Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:09874


This item is only available as the following downloads:


Full Text
^^^M^MMMM^

Auno de 1847.
n ni ARIO pulilfc-" ,od,01 os.dia,> <",e "5o
0 ..larda o P^t0 d" "'R"'"r'< ,,e de
<,. 'M*'^.n, ^.Marido, nto de-
nuncios- repel?** f" ,0 rl. por Un, e 188 em tjpo
PIIASES DA 0J.4- NO MEZ DE MA.RCO.
, .. j ros 48 minutos di manlia.
|.ii cn |'() fi ,|or85 e ,R min> da mimi.
jlingoaDK, ^ .^ f hon g ,T ^ ^.^
>" D,"' jj s horas e JO rnin. da Urde.
Crescenw. t ,
Quarte-feira 54
PARTIDA DOS CORREIOS.
Goianna e Parahyb, s segundas escitas Tetras
RirGrande-dn-\orte quimas felras aomeio-dia.
'abo, Serinlinn, Rio-Formoso, Porto-Calvo a
iMaccid, no l., a II e 21 decadamez.
(>araiihunse Bonito, a 10 c 21.
Boa-Vista e Flores, a lie 58.
Victoria, s quintas felras.
Olinda, todos os dias.
PREAMAR DE HOJE.
Primeira, s 10 lloras a &i minutos da manlia.
Segunda, s 11 horas e 18 minutos da tarde.
(?e 'Margo,
Atin XXII.
N.6S.
DI A A
1>A
shlWA.
Vmufaiv S. f.mTRdlo. .WTdo J. dos or-
phSos, do I. doc. da V *. t do J. M. dj } v.
s. Victoriano. Aitd.do J. dociv.da I
J. de ,#i do J.liet. de t.
H Terra. S. Vid,
t. e'do J. de
54 (Juana. S.I.atiiu. Aml. I v. e do J. dpftl db"l dist. de t
56 Quinta. >ff ? Annunciacio de Nosia So-
nliora,
SG esta. 8. Ludgero. Aud. do J. do civ. da I.
v.edoJ.depazdol.ditt.dat.
27 Sabbado. S. Roberto. Aud. do J. do civ. da
I. t. e do i. de pai do I dist. de t.
28 Domingo. S. A lea odre.
CAMBIOS NO DA > DE MARCO.
Cambio sobre Londres 0 d. p. l| re. a *ai.
I' .ns SIS rs. por Tranco.
a Lisboa 96 de premio.
Desc. delettras de boa Ikm I Vi P-Ve
OaroOnc#hespanholas.... JiiOO a
Moed.is de #too relb Itfooo -
* de 0/400 nov.. t6,"~
de 4/000.....
Prnfil Patacocs.......
Pesos columnares...
Ditos mexicanos-...
ISliud
io me.
||MM
I#200
ISfI0O
9J00
Sfsttfl
2/040
|Mk0
l#M0
Acces da comp.do Heberibe de 40/O00 r*.ao par.
DIARIO DE
ADVERTENCIA.
No discurso dd*Sr. I.aurentino publicado hontem,
ingina primeira, columna terceira, linhas 84, em lugar
(le=como paro oeotn de eegueira= lca-se, =e nao pura o
eaiodecequeira.= ._... .
a quarta columna.llnhas /4=Iea-sc=a un juiz esbar-
ra a lei que tem em frente, e cujas dlsposlcoes Ihe nao
jie licito ultrapassar=e na lfnha/7cmvez dc=est.iva=,
|a'-se=ilar.=
PERNAMBUCO.
TRIBUNAL DA RELAGA.
JI1LGAMENTO NO DA 23 DE MARCO DE 1847.'
Dcitmbargador d, emana o Sr. Sirqmira.
Na apprllacao civel entre a fazeuda publica e Jos de
Jtulhdes c outros, reformaran a sentenca.
fla dita dita entre Manoel do Nascim'ento Pereira e a
vljRr e mais herdelros de Mandel Ignacio da Cunba ,
mandaran! dar vista asparles.
Na dita dita entre Victorino l.cfont c Herculano, An-
dr Alves, mandaram dar vista lis partes.
Na dita dita entre a far.enda e Vicente Jos de Carva-
Iho, mandaram ouyir o desembargado!- procurador da
cora.
Na dita dita entrcojuuo e Jos Clemente Rodrigues
Crrela, drsprrza'ram os embargos.
a dita dita entre Manoel Elias de Moura e Jos dos
Reis, refnriuaiiiiii a sentenca.
Na dita dita entre Manoel Dias da Costa e oulros, c Ma-
iuyl CypiianoRabello, derain vista ao curador-geral.
^a dita dita entre Mara Joaquina de Alineida e Fran-
cisco Justino, mandaram dar vista asparles.
Na dita dita entre ojuizo e Bernardo Henrique, man-
daram dar vista ao curador-geral e ao procurador da
corda.
Na dita dita entre Carolina Francisca Llns e Jusue de
Jess Jardim, mandaram dafvisla ao curador-geral.
Ndila dita entre Manoel Antero de Souza Reis e Joo
Atenazio Dias, desprezaram os embargos.
Na dita dita entre Manoel da Fonsectt e Silva e Henri-
que Arnaitt desprezaram os embargos.
Nadita crime entre Jos Antonio deOllvelra, Francis-
co Antonio de Oliveira e ojuizo, julgaram procedente a
appellaco.
DIARIO DE PIRMIBUCO.
RECIPE, 2S BE MABIJO DX 1847.
Primeira dlscnssao do projeclo da le do orcamento
provincial para o anuo de 1847-1848; segunda do de
n. 10, que concede jubilncSo com metade do ordenado
aoprofessor de primeiras lettras deCaruar, e conti-
nuacao da ordem do da de lioje, he o de jue se deve
oceupar a assembla na sua sessao d'amanhaa.
No vapor de guerra Correio-Hraiileiro segulo hoje pa-
ra as Alagoas, em cumpriniento de determinacno impe-
rial, o 1." balalhiio de cacadores de 1 linha, que por
maisdeutn anno lizera parte da guarnicno desta pro-
vincia. ,
O digno eommandante desle cOrpo, o Sr. < onel
Francisco Jos Damasceno Rosado, e a dlstmcta olticla-
lidade que sob suas ordens serve, desenvolvern! tao ex-
emplar cDiavpovtamenlo, em quanto entre nos cslirrram,
nainbuciiuos.c a amuade daquelb-s que partcula!men-
te os coinnujnlcarani.e tiveiam occasiode podcrcni vidaiawnte aquilatar as suas boas qualidades pessoaes;
Sejain os ventos bonanzosos a essa ImporUntc Iracco
doeiercitobiasileiro, e chegue ella a salvo de pengos
ao lugar de scu destino.
Publicado a'fBBSo.
Dos guarde Vs. Ss. Rocife, 4 de dezembro de
1846. lltms. Srs. Drs. Joaquim Nunes Machado,
Antonio AiToittoFerreira o Flix Peixoto do Brito c
Mello. Manoel Caetano Soares Carneiro IHontelru.
Angelo Francisco Carneiro. Francisco Antonio de
Oliveira.
Illms. Srs. Nomeados pelos accionistas da
companhia encarregada da empresa da construcQuo
do theatro publico desta cidado para tratarmos a
bem do seus n.tercsses coma commiasHo do governo,
que Vs. Ss representam, assitn o communicams,
para que Vs. Ss. se dignem, quando o julgarem con-
veniente, nos transniittir por escripto as propostas
queentendcmdever fazerpara desemponho da mis-
sito que a Vs. Ss.'foi confiada.
Dos guarde a Vs. Ss. Recife, 12 de dezembro de
1846. Illms. Srs. Drs. Joaquim Nunes Machado, An-
tonio Affonso Fcrreira e Flix Peixoto de Brito e Mel-
lo Manoel Caetano Soares Carneiro Montelro. Jos
Pires Ferreira. Thomas de Aquino Fonieca.
Illms. Srs. ~ Em resposta ao officio que nosdi,-
rigiram Vs. Ss. com data de 12 do correnle, commu-
nicando-nos liavecero sido nomeados pelos accionis-
tas da companhia do theatro, para tratarem a bem
deoeus interesses, e pedindo-nos ao niesm tompo
a proposla por escripto das condiQOes com que de-
veremos levar a effeito a disposicao do art. 2.' da lei
provincial nJ 160, fle 13 de novembro do corrento
anuo, lemos de significar Vs. Ss. que, cm presenta
de Vs. Ss., e no dia e hora que nos dcsignarem, trata-
remos de desempenhar a commisso de que lomos
encarregados, visto que nos parece sroste o meio
mais proprio para nos entendermos e curar mutua-
mente dos interesses que nos foram confiados.
Dos guarde Vs. Ss. Retirte, 15 de dezembro de
1846. Illms. Sis. Manoel Caetano Soares Carneiro
Monteiro, Jos Pires Ferreira e Thomaz de Aquino
Fonseca. Antonio Affonso Ferreira. Joaquxm Nu-
nes Hachado. Flix Peixoto de Brito Mello.
Illms. Srs. Accusamos a recepco do oflicio
que Vs. Ss. nos dirigiram em data de 15 do corren-
te, e no qual nos significan! ser mais vanlajoso meio
de tratarmos dos negocios da companhia do theatro
oreunirmo-nosein um logar determinado; e julgan-
do a com'missflo abaixo assiguada que nada podera
comscGuranca resolver nessa jeunio som que an-
tes ten ha bem considerado as proposites que
por parte do governo se llie houver do olTereccr, ro-
la de novo a Vs. Ss., hajam de convir na presente
proposta, que no sen ofiicio de 12 de dezembro Bn-
ram, lim de se poder habilitar para a celebrado do
contrato autorisado pela lei provincial n. 160.
. Dos guarde a Vs. Ss. Recite, 15 de dezembro de
1846. -Illms. Srs. Drs. Antonio Affonso Ferrara,
Joaquim Nunes Machado e Flix Peixoto de Bnlo e
Mello. Manoel Caetano Soares Carneiro Monteiro. -
Jos Pires Ferreira. Thomaz de Aquino fonseca.
Illms. Srs. Quando pedimos Vs. Ss. urna
conferencia, foi na persuasSo de que nos seria assim
mais fcil assenlarmos nos meioS de levar a effeito a
disposicao da lei provincial, que manda conyencio-
nar com a companhia o pagamento da fluantia que
emnrestou para a construyo do theatro publicodes-
ta cidude, reduzindo depois a escripto nossa conven-
eilo; insistindo, porm, Vs. Ss. na apresentacap das
proposicOes que por parle do governo temos do fa-
er. entendemos satisrazer a exigencia de \s. Ss., oe-
clarando-lhcs que o governo est disposlo a contra-
tar com a companhia o pagamento da quanlia de
quelrc credora, passando a administracflo do ara-
bamentodaobradolhentro para o governo; e que
quanto s segurancas e prazos clesse pagamento, po-
dem Vs. Ss. pensar no que for mais conveniente aos
interesses da companhia para nos retenrem na reu-
nifloqu lizermos, e pela qual anda insistimos, por-
que a consideramos indispensavel para a celen.acao
lo contrato do pagamento. .
Dos guarde a Vs. Ss. por muitos annos. Recife,
empregou na edifica.lo do.mesmo theatro, assen-
toua commissSo de oonsultar. particularmente a
maior parte dos accioniUsje.tonrormando^ecom o
parecer voto da maioria, tem a honra decommu-
nicar a Vs. Ss.:
Que a companhia est prompta a receber o paga-
mento de seus adiantamcnlos e juros em aceOes da
companhia de Bebcribe, e o resto em lettras da tlie-
souraria provincial, de um a dous annos, com venci-
mento de juros de 6 por cento, na forma do contrato,
at real embolso, e a ontregarao governo as chaves
do Ihealro depois de realisado o contrato.
Tal ho o definitivo accordo quo a commisso tem
a honra de commuuicara Vs. Ss., a quem Dos guar-
de muitos annos.
Rceite, 13 de Janeiro do 1847. Illms Srs. Drs.
Joaquim Nunes Machado, Antonio Affonso Ferrei-
ra e Feliz Peixoto de Brito c Mello. Manoel Caeta-
O O M'il'l OIAUIU * no Soares Carneiro Monteiro. Jos Pires Ferreira
Illms. Srs Scientes do que Vs. Ss. nos com-
municam em seu oflicio firmado a 13 do correnle,
acerca da opiniSo da companhia do theatro, relativa
ao pagamento dos adiantamcnlos por ella feitos, e
juros vencidos, n.lo podemos dispensar-nos de djri-
gir Vs. Ss. algumas observares sobro a ultima
clausula de entrega do theatro, que a companhia poo
dependente da reuniflo da assembla provincial o
approvacHo do contrato.
Recordcm-so Vs. Ss. que na reuniflo que com nos-
co Bzeram, mostraram-se satisfeit03 com a condicilo
de voltar o Ihealro para a companhia, so acaso, con-
tra todos os clculos humanos, deixasse a assembla
provincial de approvar o contrato; condicao por
seniduvida sullicicntemente garaulidora para a com-
panhia.
Reflictam lambem Vs, Ss. que a sua insistencia pe-
le conservacHo do theatro em poder da companhia
vai occasionar graves prejuizos provincia, e nos
acreditamos que nlo sao estas as intenyOcs da com-
panhia. Comprchende-se fcilmente que o lempo
mais proprio para a construcQao vai fugindn, e que
nemao menos ser approveitado para reparos tic al
gumas ruinas que apresenta o edificio, e para ac
berla-lo dos combates do invern, que se vai appro
ximando.
Em vista tiestas considerares, e para prova ti
boa f e sincerosdesejos.que temogoyernodesatisfa
_____-- !-*-_ i I ...-i..I ,. .1,,,-,!- ni -,.1-ii iiMinit; 1UK iCIIlUV
Os abaixo assignados, membros da commisso no- eos Sr Mano* Cae^
meada nela companhia do theatro para contratar 17 de dezembro de 46. llims^ra. sianwwc
da mesma companhia, para dar conta da misso de chado. --Aflomo Affonso tendr.
que foram encarregados, julgain do seu dever fazer ttro e Mello.
constara historia do contrato, e o mesmo contrato,
por meio da impressflo dos documentos t
transcriptos. Recite, 16 de marco de 1847. Jos vl.a^J'1f^'ar""pnienlcs de ser paga a compa-
dres ferreira. Manoel Caetano Soares Carnero smeos ,'~"'?n^no que fizara, estamos
Monteiro.
Illms. Srs. Nomeados pelo Exm. Sr. presidente
da provincia para tratarmos com os accionistas da
companhia do theatro, de que Vs. Ss. sao directores,
acerca da prompta execuQflo do art 2. da le n. 160,
de 13 de novembro do correnle anno, assim o com-
municams Vs Ss., para que se dignera de convo-
caros meamos accionistas, indicando-nos o da, hora
ttogar em que devoremos comparecer para levarmos
a effeito a misino que nos foi confiada.
Dos guarde Vs. Ss. por muitos annos. Cidade
do Recite, i." de dezembro de 1846. Illms. Srs.
FranciscoAntnio de Oliveira e Manoel Caetano hoa-
ics Carneiro Monteiro, directores da companhia do
theatro Joaquim Nunes Machado^- Antonio Affon-
so Ferreira. Flix Peixoto de IlriWe Mello.
Illms Srs. -Sm poder satslazer a requisic.no
dflVs Ss feitatBcomtnisspo administrativa do
thetro pb i o, eTCc.0 datado do l.o do corren-
e, que sV. hoje ,i recebldo, passamos a convocar,
assembla-geral dos accionistas do mesmo theatro,
3 :,,osso cuidado levar immediatarnente ao
cohedmento do governo da provincia qunlquer de-
SraSo que fr tomada relativamente miMSo de
que se acham Vs. Ss. encarregados.
a do theatro dos avances quo fizeYa, estamos
promptos comparecer no tempo e lugar que \s.
Ss. houvercm de indicar. n^r ood
Dos uarde a Vs. Ss. muitos annos. Recite, 22 de
dezembro de 1846. Illms. Srs. Drs. Joaquim Nunes
Machado" Antonio Affonso Ferreira eFel.x. Peixoto
del toe Mello. -Manoel Caetano Soares Carnero
Monteiro --Josi Pires Ferreira. Thomaz de Aquino
Fonseca.,
- Illms. Srs. Em satisfacSo ao oflicio de Vs. Ss
de 22 de dezembro do anno lindo, somos a d.zer- lies
que os esperamos em o dia 7 do correnle, pelas 10
oras da inanha, em a casa da ra Nova, esquina
do Porto-das-Canoas, 2.* andar. ,,.*,-
Dos guarde a Vs. Ss. Recite, 5 dejane.ro de 1847.
- Illms Srs. Manoel Caetano Soares Carneiro Mon-
teiro, Jos Pires Ferreira. o Thomaz de Aquino
Fonseca -Joaquim flunes Machado. dntomo Affon-
so Ferreira.
- Illms Srs.- N.1o tendo sido poasivel reun.r-se
no dia 9 do Con ente os accionistas da companhia do
thea ?o.Sm, de >e Ihes fazer presentes as propos.-
coes aue Vs. Ss. por parle do governo provincial se
gn.r'am.ieoflerLer acerca da netrade soref-
garo pagamento do capital que u mesma companhia
que a mesma companhia se veja na nocessidade d'ar-
car urna demanda com parte tilo poderosa e temi-
vel, qual o governo. para pcdir-lhc araUtuicBod'um
penlior que deixam escapar das suas mKos, fiada
em clculos humanos eem promeasatle boa vonta-
de. Aoereaceque da parto da companhia, no monos
que da do governo, existe todo o ulerease de res-
guardar o theatro dasavrias do w\erpb, porque tem
nelle a sua hypotlieca ; e por isso espera entrega-lo
ao governo no mellior estado possivcl, d'aqui a moz
o meio, tempo em que j o contrato pode oslar
approvado pela assembla provincial, cuja reunan-
nos bate porta. Persuadida a commisSo de quo
as nielhores inteuces de Vs. Ss e do lado do go-
verno podem ser frustradas pola vontade furtuila
e soheranatla assembla provincial,ante quem podem
cahir lodas as clausulas do contrato, nao reconhe-
cemos cndiloalguma (anno ser o pagamento real
eeffectivo ) a queVs. Ss. possam subscrever porparte
do governo, que sirvam de garantir da maneira a
mis plena o contrato que nos convidain a celebrar;
epor isso scniloanima ella a propo-la, com quanto es-
teja semprc dsposta a attchdc-la, se Vs. Ss., como
melliorcs eenhecedores das leis administrativas, so
dignarem inicia-la. No cntanto, julgamo-no com
todo 0 direito de esperar que Vs. Ss. nos fatjam a
justica de reconhecer a sincera vontade quo temos
mostrado do abrir mo do theatro ; c que, se agora
nao somos facis cm annuir condiclo de entrga-
lo antes da approvac.no do contrato, como temo mu
francos em aceitar as outras propositos que Vs.
Ss nos offereceram, he nicamente porque anteve-
mos embaracos, na nossa mente mu serios.
Dos guarde a Vs. Ss. Recite, em 9 de tevereiro do
1847. = Illms. Srs. Drs. Flix Peixoto de Brito e
Mello e Joaquim Nunes Machado. Manoel Caeluno
Soares Carneiro Monteiro. Jos Pires Ferreira.
-* Illms. Srs. |Em resposta ao oflicio de Vs. Ss.,
de 9* do correnle, c da resoluto em que anda so
acham de nfio entregar o theatro antes d approvado
do contrato pela assembla provincial, convidamos
aVs. Ss. paraquedesignemodisshoraclugaremquo
. deveremos comparecer, para *celebrar-se ocontrato
,_ dehaixo das condic^es ajustadas. .
Dos guarde a Vs. Ss. por .muitos annos. Reci-
te, lo de tevereiro de 1847 Illms. Srs. Thomaz
l d'Aquino Fonseca, Manoel Caetano Soares Cariiei-
boafe sinceros desejos.que tem ogovernouesal.sia- "H";"'^ ,j Ferrejra. = Flix Peixoto
zeras vistas dos legisladores prov.nc.aos, nos somos lojdet roo */1 mnes Machado.
aulorisados a subscrever a quasqucrcondicfles, que '" "'""> """ JU"
-Illms. Srs. Tendo a companhia do theatro
acabado agora de por em limpoas suas contas, que
j se acham em nosso poder, estamos promptos a
reunirmo-nos no lugar o s horas que Vs. Ss. deter-
minaren!, para concluirmos ocontrato, para que nos
convidam por seu officio de 10 do corrente.
Dos guarde a Vs. Ss. Recife, 23de tevereiro de 1847
- Illms. Srs. Drs. Joaquim Nunes Machado, Flix
Peixoto de Brito e Mello c Antonio Affonso Ferreira
- Manoel Caetano Soares Carneiro Monteiro. Jos Pi-
res Ferreira.
fiuiui iaaui/3 uuimu i"vi .,.......,...-. -~-.------,-------, -i -
sirvam, de garantir, da maneira a maisplena, o con-
trato que temos de celebrar, com tanto que Vs. Ss.
facam quanto antes a entrega do theatro. Silo estas
as ultimas dcclaraces que temos de fazer a Vs. Ss ,
restando-nos o senlimento de vermos ilustradas as
diligencias que empregmos para bem desempe-
nhar a honrosa miss.to que nos foi confiada.
Dos guarde a Vs. Ss. Cidade do Recite, 25 de Ja-
neiro de 1847. -Illms. Sis. Manoel Caetano Soa-
res Carneiro Monteiro, Thomaz de Aquino lonse-
cae Jos Pires Ferreira, Flix Peixoto de rilo e
Mello. Joaquim Nunes Machado.
llims.Srs. Bastantemente desejosos de acom-
panharmos n Vs. Ss. no intento quo mostram de
ser entregue al) governo provincial o theatro, antes
de ser pela assembla provincial approvado o con-
trato em cujas principaes bases j concordamos,
muilo sentimos declarar a Vs. Ss. que o receio
bem fundado de compromettermos os interesses dos
riossos conmtenles nos Torca a insistirmos na nos-
sa primeira decisao, nflo obstante as reflexes que
Vs. Ss. se dignaram de offerecer-nos em seu olh-
cio de 25 do corrente, e sobre as quacs cunipre-nOs
Tazcr lambem algumas observacOes que sirvam, pe-
lo menos, de justificar o nosso cordato procedimien-
to. Primeramente pedimos Iicenca a Vs. Ss. para
duvidarmos do Tacto do haver a commisso mostra-
do-se satisteita coma condiclo de voltar o theatro
para a companhia, no caso de deixar a assembla
Sroviocial de approvar o contrato, pois que, se Vs.
s. rullectirem de novo sobre o que se passou na
reunilo, hiio de se recordar de que, sendo una tal
condiclo offerecid* par Vs. Ss. depois que Ihes -
zemos sentir a m-cessidade de medida legislativa
para a consolidado do contrato, a commisso nHo
Tez mais do que -denunciar a sua Talla de mandato
para receber ou rejeitar a supradita coodicfto ,
compromettendo-se apenas submette-la adeibe-
racno da companhia juntamente rom a questno do
abate dos juros : e assim praticmos, corno Vs. Ss.
nao ignoram. Mas infelizmente o voto da matorta
da companhia se pronunciou contra a admissilo da
condicno.semquc por ahi se nos possa fazer impu-
tarlo alguma, anda quando tivessemos dcixado en-
trever qualutier pendor para adopta-la, segundo
Vs. Ss. gratuitamente conjecturaram.
N3o desconhecemos a necessidade de so fazer pe-
queos reparos na coberla do theatro, alim deo |)ic-
scrvaidosestragosdoinvcrnoqueso approximn, mas
esta circunstancia de certo nfio prepondera solireni
ritrorosa obrigacBo em que esta a commisso de ikIo
arriscaros interessesdt companhia a eventualidades
nue se nao podem calcular favoravclmentc, sendo,
como he, indubilavel que o contrato sobre pagamen-
to dos capitaes ajljantados o juros respectivos, so-
mente pode tornaiv.se ivali.^ivel desde aapprovacflo s
da"aisenrhla provincial, vfto como a f-xacBo dos n
Illms. Srs. Em resposta ao oflicio que Vs. Ss.
nos dirigiram em 23 do corrente, temos a honra de
significar-lites que no dia 27 do corrente, s 9 horas
do dia, em casa do membro da eommissBo Antonio
Affonso Ferreira, nos acharBo, para so ultimar o
contrato de que Vs. Ss. c nos Tomos encarregados.
lieos guardo a Vs. Ss. Recite, 25 de tevereiro de
1847 Illms. Srs. Manoel Caetano Soares Carneiro
Monteiro, Jos Pires Ferreira e Thomaz d' Aqui-
no Fonseca. Flix Peixoto de linio e Mello.Joa-
quim Nunes Machado.
Os abaixo assignados, membros da commisso no-
meada para contratar com a companhia do theatro,
sobre a maneira por que se deve rcalisar o pagamen-
to dos capitaes e avancosque a mesma companhia
tem feito para a construceflo do mesmo theatro publi-
co eos membros da eomipissao nomeada pela mes-
ma companhia para o supradito fim, teom definitiva-
mente accordado as scgnintcscondicos:
1." Qiie governo ser obrigado a pagar compa-
nhia a quantia de cincuenta e tres conloa quatrocen-
tos e oito mil quatroecntos e nvenla e nove ris, de
capital c juros vencidos, de seis porcento ao anno,
ate o dia vinle oito do corrente tevereiro, coplorme
a conta aprsentela pelo caixa da companhia, e as-
signada por sua commiavlflo, que so responsabilisa-
ra por qualqiier erro que possa uaver.
2." Que aquanti cima ser ,paga com todas as
plices da companhia de Bcbenbc, actualmente
compradas pela Ihcsourari provincial, o o restante
com lettras aceitas pe a mesma thesoiirana. as
qi,aes se incluir o juro de seis por cento ao anno,
adiado vcncin.e'nto; o na^oe pagamento ven-
cerBo as ditas lettras o incsmoju
.-juro de ?ejs por Mito
aoanno, pelo seu valor,o o prazo serad urna dous
annos.
3 Que o governo tomar sob sua responsabilida-
dn a pedra quo a companhia encotflmendou para Lis-
boa, que seachar prompta nao|uasi3o em que lle-
gar o aviso que a companhia Taufao negociante Joa-
quim Elias Xavier.
4.' Que, approvado o presente contrato pela as-
jembla provincial, c entregues zgfln da-compa-
ito como ai.xavaouo nhia de Beberibe e lettras,ih. ti.osouraria provincial
uU?l la torXik owpetenteho oque vem companhia do theatro, l.cara por estes Tactos ex-
na veda le a onstttiiV ?. plena para s accio- tincto o direito l.ypo becario o de adm.nistrac.ao da
naveidaoxa io'imi JnrPI\r na cornos comoanhia. sendo esta logo obligada a entregar o
luir garanta plena para os accio- inicio u uueuu ii31;ui..l=v.o..u v mv ....,,,,..,.,....s..,. ,.
nao pode conceder nos corpos companhia, sendo esta logo obrigada a entregar o
itade previa e fixa, massimdc- theatro ao governo com todas as decorares, inale-
___... ;,...i................i,u,..,, d. i paos iiuii nliii'cios comiiratios or cunta da corn-
il islas. Ora, se se
collectivos urna von K.v...------, ---
ambulatoria, nflo hejmpossivel que a assembla dei-
xe de approvar o contrato, em que setiver applica-
do para o pagamento da companhia do theatro, as
accoes da de Beberibe, que alias tecm na lei um dis-
tino especial ; oentao nao ser taraban impossivel
lllCailU a" ajUYCI IIW ,.um i^"". a taw, u^w^, ...*-
riaes e mais objectos compratlus por conta da com-
panhia para o mesmo theatro, tuijo ,por ,meio d'um
inventario minuciosamente,p/i^isaaT|
K que desta Trma eram contento^ due o presen-
te contrato fossu levado, a execuijao.
ILEGIVEL
I

i

i 1
t
11


r
' --
E
Recite, 27 defvereiro de 18*7. Joaquim Nunet
Machado. Antonio Aflonso Ferreira. Manoel Cela- res pisageirose mi-iegadoreVd; craro."
no nave* Carneiro Monteiro. Jos Pires Ferreira.
rente) paraoRio-de-.Taneiro; o que se avisaaos scnlio-
tOMME^Io;
Alfandega. t
RENDIMENTO IK) DA 23.............6:788^302
DESCtRHEGAH HOJE 24.
PtlachoTam-OihanUr-geUo.
IrrigueIlnhimmercaduras.
Hi i(.'nrI/iinrndem.
BrigurHtlinpnliidem.
lirigucCordabacalho.
?
Lilad.
Septos, Barros & C. continan) hoje quarta-
feira. 14 do correntc, como leilao hnntem comecado,
das 300 calxas com passas, porla do armazetn do Ra-
cclar, defronte da, cscadlnha da alfandega.
Avisos diversos
Consulado.
RENDIMENTO DO DA 23.
Geral............
Provincial.........
Diversas provincias ..
T
Mnviiueiito do Porto.
. 3:610/080
. 1:440*344
. 97/907
5:148/337
Nato sahiio nm noUt da dia 21.
Portos do Norte; vapor braslleiro Pernambutsma, rom-
mandante Joo Militan Hevrlqtics. -Alcni d.is passa-
geiros que trouxe do Sul para o Norte, Irva para
o (.cara, Jos Rodrigues Panino, Manuel .los Martins
Ribero.
Navio mirado no dia 23.
Rio-dc-Janelro por Macelo, TI dias, charra brasilea
Canaca, commandante o caplao-tcnente David Petrr
de Ranos. Vem reerber dous mastrns, e traz de
Maceio o altere do prlmeiro batalhao de cacadores,
Antonio de Barros Pimentel e-sua familia.
Navios taidos na memo dia.
Baha ; barca brasilrira Generosa, cap! (no Jos de Ollvei-
ra Snuza. carga a mesma que trouxe.
Macelo; vapor de guerra nacional Correo-Brnii.eiro,
commaiidante o capiliio de fragata Virlor Santiago
Seabra.-Leva de passagem o priiiieirn batalhao deca-
cadore, e os officiaes com suas familias
Portos do Sul ; vapor braslleiro Imperador, coimnandan-
le J. H. Otton. Alindospassageirosque trouxe do
Norte para o Sul, leva para a Bahia Antonio Fran-
cisco da Hora, c-o preto forro Manuel Faoncisco com
un filho; c para* Rio-de-Janciro o Exm. Sr. Francisco
Monis Tarare,
Parahiba ; hiato brasilciro Espadarte, capilo Nicolao
francisco da Costa, carga varios gneros. Passagciros,
Jos Jacintho dos Reis, Luiz Antonio de Mello, Manoel
Rabellnde Oliveira, Brasileiros.
Londres ; barca inglcza Guardian, capilo Joseph Mofl'at,
carga a mesma que trouxe.
Deca racocs.
=0 arsenal de guerra compra cem armas com baione-
tas, do adarme 17. Quein dito genero tlver mandar sua
proposta em caria fechada e amostra directora do
iiiesino arsenal, ateo dia 96 do correnlc mes.
Arsenal de guerra, 20 de marco de 1847. *
Joo Ricardo da Silva,
' Amanuense.
O arsenal de guerra compra trze mantas de algo-
dno : quem dito genero tlver mandar sua proposta em
carta rochada o a amostra a directora do niesino arse-
nal, at odia 29 do correntc mez.
Arsenal de guerra 23 de marco de 1847.
Joo Ricardo da Silva.
Amanuense.
A barca n. I. recebe as malas para o Ccar e Ma-
ranhao, boje, as II horas do da.
=A admlnistracSo geral doscstabclrcimenios de car
ndade m.mia fazer publico, que, nao leudo sido possi-
vel ir a praca a ronda, por 3 anuos, de lodo o edificio da
ra da Roda, rin que estove nut.'ora a casa dos expostos,
lica transferida para o dia 29 do correntc mez, no men-
ino lugar ja annimcjado. Adminislraco geral dos esta-
belcciiiu-ntos de caridade, 22 de marco de 1847. O es-
criturarlo F. A. Cavalcante Couistiro.
Theuho publico.
Quinta-feira, felit annitersario do
JURAMENTO DACONSTITUIQO,
se ha de p6r em scena um brilhante espectculo, dividi-
do em cinco paitos:*
1." Um belissimo drama allcgoriro, appancrndo o
retrato de
S. M. I. C. O SENHOR D. PEDRO II,
canlaudn-sc o hymno nacional.
2 A rfanra da polka, seguindo-se a srgunda oscolln
da imvn inri.
i 3." O prlmeiro acto drico, mui brilhante e novo
drama
S. BARTHOIXJMEO NA ARMENIA,
ou
A PR0PAGAC.AC- DA FE'.
4. A danra da mashurku.
5." O ultimoaclo do drama sacro.
Rematando com urna linda e vistosa apparico da 9/0-
ria clale, em que he transmutado o tlirono do rci da
Armenia.
Priucipiar chegadjufcS.. Ex.
Piihlicacao Hf lera ra.
Demento de direito natural ou de philosopliia de
ilcito pelo Sr. Viente Ftrrer Neito Paiva lente ca-
^^pfaculdade de direito na universidade ,),.
ra. etc. Pcrnambuco lypographia de Santos &
Companhia.
Esta obrafoi rcimpressa a instancias do Sr. doutor
Autron que a tem por asna das mi lliures na materia
de que trata, e mui apropriada ao uio das escolas de
direito. Os Sr. acadmicos que a quizerem comprar
podem desde ja drlgir-sc a, livrara 11. 56 da ra da
Cruz do Reeife onde acharo alguus cxemplare i
encadernados, a preco de 3/000 rs.
PROcfi&O DAS CkTAGAS.
A irmandade do Senhor Rom Jezus das Chagas, tendo
de palomear aos (els, em o dia J8 do crreme, a pro-
cissao de Ramos, como he de cattume, tem de pedir s
pessoas das ras abaixo declaradas, que por obsequio
queiram toras suas portas limpas, afim de com mais
pompa poder conseguir o brilliantismo que costuma:
na dos ijiiartris, no sabir da igreja, praca da Uniao,
ra das Cruzrs, travessa da Ordein-Tercoir, ra t.adoia, em seguimiento para Recite, ras da Madre-
de-Deos, Mooda, Cordonir, Vicario, Altendega-Vcllia,
Llngoetn, (,ruz, Cadeia-Velhn, Collegio, Livramento,
Dircita, travessa do Marisco, ra dos Martyrioa, Hor-
tas, pateo do Carino, Cainboa-do-Camio, ra das Flo-
res, Nova, Trincheira, estreita do Rozarlo, Quciinado
ao entrar na groja Onlro sira, convida tambem
aos Sr,.reverendos que quizerem aeompanhar a mesma
l>i oeissiio, que vcnhain paramentados de seus compe-
lentes roquetes, para mslor esplendor da mesma. Tam-
bem pede encarecidamente aos Srs: liscaes que quei-
ram ter a bondade de mandar tirar os lampeos na
tarde de mosmo dia, adin de nao iinpedirem o transito
dos andores. A'. B. A procissao sabe as 2 horas im-
preterivclmente.
PROCISSAO' DE TRIUMPHO.
A mesa regedora da veneravel ordein tercoira do Car-
mo desta ciJade tendo de apresentar a vista dos fiis
calmbeos na tarde do dia 26 do crreme a procissao
do Triuinpho dos Passos do Senhor, polas ras srguin-
tcs : estrena do Rozarlo Quciinado, -Cruzes travessa
!e VFa"ci,C0 'l,a* rta te*' le S.-Antonlo, dila do
Kocile, Cruz, travessa de S -lloin-Jesus ras dos Tanoel-
ros Trapicho, Vigario travessa da Cacimbn ra do
inesmo nninea sahir na da Madre-de-Dens e desta a
da Cadea em seguimonloas doCollegin, Quelmado
I.ivramento Direila travessa do Marisco ras dos
Marlyrios. Hurtas a igreja : por Isso roga aos morado-
res da ditas ras o travessa o obsequio de mandarem
luupar as testadas de suns porta afim de se acharen
com a precisa decencia para por ellas p6der transitar o
salvador do mundo na certeza de que se algumas de
ditas mas assim nao se acharem no ref-rido dia a pro-
cissao tomara ontra direccao : roga Igualmente aos re-
verendos Sis. sacerdotes que quizerem aeompanhar a
procissao, o obsequio do se aclianm na Igreja :.s3hora
da tarde, hora em que olla devora sahir; c aos Srs. ar-
rematantes da illuminaco da cidade o levantamento
dos ferros dos lampeos nos lugares em que possam
prejudicar olivre transito dos andores.
O NAZARENO N. 14
e,t,~ venda na livrara da praca da. Independencia
ns. be 8; na loja doSr. Quaresma, na ra Nova, c na
lypographia Nazarena, ra de S.-Amaro, as duas horas
om ponto.
Traz una ode ao Exm. Sr. conde das Antas; artigo
de interesse, e urna interessante carta do Moquita ds
capote com versos a polka : procurein que deve ser lido.
Precisa-sede urna ama para o servir interno
de casa de pequea familia : na ra do Vigario, n.
25, primoiro andar.
Precisa-se de urna ama br.inra, que saiba coser,
engommar, e dirijir urna casa de portas para dentro,
prererindo-se portugueza : na ra Nova, n. 25.
Na olaria na ra do Cotovello, a primeira de-
pois do becco das Barreiras, precisa-sc de um tijo-
leiro bom.
Urna pessoa de muito boa conducta e serie pro-
pOc-se a fazerqualquer escriptura^ilo, tanto por par-
tidas dobradas como singcllas, das duas horas d
larde em vantc: quem precisar, dirija-se ra da
Larangeiras, n. 14, segundo andan, que se diri
quem he.
Precisa-sc de
milia,
urna ama para casa de pouea fa-
A7
isos marijtinius.
Para Lisboa abit, no dia 27 do curente, o brieuc
portuguezi'.-OoniiajIWBnda recebe carga a fele, assini
como passageiros.para o que tam bons coinmodos- trata-
se com Mcnde & Tarrozo; na ra da Cruz.n. 54,uu com
o capitao, Manoel Goncalve Viaiina, na praca doCom-
inerciu. *
A barca Portugueza Boa-Viagem, vinda da
Rabia acabar de carregar ueste porto, pretende
seguir para a cidade do Porto, com muita brevidade
por ter o scu carregamento quasi prompto : quen
na mesma qu.zer carregar ou ir de passagem, para
oque tem muito superiores commodos, enlenda-se
S2L !P?"" "*- ioa Rodr'Kues, bordo ou na
praca do Commere.o com o seu consignatario
Francisco Martins da Cunha.na ra do Vigario n 1 V
Para u Para sabe com brevidade a sumaca S .11'
tma: quem nella quzer carregar dirija-sc a ua do
Queimado, n 16, ou a bordo. ao
a,". P.?ra ***!U ae8Uf c*"" brevidade o hlate S.-Hene-
dleto.de superior marcha : que,,, nelle quizer car
ou ir de passagem, trate com Silva & Grillo
Moeda. n. 11.
A escuna Galanle-Marit egUC amanhaa (25 do cor-
regar
ra da
miha, que saiba cozinhar, lavare engommar, e que
seja capaz : no aterro da Boa-Vista, n. 58.
Est nesta Cidade um moro inglez, recente-
mente chegado, queso deseja empregar na cscriplu-
rac.io de alguma casa commercial, nacional ou es-
trangcira, visto que sabe a iingoa portugueza c
franceza, alem da de sua nacio, que sabe com muita
pcrlcirao : olTerccc-se igualmente para ensinar
qualquer dessas Imgoas. Quem de seu prestimo
se quizer utilisar, procure-o no buhardo Passeio-
Publico, ou annunrie por esta folha.
Na ra da Cadeia do Reeife, sobrado n. 50, nrc-
cisa-se de oliciaes de alfaiale.
Roga-seaoSr. J. P. doL, B. baja de mandar
pagar aquelles 16/000 ris, que 11110 ignora, do con-
trario vera seu nome por extenso ueste Diario.
Aluga-se um escravo para trabalhar de enrha-
a cni um sitio perto desta praca, dando-so de comer
c 10/000 res por mez ; quem tiver, annuncie, 011 di-
nja-sea ra do Collegio, botica n. 6.
Preoisa-sc de urna ama para casa de portas a dentro,
que saiba engommar, cozinhar e lava, alguma colisa, pa-
ra urna casa de pouca familia, ou tambem lima negra de
idadeque ciitenda do cuinlia : na ra de S. Rila. 11. ni.
._~ Alu6a se "Va easa tesrea, nova, con mullos cuin-
inodos por detras da ra d. Aurora, principio da ra
1. ^lbtlt3lb "'1W> '0/000 r'. por mez:
MiS (: '"a sp' l"ih A,,u",iuLui** ban-
Pede-sea apprenhenslo de un negro de na-
C3o, velho, cabera branca, feiges grosaeiras, e ru-
aran, falla mal boa estatura, porm corcovado,
Tallo de todos os denles da parte superior, na frente,
mflos e ps grossos, cujos dedos silo rombudos e
arastados ; por nome Jos: ( appelidado prego ) du-
dem leva-lo ao caes d-Alfnndega, armazem n. 5.
Hennque Jos de Carvalho e Souza, subdito
portuguez, vai a ilha do S.-Migucl.
,7rDf,"'ja"S0,,U"'"-" coln oSr. Francisco Antonio Ca-
valcanti ( ousselro, a negocio de leu iiiiercssc: na ra do
i'iespo, 11. lj.
Deseja-se fallar 0001 o Sr. Joio Baptsta de Souza
Lomos, a negocio de scu interesse: na ra do Crespo,
Declara-se ao prteendente da compra da parte aue
temoSr. Paulino da Silva Mindello no sitio da Taca-
r.uia que dila parte so aeha penhorada pelo cartorio de
01 phiius eserivao Pero ira, por execuco de llerculano
Jos de Frrtas contra o mesmo Mindello pela quaulia
de duzentos quarrnla o tantos mil res, sem cujo paga-
mento nao pode ser dita venda feita legalmcnlc. '
Oengenheiro Milct pretende abrir um curso
completo de aritlunetiea, desde a oxplicacao dos diver-
sos systemas de numeracj0 al as diversas appl.caces
dos iheoromas sobre as propo.ccs, progresles < loga-
1 nimios; as questrtos scienlilicas, rlnanceiras e com-
mcrciacs; como tainbem um curso completo de geome-
tra COM assnas anpleaces mais usuaes, e inormenie
as que se refercm arte do engenheiro.
Quem quizer ulilisar-sc de urna ou ouira deltas duas
discq.lmasd.nja-se a ra do Aterro-da-lioa-Vista, casa
n. .J, piimciro andar, das 10 horas do da as 4 da tarde.
aJi~1'i,rtLrreS0* ''" Sala livrc ,la cadtia cidade,
carcere,,-. e,cU"i? "go,ro'a '>rigatao para com o ex-
banidadi ir Sr- Mancl Tl,'"" dos Santo, peU ur-,
banldade e franqueza, com que o me.mo Sr. iempre o
Iritou, e nao podendo de outra maoeira motrar-IIic
seu reconhocimento, por isso recorrem ao pre.lo,
!- JJkrapor este llic tcstoinunharem a mais sincera grati-
mimo trnipo que o novo carcrwro, o Sr. Vicente
Ferreira de FarlaSi seguir a mesma carrrira que o seu
antecessor tio nobremente desempenhnu.
Perantc o Sr. doutor juiz do clvel da segunda vara,
se hao de arrematar hoje, por ser a ultima praca. duas
casas terreas sitas na travessa da Ponte-Velha. n. 48, por
480,000 rs. e 11. 50, por 680,000 rs. por execuco de
Jos Joaquim Rtzerra Cavalcanl contra Jos Marques
da Costa Soarcs, como liquidatario da casa de seu fi-
nado pai.
- Jaclntho Jos de Medelro Corrola deixa cin poder
do Sr. Francisco Mathias Perclra da Coala, morador na
ra das Larangeiras, n, t4, segundo andar, 11111 escra-
vo de nome Antonio, de nacaoAngola, deidadede26a 28
annos para o vender, pertencente a Jlo Jos deMedei-
ros Crrela; e o mesmo Sr. Francisco Mathias passou um
fica do escravo, cujo fica em casado Sr.Joao TavaresCor-
deiro na ruado Vigario, e fica autorisado a passar o pa-
pel de venda, logo que se conclua a venda dari|
escravo.
O morador da praca da Independen'
quebotou oannuncio no Diario 11. ti com a 1
iniciaos M- L. da C. G. do tenente do prlmetr^
Iho de cacadores declara que amigavelmente co
venconou com o dito tenente o pagamento.
A mesa regedora da veneravel ordein tercoira de
S.-Francisco convida a todas os seus maos a se acha-
rem no dia 26 do coi rente pelas 2 horas da tarde na
sua Igreja para o fin do aeompanhar a procissao de
Triumpho que tem de sahir da Igreja da veneravel or-
dein tercoira do (armo no dito da, e espera de seus Ir-
mos o comparecimenlo.
Procisa-se de um pequeo dos chegados ha pou-
co do Porto para caixeiro de urna loja de miudezas :
na ra Nova n. 15.
Precisase de um eitor que aalba tratar de hor-
ta enrhertar o entrnda de plantac.de : no Aterro-da-
Boa-Vista, n. 43, ou na Magdalena estrada da Torre ,
n. 78.
Quem anniinciou, no Diario n.64 ter um enge-
nbo d'agoa para vender ou arrendar dirija-ac a ra
Nova, 11. 38, que e dir quem pretende. .
Deseja-se saber noticias do Sr. Bruno Jos Perel-
ra_ que at 1825 exeslia no engenho Frecheira.le quando
nao exista mais, e tenha familia o mesmo pedido se fas a
esta: na ra da Moeda, n.7 Adverte-se que estas infor-
macos sao exigidas por seus prenles de Portugal.
Procisa-se de um caixeiro que tenha pratica de
venda de l4 a 16 annos e que quelra ir para a cida-
de da Parahiba : na ra da Roda n. 48.
- Da-se dinheiro a juros sobre penhores de ouro e
prata mesmo em pequeas quantlas : no Aterro-da-
Roa-VIsta, n. 58.
Preclsa.se de urna ama para o servico interior da
casa de um hoinom solteiro : annuncie.
Procisa-se de 11 ni 111090 para com um preto entre-
gar piio : na padarla da ra do Burgos.
Perdeu-se da ra da Prnhaala ra estreita do
Rosario tuna correnle de ouro com dous sinetes lisos:
quem a achou e quizer restituir dirija-se a ra do Quel-
mado n. 4, quesera recompensado.
Francisco Jos Duarte faz sciente ao publico que,
por haver outro de igual nome e para que nao app-
recam duvidas, de hoje cin diante, se assignara Francis-
co Jos Duarte Caimaco.
Aluga-se urna casa terrea na ruadoPadre-FIorian-
no n. 29 com duas salas dous quarlos quiotal mu-
rado cacimba propria por preco coinmodo : a tratar
narua doCabug foja de cera na esquina que vira
para a ra das Larangeiras.
Anglica Rosa de Torres pelo presente declara que
tem constituido seu universal procurador a cu lillio
Flix Hozerra de Mello Leito.
Tendo-se contratado a compra de una parte que o
Sr. Paulino d.a Silva Mindello tem em um sitio no lugar
da Tacaruua : por isso qualquer pessoa que c julgar
prejudleada, uuqueaessa parte tiver direito haja de
annunciar.
Perdeu-se no dia 20 do crreme, na ruado Aterro-
da-Boo-Vsla, um cao perdigueiro, auiarellado, tendo o
naris radiado a mrio, pequeo e robusto : quem o achar
queira vr rnlrega-lo na ra da Cruz do Reeife, n. ), ou
dizer aonde existe para se ir buscar; gratificando-se ge-
nerosamente a pessoa que delle der noticia.
Quem anntinciou l^r um engenho
para vender ou arrendar,, dirija-se ra
da Cadeia do Hecife, n. 26, que achara
com quem tratar.
Os herdoiios de Thereza de Jess Maria avisam a
quem convier que nao comprrm a Paulino da Silva
Mindello a parle que llie coube, em partlhaa, no sillo
Tacaruna por se achar srquostrada pela fazenda na-
cional,e subjeita a sobrepartilha.aque o mesmoainda se
nao presin.
Antonia Maria de Barros, subdita brasilrira, reti-
ra-separa fra do imperio levando em sua companhia
dous filhos de menor idado.
Aluga-s um ptimo, arma-
zem para carne do Cear, sito na
ra da Piala com boas commodidades pelo pre'co de
10^000 rs. ; traspassando-se as chaves, tom o annuncian-
te de recobor 80^000 rs. pelos utensilios ele. ; mas
prompto est a conceder un prazo para ser pago : quem
o pretender dirija-sc a escriptorio da ra Dircita, so-
brado n. 29.
Altenco!
Allenco !
Vestem->c anjos ricamente ornados do melhor gosto
posslvel, por preco muito coinmodo; na ra do Ca-
bug n. 9 prlmeiro andar.
Precisa-se alugar una prota captiva para andar
con, meninos : na ra da Madre-dc-Deos, n, 3, escrip-
torio de Johnston Pater & C.
Precisa-se de nina mulhcr para cotinhar e tratar,
de doente c que tenha algum conbeciinento do mesmo
trato isto he de portas para dentro na ra da Scn-
zalla-Volha, n. 50, prlmeiro andar.
-- Aluga-se una casa terrea na ra do Padre-Florian-
00 n. 41 : a tratar na ra das Cruzes, n. II.
-- No Atcrro-da-Boa-Vista, n. I, prlmeiro andar,
precisa-se de um preto cozinheiro, oudeum molrquela-
to nagaudo-se mensalmente.
D-se dinheiro a premio sobre penhore; de ouro e
prata hypolheca om casas terreas ou boas firmas :
na fu estreita do Rnzario n. 30, segundo andar.
Advcrlc-se ao publico que Antonio Domingues
Pinto nao pode vender a serrarla do Monteiro ,' porque
est ella embargada e dada a deposito por execuco de
Manoel Pacheco de Queiroga ; c quem a comprar ser
porque he vleme e deseja ter quesioes, c nao porque
ignora o litigio que ha sobre a dita serrara ; o que h{
assaz notorio.
Pa i ua de S.-Therrza, n." 23 recebem-se meninas
forras ou escravaspara aprenderem a Ifiyescrever, bor-
dar marcar de lnha e seda lavarinto e costura
Na ra Pella n )7, cose-se lava se c engmma-"
se com priTHfo.
RIO-FORMOSO, UNA E SERINHAF.M.
O abaixo asslgnado previne ao rcsneitavel publico e
ormentc aos !>rs. do Rio-Formoso Una e Serinhem
que nao comprrm e uem faco negocio com Jol Lutz.de
Soiis.'i acerca dos 3 segumos escravos : Francisco, de 25
annos pouco mais ou menos ; Mauricio, eabriuha ; e o
nioleque I.uz : o prlmeiro, com 5 annos, e o segundo
de 4 pouco mais ou menos ; os quaes forain bynolheoa-
dusao annunciante.ein Macei, por dinheiro emprestado
ao dito JoseLuiz c ltimamente penhorados e deposi-
tados para seren arrematado; masque, no ultimo dia
de pregan o mosmo Jos I.uz de Sousa os roubou do
deposito o a noite fugio rom ellos cni urna barcaca para
o Uiu-roruioso c eoiu' ellos alli se acha occullo
y.uu Cvtlho di Msmiio.
----Aluga-se nina ecxellente casa de 3 andares com
um ptimo armazem slra na ra do Vigario n. 18 : a
tratar na ra do Crespo, loja u. 16.
Precisa-se de um amassador que seja bom ; paga-
se bom ordenado : no pateo da S.-truz n
Aluga-se urna casa de tres andares com frente para
as ras do A modn c Moeda, u. 13: a tratar com Manoel
Luiz da Velga, ou no armazem do caes da Alfa i
Os Senbores assignantes des-
te Diario, quese acham atra-
sados no pagamento da subs-
cripcito, queiram mandar sa-
tisl'azer, t o fm do correntc
mez, o que se adame dever;
pois a casa faz grandes despe-
zaste para occorrer ellas
precisa de receber o que se
llie deve.
LOTE RA
DA MATRIZ
OA CIDADE DA VICTORIA.
J8Vi ultima vez annunca o thoooiirelro dflka lotera
ue as respectivas rodas andarao luipretervelmcnte no
la 15 de abril prximo futuro seja qual for o numero
de bilhctes que fique por vender.
= Na ra larga do Roiario, -n.48, aagundo andar, a-
luga-sc um preto ou preta para o crvico de cosinha e
compras. ,*
Preciaa-se de urna ama de leite : na ra do Hospicio
n. 4.
~Jo Luide Souza, estabelecido com padaria na
ra Dircita, n. 40, faz sciente ao respeltavel publico e
particularmente as petatbas com quem tem transacedes,
que desta data em dlante asslgnar-se-ba Jos Luiz de
Snuza Ferreira, em consequencia de ter apparecido por
vezes nome igumal ao do annuncianto, como se vi do
annunclo no Diario-Novo de quarla-feira, 17 do cor-
rente.
... Joo Matheus embarca para o Rio-de-Janciro o seu
escravo ciionio,de nome Cosme.
. Aluga-se um escravo milito bom trabalhador de
padaria: quem o pretender dirlja-se a Boa-Vista, ra
do Piros, n. 3.
~Aluga-c ou compra-se urna burra qued leite :
tratar com Antonio Jos Gomes do Crrelo.
O Sr.Alexandre Lopes Ribeiro faya obsequio dediri-
glr-se a Boa-Vista, ra dos Pires, n. 23.
Ofl'rreec-se para ama deleite tima mulhcr [
moca, sadia e de muito boa conducta : quem a
der procure-a na ra das Trincheira, sobrado, n^Ki.
Arrenda-se o prmero andar do sobrado da ra das
Larangeiras, n. 14 : a tratar-se na ra de lionas n.
140.
rrecsa-e alugar uina canoa que pegue em 300 ou
4G0 lijlos de alvenarla : narua do Queimado loja n.
oo.
Aluga-se urna casa torrea na ra Relia, com duas
salas, tres alcovas, coziuha fra, quintal e cacimba >
a tratar na ra do Collegio, n. 15, segundo andar.
Procisa-se de um honioili para feitor, c que emen-
da de plantacdes, prel'erjudo se ostrangeiro de papeleta ^
3uem quizer dirija-sc a ra das Larangeiras, n. 29, ka
a aferlcSo.
Trocam-se duas imagens, tendo urna de S. Jos, e
outra de Nosso Senhor Jesus-Christo ; ambas com suas
mangas e peanhas, e seus "ornamentos do prata, muito
perfritas por seren fritas no Porlu: quem as pretender
procure na ra do Fogo, eincasa do Imaginario, ou an-
nuncie.
l)csamarrou-se do trapiche do algodto urna canoa
de carrea mola aborta; tem pintado de verde o panel
ro da proa e tem assenlos de roda com grade para pr
os ps; pur lora est pintada de preto c encarnado com
numero na pdpa, por dentro, de 1846: quem a livor a-
chado ou s'ouber onde se acha, poder avisar a Manoel
Luiz da Veiga, no armazem n. 5 do caes da Alfandega,
que le Ihe ucar agradecido. '
Una pessoa com a habilitaces precisas se of-
forece para faxer qualquer escripturaco com asseio e
presteza : quein d seu presumo so quizer utilisar di-
rija-se a ra Direila n. 2, segundo andar.
D-je dinheiro a juros sobre penhores: lia ra
Nova n. 63.
oVnTO.
g .---- ^
pg iiingiiem conlrnle com Antonio
jjj) Manoel Pereira Yianna, marido da J
5(jj abaixo assignada, sobre as herancastg
OJ deixadas por fallecimonto de seus \
' \ ria do Resgate, moradore que fo- ^
J ranina villa de Vianna, do reino de 5^
i Portugal, visto qtte^ consistindo di- W~
| tas bcra'ra.s em bens de raiz, nao M
i podem ser alheadas sem autorga j
jL da mesma abaixo assignada. Reci- S
g fe, 16 de marco de 1847.
Florencia Pereira da CunJta- w
A pessoa que por esta folha anminciot querer com-
Prar um diccionario.de Constancio dirija-se as Cinco-
ontas n 62.
Na ra estrella do Rozarlo, n. 22. 1."andar, caa do
rncadernador Francisco Anlonio Bastos, vendem-sc as
seguhites obras por prrfo muito coinmodo:Vida de D.
Fr. Ilarihulonieu; Imagem da vida clirisia;*Macarrone;
eleinrnto dcFoiisora; Kpistolas do evaiigelbo; Escola de
Eoltica; Fonte de Santa-Catharna ; Mcinroiados ritos ;
xerclcio quotidianos;Mrdita(o da paixo! Pratica ex-
hortatoria ou novo ministro, Retalo da morir; Historia
Sagrada; Miserere; liizope, poema; poesas de Souza;
Horas da Semana-Sama; ditas portugiirzas; KcsuiaHM ,
historia sagrada; ditas grega c rumana; dila geogra'njllFt;
e tambem tem boa tinta pela derscrever, encifler-
na todas as qualidades de obras com promplidao e
aiseio, e apara papol ludo por preco muito cum-
niodo.
Deseja-se fallar com o correspondente da Illm.
Senhorav inva do Sr. Joo de ( ai valho'i'acs de A mirado:
oa ra Direila sobrado n. 29, oti annuncie sua mo-
rada.
iro para venda', o que eja
~ sua conducta ; na ra
n. 5.
buin de balean ,
Formosa na qiiailac.
l'l'i'cisn-sc
eom o Sr. Cal
iio/fcii
lAV 1 A
a fallar
"'a um Sll'
"Alfanile;
iu de Idadc de 18 an-
nos, boi a-sc beni ; advcrtr-c que nao
lonh.i s : na rua Nova, 0. 8.
i rua das Larncoiras, n. 14, segundo andar,
mi-s compras e vendas de qualquer negocio ou
8ojelo crio que se incombircn, e calo percisarem de
adore, dar-e-b4<



TO
feilor para um
_ Preclsa-se de um
> rntr-nda de horta e pomar
SS a,n?S3.cai.dluvaSev.*F.ho
11 Precisa-se i
sitio perto da
na ra da Ca-
na ra fl
de leite ,
n. 3q, segun-
sem lilhos
Horn he que o Alfonso Saint-Martn record a scu
,. _!. e ainigd que de presente mora no princi-
''0R,lfrna dos Quartes n. ki primeiro andar como
!','", giiuneiado c contina a offerccer-lhes a pre
mito rasoaveis bous cortes de seda tarrada
ra velido, brancos, preto c de cores ; manteletas de
p"n de aple lisos e guarnecidas de franja.de rrtroz;
hiles deVda furla-cdres inuito boa faicnda ; chapeos
,l" sf,ia da ultima moda para senhora ditos de pa-
ilia uns armados e outros so o casco e tain-
b ni para meninos c meninas barege verdadelro, para
vestidos; luvas de pellica para hornerae senhora; tudo
tome rindo de prximo
corrate, que-
encenho d'aeoa ili<-
dirlja-sc a ra Dlreita ,
Quem annuncinu, no
rer arrendar ou render
tinte desta praca4 a.5 1(
sobrado... AYIS0AW
Jos Manuel Ferrcira Barateiro morador que fui
em S.-Antao se acl.a rcsidlndo e.n a povoacao de Pa-
___Dl_.se um cont de ris apremio, sobre hypothe-
ca en. um predhjjje-t pra9a : na ra das Trincheiras,
n. 46, mimeiro (my-
___Na ra do Sebo n. 3 da-se dlnheiro a premio
coy. penlio.es de todas as qualidades e en. pequeas
nuntlas.
Joao Manoel Rodrigues Vallenca embarca para o
rtio-dc-Janciro a sua escrara Anglica.
. Precisa-se de uma ama de leite :
na ra do Qucinjado, n. 6.
__ Manoel da Silva Santos contina a
vender farftiha'de trigo da verdatleira
marca de SSSF.
Os Srs. J. X.'M. A. P. S. P., F. J. A., riura do fal-
lecido J. M. M..H > A. II. I!., J. F. A. R., c outros ...ais
senliores (que por cont inplaco de au.izade por hora
se nao declaran, as iniciaes de scu nomes) queirain
mandar pagar as mensalidades rencidas de seus flhos,
cui urna aula no bairro da Roa-Vista, na certeza de que,
se cerraren, os ourldos ao presente ai.nuucio como o
/izeiam coni o prinielro, terao o desgosto de rer seus
no|s publicados por extenso as fullias publicas, e
sen chamados a concilia9ii.
Roga-se aos Srs. Mlaoel Joaquim dos Santos, Al.
Ionio Guilheime de Araujo c Dionizio Eiario Lopes,
quelrai por este Diarioai.uui.ciar as suas moradas, para
so tratar de negocios que ll.es diicu. respeilo.
-- Antonio Jos Furtado val a llha de S.-MIguel.
-_ Na ra do Rangel, n. 9, contina-se a tirar passa-
portes para eiitro e fora do impeli, c bem asslm dcs-
pachain-sc eseravos; todo coi a maior breridade c por
preco limito commodo.
Na nolte do dia 17 do enrrente, furtaram da casa n.
29 ao p do tanque d'agoa do Atcrro-da-lloa-VIsta 9 co-
Iheres para soupa; una dita grande; de/, ditas para cha;
urna salva pequea; uma caixa lavrada para rap; dous
pares de flvclas, sendo uta par domado: tudo de prata:
dez pontelros de ouro; dz lacas e. garios de cabo bran-
co; una boceta, contendo dnas lettras aceitas pelo Dr.
loan Mauricio Cavalcante da Rocha Wanderley, de
2:439/e Untos rs.; qualro.ditas, por Francisco Nogue-
ra Pinto, de 880/c tantos mil rs. ; una dita, por Fran-,
cisco Manoel llaptlsta, de 736^300 rs., todas rencidas ha
bastante lempo, c" nutras inultas lettras e obrlgaces das
quars se ignora a iinpprtancia das quantlas, e varios re-
cibos e mais papcls de importancia. Roga-se a qualquer
Sr. oarlves.c a qualquer pessoa a quem ditos objectos
Coren, oli'crccidos, ou delles souber, que por favor ha-
ja deosapprehender, e niesino empeuhar-sc pela cap-
tura do vendedor, a quem tamben, se roga que no caso
de arrependlroento, por llie docr a consciencla, que-
rrndo restituir, torne a levar tudo, ou ao menos os
papis cm casa do aniiunciante, mandando trazer por
mitra pessoa, qne promcltc-sc rlm de nao cmitender, e
nem se importar saber quem os liioif, guardpr todo o
segredo; ou do contrario u.etle-los por baixo da porta, o
que tamben, o pode faxer metiendo na da venda defrontc
da matriz da Boa-Vista, onde mo# o Sr. Miguel, cierto
de que o nao fzendd.-protesta-se pesquisar-sc al dcsco-
brlr o iadrao, e persegul-lo con. o rfgorda le.
FURTO.
Roga-se pessoa a quein for oflerecida urna caixa
grande de rab, de tartaruga vermeHia, e con. dous tam-
pos. que apprelu-iida, pois foi Curiad, quinta-felra a
noitc na igreja do Corpo-Sanlo, do bolso de una casa-
ca : ao appielu-nsor se gratificar b.n em relaco no va-
lor do objecto, que a.inunclar ou se dirigir a botica de
Vicente Jos de lirilo, na ra da l.adeia d Recite ; ca-
so, puim, se achej, >or ignorancia, comprada poral-
guriu, se llie entregara a quanlia despendida.
Precisa-sc de um cozinheiro lorio ou captivo: na
ruado Trapjcbe-Novo, casan. 8.
Lima alaiale,
n ra do Lirraiiiento sobrado n. I precisa debons
s de seu olticio c recebe aprendlzes.
luga-se urna casa
terrea na ra Augusta, M. mullos commodos para urita
Srande familia por njfS fcjinmodo : a tratar na ra
i) Crespo n. 15 loja decntenlo da Cunha Soares
GuimarnPS.
= Oabai-o assignado, tendo vindo de carro no acom-
nar.hamcu-o da tinada senhora do Sr. Jos Camello do
'* traressa que val do
a rtia do Hospicio,.
Furtoram do sitio, onde mora S. P-
Johnston, na Ponte dc-Ucha, de i4 pa-
ra i5 do corrente, um^eso para flores,
do feitio de.uma cornucopia, aiul, cmo
p domado, assente em pedia branca : ro-
ga-se a quem dito vaso seja olTerecido, de
o levar ra da Senzala-Nova n. /Ja,
onde receber do gratificacSoa quantiade
to.sooo rs. A mesma se olTerece a quem
descobrir o autor ou cumplice do referid
roubo.
5 -* Desencaminhou-se, ha bastante tempo,
noa decarrelra de nome timdurra, pertencei.lc a1
ta seccao do porto das canoas .la freguc.la de S. __
Pedro-Goncalves ; tem por marca no costado n. 45 D :
quem dclla der noticia no ai majan. -_ ra m Crnz, no
Recifc n. 45, ser recompensado.
D-se dlnheiro a juros eom penliore, meimo em
pequeas quantias : na ra do Rangel, n. II.
Aviso importante.
~ ("lipffnn A-x Piirnno nrn-virnniiipnlo A Kurop saudou este remedio como remedio univ
~ i_negOtl aa tuiopa proximemenie Mipai.,ltonMMUoencas .eathoje ainda -_jo foid
hbil olTicial de entalhador e dese-
um
nhista : quem pretender o seu trabalho,
(o qual be perito e hbil) dirija-se a ra
da Cadeia de S.-Antonio, na tenda de
-marceneiro de Tbomas PurceH. Lem-
bra-se que tambem a sua occupacSo he
de azer altares, pulpitos e tudo que per-
tencer'a sua arte, &c, &.
Os abaixo assignados, credores de
Fernando de Lucra, avisam ao publico,
queellesse acbam encarregndos, pelos"
efedores do mesmo, de tratar da liquida-
cao da casa do dito l.ucca; e pelo presente
iazem certo aos credores que naoassisti-
ram reunio, para no prazo de seis dias
dadata deste apresentarem suas contas pa-
ra seren attenditlas no raleio: e se nao
o fizerem, elle se proceder,ficando os di
tos credores sero direito ao mesmo. I\e-
cife, 17 de marco de 18^7. J.Keller
8c C Rothe & Bidoulac. F. Ro-
billiard.
Fabrica de chapeos de solf<-}r^
ra do Passeio, n. 5.
. J0S0 Loubet tem a honra de participar de noramente
ao respellavel publico que recebcu um rico e completo
soriimentode chapeos de sol,tanto de seda como de pan-
ninho furta-cres, c de todas as. mais cores conheci-
das. O fabricante afianca seguranja em arm.-icors e co-
res; assim como ten. chapeos de sol para senlioras, do
ultimo gosto de Parle. Ka mesma fabrica ha com abun-
dancia chapeos de sol, de seda e panninho, da marca
maior, pois teem32pollegadas,bein construidos em suas
armaces e boas fazendas ; sendo estes os wrdad-iro.
ouarda-r/iuua.: tambem ha urna porcao de chicotes da
ultima moda de Pars, bengalas de junco, caslAcs ricos
e
ta
= Venden t is de retroz preto; ditas do sortido
em cores de qualUlade; peonas de escrerer
niuito superiores, em niilheiros e aquarteirao; resmas
de papel alinaco, tranco c azul; ditas de peso; linhas de
carreteis de 200 jardas; groias de botocs de mai deperola
lisos e larrados: tudo por preco barato: ua praca da in-
dependencia, n. A.
Chainpanlia.
V'endeni_se glgos com 12 garrafas de vinlio de cham-
panlia. de qualjdadc multo superior, a 18,000 rs. em
casa de J. J. Tasso Jnior, ra do Amoriin, ,.. 35.
AO IIARATO, FREGimES.
Na ra Nova, n. K, loja de'BpBfco 3t Rocha, veu-
dcm-scriscadinhns franceses inuito finos, a 220 rs. o co-
do ; chlla franceza a 280 rs.; lanzinha para vestido a
itas linas de bonitos padrAes e que iodesbolaiu
caziuiiraprela; sctiin de Mocan; luvas, ineias,
^ ios de sol, corles de colletc c madapoldes
outras umitas faiendas por cmodo preco.
Medicina universal.
I'ilulas vegetaes de James Morison. i
A medicina vegetal universal he o resultado de "20 an-<
nqs de Invcsiigacoes do celebre James Morison. Por
luein ilestas pillas consrgulo scu autor innmeras C
admiiaveis curas, desde as affecces que atacan, as
criancas de peito at as molestias cl.roi.icas do ancio.
I L-_______...:_^.. .....^_____._!_ ._...____..silln iinirur.
pnutelras, borllas para o bomarraigo das mesmas; e
._inben. se fazei todo os concertos em chapeos de sol,
ois'para isso haum boinsorliiiienlo dos objectos mais ri-
cos e bonitos que pndem haver. Na mesma fabrica co-
brem-se c c-nerrtam se iimliellas de igreja. Tudo com
perfeicao c brevidade. Na mesma casa ha ricas sedas e
panninhos do gosto dos freguezes que quizerem apro-
veitar as armaces de chapeos de sol velhos.
Precisa-se alugar um a tres pretos que saibam
trabalhar cm padaria; pagam-se bem : na padarla do
pateo da S.-Cruz n. O.
flUehlido tal titulo.
Esta medicina ven. acompanhada de urna receitaque
ensina e facilita a sua applicaco. Consiste en. trsjs pre^
paraces a saber : duas qualidades do pllulas dlstinc-
tas por nmeros, e un. p: cada qual guia de modos e
acedes diversas.
As pllulas n.l sao aperitivas; purgan, sem abalo os
humores biliosos e vicosos, e os expulsan, com efticacla.
As do n. 2 expulsan, com rsses humores igualmen-
te com grande frca, os humores serosos, acres e ptri-
dos, de que o sanguese acha a miudo infectado ; per-
correm todas as partes do corpo c s cessamde obrar
quando leen, expulsado todas as impurezas.
A terc ira preparaco consiste em uma limonada ve-
getal sedativa: heaperativa, temperante e adosante: tor-
na-se em cni.iuiimcomas pllulas c facillla-lhesos ine-
Ihores effeitos.
A posicac sscial doSr. Morison, a sua fortuna inde-
pendente repllelo toda a ideia de charlatanismo ; e as
diuiraveis curas operadas com o seusvstema no col-
rgio de SBdede Londres, so mais que garantes da
eflicacia do seu remedio.
Recoinmenda-sc esta medicina, que nao pede nem
resguardo de tempo nem de posicao da parte do docn-
te a todos os que atacados de molestias julgadas in-
curaveis se quizerem desengaar da sua vlrlude.
Oxalquc a hnmanUlade feche os ouvidos aos Inte-
ressados cm desacreditar estes remedios taosiiup.es,
to com.nodos e tSo verdadeiros.
Vendeni-se simiente eni casa do nico c verdadeiro
agente J. O. Elstcr na ra da Cadeia-Velha n. 29.
== Vede-se uma peca de gorgurao |ioxo com 34 1/2
covados, proprio para opas do Serihor dos Passos, por
ser faicada multo rica : na rna da Cruz, n. 54.
Oh que pechinclias tem o antigo
barateiro para as senlioras
do bom tom !
Oh que riquisslmas e mimosas litas tem o anllgo ba-
rateiro na sua nova loja de miudezas da ra do Collegio,
n. 9, chegadas ltimamente da corte do Rio-dc-Janclro,
pelo ultimo vapor as quaes sao da ultima moda que
ten. apparecldo nos ltimos divcrlimentos e bailes que
sao as seguintes: filas de cinto para senhora com
franjas de todas as qualidades da largura de dedo e
meio c de dous dedos ; fitas de guarnicao de todas as
cores e da largura de dous a tres, dedos com franja so
de ii.n lado proprias para enfeiles cguaruicies de ves-
tidos ; riquissimos cintetros para meninos, de todas as
cores e com franja as ponas, de todas as larguras;
brincos alartarugados, proprios para a Quaresma ; ricas
travessas de tartaruga a 900 rs, o par do ultimo gos-
to ; leques de seda de todas as cores ; blcos pretos de
todas as larguras ; e outros inultos objectos, proprios da
de Cons
Vcndcm-se los de linho pretos bordados
de seda, multo sope/iores ; sarja jleseda
hespauhola legitima ; alpaca prl* rnUilo
lustrosa e fina ; ricos cortes de colletr de
tetira preto adamascado: merino preto tlWn-
lo fino; casimira franceza ebrnea e sem
pello; ditaluglcza inulto superior ; cortil
de calca de meia easiuura'-VSOO; panno _
preto e de cores,de todas as qualidades, as-,
sim como um completo sortimf>'to de fa- j
sendas: tudo por preco mal cui conta do_
que em outra qualquer parle-! na nova h>
ja de Jo lloreira I,opes&C, na ra do
Queimado, na casa amarella, n. 29.
da Cadeia Velha, n.
19, loja de J. O-Elsler^,
vende-se vinho do Portode" diversas
qualidades ; dito da Madqira ; dito de
Sberry ; dito de Bordeaux jMito Ghateau
la Rose ; dito S.-Julicn, dito do Rhei-
no ; ditodo Rbeine-mousseiix ; dito Tene-
rife ; dito de Tlucellas ; dito de Oarcavel-
os ; dito de Lisboa ; cbampanha sellery;
dito marca cometa ; ago'-irdente de Fran-
ca ; cherry cordial ; marrasquino ; gene-
bra de Hollanda ; ponche lino da Suis-
sa ; cha preto ; dito bysson c perla ; bis-
couto ino de Ilamburgo, em latas ; vidros
de conservas de verduras ; charutos rega-
ia fi!iissiinos,da Babia ; velas de composi-
co ; latas de carites e verduras em con-
servas. Adverle-se que todo he da utellior
qualid.ide e por precos rasoaveis.
INTERESSEJGERAI..
Acaba de chegar a esta cidade a Importantsima obra
InliiuladiObservace*sobre o conimerelodo assucar
a qual trata da culturada canna e fabrico dos seus pro-
ductos, composta pelo insigneOr.George Eduardo Fair-
banks. Esta obra he de utilidade suiniua para os Srs.
deengenlio, fazendeiros c lodas as mais pessoas inte-
ressadas ueste importante ramo de industria, c para
tomar mais convincente esta verdade basta considerar-
se que o seu autor foi ltimamente coininlsslonado pela
asseinbla provincial daDahiaa riajar pelas indias Oc-
cidenlaes, allm de indagar, observar e coljiar lodosos
nielhoramentos que leem liavido na cultura da canna e
fabrico do assucar, e de conseguir-sc toda a utilidade
em um dos principaes ramos de riqueza quC mais poae

i
Vendc-sc
Recife e
Compras.
irros, apeou-sc defronte da traressa que vai
pateo da matriz da Roa-Vista para a ra do Uospil
.irau p.ra a igreja, onde ass.st.o ao '"'.'i
depoisacon.pnl.ou o cadver para as catacumbas at
que a dita iinandade o lizesse depositar ; d'ah sahio da
igreja e foi pelo Aterro, passou a ponle. ra Nova, dita
do Cabue, praca da Uni.io, mas do Crespo e do Colle
oto, i e'uriii n obrado do Dr. Mendes para conduz.r
su familia que ...ha Ido ver da.ll a pa.wgem do Se-
ntar dos Passos para o Carino; quando vollou ec- a
familia segnio pelas mesmas ras, e ao entrar na ponte
dita deu por falta de urna carlelra, a qual conlluta trln-
W e tanto ipil rcis pouco mais ou menos em cdulas de
.V iivif ris, .-varios papis c recibos, que so servein
para ofinunrianle. Rogn, portaulo. a que... a livrr a-
hado, que se digne levar-lira na casa de sua ''den-
ca, na ttia da Aurora, tereeiroanda., junto do casa do
Sr. HercuianoAlves da Silva, que alen, de Ihe acarno
eterno agiadeeimento, lhe dar urna gralilicacao gcule-
rosjC Joii Nutricio de liveirn Nacitl.
Antonio Sos dos jantos Braga, ino-
na ruado Crespo, n. ai, faz saber
que,cinvivltide fa retirada de scu ogro
Jos Manada Costa e Paiva para a pro-
vincia Crande-do-Sul, tratar de
soa s acha autorisado para rece-
ber qualqm-r qtitij de qte ao mesmo se-
nho-r seu sogio sejam devedores.
Muga fctima rasa
terrea DMarAfonndus dlIrlWrda casa, aonde morn o
r,.i lTriins or 7!00 rs. incnsaes eco.il minios
lr._Jhar en. padaria; p.ga-.e bem : no paleo da Sania-
l rus, n. 0.
___Compra-se um inoleque de 8 a 10 anuos : as
Cinco-Ponas, n. 82.
__compra-se um papagaio bom fallador; paga-sc
bem : na ra da Cruz, n. 51. .'-.
Compra-se um chapa de fogao-que tenha d boceas,
cm meio uso : na praca da Independencia, n. 19.
Compra-sc una obra de Breviarios Romanos,
>m qtiatro volumes, velhos : quem liver e quizer
vender, annuncic.
Compra-se uma caiza de tartaruga usada: na ra
do irebo, n. 3. _
Comptam-se moedasd'ouro de 6/400: na ra Dlrei-
ta, sobrado n. 29.
___Compia-se ouro anda iiirsino em obras que-
bradas : na ra do Rangel, n.l I.
Compra-se urna cabra jbicho) que seja grande ,
boa de leite, equetehha cria pc(jue_\ : quem liver an-
nuncie.
__Compram-se eseravos de II a 30 annos sendo de
bonitas figuras pagom-se bem;''ts-urbem se compram
alguna olliclaes desapateiro: na rtm da Concordia, pas-
saudo a pontrainha. a dircila segunda casa terrea.
Compra-se, na ra da Cruz, u.60 urna iiegrinlia
de 12 a 14 anuos eque tenha principio de costura ; um
preto bom coiinheiro, que nao tenha mais de 26 a-
__ Compra-sc um par de dragonas para ofiiclal su-
balterno da guama nacional, porem que esteja em
bou. estado: nesla lypograpl.iaachara com quem tra-
Ceduas encarnadas de <20g rs.
Coniinuaifl-sc a comprar com algum abatimento .
cdulas encamadas de 20^000 rs., al o fin do corren-
te mes : na ra da t adeia do Recifc loja de cambio ,
n. 24 do Vieira. .
__Compra-sc um tronco para cscraros : na ra das
I_arangeiras n. 18. ^___
Diccionario portuguez
tancio, terceira edico,
de boa i.npressao cm excellente ppele coui solida cti-
cadernaco : vendem-se na llvratia da esquina do ol-
legio.
Vendas.
= Vertde-se uma escrava de meia idade multo cm
coma ate mesmo para negocio: as Cinco-Ponas ,
Vcnde-sca padaria do Corredor-do-Bispo n. 8,
nrnmpla a trabalhar-, c que leu. coinmosVas para lami-
lla, e boa cacimba d'agoa de beber : a tratar na estrada
de Joao-Fcsrelra Indo da Sotedade par Mauguinbo,
'__', Vende-se um palanqun! quasl novo e mullo em
conta: na praca da Independencia, n. 19. "
___Vcndem-sc 3 lindos moleques de 14 a 16 anuos,
um dito de 7 aniios ; um pardo de 18 annos, ptimo para
nae-cni e que he bstanle diligente para olro qual-
quer servici ; um mulalinlio de 11 annos proprio.jara
aprender-qualquer officio ; 3 pelas de 20 24 annos
com habilidades tendo urna dellas bom leite e urna
cria de um anuo ; urna preta de.dade por 200/rs.. na
maX Colleglo, ... 3, segundo andar, se d.ra que...
vende.
-Vendc-se urna parda de idade de 20 a 25 annos, en-
gomina so.co.inha e coze ; c um escravo proprio para
a servifo de campo : atraz da matriz da Boa-Vista, n. l*.
NA RA DAS LARANGEIRAS N. H, SEGIINKO AN-
DAR, VENDEM-SE ESCI1AVOS BARATOS.
Um molccole, de dado 22 anuos, sem vicios nem
achaques, e de elegante ligura ; um dito com otlicio
de ferreiro; um mulato de idado 23 annos, proprio
para pagem; dous negros ptimos para o sorvico
ile campo, por 850/000 rs.; um dito por 2.,0000 rs.,
duas negras mo?as por 67O0O0 rs.; duas ditas por
8.'0#O0O rs.; uma de decanto figura, propna para
aprender a engommar, porser bastante forte ; urna
Sor 460/OM.rs., que engomma, cose, eozmha e laz
oce, ou troca-se por outra ; e mais alguns eseravos
que vista dos compradores se mostrarflo-
A"o deposito de charutos da na Larga do Rozario, n
32, torram-se charutos por todo o dinheim.
Charntos dallahia, de todas as qualidades; os verda-
deiros S.-Felix; marca de fogo; regala de toda3 as quali-
dades; firma regala; nonp/u*ultra; slgarrusflVla llacana;
ditos df la fiima: todos estes charutos sfto de excellentes
ualidades, e torram-se pelo preco de 1,'OOH, 1/80 i,
f000, 2^500 5^000 e 10^000 rs., porhaver grande porjao;
preco este por que nao se acha em parlea-t-usia.
[\a na Nova, n. loja do A-
ni a ral,
vendem-se sarja preta hespanhola; ricos vfo pretos;
manase chales de seda; sedas pelas e lavradas. para
vestidos; chapeos pretos franceza, para hou.em; burze-
guins e sapatos de lustro para senhoras; meias de seda
pelas e brancas, para dilas; e outras mullas faiendas
de gosto : tudo ehegado pelo ultimo navio francei. Ad-
verte-se aos compradores que tudo se vender por pre-
yos muito coiumodos.
__ Vende-se uma porcao de msicas :
na ra da Cadeia-Velha, n. ig.
- He verdade que na rna Nova,
toja n. 8, o Anaral est vendendo
sapatus fraucezes de marroqiiini
e cordovo, para senhoras, a 880
rs. o par: a elles, freguezes, antes
que se acaben.! pois que por se-
melhante prego nao cuslaro mui-
to a vender-se.
Vinlio de Champanha
de superior qualidade: vende-se na ra da Crux, n. 10,
arinazem de Kalkinann 8c Rosenmuod.
assecurar a prosperidade deste imperio.
na loja 4c J. i'.Ayres, ra da Cadeia-do-
nallvraris da esquina do Collegio.
-Vende-se muito ooa sarja pre-
ta hespanhola; se ti ni preto macan,
superior,- dito mais, ordinario;los
pretos de linho, muito bons e de
differentcs taroanhos; luvas pre-
tas de seda, compridas e curias ;
meias de seda preta, de differen-
tcs qualidades ; burzeguins para
senhoras; sapatos de lustro, cor-
do vo e marroquins, para ditas ;
ricas mantas de seda escocezas ;
ditas de setim; chales de seda de
differentes qualidades; sedas pa-
ra vestidos, de todas as qualida-
das; camJirai de lisias para ves-
tidos; ctSapos de sol de furta-c-
res, para li mem e senhora; eoiu
tras niuitas f.izendas por precos
[mais commodos que em qual
parle : a esquina do Gabug, jun-
to a botica do Sr. Joo liicreira
Marques.
' Na botica da ruado Rangel, rendem-sc os reme-
dios seguintc, dos que*-v-|_-e*nca tem confirmado
os melhores elHrlto: dentilico, que ten. a proprleaaae
de limpar os dentes cariado, c restitur-lhes a edr es-
maltada, em muito poucosdias; o uso do dito reme-
dio fortifica a* genjlras e tira o mao chelro da Docca.
proveniente nao soda carie, como do trtaro que se
Une ao pescoco desles orf.os; o remedio he designado
pelos .iuine...s l.'e": orchaU purgativa, mu til as
criancas e.as pessoas de toda e qualquer Idade ; he com-
osla de substancias vegetaes, nao conten mercurio,
nem droga abruma que possa prejudlcar: remedio para
curar calos, em poneos diss ; dito para curar dores re-
ne.cas antigs e que teem resistido ao trala.nento (fe-
ralmente appllcado ; dito pMprovocar a menstruaco,
ejaccelerar a aeco do ulero pos partos naturaes em
que nao'se precisa das manobras scicnuficas da ai te.
dito para resolver tumores ly.nphacos, vulga e"an las ; dito para curaV boubas e eraros seceos,, o mais effl-
ca que seconhece at aqui ; dito oxunel *_M*Mt
to til na. ehlorozes, vulgarn.ente cliwiady. >Idades;
pos auti-bilioso, de M....oel Lopes ; ca, ;'a ^ fe'"';
na, contendo balsamo de cupahlba ; dlus de oleo de
rec.nos purificado ; ditas de cubebas em no fino ditas
de safJiida; duas con. pos purgantes; d.tas de ru.bardo
da China; ditasde sulpnato dequ.nloo de i e 2 graos cada
cansla algaleas.velinhas elsticas; pilulasdesal deca-
bacinho; agoa das Caldas, chegada prximamente; reme-
dios que curan, a frialdadedentro de 40 dias.mes.no estan-
doinchado; oleo muito bom para conservar o cabello,que.
alen, de nao deixar cahlr o cabello, liinpa a caspa, e
culo uso continuado faz reapparreer o cabello perdido ,
pillas especificas para curar as gonorrheas chronicas;
quando a Icso nao passa da on-ta ; igualmente um xa-
rope anti-hemorragico, appllcado nos casos em que se
delta sangue pela bocea : o preco de lodos estes reme-
dios he mili rasoavrl, e os bons resultados da sua appli-
caco he que deven faier sua apologa.
Vendem-se, ou alugam-se duas canoas de carrelra,
bem construidas de amare lio ; tambem se vende ou
troca-se por outro mais pequeo um oratorio ou sanc-
tuario de mogoo polido obra muito bem fcita e de
muito bom gosto Telia no Porto : em Fdra-de-Portas,
I ra do Pilar, n. 145.
I
i


mr
t
n
**
Vende-se um botiqun), no ltirtc-do-Matto, na
ra do Codorniz, n. 28, co todos os pertences.
Vendcm-se charutos de regala, por precos
commodos, para feichar contas: na ra do Trapiche,
ii. 34, i'iu casa de Novaes & C.
Vende-se um bom Corno de padaria, fcito i'i
moderna, por prego commodo ; e quarcnla palmos
de pc^ra lavrada : no becco das Barrciras da Boa-
Vista, n. *.
Vende-se ccrvja branca, em barricas, de mui-
to boa qualidade, e por prego commodo : no arma-
zem de Fernando Jos Bragucz, ao p do arco da
Conceicflo.
Vndem-se pegas do chitas a 4/600 rs.; ditas
finas, cores lixas/a 5^600 ris; e SOOcovados, cm re-
talhos grandes e pequeos, a seis vintens; sarja pr*-;
ta, de superior seda, a"l/*00 ris : na ra estreita do
llozario, n 10, terceiro andar.
Yendem-so tres lindoa moloques, de 14 a 16 an-
uos ; um molalinhrde lt anuos, proprio para apren-
der oficio; tres pretos coni habilidades, de 20a 24
snnr.s; uiua preru de idade, por OOfiOOO ris : na
ra do CollegiJn. 3, segundo andar, se dir qucm
vende.
Vende-se um reiogio de our, infierno, por ba-
rato prego : na travessa dos Martyrios.n. 2.
Farellos de arroz! Farellos
de arroz !
Acaba de chegar t.io til e proveltosa substancia nu-
tritiva para o sustento de cavados; as vantagens j co-
nln' ni is pelos posstiidorrs, dispensara de mencionara
preferencia que (leve ler i qualquer otitro: vende-se em
barril-As de 4 arrobas, no ariiiazem de Harccllar, de-
fronte da rscadinha da Alfandega, ou na ra do Vlgario,
D. 25, a tratar rom J. B. da Foiimxni Jnior.
Na ra da Cruz, n. 2(i. vendein-se caixas de tartaru-
ga verdadeira, feilas no Ccar barricas de sebo do Ara-
caty; sola, &c.
Sement de horlalice.
Rbanos, rabanetes, nabo, couvc-nablca, rouve-llor,
limen, trinchuda, salea, coentro de toceira, cebolla, es-
pinafre, repolho, al face repolhuda, dita alinala, dita
ir.assaroca, selgas, senoulas, altneiro, aipo. tomates
grandes, chicoria, chicarola, segurelba, pimpinella, fei-
jo carrapato, ervllha torta, esvilha direita, fava. chc-
gadas de Lisboa no briguc Robim : vendcm-se na ra
da Cruz, n. 62.
Vendcm-se duas escravas com algiunas habilida-
des sendo uina de 18 annos e a oulra de 30 : na ra da
Cadeia, luja de Jos Maria Seve.
Itua do Na loja nova de Raj inundo Carlos leitc acha-se um
completo sorlimcnlo de l'azendas finas o mals em con-
tapossivel; assim como chapeos do Cdili finus e or-
dinarios; o famoso panno de linho e as chitas asselt-
nadas pretas ; chales e mantas de seda; cortes de cha-
til, os mals modernos que lia ; merino e alpaca una ; o
verdadeiro briui de linho de listras, para i a leas.
]Va loja n. 4, de Ricardo ao p
do arco de S.Anlonio,
na ra do Crespo vendcm-se lencos de flhissima cam-
qraia, arrendados e bordados com bico em volta,
proprios para mao de senhora de liiulissimo gosto, pe-
lo mdico preco de 040 a 1/280 rs. cada um ; chitas de
cores (Has de ricos estampados a 100, 18O, 200, 220 c
240 rs. o covado.
Vendcm-se 3 lindos molcqucs de nacao, de 14 a 18
annos; um casal de escravos de 25 a 28 annos, por 550/
rs, ptimos para engenho, por ser o cscravo bom carrei-
ro; um cscravo que trabadla mui bem depedreiro, ida-
de 24 annos; um bonito niulatinho, com o seit farda-
inento, bom pagem, idade 14 minos; um preto da Costa,
idade28annos ; una escrava de nacao, boa cozinheira,
lavadeira, por 400/000 rs.; 2 bonitas pardas, una es-
crava para engenho, por 250/000 rs ; urna dita dito, por
200/000 rs.: na ra d'Agoas-Vcrdcs, n. 46
~ Vendem-se acedes da extincta companhia de Per-
ji niImii-ii c Parahyba: na ra da Cruz do Recife, n. 9,
cscriptorio de Olivcira limaos 8t C.
Na ra do Crespo,
loja n.I'i. de Jos Joaquim
da Silva laya ,
vende-se alpaca preta a800 rs o covado; dita milito
fina, preta e de cores, por barato prego; merino
preto muito superior ; panno lino preto e de co-
res; casimiras elsticas, de duas larguras, para
caigas a 6000 rs. o corte; velludo ; gorgurflo de se-
da ; setitli para cpllele ; tildo por pceo commodo;
fustes para collelos; e outras nimias l'azendas,
tanto para calcas como para vestidos de senhora ;
ludo pelo barato.
Vende-se um reiogio de ouio moderno por
pnce commodo : na ra Direita sobrado n.29.
Vende-se uina preta de nacao propria para ven-
der na ra ou para o luatto pur ser omito robusta :
no pateo do Carino, n. 7.
Vende-se um cachorro de qualidade ptimo para
sitio ; na ra da Florentina, n. 7.
Vondein-sv pesos mexicanos e pecas de qviro de
6/400 r. faltando nrslas o seu' competente peso: na
ra da Cadeia do Recife n. 40, castjc James Ryder &
Companhia.
Vende-se uina casaca de panno preto superior,
feita pelo ultimo gosto e sera uso algum por proco
inulto commodo : na ra Moya loja n. 8.
Cer de carnauba.
Vende-se, na ra da Madrc-dc-Dco n. 30 cera de
carnauba da niellior qualidade que teni apparecido a
160 rs. a libra um arroba por menos.
A1ISO
As senhoras gosto.
Na ruado Crespo, loja n. ii,
de Jos Joaquim da felva
^: II ag*.,.,
ha um novosortimediadas ricas mantas de lanzi-
nha e sj^gara se^nnr/f!} ,frs^m:iis modernas quo se
uaam naKuropa, eiWissp se lornam recommen-
daveisas senhoras de bom gosto, 4ieln~euhnn|uellas
que usam de economa tatito pela boa qualidade e
ricos gostos, como pelo baratissimo prego de 5000 rs.
cada urna ; ha igualmente um rico sortimento do
cortes de vestidos da rica fazenda denominada ha-
zullina. Ksta fazenda he de cores escuras, bordada
de listras equadros os mais claros, de lindos dse-
M
-..?
nhos, cores lisas e bonitos teedps, por isso muilo
proprios para o lempo de quares,iii.a__e de-Invern.
A #440rs.
Na loja nova n. 4, de Ricardo na ra Caetpo ao pe
do arco de S.-Antonio vcndeni-se cortes de cassa da
afamada fazenda pelle-do-diabo padroes novos taes
c quaes o< da casimira franecza.
. A 720 rs. cada um.
Na loja n. 4, daAcardn na ra do Crespo, ao p do
arco de S.-Antonro^'vendeni-se lencos de seda para me-
ninos e meninas pelo mdico preco de 720 rs. cada
un.
vi
i
a
SI
i
3
Vrndc-se.na ra da Cruz, n. r>.3,
cera em velas, de urna das inellio-'
res Lubricas do Bio-de-Janeirot,^
sortimento vontade do compra-
dor, em caisas pequeas, e por
preco mais barato do que cm mi-
tra qualqtier parte.
Vende-se urna escrava muito moca, sadia e sein
vicios propria para todo o servlco: na ra larga do Ro-
tarlo n 20.
Vende-se cera em velas prximamente chegada
de Lisboa sortimento a vontade, em caixotes peque-
os ; mercurio doce em caixinhasde 3 e 5 libras ; vi-
iilni do Porto muito superior em han is de ollavo ;
dito engarrafado em caixotes de 18 garrafas cada un ;
cal virgem supeVior, de Lisboa, em barris : na ruada
Cruz. no Recife, n. 54, cscriptorio de Mendes e Tarroto.
Vendem-se 3 escravos, sendo : um pardo carreiro ,
de 20 a21 anuos ; um preto de 26 annos ; uina preta de
25anuos, que coiinha o diario de uina casa, engom-
in i e lava e osoutros proprios para engenho ; vendcm-
se por precisan por o dono estar de sabida para a P.i-
raliiba nestes quatro dias : na ruada Cadeia'do Reci-
fe u. i7, segundo andar.
Vendem-se 8 barris de sebo derretido por preco
commodo : na ra da Cruz no Recife loja de ferra-
gens de J. J. Rodrigues Lolller.
P annos pretos finos
e decores, e novos na loja; verdadeiro sellm e lencos
de Macan; chapeos de sol, de seda; casimira preta els-
tica ; los pretos ; sarja despatillla; e todo osortimento
de fazendas finas propria para a Quaresma : na rita
do Queimiitlo loja n. 11, de Kaymiiiido Carlos Leitc.
Vende-se sarja de seda preta ; meias de seda de
patente e ricas luvas : na piafa da Independencia, u. 30.
Vendem-se I2cadeiras, n4/800 rs. cada uina, e una
comuioda por 35/1)00 rs. ; ludo novo e de angico ; na
ra do Rangel, n. 7.
Vende-seazeite fino de gerselim, para comer e
nara lo/ : no deposito de'azcitu de carrapato na ra
laSenzalla-Velha, n.UO
Vendem-se cinco escravas de 18 a 25 annos, todas
i um ashabilidades quesao piecisas para unta casa de fa-
milia, uina das quars he boa costnreira e engmninadei-
ra, e vende-se para fra da provincia; um lindo me
lequede iO a 12aniius; um mulato de 18 a 20 anuo*, de
elegante figura; um moleque de 18 a 20 anuos, bem ro-
busto : no paleo da matriz de Santo-Antonio, sobrado
n 4.
Vende-se uina poixao de onro de lci em obras
vellias : na ra do Lirramento, n,2l, primeiro andar.
O novo baratc.ro da loja nova,
ao p do arco de S.An-
tonio, n. 4,
avisa aorespeitavel publico que tem ricos pannos para
mesa, de casimira lina com vstase passagens hist-
ricas ,'a 25/000 rs. cada um ; ditos de l.i.i e algodao ,
com ricos desenhos a 4/5000 rs.; pannos linos de to-
das as edres e preto muito superior de 4,0000 at
10/000 rs., verde c cor de vinho de lindo panno "a
0/500 rs. dito azul para farda, de4/a 6/000 rs. ; luvas ,
tanto de pellica cuino de seda e de algodao com borra-
cha para liomcm e senhora. Dao-se amostras sobre
penhores.
Vendem-se cinco escravas, sendo : 4 negras, de
muito boas figuras e mofas, as quaes coiem sott'rivel-
inente, cozinliam e lavam roupa, e nina dellas com una
cria de oilo inezes muito galante ; 1 pardo, de 18 annos,
de muito linda Figura, proprio para pagem, ou qualqucr
otitro servico : na ra da Cadeia de Santo-Antonio, nu-
mero 25.
VELAS DF. CF.RA 1)0 RIO-DF.-JANEIRO F. DE LISDOA.
Ve nde-se sortimento completo de urna a 10 ein libra ;
bogias de 4, 5 e 6 em libra e harandoes qur em caixas
grandes snrlidas qur em caixinhas de 50 libras de
cada qualidade ; ludo ao gosto do comprador : he a me-
llior e mais alva cera que tem apparecido e pelo preco
mais barato possivel, Ta ruada Scnzalla-Velha, ariua
cen de Alies Vianna n. 110.
Vende-se tuna escrava de bonita figura moca ,
que colinda o diario-de nina rasa, engoniina e'relniA
asquear : na ra da S.-Cru da lloa-Vista, n. 80.
Vende-se nina rica colcha da India ; una cafe-
teira da piala; 8 garlos de dita, e outras obras de ouro;
taina do Rangel, n. 11.
Paniio'preto fino de extiMoroina*-
lia largura, a 4,^000 rs. o
covado.
Na prlmeira loja do Aterro-da- Boa-Vista n. 10 ven-
d i panno preto lino de largura extraordinaria a
4^Tj00 rs. ; dito inulto mais fino c superior a 5/500 rs.j
alpaca superior a 1/200 as. (Iicprchincha ).
Boas chitas, a 120 rs. o covado.
Na pitiaeira loja do Alerro-da-Boa-Vista n. 10 ven-
deui-,1' ptimas editas a 120 rs. o covado ; c algodao<
zlnho largo, com 20 varas 'a 2/000 rs. a peca por ter
algumas noduas de ferrugein.
Vende-se um irlliin de montara de senhora e ou-
tro de liomcm ambos einlini uso; uina rica cadei-
rinlia de armar ; uina espingarda de duu.s canos c ar-
ranjos de caca ; Ulna luoleca de na(,ao, propria para o
campo : ludo pertencente a tuna pciapa qye se rctirou :
na ra da Scny.alla-Ve.lda, n. 110.
= Vende-se uina cabra ( bicho ) .multo Iluda e gran-
de que d quasi duas conlrameudcs'de lia te que este
muito grosso c sein calinga cap cria ; nf ra de S -
Francisco amigamente .Mundo- \omi n. 06.
Ao publico.
Ricardo 6k Companhia com
fazendasoo p do arco de
ionio n. 4.
Os proprietaros de-te novo estabclcciinento leem a
sunitna satisfafo de annunciar com preferencia*as
senhoras e senhores amantes da decencia e do sublime
gosto que teein succrssivamciitc sonido o seu rstabe-
haaunaiin com fazcudas linas tanto apropriadas ao
santo lempo quaresnial como quclles que, sendo de
cala requerem mal brilho, gaMrdeza e loucanha, que 1
levando subida vanjagem no sublime gosto e superio-1
1 dalle na qualidade|Di quaesquer outras que encon-
trar se possatn estlb alm disso em preferencia a
quaesquer outras por raais baixo e mdico que seja seu
preco: e para que os concorreiitei tenham disso uina
aflirmaliva e nao contradictorlasprovas, abaixo se decla-
ramos precos de algumas dellas, por nao se poder ta-
ri de todas pelo limitado espaco de 11111 annuneio :
sarjas pretas largas de boa seda hespanhola a 2/ rs.
o covado; dita estrella de muito superior qualidade ,
a 1/500 rs. ; dita estreita lavrada de multo superior
seda a 1/800 rs. ; vestidos de seda do melhor gosto ,
brancos e de cores lavrados e achatiialotados a 2/
rs.o covado ; alpaca de lustro, da mais superior quali-
dade a 1/440 rs. ; corte'de collclede velludo de qua-
drose de listras, superior fatenda a 5#000 rs. ; ditos
dtTfjrgiirao de seda lavrada a 5/rs. ; ditos de gofgu-
Q^^KToa e seda a 1/000 rs. ; riquissimgs cortes ife
vestidos genove/es, com listras de seda eque seus avi-
vados lavrnjeait'KMdein no gosto, apparencla e brilhan-
lismna prefWtleWf tlilosde cambrala de cores, de
lindos estamplo, a 4/e 5/000 rs. ; ditos de lantinha,;
do iiieii)r gosio exisienie no mercado, e com primo-
roso lavraflo.a 6/400 rs.; cortes de velludo branco lavra-
do,proprios para casamento (colletc).a 10/000 r cortes
decollete de setnidc cores lavrada, a 30n0ra. : luvas
de pellica enfeitadas ; ditas sein dedo de boa eda ;
meias de seda para hotnem e senhora ; pannos linos de
cores, preto edr de aceitonas azul, verde-escuro e
cor da rap : ha tambera um sortimento completo de
casimiras pretas, curdo azeitona, rxa, amarella, azul-
escuro e claro, e encarnado, quesetornaui recominen-
daveis aos Sis. alfaiates para golas, libres assm como
as encarnadas para as capas de matrizes. Tambera acha-
rao os Srs. arpiadores ura sortimento completo de objec-
los que Ihes coinpetem, como sejam : volantes, espigui-
Ihas galdes rendas etc. Dao-se amostras, sob o
competente penhor.
__ \ 1 nde-se ou troca-se um cavado grande pe-
drez multo bom esqupador por um pequeo, preto
OU casi 111I111, que, sendo I iinhein bom nao se (Unida
rollar at 100/000 rs,: na ra dos Quarteis ns.B e ll ,
acougue de Joo Dubois.
No Aterro da-BoaVsta, loja no-
va n 24, vende-se
superior sarja preta hespanhola a 2/OO, 2/800 e 3/rs.
o covado; superior casimira preta a 3/200 rs. o cova-
do ; pannos pretos; merinos ; alpacas por muito bara-
to preco ; casimira escarate, para fazer capas do SS.
Sacramento; lencos de seda de cores para grvalas, a
2/ rs. ditos pretos. a 1/, 2/, 4/ c 6/rs. de gorgurao;
ditos brancos de cambrala cora bico e sein elle, para
miio do senhora ; cambraias lisas inulto finas para fa-
zer lencos para cabeca de senhora e outras fatendas
baratas, como sejam :. chitas pretas com listras azues ,
a 160 rs. ; dlas pretas achamalnladas tinglado seda la-
vrada a 200 rs. o covado; ditas de cores escura a 120,
160 200e240 rs. ; inursiilinas de cures a 240 rs. o co-
vado; (esta fazenda he milito bonita, pois finge seda) as-
sitn como meias pretas finas, para senhora e para pa-
dres a 240 rs. o par.
Vende-se um escravo de 20 annos bom coiinheiro
e holieii o ; uina parda com duas lidias urna de an-
nos e a outra de 4, a qual cose, cngotnina, faz renda
he boa tecadeira de panno de algodao e faz rede ; 4
escravas boa para todo o trabadlo ; urna dita boa
quitandeira e que faz bolinhos epao-de-l de todas as
qualidade; ; um.i mulatinha de 14 annos com bons
principios de habilidades : na ra do Crespo, n. 10, pri-
meiro andar.
AVISO
aos Srs. de engenho
IVa ra do Crespo, loja n.l,
de Jos Joaquim da Silva
Maya, vendcm-se
cobertores de algodlo muito encorpados, proprios
para escravos ; bem como urna fazenda de linho- a
mitacode estopa, fortee propria para roupa de
escravos e saceos para assucar; ludo por prego mui-
to barato.
MIMO E PRIMOR!
NA RA DOCRESPO.LO-
JAN. II, DE ANTONIO
LUIZ DOS SANTOS
& Co.Ml'AMUA.
He incontestavel que
i 111 manufactura de gosto
o MIMO E PIIIMOR de todas at sedas e sarjas pretas ,
brancas e de cores achainalotadas lavrada e lisas .
que se annunciam sao merecedores da benigna pre-
ferencia dos amadores do que he bom : assiiu se re-
conimenda e conla-se que a vista da sua especialidade ,
nao restar nada a desejar para possuir-se com a com-
pra o'melhor gosto e qualidade em colletes riqusi-
mos e vestidos parasendora, que satisfacain o mais cus-
toso pprin honesto e primoroso de eus adornos
quaresmacs.
Xa loja nova n. 4, do baratei-
ro, ao p do arco de S.-
Antonio, vende-sc
anno ; S escravo ce nacao; 8 cavas, endo ama
dellas de 16 annos qUc'cosc engorara e faz lavarin-
to; outra dita de25aiinOs, que cose, borda bem e en-
loja de fa-
S.-An-
gointna: na ra Direita, n. 3.
Na ra daCatfia-Velha, n. 29,
loja de J. O Elster,
vende-sc um grande sortimento de pellucia de seda as-
sim como todo o material para fabrico de chapeo*.
I\a ra do Crespo,
loja n. 12, de Jos Joaquim
da Silva Maya,
vende-se superioMarja Meta hespanhola ; nobreza
oxa.r.uito superior e agito propria para capas
do Sr, dos Piiqsrw o.mB|^Wfcwonitodog f'.COS COTtOS
tic seda para vestido deadjAnera ; meias de seda pre-
tas e brancas, as mais sijpriores que teeni appare-
cido, tanto para homemCOmo para senhora"; luvas
de seda; chales de seda muito modernos e de lin-
dos gostos; cambraia de linho; muito fina; lencos de
earabraia de linho bordados, para senhora, dos mais
linos que ha por muito barato preco; esguiilo de
puro linho emuito fino; platilha de linho ; eoutras
muitasfazendas que serlo patentes aos comprado-
res e por barato preco.
O BARAtEIHO.
Loja nova. 4, di llicardo & Companhia ao p do arco
deS.-Antonio, na ruado Creipo.
Este eslabeleciinenloabrio-se hornera e como esteja
surtido de fazenda todas novas era gosto, qualidade e
preprias desta praca oll'erecem-se a consideracao
dos freguezes os precos de algumas dellas mais conde-
cidas. Adverte-se que os precos de toda as mais que
existem maravillosamente sortida neste estabelcci-
nien to sao porque devem ser rasis commodos do que era
outra qualquer parte em rasao de serera compradas a
dlnhclro, novas e fresquinhas com sejam ; lencos de
seda superiores a 1/440 rs. ; ditos muito fino da In-
dia, a 2/240 rs. ; brins de puro lindo e de vicos padrdes,
a 1/000 rs. a vara ; cortes de collcle de fustao de ricos
lavrores a I/OOO r. ; brhn branco de linho a 800 r.
avara; dito francoz estampado, tal e qual a casynira
lranee/a e do mais superior lindo a 2/000 rs. a vara ;
cortes de colletes de te ti ni lavrado de rico padrBe ,
a 5/000 rs. ; ditos de la e seda a 1/000 rs. ; madapo-
15o. de 160 al 280 rs. a vara, boa fatenda, c era peca de
7/560 at 5/500 r. superior fazenda ; cortes de caa
fingindo chali que em gosto Icvam vantagem a toda as
sedas pois sao urna maravilha de estampado e superior
cambraia a5/000 rs. ; pannos finos de toda a cores ,
franceses e ingleies e de todos os prejos-, novos e cm
fotia ; sortimento de chitas novas c linas; de diales do
13a e seda e de sida tudo novo em gosto e padres ;
sarjas e setius Usos de cores brancos e pretos de Ma-
can superiores e de varias qualidade ; casimiras nre-i '
tase elsticas superiores, de 3 a 4/rs. o covado; brins;
bramantes; bretanbasde linho; esguines; mantas de
seda ; irlanda, sortimento novo era preco gosto e
Sualidade ; luvas de algodao e de seda ; meias de algo-
So e de seda tanto pretas como brancas para ho-
rnera e senhora ; e outras multas fazenda que seria
longo enumera-las.
Vende-e, por preco eoiiiinndo um carro de 2 ro-
das, bem construido e quasi novo no Hospicio, cochea-
ra 'do Emilio Frailee7., se dir qucm vende.
Vendem^sc dous sitios e urna
casa terrea nesta praca ,
tildo em chaos proprios :
os sitios s.o perto desta praca : o primeiro com duas
casas de pedra e cal, una das quaes tem soto forno,
estribarla para dous cavados e outra para gado ambos
com bastantes commodos para grande fnuilia, cora 5
viveirosde peixc pasto par 8 a 10 vaccas de leite ,
muito boa baixa para meloes, melancias e caplm an-
imalmente com mltos ps do coqueiros laraqgciras
e outras frncteiras ; este rende 400/000 ri.annuahiiente :
o segundo ao p do dito, com casa de pedra c^cal ,
inultos ps de larangeiras e outras fructeiras porlao na
estrada ; arabos os sitios teein boas cacimbas d"agoa de
beber, e este rende 200/000 rs. : a casa terrea lie sila.no
bairro de S.-Antonio e rende 16/000 rs. mensalniente.
Estes predios vendem-se juntos ou separados e para
isto trata-seno Aterro da-lloa-Visla n. 21.
___Vendem-se latas de marmelada de superior qua-
lidade ; na roa da Cadeia do Recife n. 2, venda de Jos
Goncalves da Pujite.
Vend-se cera de carnauba a 4/500 rs. a arroba ,
e conforme a porcao se dar< mais era conta ; advcrlin-
do-se que he da inelhorque tem viudo. Na ra da Ca-
deia-Y. Iba loja n. 29.
Vende-ie uina commoda de amarillo usada e em
bom estado por T,rr. commodo; na i un estrella do
Rosario n. 32.
Vende-se cal virgem em nielas barricas .chegada
ltimamente ; calas vaslas para assucar ; nina porcao
de pesos de ferro, de duas arrobas ; sei ras grandes pira
serrar madeira ; ludo por preco commodo: na ra da
Moeda, armazem n. 17.
- Vende-sc uina espada prileada ; duas barretinas ;
ura par de escamas ; una canana por preco comino-
do : na ra das.Trinchciras n.|46.
Vende-se um cavado riico-pouibo novo, bom car-
regador grande, de bonita figura e que serve para
carro por ser muito forte : na ra do runi no Reci-
fe casa de Mesquita e Dutra. .
Primor e boili gosto para vestido o covado a
Mantas de cambraia lavradas de seda, a
ll i.ieados francezes, o covado a
J330
5/000
/240
Ditos largos, a .......... /320
Luvas pretas de seda, cora dedos a 1/000
Cortes de fustao de la e seda para collcte, a 1/000
Ditos de seda e de scliin lavrado a franecza,
gosto asseiado a ,...... 7/000
Chales de laa c seda gosto rico, a 6/400 e 7/000
t'. iinlii oes para calcas fingindo casimira lis-
teada, o corle a.......... 1/780
Casimira preta superfina, o covado a 3>jfK
Chales de seda de ricos lavrores de 15/a 25/000
Do-se amostras sobre penhores.
= Vendem-se inoendas de ferro para engenlios de as
sucar, para vapor, agoa c bostas, de diversos tamanbo,
por preco commodo ; e igualmente tainas de ferro coado
e batido, de todos os tamandoa: na praca do L'orpo-San-
lo, n. 11, em casa de Me. Calinont ol Companhia, ou na
ra de Apollo, armazem, n. 6.
Vende-se, no primeiro andar do sobrado n. 3 da ra
do Aterro-da-Boa-Vista, lima arroba de prussiato de po-
tassa '(. i/anofenuro de potasiium).
A 10 rs.a eaixa.
Palitos para tirar fogo, de pti-
ma qualidade : vendem-se na an-
tiga ra dos Quarteis, na teiceira
loja de miudezas, n. 20.
= Vendeni-sc doustmilatlnhos de 14 a 18 apnos, um
cozinha bem e outro he alfaiate ; dous moleqnes de 13
Escravos Fgidos
Fuglo, nodia 18 Jocorrentc um preto crural ,
de norae Domingos alto peinas finas denles podres
e com fallas de algiius ; cor bem prela ; levou talvez
camisa de estepa Tambera fuglo uina pifia de noine
Maria de nacao Cacange bastante baixa" e fel ; am-
bos vierain de aranhuns e por isso talvez tomasseni
esse caniinlio. Roga-sc a luda as autoridades policiacs,
capilaes de campo c qualquer outra pessoaqu* o pe-
gar, de levar a ra do Crespo n. 12, a Jos Joaquim da
Silva Maya, que recompensar.
___Fuglo, no da 13 do crreme, do engenho Novo do
Cabo um pardo, de noiua Qoiicale com ossignjes sc-
guinles : cabra acaboclado baixo pouca boj>a ca-
bello pouco carapinhado falla algum lano serrada ; de
nllu'ial de tnociro nieslre de assucar c tambem desti-
la ago'ardcnte ; anda calcado, c por isso talveifdiga que
de forro : quera |o pegar leve ao dilo engenho Novo do
Cabo que ser beni recompensado.
Dejappareceu, nodia 10 do eoi re'nle, as oito horas
da noile, nina preta crioula natural de Ca uai limalla ,
chela do c'orpo, rosto dcscarnado,.jiernas c bracos gros-
sos .representa 'ter 35 anuos pouco mals ou menos;
levou vestido rxo coin Invmres enrai liados um Irou-
xa com uina camisa de algodao entrancado c um ves-
tido verde comfistras larcajCle cOre. Esta prela lot la
Senhora Florencia Hisp^flBigal que mora em Larua-
iii paraondc'sesusp>t"WFidocii. algiuu coniboyo :
quera a pegar leve a i ua Imperial n. 4J ."quc sera rc-
cimipensado.
PBRN. : NA TTP. DI M. F. DE FAR1A.1847*
" -----


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EPQLAIBUX_Q8JBLU INGEST_TIME 2013-04-30T22:38:30Z PACKAGE AA00011611_09874
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES