Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:09816


This item is only available as the following downloads:


Full Text
lili XXITJi IOIIIO 240

ai i-i ;>,;?iia
OlITA fEHA 1? || ODTIM II Mr
PraiMadiaiUd19$000
mi fraiet pin bwripUr.
nCAttBQADOS DA SOBSCRIPCAO DO NOS' I
a rAMTMJA* 1MJS COKKKlO.
Olinda todoe o* diaa f|t/S horas do dia.
IgMrats.Goianna a Paralaba naa segundas a
sextas-feiras.
IPHEMKRIDE8 DO MEZ DB OUTUBRO.
4 L a nova aa 4 hora 37 mina toa da man-
Parahiba, o Sr. Antonio Alexandrino da Lima;
Nat,L o 5r. Antonio Marque, da Sur.; Ara" -\eSSZffi; ***'#*&? "^I "7 *" **" *
ty, Sr. A, de Lemoa Braga; Ceari o Sr. J. Joli Pao d'Alho, Nazarelh, Limoeiro.Brejo, Pea-|lf L >! a 4 hora* a 35 niatos da tarde
de Oliretra; Maranaio, o Sr. Manoel Josa MaJ- queir,*Ing,lzeIrFlore,.Vill-Bella,Boa-TiaU.re vuarto mingaantaaa7 horai e 35 minutos da*
.-__ .-.__._ i iAui.au .u..\ -.-------.^.-s >r tarde.
tos Ribeiro Guimarea; Par, o Sr. Justino
Ramos; Amazonas, o Sr. Jernimo daCosta.

|Ouricury eFx as quarta.fairas.
Cabo.Serlohiem.Rio Fermeso.Une.Barreires,
Afija Prela.Pimenteiras e Natal qaintai feiraa Primeir aa 3 horas e 18 niatos da'm.nhl.
iTodo.o.correioep.rlc., 10 hora, dan.nbialseg.ndo as i hora, e M minuto, da tarta
PREAMAR DBHOJB.
IASDASKMAWA.
14 Segunda. S. Calisto p. m.; s. Fortunstob.
15 Terga. S.TberM* de Jess t.c. fundadora.
16 Coarta. S. Mertioiano m.; S. Gallo ab.
17 Quinta. S. Eduvige. riura duqeeza.
18 Sexta. S. Lucas Evangelista; S. Trionia m.
19 Sabbado. S. Pedro de Alcntara f.
SO Domingo. S. Joo Canto drogado.
PARTE OFFICIAL.
Ministerio do Imperio.
Decreto n. 1141 de 11 de setembro de 1861.
raz extensivos os effeiloi civi. dos cssameotos
celebrados ns forma das leis do Imperio aos
Peasoas que professarem religio difteren-
Is da do eatado.e determina que aeja reguladoe
registro e prazos destes casamentas e dos nas-
ci melos e bitos das ditas pessoas, bem como
as condigoes necessarias para que os pastores
produzam effeitos cirls.
Hel por bem sanecionar e mandar que se exe-
cute a resolugo seguate da assembla geni:
Ar, '" O. effeitos ciris dos csamenos cele-
brados oa forma das leis do imperio sero extea-
iros :
f. Aos cassraentos de pessoas que professa-
rem religio diferente da do estado, elebrados
tora do imperio segundo ojito ou as leis a que
os contratantes es tejara sujeilos.
1/ Dos casameolos de pessoas que professa-
rem religio dilTerentededo estado.cetebrados no
imperio antes da peblvcagio da presente lei se-
gundo os costumea ou as preseripges das reli-
gin respectivas, probadas por cerlides, oas
quies verliue-se a celebragio do acto reli-
gioso.
3' AP'[.casamentos do pessoas que professa-
rem religio difierente da do estado, que da dala
presente le em diaote forem celebrados no
da
imperio segundo oa costumea ou aa prescripcoes
das rehgioes respectivas, com tanto que a cele-
de PP'a em efflcio de 22 de agosto ultimo, sob
o. 817, a quaotia de 478*800, dispendida nos me-
ras de junho e julho deste aono com o sustento
dos presos pebres da eadeia de Garahuns, risto
nao harer ioconTeniente nesse pagamento, segun-
do consta da citada laformagio.Cemmunicou-se
oehefe de polica.
Dito ao capitio do porto.-Recib o offlcio de 9
do correte, em qoe V. S. declara nao poder mi-
nistrar conrenientemente os esclarecimentos exi-
gidos por esta presidencia, de cooformidade com
isa rleos imperiaes, por oo ter aua disposigo
eogeoheiro a quem encarregue do servigo de
plantas, orcamenlos e soodagens dos ros desta
prorincia, qoe demandan obras d'arte pira se
toroarem navegareis, e tenho a dizer-lhe em res-
posta qoecumpre fazer-se o que for possirel para
bservaga"o de semelhaotes esclarecimentos.
Dito ao mesmo.Sirra-se V. S. de mandar ins-
>ecoionar oovameole o recruta de marinha An-
onio Bernardo Vieira, aobre que rersa a sus in-
ormigo de II do corrente, trazando V. S. ao
neu conhecimento o resultado daiospeceo.
Dito ao inspector do arsenal de marinha.Para
ae eu possa resolver acerca do requerimento do
eitor das obras do melhorameolo do porto, Sil-
estre de Jess dos Sanios Csrio, sobre que ver-
a a sua ioformago datada de 2 do corrente,
az-se necessario que Vmc. declare porque acto
e acha marcado o jornal que o supplicante per-
ebe actualmente.
f Dito ao commaodanle do corpo de polica.
Ple V. S. mandar recolher a esta capital, am
de serem apresentadas ao Dr. chefe de polica,
risto que pertencem a seceso urbana, a pracas
IAUOllNtilAS lUS lH16Lb.Aks da capiaC
tribunal do eomnercio; eegandaa qajinUs.
Relaco: tercas, quintaa a aabbados as 10 horas.
Fazenda: teras, qaintase sabbados aa 10 horas!
Juizo do eommercio: quartas ao molo dia:
Dito de orphoa: terqaa e sextas aa 10 horas
Primeira rara do airal: urcaa aaxtas.o meio
Anjos.Informe o Sr. |Dr.
Joao Miguel dos
ebefe de policia.
Bacharel Luiz Carlos Magalhies Breves Pos-
se portara eoocedendo dous mezes de licenca
com ordenado. *
ENGARBERADOS DAtCBlPCAO BO St
Alagoaa, o Sr. Claadiae ffaaatw sasA.. m,ht
8r. Joa Martin. Air.., n^ ~
oio Poraira Martina.
Bal PEBNAMBDCO.
Oa propriatarios do DIARIO Manoel Figairoa
de Paria A Filho, na ana linaria praca da Ia4a-
pendeocia na. 6 a 8.
bragao do acto religioso 'seja provado pelo com- Ia* eii8tem destacadas na cidade de Olinda."
ptente registro e oa forma que fdr determinada Com.rauni
em regalamento.
4. Tanto os .casamento de que trata o 3 i
como os do precedente nao poderlo gorar do be-
neBcio desti lei, se entre os cootrahentes se der
impedimento que na conormidade das leis era
vigor no imperio, n'aquillo que lhes possa ser
appiicavel, obste ao matrimonio catholico.
Art. 2. O goveroo regular o registro e prazos
estes casaraeotos. e oem assim o registro dos
nascimentos e bitos das pessoas que nao pro-
fessarem a religio catholica, e as coodicoes ne-
cessarias para que os pastores de religies tole-
radas possam praticar actos que produzam effei-
tos civis.
Art. 3. Ficam revogadas as disposices em
contrario.
Jos Ildefonso de Souzi Ramos, senador do
imperio do meu conselho, ministro e secretario
de estado dos negoeos do imperio, assim o te-
utia entendido e faja execular.
ilini5i0j i0- d.e Jsoeir. e[n le setembro
ae IBOl, 40 da independencia e do imperio.
Lora a rubrica de S M. o imperador.Jos
IUefonso de Souza Ramos.-Francisco de Paula
oe Negreiros Sayo Lobato.
Transilou oa chancellara Jo imperio, em 16
de setembro de 1861.Josino do Nascimeoto
oUV&,
Publicado oa secretarla de estado dos negocios
do imperio em 28 de aeterebro de 186l.-Jos
Bonifacio Nascentes de Azarabuja
Ministerio da marinha.
AVISO DE 2 DE OLTBRO.
Fiza oprazo dentro do qual devem os divertot
empregados do minislerto da marinha entrar
no gozo das luengas que por qualquer pretex-
to tenham obtido, sob pena de serem estas con-
sideradas nullas e sem efeilo.
2a cao.Rio de Janeiro. Ministerio dos ne-
gocios da marinha, em 2 de outubro de 1861.
Nao convindo deixar ao arbitrio dos empregados
ai escolha da occasio para entrarem oo gozo das
liceDcas que obtirerem, oo s porque podem ter,
cessado os motivos que determinaran! a conces-
so, como porque circumstaocias supervenientes
tenham-as tornado prejudlciaes aos ioleressesdo
publico servigo, ordena Sua Msgestade o Impera-
dor que sejam consideradas nullas e sem effeito
as licengas concedidas aos officiaea do corpo da
armada, claases annexas e oais individuossujei-t
tos ao ministerio da marinha, que deixarem de
ser apresentadas dentro do prazo de 4 mezes cas
provincias de Malo Grosso e Amazonas.de 2 as
outras e de 30 dias nesla corte__Deus guarda a
" S.Joaquim Jos Ignacio.Sr. contador da
marinha.
60VERN0 DA PROVINCIA.
Expediente do dia 14 de outubro
de 1861.
Offlcio ao Exm. presideote do Rio Grande do
Norte.Constando de ioformago do coronel com*
mandante das armas que nao pertence aos corpos
em guaroico nesta provincia o pardo Jos Fran-
cisco de Mirand, que V. Exc. para aqui enriou
como desertor, e sendo entretanto reclamado por
Antonio Ferreira do Nascimeoto, como escravo,
e com o oome de Flix, tomei a deliberago de
mandar pd-lo disposigo do chefo de policia,
am de ser entregue ao mesmo Nascimeoto, logo
que este prove o sen dominio: o que julgo con-
veniente communicar i V. Exc. em resposta ao
sen offlcio de 2 de agosto ultimo.Expedirn)-e
as convenientes ordeos.
Dito o commandante das armas. Derolro i
V. S. o pedido, a que alinde o seu ofliclo n. 1,406
de 28 de agosto ultimo, am de que se sirva de
ordenar ao delegado do drurgio-mr que o
restrinja, tendo em vista as ioformac&ea da the-
sourana de fazeoda constantes daa copias in-
clusas. .
Dito eo mesmo.A' rtsta do que V. S. ponde-
rou em sea offlcio n. 1,622 de 4 do eorreole, con-
vm que por intermedio do commandante das
armas da Baha seja ouvido o brigadeiro com-
mindaole do 8 batalhao de infamara acerca do
consumo de gaz no quartel, em que esteve aquelle
batalhao nesta provincia nos mezes de julho e
agosto ltimos, trazendo V. S. ao meu conheci-
mento as ioformagdss que obtirer a semelhante
retpeito.
Dito ao mesmo.Respondo o offlcio que V. S.
me dirigi, sob n. 1,621 e data de 4 do correte,
declarando-lhe que fica approrado o contrato de
que me renalteu copia celebrado pelo director\
interino do hospital militar com Aguiar Ramos &
C, para mandarem faier a lavagem de roupa da-
qaells esubeleeimeoto. Remttteu-se copia do
contrato thesouraria de fazenda.
Dito ao inspector da thesouraria de fazenda. -
Poda V. S.. conforme iuiea en sua iofornaclo
de 12 do correle, sob n. 963, mandar pagar a
Joao Carlos Augusto da Silva, Jos Rodrigues da
Silva Roca, Joo Jos da Silva, Antonio Jos
Moreira Ponas, Jos Antonio deCarvalho, Anto-
nio dos Santos Oliveira & C, Jos Hygino de Mi-
randa, Antooio de Almeida Comea e Joo do
Coato Alve. di Silva, a quaalia a que cada um
tirar diraito, proveniente de objectos qoe vende-
rn ao cooselho administrativo de arsenal de
guerra con destiao ao piesidio de Fernando, como
ae v da inclusas cootas em duplcate, que rao
cobertas com o offlcio do praaidenle do mesmo
conselho de 2 do carrate. Communicou-se ao
presidente do conaelbo administrativo.
Dito ae inspector t thesouraria provincial.
Reverto i y. s, M coata, que rieran Snnexas
sus taformacae da 11 do corrente, seb o. 491,
aam de que mande pagar ao negociante Joaquim
Aotunea da S, conforma reqesiteu o chafe
nicou-se ao chefe de polica.
Dito ao director do arsenal de guerra. Infor-
me Vmc. se *ao necessarios a esse arsenal alguns
dos objectos do eorpo de policia mencionados na
relacao qae acompanharam n seu offlcio n. 279
de 28 de setembro ultimo, e quando o nao sejam,
convm que Vmc. os faga conservar em deposito
at ulterior deliberago.
Dito ao director geral da instruego publica.
Informe Vmc. com o que lhe occorrer acerca dos
inclusos trabalhos, a que se refere o seu offieio do
Io de agosto ultimo, sob n. 235, tendo em vista
as consideragoes apresentadas pelo inspector da
thesouraria provincial nos offieios em originaes,
que me sero devolvidos.
Dito ao director das obras publicas. Respen-
dendo o offieio que Vmc. me dirigi ero 3 do cor-
rente, sob n. 236, tenho a dizer que a importan-
cia dos coocortos feitos por essa repartigo as
casas pertencentea ao patrimonio dos orphos
deve ser paga pela renda do mesmo patrimonio,
segundo declara o inspector da thesouraria pro-
Tlni,ol em ,u' nformago de 11 deste mez
n. 493.
Dito so iuiz municipal supplente do termo de
Garahuns. Observo i Vmc. para a corrego
neceasaria no edital de que rae remetleu copia em
17 de setembro Ultimo, que nm dos dous offieios
de partidor creados pela lei provincial n. 504 de
29 de maio ultimo, deve accumular funecoes de
contador e o outro as de distribuidor, e nao par-
tidor como se diz no edital cima citado : bem
como que no exame de suficiencia se deve ob-
servar a doutrina do ariso o. 252 de 30 de dezam-
bro de 1854, e ns informago e remessa dos re-
querimentos dos habilitados, deve esse juizo
cuinprir o disposto oo art. 12 do decreto n. 817
de 30 de agosto de 1851.
Dito ao Dr. Gervasio Rodrigues Campello.
Tendo de dar execugo ao art. 8 do contrato ce-
lebrado pela presideocia com Carlos Luiz Cm-
brooe, emprezario da ltmpeza desta cidade, no-
meio Vmc. para, de aceordo com os Srs. W.
Martineaux e Haooel Buarque de Macedo, emit-
tirem seu parecer acerca dos pregos indicados
pelo mesmo emprezario oo offlcio incluso por co-
pia para os apparelhos, que pretende eropregar
naquelle servigo.
Espero que Vmc. se prestar so bom desempe-
oro dessa commissio.Igual aos Srs. W. Marti-
neaux e Manoel Buarque de Macedo.
Dito ao conselho administrativo.Autoriso o
conselho administrativo ajeomprar com urgencia
urna balanga romana com os competentes pezos
para substituir a que existe no hospital militar.
Dilo ao conselho de compras|navaes.Apprpvo
os contractos que celebrou o cooselho de compras
navaes com os individuos indicados do termo,
que por copia acompanhou o seu offlcio de 5 do
correte, nao s para foroecimento do tardamen-
te necessario s pragas dos corpos de fusileiros
navaes. imperiaes marinheiros, e das de apren-
daos, bem como para exacuglo da lavagem -de
roupa do arsenal de marinha, tudo durante o
trimestre corrente e que declaro ao mesmo
conselho para seu|conhecimeDto.Communicou-
se a thesouraria de fazenda.
Dito ao mesmo.Ficam approvados os con-
tractos que o conselho de compras navaes, como
participou -me em sen efflcio de 7 do corrente,
celebrou com diversas pessoas para foroecimen-
to dos objectos necessarios do almoxrifado do ar-
aenal de marinha.Communicou-se a thesoura-
ria de fazenda.
Portara.O presideote da provincia, conforma q-
do-se com aproposta do chefe de policia, n. 929 de
17 do corrente, revolve cooceder.a Ivo Rodrigues
Lios de Albuquerque a exonerago, que pedio,
do cargo dejsubdelegado de policia da fregueria do
Buique, e oomea para o mesmo cargo a Antonio
de Hollaoda Cavaleaate. Communicon-se ao
chefe policia.
Dita.O presidente da provincia, ttendendo
ao que ioformoo o juit municipal supplente do
termo de Cimbes em data de 2-do correte sobre
o quereqaereu Francisco Manoel Acetle e Sil-
va, resolre nomear a este de cooformidade com
o 6 do art.- 5o da carta de lei de 3 outobro de
183* e aviso de t4 de maio de 1860 para exercer
provisoriamente oa offieios de partidor e deitri-
buidor do termo de Cimbres creados pela lei pro-
vincial, 504, de 29 maio dests anoo, em quanto
nao forem definitivamente prvidos na forma
do decreto, n. 817, de 30 de agosto de 1851.
Communtcou-ae ao juiz municipal de Cimbrea.
pre-
impe-
da Silra.Informe o Sr.
Despachos do din 14 de outubro
de 1861.
/eouerimenfo.
Ado Malhias.Tendo aido aubmetlido a
tencio do supplente a deciso do goveroo
rial.Comprer aguarda-la.
Antonio Gongalvea Cruz.Informe o Sr. capi-
tio do porto.
Aolonio Feliz. Gomes
Dr. chefe de policia.
Candido Emigdiu Pereira Lobo.Informe o
Sr. inspector da thesouraria provincial.
Candida Emigdio Pereira Lobo.Informe o Sr
director das obras publicas.
Francisco Haooel Acetla a Silva.Pasee por-
tara nomeando o supplicante para oa lugares de
partidores e destrbuifor do termo de Cimbrea
Preoeiaca Pinto dflNascnento.Informe o Sr'
Dr. chefe de polica.
Geoeroia liara do Naedmento.-Informe o Sr.
Dr. chefe de policia.
Goronal Jos Severo Graoja.-Dirlia-ee ao Sr.
Dr. ebefe da polica.
Joto Aire. Goma.Cono requer pagando os
dlroitos nacionae.. r 8
.,B^?_9!7*I,.!,? Nascimeoto.Informe o Sr.
Dr. chefe da polica.
INTERIOR.
IO DE JANEIRO.
CAARA DOS SS. DEPUTADOS.
SESSAO EM 24 DE AGOSTO QE 1861
resid*iiea do Sr. viseonde de Camaragibt
A'* ?/* horaa fez-ae a chamada, e o Sr.
presidente declarou abarla a sesaao.
Llda spprovada a acta, o Sr. Io secretario deu
coota do seguinte
EXPEDIENTE.
Dous officlps do ministerio do imperio, datados
de U do corrente. enviando as aulheoticee daa
eleigoea que se procedeu em julho ultimo, oa
parotbta Je Chaplo, perteoceole ao Io districto
da provincia de Mioas-Geraes ; e em dezembro
do aono passado, oai paroenias Dezembarqne e
Sacramento, pertencentes ao 4 districto da
mesmt provincia.A' commisso de poderes.
Outro do raiiiterio da guerra, dando as iofer-
magoes solicitadas por esta cmara, sobre a
compra de pegas de attilheria.A* quem fez a
requisigio.
Leu-se e foi remeltido i commisso de jastiga
civil, requerimeoto de seu autor, o seguinte
projecto do Sr. Pereira da Suva :
A assembla geral resolre :
Art. 1. Os ebefes de policis serio escolbidos
de entre osdoutores e hachareis em direito, re-
rogada assim a limiUgo da Ia parle do art. 2"
da lei de 3 de dezembro de 1841. Percebero os
veocimenio8 que actualmente recebem.
Art. 2." Ficam abolidos os cargos de juizes
muoicipaes nos termos em que residirem os
jones de direito ;para estes magistrados passam
todas as attribuigoes daquellea juizes, marcadas
oo tit. 2* da lei de 3 de dezembro de 1841, o as
cnminaes e policiaes do cap. 2o tit. Io para os
delegados de policia. Nos termos em que oo
residirem os juizes de direito, continuarlo os
juizes municipaes com todas as suss allribuicoes
actuaos, i ezcepgo da de julgamento Anal das
causas civis e provedoria, que pertencer aos
juizes de direito.
Art. -3. O numero dos nembros do supremo
tribunal de juetica ser reduiido a 11: da relacio
da capital do imperio a 16 desembargados e das
demais relagoes a 10 e creadas mais tres relagdes
urna em Ouro-Preto, outra no Rio-Grande do
Sul e a terceira no Cear, cada urna com 9 de-
lembargadores, passando-se para ellas o numero
excedente de membros das setuaes relajoes, e
marcando-lhes o goveroo as provincias que ficam
sob aua aly.da.
Art. 4." Para oa julgamentoa as relagdes
ser estabelecido o seguinte sysloma: appella-
goes civis, aggravos e proragsgoes de inventario
por tres dezembargadores; Aoftaos-corpus e ap-
pellagoes crimioaes por seis ; recursos de pro-
nuncias por um, nao ficando impedido para o
julgamento o juiz da pronuncia.
Art. 5." O ordenado dos membros do supre-
mo tribunal de justiga fizado na quaotia de
4:800 e a graticago em 4:000. O dos dezem-
bargadores em 4:000$ e a gralicago em 3.000S:
o dos juizes de direito em 2:400 e a gratifica-
a em 1:600; o dos juizes muoicipaes em
1:000 e a gratincago em 600; o Jos promo-
JgJM pblicos em 800 e a graliQcago em
bOO. As gralificagoes sao s e nicamente
concedidas por exercio effectixo.
< Art. 6. Os promotores pblicos sero tambero
curadores geraes dos orphos e pessoas ausentes,
o promotores dos residuos e capellas ; as gran-
des capitaes bavero promotores pblicos espe-
ciaos do civel.
Art. 7. Fica autorisado o goveroo a expedir
os regulameotos precisos para a bda execugo da
presente lei.
a Art. 8.* Ficam revogadas as disposices em
contrario.
Pago da cmara dos deputados, em 10 de
agosto de 1861J. M. Pereira da Silra.
ORDEM DO DIA
. i* Parte.
Continuando a diacuaio do parecer, e roto em
separado da commisso de poderes, sobre a
eleigo do 2* districto da provincia de Pernam-
buco, requereu o Sr. Ferreira da Veiga o encerra-
meoto da discusso, que foi approrado.
Posto, portaoto, a rotos o parecer, foi ello
approrado em todas as suas concluses. ficaodo
prejudicado o roto em separado.
Entrou depois em discussSo, e foi approvado,
o parecer da meama commisso eobre a eleicao
de eleitoree da paroebia de Mossa Senbora da
Conceico da Bemposla, perteoceote ao 3o dis-
tricto da provincia do Rio de Janeiro.
2. parte.
Entrou em 2" discusso o orgameoto da despe-
za do ministerio da guerra, o qual do leor
seguinte:
Art. 6. O
rM^l'X6>^ continuar em vigor no exer-
S.-'p.iS.'rlf" "ameDl ?geQ,e' e '*
Orn o Sr. Ottoni.
Continuou a 2 discaSso do orgameoto da dea-
hora B"n,,lerto erra, e ficou adiada pela
Orn oSr. Saldanha Mariobo.
p Sr. presideote d a ordem dia.
Lersotoo-se Bsessos 4 horas da tarde.
SESSAO EM 27 DE AGOSTO DE 1861.
Presidencia do Sr. Viseonde de Camaragibe.
As 11 horase 3/4fez-se a chamada, e o Sr.
presidente declarou aborta a sesso.
Lida e approvada a acta, o Sr. Io aecretario deu
coola de seguinte
EXPEDIENTE.
Treaolflcios do ministerio do imperio, data-
dos de hontera enriando :
Cora o Io a anthenllca das actas da eleigo da
parochiade Cupioa, da provincia do Espirito-
ssoto que se procedeu em junho ultimo por
ier sido annullada a que se fuera em dezembro
do anno passado ; con, a 2 copia do offlcio do
presidente da provincia de oyaz, dando aa in-
lormagoes solicitadas por esta cmara, aobre a
eieigio de deputados p.or aquella provincia ; a
com o d um offlcio da presidencia de Pernam-
ouco, acompanhando urna representacao de di-
versos moradorea da cidade do RecKe, em que
pedem providencias sobre a renda de plvora
naquella cidade. Vio os dois primeios com-
misso de poderes e o ultimo de cmaras mu-
oicipaes.
Foi a imprimir, para entrar na ordem dos tra-
balhos, um parecer da commisso de poderes,
concebido da seguinte maoeira :
Que se approve a eleigo primaria da fre-
guezia de SrfDl'Aona da Barra do Rio das Velhas,
pertencente ao 7o districto eleitoral da provincia
de Minas-Geraes.
Pago da cmara dos depulados, em 26 de
agosto de 1861. R. F. Araujo Lima.L. A. L.
de Oliveira Bello.
Julgou -se.objeelo de deliderago, e foi a im-
orimir para entrjr na ordem dos trabalhos, o
seguinte projecto, conlido em nm parecer da
commisso de estatistica :
a A assembla geral resolve :
Art. uolco. Fica perlencendo iolegralmenle
a provincia da Parahyba do Norte a povoego de
Pedrasde Fogo, sita dos seus limites com a de
Pernambuco, devendo o goveroo nesta coofor-
midade mandar ftxa-las naquelle pooto com cla-
reza, revogadas .as dlsposiges em contrario.__
Diogo VelhoGasparloo.A- Fleury. i
ORDEM DO DIA.
Continuando a 3a discusso do projecto n. 68
deste snoo, que manda continuar em vigor no
exercicio de 1862 a 1863 o orgamento vigente.
\;io a mesa a seguate emenda, que nao foi
djji'tida pelo Sr. presidente por conter argu-
mento de despeza, mas a requerimeoto de seu
autor mandou-se consignar na acta.
t Artigo. O ordenado dos membros do supre-
mo tribunal de justiga tizado na quaotia de
4:800. e a graiiflcago em 4:000, o dos desem-
bargadores em 4:000 e a graiifkego em 3:600:
o dos juizes de direito em 2:400 e a gralicago
em 1:600; o dos luizes muoicipaes em 1:000a,
e a gratifleago em 600000; o dos promo-
tores pblicos em 800. e a gratideago em 600.
As gratificages sao s nicamente concedidas
por exercicio effectivo. A disposigo deste arti-
go principiar a ser executada desde j Vi-
S?li* C,mara- Dloo v"lbo. Caraeiro da Cunha,
SMlrino, Epamiaoodaa. Fiel deCarralho. Leandro
F^rli"' Fe vlra Fmoco' Caaparina. Silva Nunea.
Ferreira da Veiga. Lima Durrte, Ribeiro da Luz.
Martin Francisco, Leasa, Amaro da Silveira.San-
la Lruz e Lo uto.
A requerimeoto do Sr. Theophilo Ottoni reo-
oe "rtenow Par" cooUouar a discusso do
oto durante toda a sesaao de hoje. de pre-
fereocia s outras materias dadas.
Veto i mesa e foi lido
ment :
o seguinte reqaeri-
Requeramos qoe separe-se a seguiute emen-
oa ja approvada na aegunda discusso do orca-
roento do ministerio da agricultura, etc..
entrar em terceira discusso
pecial.
para
como resolugo es-
PERHIMBCO.
Fica o goveroo autorisado desde ji psra adi-
antar compaohia Brasileira de Paquetea 4 Va-
por aeis mezes de subvengo, com a clausula de
oesconla-la as prestarles mensaea, e quando
tratar da novagao do contrato da mesma compa-
oma, no sentido de diminuir o numero das ria-
gens e a deapeza relativa.Cunha Paranagu.
Fioto Lima.J. de Alencar.
O Sr. presidente consultou & casa sobre a se-
guinte questo de ordem : Se antea de terminad
a discusso de un projecto pode ser del le desta-
cada, para formar projecto parle, alguma emen
da j approvada.
Decidio-se negativamente ; nao aendo portanto
admiltido o dito requerimento.
ORDEM DO DIA.
Continuando a segunda discusso doorganrento
da despeza de ninisterio da guerra, foi a dita
aiscussao encerrada, a requerimento do Sr. Sao.
Ia Cruz,
Posto a rotos o respectivo srtigo de propos-
M, loi elle approvado em todos os seus peragra-
phos. r
Eutrou em discusso o artigo 7o relativo i des-
peza do ministerio da fazenda, o qual do theor
seguinte : n
a Art. 7 O mioistro e secretario de Estado
dos negocios da fazenda autorisado para dis-
pener com os objectos designados dos seguintes
14,990:405222
paragraphos a quaotia de.
A saber :
1. Juros, amortizagao e mais
despezas da divida exter-
na, etc....................
2. Ditos da divida ioterna
fundada...................
3. Ditos da divida inscripta.
etc....................;..;
4. Caixa da amortizagao, filial
da Bahia, ele..............
5. Pensionistas e aposentados
6. Empregados de reparliges
extiocias...................
7. Thesouro naciooal e Ihe-
sourarlas da fazeoda....;.,
8. Juizo dos feitos da fazenda.
9. Estages de arrecadago...
10. Casa da moeda.............
11. Admioislragao de estampa-
ra e impresso do ihesou-
ro nacional.................
12. Typographia nacional......
13. Administrarlo de proprios
nacionaea ede terrenos dia-
mantinos...................
14. Ajuda da cunto e gratilica-
ges por servigos tempora-
rios e extrsordinarios......
15. Curadora de africanos li-
vres..
a
riato.
da^S^loi^p^rX enCe"amenl i ^^^^;
ere- 17. Premios, descontos debi-
Ihetes da alfaodega, com-
misses. etc................
Posta a rotos o projecto, foi adoptado
mettido commisso de redago.
Orou o Sr. Pereira da Silra.
r^inu,.^ 4irM d or5araaent<"> les- 18. Juros do empres'lim do cl
za do ministerio da guerra, aue ficou adiada fr h. -it" aoco
3,504:302222
4,041:708SO00
6:000000
40000SOOO
l,084:92100O
| 16:698(000
l,23o:t73Suu
7z:40(_-0O0
3,197:1000OO
161:3009000
49:4339000
150:0009000
47:*70000
60:0009000
1:900000
3:000000
100.000000
peza do ministerio da guerra, que ficou adiada
pela hora.
Oraram os Srs. ministro da guerra, Martinho
Campos e Ribeiro da Luz.
O Sr. presidente d a ordem do dia.
Lerantou-se a sesso s 4 horas.
ministro e secretario de estado
dos negocios da guerra autorisado para dea-
pender, com os objectos designados nos seguintes
paragraphos, a quaotia de 12,596 023*687.
c A aaber :
l. Secretara de estado......
2." Conseibo supremo militar
< 3.* Pagadoria das tropas.....
4.* Archivo militar e officina
lytographica.................
5." Instruego militar........
a 6.a Arseoaes de guerra e ar-
mazeoa de arligos bellicos...
7.* Corpo de saudeehospitaes
e 8." Quadro de exercito.......
9.* Commiasoes militares....
10. Classes inactivas..........
c 11. Gratilicagoes diversas e
recrutameolo................
12. Fabricas..................
13. Presidio de Fernando de
Nr!Dh*.....................
t 14. Obras militares...........
c 15. Divoraas despezas e even -
tues.........................
16. Exercicios lindos.........
199:388*000
41:079OOO
12.740SO00
28-1209000
312:083*000
2,048:6409059
662:6419100
6,606:819*350
101.500*000
604:2689174
450:6008000
170:1129000
87:0659000
465;617o04
755:000(000
Sala daa commiasea da cmara dos deputa-
dos, em 15 de julho de 1861.-A. C. Tavarea
Bastos.A, Epaminondas de Mello.
A discusso ficou adiada pala hora.
Oraram os Srs. C. Madureira, Carlos da Lu
e T. Bastos.
O Sr. presidenta d a ordem do dia.
Levantase a aessio a 4 horaa da larde.
SESSO EM 26 DE AGOSTO DE 1861.
Presidencia do Sr. Viseonde d$ Camaragibe.
As 11 3|4 horas fez-ae a achantada, e o Sr.
presidente declarou aberto a aessio.
Lida e approrada a acta, o Sr. t secretario deu
coota do seguinte
EXPEDIENTE.
Um offlcio do ministerio do imperio, datado do
23 do corrente. aoriaodo nm requerimento en
que o biapo de Pernambuco pode consigo ac o de
quaotia para aer applicada em ordenados aos
empregados do santuario diocesano.A' con-
misaao de peaooea a ordeaedoa.
ORDEM DO DIA.
Entrn en 8" discusso o projecto a. 68 des-
se-
SESSO EM 29 DE AGOSTO DE 1861.
Pre(/enct"a do Sr. Viseonde de Camaragibe.
A' 11 e tres quartoa horas fez-se a chamada, e
o Sr. presidente declarou aberta a sesso.
Lidas e approradas as actas dos dias 27 e 28 do
corrente, o Sr. 1 secretario deu conta do
guate
EXPEDIENTE.
Dous offieios do secretario do senado, datados '
de 23 e 24 do corrente :
Primeiro, derolrendo, por oio ter o senado!
podido dar o seu coosentimento, as proposices
desta cmara, urna creando na prorincia de Mato '
Grosso um corpo de 200 pragas de roluntarios |
engajados, e outra autorisando a matricula do es-
ledants Gabriel Jos Rodrigues dos Santas e ou-
tros na faculdade de S. Paulo e Recife ; e parti-
cipando, outroaim, que o aeoado adoptou e rai
dirigir i saDcgo o deereto fizando aa torgas de
terrs psra o exercicio de 1862 a 1863.Ioteirada;
Segundo, enriando proposigo do mesmo se-
nado que declara applicavel ao official maior e
mais empregados da junta do eommercio do Ma-
ranho a disposigo do art.14 da lei n, 719 de 28
de aetembro de 1853.A imprimir.
Um requerimento da directora do Banco do ;
Brasil, reclamando contra aa reslriges impostas
ao mesmo baoeo, pela lei de 22 de agosto de
1860.A'commissio de fazenda.
Foram^ i imprimir os seguintes pareceres da
commisso de poderes :
O primeiro concluindo da seguinte msneira :
a 1." Que se aonulle a eleicio da freguezia de
S. Loiz;
" **?"* M PPr0T'etn as eleigoes dss fregue-
sas de Uraguayaoe, Algrete, S. Borja, Itaqui e
S. Francisco de Asis, pertencentes ao segundo
districto da provincia de S. Pedro do Sul.
O segando, concluindo tambera da aeguinte ma-
oeira :
< Que se approve a eleigo a que se procedeu
em 21 de julho. na freguezia de S. Joa do Cho-
pol. do primeiro districto da prorincia de Mi-
oas-Geraes
Julgou-se objeeto de deliberago e foi a impri-
mir para entrar na ordem dos trabalhos o se-
guinte projecto da commissio de pensdese orde-
nados :
< A assembla geral resolre :
* Ar,# f'c* approrada a penso aooosl de
800000 concedida por decreto de 19 de fevereiro
de 1861 a D. Marianna Ricarda de Meoezes Dallro
e Castro, viuva do juiz de direito Claudio Manoel
de Caetfo.
Art. 2." Rerogsm-se os disposigdes em con-
trario. L. A. Pereira Franco. Silvlno Caral-
canti.
Foi lida, posta em discusso e approrada a re-
daegio do projeeto n. 68 deste anno, mandando
continuar em rigor ao exercicio de 1862 a 1863 o
orgamento vigente.
O Sr. presidente declaran qae na offlciar ao
goveroo am de aaber-ae o dia, hora e lagar em
que ae podar aer reeebida epvtagao deata c-
mara, que tan de pedir a Sua Magoalate Impe-
rador a deeigoacao da da, aere e logar da aessio
imperial de encarranento da presente sesso le-
gislativa ; a nomeam para a dita deputagao os
Srs. Amaral, Lela 4a Cunha, Sonta Mandes,
Fabio, Serra Caraeiro, Manoel Fernandos, Rape-
200:0009000
1,000:0009000
20:000*000
I
I
9
fre doa orphos............
10. Obras...........
!"*?........".".'.*::.'::
i 5- Repoa'coea e resliiuigoes...
22. Pagamentos do emprstito
docfre dos orphios.......
i 23. Dito de beos de defunioa..
i 24. Dito de depsitos de qual-
| fluer origem............... 9
. Exercicioe fiodos.......... 9
r. \*5. da nara dos depulados, em 2 de julho
de 1861.Pereira da Silva.A. T. de Moncor-
voLxma.Paulino Jos Soares de Souta.
Fui lida e apoiada a seguinte emenda da com-
| missao:
3.w30939333maVei ***** *-
A discusso ficou sdiada pela hora.
Oraram oa Srs. Fabio e Amaral.
O Sr. presidente d a ordem do dia.
Lerantou-se a aessio s 4 1/2 da Urde.
SESSAO EM 30 DE AGOSTO.
rwdwia da Sr. Vizconde de Camaragibe.
As 11 3/4 hora fez-se i chamada, eo Sr. pre-
aidenle declarou aberta a sesso.
Foi lida e approrada a acia.
O Sr. 1 aecretario d conta do seguinle
EXPEDIENTE.
Um offlcio do ministerio do imperio, datado de
zs do correte, dando as ioformagoes solicitadas
por esta cmara aobre a quaiicagio de rolaotea
da parochia de Passa-Tree, municipio de S. Joio
do Principe, da proviocia do Rio de Janeiro.A'
quem fez a requisigio.
Outro do ministerio da agricultura, de igual da-
ta, enviando copias dos trabalhos apreseotados
pelo eogenheiro Chandler acerca da estrada da
Graciosa.o mesmo destino.
Outro do mesmo ministerio, datado de 26 do
corrente, enriando igualmente o exemplar do
contrato de navegagio vapor no rio Pemahrba,
e copia do offieio em que o presideote da provio-
cia do Piauhy pede isengio dos direitos a que es-
tejam sujeitos os barcos e oulros objectos impor-
tados para o servigo da dita navegagio.A' com-
misso de fazeoda.
Julgou-se objeeto de deliberago e foi a impri-
mir o seguinte projecto do Sr. Pereira Franco.
c A assembla geral resolre:
Art. 1." Fican dispensadas aa leis de amor-
tizagao para que as irmandades de Nossa Seobo-
ra Oe Nazaretb, do Saotiaaimo Sacramento a das
Almas, da mesma cidade, na prorincia da Bahia,
possam continuar a possuir bens de raiz; a pri-
meira at a quantia d lttOOOfOOO, a a segunda
at 24:0009000 e a terceira at 4:000000; de-
vendo oa ditos bens ser convertidos en a plices
da dirida publica no prazo que pelo govarno lhe
fdr designado.
Art. 2. Rerogam-se aa disposices em con-
trario.
c Pago da caara dos depulados, en 29 de a-
gosto de 1861,L A. Pereira Franco, a
O Sr. Martinho Canpea a Pereira da Silra, re-
quemara urgencia para discutir-se os orcaneo-
los, de preferencia quaesquer outras materias;
o primeiro, toda a aasao de atoje, a O eegnodo,
durante a de m.aohaa.
A albas estas urgencias taran appreradas,
ORDEM DOBLA.
CoQtiououasefUBjjtadiaauaaao da orgamento
da deepesa do miaiaUrio da faaeMa, que ficen
adiada pela hera.
Orou o Sr. T. Ottoni.
O Sr. presdanle da ordem do dia.
Lartntoa-M a saasio s 4 horas da Urda.
REVISTA DIARIA.
Hontem na ra da Cadeia
ora roa do Imperador, penen don
la-ae precipitando de un pnneiro andar ana sa-
cra a, a quem a acabara castiga va
poren. pode esta segura-la inda sor
oa, quando ella j tioba-aa Uaeaato;
ajudada por mais pessoas, totaaegnto-eo ia
que fosse coosumado esse seto de dssarpar..
Quasi pela mesma hora pretenden atolles m
da poote do Recito abano un individuo, aewfei
soccorrtdo ji quando tmha parla do corpn iaclina-
do para o rio. --
Ante-bontem falleces e Sr. Luiz Francisco
de Sampaio o Silva, official da thesouraria ato f
lenta desta provincia, de ana h apa lite ato 1.
soffria ba muilo. *v>- .
Achara-se o fallecido con liceeea pera s> i
provmcia do Cear procurar alivio easa tufar
midade. ^^
Acha-se noraeado jais de diris* da Pao
d Alho o Sr. Dr. Delfino Augusta) Cavalcauti al
Albuquerque. sendo removido da comarca ala
Maioridade, ao Rio Grande do Norte, oode eser-
cia o mesmo lugar.
Felicitamos aoa Pios'alheuaes peto BjnjnMgMi
de um juiz integro e probo, cene Sr. Dr.
Dellino.
Remetiera-us a seguinte noticia, sobra co-
ja materia faz-se preciso urna indagaco.
Srs. redactores da RerisU Diaria.Len-
bramos que a postura municipal de 1849, fe lau-
na penas a quem edifica sem licenca, assin cano
a quera impede oa usurpa a servidio puMica.
E tambem nos parece que o regulanento da 1844.
dss capilaniaa doa portoa aloda an rigor, dalas:
mina que oinguem poderi toser atierros eu atrae
00 Itttoral do porto e rio nategaveis, aan li-
eeoga da cmara muoicipal, declarando previa-
mente a capitania que nio prejudica a eaabarsca
o transito publico.
Ora, se isto assim pergeniamoscon que
direito se est fazendo urna mur*lha de tijolloa
no brego do rio Capibaribe, que circula a liba
dos Coelhos, por bsixo de urna piogaella que all
Ozeram ? '
< Pois nio ha quem reja que easa diqae ji pre-
judica a servidio publica, embaragando a pausa-
gem daa canoaa as baixas mares T W. T.
Pois o esta terrs j cada un taz e que ene*
oa propriedade alheia ; cono deve aer o rto Ce-
pibaribe, seus bragos e afflueotos ?
Deu-se hontem um fsclo no tribunal de ju-
ry, aobre o qual nio noa podemos el
de fazer algunas breves reflexoes. en o
sustentar e defender os bros desse v
tribun.t grados interesaos da aoeiedade.
Poi aubmetlido julgamento o re Frai
escravo de Miguel Tolentino Pires Falco
do por crime de homicidio, e tonda par sea ad-
vogado ao Sr. Dr. Antonio Jos da Coala Ri-
beiro, curador nomeado com jaranelo.
Allegaodo-a defeza que era o crine justificare!
visto haver sido levado o delioquento por atesto
irresistivel, foi a materia lucidamente explicada
pelo presideote do Jury e os debates ebegsren
convencer o conaelbo de aeotenea de que real-
mente nao havia juslicago para e crine.
Entretanto, ao votar sobre os quesitoe. aUr-
mou o conselho a existtncis da referida circuets-
tancia, de maneira provocar una saotenca ato
absolvigio. Mas, desde que foi reconhecida a re-
ferida seotenga, os membros do jury declararan
espontneamente ao presideote do tribunal que a
sos intengio fdra condemnar o reo ao arrie me-
dio "
lato nio obstante, o juiz eoteadeu que oio ha-
via tevogagio possirel, a publico a i
appellando dignamente ex-offlcio desea
que um fatal eogano dea lugar.
O Dr. promotor publico requeren que a.
ae por termo a dtelaragio dos membros ato
selho, para que conatasse doa autos que ae
postas dos quesitos bsrisn sido erradamente ce
pudas.
Acerca do fado da aurra da eterava ei
um eogeoho na villa do Cabo, de que Ir a la ate
em nossa Revista de hontem, reneiieran-naa
seguinte d'alli, que muda Inteiraaaeate de
esse facto, que pareca posto en accio
deiros selvsgena. EoUaianto, laaaavarenea que
seria bom foate elle ajodicado pela polica, ala
|de nao continuar a lomar vulto Ue nalorla
historia :
Sr. redactor da Revista Diaria.A aua *-
tsto de hoje, sob ioformagoea que lbe atoras
que ella ae refere, falla de un korriwel
infligido um escravo de oome I i aera! o de __
engenho do Cabo, cujo informante, per naliarni-
jdade, oio diz.
O facto eal inteiramente adulterado; o ,

arden t
res com que se acha revestido sao apease e aorta
efecto da imagioagio de algn intrigante, tese
ressado em desacreditar ao aeohor da teutona
do escravo.
c B' rerdade que o preto Liberato tortou, sala>
um, porem dous csrsllos. sendo sin da faietsla a>
outro do feiior, e os veodou ou eultagee. ala 4
um morador do mesmo engenho, cena aaaerera
o informante, mas do eogeoho Sacanb.
c Descoberto o furto e obtidos oe cavallae, 4
moito natural que o asesare aeee r-niajade
maa o foi de modo to brando, que alo Acata oli-
vado de entregar-aa aoa trsbalbee ordiuartoe,.
como d'antea. E' Iriso, pois, dizer-s* que "
to esU em pergo de rida : a tonto que
ltimos dias, depois do castigo, alie ten
visto nesta villa carreando, o rouduriodo
tos ds estago da estrada de ferro para e en-
genho.
< E' bom mesno que a policia svodiqae ato
tocto para conhecer-se do proeediateate dequeea
eofeitou esas historia e lhe len dada circulad.
para prejuaiear o aouhor do ougeautu, caja uan
elle nio diz de publico, para dar ae casa canea
de mysterio, mas que repele ae carita da cate
um, para dar pasto u alimenta i eaa
dada.
Tire esse iofornaato a mascara a
de publico, se pode a presentar
booem esse quem lio indignas
ferir.
< Se, porm, nao tom catee toctos, oa
se sent com eorsgen para capiluto-toa eet
responsabilidade. cali nolhoc d asaaaiTM
quieto, do que andar mordenda da turto _,
que s lembram-ae detle para daooreca-to.
t Cabo, 16 de outubro do 18$1JX
Ante-hoaten (15) enlroa oca
procedente dos Estados-Unidos, coa aman i aer
diffareotoa portos, e noalnento do Ceari, ti
americano Segunda, qae Unaon o i, oa _
ero dos que se construirn oaqaalle pslz, _
destino i Uocciouar oe porte da Rio de Jaupara.
entre a corte a a capital da pretiueia.
Pertence i compaahto coenocida por ttrrm aa
Rio ; -e bem eonsUuido, e adapudo t ceudoa "
oio s de pawageiroa s pd, cano de carrea a
rallos, sem con tudo interferir con ocla..
teMnadoe toa patee, para os quaei ha aoa la-
dos galleras arejadas e connotes.
Nesta genero de rapares par* rioe,t trate i
nda que os norte-tmeriesnos teti
quslquar ouUa nagio.


1
^Vr
URIO m riai
aJttOCO. *- SJfiMTA FK1&AU7M OUTUBRO DI 1861.
oh mu
UYIU

Espefa-u
liser ]i havia uhido do Estados-Uoidos.
Sahio hontem para ftnfftfffb ;dan*, importancia..
da ordem Carmelitana, a (esta de sua matriarcha
Saota Thereu de ieaua, a quil Mllfg*
' quanto ornato do leaofo, quVquanto
imanada misal t re-
mullo concurrida,
ver ee tnsalo, pe-
omailii.com tajtto gos-
ra a feaiividade djUMtaJa djftr excellencia.
"tosjfc-nos que Jai asa bata iodaJeita
das .bolsas dos imeaae moearios da oofra-
sem que quantia Mima fease tirada do co-
j que Unto mis importante quaoto se
N. 6.
Boa da Sania Gra.
-Antonio Fernandet Ltma, 500
, 800 eaoadaa. importancia.....
dem i.Francisco Ferreira da Silva,
IBWB'll- ~B80 caadas, importancia...........
ltWJ*~r"UMMU (aa^fttaM.600
caoadas, impoaiaaeia................
dem t.Anlaoao Farsa ndes de.Aze-
-do.JK catadas, imprteoste.....
ideo 11. Rioa At, 500 caudas,
importancia
501000
80J000
68*000
I *>......*......
ouMaiios da oofra-|*. 13.~4e>ntoBJoCardoao de Oliveira,
e empesdudo por (orles soawau despena
alBatodjm .annos aoleciares.
Louvores mu bem merecidos rendemos
at,aeitoe que rom se esfoxtam, .pelo lulhaiOi^'
rao do culto de noasa religio. e que, couseguin-
o seus desejos, nao sobrecarregaru as corpora-
es alaataadadjadiMcciase achia. (
A' mesa regedoza -demos .es soasa* eruboras
pela bella testa que deu ao publico, por occasiio
a commemoracio dessa excelsa matuarcna.
Sabbado (19) deje ler lugar a partida do
correte mez to Catsino Mar, dos saldes do
arsenal de guerra.
E' de esperar que, como sempre, seja ella
auilo cowrbrrlda.e que nao (altera a amabilidad
da e O csvalheirismo da mui digna direcco para
aplivar todos que assistirem.
" aT lia id^m e rogufatidade -eem que mar-
cha eata sociedade. e ,mas que luda, a completa
xecugo do seu rogtlaraeol, leoj podido mo*
t-la na p eni queloi inaugurada, ..saberi ta-
zc-la prosperar.
Uesejamas i tas sociedade, primeira n

Ra das Cinco Pootfa.
N. 28.-Guilherme Muoiz da Stoatfe
600 casadas, -importancia...........
dem 18.Domiogos Comes da-Silva,
30 usadas, importancia...........
dem 13. Eernardioo Monte tro Ro-
drigues, 600 ranada, importancia..
Ra de S. Googslo.
N. 25.Jlo Marques d Souza Couli-
nho, WOcanadas, Importancia. ..'..
ua doa Coethos.
N. 13.Jos Pereira 'Alcntara Bran-
dao, 600 caadas, importancia......
' Ra do- Rosario.
N. 2.Jsao da Silva Augusto, 800ca-
adas, importancia...............,..
Icrerrr 51.Antonio Martina de Carra-
Ibo Azevedo, 600 caadas, importan*
oaa .. a.* ,.... ...........
dem 56.Azevedo & Coelho, 600 ca-
n-da- impor lauda...................
dem 41.Jos Antonio- Braga da Sil-
va, 800 caadas, importancia........
dem 51. Maooel Luir Ribeiro, 500
caoadas, imporiaocia................
dem 53.Jos Luu Altes Vilella....
Ra dos Pires,
genero, quo e tem sabido menier m seu posto, N. 34. Azevedo & Oliveira, 600 ca-
-amiloa annos de vida e prosperidades. j nadas, importancia..................
rn ovUra parte deixamos transcripta urna dem 38. Joo Marquts Fernaodes,
cocraspendeooia do Inimigo ata oppressao, na; 600 canadaa, importancia...........
-tfaalse di atma pro va da iolegridaJe du Sr. Car- t dem 84. Joaquim Domingues Fer-
nairo Mooteim. subdelegado da fregueiie do Afo-' naodes, 1,000 eaoadaa, importancia.
gado. Para ella taimamos a attengo dos nos-" Ra da Aurora.
aoa leiioras. .K. 48 Guatodlo Alves Rodrigues da
- Eooetamos no presente numero, com a '. Costa, 700 caadas, importancia....
jiublicacao do A' pedido exirahido do Diario da dem 54.O meamo, 700caadas, im-
Alaqoot, a publicarlo da questo pendente entre portancia ...........................
Dvguciantea da nossa prag, sobre a transferencia dem 74. Souza & Almeida, 700 ca-
da recepto doa asaucares da provincia dasAla-i nadas, importancia..................
goaa, team para outfo trapiche. ;ldem 88. Jos Gomes Louaeiro, 700
S. Eic. o Sr. presidente da provincia visi- caoadas, importancia...............
tou hontem as obras da estrada de (erro em com- Ra do Gamarao.
paohia tas Srs. major Vereeker, superintendente N. 13.Miguel Jos da Silva, 900 ca-
Sramab, engeoheirofiara! e ontraa pessoas. S.j nadas, importancia..................
Esc. parti da estacao dos Cinco Ponas s 8 e Ra do Hospicio.
aueia horas da manhaa pelo- trem ordinario de N. 28.Jos Rodrigues Peixoto, l.OO
*asssgeiroi,e recolheu-se esta cid ide s 4 ho- caadas, importancia................
raa da tarde, lendo regressado no mesmo trem.; Ra do Sebo.
En seu trajelo examinou 6. Exc. Com allencao N. 54. Joaquim Fernaodes osSan-
eelacoea da primeira seceo, actualmonle em j los, 680 caadas, importancia.......
4x>ntruccao, at pontea de ferro ltimamente sea- dem 23.Manoel Ferreira Fialho, 600
badas, e particularmente as abras da.seganda I caadas, importancia...............
secc&o que ecabam de ser recebidas pelo enge-j Ra daSoledate.
oheiro liscal do governo. N. 13 A.Jos Marta Sodr da Molla,
Cnegaodo Escada n'uma locomotiva que ahi 500 caoadas, importancia...........
e achava em servigo, ronduzio S. Exc. e as de-
tcaispefsoas aos trabalhos em ej.ecuc.ao d ter-
ceira seceo, que 'brevemente ser entregue
circulaco no publico. Nesta parte da ltnha de-
anorou-se S. Exc. todo o lempo qne tere dis-
(pdr antes da partida do trem para a cidade, a-
xendo considera^oes aceres de varios pontos, que
tnostrararo o ipteress e dedlcaqo que consagra
aos melhoramenlos materiaes da provincia.
As visitas continuadas de um administrador
iotelligente fi obras de tanta magnilude, coocor-
rem eOicazmente para que todos squelles que
sellas se acham empenbados pcocorem envidar
sena aforeos na sus execuco.
De nossa parte, porta uto, coogratulamo-DOS
desde j c/'m S. Exc. pelo apreso que merecer
de nossos com provincianos se continuar a zelr
a anethoramentos materiaes da provincia, como
at boje o tem feito.
o da 15 do correte os seminaristas de
Mooo
501000
soeoao
32O0O
Ra do Palacio do Bispo.
N. 30.Rernardino Jos da Costa, 500
caadas, importancia................
dem 36. Jos Francisco Cesar, 700
canadaa, importancia................
dem 46.Saraiva & Souza, 1,000 ca-
adas importancia...................
dem 46. Francisco Jos Fernaodes
Pires, 1,000 caadas, importancia..
Rus de Joo Fernaodes Vieira.
N. 14. Albaliba Cesar do Espirito
Santo, 240 caadas, importancia....
dem 38. Jos Marques de Souza
Coutinbo, 240 caadas, importancia.
dem 64. Mariano Jos Pavao, 300
caadas, importancia................
I Ra do Socego.
N 44.Miguel Jos da Costa, 700 ca-
adas, importangia...........
540 caoadas, importancia........
dem 32.-Heorique da Silva Mora-
ra, 700 canadaa, importancia;...7S
dem 34.0 meamo, 600 eaoadaa, lurv
portancia............................
nior. 860 asnadas, importannia......
dem 82.Jaa de Aaovada^aanira,
480aaaaaW, importancia..
Idenp*9.Joaqam FlUppa djMbsjja,
COOcanadas, importancia...........
Idem.l.4o* Otas a SUva Qardial,
600 aaitadaa, iaaposaaacia...........
dem 83Maooel da#lva & C, 500
casadas, iflaporUooia...............
Idema.Manuel do *aacime*oRi-
beiro, 240 eaoadaa, importancia
60JQQQ1 Iderg^ iaiJiiai da Silia Gardial,
^OO caadas, rnipoTtanciB,..........
Ra das Calcadas.
N. 2.Joaquim Antonio de-Ollveira,
700 eaoadaa, importancia...........
Travessa do Serigado.
N. 1.Maooel Pacheco da fitlva, 00
caadas, impostaucia...............
Ra do Padre Floriano.
Mi. 74.Domingos Jos Barbosa, 300
cenada, importancia..............
Ra dos Aoouganohoa-.
N. 20Jos Joaquim Soares, 700 .ca-
adas, importancia ..................
R ua JloB C o p i i r e s.
Tt. 13.Maooel Jos da Silva, 380 ca-
adas, im porta o cia.................
Ra de Santa Cecilia.
N. 27.Jos Bernardino Alves, 640
caadas, importancia...............
Ra de S.Jos.
N. 2.Jos Antonio Anselmo Moreira,
700 caoada, importancia...........
dem 51.Maooel Ignacio de Airada,
800 caadas, importancia...........
Travessa de S. Jos.
N. 22.Francisco Pereira Mairelle,
600 caadas, importancia......,,.
dem' 1.Joaquim Antonio de Olivei-
re, 900 caadas, importancia.......
Ra dos Pescadores.
N. 38.Jos Simplicio de S Esteres,
500 caadas, importancia...........
dem 43,-0 meamo, 1,000 canadaa,
importancia.........................
Ra do Npgueira.
N. 1..Jos Pereira de Azevedo, 600
caadas, importancia................
dem 49.Francisco Jos de Freitas
Guimares,500 caadas, importancia
Ra de Santa Rita.
N. 1.Fesbertode Medeiros Barbo-
sa, 800 caadas, importancia........
dem 3.Jos-Rima da Silva, 800
caadas, importancia...............
dem 53 Bernardino Antonio da Sil-
va Lisboa* cariadas, importancia....
Ra Nova de Santa Rita.
N. 1.Antonio Francisco Marlins.de
Miranda, 700 caadas, importancia
dem 7.Antonio Tavares Ferreira,
1,000 caadas, importancia........'.
Largo da ribeira.
N. i.Jos Bi-rnardino Alves, 800 ca-
adas, importancia___...,.....,.,,.
dem t3.Joo Aotonio Gqosalves,
800 caadas, importancia...........
dem 15.Beato Antonio C*piOteiro
da Silva, 800 caadas, importancia
dem 12.-Jos Ramos da Silva, 500
caadas, importancia...............
Jdem 52. Lino Aotonio Saraiva, 800
Dunda aolemoisaram o seu ponto com toda a | canadaa, importancia...............
pompa. dem 27.Jos Leao de Mello, 320 ca-
l eslabelectmenlo esteve bellamente ulurai- I nadas, importancia.................
nado, laoto exterior como interiormente. jdem 29.Bernardo Gomes de Souza,
Alm de varios comerlos piano e flauta no I 700 caadas, importaocis...........
alio dos actos, toeo'u mais a msica do quarto dem 43.Antonio Jos da Costa, 600
de artilharia. I caadas, importancia
Asst.'tlram todos slenles, o provisor do bis '
pado, oulras pessoas gradas e varios acadmicos.
Depois de ser servido o cha termioou o festejo
s 10 horas da noite.
Aos incansaveis esforgos dos directores, os se-
minarisias Jos Mara Braga Jnior, Joaquim Se-
raphim da Silva Cravo e Sesostres Abdou Freir
de Carvalho, unidos com a boa vontade dos cie-
rnis companheiros, deve-se o brilhantismo do
festejo.
Terca-feira (22) priocipiarao os exames prepa-
ratorios naquelle estabelecimento.
Domingo (13) lomaram ordens de presbytero
os seminaristas Ignacio Ferreira Booifim, e Ma-
noel Felippe doi Santos (cearenses).
No dia 15 do correle foram recolhidos
casa de detengao 4 homens e2mulheres, todos
dem ta.oequim Machado da"Silva,
700 caoadas, importancia...........
Ra da Traigo.
N. 2 A.Gregorio Ferreira de Miran-
da, 240 caoadas, importancia.......
Sahida para Belm.
N. 6 A. Joo Baptista da Silva, 200
caadas, mportancia................
Ra do Cotovello.
N. 1.Maximino Martina da Silva Bra-
ga, 1,000 caadas, importancia.....
dem 49. Joo Jos Lopes da Silva,
1,000 caoadas, importancia..........
Ra do Moodego.
N. 32 Antonio Coria dos Santos,
800 caadas, importancia...........
dem 97. Joaquim Feroandes dos
\
Santos, 640 caadas, importancia.
Psssagem.
71.Manoel Gongalves de Bar-
ros, 800 caadas, importancia. .
dem 10.Antonio da Silva Sanios,
280 caadas, importancia .
Ra Real,
dem 9.Manoel Correia do Nas-
cimento, 280 caadas, importan-
cia...........
livres ; a ordm do subdelegado da Sanio Anto-
nio 2 ; a ordem do de S. Jos 1 ; a ordem do
do Poco da Pandla 2 ; e a ordem do da Var-
zeal.
ORTAL1DADE DO OA 16.
Boss, frica, 25 annos, eacrava, solleira, Santo
Antonio, apoplexia fulminante.
Felippa, Peruaaibuco, 13 annos, S.Jos, pbty-
ics.
Benedicto, Pernambuco, 10 annos, escravo. Boa-']
yista, tet>no .dem 63.Joo Antonio Carpiotei-
Olimpio. Peruambuco, 2 mezes, S. Jos, con- | ro, 800 caoadas, importancia. .
_*uloes. ... 11 Ra da Esperanga.
Francisco Antonio de Oltveira, Pernambuco,-25 N. 26.Gregorio Jos Garcia 640
annos, solteiro. Recife. phlystco. i I caadas, importancia .
Francisco de Sampaio, Aracaljr, 47 annos. iiiem 33.-Joo Antonio Pires de
< Moura, 500 caoadas, importancia
dem 37.Francisco Aotonio Alves
Teixeira, 500 caadas, importan-
1 cia...........
I dem +1.Maooel Aodr Bolelho,
500 caadas, importancia .' .
casado, Recife, heydropericardio.
C0&S0LAA0 PROVINCIAL.
ftelaco das pessoas conectadas
rguezia da Boa-Vista para o
posto de 20 por ce uto sobre o con
28*000
609000
80*000
604000
600CO
809000
50S00Q
i
609000
60J000
100JOOO
7OJOO0
7OJ000
709000
703000
909000
1209000
68fi000
6O9OOO
509600
5O9OOO
709000
IOO9OOO
IOO9OOO
249OOO
249OOO
3O$0O0
709000
809000
329000
709000
60j000
7O9OOO
24|000
209OOO
100000
IOO9OOO
809000
649000
8O9OOO
289000
#
289000
8O9OOO
649000
5OJ0O0
549005
609000
.AAM4WIA
909000
4MO
81000
600800
50J000
249000
0O9OOO
1
709000
80*000
309000
709000
BW
"batalho na freguezia de S. Ran-
ea recorra a imprenta, para
-aarpreza que urna tal noticia me
admlragio sobe de ponto,
aemelhanteida parti de quem,
onel Jos de Carvalho Araujo Ca-
valcaoti, pessoa alias iotelligente. cevi
or do queriMfetm as
Roa Imperial.
N 2.-Bernardo Jos da Rocha, 800
caadas, importancia...............
Uem 144.Aotonio Jos Pereira Er-
mida. 800 caadas, importancia.....
dem 170.Antonio dos Santqs Villa-
ga, 300 caadas, importancia........
dem 178.Manoel Mauricio Dantas,
300 caadas, importancia...........
dem 94 Jos Francisco Pereira*, 480
caadas, importancia...............
dem 196.Manoel dy Palrao do Nas-
cimento, 3o0 caadas, importancia
dem 254.Bernardino Jos Gongal-
ves dos Santos # C. 40 aadas,
importancia.........................
dem 29 Joao Antonio Esteres, 380
caadas, importancia...............
dem 35.Googalves & C, 600 caa-
das, importancia....................
dem 37.Manoel Antonio da Silva
Moreira, 800 caadas, importancia
dem 41 Faustino Gomes da Sil'a
Reg, 400 caadas, importancia....
dem 43.Mauoel Martina Pires. 500
caadas, importancia...............
dem 87.Marcelino Ferreira da Luz,
300 caadas, importancia...........
dem 125.Manoel Albino Bezerca,
500 caadas, importancia...........
dem 131.Mara das eves Leite,
400 caoadss, importancia..........
dem 139.Laurindo Pereira Vanas,
400 caadas, importancia...........
dem 151.Candida Mara da Concei-
go. 400 caadas, importancia......
dem 161 Csndido Martins de Arau-
jo, 400 caadas, importancia........
dem 193.Pedro Ale*..*o.drino dos
Prazeres, 400 caadas, importancia
dem 195.Francisco de Mora es Pi-
mentel, 280 caadas, importancia.,
dem 205.Paulo Gomes de Almeida,
480 caoadas, importancia...........
dem 215.Joaquim Jos Tarares,
300 caoadas, importancia...........
6 pr
da aataana-d Garanhua.^Mciliando-aa com aa
coMeftJeatiaMo sertigo pIMieo.
ww ha nata ote da freguezia de*. Beato nao
poaeo aer adinrenla a iojoalieae que para com
ella ae pmticam, sem que entretanto pretenda
que aeilaae-aacriflquem oslntereaaes legtimos
dos outrot iatricto ou fregueziaj. Oirai, poi,
o que perno, aflm de esclaaaaer o juizo 'do pu-
blico, ou de quem possa praVldenciar no cato.
Na fregueiia de S. Benlo, que ae compoe de
territorios desmembrados dos de Garanhuns,
liimhrn, "traje a Caiuar, t baje leiiuo ctUU"
4de ua vIllaTlo resmo ome, existem cinco ca-
pilaw da gaarda naonal, com as respectivas
companhias, a sabar: Luiz Ptulino de Hollanda
Vallenga, da.'8*compaahla do batalho da re-
gueaiaeGerafthuns ;-iJacintho Teixeira de Ma-
cedo, da 7a do mesmo batalho Francisco Al-
ves Macil, que passou de Garuar cm tdda a'
ua compaohia ;-Pranclco Bezerra Wanderley,
que por effeito da desmembragio do territorio,
passou de Cimbres com toda'a-aura companbia, e
Jos Ignacio Caraeiro, que aendo do batalho do
Brejo, pelo meamo motivo paasou para S. Beato
com a meama graduago. Todos easea ofBciaes
Le .pucos, axcaptoa ua dae duaa priaaeiraa-aeoow-
nadaacompanbiaa, acham-se addidoa a batalho
389000 de Garanhuns.
Correute, porm, nao paisa de urna pooa-
go, que tem apenas duaa companhias, sendo
61^000 que Palmeira, que Ihe adjunta, tem somonte
urna.
Parece, portaoto, que a se 4er de crear mais
70#0r0 um batalho de guarda nacional na comarca de
Garanhuns, dever ae.r em S. Beato, que eati em
8O9OOO coodiges dlsso, e que a nica freguezia da-
quella comacco guerne tem unrtiattIho, quan-
do a suaiqualiflcaoao o>fece-ounjero.de pragas,
6O9OOO nao sd safeiente p.ra urna tal creagio, como
at superior.
909000 Dar-se a easa regueiia, aliis to importante,
que j hoje compoe por si s um municipio, urna
secedo de batalho, quanlo sed um batalho
50900O completo a Correle, que nem freguezia, maa
someme um curato da freguezia de Garanhuns,
1009000 realmente praticar-se a maior das injustigas 1....
Pasma que a iniquidade de um tal procedimien-
to escapasse a recoahecida persaleada do Sr.
C09000 commandanle superior Jos de Carvalho I
Batanare ainda notar que a povoagio de Cor-
50)000 feote, oode est a capella curada, dista, quando
muito, tres leguas da provincia de Alagoas, e
tem, como j deixei ver, urna populagao muito
8O9OOO ioerior a S. Berilo.
Sendo iato urna verdade evidente, que o Sr.
8O9OOO cornmandaiite superior nao poder contestar, co-
mo poder-se ha explicar a proposta da ereago
8O9OOO de um batalho naquelle pooto, com preterigao
do direito que assisle S. Bento? Como e com
que numero de pragas ha de o Sr. commandaote
7O9OOO superior preencher o seu batalho de Correte,
ondesomeole existen, come ji disse, duas com-
IOO9OOO Kaobias, que apenas podem ser augmentadas
com urna de Palmeira ?
Ueaejra que se me esclarecerse a esse res-
8O9OOO Poilo; visto que, as consideragoes que acabo
de expender, e que aobejamente "jusiicam a mi-
8O90OO DQa sorpreza, nao teuho por fim molestar ao Sr.
eemmandanle superior.
8CS000 *,,s e certo que o seu procedimento nao est,
nesta parte, de accordo nem com a lei, nem com
509000 a prauca at o presente seguida no rgimen e
organisago da guarda nacional.
Perteuceudo comarca de Garanhuns, e tendo
todo o interesse pelo real e merecido incremento
sumo 'agurdente, no auno finan- 1(
ceiro \igenle de 1861 1862, pelo
lancador Demetrio CoeUio, '
Ra da Imperatrlz.
R. 4.Jos Feroandes Pires, 680 caa-
das, importancia......, 68f000
dem 22. Jos Faustino de Lera os,
680 esoada, importancia .... 68j000
dem 42. Maooel Joaquim Moreira,
500 esnadas, importancia .... 509000
dem 54 A.Josa Antonio Pereira, 580
caadas, importancia ..... 58&O0O
dem 70Joaquim Coelho de Almei-
da, 680 caoadas, importancia. 689OOO
Praga da Boa-Vista.
. 16A.Anfonjo Alves Vilella, 680
' caadas, importancia.....
dem 17. Jos Domingucs da Costa,
1,200 caadas, importancia .
dem 21 .fos Jorge Ferreira, 700 ca-
fadas, importancia......
Ra da Cooceigo.
N.6.Paulino Ferreira da Costa, 1,280
caadas, importancia .....
Rna do Arago.
. 8 Jos Duarte Cputinho, 680 ca-
adas, importancia ..!...
dem 36David Martins da Silva Bor-
gee, 600 cauadas, importancia .
Ra da Matriz.
W 54.Antonio Joaquim Ferreira Por-
to, 60O caoadas, importancia .
dem 27.Jos de Souza Braz, 60O'e-
iiadas. importancia......
Ra da Ponte Veiha.
X. 3*.Antonio Alves Vilella, 680 ca-
' nadas, importancia ; .
Ra Velj,
N.27. ADlonio Jaclntho de Mello
Jonior, 400 caadas, importancia.,
dem 33. Ferreira $ ilrS, $00 ca-
adas, importancia..................
Id2m PL ~ H' Mr^es Paixoio &
C., esOeanada, importancia........
Praca de Santa Cruz.
fi. 2.Joo Luiz Ferreira Ribeiro. 500
caadas, Importancia .....
dem 4.0 meando, 70Q caadas. Im-
portancia......................... .
^.y^ADtoqioArelfaoUilB. ^^
ga, 800 caadas, importancia....... t)Q}OO0
na
i : dem 45.Antonio Joaquim da Cos-
ta e Silva, 500 caoadas, impor-
tancia..........
Coe-
lho, 500 caadas, importancia. .
Ra das Nimphss.
N. 8.Pedro da Hora Santiago, 290
caadas, importancia. .
Capunga.
N. 35.Jos de Almeida Ferreira,
i 100 caadas, importancia .
509000
509000
509000
509000
28$000
1009000
809000
8O$O00
309000
309000
48S000
30gOOO
249600
389000
609000
8O9OOO
409000
5O9OOO
3O9OOO
509000
403000
409000
409000
40g000
40900O
28g000
489000
309000
diablica, dirigida pelo successor de Garniel Ma-
lagrida.
O justiceiro quer inculcar, que o pteeesso ios*
taurado contra o Sr. Bezerra, traz 'a arfia brigva
de intrigas por eleiges : oque nao exacto,
pois a ser esta a eauss, msl estariam todos,
deve cohecer quantos desertando jU> Qleiraa^fianiervadoraj.
inlaaM ^OreramcppoaffHtJaataciddfBr
Domis o chele conservador, que Ogarou as
leiges, oo foi o 8r. 4)r. Souta Lao, mas o
Sr. coronel Jos'4sa*lcatMe>dJerrM de Aseas do,
oSr. Hollanda em qualidade de delegado da
^aolicia apenas cttidou de aesutelar qualquer ptr-
iurbago da ordem.
Portanto. devenios altribuir antas ease pro-
eesso s revelagdes. que loram ter aos vidos
do Sr. chefe de polica, que quiz dellss lomar
eonhecimento A m vontade, que a sucia dia-
bolica tem ao Sr. delegado Hollanda chega a
*ntg, fjrjB" tnilWlo t~tiS8hk o
rado contra o Sr. Jos Igaatio de Mello, inven-
lou, que este comprara Metlras, qae a que He de-
vio, e dealas Ihe5 Diera prezeale ; quando pelo
contrario sabemos, e at ae prova com o docu-
mento abats trasacplo. que eata historia pas-
sou-se nao com o Sr. delegado Alexaudre'Jes
de Hollanda Cavalcante, mas com oSr.Alexan-
dre Bezerra.
Pelo que besa-se pode aquilatar o peso, que se
deve dar m astucias daese annimojusticeiro___
Este miseravel continuando a urdir menliraa,
afflriuou. que o-Sr. delegado Hollanda pernoita-
"ra na casa do Sr. Jos Ignacio, quando _foi 41x0^
cudar-a uruMBagao dos sao* do cadarver do ea-
cravo, que se du morlo (ama calumnia) por este:
quando todoa sabemos, que na esas do Sr. ca-
pito Joaquim Maooel da Silva, senbor do en-
genho Gaixoeirioha aposeotou-se per essa noite
o Sr. delegado Hiilaoda.
Se o Sr. Dr. Buarque, quando juiz municipal
deste termo revogou a dssproouncia de Joo
Francisco Pereira de Moraea, processaio pelo
Sr. delegado Uollaoda por crime de estupro, como
se diz ua olba Ordem,. de 16 do mez paseado ;
oenhum desar poderia provir ao Sr. Hollanda
por este fado, .do qual to bem nao partilhasae
o Sr. Dr. Buarque,que emiguaes circumstaacias,
e pelo mesmo crime desproouociou a Maooel
Altes de Souza, a quem o Sr. Hollanda, quanlo
subdelegado, pronunciara com proras salantes.
Disse o Sr. Alexaodre Bezerra de Albuqaer-
que' Barros, em urna sua ultima corresponden-
cia na (oira Ordem, que os palavroes, que appa-
recem no vosso Diario em abono dos Sre. Dr.
juiz de direilo Souza Leao.e delegado Hollanda
Cavalcaole, sao de um selho adulador, e que
vive dessas autoridades.
Se o Sr. Bezerra tem para si,que ooolicia-
dor esse reino, a quem allude; eoto pro-
nunciou patarras oppostas, ao que intmenle
sent.
Se esse velho enuncia palavroes [como disse)
sao palavroes inspirados pala juatiga devida ao
mrito, de que se teem feito credorea os Srs.
juiz de direito Dr. Souza Leo, e delegado de po-
lica Hullan la Cavalcaoti, e nao por adulago, e
viver destas autoridades.
Esse veJhoaempre amigo da moralidade, sem-
pre respeitador gdas leis, que maodam punir
os assassinos; des seus executores, nao pode
soffrer desangue fri a maneira injusta, incivil e
descopnmunal com que o Sr. Bezerra tem provo-
cado com essa sucia diablica a essasauleri-
dades.
O Sr. Bezerra sabe, e nos todos sabemos, que
o Sr. Dr. juiz de direito Jos Felippe de Souza
Leal, um magistrado probo, honrado e justi-
ceiro, e que nao paclua com criminosos ; e que
esse velho a quem se allude o noticiador, enun-
ciando estas verdades ao publico, nao represeota
o vil papeljde adulador, mas de um bomem justo.
Seo Sr. Bezerra.se conlivesse no justo limite;
se nao uzease alarde de seas fados a ponto de
^U^crero
e assigoo em lestemunho de rer-
O tabelirio pubtieo,
BtUrmino doe Santas Buh.
. que sa
to clamorosa injustiga.
Sao estes e nao ouiros os motivos que actuam
em tueu eapirito ao tragar estas liuhas; eo Sr.
commandaote superior que mo cenhece, deve fa-
zer justiga aos meus sentimeotos e ao meu ca-
rcter.
Paro aqui.
Recife 9 de outubro de 1861.
Bento Jote Alvet de Olivtira.
Ainda unja vez o crim*vl#a jnili Muirla;
tois esta rex. autorldaSi morattoaus a totru-
gaea, oo teeuaram de I
4e amU.de patranato^uara i|
cao dend. aa qaaiDi
* aasraique, ivfregsjuatodc
to de Afasjadas. eoftadaA agili _
aapilo da* Fraotoaco Csmeiaa l
aao trepida da iwr qa
UMholubuiasnoBaaaCas.^
a Jet inBiaflo ao eatosiooao avoca
v* contra TranriasjB'fJ'eaVo da Ra
sem duvida de aua fortuna, a do palta
processo insi'au- tofeltzmeate sempre cooseguaaa,.
ventura de consegui-U, por qasusquar saetee.
Julo desaunado bespaoraal, coahcido ,
freguezia por Aotonio Gallego, ehomtsa de~
cosiumes, descooceitaado a aotregua <
I embriaguez, sob o frivolo pretexto de esr ere-
dor da qaantia de dous mil ris do desfareraci-
do Pedro da Rocha, sexreeario, lia
cioo e ooerado de numerosa lamilia.
arrojo de espera-lo na noite de priaaeiro
rente, quando aaa Victima trioqaillamoato nosj-
seava, e de sorurehende-la. etbafateaado-a e e-
tirando-lhe golpes de chapeos de sol; a de lavar
seu arrojo ao pauto de daaubadeaer-4-aeu Jauto
sao, que em flagrante Ihe lol intasada, sustos*
presando-a a proclamando a llmenle uve estol
ma autaridade o prendera, porque a aenhusaa
Ga^ le va va em cosita. _n
Por queixa do offeadido (ai seu oteor udri-
daronle processsdo, e seguro de
fortuna, caidou de continuar a zoabar da 1
3ue Ihe fdra iolimada em flagraote, raqa
anca e pretendendo que sollo mesmo a ea aee-
nosprezo 4 lei, a obteria, como tilvez bouvaaao
conseguido, si o nobre orgo da jusliga puMica ;
ouvido naquella preteogao. i ella aa sao liveeoa
oppotto, requerendo a pritio do querellado, aaa
face dos depoimeotos prodozidos. que faziam car*
to que em flagrante Ihe fdra intimada, dss-
tincto e integro subdelegado, deferiado rassee-
rmenlo legal da promoloria e ordenando aeiee-
tividade da prisio. At ah o querellado asrr
irava aua animosilalo smenle para com a au-
toridade do digno subdelegado, de que, i todo
momelo, procurara zombar: logo poraa que
sua priso se fez effectiva, lerou-a mais loas;,
gritando em publica audiencia e em preseaca ato
muitas pessoas que se acharan presentes, ajo*
seris immedistameute solt pelo Dr. juiz 4e di-
reito da segunda rara, por meio de habeas-cor-
pus.
Nos, que testemuohamos lio inslito procedi-
mento, repellido logo pelo subdelegado; a que,
como lodos, conhecemos a integridad* ato diga*
Sr. Dr. juiz de direito da segunda vera, nao po-
demos deixar de confiar, que os setos de justiga.
pralicadoa pelo subdelegado que dignamente tosa
maatido os direilosdo offendido, emavra privado
de beas de fortuna, serio saoecionadoa pela iilus-
trago reconbeoida do meamo Dr. juiz ato di-
reito.
O inimigo da opprtuao.
do municipio de S. Beoto, onde, como j disse, soar aos ouvidos das autoridades superiores, tai-
habito, sinto do fundo d'alma, que sa Ihe faca
Correspondencias.
Communicados.
Freguezia de S. Jos.
Ra Dlreita.
689000
120S0QO
700JO001
1289Q0O
689000
60f00C
6OS000
6O9OOO
68J000
.409000
ewooo
dem 16.Manoel Jos de Brito Bar-
reiros, 700 caada, imporlancU....
N. 106.Joo Ferreira da Silva, 600
caadas, importancia................ 6O9OOO
dem 23.Fernandas & Lima, 600 ca-
adas, importancia...........,...... 6O9OOO
dem 99 Antonio Jos da Costa Ca-
bral, 480caadas, importancia...... 489000
dem 113.Manoel Pedro de'Oliveira,
500 caadas, importancia........... 509000
Ra de Horlas.
N. 106.Jos Geocalvas de Souza, 400
caadas, importancia................ 40*000
Aua dos Marlyros.
N. 36.Luiz Antonio dos Santos Pe-
reira, 640 cenadas, importancia.... 649000
Rus Augusta.
N. 76.Bernardino Pereira Ramos,
580caadas, importancia............ 589000
dem 114.Francisco Antonia de Me-
deiros, 800 caadas, importancia.... 8O9OOO
dem 1.Jos Patricio de Siqueira Va-
rejo. 800 caadas, importancia.... 90f000
dem 23.Actenio Jos da Oliveir,
400 caoadas, importancia........... 409000
dem 31.Rioa & Gemas, 800 caadas,
importancia......................... 869OOO
Travessa da ra Augusta.
N. 5.Jos Eraocisco de Garralfao, 800
caadas, importancia................ 369000
FcaU do Caldeireiro.
,^ N. 24.Jos Maooel Ferreira Guims-
raes, 500 caadas, imporlanaia..... 569000
coiuuui Mu* do Cakdeireiro.
689000 n. 60.Jos Antonio dos Santos Mo-
xeira. 400 caadas. imporUncia..... 409000
Kj,^. dem 4.Jos Vieira dos Santos, 780
*U*UDV caadas, importancia............,. 70#000
7a*mia Ra da Cnuaaadto.
7U|U00 n. ._Joaquim Airas da Gastra, 500
raaaaias, imsaa iiiucU................ 509OOO
Rus do Alecrim.
toa.
46*000
7DIPP0
Agricultura.
I
Sendo a nossa provincia essenctalmente agr-
cola, a agricultura que deve becupar a nossa
atteugo, de preferencia a qualquer outro ramo
de industria.
Alm da pequea lavoura, em que se occapa
principalmente a classe menos abastada dos
oossos agricultores, o assucar e o algodao ao os
dous prinripaes ramos de agricultura, a que se
dedicam os oossos fazendeiros ; mas nem estes
sao os nicos que podem abastecer o commercio
00 paiz e (ora delle. nem delles tem cuidado os
homens da proflsso de modo a esiabelecer-se a
competencia dos principaes mercados.
Nao qqeremoa dizer com iato que sedera lan-
gar culpa a cada um dos fazendeiros, e nem
sement a classe, nlo; recouheceraos que as
difieren tes classes da socieJade rivem.principal-
mente pelo apoio commum e reciproco, e con-
seguintemente que preciso concorrer cada um
menibro dellas para esse commum apoio com a
forca de que dlapde, mas certo que os governos
Dio derem perder de vstaos alimentos vitaes do
paiz, e bem ao contraro devem sempre estar
muito alientos para anima-loa, quaodo as pro-
piias classes lhes do muvim.ento, ou dispertar
estas pelos meios proprios, quando, por assim
dizer, a inercia se apodera dellas: aisira claro
que se a agricultura entre nos, bem lpnge de
caminhar, atrasa-se e pe a todos em apuros, se
deve langar isto i culpa asslm de cada um dos
oossos fazendeiros. como da classe e do governo;
porque, forcosq confessarmos, lodos se tem
esquecidode dar movimenlo a machina.
Propomo-nos oceupar a attencio dos agricul-
tores e do governo com as ideas que temos 4 este
respeito, tendo por fim principal animar a cultura
do algodao, para que consigamos a competencia
em quantidade nos prmeiros mercados da Eu-
ropa, visto que quanlo a qualidade opinlo
maisgeral que j a temos ; e provocar a cultura
do trigo e do caf.
Tudoconcorre para que dos animemos; as aossas
Ierras, os nossos homens, as necessidade das
diversos mercados do mundo, e o estado actual
da Confederago Nerte-americaoa. .
Abriremos pois urna serie de artigos sobreest
materia e dar-nos-hemos por bem pagos de nosso
trabsjho se merecewnos a attengo dos soisos
fazeqdeirose do goverpo.
Recife, 15 4e outubro de 1861.
S.M.
Cidade da Victoria, 12 de outubro
4le486..
Srt. Redactores.O nosso dever de noticiador
nos impelle a nao deirarmos passar impune, o
que o correspondente da villa da Escada na fo-
lha Ordem, do Io deste mez, debaixo dasinni-
ciaesA. B. Cdiz em referencia ao Sr. Dr.
Jos Felippe de Souza Leo, juiz de direito desta
comarca, e to bem nao deixaremos de locar cas
tamurias dojusticeiro. fin alisando esta noasa
missiva com algumas reflexoes, sobre o que disse
o Sr. Alexandre Bezerra de Albuquerque Barros
em slluso a um velho, que imagina ser o noti-
ciador.
Principiaremos pois, confesando com o an-
nimoA. B.C..queo lempo dos despotas de
Pernambuco j se acabou.
Mas perguntamos-lhes. quem eram esses des-
potas ? Nao seriam aquelles, que maadavara as-
sassinar at as proprias autoridades, e Qcavam
impunes ?
Cremos, que sim : por que nao merece esse
epitheto a aotoridade, quando pune devidamen-
le o crime, que as leis sociaea nao querem. que
fique impune por amor da moralidade da mes-
ma sociedade.
O Sr, Dr. Jos Felippe de Sjuza Leo, a quem
A. B. C, appellida de desposta nao pactua
com arsassinos, e eis a razo de Ihe dar esse
nome.
Ser colpavel este magistrado pelo processo
instaurado contra o Sr. Alexandre Bezerra de
Albuquerque Barros pelo Sr. delegado de poli-
ca Alexaodre Jos de Hollanda Cavalcante, pelo
tiro disparado na pessoa do Sr. lente coronel
Antonio Correa Pessoa de Mello ? Certamente
que nao : por que cada um o responsavel pelos
actos proprios.
E como pretendis dar a palernidade desle acto
do Sr. delegido Hollana Cavalcante ao Sr. Dr.
Souza Leo ?
E' urna injustiga.
Essas vozes pois, que diz o A. B. C, cla-
mam contra esse honrado magistrado ; sao na
verdade as vozes desses regnlosiohos das loca-
lidades, que ainda chorara pelo lempo, em que
ellescomettiam toda o sorto de crimes. Hojo
porro. j nao serao Representadas essas scenas
de canibalismo entre nos; por que esse magis-
trado com outros, spoiados em um governo, que
tem a precisa forga, nao rpcuaro na punigo dos
N. 14.Joaquim Raphael da Lina,
480 caadas, importancia........
Teado c be gado ao mea eoobeciaonto, que pe-
lo Sr. oommaodanle auperier de guarda nacional
da comarca da GaraoAuaa ra proposta e sub-
mettda a approvagodo goraroo imperial a eraa-
oio da ata um batalho oo diatrkto de Cerran-
te, portencaate a freguezia de Garanhuss, e
criminosos, fazeodo, que as leis, e os seus ex-
ecutores, sejam devidameote respeitadas.
Emquantoo Sr. Dr. Souza Leo marchar avan-
te nessa carreira honrosa, nao Cavar por certo
o abismo, em que tem deprecipitar-se, como diz
em sua arengo o A. B. C., antes ir colhen-
do os louros, de que se tornara dignos aquelles
magistrados, que, como o Sr. Dr. Souza Leo,
sabem appreciar a sua melindrosa posigo.
Quando o bomem ae acha affeclado de qual-
quer paixao, e Ihe faltam os factos contra aquel-
lo, a quem despresa os seus tiros maledicos, re-
corre s irrvengo calumniosa : assim faz o A
6. C.s respeito do iltustrado .magistrado o Sr.
Dr. Souza Leo, a quem tanta ogerisa tem esse
annimo, talvez porque oo se lenha querido
amoldar aos seus desejos, e da sucia desordeira,
e intrigante;
Vamos ao justiceiro.
Este imaginario pinta esta nossa cidade com
cores to pretas, e denegridas, que parece estar
emminente urna eathastropbe horrorosa. Mas,
Srs. Redactores, toda ella, e todo o aeu termo,
gosam de urna pat serena, e tudo marcha regu-
- (rmente.
E nem era para crer-se, que o processo ins-
taurado contra o Sr. Alexaodre Bezerra podes-
pe prodozir slmilhante efTeito ; por quaoto nio
um facto extraordinario ; e quasi todos os das
[por assim dizer) estamos ^endo, que pessoas de.
catbogdria tem -soffrido processos, urna vez que
tenham dado materia para sus formagio.
Toda essa arenga do justiceiro, se dirige a
um fim, e i o desejo da ezoneragio do Sr, Hol-
landa do cargo de delegado de polica, e dare-
mogo do Sr. Dr. Seuka leo: por que de certo
que essee senhores, como autoridades, causam
terror aos Ssaaaafnes, aos prevaricadores, e aos
falsificadores de -auto*, e a quantos Analmente
tem as titos coascieoclas pesadas de Temnos.
Esees receioj'de asaauinatos, de que falla o
justiceiro, e mais ninguem, oo passam de in-
reocdei, e tramas urdidos oor elle, e essa sucia
rez que nao estivesse soffreodo esses dissabores,
dissabores, que deixam urna oodoa indelevel na
carreira humanao labeo de as-assino.
Esse velho, ainda que viva em urna pobresa
honesta, porque oo tem tido o geito de S. S.
para enriquecer-se, mormeote depois do cholera
para c ; todava vive iodependenle dessas au-
toridades. Mas esse velho traz sempre a mira
no publico respeilavel, alias seria rico.
Consta-nos que lem jundo tres teslemuohas no
processo instaurado por ordem superior contra o
Sr. Alexandre Bezerra,de Albuquerque Barros, e
que requerendo a prescripgo do crime, fora el-
udo nao prescripio pelo Sr. juiz municipal Pe-
dro Secundino Meodes Lias, fundamentando o
sou juizo em aviso de ... de junbo de 1860 alem
de outras razes, e estamos convencidos, de que
o Sr. Dr. comprehendenJo bem a sua posigo de
magistrado, portou-se com toda aimparcialidade.
OSr. Bezerra, porm, recorreu para o Sr. Dr.
juiz de direilo Souza Leao, que dando-sede sus-
peito.subiram osautos ao Sr. Dr. juiz municipal
do termo da villa da Escada Luiz Antonio Pires,
cuja decisao ainda ignoramos.
Finalisou-se a sesso do jury no termo da Es-
cada, onde (sabemos) o Sr. Dr. juiz de direilo
Souza Leao foi mais bem recebido, que nunca,
sendo visitado e frequeotado pelas priocipaes
pessoas daquelle termo, em testemunbo de des-
mentido a urna,correspondencia do Sr. Alexandre
Bezerra de Albuquerque Barros, publicada na fo-
Iha Ordem, em que dizia que as principaes
familias daquelle termo eram inimigas desse ma-
gistrado ; publicsgo esta, de que muito se of
fenderam aquelles senhores, que nio deram po-
deres ao Sr Bezerra para lana ousadia.
Tambem sabemos que o Sr. Dr. Buarque Na-
zarelh, achando-so j isolado nesta cidade, pro-
curara partido para exercer a alvogacia na villa
da Escada,onie nao achara apoio. Diriamos ao Sr.
Dr. que melbor seria, que segutsse a tomar coa-
la do seu lugar de juiz municipal, para o cual fora
nomeado, deixando de ajuntar mais palba (como
tem ditoj para alear a fogueira da intrega
entre os habitantes desta cidade, digoos por
cerlo de melhor aorle.
Consta-nos que snle-honlem um escravo do
Sr. Alexaodre Bezerra ferira gravemente uro ra-
paz, seu feitor, por ale Ihe ter dado algumas re-
ina Jis oo servigo. Acba-ae preso o assassino.
Um rapaz engajado em casa do boticario o Sr.
Manoel Joaquim das Trevaa suicidou-so oesse
mesmo dia eoforcando-so em urna goiabeira que
existe oo quintal. Foi echado ainda sem-vivo,
mas pouco lempo leve de existencia. Ignora-se
qual a razo de tanta loucura.
A edibxaco nesla cidade ai progridiodo. Na
ra da Imporalriz, outr'ora Lagoa do Barro j
ae tem edificado no correte anno tres ca-
sas, duas j eslo cheias de fazendas seocas, o
oulra de molhados, o era continuscio de obras
duas urna a ficar acabada e outra em principio.
Daqui ae pode tirar argumento para demonstrar-
se, que a cidade nio est ameagsda de urna calaa-
tropbe horrorosa, cerno a desenhou na folba Or-
den o aaonimojusticeiro.
As eiras do gado, e de legumes tem sido bem
concorridas: o genero mais caro presentemen-
te o feijao que ae lem vendido a mil rs. e o mi-
lho a quiobentos rs. a cuia : a melhor farioba de
mandioca lavada lem-se vendido a 240 ris, a
ordinaria a 120 at 160, e a semeate de arrpa-
lo ou mamona a 400ris.
J teobo sido muito extenso : deixo o mais
para a seguinte, prometiendo-ves repeligao mais
frequeote.
O JSotioiaaor.
PUBLICA FORMA.
Illru. Sr. Jos Podro de Oliveira.Pi Ferro.
seis de abril de mil oitooentos e sesseota e um.
Por este nosso escravo chsmado Claudino,
mandar-me-ha um cooto de ris que Ihe fallei
emprestado ; porque boolem aobe qae o meu
devedor oo deu no Recife o dinheiro que devoa
casa do Bowman (ioglqzj ficaude esta servindo
para o meu amigo de documento, em como Ihe
fleo a dever a quantia cima de rs. um cont de
ris; para lh'os entregar em qualquer da que
m'os pedir, cujo cuidado terel de o fazer breve e
o quanto antes por ser isso do meu rigoroso de-
ver e obrigago.
Aproveilo o nsejo para Ihe ofleracer aqu os
meua respeilos de esliis e consideragao.De
Vmc. amigo bbrjjjadissiojp,, servo crado, Ale-
xandre".fwrrd.de Albuauerque Barros.
Recbt do Sr. Jos Ignacio de Meljo a ciuan-
tia de uro.cont de ralarisum coato de rjpp
como consta' da exigencia deata ; por verdade
passei ee por mu ptoprio p.uobe.
EngenhoTapuataai|Bi4e ju>Lho do mil oitocen-
tos e sessenta e um.Jos Pedro de Oliveira.
E mala MjvitvcqnUpbA jp^tliMU qna bem
o fielmente mande! tirar em jfubca forma dp
proprip flprigloai fszan.de entrega da mesmo a
parte que me apreselou e vai na verdade sem
cousa qna duvida faca. Resta cidade da Vic-
iara aos oito dias do mez de outubro do an-
no do oascimepto de Nosso Senhor Jess Coxislo
de mil oltocentos e sessenta eum.
Publicagoes a pedido.
AIsicjoaa.
Dufeeko.
Atienda o bomem pensador para a saaraka aja*
seguem os oossos negocios, o nella deacabrir
urna cadeia de causas e elfeitos, que tostoasa ma-
tura I mente a um deafecho prximo.
Os aconlecimentos se precipita e a maa fetal
do destino se apresaa em eaeretar ao couaae/aiu-
cias do soinuo lethargico des doas partiaoa qm
adormeceram ao som da palarra mgica do caa-
ciliago.
O partido conservador, em qoeas sesapre ad-
minaram os senlimentos generosos da lalaisatia.
e que camiohou fazeodo a raaos largas aessrfra
concesses, acaba de acordar aobrcaaliado sala
iavasao de autagooislas, que s quiseraaa ver esa
sua geoeroaidade a fraqueu e^> torrar, a aja*
por isso animados ousam atacar aa Tsdrlsa da
monarchia descuidadas em aeus poeloe.
Ao grito de alarma todoa ae preparara para
combale, ouvindo j os bymaes da tnaaapato,
que enloavam os inimigos da corda.
O mioisterio suicida, fautor de tantos aulas,
depois de harer conduzido o paiz at i bsiSsa
do abysmo, relira-ee oo momento da panga as-
tremo. As ambigdea ae deamascaraas....
Aos tribunos exaltados, aos eaaapeoee avaoU-
rosos da igualdade se sbre de repente aasa oaa-
sagem ao poder; bomeos cegos da ambicio aba-
lem as armas, que Ihe foram confiada* para ato-
tender a corda imperial, e acenam 4
hasteando um pendi de fraternizadaa
mas felizmente para o paiz estes eram
e o reato do grande partido conservalor
f e confia nga orTerece urna mu ralba da
contra as pbalanges aoarebistas; s liga
o poder conservador coosolidou-se dapois da
lula eocarnigada na qual elle procurara ap__
defender a sua existencia rodeada de perigos isa-
mensos, que o asaaltavam de lodos os lados;
sua corage*m, teoacidade e enrgica perseveraaca
o salvaram ; seu tino, perspicacia e finura o ir-
maram ; elle marcha desembarazado, osai
se diga como para assegura-los liga
poesa, um sooho.
A liga foi um aoobo, urna fiegao, mas sato Acca
encerr um facto histrico da maia alu impor-
tancia, esta fbula de partido exprime aa
de moralidade ; ella ensina a lamer a i
incommeosuravel de certos horneas a quem a
prudencia confiou grandes poderes, e do qual
podem abusar na primeira occasio que sa Ibes
offerecer a urna elevigio sem limites!....
Esta phantasia deve estar sempre presente aos
nossos homens de estado, o se a porderam ato
vista a monarchia ser arrojada a um abysmo.
Nem serapre preciso sor dotado de espirito
prophelico, ter graadee coobecimeoios e largas
vistas polticas para reconhecer a aoleco da ar-
tos problemas, baila ter coaviecoa besa Braza-
das, cohecer certos principios, asa saaaa da
criterio psrs exsmiuar o pasudo e osmaisa-to
com um cerlo passoal para enunciar a r arded a
Observe o poder com a mais aovara attoaefe>
para ease pbaotasma, que deapedaea asa a asa
todas as folbas de um pacto sagrado, circuala-
Ihe a fronte urna nuvem sombra ; a lamhsaaea
do poder que lbe esespou, o qual contemple cam
vida e devorante ambicio; inquieto, aguada
elle revolve em e* espirito mil planos da am-
bicio. Cuidado I Nao eaqooca iimaia qaa maa
sioislra se esteodeu, dando um stgaal morial ooav-
tra o isio daquelles que aleataram asas trala
phantismaa liga mallograda.
Ella foi supplantada, ou ao daspreza pala aaa
impotencia ; es nomes com que sa aaebartaa poca
denegrir-nos servem para palenlaar i iui ai i.
A/odaracoo; nos de cerlo carecemos da
ragao, que os homens da liga procuram
irar nos aotigos demagogos, aos I
prema razo do fuzil em todoa es
por certo calecemos da moderacio
Otionis.
Nio se percam de vial .toas madurados,
elles eogroseou a aoareaia e a luU vai ser
aira ; alteadam as hmeos pensadores
cadeia de fados, que se prelesgs desdo
remolas pocas al o presenta, cambias as asa-
ses e as pessoss, e diri depois da tastos a lia
multiplicados catacamas aproxima-ee am aaa-
fecbo a coosagracao de asases paisrigtoa:
para isso ha urna grande neoessidada da caaator
nos futuros operarios de noasa reorsjaaisagaa as
utico.
Carlos aenlimenloa por msis
posiam ser, nio podem deixar da
quando teem desapparectdo
ctop; as coBcessoas generosas
apaoagio do oosao partida, moaagsra qadotaos
concesses oa aoarcbisUs t'raram torca sata Su-
putar-nos o poder, agora, que coas ti
toes se acharo armados e podereaoa, a_____
uas orgas com os tranafagu da liga, a aaa
cumpre fazw ?
Muoi-los da mais armas, melaorar ss asa pa-
ngoes ? E isto quando enrisUm coaUa ais asas
langas, quando s anarehu argaaado aaa
.

ato rto-
alii'o oa cmara Um potaria .
chefe doa saas ceulota Ottosi,
no sonado pala fusilada as
conde Albuquerquo l
Nio maia lempo da
E lempo tof"
toaMwHiWyaaL-
reaitaaram aosaa pooumanto poMlisa, 41
rea mar oe r encada ru Sata provtooa, ama aa-
cupam o lugar doa veocldoe, lampa a um
41 ntji a r ll iMuina^M nUflM A
"W^^^M* ^a-^^^m^ma^aar |
ato


JMttua
i
k>
un occupar na lo
por administracS
Toda e qualau
pode ser tolerada.
team eabulhados
toras, a anarchistas.
tencia a-esse direilo oao4o
munit,
Trata-se de remjr as famitias a quem ae a,rjn-
tou o pao ; e se os vencidos continuaren)
manter oas poaicoea dos veopedoras, extiaguir-
mis ae ha de querefesjMkjsjaftjparigos e privsc*ea
pan ceder os aeua *1trnitnif |y veoiijioa.
CutiMMiiydeverdeTislgadoa. Sise desfeebo
4 ofaUiel, nao ha que recaar.
T
Diario das iegotu) C, C_
ajamaa-^pmmmmm-
IOMMKKCIO
ffoVt'haco ^?fternmboo.
0 bmiO'faga o 'gjftidehdo- de Hty
fMr tngjfl rea tiraba semestre fiado
em 51 et^otto prximo passado.
A. eiree-toria da caixa filial tem deliberado
snaycat o e*o de 30 das para o recoLhirnealo
deasedulas de 200000, fiado os quaes estaro
aujeitaa^dffkcooto mensal progressivo de 10 0/0
d*conformidade com o decreto n. 2664 de 10-de
eeSut>re-Vt8*/). Recite 10 do outubro da-1861.
O secretario termo, Luiz de Moraes Gomes Fer-
Ylfandeajra.
aecimeftto do dial a 15. 285:8141092
ttam Thxttt-16. w^ 32991pSl
3188069623
Havluieiito 4a alfandega.
Volun}entradoatoiu fazendas..
torageneroa..
Valuases sahidos. c-mb fazendas.. 8
c com getwros.. 127
216
Desearreaam hoje 17 da outubro
Brigue luglezElisabet M. Lila tncalho.
Brigue eglezAnrn Sereoeidena.
Brigue iogleSyreoepolora.
Mease*dtoria de rendas lateraas
reraes de Pernaanhueo
Rendimento do dia 1 a 15. 1:380J888
Ideo da dt 16......; 4 3099000
Consolad provincial.
Raadtmeato do da 1
dem do da 16.
a 15.
23:6939150
2:474981
26:170*131
TtoTmnto4o prto7
navios enlradot no da 16.
1*a*Now38 dias. brigue inglez. Titania, da
219 tooeladaa, capillo John Congdon, equipa-
ge m 11, carga 2830 barricas) com bacalbo ; a
Johnslon Paler 4 C. >
Liverpool4i dias. barca iogleza Favorita, de
254 toneladas, capito Joba L. Pintn, equipa-
em 12, carga fazendas e putroi geueros: a
Heory Gibson. \
Philadelphia37 dias, barca americana Attlia,
de 245 tooeladas, capito r W. Kerlio, equi-
pagem 10, cargar 2186 b- i com farioha de
trigo e outros gen- Matheus Austio
G. i
iVaoioa sahidos tu mismo dia.
BarcelonaBrigue heapafthol India, capito Joo
Pl, carga coaros. /
LiverpoolBrigue inglejz Barkhill, capitio Gref-
th, carga asaucar.
ce
a.
/[ Horas.
a
8
, kthmosph
tra
pa vi
CO V)
3
S
en
o
o
CO
o
o
a
3'
t\recao.
*tensidads.


2 ^ I Fbrtnhsit.
5a ?*
S
?O
o
O

ti
-1
S ICnt
I Hygro-faetro.
| cSSm hydro-
mtl'j-irj?.



S5
00
o
ce
S
O
w
o
Vj
os
Anoita clara
00
o
o
w
Franca*.
fnglts.
o
ee
ce
n
o> pa
o B
= H
H C
i
o
a principio e depoia de pequeos
agoaeeiros, vento NE que rondou para o terral.
oaaik(lo DA MAR.
Preamar as 1 h. 3Cf da tarda, altura 5 6 o.
Baiia-mar as 7 h. 18' da manhaa, altura 1,2 p.
tUbroSdre,rV86r! ^ "'*** de marinha- 16 de ou-
R0KAN0 STEPPLB,
1 tenente.
Editaes.
O Illm. Sr.
inspector da thesouraria pro-
vincial em virlaae de reaolueao, da juota da/a-
zenda, mauda (azar publico, que do dia 24 do
orreuw. perante a referida juota, val novamen-
te a praca para ser arrematado aqaem por me-
nos zer o forneclmento daa fazendas
abaixo declarados.
e objectos
300 iat% de panno de linho.
200 toalhas de rosto e de baoho.
200 (raohas.
10 duzias de lngos braceos.
9 ditaa de guardaoapos.
100 cobertores de algodo.
12pratoa (ditos travesso) forados do loucs vi-
brada.
1 moinho de caf.
1 batanea para pezar a carne e o pao.
24 bacias de folha piolada para lavar rosto.
24 pratos de folha para farioha.
4 bancos de 4 ou 5 varas.d comprmanlo '
E para cobsUe se mandou afflsar o presenta/ a
publicar palo Otoo. K- J
Seeietaria da Ihesouuria proviiiclal de Par-
nambuco 12 da outubro de 1861.
O secretario,
n A'. Ferreira o'AnnooctacSo.
Olilm.Sr. inspector da ithesoarria.pro-
vioeial. em oumprimenlo da resoloco da junta
da fazenda, manda fazer publico que, no dia 24
de correntaoeranta a meara* jonta, vai nova-
mente a praca para ser arrematado a quem maior
prego onerec**, un piano que existe no colleaio
orphaas.
vendo amjwamolar as. funccOes douftargo de
contador e o ojitro as de disttbfidosV a fim de
oa te4*B4tntf8!e.iia*elitNave praiialein os
seu ra^iefia^ia*. liia^uldos^a^raiVdo-decro-
to n. 517 de3uYde agosto de 1851, e aviso n. 252
fl>.3ft*a. dMWo,dal66t, da^mw da Mas,
Qotadas l lamo RodiigiiM GfaavM.
A oasaara Dsuatdpai da, dada de Racife-faz
pafelieo para coas^aimanto- de seas,, maufcioes
que racebaa da Kxm. pteaidenla da prolacia o.
offieaabaue transcripU)^ ao-ajual acampanha a
ralecas dojpcodat, qaapadas jrBraassi*a>
daa naat* ssaaucipio, aeitMaa^aa iodos conearr
tram para que o convite da goveroo da pwviocia
produaa o dasejado effeilo, e est prompta a dar
lo Jo i os esclarec rajen tos, e spresepiar todo o au
xilioqne, dU deieoer -para que se realiae tao
til ensaio, o qiwl tera lufta/.na da 7 de novem-,
bro. prximo fututo, com tx certo o segundo
offlcio de S. Exc. de 18'o correte, tambem a-
baixo transcripto.
Pagoi dM*ra muici pal da actfe. em ses-
so ordinaria de 16 de setembre de 1861.Luii
Francisco de Barros Reg presidente, Francisco
Canuto da Boa-viagem officisk maior aerviodo de
80CrO%VTlO*
4.* secco. Palacio do governo de Pernam-
buco, em 4 de setembro de 1861. Deveodo ter
lugar nesla cidade no dia 2 de dezembro ind*u-
ro, no palacio daajoveroo, urna exposigao dos
productos naturaes e iodustriaes desta provincia
e das que,lhe sao limilrophes, ou, Iba. fleam. mai
prximas ; de conformidade com as ordena im-
penaes, recommendo acamara municipal do Re-
cife, ojie, fazendo chegar eaU noticia an cooae-
cimeolo de todos os seos municipes, procure por
todos os meios ao seu alcance anima-loe do da-
sejo de coacorrerem para a referida exposico
com os productos,, que all pdem figurar e se
acham especificados no calhalogo annexo as ins-
trucgdes de que remette d incluso exempbr im-
presso ; fizendo-lbes essa cmara ver as grandes
vauagens. que ho de resultar da referida expo-
sigo, oo sd para a agricultura, mas tambem
para.a industriado paiz, como um dos mais con-
venientes meios de aoiraagao para o desenrolvi-
meoto de tao importantes (optes de riqueza ua-
cional, a que o governo presta a mJia seria at-
tengao, contando com o coucurso de todos os ci-
dados. e especialmente das municipalidades ao
empenho de.preencherem por este modo um dos
pnneipaes fina desua iusliluigo.Antonio Mar-
colino Nunea Goncalves.
4/ secQo.Palacio do governo de Peroambu-
co, em 13 de setembro de 1861.Declarando-me
o Exm. Sr. minblro da agricultura, commercio
e obras publicas em aviso, expedidoj am 19 de
agosto ultimo, sob n. 18, que a exposico desta
provincia deve ter lugar no mez de. novembro, e
nao em dezembro. como por engao se diz as
instrucgei, de que remed a cmara municipal
da cidade do Recife um exemplar impresso am
officio de 4 do correle, apresso-me a communi-
cara mesma cmara em additamenlono meu ci-
tado offlcio, que a expoaicAo ser aberla nesta
cidade no dia 7 de novembro prximo viodouro.
Antonio Marcellino Nuces Goncalves.
A cmara municipal do Recife faz publico
ara conhecimento de aeus municipes o officio
baixo transcripto,que recebeu do Exm. presidenta
aa provincia, e couvida-os a que, prestando tode
aitengao para a recommeodacao de S. Exc,
lagam de aua parte quanto lhea for-possivel para
que a cultura do algodo, e do trigo neate muni-
cipioi se deaenvolva de modo que posss dar um
resultado satisfactorio, visto como pelas diseogoes
que se tem manifeatado nos Estados-Unidos ds
America do Norte, a cultura deates gneros deva
necesariamente proporcionar grandes vantageos
quelles que ella se dedicarem.
A meama cmara, pois, espera de aeus muni-
cipes que nao deixarao de attender esta recora-
mendagao, empregaodo seos esforgos para to
til Qm do qual graodes vantagens devem resul-
tar para o paiz.
Pago da cmara muoicipal do Recife em sesso
ordinaria de 16 de setembro de 1861 .Luiz: Fran-
cisco de Barros Reg, presidente.Francisco Ca-
nuto da Boaviagem, offlcial maior servindo de
aecre tarro.
Quarta secgo.Palacio do governo de Per-
nambuco em 10 de setembro de 1861.
A cmara municipal da cidade do Recie j de-
ve ter noticia das diseogoes civis, que actual-
mente agitara os Estados-Unidos da America do
Norte, e que a guerra eotre elles aleada, nao po-
de deixar do ter prejudicado grandemente todos
so seus trabSlbos agricolas, resultando d'ahi, co-
mo facilmeotA ae comprehende, nao s a escas-
aezdosartigos desua produccao, seoSo tambem
e como comsequencia necesaaria a elevagodo
prego de cada um del les.
Sendo os Estados-Unidos da America do Nor-
te o paiz, d'onde se exporta a maior parte do al-
godo que alimenta as grandes manufacturas da
Europa, e especialmente as da Inglaterra, e bem
assim o trigo consumido no Brasil, a lata, que
hoje pertuba quelles estados, deva necessaria^
mente acarrelar urna crise, que de receiar nao
se tnresaerar rouito, por sso que, segundo in-
.rmagoef minuciosas, se ha verificado que a cul-
tura do alfcodao naquelles paizes tem deflnhado
consideTafcelmente, e a exportago do trigo, e de
outros ceeaes para o Brasil tem decrescido tam-
bem na mesma proporgo.
Convidb prevenir as serias difflculdades que
semelnaojte estado de cousas nos pode trazer
vou chardar sobre assumpto to importante a at-
tengaodaj cmara municipal da cidade do Recife
para que! dando mais urna prova do seu patrio-
tismo, jprocure persuadir aos lavradores, seu
municipjs, a conveniencia, ou entesa necessida-
de, de se promover na maior escala possivel;
nao s a cultura do algodo, que esta provincU
ja porta, mas nao em quantidade correspon-
dente fertilidade e prosperidade do terreno
seno tambem a do trigo, que to satisfactoria-
mente produz nesta provincia, como o tem de-
monstrado d versas experiencias, ponderando-
ibes ao mesmo teffipo a opportuuidade que as
circumstoncias actuaes Ibes propofoionam de au-
fenrem gr-.-'es vantageos e lucros certas dos
eirorgost r empregsrtm nesse numero de in-
qubi riflSa
O nosao alodio, por sua qualidade superior,
goza do maior aprego e procura nos morcados es-
irangei^os, e o trigo que agora coovm cultivar
como iimamedida de>prevengi.o, pode vira ser
mais urna fonte abundante ds riqueza, que in-
demnisando geoerosameote os saaricios- que
*oje rherenr os nossos lavradores desenvolver
los recursos do paiz e augmentar no futuro o
bem estar da populago.
Esta presidencia confia que a cmara munici-
psl do Recife, aeompauhaudo o governo oeste
pensamento, se sentir bastante animada para
promover por todos os meios ao seu alcance o
maior desenvolvimenla possivel da industria
agrcola do sen municipio, relativamente cultu-
ra dos dous gneros, que me tenho referido
cumprindo que me d conhecimento da quanto
tOr obteodo em desempenho das recommends-
goes, que Ihe ficam trawmiltidas.Antonio Afar-
celm mines Goncalves.
afflxar o presente e
de Per-
das
E paraxoaaiar sa mandn
publicar pelo Diario.
Secretaria da thesouraria provincial
ambuco, 12 de outubro de 1861.
" O secretario
A. Ferreira d'Annuneiagao.
O Illm. Sr. inspector d thesouraria. provin-
lal, em urapritaento da retollico da junta da
^y**11** fezer vqbllco qae-no dia 1 de
BMveatora prxima fulnro vii novamente a pra-
1L2Z ***> a ^uein- maior prego of-
faraear o resMimento des impostes de 8 e 4 /
creadbajeiaslllOe fT do ir?. 4^d.'le?proin*-
cul o.5Ooo*uirirpios#gaintta" *
Boalto.
'Garaahuas.
ikwas!.
*oa-Vi8*e.
Brajo vKIfttrbres,
t mimHju. |fflt- o presente a
JHWWrr iM-thati.
Secretaria d IbesmrtSris
aarSJwea; Iffde oulubro de
a. F. da AoiMHTrfaaa
vi
de Perr
secretario^
7*iRiaatit
para esnbettmeoto
qutfao'srftaa sAnrataSo bs-doaVofiof"
"*t son de-
t p*vi*in m to&it iii
l>eclara^6-s.
CoDselhe administralivo.
O cooselho admioistrativo, para foraaeimenlo
do arsenal de guerra, tem de comprar os obiec-
loa seguintes: '
Para fornecimeato da pharmacia do hospital
, militar,
lidad ^ usac"re6o,d de primera qua-
2 copos de graduar de 16 ongas
2. ditos de graduar de 8 oncas.
, 4 libras da nos de galha.
40 libras de vinho branco
lldade.
Para
guerraj.
1 machina para brocar ierro,
5 libras de esmeril.
de primera qua-
proviment do armazem do arsaaal da
a.rrobasdeiia^em barra.
10 mUheirosdapregoaripsaa da^errfc
10d.to^,dje,dita.h8>lais^eq.aOlla: .
1 arroha.daaerclo.
Pa^BWaahWdenc*MUasia.d iiobsw -. .,i'
llespsdaaMmJjainkaadaiVfro. ,
Qutm qaiser vendar taaa. objectos ,jia*eseaie as T
coaaalho, a 10 horas da man*iaLdoidisti214o
"7 >! uMtjbaacia da kaaaaaia da Basta
Antonio J^m^m^S*^ko i caaa da
a^leoco Be-rirM. iMt/sii^Ssfo de Jusa-
* **,ul *"]t**/*'**,tt*l>ttuA*''*>***ln*>*
dsliajado VUlais.
-. Pvasarepsrlioaasafaaaaas^aaa.aqaMjliea
dos seohoraa prafaaaoraa e orobaacraav diaaata-
; direatorsa de estaAalecimajilas partiauiaraa
de lostrucgao primaria e secundaria da praviae
que anda, MftMadarfl| os mappas de seos
alumnos, relativo* so tercro trimestre prximo
^ddi qua o de vario impreterivelmenSe fazar at
ola de correte mei, sao pesa de sern mal-
fna forn,a ,,t- 10 d lfl regulsmeolar
n. M9 ,je 14 de rnaio de 1855.
Sattatariado-instrargo publica da Pernambu-
co 15 de oulubro de 1861.O secretario interino,
CJ: Salvador Henriquada Albuquerque.
-- Pela capitania do-porte se tas publico que
no da 20 do correte se ha da queimar o casco
do navio Emma Eugenia, que se acha em des-
maacho junto a ilha da Nogueiva. Capitana do
porte dePernembuco 10 de outubro de 1861.O
secretario, J. P. B. de Mello Rege.

A commiiaao directora da EXPOSI-
CO' agrcola e industrial, que tera' lu-
gar no palacio do governo no d!a T de
novembro viodouro; majada pelo pre-
sente fazer publico que no dia. 26 de
outubro prximo comecaavao a ser all
recebido os objectos que tenbam de ti
gurar na mencionada EXPOSICA'O.
SaJa das sesses da commissao 20 de se-
tembro de 1861___O secretario,
Joaquim Pires Machado Portella.
Avisos mantimoii.
P^r em direitura.
Segu com brevidade o veleiro brigue escuna
riraciosa, capito Joo /os de Souza, por ter
prompta grande parle do carregamento : para o
oralo trata-se com os consignatarios Almeida
Gomes, Alves 4 C, ra da Cruz n. 27.

GOHPaHBIi PltmiBCGAIU
DE
Navegado costeira a vapor
O vapor Persinunga, commandante Moura, sa-
hir para os portos do sul de sua escala no dia
ldo correte aa 4 horas da tarde. Recebe car-
ga at o dia 18 ao meio dia. Encommendas, pas-
sageiroa e dinheiro a frete al o dia da sahida a
2 horas : escriptorio no Forte do Mallos n. 1
O hiate quem quuararregar, leudo licenga do goveroo,
dirija-se ao p do trapiche do algoilo, a fallar
com o capito.
Rio de Janeiro
segu com muita brevidade por ter parta da car-
ga tratada o palliable Piedades, capite Mar-
ques Visana : para o resto da carga e escravos a
frete, trata-se con Caeaano Cyrraco da C. M &
Irmo, no lado do Corpo Santo n. 23.
Brigue nacional Veloz.
Recebe gneros estrangelroa para o Rio de Ja-
oeiro.
Para o Ass
segu em poneos dias o hiate Camaragibe. mes-
tre Virginio Jusiiniano dos Santos ; pata carga e
passagmros. trats-se na ra do Vigario n. 5.
Para o Aracay
segu em poucos dias o hiate aBeberibei), mestre
Beroardino Jos Baodeira ; para carga e passa-
gelres, trata-se na ra do Vigario o. 5.
Cear e Acaracu\
Segu nesteadia3 0 hiate Sobralense, capiUo
Ratis, recebe carga e passageiros ; a tratar com
Caetano Cynaco da C. M. & Irmo, no lado do
Gorpo Santo n. 23.
Aracaty.
O hiate Aracaty, mestre Joo Uenrique de
Almeida, segu por estes dous dias para Araca-
ty: para carregar e passageiros, trata-se com Tas-
so Irmao.
L& O palhabote nacional Dous Amigos, capito
Francisco Jos de Aranjo, segu para a Babia em
poucos das ; para o resto da carga que lhe falta
trata-se com seu consignatario Francisco L. o'
Aievedo. aa ra da Madre de Dos n. 12.
Para
Rio de Janeiro,
pretende seguir com muita brevidade o brigue
nacional Veloz, tem; paite de sen carregamen-
to prompto : para o resto que lhe falta, trata-ae
com o seu consignatario Azevedo- Si Hendes. no
seu escriptorio, ruada Cruz n. 1.
COHPANHIA PEMBIJCaIU
1.4e
dari
xo
thers&C,
tuari o
tajereodo) os prelandsaift ao-
, ^/' dftcommerciq, onde ae effee-
lellio no dia e hora aeima mencionado.
K \<*m a voaiade Ao

comprad*!*.
Sexta-feira 18 do cor rente as 10 horas
em ponto a o correr dor m artel lo.
O agente Guimares; nao hvendo reallaado
como annunciou para o dia 12 do correte,
J6. h! if.U? Molet com arreios, de dous car-
ELv-i a '** de ,RUD8 P>'toU que Acarara
de reslo, de novo levar ludo iato era leilao no
da e hora cima indicado em seu armazem na
rus do Imperador (oa'ora ra da Cdeia) n. 37;
Vvs.im como
de urna factura chapelinaa de apurado gosto.
Si^.?1,Po"a 9 Urnp. dtt fesl". e POf!"
t.'rf! our? coosislodo em (indos aneis com
inscripgoes. palceiras, roaetas, ainneles. botes
de aberlara e punbos, correotes e diversas pre-
ciosidades.
offerece aos concurrentes um completo sorti-
mento de perfumarlas dos melhores fabricantes e
terminar o seu leilp com diversos movis, so-
bresahindo entre ellas urna riquissima cama mo-
derna da mogoo de apurados lavrores propria
poranoivosquaqueirampossuir tio importante
pega.
correte
Matheus, Austin 4 C., faro leilao por nter-
vengao do agente Oliveira por conta e risco de
quem perteoce/, de cerca de 300 barricas de fa-
rinha de trigo de diferentes marcas araadas a
bordo da barca americana Union, capito
Heard, nasua recente viagem de Philadelnhia
com destino a este porto ;
Sabbadol9
do crrante, ao meio dia em pooto, no armazem
dos raesmoa sito na rus da Senzala Velha n. 108.
LEILO
Segunda -feira 21 docorrente.
PELO AGENTE
Navegac costeira a vapor
Parahiba, Rio Grande do Norte, Uta-
cao do Asiu'. Aracaty,. Ceara'
e Acaracu'.
O vapor Iguarass, commandante Vianns
sshiri para, os portos tdo norte at o Acarac
no dia-tdo crrante mez s 4 boras da tarde.
Recebe carga at o dia ti' ao meio da. En-
comiendas, pasaagairoaedinheiro airela al o
dU da sahtde es 2 horas: escriptorio no Forte
do altos a*. 1'.
Sshe mpreterivelmeate no da 21 do cor-
rente, par Aracaty o Mate Invencivel, por ter
a maior parte da seu carregamento promnto ;
quem qanier caTremfr oa Irde passagem, dir-
jale a ra da Ssnzalla-velha n. itO.V iaArrm
tratar coa Jos Jbaqoim Alvea da Stlva.
i
arrela aaez.
SaJa. das aasses da aaosatto: adsainistrativa,
at? '" -""* "r*A
CaroDetpeeaidaata.
V*m**pJ*mimim.>n*itmtLobo,
Coronel rogal
Quiata-feiira'17 do cerrente a
1 hora da tarde.
Prnto-far* iWto-d* uta
te*f^*ssss?^f >*>i >sd>
0 mencionadp agente autorisado pele Sr. Ma-
noel Pedro de Oliveira, far leilo no referido
dh pelas 10 boras da manhaa
DE
lmalo, gneros nei-
lences d* t^beraa a.
W3P da raa ttireiu,
coeforme o balaogo em poder do mesmo ageote
e deveodo elJeciuar-se o dito leilo na propria
taberna annunciada.
50 ARa da Gadeia do Recite50 A
y^" Manoel Goncalves de
Oliveira Santos est vndenlo para acabar colla-
nnhos de lioho e fustoes com dous buldes para
enhora pelo baratissimo proco de 600 rs. cada
um.
Queijos flamengos
Brender a Brandis & C. farSo leil5o
por intervencao do agente Pinto, d", 10
caixascom queijos flamengos chegados
antes de hontem no vapor rancez Bearn
as 10 horas em ponto de hoje, a porta
do armazem do Sr. Annes em frente da
altandega.
Continuacao do leilo
SEM LIMITES.
Sexta-feira- 18 do corrente
RA DA CRUZ N. 15.
O agente Antunes continuara' a ven
der sem limite de preqo para acabar o
restlos objectos americanos como se-
jam : dous carros para passeios, carro-
cas, machinas diversas, bombas para
jardins e cacimba, lanternas, lampides
detodbsos feitios, malas, saceos para
viagem, ricos apparelhos de metal, fru-
teiras, copos, porta licores, garfos, fa-
cas ecolheres pmteadas, secretaria, ca-
mas para canal, cadeiras le pao e palha,
raarquezas, sabao em caixinhas, sabo-
netes e
TAMBEM
relogios suissos e charutos de Ha va na.
No dia cima designado as 11 horas
em ponto. ^^
LElUO.
O agente flyppollto fara' lfeilao sab
bado as 11 horas da manhaa, na alfan
dega desta provincia, por conta de
3uem perteacer ett> presenca do cnsul
eS. M. Britaruca, de ama partida de
fazendas avariadas rindas de Londres
na barca ingleza Lima, condemnada l-
timamente:
Segfroa andar do.-.aofndiT tifis S^U^S^OSS
ra das Cruzes n. S8,
" Cuta Carralbo,honrado coas -a* q i-, _
^^do.Sr,.Paro^ieloraJaeobrdeiJ^^^
.*arteauX.fttva7^, de todbsMo, Wu ^uP5*5.4!5t
O aa^nta-Prnto-ft* iWtlo- d uta carro de ti PHta^niL ffuardm veitdlr com eloe
- ZTJmZ, lahrAatV m^HU.- i^^-
navais, consstiado> em ffnspd lotica^ j
te^pe-
mmm>
Uvar-se a escova, admillindo-ss tmaiaTfmW Ubr^'es^fit; t^TlrUs:durU ul.
objectos que estrao pasten tes no
llBioras em ponto,
tambem vender' um cavallo cora an4
dares e um eicravo. p^roprio para seryi*
ca|d oampo a diversas obmmk curo 0
dua ncal espn^rdasJe 9 caaos.
Sssss? bb- ssV ^m
No segundo anda do som-
brado numero 8 da ra
da Cruz.
Quin&-^eiv5vl7 efe torrente.
Aotunos aetorisa lo por urna pesaoa que se re-
lira para fara da previoci, vender no aobrado
da ra de Croa n. 18, segundo andar, todos os
movis aht existentes como sejara : riea-mobilia
de Jacaranda com lampos de marmore, urna d"u-
tra deseregeira tamben* eom podra, camas, ca-
denas, mesa elstica, loacas, vidros, apparelhos
para cha e jantar, candelabros, serpentinas, apa-
radores, trena de cminh'e etc., etc.
Assim como
urna escrava de muitos* bons ceslumes, moca,
perfeita cosioheira, engommadeira e doceira, aa
11 huras em ponto do referido-dia.
especialidad as
armada
Atisos diyersos.
Attenco.
_ Havendo inconveniencia na venda dos
bilhetes do dia da extraccao avisa-te aa
respeitavel publico que de hora em
diante nao havero bilhetes a venda nos
referidos das do andamento das rodas e
so mente at a vespera as 10 horas da
WHte. O tbesoureiro,
A. J. R. de Souza.
L0TIBI4
Terqa-feira 22 do corrente andarao
impreteiivelmente as rodas da terceira
parte da primera lotera a beneficio da
matriz de S. Lourenco da Matta. Os
bilhetes e meios bilhetes se acham a
venda na thesouraria das loterias ra
do Crespo n. 15 e as casas commissio
nadas. Assortes de 6:0<$e de 3:0000
serao pagas 3 dias depois da extraccao
e as outras a entrega das listas.
O thesoureiro,
Antonio Jos Rodrigues de Souza.
_ Precjsa-se de" laOlft a juros que se con ven-
cionar, dando-se para garante do dinheiro urna
escrava que sabe cozinhar o diario de urna casa,
lavare veoder na ra,cojo ser'vijo flcar para in-
demnisacao da quanlia e juros ; a tratar na ra
do Fogo n. 22.

O paure },j juiuo de Arago huu, U.
Caddidade Arago Pereira de Mello e Luit
l'ereira da Mello, agraJecem cordialmente
aos Rvms. Srs. vigario e mais dignos sa-
cerdotes, assim como a alguos Illms. Srs.
seculares da reguezia de Santo Amaro de
Jaboalio, o obsequio que se digoaram de
Ihes prestar acompaobando da supradita
freguezia para o cemilerio publico do Re-
cife os restos mortaes de sua sempre cho-
rada e mui presida uie e aogra D. An
Mara do Carmo, e Ihes roga de novo o
mesmo obsequio no stimo dia em que
, tem de faterem celebrar pelo seu repouso
..eterno missi e memento solemnes na igre-
ja matriz da referida freguezia de Jaboato.
AVISO
de N.
limaos
S.
da
O secretario da irmandade
do Terco convida a todos os
mesma para reuniSo de mesa geral, do-
mingo 20 do corrente, as 10 horas da
manhaa, no consistorio da igreja, afim
de se proceder a eleicSo da mesa rege-
djra que tem de funectonar no anno fu-
turo.
- O Dr. Ignacio Firmo Xavier, ten-
do^orgaaisado a sua casa de saude sita
na Passagem da Magdalena, tendo de
visita-la diariamente, all dar' consul-
tas todos os dias das 8 horas da manhaa
ao meio dia e acudir' a qualquer cha-
mado, sendo as consultas e os remedios
dados aos pobres gratuitamente.
Importante
Aviso
Na loja de4 portea da ra de Queisoade fl
acna-se um grande rmate cosa toda a
manto da roopas feitaa, para cajo Oa toa
tado urna ofiBcioe de aHaiate, astoada aaac.
do delta um pevieito mastre viada da 'Irisa' aa
ra desampenhar toda a qualquer obra ee m satt
aqeouaaaode j por iaae que faz m coarHa
sial a todas as pessoas .com
Illms. Srs, offlciaes tanto d*
exercito.
Fai-se fardas, fardoes cea aui
e muito bem feitas, tombem Irata-aa fwr a tor-
damaoto lodo completo conforma se asa aa Bw
de Janeiro, Unto que tem os fi>oriaua qm
t vieram ; alm dlaao faz-se mais casaae?
para monlaria, frdelas ou iaqaetaa kai
eolleas a militar para oa Srs. ajodaotoa (
do maior a de avallara, quer acia lina.lo,
bordados a espeqeilha deoaro ou prai iad# J
gosto da Europa, tambem prepera-ae bacas par
desembar.dorea e da q.alq.erj^ ,**.*
estylode Coimbra aonde se fazem u aaelkwrva
eoohecidas al hoje, assim como tea asalo ricas
desaahos a matiz de todaaaa coras proartot aara
tarda ment da pageos ou criados da libr Vea
far pelo gosto fraoeeza. Ni meama casi *T
carrega-se de foaer para meninos JMaalaa
franceza bordadas ao mesmo gosto Altoacaadr.
que por tudo se fica responsavel caaa sais
fazendas, bem leito e boa corto, oda se bita n
da que se prometter. segando sy.tema a'o^a
veio o mestre. pois espara a honrosa viatoi
dignos senhores visto a.a nada perder >
penmentar. asi es>-
Na loja d'agoia de ooro. roa do Cabac n. 1 B
recebeu um completo sovlimeato da gslliab.s d
missanga. gando datadas aseores v"numm%mm
Cals Jnior, socio da easa de Cala Irmar
rntorH.,B" "T? F"n?. *.od.C<:
bailante Coloablez com proeur^ao
Angosto Colombiez vai fazer ama vtes
em rran;a.
* ~7.l,r,!ci"-se de um criado
de 12 a naos de Hade, paga-a
tratir na ra Augusta o. 17.
,r/5"H 8UB<1 beta.! 8*rW : tur~ rus o. 13. to-
i Attengo.
rana o 59, onde se vende caibroi, eoiasaai*
maos travessas e travejameolo, mais barata d
que tem vendido.
SYSTB HA MEDICO DE IIOLLOWAY
PILULAS HOLLWOTA.
Este nestimsvel especifico, composto olara-
mente de hervas medicinaos, nao cooim mercu-
rio nem algurna outra substancia deleeieria. Be-
nigno mais tenra infancia, e a com pie icio mais
delicada, igualmente prompto e seguro pasa
desaneiger o mal na compltele ans robusta;
enieiramente innocente em suas opersedese af-
feitos; pois busca e remove ss doan^as da qual-
quer especie e grao por mais antigs e laoazes
qu^ sejara. _
Entre milhares de pessoas curadas con este
remedio, muitas que j estavam s portss da
. morle, preservando em seu uso conseguirn
recobrar a saude e foTeas, depois da nevar tenta-
do inultimente lodos os outros remedios.
As mais afflictas nao devem entregar-te a sise-
espera^o; facara um complanla ensaio doa
effieszes effeitos desta assombrou medicina, o
prestes recuperarlo o beneficio da sanda.
Nao se perca lempo em lomar este re
para qualquer das segu nas enfermidades ;
livre ou captiva,
bem ordenado : a
Accidentes epilpticos.
Alporcas.
Ampolas.
A reas ( mal de) .
Asinina.
Clicas.
Convulses.
Debilidade ou extenua-
rlo.
Debilidade

9
9

9

1 bacharel Witruvio po-
de ser procurado na ra
Nova o. 23, sobrado da es-
quina que volta para a
camboa do Carmo.
i
i
u*
Febrelo da especie.
Gotia.
Hemorrhoidss.
Hylropesia.
Ictericia.
fndigesles.
Infla mmaces.
Irregularidades de
menstruacio.
Lombrigas da toda es-
pecie.
Mal de pedra.
Manchas na cutis,
Absiruccao do veatre.
Phtjrsica ou caasamp-
5o pulmonar.
Desafio.
A essa cousa qualquer que ella aejs, que re-
corra aonde recorreu, (para ae occupar da quem
tal vez nao se le robre desse nojento, e asqueroso
verme,} e declare aeu nome, ae acaao o tem,
aom de saber eom quem lido, porque nao sei
mesmo se valer apena de occupar este pequeo
espaco de papel por tal cousa, mas anda assim.
desejo coohece-lo, para de perto conversarmos,
pois so assim satisfar! o desejo que tenho, que
e de fate-lo despejar o que tem no co da boc-
ea, e dar-lhe mais um bolo para desta maneira o
easinar a conhecer o que taz0 qartiobeiro.
Perdeu-sa urna letra da quanlia de 118fi000
saccada em,8de agosto de 1861, a dous mezes,
por L. Pugre aceita pelo Sr. Miguel Baplista da
Costa, vencid.em8deste mea de.outubro, a qual
tica de neohm valor, tendo j prevenid ao
aceitante e o sacador de nio a pagar no casa que
apparaca. .
ou falta de
forjas para qualquer
cousa.
Desinleria.
Dor de garganta,
de barriga.
nos ros.
Dureza no ven i re.
Enfermidade no ventre.
Ditas no ligado.
Dita9 venreas.
Encfiaqueca.
Herysipela,
Pebre biliosa.
Febre intermitente.
Vendem-se estas pilulas no estabelecimento
geral de Londres n. 224, Straod, a na laja
de lodos os boticarios droguista e outras
enearregadas de sus venda em toda a
do Sul, Havana e Hespanha.
Vendem-se as bocetiabas a 806 rs.
urna dellas contera urna instruccao asa
guez para explicar o modo da se osar dess pi-
lulas.
0 deposilo gaal em esa
pliarmaceutico, na rus ds Gnu
nambaco.
Retenfio de *ourna.
Rheumaiijmo.
Sympioass secundarsoa.
Tumores.
Tico doloroso,
Ulceras.
Venreo ( nal)
do Sr.
n. 22 em Par-

wmm
DE

Escolturs em Ifermore
Cae* do Rasos n. 50.
rt- Jardiaairaaridaa idea dj>Mft a-30.
M'CpAsau?slUasdafl;-
. Mesas redondas de
dtWi\
tanodae,osi m*

me o caratMires a tamanhos da 100 ra.
^a*V
baaaea, m-*v*
u oa naide r7.*aia*.
35-Ra larga do Rogara-35
I Francisca Jasg a da Silva Para a bea.d aslela da
L.aaaa.cai^^aWaBiaa.rtidcaaKsJaas.ailiWiai.
incorruptireis por todos os sysleas*. acavia a>
entradar-ca dyfiaaaj| fstU
ty rtasjsjsj rabana aijoyue
delicadeza, perielcao a prii
ser procurado tanto pifa a capital cerno para lera
delta. a-aa'ama -jm

l^aBwifHia^ivaaijpaBas\ Bl
aa dos melhores fi
dos djj!Rmtf-ntojitW fniUx : eassea
Soothall atdTlor 4C,
L


m
DOMO
qmm
17 Df ^vmnosDfrsiMw
mm
ROUPA.
>
DE


LAVADA.
40 ris.
LAVADA. CO-
SIDA E
ENGOMMADA.
160 ris
120
160
S00
240
>

>
Roana dt familia, iodistinctamente, pecas grandes e pequeas
Roupa de natos, vaporea e bospitaee........, 70 >
re$as grandes isoladamente como len^oes, loalbas de meta. 100
Roupa de doenie de familia, que nao teja (reguis.......ISO
Roupa misturada que alguera sem ser fregus exigir que se lave. 80
Urna rende vindo com mais roupa.............19900 >
Urna rede soladameute.................1*600
Um cortinado de cami de casal rindo com maia ronpa.....IjOOO
Um dito dito solada o. ente............; 2*000
Um dito dito de solleiro ou veranda...........500
Um dito dito saladamente...............1 000
Aa pessoas que do quierem mandir engommar toda a roupa, o laooratorio encarrega-se
de mandar engommar aa aagutotea pecas, pelos seguintes precos:
Vestidos lisos.....600 ris.
Sai.........280
Camilas de homem. 160 >
Calcas........200
Collete. 120
Paletots......: 460
Colarioaof......40
O laboratorio encarrega-se de eogommados de objectoa de senhora os mais delicados, e pa-
ta isto lem ja contratado as mais habis engommadeiras nacionaes e estrangeiras, que entre nos
existem.
No prego dos engommados de roupa de familia, excep'uam-se os vestidos, gollinhas, man-
guitos e maia objedos que forem guarnecido*de rendas, babados, pafos, rifas, etc., etc., bem co-
mo os cortinados de berco, cama, variada, que se pagario segundo o ajuste.
Qualquer que exigir roupa aomenle lavada, ou tambero eogommada, com mais brevidade
qoe a designada, pagar mais 25 por cento sobre o preco.
O prazo na entrega da roupa ser por em quarilo 8 das depois do recebimento, e da lavada
e eogommada 15.
A roupa de familia ser lavada em machina separada da dos hospilaes, e as pessoas encar-
regadas do servico da roupa serio mulheres.
Os proprietariospagaro qualquer pega que ni estraviar, eafiancam que a acao das machi-
uaa inieirameole inoSensiva.
Qualquer que mandar roupa, recebar um val do numero de pecas com a declaraco do im-
porte da lavagem, o qual ser restituido com o om|
roupa prompta, sem o que ests ficar depositada.
O eslabelecimeoto encarrega-se de tirar notioas
ajuste.
Os proprietarios rogam a seus fregaezes o obs
bam a lavada, para assitn manter a regularidade do
A entrega e o recebimento da roupa na ca
dias uteis das 7 horas da maullas s 5 da larde.
etente importe na occatiao de se entregar a
de qualquer natureza, precedendo um
>quio de manlarem
rtico,
de bandos, no pateo do Carmo,
roupa sujs, apenas rece-
em todos os
ca 1 d
ELIXIR DE SALDE
01a
Gitrolactato de ferro.
VJMeo deposito na botica de .Joaquim MarUnA&o
da Cruz Crrela., ra do Cabug n. 11,
em Pernambuco.
0 Dr. H. Thermes (de Chalis) antigo pharnaceutico aprsenla boje urna nova preparacao
de ferrocom o nome de elixir de citro-lactalo de ferro.
Parecer ao publ ico um luxo empreaar-ae un 1 meamo medicamento debaixo de formulas lio
variadas, maso homem da aciencia comprehende a necessidadee importancia de urna tal varie-
dade.
A formula um objecto de muita importanc a em therapeutica ; um progresso immenso,
qusodo ella, maniendo a esseocia do medicamento, o torna agradavel, fcil e possivel para todas as
idades, para todos os paladares e para lodos os lem leramentos.
Das numerosas preparaces de ferro at hoj< coohecidas nenhuma rene lo bellas qual ida-
des como o elixir de citro-laclado de (erro. A seu sabor agradavel, rene o tomar-seem urna pe-
quea aose, e ser de urna prompta e factt dtssolur, so no estomago, de modo que completamente
assimilado;eo nao produzir por causa da lactina, que contem em suacompoaico, aconatipacio de
ventre (requentemenle provocada pelas outras pre >aracoes terrogioosas.
Estas novas qualidades em nada alteram a sunela medicamentosas do ferro, que sendo urna
substancia da qual o medico se nao pode dispeusai em sua clnica, de incomparavel ulilidade
qualquer formula que Ihe d propriedades laes, que o pratico possa prescrever sem receio. E' o
que copseguio o pharmaceutico Thermes com a pr< paracao do cilro-lactaclo de ferro. Assim este
medicamento oceupa hoje o primeiro lugar entre as numerosas preparaces ferroginosas, com o
tiesta a pratica de muilo mdicos distinctos que o \em ensaiado. Tem sido empregado'como im-
menso proveito as molestias de languidez ( chloros* paludas corea ) na debilidade subsequente aa
hemorrhagias, naa hydropesiaa que appsrecem depdisdas intermitentes na incontinencia: de urinas
por debilidade, as perolaa brancas, na escrophulaj no rachilismo, na purpura nemorrhagica, na
convaleacencia das molestias graves, na chloro-anemia das mulherea grvidas, em todos os casos
em que o sangue se acha empobrecido ou viciado palas fadigas, adecenes chronicas, cachexia tuber-
culosas, cancrosa, syphllilica, excessos venreos, onanismo e uso prolongado das precauedes mer-
curiaea.
Estas eofermidades sendo mui frequenles e sendo o ferro a principal substancia de que o
medico tem de lancar mo para as debelar, o autor do citro-lactato de ferro merece louvores e o
recoohecimeoto da humanidade, por ler descoberto urna formula pela qual se pode sem receio
usar do ferro.
CONSULTORIO ESPECIAL HOHEOPATHICO i
DO DOUTOR
SABINO O.L. PINHO.
Ra de Santo Amaro (Mundo
Novo) n. 6.
Consullas todoa os dias uteis desde as 10 horaa
at meio dia, acerca das seguintes molestias :
molestias das mulheres, molestiat das crian-
fas, molestias da pelle, molestias dos olhos, mo-
lestias syphililicas, todas as especies de febres,
febres intermitientes esuas consequencias,
FHARUACU ESPECIAL HOBEO P ATHIC A .
Verdadeiros medicamentos homeopathicos pre-
parados som todas as cautelas oecessarias, in-
falliveis em seus effeilos, tanto em tintura, como
m glbulos, pelos precos maia commodos pos-
siveis.
N. B. Os medicamentos do Dr. Sabino sao
nicamente vendidos em sua pharmacia; todos
que o forem foro della ao falsas.
Todaaascarteiras sao acompanhadas de um
Impresso com um emblema em relevo, tendo ao
redor as seguintes palavras : Dr. Sabino O. L.
Pinho, medico brasileiro. Este emblema posto
igualmente na lista dos medicamentos que se pe-
llo, As carteiras que nao levarem esse impresto
ssim marcado, emboratenham na tampa o no-
me do Or. Sabino sao falsos.
0 abaixo assignsdo lem justo e contratado
com a Sr.d D. Umbelioa Gadault, compra de sua
loja sita na ra Nova o. 11; quem se julgar com
direito a alguma rg.clamaco, dirija-se ao abaixo
assignado na ra da Imperatriz n. 46 oestes 3
diss.
Recife, 15 de oulubro de 1861.loo Luiz V-
anos.
Gabinete medico cirurgico.g
S Ra das Flores n. 37. g
Serio dadsBcoosfcltas medlcas-cirurgi- aa
# ca peloDr. Estevio Cavalcanti de Albu- m
dj querque daa 6 as 10 hor.s da manha, ac- m
.A, cudindo sos chamados com a maior bre- 2
4P vidade possivel. m
4 1- Partos. Z
jb ?- Molestias de pelle.
S3. dem dos olhos.
4.* dem dos orgaos genitaes.
a) Praticartoda equalquer operacao em
Casa de saufe.
focme Ihes fr mais con ventete.
CABiIETE PORTUGUEZ
DE
LLlTtltt.
Por orden do lllm. Sr. presidente do eonselho
deliberativo sio convidados os senh*ree eonse-
Iheirosa reunirem-se em sesean extraordinaria,
idomiogo 20 do correte, pelas 9 horaa da ma-
chas, na sala das seises do mesmo Gsbineta.
aoejoleris do Gabinete Portaguex de Loitura,
16 o oulubro de 1861.
Francisco Ignacio Ferrsira,
S.*aMriaii9. '
O Dr. Ignacio Firmo Xavier faz publico que
tem reorganisadoa aua casa dessude, na grande
casa, propriedade do mesmo sitio em que exista
o seu antigo estabelecimenlo dessa ordem, que
fica ao norte da estrada da Passagem da Magdale-
na, entre a ponte grande e pequea do Chora-
menino, onde contina a receber doentes de to-
das as catbegorias, e ambos os sexos, afianzando
o melhor tralamento pelo menor prego possivel.
O seu estabelecimenlo acha-se montado com
todo asseio e na melbor ordem, e para mais com-
modidade das pessoas possuidoras de escravos, e
para aquellas que oelle se quizerem tratar, lem
determinado aa mui razoaveia diarias abaixo de-
claradas.
Asoperacdes serio justas previamente, e se-
paradamente daa diarios, coolratam-se tratamen-
toa porjuste, podeodo os doentes curar-se tam-
bera pela homeopathia, para o que tem commo-
dos reservados.
O servico medico ser feito pelo dictincto ci-
rurgiio operador do grande hospital de caridade,
o Illm. Sr. Jos Francisco Pinto Guimaraes e pe-
lo proprietario do estabelecimentoi
Este estsbelecimento recommendavel jS pela
boa casa de que dispe, e j pelas condi?6es hy-
gienicas em que se acha edifleada, pelo local,
que alera de ser perto ds cidade agradavel.
O seu proprietario espera, portanto, dos seus
migos, antigos freguezes e mais pessoas, a sua
cooperaco em bem do progresso de sen estabe-
ecimento, parausado por nao poder achar-se i
testa delle, em virtude de haver sido accommet-
Hdo de urna grave eofeimidade; porm hoje que
se acha completamente restabclecido, prometie
esforrjar-se na boa ordem e direccao do tralamen-
to dos doenles.
Diariasescravos 1*600.
8.a ordem 2&000.
1.a ordem 30OU.
Para entrada dos doentes sedever tratar com
o referido Dr. Firmo, na casa de sua residencia,
ra nova de Santa Rita n. 7, com frente para a
ribera Q0 peixe, ou no aeu estabelecimenlo.
m
As caspas e a carnee.
O soTrimenlo do.couro cabelludo nta'uas vezes
tem originado mulestiss qutsl incuraveis, (aten-
do que carnadas upernostasj^alW dfMnvotvam
progressimasoente a alopsia, pfl) eiW-que infe-
lizmente vemoe demonstrado do msir numero
de pessoas que babilam cora tapecalidade os
paiies quentes, rio como resultante da pre-
disposicioorgnica, de cada indi>i4uo, ora tarsi-
bem por preceder as vezes o poco asseio, e o
meio preventivo at entao deacochecido para in-
nutihsar os effeilos que diariamente encontra-
mos as cabecas das damas e csvalleiros. O tri-
copherous, prep*ra(io norte americana lem o fe-
liz efleito de faier com que essas secrecoes se
dissipem, empedindo o continuo deseovolvimen-
to, fortificando as raizes dos cabellas, trazeodo
por esse modo a limpeza da cabete, e garantindo
com especialidade o bom resultado, sem que na
exiraeco das caspas se possa temer soCTrimenlos
consecutivos, derido sem duvida a pureza de sus
composlgo. Recommendamos portanto essa ex-
cellente descoberta, am de que ossam as pes-
soas quesoffrem de ealvice originada pelas cas-
pas, e a aquellas que embora nao sofiram de eal-
vice, veem-se atormentados de lio incommoda
secrecio, procurarem o preconisado tricopberous
na ra do Queimado u. 6.
Alnga-se um moleque de 12 para 13 annos :
na ra do Imperador o. 48, 3. andar.
Jos Joaquim de Oliveira, vai ao Rio de Ja-
neiro.
P. Cavanagh,sua mulher e i filhos retiram-
se para Inglaterra.
Antonio Pedro Martina deixou de ser cal-
xeiro do Sr. Joao D Magiosrio desde o dia 4 do
correte.
Os administradores da masa fal-
lida de Siqueira & Pereirn, convidam a
todos os Srs. credores a apresentardhes
os seus ttulos de crdito, afim de pode-
rem cumprir o que determina o art.
859 do cdigo do commercio, devendo
ter lugar dita a presenta cao no esta be-
Iecimento de Jos' Moreira Lopes, no
prazo de 8 das.
Aluga-se urna casa com solio no sitio do
Cordeiro, a margem do rio Capibaribe, com com-
modos para grande familia, cosinha fora, quarlo
para criado, coxeira pera carro e ealribaria para
cavallos. Oulra no mesmo sitio, a margem do
rio, e com commodos para familia, cosinha (ora
e estribara para cavallos : a tratar no pateo do
Carmo n. 15.
Precisa-se de urna ama captiva ou livre
(preferindo-se a captiva) para o servico de urna
casa de familia : oa roa do Imperador n. 37, 2
andar.
_ Aluga-ae urna caaa terrea no lugar de San-
l'Anoa de dentro, com commodos suficiente pa-
ra grande familia, e o lugar o mais saudavel
para a ssude ; a tratar no paleo de S. Pedro nu-
mero 6.
Sitios para alugar.
Aluga-se umexcellenteaitio eom boa ca*a em
Bemflca, a margem do Capibaribe ; e oulro no
lugar dos Remedios, defronte da igreja : a tratar
com A. V. S. Barroca, no largo de Bemflca ou na
ra da Cadeia do Recife n. 4.
A commissio liquidadora dos credores da
casa do fallecido Manoel Buarque de Macedo Li-
ma, roga aquellas pessoas que se julgarem ere-
doras por letras ou contas de livros, que se diri-
jan) com os seus ttulos i ra da Cadeia do Re-
cite n.46, primeiro andar, das 10 horas da mi-
nhia s 2 da tarde, para serem verificados e cla-
sificados pela referida commissSo
Atte Constando que e fallecido Joaquim
Francisco de Mello Cavalcanti, de Naza-
retb, e devendo este aos herdeiros e le-
gatarios de Francisco Manoel da Silva
Tavares a quantia de 2:527#7* rs. em
pi ata procedente de duas lettras, sendo
urna de 1:188$5U rs. vencida em 23
denovembrode i 836, e outra de reis
l:339#200t vencida em 19 de agosto de
1837, alem dos respectivos juros fa
mesma especie de 2 por cento ao mez
desde os dias dos vencimentos at hoje,
pelo que fora demandado em 1844, pa
rando a questo em grao de execucao
por se haver apresentado com prefe-
rencia a azenda nacional : pede se aos
inventariantes desse casal que se dig-
nem de destinar bens para pagamento
dessa divida, lembrando se de que ha
um termo de deposito em que iguram
diversos.
Alaga-se um segundo andar com pequeos
commodos, pintado de novo, na ra do Encanta-
mento, e urna casa terrea na ra do Mondego ou
Colovello : a tratar na ra da Cadeia do Recife
com Valle, Porto & C. n. 33.
Aluga-se o terceiro andar da ra Nova n.
n. 23, esquina da Camboa ; a tratar na loja.
Acha-ae justa a compra da taberna sita na
ra da Imperatriz n. 54, perlencente ao Sr. Jos
Antonio Pereira ; se alguem se julgar com direi-
to a qualquer reclamacao, dirija-se a taberna do
armazem do sal no prazo de tres dias.
Portaran um-es vallo csstsnho ruzilho. no ea-
gestno Arariba de bailo o qual 4 multo conheci-
do por ler sido da parelha do carro do fallecido
eommeodaaor Antonio Luiz GonrsIves Ferreira :
quem o pegar ou der noticia dirija-se ao dito en-
geaho n a roa do Livramento a. 3 que lera re-
compensado. 1 m-:it
Aluga-se um sitio
na Torre a margem do rio, com boa casa de so-
brado, estribara, cocheira, cacimba com boa agua
de beber, com bomba de puxar agua, muitaa
frucleiras, capim para 3 ou 4 cavallos, escellente
banho do rio, ele, sendo para familia capas, e
que quera morar uella todo o auno, aluga-ae
muilo barato:. quem pretender, dirija-ae a ra
Nova o. 15, primeiro andar.
Avisa-se ao Sr. Manoel Luis de Lima, que
nao pode comprar a taberna ds ra Imperial n.
35, sem que veuba-ae entender com oa procura-
dores do Sr. Joaquim de Ollveira Maia, em razio
de urna aegao que este move contra Jos Anto-
nio Goncalves Pires, que faz parle da firma de
Goncalveadr C.
Maooel Alves Guerra saca sobre o Rio de
Janeiro.
PADARIA.
Aluga-se a padaria da travessa do Pires, a qual
est prompta de ludo, com muilo bons* commo-
dos, e eat anda trabalhando, sendo sea aluguel
muilo commodo ; a tratar na ra da Senzala Nora
numero 30.
A. commisso liquidadora dos cre-
dores da massa do tallecido Manoel
Buarque de Macedo Lima, pede aos Srs.
devedores a referida casa que se
am a satisfazer seus dbitos a referida
commisso todos os dias uteis das 10 ho-
ras da manhSa as 2 da tarde na ra da
Cadeia do Recife n. 26, primeiro andar.
A commisso roga mais a esses Srs. de-
vedores, que nao a obrigue a lancar
mao dos meios udiciaes ou do jornal
para haver essas importancias de que
sao seus de redores.
Oa abaixo assigoados tenham a bondade de
apparecer na ra Nova n. 21, loja do Germano.
Jos Aotonio Ferreira da Silva.
Francisco Xavier Venancio Pimenta:
Pedro de Asis Campos.
Buzebo Bezerra Cavalcanti.
Manoel Rezendo do Reg Barros.
Sociedade bancaria.
Amorim, Fragoso,Santos & C. sacara e tomara
ssques sobre a praca de Lisboa.
Aluga-se urna casa em Beberibe : a tratar
com J. I. M. do Reg, na ra do Trapiche n. 34.
Saques sobre Lisboa.
Manoel Ignacio de Oliveira & Filho sacam so-
bre Lisboa : no largo do Corpo Santo, escrip-
torio.
Quem precisar de ama criada portugaeza
para o servico Interno de urna casa, menos cozi-
nbar, dirija-se a ra de Apollo o. 37, terceiro
andar.
Sitio para alugar.
Aluga-se o sitio do Mooleiro, com boa casa,
aonde morou o fallecido pai do annunciante, lem
cocheira, estribara etc. ; a traiar com Manoel
Alves Guerra, na roa do Trapiche o. 14.
Sexla-freira 18.do correte. Onda a audien-
cia do Sr. Dr. juiz municipal da Ia vara, aera ar-
rematado em praca publica por venda o engenho
Aguas Bellas com todos seus pertences em leras
proprias, bdas malas virgens e vaneas para plan-
lacio bom pasto para aoimaea, perto da praca por
ser na freguezia dos Afogados, casa de moradia
etc. etc., aaaliado por 16:000$, por execucao de
Jos Faustino de Lemos contra Jos Rodrigues de
Oliveira Lima.
Anda se traspasas a posse de alguos terre-
nos qne inda reatam na primeia e segunda ra
projeclada por delraz da ra da Concordia com
frente para a travesss do Monteiro, e outros com
frente para a travesea de Caldeireiro, con tendo 30
palmos de frente e 150 de fuodo cada um. ofTere-
cendo todaa aa commodidadea para ae ediQcarem:
oa prelendentea podem entender-ae com o abaixo
assignado, morador na ra larga do Rosario n.
18, padaria deManoel Antonio de Jess.
_ Quem quizer slugar um aitio com boa casa
de vivenda, baixaa com capim, arvoredos, ele,
qo lugar da Torre, dirija-se a prac,a da Indepen-
dencia os. 6 e 8.
Attenco
Precisa-se alagar urna ama do mora idede, que
ssiba cosinhar bem, para un casa de pouca fa-
milia : a tratar na rus do Trapiche n. 18.
O abaixo asstfoedo declara que receben do
Sr, Joa Mara da Sonsa, a quantia de 70a) pro-
veniente dedous valea que s* acha em poder do
Sr. Claodino do Reg Lima, e como o mesmo
aenhor nlo queira entregar o dito val. Acara sem
eTeito algum, por isso passei o recibo com esta
declarado.
Bernardino Pacheco dos Santos.
PIBLICU,' LITTERtBIA.
COMPENDIO
DE
Historia do Brasil
POR
Salvador Henrique de Albu-
querque.
Approvado pelo eonselho director da
instruccao publica.
Esta ioteresaante e til publicacao esl ven-
da na livraria dos editores Guimaraes 4 Oliveira,
ra do Imperador n 54.
Oa editorea iranscrevendo squi o parecer que
sobre ests pub'icacao deram oa distinctos Srs. Drs.
Jos Soarea de Azevedo e Antonio Kangel de
Torres Bsndeira. julgam-se dispensados de eoca-
rere-la, pois que nada poderiam adiantar ao que
j. disseram os Ilustres julgadores.
PARECER
da commissio do eonselho director da instruegao
publica, approvado em sesso de 10 de oulu-
bro de 1861.
A commisso encarregada de dar o seu pare-
cer sobre o compendio de historia do Brasil que
acaba de publicar o Sr. Salvador Henriquo de Al-
buquerque, examinou este livrinho elementar
com a maior attencio, e acha que os prneipaes
fados da noaaa historia desde a descoberta do
Brasil at a gloriosa poca da sua independencia,
e dahi at o actual reinado, se acbam expostos
neste compendio com a maior clareza e precisao,
diatribuidos em pequeos espitlos ou heoes,
como conviohs que fossera para o ensino das es-
colas primarias, e anda psra o das secundarias,
onde o esludo da historia universal ae deve fszer
em um anno ; e que o seu incansavel autor poz
de parte todas as deducedes e ideas que a acien-
cia, a verdade e a severidade da historia recla-
marais do grave eacriptor que tivease de abrir
os nossos annaes, mas que seriam inteiramente
inconvenientes em um livro elementar da ordem
daquelle de que nos oceupamos, onde os factos
devem ser tudo.
E' portento a commissio de parecer que o com-
pendio seja approvado para o ensino de todas as
aulaa da provincia, e que o eonselho agradece a
seu autor o servico que acaba de prestar ins-
truccao publica do Brasil.
Sala do conaelho director da instruccao publica
de Pernambuco 2 de oulubro de 1661.
Jos Soarea de Azevedo.
Antonio Raogel de Torres Bandeira.
Eogomma-se com porfeicSo e prompldao
por prego muito enconta no pateo da Matriz de
Santo Antonio, casa o. 2, que fica no Beco-ta-
pado, mandando-ae levar e buscar a roupa em
suas casas ; as pesseas que quizerem dirijam-se
a mesma, que achar com quem tratar.
&HM,
Precisa-se de urna ama para cozubar a en-
Cptai. W4 de pou" Umu: *IM *
ML4
O abaiio assignado roga a todas as autori-
dades policiaes e mais pessoas, de pegaren
meu escravo Ernesto, com os signaes abaixo de-
clarados, que lugio-me 00 dia 14 de oalabro do
1861. Ernesto, criolo, bem preto, com 18 a 20
anooa de idade, baixo, aecco, feicoes bonitas,
tjoleiro, tem mil da nome Felicia, mas escrava,
levou vestido calca ecamisa de riseado azul, cha-
peo usado de feltro cor de viono, da sappor
que tenba mudado de roupas, ja esleve do enge-
nho denominado d'Agua, do termo do Recite, que
pertences ao finado Henrique Poppe Gira o ho-
je do Sr. Dr Francisco Joao Carneare da Coob*.
Protesto proceder eontra quem o liver seduzdo
azilado, ou emprega-lo em qualquer irabalbo
quem o pegar leve-o a mioha alaria n. 13 da ra
do Mondego da freguezia da Boa-VUt, que pa-
garei todo e qualquer IrabaJlbo ; tambem tjo-
leiro.Marcelino Joa Lopf s.
Aluga-se o terceiro andar da casa n. 37,
sita na ra do Amorim/ a traiar na ra 4aCa-
deia n. 62.
Ali
8
Jos Muniz Teixeira Guimaraes, agente
de leilo prximamente nomeado pelo
meretissimo tribunal do commercio ees-
tabelecldo com escriptorio e srmazem na
ra do Imperador (oulr'ora ra d Ca-
deia] o. 37, oflerece seus servicos ao res-
peitavel corpo rommercial, a seus amigos
e a todos em geral que quizerem bon-
ra-lo cem sua confianza, assegurando-
lhes cumprir bem e fielmente as fuocces
inherentes ao seu emprego, para o que
nao poupar esforcos a bem dos interesses
de saus commiteotes.
8
8
J tempo meus seuhores !!
Os seohores Jos Florencio de Oliveira e Silve,
Manoel Jernimo de Albuquerque e Henrique da
Fonseca Coilinbo, sio rogados a concluir o ne-
gocio que nao ignorsm, na ra do Crespo, loja
numero 20 B. '
Milita allencao. !
A abaixo assignada faz sciente ao res-
peitavel publico e em particular a todas I
aquellas pessoas, com quem Uvera con- 1
tas ou transacedes que ella nao lem
presentemente divida de natureza alga- '
ma e que algumas lettras que houvera 1
assignado para ai, e ae acbam todas pa-
gas, bem como algumas outras lettras
que tem endocado por favor, a alguns de I
seus filhos e genros, [nao todos) todas |
se acham pagas; e como se considera nio
dever a niuguem, tanto de lettras suas,
como por lettras endonadas a ditos seu3
filhos e genros, bem como flaneas ou
oulrns quaesquer ttulos, a quaesquer
pessoas, por isso faz a preaenle decla-
raco. No caso porm de nao aconte-
cer aasim, o que nio crivel, quem li-
ver alguma lettra oa oulro qualquer do-
cumento, que se coostitua seu credor,
queira immediatamente aprsenla-lo o
mais lardar nestea 30 dias, na casa de sua
residencia oa ra da Aurora n. 64, que
verificado verdadeiro ser pago em con-
tinente e para que nao apparecam dlvi-
das para o futuro e mesmo depois de
sua morte que faz o presente annuncio
e declaracSo solemne para que nioguem,
aeja quem quer for, se chame a igno-
rancia. Oulro sim, quem quer que se
julgar credor, lera a boodade de decla-
rar por este Diario. Recife 5 de oulu-
bro de 1861.
Mara Theodora d'Assumpcao.
Precisa-so de urna ama para cozinhar e en-
gommar : a tratar no Beco-iargo, n. 1, segundo
audar.
Antonia Francisca Bandeira e Rosslina Fran-
cisca Bandeira retiram-se para o Rio de Janeiro.
Se o annuncio inserto no Diario de Per-
nambuco de boje, em que pede ao Sr. Francisco
Joa da Coala de apparecer na ra Direita n. 55,
eolende-se com o coronel Francisco Jos da Cos-
ta, elle mora na ra dos Prazeres, na Boa-Vista,
onde pode ser procurado, e furta-se ao trabalho
de procurar ao annunciante, pois crer nio ter ne-
gocio algum com pessoa que mora na ra Direi-
ta, e pede ao meamo annunciante, para evitar
equivocos, haja de declarar a quem se refere.
Os abaixo assigoados tendo justo a caaa de
pasto e taberna sita no largo da Aasembla n. 16
sendo estas veodidaa pelos Srs. Andr, Branco &
Justo, avisam a aquellas pessoas que tenham al-
gumas inlervencoes por donde possa impedir di-
tos negocios comprela noslermoa da le.Joio
Antonio Goncalves & Francisco Romeu.
O abaixo assignado declara quo o annuncio
que sabio no Oiario n. 238 de 15 do correte,
falco e por isao que o annunciante nio se despe-
dio nem tal aonuacio fes e menos ordem para
isso.
Recife, 16 de oulubro de 1861.Antonio Pedro
Martios.
Aluga-se um qusrto independente, muito
fresco proprio para dormida ou meamo moradia
de um rapaz solteiro sito na ra nova de Sania
Rita : para ioformac,ao na ra Direita numero 16
loja.
Precisa-se de um bom Irabalhador de ma-
ceira : na padaria do Leio do Norte.
Precisa-se de urna ams forra ou captiva pa-
ra comprar, cozinhar e engommar: quem liver,
dirija-se a ra da Paz n. 34.
O hospital militar precisa de um homem
para servente.
Na ra das Cinco Pontas cozinha-ke psra 3
ou 4 pessoas, afiancando-se aer com multa lim-
peza e perfeico ; as pessoas que quizedem, diri-
jam-se caaa n. 15, confronte as casslqueima-
das, que acbarao com quem tratar.
ga-se
urna casa na Torre paVa paasar-se a (esta, com 2
salas, 3 quartos, copiar, cozinha, qaint.l mu-
rado, com estribarla, perto do banbo : quem a
pretender, dirija-afe ao mesmo lugar, a fallar coa
Francisco Jos Arantes.
Aluga-ae urna escrava moca a sadia, a
aabe fazer todo o aerrco de urna caaa, assim co-
mo um moleque de 12 a 14 sones : quem delle*
precisar, dirija-se a ra da Imperatriz n. 86.
No dia 18 do correle mes lem de ir pre-
ga do juizo de paz da freguezia do S. Fre Pedro
Goncalves, as 10 horaa da maohia, 1 marquez,
12 cadeiras, tudo com asiento de palhiaha, o 1
mesa de meio desala, todos esles boas de asa-
deira amarella, t por 659, por exrcuco do
Gurgel 4 Perdig -^nlra Marianna Sancho A.
Douboix.
T-.,cin,ho ,0 h0 compro o atbelo
n. 1737 da 3.a parle da 1.a lotera de S. Louren-
co da Malta, por conta de Joao Francisco Pooles.
no dis 16 do correte.
No becco da Boia n. 2, no Forte do Mallos,
precisa-se de um bom cozipheiro oa cozioheira.
Attenco
Os filhos e herdeiros o% tallecidos Jos do
Monte Lima e sua mulher D. Anua Joaquina do
Nascimenlo previne a todos os licitantes que ao
matas denominadas Zueby, no lagar da llura,
onde se acha edificado o engenho Aguaa-Bella
de Jos Rodrigues de Oliveira Lima, que lem do
ir i praca no dia aexta-feira 18 do correla, quo
as trras em que ae acha edificado o dito oosro-
nho, da posse e dominio das anonadantes que
houveram por heranca de seos fallecidos pas,
nao pertencem ao dito executado Joa Rodrigues
de Oliveira Lima, cosoo declara os annuncios do
praca, publicados n# Diario de Pernambuco ; o
que em lempo cotnf etente os meemos anounctan-
tes o provarao ojkm aeus titulo*, e por isso desdo
j previne a quEm o arrematar, e protestara de
r haver suas trras de quem aa liver judicial-
mente.
Os abaix
dusolvere.ee a
ssigoados, de commum sccordo,
'dado qne desde dezeost.ro do
anno passado gyrou oesta praca debaixo da fir-
ma de Joio Antonio Gomes Guimariea & C, -
cando a cargo do socio Heorique Adoor o activo
e passivo di mesma Qrms. Recife 16 de oulubro
de 1861.Joio Aotonio Gomes Guimaraes Heo-
rique Adour.
Quem precisar de urna rapariga da 17 an-
nos para seu servico, engomma aoflrivelaente o
cose, dirjase a ra do Destino, na Boa-Visia n.
23, que achar com quem tratar.
Ama.
Precisa-se de urna ama ; ns ra das Larangei-
raa o. 5, segundo andar.
Precisa-se de 200| a juros por espaco de
dous mezes, dando-se ouro e prata por garant*:
quem liver annuocie ou vi a ra daa Cruzes nu-
mero 5-
A Feiliceira.
Drama original brasileiro em 5 actos
por Astolpho Franco Pinto Bandeira,
assigna-se na ra Nova n. 11 a 3| por
exemplar.
Ama.
v *"' 4""s 1 aja'1 *
Dentista de Pars.
15Rut Nova15
FradericGaulier.cirurgiiodentista.fa
odas s Ofraeoes da sua arle ecolloca
lentes artifieiaea, ludo eom a sapriori
Udeeperfei{aoquaas pessoaseulendi
das lhereconhecoia,
Tosb agua e psdenlifrieiosete.
2: Oa aonoocToa que tem aahltfVeste
de f eroambuco chamando Francisco J
Coat 1 i ra Direita o. 55, nio se enteode com
/m m. peron! Frinr&Wimtttm; "
Litjoes
Oflerece-ae urna senhora para amamentar urna
crianga, a qual lem muilo bom leile quem pre-
cisar dirija-se ao pateo de S. Pedro n. 24.
Notice.
A meetng of the Britiah Clerka Provident As-
sociation will take pisco on lhursday the 17 ib
Inst. al 4 30 P. M. in the British Librsry.
By order
William Vaughan,
Secreta ry.
Ptocisa-ae alugar ama prela forra ou capti-
va, que cozinhe e engorme com perfelcio ; na
tua o Queimado n. 18, primeiro andar. *
Acbou-se um ca vallo na* nole de 9 do cr-
rante mez ; quem for aeu dono, diriia-ae a sub-
delegada da Boa-Vista. '^ *^
-- Alofam-se as casss n. 13 da sua ds Cras,
o. 2 B da ra de Apollo, e n. 193 da rus Impe-
rial : a tratar aa ra da Aurora n. 36.
Prectsa-ae de urna ama, pralerindo-se sa-
cra va ou porluguezs : no pateo do Terco n. 26.
Alugs-sa paia pasear a fea la urna excellen-
toeasa na frogueiia rJo Poco da Panella, situada
do dirigir-so a roa do Imperador o.,88, primeiro
andar, u 9 horas da manls as 4 '
PIBLIOJU L.TTERARIA
ACHA-Slf NO PRELO EM MARANUAO'
DE
de logua nacional, latim, inglez e francez em ca-
sas particulares, sendo aa licesde inglez e fran-
cez pelo excelleote methodo d'OllendoriT, melbo-
do pelo qual ensinam-se differenles linguas ns
Europa ; na verdade o nico que em pouco
tempo pode ensinar a fallar, escrever e traduzr
urna lingua estranba com perfeico : ra da ma-
triz da Boa-Vists n. 34.
AiuRa-so um armazem na ra do caes de
Apiolo n. 7 ; a tratar no pateo de S. Pedro n. 6.
Preclaa-se alugar um eacrevo robusto, que
entendade andar com carroca ; a tratar no paleo
de S. Pedro n. 4.
Precisa-se de urna ama pars todo servico de
casa de duas pessoss, e que saia a ra ,- na ra
das Cruzes n. 22, taberna.
Goncalves & C, abaixo assigoados, leudo
no Disrio de Pernambucode hoje lado corre-
le, um annuncio do Sr. Joaquim de Oliveira Maia
icerca da venda feita pelos abaixo asignados de
seu estabelecimenlo de taberna, respondem a di-
to Sr. Maia, que os bens e estabelectmento da re-
ferid 1 socie,dade nio esli augeilos a pagamentos
de dividas psrticulsres de um- dos socios (e coo-
trahidaa antes da sociedade), como expreaso no
art. 292 do cdigo do commercio, e s poderi o
Sr. Maia ter direito ao quinhao liquido do socio
seu devedor depoia de saliafeitas todas as obri-
gsces sociaes.Gppcslves A C. .__
Urna senhora queda fiador a aua capacida-
de offereco-se para ama df caaa para engommar,
e coser, 4 que faz tudo coa persicaae por com-
modo proco : a tratar no Becco-fHrgoiaberna nu-
mero 2. m &s>
Proraa-se alugar unta preta corlnheira, pa-
ga-se bem: quem 'r aaoupcie eu dirjase
para tratar a ra da Cruz do Recife n. 17.
A abaixa issjgaade declara a quem possa
inleresux, que neata data ronden com o ooosen-
J/at*AA, *J eu, credoroa |*>j> afta *a
dlsrd4. daull.
Lembrancas Brasileiras,
(BdXDiaiDXilMS I 32 M? t AS IPXIiMD
Dr. Cesar Augusto Marques.
oulubro de 1861.Umbelioa Ga-

E' um meio fcil de derramar-se pela populajo, menos lida e mais pobre, oa feitos heroicos
de nossos aniepaasados.
E' um meio proprio de se ir infiltrando no animo dos meninos em lincustem adaptada ao
suas scanhadas lotelligenctss ideas que lhe serio de proveilo. e de despertar em seos Warco^ota-
Coes^o amor pelas velhaa cousas da patria, que em geral andam esquecidaa quando bem lesa avada*
Ah se encontrar para cada dia do anno urna ou mais dalas, que despertara a losahraaco a
qualquer cousa creada, fundada'oo estabelecida em Igual dia de ancoa anteriores
Logo abaixo dessa ephemerUe estari um artigo, oode se descreve o osUboladmeato do al-
guma vnia ou ctdade, de templos e conventos, de reparticoea publicas, jardias botnicos.
passeos pblicos e hoepllaes, a biographia de alguna brasileiros illusirea pelaa scieoeiai
w'r *l.B,M, ,UD(1*C10 das diversss academias, de sociedades sciootiBeas e li lie raas
bibliolbecas, a descrip;io de alguos vegetaes brsstleroe, seus usos e uUlidade; aa aa
illuairee pelas scieociaa o latirs^
aoMloa.
os trsbalbo* a
e costomes dos indgenas em soss aldeiss, na pesca, na guerra e na pax; .
dos jesutas, noticia de multas minas d'ouro, prata, cobre a oulros meUes, da algumas eral
seus deacobridores e exploradores, urna ou outra poezia rirs ou nedicta, urna ou oatn iiaeooe
algumas lendas e tradicebes populares, e muitas outras leituras todas fallando da noaaa flrj*
Recebem-se ssstgoaturas a 29 cada exemplar, bem impresso em boa panel o hrsieda a U-
pographiado Sr. commendador Figueiroa de Paria e livraria universal de Guimariea t Oliveka.
Pagamento aa eccastaoda ?reg. i """"
J est em andamento o 2a volume; 6 olor cheio de praier a coofianca eoovids todos aa Ms-
teraloa desla provincia e das ootras do ihrperio. al mesmo os curiosos psra aua tenia* -
iracado queira envtar-lhe seos srtl^ot.ouCommunicar-lhe alguma noticia til tu aanavoL.
o qae, datado realce a o improbo porm proveitoso trabalho, preatatio imaorUato aiatvie* I I
tras paulas, tai estudiosos .os meninas. Previne-se desdi li que nio colU o nJuTa saBaatT
pos maior que soja o estorco empregado, a bella do eaeriptole a poacia d. ioivdat u
artign. que trate de poltico, dessa poltica, q0B todos mesqumba, t4o canfaoaail %s*l
nem tambo* alluste postoSes,perqu o autor quor qoo seo livrfoho aojaj?raattU aC-
o ten nbo at>iak. i.ftMil. ataia
conflaoca esa todas as casas, qoe pars todos seja lemviudo, e que se o considero e a amia* ZsZ
cero, com quem se converaa, abwlo o cortea*-,oepols d.sardV.s falgaa o ola a*r7 dar Sea aa
eaplnlo e alivio sos Oaogostos lia op.nberoa da^vida a nio oMlVfS sUdaVaa J?si?SVT
maia enrugada afroaia as que ao enlregarom a tsaa rpida laWra.'
. ^!!!*.'eMilWB'*e rUl.v P allea est abrto espaco cea aa
ratjeaaoaoada.
r,^rrr


DiAlMlAIdNMMMflCtti <*. QUUVM, JUBA 17U
'
O senljoi rstorum mamorum em telherorum,
diz emita tnaenciaamar eneobjete pores-
tros, reja m Ibes fu cauta pergunta, ou ento
juntar ao numero de seos tbesouros ; o piano que
multo me admiro* pele besa gaatft.de seu formo -
to hollandei, de aalla a pros, oabetla a r com
um qaadro que disee a revolue*o de Lamego,
com a moldura de chapelina amarellt rexiada de
S;r andes lacos a com coeiaeotos de bou Otas,
gual a bella Maria da foote, pas te Um goato,
{iodo tratar nos arces, junto lo ttpamento quinta-
orurn, a qualquer hora do dia, menos atreaco-
rum; em qaanlo 10 violorum logo conver.a-
remoi.
Quem precisar de um criado perluguei at
12* mensaes, dirijs-searua larga do Rosario nu-
mero 48. "
_ A meta regedora da irmandade de S. Bene-
dicto, erecta no convento de N. 8. das Nere, em
Olinda, pretende festejar o seu augusto padroeiro
na 4.a domioga do correte, e por isso roga a seus
?enerareis irmao, e todos os fiis en geral a
coadjtifacio para lio justo fim. Olinda 10 de ou-
tubro de 1861.O theaoureiro,
- Torqualo Jos Mariaono.
Aluga-se metade de urna loja aita na ra
da Roda n.52: tratarnamesma.
Aluga-se ama escura paca eaaa de familia,
costesaada a serrir casa eslrangeira ; quem
precisar dirija-se ao becco do Tambi n. 30, pra-
ca da Boa-Vista.
Aluga-ae o primeiro andar do sobrado n.
22 na ra da Seuxala relha ; quem o pretender,
pode ver at chaves na mesma ra n. 48, no de-
posito.
PerguDta-se ao imparcitl Beberibeose se o
seu ao publico no Diario de Pernambucoa de
sabbado 12 do correte mez. pagina 2, se se en-
tendecom o teoeote de guarda nacional Joaquim
Gorreia Lima Wanderley, conhecido geralmente
por Quincas do passarinho; e se aqu temos
sanloa Dos, aantoa fortes, santos immortaes, mi-
serere nobis.
Antonio Ferr vai i lacei.
C ompras.
Compra-te um escravo moco, saiio e de
boa figura sem vicios preferiodo-se da Costa : na
roa do Trapiche n. 18 3 andar.
Gompra-se
cabellos compridos.
Na ra do Queimado casa de cabelleireiro.
Gompra-se moeda de 20$: na
ra da Cruz n. 48, pagase mais do
que em outra qualquer parte.
Gompra-se urna preta e urna mulata que
sejam perfeitaa cozinheiras, engommadeiraa e
costureiras : na ra da Cruz n. 1, escriptorio de
Azeredo & Menes.
Compram-se moedas de ouro e patacdes
hespaohoea ao cunho de Carlos III e lili, ns ros
Nova n. 23.
Compram-se escravos
mocos e boas figuras, pagam-se bem : na ra da
Imperatris n. 12, loja.
Compram-se pontos de msrfim ; na praca
da Independencia ns. 18 e 20.
Milhares de individuos de
Poden testera a n bar ai virtudes deste remedio
neomparavele prorer em caso ieeessaritj, que,
pelo uso qne delle fieram tem seu eorpos
toembros i n tetramente saos denude har* em-
bregado intilmente outrostrasneatoa. Cada
pessoa poder-se-ha convencer deseas curas ma-
ravilhosas pela leilura des peridicos, quelh'ai
relatara lodosos dias ha muitos anuos; e a
enaior parte dallas sao tao sor prndenles que
dmiram os mdicos mais celebres. Quantas
pessoas reeobraram com este soberano remedio
o uso de seus bracos e pamas, depoia dedur
ermanecido longo tempo nos hospitaes.o tea
Bviam soffrer a emputeci 1 Dalles ha mui-
casqueha vendo deixado esses, asylos depatk-
timentos, para se nao submeterem aessaope-
raco dolorosa foramcuradas completamente,
medanle o aso desiepreeioso remedio. Al*
gumas das. taes pessoa na enfuso de seu reco-
nhecimento declararan) estes resaltados benfi-
cos diante do lord eortegedor e outros magis-
trados, afimde mais autenticaremsua afirma-
tiva.
Ninguem desesperara do estado desande s
tivesse bastante confianes para encinar este re-
medio constantementeseguindo slgum lempo o
trata ment que necesstassa a natureza do mal,
cujo resultado seria provsr incontestvelmente.
Que ludo cura.
O ungento he til, mala partida-
mente nos segiiintes casos.
Inflammacao da bexiga
Rival
m segundo
Nsrui do Queimado n. 55, loja de miudezas
de Jos da Azeved Mata e Silra, tea destinado
acabar com certas e determinadas miudezas pelos
precoaabaiio declarados, e reaham logo pois
est acabando. ,
Caixaaj com agulhas francesas a.......... 120
No re loa de Un ha Dar marcar a 20 rs. e.. 40
Oiloa de liofca de cores e muito grandes a 40
Carrete d fiuba, superier qualidade a.. 3t)
Mona branca o gaz a 10 rs. e....,;..... 20
Dita dita.a melhor que ha, norello grande 60
Pares de meias de cores para meninos a 120
Duzia de roeias cruas muio superiores a 1400
Wtade daa ditas a...................... 2*000
Pares de meias de cores para meninos a 160
Ltnha em carto Pedro Va..........77.. 20
Calzas com phosphoroa de aegaranca a 160
Caixas de folhas com phosphoroa (so a
Caix ral 100 ri.) a........ ...........
Duzia de phoaphoroa do gaz a..........
Frascos d'agua de colonia superior a....'

Alporcas
Caimbras
Callos.
Ancores.
Cortaduras.
Dores de eabecs.
das costas.
dos membros.
Enfermidades da cutis
em geral.
Ditas de anus.
Erupces escorbticas.
Fstulas no abdomen.
Frialdade ou falla de
calor as extremida-
des.
Frieiras.
Gengivas escaldadas.
Inflammacao do figado.
Vendas.
3,000.
S a california.
Vendem-se cortes do cambrala organdys com
barra a 39 o corte ; na ra da Imperatriz n. 48,
jcato a padaria francesa.
Carros e^arrocas.
Em casa de N. O. Bieber
A C. successores ra da Cruz
numero 4.
Vendem-se carros ameeanoa nui tacante*
e leves para dais e 4 pessoas e recebem-se en-
commendaa para cujo fim elle possuem map-
pas com varioa desechos, tambem vendem car-
rosas para condcelo de assucaretc.
s
Loja de marmore \
Ao beo sexo.
Recebeu-se grande porclo de legen-
das que se haviam encommendado e
continua a render-se para liquidado por
preco muito baTat, entre estas as se-
guidles :
Para seuho-as
Boa mus decachemira do ultimo gos-
te atO|.
Ditos para meninos de idadea de S,
4, ganos, tambem de cachemira muito
modernos a 5ft.
Vestido de seda de corea a 809 (com
liguas toque.)
da matriz
Lepra.
Males das percas.
dos peitos.
de olhos.
Mordeduras de reptis.
Picadura de mosquitos.
Pulmoes.
Queimadelas,
Sarna.
Supurares ptridas.
Tinha, em qualquer
parte que seje.
Tremor de ervos.
Ulceras na bocea.
do figado.
das arliculaces.
Veias torcidas ou no-
das as pernas.
Vende-se este ungento no estabelecimento
geral de Londres n. 244, Straod, e na loja
de tedos os boticarios droguista e outras pes-
soas encarregadas de sua venda em toda a
America do sul, Havana e Hespanha.
Vende-se a 800 rs,, cada bocetinha conten
urna instruccao em portuguez para explicar o
modo de fazer uso deste ungento.
O deposito geral em casa do Sr. Soum,
pharmaceutico, na ra de Cruz n. 22, em
Pernambuco.
>&** -:?
tdaco de certas:
i fazendas finas. I
Ditos com cheiros muito fiaos a.,,.....
Duzia de meiaa muito Unas para sen hora
Canas de apparelhospaxa meninos a 240
" ............
Trancaa de lia e de linbo sortidas a......
Saboneteagrandea e superiores a........
Groza de botes pequeos para calca a..
Grozade botoes de louc a..............
Varas de tramoia superior a 120 a........
Grozade pennaa de ac a...............,
Carteiras muito auperiorea a............
Baralhoa porluguezea a..................
Tesouras muito finas para coatura a....
Ditaaparaunhasa240e.........;........
Baralhos para voltarete a 240 e..........
Frascos de banha de urr;o a................
Frascos grandes de lavando ambreada, su-
perior qualidale a....................
Frascos de oleo de babosa a 320e......
Frascos de danha muito fina a 240e......
Agolheiros com agulhas a................
Acaba de
chegar
novo armazem
DE
B4ST0S & REG
Na ra Nova junto a Con-
ceico dos Milita-
res n. 47.
I te
100
240
400
500
39000
Um grande e variado sortimento de
roupas feitas, calcsdoa e fazendas e todoa
i

Pichincha sem igual.
Cortea de caiga de casemira prela e de cor en-
testada muito fina a 4$500 ; na laja da Califor-
nia, ra da Imperatriz n. 48, junto a padarie
franceza.
Escrava a veida.

Vende-se ums negra rioula, idade de 30 an-
dos, pouco mais ou menos, sabe cotiohar o dia-
rio de urna casa e lavar roupa : a tratar na ru
do filar, em Pora de Portas n. 74.
Uicas botn s
deaetim branco, chegadaa de novo, para senbo-
ras i na loja do vjpor, ra Nova n. 7.
as laiMisms
luvasdeeouvin
cbegaxam no vapor francez para a Jeja d'aguia
branca, ra do Queimado n. 16.
Com toque
Uada^eio com pequeo toque de a varia a 39 e
3c5O0; at ra do Crespo n. 8, loja de 4 portas.
Luvas de
Jouvin.
Acabamos dereceber pelo paquete chegado no
dia 15 um sortimento de lavas de pellica mutto
frescaes ; nabea conhecida loja da nea fama ou~
mero 35, ra de Queimado,
RA. DO CRESPO N. 17.
Riquissimas chapelinss de seda para
aenhoras, de diversas cores a lzj>.
9 Cassas de cores bonitos padres a 240
W rs. o covado.
ss) Cassas e orgaodya d cores a a?30 r. o
SJS covado.
Ss) Chitas de todas as qualidades e presos.
(*) Muitis'simas fazendas nas qwe ae ven-
9 dem por precos baTalissimos pera liqui-
sj dar, do-se amostra das fazendos. (a)
*
Cortes de vestidos
por metade de seu va-
lor, na loja ao p do ar-
co de Sanio Antonio
Vendem-se cortes de pbeorhazia com babedos
por 10$000.
Ditos de la e seda com barbados a 12a).
Ditos de larlatana broncos bordados a sede a
10*000.
Ditos de carabraia e seda a 109.
Manieletes'de seda de cor com pequeo mofo
a 5g000.
Camisinhaa bordadas para seuhora a 1,2} e
3000.
Enfeites de flor a 1*.
Velludilbocom flores, covado 600]rs.
Dor de de ates.
Uoico remedio para dor de deoles, -vende-se
no bazar da ra do Imperador a 500 rs. e a 19 o
frasquioho.
CoraL
Vendem-se dos de cor! lapidado a *J200 e
JJ400, ditos de raz a 1$, mamlinhas dos ditos de
duasvollas a 2*, e de tres voltas a 3$ : ns loja
d'aguia deoure, roa doCabngi n. 1 B.
Flores.
Veudem-se ramos grandes de flores muilo fi-
nas pelo bararissimo prego de 13 cada um; sel-
les, antes que e acabem : na loja d'aguia de ou-
ro, ra do Crttug n. 1 B.
Lindos quadros.
Veodem-ae ou trocam-se os lindos quadros
oom ricas estampas de saolos das invocacea San-
to Antonio, 6. leaquim, Sani'Anna, S. Jos, N.
S. do Carmo, e do itosario. da Coocei^ao, cora-
cm de Maria, coracao de Jess, s Francisco de
Aeais edo Senhor morto a 109; na loja d'aguia
de uro, ra do Canug o. 1 B.
Espelhos para cima de
mesa.
Veedem-se espelhos com columnas de icol-
lente idro a 49, asaim como mais pequeos a
39: na loja d'aguia de ouro, ra doCabug nu-
mero IB.
estes sa vendem por precos muito modi-
ficados como 6 de seu costume.assim como
sejam aobrecaaacos de superiores pannoa
e casacos feitos pelos ltimos figurinoa a
269,289, 309 e a359, paletotsdoameamos
S pannos preto a 165,181, 209 e a 249,
ditos de casemira de cor mesclado e de
novoa padres a 149.169. 189,209 e 249,
ditos saceos das mesmaa casemiraa de co-
rea a 99,109,129 a a 149. ditoa pretos pe-
lo diminuto preco de89,109, e \i, ditos
de sarja de seda a sobrecasacados a 129,
ditos de merino de cordao a 129, ditos
de merino cbinez de apurado gosto a 159,
ditoa de alpaca preta a 79. 89, 99 e a 109,
ditos saceos pretos a 49, ditos de palba de
I seda (acenda muito superior a 49500, di-
tos de brim pardo e de fusilo a 39500, 49
e e 49SOO, ditos de fusto branco a 49,
granda quantidade de calcas de casemira
preta e de cores a 79, 89, 99 a 10, ditas
pardas a 39 e a 49, ditas de brlm de cores
finas a 2*500, 39. 39500 e a 4$, ditas de
de gorguro preto e de coras a 5f e a 6g,
ditos de casemira de coy e pretos a 4AS00
e a 59, ditos defustao branco e de brim
aSfe a39S00, ditos de brim lona a 4g,
ditos de merino para luto a 49 e a 9500,
calcas de merino para luto a 4g500 -o a 5g,
capaa de borracha a 99. Para meninos
de'todosostamaflhos: caigas de casemira
Sreta e de cor a 5$, 69 e a 79, ditas ditas
e brim a 2{, 39 e a 39500, paletots sac-
eos de casemira preta a 6g e a 7a>, ditoa
de cor a 69 e a 7J, ditoa de alpaca a 39,
sobrecasacoa de panno preto al29e a
14, ditos de alpaca preta a 89, bonets
para menino de todas a a qualidades, ca-
misas para meninos de todos os lamanhos,
meies ricos vestidos de cambraia feitos
para meninas de 5 a 8 annoa com cinco
bsbados lisos a89e a 12$, ditos de gorgu-
ro de cor e de la a 59 e a 69, ditos de
brisa a 39, ditos de cambraiaricamente
bordados para baptisados.e muitas outras
fazendas e roupas feitas que deizam de
er mencionadas pela sua grande quanti-
dade; assira como recebe-setoda equal-
quer encoramenda de roupas para se
mandar manufacturar e que para este fim
temos um completo sortimento de fazen-
das de gosto e urna grande efficina deal-
faiate dirigida por um hbil mestre que
pela suapromptidoeperfeiconadadel-
u a desejer.
Joaquim Francisco dos Santos.
40loa do Oueimado40
Dfronte do becco da Congregagdo, letreiro verde.
VENDE-SE O SEGUINTE:
Para casamentas.
ramo e capells, o
com
Ricos cortes de vestido do fil ou blood de seda branca
mais moderno e superior que ha no mercado.
Para bailes.
.ra.J,*4" C0rte* e *dos de fil ou blood de seda branca bordados s branto e
lites de taris tana branca bordados a branco e cores.
Ditos de cambraia branca bordadoa a branco com muita elegancia.
Saias bordadas
"'s de cambraia branca bordadas com o mais apurado gosto e mais finas
qae na no mercado.
Ditas de dita recortadas mais bm tas.
Para baptisados.
..;--?' corlei A* ?ido de cambraia branca bordados com muita elegancia, o
mais moderno e mais snperior qne ha no mercado. *
Manteletes.
-RiC0* ?aJ.nlele,M de ,eda de cores P"*o bordados e lisos com enfeites. bsm
como arrondados, por precos commodos.
3#000 a peca.
Pe^as de eambraia lisa larga fina com 6 a 6 1(2 varas, muito barato.
Lencos.
Ricos lencos de cambraia de lioho bordados a 39,49 e59 cada um.
Chales,
Ricos chales de tooquim broncos bordados de pona redonda e de 4 ponas.
Alem das fazendas scimamencionadas tem um grande sortimento de todas aa
qualidadea, que nao 6 possivel menciooar-se pelo grande espaco que tomsria.
Morra o pavo e Arara
VIVA
A Encyclopedica
Calcado
45 Ra Direita 45
Magnifico sortimento.
Sempre enndesceedeate e erateatelro rosa os
reguezesquelhetrszemdtaUre, 0 prepristo-
no dente grande esl.a.lajeemo'etiwVa a-
ereeer ao publico, por preces saodicos e aesapr.
inferiores aoa de outro, o ae. bello forlime.to
de calcado francez, ingles e brasil,!,, e : rrjaas
Homem.
Boneguins Vctor Emmanuel. Iflsjgga)
couro da poreo. loit
lordPalmarstonfkezerro '. 1S9
diversos (bricaniea(laatrf) Sm
iohn Russell. ...
Sspatoes ames (batera ioleira).
> patente..... '
Sapatos ti anca (portujoezee). \ "
(franceses!. .
9 entrada baiza |.o. ,4r.).
muito chique (uas sois). .
Senhoras.
Borzeguins primor IJ0I7).....
brilhsnlisa.....
gaspaalta......
* baia.....
31.32.33.34. '.
de corea 32,33.34. .
Sapatos com salto JJolyJ. .
franceze fresquiobos'.
31.32.33.341u.tr.. '
t- um rico sortimento d. caro de
zerrofrancez. marroqain., .ola, V.,^
rinhos, fio. fiza. etc.. por menos do I,
quer outro poda vender.
jROUPA FEITA AINDAMISlAMATAS.
SORTIMENTO COMPLETO
i^azendas e obras feitas
a
DE
Guim a raes & Villar.
Ra do Crespo numero 17.
Ninguem duvide vo ver as fazendas boas e baratas.
Csmbraias da China para vestidos de senhoras. brancas bordadas com 9 varas a 7 e 4o a
urgandys de cores fazeoda Qnissima a 500 rs. o eovado.
Cassas de cores fizas a 240 rs. o covado, s ns Encyclopedice.
Manguitos bordados muito bonitos mangas a baleo a 3j, s se vendo.
Tarlata.a de 8 palmos de largura bordadas a lj) o covado.
Chitas francezaa muito unas a 260 e 280 rs. o covado.
toS?M PfaTysIfa'fla fdnbte-tYelid,da sV m
Golrrnhas e punhos bordados com riquissimos botoes a 2g, isso parece incrivei.
^ S na Encyclopedica.
Bardes de musaelina com babados a 68 cada um.
Cassas decoras lioditsimos padres a 280 rs. o covado.
ntremelos bordadoa e tiras estrellas bordadas por 2a a per^a.
Hadapoloea Goos e entre unos a 4f500, 5$, 6 e 7J a pe^a.
qeissimos metrteletes de seda bordados a 30* e 35$.
iqnissimos manteletes de Gupour Noir a 35g ultimo gosto de Pars.
ttjquissimos vertidos broncos bordados a 7a, 20} e 309 cada um.
Riquissimosroupes de cambraia bordados a 303 cada um.
peta.
Passa a fiussia e cal Je
ARMAZEM
RO'JPA FUTA
Joaquim F. dos Santos.
40-Rua
40
No bem conhecido e acreditado deposito da da Cadeia do Recite n. 12, ha para rendar a ver-
dadeire potassa da fiussia, novo e de superior
jualidade, assim comotambem cal virgem-em
podra ; tudo por precos mais batatos do qu.am
outraqualquer parte.
iktiiiei*
DS
Fazendas baratissimas
N. 20Ra da ImperatrizN. 20
Duarte stmi da Sfira 'faz sienle aos seus antigos e oumeresos fr*snezes ae Bellico que
na sua toja ra da lospentru n. 20. aeharo sempre ornis eorsplaia sovUmenio ds fazeodas de
lei pelo menor precf possivel, pois est rssolrido a nao deixar de servir ao freguez que trouxer di-
aMto.tw coostatemeflte cobertas^de lia a 1#200, madapoln fino com 24 jardas a 4*800 a ne-
?a, chitas (ranceiss a 840 e 280 rs. o ovado, ditas estreilai padres bonitos e cores us
160 e IM ,is, leocos <*a cassa e de. ckiu para meniBoa'a 80, J'>, e 160 ris, cassas
franceza gestos iaUUamenle aojos a 200. 400 rs. o covado, orgaqdy fazenda ptima pa-
ra veslidos na actualidades 200 rs. o covado, eesemiras inglezas fazenda especial para forro de
carro* 11600 rs. o corado ae. < Aulr'ora. se venda a 2$, corles de brim de liqhas 2. olea-
dos coa jwalurif rigaissimas e targuraade6 a 9 palmos, ao dnrini'trvrp'(o de 2| o cqiado, chales
de menn luios e estampados a e 4. orles do casas a 1|800- e 2, CTtes de casemira iprela e
""ii&i/L^^ Odies,. Ifift tOO. 240 e
320ira. er^f#ertl Unf M^U^aAWdlealgodlo para roupa de escravos, dito oe pannoa de
ljnho. bramante d kakaoto 10 palmos o> largura, pan ios finos.da diremas eor.s, cambra.s li.
fea. djtss com Mlpfcos, ditas listrsdBS> bteUnb.a de lio ip o de sfodio, mdo btalo para apurar
berro na^rrediu loja cima.
UNDICAO LOW-MOiin
fina daSenzalla Rov* D.42.
Neate stabelecimooio coDtin ahavarum
completo ortim.n to desnoend* femeiasraoen-
dasparaangenho.aaeiMoas de va^or etaixu]
ie farro baiio a coado.da todoa -oetamanhos
para dito.
Era casa de Kalkmann Irmaos
&C.,naruadaCrue n. 10, exis-
te constantercente un completo
sortimento de
Vinhos Bordeaux de todas as
qualidades.
Dito Xerez em barris.
Dito Madeira em barris e caixas.
Dito Muscatel em caixas.
Dito cbampanhe em gigos.
Cognac em barris
Cerveja branca.
Agua de Seltz.
iette doce muito fino em caixas.g
_ Alvaiade em barr*. .3
0 Cevadinha son garraffees.
i Gal ae Lisboa-
Veade-sa da ultima ebegada, e de superior
qualfdade ; nb muito acreditardo- deposito dama
d Brum n. 66.
Defronte do beoee da Congregayo letreiro verde.
Neste estabelecimento ha sempre um -sortimento completo de roupa Caita de
todsa as qualidades tambem ae manda ejecutar por medida 4 vontade do. fregue-
zes para o que tem um dos malhorea professoras.
s
s

Casacas de panno .preto a 40$,
85| e
Sobrecasacoa de dito dito a 359 e
Paletets de panno preto e de co-
res a 359. 30, 25 e
Ditos de casemira de cores a 22.
lSf. 12 e
Ditos de alpaca preta golla de
relindo a
Ditos de merino setim pretos e
de cerrs a 9| a
Ditos d. alpaca de corea a >je
Dito, de alpaca preta a 9. 79. & e
Ditoa de brim de core, a 5|,
49500, 49 e
Ditoa d. bramante de linho bran-
co a 69, SJ e
Ditoa de merino de cordao relo
a 159 e
Caigas de casemira preta e de co-
res a 129. 109, 95 e
Dae de princeza e merino de
cordao preto a 59 e
Ditaa de brim branco ede cores a
Si. 49500 e
Caleta de ganga de coress
Collele ate reliado preto e de co-
res iisoae bordados a 189,99e
Dilos de casemira preta da co-
rea lisos e bordados a 69,
5500,59
309000
308000
209000
99000
119000
84000
89500
80500

2J500
39000
8000
3|500
Ditos de setim preto 59000
Ditos de seda e setim branco a fi e 59000
Ditos de gorguro de seda pretos
e d. cores a 7, 69 e 5000
Ditos de brim e fusto branco a
3|50O e 39000
StMula. d. brim de linho a 29200
Ditas de algodao a I96OO e 19280
Camisas de peilo defuslio branco
de cores a 29SOO e 29300
Ditas de peito de linho a 69 e 3*000
Ditas d. madapolao branca, e de
cores s 89. 2500, 29 e 18800
Camissede mtia a IJOOO
Chapaos pretos de maasa franceza
forma da ultima moda a 109,
8f500e 79000
Ditos de feltro a 69. 59, 49 e 29OOO
Dilos de sol de seda ingleses e
francs a Uj, 129, ll| e 79000
Colarinhos de lintio muito fines
noro. feitios ds ultima moda a 19000
Bitos de algodao 1^500
Raiogios de ostro patale e hori-
zoatal a lOUf, 909.80f e. 70fO0O
Ditos de prata galranisados pa-
tente e horizontaes a 409 e 30|000
Obras de ouro, aderecos e meios
aderegos, pulceiras, rozttase
ansie a
Toalhas de linho duzia 429 e
'^"TJ d''"
JARABE DO FORGET.
_ xarepe est spprovado pelos mais enuaeates mdicos de Paris,
--------------------------_ sestmo melhor parf'eurar cowtlpa^bes, toise convulsa boiras,
iftecees dos bronChios, aUques de peito, irriucaaa ervoaae e intmaolencias: um colWra4
pammasta, a ostra 4 aovu sao surleientes. O eitelto deste excelente xarope saUafas ao mtsmo i
tesipo o doeete e o raedico.
O itpot 4 Mirn tarto fe RtrU, Mica 4e BartMilomt Ff.aaiaM de Soum, n. M.
LOJA EARMAZEM
Ges I Bast
0!
NA
Hua do QiieliDftdtj
im. 4ft, Tentr^ ntnareWi.
Constantemente emosemgraiidcera-
1 riadosortimento desobrecaascaipretaa
de panno e de corea muito dic a 5h;.
305 e 359, paletots dos mea moa panera
a 20$,225e 245,ditoasaecosprei.> u
mesmos pannos a 149,169 185, casa-
cas pratasmuitobem feitas edesuperior
panno a 289, 305 e 859. aobr.caaaraa t
casemira de core multo finos a 15{. I69
e I85, ditossaccos das n>esmas case mi-
ras a 10$, 129 e 14J, caifas preta d
casemira fina para homem a 89, S9, 1(J
e 12, ditas decasemira decores 7f ,89,
99 e 109, ditaa de brimbraace. mui
fina a 59 69, ditaa de ditoa de certa a
39, 39500, 49 e 49500, dita, de *eia re.
sertira dricas cores a 45 e 4JM ti, fol-
ete, pr.to. de caaamira a 59 c 69, ditta
de ditoa decores a 45500 e 59, ditrs
branco fde seds psrs casamento a l,
ditos ds 69,colletes dfbrim braicr e d
I f ustao a 39, 39500 e 49, ditoa de core* a
500 e 39, paletoUpretoade merino d
elet"esVrVtos"pafaTr' '*%*& f 25
letots de a i paca preta a 39506 e 41, ditoa
1 flnocol-
letes de gorguro desedsdecorermeito
boatazondaa398eOe45. coDeterd. vel-
ludo de corea e pretoa a 79 e 89. roupa
para memno sobre casaca dapaaoo pre-
tos e de eores a 149,159 e 169, dilos de
casemira sacco para os mesmos a 69500 e
79,ditosde alpaca pretosaaeco ij; ,
11500, ditos sobreessacos a 5| e 59500,
1 -.alcas da casemira preta a e de corea a 6?|
' 65500 e 79, eamisas psra menino a Sij
i. dazia,camisas Inglezs. prega ilargat
muitosaperlora 32aduiiepariacabai
Assimeomotemos urna offlein dea!
' late ondemandamoi execntartoda as
obraacom breridade.
Fnnileiro e vidraceiro.
Grande e nova oflicina.
Tres porUs.
31Ra Direita31.
Neste rico e bem montado estabelecimento eo-
contraro o. fregueze. o maia perfeito, bem aca-
bado e barato no seu genero.
URNAS de lodas as qualidades.
SANTUARIOS que rivalisam com o Jacaranda
iUNHF.IRUSde todos o. lmannos.
SEMICUPIAS dem idem.
BALDES idem idem.
BACAS idem Idem.
BAHUS idem idem.
FOLHA em caixas de todaa as groseuras.
PRATOS imitando em perfeico a boa porcel-
lana.
CHALE1RAS de todas a. qualidades.
PANELLAS idem idem.
COCOS. CANDIEIROS e flandrea aera qoal-
quer sorlimento.
VIDROS em caixas e s retalho de lodos os u-
mandando-ae manhos, botar dentro da cidadt
em toda a parte. '
Recebem-se encommendas de qualquer oaij-
reza, concertos, que Indo seri desempenaado *
contento.
Exposico
DE
Candieiros a gaz.
490C0
5*000
95000
89000
109000
129000
ss
185000
209000
259000
90*000
Candieiros econmicos..............
Caodieiros econmicos..............
Candieiros econmicos..............
Candieiros econmicos..............
Candieiros econmicos..............
Candieiros econmicos..............
Candieiros econmicos..............
Caodieiros econmicos..............
Candieiros econmicos..............
Csnieiros econmico...............
Candieiro. econmicos..............
Caodieiros econmicos..............
Ne.ta mesma exposiciose eaconlratio todos os
pertences para os meamos candieiros, assim co-
mo um grande deposito de gaz eoaheddo vetvJs-
detramenle primeira qualidade, pele preca mais
barato que se pode encontrar oeste mercado, asa
nquissimo evariada sorli meato de qoadreede
phanlazis, e de imafean, asaim leeeao Umaem
grande sortimento de qiunqailariaa. qa. por gos-
to se pode rer ; na rw Nova n. 24.
Urna barcada.
Yende-se ama bsreaca do porte de 35 raizas,
enealhada no estalefrqJlo mestre earatotairo Ja-
cintbo Elesbio, ao p4 da fortaleza dae Ciaco Poa-
l.i, sonde pbde erjvista p. ezaaisMda petas pro-
tendentes ; vende-se s arazo ea s diaheire ; a
trotar em lanoel Aires Go.rr, ns roa do Tra-
piche n. 14.


umm +dvMMmm*k iPvmnmiMimti*
Fil ^o,^ gala-
na br^* 800
rwa Tara. /?
Vende-se QWlls sjrsrito ae atufa* lambem
tarlalaua hraeoetmaito aa; tael urna cous.co-
mo outr sao Olearias pera vastados, na so pare
bailes como para ssautir>aMcasaant<>, anden
Saias a 3,200.
IfvHHwlj vM^rlMMb
60, ljja do pavo.
na ruad
antea que ae acabe a* ra do Qeeimado o: SI
na loia da Boa-^i..
XZH6 lJQ MOCHO] : _il_LJt LMi Jltf 1
1 Paletots baratissimos,J
Palelots^ptetoe^ casimira*a 15J. 18$
' e 209. ditoadecas-sosira-de cores s 83, 99,
r-429, lofcdites'd bowbazioa de cores 5j
r89,dUosde merino decores a 9$^ dit a
'de alpaca ateta a 39500 e 4&500, ditos os
alpaca de cores a de laa escura a 4f e d
L ditos de alpaei prata para nreuraos ,a
I 49500, ditoe de mirtte boro brim setim a
[ 5*500, dita de brim pardo a 3*500, ditos
pardos do anaia fino bramante de puro
linho com boleda maSreperola a 5X,
ditos de brirh encorpado meia lona a 5$.
dito de- brinniolio de llnho de quadrl-
| nho para meninos de 8 a 14 ancos a 2$,
I ha casacas de panno tino preto ede cores,
{caigas pretas decasemiras, colletes pre-
stos edecores de todas as qaalidades e,
f;ostos, jaquel e- muitss outras obras
eitas que se venlenupor menos de seu
custo, am coosequencia da liquidaco que
se est procedeade, na loja n. 8 da ra
do Cabug. da extinta firma de Almeida
Anda o pavo.
Vendem-se pegas de carabraia decarocinhos,
fazenda muilo fina, cois 17 raras, pelo baralissi-
mo prego de 8* a peca, ditas com 8 3(4 raras a
4*, peca deeitaa adamascadas e com ama rara
de largura 3|500 a pee* ; na ra da lmperatriz
D. 60, loja do pavo.
Em caaa de Adamson, Howie A C, ruado
Trapiche Novo n. 42, vende-se :
Sellins.silhoes, e arreios para carro ou cabriolet.
Rolhae de cortina finissimas.
Lona e fllle.
Fio de rola.
Superiores tntaade tedas as cotas.
Baloes para meninas.
Veodem-se baloes eara meninas, de todos os
tamaito, de madapolo e de mussulioa a 3* e a
4* : na ra do Queimado n. 22, loja da boa f.
Vende-se caf mado e puro a 360, assucar
anascavado a 29 a arroba, a retalho a 70 rs., sar-
dinha de Nantes a 440, cerveja preta a 560, branca
a 48U. a verdader agurdenla branca a 160 a
garrafa, azeite de carrapato a 440, cognac a 1*200:
na taberna dos Santos, ra do Cordoniz n. 1.
Roupas feitas ba-
ratissimas,
Na
armazem de fazendas e
roupas feitas
DE
Raymundo C. Leite & Irmo,
N. 12Ra da ImperatrizN. 12.
Neste armazem que ora se acha bastante sortido
de roupa feila de todas as qualidades, tinto par
ra homem como para meninos, se estao vendendo
as mesmaa por baratissimos precos, como se-
jam : sobreeasacos de panpo fleo, obra ioteira-
mente boa por ser feita a moderna a 25J000, di-
tos de panno superior, obra do melhor que se
pole desejar a 30*000, palitos de casemira finos
a 18J000, ditos sacos, obra de moderno gosto a
12*000, ditos do meia dita a 6*000, coletes de
casemira de cores finas a 4*500, ditos de brim
de cores e brancos a 25500, calcas de dito finos
a 3J5O0, 4*000e 5*000, paletos casaeos de alpa-
ca obra muilo boa por ser de alpaca Qna a 88006,
sao de casemira finissima a '26*000, camisas
francezas peito de linbo mul> finas a 35J000 a
duzia ; havendo tambem ruuitos outras fazendas
e obras feitas, as quaes todas se vendem por
pregos muito commodos.
Liquidaco.
Na loja da ra do Livramento n. 19, vendem -
se os seguintes calcados francezes :
Borzeguins para homem, de Nantes 8*000
Ditos para dito, francezes 6*000
Ditos para dito ditos 5*000
Ditos para senhora n. 32, 33 e 34 3*500
Sapatoes de bezerro de Nantes 35500
Ditos de dito de 1.a qualidade 5*000
Ditos de dito caxiados de 2 solas 55200
Sapatos de tranca para homem e senhora 1*0
Ditos de tapete para homem feilos na trra 720
Sapatoes de castor de tranca 4*000
Veade-se urna porcio de Chapeos de palha
de Arreaty, tanto a retalho como em poreo, ba-
rato que admira ; na ra do Cordoniz o. 1.
Ra do Queimado n, .9,
Armazem de fazendas.
DE
SANTOS COELHO.
Chales de merino estampados tinos com listas
e franjas de seda a 9.
Toalhas de fusto a 500 rs. cada urna.
Graralinhas de cassa muito lindas para ho-
rnero a meoioas pelo baralissimo prego de 100
rs. cada urna.
Chales de merino lisos de todas as cares.
Cortes de pbanlazi3 de seda pelo barato preco
de 8*. v *
Cobertas de chita gosto chinez a ,11800.
Lenges de panno de linbo a 1*900.
Ditos de bramante grandes a 3*300.
Vestuarios de seda para meninos e meninas
a 8}000.
Cortes de casemira Anas a 4S500.
Gapellas brancas para noira a 5*.
Bramante de linhocom 10 palmos a 2* a rara.
Sortimento de baloes para senhora e meninas.
Bramante de algodo com 10 palmos de largo
a 1*280 a rara.
Um rico carro.
Vende-se um rico e elegante carro mu bella-
mente preparado : no eacriplorio de Maooel Ig-
nacio de Oliveira% Filho, larga-do Corpo Santo.
ALI.W\k DE LGIBRANCiS
LU3U-BRASI1.EIRO
4dmiravel pechkha
na loja do pavo.,
Admirarel pechina!, rja loi do psvio, rus
da lmperatriz ii. 60, da Gama 4 8ilra veadem-
se Onissimos cortes de carabraia de seda com 2
baados a 48900. diloas a venial a 3*900,. e*o
da duassaiasa 3*500, ditos de cambraia branca
muito Qna com babadose dass saias-. a 49, ditos
brancos, cambraia de seda, com babados a 6*, di-
tos do phaotazia com babados da rafias coces s
8*000.
Pentes.
Vende-se os lindos pentes tsnto de tartaruga
como de massa para alar cabello, assim coma de
I
)%.
i
W^ msb das razes (fe S^to Antoats, S6

com viepera* para entretei.-
' ment.
Asaba da chegee per e*iefaaraia
Bba 4*
DK
Vande-se na lirraria econmica jauto do arco
de Sanio Aolctnio.
Para bailes
e csamentos.
Na ra do Crespo esquina da ra do
Imperador; n- 7. vende-se enfejte* a tue-
ca para bailes e casamento* o melhor
que se tem visto ate', hoje.
Na roa do Mbndegff, casa n. % tem par
vender seroeote de hortatrCa,novas, chegadas de'
Lisboa ii-louliia4x4por, anda, oaire rapolhu-
da. din Bc.;^>Jc*^ri,:oa*ijiJ, raba-
nos de loas qualidades, senoulas, aselcag, salea,
tomates irarfjfe; msrrd, etvttha- isfs, fejso^
carrapato e alfire arrandad.
Feijo de cora
o armazem Je Tuso Irmios, ra do Amori-
n. 35.
rende por precos baratissimos.
Brinquedos proprios para
meuiaos.
- Vendem-se os lindos bonecos eom corda que
anda urna milha por ora, assim como de outras
maitas qualidades.
Bandeijas
Veodem-se bandeijas de todos os tamanhps por
pre(os que admira para acabar, assim come- para1
copoa a 00 rs. e a 2* a duzia.
Capellas para noivas.
Vendem-se lindas capellas branca muito
proprias para casamento qus se rende por
5* o 6* e muilo Qna a 10*, assim como bicos e
fitas, franjas eoutros muitos mais objectos que
e tornara enfadonho aununciar que so affianca
render o mais barato que for possirel por se
querer liquidar : ludo isto s na loja da aguia de
ouro ra do Cabug. n. 1 B.
Taixas.
Reducco em precos para
acabar.
Vendem-se no armazem de Braga, Son & C,
na ra da Moeda, taixas de ferro cuadp, do mu
acraditido fabricante Ederin laio, a 110 rs. por
libra.
Grvalas da moda.
Vendem-se graratinhas estreitas muito supe-
rioret., taita prelas como da cores, pelp barata-
sima prego de 1 ; na ra de Queimado n. 22,
oa loja da boa t,
Fabrica do Slonteiro.
Crystalisaca e refna^ao
de assucar.
Deposito na roa de Apollo n. (>, c praca
da Boa-Vi&ta n. 26.
Este importante estabelecimento conlioa a
fornecer aos seui innmeros freguezes do airo e
puro assucsrcrystalisado, em p e em pes, 1.a
e 2.* qualidades, pelo prego de 160 e 200 rs. a
libra, e do refinado a 100, 120 e 140 a libra, sen-
do que em grossn o comprador (era am descont
farorarel. Nos mesmos deposito tambera ae
rende mel de assucar a 60(1 rs. a caada, o car-
ro animal em p a prec,o commodo.
91 _
s A, F: Duarte Almeida, socio que foi do armazem progtes^o faz sciente os seus fre-
guezes que tendo separado gociedacte rjufftinba com seu mano, acha-se de novo estabele^
t25S%To?tS.n'u."^u\^ arizens de tlhdos, assooiado com o S. Joaquim Jos Gomes
de Souzae oSr. PauloJP'erreJra. da Silva; o prmeironarazao de Duarte A Souza e osegundo
na de Ruarte Ameida A Silya< eates estabelecimentos ofEereeem' gpandes vaolagena ao pu-
blico, nao. s na Uiipeza e assei0 com^ue se acham mofttadosx como em commodidade eje
preep pois que para isso resolveram as proprieto rios mandarem vir parte de seus gneros
em direitura, afim de terem sempre completo sortimento, como tambem poderem offerecer
ao publico urna vantageru de menos 10 por canto dt> preco que posaam comprar em oatrt qualquer parte, por isso desejando os proprietarios acredi-
tarera seu estalwlecimenios tem deliberado garsoatein lod* e cjtulquer qualidade de gneros vendidos em seas armsiens, e assim j poder ver o
publico que pode mandar suas encommendas, raesmo por pessoas pouco praticas, em qualquer um destesestabelecimentos, quesero tao bem servi-
dos como se viessem pessoalmeole, as certeza de nunca acharem o contrario de nossos a n nuncios, e assim fundados as vantagens que oEerecemos,
pedimos a lodos os seohores da prac, senhores de engenho e lavradores que manden ao menos suas encommendas a* primeira vez, afim de experi-
meoter, eertos de connnuarem, pois que para isso rvJo, poupario os proprielarios forcas para bem servirem aquellas pessoai que frequentarem nossos
estabelecimeotus, abaixo Iranscravemos algumas adigoes de nossos primos, por onde ver o publico que vendemos baralissimo, attendendo as boas
qualidades de nossos gneros.
Jlanteiga 1 Ugleza especialmente escollhida a 800 rs. a libra a em porsao a 750, recommenda-se aos apreciadores destete genero que
tnandem ao menos experimentar, sertos.de nade perderem pois para isso confirmamos o que levamos dito.
dem traoceza a melhor do mercade a 60. rs. a libra e em barris a razao de 600 rs. a ltbrs>
t na nySSOn e pretO o melhor do mercado de 1*700 a 2|880 e em porjo lera abatimento, eafian^a-ce a boa qualidade.
Presunto fiambre nglez < hamburguez a OOO rs. a libra e em por$o a 800 rs.
Presuntos portuguezeS viudos do Porto de casa paroular-%560 rs. por libra einteiro a 460 rs.
Alarmelada dos melhores autores de Lisboa premiada as exposi^es universaes de Londres e Paris a 1*800 a lau.
GaiXAB COm Strenha pevide e rodinba a 70ft0 a cajxa e800 rs. a libra a em poreo teri abatimenio.
Latas de ameixas francezas com cinco libras a 4*000 e 1*000 a libra.
r aSSaS em caixinhas de oilo libras, as melhores do mercado a 2000 e a 400 rs. a libra e caixa de urna arroba a 7*000.
Espermacete superior 1720 em Nxa e a 740 r. a br..
Conservas francezas fogltzag e portuguwas a 00 e soo rs. o rao.
EtTVliaaS portu8uezis ranceeas a 800 rs. o frasco afianca-se serem as mais bem preparadas que tem vindo ao mercado.
Lata coro bolaxinba de soda dediver
VinhO em garra/as Duque de Porto, Porto fino, m
a garrafa a 18f duzia.
Vinho em pipa proprios para pasto de 500 a 600 rs. a garrafa ede 3*800 a 4800 caada.
Latas COm frUCtaS de todas as qualidades que be em Portugal de 700 a 1000 a lata.
r era em CaiXaS de 4 a a libras a melhor que se pode desojar e tem vindo ao mercado de 49 a fti a caixa e 19280 a libra.
Corinthias em frascos de 1 l|2 a 1 libras de 1*600a 2*200.
f ff/ir Peixe Savel pescada e outra rouitas qualidades o mais bem arranjdo que tem vindo ao nosso mercado de 1*400 a 19600
La dO RlO o melhor que ha a 24Qrfv a libre e a 280 rs. o lavado.
b ue a ruenioa com 2 libraa proprias para mimos, por serem muito bem enfeitadas e de superior qualidade a 3* cada um.
Vinagre branco o melhor que temos tido no mercado a 400 rs. agarrafa e 295S0 a caada^
IjOminno e erva qoce os mais novos que ha no mercado a 800 a libra do cominho e a 400 rs. a eeva doce.
VinhO BordeauX de boa qualidade a 800 e 1* a garrafa ede 89500 a 109000 a dutia,
MaSSa de tomate em latas de urna libra do mais acreditado autor de Lisboa e vinda a pr imeira vei a nosso mercado, de 19 a 19280.
r IgOS nOVOS em caixinhas de 4, 6, e 8 libras proprios para mimos, por serem muito bem enfeitados de 1*500 a 49 e a 400 rs. a libra.
Cervejas das melhores marcas 500 rs. a garral* 5*000 a duzia da branca.
Vinagre puro de sboa 940 rs. a garrafa 1850 a caada.
Doce da cm'ahfl Aa naeM am*a*sn 1 -__.~-^- .^.a .,
Azeite doce purificad 80C a garrafa e 9*000 a caixa com 12 garrafas.
IxOgnaC a melhor qualidade que temos no mercado a 1*000 a garrafa e 10*000 a duzia.
9U2S!/"I?8?/ ** uUlm,raenle 60 PO^o er abatimento, afianca-se a boa qualidade.
Genebra de Hollanda 600 rs. o fiasco 6*500 a frasqueir. com 12 frascos.
railtOS XadOS ptr. denles a 200 e 160 rs. o maco eom 30 macinhos, e flor a 280 rs.
lein dO gaz a 39000 a greza e 280 a duzia de caixas.
AW nn! ,B9,8 SUPerr qe temO td D BerCad Pr,u8uez' hesPanboI e fraocez de 1* a 19200 a libra.
^mn^lS^^'^ ^ l9m Vnd D0SS0 merCad 1200a8DMrrt d0 Por^ e a 2*000 as de Lisboa.
Ua catn be 'i isi<|1ll w
f o*, xU a*taa\a*o
; ambos o ladea, o bmIbjw qi
geneo. custo eada wbm caiaaaaW t$,
fobertMVmoolsB,eaeaasjea,i
lidadeaaf. IJSOOel; o toase* *
per isa dirijam~a cent diabeir 4
mOo. loja d*auia branca n. 16# m
servidos.
Figas deeoral.
A loja d'aguia branca racabeu nasa
qoanlidade da bonitas boas acabadas fiase ale
coral, proprias para ao faites df) enaste, eVi*.
logios, e naeamo para m rolla de eoral, aaaoU
vendendo. 100 cada urna ; que a se dsesea
nao as acbari mata esa dito loja d'axaia bcaaca,
na ra do Oeeimado nnmero 16. nica parto ve
atoo.
iversas qualidades, a muito nova a 1*450. e grandes de 4 a 8 libras de 29500 a 49500.
neciar, Carcavellos, Madeira secca, Feitoria e Camones a 1*200 a 19300
extractos para lencos.
A leja d'aguia branca acaba de despachar de
sus propria encommenda. Daos e preciosos ex-
tractos de novos e escolbidos ebeiroe como basa
sejaro, iroperatriz. D. Jaouaria. D. Franciaea, aaa-
rechsl Bruquet Real, dito farori, dito dos Alpes
dito de Trianou, etc., etc., nio esqaf cendo porm
o estimavel exUatto de saodal. li ae salto, os
freguezes que manidos de dinheiro dirigiross-M
4 ruado Queimado, loja d'aguia branca n. 16,
acbarao barateza, agrado e sinceridad.
Ww e banha philecetM
e outras qualidades.
A loja d'aguia branca acaba de d
novo e bello soriimentode olea e basaba
me e outras superiores qualidades,
estimada e procurada banba em copos graadci,
cu^a encllente qualidade ji besa istiirid.
assim como a rerdadaira tteaepsfoaiie; qaean
qaiaer a pro ver do bao afee er au ir 4 raadb)
Queimado, loja d'aguia branca o. 16, qu aeri
bem servido ; adverliudo, porm. qae es frescos
vo todos marcados cora o rotlo de dito loja.
Aspas largas
para saias balao.
A loja d'agais branca acaba de recebar am bel-
lo sortimento de mui bem lecidss asase para ba-
lao. e aa est vendendo baratamente a 160,180
e 200 rs. a vara ; quem precisar dirigir- Mea
dinheiro dita loja d'aguia branca, roa do Quei-
mado b. 16, que aera bem servido.
! J chegaran
as inte re sean tes estampas, a morte do
justo, e a morte do peccador.
D.
Garibaldi.
Joiquim Ferrelra da Costa, partecipa ao rea-
peiuvel publico e eom especialidade aos seus
numerosos freguezes tanto da praca como do
mato, que acaba de receber de Paris pelo ulli-
--------w.m. nova iactura de chapeos de senho-
.i P meninas mma sai. ^,.i..j-
imbem se encontrara uro completo sortimento
de chapeos para homem, de (eltro copa baixi e
altos, de lontra, francezes, tambeilik, oastor
branco prova d'agua, ditos para a festa que sao
frescos na cabeca e na bolsa, e tambem para os
religiosos franciscanos, chegados ltimamente
de Lisboa. No meamo estabelecimento acba-se
um completo sortimento de fumo da Baha que
se vende por atacado e aretalho, um bom
sort'mento de charutos como seja Havans, roa-
nilha e os afamados flor do Brasil, suspiros a-
pr azi veis, regala imperial, guanabaras, pari-
sienses, e todos os charutos do afamado autor
Simas, e Gandido Perreira Jorge.
Oucam ?
Toucas de fil e seda enfeitadas para enancas
a 400 e 500 rs., e ligas de seds elsstieas a 240 e
320, pecbincha : na loja das tres estrellas, ra
larga do Rosario n. 33.
Via frrea!
Saceos de encerado preto com (echadura pro-
prios para viagem a 1$500 : na loja das Vs es-
trellas, ra larga do Rosario o. 33.
0 bazar da rna Dircila
loja n. 103.
Vende-seos stguintea ebjactos para acabar:
mangas eom flores o par a d500. jarros para
florea a 3*500,49. 55. 6$, 88, 10 e 209, fraa-
jas de cortina lo brancas e de eores s peca a Sg
e de borlla a 39500, eslojos com navalhas mui-
to finaa a 6, 100, 25& e 309. cartes de coe-
tes francezes a 40 ra. o carto, sspallohos de la
para crianca a 240 e 400 rs. o par, masaos de
a'jofarts de cores a 440 rs., meias pretas para
senhora a 140 rs. o par.de cores para homens
a 240 rs., manta finas duzia a 21000, quadros
com msica e figuras a 149 e 259, Hnhas de
marcar azul e encimada a 20 rs. e era caira a
240 rs.. luvas enfeitadas para senhora a 19600 o
par. ligas a ljede Escocia imitando seda a 800
re. Unto brancas como de cores e de pellica com
um pequeo toue de mofo a 500 rs., chapeos
para meninos proprios para se baptisarom a 4JJ,
booetsde palhinha a 29, de panno para homem
a 19, e de meninos de velludo a 500 ra tesou-
ras Anas para aparar unhas e costaras a 240 rs.
e em duzia a 2$, caivetes para aparar penas a
100 rs., tinteiros de porcelana com campainha a
39500 e 49500 e sem campainha de diversos
precos e outras muitas cousas, assim como mui-
tos caluagas para afeites d mesa.
Luvas de pellica de Jou rin
Na ra da Cadeia do Recife n. 9
l
55, em casa de Figueiredo 4 Ir>
mSo, chegadas pelo ultimo pa-
quete,
Injecco Brow
Remedio infallivel contra as gnor-
rbeas antigs e recentes. nico depo-
sito na botica franceza ruada Cruz n-*
22. Preo3#-
?eTMkr-se um cabriolet com op eoaftetoo'
te arrotos, todo novo, e um excelleoto orvallo
parco mesmo ; quem o quizer ver e comprar,
dlrij* acbari eom quea traUr. m
r Vende-se dbnd do serlSo* muflo? Mrda a
329 a libra, linguiejs de dito a 320 a libra, vioho
hespanhol e da Fgaeira a 400 ral a garrafa, em
ca*da3.: ao Recife, ra da Sensata Velho
u. tlOt> eioaid becao Larga.
*- Vende-se em casar de Adamson, Howie CiruadoTripIchelvOTOn. 42( bltceltelBletM
so
que tem vindo a nosso mercado a 19200 aancoreta
no ultimo navio a 480 rs. a libra e em poreo ter a batimento.
AlpiSta 0 maislimpo que tem vindo ao mercado a 160 rs. a libra e 5*000 por rroba.
A iem dos gneros annunciados encontrar o publico um completo sortimento Je ludo tendente a molhados.
Madapolo
da arara.
Vendem-se pegas de madapolo, panno entes-
tado a 39, pegas de cambraia de salpicos a 29 e
38, pegas de cambraia branca a 1S6O0, 2*500 e
39, ditas para cortinado a 3$, cortes de vestidos
de phantazia com 22 covado por 129, cortes de
csssas irancezas com 7 barras por 2J500, ditos
de tarlataoa a 29500, ditoa de cambraia de baba-
dos i 3f, cortea d chitas finas com 13 covados
para vendos por t9500. ditos de riscado chinez
por2J690, cortea de filo de linbo 029500. de co-
res para vestidos : na ra da Taiperalriz. loja
armazenada da arara de 4 portas n. 56, de Maga-
Ihaes & Hendes, aoude se acha a noite am relo-
gio com letras de cores em que diz arara a. 56.
Vendem-se urnas caldeiras de folha, e ama
porgio de formas para fazer velas a 500 rs. a du-
zia ; na ra do tfondego n. 61.
Arreios de sola franceza a metal principe
para 2 cavallos ; vende-se por preco razoavel:
na ra do Hospicio n. 3?.
Sobrado.
Vende-se a quarta parte do sobrado de dous
andares na ra do Padre Floriano d. 21, leodo o
mesmo comprador preferencia a entra parte por
tambem querer vender; a tratar na ra do Quei-
mado n. 52, loja.
Attenco.
Vende-se o verdadeiro cha malte em p e em
folha, est queimando a 200 e 240 rs., s Santos
& C, ra do Cordoniz n. 1.
Vende-se verdadeira vela de careaaba re-
finada a 440, sal refinado a 320 a cola, verdadei-
ro umo de lata a 600 rs., pango a 160: s San-
ta* 4 C, rus do Cordoniz n. 1.
I oja de marmore
Novidades despachadas
para liquidaco.
Para bello exo.
Mantos de cachemira goal o almirante
Raaia 9pf,
Maotilhoa de cachemira aoato prince-
sa Clotilde* a 159-
Rond de caehamira gosto Lady Mae-
donald a 209.
. Ditos da dita gosto cooaltgi de Joce--
lya a 109.
Casaeos de dita gesto raiob Victoria 1
a 20|.
Ditoi.de na a:

Mantas de retroz para gra-
vatas
Veodem-se mantas de retroz para gravatas,
tanto pretas como de cores a 500 ra. : na ra do
Queimado n. 22, na loja da boa f.
Na ra do Queimado n. 10, loja nova
de l portas, vendem-se as seguintes
azendas de apurado gosto, e por
menos pr^o do que em outra qual-
quer parte.
Ricos cortes de cambraia branca bordados s
20, 256 30.
Ditos de seda de cor a quila a 80 e 909.
Ditos prelos bordados a velludo a 60. 70. 80 e
90JO0O.
Ditos de seda de cores a 20. 25 e 309.
Ditos de dita preta a 20 e 309.
Ditos de barege com babados a 15 e 209,
Riquissimas capinhas de velludo bordadas
com mangas a 60, 70, 80 e IOO9.
Lencoa de linho bordados a 3, 4, 5 e 69.
Ditos de dito lisos, duzia a 6, 7 e S.
Ditos de cassa com bico, um a 120, 200 e 240
ris
Mantas de grosdenaple abortas renda, urna
a 39000.
Chapeos do palha para senhora, um a 8 e IO9.
Dito de pellica Garibaldi, um 159.
Chapeos de sol de se la para senhora, um 49.
Kiquissimos cintos dourados a 3, 4 o 59.
** Vende-se o grande sitio denominado Caiau-
na, sito na freguezia da Varzea, de muito boas
Ierras, que ludo quaolo se planta di em grande
quanidade, com um casa de tipa j caberla,
um dita de fazer farlnha, grande quantidade de
ps de cafezeiros, com diversos ps de fructeiras,
como seja, larangeira, coqoeiros, etc., etc,
tambem vendem-se duas vaccas que dio bastante
lite, t*a dellas1 com a erra j grande, e um bur-
ro menso ; a tratar ai ra do Sebo n. 20.
PechQchas
na loja da arara.
Vende8e fil de linho de cores bara vestidos a
240 o corada, riscados finos para vestidos de 4
palmos o> largura a 260 o covado, orlonliea da j
cores para vestidos com 4 palmos de largara a
400 rs. o covado, laazl'nhas chinezas para Vesti-
dos a 400 ra. o (ovada, sentar de quadros a 640
o covado, cassas de salpicas #:tOO ra o sotado,
chitas para vestidos s 460, 180 eJfoOra. 0 oo va-
do, ditas francezas a 220, 40i 60 fBffo cv-
do..popelina de cor para vestido" a200r. ca-
vado, aaia baleo de0 a 4fl a 3 o SjBOtt.
do todas a f.renas se dao ao amostras, dezae*-
dOweohor na roa da Irhbefatrtti -lfa de arara i
4 .aortas n. 56, do Hasjetaea A Meqdes.
Enfeites a turca
Chegaram no ultimo na rio vindo de
Franca, enfeites para cabeca ao gosto
turco, proprios para bailes e casamen-
tas o melhor e de mais gosto que se tem
visto : na roa do Crespo n. 7, esquina
da ra do Imperador loja de fazendas
finas de Guimaraes & Lima.
riUmr,
i]


No*e meaMo de eamdisiro aaz# o|mi _
riedade de atencllio tete cozisma ; ai rwl
-vrf. lo*>'e>'fLiripes 8, por tatt* do sobr
lllar ti MinHiiwHai ,

e maeejuHev) bovdtor-mato oes
par molmrc tt9e MMeisee, bada4a s rwiaf
Inlnos a 19.
Liquidaco
NA
Loja de marmore.
Na loja de marmore vende-se para li- II
quidacao por precos muito barato, um A
variado sortimento de fazendas de mo- 1
das para senhoras, roupa feita para no-
mem e vestimentas para manios e bem ff
assim quadros a oleo para decorado de S
salas e capellas.
mmmtmmm -mmmmmm
A ultima hora.
Acaba de chegar loja de Gama & Silva, o.
rna da lmperatriz n. 60, sonde tem o pavio pin-
tado do lado de fora, as fazendas seguiotes :
Rico corles de tarlatana bordados a seda por
1ZvUU
Camisinhas Com golliohaa bordadas e tambem
manguitos, fazenda da muito goato, que sempre
seveodeu por 109, vende-se pelo baralissimo
preco de 59.
Ditas, gollinhas e Manguitos bordados multo
finos a 29-
Ditas, ditas ditos ditos a 19500.
Gollinhas bordadaa com traspasso a 19.
Ditas muito finas sem ser de traspasso a 640
Ditas ditas dito a 500 rs.
Manguitos de cambraia bordados 119
Ditos de dita ditos a 800 r. fl
Ricos chapeos de so pera woeors 49.
Lencos de catabraeaie avA botdaos^para*
nhora a 29. ^^
Ditos de dita dito multo finos a 29500.
Para acabar.
s^iifl.,t.S5:i!as
lai para vestido cora U aovados a 59, peca de
8|80>. cWt larga franeeta," corado a
Da loja d'aguia branca avisa-sa
'reverendos e outras pessoss que haviem
rt en dad o essas interessantes estampa, que ellas
{acabam de ebegar, e quem mais aa quizer pos-
suir dirigir-se logo dita loja d'aguia branca.
ra do Queimado n. 16, pois que a quantidade
pequea, e por agora ainda se venderlo a 29000
cada urna.
sortimento de enfeites de flo-
res para easamentos
e bailes.
A loja d'agoia branca acaba do apacha* osa
lindo sortimento de enfeites que de sos pieptao
encommenda mandou vir para casa re en toa e bol-
les, e sem me do de errar, podo-se dizer que sao
os mais parfeitos e delicado que at agora tem
...do, c casa rnaae ser coohecid por ajoiillaai
pessoas que sabem apreciar o bom: apesor de
todo vendem-se baratos m proporcao perltcao
delles, sendo a dinheiro vista 129, 149 e ff
iiso na ra do Queimado, loja d'agoia branca no-
mero 16.
A loja d'aguia branca
recebeu lambem novas luvas de fina pallca, en-
feitadas, para casamento, assim como lindas ca-
pellas. A commodidade dos precos j bem co
nhecida por seus boos freguezes, e ser mais per
aquellas pessoas que de novo o qaizerem ser do
dita loia d'aguia branca, na rus do Queimado Da-
mero 16.
SLoja das 6 por-r
tas em frente do Li-
vramento.
a Roupa feita muito barata.
Paletols de panno fino sobreeasacos,
J ditos de casemira de cor de fostio, ditos
gip, de brim de cores e brancas, ditoe de
? ganga, calcas de casemira pretas de
qp core, de brim branco ede coros, degan-
g K*. camisas eom prto de linbo murta
P finas, ditas d> algodlo, chapeo de sel
W de alpaca a 49 cada um. ase
mmmm-&m #-#
Veode-se per preco mulle commodo asa
toalha de labyrntho toda aberla de fletrettse e
sses: ns taberna da roa daa Crozes o. .
Loja das 6 por-j
tas em frente do
Livramento.
Chapeos de sol de alpaca a 4f.
Dozia de meias croas para hoaaem
19200 e o par a 120 ra., ditas brincas
muito finas o 2f500 a duzi, lencoa de
cassa com barra de corea a ISO re. cae
am, ditos brancos s 160 ra., baloes de
20 e 30 arcos a 3|, laazinha para ros-
tidos s 240 o covsdo, chales da menee
estampadas finca a 59 e 69. Urlataee
branca e de cores muito fina cea van
e meia de largura a 480 rs. o covsdo,
fil de linho liso 640 ra. e vara, pe-
gas de cambraia lias fina a 99, ca-
decores para vestidos a 200 r. e ce-
vado, mussulioa encarnada a 390 ra
corado, calcinhas psra menina de asala
a 15 o par, gravatinbas de tranca a 190
re., petos psra camisa a 200 rs. cade
am duzia 29. pecas de cambraia do sal-
pico muilo Qna a 39500, cecea da bra-
tanna de rolo a 29, chitas fraaeezae a
220 e 240 ra. o corado, a taja est
sberta das! horas da mai
noite.
99a
..:
cassss seeras francezas, corado a 240 I a alias,
que em vista da reducto em preco; penco pode
tem-raarflideQurtmafle^li: *
A tjuem oonver.
nlreetdi edtragtWtseSi: mea~p'r9wfera
le a mesma.
Superiores tiras
bordadase
Na loja da boa fi
OaWa>on. 22 se encastrar a
mele de saperteres airas rtta
qoejse-vent>m peto barato
89000 ris-af
Miei
[dariterlTotse
oaloj
Ti"lm~aT.


itafc
I
MAftKfeiNfvpiiiytqto* mtq.Wff*jtffi>u
Viadai. pelo ultimo Vpj* 1^ ta
roa dVCadeia^IoJa de ferra $,!?&:
klAButat.
largo daPnilia__
FiancsGO Eei^ndes Duarte, proprietario dcste
Bh!?7rwVH,^8i0';.par,elP" ".S "", rreue". -^como .03 .enhore. da praca, de enae-
nno e Iavradoras que d'ora mTintt quizerem-se afregaezar neste estabeleeimeiiio Ma.h.
cota um completo prtimento de gneros os miiiio.oi Z hiTZmd ^SmpZ !?!.!
ota 'ao^tf ,W-lltM tl b .m C0? M 8 mbarM '*"* Plmenle, para oVee
nao s.poaperf o propneteno em prestar toda attencSo, afim da conliosaren a mandar nnrn.r.r
.... e^commenda,. aertoa de que, toda e qualquer Uoma^^rX^elsaUec^ento
acompanhar urna conWimpressa com o mesmo titulo de armaWProaJiW
MAutelga. iitgYeza <9iltllttmcAU^ov4UM0M ,iibr, M
n.^resle^racc.oi-amente ^h in^Votiho qm9ism9^hr ^^il% hi^^tl
toUP frUMZt a o*0r.. a IIL em b.rrila*0.
e 190UU, anan;a-se a boa qaandade. *
**^^W*'M*,W>'l"rt""' Mi.*., ,o. do ..porpo*.
figos *Mma4e^ ^.;vr ~.~.*.. i*.,,,..
*ew.ato JAiUaaaw ,*,,, 0,.,.,ikf..
a mata ora que ha no mercado a 460s. a, libra, e em arroba 4J500.
Emprnasete,760 r,, MbMi ea MtaM 740 rt
abatas eom \>oUxAuUa Ae seda h
.uut* ^va de afete qualhidee a 1I40O
"T1"" ^* r"""*de muitas qualidades a 19400.
^xeltaiMismiiiUi navas rffB0D r, 0 Urril^ieUlh0,310 .. ,rMi.
Doce de AAaereue emlBtt de 211br por ,.m
%-4%Tlatas paM pooim a^s. alrbra.
Baaua de o o reo retinada ,
M a t "-*. 80 ra. a libra, em barril a 440 rs.
a kft *^*C m.i.nova do mercado a 900r..,eem lata, de 2libra por 19700
_ lOmllO prineira Tez que ,,.,.-, 6ste mercado 640n. libra.
Caoarieasenaios^H.^.^eo,, libi,
PaUto. de dente UXadasCOBa0mici.hMpofoari>
CUocoVate trancez. liaoo rs.. liot.f dul0 ^ 800 r>
Mar melada imperial ,, .,, k
a I9000rs* libra ,faDMdo Abreu <"*^aiubr.eantetdeLitboa
V L de 500, 560 e 640ra. a garrafa, em caadas a 3*50044000 4*500.
Wat^V damaie*cee,liU,lMm,rM*,5-a du". em garrafa a 500 re.
1T* 1m A 11P""sop" m*no?aqu ha no mercado a 640 r. a libra.
rt....ii u n*rrafado. Porto Bao, Porto, Feitoria e duque do Potio a 1*900
fcrcavellos.Museatele Bordeauxa 1, a.garrafa.'e eme.iz.de m. durili se'3 abatiS
w* ^. f.a mS n* e B,P0 que hfl D0 ""do 160 ra. a libra e em arroba a 5.
Erv unas francezas t
as melhorea que ae podem desojar em meias lats a 500 rs.,

-
eW ato* ma tl-ti'u
M a) i f
LiquidacSo de
calcado francez,
roa da lmpera-
trz b, i 6.
Verrde-e'e'eartado'lraiiceipaTa senhorat. me-
nino, e meninas por "todo-e-qualqaer preco, -em
miso dot proprietarlos deste ealsbelecimeoto.
torera aesorlrr notamente para a testa e qoere-
rem acabar com todo o calcado que oo mesmo
flabeeimeoto existir; asslm como pedem mui
respetosamente aos seus desdores o obsequio
deTirem pgar as importancias de seus dbitos
?isto que do 1* de nwerobro prximo foturo em
dianle serio entregue lodaa as contaa a um soli-
ctWdor flmde asrecebor como Jogar cone-
oteOre ; fazemea portanto o presente anouocio,
awB'-oe qne nao baja como bouve quera ae quei-
xasee do meio que empregsmos paraoaae Bm.
Belogios baratos-
iSSSSfiTl*^' rande porco de relo-
giosfolUdos, dourados a de oure, patentes e ori-
zonlaes soSBOfl o ingiere., os qoaea aero rea-
didopeles preeoada factura. Cadarelogiolera-
ra um recibo em que se reapon.abilisa pelo re-
guiamento duraole seis mezos.
a toda a hora a 19 i libra.
ditas inteiras a 640 r*.
^ i T meIhor Peli,co 1ue P Mt\<. 4ca#adoa .8W).., dil., m
i\ozcs mult0 ooya 120 rg a Uora
^stanhaspUdasa240r8>alibra;
Caf
^^ ajuito periora 240r, a libra, e a 7 a arroba;
--***b* Jo alaraoho a 3 em arroba, e em libra a 100 rs.
Fumo americano a ,s.a libra>forem por5aote ,ai4abalimenl0.
Sevadinna
sa^n ,^0 noro.a 320 rs. a libra.
T. OnCinhO de L,b0a a 360 ra. libra a a 10 a arroba.
Farlnha do ^laraunao maUa0Ta a 1R0 ri a libra
Xoneinna Angln, a200r,. alibr,J
Passas em eiidnnasde8Ub' aW500cadauma.
Inlependedte dos gneros mencionados encontrar o respeitarel publico tudo quanto pro-
curar tendente a molhados.
de Franca a'240 rs. a libra.
DO DR. HABLE
MEDICO E PROFESSOR
DAS ENFERMIDADES
PLUS DE
COPAHU
PARA 0 TRATASE!
SEXUAES, N TODAS AS AFFI
Citrat* le ferro Chabl<
preleiivel
Xarope mu
Copahiba e as C
ba$, cura immediatame
te qualquier purgacaoj,
relaxag&o e debllidade, e igualmente Quxosje
flores brancas das mulberes. tajeccao de
Chabie. Esta injeccao benigna emprega-se me-
mo lempo do xarope de eitrato de ferro, urna vez
de manli, e urna vez de tarde durante tres dia;
ella segura a cura.
E PHARMACIA, DE PARS,
0 E PRMPTO "ORATiTO
CQOES CUTNEAS, T1RCS E ALTERACOES DO SANCHE.
Dppuruino deaangiie.
DEPURATIF
i,. SANG
Xarope vegetal sem mer-
curio, o nico conbecido
e approvado para curar
con promptida e radi-
calmente impigens, pstulas, herpes, sarna, eo-
muds, acrimonia altertcdes viciosas do san-
gue; virus, e qualqtwr aflecao venrea. b-
nho* mineraes. Tomio-ie dous por semana, se-
EBinilo o tratamento depurativo. Pomada an-
tiberpetiea. De um effeito maravilhuso as af-
0 deposito
fecdes cutneas e comixes.
leniorrohidaoPomada que as cuaa era 3 das.
i na ra larga do Rosario, blica de Bartholomeo Ftancitco de Souza, n.
36.
Bam e barato
S no Torrador
23 Largo do Terco 28.
Quem duvidar venba venha ver : msnteiga in
gleza flor a 000 e a 800 a libra, tranceu a me
Ihor que se pode deiejar oeste geoero a 640 o
600 rs. a libra, .asiim como se torram eutre
muitos gneros pertencentes a molhados lili
diaheiro a vista,
Pechncha sem igual.
Al0rs
Sintures de seda e la para homeos e meni
nos ; oa roa do Crespo o. 18.
Pede-setoda attengo.
So na loja da aguia de oufo ra do Gabnga n
1 B., tem para vender ricos espelhos com mol-
dura dourada oa preta proprios para salas, que
Tiata dos compradores nao defxar de agradar" pe-
lo excedente trdro que tem e se rende por pre-
Co muito eommodo.
Chegouaapreciave] agua bal-
smica para a bocea e
(lentes-
A loja d'aguia branca acaba de recebar orna o-
ra remessa da mui prove tosa e procurada agua
balsmica para a bocea e denles. O bom resul-
tado de ta.1 agua j nao aoffre duvdacomo sa-
bido pelas immensas peaaoasque.a compraram,
e que aeoliam a falta dalla, e as que de novo
comprarem aehario que o uso della fax conser-
var os denles saos, lirrando-os da carie, fortale-
cer as gengiras e tirar o mo balito da bocea,
dando mesma agradarel aroma, podendo-se
mesmo usar della nao s pela maobaa como a
qualquer hora, e com acert depois do fumar pa-
ra tirar o cheiro do fumo, ou quando se tenha de
sabir para ter-se a bocea aromtica : para laso,
porm, bastam algumas gotas della em agua pu-
ra. O proveito d'agua balsmica aiada chega a
nais, ella sarve com acert e prouptido piara
acabar a dar de denles, ensopaodo-se Della um
bocado de algodo e deitando-o no boraco do
lente, este adormece e em pouco desapparece a
Jor. Para se obter um frasco de to proveitoaa e
apreciarel agua balsmica, 6 dlrigir-se com 1| a
loja d'aguia branca, ra do Queimado n. 16, ni-
ca parte onde ella se vende. Adverte-se que os
frascos vao marcados com o rotulo da dila loja.
Vendem-se na praca da Independencia os. 37
e.w, loja de Antonio Aoguslo dos Santos Porto,
eapeilas de ramorUl para'2 de novembro se to-
ir no cemiteno poWico.com os nomes segnio-
Minba espose.
Mea esposo.
Miaba raii.
Meu pai.
Meo flHio.
Micha lilha.
Urna lagrima.
Eterna amisade.
Saudades sempre viras.
Veiidei-seosengeiihos
S. Pedro e Espirito Santo, am-
bos moentes e correntes e
d'agua, sitos na freguezia de
S. Bento comarca de PortD
Calvo e provincia de Alagoas,
o primeiro tem casa de enge-
nbo e poucas obras, porm
safreja quatro mil pes, o se-
gundo tem boas obras, porm
s safreja dous mil pes:
quem pretende-los dirija-se
a ra da Cadeia do Recife n.
26, primeiro andar, que acha-
ra com RuadaSenzalaNovan.42
Vanda-sa am casada S. P .Jonhston 4C.
alhnsa ailh6o80gloie,a*adtoiroooastieati
bronzaados,lonas agieras, fio devala,chicla
K1*.C?IL.8. onuria ,arrio s pa-Trcanotir
nglaz. *' i.nu
Rtlogis.
Vende-s m easa de Jobnstoe Paler & C.,
ra do Vigario n. 3 um bello sortimento da
relogiosdeouro,patente ingles, deum desoais
afamados fabricantes de Liverpool; tambero
ama variedade de bonitos trancelinspara os
mesatos.
RtwwBfliawt mm asmmm*
4 loja da bandeira
Nova loja do-funileiro ^
ra da Cruz do Recife
numero 37.
Manoel Jos d Fonseca participa a
todos os seus freguezes tanto da pra;a
cmodo mato, e juntamente ao respeita-
rel publico, que tomou a delibera^o de
batxaro prego de todas assuas obras, por
cojo motivo tem para vender um grande
sortimento de bahs e bacas, tudo da
differentes tamanhose de diversas cores'
em pinturas, e juntamente um grande
sortimento de diversas obras, contendo
banheiros e gamelas eompridas, grandes
e pequeas, machinas para caf e cane-
cas para conduztr agua grandes e peque-
as, latas grandes para conservar fari-
nha e regadores ao uso da Europa, ditos
grandes e pequeos ao uso do Brasil e
camas de vento, latas de arroba a 1},
bahs grandes a 49 e pequeos a 600
re., bacia grandes a 5 e pequeas a
800 rs.,cocos de hs 1 a dnzia -re-
gadores regulares muito barato, ditos
pequeos a 400 rs., de todos estes objec-
los ba pintados e em branco e ludo mais
se vende pelo menos preco possivel: oa '
loja da bandeira da ra da Cruz do Re-
cife n. 37.
KO&.
Cbegarajn afamadoa filtradores ingUzes de
patento, proptlfc, pira parificar agua, vendaaa-
se baratos, e sao pouco : Da rus da Cadeia do
Recite n. 8, armaxem.
M*Ta da Cruz n. 10, cata de
Kalkmarm IrmSo &C, tm ex-
porto un completo sortimento
de amostras de objectos de bor-
racha, proprio para machinas de
engenhos, sendo correias para
transmittir moYimento, canudos
deborraha de qualquer com-
pnmento e grossura, pannos de
borracha, rodetes de dita, so-
bre ditos artigo tomam-te en-
commendas.
O rival sem seguido, na
ra do Queimado n. 55
defrontedo sohrtdo no-
vo, est vendetidio tudo
bom e bara tissimo.pois
j tem dado provas de
suas boas fazendas, e
por precos que admi-
ram,asaber;
Vende-se urna taberna na ra da Praia com
P0n*oa.uodo*.11f ropa para principiante : quem
pretender diuja-se a rus do Bangel, loja de lou-
5a n. 55.
Veuda de loja.
Vea4*-" aio,ar*tada laja de mUdezas
sita na ruada Impera triz n. 83, sendo attaem
ubm daa mmheaes ideavidades, muito propria pa-
'a iMagaer priocipiaate, por vender-se corno
sortimento, de forma que o novo comprador nada
Pfeciwti campear ; veade-se a prazo, conforme
|^ MDTeacioa, : a traUr na mesma raaa. 46,
Joaqaim Francisco da Mello Santo evita aoa
Sus freguezes deata praca e oade fra, que tem
posto randa aabio do aoa fabrica denominada
Recilenoarmazem dosSrs. Travasaos Janior
4 C., na ra do Amortan. 68; maasa amarella,
aataaba, praia e entras quaridadas por menor
Mateo m de o airas fabricas. No asmo arma-
bom tem falto eseo deposito de velas de carna-
la simples swm mletura algums, coma a* He
compoeicie.
Chapeos para senbora.
Ricos chapeos de seda e de velludo para se-
nbors, pelo baratisslrao prego de 15 e 16jf: na
la do Queimado n. 91, loja da boa f.
i
*&mmmmmmmmm
Libras sterlinas.
Vende-se no escriptorio de Manoel Ignacio de
Oliveira e Filho, largo do Corpo Santo.
160000.
Vende-ae par'Mavilartalrat, 1 sof e 2 ban-
cas de abrir, tudo de Jacaranda, -e em bom esta-
do ; trata-se na roa da Cadeia D; 49.
Lencos de cam-
braia com padroes de se-
da a 2^500 a peca.
Na loja d'aguia branca tambem se vende mui
bonitos e finos lengoa de cambraia imitando sedp,
isso pelo b.r.tiaaimo preco de 2500 a peca de
l lencos. E' essa urna das pechinchaa que costa
apparecer, e quando esaim -approfeitar-se da
occasiao, porque elles ervem tanto para algibei-
ra como para meninos, e quem es vir na loja
d aguia branca, na ra do Queimado-n. 16. ter
yontade de comprar mais de ama peca, tal ia
boodade delles.
Vendem-ae saceos com milho novo ; no
armazem da ra da Senrala Velha n. 144, com. o
fundo para o novo caes de Apollo.
As melhe-
res machinas
de coser dos
mais afama-
dos autores de
New-York:
vende m -te
unicamen te
oo armaajnm
de fazendas
de Raymundo
Carlos Leite
Si Irmo, nu-
mero 12, ra
da Imperatriz.
Arado s americano re machina-
par a lavar roupa: coi cas a de S.P .Jos
hston C. ra daSenzala n.42.
Lencos brancos.
Vendem-se lencos brancos proprios para algi-
beira, pelo baratissimo preco de 28400 a duzia
na ra do Queimado o. 22, loja da boa f.
Novidades do pavao.
A loja de Gama <&
Silva, na ra da Impera-
triz n. 60, acaba de che-
_^ar m novo evariado
SffiftWBftyjfe Pendas,
que faz "admirar, como
sejam:
Um bonito sortimento de cassas suissas a imi-
la;So de sedas de quadriohos, que se vendem pe-
lo diminuto preco de 140 rs. o covado.
BrWViaiYitua a ^40 rs.
Vende-se brilhaalina com quadrinhos de car
para vestidos e roupas dementos a 240 rs. o
covado: na ra da Imperatriz n. 60, loja do
patao;
Organdys a2ft0r.
Vende-se eassa de organdys de padroes muito
bonitos a 380 rs. o covado : na ra da Imp.ratciz
0. 60, loja do Pavao.
Chitas a 240 rs.
Vendem-se chitas francezas mnito miudinhai,
fazenda que sempre se vendeu por urna pataca,
e est se acabando a doze vintens : na ruada
Imperatriz n. 60, loja do pavao.
Gurguro a 400 rs.
Vende-se gorgarao miudinho proprio psra res-
tldos e capas para senhoras e para roupas de me-
ninos, pelo diminuto preco de 400 rs. o corado :
na roa da Imperatriz n. 60, loja do pavo.
Las a 400 rs
Vendem-se laazinhas enfeatadaa para vestidos,
fazenda de muito bom gosto, pelo diminuto pre-
qo de erizado o covado : na ra da Imperatriz
o. 60, loja do pavao.
Com barras e babados.
Vende-se finisaimos cortes de cambraias para
vestidos,com.barrase de bab.dos,.pelo baratissi-
mo prego de 49500, 3$ e 3|500: aa roa da Im-
peratriz n. 60, loja do pavao.
Cassas a 200 rs.
Vendem-ae cassas com salpicos graudos a 200
ra. o corado : na roa dalmperatriz n. 60 loja do
pavao.
Cassas de cores a 240 rs.
Vende-se cassas de cOres fazenda muito boni-
to a 240 rs. o covado : na loja da ra da Impe-
ratriz n. 60, loja do pavao.
Sedas a eovado.
Vende-te grosdeoaples preto maito encorpado
a 19500, 19600 e I98OO, dito azul cor de rosa e
cor de cana a J3OOO o covado, sedas brancas la-
vradsa para vestidos de noiva a 29240 e 29400 o
covado, dita preta lavrada a 19400, chamelote
preto a 2g000 o covado : na ra da Imperatriz
n. 60, loja do pavao.
Enfeites a 2$.
'Vendem-ae enfeites de muito bom gosto paro!
senhoras a2|000: na ra da Imperatriz n. 60,
loja do parlo.
Enfeites a 640 rs.
Vendem-se enfeites de freco proprios para-me-
ninas e-tambem pata enhora a 640 rs.: na ra
Imperatriz o. 60, loja do pavao,
, Chapeos p ara seuhora.
Vendem-te chapeos para aenhorat, sendo mui-
to bem enfeitadot e os mais modernoa que tem
vindo, pelo baratissimo preco de 109 na ra da
Imperatriz a. 60, loja do,pavao.
Felludo a 2400.
Vendem-se velludos preto, cor de caf, azul
ferrete, e verde-escuro, proprios para vestidos de
senhora e roupas para menioos pelo baratissimo
preco de,29400 o covado, sendo fazenda que tem
tiverem de sssislir a beilea a a- -casa oten toa,'* ae I".*16 jenden a $.: na ra da Imnerat n. 60,
quizerem levar um vestido ds ultima moda 'a do Pa,|0.
maodarim ver na maocionada loja da Boa-F, De lodaa eatas fazendas se dio amostras dei-
n* iua do Queimado n. 22- ,xando flcar penhor, assim como tem muilat.ou-
cBno aJAftA tras fazendaa que se torteara enfadonho de aa
oattUB a ijpuwr. mencionar, todas vendenda-ae mais bamto que
Vendem-se muito superiores saceos com chav em otra qualquer parte : a ruada lmaeralria
proprios para viagem, pelo baratissimo prero da o. 60, loja de Gama & Silva, aonde se asna col-
29 cada um para acabar: na loja d'aguia de ou- locado urna Ubolala com um PAVA pintado e
ro, ra do Cabuga d, 16, > da noita urna lux em que diz o PAVAO.
Caivete para aparar penoa a
Ditos com 2 folhas muito Unos a
Frascos de macacA parola muito uno a
Dito de oleo muito fino a
Tranca de laa com 10 varas, bonitas co-
res a
Franjas de lia com 10 varas, bonitas co-
rea a
Sap.tos de tranca de algodo a
Ditos de dits de lis a
Caias com iscas para charutos a
Carlas de alflnetes sorlidos francezes a
Cau.s de ditoadilos a 0 rs. e
21" p,ra ,lBJPar denles muito Unas
200 rs. o
Duzia de facas erarios, esbo preto a
tiassos com grampas muito boas a
Cartoes com clcheles a
Diloa com ditos de superior qualidade a
Uedaes de a^o para senhora a
Sa bonetes multo grandes a
Apitos de chumbo para erianea a
Rialejo para meninos a 40 rs. o
Enfladores para vestidos, muito Bo-
des a 60 rs. e
Sapatinbos de lia para meninos a
Anda tem urna variedade de miudezas que se-
ne enfadonho'menciona-lss, poisoi vista que
se pode apreciar as qualidsdes e es presos.
80
320
200
100
200
800
19000
15280
40
100
200
400
39500
40
20
40
. 100
200
20
100
80
4C0
Atten(.o
Vendem-ae caixdes vastos proprios
parabahuleiros,funileiros etc. a 1#280:
quem pretender dirija-e a esta tipo-
graphia, que ahi se dir' quem ostem
para vender.
Tinta azul que flea
preta.
A loja d'aguia branca recebeu nova remessa
desaa ezcellente tinta azul que Oca preta, e con-
una a vender os boies a 500 rs. : na ra do
Queimado, lo>a d'aguia branca n. 16.
'ai
VENDE-SE BAHATO.
Superiores capas eompridas de gorgu-
rlo preto, manteletes modernos, tilmas
de croae, e chapeos de palha.
Vesttdes de seda moderno de cam-
braia bordados, ditos de phantasia.
Sedinhas de quadros, grosdenaplts de
cor, moreantique em covado.
Cambraias de cores modernas, ditas de
listras flnglodo seda.
Sintos, leques, gollinhas e punhos pa-
ra roupao, espartilhos modernos e pen-
tes de tartaruga,
Saias balao de todas as qualidades,
camisa para senhoras, ditas para me-
ninos. chapeos para senhora.
Tarlataoa, Bl, musselina, diamanlina
e lazinha de cor.
Pulceiras de sndalo, luvas de pellica
e chapeos para senhoras
m
para ca-
rARA ACABAR
CoVxaa de la a hp<4 prnprtas
mas ou coberta de piano a ojj.
Paleiots de casemira a 109. ditos de
alpaca preta a 5g : roa da Cadeia loja
N."0. Biabar & C, successores, rna da Cruz
n. 4, tem para vender relogios para algibeira de
ouro e prata.
Vende-se
Um estabelecimento neala prca em urna da a
melhores ras de commercio, contendo para
mais devinto contos de mercadorias, sendo urna
terga parte de aeu valor a viata e duaa partea em
prazos coovencionados, com garanta : a tratar
na ra do Imperador n. 65, segando andar.
Vende-se caixinhas de charutos a 800 rs. e
19600, os verdadeiros quiris proprios paca em-
presas, arroz pilado a 100 rs., em arroba faz-se
abalimento; s o Santos na ra do Cordoniz nu-
mero 1.
Attenco.
Haruado Trapichen.46, am casa da Ro r a
Rooker &C. existe um bom sortimento de li-
abas decrese branca semearreteis do melhor
tbricaatedeloajlaterraasqaaea ae vendem por
drecos muirszoaveis
' 1 ;
Ricos cortes de medira de
seda.
A loja da Boa-F na ra do Queimado nu-
mero 22, acaba de receber ricos cortes de
reslido de medina de seda de lindos padroes,
a fazenda mais fina, mais nova e mais bonita
que htt no mercado, cada corle tem 20 e 21 co-
rados, e vendem-se pelo baratitiimo preco de
259000 o cort; tn seoboraa da bom gosto qoe
Vinho do Porto.
Marques, Barros & C. tem psra vender superior
vinho do Porto, em caitas de duzia.
Vende-se o verdadeiro vinho de Lisboa a
500 rs. a garrafa, vinagre a 200 e 280 rs., e s de
Lisboa, frascos de genebra a 600 ra., que pechn-
cha, vinho do Porto a 19; s na taberna de San-
toa & C, ra do Cordoniz n. 1.
*
Nova california
DE
Fazendas baratas.
%Na/ia da Imperatriz n. 48, junto a*
pallara franceza.
Corles de esmbraia branca com babadi-
nhos 49 e 49500 superior 59, esmbraia li-
za com 8 112 vara 3$. 3o500, e 49. ditas de
Escossia 59, jb 69, ricos enfeites para se-
nhora 69 e 6J500. sintos os mais delicados
para senhora 29500.39, chapelina para en-
anca gosto inglez 3j500, 49, para baplisado
39. cortes de vestido de seda Escossezs de
bonitogosto 129 estao se acabando, ri-
tos lencos de labyriolho 19,1J200. chapeo
de sol para senhora de bonitas cores, lisos
.59, cabo de marfim 59500, cortea de esm-
braia brancos com flor de seda 59. risca-
do francez 200 ris o covsdo, completos
sorlimeotos de bales de arcos 39, sorti-
mentos de meias para menino e menina
200 e 240 ris o par. chales de tsrlalana
de cores a 640 ris, lencos branco com bar-
ras 160 rit chitas ioglezas a 180 e 200 rs.
dita franceza a 240 e 280 rs. o covado
pegas de cambraia de forro com 9 varaa
29 : junto a padaria francesa n. 48.
:
Para os bailes eliieatros.
Riquiaaimos cintos douradoa com lindas fivelas
tambem douradaa e esmaltadaa, e com ricas pon
las para cahirem sobre oe vestidos, muito pro-
prios para as senhoras que tiverem de ir aos bai-
les e theatros ; vendem-ae pelo baratissimo pre-
;o de 49. 58 e 69: na ra do Queimado n. 22,
na bem conhecida loja da boa f.
#$ mmmm $$eee
|Rua do Queimado n. 10,J
loja de 4 portas.
* Vende-se chapeos de castor branco ra- 'j
Ricos enfeites para senhora.
Na loja da guia de ouro ra do
Cbuga' n. 1 1.
HMaAfi""^.1" *n9* atK0aea4a oa ha-
dos enfeites Unto a.ra senhora como para me-
? S! o.!? ?J,df*or fcwat^av -tto se...
AT?,' 3|' -f1' 71 palhiob. a
liquidar, pedo-ae os comprados ano ebeaoeaa
antes que se acabem : s oa lea da acuia de ou-
ro rna do C.bng n. 1 B.
Cascarrilhas para enfeites de
vestidos.
S na loja da aguia de ouro da roa da Cabuga
Ha. qf? re1cebe'" cemplot .orlimeni*
de cascarnlha das mais linda, corea que poo-
aivei para enfeit.r vestidos oa roMoziebos o
enanca que a ?*, ^^ tT **
tnapehnas para senhora a 12|
Na loja da aguia de ouro na do Cabuga a. 1
:inle1,ll,-'i,r,.f,wwcl>taHDaa de muito goal*
peto baratissimo preco para acabar o 129 a 149.
Ac para balao a
120rs.av.ara.
S na loja da aguia de ouro
ra do Cabuga n. 1 B.
Receberam grande sortimento de asteas de te-
das as larguras para concertar oa f.ier baldes
para meninas e senhoras qoe se vende pelo ba-
ratissimo preco de 120 rt. a vara e a
45 varas a 49500.
mmmm -
O melhor gosto.
W Chapeos de palha muito fioa enfeita-
. lados a traviali.a 12f e Uf. chale, de
touquim a 12 15, 20. 25.30, 35. 40. 45
505, enfeites de retroz e outraa multa.
A fazendas do mlhor goslo possivel o por
. Darstisstmos precos : na ma do Qoeima-
mado loja de 4 portas de Ferrio k Maia.
pega coi
A 280 rs. o covado
de cassas francezas de muito bonitos psdres rom
4 palmo, de largura, pechiecb. na ma do
Queimado n. 22. oa loja da boa f-
|5teflae9t5 m mmmm
Loja demarmore.
Vende-se para iiqnidaco casemiras
ingieras de urais cor proprias para fr-
Loja de marmore.
<.. Yilgitzal'p*l>.'bomem a 39 a dosis.
Loja de marmore.
Vende-se para liquidarlo manas pre- S
tas lavradan de fil a 2
A\iso
Spado a 69.
Chapelinas de seda para senhora a 89.
Chapeos de palha para
viata a 10.
Ditos de pellica a Garibaldi
Camisas para senhora a 39.
senhora a Tra-
e 149 e 139.
s
Ao respeitavel corpo acad-
mico e a rapazeada em
geral
A cncyclopedica aiaUa vive.
LOJA DE
Guimares Villar.
Ra do Crespo numero 17.
Vendem barato e baratissimo : eamisas ingle-
zaa muito finas, seroulaa. meias, chapeos, pali-
tots, sobrecasiros, paleloU de brins, grvalas,
calcado Meli, lencos e finalmente vendem a
bella perfumarla. Oa propietarios pedem a pro-
teeso. r
Potassa da Russia.
Vende-se potassa da Rossia da maia nova e
superior que ha no mercado o a preco muito
commodo : no escriptorio de Manoel Ignacio de
Oliveira & Filho, largo do Corpo Saato.
[SO A-Roa da Cadeia 1% Recife-oii Al
A 2*. S*j8Ou,'30. 800e tOf rs.
tt?3 Manoel Goncnlves da Oliveira
Santos avisa a aova amigos e fregaezes
qne est vendeodo .ceiUciabos, poabes,
manguitos de fuslao e linho para senho-
ra a 29, aaias bordadas com ricos borda-
dos a linha a 2c800, colletes do casemira
de difiranles cores muito fino a 39, cam-
braia branca transparente com 8 \\ va-
raa a 39 a peca, dita orgaodv.d. apura-
do goato a 800 e 900 ra. a vara, batato,
para meninas a 39.ditos para aaobora a 3 ,
e 3J500, gravaUs estreiu da ultiasa mo-
da a 500 rs*., e mais fazendaa amo so ven-
de barato s I I
Bengalas finas ai$000.
Vendem-se bengalas com castes de muito sos*
to pelo baratissimo proco de 19 e 18200 : na Toja
d'aguia de oure, ra do Cabuga n. 1 B.
Veade-se papel de quadrinhos muito tuperior
qualidade a 41500 a resma, dito de peso parelina
e muito superior a 39500, dito grave proprio pa-
ra secretaria a 59, e d entras maia qualidades,
que te vende muilo em eoota : na loja d'egoia
di ouro, ra do Cabuga n. 1 B.
l*ara forro de salas.
Vende-te papel para forro de salsa oa gabine-
tes-pelo baratissimo preco de 19 a peca com 12
oo 14 oo vados para liqaidar : na laja 'aguia de
oura, ra do lUbag* n. i B-
vende-so ama mulalinha de 18 asnos com
algumat habilidades ; em lira de Poilat^raa do
Pilar n. 20.
Enfeites para vestidos.
Vendem-se as lindas rosas do seda para
lar vestido ou roupoes, coosa do mailosoete a-
leirameotenovo : na loja d'agaia de oaro, ras
doCtbugi.a. 1 B.
Escravos fogidos.
Fugio do oogaaho S. ak.ii.
da 12 de ozsmbrode 859. aam i
or soma Joio Gregoaw, das-do!
bem preto, altara regalar, tas-a* o
ci de carroiro, o qoal M preso as Babia ota Pe-
vereiro de i&fi. e lemetiida psra P
em am.vapor, 'onde toroso s "
aeeat.r na Babia ; rogo so as
ciaes e capitaes de campo qae
o remetUm ora Paapambaco a tai ingas aa tv.
ioao Pauto de LamoTCanaar, o ajao pagar aaai
quer esposs qaa so fizar.
UmbeUood* Peala Soaaa Lea*.
Hontem 9 da tarraaaa, aalos 5 4)9 borsa ala
tarda, fugir.ni dona
para ser mostrados -a
pera o Ra do Janeiro, da
andr, aemetle alta o aarbado,
JBsSaaaosa 35, lovoa vealida,
sinao, casoala omarna a
esas nptasaaaa leruMastM
nos, cbt io ao orao eaata t
aasaisa da mgodio groaaa
Uasbaat grasas a carta,
ro, ambos sao do Ico, pata asme sa escaala staa
tocata ; rotm-se a* aataridadas pattaiaas a eapi-
tles de campo captara-las e lava-las i rus.
Imperador n. 45, qae serlo
11
dv%JAit-l lii


(8)
DUW Vi WU1HWD/ *^ft0011''tmkWUt ^Wtt> %4II:
=
I
ura.
*-*
L cavulleir* ^rtaftMt.
-ENTRHH0L. fia*
la a noile ma
i u'lo esliva nansa e qoedo,
l\ira un= j era larde.
Tara oulros inda cedo,
Reinava mudrJsileneio
Era sorjio todos jaziam.
nlos
bem dotmiam.


>a embudado
Um hfHBwcaTalleiro
l'eUt>Wn de urna quinta
Se embrenhava sornleire.
Mqge (fera que o guiava,
Respeitoso Ihe diiia :
'M+nha senlrora e colaba
Vm espera I gatoaia.
Dlsae, e um poucn-se afaslou.
Vigiando quen viril,
E por sua moga ama
Resando Virgem Mara.
c Beatriz, eu vou partir,
Oiz i dama o cavalleiro.
Nao te eaquege nosso amor,
Tao leal, tao vordadeiro.'
c Vaneo llardos, raes guerra 1...
Senle medo o corago...
Oscaatellos sao muilos,
Nao prevejo salvagio.
A palana medo nunca
Venha teas labios manchar.
Que a dama de um portuguez
I)eve-a de si desterrar.
Sejam antida outros tantos
Os scisma ticos damnados I...
Nos defendemos a patria
Seremos mais esforzados.
Mas a guerra sempre guerra :
Dar cabo muilas vidas ;
Mies e amantes perderlo
Suas prendas mals queridas.
a Para livrar nossa Ierra j
Do jugo doa Caslelhanos,
Maioque a vida arriscaremos,
Venturas dos verdes anno.
Se eu morrer, resa por mim,
E nao chores minhs morle.
Se escapar voltarei breve-
Ser feliz nossa sorte.
Visto o moro pagem volta.
Diz que a aurora vae nsseer.
Despede-se o mame par,
E fica sem se mover.
Mas aslrombetas despertam
Os ohos ao som guerreiro,
Os joveos enlo disseram
Trlstonbo adeus derradeiro.
Vasco Msrtins se retira,
Beatriz fecha a gelosia.
Pausado loca s trindades
O sino da freguezia.
2.-ESCARAMUgA.
Cavalleiros, ricos horneas
Caminho deSantarem
Vo, guiados por aquelles
Que ser conde de (Jurera.
E msis el-rei dom Joao,
Que do nome o primeiro ;
Como velhos sabios e meslres ;
Gomo joveos bom guerreiro,
Visco Marlins, seu irmao,
E outros mocos csmpie?,
Sollriam coreis fogosos.
Porque os seguem bons pedes.
as vinhas de Santarem
Sandoval os aguardara,
E de os lolber o'avancar
Lpucamente acreditava.
nome rravn pararamuca ;
Mas de prompto Sandoral
Ao Tejo chegam depois
Os valenlea Portuguezes,
Affrontam-nos Castelbanos
Em mor copia duas vetes.
Vasco Haortins passa o rio
Primeiro que oscompaoheiros,
Descuidado dos perigos
Que o aguardam dianleiros.
A vfio o rio passra
Com ousada intrepidez,
E entre mil Castelhanos
Se viu s um portuguez.
Do gioete derribado
Inda suslem boa fama ;
Batalhando s'eDcommenda
A seu Dos, el-rei e dama.
Seu irmo Martim AITonso
Sehue-o com dous escudeiros,
O condestavel acorre
Cora alguna doa seus guerreiros.
E a tempo estes chegaram
A soccorro atrevidos,
Que valeolesse batiam
De inimigos envolvidos.
Nao podem as Castelhanos
Os Portugueses deter,
Abalam pois os que podem,
Muitos ao rio rao ler.
FOLHETIM
, feaa aos ros lusitanos
toi leiaigoe que fuglrem ;
Mas por ordem sup'rior
Fugitivos alo seguiram.
Depoie victoriam Vasco
Por faeanba tio oiisada.
3.-A UOMAGEM.
O ir fresco di tuanha
Beatriz iocommodava ;
Quena *ii de Tretvcoso > % >
Em palfrem viandava.
Por dous vertos srvldsres
E Pedrt, seu [joco pagem,
A doozett* era seguida
Em sua curta viegem.
Pedro, que fra creado
Com a linda Beatriz,
Confianza tem de irmo,
E por isso asaim the diz :
Nao sei qual foi o capricho,
Beatriz mal-avisada,
Que te fez por caminho
Em hora tao negregada.
Neala nossa Ierra inf'liz
Sio entrados Castelhanos ;
E, se coDla, d'eata vez
Pazem ainda mores dainos.
Os scismaticos sem fe
DeVes, senhura, temer :
E, em vez d'ires avante.
Para traz retroceder.
Nao devo ter medo, Pedro,
Nem tai paiavra ouvir;
E a dama d'um portuguez
Nodeve nuoca fegir.
A' bermida de S. Marcos
Vou cumprir voto sagrado :
E rogar, para que Vasco
Nao torne a ser tao ousado.
Logo chegam ; entran ambos,
Ambos rezam na hermida,
Beatriz por Vasco e alto :
Pedro reza em voz sumida.
Interrompe a oragio
O pagem sobresltalo I...
Um esparitoso ruido
Tioha os chos despertado.

B iirfrs Idgd

Eram chegados ali
Os Cesteihaoos cruentos,
Que mulilavam o povo,
lncendiavam conventos.
*
Com terror o mogo pagem
Fecha as portas diligente;
E por detraz do altar
Oceulta a bella tremente.
cBom amigo, ella diz,
Se vais ter morte affrontoss,
Perda a la irm.
Que te ama afTectuoss.
Foge, foge, se inda podes,
Deixa-me aqui n'esle abrigo.
Se eu morrer com roinha honra,
Tere i o ceu por amigo.
Nao me salvo, exclama Pedro,
Que contas de ti darei? 1...
Elles queimam a egreja,
Gomtigo aqui morrerei.o
Eu le mando que te escapes.
A Vasco faze saber
Que meu suspiro Goal
S por elle tem de ser.
De fumo columna esoessa
Vem 03 egreja vaguiar:
E s vistas do mancebo
Escondeu santos e altar.
Amei a l...ninguem o soube,
Elle diz com pezadume:
Serei na mora feliz,
Queime-nos o mesmo lame.
A' incendiada egreja
4.A BATALHA.
N'um da quente d'agoslo
O sol forte dardejava.
E nem a aragem mais leve
O grande ardor mitigava.
Ao sol luziam brilhantes
As armas dos castelhanos,
Que em distancia oceupavam
Um oiteiro e virios planos.
Um punhado de guerreiros,
Portuguezes esforzados,
Aguardavam os inimigos
Como fortes denodados.
Duas alas, entre urzes,
Elles formavam somonte,
Commandadss por el-rei,
E dom Nunalv'res v alent.
Vasco e outros gentis-homens,
Da ala dos namorados (*)
Do calor da quente sesta
Estando mui abrazados.
svna0R.
e-o Vaco e treme.
se acereou :
_ rix pergunta novas :
ebalde pergunlou.
|lMhe eolio na mi pegar,
Maos nao tem j o infeliz :
E s boca nao tem.lingua r
Sola gritos, e nada diz.
Traz ao pescoco um papel
(Pedro o moco infortunsdo)
Que declara quem o p6z
Em um tao misero estado.
Os Castelhanos sem do
Mullos assim mutilaram,
E, por erua zombaria,
Asiim sos nossos raaodaram.
Vasco torna perguntar
Pela sua Beatriz.
Pedro ao ceu ergueu a vista.
Quantas magoas Uto dizl...
Depois no chao com O p
A costo assim escreveu:
Beatriz, para, fiel,
Pensaodo em. Vasco morreu.
E, qual a astea cortada,
O pagem sem vida ci.
O amante cavalleiro
Quasi que imita-lo vae.
As pernas tremer, fraqueiam,
A vista se Ih'escurece :"
Inda que oejpi sulilava, ':
J para elle anoitece.
Porm toques de trombetas
D'cboem echo ressoaram.
Estes nuncios de combate
Seus espiritos despertaran).
Ca valga no seu ginete,
Chega prestes vanguarda ;
Onde com alegre rosto
Dom Nuoo os seos aguarda,
Por atrevido e anojado
Vasco fez um voto eolio.
De malar o rei contrario,
Ou pijr-lhe ao menos a mo.
Comecou rijo o combate.
Tudo sangue, ludo horror.
Imprecarles, ameacas,
Gemidos, gritos de dor.
E, S. Tiago e Castella,
D'uma parte se eseutava.
E, S. Jorge e Portugal,
Do oulro lado se bradava,
Pelejando chamam estes
A'quellesexeommuogadoe.
Os Castelhanos aos nossos:
Chamorros e tosrjuiados.
A soberba Caslelhana
Abaleo os Portuguezes,
Inda que eram os contrarios
Dobrados mais de tres vezes.
Os inimigos pois debandam,
Em extrema confusio;
Um perd'elmo, oulro escodo,
Cai-lhe este a langa da mi.
Vasco v no mor conflicto
Fugir o rei castelhano,
Apoz elle, entre os contrarios,
Se arremeda como insano.
Segunda vez se acha elle
S entre mil inimigos ;
Mas nao pode. Como antes
Livre ser por aeus amigos.
Acommoltido, cercado
Por muitos dosCaatelhaoos,
Clamando por Deus e patria,
Morto ci, na flor dos annos.
No entanto victoriosas
As gentes de Portugal,
Depois que a noile chegou,
Descansan no arraial.
Famosa desde esse dia
Aliubarrola licou;
T7ThBTiermitfa ( ) A urna companhia de Portuguezes mocos
chamavam assim. Traziam urna bandeira verde
como symbolo da sua esperaoga, anta esperan-
ga de vencer, e de serem felizes.
fundou.
Mara P. de S.
[Diario Mercantil, do Porto.)
TAQUENDA,
Historia japomeza.
(Concluso.)
Vendo o governador, que nada ganhava por
esae lado, se dirigiu mulher de Taquenda
E vos, senhora, pergunta elle, lambem seris
cruelmente inflexivel?
Igoez, julgando seu esposo perdido, porquanto
(lia tambem prefera ve-Io morrer, do que obri-
ga-loa commetler um perjurio, por toda resposta
conjurou ao governador a que conduzisse aos
roa rousdo suspiro, lncanjo
iar em torno da si, o flxoa no vestido braO-
C0 da joven esposa.
c'Obi diz elle, correndo para ella, s tu, g-
nea?
E ia ssireita-li tm saus bracos, qnando, ajon-
lhando-se a aeus pos :
i Perdi, exclamou ella, petdio ; eu te desobe-
dec.
Seu marido nada respondan-: aua emoco o ha-
vis emudecido.T '* -' '
Mere;o tua ira, accressentou tmidamente
Ignez; dize-me, porm, qne me peraoas, e eu
ese retirares.
Fica, Ignez, Ihe diz Taquenda, levantando-a ;
fica, que bem pouco tempo nos resta para eslar-
mos juntos. Pecp-te somente qu me oceultes as
tuas lagrimas.
Nao lemas a mioha franqueza, exclama a joven
esposa, electrizada pelo som deesa voz tao teros
e agradare!. *
O Deus, a quem adoramos, est tambem den-
tro de mim, e a leu exemplo eu me alegrarei
de por alie derramar todo o meu sangue. Que
digo t Teria mesmo coragem de assialir ao leu
supplicio, e exhortante a aoffrer se por ventura
chegasses a vacillar I...
< Oh I sim, sou (orle, na verdade mais (orto
que t, que oio me poderias ver morrer.
Este eothuaiasmo de Igoez (es aorrir tristemen-
te a Taquenda.
Logo depois, s idas'de que viesse ella tambem
a partilhar a mesma sorte; de que esta crealura,
lio joven e lio bella, fosse vitima do aKaoge do
algoz; essa terrivel idea Ihe causou um tremor
geral e machn al mente seu braco estendeu-se
por sobre a cabeca de sua mulher como que para
protege-la.
Ignez,nao comprehendendo o quesepaasava no
espirito de Taquenda, julgou que elle quera com
urna de suas mios tomar as longas trancas de
seus cabellos por elle taolaa vezea admira-
das.
Nao tem ellas, disse ella para mim mais prego
algum ; me serio d'boje em diaole um ornato sem
presumo.
Quero fazer-te dallas nm sacrificio, como o (a-
zer a Deus de tua corta e frgil existencia.
Ajoelhando-ad de novo, (re apresentou urna
tesoura. Vendo Taquenda neise acto de Igoez
um misterioso aviso da sorte que o ameacavs, re-
pellio a sua mi.
Nao, Igoez, disse elle, guarda teua cabellos,
![ue te de vem recordar o queolo me aprazia ve-
os. Orna com elles tua.fronte lio pura como tua
alma.
Nao me recuses, proseguio ella com enlhnsias-
mo; porque se me nio fr permitlido partilhar o
leu martyrio, juro desde j a teus ps, por tuas
virtudes e mioha ternura que consagrarei o resto
de mioha vida a aquello Deus justo, e peneficen-
le, que j le prepara a corda immortal.
Dominado pelas solicitaces de sua mulher, e
erendo ver nellas a vootade de Todo Poderoso,
Taquenda dirigi mentalmente ao Eterno, urna
humilde supplica. i
Se vos apraz meu Deus, disse elle, receber
de minhas mios este locante holocausto, acei-
tai-o ; porque neohum oulro vos pode ser mais
sgradavel.
Recebendo enlio a tesoura, corlou as louras
madeixas d Igoez, e tomando-as em suas mios
as hnmedeceu com algumas lagrimas que nio
puder cooter, e abrindo depois as suas vestes as
collocou junto ao seu coracio.
Agora, Igoez, vamos nos separar. Tenho
um trabalho a (azer, e para isso muito preciso es-
tar s.
< Aioda as veremos amanhia, disse ella.
Sim, amanhia I..,
Era esse o lia determnalo para o suppli-
cio.
Passou Taqueada a noile em oracao ; Ignez de
sua parte a passou tambem aos ps de um cruci-
Qxo al a hora em que aua sogra delerminou que
a seguase a prisio.
Apresenlaram-ae as duas mulheres com calma
diante da victima. Signa! algum de emogio lhea
escapou.
Era esse o momelo solemne,e nio queriam en
(raquecer o espirito do marlyr com a presenca de
auas lagrimas.
Neobuma mancha deria deslustrar a gloria de
que ia cobrir-se.
Chegado ao lugar do supplicio Taquenda se
ajoelhou diaole de aua mi para o um de pedir-
lhe S aua abeogio.
Bemaveoturado o venlre que te trouxe, ex-
clamou "Ha, estendendo-lhe osbragos: meu filho
t me ergulha.es t. a rossa Clha, contiouou
.-Hueuur, porque ella digoa de vos.
lor gestos indicon Igoez que egualmeole de
joeinos eslava diante da Ilustre christfia.
Terminado este aclo, Taqneoda apertou contra
seu seio sua mi, e sua esposa, e depois ce ha-
ver perdoado aos seus algozes lhes entregou a ca-
D6QA.
Algum lempo depois Igoez esua sogra foram
por sua veztonduzidas ao supplicio, que, como
navtara sido condemnsdas, devia ser oda cruz.
Qiiaodo os membros da joven viuva foram es-
tirados sobre o leoho (alai os pregos enlranharam-
se as carnes de um cadver. Ao contrario, a
mae de Taquenda somente depois de urna longa
agona expirou D
(Jfoain Religieux.Seabra.)
estsdo de aua
ximos do lempo;
eco de antedot
dir aua biograp
diversos que
compensarlo,
bastante n
aublimidade
Casimiro
pou-se essi
usos aiada besa
M'dlM
Ulga-lo. PS
das condices tociaes em que vivemos.
e do ittado. Foi o defensor da n
tal qual se acha constituida ha setenta"
5"
cor
K
01
ou um grande incendio em Leaires, v-eeohrt-
ado a continuar ea tio triste tara1
O papel .que elle representou fji simples. A-
Franga, aps urna grande revolugao social, trans-
(ormir-se e permanecer em urna nova orden. I
Appare'ceti uta partiflo em 1815, que consderoV
Uto como nao acontecido, e quiz vollar atris.
Este partido (azia opposicio ao paiz, em nome
do tbrooo. Casimiro Prier remstiu violencia
doa boorboos, e (et a guerra aos homens que vi-
viam aqum de nosso aeeuio. Um outro partido
apreseotou-ae em 1830, que eonsiderou a revo-
lugao como nio acabada, quiz, recomegando-a,
leva-la alaa de seus limites naturaes. Eate par-
tido, (azia, por aua parte, opposicio ao paiz em
nome do povo. Casimiro Prier luiou enrgica-
mente contra este novo aaaalto. Nem a contra-
revolueio, nem a revolugio tem a perpetuidade,
foram auaa ultimaa palavras. Nesie nico pen-
samente, elle sustenta um primeiro duello con-
tra M. de Villle que tornava a entrar no passa-
do, e um seguodo coolra M. Mauquim, que que-
ra langar-nos nos azarea de nm futuro duvidoso.
Por eate titulo elle merece egualmenle a admi-
ragio do paiz, e o odio dos partidos extremos.
O plano que elle seguio, plano prudente e
magnnimo, tio sfaatado daa declaraagoes dema-
ggicas, quanto das senilidades monarebicaa, o
nico que convem i Franga de nossos dias, e o
nico que tem bom xito presentemente, l-lo-
hia tragado antecipadamenle em aeu gabinete,
com urna regularidade mathematica? Nao, nos
nio o julgamos. Elle importava-ae pooco com
as doulrinas e theorias, tioha o espirito traocez,
um poder particular d intuigio, pratica doa ne-
gocios, amor ao paiz, e o que em Franga muito
raro, o iostiocto poltico, aim de que elle igno-
ra va a arle cautelosa da ambigio ordinaria. Era
um hornera austero, iotratavel, e menos amado,
cuja peoelragio chegava i descoaQanga ; e que
leva a exactidio at a rigidez.
Burguez orgulhoso por se ver elevado, nio se
dra nunca ao trabalho de cooterse. A' aeu es-
pirito sagaz faltava esta educaco completa que
fortalece o pensamenlo e prepara-o para tudo.
Elle procurara com agilagio e clera sua dec-
alo, que exprima depois de urna maoeira abso-
luta ; de sorte que soffria com elle, nio s in-
quiotages de aeu exaue, e a explosio de sua
descoberla. Porm elle chegava verdade com
urna paixio de algum modo fatal; e, quaodo a
demonstrara aos seus, se o nio tazia com graga,
dava-lhe nm ascendente irresistivel. A contra-
diego, a hostllidade ou somente a influencia de
outrem o eofureciam ; porm, se nm inferior Ihe
resista em nome da verdade e do bom senso, a
razio de Casimiro Prier ceda i superioridade,
e domava-lhe seu carcter de despota.
Este despotismo elle o recebra tanto de sua
familia, quanto da natureza. Seu pae que per-
teucia burguezii manufacturera de GrenoMe,
havia educado debaixo de urna lei rigorosa mui-
los Qlhos, dos quaea o filho mais velho devia en-
trar na magistratura com honra. A revolugio
completou a educaglo da familia, que entrou
quasi loda em nossas assemblas polticas, 1ra-
zenJo sobre a fronte o auor do trabalho : porm
nao a poeira e o sangue das guerras civis. Eliea
aborreciam a desordem, o tumulto e as phrases
muito loagaa
Casimiro Prier parecia o meaos ambicioso e
applicado do lodos. Talvez tivesse herdado as
disposiges de urna mi, cujo mysticismo arden-
te dara conhecer urna independencia pessoal
de pensamenlo. Seja o que fr, o que verdado
que elle nao acabou seus estudos, nem tinha
carreira alguma quaodo seu pae morreu, e nin-
guem Ihe altribuia um grande (uturo.
Foi enlio que elle se associou com um dos ir-
mos, e abriu em,Pars urna oixa de banco.
Os papis foram bem divididos entre elles.
Seu irmo cuidara das contas e da administra-
gao ; Casimiro devia oceupar-se do seu manejo,
escolher grandes emprezas, s quses confiarla
capitaes, e observar o movimeoto geral dos nego-
cios
m.u solida de Pars, e urna das mais poderosas"
( Continuar-st-ha )
AS FREIRS BRGIDAS.
(Do Jornal do Commeni; de Liste*): m sil-
limo paquete de Southamplon (ornea pera Ingla-
terra as (reiras brigidas, vulgarmente ingle -
zinbas.
Desde 1594 eslava ea Liabaj a ertea 4e Saeta
Brgida ; aqui chegaraaa (oragidaa, no ola 4 ate
msio daquelle anno cobo diz Crvala*, ea na
dia 20 do mesmo aes e aano. coa* relace ajena
noticia de todos os conveolos ingdaine 15 frei-
rs, 1 ooviga e 3 padres.
Existi poia aquello convento ea Lisboa, asi*
espago de 267 annos, meaos algaae anas. Peafi-
ram as freiraa brigidas i peraeguigan das nro-
testantes Sabirsm da sua essa de Sisa Heatn
agoitadaa pela i o tole rancia qae domina va SM san
patria, e agora regresaaa a ella, sendo anda
protestaotismo religiio do estado, anee ti tesa-
ran le.
Em 1413 fundou Henrque V a caes cbaaedn
Sion House, no condado de Middleons, ferie do
Tamisa, a 10 milhaa de Londres; agora as Crea-
ras compraram um convento ea Spetisbery, a
condado de Doraet.
Em 1810, em resultado da agitaco politice,aU
(alta de recursos, algunas das (reiraa fe
Inglaterra, estabeleceram-se ene
destinado a receber educandos; a ootra parla dan
freirs permanecen no convente de Usane.
Foram 12 as que sahiran no paquete de 27.
acompaohadaa pelo reverendo conogn Pnvknejea
foi seminarista, no aeminario ioglez de S. Peer*
e S. Paulo, deala cidade.
Levaram comaigo alguna objectos historeos,
de sommo apreco para ellas. Levaraaa orna cruz
de pedra lavrala, es eetylo golhico, qne na vis
no remate da porta que di entrada para o paleo.
Esta cruz era do edificio de Sion House, acosa-
paohoa as religiosos em todaa as aaaa peregriea-
goea at Liaboa, e aqui escapou do torramoto sai
1765, para aioda ecompanhar aa Odas daejnetla
casa i sua patria ; levaran tamben qaatro esta-
tua de pedra, egualmenle compaoheiras das re-
ligiosas brigidas, desde a sua sabida de Ioglaier-
ra, e que perteneiam do mesmo nodo a Sion
House; levaran fioalmeote um retrato de Hen-
rique V, fundador do convento e pintado no seu
tempo, tambem perteucente i primitiva caen.
Aa freirs da Esperanga despedirn-se daa bri-
gadas. Eotre umis o outras reioou sempre carta
frateroidade mais intima, por qu no convento
da Esperanga ae recolheram as freiraa brigidas
depois do ineendio da prineira casa que livern
em Lisboa.
Variedades.
que podesse di-

DAS PEROLAS
POR
A. DMAS FILHO.
XI
( Centiouagio. }
Nio havia observagdea a fazer; alm disso,
em boa consciencia, eu s poderia dlzer as cou-
sas vulgares que se dizem em taes casos, e que
de nada servem quando a paixio tem chegado ao
seu ultimo griu. Cedera o marido assim o lu-
gar ? Far-se-hiaoa pae tio fcilmente cmplice
do amor da ilha ? Eu previa cada vez mais im-
possibiltdadea. E' sempre urna cousa aria tentar
destruir, ou pelo menea falsear um fado como o
casamento, ficto saneelonado pelos homens eas-
aignado por Deus. O homem nao pode eximir-se
de ter urna certa emogio, om certo receio, quao-
do v um amigo, um ente quem ama, prepa-
rar-se a dar, em urna das bases fundamentaos da
aociedade o sem outra razio alm do seu interes-
se pessoal, um primeiro golpe que nio pdedei-
xar de ler um cbo eoorme. A primeira pedra
que cabir nao iri per ventora esmagar o impru-
dente? Digimo-lo : oa homens que nio ex-
perimentan! deasas paixoes, os boas burgue-
ses de quem tanto se xomba, o que, em flual de
contas, poueo lhea importa ; que oascem, vivem
e morrem no acejou ; que nada tentam fra do
circulo en que os collocou a sorte ; que ae ca-
sara no sabbado, festejan o casamento, caatam
-canges i sobremesa, pem o trabalho tradicio-
nal no primeiro plano de ana existencia, amam
suas mulheres em urna teafperatura tepida, por
assim dizer; teem filhas que aprendem a tocar
iano, vio aotheatro com bilbetes que nos pe-
em, acham inveroatmeie aa paixes, por que sio
de urna altura muito superior ao rez do coto de
suas seneagoes calmas, qne dizem : E' bonito 1
ante qualquer obra d'arte ; que engordan dos
trinta annoa em diaole, dixen: c Eu tambem fiz
das minhas morren de apoplexia aos sessenta
annos, e jazem no cemiterio, son urna inacrip-
gio de nao gosto; digamo-lo, esses sio os feli-
zes da Ierre, e nio ha neohum de nos, que ven-
do desvaoecerem-se os aeus mais doces aonbos,
nio dara a poesa de soa imagloagio pelo beato
carao de urna deesas admirareis nullidades.
Quasi todos oa diaa, sabindo de can da duque-
D Vide Diarfo n. 136.--------------------------"'
za, Jacques vnha ver-me e punba-me ao facto
dos incidentes dos seus amores. Cada vez volla-
va mais apaixooado o. com maior confianga no
futuro. Annelte tinha recebido urna carta de seu
pae, que nio podia partir im mediatamente, mas
que Ihe prometlia eslar em Franga antes de dous
mezes. Elle inqnietava-ae, prometlia o seu apoio,
assegurava-a de sua affeicao. Bons presagios ;
mas esse pae que assim chegava nao conhecia
toda a verdade ; talvez mudaase de opiniao quan-
do a conhecesie. Jacques nio pensava em fazer
essa reflexio.
Eolretanto, o duque cada vez ae tornava maia
attencioso com a mulher. Quereria fazer esque-
cera historia de Badel Talvez. O certo que
nunca Uvera tantas attenges com ella. Irse-hia
tornando apaixooado? Tem-se visto disso. Ha
muilos maridos qne para apaixooar-se a espe-
rara o momelo em que sao engaados. Mas o
duque nio era um marido ordinario. Elle, apai-
xooado I E depois, para que? No entanto come-
cava a receber visitas. Annelte fleava mais em ca-
sa. Jacques s podia v-la noite, e aioda muilas
vezes en toreado a esperar at urna hora da ma-
chia, quaodo o duque sabia do aposeoto de aua
mulher; porque sem duvida para provar-lhe que
nio jogava malse que se converta era vez de ir
ao club, passava a noite com ella ou levava-a ao
Ibeatro. Ao regressar, entreva no quarto da dn-
queza e despeda os criados com urna certa affec-
tagio, cmo para fazer crer que passaria a noile
som sua mulher. Moilas vezes a duqueza fazia
com que Fanny flcasse ao p della dorante todo o
tempo que duravam e:waa iouteisconversas; mas
algumas vezes o duque despeda a aia. O quesig-
nicava isso ? Annelte e Jacques nada cempre-
hendiam, mas tambem nada auapeitavam. Em
seo lugar, eu creio qne teria desconfiado.
A propria cuohada toroava-ae de ama amabi-
lidade admiravel. Acooteceu-lhe duas vezes pe-
dir perdi i duqueza das ms aupposigdes qde
podra (azer, o daa patarras um pouco duras que
deixra escapar. Duas ou tres vezes tambem fez-
Ihe comprimeotos pela aua resignacio, fez mes-
mo censuras ao irmao, e-procurou pouco i pou-
eo ganhar a confianga de Annetl, que era muito
fina para se deixar cahir no lago. A baronesa
chegou i ponto de provocar confidencias.
Meu irmio bem culpado, dira ella, e
agora en seria a primeira a comprehender que
voe prcurasse consolages por outra parte. C
por mim, creio que nio teria resistido.
Um poueo maia e confessaria i duqueza que
ji havia engasado o barbo?
O que queriam dizer esses avaogos ? Annette
aehava oelles novas razes de seguranca. Como
ultima garanta, o duque annunciou-lhe umdia
bragos de seu marido, afim de
zer-lhe o adeus de despedida.
Mais corajosa se achara com o exemplo de sua
sogra, e oi quasi que com um passo firme que
se dirigiu prisio. Nio obstante, quando a pe-
aada porta do carcere gemeu sobre seus gonzos
e que suas vistas se internaran as sombras
hmidas abobadas para o um de descobrir aquel-
lo que vioba procurar, senliu-se desfallecer, e
arnmou-se a um pillar aem poder dar mais um
passo.
Taquenda, todo entregue a urna piedosa medi-
lagao, nada liona ouvido. Eolretanto eatremeceu
que, definitivamente, ia fazer orna viagem de
tres i quatro mezes. Eram nio a trae ou qualro
mezea de llberdade plena e inteira, mas ainda o
pae da duqueza chegaris durante essa ausencia, e
aer-ihe-hia tanto mais fcil fazer o que ana ilha
quizease, ato leva-la comsigo: porque, para
a aociedade. ella oio podia deixar aeu marido
aeoao por seu pae ; mas urna vez com o pae. fa-
ria o que quizease.
O duque fazia os seus preparativoa de partida.
Tudo por Unto ia o melhor posaivel. Entretanto
essa bella prima de que Jacques me fallir urna
vez, que viva retirada da aociedade no mel da
aociedade, que tioha pela duqueza urna affeigio
real ; essa bella prima, fra visita-la. oio para
irtnquillisa-la, como faziam tcitamente os ou-
tros ; mas pelo contrario para preveni-la.
Tu conheces um Russo chamado Vladimir?
diase-lhe ella.
Conheco.
Foi por iotermedio della que coohecesie
urna oulra pessoa?
E' verdade.
Esse Russo lem cartas tuas?
Algumas.
Em que se falla de aeu amigo?
A prima empregava orna certa affectacio em
oao proouociar o nome de Jacques, comquinto
aoubesse perfeitameote : mas como nio vnha pro-
curar confidencias, e sin dar un conselho, que-
ra fingir nao saber o que era neceasario que aou-
besse para o conaelho que ia dar.
Coa efleito, disse-lhe Annette, ha algumas
cartea em que Ihe fallo aem desconflanga de urna
pessoa com quem elle eslava todos os dias nessa
poca, e i quero eu nio escrevia directamente
Pois bem, elle anda mostrando essaa car-
118.
E' impossivel I
Eu vi una.
Eoganaram-te... Elle incapaz...
Iocapz! Pois aqui a lens.
Com effeito, a carta era de Annette, e para una
mulher na posigo della, era muito compromel-
ledora pela simples presenga do nomo de bao-
tiamo. *
Foi elle quem te deu ttu earta?
Nio... Tu comprehendes que nio recebo vi-
sitas desse sujeilo.
De quem a hou reate en tio ?
De um amigo que nVa deu- para entre-
ga r-t'a.
E do quem a hou ve esae amigo ?
De urna mulher.
Que se chama ?
Madama de 'Wine. Conheces-la ?
Casimiro Prier.
Suscitou-ae ha ponco. em Nogent, urna ques-
tao de opiniio a reipeito de Casimiro Prier.
lovocava-ae a autoridade de sua memoria em (a-
vor de urna pequea thse pessoal. Demoostra-
va-se que o illuatre ministro dra a theoria e o
exemplo da opposigio obstinada em materia de
eleigoes. Nio (aliaremos mais na questao pela
sua pouca importancia. Porm convem nio es-
quecer nem alterar o carcter e o papel desle
grande orador; pois sio para o nosso paiz nio s
urna honra, como urna doulrioa.
Casimiro Prier nao ot nem um partidario
nem um professor de poltica, nem um affelgoad
a peipenas opposigoes demandistas, nem um
rhetonco estimulado, e sim o maior homem de
Nio pessoalmente ; mas sei o inleresse que
pode ter em adquirir cartas minhas.
Ainda tem outras que aecessario lomar.
Para que ?
Podem manda-las i teu marido.
Queme importa?
Tanto importa evitar um escndalo antes da
chegada de teu pae.
Sabes enlio?
Que t Ihe escrevesto.
Todava nao o diese i nioguem.
Mas elle escreveu-me immediamente per-
gunlando-me o que se passava ; sabe quanto te
amo, etem confianga em mim.
E respondiste-Ihe?
Que sua presenga iodispensavel em Pars:
que es infeliz e precisas de proteegio.
Fizeste isso.
Fiz I
Sem nada dizer-me. Como s boa I
Vs que tomo o leu partido, e aa vim hoje
e por que desconfo de alguma cousa. Esls cer-
ta de que o duque nada sabe de tus correspon-
dencia com teu pae?
Estou certa.
Nem tua cunhada ?
Menos.
Entretanto elle se torna cada vez mais ama-
vel com ligo ?
Sim. m
Ella?
Parece adorar-me.
Repilo, desconfi. No entanto, cumpre re-
* *r ess" carlas- Adroitlindo que oio ebeguem
at s mios de teu marido, intil, mesmo pe-
ngoso que flquem as mios desaa mulher, que,
segundo parece, tem um inleresse qualquer em
fazer dellas mo uso.
Vou mandar chamar Wladimir
t-las.
GRANDE INCENDIO EM TURIM.
Na noite de 28 para 29 do mez que acabou,
nouve em Turim um incendio, de notareis pro-
pones, e bem desastrosos resultados.
O fogo comegou oa officina de movis do Sr.
Berlinetti. na ra do P. D'alli passou i fabrica
de cera contigua e s casas vizinhas, ameagaudo
invadir a fabrica do tabaco.
Depois de esforgos e trabalhos que duraram
um da inteiro, os bombeiros, e a Torga militar
que tioham corrido, logo i explosio do incendio,
conseguiMm assenhorear-se delle, mas nio sem
1U houveese grandea desgragas a lamentar.
_ Kxtrahio-se das ruines o corpo do coronel
rrotu, o do major Beaufort, e o doa soldados,
que Ucaram esmagados com a queda da abobada
fJa offlcina do relojoeiro Sala. O coronel e o ma-
jor, rendo que ella ia cahir, tioham-se ali met-
Udo. para ver se podan d'ali fazer sabir os sol-
dados, que l se achavam. Foram portm somen-
te augmentar o numero das victimas 1
A rpida o violenta propagagao do ineendio
do estabelecimento Berlineite s casas prximas,
e aitriboida ao gaz, que se espalhou com a rup-
tura dos tubos, e aos lquidos espirituosos, que se
achavam em grande quantidade n'uma fabrica de
licores situada no fundo do paleo.
Do material, dos novis, o da madeira. que
continha oestabelecimeolo Berlinetti, nada Dcou
inclume.
FBULA CURIOSA.
Os anglo-americanos, depois de ler inventado
que a Tua habiuda, e muitaa outraa naiariae
deate theor como a da existencia da serpete do
mar, e de que o rei, Elcasar Williams era Del-
fim, filho do desventurado Lntz XVI, lembra-
ram-se agora de ioveotar qne Luiz Napoleio 4
um aventureiro de Nova-York, chaado Clofin
Boweu, que intimamente se ligara con o verda-
dero Luiz Napoleio quaodo este estivera nos
Estados-Unidos, ecom o qual se pareca, a pon-
to de se confundirn.
O inventor da (abala eonta, qne na veepera do
dia en que o principe devia partir pera a Kuro-
pa assistiu com Bowen a una ceia, con outras
pessoas.
No lira da ceia o prncipe eahiu norto, fulmi-
nado porua apoplexia.
A dona da casa noslrou-ae assustada cea o
acontecimeolo, que Ihe devia tratar ineonnodos.
Clofin socegou-a dizendo que tonara nono
e lugar do priocipe, de quen conhecia todos os
negocios particulares, e partira pera Europa,
com o vestuario, bagagen, etc., d'aqnelle de
quem tomara o lugar, servindo-se do noaaso bi-
Ihete de passagem que o verdadeir* principe ti-
nh. i^..., .bordo av navio.
Assentarari fiMato e enterraran o principo
o um dos pateos da caaa.
O reato da historia fcil de imaginar, diz o
phantasiador do cont. Clofin Bowen o aventu-
reiro audaz, hoje imperador doa Francezea. Os
seus cumplicea vivem ainda, eoceupam boa posi-
go na aociedade americana, com fundos que lhes
rerneltem de Pars com toda a exactidio.
Esta absurda historia adornada con tantos
pormenores, que ha na America muito quen a
acredite. n
CONTRA A HYDROPHOBIA.
O Progreu de Lyon noticia o descobrimeato da
um novo elixir para combaler e bydrophobia,
quai segundo parece faz desapparecer de todo as
faltas que se davam no emprego do rorro ea
O novo preservativo foi encontrado pelo Sr.
ttodet, ex-cirurgio em chefe de l'Antiquelle, ea
Lyoo.
Consiste no emprego tpico de um liquido.
cuja base o per-chlororelo de ferro. Rodet
notando que este liquido destrua o virus da ve-
cina, teolou experimentar se destruira o da nv-
dropnobia a o syphlitico.
Fizeram-se logo experiencias nesta sentidlo, na
escola veterinaria de Lyon, o o resultado foi tio
concludenle contra a bydrophobia, como o tinha
sido contra o virus da ayphihs.
A sollugao propbylactica do per-chlorurelode
ferro destroe o virus da hydrophobia com toda a
certeza duas horas depois das mordeduras.
[Diario Mercantil, do Porto.)
para ob-
E' melbor que cesses tuas relaces com esse
homem.
Eolio que faga das minhas cartas o que bem
Ihe parecer.
Seja. Mas repilo -te, se nio por ti, ao me-
nos por leu pae, poupa tua reputagio. Se tem
de saber o que se passa, melhor que seja de tua
bocea do que da boecs dos outros.
"-S'V24o'a 1ue f"" ,ntl i
no podes sdvenir i pessoa cujo nome rada Wine vea v-lo
Voo escrever esse Russo que venha fallar-
me, tile ha de explicar-so.
Est bom.
E amanhia trar-te-hei a resposta.
A bella prima escreveu i Wladimir pedindo-lhe
que nessa mesma noite apparecesse em sua casa
As nove horas elle acceda ao convite.
Senhor, disse-lhe ella sem mais prembulos,
conhecea duqueza Annette?
Conheco, mioha senhora.
E' miaba prenla.
Sei.
Encarregou-me de urna commissio para com
o senhor. Espero que ter o resultado que Ihe
prometti.
Eston convencido que sim, rainha senhora;
e esse o resultado depende de mim ?
A duqueza escreveu-lhe muilas cartas ?
Sim, minha senhora, na Raara.
Nio deseas que fallo, mas das qne Ihe
tem escripto ltimamente em Pars.
Wladimir nada responden.
Urna dessas perdeo-se.
Deveras, minha senhora I exclamou o Rus-
so admirado.
Sim, senhor, e chegou is miohas mios.
Como foi isso I
Ignoro o : mas as outras poderiam perder-
se como essa, e para olhos menos amigos, talvez
tivessem urna significagao comprometledra.
E verdade, minha senhora, por que nellaa
8 trata....
Nio Ihe perguato o qne ellas contm, isso
nio me diz respailo ; somonte me encarresuei da
reclamar esses cartee.
Bastara que a duqueza dissesse urna paia-
vra, que Ihe teriam sido entregues immediata-
mente.
Assim, senhor, enaa cartas eolio em seu
poooi* T
Estio ; ninha senhora.
E pode entregar-m'as ?
Pois nio I minhs senhora. D-me tempo
somente de ir cosa buscar e Ih'as trazer.
Obrigada, aenhor.... Al s onze horas, es-
tou om casa.
Wladimir rguu-e esoht. Maeem vez de
vollar i casa, eirigiu-ae i de madama de Wine.
Madama de Wine nao eslava a. Fizaran con
que Wladinir eeperaae no asilo. Maana de
E' justo, pois e'u me encarrego disso11.
Como ?
Fallo, meu cbaro aenhor Wladimir.
Alada tem as csrtss quelhoemprestei?
Que cartas ?
A senhora sabe bem.
Nio sel, realmente.
As cartas da duqueza Annette.
Ah I sini, nio as tenho mais.
Onde esli ellas?
Romp-as.
A senhora tinha promeltido restituir-m'as
Ha muito que nio o via.... E alm disso o
senhor m'as tinha dado.
Emprestado.
Deu-m'as, meu charo 8r. Wladimir. deu-
m as mesmo cora a esperance de que ea (aria
aellas mu uso contra Jacques e a duqueza.
A senhora engaa-ae e ae eu soubesse...
Diga-mec, meu charo senhor Wladimir.
desde quando ae pde urna faca na mi de um io-
dviduo que est encolerizado para que della nio
se sirva? Eu eslava multo irritada contra oSr.
aa reuii : o aenhor deu-me essaa cartas, e sabia
oen o que fazia. Conhece melhor que nioguem
o valor deseos cartas.
Porque, minha senhora ?
Porque ai escreve muilas vezes.
Nio compreheodo, nurmorou Wladimir co-
rando apeiar aeu.
Eolio neceasario contiouou madama de
Wine mostraodo-se indiferente, mas com tom
novelmente sombeteire, neceasario queou Ihe
pega urna informagio.
- Qual minha aeohora?
Existe realmente o gabinete negro ?
Que gabinete negro r
AOlamaram-meque em todas as embaixadas
rossas ha ama sala secreta, qne chaman o ga-
binete negro, onde ae abrem a leem aa carias que
chegam com certds ligases. Essas cartas con-
tera ioformages sobre toda a casta de pessoss,
respeito de cujos hbitos, relaces, vida e at
peosimeotos, tem a polica de aua torra alguma
razio para querer saber. Aquellea que escrevem
essas cartas sao pela maior parle Romos de dis-
tinegao. Nio fallo aenio pelo dizem : e essas
correspoodensfas mysjferiosas sao retribuidaa tio
generosamente que tomamoa mollea vezea par
mil ton arios qe primeira nobreza, eoapattleUs
seas que nio tem outro readinenlo aenio os
oinos, ouvidos; memoria e papel. Pode dizer-me
se ssoOerdade, meu charo Sr. Wladinir T
Igooro-o, e oio aei qne iniaraase pode ter
a senhora ea aer informada i osan respailo.
Conhego dous ou Usa Ruanos que ao's
zem ser empregados osase nielar, e i ser verendo,
uio os receberei mais.
(OfUinnor-a-Ao.)
PERN. TYP. DE M.F. DE FAHJA& FILHO, 18^"


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EJHVXJUET_K57CSV INGEST_TIME 2013-04-30T23:42:37Z PACKAGE AA00011611_09816
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES