-o ruadas
Tiiarheiraa o 48, a pateo Ido Carmo la, que
i
Joaquim Klvrro Alvbl Silva.
C. R. Pioke val para Macei.
mais prximos da cidade da Recife
DIRECTORO BACHAREL EM MATHEMATICAS
sittKRfjtt mm.uk in mr '
Este estabelecimeuto de educaco e iostrueqio principiar a funeciooar e rece-
ber alumnos do dia 10 de Janeiro prximo futuro em dianle.
Os commodos, e asseio. as boas coa li?">js hygientcts dos edificios destinados
s funecoes do eslabelecimento, a ordem e regulan la le do serriQo 00 interoalo, a
'4^? dedicarlo e zelo que empregaro o director e os professores a bem do aproveita-
ment e progresso dos alumnos, sao circomstaacias que devem aaimar a garantir aos
paes de familias que desejam dar a seus filhos urna edu:acio regular.
Cadeiras de ensino.
Primeiras lettrssdividida em duas ctasses, tendo cada urna o seu professor
portuguez, latim, francez, ioglez,~ ar'uhmetica, algebra e geometra, geographia e
historia, philosophia, rhetorica, desean), msica, dansa e gymoastica.
sm
9
9
9
9
9___________________
i
SYSTE HA MEDICO HOII ELLO WAV
PILLAS HOLLWOTA.
Este ineslimavel especifico, composlo inteira-
menle de hervss medicinaos, nao contera mercu-
rio nem alguma oulra substancia delecteria. Be-
nigno i mais tenra infancia, e a compleicao mais
delicada, igualmente prompto e seguro para
desaneigar o mal na compleic,o mais robusta;
entecamente innocente em suas operscese ef-
feitos; pois busca e remove as doenras de qual-
quer especie e grao por mais amigas e teoazes
que sejam.
Entre ruilhares de pessoas curadas com este
remedio, muitas que j estsvam s portas da
morte, preservando em seu uso conseguirn)
recobrar a saude e forreas, depois de ha ver tenta-
do inoltimente todos os outros remedios.
As mais sfflictas nao devem entregar-sea des
esperaco; facam um competente ensaio dos
effieazes effoitos desta assombrosa medicina, e
prestes recuperarao o beneficio da saude.
Nao se perca tempo em .tomar este remedio
para qualquer das seguinles enfermi.iades :
Nos estatutos do internato que esli a disposigao de quem os quizer 1er, se
acham consignadas as condiccoes de entrada.

a Sr I
fflm
APPliOVACAO E AUTOBISACAO
DA
mmmk mn&wim wmmtm
E JUNTA CENTRAL DE HYGIENE PUBLICA
CHAPAS ttEDlCWAES
ELECTB0-MA6NETIC4S EPISPASTICAS
Oe Ricardo Kirk
Para serem applicadas s partes afifectadas
sem resguardo nem incommodo
Com estas Chapas-elbctbo-buGneticas-epispasticas obtem-se urna cura radical e in-
fallivel em todos os casos da inflamraaco ( cansado ou falta de respira$o ), sejam internas ou
externas,como do Ggado, bofes, estomago, baco, rins, ulero, peito, palpilacio de coracao, gar-
ganta, olhos, erysipela, rbeuraslismo, paralysia e todas as affecees nervosas, ete., ele. Igual-
mente para as differentes especies de tumores, como lobinhos escrfulas etc., seja qual fr o seu
tamaaho e profundeza por meio da suppuracjio sero radicalmente extirpados.
O uso aellas aconeelbado e reeditadas por habis e diitinclos facultativos, sna efficaia in-
eontestsvel, e as innmeras curas oblidas o fazem merecer e conservar a confianza do publico
que j tem a honra de merecer, depois de 24 annos de existencia e de pratiea.
As encommendas das provincias devem ser dirigidas por escripio, tendo todo o cuidado
da fazer as neeessarias explicacoes, se as chapas sao para homem, senhora ou enanca, decla-
rando a em que parte do rorpo existe, se na canaca, pescoco, braco coxa, perna, pe, eu troaeo
do corpo, declarando a cicumferencia: e sendo inchacoes, feridas ou ulceras, o molde do mu
aimnho em um pedaco de papel e a declaraco onde exisiem, afim de que as chapas sejao da
torma da parle affeciada e para serem bem applicadas no seu lugar.
Pode-se mandar vir de qualquer ponto do imperio do Brasil
- As chapas sero acompanhadas das competenles explicacoes e tambem de lodos os accat-
orios para a eolloeacSo ellas.
Consulta as pessoae que o digoarem honrar com a sua confinaba, em seu eeariptorio, qe
se achara aberlo todos os dias, sem excepc,o, das 9 horas da manr aa s 3 da larde.
||9 Ra do Parto ||t)
PERTO DO LARGO DA CARIOCA
m ss Mino
Para as encommendas ou inforraaCyes dirijara-se a phsrraacia de JosAiexatidre wbeirOi
ra da QbeirAado 1. 15.
Accidentes epilpticos.
Alporcas.
Ampolas.
A reas ( mal de) .
Asthma.
Clicas.
Convulses.
Debilidade ou extenua-
rlo.
Debilidade ou falla de
forjas para qualquer
cousa.
Desinteria.
Dor de garganta.
de barriga.
nos rins.
Dureza no ventre.
Enfermidade no ventre.
Ditas no figado.
Ditas venreas.
Enchsqueca.
Herysipela.
Febre biliosa.
Febreto da especie.
Gotia. \
Hemorrhoidas,
Hy tro pesia.
Ictericia.
Indigestes.
Infla mmaces.
Irregularidades de
menstruaefio.
Lombrigas da toda es-
pecie.
Mal de podra.
Manchas na culis,
Abstrurcao do venlre.
Phtysica ou consump-
Retengao de ourina.
Rheamalismo.
Symptemas secundarios.
Tumores.
Tico doloroso
Ulceras.
Venreo (mal)
Febre intermitente.
g Vendem se estas pi lulas no estabelecimeoto
geral de Londres n. 224, Strand, e na loja
de todos os boticarios droguista e outras pessoas
encenagadas de sua venda em toda a America
do Sul, Habana e Herpanha.
Yendem-se as boceiinhas a 800 rs., cada
ama deltas contem urna instruccao em portu-
guez para explicar o modo de se usar dess p-
lalas.
O deposito gaaal era casa do Sr. Soum
pharmaceutico, na na da Cruz n. 22 em Per-
nambuco.
FERBEIKA VILLEIA
RETRATISTA
DA
AUGUSTA CASA
Runa ato dasaiig
IMPERIAL,
entrada peto pateo da matrlr,
Retratos por atubrolypo, por melaloolypo, so-
bre panno encerado, sobre talco, especiaos para
pulceiras, alnetes ou caasoletas. Na mesma
caaa existe um completo e abuodaule tortimento
de artefactos trnceles e amarnanos para a col-
locacio dos retratos. Ha tambem Pra asta mes-
mo lira cassolelai e delicados alQoetes de ouro
de le; retratos em photographia das principaes
persooageoa da Europa ; (^tereoscotKOS e vistas
stereoscoiras. asslm como vidros para ambrolypo
e chiraicas photographlcss. '
Vender-se aa trras chamadas Sircuc.
que fieeut presiowa ao aaldacidado da Victoria
(Santa Antao) ealre os enenhos Pedreiras e Es-
ffeUe Saato, cara boas propones para ilanla-
cea daaf e aVgaaao. Nao eiig*se dioheiro
vista, bastando que pague o comprador um Juro
mdica ala lempo que canencionar-se o paga-
manta total : a fallar co san proprietario o Dr.
Reg Dantas, aa aagenho Gotabeira, da Santo
1 Amaro da Jaboatio.
I
-


_
(*)
Ci d
I todo serv-
Uva para
tralar m roa d

Precia-a* da ur
{O 4 eaaa da nome sol
carregar agua no chafara
Crui, matea n. 91.
Aloga-se o primeiro andar sobrado da ra
da Imperalriz n. 40 : a tratar no meamo.
D1AB1Q H tiSttMOCO. fes. SAUBADO 28 D DEZMBRO DI fti.
ESTRADA DE FERRO
DO
Recife a Sao Francisco
(limitada.)
Peto presente ae fai publico que do 1 de Ja-
neiro e 1868 em disale toia aa mercadoriaa
remeitilas para a eidade do Recife pela mesma
Ta frrea serio enviadas, ae assim eiigirem, da
atacan Has Cinco Pontaa, pelo mar para o depo-
sito do Srs. Velloio & Dantas no ces do Apollo.
E. H. Braman,
Superintendente.
coipanhudTvia frrea
DA
Recife ao Sao Francisco.
LIMITADA,
Attenco*

Nos domingos e das santos al oulro arito aa
paaaagens de ida e volta, no mesmo dia, das
Cinco Puntas a Escada aero pelo preso das sin-
gelas, a saber:
1* classe 6)500
2a 4500
3* 3M)00
A partida dos trens ser como de coslume, de
mantisa das Cinco Ponas as 7 horas e 30 minu-
tos e de tarde da Escada aa 4 horas.
AsaiguadoE. H. Braman,
Superintendente.
Sociedade bancada.
Amoro, Fragoso, Sntos & C.sacam tomam
saquea aobre a praca de Lisboa.
Alaga-se o segundo sndsr da cass n. 183 da
ra Imperial, e o aegundo da ra da lmperatriz
o. 188 : a tratar na ra da Aurora n. 36:
O dentista Numa Pompilio.
Ra ettreita do Rosario n. 22, pr.
meiro andar.
punta denles pela pressio do ar, por molas e li-
gaduras. e fa, todas as operaC6ea de sua arte
aulni^ M lug" um ,ret0' daudo-se o
? J 6.p,8,-,e ""I o semanal, para o
semco deala lypographia : na linaria s. 6 e 8
da praca da Independencia.
Aluga-se a loja do aobrado da ra do Li-
gamento n 27, proprio para qualquer estabele-
cimeoto: a traUr oa ra de Hortas n.10.
Aluga-se um aegundo andar na ra do A-
morim, ba.rro1 do Recife : a tratar na mesma rus
armazem n 46.
hJT U" D!reu- obrado de um andar n. 33,
defronle da padaria de Jos Luit, faz-ae pealis
de carne, feitio de Pfrit; quera quizer mande
eocoinmeodarna reapera de fasta : tambera se
[aiem bandejas de bolinhoa de differentes model-
loa.com muita perfeigao ; Tendera-se doces sec-
eos de caj, hmio. mangaba, abobora. jaleas
doces ae oros e mais arranjos precisos paa me-
sa, jalea de substancia.
Carvalho, Nogueira & C. na ra
do Vigano n. 9 primeiro andar, lacam
obre Lisboa e Porto.
Velocidade.
NOVAS JOIAS
Seraflm & Irrao com loja da ourivea na es-
quina da ra do Cibog o. II, confronte ao pa-
teo da matriz de Sanio Antonio, fraoquelam ao
publico o eseolherem as mais modernas e delica-
das obras de ouro muito em corita e notamente
cnegadas ; gsrantem a quadade do ouro, pas-
eando cootas com as necessarias declararles nos
leeibos; tambera trocam e recebera para fater e
concertar toda e qualquer joia : os meamos pre-
Tinem que ntoguem se deixe illadir por indivi-
duos que andam rendendo joias por tora desta
Praga, dizendo serem da casa dos mesmot, pois
nunca tierara, nem lera pessoa alguma eocarre-
Rada de vender joias suas.
Acham-ae
panhia geral
RETRATOS
DE
NOVO GOSTO.
abertaa dirersas estagdes da com-
para o transporte e despacho dos
gneros que do Recife se destinarem estagao da
estrada de ferro oas Cinco-Pont.s. Nessas esta-
gSes recebem-se conhecimentos de .asnear, o
qual despacha-se e cooduz-se com toda a rpi-
ta C,l1!?,",e lambe,n "otas do gneros fljue
tenham de ir para o interior, sendo esses gene-
ros conduzdos e despachados com igual rapidez.
Os concurrentes pagario apenas um frete in-
L6r.K0r n.aclual' "eDd0 "tuiio o demait tra-
balho. Pdem dirigir-se : "mais ira
Aocaead'Apollo n. 7 ;
A' roa da lmperatriz n. 52;
Aos Srs. Duperroo ou Oliveira,
Tia-errea, as Cinco-Ponus.
na estagio da
^sEa^iA
9NDIClO LOW-MOOR
gosto
gosto
gosto
gosto
inyenc -
inveogSo
invengo
invenga o
infengao
Retratos de novo
Retratos de aoro
Retratos de noo
Retratos de novo
Hnwleyotypo nova
Hiwlpyotypo nova
Hawleyoiypo uuva
Hawleyoiypo nova
Hawleyoiypo ora
Precos baixajdd para nouco
---lempo.
Precos baixado para pouco
Precos bailado para pouco
Pregas --- baitado para pouca
Pregos baixsdo para poocq
3$00G 5000 10#000
3iooo 59000 oaono
3000 5aoo0 1091100
3JW00 5000 10O0O
3000 5{000 ljOO
Explendido alnetes d
tempo
lempo
tempo
tempo
0#000
209000
20000
20900t
2090U0
ouro
para
para
para
para
dourados
doursdns
douradoa
dourados
re-
retraloa
retratos
retratoa
retratos
gostos
gostos
gostos
gostos
gostos
ver
ver
Ter
ver
var
Ezplendido alfioetes de
Explen.ndo alfineles de ouro
Ezplendido alQoetes da ouro
Explendido alfineles de ouro
Para retratos
Para retratos
P'ra retratos
Para retratos
Para retratos
Explendido quadros d( urados
Ezpleniido quadros
Esplendido quadros
Esplendido quadros
Esplendido quadros
Vende-se machinas ppra
tratos.
Vende-se machinas
Vende-se machinaa
Vende-se machinas
Vende-se machinas
Gaixas de lindos
Caitas de lindos
Canas de lindos
Calas de lindos
Caitas de lindos
Todos venham
Todos Tenham
Todos venham
Todos Tenham
Todos Tenham
Vestidos pretos mais \ roprios
Vestidos pretos mais proprios
Para tirar retratos
P"" "r" reiratos
A. W. Osborne retratista ame-
ricano
A_ W. Orboroe retrslislt americano
Rua do Imperador
Rot d<> Imperador.
O abaixo assigosdo faz sciente aos herdei-
ros da finada O. Brites Sebastiana de ai o rae
proprielaria do eogenbo Iohaman. qoes dita se-
nbora achava-se a dever me 2:240 constante de
urna letra vencida em ab.il de 186, correndo
juros, proveniente das rendas de cii co annos da
parte que tenho no referido cogen o. sendo a
renda aonual de 400, e de* mais 1:2)0 de tres
annos que tem de vencer-ae o tercairo dito em
maio futuro de 1862, resollando tdda a quao-
q on ,*A5 do t0""*1* de desembro, em
J 85|460 ; e para nio ha ver duvida faco esta
advertencia aflm de ficarem certificados, e no
lempo competente 4e suas partilbas spparrcerei
com os documentos psra aeren separados os
bens precisos psra etse pagamento.
nn.M '* Msrqaee Baeaibo.
-L?n f "I*?' ** M hb eem-
1 TOTMfio dOS
parto, para o
se em 01
aobdelgado Frandsce
Ra daSenzalla Nova n.42.
asta istabelecimento contina abaTerus
oraplitosortiBMntodamoendtsaiiiasmoen-
Ptrsengenho,atschns da Ttpor sUxsj
farro; bando s coado,da todos ostamanhos
para dito,
Aluga-se
a"r.aHeV- 2I d".r"a d0 aperador: a tratar
a ra do Crespo n. 17.
cer^eStf V.!I'Mk Correia Lln?a queira appare-
cer uesta typographia, que ae lhe precisa fallar.
Guimares Luz
em consequeneia de estarem na liquidacSo do
liado, outra ez rogam a todos os seos deredores
em geral que tenham a boodade de vir ou man-
darem pagar seus dbitos at o flm do mez de
Janeiro prximo futuro; aquellee que aaaim o nao
Bzerem tenham paciencia, que suas contas aero
entregues no princiuio de fevereiro ao procura-
dor para serem cobradas judicialmente. Recife
zJ de dezembro de 1861.
Aluga-se a casa terrea na freguezia da Boa-
Vista, rna do Tambii n. 25 ao lado do chafariz da
Praga, com muitos commodos para familia : a
tralar no Recife, travessa da ra da Madre de
eos n. 18. aegundo andar, das 6 as 9 do dis, e
uas 4 as 6 Oa tarde, prego commodo.
Urna criada.
Precisa-se de uraa mulher forra ou caplira par)
etiada de uraa casa '
Dentista de Pars.
5Ra Nova15
FradarieGautier,cirBrgiodentiata,(aJ
todas as operacoes da sua arta ecollocs
dentesariilciaes, tudocom a superiori-
dadaaparfaicioqaoa pessoasantandi-l
das Ihereconhaeem.
re agua e pos den tif ricios te.
Vogodoar
Continua-se a receber encommendss de ludo
quanto for relativo a esta arte, ha muito conhe-
cida fabrica de fogo de artificio do fallecido Ru-
fino : do bizar pernambucano da ra do Impe-
rador n. 6.
Aranaga, Hijo & C. lacam sobre
o Rio de Janeiro.
CONSULTORIO ESPECIAL H0ME0PATHICO
DO DOUTOR
_ SABINO 0. L. PINHO.
Kuade Santo Amaro (Mundo
Novo) n. 6.
Conaultas lodos os dias otis desde as 10 horas
at meto dia, acerca das seguales molestias
motettot datmulheret, molestias dat erian-
cat,mokttat da ptlle, molestia$ dot olhot, mo-
iMttaityphihttcaf,todas as especies de febrtt
feores intermitientes e suas eonsequeneias
v ARIUCU MPECUl H01KOPATHICA .
verdadeiros medicamentos homeopathicos pre-
parados som todas as cautelas necessarias. in-
L'i. iei e.m 88us effeit0. tanto em tintura,como
m glbulos, pelos presos mais commodos pos-
N. B. Os medicamentos do Dr. Sabino sao
!?a.Dr?D 6 T,Vl.0l*a! 8Ua Pharmacia ; todoa
que o forem fra della sao falsas.
Todas as carteiraa sao scompaDhadas da um
tmpresso com um emblema em releTo, tendo ao
redor aa seguales palavras : Dr. Sabino O. L.
Pmho. medico braaileiro. Este emblema posto
igualmente na lista dos medicamentos que se pe-
as, As carteiraa que nao leTarem esse impresso
"fmnn,rcad0.. amboratenham natampa o no-
na do Dr. Sabino ao falsos
Ama.
Precisa-se de urna ama forra, prefere-se de
meia idade, para o servico de
Bella 0. 38.
Alteavo.
ie.L|lDDnlie.Le ?e,,uur Pt salubre de tous
leslegumes rafraicMaaant.et leger l'ealomac.
Se preparen! de toutes lea manieres et tontee
il-VT'' *?lr0,anl a l'armssem do Progrea
Precisa-te de um moleque forro ou captivo
para o aervigo imerno de urna caaa de pequea
familia : na roa da Cruz n. 45. lequoa
~ R8a-ae ao lllm. Sr. Joaquim los d'Aguiar
o obsequio de comparecer na ra Nova n. 43 ou
annunciar aua morada para ser procurado.
Precisa-se alugar urna eacrava que teja de
boa conducta, para o servigo de cozinhar e en-
on?ar en> ""a cass de familia : na ra do Vi-
0.
Precisa-se
de alugar urna escrara para o servigo'de casa
sendo que engorme e eosiboe bem : a tratar em
fra de Portaa ra dos Uuararapes n. 30.

CO

compras, na ra
_ de pouca familia, que aaiba
cozoar e engommar : quem eatWer oeslas cir-
cunstancias poder dirijir-se ao armazem n. 45
da rea da Cruz, que achari com quem tralar.
Antooio Joaquim Marques, subdito portu-
guez. retira-se para fora do imperio, levando em
aua companhia sua fllha de nome alaria da Gloria.
Aluga-se um segundo andar com 2 salas, 2
quartos, e sotao com 2 quartoa, na ra larga do
Rosario : quem o pretender, pode ir tratar na
mesma ra, loja de miudezas n. 83, que achara
com quem tratar.
Precisa-se de um menino de 10 a 14 annos
que teoha alguma pratica de taberna : na ra de
Santa Rita n. 93.
Quem tiver achado urna pulseira formada
de ooragoea de ouro com um ramo de flor no
centro de cada um deiles. esmaltado de azul ea-
curo e verde, a qual perdeu-ae oa noite de Natal
na igreja do convento do Cuino, asa hir pela por-
ta lateral e portara, e quizer reatituir ao seu do-
no, mediaote o achado, pode dirigir-se ao paleo
do termo n. 18, segundo andar; assim como ro-
ga-se aos senbores ourives a appreheosao e to-
mada de dita pulseira, caso lhes seja offerecida
por renda.
para familia na aa-raaivel poto
rar.
temno do vario ou por anno, dirija-ee em linda
225*25>*S>' a ''* deatacidade.
Padaria.
Vende se a padaria da ra de Domin-
gos Pire* n. 50, com todo* os seus uten-
cilios em bom estado, garantindo-se a
casa da padaria e tambera a que fica
junto, propria para morada : o dono
deste estabeleciment estando embara-
zado com muitos outros negocios, esta'
disposto a fazer todo e qualquer negocio
tendente a venda da mesma padaria, e
por isso convida a todos os senhores que
quizerem se propoi a tal fim, a se dirigi-
rem a ra da lmperatriz n. 45.
-- Precisa se de urna ama, que saiba
cozinhar e engommar : quem quizer
dirija se a ra do Imperador n. 73, pri-
meiro andar.
Hospital Portuguez de Be-
neficencia
EM
PMWizYMlWKO.
A jnnts administrativa do Hospital Por-
tugus de BeoeQcencia neata cidade, pene-
trada da geral consternado am que se
acham todoa os seus compatriotas, resolveu
mandar celebrar urna trusa por teocio do
seu primeiro protector o fiaado Sr. D. Pa-
iro V de saudoeitsima e imperecivet me-
moria. Esta musa deveri ter lugar oa ca-
pella do meamo haspltal pelas 7 lit horaa
da manhis do dis 80 do correte mez : e a
junta roga a todoa oa socios o obsequio de
assialir aquelle acto que nao mais do que
um friquissimo teaiemunho de saudade e
de amor por um mooarcha que tanto dese-
jou1 felicitar a naci portuguesa e cuja per-
da fot urna Terdadeira calamidad* para o
psiz. Recita 26 de dezembro de 1861.
Joaquim Kerreira sla Guimares
1* secretario
* Consultas medicas, i
Sero dadas todos os dias pelo Dr. Cos- j
me de S Pereira no seu escriptorio, ra <
da Cruz n. 53. desde s 6 at s 10 horas |
da manhaa menos aos domingos sobre:
1." Molestias de olhos.
|.* Molestias de coracio e de peilo.
3. Uolestias dos orgaos da geracao e
do anus.
O ezame dos doeutes ser feito na or-
dem de suss entradas, comecando-se pb>
rm por aquellos que soffrerem d/s
olhos.
Instrumentos chimicos,acsticos e cTp-
ticosserao em pregados em suas consuf-
ta;oes e proceder com todo rigor e pru-
dencia para obter cerleza, oa ao menos
probabilidade sobre a sede, natureza e
causa da molestia, e dahi deduzir o plano
de Iralamenlo que deve destrui-la ou
curar.
Varios medicamentos ser oambem
empregadoa graluilamente, pela cer-
teza qne tem de sua verdadeira quadade ]
promptido em seus effeilos, e a necessi- '
dadedoseuempregourgentaquese usar i
Praticar ahi mesmo, ou em casa dos
doentes toda e qualquer operacao que
julgar conveniente para o restabeleci-
menlo dos mesmos, para cujo flm se icha
prvido de urna completa collecco de
instrumentos iodispensarel ao medico
operador.

o^rta O 1^ OaV
0 0 C3
^ZBIO) 0 0 O O
Urna pessoa que se relira pata o contra da
provincia, desoja vender todo* oa trastes sena em
perfeito estado, sendo mobilia completa, serpea-
linae, candelabro, jarros, etc. Igualmente arrao-
]oa da sala de jaiiar : quem preciaar. diriia-se a
ra iNova n. 46. primeiro andar, que se satisfar
pelo prego commodo de todos os objectoe. '
Aluga-se o Io andar do sobrado oa ra do
Imperador n. 37: a Iratar-se na ra do Crespo
loja de Aodrsde & Reg.
-- Quem achou nma pufseira de ouro, perdi-
da da ra da Senzala ao Corpo Santo, ou mesmo
nesta igreja, os missa do Natal, e a queira entre-
gar, pode-o fazer na ra do Vigario n. 6. que ae
recompensar.
Antonio de Araujo Goes retira-se desta
provincia aem dever coosa alguma, mas se al-
guemjulga-se com direito a reclamsco, pode
raze-ls na casa n. 4S da ra da Unio al o ulti-
mo deste.
*
9

5 3--Rna estreita de Rosario -3
# Francisco Pinto Ozono continua a col- S
% locar denles artiflciaes tanto por meio de 2
% molas como pela preaso do ar, nio re- i
m cebe paga alguma sem que as obras nio Z
9 flquem a vontade de seus donos, tem pos S
joutras preparares as mais acreditadas S
0para conservado da bocea.
?R* ?? ?
- U >r. JoSo Hyppolito de Meira Li-
ma, queira apparece*- nesta typograpbia
que se lhe precisa fallar.
Aen^ao
Precisa-se de urna criada para cozinhar e
1TJJ"' Utt"' "" de Pe,lue"a familia :
mformacoes. na ra da r.m. ic
Ma&
Precisa-se de urna ama forra ou captiva (pre-
fere-se crptiva) para o servico interno e eiterno
de urna casa de urna seohora em Cachaog, mas
que saiba cozinhar e engommar bem, pga-se
bem ; a tratar na ra da Csdeia do Recife.
numero 11. '
loja
Criado.
Precisa-se de um criado para todo servico de
urna casa de pouca familia ; a tratar na ra da
Cadea do Recife n. 59, primeiro andar.
Aluga-se um escravo bom carroceiro, tam-
bera serve para criado de casa estrangeira, do
que j lem pratica, ou para oolro qualquer servi-
c_|M ra do Livramento n. 22, terceiro andar.
.r^ ga'8JBOn,rDa"em e Pfiuieiro andar da
caaa da ra da Cruz n. 11, para
tratar no segundo andar.
Frecsa-sa de ama ama para comprar e enU
nharemcaia de pouca familia: na roa do Ca
Fesirn da Scnlior% 4o Mou-
te im OUmdsi.
.0in": Sr* D# **"< Bnla. de accordo
f? J ">o. tranaferio a mesma fes-
Precisa se de urna ama que aaiba cozinhar
e engommar ; atraz da matriz de Santo Antooio
n. 28, primeiro andar.
Aluga-se o primeiio andar da casa da ra
da Senzala Velha n. 36: a tratar na ra do Cres-
po n. 19.
Precisa-se de urna prela que saiba engom-
mar lavar e coziohar, para malcasa de pouca
lamina, pags-se bem e se promette mmto bom
iralamenlo ; na ra das Cruies n. JO, segundo
tocupras.
Comprara-se aeces do novo banco de Per-
nambuco : no escriptorio de Manoel Ignacio
Oliveira & Filbo, Urgo do Corpo Santo"
de
Vendas.
escriptorio : a
gom
ra
eo-
pa-
ces, na ra da Cruz n 45
10^[ de gratificado.
Desappareceu do sitio n 3 da p^mrt. h i s
Fern.ndes Vieirs (na Soledde no 8,bb do 2?
do correte, urna cabra (bicho) toda pre,a rom
ch.fre,, a qual te o ubre bas.an,ePvoiumoao^
sendo o b.co direito maior qne o esquejo ro
ga-se, pois, a quem a tiver de lera-la ao dii J!
lio. qee se lhe dar a qu.nli. a el..1V*
necessita para araament.gao de uma cianc".
Attenco.
Quem quizer comprar urna mobilia de amarel-
lo e mais alguos trastes, assim como tres escra-
tos, sendo dons do genero masculino e um do
femenino, ou mesmo alaRa-los. dirija-ae casa
da ruada Cooceicoda Boa-Viatan. l.que acha-
ra coro quem tratar.
Precisa-se de dous amasadores de padaria
que emendara de fazer pi e bolacha : os"JA
estiverem nestas circumstaocias, dirija-ae apa-
.'ra..1 Vo" "^ d0 Kosario n- 16> Votio do
quartel de polica, que achara com quem tratar
n"L. 22e;8e Cer,a seDhora Qe desappareceu
no da 24 do correte, de 2 as 3 horas da tarde
da casa onde eslava de morada a mais de um
anno, na ra da Espranos, queira mandar entre-
gar o ouro e mais objeclos que levou na ausen-
cia do dono da casa, alias ver seu nome publi-
cado oeste Diario, cuja entrega se deve efTecluar
na mesma ra da Esperauc, taberna n. 33.
/rB9pa.?sa;8e,a cha,e d0 "goido andar da
f,tr. tr.Z' dfeAP?110.. q tem commodidades
para grande familia, pintada e esleirada ; a Ira-
lar na mesma.
Vende-se um carro novo de volts inteira
para servigo da alfaodega : quem o pretender di-
nja-se a ruada lmperatriz n. 26, E* pechincha.
Cera de carnauba de pri-
meira qualidade.
Vende-se em por^o e a retalho de urna sacca
para cima e por commodo preco: na ra da ala-
dre de Dos coofroote a botica n. 30.
Vende-se um escravo com idade de 24 an-
nos por 300 por ter uma fstula em urna perna
a pessoa que quizer, dirija-sea roa Diraita o. 14*.
Vende-se um carro em bom eslsdo com 4
rodas : quem o pretender v a ra do Padre Flo-
nano, casa n. 31, que acbar com quem tratar
esle negocio, e se o por prego commodo.
Veodem-se libras esterlinaa; no escripto-
rio de Amorim Irmios, ra da Cruz n. 3.
A dinheiro.
Potassa da Russia.
A 200 rs. a libra.
O bem conhecido deposito da ra de Apollo n.
\ recebeu directamente peloiultimo navio a bem
coohecida e acreditada potassa da Russia, e est
vendendo a 200 rs. a libra, dinheiro vista.
Canarios
de Portugal muito cantadores
proprios para presentes e por
no armazem da estrella, largo
prego commodo;
do Paraizo n. 14.
wa a ns
. 36^rua das Cruzes de Santo Antonio, 36,
PROGRESSIVO
DE
NaWR
a 19200 a libra,
o inteiro.
Atuga-ae uui ihiu na
boa
PUIIKI
\^a^ um caixelro para na padaria
Attenco.
Na rus Direita n. 67, loja nova, tem um rico e
perfeito sorliraento de miudezas. mais baratas do
que em outra qualquer parle para adquerir fre-
guezia, nao se declara os precos, pois que basta
ver para comprar.
Csetaoo L. Gama Duarte participa aos seus
freguezes que mudou o seu estabelecimeoto para
a mesma ra n. 67.
Os abaixo assigoados, contrstadores da couduc-
caopor agua doa gneros viudos pela via frrea, da
estagao das Cinco Pontaa psra o armazem do caej
Jo Apollo, teem a honra de communicar ao res-
peilarel publico, e mui particularmente ao Illus-
irissimos senhores recebedores dos mesmos g-
neros nesta praga, e agricultores, que tem mar-
cado o da 1" de Janeiro de 1862 para darem prin-
cipio esse transporte, de cOnformidade com o
respectivo contrato celebrado com a companhia
da estrada de ferro.
O armazem aituado no centro do mesmo caes
com bastante agua em todaa as mares, com 80
palmos de largo e 130 de fundo, com proporcoes
e capacidade para receber 16,000 ssccos.
f Em virtude daquelle contrato lem o trans-
porte econduego de serfeitos em alvarengas,
ou candas (conforme a maior ou menor quan-
tidade do genero, ou mercadoria transportar)
de madeira bem cobertaa e estivadas com toda
a limpeza, e bom aeondiooamenlo. k
t Responsabilisam-se por todo o damno per-
da, que possa baver do momento em que rece-
nerem os gneros as alvarengae, ou canoas na
a estagao das Lineo Pontaa at que os entreguem
aos empregadoa da companhia no armazem io-
dicadodo momento em quereceberem noin-
dicado armazem os gneros al que deiles fa-
gama devida entrega aos empregadosda com-
panhia oa estagio das Cinco Pontas.
Pela cooducgo dos gneros e mercadoriaa.
que da estagio das Cioco Pontas forem assim
c transportados para o indicado armazem. rece-
berio 40 reta por cada arroba, nao so como
prego do transporte, como de armazenagem.
Heceberio no indicado armazem, e conduzi-
rio graa estagio daa Cinco Pontaa lodotoa
gneros e mercadoriaa, que tiverem de ser
< transportados pela via ierres pira o interior da
provincia.
Para garaotirem a ezecugio do mesmo contra-
to, elles prestarara anga idnea na auperinten-
dencia da referida companhia.
Observara ainda mais, que o genero poder-se-
os demorar no armazem de deposito, se assim
convier aos senhores recebedores, seis dias sem
que por isso psguem mais cousa alguma, alm
do que se acha estipulado no dito contrato.
Jos Velloso Soares.
Manoel Jos antaa.
Manoel Fraocisco Orphio Villar ral a Por-
tugal tratar de sus ssude.
0 bilbete inteiro n. 621 da W lotera do Rio
de Janeiro, eonce'da por decreta n. 238 de 27
de novembro de 1841 para o estabelecimeoto de
o conaervatorio da msica na corte, pettence
ao abaixo aisignido. '
Manoel Vieira Perdigio.
rs.
leira sacca, Feitoris velho, secco e cbamisso
WeUl7rgaVcef8eflZtlm,D'Te''l'id'' 8e 1*00""" *"*> ftiaZT
Oll^iino Innrf 8 8",K "" "llimo P" '.
QX PMk af "'""' "W,e 8eM'f" *,re-
"Zm,X ; tr do w* a.
Presuntos portue esSS p 7 """
vnhoS;d'300 ,g"""-'^"."I;. oa---".o-**-*
Vinho emrpDaaUDXJZP8riM ""'id"" difl'ele! m,m' 80 '*' ""' dt 8'60 J'.
Marmelada imSP T 5' e0 "'' 8"r*" de m<"> '**<><" '"<"
b3?S ^ '" ?4*WS" Li,bM ,,mM' *"**" M""ttM d'Lmlm *' '
muito gosto a 3500 eVdlninadeh0Cda '"**" da Eurp8' mais proprio que h" Para mimos' Por serem ricamenle enfeitodas, o do
FigOS eni COXinhaS de 4 libra* ntuiu, frasco, e gr.rodes a 2000.
w em C"X,Dha d6 4 Hbr"Cheg,das Des,e ullimo vapor 3*500 e 1*200 a libra' afianea-so Mr malhor V V** H
AmeixaS francezas era latas deS libras por 4*600 e 1000 por libra.
I^rCaXn^9d,Jto,bJraS' asmelhores^^^o 3..640rs..libra, eemc.ix.d. um. .rrob. a W500.
LaiaS COm truc tas da todas as qualidades que ha em Portugal da 700 a 1000 a lata.
CorinthaS era frascos de 1 l|2 a 2 libras de 1)600 a 2*200.
FraSCOS de amendoa coofeitadas com 2 libras, proprias para mimos, por serem muito bem enfeitadas de wperles^p-i&da a 50ff
CaiXas SOrtidas com ameixas, araendoas, passas figos, peras e uozes o que ha de mais proprio para mimos, de 4*000 a 6*000 rs.
por caixa de 10 a 12 libras, e 320 rs. a libra dos figos.
Lata COn? bolaxinha de Soda de diversas qualidades, e muito novas a 1*450. e grandes de 4 a 8 libras de 2)500 a 4*500.
tiOnservaS mglezaS francezas a portnguez.s de 600 a 800 ris o frasco.
ErVllhas francezas e poriuguexas a 720 rs. lata, afianca-sa serem as mais bem preparadas que tem vindo ao mercado,
mascas talharim, macarrao e alelria as mais novas que temos no mercado a 400 rs. a libra.
flS munhasfo'606rf. "uST ? "* DfM Pf ^ *** uUm V"per 20 Hbra de e 5 arrob" *
Amendoas do casca molla a 400 ris alibra em porc^o ter abatimento.
AzeitonaS de Lisboa novas e grandes viadas Pe|a prinaeira vez ao nosso mercado a 3)500 a ancorla.
Lampauhe dis marcas mais acreditadas de 15) a 20)000 res o gigo de 1)500 a 2) a garrafa.
Cervejas das melhores marcas a 560 rs. a garrafa e de 5) a 6*000 a duzia da branca.
Cognac a melhor qualidade qne temos no mercado a 1*000 a garrafa e a 10*000 a duzia.
Genebra de Hollanda a 600 rs. o frasco a 6*500 a Datpih. com 12 fraseos.
30late o mais superior que temes tido no mercado portugus, hespanhol efraaeez de l*a l)20t alibra.
re puro de lsboa a S40 rs. a garrafa o 1*850 a caada.
BataltS em gigos com uma arroba, as melhores que ha no mercado a 1) o gigo, e em porcao de 10 para cima a 800 rs.
bej>0l|as SOitas novas e gr
Kfcpermacete superior Mm av.ri.. 740 rs. e c.ix. 750 r.. Hbr..
AjTOZ o melhor do marcado a WHu a libra e 2)700 a arroba de da India e 120 ra. a libra do Manabao,
AlpiSta e painCO o mais limpo que ha a 160 rs. a libra do aloisia e 240 re. a libra do painoo.
Vinagre branca o melhor que temos tido no mercado a 400 rs. a garrafa a 2)580 aeanada.
MaSSa de tomate em latas de ama libra do mais acreditado auior de Lisboa e viada a primetra vea i nosso mercada, da 1) a lata;
Ara ruta a melhor qne se pode desojar a 320 rs. a libra, e 160 rs. a libra da gomma.
ToUCnho de Lsboa o mais novo do mercado a 320 res a libra e arroba; a 10*000.
A lem dos ganaros annunciados encontrara o publico ludo quu procurar teadeQie a molhados, o por manos dat por eeato do que em outra
novas e grandes a 1) o cento e a 8 o milbeiro, aBanea-se qne i vista da quadade ninguem dentar de comprar.
1


DlAaUO MktiAMlCeO SABBADO i ftl DBZEMBRO 01 U61


i
Para as provincia* de Peroambuco, Parahiba, Rio
Grande do Norte, Cear e Aagoas, a saber:
Folhinha de porta, contendi o kalendario, pocas geraes, nacionaes, dias
de galla, tabella de talrai, notim planetarias, edipiei, partidas
de correioi, audiencia, e resumo de clironologia, a ris .160
Folhinha de algibeira e variedade, a qual contm todas as materias das
de porta e mais tabellas do nasciment, e ocaso do sol, das ma-
rca, casa e familia imperial, nomes e ttulos dos chefes dos
principaes estados do mundo, tabella da arrecadacSo do sello,
dita do porte das cartas, partida dos paquetes brasileiros e euro-
peus, tabella dos impostos geraes, provinciaei. e mumcipaes, re-
gulamentos de incendios, e entrudo, e algumas pinturas munici-
paes, artigossobre agricultura, economas, modo de fabricar gelo,
prognostico do fim do mundo, collecSo de remedios, a ris. 320
Dita religiosa, contendo todas as materias das de porta, e mais tabellas do
nascimento.e ocaso do sol, das mares, casa efamilia imperial,
nomes e ttulos dos chefes dos principaes estados do mundo, ta-
bella da arrecadacSo do sello, dita do porte das cartas, partida dos
paquetes brazileiros e europeus, tabella dos impostos geraes, pro-
vinciaes, e municipaes, regulamentos de incendios, e entrudo, e al-
gumas posturas municipaes, trezenario e mais oracoesde S. Fran-
cisco de Paula, colleccao de orac,<3es*"para todos os estados da vida,
e novena da Sen hora Sant'Anna, a ris........ 320
Acha-seno prelo o almanak civil, ecclesiastico, administrativo, agrico-
la, commercial e industrial, oqual sahira' no fim do mez de dezembro, nao po-
dendo ser antes pelas mudancas.
Superior rep de Lisboa em
frascos.
Vende-se superior rap priaceza -Brasil em
frascos, chegado no mimo vapor francez Eitre-
rnodure, na loja da boa-f, roa do Queimado
n. 22.
S 4 ra do Queimado
S numero (0.
tt Loja de 4 portas
2 DE
Ferro (G Maia.
s
E'chegado um completo sortimento
das saguioies fazendas, o mais moderno
que tem apparecido no mercado :
Chapeos pretos para homem.
Ditos de palha para senhora.
Diloa de pellica para meoinos e meninas.
Borzeguius para homem e senhpra por
menos prego de que em outra qual-
quer parte.
Riquissimas capinhas de groscenaples
preto bordados para senhora.
Ditas de caxemira dita.
Casaveques brancos bordados.
Slatos dourados do ultimo gosto
Eoleites de reros e missanga.
Baldes de daas saias o mal riti que
tem apparecido.

Grande liquidacp da
Arara.
PARA ACABAR
Vende-se pegas de madapolo fino entestado a
39, corles de casemira preta a 3JJ, ditosT fluos de
cores a 4|500. cortea de fustio a IS'43, tapete
para forrar salas a 600 rs. o covado, OloT de linho
braoco e de cores a 200 rs. o covado, lisrtatana
d9 corea e brancas a 800 rs. a vara, rfcos cor-
tes d cambraia brancos e de corea delbabados
a 2J800 e 3. ditos de larlattna de 3. 4 e| 5 baba-
dos a 3J500, ditos enfesiaios com entra Uncios a
6$, caasaa a turca para vestidos a 240, 280 e 320
rs. o covado. ditas garibaldioas a 360 rs. [o cova-
do, lia de quadrinhus para vestidos a 280, dita
chineza entestada a 4u0 rs. o covado, saia balao
de nova invencao de 14 e 30 arcos a 385f0 e 4g,
ditas de madapolo a 3$, saias de eordo que faz
vez de balo a 2g400 : na loja da ra dal Imoe-
ratriz, da Arara, de 4 portas n. 56, de MaWalbaes
& Hende*.
Fabrica do Nooteiro.
Crystalisacao e refinaco
Attenco.
Veude-se confronte o porlao da fortaleza das
Cinco Pontas oseguiote : carrocas para bol, di-
tas para cavallos para agua, carrioho para traba-
Ihar na alfandega, ditos de mo, rodas para car-
rocas e cirriohos, eizos, torradores de caf com
fogao, boceas de forno, baodeiras, ferros de voL;
tas de todas as qualidaJet, dobradicas de chum-
bar de todos o* lmannos, echaduras de ferroltio,
ferrolho de chapas, ferro de embutir de lodos os
lmannos, e porlao de ferro.
As verdaderas lavas de
Jouvb.
Acabara de chegar pelo ultimo vapor para a
loja d'aguia branca, na ra do Queimado d. 16,
sendo de todas as cores.
|Loja
das 6 por-5
tas em frente do Li-
vramento.
Roupa feita muito barata.
Paletots de panno fino sobrecaaacos,
ditos da casemira de cor de fustio, diloa s
de bro de cores e brancos, ditos de T
ganga, caigas de casemira pretas e de w
cores, de brim braneo e de coras, degsn- A
ga, camisas com peito de linho muito a
finas, ditas de algodao, chapeos de aol
de alpaca a 49 cada um. A
de assucar.
Deposito na roa de Apollo n. 6, e praca
da Boa-Visto n. 26.
Este importante estabelecimeoto contina si
fornecer aos seus innmeros treguezes do alvo e
puro assucar crystaliaado, em po e em pies, 1.a
e 2.* quali lades, pelo prego de 160 e 20J rs. a
libra, e do refinado a ICO, 120 e 140a libra, sen-
do que em grosso o comprador teri um descont
favoravel. Nos mesmos depsitos tambera se
vende mol de assucar a 600 rs. a caada, e car-
vio animal eos p a prego commodo.
Tiras I
hordadas em ambos s
lados.

Vendem-se tiras de cambraia bordadas em
os oos lados, que pela largura bem se pode
am-
>ar-
lir a meio, pin satas e
cusa cada lira 1*200 : ni
oguia branca o. 16.
outras muilas coi sas.
ra do Queimado,
loja
de
oel
Sin-
Potassa americana,
Vaode-se potassa americana muito nova i
superior qualidade: no escriptorio de Mar
Ignacio deOlireira & Pilho, largo do Gorpo
'CHAPEOS AGARIBALOl-
Ra da Cadeia do Recife, loic
n*. 50, de Cuiiha A Silva.
Os mais moderos cbapeoa a Garibaldi e chi-
Jues, de palioba e feltro, mui lindos, e se v
em pelo barato preco de 10 e ltS.
Paletots a Garibaldi.
Paletots de sala a moda Garibaldi, imitando'
mais fioissimo brim trancado de cores, muito p
prios pan os bailes, fastas e passeios campeslr
peto dimiouto preco de 10.
Chapeos baratos.
Chspelioas de seda para senhora, pelo bara
simo preco de 8$, chapeos de seda e de muri
bem entallados, para meninos e baptizada a 6
7, ditos de palha e seda para seohora a tOJ, d
tos de seda de corea, copa baia, para homem
tj. ditos de casemira de corea, pelo diminu
preco de I#600. Chapeos de castor baaoco sen
pello, bonitas formas a 12J, boaets francezes d
panno para manios a S&500e3f. .
Guardanapos toalhas.
Duzia de guardanapos para mesa a t| e 2(400
toalhas para mesa da li4, ii2 el varas a 1*000
ltfOOe**.
Vestuarios para menmcn,
de fustio, eofeitidos, a 88, baldea para senhora
a 39500, aooilos vestidos de |fauteaia pelo bara-
to preco de l'2f, atoalhado de linho adamascado
com 8 palmos H largura a 2J210 a vara, mantas
de filo braoco, anleles, taquee de diveraaa
qualUade, odiaras, maoguitos, sedas de qua-
drinhos, outras Dallas fazeodas que aa van-
dea por barato preco na referida loja cima.
Ivvia da Senzalla Nova n. 42.
Neste estabelecitnento vende-se: ta-
chas de ferro coalo libra 110 rs. idem
de Low Moor libra a 120 rs.
Urna barcada.
Vende-se urna bsreaca do porte de 35 caiiss,
encalhada no estaleiro do niestre carpinteiro Ja-
cintho Elesbio, ao p da fortaleza das Cinco Pon-
as, sonde pode ser vista o examinada pelos pre-
teudeotea ; vende-se a prazo ou diobeiro ; a
tratar com Hanoel Alves Guerra, na ra do Tra-
piche n. 14.
Liquidago da Arara.
para a festa.
Vende-se cortes de chitas Boas com 13 cova-
doa a 29500, ditos de riscado chines a 89500, ditos
de chitaa ingUzas a 19500. ditos de riscado a ga-
ribaldi a 2800, pecas de cassa adamascadas pa-
ra cortinados com 20 varas a 9g, ditas de 10 va-
ras a 49500 e 89, pegas de cambraia de salpico
com 8 1|2 varas a 49 e 4*500, pecas de cambraia
brancas a I96OO, ditas finas a 3$ e 39500. chales
de l a tl.diloa de li e se ia a I98OO e 2*500,ditos
de merino estampados a Sf500. ditoa de ponta
redonda a 69, diloa de croxe a 7$. chitas a 160 e
180 rs. o covado, ditas francezss a 220, 240 e
280 rs.: na ra da Imperairiz loja da Arara de
portas n 56, de lagalbies & Hendes.
Esperance.
Receben de sos encommenda pulcai- w
?g? ras de cabello que veode por 109 o par, A
A braceletes de mosaicos a 69 cada um gs
agulhas victoria a 120 rs. o papel, pen- 2
tes de tartaruga a 8, 10 e 12J. precoa A
$g porque ninguem pode vender (boa fa- flt
& zenda) estes artigos nio se encontra em I
[ loja uenhuma porissovioa ruadoQuei- w
O mado o. 33 A, loja da Esperaoca. ^
AEsperaugareduz a exprs-A
sao mais simples.
J (A' D1NHEIRO.) A
^ Todos os artigos que estio na loja A
^ss muito baraloquem quizer vi comprar e *
2 8ri : rus do Queimado n. 33 A, Guima-
raes & Rocha. A
<%>
SABAO.
Joaqaim Francisco de Helio Santos avlaa aos
auifragueiesdeita praga e osdefra.qae tem
axposto i venda sabio da sua fabricad euomnada
Recifenoirmazem dosSrs. Travassos Janior
& C, na roa do Amorim a .58; maaaa amarella,
castanha, preta a outras qualidadaa por menor
praco que de outraafabricaa. No maamo arma-
bem tem feito osea deposito da velas da carnaa-
zasimpiessem mistara alguma, como as da
compoaicio.
Lindas flores.
Na loja d'aguia de ouro, ra doGabugi a, 1 B,
receberam de aua propria encommenda um com-
pleto sortimento de flores, o mala fioo que pos-
sivel eucontrar.proprias paraeofeites decabecaou
vestido, cousa asalto chique, qee se vende por
preco que admira, sendo a 800 a 19 o cacho.
0 Pavao.
Vende-se calcinitas bordadas para meninas a
19, luvas da seda Unto para senhora como para
homem fazenda em perfeito eatado a 500 rs. o
par, tintos de todas as qaalidades para aeohoraa
a meninas a salaa bordadas com muito gosto:
oa ra da Imparairiz o. 60, loja do Gaasa &
Silva.
Urna boa escrva.
m segundo.
Na roa do Queimado n. 55, loja de miudezas
do Jos de Azevedo liaia e Silva, esti vendando
todo multo barato para apurar dinhelro, pola o
que presentemente mais precisa.
Groia de pennaa de ac de diversos mo-
delloaa................................ 500
Caiiss com aaulhaa frsneezas a.......... 120
C*ixas com alfinetea a.................. 60
Caixas com apparelhoa para meninos.... 240
Ditas com dito para grandea a.......... 500
Baralbos portuguezesa............120 o 200
Groja de boldes de osso para calca, pa-
queos, a.............................. 120
Tesouraa para uoha muito finas a...... 400
Ditas para costura a.................... 400
Baralhoa francezea muito finos a........ 320
Agulheiros oom agulbaa a.............. 80
Canivetea de 1 folha muito finos a 80 a 160
Pecas de tranca de lia com 10 varaa a.. 200
Pegas de frsnja de lia com 10 varaa a.. 800
Pares de sapaioa de tranca a............ 19280
Carlas de alfioeles frsncezes a.......... 100
Escovas para limpar denles a 200 o.... 400
Msssos com grampos muito fios a.... 40
Cartees com clcheles com algum de-
feito a............................... 20
Ditos de ditos de superior qualidade a 40
Didaesde ac para seohora a............ 100
Rialejos com duas vozes a.............. 100
Ditos com 4 vozes a.................... 200
Eofldores para vestidos, sendo muito
grandes a.............................. 80
Caixas com clchales frsncezes a........ 40
Carias de alfinetes para armacio a...... 80
Charutetraa muito finas a................ I9OOO
Tinteiros de vidro com tinta a.......... 160
Ditos de barro com tintasuperior a.... 120
Ar6a preta muito fins, libra............ 120
se ni segundo.
Ra do Queimado n. 55, defroote do sobrado
novo, esti disposto a vender ludo por precoa que
a todos admiram, aasim comoseja :
Frascos com agua de Lavande muito su-
, perior e grandes a.................... 800
Duzia de sabonetes muito finos a...... 500
Sabooetea muito linos a................ 160
Ditos dilos muito grandea a............ 200
Frascos coin'cheiro muito fios a..;... 500
Garrafas codVegvia celeste superior a.. I9OOO
Frascos com baeha muito fina a........ 240
Ditos com dita de urso a................ 600
Frascos de oleo de babosa a............ 240
Dilos de dito muito finos a 320 a...... 500
Ditos com banha transparente a........ 900
Ditos com superior agua de colonia a... 400
Ditos ditos frascos grandes a............ 60O
Ditos de macar e oe oleo a............ 100
Lioba branca do gaz a 10 ra. tres por
dous o a.............................. 20
Licha em cartio de Pedro V com 200
jdas a .............................. 60
Dita com 50 jardas a.................... 20
Duzia de meias cruas muito encordadas a 29400
Dita de ditsa muito superiores a........ 49500
Ditas de ditas braocaa para senhora a.... 3J000
Bicos da largura de 3 dedos, vara a..... 120
Groza de botes ce louca a.............. 160
Carrileis de linha com 100 jardas a..... 30
Duzia de phosphoros do gaz a........... 240
Dita de ditos de vela muito superiores a 240
Pe^as de Ota para cs de todas as larguras 320
Franjas de linho psra toalhas (vara).... 80
Bicos daa llhas por todo o prego, por pedido
que techo do fabricante para acabar, a por isso
nao se olha o que custou, o sim o quo d.
Novidade no tor-
radorf
23 Largo do Terco 23.
Queijos flameogos muito Irescaes, chegados
oesle ultimo vapor a 39, manteina franceza a 720
e 640, manteiga ingleza flor a 900 e 800 rs., em
porcao se fsrii a bat oanlo, assim como ae torr-aSSi
outros muitos gneros pertencenlea a molhadoa,
assim comoa<>jam,ear, primeira e segunda sor-
te, arroz, velas de esperncete e carnauba, azei-
te doce e vinagre, e viuhos, se vendem por me-
nos do que em outra qualquer parte a dinheiro
vista.
Chapeos de palha.
O mais lindo sortimento de chapeos de palha
das formas as mais modernas de Paris, para se-
ohoras e meuinas, ricos sintos ultima moda, di-
tos com laajos bordados : na ra do Crespo n. 4,
casa de J. Falque.
Liquidaco
de fazendas modernas para
senhora.
Vendem-se ricos enfeites a turca psra cabeca
a 29500 38. e 3jj500, ditos muito fios a Garibaldi
a 5J e 59500, ricos cintos a 29500, ditos doura-
dos a 3g, goliohas a 500 rs. dilss com boidaiohos
a 640 rs.. manguitos a 720 rs., camislohaa para
senhoras a 38. dilaa bordadas a 49, manguitos e
gollas de linho a 25500 e 38.
Importante
Aviso
Na loja de;4 portas da ra do Queimado n. 39
acha-se um grande armazem com todo o arli-
manlode roupaa feitas, paracujo fim tem mon-
tado urna officina de alfaiate, estando enearrega-
do della um perfeito mestre rindo de Lisboa pa-
ra desempenhar toda e qualquer obra que se' Ih-
encommende; por isso que faz um convite espa-
cial a todaa as pessoaa com especialidade aos
Illms, Srs. officiaes tanto da armada como do
exercito.
Faz-so fardas, farddea com superiores preparos
e muilo bem feitas, tambem trata-so fazer o ar-
dameolo todo completo conforma aa uaa no Rio
de Janeiro, tanto que tem oa figurinoa que da
li vieram ; alm disso faz-se maia casaquiobaa
para montarla, frdelas ou jaquetas, bem como
eolletea a militar para os Srs. sjudantea da asta-
do maior e de cavallaria, quer seja algalos oa
bordados a espequilha de ouro ou prals, ludo ao
gosto da Europa, tambem prepara-se becas para
desembargadorea a do qualquer juiz aegundo o
estylode Coimbra sndese fazem as imelhores
conhecidas at hojo, assim fiome-fem muito ricos
desenos a matizlo todaa aa corea .pfoprioa para
fardamanto-dn pagana ou criados do libr quo ao
fari pelo gosto francesa. Na mesma caaa en-
carrega-sa de lazar para meoinos jaquetas a
Iranceza bordadas ao raeemo gosto. Afllaacaodo
qua por tudo ae flea respoosavet corno aoja baaa
fazendas, bem feito o bom corte, nao aa (alta no
Urna pessoa que se retira para fora desla pro-'dia que sa promanar, segundo o sjstema d'ende
Liquidaco.
Ra do Queimado n. 10, loja
de 4 portas.
Vende-se panM ftde, preto, azul a cor de
caf, corado 39.
Osemirs preta superior qualidade corado
19600 e 19800.
Cha lea de touquim para acabar a 10,15,20.
30 e 409
Superiores cortea de seda o maia moderno quo
tem viodo ao mercado a 90, 100 e 1209.
Sediobaa de quadrinhaa e flores, superior fa-
zenda e moderno gosto, covado. 800. la o 19400.
Chaly, superior fazenda, covado, 500 rs.
Mimo do co, fazenda para veatido de asnhora,
ovado 500 ra.
Talmaa o manteletes pretas a 18, 20 e 259.
Superiores vestidos trancos bordados a 20. 25
e309-
Cassaa fraocezaa finas, covado, 240 rs.
. Corles de casase de aalpicos, um 39 e 38500.
Corles de seda preta a 251, 30, 35 o 409.
Lencos de seda a 600 e 800 ra.
Lia de qusdroa para veatido de senhora a rou-
pa de meoinoa, covado 240 rs.
Grosdenaple prelo, covado 19280.
Chales de merino bordados a 4|.
Chitas frsneezas escuras, covado 240 rs.
Meias de algodao cr para homem a 49.
Cortes de velludo para collele s 3|500 o 49000
Paletots de brim a 3 e 49
Chapeos de sol do seda para senhora o meni-
nas a 3 e 48.
Leques para senhora o meninas a 3 e 49.
Esparlilbos psra aennora e meninas a 3 e 49.
Chspeos da pellica para meninos e meninas.
Chapeos de palha para seohora.
Cbapelioas de seda para senhora a 8 e IOS.
Camisas abertas de renda para senhora a 29 e
3S00O.
Grosdenaple amarello com um pequeo toque
de mofo, covado 600 e 700 rs.
Paletoi, caifa e collele de casemira, pelo bara-
issimo prego de 259
Ceroulas escocezas, urna 19200.
Cortes de barege com duas saias a 8 o 109.
Cortes de seda escoceza, superior fazenda, com
13 e 15 covados cada um a 109.
Camisas inglezas com peilos de linho e com nm
queoo mofo, duzia 258-
Paletots de alpaca, um 93.
Cortea de casemira um 39500;
Chales de lia o seda, superior fazeona, a 29500
Lencos de cambraia de linho bordados com Pi-
co, a 39, 5, 6 e 89.
Dilos de dita para homem, duzia, 69, 8, 10, .12
o 149.
Setim preto maco o melhor que tem appare-
cido. covado 39.
Chapeos deso de seda psra homem um 69.
Ditos dito de dita inglesa para homem, um 99,
10 e 129.
Bales para senhora, um, 3 o 49.
Panno de linho do Porto com 12 palmos do lar-
gura para leoces, vara a 39200 e 39400.
Lencos de cambraia bordados com bico, duzia
attNO.
Golliohas de cambraia bordadas, ums 320 rs.
Manguitos de dita ditas, um 19-
Camisas psra meoinoa, duzia 159*
Fil de linho bordado, vara I92O.
Dito de dito liso, vara I96OO.
Cortes de brim de linho, um 19600.
Largo da Assemula
numer 13.
Ha contiDusmeote neste estabelecimeoto aa
seguintes fazendas para vender, por menos pre-
co que em outra qualquer parle.
Cera de carnauba da nova safra e primeira qua-
lidade.
Cebo do Porto em pao e velas.
Sola ou vaquetas de differentes qualidades.
Courinhos curtidos.
Farinha de mandioca muito nova, qualidade
igual a de Muiibeca, milho novo, ssceos muilo
grand^.
ranileiro e vidraceiro.
Grande e nova officina.
Tres portas.
31Ra Direita31.
Neste rico e bem montado estabelecimeoto en-
contrarlo oa freguezes o maia perfeito, bem aca-
bado e barato no seu genero.
URNAS de lodaa aa qualidades.
SANTUARIOS que rivalisam com o Jacaranda.
HaNHEIRus de lodoa oa lmannos.
SEMICUP1AS idem idem.
BALDES idem idem.
BACAS idem dem.
BAHUS idem idem.
FOLHA em caixas de todaa as grossuraa.
PRATOS imitando em perfei;io a boa porcel-
\ laoa.
CHALE IRAS de todas as qualidades.
PANELLAS idem idem.
COCOS. CANDIEIROS e flandres para qual-
quer sortimento.
V1DROS em caitas e a retalho de todos oa ta-
maodando\se maohos, botar dentro da cidade,
em toda a parte.
Recebem-se encommendas de qualquer natu-
reza, coocertos, que tudo seri desempenhado a
contento. \ *
Loja das 6 por-
tas em frente do
Livramento.
Chapeos de sol de alpaca a 4j.
Duzia de meiaacruaa para homem a
19200 e o par a 120 ra., ditas brancaa
muito finas a 28500 a duzia, lencoa de
caasa com barra de cores a 120 ra. cada
um, ditos brancosa 160 rs., baldes do
20 e 30 arcos a 38, liazinha para ves-
tidos a 240 o covado, chales de merino
estampados finos a 59 o 69, tarlatana
branca e de corea muito fina com vara
emeia de largura a 480 rs. o covado,
fil da linho liso a 640 rs. a vara, pe-
cas de cambraia lisa fina a 39, caasaa
do cores para vestidos a 200 ra. o co-
vado, mussulina encarnada a 320 rs. o
covado, calcinitas para menina de escola
a 18 o par, gravalinbas de tranca a 160
rs., petos para camisa a 200 ra. cada
um dusia 29, pegas de cambraia de sal-
pico muito fina a 39500, pecas de bre-
tanha de rolo a 29, chitas francezaa a
220 e 240 rs. o covado, a loja esti
aberla das6 horas da manhia aa 9 da
noite.
I
vincia, vende urna eseriva multo moca qua abe
lavar e coziohar, engomma alguma cousa o fsz
todo servido de urna caaa, nio tendo nenhum de-
feto : quena pretender, difija-se ao pateo do Pa-
vaio 0 mealra. pola capara a honrosa visita dos
dignos senhores visto qae nada perdem m as-
par! asentar.
Na loja d'aguia de ouro. ra do Cabog n. 1 B,
raizo n. 16, entrada pola ra da S. Francesco, recebeu um completo sortimento da gollinbas d
defronte do a. 30, qne achara com quem tratar, missanga, sendo de todas iscores
i___
Novidades, o que a festa.
Vende-se gorgurio da seda e linho, fazenda
nova pare vestidoa a 320 o covado, fustio de li-
nho para paletota e toupa de meoinoa a 820 o
covado, enfeites para seohora, e cintos do ulti-
mo gosto : na ra da Imperelrii, loja da arara
de 4 portaa n. 56, de lagathies & Mandes.
Cal de Lisboa
Veode-se hJrr( Com cal nova do Lisboa cha-
fada hootero, no muito acreditado deposito da
ra do Brum o. 66, armszem da David Ferrelra
aqBtar.
i Veode-se a casa terrea n. 47 da esquina da
ra 4a Conceicio o ra do Rosario da Boa-Vista,
muito boa localidade para morada; dirija ec a
ra do Cabugi n. 9.
Vende se um bom escrivo crioulo com ida-
de de 25 anoos, e de muito boa conducta : na
ra da Pahua n. 41, aobrado.
Vendase um carro da 4 rodas com 4 assen-
tos, recantemente chegado, o sem uso algum,
com lodos os arreios para um e dous cavallos:
na ra de Apollo n. SO, primelro andar.
Asteas de acopara
baldes de se-
nhora. I
Vende-ea a 160 e 200 rs. a vara : na ra do
Queimado loja de mladezaa da boa fama n. 39.
Luvas de pellica de
Jouvin.
Vende-se as verdadeiraa luvas de pellica de
Jouvin para bomem e senhora a 29500 o par: na
ra do Queimado loja do miudezas da boa fama
n. 35.
Cintos do ultimo gosto.
Vende-so cintos dourados o de palha o mais
bello que possivel encootrar-se, pelo barstissi-
mo preco de 39 cada um, ditoa de fila de muito
lindos goatoa a 28 ; tambem so veode flvellas
muilo lindas e de muilas qualidades proprias ni-
camente pera cinloa a 29 ; na ra do Queimado
loja de miudezas da boa fama n. 35.
Enfeites para cabega
Vende-ae os mais moderos enfeites que tem
,0do ne8le mercaao do mnilas qualidades a
7 *8j.000csda um, ditos pretos com vidriho s
18500: oa ra do Queimado loja de miudezas da
boa fama n. 35.
Loa muito fina para
bordar
Veode-se a 89 a libra : na ra do Queimado
loja de miudezas da boa fama n.35.
Capellas e ramos para casa-
mentos e bailes.
Veode-se muissimo finas o ricas capellas
brancas para noivas, com o competente ramo para
o peito. pelo baratissimo preco de 10 e 129, ra-
mos de flores muilo finas e de muito lindas co-
res a 39. ditos mais inferiores pouca couaa a 19,
19500 e 29: na ra do Queimado loja de miude-
zas da boa fama n. 35.
Luvas de diversas quali-
dades
Vende-se muito superiores luvas de camurca
para homens a 29 o par. ditas de fio de escossia
brancas e de cores a 800 rs., ditas de aeda en-
feitadas para seohora a 28, ditaa de torsal pretaa
a 19 : na ra do Queimado loja de miudezas da
boa fama n. 35.
Chicotes de gosto e multo
iones.
Vende-se muito booitos chicotes de baleia com
casles de marfim e de metal para homens e se-
oboraa a 4 e 59 ca la um, ditoa de estallo tambem
muilo bons a 39, ditos de junco porm muito bem
acabadoa a i g : na ra do Queimado loja de miu-
dezas da boa fama n. 35.
GaYmz.es para seuAvorai t
meninas.
Vende-se pelo baratissimo o admiravel preco
de 3 e 49 cada um, e afflanca-se que quem os vir
nao deixari de comprar, lio bonitos o uleis sao
ellea : na ra do Queimado, na loja de miudezas
do boa fama n. 35.
Tinta bem coohecida e acre-
ditada para escrever.
Vende-so cada frasco a 500 rs o dos grandes
a 800 rs.; esta tinta azul na occaaiao em que
ae escreve o por muito pouco lempo flea preta o
bem preta, havendo a vaolagem de servir para
copiar cartas : na rus do Queimado loja de miu-
dezas da boa fama o. 35.
Gneros para a festa.
Manteiga franceza a 640 rs. a libra, dita ingle-
za a 800 rs., toucinho a 320 rs.. arroz a 100 rs.,
cha a 29560. baistas a 60 rs., sabio maaaa a 200
rs., dito amarello a 160 ra., maesrrio, talharim
e aletria a 500 rs., ervilhaea 120'rs., caf a 200,
240 e 280 ra., painco a 16U rs., alpisia a 180 e
2U0 rs., velas de carnauba a 400 rs., dilaa de es-
perncele a 760 rs. vinbo do Porto engarrafado
a 800 rs azeite de carrapato a 400 rs., dito de
coco a 440 rs., queijos a 29500. bsoba a 480 rs.
a libra, arroz de cosca a 396OO o sacco, espirito
de vinho a I97OO a caada, agurdente de cana
a 200 rs. j engarrafada : na travessa do pateo
do Paraizo n. 16, frente amarella taberna da 4
portas.
Novos candieiros para gaz
Um grande sortimento de candieiros
para gaz, desde o mais barato at o
mais rico que tem vindo a este mercado:
na ra da Senzala Nova n. 42.
Presunto para
fiambre a 560 rs.
a libra,
Vende-se no armazem do
Progresso no largo da Penha
n 8.
Libras sterlioas.
Vende-se no escriptorio de Hanoel Ignacio da
Oliveirae Filho largo do CorpoSanto.
Pannos finos
a 2,000 rs
Vende-se psnno preto o cor de caf a 29 o co-
vado : na ra dalmperatrtz n. 60, loja do pavio.
Cera de carnauba de pri-
meira qualidade.
Veode-se em porcio e a retalho de orna saces
psra cima, e por commodo prego: na ra da Ma-
dre da Dos confronte abotica n. 30.
Injecco Brow
Remedio nfallivel contra as gnor-
rheas antigs e recentes. nico depo-
sito na botica franceza ra da Cruz n.
22. Preco 3*
Manual de contas
feitas
para eompra e veo da de assucar o outros objectos
obra muito til a lodoa oa negoeiantea a aoa se-
nhores de engenbns; pola com um lanca do vis-
ta podem aaber o importe do qoaeaquer quanli-
dada de arrobaa a libraa ; veode-se Da livraria
econmica ao p do arco do Saoto Antonio, 1 vo-
lume eocadernado pelo prego de 59.
Novidade sem igual na
leja do Pavao
Acaba d chegar a osle estabelecimeoto um va-
riado sortimento ce organdys, proprios para ves-
tidos seado os sjoslos ltimamente novos, a aa
vendem a 720 ria o covado por estar muito pro-
sima a feata, aasim como vendem-ae oa mais
ricos o modernos ofeites para cabeca de seabo-
raa: aa roa da Imperatriz o. 60 loja da Gama &
Silva.
Calcado
45 Ra Direita 45
Ougam!.. Ougam!.
.. ila* 'D.flIspeDM,e' o hornos dvilisado
sem cootredicao o spala | E' elle o aecessa-
rto como o pi ao estomago. Totora um
chapeo jaca ; urna casaca de ajuaiar la boa do ;
do e roldo, s botina sem lustre o j descosida
urna indecencia um inaullo ao orsjio visual de
um christao. E por lio gravea consideracoes
que o proprietano Oeste eatabeledn rolo,
acabando de receber om magnifico sortimento.
o5i;.h ""i JregU?IM ** novar
2.u2^ lbo> Ti,l MUr Proia a festa;
Homem.
M1LIES (chagro privilegiado) frascos co-
u do Prata. ...... 1490OO
BKZEGUiNSJnleiricos (Roctblld) 99500
diversoa fabricantee. 8*000
...** a ,O,re P*hi"cha. ... 5J500
sapatoes de Nantes, vaquea de lustre
Dilos Nantes batera...... Jboo
* 59000
ingieres........ 43500
Nantes meninos..... 39500
* lustro (sola a viri..... 59200
* a*. ama ,0,,J.....89OOO
de tranca portuguesa. SfOOO
franceza. ; I950O
Senhoras
BOTlNAS.'gaapa alta o laco ingleses de
dora co iocalculavel. 61000
francesas (laco).....t 5J500
de menina (Joly)..... 43500
tesa laco. ....... 5|ooo
gaapa baia....... 41*00
ooiros (32, 33 e 34). : 4J500
Sapatos (Joly) com salto. '. 3E0O
( ) sem salto...... ajooo
tapete. "onn
lustre (M. 33, 34)! '. .' .* '. 800
AUm f0D0"ieM P" *. ... 500
.nif a dl.M0uni """o sbundsnte sorti-
mento de tudo o q.e necessario a sapateiro pa-
ra ezecutar qualquer obra. 'K
Na loja doVapov
Roa Nova n, V.
acha-ae barato grande aortimento de calcado ran-
om r0"P* e" e berfBin>riM lt
Trocam-se
charutos por dinheiro.
Na loja d'aguia branca troca-se urna eaixinha
de bons cbarutoa suspiros por 29500 : os spre-
ciadoreada boa fumaca dirijam-se a dita loja da
aguia branca, ra do Queimado n. 16.
Atten^o.
Chegou na ra do Queimado n. 39, loja do 4
portas melpomeoe imperial com 6 palmos de lar-
gura a 296OO o covado, o maia moderno o apura-
do gosto que se pode encontrar para vestidos do
senboras o meoinaa.
Casemira a 3#500.
Veode-se caaemira enfeatada para calcas o pa-
letots a 39500 o corte de calca, 00 a 29 o covado:
na ra da Imperatriz n. 60, loja do pavio.
Na roa da Paz, coebeira n. 44, ha para ven-
der-se una linda parelha de cavallos caatanhoa
rozilhos, ji onsinada, o all se dir quem a vendo
REMEDIO INCOMPARAVEL
N6UBNTO hulloSay
Hilharos de individuos do todas as nacoss
podem testemunhar as virtudes desteremedio
incomparaveleprovaremcaso necessario, que,
polo uso que delle fiseram tem sanrpoa
membrosi n tetramente saos depois de ha ver em-
pregado intilmente ontroatraumentos. Cada
pessoa poder-so-ha convencer dessas curas ms-
rsvilhosas pola Tortura dos peridicos, qnelh'aa
relatam todos os dias ha muitos snnos; a
maior parte dolas sao tao sor prndenlos quo
admiram os medios mais eolebres. Quantas
pessoa s recobra raro com esto soberano remedio'
o uso do seus brajos o pernos, depoia ddur
permanecido longo lempo nos hospiues, o laV
deviam soffrer a amputadlo I Dallas ha mui-
easqueaavendodeixadoesses, asylos depada-
timentos, para se nao submeterem a essa opa-
rajao dolorosa foram curadas completamente,
mediante o uso desseprecioso remedio. Al-
gamas dss taes pessos na enfusao de seu reco-
nhecimento declararam estes resultados benfi-
cos disn te do lord eorregedor e ou iros magis-
trados, afimda mais autenticaren) sua afirma-
tiva.
Ninguem desesperara do estado desande aa
tivesse bastante confianza para encinar este re*
medio constantementeseguindo algum tempo o
trata ment que necesitases a naturaza do mal,
eujo resaludo seria provar incontesuvalmante.
-Que todo cura.
O ungento he a til, mais partleo-
lurmente nos swamlntea eastoa.
Alporcas
Csimbras
Callos.
Ancores.
Cortaduras
Dores de cabeja
das costas.
dos membros.
Enfermidsdes da eutis
em geral.
Ditas da anus.
Erup$des escorbticas.
Fistulss no abdomen.
Frialdade ou fslta de
calor as ex tremida
dea.
Frieiras.
Gengivas escaldadas.
Inchaces.
Inflammacao do ligado.
Inlammaco da|bexga
da matriz
Lepra.
Males dss peritas.
ios paitos. -
de olbos.
Mordeduras de replis.
Picadura de mosquitos.
Pulmoes.
Quoimsdelas.
Sarna.
Supurares ptridas.
Tinba, em qualquer
parte que seja.
Treibbr de ervos.
Ulceras na bocea.
do ligado.
das articulares;
Veiaa torcidas oa na-
das as pamas.
Vende-se asta ungento no esubelecimento
geral de Londres n. 444, aStrand, e na loja
de todos os boticarios droguista a outras pes-
soas encarregadas da aaa Tanda am toda a
America do sul, Havaaa a Heapanha.
Vende-se a 800 rs cads boeetioha contm
urna instrueoao em poruzguas para explicar o
modo de fazer nao deste ungento.
O deposito geral 4 em casa do Sr. Sonm,
pharmaceutico, na ra de Crux n. 32, am
rernambueo.
Manteiga ingleza flor a 800 rsu
a libra,
franceza a 640, toocinho a 390, ervilhas a 100
ra., figos em cestinhas pequeas proprias para
dar da mimo a arralos a 100 rs. : na roa daa
Cruzes o. 14, esquina da travesando Ouvidor.
Potassa daftossia e cal de
Lisboa.
No boa coaaaalee acreditado depositada raa
da Gadeia do Recife n. 11, ha para rondar a ver-
dadera potasa* da lasela, nova o da superior
qaaiidada, assim como tambem asi virgta am
padre ; tudo par presos mais baratos la ala asi
oatraqualqueiparte.

J* _
*r-
T-V


UftlO DA fERAMJCO SAMDU 18 al DElEMBlo 01 lili.
mar
i
Fazenda modern na par
vestidos* na >avo
Acaba de chegar a este estabeletlmento pelp
yapor francs linio aorflineot fe gorgaraai
de aela, fazenda ainda nao vteia oeste mareada,
que ie4e-Mt\ftr$ bsratlsaimo, per star
muWo afasia*) i lasta. assim cobo liadas marK
quezinhas ou chapeozinhos da aol para aenhora :
na ra da Isaperauit a. 60, loj de Gama i i
Silva.
Veode-se ama poreao da arrot eem emi
multo barata, am pareaos grandes e pequenai,
chegaao orozimameole de Panado : na ra DI
reita a. 9. padaria de Aolooio Airea de Miran
da Gulmeraes,
Esponjas finas
para o rosto.
Veade-sa mal finas esponjas para reste, a t
cada urna : na ra do Queimado, loja d'agul
branca o. 1S.
Leite virginal
nfallivel remedio para
sardas e panos.
leite irglaal j bem connecido como rem
dio infallivel para sardas e pannos, vende-se
S| ri. o frasco na mi do Queimado, loja d'agui
branca o. 16.
N. O.Bieber & C. succesiorei.rna daCra i
n. 4, tem para vender reloglos para algibeifa d i
onro e prata.
Touquinbas de setim, sa-
patinhos de dito bor-
dados, e meias de seda
para baptisadoi.
Aloja d'aguia brauca acaba de despachar dd
saa prooria encommenda, um bello aortimento
doi objectoa cima, e de muilo boos gostos, sen?
do is touijuiohaa de setim mui bem enfeitadas
de fitas e dures a 69OOO. indo cada urna em sua
caiziuha, aapaliDhos de setim braoco muito ber
bordados a 3f ra-, e meias de superior qualidad
tanto brancas como cOr de carne e pioladas a T
rs. o par: quem munido de diobeiro dirigir-ie
ra do Queimado, loja d'aguia branca o. 16, na
deixar de comprar.
Gassas garibaldi-
nas na loja do
ntremelos
bordados em cambraia
transparente.
Na loja d'aguia branca se echa um bello lorli-
mento de ntremelos bordados em fina csmbrais
transparente, e eomo de seu costume esta Ten-
deado bartentele a l|iOO peta de 8 viras,
tendo quanlidade bastante de cada ptdrao, para
vestidos ; e quem titer dlnheiro i approveitar a
occaaiao, e manda-Ios comprar na ra do Quei-
mado, loja d'aguia bread n. 16.
Esperanca. S
Ra do Queimado n 33 A.2
3
Pavao.
Vendem-se finissimas casias garibaldioas sen-
do estas cassss as mala modernas que tem che-j
gado a 360 rs. o rotado : na rea da lmperatriz
n. 60, loja de Gama & Silva.
Peanas galvanisadas.
A loja d'aguia braoea recebeu essss pennas
galvanisadas, de novissima e mui boa qualidade,
e as est vendendo a 29000 a csitlnha eom urna
groza. As primeiraa deesas pennas forsm offe-
reciJas I Garibaldi, e por iaao iraiem o seu re-
tracto, e as referidas caitas se encentra o dis-
ticopeonas Garibaldi.
S6 se encontrara na roa do Queimado, loja
d'agaia branca a. 10.
Recebeu directamente e a seu pedido
tinta ingleza azul preta da verdadeira,
esta ilota se faz oolar pels grande diffe-
reflea em tudo quer na duracao quer na
limpidez do liquido e aiuda mala recom-
menda-ae os potes .que alm de serem
de urna loura mais aira que a ordinaria
tem na boca ama pequea cavidale que Z
facilita a sabida da tinta, afihocamos que w
ninguem tem por isso so se deve pro- aj|
curar ea loja Esperance ra do Quetma- gnj
doGuimares & Rocha, pote de 1|4 a
400 rs.,del|2 a 800 rs. W
JP ARulhas Victoria pela aceitacio que tk
a tem tido estamos prevenidos de grande T
* b arlado sortimeoto e se vende a 110 V
P ra. o papel: loja Bsperaoea. '
aft Sintos com flvelaa de ac a 10500, ve- *m
oham de presas que nao chegam para 2
quem quer, douradoa e prateados a 8#, w
0 est-ie acabando djfi
# eaooo a*
Agulhas imperiaes.
Tem o fundo dourado.
A loja d'aguia branca teodo am vistas sempre
vender o bom, mandn vir, e acabara de chegar
aqu (pela primeira vez] as superiores agolhis
imperiaes, com o fundo dourado e mui bem fri-
ta, sendo para alfaiates e costoreirn*. e cusa
cada papel 160 rs A gulba assim boa anima
e adiaota a quem cose com ella, e em regra sao
mais barataa do que as oulras; quem as com-
prar os ra do Queimado, loja d'aguia branca n
16, dir sempre bem dellss.
Mui bonitas
e bofts fitas brancas de Chama-
lote, franjas e trancas.
Aloja d'aguia branca acaba de receber de sua
encommenda diversos artigos de gosto, e proprios
para eofeites de vestidos de noms ou convida-
das. Sendo bicos de blood da diversas larguras,
franjas brancas e de cores, trancas brancas com
vidrilhose sem elles, cascarriihas braocas e mui-
tas oulras cores, finas e delicadas capellas bran-
cas, bonitos eofeites de flores e cachos sollos, lu-
vas de pellica enfeitadas primorosamente, o.ui
bonitas e boas fitas de chamalute, e emfim mul-
los outros objectes que a pedido do comprador
serio patentes, e vista do diobeiro nio se dei-
xar de oegodar: na loja d'aguia branca, ra
do Queimado n. 16.
Vende t dou groos era meto uto,
um celeste e outro terretfte, proprios
para besa se aprender geograpbia. Os
exudantes que ot pretenderem podem
dirigir-te a livraria universal de Guima-
rfiet & Oliveira, na ra do Imperador.
Tiras bordadas.
Vende-se floissima tiras bordadas alf e 2|50O
a peca, babados fraocezes muito final e com
bordadoa muito Undosa Sg, 2)500. 3| e 4|500 a
peca : na rus do Queimado loja de miudtas da
boa fama n. 33.
Agulhas francezas
Vende-se agulhas francezas de fundo douradoa
das melhores que tem vindo ao mercado a 160
ra. o papel, carteiraa de marroquim eom agulhas
sortidaa e todas de muito boa qualidade 19
cada urna, ditas de papel dourados e com muito
bom sortimeoto a 320 ra., caizinhas com 100
agulhas sortidaa muilo boas a 2ll0 e 280 rs. ca-
da urna : oa ra do Queimado loja de miudezas
da boa fama n. 85
Vende-se
Espirito de vinho de 38 graos a 1)600 a ca-
ada ; na rea das Cruzes n. 24, esquina da tra-
vessa do Ouvidor.
Veodem-se bestss mansas de roda, bois
mansos para carro, quartos, carros : quem pre-
cisar de algum deates objectos, pode dirigir-se ao
engenho S. Jos, freguezia da Luz, distante des-
ta cidade 5 legoas.
Fitas de chamuio-
te muito boas e
bonitas.
A loja d'aguia brsnca acaba de receber pelo va-
por ioglez sua encommenda de boss, bonitas e
largas fita* de chamelote braocas e outras cores,
as quaes sao excedentes para cintos, lacos, etc.,
de vestidos para casamentos e bailes, assim como
para lagos de bouquetes, cinteiros de crianzas e
muitas outras diversas cousas, e como de seu
costume os precos sao menores do qae em outra
qualquer parte; aasim quem munido de dinhei-
ro, dirigir-se a roa do Queimado loja d'aguia
branca o. 16, seri bem sen ido.
K 3K fiM Q& 216 216 3V& MS Satt M M B
" Para acabar.
(Na ra do Queimado n. 10]
loja de A portas.
Vende-se chspelinas de seda para ae-
nhora a 89.
Orgsodya padrOes os mais modernos a
600 rs. a vara.
a Sedinhas de quadrinhos a 800 rs. oco-
m vado.
Casacas de panno preto muito fino a
204000.
jj Manteletes pretos a 15 e 20$.
ff Riquislimos vestidos de seda de cores
Se pretos o msis moderno que tem appa-
recido e por baratissimo preco.
Qmshmn^
i
i
RA DO QUEIMADO K'.kQ
5EANDE201TIMEaT5
D/VSEROUPKSF
Sortimeoto completo de sobrecasacoa de pinno a 259, 289, 30$ e 35, caaacos muito bem
faitea a 25f, 88f. 30|e35|, paletota acasacadoade panno preto de 16 at 15, ditos de caaemira
de cor a 15, 18J e 20J. paletots saceos d panno e casemira de 89 at 149, ditos saceos de alpaca
merio a la da 49 at 69, sobre de alpaca e merino da 79 at I0, calcas pretas de casemin de
89 at lif, ditos Je cor>ia7j at lOf, roupas para menino de todos os lmannos, grande aorti-
mento de roupaa de brins como sejam caigas, paletots e colletes, sorlimento de colletes pretos da
setim, casemira e velluda de 49 a 9f, ditos para casamento a 59 e 69, paletota brancos de bra-
mante a 49 e 5/, caigas brancas multo finas a5f, e um gran le aortimento de fazendas fins e mo-
dernas, completo sortimeoto de caaemiras ingieras para bomem, menino e aenhora, aeroulas de
lioho ealgodo, chapeos de sol de seda, luvas de seda de Jouvio para homem e senbora. Te-
mos urna grande (aorlea de alfaiate onde recebemos encommendaa de grandes obras, que para
isso est sendo administrada por um hbil mestre de semelhante arte e um pessoal de mais da
cineoeota obreiroa eteolnidos, portento execulamos qualquer obra com promplido e mais barato
do queem outra qualqner casa.
Mantas de retroz
am*W-S!wlBl%*e.s!.^
2 U 9 loja d If abobo & C. na rol NdVa h. i. 9
#*
L Veade-se ehapeea de sol de seda In- A
glezes a 109 ditos fraocezes a 79. ditos
fft americanos a 80, ditos de teda de coras Q
a para meninos a 59. ditos para senhoras 2
' a 6|: oa loja de Nabuco & C, aa ra f
Novan. S. A
Presuntos,
Veodem-se saperiores presuntos inglzea para
fiambre a 600 rs. a libra : do armazem de Tasso
IrmSos. roa do Amorim n.35.
Hatheus & Rodrigues, em seu escriptorio
na roa do Vigano o. 10, tem para vender:
Ricos e elegantes pianos.
Superior vjnho do Porto em caizs de orna dszia
Balanzas decimses.
Superiores charutos da Bahia dos primeiros fa-
bricantes.
Fumo em folha superior.
Pregos e eozadas portugoezaa ; cujos artigos se
veodem por precos mdicos.
E ARMAZEM
DE
Legues.
Venden-se lindos leques de madreperola, o
maia fino possivel: na loja d'aguia de onro, ra
do Cabogi o. 1 B.
l^eiu'OH bTameos muito
limos.
Vendem-se landos brancoa maito fios, pelo
diminuto preco de 29400 a duzia, graude pe-
chincha : na loja da boa f, na rea do Queimado
numero ti.
Caivetes fixos para abrir
Jatas.
Ghegou nova remeasa deases preciosos cai-
vetes flzos para abrir latas de sardinha, doce,
bolachiohas etc., etc. Agora pela feata cmese
muito rt/essis cousas e por isso necessario ter
um desses caivetes cajo importe 19, eompran-
4o-se na ra do Queimado loja da agaia branea
n. 16, nica parle ende o ha.
Escencia de ail.
Para engommado.
Vendem-se frasquiohos cora escencia de ail
coass excelleote para engommado porque ama
gota delta baatante para dar r6r em urna baeia
de gomma tendo de mais a mais a preciosidade de
nao manchar a'roupa como muitas vezea acon-
tece com o p de ail Cusa cada frasquiobo
500 rs : na ra do Queimado loja da agoia bran-
ca n. 16.
Micangas miudas de todas
as cores.
A loja d'agaia branca acaba de recebar essas
procuradas micaogee miadas que servem para
pulceirai e outras cousas, e por isso avisa aa
pessoas que ellas espera*sm e as que novamente
quizerem comprar que munidos de 500 ris com-
prarlo um masso multe maiordo qae os amibos,
Isso someote na loja d'aguia branca, roa do Quei-
mado n. 16.
Grvalas da moda.
Na loja da boa f, aa t do Queimado b. 21,
se encontrar um completo sortimeoto de grava-
tas de seda pretaa e de cores, que se veodem por
precos baratiaaimos, eomo aejam: estreitinhaa
pretaa e de lindas cores a 19, dias com pooUs
largas a 19600, ditas pretas bordadas a 19600. di-
tas pretas para duas voltas a SJ ; na mencionada
loja da boa f, na ra do Queimado n. 22.
Vende-se o grande sitio denominado Cala-
a, aito na fregoezif da Vanea, de muito bou
terrea, que tudo quauto se plaola.de urna grande
qusotidade, com ama casa de taipa j coberla,
urna dita dafazer uribha, grande quantiflade da
ps de cafezeiros, com diversos ps de fructeiras,
como seja larangeires, coquetos, etc., etr. ; e
tambem veodem-se duas vaccas que dio bastan-
te leite, urna dellaa com a cria j grande, e am
burro maoso : a tratar na roa do Sebo n. 90.
Veude-se
azeitede dend ou palma, dito de ameadoim que
serve para tuzase mschioaa, maia barato do que
em qualquer outra parte; na ra do Vigrio n.
19, primeira andar.
*- Arado americano le machina-
paralara roupa:emcasa deS.P. Joi
hston 4 C. roa da nzala b.4-1.
Feijfio de corda.
No armasen de tasso Irmios, ral do Amorim
numero SS. .
LimrtrB Ae ouvVn.
Vendem-ss aa verdadeiraa luvsade Jou via, ebe-
gstfn por este-anime psqaete la Barepa : aa
loja d'agaia de ouro, ra do Cabugi n. 1 B.
Farinha le man-
GRANDE DEPOSITO
DE
DO
BARBALiio (Cabo.)'/ |
41-RUA DO 1PERAD0R-41.
Neste deposito eziste grande quautidSde de louca e de todas as qualidsdes, o que se pude
desejar de bem fabricado e de boa qualidade de barro, coma propriedade de conservar a agua
sempre irla, como sejam jarras, resfriadores, muringues, quartiohas, garrafas, copos para agua etc.
De obras vidradas.
Tem ricos vasos para flores, tainas, alguidares de todos os tamanhos, assadeiras, boies
com lampos esem elles, paoellas para oater-se bolos, cagarolas, enfuzas, frigideiras e muitas ou-
tras pecas qne seria enfadooho mencionar.
O proprietario desta fabrica a primeira deste genero entre us espera obter do respeitavel
publico aoimacaoe coocurrencia e para conseguir esse flm vende a sua louca mais barata do aue
at aqui se venda nesta cidade.
i Aprompta qualquer factura para exportar, alm dos precos commodos porque vende di 10
por cento de abate para quem comprar de 1009 para cima e dessa qnantia para menos 'erio 5
por cento.
Qualquer encommenda pode ser entregue no deposito ds fabrica rus do Imperador n. 41.
T
Joaquim Francisco dos Santos
40M do Queimado40
Defronte do becco da Congregago, letreiro verde.
VENDE-SE O SEG1NTE:
Para casamentos.
Ricos cortes de vestido de fil ou blond de seda branca eom ramo e capell*, o
2 mais moderno e superior que ha no mercado.
Para bailes.
Lindos cortes de vestidos de fil ou blond de seda branca bordados a branco e
cores.
Ditos de tarlttana branca bordados a branco e cores.
Ditos de cambraia braoea bordados a branco eom muita elegancia.
Ditos de barege de seda de cores com barras e listas, aoves gostos americanos.
Saias bordadas
Ricsssaias de cambraia branca bordadas com o mais apurado gosto o mais finas
que ha ne mercado.
Ditas de dita recortadas maia baratas.
Para baptisados
Ricos cortes de vestido de cambraia branca bordados com muita alegaocia, o
mais moderno e mais superior que ha no mercado.
Manteletes .
Ricos manteletes de seda de cores e pretos bordadoa e lisos com enfeites, bam
como arrendados, por pregos commodos.
Lencos.
Ricos lencos de cambrais de linho bordados a 39,49 e59 cada um.
Chales
Ricos chales de touquim brancos bordados de ponta redonda e de 4 ponas.
Alem das fazeodas cima mencionadas tem um grande sortimeoto de todas as
qualidades, que nao 4 possivel menciooar-se pelo grande espago que tomaria.
ARMAZEM
N. 20Ra da lmperatrizN. 20
O barateiro Ouarte acaba de receber novo aortimento de fazeodas que relalha sendo a di-
oheiro sos segointes precos como sejam : csssas brdalas proprlaa para corlioados, babados o o
mosqueteiros a 1(600 a pega, cambraia grossa com 8 veras cada pega ptima fazenda para penetras
mosqueteros, saias e forro de vestidos a 1900, mussalinas largas (las seguintes cores verde, azol,
preta, roza, encarnada e branca a 100 rs. o covado, cortes de riqoissias laoi escuras eom babados
contando cada um eorte24covadosa 109 o corte, velludo de seda das seguintes cores cinzento
verde, azul e preto, eicelleole fazenda para vestidos de seohora e roupioha de enancas pelo bail
preco de 29600 o covado. cortes de cambraia fina com salpicos miudiohos a 59, tiras bordadas e n-
tremelos a lf a peca, goliiobas bordadas muito finas a 19. chitas com algum toque de mofo a 16n
rs. o covado, pellos para camisas brancos e de cores a 160 rs.
ROUPA FUTA
dioca.
-Vea'ea-M em aaocas prapris para aaimaas
auto m coala; no becco Largo o. 6.
Joaquim F. dos Santos.
40Ra do Qiieiniado-40
Defronte do becco da Congregacao letreiro verde.
Neste estabelecimento ha sempre um sortimenlo completo de roupa f.iii de
todas as quslid.dese tambem se manda ezecular por medida vontade dos fregue-
ses para o qae tem um dos melbores professoras.
Catscaa oe panno preto a 40j,
oe panno
35f e
Sobrecasacosde dito dito a 359 e
Paletots de panno preto e de co-
res a 359, 309, 259, 109,189 e
Ditos de casemira de corea a 229,
151.129.79 e
Ditoa de alpaca preta golla de
velludo francezas a
Ditos de merino setim prstos
de cores a 9| o
Ditos de alpaca de eores a 59 e
Ditos de alpaca preta a 99,79.59 a
Ditos de brim de cores a 51,
49500, 49 e
Ditos de bramante de linho bran-
co a 69. 5f e
Ditos te merino da eordio preto
ala
I Calcas de casemira preta ede co-
res a 1 9. 109, 9g, 79 e
Ditas de prioceza e merino de
eordo preto a 59, 69500 e
I Ditas d* brisa branca de core 4
BtL 4*500 e
CalcMt acata fe ceras a
Gollete de tlUda retae de.co-
re* Uste bordados a 129,99 a
Ditos de casemira preta e d* co-
^^jisis e bordados a 69,
309000
30*000
809000
990O0
109000
81OOO
89500
31500
2J500
SfOOO
8|000
|9M
Ditos de setim preto 59000
Ditos de seda e setim branco a 6 e 5000
Ditos de gorgurio de seda pretos
e da cores a 79, 69, 49 e 5*000
Ditos de briro e fusta branco a
3f500,29500e 39000
Siroula da brim delinhoa 29 e 29200
Ditas de algodo a I96OO e 19280
Camisas de peilo defustio brsnco
ede cores a 29*00 e 29200
Ditas de palto de linho a 59, 49 e SMOO
Ditas de madapoln braocaa e de
cores a 39. 2*500, 29 lj&(K)
Chapeos pretos de msssa franeeza
forma da ultima moda a lOf,
8|500e 79OOO
Ditos dC fcltro a 69. 59, 49 e 29OO0
Ditos de aol de seda Ingleses a
francezesa H|, 129, 11$ a 79000
Colariohos de lineo muito fines
novos feitios da ultima moda a 9809
Ditos de elgodio 500
Relogids de onro palate e hori-
zontal a lOOf, 909 801 e 70f00Q
Ditos* de prata galvaaiaados p-
ente horizontaea a 409 a SOfOOO
Obris de ouro, aderemos e meios
adereces, pukeiras, rosales e
9 -
Toalhas re linho dozis 10J, 69 C 91
Ditas grandes para mesa urna 39 e
Vendem-se canoas de
amarello e bordaozinho,
de diversos eomprimenlos, muito preprias para
carreira e olsrias, peta eonducefa de barro, seu
preco commodo ; a escolher a gosto, no estslei-
ro do Sr. Joaquim Antonio Rodrigues, ra do
Brum defroote da fabrica dos Srs. Viltaca, lrmao
& Andrade: a tratar na ra di Gadeia do Reeife,
loja de ferrageoa n. 44.
4 musselina do Pavao a
200 rs-o covado.
Vende-se musselina branca com 4 li2 palmos
de largura fazenda muito fina pelo diminuto pre-
co de 200 rs. o covado, cortea de chila ingleza
eom 10 covados cores fizas a 19500 rs., ditas de
musselina branca com 10 covados a 29, tudo
para apur.r dioheiro : na rna da lmperatriz n.
60, loja de Gama & Silva.
Chapeos do Chile.
Na ra Direita n.76 vende-se chapeos do Chi-
le muito finos de copa alta e aba larga, (a Gari-
baldi), ditos de copa baiza abi larga ( barraca),
assim como de outras qualidades, de gosto mo-
derno, por precos razoaveis.
Madame Buessard Miocfaau
lembra ssuss freguesas que pelo ultimo vapor
francez recebeu ricos vestidos para ooiva com os
eofeites, chapeos da utitm moda de Paris para
senhoras e meninas, rlos mantelete.*, capas e
casacas, flores pars saraos e casamentas, cintu-
rio e fivelas eseolhidas, sorlimento de lencos de
mao bordados, fitas muito largas para ciotos, ce-
misinhas com manga, pelerinas, etc., tudo do
ultimo gosto de Paris, um lindo escoibimento de
chapeos de seohoras, ptimos para passar a festa
por ser multo bonitos c de preco baratissimo, es-
partilho para senhoras e meninas, luvas, etc. :
na rea da lmperatriz n. 1.
da Rusta e cal de
Veade-ee na rus de Apolle a, SOTlrartaam de
Aaerisa ATobso 4 C.
Ojeado pintado.
Na til*Iluta ra. 4, loja e fabrica de
chapeos acaba de receber um bello sor-
timento de oleado com rico* detenhos e
gito moderno, pfoplio para cima de
meta* e banca*, e tendente por preco
commodo.

Gollinbas
de traspasso bordadas em
cambraia fina
Vendem-se a 29 cada urna : na ra do Quei-
mado, loja d'agaia branca n. 16 A obra boa e
o lempo proprio ; a ellas, freguezas, antes que
se acabem.
Vende-se am escrave bom eozinheiro e ma-
rinheiro : a tratar na roa do Passeio, loja de fa-
zendas n. 3.
Lentilhas.
ai
As melhores e mais saborosas de todos os le-
gumes, muito frescas e leves para o estomago, se
preparara de todas aa maoeiras e proprlas para
jantar : acham-se a venda nos armazens Pro-
gressivo e Progressista do largo do Oarmo n. 9 e
ruadas Cruzes n. 36.
O progresso da S.
Cruz.
Manoel Jos de Brito Barreires faz ver ao res-
peitavel publico qae tem em sea estabelecimen-
to, ao largo da Santa Cruz n. 16. am completo
sortimenlo do gneros, como sejam :
Manteiga ingleza flor a 880 c 960 rs.
Queijos mennos muite novos viadoi pelo
ultimo vapor a 89 e 39200.'
armelada de Casteiar A G. a 1*.
.I^L'Um1 8 l'br" de flgO P'opriM *" i-
IDOS 8 4yUUU*
Ditas de 4 libras de ditos a 31-200
Ditas de 2 libra i de ditos a 1*200.
Latas eom1 doce do ginja, peras, amendoas epe-
cegos a 800 rs. "^
Maisas para sopa,sendo macarrio e tilharim
a 4o rs.
Aletria a 560 rs.
llSo*0 d *Wt M'"r'r,do ?0BO.
Dita Duque do Porto a 19300.
Lilas com peize de diversas especies a 19300.
Masso de tomates a 900ra.
Cha preto multo superior a 29400.
Dito parola a 3$.
Caf a 240, 280 e 320.
Carreja braacs epteta a 640 a 720.
Paisas rJtrvs*. libra, 640 rs.
Conservas esa Irascos a 800 ra.
[Vestidos de casamento.
Ricos vestidos de blondo com menta,
capelli e saia de setim.
Superiores
vestidos de seda, de cambraia bordado,
de phantasia, chapeos de pslha, enfeites
modernos para cabecs, capas e mantele-
tes con pridos o mais moderno, sedas e
l de quadrioho, cambraias de corea, es-
parlilhos, sintos, leques, saias balao,
meis elsticas e camisa de liobo para
senhora, fil e tarlatana para vestidos,
chales de ponti redonda e manguitos
modernos.
Roupa feita.
Caigas, colletes, paletots e sobrecasacoa
de panno, casemira, chapeos de caator,
a botinas de Meli.
P;ra acabar.
H Colchas de 1S e seda proprla para cami
v ou coberta de piano a 5*, manguitos e
B gollas bordadas de linho e de fu-to a 29,
8* seda de quadrinhos a 1J0O, liazinha a
640 rs. o covado : na loja n. 28 ra aa
-j Cadeis confronte ao becco largo de Gurgel
& Perdigo.
aieMaKeaea-j9 mm mmmx
NOVA
exposico de cati-
dieiros econ-
micos.
O proprietario deste novo estabelecimento avi-
sa ao publico e a todoa os consumidores, que tem
recebido um grande sortimeoto de candieiros do
novo modello, riquissimos para ornar salas, lodos
esmaltados de diversidades de cores, desde o
mais rico at o mais ordinario, assim como um
grande sortimenlo de gsz de prmeira qualidade,
pelo preco mais barato que se pode encontrar;
assim como tambem metas latas, e as garrafas:
na roa Nova n. 24, loia do Vianna.
Polassa da Kussia.
Vende-se em casa de N. O Bleber &
C, successores, ra da Cruzn. 4-
Meias para sei&\i*Ta.
Vendem-se superiores meias para senhora pe-
lo baratissimo prec;o de 39840 a duzia ; na loja
da boa f, na ra do Queimado n. 22.
KtnaeMeeit sene eneweNMiK
4 loja da bandeira
tem para vender de boa SE
i qualidade folha, estanho-
e bacas de
9 senecupa prego favorito.
?Nova loja de fumleiro da]
i ra da Cruz do Reeife
numero 37.
Manoel Jos da Fonseca participa a
todos os seus freguezes taDlo da prsga
cmodo mato.ej uniamente aorespeila-
velpublico, quetomou a deliberado de
baizaro prego de todas assaaaobras,por
cajo motivo tem para vender am grande
aortimento de baba e bacas, tudo d
differentestamanhose dediverass cores
em pintaras, e juntamenteam grande
sortimeoto dellversss obras,cociendo
banheiros egameiascompridas, grandes
epequeas, machinas para caf e cane-
cas para condoztr agua grandea e peque-
as, latas grandes psra conservsr fari-
nha e regadores ao osada Europa, ditoa
graodes e pequeos ao uso do Brasil e
camas de vento, latas de arroba a 19,
bahsgrandes a 49 e peque nos a 600
rs., bacia grandes a 5J> e pequeas a
800 rs.,cocos de aza alfa duzia re-
gadores regulares muilo barato, ditos
pequeos a 400 rs., de todos estes objec-
tos ha piolados e em branco e tudo maia
ae vende pelo menos prego possivel: na
loja da bandeira da ra da Cruz do Re-
eife n. 37.
ftMeeMMMKNQ MQ9KM3M8MC!
Relogios.
Yende-ie em casa de Johnston Paler d C,
rna do Vigario n. 3 om bello sor timen to da
ralogios da ouro,patente inglez, deem dos mais
afamados fabricantes da Liverpool; tambera
urna variedad da bonitos traaceliB pin 01
mansos.
Plvora.
Vende-ae plvora de superior qualidade e
chumbo de manicio por meos de que em outra
qualquer parte ; tratar na escriptorio de Antonio
Cesario lloreira Dias, no Porte do Mallo, rea da
Moeda a. 17.
LuvfcsdeJouviiL
Na loja di Boa F na ro de Qoeimido a. 22,
sempre se encontrarlo ai verdadeiraa luvas de
Jouvio tanto para bomem cerno para senhora,
sdvertindo-ae aue para aquellea ha de muito
lindas eflrea, na mencionada loja di Bi F na
'leljMMo a. B.

Vjoho tinto de Usa., m.^ 640 ts.
Dito dito dito, garrafa 666 rs,
Molhos de cbelas muito novas a I94OO
Charutos de diversas mareas a precoa, e ontros
mullos, que a vista da qualidade, ataMam dei-
tir da lesear por lies o sea diobeiro.
Baiiha fina
em copos grandes.
A' roja d'aguia brillas avisa t a boa fregae-
2e que 4 chegada s apreciavel banha Boa e* co-
pos arandes. e coalina a vende-la mais barato
de qa em outra qualquer parte : oa ra fioQaei.
mido loja d'agaii bfaaea a. lf VTO-


D.illO 01 fiiMiO( SlBBDO 28 > OEZEMBRO M 81,
Francisco Fernahdes Duarte
largo da Penlia
Continua-se a vender neste
a Europa, a maior parte da seus gneros,
1sso novameole participa aoseos (regeezes,
que queirara seguir em progreaao, que
eocommeudas, cerlo de que hio de goatar,
qne
proptios para fiambre
armazem de molhados os
ha no mercado 1800 rs 18000 libra em
i. a libra e em barril a 600 n.
naia superiores do mercado 2*600, 29600,
i i 900 rs. a libra, em porgo se (ara abati-
o que ha de boa
neite genero a 480 rs* a libra e inteiro
em gigos de urna arroba a
11 cada em.
melho.res gneros que vem ao mercado, e por muito m dos prego do que em outra qualquer parte,
para oque recebe o proprietario em lodos os vapores
escothidoi por peisoas encarregadas, para este fim ; por .
ooi s aos Srs. da praga como de engeohos e lavardore i,
nio deixera ao menos de comprar a primeira Tez suaa <
para o que nao se pouparo oa proprietarioa, em prestar toda atteogo, e meamo'em serviros por-
tadores menos praticos, (o bem como se viassem os S s. pesaoalmente; e abaixo mensionamos
os pregos de alguna gneros, por onde se pode julgar qie rendemos baratissirao.
Mameiga ingUxa, maI, superior
barril se (ara abatimento.
NUnteiga f r miieeza muit0 n0Ta, 640
CM prola, \iygson e preto M
e I96GO rs a libra e aflanga-se a boa quklidade.
^lUClJOS O rVaO cnegad0f ntlU ullilII r,p0r 298OO, ditos do vapor passado
24600.
***"**" as melhores que se pode desejar a 40 q 120 rs. cada urna.
Premalo ioglez
ment.
Prezunto do reino
440 rs.
Batatas novas
*" o melhor petiico que pode haver por ebtar prompto a toda a hora a If a libra.
X oueinho do reino 360 llbr., Brroba, o#5oo
Caoun^as e palos muit0 noTOi, 720 .. ,,.
Bauna de porco refinada, mali
e em barril a 440 rs.
\zeitonas mnito novas a H000 rs
Latas con bolaxinna de soda
am porgo se (ara abatimento.
ava*ja oe na\e a nas no?t do ,,.], em alag de iDra por 900 rs diias ,je
duas ditas por 10700.
Niarmei&da imperial d0 Bfamad0 aUu e deoulros muitos fabrcenles de Lisboa
a 19 a libra, em latas de 2 libraa por 18.
KirVlinaS raneezaS meihores que ?e pode desejar em meiat latas por 500 rs.,
tambera tem portugueza me latas enteir s a 640 rs.
VjllOCOlate franeeZ e hespanhol chegaco neite ultime
Y fiSSftS proptiag para podim a 800 rs. a libra.
Uoee de alperene eni taUs de s ,ibtag)elegantemente eneitadas a 12200 cada urna
,spermsete Iuperor de 4> 5 e 6 em nbra,
Latas com peixe em posta dt.
19400.
iVmendias eonfeitadas a lg a Hbl
a 480 rs.
Nozes e castanliaa piladasMUon0,a 160r8.aUifa.
lstreV\inlia para gopa a 640 ra. a libra eeo
AAetria. macarra e ta!\\rim <
i WWVWB.&WV v *w uniut a 400 r9. a hbra e em caixa a 99.
Sevaoinna franca muil0 nova a M0 rs a l
FarinYia do Warannao muUoal^aecherogaal60rs.
nula de engommar, o que se pode desejar dor ser muito alva a 100 ra. a libra.
Je*8** muito novoelimpoa 160rs a librae cm porgo se (araabatimento.
alva que ha no mercado a 480 rs. a libra
a ancorela, e em garrafa 640 rs.
eontendo diferentes qualidades a 19440 e
760 rs. e em caita a 740 rs.
melhores qualidades qu9 ha em Portugal a
a, ditas em milo a 80U r., dita com casca
as a 160 rs. a libra.
caixiohas de 6 a 8 libras se far abatimento.
>a<
bra:
3000.
Chapeos de palbloha toa mfeeifete* para me-
Bioas ; m roa do Crespa o. 10.
Aos tabaquista!.
Vendem-se aaperiores leocos franceiee a iml-
lago doa da lioho, muito proprios para os taba-
Jufstas por aeren de cores escuras e fizas, pelo
sratissimo prego de 5 e 6f a dozia : aa ra do
Queimado n. 23. na bem conheoida laja da boa .
Fil liso e tarlatana.
Vende-ie superior fil liso e tarlatana branca
e de cores, pelo biraliasimo prego de 800 rs. a
rara ; na bem conhecida loja da boa f, na rea
do Quaiaade n. 22.
Toalhas para maos.
Vendem-se muito boas toalhas para maos pelo
barato prego de 59 a duzia ; na ra do Queima-
do n. 22, na loja da boa (.
Ricos enfeites.
Vendem-se ricos e superiores enfeitea os mal
modernos que ba, pretos e de cores, pelo bara-
tsimo prego de 6 e 69500 : na loja da boa (,
na ra do Queimado n. 22.
Cambraias de cores.
Vendem-ae cambraias francesas de lindas co-
res, pelo baratissimo prego de 280 o covado } na
ra do Queimado n. 22, na bem conhecida loja
da boa (.
Cambraias francesas finissimas.
Superiores cambraias (rancezas muito finas, de
muito bonitos padrees, pelo barato prego de 700
rs. a tara : na loja da boa (, na ra do Queima-
do n. 22.
Cambraia Usa.
Vende-se cambraia lisa transparente muito.fi-
oa, pelo barato prego de 4 e 5$ a pega com 8 Ii2
raras, dita lapada muito superior, pega de 10
varas a 6f : na ra do Queimado n. 22, na loja
da boa (6.
Bramante e atoaWiado de
Unfeo.
Vende-se superior bramante de pero linho com
duas varas de largura a 20400 a vara, assim como
atoalhado adamascado tambem de poro lioho,
com 8 palmos de largura a 29500 a vara : na bem
conhecida loja da boa (,na roa do Queimado nu-
mero 22.
Cortes de ealca,
Vendem-se cortes de caiga de meia easemira
de cores escuras a 25 cada corte ; na loja da boa
(, na ra do Queimado n. 22.
Port bonquets,
Dourados com cabos dema-
dreperola.
Chegaram opportunsmente para a loja d'agnia
branca os bonitos port bouquots dourados e es-
maltados, com cabos de madreperola, conforme
sua propria encommenda, Ocando assim remedia-
da a falta que havia desses port bouquets de gos-
to, os quaes chegaram bem a tempo para oa di-
versos casameDlos e bailes que se contam nesses
dias, por isso as pessoaa que por elles esperavam
e as que de novo es quizerem comprar dirigi-
rem-se munidos de dinheiro loja d'aguia bran-
ca, ra do Queimado b. 16, que eocontraro obra
de bom goslo, barateza, agrado e sinceridade.
de cambraieta.
Vendem-se superiores saias de cambraieta mui-
to fina, com 4 pannos, pelo diminuto prego de
59; a ellas, que sao muito baratas: na ra do
Queimado n. 22, oa bam conhecida loja da boa f*
nados, se vende muito barato, e pelos quaes se poder
nuociados.
Paietots
brancos.
Vendem-se superiores paietots de brim branco
de puro linho, pelo baratissimo prego de 53 : na
ra do Queimado n. 22, na bem conhecida loja
da boa f.
Delicadas escovas
cabos de marfim e madre-
perola, para limpar
dentes.
Na verdadeuma escova para limpar peotes
sempre necessaria em qualquer. toucador, e com
eapecialidade no da senhora que preza o asseio,
e para que elle aeja perfeito mandar comprar
una dessas escovas de cabo de marfim ou ma-
dreperola que custsm 29 e 39 rs., na loja d'aguia
branca, na ra ra do Queimado n. 16.
Navalhas d'acjo
com cabo de marfim.
Vende-se na loja d'aguia branca mui Anas a-
vainas d'aco refinado com cabos de marfim, e
para assegurar-se a bondade deltas basta dizer-
se que sao dos afamados e acreditados fabrican-
tea Ro Uers & C, costa cada estojo de duas na-
valhas 89000: na ra do Queimaio, loja d'aguia
branca, n. 16.
Entre-meios bordados em
cambraia transparente.
Na loja da aguia branca vende-ae eotremeios
bordados em fiaa cambraia transparente a 19 a
pega de 3 varas, prego esta porque s se scha em
dita loja da aguia branca ra do Queimado n. 16.
Adveite-ae que de cada padreo tem bastantes
pegas para vestidos.
Vendem-se os engeubos
S. Pedro e Espirito Santo, am-
bos moentes e correntes e
d'agua, sitos na freguezia de
S. Bento comarca de Porto
Calvo e provincia de Alagoas,
o primeiro tem casa de enge-
nho e poucas obras, porm
safreja quatro mil pes, o se-
gundo tem boas obras, porm
s safreja dous mil pes:
quem pretende-los dirija-se
a ra da Cadeia do Recife n.
26, primeiro andar, que acha-
ra com quem tratar.
J ve o respeitavel publico, que afiaogaodo-ai a boa qualidade doa gneros cima mencio-
I julgar todos os demais que nao foram ao-
nonecas bonitas
cojm rosto, e meia perna de
porcelana.
Vande-se mui bonitas bonecas com rosto, e
meia perna de porcellana aos baralissiroos precos
de 240,360,500.560. 640,720, 800 e t000: isso
ni sua do Queimado, toja d'aguia branca n. 16.
| Vende-ae o verdadeiro cha mate em p em
folhb a 240 rs., caf moido simples a 360 rs. ver-
dad- ira baoha purificada propria para banha de
cab lio por ser muito alva a 500 rs.; s Santos &
C, us do Cordoniz n. 1.
lotooo.
Grande
E' na ra do Queimado n. 89 loja de quatro
portas que se vende os malhores chapeos de se-
da de formas mais modernas e bom gosto.
Mtencao
N.43 Roa do Amorim N.43.
Lmeixaa novas o melhor quo se pode encontrar,
o barato prego de 12* calas com 1 arroba e
16 iibraa : ealao se acabaodo.
Cal de Lisboa e potassa da
Rumia.
Na ra de Apollo n. 20, armazem de Amorim
Alfonso & C.
Agulhas imperiaes
tem o fundo dourado.
A loja d'aguia branca, lendo em vista sempre
veoder o bom, mandou vir de sua conta essas
superiores agulhas imperiaes, as quaes acabam
de chegar (pela primeira vez) lendo os fundos
dourados e poDtas mui bem tiradas, e custa cada
papel 160 rs. Cozer-se com urna agulha assim
boa, anima e adiaota quem Irabalha, por isso
dirisirem-se ra do Queimado loja d'aguia
brenca n. 16, que serao bem servidos.
(\uadadenzaiaNoYan.42
Vende-se em casada S. P Jonhstoc 4C,
allinse sh5esnglezes,candeeirote castigaas
bromeados,lonas agler.es, fio devala,chicote
paracirros, e montara ,arreiotpara carro da
nal aioui cvalos relogiosda ouro patenta
oglei.
4 grande liquidare da
loja do Pavo,
Naruadalmperatrizn.60
DE
Gama Silva.
Acaba de chegar a este eslabelecimenlo am
grande e variado aortimentode fazendas proprias
para a festa, e seusdonos resolveram venderem-
nai por pregoa baratissimos por estar no flm do
anno e quererem apurar dinheiro, como sejam
i assas.
Um linde sortimeoto de cassss de varias cores
e qualidades, que vendem a 240 e 280 rs. e co-
vado.
Chitas a 240.
Vende-se finissimas hitas francesas escuras e
alegres, (azeoda que sempre se venden por urna
pataca e acaba-sea 240 ra. o covado : na ra da
Imperatriz n. 60, loja do Pavao.
Musselina a duzentos rs.
o covado,
Vende-se musselina branca com 4 e meio pal-
moa de largura a 200 reis o eovado e ditis de
cores matizadas largura de chita a 200 reis o eo-
vado na ra da Imperatriz o. 60 loja do Povio.
S o Pavo eii li-
quidaco.
Ricos sinlbs dourados lisos e com listiohas a
29500, eslciohas bordadaa para meninos a 19000,
golliubas com manguitos a 19600, golllbaa de
traspasso a 1 j, citas sem ser de Iraspasso a 500
rs. lavas de seda em perleito estado a 500 rs. o
par, chapeos deso de seda com franja muito de-
icados para senhora a 39500, chales randes de
merino a 29500, ditos de rede bordados a 39 cada
um. manguitos de cambraia bordados muito finos
a 800 e 1J. enfeites para cabega a 29. Para me-
ninas a 640 rs.
Para hornera.
Vende-sena loja do Pavo um completo sor-
timeoto de roupas, como sejam : palitos de pan-
no e easemira de todas ae cores, caigas de case-
mira preta e de cores, ditaa de brim de todas as
qualidades, camisas fraocezas tanto para bomem
como para meninos por pregos mais commodos
do que em outra qualquer parte. Do-se amos-
tras de todaa as f.zeodas que em nossos aonun-
cios se v, deisaodo ficar peohor : na roa da Im-
peratriz o. 60, onda tem um pavo pintado do
lado de fora, e para nio haver engaos de noite
tem um distico por meio de urna luz em que diz
0 PAVAO.
Lazinhas a 280 rs. o
covado.
Vendem-se lazinhas de quadros para vesti-
do, fazenda de apurado gosto a 280 o covado ;
na ra da Imperatriz o. 60, loja do Pavo.
La cbineza a 400 rs.
Vende-se lazinhas entestadas a 400 ra. o co-
vado: na ra da Imperatriz n. 60, loja do Pavo.
Cambraias de seda.
Vendem-ae finissimos corles de cambraia de
seda com dous babados e de apurado gosto a
49500 cada corte : oa loja do Pavao.
Vestidos brancos.
Vendem-se finissimos cortes de cambraia la-
vrada com babados e duas salas, fazeoda que se
vende em qualquer parle a 89OOO rs o Pavo
est torrando por quatro mil ris, ditos com bsr-
raa bordados a 25O, 39 e 39500: na ra da Im-
peratriz n. 60.
GELO.
Cambraias de sal-
picosa 4#000.
Vende-se ambraia branca com aalpicos miudi-
ohos, ten)o 8 } varas cada corte, pelo barata
simo pr
se vende
loja de
de 4$000, sendo fazeoda que sempre
7j000: na ru da Imperatrit n. 60,
a& Silvs.
SAS LAVRADAS
Vende-se cassss lavradas fazenda do ultimo
gosto pelo baratiasimo prego de 39500: oa ra da
Imperatiiz n. 60, loja do Pavo.
Sedas a covados.
Vende-se grsdenaples preto muito iocorpado
a 1500, 19800 e 29000. dito cor de roa, azul e
amarello, sarja branca lavrad para vestidos de
noivas, e outras qualidades de sedas por pregos
baratissimos : na rus da Imperatriz n. 60, loja
do Pavo.
pperiores paietots de panno preto muito fino,
muito bem feita, pelo baratissimo prego de
na ra do Queimado n. 22, na bem conhe-
cida|loja da boa f.
ua das Grozes n. 4,
fabr ca de charutos, vende-se charutos a 159 o
milleiro, de fumo da Bahis, velas de composi-
gao i 119 a arroba, e em porgo faz-se abati-
mento; afianga-se a boa qutlidade.
Nova california
de
Fazendas baratas.
Nji ra da Imperatriz a. 48, junto aj
padaria franeeza.
Cortes de cambraia branca com bsbadi- i
hos 49 e 49500 superior 59, cambraia li-
i a com 8 1j2 varaSf, 39500, 49. ditas de J
I scossia 59, e 69, ricoa enfeitea para se- J
1 hora 69e6J500, sin tos os mais delicados J
para aeohora 29500. 39, chapelina para cri- J
Inga gosto ingles 3a50Q, 49, para baptisado J
I $f, corles de vestido de seda Escosseza de
bonitos gosto 129 esto se acabando, ri- 9
9 eos lencos delabyriotho 19, lfSOO. chapeo
0 de sol para senhora de bonitas cores, lisos
aJr.cabo de marm 59500, cortes de cam- 0
9 braia brancos com flor de seda 59, riaea- 9
9 do francs 200 ris o covado, completos :sortimeotos de baldes de arcos 89, sortt- 9
meatos de meias psra menino e menina #
200 e 240 ris o par. chales de tarlatana
dp corea a 940 ris, lengos branco com bar- 9
9 ras 160 ris chitas inglezaa a 180 e 200 ra. 9
0 dils francesa a 240 e 280 rs. o covado #
pegas de cambraia de forro com 9 varas #
a 9 : junto a padaria francesa n. 48.
#
a
CHAPELINAS
6$00U cada urna.
GELO
m
Vendc-se salitre de primeira qualidade por me-
nos do que em outra qualquar parte : no arma-
zem de Antonio Cesarlo Horeira Dias, no Forte
do Mallos, ra da Moeda n. 27.
Importante
Annuncio
Na loja da diligencia, de Gutmaraes Ir-
mao, na ra do Queimado n. 65.
Cartes de eolebetes francezes com 14 pares a
20 ra.
Botoes de cores para casacos e paietots a 240
a duzia.
Ditos para caigas muito Anos a 160 a grosa
Traogaa de la para veslido, a pega a 40 rs.
La para bordar muito fina e lindas cores, a li-
bra a 79.
Msssoscom grampos a 40 rs.
Linhas para bordar, a miada a 40 rs.
Ditaa de peao muito finas, miada grande a 240.
Franjas de linho para vestidos, a vara a 120.
Apparelbosde porcelana para meninos, pinta-
dos e dourados a I96OO, 2$. 29500 e 39.
Cartas com alQnetes a 100 rs.
Papis com alQueles cabega chala a 40 rs.
Enfeites psrs senhora muito linos a 3, 4 e 79.
Siotoa muito fios para senhora a 29 e 29500.
Meisa delaia epretaa para padre que aempre
se venderam a 29 a 640 rs.
Eofeites com flores para senhora a lg.
Colherea de metal muito finas para sdpa a 109
rs. a duzia.
Garfas do mesmo metal a 49000 e duzia.
Assim como outras muitas miudezaa finase ba-
ratas, que deizamos de mencionar, para nao se
tornar tanta maasada.
Noves enfeitesi e 0*t
dourados.
Vende-se chapelinas modernas eofeitada.s com
muito gosto para senhora a 69000 cada urna: na
ra da Imperatriz n. 60, loja do Pavo.
Lengos para mo.
Vendem-se muilo delicados lencinhos de cam-
braia de lioho com labyriolho a 29500, ditos de
muito gosto a imitagao de labyrintho a 800 e
1SO0: na ra da Imperatriz n. 60, loja do
Pavo.
Phantasia asis mil ris
Vende-se muito ricos vestidos de fantazia com
babados de muilo bom gosto, fazendas del29000,
por 69OOO, na ra da Imperatriz n. 60 loja do
Pavo.
Filos.
Vende-se fil de lioho bordado fazeoda maito
fina a 19000 a vara, dito lizo a 800 rs., tarlatana
branca e de todas aa cores a 800 rs. a vara ; na
loja do Pavo.
Vestuarios a cinco mil
}
Champagne
do afamado aulor Cbateaa Laronzize a 149 o fi-
go de me duzia: u praca da Iudependencia
ero 22.
1 loja d'aguia branca acha-se recenleraenle
provida de um bello e variado sortimeoto de en-
feites de difiranles qualidades e gostos, os mala
liados que possivel encootrar-se ; aaaim como
eati igualmente bem aorttda de bonltoa cintos
ea libra a 160 ri,: tambem receben TS&X&tt^ffiS&
aiaignatoai dal pessoas particulares lo* tendo de todo sauito psra satisfazar o bem goeto _
ra nm> lea dtartaratamt* atp nue u> do comprador, que munido de dinheiro nio dei- alegrar de achar flores to perfeltas delicadas
*t.rt de comprar; na tus do Queimado, lojaoV (seo .oa roa do Queimado loja d'aguia branca
No deposito do gelo ra do Apollo
n. 31, vende-se gelo de hoje em diante
arroba a 5#500, e meia arroba 2000,
res.
Ricos vestuarios de seda para meninos, fazeoda
de 129 por 59OOO ; na ra da Imperatriz n. 60,
loja do Pavo.
(lambraias lisas.
Vendem-se pegss de cambraias lisas, fazenda
muito fina, com 10 e meia vara cada pega, pelo
prego de 59OOO a pega, ditas de 8 e meia varas a
29500, 89, 3500 e 45, ditoa de 6 e meia vara a 29
e 29300 a pega, dltoa para forro com 8 e meia va-
ras a 1600 e 29 : na ra da Imperatriz, loja do
Pavo.
Baldes sem ferro a
3$200.
Vendem-se multo superiores saias de eordo
que fazem aa vezea de balo, toroando-se msis
recommeodaveis por ae poderem lavar e engom-
mar, a 39200 cada urna: na ra da Imperatriz o.
60, loja do Pavo.
Taixas.
Maior reduccao nos precos para acabar.
Vendemf-se no armazem de Braga Son l C.
na ra di Moeda, taizaa de ferro cuado do mu
crdilado fabricante Edirin Mavr a 100 rs. por
life:i, as mesmss que se veodiam por 120 ra.
Flores finas,
Vende-se na ra do Apollo
n. 31 defronte do theatro a Ai
a arroba, meia arroba a 2$500
e a 160 rs, a libra.
A loja d'aguia
branca um deposito de
perfumaras finas.
Esta toja por estar constantemente a receber
perfumaras finas de suas propriaS encommendas,
bem se pode dizer que est constituida um depo-
sito de ditas, tendo-aa sempre dos melhores e
msis acreditados fabricantes, como Lubio, Piver,
Coudray e Sociel Ilygienique, etc., etc. ; por
isso, quem quizer prover-se do bom, dirigir-se
a ra do Queimado, loja d'aguia branca n. 16, que
achara aempre um lindo e completo sortimeoto,
leudo de mais a mais a elegaocia dos frascos, e a
barateza por que ae vendem convida e anima ao
oomprador.
Carros e caFro Em casa de N. O. Bieber
fe G. successores rut da Cruz
numero 4.
Vendem-se carros americanos mui elegantes
e leves para duas e 4 pessoas e recebem-ae en-
commendas para cujo fim ellea poaauem map-
pas com varios desenhos, tambem vendem car-
rogaapara conduego de aasucaretc. \
Attencao.
N. 43-Rua do Amorim-N. 43
Vendem-se quartos com 6 libras de passas a
3f000, meioa com 3 libras de ditas a 19500, ss
msis oovss que se encontrsm neste mercado: a
ellas que a festa bate porta.
Caivirgem de Lis-
boa em pedra,
Vende-se a mais nova e superior que ba no
mercado por prego baratissimo, unicameoto no
largo doCorpo Santo n. 19, trapiche da Compa-
nhia. ___ ^___
Acaba de
chegar
ao noy armazem
DE
BUSTOS & REG
Na ra Nova junto a Con-
ceico dos Milita-
res n. 47.
Um grande e variado aortimento do
roupas feitas, calgados e fazendas e todos
estes se vendem por pregos maito modi-
ficados como de seu costume,assim como
sejam sobrecasacos de superiores pannos \
e casacos feitos pelos ltimos fl gur nos a I
269, *8d> 39 e a 359> Paletols dos meamos
pannos preto a 16$, \$$. 209 a 249,
ditos de easemira de cor msela do e de
novos padrdes a 149.169, 189.209 o 249,
ditos saceos das mesmas casemiras de co-
res a 99, 109,129 e a 149, ditoa pretos pe-
lo diminuto prego de 89, 109, o WJ, ditos
de sarja de seda a sobrecasacados a 129,
ditos de merino de cordto a 129, ditos
de merino chioez de apurado gosto a 159,
ditos de alpaca preta a 79. 89, 99 e a 109,
ditos saceos pretos a 49, ditos ak> pslba de
seda fazenda muito superior a 49500, di-
tos de brim pardo e de fusto a 39500, 49
e a 49500, ditos de fusto branco a 49,
grande quantidade de calcas de easemira
preta e de cores a 79, 89, 99 e a IOS), ditas
pardas a 39 e a 49, ditas de brim de cores
tioaaa2$500, 3, 39500 e a 42, ditas de
brim brancos finas a 49500, 5g, 59500 e a
69, ditas de brim lona a 59 e a 62, colletes
de gorguro preto e de cores a 52 e a 6$,
ditos de easemira de cor e pretos a 4J500
e a 59, ditos de fusto branco e de brim
a 39 e a 39500, ditos de brim lona a 4g,
ditos de merino para luto a 49 e a 49500,
ealgaa de merino pa ra 1 uto a 4 $500 e a 5|,
capas de borracha a 99* Para meninos
de lodosos lmannos: caigas de easemira
prefa eda cor a 5$, 69 e a 79, ditaa ditaa
de brim a 22, 39 e a 39500, paietots sac-
i eos ae easemira preta a 62 e a 7, ditos
I deeor a 69 e a 7$, ditos de alpaca a!3>,
sobrecasacos de panno preto a!29e a
149, ditos de alpaca preta a 59, bonete
1 para menino de todas as qualidades, ca-
misas para meninos de todoa os taman hos,
meios ricos vestidos de cambraia feitos
psra meninas de 5 a 8 annos com cinco
babados lisos a 890 a 12|, ditos de gorgu-
ro de cor e de la a 59 e a 69, ditos de
brim a 39, ditos de cambraia ricamente
bordados para baptisados,e muitss outras
fazendas e roupas feitas que deiiam de
ser mencionadas pela sua grande quanti-
dade; assim como reeebe-se toda e qual-
quer encommenda de roupaa para ae
mandar manufacturar e que para este flm
temos um completo sortimento de fazen-
das de gosto e urna grande offleina deal-
faiate dirigida por um hbil meatre que
pela suapromptid eperfeigo nadadei-
xa a deaejar.
iatt6Mil6-MB-aMttattMB MCMCa
* WWW wauf eFW uf>^ aBTTITW WW* oFTtTW WWW fie WOT W*9
Batata ingleza.
Vende-se batata ingleza em gigos, somente no
armazem de Barres Silva, travesa 4a Madre
de Daos o. 57.'
Venee-se chspeos populare denomina-"
nados chapeos do povo a 89.
Bitos de eroa branca a 81.
Ditoa meicladoaa 89.
Ditos cor de caf a 89: na loja 4o bem
coobecidoNabucoic, oa roi R0vi,j
D. 2.
rala de coral
irem a missa
de Nabuco &
i'ende-ae mantinbaa de
proprios para as seohores
do galo : vende-se na loja
C. na ra Nova n. 2.
Aviso aos fumantes.
Na loja de Nabuco 4 C. na ra Nova n.
2, vende-ae fumo de differeote qualida-
des para cachimbos cigarros a saber:
Fumo caporal n assos graadea a 29.
Dito dito pequeoos a I9.
Dito de flor de harlebeck a 240 rs.
Dito americaco a 240 ib.
Cigarros bota fogo do Rio de Janeiro a
a 200 ra.
Ditoa de Havana a 240 ra.
Ditos turcos em caitas de 100 a 2f.
Bolgas de borracha para fumo a 19.
Bocaespara charutos e cigarros.
Cachimbos de geaao.
Ditos de massa.
Ditos de espuma do mar.
E ouiroa muitoa objectoa proprios para
os fumantes.
Roupa feita.
Na loja de Nabuco & Cus ra Nova n.
2. veste-se um hornera dos ps ate a ca-
bega por diversos pregos.
Aviso aos amantes dos
presepes
Na loja de Nabuco & C. na ra Nova n.
2, vende-se ezcellentes paodeiros para
presepes por prego commodo.
Vende-se na loja de Nabuco & t. na
ra Novan. 2 oa maia modernos chai-" ja
de palha a Traviata para aeohoraa, oiios
a Gsribaldi, ditos a Cavour, ditoa de seda
a turca para meninos, ditos de palha a
Gsribaldi, ditoa a hespanhola e de oulraa
muitas qualidades tanto de seda como de
palha que se vendem mais bsrato do que
em outra qualquer parte.
Nabuco &C. com loja na roa Nova n.
2, receberam pelo ultimo navio um lindo
aortimento de eofeitea de froco com vi-
drilhot, ditos de retroz preto e de cores,
ditos de fitas e flores, ricas grioaldas pa-
ra noivas, e outros muitos enfeites que
se vendem barato
Rap francez.
Vende-se na loja de Nabuco & G. na
ra Nova n. 2, rap francez a 39 a libra.
Nabuco d C com loja na ra Nova~n.~
2, acabam de receber pelo ultimo navio
francez um lindo aortimento de vestua-
rios para meninos de 2 a 6 annos, como
sejam vestuarios de velludo, ditos de se-
da, ditos de mene, ditos de fuatlo bor-
dados e de outras muitas qualidades que
se vendem mais barato do que em outra
qualquer parte.
Sintos para senhora.
Vende-ae na loja de Nabuco & C. na
ra Nova o. 2, ricos aiotos dourados, di-
tos prateados, ditos de filas de seda e de
velludo, lado por prego commodo.
Esera-vos fugioo,.
8
1
S
i
FueJrsm do engenbo Conceigo, aito na fre-
gnizia de Tracoohem da comarca de Nazareih,
no dia 4 de novembro de 1860, dous escravos
mulatos com os nomes e slgoaes seguiotes: um
de Dome Paulo de 45 annos de idade pouco mais
ou meos, ofDciel de pedreiro, sapaleiro e pti-
mo bolieifo, de rfjr alaranjada. cabellos carapi-
nhos. rosto descarnado, olhos brancos, nariz e
bocea regulares, um pouco secco e de estatura
media, o qual tem dous dedos da mo direits
aleijados de um panarigo, e tenf taujbem o dedo
mioimo da mo esquerda com igual deleito, e
cima da sobrancelha de um dos olhos urna ca-
triz, proveniente de um taino, e outra cicatriz
com um carocinho cima da mesan, com um
dos dentes da frente quebrado,quando se embria-
ga torna-se arrosante. Esse escravo j foi satu-
rado e consta andar pelo Recife, Uudo aido visto
para as bandas da Soledade e Santo Amaro por
aleumas pessoas, a quem lem dito haver-se liber-
tado. O outro, de nome Felippe, de cor trigue
ra, cabellos carapinhos, estatura baila, ou regu-
lar, bem barbado, um pouco secco, bem fallante
e cantador, rom 30 annos de idade, anda ligeiro
e muito despachado no servigo de enzada e foi
ce, com falta de dentea na frente, com olhos um
pouco apitombados e espiongos Quem appre-
hende-los leve-os ao dito engenho ao aeu senhor
o teneote-corooel Joo Cavalcaoli Mauricio
Wanderley, que generosamente recompensar.
Ausenlou-se de casa de seu senhor no dia
3 do correte mez o escravo Antonio, de cacao
Cassange, idade 40 anoos, pouco mais ou menos,
estatura regular, com oa signaes aeguintea : em
urna das orelhastem um taco tirado, em um dos
quartos tem um defeito qua pelo qual puxa no
andar pelo p, tem debaixo do queixo aquerdo
tres buracos, signal de dentes tiradoa : quem o
pegar queira leva-lo ra do Imperador n. 78,
terceiro andar, que ser recompensado. J foi
visto em Iguarass.
Attencao
acribe o gelo,
A' loja d'aguia branca acaba da despachar um
bailo sortimeoto de flores finas e delicadas pro-
prias para enfeitea de cabega e vestidos eara ca-
ssmentos e bailea: quem aa vir sem duvida ae:
Ai
Izara ae comprar :
guia branca 0.16,
lo. 16.
Vendem-se caixdes tasios proprio
para bahulairos.funileiros etc. a i#280:
quem pretender dirija-se a esta tipo-
graphia, que ah se dir' quem ostem
para vender.
Vndese
na ra do Queimado n. 19
o si guinte.
Pegas de cambraia fina adamascada para corti-
nado com 81)2 varas, pelo barato prego de 59C00.
Toalhas de linho adamascado para mesa a 49*
Cambraias de salcicos (raudos muilo lindas a
59 a pega, ditaa de ditos miudinhos finas a 9900.
Lengoea de brsmaole de linho s 39000.
Cambraia ailada para forro de veslido, com
8 112 varaa a pega por 29-
Grandes colchaa de fusto lavradas a 69-
Chspeos enfeitadoa muito lindos, proprios para
meninos a 79cada um.
Coberlaa de chita, gosto chines, a I98OO.
Ricas capelUa para noiva, de flor de laranja.
Algodo com 7 pilmes de largo a 600 rs. a vara
Lengoea de panno da liuUo a 19800.
Souhaillletlore&C., lando recebido or-
dem psra vender o neu erescido daposito de ralo-
gios vjslo o fabricante ter-ae retirado do nego-
cio ; convida, portento, ia pessoas que quizerem
possuir um bom reloglo de ouro ou prata do c-
lebre fabricante Kornby, a aproveitar-se de op-
porlunidade tem perda da tempo, para vir com-
pra-loa per commodo pre$o 00 seu escriptorlo
roa do Trapiche o. 18.
Attencao
Acha-se fgido desde principios de juaho de
'861 o preto Antonio, de estatura regular, dena-
c5o Angola, idade 50 anoos pouco maia ou me-
nos, grosso do corpo, pouca barba, olbos papudos
beigudo, pernas um tanto arqueadas, com urna
cicatriz de machado em um dos dedoa grandes
do p e outra em urna das pernas, perto do tor-
nozello. CoDSta que anda refugiado pelas mallas
de S. Cosme na Varzea, ou ismediagdes : quem
o pegar e leva-lo a seu senboP Joaquim da As*
sumpgo Queiroz, na Virzea, ser,gratificado ge-
nerosamente.
Attencao e multa attencao.
Acha-se fgida a mulata Abra muito
conhecida por Maria Joaquina, sendo
bastante alta, cabellos caxiados e falta
de dentes na frente, anda hontem foi
vista em urna casa no Forte do Mattos, e
por itso roga-se a todas as autoridades
policiaes a captura e aos commandan-
tes de vapores e capttes de embarca-
rles que tenbam a bondade de exami-
nar os escravos que a seu bordo forem
para outra provincia, ou como passa-
geiros Ou como captivos de pass*geiro,
e mandarem entregar na ra da Impe-
ratriz n. 21, que se lhe fkar" obrigado
e toda e qualquer petsoe que a pegar
leve-a a mesma casa que generosamente
se gratificar.
Desappareceu ni sexta-feira 20 de correle
o escravo cabra Olegsrio, baixe, magro, repre-
senta 20 anuda de idade, tem falta de dentes ba
frente, esli com principio de frialdade, e per isso
um peaco luchada, sabia sera ebapo, eal com
caiga de caaemira escusa e eaaataa 4a lgeuee,
multe ladino, e ee vetea se inculca forro, foi visto
00 aUaaataJae, a I pravavet que anda por perto:
quem o pegar e leva-lo i ra da Cadeia da Ret-
fe n. 90, primeiro sotat, ssti fenereaeseente
recompensado,
/


DUlO ftl tLRAHBUCO. SaBBADO U DI DE2EMBRO BE 181.
ytteratura*

M
A Ptltlia peralte as eeaseqoeacias las
tratados de \ieii
(Cootiauajao.)
Digamos por coauwfluinte. que da oenaum lado
exlatia verdadeire gara a lia para a Polonia, de
nenhora lado devia erra
inelilujoea co
final de eoolai
qae nie fosse
quiee de da ou
tuicoea. Fbi el
liberal e magna
nes ne eeej pensamel_ _
imperio, a* direitoe da aai
CJ da asa auiorid.de parece
dimina** da liberdade. p,
nidades eeusiltaeion.es, apr
aar a eonstitafto ,ii pata
pouco que anda HUbti
parece tambem ao aeu
atsez ameacador, a nacin.
volvida de todo na condeno
Bao 4 neceisario explicar
appellando-ae para aa palavra
rannia, e perjurio, evocando -
malicia doi homeoa, nao; ludo
Lies
fea
lamar-lba a
adaa imrou-
a condena-
quando a
m o oda dea
um perigo
a foi co-
jea Deua
eilos,
i. y
gulho a a
lica, direi
aquellas que se acharan enearrejados de dar-
lhe "*|tii
Como eiaitlir-ee que homens da qualirlsde do
grao-duque Oeeatautlno, e do commiaaario impe-
rial ruaao Novosilsoff, educadoa noa coitumaa do
maia abaololo despotismo, e da maja pssaiva s*r-
fdao, podeaaem comptebander e mover aa deli-
Cadaa molaa do sy
O mesmo Alexe
pirar o ar do oe
dado, e entrou I
gaodo-ae senhorT
pedo, lor
^^Bw ceaaou
Ualo ambiciona
vrea exprimiodo frai
era cosa que nioguem deiiara
atormenta ouviouo ao redaw de ai lou
bella a aeductora lincuacajaka gloria i na
dos aoberanoa conatiraaifl t mas o
riam que Otease um momk^Bo q
aem eesaar que as auaa
o menor siga a I desda o _
Okoitch, que todos os homens
lo aajaplica
lia tf*tti
i que oieoge
que
dea a
;eodra-
oa inspi-
mesmoludo ae desculpa pe
ltaseles, pelos erroe e csuaaa
ram, a talvez boas iotencoes
taran.
Nao faxemoa a injustiji de suppr qae o impe-
rador Alexaodre quanoo deu urna carta constitu-
cional Polonia o flzera com a ioteojio preme-
ditada de coarcta-la pouco i pouco ; seria iaao um
calculo mal feito, que nao se deve attribuir um
hornera de tao alta intelligencia. e de carcter
to nobre. o imperador suppz fazer urna obra
boa e meritoria, da qual podia jaclar-se nsquella
poca era que, excepjo da Franja e ds Ingla-
terra,nenhum ontro paii na Europa possuia liber-
dadea eauaes essas por elle outhorgadas 4 Po-
lonia. O edificio (oi bem planejado ; mas qaaodo
ae tratou de coostrui-la, notaram que se ia edifi-
car sobre a areia.
Nao nos oceuparemos multo era notar as diT*-
renjas existentes entre a carta promulgada 4 24
de dezembro de 1815 e as basea da coosiiluijo
assignsda 13 de maio do mesmo aono: apenas
tomaremos para ponto de partida o primeiro des-
ees documentos.
A Polonia, em virtude dessa carta, possuia um
overeo absolutamente diatincto do do imperio.
Um lugar-teen te do rei.leodo junto ai um mi-
nisterio nacional, repreaeotava a pesaos do sobe
rano, e em suas mo* achava-ae depoato o poder
executivo: qaaoto ao poder legislativo era da at-
tribuicao de duaa cmaras, a saber, o atoado a a
dieta : os senadores eram oomeados pelo rei vi-
taliciamente, e os deputados eleitos pelo suffregio
de cada provincia, onde baria tambem urna sa-
neables secundaria electiva, chamada dieta pro-
vincial, e destinada a representar um papel ana-
logo ao dos nossos conseihos geraes. A dieta dis-
cuta e volara as leis e o orcameoto presentados
pelos ministros; o senado as aaoccionava.quando
nao Ihe pareciam conlrariaa coosiiluijo. A
dieta fuoccionava por um mes, e eslava ao arbi-
trio do soberano nao reuni-la senio oe cinco 3m
cinco aonos. O resumo das sessoes podia aer pu-
blicado, e os deputados goza vam do privilegio de
dirigir suas petijoea ao soberano, o que Ibea dar
urna certa independencia do goveroo local.
A juatija achava-ae separada da admioistrajo;
os magistrados eram eleitos e inamoviveis, a li-
berdade individual garantida, e o senado consti-
tua o tribunal supremo da justica. O cdigo Na-
poleao. que estar em vigor no grao-ducado de
ni adoptado como cdigo do reino, na
quillo que nao era contrario conatitaico. Em-
fim um commissario imperial servia de inter-
mediano entra o governo polaco a o goverao
Porm o privilegio melhor e mais seguro do
reino repousava na existencia de um exercito na-
cional, que era commandado pelo proprio irmo
do Imperador o grao-duque Constantino ; o que
o sem duvida ama vaotagem nos primeiros lem-
pos ; porquanto esae facto deveu o exercito a
sua orgaoisajo aolida. e o aeu deaenvolvimeolo
que nao cooinbuiu pouco para eotreler o espiri-
to nacional Todava a preeenca de um irmo do
imperador 4 frente do exercito devia bem depres-
sa enfraquecer o poder civil, e mesmo aniquila-lo
de urna vez com o lempo e auxilio do commissa-
rio imperial. Que figura podia fazer o lugar-te-
nente Zuonczek. hornera de pouco valor e pouco
crdito, ao lado de um irmo do imperador her-
deiro presumptivo da corda dos czares, ehefe mi-
litar, imperioso e temido, cercado daum estado-
maior compoato de Ruuos aferrados todos os
prejuizos autocrticos do seu paiz ?
Essa constituirlo nao era cortamente ama obra
prima, o que bem se v dos pontos por ondea-
ra ser ella amquilada : comludo S9 tivesie sido
escrupulosamente observada, serrina de trartsic-
5ao, e oftereceria Polonia urna sorama de liber-
dades bim dignas deinvejs nsquella poca. |Po-
rm de um lado fermentavam no fuodo dos cra-
joes os ardores da independencia, avivados pelas
prosiessas que htvis feito o proprio imperador
em diversas ocessides; por outro a pratica do go-
verno representativo era singularmente ealranha
pendencia, muilo de arer-se que teria tambem
adquirido eternamente o aeu amor, e fundarla
deaie modo para a sua dyaaatia um tarja irre-
ialivel no Bosphoro. Nesle ponto a Europa deve
feliclUr-se por ter encontrado ao espirito mos-
covita um auxiliar aos seus inleressas; porque
ease espirito, modificando poseo 4 pouco aa pri-
mis* viatas de Alexaodre, contributa forleotna-
te pira otTBcoatecimeoios qete devism pregar aos
flancos do impela) o pejonhento trajo to odio. A
Russia cooservou aa proviociaa polacas, maa per-
deu a Polooia por urna vez.
Ocomproraisto que essa potencia se spegou
para aatisfazer a sua ambijio.e, ao mesmo lem-
acabar com os escrupuloa ds Franca e da la-
aterra, foi um declive preparado para urna qu
3a funesta. Pozzo di Borgo, bem que previra es-
sa consequencia Insllivet, e a attesira em ama
Sjjaorn que se toroou celebre. Depols de ter
examinado os perigos exteriores que na sua opi-
niao deveriam provir da siluago excepcional
creada ao pequeo reino da Polonia, e a for;s de
Itraccio que eaaa ailui?io exerceria sobre as oa-
traa duaa partea deamembradas em proveito da
e que os poros se constltuiam para serri-lo a Pruaala e da Austria, procuroa demonstrar que
joelhos ? Sfel Helores perigos nascerism para a paz interna do
Tal acooteceu coja Alexaodre. A saperstig'
do podor.de que era elle objecto,devia, se
ffOJLHETIJH
n
A DAN4 DAS PEROLAS
POR
A. DLMAS FILHO.
XXlF
(Conclusio.)
Tinhamos chegado ao meiado de dezerabro.
Quer por necessidade de repouso, quer por um
remorso interior, quer por attraccio para o pas
sado, Jacqaes foi fazer urna especie de romaria
SaiotCloud, no lugar, onde um aono antea, fra
paaseiar com Annette. Talvez, volteado aos lu-
garea que juntos haviam vieitado, tornaodo a ver
o pedestal em que tiobam escripto seua dous no-
mes, quizesse dar si mesmo a medida daa mu-
danzas que um anno podra produzir nelle, e ver
lietxad *"* lmpreM5es e8u"e, 1 nha
ari-Sl^Vi'" mMmo que 0B1 "no antes.
Nlngoem dina que por soore elle psssra ura an-
no. Nada ha va mudado de aspecto; smeote
agora a duqueza nio acompaohava o peregrino
pensativo e solitario. Duraote aa duss horas que
elle ficou sobra o baoeo. em que se tioham sen-
tado juntos, convencau-se sinceramente que na-
da chegana a substituir nella a rec5rdacio dessa
mulner, cojo nomo, encrustado na pedra aor-
ns-lhe como $t tivease sido escripto um minuto
aotea. Em summe, nao poderames piolar me-
lhor o sentimenTo do oosso hroe, durante esse
da, do que renroduzindo os versos que me en-
viou no dia seguiote. e que em seu espirito o em
seu coraso, eram a continuado dos do aono
prcccd6Dt6
Va an a'est accompli depuis eette journe
oa nous fumes au bois nous promeaer louxdeox.
Helas I j avua prevu la triste destinen f
Que devait succeder i quelques jours heureux.
Notre amour oe vit pas la aaisoo prs da mitre
A peine un doux rayn de soleil luisa,t j|
Que I oa nous separaii; et, pourloujours peuftre.
A commenc le doubla et douloureus exil.
Mol, j'ai vu ce printemps sor la terre loiotaine
Sana parenU, saos amia, saos espoir. aaos amour,
Les yeux toujours xssur la route prochsioe
Par o la m'ataia dit que tu viendraia na Jour.
Que de fois moa regard a sond cetiejroate,
Qui se perdait parmi dea foreta de sabina,
Moins obcin, moiu piii, solas Iriitai aaa le .loute
Qae m eecortait depuis na mois par lea chemins !
Aquoiboo ae soleil qae fieurissait lea branches,
Recbauffait la natura et lea champa aseouplis ?
Marguenles, a quoi aarvaiant vos tetes blaoches.
Pas bales aa avril qae lea jeunes epis ?
A quoi boa lea senliers de la colliae grssaa ?
A qooi boo las oisoaux eeqaaiaot laura chansons ?
La chaleur de la trra et les aida dea baasoas T
Qu'a jamaia le aeleH ae voila. a'il eclaire,
vu'IMUS? b*B,0 ,n bMl m *Ml !',
Uaaatpaada taHU, ti a'est pas da priatemss f
tuSo diminuir a aaa iotelligeoeia, sem alterar as
qualidadea do sea eoracao, offerecar-rbaf am es-
pectculo tal contraste com aa delibera?5ee livrea
da dieta polaca, que setas lbe pareceram bem de-
presss eatraohaa ornearlas, e os vo'os e suppli-
cas pelos deputados levados sos ps do throao
avuliaram aoa sus ulhos como outros Untos ac-
tos de sediccao e ingralidao. Cruel eospeita de-
vera enlao atraveas'ar-lhe o corac&o, e sem duvida
nesse dia vm com amargura escapar-lhe urna
bem doee illuao : julgou impossivel a liberdade
na Polooia, e tomou sobre si o dever de acabar
com aquellas que i seu ver o paiz nao podia sup-
portar.
Foi por isso que a lei do orcameoto deixoa de
ser submettida aos representantes da aacio, a
dieta reunida o maia raramente posaivel nio vo-
lou mala os impoalos, e viu-se obrigada a regei-
tar leia neceaaariaa, por falta de lempo para eatu-
da-las; foi por isso que a liberdade individual
recebou muitos golpes, e os proprios deputados
desconhecidos sem outra forma de proceaso I
Essas medidas arbitrarias e flagrsnles viola-
coea da constituido, easa offensa feila juatiga e
ao direito, longo de domar esse povo rdeme e
orgulfioso de suas liberdades In jicciooaes an-
da mais o irritavam, e o impelliam reaistencias
que deviam tornar-ae um dia em rebellides de-
claradas. A' quem ae deve aecusar desses deplo-
rareis resultados senso squelles que crearam a
siluscta anormal cauaa dellea ?
Sobre os moi espirituosos e muito eogenhosos
forjadores do tratado de Vieaoa deve recahir a
respoosabilidade dos infortunios da Polonia, e
daa dolurosas agitacoea em que ae consumiram
todaa as boas inleucoes, e as ms adquirir a m no-
vas forjas. Com taea appareocias o vinculo que
haviam dado aos dous estados nao ouerecia al-
guma solidez, e do seu prximo rompimeoto de-
vis sahirou urna independencia completa, oa
ama sojeicao absoluts. S dous meios exisliam.
mediante os quaes se podia regular os negocios
ds Polonia : um dellea era dsr-lhe completa li-
berdade, o outro incorpora-la Russia de urna
vez.
O terceiro mel oa partido imaginado o linhs
sido talvez no intuito de lisoogear as esperanzas
secretas dos soberanos e dos povos, e de seduzir
os estrilos timoratos: e na realidade haviam
pensado n'um accordo bem impossivel. Entre
dous,povos to differeotes nos ioslinctos, origem,
costumes tradiccionaes 0 espirite poltico, como
eram o povo polaco e o moscovita, o vinculo
mais ligeiro que houvesse tornava-se urna cada
pesada. Os Russos, que se julgavam vencedores,
oao podiam comprebeoder que se dsse maior
somma de liberdades aos vencidos de que elles
proprios, e que mesmo mooarcha, senhor de
cincuenta milhes de subditos que o obedecism
sem murmurar, fosse contrariado em auas vonta-
des alera do Bug por um povo to pequeoo. Oa
Polacos supportavam com impaciencia os rea
arrogantea desses homens, que elles considera vara
como cegos instrumentos da forja, e por cooae-
guinte seus inferiores ; mal se podiam accommo-
dar ao titulo de conquistadores que si arroga-
vara, a seotiam-se humillados, vendo o crdito
que taea horneas mereciam do imperador, sobe-
rano dos dous estados por differeotes tiiulos.de
am lado monarcha absoluto, do outro rei coos-
utuciooal.
Emfim (tilvez fosse esta a mais pungente de
suas quenas) elles esperavam sempre, e dobalde
esperaram,'que o Imperador realisssse as pro-
messas feitaa pelo rei, e inseridas no tratado d
Vieuua, relativamente i extena&o ioterior do no-
vo reino. A aooexacio das antigs provincias po-
lacas submeitidss ao dominio russo, e a sua in-
corporarlo aorreino, dabaiio de urna coostiluico
commum. teriam restabelcido o equilibrio entre
esae reino e o imperio propriamenle dito; te-
riam poato um freio as pretenjoes moscovitas, e
restituido sos Polacos a importancia que ti-
oham direito oa Europa, e que altamente revin-
dieava a sua altivez nacional.
Se o imperador Alexaodre, obedeceodo ao seu
primeiro impulso, que era bom, livesse restituido
esse povo cavalheiroso a sua unida Je e inde-
Marguerites, tombez et mourrez daos la plaine,
Perdez vos doux parfums el vos lendres couleurs,
Si cellequej'atleods n'aspire votre haleine;
Vous n'etes pas l't, vous n'tes pas les fleurs 1
Oh I je prefere vous Chivar morte et aombre,
Avec ses arbres noirs et ses senliers deserls,
Avec son ceil etelnt qui s'enlr'ouvre dans l'ombre,
Et que, saos nous toucher, expire dans les aira.
C'est l le vrai soleil des ames desoles :
Rcadei aiai dooc l'biver, nous nous connaisoas bien ;
Ha tnateaae est la soaur de ses loogues aliis,
E le feu de moa cosur est frold comme le sieo.
C'est aiosi que, des l'aube, assis a ra fentre.
Je parlsis, maudiasant et le soleil et Dieu ;
Puis, le jourcommen;ait, j'esperais une lettre,
Que m eutfsitpardonnerau ciel d'etresi bleu.
Et le jour s'enfuyait comme avait fui la vellle.
Ren I pas un molde vous 1 l'horison bien ferm
Ne latssait mme pas venir a mon oreille
L echo doux et loiotain de votre nom aim.
Un moarceau de pspisr, c'est pourUnl peu de chdse;
Quatre lignes desaus, ce n'eat pourtant pas loog,
Si 1 on ne veut ecrire, on peut prendre une rose
Eclose le matin daos un pli du valloo ;
On la peut elTeuiller, au food d'ao eavelloppe,
Le ieter i la poste; et, l'exil venu
Du food de son paya, presque au bout de l'Europe
Peut aourire en voyaot que l'oo s'eat souvenu.
Quede fois vous aves oubli de le fsire I
Et chaqu joar, e'elait an desespoir nouveaa;
Mon camr se dessechiit, comme ees fruiu que l'on ierre
A la Un de l't, dans l'ombre a'uo caveau.
Si l'on pressait ce cceur aujourd'hui, c'est peine
S il ea poarrait jaillir une goutte de aaog,
II n'y reate plus rien; e'elait la coupe pleine
Q un enfant maladroit ail tomber en paisant.
Nous voici revenus 4 la fin de 1'aone
Et le lempa patient, qui ne s'arrte 4 ren
Nous renda le meme mois ella memo journe
O vous parliex d'amour, votre front prs du men.
C'est bien le meme aspect; les routes soot desertes
Le givre, de nouveau, gerce les elsnga bleus.
Les srbresont us leurs bellos robes verles,
Le cygae rod ancore triste et silencieur.
Voil4 yotre doux nom que ma main vieot d'ecrire ;
II est 14 que sourit daos le msrbre incrust I
Alios j ai fail un rere, et j'etais en delire;
Alios I j etaii en feu 1 tu oe m'as pas quilt.
La voilrure. 14 bas, aous altead a la grille:
Parlos 1 a'il fait beau nous revieodrons demain.
Baisse ce rolle ooir aur loo regard qui brille ;
Prenda garde de glisser et doaue moi ls maia.
Car il a pa. La plui a detremp les terrea.
Approche dooc! Halas I mes seos soot egars.
Les fduillesqueje foule. aux chemins solltaires.
Soot celias du printemps que nous a saperas.
Non 1 non 1 tu n'es plus l que J'apeella et que J'ai me 1
J i pria le souvemr pour la ream.
Et loin da cet'amour, encor, toujours le atae.
J al vec denx hivera de auile sus et.
Car l't, ee a'est pas eette aaison qui dore
Sit mois, et que aovombre etelnt d\io pied traosi.
Cfaat du coear rayoaoaot l'ateroella verdura:
C est ee que je serais qoand tu seras id.
Dees diasdspois de ter rMebido estes Tersos,
imperio.
< O titulo de rei da Polooia, disse elle, nunca
se poder harmooisar com o de imperador e au-
tcrata de todaa aa Russias. Sao duaa qualiQca-
jea que se nao alllam, porque aignificam couaaa
e eiprimem funecea to differenlea, que parece
impossivel v-laa exercidas ayatematicameole
por urna mesma pesada, sem que se veja esta na
necessidade de indispdr urna ou outra naco, e
talvez ambas. Quaesquer que sejam as razdes ea
necessidade daa conquistas, oo momento em que
se ellas fazem, toroam-se de ordinario um ob-
jecto que se deve iodispeosavelmenle conservar
quaodose acbm effectuadas e por todos reco-
onecidas, sobretudo se por sua oaturazs e impor-
tancia se referem 4 poltica fondamental do es-
tado conquistador.
a Aa poasesa&es polaeas incorporadas 4 Rus-
sia ealo meu ver neaaa catliegoria ; o acto de
destaca-las por urna medida iasUotauea pode
occislonar oa composico e economa do imperio
alteracdea desastrosas, e excitar urna oppresio
moral e differeoca de opinioes, bastante prejudi-
cial e perigosa psrs aa duaa osedes. Meditando
sobre esse aconiecimento, o espirito mal poda con-
ceber como por um simples acto ae separa da ad-
mioislrajo geral do imperio taolas provincias,
para com ellas formar-se um estado independen-
te quese goveroe por um systemade liberdade
peculiar ai, que vote oa seus impostos, decida
sobre oemprego dellea, e cree um exercito, ao
passo qae os seus conquistadores sao forjados a
retirar-se para assistir essa revolujo como 4
um espectculo, sem d'ahi resuttsr nenhum abu-
so da parte dos novos libertados, nem despeito da
parte dos velhos subditos 1
Esse disparate, que em todo o caso seria um
perigo, torna -se por demaia assuslador ao peo-
aamento de que dahi resultar unta diflerenca
constitucional entre oa Russos e Polacos; sendo
os primeiros destinados urna condijio passiva
apeaar do seotimento e realidade das suss for-
jas, eos segundo s a goveroarem-ae livremente
no seu estado de fraqueza e inferioridade com-
parativa. Accreacente-se a petulancia da vida-
de 4 superioridade dos direitos, e o qaadro ser
completo.
Com efieito elle complato I O amigo maia
dedicado da Polooia nao imaginaria roelhorea
argumentoa em seu favor do que esses do dipl-
mala que quena aniquilar essa nsciooalidade
opprimida. Cheio do espirita de propheciacujo
privilegio perteoce aos vrdadeirs homens de
estado como aos verdadeiros poetar, elle evoca va
oa presenja do imperador Alexaodre as conse-
cuencias futuras daquella falaa disposico, e tin-
glado fallar com os Polacos, dizia-lhes :
< Se obtiverdes aquillo que chamaos vosss io-
do pendencia, continuareis a ser os mesmos ;
coniervareis contra os Rasaos o vosso rancor ha-
bitual, unido ao despreso que vos inspirara o
vosso triumpho ; deixar-vos-heis corromper pelo
ouro e pelas intrigas do estraogeiro, que procu-
rar excitar embarazos para o imperio ; quereia
um exercito polaco, posto que fraco 4 principio,
para oppordes o exercito russo; acharis que nao
ser completa a vossa iodepeodeocia todas aa
vezes que o rei da Polonia nao voa sacrificar o
imperador da Russia ; levareis a perturbajio
poltica geral provocando a rebellio entre* ros-
aos compatriotas sob o jugo da Austria e da Prus-
sia ; antecipareis os seus desejos e arriata-las-
neis com a vossa turbulencia 4 complicajdea
continuas; eataes collocados em Boaa posijo
intermediarla entre elles e a Europa J todos os
designios de damnificar seus iolerer es cor^e-
jaram a executar-ae eotre vos ; hoje podis es-
lar desconteotes, mas sois fracos, e toaos os vos
sos compatriotas esto no mesmo caso. \t po-
tencias oao aoimam inieresses difiranles 4 vosso
respeiio. Apenas obtiverdes a existencia que
r'eclimaes tereis urna orgaoisaco activa, e urna
influencia nacional, que necessarameole toma-
r direccao divergente da unidade tyslemaliea
da Russia.
Para Pozzo di Borgo tornava-se muito simples
a coccluio : j4 que era perigoso e ioconsequen-
te assignar-ae para a Polonia urna meia-iade-
pendencia, seria melhor neohuma cooceder-lhe,
e antes sacrificar essa najo conquistada uni-
eu eslava em casa de Jacques e passei a noite
com elle. Fumavamos, cooversando aop do fo-
go; e bem entendido, atijavamos suas recorda-
joes para fazer resultar dellas algum calor e al-
gumas scentlhas.
Os versos que mandaste sao cheios de seo-
timento, dizla-lhe eu. Talrez tenhas nascidu
poeta.
Nao ; fra da dupla impresso que me dic-
tou essas duas des, eu seria incapaz de compdr
um diatico. v
- Assim sentes tudo quaoto escrereste oestes
ltimos versos ?
Slm.
Amas sempre 4 duqueza ?
Como, nao a amara l
E sers feliz com o seu regresso ?
Muito feliz.
Pois agora s hs pouco lempo a esperar, por
que no fim do mez, ao mais tardar, deve ella es-
tar aqu.
Jacques ainda nao me lioha fallado da carta em
que deixava 4 Annette a libardade de prolongar a
aua ausencia.
Ah! disse elle, ella nao rollar alada to
cedo.
Iodaguei porque, e elle disse-me tudo. Olhei-o
com attenjo.
Queros que eu seja franco disse-Ihe.
Falla.
-- Seria uma felcidade para ella, e talrez pa-
ra ti, que nao voltease mais.
Porque 1
Porque oso a mas bastante.
Nao me responden. Levantou-se, deu alguns
passeos pelo quarto, e parando emfim diante de
mira, disse-me:
Enganas-te, amo-a sempre.
Precisaste reectir para me dares esta res-
posta.
E' que, respoodeu-me elle, a verdade, ha
momentos em que oo sei bem o que se passa
em mim. Vivi to depressa emquanto ella ealava
aqu, e passou-se to loogo lempo, e mioba vi-
da tomou um curso to novo depoia que ella oo
est mais aqui, que por vezes pergunlo 4 mim
mesmo se tudo isso nao um sonho, e quaodo
me lembro que nao, parece-me que fra melhor
que o fosse.
Em summs, sentes que poderiss viver sem
ease amor, o que nio terias admiltido ha um ao-
no; e se tornaste a comejar....
E' verdade, talvez nio recmete.
Houve anda am ailencio.
Supponhimos que recebes agora uma carta
em que te pediese que partisses de novo ; part-
Slm, respondan elle sem hesitaclo.
Por amor real ou por delicadexe T
Partira.
Jacqaes parece que quera que eu fleasse nes-
se ponto das minbas porgelas.
-- Mandaste-Ihe os leus ltimos vertotT per-
guntei-Ihe. r
u 'era que? satas coutas, azem-ae para
E* justo.
Era roela noite. Chovis. Htvia em torno de ot
um silencio de morte que nada animava, excepto
o tinlr da pndula e o eatalar do fogo. Baleram 4
porta da ra ; a ouvimos essa porta fechar-se cea
rolda. Cpmo ss a pesaos que acabara de entrar
alo se Uvesse preoecapado nem da hora qae era.
nem do descanco dos isquilinoa, 4 quem seme-
Ihiote ruido poda e derla acordar.
dada systemalica da oajao conquistadora. Con-
virla sotes, segundos sua propria expressio,
!&*i"*0 eoB M poiBsk|.e ee-
traogeiraa 4 ama simples questo do limitea ;
iractemar aos tratados as oovaa acquiicoea
oamo teitas em proveito do soberano e de aeas
succesaores, e por conseguate da cora e do
imperio da Russia em plena, ioteira e perpetua
soberana ; nomear um lugar-teoeale Imperial
que residissa em Varsovia com aatoridade com-
pleta, correspondeodo se com o mioisterio, e
sem ter-se em S Petersborgo como proviocia
separada easa aova parte do imperio, aoounciar
as intenjdes e ordeos do imperador pela forma
costumada, isto, por meio do u*aie, como uma
emsaajio da aua vonlade, o sbsier-se de todo o
pacto e cooveojio feita entre o soberano e o povo.
debaixo do norae de constituijio ou outro qual-
quer. H
a T*1 ?a?l*no q,e Po" di Boro apreseotoa
aesae 1815 so imperador Alexaodre, plano que
eate recusara, e que seu irmo devia seguir am
da, para fazer delle brotar aa mais rigorosss con-
sequencias. Outra concluso talvez se apresen-
taase ao espirito do celebre diplmala, se o al-
cance de sua visls, com qaaoto muito extenso,
o fosse ainda maia, e se elle previese que a Rus-
sia depois de trinta annos de esforjos para con-
sumar essa assimilaco, afloal eniraquecida, e
esgotada em vas tentativas, vera surgir ante
ella a Polonia mais animada qae nunca, ebeia de
um seotimento nacional, que a compreaso s
fizera augmentar e fortificar mais.
II
O germen depoato nos tratados pelo coogres-
M" Vienna brotara os seus primeiros fructos :
a Polooia achava-ae em armas, e o seu rei em
decadencia. Todos coohecem aa peripecias des-
sa memoravel iosurreico ; todavia ellas deve-
riam ser oarradas de aovo as circumstanciss
acluaes, para servir de eoaino aos vencidos tan-
to quaoto aos veacedores ; porm nos nao nos
daremos 4 este trabalho. Passaremos por sobre
esses lempos de luto ; elles perlencem guerra
mais do que 4 poltica ; e tomaremos o fio de
nossa consciencioia iaivgajo do dia em que a
ordena reoou em Varsovia : o poato de par-
tida doseguodo perodo, isto o periodo da as-
similajo.
A obra de Alexaodre nio po Je durar ; aquelle
pequeoo reino constitucional, suspenso s espa-
doas do colosso muscovita, quebrou os seus fios;
cabio, e de lo alto cabio que se despedajou.
Vamos agora ver o que protendeu fazer dos seus
restos o imperador Nicolao, e aefoi bem aucce-
dido nos projectos que formou 4 esse respeito.
O que elle quiz fazer ds Polooia, isso fcil
de dizer-se; uma s palavra basta ; porm to
vila deve ella ser que vemo-aos oa necessida-
de de ioventar, pois a lingus franceza oo nos
presta uma soque exprima accao to vil: elle
quiz desnaciona/iaa-fa I Os tratados de Vien-
na o cootrano haviam estipulado, collocando a
uicionslidade polaca sob a garanta das poten-
cias contratantes. Mas cima dissemo's que era
illusoria essa garanta, porque nio poda deixar
de a-lo : oo faremos 4 iotelligeoeia dos nos-
nos leltores a injuria de insistir neste ponto.
O que vatera tratados I E' a lei do mais forte
a nica que aqui falla, e aquella que afloal da
coalas goveroa o mundo com tanto qae venha
acompaohada da forja moral. Ora em 1831 a
Russia tioha uma fo'rja moral que escudava a
aua forja material : a Europa, pois, liaba medo,
e a Polonia, apeaar das sympathias de que goaa-
va, vio-se perdida des le o da em que o occi-
dente empunbou o sceptro da revolujo O mes-
mo acooteceu em 1848, e mais adiaote diremos
a razo porque aioda hoje nao pode ser assim.
Nao avoquemos, pois. os tratados contra a
Russia na obra que ella empreheodeu desde
1831 : se a insvrreijo triumphasse, certamenle
a Polonia nao os invocara para se ir collocar de
novo debaixo do sceptro do czar. Por muito
amigos da legalidade, que ae os suppooha, os
povos nunca tem dessas simplicidades magn-
nimas.
Outro direito que nao o dos tratados podara
ser invocado, isto o direito das nacionalida-
des: porm em 1831 nao era elle coohecido pelo
menos com esse nome novo, e com as coose-
quenciaa que depois soubnram d'ahi linr; porque
enlao chamava-se o direito das geotes. Ora.
esae direito das geotes que nao seuo uma das
raaoifeslajes mais bellas da coosciencia huma-
na, prohibe que o veocedor mortifique a naco
vencida, irranque-a do seu lar, disperae-a o a
Iranaporle 4 forja para outros lugares, impo-
nha-lheasua rcligio, deipoje-a deseos bens,
lingua e tradiejes, rouoe-lhe tudo al o seu
nome. A historia, que a nica aancjo desse
direito quaodo ss najoes contemporneas, nao
sabara fazer justijs, taza de infamea os soberanos
e os povos que o vioiam deste modo.
O exemplo mais odioso que ella nos offerece
a dispersao do povo judo ; os annaes do seclo
deseoove leg^ram s gerajes futuras um oulre
oao meos odiosoo da desponalitaeo, se Deus
permittir que esta si reilise. O poo judu
quaodo era por toda a parle esesrnecido, e vili-
pendiado achou asylo e protecjiono seio de uma
oajao afamada pela sua f ardeotea Polonia :
parece que j ento.por um instincto de previsao,
a najao polaca sentia-se dominada de piedade por
um informlo que mais tarde tambem ella devia
soflrer; parece que j ento reclamara
amargura d<
^iSteeeffissB
parle de uma dor, cuja
tambem por sua vez I
O nobre exemplo qae dra _
do am povo proacripto, alo tioha de ioapirar oa
mesases seo timen tos ao veneeder de 1831. WT-'
colo resolveu acabar com essa aaeiooatidade
sem cessir renasuente; qoiz por conseguirte
exlingui-la : elle oelo meos lioha razio. Para
chegar-se i esse fim lgico lodos os meios foram
em pregados, e bem se pode fazer ama idea da
perseversojacom queoellesse proseguio. Leia-se
a respeito o longo meriyrologio da oajao deade
o mez de outubro de 1831 at o dia da elevajo
ao Ihrono do imperador Alexaodre II: sd e
enumerarlo das senleojas e dos ukasttt possue
uma eloqueocia que nao teramot.
ADc?n4.lUui?io fo '"o lespedajada, o oome
da Polonia extioeto, o exercito oacional incorpo-
rado ao exercito russo, as rscolas superiores e a
uoiversidade supprimidas, as bibliotbecas despo-
voadas.os quadros.livros,archivse objectoad'arte
roubados e conduzidos 4 S. Peiersburgo, a liogua
polaca abolida por toda a parte, os conventos
caiholicos despojados e saqueados, seus bens
confiscados, assim como os beos dos proscriptos
e exilados voluntarios; commisees militares
instituidas com esta ordem terminante : cApres-
sae-vos e ferl I; caJafalsos por toda a parte er-
guidos, cootribuicOes de guerra impostas torio
e direito. os camiohos da Siberia cobertos de
victima, mulheres e meninos agarrados para s
manufacturas do estado ou traosportados aos
milhires para as colonias militares, gentis-ho-
mensconstrangidos ao trabalho, claco mil fami-
lias arrebtalas em cada governo e transferidas
para o Caucaso, razziai de auapeitos operadas
em todas as provincias, destrictos decimados, aa
ierras dos ausentes destribuidas aos generaes e
corlezos russos, a liogua polaca substituida pela
russa as escolas daa aldaa como eoaino obri-
galorio, oa preceptores das familias obrigados a
ensioar-lhes o russo, os hbitos nacionaes pro-
hibidos e impostos os hbitos russos aos cam-
ponezes sob pena de knout; a egreja grega anida
incorporada egreja orthodoxa ; a perseguijio
religiosa esteodida todaa as provincias, os sa-
cerdotes caiholicos prohibidos de administraren)
os sacramentos em certas circumslancias.
A confiscajo dos beos de todo o membro da
egreja orlhodoxa que abandonasse a sua religio
foi decretada ; a moeda e o papel russo substi- lcaaohi nos casameotos
tuiran polaca; vedou-se aos camponezea a
acquisijo de bens*de raizes; os altos empregos
e gdvernos foram confiados of&ciaes russos:
por toda a parte a corropjo, a veoalidade, de-
lajo, arbitrariedade, espionagem, por toda a
parte o terror I...... Um dia, da de luto que a
naco polaca jamis poder esquecerera no
mez de novembro de 1834 vio-se publicamente
annunciar a arrematajo dos meniaos e or-
phaozinhos 1...... A liogua polaca suppnmida
as escolas (oroou-se cmplice dessa publicajo :
foi o nico uso que della fizeraml....
A penna recusa trajar, e o leilor certamente
custar a comprehender tudo o que em vate e
tres annos se imagiaoa para extirpar dos
cora-oes o seotimento de nacionalidade, para
corromper e anoiquilar esse povo firme na
sua creoja e na sua virtude, em fim para ma-
tar-se essa oajo que nao quera morrer I Essas
leis de proscripjo, condemnajdes em massa,
formidaveisexecujes, raptos sbitos, oo foram
decretados smeote para os das posteriores
insurreijo, nao; torna rara se elossuccessivos
de um sysiema permaoente, estudado e medita-
do. Dez anoos depois aioda todas essas cousas
eram promulgadas quaai quotidianamente; e
hoje mesmo o conselho de guerra continua a
julgar e punir os deltctos I
Nuoca houve plano concebido com tanta mal-
vadeza, proseguido com mais tenacidade. e exe-
cutado com maiores rigores. Se elle nao leve
melhores resultadosoo foi eulpa dos seus iu-
ventores nem'dos seus execatores: porquanto
aa e outros empregaram toda a sua sciencia,
cuidados, forja de aoiipathia, em summa toda a
sua fiaura oriental e barbara obstioajio.
Foi sobretudo contra a consciencia do povo, e
corma a sua religio que se dirigiram os maiores
exforjos do goveruo russo. Na Polonia o senli-
menlo nacional oo vive smeote da
a sua
que eu te deixe, disse-lhe eu.
E' lempo
Adeus.
Quaodo te verei aqui?
Nestes das
Peguei ao mea chapea. No momento em qae
eu me preparara para sahir do quarlo, bateram
violentamente porta do paternal. Jacques es-
tremeceu.
E' aqui que batem ? disse-me elle.
Sim.O que teas? ests commovido.Vae abrir.
E alguem que se engaa, disse elle. Nao
espero oinguem semelhaote hora.
Foi abrir sem levar luz. Macbinalmente puz-me
4 escuta.
A escada eslava completamente escura.
Quem est ah T perguntou Jacques com voz
trmula.
Eu, responden uma voz de mulher.
Voc, Elisabeth 1
Eu, mesma.
Qusndo chegou ?
Ha dez minutos.
-Ei duqueza ?
Est 4 sua espera.
A' esta noticia, feriamos certamenle dado um
gnio de alegra, ou pelo menos de admirajo, se
oa entonajao dessas palavras: c Est 4 sua es-
pera nao houvesse alguma cousa de lgubre.
Apresse-se, replicou Elisabeth, nao temos
um momelo a perder.
Approximei-me d mademoiselle de Norcv. e
eslendi-lhe a mi.
Ah! o senhor! disse-me ella.
Oque ha? perguntei-lheeu,emquantoJac-
quea se preparara para aahir.
Uma cousa siaislrs, respoodeu-me ella. Ve-
nha e veri.
Deseemos. A'luz do perystilo, vi a pallidez de
Klisabeth, a fadiga do aeu roslo, a desordem dos
seus vestidos. A viagem de vera ter sido rpida e
penosa. Tomei lugar oo carro. Nem uma palavra
dissemos no curto trajelo da casa de Jacquea 4
da duqueza. Chegmos. Jacques abafava ao che-
gar ao limiar dessa porta que tioha passado tan-
tas vezes com emojdes ioteramele contrarias 4
aquellas que nesse momento o agitavam. No mo-
melo de entrar, faltou-lbe o animo.
Elisabta, disse elle aperlaodo a mi de ma-
demoiselle de Norcy, certamente acooteceu al-
guma desgraja. Diga-me o que .
Nao percamos lempo, responden ella ; voc
*0rd
Havia uma certa dureza as respoatas de -Eli-
sabeth 4 Jaequss. Fiquei com ella no aalao.
Agora, disse-lbe eu, agora que estamos sos,
diga-me o que se passa.
Elle a matou I disse ella.
Jacques ?
Sim.
Como?
Ella ea ti vera por am Iriz a morrer, mas j
ia m^-.or : tonaeolira, 4 instanciaa de aeu pae e
miohtV e pela certeza qae eu lha dava que Jac-
quea arztava-a como ouir'ora, m tritir-se al o
um do mez quaodo recebeu uma caria delle que
lhedlzia por assim dizer, qae nao tinha preaee de
tornar a va-la, que podia demorar a aea partida
o lempo que quizesse. Esse cooeentimeato, da-
do mesase antea della e pedir, deu-lha am gol-
pe terrivei. Ella julgou ver oisso que Jacquea
Bjat a amara mais, que ama va outra mulher. qae
prefera oo tornar a ve-la. Com efieito, essa
caria era multo desastrada. O eiaae apossou-se
da duqueza, pardea a caneca, eaada pode cont-
is. Quiz partir imaediataaeote. Ter-se-hm snici-
_ recordajo
das antigs liberdades, das passadss glorias mi-
litares, e de um pretrito povoado de grandezas
e de homens eminentes: ali o amor da patria
acha-se de envolta com a f calholice, o que lbe
d uma forja como talvez nao se encontr egual
em nenhum paiz do mundo; ou para melhor
dizer o patriotismo e a f formara uma s cousa,
e ambos vivem unidos oo corajo do povo. Ao-
niquilar o caloolicismo era com o mesmo golpe
arruinar o seotimento nacional, e preparar essa
conquista moral que a conquista material nao
podra consumar.
O imperador Nicolao infelizmente para sua
gloria appliiou nesse Bm toda a energa do aeu
carcter. O respeito que tributamos sua me-
moria nao nos cohibe de dizer aqui a verdade e
temos oecessidade de diz-la para mostrar qual
foi o seu erro. Logo que elle subiao Ihrono
muito aotes dessa losurreijo que foroeceu-lhe
para diaote tao plausivel pretexto pin perseguir
a f, tratou de por em pratica contra a religio
caiholica e a egreja grega unida os projectos
unitarios da grande Calharina ; e depois de 1831
nelles proseguio com verdadeiro encaroecimelo
accresceotaado todas as medidas compressivas e
a sus vonta-
------v culto lodepen-
,.?? f! **X'Ot,' bortinar o poder
esnirUail ao temporal. Foi deste modo que
usando de artificios corrupjio e violencias, con-
ZXSSSi*9*"' '^Me ,im Ronia os
caiholicos gregos-unidos da Ruthenia e de outras
arovlnciar. Acobertou-ee essa iuiquid.de de
muito lempo premeditada, aob as'app.reoeias do
um retrocesso s aotigis doutrioas : mas de ficto
ro um roubo subrepticio feito s creocaa do
povo, combinado entre alguns bispos apostatas e
o aanto aynodo de S. Peiersburgo. o povo
quaado cooheceu o artlBcio, resisti; persegui-
ram-o as soss cabanss, precipitaran!-o as
ondas por entre bancos de gelo, inundaram com
o seu sangue o pavimento das egreias pro-
fanadas. r
A' respeito dos caiholicos latinos a tctica oo
podia aer a mesma, pois que desse lado depara-
vam com uma f nio meos profunda e virtudes
oio meaos elevadas : todavia lanjou-se mo da
violencia, de envolta com a astucia, mas de modo
que a Europa nao fosse disso sabedora. Oa sol-
dados que devastaram os mosteiros, lanjaodo os
seus nos pedes porta, faziam-o muidos de
um ukau, oude se iovocava as conveojes con-
cluidas com a santa s que autorisavam a fuso
eolre si das pequeas commuoidades ; os obst-
culos que oppuoham ao clero no exercicio dos
seua deveres espirituaea tioham por base, diziaro,
elles, a eneyelica de Gregorio XVI, arrancada ao
corajao do pontfice pela ameaja de perseguico
aos caiholicos da Polonia. f 6 v
O clero calholico tioha do grande parte na
revolujo de 1830, e por isso piotiram-oea
Roma como imbuido das mais funestas doutrioss
de revolujo. O papa, cedendo s sugesles e
ameajaa, julgou pm dever[chamar o clero polaco
ao cumprimento de suaa obrigajes, e submis-
aao do poder temporal ; porm quando mais bem
mformado elle soube o abuso que se fazia das
suas palavras para extirpar a religio, a aua voz
ae fez ento ourir, e n'um documento que se
toroou celebre, paleoleou as queixaa qae a egre-
ja romana tinha do goveroo russo. Enlao entre
ellas assignallou a suppressio daa egrejas, a pro-
mulgajo das penas as mais severas cootra aquel-
j les que abjurassem da f orthodoxa, a lei que
mixtoa, acondijo ex-
pressa de educar os filhos oa religio russa a
prohibijao aos sacerdotes de admioisirar oa s'a-
cramenlos s pessoas que delles nao fossem par-
ticularmente coohecidaa, de baptissr os meninos
provenientes de casameotos mixlos, de receber i
mesada commuoho todo aquelle que uma s
vez livesse partecipado do rito grego-russo, de
sahir do seu domicilio, edificar egrejas; final-
meote muitos outros ukaui com o fim ma-
nifest de tornar impossivel aos sacerdotes o
exerticio do seu ministerio, introduzir forja o
proselytismo grego-russo no seio das familiaa, a
tazer em summa desapparecer a religio catho-
lica romana dos estados do czar. A' essas quei-
xas accresciam tactos de violencia praticados
contra oa sacerdotes e bispos que tioham iovoca-
ier<,a de 1772.
Essa exposijo da ssnla s se nao tere o privi-
legio de receber orna resposta sstisfsctorie, teve
pelo menos o poder de provocar uma reiviodica-
jao simples e fraoca dos direilos que se arroga-
va na Polooia o governo russo.
Foi o clero, eserevia o conde Gourieff em
uma memoria dirigida ao santo padre, foi o cle-
ro que por sua conducta culpada e iogratido
despedajou o pacto que Ihe assegurava o scelo
e paz de que gosava. O goveroo, depois de ha-
ve-lo submettido pe'.a forja de suas armas, que
viu-se obrigado a recorrer, eolra no pleno exer-
co dos aeus direilos de vencedor, e 4 elle s com-
pete hoje deliberar sobre os meios que julgar
mais ellcazes, para prevenir o reapparecimento
das desordens que mergulharam temponriamente
essas proviocias nos horrores da anarchia civil e
religiosa.
Como se v, eram sem limites os direitos que
o governo 4 si arrogava sobre as conscieocias e
sobre a religio : t elle s compele hoje deli-
berar... Foi o clero que despedajou o pac-
to. ao goverao eolra nos seus direilos de ven-
cedor logo oo ha liberdade de culto, nao ha
liberdade de consciencia. O czar o senhor ab-
soluto, e se aioda existe na Polonia um calholi-
co, porque elle ae digna coosentir, pois se qui-
zesse tea por si o direilo (direito de vencedor)
de obriga-lo a abjurar, impondo-lhe a rolisiao
domloante. e Y
Compreheode-se perfeitamente as eonsequen-
ciaai monstruosas que resultaram de semelhante
sophyama, e quaoto eatava looge do direilo das
geotes e dos principios decivilisajo, o governo
que iovocava com to pouca prudeocia o direilo
absoluto do vencedor, o qual assim ioterpretado
um direito que o occidente repelle como br-
baro e odioso.
Nao insislamos: 4 todas as vislas salta o em-
peoho que se tioha em oppnmir as conscieocias
e extirpar da Polonia a religio que faz em gran-
de parte a sua forja, unidade e coheso ; e de
toda a evidencia que os meios em pregados para
consecujao desse fim oo eram verdaderamente
dignos de urna grande nsjoe de um governo
civilisado.
(Continuar-se-Aa.)
dado, ou moirdo louca, se nos tivessemos ten-
iaao oppor-nos seriamente sua partida. Quan-
i.8 *?n,1u da camai 1uasi Perae enlidoa ;
mas cada Ihe imporlou. Partiu, apocar da nev.
apezar do invern, apezar daa estradas imprati-
caveis, apezar da febre que a tornara por momen-
tos como que louca; chegaodo Vienna, no mo-
melo de apear do carro, disse-me : Elisabeth
susienie-me que nao poaso mais andar. Tinha'
uma paralysia completa as pernas. Suppliquei-
Ihe que Ucasse alguns das em Vienna.
Nem uma hora, disse-me ella.
Tornamos a partir. Em Colonij, fui forjado a
manda-la carregar de uma para outra eslajao.
Eslava como uma defuota; s Ihe restava a pa-
lavra ; e de Bruxellas para c4....
Nesse momelo ouvimos um grande grito oo
quarto da duqueza. Era Jacquea quem o liaba
aaao. Frecipitamo-nos para esse quarto. Eis o
que se tinha passado :
Quando Jacqaes entrara, a duqueza paluda co-
mo o marmore, e toda vestida de branco. eatava
esteodida aobre um canap, com um Iravesseiro
sob a cabeja, e na immobililidade de uma esta-
tua de tmalo ; os dous brajos deacaojavam ao
lado do corpo, e as duaa moziohas, brancas co-
mo cera, eacureciam a alvura do vestido. Ao
ruido que Jacques fez, ella vollou a cabeja para
o lado delle, e um sorriso de innefiavel alegra
enireabnu-lhe os labios nacaradoa e fez por um
instante pslpitarllhe os grandes olhos, oode apon-
taram duas lagrimas brilhantes. Foi a nica pro-
va de existencia que deu todo o seu corpo.
Aooetle I Annette I exolamou Jacques cor-
reodo ella, cshindo de joelhos e levaodo aos
abios uma das mSos da duqueza : lu rollaste.
louvado seja Deus I
Mas ao mesmo lempo contemplava com uma
especie de terror a mo em que pegara, que Aca-
ra trio como o gelo e molle como aigodo sob os
beijos de que elle a cobria. Apezar aeu, aDao-
dooou essa mo. sempre to braoca eque, calan-
do pesadamente, bateunocho sem que Annette
parecesse experimentar nenhuma sensajo aem
que perecease mesmo perceber que sua m ar-
rastava pelo chao.
Meu Deus o que isto? perguntou Jaeques.
E, lomando de novo a mo de Annette, aacu-
diu-a com forja em risco de Ihe fazer mal e
ponto que todo o corpo da pobre mulher
Tu m'o prometles e au l'o juro. Se soflres, dize-
me : Deus bom : tralar-te-hemos bem e te cu-
raremos Annette, por quem s, uma palavra.
Sempre o mesmo silencio.
Ento elle aflaslou um pouco o roslo e olhou
filamente para o de Annette. Pareceu-lhe que
a respirajao da duqueza lornava-sa mais lenta
que as palpebras se abaixavam pouco e pouco'
como sob a influencia do aomoo para os olhos
cujo olbsr nao o deixava. Emfim em olhar ex-
tinguiu-se de lodo, e nio bouve mais vida nen-
huma nessa horrivel immobilidade.
Annette, dormes t
eu te supplico I
Os olhos Acarara fechados. Poz-lhe a mo aobre
o corajo. Tinha ceasado de baler.
Foi ento que ouvimos esae grande grito, se-
melhaote ao de uma alma que ae despedajasae o
que eu e mademoiselle de Norcy precipitamo-nos
para o quarto da duqueza.
Jacques eslava sem sentidos.
A duqueza cumprira o seu juramento:
porm morreaa.
Acorda, abre os olhos,
viera,
4
se ; mas ella com os olhos'se"mpr"e"filos em Ja
ques, soma-loe como se elle nio Ihe livesse to-
cado e com o aesmo sorriso que lbe illuminra o
roslo quaado elle apparecera.
Jacques teve realmente medo, e descaocsndo
docemeote a mo de Annette sobre o caoapV pos
a sua sobre o corajo da moja. O coraco pul-
sa vai tanate. Poz os labios sobre os labios en-
treabertoa de aua amante, e os olhos desta se fe-
charem por am tastaote com um seotimento inex-
primivel de ventura; mas nem uma palavra lbe
sahiu da bocea. Enlao elle tomou-a nos bracos
e aperlou-a de encontr ao seio ; mas seotiu ea-
se bello corpo sem forja no seu abraco e os bra-
cos que quizara ver atarem-se em torno do aeu
pescojo flearam immoveis e pendentes. A bocea
sorria aempre, e oa elhoa olhavaa eom ioneffarel
ternura. Jacquea aenlia desvairar-se-Ihe a razio.
Anoetie f Annelte I diste elle, em nome do
cu, falla-mu I
Nada.
Nio me amas mais? disse ella sjoelhando-
se de nevo beijando os cabellos da pobre mulher
e choreado. O qae te st Etperei-te; nao du-
Tidei, s 4 li amo. Nio not separaremos aas.
Ha dous annos que Jacques vollou da Italia,
cujo clima era o nico que podia resUbelecer-lbe
a saude compromettida. Trazii comsigo uma.obra
admiravel, acabada na aolidao, e cuja mais bella
lospirajio nascera do seu msior desgoslo. Es-
teva muito mudado ; ma tioha eaaa cabeja peo-
saliva, essa pbyatooomia grave, esse olho triste
e profundo que aprazvernaquelles cujo genio col-
loca superior aos outros homens.
Jacques talvez ra aioda, maa ouuca ser ale-
gre ; talvez tenha amantes, porm nunca mais
amar ; Deus queira que elle viva ainda loogos
annos, mas o que cedo que uma s recorda-
jo oceupar toda a sua vida.
Todo entregue 4a impresses que me tioha cau-
sado essa dolorosa hiatoria, eu a escrevera du-
rante a ausencia de Jacques. Quando regrestou
dei-lh a 4 lr.
Impma-a, disse-me elle, qne verdadei-
ra, e provar maia uma vet que os smores illegi-
limos despedajam-se cedo ou larde de encontr
uma impoasibilidade. meaos que nem o hornea
nem a mulher leudan corajo.
De todaa aa peraooageaa que repretentaram am
papel neste livro, a nica que Jacques lem con-
tinuado a var, Elisabeth, com a qual no sea re-
tiro definitivo para o campo, paasa das inteiros
a fallar i respeito de Aaeette, e 4 quem, diante
de mim eoatava nm ia que vohsodo por Flo-
reoja tioham-Ihe offerecido apresen ta-lo em casa
de ama seohors franceza, ebegada muito recente,
mente, muito 4 moda, e mulher de grande tom.
Responder que nio cceitava, mas pergunlra o
nome desea senhora.
Chamavsa-a a senhora condesas de Wfne.
Cariota pozara o epitapbio de condessa sobre a
ta-t* na llalla.
Quanto ao duque, easa herdra do lio, e si*
filho passa asr.il saaravUaaa. Eu desviara bas-
ll?,.-6*.MM ""W0. o pae habita em paiz
Nlii 02611*0.
_a algam dos ieiteres Wr a Bade. ahi eocontra.
radeeertea Vtadiair, 4 quem o goveroo maso
pedia que foaae o meaos poaivel 4 Rossia, e que
escolheu para sua residencia ordinaria e indlt-
pensavel a capitel dos toene.
Poden aptaaj tana mia. se qulzerem : mas.
se meacredUm, nio jogaaa com elle. '
PEBI. ItfBK K. 9.UL FAWA tic FlJsBQ. 1881


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EAXO0MTRB_KM4BUZ INGEST_TIME 2013-04-30T20:51:59Z PACKAGE AA00011611_09902
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES