Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:09893


This item is only available as the following downloads:


Full Text
lili XXIT IBIttO 291
PtrtresBMiiditiUdM 5$0#0
Pr tres exea Yeicita 6|000
- 4fH QXtoffaQT.
F3f W/1*1 M OUU
TERCA FEI1A 17 II DEZEBBRO II 1141
Nraiitiutidtl9$000
Ptrle fraiet para o nbwripUr.
rsifiiiAifi
ESCARREGADOS DA.SUBSCRIpCAO DO NORTE
Parahyba, o Sr.Ajtpoio Alexandrioo de U-
ms-; Hait, Sr Ae!oirlo Marques da Silva;
Araeaty, o Sr. A. de Lemoi Braga; Ceari o Sr.
f. Jos de OHreira; Miraohio, o Sr. Maooel
Jos Martios RibeiroGuimaries; Psri, Justino
i. Hamos; Amazonas, o Sr*. JeroDymo da Costa.
PAKI1IMS uU9aU>rtHIUus.
Olinda todos os diat as 9)4 horas d dia.
Iguarass, Goianna, e Parahyba as segundas
e sextss-feiras.
S. Antao, Bezerros, Bonito, Caruar, Altinho
e Garanhuns na* tercas-feiras.
Pao d'Alho, Nazareth. Limoeiro, Brejo, Pes-
queira, Iogazeira, Flores, Villa-Bella, Boa-Vista.
Ouncurye Rx as quattas-elras.
Cabo, Seriohiem, Rio Formoso, Uoa.Barreiroa.
Agua Preta, Pimeotelras e Natal quintas feiras.
[Todos os correioa partem as 10 horas da manhia]
PMTE OFFICUL.
EPHBMERIDES DO MEZ DE DEZEMBBO.
1 Lea nota as II horas 57 minutos da larde.
V Quarto craaeenta aos 50 minolosda manhia
ii. n 6 hor" 8* iote>i.d tarde.
Z5 Quarto ming.ante as 7 horas e 31 minuto
da larde. t
31 La non as 11 horas e 35 niatos da man:
PREAMAR DE HOJE.
Primeiro as 5 horas e 18 minutos da manhia.
I segando as 5 horas e 42 minutos da tarda.
DAS DA SEMANA.
16 Segunda. S. Acamas. Amias eMizael mfi.
17 Terca. S. Bartholomeo de S. Geminiano.
18 Quarta. N. Sen hor. da O"; S. Eapiridiio c.
19 fluala. S. Fausta;'S. Daro m.; S.PaorJllo.
20 Seita. 8. Liberato m. ; S. Poligooio b.
91 Sabbado. S. Thom ap.; S. Temialoclea m.
ti Domingo. S. Honorato m. ; S. Ploro m.
AUDIENCIAS DOS TRIBUNAES DA CAPITAL.''
Ministerio do Imperio.
Pela secretaria de estado dos negocio* do im-
perio se faz publico que Sua Magostada o Impe-
n.i i u" emon8lr,?9 <* 9 profunda magua
Tu. m,?"!" /,? ?6US 8UUS,0S "brinhos
Sua Magostada Fidelissima o Sr. D. Pedro V. a
su* Alteza Real e aerenissimo infante de Portu-
gal remando, loma luto cora a aua c>te por
espago de dous meses, contados de 3 do correo -
te. sendo um pesado e outro alliriado.' Secreta-
ria de estado dos negocios do imperio, em 7 de
daiambra de 1861Jos Benlfacio Nascenic.de
Azambuja.
60YERN0 DA PROVINO!.
Expediente do governo do dia 13 de
dezembro de 1861
Olflcio ao Exm. Sr. presidente do Maraahio
Para cu mor meato do que determinou o Ezm. Sr.
ministro da agricultura commercio e obras pu-
blicas em aviso de 89 de novembro flodo. que
por copia, rogo- V. Exc a expedigai das precisas
ordeos para que a companhia Maraohense regule
a sanios dos seas rapores de maaeira que re-
nnam estes encontrar em aua viagem ao sal os
OacompaohiaPernambueana do norte, e possam
receber desies aa malas que tiverem de ir para
os portos, onde nao cheguem. Dero prevenir
V. Ese. de que nesta data providencio para que
a sabida dos rapores da companhia Pernambu-
esoa conceda e seja quasi immediata a dos paque-
tes das Messagenea Imperiales de fazenda e com-
panhia de Soutbamplom. de conormidadecom o
xtlado aviso. Commancou-se ao agente da
companhia Peroambucana.
Dito ao commandante das armas. Sirva-se
v.a. de expedir suasordens para que ao delega-
do eocarregado do expediente da repartigio da
polica se aprsente urna escolta de quatro pra-
vas de 1 liohi aGm da conduzir por trra o cri-
minoso Maooel Soares Brasil da comarca de
Ooianna ai a prorincia da Parahiba, onde vai
responder ao jury.
Dito ao meamo.Sirva se V. S. de reiteirar
suas ordena para que flcando na villa de Papaca-
ra sraentelO pravas como determinei em offlcio
de do mez passado. o destacamento que nella
se achava aiga para o termo de Buique, onde
eleve permanecer a disposico do delegado Joa
Pedro Nolasco Pereira da Cuoha, que em offlcio
junto a outro do chele de polica o. 1,850 de 9 do
corrente declarou aioda aio haver ali chegado
aquella torga.
Dito ao mesmo.Srra-se V. S. de informar
acerca do arbitramento, a que procedeu a the-
souraria de fazenda, da elape da tropa de 1
liona desta provincia como se v da tabella an-
nexa ao incluso ofllcio da mesma thesouraria
datado de hontem o sob n. 1,280.
Dito aocheede polica.A vista de sua intor-
xnagao n. 543 de 10 do corrente sobre o requer -
ment de Prsncisco de Brto Cavaleante, mande
v. s. entregar a este, ou a quem por elle se
mostrar auiorisado. depois da competente baixa
e mediante indemniaacao do que or devdo ao
corpo, o sea escravo Patricio que aelte aa alistou
sob o falso nome de Joaquim Manocl Moreno
Dito ao commandante superior de Garanhuns
Respondo ao offlcio de V. S. n. 80 de 25 de.oo-
vembro prximo Ando em que pedia o pagamento
da qaantia de 2290443 importancia da folha e
pret do officiai e pravas requesitadas para con-
duzir presos para eata cidade, dizendo-lhe que
oo pode ser paga essa despeza por lor aido irre-
gular a maneira porque foi ordenada a marcha
daquella torga que s pela presidencia poda ser
autorizada.
Dito ao iospeetor da thesouraria de fazenda.
Transmiti V. S. para a derida exeeugio as
inclusas copias que me tora m remettidas com
aviso do ministerio da fazenda de 3 do crrante,
dos decretos de 17 de novembro ultimo pelos
ruaea S. M. o Imperador bouve por bem apo-
sentar a Francisco da Paula Lopes Reis e Joa-
quim Ignacio de Barros Lims. aquello no em-
prego de 1" escriturario e este no de ajudanle
do stereometra da alfaodega desta provincia com
os veocimemos que Ihes competirem na forma
da lei.
Dilo ao meemo.Transmiti i V. S. para os
convenientes exames, ts inclusas copias das actas
do conselho administrativo do arsenal de guerra
datadas de 3 e 4 do corrente.
Dito ao mesmo.Transmiti V. S. os inclu-
sos prels em doplicala afim de que, estando
elles nos termos legaes. seja paga ao negociante
Bernardiao Lopes de Oliveira conforme requisi-
tou o commandante superior da comarca de Na-
zarelh em offlcio de 5 do corrente sob n. 123 a
importancia dos vencimentos relativos aos mezes
de outubro a novembro deste aono dos guardas
nacionaes deatacados oa cidade de Nazareth.
Dilo ao mesmo.Transmiti por copia V. S.
para aua sciencia e execagio o aviso de 14 de no-
vumbro em que o Exm. Sr. ministro da agricultura
commercio e obras publicas recommenda todos
oe esforcos para que aos vapores que tocsm nos
portos desta provincia nao seja porto embaraco
que Ihe obste a sua marcha regular, e Oem assim
que ae nao faca pagamento algum por subvengo
ou outro titulo em favor de slguma companhia
sem que eateja provado houveram sido salis-
eitas todas as condices \ que esiao sugei-
taa. Piseram se as necesaahas commuoica-
CtOG9.
Dito ao mesmoMande V. S. por nova mente
em praga com o praao de 8 diaa a obra d ponte
ou passadico para a gente a pedo bairro de Santo
Antooio para o Recite, viatu que por falta de lici-
tantes deixou de ser essa obra arrematada se-
gundo consta de seu offlcio de hontem sob
Dito ao inspector ds thesouraria*pfovincial.
A Rozendo Alves da Silva, mande V. S. pagar
contorne reqoisitou o chefe de polica em offlcio
de 11 do correte sob n 1,257, a quautia de
52J664 rs. em que, segundo o recibo junto, im-
porta o aluguel da casa que serr de quartel ao
destacamento da freguezta do Poco da Paoella, a
contar de jalho a novembro deate aono.
Dito ao mesmo.Em vista da conla junta que
me foi remetiida pelo chefe de polica com offlcio
de 11 do correte sob n. 1,262 mande V' S. pa-
gar ao administrador da casa de deleicao a
qnantia de 2059100rs. em qu importara 18 pegas
da hamburgo de boa qualidade compradas pelo
zoesmo administrador para a factura de 80 len-
coes e aeaaeota camisolas para e enfermara
claqaelre estabelecirnento
Dito ao mesmo. Rcommendo V. S., que
estando nos termos legaea os nclitos documen-
tos que me toram remettidos pelo chele de po-
lica com offlcio da 11 do correnta, sob o. 1,259,
mande pagara Juao Augusto d Silva a quaa i
de l:337#S40despeodida no mez de novembro
alUmo, oa o sustento^dos presos pobres da ca-
sa dedeteoco.
Ci'oulir a todos oa Juizes muoicipaei.Recom-
aiendo Vmcs. que sempre que tiverem de re-
quiatiar torga para escoltar presos qee se acheta
na casa de detaocio desta cidade. a que team de
responder ao jury o facam por intermedio de che
-fe de polica e com precisa sotecedeacia, alm
Me se providenciar cooveoientemeote a nio
produzir o abuso de requisitar-se torga da guar-
da naciooal sera sulorsagio desta presidencia.
Expediente do secretario do
n_ governo.
Offlcio ao inspector da thesounria de fazenda.
De ordem de S. Etc. o Sr. presidente da pro-
vincia, communico & V. S. que o juii de direito
da comarca de Tacaral, baeharel Francisco Gon-
galves da Rocha participou que tendo-se fioali-
sado em 9 do correle a prorogacao da liceo;a
que obteve do governo imperial, delxava de se
guir para aquella comarca por acbar-ae anda
doente e em uso de remedios.
Dito ao mes'iio. De ordem de S. Exc. o Sr.
presidente ds provincia, transmiti i V.S. asse-
le inclusas ordeos, sendo 5 do Ihesouro nacional
sob n. 194 a 199, menos 197. e dous em dupli-
' d* reP'Sao do ajumante-general, aob ns.
293 e29.
Despachos do dia 13 de dezembro
de 1861.
fequerimentos.
Cyrillo Francisco das Chagas. Iotorme o Sr.
inspector da thesouraria provincial.
Domingos Marques Vieira.Iotorme o Sr. ins-
pector do arsenal de marinha.
Dr. Francisco Domingues ds Silva e outro.
Informe o Sr. inspector da thesouraria provin-
cial.
Guardiano Lourengo de Jess. ** Como re-
quer.
Major Joaquim Ignacio de Carralho Mondon-
ga.Paase.
Uylario Franciaco de Salles. Nao estando
creados por lei, ao lempo em que o supplicaete
foi prvido, os offlcios a que allude, aviso de 19
de outubro de 1854; e seodo illegal o provimen-
to em que ae funda em face do 6* do art. 5 da
carta de lei de 3 de outubro de 1834, nao tem lu-
gar o que requer.
Africano livre Joaquim I. Iotorme o Sr. Dr.
chefe de polica.
Capito Joaquim Nery da Fonseca.Informe o
Sr. inspector da thesouraria de fazenda.
Luiz Francisco de Oliveira.Informe o Sr. ins-
pector da thesouraria provincial.
Maooel Jos Dantas. Volle ao Sr. iospeetor
da inesGuraria de fazenda.
COMBANDO DAS"ARMAS.
Quartel do commando das armas de
Pernambuco na cidade do Recife
em 16 de dezembro de 1961.
ORDEM DO DIAN 2.
O brigadeiro commandante das armas faz pu-
blico para conhecimento da guarnigo, que se-
gundo a commumeaco que Ihe fez a presiden-
cia em offlcio datado de 12 do corrente, obteve
o Sr. alteres do nono batalho de iofantaria Se-
cunlioo Ayres Velloso de Mello, por portara da-
quella data, dous mezes de liceoga na torraa da
lei, para tratar de aua sade f6ra da capital.
O mesmo brigadeiro commandante das armas
determina que os senhores offlciaes, que a 2 de
dezembro correte toram promovidos o transfe-
ridos para corpoa do exercito nio existentes nesta
proviocia flquem adlidos aos corpoa em que se
acham aerriodo.-em quaoto nao seguem para oa
seus deslios.
Fioalmeote determina o mesmo brigadeiro que
as inspesges de saude dos voluntarios, engsja-
doa ae rena na repartigao do Sr. Dr. delegado
do cirurgiao-mr do exercito em todos os diaa
uteis as 8 horas da manha.
Assignado. Solidonio Jos Antonio Pereira
do Lago.
Conforme. Joaquifn Josi Pereira Vianna^
tenento ajudante de ordena do commando.
Tribunal do commercio : segundas e quintas
Relacao: tergaa. quintas e sahbados asIO hora,
Fazenda : tergas, quintas a sabbadosaa 10 horaa.
Juizp do commercio : qaartas ao roeio dia
Dito de orphos : tergas e sextas as 10 horas.
Trmetra vara do ciril: tergaa sextas ao meio
da.
Segunda vara do ciral: quarlas e sabbados'a 1
bora da tarde.
ENCARREGADOS DA SUBSGHIPCAO DO SL.
Alagdas. o Sr. Oaudno Falcao Dias; Baha,
r Sr. Joa Martina. Alvea; Rio do Janeiro, o Sr.
Joao Pereira Martios.
EM PERNAMBUCO.
Os proprietarioa do puaio Maooel Figaeiroa de
rana fi rilho, na aua livraria praga da Indepen-
dencia ds. 6 e 8.
Martios ; e professor de mathematicas applicaas
da academia das bellas-artes o lente hooorarlo
da mesma academia baeharel Jos Mana Jacotho
Rabello.
Poram agraciados:
Com a commenda da ordem de S. Bento de
Aviz o brigadeiio Solidooio Jos Antonio Pereira
do Lago, e com o habito di ordem da Rosa Ma-
noel Gomes Silva Oliveira e Anlr do Canto e
Medeiros.
Foi concedida a pensio de 6009 i Sr. D. Rita
Jacques Pereira Pinto, viuva do roarechal de
campo Francisco Flix da Fonseca Pereira Pinto
e a de 300$ a cada urna de anas Ulnas D. Laiza
Anselma Pereira Pinto e D. Germana Rita Pe-
reira Piolo, sem prejuizo do meio sold que Ihes
possa competir.
INTERIOR.
RIO DE JANEIRO
6 de dezembro de 1861.
Eotrou hontem do Rio da Prata o paquete in-
glez Jersey com data de Buenos-Ayres at 28 e
Montevideo 29 do passado.
Estavam rotas as negocisces eotre os gene-
raes Mitre e Urquizs. Pareca que eate, vend-
se desassombrado com a retirada de Derqui, me-
dita va ernpolgar o governo supremo, e, concen-
trando ss torgas do partido federal, fazer agora
por coota propria frente a Buenos-Ayres. '
Sendo assim, teremos talvez de ver prolongar-
se a a luta.
Entretanto continuara a sorte das armas a sor-
rir ao exercito de Buenos-Ayres.
Anda antes da chegada da columna enviada
da Rosario pelo general Mitre, sublevra-se Cor-
dova. e se o goveroador Allende oppunha anda
alguma resistencia, era quasi impossivel que es-
ta cootinuasse assim que apparecessem as armas
portenhas.
Em Tucuman, S. Juan e Corrientes esperava-
je tambem a todo momento urna exploso no
mesmo sentido.
Eutfeiauto alcaogava o exercito de Buenos-
Ayres ama assignalada victoria, qu Ihe abra
toda a provincia de Santa-H, parte da qual se
achava oceupada anda por torgas federaos.
Eslava o general Virasoro paasando revista a
essas torgas na Cannada de Gomes a 92 do pas-
sado, quando as columnas commandadas por
Florez atratensararn o Carcarann eappareceram
pela frente.
Simularam estas ama retirada, para atlrabir o
inimigo fra da forma, e assim que o viram ati-
rar-se em desordem 4 perseguido, cahiram so-
bre elle, derrotando o tiro cooxplelamente que
bem poucos conseguiram consertir vida e liber-
dade. O general Virasoro foi desses poucos.
E' impossivel conheeer os elementos de guerra
com que Urquizs conta anda; a regularmo-nos
sement pelos dedos que offerecem as tolhas de
Buenos-Ayres, nio ha da parte delle reaistencia
possivel. Mas essas folhjs, por parciaes, nao po-
dera aer isentas de toda a suspeita.
O governo portenho eovijava todos os estorgos
psra proseguir com energia e vigor n'uma cara-
panha tao brilhanlemeote aborta ; tinha. porm.
exhaustos os recursos pecuniarios votados pelas
cmaras.
Neste aperlo aonuncira nova emissie de ps-
pel-moeda, mas os peridicos de 28 j publicara
m acto do govaroo deaistiodo deata medida,
que ira abalar mala o crdito.
Prefere elle eontrahir um emprestimo, e b mi-
nistro da fazenda dirige-se ao presidente do hen-
eo, convidaodo-o a propdr-lhe, de eccordo com
oa priocipaea capitatittsa, o modo mais auava de
levar a effeito este proposito.
Na carta do nosso correspondente encontrarlo
os eleitores mais siguas pormenores sobre os
acontecimeotoa da qulnzena. especialmente so-
bre as oegociagdes eotre Mitre e Urquiza, bem
come algumas ifaUvras sobre o estsdo em que
fleavk a Repblica Oriental, onde havia paz. mas
paz sem socego.
Do Paraguay nada temes que referir.
All s se fallara das testas eom fue oo dial
. de novembro se havia celebrado o. anniversirio
natalicio do presidente Lpez.
". 6
Foram nomeadoa:
Secretario do goreroo do Piauby o Dr. Jos
_ Libralo Barroso, sendo exooeredo de mesmo
re- cargo, ele pedido, o baeharel Cirios de Souzs
Por decretos de 4 do corrente#i nomeado
o capitao de-fragata Hermenegildo Antonio Bar-
bosa de Almeida para o lugar, que se achava in-
terinamente exerceodo, de inspector do arsenal
de marinha da provincia de Pernambuco, e con-
cedeu-ae ao primeiro lenle da armada Maooel
Pereira de Figueiredo demissio do referido poato
cooforme requerera.
Por avisos de 4 do corrente forsm nomeados :
O capitao de fragata Jos Pereira Piolo, para
tomar o commando do vapor de guerra po. e
da flotilha da provincia do Rio-Grande de S. Pe-
dro do Sul, em substituido ao capito de fraga-
ta Francisco Candido de Castro Meoezes.
Ocapito-tenenle Joio Pedro de Carralho Ra-
poso, psra commaadar a companhia de aprendi-
zes mannheiros da prorincia de Santa Catharina,
em substituido ao capio de fragata Flix Lou-
reogo de Siqueira.
O capitio-teoente Jos Pereira de Lima Cam-
pos, para tomar o commando do corpo de impe-
riaes mariohairos da provincia de Mato-Grosso,
em lugar do capito de fragata Antonio Lopes de
Mesquita.
O Io tenente Pedro Cordeiro de Araujo Feio,
para lomar o commando do vapor Fluminense,
em subslituigo ao capito da fragata Mtooel Luiz
Pereira da Cuoha.
O primeiro lente Americo Brasilio Silvado,
para tomar o commando de brigue escuna
Bolo.
Por aviso ds mesma data foi eocarregado o ca-
pilo.tejneote Antonio Alves dos Santos da admi-
nistragao da praticagem da barra da provincia do
Rio-Grande do Sul, em substiluigio ao capillo da-
fragata Jos Pereira Pinto, que dispensado do
mesmo servigo.
Por avisos tambem de 4 mandou-se desligar
da companhia de apreodizes marinheiros daquel-
la provincia o primeiro leoeote da armada Jos
Nolasco da Footoura Pereira da Cuoha para ser
empregado o iospecgodos pharas da mesma
provincia ; e oomeou-se o segundo teoente Fran-
cisco Jos de Freitas para encarregar-se do
que.2com 3,M1 dM iu nleiiores, sommam
Sao hoje Inapectores osSrs. marques de bran-
le, Drs. Oliveira Fausto, lgoacio de Aodrade e
Fernandea da Cunha.
Reuor-ee-ha hoje 1 ora da larde a com-
mtssao directora, oo edificio da mesma exposigo.
A entrada hoje de 500 rs. por pessoa.
8
Por decreto *1 7 do correle, foram nomeados
mogos da cmara da imperial guarda-roapa os
mogos da cmara os Srs.: Maooel Jos de Frei-
IssTravasso, Jos Dias da Cruz Lima. Jos Ma-
ooel da Costa Barroa, Leopoldo Augusto da Cs-
mara Lima, Antonio Martios Pinheiro Filho e
Jos Maooel Duarte Lima.
Por decreto de 6 de novembro prximo pas-
eado foi nomeado bario do Pocoo o Sr. Maooel
Nuoes da Cuoha.
Foram nomeados, por decretos de 26 de no-
vembro prximo paasado, os Srs. Felltio Augus-
to de Lacerda e Aotonio Gircia da Rosa Terra,
commendadores da ordem de Cbristo, e BrazCar-
neiro Leo, ommeodador da ordem da Kosa.
Por decretos de 1 do correte, os Srs. mar juez
de branles, gri-cruz da imperial ordem do
Cruzeiro.
Dr. Manoel Ferreira Lagos, commeodador da
ordem da Rosa.
Q.Sr. Merelles.coobe.-eodo esses individuos
parou em ura ponto occulto. roaodoa avisar sl-
guns psrent.es, e depois de urna hora tinha reu-
nido dez pessoas. que segairam am perseguido
dos criminosos, que foram presos is duas horas
da madrugada do fla 18 e remeilidos para a ca-
dea da villa.
Candido Jos Vieira e Joa Abel,
Diaa de Carralho e Joaquim Antonio de Aze-
vedo.
Membros do jary especial: Os Srs. eonselhei-
ro Luiz Pedreira do Coulo Ferraz, Baro de Pira-
quars, commeodador Jos Antonio Airosa, com-
. mendador Joa Duarte Galvo Jnior, Dr. Ma-
o orimnirn da Ctfoh' e R">erto Coats.
pric Jiro, 2 ar^o.-Industri. fabril o manual.-Mem-
tranco de 22 aoooa de id.de, e o segundo
do. de25.corameliiara toda a aorta de latroci-luu* i1" cun,in,Mao oirectora : os Srs.
oos, e nao comer** acabaram por degol.r o in- ?.,,ni--'!.lde,oW *?"*!"* Pr- Beroardo Augusto
^k 0,u Nascentea de Azambuja o Aotonio Lui Fernn-
oar- j'-*"" <"" un o manual.Mem-
roci- ?a commissao directora : os Srs. bario de
sido pratico dos guardas-mariuhas duraolo a
viagera de inslrucgao que vao fazer a bordo da
crvela -imperial Marinheiro.
Visilaram hontem a exposigio 1,058 pessoas,
'"'Ai001" 4,3i doa dias anteriores, sommam
o, 190. ^
Sao hoje inspectores' os Srs. viscoode de Bar-
bacena, Dr. Diaa Carneiro e Joaquim Antonio de
Azerelo. A estrada boje gratuita.
9
Eolrqu honten dos portos do sul o rapor Bra-
s(, Irazendo-OM datas de Porto-Alegre al 30
do passado. do Rio-Grande al 2 e de Santa Ca-
tbarina al 4 do correte.
Os trabelhos da assemola legislativa rio-gran-
ense proseguam com muita regularidade. Ea-
tre os diversos assamptos de ioteresse com que
se oceuvapa aqielia corporagio figuravam urna
proposta do Sr. Luiz Candido Gomes para o ea-
labelecimento de malas pollos na provincia, e
um requerimento do Sr. Oliveira Nery para que
se coosultem as pregas commerciaes da mesma
provincia sobre a convejiieocia e os meios de
mootar-se um lelegrapho elctrico para fuocciouar
entre a capital e a cidade do Rio-Grande.
Por deliberagao do Exm. bispo diocesano deria
ter coraego no dia 1 do corrente, oa csihedral
de Porto-Alegre, um curso de misses pregado
pelo missiooario apostlico capuchtnho Fr. Cae-
taao de Troyoa.
A eate respeilo diz a Ordem :
Esse digoo religioso, teado tollo oiivir sus
ea-| poderosa vozna proincia da Bihia, Pernambu
Por decreto de 4'do correle foi nomeado Joa-
quim Jos Gomes para o lagar de almoxarife do
araenal de guerra da Baha.
Por decreto de 4 do correte foi reformado o
eapitao do lio batalho de infamara Jos Si-
turnino Gaspar, por assim o haver pedido.
buco, Alagoas e Maraohio, as quaes em seu
laborioso apostolado deu 91 misses com imraen-
aofrucloeproveito de todos os que o ouriram,
naoa as capitaes dessas provincias, como nis
mais remotas fregueziaa dos sertes, obleado por
tods aparte, pela affabilidade do aeu trato e elo-
quencia de sua patarra, geral respeito e vene-
raga?. a coovite de S. Exc. Revma. o Sr. bispo
diocesano veo empregar-ae nesta diocese no mi-
nisterio apostlico.
S. Exc. Revma., que o conhece e Ihe profes-
aa toda a atnizade e cooaideragio, desde o tem-
nef..0SdanhUd8d -r^nsenhor e seu ...' N IT&S? dotoT^o VZZll
dePulesniriav,0 ftm' Tgir GUd AD,0Q ? convldou-o a anVunci.'rVi'SS," -
ue rama e silva. iavra iOS pochanoSt ao| quaes em dT^r.
Viaitar.m hnnia .-T s e ; sas poess dea quatro cursos de misses; teste-
ra2S^lTSufl 8."C0 655 P>". 1 "nh lo grande bem e copioso fruelo colhido
m 2,979 dos das anteriores sommam 3.634. eotre elles oelo *irtn.in n.i.L.,;n .. V-
com ,979 dos dias anteriores sommam 3,634.
Sao hoje inspectores os Srs. conde de Bapen-
dy. Drs. Burlamaque e Azambuja.
Em coDsequeocia da infausta noticia reeebda
de Portugal, resolreu s commissao que ae nao
illumioasse aote-hootem o palacio da exposicao
cando esse festejo adiado para depois de 17 do
cojreote, um aia quesera aonunciado com ante-
cedencia.
SS. MM. II. vizitaram hontem a exposigio na-
ciooal, demorando-se cinco horas e meia a per-
correr todas as salas, e examinando minuciosa-
ote os objectos expostos.
entre elles pelo virtuoso missionario, teve a fe-
liz iospiragao, logo que foi promov lo s epis-
copal desia diocese, de chami-lo para junto de
ai, aflm de que aeus amados diocesanos se apro-
veitassem do seu ministerio como os de mais po-
vos das provincias do noria, uniendo de seus su-
periores a sua remogo da de Pernambuco para
esta provincia.
Cenata que, depois da missao da cathedral,
S. Exc. Revma. o enva a pregar as diversas
freguezias da campanha. Deus queira acorapa-
nhar por toda a parte o digno obreiro, e dar-lhe
eBlre os urna ampia colbeita na seara evaoge-
Aotes de retirar-se, S. M. o Imperedor fez do- lies.
S5"fflff?nr^tol,IIM^,^Maa] A companbt. Gu.hyb. tioh. encelado a na-
pelos oiineiesde entrada. regagiodo Rio Pardo e Cachoeia com o novo
O brinufl nlH.mtr.,,.. T.- j I,*Dor Set* Selembro, construido de ferro na
de Livernool ,S\t 9$' 60'r"d^ hnlT v"0' 6 "mao n09 >l* do Cimtnho
oe Liverpool, ao seguir para o ancoradouro da Novo em Porto-Aleare
oVe.gVL H.iB.V.?n8a.;BlreI" O n.me..i. mesma companhia. tambera de
"des da capitana do L,.nTA P* *rab"ca- erro de *" Pl . J!*! i PK0rt0 e d0s n"l0s de 8uef* o em breve estaa prompto a navegar
r.epelov.nordrahnnA,,a..r., ...k. J ,ioha 8ida .^ 0 progr.rara. par. a
inauguragio da exposigio du da 2 do cor-
rente.
As tolhas de Porto-Alegre dio as seguintes
noticias:
Dau-se oa cidade de S. Gabriel um trista
acontecimenio, que levoa o luto e a coosteroa-
.io ao seio de urna familia.
ASra. D. Mara Albina Resin, esposa do Sr.
teneote-corooel Resio, commandante do 3o ba-
talho de iofantaria. indo no dia de finado visitar
o cemiteno, ao passar por urna sepultura era que
haviam luzes, ateou-se o fogo aos seus vest Jos
podendoser extincto s6 depois de achar-se a io-
feliz horrivelmente queiraada.
Cinco dias luiou olla contra a morte, mas
emm esta triumphou arrastando ao sepulchro
urna seohora que no rerdor dos aooos, pois coa-
lava apeoas 21, deixou immeno em profunda
dr seu extremoso esposo, e na orphaodade duas
innocentes Qthinhas.
0 passsmento deits infeliz senhora foi geral-
mente seutids em S. Gabriel, pois que suas vir-
tudes a torna va m digo a de respeilo, coosideracio
e amizade. *
Cartaa da Cruz-Alta nos reerem que no dia
13 do passado, no districto de Santo Aogelo. Ja-
cotho Cardoso ferira a Aolonio Soares de^iqueira.
dando-lhe urna tocada no peito e um golpe na
mao ; eqat a 3 do corrente, tyra morto naquel-
ta villa Joaquim de Lima por Aotooio Rodrigues
daodo-se o fado do modo seguate *
Joaquim do Lima entrara em casa, "que-
reodo Rodnguea da* signal aor demais hospe-
des, disparou am tiro de pistola, que, es carregada com bala, foi cravar-se ao peito de
Lims, que instantneamente morreu.
Tanto Jacintho Cirdos como Antonio Ro-
drigues foram presos e esli sendo processadoa.
O Sr. Placido Gongalves Melrelles, delegaa
de polica de Cagapava, acaba de juntar mais um
importante servigo sos amitos que all lera pres-
tado como nuloridade policial.
- No dletriolo das Larras tora ba dias assassi-
nado por Candido Jos Vieira e Joio Abel um
preto Hrre, natural da Bahia, pelo simples tocto
de deveresse infeliz algumas patacas ao primeiro
dOt assassioos.
c Perseguidos pelo subdelegado do disirlclo
poderam escapar se as diligencias feitas,
No dia 17, retirando-se a Sr. Placido Mei-
relles de ama faz?nda de crear qua potsue para
o sea domicilio, ebenntraa no seu trajelo com
osses does individ.s, bem armados ; pargunlan-
do-lhes como se charaavam e o que aodavam fa
zsrrdo, declararam seas qorrJea e responder, que
viohm de Camaquam e em diligencia de Tende-
-.---------- w K" w UW0 UOIIU3 ua Kur;i*
ra e pelo vapor de reboque pode safar-se e che-
gar ao seu deslino.
7 -
Foi reconduzido no lugar de juiz municipal e
orphaos do termo da Christina, em Minas-Ge-
raea, o baeharel Domingos Jos da Cunha J-
nior.
.,F>' diaToada aojuiz de direito Di limo Aga-
ptto da Veiga a comarca de Guarapuara, do Pa-
rao, para nella ter exercicio.
Foram nomeados :
Juiz municipal e de orphios dos termos reu-
nidos do Principe e Acary, no Kio-Grande-do-
Norte, o baeharel Salustisno Orlaodo do Araujo
Costa ; *
Dito de Caet, em Minns-Geraes, o baeharel
Carlos Juslioiano Rodrigues.
DitodeGoyaona. era Pernambuco, o baeharel
Henrique Pereira de Luceoa.
Partidor e contador do termo do Tucano, na
Baha, Estevio Jos de Oliveira.
dem do termo de Goyauna, Benvenuto Pi-
nheiro de Meodonga.
Partidor e distriuuidor do dito termo, Jo5o Go-
mes de Souza.
Io tabeliiao e esgrivio do termo"de Ara, na
Parahyba do Norte, Flix Jos Nuoes Piolo.
Foi vroraovido ao poato de coronel comman-
dante superior ds guarda nacional de Mogymi-
rim da provincia de S. Pialo, e tenante-coronel
Antonio Joajuim de Freitas Leilflo.
Foi perdoada a Augusto Alfredo Gbncalres Mo-
reira a pena de quatro mezes de prtsao e mulla
imposta pelo juiz de direito interino da primeira
vara da corte.
Foi mais perdoado o resto do tempo que fal-
ta para cumpriram as respectivas seotengss :
Jos do Valle Delgado, coartemos do a 12 an-
nos de. prisao pele Jury de Qaeixeramobim, no
Ceari ;
Jos da Rosa, coodemnado a 4 annos, sete
mezes e 16 da de prisio com trabalho;
Feliciano Ignacio de Souza, condemnado a 1
anno de prtsao pelas justlgas do termo de Nora-
Friburgo, do Rio de Janeiro.
O i" tenente da armada Jos Rodrigues de Sou-
za foi exonerado alo commaodo da companhia de
apreodizes artfices do arseoal de marloha da
provincia de Pernambuco, em coatsequencia do
mi estado de sua sa le ; seodo substituido pelo
capitio teoente Francisco Josi da Oliveira.
O eacrivio da 3* cl.aae do corpo de offlciaes de
fazenda da armada, Olympio Ferreira da Siiva
fot exonerado por decreto de 4 do correte do
referido emprege, como pedir,
i .__
rtr!!B boptfm expsito 498 peno,,,,
feliz oreto
Segaodo nos consta o Sr. Dr. chefe de poli-
ca raandou louvor aoSr. Placido Meirelles por
asta bem combinada diligencia.
Quaodo as autoridades policiaas empregsm
iodo o zelo eactividade no coraprimeoto de seus
devores, os seus coocidados vivera tranquil-
los e certos de que os criminosos nao tlcarao im-
puoea.
E" no apregj e considerago dos seus chefes
no respeilo e dedicago daquellea coja aeguranga
eat connada sua guarda, na estima de todos
os homeos justos, que o Sr. Placido Meirellea ha
de achar a recompensa aos importantes serviros
que tam. prestado durante o lempo que lera exer-
cido o cargo de delegado de polica no termo de
Cagapava. v
Pelo juiz de direito interino da comarca do Ro
brande tora condemnado o ex-collector daa ren-
das geraes da cidade do mesmo oome, Jos Da-
raasio de Mallos, perda do emprego, dous an-
uos e um mez de prisio com traballio, a a 12 Ii2
0|0 sobre o Ivalor do aeu alcaoce para com a fa-
zenda publica.
Cootinuavam a apparecer na barra e as praias
destrogos de navio naufragado.
Ao lagamar toram ter tres cascos de vnho bor-
deaux com a marca Gunard Frere ; 4 praia da
overnsda abordaram quareota pipas; as pro-
ximidades de Santa Victoria apparaceram cascos
com vioho e caixe3 vasios ; na costa do norte
encontraram-ae dous mastros de nario de alto
bordo e urna carangueja, e nadeMostarda varios
rolumes de carga.
M|uppoz-sea principio que o uavio perdido era
^ngue fraocez miral Ilameliw, o qual. tendo
apparecido nio looge da barra, deixara depois
de ser visto por muitos das ; mas ama carta que
temse vista di aquelle brigue eotrado a 2, pro-
cedeote do Havre com a viagem de 92 dias.
Relativamente ao vapor Princeza de Joinville
dio Commtrcial do Io do correte a seguale no-
a Est resolvido o problema de poder-te ou nao
fazer seguir o bello e novo vapor JVincezq de
/oinin/fe at o Rio de Janeiro, paca all receber
no dique os reparos de que carece.
Esle problema al eulio irresolvivel, na opi-
niao de muitos, hoje materia vencida, e ao al-
cance de todos.
O vapor quejestevo abandonado, e anoun-
ctado para ser vendido em leilao, e. para raelhor
explicarmo-nos, de leiloeiro a bordo preste a ba-'
ter o martello. eali a eatanque, e em melbor es-
tado do que antes de ter batido no baoco da bar-
ra, em maio deate aono.
As companliias seguradoras devem a aua aal-
vagso aos saus agentes nesta praga, os Srs. Fran-
cisco Jos da Cuaha e Antonio Jos Soares Vian-
na. queoppondo-se vende do dito vapor Ozeram
cora que ellas maodasserd- a esta cidade o Sr.
Latios Rouhetle. hbil engenheiro. que em pouco
mais de dous mezes de aturado -trabalho apre-
sentou o vapor a nado e a estanque I
Como eslava aoaunciado, leve hontem lugar
o pssseio de ezperiencia deste vapor at i barra.
Urna brilhaote concurrencia, de mais de du-
zentas pessoas de ambos os sexos, contndose
oeste numero as oossas autoridades civi e mili-
tares, acudiram ao convite previamente feito.
O vapor levaotou o ferro s 10 hores. e
so sora da banda de msica marcial do Sr. Mar-
celino fez a sua digresso em pouco mais de ires
horas.
O machioismo trabalhou perfeitamente, fa-
zendo de 25 a 23 evolugoes com vento pela proa
o popa : navegou sem embaraco nem pancaa
alguma. sendo sus marcha de 9 a 11 milhas com
veoto S. e SE. fresco.
A. commissao de peritos nomeada mostrou-se
satisfeita coro o feliz resultado que o vapor apre-
sentou. .< r
L-se no Diario do Rio-Grande :
Um Sr. Jos Barbosa da Silva Lisboa, que ha
seis annos jazia na cada de Pelotas cumpriodo
aentenga pelo crime de bigamia, de pobre que
era, a poolo de nao ter como pagar a mulla
correspondente i metade do tempo. tornou-se de
ura momento para outro abastado herdeiro de
urna forluoa superior a duzantos cootos, por
parte de seu pai, que acaba de fallecer oa Baha,
aua provincial naial.
Barbosa, ao receber tio grata noticia, teve
logo quem Ihe empreaiasse a quaolia precisa
para resgatar aua lbordade, o que fez immedia-
lamente; e livre da culpa que por tio longo
tempo o captivira, relira-se oo vapor Bratil
pira sua prorlocia, a recebar a fortuna que
herdeira.
Visilaram hontem a exposigio 4.286 pessoas.
2f,,-com 5',9I) aos M enleriores sommam
9,476.
Sao inspectores do dia os Srs. conselbeiros
Das de Carvalho, Mariz Sarment e tenente-co-
rooel Couto Soares. O prego da entrada de 1"
por pessoa.
Reuoiu-ae aote-hootem a commissao directora
da exposicao nacional, aob a presidencia do Sr.
mariuez branles achaodo-se preoles os Srs.
visconde de Barbacana, coselbeiro Mariz Sar-
niento, tenenle-coronel Couto Soares, Ora. Bur-
lamaque, Manoel de Oliveira Fausto, Dias Car-
neiro e Aodrade, Azeredo e Fernandos da
Cunha. \
Poi lida urna carta do Sr. cooselhelro Maooel
Fetisardo de Souza e Mello, communicaodo qae
haviam sido approv-adas pelo goverao imperial as
lostrucges pelas quaes os jurys especiaes e ge-
ral se lera de dirigir na dislribuicao dos pre-
mios aos productores e expositores dos productos
que Bguram na exposigio nacional.
O Sr. Dr. Burlamaque propoz que um dos mem-
bros dacommissio fosse eocarregado de reunir
e fazer imprimir em am s volume todos os do-
cumentos relativos-i exposigip nacional. Fui
approrada a propoata, cando reservada para a
aeisaoseguiote|a nomeagio do memoro da com-
missao que deve encarregar-se deste trabalho.
O mesmo senhor propos que se extrahisse dos
respectivos lirros urna relagio dos objectos a
postos, quer da corle ou das provincias, afim de
serimpressa com urgencia e distribuida pelos
membros dos jurys.Fot tambem apprevada
eata proposta, sendo encarregados da extraegao
da relago os Srs. viscoode de Barbacena, Drs.
Fausto, Azambuja e Aodrade, e Azorado.
Resolveu-se por ultimo que peta secretaria da
commtssio fossem dirigidos offlcios is pessoas
oomeadaa para forrnarem os jurya especiaes
solicitando a sua acquiesceoeia para o desempe-
nho oeste eocargo, e aguardando do seu telo ra
faaor do progreiso do paiz a mate ttrere saa-
factoria resposta. "
&TS.733U?'" x*mi,' '"'*
des .da-Cucha.
Membros do jury especial: os Srs. Manuel Hi-
lario Pires Ferrao. Joaquim Diogo Hartley. Mar-
celino Jos Coelho, capitio Joaquim Antonio
rerretra da Cunha, Luiz Cypriano Pinheiro de
Aodrade e Carlos Maaset.
3 orupo.Industria metalrgica; artes epro-
ductos chimicos.Membros da commissao direc-
tora : os Srs. Dr. Frederko Leopoldo Cesar Bur-
lamaque. presideote do jury ; Dr. Augusto Dias
Carneiro e Dr. Manoel Ignacio de Andrade.
Membros do jury especial : os Srs. Dr. Gui-
Inerme Schueh de Capanema, Dr. Candido de A-
zevedo Coutioho, Dr. Raphael Archaojo Galvao,
Dr Ernesto V.nato deMedeiros, Carlos Braconot
e Heorfque Law.
4o grupo. Arles mechaoicas e liberaes.
Mera oros da coramisao directora : oa Srs. vis-
conde de Itaborahy, presidente do jury ; lenen-
le-coronel Jaciolho Vieira do Couto Soares o Dr.
Manoel deOlveira Fausto.
Membros do jury especial : os Srs. conselneiro
Pedro Je Alcntara Bellegarde. Dr. Gabriel Mili-
laode Villa-Nova Machado. Dr. Francisco Amo-
nio Raposo, Carlos Neate, Vctor Reaae e Dr. An-
tonio Gongalves Dias.
5o grupo Bellas artes.Membros da com-
missao directora: os Srs. mari,uez de Abraotes,
presidente do jury; viacoode de Barbacena, o
conselneiro Alexandre Mtria de Mariz Sarment.
Membros do jury especial: os Srs. cooselheiro
Dr. Thomaz Gomes dos Santos, Dr. Joaquim Josa
leixeira, Dr. Heorique C-aar Muzzio, Huborato
Manoel de Lima, Agostnho Jos da Motil e Vc-
tor Frond.
D 10
Por decretos de 4 do corrente foram exonera-
dos : o bachtrel Deolindo Meodes da Silva Mou-
ra, do emprego de procurador fiscil da thesou-
raria do Piauhy, e Jos Nogueira de Hollanda
Lim do lugar de admioistrador das capatazias
da alfaodega do Ceari ; sendo nomesdoz para o
primeiro dos ditos lugares o reverendo Thomaz
de Moraes Reg, e para o segundo Joo Collares
sooreira Ciolra.
Por decretos do dia 7 toram nomeados para a
thesouraria de Pernambuco : chefe-de secgao o
primeiro escriturario Uaibelioo Gnedes de Mel-
lo, continuando oa commissao era qu se acha
na provincia das Alagoas ; primeiro escriplura-
rio, o segundo dito Joaquim Pereira Bastos ; en-
guado escriplurario, u terceiro dito Ulisses' Par-
nambucaao de Mello; officiai da respectiva se-
cretaria, o amanuense Aotonio Martios de Sea-
bra Lera os.
Foi aposentado Joaquim Alexandre Dias no
emprego de porteiro csrtorario da theaouratia de
Santa Catharina.
Concedeu-se a Jos Jeronymo de Souza Li-
moeiro. langador da recebedoria de Pernambuco.
a gratificagio annual de 10 por cento por contar
mata de 30 annos de serrigo.
Por decreto de 30 de novembro ultimo foi no-
meado o Dr. Ernesto Gomes Moreira Maia para o
lugar de vice-director da academia de Bellas
Arios.
Vlni,?I*m hooton s exposigio 331 pessoas, qua
com 9,476 dos dias anteriores sommam 9 807
Sao hoje inspectores os Srs. Cezar Burlamaque,
Mscenles de Azanbuja e lgoacio de Andrade. O
preco da enfada de 500 rs. por pessoa.
A commiasio directora reune-se hoje i 1 bora.
da tarde no edificio da exposigio.
d* ^.W*.^ 0,8m- w> > Bsepen-
djr. presidenta 0 Jury cq*lh.4rp, joj. Podro
CORRESPONDENCIA DO DIARIO DE PER-
NAMBUCO.
Baha, 8 de dezembro de 1861.
O facto maia notavel que me cabe desta rez
noliciar-lhe, por sem duvida o encerramento
da presente sessio da assembla provincial, oc-
corrido no dia 5 do correle, depois de tres pro-
ronages.
Pareca que os digoissimos da sallinha nio
queriam largar a pepineira dos cinco mil re.
diarios, e so nio fra a resolugio acertada do
Exm. vice-preaidente, elles aioda continuaran) a
tratar, como trataram, dot interetiet desta cara
patria.
Como um epigramma vivo, o Diario publico*
um relatono dos actos legislativos concluidos
no ore sent anno.
E' um pedrio de gloria qae deve guardar-se
para eterna rergonha dos nossos legisladores de
aldaia.
^Nio se v abi ama idea, am syetema coorde-
nado, que indique vistas administrativas, pratica
dos negocios pblicos, o intento, emm, de sal-
var a provincia da crUe financeira e moral con
que lula.
Arultam, porm, as aposentadoras i erapre-
gados validos, a um at qae ji guarda da al-
faodega aposentado ; as coocessoes de loteras
que nao podem correr pelo descrdito em que
cahiram ; a escandalosa proteceo ao tx-the-
soureiro aellas para era dous anuos prestar coo-
las qde oo Um de30 das devora ter dado, para
alieoar aeus bens, perdi de mallas em que io-
correu, ele., impoaJo-se i thesouraria provin-
cial o onus de pagar o premia de 4:000j i um
cidadio mais feliz que muios _outros oas mes-
mas circunstancias, que nio "conseguiram s-
m el han te previlegio exclusivo.
Termiaou-se o orgamento provincial, que ele
a a deapeza cilculada i 1.615 430*198, nao in-
clumdo variaa verbas para qua nio te designe
ram fundos ; mas toram autovisades.
Paasou sempre cello a quta de 50:000 para
o Iheatro lyrico, para ae contratar por quatro
aonos uma companhia de canto, quaodo nos o '
que maia precisamos hoje de urna companhia
de limpeza publiea, cono a uiilitsima empresa,
do Sr. Cambrenne ahi, qae nos tire o iocomeao-
dodos narizes. emoora nao gozemoe por algum
tempo das doguraa e harmonas des ouridos.
Como oao se cuida disto, continuaremos 4 as-
pirar os agradareis miasmas que exhalare mai-
taa ras das maia importamos da capital, priaci-
palroenle aa ladeiras por de tras do palacio, da
Gsmalelra e Santa Therexa, e embera seja mis-
ler muita gente ehorar aio nos privar iale da
ouvir-mos alguma prima dono, de cartello oaiUor.
e encuatar. Sem canto oto ha orogresso, nem
se amentsam os coatumes do nosso semi-selva-
gem pal, como o chamou Dabbaalie, taires por
estas proras de tioo e sabedoria que lodos oat
diaseatamos dando.- E vira o Brasil, que mar-
cha passos da.....camellos.
O Exm. Sr. vicepresidente den o cavaco coa.
tal historia dente, cinooeatae cantos; porm fot-
cosamente tem de saneciooar a lei do orcameoto.
embora nio faga o caniraio. recornado sahid*.
qua, por seltoieadoiba faculta o artigo ii da re-
ferida lei, que dizo governo nao rea la r dea-
pesa ahram a, qae nao for de argente oecessi-
dade em qoanto dorar crise. Por acaso, ora.
de proposito encai^^s ,rn e9i djMpoaigio, aUaV
v -


m:
l

Zft

n 11131 13T
IaRIO M PIRJAMI4. TERCl FklBA 143 DE DEZEMBRO II 1861;
{ *"i
v

f
1
Mrti i rale maii do que tofo ei, mi mioha
IHBO.
Esquecla-rae referir-lhe que latembla pro-
rineiat regeitou o contrato ctMktl pera m-
r eataicipil com o cididao Thomiz de Aquino
G tapar, pare e coealrurcao de
*aata (trafie do mereedg. sob ditrese condicoes,
ato antas oda eeaator a en asaarefrene fcWO
i pira e ceetare. Pea ea seto loara ve i
Meea aeseabiae, a ea qm a tawho ana tu-
se mpre, oio poeto ehter e fsser Iba jut-
loaido-a por eeeer etewu deliberado,
atea aa escndale.
effoite, a cmera praeedea eaui leriaai-
i nao expona coetarao este cootrate, no
ejaai a Hunden aaa sene toteraeeta, aea mi
e> eidio
ter a exiiqrcio doe taceodiot. Nio obstante
MU abrto Imporlintet era quo temore e*ti ea-
penhad*, destribue o bello divideodo de 16 a 18
por cento eo aono eos eeus feliies accionistas 1
Ioaeguruu-ee hoja eo meto die no palelo de
. etvdencia a sociedsde Auxiliadora iat Arte* *
da Induttria cuja fin principal fezer Tingar t
ate idee dea taass1r,5e aooots doe pro-
aaturees a ieeaeeriiee e notis proOincie.
Ni Breeeac a aras acida eaaero da eide-
aos de tedia aj ctoseas M pcaeiatiado paaidia
ta Ena. aV. Dr. Catares, que coarfdoa lafo pata
aacratotiea ae Si, ir. Santo c lega.
late eferecea a prefecto ^de estatatos para
regar prarieoriaaehto a soctedaeto,> apelle lea
slgaaOs bases, qae erases eptoiio deriaai eer
rir para detailire etg'aoraaeio del Ice A seeiorfa
tablea asaaieeeieaa propoaUe, qae ele-- ostooe pala aceitante preaitoria do prinralro, que1
a rendimeolo de 8:000 I 15:0000 Por, coaprehende o pfmmenlo diquelln bisee, e o
in faca idea da hlaterle. Kxm.Sr. preaideote nomeou una commisiio caen'
Anda do Oyapoek nio chegou o Sr. cooselhei-' posta dos Sre. berio de S. Loureoeo, Seuto, Reg,
re Aotao, pretteaara aaneieo pan este proain- Mmoel DinUe, Pialo Lina, Franco e Jenquein
para vina dettia trebelhoe formular os ettalu-
toe perminentee.
Debaixo de Uo esperiocosos auspicios devenios
ter confimea no futuro da nasceote assoeiacio,
que se dirige realisacio de um nobre a gran-
dioso flm.
Oe floe do telegrapho elctrico ja forana asseo-
Udoi at o palacio do governo, e to ser levados
rsogearam a reputigao de hbil administrador,! ao quirtel general do eommaodo das armas.
i*, e *u* demore, depoia de publicada aua ac
etlico, lem causado grande deaaoo i admi-
ieUacau, que na pod sabir agara do expe-
diente diirio, e ompreheoder os melhoraaeatos
jue este (erra reclama.
O distinclo Sr. Chavea, que soubera eximir-se
aloe incooTenientee do t1at a interinidades,
Katicaado actoe que muito o honran, e Ihe
I
e a adltma de lodos os homens honestos, v-ie
agora peado, aem poder dar expiosio ao sea ge-
ni* diva a creador, aeea poder dar deten vot vi-
ment aoa leus p rojee tos de grande importancia
para a rosperidade daeta rica provincia.
' um mal que cada dia se sggrara mait.
O dia 2 de dezembro passou entre nos qaezi
trae deaapercebido. Se nio tiTesaem salaio e
aahsndeiradoi os naTios, e o forte do mar, e
neo se reuniste urna pequea parada, ningaem
nina que era o aonireisario de um monircha
aHgao de todo o reipeito e amor de seui sabdi-
dhoi, como o Sr. D.Pedro II ; ninguem peo-
aria que se tratara de festejar ament, o mes-
mo principe que to ferTorosamete foi endc-
halo, quaodo prnenie.
A* noite boure espectculo ; digo mal. honre
tjfa vergoohi para a Baha ; porque ouoca t
tazer-se beaeilcioa em dias de gala, nem recitar-
en Trras i artillas. Pois foi o que se dea. A-
lm disto o Ihealro estira escuro, sem oeohuma
acaricio, como se desse um espectculo em
lias ordinarias.
A nossa aristocracia, os nossos commeodalo-
res nao se dignaran) comparecer all, e o mundo
officia! se limitou i presidencia, commando das
-armas, chefe das tarcas nsraes, intendente a
capitio do porto, e oais alguna officiaes.
o dia 3 sibiu para a corle o rapor Paraenee,
que dahi iera, e tambera recebeu e condjauiu lo-
m os otjeetos da nossa exposijo, que foram
acolhidos para flgurir em um tbeatro mateara-
pl.> ; asiru ramo oa colonos Saxooioa da cele-
bre colonia do Sr. Hygioo Prea Gomes.
A policia, sob a rcenle direccio do Sr. Dr.
Freitas, Tai dando copia de si, leudo ji feito im-
portantes diligencias, as quies ha capturado ra-
nos facciooras de comeada, que OagellaTsm o
sertao.
A noticia da morte do re de Portugal e de in-
fante seu irmao causou entre nos geral conster-
nado; brasileiros e porluguezes se associaram
na manifestado da ddr proJuzita por esta gran-
de e deploravel perda.
Quasi lodos os porluguezes tomaram lucio, a a
aociedade porlugueza do beneficencia, Desusis
de Setembro, manda celebrar um pomposo fune-
ral no da II do correte, na igreja da. Piedade.
Tambera tiremos um riquitsimo funeral no dia
6, no njesmo templo, por alma do oosso com-
proTinciano Jos Joaquim Francisco Gomes Fer-
rio de Argollo, fallecido em 16 de setembro, oa
Allemaohs, ende estucara humanidades. Assis-
liram i este acto todas as autoridades civis e
anilitares, alm de S. Ex. reTerendissima, e de
um excessiro concurso de pessoas gradas, entre
o qual se notaram. muilas senhoras. O finado
ra lho do Exm. Sr. bario de Cajahiba, que nao
se poupou s despezas nesla aua demonstrado
de pezar.
Por cauta de urna gallinha brigaram no quin-
tal Friocisco Antonio da Cunba, corrector de
scraTos, e Jos de Albuquerque Lisboa, alfaiate,
ambos porluguezes, e miiotea de 50 aonoa, mo-
radores na freguezia do Pilar. 0 resultado da
enga foi a morte dsquelle, produzida pela que-
da que deu sobre a ribanceira, para se desviar
de urna pedra atirada por este, e a prisao do
offenaor. .
Deste modo," por urna circumstaocia lio peque-
a, lioaram perdidos dous homens que, pela ida-
de deriam ter mais juizo; porem elles nao toem
culpa do que Gzeram ; lembro-me de dizer a po-
lica, como aquelle celebre chefa de Alexandre
Oumas. procurai a mulher.
Oinleressepublico, que Dio acala ninguem,
tera ltimamente lomado para airo de suas cen-
saras ajustas, i S. Etc. rererendissima. Las-
limo que esta folhi procure aaiim desconceiluar
o oosso mu resneitarel e virtuoso arcebispo, que
est bastante afflicto com to inslita e descom-
munsl aggressai que nada jusliQca. Al soda
certameute a mi de algum mi padre descon-
tente.
As noticias do interior da provincia sio as mais
satisfactorias possireis. A abundancia do ludo
espantosa, e a safra de encher as algibeira*. O
sertao tornou-se um paraso.
O acto do douloramento dos alumnos do 6 an-
uo da escola de medicioa esleve Imponente e mi-
gestoso. digno director recitou um bello dis-
curso aoilogo i fesls ; mas a resposta do doulo-
raado Jos Bernardioo de Souza Leao foi intipida,
mass.-.nie, e sem relami alguma com a ocraso.
A escola digoa de rer-se; porque est mui
bem eslabelecida sendo para admirar-te o seu
bello muteu de historia natnril, parfeitamenle
organisado.
Segu nesle paquete para essa provincia, am
de paesar nella algum lempo em companbia do
sea prenle e amigo, o commandanie do brigue
. barca llamarac, o diitiacto Sr. conselheiro Dr.
Joio Amones de Azeredo Cbires, lenle da dila
escola, que acaba de ser (aposentado pelos seus
longos serrinos.
No dia i do correte pozertm-se de novol no
estaleiro as quilbos dos hyales Cayr e Rio de
Conta, e calcula o digno inspector do areenal
de mariaha, o Sr. capitao de mar e guerra Ama-
zonas, que esa marco eitejam promptos i cabir
o mar, o que nio ser de admirar a Tiste da
grande actividade que reina oeste importante
atabelecimento, que est hoje adornado de galla,
sor ser o dia de sua excelsa padroei'ra, e exposte
ao publico.
A officina de machinas, o quartel da eempa-
nia de aprend+zes artfices, eo hospital, cstio
em tal estado de aceio e ordem que multo teem
agradado aos Titilantes.
Quaodo um chafe possue officiaes tomo o ca-
siuo lente Acciol:, oa priaierrc-s lenles Cos-
ii Lima, Pelteie e Lemo, o trrico marcha
seaapre bem, c de maoeira sitisfictoria par
aquelle.
E' que se di actualmente no arsenal de ma-
ncha, ende ot eqjpregados militares capricham
par cumplir ot seus devere, eertos de agradar
aaaim sea dittiocto chafe.
E' hoje um dia mui grande eso toda a chiis-
Wndade; a Bahia nio Sea alraz de aenhan paiz
caiholico dss damoostracoes do amor e respeito
A Excelsa Soberana do Co e do Mando, e em
varios lemploe so festeja ceas magnificencia a
Inaaicalida Coaceico, dogma sublime de nossa
gasta Rehgiio.
Na eathedral, S. Exc. rererendissima cania a
aaa primeira pontifical, na Ceoceir^ao da Praia,
asm da latida fasta, harer prociasio I larde,
BRuias casas partioulires mistaram-se q]e as
faecces religiosas coa as profanas mesas e ou-
ras em honra de Nasas Senhora.
A eompaohia Bibiana araba > estabMecer om
aerrieo de 4 multe reclamado neto publico, qnal
atina linha diaria de ntregacio i repordes-
ea cidtde para o bello arrebtlde do Bomflm.
Por ora ella termina na Cequitais, pagando
oada passageiro 500 ris por ida a relia, e fasen-
da o apo* daos rigaos peta atais, e duas
pela tarde; mas de domingo prximo % diente,
ae quando dore estar promata a ponto qoe a
companhia maadou tacar o teaftes, aapf se-
sjair soare at l.
Cate a spot chegou na galera idfelesa SiHHria,
e aqai se irmou. E' teda da ferro, de dimaosoea
oaanearieales. a da mui elegante ndelo.
Na as diga, aectaale, aaa arinha torra ole
pMgfida; porqaa asrehs de vagar, sosa toda a
ndeasia, laaeaeja dar ptaaoo Uaerariaa.
Vtabaa a caaaaaaaia do aacaataaaaoi yagas
aanlinua' arares etaacataa>aataaa da qaago.
aa; agara aracade ella 4 corlese** da aaaMerae
> cacta aaa aerla datanaia par Uda a ana aV
kadatsa i aHIIll iiniiiajll
Na barca inglezi Eleonor chegou de Liverpool
tode o material para s ponte de farro da alfande-
ga, e os emprezarios cootam em brere a presen-
t la prompta. O que durido 4 que airra pira o
que se qner.
O oosso aereado de assacar lem tido ultiraa-
meate alguma aniosicio ; porque ae flzecam bas-
tantes rendaa para carregar 4 mallos navios fro-
tados.
So o fumo de folhs soffreu urna baixa no
preco.
As exitlencita dos nonos gneros de expoila-
?ao consta va m era 30 de no branco e mascar arlo 5t39 caixas, 133 feixes, 2315
bsrricas e 10,002 saceos ; algodio 934 saceos*
caf 15,000 arrobas, fardas -de fumo oa fclhi
8,591. rolos do de corda 199.
O cambio Uci a 36 3/8com tendencia para alta ;
aa aeces daa diveraaa caxas estio tambem mais
rantajosiraenle coladas.
Fizeram-se dous frelamentos para Htaiborgo 4
82 1/ sch1 para Gibrallar a 77 i/i; a 2 4 che-
gar para Hamburgo ou Bremen, a 80 scb. por to-
nelada.
Temos falta de narios de pequea tonelagem.
Existem no porto 41 oavios mercantes estran-
geiros.
A slfandege rendeu at honteni 101:182^0-27, a
recebedoiia de rendas internet10:i85p7:l6, e a
mesa de rendas proviociaes srrecsdou no dia 6
4:5148692.
longo corso, na dere animar a ospeculselo da
cibolagea, porque creaos nio dar basa resal-
udo.
mas em primeras mios dimlneta
A alia que tea tido na lia de Janeiro
^^Jj auaoa e,
itffS
Pinasaante asada peq
da patleta da} aereada
principal iasjatlatjia.
. r-rianipraa a aata safra des praMroa rtmos da
exportacie. aartsaaaai ar a d*a Vdette
toda baja carea da 10,66 taaaa, ave
a outraa poetos data eaar-se atajj
loa 25.086 retes. As aajaeins aaa
ailhos tana rielt at 14 paUcfaa,
aa (aMada a 13 t(i ama tras*; r
pnra-ae ns eampenba de 10 a iapa*c6*s. Qaaai
todo o gado lem rindo gordo, a'da maoeira que
lem corrido a *i^xp fle"siti^f ifr to
aonb sempre born e com abundancia.
Fizeram-te raas eatopris de carregtmentos,
e pelos que temos colhidos foi ura pira Peroioa-
buao de 6 a 7.000 artobaa de 2S200 cerca da
18.000 arrobaa a 3#, a 7 a 8.000 Vrobaa a 2j950,_outro de 10,000 arro-
to de drilisicl e de ordem, a quea aaito de-
ai as sdencltrae artes; nio menos corto lim-
serre ellt para denunciar
que alies aso se se-
ventura et ti reste m sob o
ade. E' conrencldo desta rer-
a 99900, outro de 11 &.000 arrobas 12S800.
partida pequea, grao,
OURIO DE PERWAMBUCO-
Recebemos pelo rapor ioglex Oneida, ntralo
honlem dos portos do sul, jornaes e cartas : do
Rio at 10 e da Bahia a'l 13 do correte.
Rio de Janeiro. Em outra parta encoclrario os
leilores o que ha de mais importante.
Bahia. Tere lugar no dia 11 o funeral manda-
do faxer, pela Sociedade porlugueza de Beneficen-
cia, por occasiao do trigsimo da do passamenio
de S. U. el-rai D. Pedio V, em a igrejt da Pie-
dade.
e ufrii partida pequea, geWb, f$600.
Se o beneficio da gaera fr feito coa silencio
pr/dem seguir para o norte cir rgimen tos mulla
completos, porque o lempo tera corrido muitt
bem para os trabilbos das fibricit.
Da gurduras aada aoa cenata, e te ba alguma
trinsacea etti muila reserrada.
Oa conros raccae seeces soffrertm urna rega-
lar reaecio. No principio do mez ainda se ttze-
raa compras a 140 e 250 ris a libra terianos ;
mas com as aoliciaa dos Estados-Unidos, riodis
pela cauhoneira Belmonle, deienolreu se mais
actiridade na compra deeto artigo, que so effec-
tuou a 160, 270 at 180 ris por libra, montando
a cerca de 40,000 couros, iocluinlo o carregi-
mento do Timolhto. Pirou ltimamente a de-
mandi, e julgamot que foi derido is exigencias
de 285 s 290 ria| porlibn, dot btrraqueiros de
Pelotas, porque j nao offerece margena faori-
vel aos espeealsderes.
Em coaros rsccant slgalos nada lem hirldo
de particular, nem anda ha urna cotacio firme ;
os adiinlamentot continuam fazer-ee. As tois
dot xarqueadorea, segundos nos consta, propeo-
dem para 169 ris s'libra, teodo os de raeca um
abatimeoio de 30 al 35 ris por libra, segundo
o seu peso.
Cambio.As eperscees deste mercado, reunio-
do os tres paquetes deste mez, a saber : Braiil,
sabido a 14, Belmonle, sahido a 13 e 14 eo ac-
tual que dere sahir a 2 oa S do mez dedezem-
bro, iTultam a um algarismo importante.
Sobre Londres saciram-se reuoidas algumas
operaees de Porto-Alegre 60,900 libras a 24 4|8
e 14 1(4 na primeira quinzena, e para este paque-
te a 24 li*. 24 3[8 e 21 1.2.
Sobre Pars 16;000 fr a 390 e392 ris.
Sibre Humburgo 89,000 marcos banco a 755 e
740 rit.
Sobre o Rio do Janelao pouco se fez a 3 0i0 90
dias e 7 0|0 Tisis.
Para o imperio boure falta de letras.
Rio de Janeiro, 9 de deiembro.
Nio jioure alteradlo notavel em oosso merca-
do de imporlaco durante o periedo
._ da seu coocettee-
aaa psitimos s axadr, aOa da qae
nafta a isa por mais teapo Iwaparisaedal
fceda Uo illegaaa, sobre os satas aspacaaot
nae^oaasnoaacessiri. pro senlila.
a r pUatabU aorrente de dlreHa aaa. nlagaua
pode er bate aa ctuta propria (rerdade qaa oio
pode ser conlastadi); mts'coao 6 aaa saado o
Jolz de direlto e e promotor htvarloa. ae osa es-
to em exercfcle netta com afea, aabaa lelgaa a
aprarentados aa Hnhi rettt oa trarjirersal de dV
rertot reos, ou de seus prolectores, e mesmo
durahu-e trolactoraadaetroa, pedem eees effensa da re
e ds sociedade. e sem aaa sa diga serea jaizss
em esusa propria, mellerem um julgamentc, co-
mo se quiz hter, reos em taes circumstancias ?
Ms. seohores redactores, ludo aqui se ba de
ver; por que para o juiz de direito ioterino desta
comarca, a le 4 latir aorta, e aeima della ealio
os seus interetses pettoaes I e psra prora disto
pode-te rer que, tendo o referido jais aaresdo a
sessio do jury detls eoasrea para a dia de hon-
tem, logo qu fez o torteio teguio para a fregue-
zia de Pazenda-Grande afim de tratar, segundo 4
publico, com os criminosos ou com teut protecto-
res, acerca da ibsolricao dos mesmos, tendo en-
trado nesta Tilla acompenhado de Zacharias Go-
mes de Si, pai e sogro de cinco criminosos de
morte, aosqaaes htrla despronanciido na qoa-
lidade de juiz rnuoici jal, e, como notorio, por
duzeotos mil ris e um poltro. revogindo depois
essa desproouncia por ser aais segura a absolri-
;io no santo jury, onde com a alttaecio do qua-
trieonio do Dr. Amaral promovera urna amnista
gersl para ua grande numero de criminosos que
exiitem netta comarca, por elle (juiz) e seus t-
renles protegidos, e paraoutros que sao seus pa-
reles por.lioha recta.
NOTICIAS COUMERCIAZS E MARTIMAS.
. Uenterido, 29 de oorembro de 1861.
Na ultima quinzena que passamos em reri
sahio um pouco o mercado do estado de paraly-
sscio em qoe achara-se depois da crise paasada.
Tanto em artigoa de importarn como us do ex-
portadlo as trantac^des foram, activas.
' Os negocios polticos das provincias rizinham
nao se arranjanm entretanto, como se esperara,
conforme os desejos genes, licaudo sssim muito
e fszeY para que rollemos a umasilua;ao melhor.
Cambio. Inglaterra, 41 e 41 1|4 d>. por peso
correte; Franca, 82 1|2 frs. ong ; Genova, no-
minal ; Rio de Janeiro, sem Iraosaccdes; Buenos-
Ayres, ao par.
Sobem os saques a 40,000 e 350,000 francos.
Frotes.Inglaterra : 40 sh. couros salgados, 80
sh. ditos seceos, e 30 sh. os fardos com 5 0|0'de
esps. Havre : 45 francos couros salgados, 90 frs.
ditos seceos, e 50 frs. os lardos com 10 0,o de ca-
pa. Estados-Unidos: 1[1 ct. couros seceos, l|4et.
ditos salgados, e 7 pas os fardos com 5 0|0 de
capa. Brasil: carne secca 4 rls. para o Rio de Ja-
neiro, 5 rls. para a Baha e 6 rls. para Pernam-
buco, e pipas3 l|lpats. com 50iO de capa.
Agurdente.Do Imperalriz, de Pernambueo.
renderam-se 95 pipas a 75 ps. por 138gal,, 155
ditas a 76 ps. desp., e 1 dita em deposito a 79 ps.
ideo).
Arroz.Venderam-se 170 saceos do Rio supe-
rior a 4 1|2 rls. em deposito.
Assucar. Do Red fe, de Peroamboco, rende-
ram-se 1,350 barricas do branco de Ia sorte a 22
112 rls., 200 ditas dem de 2 a 20 rls., 200 ditas
someoos a 17 rls.. e 100 ditas mascaro a 15 rls.
despachado. Do jfareefifa. da mesma proceden-
cia. Tendern se 600 barricas do branco del*
sorte a 23 rls.. 300 ditas de 1* a 20 rls., 200 ditas
someoos a 18 ra., e 100 ditas mascaro a 15 rls.
desp. Do mesmo : 117 barricas-do branco de i" a
23 1[2 rls., 47 ditas dem de 2a a 20 1|2 rls., 44
ditai someoos s 18 rls. n 23 ditas mascaro a 15
1|2 rls. aep. Do Esmeralda renderam-se 440
barricas e 100 meias do branco de Ia a 23 rls.,
100 ditas dem de 3a a 17 1|2 rls. e 25 dilas mas-
caro a 16 rls. desn. Do Catiro II : 2301|2 bar-
ricas branco de Ia s 2z rls 100 ditas e 100 sac-
eos de 2a s 18 rls. e 200 barricas mascaro a 16
rls. desp.
Em deposito: rendea-se ama partida do bran
eo, tambem de Pernambueo, de Ia sorte, a 23
rls., e outra de mascaro muito inferior a 13 rls.
Cif. Venderam -te em deposito SO saceos a
16 1(2 ps. e 10 ditas a 17 ps. por ql.
Carne secca.Da^relha escoltiida renderam-se
3,000 quiotaes para* o Brasil a 14 rls. f. Da ora
salgada anda nio ha vendas; comecar ella pro-
ravelmenie de 10 a 15 do mez prximo. Tera-se
morto j 800 cabeess tfe gado.
Couros salgados".Sommsm as rendas realza-
das cerca de 100,000 couros, segundo consta, de
63 a 63 1[2 rls., e mais 6,000 de urna xarqueada
de Paisand a 63 rls. desp., e a salgada de urna
pequea xarqueada de Mercedes pelo prego que
se conrerjciooar segando as cotaces do mer-
cado.
Ditos seceos. Venderam-se 87,785, na maior
parte para o Harre e Genova, e aos presos sesuio -
tes: psra o Havre de 52 a 57 lis., para os Esla-
dos-TJnidns de 51 a 52 rls., e para a Hespanba de
541i2,s58rls. d. p.
Km Mr 14.750. .
Bueoos-Ayres, 16 de oorembro de 1861.
Cambio. Londres, 65112 t 66 ; Franca,83^ 83
1|2; Hambnrgo, 43 !|2; Rio de Janeiro, 30S500;
Monterido. 1i4 0i0dese.
encas-428.
v Descootos.O banco toma a 5 e d a 7 0|n em
moeda correte, e em metal recebe a 6 e d a 9
Oio ao trino. a prsca regulam em metal de 1
1|4 a 1 Ifl 0(0, e em moeda correte de 1 a 1 Ii2
Oio ao mez.
Fretes. Inglaterra:" coaros ssTgados 35 sh.,
seceos 61 sh. e fardos 30sb. com 5 Oio. Harre:
cooros stlgadoa nominal: aeccot 90 frs., e fardos
60 frt. com 10 0[(j. Mirselha : couros seceos 85
frs. e fardos 50 frs. com 10 Ofi. Estados-Dniuos j
couros seceos 4i8 cts. e fardos 6 ps. f. com 10
0(0- Brasil: 5, o e 7 rls. conforme o potto de des-
carga.
Carne secci. Venderam-se 2,000 quinlees s
17 rlt.
Couros salgados. Effecluaram-se as ultimas
rendas aos extremos de 46 a 49 rls.
Rio Grande do Sul 30 de oorembro de 1861.
As transaccSes da nqssa praga foram batante
limitadas no decurso deste mez, e desvanecern)
as'espertogas, que nos apresenlou o de dulubro,
do bom sndtmento que lam tendo todas as ope-
raedes, cojo augmento dellas esperavamoa no en-
trante. Parece, comtudo, que esto estaelooamen-
lo sb tere lugar nesle mercado e Pelotas, por-
quanto eo Porto-Alegre honre muila aoimac,o,
escoaodo-se bastantes gneros psra o interior.
Por aqu oio deixou todaria de barer alguma
causa para esta paralysicio, porque Hramos'um
morimeoto martimo bem insigoiftcenle. derido
ao alo tempo. que nao nos lea querido deixar,
peto da continuo tea soffrido a naregic,io aa nos-
isa cosa.
j Coaquenlo mercado i presenta urna existen-
cia ea quasi todos os gneros, seria ella Insigni-
fisante sabouresse uaa procura mais animada,
coa a sait-era breva cantaaos.
Nao grande a depasito de ftri nh s tfe trigo, m sa
ta ataetaai tosa a quatre earre^aeirtos tf
Mas fot Dos serride que desta rez nio se fi-
zaste forlana a costa do singue humano, par qoe
teodo o escrirlo do jury dado parle de doente, e
qaeraode seguir para Pi de Assucar, onde ia
tomar remedios, nio estara na rilto o juiz de di-
reito psra nojpear oulro ; e por iato nao teodo a
quem entregfPo cirlorio pur um inventario, co-
mo de direito, relirou-se deixsndo-o trancado;
o qu toa dado lugar tambem a grande alteracio
dos animo, por que os potentados que ji conta-
ran) eom a absolricao de seus protegidos, e o
juiz qae j linha por certa a amnisits proaettida,
nao podiem deixar de te etcaodalitarem por rer
ludo frustrado em um momento.
Todaris, nio obstante estes vergoohosos fei-
tos, que esli aqai patentes, e ot que o Sr. S. B.
J/. publicou em seu Diario de 26 de mez prximo
fiado, ais se demorem,oie te imponaa aesme;
e agora traa-te da iolerposicio, logo que aqui
chegou o escrirlo do jury de quatro ou cinco
recursos, e de que criues 1 Um delles o dos
fllhos do referido Zacharias, que matiram um
pobre hornero. abririm-lhe a barriga, corteram-
Ihe as partes pudendas e metleraa-lh'as na
bocea I
o periedo que pasea-
aos em rerisia. E' ainds mais de notar que htrendo nesls
y mercado de exportacao conteira-se ioactiro, tomarca mais de cincoenta criminosos, entre os
nao se animando oa exportadores de caf a effee- della e de outras ; contase apenas entre elles um
luar compras s altas estacos actuaes do pro- que nio perteoce ao lado poltico do juiz de di-
- reito ioterino e o promotor, e por isso que al-
guna liberaos j rio desgostaodo-se do honrado
duelo; entretanto nao desisten) os possuidores
de suas prelences, fundadas uo carcter ainda
farorarel dit noticias que nos trouxe o Oneida.
O cambio sobre Londres tem-ae msntido entre
65 7|8 e 16 d.; sobre Pariz de 368 a 365 d.. so-
bre Hamburgo de 683 a 676 rs., e sobre Lisboa e
o Porto a 108 por canto a 90 dias de vista.
Nao nouve mudanza na laxa do descont.
As apolices de 6 por cento foram negociadas s
94 por cento.
Edectuaram-se algumas transac;5es de ongas
da patria e de acedes aos preces qae adiante men-
cionamos.
Chegarsm, procedentes de Pernambueo i 4.
o palhaboie Piedade, com 11 dias de riagem ;
6, a barca americana Ftyng Clou, com 6; e 8,
o vapor de guerra Paraente,
Sahio para Pernambueo : 7, o brigue no-
rueguinse Idnn.
REVISTA DIARIA- <
Foi contratado para serrit de capellio nohoi-
pilal mililir delta provincia o reverendo fre Juu
de N. S. do Rosario, por portara do governo
provincial de 12 do correle mez.
Harendo o Exm. brigadeiro commandanie
das armas dispensado aoSr. major Sebastian An-
tonio do Reg Barros do lugar de ajudante de or-
dena, designou para substitui-lo ao Sr. lente
Joaqoim Jos Pereira Vianna, a quem commetleu
igualmente o delalhe di guaroigao.
Esta norneacio*nca dependente da ulterior ap-
provar.ao do goveruo imperial.
Os artigos de posturas qoe temporaria mente
approrou o Exm. Sr. presidente acerca do des-
pejo das imraundicias, comecario a rigorar so-
mente de maio futuro por diente.
Nao tendo sido arrematada a obra da cons-
trueco do passadi^o, qae lera de ligar este bair-
ro so do Recife, por falta de licilaoles, ra de no-
vo a mesma 4 praja no dia 21 do correte, pe-
rante a thesouraria de fizenda desta provincia,
cuja conta lem de ser feita a referida construc-
{ao.
Dando a recelar a Iota intestina dos Estados-
Nori'Americanus urna dimiouicio considerare! na
producQlo do fumo ou tabico; e, alem disto,
tendo esta cultura-sido negligeociada na Allema-
nha, onde lirera notarel incremento, ao patso
que o respectivo coniumo como que creice lodos
os dias, tem o goreroo expelido ordeos 4s c-
maras municipaes no sentido de insinuar aos seus
mnoicipes aa rantagens rsullaoles da sua cul-
tura cojo porrir se roaoifesta sob taes caracleris-
ticos de xito infallirel.
E' para desejar que os nossos agricultores se
compeoetrem do qae ha de real nesle quidro. e
que coosequentemenle se deem um cultivo im-
portante quer pelo lado des rantagens relribuitl-
vas do capital e esfoicos empregidos, quer por
aquelle da adaptaco do nosso terreno esse
pianito.
Acha-se nomeado secretario do governo da
provincia do Piauhy o Sr. Dr. Jos Liberato Bar-
rozp.
Foi promovido i chefa de seceo da thesou-
raria de fazeoda desta provincia e br. Urabelino
Guedes de Mello ; 1* escripiurario o Sr. Joa-
quim Pereira Bastos; 4 2 dito oSr. Ulisses Per-
nambucaoode Mello; e officia 1 da respectiva
tecreiaria o Sr. Antonio Martina de.Sebra U-
mos.
0 Sr. Dr. Henrique Pereirs de Lacena scha-
te nomeado juiz municipal e de orphios do' ter-
mo de Goiaona ; e para o mesmo termo foram
oomeados partidor e contador o Sr. Bemveoulo
Pinheiro de Meodonga, e partidor e destrinuidor
o Sr. Jlo Gomes de Souza.
Sendo exonerado por doeole o Sr. i* ente
Jos Rodrigues de Souza do commando da com-
panhia de sprendizes artfices do arsenal de ma-
rinha. foi substituido po Sr. capillo lente
Francisco 'Jos d Oliveira nesse commando.
Fallecen na casa de detencao pelas 3 horss
e meia ds larde do da 14 do correte, de ama
coogeslo pulmonar o negociante Francisco do
Reg Mello, que ali baria sida recolhido no dia
ti, por ordem do Dr juiz espacial doeommercio
por estar pronunciado qa crime de quebra cul-
posa.
Ae 3 horas do mencionado dia 14, na occasiao
em que jaotara, seotio o mencionado negocian-
te urna forte dor no estomago, e na regio do co-
racao: inmediatamente foi soeporndo pelos cera-
panheiros d cedila a pelo eafermeiro da casa
o Sr. Joio Pinheiro de Catle, era quinto sa
procurara um medico.
.Quaodo. momelos depois, chegou o Dr. Pedro
AOtooio Cexar, j nio filiara p doente, e as 3J
horas eolragou g alma ao seu Oteador; taodo ss-
sistido em seus ltimos momentos pel Rrd. pa-
dre Antonio Malaquias Rtmos de Vitconcsllos,
que te ptettpu 4 essa selo de caridade.
Procedeu-se o exime de reriflcjcJtodeidenti-
dada de pessoa pela tubdelegiela do Santo Aalo-
nioe ea orna mtla dp riigeui,qua oa prisl li-
nha o finado, foi encontrada a quaotis de 3:67 em sedulas, do que te l#rou termo a ea dan
sciencia ao oiz do commercio.
De Tscsrsi* escravem-ops o seguiste, em
dato de K de ncrembro prnxiao pasudo:
c Httihortt redactortt da Remla piara.Se
4 rerdade que a imprenta i ua poderoso elemen-
delegado, o Sr. major Pedra, porque elle, impar-
cial como tem sido, oio ha procedido como al-
guna, perteguindo a quem nao criminoao, e
protegendo aos que sio.
a Se alguem entender qae estou fallando apai-
xonadameote, appareca conlririando-me com in-
dicarlo dos nomes dos conservadores que prote-
gen) criminosos nesta comarca, ou ao menos um
criminoso protegido por um conservador. Mas
oio se diga por isso que islo derido a nio ha-
remo partido hamens importantes, como no la-
do liberal; o que exacto, porque nio temos
dessas importaocias filhas do bacamarte, das
quaes pedimos sempre a Deus que nos llrre ; e
apenas a elle recorreremos em prol do gorerno
para o qae aempre estaremos promptos.
a Era tempo darei conta dos referidos recursos
bem como dos seus resultadosO amigo da us-
ura, (jp
De Olinda remeltem-oos a seguate corres-
pondencia de duas personagens d'alli.
CARTA DO SINEIRO DA S
AO AMIGO DR. TEM-L-L.
Charo amigo, in primo loco.
Saber qaero como passa.
Se por 14 ainda grassa,
A cruel epidemia
De RR. n'academia.
Dspeis do que lhe darei.
Noticias de um seu criado.
Que ha pouco fui esapregado.
Era laoger bem os bjalos
Tratando de azeita-los.
C por eata reina Olinda
Ficou ludo esbabacado,
P'ra oio dizer espantado
De urna tal nomeacio,
E da qual j liz mencio.
Ao compadre Z redondo
Nao se esqueca de dizer.
Porque emflm quero ter
Com elle contemplacio, "i
Por ser homem deacceo.
Mea amigo, muilo pode,
Nesls trra a protegi,
Nesta nossa geranio,
S se atiende a um bom pedido
Para ser-se protegido.
Do contrario, eu nao seria
Nomeado badaleiro.
Na qoe lucro bom dinheiro.
Picando assim preteridos
Pretendentes coahecidos.
Nesta torre rivo agora,
Noite e dia sera cessar,
Entregue s a pensar
No que corra pelo mundo,
Qu'afinal ir ao fundo.
Qae terrireis sonhos tenho I
Meu amigo, os fnraeOes
Sao perfeilinhos troves I
A roncara do mar
E' cousa de amedrentar 1
lias emflm, rou pastando,.
Como se passa esta vida
Sempre cruel abarrida i
At que loque aual,
A triste ora fatal.
Entrelioimentoso tenho,
Quando eatou alravancado
Com meh oculo envernitado :
E' oc'lioho de patente.
Que me deu ceno pranle.
Tem ofridrinhosazoes,.
Ub aada lado um bolio.
Para se abrir ou fechar
A gosto de o quem deitar.
Fejer-e loDge, tejo aperla,
Tio perfelta e claramente
Qaa faz espantar a gente ;
At rejo ea naite escura,
O que fax o padre cura.
Vejo por entre paredes,
Sor entre sorras e montea,
iriso ralles e fontes,
Al trras d'alea aar
Mea oc'lioho rai buscar,
i me chimam feitlcelro
or estar de tudo a par j
Ji at me qusrem dar :
"fs, l bolirem comigo,
im com boa iniaigo.
8e aaaim ooaae hoje
Junta han resse ioqeatoto,
atoa carta a pnica ;
lito teaare a foguafra, a
labnibada a'aai etteira.
Reduxidot icariam
Heua ostiubos a p torra,
Ai que ddr. ti ji a enterra,
Naaie petto, crvieldads.
Por ae pensar ser Tardado. ,

Felizmente j 14 rsi
Essa lempo tio cracl.
Que tragara amargo tal.
Quera firmado entao na lei.
Nao beija?a a ale do tai.
oje o see'lo das lozas
io so morra aais qaela
Tudo, tuee asU nadado,
E per isto aa armo ter
Mea ocUsnaVa a p'ra rer.
I
Que bellezas que deidadss I?.
Vio a toada aera o arar ;
Ali rallada spaoher,
0 pincadio furiosa
Daa ondas psra o Derroto !
Essa nervoso mea cbsro. /
E' toafeatia ji da atada :
Se Xtoaeh nio aagerd,
Sear4qatoba
qaa i
Qaiodo asadas aaair
Cootar cacto blstertajto
Compotia aa auia ptU ;
Aquelii da aaaiubaira
A Mari* baaatbbs ?
Nio se lerabrs da rarinha,
De seadae ane-fei aebada,
Denlro da raeca rajada,
Quando Mara liapara
O facto qoe aujo 'eatara ?
Nio se lerabra assim tambera.
Dos milagrea da rarinha,
Que tirara da cozinba,
A aria emporralhada,
Quando nio era esperada ?
E tambem des ricos carros.
Dos criados bem fardados.
Dos importantes bardados,
Vestidos de aada para.
De cor clara, e edr escura T
Doa brilhaotes, ricas jotas,
Bicoi, iliae, cembraetia,
Sapaiinhos coa rosetas.
Cora que Maria quebrara.
as feataa qae o ralge dar 9
Pois meu charo, en timbea tenho,
Meu oc'lioho de condao ;
E por Isso n'om corda o,
Sempre o trago peodurado.
No pescocc coa cuidado.
Tudo quinto lhe contar,
Todo quinto referir,
Ainda que r bolir
Coa o que guardado estl,
Devido a elle ser.
a>
Se Dotleias quer ssber
Desta torra reu Iba dar:
Ji me pooho a graduar,
O oc'lioho para assim.
Contar tin lim, por lin lim.
Que ouco I Dens ; que seril f
Arrebate na cidade I!
E' por certo noridade:
Vou ji tambem badslar.
No sino grande toesr.
Li teca ainds S. Be nio,
Guadalupe, S. Joio,
Vejo ludo em confosao ;
At brada S. Francisco.
Cahiria algum coriseo II
Vejo homens e malheres.
Meninos, oegros, e ralbes.
Todos ellea amarellos.
Balando de porta em porta
At urna a oir torta 1
A polica j l rai.
Buscar tropa na cadeia ;
Porm s aras candeia,
Feia, relha e detcorada,
Acba no corpo da guarda III
Qual soldados, meu amigo,
E' cousa qu'aqui nio ha :
A cadeia entregue est,
Aoa cuidados s do Como
Que s rasa a faz biaconto:
L descabro j fumaca.
N'ama casinha caiada
De verde e braceo pintada :
E' fogo que do boeiro,
Sai da casa do Salgueiro I
Os machados 14 reluzem,
O telhado jaz por ierra.
Reina ali come na guerra,
O pavor, o susto, a dr,
El vejo um tal doulor.
Meu amigo, cunea ri
Em Olinda fogo aasim ,
Al j loca oBom-Fim,
Sania Thereza, Milagrea,-
E a casa 14 dos padrea I f
Todos gritam agua renha }
Venha j prompto soccorro :
Nisto logo o oc'lo corro.
Para o lado l do Piza,
E rejo o que se precisa.
Ven o boi dos padres santos.
Que mocho s puchando,
Ferroadas s levando.
Urna bomba de patente
Cercada de muila gente 11
Nao sabia qu'axislia
Bomba de tanta belleza
- L para Santa Thereza 11
E' bomba que oio tem /iat,
Como diz FreiBernardin....
Tudo acalma, o fogo cessa ;
L rai o destscameoto
Composto de ua sargento.;
Minha gente, renham rer
Se quizerem nisto crer.
Os presos desta cadeia
Sao de bem accommodar,
Sem seniioei a bradar,
Virem sempre caladinhos
Como mansos cordeirinbes.
Se por minha infelicidade,
Esliresse ali meltido,
Ji linha ha multo fgido:
Porque s vejo soldados c
as paredes bem piniadoa.
Como o mal rem l de cima,
Que leve ludo o diabo :
J se lem representado,
' Duas, tres e quatro rezes,
E assim se passam mezesl
Uaa renda /foi roubada,
Duis e tres roobarav.
Porque nio sendo o ladro,
Nem ao menos perseguido
Iri ci mo he seguido.
Uaa factda leroa
0 moco Boaventara
Bem abaixo da cialura 11
Se lhe pega aaa ririihae.
Ni contara mirivilhat.
Ali sempte em Beberibe
Dso-se fados desta ordem ;
Os cachorros 14 nio morder,
Has os homenttio aamnadoi.
Porque andaa aempre armados l
Anda sil certo marreco,
Que s polica do lagar,
Dere ti eom elle dar.
Ni cadeia da cidade:
Do contrario.... ha noridade.
Quea aquella seohor,
Que rejo oa Estrada Nora,
Plantando de cara ea rara,
Sea gastar muito dinheiro
Ua pequeo catlinheiro?
Sari elle porvenlara.
Algam hbil engenbeiro ?
Ora qual; o Moateira,
Qaa j plialou oa Rlbaifa,
Urna tal e qual frueieira.
Arante, avante, Moolefro :
Se por rentura morter
Algum p logo a o n asear.
Ser comtudo fallado .
O leu nome all grarado.
Meu amigo, os tses doaterea
Da etdade de treerfe.
Taaa ttrado do eteaWt,
^sTaftraaWaadS m i a ai i WailAaanBBka
TflUM, *VqVs Wl|aW*f
Coa os baobea 6 salvados 1
Babaribe, CacbangA,
Aajpneaa.a aleoiasse.
Pfcou toda a* t tos atoa :
djaaas qaaer ir a ejeAta.
Vanha p'ra aqai ao tailo.
Se Meaba toma saates.
Par aaalqeer caaaaarnba.
De aejatoa caitaaiaae.
A relha qae ji trapace,
Gei aqai, aai aeol,
?u' aaperancaa ji oio di,
ala sus grande idade;
E' nerroso: p'ra a cidade 1
O cario que assim.
Temos s larra bem cheia :
Se por acaso urna Tela,
Se dsreobre nat janeilas,
Lago tras f ustra bellas.
Oliada boje tea fama
J tbeatra lambem tea;
E brare d'Europa rea
Caaspanhia de ciotoiee
Trazsado boa bom leoOres.
a
S nio rem a priaa dona
Porque temos de patente 11
A qual mora de, preaento,
Meaao aa ra do Cxo,
Onde pouaa sewpra ua axa.
Quea qoizer ter a dlilincta........
Falle cera odom Maneta,
Que em risls da gorgta
Arranja tudo com geito :
Meo amigo que sugeito II!
O' l quera pasas agora,
Des horas de noite escora.
Que qualquer olho se fura.
De aado no rte doce.
Onde j gente afogou-se ?!
Meu oc'lioho j dir :
E' uaa torca de liaha.
Toda ella monladinba,
Qoe ret rer se agarra a presa
Ciladinha de sorpresa.
L vio doua deatro do mar I......
Rio doce cisauada :
J4 pissei de madrugada
Por tli ea certo dia.
Que quati, quaai, aorria.
O dinheiro desta trra
S bo chega para o que boa
Mas para qnem do tora......
Adeus seohora qu'eu parto ;
Cbega, chega, e flea tarto 1
Qoe ponte maia necessaria
Meu amigo que aquella ?
Porm qual, nem s pioguella
De sipo eom embaba <
Mamoeiro e carnauba.
Os nossos charos eleilos.
Sendo to bem escolbidas,
Sempre lornam-ae esquecidos.
Do pobre povo qae neme, *
Seja quem fr o do leme 1
Finalmente chega a torga
Buscara dosMilagres,
Bengo por varios lugares,
O contribando filiado
Qae afioal nio foi achado
Sio intrigas do Marcal ;
O Bth nio capaz.
era tile lio sagaz.
Que merece a conflaoca
Do tal homem da bonanza......
O certo que Bate
Marcbou logo pelo coz,
Sem al;ar a sua voz.
Por se dizer s suspeile.
No que se dea a respeito II
- Entretanto que o rico,
O chamado homem das btts
Vai comeado as taes balotas,
Sem trepar; baa descansado.
No palacete fechado 1)
Mea smiguioho, j basta :
P'ra outra ves lhe darei.
As mais noticias que sei:
Queira assim receber esta.
Que lh'enrlo antes de feata.
Passsgoiros do rapor ingles Ontida rindo
do Rio de Janeiro e Babia :
Trislio Gungalresde Almeida, James Valenti-
no, Simph'ronio Olimpio de Queiroga, Joio Rufi-
no da Silva Ramos, Luiz A. M. Falcan. Eduard
A. M. Feotn, F. W. Quit.
Seguem para a Europa :
Jos Marinangelli tua senhora e um lho ae-
nor Wlllism S. Ayres, Wilhom A. Broun.
Passageiro da barca americana toft.sahida
para Brdeos :Maynard M. Chamber.
Nos dias 14 e 15 forana recolbidos i ctsa do
delenco 9 homens 1 mulher, sendo d'eatra estes
1 escravo, a saber: a ordem do Dr. chefe de po-
licia 2, a ordem do subdelegado Recife 2, a ordem
do de Santo Antonio 1, a ordem do de S. Jos 3,
inclusive a crioula Joaona.escrara de Joao Bap-
tists de Oliveira, e I ordem do dos A togados 2.
_ Movimenlo da enfermara da casa de delen-
(io do dia 16 de dezembro da 1861 :
Tiveram alta da enfermara :
Maooel Ferreira Borges.
Lacia no (escravo do Sr. Manoel da Rocha.
Matadouro publico.
Mtlaram-tenodial3.de dezembro de 1861
para o coosumo da cidade 71 rezes.
No dia 14 98.
No dia 15 89.
No da 16 92.
MORTALIDADE DO DIA 17.
Mtrii, frica, 5o anuos, aolleira, Boa-vista, es-
erara; aoatarca.
Luiz Placido ee Azeredo, Pernambueo, 50 annor
casado, S. Jos ; intente. *
Martinha, Pernambueo, 18 mezes, S.Jos, Ter-
mes.
Manoel do Espirito Sanio, Pernambueo, 15 anuos,
solteiro. Boa-vista ; diarrhea.
Jos, Pernambueo, 5 dias, S. Jos ; convulces.
No dia 16 (boje] nio houve enterrameola
algam.
CHRONIC JUDICIIRIA.
Tribunal da Relact.
SESSAO EM14 DE DEZEMBRO DE 1861.
Presidencia interina do Exm. Sr. dttembargador
Cattano Santiago.
slOhorasda manha, acbando-sepresen
tes os Srs. desembargadores Caetano Santiago
Silreira, Gitirgns, Lourengo Santiago, Motta, Pe-
retti, eAccioli, fallando ot Srs. desembargadores
Assis, Ocha Canlcant e fiuerra, procurador
da corda, fot a berta a sessio.
Passados os feitoa e entregues os distribui-
dos, procedeu-se aos segufntes
JULGAMENTOS
RECURSOS CRI1IBS.
Recorren te, o jaizo : recorrido, Ildefonso Ay-
res de Alboquerqne Meranhlo.
Relator o Sr. desembargador Gitifana.
Sorteados a Sr. desembargidores Acioli"
e Lourenco Santiago.
Improcedente.
Recrreme, o Jaizo ; recorrido, Manoel Je*>
qoim de Oliveira Jacobina.
Relator o Sr. detembargtdor Lourenco San-
tiago.
Sorteados os-Srs. oesetobargaderes Silreira.
Gittrsaa e Peretti.
Isoaracedente.
leoorraate. Antonio Sotrs de Brito : recaTrii.
dto, Stbiao Natas Mrbeire
Ralaier o r. deoembargador Motts.
Botiaaaoo ot Srt. dwmbargMloTfrt Gittran,
Peretti e Lourenco Santiago.
AwaatatcVR ctrtju,
2 SSiTjSStiT^90' 'L*"**'**'
^JJJjato,* raiza awoMaaa^ ^^ de Je.
A BOTO jrarjr.
i nAXA I
li
i a a-^.'V ._. a


jan M*niMMGo. ^ TtaginiA i o* oezomm ti mi
AppoUanae, o julio ; appellado, Antonia Gou-
^lves Pereira.
A aove Jfarjr.
Appellanle, Luciano (kracal ves di Souza ; ap-
pellado, o Jnito.
iBjprocedeote.
Aepellaote. jateo ; eppollade, Adolpho Luiz
M Soasa.
A' aovo jury.
Appeliaate, Sebasto, ater to; eaaellade, o
ojauo.
Com vista to cndor geral:
ArmiA^E CIVBIS.
AoaeUMU. francisco Joa Regala Braga :ap-
pellade, Maaooi Pereir Caldaa. v *
Deaprauraar-aaaa embargos.
aVppallant, Jos da Silva Peaaoa: appellado,
Joaquim do lego Barroa Peaaoa.
Desprezsramaje os embargos.
Appeilaotes, Saalos & Rohm ; appellado, Ro-
zando da Sousa Silva Cuaba.
Nao se tomou onahecimeoto.
Esiesuc>o de oa.
Assignou-se diapara julgamentodasseguintet
appellaeoes erimes :
Appellaole, Freocieco Paulina Gomes de Mel-
le ; appellada. Jobo Lopes Ferreira.
As appellaeoes eiveis : *
Appellaole, Eufrasio de Amida Cmara ; ap-
pellado, Haoeel da Coste Travasses.
Aopellaaie, a viuva e herdeiros de Jola Vieira
da Cuaba; appallada. a titeada.
Appellaole, a fazeada ; appellado, Josa Rebel-
lo Padilha e Outros.
DILIGENCIAS CITIS.
Ao carador geral:
AppelUote, Luiz Correia de afelio a oulros ;
ppeUada, Luiz Correia de Melba e Aojo.
Ao promotor a> cepellas :
Appellaole, Beliz Francisco de Souza Maga-
Ihes; appellado, Jeio Tavares Cordeiro.
DISTRiatlQOBS.
Ao SBr. desembargador Accioll, o recurso
crime: '
Recorreote, a.jolzo ; recorrido, Antonio Ja-
cintho Pereira.
Ao Sor. desembargador Assis, o recurso
crime:
Recorreote, o juizo; recorrido, Josquim da
Costa Maia. "
Ao Sr. desembargador Dchda Cavalcaoti, o
recurso crime :
Recorreote, o juizo ; recorrido, Jote Eleuterio
de Ateredo.
O aggraro de pelico :
Aggravaoie, a mesa regadora da ordem tercei-
ra do Carmo ; aggravado, o juizo.
Ao Sr desembargador Costa Molla, a appella-
eoes eiveis :
Ap pella ote, Mmoel Ignacio da Cruz ; appella-
do. Joaquim Antonio B-zerra de Menazes.
Ao Sr. desembargador Assis, o aggraro de
peticio :
Aggravaote. Joaquim de Almeida Pinto ; ag-
gravado, o jpizo.
A's 2 horas da tarde eoeerroo-ae asetsao.
Tribunal do commercio.
SESSO ADMINISTRATIVA EM I 6DE DEZEM-
BRO DE 1861.
PRESIDENCIA DO EXM. SR. DESEMBARGADO
. F. A. DE SOUZA. -
As 10 horas da manha, reunidos os Srs. depu-
rados Reg, Lemos, Basto e Sil?eir, o Sr. presi-
dente declarou aberta a sessao.
Fui lida e approrada a acta da antecedente.
DESPACHOS.
Um requerimenle de Joaquim da Silra Coelho,
Poriuguez, de 40 aooos'deidade, domiciliado e
estabelecido na Parahiba do Norte, com casa de
commercio aob a fuma de Vietonoo Pereira Maia
Companhia, da qual socio capitalista, pedin-
do ser admittido a matricula.,-Visla ao Sr. des-
embargador fiscal.
Outro de Antonio Fraocisco Correia Csrdoso,
pedindo que salhe declare por certido, se o No-
vo Banco desta provincia apreseotou-se como
eredorna moratoria requerid) por Francisco An-
tonio Correia Cardoso e Mesquita & Dutra ; e se
annuioa moratoria.Como requer.
Outro de Antonio Jos Das e Luiz Aires Vil-
lela, pediodo o registro de seu contrato social.
Vista ao Si", desembargador fiscal.
Outro de Antonio Bjtelho Pinto de Mes juila,
pedindo o registro de urna procuraco que ejun-
t.Como requer.
Out'o do meamo, pedindo o registro da noraea-
?au que dera a Ionoceocio da Cunta Goiana a J-
nior para ciixeiro de sua casa commercial.Ca-
mo requer. /
Nada mais houre.
SESSAO JDICIARIA 16DEEM NOVEMBRO
DE 1861.
PRESIDENCIA DO EX*. SR. DESEMBARGADOR
SOUZA.
Secretario, Julio Guimares.
A meia bora, o Kxra. Sr. presidente abri a
aesso, achaodo-se presentes os Srs desem-
bargadores Villares, Sil Guimares, Peretti e
Jchda Cavalcanli, e os Srs. deputados Reg,
Lemos, Bastos e SiUeua.
Lida, fui approrada a acta da sesso antece-
dente.
Foi assignado o accordo proferido na sessao
antecedente uas revistas commerciae* entre par-
tes: K
Recorreote, Francisco Aires de Andrade Cos-
ta & Companhia o outros ; recorrido, Dr. Jopo
Nepomuceno Machado,
Recorreote, Antonio oo;atves do Reg Van-
na; recorrida, a companhia de Seguros Marti-
mos e Terrestres.
_ JCLGAaTENTOS.
Appellaole, Manoel Rodrigues Costa Usgs-
Ihes ; sppellados, Carlos Jos Aslley & Com-
panhia.
Sorteados os Srs. deputadoi Lemoa, e Bastos
HelatoroSr. desembargador Silva Guimares.
Foi confirmada a senlenga appelltda.
PASSAGENS.
Appellanle, Joao Manoel Rodrigues ; appella-
do. Andr Barbota ooares.
Do Sr. desembargador Villares ao Sr. desem-
bargador Silra Guimares.
DISTRIBUICBS.
Appellanle, Manoel Joaquim Das de Castro ;
oppellado, Antooio Jos Diaa.
Ao Sr. desembargador Silra Guimares.
AGGRAVOS.
Aggravantes, Antonio Jos Teixera Bastos 4
Companhia ; eggravadot, Norat & Irmaosr
O Kxm. Sr. presidente denegou prorimento.
Aggraranle, Jos Rodrigues Ferreira ; aggra-
vado, ileoiique G bsoo.
O Exm. Sr. preatdento denegou provimeoto.
Nada maia havendo a tratar, o Exm. Sr. presi-
dente encerrou.
CWtiLADO PROVWCUL
RelaeM 4m a.Tareigas e rais*t|ie
Unm eotteetatas, par Macaaten
taiiPBfaas ia tralca da carca t
4 escapea, pmrt impasto de 500 rs.
pop traelaiu.
Bario do Lirramenlo.
AlvarengMel mando, SI toneladas,
imposto.......................'.......
demRooha do bosque, 78 tonela-
das, imposto.........................
demViraae, $31 looallidas, im-
posto.................;...............
demBemfica, 77 toneladas, imposto
demVoluntaria, 76 toneladas, im-
posto................................
demCi te espero, 53-toneladas, im-
posto.................................
demDondom, 69 toneladas, imposto
demInveja, 68 toneladas, imposto..
demEsperaoet, CI toneladas, im-
posto................................. ,
dem Veremos, 75tonelada, imposto
demZas tras, 76 toneladas, imposte
dem Bicuds, 18 toneladas;imposto..
demLelo do norte, 16 toneladas,
imposto.............................
demLindoy, 32 toneladas, imposto
demBaci, 19 tonelada, imposto....
demNortdade, 44 tooeladaa, imposto
demPrimeira laneha, 3J toneladas,
imposto.........-!.................
demTres gratas, 38 toneladas, im-
posto................................
demSegunda lancha, 37 toneladas,
imposto..............................
demInferno, 134 toneladas, imposto
demSmh, 62 toneladas, imposto...
demCaohada, 62 toneladas, imposto
demSebastopol, 47 toneladas, im-
posto.........."...........,...........
IdeaMamli, 36 toneladas, imposto..
Manoel Custodio Peisoto Soares.
AlvareogaAndorioha, 79 tooeladaa,
imposto..............................
demSeris, 11)2 toneladas, imposto
dem Emma, 69 toneladas, imposto..
demArrogante, 131 toneladas, im-
posto...........................,.....
demSoberba, 131 tooelladas, im-
posto.................................
demFlora, 66 toneladas, imposto...
demBeija Flor, 61. toneladas, im-
posto.................................
demBella, 71 toneladas, imposto....
demTreza de juoho, 59 teneladas,
imposto..............................
demRola, 78 tooeladaa, imposto....
demBenteri, 65 tonMadas. imposto..
demCamaragibe, 67 toneladas, im-
posto.................................
demCidade nova, 67 toneladas, im-
posto.................................
C'oosCysna. 23 toneladas, imposto..
demSabia, 32 toneladas, imposto....
demMosquito, 46 toneladas, imposto
demFormlgs, 42 toneladas), imposto
Lancha Agui. 30 toneladas, imposto
Manoel Jos* Dantas.
Alrareoga, 31 tooeladaa, imposto...... 15J500
llera, 78 lonoladas, imposto........... 399000
dem, 69 toneladas, imposto........... 318500
dem, 59 toneladas, imposto........... 299500
demPeroambucana, 45 toneladas,
imposto..............................
demPoule de Lima, 63 toneladas.
imposte..............................
demGez,7i toneladas, imposto......
Canda. 31 toneladas, imnoslo..........
demRtbeira nova, 37 toneladas, m-
P*................................. 18J500
=
45S500
399000
659000
38S5O0
389000
269500
3if5O
3a000
32*000
37|50O
389000
99000
89000
169000
9f500
2290UO
161000
I49OOO
139500
679000
3I9OOO
319OOO
239500
18S000
399500
519000
39500
659500
659500
339OOO
30J500
359500
29J500
399000
32S500
339500
339500
11*500
16000
238OO0
21$000
I59OOO
22|500
319500
359SO0
158500
JContH%ar-$e-ha.)
Rea cao da col leda dos i m pos tos aba i xo
declaradas, feita pelo laacador Joao
Pedro de Jess da Malta. *
Jury do Recife.
5.* SESSO.-DU 14 DE DEZEMBRO DE 1861.
tretidencia' do Sr. i)r, juit municipal da pri-
meira vara, i juix e direita interino da se-
gunda. Hermogene Scrates lavares de Vas-
concellos.
Promotor publico, Sr. Dr. Francisco Leopoldioo
de Gusmio Lobo.
Escrivio priratiro do jury, Sr. Joaquim Frao-
cisco de Paula Esteres Clemente.
Verifica-se pela chamada eslarem presentes 42
uizes de tacto.
otra m juigamonto o prooeat* am qu-i reo
a preto" Luiz, escravo de Sebistilo Aolooio do
Bego Barros, teed por seo a ivogado-o Dr. Jos
Leandro de Godoy o Vasr.oncetlos, ao qual de-
ferido ojurameatocomo carador.
imputado ao aecusado o facto criminoso de
harer forjdo ao preto Luiz. era alas do aaao de
1855, rindo fallecer o ottenaido 14 diaa depeis.
Ees rieia dos debates, e propoatos o respond-
aos os qoesitos, o juiz de direito publica a> sen-
tenca.'que absolrd roo e cuodoroaa a muaicipa
Iidade as cusas, conformando-se o juh com
essa sentenga.
Era seguida, e se teodo loursdo o ergio de
justic- publica e o adrogado, nos uizessji tata -
cusso acerca do orocesso que foi instaurado pela
aubdelegacia da troguezia de S. Fre Pedro Gun
paires do Recife,, contra Lgaaet> Jos Ramos,
qjii foi proauaeiado como luourso oas peoaado
att. <9> combina lo cora o ara. 31 do cdigo pa-
nol. O acensarlo acompanhado de seu adrogado
Dr. Francisco Jos Martina Peona Jnior, por ella
aeduzta sos ateta.
Rol reaattarrb foi o ro absotriJo. a a maoici-
gtMidaAaeoadoctwuida oa* castas
Esgotaos os dias.de proroga;o, foi eocarrada
^ Wv9wWva
Imposto de 1:0009 rs. sobre casas
de operacoes bancartas com emlsso
e oatros previl<*gios :
Casa Filial do Banco do Brasil.'.......
Imposto de 500$ rs. sobre casas de
operaedes baocarias cora emlasio, e*
sem previlegios :
Noro banco de Pernambuco..........
Imposto de 3'lOg rs. sobre corapa-
ohias anonymas e agencias :
Amorim Fragoso Santo & C........
Companhia de seguros Utilidade pu-
blica................................
Companhia de seguros martimos in-
demniaador....................... 300JOOO
Companhia de seguros martimos
equidade, agente Manoel Duarte
Rodrignes..........................
Companhia de segaros contra o fogo,
allianga.agenles Saunlers Brothers
& C...............................
Companhia depseguros contra fogo,
Dothren, agentes C. J. Astteyr &
C...............
Companhia dogaz....................
Companhia brasileira de paquetes a
rs por, agente A ic. vedo & Mendes..
Companhia de vapores ingiezes,agen-
tes Adamsoo Howe & C............
Companhia de segurosSeguridade
eslabelecida no Rio de Janeiro,
Guilherme Carvslho 4 C............
Imperial companhia de vapores fran-
cezes, agente Tissel Freres........
Companhia Peroambucana de nave-
gado costeira......................
Companhia de vapores de reboque
vigilante...........................
Companhia da estrada de ferro.......
Companhia de Rberibe....,.........
Imposto de 1009 rs. de cada corre-
tor commercial :
Luiz Araavel Donboqrg..............
JohnGiiis............................
Frederico Robilliard.....;............
Henrique Guilherme Steple.........
Francisco Mamede de Almeida......
Francisco de Miranda Leal Seve.....
)oo da Cruz Macelo................
Francisco Lopes Guimares........
Francisco Jos da Silva...*,........
Beroardioo de Vascoacellos..........
Amonio'B,otelho Pint de Mesqui
. Jnior..............................
Jeorge Palchet.................-......
Primeira secgo da mesa do consulado provin-
cial, 14 de dezembro de 1861.
I.OOO5OOO
50OJO00
300fOOO
3009000
3OO9OOO
3OO9OOO
3009000
300gMO
3009000
3OO9OOO
3OO3OOO
3OO3OOO
3OO3OOO
3009000
300SOOO
30UJ0O0
1009000
1009000
OOSOIIO
1009000
1OO90OO
1003000
ooaooo
1003000
luoaooo
1009309
1009000
1009000
lommuncado$.
Fendo, por urna maneira inslita, em minha
honra e reputago, que tenho, gracas Deus. pro-
curado manter, at hoje, escoiraada de qaalquer
torpeza ou macula, por alguns individuos, que
nao teem classiflo;o possivel oa sciencia zool-
gica, eu devo urna breve resposla, nao aos meus
numerosos amigos e ao publico imparcial, que me
conheee, mas sim aquellos que igooram intei-
rameate os meus precedentes.
Se nao fra. pois, esta considerado, qoijl de
muito peso para mim; se nao fora a minha mo-
cidade, que me toros aioda vuloeravel i calum-
nia, eu repousaria tranquillo oa minha cooscien-
cia, no conceito dos meus superiores, oa estima
e apreea dos meus smieos; entregarla ao mais
aolemna despreio as allusoes infames e os calum-
niadores despreziveis e emftucados, que nao tendo
a corsgem de tomsrem a paternidade de ttes ac-
cusages, lancam mo de homens, sem conscien-
cia propris, de miseros efosoMs, para sobre mim
exercerem tofpes e mesqumhas rlngsngss, e dei-
zaria so lempo a tarefa de justificar-me,-e de
confundir os meus perversos detractores.
Mas, j que tamanha ventura nao me dada,
breoeo que en me subaetta sezigencias so-
ciaes, que viera procura da verdsde, suapenden-
doos juizos desfavoraseis, que se posta fazer
meu respeilo, e.chamando barra do tribunal i
eases testas de ferro, para sofirerem o castigo de
sus ignominia perversidad* I...
O que mais posso farer em pret da minha repu-
jaco? Que oatro recurso ase resta em temelhan-
te coojunctura ? Respoadam-mo os homeos
aaotatos. o considerem atteataataata a grandeza
da pervefsldade humana 11...
c Sem duvia Joao Barbosa, teado setenis do
c interrogatorio, de que ja fallamos, e receloso
c de ver publicada era sua integra a carta, em
a que pedia arotee para a castrado aa aeu raa-
c oequim, refinado hypocrila, que eato ae acha-
c rs no exereicio de am cargo policial aiis ci-
c dad, etc.
Me faca teba-aa perf.iUmaat. a^tlaadn na
0>fzs, que o mea to e cunhado, o teoenta-coro-
) Barboia da Silva, aubaaelfsa ao ecarne
sim. Sr. preaideote da provincia, e'tortaoto,
Hmilo-raa, por toda ezplicaQo.l rmslter as lei-
para a leilura daaia peca, que ka de ser em
r** publicada, e pedir i estes calumniadores
merceosrloi e ioimigos adiantos, que deem so
preto a irla, que, esa roepotla, aodarecei ao mea
tobredito to e cunhado. e a qual foi infa me e pr-
fidamente' subtrahida do aaas garetee por oasaa
mearnos, que anda hoje a conservara em seu po-
der, e que teado-a mostrado varias pessote fi-
dedignas, que j lhe alteateram o aeu contedo,
taimara em ferir a minba repoticio por seme-
Ihiote forme, em falla de actos rergoohosos, que
me lancera em rosto.
A esrls, I que sfludo, um documeolo que me
oio deshonra, o en a podia offerecor ao criterio
publico, so aquellas, que eslao de posse dalla,
pela subtraeco, 0S0 fossem meas i&imigos Im-
placaveis e i oca robados, a lie filloa de cavalhei-
risrao e lealdade quenegam-Ihe publtcidade!
Publiquem-aa oa meas detractores, ezibam, aa
menos, um s6 documento, qae sirva de funda-
mento aaeuiac>,,qie ora me dirigem, para qae
o se diga que accatatos aam proras, sla
verdaleiraa calumoia*.
Tenho f robuata ao fotoro, o na rectido da*
jolgadores, que teem do apreciar ss sccussc,dee
ealu mnipsas. com que esees ioimigos prfidos pro-
euram manchar a reputago do meu sobredito t
e cunhado, que s sua innocencia sahir em breve
triumphaote das trevss articiaes, em que ora jaz
enrolla, porqae contra a lgica terrrel dos fa-
tqjk contra a verdade omnipotente, que a sua
m
oraras I apreciar ; apenas ota mora expli-
CK*a, aaa-aimpla proWaio alio negras aleiro-
ziaa.
Recoba, pois, como tal, o publico que me des-
conheca, por que para oa mana calumniadores,
que, por odia, riagaoca, ioveja, oa por urna '*-
fane OdHUque jamis pode juatlfler 4 quem a
trepidara oas tuffotsr os gritos de
ia cootciencias, para me forirem co-
. s tenho tedis e eomiseraeio.
- Coocloiado, justo, que ou aa aproveite do
ensejo para manifestar aquello qae ae aasigoou
oeste DiarioO amigo dos calumniadoso meu
siocero e cordeal reconhecimeoto.
Bom Jardim 30 de novembro da 1861.
H. Pereira de Luana.
COMMK
SICBO.
Airstndesgai.
Rendlmeoto do dta 1 a 14. .
Idam dodli 16.....
3530529960
36:8623925
3899159885
aowIssaaBBlo ala alstudearst.
Volamet entrados com azendas.. 113
a a sora gneros.. 65
Tolames sabidos oomazendas.. Tl3
> con gneros.. 1,020
178
a e immediata cooseqaeneia, a calumota por
aaais que se osteote verostmil, ha de ter a mesan
sorte da metsalina, que. na reuoiio de familias
honestas, alm de nio encontrar assento. cor-
rida com asco, embora ataviada de brrihantes
adornos!...
Oucam anda os leitores o tuprasumum da cor-
rupeao, e do oyoismo dos meus laignos calum-
niadores 1
i Devemos observar aioda, quat^m Limoeiro
< alo bera conheeidasaafacaonas, praticadas em
a outros lugarea, por essa Dr. Lyco, apelinlrado
< e cheiroso, que apessr das lices de moralida-
de, que devia lar recebido de seus mostrea, oo .
a duvidoa abusar nesta comarca, da confiaoca de '
algaem, para mediante promesas de soltura,
seduzirums pobre mulher, que se achava presa
< em um tronco, sendo psra a sua completa des-
c moralisaco, apanhdo em flagrante, o
Nao ha aega-lo: raro o horaem, que tera a
fortuna de cumprir a sua misaao oeste mundo,
obedeceodo aos dictames da loi e da moral, sem
ser golpeado pela calumoia, ulna legitima da in-
veja e da vingmea !!... E* espectculo doloroso
decontemplar-se o do hornera, que presme
aioda oio haver descarriado do seu dever; que
procura fazer consistir a sua felteldade oa honra-
dez do seu nome, pelo que jS lera soffrido nao
pequeos dissabores, achar-se 4 bracos com ioi-
migos, sem lealdade, sem pudor, sem generosi-
dad^, sem consciencia e sera alma I...
Como me bei de defender de to vergoohota
iraputaco, emanada sem dunda de alguem, que
nao me pode perdoar a accusacosnaloga, qae j
lhe fiz, provada com documentos? Appellando
para os tribunaes do peiz,. onde certameote eo-
coolrei desaggravo tamanha injuria.
Finalmente os corrompidos calumniadores em-
budados deixam sahir das suas esterqueiraa, tan-
tas vezes por llesciscadas, para sujarem com as
partculas, que della se destacara aos que delles
se aprozimim, as fezes de sua immundicie, no
meto da qual vivem constantemente engol-
phados.
Ei-las :
E' bem sabido oesta comarca o facto de sua
c cegueira, qaanlo ae tratoo da viclim de am
infiotecidio, praticado nessa cidade, em certa
< ra, que nao torio, aperar do soccorro, que
lho deve prestar sua ioseparavTtl luneta, queso
c lhe servio bem, para eochergar,- sll boraa da
ooile, 6OO9, que lhe foram da ios por certo com-
< merciante fallido, que por ene meio, depoisde
< estar em bom recato, voltou i gozar do pre-
cioso dom de soa liberdade.
Accusa;8?s desta ordem, que nunca as oavi, e
que s oo causam mossa ao hornera eovelhectdo
00 ctim e pelo crime, nao podem deiiar de me
arrancar oeste momoolo um grito de indigna-
r o......
O publico devo de estar lembradb, que, em
principios de 1859, um mez, pouco mais ou me-
nos, depoia da min^a oomeacao para o impor-
tante cargo de delegado de polica deasa cidade e
seu termo, Uve de proceder, por ordem do dis-
uado Sr. Dr.Theodoro Machado Freir Pereira
da Silva, enlo chefe de polica interino, e ac-
tualmente juiz de direito da comarca de Gara-
nbuns, urnas averiguacoes, afitn de se verificar
a verdadeira causa da morte de urna recem-oas-
cida, cujo cadver fra encontrado no quintal de
urna casa, sita na ra Direila, que, em virtude
das difficiliraas averiguacoes, que proced, veio-
se descobrir, quasi por acaso, aquella, que lhe
dra o ser, e que oo era outra, seno urna ca-
bocla, muito joven, que morava,~como criada, ou
nselhor, como pupilla em casa do Sr. tioes, nego-
ciante estaoelecido, com loja de fazeodas na ra
do Queimado, e de urna sua irma solteira, ni-
cas pessas, que habitavam aquella caaa ; que
teodo-se chegado esse resultado lisonge ro. j
larde, isto qussi-s seis horas, e me havenao
declarado o Sr. Augusto Caroeiro Monleiro da
Silva SiDtos, um dos peritos oomeados, para se
proceder ao corpo de delieto 00 cadver da indi-
cada recem-nascida, que lhe pareca prima facie
harer ella respirado, o que s podena ser cabal-
mente demonstrado, depois de diligencias ulte-
riores e indispeosavels, isto a vistoria e autop-
sia, que nao po liara ter lugar aquellas mesmas
horas, pell circunstancia, queja rpferi, e princi-
palmente por 00a acharmos nimiamente fatiga-
dos, e nao se poder fazer convenientemente, ao
clareo de ama vela, diligencias de tanta impor-
tancia, julguei mais acertado, visto se tratar de
um crime de tanta gravidade. cuja existencia se
procurava demooatnr, recolher priso, nao s
a mi da dita creanga, em quera mais fortemente
recahiam as suspeitas de criraioalilade, mas aio-
da o Sr. Ges, por ser o infeliz pai da dita cran-
la, segundo o declarou, e a aua irma solteira,
por declarar tambera queigoorava Absolutamen-
te, que ella (pupillaj eativesse grvida, e que hou-
vesse Ja jo luz a referida creaoc*. nao obtlan-
le haver dormido no mesmo quarto, em que ella
constantemente dorma.
No dia seguinte, feilas a vrstoria e autopsia, que
foram completas lodos os respeitos. os peritos,
juizes exclusivos, ao caso ora questo, oeclara-
ram a innocencia dos aecusados, respondeodo,
sem discrepancia, que a creanca recem-nascida
havia nascido mora, e que coaseguiotemente,
nao exista crime algom se punir. Estes docu
mentos, conjunctamenie com os autos de pergun-
tas, que tiz aos indiciados, devem existir 00 car-
torio do eecrivAo Saraiva, onde podem ser por
qualquer examinados.
Nao obstante, porra, essa declaradlo da parta
dos peritos. Uve escrpulo em rtolver-me por
mim s acerca da sorte dos detentos e recelando
obrar inconvenientemente, dirigi-ma casa do
referido Sr. Dr. Theoddtv, chefe de'polica inte-
rino, oo s para expdr-the verbalmente todo o
occorrido, mas sinda para me acooselhar sobre o
procedimento ulterior, que derera ter para com
elfes.
O honrado e Ilustra lo Sr. Dr. Theodoro, com o
bom tenso e criterio, que tolos lhe recoohecem,!
fez-me ver depois de me ouvir, que em face da
resposta dos peritos eu devia mandar .por em li-
berdade os individuos qe rae tenho referido.
Appello psra o indicado Sr. Dr. Theodoro, em
cuja probidade e veracidade muito cooflo psra
que se tnaaifesie esse respeilo e bem assim pi>
ra o Sr. Dr. Augusto Caroeiro Moateiro da Silva
Santos, que se achoa presente como perito e to-
das as occtirrenelss com o Sr. Dr. Ignacio Nery
da Poosees, que sa me nao aogaoo foi igualmen-
te perito no sobredito facto.
Fallan) tambera acerca do meo procedimento
oeste negocio o Sr. Ges (pondo do parte a
1,138
Descarragsm boje 17 de dezembro.
Bsrca mglezaBonitao resto da carga.
Brigue inglezSawannak La Msr mercadorias.
Galera ioglezaRosamunatanoado.
Barca ponugoezaGrati lo.mercadorias.
Barca dioamarquezaOlto taboado.
Barca inglesa Eliaa Handamercadorias.
Barca ioglezaPersilaidera.
Patacho hollaadesEliaabalhdem.
Rrigue brasileiroBebenbecarne.
WetJsaseeorl ato restdas internas
ageraes de Pernambuco
Rendimento do dia 1 a 14. 16:333>776
(dom do dii 16 ...... 2:1752047
18 508(8-23
Consulado provincial.
Rendimento do da I a 14 37:6379089
dem do da 18......: 5.9515955
- 43:589*0 4
Mo^iii^rnto 'lo.vont*.
Navios entrados no dia 15.
Liverpool 39 das, barca inglesa ia Hands,
de 264 toneladas, capitoE. Lamb, equipagem
13. carga fazeodas e oulros gneros ; a Henry
Gibsoo.
Rio de Janeiro 20 dias, patacho brasileiro Ca-
puane, de 219 toneladas, capito Theotooio
Jos da Silva Rosa, equipagem 12, carga fari-
nha de mandioca e outros gneros ; a Azevedo
Si Mendes.
Rio Grande do Norte 3 dias, lancha brasileira
Flor do Rio Grande, de 42 toneladas, capitao
Migael Archanjo da Costa, equipagem 5, carga
asiucar; a Luiz B0r2.es de Siqueira.
Navios sakides no meamo dia.
GenovaBrigue italiano Daino, capito Tomaso
Gorzglia, carga assucar.
Marseille Galera franceza Raoul, capito Rodes,
carga assucar.
Navios entrados no dia 16.
Rio de Janeiro e Baha 6 dias, vapor ioglez
Oneida, commandante Bevis.
Buenos Ayres 29 dias. barca americana Utah,
de 287 toneladas, capito Joo I. H*rk, equi-
pagem 9. carga 54 burros; ao mesmo capito.
Veio refrescar e spruo para Barbaddes.
Navio sahido no mesmo dta.
Southampton e portos intermediosVapor ioglez
Oneida, commandante Bevis.
-
Horas.
' 5"
o
s
5
Athmosphera
\
w H Dirocfio.
* w * i n 0 1 Intensidad!. 1 H O
-a
00
oo ao
w
1 Farhmhtit.
Cn
g
?O
01
U
06
-J M
K) Ci
-I
00
I Centgrado.
J_________
I Hygrometro.
bS
I Cisterna hydro-
metrica.
-a -a
00
8
"S-*2
OO -4
S5 S? I
i
8
Francex.
ea
I
2
Inglez.
c
m
||
S 5
e c
S
o

o

w
A noile clara a principio e depois de sgoacei-
ros. rento E- fresco e assim amanheceu.
OSClLAgiO DA HAR.
Preamar as 3 h. 44' da tarde, altura 6.8 p.
Baixa-mar as 9 b. 32* da manha, altura 0.9 p.
Observatorio do arsenal de marinha, 16 de de-
zembro de 1861.
ROMANO STEPPLE, "
1* teoeole.
Mtilaes.
A camsr* municipal do Recife manda publicar
para conhecimento de seus munleipes o acto pe-
lo qual o Exm. presideole da provincia approvou
temporariamente osoito artigos de posturas abai-
xo transcriptos, determinando a mesma cmara
que livessera elles execugao do Io de maio futu-
ro em diante.
Pago da cmara municipal do Recife. em sesso
ordinaria de 9 de dezembro de 1861.Luiz Fran-
cisco de Barros Reg, presidente.Francisco Ca-
nuto da Boavisgem, ofcijl-maior servia Jo de
secretario.
Copia.Palacio aVgoverno de Pernambuco. 3
de dezembro de 1861.O presidente da provia-
cia attendendo ao que represeaioa a cmara mu-
nicipal do Recife, em offlcio de 28 de outubro al-
timo, resolve approvar temporariamente os arti-
gos iofra transcriptos do projecto de posturas,
coofeccioaadas pela mesma cmara, devendo os
que ae seguerjdo srt. 9em diante serem sub-
meltidos ao coohacimeoto da assembla legisla-
lira provincial, por oo ser a sua materia argen-
te nos termos do art. 2 do decreto de 25 de ou-
tubro de 1831.
Art. 1*. As casas da cidade do Recife serio
conservadas limpas assim como tambem os res-
pectivos quintaes.
Art. 2.* Os moradores das ditas casas devero
varre-las urna ves por dia, e ot quintaes ao me-
nos urna vez por semana. Os propietarios de-
vero manda-ios caiar urna vez por aono, e pio-
lar de quatr etn qaatro amaos pelo menos, al-
torrando tambem com arela grossa os quintaes
em que flearem estagoadas as aguas pluviaes.
Ocontraventores pagaro a multa de 1$, e o de-
bro naa reincidencias.
Arl. 3.* O vasos em que se depositirem ss
materias faccaes, quer liquidas.*guer..^olidaa, e
lambem aa agoas ptridas, oo podem'ier aa ba-
se msis de palmo o meio
les quanal!ae envolveran.
Calumnias desta ordem podem m noofraeger
o paito o nsagnar-me a alajaa, maa nao mandar
a minha reputaco.
Toda easa cilale testemuohada nao procedi-
mento, durante quasi oos armos, qua ant exerci
a cargo de delegado de polica, dore estar sem
duvida a par 8o que sea o da quanto lhe me-
re^o.
A miara consciencia faz-me erar que eae
concetlo, quolqner que eHa eej, nodevs me ser
deshonroso, e por iteo acredito qua delle pens,
ter motivo* para compensar os dlaeaboreat_qu8
tearro soffrido e veoh anda a soffrer.
O qae venho de- expor oio 4 urna da Caz a, por
que nao rejo dliate de mim accajsclo algutm,
de dimetro, nem raais
- de dous plmoa meio de altura, eaero faito de
safeijao. que tais es mouwagre) a tadoa aqoaa- madetra com arcos da ferro, ou tola de ferro de
modo apropriado a este eervieo, teodo-tampas
que os devero fechar de serle que ai o exhleos
aao chairo, flaaoda prohibida deede ji o uso de
bsrril de resnteiga para tal flm. Oaooatran-
totes pagua a multa da 59 e o deliro naa rain-
Cidenciaa.
Ar'. 4." Ettu vasos serio despejados e lavo-
dos de otto era. oito dia polo menos, sendo con -
dozidoe aos-lugares para isla> designados, a neata
do nos a ostros caberlos de aorta qoe nao ae so-
ja o que etlee\coatm. Oa cnlraeatorea paga-
rio da multa 5f a o dobro naa reincidencias.
Art. 6." Os lugares de despejo para asmater-is
feccaes, aguas ptridas e lixe serio provisoria-
mente oa f guiles :
l.Q No bairro do Recife, a praia do Bram,
tanto do lado do mar como da msr. ,
S 2. No bairro de Santo Antonio, a pnii 4
lesie da fortaleza da Cinco Pontee, o alagado 4
margem do Cepibsribe defrooie dos Coeloos.
3.* No bairro da Boa-Vista o alagado que vai
para o cemileno publico, o que Oca no lugar
dos Colhos a margen do Capibaribe. Os que fl-
zerem despejos em oulrat partes pagarlo de mul-
ta 10J, e o dobro naa reincidencias.
Art. 7|* A cmara municipal mandar Qacar
potloa que indiquem o seu destino,
Art. 8. As aguas empregadas nos myaterios
domsticos e qate nio exalarem mi ebetro po-
dero ser lancadas ao rio em qualqoer parte.
Antonio Marcelino Nones Goocalves.Conforme.
Francisco Lacio de Castro.
O Dr. Antonio Epsminondas de Mello, officiel da
imperial ordem da Rosa, depatado i assembla
geral legislativa peto primeiro circulo deala
provincia, e juiz de paz do primeiro anoo do
primeiro distrteto da fregaezia do S. S. do bair-
ro de Santo Antonio da cidade do Recife de
Pernambuco, em virtude da lei, ote.
Paco saber, que em virtude da loi regola men-
tar das eleices. convoco os eleitores.e suppleo-
tet desta paroebia, que vio-abaixo designados
por aeua nomea, para que compare;am oa terce-
ra dominga domas da jaueiro prximo futuro
(dia 19) no corpo da igreja matriz desta (regu-
zia, pelas 9 horaa da manha, aOm de organisar-
te a junta de qualigeacio que tem de revera
qualicacao do anoo aoteeedente, dos cidados
que tem direito de votar as eleiedes de eleito-
res, juizes de paz e ereadores da cmara muni-
cipal, fleando solete os referidos eleitores e
suppleotes abaixo declarados, qae soffrerio a
multa de 40# a 60$ se nio comparecer, ou
tendo comparecido, deixareaa de assigosr a acta
respectiva.
Eleitores.
Os Srs. :
Antonio Augusto da Fenseca.
Joao da Cunta Soares Guimares.
Adriaoo Xavier Pereira de Brito.
Antonio Jos da Costs Ribetro.
Joao Fraocisco Teixeira.
Antonio Carlos Pereira de Burgos Ponce de Lelo.
Caetano Pinto de Veraa.
Francisco Aolooio de Brito.
Luiz Cosario do. Rogo.
Augusto Carneiro Moateiro da Silva Saotoa.
Jos Flix de Biilu Macedo.
Antooio Jote Alvos Ferreira.
Manoel Antonio Viegss.
Jos Francisco Caroeiro.
Joaquim Salvador Peasoa de Slqueira Cavilcanti.
Floruoo Correia de Brito.
Caelano Silverio da Silva.
Flix Franciaco de Souza Magalbiee.
Jos de Aquino Fooseca.
Deodoro Utpioiano Coelho Calando.
Carolino Francisco de Lima Santos.
Luiz Jos Pereira Simes.
Pedro Aolouio Cesar.
Franciaco de Souza Reg Monteiro.
jaudioo do Reg Lima.
Waveriaio Joa de Moura.
Miguel Candido de Medeiros Pioto.
Joaquim Militio Alvos Lima.
Jos Aolooio Pinto.
Iaoocencio Rodrigues de Miranda.
Francisco Jos Corris deQueiroga.
Manoel Antonio Pereira.
Paulino Jos Tarares de Lyra.
Lauriano Joa de Barros.
Jos da Fooseca e Silva.
Supplentes.
Os Srs. :
Domingos Affonso Nery Ferreira.
Ignacio Nery da Fonaeca.
Antonio Kaugel de Torres Baadeira.
Claudioo Beoicio Machado.
Joaquim Antonio Carneiro.
Francisco de Aranjo Barros.
Juvino Carneiro Machado Ros.
Joaquim Francisco de Torres Gallndo.
Sebaatiao Lopes- Guimares.
Antooio Epamioondas de Mello.
Jos Luiz Pereira Jnior.
Jesuino Ferreira da Silva.
Ignacio Firmo Xavier.
Firmino Jos de Oliveira.
Antonio Bernardo Quinteiro.
Tristo de Alencar Araripe.
Ignacio Beato de Leyla.
Angelo Ilenriques da Silva.
Jos Gandid oe Snoza Castro.
Jos Joaquim de Moraes Sarment.
Agostinho Jos de Oliveira.
Aotooio Joaquim de Mello.
Luiz Goocalves Agr Jnior.
Gamillo Augusto Ferreira da Silva.
Mareolino dos Santos Pioheico.
Jos Firmo Xavier.
Maooel Joa Doraingues Codecer,
Joaquim Jos de Abreu Jnior.
Maooel Jos de Oliveira.
Joaquim da Silva Reg.
Joio Luiz de Carvalno.
Joao Lin Cavalcanti de Albuqoerque.
augusto Xavier de Souza Fooseca.
Bermrdioo d* Sena Barros.
Fraocisco Jos do Sicrameoto e Silva.
E para constar mandei fazer estnedital, afila-
lo nos lugares msis pblicos detta fregoezia, e
poblics-lo imprenra.
Rcife 14 de dezembro de 1861.Eu Joaquim
da Silva Reg, escriro que o escrevi.
Antonio EpamiooDdasde Mello.
# O IIIm. Sr. inspector da ihesouraria provin-
cial, em cumprimento de lesolucao da juots da
fazeoda manda fazer publico que no dia 26 do
Crrente, perante a mesma junta, se ha de arre-
matar a quem por manos flzer, o cosleio da illu-
mina^ao publica da cidade de Gojanoa, avahado
cada um lampiio de 295 rs. diarios. -
A arremalacao ser feita por lempo de um au-
no, a cootar do 1. do Janeiro a 31 de dezembro
de 1862.
As pessoas que se propozerem a esta arrema-
tado CompareQam na salla das sessdes da referi-
da junta, no dia aupramencionodo, pelo meio
dia, e competentemente habilitadas.
E para constar se mandn afiliar o prsenle e
publicar peio Diario.
Secretaria da thesouraria proriocial de Per-
nambuco 12 de dezembro de 1861.O secretario,
Antonio Ferreira .d'Annunciaco.
0 HIra. Sr. inspector da ihesouraria pro-
vincial, em cumprimento daresolncio da junta
da faeeola, manda fater publico que a arremata-
rlo da renda das casas do patrimonio dos or-
phos, foi transferida para o dia 26 do corrale
mez.
F. para constar se msodou afBxar
dublicar pelo Diario.
Secretaria da thesoararii provincial de Per-
nambuco 12 de dezembro de 1861.O secretario,
A. F. 'Annunciaoio.
0 IIIm. Sr. inspector da thetouraria pro-
vincial, em cumprimento da ordem da Exm. Sr.
presidente da provincia, manda fazer publico,
que oo dia 19 do crrante vai notamente em pra-
ca a obra do calcameolo dt raa do Imperador,
Campo das Princezaa e praca de Pedro II, pelo
systema de paralelipipedos, avallada em-ris....
212.9059000. '
A arrematado ser feita na forma da lei pro-
vincial n. 343 de 15 de malo de 1854, e aob aa
clausulas especiaos abaixo declaradas.
As petsoaa que se propozerem a esta aarema-
taco, comparecam na sala dts testos da junta
da fazeoda da mesma thesouraria, no dia aupra-
menciooado, pelo meio dia, e competentemente
habilitadas.
E psra constar ae mandn aullar o prsenla a
publicar pelo Diario.
Secretaria da thesouraria provincial do Per-
nambuco. 6 de dezembro de 1861.O secretario,
Antonio Ferreira da Aonunciacao.
Clausulas especiaos para a arrematar.
I*.A obra ser principiada em dous mesaa.a
coolar da dala da arrematado a conclu J* aa
prazo de 10 mezes.
2*.O arrematante ser obrigedo a aUeader aa ,
reclaraaces coaCernentea a boa aiacuce da
obra, feita pelo oageobeiro eocarragaal da ana
acaliaacio.
3*. pagamento aari dividido em 4 preata
de tOf. e o debro naa reincidencias.
, Art. 5* O lixo das casa ser conduxido s qual-
qoer hora do dia, oo da noile em caiioes, assim
como as aguas servidas quer oio exalarem mi
cheiro, em rasos stmalhaates ao do srt, 3*, sea-
0 presente e
obra avairada era bracas oaadradas, Reando
arrematante aojeilo, pefo prec* do orcaraento, ao
aogmeato da meso, se o goveroo assim o o-
teoder.
5*.O arreoTarlaiHooer obligado a aeguir res-
trictamente as disposi?6es contidas no art. 3C *
lei n. 286, anea mais artigor da mesma lei.ano-
regula aa arrematares.
*.A podra deve aer de gna-H ou ostra pe-
dra ne muito boa qualidede igualmente dora.
7'.As pedrea serio aasaatadao-sobre ora e-
msds deargamsaaa do tal a a raa, posta sobra o
terreno bem socado, e depois serio pisadas com
am maco pasado
8*.O arrematante sari obrigada a botar Basa
carnada de avgamasM liqoida por cima dea mes-
mas pedrss, pira lhes encher oa intersticios..
9*.O prego aqu mencionado deveri incluir
qualquer aterro que aeja preciso faser para levan-
tar o nivel das roas.
10a.Nao ser attendida reclaraa;io algara
por parte do arrematante, tendente a exigencia
de indemnisacao, seje qual for a causa que alle-
guo-para tal fin.
Conforme. O secretario, Antonio Ferreira da
Annaaciacio.
O Dr. Agostinho Erraelioe de Leio Jnior, ea-
villeiro da ordem.de Cnristo e Jais momei-
pal, de orpbSos e susentaa do termo deforro-
da, por S. M. I. e coastilaeiooal, qoe Dea
guarde, etc.
Face saber, aos que este edital rlrem qaa par
este juizo de ausentes, se ha de arrematar eaa
praca publica por venda no Aa 18 do correte
mez aa 19 horas do dia porta da essa da resi-
dencia do meamo juizo, o escravo de nom Ma-
noel, que representa ter 40 anona, poueo raaiar
ou menos, de naco, cora urna rotura, aqsaeaa
maior lance offerecor, tobre a avaliacao d
3509000, cujo escravo perteocenle a heraacada-
finado Pedro de tal.
E para que cbgue ao conhecimento da lodo*
maodei passar este que ser efflxado, ao lagar
do costume, e publicado pela impreosa, oa for-
ma da lei.
Dado e passado nesta cidade de Olioda, sol
meu sello deste ju'zo valendo sem sello ex-eau
sa, aoa treze dias do mez de dezembro de mil oi-
locentos e aesseola o um.
Eu Fraocisco das Chtgae Cavalcaoti Peaaoa.
acrivo de orphSoa e auseoles o escrevi.
Agostinho Ermelioo da Leo Jnior.
O Illm. Sr. inspector da tbesourara pro-
vincial.wm virtude da ordem do Exm. Sr. pre-
sidente da proviocia de 5 do correte, manda fa-
zer publico que at o dia 19 deste mez estar
novemente aberta a concurrencia para a colloea-
cao de carris de ferro, denominadoa trilbos ur-
banos, i partir deala eidade al a povoacio do
Apipucos. 0 contrato-ser feito oos termos da
lei provincial n. 518 de 21 de jaobo do presento
son. E para cooatar se mandeu afBxar o pre-
sente e publicar pelo Diario.
Secretaria da thetouraria provincial de Per-
nambuco t de dezembro de 1861.O secretario,
Aolouio Ferreira d'Anaanciaco.
1 ociara it>5.
Conselho de compras navaes.
Teodo-se de cootrar, sob as coodir.es do
estyllo, por tres mezes lindos em margo do anno
viodouro, o foroecimeoto dos objectos abaixo
declarados; convida o conselho sos pretenden-
tes apreaeolarem suas propostas, em cartas
fichadas, no dia 17 do corrente mez al as it
horas da maohaa, em que isso lera lugar.
Para os navios da armada.
Carne de vaci-a aalgada.
Para as obras cargo do arsenal de marinha.
Tijolo de alvenaria gro*sa, cimento claro do
Bolooba, pedea de alvenaria e da cantara, bru-
tas ; cal prela, e bruta.
Para os aprendizes artfices
Bonets do uniforme, ditos para t servido, gr-
valas pretas, frdelas de panno azul; calcando
dito, de mim, e de algodo azui; blusas de brim,
e_ de algodo atol; snalos, camisas de sigo-
dosioho, saceos, colxes, e travesselros de K-
nho cheios de palha cobertor de la, leacoee
fronhas de algodosmho, e colxss de algodao.
Para os imperiacs marioheiros, a aprendizes
ditos.
Bonets de panno azul, camisas e calcas, de
brim branco ; grvala.preta, polainas d panno
preto, e spalos.
Para os fozileiros navjes.
Bonets de chapa e pala; fardas, e caifas, de
panno azul; frdelas, calcas e camisas, e briui
branco; grvalas de couro, polainas de panno
prelo, e spalos.
Os proponentes devern*-fazer os objectos do
fardameeto por medidas, e apresenlaram as
amostras dos pannos.
Cootrata-se mais era dilo dia, por igual lempo,
vista tambera de proposta, a lavagem de roo-
pa das enfermaras
pracas do arseual,
dizes artifkes.
Sala do conselho
dezembro de 1861.
vage
de marinha e dos africanos,
e da cojppanhia de apren-
de compras navaes, 10 de
auzaoa aos-tugares par* istt> designados, notta (das iguaes, correspoadooda aada aaa,s omoaar.
da naaM. Os cootfavertoras-pafario. a-muaU feclnado com as wrntias que forem votadas an-
aruwnrlaa que forem votadas en
oaalmente para oas Boa, com a imposte dos
propietarios, e cosa a sobras dereoeita oes tai-
mo do 2* do art. a)l da lei do orcaenva -
4 .-Pan ia proceder ao pt|a.mirjto terl a
O secretario,
Alexaodre Rodrigues dos Anjos.
A thesouraria provincia em cumprimento
da ordem do Exm. Sr. presidente da provincia de
29 de novembro ultimo, tem'de comprar par es
educandos do collegio dos orphnsdeSaota The-
reza em Olinda, 69 pares daaapatos de bezerro
da ierra.
As pessoas que quizerem vender laes sapates
apresenlem suas propostas em cartas fechadas no
correio deta cidade, ao dia 19 do corrente, pelo
meio dia.
Secretaria da thesouraria provincial de Pfir-
nan: buco. 13 de dezembro de 1861___O secretario,
Aatonio Ferreira da Aonunciacao.
Consulado de Franca em
Pernanibuco.
O capitao Riviere da barca Tranceza Jean Par-
mentir em reparacio nesle porto, precisa lomar
rieco, cerca oe qaatro cootos de ris (4:0009).
para pagar as diferentes desperas que lera sido
obrigado a fazer oeste porto.
O oito emprestimo sei garantido pelo meamo
navio, cseo, aparalhos, raacamae victaalhes.
As pessoas que'preteaderem fazer este adian-
tamento sao convidadas a eomparecerem quarta-
feira 18 do corrente. s 11 horas em ponto, na
chancellara do consolado de Franca, onde" ter
lugar a dita adjudicado em presfeoesrdo Sr. cn-
sul de Franca, a quem por menos flzer.
Pernambuco 14 de dezembro de 1861.
O cnsul de Franca.
Tribunal do commercio.
Por esta secretaria se faz coorfar que nest da-
la foi admittido a matricula na qualidade de com-
merciaole, Augusto Federico da Oliveira, cida-
do brasileiro, domiciliado nesta provincia com
seu negocio de comroissdes e cambios.
Secretaria do tribunal do commercio de Per-
nambuco 13 de dezembro de 1861. ~
Julio Guimares, ofll.-ial-maior.
Conselho administrativo.
O cooselho administrativo, para foroecimeoto
do arsenal de guerra, tem de contratar os gneros
alimenticios, para a companhia dos menores dt
arsenal de goerra, durante os mezes de Janeiro o
(evereiro do anno prximo viadouro.
Pi de 4 onc_as, bolachas, aasuca'r refinado de
segunda sorte, caf am grao, aeoteiga francesa,
ch'hysson, carne verde, carne sneca, arroz do
Maranho, bacalho, vfoagre de Liaboa, azeite
doce de Lisboa, farlnna da trra, touciobo de
Lisboa, feijao mulatioho ou preto.
Ouem qoizer contratar taes gaaeros, aprsente
as mas propostas em carta fachada, nasecretaria
de conselho. Ss 10 horas da manha do dia 204o
crreme mez.
Sala das sesses do conselho administrativo
para foraecimento-do arsenal de guerra, 12 da
dazembro de 1861. ^
BentoJot LamtnAa Lint,
Coronel presidente.
AfaondreAaaua ide Frias Villar,
?oaat a avoo-Urio inlerioo.
CilMlbt) .difluiO***^
j O esatotta a daaroaaial da guerra, tara de comprar oa objectos
tea o aatenaa, i
v.li""">"1'' ^ *****i"y -
i libre daeowroa arabia.
X duzias defoihae de lita. a
amiUiatroa do pregos cosaos. *?
I va atoaras da patha.
100 dtta juanea.
Quam qiuar tender Um objectos apraaanta
HATA I


U)
DikUO M MftflMVCQ. *- TEi Cl IIIlA 16 Dfi DttiMBflO DE 1M1.
am suas propoelas em carta tecaada ea secretaria
do cooaelbo, a id horas* di maubia do dia 18 do
correle mez.
Sala das sess# do conselho administrativo,
para fornecimento do arsenal de guerra, 12 de
dezembro da 1861.
Canto Jote Lamtnka Lint,
Coronel presidente.
Alexandre Augusto d* pria* Villar,
Vogel e secretario interino.
re a trate e eDcontramdas ate o dia 4a sahida aa
2 horas da larde : agencia rus da Cruz o. t, es-
critorio de Azevedo & Mendes.
*ll
vogai eaecreunon
COMPAHIA
DE
Seguros UKdade Publica
Convidamos o Sr. accionistas a receberem do
stripiorio dsta compaohia o 8* dividendo de
2000 por accao.
Recire 6 de dezembro d'e 1861.
Os directores,
Jos P. da Cunta.
Thomax de Faria.
Consulado provincial de Pernambuco.
Pela mesa do consulado provincial se (si pu-
blico aos proprielario8 dos predios urbanos das
regueiiasdesla cidade e da dos Afogados que os
trila dios uisis para co branca, a bocea do cofre,
do 1 semestre da dcima do anno Qnanceiro cor-
rente 1861 a 1862, ae principiam a cootar do dia
3 de dezembro vindouro ; e que tambem do mes-
ano dia principia a cobranca do primeiro semes-
tre do imposto de 5 % sobre as rendas dos beos
de raizpertencentes a corporacoe* de mo mora.
Hess do consulado provincial 23 de oovembro
de 1861.Theodoro Machada Freir Pereira da
Sil*.
Collectoria provincial de
Olinda. *
Telo presente faz-se publico, para conhecimen-
to dos ioleressado?, que do dia 3 de dezembro
prozimo futuro principia a cootar-se os 30 dias
uteis para a cobranza do imposto da decima ur-
bana do 1. semestre do anno Unsoceiro de 1861
a 62, os quaes flodos psgaro os contribuiotes que
nao comparecerem em dito prazo a multa de tres
por cento conforme determinado no regula raen -
to respectivo i do mesmo prazo sero iguatmeo''
cobrados os impo^tos laucados seguiotes: 4 0|
obre o sluguelde casa de negocios e diversos
stabelecimentos ; 80|0 sobre o aluguel dos es-
critorios dot advogados, labellies, scrivses,
etc. ; 5 0|0 sobre o aluguel das casas do patrimo-
nio das eorporaedes de mo-morta ; 20 0,0 das
gurdenles do consummo, eimposto sobre car-
ros de passeio. aluguel e. carrocas.
Collectoria provincial de Olinda 28 de novem-
bro de 1861.0 escrivo,
Joao Gon;alves Rodrigues Franga.
THEATRO
DE
Santa Isabel,
BENEFICIO DO ACTOR.
Rllllti^DO.
convida nava tomaren me nfeitao e um cepo
de vioh saude dt sus saudos* despedida.

CWAftflU PEIXAIBCC4IU
lavegacocsteiraavapoi
O vapor Persinuoga, commandante lloara,
sahir paraos porlos dosul de sus escala no dia
20 de dezembro as 5 horas da tarde. Recebe
carga at o dia 19so meio dia. Encommeodas,
passageiros e dioheiro a frete at e dia da sahida
as 3 horas: escriptorio do Porte do Mallos d. 1.
Para o Rio Grande do Sul segu com mufla
brevidade a barca Saudade, capilo Joaquina An-
tonio Dias da Silva, recebe carga a frete e para
tratar com Amorim Irmaos, ra da Cruz a. 3.
MaranhaO e Para. '
O patacho Paulino segu com brevidade, o
pode receber alguma carga : trata-se com os con-
eigostarios. Maques, Barros & C, largo do Corpo
Santo n. 6.
DE
Prezuatos, alhos
licores.
Quarta-feira 18 do correte
O agente Pinto far leilao, por cuota e risco
de quem pertencer, de 10 barricas com prezun-
los ensacados, 50 canaitras com alhos e 10 cal-
as com licores fraocezes: s 11 horas do dia
cima mencionado, no arttazem do Sr. Aunes.
Rio de Janeiro
0 brigoe Cruzeiro do Sul recebe tambem g-
neros estraogeiros a frete : a tratar com 08 con-
signatarios Auiunes Guimarea & C.
TERCA-FEIRA, 17 DE DEZEMBRO DE 1861.
Fiuda pela orchestra urna linda symphonia de
introducto, represeninr-se-ha a comedia em tres
actos,
0 NOVIC
Baha.
Para a Bahia segu em poucos dias a escuna
nacional Carlota, capito Luciano Alves da Con-
cejero, cara alguma carga que aind*. recebe tra-
ta-se com o seu consignatario Francisco L. de O.
Azevedo, ra da Madre de Daos n. 12.
AaVMM&GrO f ,-SUiVHl.
Preciism fallar, na rus do Crespo o. 1, eos.
S's. abaixo declarado* a oegeeios de seus inte-
resses :
Balbino Simos do Amaral Camillo Feoso
Jos Haria de So.uza Ar mjo, morador no Cami-
nho novo. fregueia d i Bacada.
Francisco-Gooealve Guimares, morador sos
Remedios, (regueiia des Afogados. .
Marciano Aecioli Lina Barradas.
Fraoeisco Aolooio de Mello,
Virgilio de Oliveira-
Yiceole Ferreira da Silva.
Precisa-se de nma ama forra ou escrava
para o aervigo de orna casa de pouca familia : os
rui da Caraboa do Crmo u. 4.
Aluga-ae urna caaa em Olinda na ladeira
do Varaduuro : a tratar na rus Imperial n. 260.
50 A Ra da Cadeia do Recite 50 A
COHPiNHIA PERJUIBUCIIU
DI
^avegaca costeira avapor
Parahibar Rio Grande do Norte,
Macan do Assu', Aracaty e Cear.
O vapor Iguarass, commandante Vianna,
sahir para os porlos do norte de sua escala
at o Ceari no dia 21 do correte mez s 5
boraa da larde.
Recebe carga at o dia 20 ao meio dia. Km
commendas, passageiros e dinheiro a frete at
dia da sahida as 2 horas: escriptorio no Foro
do Mattos o. 1.
Quita-feira 19 do corrente,
AS 11 HORAS EM PONTO
Antonio Carlos Fraoeisco da Silva, far leilao,
por intervencao do agente Piolo,e com autorisa-
cao da commissiode seus credores, e para paga-
mento dos mesmos, dos seguiotes objectos, a
saber: metade de m sobrado de dous aodares e
luja na ra da Senzala n. 13, um sitio do Salga
dinho de Oliveira, com boa casa e graode pomar,
e cinco eacravos pegas: no dia e hora cima
mencionada, na ra da Cadeia n. 9, primeiro
andar.
LEILAO
Ter ca-feir as 11 horas
DE
Burros e cavallos
O capito Dmeles do brigue ame-
ricano Brothers, fara' leilao por inter-
vencao do agente Camargo no arma-
zem do Sr. Andre' de Abreu Porto,
de 6 burros, e 28 cavallos de Monte-
video, tendo entre elles urna ptima pa-
relha de burros, ja' ensinados para car-
ro dos melhqres talvez que tenha vindo
a esta praca : no mencionado dia as
11 horas ; a elles Srs. de engenho, e
coelteira, que tao cedo nao achaca dessa
peciiincha.

Seguir se-ha
mica
pelo Sr. Teixeira a sceoa co-
0 8f8InM(L
Leilao
Joaquim Fraoeisco de Mello Santos e
Candida Rosa de Mello Santos agradecen)
a todas as pessoas que os honraram, assis-
liodo aos'ltimos suffragios feito a sea cha-
ra me Halbildea Candida de Mello Saotoif
e coovidam es mesmas pessoas e mais ami-
gos de assistirem a misia do stimo dia
stnaoba as 6 horas da'manha no conven-
io rio Crmo.
16. o covado.
Manoel Goocalves de Oliveira Santos vende
villudiiho de ramagens de dores que sempre se
vendeu a lj> o covado a 400.
Velocidade.
Achs-seaberla eslaco particular da compa-
ohia geral da condueco e despacho dos gneros
do Recite a Cinco Pontase vlce-versa ; para msis
esclarecimenlo dirijam-se ao caes d'Apollo n 7,
ruada Imperatriz n. 52 e di eslacio das Cinco
Ponlaa ao Sr. Duperron.
Roslroo Roolcer & C. avisam a esta praca
que retiraodo-se o Sr. Fredenco C. Coz, pelo va-
por francez do dia 12 do correte, os negocios da
sua firma, d'aquella dala em diaole. Qcaro de-
bati da direegao do Sr. Thomaz Jeferies O qaal
fornecido de todos os poderes necesarios. Re-
cite 9 de dezembro de 1861.
Por Rostroo Rooker & C.
FreJerico C. Coz.
Na comarca de Nazareth
Veode-se^engenho Dependencia com muito
boas terras^l produccao, muito bom cercado,
mullo fresco, com proporces para moer com
agua e boas malta para derruber-se, sito na co-
marca de Nazareth : os pretndeme podem di-
rigir-se ao mencionado engenho a tratar com o
seu proprielario.
Joao Faraco e seu sobrinho Braz Fronsal,
Prauvsl Brande seu filho Nicolao Brande, Fran-
cisco Acheto, todos subditos italianos, retiram-se
para fura da provincia.
Jos Escunhs Milho e Vicente Escunha Mi-
lho, subditos italianos, retiram-se para tora do
imperio.
Terminar o espectculo com a muito spplan-
dida comedia original do Sr. Besoni,
MSTE CVSO EtIE C.IS0
00 os
Os Esludanles do Recite.
' O beneficiado nao pndendo levar sceoa o rs-
pectaculo que primeramente havia annunciado,
em consequencia da retirada do artista o Sr. Ger-
mano, e contando com a benevolencia do puolico
Pernambocano, reaolveu levar oqueacimafica
dito, esperando que ainda *sta vez lhe seja pro-
digalisada a proteccio publica; quando pelas
despezas feitas, e demora havida, o beoeci.do
tem lutado coro obstculos de que espera ser sal-
vo por um povo tao benvolo.
N. B.Os bilheles j distribuidos sao validos,
isto os carices de lugares, pressiodindo de en-
tradas.
Comecar s 8 horas.
Aysos martimos.
Para Lisboa,
A veleira e bem conhecida barca portugueza
Gralido. capito Antonio Pereira Borges Pes-
taa, pretende seguir com inteira brevidade ;
tem parte do seu carregameoto firompto, para o
resto que lhe falta e passageiros, para os quaes
tem ezcelleoles commodoa, trata-se com aeos
coosignaiarios Azevedo & Mendes, do seu es-
criptorio da roa da Cruz u. 1, ou com o capito
Da prac,a.
Tendo a companhia de vapores do Rio alte-
rado a sahida dos seus paquetes, a gerencia da
Compaohia Peroambucana tem de cooformidade
reaolvido que a sahida dos seus navios do 1." de
Janeiro do auno prximo futuro em dianle, se
effectoe da maneira seguidle :
Portos do norte a 5 e 20, portos do sul no 1.
e 15, de cada mer.
Quando. porm, o dia marcado fr santifica-
do, a sahida lera lugar no dia anterior.
Maranho.
Segu em poucos dias o palhabote nacional
Santo Amaro, capito Manoel da Silva Sanios,
para alguma carga qwe ainda pode receber trata-
se com o seu consignatario F. L. de O. Azevedo,
rus da Madre de Daos n. 12.
Rio Grande do Sul
PELO
Rio de Janeiro
segu brevemente o brices oacionil Adelaide,
de superior marcha, por ter alguma carga j en-
gajada : quem ao mesmo quizer earregar ou ir
de passagem, dirija-se a Bailar & Oliveira, roa
da Cadeia do Recite o. 12, ou com o capito na
(iraca.
Rio de Janeiro
pretenle seguir com muita brevidade o brigue
escuna Jovea Arthurs.tem parte de seu csrrega-
menlo prompto : para o reato que lhe falta, tra-
ta-se com o seu consignatario Azevedo & Men-
des, oo seu escriptorio rus da Cruz n. 1.
Para o Rio de Ja-
neiro.
O brrgne oBelisariof, primeira classe, capilo
Manoel Marianno Ferreira, segu com brevidade,
recebe carga e escravos a frete : trata-ae com os
consignatarios Marques. Barros & C, largo.de
Corpo Santo b. 6.
Maranho e Para.
Segu com brevidade o hiate Lindo Paque-
te! por ter grande parle de seu csrregamento
contratado ; para o resto trata-se com os con-
signatarios Almeida Gomes, Alves & C. ra da
Cruz n. 27.
Para Aracaty e Assi.
Hiate Dous Irmaos : para carga trata-se com
Martins & Irmo, ou cora o mestre Joaquim Jos
da Silveira.
io de Janeiro
O hiate Novaes segu com brevidade, recebe
alguma carga e escravos a frete : trata-se com os
consignatarios Marques, Barros & C, largo de
Corpo Santo o. 6.
Acarac
O vapor Iguarass, da companhia Peroambu-
cana, segu no dia 21 ateo Acarac, recebe car-
ga e passageiros : escriptorio no Forte do Mattos.
I
.-.fUoea.
LEILAO
Quinta-feira 19 em continua
cao ao do dia 13 docorrente-
0 agente Pinto far leilao a requerimiento dos
administradores da masaa fallida de Siqueira &
Pereira e por mandada do lllm. Sr. juiz especial
docommercio dos objectos abaizo declarados per-
tencentes a mesma massa a saber:
Um terreno no Monteiro lugar denominado Ca-
boc, em que est edificada a casa pertsneente
a viuva do R-go Rangel.
Um dito no mesmo lutar, junto ao terreno per-
tencente ao Sr. Filippe Btltis Maciel.
Um dito na estrada do Monteiro junto da casa do
Sr. major Aniunes.
Um escravo pardo por nome Leandro, de 18 an-
noa de idade.
O leilao ser eflectuado s 11 horas do dia ci-
ma mencionado na ra da Cadeia do Recite n. 9,
primeiro andar, onde se poder obter do refe-
rido agente qualquer informaco a respeito dos
mesmos objectos.
LEiLO
O agente Pestaa far leilao a requerimento
do capito do brigue orieotal Alfredo, por ordem
do lllm. Sr. iotpector da alfandega de um fardo
com 18 arrobsa e meta de la cardada.
Quarta-feira 18 do corrente,
na porta da alfandega, ao meio dia em ponto.
Aysos dirersos.
Almanak da provincia
Os Srs. encarregados de contrarias
religiosas (So rogados a mandaren) os
nomes das respectivas mezas regedras,
a praca da Independencia livraria n.
6 e 8, aiim de serem incluidas no al-
manak.
Grande laboratorio dela-
vagem.
As pessoas que nao quizerem mandar lavar e
engommar a roupa promiscua pelo pre;o medio
de 160 ris, podem mandar lavar simplesmente
e depois envisr ao laboratorio as pecas avulsas
que lhes convier, que sero engommadas aos
precos relativos sua qualidaie e dimenao.
LOTIRIl
^^saOicenlemenle habilitada para
escftpiucacao mercantil por qualquer

4 ra do Queimado 3
numero 10. |
Loja de 4 portas 1
DE I
gFerro < Maia.g
E'chegirioum completo sortimento *
w das ssguinies fazendas, o mais moderno ofp
dj| que tem apparecldo ao mercado : g
Chapeos pretos para homem.
Ditos de palha para seohora.
9 Ditos de pellica para meninos e meninas. $
flk Borzegnius para homem e senhora por m
menos prego de que em outra qual- j
W quer parle, j?
@) Riqui8simas capinhas de groadenaples ^
a preto bordados para senbora. %.
? Ditas de caxemira dita. (
W Casaveques brancos bardados. ^
^ Slntos dourados do ultimo gosto. ^
xg, Boleites de relroz e missanga.
Bales de duas saias o mais rico que
tem apparecido.
UJI
3Ra e&treita dd Rosario3 j
S Francisco Pinto Ozorio continua a col- ,
^ locar denles artificiaos tanto por meio de ,
^ molas como pela presso do ar, nao re- (
sj cebe paga alguma semque as obras nao |
41 fiquem a vonta.de de seus don os, tem pos ,
m outras preparaQdes as mais acreditadas m
jipara conservaco da bocea. y

Rocco Pagano, aubdito italiano, relira-se
para o Cear.
Precisa-se de metade de urna casa indepen-
dente, tambem serve um soto que seja bem cla-
ro: na ra Bella n. 11, se dir.
Attenco.
Na loja de alfaiale da ra Direits n. 43, pre-
cisa-se de toslureirss que saibam fazer toda e
qualquer obra. -
Cosinheire.
Precisa-se de um negrp cosinheiro para servir
a alguus estraogeiros, prefere-se que seja escra-
vo : na ra da Cruz n. 55, no Recite.
Grande liquidacao da
Arara.
PARA ACABAR
Vende-se pegas de madapoln fino entestado a
3>, corles de casemira preta a 3$, ditos lios de
cores a S500. cortes de fuslo a -18120, tapete
para forrar salas a 600 rs. o covado, tilo de liobo
braneo e de cores a 200 rs. o* covado, tsrlalaoa
de cores e brancas a 800 rs. a vara, ricos cor-
tes de cambraia brancos e de cores de babados
a 29800 e 3>, ditos de larlalaaa de 3. A e 5 baba-
dos a 3500, ditos entestados com entre-mcios a
68, cassas a turca para vestidos a 210, 280 e 320
rs. o covado, ditas garibaldioas a 360 rs. o cova-
do, la de quadrinhos para vestidos a 280, dita
chineza entestada s 4u0 rs. o covado, saia balio
de nova invenco de 14 e 30 arcos a 3&500 e 4$,
ditas de madapolo a 3$, saias de cordo que faz
vez de balo a 25400 : na loja da ra da Imoe-
ratriz, da Arara, de 4 portas n. 56, de Magalnaes
& Mendos.
Alugase
9
Terca feira 17 do corrente as
10 horas em ponto.
O agente Pinto far leilao por cunta e risco de
quem pertencer e aem reserva de prego, da ar-
maco, balco, selindro, maceira e todos mais
obj.-cios existentes na padaria da ra de Domin-
gos Pires n. 50, no dia e hora cima mencionado.
LEILO
COMPANHI^BRASILEIRA
At odia 21 do corrente esperado dos portos
do norte O vapor nacional Paran, com mandan-
te Alcanfralo, o qual desoa da demora do eos-
tune segufr par os portos do sal.
rnTS^JiJ^tS^JS^^i^* esngsla-s s iodiesdaresidencia ra da imperatriz d. 30,
!.?i^21LVA^!iu?.^ii& i ^VJoedoestrsraiotsira concurrencia, mormeats dr
Tirase embarcar oo dia du eWfMtat4urk|^ Nm dedicados amigos a quem especialmente
A 17 do corrente
O Dr. Charles Cordn tendo de retirarse tem-
porariamente para Inglaterra far leilao por in-
tervencao do agente Oliveira, de toda a bem
acabada e excedente mobilia e mais adoros da
casa de sua residencia, consistindo em lindos sot
ft, consolos e mesas d sala com lampos de
marmore, messs de sotas, poltrona, cadeiras de
balsnco, de bracos, de encost e diversas outras
usuaes, bsncaa para jogo, um ptimo piano de
bellas vozes, esoelhos magnficos com molduras
douradas, quadros importantes, vasos para flo-
res, candieiros de globo, lanteroas e muitos en-
feils para salas de visitas, estantes para livros.
obras fmpressas Iliterarias, histricas scieolifl-
css dos melhores autores, liodas secretarias, com-
modas, toucadores, guarda-vestidos, msrquezas,
mageicos toucadores, lavatorios com espelhos,
e ostros singlos, leito psrs casados com corti-
nados e es msis preparos, lindas alcatifas para
sala e saleta, graode mesa elstica para jantar e
outras para difTerentes misteres, louceiros, arma-
rios, apparsdores, porcelanas para almoco, isa-
le e cha, cryslaes, galheteiros, bindejas, facas
e garfja e culheres, avultado Irem de cosioha,
bancos e ionumeros oulros aitigos apreciaveis e
iniispensaveis s qualquer casa bem montada ,
Terca feira 17
do corrente, as 10 horas ds maohas em ponto,
Terra-eira 2i do corrente, (vespera
de festa) andarao impreterivelmente as
rodas da terceira parte da primeira lo-
tera do Gymnasio Pernambucano.
O abaixo assignado em attenco a ser
esse dia o da vespera do nascimento do
nosso Redemptor e para mais satisfazer
ao respeitavel publico pagara' as sortes
de 6:000, 3:000$, 1:000#, 500$. 200J
e as de 100$ logo nesse mesmo'dia da
extracto apenas se tenha ella concluido
cujos pagamentos linalisarao nesse dia
as 6 horas da tarde, continuando nos
dias uteis. Os bilhetes e meios billietes
cham-se a venda nicamente at o dia
23, na thesouraria das loteras na ra
do Crespo n. 15 e as catas commissio-
nadas.
O thesoureiro,
A. J. Rodrigues de Souza.
NOVAS JOIAS
Seraflm & Irmo cora loja de oorives na es-
quina da ra do Ctbug n. 11, confronte ao pa-
teo da matriz de Sanio Antonio, franqueiam ao
publico o escolherem as mais modernas edelica-
das obras de ouro muito em conla e oovamenle
cbegadatjji garnlem a qualidade do ouro, pas-
aande cotilas com as necessariasdeclaracdes nos
recibos; tambem trocam e receben para faier e
concertar toda e qualquer jola: es mesaos pre-
vinem que nioguem se deize illudir por indivi-
duos que sndsm vendendo joiss por tora deata
praca, dizendo serem de casa dos mesmos, pois
nunca tivsrsm. snMm pesaos alguma encerr-
gada de vender Joiaa suaa. _
O Sr. Porfirio de Oliveira Hachado queira
mandar procurar na res da Cedis, escriptorio
n. 47, urna carta vioda do Rio de Janeiro.
A pessoa' que precisar d'um moco psrs co-
ebeiro, ou der-lhe algsm interesse para tomar
cont d'algom negocio, como seja : loja de miu-
dezas, de calcados, depotllo, eobrancae, tanto na
praca, como por fra e pelo centro ; pode diri-
Rir-se praca Boa-Vista, loja de cara o, 9,
que achara cou quemjlretar \ se-far todo o ne-
gocio e se prster! flanea.
o primeiro andar do sobrado da ra do Crespo n.
14, com commodoa para familia ; a tratar na mes-
ma loja.
Arremata-se pelo juizo de paz da freguezia
de S. Jos do Recite,uos movis penborados a Su-
pra Fredenco por peohora executiva de alugueis
de casa, a requerimento de Manoel Jos da Motn
no dia 17 do correte, depois da audiencia deate
juizo.
Liquidacao da Arara.
para a festa.
Vende-se cortes de chitas finas com 13 cova-
dos a 23500, ditos de riscado chines a 5JJ100, ditos
de chitas infilzas a 18500, ditos de riscado a ga-
ribaidi a 2$800, pecis de cassa adamascadas pa-
ra cortinados com 20 vafes a 9$, ditas de 10 va-
ras a 49500 e 39, pe$as de cambraia de salpico?
com 8 112 varas a 4 e 43500, pegas de cambraia
brancas a 1 .600, ditas finas a 38 e 3500. chales
de l a 19. ditos de l e seda a 800 e 2>500, ditos
de merino estampados a 35500, ditos de pona
redonda a 69, ditos de croxe a 7$, chitas a 160 e
180 rs. o covado, ditas francezas a 220, 240 e
280 rs. : na rui da Imperatriz loja da Arara de
4 portas n. 56, de Migalbes & Mendes.
Iojecco Brow
Remedio infallivel contra as gnor-
rheas antigs e recentes. nico depo-
sito na botica francesa ra da Cruz n.
22. Preco 3-
Pede-se ko Sr.Br. Joa-
quim Elvirio de Moraes
Gacvaiho, que quando
\ier ao Recite faca favor
dirigir-se a loja da ra
do Crespo n. 8.
Precisa se alugar urna escrava que
seja de boa conducta, para o ser vico
interno de casa de familia, e que saiba
engommar e especialmente cozinliar: e
agradando percebera' bom aluguel, e
tera' bom tratamento:: na ra da Au-
rora sobrado n. 58.
Quem precisar de um sacerdote para dizer
as missas de festa, dirija-se a ra estrena do Ro-
sario n. 18.
Um sacerdote offerece-se para celebrar as
missas da testa do Nato], dentro ou tora da capi-
tal : a pessoa a quem convenha, pode dirigir-se
tus da Cadeia n. 51, casa de Joo da Cunha
Magalhes, no Recite.
Joo Jos de Carvalho Moraes Filho vai ao
Rio de Janeiro, e deiza por seu procurador em
sua ausencia seu pii o Sr. Joo Jos de Carvalho
Moraes.
Precisase
J FERREIRA VILLELA
RETRATISTA .
SA
AUGUSTA CASA rMPERUL,
Boa do Cafoug n. 18, 1.* andar,
teotrada pelo pateo da matriz.
Retratos porambrotypo, por melaiootypo, so-
bre panno encerado, sobre talco, especiaos pars
pulceiras, alfinetes ou cassoletas. Na mesma
casa existe um completo e abundante sortimento
de artefactos trnceles e americanos para s col-
locago dos retratos. Ha tambem para este mes-
mo tira cassoletas e delicados alfinetes de ouro
de lei; retratos em pholographia das priacipaes
persooegeoa da Europa ; stereoscopos e vistas
stereoscopicas, assim como vidros para ambrotypo
e chinacas photographicas.
!
Gabinete medico cirurgico.
Ra das Flores n. 37.
Serlo dad sconsaltas edlcas-cirurgi-
cas pelo Dr. Estevo Cavalcanti de Albu-
querquesta 6 ss 10 horas da machia, ac-
eudiodoaoaehamadoscom s maior bre-
vidade possivel.
1'* Partos.
1. Molestias de pelle.
8.a dem do otaos.
4.* dem dos orglos genitaes.
Praticar toda e qualquer operacio em
eeu gabinete ou em case dos doantescon- ej
forme lhes fr mais conveniente. m

Vendem-se globos para candieiros, s/om
baa de japi, mais barato do que em outra qual
1*er parte: ne rus Urge do Rosario, n. 34.
de um caizeiro para padaria que tenha pratica e
d fiador a sua conducta, pag*-se bom ordenado:
a tratar na padaria da ra Direita n.84.
Ao publico.
0 leme qne guia a saude sao as urinas ; o sujo
dos inteslioos communica-se beziga, que tor-
nara as urinas larras, formando na bexiga um de-
posito de materises de varias cores, o que sem
duvida menos perigose que a pedra. A pedra,
porm,impede a circulaco.por isso preciso con-
servar sempre es urinas claras Dar nao soffre-
rem o que o Sr. Joo Vicente de Frito soffreu,co-
mo se poder ver do atiesiado abaixo. Tomar-
se-ha 4 magos de pitulas paulistanas seguidos,
3 pilles ooita e 3 de manha, seguindo a guia
do livrinho de C. P. Etcbecoin. Par ioformacoes,
a meu correspondente e depositario nb Rio de Ja-
neiro, tua do Paito n. 119, e em Pernambuco n j
pharmacis do Sr. Jos Alexandre Ribeiro, ruado
Queimsdo n. 15.
Altestado de curativo da molestia da
bexiga.
Soffri 11 annos urna molestia na bexiga, que
nopodia verter agua sem soccorro de algalia ;
gasteimuito dioheiro aqu e no Rio do Janeiro,
sempre procurando os mdicos de grsnde repu-
lsc.au : o resultado foi sempre padecer, at ao dia
em que Uve a felicidsde de procurar o autor d pilulas paulistanas de C. P. Etcbecoin de S.
Paulo.
As pessoas que soffrerem o que eu soffri jamis
consintam opersedes, ou outro qualquer trata-
ment, podendo tralir-ae com estas pilulas, que
tem a virlude de llmpar a bexiga com toda a
brandura e fazer recuperar a aaute perdida.
S. Paulo 17 de aguato de 1858.
Jlo Vicente de tirito.
A pessoa que receben por engao urna car-
ta vioda di Babia para Aprigio Jos da Silva, no
dia 12 do corrente, pode entregar.em caaa do Sr.
Loureiro, ou langa-la na caixa do correio, qee
se ficar agradecido.
Jos Gomes Leal tendo receido do Sr.
Manoel Gomes da Cuaba seohordo eDgenho Ma-
caco da comarca de Nazareth, o seu escravo Je-
rnimo, preto, crioulo, de idade de 12 aonoe
pouco mais ou menos, com signaes um pouco
salientes as nadegas e costas, para vende-lo de
sus conta, e suecede'Bdo ter o mesmo escravo
desapparerido no da seguoda-feiiy 9 do corren-
te. sem que at hoje toroaese para cass, pelo que
soppeo snnunciaQte achar-ie fgido, pelo pr-
seme o fas publico nao s pars que chegue ao
coohecimento de aeu senhor, nao obstante, lhe
ter j avisado particularmente, como para' que
sendo encontrado o mesmo escravo por algum
agente policial ou por quem o conhecer, o leve
a seu senhor no referido engenho cu o traga a
esta praca a o entregue ao annunciante na ra
da Cadeia Velha n. 56, ceito de que ser deri-
i dente recompensado.
Com esta titulo aeha-se aberts ds rus ds Im-
peratriz o. 5, um* loja de modas francezas, son-
de as amantes do bom, echarlo por mdicos pro-
cos, manteletes, chapeos, plumas, enfeites para
cabera, flores.. Utas da todas as quslidadei, gri-
naldaa para noivis, ete. ele. etc., ludo da ultima
moda, e chegado pelo ultimo vapor.
Na meama cas, fzem-se vestidos de todas as
qiMlidades e modas, lavam-sa os chapeos da pa-
itaba de Italia pondo-osea! seo estado primitivo
e oo ultimo gosto. 0 dono deste eslabelecimeoto
nao poupar esforeos para bem servir a todas as
pessoas que o boorarem com a*sua conflanca, e
por isso espera looa a coadjuvteta de seus ami-
gos em particular, e do publico em gersl.
Guarda livros.
Urna pea
tratar de
systema, offerece seu prestimo para tal'mister ;
quemdelte se quizer utilisar snnuncie.
Loja com armaco
Traspassa-se o arreodamento com armago de
urna loja de fazendas muito bem afreguezada : os
prelendentes que quizerem fazer negocio, dirija-
se mesma ra da Imperatriz n. 6.
Attenco.
O obalzo assigmdo faz sciente so publico, e
com especialidade ao respeitavel corpo de com-
mercio que desde eata dala em diante deixou de
aer caixeiro do Sr. Antouio Ramos, e aproveit a
oecasio para agradecer ao mesmo Sr. e a toda
a sus excellentissima familia, o bom agasalho e
tratamento que me deram durante quatro annos
dous mezes e 18 diaa que estire em sua casi.
Pedro de Alcntara Cordeiro.
Colleglo de Bemfica,
Este estabilecimento precisa de urna pessos,
que esteja as circunstancias de oceupar o lugar
de prefeito.
ASSOCIAQAO
DOS
Artistas alfaiatcs.
Por ordem do Sr. presidente convido os senho-
res socios elecUvos para comparecerem oo dia
18 do corrente, pelas 7 horas da tarde, na casa
d* residencia do dito Sr. presidente,.ra da Sen-
zula Velha n. 72, para tratar-ae de negocios ten-
dentes a mesma assoriaco.
Secretaria da Associ.icao dos Artistas Altaiates
16 de dezembro de 1861.
Jos Rogerio Marcelino,
Io. secretario.
Acha-se em poder de Aodr Alves Gama,
inspector de quarleiro, o morador na eocruzi-
Ibada de Bellem, um babuzioho de (landres, fe-
chado, oo qual contera alguma couss, e o mesmo
foi dado a guardar por urna preta ; e como se
suppoe ter sido furtado, o mesmo inspector dei-
xou de entregar a mesma preta quando lhe foi
buscar, aura deque fazeodo publico, seu dono o
pode haver, o qual dando os signaes e o abnncio
peraote leitemunhas o receber.
No escriptorio de Guiiherme Carvalho z
C existe urna carta vinda do Rio pelo paquete
Ooeidaa, para o Sr. Jos Dias Correia da Silva.
Precisa-se de urna ama que cozinhe e en-
gomme: na ra de dorias n. 9, segundo andar.
' Precisa-se de um menino portuguez de 10
a 12 annos de idade, ultimameote chegado, para
caixeiro de deposito : a tratar na ra Imperial
numero 187.
Quem precisar de urna pessoa para cobran-
ca no malo, dirlja-se Praciahs, loja do chapeos
doSr. Santos, que lhe dir quera a pessoa que
para isso se offerece, oo aoouocie por este Dia-
rio, prometiendo dar coohecimento ou fiador a
sua conducta.
O abaixo assignado, agradecendo cordial-
mete as felicitados com que por este Diario o
hoorou o Sr. Manoel Fooseca de Medeiros por
motivo de ser aposentado, no lugar de chefe da
4* seccao da thesouraria da fazenda desla pro-
vincia, aproveita a opporlunjdade para reiterar-
Ibe os mais sinceros protestos de aroisade e
consideraco, pediodo-lhe os acceitecomo signal
apenas de seu eterno reconhecimento; e para
apreseotar a lodos os seus companbeiros de re-
parucao puros votos da agradecimenlo pela
delicada atieoco com que o tratram, e dignas
qualidades que tasto o penhoraram, rogando lhes
queiram permitlir a expresso ingenua de seus
senlimentos.
Recife, 16 de novembro de 1861.
Jos Henriques Machada.
Manoel Luiz dos Saolos e Silva, yai ao Rio
Grande do Sul.
Precisa-se de tresentos mil ris a premio
dandoe por garanta urna casa na ra Bella
trata-se na fus Augusta n. 65.
Aluga-se por prec.o commodo um sitio na
Torre, com baixa de capim, e com oulros muitos
commodos, e boa casa com baoho k porta:
assim tambem urna casi na povoaco do Montei-
ro, a trl*r eom o Sr. Jos Atevedo Aodrade oa
ra do Crespo, ou cora o proprielario Jos 11a-
iisno de Albuquerque na estrada nova do Ca-
xang.
I. Wirz, subdito suisso, retira-se desta
provincia.
Gustave Carn socio gerente da casa de
Letellier Ferard em liquidacao,vai Franca, dei-
xando encarregado dos negocios da mesma com
procuracao' bastante o Sr. I, E Chrietiaoi.
Aluga-se a loja da casa n.6o da ra Nova: a
tratar no 2 andar da mesma casa,
Tendo o abaixo assigosdo, perdido urna
carteira com diversos papis e algm dinheiro,
ella lhe foi restituida faltaodo-lhe urna letra
acceita em braneo pelo mesmo abaixo assignado
em 7 de oulubro prximo passado, sellada no
dia 8 do mesmo mez de R. OjOOO e a vencer
em 7 de margo do anoo prximo vindouro ; pelo
que protesta nao pagar a referida letrt.
Recife, 16 de dezembro de 1801.
Ignacio Antonio Borges.
Pede-se ao Sr. Manoel dt Costa
Lima, que tenha a bondade de conti-
nuar a sua resposta comecada no Diario
de Pernambuco n. 282 de 6 4o corren
te; por que mesmo do seu interese
conclui-la, e nao deixar esa continua-
co pata as kalendas gregas, visto como
protesta desde ja' responder, e refutar
o que o Sr. Lima tem dito, emais disser,
Manoel Alves Ferreira.
3 Ama de leile 3
2 Presi-se de urna ama de leite, que seja #
aceiada e limpa : na ra daa'Crazeg o. SO.
-
de leite I

Ama
je) Precies- de uas ama de leite, que seja ef>
# aceiada e llmps, dando-se pretereocia a 0
O preta: na ra das Cruzas n. 20 primeiro 0J)
ee audar. m
*;
Vende-se um diccionario de Moraes, novo
e da sexta edigo: na ra do Livramento n. 19,
loj*.
Superior rep de Lisboa em
frascos.
Vende-se superior rap princeza-Brasil em
frascos, chegado no timo vapor francez Etlre-
meture, na loja da boa-t, ra do Queimado-
n. 22.
Altencao.
muito boas e grandes
o rus da Cadeia do le-
Vende-se abacachys
320 e 200 re. ceda um :
cife a. 14.
Grande sortimento.
58Ruada Cruz doRecife-58
Vende-se salangas de difieren tes qualidades
para biinquedos de criaocu e presepee.


"""M ****?'"
FfilfiA 16 M DEZEMBRO DI 1101.
--------
-
? .
I
*
Compras.
Para as provincias de Pertiambuo, Parahiba
Grande do Norte, Cear e Alagoas, a saber:
Folbinha de porta, contendo o kalendario, pocas geraes, nacionaes, dias
de jalla,tabella de lalva, notims planetarias, eclipses, partidas
d crrelo, audiencias, e resumo de chronologia, a res .
Fethraha de algibeira e variedade, a qual contera todas as materias das
de porta e mait tabellas do' nascimento, e ocaso do sol, das ma-
res, casa e familia imperial, nomes e ttulos dos chefes dos
priocipaes estados do mundo, tabella da arrecadecio do sello,
dita do porte das cartas, partida dos paquetes brasleiros e euro-
peus, tabella dos impostos geraes, provinciaes, e municpaes, re-
gulameutos- de iacendios, e entrudo, e algumas putturas munic-
paes, artigo sobre agricultura) economas, modo de fabricar gelo,
prognostico do i tai do mundo, collecSo de remedios, a re. .
Dita religiosa, contendo 4 Wa* as materias das de porta, e mais tebellas do
nascime/rtO, e ocaso do sol, das mares, casa e familia imperial,
nomes e ttulos dot chefes dos prncipaes estados do mundo, ta-
bella da arrecadacSo do sello, dita do porte das cartas, partida dos
- paquetes braiileiros e europeus, tabella dos impostos geraes, pro-
vinciaes, e municpaes, regulamentosde incendios, e entrudo, e al-
gumas posturas municpaes', trezenario e mais oracoesde S. Fran-
cisco de Paula, colleccao de oracoes para todos os estados da vida,
e novena da Sen hora Sant'Anna, a re'is........
pram-s cge* do aovo banco de Per
riptorio de Manuel Ignacio de
o Corpo Sinlo.
100
320
berua do Mmeiita, ra
das cruzas n. 1.
Molhos coi cebollas a ]{200
Queijos do ultimo paquete a 9500
Aletria, macarrao, talhariro, a libra 280
Manteiga iogleza Bur a libra auo
Cafe primeira snrte a libra 160
Garraes coro 5 garrafis de vinagre que
o garrao da 640 por
Ra doQueimado n. 10,/loja
de k portas.
[tode-se panno verde, prelo, azul e cor de
i fe, atado 3#.
Asteas de acopara
bales de se-
nhora.
superior qualidade
para
acabar
covado
a 10,15, 20,
520'
Acha-se no prelo o almanak civil, ecclesiastico, administrativo, agrco-
la, commercial e industrial, o qual salara' no (ira do mez de dezembro, nao po-J
dendo ser antes pelas mudancas.
mr**-
Dentes artifieiaes,
A riura Rosa Jaoe, dentista, contioua a por
denles artifieiaes en sua residencia na roa de>
Santa Rila n. 61. afora delta em casas de fami-
lias, dando-se-lhetonducco.
Aluga-sa o sobrado de um andar e arma-
zem na ra da Moeda n. 33, cancertado e piolado
de uovo : a tratar na ra da Imperalriz n. 53, se-
gundo andar.
A quera fallar dous cabellos, procure no
caes do Ramos, armazem d. 10, que teri noticias
delle. H
Precisa-so alogsr orna negrinna de 10 a t
annos ; na ruado Imperador o. 69, sobrado.
Precisa-aede um failor para um sitio de
pessoa estrangeira. em Sant'AoaaJ: a tratar na
ra do Trapiche-Novo n. 42.
Bernardo Joa da Coala, residente nesta ci-
dade do,Recite de Peroambuco, faz saber a quem
convier, que nesta data tem rehogado a procura-
cao bastante, pela qual constituir na villa de
Birreiro, comarca do Rio Pormoso, seu procu-
rador a Jos Nicolao Pereira dos Santos, e pele
presente exige do dito eohor a remessa da dita
pmcurscau revogada. Recifo 16 de dezembro de
1861.
A. Letarte. subdito fraacez, relira-se para
lora do imperio.
Precisa-se de um caixeiro para taberna, e
que leona pratica, sendo de idade de 12 a 14 an-
nos : a tratar na ra da Liogoeta u, 5.
Ama.
Precisa-se de urna ama forra, prefere-se de
meia idade, para o servico de compras, a ra
Bella n. 38.
a Na noile do dia 7 do correte mez fur- dji
tj) taram dona sofus de ferro do terraco da fj
* caes de campo do Dr. Pereira do Carmo : S)
aja quem dellea der noticias exactas aer re- SJ
p compensado. m
# 9 a)*S)^
Carvalho, Nogueira & C. na ra
do Vgario n. 9 primea o andar, sacara
sobre Lisboa e Porto. ,
Abilio Fernandes Trigo de Loureiro leva ao
coohecimentodo reepeitavel publico, e protesta
solemoemeote peraute o raesmo, por si, e como
natural e legitimo administrador da orphaa aua
filha Mana da Gloria, pela iosanavel nnllidade
de diviso da aceta de annullacfto do aloramento
das ierras denominadas, Pitangueiras, que o res-
pectivo aeohor directo, o Exm. Sr. viaconde de
Suassuna, parece querer intentar, ou lalvez j le-
vou a juizo (separadamente] cootra um dos co-
berdeiros, o Sr. Dr. Julio Barbosa de Vasconcel-
os e sua seohora, a quem (ez citar para esse fim,
hadeidias pouco mais ou menos, sera todava
ter anda felo citar para o mesmo fim ao proles-
4aote, por si e como administrador de sua dita
fllha.
Recite 7 de dezembro de 1861.
Altemjo.
A eotiga cocheira d'alem da ponte da povoacao
de Beberibe contina a receber carros e cavallos.!
Um segundo
andar.
Aluga-se o segundo andar da praga da Boa-
Viata : a tratar na loja de calcado na ra da Im-
aperlriz n. *6.
Precisa-se alugar um escravo pars compras
e mandados, paga-se generosamente : a tratar na
ra da 'Aurora o. 80, ou na roa da Cadeia do Re-
cite n. 34.
O Sr. Geraldo Correia Lima queira appare-
cer neata- typographia, que se lhe precita fallar.
Aluga-se dues casas para ae passar a (esta
na freguezia da Yarzes, junto, k povoac&o da
fflesma i a tratar na ra de Hortaa n. 2, prmei-
ro andar,
Preetaa-se, na roa estreita do Rosario o. 31,
prirneiro andar, de urna ama para o aervieo in-
terno e externo de urna pessoa.
, Alugam-se
duis casas am Beberibe, passaodo a ponte, para
a festa do Natal, urna com lodos os commodos
pars grande familia, e a outra pequea para pou-
ca gente ou rapaz aolteiro, com o iocomparavel
rio Beberibe por traz de ambas as casas : a tra-
tar na meama povoac.o com o professor publico.
O bacharel Joo Vicente da Silva Costa tem
o sea escriptorio de advogacia na ra do Rangel
n. 73, defronte.da botica, ao sahir no largo da
Penha, onde ser encontrado a quilquer hora do
dia para todos os negocios tendentes a sua pro-
Osso.
OtTerece-se urna senhora portugueza para
fazer companhia a qualquer familia que faga via-
gem pars a Europa ou outra qualquer parle, sabe
tratar de crianzas e senhoras : quem precisar di-
rija-se a ra do Queimado n. 39.
O abano assigaado, com toja de tartaru
gueiro na ra das Trincheiras n. 1, avisa as
pessoas que tem obras concertadas de tartaruga
em sua loja desde o anno de 1858 a 60, teoham
a bondade de vir buscabas at o fim do correte
anoa, e nao o fazendo oeste praso ficaro sem
direito algum s mesmas visto que ellas por
antigs, pouco ou nada valem.
Recite, 5 de dezembro {le 1861.
Manoel Jos Soares Guiarles.
O Sr. Joao Hyppolito de Meira Li-
ma, q Meira*apparece>- nesta typographia
que se lhe precisa fallar.
;lluga-s
o armazem n. 22 da ra do Imperador: rtratar
na ra do Crespo n. 17.
Ama de leite.
Na ra do Imperador o. 35, armazem, precisa
se de ama ama para amamentar urna crianga, pa
ga-ae beiu.
Aluga-ae urna escravo de quarenta e tantoa
anoos, proprio para o servido de botica, padaria,
etc. : na ra da Imperalriz, segundo andar do
sobrado n. 4.
.0 abaixo arsigoado, lendo em seu poder urna
letra aceita pelo Sr. Dr. Augusto Lemeoha Lins
da quantia de 40i#, vencida a 30 de abrii do cor-
rente anno, achando-so este aeohor ausente, to-
ga-se porisao ao procurador do-mesmo Sr. Dr. o
favor de appare'cer na ra da Prsia, primeiro an-
dar n. 47. Recite 3 de dezembro de 1861.
CUudiao do Reg Lima.
R. Nicolle, subdito francez, vai a Europa.
Sociedade bancaria.
Amorim, Fragoso,S'otos & C.sacam e tomare
aaques sobres pra;a de Lisboa.
' Aluga-se o segundo andar da caaa p. 183 da
ra Imperial, e o eegundo da ra da Imperalriz
o. 188 : a tratar os ra da Aurora o. 36.
Roga-se ao Illm. Sr. Dr. Jos Paulino de
Albuquerque Sarment o obsequio de mandar
pessoa de sua corjfianca i ra Nova n. 43. aQm
de tratar de negocio que diz respeito a S. S.
Deseja-ae s*ber e aioda existe ns comarca
do Cabo o Sr. Jos de Souza Paulo, onde concia
ha lempo morava : qualquer pessoa que a este
pedido saiba responder, por favor queira dirigir-
se ra da Cadeia do Reeife n. 7, loja de miude-
zas de Guedes & GoncMves.
1280
Liquidaco
de fazendas para senho-
ras.
'. Vendem-se golliohas finas a 500 rs., dita* com
botaozioho a 640, ditas de Iraapasao a 18, man-
guitos bordados a 720, manguito* e golas com bo-
loziotio," multo Quoa, de liuho, a 2#500 3, fli-
tea de fuitao a 3S, camisaa bordadas para seoho-
ra a 4J, ricos siolos doarados e matizados a 2J5U0
e 3J, ricoa enfeitea a Garibaldi, pegas de tiras
bordadas e eotremeios a 18, corpinbos para me-
ninos a 640 cada um.
I Para homens.
Vendem-se paletota de case mira de corea e
pretos a ID 12a), ditoa de brim para todos oa
precos, colletes de diversaa qualidades, calgai de
caaemiras de corea a 6e70, ditas de brim e gan-
ga a '2fl e 2500, ditas de riscadinho a i& e I56OO
na ra da Imperalriz, loja da arara, de 4 portis
n. 56, de Uagalbea & Hendes.
SI7JUU
sem segundo.
Na ra do Queimado n. 55, loj de miudezaa
de Jos de Azevedo Maia e Silva, est vendendo
tudo muilo barato para apurar dinheiro, poia o
que presentemente mais precisa.
Groza de penosa de ac de diversos mo-
dellosa................................ 500
Ouis com agulhas-fraucezas a.......... 120
Caixaa com alfinetea a.................. 60
Caixas com apparelhoa para meninos.... 240
Ditaa com cito para grandes a.......... 500
Baralhos portuguezes a............120 e 200
Groza de boles de osso para caiga, pa-
queos, a.............................. 120
Tesouras para unha muilo unas a...... 400
Ditas para costura a.................... 400
Baralhos francezns muilo oos a........ 320
Agulheiros com agulbas a.............. 80
Caivetes de 1 folha muilo unos a 80 e 160
Pecas de traoc.*. de la com 10 varaa a.. 200
Pegas de franja de la com 10 varaa a.. 800
Parea de sapatos de trauma a............ 18280
Carlas de alflnetes francezes a.......... luO
Escovas para limpar deotes a 200 e___ 400
Masaos com grampos muilo unos a.... 40
Carines com clcheles com algum de-
/ feito a..............................._ 20
Ditos de ditos de superior qualidade 40
Didaes de ac i>araseohora a............ 100
Rialejoa com duas vozes a.............. IQO
Ditos com 4 vozes a.................... 200
Ecuadores para vestuos, aeodo muilo
agrandes a..............................
Caixas com clchales francezes a........
Cartaa de aloetes para armagao a....i.
Charuteiraa muilo linas a................
Tinteiros de vidro com tinta a..........
Ditos de barro com tiota superior a....
Ara prela muilo fina, hbr............
Aviso.
Manoel Antonio de Oliveira, que foi caixeiro >
Bernardino Jos da Silva Braga, na roa da Sen-
zala Nova n. 22, pede aos ceus devedores que
deixe de pagar desta data em diaote ao sr. Anto-
nio Uosncs Carvalho por nao ter prestado coota,
tambem pode ao Sr. Antonio Gomes de Carvalho,
que venha fazer entrega das contas do que tem
recebido amigaveimente.

Urgencia
Quem livor am methodo de caligraphia
SJSjB e quizer vende-1 o dirija -se a rus da Uoilo
t) n. 15, ou anouneie por esle Diario.
9
Precisa ao de u of
aervicoa de urna casa
rapaz forro para
na ra Nova n. 7.
alguna
Aitencao.
Aluga-se urna casa alorio da Madeira de Be-
beribe para passara festa, ou mesmo aonual: a
tratar na ra do Queimado o. 48.
Aluga-se a loja do'sobrado da roa do Li-
tramento n. 27 proprio para qualquer estsbeie-
imeolo; a tratar na ra de Hortta n. 10.
-* Aluga-se o tercelro addar da casa n. 37
na ra larga do Rotario : a tratar na ra da Ca-
deia do Reeife O 4. ,
Precisa-se de om horneo) que saiba reflnar
asaucar para ama refloacio na Parabyba paga-se
um boro ordenado, a tratar na na larga do Ro-
j$MTO Q* 4o
AUen^ao,
Aluga-se commodamente o segando andar da
cssa.n. 2 da ra da Cadeia Velba, o qual tem
grandes coBUOdOf, asta assaiado, o todo cor-
rido da jsuellas pelo oiao oue fica ao naseente,
e* bastante claro e fresco, 1
MB~ N ra do 8. Goojalo n. 14, prerfaa-se de
Iher para ama do aervieo steroa e exter-
no itiM, f.rra ou tserm,
O dentista Numa Pompilio.
Ra estreita do Rosario n. 22, pri-
meiro andar.
planta dentes pela presso do ar, por molas e li-
gaduras, efaz todas as operarles de sua arte.
Aluga-ae um sitio oa entrada da Casa forte
lendo commodoa suficientes para qualaoer familia
o ar o maia aaudavel e lendo o banho perto de
casa a tratar : no pateode S. Pedro, n. 6 primei-
ro acular.
Atten^o
PuKaramdo abaixo assignado um re-
'"B' *? ouro patente inglez, coberto de
n. 71JM, autor Iosh Peulinglon e um X
tranceiim do ouro: quem dola souber
a ou der flotcia dirija-se ao largo do Corpo
tm Santo loja de cabos de Antonio da Cosa S
e gilva Maduro, que ser
recompensado.
generosamente
Precisa-se
De urna ama de boa conducta paia
casa de pouca familia, na ra Augusta
n. 5 primeiro andar.
Aluga-se a loja do sobrado n. 11
no aterro da JBa- Vista, propria para
cstabelecimento : a tratar no mesmo
sobrado.
Arauaga, Hijo & C. sacam sobrej of 3* 8oI,nh" 500 diiasT'm 'boTsTnhs
R0 de Janeiro. 610 "" li0*!fHo,wt 70 "- mislotiaa para
senhoras a 38. djtaa bordada, a 4#, manguitos
gollss da ljnho a 2500 e 3|.
Para homem^
PalitoU de casemira a 108 e 12. ditos de brim
de todoa os precos, calcas de casemira de corea o
preaa a 65 e 7#. ditas de brim a 1, 1J600,2 e
aaoOO: na ras da Imperalriz loja da arara de 4
portas n. 50, df M'j.lhies & Meodei, -
80
40
80
1*000
160
120
120
ca .
Casemira prela
1*600 e 18800.
Chales de touquim
30 40
Superiores cortes de seda o mais moderno que
tem iodo ao mercado a 90, 100 e 120f.
Sediohas de quadrinhas e flores, superior fa-
zonda e moderno gosto, covado, 800. la e l?j(00.
Chalv, auperior fazenda, covado, 500 rs.
Mimo do co, fazeada para vestido de aenhora,
ovado 500 ra.
Talmaa o manteletes pretos s 18, 20 e 259.
Superiores vestidos brsncos bordados a 20, 25
e 30.
Cassss fraacezaa finas, covado, 240 r>. -
Cortes de cassas de sal picos, am 39 e 3(500.
Cortes de seda prela a 251. 30, 35 e 40.
Lencos de seda a 600 e 800 rs.
Lia de quadros para vestido de senhora rou-
I pa de meninos, covado 240 rs.
. Grosdenaple prelo, covado 1&280.
Chales de merino bordados a 4g.
Chitas francezas escoras, covado 240 rs.
Meias de algodao cr para homem a 4f.
Cortea de velludo para collete a 35500 e 45000
Palelots de brim a 3 e 4
Chapeos de aol do seda para senhora e meni-
nas a 3 e 41.
Loques para aenhora e meninas a 3 e 4.
Esparlilhos para sennora e meninas a 3 e 48.
Chapeos de pellica para meninos e meninas.
Chapeos de palha para senhora.
Oospelioss de reda pera senhora a 8 e 10$.
Camisas abertas de renda para aenhora a 2> e
"8JO0O.
Grosdenaple amarello com am paqueuo toque
de mofo, covado 600 e 700 rs.
Paleto!, caifa e collete de casemira, pelo bara-
iaaimo prego de 258
Ceroulas escocezas, urna 18200.
Cortes de barege com duas saias a 8 e 108.
Corlea de seda escoceza, auperior fazenda, com
13 e 15 corados cada um a 108.
Camisas inglezas com peitosde linho e com um
qaeoo mofo, duzia 25$.
Palelots de alpaca, um 98.
Cortes de casemira um 38500:
Chales de la e aeda, superior fazenna, a 28500
Lencos de cambraiaale liaho bordados cem bi-
co, a 38, 5, 6 e 8.
Ditos de dita para hornero, duzia, 68, 8, 10,12
el4S.
Selim preto maco o melhor que tem appare-
cido, covado 38<
Chapeos deso de seds para homem um 68-
Ditos dito de dita i*gleza para homem, um 98,
10 e 128.
Baldes psra senhora, um, 3 e 48.
Panno de linho do Porto com 12 palmos de lar-
gura para lences, vara a 38200 e 3|40Q.
Lencos de cambraia bordadoa com bico, duzia
a2S500.
Gollinhaa de cambraia bordadas, urna 320 rs.'
Manguitos de dita ditaa, ara 18-
Camisas para meninos,.duzk 158.
Fil de linho bordado, vara iylOO.
Dito de dito liso, vara 18800.
Cortes de brim de linho, um 18600.
Kctetie;* ws;ws;*s *K*sa
Vende-se chapeos populares denomina- Qt
ip nados chapeos do dovo a 38. H
60
20
200
48500
3^000
120
160
30
240
240
320
80
sem segundo
Ra do Queimado n. 55, defronte do sobrado
novo, est disposto a vender tudo por preeoa que
a todoa admirara, assim comoseja :
Frascos com agua de Lavaode multo su-
perior o grandes a.................... oo
Duzia de aabouelea muito linos a...... 500
Sabooetes muilo finos a................ jgQ
Ditos ditos muito grandes a ............ 200
Frascos cora cheiro muilo Crios a...... 500
Garrafa com agua celeste superior a .. 1000
Frascos com bar.ha muilo lina a........ 440
Dilos com dita de urso a............... 600
Frascos de oleo de babosa a...........'. 240
Ditos de dito muito Anos a 320e.... 500
Ditos com baoha transparente a......<. 900
Dilos com superior agua de colonia a..-. 40O
Ditos ditos frascos grandea a............ gyg
Ditos de macar e ae oleo a............ 100
Linha ranea do gaz a 10 rs. tres por
dous e a ..:........................... 3*
Linha em cartao de Pedro V com 200
jardas a ..............................
Dila com 50 jardas a....................
Duzia de meias cruas muilo encorpadas a
Dita de ditas muito superiores a........
Ditas de dilas brancas para senhora a....
Bicosda largura de 3 dedos, vara a.....
Groza de boles de louga a..............
Carriiei de liuha com 100 jardas a..'."
Duzia de phosphoros do gaz a...........
Dila de dilos de vela muilo supeiiores a
Pe^as de fita para cs de todas aa larguras
Franjas de linho para toalhaa (vara)....
Bicos daa libas por todo o'proco, por pedido
que leoho do fabricante para acabar, e por isso
uo se olha o que cuatou, e si ai o que d.
Novidade no tor-
rador!
23 Largo do Terco 23.
Qoeijos flamengos muito Trescaea, chegaos
nesle uUmdo vapor a 38. manteiga ranceza a 720
e 40, maoieiga ingleza flor a 900 e 800 rs., em
porcao 8e fu abalimaulo, assim como se lorram
outros muitos gneros pertencenles a molhados
assim comos'jam.eaf, prlmeira e segunda aor-
te, arroz, velas de espermscete e carnauba, azei-
le doce e vinagre, e viuhos, se vendem por me-
nos do que em oulrs qualquer parte a dinheiro
vista.
Vendem-se as Ierras chamadas Siricuc
que ficam prozmaa ao sul dacidada da Victo.ia
(Santo Antao) entre os engenhos Pedreiras e Es-
pirito Sauto. com boas proporcoes para plaota-
coes de caf e algodio. Nao esige-ae dinheiro
yists, bastando que psgue o compiador um Juro
mdico pelo lempo que coovencionar-se o paga-
mento total : a fallar com seu proprietario o Dr.
Reg Dantas, no engeaho Coiabeire, de Santo
Amaro de Jaboatao.
Chapeos de palha.
O mais lindo eortimeoto de chapeos de palha
daa formas as mais modernas de Pars,' para ae-
nhoras o menioaa, ricoa ainlos ultima moda, di-
tos com lacos bordados : na ra do Crespo o. 4.
casa de J. Falque.
j7"JV.Ddf,"gcoen,5eoho Rioe>ro, distante da
cidade da Victoria duaae meia-legoaa, margem
do no Tapicurama, limitando-se com o engeuno
Tapera: quem o pretender, dirija-se nesta pra-
ca aos Srs. Correia & Irma, ou a Frsnciaco de
Paula Paea Barreto.
J~ ^vende*e ura" eKrT ioula de idade de
27 a 30 annos de idade, do servico de urna casa
o ra, com achaques velos: quem a pretender.
dirija-se em Pora de Portas, no sobrado n. 17,
da viova Maula, que achara com quem tratar.
Liquidaco de fazendas no-
deras para senhora.
. ZSf**'Cn e.neUe" ,urca P" 5
a K09 31a a5Q0,-ditN muito fios a Garibaldi
a 5|e 58500, ricos siortes a 2500, oitos dours-
I
Dilos de crina branca a
Ditos mesclsdos a 3|.
Ditos cor de caf a 38:
3$.
I
na loja do bem
coohecido Nabuco & C, na ra'Nova
n. 2.
^^ w,pf^ savisn SP'llV WrJSW w^rw svfBfvsi ^nmm FfPiaa t/nT* ^K
Vende-se manliohas de raiz de coral Jg,
proprioa para as senhoras irem a missa
do galo: vende-se na loja de Nabuco <& aj|
C. na ra Nova n. 2. su
Aviso aos fumantes.
_ Na loja de Nabuco & C. na ra Nova n.
2. veade-se fumo de differentea qualida-
Sdes para cachimbos e cigarros saber:
Fumo caporal Riassos grandes a 2$.
i Dito dito pequeos a 14.
8 DHo de flor de harlebeck a 240 rs.
Dito americano a 240 rs.
_ Cigarros bota fogo do Rio de Janeiro
m a 200 rs.
: Ditos de Ha vana a 240 rs.
I Ditos turcos em caixas de 100 a 28.
, Boleas de borracha para fumo a 18.
m Bocaes para charutos e cigarros.
Cachimbos de gesso. "
Ditos de maasa.
Ditos de espuma do mar.
E outros muitos objectos proprios para
Sos fumantes.
. aieatt3ie e*5*s2*e mmtmmv
Roupa feita.
Na loja de Nabuco & C. na ra Nova n. I
2, vesle-se um homem dos ps at a ca- I
|C bega por diversos precos.
Aviso aos amantes dos m

presepes
Na loja de Nabuco & C. na ra Nova a.
2, vende-se-excellenies pandeiros para
presepes por prego edmmodo.
Veode-se na loja de Nabuco & i. 1
ra Novan. 2 os mais modernos chapeos j
de palha a Trivial a para senhoras, ditos I
a Garibaldi, diloa a Cavour, ditoa de seda j
a turca para meninos, ditos de palha a j
Garibaldi, ditos a heapanhola e de oulras |
muitas qualidades tanto de seda como de ]
palha que se vendem mais barato do
em outra qualquer parle.
que
Nabuco &C. com loja na ra Nova n.
2. receberam pelo ultimo navio um lindo
Borlimeato de eofeites de froco com vi-
drilhoi, ditos de relroz prelo e de cores,
ditos de Otas e flores, ricas griosldaa pa-
ra noivas, e outros muitos enfeifes que
se vender barato.
Kaoe francez. 8
Vendo-ae na loja de Nabuco & C. na 8
ra Nova o. 2, rap francez a 3 a libra. 26
ewwffKQH esteeie cmoms
Nsoucu 4 C. com loja na ra Nova n. su
2, aesbam de receber pelo ultimo navio 8
francez um lindo sortimento de vestua- 1
noa para meninos de 2 a 6 annos, como 8
sejam veituarios de velludo, ditos dse- M
*da, ditos de merino, ditos de fusSo bor- W>
dados e de oulras muitas qualidades que L
a ae vendem mais barato do que em outra *
I qualquer parle. S
bintos para senhora.
H Vende-ae na loja de Nabuco & C. na 1
ra Novan. 2, ricos siotos duradoa, di- S
tos prateados, ditos de fitas de seda e de |f
velludo, ludo por prego commodo.
otassa americana,
se potsssa americana muito nova e de
superior qualidade: no escriptorio de Manoel
Ignacio de Oliveira Filho, largo do Corpo San-
to n. 19.
Vende-se s 160 e 200 rs. a vara : na ra do
Queimado loja de miudrzas da boa fama n^35.
Luvas -de pellica de
Joivin.
Vende-se as verdsdeiras luvas de pellica de
Jouvio para homem e senhora a 28500 o par: na
ra to Queimado loja de roiudezas da boa fama
35.
Cintos do ultimo gosto,
Vende-se cintos duradoa e de palha o mais
bello que possivel eocoolrar-se, pelo bartlissi-
mo pre^o de 3$ cada um, ditos do fila de muito
lindos goslos a 2$ ; lan,bem ae vende flvellas
muito lindas e de muitas qualidades propriaa ni-
camente psra cintos a 29 ; na ra do Queimado
toja de miudezas da boa fama o. 35.
Enfeites para ab'ega
Vende-ae os mais modernos enfeites que tem
vindo a este mercado, e de muitas qualidades a
7 e 81000 cada um, ditos pretos com vidiilho a
18500: oa ra do Queimado loja d miudezas da
boa fama n. 35.
La muito fina para
bordar
Vende-se a 88 a libra : na ra do Queimado
loja de miudezis da boa fama n.35.
Capellas e ramos para casa-
mentes e bailes.
Vende-ae muilissimo finas e ricas capellas
brancas para noivaa, com o competente ramo para
o peito, pelo baralissimo preco de 10 e 12&, ra-
mos de flores muilo Unas e de muilo lindas co-
res a 38, ditos mais inferiores pouca cousa a 1*,
18500 e 28: na ra do Queimado loja de miude-
zaa da boa fama n. 35.
Lavas de diversas quali-
dades
Vende-se muito superiores luvas de camurca
para bomeos a 28 o par, ditas de fio de escossia
brancas e de.cores a 800 rs., ditas de seda en-
teitadaa para seohora a 28, dilas de lorsal pretos
a 13 : oa ra doQueimado loja de miudezas da
boa fama n. 35.
Perfumaras fnissimas
Vende-se a bem conhecida e acreditada opiata
ingleza para alvejar e conservar os deoles pelo
baratissimo preco de 1500 cada ciixioha, dita
franceza em tubos[de metal, agua de colonia ver-
dadera do Piver, banha muito fina em vaaos de
muitas qualidades e bonitos gostos, extractos de
muitas qualidades e todos os mais Anos que
possivel eocontrar-ae, aabonetea do diversos la-
manhos e qualidadea, e oulras muites qualidades
de perfumaras dos melhores fabricantes de Pars
e Londres, que ludo se vender por lo barato
preco que causar admirago aos compradores :
na ra do Queimado oa bem conhecida loja de
miudezas da boa fama o. 35.
Chicotes de gosto e muito
fortes.
Vende-se muilo bonitos chicotes debaleiacom
castoes de marfim e de metal para homens e se-
nhoras a 4 e 58 cada um, dilos de estallo tambem
muito bons a 38, ditoa de junco porm muilo bem
acabados a i$: na ra do Quermado loja de miu-
dezas da boa fama n. 35.
Caax*?s p&Ta seunora* e
meninas.
Vende-se pelo baratissimo e admiravel preco
de 3 e 48 cada um, e affianca-se que quem os vir
nao de'ixar de comprar, lo bonitos e uteis sao
elles : na ruado Queimado, na loja de miudezaa
do boa fama n. 35.
Tinta bem conhecida e acre-
ditada para escrever.
Vende-se cada fraaco a 500 rs e dos grandes
a 800 rs.; esta tinta azul na occasio em que
ae escreve e por muito pouco lempo Oca prela e
bem prela, havondo a vanlagem de servir para
copiar cartas : na ros do Queimado loja de miu-
dezas da boa fama o. 35.
Gneros para a festa.
Manteiga franceza a 640 rs. a,libra, dita ingle-
sa, a 800 rs., toucioho a 320 rs., arroz a 100 rs..
cha a 25560, batatas a 60 rs., sabo messs a 200
rs., dito amarello a 160 rs., macarrao, talhasim
e aletria a 500 ra., emitas a 120 rs., caf a 200,
240 e 280 rs., painco a 160 rs., alpista a 180 e
200 rs., velas de carnauba a 4G0 rs., ditas de es-
permacele a 760rs. vinho do Porto engarrafado
a 8(10 rs azeile de carrapato a 400 rs., dito de
coco a 440 rs., queijos a 28500, baoha a 480 rs.
a libra, arroz de caaca a 3j6 o aicco, espirito
de vinho a 1700 a caada, agurdenle de cana
a 200 rs. j engarrafada : na travessa do
doParaizo n. 16, frenle amarella taberna
portas.
Escreve se com a
tinta azul, e ca
prta.
A loga do Aguia-Brac* ataba de receber de sua
: encommenda essa apreciavel Unta que ao escre-
ver-se axul e ao depots flea prela. Essa tinta
do afaroado'fabrjcariie Adrlen Maorin, o mes-
mo que fabrica a segura tinta para marcar roup,
e ella pichoso como na conseraco de s>mi cr-
dito tem feito cora qoe sos tiota pela purificacio
e segranos de cor, lenha merecido a prianasia a
quanlas oulras appare(am. conservando de mais
a mais o vidrado escuro e mesclado de seus
boides pars prefinir a falsiQcacao. A loja de Aguia
Branca, porem em attencao a sua boa fregue-
xia tem modificado os precos est vendendo a
500 e 800 ris os boies, grandes e immeiiiato,
fazendo aioda alguma difterenea a quem comprar
msior porfo para tornar a vender. Tambero se
vende frasquinlios com tinta para marcar roupa a
640 e 1:000 ris, tudo na ra do Queimadooja
de Aguia-liranca, n. 16.
paleo
de 4
--Precisa-se de urna mulher para fazer com-
panhia a urna familia daodo-se sustento e roupa
quem. estiver nesta circumslacias dirija-se a
roa da_Cadeia do Reeife, n. 48 segundo andar.
Eu abaixo asignado declaro nesle jornal
qoe desta dala em diante nao me assigno por
Goosilo Teixeira, mas sira por Goncalo DissCoe-
1 PW O* ochar lirif e Oijsempedids,
Attencao
36-]L\ua Nova-Be
Nesta caaa encootrario sempre uto grande sor-
timento de relogios de algibeira, de ouro e de
ptala, patentes ehorlsotaes, suissos; assim co-
mo om completo sortimento de relogios de pare-
deie de banca, dos melhores abncanlea possi-
vel. Paz tambem qualquer concert de relogios
seja qual for s qualidade, e o estado de ruina, os
concertos slo aaojadoj.
Banha fina
em copos grandes.
A' loja d'aguia branca avisa a sua boa fregue-
zia que chegada a apreciavel banha fina em co-
pos grandes, e contina a vende-la mais barato
do que em outra qualquer parte : na ra do Quei-
mado loja d'aguia branca n. 16.
Novos candieiros para gaz
Um grande sortimento de candieiros
para gaz, desde o mais barato at oJ
mais rico quefem vindo a este mercado:
na ra da Senzala Nova n. 42.
Macas
Na ra do Apollo n. 31 armazem do
gelo, chegou pelo navio Mersey urna
nova remessa de maeaas muito frescas e
grandes, e vende-se barricas grandes
com cerca de 200 macSas a 16#00U.
Presunto para
fiambre a S60 rs.
a libra,
Vende-se no armazem do
Progresso no largo da Penha
n, 8.
Veode-se a casa terrea o. 23 ns ra da Es-
perarla, no Caminho Novo, perteocente ao Sr.
Joao Jos dos Santos que se acha em Portugal -
tratar as pra ja da Boa-Vista n. 4.
Enfeitesvpara senhora
dos maia fios que ba no mercado: ae na larga
do Rosario o. 88, loja de miudezas "de Manoel
JosLoflee; oa mesma loja vende-se rape de
Lisboa, dte rolan franeez, dito Mearon, dito pria^
ceza, dito gaze fino, dito do Rocha, dito groase
dito meio grosso, todo este rap vende-se taot
em libras como em oitavas ; voadem-se cintos
duradoa com franja e sem elle' luvas de pellica]
amarella e branca para aenhora, braocaa para
*?"V' "Pe,lfM bancas proprias para n.ivas,
chapeos de sol para senhora de sedas bordadas, a
outros mutlaa miudezaa em coala, que a i viste
dos compradores se dir <) preco de lude.
Atten?o>
Por maia exforjos jjue faga
Nao me que.r a musa valer
Todos emfira venham-ver
Calcados, iion., e de grana.
Na ra Estreita do Rosario Toja decalcado con-
fronte a igreja, botios para meninos de 25 a 32
2,500 a 3.C00. sapsfes de diversos feilios para
meninos e homens a 2:700 3:000, 3:300. 3 500,
4.000, 4800, 5 000 5:500, sspSles abertus na
frenle pars rapazas a 2:600 sapatos rasos aberlos
cordavao 2:-500, botinas de marroquim pars se-
ohora 2:000 dras todas de pao de cores sem
salto 3:000, ditaa dilas com sallo 4000, boiinaa
para sjnhora e meninas do ultimo gosto, ditas de
selim sem salto, sapatos de dito e oulras mullas
qualidadea por commodos presos.
Ra Nova
a 32, loja de Thom
Lopes de Sena,
recebeu em direilura de Paria diversos objectos
de moda de apurado oslo, como sejam : chapeos
de palha da Italia para senhora, ditos Amazonas,
ditos a Traviata, ditos a.Garibaldi, chapeos de
seda para senhora, ditos de seda pretos, o touca-
dos de diversas cores psra chapeos, grioaldas de
flores de diversas cores, rsmes de flores e ro.ss
para enfeites, leques de madreperola do melhur
que tem vindo ao mercado, manguitos cora gol-
liohas bordadas para seohora, dilos de fil com
bicos de guipure, siotos com fivelas, vestidos de
blonde para noiva, capellas com ramoa para as
ditas, luvas enteitadss para noiva, chapeos de
differentes cores e lamaohos para meninos se bp-
tisarem, louquinbas de merino e meias de seda
para ns dito, esparlilhos para seohora, dilos rom
carriteis, fitas de seda de diversas cores -e largo-
ras. Na mesma casa recebem-se figurioos luios
os meze?, e fazem-se vestidos, capaa e mantele-
te para serthora, e vestuarios para meninos.
50 A Ra da Cadeia do Reeife 50 A
Manoel Gon-
Qalves de Oliveira Santos, vende para a presle
estacao deste mez, Oquem certo que o anoo vio-
douro o sol muda, e por isso aproveitem as te-
guiles pechiochas:
Pe;a de cambraia tapada com 10 varas a 5$.
Dita dita dila muilo finas 10 varas a 5)500.
Villudilho de ramigens que se tem vendido
a 4J400.
Panno para messs redonda a 3.
Dito dita dita a 2&500.
Cambraia de cores imitando orgsndys vara a 480,
Dita branca com 8 lp2 varas 30200.
Dila dila para forro e 2$.
Omisas francezas finas a 2$.
Dilas de fusles braricas a J
Dita de lioho a 23500.
Casta libas.
Vendem-se canastras pequeas com castanhas
muilo novas, chegadas no vapor, a 7$ a arroba :
na ra estreita do Rosario n. 11.
Vende-se, porque quer ser vendida, por
1:60C$, urna escrava criouls, de idade de 28 an-
nos, famosa lavadeira, lano de varella como de
sabo. eogomma divinamente como njo harer
melhor: na estrada de Joo FernandeS Vieira,
casa o. 2.
Veode-se urna escrava crioula que cose^f
cozinha e engomma": a tratar na ra do Hospi-
cio n. 62.
Novidade.
Caitas com 150 maeaas chegadas no vapora
12000.
Ditas com docesecco rainha Claudia.
Ditas com doce secco de marmello.
Ditas com doce secco de pecego.
Cahes com doce de goiaba superior:
Presuntos psra fiambre, libra a 500 rs.
Queijo londrino.
Dito prato.
E outros muitos gneros que seria enfadonho
mencionar, veode-se ludo muito em conta, no
armazem de Sodr & C, na ra estreita do Ro-
sario n. 11.
Pannos finos
a 2,000 rs .
Vende-se panno preto e cor de caf a 2$ o co-
na ra da Imperaliiz n. 60, loja do pavao.
Casemira a 3^500.
. .VfDdl*9^asemira testada para calcas e pa-
lelots a 3J500 o corte de calca, ou a 1# o covado:
na roa da Imperalriz n. 60, loja do pavao. >
Agurdente de carina.
Vendem-se ancoras com superior agurdente
de canns : na ruavla Csdeia do Recite n. '
tratsr com Guoha e Silva.
vado
50, a
anas
Loja das 6 por-
tas em frente do
Livramento.
Chapeos de sol de alpaca a 4jjf.
P""" de meiascruaa para homem a
15800 e o par a 120 rs., ditas brancas
muiirffinaa a 2J&00 a duzia, leocoa qe
caaaa com barra de cores a 1J0 rs. cada
"">. ditos brancosa 160 ra., baldes de
20 e 30 arcosa 3|. liazinba para ves-
tidos a 240 o covado, chales de merino
estampados finos a 5 e 6*. tarlalana
branca e de cores muito fina com vara
Ji?51"1-e"f.gra "-480 n- covado.
fil de linho liso a 640 rs. avara, pe-
caa de cambraia lias fina a 3, cassaa
de cores para vestidos a 200 ra. o co-
vado, mussulina encarnada a 320 ra o
covado, calcinhaa para menina de escola
lf o par, gravatinhsa de tranca a 160
rs., petos para eaeaiaa a 200 ra. cada
om dusia 29, pecas de cambraia- de sal-
pico muito Ana a 39500, pegas de-bre-
t*2h* '.a. a t#, chitas francezas a
TL ^.- MTd. loja est
abortadas 6 horas da uanhaa as 9 da
noile. -^_
V
Veode-se a metido do terreno que eiisf
no becco do Ferreiro, freguezia da Ba-Viata dea,
ta cidade, o qual terreno tem apeoaa una telheiro
e offerece bom|local para ediQcacio. O terreno
aquello, caja parte existe em aberto e por edifi-
car, exialindo na outra parte um moro arduas ca-
sa* que o Sr. Domingos Antonio da ./a eirfs
indevidamente levanlou ; na ra do Imperado
o. 54, primeiro andar, para trata'.
riATA
I.


Eatremeios
bordados em cambraia
transparente.
Na loj* d'aguia branca cha um bella orti-
mento de entremetes bordado* em fio* cambraia
traaaparent*. carne' d* aem costuat* eali veav-
deado baraUmvnt* 1$M0' pac* de 3 rara*.
tendo quanlidad* biatanle de cada padrio, para
vellido* ; e quem liver rilaheiro approveitar a
eeasiip, a manda-loa comprar na roa do Quei-
mado/Jej* d'agaia branca o. 1*.
Agilhas imperies.
- Tem o fundo dourado.
A loja d'aguia branca taado em vistis sampra
vender o boaa, mandou ir. acaban da cargar
aqu (pela primeira vez] as superiores agalhas
imperies, com o fuodo dourado e mui bm *-
laa, sendo para aUaiaUa e cosluraira. e custa
cada papel 160 ra. A agulba assim boa aoicaa
. e adianta a quem cose coa ella, esa regra sao
mis barataa do qu* as outras; quem aa com-
prar di rna do Queiraado, loja d'aguia branca o.
16, dir sempre bem darlas.
Mui bonitas
e boas litas brancas de chama-
lote, franjas e trancas.
Aloja d'agoia branca acaba de recebar de sus
encommenda diversos artigo* de gosto, e proprios
para eoteiles de vestidos de noivss oh convida-
das, sendo bicos de blond da diversas largaras,
franjas brancas e de, cores, (ranea* brancas com
vidnibose sem elles, ciscarrilhas brancas e mul-
tas outras cores, Boas e delicadas capellas bran-
cas, bonitos eoteiles de llores e cachos sollos, lu-
vas de pellica enfeHadas primorosamente, o>ni
bonitas etoas fitas de ehamalote, e emfim mui-
tos outros objectos que pedido do comprador
serio patentes, e vista do eiaheiro nit* se dei-
xara de negociar : na laja d'aguia branca, rna
do Queimado n. 16.
Para senhoras |
Vende-se na loja de Nabuco & C. na I
S ra Nava n. S, o aegaiole;
** Camisas de,tambraij bordadas a 4V
|| Chapelioa* de seda com bico de blond m
g a 10.
X Chapeos de palha a Albertina a 12*.
J2 Lencos de cambraia de lioho bordados
*"~ Ditos ditos com bico 5*.
Ditos sbertos com bico a roda proprios
Spara mimos de stahasinbi a 34.
BM9W3W^I6s>i9 4*fG4*5 SMM&nfQH
Para meninos. ..
Vende-** na loja de Nabuco &jC. na
M ra Nora n. 2, o seguinter
9 Casaveques de fuslao para meninos de
i 2 a 6 iqos a 3#.
Capas de fuslao de corea para a mesma
w idade a 39.
y Gravalinlias de fila a 200 rs.
| Vestidos de tuslo bordados para meni-
nos de 2 a 6 annos a 59.
Meias de algodao brancas a 35.
Ditas ditas de cores a 39200.
Ditas ditas ordinarias a 11200.
Por 3005 vende-** um cabriolet moderno,
com civallo e arreios, todo em bom estado ; a
ver, na rocheira da roa da Imperatriz, e"tratar na
ra do Hospicio o. 35.
Para acabar*
Ji\a ra do Queimado n. 10|
je loja de 4 portas.
E Vende-se chapelinas de seds para se- 2
m nhoia a 89.
Orgindya padrees os mais modernos a
690 rs. a vara.
Sedinhas de quadrinhos a 800 rs. o co-
vado.
Casacas de panno preto muilo fino a
205(100.
a Manteletes pretos a 159 e 209.
31 Riqoissimos vestidos de seda de cores v
e pretos o mais moderno que tem appa- aj
@ reeido e por baralissimo preco.
Calcado
inglez para hornera e senhora.
Botinas de pellica preta lotricos para senhora.
Ditas de cores proprhs para casamento ou
bailes.
DiIjs de lastre para senhora.
Ditas de bezerroe pellica para bomem.
Este calcado para senhora- obra primorosa
que ainda nao veio igual: na loja de Burle J-
nior & Martins, ra doCibug n. 16.
Fitas de seda.
Na ra Nova o. 22 tem para vender fitas de se-
dss de cores muito bonitas, e baralismas para
acabar.
Fazenda modernissima para
vestidos, tf b/a do pavo
Acaba de ebegar a esle eeUbelaciaaaole pelo
vapor (rancec um lindo sarumetrte 4* gerguroes
de leda, (aienda ainda nlo vista neste marcado,
que se vende por preco baraMsaiaio, por eatar
mu^to prximo feets, attim amo lindas mar-
quexinhaa ou chapeoziobc* da sol para senhora :
na raa da IsaparaUU a. 60 loja da Gaa k
Silva.
Vende-se ama porcio de shok coa casca,
mullo barato, om poreoes grande* a pequeas,
cbagado proximamtaie 4o Panado : na raa Di-
reita n. 6, padaria da Antonio Alvaa de Miran-
da Guimari**.
Esponjas finas #
para o rosto.
Veade-ee mai Boas esponjas para- rosto. 29
cada urna : na ra do Queimado, loja d'*gut
branca n. 16. '
Leite virginal
infllivel remedio para
sardas e panos.
uno di nMmmjQ*o.~-imVW&A. k i dezembio o un.
-' -> -------------

=
I "SN atartfteimas.
A2940O.dHi.d4laraatamei..c..c
36, ra das Cruzes de Santo Antonio, 36,
PROGRESSIVO
DE
O leita virginal j bem conbecido o:
dio infllivel para sardas e pannos, vende-se a
2f rs. o fr.sco na ra do Queimado, laja d'aguia
branca n. 16.
Vende-se no caes do Baos a.4, arrotcom
csea, o alqueire medida velha e saceos, o mais
barato que em qualqaer outra parle.
Touquinhasde setim, sa-
patnhos de dito bor-
dados, e meias de seda
para baptisadoj.
Aloja d'aguia branca acaba de despachar de
saa propria encommend, um bello sortimento
dos objectos cima, e de muito bons gestas, aco-
do as touquiohas de setim mui bem afeitada
de fitas e flores a 69000, vindo cada una em saa
csixioba, sapatinhos d* setim bronco muito bem
bordados a 3$ rs e meias de superior quslidade
tanto brancas como cor de carnee pintadas a 25
rs. o par: quem munido de rtinheiro dirigir-ae i
ra do Queimado, loja d'aguia branca n. 16, nao
deixari de comprar.
Cassas garibaldi-
nas na loja do
Pavao.
Vendem-se fiissimaa cassas garikaldina* sen-
do estas cassas as mais modernas que tem che-
gado a 360 rs. o corado: oa ra da Imperatriz
n. 60, loja de Gama & Silra.
Peonas galvanisadas.
A loja d'Sguia branca receben essas peonas
galvanisadasrde novissima e mot boa quslidade,
e as est vendendo a 2*000 a csixioba com urna
groza. As priraeiras dessas peonas farsas offa-
recidas Caribaldi, e por fsso traxem o seu re-
tracto, e as referidas eaixas se encentra o dis-
ticopeonas Gsribaldi.
S se encontram na ra do Queimado, loja
d'agaia branca n. 16.
Legues.
Yendem-se lindos leqoes de madreperola, o
mais fioo possivel: na loja d'aguia de ouro, ra
do Cabug o. 1 B.
l*en$os taracos muito
\\nos.
Veodem-se lencos brancos muito finos, pelo
diminuto prego de 28400 a duzia, grande pe-
chincha : na loja da boa fe, ni ra do Queimado
numero 22.
Caivetes fixos para abrir
latas.
Ghegou nova remessa desses preciosos esni-
vetes fixos para abrir latas de asrdioha, doce,
bolacbiohas etc., etc. Agora pela (esta come se
muito dessas cousas e por isso necesssria ter
um desses caivetes cujo imparte ljs.compran-
do -se na rus do Queimado loja da agoia branca
n. 16, nica parte onde os ha.
Escencia de ail.
Para engommado.
Venem-se frasquinbos com escencia de ail
cousa excedente para engommado porque urna
gota delta bastante para dar cor em urna bacia
de gomma tendo de rosis a mais 1 preciosidade de
nao manchar a roupa como muitas vezes acon-
tece com o p de ail Cusa cada (rasquinho
'500 rs : na ra do Queimado loja da aguia bran-
ca n. 16.
Mifangas miudas de todas
as cores.
A loja d'agaia branca acaba ,de receber essas
procuradas micangas miadas que servem par
pulceiras e outras cousas, por isso avisa as
pessoas que ellas esperavam e as que nevaaente
quimera comprar que munidos de 500 res com-
prarao um masso muito maiordo que os amigos,
Isso soroente na loja d'aguia branca, ra do Quei-
mado n. 16.
Grvalas da moda.
Ha loja da boa (, na ra do Queimado n. 22,
se encontrar um completo sortimealo de grava-
las de seda prelas e de cores, que se veodem por
precos baratissimos, como seiam: esireitinhas
prelas e de lindas cotes a-lft. ditas com pootaa
largas a 1}500, ditas prelas borladas a 1*600. di-
tas prelas para duas voltas a 2g ; na mencionada
loja da boa f, na ra do Queimado n. 22.
Vende-se um engenta moente e correte.
sendo as obras de lijol) e eal, distante desta pra-
gi nove leguas, com embarque na porta do mes-
mo engenho, tendo a commodidade de Bear dis-
tante urna legua e meia 'uma das eslecoes da
via frrea, ser de vanea e de grandes lucros pela
sua produc.ao, tendo terreno para mais de dous
mil e quiobotos pies para se^safrear todo* os
annos som precisar plsntar-se na palha, e par*
mais eiplicacoes eotendam-se na ra Nova loja
de marmore a. 43.
Veiide-se
azeitede dend ou palma, dito de amendoim que
serve para,luese chioas, mala barato da que
em qualquer outra parle; na ra do Visado a.
19, prtmajro andar.
Ma tanhas e figos.
Tudochegado no ultimo paquete, rende-senos
armaua* SaogreMivo a Progreaoisla n*> Urg* do
Carosa ^eraa da* Grases n. 36, maceas a 40
r. a I2t>c*aa ama, csatanh.* is90 rs. libra a
&>a aarob*, affinc*-se aereo* atsiu aova fl-
gs a 240 sa. a lbr* a 8> a arroba, ooca a
Acaham de ebegar pelo ultimo vapor
M^o,r[od.,arcOr0J.ra'OQM^0 nProgr-.i.r^.ll
iriMo pataoia i0f*/r. g** ** **"^" ""** "-
lutiva^de Jonvln.
V*>i<*m.aa>aTd*a>asaalniaa).ie Joav,
a*a# o* ala qitiaaa pa loja d'aguia da onra, raa a Ca*es> n. t *.
I Esperanza.
Ra do Queimado 11. 33 A.!
[ Receben directamente e a seu pedido
' tinta ingina atul preta d* verdadeira, '
esta tintaTse~f*z notar pela grande die- ?
* renca em rudo quer na duracio quer na (
' limpidez do lquido e aiuda mais recom-
t menda-se os potes que almN de serem I
jl de urna loaca mats alva qoa.a ordinaria
[ (em na boca urna pequea cavidade que
J facilita a sabida da tinta, mancamos que '
J ninguem tem por isso $ se deve pro- I
i curar na loja Esperanca ra do Qiielma- ,
I doGuimaraes & Rocha, pote de 1(4 a
' 400 rs.,de1|2 a 800 rs. I
Asulhas Victoria pela aceitacao que I
(tem tido estamos prevenidos de grande
e variado sortiraeoto e se veode a_120 '
rs. papel: luja Esperanza. |
\ Sintos com tirelas de ac a 1 #500, ve- 1
[ nham'de pressa que nao chegara para :
f quem quer, dourados e prateados a 39, w
> esti-se acabaado. J9k
w
Attencao.
Vende-se confronta a porlao da fortaleza da*
Ginco Ponas o seguiote : earrofaa para boi, di-
tas para cavados para agua-, carrioho para traba-
Ihar 01 alfaudega, ditos da mi, rodas para car?
rocas e carrioho*. cites, tarra'torea da caf cea
fogo, boceada foro, bmdeirae, faaroa da rol-
las de toda* as qu*li4*d, dobradicas da ehua-
bar de lodos os tamanao*, f*haduraa da isnolaa,
ferolbo de chapas, ferro de embutir da lodos o*
Wmauhos, e pottaade ferro.
Manteiga ingleza
liMfL, 4 C
7* ,7-------------w".v< w^ww.u.m. wwv *o< uuia o riji a
manaem ao nonos experimentar, serlos de nada perderem pota para isso
laem fraoceza a mlbor do mercado a 640 n. a libra e em barril a n
a libra e em porfi a 750, reeommenda-se aos apreciadoras deslele genero que
confirmamos o que levamos dito.
. razie de 600 ra. iJibra
Jj.fM?8 flameDgOS Cbegados no ultimo vapor a 2*600 a 2800. 9
eDOlias SOltaS aovas e grandes a 8001. o cont e a 69 o milhofro, aflanfa-8e que i vista da qualidada ningnem deixar de comprar
tal IS gg0s com uma arroba) ag meihorej Bu ha no mercado a 1 o sigo, e em porcio da 10 para cima a 800 ra.
tiaStaQQas verdes as mais perfeius que terops tido no mercado chfgtdas no vapor Oneida a 240 rs, a libra e em porcio ter abatimento.
m)Zes as mais novas que existen no mercado a 200 rs. a libra o de 89 para cima a 166 rs., afiaoca-se a boa qaalidade.
MaSSaS talharlm, macarrao o aletris as mais novas do merajde a 480 rs. a libra e 89 a eair.**
Champahe dsa mircaa mais acreditadas de 15* a 20o gjgo o 1500 il|a garrafa.
Bolachnha ingleza a 320 rs, a libra e 4 a barrica, afiance-si ser a melhor do mercado,
ArrOZ o melhor do marcado a 100 rs. a libra a 2|700 a arroba do da India e 120 rs. a libra do do MardnhSo,
Cha hySSOn e pretO o melhor do mercado de 19700 a 2880 e em porgio ter abatimento, eafianca-ca a boa qualidada.
Presunto fiambre ingJez ehamburgus a 000 rs. a libra a em porcSo a 800 rs.
Presuntos portugueses "vindo* do Porto de casa particular, a 560 rs; por libra ainteiro a 460 ra;
Marmelada dos raelhores amores da Lisboa premiada as exposices universaes de Londres e Pars a 19800 a lata.
CaixaS COm estrelinha pevide rodinha 7000 a caixa e800 rs. a libra eem porjio ter abatimento.
Latas de ameixas francesas com cinco libras a 49000 e 19000 a libra.
Passas em eaixinhaa deoto libras, as melhores do mercado a 29500 e a 500 rs. a libra e caixa de ama arroba a 89500.
Espermacete Superior a 740 rs. em caixa e a 760 rs. a libra.
Conservas franc*>zas inglezas e portuguezas a 600 a 800 rs. o fraseo.
ErVIlas portuguesaa e francezas a 800 rs. frasco afianca-se serem as mais bem preparadas que tem vindo ao mercado.
Lata COn? DOlaxinha de SOda de diversas quatidades, a muito nova a 19450. e grandes de 4 a 8 libras de 2500 a 4>500.
YinbO em garrafas Daque de Porto, Porto fino, genuino, nctar, Carcavellos, Madeira seeca, Feitoria o Camones a 19200 a 19800
a garrafa ea 139 a duzia.
Vllho em pipa proprios para pasto de 500 a 600 rs. a garrafa ede 39800 a 49800 a caada ;
Latas COm fructas de todas as qualidades que ba em Portugal da 700 a 1900U a lata. '
"era em CaiXaS de 4 a 8 libras a melhor que se pode desejar e lem vindo ao mercado de 49 a 69 a caixa e 19280 a libra.
CorinthS em frseos da 1 1 [2 a 2 libras de 49600 a 29200.
Latas COm peixe Savel pescada *outrs muitas qualidades o mais bem arranjado que tem vindo ao nosso mercado de 19400 a 19600
Ara ruta a melhor que se pode desejar a 320 rs. a libr|, e 120 rs. a libra de gomma.
r rasCOS de amenuoa com 2 libras, proprias para mimos, por serem muilo bem enfeitadas e de superior qualidada a 39 cada um.
Vinagre braoco o melhor que temos tido no mercado a 400 rs. a garrafa e 29560 a caada.
ComIIno e ervadoce os mais novos que ha no mercado a 800 a libra do cominho e a 400 rs. a eeva doce.
Vinho BordeaUX de boa qualidada a 800 a 19 a garrafa e de 89500 a 109000 a duzia,
MaSSa de tomate em latas de uma libra do mais acreditado autor de Lisboa e viada a pr imeira vez a nosse mercado, da 19 a 19280.
Laixas SOrtldaS com ameixar, araaAdoas, passas e figos, o que ha de mais proprio para mimos, de 19000 a 59000 rs, por caixa de 2 a
12 libra, e 40 rs.alibra do* figos. \ r
CervejaS das melhores marcas a 560 rs. a garrafa a 5 e 69000 a duzia da branea.
Vinagre puro de lsboa a S40 rs. a garraf* a 19850 a caada.
Doce da goiaba da CaSCa emeaixao a 19 e em porco a 900 rs;
Azeite doce purificado a 800 ra. a garrafa e 99000 a caixa eom 12 garrafas.
Gognac a melhor quTidade que temos no mercado a 19000 a garrafa a 109000 a duzia;
QUIJOS SUSSOS ehegados ltimamente a 500 rs. e em porco ter abatimento, afianja-se a boa qualidada.
Genebra de Hollanda a 600 rs. o fusco e 69500 a frasqueira com 12 fraseos.
Palitos HxadoS para denles a 200 e 160 rs. o maco com O macinhos, e flor a 280 rs.
dem do gaZ a 39000 a groza e 280 a duzia de eaixas.
Chocolate amis superior que temos tido no mercado portuguez, hespanhol efraneez de 19 a 19200 a libra,
AzeitonaS as ceelhores e mais novas que tem vindo a nosso mercado a 31000 aaneoreta.
AmendoaS ehegadas no ultimo navio a 480 rs. a libra e em porco ter a batimento.
AlpiSta o mais limpo que tem vindo ao mercado a 160 rs. a libra e 59000 por wobs.
A lm dos gineros annunciados encontrar o publico um completo sortimento de ludo tendente a molhados.
dacia da parea i aaiaa breacaal.
Um rica care|.
y**^* rico aelsWejrro mal bella-
mente preparado : no eserfptorlerde Maooel Ig-
n*aia d* Olivan & Filho, Urjo do Corp* Saata.
Mantas de retroz.
Vendara-* nvantaa d Mtroi para nav*Us a
00 rs. : na raa do Queiaaado a. 22, na laja da
toa fe.
Presuntos,
Yendem-se saperiores presuntos inglezea para
fiambre a 600 ra. a libra : no armazem de Taaso
Irraos. ra do A**ori*a a. 35.
Matheus & lodrigue, em sea eocriptorio
n* ras do Vigario n. 10, tem para vender;
Rico* elegante* piaaos.
Superior vinho do Porto eas caiaa de urna dazi*
Balancas derfmaes.
Superiore* charuto* da Babia dos primeiros fa-
bricantes.
Fumo em folha superior.
Pregos e eox*das portogaesaa ; colas rtigos se
vendem por presos mdicos.

Vestidos de casamento.]
Ricos vestidos de blonda eom manta,
capaila a sai* de setim.
Superiores
vestidos de seda, de cambraia bordada,
de phanlatia.chapeoa de palha, eoteiles
modernos para cabeca, capas e maotele-
tes compridos o mais moderno, sedas a
l de quadrioho, cambraiaa de cores, es-
partilhos, siotos, leques, ssiaa balo,
r meiai elsticas e camisa de linbo para
seabora, fil e tarlatana para vestides,
cbales de pontt redonda e manguitos
modernos.
Roupa feit.
Calesa, colletes. p a le to ti e sobrecsaco* '
de panno, casemira, chapeos de castor,
botinas de Meli.
Pra acabar.
Colchas de la e seda propria para cama
ou coberla de piano a 59. maogaitos e
gilas bordadas de linho e de fu.-tao a Ja
jada de quadrinhos a IfJOO, lizlaha a
640 rs. o covido : na loja n. 23 ra oa
Cadeia confronte ao beceo largo de GurRel
& Perdigad.
Feijo de corda.
Esperanca.
Recebeu de aua encommenda pulcoi- "
O ras de cabello que vende por 10p o par, {
a braceletes de mosaico* a 69 cada um, t
u agulfaas victoria a 120 rs. o papel, peo-
9 les de tartaruga a 8, 10 e 12J, precos <
9 porque ninguem pode vender (boa la-
^ zeoda) estea artigos nSo se eoconlra em ,
^ loja uenhuma porissovaoa ruadoQuei- '
O mado- n. 33 A, loja da Esperanca. ^
(SEsperancareduz aexpres-l
sao mais simples. *
(A' D1NBE1RO.) <
a^ Todos os artigo* que estao na loja |
jg muito barato quem qulzer v comprar e (
* vera : nudo Queimado n. 33 A, Gaima- '
9 raes & Rocha. |
\ musselina do Pavo
200 rs. ocvado.
a
As verdadeiras lavas de
Jouvia.
B.r. ("* ** sraia,wmmmm 5 gr-
JZ V !' <^a*o*H*parior a la**0. a* faado
o vai ataaira atoa ProgreMiva a trocraasi*-
yar. na1 fioca Pont*., cochelr. coalronle ." esta-'
na
- Teode-se musselina branca cera 4 1|2 palmos
de largura (azeoda multo fina pelo diminuto pre
co de 200 rs. o covado. corlea de cbita ingleza
com 10 covados cores Qxa* a 1*500 rs., ditas de
musselina branca com 10 covadea a 2ja, tudo
para apur* dioheiro : na raa da Imperatriz o.
60, 1 oa de Gama & Silva.
vendem-se libras sterlinas ; no escriptorio
de Araorim Irmaos. ra da Cruz o. 3. #v
Charutos |
Verdadeiros charutos de Ha-
i vana vende-e na ra do Apollo :
5 n. SI.
Fitas de chmalo-
te muito boas e
bonitas.
A loja d'aguia branea acaba de receber pelo va-
por ingUNtta aeaaaiaiwai* aa>*ja\.iljon|uia e
larga* fita* de coamalale araaaas e outra* edra*.
aa qaara aaa eisatlesalaa para ciatos, |*coa, ele,
de vellidos psra casamentas e fcattes, assim como
para reos da bosquete*,, cintefros de criancas e
moita* outra* diferas cousa. e como da tea
co*4ae*o es preco *io menores do qe em outra
quelqaer parte; aaaim quem manido de dinhei-
ro, dirigk-sa a ra* do Queimado 1oia d*Mula
branca.n. 16, aera bem aorvttaw
Attenco.

Chegou na ra do Queimado o. 39, loja de 4
portas melpomeno imperial com 6 palmos da lar-
gura a 2$600 d colado, o mais moderno e apura-
do gosio que se pode encontrar para vestides de
senburas e meoinas.
Na loja doVanot
Boa Nova n 7.
acha-se barato grande sortimento de calcado fran-
cs e inglez, roupa leita e perfumaras muilo
fioas.
Chitas largas a 220 rs.
na loja do Pavao.
Vende-se Onlssimas chitas francesas com pe-
queo toque de mofo, afflaocaodo-se soltar o
mofo logo que se lavem, por serem de cor fizas
a 220 rs. e covado : na ra da Imperatriz n. 60,
loja de Gama & Silra.
Opiata iogleza
para tientes.
Eala finalmeote remediada a (alta que ae sen-
ta dessa a precia vel opiata inglesa to pro vei to-
sa e oecessana para o* denles, isso porque a lo-
ja d'aguia branca eciba de recebe-la desua en-
commenda, a continua a vende-la a ljftoOO rs. a
caixa; quem quiser conservar seua denles per-
feito* prevenir-se mandando-a comprar em
dita loja d'aguia branca, ra a Quaimado o. 16.
fLoja das 6 por-!
J tas em frente do Li-
vramento.
Roupa feita muito barata. S
Paleto!* de panno fino obreca*aco,
b dito* de casemira de cor da fuslao, ditos *fj|
jp. de brisfi de cores e brancos, ditos de
J ganga, cale* de casemira pretas e de V
9 core*, de brim braoco e decores, degan- (
a ga, camisa* eom peito de linbo matta m
l Boaa, ditas de algodio, cbapeoa ae sol 2
W de alpaca a 49 cad um. sS
o ##
Ra da Seozalla NotI n. 42.
ecle ettabelecimento vende ae: ta-
ena de ferro cotudo libm 110 rt. iein
de Low Moor libra a tfQrs.
Uma barcada.
bwcaca do porro'da 35 caxas,
do rae ira caraaataka Ja
Nova exposico.
Ra Nova n. 20.
Biquiasimo sortimento de cutilerias em todo
o genero, assim como um riqoissimo sortimento
de louca de porcelana para coiinha, riquissimo
ortimeoto de metaea, riquissimo aartimento de
miudetas, e oulros muilos artigos, aaa eom a vis-
ta do comprador se podero apreciar : na ra
Nova n. 20, loja de Carneiro Vianns*.
Bombas dejapy.
Raa Nova n. 90, loja de Carneiro Vanse.
Canos de chumbo.
Ra Nova n. 20, loja de Carneiro Tianaa. -
Arado americano se machina-
paralavarroupa:emcasadeS.P.Joi
hston 4 C. rua'daienzalan.48.
Vende-se o grande sitio denomioado Csia-
na, sito na freguezia da Vanea, de muito boas
Ierras, que tudo quantaae planta di orna grande
quintidade, com uma casa de taipa Ji coberla,
uma dita de fazer ftriaha, grande quandade da
ps de cafeseiros, com diversos p* de frucUiras,
como seja laraogeiras, coque'ros, etc., ele.; a
tambern veodem-se duaa vacia* que dio bastan -
te leite, umadella* cora a cria ji grande, e am
burro manso : a tratar na ra do Sebo n. 20.
Libras sterlinas.
Vende-se no escriptorio de feanoel Ignacio de
Ollveira e Filho, largo do CorpoSanto.
SABAO.
Joaqalm Francisco da Mello Santos avisa ao*
auafraguezea detta praga e oade fra, qna tees
aposto a venda sabio da aa fabrieadenoiaiaaaa
Reciteaoarmazem dosSrs. Travaasos Jeniot
ft C, na roa do Amorimn.58; maaaaamarella
casunha.prata outras qualidada* por menor
prsoqedeotraafabrica*. No mesmo arma-
bem tem faito oaeu deposito de valsada
zimpleim mistura algum*. como
jompooteJo.
Lindas flores^
Na loja d'aguia-o ouro-, raa do Cetogi a. 1 Bj
raceberaaa da aua propria encommend* om com-
plato aaxtlsaanto de florea, oas*iaaojoe o#aa.
ivel eacootrar.proprias paraaateliea decaleaa
vestido, cousa mallo chkiae. que se veode por
prese que admira, aoode a 800 e 1 o cacho.
No armazem de Tasao Irmaoa, ra do Amorim
numero 85. ^
NOVA
exposico de can-
dieiros econ-
micos.
0 propietario d-ste novo estabelecimento avi-
sa ao publico e a todos o* consumidores, que lem
recebido um grande sortimento de candieiros de
nov aodello, riquissimos para ornar salas, todos
esmaltados de diversidades de cores, desde o
mais rico al o mais ordinario, assim como nm
grande sorttmeoto de gas de primeira qualidada,
pelo preco mais barato qoe ae pode encontrar;
assim como tambera meias Utas, eas garrafas'
na rna Nova n. 24, Uta de Van na.
Potassa da Rossia.
Vende-se em casa de N. O Bieber &
C.t successores, rua_da Cruzn- 4-
Meias para senn^ra.
Vendem-se superiores meias para senhora pe-
lo baratissimo preco de 8$840 a duzia ; oa loja
da boe f, na ra do Queimado n. 21.
Vende-se uma preta crionla de20 a 25 sa-
nos, muito boa cozioheira e lavadelra, sem vicio
de qualidada algume, muito sadia e robusta : na
ru da Praia n. 25, ca* terrea logo pastando a
ribeira do peixe.
Grande peehincha
45 Ra Direita 45
Borieguins de Sras. de pe pequeo
a 30500 e 4#000.
ss;tttt ana eweieeiHiiK
4 loja da bandeira |
tem para vender de boa gg
qualidade folha, estanho-
e bacas de
sfnecupa prego favorito.
Nova loja de funileiro da
ra da Cruz do Recife
numero 37.
Hanoel Jos d* Fonseca participa a
todos os seus treguezes lano da praca
cmodo mato.ejuntamente aorespeita-
vel publico, que tomn a deliberaco de
baizaro prego de todas assaasobras.pof
cujo motivo tem para vender am grande
sortimento de bab* e hacia*, tudo de
differentes tamanhose de diversss corea
j em pinturea, e juntamente am grande
sortimento deliversas obraa,cerniendo
banheiroa egamelascompriqas.grandes
epequeoas, raachioa* para caf e cane-
cas para conduzr agua grandes e naque-
as, latas grandes para conservar fari-
nha e regadores ao uso da Europa, ditos
grandes e pequeos ao uso do Brasil e
cama* de vento, latas de arroba a i#,
bab* grandes a 49 e peque noa a 600
rs.,baci grandes a 5j> e pequeas a
800 rs. .cocos de ata i 1} i duzia re-
gadores regalare* muilo barato, dito*
pequeos a 400 rs., de todoestea-objee-
tos ba pintados a em, branco e tudo mais
se vende pelo meno* preco porarve!: oa
loja da bandeira da ra da Cruz aa Re-
cife o. 37.
I
Vende-se
ucelhade oa eatalaira _
cinlho Eleabio, ao p da fortaleza da* aneo Poe-
ta, *oe4a poda se* Hela o examinada netos pre-
teudeate* ; vendar** a atraso na a diaaeira ; a
tratar eom lanoal Airea aarr, na ra* do Tra-
picha n. 14,
0 PaY.
Relogiosa
*"*" ^J**** Faaar i ft;
J^jJ a *>?tgao b. S om helio aortimeeu .
roJogioadooTjTo.^atonto ingles, do omatataaia
afamado* fabricante i* Liverpool; Uaabam
MU vaneando do bonito* traacaai pora os
motaos.
Aitenoo
laZtt *!**'*. ia eaaa de Heeker
ooker t C. existe om bom lorttmerto da lf*>
haa de cores e brancas e em sarretels do melhor
fabricante de loglaaeOf iirn se veodem por
KCfioamei raaaatate.
Vende-ee caleiohas bordadla' para nunina* a
1, aovas da teda fante para aenhora coma para
noaanm ftcaoda em perfeito estado a 500 ra. o
par, aintoe de todas aa qaalidade*
a asalo** e aataa bordada* com multo gasto:
na rea da Imperatriz n. 0, loja de Cama Yj
LuvasdeJouvin.
N* loja da Boa F na roa no Qaniaaada n fA,
aamxa *o eocootraraa aa vardadaaraa lavan- do
paraaenhoraa Jaawan tanto para boas*** eannnan
dvarUndo-se que pac* aejnean Ha
linda* adre*, a* mencionada loja da Boa I
I ri do Q*simido n. 81.


- hiff rwu u
BOM E BARATO S NO
Francisco Feraandes Duarte
LargodaPenha
Conthiua*se a vender este armazem de molhados os
melhore genero* que vem *o aereado, e por multo menos prego do que em Mire qualquer parte,
pera o que recebe o proprietario em todos 01 vapores da Europa, a maior parte de seas gneros,
escolhiospor peseeis encirregidai. para este Qm ; por laso novimeote pirt'reipi aosseos fregaezei,
ool sd aos St*.-d praca como deengenboa e lavardores, que queiram seguir em protjreo, que
nlo deiiem ao menos d comprar a primeira re seas encommeudas.certo de que hio de gostar,
parto que oso te poupario es preprietatios. em prestar toda attengio, e mesmo em serviros por-
tadores menos praiicos, tio bem como se viassem os Srs. pesaoalmente; e abaixo mensionamos
os procos de algubt gneros, por onde se pode julgir que rendemos baratssimo.
naaWfctoigejl nglCSA m,|| superior qne ha no mercado i 800 rs e 1#00 a Ubn em
barril te far.abaUmento. /
SflAiitaigft tteVMGXe mMo D0Ta, 6<0 rit libr, e em barril a ^ n#
C\k pfero\a, myssB preto w mti, p((riorM d0 Bercid0 t$m> t|W0>
o 9800 rb t libra e aanga-se a boa qualidade.
"1**l** TClaa* ehegados nssts ultimo vapor a|2400, ditos do vapor passado
11900.
MaaeJ&dSa as melhores que te pode detejar a 40 e 120 rs. cada urna.
PraiUUtO lHg\ei. propiiotpara fiambre a 900 rt. a libra, em porfo te Itra sbali-
tneato. .
Prczunio ao wio 0 qae h di bom neile geBero t ^ t jibrt e iero
440 rs.
BMlUS \\0\aS %m gif0t d^ namrro,, ig cada am.
cMlnUQ o melhor petisco qae pode haver por ettar prompto a toda a hora a 1} a libra.
Toueinao do reino m ttbtl e arrob, a9|500
GhouTicas c palos mQll0 n0TOi, ^ .. iibr..
Banha Ao votco retinada. mt ,lw que b, n0 Iaerc,d0 a 480 ri,. libr,
o em barril a 440 rt.
Altitonas mntO nOYaS 1S000 rt. a .ncoret.. e em garrafa at rt.
IsStaS COn bo\aXn\ia d SOda oteado differentea quaUdades a i*40 e
m porgao ae (a r. abat ment.
.Y* OO ItaiUi aa( D0Ta d0 mercado em lats de urna libra por 910 rs., ditas de
duas ditas por 1*700.
laaTmOlada mnorial Q ,famMj0 Abreuo deoutrot mnitot abricantei de Lisboa
a 1| a libra, em latas de S libraa por I98OO. -.
? laafcS iranCOXaS melhore que se pode desejar em. meiaa laUs por 5e0 rt.,
tambem tem portagneza me latas eoteiraa a 640 rt.
CuOCOiate ranOOZ a hetpanbol chegado aette ultimo vapor & 1S200 a libra.
l'ftSSaS propriM p,ra priia 800 rs. a libra.
llOeO dO aVnorCnO em tata8 de 2 ubr elegantemente enfeitadas a 14200 cada urna.
KaSpOTnaSetO taperor de 4, 5 e 6 em libra a 760 rt. e am caixa a 740 rt.
Vistas COm peiXO em nOSta ft8 meihoret qaalidadea que ha em Portugal a
1J400.
Ikv&endoas eonvetodas, 14, iibfi aUg em mlolo, mr aUa com ca8ca
a 480 rs.
riozres c castanVias pUldM mut0 n0T, 1Ml8. a u**.'
llSireilinna para gopa a (540 rs. a libra e em caiiiohas de 6 a 8 libras te fara abatimento.
Metria, maearrao o ta\h% rim a 400 a lii)r., Mixt a ^
Se\adnna franceia maito nova a 40 rs. a libra:
Farinha do Marannao mnlioalTltechorMlial60r,.
OniUia de engommar, o que ae pe detejar por aer maito aira a 100 rs. a libra.
'*P*',n multo doto Olimpo a 160 r a libra o em porcio ae tara abatimento.
Jitio aeipeilavel publico, que aflaocando-ae a boa qualidade dos gneros cima mencio-
nados, se rende muito batato, e pelos quaet te poder julgar todos os demaia que nao
nuociados.
foram an-
Paletots
brancos.
Vendem-ao sapeiiores paletots de brim branco
de puro linho, pelo baratssimo prego de 5J : na
ra do Queimado n. i2, na bem conhecida loia
da boa f.
53 EUA IREITA 53
Grande armazem.
erra gen o mindezas.
Sem bandejss, tem colheres, sem garfot e fa-
cas, impossirel passtr a festa I neste armazem,
pois, encontiaro aa familias o melhor e mais ri-
co sorlimento por precos inferiores aos de pri-
meira mao, reparem.
(Bandejas recortadas e finas a 1#600.
Ditas ditas a 2#.
Ditas ditas a 8$.
Outras (sultana valide) 69.5 e 4$.
Faqueiros a 68, 49. 39600 e 39.
Colheres prioeipe (sopa} 6$ e 49500.
Ditas dita (cha) 3je 29500.
Salitre, ferro, trens de ebzinhs, e todo qnanto
pertence o ferragens bsratissimas.
Camas de vento de louro a 49800, e de ama-
relio a 59500.
Fogtreirot para todo prego.
Grande
Superiores paletots da panno preto maito fino,
obra muito bem eita, pelo baratisaimo preco de
209 ; n ra do Queimado a. 82, na bem conhe-
cida loja da boa f.
Delicadas scovas
cabos de marfim e madre-
perola, para limpar
dentes.
Na verdada urna escora para limpar peo tes
sempro necessaria em qualquer toucador, o com
eapecalidade no da senhora que preza o asaeio,
e para que elle teja patfeito mandar comprar
nao dessaa escora* de cabo do maraa eu ma-
dreperola qul custsm 29 e 39 rs., os loja d'aguia
branca, na ra ra do Queimado o. 16.
Navalhas d'aco
com cabo de marfim.
Vende-te at loja d'sgaia branca moi finas ns-
talbas d'aco refinado com eabot do marfim, t
Jtts atiegurar-ae a boodado dellsa basta dfzof-
j qae do tes RevJfterl & G casta cada estojo bS.S,!1!; '** d Qw,,Nrt* S gaii
Entre-meios bordados em
cambraia transparetite.
Na loja da igula branca vende-se entremeioa
bordados em fin cambraia tunspirente a 19 a
y*>4o 3 ?**,-paoeo w peaqae *6 aooabaana
diuloj* da aguia brapea ra da.Qaeimao a. 16,
Adveitete que de cada padrao tem UsUllit
pecat para Teitidw.
lolooo.
:
E' na ra do Queimado o. 39 loja de quatro
portas que ae vende os malhorea chapeoa de to-
da de formas mais modernas e bom gosto.
Na ra de S.
Jos a. 2.
Yende-te muito bons gneros aonde annancia
os seguiotes: vioho do Porto a garrafa 800 rs. a
caada a 6f000, ]igueira a720 rs.. Lisboa 600 rs.,
ditos mais baixos a caada 35600 rs., ditos em
garrafado do Porto 1J120 rs., ditos baixos 500 e
56 rs., vinagre de Lisboa 320 a caada 29400
rs., marrasquinbo 19400, vinho Bordeaux a 19,
marmellada de 2 libras a IJ900 rs., ditas de libra
e meia a 15600 rs., fructas de calda a 4|000, pe-
ras, ginjas, peceso e raioha Claudia latas de pei-
xe grandes a I98OO rs., msssa de tomate 1S00O
a libra, manteiga inRleza 800 rs., dita f,a aceza
720 rs., banba refinada 560. queijos do reino
298OO rs., fiambre inglez a 720 rs., presunto do
reino a 480 a libra ; compram-se cobres velhos,
as pessoas que tiverem dirija-se a mearos que pa
gsr-se-lia, comoestiver cha hyson a 2$800ditodo
Rio em lata a libra 29300 e 29100 rs., af em
caroco a 320, 380 e 260, asstm como todos mais
gneros, vende-se mais baratos do que em outra
qualquer parte, assim como hngaica do aortao a
a 400 rs. libra.
Candieiros a gaz,
O proqrletario da nova expolelo doa caadiei-
rot a gaz avisa ao publico em feral, qu* ao acha
sempro sonido com grande e variavel tortimesito
de candieiros desda e mais barato al o mais caro,
assim como am grande deposito de gaz idrogenio
verdaderamente ecooomieo, rec*s>hecdo vora-
deiramente por todos 01 consumidores : na na
Nova nt. 20 e 24, Carneiro Vanos.
Nesla metua eipoaicio ae encontrar am va-
riavel sorlimento do riqauuiaaos qusdros de toda*
at quilidades que por gotto ao podo opramar o*
tana deaenboa, am riquissimo sortimeoto da
quinquittiariaa, cootendo entre ellaa riquissimos
vavatorioa para quartos (gosto chinez), um varia-
lel tortiment de balaiot com lodos os preparoa
para viagem. cootendo pratoa, facas, copos e ou-
tros frascos para condicionar, ferroa do engom-
mar a vapor, machinas de bater ovos a vapor,
machinas de fazer caf a vapor, espingardas de
dous canos tronxadss o de alcaoce, rnappaa del
mundo, e outroa maitos objectos que se vendem
jpo precos diminutos para acabar: raa Nova
numero 20.
Cambraia Usa.
Vende-se cambraia lisa transparente muito fi-
na, pelo barato preco de 4 e 51 a peco com 8 112
varas, dita tapada muito superior, pega de 10
varai a 6f : na ra do Queimado n. 22, na leja
djmos (.
Bramante e aloaWvado de
Unto.
Vende-ae-superior bramante de paro liobo com
duas varat de largura a 2fi400 a vara, assim como
stoalhado adamascado tambem de paro linho,
com 8 palmos de largara a 2j>500 a vara : na bem
conhecida loja da boa f, na raa do Queimado nu-
mero 22. O
Cortea do calca,
Veodem-s* cortes do caiga de meia casemira
de corereacaraa a 25 da corte ; at loja da boa
f, na -ra do Queimado n. 22. ,
Port bouquets,
Dourados com cabos de ma-
drep erla.
Cbegarsm opportanamente para a loja d'sgaia
branca os booitos port bouquots dourados e es-
maltados, com cabos de madreperola, conforme
aua propriaencommenda, flesndo assim remedia-
da a falla que havi* desses port bouquets de gos-
to, os quaes chegsram bem a lempo para os di-
versos casamentos e bailes qae so contara Desses
dias, por isso as pessoss qae por elles esperavam
o aa qae de novo os quizerem comprar dirig-
rem-se munidos de dinbeiro i loja d'aguia bran-
ca, ra do Queimado a. 16, que encontrarlo obra
de bom gosto, baratez*, agrado o aincoiidade.
de cambraieta.
Vendem -se superiores salas de eambraieta mui-
to fina, com 4 pannos, pelo diminuto prego do
59; a ellaa, que sao maito baratas: na roa do
Queimado o. 22, aa bem conhecida loja da boa f'
Tinta preta para escrever
Vende-se excellente unta preta para eaCirever
a 600 rs. a garrafa ; na Imana at. 6 o 8 da pra-
ga da Independencia.
Nova
exposico
O proprietario deste novo eatabelecimento to-
ma a honra de avisar ao publico que tem ao seu
estabelecimento exposta urna riquislima galera
de quadtos de phantasta e historeos, que por
gosto se pode possuir: na ra Nova n. 24, loja
do ViSaaa.
Maea.
Caixas com 100 magaaa escolhidat ; vende-se
aa raa de Apollo a. 31, armazem do gelo a 10J
a caixa.
Vende-se a taberna e padaria da ra Direc-
ta doa Afogados a. 3 : na mesma casa.
Agulhas imperiaes
tem o fundo doorado.
A loja d'aguia branca, teodo em vista sempre
vender o bom, mandou vir de sua coota essas
superiores agulhas imperiaes. as quaes aesbam
de chegar [pela primeira vez) tendo 00 fondos
dourados e pontas mu bem tiradas, e rusta cada
papel 160 rsr Gozer-se com orna agulha assim
boa, anima e dianta i quem trabalha, por isso
dirigirem-se roa do Queimado loja d'aguia
brenca n. 16, que aereo bem servidos.
Ruada Senzala Nova n. 42
Vanda-sa *m casada S. P .Jonhston 4C,
Hiato ih*saglezes,cand*eirosa castisaei
bromeados,lonas nglezes, fio devela,chicote
para carros, a rooniaria,srrio spara carro dt
um aious cvalos rologio tdo ouro paisDM
nglez.
S
Nova california
DE
Fazendas baratas.
SNt raa da Imperatriz n. 48, jonto
padaiia fraaceza.
Corles fle cambraia branca com babadl-
nhos 49 o 44500 superior fveambreia li-
sa com 8 1r2 vara 3g, 3500, ditas de
i Escossis 59, e 69, ricos enfeites para se-
i ahora 6je6j500, sintos os mis delicados
para senhora 39500.39, ebapelioa para cri-
anca gosto ingles 30560,49, para beptissdo
I 39, cortos de vestido do seda Escosseza do
9 booitos gosto 129 esta o so acabando, ri-
Scos lencos delabyrioiho 19.1|200. chapeo
de sol para senhora de bonitas cores, lisos
59, Cabo de marfim 59500, corles de cam-
braia brancos com ffr de sed* 59. riaea-
do francez 200 ris o corado, completos
tortimeotoo de baloes do orcos 89, sortt-
mentos do meiaa para menino 6 menina
S 200 240 rit o par. chales da tirlaUm
de ores 640 rit, leocoa branco com bar-
ras 160 ris chitas inglesas a 180 o 300 rs.
i
i
i
dita fraseara a 240 280 rt. o corado
pecat de cambraia aa forro Com 9 varat #
8 o 29 : junto a padtria frshceza n. 48. >
(
GELO
Vende-se salitre de primeira qualidade por ma-
nos do que em outra qualquar parte : no arma-
zem de Antonio Cesario Moreira Dias, ao Forle
do Mallos, ra da Hoeda n. 27.
Importante
Annuncio
Na loja da diligencia, de Guimaraes Ir-
mao, na ra do Queimado n. 65.
Cjrtoei de clcheles fraoeezet com 14 parea a
20 rs.
fiotoes de cores pata casacot e paletots a 240
a duzis.
Ditos para caigas muito unos a 160 a groa*
Trancaa de lea para veslido, a pega a 40 rt.
Laa para bordar muito fina e lindas cores, a li-
br* a 79. %
Matsoa com grarapos a 40 rt.
Liabas para bordar, a miada 40 rs.
Ditas de peso muito finas, miada grande a 340.
Franjas de liobo para vestidos, 1 vara a ISO.
Apparelhosde porcelana para meninos, piala-
dos e doursdos a I96OO, 3f. 29500 e 39.
Cartas com alneles a (00 ra.
Paaoit com alfinetea cabeca chata a 40 rt.
Enfeites para senhora maito finos t 3, 4 o 79.
Sintos muito fios para senhora a 39 29000.
Meiaa de laia e pretas para padre que sempre
se vendersm a 29 a 640 rs.
Enfeites com flores para senhora a If.
Colheres de metal maito finas para sopa a 109
ra. duils, ^
Carlos do mesmo metal a 49000 a datia.
Asilm como outras muitat miadesat toas* ba-
ratea, qe deixamos de mencionar, para alo s
tornar tanta manada.
N. O.Bieber & G. soceetsores, ra daGrv
o. 4, tem para vender relogtos para algibetra da
ouro e prata.
I A gratule liquMaco da
IqjadoPavo,
Na rua da imperatriz n. 60
I DE
Gama Silva.
Acaba d* chegar a este esUbeloeimoato os
grande e variado sortimeoto de fasendaa propria
para a resta, e sausdonos resolvern veaderem-
n*s por pre^o* baratisaimo* por eatar no fim do
anno o qaererem aparar oinhelro, como sejam :
cassas.
Dm lindo sorlimento d* casias de varis* core*
e quaUdades, que vendem a 240 e 280 rs. o co-
rado.
Chitas a 240.
Vende-se finississaa chitas Ira acezas osear** *
legre*, faienea que sempre aa veadeu pac ama
pataca e acaba-se a 340 rt. o casado : aa ra da
Imperatriz a. 60, loja do Pavie.
Musselina a. duzentos rs.
covado,
Vende-se musaelina branca cosa 4 o aseio pal-
moa de largara a 300 reis o edv*do o ditss de
cores matizadas largara de chita 300 reis o co-
rado na raa da Imperatriz o. 60 loja do tevio.
o Pavo em li-
quidaco.
Ricos sintos dourados lisos e com listtohas a
39500, esleinhae bordadas psra meninos a 19000,
tjollinhss com maoguitos a 19600, golltnhaa de
traspasso a lf, ditas sem ser de irsipasso a 500
r*. lava* de seda em perfeito estado a 500 rs. o
par, chapeos de sol de soda com franja muito de-
licados para aenhora a 39500, chales graades de
merino a 29500. ditos de rede bordados a 89 cada
um. manguitos de cambraia bordados muito fiaos
a 800 e l. enfeites psra cabeca a 19, para me-
ninas s 640 rs.
Para homem.
Vende-se na loja do Pavio am completo sor-
timeoto de roupas, como aejam : palitos de pan-
no o casemira de toda* .M cores, caigas de case-
mira preta e de cores, ditas de brim de todas as
qualidadee, camisas fraocezas tanto para homem
como para meninos por pregos mais commodos
do que em outra qualquer parte. Dao-se amos-
tras de todaa aa titeadas que em nossos annun-
cios se v, deixando ficar penhor : na roa da Im-
peratriz a. 60, onde tem am pavo pintado do
lado de foro, o para aso haver engaos de noite
tem um distico por meio de urna luz em que diz
O PAVAO.
Laazinhas a 280 rs. o
covado.
Vendem-se liazinhas do quadros para vesti-
do, fazeoda de apurado gosto a 280 o covado;
na ra da Imperatriz n.60, loja do Pavo.
Laa chioeza a 400 rs.
Vonde-ae laziohaa entestadas a 400 rs. o co-
vado: na ra da Imperatriz o. 60, loja do Pavio.
Cambraias de seda.
Veodem-se fiaissimoa cortea de cambraia de
aeda com dous baados o do aparado gosto a
495OO cada corte: aa loja do Pavio.
Vestidos brancos.
Veodem-se finitsimps cortes de cambraia la-
vrada com babados o duas asas, fazenda que se
vende em qualquer parte a 89OOO rs o Pavio
est torrsndo por quatro mil ris, ditos eom bar-
ras bordados a 28500, 39 e 39500: a* ra da Im-
peratriz o. 60.
Cambraias de sal-
picosa -4$000.
Vende-se cambraia branca com salpicos miudi-
nhos, tendo 8 X varaa cada corte, pelo barats-
simo preco de 49OOO, sendo fazenda que sempre
se vendeu s 79000: na ro da Imperatriz n. 60,
loja/ de Gama & Silva.
CASSAS LAVRADAS.
Vende-ae cassaa iavradas Tazen4a do ultimo
gosto pelo baratissimo preco de 39500: aa ra da
Impcratiiz a. 60, loja do Pavio.
Sedas a covados.
Vende-se grsdensples preto maito iocorpsdo
a 1J500, I98OO e 2*000, dito cor do rosa, azul e
amarello, aarja branca lavrada para vestidos, de
noivas, e outras qualidadea de todaa por precoa
baratssimo* : na rus da Imperatriz n, 60, loja
do Pavio.
CHAPELINAS
a 6*5000 cada urna.
Vende-se chapelinss modernas enfeitadas com
muito gosto para senhora 69000cada urna r na
ra da Imperatriz a. 60, loja do Pavio.
Leucos para mo.
Vendem-te muito delicados lencinhos de cam-
braia de linho com labyrinlho a 39500, ditos de
maito gosto a imitacao de labyriotho a 800 e
IJOOO: na ra da Imperatriz n. 60, loja do
Pavio.
Phanasid a seis mil ris
Vende-se muito ricos vestidos de fsotszia com
babados de muito bom gosto, fazendaa de 129000,
por 69000, aa ra da Imperatriz a. 60 loja do
Pavio.
Filos.
Vende-se fil de linho bordado fazeoda muito
fina a I9OOO a vara, dito lizo a 800 rs., tarlalana
branca e de todas as cores a 800 rs. a vara ; aa
loja do Pavo.
Vestuarios a cinco mil
ris.
Ricos vestuarios de seda para meninos, fazenda
de 139 por 59000 ; na roa da Imperatriz a. 60,
loja do Pavo.
Clambraias lisas.
Vendem-se peces de cambraias lisas, fazenda
maito fina, com 10 e meis vara cada pega, pelo
prego de 50000 a pega, ditas de 8 e meia varas a
29500, 39. 395OO e 45, ditos de 6 e meia vara a 29
e 290OO a pega, ditos para forro com 8 e meia va-
ras a 18600 e 23 : na ra da Imperatriz, loja do
Parto.
taloes sem ferro a
3$20O.
Veodem-se muito superiores saias do oordio
que fazem as vezes do balio, torn*odo-*e mai*
recoesmeodaveia por ae poderosa lavar eagom-
mar, a 39200 cada ama: na ra da Imperatriz n.
60, loja do Parto.
A Z000.
Chapeoede palbioba fina catatados psra me-
tise i aa raa do Greapo a. 10.
Veaea-ac brea em barricas; aa raa do Tra-
peeae a. 4, eadar.
! Charutos de Havana.
NA
Loja da ra do Crespo, del
S Leandro A Miranda.
Veodem-se os melhorea e mait conhe-
, cides charutos de Havsna.
GELO.
Vende-se na ra do Apollo
n. 31 defronte do theatro a i$
a arroba, meia arroba a 2^500
e a 160 rs, a libra.
Champagne
Aos estodantes de geo-
graphia.
|fende-se dous globo* em meio uto,
um celeste e outro ten-este, para bem
se prender geogrtpbia : os estudantes
que o pretendereis, dirija-te a livra-
ria universal de Guimaraes & Oliveira,
ra do Imperador.
Carros e carrosas.
Em casa de N. O. Bieber
ft C. successores rut da Cruz
numero 4.
Vendem-se carros americanos mai elegantes
e leves para daas e 4 pessoas e recebem-se ea-
commondaa para cujo fim elles possuem map-
pas com varioa desenos, tambem vendem car-
rocas para conduccio de assacarotc.
Potassa da Russia.
Vende-se potasta da Russia da mait nova t
superior qae hi oo merctdo o a preco mallo
Com modo: ao escriptorio de Maaoel Ignacio d.
Oliveira & Filho, largo do Corp Santo.
Veode-s* no armazem de Jos Antonio Mo-
reira Dias & C, roa da Cras n. 26 :
Safra* tornos para ferreiro.'
Porro taecio em barra.
Liabas de carritel de 200 jardea.
Malas para viagem.
Espingardas fraocezas muito finas em caixaa de
por si.
Ferres de lati para engommar.
Pregos francezes de lodos os tamanhos.
Ditos batel grande.
Ditos de coostruccio.
Bracos graades para balaoga.
Espingardas lazarinas.
Glavinotes inglezes.
I
S

Acaba de
chegar
novo armazem
DE
BASTOS & REG
Na ra Nova junto a Con-
ceico dos Milita- .
res n. 47.
Dm grande e variado sortimeoto de
roupas feitas, calcados e fazendaa e todos
estes se veodem por precos maito modi-
ticados como 6 de sea costume,assim como
sejam sobrecasacos de superiores pannos
e cosacos feitos pelos ltimos figurioot a
169, *8ft. 303 e a 355, paletots dos mesmo*
pannos preto a 168,18$. t0| o a 149,
ditoa de casemira de cor msela do e de
novos padroes a 149.169, 189.209 e 249,
ditos saceos das mesmas casemiras de co-
res a 99.109.129 a a 149. ditoa pretos pe-
lo diminuto preco de 89.109, e 12$, ditos
de caria de seda a sobrecaaacadoa a 119,
dito* do merino de eordio a 15J, ditos
de merino chines de apurado gosto a 159,
ditoa de alpaca preta a 79, 8 a, 9$ e a 10J,
dito* saccoa pratos a 49. ditoa de palba de
aeda fazenda muito superior a 49500, di-
tos de brim pardo e de fustio a 89500, 49
e a 49500, ditos de fustio branco a 49,
grande quantidade de calcas de casemira
preta e de cores a 79, 89, 99 e a 10, ditas
pardas a 39 e a 49, ditas de brim de cores
Unas a 23500, 3, 3)500 e a 4$ ditas de-
brim brancos finas a 49500, 5$, 59500 e a
69, ditas de brim loas a 59 o a 6|, colletes
de gorgrio preto e de cores a 5f e a 6g,
ditos de casemira de cor o pretos a 4|5O0
o a 59, ditos de fustio braoco e de brim
a 39 e a 39500,ditos de brim loas a 4g,
ditoa de merino para luto a 49 e a 49500,
ealcas de merino para 1 uto a 4$500 e a 5J,
capas de borracha a 99. Para meninos
de todos os tamanhos : calcas de casemira
5refa e da cor 8 5$, 69 e 79, ditas ditas
e brim a 2J, 39 e a 39500, paletots sac-
eos de casemira preta 6f e a 7a, ditos
de cor a 69 e a 71, ditoa de alpaca a|3j),
sobrecasacos de panno preto a 1 2JJ e a
14*, ditoa de alpaca preta a 59, bonets
para menino de todas as qualidadee, ca-
misas para meninos de todos os tamanhos,
meios ricos vestidos de cambraia feitos
Eira meoinaa de 5 a 8 anaos com cinco
abadoa lisos a 89 e a 125, ditos de gorg-
rio de cor e de lia a 5 e a 69, ditoa da
brim a 39, ditos de cambraia ricamente
bordadoa para baptisados.e muitaa outras _
fazendaa e roupas fitas que deizam dea
ser mencionadas pela sua grande qaanti- O
dado; assim como reeebe-se toda eqnal- 1
quer encommenda de roupas para so]
mandar manufacturare qu* para este fim *
temos um completo sorlimento de fazen-1
daa de gosto e urna grande officin* d al- J
faiate dirigida por um hbil mestre que ft
i
do afamado anlor Chateaa Laronzire a 149 o gi-
go de urna duzia; aa praca da Independencia
numero 22.
Plvora.
Vende-se polvera de superior qualidade e
chumbo de muoigao por menos do que em outra
qualquer parte ; tratar ao escriptorio do Antonio
Cosario Moreira Dias, ao Forte do Maito, raa da
Hoeda n. 27.
Vende-se manteiga iogleza flor a 800 rt. a
libra, e fraaceza a 720 rs., arroz oo Maranbo a
2| a arroba, a a 80 rt. a libra : aa ra das Cruzes
numero 22.
Aos tabaquista.
Vendem-se superiores lencos rsncezes a imi-
tarlo doa de linho, maito proprios para os taba-
quistaa por serem de corea eacurss e fiza*, pelo
baratissimo prego de 5 e 6| a duzia : aa raa do
Queimado o. 12, na bem conhecida laja da boa f.
Fil liso e tarlatana.
Vende-** superior fil lito tarlatana branca
e de cores, pelo baratissimo prego do 800 rs. a
vsra ; aa bem conhecida leja a boa fe, na roa
do Queimado a. 22.
ToaWias pava maos.
Vendem-se muito boas toalbas para mios pele
barato preso de59 1 doita ; Ba ru do Queima-
do a. 22, na loja da boa f.
Ricos eneite.
Vendem-se ricos e superiores eofeites os mait
modernos qne ba, pretos o do cores, pelo bara-
Ussimo prfSo de 6 e 69500 : aa loja da boa fr
aa roa do Queimado a. 22. 1
Cambraias de cores.
Veadem-a* cambraias franeezaa d* lindas co-
res, pele baratissimo prego de 180 o covado ; na
ra de Queimado n. 22, na bem conhecida loia
da boa l. '
Cambraias fraocezas fmissimas.
Superiores cambraias fraacezas muito finas, de
maito bonitos padroes, pelo barato preco de 700
rs. a vara : na loja da boa f, na ra do Queima-
do o. 12.
Vendem-se os engenhos
S. Pedro e Espirito Santo, am-
bos ni oe 11 tes e corren tes e
d'agua, sitos na freguezia de
S. Bento comarca de Porto
Calvo e provincia de Alagoas,
oprimeiro tem casa de enge-
nno e poucas obras, porm
safreja quatro mil pes, o se-
gundo tem boas obras, porm
s safreja dous mil pes:
quem pretende-'los dirija-se
a ra da Cadeia do Recife n.
26, primeiro andar, que acha-
ra com quem tratar.
Bonecas bonitas
com rosto, e meia pernade
porcelana.
Vende-se moi bonitas bonecas com rosto, e
meia perna de porcollana aos baralissimos-precos
de 240,360,500.560. 640,720. 800 e ItOOO : iso
ni ra do Queimado, leja o'aguia braoe*,n. 16.
Escravos fugioo^.
pela auapromptidi eperfeicio nadadei
xaadeaejar. ,
Alteafe
Vendem-se caixoea vasios proprios
para bahuleiros.funileiros etc. a 1,8280:
quem pretender dirija-se a esta tipo-
graphia, que ah se dir' quem osten
para vender.
Vende-se
Taixas.
Maior reduccao nos precos para acabar.
Vendem-se ao armazem de Braga Son & C.
aa raa da Moeda, taixas de ferro caado do mai
acreditado fabricante Edvria sw a 100 rs. por
UM, areaoMs ave te vendan por 120 re.
oseguirite.
No deposito do gelo ra do Apollo
n. 31, vende-se gel de boje em di ante
arroba a 5f500, e meia arroba 2Q0,I vwuy\/ a
ILl^ 16 ril: ta>mbem *?eebe.5 Veode-se ama rtthrlnnt s'U a 1!
attgnaturas das pos*o9l particulares lo.1 a> ra do QoeimsdobjW. ,
g?que seja diariamente, at qu +^ ^J^J^SSSfS^
acabe o gelo. I,D* Xui.it a. 90.
A* loja d**geie brsae* ataba ao tepaeaar id
bello aortimeato de floree fia*e*d}eo*dao pco-
priat*#ara oalevU* deeaeac* a veMiaot (para ca*
melo* tale* s .*** ae v4f aa*ai legrari de aaaar flurea tio aerfeitaa oHlioada:
lito aa raa do Queimado l**a ^aajtaa bttaca
n. 10. aaB
Pecas de cambraia fina adamascada para corti-
nado com 81(1 varas.pelo barato prego de 5#C00.
Toalhas de liobo adamascado para meas 14|.
Cambraias de salpicoa graodoa muito linrfa a
5| a pega, ditas de ditoa miudiobos Anas a 4S500.
Leocoet de bramante de linho a SJOOO.
Cambraia ailada para forro de vestido, cem
8 1)3 varat a peca por 2*.
Grandes colchas de fustio lavradat a GS.
Chapeo* eofeiladoa muito lindos, proprios para
meaiaos 7# cada um.
CoborU* de cbiU, gosto chines, a 1J8D0.
Rieaa capellaa para ooiva, de flor de laranja.
Algodao eom 7 palmos de largo a 600 rs. a vara
Leocoet d* paooo linho a 1|000.
-i Sowaell aleilors & C, Uoao recebido or-
dea pora veader o sea crescido dpo*ito de rslo-
giu* visto o (atricut* Ur-sa retirado do a#go-
Fugio no dia 23 de novembro de 1861, da
povoecao de Itapissoms, districlode Igurast,
urna escrava de oome Antonia, com 28 annoa de
idade pouco mais oa menot, alta, gorda, com
bonits presengs, brego* e peroas grossos e bem
feilos, rosto curto e redondo, cabega tambem re-
donda, olhos regulares, becea e nariz a mesma
couss, um pouco arribitads, deve ler abaixo dos
hombros ums pequea eicalriz, tem ao p da
foDte esquerda urna peladora que talvez custasse
encabelrar; levoo coberta de chita aman-lla o
vestidos velhos e desbolados ; foi de Campia
Grande ; julga-se ter sabido com algaem : roga-
sea quem a pegar oo tiverem sea poder leva-la
a dita povosgao, a Viceute Ferrer de Mello Jnior
oa em casa de Joquim Jos de Lemos, oa ra
'da Cadeia do Recife a. 54, qae ser recompen-
sado.
Fugio no dia 18 de novembro prximo pas-
eado, doeogenho Junqaeira, do poder do abaixo
assignado, o escravo Eloy, com ossignaes seguio-
tes: uiulato claro, cabellos pretos e enroscados,
sem barba, apenas um bigodinho, boa estatura,
magro, per-ase finas, urna perns quebrada vizivel-
mente conhecida, um dedo cortado em urna mo,
calruie-se ter 26 snnos de idade, carapioa, e
inlitula-se forro, foi escravo do. Sr. Dr. Jos de
Mendooga Reg Barros, suppe-se ter ido para
Porto Calvo, onde morn e temtogra ; fugio com
a malher, foi visto tomar o trem em Olioda, o
saltar em Timbosss i recompensa-se com 1000
a quem o tronxer ao mesmo engenho.
MaBoel Frarjciaco de Souza Leio.
Ausenton-se de casa de seu aeobor oo dia
3 do correte mezo escravo Antonio, de nsgio
Cassange, idade 40 annos, pouco mais oo menos,
estatura regolar, com os sigues seguiotes : *m
urna das orelhsstem um taco tirado, em um dos
quartos tem nm defeiio que pelo qual poxa no
andar pelo p. tem debaixo do queixo esquerdo
tres buracos, signal de dentes lirados : quem o
pegar queira leva-lo roa do Imperador n. 73,
terceiro andar, que ser recompensado. J fot
viste emlguarass. ,
t Fugiram do engenho Conceigao, sito na fre-
guizia de Tracuobem ds comarca de Nazarelb,
no dia 4 de novembro de 1860, dous esrravo*
mulatos com o* aomea e stgoses seguiotes: am
de come Paulo de 45 annos de idade pouco mait
ou menos, officitl de pedreiro, sspsteiro e pti-
mo bolieiro, de cor alaranjada. cabellos carapi-
nbos, rosto descarnado, olhos brancos, nariz o
bocea reculares, am pouco secco e de estator*
media, o qual tem dona ded>s da mao direits
aleijsdoi de am pansrico, e tem tambem o dedo
mnimo da mo esqoerda com igual defeito, o
cima da sobranceJba de um dos olhos urna cica-
triz, proveniente do um talho, e outra ciclriz
com um cirooioho icima da meima, com um
do* dente* da frente quebrado,quaodo ae embria-
ga lorna-ie arroaaote. Este escravo j foi s*r-
-. vado e consta indar pelo Recife, tendo sido visto
na ra do Queimado n, 19 ^SJ*^
lado. O oatro, de oome Felippe, de cor triguei-
ra, cabellos cavapiohos, estatura baixa, ou regu-
las, bem barbado, poaco aecco, bem fallante
e cantador, eom 30 aaawa do idade, indi ligeiro
muito despechado ao servigo de enxada e foi-
ee, eom falla de Oeole* na freate, com olhos am
pouco ettmibodo* c**iooge* Quem appre-
hende-lo le*e-oa ao dito eeaeaho ao seu ser.hor
o tenente-coronel Joto Cava ka o ti Mauricio
Waaderley, que aeaeroMmeolo recoaspenaar.
Fagio do edgeaho aa Mallas, comarca do
Cabo, no dia 18 de Miembro aa 1861, um escra-
vo por oome Je*, crioolo* vorasoibo, altura re-
gular, groe** 9 eorpo. e***4*aMJo, ioade de tra-
la tos um, Bieii**'** uiMiii do enge-
nho do Monte, t a* lbe tiraram urna p*iga
;|o rev*v. e logoeue te vio tem elli dizem que
urtou am quarto mellado com cabello* preto*.
com principio de carreg*, o tambem fez um
acqwno roubo de rea** : deeopaareceo o caval-
lo a 17 de outabro. Bala agraj tem sido pre-
to oo Recife duas vezea, a primeira ves traba-
ebre labrkaato Ttornby, a tproveiuV-*e d* oa- aamlaoomiiBjweomfi*, o a legueda v*z foi
BortaaMsde t*m pord* da tempo. para vir coar- aaeaa WOUaaaado em uta arma tem de estucar
te ; ooavida, porta a lo, as pessoas que qeiaorem
aossalr aat bom relogio de aro oo prata do ea
pra-los por commodo
ra doXripicht a.18,
proco no ton escriptorio
como ferro: qnem o pegar leve ao engenta ci-
ma, q eo jarabe, rccompeosio.


0KBIO M NHUUMI9C0; h* TEBQ4 IBA lf M
1M1.
Litffiaturo.
Luiz da Reg e a posteridade.
Estudn bisitorleo sobre a revolupo
peniambucana d 1 Si7.
(Continuar, ao.)
D>is guarde V. Ex. Pernambuco 8 de^ulho
Reg Bit<
r'". *.' Francisco
Jo> ae Sania W'*- 0 secretario
ou gsriuQ Jo.- Cdus Mairink. as SiWa.Fer-
(<6j.A/o(lo Sr. Dr. Mello Moraes.
l!7) Vid&Crreflrosi. tooi. XXI, pag. 183e
184,
(48j Eit a integra d'esta repr'eseotacao
pela declsioDa le, or serenando os espirito*,
pondo os corages 'm vossa magestade eotn o
prazer real, a reeopheciraento e sdmiregio de
todos, se lhes fosse psssire | ver *olur a seus brs-
gos muitos deresinfelizev, que ji nada neis po-
dem fszer, que chorar os seus arres, que estoa
bem ceno deque vossa magestade nao perdis es-
ta occasiio de fazer feliz, urna ti granle parte
do s*u poro, e a relaco da Baha trta urea t>em
na tarefa cora reos $e^ejlmnTwrara su-
tlrres"da revolugao.
Os exemplos,dese.vedade, qua'if se teru,da-
do, por motiv''ds revMrigio, srlarn'-bastantes,
se a jmlica oio claraasse ainda-coalra una meia
duzia de reos,que almde serena nadires da revo
lugoo, eniraram ne'lla com ns'al.ale jxuasds ex-
emi>los de rigor era todos os outror, quo nio es-
lo n?st cssn. ji oo precisos para a seguraugs
e iranquillidade dest capitana. Multas vezea o
tenho dito a rossa magestade, e sempre o repe-
tiris nio esta capitauis, nem asdoasd* Para-
i Senhor. As scenas da sangue em que a Pro- i biba e Rio grande, que podero por muitos aonos
videncia,'que to sensivelmenie protege a V. M. i teutar oulra perOdia : nao meemoieste pora que
quiz que o meu dbil brago confundase os aeus o deseja.ou que o den-juu : (oram poueos ho-
ott-irosus inrnigos,' dspuam em meu corscio
tu Jos us sedimentos de humanidado, horrorisam
a lodo este poro, e obrigaram os officiaeada ca-
mari a tu em corpo trazer-nie o requerimento,
que (enho a hoara de tarar i augusta presenta
de V. M. Foi para mim, e para tolo o meu esta-
do maior um espectculo bem tocante, a humil-
dade, o respailo e acalaiuemo com que o mesmo
senado entrou na sata do docel, onde ee acbava
o retrato de V. M. Com toda a decencia, e com
voz balbucante implorou a real clemencia de Y.
M. a favor do resto dos habitantes desla capita-
na, a qupin us muuslros do oritnesedziram, ou
tcrraram com embustes, morles, pruds, desam-
paros e deshonras defamilias.Todos estes logo que
appareceu o engao, ou viram espersngas da pro-
taccio de V, M. se descobriram e 'manifestaran! .
mens, que audazes pela impunidade de muitaa
culpas gravea se le mor* ram de (azer fortuna Ur
orna convulsao geral; todos os onlros se agru-
ra m com as aguas oo pego, que os subraergia, e
nesie sentido que eu pooho a culpa desie crine
nicamente naquelles o pr< jectararu.e o)meUeraai
em acrjo, psrecendo-me aind^ que algunsen-
trsrinm por condescendencia, e sem o julgarera
possirel, masque quaodo o viram en acgo, o
abandonaram logo.
11* pouco n-nis de um met que appareceram de
variss partes noticias confusas de rebellines,trama-
Um montrcha lireete, rnalfadado.
Libaras, sabio, jeslo, pi e forte.
Que da pesia o sea reino ti t o toado,
E intrpido arroslar sabendo a orle,
Nos hospitaes o viram 'atar ap lado
Do infeli t rlbno^glollt'
A. um re nao, mal a um pae bem semelhai
v
E nao (Ara milagro um moribundo
Por escapar i-morte. forc]sr,
Custando-lhe" d'eixar jS esle mondo,
Vendo un re como pae tratando'estar.
Paxer bem era oteu pratr jucondo :
Como a X'io este re soube imitar I
E tambeni na horcHdade elle imilou
0 que aba discpulos seus os ps lavou 1
VI
Acabado que foi este flagello,
As artes animar foi sua raissao ;
as oficinas vos triis v lo
Ver tudo com grandissima silencio.
Como era animador, como era bello
Do artista ver um re na habitado I
Cada um cada vea naais sa esmera va,
Sabendo quem Ih'a obra examinara.
VII
Como va augmentar-se desta sorte
A sua amada lusitana gente.
as decantadas guerras sempre forte,
Resolveu o monarcha inteligente
Mandar vir da Germania esta consorte.
Que elle soube escolher to sabiamente,
A
S Ul *3fl
de esquadras americanas em sea auxilio, a isto Quaodo foi nutras gentes visitar,
lia lempos que so poz um paaquim, insultando
muita gente, e em que eu fui oao exceptuado.
Dei ordem ao ouvidor Antera Jos da Mala para
que procedesse a orna devassa rigorosa e eu fui
bous e fiis vassillos, desprezsodo as ameacas, e j pondo em segredo todos aa as pessoas, que erao
os terrores, que os barbaros infamesqueriam accusadas de ler dito algurna coosa : achou-seem
perpetrar al uos ltimos momeulos da sua ter- \ resultado deludo um semi-looco malicioso, e
gonhnsa fgida. \ que a titulo de propheta dizia quando Ihelem-
o Ministros da juttiga, que aqu viemos vingr \ brava : esle hornero Qcou a disposigao do ouvidor
a aletvosia, de que o paternal curasao de V. U. trabalhaodo com calceta dentro da fortaleza das
se horrorisou tanto e to justamente, temos apu- Cien Ponas. Resultou maisaer coohecido o pa- Breve tempo na Ierra foi lograda.
Para de seus costumes se informar.
VIII
E elle a soube escolher de tal msneirs
Digna do povo luso ser rainha,
E de ser su* doce coapsnhelra,
Que os nicos cuidados que ella tinha
Era ser mi daquelles verdadeira.
Dos quaes a coudigioN era mesquloha :
Mas roansao elherea destinada,
rado os conspiradores e classicado os fracos e
engaados /os primeiros ha.0 sido castigados com
o rigor da le, segundo a qualidade dos aeus de-
licio*.
c Eu que pela minha ventura coi.hego de per-
to o pieuosissimo coragSo de V. 11. recelo muilo
! dre frei Manoel do'Monte Olivet, cerno um reli-
gioso de mos os(omes, e (sllador, pelo que o
mandei remettldo pelo ouvidor ao seu provincial
na Bihin.
Devo levar a augusta presenc de vossa mtges-
tsde s nnticia de que no dia 27 de setembrote
de cortar as esperanzas de ver prosirsdos aos ps apresentou ueste porto o ex secretario desie go-
de V. M. ebeios de jubilo e gralid os deseen- verno Jos Carlos Marink da Silva Frreo depois
denles o'aquelles que desde o tempo do senhor de ter entregue em Pars ao iiiarjuez de Marialva,
rei D. Joo VI al odo senhor D. Pedro II lida- e ao conde dp Pal mella orna representado, que
ram na restaurado d'esla provincia, fazeodo mil estes ministros Ihe prometterara de fazer presen-
heroicos sacrificios e famosas gentilezas em ar- le a vossa magestade.
toas. Foram os meamos descendentes de tantos j Em beneficio da segurangas desta capitana de-
va roes illusti.es, os que agora acompanharam as vo^ir na preserrga de vossa magestade que os
irup i- que ieraoi da Baha afugenlar os ioimigos aT>ovos rorpns de milicias mootam a urna torga de
de V. M. quasi sem effuso de sangue, sendo cer- i ni8'a de 2,500 homens s nesta villa,
to que em muilas oulras parles desta e mais ca- J Deus guarde a preciosa vida de votsa magesta-
pilamas do norte se manifestaram osdesejos do de tantos annos quntos seus fleis vassallos pre-
ip.-l falla 'armameuto-, aqui o ali se foram arvoran- Aos reaes ps de vossa magestade.
ts reaes quinas. ws Luiz do Reg Brrelo.
A visia do que tenho exposto a vossa ma-
IX
Por decretos de Dos sendo privado
Dessa aogelica e bella creatura.
Desee bem que do ceu Ihe foi mandado,
Para Ihe serfalliio e ser ventara.
Km qusnto o cooseotisse o duro fado
Que tao breve o deixou em vida escura,
No povo seu, que tanto o idolalrava,
Allivio is suas magoas encontrara.
Se urna festa da industria se fazia
Na cidade do Porto celebrada.
Logo ter co'o seu rei o artista ia :
E a vonlade Ihe sendo declarada
Aochamamento seu obedeca
S.em receiar perigos da jornada:
E vos, pela ultima vez ha pouco o vistes,
Portueoses, e delle vos despedistes 1...
XI
Sem deixar urna asmla sos deagracados,
Nunca o rei piedoao ausentava ;
Por isso vos chorees desventoradoa.
tanto da^^Kjs-ae lembrava
* Stsd'- prsnteae
o amiga e o roaao pae I
XIX
|Lle*t4~& na ultima morada, "
A' qual o acompanhou mpUidio varia
Cuma pompa funrea desusada,
Davs reales i lamba funeraria
ATnv-datha queMsles pendurais,"
Da Real SociedadeTHumanitari
A' direila, qu6 i extra oulra levou
Com que tambem Lisboa o pretniou.
XX
Que rei j por ventora conta a historia,
Que m premio lio honroso merecesae
Por accao tao Ilustre e meritoria,
E qne iotrepido a moriese exposesse ?
Este faci tao digno de memoria
Como fra poasivel se coquetease ? 1
Vos a roelala* so eolio Ihe Uncasies,
O' Portuenses, com que o premisstes 1
XXI
Vejamos quantos res a historia aponta ;
Qual pode ser com este comparado ;
Somenle doua o nnssosec'lo conta :
Seu av Pedro quartoo Rei Soldado,
Aoqual a tama aos astros o remonta
Por ter duas coroas abdicado,
E porque os Portuenses tanto amou.
Que o coragao na morte lhes legou.
XXII
Se nosaos res sntigos se affamaram ;
ns indo a f de Chrislo propagando,
Outros porque o dominio dilataram
Muilas diversas Ierras conquistando ;
Se tom Diniz as leitrasproperaram ;
Se Pedro oastigar soube o nefando
Crime, punindo os duros maiidores
Da linda Castro, que era os seus amores;
XXIII
E se outros sanguinosas guerras viram,
E de mandar tao longe se larobraram
Vares que nevos mundos descobriram,
E os incgnito mares navegaran! ;
Se outros o duro jugo saeudiram
E a nossaliberdade restauraran) ;
Se algans a illustre fama escureceram
Com indigna aegoes que commetteram ;
# XXIV
E' este aquello rei lio amoroso,
Que amar seu povo soube com ternura ;
E' este squelle rei tio piedoso,
Que fazia de lodos a ventura ;
E' este aquelle rei to virtuoso.
Que sera mancha desceu a aepultara :
fc.' este emfim o rei que ha de lembrar,
Emquanto Phebo a trra allumiar.
Recrdacoe* duna viaie.
i
ajei
ds-ti-
a^rjj-ee^hsb:
Qu*n iremos nos ao Bussac&porqSe ojo /** o marques de Pi
havemos deixar por alguna lempo esta cidade lio ^WMPlla **
caotada pelos poetas,-mas que para mim esti re- pbWies fSMi u
chesda de semsabotia ? subindo ao alto do Castalio os da Paoha de Frsn-
Era*ssim que n'uma bella tardo da primavera de Q* e olhando de l em noite de la cheia para
M89 se diriga um acadmico a UMOoKMKi, Ptria ds Dlisses. Mu anda assim poda
sobre a ponte de Coimbra. A idea fai BoplaudldSj ^Pu'^sKfeMs se prsencsasso paliido clarao
com enthusiasmo. Etei '? aaVoseSes-'qaatro viajantes tirara elevar-ae
sao urna irn-
rerolei-
qnaei idWMIco
{51 Vide Mem. Just. pag. 7
(52) DOCUMENTO N. 21.
O roarquez de Jundiahy leudo mais de 23 an-
nos de domicilio no Brasil, com um crdito, e no-
me al hnie libado, tendo orna fortuna eolios- ,.
sal. sendos maior parte em predios urbanes e Re^m^o os caohoes de quaodo em quando,
rsticos. Ihe pareis estar fra do alcance a in- ?.e.n.da_o_b,^0!>.r_oih!*0.va,:reD,,0
Ai! pela ultima vet I.. Que estou dizendo ? I
Em pranto est-se um povo debulhando,
Os bromes com funreo soos taogendo,

a
i
a
a su
gestada torno a dizer, o meu coragio,queso
respira elo, lealdade e amor a sua real pessoa
a e servigo iremepelos ulteriores procedimeotes
a que podem desventurer urna grande parte dos
a fiis e innocentes vassallos de vossa magestade,
pi is que infelizmente (como eu ji presenciei nos
calamitosos lempos de Portugal) neslas oc- trigas, e a desconQangas e que nioguem o poda
casis os odios, as vingangas, e mil paixoes olhar seno pelo lado do socego, e da ordeno bra-
lernveis tentam-se saciarse por mil maneira's silica, eque os seus mais ardeutes desejos nio
meios. Euseique o real e pi coragio de podiam ser outros sbo os da prosperidade.e aug-
vossa magestade me perdoari a ousadia que to- ment do paiz que adoptou. As portaras de a-
nio de offerecer quantos serviros Ihe tenho fei- gosto dirigidas contra seu genro e familia, pro-
to. e posso.ffazer, e posso fazer para impetrar a hibindo-se-lhes a entrada neste paiz hospilaleiro Um cor,cio sensiel; muito embora
sv regia clemencia em favor de um povo, a pornaturaza e pela constituido, o desengaa- Para o cantar ennheca que arte eengenho
a quera nio fiz a guerra, que me recebeu en- ram ; calado estere; at hoje, em que acaba de Me fUece porm 8 quem 0 chora
ir mil vivos e acclamages de alegra, como lf certeza metalistcs, que seu georo Luiz do Re- Estas taa-eB nalavrss juntar venho
qeelie que vicha reslituir-lhe a paz, e as do- K<> e ana familia nao vem mais ao Brasil; e dse- e por isso en irei continuando
guras do paternal governo de vossa mages- jando.o deveodo.fazer.esforcos como pae para que com iasriroa9 a iDia misturando,
c tsde. cesse fique sem effeilo a injuria que de taes
Mas que nio deverei esperar da iuimitavel portaras Ihe vieranj pessoaluiente easeusfl-
clemencia de um rei pae, cuja poltica se fuo- ,n" : deseja que simplesmenle, qualquer dos
Exms. ministros de estado, Ihe declare por cnpto a elle marquez de Jundiahy, que se seu j Comigo muilas vez'es refleets,
genro e familia vierem ao Brasil, seoio pora em- ; Dizendo : Quem ha pouco aiad o viu
barago no seu desembarque, obrigando se, com- j Nesta cidade cheia d'alegria
ludo, o Jilo marquez ficar respoosavel pela pea- E prazer, de que agora se despiti,
sos, e comporlameutb do dito Luiz do Reg Para de negro luto se tr*j*r,
e familia ; ideando satisfeito por esle modo, e Pode |io triste nova acreditar?
litar no Brasil que ama : e al mesmo que es-
ta communicacao nio vi aos diarias, ficando se-
cretamente guardada entre o Exm. ministro, que
a fizer, e o marques. (*)
(*) Neste Jocumento sem dala nem useigsatu-
ra l-se a seguinte nota escripia i lapu.Que
se mande chamar secretaria por carta parti-
cular.
urna viagera na
alcance. Cor
nep-eyada cab
vertda'de sm
umoerreiro
como seohora
nao so rendojjH esfafrapada, eniaa
lada, qoenuadj^H oe lioi do anuo, v-
la-heis no seguinie erguer-ae vigorse reploi-
cada como urna moga de dezoto annos, e ir chela
de vida e magestade sectar-se no throno que ha
pouco tinha perdido Seo estudsnte applicadi-
nno, a sebenia paca elle urna preciosidade. que
se deve guardar per omntd scula seculorum,co-
mo symbolo d'uraa gloria immortal.
Os nossos quatro acadmicos queriam sahir um
pouco fra do raio de influencia da esbra da
sebela ; queriam mesmo deixar de ouvir por ai-
gum tempo o potico aorp.
Dos tamaas ferrado da srvenle
e mais qu ludo, dar treguas is rasgadas cortesas,
especie de continencia academice, que a eada pa*
so linham de fazer aos sisudos doutorea, que com
toda a gravidade e compostura dasseiavam pelas
ras da alta e baixa cidade.
A viagem ao Bussaeo foi pois decretada ins-
tantneamente, e posta logo em execugio.Par-^
tamos Ifoi o grilo de todos. Faltaram verda~
de alguna meius locomotores, maa para gente
moga o querer e poder coufundem-se. Se nao ha-
va elegantesqaleches, bavia orelhudos e leimo-
sos jumentos, e havia robustas pernas; esta* fo-
ram adoptadaacomo um meio mais simples e eco-
nmico.
tomo aanomcio
e neobum delles
tdve a Ida um hymoo
ha dos astros.
oeta, e poris-
o da sus bel-
< da luda na jusliga e caridade, em que lio sio-
a gulnrmente imita a Jess Christo ?
A' muito alta pessoa de vossa magestade
guarde Dos e prospere por dilatados annos.
Recifa de Pernambuco em 17 dejulho de 1817.
a Aos reaes ps de vbssa magestade.Luiz do
< Reg Brrelo.
(49J Vide Memoria Justificativa pag. 86 e 87.
(-58) DOCUMENTO N. 23.
Senhor.Amanhia se fario i vela desta ca-
pitana os ministros da algala, e mais nvenla e
dous presos de estado, licaodo anda nesta villa
onze preso/ i espera de suas sentengas. Vossa
magestade, que tem visto sempre com magua os
mates di humanidade, vossa magestade, que tem
O caso maoifestsm miserando.
Que o povo porluguez deixou prirado
Para Sempre d'um rei tio sublimado.
XII
Ai 1 delxae-me chorar tambem agora.
Que tambem portuguez eu son e lenho
XIII
Acreditar, confesso, nio poda
A nova tio cruel que me eriu ;
XXV
Sua alma foi de vicios illibada ;
Por*isso li nos cus esii gozando
Da ventura que aos boos destinada ;
E por seu povo a Deus est orando
Com a me e a consorte idolatrada, j
As quaes de li o estavam ji chamando.
Como elle muito bem o preseotia
E a um relho veterano Ih'o dizia.
XXVI
Portanto ji oio deve ser chorado,
Quem vive as elhereas regies,
O irmiu, a quem osceptro foi deixado
D'elle receberi inspiragoes.
Que o fario do sen povo lio amado,
Que sanhari os nossos corages :
ISj Som rei ha de ser, nos o esperamos,
Como aquelle que agora lamentamos.
Joo Aujusto Ferreira.
( Diario Mercantil, do Porto ) .
XIV
silo sempre sensivel i* desgranas do seu povo,
vossa magestade em emfim, que me tem fei
to ahoura de consentir que eu eleve a minha
voz at ao ihrooo de vossa magestade a favor
desta arrependida edesgragada capitana, dgne-
se por efTeitos da. mesma boodade e da mesma
g-aiideza, com que nos lem goveroado, ouvir
mais urna vez as minhas supphcas por um povo,
que por isso que cooheoe o seu-erro. soffre'com
resigoagio e bumildade o espectculo continuo
de leoiss desgragas.
As piises da Baha j esto carregadas de
gente, o augmento de mais noventa e sete,
porque cinco que ficam por doeotes, devem tam-
bem ir, faz um numero muito crescido. Sirva'
se vossa magestade de nolar que a maior parte
desie numero de iodividuos das familias mais
considerareis desta capiania, e que pelas suas
relagoes reciprocas se pode alarmar sem erro,
que a maior parle das familias lem que lameular
a sorte de algum dos seus.
O perdi odo faustoso dia 6 de ferereiro, que
encheu tanto de esperaogas a este povo, e que fot
urna prava decidida da geoerosidade de vossa
magestade, nio fot naquelles primeiros lempos
un, seno a 41 dos que eatavam presos, e foi a
22 do roez passado, que mais 39 poderam goaar
do mesmo beneficio. As ultimas ordens que re-
cebeu a algada na classilieagao dos reos, s fo-
ram benficas a II, que cam as prisoes desta
villa esperando o decisao de soasarte.
Se vossa magestade fosse servido de comparar
por um raomenio os solfrimentos, por que tem
passado lotos estes desgragados em 16 mus de
pnsoes era carceres muito eocommodos, unindo
a ludo as miserias, e privagoes inseparaveis do
seu infeliz destino, os sustos,
i NOKTE DE D. PEDRO Y.
i
Vstavas, Portugal, em doce paz,
Gozando d'uma sem egual ventura ;
E teu povo, guerreiro outr'ora audaz,
'Squecido havia ji sua bravura ;
E ninguem de trocar ftVa capaz
Pela palma de guerra atroz e dura
O socego em que um re intellgente
Manter sabia a lusitana gente.
II
As artes prnsperavam neste solo ;
As letlras esminhavam por diente :
Era um jardim que allumiava Apollo.
Co' esplendor do seu tacho radiante.
Cootidos na caverna tinha Eolo
Os furiosos ventos, e Tooante
Do alto de seu throno se alegrava.
Vendo a felieidade que o ce re va.
| III
Mas pare;e ji coasa mu sabida
Nunca ser a ventura prolongada.
E ser por negra nuve escurecida
Urna breve e ditosa paz dourada :
Por esta causs a gente esclarecida
D'm tao pesado d foi enlutada.
E taes foram os golpes que provou.
Que a paz Ihe foi mui cara que logrou.
IV
as agouias de tan- '
las esposas e filhas, que esli, ora tremendo Portugal, esta foi a tua aorte I
__------------------------..__ ---------------------------------------------------------------------- I
Mas era verdadeira, infelizmente,
A ioopinada e triste desventura.
Que aprouve a Provindentia Omnipotente
Dar em troca de tio feliz ventura
De que gosou, i lusitana gente.
Oelxando-a ficar em aoute escura :
Agora em vio chnraes, Portuguezes.
Quem era o vosso amigo nos rsvezes !
XV
Como tu foste, o rei, desventurado 1
Quanto a la missao foi esptnhosa l
Com quantos Uanaes foste exp'rimentado
Por essa mi de Deus lio poderosa I
Inda que breve foi o teu reioado
E ephemera a existencia, qual a rosa.
Que u'umjdia abre e seu perfume espalha,
E ji murena a mabhia seguinte a orvalha.
XVI
1 al tu foste e na trra apparecesle I
Em botio ji dos euros ameagado,
(Pois que entre duras guerras tu creoste),
E da mi exemplar depois prirsdo.
De quem tio fina educac&o tiveste ;
E para mais um golpe inda guardado
Sua-querida esposs perde, e quando
A morte agusrda, seu irmio Fernando l
XVII
Oh I quanto e quanto foste desditoso I
Mas era assim misler ; porque a morada
Celeste, que concede o Poderoso
Padre Eterno, s pode ser lograda
' Por aquelle vario forte e piedoso,
' Que nio recele a morte, e despresada
A vida arrisque em prol da humanidade,
Sendo pae da pobresa e da orphandade.
XVIII
Elle o foi : estaris vos bem lembrados
Que quando algurna Ierra visitara.
y
Estamos no Qm da tarde; n sol prximo do
seu occaso apenas tinge com frouxos e dourados-
raios os cabegos da serra do Diaoteiro, e o Moo-
dego, o placido Monlegn, depois de~b>jar os ps
da soberna filha de Minerva, rae escotando silen-
cioso as suaves mel lias do cantor da primavera.
Tudaconrida a pasieiar. Os nossos acedemicos
vio effecti va mente marchando na direegio dos
Foroos. Alegres e salisf-itos pula-lhes o coragao
com alegra : a universldado, aquelle vasto ihea-
tro de iodeleveis clicas ji quasi'que se nio avis-
ta, e o prazer augmenta para elle na razio di-
recta da distancia ao velho alcagar da sciencia.
As almas U'aquelles entes felzes expandiam-ss
de diferentes maneiras : um cania phrenelica-
mente urna aria de torga, parto da sua indiligen-
cia musical; oulro com aspirages a novo Cicero
quer erguera sua voz contra os Catilinas da Le-
pocha ; ootro, cujo temperamento o torna pro-
penso a affeclos hypocoodriacos desviaodo-se um
pouco, medita gravemente sobre a molestia das
viobas; o quarto. esse mira de frente ns melbo-
ramenios materiaes, e distrahido peio continuo
coaxar das ris que eslacinnam por aquelles si-
tios, medita um grande projecto que nada me-
nos que Ir ao eslrangeiro esludar piscicultura por
conta do governo
Maa para onde vamos nos a estas horas?
exclamou o hipocondriaco, que mana esta?
porventura estaremos doidos? O sol j li vae,
e nos anda estamos ns alto de Pedrulha a tres
leguas e meia do liussaco l Ser coorenlente nio
ir desafiar o appetite dos lobos.
O rapaz tinha razio; mas nao deixava por isso
de conenrrer para o deamoronamenlo" de urna
grande empreza.
Leitor, se algum dia iutentardes alguma obra
de vulto, nunca vos associareis a hypocondriacos
sob pena de Gcardes no meio docaminho. Com
a bypdtoodria nascaa duvida ea timidez. Abr
os Itos da historia e acharis ah mil exemploa
que comprovam a minha propojigao. O hroe
de Austerlitz e de Marengo, o vencedor dos ma-
)epois de tres qarlos de J ts de marcha, e
idos rolo luiz, avistara;tjWcademicos uns
(Peos vultos que se jnovism ao longe na es-
trada. Erara Ires rapases que conduziam quatro
jumentos.
' Querem alagar es ortes eenheres ?Sio
baralicihos, seis viniens por cabega at ao Cir-
quajo. Assim dissersm os garotos quando se apro-
ximaras).
Vi (ello responfJorara so notaos hroes, o
cada um como pote engatinhou para cima dos
miseraveia animalejos.
Principiam as manobriada alta equllagio. Ora
marchando em liaba, ora em columna, ora cor-
tando terreno a direita o a esquerds, ora traba-
lhaodo em circulo, ehegaram i vista dos Foro os
sem novidade. A estrada, nova desdando-se da
poroago passa maisja leste cortando um terreno
pantanoso e elagadigo sobre aterro de500metroi
em linha recta. Era o silip proprio para urna
manobra decisiva. Effcctivamente os jumentos
sao mettidos em Haba e animados com fortes
bordoadas sobre olombo partera a todo o galo-
pe, causando inreja aos mais fortes cavalloa ra-
bes. Foi urna carga brilhante, mata brilhrnto
sena se umdos cavalleiros nio fosse esbarrar de
encontr aos salgenos que bordam o caminho
para depois cahir om cheio n'um charco im-
munduoi.
Em presen; de.tao lamentavet catastrophe os
nossos hroes, depois de arrancareis o seu colle-
ga do abismo em que se tinha despenhado, jul-
garam prudente recolher-se a urna ealalagem
prxima paia no da seguinte subir as sllurasdo
Bussaeo. E nos acoapanha-loa-hemos aquella
serra, celebre oio s pela auas bellezas natu-
raes", como tambem pelas recordaces histricas.
Variedades.
NECROLOGIO.
Fallecen em Pars Mr. Isidro Geoffroy Saot-
Rilaire, membro da academia das Sciencias, con-
selheiro e inspector geral honorario da instruc-
co publica, professor administrador do museu
de historia natural, profeosaor de zeologia na
faculdade das sciencias, membro livre da acade-
mia imperial de medicina.
E' o asbio a quem se deve a fundacio da so-
ciedade imperial zoolgica de admioiatrsgio, de
que era presidente.
Tinha 56 annns, e era filho do illustre Este-
rio Geoffroy Saiot-Hilaire, fallecido am 1854.
II
Quem Hver percorrdo o no*so paiz nie pode
deixar de^onfessar que anda estemos multo s-
trazados. Se existe urna ou oatra zooa de terre-
no em que os melhorameotos materiaes se teetn
desenvolvido e com elles a civihaacao, exiatem
muitas ootras que s de longe eooheeem esses
bens, e algumas que nem mesmo os conhecem.
E urna verdade triste, mas verdade. O minis-
terio de obras publicas foi creado debaixo dos
melhores aaspicios; porm, apezar dos bons
servigos prestados por elle, lem bavido pouca
critica e estudo na distribuigio das obras. Oj
chefes daquelle ministerio, embora com boa ron-
tade, teem seguido um systema geral, nico e
racional ; guiados por diflerentes ideas e as ve-
zes pnr-diversas iofluencias, leem feito obras,
verdade, mas estamos convencidos de que com o
mesmodispeodiosepoderiam ter conseguido mui-
to melhores resallados. Ha pontos ligados por
urna boa estrada, por um caminho de ferro, o
pelanayegsgio; ha outros em que as vas de
commuicagao sio orna aerie de precipicios : aqui
accummulam-se obras da arte aonde a nalureza
nos offerece meios facis de transporte, alem nio
se combaten os accidantaes do i terreno aonde
sio um verdadeira embarago ao deseavolvimento
do eoramercio, da industria e da agricultura.
Deixemoa porm estas coosideragss para con-
tinuarmos a nossa viagem.
Os quatro acadmicos, dous dos quaes eram
alfacinhas pur sang, sahlram ao romper da ma-
nhia da ealalagem dos Foroos com os ossos bem
triturados (lio maciaseram as camas em que so
deitaraml) e cem a pella de tal modo earapin-
w -*- W w -> J V .T Bl.kJK1f. Vi I UIII.CMUI \IO ttl ^, ,- -.--------- -------- rmmm
melucos, aquelle que no ardor da juventude axha- f, aa 1ueLb9m "" avahar ss numerosas visi-
POLHETI11.
A DAMA DAS PEROLiftll
roa
A. DUMAS FILHO.
XXVI"
[ontinuaco.)
Fui sempre ao tal almogo. Chegando i porta,
ouvi gritos e risadas que, do seu aposento echoa-
am por toda a casa. Toque! dua vezes cam-
painha. O ruido interior impedia que oavissem
o s sali para esse da, tinha afilo transformado em
aals de jantar, afim de dar mais espago aos con-
vivas. Urna mesa oceupava o meio da casa; a
.ssa mea* estavam sentadas tres mulheres, dous
rapazes e Jacques; os vestidos abortos, *s garra-
fas viradas, a toalba suja de vinbo om alguos lu-
gares, os pralos no chao, os gritos conslituiam o
que o burguez chama urna orgia, e urna orgia de
dia, que aiud i mais triste.
No momento em que entres soasa sala, Jac-
ques tmha ooa Dragos urna das tres raparigas, e
oio deu pala minha chegada. Om dos doua ou-
tros mancebos levaatou-se vando-me apparecar
eolhei para elle. Era Vlsdimir.
Vladimirdecssa deJaeqoesI Soria possivel?
Como passa, senhor? disse-me Vladimir
com a maior pslidez, e f#teodo-me quasi, ao io-
dic*r-me urna cadelra, u honras da aasa.
Multo bem,' senhor, agradecido.
E dirigi-me para Jaeques qsa, voltando-me as
costas continuara a sss ase ver.
0>, Jacques, dase Vladimir, volte-se qae
O procuran.
J arquea vottos-se.
Decidiste-te, disse-me elle, ora boa; sen-
t-le para ah e almoca; mas ji vena un pouco
tarde.
Nio hsvia recelar. EntrstanU ea estira aflic-
to, apex*r mea, vendo a profanacie doaee apo-
H Visa Diario a. W,
E* NOTAVEI..
O Afoning Chronicle publica um artigo contra
a mana nobiliaria da Inglaterra, e, em abnnagio
da sua ihese, O jornal inglez cita a esoanlosa no-
menclatura destituios de um preso do Queens'-
Bench.
Eis a curiosa nomenclatura, seguida de algu-
mas refipxes da fulha iogleza :
a O marechal general George de Slabolgia Ne-
ville Plaotagenel Harisson, principe de Platage-
oet, Capal, Scandinavia e dos Anglo aaxonios,
dnque de Lancaslre, de Aquitana, de Norman-
dia e de Brabant, conde de Anjou, cavalleiro he-
reditario da ordem muito nobre da jarreteira,
cavalleiro da ordem do banho e cavalleiro here-
ditario da muito antiga ordem de Sanio Andr,
esti actualmente preso na prisio do banco da
rainha, a requementodo seu alfaiate. a
O jornal ingles diz que o commissario recusa
adiar o herdeiro desle mootio de honras, que
ae refupiou na clausula do privilegio doa pobres,
e que affirma que o governo inglez o impede de
obier collocacio militar, que cahira entre os
ladres, que fra preso e privado do ducado de
Lancaslre.
O jornal accrescenta:
Para a sua primeira assergao nio pode dar
prava satisfactoria : a segunda provavel; a ter-
ceira sufflcieotemenle clara; mas a quera um
documento de impudencia oo loucura que nao
vale a pena de aer discutido. > V
-> (Commercio do Porto.
seotn, i que a duquesa vinha outr'ora mysterio-
samente, e que linha tantas vezea enchido de flo-
ree, que eram emio os nicos hospedea da Jac-
ques. Fra-me impossivelelevar-me ao dispa-
lo de prazer geral, prazer que tocara embria-
guez, que a minha chegada inesperada baria in-
terrompido por um instante, mas que pouco de-
pois cootiouou com seus desvarios.
Eu me lembrava no meio de toda essa balbur-
dia, dos nossos al mogos de outr'ora com Aonetle,
refeiges simples e alegres, dessa alegra qae vem
do 'coragio, durante oa quaea ns dous amantea
trocavam somente um olhar i furto, ou um aper-
to de mios que eu finga nio ver. Hoje oa can-
tos, aa palabras obsceoas, os beijos ruidosos, per-
seguan! o echo assustado deseas recordscees fe-
lzes. Mas apezar de Jacques esse echo devia
chegar al elle, porque ehegava *l mim. Mas
o que oa minha opinio havia de mais insultante
para % memoria da duqueza, era a ptesenca de
Vladimir em casa de Jacques, Evidentemente o
qoe ae oslava pasundo era obra dease horneas.
Olhe U, disse Jacques trszeodo para ao p
de mim a rapariga com quem conversara em um
canto, se ao .gue faziam se pode chamarcon-
versadisse-me se ji viste nada mais bonito.
E, puxaodo para traz a cabega dessa mulner,
abriu-lhe i bocea, e moslreva-me entro doqs la
boa vermelhos a libertinos deotes goaet-, hmi-
dos e brspeo como perola. E depuia eolr'abria-
Ihe o corpinho, e patenteava hombros de mar-
more, oo. ergua um pouco o vestido e descobria
um p maravilhoso colgado de chinellas cor de
ross, e a metade de ama perna coberia de um*
meia fina, bem puxada, qoe fazia brilhar na o-
Ihos o contorno delicado e o modelo prorocador.
Com effeilo, era ama bella rapariga, desaa intil
belleza que a serr para o prazer de um tos-
Unte.
Ora rejam como sio as causas, disse alia
loriando dos bracos de Jaques e virando um co-
po de vtoho de champagne, as mulheres da alta
sociedade deaejariam diier ootro tanto.
. Nio digamos mal dallas mulheres, disse
urna ds outras ergoendo-se ; Jacquoe gosta dol-
as.
Ora qual 1 disse primeira; todas ellas lio
magias,
Ora que quaes? urna infelicidad", mas
elle tem esse gosto ; nao assim Jacques?
O que ? perguntou este que nao polla dis-
tinguir o que Ihe diziam ao meto do barulbo en-
aurdecedr dessa acea.
Nio goslaa daa mulheres da alta socie-
dade?
Nio me aborregas.
Ea bem que coohego a tua historia. Mens
senhores, sil-ncio! vou cootar-lhes i historia de
Jacques e de urna mulher do mundo elegante.
Imaginero...
Cala-te, disse Vladimir ergueodo-se, t
oio sabes o que eslis dizendo.
Ora boa 1 Postes t mesmo que me con-
testes essa historia.
A' asu.deb> Jacqoes, meus senhores? gri-
tou eolio Vladimir para acabar com as iiaiscrip
(oes de sua vizinha.
Esse traste perdeu-se oo raido geral, e s duas
ou tres mios se le va na ram para corresponder-
lhes. Quaolo Jacques, esse esta meio beba-
do, e oo ouvia raai nada. Nease momelo
porta abriu-se, e o criado appareceu, com urna
carta oa mao. <
Oode esti o senhor? pergunlou elle.
All? respondeu s ultima mulher que linha
fallado, indicando o casto da sala, al onde o
criado nio poderia tanta desordem havia, o lan-
as cadeiraa e garrafas estavam derrabadas. O
queahi queres?
Eotregar-loe urna carta da que podem j i
resposta.
Di ci qss'eu lb'a paaaarei.
Esteadeu a mao por cima da masa,' tomou i
carta, depois chamou:
Jacquesl ;-,
S i Urceira chamada foi qae. Jtcqpes burla.
Umacart
E a moga esti
alie ia lo a,i-la.
va a Europa pequea para Iheatro de seus gran-
des feilos, comecou as planicies de Moscow a
pensar seriamente nos horrores de urna bataiha ;
loroou-se sombro e melanclico, e dahi a pouco
as aguias da Franga, perdendo o vo rpido e vi-
goroso de suas azas, enxotadas de torre em torre,
vieram abater-se junto dos muras de Pars, para
mais larde ir carpir nos rochados de Santa Hele-
na os revezes do sen hroe.
Felizmente os tres compaoheiros de viagem re-
ceberam enm fortes gargalhadasa observagio de
seu collega, e poderam convence-lo de que as
causas que elle tema eram justamente as que
constituiam o lado bello da viagem ; sem ellas fi-
caria aemelrrante ao passeio de dous casados que
vio ao campo ioformar-se do estado do repolho,
da couve e da melancia. A marcha progrediu ;
e quadrupla compaohia fez despertar oa chos
daquelles sitios com o canto guerreiro lo Mar-
scllaisecanto oje quasi esquecido, mas que
nem por isso deve deixar de ser ssudadocom
enthusiasmo como o precursor de tantos outros,
que vieram acompaohar depois as ideas trium-
phantesde progresso e de liberdade.
O cu eslava limpoe sereno, e as estrellas iam
pouco e poued assomaodo na mmensa bobada,
como espectadores brilbantes e silenciosos do
maguifico espectculo da natureza ; a la, esse
astro formoso da noite, qoe tantas vezes despeit*
os soos armoniosos da lyra do poeta, nio tar-
dara a Iluminar com seu melanclico reflexo as
cumiadas dos montes. Nada mais bello do que
ve-la despootar cheia de encantos por entre oa
pinheiros da serra para relralar-se, depoia as
fontiohas e sonorosos rtbeiros, semeaodo perolas
desde a encosta al ao mais profundo e recndi-
to valle, desde a calva charoeca at ao campo,
oode vegetam o choupo, o cedro e a frqndosa la-
rangeira.
Se o leitor nunca sahiu de Lisboa, eolio, per-
miita-meque lh'o diga, nio sabe o que a la.
A la um astro caprichoso como todos os astros
do seu sexo ; embirra solemnemente com aa ci-
dade, salvo quando algum cataclysms lem eito
dellas urna vasta habilago de corujas e morce-
gos. As ruinas de Thebas edeCarthago, do Ba-
bylonia e de Palmyra teem sido sales magnili
eos ppra as suas fustas nocturnas. Ah sim, ahi
que ella se ostenta com todas as suas galas;
apraz-lhe debrugar-se por aquellas columnas
partidas, por aquellos frontes meio derrocados,
por aquelles pedestaes coberlos de musgo e de
plantas silvestres; apraz-lhe espreitar a vida in-
tima das aves agouteiras e dos reptis que foram
las que de ooute lhes fizeram esses animalejos
que tantas vezea despertam do somno os mise-
raveia mortaes. As imprecages nio falfram ;
diacorreram largamente durante a marhea sobr
a falta de commodidades queofferecem aos via-
jantes aa provincias de Portugal: mas que di-
nam se percorresse toda a Boira Alta, Trazos
Montes, alguns pedagos da Estremadura, emfim
lodas essas localidades que nio teem tido a for-
tuna de levar ao parlamento um deputadode in-
fluencia, e que pugne a pelos ioteresses do cam-
panario ?Deviam julgar-se felizes por ter che-
gado as alturas do Bussaeo por urna estrada mo-
dernamente construida, achando no caminho
com que saciar o estomago.
Subranceira aos baixos terrenos, ou bsca, da
Bairrada, e deslscaodo-se sobre os pinhaes'das
Treguezlas do Luso, Vacariga e Sazes, se ergue a
celebre serra do Bussaeo, que se prolonga na di-
reegao da linha MS. magntico, sendo corlada
pelo Hondego pouco cima de Penacova, e ter-
minando ao norte em rica e extensa, matta.
Um muro antigo hoje em parte reconstruido
circunda essa vegetagio luxuriante -no ceolro da
qual se esconde humilde edificio, outr'ora con-
vento.
Ouas portss praticadas oo muro, urna do lado
do norte, outra do sul, dio serventa para esta
mansao potica.
Os nossos viajantes entrara pela do norte e
nao poqeram deixar de extasiar-se com mages-
toso aapecto daqaellaa arvores seculares, com o
potico murmurio de copiosas footes, e Anal-
mente com aquella solidio que obrigava o espi-
rito a recolher-se para meditar na grandeza do
Creador.
Chegando oo ex-eoovento. ealraram pela por-
ta principal que tem oa frente um pequeo pateo
revestido de cortiga, o por cima a seguinte la-
ganda :
Ver Dominas est in loco isto ;
Non est hic aliud tmi Domus Dei
Et porta cali.
ti* casa de entrada tornara ee dignos te atteo-
gao dous quadros representando um o silencio
oulro apsiusneta. Depois eocootra-se um com-
prido corredor que se estendo quadrangularmenie
e que di serventa para as celias, e em seguida
paraaegreja. A architeciura respira pobreza o
humildade, e tirando um ou oulro quato, poaco
ha all de artifial quo excita a curiosidade do ri-
sita o te.
t
a-rae i car
aquella que elle me linha'
.K'4.'*
sndo
mos-
trado, a su* novo amaato, em p sobra o canap,
agarrou-a dileudo:
E' urna carta da mulher, aom duvida
Ia recebo li certas de mulbar 1
Em todo o caso eu vou l-la. .>{
_ Di-as, em carta.
Depois de t-la lido, com muito gosto.
Durante esse tempo abriu i carta, e lia a Jac-
ques deixava-o lr, nio auspeitando que essa car-
ta podesse ter a menor importancia e contentan-
do-se em dizer de vez em quaodo. Di me i
carta.
Mas eu, no sei por qne presentimento, nio
perda um s dos morimentos dessa mulher, e
vi que o papel qoe acabara de abrir cootioha ou
tro que ella guardara na algibeira. Quando aca-
bou de 1er o primeira atirou-o sobre a mesa, e
abriu precipitadamente o segundo, cujo subscrip-
to deixou cahir e que eu apaohei e oo qual li:
Petra entregar em mao proprxa. Essas duas pa-
tarras eram, sem duvida neuhuma da lettra da
duquesa. Ifostrei precipitadamente o subscripto
a Jacques e disse-Ihe :
Toma j a carta. Bem vs de quem 6.
Jacques empallidec6u rocoohecendo a lettra, e
griiou rapariga, aempre de p sobre o canap
e separada delle por duas pessoas que, natural-
mente, o impediam de chegar a ella.
Prohibo-le que lelas esta carta, d-ro'a ji 1
Anda nSo li urna patarra; Isto illegivel;
espere um pouco.
Jacques correu para a sua amante.
au teris a carta, esta, que vira o movi-
mento. E' de ama mulher e quero l-la.
Di-me eaaa carta.
Ni.
A colera traostoroou o cerebro de Jacques.
Saltou sobro o canap > apertou o braco da mu-
iber de modo a fazo-la gritar.
Ah I a cusa assim 1 bradou est psssan-
do a carta da mao' presa para a mi livre; pois
eo te joro que oio has de t-la 1
E o mesmo tempo machucara o papel a apro-
ximndolo da bocea, dilecerava-o aa deutadas
aom que Jacques so podesse oppr.
Enlao lie psrdeu a cabega e empenhou-se um*
luta vergoohosa eotre asa erealura e Jacques
que quera arrancar-lhe os pedagos ds crt. Mas
a rapariga era forte, a debatia-se tambem que le-
vou comsigo So chao o sea adversario. Jacques
escorregeu. Durante ease tempo, ella poda as-
far-se, o correndo a jaoella, alirou para a ra os
pedagos da pspl quo o vento faz torreliobar de
tpiloi os labios dispsrsou logot
Nio havia mais nada a fazer. Jacques abriu a
porta do aeu quarto o desappareceu fechando-a
sobre si.
Como se dore pensar essa scena liaba acabado
com os gritos. Os convivas nio sabiam mais qoe
figura fazer. Q criado qu linha sabido, tornea
a. appacecer pedindo a resposta.
Logo ir, disse-lhe eu.
E lomei a carta que servia de capa i da du-
queza. As mulheres tiuham posto os seus cha-
pus e manteletes e preparavam-se para sahir.
Se eu voltar maia aqui 1 dizia a herona dea-
ae incidente. .
Fizeste m.al 1 dizia-lhe a amiga ; essa caria
era delle.
Basta de seca I
E limpava o sangue do puoho machucado.
Wladimir nio dizia palavra, assim como o ter-
ceiro conviva, que lembem, durante todo o lem-
n do almogo, oio abrir a bocea. Ao cabo de
des minutos, toda essa bella sociedade tinha par-
tido, o eu flquei a no meio doa destrogos desse
iofeliz almogo. Dei ordem ao criado que pozes-
aa lado em ordem o quo fizesse deaapparecer o
mais depresea possivel os vestigios dessa deplo-
ravel reuoiao. Depois enlrei no quarto de Jac-
ques, e achei-o com a cabega escondida em um
ieogo a chorar.
Sou um miserarell disse-me Jacques es-
tendendo-m a mi. ,
Aqui lens a carta que con linha a da mai-
queza, disse-lhe eu. L-a; laUez te sjude ara-
parar essa de?grga.
Elle leu a carta.
E\ disse-me depois de l-la, ds senhora
que foi i Plesi e que ainda esti em Ctrlsrube ;
mand*va-me por um amigo que vem i Paria, e
disia-me que ihe entregas a resposta, se hou-
vesse. Nada da assigaatura a arSda menos en-
derego. Onde encontrar agora esse amigo, e de-
sass 6 qoe responder e como coofessar qae re-
cebi risita delle l Boa Annettel continuara Jac-
quea, ella se lembrava ao aassoque ea:...
I parecia-lhe sem pro ver trr elinhsr no ar
esses pedagos do papal qua levavam omsigo a
ooia* felieidade que havia seis semanas poda
ter, a anica qn ibe (osss taires dado ter a mui-
^lfSpo,
(CorWinaar-ss-fta.)
E' Deas, replicn erguendo-se, que me pu-
ne por ter tornado a ver o tal Wladimir.
E' verdade; o que fazia elle aqui em tua
caaa, depoia do que se passou eotre voces?
Ea era tio iofeliz l repllcou Jacques com
um suspiro; quera destruir tudo o que restara
em mim de recordagao, de esperanga, de f, di-
rigi-me a esse nomem. '
Tu mesmo foste procura-lo?
Nio, ejicontrei-ono tal baile de Armered a
qae me levaram. Elle li eslava com aa rapari-
gas que anda agora viste. Em vez de irritar-me
e-lo.fez-me reflectir. Soffreodo pela mulher a
respeito da qual ello procurara eselarecer-me,
pareceu-me que tinha sido injusto para com ello
e alo me lombrei mais se nio da urna eousa, era
que elle sabia sobre o paasado dessa mulher mui-
tos detalhes que eu anda ignorara, e que se ea
oscoobecesse, lalvez acsbsssem de me curar.
Adevinhou elle o meo pensamento? Talvez. O
que certo que olhava para mim amigavel-
mente, e que tendo sem duvida sorprehendido em
meo reato as disposiges bastardas em qne ea
estara a sea respeito, quiz trisnpbsr das michas
oltimae hesitagas, aproxrOroa-se de mim com
Certa fraoquea e disse-me :
Or* vamos, veob* om bom aparto do mi
e esquegamea rodo. Asseguro-lhe que o estimo
muito.
Apertei-lhe a asao com am remorso Interior;
mas apertei-a, la nie sede tinha de ouvir dizer
mal da Aonete. Des miauloa depoia eu flzera
recahir a conversa sobre ella o ella cootara um...
eu asi ci I toda a historia de Aonetle com o sea
primeira amante; como, leodo sido forgada a
ac*panhar aeu marido i Ruaaia, arrastira com-
sigo ase mancebo, como a mim tinha arraatado.
Era exactamente a meara causa, Somenle che-
gando i Russia, toncara amisade com Wladimir,
que tinha mandado o sea pasa*porte ao mance-
bo que fleira oa frottteira, esactameole como ea.
Dahi o reconhecioeoto que Aonetle rolari a
Wladimir.
(Coninatr-sa-/w.)
nW TTP DE P, DBFAW rn9. tW. *


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EN74YSFPE_GS1PJ5 INGEST_TIME 2013-04-30T22:48:53Z PACKAGE AA00011611_09893
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES