Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:09880


This item is only available as the following downloads:


Full Text
All XXXTH ID1IM 21
3i3
; ------------ "i
'
fw trnceles t
Pw fes

osunian m oix.A
SEfiOIDA FEI11 2 II DEZE1BB0 II Mr
<* aiM .ia.Usj. i11*00
PrlefrctMnsiAcriFUr.
i

.'i '
fino dt 14-
da Siten t
roSr,
MWOpl
Jasis
da Costa.1
rAKrtUAS
Olinds todos m dt*
lguerass, Muoi,i
sexlss-feirat.
S. Antio,
e GaraokM o as tarcas
hmi do dia.
na* segundas
s. Motilo, Carear*., Alliofco
reae-terae.
- i i .....
x f*MfcMMfr:Nll Mili, LiiMtlM. eVejo, **-
Cabo, Seriobiem, Rio Formoso, Un,xUrrelros
kjm greta. risnenteafta 0 Natal q.iotrt felfas.
EPHBMERIDES
'.1' >
DOMEZ
-*
OFfiCIIL.
(Iodos o crrelos parlen as 10 horas da thanhna} Segando as 5 horas "i
^' 'I "I- V II V ftJ ___,__________ ';"
""" '"
Lea aova a. U kru 57 na*toada tarde
QiMito acrcenla <5m niosMpaaVnteohaa.
Latnakaia aeSboraa e 3 raieate a tarafe.
Qutp njagnnate aa J betas SI trthWjsj
31 Xa nova aall hesas e35mioneda nan* '
PRRAMA* Dfc HOft.
Ms
a.
DA SEMANA.
.OmHO DA PB^KCIi.
^aEsrS.dlat8de
ranhio.Rogo V.
OIBeio ao presidite
Exc. digne-a* enra
um exempitrdo r*gu
pr.tica de agricultura,a ib proxtnuadea
dessa capital, un outro do* estatutos, regi-
ment interna da jota escola e bem ssim co-
pias ou exempiares de tolos os relatnos, apr-
sentelos i presideotia pela respectiva direclaria.
tff^S".1- S*** ." dlgo.ra.liif.Mr ente
nnnha requlsigio.
Dito ao Exm. presidite do Cear.Declaro 4
V. Exc. em resposta o seu officio de f do correo-
que acab d recommeodar ao director do arse-
nal de guerra que ags remellar para esas pro-
Tincia na prmeira opportanidade a plvora de
que trata o citado officio.Communicou-se ao
director do arsenal da guerra.
DU? "S ^TWffdeote da lV,rahiba4-.Pelo of-
ficio de V. Exc. datado de 25 de oorembro ulti-
mo flquai ioteirsdo e del seienci. as repaniges
competente, da haver V Exc. noneado o eida*
cao Bernardo M.rtins Pereira para preencher a
yaga que deixou de agente fiscal dessa proTincia
nesta cidade Jos Joaquina de Lima.Commuoi-
Oo-se 4 thesouraria provincial.
Dito ao presidente da Perahba.Pelo offtcio
u. 5407 que V. Exc, se servio diriglr-hte en 20
do corrate flquei iateirado de que ao juiz de di-
reito Meaoel Jos ds Silva Nelva foi marcado o
praze de 3 mates pera entrar no exercicio. da
segunda tan de direito deste cidade.Com mu -
mcou-se A tkesoureria de faienda.
Dito ae prndente de comnsso de exposigo.
AchnJo-se terminada a exposic.o industrial
e agrcola deata provincia pede a justica que eu
louve i V. Exc. como presidente da commisso
encarregada de sua direegao pela activid.de e
zeto com que concorreu para o feliz xito deaae
patritico e tio til pensamento do governo im-
perial, agradeceodo ao niesmo lempo o valioso e
otelligente auxilio por V. Exc. prestado a esta
presidencia para melhur cumprimento das or-
dons superiores a semelh.nle respailo.Iguae*
commuoicages fizerem-se aos outros membros.
Dito ao Exni. biapo diocesano.Sirva-se ?.
Exn. Rvm. de informar acerca do que pede 00
incluso requerimeoto o vigario da freguezia de
N. S. das Montaohas de Cimbres, padre Jos
Mames Aibeiro.
Dito ao eommandante das armas.Remeta-
me V, S. urna copia do rotatorio apressntado pelo
ma]or Sebastio Antonio do Rezo Barros |cerca
da fuga do alfares Joaqaim Jos Luiz de Souza,
quando preso na capital das Alagoaa, o qual deve
existir aenexo ao proeesso de mveetigico que
se maodou instaurar para conhecer do cnme pra-
ticado pelo mesrao alfares.
Dito ao mesmo.Sirva -se V. S. de nandar
por a dispoaieao do Dr. chafe de polica todas as
noites em que bouver eapectaculo urna forcs de 12
pravas commaudadas por um subalterno. (wm-
muuicou-se ao chele de polieia.
Dito ao mesmo.Expega V. S: as suas ordeos
para que o voluntario que hoje aaseotou praca
com o nome de Luiz Antonio Joaquin seje posto
a disposigao do chele de polica para certas ave-
riguac*s, a que tam de proceder acerca do mes-
mo voluntario.Commanicou-se ao chele de po-
lica.
Dito ao coronel Luiz Jos Ferreira.-Pelo sen
offlcio de honlem aob n. 1974 flquei inteirado de
haver V. S. assumido nequella dala o commando
das armas desta provincia.
Dito ao eh-;fe de polica.--Inteirado pelo offi-
cio de V. S. n. 1,191 de -XI do crreme, do mo-
tivo da priso de Joo de Deua Eufrazio e Ma-
noelJoio da Costa, este tambor do 1 bstalhao
de artilharia, e aquello mosteo do 1* da fuzilei-
ros, aguardo o resultado do respectivo proceaso,
que V. S. me communicar.
Dito ao mesmo.--Remettealo por cooia o offi-
cio que oesta dati me dirigi o engeohniro fij-
es I da estrada da ferro, recommendo V. S. que
expega aa anas ordeos ao delegado do termo da
Escada para que, ou^indo o empreiteiro da mes-
ma estrada, Chappman, proceda a una rigorosa
syodicaocia sobre o facto lamentavel de que se
trati do citado officio ; trazando V. S. ao men co-
nheclmeoto o resultado de todas as diligenciaa
policiaea que ao fizerem, aflm de se proceder
cono for conveniente.
Dito 1 thesouraria de fazeoda.En vista do
incluso pedido, que ne foi renettiido pelo coro-
nel connaodante daa armas interino com officio
de hontem, sob n. 1975, msnde V. S. adiantar
ao almoxarife do hospital militar a quanlia de
1:0005000 para oeeorrer as detpezss daque^ es-
t.belecimeoto na primeira quinzena do miz de
dezembro prximo viodouro.Communinicou-se
ao eomrasodante dan armas.
Dita ao mesmo.Autoriso i V. S. nos termos
de sua iofomacio de honlem sob n. 1149, a man-
, dar abonar ao juix de direito, hachare! Francisco
Elias do Reg Dantas a quanlia de 1:000*000
como ajada de cuato, por haver sido nomeado
chefe de polieia da provincia do Amazonas, e pa-
ra ease fin devoiro o requerinento a que se re-
fere a citada infornaco.
Dito ao meamo. Conraunico V. S. para seu
conhecimento e oireccao qoe o coronal Jos An-
tonio da Pooseca Galvio particioou-me em offi-
cio de hontem, sob numero 1973, haver oaquel-
la dala paaeaao o commando daa arma* deata
provincia ao coronel Loiz Jos Ferreira, pur ter
de seguir para a corte.
Dito ao inspector da thesouraria provincial.
Commuaieoa V. S.queoeota data mandei aceitar
' o effareclmeolo que gratuita e generosamente faz
o Dr. Estevao Cavalceoti de Albuquerque de seus
aervicos mdicos do collegio dos orphaos, durante
o impedimento do Dr. Joo Jos Pinto.Com mu-
nicou-se a director feral da iostrueco pu-
blica.
Dito ao capitio de porto.Remello por copia
a Vmc. para sen conhecimento e execugo, na
parte que lhe loca, o aviso espedido pela repar-
_, tioao dos negocios ds agricultura, commercio e
obras publicas em 6 do correle, .relativamente
ao requerinento em que a coptenla Peroam-
becana de navegacio costeira a vapor pede : 1*
que a aua aubvencae foate elevada de 84.00C9 a
180:000 por lempo de vate annos. a cootar da
data do mesmo requerimeoto ou.OOOjOOO por
viagem reaooda ; que seja despensado de lo-
mar prsticos nss differentes barras de sua escala
como obrigada a lser em virtude dos regula-
mentos respectivos ; e 3. que nao seja obrigada
a amortizar no aeguodo, terceiro e quarlo aonos
a parle do empreatimo na forma do decreto nu-
mero 2,511 de 14 de dezembro de 1859, fazendo-o
porm da que eativer a dever em preslacea an-
anaes iguses 00 decurso de dez annos.
Dito ao director do arsenal de guerra.Para
maia exacto cumprimeolo da ordem expedida
pelo Exm. Sr. ministro da guerra em aviso de 18
de Miembro Bndo, cumpre que Vmc. reduza ape-
nas a 30 o numero de servantes enpregadoa aos
tr.balhosda.se arsenal, sendo todos os mala dis-
pensados.Commanicou-se i thesouraria de fa-
zeoda.
Dito ao director da colonia militar. Nao 'se
lendo anda receido oe relatnos sobre o eatedo
deua colonia, o projecto do reiuiamente que
dednforaudade con asrdeos imperiaaa exigi
* v*!* data den de oOtubro-^tnrino flodS,
e beta, aassan as ioforvnc6es que lhe foram pedi-
das atneriormeBie sobre os tetan* dettfl esta-
belacineato e s que lhes sao ndiacbntes. nos
qnaee se prope promover a cultora do algodao
una compaobia, que para este 4m se pretende
organiear. vacomnieftde Vme. qne com a m-
xima brevidade poasivel satiaUca a loeae
**Weflaa.
Dito.ao tedz da direito Interino de T
RemeiM I Vmc. n r^oeae b
outubro Ineao, efH do que Ih dfrifTtt 26 do
meamo mez, para cumprimento do que nelle ae
contm, ae por venenra anda ae alo honrar TeS-
Itaaa a reuoilo da 2.* sessle ordinaria do jury
dessa comarca.
Dito ao juis d direito de Goiano..Transmit-
i Vmc. para sen conhecimento e direccao co-
pia da ioformacao nioistrsda pelo solicitador de
justica que me foi remettido pelo conSelheiro
presidente da electo cora referencia as appella-
(es dos reos constantes da retaceo junta ao offi-
cio desse juizo de 10 de agosto ultino.
Portarla.Os 8rs. agentes da compaobia bra-
aileira de paquetea a vapor mandem dar urna
passagemde estado at a Bahia no vapor Tocan
tins ao pharmaoeulieo do corpo de ssude do exer-
cito Joaqun do Prado Araujo e Leite.
Dita.Os Sra. ageotesda conpanhia brasileira
de paquetes, naadem dar transporte para a pro-
vincia da Baha por cania do ministerio da guer-
ra 00 vapor que ae espera do norte, a D. Camilla
Antooia de Meneses, muther do capllao do 8.*
batalbo de infantina Hanoel Jos de Menezes, e
bem assim as suas duas Albas menores de nome
Aona e atara.
Dita.O presidente da provincia, attendendo
ao que requeren o administrador do consulado
proviocial Aotooio Ciroeiro Machado Rios, re-
solve conceder-lhe tres mezes de liceega com
vencimeotos psra tratar de sua sade onde lhe
convier.
Expediente alo Meeretario do
goveruo.
Officio ao connaodante superior do Recife.
S. Exc. o Sr. preaidenle da provincia manda de-
clarar V. S. qoe pelo seo officio o. 167 de 25
deste mez, ficou inteirado de estar o corneta
Tnsnotao Jos da Paz despelido do 6. balalho
da guarda nacioual deata municipio desde o da
1. deste mbz, e que disto mesmo acabo de dar
conhecimento a thesouraria de fazeoda. Commu-
nicou-se 4 thesouraria de fazeoda.
Dito ao chefe de polieia.Iteeta data se expe-
dio orden so director das obras publicas para
mandar fazer con urgencia os reparos de que
precisa a casa dedetengao constantea da acta que
acompaohoo o officio de V. s. datado de hontem,
e seb n. 1185, a que respondo de ordem do Exm.
Sr. presidenta da previneia.Officioe-se ao di-
rector daa obras publicas.
Dito ao mesmo.S. Exc. o Sr. presidente da
p ir manda declarar V. S. que pelo seu
officio 1. HU da 27 do correte Ocou inteirado
do que V. S. commuoicou con refareocia a
Peliciano Bernardo Perreira.
Oospaclaus do din *8 de novembro
de 18SO.
Requerimentns.
' CapitSo Aureliano Cavalcanli da Rocha Wan-
derley.Ioforne o Sr. connaodante superior da
guarda nacional do municipio de Nazareth.
Tenente-coroael Antonio Caraeiro Machado
Rios.Pssse-te portara coneedendo tres mezes
de licenga con vencinentos.
Beato Ferreira RodriguesPasse-se patente.
D. Canilla Antonia de Menezes.Como re-
quer.
Dr- Estevio C.ralcsnli de Albuquerque.Ex-
pedir, ra-.e ordem para serem aceitos os servi-
goadosupplicaole.
Fex da Cunha Teixeira.Deferido, pagos os
direilos de*idos.|
-?*
c Varsova. 16 4a outubro de 1861. ^
aj,Asaigoa(To, \< .
_. Kokyhtki. ^
Vigario do conrentq doa padres Bernardinos.
Os padres misiioo.rios fizeram tambem o sen
relatorio, que cooceNdo n'estes termos.
Varaovia. 15 d'outefa
S. Balbina v. m.; S. Adria m.
B- Franciaco Xavier p. das Indi.s.
8. Barbara T.tx; S. Pedro Cbryslogo.
L. S. Geraldo are. ; S. Sabas ab.
gB. Nicolao b. d* Mira; 8. Leooisso m.
8, Ambrosio b. doul. da egreja.
Conceiglo de Rossa Senbora.
AUDIENCIAS DOS TRIBUNAES DA CAPITAL.
Tribunal do commercio : segundas e quintaa.
Relacao: tergae, quintaa e aabbados as 10 horaa,
Fazeoda: tergss, quintas e sebeados as 10 horaa.
Juizo alo commercio : fnarlae ao meio dia.
Dito de orphloa: tergas e Mitas aa 10 horas.
Primeira rara do ci?il: tergae atxtu ao meio
da.
Segunda vara do civel: queras e aabbados a 1
horada tarde.
ENCARRE6AD0S DA SBSCRJFCAO DO SUl,
Aleabas, o Sr. Claudia Feleie Biaa: Bahia.
o Sr. Joa Martina Airea; Rio t JaaaHm. Srl
Jado Pareira Martina. ,! ,r,
EM PERNAMBCO.
Os proprieUrios Je w**io Menoel FlgueirOa de
Pana dfilho, aa aua livrara prega da Indepen-
dencia na. 6 e 8.
-.'Outubro.
f Occerren hoje um triste
aconlacimento aa
EXTERIOR.
llalla
A Naxiont, de Floreogs publica s seguate car-
is, dirigid, pele padre BonBgiio Mura, redac-
tor da uairersidade ronana, ao professor Paisa-
glia:
a Uoiveriidsde romana.Rectoral.
20 de outubro de 1861.
a Muito reverendo eenhor.
< Independenteente da voz publica, e da im-
prensa peridica,quejatlribuem a vosea reverencia
urna brochura condemnada pela coogregagao sa-
grada do Index, por decreto de 9 de outubro cor-
reate, approvado por Sua Santidade e eminentia-
aino e revereodissino cardeal archi-ehanceiler ds
univeraidaderonana acina indicada,leve afcertets
de que ereia o autor d'aquella obra, en cooaa-
quencia de una carta que lhe havia dirigido na
sua quaidade de perfeito ds coogregagao as-
grada.
t D'esla mane ira, determioou por algumes re-
zoes especiaos da sua competencia, pela eviden-
cia de algumas ciicumstaocias aggravaotes rela-
tivas ao tacto da coodemnago, a per deveres que
d'ahi Ibe resuliem, deu-me ordem superior para
retirar o vosso nome da lista dos profeasores da
uoiversidade romana, o encarregon-me de vos
prevenir d'esta medida para voaso governo.
O objeclo d'esta commuoicagao o cumpri-
mento. do dever que me preenpto, e approvei-
to eata occasio para vos offerecer etc.
< De vosea reverencia.
< Multo dedicedo e humilde servidor.
P. B. Mura.
' Finalmsnte.
__
quem ah ae inletassa pelo que ae
Em seguida fpublicamos o relatorio feilo pelo
vigario do convenio dos Beroardinos:
c No dia 15 desta mez. As des boras da ma-
nha celebruu-so um officio pelo descoco da al-
ma de Flix e de Suphia Kazychi, fundadore. da
capaila de Ladislao.
c O pero, reunido psra assislir aquello officio,
eoloou o cntico Salve regina, e 00 fim Bozccos
Poiike. Apenas comegou eate catico, um des-
tacamento de tropas, depoia de ter cercado a egre-
ja e fchalo todas as sabidas, abriu caminbo pelo
jardim forgaudo as portas. Em um instante o
templo du Senbor foi pois tranaferido em um
campo,em um quartel. Tendo oecupado a sa-
bida que d para o jardim sahido que nunca est
aberta ao ipubiico, eotregou-ae a tropa pl-
Ihagem.
< Tendo a egreja sido cercada em Urdas ss di-
recces foi ali o povo retido sem poder mesmo
sslisfazer s necessidades nalurses. A' roeia-
noite passsram -ae os segutoles tactos : Em pri-
meiro lugar, os soldados commelteram violencias
sem oorome sobre ss peseoas que prendisn, em-
pregaodo $ corooh.a ab interior da egreja; de-
pois, com urna temeridade $wa exemplo, chega-
ram al a laogar por Ierra as 1 alageos que se .cha-
vam nos sitares de S. Ladislao, levando os can-
dilos da egreja.
1 < Fiealmeote, anda que entre ellas se encou-
travam offlciaea, devaslaram livreaenle o con-
vento, furgando aa (cebaduras das sellas, e epo-
deraado-ae dosobjectoa que ah se eucootrsvam.
Alm d'iaso, peneararam aa sachn.lia, onde rou-
bsram os reloglos a maia objecloa qne ali esta-
vam depositados, preoder.m ttois leigos, comet-
iendo graves insultos pera com'os eccleaiaaticos
qee relavan jante do Ssntiastmo Sacramento.
de Santa Cru. ;A* des horas da maohaa,
tuse una tnixsa por intemo doa doadorea
e beaaMtores, e quando no fim do officio o povo
comecava a cantar o hymno do costume, Bootcos
Pohke, a tropa cercou a egreja, com o um de
prender oa fies que eatavam em oraglo.
Para oceupar urna parta da egreja, os sapa-
dores empregaram os seus machados contra a
pona lateral, e preoderam entre outros fiis o ir-
mao Felit Elkirk, administrador, e outro irmao,
secretario da chancellara civil.
Finalmente, quando os dois ecclesiaaticos
Tnomkz Papataiorki, e Calixto Ldniesoski se di-
rigirn! ao eommandante da tropa para fallar a
favor d'aquellea que tinh.m sido presos, foram re-
tidos pelo proprio eommandante mandando-oa
para a ctdadella.
a Como o abbade Paptaiorki desempeaha aa
funeges de professorjoo samiuario da arebi-dioce-
se, e o abbade Luaiewoaki o prefeifo da egre-
ja, resulta que o curso do seminario foi forgosa-
meote suspenso.
a Temos a honra de ser com o nafa .profundo
respeito.
c Aasigoados,
O abbade, W. Dinochatosnotki.
O abbade, A. Dozobit.
Em seguida publicamos o relatorio dirigido pe-
lo vigario da egreja metropolitaan de S. Jo4o, em
Varsovia.no conaistorio geral da arehi-dioceze de
Varsoria : 1
a E com verdadeira or que tos dirijo o pre-
sente relatorio sobre os sbusos a que se entrega-
ran os soldados do exercito imperial rusao hon-
lem e hoja n'esta egreja.
< Depois do servigo celebrado hontem pelo dea-
caneo da alma do fallecido areebispo, de glorio-
sa memoria, servigo que durou al s onze horas
da maohaa, a torca armada cercou e egreja, oao
deixou sahtr couss alguma, com excepgao das
mulheres e daa creaogas. Eate estado de ntio de
urna egreja, e de am povo em oragao durou at
meia-ooule; atropa em, armas ipeoetrou no
templo do Sennor ; conaervou ali o poro at s
trea horas, comegaodo depois a prender gente aos
grupos, e cooduzindos-oe da egreja 4 cidadella.
f Torna-se-me impossivel deserever-vos todos
os abuaos que foram commettidos, e todos os ac-
tos de profanago, que livereas lugar na casa de
Deua. As pnaea duraram at s cinco horaa e
meia, lato at que se maodou sabir tuda a
gente.
a A nosaa egreja por este acto, foi deshonra-
da e profanada, aem fallar daa consequencias ;
chamaremos a vosea sttenegio para a circuma-
taucia de ae nao permiltirque o povo, eocerrado
oa egreja por espago de desoito horas, podeaae
aahir, nem meamo para eatiafater as necessidades
o.tur.ea, porque qualquer que pretenda sabir
era immedialaoaenle preso.
c Daodo-vos parta oestes abusos inauditos, e
desta profanaco da nossa egreja, espero s vosss
deciaao para saber a maneira porque devo proce-
der ; accreacenio finalmente que entre es-numero-
sss pessoas preaas na egreja eocootra-se o abba-
de Pyzal.lski. prefelto das escallas, que com a
cruz ua mao e revestido com a aua eoore-pelliz,
ab.ndooou a sacrista para ir traoqutllisar o po-
vo, e reduzir a tropa raso.
Sou com o maia profundo respailo, etc.
< Assigoado,
o O abbade.entonto BisrnocAi a
Diz o Jornal de Roma, que tendo o jornaes re-
volucionarios publicado ltimamente urna carta
do ex-prelado Liveraoi, dirigida ao cardeal Ma-
no', eate Imandara a S. Exm. reverendisaima o
cardeal secretario de eatado, urna carta, que
transcreve, declarando que ae julga autorisado
para a ana publicagao I
Els a carta do cardeal Marini :
jornaea nma carta que em 30 de setembro ulti-
mo o ex-prelado Francisco Liversni ouseu dri-
gir-me. Este escriplo supreheodeu-ne muito,
e causou-me pro(pnda dor. Surpreheodeu-me,
porque nao leoho relagao alguma, nem directa
oem indirecta com Lireraoi, deade a sua ultima
partida de Roma; e quanto i mtnbaa relagee
anteriores', nao tire outras com elle mais do que
aa que os cardeaea em geral podem ter com as
pessoas do servigo da santa s I
Csusoo-me profunda dor por o ex-prelado Li-
verani, sacrificando 4 calumnia, e a, nao aei que
deteslavel paixao, os deveres de respeito e de re-
conhecimentoouaa, por mtodo palavras ss mais
censuraveia insultar a mage.tade e a pessoa sa-
grada do pontifico supremo |Pio IX, ch.mando-
tbe crdulo, particularmente porque ostribuoaes
de Roma fizeram juatiga a um criminoso ; alm
disso, excita-me a fallar com S. S. para que re-
nuncie 4 aoberania temporal, como se indicou
em o libello, que ha alguos mezes pubcou, e de
oovo repetiu ua carta que eu recebi ao mesmo
lempo que apparecia nos joroaes.
Toda a Europa n o mundo catholico coohe-
cem -a extensa vootade o'alma do santo padre, e
mnumer.veis actos de sua clemencia, nao s a
respeito dos iofelizes desgarradoa, maa a respai-
lo dos grandes criminosos, aervem da mais,clo-
quale resposta 4a palavras insultantes de ve-
rani. Eate ex-prelado que eu leoho pena de ver
desmdo do bom caminho, nao deve nunca es-
perar que um cardeal da santa egreja responda a
semelhsntes provocages, e se associe s suas
ideas poltico-religiosas.
Os cardeaea deis aos seus deverea agrados,
sentem, n'estes momentos supremos, necessida-
de de se acercar cada rea mais em volts do thro-
o do pontfice romano, e de defender com elle e
o bispado catholico to unnime, assim como a
soberana temporal da santa a, tio unicameale
combatida pelos ioimigos da egreja,
E' por ialo que eu proteato contra a insina-
gao de Liveranl.deixando Vossa Eminencia ple-
na e nteira liberd.de de fizer patentes os meus
seotimenios aqui manifestados, aflm de desappa-
recer qualquer impreaao que a carta que me foi
dirigida poaaa ter produzido as almas pusil-
nimes.
Dign.e-vos acceitar a expresso do meo pro-
fundo respeito e, aportando-ros humildemente
aa mos.apreaso-mela declar.r-me de V. eminen-
cia reverendiaaimo, servidor humilde e dedicado
Roma em 12 de outubro de 1861.
< 0 cardeal Marinp
( /orna! do Commercio, de Lisboa. )
r. concluio-ee na assemblea pro vin-
as!, qne foi adiada at 30 do correte, depois de
lemfd< primeiro al 23 a celebre questao do
Danto orgnico de inatruccao'publica, ca-
s elle, como'o substitutivo da com-
. eo do Sr. Dr. Botelno, e sendo approva-
do o do Sfc Dr, franco por udm m.iori. de 6 vo-
tos. TaWrS foi approroda a emenda que man-
da reatabnecer todas as cadeiras que foram aup-
preaaas par torga do referido regulameoto, e
rollar deade j para ellas oa professores que o
requererem ; ben como ficaram sen efleilo as
remoges que tlveram lugar.
A reforma do Sr. Or. Franco modiflcou com-
pletamente as attribuiges do director geral doa
esludo*, que eran mei latas e arbitrarias, e aa
transferiopara o governo da provincia, e coose-
iho de inatruccio. As outraa ideas capitaea.do
regulameoto orgnico, como os internatoa nor-
mses, etc., ficaram de p.
O proprio Sr. Dr. Barbosa votou pelo projecto
do Sr. Dr. Franco, que era mais sensato, e o me-
nos prejudicial a provincia, no ponto a que este
negocie chegou.
Dentre os i/abalhos que sinds pendem de dls-
cussio, avultim
freguetia do Lagedo do termo da villa Nora da
Ralnha, obra que n'aquella tocalid.de era man-
to reclamada.
O crioulo Jovino Antonio Ferreira, que com-
matteu um cnme horrivel cunara a moral publica,
o Simio Moreira Gomes iniciado como autor do
"s"|">*to commeltido na infeliz Domingas de
Allalu, foram pronunciados pelos respectivos
O forte do an ral aer en4re*ue rep.rtico da
mannha pela da guerra, e fim dse e,t.bi.r
nelle o quartel da compaobia de aprendizes ma-
nnheiros, ultilisaodo-ae a corveta Euterpe, en
1U* se achavt, come baresca de quereoa.
Nao ha da passar mmtoe annos sem que a ma-
nnha por seu turno o tr.osflr. para o ministerio
da fazeoda, para aervir de ponto de partida para a
nova ponte que se deve laogar d'ahi a fin de ae
conseguir que os nsvios atraquem ; o que ser
impos.ivel i com a qne se eal fazendo por tre-
aentoa e tantos conloa.
Os banhistss ds barra psssaram por um gran-
de desgosto 00 di. 19 do correte. As 6 horas
da manbaa morreu afogada urna moga de cerca
de 16 aonos de idade. chamada Mara Lydia Fer-
reira. a qual eslava tomando bsoho com al maos
presas as de um menino de 10 aoooa ; urna onda
m'ZTh*0 /Sm,eQl0T0TlnC!.al,qU9 Pa" le'"l"<<-lbe a camisola, oondu.io'-a pora lu-
,mDn,.^.^. P*U Ca"dS Bsr onde ella nao pedia lomar p. desligaodo-a
ntf T ^Z" vwuin. pe. .. .u.eu gar onoe ella nao poda tomar p, desli
2m-rrK.ffl,.e T1! Cs0D!,g.r VPePn*ir de d ">o. qe por outra foi .tirado para lerrf
ZW.vOTJfOOO para subvengio do the.tro lyrico por -
??'?_,,D0, Psso que snpprme a verba de
Se oa compaoheiroa do banho.que eram muitos,
- tivessem sido m.is animoaoa, a infeliz moca teris
.u^i?ig '.' Ui D,ler'or' P"a 5> sido aalva.por que a diatanci. era pequea! M.s
esuaentsgao de urna escola de agricultura ; o nao houve, infelizi
. infelizmeute, um homem de reaolu-
gao. Todos limitaram-se a gritar por uns pes-
cadores que acuJissem ; estes tomaram laes gri-
tos por gracejo, e quando se eonvencer.m que
h.via perigo real, e chegaram, j a infeliz eslava
aogeda, sendo iuuteis todos soccocros que lhe
test. e,pit.l do interior d. provi'n! fSSS^ "" dSr-'Dr- RUeD' n 0n,,8
2" Je'SSV,^' u "1- 2" d" lel D> m Fal,eceu Sr CyP Alvos Rigaud, decano
e 2 de agosto de ISaO. efln de que posean as dos procuradores do nosso foro, e o digno prove-
nidades ter sepultura na dor da Santa Caaa de Misericordia,
projtoto que augmenta os ordenados dos empre-
gedra provisciaes ; oque d um premio Jos
Frascisco Baptiata, se se recoohecer como efflc.z
umi invencio su, que tem por fim aextincgo
nformigat de mandioca, e o que torna exten-
siva ao Revm. Cabido e todos os mosteires e
INTERIOR.
CORRESPONENCIA DO DIARIO DE
PERNAMBCO.
Bahia, 24 de oorembro.
Eata correspondencia cemprehende o periodo
decorrido de 13 do corrente at hoje, no qual se
deram alguna fados dignos de ficaram registra-
dos, e de figurar como novicias importantes desta
pessoas de las
calhedral, c claustros respectos.
J v que en todas estas propostas se sttendeu
perfeitameate aos interetiet da provincia : que
nellea ae eacontra a expressio de um patriotis-
mo sem igual ; que justamente precisamos mais
de esntores italianos para nos adormecer as de-
hesa de Cipos, e nos fazer esquecer os males
que soffrecos, do quede agricultores instruidos,
e habilitadas por urna escola especial, que aug-
aisotem a riqueza publica, e o bem estar in-
dividual; emflm, que os corpos dos reverendis-
simos padrea e frades oao podem ter jazigo nos
osmilerios pblicos, qae precisara deum privile-
gio especial para serem enterrados nasigrejas;
porque o dor de tantidade que delles se exhal-
la oao nos pode contaminar 1 E note, entre pa-
renthesis,que ss connuoidsdes religiosas st ho-
je assim tetra prstiesdo contra a expresas dispo-
sigao da Ui, dando um bello exemplo ae publico,
embora rujien pago a multa imposte pela polica
por infr.cco, que em todo o caso menor do
que a desyeca que teriam da fazer com o enter-
raraento da eeu> defuotos, fazendo sempre nego-
cio AUffradt.
Acredite que de todos estes projectos o que
maia ne agraca o que d& una premio para a ex-
linelo das fornigas.
atea sabe quats sao as tormig.s mais pernicio-
sa que existementre nos em abundancia, e que
a Indo atacara edeatroam ? Sao as formigas po-
lticas. Ellas livram por toda a parte com pas-
mosa fecundidale; nsda as sacia, nada as de-
tem, e vio contnuaodo a ruina deale bello slo,
cavando oa alicu-cea de nossa sociedade subsii-
tuindo a verdad, mentira, o pudor eo deafega-
meoto, a veuiltf.de integridade, a justiga 4 ex-
loraao, a honra a infamia I
Oh I sealguem descobrisse um meio de extin-
gui-l.s I Nao 16 mereca um premio mui avnl-
lado, como ums coroa de ouro e brilhantes Mas
qual I deade jue o mundo mundo, ellas cum-
prem a sua miaso destruidora, e pareceos como
que um flagdlo oecessario 4 nossa existencia,
imposto por ira poder superior.
Estamos 60 graogrenadoa, tio corrompidos
j, que tem cansado admlracio o procedimento
doSr. vicepresidente em relagao, nao s asub-
vengao para o lyrico, que S. Exc. desapprovou
em conversa, como negando sanego ao projecto
da assemblea que aposenta Googalo Jos Ro-
drigue, cottiouo da directora dos engenheiros,
pelas ra zoes seguintes:
Volte assemblea legislativa proviocial, por
quanto a corcessao de urna aposentadora indivi-
dual ae nao compreheode em algunas das at-
tribuiges qae lbe sao conferidas pelos srts. 10e '
11 do acto addicional e constituigio do imperio,
e por cons;guinle importa urna violagio do que
pelo art. 12 do mesmo se acha proscripto e de-
terminado.
Querem justificar todas aa despezss de luxo que
tencionam fazer com a comparagio do que deve
a provncii da Bahia, que dizem ser somente I
300:0009 c.m o que deve s do Rio de Janeiro ;'
mas de proposito esquecem-se de mencionar no
calculo a sibveogse provincial de 2 por ceoto 4 I
estrada de Ierro, de que anda nao se pagou um
real, e a pmxkma despeza com a illumioagio a I
gsz; o que ludo elevar eoosideravetmente aquel-
la cifra.
Agora tenho a dar-lhe ama noticia bastante'
agrada el: no domingo 10 do correte estreou a
nova fabrica de tecidoa de algodao denominada I
do Amparo dos Srs. Madureira, nss primeiras
cachoeiras do rio Una, pouco cima da cidade de
Valenga.
Tambem a fabrica de fodos os Santos, j mu
conhecida, propriedade actualmente do Sr. coro-
nel Aotooio Pedroso de Albuquerque, tem epre-
sentando grandes melhorameotos, tanto na sua
economa interna, como no cultivo da grande fa- i
zenda onde ealacollocsda, a onle j nao se com- I
pra objeclo algn doa neceasarios aalimentego
dos operarioa daquelle estabelecimeoto, cono
principalmente no preparo da materia prima, e
na qualidade do tecide.
Tem-se feilo diversas pontos sobre o rio, aca-
bou-se ums escolente estrada que condux a fa-
brica, e o intelligenie e activo engenheiro qae a
dirige vai asaentar mais mil tusos, e aagmentar
a torga do estabelecimeato.
Existem all cerca de 180 operarios de ambos oa
sexos, que viram todos debsixo do mesmo lelo,
e com a melhor administr.gio.
Deate modo vai a cidade de Valenga justifican-
do o bem merecido titulo de industrial que lhe
foi dado, e ou err.rei muito, ou aeu futuro ser
mui grande, gragas 4 proximid.de do porto do
Morro de S. Paulo, que pode abrigar urna frpts
numerosa de navios mercantes, e dar sahida e
entre Ja aa maiores riquezas.
Quando reido que aqui todas ss fabricas de
algodao prosperam, nao obstante mais de dous
tergos doassucar ser exportado em caixas e bar-
rica, admiro-me como na rica cidade do Reeife,
onde todo o asaucar ensacado, anda nao se po-
de esjabelecer una enprexa desta orden, eujos
lucros 880 certbs, e naufr.gou al a enpreza lio
allantada do Sr. Duprat.
A faculdadeda medicina oesta anne formou 14
mdicos, todos desls proviacia, que se duuloram
00 dia *8 do trrente.
Ouri dizer por um lente que foram todos elles
mui dislioctos estaantes; ralba-nos Uto, ao
aseaos.
A preidenej ntaadoa contlrtir am agudo na
Va*l
pelo mesmo **-
CC.
. em silencio
aos aervigos prestados eaae pi estabelecimeoto
pelo tinado, deade 1815, ordnoou qoe ae lbe dease
sepultura, e fisessem todos os suffragioa devidos
aos rmos da Santa Caaa. Esla acto lem sido
muito louv.do, porque foi justo.
No dia SS do corrente, dia que vae naugurar
urna era nova para a industria deata briosa pro-
vioce, abriu-ae com effeito, aegundo ae havia
annunciado, a primeira exposigo dos productos
na tu raes e artsticos della e de Sergipe, no meio
da um brilbante coocurso de expectadores, entre
oa quaea ae distingu m mui tas senhoras da msis
alta classe de no.sa sociedade.
Foi um fealim verdadeiramente patritico : a
alegra se divisava en todos os semblantes ; a ea-
peranga deaabrocbava vida na presenca de tantos
productos inleressanies, que revelavam a ha-
lidade dos nossos arlislas, e o futuro grandioso
que nelles repousa.
Com effeito, a exposigo sorprenden todos
que eaperavam urna couea ridicula e indigna da
provincia, valo o pouco lempo que houve para
organisa-la.
Eates nesnos sahtrsm maraviihados : imn,,,
realmente os bahianos esergipsaos demonstraa-
ram urna aptiaio notavel para aa artes, e que s
precisara de animagSo, e da escola do bello, pa-
ra se eperfeigosrem.
O Sr. Dr. Souto, presidente ds commisso de
exposigo, proounciou um magnifico discurso,
por occasio da inauguragio, e S. Exc. o Sr. vice
preaidenle da provincia proferto tambem outro,
nao menoa importante, abundando aroboa em
consideraces acerca da nobilitagao do trabalho,
e da utilidade das exposigoes.
O numero de visitaotea tem sido todos os diss
avultado, e hoje chegou 5,074 homens e 191
senhoras, nloincluindo os menores de id.de.
Anda nao posso descrever-lhe com minuciosi-
dade todos os objectos que mefecem una neogio
honrosa ; mas devo dizer-lhe que a m.ior psrte
d. gloria de nossa exposigo, pertenco, por sem
duvida, ao bello sexo, que exhibi primorosos
trabaIhos de agulha e de bordados.
Por ora eatou sob as impressdes de todo, e
ellaa absorvem inteiramente o meu peoaameoto ;
depois destacarei um dos outros objectos, fallar-
Ihe-hei detalhadameote de cada um delles, e
islo ser o assumpto de minha seguinte carta,
bem que desde j anteveja as difficuldades que
tenho de vencer para aW coala deata tacefa, oio
poaauiodo os variadoa^mihecimentos neceasarios
psra formsr e expender um juizo seguro sobre
lentos productos differentes.
Hoje comega o Diario publicar o catalogo dos
objectos expostos, e o Iranacravo ; porque ne-
cessano para que ahi facam urna idea approxi-
mada.
Alm do Sr. Dr. Souto muito traolhsram dous
membros mais da commieaio ; o Sr. emgenheiro
Souza Brito, e o Sr. Ferreira Bandeira.
Catalogo dos productos ds exposigo bahiana,
1.* secgio Productos ds industna agrcola e
productos naturaes. ?
1 Algodio silvestre das msltas do Orob, ex-
posto pelo Sr. Dr. Pedro da Silva Reg.
2. Algodio em rama da malta de S. Joo, ex-
posto peloSr. D. Manotl Saldanha da Gama.
3* Algodio braoco, arbreo, cultivado 00 en-
genho Victoria, exposto pelo Sr. Egas Muniz Br-
relo de Arago.
4.a Algodao herbceo, acompanhado de suss
ramaa e folhas, exposto pelo Sr. Paulo Jos de
Teiv e Argolo.
5* Algodao (variedade nova ) obtido por meio
da fecundacao artificial, pelo Sr. Paulo Joa de
Teive e Argolo.
6o Algodio branco em rama, de marac, ex-
posto pelo Sr. lente coronel Jos de Souza Bo-
telho.
7.Assucsr bruto de canna imperial prepara-
do a togo n, eo eogenho Nitividade de Cap-
rary, pelo Sr. mejor Umbelino da Silva Tala,
e pelo nesno Sr. exposto.
8.*Asaucar de canna roxa,preparado no mes-
mo eogenho, pelo Sr. msjer Umbelino ds Silva
Tosta, exposto pelo meamo sennor.
9.*Asaucar de mel de canna cayaons, pre-
parado no mesmo engenho pelo Sr. mejor U. S.
Tosta, e exposto pelo mesmo senbor.
10.Assucsr fabricado no eogenho Victoria,
com um apparelho Dearone et Cail, exposto pelo
Sr. Eg*s Munis Barretlo de Arago.
11.Asaucar refinado por meio do vacuo no
eogenho S. Loureogo, sendo a materia prima o
mascar ado.
U.Assu..r crytilis.do de 1*. 3* a 3* quali-
d.de e superfino dt fabrica Dous de Julho de
Moutioho 4 C.
13.Duas pyramides cnicas de esaucar da
meama procedencia.
14.Urna pyramde e varias pegaa de estucar
de canna preparado em 36 horaa o'um apparelho
de Lambeque, no engenho Novo do Se. Thorasz
Pedreira Geremoaba, e exposto pelo mesmo se-
nhor.
15.Assucar em p, da meama procedencia.
16.Agurdente de canoa, fabricada 00 enge-
nqo Pitanga e expotta pelo Sr. Dr. Maooel de
Teive a Argolo.
17.Agurdente de mel, f.bricsda no eoge-
nho Pitanga a exposta palo mesno seohor.
18.Agurdente de mel de SO graos, fabricada
no fateada Pernsaduba e expotta pelo Sr. Dt.
Antonio Joaquin dt Mello Rocha,
.J** o mel de 22 groa, f.brieade-
na meama fazenda e expotta pelo mesmo se-
nnor.
*>Agurdente de mel de U graos, fabrica-
da na mesma fazenda. e expoala pelo mesmo se-
nbor.
21.Agurdente de mel da 22 graos, fabri-
cada na fazeoda doa Fi.ea a expaata palo Sr.
viscondedoa fiaea.
22.Caf moka, acpv.tu pulo Sr. Dr
<" Teive Argolo.
.C.f iordiario. expoito
or.
**Veles de carnauba da fabrica da A.
a[*' e eipostM Pe, mesmo seohor.
25.Velaa de carnauba da (fabrica A. P. da
m.gabefra"*0" g0a"B" eU,,lc*i **bM da
(Faz parte d exposigae do Sr. Lacerda.)
.lT, ^a** P,ln?e> Agoo. tranaplantada
da Coala d frica, enviados da Moritiba pelo Sr.
Thmeo !!" de San,P'. expoaloa pelo Sr. -
Inomaz Pedreira Geremoabo.
28.Cocos d palneira Iodaya inerve para o-
braa de qdinqhilhara e anendoe d azeite)
expostos palo meamo sennor.
29..Cocos de pas.a va, tendo os mesmos pres-
timos que os antecedentes, e de mais d a pias-
8*** exoo,, Pe|d meamo senhor.
30.Cocos da palmeira Bury-alimentar, a ma-
deira emprega-se as construcgdes e en diver-
sos uzos, exposto pelo nesmo senhor.
31.Cocos da palmeira Patl-alimentar, d o
azeiie : a madeira aerve para ripas, expostos pelo
mesmo seohor.
32.Licores (palmeira comnun] alimentar, e
p.lh. aerve para diversos trabalhos, expoeto pelo
mesmo seohor.
33.Cocos de piassava em caixos, viodosda
fazenda dos Olhos d'Agua, expoatos pelo Sr. Dr.
Antonio Joaquim de Mello Rocha.
34.Piassara colhida da palmeira piassava,
tendo a mesma procedencia, e expoato pelo mes-
mo senhor.
35.Fructs da arvore Sapucaia, exposta pelo
Sr Thomaz Pedreira Geremoabo.
36.Cravo da India com suss ramas, viudo
da fazends dos Fiaes, exposto pelo Sr. vizconde
do Fiaea.
37. Casulos de bichos de seda, am.relio, a-
marello fraco e braocos, lirados de smorelras
plantadas na fazenda do Garca. Fazem parte da
expoaigo do Sr. Lacerda.
38.Paseas de banana da'trra e de preta,
feitss na fizeoda dos Fises e expostos pelo Sr.
visconde dos Fiaes.
(Continua.)
Temos lamentar duas tentativas de suicidio
occorridaa no dia 23 do corrente. O Sr. Dr. Joa-
quim Ayrea de Almeida Freitas, deputado i as-
sembles provincial, e juiz de orphaos de Santo
Amsro, mogo de urna alta intelligencia, e de um
carcter mu distincto, achava-ae dnente em casa
de aeu aogro, o Sr. bario de Traripe de um a-
iSa?h-fra,orroid1ii a /em M alguna ati-
rou-se de urea isoella a ra, parunoo a perna e
um braco, e fazendo alguoa outroa ferimeotns.
Tambem um mogo, sobrioho doSr. conselhei-
ro Vicente Ferreira de Magalhies deu em si um
tiro; mas nao conseguio realisar o seu intento.
Attribue-se esta desgraca um paixao amoroza.
Toda ests semana temos tido urna atmosphera
de chumbo, peeada, e aneagadora : os das e
noitea lem sido sombros, e o calor inaupporta-
vel.
E' de toda a necessidsde a chava para nos al-
liviar alguma cousa, e egora mesmo qoe lhe es-
crevo, estou massado pelo calor que me op-
prime.
Hoje celebrramos moaicos dests capital a
festa de sus psdroeirs, Ssnts Cecilia, ds magni-
fica igreja de Sania Anea, com toda a pompa e
orilhanlismo. Nao obstante o tempo, a exposi-
co, e a destribuigio dos premios no collegio A-
bilio. que tambem foi um acto importante, hou-
ve alli extraordinaria concorreaeia dos fiis, e os
artistas desempenhsram com maestra a muaica
composta exclusivaneote para aquella fstivi-
dsde por un dos nossos nais adamados compo-
sitores, ja fallecido.
Noss salfaodega rendeu at hontem 360:923*064,
e a recebedora de rendas internas 26:0149644.
O cambio sobra Londres fie. a 26 e 26 1[4, so-
bre Paris a 370 e 375 o U, sobre Lisboa de 112
115 % de premio.
Est a carga para essa provincia o palhabota
Oouj Amigos, que annuucia aahir em breve.
25
Acaba de chegar o Paran, que trouxe a
exeellente viagem de cinco dios, sob o comman-
do do Sr. Alcoforado, e nos nolicin a jrJbilago
de cinco antigoa lentes da escola de medicina, e
a oomeagio dos substitutos psra oceuparem os
logares vagos.
A canhooheira Iguatemy cooduzio finalmente
do Rio de Contss os colonos Saxonios, que alli
to m.ltratadoa foram ; alguna j desembarca-
ran), a maior parte talvet v irabalhar em nma
fazenda de Parip com um vant.joto contrato.
PERNIMBUCO.
REVISTA DIARIA.
Hoje, anniveraaro natalicio de S. M. o Sr. D.
Pedro II, ba arrumeci de tropa no Campo atas
Princezas, pelas 4 }{ horas da tardo, sendo cem-
posta a parada dos corpos de linha, companhia
de artfices, e bat.lhoes da guarda nacional desta
cidade.
Era seguida ter lugar o cortejo 4 effigi de S.
M. na sala do docel do palacio da presidencia
com as formalidadea do estylo; e para esta acto
estie convidado, todos os funecionarios empre-
gsdos de repartiges civis e militares desta ca-
pital.
Acham-se oa procuradoria fiscal as religo*)
dos devedores de varios impostos, que nio foram
pagoa deotro do anno flnaocetro prximo pasea-
do ; e pela meama sao concedido, aos respectivos
coninbuintes irnta das psra solicitaren! as guian
e realisirem o competente pagamento indepen-
dentemente de desposas judlci.es.
Do collegio do Brejo, parte do 5* circulo,
temos o seguinte resultado para deputsdos pro-'
viociaes:
Conego Joaquim Pinto de Campos.......... 9SV
Padre Margal Lopes de Siqueira........... 29
Dr. Jacioiho Pereira do Reg............. 29
Dr. Francisco de Araujo Barros.......... 29
Dr. Manoel Gentil da Costa Alvos.......... 29
Vigario Antonio Francisco Goocalves Gni-
maries....... .......................... 28
Dr. Antooto B.ptista Gltirana Coala....... 2f
Dr. Caetano Xavier Pereira de Brito.......
Maior Antonio Jes de Oliveirs............ S
De Cimbres, pertancenle so mesmo circato
temos o resoltado seguate :
Dr. Francisco de Araujo Barros;........... 44
Vlaario Francisco Pedro de Silva...... 44
Vlg.no Manoel Lopes Rodrgaos de Barros 44
J>. Antonio BapiuU (aturarte Costo....... 44
Manoel de Stqaetra Csvale.nti............ 44
llr. Caetano Xa vter Peretra de .grito....... 4S
Dr, Aotooio Buarque dt Macedo tas.... t
t:


AFKM.*.00BS CMHS. .
- Do Crlo.
MfeMe, o juico ; appeUado, Antonio Al-
AppeltaaU, o

ipoaaedo, Jo. eajasavo
empaliado, r-r.Lcisea Ala
M presidencia foi recom
]mim muaicipaes da '
4e (Miada de igua
Bt. chele de polica,
livaaaate asea aos roa as aeoteogrs dea Appellvite, doao Rodrigla de Suia ; appel-
ftreaaecia, eendefaoatoriss ofaMMiHRmiV tboo, e jateo.
tivae
,.0.t?0-
MBJ
ait parta deila cidade
o maodedomajor Joao
o, aaymBjetmaado jo Dr. detega-
' diitriclo, em-direcQo ladosdonor-
e. oode euapeitava-ae urna tentativa de conln-
aaaaoo ur-traendir. ata conaequencla Ja.urna
nada sabemos ainda ao certo sobre esta noticia.
-ejaeJem cuna m po aulaga ; asas, na noit da!
.attaU-aaiw rsffaiaoa. a sata ci4ade o referido de-
legado con a (orea, tratendo alguna individnoa
presos per auapeitoa do presumido contrabando.
Coaia-noa qua a patiois prosegue em suas inda-
azages no deacobriasento da Terdade.
-Tt-Sonjo lOloaaeadoi da qae o brigae Marthal
MARIO* M riJAMDOO. *-
i
-=-
SISSAO
JUDICIA11A EM28D!
DE 1861.
FRVeiDKHCU DO XM. O*. DES
OtiCA.
Secretario, /fio Guim
A met hora, achaodo-se pr
desembargadorea Villares, SiltaGuima
SEGADA FURA %, 11 DEZEMBEO 01 1881;

K*l
|ta, o juizo
|ade.'
{ente. &*9
te, 0. Mari a fai x eir 4a Silra ;.a#,-
. loaquim Jos de Brito.
A' atoro jury. ~^ r5 WEB 1
APPKLLaCBfl CITIS.
Dantas
da Cunha
!
4mUMI llMMi.p'*llSimlna)Un para Rio Grao-
de do Sul, foi.registrado no dia,-11 de norembro
na liaba equioocial e Da looguude W 35" 85' pe-
Creray.e noticia narer muitos oafios.de guewa,
tos Estados-Unidos, cruzando naielia fial-
srtfsaca......
Forara concedidos tres rceres de liceog com
encmenlos ae adminitridor,do consulado pro-
vincial Antonio Caroeiro Machado Ros.
Foram recolbidos casa de deteog&o nos
das 28 e 28 do correte, 6 homeos e 1 mulher,
eodo 5 Htred i escritos, a saber: a ordem do
Dr. chefe de polica 3; a ordem do Dr jniz es-
peeUt *n commercio 1.; a ordrm 4a subdelegado
do Recife 1 que o africano Jos, escraro de la-
noel Bruno ; a orde'ra do de S. Jos i ; e a ordem
do da Capiioga 1 que o africano Seraphim, es-
craW de Jos Cirios da Costa'Res.
Fizeram exime de geometra no da 27 ,4e
nerembro do correle II estudanles. "
Approrados plenamente. 1
SiletfnMti.....:........ 7
Reprobos...............
:j'..if.
' 12
Fizeram exsme de retjiarcia no da 27.da
norembro Vio correte auno 12 estudantes.
Approrados sniplesmente. 7 '
Repror.dos ........ 5

Fizeram exame de rhelorica no dia 29 de no-
vembro do corrate, 12 estudantes.
Approrados plenamente... 4
dem simplesmenle........ 3
Rprorados................ 5
l
- V
Fizeram exime de philosophia no dia 27 de no-
rembro do correte aono 1t estudanles.
Approrados simplesmenle. 2
Reprodos................ 9


11
Fizeram exante de philosophia no da 29 de
vembro do correle anno 12 estudantes.
Approrados plenamente... 8
Jdem simplesmenle........ 2
Reprorsdos................
no
.......

Fizeram acto na faculdade de direilo do dia
29 de norembro de 1861.
1 "aono.
Raymundo Olimpio
Goncalvesde Freitis Approrado plenamente.
Sezosfria Silrio de Mo-
raes Sarment...... Reprovado.
I ro Magno Borges da
Fonseca............. Approrado plenamente.
Maooel Fernandea de
Araojo Jorge...... Reprorido.
I".* atino'.'
Jos Francisco de Bar-
co* Reg Jnior.... Approrado plenamente.
5.a aono. *
Francisco Idelfonso Ri-
beiro de Meneies... Approrado plenamente.
Joao Domingos Ferrei-
ra Raheilo.......... dem id.em.
Cantillo 4a Cunha e Fi-
f>^V*^* .......... lOUi 1GLU.
Jas Oe Araujo Dacei-
lir Jnior........... {dem dem.
Fizeram acto na aculdade de direilo no dia
30 de norembro de 1861.
1." aono.
Ernesto de Paira Leite Approrado simplesmenle.
Jos Gomes Ferreira dem idem.
liermes Plinio de Ber-
na Caralcanti ......Approrado plenamente.
Francisco de Assia Pe-
reira Rocha Janior. dem idem.
5. anno.
Manoel Joaqun Libe-
rato de llatios......Approrado plenamente.
Amaro Xarier de Mo-
F*f#-................ dem idem.
Luiz llanoel alendes
fU(Mo............. dem idem.
Francisco Barbosa Cor-
deiro................ jdam idem.
liootem deo-ae a sepultura os restos mor-
laesdo Sr. coronel reformado Jos Bernardo Sal-
gueiro, natural deala provincia, onde ocupou ra-
nos lagares.
Horimsnto da enfermara ds casa de deten-
Cao do dia 29 de norembro de 1861.
Tireram baiza para enfermara:
Jos Custodio Aires.Borbas.
Maooel Fraocisco de Alnuquerqoe.Bexigss.
Claudioo Bufrazio da Fraoca lama.Pebre.
Joaquim Jos Ribeiro.Chagas.
Manoel Alexaodre Pereira da Silva.Pebre,
Tere alta da enfermara:
Joao Antonio Teixeira.
Hovimento di enfermara da casa de de-
teocao do dia 3dde-oorembro de 1861.
Tiveram baixa para enfermara :
Hsnoei Vicente Ferreira.Febre.
Loarenca, escrara de Francisco Ferreira de Mel-
lo.Febre.
pellado, Ariatides Caroeiro
Qama.
Desprezaram-se os embargos.
Appellante, Jos Ponciano Gomes de Mello ;
appellado, Praocisco Bruno Jacom> Bezerra.
Deaprezanm-se os embargos.
Appallante, olxm. bispo; appellado, Maooel
Pires Ferreira e ootros. "D
laespxezawaaa-sa o* embargos.
Apuellante, ojuize ; appellado, Joao Chrysos-
tomo 4 OJireira. ,
Reformou-se a senteo;a em parte.
Appellante, Andr Fatreira.de Mallos-; appel-
mingos Francisco Caratcantf.--------------
Beeprezaraaa-ae os embargos.
Anpelliole, Joao Mirinho Fako Sicupira
appellado, Antonio Gomes Marinbo.
Reformada a sentnca.
Appellante, JoaLaiz Vianna ; appaUado, Ma-
noel Lepes da Silra.
Confirmad a a sentenca.
Appellaale, a fazaoda nacienai ; appeliido,
Luiz Cordeiro de Castro.
Reformada a aentooc. >>
AooelUnu, Jos Joaqoim Pesaira U appellado,
Manoel Ferreira Ramo.
Confirmada asantanca.
Aptieliant, Gustaro Gurgolino deSeaza ; ap-
pellado, Guilberme Augaato de Miranda.
Receberam-se os embargos.
(. Appellante, a Uzeada; appeUado, ,os herdei-
roa de Joao Vieira da Cunha.
Coofirniada a sentenea.
Appellflotes, Pialo Leiie & Irmao ; appellada,
a fazenda.
Nao tamaram eonhecimento.
BlUCBMCUS C1VK1S.
Gea rala ao Sr. desemhargador procarador da
corat- i '!' bi
Appellante. fazenda ; appellado, Igaapio Luis
de Brito Taborda. f .'
Appeliaoie, a iazeoda ; apoellada. Francisca
Thomazii da Conceieao Cunha.
Appallante. a fazenda ; appellada, Jos Joa-
quim da Stlaa Mais.
AppelUoie, a fazenda ; appellaat Joaquim Lo-
pes de Almeida.
DIL16ENCIAS cKiaas.
Com rista ao Sr. desembargador promotor da
Justina, as appellacoes Crimea :
Appellante, Francisco Paulino Gomes de Mel-
lo ; appellado, Joao Lopes de Freitas
Appellante, o juizo ; appellada, Anni Francis-
ca das Mercez.
Appeliaoie, Benardioo Jos Limeira ; appella-
do, o juizo. :
Assignou-se dia para julgamento dasseguintes
appellacoes civeis :
Appallante, Ponciano Rodrigues da Silra ; ap-
pellado, Caetano Rodrigues da Silva Aragio.
Appellaute, Vicente Ferreira de Mallos ; ap-
pellado, Francisco Ignacio Bocbedo.
DlSTRlBUIfjRS.
Ao Sr. desembargador Silreira, a appellarao
crme:
Appellante, o juizo ; appeUado, RuQno Jos
de Medeiros.
A appellacio cirel:
Appeliaoie, Joaquim Pereira da Rosa Lima ;
appellada, Mara Magdalena da Coala.
Ao Sr. desembargador Gitirana, a appellagio
crime: un
Appellante, o juizo; appellado, Rufino Mar-
cos de Castro.
A appellaco cirel:
Appellante, Antonia Avelina do Rosario ; ap-
pellado, Julio da Coila Cirne.
Ao Sr. desembargador Lourenco Santiago, a
appellaco crimo : .
Appellante, Joo Bernardo de Sonta ; appella-
do, o juizo.
A- ?JL doe0jbargador Costa Motla, a appella-
co crime ;
Appellante, o juizo ; appellado, Roberto Frao-
cisco da Silva.
Ao Sr. desembargador Peretti, a appellaco
cime :
Appeliaoie, o juizo; appeUado, Belarmino Fer-
reira Calado.
Ao Sr. desembargador Accioli,
crime :
Appallante, o juizo; appellado,
cintho de Sampaio.
Recorreole, o jufzo ; recorrido,
de Barroa.
Ao Sor. desembargador Assis,
crime :
Appellante, o promotor; appeUado, Theolo-
nio Alvea Ferreira.
A appellaco cirel:
Appellante, Jos Pereira de Ges ; appellado,
Joaquim Antonio de Aodrade Luna.
O recurso crime:
Recrreme, o juizo; recorrido, Jos Gomes
Coimbra.
Ao Sr. desembargador Uchda Cavalcanti, o
recu-so commercial :
Recurrente, o juizo ; recorrido, Jos Antonio
da Silva Araujo.
A's 2 horas da larde endaaTou-se a seisao.
MOITALIDADE DO DU 80 :
Jerooima, Peroambuco, 7 mezes, escrva, Boa-
Vuta, erysipella.
Antonio GongaAves de Souza Jnior, Portugal, 14
aooos. solteiro, Santo Antonio, labre belliosa.
Juliana Mara da Conceico. Peroambuco, 60 an-
uos, solleira, S.Jos, cancro.
Francisca da Ceoceieao, Pernambuco, 60 annos,
solielra, S. Jos, entente.
Aotooio Ro irgues da Silra, Portugal, 25 annos,
solteiro, Recife, febre amarella.
Erottdes, Pernambaco, 1 mez, Kecife, apoplexia.
Jos Marcelino dr Coat, Pernambuco, 60 annos,
casado, S. Jos, phtbiaica pulmonar.
Isabel Mara da Silra, Peroambuco, 46 annos.
Tiara, Beberibe, molestia interior.
_ Fallecenm durante o mez de norembro pr-
ximo passado 179 peasoai, sendo : 44 homens,
43 mulheres e 64 parrulos, lirres ; 5 homeos, 11
homeos e 12 parrlos, escraros.
CHRONICI. JUDICIAHIA.
Trbaual da Relacao.
SESSAO EM 80 DE NOVEMBRO DR 1861.
J>r#idencia interino a"o Jira.^r.ifaMmiorarfor
Cattano SafUiago.
As 10 horas da manha, achando-se presen-
te* os Srs. desembargadores CaeUno Santiago,
Silreira, Gitirana, Loureogo Santiago, Molla, pe-
rel.ii. Accioli, Ocha Caralcanti, Aaais e Guerra,
procurador da corda, foi a berta asesso.
rateados os l^Tto entregues os diitrij)ui-
doi, proeedeu-se ao geguintes
JULGAMINTOS
kecorso covkmauL..
^carrele, o juizo ; reeorrjilo, Mamede *
J1tor o :d^eTi*arad'6r0?#rettl.
desemvar^adoTes Gitrrana,
a appellaco
Joaquim Ja-
Jos Antonio
a appellaco
oo
tu uvlu miu nu
PJ|8.
1 Rraaaiaco da "'
^li Mico
" To*d i.
|eVSr aWeenbaJiador ViHaws.
oBf*despraudos oa embargeftam oat|a.
Appellantes, Jimes Ryder & Companha j ap-
pellados. Braga A f ntuqen.__ .
Deaignado o dis de boje,
Retator o St/deaanska*{ptdo\Mra Guimiraes.
Foi adiado -julgameolo apedidodoSr.de-
putado .Lem'oa.
AppellanU), D. Mainna Dorotlta J.om
ppalU^o,,Ma,nQa,l eerejra M'galhaa. cejaaces-
sionano do commendador Joao Pereira Be Ao-
drade. '
. Designado dja dat hijeo v
Sorteados-os.Sr. depaladoa
iielator o Sr. desamba rajador aiiva
Foi confirmada a sentenga ippellad
7 ~JL /..Plgfjrgtrryg.
Appellante, Joao da Siqueira Ferrao i Anlonio
de AsroelMtia ; apptlattos, SoothiJ'Meltora
ii Companha.
Ao Sr. desetabargador Tillares.
DESlGJtiCAO DE DU.
Appeilote, nJladelc1lndrigaes CosL *-
Ihes; appellados, Carina Jos Aslleyfii C*pp-
panhia. w
Designado o prmeiro dia til.
Nada mais haredo a tratar, o Eira. Sr. drsi-
denl^ enceq-oo aas^o sj hons da Urd.
O Di
i

.0J'
'- #ary dojlecife.
.* SESSAO.-DU 17 DeNOVEMBRO DE 1861.
Prei^epcia 4o.. Sr. flju mmicipiil daazi"
,,"*..r''-,. JW M ireito.irtlarino doja-
As^"ffVfl Socra^t Tfkvaruie Vas-
conetllqt. ,
tnew-9 varo
I
Pr!
or pubJUo.o.Sr.Dr.jf^anciscoLaonoldiqo
de Gusroao Labp.
Escrivao prirati'o, o Sr. Joaquim Fianclsco de
Paula Eileves Clemente.
yerfl^aadn,:ae eslarem presentes 42 juizes de
faci, declarado aberta a sessao.
Foi conduzido barra do tribunal o preto Is-
mael, esciavo. d^e.Pau.liflo Mazia Bastos, oqial
fora absolvidoem piimeiro julgamenvo econden-
nado pelo segundo Jurr i pena de galea perie-
tuas, sendo iulerposta da primeira sesUnga a ip-
pejlicjionara o lrj*>unalda relgp porBarledoml-
niaierw publico a pretexto de prevexisoesde tor-
mulaa substanciaes. ^
Nao havendo sido nolicdas daas tulemunhas
offerecidas pelo Dr. promotor publico, para o fim
de ajudar a aecusacao. por este foi requerido o
adiaaeento da causa, e foi deferido ararareUnen-
e a pellejo.
Foi igualmente adiado o julgaraenlo do preto
El.oy.qu* (ora em pr^mei/o jury coniemnadoa
pena de morle, em razao de haver requerido o cu-
rador de reo que, fpsae espigado o julgamento
al que podesse ser obtida moa cerliJao de ida
de pedida ua provincia de Rio Granda de Norte.
Sendo a hora adiaatada (2 horas ea tarde), o
Dr. juiz de direilo leraotou asessao,adiando-a
para o dia J,a 10oras da manba.
eapitao ,
do maior de
ffarle offendij
de, se achai
lado oppoato esquina da
a ae eradio 4 p, favorecido
a ooite.
recolhido ao pateo da casa, e
u a p '
lores, .
toSr.
muita
ti*.
H*>
tadoa o
i o Sr.
rteprno,,
lourarel
resoios dooT
Iugao^que para consamar aqneda dogorerno,
so se afaardara a chegada de um
no
gumu
zarra com elle seguiram o is-
deodo desatar o carillo bran-
inudo, talo n'um p de sa- expedicionario compoilo de 2,000
ea
general Milre fliera aahir do Rosario
de general Paunero.
c Afora esta eipedigao e o destaeamenli
luana el
de Santa
mor
de Buenos
tk queco*
e Urquizs.
essas nei
pertenn
r um m
cumplo guardara ognreToosagr
41, reduziodo a conjecturas a avidez da cari
le publica, e as mesmaa folhai, procurando
m a-d
lead como c ajee tu radas.
I Na opioiao da Trostaa enm alias :
-a; 1* deacoohciaie0l oacionaes por parle de Urquiza ; .^
2* desarma meato da aaquadra ldaral;
c 3a convocarlo de em aovo congreaso ;
< 4a eieitjto ee.eern preadMie :
Eslerio Ferreira Collado.
Luiz d'Aodrade Lima.
CAMPANEA ELEITORAL.
autorida-
odiriduos cofi-
aideradoa CjaBCM[aaalfl mnrlal altanlartn
BotlclaTe-
c O rapor Jfaua soffreu urna pequea arara
na riageeaqae fea domingo 22 barta, quebran-
do o pisten, peto ene achi-ae prirado de 4ir-
jar por ateadas, al que renha eutro que se
andoa pedir aaalio aro roeaMtiiw.
c Na noita de domingo 22 os gatunos teotaram
reiJw,aigBaia, atrU. buaciddo entrodazir-ae
odia palo constato* das arraaa.
c Presentidos pelo Sr.J. F. do Espirito Santo,
qae mora junto igreja de S. Francisco, justa-
mente no acto de abrirem a porta do consistorio,
^liraraoTee-natrntaTnen1e.
Rrim traa,pa^nd#triP08. epeloque dejxa-
ram rer nao estirara desmsscarados.
i O rapor Prinsa'xa de Joinville parece seguir
m brere para o Rio I
Depos da collocar^o de um ealxo sbmari-
nho que o Sr. eogeoh6ico maodou collocar para es-
gotar a vgua que constaotemente fazia, pedio vis-
loria, e, quasi que eatanque, promelte repacer
maior arara e fazer Tlsgem o Rio |erj,re-
" Kta.TPor far1^ den.tto em poucoa dias um.1
passeio di SxpenencHi at i barra. rT*
t Veriflvou-se infelizmente a noticia que ha
tres dias* demos do abalroamaoto de um hiUe
com o rapor itio-'Grdn<{Me em riagem para la-
guaro
0'hiato inha feilo com todo o panno, eco-
tnonao trazia nharol, o rapor nao deu por elle
senao com o choque. '
r".s e m,'or poderla ser a desgraca se o vapor
nao fosse tao seguro e o machioiila nao largasse^
immediatam.enteo.gz. Aiodi asslm Qcaram al-
ga mas pessoas contusas, lootando-se nease nu-
mero o Sr. coronal Jos Xarier',Garcia.,
< O rapor perae seis camarotes da .parte.de
bom-bordo, parle do camaxirn, e a raranda ateo
costado I
Serenado o conflicto e recoohecido qae o va-
por poda cqntinuar sua derrota, tocou as rodas a
seguio rio abaixo sem a menor Doridade at
Sapgradpuro, 'onde nos esccevem com dala de 2
do correte.
A mesma folhi, confirmando is noticias que ha-
ra dafrooteira do Chuy na capital da provincia,
diz:
a Temos cartas da fronleira do Chuy que al-
Cingam 4 1 do correte.
a O nono correspondente de Santa Victoria
conwnuoica-nos o aeguiote:
Nada auia lasiiatoao que a aitaagio doe
campeaba do
DIA 28.
Prtdensiado Sr. Dr juiz municipal i 1 ara
e ;'iiz de direo da i", emogtaet Socraiit
Tavares de Vasaoncellos.
Promotor publico! o Sr Dr. Francisco Leopoldina
de Gusmo Lobo.
Escrivao privativo, o Sr. Joaquim Francisco *t
Paula Esteras Clemente.
Harendo numero legal, abre-se a sesmo.
Entra em julgamento o reo Augusto Elorencio
dos Santos, aecusado pos crime de etioxolos la-
res, preso na casa de deteogo desde dia 3 de
novembr de 1860.
0 reo fra abaolvido em 15 de maio ic corren-
te, appellando o juiz de direilo (B. Doria) para o
tribunal da relagao, que deu prorimenio ap-
pellago.
Depeia do interrogatorio, leiiuri de processo,
iccusagao e defeza, que tere por orgia e Dr Do-
mingos Monleiro Peixoto, sao propostas oa.que-
silos. .
Km vista das respv1" do jurj, o Dr. juiz de
direilo publica a sentenga pela qua. jugando o
reo ocurso no grao miaimo do art 201 do cdi-
go crimiual, o cuodemna & soUrera pena deum
mez de ptiso simples, e molla corespoodeoto
melade do lempo.
DIARIO OE PERNAI.BUCO-
Tribunal do commercio.
SESSAO ADMINISTRATIVA EM 28 DE NOVEM-
BR DE 1861.
PRESIDENCIA DO BXI. SR. DESEMBARGADOR
. .. A. DB SOUZA.
As 10 horas da manha, reunidos os Srs. depu-
rados Reg, Lemos, Basto e Silreira, o Sr. presi-
dente declarou aberta a sessao.
Foi lid
iM
Aoeli
e SUveka.
i-preotleni*.
e approrada a acta da antecedente,
DESPACHOS.
reqoerimento de Maooel Aotooio Marques
e Boarentura da Silra Viohas, satisfsieodo o des
Bicho de 10 de outubro prximo Ando, para ob-
ter earta de registro para o seu prgue Adelaide.
Prestado o juramento e assigoado o termo de
que trata o artigo 463 do cdigo do commercio,
como requer.
Outro do coronel Joo Jos de Gonreia, pe-
diodo que se jante aos satos de sua moratoria
a petigio que aprsente Junto aoa autos, rista
ao Sr. desembargador fiscal.
Outro de Maooel Fraocisco Marques de Amo-
run; Antonio Marques de Amoro eGongalo Jo-
s Aflooso, pedindo o registro da dissolucio de
sua sociedade sob a razio de Antonio Marquea
de Amorm &Cornpiohta.Como requerem.
Ontro de Amorm Affonso & Companhia, pe-
diodo o registro de seu contrato social. Vista
ao Sr. desembargador fiscal.
Outro-de Case miro Pioto de Nogueira e Jos
Pinto Nogueirs. replicando do despacho deste
tricenal de 21 de norembro do correle.Vista
ao Sr. desembargador fiscal.
Outro de Marques Gomes & Companha, pedin-
do o registro de seu contrato de sociedade.Co-
mo requerem.
Outro de Aotunes Guimaraei & Companhia,
pediado titulo de administragio de arrriazem al-
faodeaado.Na frraa do parecer fiscal.
Outro de Jas da Caoba, pedindo tambera ti-
tulo de admiaistragao ds armazem alfandegado.
Pane-se titulo.
Oatro de Jos da Silra Loyo & Companhia,
tediado o registro de um ariso do ministerio da
aseada.Vire primei rimen le IHulo de adminis-
trador de armazem alfandegado.
Outro de Joo Loiz Ferreira Ribeiro e Antonio
Pinto Ferreira Borges, pedindo o registro de seo
contrato de eoctedade. Determinem a forma da
nemeagio dos artigo.
Oolro de Agosto Frderico de Olireira, Bra-
iileiro, commereianie desla praga, de commercio
e negocios de cambio, pediodo matricular-te.
Vista, ae 8r. desembargador flecar.
Oatro do mesmo, rlito pelo Sr desembargador
flaoal, pedido matrietttBr.se.Como requer. J
O tribunal resolreu. que se publicasse a tabella.
jjse Marca as >orcaolagens dos curadores flaca es,
IWdUrfof s^oftlradorM de mi.iai fal-
Naia nuil honre.
Temes rista jornaes do Rio e Iihis, os pri-
meiros at 25 e os segundos at 2) do correte,
de que foi portador o rapor franceziVatxirre, en-
trado hontem s tres e meia horas la tarde.
Rio de faneiro. Pelo mioisterio los negocios
da jastiga baixou o segainte riso di 15 do cor-
rente:
Illm. t Exm. Sr.Expe V. xc.em seu offl-
ci datado de 6 de norembro do anro prximo
passado, se o prazo marcado oo art. 21 do decre-
to n.1354 de 6 de abril de 1854 dere ser conta-
do aos ofBciaes da guarda nacional qui deilarem
o respectivo exercicio durante o impecimento de
outro qualquer emprego civil, e responder pela
affirmatira. S. M. o Imperador, tendo ourido o
consultor dos negocios da jastiga, manda appro-
rsr a deciso dada por V. Exc. referida cpn-
aulta ; o que communico a V. Exc. pa-a aeu co-
ohecimento. e em resposta ao citado cfflcio
a Dos guarde a V. Exc. Francisc de Pau-
la de Negrelros Sayao Lobato.Sr. presidente da
provincia da Panhyba.
O cambio ficara : aobra Londres I 5 3i4. 25
7i8 e 26 ff. 90 d. r.; sobre Himburgo 688 rs. a 90
d.; sobre Pars 365 a 368 rs. por fr.; e sobre
Lisboa e Porto de 110 a Ii5 0|Q i rista.
L se no Jornal do Commercio:
22 -
e Pol bomeado*a)residente da prorinsla de S.
Pedro do Rio Grande do Sul o Sr. desembarga-
dor Francisco de Assis Pereira Rocha.
Entrou hootem dos portos do sol o vapor
Braiil, trazeodo-nos datas de Porto -Alegre at 9,
do Rio Grande al 13 e de Santa Catharina al 15
do correte.
As noticias sao destituidas de infrase.
A assembla provincial rio-grindeose traba-
Ihara as sesses preparatorias, e j s* achara
com o numero iodispensarel para ser astillada.
A eteigio primaria 4 queso proceder na fre-
guezia de Larras 13 do mez passado linha-se
Concluido, aperar da excitagio em que ae acha-
rare os nimos, sem oceurrencia alguma que per-
turbarse a ordem.
a A policia da capital apprehendra roubo o
imponate, de que fra rictima am morador de
Saota Mara, de notpe Joa Apell, conseguindo
igualmente a captura do criminoso.
Tinham fallecido o administrador geral dos
correros Joo Vespucio de Abren e Silva e o ri-
gario de S. Gabriel padre Joaquim Ribeiro de An-
drade, decano dos rlgarioa da prorlocia.
O Correio da Sul refere que na fronleira do
Chuy foram saqueadas pelos salteadores que In-
festara aquellas paragens as casas de tres subdi-
tos bra.-iieiros eslabelecidos em territorio orien-
tal.
a A mesma folha, dando noticias da Cruz Alia,
diz que se tentara contra a existencia do lente
coronel Fructuoso Borges de Fontoura, recahio-
do as suspeilas em Zeferino Satrico, complicado
no morticinio que houre na Cachoetra em setem-
bro do anno passado.
L-ie no eoreievws :
4 No nosso numero ultimo deixmos de noti-
ciar um tacto notavel que se deu neala cidade, por
estar prompto o jornal, que, nao teodo aido pu-
blicado quarta-ieira em conseqaencia da mudan-
ga da typpgnphii, aahio sabbado. Ei-lo :
A's tO para s 11 horai da ooite do dia 1 do
eorrenle, aendo o negociante Ladislao Patricio
Barbalho Bezerra procurado em sua casa para Ihe
ser entregue urna carta que se lhe mandara da
Drugiyana, ao abrir a porta rosoei| uo, tiro de
pistola, eojis duas bitas com que estar carre-
gada felizmente Ih alriressaram o sobraludo que
linha reiltdo, varando o lado esquerdo da porta e
rodo topar n'um baba qoa "estar collocado na
pareda fronleira mesma porta.'
Duas pessoas das qae nena oacaiiio acom-
j subditos brasileiros residentes na
ia'J departamento de Maldoaado, no Estado Oriental.
4 Vaga naquelle deparlamento am grapo de
ladroes cognomiuadoHatrairos que smente
le empregam em roubar e iosultar aos brasileiros
all residentes.
No da 25 da mez passado, 4 desees malva-
dos, ao lugar denominado Potreiro Griode, roa-
baram a casa do braaileiro Manoel da Silra, co-
obecido por Manduca Valentim, a a de Maooel
Joaquim Rodrigues Correa, e nesee mesmo dia
tambetn roubaram na Angostura i D. Justina Ro-
cha, um seu filbo, e Manoel Joaquim Caetano
(vulgo capalaz.)
a Poucos dias mies haviam aiqueado Joa
quira Pereira Naees Sobrinho.
a Esta poroagso infelizmente anda est sem
urna policia de que tanto precisa para garantir o
direilo de propnedae e vidas aos seos habten-
les ; este respailo chamamos a altenjo dos
Exms. Srs. presidente e chefe de polica da pro-
Tincia.
Anda para mais nos inquietar, consta-nos
qae a nica garanta que preieotemeote tamoa
ooa ra ser tirada, porque brere sari rendido do
commando da linha e destacamento do Chuy o
Illm. Sr. tente Joaquim Jos Baptiala, qua
pelo zelo, acliridade e ineaoaarel vigilancia que
S. S. emprega aa gaarmcao da linha e destaca-
mento que tao digomeale commanda, apezar
da pouca torga de que topeo, lem evitado que
sajamos aasaltadoa pelo grupo da matreiros que
ragam na repblica risiaka.
< S. S. emprega tanta vigilancia que dia e
noita conserva patrulhae na linha, mas mesmo
aaaim com 40 pragas nao se guarnecen) bem qna-
tro leguas, iato desde a barra do Choy at a
barra de S. Miguel.
a Vai ser eoderegado ao Exm. Sr. lente ge-
neral commaodante das armas deata provincia
am nos abaixo assigoado de mais de sessenta ha-
bitantes desla peroagao e fronleira, pedindo a
cooserragao no commando da liaba e destaca-
mento do Sr. teoeote Joaquim Jos Baptista, bem
oomo do Sr. alteres Leopoldo Mendes Ourique.
E' de suppor que S. Exc, tao recio e jusliceiro
oomo nao deixar de atteoder ao justo pedido
que fazem os habitantes.
Foi recebida com bastante seatimenlo a no-
ticia da demissao do Sr. Joa Florencio Amara!,
do cargo de subdelegado de policia deste disiricto.
Por decreto de 18 do correle foram Bornea-
dos : 2 escriplurario do thesouro nacional o 3*
escriplurario Jos de Miranda Brito; inspector,
om commisso, da thesouraria de Sergipe, o 1
escriplurario da da Bihia, Fernando da Costa
Freir.
Foram removidos: pira inspector da the-
souraria do Paran o da de Sergipe, 3a escriplu-
rario do thesouro nacional Sebasiiao Jos Caval-
canti ; para a alfaodega do Rio Grande do Norte
o 1* coofereote da de Albuquerque, Thomaz Des
champa de Moolmorency, no mesmo emprego.
Foram exonerados seu pedido : o Ia es-
criplurario da thesouraria da Baha, Jos Martina
Peona, das fuocges de inspector da do Paran;
Joaquim Aurelio Wanderley, do lagar de Ia coo-
fereote da alfindega do Rio Grande do Norte para
poder exercer o de 2 coofereote oa de Pernam-
buco, para onde foi nomeido por portara de 19
deste mez.
a Os senhores capitio de fragata Ernesto Fe
derico de Verna e Belateii, e capito-tenente An-
tonio Joaquim Ferreira Ramos, teodo sido jul-
gados iocapazes de continuar a servir, por moti-
vo de molestia, foram refermadps por decreto de
18 do eorrenle, aquella era capito de mar e guer-
ra, com o respectivo sold, e este no posto em
que se achs, reacendo rite e duas rigesimas
quintas partes do sold, visto contarem, o prmei-
ro mais de 35, e o segundo mais de 22 annos de
serrlgo.
< Foram nomeados os Srs. Felippe Joi Perei-
ra Leal, enearregado de negocios em Madrid, na
mesma cathegoria para a repblica da Chile.
Antonio Jos Duarte Goodim, enearregado de
negocios na repblica do Chite, na mesma cathe-
goria para Madrid.
a Poi nomeado o Sr. bacharel Manoel Sobral
Pioto, cnsul oa prorincia de Angola e auas de-
pendencias.
- 24-
Entrn ante-hontem uoitedo Riods Prata.
com datsa de Buenos- Ayres at 15 e Montevideo
al 17, o rapor Diligente, que hara feilo a ria-
gem era logar do paquete fraocez Saintonge.
Da Repblica Argentina a noticia maia sig-
nificativa que lemos a da retirada do presiden-
te Derqui, qae, achaado-se as cidade de Saota
F, embarcara ao rapor de guerra inglez rdent
e ae acolbera a Montevideo. No acto de embar-
car dirigi Bo rice-presidente Pederuera um offl-
eio em que lhe declarara que, dizendo-se que o
obstculo para cessar a desastrosa situagio do
paiz era a presanga delle Derqui na admiostra-
gio, separara-se aella de tacto, e na renuncia que
apreseutaria ao coogresso individuara a* razoea
qoe o haviam levado a dar eate passo, para o qual
nada taftiiira a lanaia daiaisaipa.
4 Picndose, queri* p vioarpresidente, dizem
5* campista nautralidade de Urquiza naa a-
turas operages que Buenos-Ayree aeasa capia-
hender ) ;
a-fia destituigao de rariosgorernadores hostia
causa porteoha. .
t 0 Nacional _pela sua. pjutfi9LDt.eiiuia.4ua co.t
mo coodigoes de pz se eslipularii permanecer
Urquiza no goveroo da provincia de Eatre-Rios,
obngando-ae a deiqoahecer a presidencia de Der-
qui e declarando caducado o coogmao. EoUe,
dp^ccoxd.0 cqnx ogorerno de JJuenos-Ayres. e
prestando as torgas de Entre-Ros, tribalharia Ur-
2uua para a reonganisago dos poderes oacionaes
eiarmaado-se os navios da eequadra federal, a
restiluiodo-se i seu donos, que o mesmo Ur-
4'V se comtado que entre aa duas ordens de
canjectozas^aola fuudamealal divergencia.
Utari, pordr, am ponto, taire* o mais rno-
meotyso, sabr n.Ojial era coojactucaa ae aveo-
turaram, a saber : ae Buenos- Ayrea le conilitui-
na sobre si mesmo como estada indeoendente, oa
se conliouiria a fazer parte da repblica argeati-
oa. Tima cousa so pareca cerla, a rinha a ser,
que,se Buenos-Ayres poda acbar dUficuldads em
moderar a seu geiW a confederado das prorin-
ciai platioas, nao baria por agora, desorgauisido
como indubitarelmeote se achara o governo na-
cinnal, quem lhe loase 4 meo na taa declangao
deujdependencia.
_ c Em geral mo*trra-ie a imprensa porteoha
infeosaa astas BegocUQus, aliegawta j que Ur-
quizf se nao achara revestido de caraqler algum
qua legellsasse a parle qus sellas tomara, ja que
este caudilho, que Untas vezea faltara dos
tratados, neohuma cooOaaga ioapirara para se
descangar em promessasdslle. Uua querum que
o xercl ta de Mitra avioQisse para o cora gao dis
provincias, e, apeando os geveroadoiflS poetas
por Derqui, dsse a liberdade aoa poros para qae
eites e constituales como Ibes aprouvesse ;
outros, calculando os sacrificios de diaheiro e
langue que exigira Ul empreza, inclinaram-se
adopgao de meios mais braodos. Nesta geral in-
certeza ficeraro es cousas sabida do vapor.
Recelando o goraroo porteoha-ama iavaso
de Indios bnvoa do sul, liaba mandado guarne-
cer os peales ameagados.
4 Em Buenos-Ayres nao tinham as cmaras
votado aioda sobre os projectos, para considerar
O? quaae Uari*m 4^ proregadaa, como j-aioti-
Ciamos.
4 No Estado Oriental nada occorrra que tenha
interesae poltico.
4 Cora data de 2 do correute expedio-se o de-
creto regulameoiarparaa expprlago de gado em
p e productos do paiz pela raia seces, derendo
principiar a pagar-ae de 26 de dazembro em
diaote o imposto langa do sobre esta exporlagao
peja ulima le da*alfaadegaa. O referido decre-
to habilitou para.sahide dos mencionados produc-
tosa estrada entre os arroios Chuy e S. Miguel e
a passagem deste arroio no deparlamento de Mal-
denado ; aspassagens de las Piedras, Centurin e
Acegn no do Cerro Largo ; as de Luiz Santos,
Yaguary, Tejeira, Corrales, Pachoo e Batobi no
raminbo que lera pelo de D. Demetrio Martnez,
Curlizens, Ignacio Briloa e Puntas de Caarem ;
e a Cuchilla Negra e as passagens de Bautista e
Paypaso so deparlamento de Salto.
Por decreto de 4 ordeoou-ae aos comman-
dantes da fronleira que estabeleceaaem aa guardas
necessirias nos pontos assim habilitados, ficaodo
o comroandante da fronleira do Cerro Largo en-
earregado das de Tacuaremb e Salto.
a O fando reunido para a penitenciaria pro-
jectada em Monterido passara j de 12,300
pesos.
Tinha apparecido naquella capital urna amos
Ira de carae fresca porfeiiamente conservada ha-
ra quatro mezes, e destinada exposigo de Lon-
dres. Se ella ali chegasse em estaeode perfeigo,
ria-se J desta descoberta de D. Fraocisco Siois-
tn, do departamento de Paysandu, urna ora mi-
aa de riqueza para o paiz.
Do Paraguay harta noticias at 2 do eorrenle.
Tinha-se eosaiido com feliz xito asegunda
locomotiva para trabalbar na nova estrada de fer-
ro. O presidente Lpez embarcara com o seu es-
tado msior a bordo do rapor de guerra Taquary
para Humait, ponto fortificado oode ae achava
o grosso do exercito. As folbas de Monterido
queram aeaar alguma relagao entre este passo e
s acontecimenlos- que te esto passaado na re-
publica argentina.
O 5monorio refere que se ia publicar um
novo regulamento da alffudags, para evitar as
difliculdades que encootram oa agentes fiscaes a
respelto dos objectos inlroduzidos por eitrange-
* para uso proprio.
{errla qua me veio docollegio do Pu do Alho).
iratnaii* m/^mt*qo,^a*oM loi a miaba an-
dida, ura a nica forte, desapiedsda, directa, e
Individualmenta .combaijda n%r.amj| gr#de.cra-
zada que se lerantoo contra miita^A que opde-
ram resistir as alalteres qae'me toraTam com
os- aeus saffiagaojk H 1.
E tanto ais brithante, e tanto mais
quaato nio pilO*Ce a algtrma familia rica o
alarada a algaos partida ; aAanieako.Tortvni al-
guma, oem oceupo ilgoma notavel posicao so-
cial ; jiioLtre rot com ene traasigir, nem pro-
earet algom camtrrho tortuoso, sendo o ubico ti-
tulo de meu tnompbe, e, iderrajOaBdQ_a}e com
aquellas que lemataa) tpyraade parle por mim,
sendo o nico 'M"'i prrr o nrrno Iriaaaph tinsaa
mesmaa verdades por.todoeeqildae, masd'autea
nunca taa altamente profetes, e^b* tanto agra-
daran) i populapjto deseajjidadfi. sem diaxieeco
de lasse alguma, e mearoo tora deila e at onde
ellas soaram.
Agradego aos poucos eleitores e amigos que no
coliegio do Pao do Alho tomaram parte, e al-
guna bem grande, por mim.
Agradego aos eleitores d todo Ia distrcto.elei-
tonf q, apesar de seus bons desejos pela aai-
5ha candidatura, nio os podaram realiaar por
fTereotes motivos que nao procero pexscruiar.
Agradego, Ooalmente, quellea que lireram a
mol lourarel franqueza da me declarar que me
ofio hoorariam^om os seus suflragioi.
Recebara, pois, todos os meus rotos de grati-
dao e inteiro recochecimento, embora sem valor
algum.
Villa do Cabo 29 de norembro de 1861.
ffc-no d'itftetoasrgaaMalio.
------------------
Tributo ao merftM.
Os servidos releraotea prestadoa pelo actual ca-
piUo do'porto da provincia, a Sr. GaeUoe Airee
de Sonta Filgueiras, na aedem ser iodifferentes
quelle s, que desejam o a ug me uto do caes do.
Varadooro, e aormoseioaeDlo dai pracaa adja-
oentes. Po&suidos deale aeotmenlo viemoi ao-
prelo para, do alto da imprenaa, galardoarmos o
mrito do em pregado zeluso a actiro, que, 00 des-
empenho dos dereiea de sea cargo, nao paupa
incommodos aens, esacrifica ao bem publico auas
mais apreciadas horas de deaaaneo.
Quem rio estado deplorare!, am que se acha-
ra o porto do Varadouro. e. examina actualmen-
te es beneicioe recebidos aob a inspeoge da-
quelle digno etficiil de raariohi, aio pede dei-
xar de, como nos, preatar-lhe bomenagens, ren-
der-lhea eocomioa.
Tuda permanece baje no maior 1 selo a lim-
peza poiaireis, e temos f que dentro em brere
possuiremos grande porfi de mangue aterrado,
faito aem augmento de deapeza, e apenas cora
o lempo disponivel da maxiahagem doa escale-
res em servico da capitana. A escolha deste dis-
tincto ofcial para o importaue lugar, que oc-
cupa, dar-nos-hia urna alta idea do Ido admi-
nistrativo do Exm. Sr. mtoistro ds jaarinha, ae a
capacidade de S. Exc. j por Untos outros titulas
nao esresae exuberaole prvida.
Paremos sinceros rotas pela cooserrecio de
S. S. neala provincia, na conriecao de que seus
servicos tenderao sempre a melborar o nosso per-
to, e a dota-le asaiduameote das obras de qua
carece.
Coosla-nos que alguna proprietirios de terre-
nos de casas demolidas na praga do Varadouro,
tendo em alieogao oa importantes servicos pres-
tados soporto pelo Sr. capito de fragata Filguei-
ras, acabam de ollera-loa ao gotaroo, dersiiudo
do direito de edificgo, que ibes asaistia, para
assim o ajudarem a completar, o afaameseamento
da mesma praga.
Cremos que este-tacto falla mais alto em loaror
de tio disliocto official, do que lado quinto hou-
reaaemoa de accreecenlar am elogio do mesroo.
Pedmos a S. S. desculpa, se com estas poucaa
palarraa ofrendemos a aua modestia : entende-
mos, porm, que nao daramos ceoter por mais
tempe os seu limen tos, que aos domina sobre tao
trancedenle sssumplo.
Um Commerciante.
Do Regenerador da Paraayba de 16 de norem-
bro de 1861.
t folhas de Btienoa-Ayvca, fizar ainda de quem
rauda-v-mae maguara lhe obadaeta, nao exntio-
do de tacto, autoridsde nenbuaja 00 Paran, oode
ludo estar desmanlelado.
a Segundo os mesmos peridicos, eslao era ar-
tafaa Tucoman, Saosgo. Sallo, Jojuy, S. Luiz e
dentis pjoriociai4 urnas em densa de aeus gor
veroarlorea, potras contra ellas.
B ferdflTa diz-te %ae estar feila a reto-
ros
4 0 mesmo peridico pinta como muito flores-
cente o estado iolerno do paiz.
a Entre as artgos exportados em outubro, fi-
gurara 7,023 arrobas de tabaco e 15,460 de herra-
malte
Dahia. Nenhuma noticia mais occorreu, de-
pois da carta de nosso correspndete, que ra
em outrs parte, rinda palo Paran.
O cambio ficara : sobre Landres 26 e 26
1|4 d.; sobre Paria 370 375 rs. o fr.; sobre Ham-
burgo a 670 e 680 por m. b.; sobre Lisboa 112 a
115 0[0 de prem.
Oa retes foram fechados: para Himburgo e
Bremen 80 sch. por ton.; sobre Gibralfcar a 72
1|2 scb.; e sobre Liverpool 40 scb.
Publicigoes a pedido.

Um cumpriiueuto ao Illm. Se. Dr. juiz
de direito interino da comarca do
Harendo-se ultimado hoje os trabalhos do jury
deste termo, consideramos ser de nosso desar
eocial, manifeslarmos ao oosae amigo o Sr. BY.
Lourengo Jos de Figueirdo, juiz de direito in-
terino, digno presidente do tribunal, oa nossos
sentiraeotos de respeito, considerarlo e eslima,
aradecendo o delioado cemportameoto com que
a nosso respeito se tem portado, a a regularizada
judicisria do aeu proceder oa sublime tarefa de
sua misso ; pelo que digoe-se o meamo seohor
aceitar a reilerago dos nossos votos do sincera
amisadee respeito com que em despedida o com-
prlmentamos.
Caruar 21 de norembro de 1861.
Maooel Bezerra de Vaecoocellos.
Maooel Ferreira do Espirito Sanio.
Braulio Rodrigues Toixeira.
Francisco Roberto Ferreira da Suva.
Jos da Silra Monleiro.
Joa Jaouario Correa a S.
Aotooio Mariano da Cruz e Liad.
Fraoscico das Chagas Birboss
Jao Frauciaco da Silva.
Joao Salvador dos-Santos.
Manoel Ales Pereira.
Jos Airas da Cruz Azarado;
Manoel Ignacio da Silva Bad.
trineo Francisco de Postes.
Anlonio Francisco do Reg Barros.
Fraocisco Rodrjgaea Porto.
Jo Anlonio 4a-Ua.
Jos Mr nados Anjoa.
Euzebio Caralcanti Albuquerque.
Joaquim Masee) d'CHieira.
Joao Ferreira Quima.
Caetano Alre da Feuseea.
Jorge da Silva Coutinbo.
Pedro llailmino da Olireia e Mejlo.
Maooel Flix Calumbi.
JoaoNurberto de Seusa.
f reneisco Guit.'o Ferreira Silf a.
Joa Gomes do Humtuio.
1 .
Illm. e Exm. SrDizem Victorino Pereira
Maia e Manoel Marques Camicho, negociantes
eslabelecidos nes'ta cidade, que sendo senhores a
possoidores, este de um e aqgelle de dous terre-
nos, no largo do porto do Varadouro desta cidade
nos quaes em virtude dn contrato kilo, de ordem
da presidencia com o thesouro provincial, devem
levantar casas, e reconbecendo os supplicantesos
importantes serrigos prestadoa pelo actual capilo
do porto o capito de fragata Caetano Aires da
Souza Filgueiras, o qual tem sido iocansarel em
aformosearo porto do Varadouro. coasagujndo poc
sua actiridade e_forga de voniade, e com a maior
economa dos dinheiros pblicos, e bem assim
com favores que tem oblido dos particulares, a
limpeza do porto e do accoradooro, e a factura
de alga mas obras qae o de manifest utilidada
ao mesmo porto, alm doinapieciarl servigo que
est prestando na admioiairagao da obra do caes,
na qoal o trabalho corresponde etfectirameole ao
servigo e ao dinheiro que all se est despenden-
do. E querendo os mesmos supplieantea con-
correr timbem por su*, parle com o que Ibes
possirelpara ajudar aquello digno funecionario
em seoaTvOurivel empenho e em sua dedicigo ao
publico servigo, veem offerecer V. Esc. ditos
terrenos para serventa publica, dos qu-es desde
j fazem para este fim cesso com a condi(o de
all nao fazar-se edificago alguma, ficaodo por-
tento alies sem direito de levantar casas nos so-
breditoa terrenos, e desoneradosda obrigagio em
que estarim, dignando-ae V. Exc. de mandar
neste sentido larrara competente termo, que por
torga da lei, dererser assigoado pelas mulheres
delles sapplicantes. PP. a V. Exc. Ibes delira
como requerem.E R. Me.
Victorino Pereira Maia.
Manoel Marques Camacho. >
____________ {dem.)

Ao Sr. Dr., chefe de policia.
Tendo-se na rilli do Cabo instaurado um pro-
cesso contra serta pessoa, pelo crime da faier nfaa
de alguna objectoa de sua casa de negocio, foi
pronunciado, a ae acha cumprindo a sentenca,
porm tendo Joaquim Victor Pereira Falro, feito
o meamo rifando objectoa de sen negocio eeaao
bem fosse at um aderego de ouro, que foi im-
putado de o rifar, pelo iospector daqnella villa
Joao Gomes Pereira, o quil entao deixoa ae a
fazer. porm menos, de generqa. e oatros ob-
jectos, arista desla crime ahama-aa a aUeogao
do Sr. chefe do policia para nio pasear deaapar-
tebido, j tendo aido om outro punido aelomes-
aaotVto. .
Reaife, 2B de norembro de 1861.
COMMfclkCIO.
aVIIndteg|ss,
Rendimento io da 1 a 28. .
dem do dia 30.....,
57664H07
almemto da alfandasaxa.
Volame entrados com tasaadas..
> oa ganaros
Volamos sabidos
f
93
37
eom faiandas..
com ganaroa..
1M
107
330
399
Descarregam hoje 8 de dezembro.
Brlgue hambargofisImmadireraea gioeros.
Galera franeaiaAdelia-.marcadariai.
*lge ieglaz-JUa? jaid-bacalbo.
V'
\


Pl
l> -

L-v
f
re Ir.ncezaAjtbjur-wcaivi.^
.aniteatou o si
1 esixa cigarros
95 ditas queijos
8 ditas dito; a F.
lttta (aswda*, i *t n
~nawiao.

INTERNAS GERAES
MEZ DE NOVEMBKO,
EWWWU:lyMMDAS
<*
Johnaton
firmaos.

*flitMnrc*>rias ; a daara Mitotolaaeoda* 4eaed.it 4'Mant 4* 1
i *^iag*4he.ma*0ertes ld*toeera*eeamostra; a Joba B. Chr
mte*beuof;aMMoLobo.&C.
lOmtoa^oaijes; Braad*** Brendi.
fc***esja*;i arete ar ldi(iobra4^tereo;ssBtmhia diestra*, gax de
f8trswu;i
1 dita roupsuda A. &- daSiaueira.
1 JU..aaa*aa^. AJk*to>tt C.
1 embrulhr WMrtrs ; aBsrroc. & Medeireg.
( MtfflsdoM
reles do '
^ex::::::::::::::::
rtt^iSfebVos::::
molumentos..,..............
aposto sobre lejas e casas de
descpotol............
Dito sobre casas de movis, rou-
pas, etc. fabricados emlpaiz es-
"Z^: ::;:::::
JotoMc.da4ivida.ctiya, ...
Memnisacpes.........
r
dirsitosi
u4
Go)d*da*.. Valores,
caada
i; a G. H. Lowe.
. Kaikmaon Irmos & C.
; a R. JCicolIe.
Baslilse dVC.
1 abratta i
1 caaia
V
1 caita bieetosde ej'riptorlo : a viuva Amo-
rim & Filhos.
1 embrulho mapa-, a B Balo.
2 ditos objactos parMlsre; a E. Fentoo.
1 dito amostras ; a Raba kchraettaa & C .
1 encapado Itrros: a A. M. C Sbare.
13 un doces, 20 caixas rap; a F. A. a
Foasoea. *
Mejb%ctfo ; ao padre J. A. do Santos
jRfes chi ; a F.*i Rabel! o & C.
25 dita mielas; a A. G. Aires & G.
l0**#,'ft*fW,h 29 Qaixs* martes, J
lita1 Otos*; ar.'X. n Costa Amorim C.
auHudoiu, 2 ditas cha, 10 cestos eaeta-
nhas; Duarte & leoe.
22 caixas doce. 12 ditas fqpelas* verde, t dita
massa do y**||,*)S0B3t**c4sUnhas; & Mar-.
9aiaJPh^< 4 Tbora.z dt Aquioo Fooeca.
1 dita m<*c*c>>*; Jos* H. Ferreir,
1 d*a sea*; 4 orden. -
9 ditos provisoes J 4 Widoa Rayaoaod 4 C.
1 dita roupa; i Gollaad.
3 ditas fazeoia de algodo, 6 ditas qoeijos, I
embrulho amostras; Soathall Mellors & G.
18 caixts (azenda de algodo, 1 embrulhq
'nliai-. I. y**rle.
faMa < Amen da amostras; H Gibsoo.
2 caixaaehapoedasol.aoflabrulhos amostras;
1 Pato* Hasta & G.
1 eeec* ).; i 8. Btom Leham & C.
*U*a clcalo, 1 ita sedas, 1 embrulho amos-
trae* fsVA Burle A C.
5 catea sanito*, g ditas ehi, barr presen-
tes ; A Maaeal Jos GoocaWes Fonie.
5 caitas (alendas do teda de algodo e de liabo
e dito, 1 dita chapeos de sol, 1 embrulho amos-
tras ; Ser Filboa dt vU
25 barris maoieiga, 46 caixas cb. ditas 3 cha-
peos de sol, 2 ditas lencos de seda. 1 embrulho
amostras; i Sauoders Brothers & G.
5 caixas lateada de lioha de dito algodo.
roupa, tecidos elaaticos, luvss e espartilhos, 1
barril presuntos, 4 caixas queijos, 3 ditas biscoi-
toa; D. P. Wiid & C.
1 caixa calcado, 1 pedra marmore; a John
WhitofieU
3 caixa caliellos e outros objectos ; i Mooteiro
Lape & C.
4 caixas reodas o fitss da sada, 2 tolumes
amostras; & Liaden Wild dt G.
10 caixas queijos, 2 ditas objectos de esetipto-
rio. 1 dita, papis; Arabb Tbom & C.
2 caixas caogas, 1 dita luas e golliohaa, 1
dita renda, 1 dita vestidos de cassa, 1 dita
chapeos de sel de seda, 2 dita carnizas, 1 dita
conserva ; Joto Kelter & C.
4 caixas fazead* de algodo, 2 volumes amos-
tras ; Mills Laihaa & C.
1 caixa sedas. 1 dita chapeos de sol de dita, 1
dita diversos objectos, 1 embiulho peridicos ;
Dimmayer a Caroeiro.
3 embrulhos amostras; & Adamsoo Uowie
&C.
Vapor brasileiro Paran, procedeate do Rio
de Janeiro maaifestou o seguate :
45 latas; i Almeida Braodo.
15 caixas chi; 4 Francisco A. M. Jnior.
1 caixa ; 4 Guilherme Carva.ho ^ C.
1 dita; 4 Fercairi Arauio.
9 ditas; 4 E A. Burle & C.
100 baaria ignpra-ae, 90 rollo, fumo; Axeva-
do &Mjnd?s.
1 oaixole; Pioto de Souzs & Bairo.
1 dito; i Jos Leopoldo B.
17 sacos ; 4 Francisco Jos da Costa Araujo.
1 caixio ; 4 Joo Keller & C.
1 dito; 4 Aranaga Hyjo & C.
20 rollos fumo; 4 Aimaida Gomes Alves & C.
5 calas; C & Barbosa.
1 caixoto; 4 Marques Barcos & C.
1 volunte; ao Dr. A. de V. 14. Orumond.
1 oajxoto; 4 Manuel Jos Amorim. ,
1 dita; 4 i. 1, de Amorim.
1 dito; 4 Manoel Goocaleda Silva.
1 dito ; i Jus Pereira Viaona.
1 dito ; ao cooego Joaquim Pinto de Campos.
1 volume ; 4 Antonio Joaquim Panaaco.
boceta de (olha ; 4 Jos Jacome Taaso.
caixotes e 1 volume; 4 Patmeira & Beltro.
volume ; 4 Jos Antonio Ribeiro.
caixote e 1 sacco; 4 viuva Amorim & Filhos.
barrica ; ao Dr. Fortunato Vicente Vianna.
tardo e 1 encapado ; Andrade & Reg,
pacote; a A. C. Welles.
caixote ; I F. Vicente V. #
encapado; 4 Miss Latham.
Exportaba.
Da 1* de novembro.
Polaca hespanhola Prompta, para Genova, car-
regaram :
Baltar dt Oliveire, 800 saceos com 4,000 arro-
ba de aasuear.
Brigoe portuguez Majante, para Loanda, car-
regara m :
Polycarpo Jos Layue; 20 pipas com 2,215 me-
didas de caxaca.
- 27 -
Brigiieportuguez Viajanie, para Loanda, car-
regaram:
Themaz de Aquioo Fonceca 58 harnease 8
saceos com 3i8 arrobas e 27 libras de aasucar, 4 |
volumes com 66,800 charutos, 2i garrafoes conr
144 medidas de agurdente.
Brigue portugoee Julio, para Lisboa, carre-
garam:
Antonio Gaimaras&C. 417 couros com......
12,51* libra
Barca franceza Sphtrt, para o Havre, carre-
garaai :
Tisset-freres 382 couros salgados cora 12,088
Libra.
E. A. Delouche, 1 fardo com 110 libras de pen-
cas de ema.
Antonio Roberto & Filfa*, 2 barricas com 10
arroba de cal.
Da 28.
Brigue portuguez Viaganle, para Losada, car
regou :
Thomaz de Aquiuo Fonseca. 330 arroba de as-
socar,
Brigue americano Ch^Uarioofa, para Bal ti mo-
re, carregaram :
Krabbe Tbom & C, 3,000 *cco con 15,000
arrobas deassucar.
Barca ianceza Sphtrt, para o Havre, carre-
goj :
Tsset freras, 3.087 couros salgados com 123,890
libras.
da 29 de novembro.
Patacho oaciomJ Juio, para Lisboa, carre-
garam :
Marques Barros r C. 100 saceos com 500
arroba de assnear.
Barca' franceza Sphere, para p Havre, carre-
garam :
T.s*t Freres, 2,931 couros salgados con!
83.282 libras.
Reeebvdoria de rendas lotero* ,
srera,es de Prnaubno
SS'"*9:: :; mS
C BecebedrtwdP.erna1buc,o,30de novembro.de
O escrlvo,
Maiwtl Antonio Simes dn Amaral,
Coaulado provlncl
BSfWarV.":::-:
o *jBV,aroo .
em rama ou erla. .
3:019#900
Arroz com casca
dem descascado oa pilad*.
Assucar mascavado .
Idom branco.....
dem refinado. '. .
Azeite de ameadoim
dobim. ....
dem de coco .
dem de ma
Batata a)io
Bolacha ordi
embarque,
dem loa. .

3:083436
S i i i 48 639|126
fENDIMENTO-DA^IlBMl CONSULADO PRO-
VWmi. EM O ME* DE NOVEMBRO DE ^861.
A SABER;
Bireitos de 90 rs. por $ do as-
por caada d'aguar-
^Bl 1*7..
, I-
5:8545805
re. por
aoear expotUdo. .
Dito de 20 rs.
dente, te .."......,........"..... 1:5'
Dode7eio.do,mer. ... .
Dito de 8 por canto do couros
seceps, yerdes e espichados.....
Dito 2'Orj idern do algodSo expbr-
18(10 > I / ** J*^^......
dem idem*o)e S idjem,, dos mais
gneros exportados........
Capatazia de 320 rs. por sacca de
algodo exportarle.......
Dcima dos predios urbanos .
Escravos despachados............
200' rs. por nteia sica de es-
cravos..............
10 por eeato de no vos velhos di-
rekoi dos empregados prorini
ciaes...............
MeioOjp sobre o producto de ca-
_ $mrk-ir'\ir,'f,yf\--
Restituicoes e reposico^g,. .
EmoJat#to& de polica ,...,.
Imposto d 3 e i por canto Sobra
diverso estabelecimentos.....
Matriculas das aulas do curso
commerciaj ...................^
Dito de 2 0(0 sobre os premios
raaiores (Jas loteras............
Dito d*Mf dejado de btlhar......
Juros da decima..........
.Multas pac infracto es .
68368&
355S520
1:2418910
3:B9ai00O
4:3985860

Parlaba,
Bagr*, 1
MidJM.v. Bi8:3i0
-i9MUftrauf|aalaaa9
3VdZ liBaaSa
qwlMtoda. y. |rt
b 531000
a> 120
9*000
19000
ItmnmHmmiUail|ladaatan. j*4ria.*.<
IdeandABaMa. .
. *1404a8
Gwaaataa p*v*|.aitoara*. >. 4%
Fiastara par 2240 Ib. do Pata, a? fe* SU
da^ahbj. ,^, 18
Pixurira, aftrcllftb. boan .
[Isa panJbH^ tibr<|>#.
1S#
Tapioea poMlJfcBi* *aa*k4ji *6tj a 60|
^e port do.jar bmf. V TiTr '
Ote* da eopj
Pimenta da
Salitre da _
Salsa parrill si
Dita dita regolar. .
grMBKt'-'ftb-' #
uroeu. ............>
nala d AAgala e JBng*a-
-rsH'lavanpartaaT^* ..... n fiMPlUfeOO
ito de dita*rdioarva 6W0 8000
n*tade CabV*rda..... 7OQ 105O0
VaqueUw.dosllaraahiA. .. orna \M K00
Dito da Parnambue* ,K. a I58OO 2JW00
"SfWr** ilfAMUt ffirirrteas da oozes,
*aKi3BBri
ffi^oiha.ou ristoiho:' :
dem terrado ...:.. mi
Qaibai .Q~--n' ^ HH<
?' .'*; *
liatteaw:
Carvo vegetal. ...... .
Cera de oiVaMam broto. liba
dem dem er relasr. ?' .. Jr uaT *>
Ghalo*. '. .. t.- ..'!
Coco seceos. ., ^ f y *
Couros de boi salgados.. '. f- libra
dem seceos aspickados.
dem vatrdes ......
Idom de cabrav cortidos un
dem de onca. a>
Doces aeceo......libra
dem emgeleia|oumassa
dem eai'IMda.'
Espanadores grande. .
...... 4i2.
braifleiroa .;*> A40b a 102
< .... 4 lg.-2 a 93
Dioaaaarquezes i'. 382 a 84
. 3-*0 a 50 ti,
Dioaaaarqoexet
Haapaaihes. .
3 r-41 3,4 a 42
3161i2.a 17
6t3r*
101
HJatOO
IbtOO
500
500
> 2#000

dem pequeos
880S354. ^9e'ra3 Par* 'orr* ou *" de
nano'' .....* i< cento
Estoupa nacional .... arroba
Farinha de mandioca. alqneire
dem de arara t a..... arroba
Feijo de qualquer qaaHdade. *
Frechaes........ m
Fumo em olha bom. ... >
dem ordinario ou restolho. >
dem, em rolo boro ,
253580
3*600
85760
II


1239683
48:6399126
1
2
1
1
1
1
1
1
1
11
dem ordinar restolho.
Gomma........
r *
> 1:
> '
arroba .
cento
nachas ...'.. cento I
.....% !
aST. : : : : SU 5
Agurdente -
Couros- -
Mesa do consulado provincial 30 de novembro.
de.1861.
O esor'mtuxario, .
Joaquim de Gusmao Coelho.
11 1 i"
PRAQA DO RECIFE
ao DE NOVEMBRO DE 1861.
A'S 3 HORAS DA TARDE.
Revista Semanal.
Cambios Sobre Londres saccoa-se d
26 a 26 1/4 d. por I9OOO. sobre
Taris de 368 a,370 rs. "por fran-
co, e sobre Lisboa a 110 por
cento de premio, rogulando por
S 70.000 o (aunes efectuados
na semana.
Algodo----------O escoltado desta provincia
ven leu-sea -129600 r> por ar-
roba, e o regalar a 129400 rs.
O de Macei posto a bordo a
129OO0 rs., e o da Parahiba a
12$600 rs. por arroba.
Assucar A entrada fo abundante, pri-
mando as qualidades inferiores.
Veodeu-sede39r00 rs. a 4J000
rs por arroba, somenos a
297OO rs mascavado purgado
de 292OO a 29500 rs., e o bruto
de 1$900 a 19950 rs. por ar-
roba.
Vendeu-se a 60(000 rs. a pipa.
Os seceos salgados venderam-
se a 175 rs. a libra.
Arroz------------O da India veodeu-se s 296OO
r. por arroba. o d* Macauuo
de 3000 a 38200 rs.
Azeite doce O de Lisboa renden-s* a 3$000
rs. o gala, e nao ha do Es-
trello.
Bacalho--------Em atacarlo obteve 109500 rs.
por barrica, e a relalha de
10|500 a 12g000 rs., Bcaodo
em ser 12,500 quinues.
Batatas Veoderam-se de lflOOO a 19500
rs. por arroba.
Bolaxinha Vendeu-se a 49OOO rs. a bir-
riquiolia.
Gaf---------------Vendeu-se de 69000 a 79000 rs.
par arroba.
Cha-------------- Vendeu-se a 294OO rs. por libra
do byssoo. ,
Carvo de pedra-0 escoces vendeu-se a 149000
rs. a tonelada, e o de Cardiff a
16*000 rs.
Carne secca- A do Rio Grande do Sul ven-
deu-se de 29000 rs. a 39700 rs.,
a do Bio da Prata de 2J500 a
2J600 rs., Ocaodo em deposito
56,000 arrobas da primeira, e
8,000 da segunda.
Cerveja- Veodeu-se de 59000 a 6800 rs.
a duzia de garrafas.
Farinba de trigo-Tivemos etta semana douscar-
regamentos de New-York. 1
dsBallimore, e 1 de Uaraelha,
aim de oulros que seguiram
para os porlos do sul. Reta
lhou-se de 16|.a 229 rs. por
barrica dePhiladelohia.a 12J is
a de Baltimore.a 189 de New-
York, a 189 > hespanhola, a 18J
a fraoceaa.e a 2j rs. a de Tri-
este, ticando em ser 24,000 bar-
ricas da primeira, 2,300 da
aeauoda, 2,890 da lerceira,
2,350 da quarla, 3,700 da quin-
ta, e 7,400 da sexta.
Folha de Flandres-Vendeu-se de 20 a 22} rs. a
caiaa.
Geaebra-----------Em botija vendeu-se a 320, rs,.
e em fraiqueiras a 59 rs., a de
HamOurgo.
Manteiga--------A franceja vendeu-se a 560
rs. a libra, e a inglezs a 640 rs.:
flcanlo em ser 3,000 barris.
Oleo da linhaca- Vendeu-se a 19600 r. por
Passa-------------Veodeu-se a 79 a caixa.
Queijos----------- Venderam-se de 2*000 a 29400
rs. oa fia mongos.
Sabo-------------p.de Mediterrneo vendeu-se a
280 rs. por libra.
Taboado O de piaho veodeu-se a 28*000
aatozia.
Xoucinho- Nao, ha da de Santos, e q de
Lisboa veodeu-se a 8*000 rs.
por arroba.
Vinagre O de Pontusal, ve^de^-ae de
1109 1258000 a pipa.
Vinhos.....Ql*l4aj!i**eiideu-ae de 220*
a 260#a pipa, e o de ontros
paizes de 2009000 a 220*000.
Vela .---------t As de compasi^ao venderam-se
a 720 rs. a libra.
O rebate de lauras regulou de
9 a 12 por cento an anao, des-
contando acaixa cerca de 330
cont de.axi de 9 a 12 por
cento.ao aoqo.
Fretes -- Para Liverpool a 50, para o
Seal de 620, a 60. para
diterraneo a 00; e do algo*
,. dio para Liverpool a 7/8.
' :_
Ipecacuanha (raz)
Lenha em achas
Toros.
Lenuas e
Mei ou melaco
Milho........arroba.
Jtkh brasil ...... cantal
10*00*jPedra9 de amolar .... ama
J4* de filtrar..... >
. Idam.rebo|o...... y
5O9OOO) Fiassava......,, molhos
19555 Puntas ou chifres de vaccas e
aovilhos ..... cento
Pranchoes de amarello de
, dousicustadpav.....ama
.Wem loara. ....... *
Sabao.........libra
Digerida
Paasivos.
Hollaad^ :t^M
Mexicana...... 3 fT lt2 a 27 3t4
18ttU
l,^..^.'.;4.jfc^i'9Vw'|,
Babe de Frtr^'(.ceetfr '.BWBia'-ailO
Fundas franoaus. 4 liM t- , TT^ -.-Wr a 68.40
"
>
Ib...
M.
A
A
6@
I
A
Doz.
492OO
Agurdente de viohol Alm. 99KO*^^0q
Aceite doce.....# 4*100 4*20q
Amendoa doce as im|o}oval 39200 3J4QD
Bao ha de poreoT *
aaatoto,.
G*m braetaena grana*. .
ftila dita *a volas ..,,..
Cabalas ........
4^*aMeieto .. ........
Cavada............
Cama de vaeea.......
de porco
Chouricos -....,.
Farinha de trigo.....
Milho. ....
Palos.
Presaatoj .
BtM'l
tortas de passa, 16 de.'
luc
azeiooas, 7 barricas el___
1,* vetme da drogas 56 ve-
ra e diversos.
Aa^a*Brb&6
fs, 100 de bauia*. W barrica de bacalbao. C
oca, 5 de corninho
WUi 10r-r
9 pipas, 18 mefba, ditas, 175 barcto 10 ancora-
::.^',^;LW*5ft'4r.*1W'4*Ji^2L''J;
carnes, 35 barris de toucioho, 20 barris 20 an-
coris! da chourieoa.aOtoaixasd* doce, 4 d* eas-
UBha, 20 de gene toa, M)B eera>, M d -
360 aaa. de an. 8 de (v\kUS, 4toeit 1* tr-eefe-
*> ee, 6 caixatea de azulejos, 4 barr de *
linhaca, 8 pe^aa de cabos da trabe, 253
44M) 420
140 180
400 420
320> 330
12*000
Ouro em barra.
Metaes preciosos.
.P. on?a 77(9
39000
9f"W mvpo>. *
Brasil
Oncas hespanhoton-'l kl fl
b americanas.
Prata em barra .... a
Patacas brasilelras ...
PaweoluiBnvioshe.pau. a
Pesos Jas repiUHeas hesp.
mexicanos .,V j.
Mocdaa de 5 (r. jbU UU *
cruzados ovoi t.^jaw.*. Um.m
Liabo. 90d.d.-52a52tl8
Porto. -S2 3t8
75|6 a 76i0
73[0 a 74(0i
5|U 3(4 a 51OP18,
4|10 a 4|10 7[8
...
*
A Per
4(11 1|8
P
y
Salsa parrilha
Sebo em rama. .
Sola ou vaqueta .
Taboas de amarello
dem diversas .
Tapioca ....
Travs. ....
Unhas de boi ,
Vinagre

Alfandega de
1861.
O
arroba

urna
duzas

arroba
ama
ceat
caada
Peraambuoo 30 da novembro de
pnmeiro conferente. Manoel Eugenio da
Silva.O segunde conierartte, Joo de fretas Bar-
boza.
Approvo. Aiianuegade Prnambuco 30 de no-
vembro de 2861.Barros.
Conforme o 3. escfiptordriot '*-rJoo Jas Pe-
eira de Faria.
BOLETIM.
LiTEUPOOL, 8 DB NOVEMBRO DE 1861.
Importagao.
Livres de direitoj para o vendedor.
Generot. Presos.
Algodo de Peraambucp por lib^
12 3(4 d a 13 d
lid
12 d
12 ll d
12 U2d
113v*d
13 d
12 1|2 d
12 d a 12 li4 d
Nominal
|26i0 a 30[
24[6
2110 a 2t|0
26f6a 30|0
2i(U i2i|6
2110 a 23|0
2616 a 30i0
24(6
2110 a 24i0
1$ ll2
1|0
0,9
0i9
62(0 a 63)0
50fa 54[
62(6 a67[S
53[ a55[
46( a5[
58) a60(
Descoalp- -
Bom.
Mediano.. .
., Ordinario. .
dem da Baha, bom.. .
Mediano .
Ordinario .
dem do Maranhao, fibra longa
Alcntara .
Itapicur .
Casias .
dem do machina bom *. .
Mediano .
Ordinario. .
Assucar porll2do Rio, b. .
Lo uro .
Mascavado .
dem de Pecaaatbueo branco.
Loure: .
Mascavado .
dem da Baha e Macei b. .
Louro. .
Mascavado .
Balsamo de cnpaiba por claro
Torvo. .
Borracha por fina. .
Mediana. .
Ordinaria .
Cabera de Negro
Sernsmby .
dem do Cura, palle.....
SernanaDy. .
Cacao, por 112 libras:
Para.boai ,4
Babia, .....51(0 a 52r6
Caf, pr 112 Rio 1. sorte. 55( a58(
Segunda .
Escolbido .
dem da Bahia primeira sorte.
Segunda
Eseolhid* .
dem do Cear........ 55| a 65(
Castanha por 112 do Para o. 18| a 19[
Cebo por 112 do Rio Graade
Borne doro.. .
Mediano. .
Escuro, i. .
Cera de carnauba,por112 .
Chifres, por 123 % de vacca .
Da boi. .
Cintas da ossos por toaelada:
Branca. .
Prela .
Gliaa por % de ca vallo .
de vacca ...
Cobre velh*. par ib.....
Couros por a do Rio,
Seceos de 30 a 35%.
de 20 a 2* a
de loaros, 35 a 40
Idam do Rio Grande, por %:
Salgados,re 65 a 70.
a de 45 a50
a de vacca 40 a 48%
Ca vallo, ecco >, 10 a 13
t. om.....
Idam salgados, 23 a
30 .....7|6 a 11(0
dem idem, 16 a 20 5(0 a 6(0
dem de Pernambuco, Bahia,
' Maranhao e Pavo por
Saceos sais., 26 a 30 34
espado 16 a 20 -
Curtidos 7 a 9 .
Molhadoe s.lgados, 40
a48tbi...............
Idam da Cear, Parahyba
Macei por .. .
Seecosaalg. 30 a 32 *.
Mothsdosa-.45 a 50
Cojanca, pea libra bw. .
Ordinario .
Ealaaho por ttftlbs. Gomma oa buchu de paisa por %
Garojaba, Ia quilid. 8|7 a.
2*,dua. 2il0*3t
3* ail. 2,0a 2,7
Pasead. Ia qaalidada 3(7 a 3(10
2diU.. .i. -agtMvSW -.
Rio de Janeiro. 60d.T.
Amslerdam. 3 m. d. 12 a 12 lf2
Hamburgo ... 13.9 1{i
Pars. \ -25.65a25.70
i.....3 v. 25.30 a 25.85
N4V10S A' CARGAPARA O BRASIL.
4fcsr\riel 18 de novembro.
WrIsabella Scotl15.
Idem-Tit Bii-25.
Pero.mbuco-Nauttlu.-12.
demSpy13.
demMar la22.
demSarab22.
demPal malta15.
Idem-N. V. A.-20.
[iemElizabeth20.
Numerario.Em U do carren'e o banco baixoa
a taxa do juro pata 3 0I-
169800 Algodo.Com a excepeo de doui ou tres
8$000 dias ni semana passado (quaodo o mercado sen-
100 tio urna pausa, e o prefo baixou 1 d), o furor du-
25$008 raot o mei cootiouou. e hoje o mercado ae acha
5$500 no mesmo estado de firmeza em que eslava antes
2J600 da baixa, e o preco subiodo. As vendas este
1049500 anuo ato hoje mootam em 3.770.950 fardos in-
7O9OO9 cluindo 95,190 do Brasil. As entradas no mes-
392OO mp periodo montara em "2,681,455 saccas, iu-
8*000 cluindo 86,981 saccas dp Brasil, e fieam em ser
320 631,500 saccas de todas as qualidades, tacluindo
9280 8,750 de Pernambuco, ele. ; 13.6000* Bahia, etc.
e 300 saccas do Maranhao,
Assnear.O movimento do mercado desde a
nossa ultima tem sido animado, e as vendas rea-
hsadas importotes e a prados msis subidos. O
total do aasucar do Brasil tendida desde a data
do oosbo ultimo prefo corrate em 8 ao passado
mez al hoje, monta em 489 caixss, 1.250 barris
62,75* sacaos aos pros de 22(9, 23|. 23,6 e
24( aeU) da. Rabia ; 21(7 1|2, 22i6. 23(6 a 2i( pelo
de Macei ; 23( a 24(6 pelo de Cear ; 22( a 22|6
pelo de Parahiba ; 21(6. 23(6. 23(9 a 2I[ pelo oe
feroambuco, e 22( a 22(3 pelo do Rio Grande.
ambam se venderam em viagem 16,335 saceos
200 caixas aoe precos de 21(6 a 24( pelo da Babia;
22) a 23(6 pelo da PernamDuoo. e 33(6 pelo de
Macei.
Borracha.As vendas desde a nossa ultima
monlim em 114 toneladas aos prego 1(2 e 1(6 3|4 por libra pela fies, 1(1 a 1(41(2 pela
mediana, e 9 d a 10 d pela cabeca de negro, e 8 d
pelo sernaaiby.
Cacao.--Veuderam-se 400 saceos da Bahia de
51(9 a 52|.
Caf.A falta de aortimento tesa diminuido as
transaces a l.OO'sacoas do Bw os precos de
50| e 52|, 54|, 58) a 59( por 112 libras.
Couroa__As vendas moutam em 9,521 couros
saleados do Rio da Prata e 4,200 couros salgados
do Rio Grande, de boi, e.de vacca, ao aeguintes
precos. a saber : de Baenoa-Ayres, de bei.
salgado, de 60 libras a 61 libras 7 d por libra, 5
libras tara ; de 83 libras 6 3(4 d por libra. 8 libras
tara ; de 48 libras a 49 3(4 libras de 6 5|8 d a 6
7(8 d por libra, 4 libras tara ; de vacca, de 47
liora*. 6 1(4 por'libra, 4 libras tara. Do Rio
Grande, de boi. da 68 libra a 6 5(8 d por libra
om 5 libras de tara); de vacca, de 48 libras a 5
3(4 d por libra e 4 libras de tara. Tem havido
pouca aoimacao 00 maceado e as vendas efec-
tuadas sea alteracao nos precos.
/
REVISTA COMMERCIAL.
LISBOA, 11 DK NOVEMBRO DE 1861.
Preot crvente dos generot de importacSo do
Bratil.
Algodo de Pernambuco. %
Dito do Maranhao e Para.
Dito de Angola.....a
Dito da India.................-
Assucar de Pernambuco b. @
Dito mascavado 'aa "
Dito do Kio de JaneiraVn.
Dito da Bahia b.....o
Dito dito mascavado .... a
Dito do Para broto B
Dito de Cabo Verde.....
Ditodalodia.................. a
Agurdente de canna do Brasil P
Alpista............A
Arroz da Indis. Gda : Arroz da Maranhao e Farasup.
ev^a>
Sai* 9
&::
Vinho de Lisboa tiulo ...
Dito dito branco......
Vinagra db Lisho Halo .
Dito dita branco.......
*5
Londres 90 d|d
Kria^DaTid. .
Genova 3 m|d. .
Hamburgo 3 mid.
Aav'torcUto 3 mal. .,/*
dWi B dlv. YT. .V/tJ
PortoSdiv.......- 9*f-
PeW de 8*000. *'!*"'
Oujai hespanbelas .
Ditas mexicanas. .
Agoias de o oro dosE*ta-
doi-Unidot '-v ,
Soberanos (a prata). .
Ouro ceras d* (a o aro) .
Falseas hespanholaa .
Ditas brasatoiraa .
Ditas masieaaas
Cinco francos .
Prata portugueza (ma
3 por canto de asientamenio
Coupons ......
Divida diSerida .
Banca de Porlugal. .
Dito coiomercial do Parto
Dito He rea til do dito... .
e, 4 eaixatee de azulejos, 4 barris de oto da
. I de cabos d trabe. 25Sp*9raa>
na cantarla, 7 caixote* cooa dlu*, 240 o*4xas ata
figo 50 barrio* de f.riaba, 20 da baealbio. 15
canas de batatas, 115 calas urna pefCfe da
cebollas. 12 borneas de ara, SO aaisaa, 4feft a
390/4 de passaa, 113 volante* de drogis, erva*
medicina** tintas, e 59 volumes diversos.
50*000
>M od
oh jwtttiftifc
Outubro 15 Gui
c 23 Boa
2f Tjoe,
o, vapqr, Wpolcoil, Brail.
is Ventura, Silva. Para.
Flix Ventar. SIvjl Para.
Novembro 3 Emilia, Silva. Pernambuco.

< 6 Santo Ciara, Store,Parnamboca.
1, Ferrein

-
89020 89040
159)00
14*^)0
Outubro 12 TSmega, Ferreir Para.
< 15 M.gdal.na, vapor, Woolvatd..Vaail-
A, 19 Fes Uuiao, 6oac*Wes Maranbb*.
EMBARCAC1* A' CARO*. ^^
Pernambaco.Brigoe* Consunto cBaU* Tt-
gueirense.
Maradbio.Patacho BaV Fe.
Para.Brigues Ligeiro a' Feliz Ventura.
14|900
14*100
1852.50
49*4H>
1*980.
930
930
18*400
9500
29010
950
950
Ua
876
7*950

950
885
8*020
\f% a 48
47 i/2 a 47 3/4
41 3/4 a 411/2
. 5879000 a 580*000
258*900 2609000
2589000 a 2608000
52i a 52(6 ,
50ia51(6
42[ a 45(
70[
15ia 20[
10t a 12c
i 4 17(6 a 5 O
3 10| a % 4 5|
7 d a 2(6
84 a 1(0
10 d
9 d a 11 d
9 d a 10 4
7 d a 9d
61[4d a 6 5(8 d
6d a 61|2d
5 3(4 d a 6 1(4 d
6(0 a 7(0
61i2da7d
8d a 8 1(2 rj
9 d
4daSd
7da7 5t8d
4d5d
*.
?rio.
Nto ntradt k| i.-
Wilminglon65 dias, brigue americano Martakt
Nty, de 249 toaelaas. espitan L. C. Uarliog.
equipagem7. carga 2,310 barricas com farinha
de trigo; a ordetu. Velo refrescar e segua para
o Rio Grande do Sal.
iVamet tahidos nometmo di*.
Porto do sulvapor nacional Tocanlins, com-
mandante o primeiro lente Pedro Hypotita
Duarte,
Partos do norteVap*r nacioaai Paran, eom-
rn.nd.ate Jo.^ui,>de ,Faj^ G.ede* Alca-
Mu-
te**.
BebiaPaiacbn sueco
nof, carga parte da "q
r*vTf
Dito dito b rn
Dito dito ordinario. .
Dito dito miudo......
Caf do Rio primeira sorte .
Dito dito segunda dita. .
Dito dito terceira dita ...
Dito de boa escolha. .
Dito de Cabo Verde ....
Mito de S. T. e Principe. .
Dito de Angola.......
Cacao do Pr......
Dito da Bahi.........
Dito de San Thom.....d
Cairo da India.................
Cera amarella de Angola <3
Dta dita de Bengaela.....
Cravo do Maranhao......
Craro de Girofe......
Chifres......
Coaros seeeps do Rio ....
Coaros verdes do Par. .
Ditos espichados das Minas .
Ditos ditos da Bahia i .
Ditos ditos de Angola ....
Ditos salgados do Maranhao .
Ditos ditos de Pernambuco .
Ditos ditos ds Bahia.....
Ditos ditoi de Angola ....
Ditos ditos de Cabo Verde .
Ditos ditos d*s Ilhas ....
utos dos moneas......
170
170
150
080
1*700
I54OO
I92OO
13)600
1*100
15500
29050
13>800
50*000
550
3*600
69OOO
59600
59200
38800
38800
39350
39000
2920O
4S800
4*200
3*800
39*00
3*000
3S100
180
.180
155
100
2*500
1S600
19450
I9OOO
I94OO
1*600
2*150
2*000
650
39800
69300
5*800
5*400
4*000
3*950
39600
3*200
28*00
5*000
4$400
49OOO
49000
39300
3*350
REVISTA COMMERCIAL
De 12 de outubro Hdeiovembro de 1861.
f\0 decurso desta revista as traosaeces forara
regulares, e com mais slguma aoimacao do que
no eoteriyr.mz. como ero seguida e designada-
mente a cada m dos differeutes gneros laxe-
mos as de vid as obsarvaces.
No mercado de fundos bao houve movimento
Igum saliente, e pode-se com affouteza alar-
mar que ae couservou estacionarlo.
Assucar.Os su aprmenlos Ohegados durante
o periodo desta revista forana de 65 caixas, 497
barricas e 314 saceos do Rio de Janeiro ; 83 cai-
xas e 380 barricas 14 saceos da Babia ; 448$
saceos da Pernambuco ; 286 barricas do Para e
77 do Maranhao ; 1064 saceos de Gda ; 22900 voa
lumes de Londres ; e 648 barricas de Demorare.
Este genero continuoa anda por dez dias na
rnesma posicao em que o mencionamos na nossa
anterior revista. Inesperadamente e deudo tai-
vez aos baixos precos, realisaram-se por urna
casa Inglesa, compras atullada para Liverpool;
Esta transaeco influio logo no nosso mercado,
e os precos melhoraram, e neste lisongeiro es-
tado se cooservou atoa* fim do mez, mas nesta
ultima^aemaaa houa,mais froaxidao, devidoiem
duvida as noticias que nos troaxe o paquete in-
gles da peor posgo este gestean, e a eslarem
O* compradores bem suppridos com as ultimas
compres effeetaadas.
A existencia desle genero calcula-se hoje em
Caixas Feixos Gigs Barrica* Saceos.
1234 1093 903 8896 40183
Algodo.Todo o que se tem vendido alcaa-
cou os precos colado, ma* es IrsoMccea sao
muio liiuiad.s, j porque o deposito escaaso,
e j porque os possuidores teem pretences a
que se i.ao sujeitam as compradores; e por isso
as fabricas sao geralmente suppridas com o al-
godo dos Estados-Uoidos, importado de coola
propria.
A entrada forana de 310 fardos da Liverpool.
Agurdente do Brasil.Insignificantes traa-
saccoes se tem realisado, e por isso os precos po-
dem repular-se como nominaes. Ueste genero
nio tivemos supprimento algum.
Azeile.Traoaaccdea regulares, tendo cessado
a-tmporteeo de itespanha.
Arroz.Veodas limitadas ao consumo. As en-
tradas foram de 3501 alqueires do Para; 990
saceos de Coa e lOOdaLivecpooL
AlpistaEulraram de Gibraltar 84 barricas.
Este genero est em apathia.
Caf.Desde a nossa ultima revisto ossuppri-
meaios chegados foram de 750 aaccos do Rio de
Janeiro, e903 ai S. Thom.
Para o do Brasil pouco melhoraram os pregas,
efectuando-se comludo algomas traiisaccoes pa-
ra reexportar, sapado parle das mesmas de dille-
rentes partidas qne se acbaram em qu.reotena
com deslino ao Porto, e que loram aqui ven-
didos.
O das possesses conserrou-sa na meama si-
tuarlo, e a excepc&o de ama nica venda de
maior vulto, as mus lianlaraai lo somenle aa
necessidades do consumo.
Cera.Em apathia. Entraram de Loaola 71
gamellas; de Benguella 8S1; e de Mossame-
des 32.
Caca*.As exportarles a que nos referimos
na 'jossa ultima revista continuaram a ser man-
tidas pelos possuidores, e por esse molUo effec-
tuaram -se at ao lim do mez passadv alguns
embarques de coota propria. ltimamente po-
rm algua especuladores cedendo s exigencias
dapossuidores nzeram algumaa compras para
reexportar, e entre etlaa 854 saceos de S. Thom
pela escuna Mondtgo. Os su p primen tos foram
apenas de 15 saceos de S. Thom pelo D. Anto-
nia,
Couros.EITectuaram-se os salgados da Mara-
nhao, ficando empaladas todas as mais qualida-
des das differentes procedencias.
E* pesaima a sitaaco desle genero, taato as-
sim que ums partida posta em leilo leve de ser
retirada pelos inferiores precoa que se offore-
ciam.
A entrada foi de 2362 d. Bahia; 1941 de Per-
namburo ; 3347 do Para; 5269 do Maranhao:
a. aa
e
S
a
I
TTrT
ffora. /i,a

Athmwa/iire

Dirteeo.
2
3
I f 2 [^HttmH
en
o
2 2*1 Farktnhtit.
C6
OS
1

?o
O
VI
asrav
Cd
C3
(0-"f
rado.
H
a a 3 S S I Bygromttro.
I Citttrna hydre-
mttriea.
$ u n $
(O
'8
3
2 s
00

s
g
s
Ingltx.

o o
o o*
a
w
o
&'
7*000 16*000
, 305 310
> 090 190
M. 25*000 8CS00O
A
m

D

a
nhos
Denles de marfim le...
Ditos ditos meio.....
Dito dilus escraveiha .
Brva.doce.......
Farinha de pao ...
Gomma copal ernereU
* airas*. .
IMabvanea .
Dito ordinaria .
.Dita d Brasil .........
Linho da Indi..............
Masasai ../..,....
708 de Benguella ; 40 de Loanda ; 714 de Mossa-
Entraram de
medes; e 23 de Cabo Verde.
Gomii copal.Pouca vendas.
Benguella 1089 saceos.
Gomma do Brasil.Precos nominaes. Os sup-
primentos foram de 975 volumes do Maranhao e
4 barricas e 87 saceos de Pernambuco.
Melaco.A maior pacto das vendas repisadas
foram ao mnimo de nossa eataaoes.
Aeotrada foi de 303 barris-de Pernambuco, 38
cascas de Antigs, 8teacos e 73 barris de De-
morara, e35 cascos e 249 barris de New-Yerk.
Marfim.--Desprezado. As entrada foram de
1737 pontos de Benguella. e 5 de Ambris.
Salsa.--Algans embarques para Genova pela
maior parte de coala propria. Entraram 629 ro-
los do Pari.
Sal a iraoaaccSes sao regulares pata-em-
barques.
Uraella.--Continuo* a aoimacao qaa Batamos
em nossa ultima revista, a oa preces Uveram a
alta que aotamoi em noMaacalaoea*. Aa aira-
das quehouveram foram de 1344 sacco de Ben-
guella e 100 da Madeira.
Vmho.--Os ptecos sao nominaes. O vinho no-
vo aindasa* vei ao melgado, e por laso nio ae
pode colas- e*tegeaeraaba)egigranca.
am**cev-Gisti bwaa partogaeza com
e 171 barrls.de vinho, 29 pipas efi
se 93 barriada vinagre, 16* barti de
barris ^ ana eaa.cada, dMt **mf a
" tt barrisjbHjai
aneerotaa An piios, uta
houricO. 15 .cc obferj:
doce.
A noite nublada, vento NE variavel de inteasi-
dade e asaim amaobeceu.
OSCILAftO DA MUR.
Preamar as 2 h. 18' da tarde, altura 6,2 p.
Baixs-mar as 8 h. 6' da manfaaa, altura 1, p.
Observatorio do arsenal de marinha, 30 de no-
vembro de 1861.

ROMANO STBPPtK.
1* terrele.
Eaitaes.
de frelio, 10 de coarmfoe, 10 de erva .
deaaaraaa, 120 barrica*77 masas ditoaall bas-i lade desta pr.ee Jo*t Peralra da Silva
Da ordem do illm. Sr. Dr. procurador fis-
cal da thesoureria provincial, avisam-se aoade-
vedorea de dcimas e outros iroposlos, que .a re
I.qos respectivaa se aefeam em juizo, e aos mes
mos se concede o prazo de 30 da, contados da
hoje, para solicitaren) as competentes guias do
escriplorio da roa do I da m.nhaa is 3 da tolda. Recito- 28 da-aaveat-
bro de 1861.O solicitador da fszenda provincial
Joo Firmino Coneia de Araujo.
Em virtude do oflicio do Exm. Sr. presiden^
te da provincia, datado de 25 do correte, estaio
pela segunda vez em pregio, peraote a cmara
muuicipal desta cidade, os aeguintes imposto* quo
fazem parte das rendas do patrimonio da mesoaa
cmara, nos dias 5, 12 e 19 do mez de dezembrn
prximo futuro : o dizimo de capim de plaoto.
avallado por 60* ananaes, e o* imposto de gado
ovelhum e cargas de farinha e legames, com o>
abato legal como determina o Exm. Sr. do refe-
rido otflcio.
Paco da cmara municipal da cidade de Oliada
29 de novembro de 1861.O secretario.
Cantillo da Silveira Borges Trvora Indgena..
mmmmmmmmmmm-mw aaBI.BMMa
_____eciarayfes._____
Consulado de Pwrtugal.
Jos Henriqaes Ferreir, cnsul da naci por-
tugueza nesta provincia, cooviaa a todos os sub-
ditos da mesm necSo S quem o coobeciment
desle chegar a reunir se 1 nos s.loe do G.btoeta
Portuguez de Leilura 00 di. 2 dedezembro pr-
ximo, pelas 7 horas di larde, para ae tratar da
assu mpto que diz reapeiio a todoa os portu-
gueses.
Tribunal do eommereie.
De ordem do tribunal dd'commercio da provin-
cia de Pernambuco ae faz publico para eonheci-
menlo do commercio a de quem mais interessar
possa, a tabella abaito transcripta, orgauisada
em sessao de 16 de julho de 1855, de confoimi
dada com o art. 6. 5. do decreto n. 159 do
1.* de maio do mesmo anno.
Tabella.
1. Aos curadores fiscaes das fallencas a com-
misso de 1 a 3 0|0 das sommas que arrecada-
rem, em consideraco a entidade do valor da
masaa.
2." Ao depositariosvl|2 0|0 de commissSo das
sommas que se houverem depositado.
3.* Aos admlnistruoores de 1 a 9 0[0 de com
missio de cobr.ac.s de crdito, vendas de mer-
c.doria e adjudicado* de lodo a quaesquer
Dea.
Seeretarto do tribunal do commercio de Par-
nambeco, 29 de novembro de 1881. O ofcial
maior, Julio Guimares.
Consulado provindul de Pernambuco.
Pela mea do contutodo provincial te fas pa-
bliao aos proprielarip dos predio urbanos da*
freguziaaaesta cidade vd't dos Afbgados que oa
trate dias uiels para oobr.ao. a beece do cofre.
do Io semestre d dcima alo anno flnanceirocor-
reote 1861 a 1862, se principia aja cootar do dia
3 de dezembro-indearor, e qneiitnbem no mes-
mo di. principia acobranca do primeiro semes-
tre do imposto de 5 % Sobre as rendas dos bens
de r.ix pertancentes a corporales de mi mora.
Mesa d consulado provincial 23 d novembro
de 1861.IbandereaVbcbado' lastre Pereira da
fr^s>RRadC9Mawrd9 tR toallt.
Pbn saerei.na d tnbuaal da aamasarcb aa
fas p.bllco, qaa tendo o oommareiaote aaricu-
OWatba


<#>
*si0n*fiifiAiM<
d&*mi.
Sil te com 01 mu cradorai, e awia>,
daacaea da moratoria que obt> -
verseo 13 da, daiem tOp. foi pel ;f
mo tribunal em sesso da hontem cona^^^io
marida commercial, e Mm m.aB ,jgtBl;
lit
in
30
ot9 i^&* "BJ'B'*#r,Ji* 4 hia
i^raMrlo,
*>ii 0e.vn&r*.
casa
da do Recife.
m
Rio de Jaaro
>tr>
preten Je seguir ceas murta erevtdsde brigue
escuna^Jovea Atther,4eiT> parte-? seu earrega-
tnenio prompte : -pira e 'Mato m Ibe f Htev, *ra-
lAil
Antonio RedWfiee ProWerro como testameoteiro
e iuvealerianie de D. Evit Thereza de Jesui,
por desasas* ia Illa.Sf. Dr. juta muoicipel d
segunde vara,tari UilBo ba casa terrea iu oa
ra No?a, de SoI**R*Hb. 36, oa 10 palmos da
frente' 141 ditoa de"fua*e e mais um grande
. tefteaoidi laudo- cies paHeateate omana,
' orelre d terreno da -mariaba* o Me Ma* leva
logar quiota*feira 5 da cor reate, ai 11 boras da
matate aa OHVm. Sr, theMureiraesmoter ioterine da San
la casa de Hiee(iceraie.do ftecife. ra ala faaer pu-
blico qiM no 4ia 10 do prximo futuro mez de
deiembr pelea 10 boras da manhaa, ua caa os
expostos, paga-ses respectivas amas que forem
acoaavanhadoa ajascreancasasmensalidadei veo-
cidaa aiaSO de eetembro ultimo.
Secretaria da Santa Gasa de Misericordia dd
Recite, 27 de o**embro de 1861.
e F. A. Cavalcanti Coasietro,
.oaVaV Beerivao. ,n
.
CompaRhia do
Beber!
-,
O Cixa desta companhia com
mendador Maooel Goncalres da Silva,
acha-se autorisado a pagar o 27- divi-
dendo na razo de 3#200 r. por accao,
hjO mesmo Sr. caixa adverte aos Srs.
accionistas, que parte te acha em cobre
que tem recebido dos arrematantes.
Escriptorio da Companhia do Bebe-
ribe 25 d norembro de 1861.
O secretario interino,
: Justino Pereira de Faria.
Qifo.
U-seom o seu consignatario "Atevedo dt Mea-
das, no sari eseriptorio roa da Cre b. 1.
o Rio de Ja-

0 brigue nacional Almirante pretende seguir
eom raaita breridade, le parte do seo carreg*-
meoto prompto, para o resto que Irte falta pasea-
geiros e escraos a frote,-para o que tem asocia-
dos commodos, trata-ae eom os seus consignata-
rios Azevedo & Mendos do seo escriptorio tus da
Cruz n. 1. .....

1
. ..
....


ttjjni
Companhia dramtica sob a direccao do
artista Germano.
Segunda-ffcira 2 de dezembro.
DU DE GRANDE GUA.
Eeliz anniversario natalicio de S. N. o
Sr.D. Pedro II.
Logo qae o Eim. Sr. presidente da provincia
cbegar i tribuna, a orchestra executar urna bre-
ve inlroducao, dopoia da qual abrir-ae-ha a sce-
na a perante a efigie de Sua Magestade Imperial
a companhia dramtica cantar o
Hymno Nacional,
Seguir-se-ha a repreienlaco do excellente
drama em tres actos
GABRIN4
O
i COROA DOC&L DE PABHA.
DENOMINADO DOS ACTOS.
1.'O iiascimento um por outro.
_2.*O encontr a maldicao.
3.'0 recpohecimento a elevacao.
PERSONAGENS.
Ramuzio, terceiro duque de
Parma........Leite.
Francisco, cundestavel Nunes.
Conrado, soldado.....Germano.
O principe Eduardo D. Carmela.
Mrquez da Torre.....Ray mundo.
Stenio, oficial......Teixeira.
0 juiz supremo......Valle.
Um oficial.......Vicente.
Mathilde, regente D. Isabel.
Gabrina........D. Manoela.
Fidalgos, officiaes, soldados, etc.
A scena passa-se no ducado de Parma.
Os bilhetes acham-se venda oo escriptorio
do theatro.
Comecvr s 8 horas.
Aysos martimo.
legue em poucos diaso brigue nacional aCrnzei-
ro do Sulo, de primelra classe e bom veleiro, por
ter parte de seu carregamento prompto ; recebe
passageiros a (rete, para os quaes tem commo-
dos, assim como para escravo's : a tratar com'
leus consigoatarioa Anrunes Guimares 4 C, no
Forte do Mallos ni. 15e-17.
Maranho e Para.
Segu com breridade o hiate Lindo Paque-
te por ter grande parte de aeu carregamento
contratado ; para o resto- trsta-se com os con-
signatarios Almeida Gomes, Aires & C, ra da
Crurn.27.
Para Lisboa
O patacho braaileiro aJulio pretende seguir
pata Lisboa uestes oito diss, tem parte de Seu
earrega minio prompto :. para o resto que lhe
falla, trata-se com os seus consignatarios Axe-
vedo & Mandes, no seu escriptorio roa da Cruz
numero 1. ....
Maranho.
Segu .em poucos dias, o. palhabole nacional
Santo Amaro, capitao Manoel de Silva Santos,
para alguma carga que anda pode receber trata-
se com o seu consignatario F. L. de O. Aievedo,
ras da Madre de Daos n. 12.
Qujirta^ira A d <5orreue
PELO AGENTE
No referid Api pelas 10. horas, da mensas a
agente Pestaa far leilo oo armazem da ras
do Vigario n, 11
DE .
Movis, loucas, cryataes, quadros e ama divor-
sidadede objecios que le venderao por muito
barato preco. .
101 r
Terea fetra i O de dezembro prximos
andarao impreterivelmebt as roo*'
da quinta parte da nona lotera da ma,
triz da Boa-Vista desta cidade no concis-
torio da ^igrejct 9^. S. do Rosario de
S. Antonio, pelas oito horas da ma-
nhaa. Os bilhetes emeiosacham se desde
ja' a venda lmente atesegunda-feira 9.
Os premios serio pagos como de eos-
titee.
. O thesourero,
A. J. Rodrigues de Souza.

obr.pf.-

DE
Joias e mais algum objectos pertencen-
tes a masa fallida de Siqueira & Pa-
' reir, feito pelo agente Antunes em
seu armazem ra do.Imperador nu-
mero 73.
Quarta-feira A do correntp as
11 hars.
% >
GOOAIIHU PERNAIBUCVA
n
Navegac costeira a vapor
O vapor Persinunga, commandante Moura,
sahir paraos portos dosul de sua escala nodia
5 de dezembro as 5 horas da tarde. Recebe
carga at o dia 4 ao meio dia. Passageiros e
dinheiro a frete at o dia da sahiJa as 3 horas
escriptorio no Forte do Mallos n. 1.
Para as coodiccoes, fretes e passagens trata-se
na agencia.
COIFANHIA PERNAMBICAIVA
Navegacao costeiraa vapor
Parahiba, RiasGrande do Norte, Ma-
cau do Assu', Aracsty, Ceara',
e Acaracu'.
O vapor tJaguaribe, commandante Lobato,
sahir para os portos do norte de sua escala at
o Acaracu no dia 9 de'dezembro as 5 horas da
larde.
Recebe carga at o dia 7 ao meio dia. Eocom-
mendas, passageiros e diuheiro a frete at o dia
da sabida as 2 horas : escriptorio no Forte do
Mattos n. 1.
Baha.
Para a Babia segu em pOucos dias a escuna
nacional Carlota, capillo Luciano Aires da Con-
ceicao, para alguma carga que aiodo recebe tra-
ta-se com o seu consignatario Francisco L. da O.
Aievedo, ra da Madre de Daos n. 12.
Para
em direitura.
Segu para o indicado porto o bem conhecido
brigue escuna Graciosa, capitao Jlo Jos de
Souza, por ter parle de seu carregamento adian-
tado; para o reito trata-so com os consignatarios
Almeida Gomes, Aires & C-, roa da Cruz n. 27.
Rio Grande do Su I
PELO
Rio de Janeiro
segu brevemente o brgae nacional Adelaide,
de superior marcha, por ter algoma carga ji en-
gajada : quem no meamo quizer carregar ou ir
de passagem, dirija-se a Bailar & Oiiveira, ma
da Gadeia do Recife n. 12, ou com o capitao na
pra?a.
Porto.
Segu brevemente a mui veleira barca portu-
guesa Sympathiaa por ter sua carga prompta a
embarcar : quem na mesma quizer carregar ou
ir de passagem, dirija-se a Bailar & Oliveira, na
ra da Cadeia n. 12.
_______Lfliles.
LILAO
DA
Loja de fazendas da ra
da Cadeia n* 24.
Quarta-feira A de dezembro
as 11 horas em ponto.
Costa Carvalhow>r mandado do Hito, e Kzm.
Sr. Dr. juiz de orphaos far leilo no dia e hora
cima mencionado da armacao e fazendas exis-
tentes na lujada iuva Silva Anlunes & Filbos.
LEiJ
O agente Pestaa far leilo porordem do ca-
pillo do brigue oriental Alfredo*, naufragado
no arrecife das Candelas.do casco e carregamento
do referido navio, coosistiado em 129 toneladas
de ossos e 23 ditas de crnia, ludo em um s lo-
te e no estado em que se achar. Aisim comoem
diversos lotes, do apparelho do referido navio e
mais salvados que se schsm depositados no ar-
mazem alfsndegado do baro do Livramento, no
caes do Apollo, onde podem ser previamente
examinados:
Terca-feira 3 de dezembro
pelas 10 boras da manhaa do referido armazem
em prtseDca do Illm. Sr. cnsul do estado Orien-
tal.
LEILO


Urna
LELAO'
para
canoa noYa
familia.
Quarta feira 4 de dezembro as 11 horas
O agente Gimaraes far leilo em seu arma-
zem na ra do Imperador o. 37 no dia cima, de
urna canoa que n.-commodi 16 a 20 pessoas, sa-
bida ha pouco d*> fabrico,toda pregada e eocayi-
lbada de cobre, forrada de zinco, sendo construi-
da com as madeirss amarllo' e sicupira, com
tolda para abrigo de passagelroi etc.': para exame
da mesma, os prelaodentes deerao fallar ao Sr.
Jos Carvalho da Fonceca, com estaleiro na ui
da Concordia confronte ao sobrado n. 34 oe
outr'ora foi o armazem do sol, e para informa-
cosa com o referido agente.
avisos diyersos.
Grande laboratorio de la-
vagem
Podem mandar buscar a rouoa lavada, os ns.
158,3. 128.88. 35, 210, 217, 243, 129. 271,163.
225. 144, 251, 254, 125. 2*8, 278. 132, 171, 203,
242,249,265,279.
Engommada.
Ns. 46. 218. 275.
Nedia 4 de dozembro correte te ho de
arrematar por venda um terreno e o dominio di-
recto de dous solos na prepriedade Passo do Gi-
qui, por execuco de Minoel Joaquim Biptista
contra Jos Floreocio de Oliveira e Silva, com
bypolheca na mesmi propriedsde, cuja praca le-
ra lugar as 2 horas da larde, oa sala das audien-
juizo municipal da 2.* vara,
Por ser feriado o dia 2 de dezembro,
a audiencia do juizo especial do com-
to tora' lugar no dia 3, na terca-
. Por ordemO escrivao Manoel
.^arU Rodrigues do Nascimento.
CONSULTORIO ESPECIALHOIEOPATHICO
DO BOUTOa
* SABINO O.L. PINHO.
Ra de Santo Amaro (Mundo
* Novo), n. 6.
Consultas todos oa dias atis deida aa 10 boras
at meio dia, acerca das seguiutes molestias :
moltstiat dat muikerti, moUttias das erian-
0M, molulias da pellt, moltttias dos alhot, mo-
ltstiat syphiliticat, todas as espiis, ds febrts,
fsbrss intermilttntes e$uai conttqutnciat,
PHAMUCU RSriCJAL H0MKOP ATHICA .
Verdadeiroa medicamen toa homeopatbicos pre-
parados som todas as cautela s necessariaa. in-
falliveis em seus effeites, tanto em tintura,como
em glbulos, pelos presos mais commodos pos-
stvais.
N. B. Oa medicamentos do Dr. Salino sao
ateamente vendidos em sua pharmacia j todos
qua o forana fra dalla sao falsaa.
Todas as carteiras sao acompanhadas da um
tmpresso com um emblema em relev, tendo ao
redor as saguintes palavraa : Dr. Sabino O. L.
Pinho, medico braaileiro. Este emblema posto
igualmente na lista dos medicamentos qua se pa-
la. As carteiras qua nao levarem esse impresso
isaim marcado,emboratenbam nitampa o no-
na do Dr. Sabino lo falioa
Gabinete medico cirurgico,J
a) Ra das Flores n. 37. X
aa Serio dadasconsaltas rnedicas-cirurgi- #
cas pelo Dr. Estevo Cevalcaotl de Albo- 0
9 querque da s 6 aa 10 herssds manhls, ae- #
fk cudindo aos chamados com s maior bre- aa
sj vidade possivel. %
aj r Partos. sj
0 2.' Molesliaade pelle. %
aa 3.* dem do olhos. %
% 4.* dem dos orgios genitaes. l
aja Praticartoda equalquer operacao em %
aa seu gabinete ou em casa e>os doentescon- aja
aa forme Ibes fr mais conveniente. aa
cas, depois da do
escri?o Santos.
Sabe com toda a presteza o veleiro brigue por-
tuguez Mercurio per ter a maior parte do car-
regiment prompto ; para o resto e passageiros,
trata-ae com o consignatario T. de Aqnino Fon-
seca Jnior, na traveasa da Madre de Dos d. 7,
primeiro andar, ou com o capitao na praca.
Para o Rio de Janeiro sahir' bre-
vemente o brigue nacional Maria Isabel,
de primeira classe, recebe carga e frete
e escravos; trata-se com Domingos Fer-
reir Maia, ra do Apollo n. 8.
Arcaty e Ass.
Segu oeites diss o hiate Exbalacoa; para
carga e passageiros, a tratar com Gurgel Irnios,
aa ra da^ideia do Becife n. 28.1* andar.
Rio de Janeiro.
Para o Rio da Janeiro sahe com brandada o
bngee nacional queira, j tasa parU da seu
arregaaeato prompto, para rettaote scra-
os a inte, trau-ie eom o capillo do raesrao.ou
cosa David Ferrair Bailar na raa do fram"!*.
particular de rhetorica.
O acadmico Manoel da Costa Honorato tem
aberto as aulas de eloquencia e potica nacional
para habilitacao dos estudantes qee qoizrara
prestar exame de ditas materias no futuro metue
marco, na ra Direita n. 88. primeiro andar. '
Fugiodo engenho Mussumb, comarca de
Golanoa, no dia 21 do mez de oulubro do correo-
te anno,-o escraro los, e conbecido por Jos
Mato, de idade 38 annos, pouco mais ou menos,
crioulo, tem pouca barba, muito ladino, cara
grande e carrancuda, de estatura regular, cheio
do eorpo, levou roupa de algodo da Babia :
quem o prender levar ao dito engenbo, ou ao
escriptorio dos Srs. Leal & Irmo, e ser bem
recompensado do seu trabalho.
Eseravo fgido.
Estevo, crioulo, de estatura biia, corpo re-
gular, acha-se com a cabeca raspada a nava loa
por ter sabido da casa de uelencao, no dia 28 do
correte mez de novembro, cor fula musculosa,
cara um pouco redonda, peacoco curto e grosso,
por fgido estove na casa de detenco trea mezes,
e toroou a fugir na meama occasiio em que sahia
da dita casa, correado da ponte da Boa-Vista em
direccao ra lo Caoo e paleo do Caroso, desap-
pareceu viodo acompanhado com seu aeobor mo-
co : quem o pegar, pode o entregar ao Sr. Luiz
Amonio Annes Jacome, no aeu armazem defroo-
te da porta da alfodega, ou no sobrado dos Coe
Ihos junto ao hospital, ou na padarii da roa do
Socego, no Campo-Verde n. 30, da freguezia da
Boa-Vista, que ser recompensado.
Arsmga, Hijo 4 C sacara sobre
o Rio de Jtfeiro.
gmmtMtmisK
'ennoiypo
Este novo processo da pintura appl^
1 cedo pholographia excede a ludo o aja
Um-ie viste at agora em pereicio e
apurada detalhes e delicadeza das tintas
tnaamo nai miniaturas sobre mattn.
Parece um esmalte I
Pode-se grintir-lbs palo menas a
i daraco da pintura a oleo, visto ser im-
perraeavel nao 16 ao contacto da stmos-
phera, como tambera humidade de tal
modo que nao te Silera fleando qnalquer
espaco de lempo debaixo d'agna.
Oulra graoda vtntagem deste estylo
de retratoa e qu a pintura nunca pode 4
mudar os traeos da photographia de modo H
que a semlban^a perfeita nao depende MC
maia do pincel: V
Os annbdctantes tendo dquirido do '
inventor o segredo desta pttciosa inno- %fc
vaco (da qual ae poder examioar al- g
gum espcimen na exposico industrial J|
aberta eates dias no palacio do governo),
apressem-se em pdr essas vantagens a
disposicao dos seus amigos e Ir?guezes
lim de que possam aioda approveitar do
curto eapoco de lempo que elles tem de
demorar-ae oesta pra;a, sendo Ciado
impreterivelmeate para o dia 31 de de- 1
zembro prximo futuro o encerramenlo I
doa seus negocios.
STAHL & C.
[Ph'otographos de S- M. o Imperador]
14RA. DA LMPERATR1Zli 1
-* Aluga-se o terceiro andar d caa
n. 3T, sita mI na da Amorim : a tratar
na ma da Cadeia n. 62.
. -- Minoel Alves Guerra laca sobra 0 Rio da
Janeiro.
Gabinete Forluguez
MtM
Precisa-ie de urna ama que saiba cozinhar e
engommar, preferindo-se escrava ; oo pateo da
ribeira o. 5f
0 Sr. Josa da Silva Ferreira tem urna carta
vinda do Porto, no escriptorio de Bailar & Oli-
veira, ra da Cadeia o. 12.
O abaixo assigoado tendo lido costas com
Manoel Alves FerrdsjV desde junho de 1857 ao
ultimo de novembro desle auno, acaba de aa sal-
dar com o mesmo Ferreira por se dizer elle ha-
bilitado para proceder a liquidacio da sua casa :
aasim, pois, o abaixo assigoado desde j declina
de si toda a respoosabilidade que deste pagamen-
to poasa proTir para a firma aocial Manoel Alves
Ferreira & Lima. Recife 30 de uovembro de 1861
Paulino Pires Falco.
do
seu
corrente.
armazem roa do
Quarta-feira A
Aotunea far leilo em
Imperador n. 73, dos predios qoV pertenceram a
Jos Luiz Pereira Jnior, os quaes sao os se-
guinies :
A 3* parte do sobrado de S andares n. 19 silo
na rus do Vigsrio.
A 3* parte do sobrado de um andar solas o...
alto na ra do Livramento.
* Ac!*V?,re' M ra d a Aguas-Ver-
des. As 11 borss em ponto.
LELAO
Qninta-feirs) 5 do corrente.
O afenta Costa Can albo a requerimeato de
Attenco
O cavalleiro de ipdustria quer saldar as coatas
da viuva a quem roubou com a fortuna do pal da
incauta a quem com assignsluras falsas logrou I
Dos queira que pao ae engae, comoae quiz en-
gaar com a torpe mentira do caaamento em Pea-
queira do filho do padre, quando a verdade que,
se nao houvessem seductores de filhas albeias, o
bebado doa afflictos nao cassria com urna moca
bonita I Com effeito, o frango noel nao dos que
perdem tempo em mandar baptisar negrinhas,
porque quando as eocontra as vaifurlsndo e re-
d aiindo-ai logo i boa especie ; baja vista o que
fez o cu jo dos bigodes I ..
E de certo quem pode l advinhar que um cara
cheia de barba rtenor de 21 annos, quando por
abi anda um bicha d cara liaa maior desta ida-
de a torio ea direilo caloteaodo, e dizendo-ae -
Iho familia ah detenco do Recife. correceo do
Rio, cadeia do Pari, que tratante has perdido I O
cavalleiro da triste figura, oa verdade, nao impe-
dio que mandassem um ooanniata para o hospicio
Pedro II, mas sangou-se por lhe tirarem a pen-
dencia a que, montado no cavallinho das trafl-
cancias, tem direilo como a magia do yoyo. Tem
razo, aasim como nos temos em~ nao dar mais
palha aoPrango noel.
Pracisa-sa de um eitor para um sitio de
peasoa estrangeira, em Saut'Anna -. a tratar na
roa do Trapiche Novo n. 41.
D. Amalia Antooina de Moraes Chaby-
muito agradece todas ss passeai qee se
aigoatam honra U aasialiado ao enterro de
aeu sempre leaabrado marido o coronel i
Jlo Fraoeiaco de Chaby.
aogaleaoSr^bacnanjlT^inal
do Alves de Mello, de vir receber urna
encommenda rinda da Babia: na ra
do Imperador o. 83 terceiro andar.
Em eoosequeocM de iaiatasU noticia bau-
lero recebida pelo paquete iolez ChuidmAo
fallecimenlo eS. M. P. el-rai o Sr. Di
Pedro V e de S. A. S. a Sr. ialaaie u
Fernando, que acaba de cobrir ala lato a
aaco portuguesas a direttoria resolveu ,
que se interrompesse per 8 dias contar I
de amanba, o expedienta do gabiaete,
devendo coniianar no dia. 7 de dezembro
viodouro. o que facoaab* a Udoaet Srs.
associadoi para sua irrtelligeaeia.
Secretaria do Gabinete Porluguez de
Leitura 28 de novembro de 1861.
Joaquim Gerarri* de Bastes,
; 1* secretario
i FERRARA VILLELA
RETRATISTA
DA
AUGUSTA CASA IMPERIAL,
Roa do Cabug n. 18, 1.* andar,
entrada pelo pateo da matriz.
Retratos por aabrotypo, por melaioutypo, so-
bra panno encerado, sobre talco, especiaos para
pulceiras, alflneles oa caasoletas. Na mesma
caaa existe um completo e abundante sottimento
de artefactos franceses e americanos para a col-
locaco dos retratos. Ha lambem para aste mea-
mo lira cassoletaa e delicados alBoetea de ouro
de lei; retratos em photographia das principaes
persooegeos da Europa ; stereoscopos e vistas
atereoscopicas, aasim como vidros para ambrolypo
e chimicas pbolograpbicas.
Dentista de Pars.
15 RaaNo?a 15
FradaricGautier.cirargiaodentista.fazl
todas as operaces da sus arte scollocs
dantasartificiaes, tudocom a supariori-i
dada eorfeico que as pessoaaantendi-j
das lhereconhecem.
rasa agaa a psdentifrieioselc.
Na botica do Piolo ra dos Quarleii acaba
de reteber a iojeccio de Brow infallivel e preser-
vativo noaesquentamentos rcenles ou chronicos,
e o xarope de Lobelonije contra moleatias do co-
rago, as hydropesias e as aleccoes do peito.
: ST4BL & C.
|retr\tist\ de s. m. o imperador!
9 Hua da Imperattiz g
g numero 14. 9
Tencionando retirar-se proxi- '*
I mmente desta praca participara Jjj
J a seas reguezes e amigos como 9
' em geral a todos que podem g
w^)recisar do seu officio, afim de 2
J que aproveitem do pouco tempo
[ que os annunciantes podem ain
da dispor para a execuco das
encommendas com as quaes 9
queiiam honra-Ios. 9
Agradecendo nesta occasiSo
ao Ilustrado publico desta capi- 9
tal o bom acolhimento das suas
obtas, decid rara se a por estas @
ao alcance de todos introduzindo 9
urna considera vel baixa na maior 9
parte dos seus preqtrs e esperam
que o desfalque que disso Ihes
resultar sera' compensado por
um augmento de concurrencia.
m
m
Praciaa-se da urna boa criada que taiba en-
gommar e tratar do servico interno de urna casa
de pouca familia : na ra das Cruzes n. 20.
Attenco.
Precisa-se alujar um sobrado de um andar
solo que tenha quintal com cacimba : quem ti*
ver pode se dirigir' travesea dos Acouguinhos
n. 20, que se dir a pesaos que quer.
Preciaa-se de urna ama que aaiba coainbar
e lavar : na ra do Rangel n. 7, segando andar,
Aos seuhores que apreciam o
baoho ou passeiara na Var-
zea.
Aviea-ea qu aa cocheira do mnibus da po-
voaclo da Vanea, recebe-Se carros, csbriolets e
cavalloi, por horas, diss, meses, ele. : afilan-
da-se e trativento.
Precisase d urna ama, que saiba conzi-
nbar e comprar: na ra Nova o. 33
Aloga-se o segundo aodar da casi n. 15 da
ra do Vigario, com bastante commodo e mdico
aloguel ; a tratar oa mesma ra n. 13, taberna.
Um segundo
andar.
Aluga-se o segundo andar da praca da Boa-
Viata : a tratar na loja de calcado na ra da Im-
apertriz n. 46.
O abaixo assigoado tem mudado sua casa de
drogas homeopaibicaa da casa n. 13 do pateo do
Paraico para a casa o. 8 oo meamo pateo.
Augusto Xavier d Souza Fonseca.
NOY METUODO PBAT1C0-THE0RIC0
.PARA
aprender urna iogua em seis mezes.
APPLICADO AO PBANCEZ,
segundo o facilimo systema allemo do
Di. H. OUendoi,
POR
Cicero Peregrino.
Obra inleiramente nova e nica, escripia em
portuguez por aquello systema, approvada pelo
conaelho director de inalruccao publica deata pro-
vincia, em sessn de 10 de oulubro ultimo; 2 vo-
lumes de quasi 500 folhas em 8 francs 7(000.
Recebem-se assignaturas ns ra do Queimsdo
n. 26, primeiro aodar.
Aluga-se urna casa na povoacio do Mon-
leiro para se pessar a festa, e tambem um ptimo
sitio na Torre com o banho porta, e outras com-
modidades : a tratar com o Sr. Jos Azevedo Ao-
drade, na ra do Crespo, ou com Jos Maaneo
de Alouquerque.na eatrada nova do Cacbong.
Aluga-se urna meia-agua por detraz da ra
do Nogueira : a tratar na ra do Qaeimado nu-
mero 53.
Asssociaco com-
mercial benefl-
cente.
A dircego da associaco commercial benefl-
cente, a requerimenlo oe numero| snfflciente de
socios, convoca a reuniao extraordinaiia da aa-
sembla geral para o dia 4 do corrente ao meio
da, aeodo o objecto a tratar-se do melhoramento
da casa da mesma associagao.
Sala da associaco commercial beneficente 2 da
dezembro de 1861.O secretario,
Maooel Alves Guerra.
Preciss-se de um cozioheiro ou cozioheira,
que seja forro ou captivo, para coziobar o diario
de urna casa de pouca familia : a tratar na ra
da Aurora n. 80, ou na ra da Cadeii n. 3, pri-
meiro andar.
Hospital Portuguez de Be-
neficencia.
De ordem do Sr. proveJor do hospital portu-
guez fago sciente aos Srs. socios do mesmo que,
em coosequeaeia do convite feito pela commis-
aao partugueza encarregada do Te-Deum que ha
de celebrar-se oo dia \* de dezembro prximo,
ao qual tem de assislir a junta administrativa,
foi transferida para o dia 8 do referido mez, a
reuoio da assembla geral dos Srs. socios, para
o Qm designado no 3* do art. 17 dos esta-
tutos.
Secretaria do Hospital Portuguez de Beneficen-
cia 27 de novembro de 1861.
Mendes Guimsres,
1. secretario.
Alugam-se 2 escravos para traba-
Iharem nesta typhographia, de 8 horas
da manliaa as 4 horas da tarde : na li-
6 e 8 da praca d Indepen-
Attenco
JoSo da Cunha Reis faz sciente ao res-
peitavel publico, que ba quasi cinco
annos que lhe esta' hypothecado o sobra-
do de um andar sito na ra do Velha n.
63, pertencente ao Sr. Jos Ferreira
Lopes Reis, por escriptura publica lavra*
da as notas do tabelliao Costa Montei-
ro; cuja escriptura nao sendo regiitra-
da em tempo, consta-lhe que alguem
tirara-por certidao mostrando o mesmo
sobrado livre e desesnbaracado, talvez
que para hypothecar ou vender. Pro-
testa pois contra a venda ou hypotheca
do reterido sobrado visto estar sugeito
ao pagamento de urna lettra de .
2:4760463, venada em 21 de maio p.
p., e seus juros vencidos e vencer na
mesma lettra estipulados ate' seu real
embolco, para cujo lim vai instaurar a
competente accao, visto o mesmo Sr.
Jolte Ferreira Lopes Reis, nao querer
pagar amigavelmente.
Aluga-se urna boa casa nova com bstanles
commodos, no melhor lugar da Opunga, e mui-
to fresca, na ra das Crioulas n. 19, s tratar oa
taberna da ra das Cruzes n. 22.
vraria n.
dencia.
Companhia
DE
Seguros Utilidade Public*.
Nao tendo hoje comparecido numero suficiente
de senhores accionistas desta companhia, para
baver sessao. foi deliberado pelos senhores pre-
sentes que se Oxease novo convite para o dia 6
da derembro de 1861 ao meio dia.
Becife, 30 de novembro de 1661.
Os directores,
Jos P. ds Cooha.
Thomaz de Paria.
Adolpho Schafheillio Prussiano, vai a
Babia.
Saque Sobre Lisboa.
Msooel Ignacio de Oliveira A Filbo secam so-
bre JLiaboa ; no largo do Corpo Santn. 19.
Sobre a viagem ao Brasil em 1852.
DI
Carlos B. Mansfield.
POR
A. D. D PASCUAL.
Acba-se novrnoste aberta a assignatura para
esta excellente obra em dous voluntes. Buidamen-
te impreaaos, dos quaes o primeiro est ji publi-
cado. As pessoas que desejarem poasul-la po-
derao dingir-se ao escriptorio da ra da Cruz a.
45, 1andar. Preco da obra completa 5JJ000, qae
serio pagos i entrega do primeiro volume.
Sociedade bancaria.
Amorim, Fragoso, Santos & C.sacam a temam
saques sobre a praca de Lisboa.
Attenco.
A enliga cocheira d'alem da pootffla povoaco
de Beberlbe cootloaa recebar carrea e cvanos.
Aluga-se urna boa escrava cozinbeira, e sa-
be comprar na ra : a tratar ao becco das Bar-
reiraa da Boa-Vista n, 2.
Aviso.
Os senhores eatudaotes do surto commareial
que prelendem frequenlar o corso 4a odajahra,
queiram comparecer na casa n. 74 na ra Di re i-'
ta, para seren matriculadoa, e saberem o lagar
onde tem de funccionara aala, assim eomo o dia
e hora em que tem de principiar o exercido. I
Precisa-se de um rapas de 15 annoi, maia
ou meos, livre eu escravo, pera servido de casa
ra : na ilba dos Ratos, raa do Seve oa Uaio,
casa o. 28, com porteo ao lado, visiama a ponte
que se est Uzeado da ra da Aurora para o
Campo das Princezss.
Coll.gio de Bemica. ...
Este estabelecimeoto nao d feriss, suas aulas
contineam como al agora, sem inlerrupcao para
todos os seas alumnos.
Alem disto, desde o principio de dezembro, ha-
ver um curso separado de pmlosophia, relbori-
ca. geograpbia e geometra para os estudantes
que quizerem fazer exame dos ditos preparatorios
no eomeco do prximo anuo lectivo.
Na rus da Peoha o. 6. segundo indar, pre,
cisa-se alagar urna escrava que saiba comprar-
lavar e engommar, para casa de pouca familia.
Aluga-se o sobrado de um andar e toio,
oa ra Diieita : a tratar na ra do Livramento
n. 19.
Ao anouocio que neete Diario fez publicar
o Sr. Joio da Cunha Reis, protestando contra
qualqoer venda ou hypotheca que faca o Sr. Jos
Ferreira Lopes Reis de sua casa sita na tua Ve-
lha o. 29, desta cidade, responde se que o mesmo
Sr. Cunba Reis nao liaba hypotheca em lodo o
referido predio como inculca em seu annuncio e
para garanta da tal letra de dona contos de r'is,
apenas a linha em urna parte dalle, e para garan-
ta de quantia inferior aquella, embera o Sr. Ca-
oba Reis oblivesse depois de seu devedor urna le-
tra comprehendendo em sua importancia o prin-
cipal e juros de urna divida constante de urna es-
criptura, sem baver dado quitacao deala. Por-
tanto o dito Sr Reis, muito legtimamente poda
dispordo referido predio, ou hypotbeca-lo, reti-
rando a parte em que o Sr. Res diz ter hypolhe-
ca, se que valor algum pode ter urna hypothe-
ca nao registrada. Se o Sr. Ral* esta disposto la
recorrer aos tribunaes, para que aanuncios as
gazetaa ?
Offerece-se um rapaz para caixeiro de co-
brance, dentro e lora da praca : quem pretender
dirija-se a praca da Independencia n. 10, em car-
la, com as iniciaes A. s. D. G.
Furto.
Na madrugada do dia 22 do corrente furtarara
do sillo na ra da Esperanca n. 74 um cavallo
com oa seguiotes signaos: cor mellado, dinas e
cauda prelas, um p e duas mos calcadas de
prelo, aem andares, e eslava carnudo : quem o
pegar e Uvalo a casa cima, ou no eogeoho
Sibir da Santa Cruz, que ser bem recompen-
sado.
Quem quizer arrendar ou comprare engenho
Ilapirema do Mero na comarca de Goianna ou ar-
rendar o engenho Souza oa freguezia da Taquara
na provincia da Parahyba, ou mesmo comprar
mais de metade delte engenho, pertencente aos
berdeiros do finado coronel Esletas Cavalcanti
d'Albuquerque, dirija-se a ra estreila do Rosario
n. 10 3* andar ou ao engenbo Tab na freguezia
da Taquara.
Na ra Nova n. 33, loja de ferragens, pre-
cisa-se de um caixeiro para o mallo, dando fiador
a sua conducta ; quem esliver nestas circums-
tincias, dirija-se a dita loja cima.
Precisa-se Oe um caixeiro que abone a sua
capacidade e bons coslumes, com pratica oa sem
ella : na padtria da roa do Rosario da Boa-Vista
numero 55.
Precisa-se de urna ama de leite: no caes do
Ramos armazem a. 10.
Arrenda se um dos melhores si-
tios e casa na Capunga a margem do
rioCapibaribe e Irente para a estrada
com dous por toes, a casa tem expelien-
tes commodos, urna boa coxeira com
um sobradinbo, boa eslnbaria, banhei-
ro bem acabado de pedra e cal, o sitio
tem muito boas fructeiras de diversas
qualidades e ainal muitos outros bons
commodos, o qual ica confrente o sitio
da Sra. La j erre : a tratar na ra do
Apollo n. 24, armazem.
Arrenda ment.
Traspassa-se o arreodameoto do sobrado e sr-
mazena da ra do Trapicha n. 40, excellente para
qnalquer estabelecimesto commercial de fa-
zendas : tratrseos mesma casa.
Aluga-se um armazem na ra do caes de
Apollo o. 7, com commodos aufficientes para
qualqoer esiabelecimento : a tratar no pateo de
S. Pedro n. 6.
Frederico Chaves aluga ana casa de sobra-
do aito no Po;o da Panells, com raaitos bons
commodos para familia, jardim sos lados, terra-
jo, casa para criados, cocheira e esUibaria, perro
do banho, e mallo fresca : a tratar na ra da lm-
peralrjz o. 19. ,
Aviso.
Quem se julgar com direilo par hypotheca os
por foros, ou qualquer outro titulo sobre o solo a
casa n. 25 da ra dos Mirlyrioa na freguezia da
S. Jos tiesta cidade, a qual foi arrematada em
praca publica do juizo da 2.* vara do citel, pe-
nborada a D. Josepha Hara do atonta, em au-
diencia do dia 27 da correte, e presente anno,
s presen tem seus ttulos oo prsto de tres dias pa-
ra ierem atiendidoi antes que ss rexolha o im-
porte da arrematacio ao apasito geral; dirijam-
aa a raa do Rosario da Boa-Vista a. 55, oo an-
nuncie por este Diario. Recife 29 de novembro
e 1911, -Manee) lanado da Silva Taixaira.


mamo M^wafffinpea^ttmpn.m xmamnt mt tut.
wwinlM/ 6tu ifif.rl
Sinllftnonl*
alazn carDudo.d -?lf'#*-..,
Buo a meio. calgado do em
Fie* atfnrTaado nest* .plaga o ~
mioFranklin , i
bastante de Patricio da Costa'Frer aricaja, pa-
ra por elle cobrar ou aaaislir no r.leio dos bens
do finad* Joaquim tinto, ou em qualquer arru-
macSo fue se poaea fajer com o procujador do
meemo floado, ito que ou credor da quantla
dt MAOf. Recita 18 de norembro de 1801.
Patricia) da> Casia freir Uaracaji.
O abado aaaigoado faa acieote a quem inle-
ressar posea, fu* Wat proeuracao -bastante do Sr.
Joie^Luiz de Almeida Marlins, que actualmente
se acha eea^|k)a, para tratar de alguos nego-
Pos do mwnn $or leso se avisa as pessoas inte-
resndsi'm. negocios do dito Almeida Martina,
codera dirigir-ae arua Direila o. 10.
Bernardo Jos da Costa Valente.
Digo eoHttne! Teitera da Costa, que pos-
suia urna latir da qotntw de dureotos e inte
snil raie, vencida lioje 98 de novembro, aceita
pato 8r. Antonio Domingos de Almeida Pocas,
ceja leitra recebi a sua importancia no dia do s.u
veocimento; como perdi a (tila lettra, Oca sem
rigor' caso appareca. f*" M
Rectf, 29 de nerembro de 1861.
Alega-spor aooo rm por (esta ama das
melhorea catas do Caxang e do lado dorio ; a
tratar na ra Nora, lojat de Bastes & Reg.
Aiuga-aa o segundo andar da cata o. 183 da
ra Imperial, o aegundo da ra da Imperatris
n. 188 : a tratar oa ra da Aurora n. 36.
O agente fiscal da proyocia da Parahiba
nesta cidade, Bernardo Jos Martina Pereirs, mo-
ra na fregueaia da-Boa-vista, ra da Unilo n. 50
onde pode ser procurado.
?ww

'
-
lipmpras.
Compram-se esc raros de 15 a 30 annus pa-
ra exportar para o Ro de Janeiro : do eacrip-
lorio de Manoel Aires Guerra, ra do do Trapi-
che a. H.
Compra-se una eaaa lerraa na fregeezla de
S. Jos ; tratar na na da Penba n. 1, terceiro
andar.
Cejapram-se acedes do novo banco de Per-
nambuco : no escriplorio de Manoel Ignacio de
Oliveira &Tilho, largo do Corpa Santo.
Vendas.

em pues para ve-
no caes do Apo-
Vende-.e superior sebo
lase sabio, tatas cora salraao
polo, ramea n. 67.
Fazenda modernissima para
vestidos, na loja do pavo
Acaba de ebegar a este estabelecimento pelo
vapor francez um lindo sortimeuto de gorgure
de sela, fazenda ainda nao vista oeste mercado,
que se vende por preco baratlssim, por estar
muito prximo a (esta, aasim como lindas raar-
qneziabaa ou chapeozinhos de sol para senhora :
na roa da Imperatriz o. 00, loja de Gama &
Silva.
Na ra de S.
Jos n. 2.
ain?l?u '"'cimantconUns havsru
-tompiate soriiaen v o.oiV.M.aU. w*-
** wras>g*nho,aobinas da va pe* otaixa*
* ferro balido tet;da todos ostsmanbos
Prdito,
NovodestiDodo
torraOpF.!!!!
23Largo do Ter$o23. ,.
n.Yen<*e",e mant'eiga ingeza especialmente esce-
Inida a 800 e 900 rs., traoceza a 40 a 800 rs.,
asaim como se torrara outros muilos gneros, no-
mo seja, caf, arroz, azeite doce, velas de'iper-
macexe e earnaube, etc., etc., e se toso algue
duvidar Tenba rer : a dinheiro i tiste.
Potassa da Russia c cal de
Admoeino
nde*e ora eecravo
profisiio de Iorneiro,

Lisboa.
~it 'i
Vende-te muilo bons generes sonde anauncia
o 8eguintes: vinho do Porto a garrafa 800 rs. a
caada a 6|000, Figueira a720 rs.. Lisboa 600 rs.,
ditos meis baixos a caada 3J600 re., ditos em
gerrafado do Porto 1J120 rs., ditos baixos 500 e
oOO rs., vinagre de Lisboa 380 a caada 2400
rs., marrasq m.rmellada de 2 libras a 1|900 rs ditas de libra
e meia a tgfJOO rs., fructas de calda a 1*000, pe-
ras, giojas, pecego e'raioha ClauJis latas de pei-
xe grandes a 1800 rs.. massa de tomate 18000
a libra, manteiga iogleza 800 rs., dita francesa
TOrs., banba refinada 560. queijos do reioo
2JW00 rs., flambre ingles a 7t0 ra.. presunto do
reino a 480 a libra ; compram-se cobres veihos,
as pessoas que tivesem dirija-se a mesma que pa
gir-se-ha. comoestiver cha hyson a 2800ditodo
Rioem Uta a libra 23O0 e 2I00 rs., caf em
caroco a 320. 380 e 260, ssim como lodos maia
gneros, vende-se mais baratos do que em ontra
qualquer parte, assim como hnguica do serto a
400 rs. a libra.
Um rico carro.
Vende-se om rico e elegante carro mui bella-
mente preparado : no escriptorio de Manoel Ig-
nacio de Oliveira & Filbo, largo do Corpo Santo.
Venda de loja.
Vende-ie a muito acreditada loja de taiudezas
sita na ra da Imperatriz n. 82, sendo esta em
ama das raelhores localidades, muito propria pa-
ra qualquer principiante, or veoder-se com o
sortimeolo, de forma que o novo comprador nada
precisar comprar ; vende-se a praio, dbnforme
se convencional : a tratar na mesma ra n, 46
loja.
Por 450#000 a dinheiro ou a
prazo.
Vende-*e a quera parle de um sitio com
moderna casa de viren la de pedra e cal, tendo
por commodos 7 quarlos, S salas, cozinha fura,
coeheira e estribarla, cacimba d'agua doce, etc.*.
situado 00 ameno lugar do Peres, confronte o'
engeoho do Sr. Manoel Joaqun do Reg Albu-
querque : a tratar na ra do Imperador n. 37,
armazem de leilo.
Esto se acabando, a 16$.
Palftots deanno uno forrado de seda : na ra
do Queimado o. 47. "
A 600 rs. avara.
Fil liso branco de linho, manteletes de leda
da ultima moda a 149 18j e 20$ : na ra do
Queimado n. 47.
Na ra Direita n. 84 ha para vender bons
cylindros americanos para padaria, notamente
chegados, por prego commodo.
Aos senhores segundo annistas.
Vende-se por 10} a obra de B. Constaot, cours
de Polilique, edicto da Blgica : na ra do Co-
tovello n. 1. ^
Fumo* de seda.
Vendem-se rumos de seda elstica para cha-
peo ; na roa do Crespo n. 21.
Vende-se um eavallo muito gordo com 7
palmos emeio de altura, um dos melhores para
cabriolei : na ra do Raogelo. 14, ou pateo da
ribeira d. 5.
* Attencao.
Ra da Imperatriz
numero 9.
Acaba de abrir-se este novo estabelecimento
de moi hados, e nelle os fregirezes encontrarlo
manteiga ingiera de superior qoalidade so preco
de 800 rs. a libra, dita francesa muito boa a 640
chahysson do melhor que ha a 25880 a libr,
outros muitos gneros que se venderlo por me-
nos que em ontra qualquer parte.
Na ra do Sebo, taberna n.4>4, vende-se se-
ment da salsa muilo nova, vinda do Porto pelo
ultimo navio.
masa.
Vende-se a taberna sita na" ra *
com poneos fondos, e afreguezada
tender dirija-se mesma.
a n ^mconneci'oscr6diUdo deposito da rat
dadeira potassa da Russia, nova e da superior
qoalidade, aasim como tambem cal virgem am
padra ; tudo por pregoa mais baratos do qus em
oitraqialquerparte. i
Fabrica do Honteiro.
Crystalisacao e refla^
de assacar.- 5^1
Deposito na roa de Apollo n. 6, e praca
da Boa-Vista n. 26.
Este importante estabelecimento contina.S
fornecer aos seus innmeros fregueies do alvo
puro asaucsrcrystalisado, em p e em pes, l.
e 2.* qualidades, pelo pre;o de 160 e 200 re. a
libra, e do refinado a 100, 120 e 140a libra, sen-
do que em grosso o comprador ter um descont
favoravel. Nos mesmos depsitos tambem se
vende mel de assucar a 600 rs. a caada, e cor-
ri animal em p a preco commodo.
Magalhes & Mendes.
Estando em liquidaco e recebendo diversas
qualidadea de fazeodas novas e oo desejaodo
demora-las expori a venda pelo diminuto prego
para acabar ricos cortes de laa de duas saiaa
com 22 corados, ditos de gorguro de seda de
quadros com 18 covados, corles de organdys a
garibaldi fazenda muito fina com duas saias e
.barra com 24' covados, ditos sem barra com 16
covados, cortes de chitas finas a imitacio de lia
com 13 covadosa 29600, cortes de risca<*o fios
a 2S500, ditos de riscado a garibaldi a 3*800. cor-
les de chitas francesas escura* e claras a 2|500,
ditas inglezas a 13300, cortea-de gambraia de
do aalpicos a 2 e 3. pegas de cambraia finas
a 9600, 2500 3$ e 3*500: na ra da Imperatriz
oja do arara de 4 portas o. 56.
Vende-se oleo delinhaga em barris, por
prego commodo : oa ra da Cruz n. 61.
erfeita-
^ria.jaj(Kgr. (+i vSKtf.Vujo
eacraVo vende-se por 400 pela razoque se di-
OOrTilRA L '> '-'* ~>
Vende-se um escraro da 18 annos de ida-
' D'JM f VtW,r> n 86, prlsjeiro andar.
Na ra dos Pires n. 53, vende-se
fido reu custo em Londres, e dot di-
reitos pag na alandega, um carro de
4 rodas perra um eavallo, oqual ainda
nao servio ; com peqdena alterado
pode tambem servir para 2 cava los, o
carro pode ser visto e examinado em
casa do Sr procurador fiscal Fernando
Alfonso de Mello, na ra da Aurora.
O rival sem segundo, na
ra do Quein5$o n 55
defronte do sobradofo-
vo, loja de miudezas de
Jos de Aze vedo Maia e
Silva, est dispsto a
continuar a vender pe-
los precos abaixo de-
clarados, que na ver-
dde bom e baratis-
simi
I
Frascos com agoa Alavande am bread a a
Ditoa superior, frasco meito grandes
Duzia desabneles muito fino a
Sabooelea inglezes da melhor qualidade a
Ditos muilo grandes a' ,
Prseos de agua eeleste muilo superior a
Ditos com ebeiro muito fino a
Ditos com banba de urjo a
Ditos com oleo de babosa a
Ditos moito superior a 240 o
Venda-s ffoi "anfcfbrio t americano de
.4'od""*.eooef pintado de novonH"do de
2! A?. "JWl WWlS(ii na rea
do Queimado n. 41, primeiro afdar, das 11 ho-
ras do dia s 3 da tarde, e deslsf a 6, ra Di-
reita n. 10, primeiro andar, que achara com
quem tratar.
' Tl^vKndd armlW do largo da Assomkin
o. o, de Antunes Guimaraes & C, vendero-se
5'0i?tr,f ?oni 250 maQas, pelo commodo preco
oe 09 a caua.
8Y8TE11 MEDICO HODELLOWAI
PlLLASHOLLWOtA.
Este nestimsvel especifico, composto Dleir
manta de hervs medkinaes, nao cnlm mercu-
rio nem alguma nutra subsuncia dulecieria. Be-
nigno mais tenra infsneis, e a cornpleicao mais
delicada, igualmente prompto e seguro para
dssaxisigar o mal na compleio mais robusta;
en teamente innocente em suas operacoese ef-
fehos; pois busca e remove as doerias de qual-
qnr especie e grao por mais amigas e tenazes
qu^sejan.
Entre milaaraa da pessoas curadas eom asta
remedio, muitas morte, preservando em seu uso conseguirn]
redobrar a sauda e lorcas, dpois de Ira ver lanu-
do inultmente todos os outros remedios.
As mais afflictas nao devem entregar-se a des-
esperado; facam um competente ensaio dos
effiesses effeitos desta assombrsa medicins, e
prestes recuperarao o> beneficio da saude.
Nao se perca lempo em tomar esta remedio
para qualquer das seguales enfermidades:
AM Accidentes epilpticos
Alporcas.
Ampolas.
A reas ( mal de).
Asihraa.
Clicas.
Convulses.
500
800
500
160
320
19500
500
AAA
3201 DebiliJade ou extenua-
500! sao
..,., v|>eriur aw OU CSIO.
Ditos com banha moito fina a 240 i Dahilirlarla on falla d
Ditos com opiata, de Lubk a 500 T
Ditos de dito de iver a H. ^ forjas

Em casa de Kalkmann Irmaos
9 &C, na ra da Cruz iO, exis-
$ te constantemente um completo am
A sortimento de *m
jp Vinhos Bordeaux de todas as m
0 qualidades. am
^ Dito Xerez em barris. m
fjp Dito Madeira em barris e caixas. m
0 Dito Muscatel em caixas. m
^ Dito champanhe em gigos.
^ Cognac em barris.
t Cerveja branca.
a^ Agua deSeltz. 2
am A.zeite doce muito fino em caixas.2
jg Alvaiade em barris.
a Cevadinha em garraffles. ,
Venda de engenho.
O aballo assignado faz constar pelo prsenle,
que resolveu vender o seo engenho Panlista, sito
na freguezia de tfaraoguape, termo de Olinda,
distante da praca do Recite tres legoas, correte
e moeotecom to grande forca d'agua que mis-
ter na lomada deitar sempre fora metade, de ez-
cellente machina, com grande exteoso de terre-
no mui frtil, com mattas.excelleoles vaneas mui
prximas, que dao s por si para mais de 4.000
paes por safra, alem de algomaa ladeiraa e chaos
que tambara dao muilo boas canas, todas as obras
de lijlos e cal moito bem construidas e em pon-
to grande, como bem caaa do engenho, de cal-
deiras com o respectivo assentameoto, de porgar,
de encaixameoto, de dislilacio com alambique de
cobre e seus accessorios e agua correle no rea-
friador, casa assobradada para hospital da fabrica,
dita terrea de fabricar farinha, casa de virenda.
(sobrado) e estribara, eentatas de taipa, sendo
parte levantada sobre pilare*, nica obra que fal-
ta a fazer-ae, dous cercados grandes de estacas
nativas, de cajazeira e cajueiro, que com msia
dous annos desoensam-se varas, urna horta e
um grande sitio junto com fructeiras, boa estrada
real, que traositam carros de toda a qualidade,
etc. Vende-se igualmente o engenho Cotuoguba
das Mollas, hoje de fogo morto, com 4 legoas e
meia de trras em quadro, muilo feriis para
qualquer lavoura, situado entre os termos de Li-
moeiro e Pao d'Alho, com duas legoas de excel-
lentes varzeas pelo rio Cotuoguba cima, tanto
de ama como de ootra margem. e maia urna le-
gos tambem de varzea pelo rio Gapibanbe cima;
adrertindo-se que tambem retalha-se em bragas
dito terreno, em razio da sua grande exlenso.
As pessoas que pretenderen), dirljam-se ao mea-
mo engenho Paulista para corre-lo e tratar com o
seu proprietario.
Joaquim Cavalcanti de Albuquerque.
Ditos cote baaha transparente a
Ditos com oleo philocome a
Ditos coa superior agua de Colonia
Ditoa com macaca perola a
Ditos com ditos (o leo) a
Nvelos de linba do gaz de cores a
Ditos de dita encerada muilo boa a
Ditos da melhor qualidade a
CarrUeia delioba de cor es com lOOjardaa
Noveloa de linha do gaz para marca* a
Parea de melas de cores para meoinoa a
Ditos ditos para meninas a
Ditos ditoa cruas para meninos a
Duzias de meias erais milite encorpados a
Ditas ditas brancas para senhora
Caixas com pbophoroe de segursnea a
Ditas de folha com phophoro a
Duzia de pliophoros de gaz a
Dita de ditos de vela a
Pessas de tranca de laa de todas as cores a
fareas para qualquer
WlDesinldria.
?OJjjDor de garganta.
de barriga.
nos ras.
Dureza no ventre.
Enfermidade no ventre.
Ditas no figado.
Ditas venreas.
Enchaqueca.
Berysipela.
Pebre biliosa.
i '
100
20
ao
60
80
40
160
120
2o0
2|4O0
3*000
160
110
240
320
40
SM3M3 MBfiM M6MB MHNIIHKtt
A loja da bandeira
Nova loja de funileiro da
ra da Cruz do Recife
numero 37.
Manoel Jos di Fonseca participa a
todos os seus freguezes tanto da prega
cmodo mato, ejuntamente aoreapeita-
velpublico, quetomou a deliberado de
baixar o preco de todas assnas obras, por
^ cojo motivo tem para vender um grande
S sortimento de baha e bacas, tudo da
difieren tes lmannos e de diversas cores
m pinturas, e juntamente am grande
sortimento de diversas obraa, contendo
banheiros e gamelas compridas, grandes
pequeas, machinas para caf e cane-
cas para conduzr agua grandes e pegue- X
as, latas grandes para conservar fari- J|
nba e regadores ao uso da Europa, ditos
grandes e pequeos ao uso do Brasil o 8
camas de vento, latas de arroba a 1}, 1
bahsgrandes a 49 e pequeos a 600 tt
rs., baca grandes a 59 a pequeas a
800 rs.,cocos de aza 1 1} 1 duzia re-
> gadores regulares muito barato, ditos
j| pequeos a 400 rs., de todos estes objec-
* tos ha pintados e em braoco e tudo mais
f se vende pelo menos preco possivel: na
SR loja da bandeira da ra da Cruz do Re- A
Ht cife n. 37. ]f
39CMMW9ISIK.M3 M3 9KMMKM&
Febreto da especie.
Goiia.
Hemorrbodas. "''
Hyiropesia.
Ictericia.
Indigestdes.
Inflammacoes.
Irregularidades de
menstrua^io.
Lombrigas de toda es
pecie.
Mal de pedra.
Manchas na culis,
Absirurcao do ventre.
nysica ou consump-
o pulmonar.
Retengo de ourina.
Rheumalismo.
Symptomas secundarios.
Tumores.
Tico doloroso,
Ulceras.
Venreo [ mal}
Febre intermitente.
Vendera se estas pilulas no estabelecimealo
geral de Londres n. 224, Strand, e na loja
de todos os boticarios droguista e outrss pessoas
encarregsdas de sua venda em toda a America
do Sul, Ha vana e Hespanha.
Vendem-se as bocetinbas a 800 rs., cada
urna dellas contem urna instrucc,o em portu-
guez para explicar o modo de se usar des tas pi-
lulas.
O deposito gtaal em casa do Sr. Sourn
pharmaeeutico, na ra da Cruz n. 22 em Per-
nambuco.
g A. verdadeira liquida-
^ao de todas as ta- *
zea das, roupas fti-
\ tas t miudezas da
> tua do r.abuga n.#
ssy Burgos Ponce de Len, liqaidatario !
da exlincta Arma de Almeida & Burgos, 49
tendo de satisfazer a segunda prestacao $k
aos credores da mesma Arma, d'ora em
diante pasta a eipr a venda ainda por "
menos do que tem annuuciado, com maior .j
abatisaenlo do custo, tmenle para a
apurar dinheiro, grande sortimento de 5
fazendas para seohoras, homens e '
cranlas.
E' aproveitarem-se para a festa.
GELO.
Vende-se na ra do Apollo
n. 31 defronte do theatro a A$
a arroba, meia arroba a 2#500
e a 160 rs, a libra.
Feijo de corda.
No armazem de Tasso Irmaos, ra do Amoriro
numero 35.
Souhall llellors 4 C, tendo receido or-
den) para vender o seu creseido deposito de rslo-
gios visto o fabricante ter-se retirsdo do nego-
cio ; coovida, porlanto, s pessoas que quizerem
possuir um bom relogio de ouro ou prala do c
lebre fabricante Kornby, a aproveilar-se da op-
portunidade sem perda de lempo, para vir com-
pra-Ios por commodo prejo no seu escriptorio
roa do Trapiche n.28.
Velha n. 27,
quem a pre-
Taboas.
Vende-se madeja de pinho muito
bareta para fechtrr contase no armazem
do gelo ra de Apollo n. ZQ.
Na ra da Cruz n. 10, casa de
Kalkmann Irmaos posto um completo sortimento
de amostras de objectos de bor-
racha, proprio para machinas de
engenhos, sendo correias para
transmittir movimento, canudos
de borracha de qualquer com-
primento e grossura, pannos de
borracha,' rodelas de dita, so-
bra ditos artigo* tomam-se en-
commendas.
Vende-ae ama taberna com poocoTfi
na povoscao da Gasa Porte : quem a pretende^
dirija-se a mssma que achira rom quem iratir.
N. 20Ra da ImperatrizN. 20
rSSS a: as* Sarw jss
nrro'de aLSlft 1 !"'L"" aenda P"-" "l,dos de enhora e roupnha de criancas pelo baix
La^fKi^^ru^i^^SL"!*" 8,PiC0S hos a 5. tiras bordadas a e"
gSg^^g^g^^^iS \KTcom a,gom loaue de mofo al6
RA DO QUEIMADO M?A6
^ PRANDE20ETIMENT0
30
hitas ?SM Sfimtilt n.l.*mC08fe P."D0 25' 28" 3^e 35' caMC0 ""ito
2,',% B rSjl Mf,,p*,"loU ca"Mdo,de P,nDO Pretodejia at 19, ditos de easemira
t^? 1?' L Wi*ltB?CCf" d9 p8DD0 j 'e 14f. dito. ..ecos d alpaca
Saat 141****'<* vnt" de cernir, ie
?.i 1 *' k l.,W r0uP" P" mnlno de todo, os t.maobo.. grande orli-
2r? f!t? Lu?, X**&m V1?". Pletou sortimento de colltt.s pretos da
selim, easemira e velludo da 4 a 9f, ditos para caaamento a 5J e 61. paleto!* Ira icos da hra-
mante a ie 5/ calca, branca, manto fin.s a 5f, um gr.nde^rnftnffraffl flus e mo-
derna., completo sortimento de c.aemiras ingleta. par. bomem, menino senhora. SOToaleada
S!L* L?4*0/ Cfb"KPMM 6 ,,0rld!se4lu" d ,ed* de Jo-" borne eVenZ. Te!
22?-?.'' rade .f,^ca de alfaiate onde recebemos ancommendaa de grandes obras, que para
laso eit sendo administrada por um hbil mestre de s.melhante arle e um pessoal deunis l
etncoenta obr.iros aseolUdot, portaoto cutamos qualquer obra com promptidio e Btais barato
do que em outra qualquer cas. v uara*o
Joaquim Francisco dos Santos.
40-Iu io Qeimado--40
Defronte do becco da Cngregago, letreiro verde.
^** ****' V* "VENDE-SE O ^GtlrlTE : '- i i 1
Para casamentas.
t Ricos cortes de veitdo de Hl ou blond de seda branca com ramo e capell o
mais moderno e superiorque ha no mercado. '
Para bailes. *
Lindos cortes de vestidos de fil ou blond de seda branca bordadoa brante e
cores.
Ditos de tari i tuna branca bordados a brancoe cores.
Ditoa de cambraia branca bordados a branco com muita elegancia.
Ditos de barege de seda de cores com barras e lisias, no*** gastas americanos.
Saias bordadas
Ricassaias da cambraia branca bordadas com o mais apurado gosto a mais finas
que na no mercado.
Ditas de dita recortadas maia bsrat.s. V5ifJ *>,
Para baplisados.-
n,.-. f??8 C"U* de *e8do de ewlw sraufia bordados coai ru.it eleganei., o
m.i. moderno e mais superior que ha no mercado.
Manteletes
Rico, manteletes de seda de cores e pretos bordados e Usos com enfeiles. bm
como arrendados, por presos commodos. *
Lencos.
Ricos lencos de cambraia de linbo bordados a 3,4|e5# cada nm
Chales,
Rico, chale, de tonquim brancoa bordados de pona redonda e da 4 ponas.
...*' d" faiends. cima mencionadas tem am grande sortimento de tod'as ..
qualidade., que nao possivel mencionar-se pelo grande espaco qne tomara.
ICes do Apollo armazem n. 67.
Deposito do sabao fabricado na saboaria
DA
PA IlUPUtlIiL
Os proprietarios deste estabelecimento, o pri-
meiro neste genero e o mais antigo da provincia,
acabam de estabelecer no armizem n. 67 do caes do
Apollo, um deposito de seus bem conhecidos pro-
ductos, consistindo em um variado sortimento de
sabo,desde amarello commum at o superior e ver-
dadeiro massa a preco de 100 a 200 rs a libra con-
forme a qualidade
E' intil dizer-se que o sabo fabricado neste es-
tabelecimento, tem a propriedade de lavar perfeita-
mente a roupa, sem causar-lhe o menor damno, o
que nao acontece com muitos outros, que detriorm
o panno diminuindo assim a dura cao, averdadedes
ta assercao est comprovada pe la preferencia que
lhe do os consumidores, melhorameato este devido
ao processo ultimameote empregado na manipula-
cao pelo actual fabricante.
Para conhecimento dos compradores declara se
que as caixas contem o seguinte letreiro em forma
ovalFabrica de sabo nacional ra Imperial Per-
nambucoese vende qualquer quantidade de urna
caixa para cima.
.
ARMAZEM
ROUP/. ?
Joaquim F. dos Santos.
40Roa do Queimado40Q
Defronte do becco da Congregaco letreiro verde.
Neste estabelecimento ha sempre um sortimento completo de roupa f.ita de
todas as qualidades e tambem se manda eiecutar por medida rontade dos freeue-
zespsra o que tem um dos melhores professorss.
Caiacas ue panno preto a 40S,
85| e
Sobrecaaacosde dito dito a 359 e
Paletols de panno preto e de co-
res a 35. 30, 25. 10, 1S e 20000
Ditos de easemira de cores a 229,
155.12. 7 e
Ditoa de alpaca preta golla de
velludo fraacezas a
Ditos de meriu sem pretos e
de cores a 9f
Ditos de alpaca de cores a 5 e
Ditos de alpaca preta a9, 7. 5 e
Ditos de brim de cores a 51.
4500, 4 e "
Ditos da bramante de linho bran-
co a 8. 5f a
Ditos de merino do cordio preto
a 15 e
Caigan de easemira preta a de co-
res a II. 10, 9|, 7
Ditas da prioceza e merino de
cordio preto aft, 6*500 e
Ditaa da brim branca a de coras a
5. 4500 e
Cale a de ganga da cores a
Collete de velludo preto a de co-
radiaos e bordados a 12, 9 a
Ditos da casemir. preta e d* co-
gyjjr bordos a ,
30JWOO
301000
9000
101000
8.000
3500
8g500
350O
4000
89000
6000
4500
SS500
3|000
8000
Ditos de setim preto 50O0
Ditoa de seda e setim branco a 6 e 5}000
Ditoa de gorguro de aeda pretoa
Ditos de brim e fuslae branco a
3J500.2500e 3000
Stroulaa da brim de linho a 2} e 2900
Ditas de algodio a l600 e J280
Camilas de peito defusto branco
ede core, a ZS400 e 2|20O
Ditas de psito de linho a 5, 4 e 3*000
Dita, dt madapoln brancas e da
cores a 8. 2500, 2 a IJCOO
Chapeos pretos de massa francesa
forma da ultima moda a 101.
-.. 8J500 e reo
Ditos de feltro a 6, 5, 4 e 2000
Ditos da sol de seda ingle t s e
francesea a 14f, 12, 11J a 7000
Lolarinho. de linbo muito finos
aovo, feitio. da ultima moda a |800
Ditos do algodio *5Qn
Relogios de ouro patente e hori-
zontal alOOf, 90, 808 e 70|000
Ditos de prata galvanisados ps-
tenle e horizootaeS a 40 a 801000
Obras da onro, aderecoa e meios
adaresos, #ulceiras, rozstas e
Mita .
Toalhaa de linho duzia 10J, 6 a 91
flMO Ditas grandes para mesa nma 8 e


T


japKMfliWHMi i lu-i.^iacim^JKift^a umboti omit.
IMttlO SO NO
.(
Francisco
s Duarte

Expsita

Candieiros a
los candiel
4 grande'Hquitocao da
loja do Pavo,
Na ra ida Imperatriz n. 60
ukV-

a litera e inteiro
Continua se a vender neste armazem de molhados os
melhores geaeroa qae. rea io mrei, e por muito menoe prego do que en outre quaiquer parto,
para o que receba o proprietario em todoa oa porta da Europa, a maior parte da aeaa ganaros,
eacolhidot por peaaoaa encarregadae, para ata fio; par iaso ooTameota participa aos seas freguesas,
ooa s aoa Sra. dprccoaneogeohos e lavardorea, qae quelrana aagair em progresao, que
nao deixeaaao ajanes. 4 coma" a prirneira vea auaa eocommendas, certo de que hae de goatar,
para o que alo ae poupario oa propietarios, em prestar toda atteugSo, e memo em aerrir os por-
ttifores menos pralicns, tao bem como se risssem os Sra. peasoalmenle; e abaixo meniionamae
oa precos da algens genere*, por oade ae pode jutgar que rendemoa baratiasima.
MantCga ng\exa aovMot qBe ha no mercado a 800 rs e 1#000 a libra em
barril ae (ara abatiaeoto.
M.a\nteVga traneexa muit0 noTa, 640 #, !lbrt e em birril, eeor.
CU pfcT\a, liy8S011.e IJTetlO *, .poras do mercado 20600, 29OOO.
e 19600 rs a libra e a&aaca-se a boa qualidade.
Que\ JOS lio TeVnO ehegad0 BMt, vltino rapor 31200, dHol d0 Tapor paaaado
39000.
QueljOS laJliailllOS de jUperfor qualidade e muito frescaes a 19000 ra. a libra, e
enteiro ae fax abatimento.
PreXUlltO VllgJteX H^To. p.,. fl.mba a 900 rs. a libra, em porga* tari abati-
xn#Oto* sWfwbl'
Prexunto & reino 0 que h, d, bom ^^ genero 1480 ri
T OUClIm ingltZ encctcad0 e coatelletas proprias para fiambre a 800 ra. a libra.
9 a la Ule 0 neH,or peliaco qu* pode haver por estar prompto a toda a hora a f-a llfcr
X ouelnho do reino 360 r> a Ubr, e arroba ,9,500
Cnouti^asenaiosmMo nofa860 1br,.
Hanna t\e poreo roffn^da B ^^ alva que ht ao m(SK,i0 fl 4so rs. a libra
e aaa.tiarrat a 440 ra. '
\xeitOnaS mnitO nO\aS a 18000 ra. a .ncorata, e em garrafa 310 ra.
luatnscom boVaxinna de soda
*"" emVtao ae far abatimenlo.
ma$& 8 de ama ibra por 900 ., ditas de
darte ditas por 19TO0;
naTmelada imperial d0 afamad0 Abreu e de oulros muitos fabricantes de Lisboa
a 19 a libra, em latas de 2 libraa por I98OO.
EirVllnaS lraneexa8 al n,eihoree que se pode desojar m meias latas por 500 rs.,
tambera tem portuguexa me latas enleiras a 640 rs.
CUOCOiate raneeX e hespanhol chegado neste ultimo vapor a 1 $200 a libra.
V&SS1S propriasipara podio, a goo rs. a libra.
DOee de aipereiie em lat del libras elegantementenfeitadas a 15200 cada urna.
UiSpermsete tuperor de 4, 5 e 6 em libra a 760 rs. e em caixa a 740 ra.
Latas com peixe em posta
ljtfOO.
Xmendoas c^nteittidas a 1$, librBi ditas em mloi0 a ^ r,., m* com casca
480 1.
NOXeS C CaStannaS piadas muito novas a 160. a libra.
SLtStreiVlUna ym Opa wo ra, a ibra e erB caixinhas de 6 a 8 libras ae fat* abatimento.
Metria, maearvao e ta\n rim a 4oo rs. a ubra e em can a 9.
Sevadinna france2a mui0 n0Ta a 240 rs. a ubre:
Farinna do Mrannno muUoaWa echeirofaalgor..
**^nima de eugommar, o que se pode desejar por ser mnito alva a 100 ra. a libra.
iVipiSia muio bovo e limpo a 160 ra. a libra e em porcao ae tari abatimento.
J vg o respeltavel publico, que aBanr;aodo-ae a boa qualidade dos gneros cima mencio-
nados, aa vende amito barato, e pelos quaes ae podera jolgar todos os demais que nao foram an-
nunciados.
O proqrreUrio da nova expoai?o dos candiel
rea a gaz avisa ao publico em geral, qua aeacba
aempre sortido com grande e variavel sorflmeoto
asafff^niaiim a^andVdepoittd de gafTdrtgeni
rerdadeirameot* econmico, reeonhecido verda-
deiramenta por todos oa conaumidores : na ra
Nav,na. SO 2*. C*rneiro yianna.
Nesta meama expoaicio aa encontrara um va-
riavel sottimento de riqrrfsslmos qnadros de todas
aaHqaaMdalla qoaj^sw a|as<^opaj<)a apreciar oa
um rtquiasitra aortmeoto da
Gama Sitta.
CarrdS^isaprp?as.
asa de N.
contando differentea qualidadea a 1^440 e
das melhores qualidades que ba
em Portugal
quinquilharias, contando antte ellas riquiaaimos
Tavaio/ioa para quarWa (goste cblnex). um varia-
W MrtTinerrtode UMw cora's areparet
pac taasjaae, eoaaaadaa peateaydaaaav c*tMw-
tnl fra^oj^^HeaadiarirBaT., acrpa de eaajaa^
mar a Tapor; machinas da batar ovos a vaftc*,
machinas de fazer caf a vapor, eaptngardaa de
dous canos tronzadas e de alcance, raappas del
de, e oor'aaMtos ebjeetoa qewae vandem
4po preooa diminutos para nabar: rae Nova,
numero SO.
Pata a parada de doustfe
dez*mbro
Luvas branca a 160 rs.
Havendo grande quautidade de Uvas brancas
proprisa para os distioctos (tusrdas nacinaes se
apreaentarem eom ellas no dia do festejo nacio-
nal, se ha Tesoivido a veaier-ae a ldOra. o par,
e a 200 rs. das.mais ns: jamadoCabug, lo-
ja de fazendaa n. 8, do Burgos.
Chapeos de palha paraos, >
oajs.
Na loja da ra do Gabug n. 8, aioda b* elguas
chapeos de paHia hamburguezes dos qaaataitebj
aDouncisdo l,c*d um ; nada hada maiaba*
rato, est se cabando..
Ganga amarella da India.
1#80 el $30(1 a pecioha.
Na raa do Cabugi, loja d. 8. veadaen-ae peci-
nhas de ganga amarella da India, sendo da listras
e de quadros a 1)280'e a 1500. Com tlb dimi
uta quantia tem-ae basa e bonitas ctl?as.
A 2,30 a caixa'
de charutos susairo superiores da Babia, sendo
cairas de 50 charutos, vendem-se em poreio ou
a retalho por este barato prc, a sao (raacos : no
aterre da Bea-Vista n. 12.
Cambraia Usa
Venda-se cambrara lisa transparente muito fi-
na, pelo barato precio de 4 e 5f a pega com 8 1|2
varas, dita tapada maito superior,.paca da 10
varas a 6| : na ra do Qaeimado n. 22, oa loja
da boa f.
Bramante e atoaWvado de
Vinho.
Vende-se superior bramante de paro linho com
duas varas de largara a 24tO a mi, aasim como
atoalhado adamascac* taotbem da puro lioho,
com 8 palmos de largura a 29500 a vara i na bem
coohecida loja-da boa f, na ra do Queimado nu-
mero 22.
Cortes deealcju
Vendem-ee corles-de caiga de meia casemira
de cores escuras a 2g cada corle ; na loja da boa
f, na ra do Queimado n. 23.
Fil liso e tarlata-
na branca a 800
risa vara.
k Villar.
Ra do Crespo numero 17.
Venden, baratsimo.
Cambraiaa braocaa bordadas para vestidos desenhoras a 7$ a peca de 9 varas.
Organdys de cores delicadas a 500 rs. o covado.
Cassas de cores fazenda fina a 240 e 280 rs. o covado.
Manguitos e golliohas para aenhoras a 2j> o par.
Gollinhas ultimo gosto a 1$.
Manguitos a 39 o par.
Eotremeios ricamente bordados a 2$.
Tiras estreitas e largas bordadas para eofeites de vestidos de 2# a 5# a pega,
Saias bordadas de 4 pannos a 49.
Saiaa bordadas de 3 pannos aSgSOO.
Saias balo de musselioa com babados a 69.
Chapeos de palha de Italia para senhora a 289- *
Ditos de seda para senhora a 129.
Manteletes de seda
o que ha de mais moderno de diversos presos.
Ditos de fil muita bonitos a 30$.
Vestidos brancoa bordados a 20J.
Ditos brancos bordados a 79.
Chitas francezas de todas as qualidades a 280,300, 360 e 400 rs. o covado.
Madapolao de todas as qualidades a 49,49500, 59 e 79 a pega.
Oulras muitaa fazendasde gosto e presos baratos.
Acaba de chagar a este estabelecimento aa
grande e variado aortimenlode fazendas proprias
pera> a fasta, e s.osdonos resolveram veoderem-
oa. par prccos>b4rtia*iaaes par eaiac aoiflm da
anpo e qaTerem apurar dinhelro, como ejam:
cassas.
Um liada, sorttmento da cassaa de variaa corea
a qu.Udadae, que veudem a 240 a 280 rs. o co-
vado.
Brhantina.
Vendeniebrilr|aWft. d4 > uadtiQboa i SlfJr.
o covado : na ra da Imperatriz a. 60, loja do
nt Chitas a 240.
Vnde-se flniasimaa chitas francezas escuras e
alegres, aieoa.-que aempre aa vaadeu por urna
pMaca e aeaba-se a 240 ra. o covdo : na ra dai
Imnetetraz n. 6, loja do Pavo.
Mteseliria a dazentos rs.i
o covado.
Veade-aa aouaaeHna bratio* ca 4 e>meo pal-
mos de largura a 200 rea o covado e ditsa de
coras matizadas largura da chita 200 reia o co-
vado na ra da Imperatriz n. 60 loja do. Povao.
S o Pavo emli-
qui__Y_
Ricos aintos dourados Lisas e com lisliohaa a
295OO, calcinhas bordadas para moaioos a I9OOO,
gollinhas com manguitos a 19600, gollinhaa de
traspasso 1|, oitaa sem ser da traspaaso 509
ra. lufas de seda em pereito estado a 500 ra. o
par, chapea de aol da aeda com franja muito de-
licados para senhora a 39500, chales randas da
marin a 29500. ditos de rede bordados a 39 cada
um, manguitos de cambraia-borda do muito 0 oes
a 800 e i|. enfeitea pava-cabera 29, para me-*
inas a 640 rs.
Parahomem.
Vende-se na loja de Pari a*completo sor-
lmenlo de roupas, como eej.aa : patitos de pan-
lo e casemisa de todas aa corea, caigas de case-
mira preta e de corea,' ditas de untada todas aa
qualidades, camisas francezas tanto para borneas
como para manios por prejos m.is commodos
do que em outrs quaiquer parte. Do-se aaaog-
iras de todaa as (izendaa que em nossos annun-
cios se v, deiando fioar peohor : na ra da Im-
peratriz n. 60, onde tem um paveo pintado do
lado de fora, e para nio haver engaos de aoite
tem um distico por meie de urna luz em que diz
tta?AVAO.
ccesso#es 'ftat
:1$ mWlero*.
at^^a^p^k^^
earzKB.naae para cujo 6m eMoatlpTajajawta raaa>-
paa coaxvarioa deaanhoa, taasbem-,araadeaa car
rocas para conducijao de aaaocarete.
aeMa^aaaiaeMMMaeaieaK _atiava^avaai/>aaaMaisf
lieandro < Mi^ "
rfediEr.
; RuadbCStspon.8 A.
', Beceberam pelo paquete francez diver-
aaa fazendaa de bom gosto, que ae ven-
dam por precos baratissimos:
[,Borzeguiiia de Melis a
Luvas de pellica de Jouvin a
Ci tosida novo gosto a
Fivelas pava cinto* *
Gaiamaraa a psaeiM com boUo a
Ditas bordadas a 500 e
Sedinhas de gosto o corado a
Babadoa bordattoe largos por
Eofeites a imperatriz
Ditos de retroz que n'outra parte
. 89 69000
, E de outraa moitas qualidadea por bara-
tissimos pre5os.
Saias a balo de crochel a 39600
Ditas dita de clina a 6*000
Vestidos de cambraia branca bor-
dada de 6|. 10 e I29OOO
Manteletea da grosdenaple a 209000
Organdys de gosto covado a 400
outraa touitas fazendaa por prscoa cora \
modas.
138000
29500
2f000
aaooo
29000
11000
19200
39000
11500
americanos.
Grande
de sortrnreoto dVperfumarias, r
rou-
. pa (eita, chapeos para hornera, aenhora e
''crifcnga e'tudo se aende por prtgos bi-
ratissimoav.-. .
3H9Kitf9KiK
Vende-se no armazem de Jos Antonio Mo-
reira Das & C, ra da Cruz n. 26 :
Safraa a torees para ferrairo.
Ferro snecio em barra.
Lionas de carritel de 200 jardas.
Halas para viagem.
Espingardas francezas muito floas em caixas de
per ai.
Farrea de lata para eogemmar.
Pregos francezas de todos os tamanhod.
Ditos batel grande.
Ditos de construc^o.
Bracos grandes para balanza.
Espingardas lazarinaa.
Ctaviootes inglezes.
-se
tarlatsua Branca muito fina, tanto urna cousa co-
mo ontra so-.proprias para vestidos, nao s psra
bailes como para aasistir-se a casameaana, andem
anltfs que ae acabe na ra do Quetmado n. 92
na loja da Boa-F.
pechincha.
Pe^as de cambraia lisa de 8 1 [2 varas a 29500:
na ra do Queimado n. 44.
Amarga? nao!
No estabelecimento sito ra larga do Rosario
o.35, tudo doce, vend6-se ameodoaa confeita-
daa a 19 a libra ; ditas confeitadas a chocolate a
800 rs.; ditas dito a caoella a 800 rs.: coofeitos a
640 rs. ; assucar candi a 600 rs.; caalanbaa con-
feitadas a 800 rs.; bollinhos de limo a 19; ca-
vacaa de gosto lisbonense a If; latas com 5 libraa
de doce de calda, de sbecaxy, aapoty, laranja,,
cidra, birimb e grozellaa 29500; xa ropas de aba-
caxv, grozells, laranja a 500 rs. a garrafa ; assu-
car refinado fino a 140 rs a libra e 49160 a arro-
ba ; dito baixo a 120 ra. a libra e 3|520 a arroba ;
dito grosso de varias qualidades, caf, cha e ou-
tros gneros proprios ao estabelecimento.
Ruada Sit mala NoTan. 42
Vende-se em casada S. E. Jonhston & C,
allinsa silhsnglezes,candaeirosa castigaas
bronzaados,lonas nglazas, fio devsla.chicoU
paraearros, a momaria,arreiospara carroda
nal a lous cvalos ralogiosda ouro paianta
nglez
Ceblas
baratas.
Vendem-se gigos com 700 ceblas a 1$500, pro-
prias para casas particulares: na rna do Amorim
numero 45.
SAL.
Vende-se sal muito alvo o grosso, a preoo com -
modo ; a tratar na ra da Madre de Dos n. 2.
Mantas de retrz.
Vendem-se mantas de retroz para grvalas a
500 rs. : na ra do Queimado n. 22, na loja da
boa f.
Urna armaco.
Vende-se urna arraaoio nova e em ponto pe-
queo, propria para deposito o* fabrica de cha-
rutos, por muito barato preco : a tratar oa ra
do Arago o. 36, taberna.
Vende-se um excellente coup do raelhor gosto
que tem viodo a este mercado, por prego mdico,
e um cabriolet por menos de aeu valor ; na ra
larga do Rosario n. 24 ae diri quem tem.
N. O.Biebar & C. successores, rna da Cruz
n. 4, tem para vender relogios para algibeira da
ouro e prata.
MSM
Vende-ae salitre de prirneira qualidade por me
noa do que emoutra qualquar parte : no arma-
zem de Antonio Ceaario Moreira Das, no Forte
do Ifaltos, roa da Hoeda n. 27.
Importante
Annuncio
Na loja da diligencia, de Guimaraet Ir-
mao, na,ra do Queimado n. 65.
Carloei de clcheles franeexes com 14 pares a
20 rs.
Pentes de raassa dourados muito finos imitando
tartaruga a 640.
Esjartilhos para aenhora, que sempre se ven-
deram a 69, per 2500.
Trancas de la para vealido, a peja a 40 rs.
ioleoo.
' na ra do Queimado o. 39 loja de quatro
porH> que se vende os mrlhores chapeos de se-
da de firmas mais modernas e bom gosto.
Vende-se orna cass terrea de pedra e cal na
cidada de Olinia, ra da Bica das Quatro Cantos,
com 2 salas, 2 quarlos, coxinha fra e um gran-
de quintal < auem pretender dlrija-se a ra da
Taz numero 9.
Vende-se nm escravo padarko e tambera
ferneiro, bonita figura, robusto e posante :
}uem o pretender, enteoda-se com Narciso Jesd
a Costa Pereira, no largo do Carmo, ou com o
Sr. Antonio Ricardo do Reg, aso casa de quem
est o preto.
Nova california
DE
2 Fazendas baratas.
padaria francesa.
9, Cortes de cambraia branca com babadi-
? nhos 49 e 49500 superior 59, cambraia li-
za com 8 Ir? vara 3J, 39500, e 49, ditas de
Escossia 59, e 69, ricos enfeites para ae-
nhora 69e6{500, sintos os mais delicados
2 para aenhora 29500.33, chapelina para cri-
anca gosto iogiez 30500,49, para baptlsado
i 39, corles de vestido de seda Escosseza de
I booiloa gosto 129 eslo se acabando, ri-
eos lencos delabyriolho 19,15200. chapeo
de aol para senhora de bonitas cores, lisos
5p, cabo de marm 59500, cortes de cam-
braia brancos com ffr de seda 53, risca-
do francez 200 ris o covado, completos
aortimeotos de bales de. arcos 33, sorti-
0 meatos d metas para menino e menina
9 200 a 240 ris o pac chales de tarlatana
de corea a 640 ris, lencos branco com bar-
ras 160 ris chitas ioglezas a 180 e 200 re.
dita francez a a 240 e 280 rs, o covado
pecaa de cambraia de forro com 9 varaa
% a 29 : junto a padaria frsnceza n. 48.
### Cortas da harege de seda com 30 covados a 129.
Tinta TiPPt i* naTl P6rrPVPr"C0It" delaa coo 24 covadoraSf, gsae de seda
i luid prei%pdrd c^crever. com ,indM tt(irn *atiiti cov.doson ra.. Pe-
Vende-se excellente tinta preta para ascrever cinhas de ntremelos com 3 1(2 varas a 19200,
a 600 rs. a garrafa ; na liviana oa. 6 e 8 da pra- fino fusta da coltete a 1*200 : na raa do Quei-
qi d Independencia. mado n. 44,

La para bordar muito fina e lindas cores, a li-
bra a 79.
Massoscom tramposa 40rs.
Lionas para burdar, a miada a 40 ra.
Ditas de peso muito fines, miada grande a 240.
Praujas.de lioho para vestidos, avara a 120.
Apparadhes de porcelana para meninos, pinta-
dot-dourados a IfOOO, 22. 29500 e 33.
Cartae earnanlfloetea a 100 ra.
Papis com algoetee cabeee ehsta a 40 rs.
Eofeites para senhora muita Unos a 3, 4 e 79,
Sintos muito fios para saobcra a 29 e 49500.
Mein de laia e prelas par padre que-aempre
ae venderam a 29 a 640 ra.
Eofeites com flores para senhora>a lg
Colherea de metal muito finas pira
rs. a duzia.
Garfoa do mesme metal a 49000 a duzia.
Aasim coma outras. muitaa miudacaa finaa e ba-
ratas, que deixamoa de mencionar, para bm se
tornar tanta masaada.
Lazinhas a 280 rs. o
covado.
Vendem-se liazinhas de quadros para vesti-
do, fazenda de apurado gosto a 280 o corado j
lia raa da' Imperatriz n. 60, loja do Pavo.
La chineza a 400 rs.
Vende-se lazinhas enfestadaa a 400 ra. o co-
rado: na ra da Imperatriz n. 60, loja do Pari.
Cambraias de seda.
Vendem-ae finissimos cortes de cambraia de
seda com dous babados e de apurado gosto a
495OO cada corte : na loja do Pavio.
Vestidos brancos.
Vendem-ae Qniasimos cortea de cambraia ta-
rrada com babados e duas saiaa. fazeada que ae
vende em quaiquer parte a 89000 rs o Pavio
est torrando por quatro mil ris, ditos com bar-
ras bordados a 28500, 39 e 33500: na ra da Im-
peratriz n. 60.
Cambraias de sal-
picosa 4$000.
Vende-se cambraia braoca com sslpicos mfudi-
nhos, tendo 8 } varas cada corte, pelo barata-
simo prego de 43000, senlo fazenda que sempre
se vendeu a 79000: na rus da Imperatriz n. 60,
loja de Gama & Silva.
CASSAS LAVRADAS.
Vende-ae cassas lavradaa fazen4a do ultimo
gosto pelo baratiasimo prego de 33500 : na ra da
ImperaUiz n. 60, loja do Pavio.
Sedas a covados.
Vende-se gridanaples preto muito incorpade
a 19500, 13800 e 29000, dito cor de rosa, azul e
amarello, sarja branca larrada para vestidoa de
noivas, e outras qualidades de sedas por precos
baratissimos : na rus da Imperatriz n. 60, loja
do Pavio.
CHAPELINAS
a G$00 cada una.
Vende-se chapelinas modernas enfeiladas com
muito gosto para senhora a 69000 cada urna : na
rna da Imperatriz n. 60, loja do Pavio.
Leucos para mo.
Vendem-se muito delicados lencinhos de cam-
braia de linho com labyriotho a 29500, ditos de
muito gosto a imitacao de labyrintho a 800 e
19000: na ra da Imperatriz n. 60, loja do
Pavio.
Madapolao enfestada a
tres mitris.
Vende-se pegas de madapolao entestado com
12 varas a pega: na ra da Imperatriz n. 60 loja
do Pavio.
Phantasia asis mil ris
Veavde-se muito ricos vestidos de faotazia cora
babados de muito bom gosto, fazendaa de 129000,
por 63000, na ra da Imperatriz n. 60 loja do
Pari.
Filos.
Vende-se fil de linho bordado fazenda muito
fina a I9OOO a vara, dito lizo a 800 ra., tarlatana
branca e de todaa escores a 800 rs. a rara : na
loja do Pavia.
Vestuarios a cinco mil
ris.'
Ricos vestuarios de seda para meninos, fazenda
de 129 por 59000 ; na ra da Imperatriz n. 60,
loja do Pavio.
Clambraias lisas.
Vendem-ae pecaa .de cambraias lisas, fazes>da
mnito tina, com 10 e meia vara cada peca, pelo
prego de59000 a pega.jlitaa de,8 je meia raras a
295OO, 39. 39500 e 48,.ditaa de 6 a meia* vara a 29
e 29O0> pega, ditos para forro coa 8 e meia va-
ras a 1(690 e 29 : na ra. da Imperatriz, loja do
Pavio.
Bmfbs sem ferro a
1 Acaba di
chegar
10 novo armaze
DE
BASTOS k REG
Na rna Nova junto a Con-
ceico dos Milita-
res n. 47.
Um grande e variada' aorlimento de
roupas feitas, calcados e fazendas e todos
estes se vendem por pregos mnito modi-
ficados como de seu costme,assira como
sejam sobresaseos de superiores penos
e casacoa feitos pelos ltimos figurinas a
269,289, 309 a a 353, paletots dos meamos
pannos preto a 165,185. 209 e a 249,
ditos de casemira de cor msela do e de
noros padroes a 149.169, 189.203 e 243,
ditos saceos das mesmas caaemiraa de co-
rea a 99. 109,129 a a 149. ditoa pretoa pe-
lo diminuto prego de89,109, e 12|, ditoa
de sarja de seda a sobrecaaacadoa a 129,
ditos de merino de cordao a 129, ditos
de marin chines de apurado gosto a 199,
ditos de alpaca preta a 79. 89, 99 e a 109,
ditos secos pratoaa 49, tfiuos de palba de
seda fazenda muito auperior a 49500, di-
toa de bria pardo a de fustio a 39500, 49
a a 43500, dito de fustio branco a 43,
grande quantidade de caigas de casemira
preta e de cores a 79, 89, 99 e a 10, ditas
pardas a 39 e a 49. ditas de brlm de cores
finas 8 2(500, 39, 39500 e a 4(, ditas de
brim brancos unas a 49500, 55, 59500 e a
69, ditas de brim lona a 59 e a 65, colletea
de gorgurao preto ede corea a 55 e a 65,
ditos de casemira de cor e pretos a 45500
e a 59, ditos de fustio branco e de brim
a 39 e a 39500, ditoa de brim lona a 4{,
I ditos de merino para luto a 49 e a 49500,
1 caigas de merino para luto a 45500 ea 55,
eapas de borracha a 99* Para meninos
de todos os lmannos : caigas de casemira
prefa e de cor a 55, 69 e a 79, ditas ditaa
de brim a 25, 39 e a 39500, pal tota aac-
[ eos de casemira preta a 65 a a 7, ditos
; deeor a 63 a a 75, ditos de alpaca a 139,
aobrecasacoa de panno preto al29e a
14, ditoa de alpaca preta a 59, bonete
para menino de todas as qualidades, ca-
misas psra meninos de todos os laman hos,
meios ricos vestidos de cambraia feitoa
para meninas de 5 a 8 anoos com cinco
babados lisos a 89 e a 125, ditos de gorgu-
rao de cor e de lia a 59 e a 69, ditoa da
brim a 39, ditos de cambraia ricamente
bordados psra baptisadoa,e muitaa outraa
fazendaa e roupas fei tas que deixam de
ser mencionadas pela aua grande qanu-
dada ; assimeomo recebe-se toda equai-
quer encommenda de roupas para ae
mandar manufacturar e que para este fim
temos um completo sortiment o de fazen-
das de gosto e urna grande officinn de al-
faiate dirigida por um hbil meatre que
pela auapromptidi e perfeigo nadadei-
xaa desejar.
Vende-se urna grande qnaotidae'e de
americanos, coma sejam : ricoa guarda-i
de mqgno, meaaa redondas1, df
tureirsi, estantes para Ifrroa. secretarM, conso-
los, cemmoda cosa armarios anoaratfbrea ban-
ea para fy^ porU-lqaraas. cartlra, topeado-
res, camas de caaal,! commodas. etc., te,, n>
astea objectos iateiramente modernos, e por mf
eos muito em coola, nr cu. de lo rVpTi.OQ
Atttoner. niaaoWp#aflfoVn.'W iTOS
No pateo de Carmo, labanae u 1, t*demv
se garrafdes Mari ganaba da magra superior
por 1J800.
Ao tabaqtiritan
Vendem-se superiores leogos frsacezes a fmi-
taglo dos de linho, muito pranraia para os taba-
quistas por serem de cores eajeafas e files, pelo
baratlssimo prago de 5 a 65 a duiia : na ra do
Queimado n. 22. na bem conheclda laja da boa f.
Fil 'Vio e tarlaUMu
Vende-ae superior fil liso a tarUUu branca
ede corea, pelo baratisaimo preoo de 80aVrs>a
vara ; na bem eonhecada^leja. d*,bo, ama
do Queimado n. 22. hS
Toa\\\as j/wn maos.
Vendem-ae nrastp boas toalbas par dm palo
barato proco de59 a duzia ; na,. ru d* Queiaaa-
do n. 22, na loja da boa f.
Ricos enfeites.
Vendem-ae ricos saporas enfeitea ea mais
moderos que ha, pretos e da cores, pelo bara-
tiasimo preca de 6 a 09609 na loja da boa f,
na raa do Queimado a. 22.
Cambraias de cores.
Vendem-ae cambraiaa francezaa de lindas co-
res, pelo baratissimo prego de 289 o covado ; na
sata da Qaeiaaade h M; na bem eoarbecida loia
da boa f.
Na taberna da praca da Boa-Vista n. 16,
vendem-se batatas ltimamente desembarcadas,
muito grandes, em gigos de urna arroba, pelo di-
minuto prego de 19280.
Cambraias francezas finissimas.
Superiores cambraias francezas maito finas, de
muito bonitos padree, pele barata pieco de708
rs. a vara : na loja da boa f, na ra do Queima
don. 22. ,9
Vendem-se os engeuhos
S. Pedros Espirito 'Santo, am-
bos moentes e correnles^fi
d'agua, sitos na freguezia de
S. Bento comarca de Porto
Calvo e provincia de Alagoas,
o primeiro tem casa de enge-
nho e poucas obras, porm
safreja quatro mil pes, o se-
gundo tem boas obras, porm
s safreja don mil pes:
quem pretende-los dirija-se
a ra da Cadeia do Recif n.
26, primeiro andar, que acha-
ra com quem tratar.
Vestidos.
Ruada Cadeia
%
t
Allencao
sopa a 109
3#200.
E pecWna
VeDdem-se muito superiores saias de cordie
que fazem as vexes de baila, toroaodo-se mais
recorameodaeia por se poderem lavar e engom-
mar, a 39200 cada urna: na ra da Imperatriz n.
60, loja do Pavio.
Taixas,
Vendem-se cai&des vastos proprios
parabahuleiros.funileirosetc.a 1#280:
quem pretender dirija-se a esta tipo-
graphia, que ahi se dir' quem os tem
para vender.
Vndese
na ra do Queimado n. 19
o seguinte.
Pegas de cambraia Ooa adamascada para corti-
nado com 81(2 varas, pelo barato prego de 59C00.
Toalhas de lioho adamascado para mesa a 49.
Cambraiaa de aalpicot graudos muito linda a
59 a pega, ditas de ditos miudinbos floas a *9500.
Lencoea de bramate de linho a 39000.
Cambraia ailada para forro da vestido, com
8 112 varas/a pegs por 29.
Graadea colchas da fustio lavradaa a 9.
Chapeos eofeiudoa mnito lindos, proprioa para
meninos a 79 eada um.
Cebertaa de chita, gosto cbinet, a 19800.
Rica capaila pata ooira, d fiar a laranja.
Aigodio com 7 pai*aoa o largo 600ra. avau
Lengoea de panno de lioho a 19900.
X
----------------_-
n- 23.
Ricoa vestidos. de aeda, de cambraia
bordados e de phanUais, laasvoba da co-
t res, sedas de quadrinhos e de listas, ca
aaa de cor modernas, cambraiaa com lista
p de cor e bem assim outras fazendas pro-
prias para vestidos.
Manteletes e chapeos.
Superiores capea coropridas de gorgu-
rio, manteletes, taimas de erex, de fll
e de outraa aniilM qualidades, superiores
chapeos de palha entestados para se-
nhora.
Novidade.
Modernos, enfeites de cabeca, luvas da
pellica de Jouvin, laques, espartilhoa,
pentes de tartaruga, saias balio. camisas
para senhoras e meninos, sintos, mias
ioglezas para aenbora, mangaita e golas,
pulceiras de aendadalo, chapeos de palha.
Roupa feita.
Completo sortiment de ca'^as colle-
tea, paletpls, sobracasacas de panno, case-
mira, aloaca etc.: oa roa da Cadeia o. 23
loja de Gurgel dt Perdigie.
500e400.
0 rival sem segundo na rna do Queimado nu-
mere A, est queimando aa seguintes miodezas
por pregos que a todos devem admirar tanto pa-
las auaa qualidades, como tambem pelos precos.
A ellas antea que ae acaben.
Crozas de peonas d ac a 400 rs.
Ditas de miozinha, muito finas a 500 rs.
Calas com agulhaa francezaa a 120 rs
Caixas com aoarellios para divertir meninos a
240 rs.
Ditaa muito finas e granaos a 500 ra.
Grozas de botea deoaao pequeeoaa 120 rs.
Ditas de ditos de lauca a 120 re.
Duzias de baralhos portuguezes a 19490.
Tesouraa muito finas para un has a 400 rs.
Dita para costuras muito finas a 400 ra.
Baralhos muito finos para roltarete a 240 rs.
Agulheiroa com agulhas a 80 rs.
Caivete de aparar pennas a 80 rs. .
Ditos com duaafolbaa a 160 e 240.
Pegaa de Irauga de lia de todas as corea a
Pegas de franja de lia de todas as cores a 800 rs.
Sapatos de tranga de lia fina a 19280.
Cartas de slfinetes francezes a 100 rs.
Caixas de ditos ditos a 60 rs.
Escovas para limpar denles muito finas a 200 rs.
Massos de grampoa superiores a 40 rs.
Cartas com colieles com deleito a 20 rs.
Ditas ditas superiores a 40 rs.
Didaes de ago para senhoras 8*100 ra.
Apitoa de chumbo para meninos a 20 ra.
Eofiadores psra vestidos com 4 varaa a 80 rs.
Caixas com clcheles, francezes a 40,ra.
Cartas de alfinetes para armador a 100 rs.
Fios de coral de rau a 640 ra,
Charuteiras muito fina a I9OOO.
Maior reduccSo nos precos para acabar.
Vendem-ae no armazem de Braga Son & C
oa roa da Moeda, taixas de ferro cuado do mui
acreditado fabricante Edwio Maw a 100 rs. por
libra, aa mesmas que sa randiam por 120 rs.
w-

AzaiU da dend.
Azeite de amendolm.
Azeite de peixe.
Tudo no Forte do Mallos ou largo da Asseaa-
blia n. 1.
[50 A-Rua da Cadeia do Recife-50 A|
H, 600,|
4^50Q e 5.
Manoel Gongalve de Oliveira Santo,
acaba de arrematar urna porcao de ra- i
zendaa muito barato e por iale vende ba-
rato para, vender muito, vende anaito pa-
ra vender barato grvalas tle seda a 500
rs., entalla de ridrilbo que sa tem vendi-
, de por 49 a 19, chapeo da sol par se-
nhora 29.IOO. ditoa de cabeca-a garibal-
di a 49500 e 59, venham a eata eatabele-
.cimento.ser estas pecbiacbaa que adaaav
RK>gQS.
Vanda-sa em easa da Johnstoa Psler C,
raa do Vi gario B. 3 uta beo aorlimento da
ralogios de ouro, patente ingles, s um doaaais
afamados fabricantes de Lirarpool; tambem
urna variedade de boaitaa traaaoalaaapara os
mosmoa.
AttenoSo.
H* ra do Trapiche nia\ e caaa de Roaker
Rooker St C. existe nm voso aorlimento da lin-
haa de corea e brancas e em carreteis do melhor
fabricante de Inglaterra aa qaaea sa renda*pac
preces mal raxoareia.


mmm
f
*
t!RL$&J?~:?Fi" ton",,ar
amM-4eo*M 2E?^L* "^*^ *., na leja bagla
bstmee, a. tt roe ieXWeiteado n. 16.
toaldes
----------------------------~ ________
a ffa
Kara
Vaode.e ranA^Uabeo ; o. rma larga da Ro-
li^ W%HM batee ae^aoda. Jote de ano-
paradentes.
Est Ansironte remediada a falta que se seo-
tia dessa apreciavel opiata regleta lio proveito-
M e neeessaria para os denles, Isso porque a lo-
ja d'agoia branca acsba de recebe-la de ana en-
commenda, e continua a renda-la a 1J500 re. a
- Cain-. qtteh fetos prevenir-a* mandaade-a comprar em
dita loja d'agoia brinca, ra 4M'Jt.rm.d n. t.
\ "WH" leja adeaa-ee aauias
00, ateta se dir o preco
-Jira ateca de bonita igo-
Cassas miudiaias,
Am ts: 0 cafado
rendemse CBssas^^aea*vahae.pele nHoutearaeode. 2SKMaw,o WMdq^no arawtem
de azeadan&J. J,idntGeuvae, ra daQueima-
^ ****.** callesjio.
tai
'.)
ifj
ir,:
Navalhas d'aco
comcabpaejtiarfim.
EspoDJas flftHS
para o rosto.
i*
t OlU
: Veade-se mol finas esponiaa para roete,, a
cada ama : na rita do Qoeimao, lpj "Bfy
ranea n. 16. i j aivad aol
para acabar ...i
: Mantelete de seda a 14,18 e WJ. (alendamuf-
lPida ; nana do Queta Me .VI.
' tuI i I
A l^flCTO.
i


4
Vende-se na loja d'agoia branca mui fina*aa-
veakaa dfccO re(j* c*z>-*&.,
para aaaorar-ae a-iteaavad ettaa basta dh*r-
ae aueaa doeafetnadoa e acreditadas (abrieae-
u-fl2SLftB"Vt^!r'C?!-*MU'o'd*'0',M- Jouvio, Unlo para homem cerno para aenhora,
hS'Tii' *cu*,# Q*tH>,'loj'*g*ia advertiado-se que para acuelles ha de muito lin-
".'. I, daa florea, na tainr'-
A Jojad agoia branca recebeo essaa peonas
galvanisadas, de norfssim* e mui bo* qualidade,
e aa esta- vendendo a 2JKKX) a csiiinha com urna
&!&' M-Jt.*r* 4aaa peanaa foram offa-
recUas I GaribaldJ; e par it>o Kium o mu re-
tracto, e as referida caixaa ae encentra o dte-
'icopeon.s Garibami.
S se encontrara na roa
d'agaia branca n.ltJ.
Metete de panno fleo ferrado da seda ; na roa
do Queimado o. 47. i
A*Q0rs. o covado.
Cana! toda preta : aa roa do-Qoelmado a. 47.
A 600 rs.avara.
Fil de linho liso : na ra do Queimlda n. 47,
Na loja da boa f, na ra do Queimado n. 22,
sempee aa encontrarlo aa verdadeiras luvaa de
daa orea, na menciooada toja d. boa fe. na raa
do Queunado n. 22.
iA -
I
Lete virginal
infallivel remedio para
sardas e panos.
O teite virginal j beca conhecido como reme-
dia iafaUirel para sardas e pannos, vende-se a
S ra. o (rasco na rna do Queimado, leja d'aguia
-
branca n. 16.
As verdadera tovas
a
ticopeooaa
do Queimado, loja
T(mqitittbasd setiDa, 9a-
patinhos de dfto bor-
dados, e meias de seda
para bapsado.
Xloja d'aguia-branca acaba de despachar deilo*a d'**,l'a hranea, oa ra do Queimado-a.
a propria encommnda, no bello aorliueoto ,eado de tod" core-
dos objectoa aeima, e de muito bons goatoa, aen-
do as touqlnhM,,.de stm mu bem eofeitadas
de Jltaa e flores a "OOO, iodo cada urna em su.
camnha, sapatinhos da aetim branco muito bem
bordadoa a 3$ ra.t e meiaa de superior qualidade
tanto brancas como cor de carnee pintadas a 2f
"' aP"i,: l,,ei "unido de dinheiro dirigir-ae
ra do Queimado, loja d'aguia branca o. 1$, nao
deixara de comprar.
Aeabam de chegar palo ultimo vapor
Cassas
-
as na
Pavo.
loja
i-
do
Vendem-se finissimas cansas garibaldinas aen-
do eiUs caasaa as mais moderoas quetem ehe-
f Vloffde 'AS: fK. '" d' tatoh
Na loja da arara.
VeBde-se pecas de madapolo fino eafestado
'* coles d,e caenjira prata para calo a 3J600.
ditos enfesUdos e de corea finas a 4*500, cartas
de [ustta .para calca* 1120. cortes de bnm de
core, a 1280 a 18600. caaaaa finas a gariboMi a
Sao e 320 rs. o cavado, grasdeoaple de carea pa-
ra vestidos a 1)800 ocovado. panno preto para
caigas e paletots a 28 e 2500 o covado, aaiaa da
algodao para balso a tltOO, balo de madanalio
a Sf, ditos de 20 a 30 arcos a 3 e 38500, lanai-
nba entestada a 400 ra. o coiado, alpaca de co-
res para paletot a 400 rs. o covado, ditas a 160 e
180, ditas largas a St20, 240, 260 e 280 o covado,
e oa tras muit.s (aaendas que se vende baratia-
simo: na raa da Imperatnz loja da arara da 4
portas p.bo, est .berta at 9 horas da noite e
tam a no>'e umrelogio com lellras
Arara n.56.
em que diz
Potassa da Russia.
Vende-ae potassa da Russia da mala nova a
superior que hs no mercado e a preco molto
commodo: no escriptorio de Hiooel Ignacio d.
Oliveira & Filho, l.rso do Coro Santo.
Loja das 6 por-
tas em frente do
Livramento.
Chapeos de sol de alpaca a 4$.
Duzia de meiascruaa para homem a
1)200 e o par a 120 rs., ditas brancas
muito finas a 28500 a duzia, leocos de
eaasa com barra de coras a 120 ra. cada
um, ditos brancosa 160 ra., baldes de
20 e 30 arcos a 3<, lazinha para ves-
tidos a 240 o covado, chales de merina
estampados unos a 5) e 6), tarlatana
branca e de .cores muito fina .com vara
e meia de largura a 480 rs. o covado,
fil de linho liso a 640 rs. a vara, pe-
cae de cambraia liaa fina a 3), cassas
de cores para vestidos a 200 ra. o ce-
vado, muaauliDa encarnada a 320 ra a
co*ado, calcinhaa para menina de escola
a 1{ o par, gravatinbaa de tranca a 160
ra., petos para camisa a 200 ra. cada
am duiia 2), pecas de cambraia de sal-
pico muito fina a 3)500, pecaa dp bre-
taona de rolo a 2), chitas fraocezas a
220 e 240 aa. o covado, a loja est
aberta das 6 horas do manhia as 9 da
noite.
para a
16,

iii de sed, como da At, ri-
\M.'Wfw que quize-
fp. por todo preco a
al..?1SJ?kU" de r80T,P,r"iberase me-
rem luxir eos
aaber: de Sf,H, g, g 'lopj
Attenco.
Chegou oa raa do Queimado

senboras e meninas.
^wawr'. :r ?
fcoi) > i ep era-i-i'oioaOA i
f ->,
Uta) ib i ,
l*a*:if
boada uso-j ,oiiul olld., a -Ji



Baianca.
Veode-seuma baianca decimal com pesos e
com pouco aso, propria para qualquer fabrica oo
trapiche: uem pretender, dirija-se a raa da
Pr.ia n. 44, para ver e tratar:
50 ARa da Cadena do Recite50 A
E'-barato que admira!!!
Aranita
A 400 rs.oeovado 6
3>000.
Manoel Goncalvea de Oliveira Santos vende
para a presente estsebo vplludilho de ramagens
proprios para vestidos a 400 rs. o covado, enfei-
tes para cabeea de senhoras & Turqua a 3f cada
um, veoham vero bello sexo para saber contar;
50 ARa da Cadeia do Recite5 A
3*OH53BE*
Para bailes.
Ricas grinaldaa napolilanas, proprias para bai-
les e casamentos, chegaram loja de Guimaraes
& Lima, no ultimo vapor viudo da Europa, sao
as de mais gosto que se tem visto, e qoe oroam
com a maior elegancia o mais bello ponteado que
qu.lquer senhora posea imaginar : oa raa > do
Crespo n. 7, loja que faz quina para a ra do Im-
perador.
Arado americano te machina-
par a lava rrouparem caa de S.P.Joi
blton 4 C. ra daieniala n.44.
Legues.
Veodem-so Hados reques de madreperola, o
maie fino poasivel: na loja d'agoia da oorp, ras
da Cabugi o. 1 B.
l^ntjoa bmmeos mmvto
Simos.
Vendem-se lencos brincos mullo finos, pelo
d^?toJll*p,*^.ie,*W aif. grande pe-
chioeba : na loja'da boa f, na raa do Queimado
numero.
Farinba de mandioca.
Vende-ae em acca, propria para aaimaas
no bacco Largo n. ,6V
400 rs. e 7J000 r;,
o corte.
E'de admirar!!!
Cortes de vestidos de lias de eores lavrsdss a
7) o corte, cambraia e cores a i mita gao de or-
gandys a 480 rs. a vara, venham ver para saber
ontr.
de cambraieta.
Vendem-se superioressaias de cambraieta mui-
to fina, com 4 pannos, pelo diminuto preco de
Bti a alias, qae sao maito baratas: na roa do
Queimado n. 22, na bam conhecida loja da boa f-
Paletots
brancos.
Vendem-se superiores paletots de bnm branco
de poro linho, pelo barati.aimo preco de 58: na
raa do Queimado n. 22, na bem coohecida loja
da boa t.
83 RIJA DIREITA 33
Grande armazem.
eTragens e miudezas.
Sem bandejas, aem eolheres, sem garlos e fa-
cas, impossivel paes.r a festa 1 neate armazem,
pois, enconlraro as familias o melhor.e mais ri-
so sortimento por pregos ioferiores aos de pri-
meira mi, e reparem.
Bandejas recortadas e finas a 1)600.
, Ditas ditas a 2).
Ditas ditas a 3J.
Outras (sultana valid) 6). 5 e 4).
Faqueiros a 68. 4). 3)600 e 3).
Colheres principe (mpa) 6$ e 4)500.
Ditas dita (cha) 3) e 2&500.
Salitre, ferro, trena de cozinba, e tudo quanto
perteoee a ferragens baratisaim.s.
Camas de vento de louro a 4)800, e de ama-
relio a 5)500.
Manteiga ingleza flor
a 800 rs. a libra, em barril a 720, francesa a 640.
em barril a 600 rs., touciobo a 320 a libra, 9)500
a arroba, gomma de araruta a 100 rs. a libra, 38 a
arroba : oa ra das Cruzas n. 24, esquina da tra-
vs., do Ouvidor.
Em dinerentea ruaa e b.irroa desta cidade
vendem-se algumas casas terreas ; a entender-
se com Actonio Joaquiin Pereira, ra da esmboa
do Carmo n. 7, nos fundos da casa do Dr. Dor-
nellas.
Grande
Superiores paletots de panno preto muito fine,
obra moito bem feits, pelo bar.tissimo preco de
20) ; na ra do Queimado n. 22, na bem conhe-
cida loja da boa f.
Gal virgen de Lisboa em
pedra.
4^^^Z^L'nt6^b,!f ?? *' *&* e W i ipwciadore destete geaero qu
IdM 'frZT Pflnnenl*'. septos de nada perderem pois para isso confirmamos o que latamos dito. *^ qU1
n,^ i* "M,ta'*I"i* *640 rs. alibi a em barris a ratao de 000 re. a libra
UWeJOS ameDgOS Chegados M nltimo T^or a 2)600 a 280.
Ba tat!l T *' ^W-dBS 800 rs. o cento eio mahefro aflanca-se queiisU da qualidade ninguem deixar de comprar
Castanh^ Cm Uma aroba MlBelhorM VfM mercado a i o figo, e em porco da 10 para cima a 800 rs.
"ozes V-"^ m8S P<5^it8 qM tem* m B8rMdo *h,g,d",n* ***" *Mt ^ w' mn e em Pr50 "* lwiip.'
a^n M m,,',n<,m ^^fc^^"0-*(tosiia.ssVta'em,4^eBBi.a 160 rs., afiaoca-se a baa qualidade.
aSS83 talharim, macarro e aletria as mais novas do mercado a 480 rs. a libra e 89 a ceixa.
iiampaohe diimarca* mais acreditadas de 15* 20) o gigo e 1)500 9 a garrafa.
OlaCinia lUgleza a 320 rs, a libra e 4) a barrica, afianca-s. ser a raelhor do mercado,
r^K nle,bOTdo mTC*io ,0 n' ,ibra e 270 oba do da India e 120 rs. a libra do do Mardnho,
Cha hyssoa e prtO o melhor do mercado bV 19700 a 2)880 e em porcao ter batimento, eafianca-ce a boaquandade.
FreSUQtO Hambre inajez hambnrguez a 900 rs. a libra em porcao a 800 rs.
PreSUntOS portugUezeS ,Bdos do Porto de casa parcular a 660 rs. por libra e inleiro a 460 rs.
Marmeiada dos melhores autores de Lisboa premiada nasaxposicoes universaes de Londres e Pars a 19800 a lata
CaixaS COm estrelinha peVide e rdinha a 7000 a aixa e 800 rs. a libre em porcao ter .batimento.
Latas de ameixas framesas cora cinco libras a 49000 e 19000 a libra.
PassaS em caixinhas de oito libras, as melhores de mercado -39500 e a 500 rs. a libra e caixa de ama rroba a 89500.
Espermacetesuperior .74o..moaixa..760rs..mi.. .
Cdriservas francezas inglezas ^poftuguezas. eoo w,.. o fr..
ETTlIhas portuguezas e francezas a 800 rs. a frasco afinca-se seram ts mais bem preparadas que tem indo >o mercado.
Ljta COK bolaxinha de SOda dedivers.sqa.lid.des, .mnitonev..l9d50.egrde8 ded .81br.sde2500 4500.
Srnfa .MWf *^ad9 P011*' PorW fino-8enun<>. "" Carcavellos, M.deira seee., -Feiiori. e Camones a 19200 a 1)300
Vinho em pipa proprios pan paito de 500 a 600 rs. garrafa e de 39800 498001 eaaadt :
Latas COm frufetas da todas as qualidades que ba em Portugal de 700 a 100U lata.
Pera em caixas de 4 a 8 libras a melhor que sa pode desejar e tem vindo ao mareado do 49 a 6 a cxa e 10280 a libra.
LOrmtQiaS em fraseos de 1 1]2 a 2 libras de l|600a 29200.
A rftt^if50111 P6Xe 8aVel p*5cada ou4r' a,uilM qHddeso maisbam arranjado qoe tem tindo ao nosso merc.do de 10400 a 11600
Aramia a melhor que se pode desojara 320 rs. a libra, a 120 rs. a libra de gomma. .
Vinfl0S amendoa com 2 libras, proprias para mimos, por serem muito bem enfeitadas e de superior qualidade a 39 cada
Y magro branco o melhor que temos tido no mercado a 400 rs. a garrafa e 20560 a caada.
Vivri n GierVa M ma'8 yw I"6 ta n,ered0 800 sfH do-eominbo e a 400 u. a eev. doce".
vmno BordeauX de boa qualidade a 800 e 19 a garrafa e de 8)500 a 100000 a doria,
MaSSa de tomate em latas de urna libra do mais acreditado autor de Lisboa e vinda a pr isneir. vez a
l"br.?Ioo raS.^r.Ts^os.amend0a,'Pa8M8 "^ ^ fc m. pr.prio pa mimos, de 19000 a 59000 rs. porc.bi.de2a
Cervejas das melhoros marcas B6o rfc. garrafa. 5 eoooo. duzia d. br.nc.
Vinagro puro de lisboa 340 rs. g.rr, e lOt.50 .caada.
Doce da goiaba da Casca emcaixao a 19 e em porcia a 900 rs;
Azete doce purificado a SOO rs. a garrafa a 99000 a aua eom 12 garrafas.
Gognac melhor qualidade qne tamos no mercado a 19000 agarrafa a 109000 a duzia.
QUIJOS SUSSOS chegados ltimamente a 500 rs. e em porcao ter abatimenio, afianca.se a
Genebra de Hollanda 600 r.. o ir**. 69600 afraaqueir. com 12 frascos.
PailtOS llXadOS para denles a 200 e 160 rs. o maco eom 30 m.cinhos, e flor
dem do gaz SOOOO a groza e 280 a duzia de caixas.
Chocolate o mais superior que lomos tido no mercado portuguez. hespanhol efraneez de 19 a 10200 ali
a^Ir?^Saa8mflb0rflSem*UlM>V" W***""^ al)200..ncoreta do Porto, e.2
Ainenaoas chegadas no nltimo navio a 480 rs. a libra e em porcao ter a batimento.
)lSta o maislimpo que tem vindo ao mercado a 160 rs.a libra e 59000 per rroba.
A lm dos gneros annunciados encontrara o publico um completo sortimento de tudo Undante a molh.d
Venoe-ae na |aja>aa^taa^k'c. .
d-an?ff' Bi2,.8nui''*' chapeo
erp'*,i-1**^ !' SMaaraa, toa
a Garbaldi, ditos a 5voorTdiUMaaai
im,Pra eaioos, diloii *f JS?!
Ganbaldi. dito. ho^^'VSru
a moda ""' e endesa mata barato
r .arla.
-aiaw!''WiMW mm
^a /s^*&5f*'aoft*.-rearfPa'n
anihoe, dius davetrez preta de cores
diloa.de atea torea, riessgritada, pa-
ae reoflea biralo.
Rap francez
t:.Z~ m 6f rCPber pe, ul"o oo
francei um lindo sortimento de vestua-
'. spjam restoanoa de velludo, ditos de se-
JeenLm on,.r"tmuil" qlidade. que
se vendern mais barato doaua em asura
qualquer parte. '***'' "
m
Sintos para senhora.
roaTNnI;'V"-,0,'d.e Nabuco C. na
ra Nova d. 2, neoasiotos donrados, di-
vetludo ludo por pre?o commodo.
A musselioa do Pavo
20(rrs. ocovado.
a
Vende-se mosselina branca com 4 li2 palmos
i largura hienda muitn fin. i Z. '
co de
de largura f.aenda muito fina talo atm"ionl'pr
508 TS. O COVadO. Corle. Aa ki. _J
um.
nosso mercado, de 10 10280.
boa qualidade.
a
a 280 rs.
i libra.
29000asdeLisbee
ios.
'Vende-se a mais ora qae b. no mercado por
preco moito commodo ; nicamente no largo do
Corpo Santo n. 19, trapiche da comjsanbia.
Vende-se urna mulatioba delmpara 14 an-
nos, muito bonita, prendada, e sem vicios; para
Tere tratar, na roa da Imperatriz n. 19.
Vende-ae ama negra lavadeira, co*iubelra,
a extetlete qutandeira. que d laOOD Dor dia de
eelieote qutandeira, que d
genio: na ra nova de Santa Rita n.
Potassa da Russia.
Vewk-se emcaia rJeN. O ffieber &
C, .ucceasores, ra da Cruz a. i-
Esperaoca.
Recebeu de sua encommenda polcei- '
raa de cabello que vende por 10) o par, i
braceletes de mosaicos a 6) cada um i
sgolbas victoria a 1J0 rs. o papel, pen- "
tes de tartaruga a 8, 10 e 12J. precos (
porque ninguem pode vender (bos fa- i
zenda) estes artigos n5o se encontra em 4
loja uenbuma por isso vio a ra do Quei- '
mado n. 33 A, loja da Esperaoca. (
eranca reduz a expres-
sao mais simples. <
(A* DINHEIRO.)
Todos os artigos que esto na loja
muito barato quera quizer v comprar e
ver : ru do Queimado n. 33 A, Guima-
raes & Rocba.
Sal do Ass
8
Vestidos para ca-
samentos. .
Riquiuimoa corte, de vestidos da blondo bran-
cos bordados a seda, sendo os lavorea de moito
gnsto, como grinalda de florea e ramos para o
peito, oa mate proprloa at boje para noiaa na
ra do Crespo n. 7, toja de Guimaraea 4 Lima
esquina que volta para a ra do Imperador.
Muita attenco.
para
Francisco Antonio Crrete Cardoso tem
vender em seu estabeiecimento de fundilo e
caldeiriria da ra do Brum n. 84, os objectoa
abaixo declarados, qae os venda aor preco muito
commodo a saber :
Urna moeoda inteira grande, ebegada ba pouco
de Inglaterra, da melhor e mate forte conitruc-
cao, propria para vapor, ou para ser movida oor
agua. r
Ferro aueco em barras largas da melhor qua-
lidade, a or moito menor prego que em nutra
qualquer parte.
Tullios para estrada
Vende-se aal do Ass, a bordo do brigoe bra-
sileiro Adelaide, recntenteme cbegsdo : a tra-
tar no escriptorio de Baltar 4 Oliveira, ruada
Cadete n. 12.
Na loja oVapoT
Boa Nova n V.
seba-se barato grande sortimento de calcado fran-
eez e inglez, roopa feita e perfumaras muito
finas.
Chitas largas a 220 rs.
na loja do Pavo.
Vende-se finissimas cbilas francezas com pe-
queo toque de mofo, affiancado-se soltar o
mofo logo que se lavem, por serem de cor fizas
a 220 r. o covado : na ruavda Imperatriz n. 60
loja de Gama 4 Silva, w
Na padana da ra do. Quarteis n. 18 con-
tinua-se a vender o ezcellente pao a 120 rs. a li-
bra, de meia libra para cima, bolachioha a 100
110 e 140 rs. a libra, l., 2. e 3. ; a farinba 1/
qualidade a 140 rs.,2. a 110 rs., 3 a 100 rs. a
libra, bolachinha doce a 140 rs. a libra, por ar-
roba 4), amata a 240 a libra. O propietario
desta padaria anda tem para diipor terreno para
mai. de 20 esas de 30 palmos cum 150 de fun-
do : os pretndanles podem entender-se com o
mesrao proprietario que todo negocio far vista
do lagar que eacolherem.
Manoel Antonio de Jess.
Vendem-ae libraa aterlinas ; aa escriptorio
de Amorim Irmaos. ra da Cruz n. 3.
i
wwvvvwv w9 99199
Loja das 6 por-J
, tas em frente do Li-
Svramento.
Roupa feita muito barata.
Paletots de psnno fino sobrecasseos,
s^ ditos de casemira de cor de fuatao, ditos A
8 de brim decore, e braocos, ditos de 2
tanga., calcas de casemira pretaa e de w
corea, de"brim branco edecoras, degan- tk
ga, camisas com peito de linbo moito Z
finas, ditas de algodio, chapeos de sol
de alpaca 4) cada um. O
Zinco'emolhas, propria para cobrir lalhadoa ^Ua ^a SeOZalla Nova H.. 42.
e terracos.
Canos de chombo para encanamento d'agua.
itoa de ferro batido para o meamo fim.
Chumbo em barra muito mate barato que em
ootf qualquer parte.
^Torneiraa da bronza de ledos os lamanhos, dilo
rame de lati de variu groaeurai, Ut0 dito.
Cadlobos para fun No meamo eatabelecteaentofabricam-se machi-
nas para vapor, obra, de ferr, broose, ou qual-
quer outro metal para aavioa, moend.e para ea-
geobos, e ouUaa muilas obras, tudo a contente
do. qoe aa deaejar.
Nova exposico.
Ra Nova n. 20.
Riqoissimo sortimento*de cotilertes em todo
o genero, assim como um riqoissimo sortimento
de louca de porcelana para cozinh), riquissimo
sortimento de metses, riqoissimo sortimento de
miudezas, e outros muitoa artigos. qoe com a vis-
te do comprador se poderao apreciar : na ru.
Nov. n. 20, loja de Carneiro Vaona.
Bombas de japy.
Ru. Nova n. 20, loja de Carneiro Vianna.
Canos de chumbo.
Roa Nova n 80. loja de Carneiro Vianna.
k'ende-se lavas de amurca 6nT bran- i
cas e ama relias para militares a 2) o par : S
" lol Naboco & C, na roa Nova o. 9.
Vende-se o grande sitio denominado Caia-
na, aito na freguezia da Varzea, de muito boas
trras, que todo quanto ae plante di urna grande
quanlidade, com uma casa de taipa ji coberta
urna dita de fazer f*rinha, grande queniid.de de'
pea de cafezeiros, com diversos pea de frncteiraa
como aeja larangeiras, coqueiros, etc., etc.; e'
tambem vendem-se duas vaccas qae dio bastan-
te leite, uma dellae com a cria j grande, e am
burro manso : a tratar na ra de Sebo n. SO.
Libras sterliuas.
Vende-se ao escriptorio de Manoel Ignacio de
Oliveira e Filho, largo do Corpo Santo/
Queima-tudo
Serve para se deitar nos casticaes e segurar
?el. de etpermscete, fateodo-a qoehnar at o
ira, e preservando os mesmos de se qaebrarem
eom o calor da luz: vende-se a 500 rs. cada
brwea"D.BlJ.' "* d Qortm"do' lo d'8ui
covado, cortea
c
musselina branca
de chita
com 10 covados a' 2* "indo
par. apurar na rti, da ^2
^s^^iviwzriiSS"
60, loja 4p Gama 4 Silva.
Lindas flores.
..fl>.I0*<1l88Ua de ouro- rua oCabug n. 1 B
receberam de soa propria encommenda um com:
pelo aortimento de flores, o mais Dno que pos-
.!rtenU(;0nlr"r,pro1priai psra eDfei,e9 de cabeea ra
vestido, coosa muito chiqoe. que se vende por
p^coque admira, sendo a 800 e 1) o cacho. P
-90j|qf O Bl^sftaettsjTre
Vende-se ama baniacTde tetaloT(.72
25 canas sendo esta nova com lodo seo 2?
apparelho, cuja aiada est no eataleiro,
fP construida com as madeiras meibore k
a| que ha : os pretendeBies podem -dirigir- 2
m "!k 'a* da Prail 9- ""> que
Sa? sobara com quem tratar &
9itfttMa|l
MI
BnI"V,l!? 0lflo d0 Pal"> nacional tPaoli-
Srfjotol?" Mar"ue8'Ba"- & t Urgo
Attenco.
43 liua do Amorim 43
(iravalasdaiiioda.
Na loja da bos f, n. roa do Queimado n. 22
se encontrar om completo sortimento de grava-
n,J.8eK ?'eUt* de cores' I e 'endem por
Sea?. da"! nltlB, com? 8eJ8m : estreitinhas
F.!?r^',!,8.core8 a,' dit" com ponas
argas a 1*500, ditas pretas bordadas a 1J>600. di-
0 Pava.
Vende-se calciobas bordada, para
_>, luvas de aed* >nin n... ...
homem fazenda
S,J.u"?.?e_'da unte"p7ra"aenhrs comoIDp"
em perfeito esUdo a 500 rs. o
S .!'* l?d" (ua,'tl4"e Pa aanhoras
e meninas esaias bordadas om muito gosto:
da Imperatriz n. 60, loja de Gama &
na rua
Silva.
Kscravos fgidos.
Neate eetabdemento vende-ae: ta-
chas de fer/o Toado libra 110 r. dem:
de Low Moor libra a 120 rs.
Urna barcaca.
Vende-se ama barcaca do porte de 35 caixaa,
D^**} *-vtesii da meatre carpinteiro Ja-
einlho Rleshie, o pe da fortaleza daa Cinco Pon-
las, .ende poda ser vista e examinada pete, pre-
teudentea ; veode-sa a preso ou a dinheiro ;. a
,r,M."*" *anoel Alves Gaarra, na raa do Tra-
piche n, 14.
Joaqalm Pranclsco da Mello Santos avisa aos
seus freguezes desta prac. e oade fr., qae tam
eiposto i venda sabaode auafabricadenominada
Recitenoarmazem desSrs. Travaaaoa Jonior
C., na roa do Amorim n .58; masss amarelte
eastanha, prata outras qualidadaa
.- por menor
proco qae de o atrs fabricas. No meamo arma-
M^T..0J,'^a.f epo,lt,d r#u" "
de
Esteiras de Angolla.
^.^!fd1,?"?'l*0,? mhtin* *Hta: aa
cisssi! '***^* ^^
Meias para senil on.
Vand'm-se superiores meias-psr snbora pa*
Pugio do edgenho das Maltas, comarca do
Cabo, no da 28 de setembro de 1861, um escra-
vo por nome Joao, crioolo, vermelbo, altura re-
gular, groaso do corpo, eapadaodo, idade de tra-
la lanos anooa melteo-se as mdbs do enge-
nbo do Monte, at que lbe tiraram uma p.jga
que levava. e logo que se vio sem ella dizem que
turtou nm qoartflo melTado com cabellos pretos
e com principio de carrego,* tambem fez um
pequeo roobode-roopa : desappareceu o caval-
lo a 17 de oulubro. Eate negro j tem sido pre-
se no Recite duas vesos, a primeira vez Iraba-
lhando cora uma carroea. e a segunda vez foi
preso trabalbaado em um armazem de asaucar
como forro : quem o pegar leve ao engenta aei-
ma, aoe ser. bem recompensado.
Fugiram do engenhoConceicao, sito na fre-
guizia de Tracuobaem da aomarca de Nazareth.
no da 4 da novembro de 186oTdoua eacravas
mulatos coro os nomes e slgoaes seguioles: om
de nome Paulo de 45 annna de idade pouco mais
oa menos, offlcul de padrdVo, sapateiro e pti-
mo nolieiro, de cor alaranjada. cabellos carapi-
nbo. rosto descamado, olbos brsncos, nariz e
bocea regulares, um pouco secco a de estatura
media, o qual tem dous dedos da mao direita
aleij.dos de am pansrico, e tem tambero o dedo
mnimo da mi eaquefda cem igual def-ito, a
cima da sobrancelha de um dos olbos uma cica-
triz, proveniente de um taino, e oulra cicatriz
com um carociobo cima da meama, com una
dos denles oa frente quebrado.qoando ae embria-
ga torna-se arroaante. Esse escr.vo j foi sur-
redo e consta andar pel Recife, Lodo aido visto
para aa banda, da Soled.de a Santo Amaro por
algumas peaso... a quem tem ditohaver-se libea-
w 0ut0' df Don>e '''Uppet de cor iriguei-
ra, cabellos Caraplnbosteautur. baia, ou regu-
lar, bem barbado, um pouco secco, bem fallaute
e cantador com 30 annos de idade, anda ligeire
e muito despachado no aervico de enzada e foi-
ce, Com falla de deoles na frente, com olhoa un
pouco anltooibadoa e capiongo*. Quera appre-
hende-Tos leve-os o dito eogeoho ao aeu senbor
O tenenl-corooel Joao Cavalcanti Mauricio
Wanderley, qoe generosamente recompensar.
Escravo fgido.
Poglo no da 43 do crrante, da fabrica da raa
do Brum n. 84, o escravo Antonio, crioulo, de
Idade Oamsoa, poeco maia oa menos, de estatu-
ra batea reforcade, eom sigDaes de bexiga. no
reato e rio da perna aqaerda.deacoDfla ae que
tenba elle sa evadido para al.um do. engenbea
se norte desta prsca'por ter | isso platicado al-
gumas vezas : TO|a-ae, portento, a qualquer pes-
a que o apprebender, o favor de o mandar en-
VStS^SS&SSLwS';'" ^ ffir*^'^*ri.iiTS's:


* anonmu *MmBtmaW& >U*u
Littertcira.
----------JI-----ti **-
' OS CONTRA!
dt Ltrm
u nttoK DOS KOSSOS TUf
Taraao telvez a
O* a Asia. P
te-de fem, e-qUei
gado.
Eis o aso
Urn'>e1Ht
"ali*4*tra,
por Jal Igual ;
em uma
, j cochelro
balas ao pdeum edificio de pe-
i entrena 'aquella menos que 1-
coaeaoo Ucheroemore () que estar
de seaiiaelU m du berr aites* ouvtoeo ue-
ger da campainha da carruagem, griloa com o
brusco entono de euem desparta:nuera vem U ?
1 noatUltnte Stima a- reconheeee-me o ou -
naduk e un cabo a'eeqnedre.
Disse-lbe que era una official em'eo*misso,
porordam deotep, fe di para ser aboletado
miliiarmeate.
0 sargento deu e* uaa ordens ao csbo, que,
depon de cottezsneaU -me pedir que seguisse,
pot amorto, isteroando-me ao seio da ci-
dade.
Os isbas (5) ataran) lodos occupadoa, segundo
elle me dieee ; tempe ere regidiMimo, o eu
que ha*ta pssaado-tras oites de vigilia, j (arta
oe correr secca a necea atrs do cabo, lenlei-
in n'um poial, davoetalrendo por 'asta modo a
pauca ou neohume vootade que tinha da o acom-
paaharnu iur.* iotermineveu indagarles.
*i- O' meu amigotova-ose para algoata parle
onde me deem gasalliado esta ooite, inda que
saja era casa do oiabo.
En sal de ubi cabana, meu official, retru-
cou-nao o cascaco, con esto embarace, que nao
procurou-dtaeiortatar, a emperligaoflo-se o rasis
militirmapte que podeu sei de urna pousada...
Nova hetitacao da parle do cabo. --
Desembucha 1 com ua milhio do diabos I
Pordm, recelo bastaate qa ella nao agrade
a V. S.,'por nio sor nada coaveniente, o...
Marcha at l, foi a minha reaposta. Ede
novo nos posemos a ctminhj.
Depois da om estirado transito, por um labv-
riotho de tortuosas o immundss vieUs, onde da
uro e ootro lado, em vez de casas, a vi.ralbas
estacadas ameacando ruioa. chegamoa finalmente
o urna cabana reota boira mar.
A la cbeia clareara o tacto a as paredes bran-
cas doetvergne, ajea ma er destinado para pau-
sada.
Ao Cundo do pateo, parallelogramoio, murado
por uqs intrincheirameotos de sellos a ealbau,
erguia-ae urna outra cabana mais mesquinha e
d peior aparencia do que a primeira. Era o
chao desta em declive, urna especie de plano in-
clinado que termioavs junte ao mar, cujas vagas,
como domadas pela influencia dos raios da la,
que desvelada: a meiga contemplara o trbido ele-
mento, rioham expirar moribundas meus ps.
Ao looge, no plano mais remoto deste quadro, e
em roeio da claridad* da la, avultavam doos
navios, dos qaaes o negro corda are, eeweaffl-
guruu como teias d'aranha urdidas sobre o azul
escuro do cea.
Besa I dista comigo; eis quinto me pre-
ciso para passar esta ooite. A'manha, pro va-
velmente, poderei partir para Gheledchik.
Servij-ma ento de camarada usa cossaco do
exercitu. Ordeaei-lha que me trouiesse as mal-
las, despedase o postilhio, e chamei pelo dono
da casa. .
Nenhuraa respaila.
Bati. O mesmo silencio.
Toroei anda a bater, j sem espersnca deque
ice ourissem, quando alilm me aaedo vestbulo
da arribana um rapasto, que a jalgar pela esta-
tur6 oreara pelos seus quatorze a quinze anoos.
Oode est o dono da cas?
E' cousa que ci nao ha I respoodeu-me o
adolescente em dialecto da Russia menor.
Como! Nao ha?...Edooa?
Sabio.
Quem me had ento reeeber ?
E como a prolongarlo desta scena me im-
pacieoiasse, empurrei eom um joelho a porta,
que se abri por si mesms, dando passagem a
urna ooda de vapor hmido e nauseante. No-in-
terior da chossa era profunda a escuridao. Pu-
chei de um phosphoro, acendi-o, e pu-lo fi ca-
ra do guarda desta moradia. Porm qual nao
foi o mea espanto o rer alvejarem defronte de
mim donsothos brancos, completamente bran-
cos! Duas rbitas, e mtis nada lEra cago
de nasceoQa.
O rapaz percebeodo que era o alvo da minha
admiraco, deixou-se flear dlante de mim, modo
e iinmovel como ama estatua ; e eu aproveitei o
ensejo para Iba ler na physionomii.
Devo conessar que desde verdes anoos tire
sempre graves prevencdes contra todos os cegos,
zarolhos. surdos, mudos, manetas, cochos, cor-
cuodas; finalmente contra todo o ser humano
marcado por urna deformidade qualquer. Teoho
notado que existe urna singular analoga entre a
cooeccao physica do individua, e a sua na tu re-
za moral. Ser erro, coimera, ou o que lhe
queiram chamar; porm, teoho para mim que,
com a parda de um membro, a alma deve- per-
dar tambem urna das auas (acuidades de sensa-
Cao. Subjugado por taes impressOes, examioei
escrupulosamente o todo do rapas, demorando-
lhe mais lempo no rosto as miabas vistas pres-
entadoras. Trabalho baldado I Que se poder
ler em urna cara oode- nao scealelha o lume do
olhar? Assic o coolemplei por algum tempo,
possuido do seotimento da compaixo, qnaodo
sbito, matreiro- e astucioso sorriso lhe errou
pelos libios, rpido como o claro do relmpago,
ecordaodo-me no aapirito urna senssco desagra-
davel, que me esforcei por desvanecer. Veio-me
ento ida que este ceg bem podia nio serto
ceg, como na appareocia mostrava. Debalda
dizia eu a mim meamo que impossivel era simu-
lar a catarata com tanta perfeico ; e que dado o
caso que posiivel fosee, de que servira isso, e
com que fim seria. Mo grado estas judicioaas
hflexoes, nada era capas de me
Knto a inJefloivel supposica, o,
lauto que delle se asienhoreara
E'a Blho da dona desta c
lhe. "
Nio.
. Quem as entio ?
Um pobre orphie.
E leoi filhos esta muier?
liona urna fllha que sa enfea
trtaro.
' E quem esse t
Quem I Sei euL
a Crimea, um barqueiro'
' Entrei na chossa. Dous bancoi, urna mesa e
um armari^collocado, ao. nfi la, lareira.era U4
afmobiha do meu altergue. N-m urna imegem
piedoa.--peodurada na eatede I Ha' signal.M
labrados dejaoella, soprava rijo a
Qae mal lhe fez
po-
L$fesPK>J
bria de mar.
Saquai ama ala de cHTda miaba mala, ac
ceodta-a, e alabado quirto (oi, trate! de fezeT
os meus preparativos de installacio,
Arrumei o saeta a uraewsr, |Mg liiplsMaJii
em eima da mesa, embraltwi-aaa A* meu capo-
le, e esteadi-me ao comprido sobre um banco.
O meu camarade parodiou-me o melhor que po-
de, e dahi a dea minutos dorma a aomoo sollo,
roncando eatrondosameule.
Eu retara. Nio sei porque, mas era-me im-
possirel conciliar o somoo. A materia, er- mata de eslatara a
dade que pedia repouso ; porem o espirito per-' "^wardida poY um b
istia ooslioadameote em Sur acordado, a nada
era capaz de me a (Tula r da idea a nwgem do
orpho com os aeus olhos brancos. -
Estas reflexdet (azi-as eu, com os olhares pre-
gados na esquiaba mbarcaco. que .proa en-
trenada com a praifl. avaasava aenure, jogaajdo
sobre o dorso dos vagslhdes, ePaao se '(ora um
varino. ,
Da repente aBgurou-ee-me qae, atorada ai
ai nuvens por urna vaga-ajigantaa, que velos e
implacavel a segua qual e lora a imagem da'
morte, se despedazarla oa queda d'eocontro aos
Whopos, que fuaroeciaoi a praia.
Ni* hbil a deilra, porm, a dapriou n'am
pice, de lio ioevitivel penga: duas vigorosas
remadas a flzsram encalhat n'uma abrigada cons-
truida de rochedos, e que p'ouco dislara do sitio
opile nos ochavamos.
Atracado que (oi Ul, terU
e tuja 8bbat<
i tal lamuria, e sshe da
to da descobrir a chave
uourka (6) ui-me tentar
raodo ao caso oa olbares
espaco.
seorolavsm-se as vagas do
rac&o. cujo monstruoso ru-
que eu p
gioes do norte, na nossa garrida capital; (S. Pe-
?eisburgo) -pouco ftrc,-em diaso Me aper-
ceoer meaeuel escofla%ar oease prluo'do abys-
rao de pebsameatosPVigos e iodeoidos, qua
chamamos recordac.0**.
Cerca de urna hora atim se escooa : slvez
ao mala a uma. Oblatas que melodiosa
narraonia de aojos esta, que me vm feriros ou-
ndos, trazida as azas da viraco ? I E? ?ot de
amaMBBVraaMr
I
sz um sigoal coDvencionsdoeom a aaaoao cge
e a rapariga, que immediatameote se erguetam a
fow b o seu er/contr.
terca de uma hora assm discorreu. Airaran, i Em seguida todos rea eomecaram da tirar do
i embaciados ridros da jaoelia. que dizia pareo fundo da canoa em pacota que, aiulgar pelo qoo
f- ProJec,ST loa aeus vivoa e brilhaotes Ihes custou a remrenlo, bem pesado deviaj
de ser. Admirei-me de como uma lio frgil em-
bereaciO podesse, a alvo, transportar o grossa
marTir.
' H*V"*>'-1'1* PwdidM noa chostam as ulti-
mas rniN! u loada, a com tudo, ainda eu escata-
rj. AQgurou-se-me que e meloda descia doa
cus ; ergui oa olhos, e ri no telhado da cabana
uma gentil rapariga, trajando um vestido de gar-
saltou tMMt M cores, e deixaodo fluctuar o sabor da brisa
ibf; ew rel- (arlas madeixas de cabello louro, com abandono
e -'Tb pen de arVctror *Jbparzdas sobre as espadoas. Uma daa mas cal*-
(1) Norae que se d na Russia a certas car-
ruagens de peala.
(2) Gussacos do mar Negro.
(3) DenontVntcao dos sargentos nos regimen-
t de eossacos.
FOLHETIII
ORIGINAL DO DIARIO DE PERNIIBOCO-
msmm piu? ml
LXXXIX.
SmnAHsaVm drama do mar.
Elvira e Alfredo, dona typoi os mais perfeitos
da croado, duas natirezas prelegiadas, excep-
coes pouao commuos nesia poca denmoralida-
de e corrupr;o em que vivemos, formatam r
um grupo digoo de admtrar-ae.
Os marinheiros francezes vendo-os entrelidos
a'una conversajo intima, em que pareciam go-
zar o maior prazer, pala eipresso que se dese-
nlia va no roslo de ambos, estavam tambem ale-
gres.
Elles amavam seu commandante, em quem li-
nham encottrado um pae providente e extremoso,
que os sabia dirigir em todas as occasies com
uma solicitude sem par ; identiQcavam-se com
suas impresses, que, por uma affloidade sym-
pathica e mysteriosa parllhavam ; j queriam
tambem muito esta linda morinha, cujas lagri-
mas viraoj correr na vespera to copiosamente,
por csuss dos ferimentos leves que tiveram seus
camiradas, do quem ella quiz ser a irmia de ca-
ridade, eslesymblo celeste de nma rirlude que
a todos commore, a persoDifictcao do mais san-
to, do mais sublime preceito do Evsngelho, oes-
tas mulheres, jovena ainda, qae abaodonam as
galas do mundo, os seus eductores engaos, por
vjma|vida de marfyros sem fim, o de privares
succeesiua.
Homens rudas, porm mai impreisionaveis, el
les seoliam jugo detta belleza uprema, In-
fluencia deita Doocencia lo virgoap, lio cela,
tao meiga que a verdadmrarpaUttiia pulher e
i ad^o'.* W6ito. e ap^smo lempo
Por.qoellesdouenlasdariaiB asm hesitara
tida ; obedecerum aos seus mais imperceptiris
acenos com pretea, com vaaiura.
Acoslusaadoa i melancola habitual de de Mor-
van, aderinberaai logo que ocdos.do idaa cm-
nhis iciaai.m etttb"il "r =
os
m
raios, que inundaran: de luz o soalho da chpsaa.
Sbito, uma como aor&bn ae desenho tn meto
d esta claridade, Ergui-me lestes, cosi-me com
parede em que estava negada a tresta, e espri-
tei. Por segunda vez uma figura humana pas-
sou, e desappreceu,' DePs sabe aonde.
Diflicil me fui concaber que ella pudesse es-
gueirar-se pelo escarpado declive da praia, e
comtudo nio hara outra sahida.
Aguilhoara-mo a cunosidade: nio espere! por
mais. Earergo o meu bechmet, traro do pu-
nhal, saio da cabana. e...com quem hei-de de-
parar Com o ceg I
Escoudido atraz de uma estacada, vejn o pas-
tar com conllanca, mas nao sem precauces por
diante de mim. sopesando na mi um pco'te
quo nao sei o que podesse ser. Nio hesita no
caminho, e pelo ar de seguraoca com que se
mbreoha em uma trilha que vae dar praia,
faz-me suppor que nao esta a sua primeira,
oem segunda excursao oooluroa. Eil ah a ho-
ra, disse eu comigo, em que os mudos recupe-
rara a (alia, e os cegos a vista.
Dorante este tempo expessas nuvens vellaram
a la, e um cerrado neroeiro se condensou por
sobre a superficie das aguas. Completa era a
escuridio, e apenas, com muito custo, se des-
tinguia ao longe a tuzerna de um pharol, collo-
cado no tope do mastro de um dos narios ali an-
corados. Raivoaas e imponentes de ira, se de-
batiam s ragas, desfazeodo-se em frocos de es-
puma, d'enconlro aos cachopos que bordavam a
praia ; e mais de uma rez eu ri o meu joea
aveotureiro em risco de ser tragado por ellas.
Nao foi, pois, sm nuio cueto, que me resolv
a segu-lo pelaa agruras da praia, nem com me-
nos esforeo e trabalho, que o executei, galgaodo
de peohasco em penhasco, e trepando como se
fura uma cabra monteza, pelas quebradas da ro-
cha toda alcanlilada e de ruim piso.
Chegado a certo sitio o arphio tomou para a
direita, e approximoa-se tanto da praia, que ar-
receei bastante v-lo tragado por uma onda.
Mas, qual historia Pareca conhecer o terreno
a palmos. Alfien, ei-lo que para, como ae ou-
vira algum irruido, e como se esse arruido lhe
fura de ha muito familiar aos ouvidos.
Eu nada ouvi; mas elle sim, porque se sen-
tou oo chao, depoz ao lado o seu fardo, e es-
pern.
Occulto atraz de um laocp de-rocha pude mui-
to bem observar, com um minucioso escrpulo,
todos seus movmentos.
Panados eram apenas alguns minutos, quando
do lado opposio qu-lle por onde deseemos, lo-
briguei am vulto braneo, que avan;ava veloz
para o sitio onde estava o ceg.
O.vulto camiohou acodado, e n'um momento
estere ao lado delle.
Faroreceu-me ento o vento, porque pude ou-
vir perTeilamenle o dialogo que entre ambos se
travou.
Muito bem 1 rompeu uma voz femeninao
vento aopra rijo, e parece-me que Jancko nao
vira esta noite.
Janko Iretrucou o cgoAccaso receiael-
le a borrasca ?
Mas....retorquiu s primeira voz com en-
tono de cega tristezau nuvens accesas abrem-
ae no cu, e....
E nio mais (ac:l illndir na escuridade a
vigilancia dos navios de guarda, do que em noite
deluar? H
E ae elle se affoga ?
Nesss caso nao ters por certo as tuas fitas
novas para ir*s domingo egreja.
Ouvindo este dialogo ootei que o cgo que ha
bem pouco lempo empregra para comigo o
idioma da Russia menor, (aliara com suficiente
crretelo a rerdadeira liogua ruisi.
Olha vs?bradou o ceg, erguendo meto
corpo e D3ten lo as mos com demooslracoea de
regosijovs? Teoho ou nao razio? Nopeme-
do a Jaoko, nem a borrasca, nem o mar, nem o
vento, oem os aevoeiros, nem os navios de guar-
da. Nao isio que eu ouco o marulhar das on-
das ; f que nao. Este arruuo o dos seus
remos rasgando as aguas.
A mulher ergueu-se tambem um pouco, e in-
terrogou o esparo com olhos (amiolos e presen-
tadores.
Repilo qae eatt illudidoresponden aps
a sua observado.
Nada vejo a nio ser as trovas; nada oucp
a nio ser o sioilar do vento I
Eu fiz timber a delfgencia de exchergar algu-
ma cousa, masegual successo ao da rapariga te-
ve a minha inveatigacio.
Nada vi, nada ouvi:
Momentos depois. comtudo, um como ponto
negro avulleva o'eulre a espumosa crista das va-
gas, ora elevando-se na sua cspide,. or mergu-
Ihando-lhes nos setos.
o tornar expansivo e alegre, como estava, e en-
tre ai commentavam a conveniencia de seu ca-
samento com a encantadora Elvira.
Elles teriaru um rerdadeiro pezar ae nio a po-
dessem cooduzir para Franca, e consideraram
de mu agouro para seu regresso patria a filia
da rirgem bordo.
Mas para realisaco deite deiejo era necessario
reri&ctr-ae aquella uniio.
Em quaolooa marinheiros baixinho assim con-
versavam, manifestando una aos oulrot teut pen-
smenlos por exprastes mtit ou menos vivas,
aem comiudo deixarem de trabalharcom ardor no
dsem penho de aoat obrigaedet, tambem os offi-
ciaes obaerravam de Morvan, e reconheciam que
finalmente elle, que fdra lio esquivo, estava 4o-
mioado e captivo de maneira 4 nio poder lber
ttr-te jaman de tao doce dominio.
Pouco pouco (oram subindo os que ainda es-
tavam na praga d'ermas, appareceram tambem D.
Pancho, D. Consuelo, suas irmias e mais pessois
da familia, e a cooversago loroou-se geral aemter
ruidosa. Quando a gloriosa bandeira tricolor su-
bi a oito horas ao peol da tneaeoa, todos se
descobriram e a aaudaram, oa Francezes com or-
gulho de ser ella o emblema de sua vigorosa na-
cionalidade, os refugiados com respeito e reco-
nhecimento pela arotecc.o efflcaz que sombra
delja achavaa. Depois cada om dos ofllciaea
deu o bra;o a urna seohora, e pisaeiando na tul -
da, paaiaram algum tempo a conversar,
Gomo cavalbeiro polido e delicado de Morvan,
offereceo o seo i D. Consuelo, apartando-sa da jo-
ven oio sem um pezar secreto, que procurou dn-
ilmular ; ms como delta ia ir*tar, cooaolou-
se Iguma couta deste conlratempo.
De Morvan manifettou i D Cnosuilo, coa
grande calor, a sua salisfaco por ler tidp a felici-
didede echar urna oecaaiio de ser til sua io-
teressaalefamilia; ditse-lbe quina indignagao
sentir ao saber os malvados intentos do .coronel
Si, oa pareegaicio qua aoffrera atoa intereisaote
iljia por ete aaetivo, o accreacentoo que, todo
o cnomeoio atw paz, oode deixra ua me cariohota i quem
muito .^l^&fWirfmiaiifii&l* "es-
pera urna modifietcio ae tmh operado netta ve-
hemeota anude de sao corceo, que j nao ae
thedvadmorar-aeno Rio da Prata por mala al-
gum lempo; oU qe doUf, potsitla uma grande.
grotta
Deposto na praia o fardo, ette foi desamarra-
do, o aeu cootedo divjdrte pelot trea. qua ae
afaataram velozea, o detppareceram n'um ioa-
taote, por entra oa sombros aacaniohos da
roche. .
Entend que a mais acortad? deliberarlo que
neite momento podi* lomar, era. rollar para a
minha pousada, e fzer por dormir,' ainda que
(osse por algumaa horas.
Baldado intento I ., .
Tan extranha scena cortil guisa me iffipres-
aionra, que Impossivel me foi pregar olho em
todo o reato da noite.
Assim, esperei o arraiar da aira com a impa-
ciencia de um pobre dlabo, que nao pode dormir.
Grande (oi a sorpreza do meu cnico, quando
ao abrir os olhos deu comigo j p, e com-
pletamente vestido.
Cuardei silencio para com ello sobre a minha
dlgressao nocturna, e ui poitar-ma por algum
tempo jaoella, espairecendo a rista, ora pela
immensidade azulada do cu, salpicado de alraa
nuvens, que corriam a sabor da riracio matutina ;
ort pela longioqua costa da Crimea, esteodida
como umi facha cP da violetas, no remoto Ho-
rizonte, e terminada por uma roca, po meio da
qual se eleva a torre'de Phsro.
Depois preparei-me, e dirigi-me para o forte
de Fansgora com o intuito de comprimentar o
commanuanle, e perguntar-khe quando, pou-
co mais ou menos, poderia partir para Ghe-
lendchik
Por desgrac nenhoma respoata definitiva ob-
tiva do goveroadorda fortaleza.
Nao hava oo porto senio navios em esteco
permanente e alguns barcos mercantes, que ainda
nM tinham comeeado a carregar
Pode ser, respondeu-me o goveroador, que
daqui ha tres ou quatro dias, chegue ahi um
paquete da carreira, e enlio veremos.
Em resultado desta resposto, roltei de pessimo
humor para o meu alrergue, e ahi eneontrei ne-
gligentemente recostado aos umbraesda porta, o
meu cossaco, que, ao avistar-me, aa aproximou
de mim com ares mysteriosos.
Ms noticias ? perguotoo-me.
Bem ruins I Sabe Deas quando poderemos
sahir d'aqui.
A estas palavras palpavel tomou a ioquieta-
cio do toldado.
Negregado acaso aqui nos Irouxe, mea offi-
cial, resmuogou elle, em voz quasi iointelligvel,
e cosen do-se comigo. Suppooha V. S., que ainda
nio ha muilos momentos topei um cossaco ische-
noneone, meu enligo camarada no regiment de
tal, que me diase, depois de se ioformar por mim,
qual era o alojamento em que eatavamoa abole-
tados : Ida casa I pestima geotalha I E ease ce-
g. <. esse magarefe, que ae diz orpho, que te pa-
rece 1 I 1 Viu-ae j um ceg quefaudo, que corre
e salta de um lado para o ouiro soznbo, pela'
ruaa aozinho, percorre todo o bazar aozinho <
vae (unte buscar agua aozinho aem nunca partir
o cntaro I Uma bala de triota e sais me parta
pelo espinhacp ae elle nio r tio bem como
nos I
A dona da casa ainda nio velo?
fcraquaoto V.S andava'por fraentrou uma
velh*com umi rapariga, que me parece ser filha
delta.
Qual filha 1 cousa que ella nSo tem.
Entio nio sei quem seja. Mas olhe, l est
a vlha assentada na arca.
Entrei.
Viro e esperto era o fogo que crepitara na la-
reira, junto da qual a velha estara sentada, a on-
de se coziohara orna reteicio, que pelo aroma
que espalhara pela casa, demasiado suculen-
ta me pareceu |para gente tio nobre na appa-
reocia.
A quanlas perguntas dirigia relha.festa
me responda que era surda. Impossivel me foi,
pois, trarar cooversacio com ella.
Vollei-me para o ceg, e belliscando-lhe urna
orelba, empentiei a aeguiate palestra :
'Ora dize-me, meu traquinas, aonde iaa tu
tio agujado esta ooite, a com um embrulho la-
manho debaixo do breep ?
Aoode ia eu esta ooite ?. Ora tasa Eu
nio ful a parte elguma. E dentis mais com um
embrulho debaixo do braco 1 .... Oseohor ....
Hi 1 hi I hi 1 E rompeu n'uma eatrepitosa cara-
munha.
Ao ouvir a lamuria do rapaz, exclamoa a velba
qua tioha o coodio de detenlupir oi ouvidos
qusado querit:
E' um mentira, urna calumnit I o Sr. est
sem duvida judiando como pobre pequeo. Que
(5) Medida de extensio na Russia.
locaba par sobre os alhoj, em gaisa de pal*, para
os perseverar da intenaidade doa raioa do aai, ora
flxava o loogioquo horisunle ; ora surrindo, fal-
lara com sigo mesmo, o recomocara esta ean$io
martima, qae nunca ae me obliterou da me-
devia; mora. ;
EoKjuanto por obre o Ocano,
Sobre o ocano turbulento,
Qoil re do si lio e emento,
O navio corre ufano ;-
Eati humilde embarca;io,
Affoilo p'lo mar gorerno,
Meu grado o furor eterno
Dai vigas, e do tafao I
... ..
v

tf
recordado, a dos momentos de ventara qae lhe
tioha feito gozar o pequeo servido que acabava
de preeter.
Nada maia foi preciso i intelligeote mi para
reconheeer que Elvira tinha Inspirado ama nova
paixio, e esta descoberta inesperada a tobresal-
tou. temenduas complicacoeaqued'ahi poderiam
surgir.
A patarra qe te hara dado Eduardo lhe
pareca um obstculo insuperavel para outra qual-
quer uniio.
Ento retolveu-ie promptamente i referir i
de Morvan tudo quanto se havia passado ; ovmor
de Eduardo Elvira, nio partilhado por esta ; a
exigencia delle como preco de sua cooperario
para proteger a fuga ; p compromitso que com
elle haviim conlranido, e inteoepo em que ca-
tara de cumpri-lo em Montevideo, bem que nao
deacooheeeasem o sacrificio 5 que coodemnavao
aquella fiiha, quem laoto queriam.
Esla terrirel cooQdencia, com que de Morvan
nao contiva, foi um golpe profundo que o feria
morlalmente : elle senta em um movimento ei-
vaocerem.-ae todas at tuat eiperancaa ; oa pro-
jectos de ventura que durante toda a noite labo-
rara na mente estavam aem bate, e deviim fUr-
cota mente baquear. Em seui aonhoi iospirados
por este amor intenso e instalenea de que (ore
enaltado, concebera uma vida placida oa ua
querida Bretanha, tendo eu lado Elvira, a sua
anta mae. No meio dellaa aeparedo do mundo,
dealigado do aervicp, para o que pedera ua re-
forma ou demisio, dedicara sua familia todos
os aeus fuetales, tod. sua actividade, toda a
su alma, e saborean oa Inufleveii prazares que
desfructa uma amilia unida e viriuosi. Elle j
te va cercado de innocentes e (ormoaaa enancas,
doces penhores de teu cooeorcio^ naa quaaa e
stotia renaecer avigorar, cotrendo-por aob a
ombra de copad errores, longe do mar, looge
das cidades, e.... por uma Kpoelccto rpida co-
mo o pentamanto, ludo itlo acabara de tranior-
aar-te, de dsvanecer-se, como camalees elec-
Mai de Morvan garrou-ae ubi iraca etperen-
ne, como a misero oautrage a apaga >ane an-
Wnna, um P"dacp da aaohoqueoaaataoU aa-
do, e lhe promeUa unMi.aat)abilidade daaalracao,
a uoica qae descurta* oo eepece imaveato, n-
coameosuravel, que se deseorola i tua rUta,
Se longe rugem procelias,
Oi navios alterosos,
Ao vento cestando aa velas,
Porto buscara presurosos.
Eu, porm, digo ao trovio
Que nos cus estotra e berra :
Trdaemporel At tarta
Ir esta embarcacao !
Era ralbas horas da noite
A' erma praia o la da,
A pezar do rijo a coi te,
Da raga que brama irada ;
E atravez a ce r raga o,
Tbaaouroa aem fim, ligeira
Ella conduz, quer (agueira
A brisa sopre, quer nio I
Pereceu-me ser eata mesma voz da mulher,
ue oa noite antecedente eu ouvira beira do
ar.
De novo ergui o* olhares para o telhado da ce-
baos, porm, a cantora j havia desapparecido.
Minutos depois passava ella por diaole de mim
cantarolando outra caocao, e (azendo eatalar ao
meemo tempo as iunciuras dos dedoa. Aproxi-
mou-se da velha, e disse-lhe nio sei o que ao
ourido, que me pareceu enfada-la. M*s louge de
se agasiar com o enfado da velba, rapariga rom-
peu em eatrepitoses gargalbadas, dirigtdo-se para
o sitio em que au eslava.
Ao dar comigo de rosto, psrou, como sorpren-
dida da minha presenta, e affastou-ae em segui-
da, om ar iadifferente, camiohindo em direccio
praia.
Fiados, porm,< nao eram ainda seus manejos :
durante o resto do dia nao fez outra couta seoo
voltear am loroo do meo quarto, ora saltando,
ora cantando.
Singular creatara I Em seu rosto nada ha que
revelle am desarraojo mental; bem so contrario :
prescrutadores e penetrantes eram osolharetque
selle icintillavam, quando me avislou ; olhares
qae exercerem em mim um imperio magn-
tico, e pareciam esperar, anciosos uma per-
guote.
Nenhuma mulher tinha vitto, at enlio, qae
com eite se podesse comparar. Nio era bella ;
(eu leoho tsmbem at roiohaa idat particulares
sobre a belleza) mas tinha eslampado as feices
o que quer que era, que salientemente denotara
um typo.de raga.
E as mulheres, assim eomo nos carelios, nada
mus precioso do que a race. E' moderna Fran-
ca que cabera as honras dests descoberta. Conhe-
ce-ae ella (fallo de raga, e nio da moderna Fran-
ca) na andadura, e na forma microscpica dos
ps e das mios.
O nariz pre(az tambem um dos seus mais im-
portantes caracteristicos ; e na Russia sao ainda
mais raros os narizes regulares do que nos ps
pequeos.
Pelot dezoito a vinte anoos, o muito, deverie
orear a edade da estouvada cantn. De todea at
qualidadet phyticat que a caracterisavem, as que
raais lhe sobresahiam eram a-flexibilidadee de-
licadeza da ciotura, os bastos cabellos, que em
ondas de oiro lhe cahiam eaparzidos pelos hom-
bros bronzeados; e sobretudo a curvatura des li-
ndas do nariz.
Havia, porm, nos obliqoos olhares, que a
miudo dardejava em roda de si, um nio tei que
de feroz e sombro. Esti observaco, comtudo,
em nade eivaneceu a magntica iufluencia, qu
em mim exerceram, ao fltarem-me. Fez-melem-
brar etta siugela rapariga a afionon de Goethe,
esta phaoiasiica e arrojada cresco de uma coo-
cepgio allemia. Eolre uma o outra grande e pal-
pavel era a analoga : ramios e muitos pontos de
contacto exisliam entre eates dous entes, do
quaes um apeox vireu na frtil imaginecio do
poete, e outro eslava defronte de mim. N'um e
n'outro as mesmas bruscas e inopinadas transi-
eres da agitacio inquieta e effervetcente, para a
perfeita*placidez e immobilidade de espirito ; aa
meamas phraaet byperbolcat e cabalstica.", aa
mesmas canepes tingulareil
__ Pelo meio da larde, j de rolla da uma excur-
sao aos arrabaldes, parei o meu cavallo porta
da cabana, e empenhei com ella este dialogo:
Diga-me, raioha bella, que faza esta ma-
nbia no telhado?
(6) Especie de regunguto, oa capa militar.
Elvira nio corresponde Eduardo ; vota-lhe
at antipathia ; sea coraco hvre; logo ha uma
bella tarefa i emprebender conquista-lo.
Queimportam emoaracot ao homem qae ama
verdaderamente ?
Eates embaraeps sio o cadinbo do amor ; ser-
ven para purifica-lo, retempera-lo, dar-lhe mais
vigore duraco.
Quando nio resiste s provaa, e desapparece
oeste ebullQio dos acontecmentos, nio mais do
que um simulacro deste elevado sentimenlo que
profane, confundindo-se com elle, presentndo-
se com oi seus ettribulos.
O emor, como o comprehendia da Morreo e
todas os bomens honestos encarara, uma ema-
uecao do cu, a como o cu infinito e Ilimitado,
iniermioavel, no tempo e no espago.
Morre e peasee que o iospirou, a campa escon-
de avara este thesouro que lhe foi confiado; mas
vive fresca sempre a imegem querida deste objec-
to amado na imaginario : a saudade infiltra o'al-
me um seotimento novo, que consola, a religiao
chriita coolem o balsamo, d a esperanza de
urna nova vida, oode devoraos nos renoir de no-
vo eternamente, e est esperases torna immorre-
doura a recordarlo que guardamos, que se trans-
forma em um verdadeiro culto.
O desejo de posse, o instincio de sensualidade,
que com elle se aeoberta maitas veres, e se dit-
ferca com o teu norae, para teduzir incautas vir-
gent, uma inspirarlo do inferno, uma exalta-
cao dos sentidos, a expreasolgoobil ds vontade
imperiosa da materia.
fio primeiro caso a crealura humana que deixa
dominar-se por aquella seotimento eleva-se, en-
nobrece-se ; porfa por praticar accoes virtuosas
a distioetss. No segundo caed ella detce pouco
pouco, de degrio em degriu, e chega ao ex-
tremo da abjeceo.
Ali gra-ae o herosmo, vgora-se a dedleacio;
aqui brota a tofamia, e o egosmo.
Nem porque na espago pyrilaaofpejem fogo fol-
lares, se devera confundir elles eom o brilho daa
aatreUea que ornara o firmamento, que Ue difi-
reme .
Alfredo proaeguio em aua coaversacao coma
boa senhora al que chegou hora do etmoce.
i Ambee fioarim estimando-se lago, pot caaia
da harmona do suaa ideas, e aqaelle nao perdt*
a menor oecaaiio da tornar-so gradare!, coto o
_Jf de que lado Varara o raolev
*bTOTOES2
rem.
E era eom as ua aoc&es ove pretendia
eoaijorarefartaea?
Ammumti aeus malea tpaaea. 6o*e re-*
soi o canto, mora a alegra.
o a adverstdade chega, muter supporta-
lacom reiignic*: da nciedade alegra, curta
a distancia HJ
_ Quem lhe.eoiioejisaa cantiga? i
' Nioguom ; a miaa vida ipohar a copiar;,
Escuta-me quem me pode comprehender, e s
me nao ouve o que nao me enteode. 4.
Como.se chama?
S Dos e quem rae bepliiou o ssbam.
E quem (ui que a baptiaou?
Ainda o ignaro.
Ole I vocemec tio myiteriota I Poit eu
tei ilguma cousa sen respeito. Porm nenhuma
emoceo lhe trama o olhar, ao ouvir as minhas
ultimas palavras; nem s menor cohlracco de
tost denuociou aua orpreza. Be impasnvel ti-
nha estado at entio, impasiivel coo.
Sl, prosegu eu, que esteve esta noite i
doz horas na praia. E couti-the toda a tena,
que havia preeenceado. Julguei inquieta-la com
islo ; mae (oi em vio. I
* Eileve I Nesae caso sssistiu a um curioso eo-
coutro. Porm, te isso a qae abe, aabe bem
pouco. Todava esse meimo pouco, emprazo-o
desde j a guarda-Ib ei ti, como se guarda uma
joie, um theiouro, sobre a salvaguarda de uma
(echadura de redo. .7
Mes.... repliquei-lhe einda, -revestindo a
physiooomfe de um ar grave e ameaqador, e ae
eu (oiee cootar etta iveotura ao alcaide? I....
Concluida nao ere anda a pbrate; ej a rapa-
riga ia looge pulindo e cantando romo ama are
espantada;
Bem mal fiz ere lhe dirigir semelhaota mea-
cap Entio nio pesei eu oa conacienci toda ana
gravidade; porm mala tarde oa acontecisemos
me mostraran) quio imprudente foi profri-la.
Chegou a noiie. Ordene! o cossaco que me
preparasse o ouii, acceodi uma vela, e sentei-me
junto di mesa, fumando no*meu cachimbo. To-
mara mui pacificamente a primeira chsvana de
cha, quando percebi qu elguem abra mansinho
a porte, e ap ouvi o ringer de um vestido. Er-
gui-me precipitadamente, e dei de rosto com a
minha sera. .
A rapariga avanepu, sentou-se silenciosamen-
te defrootede mim, e coraeepu a fitar-me com
um olhar que aa produziu, o mesmo effeito que o
contacto de uma pilha elctrica; um dasses olha-
res com os que outr'ora tanto dominio exerceram
na minha existencia, quando residia na corte. O
silencio proiongara-se. A rapariga pareca espe-
rar que eu tomasse a iniciatira ; porm orna emo-
cao impoisivel de descrerer me embargou naqul-
le momento a roz, lolbeodo-me a faouldade de
faculdade de fallar. Os dedos batiam-lh machi-
nalmente sobre a mesa, a a pallidez dos finados
lhe tiogtu as feices, onde pude ler a agitaepoque
lhe alroracara o espirito t
Priocipiara j a eofaatier-me a continaa;io
desta scena, e resolv por-lhe termo da maneira a
mais prosaica; o que fiz offerecendo-lhe uma
chavana de cha.
A rapariga ergueu-se lestes, e tomando-me a
cabeca entro as mios, m'a tbracoo com ss de-
mooetracea de ama ternura apaixooeda e oio.
vulgar.
Uma especie de. navem me passoa entio por
ante a vista.
Senti o saogue escaldar-me as veias, e quiz
por minha vez abriga-la tambem ; porm ella ea-
corregou-ae-me daa mos como se fra uma en-
guia, e afastou-se veloz, segredaodo-me ao o'u-
vido:
Eata ooite, qoartdo tudd repeuaar dirija-ie I
praia, que ahi oeipero. E palavras nao eram di-
tes, desappreceu atirando ao chao com o bull e
ge as i i cal.
E' um demonio I exclamoa* o cossaco, que
coctava com o sau quioho de th para regalar o
eslomsgo. E' um demonio 1 E eo pasto que res-
raungava eataa e idnticasexclamsQes, ia-aeaoi-
nhendo o melhor que podia sobre um dos ban-
cos.
Cinco minutos depois dormia a bom dormir.
Acalmara-se-me a emoepo. Du horaa depois
fui acordar o mea camarade.
Fre tudo era ulenclo e sombras.
Toma sentido, disse-lhe u ao ouvido, se
sentires o estampido de um tiro de pistola, levan-
ta-lee desee immediatamente praia.
O coaaaco esfregou os olhos o raspondeu-me
machinalmenie :
Sira, meu official. Metti as pistolas no cin-
to e sahi.
Espergva-me j a sera no topo da ra. Pitto-
resco e mais que ligeira era o seu traje, que con-
sista apenae em ame tnica aira, e um einlo, nio
aei de que (loo estofo, que lhe ciogia a cintura em
guisa de ebarpa.
Csminheatrai de mim, rompeu a rapariga,
pegmdo-me oa mi.
E por tal (orma cometamos a desear uma ro-
cha lo alcanlilada e gueroeerda de espinboa e
cardos, que nao sei a que bom genio dero a nio
me (azer pedecoi.
Chegados que tomos a uma rocha mais escar-
pada ainda do qoe a primeira, tomamos pare a
direile, pelo cemlnhn que na noite antecedente
j tinha palmilhado atroz do ceg.
Nio ae haria ainda erguido a la do seio das
ages ; e nicamente duas pequeninas estrelles
derasaavam com dbil e morticp claridade as es-
pessas trevia, que em torno de nos diffuodia a
noite. Offeganles e inquietes vagas belanceavam
as jubas espumosas um meiquinho batel amar-
rado a uma eatac'a, que mi providente enxerira
na praia.
Entremos nesta barca, disse-mo a rapariga,
apontando para a frgil embarcacao.
Hesitei i priociplo, porque sem rebucp coufes-
so que nunca tire a mais leve incln a jo para paa-
aeioa sentimeotaes pelo mar. Porm a quem j
tanto tinha arencado, impossivel era retroceder
Saltei pere dentro da Parca, atraz de mim seltou
a rapariga, e seguodos apa vagara o batel fa-
zeodo-ae ao mar.
Que significa Uto ? prguntel-lhe com certo
entono colrico, que nao pude disfamar.
lito aignifica, reapondeu-ma a deidade, con-
vidando-me por via de um gesto, a sen lar-me, e
inatincto de qae a afieicio da me maita influen-
cia podia ter, para asaegurar-lhe tambem a da
Olha, que de ora em diente era indispensavel
sua existencia.
A' mesa toroeram a achar-ae juntos os nossos
dous hroes, e Elvira, tturdindo-se para nio se
lembrar da reilidade de ua sitaaco, procurara
gozar todo o prazer que experimentara na com-
panhia de Alfredo, o qual nio se cansara em
oceultar; ao contrario manifestara com sua io-
genua airaplicidede.
Era tio feliz naquelle dia, depois de tintos
outrot margorados, que nao se ttrevia pensar
no passado, nem no futuro.
Td a sua rida se concentrara Do presente,
naquella bella hora, que eslimaria fosso de looga
duracio.
Nem ama palavra de amor haviam elles profe-
rido at eolio; mas estavam certos de quo ae
amavam. Quem pode explicar eale myslerio, que
todos os dias observamos ? Nioguem por ora ;
como todas estas mererilhes operadas pelo magne-
tismo, pela elettrtcidade-, ceje cooperario accei-
tamo, em pod-las explicar, assim doremos
curvar-nos diente daquelle facto netavel.
Ella coraeepu chasquear de Morvan por nio
se ter aiode casado ; chamou-o de velho aottelrio,
lobo do msr, iniraigo daa senhoras, tnrluroo o
noseo amigo, musa, que Pi nbia o qae res-
ponder, e temia comprometter-ee peranteoa pies
de Elvira, confenaodo oa seus seotimerjtos actuies
e a verdadeira esas* porque se contorvara no
celibato.
Estes estajean moit sttfsfeites por v-la aisim
alegre, e tanpfcm da vez era quando aviraram a
conrersico com algum dito eapiritaoso, allusiro
ao aasumpto de q ae tntara.
De ItorvaaAtiido em regra entrincherou-e
com a circunfltenela de *iua proBasio; allegoo
que om official de mariPha'oao darla.nem podia
eeser; nio s porque pr*judicin ao serrleo do
aeu palz; coma porque fareodo-o aobre carrega -
va-se da cuidtdot, e tornara sua rida muito pe-
nosa coa ts preoecupaces d familia.
Par quedrsle elleunlr-ma k amatoren
bolla, spiriMaoe, tama vel, gozar ere soa com-
penhia doa maia deliciosos iostaales, para drhi
pouco amecar-rae a% aas bracos, de seus cart-
nhoi, afim de virer looge delia por mils do tret
oha poz n'aquelle inatante face ebrezide, qoe o
"^^^yf^r^-M^. eraefcau
pronunciar aquallaa ealavraa. Nulo tenti am co-
BV^fMidWom oejaelo que cabana age i. Im-
nrenaAsMae levo ato d cfnto e vejo-,qU era
minha ptttolt o objecto que (loba cabido.
Bem horrivel foi sepposielo.'-qae relez como
acppUlhar de um ooritea me tfaveisou o eaei-
m9-.**0.*"}0 Mnu* oirculatp nos veu me
iafliuiu eolio ao cerebro.
Volvi os.olhares prapqu e.earcava, enao
aem horror n que pps acbi>au>oe j multo longo
d> .praia ; e eu nio eehla andar.
Critica e bem critica era necia mouetlc B-
nha situeQo. -,
Esfqroet por, me deienvdrer daseeua bracoa ;
mae como ae lora urna fita, peadurou-ie-raa eo pes-
clo, e, bjianttaado.Q corpa noMpaa^.rreme-
epu-me para a borda da barca. Pooco faltou pa-
ra que, em reiultado de rodos estes inasperados
movmentos, roe precipitaste no otar. Vecitliva
j e batel eomo teatandoimmergir-ae : no en-
tinto consegu retomar o laMJMa, -* uma luta
renhid luta desesperada, irar"qual eeapenhei
lods as minhas fonjes, e oode, apesar de ludo,
maia de urna vez me r* objetado1 pela destreza
e agllldede daquella abominavel-creaturaae tra-
vou entr^^. .' -J,r opsa;
Qaa preteoda de mim, finalmente k bra-
dei-lbe, apellando lie vigorosamente aa as
mos entre a minhss que sent eitalarem-lhe oa
dedoa coa e forc da preaaio.-
Fosse, porm, qaal fosee a sua dr, nenhum
gemido exhalou. Demesiedo irouxe era anda es-
ta compresso para vencer aquellanatureza de
reptil.
f ritte-noe hortera ooite. rerpondeu a
Circe, e tu queres denunciar-nos.
E um elfoicp tao rpido copo violento, que
me irrojou par e borda da canda, mondn a
phraae.
N.oasoe eorpoa debrucavam-ae ambos, neite
momento, oo parapeito de batel, e e louru ma-
deixas da npariga,, que eu na veopera tasto ad-
rauari,. fluctuavam-lhe aer&cie ene agua.
Firmei-me entio aobre os joelhos, e rom uma
des mios trarei-lhe dos cabellos, apertando-lhe
o pesclo com a outra. Supremo era o laacei
deciaivo o momento I Aasira subiaguda, e seb a
preno de uns bracoa de reWo, fque a desespe-
rarlo e o iostiseto da cooservscio proprit poze-
ram uma forc herclea, a rapariga largoo-me os
vestidos poocb poeo ; fiz Um balanco, feche
os olhos e erremece-a ao osar.
Por dais vezes lhe vf a esb^a e as (artas ma-
deixas desgrenhadas fluctoarem d'entra turbi-
Ihes de espuma so lume d'agua ; por dzras vezes
a vi submergir-se no seio dss vigas, depois___
nada mais vi......................................
"p..........................................
iiom a ajuda de um velho remo que acbei no
fundo da barca, e depois de muito eaforcp, con-
segu ganhar a praia. Ao embreohr-me na tri-
lha que ia dar i cabana', volv aiot! osolhoipara
o sitio oode, na ooite antecedente, o ceg e a ra-
pariga esperavam o nocturno aveotureiro. Ji n-
lao diffundis a la viva claridade por obre quin-
to ainda agor jazie enrollo ora teoebroia som-
bras ; e eu, pareceu-me enxetgsr, de p obre a
rala, uma figura branca alvejando entre es som-
bras massas de rochedos qPe a circmdavam.
Dominado pels cariosidade, introduzl-me no meio
de um cardume de rachiticos arbustos, que ali
vegetavam, eseondi-me atraz de uma cortina de
rocha da eonOguracio de am promontorio, d'on-
de, aalro ae indagadores Olhares, podia obser-
var o qoe se passeva.
Assim, pois, resguardado, ergui am pouco a
fronte, e advinhe-se qual nio foi o mea es-
panto, ou para melhor dizer, a minha alegra, ao
reconhecdr oo vulto alvejante a minha nyade,
que tranquilamente desambaracava oi cabellos
empastados pela agua algada e enrergava aa
roupai.
Em tanto lobriguei tambem uma barca a o loo-
ge, que navegev rpidamente para a trra,
Ei-la que proa, e della see o meamo remador
que eu vira na vaapera ; porm hoje traz oa ca-
bellos penteadoa moda dos eossacos, e pende-
Ihe da cintura ama larga (ac de dous gumes,
presa a um cinto de couro.
Tudo est perdido, Jaeko I marmrea a
rapariga. E amboa encelaram ua dialogo em voz
lo baixa, que impossivel me (oi ouvir 6 que di-
seram.
Oode est o ceg ? rompen emfim o ca-
Iraieiro, erguendo a voz.
Parece- me que nio pede lardar.
E com effeito, o rogo chegou no mesmo instan-
te, ajoujado debaixo de um (ardo, que atirou pa-
ra dentro da barca.
Toma sentido, bradou o barqueiro voltan-
do-se pare o orpho ; viga eate sitio e tem mal-
lo cuidado oestes mercaderas, que, como sabes,
sio de grande valor. D parte (oio pude
ouvir o nome ) de que me retiro do seu serricp ;
diz-lhe que de certos lempos para c, ruim (eico
tm tomado os negocios, e por isso nao me tor-
nar ver. O que eu te afJlrmo, e o que tu lhe
pode* afnancar que, por maia qoe procure o
toroe i procurar, sao acha por certo quem me-
lhor, ou meamo tao bem como eu, o sirva. E nao
te esquecas de dizer-lhe que, se elle paga>ie me-
lhor oi oseui arriscados serrinos-, Janko nao o
deixaria nesta enroscada. All Onde o vento ao-
pra, e as vagas roncam, que o meu lugar I
Seguiu-se um silencio de segundos, depois do
qual o barqueiro, retomando o fio das suas idees,
proseguiu : Ella vem comigo, porque impos-
sivel demorar-se maia aqui. Dize i velha que a
rapariga j fez o seu tempo, e que ella dere de
estar satiafeila. Nao maie nos tornaremos a ver.
E eu? I e eu? I ioterrompeu -o orpho, com
entono lamurioao.
Nao me oecupo, nem nunca me oceupei da
toa pesioa. Vae-te para caaa do diabo.
A reperiga seltou enlao para deotro da bar-
ca, e fez um aignal quaii imperceptirel, com a
mi, ao aeu compaoheiro d venturas
Toma, resmuogou este virando-te anda.
uma vez para o ceg. Ahi tesa para rebocados
Agora aafa-le.
E neda mal ? pergunlou o desgranado.
Toma l mais islo.
E uma insignificante moeda da prata cahiu so-
bre a areia da praia.
O eego nio a ergueu.
(Continuar -tt-ha.
necessario para oblar miaba reforma, e realisar
eolio eate aooho constante de mea penmento,
se achs o ideial que procarava.
Felicito-me deata reeolucaa hoje; porque
cheguei occaiiao desojada, a pono retirer-me
do serricp para fruir a etiiteocia do cuerenlo
como a enlendo.
Ento, pooderou Elvira, eil diipotto. em
chegendo Frang, a praticer isso ; nio assim ?
Ao menos sempre obtlvemos alguma couaa da
oosaa conversarlo.
E porque nio astea?
Quem sabe se pera l ci conduzirei alguma
Porteoha ou Orieotel? Oh I cocheen certa joven
mui pouco lempo, que preeocheria todos os
meus desejos, acceitaodo mea corelo, e com
elle minha mo.
Elvira aenlio-se perturbada e commovida om
esta franca cor fissao, de que nao podia uuvidar <
ser o alvo; pelo olhar temo com qoe de Morvaa
a fitou.
Era a elcidide que scinlillava em om poeto
inperceptivel de negro horisonle: seria posiivel
atlingi-la ?
Neste interim atraeos om escaler da Bereske
coro o commandeote e algen officiaes, qae Ti-
nham saudar es senhoras, e offerecer-lhes oaseas
obsequios, e entio elles tnformeram sociedada
ue o Pretico Eduerdo tioha sido preso em ierra
las que fra reclamado, e nao* eaeria neohunl
risco,' porque seria entregue naqaelUs tres diae
depois do preenchimeoto da slgumaa ormali-
dsdea.
S eata circumetsncla bastou para operar uma
Completa methamorphose em Elvira; assim cha-
medt bru|ceaate o seotimeoto daaua poaiX
A pouco divisav um ceolnho do paraso.' ni
maoitealacpo de Alfedo ; gura s tinha em ruta
a inferno que estava condemnada I
Algumas lagrimea sleneiosM canicam de aeus
olhos, e foram peWr-aa uo" ao olio.
. A.
{CoRf.iwerff-Aet)
moeaf Pwfirl aparar, deixar patsar o lempo' PEN, TYP, DE M. F. DS.FalUA 4 rUHO.lWl,


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EZ2JAJ190_L2K7QL INGEST_TIME 2013-04-30T23:45:01Z PACKAGE AA00011611_09880
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES