Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:09890


This item is only available as the following downloads:


Full Text

Allf HIT IDMUO 1U
Ht tres mewsiinla^os 5JOOO
Ptr tres aens Teaeidos 6JO00
Am*i
wtotxintl'i*
-
ESCARREGAOOSjpS SBCRIPCAO pO NORTE
Parahjibe, o Ss. Antonio Alexaodrino de Li-
is ; Natal, o Sr. Antonio Marques da Silva;
Aracaty, o Sr. A,, de Lomos Braga; Cear o Sr.
f. Jos de Oliveira; Maranho. o Sr. IInoel
Joa Martias Ribeiro Guimares; Psri, Juatino
J. Ramos; Amazonas, o Sr. Jeronymo da Costa:
PARTIDAS OUs.CfJWUiUS.----------
Olinda todo os das as 9^ horas do dia.
Iguarass, Goianna, e Parahyba as segundas
e sextas-feiras.
S. Anto, Bezerros, Bonito, Ceruarfi, Atioho
e Garanbuoa as tercas-reir*.
Pao d'Albo, Nazareth. Limoeiro, Brejo, Pes-
queira, Iogazeira, Flores, Villa-Bella, Boa-Vista,
Ouricorye Ex as quatss-feiras.
Cabo, Serinhem, Rio Formoso. Una.Barreiros
Agua Preta, Pimentetras e Natal quintas feiras.
(Todos os eorreios partem as 10 horas da manhaaj
L'i
SEXTA FE1IA 13 IE DEZEMBBO lilil'
Psr iih allanta** i |006
Part firaiet tara MWttipfir.
ADID
rrr-
EPHBMEROES DO HEZ DB DEZEMBRO. 1
1 La nova ss 11 horas 57 mtnatosda tarde.!
9 Guari crescenta sos 50 mioatoeda roanha.
17 La a chai a aa S horas e 3* minatas 4a tarde.'
55 (uartoaningaanta as T horas 3*winior
da tarde. ."
31 Loa novs a* 11 horas o 35 minlos da man:
PREAMAR DE HOJE.
Primeiro as SJh.ora e 30 minutos ds manhia.
begando as 2 horas a 6 mnalos da tarda.
DAS DA SEMANA.
PnRTE OFFICUrt.
1 i ii
" i
* Segunda. 8. Leocadia v.ro.; S. Restituto.
i Ter$a. S.Melchisdes p. m.; S. Gemelo b.
[>. Qusrts. S. Dsmazo p.; S. Traxon m.
la> Quinta. S. Justino m. ; S. Mecencia m. ,
,*3-Seits. S. Luzia *. m. ; S. Othitra m.
V4 Sabbsdo. S. Ageito sb.; S. Matrooiano.
5 Domingo. S. Eazebio Verselense b. m.
AUDIENCIAS DOS TRIBUNAES DA CAPITAL. ENCARREGADOS DA SDB8CWPCA0 DO SL.
I
Tribunal do commercio : segundas e quintas.
Relacao: tercas, quintas e sabbadosaalO horas
Fazenda: tergas, quintas o sabbadosas 10 hora.'
Juizo do commercio : qoartaa ao meio dia.
Dito da orphaos: tercas e sextas as 10 horaa
Primeira rara do civil: tercas sextas ao meio
oa.
Segunda vara do elvol:
hora da Urde.
qusrtas e sabbados a 1
__

AlaaAas.oSr. Clsudino Palcao Dias ; Bahi..
o Sr, Joa y.Mos Altes; Rio de Janeiro, o Sr.
[Joao Paraira Martios.
EM PERNAMBUCO.
l5nci.&D.: o0.1 S.1 "" """ pM5t da Indepen-
Minlsterlo da guerra.
RELAC.O DOS OFPIC1AES INFERIORES E CADBTSS DOS" BlFrBREItTES CORfOS
E ARMAS DO EIERCITO PROMOVIDOS POR DECREIO
EK 2 DO COMatlvYE.
Corpo de atado maior-gtntral.
Pafa'tttechaej de ampo : os bhgadeifos Jo
Lsite Patueco, e Joao Jos da 'Costa Piroentet.
Para mareehal de campo graduado : o brigadei-
10 Luiz da FoRseca Piolo Garez. ''
Para erigweiro- o brigadeiro graduado Ma-
no?! Moniz Ta>are.
O coronis do corpo de eogenheiros Antonio
Maooel de Mello, do corpo de estado maior de
1" cltoie Jos Mariano de Marios.
Corpo dt engenhrot. \
Para brigadeiro graduado : o coronel Patricio
Aotony de Sepulveda Eirererd.
.Para coronel graduado : o tenente-coronel Jos
de Paiva e Silva.
Para m*or graduado : o capito Jos Hara
Jacinlho Rabello.
Par capio graduado: o 1 tenante Miguel
Antonio da Silva.
Para 1" leoentes os2 ditos Antooio Eleulerio
de Camargo, Chysloilo Ferreira de Castro Chaves,
Joaqun) Rodrigues de Moraes Jardim, Jerooymn
Rodrigues de Moraes Jardim, Manoel Gomea
Borgea.
Par lenles : os alteres alomos Luiz
Francisco Monleiro de Barros, Alvaro Joaquioi de
OIvira. Jos Antonio Rodrigaes. lo o o cenco Gal
vao deOueiroz, Jos Augusto da Rocha Lima, e
Antonio de Oliveira Guiasies.
Corpo de eiiado maior de 2* ciaste.
Para bngaieiro graduado ; o coronel Ernesto
Antonio Cesar Eluardo de Miranda.
Para coroneia : os teoentes-coronais Jos Pe-
reira Dias, por antiguidade ; Jos Joaquina de
Caralho, por mereciaientu ; Viceole Ferreira da
Costa Piragibe. idea.
Para coronel graduado, o tenente-coronel LnU
Guilherme Woolf.
Para teneotes-coroneia : os mejores Francisco
de Assis Chagas, por antiguidade ; Sergio Marcon-
des de Andrade, idem ; Francisco Gomes de
Freitas, por merecimento; Joao de Soma da Fon-
seca Costa, idem.
Para majores : o major gradeado Izaltioo Meo-
don(a de Carvaiho, por antina'.dada.
O* capitaea Antooio Pedro Lecr, idem ; Joa-
quinrde Almeida Gama Lobo d'E;a, por mereci-
menio ;,Elesbao Mari* da Silva Bitteocourt, idem ;
Francisco Jos Cirdoso Juuior, idem.
Para maior graduado : o capitao Joaquim Ja-
ronymo Barreo.
Para capities : os teoeoles Agoilinho Marques
de S. Leooardo Jos da Fonseca L-ssa Luis
Eduardo de Cirralho, Joao Manoel de Liasa e
Silv, Jos Francisco Coeiho a Antonio Aires dos
-Santos e Souza.
Para capito graduado : o teoente Raymando
Mximo de Sepulreda Everard.
Para teueotes : os alteres Delphioo Ferreira
Soares, Capitolioo Peregrino Severiaoo da Cunha,
Francisco Antonio Monleiro Tourioho. Candido
isCoelho de Mours, Luccas da Rjcha Fra-
goso.
Par alteres : os atieres alumnos Silvio Pin-
, to deMigalhaes, Eduardo Jos Ramos, Antooio
Valeriauo da Silva Fialho, Americo Rodrigues de
Vsscoocellos, Antonio de Sennt Madureira, Luix
Antonio de Miraoda Freitas, Jos Arthur de Mu-
rinelly, Jos Ferreira da Costa, Henrique PDe-
terge, Luiz Teixeira Dias.
Corpo de eitado maior de 2* claise.
Para coroueis : os lenles-coronis Antonio
Femantes Padilha, por antiguidade ; e Joao
Nepomuceao Gastrioto, por merecimento.
Para corooel graduado : o tenente-coronel D.
Jos Carlos ds Cmara.
Para lenles-coronis : os majores Jos Jos-
quim da Sil' Santigo, por antiguidade ; Luix de
(Jueiroz Coutinbo. idem ; Antonio de Deua e Cos-
ta, idem ; Joao Luiz de Abreu e Silva; idem ;
Alfonso de Albuquerquee Mello, por merecimen-
to ; Jos Manoel Justino da Cunha, idem ; Pedro
Mara Xtvier de Oliveira Meirelles, idem.
Para tenente-coronel graduado : o major Ma-
nuel Jos de Souza Canceicao.
Para majores : oscspiles Jos Lasaro deCar-
valho, por antiguidade ; Diogo Garcez Palha,
idem ; Joaquim Ceaar de Mello Padilha, idem ;
Jos F^lix de Oliveira, idem; Jos Constantino
Lobo Boielho, por merecimenio ; Manoel Joa-
quim Pioto Paca, idem ; Antonio Jos Fausto
(.irriga, idem : Manoel Josde Aleocastro.idem ;
Antonio Jos Ferreira Cavalcanli, idea.
Para cspitaes : os upttaes 'graduados Salvador
Coelho de Dummoni e Albuquerque. Luiz Esta-
nislao Rodrigues Chavea, Francisco do Reg Bar-
ros Faleao ; os.lenles Antooio Lopesda Fooae-
ca e Souza, Jos Ignacio de Medeiros Reg Mun-
teiro, Jos Joaquim deAlencaslro, Luis de Beso-
peare Roiiao, Antonio dos Sanios Lira, Bernar-
do Joaquim Correa, Felisberto Augusto de Souza,
Manoel Pacheco de Lima, Benedicto Jorge de Fa-
ma. Luiz da Franca de Carvaiho, Joa Maitias
de Amoro Raoget.
Para tencotes : os alteres Cosme de FariaTei-
leira, Alexandra Augusto de Frisa Villar, Antonio
Floriodo Rodrigues de Vasconcelos, Joao Manoel
da Cunha, Aateaio Augusto da Cosa, Jaciotho
Candido da Silva, Antonio Carlos Ferreira, Ma-
noel PrtUcisco Relogio Aguiav, Raymuod de
Oliveira Alavenga, Segismundo de Aguiar, Fravi-
eisco da Cunha BlUencourt, Jos Sever Fialho,
Jaciotho Haooel de Saota Anna, Antonio Eleu-
terio dos Gutmaraes, Jos Feliciano Bueno Mi-
mor, Pedro Gomos de Oliveira, Manoel Piolo
Ferra Nuswe, -Jos Vieira de Souza Guedes.
Para alferes: o particular sirgento-sjudante do
balalhao de eogenheiros Caries Luiz Woolf; o 1
sargento do corpo de artifloes da corte-Jos Joa-
quim Piole de Azevedo ; o 2 cadete 2* sargento
do 1* batalbo-de artithari Gustavo Af lindo Go-
mes da Birro ; o 2* cadete tftrg*oto do2#
batslbao da rae^ma arma' Antonio Espinosa de
Brile ; o i0 cadete f* Sargento do 1 regiment
de cafallaria lucir PeoHuo Jos Gome da Silva,
o aargeniot-ajudrate do corpo de guaVi;o do
Amazonas- Antonio Joao de Lyra Flotes ; o 1*
sargento do 5* balalhao deiofaotariaSilverio An-
tonio de Jetos-r-o--t* sargento do 13*'batalhao
da mesmairnra Jlo Diogo De arle Jnior.
Reparticio tetletiastiea.
Para caaellae-es^Hav: ocipelleo-tenedle Hen-
rique Josiea Ferreira:
Para captlle-ieoeote : o eapellia lfcrea An-
tonio da Guaba Figueivaido-.
Crpo4tndt
Para cirorgiao-mor os brigada : o l"^irurgiio
Justino Jos tm4mH*. *b tttWdsimento.
Para 1": ti t arpeos os 2" -eiror|ios Antonio
Manoel dd-Medeiros, AsHdoio dS Nsscrmenio Sil-
va, Preocrteo Ja^jrd)*il*8ost*lrld;!Silrerlo
de Aodrada s Silva o Cesarlo efets Gomes da
Araujo, por eur eoasfe*e%di4a nss dipoicoes
do an. Vds rfgtseata aoyrtrvadW telo decre-
to o. l.WSJo f-4* airares ti 185T, eorturme foi
declarado -sor imperial radttao da 26 da oulu-
ro do certco Mm '
riMt<*rtjUt*ri*
^"ft1*" STFdsJfo Frao
- aunan,
Segundo batalhao.
Para capitaes : os pnmeiros lenles J coox-
paohia de arlices da fibrica de plvora, Felicio
Paes Ribeiro. para a stima companhia ; do pri-
meiro batalhao, Antonio Carlos de Magalhaa,
para a oilaa corapanbia.
Batalhao de Hallo-Grosso.
Par# capilSes i os primeiros teoeots do corpo
de artfices da rdrte Joaquim Piolo Guedes,
a segunda compaohja; e do terceiro bata
Mnoel Perelra de Suuza, para a quart com-
paohis.
Corpo do Amazonas.
Para tenente-coronel graduado : o maior com-
maodante Carlos de Muraes Ctmisio.
Para capito : o primeiro lente do corpo de
artfices da corle Joao Roberto di Cunha Bs-
cellsr.
Para primeiros lenles da arma : os segundos
tenentes Antonio Candido Salazar, Beato Jos
Remandes Jnior, e Felippe Hermes Femsndes
Trigo de Loureiro.
Para segundos tenentes da srma : os alferes
alumnos Cometi Caroeiro de Barros Azevedo,
Eduardo Jos Bubosa. Manoel Jos Preira J-
nior, D ogq. Rodrigues de Vasconcellos Sobiioho,
Francisco Aoiohio de Moura, Candido Jorge
Sonher Barbosa, Joao Nepoouoceno de Medeiros
Mallet, o segundo cadete sargento-ajudanle do
piimeiro batalhao Joo Chrysostomo Gomes da
Silveira, o segundo sargento do mesmo batalhao
Paulo de Araujo Lins, o segundo cadete do mes-
rao batalhao Zeferino Jos Teixeira Campos, o
segundo cadete primeiro sargento do segundo
batslhao Josquim Mara do Espirito-Santo, o se-
gundo clete primeiro sargeoto do primeiro ba-
talhao Rayraundo Ribeiro do Amaral, o segundo
cadete do 4* batalhao Joaquim Teixeira Peixoto
de Abreu Lima, o segundo cadete segundo sar-
gento do primeiro batalhao Luiz Carlos Maane
da Slla, o segundo cadete primeiro sargento do
mesmo batalhao Joio Agostinho Rosauro de At-
meida, o segundo cadete do primeiro regiment
Ernesto Augusto da Cunha Mallos, o primeiro
cadete segundo sargento do segundo batalhao
Joao Baptista Guiroares, o primeiro sargento da
companhia de artfices de Peroambuco Manoel
Jacinlho Marques de Oliveira, o primeiro cadete
sargeoto-sjudante do 1* regiment Venancio da
Gira Lobo, o sargento -ajotante do corpo de
arlices da corte Camillo Bernardo Galto, o 2o
cadete 2" sargento do 2* balalhao Joo Isidoro
Chaves, o segundo sargeuto do mesmo batalhao
Francisco Gomes Lagoeiro. o segundo sargento
do terceiro batalhao Josquim Jos deSaol'Aona.
o primeiro clele do primeiro regiment Gabriel
de Araujo e Silvs, o segundo cadete do primeiro
bilalhao Felippe de Araujo Sampaio, o seguodo
cadete segundo sargento do qoarto batalhao Jos
Sabino Maciel Monleiro, o sargento quartel-mes-
tre do corpo de artfices da corte Fortunato Jos
Fazenda, o particular seguodo sargento do pri-
meiro batalhao Bernardo Jos Vasques Jnior, o
sezuodo sargento do mesmo balalhao Honorio
Domingues de Meoezes Doria, o primeiro cadete
segundo sargento do terceiro balalhao Manoel
Henriques do Couto e Pinho, o segundo cadete
sargento quartel-meslre do mesmo balalhao Gui-
Iherme de Barros Vasconcellos, o sargeuto-aju-
daote do terceiro balalhao Manoel Joaquim de
Paiv, os primeires cadetes segundos sargentos
do primeiro batalhao Francisco Rirnos de Oli-
veira Guimaries, e Alvaro da Serra Carneiro, o
primeiro sargento do corpo de artitices da corte
Gil Braz, o segando cadete segundo sargeoto do
primeiro bstalhao, Jos Chrysostomo Gomes da
Silveira, o seguodo sargento do mesmo batalhao
Floriaoo Vieira Peixoto, o segundo sargento do
primeiro regiment Jos Antonio Lessa, o pri-
meiro cadete do terceiro balalhao Boaventura
Pinto da Silva Valle, o segundo cadete primeiro
sargento do primeiro batalhao Antonio Garlos
de Oliveira e Mello.
Fraocisce
Para capilies: os tenantes do quarto batalhao
Pedro de Alcntara Jlouleiro. para a lerceira
conapanbia; Lauriodo Alves Barbosa, para a
a seila companhia.
Oitavo batalbio.
Para tenante-coronel cosamandanle : a major
ta batalhao do deposito Cyprja.no da Roen
por merecioteoto.
?st sfl#*** c*pilio: lente da nooo batalhao
Weoionio Joaquim de Almeids Fortun, para a
terceira companhia.
Decimo-primeiro batalhao.
Para coronel: o tenente-coronel commandsnle
Joao Guberme de Bruce, por antiguidade.
Para majot: o capitao do batalhao do deposito
Porfirio Antonio Perair, por merecimento.
Para Capites: os leoentes do mesmo dacimo
primeiro balalhao, Joaquim Fabricio de Mallos,
para a segunda companhia ; Antonio Jos Pe-
relra de Carvaiho, para a lerceira companhia;
do quinto batalhao. Manoel Joaquim Bello, para
a selima companhia.
Dcimo-segundo balalhao.
Para capitao; o lenle quartel-mestre do
quarto batalbio Antonio Pedro de Oliveira, para
a sexta companhia.
.. Decimo-lerceiro balalhao.
Para coronel: o tenente-coronel commandan-
te Jaciotho Machado de Bittencourt, por mere-
cimento.
Bstalhao de cacadores de MsltoGrosso.
Para corooel: o tenente-coronel commandan-
, te Joo Nepomuuo da Silva Portell, por mere-
cimento.
Para capito : o lente do batalhao de caca-
dores deGoyaz, Antooio Alelhndrino do Mello,
para a sexta,companhia.
| Balalhao de cacadores de Goysz.
I Para capites : os tenentes do meamo batalhao
Jos Manoel da Silva Marques, para a segunda
companhia ; do stimo balalhao Antonio Pedro
Heitor, para a quiota compaohla do terceiro
batalhao Guilherme Herculano de Medeiros, para
a oitava compaohia.
Balalhao do deposito.
Para major: o capito do quarto batalhao Joa-
quim da Silva Ferreira Jnior, por mereci-
mento.
Para capito: o teuente do primeiro batalhao
Aotooio Teixeira de Sampaio, para a quarla
companhia.
Corpo de guaroico de Minas.
Psra capites : os teoeoles da companhia do
Rio Grande do Norte, Urbano Fernandos de Bar-
ros, para a quarta companhia; do dcimo-se-
gundo batalhao, Diogo daSants RitaBnto, para
a quinta companhia.
Corpo de guaroico da Parahyba.
Para corooel: o tenente-coronel commandante
Ernesto Emilliaoo de Medeiros, por antigui-
dade.
Corpo de guarnirlo do riauhy.
Para corooel: o tenente-coronel commandan-
te Maqoel Rolemberg de Almeida, por antigui-
dade.
Para tenente-coronel graduado: o major Luiz
Antonio Fetraz.
Corpo da gusrnico do Maranho.
Para capitao: o lente do corpo de guaroico
do Piauhy, Aolouio Jos Vidal de Negreiros,
para a terceira companhia.
Corpo de gua, nigo do Amazonas.
Para capillo : o teoente do dcimo-segundo
batalhao Pedro Lino de Barros Reis, para a se-
gunda companhia.
Corpo de guarnicio de S. Paulo.
Para capito: a leneote-secretsrio do mesmo
corpo Manoel Joaquim de Toledo, para a segunda
compaobia.
I Carito de guarnirlo do Espirito Santo.
Para capito : o teoente do 12" batalhao Joo
da Silra Nazareth, para a 2a compaobia.
Para tenentes da arma: os aliares Antonio
R*ymuodo Lins Caldas, por antiguidade; Mi-
guel Augusto Barbalho Picaneo, idem ; Hypoii-
to Mandes da Foaceea, idem ; Pedro Carlos No-
gueira Baumano, idem ; Antonio Nuoes Ramos,
idem ; Amalia. Maia, idem ; Muhiis da. Gama
lo quartel-mestre do Io batalhao Francisco i
naci Manoel ds Lima, o 2* cadete 2 sargen- |
ihao de deposito Joao Jos Gessrio da
etto, o Io sargeoto do 5" batalhao Joo
Cardoso, o particular Io sargento do ba-
_ eacadores de Goiaz Jos Manuel dos
a Lima* SMMaU a argento do 5* batalhao Jos Fran-
casWdSaUo.a Io sargeoto do 11 batalhao S
bssfilo Pereira Porlo, o 2 sargento do 13 bata-
lhao Thomaz Alfonso da Silva, o 2* cadete do 1o
balalhao Antonio Lopes de Siqueira, o 1* cadete !
2" sargento do eorpo da gusrnico do Espirito
Santo Joaquim de Csataoheda Pimentel, o 2*
sargento do corpo de guaroico do Piauhy, los
Vieira de Mallos, o Iosargento do 4* batalhao Jo-
s Verissojo Nina, o 2" cadete do 5* batalhao An-
tonio Severino Valporte, o 1 cadete do 1 bata*
Joo Leopoldo Augusto Neves Gonzaga, o 2 sar-
gento do 5a batalhao Fabricio Augusio'da Siva.
POR DECRETO DA MESMA DATA PA3SARAM A EFVEC-
' TIVOS NO CORPO DB ENGENHE1ROS OS OFFI-
CUkS A6SRB6AD0S AO MESMO CORPO:
Coronel Antooio Pedro de Aiemcastro e o ca-
pitao Carlos Jos Pereira das Neves.
FORAM TRANSFERIDOS DE UMAS PARA OUTRA3 AR-
MAS OS SEGUIMTES OFFIClABS :
Arma de infanlaria.
Para o 7 batalhao; o capitao do corpo de
guaroico do Espirito Santo Antonio Cibral de
Mello Leoncio, para a 5* companhia.
Para o 8o batalbio : o major do 8* Miguel Je-
ronymo de Novaos.
Para o carpo dt ouarnko do Piauhy.
O capitao do corpo de gulroicRO do Maraoho
Xil lerco Cicero de Aleocar Araripa, para a 3*
companhia.
Ministerio da marinha.
Hei por bem promover no corpo da armadada
nacional e imperial aos ofBciaes constantes da
relacao quecom este baixa, assigoado pelo che-
fe de esquadra Joaquim Jos Igoacio, do meu
conselho, ministro e secretario de estado dos ne-
gocios da marinha. O conselho supremo mili-
tar o Uoha assim entendido e fara executr. Pa-
lacio do Rio de Janeiro, em 2 do dezembro de
1861, 40 da independencia e do imperio.Com
rubrica de S. M. o Imperador.Joaquim Jos
Igoacio.
Relacao do oficiaet do corpo da armada nacio-
nal e imperial promovidos por decreto desta
data.
A capito de mar e guerra: o capito de fraga-
ta Francisco Cordeiro Torres e Alvim.
A capites de fragata; os capiles-tenentea Jos
M. Picaneo da Costa, Manoel Joaquim Correa dos
Santos, Manoel Luiz Pereira da Cunha,* Antonio
Lopes de Mesquia, Joo Carlos Tarares, Pedro
Antonio Luiz Ferreira, Hermenegildo Antonio
Barbosa de Almeida, Feliz Lourenco de Siqueira,
Jos Pereira Pinto, AoiooioAflonso Lima.
A capites-tenantes: os primeiros tenentes
Joaquid Guilherme de Helio Canso, Felicio de
S Briio, Jos Pereira de Lima Campos, Joo
Pedro de Carvaiho Raposo, Candido Benicio* da
Silva, Francisco de Miraoda Ribeiro, Sabino Eloy
Pessoa, Ricardo da Silva Neves, Pedro Leito da
Cuoh*. Carlos Augusto Victoria, Giacomo Raja
Gabaglia, Heurique Antonio Baptista, Luiz Mana
Ptquet, Mamede Simes da Silva.
A primeiros lenles : os segundos lenles
Pedro Jos Alves, Lucio Joaquim de Oliveira,
Francisco Jorge da Silva Araujo, Geraldo Candido
Martin, Emilia Augusto da Mello e Cesar Pires
de Miranda, Jos Luiz Teixeira, Manoel Lopes da
Cruz, Francisco Forjiz de Lacerda, Joaquim Car-
doso Pereira de Mello Alvim. Augusto Jaciotho
Fernaodes Pinheiro, Haooel Lepes de Santa Ro-
sa a Pedro Lopes da Conceigo.
A segundos teoenies : os guardas-marinhas
Guilherme Rodrigue Villares, Mnoel Hsrque
Mancebo, Femando Xavier de Castro, Jos Ao-
tooio de Alvarim Costa, Francisco Soares de An-
drea e Joaquim Xavier de Oliveira Pimentel.
Palacio do Rio de Janeiro, em 2 de dezembro
de 1861 .Joaquim Jos Igoacio. Conforme,
Francisco Xavier Bomtempo.
Deixou de ser promovido o 2* lente Eduardo
Wan ISnkolk. por estar cofJBJpot* de ausente.
Foram tambem na mesma data oomeados mes-
tres de2*classedo corpo de ofBciaes marinheiros
da armada, os guardies do mesmo corpo Fran-
cisco Antonio, Antonio dos Saotos Moura.
Arma de cavallaria.
Primeiro regiment.
Para major graduado: 0 capito
Joaquim Pinto Pacca.
Para capito: o lente do mesmo regiment -r
Antonio Jos da Costa, para a primeira com- Cabral de Vasconcellos, idem; Haooel Rodrigues
Pna. Braganca, dem; Jos Leite Pacheco Jnior,
Seguno regiment. ^ id**; Joo Luiz Tarares, idem ; Luiz Thama-
Para brigadeiro graduado: ocoronel-comman- tur8 da Guerra Machado, idm ; Jos do Reg
daoie Joao A alomo de Oliveira Lobo. 'Barros, idem; Joaquim Manoel de Oliveirs,
Pra coronel graduado: o tenante-coronel Joo idem ; ADtoolo Alves Faltosa, idem; Jos Joo
Fraociaco Menoa Brrelo. de Carvaiho, dem ; Beleodoro Franciaco de Me-
Para teen le-corouel graduado: o major Jos riezes, idem; Antonio Jos Ribeiro, idem ; Ms-
Ferreira da Silva Jnior. noel Joaquim de Souza Jnior, idem ; Aotooio
Terceiro regiment. { Dionisio do Souto Gundim. idem ; Joo Caetano
Para capito: o lente do mesmo regiment Pbreira, idem; Joo da Guerra Psssos, idem ;
/.efenno Alfonso Taborda, para a stima com- j Maooel Joaquim de Almeida Coelho Sobrinho,
panhu. idem ; Joo Maooel da Costa, por estudos: Nel-
Para lenles da arma: os alteres Pedro Ao-;on Jaoseo Muler. idem ; Pedro Luiz Maooel de tZate^a^a7aa Trao^aaTadalmTa^i^
tomo Das, por antiguidade; Jos Di.s da Cosa, Jess, itdem ; Franklin Luiz de Vasconcellos \% SSu dos21*3Sfi! '"***
dem Antonio Nicolao da Frota, por estudos; Ferreira, idem ; Eduardo Emiliano ds Fooceca, I
Joo Bonifacio de Camargo, idem; Joaquim Jos dem; Luiz Jo Ferre.tra Jnior, idem; Jos!
de Araujo Oliveira Lobo, idem. j Lopes de Baros,idem; Henrique Augusto de S-
Para alferes da arma : o aeguodo cadete-sar- pulveda Everard, idem ; Joo Goocalves Pi- !
gento quartel-mestre do esquadro da Baha menta, Carlos Magno da Silva. dem.
Aoacleto Ventura Paraso, o sargento-ajudante I Para alferes da arma : os alferes alumnos Do-
do corpo de Mano Grosso Joo Pereira da Silva,! mlogos Rodrigues da Foocecs Lessa, Joo Affon-
o primeiro cadele da companhia de S. Paulo, I db Figueiredo, Aotooio Raymundo da Rocha,
Anoanias Pereira Crsplm de Vasconcellos, o Antonio Jos Baptista, o 2a sargento quartel-mes-
egundo cadele segundo sargento do quiato re- ''do corpo de guaroico de S. Paulo Antonio
gimento Aotooio Julio de Medeiros Mallet. o P'nheiro de Olivara, o sargeoto ajudante do7
Hei por bem promover no corpo de saude da
armada nacional e imperial aos ofBciaes do mes-
mo corpo canstiiites da relac&o que com est bai-
xa assigoado palo chele de esquadra Joaquim Jo
primeiro cadele segundo sargeoto do quarto re-
giment Joo Caroeiro da Pootoura Meoni Bar-
reto, o seguodo cadete primeiro sargento do es-
quadro da Baha Boaventura Guilherme de Cer-
uuelra a Silva, o segn lo cadete sargento quar-
tel-mestre do seguodo regiment Joo Carlos do
Carmo, primeiro cadete sargento-ajudanle do
primeiro regiment Domingos Francisco de Oli-
veira Juoqueira, o primeiro cadete primeiro
sargent > do meamo regiment Luiz Affonso dos
Reis, o primeiro cadele do esquadro da Baha
Romualdo Antonio de Matios Tulles de Meoezes,
o particular primeiro sargeuto do quinto regi-
ment Francisco de Assir Meoezes, o particular
segundo sargento do mesmo regiment Josquim
Melchiades Ferreira Lobo, o partcutSaFaargento
quartel-mestre do primeiro regiment Joao An-
tonio d'Avila; o primeiro cadete segoodo sargen-
to do segando regiment Joaquim Aires de Ma-
edo, o segundo sargento do quinto regiment
Messias Jos de Freitas, a primeiro cadete se-
gundo sargento ds companhia de Minas, Jos
Florencio de Toledo Rrba, o segundo cadete do
terceiro regiment Vasco de Azambuja Cldade.
Arma de infantaria. '
Prieiro batalhio.
Para coronai:' o tenante-coronel comnian-
fanie 6diHiertte Xavierrtis Souza, pst meteei-
fciento. '
Para capito : o tenente-ajuiante do mesmo
batalhao Joo Maris de MeiW, para a oitava
Manhia.
S.guBdo*b*ta.lhlo.
i Pava capito: o teeeole 'do stimo batalhio
Frncfaeo da Atmeida rurtsad, ira s'ptimfrs
eompssRria. fletu
Otrto bsslttlffj*
Pura carito : o tona*** primeiro batHrae
fasto Arnkteio Gafwrt=flta; psrs aij>arie com-
paobia.
Saxlo batartrio.
Paratrrosel: o taa.ate tarsnel nommaodanW
Mm *8.ra,r. por r^r^scaatarno.
l-rata^-majw- o capitjad do ssUmd ijslalha
Elias
IW!
Joa Rodrigues da Siivs, por antifaz retra do Valle,
batalhao Jesuino^Deocleciano de Souza Bruno, o
sargento ajudante do 4* batalhao Francisco de1
Paula Mayriok, o 2* cadete 2* sargento do corpo
de guaroico da S. Paulo Manoet Coocalves Mo-
re'ra, o 1* cadete do mesmo corpo Joaquim Olro-
tho de Carvaiho e Silva, o sargento ajudante do
corpo de guarnirlo de Pertiamboce Alvaro Con-
rado Ferretra de Aguiar, o 1* cadete e 2 sargen-
to do 1* batalhao Joo Manoel de Lima Mariz
Sarment, o sargento quartel-meslre do batalhao
de caladores de Goyaz Jorge Jos Ariiaga, o 1*
cadete do corpo de gaarnico da S. Paulo Domin-
gos Manoel Ribeiro, o particular 2* sargeoto do
5* balho Joaquim Raymundo Moscoso, o 1* ca-
dete do balalhao de deposito Luiz dos Reis Fal-
olo, o 2* cadete t# sargento do Io baulhao Tno-
maz Jos Labre, o 2* cadete I*' Sargeuto do 9*
batalhao Jorge Caetano de Souza Cooceiro, o 2o
cadete 2* sargento do batalhao de deposito Can-
dido Alfredo de Araorim Caldas, o 1* cadete 1
sargento do 13" Batalhao Theodomiro de Mello
Barreto, o \* cadete Sargeoto-sjudante do corpo
de guaroico de Minas Pedro de Alcntara Feo
de Carvaiho, o 2* sargeoto do 5* balalhao Luiz
Jos de Moraes, o Ia cadete 1' sargento da com-
sabia do Rio Grande dj Norte Thomaz Pompeu
hodoro da Silva, o 2* sargento do batslho de
caladores da Bahis, Constantino L-sandro dos
Santos, 2* cadete 2* sargento do corpo degaf-
aico de Cear Raymun lo Gregorio Pinto, o ssr-
genso-ajadante do 19* bsiatrnSo Jos Jfooymo
G<*sls, o 2* cadete do botaltu de caeadures
Mto Grosso Jos Antonio Morefra Lima, o
1'cadete do eorpo de gnrnii;ao da Baha Deo-
elssiadb Augusto Coelho dos Siotos, o 2" sargen-
ta do t" Umrtn Jase Honor SiT#aWda' sfofta,'
o la.kr|WN do mesmo batslho M& da Silva
Torres, d'sstgento sjttdaots do i* batalhi) l'dto
ds Byuza'tv-Vtosa, o* Bargeto do Vbatalhlft
Jokqstm Jos AvHtno o 2* r5erito do-7* Miau- t
thacf '8MMW Jdd Partetra t< Sftva, o ssrgehlo -
aldame do corpo dejnarMMtf M'Qe^t'ridton- K
trsb Jos Persirs, v 2 cs^asjf^* dsrfantd do Jjss- K<
talhio ddcacadoresd Qbjn kMAotfitTiMt
O con-
selho supremo militar o tenha assim entendido o
faca executr.
Palacio do Rio de Janeiro, em 2 de dezembro
de 1861. 40* da independencia e do imperio.
Com a rubrica de S. M. o Imperador.Joaquim
Jos Ignacio.
Relacao dos oficiaet do corpo de taude da arma-
da nacional e imperial promovidos por decre-
to desta data.
A primeiro ctrurgies primeiros leoentes : os
segundos cirurgias seguodos leoentes, Dr. Fran-
cisco Piohairo Guimiraes, Dr. Domingos Sosres
Pinto, Dr. Tristo' Henriques Costa, Dr. Joo
Francisco de Almeida Fernandes.
A 1* pharmaceutico 2o teueute : o 1 pharms-
ceutico guarda marinha Jos Henrique Batbosa
ee Oliveira.
A primeiro pharmaoeattco guarda marinha o
segando pharmaceulico gaarda marinha JooD
omioguea Vieira.
Palacio do Rio de Janeiro, em 2 de dezembro
de 1861. Joaquim Jos Ignacio. Conforme,
Francisco Xavier Bomtempo.
Hti por bem promover os officiaes de fazenda
da armada nacionale imperial,constantes da re-
lacio que com este baixa, asaignada pelo chefe
de esquadra Joaquim Jos Igoacio, do meu con-
selho, ministro e secretario de estado dos nego-
cios da maiioha. O mesmo ministro e secretario
de estado o tenha asatm entendido e facaaxecuUr.
Palacio do Rio de Janeiro', em ,1 de dezemoro
de 1861, 40* ds independencia e do imperio
Com a rubrica de S. M. o Imperador.Joaquim
Jos Ignacio.
Relacao do officiaes de fazet,da da armada na-
; cional imptrial,promovidos por decreto desta
dala,
A coramlss'arios de l'.cUsss'; os, commissarios
classs Guilherroioo da Souza Dias e Antonio Ma-
na da Cosa Valladares.
A escrivjes da 2 eiasse: os escrives de 3 clas-
saJoas Carlos de Gouvea Faria, Jos Correa da
Silva Vctor Joa Maa, Joao Jos Ferreira
tatuarte.
escrives de 3* classe : os escrives extra-
os Luiz Carlos dos Sanios Francisco Au-
gusto Pereira de Mallos, Jos Aotooio da Cunha
Filho, Affonso Alves do Reg Villsl, Joaquim
Carlos de Barros, Jos Vicente de Figueiredo.
4oL,laeedoRi0xd8jaMro' a de dezembro da
isol.Joaquim Jos Ignacio.
Por aviso da masma dala foram promovidos a
neis de 1 classe : os neis da 2 eiasse Pedro Soa-
res Diamante. Joo Barbosa, Jbs Feliciano da
Silva, Sebastio Jos Soarea, Joa Maooel de Sou-
za, Joa Joaquim Alve, BrazTiburcio da Rocha
Joao Chrisostomo da Silra.Crispim dos Santos'
Maooel de Lares Pinto e Bento Francisco Tei-
xeira.
A Qais da 2a classe : os fiis extranumerarios
Maooel dos Sanios Maooel do Nascimeoto Sou-
za.Conforme, Francisco Xavier Bom tempo.
1M r?Hpt?a Antonio sil SUT Hatrques, o W; I 4. m\d* dY CHW \ HV\ll* i* r
GOYERNO DA PROVINCIA.
Expediente do jroverno do da IO de
dezembro de 18411
Offlcio ao Eira, presidente da Parahiba.Ac-
cuso rneebido o offlcio de 5 do correte, sob nu-
mero 5.045, em qne V. Exc. remellen-me a re-
lacao das atteracoes oeeorridas no mez de no-
vembro ultimo, aceres do cadete do dcimo ba-
talhao de infantaria, Epaminondss Asseocio de
Avilla, e em resposta tenho dizer V. Exc.
que dei o conveniente destino mencionada re-
lacao. Communicoa-se ao commandante das
srma*.
Dito ao mesmo.Opportunamente seraoremet-
lidos para a corte os officios que, para terem esse
destino, acompanharam ao que V. Exc. me diri-
gi em 9 do correte.
Dito ao coroael comroan Jante das srma.Sir-
va-se V. S. de expedir suas ordens, psra qne per-
manece na casa de sade do Dr. Joo da Silva
Ramos, de hoje em diaote e em qusoto nella
oxistirem em iratamento presos da casa de de-
ten^o accommeltidos de molestias contsgiosss,
seia pragas e um cabo de primetra lioha, aflm de
guardarem os meamos presos.Communicou-se
ao chefe de polica.
Dito ao mesmo. Com as inclusas copias das
informsedes ministradas pela eootadoria da the-
souraria de fazenda, e a que se refere a do res-
pectivo inspector, de 19 de outubro ultimo, sob
numero 988, respondo ao offlcio desse comman-
do, de 20 de setembro, oumero 1,556, s quelveio
annexo o do tenente-coronel commandante do
oono batalhao de injantaria, acerca do descont
a que se procedeu nos veaeimentos relativos
primeira quiozeoa do citado mez de outubro, dos
cadetes daqaetle balalhao, para indeqrjoisago
das prestaedes de premios com que nos prels da
segunda quinzent do mez de agosto deste aono
foram contemplados os meamos cadetes. O qne
V. S. far constar ao referido tenente-coronel,
dizendo-lhe que telas razos expendidas nss
mencionadas informacoes foi feito regularmente
o descont de que se trata.
Dito ao Commandante superior- da guarda na-
cional do municipio do Recife. Transmiti V.
S., para seu coohecimento e execucot copia do
aviso expedido pelo mioisterio da justica ao
Exe. presidente da proviocia do Espirito Santo,
em soloco dovida : se os Bscaes e guardas no-
meados pelas cmaras muoicipaes sao isentos oo
dispensados do serv-ico activo da guarda nacional.
Igual aos demais commaodanles superiores.
Dito ao inspector da thesouraria da fazenda.
Em visls da inclusa coala em duplcala, que me
foi reraetiida pelo corooel commandante das ar-
mas, com offlcio de hooteas, sob numero 2,011,
mande V. S. psgar a quanlia de i tJtO, prove-
niente de varios objectos foroectdos pela livraria
acadmica para o expodiente do cirurgio-mr
do exerclto do trimestre correte. Communi-
cou-se ao commandante das armas.
Dito ao mesmo.Transmits V. S. psrs o fim
conveniente, o incluso avwo de letra, na impor-
tancia de 459980. saccada pela thesouraria de
rendas do Rio Grande do Norte, sobre essa a a
favor do agente fiscal Jos Joaquim de Lima J-
nior, ou a sua ordem.Communicou-se ao Exm.
presidente do Rio Grande do Norte.
Dito ao mesmo.Certo do contelo de sua io-
fo.marjo de 4 de setembro ultimo, sob numero
819, resiituo 4 V. S. cobertos com offlcio do com-
maodanle superior da comarca ds Boa-Vista da
9 de abril deste anoo, os prets dos guardss na-
ciooaes destacados na villa de Cabrob, a contar
de 4 de setembro at 31 de outubro do aono pr-
ximo passado, na importancia de 736*170 ra ,
aQm de que conforma requisita o mesmo com-
mandante superior, mande pagar esas, quantia,
sendo 35IJJ8I0 r. ao capito Salustiano Jos da
Silva, e 384$360 ao capito Pedro Euphraaio da
Silva, ou aos procuradores deste.Commuocou-
se ao commandante superior do municipio ds Boa
Vista.
Dito ao inspector ds thesouraria provincial.
Usando da aulorisec.o que roe conferio o 8* do
artigo 26 da lei numero 488 de 16 de mais de
1880, o a que se refere o stigo 47 da lei do or-
namento vigente, racommeado V. 8. que, no
termos de sua iofarmacao da 17 de aetombro ul-
timo, sob numera 460, e dos parecer da res-
pectiva contadoria a do procurador fiscal, mande
pagar ao terceira ssoripiursrie do consulado pro-
vincial Vicenta Machado Freir Pereira da Silva,
quando houver crdito para esse fim, a quantia
de 960J228 rs. correspondente eos vcncimrntos
do seu emprego, a cantar de 13 da agosto da
1953 30 de juoho ds 1854-. os quaes detxeu elle
de perceoer, em coosaqueocia ds nao ss achar
al eoto epprovads o actual regultmento do
mesrao consulado.
Dito ao mesmo.Mande V. S. pagar ao geren-
te da companhia Pernasobucana de savegacio
cosleira a quamia de 6:666*666 rs. por canta da
subveocao que aa eat 4 dever 4 mesma compa-
obia.
Dito ao mesmo.Certo docontedo de sqain-
formaco de 7 do correte, sob numera 623. da-
da acerca do requerimeoto em fue Joio Aaas-
lacio Camello Pesaos pede pagamento da quan-
tia de 4:4IO000 que aelhe est daver prove-
niente do abato concedido pela essembla provio-
viocial, da quinto.parta > praoo totalparsas
atwmaiou o imposto do 2>S00 tobve abasa dt
gdo vacum consumido no rosmeto** da Pao
dAlho, oo trienio de 1BS7. ys 1860. itcoispiMuki 4
V Sr qua maoda ff^ctaur mu, agamaoto, isa
que o peranitiram oanpke .desea Ibvaoauarta,
dorando, porm. o saavKeaaU aatlafazer imma-
diitamaote.s qua ders fazenda pttoatca, efd-
tuaado.se a oPr.ci* no aeemo dia. ato canfar-
midads com p simvkm Haeal, joatorar *
rr qfQ*i de4it|4#, a:
qua ton. dJreito. pw Matara sjtto rsea>sds pw
visa amante a# earrts do gi lasjjs da ss*adtaS
m+iSttt. CsmmOTiesu-at o ashfasjito *1-
wtiajfi
passagem ds
companhia per-
dla.-Convm que V. S. remetta-ae al o ulU-
mo de Janeiro vjndouro o relatorio desta santo,
casa indicando as medidas que devam ser Uva-
das ao coohecimento da aaaembla leaislaUva.
provincial.-Neslesentido officiou-se tamlSVm ao
director da iostrueco publica, ao ifbpector da
saode do porto e a toda aa cmara.
Dito ao director do arsenal de guerra,Forne-
?a Vmc. ao superintendente da estrada de farro
aeis espadas de polica com bainaa a cioluroes
que elle requisitou em offlcio do 9 do correte*
e msnde-me a coota da respectiva despez, para
ser odemoisada na thesouraria de fazenda.
tommunicou-seao meocionado superintendente
Djto ao mesmoRespoodepJo ao ofllcio que
aesbo (fe receber do Sr. superintendente da es-
irarja de ferro, recommeadu ao meamo Sr. supe-
riotendente que com a maior prendad que lbe
for Possivel, me remella urna copia do contrato
celebrado para a desapropriaco dos terrenos ne-
cesarios a construeco da mesma estrada.
roarla.O presidente da provino, leodoem
vista o que requereu o capellao eonir.tado para
o artico do hospital militar, fre Aotooio dt
santa Rosa, e bem assim as informacoes minis-
trad ss pelo corooel commandante das armase
thesouraria de fazenda, resol.e conceder-lbe O
eioneracao, que pedio daquelle lugar, em on-
sequencia de haver finalisado o seu contrato.
rizeram-seas devidas communicacOes.
Dits.O presidente da proviocia, alteadendo
ao que requereu o juiz de diretto espicial ds com-
mercio Trisito de Alencar Araripe, resolra con-
ceder-lhe trila das de liceos com. vencimon-
tos, contados de 12 do correte, psra ir pro-
vincis do Ceari. Mandou-se dar
estado em um dos vapores da
nambucana.
Dita.O Sr. sgente da compaobia brasilaira de
paquete a vapor, maodem dar passagem de cato-'
do para o Maranho. no vapor que passar do-aul.
a Pedro Pereira de Souza;
Expediente do secretario do
__ sjoweraso.
Offlcio a thesouraria de fazenda.O Dr. Fran-
cisco Teixeira de S. juia municipal e de orphos
do termo de Pao d'Altio. participo* em 6 da cr-
reme, que oessa mesma data reassomio o exer-
cicio do cargo de juia de diretto interino da oes-
pectiva comarca, por ter cessado o impedimento
que o obrigra a deixi-lo oo dia 26 do mez pas-
sado ; o qne commuoico 4 V. S. de ordom do S.
Exc. o Sr. presidente da provincia.Respon-
de u-se ao referido dootor.
Dil' ao jois municipal de Goianna.De ordom
da S. Exc. o Sr. presideoto da proviocia commu-
nico V. S. para seu conhecimeoto, o aSm do
que o faca cooslar ao agraciado, que S. M. o Im-
perador por decreto de 15 da novembro prximo
lindo ouve por bem fazer morc a Maooel da
Conceicao Pereira de Albuquerque, da serventa
vitalicia do ofOcio de eserivao de cepedas a resi-
duos desse termo.
Dilo aojan muoicipal doa termos da -Villa-
Bella e Flores.De ordem de S. Exe. o Sr. pre-
sidente da provincia, commuoico V. 8., para
aeu coohecimento. e tm de qua o faca cooslar
ao agraciado, que seguodo conato, de earticipa-
cao da secretaria de estado dos negocios da jus-
tica de 30 de novembro prximo fiado, S. M o
Imperador, por decreto de 15 do mesmo mez
Uouve por bem fazer merc a Joaquim Goocalvee
de Lavor Ayres ds serventa vitalicia doa offi-
cios de tabeilio do publico judicial e notas t
Va-Bella* rphi08 a c"" d0 twiB0 *
Dito ao Dr. Jos Joaquim Firmioo___S. Exc. o
BO. presidente da provincia manda aecusar reci-
bido o offlcio de 30 da novembro prximo nodo,
em que V. S. commuoicou que, na qualidade
Si i"!-? rere<0' da cmara municipal da
cldade de Goianna. assumira o exercico do cargo
de juiz municipal e de orphaos da respectivo ter-
mo o dia 25 do mesmo mez.
Despaehos do dio IO d
def.t*ei
. Ji*sMrtsiisiiios.
Antonio Jos Gomes do Comi.Como re-
quer, pagos os foros rtevidos.
Freii Antonio de Ssota Rosa.Patse orlara
concedendo a demissa pedida.
Antonio Maa te Jasss.Informe o Sr. Dr.
chele de polica.
Firroino Rodrigues Vieira.-Pags a rivalidacSo
do sallo, volta. "^
Flix Volois Silva.Prove o tspplicsnte ler boa
consuela e occupccao honesta.
Fraodaco da Silva Vaz.loforme o Sr. ins-
pector da ilsottraria provincial.
Guimares cS Azevedo.Informe o Sr.
lor da theiouraria provincial.
Galdioo Miguel Praoeiseo.Opportuosmento
ser e Mpplieaote aitendido.
Irmandade de S. Fraociscode Paula erecta na
S*pe.i-?C",n*,-*,ofornrBo Sr- thesoureiro
sos loteras.
Joio Martina de Souza.Reqaelra ao Sr. com-
mandante da estaca naval.
. J"0*0. Anesleeto Camello Pessoa Junlor;-Diri-
ja-oo 4 thesoararia proviacial.
Jnao Leu Rreeiro de Parias Sella e volt*
quarenda.
, Joo da Costo Jcttito.Informo o 8r. Dr.chfl.
fe de policio.
Jos Aotooio Coalla stossastao.-Informe o Sr.
insoactor da theaosrarto s frnda.
;rol Joae ds Nssta.sWtbtrads RosarisNes--
ta data so recommend so lomssaadaole das ar-
mas, que contrate o eupplicaato.
Luis Ptaoeisco de Oliveira. Informe o Sr.
inspector da Uaesnararta de fazaada.
. ..^t
inspec-
MTERIOft.
a^Sfe
Dito o Dftotd d, SaU Cmi do Mtoomot- Idito AtooMt Atrs tt %,**&
RIO OS JAKUM
da owOrs de IM1.
Foraaa noaseasss : ooaamaaslaOSr 4a arda a-da
S. Beato to Arto o vice-almtraoto bario ds Ta-
anandart, eavattoiro Ss Ghristo o padra Ni-
colao Germsin, vigario collada da igraja de Petrc-
polio.
i ii .....
Per decreto ato I ato sorraate yssasiam a
OigvogatMis atrssoa Jas da SaiM Po he iva a Praaetseo Maooel Porsi-
ra Feo too, sato do oreo do rtttfcaria tsMato-
Gresso a aajaalto ato sV Satotbaa ato tofaolarto.
Po aoorato ta asame tato toi araorfaOto paro
a Ia classe do exereito, sendo inctoJOata i*es-
baafcto o. 4* rojjimaaito ca torva Isaam,
caaiUae osjsjrefato-mesma asaosLasU Jaaoako
testt-eVsofcTsn- '' >
-i. 0 i.' -
m satos : *
1 V aacatotsOsr da tbtoaararia do Par, o *
ftitoistoyooostoitofidiodOiolva' '
L *'**!SS!S2!m& *>*>*ir.rto, r> oktos
de aechas danHaWoojsosdo^ssilOjOdiis^sCIto.
'#WajO;h eii>d i f
'^y'4.11 os b>Noy_satoP^iOatoioaovO
Ctotaa Atajsdtt OAaS^OaatoodSi
to.^s OaOtXttooj-^stn^usoiJooo Poto toCosto;
ooortoiitsfv* 4a alfsotOga do AroooiO, ato dt'SaVdsjP aottoiloi'lsttomMifi.
odril i


tiii miman n 'umum
ftURIO M MB1UIHX. K SEIT1 FHRA 1 E IVEZEM|R0 DI 1861;
' -lii V
UTIXX
k
Pal remotido o chefe d aeecio. da thesoarsria i vldos que forem cesados poderlo ler acomeenha-
o Amazonas, Arislides MiM|i|fl|W igual em pregona 4ae AJatofe VJj-^^ *AuA*JMl4* ** coovi,la,los te,i lo" Pel P'-
f01 demmido t lea^HNMN WNfl#rM| V W-do Vdo edificio ao lado do iheatro de S.
xfaesourana da Babia Nicolao Carneiro da Rocha
Puno. .
Poranrtaria do 16 to:
Muaj
' ~~ 9 "^
ado no da 6 do correle enirado nesteporto
Vdo aentajaratiba, o v.a nsstWal MMm-
>, recaden o competen** mpregado ds .po-
vieHedp estylo, eretirsva-ce, quasjd* foi
POlo Djestre do vapor de aj* seuiperdo
^rte deS.*.tri
pan aJteta
__>!nimed*a formado pelo proprio ofncial de que era com ef-
etooos iuUsu^au tmt i vlaliaVJIlcXlarou-lhe o"
eapregado da polica que semvlhaote procedi-
W.^sW^B,^ *iol>rpo-de direio*rm
tonal, em que nao poda consentir.
O efficial defeca? Bcltwnita assim advertido
jarrn-se, aoaa*twado e*rrn parafciper o oc-
cqrrido ao aeu commaodaoae.
Logo que-S. Eae. o Sr. ministro dos negocios
alrsngeiros te-oabdCHuento(iciil do facto e
de anas circo mstaocias, dirigi-s ao encarregado
4 oegocwsoe S..K- BcUaoaice (aseado aa.devi-
dae roclamacaa,
O Sr. F.van H. Baili oso tardqa) ai dar a ajis
completa aatiafacao ao governo imperial, decla-
rando Q^WJLttclJ aTludTiTo ai- lera origoj na ig-
norancia ou m intelligeocia das ordena do chele
^aWa^totoaWtVft&'ll.-'feriiannica por parte do
aaBeral veo prticou, e asseguraudo que naOse-
liaaa-olardWrprdduziflossmelhanles scoote-
et oten toa
m_______
ot *^itl< em um lugar de juiz de Hr'eito
o cooselheiro JrtSo Litis' ffir Cinsarnao de Si-
aa**; cnnWftttettaoo'aanaal do 1:0001, fe-
pttMJ'ate netvW'jjerte da approvagao da a^imb'la
Poram concedidas as deraisses qoe pedirn r
O baehiTt!Atftt4to Jos Borges, do lugar de
jara manieipal eHJe'orpnaos dos termos de Cam-
po-Moior Barras, no fi'auhy ;
aUtoili VetreirS Prestes GlmaYaes, da sf-
vcrtia do offltlo de escrivao de orprros do termo
de Paaso Fndo, no Rio Grande do Sul.
Foi remevfdo ojnizto aireitoJoSo Ignacio' Sil-
Pedro de Alcntara ahi serio entregues oscsr-
Wwle conrile.
ilJJHllaaJ^ftflnJfi. dUfiidjf Para ai
Ico partees,
angostos eemcuiree-awrraeMueeda a entrad*pe-
da frccVN efsMo todas aspassoas
hm apteeeotaraaa decaorteoieate veslsiea. ob-
servando-se a esta respefra as dis?osiee\ee pres-
criptas as ioslruocaes que seao publicadas.
vvira da Uotta, da comarca de Santos para a de, Paran ;
Jaeareny, a iroriDcla de S. Pauto a seu pe-'
Hido.
Poi doy d BarrWPimenltt'a comarca de Santos, pa-
mella te* *x*rdcfo.
Vofto noaYwdos:
teanaref Jos Gpraes de Sooza Portugal, juiz
nuRicipal e de orphaos de termo dfe Nota Frir
baro, provincia do Re de Janeiro;
-esjlKshareUoao o^thb oharl^ juiz munici-
pal e de orphaos do de Sabara, em Binas-Ge
raes:
Gustavo Jos de Araujo Patricio, escrivao do
jaty do termo da Peif*a (o Saht'Anha, proTincia
da Sabia ;
ttidaa aa
whe daeaM
A entrada nt
rhBMe ** de Sais
pama, a aoetn rar coa vi te.
< Meta hora dataos 4a retirada
servijo qae
, ante eda-
Alteaalm-
d's
encarregsdos da ex*cucio do presente ceremo-
nial Rehiro dto edifiAi*. './I)/):U''-A
Rio de Janeiro, 25 de novembro de 1861.
Marqoez #e branles, presidente.Or. Frederico;
Leopoldo Cesar Brlamaque e Antonio Luiz Per-'
ooodae da Cunha, secretarios; d
Foram removidos a sea pedido* es jiws d
direito : JolO Antonio de Araujo Taseonceilo,]
da comarca de Guarapoava para a de SantoAn-
toaio dos A ajos 7 Cali Franciscn da Cmara Leal;
da de Castro para a de Coritiba ; Jos 'QurrHBo
de Castro Lea, da do Brejo- da^Madre de Dens |
para a da LlmugifU
mpida Gatanho, da
da Madre de Deus
Foi noanaad jais municipal e de arphea 4o
termo da Cwoceicao, na proainfiia da Minas-
Gpraes, o bacttarel Antaaio Ciflad Manteiro de
Honra. 'iy
Fokggragado
Tica-presidente,ao-Sr. Dr. JoaquVaa Vlairi
Cunha. :
Primeiro secrelario, o Sr. Dr. Hi
cisco de Afilia.
Segundo aecretario, o Sr. Firmino d
ja Rangel.
nianunh^aa. tpjin na ca
a realhpeho dpaaicao
dia t aVxeaaha*.
A este respaila dU o C\
oorrerrta :
Raaaio-sa haatam a _
exposieao m0mv,*oL_
Tce-praaNa(e taovii
Oa>. Salles, aiee-praatdanle aWquella, re
tou em atrofiad* pahfMo qu< baata
o depais a ottsaaa raauiao, eo)am
achr-sa qaasi promplo eaiflcia aoe ti
deitinado para o caso, e coasultando se nao s^ria
rj\ntant*m .awnt tu .ifl.,M. AyfrprT?y-
inciapi
Jel* i
sido
horas da aoateiha a renda da roa da Caridad e,
da do Gomoros. a China Maooela Soa-
aav coa oaia furibunda tacada no cora-
assassino por dous companhei-
de guarda na cadeia, leraram-o -
fta|fc.'rwir*w;jR aai?,
*ii9_ "% V menoscabadaraapaiiaBda-o Tal foi,
Mmatt RnaMO/ie eslava ; e com a faca eas pa-
*b \> jj to|ji^fceia de sangue da victima que
*aatar. ameacava a tadajqaa a llaae
' que afloalk/iaarda de reajafcer
s de um policial, rasolraa ir
alo com a ruesaa taca, par-
ira para A 044. ReaaJhi-
i a faca e|aM-alora, seado
conduzido para oquarteldas
ideil
vuoj.a, L.niu3-iutu hncarregjsie d. jgepcia. a upsc/ipcSo indicadal^en.Maller eRinto1^^
has intruccoes do gfro : e mais das da or-J "are tX^|B'q8mbro OJ*p"
ganisagWdrtalatOrtMneflssdetefrnlnaffo. < M'ViM d%'^v)^ftsad'fo^irbmea aja-
tro;-LoarencD Francisco de At-+50es do Kglmamo'tilTBrird, ffaindla^emTarms f cl7Ta~geraTT lecrelaruial
da de Limoewo para a do Brejo paraialtetrier diariamente ao reoebfaMtap dOf diro Pdlydord'* ^oosclj
-' objeotaa-qtte'envrarm osMpshores. ", >,',_ -
ao estado-maior do com mando
superior 4a gmrda aacionil da oapital da R*. posrcao, premotendo pelas soas relacSes 0 eo
Grande do Norte O lenle-cofotfel Luu Antonio
Frreira Sonto. / .
I Foi coratnutaaa era 100*000 para o imperial
iastitalo dosUeainos fiegas a pena de doos ase-
ses de prisoe multa a que foi coadentnedo-An-
tonio de Barros Lima -par eeolenca do juiz de
direito da I* rara criie da corta. "
Por decreto d IR do coreante, fu agraciado
con e orcialaie da imperial oraeaj ds RostraSr.
m.ejas Aiotouio de Si Gamargo, dapravkeiaOo'
:P.
Fot nonaeaio cavalleiro da ordem 4e Ghristoo'
Rer. padre Luiz Antonio Escobar de Araujo, vi-
gario coliado o igreja de s. Chtistovae.

jn'jumv-ajV'toi uv C*VIV
tabilidadesj \'_','\{{\l\fl
A' obsequsidado de 1
Joao a'raBcisco de Agorar, escrivao de orphos
dogal? <
O lente-coronel Manoel Alves da Costa Coe-
Iho, para chef de stido-roaior do commando
snpertot da iraarda nhcionaj do municipio de Mi-
na* a Rio d Conras, trrovincia da Bafta ;
Capilao Joaquira Aogustp d Moura, parale-
neot9idaroa*1 eotBmaodartW^do Vatalhlo t. Wde
infantaria da mesnit pravreeia }
O cepitaa cWrglao-mr I>r. Loit Jos Corrfea
de S, para teoeawcororrel do t>alalho d in-
fanUria n. 24 da provincia da Parahyba.
M*A Felizarda Frankf.irl, para tsente-coronel
coaaaaaadaale do batalhae n. 25 de Mioas-Ge-
raea;
Podra Forlnnato de Souta Magail.es, para ca-
pilao aecretario geral do commando superior da
capital a Paran.
i 1 ni
Ba ardasa da dia 293 publicada ante-
honten pela repartigao do ajudinte general, cons-
ta a seguinte :
Nomeafei.Do 1* teoeate do orpo de eoge-
oheiros Uerculano Garlos Ferreira Peana, pare
servir na provincia da Malo-Grosso i dispesicao
da presidencia da aaeaaaa provincia.
Do Sr. lente da eompiohia de cavallaria da
provincia do Paran Francisco Xavier de Gedoy,
para recratadar na masana provincia, como pro-
pos a respectiva presidencia.
A do Sr. leante reformado do exercito Henri-
qe Tiberio Capistrano, para escrivao do presidio
de Fernando de Worooha por portara dencia da {irovincia da Peroambaco de 19 de se-
lembro oeste auao. Coi approrado por avise de 14
da corrate mea.
Do 2 sargento da Ia balalhao de arlilharia a
p Mariaano Jas Peraira, quocoraroanda ods-
jcameuto da colonia calillar do Uruc, para es-
crivao e professor interino de primeiras letras da
mesma colonia, sendo substituido oaquelle des-
tacamento por oulro inferior.
Traruferencias. Para o corpo de estado maior
de Ia classe, na couformidade do ert. 6o da le o.
1,143 de 11 de seiembro do corrate snno :
Os Sis. segundos lenles do 1* batalho de
arlilharia a p Mjnoel Correa da Silva o Uato
Augusto dos Sanios ttaxo. Uceada sem effeito a
frsnsferencia dos mesmos senhores otR-iaes para
a arma de arlilharia. (Ordem do dia n. 290.)
O *r. alfara dW\regtaa*iuo 4a aaadtaarta-rK
Seira Joao Pedroso Brralo d Albuquerque.
Para a arma de cavalUfi*, oa onformidade do
xnesmo artigo de le cima mencionado, deen4o
e Incluido no 4o regiroaoto de geira.
O Sr. 2 lente do 1* bsAalhao de arlilharia a
p Franjeo Miria Piubairo BtUacaurt, como
rquereu.
l)us Srs. segundos ten,eot*s, Carlos Ela*es (te
Preitas Guimaras, do 4 balalhao d aililUaria a
p para a compauhia da.arlUicaa dePwBaiaB-
co, e Ascencio Muiervino Maira, desla cosaaa-
nbja par# aqu^lle balalhao, cpmo requetram.
Do Sr. 2 lente do Datalho 4o artiLharia
pJorg* Di^iJo>1$a^vto,pa<*. o do 1. a ases-
ina arma, como pedi.
,Do soldado fdoidp i c*>anbia da cagadares
da provincia d Sergipe Clfludio Maooel deCas-
iro, pan o 7. bttslbo da.lQtn}tniai como p*4M.
Al->'lv Recebemos o seguiote programma do aaaaaaait
B'A da expoirao nsciorfal uo-dia dodazamarapr-
ximo futuro :
Suas Mageslades a AUetas. AtaparUfis lesa
recebida puita principal 3i f rea te do edilclo
pelo presidente e mais membros da conunissSo
directora, e pot eUesacomp*oba4ae** aaala do
IbroDo.
Lago que 6ims tageslides e Altezas Imperases
occuparem o ihrono, o prasideaU da comnisaao
direeiora, obleado^-dewida permissao de 8. II. o
Imperador, reciatr o diasurao -de loaagaraceo,
lindo o qual o mease* augusto searrtrse dignar
eapaolcioaaciooaii' -a
c A abertura da eapeaien aaataaat gwan-
'......ILI Jl IIIIIRilUl II
Falleceu hootam o Sn. coeaetheiro aaarech.iHe
Campo Francisco Fe* la Foasecs Pereira Pinto,
ajudante-geoeral do exercito e urna de suas 00-
pessoa competeole de-
roates as SagaiMaa aao mais importames^neo; jlUslaaJiaado'tirestou ao
pauf
Francisco FeKx da Ponseca Peraira Pinto era
natural de Porto-Alegre e filho legitimo do bM-
gadeiro Joaquim Flix da Fonseca. Assentou
praga [sendo ainda menor) em 1817 e corueQou a
servir em 1819. Em 1826 foi nomsado ajudan-
le de orensda Ia divisao do exercito do sul, a
oaqulla campanha passou a capito por dislioc-
?o e palos bona servidos que prestou na bala-
Iha do Paco do Hosario, pelejada a 20 de feverei-
ro de. 1827*
Fez toda a campsnha da guerra civil do
Rio Grande, que comecou a 30 de selembro de
1835, e terminou em o 1 de atareo de 1845,
quaado foi proclamada a paz pelo Sr. marques,
enlao baro de Casias.
C Nesla lula;de dez anoos, que lodos os bra-
sileiros deplorarn, assislio eos combales de 25 de
junbo e 29 de setembro de 1837. Em 1838, sen-
do major, coraegou a coaamandar o 8" balalhao
de caladores, e como tal foi elogiado por varias
sortidas em que muilo se distingui as l'edras-
Brancas, Boa-Vista, ote. e com especialidade 00
ataque da Azenba, baleado-se o seu balalhao
conlra urna forca nimiga muilo *mais nume-
rosa.
Na noite de 2 de oulubro de 1813 assislio ao
ataque da Coxilha do Pogo e ao de Caoguss em
6 de novembro do mesmo anno. Em 3 de agos-
to de 1851 marebou para a campanea do Uru-
guiy, Qnda a qual seguio da colonia do Sacra-
meu;o com o commando d*-15 brigada da Ia di-
viao, que fes parte do-ercilo allmdo na cam-
panha de Bjeoos-Ayres conlra Ravaa. Assislio
ao cmbala da Tonelero em 17 de dezembro de
1851 contra as.forcas de Hansilla e a batalba de
Moren em 3 ae fevereiro de 185z, sendo entio
elogiado pela bravura, discernimenio e sangue
fri com que se portou nocomenaade da sua bri-
gada, pelo que foi promovido a bngadeiro.
Por decreto de 17 de Janeiro 4e 1854 foi no -
meadoeommaodaote da divisao imperial de oh-
servacao, eolraodo no territorio do Estado Ori-
ental a 28 de marco de 1854, o a 3 de mato do
mesmo anno na cidade da Montevideo, oade di-
rigi o semieo da respectiva gusroicao. Oe volia
fui louvado em nome do imperador pelos boos
servcos presuados ao imperio naquekla rep-
blica.
Dissolvida a divisao foi nomeado comman-
danie geral de todas as brigadas e fronteiras, e
promovido marechai de campo em 2 de dezem-
bro 'le 1856. Por decreto de 7 de outubro de
1817 01 nomeado com mandan te em chefe do cor-
po de exercito de observacio ira fren letra orien-
tas, O/quai, redolido a divisao, contlnuou igual-
mente ob o seu commando. Por decreto de 2
de novembro de 1858 fot nomeado com mandante
das armas da Baha e dalii regressando, segua
para o Rio Grande a assurair o commando da
fronteira, quaoda foi nomeado eommandanta das
armas-taquera meses* provincia por decreto de
10 de dezembro de 1839.
-a Por decreto de 7 de novembro de 1860 fot
nomeado ajad-aete general, tugar tu/o e-rercicio
asumi em 5 de dezembro do dito anuo
Ne aesempenho dcate Importante cargo o ge-
neral Peraira Pise lirmava todos o das o alto
Crdito a considerado de qae gozara, ato s
peda espirito e justico e reclidio que nnicamen-
leoguiava, como peta lealdsde, intelligencia e
zeio que o diaiinfrutam ava deciaio des negocwa
qoa cerriam pala soa teparticao.
- fira dipaatarlo do Cfnzeiro, 'grande digaala-
rio daoa, eammendador de AvIr, e condece-
rada con aasnedalhaa deaaro das campaubas do
Uragaay e da Buenos-Ayraa.
ada naadas dasoaa^eari cam descarnada-
manxevadvCBdaeam litlo de gloria para a me-
moria ido general Peraira Pinta ; porque cada
ma dellaa aymboliaa um servico relevsnlerao
pan, atete pateqoa v cantrtetado irea es-
apparecendo ara a um oa seas mais benemritos
Dthoa. *t of : r.n j-i : 8fi -y,
a Perdeo o estado tn dos saus mais presti-
moaas servidores, o imperador um dos seus mais
leaos subditos, o exercito uro de seus melhore*
soldados, e o Sr. marques de Caxias um das seus
anata dedicudae amigos.
Oentrroter bagar hoje 4a 5 horas da tarde,
Con tedas as honras devidas so illustre finado.
"oro desie,
Resolveu-s.aeriho,aqib> propeita do mesmo
r. Salles, que se aomaaase urna commissao de
res paanUKos para- oeganMar o prpgnataja da inif
tallacao da exposigao. recahiodo a ascolha do S.
presidente nosSrs.jba'lubi.Dutra e Caslro Ram;^
Iho ; que ootra senneumbisre da d-cora^ao ds
casa, soadanamaddor para ealao-aa Srs. Oas da
''osla, LernasPiotoe Salles ;q*e um terceira se
algu
ra a ca
ne, dizia elle,"
_B 4 cadeia qi
atao, atado,
triocheiras.
--*
aeu
men-
superior e homicidio, vai ser processado civilm
Upana.resaaaaer pitos saos Crimea.
N dia 18 liaban caegado no brigua hambur-
guez Maikd$, 41 ccHoooapara a provincia.
. B Saaaa-OtBaiia nada taeaaequeaoUciar.
Por avjso-de.28 do crtente forcea promavidol
!uardas-maripb^1oa{aspyraplaaiNiipoleo Jao-
Ultirjrameatedelibarou-sea mandw annuoeiar
pelosjornaes da cidade que ae seria abetto o re-
cehimento dos objoctoa t ezpor-se ; e be asaim
assim qae cada um dos membros procarasse por
todas as maneiras enri jueer o calalo^o- da en-
de objectoe dignoe a^Ugurar oellas
Regrewara do Hio Grande o eW; Frarjisce An-
tonio Peraira da Rocba, leudo obtide *>aquella
cidade e na de Plelas a assignatara de mais de
oitocenuis acedes pira a compaohia Hydrauhca
Parte- Algrense.
A cmara mirnirlpal de Porle-Alegre fmha de-
miliido seu secretario o Sr. Manoel Joaquim de
Aze*edo. 1 o
Bata va designado pelo Sr. bispe diocesano para
parocho da S. Gabriel o Sr. padre Veras, secreta-
rio particular de S. B*e.-RTnr.
Na villa de S. Leopolo tioha havido ia cen-
flieio com a autoridale policial per ler esta que-
rido Jomar eAfectiva entrega de orna neataa
orpaiaa an taior nomeado pelo respectivo juls.
O Mercantil d a seguinte notiota da Cidz Alta
em dala de 4:
< Acaba doehegsra esta villa o-cadver de
um guarda nacional por nome Joaquira de Lima,
qud lando i*0 revista honlem, no Lageo, per-
noiiou ao rollar em urna casa onde havia um
fandango, e leudo sabido fra, na distancia de 60
paseesi am dos convivas de heme Antonio Ren-
go lhe deslechou urna pistola -car rege da, cajos
projectis penetrara ttelJceda regWO thoroxio,
abriado to larga fend >qae ovt ella sabio urna
boa parta dos intestinos.
O autor dessa raorte est oa cadeia, leudo si-
do preso pelo alererirow.T -
De S. Gabriel escrevem em 2 ao Corteio do Sul:
Foi enva* e-fJto.'Sr/resrtfeffte da pro-
vincia nsa quixa documentada contra o jurz
municipal, delegado policial e juiz commissario
do termo, 9r. Agosrinho Tlanna, documentan-
do-a com urna pvrcao de pro vas poderosas
Entns os qnelxosos citam- nos os sabdilos ar-
gentino Pina e francez Mcnou, que foram infini-
tamente vexados pelo Sr. Vianna, e que para
com o ultimo nao honre tropela que nao em-
pregasse.
Foram tantas que delxou o hornera por por-
tas, e que ainds em cima o metteu na cideia.
Fez-lhe peohora e avaliacao de bens, sem
intervenejio de louvados do executado; prolongou
a penhoTa sem intimacao nem mandado ; n'uma
palavra, sacriQco o pobre francez a Qcar sem
nada ; e por altirao arrumou-lhe urna resistencia,
que q ollicial da diligencia declaren nio se ter
dado, masque ainda assim foi pretexto para jazr
o misero na p-risao alrrda uns dias. '
Sena um ntjTJcS acabar referir um por um
os pormenores todos de qu acusam so Sr. Dr.
Vianna os documentos da citada queixi ; e cou-
sas ha to descabelladas, 'lo escandalosas que
custa a comprehender como sargissem em cabeCa
humana. '
Le-se na mesma folha : I '
Relatam-nos da Costa da Serta, ^municipio
aju
da 2a dt-
uerra o Sr. briga-
aoilha Jordo.
To icrero d 9o de nvaVorO proxldrohsaa-
do foi concedida ao alfares do S^feglmenld de ca-
vallaria ligeira, Vasco Uatis v Azevedo Freilas,
ademisslo qne pedia do servio do exercito.
da moda fossem oppnrtuna-
guerra a da easa
mete expostos.
Qbteve igualmente, pelas circulares que ex-
pedir, e ootras diligencias que fuera, a compla-
ceate e inesperada concurrencia de 439 exposi-
tores, e a etjglomeracao de cerca de 6,000 objec-
acham-saj4^|djUMA4os ou otaarsas sa- ^"aSi
palacio. h
. aenhor, o resultado que al hoja aos
fot parmittido al canear.
Nio se lisong acomaiaafo de lrfver aom-
pleUdo satisfactoriaBsante, na curta aspaco da
tros mezes, a trela que tomara a paito: acredi-
ta perm que, se a sua modesta obra aeo sateeta
a afflcscia dos estar cae que empregera, rata va
pelo meaos o deseja qua errara e a aUmce que
reatara para que sahtesa Meaos irragalar
4a a larga ap rf** parada.
A s 7 horss asistirn es meamos augustos se-
heraa ae T Stmm mandado celebrar na igreja
do Saatiasimo Sacramento da antiga S pela
yriee' ManisMatsa. aada a
honraram o
companhis MMbd 4a Opera actsaal dea a re-
preaaatacio da apera Ot aiataasJiiijhil.'
Aa fortalnaaa e vasos de guerra acciona es a es-
trangalros sartas no porte eaUveraaa ambandei-
radoa a salveram Sa horas So eastaase.
______ .1. -
para que sasHCMlMaaoa
perfeita. embora mal aazooado aeja alada a',
T,[rjiclo doa seua irabilhos. axammMo se coai-
ideealmede eemmellldo praz todava de harer dado o priosetto- passo e
1 d urna exposicip nacional.
a melhorada no futuro, lera
de excitar efBcazmente o desenvohimentci e per-
feigao do traOalho, vejrdadeira foute da riqueza
QURIO BE
rhalizsdo, ..eatr
qjua. reproduzida
0 vapor Hermts o sahir a barra de Macah pi-
lra Campos, ta madrugada de 28 do mezpassado,.
sobe forea de moito mar bateu em urna podra e
logo abri agua em tanta quarHilade que para
uo sossobrar o capilao eocalhoa-o tas praia de
CaVapebs, m pouco ao porte de Macah.
Deste ponto'tinham pamdo para 0 tugar do sl-
nistro vanss lanchase canoas aflm de'presiarm
todo a auxilio que fosse preciso aOs.passegelrbs, e
triooltfjlo do vapor.
Urna carta dalli datada om 2S do passado is 8
horas da manhaa diz que at squtll momento
oo so lioha a lamentar victima alguma, e como
a praia a onde estar encalhado O vapor era mai-
to abrigada, havia toda a eiperaoca de saivar-se
ludo.
O fferme* sahira do trosso para aquelles portos
a 27 do pastado condutttido gnmde numero de
passageiros. PerWnce Compaohia Uniao Cam-
pista. O commaudanl do vapor Ceres, sahido
honlem, levou ordem de prestar aos nufragos to-
dos OS sncrnrrna nra*rin
T
largo do fago, a
rendla como ai
Abarte
commissao d
repe4dp de urna gi-
eapaasgp aacional. o piesideute ds
dia^Wfaa^rWBd laslto bras.lei-
i.
36
Peaa eanhonhajira 4 rapor Stmortle, airada
oatem doa portos do sul, tiremos atas de Parto-
vagra at- 19v da to raed at 23 e de Sat
srtaartrra al A asserabla legislativa rio-grandense lora
installada no dia 10 pelo vice-presidente o Sr.
Patrvid - < Senheres membros da dssemWlea tgirtatlva"
1; copfaMfKaa aja|erisvaa>isiaaiiSjjeltades
pAJiSsaaaiiotrae,!Ji iudustria e prosperidade
nacttiBaJ, aaado aaaaa oocaaioxesutado abyan
iio.pwoMlaortMaha^dad o* miiaasaap^
tro e fr ck e*rltoto. L
Em seguida Suas Mageslades e Altezas lea*
periaes visitarlo, se sacias fea do seu sgrado, as
diveraas aataa aa4diicio, sanda acoaapaahadas
peale*pesaoee 4aaa aarvjca -aotoa Maaearea.a
ciaaaaUatro* e >4a4at *iapa> dMoaa>aaicy-e ajtaba
prasideit, -otesaajraa a dadamtdardaj^aojaamaaia
dir cloaaw ala,* aaAwadiiaaaa eacnaajaaaaaiatoa aa..
aaWraaaa-aan .lmacipaaa-paria psiaifaila
-ft4aMt94ta>4alMai. -r.n. ,i.ir-ii' oh eacola 'f
o^a^taWmartaado corpo -dipieaaptict tatam-aataJ
apflM #t lida cUratla 4ot*taaa^ampasiJi las
te aa damas de palacio oa criadoa aanferaica
4a Suaa Mageslades a A tas zas Impriaes. Os mi-
aafcrntaiadaaalhaina aaaelaad aa>iibeepooelooev
aano oceuparao aa cadeiraa da liaba 4a reajetaadoi
lmo-4iwti alai*ar4e*ea,-
aerda praciaenlad ada>
a*t4t*saciar- tedas
a^aap,aaajisa>tiaaaltiam liliajrilwso ot
^Pynd gb*>f:f6,* M horas da;
laBalwajaaajamcvMMWIari #i ABasaa-icnVa-
Vf&P
r*Jt*o|
Klopaco--
. raaav
ajenia da tei, me apreaealo Mtrf-vVjs. jife-
ros informar acerca dos negocios pblicos da pro -
troOHl- -.b."-- srn <;
Cbawala- adraMstrero, em conseqeneia
e*er si^*en*1doela'paft a presMenia
a atona, o eoflWaeiro Joaqim Aoto Ferban-
ea+jeAo, aseUrai a-refleSs d gorerfco mo dia
7 4>c*i^re.premop%ba4o! B* utto es-
iiff HW Mhrpo aalS cm e^etfftebo a ttMIlWlteih 'd'fteh "u
MtrMamjpRMMs? a^UlEi'elatidraMpeV1 ,..
a^-ara^WI*," ' avvVM*vd*eir. ^Ehwrfco I v Pdi r HeaiwrvaJhtaM sitfstmi a^i vNts rtrgen
a -aVa^ajia prawr d^a^weWr-**?
4l'^^e1vh*MBait9taWn8t
isjdj aaVaamolf *eaWM' WtfoM ma7.
i*a"aaV>ad"e4rlirftfi*0T^'r^
*BraJOi1r^pna43Vei aVtW'c*^'a
Wnavat4da>, partearas* wuynt
\ M-*IfcperaaJea tea Sa^M 'aAdlia
di-Wallb ePasdeVaVM'? avdu r.b
rfHtdaaal-aroaecnac. a mesma dia l'^ldoia-
da mesa.'flcou elja composla do seguate tpador'
M3oao a*#a do Triurapho, um homicidio, de que nos dao es-T
cassos pormenores.
cr Domingo passado um tal Domingo Bahiano,
ex-soldado do batalho 13, aesasslnou a um
Domingos de tal, que servir tambem no mesmo
corpo.
o A morte foi feita % tiro, e com arma cumpri-
da, mas nao nos dizem se 4 falsa f, ou se em
brtga.
O assissfno escapava-se quando segurou-o
um Capitib da guarda nacional do municipio e
oulroscoroparfrieros.'dvertidos pelo clamoTque
o persegua ; "porju depois, fose qul fosse o
motivo, deixou-o rrem plena Hberdade, em lugar
de fazer boa a prisSo, mandaodo-o apresenlar
4 auloridade competente.
Qjzo acaso que logo 00 outro da sppare-
cesse no (Aslriclo o Sr. tenerrte-coronel Apolina-
rio Pereira de Moraes cofomanitante do corpo, e
infrmalo de to estraWho caSOjpTocurou quan-
to lhp era possivet rethedia-lo, porm al o mo-
mento de es'Creverem-bos esta noticia tTffo tinha
conseguido mais do que mostrar o zelo e boa von-
tade que o animam.
As folhas do Rio-4eVrnde notteism atfrar-'se
completamente estanque e considerado prompro
par navegar o vapor Prtfcezu 8 Joinoille, e
accrescentam qoe ato' brevb flrgart para este
porto.
Em relacao ao patacho norte-americano Mary
Staples, cujo naufragio noticiamos no Jornal de
22. drz, o Kay.odtfl5:
0 patacho nrt'-smeilcafio Mary Staples,
vindWe Cadfx brfrh'St (flaJ de Viagem. capftSo
Rehen 'Newdomb, tendo a seru botdo WOcaixas
com macarrao, 'iOO c'dm figos, 300 com passas e
355 toneladas tng1eza*s de'sal, eocathou ante-bon-
em s 6 horas da tarde sobre o. banco da barra :
bateu ts fortvimerii que arraurju' ryitne, e por-
tatno desgvernoo.
* O Ca'sc-ono'uaVfa achtf itstfo-i tiris; le-
gua dopootalda barra.
-cfO egiirftftj T/riflcn' Si bnstat,,,ktte1>Hovein,
cora ma coYagm levada ao ponto-de. tomeTl-
dade, foi hootem s 5 horas da manrraa a bordo
d,o AfaSr S/fjpW,fror entre n'-dralh RrViosa arre'-
BtfdW5ao,""o nlw/u o canirao.'sua murhera oite
peaso-asv fls'qos'r se Cwm^hfPi,,,trtphfi}ao do
'Pllbho-Mufi-'a-gado.''"'" fl
O capiUo desle navio' ndnea entrn a nossa
barTa, e oao'lrazetfdn conrsigo o rotelro dos sic-
osis, frrfha wo tt* de proa' dmeWerfrt Jatk. que
representa nos Estados-Unidos o chamamoto de
um 'prertit ; este fatal engarro devitfo o t-
nWtrb. por(jae Osignal aeut qoerWter M lj? pal -
mos.a'agua, 00 eotanto que o narto tiims no cal-
dos os soccorros necessario?.
2
Em accSo de greca pelo felh anniversauio nata-
licio de S. M o Imperador, manda hoje celebrar
um Te-Dcum, na egreja do Santasirao Sacra-
mento, a commissao eocarregada de solemnisar
este dia de jubilo, a. qual se eompde dos Srs.
major Ignacio da Silva, Or. Peregrino Jos Freir
Luiz Bariholomeu da Silva e CMiveira-, Geraldo
Caelano dos Santo, Antonio da Costa Timoiheo,
Jlo Ignacio da Silva e Eleuterio Pimenta Car-
m.
A ceremonia religiosa come^ara 4a 7 horas da
larde, hora marcada por Sua Msgestade : otciar
nella moosenhor Narciso da Silva Nepomuceno, e
pregar o Rev. padre Francisco de Figueiredo
Andrade.,
O Te-Ueum, cujs direccaos foi confiada ao Sr.
Frlancisco Maooel da Silva, urna composicao
nova do civaleiro Cario Coccia ; canlaro nelle a
Sra. D. Hara das Dores e nutras multas senhoras,
e os Srs. Gentlli e Hygino.
3
O dia de hootem ficar para sempre memora-
vel nos faslos braziloiros.
O aoniversirio natalicio da S. U. o Imperador
um dia de fst'a nacional, nao porque a consli-
tuigao tal o declare mas porque nos coraedes de
aeus subditos lem o imperador sabido erguer-
se em throno mil vetes mais solido e duradouro
do qoe um olio s firmado no direito do nasci-
meoto eno spoio de ora exrcito. O soberano ve-
nerado e acatado por um povo ssencialrneole
mornarchico, e o Sr. D. Pedro II amado por
milharesde' militares de'almas, que nelle prezam
as virtudes cvicas e a boodade do coracio real-
zadas, mas nao deslumbradas pelas pompas da
realeza.
A eala festa tio-popular, verdadeira festa de fa-
milia de alguna milhes de filhos que recoohe-
cem um s pai, veio porm honlem juntar-se
oulra, qne, por ser a primera do seu genero, ha
de Bear pvra sempre oa lembranfa de todos.
E' inulil acrescenlar que fallamos da abertura
da eiposicao nacional.
Desde manhaa se agglomerav o poro ne largo
deS. Francisco de Paula contemplando a fachada
do edificio da escola central, transformado um
palacio da industria. E brilhantemenle ornado se
achara em verdace aquelle frontispicio.
Urna arcbivolta decorava cada janella, e 00
ceOtrO se lia o nome de urna das proeiocias do
Imperio, dlspostas por ordem alphabetica, a ni-
ca que poda arredar ciumes de preferenci*.
Dous escudos com as letras P. II, cercados de
trophos de banderas nacionaes, atlraham as
vistas, postos um de cida lado entre as janellas
do andar nobre, ornadas de ricas colchas de vel-
ludo carmezim fraajadas de ourO.
Por cuna lia-se o motepe acjutrt eundo,
ena cornija via-se escripto em letras grandea^p-
Expotifio Nacional.Acuna do edificio ergua-
se no' centro o panlhao brasilico, e ao lado fluc-
tuivam seis flmulas symbnrisando'nis cores as
ordens de tavallarla do Imperio, S. Thiego,
Chri&to, Pedro I, Aviz, Rosa e Cruzeiro.
Numerosas bandeiras ornarais todas as janel-
las do edificio, cujo gradll ds frente susteotava
estatuas e vasos de flores, entre profuso de ver-
des, notando-se dos dous lados outros lautos
lees gigantescos fundidos 'em ferso segando o
molde dos de Canova.
Toda^esla decOracio externa foi obra dos dis-
tioetOs artistas Fleiuss & Linde,'que fazendo-a
gratuitamenle, deraaj prova do seu amor 4a ar-
tes, e bem mereceram da indutria, contribulado
para abrilhaotar-lhe ums festa toda sua.
OloVerlot u^j) ediflcio^achra-S tambem con-
venieotemeote ornado,'sllresahindo entre as do-
mis galas a docel do throno de Suas Hagesta-
des, e o que em frente deste se armara sobre o
busto do Sr. D. Pedro I. de saudosa memoria.
A's 11 horas da machas ebegarm SuasMages
lades e Altezas tulpertaes, observando-se rigoro-
samente na receojao das augqs^s per3ooageos o
programna publicado. AvuTfadb pamero de pes-
ado'delOlt pe.
# S9 segando pretleo, Miguel oreira. tambem
trouxe para trra a bagagem d todas is pessoas
'do J/ary Staples,
' A*re--ldmwm denodado a destemido se de-
ve 'bstiaiotBs loafofes por sua Wttmanidadein-
Mtntfz.* .'*"
fr^CSK1? d6 15 80* *PlgraP'ie CaY5a i
t pWftf-Ho'irffe na segun-da-felra entraram
barra ttfrA.'dbvh cahWs Con plothoro.'ed-
i!t^qU! *"" Maesft8a8 AJlez"Impriaes.,thpdfc^ rfo que at agora se pote fazer, nao s
pelas j allegadas, circumslaocias de falla de lem-
po e lugar, mas tambem pela incerteza inherente
4 um primeiro ensaio, dos productos que se
apreseniariam, e coDseguiatemeute do espacu
que conviria reservar cada ramo de industria.
Estamos quasi cttos que depois de completa-
ente orgaoisada a exoosicb nacional aer in-
dm p*Van*,~ql*rWo Wb^v.Bfe qoali.u era!
*:affcm/ithra eVd rt
. aiMroulero/ dt
mral sumido
V#V 1(hMrD^1)^ssimtnou
*6r-
4t9
solemne, honrado
nos.
com a presenta dos sobera-
tomarem assenio, proferto o Sr. marquez de
Abrantes, orno presidente ca commissao direc-
tora da exposicao o dicurso seguala :
Senhor commissao de Vossa Magaatade
imperial houve por bem nomear, por decreto de
17 de julho ltirao, para organisar cesta corte
urna exposicao dos producios agrcolas, natitraes
e ioduatriaes do Brasil,' vem aub.missa dar coala
a Vossa Msgestade Imperial do modo por que
lhe, foi possivel desempeohar o seu honroso man-
dato, do resultado que coibera e ya| ser x,-'
pasto a publica apreciagao.
Ldgp que lhe foram Iransmitlidas as inslruc:
coas de 8 de agosto Oeste anno. par a execurao
do fecundo pensamenta que dictara o citado de-
creto, a commissao encelou o seu tr'abalho, sofi-|
cilaudo o concurso dos -presidentas (fas provin-
cias mais visinhas, e convidando aos principas
agricultores e aos gerentes,chafesdah fabricas e

das naces.
< A commissaojulga-se dispensada de demons-1
arar a, utilidade, seaae pecessUade, das exposi-'
goes, e a sua influencia directa sobre o anerfei-!
eoameoto-de todos ps ramos da actiridadehuma-
na. Easa demonstra cao est no dominio da con-
acioncla publica e na pratica de todos os poros
caitos.
a Assi^TtuiBiTenieiido.piCM a Vossa atiges-
tade Imperial por baver oroenado a que hoje en-
saiamos, a commissao espera confladamenle que
as fadouras exposigOes, realizadas em periodos
antecipada'mente marcados, alera de concorre-
rem para que se aperte cada vez mais o lago da
fc-aHernidade qae liga as provincias do imperio,
|ao de promover o. melhorameoto da agricultura
a industria de cada urna dallas, por meio dos
axemplose liges que serao mutuamente dados
a colhidos.
a Sent a commissao o ter-lhe sido impossivel
expdr nesle dia solemne os objeelos receotemeote
Chagados das provincias do Para,Amazonas,AAagoa,
Espirito-Santo, Paran e Santa Caiharina. Sa-
rao, porm, devidadaraente classificados e expos-
tos nos prximos das geguiuies, assim como
56-lo-ho os que ainda esperamos das provincias
de Minas-Geraes, da Bahia, Pemambuco e S. Pe-
dro do Rio Graqde-do-Sul.
a A commissao oio pora remate a este relatorio
sem cumprir um doa seus mais sgralos deveres.
Em nome do palz industrial e artstico, ella a-
gradece a Vossa Uegcstade Imperial e a Sua ILa-
gestade a Imperalrlz o precioso contingente com
qae se dlgasrsm coacorrsc para a nossa primera
exposigao, permiltindo graciosamente que res-
sem decorar algumas dealas salas varios artefac-
tos de proluego brasileira existentes 00 pago
imperial.
4 Cumpre tambem commissao agradecer a
todos os expositores a benvola promplidao com
quescudiram ao seu convite, e depositaran! ne.ste
palacio os diversos objeetos, fructos do seu lavor,
que nao deixam de.alteslar a riqueza natural de
nossosoloe o progfesaoinduslrial que vai-sedes-
envolveado entre nos.
Nem por fim seria justo que a commissao dei-
xasse oeste actosolemoe de agradecer igualmen-
te ao seu iotelligente delegado, aquemeommet-
tra o afanoso encargo de preparar e coordenar
esta exposigao, o valioso auxilio que lhe prestara,
dese.mpenbando louvavelmenle a sua lo ardua
como difilcil tarefa.
Senhor O dia de hoje, aaoiversario nata-
licio de Vossa Magestade Imperial, tem de aceres-
ceotar aos seus faslos gloriosos o da abertura
desta nossa primera exposigao. Aos ttulos de
nossa gratido ao excelso principe que desde o
bergo tem mantido a integridade e as instiluigoes
polticas do Brasil ajaotar-se-ba d'ora em diante
o do nosso profundo rconhecimento ao i Ilustrad o
monareba que to dosveladamente promove o
melborameoto material e moral do seu. vasto im-
perio
Sua Magestade o Imperador digoou-se respon-
der oestes termos:
As Testas da intelligencia e do trabalho sao
sempre motivo do mus fundado regozijo.
Miahas aoimages nunca deixaro de procu-
rar a quem concorrer para o engrandeetmeoto
da noasa patria, e abriodo hoje a primeira exposi-
gao nacional, muilo me comprazo em ligar a
recordsge de successo lio esperaagoso a das pro-
vas de amor e fldelidade que dos Brazileiros re-
cebo no dia dos meus nonos.
Esculada com religioso silencio esta resposta
partida do lio alto, e que a todos deixou commo-
vdos, tocou-se o novo bymno da exposigao,
composto pelo Sr. Antonio Carlos Gomes.
Em seguida percorreram SS. MU. II. e AA. as
diferentes salas, gastando hora e meia em exa-
minar com particular ationgio os objeelos ex-
postos.
Acbam-se estes por ora repartidos por quioze
salas, e divididos mais ou menos, conforme o
permtltio o aperlo do lempa, em differentea clas-
ses, notando-se alguos grupos dispostos com
muito gusto e scieocia, e que bem deixam ver a
que grao de perfeigo se poderia haver levado a
classiBcago indispensavel n'uma exhibieao de
variados productos, se mais de espago ae hoa-
vease podido fazer.
Longo de nos censurar a commissao qne se
mostrou desvelada a iotelligente, tornando-se o
Sr. Dr. Lagos credor de especial e honrosa meo-
gao pelos esforgos heroicos qae empregou, sem
poopar sacrificios, psra "vencer o impossivel.
Looge de increpa-la pelo que nio fez, admira-
mo-la pelo multo que fez, faltaodo-lhe nao s
lempo, mas at espago, pois sabemos que ape-
nas oestes ltimos diaa se pozeram 4 disposlcao
delta mais t9s salas grandes. 0 que lastimarnos
que nao se relsrdasse um pouco mais a aber-
tura da exposigao. Todo entio se duvera feilo
com ordem e systema e mais proficuo, e sobre-
ludo infinitamente mais fcil fra o estudo do
estado da nossa produego natural e Industrial,
fim primario de urna exposigao como esta.
Nao s por semelhaote difflculdade, mas tam-
bem por nao se acharem anda expostos muitos
objeetos qu?, i medida que fr sendo possivel,
teem de ser paleles ao publico, forgam-oos 1
demorar por alguns das a serie de arligoe em
que nos propomos comraunicar ao publico as
nossas impressoes, descreyendo ao mesmo lem-
po o mais minuciosamente que podermos os ob-
jeelos que mais attrahirem a nossa atteocSo,
conforme o msior oa menor deenvolvmento que
deixando ver j oa mostrpr'em imminenle em
qaalquerramq da Industrio.
vjom effeito consta-nos que os obj'ectos remet-
tidos de differeotes provincias, e atada por des-
eocarxotsr, So talvez tanto como os jft expostos,
e que aalre elfes se encontraos muitos producios
ratos e completamente desconriecidos na Europa,
Para estes objeetos se destinara mais cloc salas,
Temos 4 vista jornaes do Rio, Babia e Alagoas,
|lee quaea fot portador- vapor OyoaocA, entrada
honlem, efeaogando os primeros i 4, os segun-
dos A 9 e os ulti mo 4 11 do cojaente.
Rio de Janeiro. Foram agracrados, na occasio
da inauguragao da exposicao nacional, oa Srs.
marquez 4a Abrantes, eem gra-cruz do Cruzei-
ro, e Dr. Manuel Ferreira Lagos, coa acommeoda
ds Rosa.
No da 4 reuniram-se os negociantes da pre-
ga do co'mmercio aflm d eleaerm a nove com-
missao qoie dee servir no anno viotoure, eiaai-
rara elelloa as Sra.
Br'asileiros.Jos Joaquim de Lima e Silva.
Francisco A n to nia Gn n ga 1 res.____
Portugoet. Vicente Cyrillu Rodrigues de Castro,
loglezes.Jobo M. 4iloireev *
Geergje Thompaon.
Francez.Augusto Leheiecy. '________
Americano.Jlo Wright.
Allemio.Oa-rl*er. '?"*
Hespsuhol.Anlooio de Araniga.
L-se'no Corrijo Mercantil:
Os sioistros martimas parece querer acom-
panhar os Incendios e suicidios na fatal coinci-
dencia com que se produzem entre nos.
0 vapor Hermes, pertencenle 4 carraira do
Rio de Janeiro para Macah, peadau-ae aa altura
desle porto a su visgem de ida. Deu causa ao
sinisiro o fado de ter balido o vapor aobre urna
pedia. 0 comraandaate eacelhou.o abm da poder
salvar 01 passageiros e carregamento ; nao bausa
felizmente pardas de vidas.
Honlem (30 do passado) s 4 horas da Urda
aeguio para o lugas do. naufragio o vapor Ctrt
conduzindo gente e appreatos para a salvago.
Hoje (1) a testado Cruzeiro chamada e tam-
bem o dia aouiversario da acclamagio do Sr. D.
Podra I. Das pessoae que flgawram na solemoi-
dade em 1822 s restara vivos o Sr. marquez de
Iianhaem, que servio de alferes-mr; o Sr. mar-
quez de S. Joo Marcos, esmareiro-mr ; Sr.
visconde de Jequitinhonha, que pegou em' urna
das varas do pallio, e o Sr. Antonio de Menezes
V. Driimmond, qoe foi nomeado para entregar as
varas do palHo. >
Bahia. Encerraram-se finalmente, no dia 5 do
corrente, os trabalh-js da sssembla provincial,
depois de tres prorogagoes.
No dia 2 foram collocados no estaleiray do
arsenal de marinh as quilhas dos hiales de guer-
ra Cayr e Rio-de-Contat. "
A faeulded de medicina eooferio, 6 do
correte, o grao dedootor aos seguintes estudan-
les, que foram plenamente approvados em suas
theses:
Ildefonso Jos-d Araujo.
Jayme Alvares Guiraares.
Jerooymo Sodr Pedreira.
Jet Antonio Lopes.
Gustavo Balduino de Moura Ganara
Jos Antonio Lopes.
Jacinlho Silvano Santa Rosa.
Flix Gaspar d'Araojo e Almeida.
Cicero Alvares 'ios Santos.
Francisco Marques de Araujo Goes.
Jos Antonio da Silva Serva.
Jos Bernardno de Souza Leo.
Theophilo Nunes Sarment.
Maooel Antonio Melgago.
O cambio fleava sobre Londres 4 2S 3/8.
Os frotes fuera m-se : pera Hambargo 4 82
1/2 sch., para Gibraltar 4 77 1/2, para Bromen
4 80.
-* Le-sa no Inrrresse Puehco :
a No dia 29 de novembro s 3 horas ds tarde
lal. 31 oeste da Bahia (cerca* de 150 milhas ao
sul) perdeu-se a galera ingleza ForrtttKing, ca-
pitao Kiedraonl, procedente de Coquimbo, com
destino Cork, psra ordens, com carregamento
de mineraes. Desde o dia 25 de outubro que co-
megou a fazer agua em grande qaantidad, at
a data em que perdeu-se trabslhou o capilao com
sua iripolaco com toda coragem. A principio fa-
zia 15 pollegadas e acabou com 3 ps por hora.
Pouco depoia de abandonado o navio, vi-
ram-o submergir-se.
< Chegaram antes de hootem ao nosso porto
dous botes com o capitao, sua senhora e 11 ma-
rinheiroa, a respeilo dos quaes o guarda-mr da
alfandega logo providenciou, indo aoseu encon-
tr e despachando immediatament ama embar-
cago 4 procura do bote que faltara, o qual j
hootem entrou.
Sergipe. Nada de importante occorreo, depois
do ultimo vapor.
Alagos. Tere lagar no dra 2 do corrente, o as-
sentsmento da primera pedra do obelisco que
deve commemorar a visita imperial 4 aquella pro-
vincia ; tendo sido o acto solemne e muilo con-
corrido.
soas das mais disuadas assulio a um soto to' p assveram-nos que mesmo aa que i esli ar-
ranjadas vao ainda passar pc.muitas modifica-
ges pars ie tllbgrr una classificgio mais me-
NOTICIAS COMMERCIAES E MARTIMAS.
Rio de Janeiro, 3 de dezembro de 1861.
Cambios.Sobre Londres26 d. porljp.
Chegaram, procedentes de Peruambuco : 4
26, o brrgue Coneeieo, com 13 dias d viagem ;
4 28, o brigne Trovador e a barca americana
Chae, com 7 diaa ambos.
Sabiram para Pemambuco: 4 25, o brigue
Veloz; 4 29, o brigue, Midas ; e 4 2, o brigue
Damio.
Rio Grande da Sul. 23 de novembro d 1861.
Cambio. Londres. 24 a 24-118 d.
Paris, 395-ra.
Hamburgo, 755 rs.
Rio de Janeiro, 2 a 3oiO. *
Baha, aojsar.
Pemambuco, dem.
Moeda. Papel nacin*, 5 \2 oiP, ptoc.
Ouro dito, %ofl.
Freles. Inglaterra, couros salgados-50ij2 sb.
cinza 37 li2 sh. e 5 Q[d.
Rro de Janeiro; 300 3201.
Bahia, 360 e 409 w.
Peruambuco, 300 re.
JJUJJ'H Muyj vas
-Ui .
i e
.........
PERHaHBUCO.
a
t


REVISTA DIARIA.
mate, ofganisada exposigao nacional aera in
teirirmente oulro o seu aspelo,
A* neit ilrumino-s brilhantemenle loda a
frente do MJDcib, em cujas tres janellas contraes
preodraai;as vistas do povo uas transparentes
primorosamente pintados, dos quaes o do malo
rep/aaenlava cidade. do,% da. Janeiro, como
qu illuminafla hele sol nascftflt'e, e um ojo 4
espargradre^ /obre "ella, lodo uma.ffctu.do
Wj5m*lm-1 imi>lwM/it-M duas
loas da acftapM e da,'ladftstria.
Em dous crelos wllbcadoa.doa lados da esca-
dana da igreja ;d.t^P/aB^^Ucflbem bn-
ifluminaaf, tocavem alternada-
fr%.9fmtPfH
dgraa alleg
lhe fofa commetl:
aa ^s^Mpkra regua/r,a aare-
0e..
ce asi
Programe
lurf
m
mimresam,
tessfeeni;
tefscttr

senes
Wt?
4 wajfiao
. M. o imperadbr, qoe nunca deixa sem gf (a*-,
< ao oa servicos pre)^aadafl: aa,premTou os da
yf?l!vlte tfft iee*1* 3M &&**.* W1-
1N!I??-1 Viu? M^Wrk*d.n..*Wv
ea a graa-troz da ordem do Cruz,wOj a do
nombro Dt..Jl^s^iJ^^UjLigo, eocar-
^iffa^.lW^JmWW.* 011*
No exercito e aa .fimo;
101V
[?1r?A
epois da ioaguragi
iapi-se numeroaas
[tW9rrl.tolto*m-
cax fi'flrtariall tilra
o amor do
da exposicao nac
detam Suas Mageslades Imperiaei beija-nlo ao
1
Do quinto dlstrlcto elaitoral da provincia, rece-
bemos o resultado dos collegios de Cabrobo, Til-
la Bella, Flores TacejatjUuj#ota$o a a-
luinte :
Coaego Pinio de Campos.. 27
Dr. Figueiras.,............ 25
, -),. Padre Marca!...............25
Dr. M*nqelGntl,,......,1ras|
.Dr. Pereira, do Reg......,,
Dr, AgneUo Gonzaga.....^.
Dr.. Buarque...............
Acadmico Barros......... 1
VilU BaUa.
Conego Pinto da Campos..
ajd .J#aVSl '"trtvH-nrt-
y Peraira do Rejo...,..;
, .JfiapBtr6j),.ve*v-'< 31
,?.0,'*''' 3A, .
Majar AHiveaxa...,..,..,...r *H\
Conpgo Pinto de i*mX>.
PadreMsrgal.......BimT9l
SWjjR Dr. PereiridoJlW........
t

(tul
M.1

.flaHsR^.et.iv.t*eil
ioV Sjpajx*Cal- 4,
al
Jf*I *it
I!* *2gaa ^*axaeiwrB
MRvI^cV ^eaf ai
I GtVb*wr-M.
^ ijii atiiPMttWr**
^eraplSi |a%...<:v
No eollefie da floa-TiaU apputctm
-1.1
m-."
>%b hoa'rf.
o eSailiu/
p .iia ut>
|t(.l .11 )
1 > t
- -


Dr.
ioolil ......
logo........
_' Oiveira...
~.ooio de-.*>rraa........
Eleitores o r. Crjspioiaao:
Conego Pioio de Campos.
%r. nJTIeatii:.......
Ur.'.Jaciniho d Reg......
[O "80-
.. fe;
jatL aupri
em que teoho parto. VJtMftfcfaio descontente to
HlaMraiadiUffpv,,-^! tf{Vj
**.
coowlJSX^h
-----------.wvuvi no iiinpu rrwiiKt ron*
%Jm\T% ****** PD,- < 8*JMIr **
aob^eU*' '** "" Pr Certo aa d08 Tull0*WW
0 illustre aado descendo sepultura, deixetl
do i ioetUui$des jungas. o .., ,\
^Bn,)ulro lugar auamos alguo apoutameatos
U 2..I TV0 *w""d gooeral IraoaCNiJOS
tej-doena do Comoaarato da corle ; a pera el le
O Dr. subdelegado da freguezia da Capuoga
""Den uma denuncia do Sr. Pr. promotor pu-
hirco, aflm da proceder dos termos da le eootra
OSK, Drateos Antoolb de Miranda pof haver
comojeliido o erime de estupro na pessoa da me
c Comeeemos.
A oalurea, o universo i
_ii>eatro eik^nie de rp
JderioKeernXfl
altos planos, eiofloita etftwiw
a ignorancia com lodoitbrtejo
' WOM ilttftalrl*fajpbcat
m
a.ei-
eisbto.
ffeiios. E albora,
Ihe proprio,
0- moraba
reoaaieconp omImtio; basto OttaMa ribos
SK? f.1?*1?1*' P*M eaaaa kwajia-1 '> por"
pea-
&B3U2i&Sft ,,"",
O delioqaeole aeba-se proa ordem ia Dr.
b*I* de polica, consta que para ruis. acil-
oale desviar, a eooao da jusilla celebrara, casa-
mento cora outra raulher no dia 6 do corrate.
hTL? S.r." Pr\. L"fept Francisco de Almeida
OiaAo.'jak dVoIraltodtLiaaolro. fot r.mov-i.
para a comarca do Brejo, seodo-o tamben
tota para acuella o Sr. Dr. los QuiaUno da Gas-
ta-Lei o. > .,,
u.t- No Ofupock chegado honlem d sul, eio o
fcxni. Sr. brzgade^jSoJidoaia'Antonio Pereira
alo Lago, cwfimatffaWe das'almas desta prono*
da. >isi i
O Sr. Dr. ehee de polica teodo estes diaa
soUrido algnns tWommodos em sua saude, acha-
,VejUMC-nt* W'l resiabelecido.
Uwaote aau*-ineomesilo oi S.S. viejlade por
graqde numero de pessoas gradas desta ci-
Foi nomeado trciro escriptorarlo da alfao-
MM deata provincia o Sr. Joo Cario Augusto
oe Figueiredo.
* "* ****-* onnWaddajudantetarteTiaodeguar-
aamordametma alfandega o Sr. Igoacio Jos
Aires de Souza.
-* oi approrada a nomeacae do Sr. teoeota
rWOMiado do- exercito Heurique Tiberio Capieira-
no para escnvio do presidio da Norooba, por
avise de 14 do oovembro prximo pstalo.
*2iA**1a-0 noaaeado para o lugar de cirnrgiio
ao arsenal de mrinlia desta provincia o Sr. se-
gandoi cirurgiao do corpa de saude da armada, o
Dr. Alfredo da Roetta Bastos.
iZl A S ****** da eiceira companhia do ba-
taioio n. 25 da guarda nacional do municipio da
fcsoada. Franciaeo c timse Sil?a Albuquer-
que, foi ordenado pela presidencia que se desse
guia de passagem. visto ter transferido a sua re-
sidencia para o municipio de Serinhem.
For acto de 7 do correte Coi ordenadlo a dl-
erenles commandos superiores da guarda nacio-
al a xpa4i{aode auiaardens.am de ser redu-
zido o numen d pravas destacadas noa respec-
tiros municipios.
Segando o disposto oo ariso do ministerio
Ja agricultura, commercie e obras publicea, de
Ib de norambro prximo paasado, acham*se *x-
peoidas aa ordena convenientes, para que nao
desembarque passageiro kgum dos vapores das
companhias Brasileira e Pernambucana sem que
a visita di polica baja coocluido suas diligen-
cias.
-- No dia 22 ter lugar a festividade da Seoho-
ra da Conceic,o do recolbimento do Olioda, le-
vaotando-se a respectiva bandeira hoja pelas 5
horas da manba com missa cantada, e come-
^aodo a novena s 5 horas da tarde.
Ora na esta o reverendo D. abbade de 6. Ben-
to. e no Tt-Dium o reverendiasimo cura Joo
Serapio _ Agenciam-se assigoaturas para a construc-
gao de urna Bolsa oesla pra^a.
No dia 8 do correte celebrou-ae na igreja
do convento do Carreo a festividade da Sra. da
Concaico com a pompa e esplendor do coatume,
havenJo vespera, fasta, TeDium, caotou a mis-
a o Dr. Joao do Reg Moura ; orou ao
rarmonioaoa desees imaaeoaos astros que gjrcrsa '
aobre noaaaa catMKjaa para eata larra, que ao
borneas erae de domicilia ; para assae eoliuas
prau* do ocano ac ue se eorolam e se que-
bram as mesmas ondas, sem transporem as mo-
}'**"" vede ser lecuuheuido o dedo drvino d ama Pro
videncia iaftoita, qae se maoiesta asslm na or>
demphMca1como principalmente na ordem mo-
ral. Nao e precFao, aeobores. ir a testemunhos
""**. ^'Uitdadaartatliaardinafiaa: Acazao
fD.*nU. ?",*. Philoa-pbo meditader se os-
tentara por aUmeama laa verdades eterna:^-
Oej^tra.t|8Mcnd'pi>lrt sor elle ama-
wleoidM, Deaareguia a aorle osiodifiduo, co-
mo a da* nasoes1, e por ama accio constaute e
universal cooduz todas a%-e de sua alta aabedoria.
Ww tUnltrathoMI) aa -----------------------------
taeravcanpter.A^rivei iaafS^atoaa5
Md*ipa41.v.Ba*l6;,,.
J1"-aV'*>*. pHoadas-oapjjatia*
s -eoeroroa. o tko aMn-ntaraddaa aan>reJ
Mok|r|iotsMMdaaai caatiboal (to,taa,sp raoco-
sos joveoa, prostrados aos pds dos altarse ar
confesur a tbrpoctaacft das bao., a^m o ter
s se dignar eaquaoe-los, Acrikelasiii roMcadoa
eom o aeiio 4a cwja cnnrrcgie a asis preuada,
de urna fe a mais robusta, l o^- 7b
vos que mailaa sm os heraa hajti imitada*,ie-
ross ditosos, qaa ssrvindo aa asaembro ao Mu
scalo, dersm os mala edliaaattea axemplos d
f*. se sopotitaiiMU verdadera- raedatoa da ct-
ridade; hroes que souberam quebrar as prisea
dat.oarne;,q*e os ligaram aa aseado para esperar
a Prasjdeocia, quaado toda esperaoca pareca
aesbeldadal r
E o qae quereraa diier, oeabarea, qae po-
derao inculcar estes cultos, toda attbisoaaauida-
de preseotjTf Nao o raaraatsacimento de urna
Provdeoe|de pemJi|ahaA ajj gra5as, que
acabamosHlrraEber .
*Sjes. a ttovIdajnciajDlvlna. qual
a sV>taiig4a* alaasP espslha por
<* 4r%w| 4 ,
HdowT-aVegie,rs-ae.
todi'* 4m Aoteeia B4orpad|n4o a regi*-
Como re "?IlplUfa de hrPulnc que ajunta.
Outro de Sfalo os d^tvaTgslhaea, pedia-
satiataaeade o deapaeho
norembro prximo pai-
daa. Por cura
prau a tiUiJaa
cooj sureiaes. 644Alfl
Com outros ti- f
', Ph?ia>>aas 6#*ft<
Letras anaaeber.
Saldo desta
ai
9>,U]I SO Si
q b a:J4c150
io niidi
'wmu
Sfioofl
--------- W_.,.V| p,,, tmmmm huimi- lomo peremaro a amnuas-a* jfUajsa.j.i^-11.^ onr
E t>l| f ftW>S*.M A'gWmbo. pode
SsWSAO JDfCIAlllA ti DE EM UOVEMB&O
DE1MI.
'"sraNcixDoxiM. a.BXBEsrsBoaa
'" soura.
Secretario, Julio Gnimuru.
A.Mea bpra, o Exo. ^r. presidente abri a
!. ltekdoH presentes os Srs itse.
nJ A68 Vllare. Silva Guimares, Peretti e
Le^.^.o.'e'fet.5" dePUUdS Re8'
Li 1 i i
SPICXMEHTOB.
*jT2TM,SLl*f* itm>* yf Gonrpaahia ; ap-
eltastea,. Braga A^uoW.
Pendente por embargos > ><
HeJator Sr. deaembargador Silva Guimares.
. gesprezaram-ss os embargos.
Recorrentes, Frsncisco Alves de Andrade Costa
conta. ,. B ^j
Diversos. Salda,., |, ..gario at
a varjaa ea*- .
Caiv. p "'" BU-aS<4^:aW*v
Mmtaav'Jir osa.oi.v)
losjouoig <>
de
-------------ass^ i^ -w MapfwiNHV, s/woao
tA'MIifeffWsMW'co^vBcavfaV !?&**U
seres, que tomac^da^aWa^ mais vis in- ZtZl^m S?2!0t ""***>. Br. UU Ne-
ite os campos delvrioa e calmas. .f^E2???I","**?1 i
Evan.thn .d 1.a 6.v";"'" Ytu; ?u a ascioos em umpau, queabracou por excel-
Creo'- e a aJ"0PRrie rf^'S ^"l0 J? eDC" re"io "thalica'apostollc romana, e .
urego e a oo.ie o Rvd. orior do convento, h. lat > *<>.,<...,. ...x. ..._____,.L__ ^. '_
Crego ; e a oo.te o Rrd. prior do cooveoto, ha-
?eodo msica militar em lodos os acto.
A lotera que se acha venda a terceira
parte da prmeira da Gymnasio Peruambucano
que ae devora extrahir no dia ti do correte. O
thesoureiro paga aa reapecHva aortaa deade as
de lOOjOiO at a de 6:00|0O0 nesae meamo dia
da exira$ io poraar elle a espera da om to as-
eignalaao da, o do nascimento do nosso Re-
dera ptor.
No dia 11 do correte orsm recolhldos
casa de delencaa S homens e 1 mulher, sendo S
livrea e um eaeravo. a saber: ordem do Dr.
chata de polica i ; orlem do sobielegado do
Recif 1 ; ordem do do Aagedde 5 ; ordem
do do Poco 1, que a parda Felipa eacrsva de
Josa Baptiata Braga ; e ordem do iuiz de paz
do segundo aoao de S. Jos, 1.
E>a seguida publicamos a orecta recitada
pelo Rvm. Sr Dr. Joiqyio Reg Moara, ae Te
Oeun qae no dia 9 fizeram celebrar ao .con-
vento do Csrmo osestudaotes do 5* anno da oossa
acoldade de direito, aps a collacio do grao de
unefcarel ; .
Gratxamgo ei. qui me coiv-
fortavit.... quia fidelem meexis-
limavit, ponen in ministerio.
(S. Paulo a Thira.C. 1 v l.J.
a yue bello, que agrada vel a precioso para o
christo o dia consagrado aos exercicios pblicos
da religio I Se os sentiraenlos religiosos, seoho-
es, nao seo easceptiveis d i extincgo ; se nao
essa creatura inteligente, o maia nobre dos seres
dogjaao. qneb:nntWaa eq*e, tonga de asando-
na-io aos caprichos do cego^acaso, regula e di-
rige os seus destioost Na' ntstdrta do genero
umaao, s ella retorreresas, varaas em HOmd
oatoojpps.amiadM^ra^ir^pareaca aa. Pre-
videncia .Templos, altares, victimas hymoot
Wgrrdos, um culto, en oW pitarra, unrs relt.
gno. eis-aqui o queso sena do mundo a aligo e
moderno.
Nos lampos do paganismo,'esses lempos 6oi
que oa borneas eram divididos na razio de suas
diviodades tutelares os legialadorea, os sabios, to
das aa escolas aa mais sabia protessavsm o dogma
de nm Den moderador daa cousas humanas, sen-
do que e celebre Epicuro frjra Qbse/vado geral-
mate como implo por ter descouheeide i Pro-
videocia I O pal d eloqoencia, o grande Cicero
assiaa-se exprima : a primeara vardade, da qae
mais importa aos poros coovencer-se 6, que os
Deuses sao os senhores e moderadores de todas
aa cooaaa, que tuda por altee dirigido, ue reem
os ssntimentos e is aeges dos borneo;, eque dia-
tinguem os bons dos mos. Anda mais. snio-
res? laoca as rlstaa para o Egyplo. e elle desen-
terrando os aeus sarcophagas, deseorotar os an-
ones oyerogliucos de seus bypogeus; consultai a
india, e ella submetler investigac3o O aeu
sancluano; a Persla, ella abrir o aea Zend-
Avesia; e a Coiaa os seus vros augustos, os
Kings ; encarai a joven America, a Oceaoia e as
jelhes historias dos seusnovos habitantes, as pe-
drs, e at as arvotes que rsvelam as sciencias
dessis lempos, dario ama immensa cpu de Ua-
lUCQO !
Nao preciso mais, seohores, existe urna
f rovidflncia ; eata a voz da razio, este o grito do
genero humaoo I
Na posse destes principios, compenetrados
destu verdades Inseparaveis do corocaotmao
os espersocoos estudantes da faculdade de di-
reito, estes no'os hachareis que hoje por meu
oeott orgio vem rendergracs ao Altissimo. com-
prehendendo perfeilame.ale a importancia da mis-
saoa que se destioavam.compretieodedo asd CQ-
cuuaues a superar, linham irresisliveis coovu-
?oes e que sobre elle velara ama Providencia
loQita, que 4 proporcao quearancavam e pro-
grediam nos seus trabalbos acientiQcos de da
em da mais Ormava a anua eeperacrcas.
Seohorea, a M,.a erarla eos um Deasiegu-
ador de tudo, como diz um sabio, nm ac-
to da maior aapiecia, o uso mais sublime e
spurado da razio que podo o hornera fazer; es-
sim como a re nao pode ser contraria a razaoj as -
sim lambem ludo que Ada rerela^ao divina nao
pode contrariar o oonhecissento, que a mesma
razao nos di : Deus uao pode ser contradictorio,
nem o mundo confundir o erro e a verdad, o
crivel ooincrivel. E se Deus estabeleceu no
mundo urna telig|ao, em que ijuer serconhecido
e adorado dos homens, essa creo?a foi se copre
inseparavel do corago de tao ditosos.sectarios
da justiga, e'la os tem acompanhado em todos oa
seas actos.
a Nascidor em um paiz, qoe abracou por excel-
^nflnrta A* ^- -Vi ------ "v-w .^w ^ropneii, e aeceaaano a lodo o
- ; i. P T J,onem wffocar emocoe* itambem a melhof disposicio que de
deauaarigem divina; ao indiferenliscao tambera
loapoaarvel abalar a voz do reoooheclmente qu
a psesaoca do beneficio etlimula, e que o corceo
seoeivel procota com arder manifestar.
Quaadj espirito, seohores, v& realisadas
aaasaaperaaeas, qaaoaoeam admirag&o e espan-
to v dissipados os males que o ameaca, o cora-
gem otis rlva.a enrgica do aou receohecimento
das ocas eaeomios.
Tal fot a hemensgem qae ao Deas dos exer-
ctoa Goosagrara em aea enthosaasmo esse apost-
lo da genios, escolhi lo paraizts^rumento da Di-
vina Proidsncia, dapoia do triampao sobre seus
perseguidores, dando grabas aa Eleroo par o ha -
ver ceasiderado fiel, e collocando-o em lio alto
aaioiaterio.
a Gvatios ogo ei, qui me confort*vit.... quia
Ustsa ata exitimavit, fwtm i* minttrio.
Experreseotaram por rentara emogea inte-
mre. eatimentas aMoaajastea arresMtaiores.
tea davotan iUtftadoa ltM* A*Josus Chriato,
gaiSraebM4a hdje c-floaio da gloria iaspirida
les se desvaoecem asss porserem filhos do Bra-
sil, elles t'eem o mais nobre orgutho. tornndo-
se dignos de sua. patria e dignos de la religio.
E nao podendo s->r indlfTereales & seas iotimoe
sdntimentos que lhe tem servido de norma em
toda sua conducta Iliteraria, esses novo bicha-
reis, aenhorea. do hoje ao Brasil, dio ao mundo
inteiro o mais solemne testemuoho, a prova maia
irrefragavel de que o homem ilhtstrado o ho-
rnera religioso, de que a aciencia ioseparavel
da religio, ou em uma palavrs, que a verdadeira
scieocia a verdadeire religio, e a verdadeira
religio verdadeira acieocia.
Sim, senhbre8, obedientes ao Evaogelho, do-
ce?8 ao> S8US Precei'a. e guiados someme pelas
Jaaeade aua aaa doirtrtsw,astea athbitaa dacbrii-
liamsme, estes devotos e illustraJos Qlboa de Je-
ss th-ist-i, resoabeoem em todo lampo cotno
irresisliveis aa.imptessoes que Deus faz sobre
oossos espiriWa: a-iobfe misaba> pora50es, reeo-
ohecem as maravilha que precederara, acompa-
oharam e aegniram a promalgacao de Evangettio,
recooheeem afinal queaqaelles q-ue aunfasm
em Deus torio iotelligencia da verdad, e os que
sio liis ao seu amor descansarte unidos El-
le, porque (cotno diz s Sab.) o don e a paz pa-
ra os seus eacolhidos. {8b. c. 3 v. 9.)
Initiumtapientix timar Dontmum. (Eccll e.
I r. 16): eis um prmoipto, seubores, que com* o
rseroo te tpiuros constituir lei gravada ara
eos eoracoe*; este temor, que na lingo ager do
ra propheta, oeceaaari a todo o chnslo,
Deus pide
merecer o nosso espirito, por assim dizer a
fenla que Iranqueia a mesrao Deus entrada am
ooaaos coragoas ; segundo Santo Agostioho. a
origem. da caridad.Temer a Deus, amar a
Dua.{dtza u anlige rador>, a culto, a re-
ligio de toda sor te de- chrlsios.
E laes sio as duas virtudes maia recommsn-
dadas pelo divino espirito, que se diz aos pesca-
dores ama i ao Senhor; d,iz tambera aos justos
temel ao Sewrer, cottra pjrYInicar que pro-
priodp amoraiiiquietas'iOrt^do t.e,mor a coofi-
Ettat as.convicfoes que sempre dominaran
s estes 00VO8 ministros do sanctuasio da justica
e'W *. rfl*ra *e u" cciea, firmada na aenten^.
.es do bomera JobTimor domini vera, e*t sapi-
entia (Job 28). Temor louvavel a santo I temor
que dev acompanbar a humani lade at a coa-
sumasao dos sculos,.qU nos entina a louar e
amar aquella a queaa temama I Ismor, digo,
qqe, oa phrase das sagradas lettras. tem por mo-
tivosp. poder do,Deus, a ciencia de Deus, e a.
Jiia>lSde Deus 1 Uea.alementos que, constituio-
.^airj =..iciM,B1ii,UB couaiiiaia
"I' 4o *,vecd,apira sabeduria,^ oram daaconhe-
--*-"rpls. cutras tantaa iUuatrasoes, quatem de ador-
ntll* n natt* a ma kn _. ._ .
contra du
Se elevar
em,es pr
t4>m*-m
^afaaoj
r itTisii .. r. -.'"V". i'" ue aaor- ro presente a cotacao omsial doaorernarn
nar o paiz e que hoja aa proatram com o maior rentes da praca, das 9 alttt^Aztaaa !a^
te**Hm*J* >o srf agradecer os doa, ve-se S ^uitiWaeannas.-Ar^
sjss?aa*. setabatea tinado ara om o nstdfe-
dasro soatac e regaladpr-de universn. por lacoa
inaiasMair-taa e*etaa*qa^aaB>la^iataH?oa
V^L\Z^Zr:rzrrT*yi'i9 ****** cbarel.. ,dendtratum,,(>mi da Uauaporam aa dlculoa-
*oU?orSiftama^r"eiV?M^ omSf W^k^**^ C1BC *^K SJU
uatW7 ^a**^L\^^* {*^^. |fflupj.coovp titulo ponxaoao de
JH ioabei- sidadea, com que a suparsticoes diversas tom
MS*isS8s%;g^-^
sectos,qu reveste os campos delvrioa e palmaa
6'erjs astre* ebramonica tanto brihoa tnagbiQ-
ceaca, detxe de vetar na sorte das hora eos, para
quera ludo creou ?
B ?/- iennora; a relgiaofnos mottra aa
rtovldoaciaHrempre1 attewta *m oecdrter a rios-
Sp nacesaidades, e esa azer as noasas da(i-
C149-
tt E auem aenlo DW, a quem o futuro sem-
l^!rWsnle, que da discordia oes elemento taz
aabtr a harmona do universo.poderia Ugar a con-
tundir tantas voftlades opposlas, a dirigir todas
para o meamo ftrrit-
- Ouem sanio Dsua, ociger rJ tadoa as dens,
poderla assigaar a cada um a sua ordem, e iodi-
dicar-lhe com discernimooto e cora Imperto o
papel cjuje a repblica chamado a repre-
Aqu, aeohores, nao posso dexar de excla-
mar cora Salomio, admisando eata disposicio ma-
rarilhosa: .
A SeohoaS s roa podis Hgat-nasa'-conabi>1b-
das aa oulras .crealuras, 4 leis necessarias; se
vossa bondadPos lem liberalistdo dons inosti-
maveis. vos respeitais em as vossos proprios
donsTu autemifoMnlarr Wratii cum moona
rewrealt* dtspenis ni. V
* A vos reservarlo o direito de presidir esta
grande obra, o de subordinar Wdta as ooaaas
operacoes ao m principal que destinis.
Qutnts bootfadd, oh! tobo D^us. miint)
prodigio de amorl r^fF
Venturosos bachareis'f'No'dla em que reco*
eheceraes o beneficio qae acabames d reoa-
mi, o umprimemo dos decretos ptoridenelaes
ds predileccao de um Deas Eterno, os oossos
empenbd niO derem ftcar quem des xtasis,
que nos dominan ; foram hoa cnradps os nos-
sos trabafTlo, eta um dia de verdadeiro regoaijo,
um da frtiz, dia de ama gloria gue nos deve so-
bretudo coostitoir columaas iaabalaveis ds f,
verdadeifadetenaorae da religas, a acrisolados
athlalas dp cbristiaaisoM; e depois de roanies-
tsrmos a mais profurldagratldt, o mais subido
recoohecirneotd para cora oa oosaoa sabios o dis-
elos preceptores sciencos, que tanto coo-
correram "para este nos regosijo; depois de
agradece rmesem tao solemne occario su aa de-
licadas e offleiosts maoeiras, com que aempre
se digoaram tratar-nos, imitemos ao apostlo por
excellencia, readeodo gracas ao Attfsstmb pelo
iriuoipho o mais completo, que outorgou-nos
a t,: collotand-nos em tio sublime minis-
terio.
Elevem-se nossas rozes al o co, estn-
da m-se por todo orbe catholioo nossas demons-
tragoeade alegra, e fatoado ochor aeste recio-
10 sagrado solemnes hymnos da ic-uvar, unamos
oossas vozes aa do mioiatro do aliar, e ao Todo
Poderoso entoemos Te-Deum taudamus, te Do-
minum coatilemur. a
O vtfpor bra8ileiro Oyapack, vino dos poT-
los do sul, trouxe a seg .bordo para esta provin-
cia os eoguiotes passag-iros :Jos Nieolo Ri-
gueira Costa, sua, sermu-rs, 7 filhos e 6 escravos,
Solidodio Jos Anioaio Pereira 3 pravas aa or-
dens, Joajuim Aurelio Wanderley. ensippe
Marinangeli. sua sedhon e 1 Albo, Msnoel P.
Moreira de Azevedo, Joo Velloso Soares, Dr. Al-
fredo da Rocha Bastos e 1 escuavo, Virgino Ban-
der de afelio, Thereza Maria de Jeaus, Jo'aquim
isto Adames, Afnvscio da Bocha Bastos, Carlos
Alekvnn. Porfirio Antonio Alvea Ribeiro a. S es-
cravos. Dr. Jos Peres Brando Falcio, sua sp-
nhora, S filhos, 9 escravos e o crioulo livre Fran-
cisco de Paula Corr6i, Pedro Aurehaoo d Cruz
{*''>. Pfiocisco Xavier Dura, Sergio da Silva
Uur e 1 esersvo. conselheiro Joao Antunes de
Azevedo Chaves, su sobrlnbo Frabcisco Antenio
de Castro Loureiro e2 escravoa, Dr. Thomaz do
Bomflm Eapioobr, sua aanhoca, 3 filhos e urna
escrava, Mgieltfraoclsca Damaceno Monte, Jos
Joaquim Diaa Farnaudea Jnior, Fortunato Pe-
reira da Alda, Jos Nicolao Gos*s, Benjamio
CincinatoTJiiogastii, eua seohora, I filhos e 3 es-
cravos, Bento Jos Pereira.
Seguem para o norte :Antonio Gentil Augus-
1 da Silva. Jos Joaquim de Paiva, sua aeohora,
hu' wiaacravo, Joe Vieira Pardfgie, Jos
-*cna?aloreira,8ua Irmas e ama escrava, Ig-
naallo JosAives de Souza, Antn* da Rocha Mi-
randa e Siiva, Jos francisco de Souza, Anbal
Stiro da Silva, Luit Carlos Augusto ds Silva, sua
aeohora e 2 filhos, Aotonio Joaqoim do Amaral,
a seohora e 2 filhos do capitu Francisco Edu-
viges da Souza e Vwconcellos, Jos Joaquim de
Campos, 4sobnnhos e 2 escravos, 2 praca de
pret, e 4 escravos a entregar.
= Passageiro do brigoe brasileo Felor. vin-
do do Rio de Janeiro:Antonio Augusto Coelho
de Lamos.
"~.F*^ei,# d0 briB"e **wv,
Macelo :Banoal Marciano Ferteira.
Passageiro do hiata IivaancivaJ,
Araiy:-^ojaidpii8ta de Frailas.
- Passsgtffto dff brigue escuna
sahiio para o Para Jos Antonio Nuoes.
= Passageiroa do euler Em, sahido para o
Penedo Joaiuim Pedro C. Moteira, Jos Do-
mingues Gt Torrea, e o preto libarlo Augoato.
Mortalidabb ao du 12
Simio, Petoambuco, 1 mez, Saoto Antonio ; in-
flama^ao.
Maria francisca ds Cooceico, Pernambuco, 25
radnoa,aolteira, Santo Antonio; tubrculos pul-
naoaarea.
Joao, Arica, 0 annos, aolteiro Boa-Vista ; her-
nia estrangulada.
Maooel, Peraambuco, 1 mez, Santo Antonio;
convol^oea inlensae,
Beovlodo dos Paaaos, Babia, 27 annos, salteira.
Boa-Vista; phtbysica pulmonar.
Raquet Peregrina de Almeida Albuqaerque, Per-
rjsatbuco, 18 aoaos, solteira, Santo Antonio ;
febre perniciosa.
-1
^^^^^^^^^^h^^bboHbIHHbbsI^^^^
rea ;
Em rcoeda
ouro de
quilates j. ,
Emnolasdothe-
aouro doa va-
lorea de 109 e
superiores
Em moeda de
troco. ... .
Emnotaedapro-
pria caixa .
. 1:-;
Baaco do Bra-
viado de
valo do
Gracioza,
Designado o dia de hoje
SJ Sorteados a Sra. denotados Bago 8ilvaitV a
Bastos. ...i^.j
Relator o Sr. deaembargador Villares.
Julgou-se a ac^io imprcateme, e procedente
a reconvengOj^'
Becorrente, Aoloata-Gaacalrls do Hego Viaa*
na ; recorrida, a campanhia de Seguros Mariti-
raos e Terrestres.
Designad dip Sortead* Sfe. ^pa Bego.
Kelator o Sr. dstrft>argalor Silva Guimares.
Julgoo-se a accio Vratedbte eofisamnads a
cempaohia dseeajatroav
aoaaaros.
AggravtrUa, Francisco JeaGarmaao ; aggra-
vados. Nowt & Irmioa.
O fita, Sr* preatdeate negou pro i ment.
Aagrsvaate.AntBaiaFerreixa Lima; aggrava-
do. Jos Lopea Ferreira.
O Exm. Sr, presidente denegou provimento
DISTaiBUigOES.
Appellante..Diog, Ftbo Companhia ; aa-
pellado, Joaqaim Salvador de Siqueira Caval-
CfOtl.
i*a*p,irt,-5t^^',,B FeroiodasJUsa-.; appdl-
Ito, Jos Joaquim Alves. '
Appellaatee. Oliveira A Guimares; appelleda,
Manat Joa:LitflGuMsties, testa meu le ro oin
veoiarianle 40a baos da finad Jes da Silva Pialo.
Appallante, Dr. Juvencio Alvea Ribeiro a o-
tro; appellado, Aulonio Gomas da Cunha e
Silva. -W
Appellaole, Francisco Jos" fiermano; appella-
do, Benjamim Franlclin da Caraba Torreo.
Appellaole. Vicenta Ferreira Guasea Gondim ;
spycllado, Antonio Rufino Montoiro.
1-------~i
Jory do Rerfe ^
5. SESSAO.-DIA 9 Dzl DEZEMBRO DE 1861.
Presidancts do Sr. Drjpix municipal da pri-
mexra vara, e juxz de direito interino da se-
gunda, Hermogenet Soorales lavares de Vat-
conctjlos. _.
Promotor publico, o Sr. Dr. Francisco Leopoldioo
de Gstnio Lobo. 5
Escrita privativo do-Jury, o Joaquim Fran-
cisca de Ps%!a Esteres Clemente.
VeriMcando-ae estarem prsenles 40 juizes de
laclo, o Dr. juia de direito declara aberta a aes-
sao, impondo mullas relevando outra.
Ractificaodo urna daa revistas passadas, sobre
cojo' assumpto o Sr. Dr. Helio de Mehdonca pu-
blicara um comojuoicado, compre declarar que
o preso Jos Raymuodo da Silva, aecusado por
crime de ferimeulos leves commettidos na esta-
gao da Cabanga em um compaeheiro da trabalho,
foi condemoado 1 mez de priso simples e mul-
ta correspoodente a melado do .empo. como :n-
curso "' gfo mnimo e nio no grao mximo do
arl. 201 do eodlgo crimioal, como erradamente
Qzemos publicar.
oi, porm. um deases pequeos equvocos tao
goificantes e sem valor, que s poderia illudir
o espirito de uenhum modo versado em materia
de peoalidade, em ordem i aupper que a pena
. a?* a* priSB0 ilDP* o fio mximo do
ari. 2 1.
ProseguinJo em nosso noticifrio, devemoa a-
zer nieiicAo do processo que no di 9 foi snb-
meltido jutgamento, havendo aido instaurado
pelo subdelegado de Santo Antonio contra Sil-
vestre Francisco Lourenco do Monte.
Pronunciado o reo como ocurso em crime de
estellionalo pelo fado de haver vendido um relo-
gio, que furlra dias antes urna loja de ourives,
oppoz-se peranle o jury a ezcepcio de incom-
petencia do juizo, visto como era o "crime de fur-
to e nao de estellionalo. **
Articulada a excepcao pelo advogado do reo
.0 Sr. acadmico Jos Rodrigues da Silva Juqjorl,
o Dr. juiz du tfitetto, fazeado subr-os sotos im-
medialamente fi concluao, julgou procedente a
excepgao. e pur tal fundamaoto mandou que ao
reo se passasse airar de soltura, julgaodo pe-
rerapia a accasagao.
" Nada maig havendo tratar-se, levaotou-se a
se3Sio s 2 boraa da tarde.
ipq 1 laaah
. ub eaiJ-
-.11 r.,
.
o,,...^, .aa '<* aasib
1 M.lBOVm ob 1
2.T25I183
49L33ttM)00
pvr
ifl!
Passjvo.
6,867.-288*188
ilim i-''.*-
H.366:549il6
^SaBSTik&^^ '"W<~
^at^/^^^^'vlWaMrarp^
gaSUino Laiiava .aJtaijlq! tTnq -
Wltr>*.rW%rirMn W'tWeraaaV "d tte
.SsKIri.6? ^?elad.as 8 inlotaes. e fiWd
ftWlyrJe'pdf* ; is BrHsifnaYTlob.
'BfrbirriAmaotefts^ S ^(rrWsTOB-Wtpr 6VC.
sfvdo e t ikf--mkfSi -h-ufm?*^

sil : Conta da
Capital. Valor ' fornecidopela
caixa marlz 2,00o:0W000
Emisso Valor
.meireulacio 3,46!:W>00
Letras i' pagar.
Por dioheiro
ff^rtlKalanW)
Por saques. 11:456740 223:189*418
Crwlas corleo- ~ f"oi||l]^l\J
tea. SMo-oes- t\}lhJ> )C-
U coala... 2.292:934|404
Diversos. Saldo
de varias con-
tss......
Ganhos e per-
das. Lucro su-
jeito a liqui-
dajio ....
fi.
No impedimento do guarda llvra
crtpturarto,
AaraHio Praneiseo de Sonta Magalhes.
6,36:759J778



24 25981
14M8:943IU6
tres. O l*es-

CommuDicados.
CHRONICA JUICURI*.
Tnbuial do commercio.
SESSAO ADMINISTRATIVA KM 12 DE DEZEM-
BRO DE1M1.
FABSIPBHCU DO IXH.8R. DE81M8*K0AOR
F. A. DS souza.
As 10 horas da manha, reunidos oaSra. empa-
tadas Hego, Lemos, Basto e Silveira, oSr. presi-
dente declareu aberta a sesso.
Foi lida e appravada acta da antecedente;
. l r.*>F*niptm.
Foi presente a cotacao offlcial dospre03 co
n. ... \ HlialO.
/"raidencia do Sr. Dr. ffermogenes Soerates Ta-
pares de Vatconcellos.
Promotor publico, o Sr. Dr. Francisco Leopoldioo
de Gusmio I.bo.
Escrivio privativo do jury, o Sr. Joaqaim Fran-
cisco de Paula Estoves Clemente.
A's 10 horas da naohaa, veriflcando-se pela
chamada estarem presentea 45 juizes de faci
o r.juiz da diraito declarou abena aeeesao.
Entra em julgaraecio o summario instaurado
pelo Dr. cbefe'tf polica costra Joao Cbrysosto-
mo Pacheco Soares, aecusado pelo crime de ha-
ver defraudado caaas coamerciaes Barroca &
Castro o Barroca 4 Madeiros, em sua qualidade
de caixa renle na importancia de mais de
20:080900.
O Sr. Antonio Valentim da Silva Barroca, na
qualidade de auxiliar da jostija publica, compa-
recen ao tribunal acomptmhado-de seu advogado
o Dr. Antooiode VasoOncellos Henezes de Drum-
-maitdj, olerecead so ministerio publico vsrli
cerfidoes da caixa Qlial do Banco do' Brasil e a
eacripturecao das casas commaroiaesBarroca &
Castroe Barraca liedeiros.
Depois do sorieameota do cooselho de sen-
tenga. procedeu-se ao interrogatorio do reo, que
havia constituido par seu advogado ao Sr. Dr
Manoel Moreira Guerra.
Correram oa debates com animagio e calor, re-
feriodo-aa por vezes o promotor e o advogado
escripturacio exhibida, em cojo exame eutraram
perante o cooselho.
Procuraon aa galeras darem demonstracas
de appladaa, or. r. presidente do Jury fez par
vezes observar, que nao permitlla que aa gale-
nas perturbassem o silencio com as suas maai-
festscoes.
Em vista daa respaslas do jury aos quesitos
qu lhe forsrm. prot-oaaos, a Dr. juiz d*dtreito
pubtteau a Miar-
lando da decisio
Vi Iraqscriplo ao Diario de Pernambuco de
honlem o trecho de urna correspondencia ou ar-
tigo d'i peridico Regentrago publicado n ca-
pital da provincia da Parahiba, no qual se narra
orna emergencia desagrada vel havifla entre o Dr.
Joie Cavalcabri de Albuqoerqoo e o Dr. Adelino
Candido Carneiro daCanHa.
Todos sabem que entre os Individuas qoe es-
crevem para aquelle peridico, alguna existem
que nunca tiveram por timbre fallara verdade, e
milito menos erb negocios que lhes iuteressam de
aerio. Eu, que nio sel como o sete se passou,
ulgo-me desde j habilitado a asseverar que elle
nao leve lugar pelo modo porque foi deecripto.
A verdade est naturalmente bem looge da nar-
rado, ae se quizer attender par* o carcter fran-
co honesto do Dr. Joio Cavlcant, e para aa
srtimanhaa e aleirosias, eso que sempre prima-
ra m oa laes escriptores desinteresmdos.
Tenba como certo que alguem, que teoba co-
nheeiment do fado, sa encarregar de dar o
desmentido conveniente ao noticiador da Rege-
neraco. ,
Reclamara suspensio do juizo do publico fra
coliocar Dr. Joo Cavalcanli em urna posigo
inferior a que lhe compete pela educacio e pelos
bros; por isso absteoho-me desse recurso dos
tmidos e dos culpados.
Recite, V de dezerabro de 1861. .
________5t!tnno Cavaleanti d'Albuquerque.
Correspondencias.
Teodo o ueaao parete, o Sr. Canuto Jos
Pereira de Lacena, invocada oa aosaos tealemu-
nhas para provar algnmas das proposicoes por
elle aventuradas em urna correspondencia publi-
cada nesia Diarlo, contra o nosso irmao e cunha-
do, o Sr. teoeote-corooel Joao Barbosa da Silvs,
corra-nos o darver de accodirmos a se appell,
acienliicando aa dito notso prente que laes pro-
posiges sio idteiramenle inexactas, e qu quan-
do verdadeiras fossem, cumpria-lhe nao se lem-
brar jamis dos nossos nomes para faza-los figu-
rar em orna luta por demais vergonhota, e a qual
jdave ter um paradeiro. Sirvam-s, Sra. redac
lores, de dsrem publicidade a estas linhas. Imb
26 da nuvembro de 1861.Francisco Barbosa da
Silva.Joo Xavier Peasoa de Mello.Anioaio
Barbosa da Silva.
Pblieagoes a pujido.
Amigo e Sr.JosHenriques Machado.Obscu-
ro empregado da Ihesoorart de fazenda desta
Provincia eo nao posso, cqmodesejava, dar V.
S. urna manifestado solemne do mais profundo
reconhecimelo pelas roaneiras delicadas com que
V. S. quiz sempre obsequiar-me, durante o espa-
50 de 5 annos, que tive a ventura de servir na
secca, em que V. S. como chefe, acaba de ser
apopaoiad.
Nestas palavras que o sentimenlo maia Intimo
de mea corapAo agradecido transmit a est pa-
po!, receba meu caro Sr. Hachado, a expressio
mais sincera de meu reconhecimento e-eterna
gralideo.
Manoel Fonsec de Medeiros
Recite, 12 de desembro de '861.
CMftTl^sti:
GibsmV.'1' '" d" --r'to*
11 cairas IWndg' a f** Leal:
US fardos e 1 cairas Wzeds* tfe ^gWao. $
StSSMttMS^ ?W,*lfa**
harrtcia barrrfh; a iWsIron RWker & C
I* fs>dod -* iizai W*Wa' de 'arMrolo;8-
tts iqdezts ; a James Crabtree & C.
~ eftir
- dia 11 de (getombra de 8-. ^
c.^m8:'0-^^^"4 %'*?-
Bastos & Lemos 47 pip.s com 8,460 medidas
ue caala.
Brigue italiano Daino, para Genova, ca^ga-
Bastos & Lemos 800 saceos com 4,000 arrobas
de assucar. ~
^Galera'franeezt Adele, para o Canal, carraga-
Jmes Ryder 4 C. 1.300 saceos com 6 500 ar-
robas de assucar.
Brigue portuguez Mercurio, para o Porto, ear-
Autuns Gomes & C paos de cupirs e 30
ditos de.gulns, e 14 garrafes com 70 medidas de
caac.
^Btrca francesa Raoul. para sYarseille, car-
Tisset-freres 1,000 saceos cotai 5,000 arroba 4
assucar.
Barca franceiaPormpn/ir.para Marseillecar-
rega:
Tisset-freres 2,500 saceos com 12.500 arrobas
de assucar.
Polsca franceza Neptuno, para Marseille, car-
regaram :
E. A. Burle C. 1,600 aaccoa com 8,000 arro-
bss de assucar.
Brigoe sueco Salamander. para Gibraltar, car-
regaram :
N. OBieber 4 C. 2,000 saceos com 10.000 arro-
bas de assucar.
Bec^be.loria de rendas iaternau*
*Ws de Peronrabneo
Rendimeatodo dia 1 a 11. ., 11:48T$21*
dem do dia 1 ...... 944140


, >iw- 12 431A466
Consulado provincial.
Rendlmento do da 1 s 11. .31:140*559
dem do dis 12. ..... 2:600ot
33l7S*iai(J
jan
MoTsafiyito ile t>on.
i^y
Navios entrados no dia 12.
Harei3 dijs. brigue brasileiro Bitoiario, da
231 toneladas, capiiao Manoel Candido Ferrei-
ra, equipagem 11, carga sal ; Marques Bar-
ros & C.
Rio de Jaoeiro16 dias, brigue brasileiro Veloz,
de 201 toneladas, capilao Au'reliano B. de Car-
valho, equipagem 11. carga vinho e oulroa g-
neros ; a Azevdd 4 Mende.
Ass9 dias, Male brasileiro Santa Rita, da 57
toneladas, capilao Jaaquim Aotonio de Figum-
redo, equipagem 9, carga sal ; a Hartins Ir-
ruios. __
Aracaly8 dias, hiale brasileiro InwnciW, de
3S toneladas, capitio Jos Joaquina Alvo da
SiUa, equipagem 6, carga carnauba a outros
gneros ; ao meamo capujo.
Liverpool45 dias, brigue iaglez Savannaf* Lx
Mar, de 255 toneladas, eapitio John BWk.
equipagem 10, carga fazeodaae outros gneros :
a Sauader Brothers 4-C.
Baha10 diaa, brigue ingiez Oden, de 286 tone-
ladas, capitio James Naatard. equipagem k,
em lastro ; a Johaston Pater i C.
Rio de Janeiro e- porto intermedio!7 dias va-
por brasileiro Oynpoek, commaodaote o capi-
tn de mar e gutrra G. Mancebo.
Navios sabidas no mesmo dia.
Parabrigue-eetwna.btadlsWfjfccioa, capito
Joio Jos de Souza, carga aiiuxar e oulras g-
neros.
Portobarca portugvoza Syntpalhin, capilao An-
loniu Nogueira dos Sanio, carga assucar.
Peoedoeuler brastleira Emma, capilao Fran-
cisco G. Torres, carga carne'e sal.
P3
4\liandes;a.
Rendlmentododlal o 11. .
Iam do da 12 .....
284 6239950
2-6U0ji'<8
309:224g448
Movimiento da alfabdeira.
volamesntradoscomfazeodas.. 47
35
Volames sabidos
a >
tom gneros.
com fazendas.. 157
com gneros.. 761
82
918
. seoftortf. 'asttrftos taraba** ae
o provar sut superiorrddJe, afectando
ttttta'te.
do todos, abaadona-os aesmo, #s*-\itz*^IIo
_
DESCXCZOS.
Um requerimento de Sehaatio Jos da Silva
de F. Magalhiea Bastos, pedlrcto
Antooio
que s
Vi
Out
para
Leite
El*
osjedadd
Bom
Magalhes Basto, o passou a deoomiuar-ajs TirwT
l.iJ^q>fe*WeP^;^qtorf^*^Wws
llMdade, como requer., ^^
utro de Fredftlea' 'idoBoo Pedroaa, Umbei
^rd.%^M.%r^rs^4
^fWsrtr^l^rf-kBe{ktCs
^tto'tn^s^iforalr^'ii^ao*
.fXeshafVokhrircVs.dak esno^-' *
rJl^THij ,)------1____|i ;. |,
da relacio.
Haveodo-
dioaria, o
ci do jury
{a, atablvendo o r#, e appel-
para o colleodisaimo tribunal
jado osl5diasde seasao or-
r de'dlreiid propot a.-ptoroga-
\o% acolita ner annaaiokdade de
s
1)
CaiMWaidoJBajicotBpagH.
AtdNGlTi EM 30 DE rrOVBMBIIO t>E1861.
AeerefjrttsTia>
Banco. doBra-
.WW
Descarregam boje 13 de dezembro.
Barca (rancezaJoaooe Cutecarrio.
Barca ingieraBinita idem.
Brigue brasileiroBebeMbecharque.
Patacho bollandez Elisabalh dlvarsot g-
neros. "
Patacho americanoRostrosburros.
Importacao
Vapor nacional Iguarass, procedente dos por-
los do norte manifestiu o seguate :
1,649 meios de sola, 6 caeros salgados ; a Joo
Jos de C. Moraes.
12 saceos gomraa de mandioca, 22 couros sal-
gados, 10 macos da couriohos de cabra, o 15B
meie da aala ; a Jos de SA Leito. .
560 meios de sala, 7 couros salgados; a Antu-
nes Guiara & C.
239 meios de aula, 1 caixote qaaijos ; a Jas
Joaquim da Silva Gomes.
204 meios de sola; a Juan Buson & C.
170 ditoa de dita ; a Isidoro Hilliday.
100 ditos da dita ; a Haaoal Goncalves
Silva.
158 saccas alzad lo ; a Sara Pfl hos 4 C.
37 birricaa 27 saccas e 1 quartnlla cera de car!-
usubs. 7.catats#aii dejM^Mfa* aalg
couros miudos-. meios de sola, 1 barr
es
~ as
et
, 0ra'' ,u j
------------------------rt- i
Si
* ] \ KthmospKsra
____:________s 1 ________
rW

2
I Dir*co.
*3
S
I /nlaostdad.
1
3 gR 2 a
I FnrAnAit,
I
o.
a
tt

I
o
US
3
-j
o o
o>--o o
ia 3 a
Centgrado.
o
I gygrQOMtro.
I Ciitarna hydro-
metrica.
9
5
3
8
S
Wranett.
Ing*lez.
.
so
i
P3
S M
Ss
feo
o
C.
n
do cjuadran-
tu
A noita do ciar, reojo variar!
te do NE e assim amanhecer.
oscilado da aiaat-.
Preamar as 11 h. 6' da aaafai, altara 5. n.
Bans-mar as 6 b. 6' da tarda, altura 1.9 p.
Observatorio do arsenal de manaba I2dd,=
zembro de 1861. .--
KOtTAMO STEPLE,
1* tenaou.
i ;u
iui^
< 1
>WfrIMt>1
. *.rV*M.a
, com l'MWMDtl'
do hial i ^o^lftalaS*-
Jotd i*")*! 0a pfb-
vincia ....
Leiraa deacoo-
tidas.
dos aaaig
turat real
te no-la,,
do deecooto
. Ztt A ll niIM u^l.kJI CO -^- -'- J_l
. O IIIm. Sr.inspector drttMdTarl-provin-
cial, em comprmanlo de retolucld da junta da
fazeod. manda f.xer pnbrfto qu no dia 26 do
correte, porania mw-na WnU, ta ha de arre-
matar a quem por avoaiba fita, o coateio da illu-
d
3,2S2t|82
i
a ^au;
**# e f l'vinlts9 63otataoor*i dL
caru^^^o^a^g^adj^spayfc
Imo*
rv^jii
fVlrl4.,

. 5 oM's.tfcaott' tfefthj
7 saceos cera
200 coarta
-., nCnat
de carnauba.
qua se ptaoonrom a eata arreraa-
l ,*M,rosan] da rojpri-
pelo poto-
SPiKir ^opreaentoo
_________ jdj^tv-

l al I
II


10)

DRiMt
na mbuco 0> *i\3. mXivZ]
0 lllm. Sr. inepecku d t^rii pr,-
vifjcis.1, em comprimen! i% ortaa,oV*. Sr.
preeidenie da provincia, manda facer MuMtce.
que no dia i de cerrme.-"le eespu-
S a obre 4^ceaeio. da roMft taaoralor,
M 4#&ta?Hf ?W teN|p A..<.|eJe
sysieroa de paralen pipedos, Tahada en rite,
Uceo. .eoron*;e,ca, n nal* di sesioes da junti
da fajanda da roaimi thesouraria, no dw lupra-
xncocjooado, palo mel dia, e competentemente
habililadaa.
E para constar ae mandn afosar o presente e
publicar pelo Diario.
Secretaria da thesouraria nrovinejal de Per-
nautmco. f> de dezembro de 1881.0 secretario,
Antonio Farruta da Aonunclaco.
Clausolaa eapeciaea para a arremitac.o.
Ia.A obra;4efiin,ipiipiadn em doua mzes a
cooUr da data da arrematis e coocluida do
prazo de IQ.mezaj., ,,U| ,, ,,)
2*.O arrematante aera bngido Hender ai
reclamacei concerneniei a Boa execuco da
obra, eitaa pelo angenheiro encarregado'da ua
ficaliieco.
3\O pagamento aer disidido em 4 presta
Soea guaaa, correspoedeado cada urna a um quar-
o do ?alor dr obra, .caniUnte do orctmeot* ef-
fectuado com ai quantias que forero votadas an-
nualroenta paria san Hm," com o imposta dos
propietarios, e com as sobrai da receita oos ter-
mos do 2* do art. 41 da lei do orc.amen.lQ vi-
gente.
4a.Para se proceder o pagamento ser a
obra avaliada em, bragas cuadradas, cando o
arrematante aujaitd, peto prego do ornamento, ao
augmento da meama, se o goreroo asiim o en-
tender.
5*.O arrematante ir oprigado a seguir rei-
trietimente as disposices coudas no art. 36 da
lei n. 286, e nos mais arligor da mesma lei, que
regula as arrematares.
6a.A pedra deve ser de gr-nito ou oulra pe-
dra ne muilo boa qdaltdade igualmente dura.
7a.As pearaa sern alentadas sobre umf ca-
rnada de argamasas de cal e areia. posta sobre o
terreno bem socado, e depois serao risadas com
im maco pesado
8a.O arrematante ser obrigado a botar urna
carnada de argamasas liquida por cima dai mes-
maa pedrs, pan lhes encher o intersticios.
9a.O pr^co aqui mencionado dever incluir
qualquer aferr que teja preciso fazer para levan-
tar o nivel das ras.
10a.Nao ser attendida reclamado algula
por parle da arrematante, tendente a exigencia
de indemoisac'o, seja qual for a causa que alle-
gue para tal flm.
Conforme.O secretario, Antonio Ferreira da
ADauaciac.o.
O lllm. Sr. inspector da thesouraria provin-
cial, em cumplimento da resolucao da junta de
azeoda, mande fazer publico que a arrematado
da renda das casas do patrimonio dos orphaos,
foi transferida para o (lia lt do correte.
Epara consta ae mandou afiliar o presente e
publicar pelo Diario.
Secretaria da thesouraria provincial, 3 de de-
zembro de 1861.O secretario, Antonio Ferreira
-da Aaneociaco.
O lllm. Sr. inspector da thesouraria defa-
zenda deala provincia manda fazer publico, em
onforrnidade da brdem do tribunal do theaouro
numero 182 de 16 de novembre ultimo, que no
dia 26 do corrente mez haver concurso oesta
Ihesouurii para preenchiment do lugar vago de
offlcial da secretaria da mesma, eotre os empre-
ados do thesouro, das thesourariai, alfaodegas e
recebedoriaa da claise immedialameDte superior
a de pralicanter.
O exame versar sobre as seguiotes materias :
Principios geraes de gcographia e historia do
Brasil, tradurco correcta das lioguis franceza e
ingleza, algebra at as equagoes duseguodogro,
pratica do servido peculiar da repartidlo em que
b em pregado estiver serviodo.
Secretaria da thesouraria de fazenda de Per-
nambuco, 4 de dezembro de 1861.Serviodo de
official-maior,
Jfaooel Jos Pinto.
O lllm. Sr. inspector da thesouraria pro-
vincial, ero virtude da ordem do Exm. Sr. pre-
sidente da provincia de 5 do corrate, manda fa-
zer publico que al o dia 19 deste mez estar
novamente aberta a concurrencia para a colloca-
e.o de carris de ferro, denominados trilbor ur-
banos, partir desta cidade at a povoaco de
Apicucos. O contrata ser feito nos termos da
lei provincial n. 518 de 21 de junho do presente
anno. E para constar se manden afiliar o pro-
sete publicar pelo Diario.
m Secralaria da thesouraria provincial de Per-
nambuco 6 de detembro de 1861.O secretario,
Antonio Ferreira d'Aoouociaco.
oho cheios de pilha cobertor de-rla, 'lancees e
fronhasde algodiounbo, e colx>rde slgedeo.
Para os imprtaos* martaheiros; aprtndizea
" ditos,
ooeva de panno+*A, camisas calcas, de
brim bronco; grvala de couro, polainas de
panno preto, e palos.
Para os (uzileiros navaes.
Bonete do chapa e pala; fardas, e esles, de
[panno .azul r frdelas, calcas e camisas, de brim
bracee ;''gravitas de couro, polainas d panno
prelo, e si patos.
Oa proponeotes devem fazer os objectos de
fardamooto por medidas, e apreseqlaram as
amoitraa dos pannos. *
Contrala-ie maja era dilo dia, por igual lempo,
vista tambem d propostas, a lavagem de rou-
pa daa enfermaras de marioha e dos africanos,
e da companhia da apren-
de compris navies, 10 de
eb
O secretario,
Alexandre Rodrigues doa Aojos.
Pela administrado doeorreio deala cidade
se faz pnbtrccr; ene em virtude da coovencao pos-
tal celebrada entre os goveroos brssileiro e fran-
cez, serao expedidas malas para a Europa no dia
15 do correute, de ocnformldade com o annuocio
deste correio publicado no Diario de 9 de feve-
reiro deste anno. Aa cartas serio recebidas duas
boraa antes da que for marcada para a sabida do
vapor, e oa jornaea at 4 boraa antes.
Correio de Peroambuco 10 de dezembro de
1861.O administrador,
Domingoa doa Pasaos Miranda;
Declarares.
Correio.
Pela administrado do correio se faz publico,
que as malas que deve cooduzir para os porlos
do norte o vapor Oyaporko chegado hontem do
sul, serao fechadas hoje (13) as 3 horai da tarde
em ponto.
Cttoselho administrativo.
O conselho administrativo, para fornecimento
do arsenal .de guerra, tem de contratar os gneros
alimenticios, par a companbia dos menores do
arsenal de guerra, durante os rtezes de Janeiro e
fevereiro do anno prximo viodouro.
Pao de 4 oncas, bolachas, assucar refinado de
segunda sorle, caf em-grao, manteiga franceza,
cha bysson, carne verde, carne secca, arroz do
Maranhao, bacalho, vinagre de Lisboa, azeite
doce de Lisboa, fa'rinha da trra, loucinho de
Lisboa, feijo mulalioho ou prelo.
Quem qutzer contratar taes gneros, aprsente
aa anas propostas em carta fechada, oa secretaria
do conselho, s 10 horas da manna do dia 20 do
correte mez.
Sala das sessoes do conseibo administrativo
tiara fornecimento do arsenal da- guerra, 12 de
ddzembro de 1861.
Btnlo Jos Lamenha Lini,
Coronel presidente.
,e Alexandre Augutio de Priae Villar,
Vogal e secretario interina.
Conselho administrativo. *-
O conselho administrativo, para fornecimento
do arsenal de guerffa, tem da comprar oa objectos
segunle :
Para o arsenal de guerra.
12 groaai tirelas de ferro eatinhadas para gr-
valas.
6 libras de gomma arbica,
12 duzias de folhaa dejixa.
10 milheiroi de pregoi caitas.
300 vassouras de palba.
100 ditas de junco.
Quem qaizer vender -taes objectos aprsente
as auas propostas em caria fechada na secretaria
do conselho, s 10 boraa da manha do dia 18 do
correte mez.
Sala das sessoes do conselho administrativo,
para fornecimento do arseual de guerra, 12 de
dezembro de 1861.
Bdnto Jote Lamenha Lita,
Qoronel presidente.
lvtarydft Augutto de Friat Vi/or,
Vogti e aecrelario inleriDo.
Conselho de compras navaes.
Tendo-se de contrar, iob as condicei do
eityllo, por tres metes ndoi em marco do anno
vndouro, o fornecimento dos objectos -abaixo
declarados ; convida o conelho so*'pretenden-
teb aprawtfrarflfn u' propostas, em caras
fechadas, no da TT flo cofrctiie mez 'al mII
horas da nihiy/*mrq*Qv)'*scr teri'laafr.
Pita os uritfs a armad*.1
Carne de vacca salgada.
VS*tk'mfft3^^ r9tf, M marW-
*Tr i*jff2tt' t**69, ciment* dar de
MKS'!f^*1v",'' Wianatla, bru-
jas ;'ar Mto, e-rutv. > >.
wr es aprebdlzes rtiflees
rjtt&#a^..arUfB
brigue nacional Siqueira, jl taal parle de **a
earregameato prompto, para o tebtffi eacrt-,
voa afrete, trata-ae com o capitaa.da mesmo, ou
com David Ferreira Dallar na ruado Bruna-n. 66.
ul t
pravas do arsenal,
dizes artificea.
Sala do conselho
dezembro de 1861.
Rio delaneiro
COMPAHIA
DE

Seguros Ulilidade Publica
Convidamos os Sr. accionistas a receberem do
eseriptorio desta companhia o 8a dividendo de
223000 por acc.o.
Recife 6 de dezembro de 1861.
Os directores,
Jos P. da Cunha.
Thomaz de Paria.
Consulado provincial.
O laocador do cooaolado abaixo aaaigoado id-
entifica aus proprietarios dos predios urbanos d
municipio de Olinda que nao tem sido Irabalho
seu, asallerafesdos lancamentos que se publi-
cara m oeste Diario, e que por esta circumstancia
devero dirigir-se, no caso de rsetacnarem aeus
direilos sos em pregados da repartico competen-
te. Reci fe9dedezmbrodel861.
Demetrio de GusmaoCoelbo.
Consulado provincial de Pernanjbuco.
Pela mesa do consulado provincial se faz pu-
blico aos proprietarios dos predios urbanos daa
fregueziasdeata cidade e da dos Afogadoa que os
trila diss uleis para cobraoca,, a bocea do cofre,
do 1* semestre da decima do anno QoaDceiro cor-
rele 1861 a 1862, ae priocipiam a coatar do dia
3 de dezembro viodouro ; e que tambem no mes-
mo dia principia a cobranza do primeiro semes-
tre do impoilo de 5 % sobre as rendas dos beos
de raz pertencentcs a corporacoea de mo mora.
Mesa do cooiulado proviocial 23 de novembro
de 1861.Theodoro Machado Freir Pereira da
Silva.
Directora das obras mili-
tares.
Teodo a directora das obras militares de man-
dar construir a escada e coberta da mesma oo
qusrtel do 9." balalho de infantaria, quem deste
servico se quizrr ancarregar, comparece na dita
directoris das 10 horas da manha 1 da tarde,
oos diaa 11, 12 e 13 do corrente mez.
Directora daa obraa militare! de Pernambaco
10 de dezembro de 1861.O escripturarlo,
Joao Monteiro de Andrade Malvinas.
Collectoria provincial'de
Olinda.
Pelo presente fsz-se publico, para coohecimeo-
to dos ioleressados, que do dia 3 de deaembro
prximo futuro principia a contar-se os 30 das
uteis para a cobranza do impoato da dcima ur-
bana do 1.a semestre do anno fiosneeiro de 1861
a 61, os quaes fiodos pagaro os cootribuintes que
nio comparecerem em dito prazc a multa de tres
por ceoto conforme determinado no regulamen-
to respectivo : do meamo prazo serao igualmeo'''
cobrados os impostoi laceados guiles : 4 0|0
sobre o aluguel de casa de negocios e diversos
stabelecimentos ; 80|0 sobre o aluguel dos es*
criptorios dos sdvogados, tabellies, eacrivies,
etc. ; 5 0|0 sobre o aluguel das casas do patrimo-
nio das curporsedes de mo-morla ; 20 0|0 daa
aguardantes do coosummo, e imposto sobre car-
ros de pssaeio, aluguel e carrocha.
Collectoria proviocial de Olinda 28 de novem-
bro de 1861.O escritao,
Joo Goocalvea Rodrigaea Franca.
Aysos martimos.
pretenie Seguir com multa brevidade o brigue
eacuoa Jovea Arthr,iem parte de aeu carrega-
meatpromk) ; para 0 reato que Ihe faItt, tra-
tase com o seu consigo tario Azevedo & Meo-
des, oo in eseriptorio ra da Cruz n. 1.
Para o Rio de Ja-
-
iciro.
O brigue aBeliiario, primeira classe, capito
Manoel Mariiono Ferreira, aegue com brevidade,
recebe carga e escravos a rele : Iraia-ae com os
consignatarios Marques. Barroa i C, largo do
Corpo Santo n. 6.
Para o Aracaty
segu at o flm desta semana e principio de ou-
Ira o hiate Sant'Annaa : para carga e passagei-
ros, trata-se com Gurgel Irmos, Da ra da Ca-
deia do Recire n. 28, primeiro andar.
Para Aracaty e Ass.
H.' e Dous Irmaos : para carga trata-se com
Martins i Irmo, ou com o mestre Joaquim Jos
da Silveira.
Rio de Janeiro
0 hiate Novaos segu com brevidade, recebe
alguma carga e escravos a frete : trata-se com os
coosigostznos Marques, Barros & C, largo de
Corpo Santo n. 6.
Maranhao e Para.
O patacho Paulino aegue com brevidade, o
pode receber alguma carga : trata-se com os con-
signatarios Margues, Barros & C, largo do Corno
Santo n. 6.
Rio de Janeiro
O brigue Cruzeiro dp Sul recebe tambem g-
neros esiraogeiros a frete : a tratar com os con-
signatarios Aotunes Guimaries & C.
Babia.
Para a Bahia aegne em poueoa das a escuna
nacional Carlota, eapilo Luciano Alvea da Con-
ceicao, para alguma carga que aioda recebe tra-
ta-ae com o aeu consignatario Francisco L. da O.
Asevedo, roa da Madre de Daos n. 12.
GOffiSHU PERMiBUaiU
DI
Maranhao e Para.
Seg com brevidade o hiate Lindo Paque-
te por ter graode parle de seu carregamenlo
contratado ; para o reato tr*ta-se com os con-
aigoaiarioa Almeida Gomes, Airea & C. ra da
CrazD.27.
'.
.
REAL M01PANHU
arfoMstradoreeda magia fallida d ***>ra &
PeralrarHa por saandade do lllm. Sr: jutat eipecial
do comeaarcio doa objectos ibaixo declarados per-
tewceates a mesma maisa a saber:
Urna aaaa terrea n. 6 aiu na ra Nova, coa eo-
lio e butiBUi fondos, a qual retada 1:000} m-
nual. t
Urna dUa aita oa ra da Pilara. 24*.
Um terreno no Menteiro lugar, denominado Ca-
boc, em que esli ediQcada a casa pertencente
a viuva do Reg Rmgel.
Um Silo no meamo lugar, ionio ao terreas per-
tancanteao Sr. Filiupe Billia Maetel.
Um dito na estrada do Monteiro junto da can do
Sr. major Anlunn.
Un eseravo pardo por Dome Leandro, de 18 in-
nos da idade.
O ieilao icri effectuado s II horas do dia ci-
ma mencionado na ra da Cadeia do Recife n
9, primeiro andar, onde se poder obter do refe-
rido agenta qualquer informacio a respeito dos
meamos objecloa. ,
tsotcfdc* da a1iafj os qdaes carregam mais de 200 arrobas e podem
ser pnehadoipol' um e mala odia. '
8 bolS mansos e acosluraados com o Irabalho
de carrocas. *
12 praochSea de sictrptnr e ofticlc; madeira
tecca em bou estado.
2 grandes e bons encerados que podem servir
para os meamos carros ou para canoas, na pra$e
do commertio em frente a igreja do Corpo Santo
t ir ir av
fttJlL.AU
COM LANCHE.
No aobrad do largo do Arsenal deMarinba n.
143, havendopara slgnal umi baodetra (ao cor-
rer do martello.)
AS 11 HORAS DO DA
DE
CoDtinuacao do Ieilao
DA
Una da lmperatriz n. 9.
DE
Burros e cavailos
Sabbado 14 de dezembro,
AS II HORAS. |
O captSo.Dmeles do brigue ame-
ricano Brothers, fara' Ieilao por nter-
v'encao do agente Camargo o armazem
do Sr. Andr de Abreu Porto, defronte
do arsenal de marinba, do 6 burros
e 28 cavailos de Montevideo, dos me-
lhores que tem vindo a esta provincia :
! a elles Srs. de engenho que pelo preop
i do correr do martello, nao deixarSo ae
Z'aqUeteSingleZeSaVapOr comprar:asil horasHo dia.no men
No dia 15 do corrente espaca-ae do sul o va- \ cionado armazem.
por aOoeida, commsadanle Bevis, o qual depois'
da demora do cestume aeguii para Soulbamp-
too tocando nos portos de S. Vicente e Lisboa,
para passagena etc., trata-se com os agentes
Adamson, Howie & C, ns ra do Trapiche No-
vo n. 4t.
N. B. Os ombrnlhos s se recebem at duas
horas antea de ae fecharam as malas ou urna
hora antas psgando um palacio alm do res-
pectivo frete. i-
Rio Grande do Sul.
Segu com brevidade o brigue nacional Firma,
ainda recebe alguma carga frete : a tratar com
os consignatarios Marques, Bwoa& C, largo do
Corpo Si oto n. 6.
Maranhao.
Segne em poueoa diaa o palbabote nicionai
Santo Amaro, capitao Manoel da Silva Santos,
para alguma carga que ainda pode receber trata-
se com o seu consignatario- F. L. de 0. Asevedo,
rus da Madre de Daes n. 12.
Rio Grande do Sul i
PELO
Rio de Janeiro
segu brevemente o brigue nacional cAdelaidea,
de superior msrchs, por ter alguma carga ji en-
gajada : quem do meamo quiser carregar ou ir
de paassgem, dirija-se a Bailar & Oliveira, ra
da Cadeia do Recife n. 12, ou com o capito na
praja.

i^M^^
DAS
Messageries imperiales.
Agencia ra do Trapiche n. 9.
At o dia 14 do correte espera-te da Europa
o vapor fraocec Extrehadure, commandaote Au-
ber, o qual depois da demora do coslume segui-
r para o Rio de Janeiro locando oa Babia para
passagens etc., a tratar oa agencia.
Navegado cosleira a vapor
Parahibs, Rk> Grande do Norte,
Macau do Aisu', Aracaty e Cear.
ateo Cear ao dia 21. do corrento box s 5
horas ds tarta.
Receba carga irte dfa 26 io molo da. En-
dQ Mallos n. 1.
Rio He Janeiro.
p Wid> **>W:.PPtJM.coa^avd#Ia o
COMPANHIA BRASILEIRA
DE
MDIIETrSS a IJUP.
At o dia 21 do corrente esperado dos portos
do norte o vapor nacional Paran, commaodan-
te Alcanforado, o qual depoia da demora do coa-
turne seguir para os porlos do sul.
Desde j recebem-se passageiroe, e eogaja-ae
a carga que o vapor poder cooduzir, a qual de-
ver le embarcar no dia de sua chegada, diohei-
ro afrete e eotommeodas al o dia da sabida s
2 horas da tarde : agencia ra da Cruz n. 1, es-
eriptorio de Azevedo & Mendes.
Litloes.
LEILO
Aotunes nao podeodo acabar com o ieilao dos
ricoa movis do 111 n. Sr. Simia Sampaic* Leite,
contiouira vender boje em casa de sua resi-
dencia na ra da ImpersUizn. 9, diveraoa objec-
tos de goato para ornar urna caa de familia.
Bem como
na masmi occasio vender se-ha um rico lorii-
meolo de roupas feitis como sejam paletots, so-
Oracaaacos, caigas, colletes etc etc.
AS 11 HKAS E.VI PONTO.
LEILAO
Sexta-feira 13 do corrente.
Ck)$ta Carvalho fara' leilo por man-
dado do lllm. Exm. Sr. Dr. juiz de
orphaos, da loja de fazenda da ra da
Cadeia do Recife da viuva Silva Antu-
nes & Filhos.
Grande Ieilao
MOVIS.
Com lanche.
Sabbado 14 do corrente.
i NA
Ra das Cruzes n. 35.
Costa Carvalho honrado com a con-
fia nca de urna familia importante que se
retira para fora da provincia fara' lei-
ISo no dia e hora cima dito, de urna
rica mobilia de mogno com pedra,
guarda louca e vestido, secretarias appa-
ra dores diversas obras de ouro e prata,
loucas e cris taes, e outros muitos ob,ec
tos que seria enfadonho mencionar :
tambem vender' urna escrava moca
com habilidades.
LEILAO
DE
Ima escrava.
Sexta-feira 13 do corrente.
O agente Piolo ier leilo requetimento de
Tasso Irmaos e por mandado do lllm. Sr. juiz
especial do commercio, de urna escrava por Do-
me Tbereza, de 32 anuos de idade, arrestada a
Joaquim Ferreira de Souza. a 11 horas do dia
cima mencionado em seu eseriptorio ra da Ca-
deia n. 9, primeiro andar.
LEILAO
DE
Movis, cryfllae, importanles obras de
engentara, direito etc., etc.,
e tamben de lindas joias de aura.
O 'gente Guimaries, honrado eom a conflanea
do lllm. Sr. rice-consol da Blgica, Carlos Mara
Colsoul, que se relira para fora da cidade, far
leilo de seus ricos e numerosos movis cima
declarados. 0 referido agente confia de seus
freguezes franca coadjuvaco pelo que promelte
bem oa servir.
Aysos diTersos.
i ni

Os Srs. assignantes deste Diario do
Cabo, pojnca, e Escada, que estao de-
vendo o importe de suas assignaturas,
hajam de sattifaze-las para que nao
seja suspensa a remessa.
Almanak da provincia
Estando a confeccionar se o almanak
desta provincia, roga-se as pessoas que
costumam ser contempladas de manda'
rem seus nomes, e qualidades de oceu-
pacao a' livraria ns. 6 e 8 da praqa da
I a dependencia ate o dia 15 do corrente
em que se deve fechar.
10T1RI
Terca-feira 24 do corrente, (vespera
de festa) andarao impreterivclmente as
rodas da terceira parte da primeira lo-
tera do Gymnasio Pernambucan.
O abaixo assignado em attencao a ser
esse dia o da vespera do nascimento do
nosso Redemptor e para mais satisfazer
ao respeitavel publico pagara' as sortes
de 6:000$, 3:000$. 1:000$, 500$. 200$
easde 100$ logo nesse mesmo dia da
extraccSo apenas se tenha ella concluido
cujos pagamentos inalisarao nesse dia
as 6 horas da tarde, continuando nos
das uteis. Os bifhetes e meios bilhetes
cham-se a venda nicamente ate' o dia
23, na thesouraria das loteras na ra
do Crespo n. 15 e as casas commissio-
nadas.
O thesoureiro,
A. J. Rodrigues de Souza.
Precisa-se
De urna ama de boa conducta pat a
casa de potica familia, na ra Augusta
n. 5 primeiro andar.
Aluga-se a loja do sobrado n. 11
no aterro da Boa-Vista, propria para
estabelecimento : a tratar no mesmo
sobrado.
Aviso.
1U3\ NOVA. NUMERO fc
PARA ACABAR.
Costa Carvalho nao podendo acabar com o Iei-
lao da loja franceza da ra Nova, conlinaa hoje
ao meio dia em ponto.
VENDENDO
1 hora da tarde a rica arma gao com todos os
seos pertences.
LEILAO
DE
MOV
PELO AGENTE
5egunda-feira 16 do corrente.
O referido agente cima, com patentemente au-
tortaado por urna familia que ae retirou para fora
da provincia far leilo de toda ai sui mobilia
cooiistindo em. urna mobilia completa da aera-
jein lampos do pedra, dita do ama rallo, cade tris
avulsas, marquezas, commodas, cama do ferro
para casal, lavatorio, louca de meaa e almoco, v-
dros, candelabro e muitos outros objectos avuisdja
que leria impoisivel enumera-loa a que ludo ae
vender sem reserva de proco: seguoda-feira 16
de dezembro pelas 10 horas da rambla na rus
do kmafifa o. 50, primeiro andar.

0 agento Pinto tari Ieilao a rHMTJslOBU H
A 17 do corrente
0 Dr. Charlea Cordn leudo de retirar se tem
porariameote para Inglaterra far leilo por in-
tervengo do agente Oliveira, de toda a Bem
acabada e excelleole mobilia e maja adornos da
casa de ua residencia, cousiitindo em lindoa sol
fas, coosolos e mesas da asia com tampoa d
mermore, mesaa de sofs, poltrooa, cadeiraa de
bilioQo, de bracos, de encost e diversas outraa
uiuaes, bancas para jogo, um outimo piano de
bellas vozea, eapelhos magnficos com molduras
douradas, quadros importantes, vasos para flo-
res, caodieiros de globo, laoteroas e muitos eo-
(eitea para aalas de risitas, estantes para livros.
obrss impressss liltemiis, hisloricaa cientfi-
cas dos melhores aflores, liadas secretarias, com-
modis, toucadores, guarda-vestidos, marquezas,
magoilieos toucadores, lavatorios com espelhoo,
O outroe singlos, leito para casadoa com corti-
nados e os mais preparos, liadas alcatifas para
aala e saleta, graode mesa elstica para jantar e
outraa para diffarenles misteret, louceiros, arma-
rios, apparadores, porcelanas para almoco, jan-
tar e cha, cryiaes, galheteiroa, bandejas, facas
o garfas ecolheres, avultado Irem de cosioha,
bancos e ioaumeroa outros aitigos apreciareis e
ioiiapensaveia a qualquer casa bem montada:
Terca feira 17
do correte, as 10 horas da maobla em ponto,
na indicada reaidencia ra da Imperairiz n. 30,
onde eapara inleira coocurrencia, mormeoto de
seus. dedicados amigos a quem especialmente
convida.
LlILiO
DE
Carrosas, bois. encerados e
madeira.
Sabbado 14 do ament I
as 10 korat.
No da o hora cima mencionado haver leilia
do dona carrol notas do cooduzir ganaros imi-
Cupha Irmos & Companhia fazem scieote ao
respeitavel publico, e com especislidade ao cor-
po do commercio, que desde o dia 18 de novem-
bro prximo passado, delxou de ser seu caizeiro
o Sr. Antonio Joaquim de Figueiredo.
Sitio para alugar.
Aluga-se urna excelleole casa com cochelra e
saozala no lugar doa Remedios : a tratar com A.
V. da Silva Barroca,em Bemfica, ou oa ra da
Cadeia do Recire n. 4.
Quem liver coolee com Theodoro 0. Borott
presente-as no prazo de 3 diaa em casa de 1). P.
Wild & C
Precisa-se fallar ao Sr. Julio Cesar Pereira
da Rocha, que leve botequim ou cousa que va-
Iba, oa ra estreita do Rosarlo : Desta typogra-
pbia.
0 Sr. Geraldo Correia Lima queira appare-
cer oesta lypngraphia. que se lbe precisa fallar.
Precisa-se, oa ra estrella do Rosario n.21,
primeiro andar, de urna ama para o servico in-
terno e externo de urna pesaos.
Sociedade recreativa
Nova Uaio,
A direceo actual deala sociedade, acbau-
do-se assaz penalisada com a infausta no-
ticia da prematura e seolidissima mnrte do
Sua Mageslade Pidelisstma o Sr. D. Pedro
V, e quereodo dir urna pequens maoifesla-
co de tao justos sontimeDios, tem delibe-
rado mandar celebrar urna missi resida ua
igrej do hospicio de Noasa Senhora da Pe-
ona, domingo 15 do correte, pelas 7 bo-
raa da manha, pelo repouso eleroo da al-
ma de tao joven rei, para cujo acto lo pi
e religioao a meama direceo roga encare-
cidamente a todos os aenhorea socios, quer
nacionaea quer porluguezes, para que ae
dignem compsrecer ao referido acto, alim
de i' rna-lo maia solemne e honroso.
Sala daa sessoes da eociedade recreativa
Nova Dnio 9 de dezembro de 1861.
O secretario.
Molla.
NOVO GOSTO.
Retratos de novo gosto
Retratos de novo gosto
Retratos do. novo gosto
Retratos de novo gosto
Hawleyotypo nova inveneao
Hawleyolypo aova inveoco
Hawleyotypo nova invenco
Hawleyotypo nova invencio
Hawleyotypo nova in vinca o
Precos baixado para pouco
tempo.
Precos baixado para pouco lempo
Precos baixado para pouco lempo
Precos baixado para pouco lempo
Precos baixado para pouco tempo
3#00G 5^000 10^000 20#000
3J000 5JW00 OWWO 20000
39000 5000 lOaOOO 20*000
3000 59OOO 10/000 209004
39000 Sooo 10*000 aoooo
Expleudido alfiuetes de ouro
Explendido alflnetes de owro
RxpleDdido alunetes da ouro
Explendido allinetes do ouro
Explendido alfioelas de uro
Para retratos
Para retratoa
Para reir toa ,,
Para roUatos
Para relratoa
Explendido quadros dourados
Explendido quadros dourados
Explendido quadros dourados
Explendido quadroa douradoa
Explendido quadros dourados
Vende-se machinas para re-
tratos.
Veode-se machinas para retratoa
Veode-se machinas para retratos
Vende-se machinas para relratoa
Vende-ae machinas para retratos
Gaixas de lindos "gostos
Caicas de lindos goaios
Caixas de lindos goatos
Caixas de Hados goitos
Caixas de lindos gostos
Todos venham ver
Todos venhsm ver
Todos venham ver
Todos venhsm rer
Todos venham ver
Vestidos pretos mais proprios
Vestidos pretos mais propnos
Para tirar retratos
Para
tirar
retratos
A. W. Osborne retratista ame-
ricano
A.. \v. rborne retratista americaoo
Rut do Imperador
Ra do Imperador.
Desappareceu da ra de Apollo, as 3 horas
da tarde do dia 12 do corrente, um cavado ruco
pedrez talhado com caogalha, ainda novo, dinas
cabidas para o lado dtreito, e ferrado com aa le-
tras A S P : quem o pegar leve-o ra da Sen-
zala Nova n. 38, que ser bem recompensado.
Precisa-se de urna ama capaz para todo ser-
vido de portas deotro, e de pouca familia ; na
ra das Cruzes o. 22.
Aluga-se o primeiro andar do sobrado da
ra do Amorim n. 50, tem com modos pira fami-
lia e eseriptorio : quem pretender dirija-se a ra
da Madre de Dos o. 20, que ehi achara com
quem tratar.
OSr. Manoel do Silva Noves Coulinbo tem
urna csria vinda da Parahiba, na rifa do Trapiche
numero 6.
Aluga-se duas casss pira ae pissar a festa
oa freguezia da Varzea, junto povoacio da
mesma : a tratar Da ra de Hortaa o. 2, primei-
ro andar.
Rogo ao Sr. padre Berilo Pereira do Reg,
em qualquer parte que aeache, que venha satis-
fazer o mais breve poisivel o que me devedor
mais de 6 mezes, pois que tendo de relirir-me
desta provincia, nao desejoincommodar aos meus
amigos para cobrar de v. Rvma. o que se acba
contrahido para comlgo em auaa differentes car-
ias, que se acham selladas e recoobecidas.
Joaqnim Joi de Almeida Pires.
Sexta-feira 15 Onda a audiencia do Sr. Dr.
juiz de orphaos, ser- arrematada a mulata Je-
inina, com -22 mnos de idade, boa eostureira, eo-
gommadeira e cozioheira : vai praer requeti-
mento do inventariarte Jos Antonio dn Mer-
cs. por psgameolo de dividas.
Precisa-^ alugar ama escrava qneaejaflel
a tenha as habilidades preciis para vertir em
urna casa de pequea familia : a tratar na roa da
Cruz do Recre armatera n 03.
Precisa-se alonar uu atrevo para compras
e mandados, psgi-ee generosamente : a tratar na
ra da Aurora n. 60, ou na ra da Cadeia do Re-
cife n. 34. *
Criada.
Precisase da urna criada para o servico inter-
no do urna casa de pouca familia, que entornas
seja acatada ; a tratar ns roa das Crtzas a. 20,
primeiro andar.
Prosisa-so da orna ama que xozi.be, n-
gomma o compre : na nu- do &ua*a>to o. 9,
sagundo.andar.
Importante
Aviso
Na loja do4 portas ds na do Queimado n. 39,
chi-se um grande armazem com todo o sorti-
mento do roupas feitas, para cojo tim tem mon-
tado urna otfkina de alfaiate, estando enaarrega-
do delta um perfeito meslro vindo de Lisboa, pa-
ra desempenhar toda e qualquer obra que M lh-
eocommoDde ; por isso que faz um convite espe-
cial a todas as pessoas com especislidade aoa
Illas. Srs. officiaes tanto da armada como do
exercito.
Paz-ae fardas, fsrdes com superiorea preparos
o muilo bem feitas, tambem trata-ae fazer o far-
dameato todo completo conforme ae usa ne Rio
de Janeiro, tanto que tem oa Agurinoa que de
IS vieram ; alm disso faz-se maia eaaaqainbes
para montara, frdelas ou jaqueles, bem como
colletes a militar para a Srs. ajudaotea de esta-
do maior e de ca vallara, qaer seja singlos ou
bordados a espequilha de ouro ou peale, udo ao
goato da Europa, tambero prepara-se ecos para
desembarsadores e de qualquer juiz aegundo o
estylo de Coi abra onde ae fazem ao melhores
onhecidas al boje, assim como lea muito ricos
desenos a matiz de todaaas coree propries para
fardamenlo de pageos oo criados de libr que se
far pato gosto francesa. Na men casa en-
earrega-ie de fazer para meninas jaeeetae a
franceza bordadas ao meamo goato. Aflnncando
!|oe por tudo se nca reapnnaavel ceae seja boas
axendaa, bea tito e bom certe, nle se falta no
dia qee se prometier, segunda a systaaa d'ooda
velo o mestre, pote eepira a honrse visita doa
dignos aenharea visto qaa nede pardea ea as-
para entar.
Na leja 'gata da ouro.vua do Cabes c. IB.
recebeu um completo aortimanto da golUohas da
nieaanga, sendo de todas aacores
particular de rbetptfca.
O acadmico Mmoel d. Cela Baa4e Um
abarte aa a.Uade elaoatasia aattace, oeaioAsl
leaialra nee -o,o*~
praaUr axaae 4a dama aetafias se ateo
aarso, oa rea Diraiu a.



oum McWfiUtfw tt_ mu w* w Hjrnw*>w..
*=-
aina
t ,9
Folhinl
Para a# provincias de Pernambuco, Parahiba, Rio
frrnfie do Norte, Cear e Alagoas, a sabef]
ta, contendo o kalqpdario, pocas geraes, nacieaamef, dial*
, tabeiUtldc lllvat, noticias planetarias, eclipses, partidas
JSF
Folhinha
b
tudiencias, e resumo de chronoloarf raVrf fffrl
variedade, a qual contm todas ai mlferfas das
tabellas do nascimento,. e ocaso do sol, das ma-
ses, casa e familia imperial, nomes e ttulos dos cheei dos
principa es estados do mundo, tabella da arrecadacSo do sello,
do porte das cartas, partida dos paquetes brasikiros eeuro-
correos,
de pbttk ettf
160
djtad
he
tf
. tabellajdos impostos geraes, proviciaes. e nmmcipaes, re-
gulamentoi de incendios, e entrudo, e algumas pusturajMnunici-
paes, artigos sobre agricultura, economias, modo de fabricar gelo,
prognostico do fim do mundo, colleco de remedios, a ris.
contendo todas as materias das de porta, e mais tabellas do
-viraento, e ocaso do sol, das mares, casa e familia imperial,
nomes e titulos dos chefes dos principaes estados do muDdo, ta-
bella da arrecadacao do sello, dita do porte das cartas, partida dos
paquetes brazileiros e europeus, tabella dos impostos geraes, pro-
viciaes, e municipaes, regulamentos de incendios, e entrado, e al-
gunas posturas municipaes, trezenario e mais oracoesde S. Fran-
cisco de Paula, colleccao de oraches para todos os estados da vida,
e novena da Sen hora Sant'Anna, a re'is........
220
roea-s
crioula;d idade 40 petas, te) eili
_ a^adeira deroupa, por um moleque d
neos, que sj bastante ladino bonita
; quem pretender facer este negocio, diri-
a rea Nora o. 20, que achira cora quem
tratar.
\ Rogase instantemente aos abaixo declara-
Sos tea cera parecimen lo lojs d. 20 B da ra do
Crespo: "^
Jos Florencio de Oliveira e Silva.
Henque da Fonseca Coitiulio ->.af mf~
Lupo Airee de Oli'eira e Silva.
Joaquim Carneiro Leal.
Manoel Jernimo de Albuqaerque. ..aT"
Joaquim Manoel Pereira.de Lyra.
Carlos Augusto da C. Ribeiro.
Souza [lypogrsphol.
#* **a _
-* Pede-se ao '.Sr. Dr. Joaquim
Moraes Carvatho, que quaedo Vier o Re-
cite (sea favor de dirigir-se ra do Cres-
po o.8.
*
Aluga-se o terceiro andar da casa
n| 57, Sfta na ra do Amoros i a tratar
"fia ra da Cadeia n. 62f: *


, l' ' W(M \'' i i i .
1 Acha-seno prelo o almanak civil, ecclesiastico, administrativo, agrco-
la, commercial e industrial, oqual sahira' no (im do mez de dezembro, nao po-
dendo ser antes pelas mudancas.
------------------------.----------------------------- "------ras* i .....1

iiio de SJ
Se'I
4aede2l
;af-se para enl
(a de aeu pti lh
moa bens em
Faria de Abreu
enco
Monte rPi popular Per-
a.
320 nambucano.'
-------------------.-------------------------------------- ------------------------r_
Precisa-se de um menioo para caiieiro de
taberna no becco do Gampetlaa. 4.
Aluga-se urna ama de leite : aa travessa
da rea das Cruzes c. 4, lojs de calcado.
Da casa do abaixo assigoalo dessppareceu
So da 10 do correte, um cabrinha de nome
enedicto, de idade de fO annos pouco mais ou
-enos, levou camisa de nseidinho escuro e urna
jrrente de lito no p cresa em um pequeo
eepe, tem me|maroa de (erida em ama peroa ;
quem o pegar |leve-o ra das Trineheiras n.
48 qee se recompensar.
Joaquim Eivino A Ivs da Silva.
No dia 11 do torrente deaappareceu deata
cidade um menino de 12 a. 13 nnos, psrdo, ca*
To,de nome Cosme, levou vestido camisa e ce-
routa de algoaozinho branco, chspo de baeta
preta; tem os olhos aperlados, cabello estirado
vermelho. Este menioo do eogouho Abreu,
de Ntzareth, e tendo se desencaminhado do
comboio alguna caballos, sahio elle a procurar e
nio vollou, no entretanto que appareceram os
cavalloa: quem o encontrar leve-o ra larga
alo Rosario sobrado n. 28.
Precisa-ae de urna ama para comprar e co-
linhar : na ra des Cruzes o. 36.
Aluga-ae urna casa com bom sitio todo mu-
rado, teodo urna immensidade de arvores fruct-
feras, os Capuoga-velha, contendo a casa duaa
salas espacosas, 4 qnarlos, gabinete ao lado, com
bello pogo d'sgua do beber, tanque para banhos,
cocheira. estribara quartoa para preloa e lalri-
aa : a tratar na ra da Palma b. 41, ou na roa
Nova a. 8.
Recebern-se e apromplam-se coro brevida-
de e perfeir.io qualquer encommenda de espana-
dores ; as Ciuco-Poctas n. 42 no segundo>odar.
O Sr. Joaquim de Souza Paula tem urna
carta oa ra da Csdeia do Recife, a. 7 toja de
Guedea 4t Goncalves.
O absixo asaignado tem contratado comprar
ao Sr. Joao Vaz Pantaleao d'Oliveira a aua casa
aila no becco Motocolomb no Recife, outr'ora
becco tapado, sob n. 2, quem sajulgarcom di-1
reito a dita propriedade comparece na ra da
Cruz o. 51 primeiro andar, no prazo de tres das
a contar da data deste.Recite, ti de dezembro
de 1861.
Antonio Bsrbosa de Barros.
No dia 13 deste mez, Dada a audiencia do
Dr. juiz de orphaos deata cidade, tem de ser ar-
rematadas tres casaa terreaa na ra Imperial ns.
212. 214 e 216, pe nanceo tes a barroca do finado
Simao da Rocha Guterres, cujo eacripto de pra;a
se acha em poder do porteiro doTnesmo juio.
Ama de leite.
Precisa-se alugar ama ama de leite para criar
ama menina, pora quer-se que nao aeja eacra-
va : a tratar na ra Nova n. 40, primeiro andar,
ou oa Capuoga Nova, sitio do Saotoa Coelbo.
Aluga-se urna escrara para todo o servico
interno de urna casa de familia ; no armazem do
caes da alUndega o. 7.
Offereee-se urna boa cozinheira para casa
de familia: quem precisar de seu presumo, diri-
ja-ae a ra da Cruz n. 27, segundo andar.
Precisa-ae de um caiieiro para padaria, que
tenha pratica e d fiador a aua conducta, paga-
se bom ordenado ; a tratar na padaria da ra
Direila n. 84.
Criado

Attenco
Desapareceu do palacio
da presidencia um cao da
|Terra Nova, todo preto e
muito manso, e accode pelo nome de
Simao: a pessoa que o tiver pegado
queira leva-lo ao dito palacio que sera'
recompensado com generosidaae.
9 Constando-nos que multas pes-
soas poe em duvida o termo ap-
proximado da nossa sabida de-
claramos de novo que irrevoga- 0
i velmente do dia ,J|
31 de dezembro corrate,
^ em diante nSo aceitremos mais O
) encommenda nenbuma passan* @
| do o estabelecimento ao nosso @
successor Precisa-ae de um criado forro ou captjvo, de
idade de 14 a 18 aonos, que sirva para lodo o
servico de urna casa de homem aolteiro: a tratar
oa ra da Cruz o. 26, armazem.
Reco.himento de Olioda.
No dia 13 do correle mea, pelaa 5 horas da
manhaa, levantar-ae-ha a bandeira di Senbora
da Couceico, precedendo miisa cantada, e a lar-
de tambero pelaa 5 horas principiar a novena, e
d'abi em diante "t o dia 22. que aera o da festa,
sendo orador o Rvm. D. Abbade do Mosleiro de
S. Beuto, e do Te-eom o Rvm. cura Joo Sera-
pio da Cruz.
Precisa-ae de um bomem que saiba retinar
asaucar para ama reBoaco na Parahiba, paga-ae
um bom ordenado : a tratar na ra do Rosario
numero 48.
O cidado Profiri da Cunha Moreira Alves,
Juiz de paz do primeiro anno do 1.* dlliicto da
freguezia ds Boa-Viata, di audiencia naa quartas
e sabbados, as 3 horas ds larde, na casa de sua
residencia, ra da lmperslriz n. 28.
O mejor Fraociico Hartins Raposo, juiz de
paz do 2." districto da freguozia da Boa Vista, d
audiencia as segundas e quintas-feiras, as 9 ho-
ras da manhaa, na ra dos Prazeres n. 24.
Tendo o goveroo da provincia concedido aato-
risscao para que este Muete Pi continu a fanc-
cionar, e estando approvado os seos estatutos,
de Ordem do Illm. Sr. director, convido a todos
os 9enhores socios effecti'OB a com parecern do-
mingo prximo [15) a sesso da assembla geral
qu para tal da e-convocada.
Secretaria do Monte Pi Popular Pernambuca-
no 11 de dezembrode 1861.
Bemjamin do Carmo Lopes.
1."secretario.
i Precisa-so alugar ama nearioba de 10 a 12
aonoa ; na ra do Imperador o. 69, sobrado.
Alugam-se tres casas novas que ainda nao
morou gente otilas, juntas a bomba do becco do
Quiabo na povoacSo dos Afogados, proprias para
se passar a festa por serena muito frescas e ter
lugar de embarque juoto a ellas; a tratar na ra
Augusta numero 31 ou naa meamaa casas.
Roga-se aos seobores abaixo mencionados o
favor de vlrem a roa do Crespo n. 8 A a negotio
de aeua ioteresses, visto nao se saber de auaa
moradas.
Dr. Pedro Gaudlano Relia e Silva.
Padre Francisco Alves branles.
Pr. Joao de Saota Cecilia.
Capito Antonio Fernando Rasouro.
Acurcio Jos de Medeiros.
Francisco Jos do Amsral.
Francisco de Paula Cavalcanli Wanderiey Lios.
Flix de Araujo Albuquerque.
Jos Guilherme dos Reis.
Joaquim Pedro do Reg Brrelo.
Mauoel Duarle Bibeiro Jnior.
Manoel Antonio Barbosa.
Miguel da PtrQeeco Gomes.
Jos Gorgonio Paea Brrelo.
Alexandre da Silva Tavora Veneno.
Joao Baplista Moreira.
Francisco Jos Alves Gama.
Joaquim Ignacio de Carvalho Mendonca.
Precisa-se de um faitor para um sitio de
peasoa eslraogeira, em Sant'ADDa: a tratar; na
ra do Trapiche-Novo n. 42.
iro Roma, filho do fallecido;
o Roma, tendo completado a
e querendo por isso emanci-
no gozo dos bens que por mor-
ertenceram. e estando os mes-
r do Sr. Pedro de Alcntara
Ama, previne a todas as pes-
soas que liverem de contratar comomesmo se-
ohor fue nao o facam seos gue elle fac,a entrega
dos meamos beos,i sob pena da sugeilarem-se as
conseqn'enctas que'poslata ibbrevir.
Aluga-se um primeiro audar na ra da lm-
peratriz : a tratar a* iu do Imperador m.6".
Jos Jorge Piato val a Europa para tratar
de sua saine, e pede aa pesseaa que lhe estao
deven lo, que lhe maodem pagar na ru da Ca-
dei do Recife o. 1.
( Quem precisar de urna pessoa qde tem boa
letra e escreve com alguma orlhograpnia, e en-
tende alguma couss de coolabilidade, e apto pa-
ra adquirir qualquer pratica de escripturacao em
pouco lempo : dirija'-se aoescriptorio do Sr. Dr.
EprartaullUasn. 8. rus do Queimado, ou cssa do
Sr. Amorim, nos Coelhos.
William Salmn, subdito ioglez, relira-ae
para Ioglaterra.
Casa em Beberibe-
Aluga-se urna casa na povoaco de Beberibe,
com commodos para grande familia, estribara e
suflrivel quintal, passaodo pelo fundo do mesmo
o ameno rio : quem pretende-la, ditijvse so se-
gando andar do aobrado n. 83 do porto das ca-
pes da ra Nova. ;
SOCIEDADE
asteas deaco toar
oes de se-
nhora.
i?.
o m
Vende-se a 160' e -200 rs. a vara : ns ruerdo
Queimado loja de mtadezas da boa fama n. 35.
Luvas de pellleja d
, Jiviri.
Veale-se i| ierdideras Uivs d pellidaf de
Jouvio pera bomem e seohora a 29500 o par:. Da
ra do Queimado loja de miudezas da boa fama
n. 35,#
Ciatos do ultimo gosto.

Veode-se ciles douradee e de paha o mais
bello que poasivel eacoolrar-se, pflo banlissi-
rao preco de 3$ cada um, ditos de Ota de muito
lindos gostos a 2g ; tambera ae vende fivellas
muito liadas e de muitas qualidades propriss uni
carnete par cintos 2$ : u ra do Queimado
loja de miudezas da boa fama n. 35.
Enfeites para cabega
Vende-se oa mais modernos enfeites que tem
viodo a esto mercado, e de mnitas qoslidades a
7 e 8i000 cada um, ditos pretos com vidrilho a
1S50: o* rea do Queimado loja de miudezas da
boa fama o. 35.
Laa muito fina para
bordar
Queimado
VeuJe-se contronl'o porlio da fortaleza da
lhar na alfaudega, ditos de mo, rodas para car-
rocas e orriaaJixM, torfadores de caf com
foffo, bocoas deioroo, battdeias. ferros de vl-
Us de ludas as quaJid*Je.4pbr(iCSs ie chum-
bar de lados os lamauhos, echiduras de ferrolho,
ferrolho de chapa, ferro de embutir de ledos os
Umanhos, e porto de ferro
Vende-se urna osa frrea de pedra e cal,
em chaos proprios, ha pouco reparada de novo4
com 2 salas, 2 quarlos, cojioha lora, e ora grande
quintal cercado : quem pretender dirlfa-sea Ira-
veesa do Caidbouco por detrs da ru Nova, cas*
uumero8. f .
Veode-se 46 viras de orello de beira de
panno fino e casemira, propria para embarcar pa-
ra o Porto, para sspatos de tranca, ou para An-
guila j aa ra Nova n. 18.
S Esperaba.
I
Achaodo-se approvado pelo goveroo da provin-
cia os estatutos, pelos quaes nos devenios regar
de conformidad com o decreto n. 5711 de 19 de
novembro de 1860, sao pelo presente convidados
todos os membros da mesma para reunio geral
no dia 15 do corrate, pelas 11 horas do dia, aflm
de proceder-se a nova eleicao dos Wenjbros da
adrpioistraeio como determina o supracitado de-
creto : certode que, aquellesque nao compare-
cern) a fallada reunio serio considerados'como
nao quereodo fazer parte da socUdade, e conse-
gaintemenle sem direito a reclimacao lgnma.
Secretaria da sociedade Amor ao' Prximo 11
de,dezembro de 1861.
Tbeodoro Orestes da Patrocinio,
primeiro secretario.
Quem tem peoborea em poder de Narciso
Jos da Costa ou de seuacaixeiros lenham a boo-
dade manda-loa tirar do prazo de 8 das, e os que
nao forera resgatados seto vendidoa para paga-
mento dos mesmos para que depois nao naja re-
clamarlo, viato que parte delles sao muito en-
ligo*.
es 3f, ditos mais interiores pouca cousa a 1}.
1*500 e 2J>: na ra do Queimado loja de miude-
Vende-se a Sp a libra : na ra do
loja de mjudezis ds ba fama n. 35.
Capellas e ramos para casa-
Tientos e bailes.
Vende-se muilissimo finas e ricas capellas
brencas para noivas, com o competente ramo para
o peilo, pelo barallssimo prego de 10 e M$, ra-
mos de flores muilo Unas e de muito lindas co-
ree
1
zas da boa fama n. 35
Luvas dediversas quali-
dades
Vende-se muito superiores luvas de eamurca
para homeos a Sft.o par, ditas de fio de escossia
brsacaa e de corea a 800 rs., ditas de seda en-
tenadas para seohora a 2g, ditas de torsal pretaa
a 19 : oa ra do Queimado loja de miudezas da L
boa fama n. 35.
/^fumarias finissimas
Zllua do Queimado n. 33 A.Z
Receben direcUmente a seis pedido 5J
f tinta inglesa-azui preta da verdadeira, "
esta lima se (ai notar pela graae dira- f|
renga em ludo quer na duracio quer na |
limpidez de liquido e aiuda maja recom- |
menda-ae os potes que alm de serem V
d-ama Iouqb mais Iva que a ordinaria 3
lem na boca urna pequeoa cavidade que ^
facilita a sahida da tinta, afUincaroos que VP
fg ninguem tem por isso so se deve pro- ^
aj| curar na loja Esperaoca roa do Queima- jfe
f do Guimares & Rocha, pote de 1(4 a 2
400 r..,del|2 a 800 rs. &
tt Asulhas Victoria pela aceitado, que A
tem tido estamos prevenidos de grande ~
e variado sortimeoto e se vende a 120
g| rs. o papel: loja Esperanza. ^
4jB> Sintos com uvelas de ac a IgOO, ve- ^
? nham de pressa que nao chegam para j
V quem quer, douradoa e praleados a SJ, f
*H estte acabando. A

I!
Aen^o.
t
Stahl&G.
[Photographos deS. M. o Imperador'
Ra da Imperatriz nu-
mero 14. i
Ama.
Precisa-se de orna ama forra, prefere-se de
meia idade, para o servico de compras, na ra
Bella o. 38.
LITTERATURA.
5Luz e MysteriosS
S PRIMEIROS CANTOS J
S Por Epiplianio de Bileocoart #
# Sahio a lume este Totume de poeziaa 4B>
O queso a cha i venda na livraria de Guima- C
9 raes & Oliveira. O autor pede aos seua #
0 ssiignantes e em especial seu.s collegas #
# os hachareis deste anno, que hajam de #
mandar buscar os voluntes de suas assig- 4sS
# naturas aa supradila livraria. 9

Aluga-se a casa da um andar e soio, na
ra Direila : a tratar na ra do Livramenlo p. 19.
Na noite do da 7 do crreme m-z fur- 4f)
# taram dous solas de ferro de> terraco da sj)
fcass de campo do Dr. Pereira do Carmo : (f
quem dellea der noticias exactas sera re- #
compensado. s>>
**
Carvalho, Nogueira & C. na ra
o Vigatto n. 9 primeiro andar, sacam
sobre Lisboa e Porto.
Abilio Fernandea Trigo de Loureiro leva ao
oabeeimente do reapeilavel publico, e prtesis
olemoemente perante o sesmo, por si, e como
natural e legitimo administrador da orpha aua
lba liara da Gloria, pela insanavel nnllidade
da diviaao da aeco da annullacao do aforamento
daa terrea deueminadas Pitsngueiras, que o res-
pectiva seohor directo, o Exm. Sr. vizconde de
Suasauoe, parece querer intentar, ou talvtz ja le-
vou a jobo (separadamente) contra um dos co-
berdeiros, o Sr. Dr. Julio Barbosa de Vasconcel-
os e aua senbora, a quem fez citar para euf fim,
*ja dez din pouco mais ou menos, sem todava
lar aina fasto citar para o mesmo Qm ad proies-
Unie, por si con* administrador de sus dita
Kilfi7deeieabrodel8l.
Joo Caaemiro da Silva Machado faz ver ao rea-
peilavel corpo de commercio e a seus devedores,
que tendo-se-lhe flnalisado o arrendamenlo da
loja da ra do Queimado o. 50, e nio podendo
por forma alguma chegar a um aecordo como
proprietario para all continuar com aeu estabe-
lecimento, em coosequeocia das graodes lavas e
exorbitante aluguel que lhe impuoham, reaolveu
despeja-la, eem quanlo nao conseguir oulra, po-
de ser procurado oa mesma ra n. 45, loja dos
Srs. Muoiz Irmao & C. Recife 10 de dezembro de
1861.
21-Raa Nova-21
Modista*
A entiw aochira d'slem da ponte da povoscio
da Baberib* CMtiea a receber carros e cavsllbs.

asegundo
.i4a*a-sa. ***wA+>mim4* fraga 4* Bo*>
*sts^ saaiM.MUffcP cH*4a as ras j Jm-
II!
Aaoa Ermeliada Arruda Hachado mudou sua
residencia para a ra Ntvb, sobrado r. 21, pri-
meiro andar, por cima da loja do Sr. ijermaoo,
reiojoeiro, e contina a servir suas freguezas com
toda promptidao pelo ultimo gosto de Paris, pois
recebe figurinos todos os meies pelo paquete a-.
glez. .'
Existe aqui um moco de idade de 22 annos,
filho do Rio Grande do Norte, que deseja ser em-
preado de caixeiro ou meamo de qualquer ad-
mioistrscao de agricultura, do que tem conheci-
mento, di garanta de sua conduela : quem pre-
cisar, procure na botica da ra larga do Rosario
numero 34.
Precisa se de um
caixeiro
Di-se aociedade a nma pessoa que tenha pra-
tica de loja de miudeaas, comanlo que o seu
comporlamento assim o exija ; quem pretender
dirija-se a ra da Imperatriz o. 46, loja.
O abaixo aaaignado, com loja de trtara-
gueiro na ra das Trineheiras n. 1, avias aa
pessoaa qae lem obras coocertadas de tartaruga
em sua loja desde o aono de 1858 a 60, lenham
a bondado de vir busca-las al o fim do correte
aono, e nio o fazeodo nesle prase ficarlo sem
direito algum s mesmas visto que ellas por
antigs, pouco ou nada valem.
Recife, 5 de dezembro de 1861.
Manoel Jos Soares Guimares.
Urna casa ein Olioda.
Aluga-se nma excelleole casa em Oliuda, sita
na ladeira do Varadoaro, pelos tres meses da fes-
la, leodo grandes commodos para familia: a tra-
tar no Recife, ra Nova n. 50, primeiro andar.
O, Dr. Joaquim Jos de Campos, secretario
da repartico da polica, contina a advogar nes-
ta praca, e deve aer procurado em sua casa n. 33
da ra da Imperatriz, antea das 9 horas e meia
da maoba, e depois daa 3 a meia da tarde doa
das uleis.
Aluga-se o sobrado de um andar e arma-
zem na ra da Hoeda n. 33, cancertado e piolado
de novo : a tratar na ra da Imperatriz n. 53, se-
gundo andar.
Sociedade bancaria.
Amorim, Fragoso, Si o los & C. sacam e tomam
ssques sobre a pra;a de Lisboa.
Alugam-se o primeiro e segundo andares
do sobrado na ra do Amorim n. 39 ; a tratar na
travesa da Madre de Dos n. 15.
Aluga-se o segundo andar da casa n. 183 da
roa Imperial, e o segundo da ra da Imperatriz
n. 188 : n tratar na ra da Aurora n. 36.
Saque sobre Lisboa.
Manoel Ignacio de Oliveira A Filho sacam so-
bre Lisboa ; no largo do Corpo Santo n. 19.
No dia 11 do correle fugio um caboclo
# de 14 a 15 aonos de idade.de nome Bibia-
' no, eom os signaes seguimos : Baiso e
# grosso, cara larga, cabellos estirados, levou
t) calca de casemira parda, camisa de risca- S)
SJ do e chapeo ; ci-se qae elle anda aqui aj
# pela cidade acoilado em casa de algaem e f)
# por isso chama-sea alinelo dos seobores #
SJ pedestres para o prender e lvalo i ra SJa>
sj do Hospicio o. 15, que receber urna grati- #
# Acacio. *
Jos Gomes Leal tendo recebido do Sr.
Manoel Gomes da Cunha seohor do eogeoho Ma-
caco da comarca de Nazarelh, o sea eseravo Je-
ronymo, prelo, crioulo, de idade de 12 aonos
pouco mais ou menos, com signaes um pouco
salientes as nadegaae costas, para vende-lo de
sua conta, e soecedendo ter o mesmo eseravo
desapparecido no dia seguoda-feira 9 do correo-
te, sem que alhoje toruasse para casa, pelo que
sappoeo annunctanle achar-se fgido, pelo pro-
sete o faz publico nio s para que chegu ao
coohecimento de aeu senhor, nao obstante lhe
ter j avisado particularmente, como para que
sendo encontrado o mesmo eseravo por algum
agente policial ou por quem o coohecer, o leve
a aeu senhor no referido engenho ca o traga a
esta praca o o entregue ao aonunciante na ra
da Gadeia Velha a. 56, certo de que ser devi-
Aameote recompensado.
Fitas de chmalo-
te muito boas e
bonitas.
Ama.
Precisa-se de urna ama de leite que queira le-
var urna crianca i Bahia, paga-se-lhe bem, alem
de dar-se-lhe passagem de ida e volta : a tratar
na ra da Uniao n. 42.
Alugam-se duas casas terreas ns. 7 e 11 no
Passagem, entre as duas pontes : a tratar no pa-
teado Carmo, loja de lartarugueiro n. 2, ou na
sitio do Cajneiro o. 1.
Precisa-se alugar um preto[: na ra da Ma-
triz da Boa-Vista n. 26,-padaria.
Aluga-se o primeiro andar de um sobrado
com muitos commodos, na ra da Matriz da Boa-
Vista n. 26: a tratar na loja do mesmo.
ompras.
Offerece-se um moco portuguez chegado dos
portoa do norte, para caixeiro de trapiche ou fa-
zendas, oa outro qualquer que se offere;a, dando
fiador a sua conducta : ra do Amorim n. 35.
MM,
Preciaa-ae da urna ama para o servico de casa
de pouca familia ; na ra larga do Roaario n. 21.
loja de calcado.
Preciaa-se de um cozioheiro: no botequim
da ra da Guia o, 36.
' A peasoa que desejj comprar ama negrioba
?e 0* ^ nnoSj.dirija-se a travessa do arsenal n.
1 a 3, que achara com quem tratar.
O Dr. Manoel Moreira Guerra tranaferio o
seu escriptorio de advfjcacia para a ra Nova n.
50, primeiro andar, onde reside, e onde poder
aer encontrado a qualquer hora do dia para o
exercicio de sua proQsso.
Acha-se para alugar dous andares do so-
brado da ra da Imperatriz n. 30: quem preten-
der dirija-se a mesma casa. .
Sr. Joao Hyppolito de Meira Li-
ma, queira apparece-- nesta typographia
que se lhe precisa fallar.
luga-se
o armazem n. 22.de ra do Imperador: a tratar
oa ra do Crespa n. 17.
Francisco Antonio do Reg Mello val ao nor-
te do imperio com o fim de tomar ares: se al-
gosa tiver de seoppdr a esta viagem, queira de-
datar por eate mesmo Diario am do o mesmo1
senhor se entender com ajle.
Ama de leite.
Na rea da Imperador a? 35, armazem, precisa
se de ama ama para amaaentar urna crisola, pa
ga-se bem.
.r- Uflareea-se em criada pettugaez para co-
SHiro a e*reaarT *a -,: q#M t*iier. iiiie-
aearaadaGor*,e8*rVo 1, ajar achara oso
qae* tratar..
^ Ap4aria*a LeSeeV) Norte ftraa do Colo-
Ua, preesst de um bom fornerir.-
V
O dentista Nutria Pompilio.
Ra estreita do Rosario n. 22, pri-
meiro andar,
planta denles pela pressio do ar, por molas e li-
gaduras, efaz todas as operacea de sua arte.
Aluga-se um sitio na entrada da Casa forte
tendo commodos suficieotes para qualquer familia
o r o man casa a tratar : no palele S. Pedro, n. 6 primei-
ro andar.
Pretiw-se de urna criada para casa de ra-
paz aolieir, a tratar : oa ra do Apollo aobrado
Attenco
i
9
Fttrlaram do abaixo assignado um r-
logiff de ooro palele ingtez, coberto de
n. 7191, autor Iosh Peuliogton e um
tranceln do ooro: quem delle souber
oa der noticia dirija-se ao largo do Corpo
Santo loja de cabo* de Antelo da Cosa
Sa Silva Madero, que ser generosamente
.recompensado,
mmm mm mam***
..T.PrC.V"'? deum ca'""<> Pa taberna qae
nb. pratica d. aleadla, de.14 16 annos; a
tratar ea roaesUels. do Roeaiic-:0, 18.
w. A. Browa, subdilaloglez, retira-se|para
Preriu-se d ams ama para compiar,xoiioh*/,
lavar e engoifflar para dus ptM : oa.lwMt,
LlBfeeta 0. d, segundo andar.
Compra -so urna arithmetica de Ottoni em
segunda mi : nesta typographia.
Vende-se o sobrado da ra d o. 14: quem o pretender dirija-se I ra da Man-
gueira n. 8.
Compram-se sccoes do novo banco de Per-
nambuco : no eacriploro de Manoel Ignacio de
Oliveira & Filho, largo do Corpo Santo.
Gompra-ae urna escrava moca e sadia, em-
bora sem habilidades, maa que esteja acosluma-
da lo somente ao aervico ioterno de ama casa :
quem tiver dirija-se ra do Imperador n. 57.
Compra-ae urna escrava para servir de ama
de leite : na ra da Uniio o. 38.
Muita attenco.
Vende-se a bem couhecida e acreditada opiata
ORleza para alvejar e conservar os denles pelo
barstieakmo prego de 19500 cada csixioba, di|a
fraocoza em tubos'.de metal, agua de colonia ver-
dadeira do Piver, baoha muito fioa em vasos de
muilas qualidades e bonitos gostos, extractos de
muitas qualidades e todos os mais fios que
possivel encontrar-se, sabooetes de diversos l-
mannos e quslidades, e outras muitas qualidades
de perfumaras dos melhores fabricantes de Paris
e Londres, que todo se vender por lio barato
preco que causar admiracao aos compradores :
na ra do Queimado na bem coonecida loja de
miudesaa da boa fama o. 35.
Chicotes le gosto e muito
fortes.
Vende-se muito bonitos chicles de baleia com
castoes de marlim e de metal para homens e se-
nhoras a 4 e 5cala um, ditos de estallo tambem
muito boas a 3$, ditoa de jooco porm muilo bem
acabados a 1 g : na ra do Queimado loja de miu-
dezas da boa fama n. 35.
Gabaz.es para senYiora e
meninas.
Vende-se pelo barallssimo e admiravel prego
de 3 e 49 cada um. e affianca -se que quem os vir
nao deisar de comprar, to bonitos e uteis sSo
elles : na ra do Queimado, na loja de miudezas
do boa fama n. 35.
Tinta bem conhecida e acre-
ditada para escrever.
Vende-se cada frasco a 500 rs e dos grandes
a 800 ra.; esta tinta azul oa occasiio em que
se escreve e por muilo pouco lempo fice prela e
bem preta, haveodo a vantagem de servir para
copiar cartas: na ras do Queimado loja de miu-
dezas da boa fama o. 35.
Flores finas,
A' loja d'aguia branca acaba de despachar uro
bello soriimento de flores finas e delicadas pro-
prisa para entettee de cabera e vestidos para ca-
samento* e bailes ; qsem as vir sem duvida se
alegrar de achar flures lio perfeitas e delicadas:
isso na ra do Queimado loja d'aguia branca
o. 16.
Compra-se
obras velbas :
numero 6.
ams porfi de prata de lei em
dirijam-aes ra da Madre de Dos
y
Vendas.
Por 3001J veode-se um cabriole! moderno
coro cavallo e arreios, ludo em bom estsdo : a'
ver, na eocbeira da roa da Imperatriz, e trelar na
ra do Hospicio n. 35. .
Pechincha
Vende-se 1 carro de 4 rodas e dous cabriolis :
quem os pieteoder, dirija-se a ra dos Jasmim a.
24, officroa de ferreiro, que achara com
tratar.
quem
Barato que admira.
Vendem-se chitas com toque de mofo muilo
finas a 160,180 e 200 rs. o covsdo, cambraias
entre- finas de -10 jardas a 3J, caigas de casemira
muito bem feitss a 49, mantas de Monde muito
ricas para calamento, cada urna 10J, lenciohoa
de bico e lelreiro a 200 rs. : na ra da Imperatriz
o. 6, primeira lojs ao p da ponte.
s
Charutos
Verdaderos charutos de Ha-
vana vende-se na ra do Apollo
n. 51.
-M-90ft
IJ? deposito do gelo ra do Apollo
n. 31, vende-se gelo de hoje em diante
arroba a ofrtjQ, e meia arroba 2,0000,
e a libra a 16Q tsis ttasfibem recbese
assignaturaa da pesMit particulares k>.
go que seja diariamente, ate" que' se
Cbe o gelo.
Gneros para a festa.
Manteiga francesa a 640 rs. a libra, dita ingle-
za a 800 rs., toucinho a 320 rs., arroz a 100 rs.,
cha a 29560, bitataa a 60 rs., sabio raassa a 200
rs., dito amarello a 160 rs., macarrio, talharim
e aletria a 500 rs., ervilhasa 120 rs., caf a 200,
240 e2e0rs., paingo a 160 rs., alpiste a 180 e
200 rs., velas de carnauba a 400 rs., ditas de es-
permacete a 760rs. vinho do Porto engarrafado
a800rs, azeile de carrapatoa 400 ra., dito de
coco a 440 rs., queijos a 28500. baoha a 480 ra.
a libra, arroz de casca a 3^600 o ascco, espirito
de vinho a 1$700 caada, aguachente de cana
a 200 rs. j engarrafada : na travessa do pateo
A loja d'aguia branca acaba de receber pelo va-
por inglez i sua encommenda de boas, bonitas e
largaa filas de chamalote braneaa e outras corea.
aa quaes sio excelleotes para cintos, lachos, etc.,
de vestidos para caaamentos e bailes, assim como
para lagos de bouqueles, cinleiros de criangas e
muitas outras diversas cousas, e como de seu
costume os precos sao menores do que em oulra
qualquer parle; assim quem munido de dinhei-
ro, dirigir-se a rus do Queimado loja d'aguia
branca n. 16, ser bem servido.
liuvas de Jouvln.
Vendem-se as verdadeiras luvaede Jouvio, che-
gadas por este ultimo paquete da Europa : oa
loja d'aguia de ouro, ra do Gebogl a. 1 B.
Cachimbos de gesso.
Cbegou novo soriimento dos superiores ca.-
chimbos de gesso a prego econmico ; na ras da
esdeia do Recife o. 15, loja do
Centro conimercial.
Agulhas Victoria.
Superiores agulhas para costura, fscenda nun
ca vista, 120 is. o papel de 25 agulhas ; as
senhoras do bom gosto devem mandar comprar
na ra da Cadeia do Recife n. 15, no
Centro eommercial.
Vende-se um carro com 4 asseolos, recea-
temente chegsdo, e sem uso algum.com lodosos
arreioa para um e dous cavallos: quemo preten-
der dirija-se a ra de Apollo n. 30, primeira
andar.
Vende-se um cavallo rodado, andador de
bfcixo, muito manso e bastante grande, com cor-
po para um cabriole! ou carro, e est gordo, veo-
de-se barato : a ver oa estrada de Joao de Bar-
ros, sitio confronte a capella, se dir quem vende.
Cabriolet.
Vende-se um cabriolet de 4 rodas, qoasi nevo,
feito em Londres, coberto, forte, leve e elegante:
na la da Cadeia n. 36.
Vende-se a casa de sobrado n. 10 na tra-
vesea do Livramenlo, a easa na povoagao dos
Afogados, ra de S. Miguel n. 13 ; tambem se
veode urna carroga usada e um dj, urna carroga
nova para cavallo, um carrioho-de carregar gene-
ros com muilo pouco uso, armac^s para cama de
vento, carriohos de maos, prsnchoes de sicopi-
ra, travs de fundo e travs de looro : na ra no-
va de Santa Rila n. 11, defronle da cacimba d*
ribeira da freguezia de S. Jos.
Na ra da Lingoela, armazem n. 8, coa
depoailo de pi e bolacha, vende-se leite puro as
7 horaa da manhaa a400ra. a garrafa.
do Paraizo o. 16, frente
porlas.
amarella taberna de 4
lunilla fina
em copos grandes.
A' loja d'aguia branca avisa a sua boa fregue-
zia que chegada a apreciavel banha fina em co-
pos grandes, e contina a vende-la mais barato
do qae em outra qualquer parte : na ra do Quei-
mado loja d'aguia branca n. 16.
Terreno.
Vende-se ara terreno com 90 palmos de frente
e 200 de fundo, na estrada de Joio de Barros com
a frente para a estrada, estando murado e com
alicerces qoasi completos para trescaaaa : quem
preteoder dirija-ae Irua de Sania Rita n. 89.
Novos candieiros para gaz
Um grande sortimento de candieiros
para gaz, desde o mais barato at o
mais rico que tem viudo a este mercado:
na ra da Senzala Nova n. 42.
Macas
Na ra do Apollo n. 31 armazem do
gelo, cbegou pelo navio Mersey urna
nova remessa de macaas muito frescas e
grandes, e vende-se barricas grandes
com cerca de 800 macas a 160000.
para
fiambre a-560 rs.
a libra,
Vende-se no Hnaieoi do
Progresso too largo da Penha
n.
Aos esludanles de geo-
graphia.
Vende se dous globos em meio uso,
um celeste e outro terreste, para bem
se aprender geographia : os eitudantcc
que o pretenderen], dirija-se a livra-
ria universal de Guimares & Oliveira,
ra do Imperador.
Escreve-se com a
tinta azul, e fica
preta.
A loga de Agoia-Braca .acaba de receber de sua
encommenda essa apreciavel linta que ao escre-
ver-se azul e ao depois flea preta. Essa lale
do afamado fabricaaleAdrien Maurin, o mes-
mo que fabrica a segura tiota para marcar roupa,
e elle pichoso como na conservado de 8PU U9[.
dito tem feito com que ana tiota pela purificaos
e seguranza de cor, tenha merecido a primasia
quaolas outrsa apparegam. conservando de mais
a mais o vidrado escuro e mescledo de aeus
boioes para prefinir a falsifieagio. A loja de Aguia
Branca, porem em alleogo a aua boa fregue-
zia tem modificado os pregos esti vendendo a
500 e 800 i!s os boioes, graodes e immediatos,
fazendo aioda alguma difTereoga a quem comprac
msior porgao para lorotr a vender. Tambem se
vende frasqoiohos com tinta para marear roapaa
610 e 1:000 ria, ludo aa roa do Queimado loja
de Aguia-Braoca, n. 16.
Attenco.
Por mais exforgos qae face
Nio me quer a masa valer
lodoa entusa ?enham ver
Calcados, bons, e de grsca.
Na ra Estrellado Rosario loja de calcado cor. *
fronte a i*reja, botina para meninos de 35 a 81
2,600 a 3,000. sspaies de diversos feHios para
meninos e bomena a 2:700 3:000, 3-300 3-500
4000, 4:800, 5 000 5 300, aapaioea abertcVn.
btD* iP*' wssasa *M0 aapaloa raaos abeMos
T1"3^5?0' W>Un,B oqnim para se-
Dh,?r\2i22? ,IM to4M d Po de cores sem
sallo 3:000, ditas ditas com sallo 4 000, botinas
para ssabora e msdioaa do ultimo goslo, ajitae de
setim rt| Mito, Upit0i dt ^~t 00M mui
quaiidodta por ceeassadoe arscsa.
Oleado pintado.
Naf.aNove a. 44. toja a fabrica de ekape.,
acaba de leeeber em eeaaplele eertiaaento de
eleade, cean noce deseoboe e de gosta eaWroa,
ptopnti para cima de asesss. tpiaaos elfaeas, e
vaods-se per prego osasaeste.
tc


MU**t>*mtilh*o. ~ MHtZL *#*m*toU M Vendem-se'
neo ; na rui>
kan cht-
. r.- ..
Entrnelos
bordados em eambria
transparente.
Na loia d'ojuii braaca se acha Um bello toril-
reoto de entremeto* burda*)* em floa csmbraia
transparente, e como de aea coatume esr Ten-
deado baratamente a 1*200 a peSa da 3 viras,
tendo quantidade bastante de cada pidrio. pm
vestidos ; o quem tler dinheiro approvfeitTr a
eccasio, e manda-loa comprar na ra do Quel-
inado, roja 'aguia branca n. 16.
Aglhas imperiaes.
5 Tem o fundo dourado.
A loja d'aguia brancs tendo em vistas sempre
vender o bom, mandn ir, acabara e ehrgar
aqu (pela primeira vez) aa superiores agulhas
imperiaes, eesa o fiado doorado e asi bem fal-
tas, seodo para alfaiaUt e costereirat, e coaita
cada papel 160 r* A agulhto aisim boa anima
e adianta a quem cose com ella, e em regra seo
aais baratas do \jue as eulras ; quem aa com
prar os ra da Quahnsdo, loja d'aguia broas o.
16, dir temare bem deltas.
Mu bonitas
e boasfltas brancas de chama-
lote, franjas e trancas.
A loja d'aguia branca acaba de receber de toa
encommends diversos artigos de gosto, e proprios
para enfeitet de vealidos de noiias ou convida-
das, sendo bicoa de blond da diversas larguras,
franjas bramas e de corea, trancas brancas com
vidnihos e sem elles, cascarriiha* brancas e mul-
tas ou trw cores, finas e delicadas capel las bran-
cas, bonitos enfeites de flores e cachos sottos, lu-
vas de pellica enTeitadas primorosamente, n.ui
bonitaa e boas Blas de chamelote, e emfim mui-
tos outros objectos que a pedido do comprador
serao patente*, e S vista do dioheiro nao se dei-
xar de negociar : na loja d'aguia branca, ra
do Queimado n. 16. j
Patfida/ modernsima para
vestidos, na loja do pavo
vapar frahet umTiftdo sorflbAamri tgurods
de seda, (azeoda anda Dio vista neate aereado,
que se vende por prtoox|Mfas!taimo, por estar
muito prximo esta, asil como lindas roar-
quaziohas ou chapcaseos de sol para senhora :
na w da imperalriz n. 60, leja, df Gata* &
oliva, i 11 i
i
Para setiboras
Vende-se na leja o> Nabuco 4 C. na
rus Nova n. 2, o seguale :
Camisas de cambrata bordadas a 4J.
Chapnlioas de seda com meo de blond 9fr
10.
Chapeos de palha a Albertina a 120.
Lenco* de camareta de lioso bordados
a 10.
Hitos ditos com bico a 50.
Unos abertos com bico a roda proprios
para mimes de siobasiaaa a 3a.
8 Para meninos. t
Veode-se na loja de Nabuco & G. aa 1
|| ra Nova n. 2, o aeguinte:
2 Casaveques de fuslo para meninos de
i 2 a 6 annoa a 39.
J: Capas de fusto de cores para mesma
m idade a 3.
5>- Gravetinhas de flta a 200 rs.
I Vestidos de uatao bordados para meoi-
8 nos de 2 a 6 anuos a 5$.
Meias de elgodio brancas a 3^.
8 Di tas ditas de cores a 38200.
Ditas ditas ordinarias a 1$200.
Na loja ao p do arco de Santo
Antonio,
venrte-se toalhas propriaspara hotel a 1*200 e 1.
** *iVWW VfliWav^^B 4SWwSflWaW~ar^TWMaV a*OsW
Para acaban
[Na ra do Queimado n. 10*
loja de A portas.
Vende-se chapelioas do seda para se- 9
nhora a 8. E
. Orgjndys padroes os mais modernos a 5
S 600 rs. a vara. M
fi Sedinhas de quadrihos a 800 rs. o co- 5
S Casacas de panno preto muito fino a 2
Mauteletes pretos a 15 e 20.
35 Kiquissimos vestidos de seda de cores ^
n e pretos o mais moderno que tem; appa- b
5 retido epor baralissimo preco.
Vende-se umaescrava moca om habilida-
des : a tratar na ra da Uoiao n.88.
Calcado
inglez para homem e senhora.
Botinas de pellica prela lotricos para senhora.
Ditas de cores proprias para casamento ou
bailes.
Ditas de lastre para senhora.
Ditas de bezerro e pellica para homem.
Este calcado para senhora obra primorosa
que aida nao veio igual: na loja de Burle J-
nior & Martins, ra doCabug n. 16.
Novo armazem
emprogresso
DE
Jos de Jess Noreira &
Gompanhia.
Ra estreita do Rosario, es-
quina da ruadas Lurangei-
rasn. 18-
Os propietarios deste eslabeleeimento avisam
seus numerosos reguezes e mais spnhortes des
ta praca e senhores de eogeoho que se achara
com uro completo sorameoto de molhados, e es-
tn resolvios a vender por menos do que em
oulra quvlquer parte, como abaixo se v6 :man-
leiga ingleza pereitaroeote flor a 880, 800 e 720
rs. a libra, dita franceza da melhor que ha a
640 rs a libra e em barris se fer mais um aba-
te, cha do B9thor que ha a J80O e 23000, qnei-
jos fl '(rengos chegados no ultimo paquete a 2J800
mass'P. maearro, talherim e mais massas finas
a 400 rs. a Vibra, arrox do melhor que ha a 100
rs. a libra, bolachinha ingina a 320 rs., paasas
muito nova proprias para mimos em caitas dou-
rada* a x000, mermelada muito nova do* melho-
res fabricantes de Lisboa a 900 rs a libra, massa
de tomates a 900 rs. a fibra e om porco se far
abatimento ; espermacete a 760 rs. a libra, con-
servas francezas e portuuezas, a 720 e 700 rs. o
frasco, vinho Boreeaax a800r agarrafa, vioho
de Lisboa e Fipueira a 5f0 e 600 rs. a garrafa,
e em caada a 30760 e 4&TT00, vinagre de Lisboa
a 240 a garrafa, azeite flec* a720rt. ""a garrafa,
velas de carnauba erobrurhadas a 400 rs. a libra,
milito alcista a 180 rs. a libr e em arrobas far-
sa ha obatimeatlo. ,Alem destes geobfes ettstera
Outros moitoa qoe se* vea&Hh por menosdo q.ue
em outra qualquer parte por Urea* parte detiea
per tonia prepria.
Vende-a a leja d rra*eiiln n 18, a qusl (a "poaoei feedos e o
tempoboat' quem a preteeMer comprela na
aname.
k i UsjAe se ia.
Ti ra Nova muji-ta* MM vwdat* tfaVMk
.ca^r.c^iTitn'trfY)r>^^t*n' "
Vende-eaiiejiir *^ave-,jarlHfe't aoxioa. corr'te-deVe*ls*Midrs^''4eWe**a IflN.
fith. *e} aotMiarr. a
ueau o^*iq wq ee-ebner
I I
para carros de passeio.
Na'foja da ra do Crespo n.' T, vende-se un
completo sorfimento de objectos paira carro, por
precosi razoaveis, a saber : vaquetas envetniaa-
das, soa,tgal6e, virola. pinaUores, lapterias.
chicotes para um e dous cifallos, ditos para
mentaria, veles, lavoures, fazeoda de seda para
forro, dita de casemira, oleado preto, dito de pa-
Ihiohi, botoes de metal branco e amarello, ar-
reios para eabriemt.
- Vende-se no caeedo Remo* n. 4, arror cora
catea, o aiqueire medida velha e-sateos, mais
'barato que em qualioer Outra parte.
Touqu
inbas de setim, sa-
patinhos d dito bor-
dados, e meias de seda
para baptisado.
Aloja d'aguia branca acabada despachar de
sua propria encomaeada, nts bello sortimento
do* objectos cima, e de muito bons gostos, sen-
do as toaquinhas de setim mui bem enfeitadas
de fitas e flores a 6"}000, vindo cada urna emsua
cainha, aapatinlios da aclara brattetv rMifl twm
bordados a 35 rs-, e meias de superior qua lid a de
tanto brancaeceeaoeoi-de caTtteVjHntadaa a 2|
rs. o par: quem munido de oiaheiro dirigir-se
ra do Qaeiaaade, loja d'aguia branca a. 16, nao
deUar de comprar.
Gassas garibaldi-
nas na loja do
Pavo.
Veodem-se oisaimas cassas gariaaMioas sen-
do estas cassas as mais aaeflernaa qae teta che-
gado a 360 ra. o corado: na rea da Imaoratiiz
o. 60, loja de Gama & Silva.
Peanas galvanisadas.
A. loja d'aguia branca receten essas pedias
galvanisadas, de novisaima e moi boa quridade,
e as est veodendo a 20000 a csixlnb* com urna
grota. As primeiras dessas pennaa foram offe-
reci'las Garbaldi, e por isso tratem o *u re-
tracto, e as referidas cairas se encentra o dis-
ticepeonas Garibaldi.
S se encontram na rea do Queimado, loia
d'aguia branca n. 16.
Legues.
Vendem-ee lindos leqoes de madreperola, o
mais fino possivel: na loja d'agnia de otiro, na
do Cabug n. 1 B.
Lenijop brameos muito
Unos.
Vendem-se lencos brancos moilo finos, pelo
diminuto proco de 1*400 a duzia, grande pe-
chincha : na loja da boa f, na ra do Queimado
numero 22.
Caivetes fixos para abrir
latas.
Chegou nova remeasa desses precioaes cai-
vetes fixos para abrir lata* de sardinha, doce,
bolacbinhas etc.. etc. Agora pela feata cerne se
muito dessas cousas e por isso neeessario ter
um desses caivetes cujo importe lj), cornpran-
do-se na ra do Queimado loja da aguia branca
o. 16, nica parte oode os ha.
Escencia de mil.
Para engommado
Vendem-se frasquinhos cora escencia de ail
consa excellenie para engommado porque urna
gota della bastante para dar cr em urna bacia
de gomma tendodemaisa mais a praciesidafle de
nao manchar a roupa como atutas vetes acon-
tece com o p6 de- ail Custa cada frasqninho
500 rs : na ra do Queimado loja da aguia bran-
ca n. 16.
Micangas miudas de todas
as cores.
A loja d'agoia branca acaba de receber essas
procuradas micangas miudas que servem para
pulceiras e outras cousas, e por isso avisa as
pessoaa que ellas esperasm e as qne novamenie
quizerem comprar que munidos de 500 ris com-
praro um masao muito rnaiordo que o* amigos,
isso somente na loja d'aguia branca, ra do Quei-
mado o. 16.
Grvalas da moda.
Na loja da boa f, na ra do Queimado o. 22,
se encontrar om completo sortimento de grava-
tas de seda pretas e de cores, que se vendem por
prego* baralissimo, como sejam: esireilinhas
pretas e de lindas cotes a l;j, ditas com pontea
largas a 1$500, ditas pretas bordadas a 1*600. di-
>aa pretas para duas voltas a 1% ; na mencionada
loja da boa f, na ra do Queimado n. 22.
Vende-se um engenho moento e corrente.
sendo as obra* de tijo e cal, distante dea la pra-
mo engenho, tendo a commodidade de ficar dis-
tante urna legua e meia 'uma das estaopes da
via frrea, aer de varzea e de grandes lacros pela
sua roducao, tendo terreno para mais de dous
mil e quinheotos paeg para se safrejar todoa oa
anno sem precisar plantar-te na palha, apara
mais eiplicsces eotendam-se aa ra Nora loja
de marmore n. 43.
Vende-se barato que admira, na ra
Nova n. 18, a seguintes fazendas.
Vestidos degrosdenaple bordados a velludo de
muito gosto, dito* de tedt de cores e'de organ-
dys, chalim de seda, sedinhas de quadros, cami-
ainhae, ditaa com manguitos, vestidos de aela de
multo bom gosto para meninas de 6 a 8 annos,
chapeo* de diversas qualidades para senhora, di-
tos para homem, chales de merino dos mais. su-
periores quo ha no mercado, de todas as cores.
Vende-se
azeite de dendd ou palma, dito dt amendoim que
serve para luzese machinas, mais barato do que
om qualquer outra parte; na rea do Vigario n.
1*V priaaejto^idiuj- i
Macas,aozes,cas-
aTibra e
_ mca-se serem muito novas, fl-
nr!^^#I^^i
tanhas
Tudochegado no uUi
Wna.tIi|ad*M:i
. e rMeadaiima^at
_
59 a arroba,
gos a 240 r*.
rs. a3Hla e,
raftHle*vi
vale o dinheiro
ta do Urgo do
mero 36
6 no

p e Progreatia-
is Gruiet bu-
jMnutov^flnws:
(Moa
.' ajnj t,, ,
V
a 460. 1

36, na das Crtizes de Santo Antonio, 36
lf,4 ', i,11 KM rM^ll"
r
1 ;
4sverdadeirae lavas de
'vA'rrv.ViW
!&'<&




M
T(.
660 r. a carrafa;
IftinkaftJelN.ntM
U:0.ru.-d.iyeUB.6.^
e pela a 480


Aca'jaen de chegar pelo ultimo apor para a
loja d aguia branca, oa ra do Queimado n. 16,
aeodo de todas as cores.
y.eadet-M a casa terrea 6a roa da Matriz da
Boa-Viata b. 34 : q^laja de (aseabas da ra da
.acUtrao coi
,W

em barris a razao de 600 rt. a libra
Boa-Viata n. 4.-
> tratar na f/nca da

12? Jt0*aa a*MOHlinaBtaeiv)ollhda a 800 r, a libra e em p>rco a 750, recommenda-s os apreciadoras dtstett mo
xa a?" ma laem fl-anceza aaaatvardoanaeaaaa^O'rt. a libra e em
Sh1!?8 flameD80S Chegados no ulmo vapor a 20fl6 a 2*860.
o e DO lias SOltaS novas e grandes a 800 rs. o canto e*a 5'o mlhefro, aflanca-sa que visti da qualidadt ningaem deixar de comprar
r f aTOeem.urna arrobafc a* mettiores qua ha no mercado a 1 o gigo, a em porqo de 10 para cima a 800 ri.
NOZeS' as mais novas que existem no mareado a 200 rs. a libra e de 8 para eima a 160 ., afiance-so a boa qu al idade.
Massas ulhaiim, macarno e alatra as mal* novas do mercado, a 480 rs. a libra a 89a caixa.
Ghampanhe dai marcas mais acreditadas de 15 a 20 o gjgo a 1500 a 2$ a garrafa.
Bolachinha ingleza a 30 rs, a libra e 4 a barrica, aflanca-si ser a melhor do mercado,
Arroz o melbor do morado a 100 rs. a libra e 2700 a arroba dr> da India e 120 rs. a libra do da Mardnbao,
Cha hySSOQ 6 pretO o melhor do mercado de 19700 a 2J880 eem porfo lera abatiraento, e afianza-ce a boa qaalidade.
Presunto fiambre ngiez ahamburgaez a 900 rs. a libra e em porfi a 800 rs.
Presuntos portUgUezeS rindo* do Porto d casa partiealar a 560 rs. por libra ainteiro a 460 rs.
Marmelada dos melhoros autores da Lisbo* premiada as expasices universaes de Londres a Paris a 19800 a lata.
GaixaS COm estrelinha pevide e rodinha a 70O0 a caixa e 800 r. a libra eem parcaa ftr abamento.
Latas de a meixas Irancezas com cinco libras a 49000 e 19000 a libra. i
PaSSaS em caixinhas da oito libras, as melhores do mercado a 2*500 e a 500 rs. a libra e caixa de urna arroba a 89500.
Espermacete Superior a 740 rs. era caixa a a 760 rs. a libra.
Conservas francezas inglezas e portuguezas a 600 e soo rs. o fraseo.
ErVlLbaS portuguezas e francezas a 800 rs. a frasco afianca-se serem as mais bem preparadas que tem vindo ao mercado.
Lata COffi bolaxillha de SOda* de diversas qualidades, a muito nova a 19450. agrandes de 4 a 8 libras de 2500 a 4*500.
VinO em garrafas Duque de Porto, Porto fino, genuino, nctar, Garcavellos, Madeira seeca, Feitoria e Camones a 19200 a 1|360
a garrafa e a 18 a duzia. {
Vinho em pjpa proprios para pasta da 500 a 600 rs. a garrafa ede 39800 a 4800 a caada.
Latas COm frUCtaS de todas as quadades que ha em Portugal da 700 a 1000 a lata.
Pera em CdixaS de 4 a 8 libras a melhor que se pode desejar e tem vindo ao mercado de 49 a 6 a caixa e 19280 a libra.
CorinthiaS em fraseos de 1 1.2 a 2 libras de l600a29200.
Latas COm peiXe Savel pescada a outras muitas qualidades o mais bem arranjado que tem vindo ao nosso mercado da 1*400 a 1600
Ara ruta a melhor que se pode desejar a 320 rs. a libra, e 120 rs. a libra de gomma.
traSCOS (le amendoa com 2 libras, proprias para mimos, por serem muito bem enfeitadas e de superior qualidade a 39 cada nm.
v magre branco o melhor que temos tido no mercado a 400 !, a garrafa e 2*560 a caada.
LOmiono e erva doce os mais. novos que ha no mercado a 800 a libra do cominho e a 400 rs. a eeva doce.
Vinho BordeauX de boa qualidade a 800 e 19 a garrafa e de 8500 a 10O00 a duzia,
Massa de tomate em latas de urna libra do mais acreditado autor de Lisboa e vinda a pr imeira vez a nosse mercado, da 1 a 1*280.
Laixas SOrtidaS com ameixas, amendoas, passas e figos, o que ha de mais proprio para mimos, de 19000 a 59000 rs. por caixa de 2a
12 libras, a 400 rs. a libra dos figos. .
CervejaS das melhores marcis a 560 rs. a garrafa a 5 | 690O0 a duzia da branca.
Vinagre purO de Sboa 240 rs. a garra/a a 1950 a caada.
Doce da gOaba da CaSCa emcaixao a 19 e em porreo a 900 s.
Azeite doce purificado a 800 rs. a garrafa e 09000 a caixa com 12 garrafas.
GognaC a melhor qualidade que temos no mercado a 19000 a garrafa a 109000 a duzia.
QuijOS SUSS09 ebegados ltimamente a 500 rs. e em poreao ter abatimento, afian5a.se a boa qualidade.
Genebra de Hollauda a 600 rs. o fiasco e 65500 a frasqueira com 12 fraseos.
Palitos HxadoS para denles a 200 e 160 rs. o maco com 20 macinhos, e flor a 280 rs.
dem do gaz a 3*000 a greza e 280 a duzia de caixas.
Lnocolate o mais superior que temos tido no mercado portugoez. hespanhol efraneez de 19 a 1*200 a libra.
Azeitonas as melhores e mais novas que tem vindo a nosso mercado a 3*000 a aneoreta..
AmendoaS chegadas no ultimo navio a 480 rs. a libra e em porco ter a batimento.
Alpista o maislimpo que tem vindo ao mercado a 160 rs. a libra e 59000 por arroba.
-------A lem dos gneros annunciados encontrar o publico um completo sortimento de tudo tendente a molhados.
erairu o.36, acnarao com quem tratar.
Ha cae* de Harembro, confronte ao ar-
ttotl de guerra, taberna ns. 1 e 8, rendem-e
barra com mol muito nove, preceoommodo.
Esponjas finas
para o rosto.
Vende -se mui Boas eaponiat para rosto, a 2
cada urna : na roa do Queijnido, loja d'aguia

rol* branca n.6.
Lee Vifgal
nfallivel remedio para
sardas e panos.
a, '1?,.*1'**11 >* cooaerido como reme-
dio tofalhvel para sardas e pannoa, vende-se a
Xg ra. e fraaeo aa rus do Queimado, loja d'aaroia
Dranca n. 16.
Vestidos de calmelo.1
Ricos veatidot de bloode
capella e sala de setim.
com manta,
Superiores
vestido* de seda, de cambraia bordado,
de phaotasU.chsBeaa de palha, eoftitea
moderno* para cabeco, capas e maovebs-
te* con ptidoa o tnats maderno, sedas o
la de quadrinbo, cambraiai de core*, es-
pariolboa, ato*, hnoea, avias balao,
mata* elsticas e camisa do liobo para 1
senhora, fil a tarlataoa sota vesttdet,
chales de ponta redonda e
moderos.
maotjuitos
Roupa feita.
Calca*, colletes, pal tota e sobrecasacos
de panno, caaemira, chapeos de castor, l
bolinas de Meli.
Paraacalbar.
S Colchas de la e seda propria para cama
on tofaerta de piano a 5*, manguitos e
gollss bordadas de linho e de fusto atL.
sede de qoadriohos a lJlfJO, lSatinha1 a
I 40 rs. o corado-: na loja n. 28 ra da
Cadeis confronte ao becco largo de Guras!
& PerdigSo. *?*
I Esperanza. I
Receben de sna encommenda pulcei-
rs* de cabello qua vende por 10tS o par, aj
JPA braceletes de mosaico* a 6 cada um, A
^ agulha* victoria a ISO ra. o papel, pen- *
W te* de tartaruRa a 8, 10 e 128. precos $P
$ pontee ninguem pode vender (boa fa- djft
tenda) este* artigos nao se encontra em ^
loja uenhuma por isso va o a ruadoQuei- "
mado n. 33 A, loja da Bsperanea. 9
#E sp era uga red uz a exp res-
sao mais simples. f|
W (A* DINHEIRO.) W
^ Todo* o* artigo* qae estio na loja ij|
o, muito barato quem quizer v comprar e gz|
l ver : rui do Queimado n. 33 A, Guima- ^
W raes & Rocha.
AniusseliQa do Pavo a
m rs. ovad*.
Veode-se musselina branca com 4 1(2 palmos
de largura [zeoda muito fina pelo dlmiauto pro-
co de 200 rs. o corado, cortea de chita ingleza
com 10 corados core* flxas a 18500 rs., dita* de
musselina brancs com 10. covados a 2f. tudo
para apur.r dinheiro : na rva da Itnperatriz n.
60, loja de Gama & Silva.
Vendem-se libras sterlinas ; so eacriptorio
de Amoripa rmeos, ra da Cruz n. 3.
Liquidaco
de fazendas para senho-
rs.
ollinhf a fiaae a 900 rs., ditaa com
traspasso a lg,
maa-
aguitos e Bullas coto
m
bolozinho a 640. dte* de
gitos bordado* a 720,. man
botorMio multo* tinos (fe liho a 25500 e 3f, di-
tes de fusto a 3, camisas bordadas para aenho-
ras a 4. ricos siotos dourados e matizao"os a
2*500 e 31, ricos enfeites t Garibaldi', perjas do
Oras bordada* e entreoeios a 1|,. corpinnoa para
tieoiBO* a 640 cada man.
Vendem
preto* a 10 e
preco*. collet
gas a H) e2j500,
40ort|fcn6l, aa
a de cores e
ara todos.os
des, calcha de
" a-
vjaa^ Sitiad es.
.tfit***kfi*-v#f\mtr*+k*** titania.
^IH^lV^KL, uk'fu. do lTf*
piche n.4, V aodar. <.&*? 5 M"^
Atteqco.
Cbegou oa ra do Queimado n. 39, loja de 4
portas melpomeoe imperial com 6 palmos de lar-
gura a 2X600 o colado, o maia moderno e apura-
do gos i o que se pode encontrar para vestidos de
senhoras e meninas.
Na \oja do Yapo?
Sua Nova n 7.
acha-se barato grande sortimento de calcado fran-
cez e ingles, roupa feita e perfumaras muito
Chitas largas a 220 rs.
na loja do Pavo.
Vende -se nissimas chitas francesas eem pe-
quero toque de mofo, affiancando-s* soltar o
mofo logo que se Isrem, por serem do cor flxas
a 220 ra. o ovado : na ra da Imperatriz tj. 60,
loja de Gama & Silva.
Opiata ingleza
para dentes.
_ Eat finalmente remediada a falta qae se sen-
ta dessa aprecisvel opiata inglesa tao proreito-
sae necessaria para os dente?, iseo porque a lo-
ja d'aguia branca acaba de recebe-la de sua en-
commenda, e continua a vende-la a 1$500 rt. a
caita; quem quizer conservar seus dentes per-
feitoa prevenir-ge mandaodo-a eomprar em
dita loja d'aguia branca, ra do Queimado n. 16.
das 6 por-
tas em frente do Li-
v lamento.
Roupa feita muito barata.
Paletols de paono fino tolrecasacot, ^f
ditos de casemira de cor de fusto, ditos A
de brm de corea e brancos, ditos de j
ganga, calcas de casemira pretas e de 9
cores, de hrlm brenca e do cora*, degsn-
a, camlaa* com peito de linho muito ag
fiuas, ditas A* algodo, chapeos de sol J
de alpaca a 4A cade um, *9
ua da Se.ozalla Xiova.awA,
Neste estabelecimento vende se: ta-
phas de ferrp ooado libra 110 rs. dem
de Low Moor libra a 120 rs.
Nova exposico.
Ra Nova n. 20.
Riquissimo sortimento de cutilerias em todo
o genero, asstm como nm riquissimo sortimento
de louca de porcelana para cozinha, riquissimo
sortimento de metaea, riquissimo sortimento de
miudezas, e outros muios artigo*, qae com a vis-
ta do comprador se podero apreciar : na ra
Nova n. 20, loja de Carneiro Vianna.
Bombas de japy.
Ra Nova n. 20, loja de Carneiro Vianna.
Canos de chumbo.
Ra Nora n. 20, loja de Carneiro Vianna.
Arado americano se machina-
paralararrouparemcaia deS.P. Jos
listn & C. ra daieazala n.42.
Vende-se o grande sitio denominado Caia-
oa, sito na freguezia da Vaneo, de muito boaa
ierras, que tudo qnanto ae planta d urna grande
quantidade, com urna casa de taipa j coberta,
urna dita defazer ftrinha, grande quaniidade de
ps de cafezeiros, com diverso* p* de fructeiras,
como aeja larangeiraa, coquetro*, etc., etc.; o
tambera vendem-se duat vaccat que dio bastan-
te leite, urna dellas com a cria j grande, e nm
burro manso : a tratar na roa do Sebo n. 20.
Libras sterlinas.
. Vende-se no eacriptorio de Manoel Ignacio d*
Oltrelra e Filho, largo do CorpoSanto.
SARAO.
Joaqaim Francisco da Mello Santos avisa ao* ;
soo* fragete* deata praea so. dTf6ra| que m H? ?ftSJ,"* u""0 V* .!^,,,
esposto venda Mteodo\..(.bric.denoalnda IX^^TiJrrJZ*
Recitenoarmazem dosSrS. Travaaao* Janlor
4 C, na ruado Amorimn.58; masaa amarella,
coatanha, preta outras qualidadaa per maaor
prego qae de oatraalabricas. No meamo arma-
bem tem feito oaeu deposito dd ralas de Carada-
npleatem mit'.ura algnma, eoao as dt
O rival sem segundo, na
ra do Queimado n, 55
defronte do sobrado no-
vo, loja de mitdezas de
Jose Azevedo Maiae
Silva, est disposto a
continuar a vender pe-
los precos abaixo de-
clarados, que na ver-
dade borne barat-
simo.
Frascos com agua larandt aabreada 500
Ditoa superior, frasco moito grandes 800
Dua desabneles muito fino a SOO
Sabonetea inglezes da melbor qualidade a 160
Ditos muito grandes a g0
Frascos de agua celeste soait* superior a l50O
Ditos com ebeiro muito noa fjQQ
Diios com bsha de ureo a ean
Bitocom olee de babusa a J20
Ditos muiio superior a 240 e san
Ditos com banha mnito floa a
Ditos com opiata de Lubin a 900
Ditos de dito de ?j ver a '
Ditos com banha transprtate a
Ditos com ole pbilocome a 990
Ditos com superior agua de Colonia 400
Ditos com macaca perola a *qa
Ditos com ditos (o leo) a jqq
Novelo* de linha do gaz de cores a 20
Ditos de dita encerada mnito boa a 30
Ditoa da. melbor qualidade a 60
tjsrriteis de liobeie cores com lOOjardas 30
Nvelos de linha do gaz (ara marcar a 40
Parea de melaa de corea para meninos a 160
Ditos ditos para meninas a 120
Ditos ditos croas para meninos a 2u0
Duzia* de meias cruss muito encornadas a 28*00
Dita* dita* brancas para senhora a
Caixss com pbophoros de egsraaca a
Ditas de folha com phophoro a
Duzia de phophores de gaz a
Dita de ditos de vela a
Pessas de tranca de Ua de todas a* cores a 40
Feijo de corda.
No armazem de Tasso Irmos. ra do Amorim
numero 35.
NOVA
exposico de can-
dieiros econo
micos.
m

Una barcada.
.vV
tomposigo.
Lindas flores.
Ka loja d'agoia de curo, roa do Ca%B*I o. 1 B,
raceberatn de sea propria encommenda om com -
pleloiwrtianate de trorev.otMrt-0oo im** ffjbbs-
sivel eucotrtrar.proprlas psraeofeites de cebolln
vestido, couaa muit AMjue. e* te v*n4 por
prer^o que admita, smdOM8srf4t o cacho.
Vende-se aft>bcScj|doarte de 35 caUa*.
encalhada noasmirjiaraflre, carpinteiro Ja
clntho Elesbao, o pe da lortaTeza das Cinco Pon
piche n. 14.
o *m
Paiao.
nb 0-1*
1 -r> eb *?
^Vtad#-M,iaUmtaiaastdtdas tot*- eaioaa aj
ltaraa,da>tad uato pora untasta asass ny
-1 .IWPirafrviata $mtim udo- wmm
- par, sintotde lodaa n% qualidades pasiisauao
e meoioat-eaaU* burdadM om aakaM
oa ra da Imnacairii u.- #0, ttjaatm^amr
Silra.
O proprittario deste novo estabelecimento avi-
sa ao poblico e a todos os consumidores, qae tem
receido um grande soitimeoto tle condirfros de
novo modello, riquissimos para ornar sala*, todos
esmaltado* do diversidades do cores, dttde o
maia rico al o mala ordinario, asares cota* ata
grande tortimenlo do gat de primeirt qualidtde,
aapade eatontrar ;
latta, e aa garrafa a :
oa ra Nora n. 24, Itja de Vianaa.
Potassa (Ja Russia.
Vende-se em casa de N. O Bleber &
C, ucceseores, ra da Cruzn. 4-
S6 arara em liquidado
lo baralissimo preco de, &S840 a doria ; oa loia
Vende-se urna prela cnoala de88 1 M an-
eattu siitraiiait r roa da Praia n. 25, cata terrea lof HlintVi
ribeira do peiie.


Dimm Francisco Frnandes Duarte

Continuase a vender neste armazem de molhados os
melhores gneros qne vem ao mercado, e por multo menos pre.50 do que em outra qualquer parte,
P "AS** refce8 propietario em todos os vapores da Europa, a maior parte de seus genoros.
escolhldo por petsoas enearregadas, para este m ; por isso novameote participa ads seus freguezes,
on. s aos 8rs. 4a praca como de engeohos e l.vardores, que queitam seguir em progresso, que
nao delrem ao meos de comprar primeira vez auaa eocommendas.cerlo de que hao de gostar,
pira o que tilo se prtparlc os propietarios, ees prestar toda alinelo, e mesmo em |erviros por-
tdoret-toetfot'prtHcos, tao bm orno se visasen os Srs. pessoalmeote; e abaixo menslonamos
os pr,e?os de alguos generes, por onde se pode-jufgar. que tendemos barallssimo.

L\e\ga ing\exaa

2*900,
*

mercado a 480 rs.


a i*ti
a libra
ais superior qne ha 00 mercado a 800 rs e 1*000 a libra em
bartif se fari abatieaento. ^
TOanteiga f ranecza Buil0 ,, m rt., libt, e em barril a m tB
Gkfc prola, uysson e pisto 0, mStmHaont d0 mercad0 1mo>
19600 rs a libra e aflanja-se a boa qualidade.
,ll<1OtJo0telm0,h ll^UeS mei|,0re8 qae se pode destjar a W e 120 rs. cada urna.
Pf *51UUtO \HgVeZ p^jios pari flimbre a 900 rs. a libra, em porcio te far abati-
mento.
Ptcxunto do reino 0 queJ,,dt tom aetl8 geMroamr| alibra eiaUiro
4iO r.
Batatas novas em gIg09 de uma arroba a ls ^ ttnu
aiamO 0 meinor petUco que pode haver por estar prompto toda a hora a 1$ a libra.
Xoueinho do reino a 360 a IIbra e arroba a9|500
Ciionri?as e naios mutl0 D0T0,, 560 M 1bra>
**Aa **J^*^* -
Apitonas mnito novas. 1S00O .. aneorala, e em gartaa 320 .
Latas com bolaxlnta de soda Mnio difT9renle, quali(Udes a lfM0,
m porcao se far abatimeclo.
n.aja oa v^iaaie a Ma, n0Ta d0 merca(j0 em iaUl de maii Ubra por 9i0 rs dital ^
duaa ditas por 1*700.
liarmelada imperial d0 .fanwd0 Abreu e de outro, milot fabricante8 de ludos
a 1# a Ubra, em latas de 2 libraa per 1*800.
litviinas \ ranee as ai Belhoraf que ge pode d6sejar em meiaa lalas or 500 r8
tamben tena portogueza melataa eoteiras a 640 rs.
V^nOCOlate Ir&nceZ e he8panbol chegsdo neste ultimo vapor a 18200 a libra.
*B**B proprias para podim a 800 rs. a Ubra.
lOCe a ainerCne em !ala8 de 2 llbrag elegantemente eofeiladas a 1J200 cada uma.
SiSnetnaaSete inperior de 4, 5 e 0 em libra a 760 rs. e em caixa a 740 r.
Latas com neixe em posta das melhore, qualdade8 qo, ha em Porlug11,
\mendoas eoufeitudas
a 480 rs.
Nozes e eastanias pUadas mul0 00Ta..,, rs. a 1bM<
%veilinna para aopa a gW ra libra e em c^nh,, de 6 a 8 libras ae far abatlmeato.
Metria, macarrao e ta\h% rim. m rs 1bra, em caia. ^
aevadinna franceta naii0 no a 240 n a 1bta.
FaTinYia do ^latanYiao mailoalTaechero.aal60tf.
Candieiros a gaz9
O proqrielaro da nova expoaico dos caodiei-
roa a gaz avisa ao publico es geral, que se acba
aempre sonido cora grande e variavel sortimenlo
de candieiros desde o mtis barato al o wai* caro,
assim coma un grande deposito de gaz idrogeoio
verdaderamente ecoooiuico, reconhecido erda-
deiraroentfl por todos o* conaumidorea : na ra
Nqu os. 0 e2i. Caroeiro Vianoa.
Nesta mesma exposi^So se enconlrar um va
riavel portirneoto de riquissimos quadros de todas
as quilidadea que por goslu ae pode apreeiar 01
aeua desenhos, um riquissimo sortimenlo de
quinquilharias, contendo entre ellas riqujssimos
vavatoriea para quartos (gosto cbinei), um yaria-
iel aorUmento de balaios com todos os preparo a
para viagem, contando pratos, facas, copos e ou-
tros frascos para condicionar, ferros de engom
mar a vapor, machinas de bater ovos a vapor,
machinas de fazer caf a vapor, espingarda de
do.us canoa tronzadas e de alcance, mappaa del
mundo, e otros muilos objectos que se vendem
jpo precos diminutos para acabar: ra Nova
numeroso.
Camtorala Usa.
Veode-ae cambraia lisa transparente milito fi-
na, pelo barato prego de 4 e 58 peg* com 8 1 2
varas, dita tapada reuito superior, peca de 10
raras a 6| S najua do Queimado n. 22, na loia
da boa f.
Bramante e atoaXViado de
Unlio.
A graade liqmdaeao da
tja do Pavo,
Na ra da (mperatriz n. i>
DE
Gama Silva,
Acaba de ebegar a este estabeleclmento um
grande e variado ortlmento-de fasendas proprias
para a festa, e seusdonos resolvern veaderem-
oa por precos baratissimos por estar no Qm do
anno e quererem aporar dinheiro, cerno sejam :
cassas.
Um lindo sortimento de cassas de varias cores
e qualidads, que vendem a 540 e 180 rS. o co-
. vado. i
Brilhantina.
Vende-ae brilhantina de quadriobos a 540 rs.
na ra da lmpertriz n. 6o, loja do
Vende-so superior bramante depuro linbo com
duas varas de largura a 50400a vara, assim cmo
atoalhado adamascado tambera de poro lioho,
com 8 palmos de largura a 29300 a vara : na bem
coohecida loja da boa t, na ra do Queimado nu-
mero 52.
Cortes de eai$a.
y Vendem-ae cortes de caiga de meia caaemira
de cores escuras a 2$ cada corte ; na loja da boa
f, na rus do Queimado n. 23.
, e> .
Porl
alS
a libra, ditas em milo a 800 r., dita
com casca

Gamma
Alpista
de engommar, o que se pie desojar por ser mnito alva a 100 rs. a libra.
muito nevo e limpo a 160 rs. a libra e em porcio se far abaUmeoto.
J v erespeitavel publico,; que aBaocando-sea boa qualidade dos gneros cima meocio-
uados,'Se vende muito barato, e pelos quaes se poder julgar todos os demais que nao foram an-
nunciados.

brancos.
Vendem-se superiores paletots de brim branco
de puro linho, pelo baratissimo prego de 5$ : na
ruado Queimado o. 52, na bem coohecida leja
tUboaf.
So Mi D1RITA 3
Grande armazem.
Ferragens e mindtzas.
Sem baodejss, sem colheres, sem garlos e fa-
cas, imposstvel passtr a festa I neste armazem,
pois, encontraro as familias o melhor e mala ri-
co sortimento por precos inferiores aos de pri-
raeira aao, e reparem.
Bandejas recortadas e finas a 1|600.
Ditas ditas a 5.
Ditas ditas a 3f.
Outras (sultana valid) 68, 5 e 4#.
Faqueifts a 9$, 4. 3*600 e 3.
Colberes principe (sopa) M e 4*500. -
Ditas dita (cha) 3 e 25500.
Salitre, ferro, trens de cozloba, e tudoqnanto
perlence a ferragens baratislimss.
Carnes de vento de louro a 49809, e de ama-
rallo a 3*500.
Fogsreiros para todo prego.
-

lolooo.
E' na ra do Queimado n. 39 loja de qualro
portas que se vende os malhores chapeos de se-
da de formas mais modernas e bum gosto.
Na ra de S.
Jos n. 2.
Veude-se muito bons gneros aonde aonnncia
os seguiotes: vinho do Porto a garrafa 800 rs. a
caada a 6g000, Figueira a720 rs., Lisboa 600 rs.,
ditos mais baizos s caada 35600 rs., ditos em
garrafado do. Porto 18120 rs., ditos baixos 500 e
560 rs., vinagre de Lisboa 320 a caada 2*400
rs., marrasqainho 1*400, vinho Bordeaux a 1*
marmellada de 2 libras a 1|900 ra., ditas de libra
e meia a 1A600 rs., fructas de calda a 1J00O, pe-
ras, giojas, pecego e raioha Claudia latas de pei-
xe grandea a 1*800 rs.. massa de lmete 14000
a libra, manteiga ingleza 800 rs., dita f.aoceza
720 rs., banha refinada 560, queijos do reino
2*800 rs., fiambre ioglez a 750 rs., presunto do
reino a 480 a libra ; compram-se cobres velhos,
as pessoas que tiverem dirija-se s mesma que pa
gsr-se-ha, comoestiver cha hyson a 2*800ditodo
Rio em lata a libra 2*309 e 2*100 rs., caf em
carogo a 320, 380 e 260, assim como todos mais
gneros, vende-se mais baratos do que em ontra
qualquer parte, assim como hnguica do sertao a
a 400 rs. libra.
IP15
Superiores paletots de panno preto muilq fino,
lTP!> Pilo haralissfm'o precd de.
a do QeiD
obrs mullo
209 i na ra
dda loja da boa
mado n. 52, n* bem conhe-
(!- i ... .
Delicadas escovas
cabos de mdrfim e madre-
perola, para limpar

-a \
-r.^-'-'^ r ftob
Na verslade neta eKova para liaapv.pMles
pa Mceasarta esn qualquer toucador, e C
eepecialidede mv da seoJMie que p*ata o asesto
sysavtqs^ii^iiejSMle puitHo* atoe semptai
iBBMdMaMneeenaMdecabed* nMs9an o* asa*
dwsweia qin^ietam ae 3| rs., ns loja d'aguia
i n>Ai Ouemado n^ 19,
TWaS^rK'aWK >, ^M9Li'>'U
-keai
o
com;i{aatiieQart
rmi si*yNr.s a Vrxrdtte *mvMsW tnW

nmmf^mt^* ao u
yvig\m
Riiu**nrl
Entr^werosbotdadosiri
cambraia transparente.
Na loja da sguia brai
rx>rdal*s"rillBfnib
: Nova calilornia
DE
5 Fazendas baratas. S
Ra ra da Imperatriz n. 48, jauto >J
padaria franceza.
* Corles de cambraia branca com babadi-
l nhos 4* e 4*500 superior S*. canllrrSi^ rN- "
V eom 8 liS vart Sf, 3*509, e 4*. ditas de
J Escossia 5*, e 9*. rios enfeites'pafS s-
W nhora 6*e6|300, slntos os mais delicados
para sen hora 2*500, 3*, chapelina para cri- 9
fang gosto inglez 9*5Q0,4, jftrabaptlsado
|lt>Jles de vestido de seda Esc'osseza d
boDitos grto 124 eslo se acabando, ri-
*l3r'MWwi,!l0 !. l*- chapeo
^5aM8ti%a de bonitas cores, lisos
A^^mafflm 5*500, cortes de cam-
>fl
trancZ 290 ris o corado, completos ,
rntRlos de balfles e srbV 3,HoS,frj
ilm i
fjiurn
28ft o cevad*.

inca
kraia
vende-se entretneio
transparente a 1*
tVeodjsjss-rse oseis a ________ _
tiUs nsslsuflaMn^ M0> e^veo, saazinlra
4Mra vertkto*9SQ:***>!)Bio*taaJQf
< salee 409 -ss\ sai asad a-.siiu ai*, aman-i
Douradoscom cabos de ma-
dreperola.
Chegaram opportunamente para a loja d'aguia
branca os boniloa port bouquots dourados e es-
maltados, com cabos de madreperola, conforme
aua propria encommeoda, fleando assim remedia-
da a falla que havia desses port bouquets de gos-
to, os quaes chegaram bem a lempo para os di-
versos casamentes e bailes que se contara nesses
dias, por isso as pessoas que por elles esperavam
e as que de novo os quizerem comprar dirigi-
rem-se munidos de dinbeiro loja d'aguia bran-
ca, ra do Queimado o. 16, que encontrarlo obra
de bom gosto, barateza, agrado e ainceridade.
de cambraieta.
Vendem-se superiores saias de cambraieta mui-
to fina, com 4 pannos, pelo diminuto prego de
5*; a ellas, que sao muito baratas: na ra do
Queimado n. 22, na bem conhetida loja da boa fe*
Tinta preta para escrever
Vende-se excellente Unta preta para escrever
a 600 rs. a garrafa ; na livrsria ns. 0 e 8 da pra-
ga da Independencia;
Nova
exposico
O proprietario deste novo estabelecimento to-
ma a honra de avisar ao publieo qne tem no seu
estabelecimento exposta uma riquissima galera
de quadtos de pbanlasia e histricos, que por
gosto se pode possuir: na ra Nova n. 54, loja
do Vianna.
Vende-se
Azeite de dend.
Azeite de amenduL
Azeite de peixe.
Tudo no Forte doHattos ou largo da asiem-
bla n. 1.
Agulhas imperiaes
tem o fundo dourado.
A loja d'aguia branca, tendo em vista sempre
vender o bom, mandou vir de sua eonta essas
superiores agulbas imperiaes, as quaes acabam
de chegar {pela primeira- vez) tendo os fundos
dourados e pontas mu bem tiradas, e cusa eada
papel 160 rs. Cozer-se com uma agulha assim
boa, anima e adianta quem trabalha, por isso
dirigirem-se ra do Queimado loja d'aguia
brenca n. 19, que sero bem servidos.
RuadaSenzaa Nova n.42
Vende-se en casada S. P .Jonhston 4 C,
elliase silh5esngIeze3,e.a.ndeeirose castic^ei
bromeados,lonas agieres, lo devela,chicote
para carros, amoniaria.arreio para carro de
na elous cvalos relogio ida ouro paisnts
nglez.

Vende-se salitre de primeira qualidade por me-
nos do que em outra qualquar parte : no arma-
zem de Antonio Cesario Horeira Dias, no "
do Mallos, ra da Moeda n. 27.
i
i

Annuncio
Na loja da diligencia, de GuimarSes Ir-
mao, na ra do Queimado n. 65.
Cartei de clchelesfrancezes cem 14 pares*
50ra. r
Bolees de cores para casacos paletots i 540
a dnzia.
Ditos para caigas moilo finos a 160 a grosa
Trangas de lia para vealido, a peca a 40 rs
Lia para, bordar multo fina e lindas sores, li-
bra a 7*.
Hassos com grsmpos a 40 rs.
Linhas para bordar, a miada a 40rs.
'Bitas de peso muito finas, miada grande a 540.
j Franjas de linbo para vestidos, a vara a 119] '
JJCpparelrlos de porcelana para meninos, pinta-
dos e dourados a 1*900, Sf. 2*509 e 3*.
Cartis com aifinetes s 100 rs. <
Pspeis eom alfloetss caneca chati a 40 r$.
peca de 8 raras, pre;o este porque s se icha a
aHa leja < eguf WutaTuw daj Quuluildu
.*GP***V9Jrr W-pida* tem ka:
pecas para Tesldo*.
S* 1*io,N0fc, divo* a ssadapolao 3*.
mWmmvnmHr. saasm. lss>
ac *>4pates ?. daais
o corado
Paio.
Chitas a 240.
Veade-ae finisaimaa cbitas francezas escuraa e
alegre, (azenda que sempre se veadeu por ata
patata e acaba-ae a 240 ra. o corado : -n rea da
Imperatriz o. 60, loja de Paras. u
Msselit a: dazentos rs.
o covadO;
Vende-se musjelina branca com 4 e meio pal-
mea de largura a 200 reis o novado e ditas de
cores matizadaa largura de chita a 500 reis o co-
rado na ra da Imperatriz n. 90 loja do Povo.
S o Pavo em li-
quidado.
Ricos sintos dourados lisos e com Mstinhss a
2*500, calciobaa bordadas para meninos a 1*000,
gollinhas com manguitos a 1*600, golliohas de
traspaaso a lf, oitas sem ser de traapasso a 500
rs. luvaa de seda em perfeito estado a 500 rs. o
par, chapeos deso de seda com franja muito de-
licados para senhora a 3*500, chales erandes de
merino a 2*500. ditos de rede bordados a 3* cada
um, manguitos de cambraia bordados multo finos
a 800 e 1$. enfeites para cabeca a 5*. para me-
ninas a 940 ra.
Para homem.
Vende-se na loja do Patio um completo sor-
timento de roupas, como sejam : palitos de pan-
no e casemira de todas as cores, caigas da case-
mira preta e de cores, ditas de brim de todas as
qualidades, ca.misas francezas tanto para bomem
como para meninos por presos mais commodos
do que em outra qualqqer parte. Do-se amos-
tra de todas as fizendas que em nossos ano un-
cios se vS, deizando ficar peohor : na roa da Im-
peratriz a. 60, onde tem um paveo pintado do
lado defora, e para nao haver engaos denoite
tem um dislico por msio de uma luz em que diz
O PAVAO.
Lazinhas a 280 rs. o
covado.
Vendem-se lazinhas de quadros para vesti-
do, fazenda de aparado gosto a 280 o covado ;
na rea da Imperatriz n.60, loja do Paveo.
La chineza a 400 rs.
Vende-se lazinhas entestadas a 400 rs. o co-
vado : na ra da Imperatriz n. 60, loja do Paro.
Gambraias de seda.
Vendem-se oissimos cortes de cambraia de
aeda com dous babados e de apurado gosto a
4*500 cada corte : na loja do Pavo.
Vestidos brancos.
Vendem-ae finiasimos cortes de cambraia la-
vrada com babados e duaa aaias. fazenda qae se
vende em qualquer parte a 8*000 ra o Pavo
eat torrando por qualro mil ris, ditoe com bar-
ras bordados a 88500, 3* e 3*500: na ra da Im-
peratriz n. 60.
Gambraias de sal-
picos a 4$000.
Vende-se cambraia braoca com salpicos miudi-
nhos, tendo 8 }% varas cada corte, pelo baratis-
simo prese de 4*000, sendo fazenda que sempre
se vendeu a 7*000: na ra da Imperatriz n. 60
loja de Gama & Silva.
CASSAS LAVRADAS.
Vende-ae cassas lavradas fazenda do ultimo
gosto pelo baratissimo prego de 3*500: na ra da
ImpsraUiz n. 60, loja do Pavo.
Sedas a covados.
Vende-se grdadenaples preto muito iocorpado
a 1*900, 1*800 e 5*000, dito tr de roa, azul e
amarello, sarja branca lavrada para vestidos de
noivas, e outras qualidades de sedas por precos
baratissimos : na rus da Imperatriz n. 60, loja
do Pavo.
a
CHAPELINAS
6$000 cada urna.
Vende-se chapelinas modernas enfeitadas com
multo gosto para senhora a 6*000 cada uma: na
ra da Imperatriz n. 60, loja do Pavo.
Leucos paramo.
Vendem-se muito delicados lenclnhos de cam-
braia de lioho com labyrinlhe a 8*500, ditos de
muito gosto a imitacao de labyrintho a 800 e
IfOOO: na rea da Imperatriz n. 60, loja do
Pavio.
Madmolao enfestado a
*tres muris.
Vende-se pecas de madapolao enfestado com
12 atas a pega: oa ra da Imperatriz n. 60 loja
do Pavo.
Phantasia asis mil ris
Vende-se muito ricos vestidos de fantazia com
babados de muito bom gosto, fazendas de 12*000,
por 6*000, na ra da Imperatriz ri. '90 loja do
Filos.
Vende-ae fil de linho bordado fazenda muito
fina a 1*000 a vara, dito lizo a 800 rs., tarlataoa
branca e de todas as cores a 800 rs. a Tara na
loj.doP.vic,
Vestuarios aetnco mil
jPtWiS
Ricos vestuarios de seas para meninos, fazenda
de 15 por 5*000 ; na ra da Imperatriz n, 90;
lojadoPavao.
Qambraias lisias.
Vendem-se pecas de cambralas lisas, azenda
muito fina,'com 10 e meta vara cada peca, pelo
dp0OO a peca, ditas de 8 e meia varas a
8*. 8*500 4f, ditos de 9 e meta vara a 2*
> traca, diles para forro com 8 e meia va-
Baldes sem ferro a
ortnt
Terreno na ra do Bruna.
Vende-se om excellente terreno na roa de
Brum, junto a ftbrira o (undico n. 84, ao lado
do notte, eom O palmos de largura em todo seo
comprimen* 300 palmos d lando, aterrado
perfeitameDte, ctjarcano de esgeloe eses aseito
proprio para edifleacio de um grande armazem
de sasvear : qaem o pretender dirija-se i mes-
ma fabriea.
Caana e espirito.
Vende-se agurdente de canna engarrafada a
200 rs. a garrafa, espirito de vinho a 1*700 a ca-
ada ; na travesea do pateo do Paraizo o. 18, ta-
berna de duas portaa.
Manual de contas
feitas
para compra e venda de assucar e oulros objectos
obra na sito til a todos os negocia oles e sos se-
nheres de eogenbns; pois com um l.oce de vis-
ta podem saber o importa de quaesquer quanti-
dade a arrobas e libras ; vende-se na livrano
econmica ao p do arco da Santo Antonio, 1 va,
lume encadenado pelo preco de 5*.
pechincha.
Pe#as de earabr.ia Usa de 8 1(2 ratas a 5*500:
na rea do Queimado n. 44.
Carros e carrocas.
Em casa de N. O. Bieber
A G. successores rua da Cruz
numero A.
Vendem-se sarros americanos mui elegantes
e leves pera d ,m e 4 pessoaa e recebem-ae en-
commendsa par. cujo fim elles possuem map-
pascom varios desenhos, tambem vendem ear-
ro^aa para conducQo ^ assucar etc.
Potassa da Russia.
Vende-se potassa da Russia da maia nova e
uperiorqueh no mercado e a preco multo
eommodo: no escriptorio de Manoel Ignacio d.
Oliveira & Filho, largo do Corp Santo.
Vende-se no armazem de Jos Antonio Ho-
reira Oas & C, roa d. Groa n. 26 :
Safras a tornos para ferreiro.
Ferro sneeie em barra.
Liabas de carrilel de 500 jardas.
Halas para viagem.
Espingardas francezas muito finas em caixas de
pr si.
Ferros de lato para eogommar.
Pregos francezes de todos os tamanhos.
Ditos batel grande.
Ditos de eooatrucco.
Bracos grandes'para balanza.
Espingardas lazarinas.
devnoles ingiezes.
WjjiT33tlfl3l33t3'M333 ~4trM&9ft6|k>al
[Acaba de
chegar
ao novo armazem
DE
BASTOS & REG
Na ra Nova junto a Con-
ceico dos Milita-
res n. 47.
f
i le
Dm grande e variado sortimento de
roupas feitas, calcados e fazendaa e todos
estes se vendem por precos mnito modi-
ficados com o de seu coatume.assim como
sejam sobreeasacos de superiores pannos
e casacos feitos pelos ltimos figurinos a
26*. 28*. 30* e a 35*. paletots dos meemos
pannos preto a 19f, 18J. 50* e a 54*,
ditos de casemira de cor mesclado e de
novos padroes a 14*. 19*, 18*. 20* e 24*,
ditos saceos das mesmas casemiras de co-
res a 9*, 10*,12*e 14, ditos pretos pe-
lo diminuto prego de 8*. 10*. e 125, ditos
de sarja de aeda a sobrecasacados a 15*,
ditos de merino de cordo a 15*, ditos
de merino chines de apurado gosto a 15,
ditos de alpaca preta a 7, 8, 9 e a 10*,
ditos saceos pretoa a 4*. ditos de palba de
seda fazenda muito superior a 4*500, di-
tos de brim pardo e de fusto a 3*500, 4
e a 4*500, ditos de fusto branco a 4*.
grande quaatidade de calcas de casemira
preta e de cores s 7*, 8*. 9* e a 10, ditas
Sardas a 3* e a 4*, ditas de brim decores
as a 25500, 3*. 3*500 a a 4$, ditas de
brim brancos finas a 4*500, 55, 5*500 e a
*, ditas de brim lona a 5* e a 65, colletea
de gorguro preto e de cores a 55 e a 6$,
ditos de casemira de cor e pretos a 45500
e a 5, ditos de fusto branco e de brim
a 3* e a 3*500,ditos de brim lona a 45
ditos de merino para luto a 4 e a 45O0'
calcas de merio para luto a 45500 ea55|
i capaa de borracha a 9*. Para meninos
g de todos os tamanhos: calcas de casemira
I prefa e de cor a 55, 6* e a 7, ditas ditas
S de brim a 2j, 3* e a 3*500, paletots sac-
I eos de casemira preta a 65 e a 7, ditos
de cor a 6* ea 75, ditoa de alpaca a|3a
sobreeasacos de panno preto alSe a
14, ditoa de alpaca preta a 5, bonets
para menino de todas as qualidades, ca-
misas para meninos de todos os tamanhos,
meios ricos vestidos de cambraia feitos
Sara meninas de 5 a 8 annoa com cinco
abados lisos s 8 e a 125, ditos de gbrgn-
rao de cor e de la a 5 e a 6, ditos de
brim a 8, ditos de cambraia ricamente
bordados para baptisados,e muitaa outraa
fazendas e roupas feitas que deiiam de
ser mencionadas pela sua grande qnanti-
dade; assim como recebe-se toda eqnl-
quer encommenda de roupas para se
mandar manufacturar e que para este flm
temos id completo sortimento de fazen-
das de gosto e ama grande offleina de al-
faiate dirigida por um hbil mestre que
pela suapromptidS eperfelco nadadei-|
xa a desojar.

" 11.;
Atiende

GELO.
Vende-se na ra do Apollo
n. 31 dfefrte'ie do theatro a A$
a arroba* meia arroba a 2#500
e a 160 rs, a libra.
A 600 rs. avara.
de linho, manteletes
14 I85 e 50*: na
de seda
raa do
Fil liso branco
da ultima moda a
Queimado o. 47.
Aos tabaquistas.
Vendem-se superiores lencos funcezes a imi-
tacio dos de linho, mnito proprios para os taua-
qowtas por serem de cores escuras e flxs, pelo
baratisaimo preco de5'e9f a dnzla : na ra do
Queimado o. 52, oa bem conhectda laja da boa f.
Fil liso e tttatana.
Vende-se superior fil liso e tarlataoa branca
e de cores, pelo baratissimo preco de 800 rs..
vara ; na bem conhecida Joja da boa f, na ra
do Queimado o. 25.
Toalhas pata maos.
Vendem-se muito boas toalhas para mios pelo
barato prego de 5* 1 duzia ; na ra do Queima-
do a. 22, na loja da boa J.
Ricos enlates.
Vendem-se ricas e superiores enfeites os mais
modernos que hs, pretes e de cores, pelo bara-
tissimo preco de 6 e 9*500 : oa loja da boa f.
na roa do Queimado n. 22.
Cambraias de cores.
Vendem-se cambraias francezas de lindas co-
res, pelo baratissimo preco de 580 o covado ; na
ra do Queimado n.22, 'na bem conhecida loja
da boa f.
Cambraias francezas flojsimas.
Superiores cambraias francezas muito finas, de
muito bonitos padroes, pelo barato preco de 700
7* ^5 : na loJ' boa D rM <*o Qwima-
don. 22.
Vendem-se osengenhos
S. Pedro e Espirito Santo, am-
bos aoentes e correntes e
d'agua, sitos na freguezia de
S. Bento comarca de Porto
Calvo e provincia de Alagoas,
o primeiro tem casa de enge-
nhoit e poucas obras, porm
safreja quatro rail pes* o se-
gundo tem boas obras, porm
s safreja dous mil pe:
quem pretende-los dirija-se
a ra da Cadeia do Rccife n.
26, primeiro andar, que acha-
ra com quem tratar.
Bonecas bonitas
com rosto, e meia perna de
porcelana.
Vende-se mui bonitas bonecas com rosto, e
me'f.'eDa de Poblana aos baratissimos precos
de 240,360,500.560. 640,720, 800 e 1*000: iiso
njjuado Queimado. loja d'aguU branca n. 16.
Escravos fugios.
Vendem-se caixSes rasios proprios
para bahulerot,funileiros etc. a 10280:
quem pretender dirija-se a esta tipo-
graphia, que ah se dir* quem ostem
para vender.
na roa do Queimado n. 19
oseguine.

.

os
"jrfvi
iiuY.'' "
;af3lur' eils "'!' -"' -'
llllfli**nfl
/tnlsTi^M Mmsl aa j
iiip II
llip *'>!ipi't-St)
n
, 'Staia
atWffSS*1*'* In^asataava
SSjVwja'iQWMSna)*'rJro too* ,erll-is
no .r.-n ai
usfti o -0
Ji9 ,'!

.ln ti. ts o .injm bbT
flb th
aresacasa de Vaca ^ 0-
lswiM44er>o6sado, deaaoi
PjS** fie cambraia Una adamascada para cprfi-
Gara
SljJPW^iH le ditos^ij^innosflnM. 4*500.
"a ailada para forro da.lrealSio, com
4pa miuto lindo
K
Siw
i&-i
dAxa jatm va
iuiiaai^rva.


'o^afif'
'Fugio no da 23 de novembro de 1861, da
povoacao de Itapisaama, distrelo de Iguarass,
urna eacrava de nome Antonia, com 28 anoos de
ldade pouco mais ou menos, .11., gorda, com
bonita presenca, bracos e pernas groasos e bem
reitos, rosto curto e redondo, cabe;a tambem re-
donda, olhos regulares, bocea e nariz a mesma
cousa.um pouco wribitad., deve ler abaixo dos
hombros uma pequea cicatriz, tem .o p d.
fon tei esquerda uma peladura que talvez cusiasse
encabellar; levou coberta de chita aman Ha e
vestidos velhos e desbotados ; foi de Campia
Grande ; jolga-se ler sabido com algaem : roga-
ses quem a pegar ou tiverem seu poder lea-la
a dita povoacao, a Viceute Ferrar de Mello Jnior
ou em casa de Joaquim Jos de Lemos, na ru
da Cadeia do Hecife a. 54, que ser recompen-
Tendo fgido ao abaiio assignado, no dia 7
do correte, o seu escravo Loiz, preto, crioulo
de altura regular, sem barbe, de idade de 30 an-
uos, pouco mais oa menos, eom uma cicatiiz na
face direita logo abaixo do olho, tendo o rosto
ebeio da cravoa muito salientes, o qoal foi escra-
vo de Flix Pees da Silva, pede-so aos agentes
policiaes que o encontraren ou a-qualquer pes-
soa que delta aeuber, o egarra e leve casa do
annunciante na frearaezia da Varna, sitio da Hha
da Pedra do engenho S. Cosme, ou o recolba
priso osa cidades e villas, ende por ventura aeia
mais fcil entrega-lo a qualquer autoridaoe poli-
cial, corto de que aera debidamente recompen-
sado.Jos Correia Leal.
Escrava fgida.
No dia 2 do correte ansentou-se a escrava ca-
bra de nome Filippa, bem conhecida qoe foi em
lempo do Sr. Antonio Joa Hodrigue de Souu,
jolga-se estar acontada os alguna casa, o pro-
prietario desde j protesta de empregar lodos os
meios que a lei Ibe faculta contra qualquer pes-
soa que a tenha oceulto, assim como ruga a to-
das as autoridades policiaes e oapiles de campa
s sua captura e leva-la a rna Nova n. 38 ; qoal-
quer pessea particular que a pegar, ser* bem re-
compensada.
Ausentou-se de casa de aeu aenbor no dia
3 do correte mee o escravo Antonio, de nacas
Cassange, idade 49 anoos, pouco maia ou menoe,
estatura regular, com os signaea aegaintea : em
uma das orelbaatem dm taca lirada, em um dos
quartos tem um defeito que pelo qual puxa no
andar pelo p, tem debaiaa do queixo esquerdo
tres buraco, aigoal de denlea tiradoa : quem o
pegar quaira leva-lo ra da Imperador n. 73,
lerceiro and.rt que ser rccompenssdo. J foi
visto em Iguarass.
Fu gira m do engenho Conceiro, sito na fre-
mulatos com os nomos a sigoaes seguinUs: um
de Bome,PaajJasda45 anno^de idaa peuce mais
ou menos, efficial de pedrairo,
mo bolieiro-, da ct akracjaea.
nbos, rosto desesrnado, olhos brancos, nariz e
bocea regulares, um pouco secco e de estatura
media, o qual Um dus dedos da mo direita
aleijados de um panarjp,_p tem tambem o dedo
minimo da mao esquerra com igual debito, a
cima da spbrancelba de um doa olboa urna oica-
triz, proveniente de um talho, e outra cicatriz
com om carocinho cima da mesma, com um
dos denles da frente fluehsado.quaadoieeaibrig-
a torn.-se arrogante, Ease escrava j ojssr-
radq.e. consta andar pelo Baicie, lando, ido visto
pos as bandas da Soledad* e Sanio .Amaro por
algumaa pessoas, a quem.lm dito Jiiver-ea liber-
tadp. 0'.Miro, de nome Felippe, de cor Iriguel-
ra, cabellos carapiohos, -ejdaiura b*i,x, oy rege-
;.* barbado, um posee speo, bem failaote
* WKdo,j'Poai 3P.BOsd* ufada, anda, J^eiro
o muitcdespachsdo po servico deauxada e oi-
ca, wma^dAe^^,Xteot(lrSpm olhos um
WWr^ttdntlwdpa^.wMgi^s-^Q^ sppre-
neBdftrlod Jvarpa a* dtf, Aftgenho so aeu enHor
o taiwa-c^tpBel qIo,. rCv^can Mauricio
wsn*iafiejV4iii mHwwtyfrMmwH***.
Fugio 90 edgsjtili* tos MMts*. oomWsa do
Ca4,J*a cjwtt e's^f#*fO de Wfl, nai aacsa-
WWrtajrf Ibatf.ttroala, tersaetb*. eMura w-
iflai-; gvaaso do i e tantas sanos, ettea-aa Baa aiae do
BbodosaVnte.'ateaae
sspateiro e
caMUes carapi-
upti-
bricsBtajga^JJsssaJOOj
i que se Tendiam por 120
' p. es-,
rs.
R9l
)av parda
aodo
roa
T^lSISa? "w
Umpo, para vir
ao seu eiuiilor
?dse-
la* tsraraat ata p.iga
ave levwav e te**** ae^o-ss*eH. azsas ou.
1 ArleajVtr/qdstaoIsMMadO IXraVieafMios nlVs,
- ea.'*M a* rop*?eKpiawM*u ocavai-
17 daoatdbre. EstenegrdJ* *m ido pt-
Bst^ t* varsej-a trioeira vsa'traSa-
TnaWrb'erjs9awdca<>/i >"> aigsaHi foi
prtW ffmbalh.wfc m-rK cTStrOTOrW: BO^mTJ-ivaasr lere ao. engfU* ci-
ma, q ea Ntiben rocompensado,


r
dueio m nuaywieo;.^ snusu 13 dezswro pe mu.
Litteratura.
Luiz do Regt e a postei444e.

Esturlo histrico sobre revolacao
pernamhueana de 'tftf 9.
a todo agora Bie nplambraro, dizendo-qutTrbertos com egreje do Pillar, 4uc o dito Jote
rebeldescedMm s aa forma delito,a,taita- Luiz 8gur*>a onr rebatos artigos OiTsrenlea feie maaledos "
(Continuco..'
Ou arito a agua nao da mee na na
tslezas oio lf tu cisternas, e o neio de conserva-
ren) agua depoftShdTJ-a em loriis, quando a
lenebem daa caooas que ndam nvate servicio, e
r.uito provavei que os torteis-fossem poucoe ar-
runalos, e eoto leriam de ficar a disposicSodoi
seus inimigos era muito ptico lempo; o queso
ae toderifi evitar, recplheado-a no piimoiro dia
rom muila aclividade, ou cooiervando-ae o forte
do Buraco Ou mesaao partido : oa succorros qua
esta fortaleza podia reeeber do mar, sao alguna
manliroeolos, looelame e aguada, a alguna ma-
riaheiros que augmeolariam a eonoseoe tumul-
to centro. Apesar dist unio dos recursos do
Brom e Buraco com os que se podan tirar do
mar, produziria grandea vaotageos, e por un sys-
teraa bem combinado queimando a pjnle pode-
riam subtiahir a desorden) gerat, Jodo biirro do
lecife, as embercacoes qua es,laain do porto, e
toda a restinga at Olinda. Para isto era neces-
sario que um qualquer militar tivesse energa
bastante para sa fazer responsaval de tudo, prin-
cipiando por uSo recoohecer naquelle momento
seno a sua autoridsde, compellindo todos os
oulros a obedecer-lbe. Isto porm nao se faz
tuvo ler adquirido a popularidade para ter parti-
do, e lhe parece que aeohum dos militares de
maior patente liona adquirido a affelcao dos seus
subditos.
Pe!o que perleoce aos effeitos desta fortaleza
sobre o campo do erario, sigues sto ; por que po-
de ser balido por qualro al cinco boceas de fogo
di dita fortaleza ; que o que poderam montar
os dous flancos e ama face que baten aquelle
ampo. Isto nio parece digno de alinelo, ex-
cepto para proteger as tropas de milicias ero
qoento aliesilveram ; porque se os rebeldes nao
eavessem bem no campo do erario podan ir
para ouira parte. Alm deste campo 1 fortaleza
bale la'cbem con um. (lineo, duas faces, una
cortina a ponte do Becife, e pode destru la, e
eem urna face e um flanco cousa de um toreo da
ponte da Boa-Vista, e da parte deste bairrb, mas
pouco dando lhe fari. Alea das pontea nao po-
te fazer fogo seno sobre as prdpriedsdes dos
tres bairros oa sobre as campiaas e redor de San-
ta Amaro, o que tarta um tlm conhecido. So-
bre a defesa do campo do erario ; elle crcalo
dos ros Beberibe a Cspibarioe por tres lados, e
no quarto tem duas eotradas e o muro da cerca
tos franciscanos ; por esta motivo lhe parece
sais proprio para ser obrigado a depor as armas
O eorpo que ali se collocar, do que para fizar ser-
*co?. quando era necessano tudo pensar, e tudo
decidir em um momelo. Se a tropa que estere
ltimamente estacionada oeste campo tivesse ata-
cado o quartei dos dous regiment, oa pelo me
nos tiesse guardado e defendido a ponte do Re-
eife, era provavei que se poupassem tantos ma-
les por que tem passado este poro, porque isto
faria decidir partidos a favor, quando tudo era
perplexidade. Quantoa tropa que se achara le-
vantada oos qutrtes, seria muito til ataca -la :
parece que o mesmu medo a a mesma apathiase
tioha apoderado dos dous partidos : os rebeldes
em vez de se prem logo em canpo, de loraa-
lem posse das duas ponies, de reunir am si to
das as guardas, de atacaren rpidamente todas as
fortalezas, de patrulharem por. toda a parle, ede
cotlocarem o seu centro de morimento na Boa-
Vala, aonde nao podiara ser cortados, flearam
dentro de um quartei sem praca, aonde podiam
ser passados a espada, ae lhes soubeasem serrar
ssaluda*, e os atacassem vivamente; oque lhe
parece muito possivel, at por que en roda do
quartei ha nuitat casas O'ondo se lhe poda fa-
zer urna (irulhada terrivel e mortfera, sem que
alies podessem responder com vanlagem, fazen-
do-se islo ao mesmo lempo, que sa atacaase o
quartei. E mais nao disse, e sendo-lhe lido, e
achando-o conforme, assignou com elle juiz da
aleada. E eu Joo Ozono de Castro Souza Fel
cao, eicrivo da mesma que aescrevi, (com a ru-
brica ) B. T. A. C. Francisco Jos de Souza
Soares de Andrea.
Copia de alguns artigo de depoimenlo, manda
da lirar pelo desemargador do paco, juiz da
Ufada.
I
Da testemunha Gonzalo Marinho de Castro, bri-
gaueiro, Qs. 16 da devassa : Mas vio que
so dia 6 noile toroou ao dito forte do Brum o
aobredilo Jos Luiz de Mendonca, levando com
sigo o raarechalJos Roberto, e Ihedsseque ti-
xsham ficado os rebeldes esuas tropas em armis-
ticio, e leu os artigos que levava por escripto, da
iapuulaco, que elles prelendiam, os quaes nao
lembra ai agora a elle testemanha, e s lhe lera-
bra que reciamou contra elles, porque o gover-
nador o nata chamado a aos mais offlciaes que
ali estavam, para os ouvir ler : mas aotes que
Jos Luiz de Mendonca chegasse, desta segunda
vez, Jos Carlos Msrock, secretario do goveroo,
que tioha acompanhado o governador com elle
teslemuohs para o dito forte era que estavam,
lhe disse diante do governador e mais offlciaes,
seriara quasi cinco horas da tardeque os rebel-
des queriim poupar effusao de sangue, e que
promelliam transportar para o Rio de Janeiro a
elle governador a os mais que seguissem a sua
piniu com suas familias a propriedade livre ;
ao que elle testemunha, sempre com duas pisto-
las na mo, responden em vozes altasque nao
convioha nem quera ; que bem sabia queoha-
viam de matar, mas primeiro quera matar dona
rebeldes; porm que nio viu e nem sabequem
foi que deu commisso, ou disse ao dito Jos
Carlos o sobredito,|para ella o dizer ; mais disse
que 00 flm da tarde do dito dia 6, eio dita for-
taleza o dito coronel Manoel Correa da Araujo,
ataodado por Jos Roberto, narechal, que flcou
do campo do erario cummsndando os milicianos,
disse, que os rebeldes respeilatam ao sobe-
rano, o governador desta capitana a o erario, e
que s queriam perdo da algam ezcesso que ha-
viam feito nesse da, ao que o fovernatfor, elle
testemunha e os mais offlciaes generaos que ahi
-estavam, responderam que isao lhes egradsva
jsuilo, o governador, que promellia offerecer to*
dos os seus servaos S. li para oblerosau
perdao, e ritirando-sa Manoel Correa, quasi
Boite, chegou o dito Jos Luiz com o dito mare-
ebai, e dase o que cima fiea referido, o no dia
7, demanbaa, ao romper do dia lornou o mesmo
Jos Luiz de Meodon^a com os artigos da capitu
lagiu assigaados por differeotes honens cojos no-
nes
OS
tro de urna hora haviara de ir aceilos eassigna-
dos, lias qua assaltavan a fortaleza ludo pas-
ssram I aeiiada: contando qua o po*o eslava da
parte dalles, e qea da ra liohaat. nhsjtdo mui-
tos mil horneas da parte do aul, a que no uorte
vinham dtscendo ouiros mujlos.
Eiii^a o goveroa lor cha/nou a conselho os o/-,
flciaes generaes que ah estavam, que se lram
anda com luijftor-iiao ser bem di, e lidos, rei-
neir*ssfor- poodeu o-marecha! Jos Robenrr^fem sla for-
E qusddo veia canos sobraditos pars a for-
taleza do Brum, que foi pelas 6 Ij4 ds maoha
Jos* Luiz da MandoDca aahia
da fortaleza, e que 6 ca*ptto Jos de Barros Fal-
do vinha conf um corpo de tropa afinada da
reja do PUlar para a esplaaada d dita forta-
laza, e subtn^o alta testemunha s raojM do. por Padrovda Silvaj Ppdrew foi tw so earnro dos ao plan do reparo, eocontroa deseando o Uasodados copiar.
do erario, odde elle tstemunru eitava de giif- Taajor Ignacio Antonio do Barros que commaa-
dava a tropa que guarneca a mstna fortaleza.
Ua testemunha Henrique Luii BezoMa,lee en-
te que oemfaaadeu a guars 'dnMraii na dia 6,
a Os. 131 da dqvassa.Outro rancho codiman la *
laleza mantimeolos, agua, e raunicoes de guerra
ara nos defeader-noa uu naa Respondea o
governador que nao : por que nao ha*ia muai-
ces d bocea ainta que bouvesse alguna polve-
ra e bala, e porque assim era eonveram em se
sssigoar-os ditos artisto*,"o assignaram por lodos.
Oatrosra disse mais elle testemunha." ojue os Offi^
ciaes geeerses que estavam na fortaleza com o
governador quando os rebeldes nandarara sua ca-
pitulado assignsda por varios delles, cono della
consta, e cima fica declarado, e que o governa-
dor chamou a conselho, como Boa depeis, furan,
elle testemunha, o marechal Jos Robarlo Perei-
rs da Silva, o brigidetro Luis Antonio Salszar
Mescnso, o brigadeiro Jos Peres CanapelloOe-
puis fatla dos (iros O'artiHieris que atandae) is-
parar, e o gove'nador naodeu suspender, a mais
srtigos, nao mandados copiar.
Da testemunha o msr'echal los Roberto Perei-
ra da Silva, 9 falbas trinta e seis ds devassaAs-
sim que viu a cousa en desorden partiu logo pa-
ra o campo do erario, aonde ajuoiou varios au
ziliares, que oara alli correram, entre os quaes
foi o coronel Mauoel Corris de Araujo, o sargea-
to-mor do regimetilo velhu de Ueariqurs Joa-
quim Ramos defmeida..*.. e ontros mais cujos
uomes agora lhe nio lembram, e estando ah to-
dos pelas 5 horas da larde chegou um grande cor-
po de rebeldes, commsndados pelocapilo Pedro
so, e chegando ao posto arancado que el^ tesie-
munha linha posto para defender e campo debai-
xojdo commando do capito Joaqun (romes do
regiment veiho de milicias desta praca, este
com o dito corpo se uniu ao* rebeleds.e marchan-
do se puzeram em liaha de batalba e ao prepa-
ravan para dar fugo ao corpo que elle testemu-
nha flcou conmandando ; e avanzando Bwningos
Jos Martins, que con elles vinha armado, ioti-
na ou a elle testemunha que rendesse o campo,
por que sabia que pouca ou oenhuma torca liaba
pata se defenderao qne elle testemunha repug-
nou, que sem disputar as forcas, ou livesse or-
dem do seu general oso ceda1 cuja proposico
respoodeu o dtlo Domingos Jos Martins, qne j
tioha mandado um emissario ao goveroador, e
que nao esperava resposta 'decisiva; ao qu
elle testemunha respondeu, qae lhe desse ums
hora para decidir e consultar o governador; e l
quando logo deslacou o coronel Manoel Curris
ao furle do Brnm para saber do governador a ul-
tima deciso, e trazeudo a resposti ; constava
esta :de que vistas as circunstancias ero que
elle teslemuohs se chava, d derer-se poupar o
sangua dos vassallos de Sua Magestade, que alie
testemunha se retirasse. E disse, que, o que
mandara dizer por idanoel Crrela de Araujo foi
que elle testemunha estava sera plvora e bala,
armas iocapazes, e muitas sern pederoeiras; que
hava repartido smeata 118 carluxos, por nao
haver mais, e buscaodo-os com dilligeocia st ar-
rombou um dos armazens do deposito que estava
no erario, que nada se achou, que tinha quatro
pegas d'artilheria sem os preparos necessanos, a
por que ao trem nao podia mandar buscar nada
por estarem debaixo do poder dos rebeldes. A
vista da sobredita resposla que trouie Manoel Cor-
ris,viu-sa elleltestemaohi cercado de Pedroso.do
Padre Joao Ribeiro e mais offlciaes rebeldes abra-
(ando-o e conviodsodo-o para seguir o seu psrtido
com promessa de commando ; mas rejeitou tudo
isso por se lembrar do que devia Sua Magestade,
e de que era seu vasaallo, e furtivamente se em-
barcou n'uma caoda para ir para a fortaleza do
Brum e na mesma se metteram o capito do re-
giment velho de Heoriques Francisco de Paz O
Jos Luiz de Hendohca, juiz que enlo era pela or-
dena^ao, a- se apreaeotou ao goveroador com o
qual esleve elle testemunha por raeia hora, e lhe
coollrmou a missio que elle testemunha lhe man*
dou, e a sua resposla ; e o dito Jos Luiz sa re-
colheu ao quarto com o governador, e nao sabe
elle lestemuoha o que passaram ; a com Ucela
do dito governador tomou para a trra con o
dito capito Francisco da Paz, no intento de fa-
zer una contra-revoluc5o. chamando a si os offl-
ciaes do regiment com que servio, roas passando
por cinco postos todos estes eram guarnecidos por
offlciaes e soldados de arlilheria, com os quaes se-
no alreveu a tratar uegocio lao delicado,a depois
tornou psra o forte pelas onze horas da noile es-
tere oito dias.e na fortaleza das Cinco-Pontas on-
de esteola e taotos.Ctotiuha outres artigos dif-
fereotes nao mandados copiar.
III
Da testemanha, o brigadeiro Jos Peres Can-
pello, a fls. 116 da devassa.B disse, que depois
do governador ler chegado i fortaleza.... Na
mesma tarde maodou o marechal Jos Roberto,
que estava postado 00 campo do erario represen-
tar ao governador peloajudante de milicias Ma-
noel Elias,que nao linha plvora, nem csrtu-
xame, e o general maodou dar por elle testemu-
nha um barril de polrura e altfuns csrtuxos, que
lhe entregou ; depois disto o mesmo marechal 1
da, e com elle j tamban' o marechal Jos Ro-
berto, o corooti MiflOel Cj\rra,de Araujo, e va-
rios offlciaes e"'soldados dos rejimeatos do mili-
cias, que para ali se sjunlaran, e na distaucia
da 50 passos maulou o dito Pedroso (szer alto, e
disse.-Viva o re e viva a patria, e elle mes-
mo pedio urna baniaira ao marechal, o >iil res-
pooaeu qua aao liuha baodeira ; lornou aquella
a repetir as mesmas vozes, e o marechal respon-
deu da mesma maneira, e niao o Pedroso mao-
dou preparara sua columna para dar fugo, e elle
testemunha fez o mesmo sua, dando a voz bai-
xa aos soldados, para qualquer ace&o de espin-
garda de Pedroso, flsesse fogo sobre elle e sus
columna, sem mais voz; e em voz alta lhes dis-
se que a voz de apontar, Qtessem fogo sem or-
den, 'e a ponlaria ao dito Pedroso, e coro esta
voz den volu direita e retirou-se ; o que elle
leslemuaha fez smenle com sete soldados de
frente, porque aba mais estarn em sentin'ellas
dobradas, e os milicianos anda estavam a prin-
cipiar a armar-sa...Oue pelas quatro horas da
tarde, pouca-naisou menos, veio Fraaeuco Jo-
s Martins, e o cadete da infaQtana do Recife Jo-
s Manoel de Sant'Aona, llhe de Manoel OIvh
ra de Saol'Anua cuui ums Dandeira branca (de
que os rebehes usavam no priucipio), mandados
pelos rebeldes de embainda ao narechal Jos
Roberto, e elle testenunha nao vio o que disse-
ran, por estar distaote, mas ou vio depois dizer,
e foi constante que lhe distaran que os rebeldes
que entregaran o canpo sen effusio de sangue
que elles queriam poupar.Qual foi a resposla
de Jos Roberto nao sabe elle teslemuoba, mas
os diios deus voltaram, e ouvio dizer depois dis-
to qae o dito marechal mandara ao dito coronel
Manuel Correa ao Brom dar parte ao goveroador
aobredito, do qae passou com os sobrehilos : que
pelas 5 horas da tarde depois da retirada dos di-
tas dous, veio o capito de infantera Manoel de
Azevedo do Nascineoto s sen conpaaheiro, eu-
trou no campo do erario e fallou ao dito mare-
chal, e aioda que elle testemunha eslava aparta-
do, por qua aquelle dito Azevedo fallou alto, ou-
vio elle leslemunba dizer-lhea pra^a est sera
general porque o que tioba ugio depois foi
constante que o dito espillo dissera ao dito raa-
rechal, que se recolhesse preso ao forte do Brum,
o que o marechal respondeu, nao sabe elle tes-
teauoha, porm anda que longo estara, ouviu
o dito Nascineoto que fallou alto, recolha-se
a fortaleza que eu seguro, pela minha honra, a
sua vi la,a se apartaran un do outro, vollan-
do o dito Nascineoto para o canpo dos rebeldes,
que estava pordetraz ou aotes eacostado ao mu-
ro de S. Francisco esperanto pelo dito Nsscimen-
to, e Jos Roberto naadou dizer a elle testemu-
nha, que estava & frente de sen corpo de guarde,
que nao fizesse fogo, qae nao tioha forcas, e el-
le estava preso, e cono -tal ia para o forte do
a iropa que guarneca a rnesma lortaieza, e
enlo sa dirigiu au dito seu lio Goncalo Marioho,
e lhe perguotou que eia Uto?, O'qoal lhe res-
pondeu que eslava entregue ludo, que se'linha
assigaado una capilulacao, e viu elle lestemu-
oha que Acaran pnsMrfeiros d'os rebeldes.... E
no dia oitavo do dito nz viu elle* teilriunha, e
lodosos que ah estavam, que os rebeldes naa-
daram arrombar us armawns da fortaleza que es-
tarn fechados, por nao apparecerem as chaves,
porque osalmotanfea do trem e da marinha nao
podenflo rm com o governador, fugiram e se
escooderam desordem, assim nem as dersm ao
governador Caetso Pinto poique lhes nao pode-
ran levar, nen aos rebeldes, porque se escoode-
ram delles ; e quando se abriram os ditos arma-
zoos Via elle testomunha, e virara os mais prisio-
neros,qu ali fiaviam varios Carros de'cartuxame,
de varios adarmes ao melhor de sesseota mil carlu-
xos como melhor ha de constar dos msppasque
disto fazia elle lestemuoha de seis em seis mezes.e
mandava ao dito goveroador Caetaoo Pinto como
ajttdanled'ordeos da inspeceo, ese guarlavara
ua seoretaria, o que o dito goveroador e secreta-
irlo Jos Garlos nao podiam ignorar, e tarubem o
devia saber o goveroslor da fortaleza Jos Peres
Campelo, e por isso elle testemunha nao pode sa-
ber a razo, porque o goveroador, mandan lo-lhe
Jos Roberto pedir culuxane. do campo do era-
rio lhe maodou s meia caixa de cartuxos, que se-
rian seiscentos, e alg.uma plvora em um barril,
segundo entro foi.publico na fortaleza ; porque
nessa ocsasiio estava elle testemunha no sertico
de gua mecer aquella do Buraco, e que sendo cou -
ductor dos ditos cinux >s o ajudante de milicias
Manuel Eli da Coala, eutregou au dito marechal
Jos Ruberto smeolecem poucomais ou menos,
segundo disse o dito marechal, e depois os re-
beldes se se.rvirara aquella cartuxame, como elle
lestemuoha observou......E que s no dia 8 de
marco entrou para aquella fortaleza o intendente
da marinha Candido Jos deSiqueira, do qual e
do marechal Jos Roberto dziam *os rebeldes que
se estavam presos era-por voatade delles mesraos
Disse ser verdafciro o referimant*. tanU a
respeto dos carros maiiebegos chelos de c^rluxa-
mo, qae estavam noa armaaans da fortaleza do
Brum, qae os rebeldes (eram lirar nos dias'depois
de romper a.revolucio e do mais qaa-e lestemu-
oha referente diz a este respeto, por aasin o ter
presenciado.E oulros artigos dtOareoMa oio
VIH *J
. Das perguotas que se'fizaram a MaVbel Correa
die Araujo.
E partiu aprssadamente pars palacio a dar
parle ao general, e acbando o porloj fechado, e
vendo vir so mes
e o sargento- m
da
10 zn
?#
da
lar
oso. ebego* o
a* com a eopa
os aadaj||s am* linha tm
para dar faglTaentao o dito
mal a v-JW (Weita tJMreti
Disse que, rallando di
ajo-hirrta dr miliciaS 4lan
do chapeo e um tengo chelo de cariosos de pl-
vora, qne disse trazia da fortaleza do Brum onde
se tiohs recolhile o goveroador, e ehegou lara-
bem primeiro que elle o alfereB miliciano Jos
Antones Ma leira Hhsrco, depois de dizer tres ve-
zes :.via el-rii bosso ser,hof-- disse para O
marechal que o goveroador maodava, que man-
dasse matar quatro homen, e quereodo dizer
alto quem elles eram, o mareebal o-nodeixoa
smo lempo ao briadeiro Salszar | fl|lar 6 0 chimou de'parle, e ell
r Victoriano Joss Marioho, eftv-s f nSo ouvilleQ,ao oque Iha disse ; 1
a testemunha
que lhe disse ; mas ouviu que
o"mrechl se queixou de falta d'agua, a o dito
offerecair-se para a irbuscar e partii; e correu
lugo noticia que elle tioha sido mono por um
corpo de Iropa que commandava o teoeote Fran-
cisco Anlooio de S Brrelo. E depois disto che-
gou ao canpo Fraocis/u Jos Martins, irmo de
Domingos Jus Martins. armado de espada e pis-
tolas e com elle o cadee Antonia Joaqoim de
Souza Timb |armado de espingarda, a o cadete
do mesmo regiment dbRecife, irnao do padre
arromb.r-se a Po tTc aparque?\Z S**ft "-- S"^ A.oa. a cujo nomo
! tir.ram duas pe?a. que depois se admirara ; Ji^^jS;.! S r^.K
Nogueira da que nao sabe o nome, os quaes o di-
subiram para palacio, o elle respndeme partiu
para a parada geral dos milicianos enlo no cam-
po do erario, aeode se ajunioii com o marechal
Jos Roberto', que ia dianle, e ahi aodram
ambos em locar a rebate, e por a gente em torna,
e nunicia-la, porn nao acharan aa guarda car-
tuiarae, apparocen lo s un pequeo numero,
que serian at vate, depois de rauniciada a
guarda, e nao se echando no arnazen arnas
suOicienies para a gente que atudia, nen a cha-
ve dp parque, o raspondeate lem.brou lascar
depois do que veu una pouca de plvora a naior
parle solta do forte do Brum, e anda oo iinhsm
preparado as pecas chegou o dito capito Pedro
da Silva Pedroto com um corpo de tropa, que
sera at cincoenta homens, com um tambor, ca-
ninhaodo em marcha picada, e depois de estar
dentro do campo mandou preparar e apoutar, e
o mesmo mandou fazer o marechal Jos Roberto,
e priocipiou logo a gritar para o dilo Pedroso
Que1 islo Sr. capito, que o que quer?E
enlo o dilo Pedroso sera nada respoodr, disse
meia volta a, esquerda e partiu, e veu direilo
pars a cadeia, duude mandou um inferior dizer
ao dito narechal que lhe maodasse aqoella guar-
da para accommodsr os presos, qua estavam le-
vantados, ao que este respondeu que mandaise
a dita ordem ao geoeral por escripto, e so mes-
mo lempo maodou o tenle dos oobres Anselmo
Jos Piolo de Souza, com dous inferiores para
saber o que era, por ter chegado noticia dalle
estar soltando os presos : o dito Pedroso nio dau
atteogo, e soltou os presos. E depois disto, se-
riara quatro horas pouco mais ou meos, veiu ao
campo um irmo mais velho do Martins com ou-
Brum, e o nao vio mais; e ourio dizer, e foi
notorio, qu se enbarcara n'una canoa e lora
para o fort > do Brum. E quando o dito Nasci-
neoto foi chegaado ao corpo dos rebeldes, i fren-
te do qual eslava Domingos Jos Martins, levan-
tou a voz, que elle testemunha ouvio claramen-
te, e dase pars os rebeldes.Nao alirem, oo
maten tanto povo e fazenlo o Martins movi-
meotu para mandar tirar levantou a voz dizen-
do, levntenlo os bracos, aqui eslou atirem
aimE declara ella lestemuuha, que as rozes
do dilo Nascimeolo, e a ordem qua mandou a
elle leslemuaha o dilo marecnal, tudo foi ao mes-
rao lempo, e com to pequea disiinccao de lem-
po de urna cousa da oulra que elle testemunha,
nao se lembra qual foi pnneiro. E dase que
depois destas vozes nao vio mais ao marechal, e
ouvio levantar ouira voz. ao un o Nascmenlo,
que elle testemunha percebeu claramente, e dis-
se para os milicianos e todos os que estavam no
campo Quem quizar ser patricio acompanhe-
nee enlo os sobreditus o seguiram, e se uni-
ram aos rebeldes, ficando s elle leslemuaha e a
sua guarda. E disse que, depois distj, esleve
elle s 00 campo e a sua guarda at s 7 horas
da noite do mesmo dia, e eoto come(aram a
entrar 00 campo, nao juntos mas aos magotes,
sen frns, a depois de teren entrado uos pou-
eos We magotes, que quast eocheran o campot
chegou o padre Joao Ribeiro Pessua de Mellu
Jos Luiz de M-ndunca, Domingos Jos Martiaf,
Luiz Fortes de Buslamante e outros. qua elle tes-
temunha vio eoirar a sahr, e eoto oo coohe-
ceu por ser de ooite, e entraran para um quar-
to da guarda, mandaram accender laz, e se pu-
zeram a escrever...R disse que a gente que esta-
va 00 campo s ordene do dito marechal, quan-
do chegou o dito capito Nasciraenio e fallou ao
dito marechal, eram mais de qumhentss pessoas
ou pouco menos, que bavia espingardas e baio-
netas para.todos, masnotinham plvora e bala,
hava peras d'artilharit mas com a dita falta de
plvora, porque a que htvia reparti elle teste-
munha pelos soldados da guarda a de< cartuxos
cada um, antea de chegar o marechal, a depois
que este chegou lhe entregou o resto, que eram
quatorze cartuxos, ouvio dizer que o marechal
mandara ao Brum pedir ao goveroador municoes,
mandou o coronel Manoel Corris de Araujo, re-I e qne s veio um barril de plvora que trouxe
presentar ao goveroador que as torgas dos rebel-
des erara maiores que as suas, qae a falla de mu-
nicoes taris expor aquellas poucas forcas que ti-
nha, oque preseociuu elle leslemuaha, mas oo
soube a resposla do general, mas ouviu dizer de-
pois, que lhe dissra que visto a superioridade
que cedesse ; e nessa mesma noite veiu o dito
marechal fortaleza, mas nao viu quando se re-
colheu e as pessoas que tara com elle, por estar
oceupado as bateras.... E disse que no dia7
de maoha cedo, tornara 4 fortaleza o dito Jos
Luiz de Mendonca com uos artigos de ooovencao
ou capitulago, assignados por varios, e enlo o
o goveroador. chamou a elle lestemuoha, ao ma-
rechal Jos Roberto, ao brigadeiro Marinho e ao
brigadeiro Salazar, depois de lerem os captulos
proposlos-, perguotou pelo estado da fortaleza,
ao que elle testemunha respondenque hava
bastante plvora, bala, e metralha, supposto fal -
tsssem alguna pequeos artigos, como huchas,
espoletas e oulras cousas deste genero, mas que
faltavam inteiramenle as municoes de boecs ; e a
vista aisto todos forsm coaformes de que nao
podiam defeoder-se e assignaram oa ditos artigos
em papel separado, que fez o governador, expon-
do os motivos porque se entregara, o qual levoo
o dito Jos Luiz de Mendonga, e o governador
flcou com oque elle trouxe; apparecendo j a
ate lempo un corpo de)rebeldes arnados, eoco-
FOLHETIM
4 DAMA DAS PEROIAS
n'uma canoa o dito fallecido' Madeira...E disse
que ao dito dia de narco, o sobredito narechal
Jos Roberto, senapdasse pora gente quo tioha
oos flancos das duas eotradas, por onde s po-
dan Jos rebeldes entrar, com a baioneta calada a
espera delles, 01 nesnos nao podisn entrar,
porque antes de daren a neia volts para po le-
rem fazer fogo sobra a gente qua ali tioha o na-
rechal, eran passados a baioneta; e lambem
disse, queso o ajudante d'ordeos AlexandreTno-
maz. quando foi sentir aos*quarteis os forma
dita, levassa comsigo a guarda do palacio, e o
governador Ih'a d para isto,. podia coro facillda-
de se fazer a desordem oosqusrteis, pondo parte
da gentes urna porta, e a oulra ao lado de am-
bas as portas com as baionelas caladas, nao po-
diam os rebeldes que estirara dantro sahir s
portas, e rirarem-se para elles pars dar fogo sem
ser pssssdos pelas baionelas, alm da que tioha
a dita guarda bastantes cartuxos, com que po-
diam destruir os rebeldes, e o goveroador podia
pelos offlciaes que tinha comsigo miomr mais
gente juntar para lhe mandar em aaceorro, db
que nada se fez. E mais artigos diferentes nao
mandados copiar.
?
Ds testemanha Victoriano Jos Perefra Mari-
oho Palhares, sargento nr d'arttlhsria e aju-
dante de ordena do inspector.

contra os quaes elles rebaldes nada liuham, que | tro pequeo corpo de trops, trazendo urna ba-
os fllhos deste intendente foram presos jipara os
Has daquelfe gvtvern, em que entrou a descon-
Qanga de contra revoltrees;jue no da 11 o 12
passaram os prisiuueirus, marechal JosS Roberto.
intendente de marinha, brigadeirus GdtfcSfo Ma-
rinho brigadeiro Salazar, e seu ftlho ; elle leste-
muoha, e o teoeote Antonio Couceir Velloso,
que ahi estava para a fortaleza das Cinco Pontas.
( E outros artigos difJfereotes oo mandados co-
piar ;. <
Da testemanha Antonio Ferreira Avelino Lopes,
a II. 204 v.Que nesse dia sobredito 6 de marco foi
elle leslemuaha mandado de guirda para o cam-
po do erario com outros soldados que eram doze,
e elle lestemuoha era o cabo arvorado, e com-
maodaale o teoeote do mesmo regiment de in-
faatsris Heorique Luiz Bezerra ; que estando elle
leslemuaha oa dita guarda ouviu tocar a rebate,
seria da una para as duas horas as oo soube
o que era.... que depois va entrar no canpo
du erario o marechal Jos Roberto, e atraz delle
vieran chegando varios milicianos dos differeotes
regimenlos, braocos pretos e pardos, que elle
lestemuoha nao conlou, mas est certo, que vie-
ran) a ajuolar-se muiloi homens, uos com es-
pingardas, outros chuc,o3; e disse qae o dito ma-
rechal mandou abrir um armazem que estava na
mesma casa do erario, donde lirou qualro pecas
e outras cousas de que elle lestemuuha se nao
lembrs e mandou por em forma os milicianos que
se ajuntarara, e os postou em lioha juoto casa
do erario, e depois de assim ealsrem, viu elle
lestemuoha que chegou o capito Pedro da Silva
Pedroso com urna pf uca de gente, qae nao con-
loo, e fallou ao dito marechal, e este fallou lam-
bem para elle, mas elle leslemunba oo eateodeu
o que disseram, por estar loage ; que o dito Pe-
droso naadou preparar para dar fogo, e enlo
lambem naadou preparar o dito leuente da guar-
da delle testemunha, dizeodo preparar psra dar
fogo sem ordem, e em voz alta, disse em voz baixa
que, mirassem e slirassem so Petroso ao pri-
meiro movimeoto que lhe vissem fizer sem ouira
voz, e eoto viu elle lestemuoha qae o dito Pe-
droso mandou dar meia rolla a direita a sua gen-
te a se foi com ella, e passado um pedaco de
lempo reio o irmo de DomfJjgos Jos Marlios,
que nao lhe sabe o nome, com urna banleira
branca de que usavam os rebeldes e con elle vi-
cha Maooel de Csrvalbo lilho de D. Caiharioi e
uos poucos mais de que elle teslemuana oso lhe
lembra os nomos, os quaes viaham guaroecendo
a dita baodeira, e viu elle tastemuuJia que o de
baodeira fallou com o marechal Jos Robertoa
que saaiu da forma para lhe fallar com uns pou-
cos de milicianos cujos oomes lhe nao lembram,
e oo sabe o que disseram por que eslava looge
e oo podia ouvir bem. E diesa, que um pedaco
de lempo depois chegou ao campo o capito du
infantaria do Recife Maooel de Atevedo com mui-
la gente armada, e Domingos Jos Manas com
muita geote armada comsigo, e sabindo estes
ambos da forma, e o marechal lambem, fallaran.
entre si, mas elle lestemuoha nao os ouviu, mas
deira branca, e fallou ao marechal, duendo:
que eotregasse o campo, que j tinham vencido
Santo Amonio, e Recife, que tinham mais de
dous mil homens, e que todo o povo mrchava
para elles, que eslaram todos promptos para re-
mir a patria, e dar a vida por el-rei, qae res-
poodeu o marechal. a Que lambem estar prompto
a dar vida pela patria e el-rei, mas que nao
entregara o campo sem ordem do general, que
j eoto estava tecolhido ao forte do Brum, e com
islo o dito irmo do Mirtina roltou com a sua
gente, e o marechal mandou a elle respndeme,
que era a uniea patale superior que all estava,
participar isto. que flea dito, ao dito general, e o
armamento e forcas que baria no campo; e nu
podeodo ir por trra, foi embarcado com dous
offlciaes inferiores e um subalterno e chegaodo ao
forte do Brum deu parle ao general de ludo, o
qual respoodeu que dissesse ao marechal que Q-
zsse*o que podesse, salvaodo os direilos de Sua
Magestade, porm chegaado elle respndeme so
campo, j o achou entregue e o marechal rodeado
da tropa dos rebeldes, conduziodo-o para o em-
barque, quando lhe quiz fallar, ouviu urna voz,
que lhe dase.Aqui oo se fallae enlo parou
elle respoadenle, e elles continuaran) a sua mar-
cha para o embarque, aoode o marechal embsr-
cou e foi para o forte. E oo se coolioha mais
nos artigos mandados copiar, que rao bem e fi-
elmente copiados dos proprios s que me reporto,
do que dou f; nesta villa do Recife, aos vinte
de abril de mil oiloceolos e dezoilo anuos. E eu
Joo Ozorio de Castro Souza Falco, escriro da
aleada, O escrevi e tambem assiguei.Joo Ozo-
rio de Castro Souza Falco.
IX
Copia do artigo do depoimenlo da testemunha
Joaquim Jot Vieiru, ignalmenlc mandado
tirar a folhas Jreientoi e dez da devasta.
E chegaodo casa do dilo marechsl elle lesle-
muaha, por lhe dizerem que tioha ido para a ca-
ta do goveroador, l foi ter, e achaado-o aa por-
ta, elle lhe disse espere, que vou primeiro ci-
ma para lhe dar a resposla ; e, rollando, disse a
elle lestemuoha Vamos para.palacio velho, on-
de est o armamento, e oode enlo hoje o
erario. Com effeilo foram ; e, chegaodo l, co-
mo j a esse lempo locava a rebate de sioos e
caixas, veio juntando-se pouco a pouco muits
gente, e dos primeiros que ali appareceram, foi
Maooel Correa de Araujo, que vinha de calcas de
gaoga, sem meias e de chinellas sem Otas, cora
a farda vestida e de espada na mo, e s com um
escravo atraz de si, e assim se apresenlou ao ma-
rechsl, e quando se fot ajuntmdo mais gente,
disse para o marechal: quer que se reforc es-
ta guarda ? aonuiu logo, e se reforcou, e com
1 gente que foi viudo se formou mais um corpo
juoto a casa do erario, onde estavam as armas, e
deslacou um corpo de geote para se postarem
parte no estrello da parte do Recife, e parta no
estreito da parlada Boa-Vista : nestecommsn-
dava o tente Joaquim Jos Piolo, o capito
Joaquim Gomes do regiment de Ferreira, e com
este foi tambem o capito de pardos de Nogueira
chamado Faustino, e depois o mesmo marechal
la Joaquim Gomes, que j eslava postado com
gente ao dito estreilo da parte do Reeife, deixou
patsar, por lhe dizerem que iam com urna em-
baixada, e eoto disse o dito Martiot psra o ma-
rechalQue j tinham mandado o Dr. Jos Luiz
de Maadoogs participar ao governador Caetaoo
Piolo, que o rompimenio oo Mra sis que para
remir a vida de uns poucos de horneas que esta-
vam para ser presos, qoa nao bavia desunas en-
tre nacionaes com europeos e meos com sua
magestade, e que o goveroador tioha mandado
dizer que oo quena effusao de sangue,a dizeo-
do mais algumas palavras, lhe perguolou o ma-
rechal :Quem o seohor ? A que respoodeu
qae era irmo de Domingos Jos Msrttos, ao qae
respondeu o marechal que estava s oedens de
S. Exc, e que s havia de fazer o que elle msn-
dass'e, e que se podia retirar, que em recebeudo
as ordeos as exeeularis. E ella eoto voliou e se
foi embora cora os ditos que trazia comsigo.
Depois deste, aopsreeeu logo o capillo do Re-
cife Manoel de Azevedo do Nascimeolo e seu ir-
mo Aotooio Moreira de jaqueta e armado de os-,,
pada e pistolas, e disse pars, o mareehal : Que o
que pretendan) era entrar naquelle campo sem
fazer gu*rra, e que os deixasse entrar por bem
ali, oode queriam ir postar-se, que nao quizesse
fazer intelues tanta gente qae ali esteva com elle ;
porque a sua [orea era superior e vinha armada,
o que nao eslava tambera a delle marechal. Qae
a sua mente oo era offender, mas se elle se re-
cusasie, mandaram disparar a artilharia: a que
s queriam ir para ali esperar a determinadlo
de S Exc, a qual tinham mandado procurar pelo
Dr. Jos Lu(z da Meodonea : nio aatiaiu o ma-
rechal diante de todos, e entlo elle-testemuoha,
por estar doente, pediu lieeoca so dito marechal
para se retirar, o qual Ih'a dea, e elle partiu para
seu sitio da Magdalena, distsote meia legua do
Recife.
POR
A. DUMA.S FILHO.
11
XXVI
Jacques foi visitar o principe : este, eontentii-
aimo por torna-lo a ver, nenhuma pergaata lhe
fez respeto de sua ausencia. Se Jacques qui-
nase fazer-lhe eoofidetictss, achava-o prompto
pars reeebe-lss, mas era homem de multo boas
costo para provoca-las. Pelo seu lado, Jacques
jalgam faltar1! amizade de que tinha recebido
provas inequvocas, se se encerraste em um si-
lencio absoluto. Contou-lhe, portante, brevemen-
te o qae se tinha passado.
Od?s, dlsa-itie o Sr. de Rivs, Da mioha
oprnio o seohor fez mal era seguir a doqaeza,
porque isso de nada podia servir; mas nfto ha
de disentir o fseto quando ossnhor por s mesmo
adquiriu a provs de sua ioalHidade, qoeodo so-
freu. Nio nos* Decpenos, portante, seno do fa-
turo. O senhor ne parece ter cabido na exage-
radlo do senfimento oppds^o queHe qo-e o fez
partir. O se*or eslava certo, o partir, do amar
duqueza tanto cocao julgav? Est hoje (saben
de lhe querer lio poaco cama dit ? Quer Traaos'
asate a minha opiaio ? nao aa offeoda ; o ae-
nhar deu importancia oasa Ugago porque a
eofllrabia ea ues* sociedad* cuja intfbidada lhe
tinha at eolio, uda quasi qae deaoaahecida.
Moava, mmumjt quu*es*. Juitq r pao*'
ease nanajifjiv ^:jM0*;J9tV>*lla, xa -
uee,coltac*oae eH inicie, ievejada. admi-
rada, liaba Vida a que ara aseeaaano para dxel-
tai am espirita emhesieeU conao seu. Ojepbr i
liaha asando coas* nUi*, e Ulvez 00.sea saso
* *f>* iwn Hf W *at** *
nyorDiario b. "
senhoressurgiu ana impossibilidade, examine as
causas framente. Pela minha parte, oo julgo-a
culpada, e oa mentira que lhe conlou e qae o se-
nhor lhe censura, eu estarla multo disposto a ver
urna provade amor. Deve ha ver ahi algum mys-
terio que ella oo se atrevesse a confessar-lhe e
que mais tarda sabara.
c Voltaria duquesa ? Nio o creio. Direi mesmo:
espero que oo para bem della e seu. Parece-me
que o seu romance tem o sea desfecho natural. I o alacou um
Nio pe;a ao futuro am epilogo qae nio pode dei- mal oeohum
xsr ds aer mu. O qua lhe resta fazer? Muita
cousa. Pode continuara amar a duqueza, a cho-
rar ; pode tomar a posi^ao da martyre tornar se
digno de una elega, aera urna causa multo fra
da oslureza humana, muito incompativel com a
aua edade, iolelligeocia e independencia de espi-
rito indispensavel ao artista.
a Oseuhar pode peesar.e dizer mal della. Ser
muito mu gosto. Nunca se deve dizer mal de
urna mulher quem se amoo, perlenca ella i
que classe perteucer, principalmente quandq se
tem recebido dessa mulher provas de amor to
reaes como as que lhe foram dadas. Esquece-la
ira mediatamente ser difflcil; despreza-u, ser
injusto.
r Pde,dbsr-se dessa ligarlo e srrlr-is deTU.
Para cootrahr ouiras do mesmo genero.,-la un
nome pars s pessoas que fazem essas especula-
rlas ; as oo me record desse pome. pbrae
lenho paveo habito de svrvir-mo drile. tmflm, o
sahdr pode dar o desCofitr das tcessidades ;
eomprefaade que. ha sacrificios" superiores &s
forcas de OToa-xnather; dizer comsigo qnfeAlre
as cousas menos durv-w d*stmfcodla,o em
prmeira l'^l^^l^tf^^n^^NgJMfc-tuo-r
hurnTnMltottlm Si offrece
ten todas erfai par advrsenos;
ida a censurar i s ateelM. qae foi
vio que alguns miliciaoos deixaram lambem a reforeou a cada am com a sus peca, e aquella
forma para os ouvir, cujos ooms lhe oo lem-
bram ; e viu tambem que estando elles tallando,
que Dumiagos Jos Martins voltea para o corpo
de sua gente e a maodou preparar para dar fogo,
a viu tambem que eoto o dilo capito Azevedo,
disso em voz altaque oo dssera fogo, que lu-
do eslava com posto, e enlo cou elle teste-
munha enteodendo que o marechal ceder, e Q-
zera entrega ; viu mais ello testemunha que de-
pois disto, o Martins e Azevedo mandaram dar
meia volta i sua gente e ae foram embora, eque
o dito capito Azevedo, se virou oulra vez para
o campo, e disse em voz alta.Quem quizer ser
Patricio siga-nos, e eoto vio elle teslemuohs
que os milicianos os seguirn, e (oran cada un
para onde lhes psreoeu, meos alguns que flea-
ram dispersos pelo campo; e que tambem para
all viera ra depois varios soldados de arlilheria
e infantaria, mas tudo sem ordem e assim esti-
veram toda a noite. E mais artigos ditlerentes
nao mandados copiar.
VII
Ds testemuoba o brigadeiro Luiz Antonio Si-
lazar Moscoso, referido pelo dilo Victoriano Jos
Marioho a fl. 438 v. da devassa.
po, eaquecer esse pequeo escndalo, como
seu costume e est no seu iateretse (szer; que
sus posicSo de honen lhe d lodos.os beneficios
da aventura sen nenhum dos encargos della,
que se ha um ronpineoto momentneo en seus
hbitos e en suas affeices, ha solucao de-libfr-
dade en mi vids material, que o senhor nao lera
que dar coritas & ninguem, nem i Um pae, nem
ama mulher, nem ao mundo, que 6 verdade que
pouco, mas que nao lhe pode fszer
que tem o direilo de ir procurar
distraecoes onde bem lhe parecer; que os aoon-
tecimenlos do sua ligaco um desfecho que
lhe permilte erar que. ella nunca teria acabado.
e que em vez de a aeixar sgular-se, como todas
as outras, no habito, ao abusa, as ssciedade,
rompendo-at'bruscamente, eiles* o, autorisam a
conservar aetla urna recordado lortga, eterna,
piedosa e leal: que na meio de ludo isso, o se-
nhor moco, hien, isto tem sua parta de
egosmo to halural, to til huminidade e que,
como certamsule vu um lempo em que lera ou-
tras affeices, intil dar essa una importan-
cia que o senhor cedo ou tarde seria Jorcado
desmentir. E esse, creio eu, o raciocinio que o
senhor deve lazar, ... ^ (. e
a Eu Ulvez oio esteja, para com o senhor, aa
posicio de lhe dar conselhos, porua fui nuw'ora
seu Vlv.l. .h\el/>o rarw l^t|ld^\>eobor|
a mulher de querer ae Ira la, e. pelante quem o se-
ohor levou-me van'"
peca que foi para a gente de Joaquim Gomes foi
commandada pelo ajudante de nilicias de Fer-
reira, Patatelo ; a deala frna poz o marechal
aquelle campo em defeaa ....
E disse mais que, estando elle testemunha no
campo do ersrlo com o sobredito marechal|e os
mais que estavam com elle em defesa do mesmo
oa forma sobredita, das tres para as qustro horas
da tarde do mesmo da, vio vir peto dito estreito
da parte do Recife e entrar no campo o capito
Pedro da Silva Pedroso com um corpo de geote
armada, que seriam dezeses a vinte horneas :
em trala passos de distancia mandou fazer alto,
e ouviu elle lestemuoha.que maodou preparara
gente que levara : gritou logo o marechal: Que
isto. Sr. Pedroso? E este respondeu : Vira
o principe e vira a patria e aquelle respoodeu :
rira e assim a gente que II estara ; e o dito
marechal lhe perguotou qae quena ; e lhe res-
pondeu Pedroso : Queria ama baodeira que ali
estara no armazem so que respoodeu o mare-
chal : C pao tem baodeira ; mas olhaudo
foram uos poucos fingir que a lam buscar, e rie-
ran) dizer que a nao baria. E oeste lempo que
estireram com estas respostas, o lente da
guarda, Heorique Luiz Bezerra, mandou preparar
E alo se cootnba mais 00 dilo artigo, man-
dado copiar, que rae bem e fielmente copiado
do proprio, a qoe me reporto, de qae dou f nes-
ta dita villa do Recife no mesmo dia, mez e an-
uo ut tupra: a eu Joio Ozono de Catiro Souza
Falco, escrivo da aleada que escrevi, e me as-
signei.Joo Ozorio de Castro Souza Falco.
(12) Eis as texiuaes palavras do illustre histo-
riador brasileiro :
c Q padre Miguel ( por alcunha Miguelinho] foi
eoearregado de preparar una proclamacao que
c logo se publicou, e que pouco effeilo devora
produzir por ser incongruente, descoochavada
e at certo poolo ridicula, ( Hitt. Geral do
Brasil, loro, n secc. uv pag. 380. ]
(131 Briiil Pittoresque pag. 63.
(11) Julgamos de interesse textual transcrip-
cao da se guio le carta:
DOCUMENTO N. 3.
Senhor.Depois de ter cumpridoa real ordem
de vossa magestade spontando oa meios, qae me
pareceram opporlunos para remediar o grande
mal da infane ioaorreicao acontecida infelizmen-
te en Peraanbuco no dia 6 do antecedente raez
de margo ; paaso gura a apootar tambem aquel-
es, aquelles que oa conformidada das leis sede-
ven seguir pars o csstigo dos reos deste exe-
crando eimperdoavel crine, o qualaa faz iodta-
peosavelnente necessano, oo ao psra a viogau-
ca publica que as nossas leis e as das outras oa-
roes sabia ajusta mente determina m, mas tam-
ben para que cesse de algn modo o geral es-
caodalo, que elle ten cansado ecausar en toda
a nooarchia ; servindo assim de exemplo aos
naos, e de sattsfaco aos boas, qae incesante-
mente lanentan tal desgrana.
Este horrivel crine de sediclo, rebelliio, e si-
ta iraigo commmetido sacrilegamente, e com a
mais negra iogralido centra a soberana de
vossa magestade e o estado, qa&lificado de leza
magestade de primeira cabera pela ordenadlo do
reino, impondo-lhe a peoa de morte natural
cruelmente, e conliscaco de todos OS ben, psra
a coros destes reinos; e por isso, de modo ordi-
nario, deveriam os reos nelle comprehendidos
seotnciar-se na relami do districto, qoe a da
Baha. Porm todava certo, qae os erimes
desta ordem tem merecido quasi sempre pela sus
gravfdade, a providencia de aleada extraordina-
rias mandadas ao lugar dos mesmos erimes,
para se proceder mais proraptameote o com
maer exaciidao ; impoodo-se ao mesmo lempo
aoa poros um temor mais respeitoso da justica,
cuja memoria passe de pae aos filhos e sos risi-
nhos, toruaodo-se sempre abominareis ideas
de taes crines.
Entre outros exemplos de semelhantes aleadas,
temos nos nossos das o da aleada mandada no
aooo de 1757 i cidade do Porto pelas carias re-
gias de 28 de fevereiro do mesmo son, para co-
obecer da rebelliio acontecida por causa do es-
belecimenlo da companhia do Alto-Douro, e sen-
tenciar os reos comprehendidos nella ni junta
da inconfidencia estabelecids em Lisboa oa snno
de 1758 para seoteociar os. rea do sacrilego de-
sacato contra a real pessoa do seohor re D. Jos,
de saudosa memoria ; e finalmente o da aleada
Conesso miaba inferioridade cesse ponto, acrescentarei que para o senhor a que lhe pode
!_._ sil. _l *_! &n l..-.;l4>k a m fi. inok aian .. ,. 4. J. _.|L.. f\* ^ .. : I ._ b a t '
*I
nao, quertorMty: qae nanea leflaaquecido
Comigo ella nio taha conhecido amor, teria sim-
plesmente um enante. Durara a nossi amizade
umauoo, dousannos, lalvez, sem accidente, sem
abalo. Recebido em casa della abettameole, com
amizade do marido, admiltiodo que a verdade
fosse coohecida, en nunca lena causado aa coo-
vulsoes que sua introdcelo mysterioss devia pro-
duzir um da. Todos tenam conhecido e aceita-
do asa ligarlo, e porcooseguiote oiogaera teria
fallado. Olha-la-biam como muito natural, e a
mioha presenta, em vez de perturbar a harmona
da casa, te-la-bia completado. A cuDhada eslava
nesias ideas, previa qoe cedo ou lardea duqueza
fazia como todas as mulberea enllocadas em aua
ailuaciOi e me protega. Prefera que fosse eu i
oatro qualquer. Porque ? Cunfesso-lhe que nio
sei.
Um dia eu teria passado da posicio de aman-
te, pva.a de amigo, sen difficulda le, muito na-
turalmente, como ao fim de um bello da de ve-
ro, o cu paasa sem que o percebamos do azul
claro ao azul escuro, do calor ardente i tem-
peratura tepida, e no dia seguate um novo
sol se teria erguido oo boriaoute limitado des-
sa mulher. liso fra muito commum: ella o
eomprehendeu sem dunda, e preferiu correr
CPmO sauhor lodosos riscos do amor, com tanto
que smass. V s cunsaquencias ; mas admit-
undo tambem que ella teoha oulros amantas qo
trie Irala, e.pelanle quem o se- lindo tambem que ella teoha oulros am
idUiaW^Mnslhando-o, como. iaf6, porque miLe ae pode afianzar,
*ena flsSVarra da passado, ou,' mesmo procure mls tarde, se continuar
succeder de melhor. tVsqui i um sano, talv
d'aqui seis mezes, o seohor na j pensar mam
nella.
Jacques ouvira com atleacao que Iha dissra
o principe, pouco pouco como que a verdade
calara em >ua alna. Era semelhante i um po-
bre que achou. una jois a que exclama com ale-
gra : ourol depois accommetie-o a duvida e
elle diz comsigo : se fusse cobre 1 Entra em ca-
sa de um joalheiro, mostr- o aeu acbado, per-
gunta-lbe o que vale, e joalheiro responde :
isso nio tem nem tanto nem lio pouco valor,
como peosou; uao nem ouro nem cobre;
prata dourada. Jacques jalgava voltarde sua vi.
gera e dos sedimentos que o baviam escollado
com urna rapidez inverosmil e ante-natural. Um
homem que tem de descer lima montaoha e qua
pe-se a correr para chegar embalso mal cedo,
seole a velocidade da carreira duplicar pelo de-
clive, oio pode mais parar quando quer, e quan-
do tem chegado ao alvo, corre anda amatado a-
pezar seu, e paisa pelo lugar em que devra pa-
rar. enlo forjado a voltar arquejando.
Jacques lioha bogado i esse ponto, moral-
mente fallando. Descer lio dapressa do edaza
ivt# ido muito1 Jonji
mandada a esta cidade do Rio de Janeiro to an-
uo de 1790 para aentenciar os reos da eapitania
de MiaasGeraes pelo afamo plano, que preme
dilavsm e Irscavam para formar all urna rep-
blica.
{Continuar-te ha.)
que ella lhe dra de aeu amar, proeerou ana
causs mentira da ultima caria; duvidou meo-
no; achou-se culpado; censurou-se por nio
ter pergnnlado .miga da duqueza o seu nome,
ede ter assim rompido' voluntariamente toda a
conmunicacio com ella. Se ttvessa fetio-o qae
ella Iha racummendra, am vez da perder lempa
em pesquisa* via>, estariiMa>p asa>leaide en-
tre elles urna correspondencia; teria noticias, sa-
berla o que aa paasava, snateaUria ai resoluto**
de Attoerte. C i
A nebM|djra de Aonttie.nsa) Ib.liaba acoa-
selhsdo a paciencia? elo lhe tioha oslo que
dentro da dona mezes varia
doua mezes, am ji se tinha
tertaSBlsid qae am coca a eepavar aa *1 vasas
seguido esas cunsslho, sopa*
escrevar i daqueaa, aaiava ta
aMa, deitruia al a asMaiMlidaaa atoll,
AtiatettiS ssaaaaf aa reepasva-artM a sna> t
dalxaria de Iba caainoaajar, podia forfieM-aa a-
bandonadaqb nao emmqodsi^B>JWas>)aata>Bataiu
tendo jiiolu i ai oioguem q> Iba pdeme fazer
ce-
U mar! harea cNMi coabepa;
que tomo contra 'ella dlsirr da passado, ou,
dOdta sabe t qut osa reserve probaaVtidasea dar
a 'filare, no aai qaa etU ata ; mao aeehpr
t me canhee asartaa bam. argando reio, paca
tVxor somelhfMea supposiqtes. amasataVLdav,o zer-lhe, os nossos dous amoree rrfcd a*.parecido*
A duqueza devia preferir ana. qae era mais ori
ginal. mais exalttf^'^bUb lerigoso qae o meu
Para mim, oo catVMwWdabera succedido, ell
teldo
qua a lociedade, depois de folltr por aljram. tem
queemMwma.oque!iSeaeaai4de^aVmai4br 4^lAaaMd*dai,daa^r*r- calla aatiasias W.ttattasjlibtt
ido I m asi* geote que por raso ola erren ; nos que isus a1ptai <*. eflha dtgo
o6ad lWdavUfajerfiscabnr,
j' ea ,oidi
mesmo procure mais lard-, se continuar
separaba do senhor e amapdo-o serapr>
ospoisve, a
que certo qae ella nunca tela on
e tatvez
a estar
nica
ira lo da
dmftindo su eveplualldfde. n-
ilia nuqanterrmbfi SStb d se-
de sua con Banca,' que ha
1
id," peU priraerra vez dp||i
VA
OqaaopTil
da dtas*rsi,a1 <
iraUab aea aNOMi aased -dda-
diaqasaaat I
passado; elle nao
rio com que
lo tenho cera poqueza
rencor nem esperance do laddTda duqueza a qua
rejo Uobernia ramUa prabsbrltdadab asura!
oana vl-auntaba poateaa na paaesdo"J saatesabo
por.unta aechma paMoa* ser teaatwoorei a so-
ed tooalutio :^credtta>m*,
vertido pelo
co '
i mim >
muiti s
do 1q, mbNMi atlMu- EMrbtiaib a a^ro equilibrio, advlfcwrfifnasaaboeeiljracaaa a
ctrear-ae os* pota, -fcmdtea^'&fctaV daHi't)atre.
-Apaaa aaaraacasbmasstmtaairam tmsyk*\>e#u.

satraoca
a, turnad
iatimatfte sTHlsl
rdtp>
-taai eso* portal ya*attaOP'ilil__
aa/s** mnkm falMvoddVa(taataaK|
Mtiotaes'am favo* sUtMqmsjsu, i
ternaa, pelo arrepeadinento. L
______, can sota das primeases d'Aaaetta, atdrndaa lr
la nacoasa-
ramaii
reato*
g#Mt naipada,,- as nliima* eoporar^t ca
aiW; wetaa da rvgoppep a^a auda pvsita tar.
Naaaeoamaesso pava*ju,ii iiiiajajia oaaa-
da da peeaaaa pz*p>. if_n4a-laj.'.-^.qae a
iaaam*reaanaiiiaiita4a t^a>a*dia, ajMadaa
f ^%MWiW O* oarir>a. Iba fla*a* OWW-
biruaM ttatX- q ae aepaafrit MfaWr
menlef I Porque aappando mesmo qae ella rol-
na.
Br.nry.
'j'UJt,liJi
i
AfY
mim,}
M

fTJIUt,TYP. DEM. F.D FAK*. t FRBO.IgH.


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EAAAXZO19_3FQWFW INGEST_TIME 2013-04-30T22:49:15Z PACKAGE AA00011611_09890
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES