Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:09855


This item is only available as the following downloads:


Full Text
"7
aaa
. fin0 de 1847.
Ter^a-feira Si
QIARIO publien-te todos os dias, que no
,i, cuarda i o preco da asignatura he de
"Cn is po' nu,rlel- ***<>? ***" ; "-
dos assignantes sao injerido rasuo de
"""C"^r linlts, 0r.cm lypo diurreolc, e ai
"'".'-el P'l ii""de- queno """ *"'S-
"''iC'rS 80" Por'inl' en Ijpo
::;;'f;^,H,rc.d.l,ubMt:..
FllASES DA LA NO MEZ DE MARCO.
. 1 aos *8 minutos da minlia.
1 .,,' 10 s 2 hora e I" mili, d* m.nb.
' '"i 'a 10, s brase 47 min. da Urde.
' HrtB, .* 1,0r" "30 *" ^ ,,rd-
PARTIDA DOS CQRREIOS.
Coiarmae Parahyha, s segundas esextas feirvs.
llio-lrande-do- Norte quintas feiras omeio-dia.
Cabo, SerinliiScm, Rio-Kormoso, Poito-Calvo e
_ Macei, no l., a 11 e 3| de cada mez.
Garanlrons e Bonito, a 10 e 21.
Boa-Vista e Flores, a !3 c 28.
Victoria, s qiiinlasjcir.s.
Ulinda, todo os dias.
PUEAMAR DE HOJE.
Primeira, s 4 hoias 30 minutos da larde.
Segunda, s 4 hora e 54 minuto da manha.
do Margo.
Anno XXIII.
N. 49.
das da semana.
I Segunda. S. Adriio. And. do i do or-
pl.Sos, do J. do c. d ? v. e do J. M. da I v
I Tere. S. Simplicio. Aud. do J. dociv.da I
v. e do i. de p* do 2 dit. de t.
I Quarta. S Hemeterio. Aud. do >. dociv.
da 2 r.edoJ. depi do 2 dist. de t.
4 Quinta. S. Caeimi.o. And do J.de orphaos,
do J. municipal du I v.ra.
5 Setta.i-.TI.eopl.ilo. Aud.doJ.doov. d I.
v e do J. do pal do I. dit.d t.
( Sabbado. S.OIIegario. Aud. do J do eir. da
I. V. o do J. de pat do I dist. de t.-
7 Domingo. S. Tliomai de Aquino.
CAMBIOS NO DIA 28 DE FEVEREIRO.
Cambio sobre Loodte de40 '* '/.< p. If
t P.risSIkt. porTraneo.
Lisboa 94 de premio.
Dec. de letlra ele boa lirm* V P*/o
Onro-Onea.bespanl.ol...... 5W'0 "
Mocdas de ejttto velh l{00n a
, de Oltoo noy., icono a
. lelJOOo.....< IIOOO a
Protd Pateco.......... i'">
II Peoscolutnnare... I/80 a
Ditos mexicanos ... i/cort a
linda............. I|70 a
Acces da comp. do lleuerib de 50|000 r.
no mez.
2.|.SOll
i|?nn
io|ioo
Ojioo
21020
2*001)
i|o.o
11800
aopar.
DIARIO DE PERHT AMBUCO
PASTE OFFICUL.
Governo da provincia.
EXPEDIENTE DE 10 DO CORUENTE.
Atnrin -- Ao coinmandaptc da armas, declarando
. licita do autorlsar o concert doiroarlcl da compa-
i, le artif.ee, por nao haver quota para elle, egue-
nfurtnaocominlSarlo-pamiaW.
'' --Ao iuU relator da junta dejustlca, transtnit-
IHVI. -> J __,.IJn intotiinainrr. Ail nnr/mPC.
, para ser sub.nettldo a julgamento Ana], oproces-
do 2 cadete Jnstlnlano Aleares doQuintal.
ni o -- Ao commHario-pagador, sigoiAcando que
vio if r presente, ao governo de 8. M. o Imperador as
,'mVivldas acerca do vcnc.nienla do auditor deguer-
Jlorino, Vicente Prrrclra Gomes.
illit ~ \o administrador de* obrapublicas, autori-
mentos da amiga igreja dos jesuta, retjui-
!' portier con. utna canoa de que te lervlb pora
,ra do rio Golaima, e a recipe* das madelras necesaa-
riainontedotCarvalho.
lito Ao director do colleglodo orphaos, envian-
do aflu de serem porelle di.tribuldo. 100 cxemplares
doi estatutos do mesmo collegto e da admlni.traSao do
r"pPonarasP- Homeindp. par. aerv.rem n. colleglo
d-.Von.h5as: --como directora, a D. Maria Francisca
IVssoa de Mello i como profcMor de pnmelra lettras,
i n Mara Tbeodora de Jcius ( ardozo, e como mestra de
'cosiura, al). Petronilla Vleira de Arroda.
Dita Encarregandodc rnsinar muilca vocal epian-
no, no'colleglo da orphaas, a inademoiella Zo Po-
po..; e determinando, que, independente da celebracao
do contrato, entre ella cin aretelo.
DEM DO DA 2(1.
Oflicios Ao cotiunandante dasarma, accusantlo r.e-
nicsa de dous aviso da secretaria de estado do nego-
cios da guerra de 3 deste mei: u::i que qualiilca de irre-
gular a sua cwrcspondencia directa con. o governo im-
nerial c de ocioso o officio que dirigir ao mesmo go-
verno a respeilo da llcensa solicitada pelo secretario mi-
litar para tomar asiento na asssembla provincial ;c ni-
tro que declara nao ser de sua competedeia couhecer
das babilUacoe proressionaes dos cirurgldc militares,
nein nomear quein o substitua, e manda despedir o
doutor AlexandrcPcreira do Carino doservico do hospi-
tal regimental.
Ditos. Aomesmo cao comtnissano-pagaaor, scicn-
lificanilp-OJ d'baver S. M. o Imperador concedido pas-
sageni do i. para o 5. batalhao de catadores ao alleres
Joaqnlm Cardoio da Costa, c oeste para aquellc ao lte-
les Antonio de Horaes Pliuenlel.
Dito! Ao coiiiniandai.le gcral do corno de polica,
rceoininendando a expedicao de suas ordens para que
tria dada diariamente pelo mesmo corpo a guarda no
palacio da presidencia. Participou-se ao conin.audaBte
das armas e ao ominandante superioi da guarda naclo-
nai do Recife. "
Dito.Aocommissario-pagador.exigindo, para trans-
niillir a secretaria de estado dos negocios do guerra, urna
coma da consignacao delxada nesta provincia pelo ca-
pilo Joaqun. Iidoro de Oliveira, que, segundo consta
na referida secretaria, est recebendo o sold por in-
teiro nao obstante haver licito eui clhaute consig-
""iJito. Ao chefe de polica, declarando que, ltenla
a sua represntaeo, demittira Bcrnardino Jor Arante
do lugar de4supplente do delegado de Serlnbeni.
1DKM DO DIA 22.
Officio. -- Ao presidente interino da relacao, solici-
tando o scu parecer acerca de u.n requenmenlo dcMa-
t^uoSO""od.nSeTtodra'da,hc,ouraria da fa.da, or-
do, ando que na primeira occasiao opportuna reme tu
para o Bb.-Granao-do-.No.te a quantia de c neo con o,
de.is -Participou-se ao Exm. pre.ldentc do lt.o-
Grande-do-Norte, cujo pedido deu lugar A expedlcao
dUo0r--CAo chefe de polica, Inteirando-o de haver
mandado pagar os 4O/J20 r. que e guiaram coin o.
cedo.
Dita
ten.
Berna
ton
n io
co Manuel de
c parliclpou-e ao chefe de polica
^ o^cWa:-P^^mlente. do sub-
flegu.ia de cujo nome dem. d *"-
EXTERIOR.
FRANCA.
Os cotideumados politicn na Slberia.
""rfe 'C*e^^nd^r-segue'^nj.
o"', qtfc ho tido o arrojo d. coMmttLr o tnm de aspira
I CUllfl-
lconso-
l entr-
nela de una oracm --^ ^d, l>e|a| seus compiioara "" -
gara Parts. Chama-seRufinoPlotrowskl, efoireconhe-
cido peles inais honrados membros da emlgracao polo-
neu, qne testlficam a lealdade de seu carcter e sua
iuccrldade.
Eis os exactos pormenores do que coin este boinetn se
passra eos lacios que elle referi:
Ti anspoi laraiu-no Slberia no inez de agosto de 1841.
Chegado a cssa provincia,o Sr.Piotrowski, enrvlrtude
d'ordem do respectivo gwvemador, o principe Gort-
chakoff, foi conducido a urna fabrica de distillacao d'a-
go*ardente, pertencente ao governo para nella trabalhar
como imples operario, e coin eiprcsa reeaintnendajo
ao inspector para cuidadosamente vigia-lo.
A principio era o Sr. Piosrowski acompaiiliado pol-
aina sentinella que nunca o deixava a *i depois, lia-
vendo sido designado para trabalho de escripturacan,
passou a ser menos vigiado. Vinte hilograinina de farl-
nha de centeio e a couslgnacSo de tres rublos (3 francos)
que recebia por rae*, erara os melnicos oom que de-
via contar para curar da sua subsistencia. Astliu se pas-
saram seis inexes de sua resideucia no estabeleciinento ;
lindos os quaes, toinou elle a resoluffio de recuperar a
libenlade, ou morrer.
Deixou, pois, o exilio no Ain de Janeiro deste auno
\(!MU), poca que de preferencia a oulra nualquer eco-
llicu, por ser a estaeao Invernosa a inais favoravcls f-
gidas, ein consequencla d'osrios, lagos e mares pode-
ren. ser mal fcilmente alravessados quando se acliam
colados.
Motivos que facis sao de apreciar, nao permittiram
io Sr. Piotrowskl formular um Itinerario ; c por Isso li-
nita-seellea referir sua passagen. atravs dos montes
Uraes, e pelo tueio das nuas rochas, dos gelos e dos nie-
Uouhos deserto, ein que por multa vcie passou tres
dias successivos, sein poder tomar alimento alguin. Kc-
ceioso de pedir hospitalidade ao raros habluntes dcs-
sc pai7., abra durante a noite urna cova na nev, e a el-
la recolhido, depois de haver-lhe Upado a abertura poi-
que tinha entrado, abi esperava pelo amanhecer do da
Ein multas occasides acontcccu que, tendo o veuto ac-
cumulado nev sobre a poita desse reducto, l vesse elle
de Rilar con. umitas difficuldadcs para, no dia segra-
le, poder sabir do seu escondrijo.
Depois de rail perigos e de soffrimentos que jamis se
suppoicra capaz de supnortar, cliegou elle a margen
domar Branco. d'ahia S.-Petersburgo, eemum conso-
cuio passar alen, das fronte i ras da Russia. Ao cabo de
lies annos e dezollo mezes, durante o quaes audou
luatro mil legoas a p, chegou a Pars a 22 de outubro
Durante sua estada uaSiberia, Uvera o Sr. Piotrowsk.
occasiao de communicar cora diverso condemnaaospo-
liticos que vinham ao lugar en. que eslava degredado
conversara tambera con. o Iiabita.iles do par/., o mesmo
cora pessoas qpc se achavan. ao scrv.fo do governo e
os alguns dos Tactos que ouvira comnieinorar pelos ho-
niens que inais bem informados delles eUo e pelas mais
lidedignas lesteinunhas oculares.
Excede de clncoenta mil o numero dos Poloncies des-
teNados na Siberia. Alguns desses infelizes oceupam-se
en. trabalhos forcadosem differentes ubelectmenlof ,
mas a malor parte delles sao colonos das trras pe leu-
ecnles a intitulada AdminilraiSo doi Deportado. Ha urna
icreia catholica era Tomsk, edous padresdosta commu-
nhao sao-para all mandados todos os anuos, afin de ad-
iiiinistrarem aos condemnados os occorros religiosos.
F.is a sorte de multo deses desterrados:
O coronel Pedro Wjsoski, chec da nur.rc,aodcr*9
de novcn.bro t i830, e que. en. 1831, fura ferido c pre-
so no ataque de V.rsovia. fol, en, 1834, cond "
trabalhos forjados, e deportado para as "*?-
chinsk, silas na Siberia priental, no conflns da China.
Ah chgado. encontrou elle mullos compatriotas con-
demnados mesiiia pena que o fulminara.
Pouco tempo depois de sua cl.egada, concertaram um
plano de evaso c alliciaram un. camponez russo para
transporta-los a outra banda do rio e servir-Ibes depois ae
guia. A' nollc, e horaconvcucionada, reunlram-sc na*
inareens do rio todos os degredados o campone-z con-
duii-os a urna llhazlnha descra, e, sob pretexto de cer-
tilicar-se de que nlngueiu os obse vava, separou-se del-
les c fol denunela-los ao chefe dos trabalhos. Por esta
forma trahidof e embados, e depois de urna lula inliuc-
tifera, Ibram os desterrados preso e encancerado.
Pedro Wysoski, oberoc de tanU bataihas, lol con-
deinnadoal,500chibatada. hecebeu o castigo coma
constancia deum martyr, e mandado, depois da cura,
para a fortaleza de Akalui, que lica a .le e um pouco
oais longe, afira de trabalhar as forUficacOe, dlzem
que se dedica todo ao crvico, a nlngucm falla, e, aca-
bado o trabalho, eucerra-se oinho na repectiva ca-
""vaino fallar de outra tentativa deevasao e de urna
anda inais cruel execuco : ..-... ,.
Oabbadc Sicraclnskl.uatural deUkraine.era.em l\o-
Ihyne, chefe do convento dos Bas.licos de Uwriiez, rell-
gisosquee dedicara... n.truccao da mocidade. Ac-
cusado de haver lomado parte na inurreicao de 18JI,
foi despojadodo carcter acerdolal,e,o.uo simples so-
dado, 'degredado para um regiment de cosaco trae
guardan fronielra que .epata a Rus.ia da U.bus da
Tartaria independente. Pouco depois ..omeira.n-no
prfeMor da escola do regiment que se cstabelecra
eiiiOn.sk, capital da provincia de.le nome. Achou ahi
a gmis Po oneze. e de accordo com elle forn.ou o pro-
jecto de penetrar oTa.cukent, e atravs dopaiz laitaro
aannar a possesse inglczas do norte da India.
Pr n.eiro que a uinnuem, co.nmun cou o abbade Sie-
racin.ki e.W projecto um compatriota eu, chamado
Goiki ouZgorski capitao que servir^con. Napoleao, e
aue fura condecorado con. a raedalha da Le|^''-d-
uoma Este velho militar ssurclonrsMie em Uft), e lu-
a^conde. .nado a servir por toda vida con. simple. o -
dialau.enteordem para e P/">0>"> "'a' de3"aalr
cento. Polnneze. entre soldado, e colonos.- fcsla
ci.ri rucia leve lugar no anuo de ioai.
Avas.a duroS Ir. anuos. DUsolveram-se, sm nada
haverpodido colher. dua. eommisse. que, para.ven-
?.,. Z negocio, forain .uccessivamenlc nomcatbM.
Um. ,erceira6.o.nn.isn, r^f^SUTS
seS cTraplU. a U mil chioatai* ca?. uui. ou a Ira-
poderemsupportar a execuco da sentenca. Osoutros
acensados, cujo numero montara a quasi dutentos, fo-
ram condemnados a rcccbcr de quinhentas a trcsenlas
chibatadas, secundo a presumida gravidade do delicio.
A oxrcucao leve lugar ein Omsk, no mez de marco de
1847 e para assistl-la, foi de proposito mandado de S.-
Pelesburgo un. general chamado GalaliayeiT. Nessa po-
ca J era governador-geral da Siberia o general princi-
pe de Kortchako". No dia designado para esse acto san-
guinario, postaran, na praca dous- batalhfle, de quasi
rail hoineus cada um. Uaviain tido a cautela de arredar
todos os Polonezes, e de ordenar que os Russos os subs-
tltulseui. Por un. destes baialhes lain ser castigados
o condemnados a7,000 chibatadas; pelo oulro os de-
ntis sentenciados.
Segundo a lei penal militar da Russia, as chbalas de
que se usa quando se ten. de castigar um soldado, de-
vora ser de tal grossura, pac possan. caber tres no cano
de urna granadeira ; mas, isto nao obstante, difnculto-
samenle poder-sc-hia Jntroduzir en. o predito cano
una dss cliibalas que serviram na execuco do abbade
Sicracinski e seus cmplices. De conformidade com a
inesina le, os soldados executores devetu de conservar-
se en. columna cerrada c na occasiao de batercm o
condemnado, nao llies he perniltlido afastar das cos-
tcllas ocotovcllo; para esse caso especial, porin, ora
denou-se que entre um c oulro soldado se dcixasse o
distancia de ura passo ; e na occasiao da execuco, de-
terminou-e-lhes que passassem o p d.reito para dian-
te e levantasseni o braco para bater com toda a orca.
Comccou a execuco pelos condemnados a sete mil
chibatadas mas o abbade Sicracinski fol o ultimo. Ca-
da un. dos sentenciados, n da cintura para cima, rol
conduzido quatorze vezes atravs das filas. ( Contava-se
por urna chibatada as que darn, dous soldados ao mes-
ura lempo, i Se o suppliciado cahia, collocavaoi-no ein
urna eanecie de carreta para o subjeitarem aoeoinplc-
Alli (emPotos), dlzem asgazetas mexicanas, se deci-
dir a sorte do Mxico, e ser intil maior resistencia.
Todava, nulrlain-se recelo de que ainda ahi Ihe
fosse adversa a fortuna da guerra, e conseguintemente
vemos contlnuarem opreparativos para defender a es-
trada at a capital. Estavam-sc erlglndo forte em va-
rios pontos, c fortificando as passagens mu estas forti-
licacoe parecem nio progredlr multo rpidamente.
A evacuacSo que de Tampico fot Santa Anna, he defen-
dida sob o fundamento da sua impostlbllidade de resis-
tir aos navio de guerra ; e sendo esse porto um daquel-
le que a ebre amarella assola terrivelmente durante
olto mezes no anno, predlzem os editores que vira a ser-
vir de sepultura a militares de Americanos, como servio
para o Hespanhoe. _
A 27 de novembro forara traildos presos a Vera-Cruz
4 inarinheiro daequadra americana, que haviam nau-
fragado.
Nolicia de Chihuahua at 20 de outubro continuara
a prl.ao de seis conunerciante americanos, cuja pro-
prlodade foi. confiscada, e do quao tre perderam
Krandes fortuna. Quaa ao inetn.o Winpo desceran, do
ovo-Mxico muitas caravanas de negociante mexica-
nos, que referiain a participado do general Kearuej
para California, e o movlmento deDot.iphaii obre Chi-
huahua. Marchan. 500 homen nara reiistir a eite em
EI-Paso-del-Norte, onde ba um lorie que elle dcvlain
oceupar.
Na cidade de Tlatcala estavain os habitante! constru-
indoum forte, eo mesmo ae fazia en Santiago, aun
de resistir aos invasores. Em QucreUro, se dcvl orga-
nisar irainediatauente um exerclto do reserva.
Reunio-se urna junta na cidade do Mxico, a 8 de no-
vembro. com o intuito de rovogar a ultima lei aobre a
ronda das alfandega. Tinha chegado da capital a Vera-
menta da pena. Chegada a ve do abbade Sicracinski,
approxi.nou-se-lhe um medico para dar-lhc urna po-
cao corroborante ; mas elle recusou-a, e emcan.i..hou.se
para os seus verdugo cantando o psalmo iirrere m,
Como era de coinplcicSo delicada e esUva extenuado
por loneas privaefles, cahio elle ao receber a millestnia
chibntada. Enlao apanharam-no, lizerao-no por dejoo-
Ihos sobre a carreta amarrande-lhe os bracos para tras,
de maneira a nao ampara-lo da sanguinolenta Oagella-
c5o curvando-o, amnrraram-lhe a cabeca a basteas c
travessas postas por tr da carreta, e, nessa P'.
rontinuaram a faz-lo hmi pela frente ".
Ao completar as mil chibatadas ainda elle res|nrava ,
,a. expiro., pouco. momentos ePis--A1"J.a Xll\T-
carregaran.sobreo cadver inais de duas mil cbibaia-
daTodoso. outros condemnados a sete mil >djltatada*
morreran. na execufao, excepto ura que w chava en
f.-rnio e cuio castigo fra, por essarasao, adiado.
Denois dXstabelecido. loenviaram-no a Nestchu sk,
onde sendo acconm.et.ldo d'-HienaSo "^^
dou-ae no dia ccuinte ao da execuco. O cada, res
dos chico inarVre. foram inhumado, junto a cidade
d'o,s'ue deviamreceber de quinhentas tWU^
baladas, nao obliveram graca,
pena
.u. alfandega. --
Cruz, com data de 10 de novembro, nolicia da rrvoga-
co do decreto exllnguindo os dlrritos da sita, que di-
minuira... a renda da repblica em 1.200 000 pesos por
anno. Tinha chegado noticia de Chihuahua, de qu. o
general Kcarney tinha seguido a sita marcha com -uu
homen para a alta California. A 15 de novembro devi-
am partir mal 1,000 homen para Santa Fe.
No Monitor de 28 de novembro apparece a carta se-
guinte:
San-tui-d-Potoii, 14 it wotwmoro.
oem coiiiiuuUao oe
}Tpfjs52Sa
Ib-official, mas a soa phyionomia he a de un. louco.
GalatiayesT fol ..orneado commandantei4a el-
\ __:...i ,* ,,u mili Mu LatuabU. t
:u^ffildCma,^Shy.iono-.;ha.,e a de un, lonco.
O gene a Gala.iayeff fol ..orneado ?'*" *
dade de Staoropol, capital da provincia do Cautaso, e
ahOu^=^especie K-ee;^ --
m-oduieni na Siberia.-Dar publicidadc a fados seine-
Ihantos iie'de alguma sorte concom para o castigo dos
sanguinario, que o. autdri.ain. ^^ ^ Jmrt}
IDO S7.VDE"tLTIMORE.)
MXICO.
As noticias do Moxieo seriara importantes, 'A*"
xico a20 de novembro mu crrelo coma noticia d. qi e
urna brigada inteira do ercllo an.ericano, con.po, .
de nao .nonos de ...II homeni, tinha-se rcwltodo..epar-
chara ron. as armase bagagens para uni-se ae. excrt,
lo de Santa Anua. On.es.no crrelo trouxe mal. ou lio
aviso, confirmando um boato anterior ** qJ''"f
doceneral Ta\lor cstavain exlcnuadas pela Tebre c ac-
,er?5"!qi.e eile se tinha retirado de Saltillo, para onde
havia marchado, e dahi para Monterey; e que onicon-
sequencia havia pedido ao general Santa Anna um- -
tacodehostllidadc! Suppomo que he este o
sacan
uina cc-
tnodo
mexicano de referir uuo consideravelmenle temo nos-
so exercito padecido da febre ; quao pouco soldado ha-
viam .ido Induzido a de.ertar era Monterey. e como o
general Taylor seguir para Saltillo e vollara Juitainen-
te quando so .uppuoha que elle o faria. ti
boalo mexicano he que o exercito do ge eraI Taylor
consta de 5 ou 6,000 homen. de tropa de linha e 15,000
voluntario com mil carro, que o. Mexicanos hguram
como preprando-e para .ahir de Monterey para an-
Luiz-Potosl, a 21 de novembro. Suppunha-se que elle
gastara cerca de 30 dia para atravessar csteeapaco de
W A 2lde novembro naufragaram perto de Alvarado un.
brigue e 1 paquete mercantes, parte das prezas captura-
das en. Tobasco ; e de 9 Americano que eatavam abor-
do, afogaram-se 5 e salvaram-se 4.
Noticias de Vera-Cruz at o 1. do corrente (de.crabm ,
pelo vapor ingle Cly orrente, dlzem que o governo mexicano haviafello sa-
ques sobre a igreja na impo rtancia de 2:000,000 pesos mullo contra vootade da mesma igreja. da
Foimseginte: .obre o arcebispo 1:000.000; .obre o
bispo dcWbla 400,000; sobre o '>'I'%dnc Ga,a'"e "
200 000 sobre o bispo de Michoacan, 170,000 sobre o
lspo de Oajaea, lvO.000; sobre a bispo de Durango
'--,Mnal era favoravel a esta exac-
mostrado recentc-
cauta do monar-
Os invasores eslSo multo perto de mis. Entraram
hontem en. Saltillo, e tmbenla devem j-
pico, porque a correspondencia que boje doeria ttr
ido para ?sses pontos, fol intercenetada por ordeui do
Mera Santa Auna. Quera sabe qual sera o nosso
destino? Todavia.te.nos cerca de 25,000 homen., con.
52 pocas de calibre 24, e un. completo prov ment.de
municoe, de todas as especies, que he Jg*****\
mas, tendo-o visto eu mesmo, nio delxa duvlda em meu
"ria^ob ferreiros e carplnteiros trabalhaudo para o
exercilo, ealm do, homen ha 1,000 hMi
po trabalhando na forlfica?Oe o qne he mu c. salls-
fac.io; pois que ...ostra o enthus.asmo e boa ventado
1f/SSS;*m tem-se vendido .8.000 punhae.
comprados pela gente do campo, asi... homen. como
inulneres, -le en. toda, a* dlreccae os vemos.flwer I.in-
cas, aliar espadas, cravar armas de fogo. e oulrpi prepa-
ativo. bellicos, c esto todas acosiumados ao Unido
das armas.
PRNAMBCO.
aXMlO DE AKalD*
EM O 1. DE MARCO DE i*-
muibbhcu no la. souu teixbiha.
SITMARIO. ixraDiEirre. NomerSo da deputacfoparo
reetbcr o preiidtntt da provincia. Jfnlrado ule i Itit-ra
do velatorio. App+vacSo it actas da,,e,> prepara-
loriai. Eleico da mita.
10 hora e mela da manhaa, verifica-.e que ha Sr.
deputados em numero sufflelente para formar casa.
O Sr. 1.' Secretario menciona o regulte
EXPEDIENTE.
Um officio do secretarlo interino da provincia, parti-
cipando que o Si. presidente tora designado o da de bo-
Jerpara. i 12 horas da manilla. 1er assembla o seu
relatoiio. Intcirada. ... ., .
O Sr. Prciidcnt, convida os Sr. dcpuUdos alrem as-
sislir a insa votiva ao Espirito-Santo, c supende a
"5te hora, e meia, voltam o. Sr*. deputado. sala da
'"oSr.' PrMianta notna o.Sr..Nune.Machado, Ville-
la Tav.res e Netlo para a depulaeao que. na tina do
artigo 15 do regiment, deve ir receber na ante-Mla o
Sr. presidente da provincia. m-ih. in-
o nielo dia, cliega o Sr presidente, e, depois de in-
iroduzido naiala cou. a formalidades do co.tume. l
assembla o segulnte
RBIiATORIO.
Seuhorea.
Anreciando subidamente a fortuna de achar-me, pela
tercrra vez neste lugar, eno meio de voa. de quem le-
ho rocebido a mais franca coadjuvaclo e prova. nao
nuivocs de confianca, ou me congratulo cora apro-
80"000.-A "opiflao popular era favoravel .
cao; poi que a Igreja tlnba-e
mente obremanelra officiosa a
ChFaz|S.n-.c grande, preparativos em S^-Lui.-Potosl
para dar ao exercilo americano u.na, .... I d">DY'"'
ousasse fazer um ata.ue sobre aquella cidade '*'"'.
uc se reunirn, all 35.000 homen. con. 52 pesas de ar-
UtharU. Tinham-,e ajumado immen'a'j^nl.dade,
de bala de peca, plvora, el
cada dia mal reforjadas
yida, dado o caso de nao | vencer ou morrer
d. qo do paTnoUsmo.con.imin.da bedoriac expe-
v rc adequad" a completar a grande c uobre empreta da
prosporidade da mesma provincia.
' O Ente-Supremo que vela incessantementc obre o
destinos da nossa trra, ten. conservado inalteram
a preciosa sade de S. M. o Imperador, de S. M. a Impe-
ralriz e de Seus Augustos Fllhot, sagrado eegurope-
nhores de nossa felieldade. Grata, Lhc ejam rendi-
das por tSo importante beneficio. .,.,.
Poucas sito as oceurrencias que se leen, dado,_ depote
,ropas^ru^ueSaoflrmede rio.^

MUTILADO


^
Ol

I
TRANQUILLIDADE PUBLICA.
Scenas de horror e carnificina estavam preparadas
para seren representadas em Magdas, a 89 de Janeiro
deste anno, comecando pelo assassinin dos dignos pre-
sidente e chefe te polica daquella provincia M Porm,
ra;as a Divina Providencia e vigilancia das autorida-
des, deixou de correr, desta vez, o sangue inuocente de
nossos Irinos.
E nao terla o piano dol sceleratos ramos importantes,
c talvez as ralzes em o nosso territorio r Rellicia-se so-
bre o procediinento de alguem, vrja-se quaes sao cuas
rela;oes, combnese liso com osartlgos de certas folhas
peridicas, c a nfnrmaliva ser a consequencla. Machi-
"?:" *rs ; Ja nao he possivel duvida lo: mas he per-
dido todo o trabalho dos discolos; vossos committentes
os observam e zombam dos nescios; reina, a despeito
destes, a inals perfeita tranqulllidade, e eu multo c
milito confio na sua duraco.
O Pernambucanos, alm da docilidade e fdelidade
nl'<'oscaractcrlsani,mostram estar Intimamente conven-
cidos de que l no seio da paz poderao gozar a felcida-
de ,|iie nos proinetteni as institu; oes liberaes que pos-
suimos, Armadas pelo patriotismo de urna naci heroi-
ca, c garantidas pela paternal solicitude de um monar-
cha sabio e virtuoso, que tanto se cmpenha em promo-
ver o bem-estar de todps os seus subditos. Csmii bases
tao solidas, Senhores, a tranqulllidade publica resistir
Inabalavel s urdiduras, tentativas e acommeulmcntos
de quem qur que eja.
SEGURANCA INDIVIDUAL E DE PR0PB1EDADE.
Bem desejava nao ter de lamentar com vosco o assas-
sliiiodeums de nossos concidadaos, porm infeliz-
mente he certo que alguns teem sido anda victimas da
ferocidade de monstros que deshonrain a humanids-
A polica, sob a direccSo de um magistrado dos
de!!!
inais ilistincto, e confiada, em toda a provincia, a pes-
soas dignas, se nao ha podido prevenir emelhantes al-
ternados, premeditados com o maior recato, e executa-
dos de sorpreza e tralciio, jacta-se todava de que tem
tirado aos criminosos toda a eipcranca de salvacao, fa-
zendo-os perseguir, prender e processar, aflm de rece-
bercm o justo castigo que merecen). Quanto d proprle-
dade, com sailsfa;au vos annuncio, que inui pnucos sao
os criinc que contra ella se teem commettido.
AGRICULTURA.
Garantida a seguranca individual c de propriedade, a
trela inais digna da vossa nitenco me parece ser o me-
Ihorainentoda nnssa agricultura", fonte principal da ri-
queza do pas. O atraso, em que ella Infelizmente se a-
clia, requer providencias promptas e cfflcaies.
Oalgodao de enja cultura se oceupava urna parte
conslderovel dos lavradores desta provincia, lagellado
pelo moro, jas em abandono quasl completo, e o assu-
car, aquetodosrecorrem,fabrica-se ainda tao dispen-
diosa c imperfetamente, que nao presta a utllldade, de
que he susceptivrl entre nos.
A deficiencia de bracos, cada dia mals tensivel, desde
naboiicao do trafico da escravatura, aconselha a intro-
ducto de outras plantas aclimataveis aqui, e cuja cul-
tura, menos dispendiosa de torease capitaes, esteja ao
alcance dos lavradores menos abastados.
Recelosos de se arruinarem, os nossos agricultores
nao se afastam darotmadeseus antepassados, nem se
alrevein a tentar novas culturas, por mals vantajosas
que parecam. Tao graves prejuizos, Senhores, s deixa-
rao de dominar seus etpirltos, se em um estabeleci-
mento publico poderem presenciara experiencia de taes
innovaces. Ojardim botnico de Ollnda, porsuasitua-
jao e natureza do terreno, nao lie sufHclente para satis-
lazer essa necessidade; outro se deve crear em lugar a-
propriado, e com as condicoes precisas para aquelle
Por inaiores que se figurem as despezas de sua crea-
cao nunca dcixaro de ser justificadas pelo resultado,
sendo que por falta de rstab.lrcimentns emelhantes,
de nossos concidadaos, a quem o mals terrivel dos ma-
les priva das doces relaedes da vida, fas ver a necessida-
de de urna capclla para os exercicios religiosos, indes-
pensaveis at para sustentar a coragem dequem tanto
padece.
Os expostos acabam de ser transferidos por um edifi-
cio, na ra da Aurora, de propriedade particular, o
qual, se nao tem os commodos desejavels, he imcompa-
ravelmente superior ao amigo, em poslco, arranios e
asseio.
A admlnistracao, desejando faier casar algumas ex-
postas, e nan tendo meios dlsponiveis para dota-las, re-
correu a phiianthropia publica, por ineio de urna re-
presentado no theatro desta cldade, da qual resulta-
ran!, deduzidas as despeas, 6I6000 rs. que foram distri-
buidos em tres dotes.
PATRIMONIO DOS ORPHAOS.
Tenho a inalor satisfacao em annunciar-vos que, de-
sejoso de que as orphaas pernambucanas na estivessem
por mals lempo privadas do beneficio que Ihes outor-
gou a lei de 9 de desembro de 1830 e o decreto de 11 de
novembro de 183i, e quereiido ao iiiesmo lempo solem-
nlsar o dia 23 de fevereiro findo, anniversarlo do felii
natalicio de Sua Alteza Imperial, o Sr. D. Aflbnso, de-
termine!, c de Tacto teve lugar nesse grande da, a a-
bertura de um colleglo para educacao de quarenta e
cinco orphaas.
Se devem merecer os cuidados da phiianthropia as
meninas que, com a peda de seus pais e falta absoluta
de bens, por ah enrrem todos os riscos da indigencia,
nao sao certamente dignas de menor attencao aquella*
3ue, abandonadas desde o berco, foram logo recebi-
as pela carldade publica, egozam jado ti lulo de Minas
da provincia; foi por isso que mande) que no colleglo
fossem recebidas duas expolias por cada urna orpha
externa, como tudo veris dos estatutos que aerao sub-
meltidos vossa considerado.
Na falta de edificio proprlo, acha-se collocado o col-
leglo no 2." andar da casa, para onde fol transferida u
roda d'expostos; no que, semprejuizo das commodida-
des necessarias, hotive attencao economa, auxilindo-
se a certos respeitos os dous cstabeleciinentoi.
Dei novos estatutos ao collegii. dos orphaos, e ein Vlr-
tudedeum deseusartlgos foram contratados dous incs-
tres, aliui de ensinarem all as artes de marcenarla ,
entalho, torneados c sapatarla: desta sorte, quando a-
quellcs Infclltes tiverem de sabir do estabelecimento,
por haverem completado a idade de 16 annos, nao se-
rao laucado, como at agora, no mel da sociedade,
sem a menor liabilitacopara conseguirem a subsisten-
cia, e expostos a trilharcm a estrada dos vicios, em de-
trimento seu e da mesuia sociedade ; es la rao pelo
contrario, acostumados ao trabalho ter5o aprendido
algum officio, ou. ao menos, adquirido delle boas no-
ees, e achar-sc-hao assiui cncainiuhados a urna vida
til a si c ao paiz.
A administradlo dos bens dos orphaos e a dosestabe-
lecimentos de carldade teem empregado o inalor zelo e
esmero para attiugirem bs Mus de tao philantropicas
instltuicdcs.
apenas se cultivam actualmente entre nos, com peque-
a dillerenca.as mesnias plantas, e quasl do mesmo mo-
do que no lempo da conquista dos Hollandezes, ha du-
zenlos annos, nao obstante o progresso das seiencias,
dequeseaproveitam ospovos civilisados que com hos-
co concorrem nos mercados do mundo.
De poucas sementes de cha plantadas no jardim da La-1 A P;'dencli
gfla-de-Rodrigo-de-Freita,porordeui dogovernogeral. ^ lcl a.'cfor
proveio em poucos anuos a immrnsa quantidade de ps i ,Por?">- I
dessa planta til, que hoje enriquece alguus lavradores
de Minas, .s-Paulo e Rio-de-Janeiro. Da amureira que
parece destinada a substituir os algodoaes em Pernam-
buco, teem-se feito plantacdes em pequea escala, com
leliz successo, e os curiosos criadores do bicho da seda
tceiu recouhecido queem paiz algum elle prospera ine-
Inor do que neste.
O gnverno geral procura animar taes e outros ramos
importantes da industria agrcola as provincias do im-
perio, em que se vo introduzlndo, cumpre, pois, que
Jramos cnsaios a sementante respeito, e eu espero que
habilitis a presidencia para crear um estabelecimento
publico, onde as pessoas que qulzerem, possam adqui-
rir alguns conheciineutos theoricos e praticos da scien-
cia, bem como encontrar a plantas exticas, de que ca-
nec em, e novas sementes para regenera;iio daquellas
que cultivam na actualidade.
GUARDA [NACIONAL.
Esta corporacao respeitavel vai-tc apurando, mals e
mais, em disciplina e luzimento. Achando-se sobre mo-
do reduzida a frco de I.' liuha, tem a guarda nacio-
nal, desde novembro do anuo passado, prestado contin-
gentes diarips c nao pequeos para o servi;o da guar-
nido, com penoso detrimento, principalmente daquel-
les de leus Miembros que, sendo jornalen os, sao obli-
gados a deixar o trabalho, de que subsistem com suas
familias. ~ Louvorcs llies sejam dados por tao assigna-
lado patriotismo, o qual be sem duvida credor do reco-
nliecinicnto de seus concidadaos.
FORCA POLICIAL.
O oorpo de polica, dtkixo da dlrec;ao de seus dignos
commandante e ofnciaes, contina a exercer inuito bem
asfuncedes, de que he encarregado.
No meu anterior relatorio vos flz ver a necessidade do
augmento delle: subsistem ai rasoes queeutao expend,
c portanio sou levado a esperar que nao deixarels de
autorisar o dito augmento, sendo que tenham cessado
os motivos, sem duvida ponderosos, que vos nao permlt-
tiram decreta-lo.
SECRETARIA DA PRESIDENCIA.
O crescido trabalho que tem diariamente a secretaria
da presidencia, e o grande atraso ein que se acham os
diversos registros da repai-ticao, me obrigam o propor-
vos, como indespensavel, a crea;ao de mals dous ofn-
ciaes e um continuo, que ajude os outros, e substitua o
porteiro nos seus impedimentos.
ESTARELECIMENTOS DE CARIDADE.
Os estabeleciinentos de caridade que sao, como sa-
bis, grande hospital, dito de Lasaros e casa d'expostos,
esentiain-se da falta de regias que, marcando bem as
attribuicdes e de veres dos dilferentet empregados, des-
sem ao scrvlfo a devida ordein : essa necessidade acaba
de ser satlsfeita pela presidencia, autorisada pelo ai t.
33 da le provincial n. 158, do 1." de abril do anuo pas-
sado, com o novo regulamento, ein que foram consul-
tados os interesse de tao pial instituiyes.
O grande hospital anda se acha collocado em una ca-
sa particular, impropria pira o fun, e que nao pode re-
colher o numero de doentesque batein sua porta, pro-
curando os soccorros da caridade chrisla.
A falta de commodos para os ailienados obrigou a ad-
niinistrafao a cedcr-lhe iotiriuamentc sala das ses-
sOes. Trata-se da planta de um novo hospital, e logo que
esteja concluido esse trabalho, para que se oU'ereceu
c de que se encarregou gratuitamente o Dr. Jos Ma-
medeAlves Ferreiza, a presidencia se dar pressa em
faier linsar os priineiros fundamentos de tao neccssarlo
edificio.
O hospital dos Lasaros nenhuma alleracao ha soilrldo
depois do meu anterior relatorio. A administrado, la-
nentaiido, e ntis com ella, que nao tenham sido pro
INSTRUCQO PUBLICA.
Depois do meu ultimo relatorio, poucas ou nenhuinas
altera;des teem havido no lyco e aulas publicas di pro-
vincia, segundo informa o director dos estudos, o qual,
para inelhoramento do ensino, propoe algumas medidas
que nao deixarei de tomar na considerado que mere-
cem, quando tratar de cumprr as disposicOes dos arti-
gos7c33 da lei n. 158, do 1. de abril de 1846; oque
procurare! faier com a maior brevidade possivel.
A cadeira de partos, alm de nao dever estar annexa-
da ao lyco, esim sob ainspec;ao do concelho geral de
salubridade, composto de pessoas prol'essionaes, segun-
do entende ediz o director no olttclo que vos ser pre-
sente, nao pode com vantajcm subsistir sem o ensino
previo de outras materias, e tanto que as academias a
obstetricia s he aprendida nos ltimos anuos e sempre
depois de estudos anatmicos c phisiologicos: de ontra
sorte as discipulas da dita cadeira nao poderao deixar
de conunelter erro grusseiros, que comprometan! a
vida de muitas pessoas.
ncla est, he certo, autorisada pela meocio-
furuiar o lyco no pessoal, formal e scicnti-
i, pudendo entrar em duvida, se ella pode
providenciar acerca do expolio, eu o subinetto vossa
consideia;o, afin deque resolvis a respeito como jul-
gardes inais conveniente aos pblicos interesse.
CONCELHO GERAL DE SALURR1DADE.
Este concelho, apezar das dificuldades, com que ha
lutado, e que Ihe nao teem consentido fazer provincia
os beneficios desejaveis, contina a demonstrar pralica-
meiitc a iililil ule de semellianle instituico.
Pelo officio que me dirigi o seu digno presidente, e
que ser submetlido vossa considerado, entrareis no
conhecimento das ditas dificuldades, e estou certo de
que procurareis remov-las quanto em vos couber.
THESOURARIA PROVINCIAL.
Nao me havendo sido ainda possivel tratar da refor-
ma encarregada presidencia pela le provincial n. 158,
do 1." de abril do auno passado, artigo 4. J 1.", e entre-
tanto que min aprsenlo esse trabalho, cuja importan-
cia alcan;ais pe fritamente, eu subtuetto de novo vos-
sa considerado aquillo que expuz ein meu anterior re-
latorio, quando tratei das repariioes incumbidas da
fiscalisacuo e arrecada;ao das rendas provinciacs, assim
como oque disse o inspector da thesouraria, emofticio
de 25 de Janeiro deste anno, o qual vos ser presente
com os inais que o acoiiipanharam.
SOCIEDADE DOS ARTISTAS.
Esta asocia;ao vai-se adlanlands no desenho e geo-
metra applicada s artes; eu a recommendo vossa
protec;ao, certo de que Ihe prestareis os ineio, de que
carece para aperfei;oar-e, atientas a yantagens que
della devem resultar provincia.
OBRAS PUBLICAS.
Ilumlnafao da oidide e finalmente a delta capital
lembra a necessidade de um matadouro publico.
Scr-vos-h.io prsenle seus officios, e eu espero que
habilitis a presidencia para latisfazer a aquellas das
ditas necessidade que mais attendlvels vo parecerem;
bem como para dar come;o a urna caa de correocao que
tao altamente reclama a humanidade, sobremodo avil-
tada com as prisdes que possuimos.
Tenho conclnido a exposicao prescrlpta pela lei: d*isse
milito pouco, porm nem isso mesmo era preciso a re-
presentantes, que possuem, como vos, ein snbido grao,
illuslracao e conhecimentos praticos. Se no decurso dos
tiaballios que Ides couie;ar, vos for de nilstcr a coope-
rado da presidencia, estai certoi de que ella vos ser
prestada promptamente, e com a firmeza e lealdade que
ein iiiim conheceis.
Concluida a leitura do relatorio, retira-se o Sr. presi-
dente com as mesinas formalidades com que entrara.
O Sr. 2 Stcretario l as actas das sesses preparato-
rios, que sao approvadas.
Passa-se a tratar da eleicao da mesa.
Corrido o escrutinio, sahem eleitos :
Para presidente, o Sr. Manoel de Souza Teixelra, com
24 votos.
Para tice-presidente, o Sr. Manoel Hendes daCunha c
Azevedo, com 2l voto.
Para secretarios o Senhores; Flix Pelxoto de Bri-
to e Helio, com 21 votos; Joaqum Jos Nunes da Cunha
Machado, com 12, e com menor numero de votos os Se-
nhores : Duarte, Joaqum Villela, Tiburtino, Faria e
Ai ruda,
0 Sr. Prndente d para ordein do da da sessao se-
gulnte elei;o de conunissoes, e levanta a de hoje. (Era
pouco mais de una horada tarde.}
JURY DO RECIPE.
sessio NO 1. i)E MilCO DE 1847.
Preiidencia do Sr. Dr. terreira Gomei.
As 11 hora e tres quarto da ranhaa, feita a chama-
da, venfica-se estarem presentes 38Srs. jurado.
O Sr. Juit Prndenle declara abena a sessao.
Ein seguida, sao alguns Srs. jurados relevados da
multa da sessao passada, e multados os Sr. Manoel An-
tonio Alves de Brito, Francisco Jos Silveira, Francisco
Antonio Xaxier e Manoel t.'arnciro Jnior.
Apregoado o reos e testemunha, declara-se que se
val proceder aojulgamcnto do reo Manoel Joaqum da
Cuiiha, aecusado por uso de armai defeas.
Havendo o reo declarado que nao tinha advogado, o
Sr. Jos Narciso Camello encarrega se de ua defesa, a
pedido .do presidente do tribunal.
. Procede-se depois ao sorteio do jury, e, rindo este,
prestain osjuizes sorteado* o juramento da lei.
0 Sr. Juiz Fmidenie faz ao reo o seguintc
DtSCilUGAM HOJE 2.
nrigue~Jf.-J*iiol-/.traitei e albos.
BrlgueLaura-' charutos.
Briguc/leliwmercado lias.
BrlgueViolabacalho.
Parcat-'omcarvao de pedra.
Brlgue Jam*-*ay-taixas, maoliinismo c carvao
pedra.
de
Geral
Consulado.
RENDIMEKTO DO DIA I.
:..........................2:100/>37
Provincial.......................... So*a.>o
Dlvena. provincia................... jg^
897/884
Genova
Movimento do Purio.
Vatio enltfldo no da 1.
43 das, barca sorda Sagrado-Coratilo-tlc-Juue
de 176 toneladas, capllao Pablo Jos Capullo, cquipa-
gein 10, em lastro ; a Le Bretn Schrainiu Si C*
A'anio eahido no mesmo dia.
Goltenburgo; brigue sueco Sevea, cant5oG. Goberson
? cargAisucar, '
tta doe paiiageirot qu eeguiram no brigue brar-
l'iro Paquete-de-Pernamburo.
JoSoMaria da Costa Palva, com3filhos menores e 3 es-
cravos, Joao Luis do Santo, Brasileiros, e6eicravoj
Marino Augusto Supardo, Joaquim Jos Perelra Barros',
Portugueses, e 4 escravos a entregar.
i entregai
Ubservaclo.
0__bri_gue 5 -Manoel-I. entrado
hontem trouxe 22
Como vos disse em meu relatorio ultimo, a reparticao
das obra publicas foi alterada pelo regulameulo de 26
de setembro do anno passado.
Estando em pratlca o systema das arrematares, e
sendo elle sustentado por muitos e entendidos adminis-
tradores, nao me atrevi a rejeila-lo ; porm a experi-
encia me vai persuadindo cada vez inais, deque he con-
trario aos interease da fazenda.
Alguns lancot de estrada, feito pelo dito tyttema,
achaiu-se j necessitados de giande concert, cuja
importancia tem de augmentar cohsideravelmente as
grossas soinmas que custaram: o aterro dos Afogados,
concluido em 1845, e que importou em 14:069/760 ris,
j recebeu o anno passado um concert, em que se gas-
taram ris 1:191/740, e est precisado de outro que se
orcou ein 6:138/800 ris ; e nem cousa diU'ereiite se de-
ver Jain-is esperar de obras executadas por empreile-
ros, eujos lucroi andain ua rasa directa da mperfeicao
c supe i lii.ialidade deltas.
Quanto ao mais, se o pouco teinpo de exccuco nao
tem justificado a reforma com resultados vamajosos,
tambeiii nao ha oll'erecido urna s circuiustancia que
posta contrariar os principios, em que a presidencia a
baieou.
Pelo relatorio do chefe da reparticao, e mappa que
com elle voi ser presente, sabereis que obras te a-
cliam arrematadas, quaes as administradas, natureza e
estado de suas coiislruc;es, etc.
Diversas cmaras fazem sentir a necessidade que ex-
perimntalo os respectivos municipios, de matrlzes, ca-
deias e outras obras, lnsistindo na reclama;e de
que vos del coma ein meu dito relatorio.
A dcPo-do-Alho pede mais urna casa para suas ses-
sOcs c do jury : a de Pajau-de-Flores una pararibeira,
e dous a;udes, em Serra-Talhada c Baxa-Vde, que
poderao importar em 2:800/000 rs. : a do Bonito um a-
INTEaROOATOHlO.
Juit: Como se chama ?
Ho : Manuel Joaqum da Cunha
Juit: Sabe a rasao porque est preso ?
lito : Sel, siui, Sr.
Juit: Qual foi?
Reo : Foi pela imputadlo de uina faca.
Juit: Onde foi preso ?
Rio : No districto de S.-Jos.
Juiz: Ein que ra?
Reo : Na ra do Martyrios.
Juit: Tinha neata occasiao urna faca com leo ?
Rio : Nao, Sr. .
Juit: E de quein foi uina faca que l apparcceu ?
Rio : Nao sei, nao, Sr.
Juit: O inspector nao eslava com urna faca na inao
nesta occasiao, e nao disse que Ih'a tinha tomado f
Rio : Elle foi busca-la, por ra de urna intriga que
eu tive com um Ineu compadre : quem tinha trazido a
faca era um hoinem arregacado e em mangas de cami-
sa. Se eu tivessea faca ein mullas niaos nao soffreria que
o inspector me dste ninas caudadas que me quebra-
ran! a cabe;a : e neste mesmo lempoderam-me una fa-
cada aqui nesta camisa inesma : e aqui est. ( Maura
urna rotura na camisa que tratia vellida.)
Juit:Conhece Jos Joaqum Tiburcio ?
Rio :Niio, senlior.
Juit:Conhece Franciico Pi da Rosa ?
Rio :Nao. tenhor.
Juit: Conhece alguma das tejtemunhas que iuraiam
procciso ? i j w
Rio: Algumas.
Juit: Todas sao sua inimiga ?
Reo :Nao, senhor. (fa urna pequea pauta.) Ellas dls-
seram que ouviram dizer que eu tinha urna taca, po-
rm nao me viram com ella.
Juit: E nao Ihe acharam nada intelramentc ?
JMo :S uina cirtelra que me liraram da aqueta,
com l/OOOrs. dentro que me tinha dad o meu len-
te, eque era para o ineu fardamento : e isto foi oque
me acharam.
O Sr. Promotor sustenta a aecusaeo, referlndo-se
ao depoim uto da segunda e da quarta testemunha que
juraram ter presenciado aapprehenso da faca; e con-
cille peilindo acoiidemnatao do reo no grao niaxiino da
lei de 27 de outubro de 1831.
O Advogado da defea diz que o seu cliente he victima
de uina intriga forjada para o perseguir ; observa que
isto mesmo se evidencia do processo; analysa, una por
uina, as pecas do mesmo; allega que a prava mals con-
vincente de que esse processo he uina inachina;ao se-
ta na propria accusa;o da justica que coutentou-se
de pedir para o reo as penas que a le tem fulminado
aos criminlos de armas defesas, no entretanto que no
referido processo e quer inculcar que elle commet-
tra o de tentativa de morte ; faz algumas considera-
edes inais, e conclue solicitando a obsolvico do aecu-
sado.
O Sr. Juit Pretidtnle, depois de haverem replicado os
Sr. promotor e advogado, faz o relatorio da causa, e,
terminado elle entrega os quesilos ao presidente do
concelho que, tendo-sc recolhido a ala da conferen-
cia, volta pouco depois i dos debates, com resposta af-
Mimativa aos inesmos quesilos.
O Sr. Juit Prndenle, conformando-ie com a deciso
do Jury, condeinna o reo em 6 inezes de priio com tra-
balhos e as cusas.
As 3 horas da tarde, levanta-se a sessao.
fnao*a dia de viafrm como, por engao se disse.
Declarado.
^i^. I eSuerr*ct*,Pra aieite de canapato, de
coco, fio de algodo e pavios : quem taei gneros quizer
rornecer, mandara sua proposta em carta fechada a di-
rectora do mesmo arsenal, at o dia 3 do prximo |utu-
Arsenal de guerra, 27 de fevereiro de 1847.
Joo Ricardo da Silva,
f. Amanuense.
u escrivao e administrador da mesa de rendas Inter-
nas provlnclae desta cidade tem.de remetter para o
juizo una relacao dos devedores da decima abaixo de-
clarados, o que tera lugar at o da 15 do correte me/
por isso os convida a vlrem pagar seus dbitos, afiui d
cvitarem as accrescidas despezas do Juizo :
O Sis.: herdeirosde Antonio Baptisla, ditos de Anlo.
nio Joaqum Ramos, Antonio Jos da Fonseoa, doulor
Antonio Jos Perelra, herdelro de Antonio Jos Qua-
resina, Antonio Manoel do Nascimenlo, Antonio de Pau-
a. herdeiros de Antonio Xavier Vlanna. Brites Sebas-
tiana, Bernardo DainISo Franco, podre Bernardo Lucio
Peixoto, Bcrnardino de Alineida Ferrelra, herdeirosde
ItalbinaFranciscadaConceltao, Basilio Atoes de Miran-
da Varejao, padre Basilio Gon;alves da Luz, Benedito
Amonio de Santa-Auna, Benedito do Esplrilo-Sanlo,
liento da ConceitSo Ferrelra, herdeiros de fiento Jos
Alves Vlanna, Hraslliano e Joo Baptista de Castro,
herdeiros de Candido Jaclnlho de Mello, < aelano Gon-
falves Perelra da Cunha, herdeiros de Florencia Mar-
garlda do Prazeres, ditos de Domingos Rodrigies dos
Passos, viuva de Francisco Nicolao de Pontcs, Francis-
co Joaqum Duarte, Francisco Xavier das Chagas, Fran-
cisco de Amorlm Lima, Francisco Teixelra Peixto,
francisco Antonio de Miranda, Francisco Jos de Cam-
""" i""0 Garcia Chaves, Francisco (.'ardozo de
------ -------------... ......... ..,. KWIII.lllrtU,
francisca de Leroos Cavalcante, Anna Filippa de S. Tia-
go, Anna Gertrudes da Conceico, herdeiros de Anua
Izabel deSiqueira, Amia Joaquina da Conceico, Anua
Joaquina de Jess, Anna Joaquina Prates. Amia Joa-
quina Luisa, Anna Mara da Conceico, Anna Mara do Nasci-
menlo, Anna Mara da l'aixo, herdelro de Anna Rila
Cavalcante.
Reclfe 2 de Marco de 1847,
Clorinio Ferreira Caldo.
Aailministracaogeral dosestauelecimenlo de
candado manda fazer publico que a casa dos expos-
tos foi transferida (hoje) para a casa n. 16 da ra da
Aurora, onde faro a mesma administrscilo as suas
sessoes nos das segundas-feiras, que nflo forem san-
tos ou feriados, pelas 4 horas da tarde
Administrocflo geral dosestabelccimentosdo cari-
dade, 23 do fevereiro de 1847.
O oscripturario,
F. A. Cavalcanti Coutttiro.
.."~. r.r -"or_dc Ke0lne,ri do collegio das artes faz
na ra
Norte.
-~ linlia preci-
ae cen jaqueta* de brim branco : quem Ihe con-
vier fazez^esse forneciuiento eonipare;a na secretaria do
i.icsiiio batalliao ua ra de Agoas-Vertles, n. 68, no
da 4 do corrente pelas 9 horas da uianha levando
a amostra do brlm de que devem ser ellas feilas.
Alexandre Jote da Rocha,
Tenente agente.
publico que a respectiva matricula se cha abena
de Malinas Ferrelra, terceiro sobrado do lado do
O priinelro batalhao de catadores de linlia
Ulan, 1.* DK MARCO BZ 1847. >~
Amanha, oceupar-se-ha a assembla com a clei;ao
das respectivas commisses.
. J niio he s o noine de estuprador o que cabe ao
malvado Jacob Felis, cujo crime denunciamos ao pu-
blico em o nosso 2. artigo do dia 23 de fevereiro pro-
simo findo; assenta-lhe tanibem o de assassiuo perver-
sa, pois a infeliz menina que elle sacrificara aos seus
lascivos e concupiscentes desejos, expirou hontem nos
bra;os do carinhoso pai, apezar dos soccorros de quei
este a cercara, en.1o obstante o esmero e proinpildo|a'e 0 1"* "e margo : sendo a primen a noilc de es-
Tlieatro publico.
O director, reunindo a anliga companhia de acto-
res, vai por em scena as seguintes pegas :
S. Barlholomeu na Armenia o a Propaga;So da F,
e os Martyres da Liberdade, que tanto applauso me-
receu neste theatro, no anno de 1831 ; a assaz conde-
cida pega sacra S.-Cicilia ; a grandeMeropc, doSr.
J. B. Garret; o Espillo de Veneza ; c a Portugueza na
Turqua, do Sr. Joaquim Silvetio, bem condecido
nesta capital : porm, para segurar as despezas des-
tes cinco espetaculos, convida ao respeitavel publico
para a formacSo de urna assignatura da forma se-
guinte:
Atsignaturas pelas cinco noites.
Pial*...........................4(ooo
Camarotes da l. ordemde lado..........15,000
Ditos da frenlo.....................20,000
Ordem nobro de lado................20,000
Ditos da frente............;........30,000
Ditos da terceira ordem de lado..........10,000
Ditos da frente.....................15,000
N. B. Nos das 1 e25, por serem de gala, serfio
admittidas dancas executadas pelas prncipaes pas-
toras do presepio. Assigna-se no tdottiro 'gmente
com que foram esses soccorros applicados.
Esta circuiustancia velo aggravar ainda mais o delicio
do reprobo Jacob, desse nioiisiro de perversidade e in-
gratdo, desse ente degenerado, desse homem todo
lascivia; e deve por isso concorrer para que seja
ainda mais forte a pena com o que o tem de fulminar
o trinunal anteo nual ser levado para responder pelo
acto por que uiinifcsiou toda a baixesa dos senlimentos
que nutre em o depravado cora;So.
COMMEftCIO
di -umeti app,lcad Ail-audega.
RENDIMENTO DO DIA 1.........
3:052^5
petaculo, com o dramas. Barlholomeu eos Martyres,
no dia 7 do mesmo mez.
Avisos martimos.
Para o Porto segu viagein, at o fim do correnle
mez, a barra portugueza llella-Pernrmbueana, capilo
Manoel Francisco Nogueira, por ter a maior parte do
seu carreg amento prumpia : quem nella qiiizrr carre-
gar, rnlenda-se csiu o dito capilo, ou com o consigna-
tario, na ra da ( adela do Reclfe, n. 51.
O brlgue-ascuno Henriquela tem de sahr imprete-
riveliiiente para o Assi no da 12 do presente, ou antes :
quem ainda pretender carregar, ou ir de passigein, ses^
entender na ra da Cadeia-Velha, n. 17, segundo an-
dar, bu com o mesire do mesmo no trapiche noy.
-
t^


.. Venderse urna barca? de lote de 26 cadas,
bem construida o veleira : na ra das Trincheiras
__ Vende-se a sumaca S.-Balbina, de 5* tonela-
das c de muita boa marcha promptaa seguir va-
ocm dinheiro on a prazo: a tratar a bordo da
""Para o Rio-Grande-do-Sul o Porto-Alegro segui-
r, na prxima somana, o brigue Flor-do-Sul,capitao
Jos Ignacio l'imenla; o qual recebe escravos a frete:
nueni no mesmo os quizer embarcar, pode enten-
Jer-se com Amorim IrmSos, na ruadaCadeia, n.
45.
__para Lisboa segu com brevidade, por ter parte
da carga, o brigue portuguez ConceifSo-de-Maria :
quem no mesmo quizer carregar a 900 rs. por arroba
dcassucar, ou ir de passagem, para o que tem os
incineres e mais, asseiadoscommodos, trate como
capto na praca do Commerco, ou como consig-
natario Thomaz do Aquino Fonseca, na ra do Viga-
rio, n. 19.
Avisos diversos
Adverte-se ao Sr. commandante do navio de guerra
actualmente surto neste porto, que tanto se tem distin-
guido por arrebatamento proprios de un abrutalhado
inarujo, que, quando tlver de derramar toda a bilis de
que e acna carregado o seu Iracivel coraciio, sobre al-
gum homem que nouvertldo a desgraca de lite ticar ein
contacto, nao lance metade desse venenoso fel sobre a
esposa desse hoinem, pois que, pudendo acontecer que
seja eslatao virtuosa como a de Siuc. e porlsso tao digna
de rrspeitos quanto ella he, e que tenha em sua familia
pcssoaaquenaosrachcm revestidas da phleutna hecessa-
riaparaouvirem desacatar vil ecovardeineute a una p-
renla,ruja reputacao se tem conservado intacta, he beni
possivrl que ofacam pagar caro a otuadia e conven-
, iiu-iio de que nao he este um pal rin que se possa
Impunemente cobrir de baldcs urna mullier honrada.
Joo Francisco Antuncs val ao Para, e leva em sua
I couipanhia o scu escravo crloulo, de nome Miguel.
1 -- Precisa-se de un caixeiro que tenha pratica de
) venda, e mesura que entenda de escripia da inestna. e
que d eonhcciinenle da sua conducta; em Fra-de-
Portas, n. 135.
Precisa-sede um bom forneiro para urna poda-
ra, bem como de dous mocos de 14 a 16 annos para
antregarem pflo com os prctos : no Recife ra da
Cadeia a. 9.
Perdeu-se no domingo noite,28de feverelro, na
igreja de N. S. da Penha, na occasiao da encommenda-
cno do cnrpn da lilhado Sr. Jos Antonio da Silva, urna
caita de tartaruga redonda e bastante grossa, com uina
pequea rliaplnna de ouro coui a lirma das lettras lul-
ciaes S. P. S. Q., que se suppe ter cabido do bolso ao
tirar do lenco : a quem a aciou, e a quizer restiluir, ro-
ga-se o obsequio de a levar ra das Trincheiras,
n.24, ou a esta typograpbia, por culo obsequio, alin
de se-lhe litar multo obrigado, sera bem recompen-
sado.
~ Roga-se ao Sr,, que por engao llrou urna carta
do crrelo viuda lo Porto no brigue S.-lUanoil-Primeiro
para Manuel Goncalves Leal, baja por favor de a vlr en-
tregar, csteja ella aberta ou fechada na ra do Crespo
toja de Manuel Jos Goncalves Braga, o. 2 ; ou, caso a
nao quena vir entregar, annunciar sua inorada por esta
folha para ser procurado, que se Ihe ficar inulto e mul-
to agradecido.
Hei eulano Jos de Freltas avisa a quem eonvier
3ue a parle do sitio da Tacaruna, perlencente a Paulino
a Silva Mindello, se arha por eHe penhornda para pa-
gamento da quantia de duzentos e quarenta e tantos mil
res: e para que nao alleguem ignorancia, fas a presente
declaracJo,
Precisa-se de um oflicial decharuteiro : na ra no^
va de Santo-Amaro, casa terrea n. 20.
Alfonso Saint-Marlin iiiudou a sua residencia pa-
ra o principio da ra das yuarteis, priuieiro andar, n. 21,
por cima da loja de miiideas de Victorino de Castro
Honra, aonde seus fregu/es o poderao procurar a qual-
quer hora : tendo a ollerecer-lhes bon cortes de seda
lavrada para vestidos blancos, e de cores e prrtas; man-
tas e chales de seda furta-enres e lavrados; chapeos de
seda e de palliinha, da ultima moda ; ditos de palliiulia
para meninos e meninas ; cortes de barege verdadeiru
para vestidos ; luvas de pellica para homem c senhora,
etc. etc. : ludo bom e viudo de prximo.
F. N. f.'olaro pretende abrir, no dia 8 do eorrente,
em a casa de sua residencia na ra da Santa-Cruz, n.
38, um curso Je geometra e outro de lingoa franceza :
as pessoas que quierem frequentar qualqiier tiestas
disciplinas, queiraiu entender-se com o annunciante
at o dito dia.
Precisa-se de comprar urna negra que seja fiel, eque
;.'i i la cngommai c cozinhai : na ra Nova, n. 32, loja
de ourives. n mesilla loja vende-se urna armacao pro-
Tria para alfaiate, loja de sapatos, ou mludeza, milito
barata.
Miguel Sougey laz scienie ao publico e aos seus
freguezes que abri urna cuclieira de carros de aluguel
no pateo da matriz de Santo-Antonio, n. 2 : a tratar na
dita cocheira ou uo Aterro-da-boa-Vista. Tambem
guarda carros.
=* Perdeu-se, no dia i. do eorrente, na ra do Qucl-
masft, una carteira vclha coniendo cento e tontos mil
rs.Tu inoeda papel, e nina leltra com seu competente
recibo, da quantia de oitenlae oilo mil rs, : quem a a-
chou leve-a a loja de chapeos da ra do Qucimado ,
n. 55.
i= Precisa-se de um caixeiro para venda, que deste
negocio tenha pratica e que d fiador a sua conducta :
na piaca da Independencia, loja de barbeiro, n. 36.
L. V. Desenclo. subdito francez val para Babia
a tratar dos seus negocios.
Aloga-se um pequeo sitio, na es-
trada que vui da Soledadc para o Poni-
bal, com bstanles jaqueiras, larangeiras e
mais fructas: a fallar rom Joaquim Lopes
de Almeida, caixeiro do >r. Joao Ma-
theus.
RpI. .m de,aPParecl(,o de Manoel Antero de Souza
,V.rn. raT0' e,endo"<'oporfreqiiemesveze3, nos
m TuV0.* ;rPrfh<-"didos e depositados em al-
^ln,l ^'Set0r.' roe*-!"- aWoridades e mais
agentespollclaes. vejamse em suascontinuadas appre-
n!^?. U '"""Vo no* Ja Pprehendldos descobrem
!f8UjUtecscravo hartado ha nonos, vl. n,,. m.n,
nai ueciaium os seus senhores ou' roubad'ores cos-
tumam trocar o nome, para que por mais tempo
nffo se veja delle privado; o qual se chama Jacintho ,
.un*"I e?">l0' de22annos pouco mal ou menos,
no, de bonita figura bem preto com uina marca no
peito Uireilo ou esquerdo a imitacao de uina ancora ,
que talvcija esteja apagada dentes alvos emiudos, fal-
la ineia descansada; toma bastante tabaco : na ra da
Ude"-\elna' n- 6. segundo andar.
Pelo julzo do civel da prima-Ira vara desta cidade,
1 a *a arrematar hoje, 2 do eorrente urna parte do
sobrado da praca da Uoa-VIsta no valor de 305/000 rs
por execucao de Antonio Pinto da Azevedo contra oca
pltao Ignacio Francisco Perelra Dutra e hoje contra a
viuva do mesmo e tutor da menor Thomazia j habi-
litados : os licitantes podem comparecer na praca : e
bem assjm a terca parte do sitio de trras proprlas, com
,nF2!M fructo no lugar da Boa-Viagcm avahado
em b6hW0 W.
Aliiga-*: urna mei'agoa sita na traveasa do Dique:
tratar na ra da Praia, n. 10.
= Quem tivef um sitio a margem do Capibaribe ,
ou prximo a elle ou mesmo na estrada de Ponte-
de-Ucha, com casa de vivenda dita para pretos ,
arvoredos de fructo, etc., e quizer trocar por casas
tiesta praca e um sitio na estrada dos Afilelos an-
nuncie por esta folha. O dito sitio ha de ser do lu-
gar de s.-Auna paraTiaixO; agradando nao se du-
vida voltar.
Odoutorem medicina, Manoel Adria-
no da Silva Pontea, mudou sua residen-
cia para a ra larga do Rozario n. 30,
Segundo andar.
Os Srs. (cujos nonios por ora nflo se deca rain;
que estilo devendo mensaldades de seus (linos em
urna aula no bairro da Roa-Vista, e j retiraram ditos
seus nihos della, alguns ha i, 2 e 3 minos, e outros o
anno prximo passado, queiram mandar quanto an-
tes embolsar ao pobre inestre os seus dbitos ; do
contrario, verao seus nomes publicados pelos Dia-
ria para que outros mestres mo caiam na mesma
eaparrclla.
~ Aluga-se una boa casa terrea, com 4 quartos,
2 salas, quarto separado para pretos e casa para ba-
iilio, grande quintal com parreiras o (guairas, ro-
manzeirase limitas maisarvoresde fructo; comea-
cimba d'agoade beber, a melhor que se lem visto;
no principio da estrada dos Afilelos, pegado ao' sitio
que foi da Sr,1^. l.aurianna; outra casa terrea com
sotfo corrido muito arejado, no boceo do Serigado:
trata-se na ra da Cadeia do Recife, n. 25.
Qualquer Sr que liver sido despachado pro-
motor da nova villa d'Agoa-Preta, queira annunciar
a sua morada para ser procurado a negocio do seu
interesse.
Precisa-se de urna ama para casa depouca fa-
milia : na ra do Rangel, n. 42.
Francisco Pinto da Costa
Lima, mestre alfaiate, avisa ao publico e aos seus fre-
gnt'/.es, que contina com o esUlielccimento do seu
(illicio, na mesma casa da ra larga do Rozario, n.
40; assim como tambem precisa deofliciaes e recebe
aprendizes para ensinar.
Precisa-se saberse existe tiesta pra
ca, ou mesmo fra. della, oSr. Jqs Ma-
Urna pessoa, com as habilitacSes necessarias se
ollercce para faier algumas eeriptiirv^es com asseio e
presteza : quem de seu presumo se quizer utilisar, dirl-
ja-sea ruaDlreita defrontc do Llvramento n. 2 se-
gundo andar, das 8 horas da inanbaa em diantc.
Aluga-se a casa terrea da ra da Florentina, n. 13:
tratar na ra do Trapiche arinazem n. 9 uuw do-
mingos r-orlanho Goncalvcis Ferreira
Aluga-se urna casa de so-
brado de ciuatro andares, na ra
do Trapicne Novo, com muitos
commodos ; e um grande arma-
zem, com muito boa vista para o
mar: tratase na ra da Aurora,
casa n. 58.
A viuva do fallecido Antonio Ferrei-
ra de Vasconccllos vende, para pagamen-
to de seus credores, urna casa de sobrado
de um andar com sotao, tendo 35 palmos
de frente e 85 de fundo, acabada por fra,
com vidracas, e dentro assoalhada e forra-
da, com portase enchams, faltando ape-
nas alguns tapamentos: outra pegada, de
iguaes dimenses, acabada por fra, e en-
viilraeada, smente travejada por dentro;
um caixo de alicerce para duas mo-
radas de casas, de 6i palmos de frente e
7? de fundo; todas com quintal em aberlo
do terreno de sua frente; e 29a palmos de
fundo com camboa por dentro do quintal,
sendo os cbaos foreiros: finalmente, 11 ni
terreno no mesmo aiinbamentoi com 3i3
palmos de frente e o competente fundo, e
camboa qucfica no centro : tudo situado
na frente da estrada que vai para a Magda-
lena, e faz esquina com a que vai para o
Hemedio. Os pretendentes podem-se en-
tender com B. Lasserre & C, na ra da
Senzalla-Velba, n.i38.
. Preclsa-sc de um official de pharmacia que se
queira eneajar para una das provincias do Norte: na
botica de Vicente Jos de Brito.
Compras.
LOIEHIA
DAMATHIZ
DA CIDADE DA VK TOBIA.
Est novamentc marcado o dia Ki do eorrente mez
para o andamento das rodas desta loteria ; c o respecti-
vo thrsourriro espera realisaf nesse dia o mesmo anda-
mento paraoque envidar todos os esforcos possiveis.
O resto dos klllietes contina a estar a vepda nos lu-
gares oto <
Pede- idamente a quem acbou um cha-
peo de sol, de paaululio azul anda novo pas lujas do
eMaTeleciineny) dasorphaas na noite de 23 do crlen-
te querendo rrstilui-lo dirija-se a ra da Alegra, n
II, mi na reparlicao da saiide, em Fora-de-Portas que
ser gratificado.
___ Precisa-se alugar um moleque de 16 a 18 annoa ,
de bonita figura sem vicios neni achaques paga-se
bem: na ra de S.-Amaro, n. 32.
Precisa-se arrendar um engenho que moa com
aga moente e eorrente com fabrica ou parte della,
c bolada, sendo para as partes do Sul distante desta
praca 5 a 10 legoas: a tratar na ra da Cadeia do Recue,
n, 26.
Quem Ihe faltar urna cala de cha annuncie, que.
dndoos sienaes do seu estado, lbe sera restituida.
Quem annunciou no Otario de 27 do prximo pas-
sado quererse mojar em urna loja, dirija-se a ra No-
va loja n. 24.
noel I'en eir, quemaron em Santo-A n-
taoein 1840, negocio de seu interesse ;
na ra da Cadeia do Recife, n. .'!;).
I'crdeu-se, hontem, ao vir doMondogo para o
Recife, urna lalinha redonda conlendo urna chave
de piano, e outros pequeos utensilios rara aliar.
Itoga-se a quom achar a dita lalinha, dea levara
ra da Cruz n. 10, que receber 5000 rs. de grati-
fi cacSo.
Grosddjer, professor de msica e afinador de
pianos, tem a honra de participar ao rcspcitavel pu-
blico queso mudou da ra Nova para a, ra da Cruz,
no Recife, n. 10 aonde as pessoas que se quizercm
utilisar de seu prestimo o podero encontrar. Anda
contina a aliar pianos tanto no Recife como nos
sitios.
Precisa-se de um feitor, preferindo-se das ilhas,
para tratar de um sitio distante desla praca; ser
bem tratado e dar-se-Ihe-ha bom ardenado: 111 venda
da esquina da Comboa-do-Carmo, n. 46.
Precisa-se alugar urna preta que entenda al-
gumacousa de coz 111 ha : na ra do Caldcireiro,
n. 9*.
Urna pessoa capaz que tem pratica de cnsiiio,
sepropfie a dar licfles, em tasas particulares, de
primeiras lettras, grammatica portugueza, bons
Compram-se veneziana : atrs
do theatro, armazem n. 6.
Compram-se duas venrsianas usadas, mas que
possain servir : na ra larga do Rozarlo, loja de miu-
dezas, n.36.
Compra-se urna escrava robusta, e que saiba en-
gommor com toda a perfeicao c asseio ; nao se quer cha-
vasqueira : na ra do Qucimado, n 42, primelro an-
dar.
- Compra-se un jogo de damas copos e dados de
marlim para gamao : na praca do Corpo-Santo, n. 11.
Compram-se dous cavados que tenham andares e
de bonitas figuras : na ra d S.-Goncalo, sobrado n. 29.
Compra-se urna canoa de carreira, nova, ou an-
da em bom estado, que possa com cinco pessoas, e
ilahi para cima: na ra Nova, segundo andar da ca-
sa, n. 39. Na mesma casa vende-se um porta-licor
quasi novo.
Compra-so um casal de cachorros, anda que
seja de casta pequea na venda da esquina da Cam-
boa-do-Carmo, n. 46.
Compra-se um papagaio grande, bonito e mui-
to bom Tallador : nflo se olha a preco por ser para
una cncommenda : na ra da Cadeia do Recife, lo-
ja de miudezas, n. 51.
Anda se contina a comprar cobras de viado
vivas para remedio : na praca da Boa-Vista, n. 32,
segundo andar.
n
Vcnde-se grasa ingleza de patente,
para limpar e conservar arreios de carro ;
assim como um pequeo ortimento de
chicotes para carros : no armazem de
Brender Brandis, ra da Cruz, n. 63.
No mesmo ha alguns bracos para balanzas
grandes, proprios para armazem de as
sucar.
Vendo-so um alambique de cobre,. grande, e
urna serpentina de estanto, tudo 0111 bom estado ;
tambem se vender qualquer urna dascousa* em se-
parado : na ra da Cadeia, n. ti.
Na loja de Jos Manoel Mon-
leiro Braga, na ra do Cres-
po, i. 10, esquina que vi-
ra para a ra das Cruzcs,
vendem-se os mais ricos e lindos cortes de casimiras ,
tanto de listras como lisas ; chapeos para homem os
mais modernose Unos ; pannos pretos e de cores ; sar-
jas prrtas largas; chamalote de muito bom gusto ; ca-
simira encarnada muito lina ; iiiaiitinhas de seda pa-
ra senhora ; chales e mantas de seda, muito rlcaa ; vel-
ludo preto; setlin preto; chales de llnho preto; cam-
brala brancacdecores e mitras militas la/rudas de
gosto ; assim como lencos de seda com franja, para se-
nhora a 800 rs.
Vende-se, para fra da provincia, uina escrava de
18 annos, de boa figura com exeellentes habilidades,
por 450/ rs.; una parda de boa figura de 20 anuos,
que he boa ama de casa ; urna dita para todo o servico ;
nina dita, por 250/rs. que he boa quitandelra; um
bonito moleque de 14 annos, sem defeito algum ; um
lindo mu tinhn de 13annos ; um dito quecoslnba beiu
e he bom comprador, por 400/rs.; um escravo de n-
cilo de 27 annos proprlo para todo o sorvico eque
emende de padaria ; um dito bom para engenho .*
na ra de Agoas-Verdes, n 40.
Vendem-se casaes de pombos muito bonitos, gran-
des e bons batedores por prero cominodo a vista da
qualidade : na ra da Florentina n. 16.
Vende-se, por commodo preco tima inorada do
casa terrea sita na ra que atravrssada (loria para a
Alegra : na ra da S.-( ruz n. 48.
Vende-se um mulatinho de M annos, de bonita
figura ; anda bem a cavallo sadio sem vicios iiem.
achaques : na ra da Aurora casa do coronel Joaquim
Jos Lili/, de Souza.
Vende-se una morada de casa terrea na ra doa
Copiares n. li : a tratar na ra da Florentina, n. 3.
Na mesma casa precisa-se de duas prrtas para vende-
rein de tarde, de vendagem ficando seus senhores res-
ponsavcla pelas mesmas pretas.
A
leudas.
principiosde msica e desenlio : na ra larga do Ro-
zario, n. 48, se dir quem he.
Jos da Silva Oliveira mudou a sua residencia
da ra da Prala,n. 66, para a ra Direita n. 2, segun-
do andar, onde pde'scr procurado.
Aluga-se urna casa terrea na ra nova que vai
para a Trcmpe, com muitos commodos para urna
numerosa familia : a tratar com a sua propietaria ,
no pateo da S.-Cruz, n. 70, primeiro andar.
Arrenda-se um sitio no Casanga, a margem do
ro, com casa do taipa, estribara, arvores de fructo,
boa torra para plantar e muito proprio para passar o
vero, por ser muito fresco e ter bom banho : a pes-
soa a quem eonvier dirija-se a ra da Cruz, n. 5, es-
criptorio de Jos Joaquim de Oliveira.
[ __OSr. eapitao Severino Gaudencio Furtado de
Mendonca, morador que era no Riacho-de-Sangue,
queira declarar em que parte existe, quo muito se
Ihedeseja fallar, ou,diiija-se a ra Direita, sobrado
n. 29.
Quem quizer se encarregar de urnas cobrangas,
anda mesmo judiciaes na villa de Pianc, dando
pessoa que abone a sua conducta, poder dirigir-so
a ra Direita, n. 29.
Recebem-se escravos para se venderem tanto
para fra da provincia como para engenho ofTe-
recendo-se toda seguranca para os escravos : na ra
Nova, n. 40. '
__Aluga-se o terceiro andar da casa n. 7, da ra da
Cruz: tratar no segundo andar da mesma casa.
A serrara do Monteiro pertencente a Antonio
Domingos Pinto acha-se litigiosa o que se faz publico
para constar a quem a qulier comprar.
Una parda que d fiador a sua conducta se_ or-
ferece para criada de alguma casa estrangeira, ou bra-
silera, para todo o servico de portas dentro : a tratar
na Pasageni-da-Mgdlena alem da ponte, sobrado,
Vende-se um casal de gneos, vin-
dos da America, muito grandes c lindos :
em Fra-de-Portas, n. 96.
Vende-se urna cabra (bicho) com um bodinhoj
crcscido.c que d diariamente ineia earrafade leitc mui-
to grosso esem catinga: na ra de 8 Francisco, amiga-
mente Mundo-Novo, 11. IMi.
Vende-se ou aluga-se unta canoa que carrega 1200
lijlos, por preco muito commodo: na ra eslreita do
Rozario n. -I'>.
Na Ra Nova, n. 10, loja de Fly-
polito St. Martin & C,
vende-se sarja preta hespanhola verdadeira ; len-
cos de garca para pesco;o, muito lindos; sedas lavra-
das ; setins ; creps ; Atas; dores finas, e mais infe-
riores ; pennas multo finas; espartllhos ; luvas mullo
superiores pretas e de cores ; sapatos ds todas as quall-
dades para Homem, senhora e menina, e outras multas
fazendas por preco commodo.
Marmelada,
superior em qualidade, por preco commodo .' no
armazem do Di as Ferreira, no caes da Alfandega.
-- Vende-se um bonito preto, de idade de 26 annos
pouco mais ou menos, de muito boa conducta, proprlo
para todo servico.prlnclpaimente para o da agricultura,
por ter bastante pratica, e ser sem vicio nem achaques : No armazem de fannha da ra do ColleglO, n. t,
na ra estrella do Rozario, primelro andar, n. 3l. con tina-sc a vender cera de carnauba por preco
Vende-se superior sal do Ass : a bordo do patacho I commodo tanto em porcOes como a retamo e Be
/.aui fmina, tundeado na volta do Forte-do-Mattos,ou em I cnega(]d agora u ma porcilo da melhor qualidade que
casa de Lourenco Jos das Noves. lem apparecido
Vendem-se duas ganf as e um ganf o branco c bo-
nito : na ra do Hospicio na ultima casa que vira para
o Ponibal, n,2 '
__Vende-se sarja preta de muito superior qualidade;
meias ; luvas ; chapeos de sol; cassas; cainbralas; len-
cos pretospara grvala ; cbltas francesas, largas a 280
rs. o covado ; rscadinhos francezes ; casimira preta a
mais superior que ha no mercado ; alin de um com-
pleto e variado sorlimento de fazendas inglezas e fran-
cezas, por preco commodo : na ruaTiova, n. 26, de Ti-
noco st Rocha.
Vende-se o deposito de assucar e caf do Aterro-
da-Boa-Vista com todos os seus pertences e faxenda :
a tratar no mesmo, n. 70.
Manoel Joaquim Goncalves e Silva, na ra da Cruz,
n 43, tem para vender queijos londrinos, da massa mais
superior que tem vindo a este mercado e ebegados de
Inglarerra pelos ltimos sirios.
Trem de cozinha.
Vendem-se panellas, chalchas, escarolas e frrgidei-
ras de ferro forradas de louca. O asseio e duraco desto
trem de cozinha rale a pena de ser procurado na ra
Nova loja de ferragens n. 16.
Vende-se muito em conta un bom escravo, de
25 anuos, multo possante proprio para trabalhar em
algum sillo ou engenho por estar acostumado ao
servico de campo : nasCinco-Pontas, n. 38.
Na ra Nova, n. 58, vendem-se os seguinteaji-
vros : Histoire de la revolulion francaise par
Mignot, 6,000 rs.; Sermona do la abbe Poule, 2*0 rs.;
Baptisterium, 960 rs.; NoqOos oratorias extrahidas
dos melhores autores, 280 rs.; Biblia Sacra em 5 vo-
lumes, 4,800 rs.; Sermocsde la Tourdepin, 320 rs.;
Hencci fundamenta styli, .120 rs.; Lgica do Con-
dilac, 400 rs.; Insti tu (iones Theologicce a Caspaze Joa-
nin em 7 volumes, que se trocam pela obra deCuli-
niati vertida em portuguez, ou se venden) por 7,000
rs.; Insltutiones Phlosophcce a Francisco Jacquier,
6,000 rs.; Optimismo, novella de Voltaire, 640 rs.;
Novo tlethodo de Antonio Pereira, 240>rs.; Officios
dos Conegos Regulares n dos SantosNovos, 1,200 rs.;
Cornel Nepolis,'.! ,000 rs.
9 Vendem-se na ra da Cruz, 9
n 23,. brandes de cera, 2
t de urna das rnelhoreg fabri 0
g cas do Rio-de-Janeiro,
5 por preco commodo.
Vende-se um moleque do na^o, de 18 annoa
iouco mais ou menos : na ra da Cadeia do Recife ,
oja de fazendas, n. 55.
Lotera do ltio-dc-Janciro.
Aos 20:000^000 de rs.
Na ra da Cadeia-Velha loja do cambio do Sr.
Vicira vendem-se bilhctcs, meios, quartos e oita-
vos da loteria a beneficio das salinas de Cabo-Frio, e
tambem os das caldas do S.-Catharina : preco dos
bilhetes 24,000 rs. meios 12,000 rs., quartos 6000
rs. oitavos 3000 rs. A elles, antes que chegue o va-
por com a lista Mas cautelas da lotera a beneficio
da matriz do Cear saturamos 20:000,000 de rs., em
3 vigsimos e em um quarto e mais premios de al-
guma circumstancia.
Vende-se um forte piano, de pa-
tente London, dos autores Collard & Col-
lard na ra do Vigario, n. 4i no arma-
zem de llotlicck fiidoulac.
Vende-se cal virgem, em caixas e barricas: no
escriptoriode Francisco Sevcrianno Rabello & F-
Iho.
CARNAUBA.
Vende-se o superior vinlio branco
da 31adeira, engarrafado .- na ra do Vi-
gario, n..'(, armazem de Rottie ck Bidoulac.
Na ra Imperial, n. 167, vende-se
fumo em folha para charutos, de boa
qualidade, e por preco barato, em fardos
de 3 arrobas.
= Vendem-se moendas de ferro para engenhos de as-
sucar, para vapor, agoa e beatas, de diversos tamanhos,
por preco commodo; c igual mete tai zas de ferro coado
e batido, de todos os tamanhos: na praca do Corpo-San-
to, n. 11, em casa de Me. Calmont A Compauhla, ou na
I ra de Apollo, armazem, n. 0.


JL
Pannos pretos finos
e novos na Ioja ; setim maco sem mistura ; cha-
peos de sol, com hastcs de ac; chalas e mantas de
seda e de 13a eseda; casimira preta elstica ; cha-
peos finos francczos; tu Jo por menos de seu valor :
naruadoQueimado, n. II, toja nova de Raymundo
Carlos Lcite.
VELAS DE CERA DO RIO-DE-JANEIRO.
Vende-secomplotosortimentode urna a 16 e i><>-
gias de *, 5 e 6 : no armazem de Alves Vianna na
ra da Senzalla-Vclha, n. 110.
Vende-se, ou permuta-so por um sitio perto da
praca, urna escolente casa terrea com bastantes
commodos para urna grande familia, sita nesta pra-
ca : na ra Imperial, n. 9.
IVa ra do Crespo,
Ioja n. I % de Jos Joaqun,
da Silva Haya,
vende-se superior sarja preta hospanhola ; nobreza
rosa, muiio superior e muilo propria para capas
doSr. dos l'nssose outras irmandades; ricos cortes
de seda para vestido de son hora; meias de seda pre-
tas e brancas .asmis superiores que teem appare-
cido, tanto para homem como para senhora ; luvas
de seda; chales de seda muito modernos o de lin-
dos gostos; camhraia de linho, muito fina; lencos de
cambraia de linho bordados, para senhora, dos mais
linos mo ha por muito barato preco; esguio de
puro linho c muito fino; platilha de linho ; e outras
multas fazendas que serao patentes aos comprado-
res e por barato preco.
Vende-se azeite fino de gerselim, para comer e
para luz : no deposito de azeite de carrapato, na ra
da Senzalla-Velha, n. ItO.
Vovo panno de linho, a 600
rs. a vara.
As pecas s1o de 15 varas e he melhor que o pri-
/rooiro; alpaca fina preta, a 800 rs. o covado; los
pretos muito baratos chitas em cortes ; riscados
francotes; sarja hespanhola superior; e grande sor-
timento de fazendas de todas as qualidades e bara-
tsimas : na ruado Queimado n. 11, Ioja nova de
Itaymundo Carlos Leite.
AVISO
aos Srs.deengenho
Na ra do Crespo, Ioja n.12,
de Jos Joaqun) da Silva
Maya, vende ni-se
cobertores de algodfo, muito encorpados, proprios
para escravos; bem como urna fazenda de linho a
imitacode estopa, forte e propria para roupa de
escravos e saceos para assucar; tudo por preco mui-
to barato.
Vende-se mercurio em caixinhas : no escrpto-
riodeFranicscoScverianno llabello & Filho.
jYo Aterro-da-Boa-
Vista, n, 84,
vendem-se apatos de meninos, de 60 a 100 rs.;
chancras para senhora a 600 rs.; sapatos de setim
pretoc decores, a 1000 el 500 rs.; pclles de mar-
roquim, a 1000 rs.; botins e meios ditos francczos,
a 3000 rs., e de Lisboa, a 1600 e 2000 rs.; de mar-
roquim para hpmem,90D rs., de cabra a 560 rs.;
couro de lustro avariailo a 320 rs.; sapatos de
borracha, inglczes de ourello, de cordovflo e de
outras qualidades, muito baratos.
Vende-ie una cata terrea, sita na Passagem-da-
Uagdalena, aopda ponte, rectificada de novo, com
baslautcs commodos, bom quintal c em chaos pro-
piio
na ra da Cadeia do Recife, n. 26.
AVISO
As se 11 horas do bom
gosto.
Na ruado Crespo, Ioja n. 12,
de Jos Joaquim da fcilva
Haya,
ha um novo sortiment das ricas mantas de lanzi-
nha eseda para senhora ,as mais modernas quo se
usam n Europa, eporisso so tornam recommen-
daveis as senboras de bom gosto, bem como aquellas
que usam de economa, tanto pela boa qualidade e
ricos gostos, como pelo baratsimo preco de 5000 rs.
cada una; ha igualmente um rico sortimento do
cortes de vestidos da rica fazenda denominada ba-
zullina. Esta fazenda he de cores escuras, bordada
delistrasequndros os mais claros, de lindosdese-
nbos, cores lixas o bonitos tecidos, e por isso muito
proprios para o tempo de quaresma e de invern.
1 Vendc-se na ra da Cruz, n. a3,
cera em velas, de urna das melho-
res fabricas do Bio-de-Janeiro ,
sortimento vontade do compra-
jjl^ dor, em caixas pequeas, e por
UJ| preco mais harato do que em ou-
[jii Ira qualquer paite.
I
1
m
41
I
Hi
lotera do rio-de-jankiro.
Vendom-ae bilhetes e meios ditos da lotera con-
cedida ao hospital de Caldas da provincia de S.-Ca-
tharina na ra da Cadeia, Ioja de cambio n. 38 ,
de Manoel Gomes. '
-Vendem-se 2 pretas de 20 a 2* annos, sendo urna
boa lavadeira e que cose soffrivelmente e vendo na
ra, c a outra propria do servico de casa e campo:
na ra da Cadeia de S.-Antonio, n. 25.
Ufa ra Nova, n.8>
confronte a Cam-
boa-do-Caraio, Io-
ja do Amara!,
vende-e urna grande poreflo de sapatos francezes,
do marroquim c cordovflo, a 880 rs. o par. A elles,
freguezes, que he pechincha, que em outra qual-
quer parte no se enconlram por tal preco.
Parecem de seda.
Vendem-so chitas assetlnadas pretas, rrancezas ,
Eroprias para luto, a 260 rs. o covado; pecas de
amburgo fino, a 3000-rs. cada urna; los pretos.
muito em conta : na ra do.Queimado, Ioja nova.n.
11, de Raymundo Carlos Leite.
Vendem-se palitos para denlos, muito bons ,
de 100 magos para cima a TOO rs., a dinhoiro de
coudo: na ra da Cadeia da Kocife, Ioja de miu-
dezas n. 51,
Vende-se, ou troca-so urna preta coznheira ,
lavadeira e engommadeira por um moleque ou nc~
grinha que nflo tenha mais de 10 annos : em N. S. do
Terco, n. 16.
No largo do Forte-do-Mattos ,
n. 6,ou na ruadosTanoci-
rs\n. 1,
vende-se um ptimo escravo de 22 annos, crioulo
urna parda e urna cabra de 23 a 25 annos, as quaes
s3o proprias para o servico de campo por a isto cs-
tarem acostumadas, e mestno quererem ir para o
matto, ou para engenho.
I\a ra do Crespo,
Ioja n.I2, de Jos Joaquim
da fcilva Haya,
vende-se alpaca preta a 800 rs o covado; dita muito
fina, preta ede cores, por barato preco; merino
preto, muito superior; panno fino prelo'e de co-
es; casimiras elsticas, do duas larguras, para
caigas, a 6000 rs. o corto; velludo ; gorgurflo de se-
da ; setim paracollete; tudo por prego commodo ;
fustOes para colletes; e outras inuilas fazendas,
tanto para caigas como para vestidos de senhora ;
tudo pelo barato.
Ha Ioja de Francisco Jos Pe-
reir Braga,
na ra do Crespo, n. 3, ao p do arco de S.-Antonio, ha
para vender as seguintcs fazendas : casimira preta ,
muito fina ; merino prelo, do mais fino que tein appa-
recldo ; alpaca muito lustrosa; panno lino de varias
cores ; cortes de collete de setim dos inelhorcs gostos
que na no mercado ; riscados francezes para jaque-
tas ; chamalotes de diversas cures; cortes de chal de
seda; manas de sclim muito finas ; lencos de cassa
para grvala : todas estas fasendas se vendem pelo mais
barato preco que for possivel. Namesma Ioja tambera
se vendem chapeos pretos de castor pelo diminuto
preco de 7/000 rs. cada um.
Para pagens,
chapeos envernisados, de superior qualidade o ga-
loes de ouro e prata para os mesmos ; vendem-se na
ra Nova, n. 2, primeiro andar.
Vende-se urna parda moca, prendada, com duas
filhas una de 6 annos, e a outra de4 : na rna defron-
te do oltao do thratro novo, n. II.
Vende-se um formidavel pao de sapucaia, com 33
palmos de comprlmento : na ra do Crespo, Ioja n. 16.
Vende-se urna geometra, por Lacroi*: noAterro-
d-lioa-Visia n. 79.
Vende-se na ra Nova, n. 50 um alambique
c urna serpentina.
reos, por prego muito commodo; v-sena cocheira
da Boa-Vista, do Miguel, etrata-se narua Dreita,
sobrado n. 29.
Vendem-sc superiores charutos re-
gala, finos e ordinarios, chegados ultiv
inamente da Baha, por preco mais com-
modo do que em outra qualquer parte,
por haver grande porcao : na rtia do Viga-
rio, n. 45 armazm de liothc & Bidoufac.
Vende-se, por 150,^000 rs,
urna casa terrea, com a frente e
retaguarda de tijolo, e o mais de lai-
pa, sita na ra de Motocolomb,
nos Afolados, pelo mui diminu-
to prego cima dito, e tambem
prazo: trata-se na ra Direita,
sobrado 29.
Vende-so panno de algodSo grsso, proprio pa-
ra saceos; dito azul e entrangado (estopa;; pregos
americanos n. 4; fio da India para coser saceos : na
ra do Trapicho, n. 8.
Ora na vertlade j
estamos desengaados que
o autigo barateiro vende
mais barato (loque qual-
quer outro!
Vamos ao antigo barateiro que elle est queiman-
do na sua nova Ioja de miudezas da ra do Collegio,
n. 9, um sortimento do agulhas francezas, em cai-
xinhas chegadas ltimamente de Franga, pelo an-
tigo prego de 280 rs. cada caixinha; fmissimos bicos
pretos de todas as larguras; ditos de fio de retroz
preto muito finos; litas pretas assetinadas, para ca-
becSo ; ditasde velludo preto de todas as larguras;
luvas de seda preta compridas, para senhora ; di-
tas de pellica brancas c pretas, para homem o se-
nhora, a 480 rs. o par; ditas de seda do cores para
meninas, a 200 rs. o par ; leques de seda com enfei-
tes dourados, para senhora a 2400 rs.; um com-
pleto sortimento de bicos broncos francezes mui-
to finos ; brincos pretos do ultimo gosto para a Qua-
resma ; aderegos pretos de todas as qualidades; ren-
das francezas, muilo finas ; riquissimas tesouras li-
nas para costura e para unhas; pentes de tartaruga,
para marrara a 960 rs. a pareIha ; ditos de prndel-
es bel lo, com enfeites dourados, a 2000rs., isto o
barateifo applica as senhoros do bom tem; um no-
novo sortimento de caivetes inglczes, muito finos,
de I, 2, 3 e 4 folhas; chapeos de sol, de cores es-
curas, para senhora, proprios para a Quaresma, a
2880 rs. cada um ; tesouras finas com toque de fer-
rugem a 160 c 240 rs. cada urna; caivetes finos
com loqnedc ferrugom a 160 e 240 rs.; linha de
carretel, branca o de cores, a 320 rs. a duzia; aos
amantes das boas charulciras finas de charo com
retrato a 500 rs. cada urna. Cheguem antes que se
acabem.
lantc peixo, proprio para o actual tempo quares-
nial: assim como tambem 2 canoas novas, sondo
u:na de conduzir familia, eoutra deconduzirentu-
Iho: o quo tudo se vender polo mais commoJo pre-
go possivel, na ra estroita do Hozarlo, botica-n. 10.
Vendem-se tres lindos moloques de 15 a 16 an-
nos; um dito do "annos; tres cabrinhas do 10 a 12
annos, proprios para aprenderem ofilcio; um pardo
de 18 annos proprio Dar aualuuor sor vi rr.- um,
preta de 20 annos,' com habilidades; urna d dade,
por 200,000 rs : na ra do Collegio, n. 3, segundo'
andar, se dir quem os vende.
Gaz.
Loja de JoSo Chai-don ,
Atorro-da-Boa-Vsta, n.S.
Nesja loja acha-ieum rico sortimento de LAMPKOES
PARA CAZ com seus competentes vidros accendedo-
i es e aba'ladores.
Estes candiel ros *><> memores e
mais modernos Queeiistem boje: recommendam-se ao
publico, tanto pela cgurauya e bom gosto de sua boa
confeceo como pela boa qualidade da lu, economa e
asido de seu servifo.
l\'a mCSma loja os consumidore sem-
pre acharao om deposito de GAZ., de cujo se allane* a
qualidade e em porcao bastante para consumo.
Vende se o gaz a 320 rs. a
garrafa.
Vende-se urna inorada de casa terrea coin bas-
tantes commodos, leila a moderna sita na ra Impe-
rial n. 91 : na ra Direita, n. 50.
Vende-se um mulatinho de 18 annos ; um dito de
U annos ; una parda com una cria de 10 annos ; 3 ei-
cravas mocas, de 16 annos urna das quaes coziaha bem
e outra cose e borda ; 5 ditas de 22 annos ; um bonito
escravo para todo o servico na ra Direita, u. 3.
m *9m k w:v ^ ^-mte -% t^c ^ if*uT*% r09W*^ 0*Wf&*%
Vende-se muito superior sarja larga
hespanhola legitima; merino preto,
muito fino, a 3800 rs. o covado ; supe-
rior panno preto o de cores; alpaca
preta, muito fina ; chamelote de seda
pura; cortes de vestidos de-setim pre-
to lavrado, o mais rico que tem appa-
recido; setim de Macau ; superiores
los de linho preto; damasco de seda;
dito de hla ; assim como um completo
sortimento de fazendas proprias para
a Quaresma : tudo por prego mais em
conta do que em outra qualquer par-
te : na nova loja de Jos Morena Lopes
&Companhia, na ra do Queimado
casa amare"
.ALFAIATE

--- Vtndem-se cadeiraj
pinho, a polka para assento
de portas de tojas; um novo
sortimento de taboas de pinho, de costado e costa-
dmbo assoalhoe Torro para casas e tambem para
fundos de barricas; taboas americanas de todos os
compnmentos, e at de 3 palmos de largura: atrsdo
theatro, armazem de Joaquim Lopes de Almcida
caixeiro doSr. Joo Matheus.
PotassadaRussia
e nova, em Larris pequeos,
muito commodo : na ra da
verdadeira
por preco
Cruz, n. io, em casa de Kalkmann &
rtosebmund.
l'ECHINCHAS NA LOJA DO NICHO.
Na esquina do Livramento, loja do nicho ven-
dem-se pecas de chitas limpas, de boa qualidade e de
muito bons pannos, a 4800 rs., e a 140 rs. o covado.
Vende-se um carro de duas rodas com seus ar-
Nesta loja acha-se um completo sortimento de casa-
cas de panno sobre-casaca de dito merino e alpaca,
palito* de laa do ultimo gosto ; robes de chambre etc. ;
tambem se fazem casacas e tobre-casacas de alpaca ver-
dadeira eque se afianea nao desmerecer; sarja hespa-
nhola muito superior; pannos finos pretos e de cores.
l\a ra do Crespo ,
lojan. 9, de Do-
mingos Guma-
raes,
vendem-se los pretos de linho, muito superiores;
sarja verdaderamente hespanhola ; cortes de seda
preta lavrada; ditos de cores, muilo modernos e
baratos ; luvas para homem e senhora tanto de
pellica como de seda prela ; meias de seda preta ;
chapeos de massa, francezes, pura homem do ulti-
mo gosto; pannosecasimiras pretas, muito supe-
riores; colletesde muito ricos gostos, dogorguro
e setim bordados; ditos de setim preto, bordado a
velludo; cassase chitas francezas om cortes, de ri-
cos padrOes e o mais superiores que teem vindo a
Pernambuco ; assim como um completo sortimento
de fazendas finas de linho, lila eseda, de quanto se
procura e que se vende muito commodamente.
Vende-se um sobrado novo de un andar e
grande sotflo om chaos proprios, o qual rende por
mez 34,000 mil reis; e agora mesmo que os mate-
mes e mao d'obra estao baratos, se offerece a venda,
por traspasso, 200 palmos de terreno firme, todo por
junto, ou arelalho, do alinhamento de urna rua.
segundo o novo plano, junto a igreja doS. Ama-
ro, comosundos de200ou mais palmos conforme
agradar ao comprador, proprio para nelle se edifi-
car meia duzia de boas casas, as quacs sem duvida
se alugarSopor bons pregos pelo tempo do Testas,
e mesmo annualmente, em rasflo do ptimo fresco
que illi gozam os habitantes da nova cidade: vende-
se no mesmo lugar urna caaa (errea collocada no ali-
nhamento da ra da Aurora, em um terreno de 140
palmos de largura e 1400 de fundo, at junto a
igreja, com algumas plantas, como sejam parreras,
larangeiras, coqueiros &c., contendo em si um
grande viveiro com 660 palmos de comprdo e 100 de
largura, com a sua competente porta d'agoa, e bs-
| Chegou um novo sortimento de fazendas prc-
! tas, proprias para a Quaresma, as quaes se ven-
dem por b.iratiisimo preco so aflu de .se aca-
bar com ellas na presente Quaresma a saber :
bicos de seda de todas as larguras, a 100 320 ', i
480 010, 1^000 e /200 rs. e incito largo a
3/200 rs. ; alpaca, a 900 rs. c multo fina a '
1/100 rs. ; sarja verdaderamente hespanhola I
a 2^400 rs. ; pannos finos, de4/500 rs. at 9/
rs. ; prineczadamais superior a 900 rs ; lu- I
vas de seda a 400 rs. ; meias para meninas., j
a 200 rs. ; e outras multas fazendas por barat-
simo piejo. '
Na ra do Crespo, loja n. 8, de
Campos & Maya,
vendem-se ricos cortes de cambraia e barege de muito
delicados gostos a 10/000 rs. ; ditos de cambraia a 4/
r.: ditos de cassa-chita, 3/>00 r. ; superior sarja lar-
ga hespanhola a 2/200 e 2/800 rs. o covado ; casimira
preta elastiea .alpaca prela fina, a800e 1/OO rs. o cu-
vado; leufos de setim de cores para grvala ; e oulras
multas fazendas por menos preco do que em outra qual-
quer parte.
Escravos Fgidos
= Fuglo, na noiie de 26 do prximo passado, o preto
Manoel, de nacao Angola, car fula estatura regular ,
secco do corpo; tem um slgnal visivel que he ser que-
brado.e por isso trassempre funda; inclina para trj as
pernasquando esta era j> tem no corpo signaos de
ter apanhado algumas vergalhada na oecasio em que
se evadi quein opegarleveascusenhor na ruaNo-
tra n. dd, que gratificar.
-- Previne-sequeaprotaannunciada neste Dia-
rio de 19,20,22 0 23 do passado fgida ha mais do
um mez, de nome Thereza, de 30 annos, pouco mais
ou menos do nacSo Angola alta, bem preta, den-
les abertos, rosto redondo e alegre bem fallanle ,
levou vestido de chita azul com barra cnvii'.zida ,
saiadelila preta e panno da Costa ; andando com
duas caixas do folha de (landres urna grande e ou-
tra mais pequea vendendo miudezas ; quandosa-
bio do casa loi para vender no matto, dirigindo-se
para osengenhos Cachito, penanduba Mandioca,
Bullajes,Suassuna Palma, Uuribeca e S-Anio ;
para maior signal tem pelas costas urnas costuras
levantadas; ha agora noticias que a dita preta ro pe-
gada no eugenbo Cachito, sendo entregue desde sab-
bado 20 do corrente a urna prela escrava do mes-
mo abaixo declarado de nome Luiza qoe em com-
panhia de um preto forro, do nomo JoSo e j idoso,
anduvam a procura'della, e acontece nflo terem aimla
n(parecido em casa e ncm haver noticias dellcs ; mas
o ha desconianca que a dita preta Thereza lenha
lio novamente das nios dos portadores no per-
noilar em alguma parte, e talvez ande agora sem os
caixOes de fazenda, faz-se a presente advertencia as
autoridades policiacs, capilfics de campo e a outra
qualquer pessoa, para n3o screm illudidos.o roga-se-
Ihcs queiram diligenciar outra vez a apprehensflo da
dita escrava,e a sua entrega a seu senhor,Jos Sapori-
ti, na ruada Cruz,n. 18, segundo andar, que re-
componale com generosidade.
Fugio, no dia 28 de Janeiro do corrente anno ,
o preto Jos, de naco Cacange, com uga pega no pe
djreito; levou camisa e ceroulas deaJJJ(pdo ; de al-
tura regular, uo he moco; tem falta de um denlo
na frente, e he pertencente aos .menores filhos
do fallecido Benlo Antonio Domingues : quem o pe-
gar love ao Poco-da-PaneIJa em casa do tutor dos
menores Jos Ignacio Peroira da Itocha, que re-
compensar.
Dcj|ipparrceu, no dia 20 do prximo passa*> > *
noite um inolrque de nome Alexandre de l! so-
lios ; levou camisa c calcas de ritcado azul e branco e
jaque la preta : quoin o pegar leve ao Corredor-do-Us-
po, n. 2, ou na ra do Trapiche n 16, que ser grati-
ficado.
PERJ. VA T1V. DEM. F. PE FARIA. l^J
MELHOR EXEMPLAR ENCONTRADO!


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E2W83L42A_DCXYZ6 INGEST_TIME 2013-04-30T20:17:27Z PACKAGE AA00011611_09855
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES