Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:09811


This item is only available as the following downloads:


Full Text
'_
lili IIITIi lOlIIO 238
Por tresMnezes dUalados SfOO
Por tres eres rescidos 6$G00
SEXTA FEIBA H IE ODTDBBO
PorannoodUnUdoifOOO
Porte fraieo ion o laoocritor.
NCARIIGADOSDAbBSCUPCAO DO HQRTt
Parahiba, o Sr. Antonio Alexandrino da Lima;
Natal, o Sr. Antonio Marques da Silva ; Araca-
ty, o Sr. A, da Lemos Braga; Cear o Sr. J. Jos
de Oliveira; Maranhao, o Sr. Manoel Jos Mar-
tas Ribeiro Guimares; Para, o Sr. Justino J.
Ramos; Amazonas, o Sr. Jernimo da Costa.
PAtUlDAS U8 liUKKKlUS.
Olinda todos os diss as f|l/l horas do dia.
Igaaraas.Goianna Parahba as segundas
sextas-feiras.
S. Antao.Bezerroa, Bonito, Csraar.AUinho
Garanhons as tercas-feiras
Pao d'Alho, Nazareth, Limoeiro.Brejo, Pes-
queira.Ingazeira.Flores, Villa-Bella,Boa-Viate,
Ouricury e Fi as quarlas (iras.
Cabo.Serlnhem.Rio Forraoso.Una.Barreiros
Agua Preta.Pimenteiras e Natal quintas feiras
Todos os correiospartemlas 10 horasdsmanhaa
EPHEMERIDES DO MIZ DI OUTUBRO.
4 La nova as 4 horas 37 minutos da man-
10 Quarto creseente as 7 horas e 47 minutos da
tarde.
18 La heia as 4 horas e 85 minutos ds tarde.
26 Ooarto mioguabitas 7 horas e 35 minutos da
tarde.
PREAMAR DEHOJB.
IAS DA SEMANA.
7 Segunda. S. Marcos p. ; S. Apuleo.
8 Terca. S. Brgida rio. ; S. Pelagta penitente.
9 Quarta. S. Dionisio b. de Pars; 8. Gersinob.
10 Quinta. S. Francisco de Borja padroeiro.
11 Sexta. S.Firmioo b.; S. Ffloailla; S. Nicscio.
AouihNLiAS uua lBlBbbAitS
Tribunal do commereio; segundas quintas
Relaco: lerdas, quintas e sabbados as 10 horas.
Pazenda: tercas, quintast sabbados as 10horas.
Juizo do commereio : quartas ao mel da:
Dito da orphaoa: tercas e sextas as 10 horas.
Primeira rara do iral: tercas saxtasao meio
dia.
"q\ito"AL" ENCAR."6ADS DASUBSCR1PCAO DO SOL
Alagoas, o Sr. Claudino Falca o Dia; a.y.
Sr. Jo, Mirtina Airas J i* 4. J.,*,. s i,
Joao Parelra Martina
Primeiro as 10 horas e 6 minutos ds manhaa.l12 Ssbbado. S. Cypriaoo b. m. ; S. Sersphina r. es a rara n .i..i .
Segundo a. 10 hora. 30 minutos da tarda. il3 Domingo. Nossa Senhor. do. Remedios. f ?J?. d .".JdV: #1' ,"'1" ,tW,ldM
Parara Martina.
BM PERNAMBUCO.
Os proprietsrios do DIARIO Manoel Plgsolrss
de Psris & Filho, na saa lirrarla praga da Inde-
pendencia na. 6 e8.
PaBTE OFFICUL.
GOVERNO DA PROVINCIA.
Expediente do dia 8 de outubro
de 1861.
OIBcto ao Eira, presidente da Bhia.Com o
oficio que V. Etc. se servio dirgir-me em 23
de setembro oltimo recebt a guia do alteres do 2
batalhao de iofiotaria Fraocisco da Fonceca Fi-
fueiredo, a qual tere o conveniente destino.
oi enriada thesouraria de Uzeada
Dito ao provedorda Santa Casa da Misericordia.
Mande V. S. despedir do aervico do hospital
Pedro II, como solicitou o curador dos africanos
livres a africana Mara F. que apresentou carta
de emaocipiQJo passada em virtude do aviso do
ministerio da justiga de 10 de setembro ultimo.
Commooicou.se ao inspector do arseoal de
marioha e ao curador dos africaoos livres.
Dito ao- coronel commaodante das arma.
Com este offlcio seri entregue a V. S aun de
ter o conveniente destino as su&recasacas e calcas
de paono para msica do 2 batalhao de infanta-
ra, as quaes haviam sido remettidas ao ministerio
da guerra requisito desse commando de armas.
Dito ao inspector da thesouraria da fazeoda.
Declaro V. S. em addita ment ao meu officio
de 19 de julho ultimo .que os vencimentos rela-
tivos ao mez de maio deste anno do destacamen-
to de guardas nacionaes no districto deQuas
Barrasem Serinhem, devem ser entregues a
Jos Francisco Teixeira e nao a Jos Francisco
Ferreira, como consta do citado offlcio.
Dito ao mesrno.Estando nos termos legies os
inclusos documentos mande V. S. pagar ao sar-
gento Martiniano de Barros Branco, conforme
requisitou o eommaodanle superior da comarca
de Santo Antao em offlcio de hontem a impor-
tancia nao s dos vencimentos do destacamento
de guardas nacionaes da villa da Escada nos rae-
zes de agosto e setembro deste anno, mas tam-
bera do fornecimento de luz e agua para o quar-
tel do mesmo destacamento naquelle mez.Or-
denaram-se tambero os seguioles pagamentos:
Ao Io lente Ricardo da Silva Neves, o que
se lhe estiver a dever de seus vencimentos.
A' corapaohia pernarabucana a quantia de....
1309160 ris importancia de passagens dadas, por I
coota dos mioisterios de guerra e jusliga, em va-
pores da roesraa companhia.
A' Lavra & Irineo, a importancia dos venci-
mentos do destacamento de guardas nacionaes de
villa Bella, relativos aos mezes de julho e agosto
ltimos.
A' corapaohia pernambucana a quantia de 9g
ris importe da passsgem dada no vapor Persi-
nanga ao carpioteiro de segunda classe Juvenal
Antonio de Santa Anna de Macei para esta ca-
pital.
Dito ao mesmo.Em vists do disposto no srt.
12 10 da lei, n. 1114, de 27 de setembro do
anno passado, e do que se declara as ordeos do
tbesouro ns. 61 e 101 de 23 de abril e 12 de ju-
lho, tudo do aono correte, reconsiderando a
materia sobre que versara a petigao e replica in-
clusas dos em pregados da recebe loria de rendas
internas, recorameodo a V. S. que mande pagar-
Ibes os respectivos vencimentos, como pedem
de conformidad* com a tabella B a que alinde o
% tO art. 1-2 da lei citada, altendendo a que pela
primeira das referidas ordens se coocedeu aug-
mento de crdito para a rubrica, a que deve ser
levada essa despeza.
Dito ao inspector da thesouraria provincial.
Declaro V. S. para seu coohecimeoto o direc-
(ao que a importancia das despezas feitas com o
fornecimento dos presos pobres da cadeia do Ou-
ricury nos mezes do fevereiro a junho deste anno
deve ser paga ao capitao Jos dos Sanios Nunes
Lima, na qualidade de procurador de Thomaz
Pereira Pinto, segundo consta de officio do juiz
de direilo da comarca di Boa-Vista do Io de ju-
lho prximo Ando.
Dito cmara municipal de Garanhuns.In-
teirado do que rae coramunica a cmara munici-
pal da villa de Garanhuns em seu officio de 17
de setembro ultimo, leoho a duer-lhe que pro-
cedeu regularmente considerando incompativel o
exercicio simultaneo dos cargos de juiz de paz e
professor publico dessa villa, chamando o seu
inmediato em votos para oceupar o 1* dos refe-
ridos cargns.
Dito ao juiz de direito do Cabo.Respondo o
sen offlcio do 1* do cotrente ditendo-lhe que os
concertos de que precisa a cadeia dessa villa ja
foram oreados e se acbam em prac,a para serem
arrematadas.
Dito ao director do arsenal de guerra.Trans-
miti por copia a Vmc. para sua sciencia a l1
ia do coohecimeoto dos objectos que vieram da
corte no vapor Cruzeiro do Sul com destino a
esse arsenal.
Dito ao mesmo.Mande Vmc. fornecer ao 10
batalhao de infamarla porconta do respectivo pe-
dido geral, como aolicitou o commaodante das ar-
mas em um officio rje 7 do corrente os artigus de
fardamento meocionados no incluso pedido em
duplicis.Communicou-se ao commaodante.
Dito ao mesmo.Respondo ao seu offiei", n.
290, de 7 do correte declarando-lhe pelo fseto
de ser nomesdo Francisco Jos Galvao escrivo
desse srsenal, o qual j apresentou o respectivo
titulo deve ser considerado demittido desse em-
prego Maooel Polycarpo Moreira de Azevedo,
que o exercia.Communicou-se esta deciso ao
inspector da thesouraria de fazeoda.
Dito ao superintendente da estrada de ferro.
Communlco ao Sr. superintendente da estrada de
ferro que segundo consta do aviso expedido pelo
ministro da agricultura, commereio e obras publi-
cas em 19 de setembro ultimo o governo impe-
rial prorogou o prazo pedido para a conclusio
daa obras da 2a secgio da mesma estrada sob ss
Clausulas seguioles :
Ia. Concluidas que sejam as em 1* de outubro
ter a corapaohia direito ao pagamento da res*
pectiva garanta, na conformidade do seu con-
tracto com o governo a a a lar de 3 de dezembro
ultimo.
2a. No caso contraro, a garanta s ter lugar
depois da entrega e recebimento definitivo das.
mesmas obras.
3a. A receita produsida pela via-terra nao po-
der ser applicada ao coste'o e reparares das
obras da referida secgio.
Portara.Os Srs. agentes da companhia bra-
sileira a vapor maodem dar transporte para a ca-
pital do Maranhao porconta do ministerio da ma-
rioha no primeiro vapor que passar do sul ao ca-
pitao de fragata Joao'Baptiata de Oliveira Cuima-
res, que vai exercer n'aquella prorocia o em-
{irego de capito do porto, bem como a sua mu-
trer e flus cunhadas.
sido designado ao juiz de direito Manoel Jos da
Silva Neira 8 2a vara crimioal desta capital para
pella servir ; 2a communicando a remogio do
juiz municipal barharel Joaquim Theotonio Soa-
res de Avellar do termo de logaseira para o de
Cabrob, por assim o haver pedido e o 3a com-
municando a nomeagio de Augusto Rufino de
Almeida para a serr ola vitalicia dos officios de
tabellio do publico judicial e notas e escrivo do
crirne e civil do termo do Rio Formoso.Fize-
rra-se a respeilo as parlicipacoes precisas.
Dito ao corooel commaodante das.armas.S.
Etc. o Sr. presidente da provincia manda decla-
rar V. S. que nesta data coocedeu ao recruta
Firmioo Gomes Ferraz, quinse das pe prazo pa-
ra provar isenco que diz ter para nao servir no
exercto. Communicou-se-lhe igualmente ter
ido concedido ao recruta Joao Evangelista, o
prazo de dez das para o mesmo fim.
Dito ao juiz de direito de Nasareth, bacharel
Abilio Jos Tavares da Silva.De ordera de S.
Ezc, o Sr presidente da provincia aecuso recebi-
do o fflcio de 2 do correte em que V. S. partici-
pen ter eotrado n'aquella data no goso da li-
cencia de 15 das que lhe fol coocedida.
Tambem aecusou-se o recebimeotedo outro offl-
cio do mesmo bacharel parlicipaoao ter em 27 de
seteaibro ultimo entrado no exercicio do sea car-
go.Flzeram-se as convenientes communica-
goea.
Despachos do dia 8 de outubro
de 1861.
inspector da
o Sr. inspector da
Requerimtntos.
Fielden Brothert.Informe o Sr.
thesouraria de fazenda.
Fielden Brothers.Informe
thesouraria de fazeoda.
Fielden Brothers.Inform o Sr. inspector da
thesouraria de Nzeoda.
Francisco Sergio de Mallos.Informo o Sr.
inspector da thesouraria de fazeoda.
Ignacio Gomes Ferraz.Concedo o prazo de
15 dias.
A mesa regedora da irmandade do SS. Sacra-
mento da freguezia da Boa-Vista.Informe o
Sr. Ihesoureiro das loteras-
Capitao de fragata Joao Baptista de Oliveira
Guimares.Informe o Sr. inspector da thesou-
raria de fazeoda acerca do que se pede n 2a
parte desta petigao.
Joao Baptista da Silva Uanguioho.Passe por-
tara concedendo a licenca que pede o suppli-
cante.
Ionocencio Monteiro de Paula Borges.Como
pede.
taclo tao significativo do progresas dessas lon-
gmquas regioes ?
O encontr de dous vapores no alto Amazo-
nas a 300 leguas do littoral, um facto que tem
muito alcance.
O governo digoo dos msiores elogios pelo
graode favor que coocedeu-nos.
c Relira-se neste vapor para a provincia do
Par o Sr. Dr; Bronet, distiocto naturaliita, que
ha mais de um anno se achata entre nos estu-
dando as riquezas que possuimos.
O Sr. Dr. Brunet leva urna bella coileccao
de amostras, que servir para tornar coohecida a
provincia e dar lhe importancia.
< Em nomo do paiz lhe agradecemos este re-
levante servicu.
c Festas do 7 de setembro.
c O batalhao patritico, a soeiedade Ypirsnga,
a cmara municipal, o poo em geral, todos ani-
mados do louvavel dse jo de festejar o grande
dia da patria flzeram oque foi possivel, altelos
os recursos que possuimos.
< No dia 6 a cidade illumioou-se logo ao en-
trar da noite, e s 8 horas o batalhao patritico
marchou para a matriz aQm
Deum qu mandara celebrar
ranga assistio ao Te-Daun a convite do illustre
batalhio.
a Logo depois da meia noite, sanio o batalhao
com a msica na frente, percorreu as ras da i-
dade, dando vivas, e tocaodo a msica o hymno
da independencia. A 1 hora do dia 7 recelheu-
se, e teve lagar en tao urna grande ceia.
O Sr. Dr. Moreira, que era o commaodade
do batalhao, fez um bello discurso anlogo, ou- '
tros membros flzeram tambem e a festa termi-
nnu na melhor ordera possivol, como era de
t Ninguem.por certo.que sabe o que commer-
eio sao communicaedes e int-treases dos povos po-
de coraprehender como se deixa no esquecimento,
era lempo normal, urna grande parte do paiz sem
a mnima noticia, sem o menor cuidado pelo seu
bem estar e pelas importantes relac&es de seus
habitantes com outros povos.
Sao sem duvida cousas difficeis de compre-
hender na actualidade, mas que infelizmente su-
ceder com inteira realidade e sem a menor exa-
gerarlo I
c Emfim as nossas cousas hio de ir como sera-
pro tem ido porque linda qae limamos a falta
de certas necessidades nao as encaramos e pesa-
mos como devem ser.
Desta vez j que me obrigam a ser mais
aprestado, a vista da incerteza e impontualidade
dos vapores, pois que nenhuns dados havia co-
lindo para a preseote carta, principiare! pelos ne-
gocios commerciaes por onde costumavn acabar.
Naste ponto s lhe posso sfiao^ar que cada
vez vamos peior.
c A falta de numerario e conseguintemente de
transaccoes extrema. Isto por certo devido
DIARIO DE PERNAMBUCO-
Expediente
do gl)
do secretarlo
Terne.
Officio ao Exm. director geral da secretaria da
justica.S. Eim. o Sr. presidente ^a provincia
manda acensar recebida a participadlo que y.
Ezc, Iba fes em 24 do mer passado de que por
decreto de 21 do 'mesmo mez S. M. o Imperador
houve por bem remover o juiz de direito Joao de
Souza Res da comarca do Ic, no Caira, para a
de Goiaooa desta provincia, por assim bsver pe-
dido.Flzeram-se as convenientes commuoica-
$ee.
Accusaram-se tambem a recepQap de mais tres
officios d'aquolla directora, o 1 participando ter
Hoolem fondearan) em nosso porto os vapores
Cruzeiro do Sul, Iguarass e Persinunga, viu-
dos as dous primeiros dos porlos do norte, e o
ultimo dos do sul de suas escalas. As datas de
que foram portadores sao as segninles : Amazo-
nas 16 do passado. Para 2, Maranhao 4, Cear 6,
Rio-Grande do Norte 8, Parshyba 9, Alagdas 7
do crreme.
Amazonas: L-se na Estrella :
Hoolem (23 de agosto ), s 6 horss da ma-
nha, parti S. Exc. o Sr. presidente da provin-
cia a bordo do vapor Pinja, acorapaohado dos
Srs. Drs. chefe de polica, Coutioho. Estellita e
Pyrrho, para examinar urna olaria particular es-
labelecida no lugar denominado Cacio-pireira
na margen direita do rio Negro e dtas leguas
cima desta capital, asfpedreiras das obras publi-
cas e o lugar onde o Sr. Dr. Coutinho encontrara
indicios de carvo.
A olaria um estabelecimento novo, mas
que prometi vantagens esta capital, dando o
governo algum auxilio ao proprietario, e aperfei-
coando este o processo, principalmente na coze
dura.
c E' geralmente sentida aqui em Manus, e
em toda a provincia, a falta de tenas e lijlos.
Quera quer fazer urna casa manda buscar esses
materiaes em Serpa ou oo Par, a 300 leguas de
distancia l E', pois, de vital internase termos
urna olaria perto da capital, para mais fcilmente
desenvolverse a edicacao particular, e comple-
tarem-se as obras publicas.
c Basta que S. Exc. garanta quatro ou cinco
trabalhadores ao proprietario para que o estabe-
lecimento camiohe regularmente.
< E' um grande servico prestado provincia,
e que nao custa um real aos cofres.
S. Ezc. parti da olaria ji tarde, e por isso
nao pede chegar s pedreiras e ao lugar dos in-
dicios do cano.
< O Sr. capitao Guimares, agente da compa-
nhia, tambem acompaohou S. Exc.
A'a 7 1/21 da larde desembarcou S. Exc.
< No dia 1 de setembro S. Exc. o Sr. presi-
dente da provincia ollereceu um almoco a bordo
do vapor Piroja aos cheles das reparlijes desta
capital.
< O vapor parti s 7 1/2 horaa da manha
deste porto, e levou os convivas ao lugar da ex-
linda colooia Maui na confluencia do Solimoea
e rio-Negro, onde desembarcaran! quasi todos,
depois de celobrado o officio divino a bordo pelo
Rerm. Sr. padre Joao.
S. Exc examloou o lagar, indagando do Sr.
cipito Guimares, agente da companhia nesta
capital, das aircumslancias do estabelecimento
da colooia, dat causas do sea abalimento e final
exiineco.
Como acontece geralmente, ao estsbeleci-
mento da colonia nSo presidio o menor esludo,
e por isso nao para admirar que ella desappa-
recesse, nao restando hoje senio urna casa mal
construida.
a Segundo nos ioformaram, a colonia eustou
90:0009000 a compsohia.
< O solo pouco frtil; a mandioca e outros
gneros do paiz nao crescem bem, como foi ob-
servado em urna roca pelo Sr. presidente e ou-
tras pessoas que o acompaoharam.
c Suppomos que o lugar (oi escollado por G-
csr ns confluencia dos dous grandes ros, razio
muito ponderosa, se por ventara concorressem
outras vantagens, principalmente) a de ser o ter-
reno frtil.
Mas os sacrificios da companhia nao se per-
dern de lodo, porque a colonia Mau servir
de exemplo a oulras que para o futuro se estabe-
lecerem na provincia. i
a Da colonia seguio o vapor para o Solimoea,
e deu fundo em freote praia do Catalo. Ah
leve lugar o almoco.
O Sr. presidente fez a saude dos funeciona-
rios pblicos da provincia. Os funecionarios
pblicos, pela ras posicio o csracter, sao a me-
lhor garanta da civilisecio e progresso da pro-
vincia. disse S. Exc.
O Sr. Dr. chafe de polica fez ssude do Sr.
presidente; seguiram-se depois outros brindes
s pessoas presentes, terminando S. Ezc. com a
saude deS. M. o Imperador.
c O Piraj voltou s 5 112 hars da Urde, e ii
7 1|2 deu tundo oeste purio. Na foz do rio Me
gro eoconlrou o vspor Inca, que segua viagem
para o Per. Ao eneonirarom-se.os dous rapo*
res, o eotbusiasmo foi geral ; depois de feitas as
cootioencias do estylo, tocou a msica ds ed-
candos que a a bordo do Piraj E que corceo
breailelro nao palpitar terroroso ante um espec-
perar de pessoas lio distiactas.
No dia 7 a msica percorreu as ras da ci-
dade as 5 1(2 da maoha, subiram ao ar giran
dolas das pracas e ras da cidade. embandeirou- '
se o vspor de guerra Piro/.e o Marojo da com-
paohia.
As 10 1|2 a soeiedade Ypiranga, a cmara
municipal, os ofJBcfaes militares e elvis acompa-
oharam S. Exc. o Sr. presideote matriz para
assislir ao Te-Oeum que a cunara mandou ce-
lebrar. Muitos membros do batalhao patritico
assisliram ao acto, apezar de iocommodados.
As 6 horas da tarde leve lugar o Te-Deum
que mandou celebrar a soeiedade Ypiraoga, a
que assistio parle do batalhao patriot:co, que to-
ra convidado-, o Sr. presideote e oulras pessoas
gradas.
a A' ooite illumioou-se de novo a cidade, to-
cou a msica oo coreto, que a soeiedade Ypirao-
ga mandou levantar na pra;a do Pelourinho.
O paco da cmara municipal achava-se ri-
camente ornado e Iluminado; e seus digooi
membros convidaram as familias da capital, para
all descanesrem emquanto ouviam a msica.
Teodo-se reuoido muitassenhoras, e pare-
cendo o lugar apropriado para daoc.ar-se, veio a
msica e dancou -se duas quadrilhas.
No dia 8 anda houveilluminacao na cidade,
e tocou a msica no crelo.
Todos os festejos foram mui concorridos, e o
prazer via-sa pintado no ^emlante de lodos.
Louvores, pois, ao bMlho patritico, a c-
mara municipal, a soeiedade Tpiranga, ao povo
de Manus que lio bem soube manifestar os
seus sentimentos no aoniversario do dia mais
glorioso do Brasil, a
No dis 5 do corrente aqui chegou o cidadao
Valentim Goo;alves Barbosa vindo do rio Ma-
deira, e trazeodo em sua eompannia dez indios
aotropoptvagos da tribu Arara, que vtvem as
matas do rio Aripuan, afflueote do mesmo Va-
deira do lado direito Tinte leguas distante de
Borbs pouco mais ou menos. Indo o dito valen-
tim procura de oleo de cupahiba as matas de
Aripuan, achou em urna praia desosis dos di-
tos indios, e apezar do terror, que csusou tat en-
contro, animou-se a chama-Ios por ver que elles
fugiam; difficultosamente veio um ao offereci-
mento, que por acenos lhe fez de ferrameotas, e
apoz esse chegaram-se os outros ; fe-Ios embar-
car em urna canoa para all irem bascar os fer-
ros, que ambicionavam, tendo comtudc Ihea ti- j
rado as frechss, que passavam de duzentas; de-
pois que os apanhou na canoa, e desarmados,
mandou suspender e mais duas igarilt com a
iripolaco toda armada; dous dos indios deram
a entender que tinham filhos menores, e que sua
preseoca era necessara entre os seus, os quaes
foram desembarcados ; dous fugiram, depois de
quererem fazer ama revotta com lodos os seus
companbeiros; dous ficaram doeotes em um at-
de sssislir ao Te- j mui las causas, sendo as priocipaes a perplexi-
A soeiedade Ypi- dade da paz da Europa, pois que all todas as po-
tencias grandes e peqaenas se armam, e a per-
manencia na devastadora guerra dos Eslados-
U odas.
Ninguem calcula o que esta potencia com-
mercialmente fallando para esla "provincia, nin-
guem calcula as coosequencias dessa terrivel
guerra para com esla praca I
< Por ora anda sao receios mais ou menos gra-
ves, mas o facto que a tempestado enm todos
os seas furores, j se presente ao longe, e os jor-
naea como vigas dio aviso e conselbos de pru-
es-
I dencu em semelhante crize.
c Eis-squi o que diz o Jornal do Amazonas
sbreos Estados-Unidos e esta provincia.
c Na America tudo eslava paralissdo ; nio ha-
via negocio de qualidade alguma; entretanto nao
sao estas as uoicas consequeocias fataes da guer-
ra ; no dia 1." de agosto liona-se decretado urna
nova tarifa, augmentando os direitos em quasi
todos os nossos gneros, principalmente na bor-
racha e cacao, o que seoio fecha ao Para aquello
mercado, toroa-o tao difficil, que muito affectar
s nossas transaccoes a rendas publicas.
Em lio criticas circuinstancias cumpre re-
fleclir sobre as Guaneas da provincia, que apre-
sentam um aspecto assustador. Se nao houver
muito lino e a mais rigorosa economa, esgota-
remos os nossos poneos recursos.
A grande fonle da nossa riqueza esl nos
productos agrcolas, que sao deslocados pelo com-
mereio ; por isso, embarazado esto, como aclual-
mente, dificultado pela guerra o nosso principal
mercado estraogeiro, e sobrecarregados os nos-
sos productos de grandes impostos ora elevados,
affectadoseato os lucros commerciaes, e com as
pardas qae j os vo substiluindo reduzida ser
de um modo palpavel as reodaa geraes e provin-
ciaes.
Neate caso, sendo absolutamente irapossive]
crear novos impostos, oo elevar os acluaes, por
isa seria mais prejudicial ainda, t resta cortar
com vefdadeiro patriotismo por todas as despe-
zas superfinas, e mesmo por todas as que aendo
utois podereo, esperar melhores lempos.
Sendo os Estados-Unidos orna das grandes
nacoes do mundo; estando intimamente entrela-
zados com todos os grandes mercados, princi-
palmente com o primeiro que a Inglaterra,
alias com elles o nosso melhor freguez, a crise
que soffr6m com a guerra repercutir em toda a
parte, vindo porlanlo soar nesta praca por inter-
medio de todos os mercados com que' temos tran-
saccoes: Assim nao se pode prever at que pon-
to ebegarao os nossos prejuizos, e s nos cum-
pre prerinir quanto nos seja possivel, para di-
minui-loa.
c Alem disto os corsarios tambem nos vao fa-
zendo bastante mal, porque o retardameoto na
chegada de navios da America, assim como o
receio da aahida dos que se acbam neste porto,
parausa as transaccoes cem fundados receios de
presas
Diz-se que j havia muitos corsarios com a
banoeira da confederarlo. Um del les. Petrel en-
contrando-so com a fragata de guerra federal, S.
Lawrence, que navegava destarrada, disparou-lhe
um tiro para loma-la ; eolio esta, abriodo as por-
tinholas, comprimeolou ocorsario com urna bao-
da que o metleu a pique, aalvando-ae apenas 36
pessoas.
< Conhecia-se os seguiotes corsarios:
Vapores : Coge, Sumler, William B. Webb,
l'.A0.Madeira. e dez aqui chegaram, sendo ums Calhoun, Mue, Witlow, Cordn, Marin, Mae
Rae, S. Nicolao.Brigue : Jeff Davit.Escunas :
Dixie, Petrel, (i pique) Savannah [ tomada ),
York.
c Alm destes tem sido vistos msis 4, cujos no-
mes se ignora.
c Os corsarios sao pela maior parte de pouco
fuodo pars fugirem dos navios federaos, metien-
do -se pela costa, onde nio podera ser perseguidos.
Um dos lugares, em que se reunem, em New-
bern N. O.a
c Em Maraoho estove varios dias o Sumcr,
sahtodo a espere do pslscho Jfaria desta praga,
que mais tarde all entrara acompanhado ae um
vapor de guerra federado.
< A' vista do exposto o estado desta provincia
quanto s transaccoes mercaotis pessimo, e
para prora do qae digo, o mal j faz os seus ef-
mulher.
* c Foram apreaeolados ao Exm, Sr. presidente
que os tralou mui bem, mimosesodo-os com
agurdente de canna, de que gostaram muito, e
cem charutos, e fazendo-os sentar em sua sala
converaou com elles ; depois foi-lbes mostrar o
estabelecimento dos educandos, onde esto os
indios menores apreadendo, e fez-lhes ver todo
eile, e pedindo-lhes alguna meninos para apren-
dern, pro me iterara qae trariam. S. Exc.
mandou tocara msica, eao principiar a india
foi com precipitado collocar-se em frente do
zabumba com a cabega baixa, e em posicao hu-
milhanle. e permaneceu atienta com todos os
outros at o fim.
c Regressaram hontem [12) com brindes de
machados, facas, tercados etc., om companhia do
mesmo Valentim que foi autorisado a formar urna
aldea dessea indios na locallidade de Aripuan
quo for mais propria para a lavoura.
A india e um indio velhoquando oequeoos
tinham estado em casa de um branco, cujo no"-
me nio souberam dizer, e por isso fallavam al-
guma cousa da lingua geral. Estsvam sempre
com medoquando ouviam tocar os tsmbores, as
cornetes, e quaodo viam os soldados, talvez
euppondo que nos lhe feriamos o que elles nos
fazem quando podera apanhar alguem desaper-
cebido.
a Us Araras estio divididos em duas hordas,
conhecida ama por Mataaaus, que aio os msis
bravios. Em outro lempo tiveram relegos com-
merciaes com um tal Camello que jos tioha al-
deiado; porm em om bello dia comeram ao
seu patrio e a toda a familia, e rellraram-ae para
smalas. Os que aqui esliversm nio pertencem
essa tribu.
Para Limita-nos a seguinte carta do nosso
correspondente :
Quasi que desta vez nio lhe escrevo, apezar
le nio havor, ha perto de mez e meio, vapores
da linha do aul para osta parte do imperio ; j
eslavamos oor aqui tao acostumados essa falta
que por pressa I
c Eu mesmo havta-me esquecido de que ers
ieu correspondente e que tinha deveres a cun\-
prir com o respeitavel Diario de Pemambuco,
dando-lhe temuo e horas ha noticias desta pro-
vincia, e na verdade chegada do vapor achaa-
me bem descansado em Urna chcara dos arra-
baldes desta cidade, que se nio fra ir hoja ao
centro do commereio, nem siberia que o Cruzei-
ro do Sul, ji esleva fnodeado oo porto desde
hontem strea horas da tarde.
< Eio que cosame, e o msis historia,
c Entretanto esta deacreoca na pontualidade,
ou, para fallar claro e portuguaz, este Oesleixo na
exaotidio das nossas obrigaces, is vetes nos le-
va a considerar urna' falla, un msl, como se ios-
se um beneficio.
angina e Analmente a phtysica, em grande escal-
la como aqui ha, etc.
Um dos membros da commissio, medico dis-
Mncto. discordou da opioio dos seus collegas, e
apresentou parecer em separado, refutando aquel-
las ideas.
< D'aqui nasceu urna grande discusso em que
toraaram parte lodos os mdicos depulados pro-
vinciaes, uns pro, e oulros contra.
a A discassio cootinuou por espago de quatro
das sobre apoeira. Emfim, foi urna qu esto de
poeira, que alm de bellos discursos da maloria
e da minora, apenas foi resolvidu que a cmara
muoicipal ennservasse o calgamento como est
feito, que melhorasse o novo que livesse de fazer
e que se irrigassem as ras I
E' oficio da monlanha, qae aQnal deu a luz
um rato 11
Neste' negocio, todos souberam o fim que
se attiogia ; pois que era fazer guerra ao presi-
dente da cmara municipal, que alm de ser me-
dico aqui chefe di miooria na assembla pro-
vincial, e esta queatio da saude publica foi bem
aproveitada ; porque este individuo tambem di-
rector ostensivo do partido liberal.
AQoal ficaram as cousas no mesmo estado ;
apenas com as alleracoes apontadas. que em pou-
ca ou nada roelhora a quotidisna poeira que se le-
vanta constantemente nesta cidade.
Sobre poltica do paiz facto nenham mais
importante ha a mencionar, se nao que j nio se
falla tanto na retirada do Sr. Dr. Brusque como
quando lhe dirig a minha ultima correspondencia
por tanto os clculos de novo presidente se de3-
vaneceram inteiramente.
v O.dia 7 de setembro foi aqui festejado com o
regosijo proprio desse dia, aoniversario da nossa
emanciparlo poltica.
Na vespera as ras foram percorridas por va-
rias msica, tendo o 3a batalhao de artilharia a
pe. dado urna reuniao, a qual compareceram as
priocipaes autoridades e familias desta capital; e
no dia 7, alm do cortejo, parada, e Te-Deum,
na cathedral, a noite houve theatro.
f Os anoos do rai de Portugal 16 de soterabro
igualmente foram aqaisolemnisados pelos portu-
guezes.
< Alguns consulados estrangeiros e navios sur-
tos no porto embandeiraram poraemelhaote mo-
tivo, e a noite Iluminado o consulado portu-
guez, houve tambem espectculo no theatro, on-
de o respectivo cnsul deu vivas a sua magesta-
de fidehssima, a sua magestade imperial e as na-
goes portugueza e brasileira. Todas estas func-
coes aqu se passaram com bastante coocurren-
cia de povo, e sem que houvesse maior acoote-
cimenlo digno de mencio publica.
Ahi lhe remeti a segunda pastoral do Exm.
bispo D. Antonio de Macedo.
Tem por objecto a inlroduccio e a leitura de
lirros contrarios a doutrina eosinada pela egreja
romana ; pois que anda por aqui um padre pro-
testante, cidsdio ioglez, de nom Ricardo Rolden
qua com toda a sem ceremonia vende biblias
truncadas e livros proprios a difundir pelo povo o
protestantismo.
S. Exc. Rvm. sabedor do facto, em urna das
suas conferencias na cathedral, fez conhecer ao
seu rebaoho o erro e o engao em que cahia lan-
do laes livros. Estes conselhos eosinados pelo
digno pastor da nossa igreja aos seus subditos, fo-
ram mal interprtanos pelo padre protestante, o
qual procurou combate-Ios pela imprensa.
O clero em geral lancou a luva Ricardo
Holdeo, e lodos os dias apparecem artigos nos
joroaes combaieodo as ideas e os fundamentos
em que este individuo, faz consistir a sua re-
ligiio.
< A questio tem tomado grandes proporces,
e o clero parense em geral tem disentido como
se deve, urna relgiio que, por assim dizer, nem
o proprio protestantismo, que proclama um
emissario da soeiedade americana.
Em fim apesar da discusso ainda continuar,
Ricardo Holdeo j loi chamado polica para se
commedir, nio atacar a religio do Estado, e de
alguma maneira nio incitar os povos urna
crenca contraria aos principios religiosos do
paiz.
Rolden pois tem moderado os seus escriptos ;
aio obstante quando compareceu na policia, foi
acompanhado dos cnsules ioglez e norte ame-
ricinos I
c Alguem ioquerindo a razio porque iam dous
agentes consulares com o padre protestante, este
responder que um era para proteger o cidadao
e o padre inglez, e outro era para zellar e pro-
teger a propriedade norte americana, qae se
resume em biblias trancadas e livros adequados a
seita cima referida, de que Holdeo nesta pro-
vincia emissario e correspondente I
< Por conseguinte s pastoral de que fallo deve
merecer a attengio dos seus leitores, nao s pelo
fundamento e bem desenvolvido da materia,
como pelo ioteresse e novidade de semelhante
questio. _
S. Exc anda sobre estes exTorcos proprios
de um verdadero pastor em favor do seu reba-
oho, em prega as maiores deligencias psra dotar
a provincia de um clero Ilustrado.
a Assim pois S. Exc. ji fez embarcar no bri-
gue Belem, com destino para o Havre, e d'ahi
seguirem para o collegio de S. Sulpicio em Pars,
os seminaristas Jos Gregorio Colho; e Joaquim
Pinto Marques, mandados por S. Bzc. Rvm., e o
seminarista Joio Ferreira A. Muniz, mandado
por aeu bom pai; todos porm sob a sua pio-
teccao.
Foi bem edificante a despedida dalles a S.
Ezc, da quera receberam os ltimos conselhos
de pai extremoso, e o sculo, com o qual pare-
ca que S. Ezc. Ihea infunda o seu espirito, a
aua alma o seu coraco.
c Levara as nossas esperances, e Deas os
gaie.
c Acompanharam-oa at a bordo muitos dos
seus companheiros,amigos escolares, e seus mes-
tres o conego Ismael de Sena Ribeiro Nery que
muito eficazmente os aunliou e aos desejos de
S. Exc. neste acto, padre mestre Joaquim Anto-
nio da Silva Egues, e padre Eutychio.
c O seminarista Joaqaim Antonio Tanellaa,
amigo e emulo deltes as letras e nos costme*,
e cem elles fundador do Instituto Juvenil Eccle-
tiastico, dirigio-lhea a bordo ama despedida to-
cante e enteroecedora. O Sr. Tanellaa Gea o
substituto dos Marques e Colhos. \
E pola, .ah vio contemplar a sua edueacM)
eccleaiaalice, e cusa de S. Exc, os dous se-
minaristas qae mais ae distinguiram no curso
ideolgico, que concluiram ne nosso semi-
nario.
c Sirva de ezemplo e de norte aos outros, o
que com estes acaba de fazer S. Exc. Pica
muito claro e a toda a 1 que para S. Exc.
ralem, excluaivamente. virtude e appiicscio.
gosto e mesmo o emhosiaamo, qae bej* as rai-
ma por eate genero de instruccio, lio aiil e ira
indispensavel.
t Contina as de cathecisroo o secretaria ato S.
Exc. o Sr. padre Manoel de Medeiros, aas se-
gundas, quartas e seitas-feiras as A horas ato
tarde.
No domingo tiaba 9. Ezc. visitado o hoeoital
militar e o castalio, onde foi recebido cem as
honraa devidaa sua levada j-nrebia.
< Aqui lindo a minhreorrespoodeneia, as
fets, remettendo-lhe em seguida a ola
mada dos navios surtos oeste porto :
A' descarga.
>< Hiate brasileiro Novan.
Dilo Progreuo, entrado
A' carga.
Barca ogleza (honda.
Dito Anna lae.
Dita franceza Tocanlint.
Patacho americano Istc Dentn.
a Barca portugueza Linda, a sahir para Lisboa
ate 15 do crrente.
Barca Palmeira, a sahir 20 para o porto
de Lisboa.
O brigue Feliz Ventura, parti deste perto
para Lisboa 25 do mez lindo.
Navios entrados e sabidos ao mes aU
hoje.
setembro :
Entrados. Sabidos.
Bra.'Heiros. 10 9
Francezes. 3
Porluguezes. i 1
Ingleses. S 1
Hespanhes. 1 1
Total.
17
15
feitos; por quanto no mez fiado as reodas prove-
niente da importacioeexportacio foram diminu-
tas em comparacio aos aanos anteriores.
c Quanto ao estado de iraoquihdade desta pro-
vincia e do Amazonas satisfactorio, valo como
nenhum facto de maior importancia tem appare-
cido que altere o socego dos povos.
c A poltica da provincia marcha commedida,
por isso que os jomaos lera refreiado os seus res-
sentimentos partidarioa e individuaos.
a Por isto veri que o actual presidente tem fe-
lizmente sabido rfver eotre gregos e troya-
nos.
Como lhe diese, a assembla proclamoustric-
la economa nos dinheiros pblicos, apesar de
presumir qae, vista de semelhante principio
econmico o contrato para a llluminacio a gaz
celebrado pela presiJencii loria aeria opposicio,
passou maras>ilAoaainie ; porque aos dous an-
tigos contrataniea da lluminajo da cidade, con-
cedeu-lbas urna indemnisa^o incluida no con-
trato, de vinte e cinco conloe de ris a cada um dos
sessionarios, pelas perdis emergentes e lucros
cessaotes.
Emfim o negocio arrojou-se de combnagio
entre amigos tnimigot e em resultado a lei se-
(i brevemente posta em execagio l
O Sr. Leonardo Pinheiro da Cunha Carneiro,
que nio seguio no vapor ultimo, como fez crer
todos, agora anuunca que se retira para a Euro-
pa, naturalmente muito aatisfeito, porque vioco-
roados os seus axforgos denodados a favor do con-
trato da illuminacao a gaz.
c Alm deste negocio, urna graode queatio me-
dica se suscitou na assembla acerca do calca-
menlo das ras da cida Je.
< Dona mambros da commiasao de ailubridade
publica deram o seu parecer acerca docaleamen-
to, que pelosystema de Mac-Adam porque fei-
to pela cmara muoicipal era prejudicial a sau-
de; por quanto o p produzido pela rodagem e
attrito dos vehculos de Coodacgio e oulros, in- I director interino da lostraoci publica
trodoziao noa olhoa, na laringe e noe pulmea. I c Aa patarras, qae S. Etc. dirigi s meninas.
produzia molestias especiaos cerno a ophteimia, a I produtiram o salatar effelto de iofundr-lhes o
Alm disto S. Exc. procara ineatir am todas
as almas os msis sans principios da relgiio
chriaiia, e todoa os dias d provaa do sea sello e
cuidado no eapiohoso comprmanlo do seus de-
reres, e ainda
c Aoie-hontem i tarde S. Exc Rvm. fez pes-
soalments a abortara do catheciimo, na aula da
Ezma. Srs. D. Autooia do Josas Gomes Franco,
professora publica do ^ districto.
c Assistio, alm ds entras pesaos, o llm" Sr.
MaranhaoUse ao Publiemior Marankete :
No dia 28 do passado, aa 5 horas ds tanto,
vindo o patacho portuguez Trovador, sracaetosis
de Lisboa, com 35 dias de viagem, a atigrada ss
rumo de N-. O. vista drpbaroi de Saeta Aras,
na distancia de 15 milh.i arbitradas ao anisas
te da mesma ilba, vindo nesta occasio apru-
mado em 17 brsgas d'egua, e vendo na diitaaeia
de 2 milhas na aua pospa o brigue Inte/ice,
tambem procedente de Lisboa, foi o msate ca-
pito buscar o oculo para melhor o avistar.
< De repente baleo a primeira ves o Trovador
e coniinuou arrastaado-se, paseos depois ss lan-
do de 9 bragas e achou-se con o lene partido.
Immediatameote fez-ae ama esparrela, o lar-
gou-se um ferro com 45 bragas da aaaarra. n
quaes agueolaram por alguna instantes arre-
beolando depois. Lancos-se um segando ferro,
saccedeodo o mesmo as 6 horas e 5 minles ato
tarde.
c A' vista do muito mar, o capito manetos*
safar a lancha e langa-la ao asar com & aeari-
oheiros, ficando elle, o piloto e mais ues aaari-
oheiro a bordo, os quaes, nio teado recarao al-
gum de que dispuzeasem, abaodnnarem o navio.
saltando para um outro escalar com aco m vida,
e somante com a roupa do corpo e urna agulha,
e ahi permanecerm at as 4 horas da masas ato
seguinte dia 29, quaodo o brigue Anglica ss
recebeu, cooduzido-os s este porto hontem is
6 horas da tarde.
< Hoje tarde pars para o lagar do arietro s
vapor Camossim, aum do encontrar sao s os
5 nufragos que restara, como para prestar so
nsvio algum soccorro.
c Sio estas as iaformages que do momento
podemos colber para dar boje aos aossss leito-
res.
Hontem (2 de setembro) este vapor vollsas
da ilha de Santa Aona, trazeodo a sea boros ss
seguintes salvados do pstacho Trovador : 58 bar-
ra com aieite, 10 ditos com visho oa vinagre,
1 dito com paios, 1 dito com loneiobn, 3 pipas
com vioho ou vinagre, 7 caitas com cera, 3 di-
tas com batatas, 1 capado, 4 garrafas, 3 latas, 1
boiao e 8 vtdroa com drogaa ; ludo mais qae ex-
istia pela praia nio valia o trabalho de arreca-
dar ; no aabbsdo 31 do pasudo, chegaram a osta
cidade os 5 marinheiros que faltavara, tendo en-
trado na baha de Jos.
A' SS. Excs. Srs. Drs. Francisco Primo ato
Sooza Aguiar presidente da provincia, o Julio
Cezar Bereoger de Bittencoutt. chefe do polica
foi pelos seus numerosos amigos offertesto am
baile que tere lugar na noite de 8 do corrente
em palacio.
Grande profusio e concorrencia do gante
grada da nossa capital toroou-o constantemente
animado at as 4 loras da madrugada om qsc as
S asimos,
Polgamos ds ser o mrito de SS. Eses, oto-
vidamante apreciado peloe maraoheases, ajan a
porfa procuram significar-!has s sua amina e
considerarlo de que sio credores
< Teve hontem (9) lugar, come eslava asaas-
clada, no palacete do Sr. Dr. Pedro Nasos Leal,
que geoerosemeut o offereceu, a ssssis nafa
da Associacoo Typograpkica. Maranhtnu, afisn
de emposaar o novo couseiho directorio, o oslen-
nisar o dia de sua inaoguragio.
c Foi presidida pelo Sr. Dr. Antonio Hrari-
quea Leal, presidente honorario da mesma, sst-
viodo nesta occasio de secretarios o Sr. Dr. An-
tonio Reg, oo Sr. David Gongalvas de Aievsds.
vice-coosal de S. M. Fidelissima.
Este ve bastante concorrida a animada, as-
sistindo tres honrosaa eommisses das saeteas-
des luterana Aiheneu MaranhtnH Luso-
Maranhense do Beneficencia o Beoefirasria
do* ounves protectora do artiata s medias
pessoaa distiactas qae por parte do conseibo fo-
ram convidadas.
Houve par lio faustoso mdivo, diversos das-
cursos pronunciados pelo presidente honorario,
pelos membros relaiorea das coeamisaes sai
las, e pelo presidente e msis membros da As
cisgio Typogrspoico.
a Finda sessio, foi offertads pelos
cios todas as pessoas presentes, sm
cento o cincoenta, um opparo copo d'egoa, ajnn
oada deixou desojar.
c Fazemos rotos pela prasperidade desta a til
Associagio, que mais de ums vsz aa ha tersado
merecedora dos elogios e estima publica.
Tomuu (hontem i2) posee a nove rammiasia
da praga do commereio. Uceado coas posta atas se-
guimos seohores :
< Presidente. Joaqaim Jos Aires Jaster.
Vico-presidente. Meses! Antete
Santos.
1. secretario.Joio Ferreira Bailar.
2/ dito.Francisco Antonio do Lisas.
Theaouretro.Aoiooio Lopes Farreara.
Laurindo Jos Aires de Oliveira.
C. A. Bordorf. w
Candido Cesar da Silva Rosa.
Jos Msnoel Rarbesa.
Domingo (15). i noite, pela vstls sa I
bordo ,do lugre inglez Belino,
sos Srs. tostn Kda 4 C. s prximas
trido de Liverpool, honra am serte sestil
Orna parte da tripolagto contra ara raspea
pilio, pilte e outra parte da IripolsgAev i
rancia esta em qae maltn nm dos
de osgio fuera, tnicnsiranonta
ao eapilao, e com um po o lar foitesanir i
bundo no con vez depo s de lhe ter i
duaaos tras pancada na cabega, o ansn aasea-
tisfeite, quando o iofelix cah\ra fortes o i
gusotado, con ti naos a saa Wrocidade, <
a (gamas arroehadaa polo corpo. O %.' pitte i
immediatamente sodir socorros ds meetotna i
o sao capia*, con quom ss torooi
a

c
c

c
c
t
mora


Ml
*
T*
r *r.
...
i t\

'V**f
URJO DI f IRIAMBCCO. SJSXTa OtA 11 DE OUTUBRO DI 1801.
extremamente, e levando coinsigo o'Sr.'BrriTslt" pos se haiam dado ii mioa ptrasaudarem o Un-
iste Ihe ministrou os remedios necessario. Jal- gido do Seahor, proporciotiando-lhe um bailo e
na-aa que bo correr pecigo a vida do oepttie
Kellier.
Informado o Sr. tce-consul iagUt pelo Sr.
Dr. Hall e pelo Sr. Collares, caxeiro dos consig-
natario, immediatamente se dirigi bordo em
coanpaaAU do Sr. gurda~mr, que ara qalquer
<3eaiMcaaoa ae torna iaeaeeavel, de ba veotade
se presta aludo a cae depender a aua amo-
ai O Sr. William Wilsee Jnior, ice cwmuI.
pata larra o malvada, e aearha praao no
ute.
O restada Iripolacio eualv oreee, empeeaea-
e measDO depararse ee nativo da aua
eiaa Mira o caettie ara eita aecigar-lheo a
traaelhar ao domingo.
Baaultado da e lucio para um deputado nos
collegios da capital. Alcntara. S. Beato, S. Vi-
centa Forrar, Santa Helena, Vianna, Curupur,
Cuiaaaraea a Rosario i
c Dr. Antonio Marcelino Nunes Gon-
alfea................................... 207
Dr. Joa V. Jorge.................... 161
* Em consequeocia das medidas que (oraaa vo-
tadas na assembla provincial e ssnccionadas
por S. Exc. o Se presidente da provincia, tenien-
tes a fazer baratear o prego da carne verde, hou-
feantem i tarde um solemne Te Deum na ca-
ihedral, ao qual gratuitaoieale ao presto- o Sr.
gobernador do bispado e tu Jo cabido e clero, e i
noite urna grande passeiada em numero lalvet de
aula dita mil peesees eom duaa btndaa de m-
sica do 5.a dos educandos que asslatiram lam-
aam ao Te-Deum.
Neste regocijo tiferant a iniciativa as rodee-
coee da Mod^raco e Porto Livre auxiliadas per
algosa eidadaoe formando a commisso que di-
rigi oa Srs., Francisco de Salles Nanee Cascaes,
Antonio Bernardinu largo Sobrinho, Manoel Jo-
s Pereira da Silva Coarary, JoSo Marcelino Re-
cata e Augusto Vespucio Nunes C Ao chegar a paaaeal* a palacio aa 8 I/i Iteras
da noite, subi a commisso e em sigua I de gra-
lid* araapeo do aove a S. Exc., o seu relator
rigio-lhe o seguate discurso.
Illm. Exaa. Sr Tendo o povo, na tarde de
lioje, reodldo as devidas gratas ao TODO PODE-
ROSO, no solemne Te- Deom celebrado na aanta
igreja cathedral, ae qual de muito boa voatade e
gratuitamente so prestou o Ilustrado e virtuoso
cifro respectivo, pelo grande beneficio dat pro-
videncias que acaba de ter lugar, alim de fazer
ttaixar o excessivo proco da carne verde, primeiro
enero de sua alimeotacao ; o mesmo povo, ebeio
ta gratido e respailo, em agora, por interme-
dio dea abaixo aasignados significar a V. Exc,
como ao carpo legislativo provincial, o seu pro-
fundo reconhecimento pela volacio e saneco de
t*es providencias que Importan o trmmpho da
justica e humanidade, e que fario sempre lembra-
ata nesta provincia a Ilustrada e beneBca admi-
uiftraQao de V. Exc. Assim, pois, digne-so V.
Kxc. de acolher benignamente os votos de grati-
do quecordealmeate sao tributadoa a V. Exc. e
ao onrpo legislativo.
Maraiiha 25 de selembro de 1861. Illm. a
xm. Sr. Dr,. Francisco Primo de Souze Aguiar.
Oa membrosds commissoAntonio Bernardl-
no Jorge Sobriuho. relator.Francisco deSilles
Nuevs Cascaes. Manoel Jos Pereira da Silva
Cearacy.JJo Marcelino-Romea.Augusto Ves-
pacto Nunes Cascaes.
S. Eic. dignea-ss responder a commisso
coas as s*gointe* palavras :
Seahores.Bees fndate o voaso regosijo.
A proidecl, que festejaes, far sempre
"leaabrada os Maranhensea a m,noria da assem-
bla provincial de 1861. Picai cerlos de que fa-
rei quanlo dentro da le estiver ao meu alcance,
par* que vossos justos desejos sejam plenamente
saliefeitos.
Agradece-vos e a todos os cidadios que os
acompnh*m, a honrosa parte que as vossas
maeifoatices vos tendea dignado dar-me.
Haranhao tb de selembro de 186t.
Francisco Primo de Souxa Aguiar i>
A commisso sabio tambero a casa do Sr.
governaJor do bispado I agradecer 1 he, e ao ca-
sado eeleeo, em nome do povo, a ana cooperario,
oeste regosijo, tendo antes do Qm do Te-Deum,
a Sr. eapitle Francisco Cascaes dirigido a essa
cerporacao om elequente discurso.
Algumas casas se Iluminaran) ao transito da
pisseala e lancaram sobre ella flores: reioou
siempre a melhor ordem. e nem se quer um dito
iaoascreto ae den, dirigindo-se os ivas a Sua
atagestede, a consiituiQo, mi coreo legislativo,
aeSr. presidente eao povo maraoaenae. a
a Hontem (3t| S larde teve lugar a reuuio da
assembla geral dos Srs. accionistas do banco
esta provincia.
A's J e roeie horas da tarde foi aborta a ses-
sio seb a presidencia do Sr. tf*noer Aotonio dos
Santos e secretarios os Srs. Dflflm da Silva Gui-
mares e JosJoo Al ves dos Santos., veriflcou-se
acbarem-se presentes 65 accionistas com 253
otos e 2*11 acedes.
Fui lida a acta da seceso entortar e approva-
o*. O Sr. JoSo Josa Kernaodea Silva pteaden-
xe da directora fe a leitura do relalorio da ms-
ala relativo ao semestre findo em 3T de agostu
ultimo. 0 Sr Joo Rodrigues de Ottveira San-
tos como relator da commisso fiscal fea a leitu-
ra do seo relalorio, approvaods o balaoco do re-
ferido semestre.
a Em seguida proceleu se ao sortefo da ex-
clusao de f director entre os doas mais antigos
segundo a lei, rtcahio a sorte no Sr. Antonio Lo-
pes Perrelra.
Procedeu-se depois otacao da directora,
nova da assembla e commisso fiscal que tem
de funecionsr no presente aono bancano.
A's8 e meia horas da noite procedeu-se
apuraco somente da directora, ficaudo os ou-
tros-cargos para hojese apurarem ; sahiram elei
tos:
Directores.
O* Sr. :
ios: Antonio de Mattos Freitas.
Joaquim Jos Aires Jnior......
Joo Jos Pernandes Silva.......
Francisco P. da Silva rfbreea....
Alexandre Tonson...............
Dr. Constantino M. Pereira......
Suplientes.
Os Srs. :
Mauoel GoncaWes F Na......
Antonio tfa Caoba Sobrinho......
Antonio Francisco de Azeredo...
Antonio Joaquim de Lima.......
Jos llanoel Barbosa............
Jos Feroandes Ribefro.......... 18
co, dando o resultado aeguinte:
a Asenibla geral.
Presidente, o Sr. Manoel Antonio
dos Santos.......................
t. secretario, o Sr. Dellfoo da Sil-
va Guimares....................;
2. dito, Laurindo Jos Ales de
Oliveira...........................
Commisso fiscal.
OSr. Domingos Bbnes Pereira ..
OSr. Jos Joo Alves Santos....
O Sr. Antonio Ribeiro dos Saoloa
Servir m de escrutadores os Srs. Manoel An-
tonio de Carvalho Oiiveirae Sobrinho e Joaqurm
Ribeiro da Costa. >
Cear.O nosso correspondente diz-nos o se-
guate i
Nao Ine ewrevi pelo Igvarau ose daqui
santo no ola 3 por rappnr qne o Cruretro do Sul
conductor da presente ah! chegari seno antes,
pelo menos do mesmo dia.
a Por Ihe fallar no Iguaratt, devo dizer-Ibo
que a regularidad* que se observa actualmente
<>a lioha dos vapores da eompaahia Pernambaca-
na omita tem agradada ao comraercio deita ci-
dade, e mala aioda ao do norte desia capilaf co-
jos portos regeilam aa bares da coropanhia, o
que mu Dons resultados traz aquellas localidades.
Parece mesmo aue os rapores teem remojado
velo sea aceto e ilropezs, e pela rapidez e poo-
tualidade de tus ajkgens ; o qus mullo tasa con-
tribuido para fazer desappaieeer a preveac qoe
exista Da provincia contra i companhia Pernam-
bucana, e que al cerlo ponto era bem fundada,
parque em sen comego, e por multo lempo, nn-
gasm poda contar eom dMa, nao s pehirregn-
tandado com que era fello o servico, cerno por
qoe era quasi monopolio de cellos individuos.
. "r" L6 0 PO**** HMdo is 7 horas da
snaoMa fondeeu naaU ooro o vapor CnuatVo do
S*l tratenlo seu bordo o nosso hispo o ExtB.
Rvea.-Sr. D. LoiafAotooio doa Santos:
* S. Ete. Rvma. quf desembarcar immediaU-
menre para aproveilar a occaziio que a* Ikemoi-
aCBfflaapbera nra da qualaosf navam a aue os-
tWive e m.is Bello &l9$tt*U!Z!
M*5M ^ 8,rvalho, em lempo de colher a
(i

a
a
a


236 rotos
233 a
r39 0
226
204
151
44 votos.
43 0
20
15 *
14
222 otos.
233 a
176

228
224
203
votos.
a
a
caaimodo desembarque, em um porlo to bravio
cerno o naneo; e mostraren)-ae reverentes e si-
lenciosos para com S. Exc, fazendo contraste
com aquellea que por urna meaquinha questio
de hyssope Ihe crearam embaracoa e desgoatoa
qua aaavtes aiajir lego sus dragada.
O primeiro arto de S. Exc. foi levantar a
san anal p aa R*a, perecho deata capital; a aa-
beta 8. Exc. teaas exstteado', qaelle qae aqai
W Mhdelagado, aa nisao s devia eoxergar
acia da cUmencia eaaa que quera inaugurar o
aea geverao, erabora toaba cercado de mil Bou-
aideraQdes ; esta seto aaetemode esaaaaaaa aa
ex-govevaador da bispado, que recuaoa acertar
aa ptlsaairas lugares do biapada que par S. Etc.
Ihe foram offerecidos, e breva Uncioaa seguir
para a aua freguezia.
Q Cartast gm um mmn\,in\r.An a.Hgi^.li.m,
e procedimeuto do prelado, e diz qae depois de
urna tal desconsiderado de sus parle para coro o
seu delegado, este nao pode nem deve aceitar
qaaeaquer empregos que Ihe sejam offerectdos.
< A coiocideocia entre a doutrina do commu-
oicado, e i recusa do Sr. conego Pinto de Meo-
dones, faz com que muta gente Ihe atlribua a
paiernidade de tal escrpto.
a O Sol (jornal) em um artiga de fundo tambero
estranha um pouco acremente ao Exm. diocesaoo
por ler absolvido o paroetto suspenso.
Qusndo todos suppunhim que tal questo
tivesse terminado, estes dous artigos a vieram
reiver; e ja o Pedro 11 e o Commerciat acudi-
ram ao reclamo, e deram a competente reaposla.
< Eu, purera, nao os acompanharei, deixa-Ios-
hei discutirem-se, lastimando spenas que seja'
ntre os ministro da religto santa de Jess Cura-
lo, do p de cuja cruz corre e se difunde esse
balaamo salutar que se chama caridade; que me-
nos se observe essa sublime irtade.
< No mesmo da ero que aqu chegou S. Exc.
Rvma. celebrou-se o Tt-Deum de que Ihe fallei
na mioha ultima; e o meu vigario que j nao
eslava suspenso pdle pregar, nao se realisando
a perJa do seu irabalho como eu recelaa.
Ha quero diga, que se oofosse urna mui ju-
diciosa obseraco que por parte do Exm prelado
Ihe foi feita no momento em que subi ao pulpi-
to, ter-se-hiam ouvido bem fortes censuras ao
Exm- biapo de Pernambuco, e ao seu visitador
nesta proviocia; felizmente o Exm. Si. 0. Luiz
leve essa insoimcao que livrou o oraior de cabir
em tal ridiculo.
S. Exc. Rvma. fez a sua entrada solemne, na
cathedral no dia 29 do prximo passaJu ; desde
o dia de sua chegada al ao de sua posse, itlu-
minando-se noite quasi tola s ciuade e urna
baoda de msica tocoudebaixo de um arco que
ae baria armado em frente do plido episcopal.
Paco votos para que a carreira de S. Etc.
seja to longa quo gloriosa.
O Dr. Miguel Joaquim Ayres do Nascimento
que havia seguido para essa no vapor Jaguaribe
a tomar conta do juisado dos feilos da azenda
desst provincia, nem leve lempo de chegar ao
porto destu districto, porque no Rio Graude du
Nurle leve conhecimenio do decreto que o no
meou dezerabargador da rela^o do Maranhao.
e acaba de regressar a eeta onde deixeu sus fi-
milia, com a qual pretende partir para o Ma-
ranhao no apor Cuajar da uompauhia ala-
mnense.
< Quando depois de m*is de 20 anoos de juiz
dedireito, se chega dezernbargador, no estado de
pobreza em que se acha o 8r. Dr. Ayres, d-se
um forte testemunho da honradez om que se
servio, eprova-se. que apesar da corrupeo da
pora que antepe o dinheiro tudo, aiuda ha
quem prelra algumss dezenas de coutos de
ri, um nome puro, e sem mancha.
J furam marcados os das em que devem
ter lugar as eleijes para depulados provinciaes,
e as priaiariss para senador.
0 dia 24 de novembro aquelle em que os
eleitores devem designar quaea os dignissimos
que tem de representar a provincia, t'ormgam
os candidatos, e entre elles ha alguna que pro-
voca riso a sua apresenlajo.
No da da Conceigo de Mara Santissima,
8 de dezembr, deve principiar a aleico dos
eleilorea que tem de formar a lista dos tres que
dee ser apreseotada ao imperador para escolher
aquelle que no senado tem de substituir o finado
dezernbargador Machado.
< Jase contam 12 ou 13 candidatos, e confes-
so-lhn ingenuamente que excepeo do Dr. Mi-
guel Fareandea Vianna que, i meu ver, o ni-
co sobre cuja elleico nao ha dnvida, nao sei
quem serao os bemaventnrados que (jaoreceio
ser incluidos na lista trplice.
O Exm. Sr. Duarte de Azevedo-acaba de no-
mear urna commisso composla dos doutores
Pompeo, Soares, Jos I.ourenco, Liberato, e ma-
jor Aotonio Borges para colligirem os dfferen-
les objectos que desta provincia tero de ser re-
metidoa para a exposico que ahi deve ter lugar
7 de Novembro.
Nao obstante os boos desejos dos norteados,
pouco ou nada potero fzer, devilo rsso ao
pouco lempo que Ihes resta ; devia-se ter cui-
da lo disso mais cedo.
O consumo de fizendas esle anno tem sido
maito maior que nos anteriores, o que tem feflo
com que o rendimento da nossa alfaudega no Io
trimestre do crvente exercicio passe de 160 con-
tos de res; e muito maior seria se as casas m-
portadorasj por erro de calculo ou com receio
nao livessem- maulado vir fazeudas em menor
quantidade do que podiam dispor, o que fez com
que alguns dos priaieiros compradores fossem
essa praca effectuar compras, de nao pequea
importancia.
A safra do caf abuulantissima, e diz-se
que duplicar a do anno psssado ; acha-ae neste
porto um brigue prussiano, creio que o primeiro
desta naeo quejranspe esta barra, o qual vem
leceber um completo carregamento deate ge-
nero.
A do assucar suppooho ser inferior ante-
rior, devido isso ao baixo prego deste artigo; ereio
mesmo que continuar em diminuco, caso nao
encontr melhor mercado na futuro.
A guerra fraticida doa Esladua-Unidos, tero
despertado a id de vollar-se com mais forca &
cultura do algodo. que de ha muite se lera con-
servado estacionaria ; os jornaes tem publicsdo
arios artigos no sentida de animar o agricul-
tores oceuparem-se neate iotereasanle planto
creio que os nossos peridicos tem sido isso ta-
rados jfcr iosinuacoea do governo, por que do
contrario nao ge lembrariam diaso.
At agora nada de vapor do sul, ha quem
diga que o Paran s aahkis do Rio no dia 1
dj correte, uns dtzem que a falla prevea da
companhia, outros que do governo; o que-cer-
to qae hoje ninguem conta com os apoces da
companhia brasileira, cu^a existencia talvez nao
seja de langa darace a eantiauar por eata for-
ma.
Al o seguiote apor.
Rio Grande do Norte.A. seguinte carta do
nosso correspondente d tudo que digno de men-
cao ha i
7 de outubro
O que conUrei eu a Vmc. desta Ierra, da
que parece, que j tomaram posse perpetua a
tritesa, e a monelooia ?
O aspecto desta cidade de cor paluda ti-
rando lvida ; sesseota e um coutos de reia se
deve ao funecionalismo ; e a receila provincial,
om ez de augmentar para cobiie esle dficit,
pelo contrario decresce ponto de nao poder sa-
tisfazer aoa compromissos presentes, mesmo de-
pois de feitas aa redueces, que ae be decretado.
O Sr. Dr. Leo Velloso ai tornando celebre o seu
nome pelas eeooomias, como alguna de seus an-
tecessorej ge fizeram nolaveis por suss prodiga-
lidades.
< Nao ha dia, no qual dia S. Exc. sao corte al-
guma coasinha as dspotas publicas. As diarias
p'sf>*i>ebres, que se psgavaru tea dinheiro,
agora fornaoe-se en generas, e estes nao sao
comprados a elho, aeno por arremataclo. A
agaro eata cidade para o outro lado da rio-,
que era feita por arfmiDUlraco vai ser posta
o arramatacJto, porque o seu cosWo rsndia
enae da daapexa, nt eom ella se fasta.
O mesm cafre geral vai recebando seas be-
neficios. O destacamento da guarda nacional
1ue compunha-se de 80 psacas foi reduzido a 30;
qas ecooemisou aaa daus sanias dotis men-
saea ao tbaaouto ; m iwe for despedido o
'i m para, tcar elle tateiramsBte
simado deste .aaa, qae nlo era to pequeo
para ama cidade qua parece nio ter alma, neo
ida. nem caraca o ; orna oteada, em qae se e-
gele, osa se vive; ande se desaprenda e airo
se aprenda.
Por fallaren destacamento m guardaaaclo-
al,nao tai parque arlas da berltOuea, trde bes-
loques, tornau-ae aUimaosaate este servica asea
sipsculacia pire a wpaziada aaui,ausndaoaono
sisado par cato Bremo lempo tn ella eonaide-
; agora era ella um .--------
meiu da ida suave, a brando, qua pracartve ato
com empeoho. E' para qua cada dia nos con-
firmeaaaa mala aa ai, de qua aaapiaoea aea h-
meos ae mudaos eam o mudar dea lampee.
< Oa gene rea aliasen tirtoa Baste capital,* peta
seu receaeava. j lo rabiado de proco, sem aa)
anlrataaie a falta de moeda tenhe sida proencJaV
da pete aeperebaadancis delta ; e que prava,
ramo ce saciare sustentes, qua aaixa dos pro-
cos nao era excleeivamearte devida retirada de
papelorio dos beneee.
Para que V. fama urna Idea da qua ser o
eemraercia nesta Ierra, basta dizar-lhe, que
no porto desta capital nio existe um 6 na-
vio, nem mesmo o asaia paquanq aiataam
carga, ov descarga ; fsttam-nos squt s coasas
ss mais triviaes; se isto nio retroceder, est
visto, que brevemente mandaremos a esle Reci-
te comprar um folha de papel, urna peona, um
lapis, e um vinlem de Unta. A lavoura acompa-
nha par pasu este regresso. O mesmo Cear-me-
rim j nio tem o mo*iroaalo e e animacaode
oulr'ora ; andei por aquelle alie ha pouco lem-
po, e pareceu-me ve uro esboco do reappareci-
mento da torra depots de diluvio universal : rui-
nas, leparoe e nova* planlaeoes fot ludo, o aua
all viram maus olhos O Sr. Leo Velloso tem
rtcommeodado a planlacio do trigo, e algodo;
mas creio que perderi o aeu lempa, porque nao
ha idea nem urna nova, qua posss malar nesta
provincia o fanatismo de plantar canna de assu-
car : o trigo oio foi aqu experimentado, ae d.
ou nao: ev algodo j est quasi encostado em
razo da ferrugem, ou croata que Ihe d oa ma-
caa, e da maracaua, que a derruba deaapieda-
daroenle. Tambem recommeoduu S. Exc. s
cmaras, que prohibissem ostugos nos campos,
e as derribadas de arvores dss margeos dos rio.
Todas estas ideas sao maito justas, muito eco-
nmicas, muito administrativas, muito pru*eilo-
sas ; maa ten lo de lutar com a rolina, ho de
alada por muito lempo ceder ao imperio della.
As cmaras sao compostas dos pPjprios crea-
dores mais persuadidos, que queimar o paslu
um grande beaeficio para a vegetaco do aneo se*
guile: como esperar, que elles eslabellec.Bm
regras, que vio de encontr is suas conviccoes,
e que pensara, que ferem os aeus interesses 1
O governo com ludo faz o aeu dever; o nu-
lo elle louvtvel, por que moslrs, que cuida do
bem dos poros entregues a js seus cuidados.
Seguio para a corncea da Maioridade um
destacamento de trila pragas com O destino de
prender criminosos, que por ali vivera homisia-
dos. Com etleito: parece iocrirel, que
existam valentoes enmurados as grutas, e bra-
ndas dis serrss 'aquella comarca 1
Nao de hoje, nem de hontem que o go-
verno corta aoabeca daquella bydra, e ella sem-
pre reoascei 1 Quem causar por um? Os cri-
minosos ; por que com o goverao nem um indi-
viduo, ou nenhuos individuos podem ; estes re-
presentan! somente as suis proprias torcas, e a
deltas dispe ; aquelle reptesaola ss torcas de to-
da commuoidade, e de lo Jas ellas am'planieuie
dispoe: o segrado est pois eos nio recaer, nem
cancar : Panellas, Palmares, e oulros cautos se-
methanles ah esli para altestarem, que c go-
verno final de coolaa quem gaoha a ticto-
rii ; ello faz como a agua, que fura a pedra
non vi, ted cape cademio.
Seguuiu oeste apor 14 sentenciado, que
o cumprir suas sentencas na liba da Fernando.
Esta medida de urna ullidade transcenden-
te, e a muito lempo reclamada pela cheatara d
polica. O callabougo da cadeia desla casital
insolutamente improprio para cumprmealo de
seoteucas impostas criminosos Estes desen-
gaados de recursos s cuidavam de o arremba-
rem para fugirem. O cofra praviocial exausio
carregava com a sustento, e tralamenlo de toda
essa ente. A medida pois alivia o cofre deste
onus ; liara o callbouce de estar sempre i ser
arrumbado ; e di conveniente destino i presas
sentenciados i gales, e prizo cojo irabalho.
Cosamos de intuir saz, a ttaaquilidade ; e
a monotona, de qua Ihe fallei no principio nao
perturbada nem pela variante da prxima elei-
cao ; anda isto em urna especie de misterio ma-
snico, que aeohum profano auJa naude pe-
netrar.
-*'
a Estava-lhe eicrevendo hontem, quando eo-
radocomo urna perseguico lneotad* para mar-
tiryaar os otsntes. que alo otaeaa aa elsape Toacto, aaa baaa atolsiVeiVioterrupcdes tses.
de fulanno, mas sim na de stcraoee>s sesea la> He- miaja dia sqffreu grande prejuizo o pro-
po das eleves era umra.r.yrlo, unto ff^aasa #!**+*****> fito\ui flcousero ba-
WiseeirB, per baver pegado fogo o
f daTcasa propra do baga'co, o qual
outres compartimentos. Por ors oio
muMa- aacaatonlas as lta>as*tlto qua me
; teas se alguoto catato mais cha-
tf. ceahecimeoto refart-la-hei mais
abafea.
BaRveram hospedados na psaaaii 4o gever-
ao oa Bxva Srs. Dr. a mbrosto Lettto da Coaha,
eooege Saqeaira, Dr. Simplicia Featea e Jalo
Augusto Corree, passageiros do Paread.
Atagoas.-Nada de importante eccorreu, afea
spasssgemdo Paran.
passen
eio
aran
PEKNAMBUCO.
Irou o LjHarass, com moio, que lie nao pra-
ticatse, o que algumas ezaa son tazar, isto ,
chfgar, fazer meia olla i direita, e seguir paja
a Parabyba, frichei iinmadialameute a carta, e
mandei-i para o correio.
< Como pocen ticasse elle pasa partir hoje,
aproveiio estas momealoa para rpidamente qi-
zer-lhe um restinho, quo ma havia ficad no
tiuteiro-
O Dous de deiembro numera 50 da 27 do
passado dou luz o primeiro artigo da relaca
da viagem da Exm. Sr. Dr.. Leo Velloso ao cen-
tro da proviocia.
Esle escripia reijigido em um astillo vigoro-
so, e castigado, poreut mui delicadamente enfei-
tado com as flores do toalleta da buclica, abraca
urna decada, se posso usar desla matbapbors
de 2i horas de jornada martima, e urna exten-
go de 40 ieguee da costa, qae tantas se contam
da barra desu cidade da villa de Macu na (os
do no do Ass.
O autor, qae aiuda nao. pu te lobrhgar, quera
ella soja, per guardar rigoroso incgnito, proa-
.segu ero sua obra com aiuelle desembarazo,
que iuspira a canasieocia, que tea -t da mar-
char em urna estrada, que lrw nao deaconhoci-
da, por ja hav-U IrUhado com talento, a habili-
dad e ; eu talos os sea paseo percebe-se a fie-
mesa, coa que piza no terreno, que percorre.
Na diseripeo topographica desta cidade; a
dos lugares por onde passoo, assim romo na pin-
tura dos objectos, que visitou, e examino, ser*
e-se elle de core tao animadas, e apropriadas,
queeatrae em- toda pureza de sua origioalidade
contemplado de seu leiiorea, e ah oadaiaa fl-
car estampados, como oolras tantas imagen i-
as, que dominaos ee seus sentidos.
vesle quadro. em que a historia, e a analise
entrara, como primeiro lamento de sua camoo-
sicao, achara- se colicuados, como eu un epo-
sicao. universal, outaos muitos eoohecimeotos
de urna erudice variad*, corroborada pelas
liccoes da experiencia pratiea nao se eocontrs
nelie urna idea, que nao esteja deseanlida, om
pensament, que nao seja Plenamente justifl-
cado. '
0 autor parece, que pesou na batanes do
raciocioio um por urna de suas prapoaicoes, e
como o joalheiro hbil inertutou, sem errar cada
urna de suas jotas na respectiva caica.
i Mas esta anda a dedo do gigante, que ha
.de ir; eu e o espero para medi-lo em todas as
suasdimeosoes, fazer-loa a autopsia, eremetter
Vmc o resultado do minhas invesligages.
Foi preto na eomaroa da Maioridade Jos
de norte, peono, e
se schava homi-
Perreira Callado, criminoso
ferimenlos graves, qua eli
fiada.
a No lugar denominado-Simo Antoniofoi
encontrada tentando eoforcar-se eu um cajueiro
a infelu Luua dela,.qa pata aegnnda vez pre-
teodeu praticaa eata acto de verdadeira looco-
ra. Cenduzida i presenta da aotoridado aio
quiz declarar e motivo de lid* desesperad re-
solucSo.
O vapor inata pela malla ; oio posso dizer
mais neaa urna peinara. '
PeroAyia.Ainds a carta do correepondeeto
dispensa-nos de dizer alguma cous:
a Temos andado a er jurar testemanhsa com
os vaporea da compaohia brasileira, que oes tem
pregado hypotheses de toda especie.
Aqui passou o Paran ana esperou ao Ca-
bedella palo pratiee de Cruzeiro, partador desta,
3 das, sem reclamaco alguma e s por que
Felippe nio chegou ; entretanto que se fuese por
ordem do governo era gritara de eommaadaote
da comaaohiae depois mais dinheiro.
REVISTA DIARIA.
rremos nos urna historia propriameole noa,
propramente pernambucen ?
Temo la, aeudu'Ue. O que falla, porra. eu
grande parla, fze la eoobecar eu aaaa tontea
prlmilias. desenca*a-la, por assim dizer. dos
depsitos da reuobssiua data au que ella ae acha
encerrada ; examia-la, anaiysa-ta am sua desen-
oiucoea a phsses diversas ; e Iraz-la, com 0 au-
xilio da iodagaco philovophica e da cultura pra-
tiea, ioteira luz da publicidad*. Coaaervau-a'*
escripta os poucos livros bons que possuimos de
historia pitra: tve sota* estampada am tactos,
ruja uaioria, em substancia, nem pleaamio-
U apreciada, nem vacdadeiranenla eomprehen-
dida.
Nesses livros, ssnsrracoeate perdem, por noi-
te geraes :o especialirsimo de cada uccesso, de
cada facto|notavel, eu se quer corlse, esse des-
appirece no complexo dasdescripcoes, sen dei-
xar er os caractere, asfeiedea particulares qae
oa disUnguezn, aea qu iodos ae ie aofeixar
n'um principio dominador e capital.
As antiguidades da nossa hiatoria, que tantean-
tendero con a propra ida aocial e poltica da
nossa provincia, o anda com oa ensaios de um
existir remoto e primitivo, io quasi dessperca-
bidas, a" falta de culto, de exame, de pesqaizas, e
atdiremos memooe iradi^es e monumen-
tos. As tradices aaa deixam de existir, certa ;
mas sao, porveniura, como leltra morta, apare-
cen nuliincar-ae per si mesross, ltenlo o pouco
oa antes aenhen desejo e incentivo que ha eu
mante-las e deixa-las coas vida.
Em la I caso, for bem til, edeaumma conve-
niencia, a cresco, nesta capital, de una sociedade
especial e nicamente destinada a promover o ea-
ls ludo das aullgaidadea, ua parte qua reapetla i
historia da nossa praviacia, propramente dita.
Essa sociedade, aue assumiris com raio o titulo
de sociedade dot antiquarios de Pernambuco,
poderia a devana meeue ter per fin investigar
cora criterij e rvflexio aasnuitas fontes da nossa
particuiarissima historia; explorar esaaa variaa
minas deeradicio ede noticias qae jazem, quasi
em dissolucao, no funde dos carinos, dos archi-
vos, dae biblietheces, e quem s-be fnos escon-
drijas de alguma corporaco aotiga, de algumas
Ii vrarias silenciosas, pelo descuido e incuria egos-
tica dos respectivos dono.
Se a idea boa, que ae meaos a nio despiezeos
aquellas que poden fsier alguma cousa em seu
beneficio ; porque, em ultimo resultada, esse ser-
vica redundar am proveila publico, am gloria da
proviocia.
Da tradueco da idea em faeto nascer, mais
cedo eu mais tarde, a ios pira cao para maiores es-
torcos de historiadores oaciooaes; nascer sioda
o estimulo, o saudavei iuceutivo, para a cultivo
profundado da um rama do sciencis, qae entre
nos ai paseando oegligenciado ou esqaecido:
pro vira at o pensa ment elevado da saudar com
muie reapeiao, a da eommemorar em pblicos
monumentos, nio s os grandos tactos, occorri-
das nesta nossa trra, seno tambem os dignos
autores desses mesmos tactos.
Lancemos a idea ao mundo das opinioes, e oo
aeie da patria : desejamaa qua a tacan germinar
e fructificar os horneas de seaso e de ver Ja Jeiro
patriotismo; porque oosso intimo crer e sentir
quo a poca, em qua vamos cor rendo, nio tanto
par* os triumphos repetid oe da materia e da in-
dustria, aoma para a dicaco do espirito ede
f. B a historia para cada poo, em que se ella
revela e que perteac, urna especie de religio
e de culto publico.
Foi arorageO plo governo imperial o pra-
zo para a Cbncluso da obras da 2* seccao da via
frrea desla provincia, sob as clausulas exaradas
no acto olllcial, qua acba-se no expediente da
presidencia. w
No dia i do corrate enlrou no gozo Ida li-
cenca de tfi dias, que Ihe fui cunee nda, o Sr. Dr.
juiz de direito d comarca de Narareth, Abilio
Jos Tavares da Silva.
No vapor Cruitiro do Sul, que hontem
aportou a esta cidade procedente do norte, eio
o Sr Dr. Joa Rodrigues Ches, secretario io
governo deota provincia.
Felicitamos a S. S. por sea regresso esta ci-
dade, depois de hftv-e-r desempeohado em sua pro-
vincia natal o mandato legislativo com que o hon-
raran oe sen* comprovincianos.
Nos informara qua o Sr. Francisco Libanio
Colas trahalha aa composicio' musical d um Te-
eum, para afeslividede que pretenden os por
tuguezes residentes nesta cidade celebrar en
conimemorcao do faci poltico ou regeneraco
nacional dada no-dta | dedexembrode 1610.
As habilitaceee profisMoaaeado Sr. Colas ga-
ranten um felie xito na composicao en que 1ra-
balha por mera espontaneidad o, e con o fin de
soieannisar uro acto de patriotismo, que nao pode
deixar de crear sympathiae nos ooraedes Kvres.
O facto que nos communicado nesta carta,
obTga-oes- a publica-la como urna provoeacao
pac' o apparecimento de urea providencia, que
faca desapparecer um espectculo to afflictiro
para a humaaidade, quaato improprio de nossa
civilisaeo
c Sr. redactor da Revista. Oiaria.
Cinco Ponas, 8 de outubro de 1861.
Leve ao con he cimento de Vmc am de ver
se ha alguma providencia a respeito, a existencia
de un pobre mulher, que ha 3 annos habtta na
porU-deoro annaxera da estagao das Cinco Pon-
tas, e que pelo sea estado de velhtee nem se pode
rois levantar; de modo que tftia morrido a fo-
ro se os empregados da establo, por caridade,
nao Ihe dessem um pie I Hontem quasi que mar-
re esmagada per um grande votume de ferro, que
se descarregars na porta do dito armstem, onde
ella vive deilsda, e o qual de grande transito,
pois nelle que se carrega e descarrega ludo
quanto conduzido pela va frrea.
Eu como empregado desta estacio*, j man-
dei-a por dos vezes para o hospital de caridade,
psgaodo sminha cuate s sua conducto em ama
carroca, porque ella nao poda andar. Da primei-
ra ves demorou-e 8 dias, tendo-a o hospital
aceitado ; porra no fim delles, aqui reappare-
cea_; e de segunda ve em que a mandei, sop-
ponho que nao a quizerem receber, porque ella
no dia seguinte aqai eslava de novo. Disto j te-
nho participado ao subdelegado da freguezia,
para ver se d*qui a tira, mas aada ae tero frito ;
e come estou vendo- o da en que ella marre,
por esta razo recommendo a Vmv., pois una
candado que rae a esta infeliz criatura.
Os ajtrangeiros empregados oesla eompaahia
muito se admirara de er neste paiz como nar-
ren os pobres pelas cateadas, a semelesnc* de
um cao. Nlo be muitos dias qae um iDglez atsiu
ce expreasou.
Sr.- redactor da Revists Diaria, o que se
tem feito do dinheiro recebido pars a caaa que
ee la preparar para os mendigos? Eu fai un dos
que deram 208, porm o fim deste dinheiro nio
sei.
Sou com respeito e estima de Vmc. affeetuoso
errado.O constante lelior da Revista.
Hoja pelas 8 horas da machia eu ponto
deer eomecar a extraccla da 8* parte da 4" e
R* lotera do Gyroaasio Periambucaoo.
e um bsile, promoreado para esse fim ama subs-
cripto entre os portugueses squi residentes-;
mss que desejavaro, que fosas eu o primeiro a
subscrever, De boa menta a isso ate ofesiti,
pergunlando-lhes ie tqaeriam qae subscrevesse
com OOJOOO responderau-me, que eran suffi-
cientes 5OJO00, porque ii tinham muita gente, e
vfieetivamente Ihes saaacrevi onda peucas de
rolsc.oes, que ue aptalata.
a Disseram-me, qae daaatovam Bate, que ea
Bsaasa parte da coumtsslo, se que racaonet, qae
nem devia, nem poeto, e que da nlaha partead
podiam conlar con) a minha sabsertacio.
a Represenlaran-ue eolia qae a neu anua
Ihes ara necessario, a que, enoora aada prouc-
vene, Ihe presiscca para coraaissia ialerna
queia nomear a defBoitiva.
e Para que ole pedseacn soppor, que eu pre-
tenda embaraga-lo. alada a isto ue preslei,
mas coa (aiitlri deetaracio. de qae nao quera
apparecer, e neu comigo para nada eentassem.
En o que eomigo al hoje se lem psssado.
Se o publico me faz alguna juatica, esto
cerlo, de que me nio julgari lio falto de decen-
cia, e at de denso com mura, qae Dio 6 nio
repellisse, mss concorresse e solicitssse om fes-
tejo, qoa ne era dedicado: bem cono aquellos
sensores tari a justica de os nio soppor capares
de me vir insultar a minha casa.
a Espero do Sr. redactor o especial obsequio
da inserir ns eoitlo di maohSa estss Urinas,
palo qae Iba aera sanmamente agradecido, o
que de Y. S. ltenlo venerador e criado.
Recite, W de outubro de 1861.
J. Henriques Ferrtira.
No dia 9 do corrate mes foram recolhidos
a casa de detencio 4 horneo, sendo 2 livres e 2
eacrsvos. s saber: a orden do subdelegido da
Santo Antonio 2, inclusive o crioulo menor de
noue Joo, esersvo de alaria de tal; a erden
do da Boa-Vista 1, que o crioulo Joaqun, es-
cravo de Patricio Jos da Siha; a orden do dos
Afogados 1.
Passageiros do vapor Iguarass, iodo doa
portos do norte: Lucio Antonio da Fonsecs, Jo-
s Q. de Ges, Dr. Joo Rodrigues Chavea, Tu-
riaoo Cabito de Araujo Juc, Pedro Aotooio da
Silva, Jos Leio Mello A., Dr. Joaquim Tbeodo-
rico Cisneiro, Leopoldo Lebre e 4 esclavos, F.
Pereira Freires, Juliio Carlos Wsnderley, Ale-
xandrina alaria da Cooceicio, Mara Nobre do
Nascimenlo, Joaquina llaris da Coneeifao, Anto-
nio Marques da Silva, Dr. Irioo Brasihauo de
Carvalho Silva a um criado, Joaqun Rodrigues
Faf reir, Gregorio Paes do Ansral eun escraro,
Thomaz de Aqui no de Carvalho e um criado, Jos-
quira Jos Correa de Magalhaes, Joaquim Jos
de Lemos Fesreira, Vicente Gurgel do Amara!,
Anua Candida de SiLeitaa, um lilho menor e4
eaeraves. Joaona Joaquina da Paixao, 2 aobri-
nbos, 1 filho e 1 criada, Severino llanoel Duarle
e 2 esclavos a entregar.
Paeaageiroa do biate brasileiro Sergipano,
indo de Fernando de Noiooha: Dr. Fraucisco
Jaciotho da Silva Coloa, alteres Braz |Avelino
Freir, 2 cadete Miguel Joaquim Machado, 21
praca, 8 preses e 1 mulher, capitao Joaquim G.
da Silra. Carlos Augusto de Barros Lima, Aoto-
oio Aires de Araujo e 4 mulheres.
Prfssageiros do apor Cruteiro do Sul, in-
do do Pari e portos intermedios: Sereriano F.
Ramos Ferreira, Alix F, e sus mulher, Santiago
Marieta, Leonardo P. da Cunha Carneiro. Joo
Aires Luna, JuYencio Miguel da Costs, Morelle
Gescomo, Frelerico Noppel, Benedictj Raymun-
do da Silva, desertor Aotonio Jos Moreira, Su-
bastio Jos 6 Silva, Raymundo Marcelina Nu-
nes, Belfort, Flix Parcom, Jos da Pooseea
Barbosa, Antonio dos Santos Neves, Jos Luiz de
Sonz, Manoel Jos Soares Guimares, Mariana
Amalia de Jess, Dr. Antonio Ferreira de Fi-
guetra Sabis, saa mai, 4 irmaos e 2 eseraros,
Fraoklin Aleluia Malveirs, Domingos Henrique
de Oliveira, Dr. Alvaro Nstor de Albuquerque
Mello, 31 sentenciados, 4 mulheres, 6 ttlhos, 1
desertor do 9a batalho de linha e 16 pracas de
polica que o escollara, Augusto Muniz, Dr. Fran-
cisco Clemente de Vaaconeellos Chaves e Manoel
Jos de Feries.
Mataoouho plblico.
No dia 7 mataram-se pars o consumo desta
cidade, lol rezes.
No da 891 ditas.
No dia 9100 ditas..
No dia 10-53 ditas.
M0RTL1DADE DO DIA 10.
Placido, Pernambuco, 4 mezas, Recite ; convul-
soes.
Feliciana Maris da Nascineolo, Pernambuco, 50
anuos, solteira, S. Jos l cerebrite.
Leopoldo, Pernambuco, 7 mezes, Boa-Visla;
coovulces.
Joaquin, l'eraarobuco, a anoos, Boa-Vista; con-
vulces.
Jos, Pernambuco, 18 mezes. Recite ; ttano.
Feliciana Hara do Nascimenlo, Pernambuco, 50
anuas, S Jas ; cerebrilc
Mara do Reg Berros, 20 annos, solteira, Boa-
Vist i enterite.
aionario do commendador Joo Pereira da Aa-
drade.
Aa Sr. desolabargader Silva Guiarles.
Nada ha vendo a tratar, o Sr. presidente encer-
r a sesteo.
a Desta vez hoavee^aae*. a. nattai* pm T O r7eul p^ae. SZZi
provincia, que ai leatoueate iveaee a sua vida
apathics. Tuda por aqui sempre o mesno
aeu alieraeo, salvo ma au acore Jacto centra
seguran? iadividual, ais mt nenes considera-
do ; oeste ato eit a toatalira a norte den
feitor do engenho Prueira, praprtodada dw Ve
Francisco Aires de Soue Carvalho, o qual favo
lugar ao dia 7 da "
c Ao chegar a noticia a esto capital eade se da raasnlaaia
schava com a familia a Bf.P Carvatha, aea dig-
no paieknae dingiran-se IcsaaediatoneDtoao
engenho a ajudaaoapeto paihsta de lagar troan-
raro para essa capital toda a fabrica eetaiio de
prisio, sendo qae cotia oa sacra vos fot acootra-
o eesasatoe de feilor.
e Desinislllgenaias proprias a taca gentes sa
logw a aorta do saitor ano* cocoanoaes a ete-
6fda6*
o se-
gainte
c Srt. redactortt.Tendo isto as Revistas
Harina do sea aereditado jemal de 7 e 9 do eor-
raoto ana aottcia sobre a soFemolsacao do 1 de de-
cenbvo-, qae preleodem faxer de pe1aaezes resi-
deelea en Pernambuco, notleta qae, affastando-se
da verdade, pode fazer passe r persa te o pblico
por ioeoovceiea* rncoueideradoa es membros
alseie, e a misma aescR* por sobejaroen-
tetotoa yaidoaa: jalgo da meo dem recliear
o que comigo se paseo, per* qu o pablieo a
tedoc Mee a devMa jusrtca.
a Trae ceelvorea, a **M ti teobe a boars
de eoabocar un, ue pretorraro ao sitio aua
toad* ato cataunisar a da dezombro (aaarver- Appellanle, D. Marianna Doroth Joaquina :
rio da reslauracio de 1640) com a ^^^Up^lto, m^ Ferairt Mcplaia." So eV
CHRONICAV JUUIlURIii.
THIBUNUL DO COllIrERCIO.
SESSO ADMINISTRATIVA EM 10 DE OUTU-
BRO DE 1861.
rRESIDBNClA DO EXM. SR. DE9BMBARGAD0B
r. a. db souza.
As 10 horas da manh, reunidos os Srs. depu-
lados Reg, Basto, Lemos eSilveira, o Sr. presi-
dente declarou aberta a sesso.
Foram lelas e approvadas as actas das duas an-
tecedentes.
DESPACHOS.
Uu requetimento de Jos Rodrigues da Silva
Valle, consenhor do palhabote aPiedade,pedin-
do que se tacara no registro competente as ne-
cessariaa snnolacoee, de ser elle o nico propre-
tario de dito palhabote, como proa. Facam as
aonotacoes como requer.
Outro de Barlhoiomeu Lourenco, pedindo tam-
bem que so facam no registro do histecArtista
as competentes aonotacoes, isto ser elle hoje o
uoico proprieterio do dito hiato.O mesmo des-
pacho.
Outro de Manoel Antonio Marques e Boaren-
tura da Silva Vinhas, pedindo certa de registro
para o aeu brigue AJelaide Satisfagan) o pa-
recer fiscal.
Outro da D. Anna Mara Pinheiro da Fraocs,
pedindo o registro da escriptura de aulorisa;o
que para commerciar Ihe deu seu marido Joa-
quim Lucio Honteiro da Franca.Declare a sua
nactenalhtade ea de seu marido.
Sendo conclusos os autos de rehabilitaco de
Manoel Ferreira dos Santos Caminha, Alexandre
Ferreira Caminha e Vieente Ferreira dos Santos
Caminha.O tribunal mandou ajunlar procura-
cao.
Outro de Joo Jos de Gouveia, juntando a
escusa de James "Grablree 4 Companhia, credores
nomeadoa para veriflearem o bataneo desee ca-
sa.Nomeiam os credores J. Keller & Compa-
nfais para substituirem os que se escuseram, e
re mella-se ao joizo especial do eommercio.
Outro de Brito, Queirer, Reg & Companhia,
pedindo o registre de mu contrato de sociedade
eommertial. Haja visto ae 3r. desembargador
fiscal. *
Nada mais houve.
SESSAO JODICJARIA Eli W DE OUTUBRO
DE 1MI.
PHISIDBHCU DO BXI. SR. BBSEaBARGADOR
80 liza.
Secretario, Julio Guimares.
Ao meio dia, o Exm. Sr. presidente abri a
sesso, aebando-se presentes os Srs desembar-
gador Villares e Suva Guimares, a os Srs. depu-
tados Reg, Lemos, Bastos e Silveira.
Lid, foi approvada a acta da sesso antece-
dente.
wAppellanles, os herdeiros de Jos Mara da
Costa Garvaiho e o,Dr. earador geral; sppellado,
Jos Nunes de Oliveira.
Designado o dio de hoje
Sorteados os Srs. deputados Lemos e Beslos
Relator o Sr. desembargador Silva Guimares.
Coofirmoa-se a se atenea appeltada.
PAOtAOMIS.
Appellanle, Domingos Alves Malheus ; appel-
lado, Antoaio Lalt de Oiicira Atorado.
Peadeaie par embargos
' D Sr. deaembargador THlares- so Sr. desem-
bargsdor Silva Guimares (por embargos}.
Recorrente, Frncrseo Alvo de Andrede CoaU
& Cemaenhfa outros f recafrWo, Dr. Joto f*e-
poasacWo Machado.
Do Sr. desembargador VfHars to Sr. desem-
bargador Sila_Gaimarie.
WTluaei5M.
JURY DO RCIFEK.
4.a SESSO.- DIA 10 D6 OUTUBRO DE fJJM.
Presidencia do 3r. Dr. Baar Matkao ato
Cotia Dorim, juix de dinm ato 1 aera) r*-
aaatol.
Freuoior paMieo, o Sr. Dr. Francisco Ltopetfite
da Gusnaa Uto. ^
Eacrtvio, a Sr. Joaquim Francisco de Paula Eato-
es Cleuraie.
Aberta a Marta pela teqaa da caepetaba la
10 horas da nanha, variOeau-se estocan aa or-
na 48 cdulas, uandou o Sr. juis de direito pro-
ceder s crismada dos jurados, e ae&aiam-ae pre-
sentes os Srs. seguinles:
Beato Josquim de Miranda Henriques.
A merico Ovidio dos Santos.
Candido Autran da Malta Albuqaerqae.
Justino Martins Correa de Mello.
Joaquim Pereira de Mandones Jnior.
Manoel Joaquim da Silra Brasileira.
Olynpio Doroellss C'mara.
Antonio Jos Rodrigues de Psula.
Antonio Jos Leal Res.
Basilio Alvares de Mirada Vsrejie.
Manuel de Jess Jordio Cordeiro.
Joaquim Hlelo Mara.
Manoel Osmunlo da Cmara Pinentel.
Dr. Antonio Joaqun Arrea do Naceimeale.
Innocencio Antuoes de Faras Tartas.
Antonio Soares da Cuoha Nobre.
Jos Pedro Velloso da Silveka Jantor.
Ernesto Brederodes.
Jos Mara Geraldes.
Abdias B-biaoo da Cuaba Sallas.
Miguel Lucio de Albuquerqae Mello;
Francisco Epifanio de Souza.
Francisco Antonio de Almeida.
Jos GoncaWes da Silra Bastee.
Jos Alfredo de Carvalho.
Angelo Custodio Rodrigues Franca.
Antonio Cordeiro da Cuoha.
Joa Joaqun Se*e.
Antonio Rodrigues Pinheiro.
Francisco de Salles Andrade Lana.
Jos Luiz Innocencio Poggi.
Francisco Rodrigues Pinheiro.
Francisco da Rocha Pasto Lias.
Joo Joaqun de Siqueira Varejiev
Francolino Xavier da Poosece.
Jos Themas de Freitaa.
Jos Antonio Osar de Lina.
Gemioiano Joaquin da Miranda.
Joo Chrysusloao Victoriano Betelho-.
Jos Theodoro da Cooceicio Vlelra de Melle.
Bernardina da Oliveira Coragen.
Jos Pereira Viaooa.
Joo Vicente de Torree Bandeirs.
Joaqun Pedro da Costa Moreira.
Foram nultadoa em maia 20 cada aua dea Srs.
multados dss sessoea anteriores, qae aioapreeea-
taram escusas, e tnmbem en KfOOO ce Sra. se-
guinles :
Jacintho Antonio ds Silvs Peasoa.
Dr. Juaquim Jos de Campea.
Alexandre Ferreira da Silva.
Francisco Joa da Silva Araujo.
Jos Francisco dos Saoloc.
Euzebio Jos Antones.
Antonio Mximo Muniz Sobreira.
Ernesto Corolaoo da Costa.
Foram relevados das maltas anterioras oa Sra.
que comparecern hoje.
Constituidu o uibunal, comparece* a Sr. Dr.
Francisco de Araujo Barros, juiz uaaaetoel da
2* ara, e apreseolou 15 procesaos campa**la-
mente prepar.dos, oa quaea ai* os sfaseles :
Autor a justica.Reo preao Manoel do Saa-
tos Bello. Pronunciado cano i ocurso aa art.
201 do cod. criminal.
Autor a justica. Reos preses Antonia vietec
de S Brrelo e Maneel Pereira Garca. Pie-
nunciados como incursos oo art. 193 do cod. cri-
minal.
Autor a justica. Reo preso Damiio Pachaca
Goncal ves.Pronunciado no att. 201 do cod. cri-
minal.
Autor a justics. Reo preso Jos Brax da Ca-
nna.Pronunciado no art. 201 do cod. criminal.
Aulor a justica.Reo preso Francisco, eec
o de Miguel Tolentioo Pires Falcio. Proas
ciado no ait. 193 do coi. criminal.
Autor a juslica. Reo preso Maaoel Vicenta
Ferreira.Pronuncia Jo no art. 905 do cad. cri-
minal.
Autor a justica. Reo preso Beato Rodrigue
da blra.Pronunciado no art. 901 do cod. cri-
minal.
Aulor a justica. Reo preso o africano livre
Joao da Costa.Pronunciado no art. 201 do cod.
criminal.
Autor a justics. Rea preso Ignacio Goavee
Motelra. Pronunciado oo art. 193 do cod. eri-
mioal.
Autor Jos Moreira da Silva.Baos presea Ma-
noel Marcelino Paes Brrelo a Francisco Esleves
Paes Brrelo.Pronunciado* aa art. 964 4* do
cod. criminal.
Aulor a justica. Reo preso Chrisliaoo Fran-
cisco Pereira.Pronunciado no art. 199 do cad.
criminal.
Autor a justica. Reos preao Joa Joao. ee-
ohecido por Garibaldi, Bernardina da Cacto Les-
te,. Antonio Joaquim Alvea Pereira a 1 aliado
Gomes Lima, conhecido por Aotonio Caubsde.
Pronunciados oo art. 269 do cad. criminal.
Autor a justica. R presa ftouaaa Mara da
Cunceijao. Pronunciada no art. 957 do cad cri-
minal.
Autor a justica.Reo preso Aotooio Piala Cer-
doso Gama. Pronunciado nos arta. 107 a 964
4* do cod. erimioal.
Autor a juatica.Ro preso Silvestre "noria
co Lourenco do Monte. Pronunciada aa art
264 J Io do cod. criminal.
Becebidoa os procesaos pela Sr. jais de i
lo, esto mandou que Ihe fossem conclosec
terminoa que por ums tabella designase aa i
dos julgamentos doa roa. sagaindo-se a
da anliguidade das priaoes.
Sendo a hora um pouco adiaatada, o Sr. jais
de direito leraotou a eeeeio, adiaada-e pera a
da seguinte paisa 10 hars da meabas.
4
'-
ThesourarL]
DEH0RSTB.AC0 DO SALDO EXUUfTU 14 CA1XA BO
patrimonio dos orfuos50 cuactua m IMf a
1861, EU 30 OE SETXMBRO DI 1861.
Saldo em 31 de agoaXo
prximo paseado. 14.930)396
Receila de 1 a 30 da
selembro... .... 9.-59UJ190
--------------- 171
Deipeza idem .
Saldo .... 17:0S7#Sa
DEX05STUAQ0 DO SALDO IXIflTUTK A CAIXA BO VA-
TR1MOXIO DOS OBCBUS KO ITKaflflO DB 18fl O
1862, ex 30 db SETBaaao db 1861.
Saldo eu 31 de agosto
prximo pasudo. 5:5651956
Receila de f a 30 da
seteubio..... 3l9f969
---------------5*786117
Despeza tdeu ........ 8796491
Salda. .
DEHONSTBACAO DO BALDO EXISTISTE HA
ESPECIAL DAS ArOLICBS EM 30 DB SBTBUBO
1861.
Saldo en 31 de agesto
prximo passado. 18 6006000
ReceiLa de 1 a 30 da
seleubro..... f
Dospeza idea :......
Saldo
DBMONSTtUCO DO SALDO EX13TEKTB KA
DO EXERCICIO DB 1860 A 1861, IM 30 DB
DB 1861.
Saldo* em Si de agesto
prximo passado. 5 646038
Receita de 1 a 30 do
' Betemaro. .... 39947469
Despeza idem .
37:711]
Saldo. .
74011
WHOISTRACAO DO SALDO BXtSTElvTK HA CABA M)
- kxncmo os 1861 a 1869 da 80 db sbteuiio
db 1861.
Saldo agoste
ptoxiao passado. .


un
-*:
, t
Receita de 1
Miembro.
Despeza idem
o di rsaunooo. sexta JttftA n di outubro i mi,
a 30 de
77:073890
S1U0
4Mft896
66 38l|06l
37:617)935
MOSSTRAg*0 BO SAIOO CU9niMTB H CUJEA M
DBrOflTOS UltMHIUlMM 1861.
Saldo ea 81 de agosto
prximo passado. 874:467|63
Receit de 1 a 30 4o
sotembio. .
Despeza idem.
45L96-250O
--------------317:430i35
.... 3.>:145000
Saldo.
282:S85135
Em mocdi corrale.
letras, .
2-0659385
8:7009000
277:5199750
282:2859135
'' ]
DMOUSTRAClo do SALDO EXISTENTE NA CA XA Bl
aMOHTISA^O DAS APOCICKS K PAGAMENTO DO RES'
FBCT1VO JUKO U 30 BE SETEMSRO DA 1861.
Saldo em 31 de agosto
prximo paseado 4:769#694
Receita de 1 a 30 de
... 1
----------- 4:
v
Saldo.. .
setembro.
Despeza idem.
BBH01STKACO,
A*ORIIZACO
HO JtSPECXITO
1861.
Saldo em 31 de agosto
prximo paseado. .
Receili de 1 a 30 de
setembro.....
DO SALDO EXISTENTE NA CAIXA DI
DA DIVIDA PCBUCA E PAGAMENTO
JUBOS EM 30 DE SETEMBRO pE
275*255
4829995
Despezi idem.
7589250
7589150
Saldo .
EMONSTRA5AO DO SALDO EXISTENTE NA CAIXA DO
CAlJAmNTO DAS RCAS DESTA CIDADE EM 30 DE
SETEMBRO DE 1861.
Baldo em 31 de gesto
prximo pssssdo. 2089970
Receita de 1 a 30 de
eetembro.....1:0003000
Despeza idem......
1:2009000
...... 1;0009000
Saldo. 2089970
Vianaa, pelo molo silencioso e delicado con e dgaos tratar-oes duraste toda flageas, csm-
Prt*JesalBiev noesee siaoeres corleaos agradecimeatee, e *-
peramps que estss expresados sejara acolhidaa
pelo distincto mirilimo como o Iraasumpto fiel
#o ooseos seatimeuioe.
Joio Rodrigues Chaves.
Dr. Irino Brsuliano de Carvalho e Silva.
Joaquina Theodoro C de Albuquerque.
Joaquira de Lemas Ferreirs & C.
Capitao Leopolet Lele.
Vicente Gurgel do Amarel.
Fructuoao Pereira Freir.
Severioo Msooel Duarte.
Gregorio Paes do Amara!.
Jos Leao de Helio Acuceos.
Aotooio Marques da silva.
Thomsz Aquioo de Carvalho.
Jos Querino de Goes.
Juliio Garlos Wanderlej.
Joaquira Rodrigues Ferreirs.
Pedro Antonio da Silva.
Anbal Possidonio de Almeids Fortuna.
COttMftvKCO
Noy Banco de Pernambuco.
O banco paga o 7- dividendo de ii$
por accSo, relativo ao semestre lindo
em 31 de agosto prximo pastado.
Altan des*.
teadimeato do dls 1 9 .
dem do dls 10.....,
201:7679696
310391368
232.8079061
nmeale da alfandega.
Ttemes eotradoscomfazendas..
> ion gneros.. 138
Volemos sabidos com fsxendas..
com gneros..
138
218
169
------387
DEEONSTRArAO DO SALDO EXISTENTE NA CAIXA ESPE-
CIAL DA DIVIDA PUBLICA EM 30 DE SETEMBRO
DE 1861.
Salde em 31 de agosto
prximo passado. .
Receita de 1 a 30 de
setembro......
7:750$000
t
Despeza dem.
7:7509000
9
Saldo.
7:7509000
O tbesoureiro,
Ihomaz Jos da Silva Gusmo.
O escrivao,
Antonio Maa de Faria Nevet.
Correspondencias.
Srs. Redactores. Anda urna vez, e ser a
ultima em que vollo as columnas do sea jornal.
Acabo boje de ler um sraozel assignado por
urn rbula chamado Jos Antonio da Silva e Mel-
lo, publicado no Constitucional de 13 de setem-
bro : nio respondo ponto por ponto s accusacoes
Oesss noo Roquelia Constancio ou Mu-
,ae* "" porque nao costumo chamar a adjeclivos
advertios, como tem (ello e praticado esse csls-
eernwo rbula ou sotes esse pedante.
Qusoto eos fados que allega esse honrado
rbula, peco-lhe que denuncie delles 4 relacio
do districto, que o uolco trouoal que me pode
tomar contas, e nao um quatorze........
* ..................; ,
Tomando o conselho do honrado rbula, pro-
mello que de hoje em diante nao lhe nire'i mais
nada pelos joroaes, e que Oca elle desde j auto-
risado a jogar insultos proprios da educacio que
recebeu: e, na verdade, entrar em discusses
om semelbante pedante como diz elle e diz
tnuito bem, manchar o meu pergaminho, que val
muito mais do que um qualorze.........
Nao dou explcacoes ultima palavra, porque
o xlluitrt e honrado rbula, bem me compreben-
de ; e esta a distancia que noa separa.
Fioalmento direi, como-dizia o noaso patricio
Mandes da Cunha a Aos detractores por odio
ou ignorancia estou to a eos turnado a desprez a
los, que ja sioto o proptio desprezo fatigado, d
Limoeiro 19 de setembro de 1861.
Marco Tulio dos Reis Lina.
Public agoes a pedido.
L-se na ultima Restaba Martima, inserta no
eeu jornal de 7 de corren te, ama verdade iocon-
testovel: que o Brasil actualmente urna na-
*o agrcola e martima e que sao estes os
ooes pontos esseoeiaes a que o seu goveroo deve
eaHsgir, e ompregar osen desvelo : mais tarde
pedia tambera ser industrial, mas por em qnanto
o desvio daquellesdous pootos s servir de re-
tardar o seu engrandecinreoto ; a immensa costa
este vasto imperio e a longitude das provincias
o poder! sor bem soprMa, quer em noticias
comrsecciaee, quer em disposices governativas e
polticas pelo vapor, e anda bem verosmil a
necessidsde que ha de acorocoar por todos os
meios poeeiveis as communicacoes certas e rapi-
das por meio de navios vapor, do que sobejns
pravas temos naeompanhia que nos ha servido
ha slguns annos ; mas estas compaobias por si
b nio se podem sustentar, e sem o auxilio do
goveroo, a pratica tem demonstrado que em
pura peda dos capitaes particulares, e desalent
que causara noaempreheodedores. era se creia
para maneteoco e ejuda deUesemprezas uma
verba improfleua, ou de pequeo alcance, por
quanto as trsnsacedes commereiaes se animam,
as providenciss a lempo se deliberara e execu-
tam, e tanto lucro se tira pela somma das trans-'
egee que avultam, cerno pelo estado de paz e
eocego que o paiz goza em consecuencia da ra-
pidez com que o goveroo po le deliberar, e acu-
dir a qualquer ponto do imperio. Disto temos
tido eobeisa provas qne a coropanhia tem dado
nos lempos calamitosos j passidos, e compro-
vara a bondade de sea instilie.ao e a proflcuidade
de seus servidos.
Cromo, pois, qee este ramo de servido conti-
auar ser altendido dos poder?s do estado, nio
so pelo bem que resultar ao commercio marili-
mo, como i agricultura, (onte perennal da nossa
riqueza, pelo benecio indirecto -que lhe resulta
da ra>idei das trSnsacgoei commereiaes, e atten-
did como tem sido pet governo a factura de
elradas, e meios mais facis de communicaco
interna, que o benecio directo que essencial-
menle e agricultura earece, ficari concebido um
plano geral em proveito das duas bases essenciaes
m que se spola a futura prosperidade deste im-
ferio.
Se, pois, es poderes do estado centtaaarem,
como de esperar, cuidar seriamente no des-
enolvimenlo e prosperidade destas duas fontes
ssencues do deseovel vi meato agrcola e marti-
mo, este torreo abenepado aUiagir em poucos
annos, a opulencia que lhe est reservada pela
t^rnrgloS: ^W.Pl*.1'era
' oe rotos que fas o seu, ote.

Desear rege m hoje 11 de outubro.
Barca americananlofarinha e bolachinha.
Lugre portugusJuliosal.
Brigue naooverijoolupttercarne de charque.
Bague americanoF. Curhingcarrio.
Escuna franeezaRojalferro bruto.
Importado.
Vapor nacional Pertxnunga, vlndo de Macet,
consignado a agencia, mamestou o seguiole :
50 saceos arroz. 80 latas oleo de mamona ; a
Jos Augusto de Araujo.
Scaixoes charuto; ; a Palmeirs A Bellrio.
2 ditos ditos; a Jos Baptista Ramos.
Vapor oacional Cruzeiro do Sul, procedente
dos porlos do norte, consignado a agencia, roa-
Rilestou o seguiote :
103 rolos de salsa ; a Azevedo & Mendes.
1 encapado ; a Schafter.
1 dito ; a H. Gibtoo.
1 dito; a Kalkmaoo & C
12 caixdes plantas ; ao Eira. Sr. presidente.
1 lata ; a Joaquira J js Ferreira da Rocha.
1 caixinha ; Joo Baptista Ramos.
1 pcete; e Jos S. Ferreira.
1 caixa e 1 roda de ferro ; a Alraeida Gomes.
Alvas&C.
1 escapado ; a Dr. Francisco M. de Carvalho.
1 caixa ; a Manoet 4a S'a Sarapaio.
1 canute ; a Jos Joaquim Fernandos Belford.
1 penetro ; a Jos Sergio Ferreira.
1 escapado ; a Hesrique de Fara.
1 caixote; a Maooel da Silva Sempaio.
1 caixinha; a Dr. Aprigio Juslioiano da Silva
Guimaraes.
1 sacco ; a Antonio Moura Rolim.
250 ditos arroz, 100 rolos salsa, 1 paneiro ta-
pioca, barricas ignoro, 1 caixote idem ; a or-
dena de diversos.
Palbabote nacional Duas Lusias, vindo do Rio
de Janeiro, consignado a Bastos & Lomos, ma-
nile.aiou o seguiote :
7,500 arrobas de carne seces, 40 coaros seceos
para cobertura ; a ordem.
Hiale nacional Santa Rita, violo de Maceo,
consignado a Martina & Icmaos, manifestou o se-
guinte :
200 ilqueires sal, 200 molhos palha de cera de
carnauba ; a ordem.
Vapor nacional Igaarassa, vindo dos portos
do norte, manifestou o seguiote :
4 lardos algodaoziahoe ; a Saunders Brolbera
C.
235 ssccas atgolo em ploma : a Johnston
ater & C.
1S dilaa dito dito, e 52 toaros silgados ; a Seve
ilhos & G.
25 saceos caf. 22 ditos gomms. 30 molhos
ouros curtidos, 2 garajiospeixe, 1 caixote quei-
; a ordem de diversos.
Exporta^ao
Do dia 8 de outubro.
Barca iogleza Carolina, para Liverpool, carre-
jaran) :
[ Sauoders Brothers & C, 219 saceos com 1,184
irrobas e 3/4 de algooo.
Polaca hespanhola india, para Barcelona, car-
egarem:
Aranaga Hijo & C, 1,691 couros salgados coro
49,310 libras.
Barca portuguesa Relmpago, para Lisboa,
Carregaram :
I Bailar & Oliveira, 1S couros salgados, com 300
libras.
dia 9
Brigue portuguez Relmpago, para Lisboa,
arregaram :
. Palmeira & Beltro, 6barriquiohas com 21 ar-
robas e 24 libras de assucar.
1 Joo Baptisla de Oliveira, 70 saccoa com 300
arrobas de gomma.
Brigue ingUz Barkhill, para Liverpool, carre-
girara :
James Ryder & C, 1,100 saceos com 5,500 ar-
ribas de assucar.
Recebe doria de rendas internas
geraes de Pernambuco.
Rindimentododial a 9 9:7569648
dem do dia 10......; 1:3399680
commandsote Migatel 0e M-
leiro tfmurau,
rauda Vianda.
in**5- Pe~an*i 4 Noronba-fc data hiato bra-
alleiro Ser/baso, de 5f toneladas, capillo
Hennquo Jos Vieira da Silva, eqaipagem'7,
e entres generas; I Martina &
A
earga mfltjo,
Mc|6 e portoj imtermedios48 horas vapor
Jra^dre Fsrassssos, cemmandaola Maooal
Rodrigan es Santos Moura. s
Art-7 dias hiate brasileiro Santa Rita, 55
tonelada*, capillo Antonio Joaquim Alvea,
eqiripagem 7. carga sal. palha eontros gene-
ras ; Marti os & rmeos.
Rio de JaneireH dias barca portuguesa Jor-
teseta, d 400 toneladas, capitao Jos Maooel
Homio. equipagem 15. carga 660 saceos eom
caite; a Amonm IrinSos. veio ver o estado do
mercado e segu para Lisboa.
r i ..N*9* tihiiotn memo dia.
tearibarca iogleza 5/o, capitao James An-
drewa, eargs fanaha de tro e lastro.
Ass psLhabote brasileiro Viamao. capitio Carlos
S. Merry; em lastro.
Bahabrigue escuna de guerra brasileiro Bolo,
commandaote 1 teoeate Feto.
Editaos.
o presente e
O Ulm. Sr. inspector da tbescuraria provin-
cial, em cumplimento da ordem de Exm. Sr.
presidente da provincia, de 4 de correle, man-
da fazer publico que no dia 9 4e Janeiro prximo
viudoiuo, peraate a justa da fazeode da mesma
tbesoursris, se ha de arrematar a quera por me-
nos Ozer a obra da cubera do edificio destinado
QBrwsSBa"'10 Pr0Tn. avahada em reis
a:557|tOO.
A srrematecio ser feita sa forma da lei sro-
vmciai o. 343 de..... maio de 1854, e seb as
clausulis especiaes abaixo copiadas.
As pessoasque se propezirem a esta afremata-
cao comparecen) na aala daa aesses da referida
Junta oe dia eipra msaeiosedo, pelo meio dia, e
competentemente habilitado.
E para constar se mandou afflxar
publicar pelo Cierto.
Secretaria da theeouraria provincial do Per-
"i*-*^**?- 7 do outubro de 1861.-0 aecretario,
A. b. a Aonunciajio.
Clausulas especiaes para arremalaco.
1. A obra cima na importancia de 28:57filO)
aera principiada no prazo de 15 dias depois da
arramataco e terminada no prazo de 6 mezes.
2.* O arrematante ser obligado a empregar
toda a madeira que existe no edificio e a eate
perleoceote, de conformidsde com o artigo 11
do ornamento.
3.* Atteoder as observares (eitas pelo eoge-
nheuo da obra, teodente sua boa execucao
desmanchando o que nao tem sido feite de eon-
lormidade com as prescripcoes eseguranea indi-
cadas no orcamento e planta, e bem aasim se
sojeitar aludo o mais disposlo na lei o, 286
respeito de arrematago.
4. O pegamento seri feite em tres prestacet
iguaes, correaposdenles a cada terco da obra
soilrendo, porm, em cada prestac.au o descont
competente quando se verifique as hypotheses
estabetecidas nos artigos 11, 12 e 14.
5. Nao aera atleodidaem lempo algum qual-
quer reclama?o por parte do arrematante, len-
dente a exigencia de indemoisacao, seja quat
for o motivn que para isso allegue.
Cooform. O secretario, A. F. d'Aoeoo-
ciagao.
--O Illm. Sr. inspector da theeouraria provin-
cial, em cumprimeolo da ordem do Exm. Sr.
presdeme da provincia de 3 do crreme manda
tazer publico, que no dia 24 deste mez, perante
a junta da mesma thesouraris, se ha de arrema-
tar a quem por meos Raer, a obra dos reparos
do empedrameoto da estrada da Victoria, no lu-
gar denominado.Voecorroavallada na impor-
tancia de 5:1758500 ri. 9
A arremalaco seta feita na forma da lei pro-
vincialo. 343 de 15 de maio de 1854, e aeb as
clausulas especiaes abaixo copiadas.
As pessoas qne se propozerem a esta arrema-
laco comparegam na aala das aesses da referi-
da junta, no dia cima declarado, pelo meio dia
a**lft"'!O0?r.*ri,,Ude.Pef,,'m,>u- 'tee'o P*ieo Maoeal Liria Virios.
*. em n fe setembro de !86t-Declarndo-me aaessmsersadw rjaei^w. j0.a s. au i
prsenle e
de Per-
- Declarando-me
nm. Sr. ministro da agricellura. commarefo
t" P,,D',C,, aviso, expedido! em 19 de
egeito oHimo, sob a. 18, que a expsito derla
rovtecia deve ler lugar no mez de no remoro, e
loemdezembro, como por engao se diz oes
inMruccoei, de qne remetti a cmara municipal
i a Reeit" nm iepl' impresso em
omeio de 4 do corrate, spresso-me a communi-
f*I m^*ma '" em additamento no meu ei-
V 0> que exP,co eer aberta neata
cwaae no dia 7 de sevembro prximo vindouro.
Antonio Mareeilieo Manes 6oo?*lves.
. y Ulm Sr. inspector da Ihesouraria pro-
vincial, em virtude da ordem do Exm. Sr. preai-
denle da provincia de 4 do correte mez, maoda
tazer publico, que no dia 24 deste mez, perante
a junta da mesma Ihesouraria se ha de arrema-
tar a quem por menos Bzer. a obra de 450 bracas
de empedramento. em diversos lugares da esira-
"g|JLJq 0,,, Tslia|lJ na imporlaocia de ris
A arremalaco eeri feita na forma da lei pro-
vincialo. 313 de 15 de maio de 1854, e sobas
clausulas especiaes abaixo copiadas.
A pessoas que sa propozerem a eata arrema-
lajao compareQam oa sala daa sessoes da referi-
da jant, no dia cima mencionado, pelo meio
da e competentemente habilitadaa.
E para constar ae mandou afflxar O
publicar pelo Diario.
Secretaria da ihesouraria provincial
nambuco 4 de outubro de 1861.
O secretario,
ol A. Ferreira d'AnnuncIaco.
Clemtulai tspeciats para a arrremaiago.
Asase bragas ou empedramento nos di-
versos pontos da estrada da Victoria, sero exe-
cuiados de conformidsde com o orcamento ep-
provado dla directora em conselho, e submet-
tldo a approaco do Exm. Sr. preaideote da
provincia oa importancia de 7:9869000.
** arrematante dar principio a obra no pre-
so de 15 das e a concluir no de qualro mezes
ambos contados segando o srt. 31 do regula-
meoto dasfjbras publicts.
3* A importancia da obra aera paga em tres
prestacSea iguaes. em vista do altestado do en-
genheiro, certificando ter feilo o arrematadle nm
terco da obra.
4* Nenhuzna reclamacao, que lenha por fim
pedir indemnisacj, aera atlendida, quaesquer
quer tejara as ailega;oea em que se funde.
5* Era ludo o maia, que nao vai especificado
nai presentes clausulas, aeguir-ae-ba o que dis-
poe a le provincial n. 286.
Conforme.O secretario,
A. F. d'nnunciago.
A cmara municipal do Recie manda pu-
blicar para conhecimento de aeus municipes os
artigos de posturas abaixo transcriptos, que fo -
raoi approvados provisoriamente pelo Exm. pre-
sidente da prorincia.
Pago da cmara municipal do Recie em sesso
do 7 de outubro de 1861. Aogelo Heoriques da
hiivs. pro-presidente;Francisco Canuto da Boa-
Via8eua, offlcial-maior servindo de secretario.
. 4. secso.Palscie do governo de Pernam-
buca. f ae outubro de 1861.O presidente da
provincia, teodo em vista o que requesitou a c-
mara muuicipal do Recite em efflrioa de 9 e 21
de seiembro 11111010, sob n. 50 e 59. resolve ap-
pror.r provisoriamente os segurles artigos de
posturas :
Art. 1." As casas de vender plvora, bem co-
mo as de fabrico de fogos artificiaos, s se pode-
ro estabelecer as proximidades das tres estra-
das publicas que se dirigem desla cidade para
Santo Anuo. Pao d'Alho e Goiaona, observan-
do-se as disposices seguinles :
1. S podero ser estabelecilas na distan-
cia de clncoeota bragas da estrada, e de qnalquer
ediflcacao, oto podeodo haver aellas um depo-
ftUva Santiago.
Theodoro
de Sonza
e publicar
de Per-
paga
10-.996a3i8
Consulado provincial.
Rudimento do dia 1 a 9 17:4659161
I ara do dia 10......1:305)319
18 7709483
Movimento do porto.
J,*",0- .1^. ** PwridesUdaproThiclae
chefe de polica lerem.
O ioJi.iduo GasoU Jas Pereira de Lacena,
Je Idade de 3 aneo, posee mala os meaos!
braoco. calvo, gago, exeeasiraaente barbado,
om urna perna mais compnda do que a ootrn
desertor do eiercile, o aeba-se actualmente mo-
esda urna porfo de eaonas que rom pros no en-
geoho Pares, comarca de Nazareth, pertenceste
as eapilao Antonio da Motta Sil reir Cavalcantl.
A lei igual pera tolos (preeeKo eonstito-
rteaalij
O ladro de papis.
' '"i
"- Nos abaixo assigaados, passsgeirss de -va-
por clgsarass, extremamente reesaheeies* se
eeu iliustte comnundaoie, Mtteel da MtMadb
co
o.
#

I iferss.
5 S.

&
ti
o
_a_
"as"
kthmosphera
Dirtcc&o.
i-J.
intensidad!.

s
os
ao
| Fahrenheit.
I
bo
8
s
i2
as
I
Centgrado.
2 13 ^

a
Hygromttro.
I CUHrna AydVe-
mtrica.
9 1 -a ^ % -?_
s p 8 O s
& 8 S SI "2
ifranctx.
Inglex.
O^compelentemente habililsdas.
^ para constar ae mandou afflxar
pelo Diario.
Secretaria da thesonrarla provincial
nambuco 4 de outubro de 1861.
G secretario,
Antonio Ferreira d'Annonciacio.
Clausulo* especiaes para a arrematado.
i O* reparos do empedranaeolo doSoceorro
serle executasos de confotraidade com o orca-
mento perorado pela rectora em conselho e
Bubmetlido a approvacao do Ex. Sr presidente
da provincia na importancia de 5:1751500.
2 O arrematante dar principio a obra no pra-
zo de oilo das e a concluir no de trez mezes
cootados como determina o artigo 31 do regula-
memo das obras publicas.
3* A importancia da arremalaco ser
quando a obra for concluida e recebida.
4* Nenhuma reclsmseo, teodo por fim rece-
ber iademnisaQao, ser altendida qualquer que
seja a natureza da allegaco em que se funde.
5* Em ludo o mais que nao vai especificado
as presentes clausulas seguir-se-ba o que dis-
poe a lei provincial o. 286,
Conforme.O aecretario,
A. F. d'Anuuaciaoi.
O Rev, Jos Leile Puta Onigueira, juiz de paz
do primeiro distriel da freguezia de S. Fre
Pedro GongaUes do Recite, etc.
Fago aaber aos Srs. eleitores desla freguezia
Antonio Gomes Miranda Leal, Caelano Cyriaco
da Costa Moreira, Jos Pedro das Nees, Rev.
Jos Lelte Pitia Ortigueira, Maooel do Nascimeo-
to Araujo, Jos Marques da Costa Soares, Joao
Francisco Marques, Mauoel Francisco Marqaes
Domingos Heoriques Mafra, Aoastacio Jos da*
Costa, Antonio Heoriques Mafra, Esteran Jorge
Biptisla, Luiz Antonio Gongalres Penna, Jos
Praucisco de S Lelao, Maooel Jos Baptista
Herculaoo Jos Rodrigues Pioheiro, Joio Frao -
Cisco Antunes, Joao da Silva Fara. Dr. Minoel
Francisco Teixeira, Manoel Estaoialo da Costa
Antonio Jos Silva Crasil, que no da 24 d
oovembro do correle aono devem comparecer
oa matriz do Sanlissimo Sacrameoto da frf guezia
de Sanio Antonio, afim de elegerera os membros
da assembla legislativa provincial, os qoaes tem
de funecionar nos annos de 1862 e 1863, confor-
me tudo se acha determinado por lei, e ordeos
transroitlidas a este jutzo pela cmara muni-
cipal.
Primeiro districto da freguezia de S. Fre Pe-
dro Goncalves do Recite, 24 de setembro do 1861.
Eu Innocencio da Cunha Goiaona escritao o es-
erevi.
Padre *o* Lte Pitia Ortigueira.
pe
El
0*
o.ocasdo gsaasatmests e rendando para o terral.
osciixclo a r.
Preamar as 8
Baixa-mar as
WUtMW OS sR.
**?' < hia. altura 5.6 p.
B h. da tarde, altera 1.8ip"
RoasHo srtrrut,
i* tente;
JVaeset entrados no Ha 10.
Par e portos intermedios-7 dias o BO horas.
paquete vapor brasileiro Cruzeiro do Sul
a^Msaeeso? MM '* "" fWrf' Gttr*
Cear l e portoi atar medies-T rjfu ripot bratl-
sito de maisdequiohentas libras de polrora.nem
poder eonaervar-sa dentro das mesmas pessoa
aiguma depoia das seis horas da tarde.
2. Poiero ser feitss de taipa com barro
puro, ou de parede de tijolo simples, seodo co-
bertas com laminas de zinco pregadas, ou com
telhas, sobre as qoaes se poder lanjar urna ca-
rnada de cal, oo terao mais de urna porta na
qual estar collocado o bakio pars a veoda, aum
de evitar que o comprador nella entre.
9 3.* Serpermiliido bzerem aquelles que o
quizerem ama pequea casa do meamo modo
daquella que dere serrr de deposito, margem
da estrada publica, para nella eflecluarem ven-
da da polora, aendo que nessas casas nio pole-
jo ter maia de nove libraa de plvora era latas
ou almotolias de folha, ateridas pela cmara e
Carimbadas pela polica.
Art. 2." Os infractores iscorrero na multa de
trnia mil ris e oilo dias de prsio, e o duplo na
reincidencia.
Art. 3." E' prohibido o transito da plvora den-
tro da cidade. sen-lo esta conducida por agua, os
contraventores soffrero a multa de trinta mil
ris e oitudias de prisao.
Art. 4.* Picam revogadas as posturas de 11 de
agosto de 185.AoionioMarcelliooNunes Gon-
calves.Conforme.Francisco Lemos de Castro.
O Illm. Sr. inspector da Ihesouraria pro
vincial manda fazer publico para conhecimento
dos interessados o artigo 48 da lei provincial o.
510 de 18 de junho do correte anno.
Art. 48. E' permittido pagar-se a meia siza
dos escravos comprado* ea qualquer lempo an-
terior a dala ds presente lei independan te de
revalidado e multa, urna vez que os devedores
actuaes deste imposto, o facam dentro do exerci-
cio de 1861 a 1862, os que nio o Qzerem ficarao
sujeilos a revalidacio o multa em dobro, seodo
um terco para o deouncianle. A Ihesouraria
far annuociar por ediul nos primeiros 10 dias
de cada mez a preaente disposicao.
E para constar se mandou afflxar o presente e
publicar pelo Diario.
Secretaria da thesouraris provincial de Per-
uambuco Sdejulho de 1861.O secretario,
A. F. d'AuouncioQo.
O Illm- Sr. inspector da ihesouraria provin-
cial, em cumprimenlo da resolucao da junta da
fazenda manda facer publico que no dia 14 de
oovembro prximo fuluro vai oovamente a pra-
a para aer arrematado a quem maior prego of-
erecer o reniimento dos impostos de 8 e 4 "/
creadoa pelos 16 e 17 do srt. 4* da lei provin-
cial n. 510 nos municipios seguinles :
Bonito.
Garanbuns.
Flores.
Boa-Visla.
Brejo e Cimbres,
E para constar se aijndou afBiar o prsenle e
publicar pelo Diario.
Secretaria da Ihesouraria provincial de Per-
earobuco, 10 de outubro de 1861.O aecretario.
Beasmssrgader Castao dot de
Major Gastavo Jos do Reg.
Enipregado publico e lente coronel
Machado Freir Pereira da Silva.
Ewpregado publico Maooel Carneiro
Lacerda.
lie Byplilo Cassisno de Vasconcellos Albo-
querqae Msranhio.
Dito Joaquim de ffusmao Coelho.
Duo Pedro Alexaodnoo de Barros Csvalcaoti.
Padre Francisco Alvos de Abraoles.
Eropregado publico Antonio Cerdoso de Queiroc
Fonseca.
Commerclante los Cecilio Cirneiro Monteiro.
Empregsdo publico Francisco da Lemos Do-
arte.
Dito Jos Antonio dos Santos e Silva.
Proprietario Thom Carlus Peretti.
Dilo Evaristo Mendes ds Cuoha Azevedo.
Empregado publico Porfirio da Cuoha Moreira
Aires.
EscriraolFraocisco Ignacio de Atlahvde.
Commerciante Nicolao Toleotino de Carvalho.
Mjor Frasciaco Marlins Raposo.
Francisco Joaquim de Mella lavares.
Empregado publico Simplicio Jos de Mello.
Dito Joaquim Jos'Ferreira da Peoha.
Dr. Nabor Caroeiro Bezerra Cavalcanli.
Augusto Rufioo de Almeida.
Empregado publico Francisco Jos AWes de Al-
buqu-rqee.
Eicrivio FreocUco de Barros Corris.
Cbnslovao Sanlisgo do Nascimeolo.
Empregado publico Joao Fraocisco de Oliveira e
Silva.
Proprietario Benle doa Santos Ramos.
Dit> Alexaodre dos Status Barros.
Empregado publico Jua Alfonso dos Santos
Bastos.
Proprietario Manoel Antonio Teixeira de Albu-
querque.
Commerciante Francisco Joaquim da Coata Fia-
Iho Jnior.
Tonente-cotonel Frasciaco de Miraada Leal Seve.
Artista Maooel do Nascimeolo Viaooa.
Proprietario Dr. Beato Jos da Costa.
Justioiaoo Cavalcanli de Albuquerque B4II0.
Artista Maooel Rodrigues do O'.
Empregado publico Joaquim Mileto Mariz.
Dito Fraocelino Augusto de Hollanda Chacn.
Proprietario Benjamn Vires Dutra.
Proprietario Antonio da Cosa Rosal.
Capitao Jos Mara Freir Gameiro.
Dito Joo da Silveira Borges Tavora.
Empregado publico Francisco Aotouio Cavalcan-
li Cousseiro.
Atieres Msooel Marques de Abren Porto.
Alexaodre da Silva Lima Veneno.
Proprietario Jos Carneiro da C-Joha.
Supplentet.
Os Srs.:
Teoeute Uecio de Aquioo Fooseca
Major Manoel do Nascimeolo da Costa Mon-
teiro.
Dr. Caetaoo Xsvler Pereira de Brito.
Dr. Silrio Tarquioio Villas-Boas.
Desombargador Aotooio Joaquim da Silva Gomes.
Dilo Agoslioho Moreira Gutrre.
Proprietario Caetaoo da Silva Azevedo.
Capitao Antonio Jas da Costa o Silva.
Commenlador Thomaz de Aquioo Fonseca. '
Proprietario Clonado Ferreira Clao.
Desembarga lor FirmiuQ Antonio de Souza.
i'honjz GarreU.
Dr. Joaquim de Oliveira Souza.
Biigadeiro Aleixo Jos de Oliveira.
Desembargador D. Fraocisco Balthasar da
veira.
Proprietario Wenceslao Machado Freir Pereira
da Silva.
Flavio Ferreira Ctao.
Proprietario Jos Fraocisco Lavra.
Cirurgiao Jos Francisco Pmlo Guimaraes.
Teuenle-coronel Feliciano Joaquim dos Santos.
Commerciante JOaquim Augusto Ferieira Jaco-
bina.
Dito Luiz Jos da Silva Guimaraes.
Dilo Manoel Joaquim Fernandos de Azevedo.
Proprietario Joio Pacheco de Queiroga.
Despachante Joio Bartholomeu Goocalves da
Silva.
Dilo Joaquim Francisco Franco.
Desembargador Maooel Rodrigues Villares.
Proprietjro Aotooio Pires Ferreirs.
Commerciante Jos Nunes de Oliveira.
Dr. L<>iz Carlos de Magalhes Breve.
Proprietario Francisco Jos Arantes.
Empregado publico Joaquim Elias de Moura
Gondim.
Tenente Symphronio Olrmpio de Queiroga.
Proprietario Francisco Rufino Correa de Mello.
Dito Ignacio Jos Pinto.
Tenente Joaquim Jorge de Mello.
Commerciante Antonio Machado Gomes do Silva.
Artista Firmioo da Silva Amorim.
Ctmmerciaote Ovidio Ferreira da Silva.
Dilo Jos da Costa Braodio Cordeiro.
Artista Pedro de Alcntara e Silva.
Froprielario Aotooio Jorge Guerra
Dilo Maooel Antonio de Santiago Lessa.
Dito Manoel do Nascimeolo da Silva Bastos.
Artista Luiz de Fraoca Lins de Albuquerque.
Despachante Jos Rodopiaoo dos Santos.
Proprirlaii Francisco Accioly de Gunreia Lins.
Artista Francisco Mendes Marlios.
Dito Jos Joaquim Ramo* e Silva.
Solicitador Leopoldo Ferreira Marlins Ribeiro.
Artista Mi-noel Francisco Honorato.
Dilo Francisco Antonio de Menezes.
Dr. Antonio de Vasconcellos Menezes de Drom-
mond.
E para que chegue ao conhecimento de todos
mandou o mesn.o juiz publicar o preseote edi-
tal; certos que ficarao sujeilos as peoas commi-
ndss na citada lei e regulamentos os que deixa-
rem de comparecer.
Primeiro listricto de paz da freguezia da Boa-
Vista 9 de outubro de 1861.
Eu Fraocisco de Barros Corrcia escrivao que
o escrevi.
Antonio Carneiro Machado Rios.
Acamara municipal da cidade do Recite faz A. F. da Aonuociacao.
Z&SL&J&PZ&JS.?' unicipe O teoeme-coronel Antonio Ciroeiro Machado
JmJTSS* Eim.' Presidente da provincia o Ros, commeodador da
offlcio absixo traosenpto. ao qual acompanha a
relagao dos productos, que podem sor aposenta-
do oeste municipio, e espera que todos concor-
ra m para que o convite do goveroo da provincia
produsa o desejado efleilo, e est prempla a dar
todos os esclarecimentos, e spresaolar lodo o au-
xilio, que della depender para que se reallse lio
til eosaio, o qual ter lugar no dia 7 de no vera
bro prximo fuluro, como taz certo o segundo
offlero deS. Exc. de 13 do crranlo, tambera a-
baixo transcripto.
Pago da cmara municipal do Recie. em sea-
sao ordinaria de 16 de setembro de 1861.Luiz
Francisco de Barros Reg presidente*, Francisco
Canuto da Boa-vugem offlcial maior aerriudo de
aecretario.
4.
seceso. Palacio do governo de Perasm-
buco, em 4 de setembro de 1861. Devendo ter
logar nesta cidade no dia 2 de dezembro vindou-
ro, no palacio do governo, ursa exposicio dos
produelos nsturaes a Industriaos desla provincia,
e des que lhe sio limitrophes, ou lhe fleam mala
prxima; de conformidaae com as ordena ia-
periaes, recommendo a cmara municipal do Re-
etfe, que, fazendo chegar esta noticia ao coohe-
cimenlo de todos oe seus municipes, procure por
todos os meios ao seo alcance anima-los de de-
sojo de coocorrerea par* a referida expeeicie
eom oa productos, que all ptem figurar e ae
achara especificados 00 calhalqjco anoexo as los-
trucQde* de que rsaseUs s laelaso exemplar im-
preuo; fazende-Mes asas esmera ver as grandes
vsnlagens. que bio de resultar da referida expo-
steio, alo sd para a agttcultsra, mas tirabam
pata a industria do pas, (orno sra dos mata con-
vesteatea meios de adimacio para o desenvolvi-
mento es tie i m por tantea fuotes de riqueza ua-
etosal,' a que o governo pTesta a mais seria at-
iselo, contando eom o concurso de toaos os cl-
dadaoi, e especialmente a* maoiclpalidadea so
empento de preencherem por eate moto aa eos
prnetpei es de sua uaillnic4ar.A,ionAo Mar*} DesambsrMder
colino Ruqm Gonjalres. [
imperial ordem da Ro-
sa, juiz de paz do primeiro dUtrcto da fre-
guezia do Sanlissimo Sacramento do bairro da
Boa-Visla do termo da rilada do Recite de
Peroambuco, em virtude da lei, etc.
P*co saber sos Srs. eleitores e suppleoles
abaixo transcriptos, que devem comparecer 00
da lt de oovembro prximo (aturo, s 9 horas
da aanhaa, na igreja matriz, para a organisacao
da mesa parochlal, fim de ae proceder a elei-
cao doa juizee de paz da mesma freguezia, assim
come convida ao* cidsdios qualifleados, psrs
que comparecen! a dar aeus votos, de conformi-
dadseem e artigo 94 da le regulamentar das
eleicoes. de 19 de agosto de 1846, como lhe foi
determinado pelo Exm, Sr. presidente da pro-
viscia, em sffido de7 do presente mez, abaixo
transcripto.
c Segunda aeceao Palacio do governo de
Pernambaes em 7 de outubro de 1861.Tendo
designado s dia 19 de novembro vindouro para
ae proceder neaaa freguezia a eleicio dos respec-
tivos juizee de paz, asaim o comaunieb i Vmc.
para aes conhecimento, afim de que nos termos
da lei, o mais disposiedeo sa vigor, renes os
respective* eleitores e supplentes, e prosiga oa-
queUs lia so procesas da referida eleicio, certo
de qas aeata data offlets cmara municipal
desla cidado. para que do sua parte expeca aa
orden* que lhe incumba.
c Den guarde Vntf. Antonio Marcellino
JvavSHS Gomfalpee-
&t. juiz de pea mala votado do primeiro
districto da freguezia da Boa-Vista.
Bititorm.
Oa Srs.:
Emp/egado psUics Manoel Coelho Cintre.
Tesests csfonV Antonio Carlos de Pioho Burees.
Bits Antonio Carselro Hachado Ros.
Dt. Lua de Carvalho Pse de Andrsde.
Majar los Joaqoim Antones.
Capillo Amaro de Berma Crrela.
. Ivreace loes da Silva Sn-
Itago.
rebebido os objectoc que
furar oa mencionada EXPSigA'O.
ala das seudes da comroisso 10 de se-
tembro de 1861.O secretario,
Joaquim Pires Machado PorteiU.
Goseliio de compras uavaes.
Ordenando o Exm. Sr. sreaideete la previec*
que ae contrate de novo o forneciassls so sis
bolacha, se correte trimertre i BosOv aasso-
zembro prximo, para sa navios da arases s es-
labelecimento* de marinha, cea qsoa M
o taca, aervindo de baso sa isle*
41256 pela arroba da bolacbe e 41142 Ja
olTerecidos por Maeoel Antonio ds Josa* ~
da o conaelbo fazer publieo, que tari as laxar
era 11 do correte mez i vista de trsseaise as
cebidas oeste dis, ea cartea fechadas, at s 11
horas da maahia.
Sala do conselho de compras oavaes m S*
outubro de 1861.-0 aecretario, Alexaadre Ro-
drigues dos Aojo*.
A directora da caixa filial lea deliberada
marcar o prazo de 30 diaa a-ara recelan
das sedulas de 20 e 101, fiado os qoaes *_
sujeitas ao descont menaal progreaeivodelBl
de conformidade eom o decreto o. 9164 so 99 a*
oulubro de 1860. Recife 19 do outubro de 1991.
O secretario Interino, Luis de Meraee Gomes Fer-
iclifl*
Pela admioiatracio de eorreio desla cidaso
se faz publico qse aa malas ame teta e> cosdazir
o vapor Cruzeiro do Sul para os portes so sal
seriofechsdss hoje aa 3 horas da tardo : oe sosa-
ros at 2 horas. ^^
A directora ee obra* militares pvecwe
mandar caiar o quartel da eompesbia fiza es ra-
valiaria, e convida aa pesaos* qse dssta servico
e queiram encarregar a comparecer sa refer la
directora com auaa propoatv. da* 10 Btarsa SO
msnhia la 1 da Urde so* 11, 11 e 14 ds corre-
te mea.
Directora da* obra* militares te Pt
10 de outubro de 1861.O escriplurare
Monteiro de Andrade Halvina.
O Illm. Sr. inspector da ibeaosraria prs-
viocial, em virtude da revoluti 4e junta do fa-
zenda maoda fazer publico, qse so dia 24 4o car-
rete vai oovameale praea para aer arrematada
quem por menos fizer a obra dos concert e
cadea da villa do Cano, avahada em 808*300.
E para constar ae mandes afflxar o presente e
publicar pelo Diario.
Secretaria da Ihesouraria provincial de P#r-
nambuco, 10 de oulubro do 18*1.-0 escreario
A. P. da Aonuneiaeio.
vi< i:-ro*si .LADO
Sil-
Deelara^s.
Por eata subdelegada se faz publico, que
se acha reculhido casa de deleocio o preto Ma-
noel que diz ser escravo de Antonio Soares, se-
nhor do engeoho Pimentas, comarca da, Saoto
Anlio, e declarou estar fgido a 15 diat^ quem
se julgar com direito comprela munido de seus
ttulos, que lhe ser entregue.
Subdelegaba dos Afogados 10 de outubro de
1861.O subdelegado,
Jos Fraocisco Carneiro Monteiro.
Conselho administrativo.
O cooselho administrativo para fornecimento
do arsenal de guerra tem de comprar os objeelos
seguinles :
Companhia de cavallaria de lioha.
11 espadas com bainha** de ferro.
Quem quizer veoder tees objectos aprsente as
suas propostas em carie fechada, oa secretaria do
conselho, i 10 borss ds manhia do dia 14 do
correte mez.
Sala das sessoes do conselho administrativo,
para fornecimento do arseoal de guerra, 7 de
outubro de 1861.
Bento Jos Lamenha Lint,
Coronel presidente.
Francisco Joaquim Pereira Lobo,
Coronel vogel aecretario interino.
Vie-consulado de
Hespna emPer-
nambuco.
Participo los subditos de S. M. residentes en
este distrito consular que habiendo regresado de
mi age a Rio ds J*oeiro, me hallo desda sal*
fecha en el ejercicio de mis funciones consular es,
ra de Trapiche a. 18. Perstmbuco 7 de octubre
de 1861.
El-vice-eoosal ds S. U.,
Juan Anglada Hijo,
osicao.
S. M.
DE
II
A commistao directora da EXPOSl-
Q\0' agrcola e industrial, que tera* ki<
gar no palacio do governo no dia 7 de
novembro vindouro, manda pelo pre-
sente fazer publico que no Aa %% de
outubro prximo comecar&o a ser all
Yittoria EnuRiele
RE DA ITALIA
El
Pernambuco.
Teodo-ae ab*rto oa Italia urna aobe-tripcAs pora
levantar um monumento ao insiga* boesea do
estado, e grande patriota, o oniveraalaeole las-
timado Conde de Cavam*. o desejeeds-se coas
aquello mooumesto alicatar aoa viniooros o rs-
conhecimento doa Italiano* seis grande obra da
upidade, liberd.ee e iadepesdaseia da nossa P-
oiosula, a qual tanto tea contribuido coa a sos
vasta oteligeocia, cea a agsdeza do eso pora-
pico engenbo, coa a sua energa da incrivel aas
actividade, e com a asaiduidade ds aaaa grande*
acQes.
O abaixo astigaado, vke-cosml, residests sa-
la cidade, instancia do Illm. Sr. cnsul geral e>
S. M. no Rio de Janeiro, convida e toda o jawl-
quer pessoa que generosamente qseira rascar
rer para a aubtcrpcio de un accAo a lis araa-
de recoohecimeolo. de se dirigir ao -ice tese
lado italiano, ra do Trapiche a. 15, a ti o da 15
do correte mez de oulubro. Pero*aboco 3 de
oulubro de 1861.O vice-coassl,
Joa Teixeira Beatas.
Cnsul ido provincial em 10
de outubro de 1861.
Com sulorisscio do Illa. Sr. administrador
inlerirro tafo sciaote aos eontriboiatea so im-
posto de 20 por cento sobre o consumo de egaar-
dente. que Bca de neohsa sOeito a puUkaco
feitra no dis 5 do mez corrale, viste haver da-
vida na mor parte dos recibos apreseotidoe ao
acto da collecta, e qse por esta csrcumataseis
teoho de proceder de novo dita eollocU.
O laacssor,
Demetrio Coelho.
Grande baile
NOS
Saldes do caes de Apll*
Sabbaat, 12 4etitiirt.
O qual dado por um particular, ja* espera
grande concurrencia do publico, ea conseques-
cia de ter convidado grande numero de damas #
cavatleiro*. e empregado todo* oa meios pars o
brilhanlicmo desla noite.
Ser cumprido Belmente o regulamesto do
Illm.Sr. Dr. chefe de policia.
Entradas para homeus S|000; psrs seshuns
gratis.
Avisos martimos.
Para o 4ss
segu em posesa diaa s hiale Ceaartgibe. i
tre Virginio Justiniano doa Santoa ; para carga e
pasBvgeiree, trata-so aa rae do Vigarie a. 5.
Para o 4racitj
segu em poucos dias o histe Beberibe, aestrs
Beroardino Jos Bandsira para carga s passa-
geiros, trats-se oa ra do Vigario n. 5.
Cear e Acaracu*.
Segu neates dias o hiale cSobralense, capn*..
Ralis, recebe csrga e pasasgeiros; a tratar com
Caetaoo Cyriaco da C. M. 4 Irmio, ao lado d..
Corpo Saoto n. 23.
Aracaty.
O hiale Aracaty, mestre Joio Uenriqa* ds
Almeida, segu por estes dou* dias para Araca-
ty: para carregar e psssageirss, trata-se esa Tie-
so Irmio. j
Brigue nacional Veloz.
Recebe gneros eetrangeiroe para o Rio de Ja-
neiro.
TI.,...........,
O palhabota oaciooal cDoua Aaigos, capitao
Francisco Jos ds Araujo. cague para a Baha om
poucos dia; para o reato da carga que lhe falto.
trata-ae com aen consignatario Prascieee L O
Azsvsdo. aa ru da sladrs de Dooa a. IR,
ra da Madre o Oso
Para
Rio de Janeiro,
pretende aeaair coa malta b re vi dad a o Isriass
nacional aVeloz, tem parte de aes carregsasoa-
te promp^o : para o resio aae lhe (alta, trato-so
com o ees consignatario Azevedo \ jadea, ao
aen ecriptorio, rae da Crui a. 1.
Para.
0 patacho porto indicado ; para o posea jaa lhe taita, tra-
ta-ae com Moreira & Ferreira, rus. da Meara do
Dees o. 8.
Rio Grande do Sul pelo Rio de
Janeiro.
A barca ntciooil Reatiaracio* segu *i||em
*>


w
Di4$|0 91 flfifUMGO. i. gEXTA FflRA 11 DS OUTUBRO DE 18*1.
impreierivelmente do da 15 do correte, ainda
recebo alguma carga a frele, e escravos par* em-
boa oa portes: trsia-se com oa consignatarios
Marque Barros & C no largo do Corfo San-
to o. 6.
COMPANHA BRASILEIRA
DE
'MPSiniS OJUPIhl.
Etpera-se dos por tos do norte ateo dia tO do
correte 0 vapor Cruzeiro do Sul, cornmandaote
o cepillo de mar o guerra Gcrvzio Mancebo, o
qual depoia da demota do coatume seguir para
os portos do sul.
Desde ji recebera-se passsgelros e engaja-se
a carga que o vapor poder condazir a qual de-
veri ser embarcada no dia de aua chegada, en -
commendaa, dinbelro a frele at o dia da sahida
as 3 lloras : agencia ra da Cruz n. l.eicriplorio
de Azevedo COMPANflU PIRIUfBUGAlU
Navegac'J costeira a vapor
Parahiba, Rio Grande do Norte, Ma-
cao do Assu'. Aracaty, Cea va'
e Acaracu'.
O vapor Iguarass, commandante Vianna,
aahiri para os portoa do norte at o Acarac
no dia 22 do correte raez s 4 horas da tarde.
Recebe carga at o dia SI ao meio dia. En-
commendas, passageiroa e dinheiro a (rete at o
dia da sahida as 2 horas: escriptorio do Forte
do Mallos n. 1.
DAS
Messageries impelales.
At o dia 14 do corrate espera-se da Europa
o vapor fraocez Bearn, commaodante Aubry de
la No, o qual depois da demora do coatume se-
guir para o Rio de Janeiro tocando na Babta,
para paasagens ele. a tratar na agencia ra do
Trapiche n. 9.
BE.4L COIF.HHIA
De
Paquetes ioglezesa vapor
Al o dia 15 do correte mes espera-ae do aul
o vapor Tyne, o qual depois da demora do cos-
lume seguir para Soulhamploo, tocando nos
portos de S. Vicente e Lisboa, para pasaagem
etc., trata-se cem os agentes Adamsoo Howie &
C, ra do Trapiche Novo d. 42.
P. S. Os embruihos s se recebcml at duas
horas antes de se fecharem as malas ou urna ho-
ra antea, pagando um palacio alm do respecti-
vo {rete.
Liioes.
LEILAO
DB
Mereadorias americanas.
Sextafeira 11 de outubro.
O agente Aotooes far leilio de urna immen-
sidade de objeclos como bem sejam: secretarias,
cadeiras. camas de amarello e Jacaranda, obras
de metal prateado, oleado para salas, carros,
carrosas para boi, cavalio e mi, saceos e malas
para viagem, aabio em caixinhas, arados, ma-
chinas para eapim, para debulhar milho e. ou-
tros muitos artigos que se torna nfadonho men-
cionar oa ra da Cruz o. 15, as 10 horas em
ponto.
Leilo
Sem reserva de preco.
Sabbado 12 do corrate as 10
horas em ponto.
DE
Movis, cabriolet, carros da
alfandega, cavallo e roupa
fetta etc.
Jos Muniz Teixeira Guimaraes, agente de
leilao prximamente nomesdo pelo meretissimo
tribunal do commercio Tari leilio no dia e hora
api en a nm man *rnn..nnrt _. .... a_
dor
m
screve e conu soffrivel l
.: tambe
est dlsposto, vislo que a bastante lempo se acha
jresempregsdo, a em pregar-se como ceixeiro de
padaria, ou mesmo de taberna, poia que est
convencido que o trsbslho, anda aquello a que
nao eat costumado, nao o pode deshonrar: quem
precisar, dirija-ae a livraria da praca 4a Inde-
pendencia na. 6 e8, que ahi se lhe dir quem .
S Milita altencao. S
A abaixo assignada faz scienle ao res-
Oj$ peilavel publico e em particular a lodaa 9
*m aquellas peasoaa.com quem tivera con- ga
' tas ou traotaeces que ella nao lem :
presentemente divida de oalureza algu- w
ma I que algunas leltras que houvera ftt
assigoado para ai, e se acham lodaa pa- j
gas, bem como algumas oulras lettras
Oji que lem endocado por favor, a alguns de o9
jfg seua Olhos e georos. (nao todos) todas Jm
7 se acham pagas; e comp ae considera nao ^
W dever a oiuguem. lano de leltras auss, (P
t) como por ledras endonadas a ditoa seas tt
gm. filhos e georos, bem como flaneas ou g
' outros quaesquer tituloa, a quaesquer
V pessoas, por isso fas a prsenle deca- 9
s% rago. No caso porm de nao aconte- sm
I cer sssim, o que nao crivel, quem li- J
P ver alguma lellra ou outro qualquer do- W
dj| cumento, que se cooslitua seu credor, A
gK queira immediatamenle apreseota-lo o g
* mais tardar oestes 30 dias, na casa de sua
9 residenciara ra da Aurura n. 64, que 40
verificado verdadeiro ser pago em con- OH
tinento e para que nao apparecam duvi- 2
das para o futuro e mesmo depoia de V
{$$ sua morte que faz o presente aonuncio tftt
a e declaraclo aolemne para que nioguem,
P sejs quem quer or, ae cham a igoo-
9 rancla. Outro sim, quem quer que se 9
julgar credor, leri a taondade de deca- ate
a, rar por este Diario. Ttecife 5 de outu- 2
V bro de 1861. 9
9 Maa Theodora a'Assumpco. \%
~ As pessoas que lem penhorea na mi de
Luiz Augusto Rubira Mavignier venham tirar nes-
ses oilo diaa, do contrario serio voadidos para o
seu pagamento.
Recite. 5 de oatubro de 1861.
* Precisa-se de ama creada que saiba ]
cosinhar, preferindo-se escrava : a tratar 8
a na ra do Imperador n. 54, primeiro an-
Na ra da Cadeia do Recite n. 11
segundo andar, aprompta se almoco e
jantarpara casas particulares; na mes-
ma casa faz se pastis de nata, pudins,
tortas, pao'de-l.bolo inglez, aletria de
ovos, arroz de leite, sendo encommen*
dado na ves per a.
- Precisa-se de urna ama de leite forra e sem
filhos, branca ou parda; na ra da Imperatrii n.
53, segundo sndar.
cima em seu armasen na ra do Imperador
(outr ora ra da Cideia) n. 37 de ludo quanto se
ochar patente em dito seu armazera cbosistiodo
em ricos movis, um lindo cabriolet com arreios
em muuo bou. estsdo, carros da alfandega. nm
soberbo cavallo com andares e que tambem ser-
ve para carro e cabriolet e de um grande sorli- *
ment de palelois de panno fino forrados de 89-
da, calcados etc.
Tamben*
vender na mesma occasiao urna escrava com
habilidades mu proptia para o servido domesti-
co. O mesmo agente estreaodo seu tirocinio
nesse emprego espera merecer franca eoadjuva-
gao do resaeitavel Torpo commercial, de aeus
amigos e de todos em g*ral pelo que lhes pro-
testa desde ja eterno reconhecimeolo e eovidar
todos osmeioa aoseu alcance para quecumprin-
do fielmente os seus devores jamis incorra no
desagrado de seus commilentes.
LEILO
Para liquidaco.
Hoje 11 docorrente.
eve, Filhos & C. continuarao o sen leilio por
intervencio do agente Oliveira, de grande vsrie-
oarte das melhores fazendas, ferragens. arma-
mento e miudezas, prelendeado vender todo sem
titmtaeao de precos em atteacio a urgencia de
e conoiuirem diversas facturas; e na mesma oc-
casiao serio arrematadas sigan s rsenlas ingle-
u$ averiadas, por costa do seguro :
Sexta -feira 11
do correte, k$ 10 horas da manbia em ponto,
em sea uuum na roa da Cruz do Recite.
dega terca-leira 15 do corrente. a. 111 ~ m homem que l,.<
hor.,e, ponto, o, objocto. gui*. : [tSSSStSB&ffSiJS
" catxasicom chapeos de palha, 4 ditas
com bonets de ditos avariados a bordo
do patacho americano L. C. Walto,
entrado | ueste porto em 3 de junho do
corrente anuo. #
avisos diyersos.
A paga da subscripcao deste Diario i 5|>j
por trimestre, smeole lem lugar dentro de 15
dias do piimeiro mez, e depois smenle se rec-
bete m
OTIBI4
HOJE 11 do corrente mez pelas 8
heras da manhSa em ponto andatSo m-
preterice!mete as rodas da oitava par-
te da quarta e quinta da quinta lotera
a beneficio do Gymnasio Pernambucano.
As sortes de 6:000$ e 3:000$ serio pa-
gas 3 das depois da extraccSo e as ou-
tr as logo a entrega das listas. Os bilhe-
tes e meios bilheles achara-te ja a ven-
da na ra do Crespo n. 15, thesouraria
das loteras e as lojas commissionadas.
O thesoureiro.
Antonio Jos Rodrigues de Souza.
LOTERA.
Tendo de comecar a extracto as 8
horas em ponto do dia sexta-feira 11 do
corrente, s eslsrSo os bilhetes a venda
nesse da at as 7 112 horas em ponto.
O thesoureiro,
| A. J. 'Rodrigues de Souza.
(miQIJM
DB
Escultura em Marmore
Caes do Ramos n. 30.
Se fazem palos precos seguintes:
Consoos Luiz XV de 12#a 159.
Jardineiraa dem dem de tOJ a 305.
Consol' lisos de 9 a 12.
Mesas redondas de 189 a 25$.
Lavatorios de 12 a 309.
Aparadores de 20$ a 35$.
Letras gravadas douradas ou embutidas con-
forme os caracteres e tamanhos de 100 rs. cada
urna a 19.
Podra para collocar as ditas, cada palmo em
quadro a 1.
Concerta-se alabastro, jaspe e porcelana.
Recebem-se pedras usadas em troca, quer se-
ma ou nao de trastes, ainda mesmo quebradas.
Injecco Brow
Remedio infallivel contra as gnor-
rheas antigs e recentes. nico depo-
sito na botica franceza ra da Cruz n.
22. Preco 5|.
Attenco.
Quem precisar de um bom copeiro que entenda
de todo o mais servico de urna casa de familia.
appare;a na ra Augusta d. 73, que athar com
quem tratar.
Joo Baplista Ramos comprou por ordem e
conta do Sr. Joo Luiz Piuza e Helio, da Bahia,
os doua meios bilheles ambos de n. 4307 da oita-
va parte da quarta e quiola da quinta lotera con-
cedida para a ediQcacao da casa do Gymnasio
Pernambucano, declara mais que ditos bilhetes
ficam em seu poder.
Na ra do Imperador (S. Francisco) perdeu-
se hoje 10 de oulubro, desde a porta do commen-
dador Antonio Joaquim de Mello, al o do major
Manoel Joaqnim Gomes, um formal de partilhas
(todo enrolado] do juizo municipal de Olinds : a
pessoa que o liver echado e quizer reslitui-lo,
entregue-o na mesma ra no armazem de Do-
mingos da Silva Campos, que ser recompen-
sado.
O Sr. Francisco Ferreira Pacheco de Mello
lem urna carta no escriptorio de Manoel Ignacio
de Oliveira & Filho, largo do Corpo Santo.
Antonio Francisco Crrela Cardoso vai aos
portos do norte, a tratar de negocios.
Hoje 11 de oulubro depois de meio dia lera
lugar a permutaeao dos beus penborados a Braz
Aolooio ds Cunha Albuquerque, por execu-
go de Joaquim de Albuquerque Helio, pelo juiz
da Ia vara, escrivao Saraiva, tendo deixado de ir
ni audiencia paesada em razo de nao ter havido
a mesma.
Antooio Emilio da Rocha Vasconcellos, sub-
dito porluguez, vai ao Rio de Janeiro.
Altiga-se urna escrava cabra, cose, engom-
la, lava, cozioha, faz compras e prega urna se-
nhora : na ra da Praia, sobrado no primeiro
andar n. 31, ahi a ver e tratar de seu ajuste.
A commissao liquidadora dos ere-
dores da massa do fallecido Manoel
Buarque de Macedo Lima, pedeaosSrs.
devedores a referida casa que se diri-
am a satisfazer seus dbitos a referida
comrnmo todos os dias uteis das 10 ho-
ras dlnnanhaa as 2 da tarde na ra da
Cadeia do Recite n. 26, primeiro andar.
A commissao roga mais a esses Srs. de-
vedores, que nSo. a obrigue a tancar
mao dos meios judiciaes ou do jornal
para haver essas importancias de que
sao seus de redores.
A commissao liquidadora' dos credorea da
casa do fallecido Hanoel Buarque de Macedo Li-
ma, roga aquellas pessdas que se julgarem ere-
doras por letras ou coalas de Uf ros, que se diri-
jam com os seus ttulos ras da Cadeia do Re-
cite n. 26, primeiro aodar, daa 10 horas da ma-
nhaa as 2 da tarde, para serem verificados e clas-
siQcados pela referida commissao
Precisa-se alagar urna ama de leite. preferin-
do-se escrav j: a tratar na ros da- Queiruado o,
6, primeiro andar.
No dia 11 as 11 horas,"; fluoVs audiencia
do sr. Dr. juiz de auaentee ae ha de arrematar
a casa terrea da ra de S. Josa n. 8, pertencen-
te a heraoca d* Uada Haria da Paz.
Quem precisar de um moleque para o ser-
vico de casa p mesmo de ra, e assim como de
urna escrava para o servico de casa que sabe
cosinhar eengommar com pereigao, procure oa
ra da Soledade casa terrea n. 46, que achara
com quem tratar e dir o preco que quer porca-
da um mensa I mente de aluguel.
Professor para primeiras e
segundas lettras.
Em um engenho distante 10 leguas desta pra-
;a e 3 da vis frrea, precisa-se de um professor
que ensinecom perteicio primeiras lettras e al-
guna preparatorios da inalruccio secundan, com
especialidade Utico e francs : a pessoa que pa-
ra esse magisterio se acbar habilitada e quizer
exerce-lo mediante um bom ordenado e provar
com testemonhos fidedignos boa conducta civil
e moral dirija-ae a ra da Senssla Nora o. 38,
aoode achara com quem tratar,
Deaappareceu um eacborrinho de raea cai-
go, cor de cioza : quem o tiver leve-o oa ra da
Cruz o. 13 que sera gratificado.
Precisa-se alugar urna escrava pa-
ra o servico de urna casa de familia : na
ra da Cadeia do Recite n. 53, terceiro
andar.
Carvalho, Nogueira & C,
na ra do Vigario n: 9, sacam
sobre Lisboa e Porto.
Quem tiver nm sitio para alagar perto da
praca, que nao passe da ponte de Ucboa, e que
tenha pojo e boa cssa de moradia, dirija as a
ra do Queimado o. 45, das 9 as 4 da tarde.
M*m
Precisa-se de urna ama para casa de pouca fa-
milia ; na praca do Corpo Santo a. 17.
8 ocie da de bancaria.
A morir, Fragoso, Si o tos & C. sacam e tomam
saquea sobre a pra^a de Lisboa.
Aluga-se urna casa em Beberibe : a tratar
com J. I. H. do Reg, na ra do Trapiche n. 34.
Saques sobre Lisboa.
Manoel Ignacio de Oliveira & Filho sacam so-
bre Lisboa : no largo do Corpo Santo, escrip-
torio.
-a##dj
Grabinete medico cirurgico.*
Ra das Flores n. 57.
9 Sero dadssconsfcllas medicaa-cirurgi- m
9 esa pelo Dr. Estevao Gavalcaoti de Albu- dft
querque das 6 as 10 horas ds manla, ac- #
S) cudindo aos chamados com a maior bre- M
j vidade possivel. ~m\
1 Partos.
2.* Molestias de pelle.
3.* dem doaolhoa. Z
4.* dem dos orgaos genilaes. a)
Pralicar toda equalquer operacao em a*
j) seu gabinete oa em casa doa doentes con- Z
a) forme Ibes fdr mais conveniente. mt
IOTA
exposicaode candieiros
ECONMICOS
____q>
O proprietsno deste eslabelecimento avisa ao
"ublico que contina a ter um riquisslmo e va-
riavel sorlimeutode candieiros para todos os ser-
vicos que se precisar, como um grande deposito
de gaz da melhor qualida Je que lem apparerido,
e experimentado pelos compradores, conhecidos
verdaderamente econmicos.
Candieiros econmicos a gaz.
Candieiros econmicos a gaz,
Candieiros econmicos a gaz.
Candieiros econmicos a gaz.
Candieiros econmicos a gaz.
Na rus Nova n. 20 a 24.
Dentista de Pars.
15 Ra Nova 15
PredsricGaatier.cirHrgiaodentista.ftJ
todas as oparacoes da sua arte ecollocaj
dentesartiietaes, tu "o com a superior -j
dad* perfeieio que as pessoa%atandi-j
dss lhereconhecem.
Tasa agua e psdentifriciosete.
O agente Hyppolito por ordem dos
Srs. N. O. Bieber C. successores por
conta e risco de quem perteocer e des-
pacho do Hlm. Sr. inspector da tlfan-
dega levara' a leilio na porta da dan-
Claudio Dubeux faz scienle aos seus amigos e
freguezes de mnibus que de ora em diante ven-
der os bilheles de entrada para os seus mni-
bus a 808 o col, e que a menos porcao que
vende de 25 bilheles cujos bilhetes servirn pa-
ra qualquer districto meos o de Jaboatao. '
m Thomazde Paria saca para o Rio
d Janeiro e Pars, roa do Trapiche nu-
mero 40.
Preciaa-ae de ama criada portuguesa para
engoramar coaer : na roa Novan. 38.
Desappareceu do sitio das Roseirss, na es-
trada do Rosarinho um cavallo padres, grande
descarnado, andador baiso ; quem o aprehen-
r, leve-o ao mesmo ailio, que ser recompen-
MGO.
Ama.
5, segando andar,
Na ra dss Larangeras n.
preiss-se de urna asas.
Precisa-se de ama ama que compra e co-
itohe r oa daa Crazas a. 90, primeiro andar.
Pica em meo poder, perleocente ao Sr, An-
tonio Joaquim daKlvs Pjgaeirado.de Hael, o
bilhete ioteiro da*B. 5245 da oitava p.irte da quar-
ta quinta da quinta lotera do GyaraMio Per-
Bambucano.-MiDosI Jos Machado.
Av
ISO.
da escuna hambur-
pessoas que titerero
sa apre-
-^
B
o
a
o.
m
B "*'
r P 8
BP
O
ajfmffWTOfw-fmnf
Casa de saude.
O Dr. Ignacio Firmo Xavier fas publico que
leu reorganisado a sua casa do ssude, na grande
caaa, propriedade do mesmo sitio em que exists
o ssu anligo eslabelecimenlo dessa ordem, que
fiea ao norte da estrada da Pasaagem da Magdale-
na, entre a ponte grande e pequea do Chora-
menino, onde contina a receber doentes do to-
das ss calhegorias, o ambos os sexos, afiaocando
o melhor Iratamenio pelo menor prego possivel.
O sea estabelecimenlo acha-ae montado com
todo asseio e na melhor ordem, e para mais com-
modidade das pessoas possuidoraa de esersvos, e
para aquellas que neile se quiserem tratar, tem
determinado as mui razoaveia diarias abaixo de-
claradas.
As opersces sero justas previamente, e se-
paradamente daa diarlas, cootralsm-se tratamen-
loa por juste, podeodo os doentes curar-se tam-
bera pela homeopalhia, para o que lem commo-
dos reservados.
O aervico medico ser feito pelo dictincto ci-
rurgio operador do graode hospital de^aridade,
o III m. Sr. Jos Francisco Pinto Guimaraes e pe-
lo proprietario-do estabelecimenlo.
Este estabelecimenlo recommendavel j pela
boa casa de que diapoe, e j pelas condicoes hy-
gieoiess em que -se scha edificada, pelo local,
que alem de ser perto da cidade agradavel.
O seu proprietario espere, portaoto, doa seus
amigos, amigos freguezes e mais pessoa, s sa
cooperago em bem do progreaso de seu estabe-
lecimenlo, paraliaado por nao poder adiar se
testa delle, em vjrtade de haver sido accommet-
tido de urna grave eofeimidade; porm hoje que
se acha completamente restabelecido, promette
esforcar-se na boa ordem e direceo do tratamen-
lo doa doentes.
Diariasescravo's l60O.
5." ordem 2S400.
1.a ordem 39000.
Para entrada dos doentes sedever tratar com
o referido Dr. Firmo, na casa de sua residencia,
ra nova de Santa Hita n. 7, com frente para a
ribeira do peixe, ou no seu estabelecimenlo.
_ O abaixo assigoado, tendo vendido a aua
loja de miudezas sita na ra do Imperador, faz
sciente ao publico e aos seos freguezes, e deve-
dores, que mudoo s sua residencia para a ra das
Trincbeirss, sobrado o. 48, primeiro andar.
Joaquim Heoriques da Silva.
Quem precisar de urna ptima ama para o
servico interno de urna casa de pouca familia,
inclusive o engurruado, dirija-ae a travessa do
Carmo 10, loja.
Victorino Teixeira Leite, subdito porluguez,
vai ao Rio de Janeiro.
Moote Pi Popular per-
oambucano.
Domingo 13 do correal* haver socalo do aa-
aembla geral para se proceder a eleicio do com-
seiho administrativo que tem de substituir o exis-
tente : devendo comparecer para dito fies os so-
nhores socios que estiverem em dia
Secretara do Monte Pi Popaler Pernsaikwca-
no 11) de outubro de 1861.
Joo Francisco Marques,
1.a secretario.
Ainda se traspassa a poste de algaaa terre-
no* qne inda restam na primeia segaota na
projeclada por detraz da roa da Ceacordia coas
frente para a travesss do Monleiro, o outros cosa
frente para a travessa do Caldeireiro, conteode 30
palmos de frente e 150 de fundo cada asa, TsTsra
cendo todas aacommodidadea para ao ediflearoas:
os pretendentes podem eoteoder-so cesa abaixo
assignsdo, morador na ra larga do losarle a
18, padaria deManoel Antonio do J
Quem precissr do ama criada
para o serico interno do urna caaa,
nhar, dirija-se a ra do Apollo n.
andar.
Quem quizer alugar um ailio com boa caaa
d* vivenda baixas com eapim, arvorodoa, etc.
no lugar da Torre, dirijaoo a praca da IadOMOl-
dencie ns. 6 e 8. -
Hoje 11 do corrente, na audiencia do Illas.
r. Dr.juiz deorphos, pelas 11 horas, tosa da
ser a ultima praca do arreodamento da caaa
14 sita na ra do Crespo, que por motivo deiso
ae ser na audiencia paesada, acbaodo-aa eo-
cripto em mo do porteiro, com as coadicoea -
ra o sobredito arrendameoto. *^
1;300,000.
portauroea
moawoeosi-
37, Urceiio
dl^OOf a
em ali
Pedido.
Os abaixo sssignsdos tenham a bondade de
apparecer na ra Nova n. 21, loja do Germano.
Jos Antonio Ferreirs da Silva.
Francisco Xsvier Venancio Pimenta:
Pedro de Aasis Campos.
Bozebo Bezerra Cavalcanti.
Manoel Rezendo do Reg Barros. ^
Alugam-se o segundo e terceiro andares
com soto da casa da ra do Trapiche n. 44 ; a
tratar no mesmo srmsxem de fazendas.
Ensino de preparatorios.
O bacharel A. R. de Torrea Bandeira, professor
de geograpbia e historia antiga no Gymnasio des-
ta provincia, tem resolvido abrir novos caraos de
rhetorica.de geographia e de philoaophia, assim
como das lioguss franceza e iagleza, a principiar
do dia 20 do corrente ; na caaa de aua residen-
cia ra do Imperador n. 37, segundo andar, en-
trada a direila.
CONSULTORIO ESPECIAL HOHEOPATHICO
DO DOCTOS
SABINO O.L. PINHO.
Ra de Santo Amaro (Mundo
Novo) n. 6.
Consultas todos os dias atis desde as 10 horas
at meio dia, acerca das seguintes molestiaa :
molutiat da mulheres, molestia da crian-
car, moletiiat da pelle, moleitiat do olhos, mo-
lestia sypkilitieas, toda a especie de feore,
febre intermitiente etua eontequeneiat,
r-HARMACU ESPECIAL H0ME0PATH1CA .
Verdadeiros medicamentos homeopathieos pre-
!tarados som todas as cautelas aeceaaariaa, in-
alliveis em seus effeitos, tanto em tiotura, como
em glbulos, pelos procos mais commodos pos-
siveis.
N. B. Os medicamentos do Dr. Sitino sao
rucamente vendidos em sua pharmacia; todoa
que o forem lora della sao falsas.
Todaaascarleiraa sao acompanhadas de um
impreaso com um emblema em relevo, tendo ao
redor as seguintes pslsvrss : Dr. Sabino O. L.
Pinho, medico brasileiro. Este emblema poato
Igualmente na lista dos medicamentos que se pe-
As carteira* que nao levarem esse impreseo
do.
Julius A. Hener capillo
gueza Fanny, avisa as
contas com elle e com a dila escuna
sentar al sextafeira 11 dea*utubro al
horas da tarde nao se responsabilisando por
aquellas que forem apreseDladaa depois deste
da o hora : na ra da Cruz em casa dos consig-
natarios N. O. Bieber A C. successores. 8
-Antonio Joaquim Alvesesua me Bonifa-
da Julia Alves, retiram-se para o Rio do Ja-
neiro.
Sitios para alugar.
caa em
Aluga-ae um excellente sitio com boa ca
Bemflca. a margem do Capibaribe; e outro
lugar dos emedios. drfronte da igreja : a tratar
com A. VS Barroca, no largo de Bemflca oa aa
ra da Cadeia do Recite n. 47
Apromplam-se bombas de todas as anati.
dados em cacimbas enlos recebo o aioste em
quanto nio estiver a vont.de do dono : defrolo
da matriz da Boa-Visto n.4, o aa CopSK
berna grande dos 4 cantos. V g
_ tL,,a "/lancoador, mora na roa da Pal-
ma n 73, sonde podo aer proenrado para balan-
?os o oacriptoracaojor partidasdobradao oo sim-
O abaixo assfgoado fax acieote a todos os
aeus devedores, que desde o da 7 do corrate
mez oixoa oo Cavaleao de Albuquerque .ssUssa ais
o mesmo tem andado em eebraaeao, provino que
ola leva om conu recibo algum que- fot apro-
sentsdo, sssim como fleoro obligados a nsasr
somento ao aba'xo assigoado.
Justinisno Augosto do Olivsira.
assim marcado, embora tenham na lampa o no-
mo do Dr. Sabino sao falsos.
-1- O Sr. acadmico do terceiro armo
JoSo Jos de Moura Magalhaes, queira
apparecer a ra das Gruzes n. 44, se-
gundo andar.
Na travessa da ra das Gruzes n.
2, primeiro andar, continua se a tingir
com toda a pereicao para qualquer
cor e o mais barato possivel.
Aluga-se urna excellente casa de
campo com todas as commodidades de
familia, com sitio grande, cocheira, es-
tribara etc., a casa construida ha poj-
co tempo com trra90 a roda, sita .
entrada do Poco: a tratar com os pro-
prietariosN. Bieber & C., successo-
res, ra da Cruz n. 4.
Manoel Alves Guerra saca aobre o Rio de
Janeiro.
Frederico Chaves aluga sea sobrado sito no
Poco da Panella, com mullos boos commodos.
jardim aoa ladoa, casa para criados, cocheirs, es-
tribara, e bom terraco ao lado do sobrado ; a
tratar na ra da Imperatrii n. 19.
Preciss-so alagar um andar de caaa, que
tenha bons commodos para familia: na ra do
Imperador n. 67 2o andar.
O abaixo assignsdo, tendo ha tres mezes aca-
bado com a sua loja de calcado sita os ra larga
do Rosario o. 32, o como nao tenha sido possivel
por mais que tenhs pedido, por tres mezes, por
estafolha, a pessoas que se acham a dever que
venham pagar auas contas, e como tenha sido
deaprezado pelos seus devedores este pedido, por
isso eat resolvido a chama-loa por esta folha,
sendo que nestes oito dias nlo atienda as auas
justas reclamscoes. Josquim Bernardo do Res.
Aluga-se urna casa na Boaviagem com bons
commodos ; a tratar oa ra do Imperador n. 67.
Precisa-se do urna ama para cozinhar ; na
roa das Cruzes n. 36.
Precisa-se de urna ama para todo servico
de urna casa de pouca familia ; na ra do Aragao
numero 12.
Sitio para alugar.
Aluga-se o sitio do Mooleiro, com bos casa,
aonde morou o fallecido pai do annunciante, lea
cocheira, estribara etc. ; a tratar com Manoel
Aires Guerra, na ra do Trapiche o. 14.
Attenco.
Lembramoa ao lllm. Sr. Dr. juiz de orphioa
que lsnce auas vstaa para as partilhas que se
tem de fazer do tenenie-coronel Jos Claudino
Leite i beneficio dos orpbos de menor idade,
cujos orphios ainda nao teem seus tutores, por
iato que se faz preciso s alienlo de V. S. a tal
obra de cardade qne ae pode fazer aoa ditos or-
phios de tal pai, assim como nos consta que os
escravos j em esiado de se enterrarem foram es-
tes que osberdeiros botsram para a terca doa or-
phos de menor idade, poristo vsmos pedir a at-
tenco de V, S. a justica necessaria de laucar
suas vistas para semelhante partiiha que pretcn
dem fazer. Urna pessoa que sesuppoe e que
nao .O admirador de Santo Aolio Invisivel.
Offerece-se um rapaz porluguez para cai-
xeira de taberna, com alguma pratica ; na ra das
Cruzea n. 31..
Aluga-se a loja do sobrado n. 19 da ra da
Imperalriz ; a tratar no mesmo sobrado com
Frederico Chaves.
Sexta-freira 18 do corrente, Onda a audien-
cia do Sr. Dr. juiz municipal da 1 vara, aera ar-
rematado em pra$a publica por venda o engenho
Aguas Bellas com lodos seus pertences em leras
proprias. boas malas virgena e varzeas para plan-
lacao bom pasto para aniones, perto da praca por
ser ns freguezis dos Afogados, casa de moradia
etc. etc., aaaliado por 16:000, por execuco de
Jos Faustino de Lemos contra Jos Rodiigues de
Oliveira Lima.
Amorim Irmos, consignatarios do brigue
porluguez Msrgaiida. recenlemente chegado de
Lisboa, avisam ao Sr. Jos Antonio Soares, que
no trapiche da alfandega existem 8 caixas com
cebla, 5 ditas com btalas e 2 ditas com alhos,
vindas neste navio, das quaea queira mandar to-
mar conta.
Jos Domingues Gongalves, relira-se para
fora da provincia.
o hospital militar precisa de um ho-
Na ra Direila n. 1, ae dir quem
juroa com seguranza do hypolheca
caaa nesta cidade.
Na ra de Aguaa-Verdes n. 4 precisa-se 4o
Antonio Comea Bapliata Jnior aecue Ma
o Rio de Janeiro. r^
Precisa-se de uros sma para o sorvico do
urna casa de urna s pessoa : detras da ssatrit do
Sanio Aolooio, sobrado, primeiro aodar.
He rece- se um moco ponegaez para 00-
cheiro de casa particular, trata besa do oa trena
que se entrega : quem precisar, dirija se a twm.
daa Cruzea n. 29.
, r .a^,fx.0 ta>ado, morador oa rao do Ca-
deia do Recite n. 42, previne aoa ahoras oarvao
ou oulras quaesquer pessoas a quem forem oaTo
recidas algumas colheres de prata pora sopa eosa
as ioiciaes J. L. V., que tendo sido roobadao oo
mesmo abaixo assigoado, et apprehendaaa; altea
rog mais que denuncien o ladrio ao imams
abaixo assignsdo, oa s autoridades anlirtaca'
recahindo/ss suspeius sobre alguna escrava* a
o abaixo assigoado possue, promette gratificar a
pessoa que descobrir o roubo.
Antonio Maoeel Bastos.
Alugam-se o segundo o terceiro andares da
caaa da ruado Amonas a. 41, proprioa ajara
grande familia, com vlata para o mar ; a tratar
00 armazem da meama casa.
PADAIU.
Aluga-se a padaria da traveaaa do Pires, a qaal
est prompla de todo, com muito boas commo-
dos, e est ainda trabalhando, sendo aea alocad
muito commodo ; a tratar na roa da Seazala Noto
numero 30.
O abaxe assigoado, como invoolariaalo. o
um dos berdeirosdos bena de seu fallecido pai' o
coronel Jos Claudino Leite, responde a aoa ao-
nuncio que sabio publicado o tal* Diario do dia 7
do corrente mez sob s epicrapheUrna porgaata
que nao offeodeque o partiiha dos diteo boao
j foi feila ejulgada porsentenca aaaailoa mezes
que logo que isso se dea. nao s entrego* aoa
herdeiroe os pequeos quiohoeo qao Ibes coa be-
rsm, como testameoteira 00 boao qao foraat se-
parados para o cumprimeoto doa legados aja* a
testamenleira de posae de tees beas inmediata-
mente requereu ao Dr. juis dos orpnaea qao boa-
vesse de nomear tutor aos orphios legatario* po-
ra que ella podease entregar-I he 00 ditoa boao, o
delies flcir exonerada ; qao al o preseal* alo
ae nomeon tal tutor, naturalmente por nao oo ter
encontrado pessoa quede tal cargo 00 oooira w-
cumbir.
O autor da pergunta ae quer ter ama prava do
que fica dito, recorra no carlorio do eacrivio Bea-
to, por onde correu o inveolario, que ti
trar a verdade. Se se compadece sinceran
dos orphios, e nio algum aveotoreira qao pre-
tenda pescar nss aguaa larvas, indique ao Dr.
juiz dos orphios pesaos idnea para talar dio"
posta a aceitar aemelhiot* cargo, qae ser tlea
dido pelo Dr. juiz dos orphios, com o qao al K-
f rara a testsmeoteira de ama rsspeaaaHHdtdo
que carrega. Kecife 10 do outubro de fflfl.
Augusto Coelbo Leite.
[Jos Jaciolho Raposo Reg Modeiroo
O bacharel SiUino Cavalcauti de Albu
querque lem seu oacriptorio de advoca- T
ca aberto oa ra eslreita do Rosario n. W
m 10, onde poder ser procurado lodos os m\
a diaa das 9 horaada msnhia is 5 da larde, a
* ** 99
Aluga-se.
Urna caaa com graneles commodos paro grande
a! **> Nova, confronte o Dr* Poroi-
ra do Carmo, ama dita taco bem com mallo* com-
modos no principio da estrada doa Aflictos, o
agua de beber; a tratar ao sillo do Choro Me-
nino.
Aluga-se urna caaa com boas commodos, o
Diboarcq, no Cabanga
mem que saiba 1er e que esteja as con-
dicQea de exercer o lugar de ajudanle de
enfermeiro.
Preaisa-se de urna ama para o servico de
urna caaa de.pouca familia : na ra do Livramen-
to n. 9, segundo aodar.
Antonio Alberto de Souza Agotar, faz acen-
- quem possa intereasar que nao deu e nem
te
d seu consenlimenlo a Mano 1 de Azevedo Al-
meda, para vender aoa taberna sem que o mes-
mo Almeida saldo aua conta com o supradito.
Preciaa-sede urna ama para cass de fami-
lia : na Boa-Vista ao rollar para a ra dos Pires
terceiro sobrado.
Os procuradores do casal do fallecido Jlo
Henriques da Silva pede aoa Srs. proprietarios
que tem predios 'as ras da Aurora, Impera-
tris, becco de Joio Fernandes Vieira, Arago,
Prea, Carnario, Tambi, Conceico, airaz da
matriz. Hospicio, Sania Cruz, praca, Rosario e
becco da Bomba, que alo foreiras ao vinculo de
N. S. da Conceico dos Coqueiros, terern a bon-
dade de mandaren) pagar os feros que estiverem
vencidos do que ilear agradecido aos mesmos
senhores : no pateo do Csrmo o. 15, no primeiro
andar, a qualquer hora do dia.
SOCIEDADE BASCARA-
Amorim, Fragoso Santos
& Companhia
pagam o terceiro dividendo.
Alugam-se dusseaasa na ladeira do Vara-
ouro de Olioda ns. 60 e 61. e os sobrados na
ra de Santa Rita n. 27; na ra Nova a. 47. se-
gundo sndar.
-- Precisa-se alagar duas eacravaa para todo
servico de casa e de ra : a tratar aa ra da Glo-
ria n 79.
, Aluga-aesuma boa casa 00 Poco da Panella
taa1 do Hio o. lo, com 2 salas 3 qvartoa, co-
Slnna fora e quintal grande, a pela feela ou en-
naalmeote :aa roa do Arsgio o. 8.
- Aluga-eo um sitio por detras do palacio do
Sr. bispo *m Olinda : a tratar na roa dos Guara-
rapes 0. 46.
No dia 10 do corrente em diante acbar-se-
a todas sismaohias janto ao porllo da eslaclo
? Oao E>S leste poro a 320 a garrafa, das 7
at aa 8 li2 horai.
, Precisa-So do urna ama para cozinhir a u
moco soltairo ; s tratar daa 4 horas at as 6 da
tardo, em Sanio Amaro, terceiro casa terrea de-
frente da caso do saude.
tello-Branco, da cidade de Poota-delgada, da itao
de S. Miguel+previae ao respeilavel paMico
que ninouem contrate, permute oa afore bea
alguna perlencentes i cass vincular deaoaaaoda
Castello-Branco, existentes os mesmoa boato
na dita ilha, e que io leudamente o do sai i
adniioiatri intrusamente Aolooio Merelra Cordei-
ro. intitulado Casiello-Branco, rratdaaU aj,
villa de S. Jos de Mipib, do Rio Graode do>
Norte, por que o aonunciaote lem em jaito oa
comarca d'aquella cidade e ilha aec.io do reivia-
dica^ao dos mesmos beos pelo carlorio do escri-
vao Luiz Msiia de lforaea Jnior com dila An-
tonio lloreira Curdeiro, instalada em 91 do oa-
tubro do 1853; por isso qao loes boas rtrlaacem
ao annunciante por legitima sacnsois, coaso
igualmente eale Um com o mesaio Morera Cor-
deiro, caasa de habilitadlo appeilada ao Irvaastal
da relacio dos Acores pelo carlorio de eacrivio
da mesma Jos Pereira da Cmara, eos
de se haverem de neohum Bailo siskill
contratos, quando se atlrevam a fasi-los. F
la-delgaas na ilha de S. Miguel, 17 do agesto
1861.Jos Jaciotho Rspozo Reg Medeii
Castello-Branco.
Lices
de liogus nacional, latim, iaglez erraacoaesa ca-
sas particulares, sendo sa lices de ittglez o araa-
cez pelo excelleole methodo d'OUeadorff, metko-
do pelo qual ensinsm-so Oiflerealea Isagaoo aa
Europa ; na verdade o aaico qao om poaco
lempo pode ensinar a faltar, oocraver e tradossr
urna hugua estranba com perfeieio : rao da ma-
iriz da Boa-Viata o. 34
Aluga-ae o primeiro andar do aabsado aa
ra do Amorim n. 39 ; a IraUr aa travoaaa da
aladre de Deoa n. 15.
Alexandre Makmsckim, subdito leales, ro-
tira-se para ori da provincia.
Compras.
Compra-se
cabellos compridos.
Na roa do Queimado casa do eabelieireire.
Compra-se moedas de 20|: mt\
ra da Cruz n. 48, paga-ge mais do
que em outra qualquer parte.
IriHites.
Compra-se um par de reeotao do brilbeateo oa
um psr de botea ou doaa brilaaatoo strltaa. po-
rm que sejam iguaea; uaga-ao aoa : ao Coa-
boa do Carmo a. 6.
Compra-ao urna preta qae saiba boa cosi-
nhar e engoramar ; a tratar ao rao oa Tifssa do
Recito n. 28. primeiro oadar.
Compra-so amo prete o ama aalata osa
sejam perfaitas coaiaheiras. oagoaaadoarao o
r'V a."-"" *' Cr" rtHaaa do
Azevedo & Meodes.
Coaprsm-M meadas do aaro e patacoao
hapaoboe. o caobo d Culos 111 o lili, oo na
Nov* a. 23.
-- Compra-te a arete qao oie tmji
ao fuadicio do Aerara, a qualqoer tota j
e yende-se urna caaoo do cernir oa
catado.
Compram-se escravos
r.Sr^'
a^llsiaaaaalai
ata.


mmm
DiAIK
Smrit; ns -*
BBA U M OUTUIRO DI 1181.
I ;*#>W,** S^V*
------
balaoca grande con peso*
iraca da Boa-Vista
-.
' Compra-ae uk
al 5 arrobas;
numero 18.
Coapram-se l I cadeiraa de Jacaranda em
bom estado i a tratar na ra do Vigario n. 8.

Vendas.
N.
*
A ultima hora.
Aeabadeehegsr laja de Gama & Silva, na
ra da lmperatriz o. 60, aonde lera o pav&o pin-
tado do lado de (ora, as fazendas seguintes :
Ricos cortea- de tarlalana bordados a seda por
ltrOOO
Gamisiobaa cora golliobas bordadas e tambero
manguitos, fazanda da avilo gosto, que sempre
se Tendea por 19, vende-se pelo barstirsimo
preco de 5.
Ditas, golliobas e maDguitoa bordados multo
finoi a U*
DUa, ditaa dltoa ditos a 19500.
Golliobas bardadas com traapasso a 1$.
Ditas muito foas sem ser de traapaaso a 640.
Ditaa ditaa dito a 500 ra.
Manguitos de eambraia bordados a 1|.
Ditos de dita ditos a 800 rs.
Ricos chapeos de sol para senbora a 4$.
Lencos de eambraia de Itabo bordados para se-
nbora a 85.
Ditos de dita dito multo finos 2)560.'
Chales de merino preto franja de retroz a 5|.
Mantea de fil preto para senhora a 4*.
Saias a 3,200.
Vendem-se salas que fazos as vezas de bilo,
nao lendo arcos de metal-e sim do mesmo panno,
lavam-se e engommam-se cono qualquer outra
sais, pelo que ae tornara muito mais commoda, a
dez patacas cada urna ; na roa da Imparatriz o.
60, toja do pavao.
4dmiravel pechincha
ua loja do pavo.
Admiravel pechincha, na loja do pavo, ra
da Impeatrizu. 60, de Gama & Silva, vendem-
se flniseimo* corles de eambraia de seda com 2
babadoa a 4|50O. ditos de avental a 3*500, ditos
de daaasalaaa S9500, ditos de eambraia branca
muito fina com babadoa e deas saias a 49, ditos
brancos, eambraia de seda, coro babadoa a 69, di-
tos de phaolazia com babados de rarias cores a
8J00O.
Anda o pavo.
Vendem-s"pecas de eambraia decarocinhos,
fazenda muito fina, cosa 17 varas, pelo baratsi-
mo prego de 88 a peca, ditas com 8 3(4 varas a
43, pegas de ditas adamascadas e com urna vara
de largura a 3J500 a peca ; oa ra da lmperatriz
n. 60, loja do' pavo.
Vend-se urna cabra (bicho) com 3 Qlhos,
ora bastante leile para amamantar urna crianza ;
na ra da Gloria a. 33.
Pede-se toda attenco.
So na loja da aguia de ouro rea do Cabugi n.
1 B., tem para vender ricos espelhos com mol-
dar* donrada ou^reta proprios para salas, que
vista dos compradores nao deizar de agradar pe-
lo excedente vidro que tem e se venda por pre-
go muito commodo.
Pentes.
Vende-se os lindos pentes tanto de tartaruga
como de massa para alar cabello, assim como de
borracha para menina segarar cabello e desem-
barazar e de ootras myitas qualidades que se
vende por pregos baratissimos.
Brinquedos proprios para
meuiQos.
Veniem-ae oa lindoa bonecos com corda que
anda urna milha por ora, assim como de oulras
muitas qualidades.
I
36, roa das Cruzes de Santo Antonio, 36,
PROGRESSIVO
A. F. Duarte Almeido, socio que foi do armazem progresso, faz sciente aos seus fre-
Calcado
Bandeijas
Vendem-se bandeijss de todos os lmannos por
pregos que admira para acabar, assim como para
copos a 200 rs. e a 29 a duzia.
Capellas para noivas.
Vendem-se lindas capailas brancas muito
proprias para casamento qaa se vende por
5$ e 6J> e muito fina a 10$. assim como bieos e
utas, franjas e outros muitos mais objectos que
se tornara enfadoobo annuneiar que se afflanga
ven ler o mais barato que for poasivel por se
querer liquidar : ludo lato s na loja da aguia de
ouro rus do Gabug n. 1 B.
Roa Novan. 46.
Garibaldi.
JoaquimFerrelra da Costa, parlecipa, o res-
peilavel publico e com eapecialiJade aos seus
numerosos fregueses tanto da pr$a como do
mato, que acaba de receberde Pars pelo ulti-
mo navio ama nova factura de chapeos de seoho-
fa e meninas, como seja veludo, pslba e seda e
tambera se encontrar um completo sorttmento
de chapeos para hornera, de feltro copa baixa e
altos de lootra, francezes, lambeilik, castor
branca prova d'agua, ditos para a festa que sao
frescos* na caneca e oa bolsa, e tambem para os
religiosos franciscanos, chr'gados ltimamente
de Lisboa. No mesmo esiabelecimento acha-se
um complete sortimento de fumo da Bahia que
se vende por atacado e aretalho, um bom
aort'meoto de charutos come seja Havaoa, ma-
ailha e os afamados flor do Brasil, suspiros a-
praziveis, regala imperial, guanabaras, pari-
sienses, e todos os charutos do afamado autor
Simas, e Candido Perreira Jorge.
Liquidado de
calcado francez,
ra da lmpera-
triz n, 16.
Vende-se calgado fraacez para senhoras, me-
niaoa meninas por toda e qualquer prego, em
raso dos proprietarios deate esiabelecimento,
teresD de sortir novamente para a (esta e qnere-
rem acabar eom todo o calcado que no mesmo
atabecjaaeato existir; assim como pedem mui
respetteaaaieole- aos seas devedoree obsequio
de virem pigar as importancias de aaus dbitos,
visto que do 1* de novembro prximo futuro em
diante serio entregue todas as contas a um soli-
citador aflai de as recebar como Julgar conve-
niente; Cazemas portanto o presente aonuncio,
afim de que nao baja como houve quera se quei-
xasse do meto que empregaraes para esse Ora.
Aviso aos nacionaes e es-
trangeros.
Cbegaram s afamados filtradores ioglezes de
patente, propios pira purificar agua, vendem-
se baratos, e sao poucos : na rus da Cadeia do
\ecife n. 8, armazem.
guezes que tendo separado a sociedade que iinha com seu mauo, acha-se de novo estabele-
cido com dous a ceiados armazens de molhados, associado com o Sr. Joaquim Jos Gomes
de Souza, e o Sr. Paulo Ferreira da Silva; o primeiro na razao de Duarte A Souza, e o segundo
na de Duarte Almeida A Silva: cates estabelecimentos oTerecem grandes vantagens ao pu-
blico, nao s na liwpeza e asseio com que se acham montados, como em commodidade de
preco, pois que para isso resolveram os proprietarios mandarem vir parte de seus gneros
em direitura, a fin de terem sempre completo sortimento, como tambem poderem offerecer
ao publico ama vanugem de menos 10 por canto do proco qaa posaam comprar em outra qualquer parte, por isso desejando os proprietarios acredi-
taren) seua estabelecimentos tem deliberado garantirem toda e qualquer qnalidade de gneros vendidos em seus armazens, a assim j podara ver o
publico que pode mandar suas encoramendas, mesmo por pessoas poueo prstieas, em qualquer um dosleseslabeleciraenios, que sero tao bem servi-
dos como se viessem pessoal mente, na corteza de nanea acbarem o contrario de nossos annuneios, e assim fundados as vantagens que oBerecemos,
pedimos a lodosos senhores da praca, senhores de engenho elavradores que mandem ao menos suas encommandas a' primeiravez, afim de experi-
mentar, certos de continuaren!, pois que para isso nao pouparo os proprietarios foreas para bem ser virem aquellas pessoas que frequentarem nossos
estabelecimentos, abaixo traoscrevemos algumas adiedes de nossos prados, por onde ver 0 publico que vendemos baratissimo, allendendo as boas
qualidades de nossos gneros.
Manteiga ingieza especialmente escollhida a 800 rs. a libra e em porgao a 750, recommenda-se aos apreciadores destete genero que
mandem ao menos experimentar, serlos de nada perderem pois para isso confirmamos o que levamos dito.
dem franCOZa a melhor do mercado a 640 rs. a libra e em barris a razio de 600 rs. a libra
Cha hySSOn e pretO o melhor do mercado de 19700 a 21880 eem porcao ter abatiraento, eafianea-cs a toa qualidade.
Presunto fiambre inglez < hamborguez a 900 n. a libra e em poreao a 800 rs.
Presuntos portUgUezeS vindos do Porto de easa particular a 560 rs. por libra a inleiro a 460 rs.
Marmelada dos melhores autores de Lisboa premiada as exposices universaes de Londres e Pars a 19800 a lata.
CaixaS COm estrelinha pevide e rodinha a 79000 a caixa e800 rs. a libra eem porcao ter abatimento.
Latas de ameixas francesas com cinco libras a 49000 e 19000 a libra.
PaSSaS em eaixinhas de oilo libras, as melhores do mercado a 2000 e a 400 rs. a libra e caixa de urna anoba a 79000.
Espermacete Superior 720 rs: em caixa e a 740 rs. a libra.
Conservas francezas inglezas e portuguezas a 600 e soo rs. o (rasco.
ErVllnaS portuguesas e francesas a 800 rs. o frasco afianca-se serena as mais bem preparadas que tem vindo ao mercado.
Lata COIC bolaxinha de SOda de diversas qualidades, a muito nava a 19450. e grandes de 4 a 8 libras de 255CO a 4*500.
YinhO em garrafas Duque de Porto, Porto fino, genuino, nctar, Carcavellos, Madeira secca, Feitoria e Camones a 19200 a 19360
a garrafa ea 139 a duzia.
Vinho em pipa proprios para pasto de 5O0 a 600 rs. a garrafa ede 39800 a 49800 a caada.
Latas COm frUCtas de todas as qualidades que ha em Portugal de 700 a 19000 a lata.
Pera em CaixaS de 4 a 8 libras a melhor que se tde desojar e tem vindo ao mercado de 49 a 69 a caixa e 19280 a libra.
CorlnthiaS em frascos de 1 1|2 a 2 libras de 19600 a 29200.
Latas COm peixe Savel pescada e outras muitas qualidades o mais bem arranjado que tero vindo ao nosso mercado de 19400 a 19600
Caf do Rio 0 melhor que ha a 240 rs. a libra e a 280 rs. o lavado.
rraSCOS de amendoa com 2 libras, proprias para.mimos, por seren muito bem enfeitadas e de superior qualidade a 39 eada um.
Vinagre branco o melhor que temos tido no mercado a 400 rs. a garrafa e 29560 a caada.
LOminnO e erva doce os mais novos que ha no mercado a 800 a libra do cominho e a 400 rs. a eeva doce.
VinhO BordeaUX de boa qualidade a 800 e 1^ garrafa,ede 89500 a 109000 a duzia,
MaSSa de tomate em latas deuma libra do mais acreditado autor de Lisboa e vinda a pr imeira vez a nosso mercado, de 19 a 19280.
FlgOS nOVOS em eaixinhas de 4, 6, e 8 libras proprios para mimos, por serem muito bem enfeitados de 19500 a 49 e a 400 rs. a libra.
CervejaS das melhores marcas a 500 rs. agarrafa 59000 a duzia da branca.
Vinagre puro de lsboa a 240 rs. a garrafa e 19850 a caada. v
DOCe da gOaba da CaSCa em caixao a 19 e em porgo a 900 rs.
Azeite doce purificado a 800 rs. a garrafa e 99000 a caixa com 12 garrafas. ,
Gognac a melhor qualidade que temos no mercado a 19000 a garrafa e~ 109000 a dusia.
QUIJOS SU1SSOS ehegados ltimamente a 500 rs. e em porgo terabalimenio, afianga-se a boa qualidade.
GeuebTa de Hollanda a 600 rs. o frasco e 69500 a frasqueira com 12 frascos.
PalltOS llXadOS para denles a 200 e 160 rs. o maco com 20 maeinhos, e flor a 280 rs.
dem do gaz a 39000 a groza e 280 a duzia da caixas.
dnOCOiate o mais superior que temos tido no mercado portuguez. hespanhol e francez de 19 a 19200 a libra.
Azeitonas as melhores e mais novas que tem vindo a nosso mercado a 19200 a ancoreta do Porto, e a 29000 as de Lisboa*
AmendOSS chegadas no ultimo navio a 480 rs. a libra e em porgao ter a batimento.
AlpiSta o mais limpo que tem vindo ao mercado a 160 rs. a libra e 59000 por arroba.
_A l*m dos gneros annuaciados .encontrar o publico um completo'sortimento de ludo tendente a molhados.
45 Ra Direita 45
Magnifico sortimento.
Sempre condescendile^ prasenteiro com os
regtiezea^que Ihelrazem dlnhelr, o propieta-
rio desle grande estabelecimanlo continua a of-
erecer ao publico, por pregos mdicos e sempre
nferiores aos de ouiro, o seu bello sortimento
de calgado francez, inglez e brasileiro e vejam :
Homeiii.
Boneguina Vctor Emmanuel. .
couro de porco. ....
lord Pslmeralon (beierro .
> diversos lubricantes(lustre)
John Rustell......
espaldea Nanlea (batera inteira). ,
> patente.........
Sapatos tranca (portugueses). ; .
(franceses).....
9 entrada baiza (sola e vira). .
muito chique (urna sola). .
Senhoras.
Borzeguins primor (Joly)......
brilhsotina...... 5|000
> gaspaalta....... 59OOO
> baixa........ 48800
31,32.83,34. ; 4500
4(000
3J2O0
29240
1*000
> decores 32,33.34.
Sapatoa com sallo (Joly). ,
a franceses fresquiobos.
31, 32. 33 e 34 lustre.
E um rico sortimento de couro de lustre, be-
zerrofrancez, marroquim, sola, vaquetas, cou-
rinhos, fio, taizaa etc., por menos do qne qual-
quer outro poda vender.
Vende-se caf maido e paro a 360, assucar
maacavado a 29 a arroba, a relalho a 70 rs., sar-
dioha de Nantes a 440, cerveja preta a 560, branca
a 480, a verdadeira agurdenle branca a 160 a
gajrafa, azeite de carra pato a 440, cognac a 10200:
|s na taberna dos Santos, ra do Cordoniz n. 1.
Miudezas.
Nulidades do pavo.
A loja de Gama (G
Silva, na ra da lmpera-
triz n. 60, &ba de che-
gar um doto e Variado
sortimento de fazendas,
que vendem por presos
que faz admirar, como
sejam:
Um bonito sorlimento de catsa suisass aiaai-
la;ao de sedas de quadrinhos. que se tendera pa-
lo diminuto preco de 140 rs. o covado.
YW.\\i\hiu\ 11 %40 ts.
Vende-se brilhanlioa com quadrinbos da edr
para vestidos e roupas de meninos a 340 rs.
covado : na ra da lmperatriz a. 90, loja 4o
pavio.
Organdys iISOtf.
Vende-se eassa de organdys de padrees asnita
bonitos a 280 re. o covado : na roa da Iraparatm
o. 60, loja do Pavio.
Chitas a 240 rs.
Vendem-se chitas francesas maito anadiabas,
fazenda que sempre se vendea por aaaa pataca.
e est se acabando a doza vinteas : na ra 4a
lmperatriz n. 60, loja do pavlo.
Gurguro a 400 rs.
Vende-se gorgurio anludlnbo proprio para ves-
tidos e capas para senhoras e para roupas da sso-
nioos, pelo diminuto preco de 400 ra. o covade :
na roa da lmperatriz o. 60. loja do pavia.
Las a 400 rs
Vendem-se Uazinbas entestadas para vestida*,
fazenda de muito bom goato, pelo diminuto pre-
to de cruzado o covado : na raa da lmperatriz
n. 60, loja dopaVao.
Com barras e babados.
Vende-se fioissimoe cortea da camamas para
I vestidos, com barras e de babados, pele aaratisai-
da Im-
105000
109000
99500
9J0OO
8|00
59500
59OOO
25000
lg500
5|500
38000
5J500
pi?^- K.Pff.?6?lSd?MfS0DS"n,a
zas na ra do Crespo n. 3, junto ao arco de San-
to Antonio, est resolvido a vender barato e a
aervir bem aa pessoas que ae digoarem ir ou man-
dar ao seo esiabelecimento comprar qualquer
qualidade de miudeza, afiancando-lbes 0 maior
boa f e o mdico preco daa mercadoriss em re-
lacio qualidade : oa precos que abaixo se no-
tara nao deixarao de agradar: cintoa fios com
vela dourada eprateada, proprioa para senhora
a 29 e 2*500 cada um, linhae do gaz, novello
grande a 80 rs., e em caixa de 12 novellos a 800
rs. a ralis, ditas de dito, no vello pequeo a 20,
30 e 40 rs: o novello, e em caixas de 50 ditos a
600. 800 e 19 a caixa, ditas de dito de todas as
cores a 30 e 40 rs. o novello, e em caixa de 30
novellos a 800 e 900 rs. a caixa, miadas de linho
para bordar a 80 rs., e massinhos com 12 ditas a
600 rs., linhas de carretel de"400 jardas a 60 e
80 rs. o carretel, ditas de dito de 100 ditas a 30
e 40 rs. dito, cartio com 14 pares de clcheles a
60 rs., e em duzia a 600 rs., ditos cora 24 pares
de ditos a 90 e 100 re., e em dusia a l9. corddes
para enfiar espartilhoa a 60 e 80 rs. cada um,
caixas com agulbss francezas a 160, 240 e 320
a caixa de 4 papis, carleiras com ditas, supe-
rior qualidade, a 400 ra., pentea pretoa para alisar
a 240, 280 e 320 cada um, ditoa amarelloa a imi-
tacio dennicorne a 400 e 500 rs., ditos de tar-
taruga para atar cabello 4 49500 e 5J, ditos a
imitaco de tartaruga, obra boa a 800 e If, te-
souras finas para costura a 400,600 e 800 rs. cada
urna, ditas para unhas a 500 e 800 rs., ditas para
costura com toque de ferrugem a 100 e 200 rs..
folbas de papel bordado e com envelopes a 160
rs. a foiha, dito de cores de quadrinhos a 100 rs.
o caderno : alem destas mercadorias tem outras
muilas que se vendem por barato prec,o como se-
ja. Otas de velludo pretas e de cores, largas e
estrellas, franjaa de linho e de seda, filas de se-
da, chamelote ourtas qualidades, de todas aa
larguras e gostos, bicos, rendas e labyrinlhos,
linhas de mares, relroz de todas aa cores, fitas de
linho largas e estrellas, brancas e de cores, etc.,
etc., o que ludo se vender por menos preco do
que em outra qualquer parle.
Vende se travs e enxames de todos
os coraprmritos e grossuras, inclusive
urna bonita Iinha de 55 paliaos por
procos coturno dos : a tratar na ra ia
Praia n 49 ou 53
Vende-se um das memores cavallos que
poda havar neala eidade para cabriole! i. a tratar
na rtta do Rangel o. 41, ou no pateo da ribeira
numero 5.
Vende-se arroz do Maranhao a 29 a snobs,
e a 80 ra. a libra, azeite de campal? a 440,
doce a 720 a garrafa, menteiga iogleza
dita franca nova a 720 a libra i na ra daa Cru-
zas n.2
Vende-se um preto posaant.
aa1ariaou.rmaiedeastaear,
iMo# asteadoosservicMi a lr
3,000.
Saialilornia.
Vendem-se cortes do eambraia organdys com
barra a 39 o corle ; na ra da lmperatriz n. 48,
juato a padaria fraoceza.
Vende-se o engenho Fluminense
ea propriedade da Iiha do Lamenha,
unto ou separado, sendo aquelle moen-
te e corrente e d'agua, sito a beira mar
na freguezia, de Serinhem, e esta que
limita com o mesmo engenho, tem boa
casa de vi venda, bastantes commodos,
salinas e muita trra para nlantacdes:
os pretenden tes dirijam-se a ra do Ca-
buga' loja n. 18.
Um rico carro.
Vende-se um rico e elegante carro mui bella-
mente preparado : no escriptorio de Maooel Ig-
nacio de Oliveira & Filho, largo do Corpo Santo.
Tiuta preta para escripia.
Vende-se garrafas com tinta preta muito su-
perior para eseripturaco, pelo diminuto prego
de IfOOO cada-garrafa, poden lo-se fazer algum
abate sendo em poredes : na ra do Queimsdo,
jeja de ferragens n. 13.
Farela
No estabelecimonlo de molhados da ra da lm-
peratriz n. 4 ha grande quantidade de farelo de
Lisboa a 49500 o sacco.
Potes para rap.
Chegoo novos potes com rolhis da tarracba
para conservado do rap : na ra da Cadeia do
Recita n. 19.
Charutos
suissos a If o cento : na rus da Cadeia do Reti-
fe 0. 15.
Fabrica do Honteiro.
Crystalisagao e refnaco
de assucar.
Deposito na ro de Apollo n. 6, e praca
4a Boa-Vi>ta n. 26.
Esta importante estatetecimento contina a
fornecer aos seos innmeros treguares do alvo (
puro asiCiBi^SaBBBBBBBBBBBBV V
ei.'qual
Cachimbos de madeira
Avlaa-seaos amantes destes magnficos cachimbos que recebea-se um completo sorlimento
a precos de 500 a 49, assim como acha-se sonido de
Superiores charutos
da Baha, da fabrica de Jos Furtado de Simas, igualmente avisa-se as pessoas que precissrem das
Esponjas de platina
Para mimos.
para a machinas de fogo, das quaea tambem existe algumas,
que se vendem avulsos. Acba-se a venda o superior
e pesos de zinco para as mesmas
Fleur d'Harlebeck
tabaco com esto titulo para cigarros e cachimbos em maeinhos pequeos, que se vende
do que em outra qualquer pirte : na loja de Jos Leopoldo Bourgard, roa da Gadeta do
mero 15 no
por menos
Recife ou-
Centro cominercial.
Seirinhas com os excellentes figos de comadre
a 80 ris cada urna, vende-se no Progresso largo
da Penha n. 8, assim como se vende seirdes
eem 8 libraa por 2#500, e em libra a 320 rs.
Aos senhores aca-
dmicos.
A loja do leo de ouro.
Na bem conhecida loja do leao de ouro, de
Jos UooQalves da Silva Raposo, ra do Cabugi
n. 2 C, recebeu-se ltimamente da Europa pelo
vapor francez segunda remessa das bellas fitas de
gorguro de diversas Irrguras, proprias para car-
las de hachareis, pois devem vir comprar quanto
antea, que se acibam, que s a loja do leo de
ouro quero as tem.
A 280 rs. o covado
de cassas francezas de muito bonitos padrdes com
4 palmos de largura, pechincha na ra do
Quelroado 22, na loja da boa f
Vende-se o sobrado de tres andares da ra
do Vigario o. 20, e um solo os freguezia de S.
Jos, onde se acham edificadas 160 casas, com-
prehendendo as res de Santa Bita, S. Jos, San-
ta Cecilia, Nogueira, A(ouguinhos, ate. ; a tratar
na ra do Crespo, loja dos Srs. Adriano &4JpV
tro.
Cassas a 200 rs.
Vendem se cassas com salpico* grandos a 2CO
rs. o covado : pa roa dalaaperalriz o. 00 laja
pavao.
Cassas i4e cores a 40 rs
Vende-se csssaa de cores (aseada a.aito boni-
to a 240 rs. o covado : oa loja da raa a lmpe-
ratriz n. 60, loja da pavio.
Sedas eoxado.
Vende-te groadenapUa preta aaoilo eacarpad
a 19500, 1|600 e 1*600, dito asal cor de rosa *
cor de cana a S|000 o covado, sedas brancas la-
vradss para vestidos da noiva a 29*40 29400 *
covado, dita preta lavrada a 1*400, cbaaaalcle
preto a 25000 o covado : aa rus da laapcralriz
e. 60, loja do pavio.
Enfeitesa2.
Vendem-se enfeites de muito bom gasta para
senhoras a 2|000 : na ra da lmperatriz a. O,
loja do pavio.
Eofeites a 640 rs.
Vendem-se enteites de froco proprioa para me- -
ninas e tambem para senhora a 840 rs.: aa raa
lmperatriz n. 60, loja do pavio.
Chapeos para senhora.
Vendem-se chapeos para senhoras, senda asal-
to bem enfeitados e os mais moderno toa tesa
vindo, pelo baratissimo prego de 109 : ras da
lmperatriz o. 60, loja do psvii.
Veilud* a 2400.
Vendem-se velludos preto, cor da caf, azal
ferrete, e verde-escoro, proprios para vestidos da
senhora e roupaa para aoeuioos pelo aaraiisaiaa*
prego de 2&400a.covado, sendo fazenda qne seaa-
pre se vendeu a 59: na rna da Impealnz a. 10,
loja do pavao.
De todas estas fasendas se dio amostras dei-
lando Mear penbor, assim como tem aasnlas oo-
tras fazendaa que ae tornara eatadoKho de as
mencionar, todas vendendo-se mais paralo qaa
em outra qualquer parla : oa raa da lmperatriz
o. 60, loja de Gama di Silva, aonde s* echa enl-
locado urna tabolela con um PAVO piolado a
de noite urna luz em que diz o PaVO.
964MM -*$
O melhor gosto.
0J| Chapeos depalha muito fina enfeita- W
aja lados a traviata a 12f e 14|, chales de aB
T touqoim a 12,15. 20. 25,30, 35. 40. 45 '
@ 505. enfeites de retroz e ootras mullas A
8 fazendas do avlhor gosto possivel ietr a
baratissimos pregos : na raa do Qeeiaaa- '
mado leja de 4 portas da Ferrio A alai. aV
ee oeoo #
Vende-se ana taberna sita aa raa Oireita
n. 113, com bastantes commodoa para familia,
propria para um rapaz principlante coas poneos
fundos : quem s pretender dirija-se a mesaaa
que aihari com quem tratar tazando-se lodo ne-
gocio.
CMaftMBsBBBcaas&
iSjad
t
y. v
120 e 140 a libra sen -
do que
favnrn
ataucoi
fj" commodo.
e cari
Para bailes
^ casamentos.
Na ra do Crespo esquina da ra do
Imperador n. 7, vende-se enfeites a tur-
ca para bailes e casamentos o melhor
que se tem visto at. hoje.
Enfeites a turca.
Cbegaram no ultimo afio vindo de
Franca, enfeites para cabeca ao gosto
turco, proprios para bailes e casamen-
tos o melbor e de mais gosto que se tem
vrito : na ra do Crespo n. 7, esquina
da ra do Imperador loja de fazendas
finas de Guimar&es & Lima.
WMaaBB3as^*M-aBBkMnaaeMB ^sttttstttar!
Miaaparapaaarpvpvnvw Mctniaiiif vaaaanBapsTasj
Ll^fllUialydO
! Loja de
Na loja da nsacsaara -..-.- :> 1
qaUa
variad
das para sen
meas e etiraentaa para meninoa a
leo para decc
i Exposico
4 DB
Candieiros a gaz.
Ci ndieiros econmicos. .1........... 49000
Candioiros econmicos.............. 59000
Caodieiros econmicos.............. fjJOOO
Candieiros ecooomicos.............. 89000
Caodieiros econmicos.............. 109000
Candieiros ecooomicos.............. 12*000
Caodieiros econmicos.............. 149000
Candieiros economice*.............. I69OOO
Caodieiros econmicos.............. 18f000
Csniieiros ecouomlcos.............. 909000
Candieiros econmicos.............. 269000
Caodieiros econmicos.............. SOfOOO
Nesta mesma exposijaoae encontrarlo todos os
9
t
Loja de marmore.
Ao bello sexo.
Recebeo-se grande porfi de fazen-
daa que se haviam encommendedo e
continua a veuder-se para liqnidacio por
prego muito barate, entre catas aa se-
guintes :
Para senho-as
Boarnus de cachemira do ultimo gos-
to a 109.
Ditos para meninos de idades de 2,
4, Oanoos, tambem de cachemira muito
modernos a 5ft.
Vestido de seda de cores a 309 (com
lgum toque.)
de marmore.
Vende-se para liquidacao ceeeajiraa
inglezas de ama so cOr proprias para for-
ja rar carro a 3|560 o covado.
g Loja de marmore.
Vende-se para liquidacao meias braa-
cas inglesas para homem a 39 a dazta.___*J
Loja de marmore. 8
Vende-e para liqaida;io manas pre- S
las lavradas de 016 a 29
3XQM9l9CIHaaHWQMCM CHCapHWK
I Ac para balo a
S 120 rs. a vara.
S na Ioi de ouro
ra do Cabug 14. 1 B.
Ilecebtram grande sorlimento de asteas da le-
das as largaras para concertar oa fazer baldea
para meninas e senhoras que se vende pelo ba-
ratissimo preco de 120 rs. a vara a a peca com
45 varea a 4|f
Vende-se om b i e vela por
preco barato; ajratar
Vende-se
Um eatabelecimento neala praca em urna daa
melhorea rusa de commereio, contendo para
mais de viole.conloa de mercadorias, sendo ama
terca parle de sea valor a viela e duas partes em
prazos convencienados, com garanta : a tratar
na ra do Imperador n. 95, segando andar.
Lencos brancos.
Veudem-ae lencos brancoa proprioa par algi-
belra, palo baratissimo prego de ttOO a duzia :
na ra da Queimsdo a. 32, leja da boa
creci dt
veneravel Qp^^^H S.
Jchei
de 4

Co_
com beca
der din
ue
[JaBBBBBBBBBBBBBBBBBBBBaVB',a *
SBBPSBPlBPlBPlBPlBPlBBVSSer V*D-
^Cabagi
^^plmeaio
^Hnthos 4a
^rece
BBBBBBBBBBBaEr
pe* os ci
eomoae|

| Oliveira a rn\
e Hsnoel Ignacio de
lavajo do Corpo Santo.
Tipraaorea qaa
a se acabem : s aa loja da aguia de oa-
tSPeWo Cabnsji a. t B,


_
Ma V IUUULMCO. S* SEXTA IMa 11 M OVSVUm AI4IU.

ARMAZEM
DI
ROUPA FSITA
ioaquim Francisco dos Santos.
40 RUADO QUEMADO 40
Ddfroute do becco da Congregado letreiro verde.,
N-te estsbelecimenteJialempre um sortimento completo de roap, feit de toda
nulidades, e tambem se meada etecutar por medida, Tontada dofregezes, para o
ruVtera um do* melhores professores.
Fnnileiro e vidraceiw.
Grande e ora officina.
Importas.
31RuaDireita31.
Casacas de paoao preto, 409, 359 e 30000
5 mecasaca de dito, 859 SttjOO
Palitotsielito decoras, 35, 309.
25| Dit 159. 1*9.79 e #000
Dito de leaka preta galla d vel-
ludo, (raneexas 113000
Oitoade a^i-ino-sttim pretos e de
cores, |000 8#0O0
Ditos le alpaka d* cares, 5| e 89500
OUo la ta preta, 9, 7#. 59 e 99500
Ditos la brim 4*ores, 5|. 9500,
4f000 e 39500
Ditos de bramante daUnhobraoeo,
6jflOO. 59000
( n 1* na trin de cordio prato,
159000 o
Cairas le casimira preta e de corea,
It9.109.99e
titas le macoca a mre6e ser-
ian pretos, 59, 69500
Dita de brim branco e decoras,
5f000. 49500 e
Dita de gaag, de ares
'.ilutes de vUa res. Usos e bordados, 129,9$ a
Dito 1a eiseraira preta e decores,
!iaos bordados. 9,59500,59 o
4J00O
89000
6|000
49500
89500
3J000
89000
39500
59OOO
59000,
Ditos desetim preto
Ditos de seda e setim branco, 99
Ditos da gurguMo de-seda pretos*
de cores, 7|000,69000, 49
Ditos de brim a rusti STB ICO,
8*500, 2J500 0
Seroulas de Drim de Itabo,39 e
Ditas de algodao, 1,500 o
Camisas de pello de fusto branco
de cores, 89IOO
Ditas de peito de linho 5|, 4| e
Ditas de madapolao branco e de
cores, S9,89500. 89
Chapeos pretos de maaea.traBceteo,
formasdaultima moda 108,89500 e T000
Ditos de eltro, 9, 5f, 49 e t000,
Ditos de sol do seda, ingieres
fraqeies,149,19f, 11| e 79090
Gollannhos de llnho multo finos,
noros Celtios da ultima moda 986*
Ditos de algodao 500
Relogios de uro, patentes hori- &J.
sontaes, 1009. 8O9, 809 e T090005X5
Ditos deprata galTaniaadoa, pa- <>>;
tente hosontaea, 40J 309000*
Obras de ouro, aderemos e molo
aderecos, palseiras, .roseta* e
anneis f
Toalhas de Itabo, duxia 10&AA0 69 88000
D'tas itrandes para mesa a 49OOO .* 59000
traste rico e bem montado esUaeleaimenae *n-
tootraro os freguetes o mais perfeite, bem aca-
bado e barato 00 seu geaero.
URNAS de todas as paridades.
SANTUARIOS que nvaliaam com o iacaraodi.
BANHiMROfde todos os lmannos.
SEMlCOflAStderaidea.
BALDES ideas Mam.
BACAS idea *dem.
BARU5 ideas dem.
FOLIU m caitas de tetes as groseeras.
PBATOS imitando em pereiQo boa porcel
rao*.
CTALEiRASdoteiJwM^abMaees, ...
PANKLLAS idem dem.
COCOS. CAND1E1IOS e landres pera qual-
quer sortimento.
VIDAOS em caries a retalho de todos os ta-
mandando-ee maobes, botar dentro da ciliada,
em toda a parte.
Recseos-se eoeom mondas de quakjuer satu-
reza, coocertos, que tudo serl desempenbado a
conteaio.
baratissimas
N. 20Ra da Imperatriz~N. 20
fin ann ".*"'' -- n..3 ia nes unimos e cor*8 lizas a 180
160 e 800 re, neos de easse e de chita par, meninos a 80, 120 e 160 ria maua
francesa, gestos ioteiremeote botos a 200 e 400 rs. o corado, mi,,, iosJi' SE
r! rl'' P>M 07. *" 1*600"- o corado que outr'ora se veno ,rff M 2a
=ii^o7^^%^r^^ra^v8y^rou ai: ,d:,v !.aH
ciunando.
que iremos meo-
Charutos de Jos Fur-
tado de Simas.
i.>n.AM'W '!,' ""Wsdores desles superiores charutos que a uni
ita ^l.t ,dVcfl d <5, oo centro commerdal, oo
^\^-^^^^^C^pt*1^-'>- toro*rera a 'nder. assim
jo. ti
A0r0a^ujo.,,u55Y8"o,'noM,,i^<>, ** ^T"*1 Mra' de """**" 'TcSi5o7
nica parte >nde existe desta
de ae rende em porcia com
como eziste grande sorti-
Alozandre Pereira de
Estados
mmwi
sobre oensiao publico
pelo Dr. Aorigio Justinia.no da Silva
Guimarae. Segunda publicacao. A
Tenia na lirraria do*.Set. Guitnaraes &
01ireira.ru do Imparadoj;. Prego de
cada exemplar 2j(.
m VEJOE-SE BARATO i
acaba de
chegar
novo armazen
s
Superiores capas cnpridas de gorgu -
rao preto, manteletes modernos, tilmas
de croze-
Vestidcs de seda moderno cam-
braia bordados, ditos de.phantasia.
Sedinhas de quadros, grosdenaples de
cor. mur^antijne em corado.
Cambraiasue coros modernas, ditas de
lislr^s Ungindo seda.
Sinlos, leques. golliuhas e punbos ca-
ra roupo, espartilhos modernos e pen-
tes de Urtarus*.
Saras ualaooe t^das as qualidades,
camisas para senhoros, ditas para me-
ninos.
Tariataua, fil, musselina, oiai
e laazinha de cor.
iinlina
Pulceiras de san Jalo, luras de pelli&a
e chapeos par, annhoraa
PARA ACABAR
Colzas de la e seda proprias para
mas oo cobert< dpiano a 59.
ca-
ite Paieoott de cMenaira a HO*. dito, de
A "lpcs*-preta*a 5S : raa da Cadeia loja
W n. de Gurgel & Pe. gao.
Viaho do Porto.
M arquaj. Batros & C Um para -vender superior
TMtho do Porto, em caitss te.dwLa.
*JT Vead*-a ranUdeiro jiaho de Lisboa a
500 rs. garrafa, vinagra 200 e 80 rs., e a de
Lisboa, frascos de aoebra a600 r.,qu* pechin-
Bramante k \mh
SMjierior.
Vende-se superior bramante de linho eom iues
raras de largura,pelo barate
ara : na rus do Queimado
onecida loja da b
Aos senhc
No arrnari
18, e#U
de e recenten.
mldoam
SI
Ai60rs
oturoaa de sera a lia para
*; na ra do Crespo o. te.
DE
BASTOS & REG
Na ra Nova junto a Gon-
ceiga dos Milita-
res 47.
Um grande variado sortimento de
roupas fei tas, calcados f zondas e todos
estes aa vendem por preces multo modi-
ticados como de seu costume.assira como
sejam sobrecasacos de superiores pannos
e casacos feitos pelos ltimos figurioos a
26$, S89, 30} e a359, paletots dos meamos
anuos preto a 16J, i8|, SO9 e a 249,
Hitos de casemira de cor mesclado e de
noros padroes a 149.169. 189.29 e 249,
ditos saceos das mesmas casemiras de co-
res a 99.109,129 a 149, ditos pretos pe-
lo iimrinto prego de 89, 109, el8|, ditos
de sarja de aeda a so bree asacad os a IS9,
dito, de merino de eordao a 12$, ditos
de merino chioei de apurado goato a 159,
ditos de alpaca preta a 79. 89, 89 e 109,
ditos saceos pretos a 49. ditos de palco de
seda faienda muito superior 49500, di-
tos de brim pardo e de fusto a 39500, 49
e a 49500, ditos de fusto branco a 49,
grande quantidade de calca, de casemira
preta decores a79, 89. 99e a 10,ditas
pardas a 39 e a 49, ditss de brim decores
unas a21500, 39. 88500 e a 4J. dita, de
brim breracos finas a 49500. 5|, 50500 e a
69, ditas de brim lona a 59 e a 6|, colletes
de gorguro preto e de coras a 5] e a 61,
ditos de casemira de cor e preto* a 4 J500
e a 59, ditos de fastao branco e de brim
a 39 e a 39500, ditos de brim lona a 4f,
ditos de merio paca lulo a 49 e a 49500*
calcas de merino para luto a 4J500 e a 5*'
capas de borracha a 99. Para meninos
de tolos es lmannos: caigas do casemira
preta e d cor a 5f, 69 a a 79, dita* dHas I
de brim Sf, 39 e a 89500, paleiotsm-
cos de casemira preta a 6$ e a 7*>, ditos
dorar a 69 ea 7f, ditea dealpace a 39
sobrecasacos de panno prejo a 129 e
14, ditos de alpaca preta a 99, bonels
para menino de tedas a, qualidadea, tJa-
misaspara mentos 4* todo* earamanbea
meios ricos vestido, de abnu feite 1
1 a 8 anoo, eom loco
l2|,dlto,*grgB-
9*dl.ifo.d*
cambrala ricamente
sua grande quanti-
#e raupaa) par, a*
le para ale (flm
gggggggggggifcrtiroeoio rj han. |
M|lllil ^11 ne*tr-4|M!
edei.
Atten^ao.
R|rdoTrapichan.4,amaa de Ro r n
Rooker &C. a inte um bom sortimento d* 11-
eeerase branca serntarratei a 4o melbor
bnaatelatogltarraqa* aa vendem pe
dracos muirazoaraia

i Nova california
S de
Fazendas baratas.
Ka ra da Imperatriz n. 48, junto a*
2 padari franceza.
^ Cortes de cambraia branca com babadi- 1
' ohos 49 e 49500 superior 59, cambraia Ji- |
l za com 8 1i2 rara 3$. 39500, 49. ditas de
2 Escotsia 59, e rkes rafeitescera ae-
g nbora 69 e 65500, sintos os mais delicados
para senhora 29500.3, chapelina para cri-
sn^a gosto inglez 3s500,49, para baptisado
39, cortes de vestido de aeda Escosseza de
bonitos gosto 129 eslo ae acabando, ri-
eos lengos de lbyrintho 19.1J200. chapeo
de sol pora senhora de boniUa corea. Usos
59, cabo de marfim 59500, corles de cara-
braia brancos com ffr de sede 59. riaca-
89 do francez 200 ris o corado, completos
sortimentos de ba!5es (fe srcos 89, sortl- #
mentos de meias psra menino e menina
ZOO e 240 ris o par. chales de tarlatana
de cores a 640 ris, lencos branco com bar- 9)
m raff 160 ria chitas inglezaa a 180 e 200 rs.
dita franceza a 240 e 280 rs. oovao J
99 peca* de cambraia d forro eom 9 raras *>
9 a 29 : junto a padaria franceza o. 48.
#09)e>9>*9> O
Novas pechinchas
na loja do Pavo
Veode-se gorguro da la padre* muo mi.
dinhos proprio, para vestidos de senhorase me-
ninas a 400 rs. oxorado, tendo 4 palmos de lar-
gura, sendo tambem etta fazenda multo propria
para vestidos de passar a festa no campo ; na ra
da Imperatrizn.60, loja de Gama 4 Silva.
tapel para msicas, pa-
pel pautado e riscado
para contas e facturas, papel mata-borro; ren-
de-ae na loja d'aguia branca, ra do uetmado
numero 16.
i AKm da CadY.i do Reeifo-M A
^ 2I800 ti.
A Gongalves de CMireira Santos avisa a
rnifos a freguezse fue est radeude caira,
e <
M* ricamente bordadas para senhora a
I. tas s bati a 99, IfSOO o 6J, mais fa-
' fe* 6 se raed* barato.
Cera de carnauba.
K dinheiro.
Vende-seuma pequea porgo de cera de car-
nanba multo boa, qns acha depositada nor-
azam daCempsnhia Pernambucana i comao-
ajo prace. *
Baldes para meninas.
VontUaa-w balees sra meninas, de todos oe
lmannos, de madapolao e de museulioa a 39 e a
4^na ra doQeetmado n.92,leja da boa U.
Mantas de retroz para gra-
vatas.
Vendem-se manta, d retroz para gravatts,
Unto pretas como de coras a 500 rs. : na ra do
Qaeimade n. 22, na loja ra boa f.
Meias baratissimas.
A 39990 a dazia de pera* de meias brancas 8,
naa para homem : na ra do Queimado n. 22
aa loja da boa j.
Ricos cortes de vestidos bran-
cos bordados.
A* loja da boa f na ra do Queimado n. 22,
ebegou noro sortimento de ricos cortes de vesti-
dos brancos bordados com 1 e 3 bsbados, os quses
continuara a aer vendidos pelo bsratissimo prece
de 5 cada corte : aa rata do Queimado n. 28, aa
bem coohecida loja da boa f.
B
Paletots baralissimos,
Palelots orates de caaamira a 159, 18$
209. ditos de casemira de cores 89. 99,
129,169w ditos de bombazioa de cores a
89, ditos de merino de cocea a 9J, ditos
de alpaca preta a 39500 e 49300, ditos de
alpaca de coras e de lia escura a 4| e 5f,
ditos de alpaca preta para meuioos a
495OO, ditos de muito bom brim setim s
595OO. ditos da brim pardo a 39500, ditos
pardo, do mai, lino bramante de puro
iioho com boloe, de madreperola a 5|,
ditos do brim eocorpado meia lona a 5,
1 ditas de brimzioho de linho de quadn-
nhos para meninos de 8 a 14 annos a 29,
ha casacas de panoo fino prato e de cores,
calcas preta, decaseaira*. colletes pre-
to, e de coras de todas a, qualidade,
gostos, jaquetat e mu tas ouiras obra,
fetas que se vendem por menos da seu
cusi, em eonsqncia daliqailaclo que
se est procedendo, na luja o. 8 da ra
do Cabug, da eztinta firma de Almeida
. Burgos.
Bom e barato
S no Torrador
23 Largo do Terco 23.
Quem duridar venha renha rer: msnteica in-
gleza flor a 900 e a 800 a libra, franceza da me-
Ihor que se pode desejar neste genero a 640 o a
609 rs. a libra, assim come se tarram outros
muitos gneros perleoceoles a molbades 110 aj
dlaneiro a vista.
Veade-ae doun pares de rodos
barato prego: na ra Augusta n. 59.
Para acabar.
Cartea de casa franceza de t saias e 3 folhos,
pml8*15vara*a39500e4J, liados cortes de
Ha para veatido ceta 34 corados a 59, peca de
ssakraia lisa comt*9Jardas s 29600, 89000 e
Pa9", chita larga franceza, ovado a 200 ra ,
aaraa ecerss fraMraas. covsdo a 940 : a lira,
} em vista da reducto em preco, ponco pode
aturar t na ra de Queimado a. 44.
Attenco
To4*-e aofroate porUo da fortaaaza das
as>P psra cavarles e para agua, carriohos ptra traba-
Ihar na landega carrinbea do alo, rada* pa-
5a csrr*5** e Para carriebos. iza* para ambas.
toraadpitia ara caf com foglo, boa,dforW,
baodeira, de arco* de toda, as qualidade,, do-
bradicas de chumbos de todos os tamanhos.fecha-
duras de ferrolbos, traoquetas, farra de embutir
de todos os tamsnhos, ferrolbo de chapa. **
Lencos para rap.
Vendem-se lencos finissimos de linho proprioe
para e, tabaquista, por serem da coras escurase
Dzas, pelo bsratissimo preco de 69 a duzla na
ra doQveimade n. 22, ns bem conheeida loja da
boa f. ^
Vend-ae na ra do Imperador, sobrado de
om andar o. 18, urna eama franceza. ama meaa
dejaotar, ama cadeira de balance de amareo,
tudo eos bom estado e per barato preco.
Vende-ae nm mulato carreiro proprio para
engeobo ou sillo por entender de plantacio; a
tratar na roa de Rangel a. 69, primeiro andar.
Urna bar caca.
Vende-se urna barcaja do porte de.35 raizas,
encalbada no estsleiro do mestre carpinteiro Ja-
cinlho Elesbao, ao p da fortaleza das Cinco Poe-
tas, aonde pode ser vais o ezaminada pelos pre-
tendeotes ; vende-se a prazo ou a dinheiro ; a
tratar eom Manoel Airea tieerrs, na na de Tra-
piche n. 14.
Ricos cortes de medina de
seda.
A loja da Boa-F na rea do Queimado nu-
mero 22, acaba da receber ricos corte, de
resudo de medica de seda de lindo, padroes
a fazenda mai, fina, mai, nova e mai, bonita
que ha no mercado, cada corte tem 20 e 21 co-
XSn*^?!!""" p,1 D,ratwmo Preco de
WJUU o cort; as seoboras de bom gosto qu
tiverem de aasistir a balese a calamentos ,e
quizerem lerar um vestido da ultima moda
mandaren) ver na mencionada loja da Boa-F
na ra do Queimado n. 92. '
Novidade do PavSo.
Vende-se finissimos corles de cambraia de
babados largse de duas aaias fazenda queso
renden a 10 pelo diminuto preco d 4%- na ras
da Imperatrizn. 60, loja de Gama & Silra.
de corda
Irmloe, na da
Mfim
Taixas.
Reduccfio em precos para
acabar.
Vendem-se ao Bisa asna, da Braga, Sea t C,
na ra da Uoeda, (ala da farra amada, de mai
acreditado fabricte Edevin Mala, a 110 ra. per
libra.
Feijo
no armarais de Tasso
n. SS.
Vende-a* em esas da_________
C; roa do Trapiche Hora a. 99, blaaaltaal
sortidos. m pegnanaa lata*.
Superiores tiras
bordadas.
Na loja da boa fnaraa do
QuManado a. 2i se eaeealrari m baai
ment de superiores tara* ricamente
que se vendem pela
e 59000 ria a peca,
de urna peca de cada padree, i
andar melbor eeratd* a*s
n. 22 na loja da Boa-F.
loja de 4
Vende-ae campee* da i
pade a 99.
Cbapaiiaa* de aeda para i
Chapaoa de pala* pava
vtaia a 109.
Ditos de pellica a Garibaldi a 149 tSf.
Camisas para senhora s 39.,
4B99 MilfMNI
nova, por
A1$ o corte
de calca de meiaa caaemiras escoras
na ra do Queimado n. 22,
16.
cor
boa
de
na
Gaz liquido.
urna s
loja da
/
Em casa de Samuel P. Johoston & C., raa da
Seozala Nova n. 42, vendem-se latas como sa-
loes de Keroaine.
Na ra do Queimado n. 10, fog ooaa
de i portas, vendem-se as segu rites
fazendas de apurado gosto, e por
menos pr^o do que em outra qual-
quer parte.
Ricos cortes de cambraia branca bordados a
20, 25 e 30j>.
Ditos de seda de cor a quiU a 80 e 909.
Ditos pretos bordados a velludo a 80, 70. 80 e
90JO0O.
Ditos de seda de cores a 20. 25 e 309.
Ditos da dita preta a 50 e 309.
Ditoa de barege com babados a 15 e 209,
Riquiasimas capinhas de velludo bordadas
com mangas a 60, 70, 80 e IOO9.
Lencos de linho bordados a 3, 4, 5 e 69.
Dito, de dito liaos, duzia a 6, 7 e 8|.
Ditos de cassa com bico. um a 990,200 e 940
ris
Manta, de grosdenaple aberlas renda, orna
a 39OOO.
Chapeos de palha para senhora, um a 8 e 10.
Ditos de pellica Garibaldi, um 158.
Chapeos de sol de seda para senhora, um 49
Riquissimos cintos dourados a 3, 4 e 09V i
Atten OaVifoTAim de fazendas
por t* pve$o, na tua
do Queimado 4511a1
bem C9iieeda loja do
seTtauejo.
Os propeietarios peste ralabeleoimente ealio
fazeodo urna Irguidacao sem limita de prego e
porisso previne ao respeitaral publico e enj par-
ticular aos seus freguezes que prestem attencao
paro o que vai abaixe transcripto.
Coletea de velludo ee cor ratos a 59, ditos
de gorguro de seda a 3 e 4$. camieae trance -
zas a 1gz80, caigas de brim, de ganga a 3J e 2
dozias de meiaa para senhora, a SsVe a 4> ditas
para menino* 2. ditaa para menina* 2*500.
ditas par homens lftOO e o par a 140 e outras
multes quahdadra por todo o pseco, chapeos de
csslor branco a 109, ditas de seda a 5|, pannos
para mesa a 49 com bnlotaa, ditos ditos 3J9QO
aberraras branca, a 280 e de cor a 280 Thila
boa, a 490 o cov.do. obr?. felt detodd!
sasaUdadea asim como tambem tem ccalm de
eneor a 540 o carado, manteletes preto* por
todo a preco a WJ. chapeliahaa py, e^ori .
99*09, eofeites de vidrilho^aetaa 4 de cdreSf.
leeMaigrandes de gorguro dauaeda pretos MrteT-
5b90 e lS80Qkgra v.t*a 640.9^0^,S
daadeaeda pretos a 4P9 faieodaaaeeeaaton 60f &
79. aasim como tambem de cor pelo me*rao
ptocak Jilos que nos custaram 1409 eia, borda-
do, de velludo a 80 e a 409 ra*a ,u, kaaV
coana Hemos relludo preto a-29500 ocoraeo do
4a corea 39500, Ot bordada -*- .~ lll
Liquidaco.
Ra Nova n, 18. m
M. A, Caj contina a vender para liquraar um
grande sortimento de dilTereotra fazeodas ingle-
sase franceus. flus, franjas de todas as cores
bicos, rendas, um grande sortlmeoto de mante-
Ulesoe grosdenaple pa quaiquer acahera, u*
sim como um grande sortimento de roupa feita
por menos de que em eatra qualquer parle di-
nheiro vista.
Magalhes Ueodes.
Avisim ao respeitarel publico, ,eus amigo, e
8eiM-*ue "* *** eo,l<>c*> frerMe de seu
eslsbelecimenlo um retabulo com o dstico de
uma arara, isto para se torear a loja mais conhe-
eida, e de hora em diante principia a vender auas
fazendas por um p eco baratiss Principia arara
Vende-se damasco de la de 6 palmos de lar-
gura, proprio para mesa e coberls a l#00 o co-
rado, popelina de cores para" vestido a 200 rs o
covado, 0.16 de linho de cores a 40 o corad
cassas de salpicos a 200 rs. o covado ; na ra da
Imperatriz, lja rmasenada da erara, de 4 nor-
ias n. 56. r
S arara, viv;a arara,
Vendem-se pegas de madapolao entestado fioo
a 39. pegas de cassas adamascadas para cortina-
dos a 39, ditas de salpicos para vestido a 2 e 39,
corles de chita, unas com 13 corados por 2p500
cortes de cassa com 7 barras a 29500, ditos de'
tarlatana de babados a j500, ditos de cambraia
a 39, fusto de cores para reatido a 320 o corado,
aaias balo de 20 a 40 arcos a 39 e 39500, pecaa
de cambraiaa brancas a lj6'J0, ditaa a 2&500. 3a
e 39500, cobertas de fusto de cores a Bf e 6j :
aa ru, da Imperatriz, loja da arara de 4 portas o.
56 ; se dao amostras de todas as fazenda, para se
rer, na arara de Magalhes & alendes.
Cassa organdys a
280 rs., na loja do Pavo.
Vende-se muito bonitas casaaa organdys a 280
as. o corado : na raa da Imperatriz n. 60. loii
do Pavao.
Para cortinados.
AOPAVaO'.
_ Vende-se pegas de cassa adamascada propria
83 : na ra da (apera-
Saa^ao de certas*1
fazendas finas.
S RA. DO CRESPO N. 17.
Kiquissimas cbapelinss de seda para
aenhoras, de diversas core* a 129.
' Cassas de cores bonitos padroea a 240
rs. o covado.
Cassas e orgaody, de cores a 280 ra. o
covado.
Chitas de todss as qualidade e preco,.
Muitiseimas fazendas finas que se ven-
8dem por prejos baralissimos para liqui-
dar, dio-se amostra da, fazendas.
Superiores organ-
dys,
a tojo da boa f, na ra do Queimado n 22
rende-ae flmssimo nrgandys de muito linic- b,-'
drdes, pelo bsratissimo prego de 720 rs. a vira
fazenda de 19200, e quem nio andar muito da-'
pressa car sem a pechiocha ; na ra do Ouei-
eaado n. 22. na loja da boa .
te fios obeilea d lreeoa a
meiaa,preti a branca, la aed
ftM Ldase
tj&W
staa aamo ram gab
greeafluapaa* de aai
^aBBBBBBlBBBBBBBBBBBaal
'saiVa^aB^a^a^a^aa
fte*;
19 a vara, aaui
4|e9c*daaim
para cortinado 20 vara, a
trk n.^t, loja de Goma & Silva.
@ MAS)
vende para paletots.
Laazinha maito miadinhas de cor escura pro-
prh para calcaa, colletee paletots a 400 rs. o
corado: na ra da Imperatriz n. 60, loja de Ga-
ma & Silva. \K'
Roupas feitas ba-
ratissimas,
HO
armazem de fazendas e
roupas feitas
DE
Kaymuntio C. Leite Irmo,

Em casa de Kalkmann Irmaos
& C., na ra da Cruz n. 10, exj|.
te constantemente um completo
sortimento de
Vinbos Bordea ux de todas as
qualidade*'.
Dito Xerez em barra.
Dito Madeira em barris e caixas. |
Dito Muscatel em caixas.
Dito champanhe em gigos.
Cognac em barris.
Cerveja branca.
Agua deSeltz.
Azeite doce muito fino em caixas.
AIvaiade em barris.
Ce?adinha em garrafes.
Ra do Queimado^n. 10,#
portas.
castor braace J
*
Fil liso e tarlata-
na branca a 800
ris a vara.
Veode-se fil liso multe fleo a
tarlatana branca muito 9aa, tanto
mo outra sio proprias para veetid
bailes como para asaietir-seacasasaeatee,
antea que ae acaba aa raa da (reetmade
na loja da Boa-F.
Potassa ia Ruasia.
Vende-ie potas da Baaaia da mala
saperiorqnebs no marcada a prece
commodo: no escriptori* da Haaact IgV
Oreira & Filho, Urge da Carpa Saata.
Roa do Queimad*
Armazem de fazendas.
DE
SANTOS COEUBO.
Chales de merio estampad** loes ram liazas
e franjaa de aeda atf.
Toalhaa de futtao a 500 ra. cada ama.
Gravatinhas de casca marta liadas pata ae-
mem a menina, pelo baraliaaime preco a 100
ra, cada uma.
' Chales de merino lisos de tedas ss car*.
Corles de phaotazi, de rada pela barate prace
Cobertas de chita gosto ebiaez a 1J800.
Lences de paaaede liaba a tStam.
Ditos de bramante grandes a 99300.
Vestuarios de seda para msataee a aaaaaaa
a 81000.
Corte* de catacatra daea a ddJMW.
Capella brancas para aoiva a <>
Bramante do liedla ceta 10 paleara 29 a vara.
Sortimento d* baldea para acamara a arar**.
Bramante de algodao com 10 palmea de largo
a 19996 e rara.
Casemiras a
4.000 o corte, na
loja do Pavo.
par.
Vende-se finia*irnos cortea de
raenfestada de coi es pele
preco de 4$ o corte para calcas, asan
como tem das mesmas para vender
2$t00re. o covado prjprias para
letots, calca e collete, rec
muito esta fazenda aos Srs.
costumam a fazer roupa
porque tao cedo nSo acsaai
chincha igual : na ra da Impersrtr m.
60, loja de Gama & Silva-
Gravatas da moda.
Vendem-se gravatiah
riores, tanto pretas col
simo preco do If ; m
na loja da boa ,
Manteiga ingleza flora
800 rs. a libra,
I franceza a 600 rs., taaseiabo a 999)......*J 999 aa
ceradiaba de Fraaca a 199 ; aa ama da*
I n.94, esquina da arara***
v4irVSrv4**io i&*iPA!
nm
i
DE
Joaquim Francisco dos Santos.
40In do Queimado4
Defronte do becco da Congregando, letreiro verde.
mais
corea.
VENDE-SE O SEG1NTE:
Para casamentas.
Bicos corles de vestido de 016 on blond de aeda branca coi
moderno e superior que ha no mercado.
Para bailes.
Liados cortes de vestidos de fil ou blond de aeda branca
sama a capclla, *
bordada* a braace
IM
ra homem c
bsmas
' perlelc.o na
lab
laatlle
Suporto,
'tollina. aJMgaaa,
(laiiiiettoij (j
iiul
N. 12una da amperarlrkN. 12.
Me,ta armazem que. ora aa acha baataazetortia*
derpupa feita d* todas as qualidade*. Unto pa-
enioos, seesUo.veodeodo
Hooa precos, eomo ra-
> 8no, obra injeirar
a medaeaa aGpMB, dr
melbor que sel
semira flooe
orno gosto a
coletea ddf
ditos de brimi
das deasminoa
b cacosde alpa-
10,
*T|^
outra, faiendaa
1 99
i aparada goato a
pito* da Urlstana branca bardados a branco e corea.
Dito* de cambraia branca bordedoa branco eom malta elegancia.
Saias bordadas
Ricas saias de cambraia branca bordadas com
,a boae morcado.
Ditaa de dita recortadas mais bsate*.
Para
luco* corle, 9a tosido de eambr,ia branca bardada* com a
lia moderno e maia superior qu ha ao mercado.
Itobnteletes.
Rico* manteletes fie seds de cores e prato* bordados e lisos com
como arraeoautee, par atoe** aommodos.
31000 peca.
Pecrada cambraia lias langa Boa com 6 a 9 t(l varas, maito barato.
Leos.
lira* lonco* d* cambraia de liaJia bonla4o a 9,4B*t9 jada M.
Chaira,
^^?? ** lBaS2!. W"2J" 8e ponu redonda o da 4 poeta*,
da* tazandi acta >da, tem am jn ade aertimaaiie *J
te ~
t.
eajfaitaa, bea H
Al*m
.-<**+


,. -1
UUU DI FUWMIC). SEAXA UU U ft WWKtO BBfltl.
PR06RESS0.
fcargod&Penlia
Francisco Fernandes Duarle, proprietario deste
armazem dei mofeados, partecipa 101 leui freguezes, asstm'como aos wnhores da prs$s, de eose-
nno e lavradores fM d ora a vante quizerem-se afreguezar nesle estabelecimeuto, que ae aeha
eom a completo sortimeato de gneros es maia nevos] que ha no mercado e por aeren a m.ior
pane dones vladoode coota propria.esta portaoto resol vido a vende-los por menos 10 porceoto
ap que em outra qualquer parte, aascando a boa qoalidede e acoodicionamento, assim como ser-
vir os portadores meos pralicoa lio bens, como ae oa senhores viessem pessoalmente, para o que
nao se poupar o proprielario em prestar toda altencloL aflea da continuaren a mandar comprar
rtosde que, toda e qualquer encjommenda comprada neste estabelecimento
acompanaari urna cenia impresas com o mesmo titulo de armazem Progresst.
Mantolg* ImgUi* ?et ftium< au flor. 1#000 .. llbM, tro4e.
se por este proco ale. mete pela grande pdrco qie (em e sefor em barrillas ara abalimento
ehegados neste altimc raper a 2J600, ejes do vspor paseado s
_ 610 rs. a libra e em barril a 560 r.
CUi fnte liysson e pteto og. slhore. que ha B0 Ber
e 19600, afiaoca-se a boa qnalidade.
Quecos do teimo
2&40O.
wTQ os DB|S DOVOg lue ha B0 nerc4(]0 en seirinhas pequeas
a 80 rs., ditas de 8 libras por 23500, e em [libra a 320 rs.
Vrezunto d tUmbre lBg!iI. 700 .
PrezuuU de lamego. 480 Mn iDtelro
93V\(le\ a B4U n0T, qe na n(J mefcsj0 loo
Mrmasete ,70 rt., lliMi em CBlxa, 7I
lalas com Y>o\axlnYia de soda de
tratas com p elxe em posta de mn
\zeVtonas multo novas a ism .
Boee de V\ oercUe latu, de 2 ,lbr
*J**%Ms pan podim a 800 r. a libra.
Banha de porco refinada a
31* $a de tomate
Pales de tambo. pr
Cnon^as e palos ult0 n0T0, vn
Palitos de dente lixados(0m w
Chocolate t raneez. w r8.. ,ibMi.
480 rs.
a maisnora do mercado
liarmelada imperial d0.
1*000 rs. a libra.
nacinos por 200 rs.
tto perluguez a 800 rs.
Vlnhes em pipa de 509> 560.640ri g-.
aerVe^a M ,,,}, acTedKodaa marcas a 5*
^strcllinua
para opa amis ora que ha no
VlnhO do PortO engarrafado. Porto eoo,
Garca?elioa, Muicatel e Bordeaox a i$ a garrafa,
Xlplsta
o a
as melhoree que
160 rs. a libra e em arroba a 5j).
se podem desejar em meias latas a 500 rs.,
o mam nevo e limpo que ha no mercac
Tvnhas franeezss
ditas inteiraa a 840 rs.
Sa&ame 0 atibar peuaco que pode harer por es^ar prompto a toda a hora a i a libra.
liiele de amendoa a 800 r8.
KoZeS mBri0 norasaiao rs. a libra.
Castannas
iuaie nmil0 parto,, j^ora a libra, e a 79 a arroba:
-VrrOZ :Jo jfaranhio a
piladas a 240 rs. a libra.
a 440 rs.
a libra, e em arroba a 4J5O0..
Ors.
deferente qtfalidadea a 18*00
(as qualidsdes a 1|400.
barril, a retalho a 320 ra. a garrafa,
por 1?00.
Gravatinhas de raizd
coral,
o melhor que posstvel. TWde-w mt
gravatinhas de raiz de coral com duas e tres
roltaie tagos ms ponas, seodo ellas bastante
compridaa, avista do que ao baratissimaa I
2J500 e3000: luim bom e barato 16 naloia
d aguia branca, ra do Queimado o. 16.
Bom e assim barato
ningaem deixa de comprar urna paala para pa-
pel por I9OOO. Na loja d'aguia branca acha-se
umapor;ao de boas e perfeilaa pasla para pa-
pel com calendario perpetuo, e indico daa feaUa
mudareis, pelo que se toraam do muiu ulili-
dade, e o pequeo prcc.o do I9OOO cada urna
convida a aproveiUr-se da occaaiao em que ae
eatlo ellas endeudo por reelade do que sem-
pre custuram ; asaim- dirijam-ae a ra do
Queimado, loja d'aguia branca n. 16, que .ser
bem servido.
Vestidos brancos
bordados.
Anda realam alguna cortea de vestidos brancoa
bordados que continuam-ao a vender pelo bara-
tsimo pre?o de 59, com 2 e 3 babados, de gra-
?a : na rus do Queimado n. 32, na bem conhsci-
da loja da boa fe.
Relogios baratos.
Na roa Nova o. 21, ha grande porfo de relo-
gios foliados, dourados e de ouro, patenlea e ori-
zonlaea, suissos e ingleiea, os qaaea aerao ven-
didas pelos pregos da factura. Cada relogieleva-
r um recibo em que se responsabilisa pelo re-
gulamento durante seis mezes.
a libra, em barril a 440 rs.
a 900 rs., e em lattaa de 2 libra por 19700
a este mercado a 640rs. a libra.
a libra.
160000.
Veatn-N por llfl 12 cadoiras, 1 sott o 1 baav
cao do obvir, Udo-tfo jac*rni, o eos bom esto-
hMarfuJ** *** CadeU d; 49.
eade-ao m arieodo-so pota peaaar o feala
ocaMaw7dorMsQsatMidoPec>doPooallo,
qaw fai tjadoo poto o igrojo matrio, 0000 baaoao>
Im eommodos, qohsUl com 000 eaelaaeo, otr4-
boriat pato 8 avatios, o 4 qowtoo no> mesm* ttia-
tal que seivem nio a para criados, asta toaboa
para peaoaao do meaaaa familia : dor, dirijo-te a casa do procurador do eausas, no
roo do Pires n. 7, Octano Poroira do Briso.
Vamosamassa, que pelo
preco quasi degrada.
Vende-ae maesa macarrao. aletria e talharim a
29500 caixa, e a libra a 240; assim como quei-
jos de qnalba a 480 a libra ; defronte da matriz
da Boa-Vista o. 88, esquina da rna do Hospicio.
Chapeos para senbora.
Ricos chapeos de seda o do velludo posa ae-
nbora, pelo baratiaaimo preco de 15 e 16#: a*
roa do Queimado n. 22, loja da boa f.
Liadas caixinhas
com necessarios pata costura
Acaba de chegar para a loja d'aguia branca mu i
tindaseatfiDhae matizadaa.comeapelbo, teooora,
caivete, agolheta, agulbeiro, dedal e pon tetro,
tndopratlado o do aperado goato, emOm urna
eafxioha excellente para um presento, e mesmo
para qualqaer senhora a poaauir, e veodem-00 a
109 e 129 : ns \ot* d'aguia branca.ra do Qoel-
modo n. 10.
Lencos de cam-
braia com padrees de se-
o de ootros muitos fabricantes de Lisboa
rrafa, em canadaa a 35300 4gOOO 49500;
ducija, e em garrafa a 500 rs.
mercado a 640 rs. a libra.
Porto, Feiloria e duque do Porto a 19200.
e em caia de urna duzia se far abalimento
a libra, di a com casca a 480 rs.
Fnmo americano
39 em arroba, e em libra a 100 rs.
lf a libra, se for em porgo ae far abalimento.
Sevadlnna ,je Fr,n5, tM0 ri< aUbtt#
sagn mit0 n0T0 a 3ae rSj a iiDr8t
X onelnno oe Ltabail, 8fl0 Iibrt# a t t arroba
FariaVia do Haranno
XoneinUi inglez a soo n a nbra
Pansas em eaixlnnasd.8ubr... 9500 c.d. um..
curar 5*K?7L%^S,T% mmu^atM ePconlr" "*" P"lco tudo qu.nto pro-
a maia nota a 160 rs. a libra.
Rival
semsegundo
Na rus do Queimado n. 55. loja de miudezaa
de Jos de Azevedo Maia e Silva, tem destinado
acabar com certas, e determinadas miudezas pelos
precos abaixo declarados, e venham logo pois
est acabando.
Caixas com agulhas (raocezas a..........
NoveUos de llnha para marcar a 20 ra. e..
Ditos de liaba de eores o muito grandes a
Carretel de liuba, superior quahdade a..
Liaba branca do gaz a 10 rs. e...........
Dita dita,a melhor que ha, novello grande
Pares de meias de cores para meninos a
Duzia do tneias cruas muio superiores a
Dita de ditas ditas a..........w...........
Pares de metas de cores para meninos a
Liana em cario Pedro V a...............
Caixas com phosphoros de seguranza a
Gaizaa de folhas com phosphoros [so a
Caita vallOOrs.Ja..........,........
Duzia de phosphoros do gaz a..........
Frascas d'agua de colonia superior a___
Ditos com cheirog muito Anos a........
Duzia de meias muito finas paraaenbora
Gaias de apparelhoi para menioos a 240
rs. e *ac-**sp
Trancas do lia e delinbo sorlidas s......
Sabonetes grandes o auperiorea a........
Groza de botoes pequeos para caiga a..
Grozade botoes de loaga a..............
Varas de tramoia superior a 120 e........
Grozade peanas de ac a................
Carleicas muito superiores ..........
Baralhos portugueiea a....,.............
Tesoaraa muito finas para costura a....
Ditasparaunhasa240e...,.........,.,
Bjralhos para voltarete a 2K> e..........
Frascoa de bao ha de ur$o a................
Frascos grandes de lavando embreada, su-
perior qualidale a....................
Fraseos de oleo de babosa a 320 e......
Frascoa de danha muito fina a 240e......
Agulheiros com agulbas o......
Carros e carrocas.
Em casa de N. O. Bieber
A C. successores ra da Cruz
numero 4.
Vendem-ae carros americanos mui elegantes
o leves para duas e 4 pessoas e recebem-se en-
coa mandas para cujo fim elles possoem map-
pas com varios desenhos, tambena vendem car-
rosas para condcelo de assucar etc.
Vendem-se na praea da Independencia ni. 37
e.39, loja de Antonio Augusto dos Santos Porto,
capellaa de immortal para 2 do novembro ae bo-
tar no cemiterio publico, com os nomes segua-
tes :
Minha esposa.
Meu esposo.
Minha mi.
Meu pai.
-Meu filho.
Minha fllha.
Urna lagrima.
Eterna araiade;
Saudades sempre viras.
Yeudem-se osengenhos
S. Pedro e Espirito Santo, am-
bos moentes e correntes e
d'agua, sitos na freguezia de
S. Bento comarca, de Porto
Calvo e provincia de Alagoas,
o primeiro tem casa de enge-
nho e poucas obras, porm
safreja quatro mil pes, o se-
gundo tem boas obras, porm
so safreja dous mil pes:
quem pretende-los dirija-se
a ra da Cadeia do Recife n.
26, primeiro andar, que acha-
ra com quem tratar.
RuadaSenzaa Novan. 42
VenpJ|-sam casada S. P .Jonhston 4C.
eilinse Jilhesnglezes.candagiro; a castiaas
bromeados,lonas uglazas, lo devala,chicota
para carros, a moniaria.arraiospara carro da
om olou cvalos rologiosdo ouro paienu
Dgloi.
Relogios.
Vende-sa m casa do Johniton Palor & C.,
rna do Vigario n. 3 um bello lortimento do
relogiosdeouro,patente ingle, de um dosmais
afamados fabricantes do Liverpool; umbem
u"a jariedade de bonitos trancelinspara os
08.
da a 2^500 a peca. "
Na loja d'aguia branca Umbem se vende mol
bonitos e finos lencos do cambraia imitando seda,
isso pelo baratissimo preco de 20500 a peca de
10 lencos. E' essa urna das pechiochaa que costa
appareeer, e quande assim spproveitar-se da
occasfo, porque elles servem laoto para algibei-
ra como pora meninos, o quem oo vir na loja
d'acnia branca, na ra do Queimado n. 16, ter
vontade de comprar maia de urna peca, tal a
bondade dellea.
Vende-ae um rico presepio obra do bom
goato e bem construido : na ra da Aurora nu-j
mero 66.
Vendem-se saceos com milho novo ; no
armasem da na da Senzala Velha n. 144, com o
fundo para o novo caes de Apollo.
O rival sem segundo, na
roa do Queimado n. 55
defrontc do sobrado no-
* vo, est vendendo tudo
bom e bara tissimo.pois
j tem dado provas de
suas boas fazendas, e
por precos que admi-
ran!, a saber;
Caivete para aparar peona a 80
Ditos com 2 folbaa muito finos a 320
Fraseos de mseacl perola muito fino a 200
Dito de oteo muito floo a 100
Trao^a de Ha eom 10 vsras, bonitas co-
'a 200
Franjas de lia eom 10 varas, bonitas co-
', 800
Spalos do tranca de algodSo a 1J00O
Ditos de dita de fia a 1g280
Carias com ioeao para charutos a v 40
Carta do alflnetes sorlidos francezes a .100
Canas de ditos ditos a 80 rs. e 200
Bacorao para limpar denles muito finas
200 rs. e 400
Durio do facas e garfos, cabo preto a 3*500
Masaos com grarapas muito boas a 40
Candes com eolebetea a 20
Ditos com ditos de superior qualidade a 40
Dedaes de ago para senhora a 100
Saootretes muito grandea a 200
Apitoe do chumbo para crianza a 20
Bialejo para meninos a 40 rs. e 100
Eofisdereo para vestidos, muito gran-
dea a 60 rs. e 80
Sspatiohos do lia para meninos a 400
Ainda tem urna variedade de miudezas que se-
ria enfadonho menciona-las, pois s i vista que
se pode apreciar as qualidades e os precos.
Sementes de hotaliQa,
Vinda peto uftino vapor inglez oa
rom da Cadena roja rJe ferrogem deV<-
dal ft fjMlOf.
, Miibo a 2^600 a sacca.
Dito novo muito barato.
Farelo muito baratp.
Arroz de casca a 35500 a
sacca.
Na traveaaa do pateo do Paraizo n. 16. laberau
ptotida de amarello.
Na ra da Cruz n. 10, casa de
Kalkmann Irmaoi 4C, tem ex-
posto um completo sortimenlo
de amostras de objecto de bor-
racha, proprio para machinas de
engenhos, sendo correiaa para
transmittir moTimento, canudos
de borracha de qualquer com-
primentoegroisura, pannos de
borracha, rodetas de dita, so-
bre ditos artigos tomam-se en-
commendas.
As melho-
res machinas
de coser dos
maia a fa asa-
dos autores de
New- York :
ven de m-te
nicam e n te
no araaazem
de faieodas
de Raymundo
Carlos Leire
& Irmio, nu-
mero 12, ra
da Imperatriz.
Arado s americano ie machina-
paralavarroupa:emcaa deS.P Jos
hston A C. ruada>eniala n.*8.
Maguas e uvs de Lisboa mui-
to boas.
chegadaa no paquelo inglez, vende-se na ra
estreita do Rosario a. 11, estabelecimeoto de
Sodr & C.
120
40
40
30
20
60
120
29400
2000
160
20
160
100
240
400
500
39OOO
*
Novo soriimento
de cascarrilhas de seda,
franjas e galo com lacos
a %s orlas,
A loja d'aguia branca aoaba do reeeber am
novo e bello sortimenlo do cascarrilhas de seda
com duas ralas Qngindo pafo, o melhor que se
podo dar em tal geoero e vende a 2| a peje, as-
sim 0000 franjes de seda de diversas corase lar-
guras por precos admiravetmeote baratos, e
tambera um oovissimo galaoztnho de seda eom
laeos dad relas proprios o de muito gosto para
ealeitesdo vestidos. A barateza eos qap a fojo
d'agiti braaea costuma vender os objeotos j
bem conhecida e agora eomprova a maia eom a
mitajio dos pxecos porque est vendendo os
attigos aelma, para veriflear-ae dirigir-so eom
Chegouaapreciavel agua bal-
smica para a bocea e
de lites
A loja d'aguia branca acaba de reeeber urna no-
va remesas da mui praveitosa e procurada agua
baleaaaica para a bocea e denles. O bom resul-
tado de tal agua ji nao aoffre duvida como sa-
bido pelas immensas pessoas que a compraran),
e que sentiam a falta della, o as que de novo
comprarem echaro que o uso della faz conser-
var os denles soa, livraodo-oa da carie, fortale-
cer as geogivaa o tirar o mi hlito do bocea,
dando mesma agradavel aroma, podendo-se
mesmo usar della nio a pela maobia como a
qualquer hora, e com acert depois do fumar pa-
ra tirar o oheiro do fumo, ou quando ae leona de
sabir paro ter-se a bocea aromtica : para isso,
porm, bastara algumas gotas della em agua pu-
ra. O proveilo d'agua balaamica ainda chega a
mais, ella sarve com acert e promptidio para
acabar a dor de denles, ensopando-se nella um
bocado do algodio e deitando-o no buraco do
lente, eate adormece e em pouco d\apparecea
dor. Para se obler nm frasco de lio proveitosa e
apreciavel agua balaamica, 6 dirigir-so com 19 i
leja d'aguia branca, ra do Queimado n. 16, ni-
ca parte onde ella sa vende. Advorte-se que os
frascos vio marcados com o rotulo da dita loja.
Peitos de esguio de algodo
para camisas a 500 rs.
Na loja d'aguia branca vende-se muito boos
peitos de esguio de algodio para camisas a 500
ra. cada um, dinheiro a vists : na loja d'aguia
branca, ruado Queimado n. 16.
Gestinbas de Hamburgo.
Sna loja d'aguia de ouro, ra do Cabug n.
IB, qem receben um completo aortimentb de
lindas cestinhas de todos os lamanhos propraa
>ara meointadeeecola, assim como maiores cem
ampa proprias para compras, balaios proprios
para costura, ditos proprios parafaquelros, ditos
multo bonitos par* brioquedos-de meninos, di-
tos maracas pitadinhos que se vendem por pre-
sos muito baratos- w
SABAO.
loaqoim Fraociseo do afollo Santos avisa aos
seos fregueses doata piraf a o os do lora, qoo ton
eipoeto venda sabio de aua fabricadoneminad|
-Recifeno armazem do* 8*9. Travassos Jnior
4 toja da bandeira
Nova loja de funileiro V
ra da Cruz do Recife
numero 37.
Manoel Jos da Patiseca participa a
todos os seos freguezes tanto da pra;a
cmodo mato, e juntamente ooreapeita-
velpublico, que tomou a deliberado de
biliar o preco de todas as suas obras, por
cujo motivo tem para vender nm grande
sortimenlo de bshs o bacas, tudo de
dtfferentes lamanhos e de diversas cores
m pinturas, juntamente um grande
sortimenlo de diversas obraa, conlendo
banheiros e gamelas compridas, grandes
e pequeas, machinas para caf e cane-
cas para cooduztr agua grandes e peque-
as, latas grandes para conservar fari-
nha e regadores ao uso da Europa, ditos
grandea e pequeos so uso do Brasil o
comas do vento, latas de arroba a 1,
bahsgrandes a 49 o peqoe noo a 600
rs., baciaigrandea a 59 o pequeas a
800 rs.,cocos de aza a 19 a duzia re-
gadores regulares muito barato, diioa
pequeos o 400 rs., de todos estes objee-
tos ha pintados e em brsoeo o lado mais
se vende pelo menos preco possivel: aa
loja da bandeira da roa da Cruz do Re-
cife o. 37.
I
Barato.
Liaba do crrete!, 200 jardas a 60 rs.
Clcheles francezes, caixioha a 60rs.
Agulhss francezes. caixioha com 6 papis (es-
li principiando a forrojar) a 120 ra. : na ra do
Queimado, loja d'aguia branca n. 16.
N. O. Bieber A C, successores, ra da Cros
n. 4, tem para vender relogios para algibeira do
ouro eprata.
Saiasdecordo.
Superiores saias do cordio a 39, 39500 e 49,
ditas alcoioadas muito superiores a 5J> ; na ra
do Queimado n. 22, loja da boa f.
Tinta prela commercial
melhorada.
Aoha-se a venda na ra do Queimado a. 6, ca-
sa do Sr. Jayme e ns botica do Sr. Torres em 8.
Jos.
Veade-se caixinhaa de cbarutoa a 800 rs. o
19600, os verdaderos qulris proprios paro em-
presas, arroz pilada a 100 rs., em arroba fax-se
abalimento; s o Santos ns roa do Gordouiz nu-
mero 4.
Veode-se um fardan novo pora offlciol a
bohemo da guarda nacional por 509 ; na r
Nova p. 18.'
REMEDIO INCOMPARAVEL
UNGENTO HOLLOWAT.
Militaras de individuos do todas as nacfoa
podem testemonhar as virtudes deste remedio
incomparavale provar em caso necessario, que,
pelo uso que della flzeram tem seucorpoa
memores i n tetramente saos depois do novar em-
pragado intilmente ontrostratamenlos. Cada
pesaos poder-se-ha convencer dessas curas ma-
ravilhosas pola leilura doa peridicos, que lh'ai
rslatam todos os das ha muitos annos; o s
rnaior parte dolas sao tao sor prndenles qns
admirara os mdicos mais celebres. Quantas
pessoas recobraran com este soberano remedio
o uso do seus bracos o pernos, depois dedut
permanecido longo lempo nos hospiues.o tas
deviam soffrer a amputado 1 Dallas ha mui-
cas quehavendo deixado esses, asylos depsdo
timenios, psrs so nao submeterem a essa ope-
rario dolorosa foram curadas completamente,
mediante o uso desseprecioso remedio. Al-
gunos das tses pesaos ns etMso de sen reco-
nheeimento deelararam estes resultados benfi-
cos diante do lord corregedor % ouiros magis-
trados, afinado maisaatontiearemsua afirma-
tiva.
Ninguem desesperara do estado desaude si
tivesse bastante confianes para encinar esto re-
medio constan tomen teseguindo algnm lempo r,
tratamento qno necesstassa a natureza do mal,
cojo resoltado seria provar ineontestavelmente.
Que tudo enra.
O ungento he til, mais particu-
larmente nos seguintes casos.
per!;!?. A0*"6 0tr* P'" e'9im M -
Cal^ado barato.
Borzeguins para senhora por 41500 St eSM
o par, ditos para menina por 49, JoOO a U ber
zeguins de hornero, s.paloa rio tapeto aveudade
e sapatos de tranca par. homeror^mhunTlSl
ninas, ludo por mdico preco: na rao da Cid*..
Se llc!a "45'lojl d'e,,,ufa,t"' S -E
n a
m
c n
a
A 2$500
Chales de merino estampados, que em outras
ojaa se vendem por 49 e 59 na loja da boa f
na ra do Queimado n. 22, vende-se pelo bara-
tiaaimo preco de 39500.
Luvas de Jouvin.
ConUnua-se a vender as superiores luvaa de
pellica de Jouvin, tanto para homem como para
senhora ; na ra do Queimado o. 22. na Iota da
boa f. w
BtOUPA FEITA AINDAMIS BARATAS.
2 SORTIMENTO COMPLETO
08
[fazendas e obras feilasj
Kk
LOJA E ARMAZEM
DI
IGes k Bast
lltia do Quelnado
U 46, trefile omarelU.
Constantemente emoevmgrandeeva-'
| fiado sortimenlo des obrecasaeosprotaa !
de pmno e do corea muito fino a 289,
80j e 35a, paletols dos meemos pannos
a ii)$,t$ o 4J, ditoasaccoa preloa doa
mesmoa pannoaa 149,169 a 18f, casa-
cas pratas muito bem feitasedosuporior
panno a 289, 80$ o 359. sobrecasaeaa de
caaemira decore muito finos a 15,16|
a 18 J, di tos saceos daa mesmaa casemi-
raa a 105, 1>9 14f, calcas pretas de
casomirafina para hornero a 89, 99, 10/
o 12, ditaa decaaemira decorea a 7,8a,
29 e 109, ditas do brim brancos muito
fina a 5f o 69, ditos do ditos de cores a
39, 39500, 49 e 49500, ditaa de meia ca-
aemira de ricas corea a 41 e 4$500, col-
jletespretosdecasemiraa 59 e 69, ditos
do ditos decoros a 4| 500 o 59, ditos
bronco ida aeda para casamento a 5y,
ditos do 69, colletes d f brim branco o do
f usto a 39. 39500 e 4f. ditoa do corea a
|500e S}, paletotfpretosde merino de
' cordio sacco o sobrecaaaco a 7#, 89 e 99,
colletes pretos para luto a 49500 a 59,
1 as pretas de merino a 49>00 69, pa-
[t etots de alpaca preta a 39500 e 4f, di toa '
\ jobrecasaco o 9.79 a 81, muito finoeol-
latss de gorgurao desedadecoretmuito
boafazondaa398o0o4f, colleteade vel-!
lodo do coroso pretos a 79e 89, reupa
para menino sobro caaacadepanno pra-
j tos e d corea a 141,159 16. ditos e
asemra sacco para os meamos a 69500 o
9, litoade alpaca pretos aaccoa a 89 o
[19900, ditoa sobrecasacos a 5f e 59500, :
jalcaado casomirapretaao decores a 69, J
11500 a 79, eamisas para menino a apa
a d azi .camisas i o gl esas prega 'Largas
sss^4PV*^,>v (
Bal
Inflamtnacao da bexiga
da matriz
Lepra.
Malos das pomas.
dos peitos.
de olhos.
Mordedurss do reptis.
Picadura de mosquitos.
Pulmes.
Queimsdelas.
Sarna.
Supurac5es ptridas.
Tinha, em quslquer
parto que sejs.
Tremor de ervos.
Ulceras na boeca.
do ligado.
das articulares.
Veas torcidas ou
dss as pernss
2 b a
r>1:GS
? B
^ S5'
8 B3
5- ce Cf^
o
oo3

M O
fm
S B
P
o
II
p S
>
3
on esa
n3
Sos
00
S1 CO^ 1f&
m
o*
e
5

US
w a,
- D
1
C5 en
'%
a.
o
I
e
no-
Alporcas
Gaimbras
Callos.
Aneares.
Cortaduras.
Dores de cabeea.
das costas.
dos membros.
Enfermidsdos ds cu til
em gorsl.
Dius deanus.
Erapeoes escorbticas.
Fstulas no abdomen.
Frialdade ou falta de
calor as extremida-
des.
Frieiras.
Oonsjivss escaldadas.
Incbsces.
Inflammar30 do figado.
Vende-se esto ungento no oslabelecimenlo
geral de Londres n. 244, aStrsnd, e na loja
de ledos os boticarios droguista e outras pes-
soas encarregadas de sus venda em toda a
America do sal, Ha vana a Bespsnba.
Yende-se a 800 rs., cada bocetinba contm
ums insiruc^io m portuguez para explicar o
modo da fasor uso deste ungento.
O deposito geral em casa do Sr. Soum,
pharmacentico, na ra de Cruz n. 22, tm
Pernambuco.
Pechincha sem igual.
Corteo de caiga de casemirs preta e de ror en-
testada muito fina a 49500 ; na loja da Califor-
nia, roa do Imperatriz n. 48, junto a padariv
francesa.
Potassa da Russia e cal ile
i
v -o w v joj.bojvastas sa, tau t iiaoioiaioB oaaoaioiitTiroi,
aaiaaba.protao ontraa qualidadaa par menor
- preco qoo de ostras fabricas. No mesmo arma-
li^>lJ-l,tt l&tJteSS**br'n1" *9*4*9pk basa lasi *atta o aeu dopeoMo de volas de carnao-
amsidJ^Sat/la!^ M bw^tow* ^WMa mistura algama, como as de
agiooo aaaaatsaada, somposleio.
Retroz,
Do fabricante nti mpos Navarro, da
* C, aa rao 4o Amorim a.88: moaao amarella, otdade do Porto, ochase A venda no Srmaess
Doos o. 12, um variado' soriimento do retroz da
todas as corea" ltimamente deapachado, que
vendo a prejos razoarais psrs fechar % coala
fajada?
Vndem-sa
para bahulei
quem,pretender dirija-se a esta, tipo-
grapkta, que abi te dir' juera oatem
para Tender.

No bem conhecido o acreditado deposito da roa
da Cadeia do Recife n. 12, ha para vender a ver-
dadeira potasas da Russia, nova O de superior
qnalidade, assim como tambero cal virgem em
podra ; tudo por presos maisbsrstos do qns em
ostra qualquer parte.
PUNDICO LOW-MMB
RuadaSenzalla Ko\a b.42.
Mosto ssUboloeimoDio eoana a havaius
eomploto sortimanio dmoeridaSBieiaf moau-
daspsjaeagSDhOiiischinss ds vapor alaixat
10forro batido o coado,da todos ostsmanbos
para dito,
Superiores organdys a
720 rs.avara.
Vendem-se flni asimos organdys de mui lo bo-
nitos padres, pelo barstisaimo preco de 720 rs.
a vara, fazeoda que aempro ao vendeu por
19200, assim pois, quem quizer comprar fazeoda
fipa muito bonita e muito barata chegar 4 roa
do Queimado a, 22, na bem conhecida loja da
boa Id.
Pmvsbilesethealn
IRiquissimoe cintos de
1 teenbea deoredoB o osa*
|-taa poro oahirem sobre
pilos para as sen oras
tes o Ibaatreo ; vended
coda4f, 5f ed: ua
oabomeoavbecidKloia
Enfeiles r
Vendem-se f\tt
lbores o msis modernos qns
baratissimo preeo do a f na ras do Queimadoltoaeima citado, o
n. 29, na loja da boa fe. a Jos Teiieira Basto.
Vendo-oe eanaporcio do chapeos de patas
de Arscatv, tanto a relalbe como em porfi, bo-
rato que admira ; no roo do Cordonia n. 1.
Escrayos fqgicos~
Em diaa de Junbo deste anno desapparecou.
da fazenda S. Bento, na fregnezia do Acari, o ea-
cravo crioulo de norte Guilberme, com os (ignaes
seguintes : preto, idade de 17 annos, alto, secco,
pouco foimoao, olhos grandea, peraaa finas, cojo
escravo levoo eos seu poder em cavalle slatao
rom um ferro ao qoatto direito o ooiro oo eo-
querdo, suppoe-se que este oocrovo foi seduiido
por alguem ara ser vendido neata pra;a ou aa
sul, perlencentea Laurentlao Bezerra deMeno-
zes Gilvio, e roga-ee a todas sa autoridades pt li-
cites e capiaea decampo a raptora do referido
escravo, offerecendo-se de grsiifieacoo a quanlia
de IOO9 a quem o pegar, e leva-lo 00 na referida
fazenda S. Bento, uo Serid. ou na capital do Rio
Grande do Norte, em casa do Sr. Joaqun) Anio-
nes de Oliveira.
Fugio do engeobo do abaixo astignado, no
dia 13 de dezevbrode 1859, um noleque criculo
por nome Joio Qregoiio, idade de20 a 24 amos,
bem preto, aliara regalar, alegro o regiists, cPa-
ci de carreiro, o qoal fot preso na Babia em Fo-
vereiro de l60, e remetiido psro Peinan.buco
em um vapor,afonde tornou a fugir, o suppoa-
se estar na Bahia ; roga-se as sntoridades poli-
ciaes e capities de campo que o spprebeodam o
0 remellam para Peroamboco a estregar ao Sr.
Joo Pinto de Lrmoa Jooior, o que pagari qual-
quer despeza que se fizer.
Umbelino de Paula Soaso Le ao.
Fugio no dia 7 de outubro do correte ano*
do convento da Piedsde, f reguezi de Moriboea, e
escravo crioulo, de nome Maicoliuo, de 92 annos
de idade, cor preta, cara larga o muito lustrosa,
ealatura regular, bracos e naos pequeas, peo
groisos e apalhetadoi, tem o andar remado,
falla muito atrapaibado, foi ltimamente escravo
do coronel Bento Jos Lemeoba Lina, levoo) cba-
1 o de fellro j una, chopee de sol do pauso
prtto com barra cor do roso, tres camisas, acede
urna bianca, orna de algodio liairado, o outra de
bala verde, duas ealcaa, aendo orna atol o ostra
de biim branco com um lecido amarello, um pa-
lelot de ganga cor de cale, orna jaqoea de gan-
ga quasi prela ; quem o capturar, leve-o ao con-
venio da Piedade, ou no Recife, i caso de Clao-
dino do Reojo Liosa, oe rea da Praio n. 47, qaa
bem gratificado.
Esoravo fgido.
Vicente, taizo, secco, pernas finaa, nariz cho-
to o largo, maoa foveiraa, bem fallante, dase pee
crioulo, levou camisa branca *calesa de brim da
algodo, sada pelas ruaa desta csaede ; ao rae
das Triocheires n. 19, segando andar, oo 00 car-
lorio do tabellio Boptiala S, que tem ordem da
gratificar.
Escravo fagido.
No dia 7 do corrate regio osa preto per nome
Joiquim, de idade de 30 o 35 aonoa peaco mam
ou menos, balegresas de coreo, crioulo, le-
vou vestido, calca branco o cmate de chito en-
carnada, tem orna cicatriz ae meio de peile qaa
parece ter aido de fogo: quem a opprebeeder le-
ve ao seu aenbor .ojelo Baptisla Oo Nascimelo
no caes da Ramos n. 16 on aa Paaeagem da Mag-
dalena, roa da Bemfica o. 24, qae aefi boas ra
compensado.
Escravo fgido.
Desapparecen desde o dio 20 do ases presieae
pasaade o preto da Costa par nomo Joo, Moda
40 annos, pouco mais oa menos, com 00 aloma aa
leguintea: aniso, secco, roete ccoapriee, barba
raspada, o cosa nm pequeo sigaal noo iodas de
p direito, aendo o dedo Index um peaco atra-
vessadoporbaizo do entro, levou camisa e calco
branca, o carapoca da marujo j besa 000de;
quem a pegar leve-o a rao e Qwetaaede a. 67,
loja de miudezaa do Joao Antonio do Almeido,
que se
aada asa escravo os-
a, groooe, cabello da
, caota qoo um
jifet 1
^^^^hasaro:
.... A^.
de corrate, da aa>
^^^Ksacravo crieele,
^^BJoeqaim, comea
a brancoa, alto, oecae
* eacravo aPacbece, da
T 1 U wajeaw tJiw |>41Im 49U
todoeaeouiasaaadea policii
os o o ooem
o capturar o entrega-losa}
na raa do Trapicho a. ff


(8)

JMAUO'M tiWUMCCO; SttJA ffiiU 11 M OTOBRO H INI.
Litteratura.
Refutacao ao parecer do Sr. Dr. Pitaa-
ga, pelo Dr. Garneiro Monleiro.
VI
Na obra de medicina legal de Mr. OrOIa. Ele.
4. lit. i. e pag. 172 nao ooconirei a citago, que
faz o collegs de que 4 dias sao tuficientes,
depoida mprte, par fazer o pulraio biar pelo
que o rollega se deixa.levar a concluso que en-
tre nds basta dous dias.
Oque podemos encontrar no lit. 9. da 4. Kdi.de
Mr. O: liita. fra na pag. 189 exposigoJ e trea
experiencia. Na primeira dopolsde ler sido cor-
tado era 18 fragmentos o? pulmes de dous fe-
tos nucidos morios e de tempo, e postos n'agua,
el les lomara m o fuodo do liquido-; e, 5 dias
depois, 10 destes fragmentos tomaram a super-
ficie, tendo-se tido o cuidado al eolio de mu-
dar a aguo oras ves per dia, eom a temperatura
de 12 a 16* tb. R. Quatro dias depois (iio
no nono dia) haviam 14 fragmentos, que so-
brea Uvera, porm comprimido! fratementeelle*
pricipitaroetc. Na segunda experiencia se
refere que Btlatd viu que tendo em 18 de julho
deilado n'agoa os fragmentos de 8 pulmdes, que
nao tinham sido penetrados pelo ar, al 25 de
agosto (espago de 38 dias) elle* permaneciam no
fundo do vato, apezar de a decomposico ptri-
da ser bastante adiantada. Na lerceira expe-
riencia, depois de tersido cortada em 4 fragmen-
tos os pulmdes a'um menino de tempo, que li-
nha vivido algumas horas, e postos n'agua, lies
boiararo durante 10 dias : ento dous aellas pre-
cipiUrarn. Nove dias depois ura destes dous
teodia a montar a snperflcie. No flra de tres
dias ootros dous tomaram o fuodo ; e os dous
pruntiros nadavam no meio do liquido. Mulou-
se a agua, que estar bstanle colorada, ento
lodos os fragmentos ganharam o fuodo do raso.
Continua Mr. Orilla.x O resollados tornea-
dos pelas experiencias precedentes noso de urna
applicagio rigorosa nos catos em que te traa di
determinar,segundo m cadver inteiro pulre-
feito, a supernalaco do pulmao deve ser attri-
buiiu a putrefaego. Nao coolestamos que o
pulmoque nao foi delatado pe i respiragao possa
tomar a superfino do liquido sera por effeilo da
ferraentago ptrida ; porm nao admiltiraos ene
que o collega no* cite a obra, o tomo, e a pagina
do autor, em que leu a citarlo que faz de que os
Srs. Billard e Pyl dixem c que o pulmao que
nao respirou, quando paasa a aoffrer o comecode
putrefaego vagarosamente conduzido a superfi-
cie do liquido, ainda mesmo quandonelles se (ac
a presso par se dar sahida aos gazes j de-
senvolvidos.
Permuta o collega que duvidemos da verac-
dade de semelhanle citadlo, al que com os pro-
prios olhos learao-la escripia em mais de urna
eiicgo; pois que mesrao somonte em urna, somos
levados antes a erer ser'erro de composigaodu
que os Srs. Billard" e Pyl referissem um tacto
cooteslado por todos que lera escripto sobre se-
melhanle materia. A experiencia do Sr. Billard,
e obserrada muitas vezes polo Sr. Pyl, que dos
offereci.la por Mr.Orla na pag. 189 do tom. 2.
daEd.4., que. al ao lempo de 38 dias, os
fragmentos de 8 pulmes, que nao forana delata-
dos pelo ar, permaneceram no flra do raso ; em-
bora ettivesse *m seu auge, a decomposico p-
trida, posto que o tecido ettivesse redazido a
um liquido avsrmelhado muito ftido. ,. o que
inteiramente conlrario do que cita o collegi.
O que digno de eterna memoria que o>
pulmdes, queforam extrahidose conservados em
alchool de 36 grios progrediram rpidamente em
putrefaccao porque i orgo composto de muito
tecido celular e porque os phenomenos da fer-
mentando putriaa sao mais rpidos nos paizes
quenles, e mais ainda em certas latitudes ; era-
quauto que o corpo da creanga, qoando foi exhu-
mado nao offerecia indicios de adianiada putre-
faccao. E' verdade que neto se achavam ni mes-
ma localidade : o corpo estar no cemiterio ; e
os pulmdes na secretaria da polica. Muio cor-
ruptivel a tal aecrelaria que oem mesmo o al-
cool de 36 graos capaz de retardar a decompo-
sico ptrida, que ahi camioha com a velucidade
elctrica.
VII
A CREANJA POOlA TER RESPIRADO E NXO TER
VIVIDO.
E' raisler que lembremos.que, tendo os pulmes
boiaios em sua totalidade, prora da ter havido
respiragao completa, quando como no caso em
queslo, oio explicavel semelhanle levesa es-
pecifica pela presenca do emphyseraa ou da in-
suflado.
lato posto verificaremos se o collega poder sus-
tentar, ou* urna creanga que respirou completa-
mente pode nao ler vivido.
Este o ponto da queito ; todo o mais ou
desojo de encobrir a verdade ou esquecimento do
que tem ensinado os mestres.
A proposigao, que a cranla podia ter respira-
do o nao ter vivido, alm de ser obscura na sua
eounciagio, ociosa ; por quanto se pode res-
ponder sim e nao : isto a creenga
podia ter respirado incompletamente e nao ter
Civilmente vivido ; a creanca nao podia ter res-
pirado completamente e nao ter vivido civil-
mente.
E' claro que a primeira proposigao nao appro-
veita no casa vertente ; pois que nao s affirma-
mos que a creanca respirou, como que respirou
completamente.
A segunda o ponto que trataremos de de-
monstrar.
Segundo M. Merlin a respiragao completa,
que conililue a vida ; este sabio jurisconsulto se
apoia, na opioiio de Alphonso Leroy. Tal tam-
bera a opioiao de M. II. Chaussier, Duuois, Pe-
lean, L. Auvity, Marc, Rooux, Margolin.
E' geralmenle reconhecido, diz M. M. Briande
e Chaud( Ed. 6 pag. 166) que, ao menos em
calera civil, a respiracao, que caractersa a
vida n'um recem-nascido ; com estrema cir-
cumspecco que te tira, em materia criminal, a
{rova da vida em outros dados, que nao seja o
irre e completo exercicio d'esta fuoccao.
Admitlirei diz M. Orfila ( Ed. 4 tom. 2 pig.
171 ) com os autores que respirar e viver sao
tynonymot ; e que por contaqueocia o recem-
nateido que ritpirou, viveu
Lego He evidencia lgica, que se bou ve, res-
pirlo completa houve vida. Nem edmiisirol
a proposigao contraria por ir da encontr o que raco testes orgos i sugeita a grandes
se aeha escripto em todos oa tratados de medici-
na legal.
O collega, pira sustentar a proposifo vicio-
sa, que eounciou, r au^^^B, qu
sustentara a possibilidade de hav
pira5.n0, durante o i> 1. Od^^^^^^H
do mesmo fosse inabrffarel
a opiniao deatas auto-
ridades, e-que ellas afBrftastem, quenestacir-
cumstancia podia haver a respiracao completa, o
que se conclua, era que pudia-se dar o
que orna creaoga pdderia adquirir o goso di vida
mente ; porque d'uiya parir contacto do sr s|hj
mospherico, aps a abertura do thorax, toros lul^
go mata clara a cor da superficie pulmonar do ta-
to que nao tem respirado ; aTonira. parte a
condices, nota so, que peso dos pul- jos labios delgados nunca darians entre-sbrir-se
cinl, estando rinda, era parte, no seio materno.
Porem nenhnms destas autoridades afrmam.
que leoha barido durante o Irabajho do parto a
respiracao completa ; e por coosequencia o col-
lega se apadrinhau mal.
Abra o collega a obra de medicina legal de U.
U. Briiod e Chaad Ed, 6. pag. 207, e veri, que
estas autoridadea oa materia aasim se exprimem :
< Nao possivel que a respirarlo, e o regid* le-
nham lugar antes da ruptura das membranas.
Needham admitte a possibilidade, por analogia
cotb o piado do pinto ainda coolido no oro;
mas o pinto, que nao tem commuucsrao algu-
ma om a galtiohs, tem, quando est prximo a
sahlr, necessidade de respirar, o que nao se da
nos mamferos ; e do ais. a catea do o evi
dentemente porosa oio pode se opp6r, como as
membranas densas do vulo humaoo, a entrodu-
5S0 do ar, e a transmisso doa aons.
a Quando as membranas sao roplas, quando as
aguas tem corrido, posto quo a creanga esteja
anda no estreilo superior,, se concebe, que o ar
pode chegar at ella.se pralica-se o loque, e com
mais rszao aeha manobres de parto. Al mnimos
como exacto o fecto roferido pelo Dr. Zilierland ;
e com maior razo o apresenlado por Me. Paulio
etc.
< Mas nos repetimos com Mire, pars que a
creanga possa gritar, ou respirar, mialer que
as ages teoharn corrido e que alguma manobre
tenhe facilitado a iotroducao do ar. De mais,
quando seja possivel, que, em casos extrema-
ment raros, urna creanc respire antes de uas-
cer, dever-se-ha concluir, que as proras doci-
mastices sao sera velor? Nao sem duvils res-
ponde Mere: porque d'urae psrte as provas pul-
monares feitea com toda a atlencio necessaria,
terio um grandiasimo valor quando elleste-m,
que s respiracao nao leve lugar; e se ellas de-
nunciam, que a cranla tem respirado, estabele-
ceram seno umaprova ^ro.oo menos umafor-
tissima presumpeo de que viveu. Accresce que
esta respiracao intrauterina neo pode ser com-
pleta ; e se a creanga morre durante o^trabalho
do parlo, ou tuecumbe immediatamente depois,
o estado do pulmo, e a prova doemastica indi-
carao urna respiracao incompleta. Porque nao
basta algumas inspirsgdes, e sobretodo iospira-
5des lo tracas, lo iraperteitas, como as que os
(tos podem ter execulado no ulero, pare delatar
a ranssa pulmonar: quando muito achar-se-ha
ar no vrtice 00 bordo anterior dos pulmes, e
nao poder-sa ha coocluir que a creanga tenha
respirado e vivo.
a Nao ha durida que quaodo o trtbslho do
parto quasi terminado, quando a bocea e as
oarinas sio proximee ao orificio da vulva, a
creenge pode respirar, e gritar. Se isto raro,
por que nos casos ordinarios os orgos respirato-
rios sao ento muito comprimidos; porem pela
mesma razio a uuiraco nSo pode ser comple-
ta ; o ar nt pM dilatar toda a maesa dos
pulmes ; e se, posto que seja difcil de conce-
ber, a respiracao fosse completa, que inconve-
niente haveria, que a creanga fosse reputada ler
vivido, e que toda violencia exercida sobre ella
fosse reputada exercida sobre urna creanca
viva ?
a O mesmo diremos se a
ji tem franqueado a vulva.
Quando o corpo fra, e a cabege retida
na passsgem, admiltiraos, que o vagido possi-
vel ; porem sempre com a reslricco que s na-
cer 11ra cmico de respiracao; o que a docilita-
da poder appreciar,
VIII ,
VALOR DA COR DOS PULMES.
A cor dos palmes para o Sr. Dr Pilanga
o pramordial phenomeoo comprobatorio
na queslo demonstrada do acto respiratorio;
ella o estribo, em" que se arrima o collega, pa-
ra sustentar ojuizo inserido no corpo da delicio,
de que os pulmes nao forara del I a lados pelo ac-
to da respiragao'; o que contestemos, pois que
de modo elgum podemos sdmiiiir, que os pul-
mes naqulle primeira exame tomassem o fun-
do do raso, por maie criterio, que nos raerecam
os piritos, que osfTlrmaram.
Nao pretendemos explicar resultados difieren-
lea. e inteiramente oppostos, oferecidos pelas
experiencias: a saber que na primeira, a que
nao assisiimos, elles grartessem ; e na segunda
lomassem a superficie do liquido.
Negamos o primeira tacto allegado, isto que
os pulmes tomaram o fuodo do vaso ; e nega-
mos porque, na experiencla'e que essislimos el-
les boyarem por effeilo de iolrodugio do a'atri-
mospherico em suas visiculas, como temos vi-
denlemente demonstrado: e physicameote im-
pussirel, quo anteriormente deixassem de boiar,
quendo nao se prora que depois da primeira ex-
periencia se Qzera a insufligio.
IX
Teri a cor dos pulmes a importancia, que Ihe
quer dar o collega ; e de tal modo, que pretira e
contrari o resultado fornecido pela docimastica
hydro-statica pulmonar? E' o que passeremos a
examinar.
Mrs. Briand e Chaud na sua obra ji citada,
El. 6. pag. 202, assim se exprime: c A cor da
superficie pulmonar ple inda foroecer um indi-
cio multo imprtame, quando se trata de de-
monstrar so a respiragao tere lugar. Em geral,
os pulmes, vistos pela superficie, sao d'um es-
euro violeta nos fetos, que nao tem respirado.
Elles podem ser comparados i cor do gado do
adulto. A cor rotea quando a respiregio es-
labelecida. Mas este carcter por mais importan
le que seja, nao deve ser consideradq itolada-
fdes, tuja causa difjicil reconkecer ; 061err.
Hacer rosea no* u/et de enanca auadas
mortae ; a sima conr/ettaoianguinea, urna hepa-
tisacao maie ou menos adiantada pode dar aoe
pulmes a cor violeta, posto que a creanca te-
nka respirado.
Mr. Orille, no sea. tratado de raed, leg. ed. 4,
toro. 1, pag. 175. declara ra Qu* a cor dos pul-
mes, era geral, d'um rermelho escuro as crian-
tacto de ] gas, que nio tem respirado, algumas retes
d'um branco rosado ou com manchas rermelhas ;
cabega da creanga
e quando a respiracao tem lugar, ella ordina-
riamente rosas. Mas observase algumas vetes o
inverso : as creanga*, que depois de lerem vivido
um ou muitos dias morrem su/focadas, offeretem
os pulmee d'um vermelho escuro; emquanio que
ouiras, aobretudo se ellas nio sio da tempo, leo
01 pulmes d'um branco roseo, etc.
Poderei, contina o mesmo autor, ajuntar
outros factos, que me per mil tem estabelecer, que
o carcter de que te (rala ( a cor dos pulmes )
offerece pouco valor, quando contiderado iso-
admente ; mas que reunido a outroe pode ser
til.
E' bastante ter lido ama vez, o que dizem es-
tas autoridades oes citages, que acabamos de la-
zer, para se tornar frisante a fragilidade d'esta
prova, a que o collega di tanta importancia.
Que juizo poder estabelecer o hornero da
ciencia smenle com a coloragao dos pulmes,
quando esli certo, quo a cor branca roiea, ou
verraelha-violeta pode existir nos pulmes da
creanga que veio ao mundo, quor vira quer,
mora ?
Ougamos ainda Mrs. Briand e Chaud na mes-
ma obra, pag. 205, quando falla da docimasia ]
pulmonar hydro-statica ordinaria : c Este pro- j
cesto o mais ango, e ao mesmo lempo o ^!, do bom PP.,,l'J "> semelhanle pro-
.* como 1, o do corpo inteiro varia
Bjti 132 ; em quanto qua as croenjas
a. que nio tea respirado ; o peso Ao
sendo costo 1, o do corpo varia desde
Ai ceusai de erro inherente ao metholo de
ucquel me tem parecido lie numerosas, qua
tenho procurado se aeria poisirel, comparando o
peso dos pulmes com o do corego.obter resulla
oospropros a me fazer conrenear.se a,creanga li-
ona, ou nao respirado: esperara, que houreste
menos rariag's n peso do corageo do que hs no
do corpo inteiro ; e que- por taolo a sua re agio
com o peso dos pulmes fosse mais constante.
O resultado das experiencias fui 1. quo a re-
lago do peso dos pulmes com o do corego
nao constante nem nos fetos que tem respirado
nem nos que nao tem respirado; 2." que nos fetos,
que tem respirado, os palmes pesam algumas
vezes o sptuplo do peso du corago. em quanto
?e *'* ou,^,, circumstantias elles s pesim
16|5 de vetes; 3. que nos fetos, que oio tem
respirado, os pulmes podem pesar o quintuplo
do peso do caragio 00 48|15 de vezes ; 4. que
por coosequencia impossivel estabelecer regra al-
guma fixa conforme esta relago, pela qual te
possa saber se a respiragao leve lugar.
E' bem manifest por tanto que esta prova
bem mesquinha.
XI
O ler-se tirado dous fragmentos dos pulmes
inhibi, que o collega podesse apreciar, se o san-
?ue foi, ou nio tirado destes orgos : isto inhi-
io o exame do* vasos, que enlram, e sanan des-
te orgio, que levam e traxem sangue.
E' incompreheosire! o que pretende o collega,
Pois o ter-se corlado alguna fragmentos do pul-
mo redareis apreciar o estado dos seus rasos ;
e se elles contioham ou nn sangue ? Hareri
mais simples de lodos os empregados, para de- ;
posigio quando al oecessario iocisar a viscera
monstrar que os pulmes foram dilatados pelo j p"" Pfeciar o conteu lo de seu vapor?
ar. c Indicado por Galeno, foi applicada a medici-'' k collega prestou atteogio a observou, que ne-
na legal em 6OT por Schreger; e depois d'esta f u"" ?ot'a .d.""T?- H"1* hia pela
poca tem servido de base principal as decises *?"? ?". "q 'I" "* *V ?,W"
judiciariat em mtlerit de infantecidio; tua ] r.g" "tnJau? nAaP""va cor de ler sao-
omisso tem produsido a nullidade dos proces-'*'? ?,m dJ8Slua(. e Dolo mats uto atlrahio a
sos verbae*. e dos relatnos de peritos. \ ""'"!?*,?. qu<,?, !"' ProT" dio rande ita'
E manifest que. que-o tem conhecimeuto d. i Porlanc' Divergi Foder e em parte Pluuc-
materia, nio poder dizer, que contraria
conhecimeuto da \ 5a?ncU DTefge Foder
tutado da aVcimaifica yJro ifaticaa cor do's'B.^c}emoi 8e deU T" Sr- Dr- PUjn fo
pulmes, sem que se sugeile is censuras dos es- j in1.,5,.,!,; A-, u n m ba '.
Anies da respiragao, diz Mr Orfila Ed. 4. tom.
i 2 pag. 175, o sangue coolido no ventrculo
X to do
pintos recios.
ngue coolldono ventrculo diret-
corago chega-lhe grande parte naaorte,
F por meio da erteria pulmonar, e do canal arte-
valor do peso absoluto dos PULMEi, que sio rtal; aquello, que a aurcula direita recebe da
pode ser apreciado PELO sr. dr. UTANOA, por veia cara iofexior passa i aurcula esquena
ter EU cort.do su PEDAgos. pelo buraco inter-auricnlar, e d'ahi ao vultriculo
Permuta, o college, que Ihe dige, que S. S. ; esquerdo, e a arteria aorta, dere percorrer os
dormiiou. quando oOereceu ao publico semelhan- pulmes. Todavia nio exacto dizer Como Fo-
k,; "a deroneeit arterias e at veia* dos pulmes do
ao pude >. b. apreciar o peso absoluto do feto, que nUo respirou, sao varias e n'um estado
pulmao ; porque eu o havia cortado? I de prolapso; com effeilo i fcil de mostrar, que
Nao tratara desto ponto, se oio fosse elle re- at arterias, e as vetas pulmonares conlim san-\
pendo meis d urna vex ; pois que cust-rae a crer gue. inda mais, que se os aeha algumas vezes
que nao leoha sido erro de composigio. cAeiat deste fluido a urna dietancia bastante
Uizer-se que se esli imposibilitado de apre- consideravel no tecido pulmonar. As cousequeu-
cit o peso d um corpo, porque este se aeha diri- cas deste erro amatonico sao tanto mais grares
para um aornao de perdi : a nao se eaganou !
O cerdea I respoodeu i loquen tia do coregio
Com phrases banaes da relhorica dos concilios.
Em rez da querer arraneer nma aleta i Deas,
diste elle despedinde a pretndeme, melhor aeria
que ros mesma tratasteis de consagrar-lke a ros-
ta, expiando 00 errependimenlo e na penitencia
a falta que commlteites.
A expiagio da infeliz durava ja a maitos dias,
o o claustro nada poderia acreseeoter as suas tor-
turas: assim poz-se ella a reflectir naquella ex-
Ifortago glacial.
Atora de que era urna especie de suicidio co-
mo qualquer ootra o cobrir-se de um veo a raa-
neira de um sudario : ao menos isso po.upava-
Ihe os incomntodos da volta i sua prorincia, e o
longo mariyrio que ali a esperara em faca, da
dr silenciosa de seu pae.
Mas pensara ella por outro lado que essa de-
sergo da casa paterna, quando a desgraca li li-
ona penetrado, seria urna vileza ; que laea im-
molages iheelraes ersm boes para ai mogas no-
bree e as favoritas abandonadas ; porem que urna
joren burgueza, como ella, devia nicamente
consagrar-se i sua rehabilitado para obter o
perdo de seu pae.
Da mais antes de recorrer a um partido oxtre-
mo restava-lhe ainda entre os meios de salva-
gao, qua Ihe foram indica los^elos senhores do
parlamento, o perdi do rei.
Sua mageslide nao podia ser mais inexoravel
do que o fora sua eminencia.
Com effeito o huguenote Beharoez qae entra-
ra em Pariz pela porta do coofissioosrio, e que
eom os cheles da liga se entregara a um com-
mercio de coosciencias em grosso, nio havia de
serum fatalista lo figuroso. Accrescia mais que
nioguem era lio competente como o amaote da
Gabnella d'Estres, o galn coroado, para pro-
nunciar-se em ultima instancia sobre ama que-
rela amorosa, pois tal era o fundo do proceaso,
cujo boalo tinha chegalo at a corte. .
As portas do Louvre abriram-se sem difJQcul-
dades i herona do drama de Angeri.
A pobre Henee, ainda loda amedrontada dos
raios do enviado do Vaticano, prostrou se tr-
mula aos ps deH-iorique IV. que ergueo-agra-
ciosamente, e batendo-lhe na face com a sua
mi real disse-lhe sorriodo :
Entio queris ser condessa, heim?
Ai de oiirn, sire 1 respondeu a j >ven ani-
mada com esse acolhimeoto. Nio foi ao viscon-
de de Mootilier que eu amei, mas sim ao estu-
danle Alaio; e hojetola a minha ambigio sal-
va -1 o, rettitui-lo liberdade, se vos magesta-
de se digoar concederme o aeu perdi, e com
a liberdade resliluir-lhe tambem a palabra qua
olle me baria dado.
FOL.HETI1I
n
dido em pedagos, cousa inadmtssivel que teja
dita por quem nio aoalphabelo, e inda menos
porum hornera da sciencia.
O pulmio inteiro pesara mais ou menos do
que estando dividido em pedagos? I
O collega leu, que urna das docimasias pulmo-
nares a eomparagio do seu peso absoluto com
o do corpo, o com o do coragio:
O collega lea depois do exame, o como Ihe quer
Jar alta importancia, e nao houvesse feito a ex-
periencia oa occasiio, recorre i desculpa de que
nio o pode fazer, por que tinha eu cortado o
pulmo.
Nio admiri que hajs quem pense qae urna li-
bra de algodio pesa mais do que urna libra de
chumbo, quando um homem que se diz da scien-
cia allega que neo pode apreciar o peso do pul-
mao por que elle sa achara dividido, e os peda-
gos presentes 11 I
Retiro todas estas reflexes porque nao posso
capacitar-me que nao lenha ahi bavido erro de
composigio.
Conceda-not o collega que podesse apreciar o
peso dos pulme* mesmo em fragmentos ; que
ralor teria o retullado oblido ? Ougamos os mes-
tres.
Mrs. Briand e Chaud El : 6 pag. 201 dizem :
cO peso dos pulmes das creangas recem-oas-
cidas, egualmeule de termo, egualmaote bem
dupuitas, aprsenla grandes differengas.,E', ter-
mo medio, pouco meis ou menos de 40 gramraas
antes da respiragao e de 70 a 80qoando a respi-
ragao tem feito applicar grande quanlidade da
sangue. Ploncquet pensara, conforme as expe-
riencias que tem feito, que o sangue que chega
aos pulmes, quaodo a respiragao estabeleci-
da, duplica o peao destes orgos ; e qua este
peso quando a creanga Oio tem respirado pars
o do corpo na relago del para 70 ; e qua quan-
do a respiragao bem estabelecida de 2 para
70; ou de 1 para 35. Mas numerosas experiencias
feitas em Vienna por Scbmioei, e em Pars por
Chaussier, tem pro 'alo que a relagio de 1 para
70 e mesmo maior pode se encontrar nos fetos,
que tem respirado ; e que a de 2
commetlido, quiz o
a supernatagao de-
quanto o seu aujjr ludo
fazer servir a determioar-se
pende do ar insuflado.
Em rirtude d'esta causa de Mr. OrOIa, Mr. Di-
vergi escreve.< Mr. Orfila fez urna citagio
falsa. Foder o que diz que as arterias e es
velas dos pulmes sao veras a 00 esiado de pro-
lapso, quando se tem praticado a iosuflagio ;
porm nio, antes desta iosuflagio.
D'oode se percebe que mesmo Foder e Diver-
gie nao negam que os rasos dos pulmes do feto,
que nio tinha respirado conteaham sangue. Po-
rm mesmo assim Mr. Orfila responde a Mr. Dt-
rergie do seguiote modo ;
Ataquel a atsergio de Foder, porque ella
falsa : e porque o eulor d'ella dedaz um meio
de recoahecer-se um pulmio, que sobrenada, foi
insuflado ou se respirou.
A inconcebivel opposigo de Mr, Dieergie me
levou tazer uoras experiencias ; o que fcil
de repetir, e pelas quaes se pode.con vencer da
verdade do que avaogo. Sobre 7 felos^ascidos
morios, o insuflados, pude mostrar a^rreseoga
d'um sangue negro fluido as arterias pulmona-
res. Ligaduras foram prelicedas em quatro
d'entre elles, sobre o pedculo vascular do pul-
mio, afim de veir que o sangue refluindo das
aurculas, nio podesse induzir um erro ; e com
ludo pude rer que as ultimas rsmiQceges arle-
riaes contiuham sangue. a
a m dos fetos submettidos a observagao tinha
os pulmes infiltrados ; me fui muito fcil separar
os lbulos com urna pinga, e, no fundo dos regos
de aeparagio destes lbulos, vi as arterias e as
veiaa intactas, nao em estado de prolapso^ como o
diz Foder, porm trgidas, e ennegrecidas peto
sesgue, quecootinham [Op. cil. vol. 4lom. 2,
pag. 176 ola.)
Logo de damonstrago anatmica, que existe
sangue quer nos vasos uos pulmes do feto, que
tem respirado, quer nos do que nao respirou, quer
nos dos pulmes iosufQidos. Mas como o collega
com toda attengo oio vio urna s guita de san-
gue, expiiquei o phenomeoo ; quando oio altenda
a qualificagio que Ihe dara Mr Orille, aquello
e que tem respirado ; e que a de 2 para 70 po-
de ser encontrado nos fetos qae nao (em respira- decarou a "opimao de Foder como um erro e
do. D'outro lado, muitos mlicos legistas, en- opposicio de Mr. Divergi como tnconceiivef.
tve elles Mr. Divergi, tem ebegado a resultados E' pena, que no parecer do Sr. Dr. Pilanga,
dilTereotes ; e em definitiva esta prova etl unge caja auloridade por elle proprio equiparada
de dar os rtsuttadot satisfalorios que seu autor ae de Mn. Briand Chaud e Orfila como em alto
prometlia : e de ter a utilidade que Manon, o bom aom declarou em nossa reuoiio na secre-
Marc.e Foder Ihe tuppunha. larie da polica, oio baja urna s proposigo, que
Mr. Orfila tem tentado urna serie de experieo- prove que os pulmes nao foram dilatados pelo
cus anlogas as precedentes, para calcular a re-
lagio do peso dos pulmes com o do coragio ; e
este sabio professor lam egualmente recoohecido
a impossibilidade de tirar a'ellas alguma enduc- I
gao til. I
Elle assim se exprime na sua obra ji repetidaa
vezes citada ed. 4 tom 2 pag. 183. fallando do '
aprego da relagio do p*so dos palmes cora o do '
-corpo e o do corago.Esta traoalho nio tam i
fornecido neohum dos resultados uleis, que o
autor promettta ; com effeilo examioa-ae em
creangas de nove metes, que tem vivido ainda
alguns minutos at 24 horas : porque, em geral, g"em Pareceu-lhe estar implorando ao carrasco
o infantecidio se commetle nos seres qu* estio fna pessoa desse homem vestido de vermelho, cu-
4 D4IH4 DAS PER0L4S
por
A. DUMAS FILHO.
(Contiousgao.)
Eolio necessario qua o seohor saiba o que
ainda parece ignorar.
O que 1 .
Que o marquez pretende amar-me.
Um homem sempre tem direito de fazer a
cite i urna mulher bella e joven como voc.
Mas o marquez nio parou ahi.
De vera I
Durante urna ausencia sua, fui forgada a 'e-
char-lhe a porta para escapar is suas perse-
guiges.
Isso dalle : mas pedin-lhe perdi deseas
importuneges 1
Eacreveu que amava-me lempre, e que ce-
do ou larde eu seria delle.
Que fatuo 1
Agora o seohor dere comprehender o que
quer de mim o marquez.
Perfeitamente.
E ainda me pede que v procura-lo ?
Pego-lhe.
Que homem 4 o seohor, eolio ?
A' mim caberia dizer: que mulher voe,
querida Aonelte, eu nio poseo deixa-la ir i casa
de um credor pedir nma espera para o pagamen-
to de urna divida, sem receiar pela minha
ou pela sua ? Voc urna mulher honesta
teaho i dictir-lhe qual a condu. ti
guir. Empregari oa aseiea
tes; que me traga o n -' :
s o qae lbe peco.
Bbidj senhor n do marquez
edmittiodo mesmo que elle conceda deua 1
mete de espera, 00 fim desse tempe, coriuTai
raojari o seohor1 essa eomma ?
Ah querida amiga, voce muito intent-
ar atmosphero e que em todo seu escripto nao
appsregam eslea conhecimenios pratiaos e theor-
eos que S. S. a si arroga.
[Continuar-te-ha.)
.. ...i.
Rene Corbean.
(Cunclutio.)
'Quando depois da mil difBculdades schou-se
ella em preaenga dessa personagem altiva e car-
rancuda seulio desraoecer-te-lhe a esperanza
que a tinha sustentado durante a sua looga ria
Henrique IV acabara entio de tratar-so da pu-
nhalada que recebera de Joao Chalel. As averi-
guages a que se procederam em coosequencia
desse alternado mostravam que o fanatismo oc-
cullava na sombra o cabo daquelle puohal de
tantas laminas, o qual ameagava a pessoa do rei
pela segunda vez. E pois Henrique IV, sentin-
do a necessidade de chamar um pouco sobre si
as benges do seu poro, concedeu o perdi do
joven Mootilier, e fez mais ainla: oblere-lhe as
dispensas que o arrancavam do poder dos jesu-
ta 1 declarados corruptores da mocidade e
banidos do reino.
Bene voltou para Aojou : levara comsigo a
sua vioganga.
VI
Depois que a mao vigorosa do mercador o ar-
rancara lio. brutalmente ao seu sooho.Alain
vacillanle entre essa firmeza iodomavel e a von-
tade desptica de seu pae vio-se em pouco tem-
po casado, tonsurado, preso e coodemnado sem
que nada Qtesse que de si proprio emaoasse.
No meio de ludas essis tempestades da vida
arriscara a sua cabega, que tinha de ser muito
breve separada do corpo pela mi do carrasco.
O conde de Mootilier, catholico terroroso, se
achara algorna cousa corapromeltido na Liga ; e
por conseguinle sem reUcoes na ora corle vie-
se na impossibilidade de tirar seu Qlho do abya-
mo a que o haria impedido, se bem que nio ti-
tease consciencia do mal qua flzera. A ambiguo
extravagante de um burguez a seu ver fra a cau-
sa de toda essa desgraga.
Oh 1 Os Hurguetes Os Burguezes I excls-
mava elle um dia batendo com o p no assoal^o
da prisio que visilava a miudo. Baga infame que
faz vibrar mui alto a bolsa rerheada de moedas
que traz bem no lugar do coragio I Canalha vil
que Unge desprezar os brazes, mas que estende
surrateiramenle as suas redes para pescar em
aguas turras ttulos e grandezas I Miseraveis,
crueis o abjectos que vingam-se com o machado
por nio poderem Irazer a espada I....
Estas imprecages foram inlerrompidas pela
chegada do carcereiro que eotregou urna carta ao
pritioneiro.
AUio apenas reconheceu a leltra quebrou o
sello com precopitagio, e depois de ter devorado
o contedo da certa estn leu-a silenciosamente a
a seu pae, que por sua vez tambem leu em voz
alta:
< Sois livre, Alaio, duas vezes livre: o reicon-
ceden o vosso perdi, e o contrato que vos h-
gara a raim se aeha lespedagado. Sede feliz,
c Alain I
< Rene.
Oh os oosios plebeus rollara i rezio I ex-
clam ju o conde. Por Deus que aiodi lempo I
Uei de fazer alguma cousa por elles.
De veras, meu pae? perguntou o joven en-
ternecido.
Sim, sira; que durida I Procurare! pare es-
se bravo mercador algumas freguezias nobres.
Quanto i sua eo:anladra Qlha....
Kao a repelllreis mais?
Repellireu Por quem me tomaes entio?
Gragss i Deus, nio deiprezo a esse ponto a gente
baixa Heide oceupsr-me da tua felicitada ;
pedrei a sua mi....
Como sois bom, meo pae !
.... para o flfho de mestre Lecoq, um bar-
guex do quatro costados. Que dizeis. heio ? Cor-
beau, Lecoq sao dous oomes qae combioam is
mil mararilhas. Ho de ser muito (lites, nio
durideis ; e dessa uoiio nascerio peiuenotes da
mesma especie que me abeogoario todos os
dias.
Alain franzin o sobr'olho. Com os seus soffri-
mentos lioha pago ji de mais a divida de pieda-
oe filial; e se o lia-se oem larcas ea
precisa para presidir por ti mesao
Une.
Kagenae-voa, atea pee. dase elle tria aton-
te > oa Uhos de lene* chamar-te-ha* Menliater,
porque ella ha de Mr atiabe mulher I
O detetpero de Rene tinha ido ii
profundo como o sen amor, qae ella vira <
ohecido ; e ot tai propria ndignagi achira fer-
ias bastantes para lavar ao fin a trela ao a ti
metra havia tmpesto.
Agora, dizia ella fechando a carta ejne es-
crevera a Alain. apero qae alie eeasprebandari
que hara no meo coragio bastante altivo* para
que eu codossa um calcula vil tntoteoaoko. So
a paixo nelle ae nao reanimar, reatar-i
menos a sua estima I
Porm urna vez feito o sacrificio
aapanlo o vacuo qae fteiva ao redor do al. O son
peniament, nio acode mala ahaorvlde pata oten
de libertamento a qae ae entreoir, procavara
sem cesear adeviobar o qua* (aria o prtoioneire
da tua liberdade.
Irla eom tenebroso raysterie levar ao aeoio dw
alegras do mando a sos (roete eotoraocioa peto
decepgio ? Sepultara pamente no ceracto son
amor raorto com tanta violeoaiat
Oh I se assim fosse. aleda hom: aeria pare ol-
la ma felicidada, porque aohia qae a rocoreafte
colhe flores sobre esse tmulo I
Mas nio : ao sea peesameoto a presan Uva-*e
reino Mielgo rodeando sea t'.ho de eoeoegee:
ria urna imagem de mulher, ideal ariatocra-
tico, ama prncezt dea conloa da careliana.... o
essa msrarilha posta no eamfoho 00 Alain erraa-
tara-o not enleros de nma vida nova, e apagara
para sempre di sua memoria at o proprio
de Rene.
No meio de todas esaaa llaciooces a je
cabio victima de rdante (abre. Etea ora
graga arraocoa o mercador do eaiorpeciaaeele
que nelle succedera nos ardores da lula.
Pobre ni ha I Sobre ella recaen o eaetig de
crime, depois de ter desviado da cahoea de cul-
pado o tupplcio que elle lento mererera I
E com furor enterrara os dedos birlos por en-
tre oa teus caballos espesaos o groteot.
Oh 1 Juro por Dens que ae o lato cahir so-
bre a casa deshonrada eu farei o oficio do exe-
cutor.... Esmagarei deoaixo do lacio dos
sapatos at a ultima daaeea serpete....
Um dia, em que elle acompanhara com
ta os progreeios do mal, contra o qual ntia'qaa
a medicina nade poli, a velba criada Yerooica
viu chegar um mancebo com roupas do vlagem,
pediodo para ter introduzido i presenca
ne ou de seu pse.
* -
olio.
(*) Vide Diarto d. 233.
Sent para s obter de um homem que a ama tio
raca concesso.
O que quer dizer ?
Quero dizer que de voc depende que essa
partida seja como se nio existir. Um visita sua
vale bem cem mil francos.
Miseravel 1 murmarou Aocette empallide-
cendo aole aa infames combinagea desse ho-
mem. Esli bem, cooiiooou em voz alta, d'aqui
i dius dias nio deveri nada.
A duqueza acabava de tomar um partido deci-
sivo. Voltou ao seu aposento ; escrereu _Paris
ama carta, cuja resposta.recebeu quareota e oilo
horas depois. Apenas recebeu essa respotta, di-
rig u-se i casa do Sr. de Hroe.
Vendo-a apparecer, luziu no rosto do marquaz
um raio de triumpho.
Emfim, a Sra. duqueza I disse elle apro-
ximando -te della, desesperara quasi de ve-la.
E ao mesmo lempo prepara va-te para tocar a
campaioba.
O que tx, senhor ?
Vou dar ordem para que oio deixem entrar
nioguem.
A duqueza corou i easas palavris, qae ji erara
ura insulto.
Quando eslou em tua oasa, pdera todot
entrar nella, Sr. marquez, reapoodeu Aonelte ;
o que temos i dizer, pode ser ouvido por
lodos.
Eolio eiloa ouviodo, minha senhora.
O duque perdeu cem mt (reos con ira o
enhor ?
E' verdade, minha senhora.
Nio tem o senhor orna carta em que se
acba o reconheeimenrb dessa divida ?
Teoho.
Tenba a bondade de dar-m'a.
O marquez ergueu-ae, abriu ama gaveta, tiros
"" IMtre de apadas com algumas patarras es-
criptis lipis. A duqueza tomou a carta, met-
teo-a briu urna earteirinht de velludo,
ae desdobrou e apresen-1
*m mil francos, seohor, em
lela, com o seu oome, sabr o
da cidade. Vim em peaso
do a bondade de esperar
intento desti divida.
mprimentou o marquez ere-
tirou-se, deixaado-o ara pouco confundido.
Ji de-volts i dlsse o duque vendo rollar tea
mulher.
tanto tempo para pagar
Pois necessario
cem mil francos ?
Assim o marquez est pago ?
Sim, senhor.
Em dioheiro T
A duqueza fingiu que nao comprehendia.
. Em urna lettra, reapoodeu.
De cem mil francos ?
Sim, aenhor.
Que arraojou ?
Mandando vender em Paris cem mil francos
de brilhantes.
r- Ah I disse o duque, cuja rosto testemunhoa
um desapontamento real e vergonhoso. Ah esli
bem, eu lbe agradego.
Mas nio pode deixar de curvar a cabega por
um instante i superioridade de sua mulher.
quasi inerivel i que gru de corrupgio o debo-
che e o jogo podem levar um homem da alia so-
ciedade. mercado de que o duque uvera idea,
e de que tentira tcitamente fazer com que a du-
queza fosse cmplice; era ji cousa immnnda,
nio assim ? Pois bem, com a cenlinaegio va-
rio os leitores que nio devia Bcar.nisso s, e
que talvet baseira nesta visita esparancis muito
mais vis. *
Nio ha nada mais que o demore em Bade ?
perguotou-lhe a duqueza.
Nada.
Eolio, partamos.
XI
Na mesma tarde estavam em caminho para Pa-
rs : no da seguinte chegavam, e a duqueza cor-
ra ao amor joven e generoso de Jacquea, como
ao sahir de um pantano f tido, corre-se i urea
tote de agua fretee. Contou Ihe o que se pae-
aira, declarou-lhe que nio podia existir mais na-
da de cooamam eolro alia e esse homem, e sem
lbe explicar como, fim d que o amor do io
mor oio tivease qae discutir com a tua cons-
cieoda, jurou-lha qua, brevemente, ella Stf tor-
narla livre, a ihe seateoeeria 100 reoevoe
obelar .. .>>
>> me muii
zes vislla-lase estar pretente. Dl
tres vest, a pr 1 noipalmenta, fique*
admirado veo r a porta do qoarto era
quaeu traba. \ nb conversar algaatins-
taotei comlgond, (altar-mede Jecqnes, dizer-me
cousas que.nio podia dfrer diante dette, twdrfyi
i alie se referissem, e ao futuro comeaum de seus
mores. Fatle-ae pergenies respailo Ao sea
psssado, dos seas hbitos, dess familia, deseas
trabalhos. Certifica va-se da que nio embarageva
em cousa alguma i vida delle. Quera aaber de
mim se a me de Jacques sabia desses amores,
ae os approvava ou nio, se tinha nessa outra
grande effeigio de Jacques urna adversaria ou ama
alliada. Fazii de'mim um auxiliar pelos meios
mais delicados e mais finos. Lisoogoava a minha
raidade de amigo, fingindo acreditar que seu amor
precisara deesa amizade como de um epoio, reco-
ohecendo que eu linba grande influencia sobre
Jacques, e que dependa um pouco dessa influen
ca, que ella fosse amada como quera s-lo. Pa-
reca tambem interessar -se pela minha vida : tei-
raav em perguntar-me I respeito dos meu tra-
balhos, detilhes que deviam inleressa-le muilo
pouco 00 mel des graudea oceupaedee do aeu
coragio; e ea lbe agradeca aioda maia esas aol-
licitude, na qual ganbara o conhecimento mais
iolimo e mais seguro de ama sociedade, que eu s
vira superficialmente ou pelos seas lados mais sa-
lientes. A duqueza dea me, i roapeito la arta,
conselhos quo nenhum estudo di. Instruiu-me
tambem da esolugi que havia tomado.
Escrevi a mea pae, disse-me ella ; meu
pae ams-me e sempre se oppoz i este casa-
mento. Foi minha mi quem o quiz. O du-
que tinha um grande nome e ella nio quera
casar-me com um homem de norne inferior ao
oosso. Quando morreu, julgava-me feliz. Meu
paeji suspeita qae nao o bou, e lenbo certeze
de achar nelle um spoio 00 dia em que precisar.
Meu pae bom e al frtco. Tanto melhor, aou
eu a nica affeico que ello tem : obterei delle
o que quizer, Se nio fosse eisa (raqueza, olla
oio,teria cedido i minba mi; essa (raqueza fez
a minha deagraca, deve-me urna compensagie.
Infelizmente meu pae est longo. Nossa fortuna
eali quasi toda nos Estedos-Unidos ; onde elle
est neste momento para realisa-ta. Contei-lhe
i a ultima scetM que Uve com meu marido, o pateo
singular que me pediu para dar, qae eomma pa-
Fiz-lhe entrever ama ruina certa
para mtm, se tlver aempre de sustentar essa mal-
dita paixao do jogo. Mindei-lhe dlier emtnv
ludo o que derla p o e chamo-o i
Frang com todas Apeoaa chegar.
... ik
dedo meu
Diga a sociedi-
Ms apenas elle dea a aaber o sen neme a crio-
da quiz feehar-lhe a porta, retmangando :
Vos aqui, senhor I Nio vos apreaentoii a
meo amo ; seria capaz do malar-roe I
A pessoa i quem n ana eosisa fallara ora
Alaio qae, vendo-te livre. aprensan so oes ir
protestar contra a desistencia qne Ihe tiene sito
coramunicada.
Em logar da me offender. responden
estou certo do que tea amo aportar a mi oh 1
porque venho reparar o mal qae Ot.
Ah I senhor I exclamen Vernica tristes00-
te ; receio qae seja muito lardo ji I
Muito tarde I repeli Alain empallUecondi.
Entio o que acontecen ? o
Sabendo qae a vida de Rene acba va-so een pe-
rgo Alain quiz precipitar-so para a cocada qne
csnduzia ao quarlo em que ella estavs.
A boa criada procurou moderar o son impoto
demonstrando-lbe eom tom afteclaeso o peleja n
que se oxpuoha em ir affrontar a colora do vlho
e o mal que isso poderia causar enferma.
Alaio cedeu a eate ultimo receio. Dioso qae ie
residir para o collegio em que oslivera o'ontro
tempo, e (ez a criada prometter qne Ihe daa to-
dos os dias ooticiss de Rene.
As ideas do esludante se tinham modificado
multo depois que doixsra oasa hibilocae onde
entrara da novo. Adorsva eorao a orna sonto a
mocnhe, de cujos lagos procuro tanto (agir, o
passava as noites quasi inteirss por dohaiso da
pe juena janella do jardiro, atreves to qoil Iro-
mulava ura clario que tatvez allomiaseo a ulti-
ma agooia de urna moribunda.
De dia passava ke horas a capara to Coi atea-
sageira que o punha oxacUmoalo a par da lotos
os terrores e espersneas qua ae agiUvaaa no casa
do mercador.
Emfim a esperaoca prevalecen.
No oilavo dia Vernica approximon-so eom
grandes signaes de alegra.
Salva I exclamou ella, rndo-ae. chorando,
e solugaodo ao mesmo lempo. Salva I
E contou que n'um momelo em qae a enfer-
ma eslava maia tranquilla ella ebegoo-se com
precaugio ao seu leito, edoixara cahir Ihe ao ou-
vido como ura remedio que so dospoj gotta a
golta estas nnieas palavras.
Elle ainda Ihe ama e nio tarto a che-
gar....
O effeilo foi maravilboao.
Alaio laogou-se ao pacoco da 000 vaina, a
correu i'cata de Corbeao, que Iba aetondan a ama)
cordealmente, duendo :
Todes os homens de coragio nohro sio
eguaes ; sois digno de fazer parle dea naneen. A
culpa foi de vosso pae, perfeilo retrato to fami-
lia, que te quiz envolver nao eoosaa doato monto
em vez do cooservar-ae silencioso nn non qaadro
carcomido.
Rene ria-se com o mioceno dos soches nos
que ella o ria seducido por nma princesa mais
bella que o dia ; e Alaio dizia :
Para mlm ha na vossa cibeca mais to qne
ama coros de princeze, ha nma orela I
Gragea aoa estados qae da novo emprohoadera
eom todo o ardor Alain tornoo -ao in hbil ad-
rogado, e rompen para aempre com aa iradicoa
paternaei sobre a fidalguia ocioso.
O conde nunca ihe perdoou. Mottito entre a
collecgio pulverulenta doa tees antepoanatoo vi-
veu e morreu na ana f. Mestre Nicolao Cornean
mais philosopho, vendo aoa Qlha feliz. <
sa por nio ter netos qae fossem como olle
cadores.
Tves Gceocrs.
(Pretil.Sileeira.)
sem escndalo. 0 duque partir I eu flcarei :
cousa que esti se vendo lodos os dias e urna
concesso que Deus faz is dores qae s nossa so-
ciedade impe. Muitas mulheres da alta socie-
dade virem assim, e nioguem se recoohece com
direito de censura-las, quando sabem que as fal-
las vm dos maridos. Meu pae deve ter recei-
do agora a minha carta. Nio tardari a chegar.
E' ter paciencia inda por algum tempo. O du-
que de nada desconfa. Nio me propoz para
acompanha-lo, porque aabe que eu recusara.
Eia em que ponto ae achara as cousss, a eis por-
que Ihe fago perguotas i respeito de Jacques, i
quem aioda* nio commaoiauei o meu projeelo,
que esti irrevogavelmente determinado no meu
espirito, mas qae abandonara inmediatamente
se peonase qua elle oaibaragrii a aoa rida li-
ga odo-se i mim definitivamente. Entretanto,
teoho previsto ludo, al a possibilidade de Jac-
ques deixar de amarme um dia ; mas qae im-
porta ? trata-se de sermos felizes por em quanto.
Deua se encarregari do futuro ; e, acontece o que
acontecer, seri sempre ama felicidade certa nao
estar eu mtis 00 poder de um homem quem
nio amo e i quem nem ao menos posso es-
timar.
Como se r, essa tfgagio tomara properges
serias, o negocio is-se lomando grave. Minhs
inlimidade com s duqueza ainda nao podia auto-
risar-me a (azer-lae urna observagao ou a dar-
Ihe um cooselho. Eu entrevia para ella muitas
difBculdades no cumpeimento dessa resolugo, a
para Jacques muilos perigos se se cumpristo. A
duqueza arrenjava o futuro com uros coofiaoga
assustarlora. Fui procurar Jacques e caotei-lhe
essa conversa. Nio ie motlrou admirado.
Sim, disse-me elle eom a gravidade qua
merecia semelhaote noticia, aim, Annette capaz
deaae sacrificio, e com quanto nio me tenha fal-
lado nelle abertemente, eora ludo ji aderinhei
ha muito timpo qu o prepara. Aceito-o ; di-
ter-te quanto ame i essa mulher. Teoho r-
flectiao muito, o a conclutiofoi que a minha fe-
licidade cooiisti nella. lem-ae apoderado de
le forma da minha rida, qua depois que s ce-
ohaco nio me lambro mais do meu pateado.
Quando peo 10 os nutras mulberea i qaem Jal-

dar-lhe-hemos dinheirn e se ealar I Nio rjrirei
publicamente com Annette ; nioguem conheeer
as nossas relegos; empregarei nollae tanto
maior mysterio quaalo topla deesa,
bio de etpiooa-la maia para conhacoreaa
dadeira causa. Ella esli disposts a affroeur In-
do, eu o sei; mea a mim cabe impedi-la to nos-
cer aos olhns do mondo, poia qoero qne s*je ros-
peitada. Ella joven, baila ; amo-a, non nie-
ta ; isto a minha imagioagio colloc o miaba
vida um pouco (ora da ceovenges vulgares.
Acabei com os amores ligeiros e feis : esjpttei-
os todos, e hoje, deagoaiam-me. Nanea eoaojet
casar-me, como sabes. Nio ha aenio dnan ra-
zes para o casamento : ama, natural, qoe o
amor; outra, social, que o iotoresee. So amo
a duqueza, com qaem oio posso casar, o jamis
casare! com orne mulher para recober o aeu tote.
Amo a miaba arte, Annette o mioha mi ; en-
cerr a minha vida noasea tres amores, noabom
doa quaes me falta agn. Pola bom; oio aojo
que eu seja muito digno de lastima, o que leen
mal em detxar qoe um do trae arraofo o minha
vida de maaeira a satisfazer aos outros tino.
Bem vs que raciocino tranquillaeou. quasi
com friera e por c inseguiole sei o qae toen.
atre laoioj
tolvide. E depeii, essa separaslo se poleri Uzsr [ tua mulher, e tea ui
r Jao-j u/iei ara sr, em madama de Wioe. por exemplo.
parece-me que aio vagas racerdagea de outra
sida que vivf ha railhiret daaaoos. Alm dlsso,
o nono amor esl em_ condiget excepcionaes.
casando con ella;
Agora, qaeres qae te falle aleda ais 1
mente. Esse direccio nice, toda vito to dn-
queza, Uto grande felicidade para ella como
para mim. Deua aabe o qne poderia sajrdoNa
com semelbsnte marido I Livre como eaeqniihe
e ioeepeodenle como era, oeioo, ontrvgao a at
raetmo, joven, aera epeio, sem cooselhes,
oa urde perdera 00 jogo qne jogar.
inerittrel, o urna vez dado o eu priaaeiro 1
tabea onde leva o aegondo, qae nnnen nn fot nal
perar. Em minhs cooviegio een
perdida; en 1 ailro ; e sen..
olhps de certa gen le, parecera quo a detlo a 1
der, porque o mundo acredita sempre 00 ana)
homem porte ama mulher, quando o senara to
um marido, meame quando osee marido o emo
o daque. Dei urna causa eosa vida aons aln,
Q-la bruscamente tomar um caminho
amarado n dito nao corre pnrigo
ji (41a fo disse. Nio minha ai
esposa.
(CoelionaT-ie-Ao.)
PERN. TYP. DE M.F DE FAJUA A rllHO.
-*
m


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E5SQ3X08Y_8KF1MJ INGEST_TIME 2013-04-30T22:06:01Z PACKAGE AA00011611_09811
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES