Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:09793


This item is only available as the following downloads:


Full Text
knno XXVI
Ter^a-feira 18
VAATIBAS SOS CORBIIOI,
Goiauna e Parabiba, legunda e Mitas felras.
Rio-Grande-doNorte, quintal tetras aomeio-
Cabo, SerinhSem, Rio-Formoio, Porto-Calvo
e Macelo, no 1.*, a 11, e 21 de cada mez.
Garanbun e Bonito, a 8 e 23.
Boa-Vista e Flores, a Id e 28.
Victoria, s quintas reirs.
linda, todos os das.
MIng. a 3, 1 h.ez7m. da tn,
Nora alO, i* 5h. da in.
CescalB.MSh.e 3 m. dat.
Chela a 24, s U b. e 51 m. da ni.
ntllsUl DE BOJE.
Primelra as 11 horas e42 minutos .la manliaa.
Segunda as 12 horas e ti minutos da tarde.
de Junhode 1850.
N. I
...
4
vueqos SA SDBSORIFgio.
Por tres tnezesfadianlodo) 4/000
Por seis meies ?WO0
Por um anno
M
DA* DA (UsWAMA.
17 Sfg. S. Thcrcta. Aud. do J. dos orf. e m. 1. v.
18 IVre. 8. Lsoucio. Aud. do chae, do J. da 1.
v. do civ. c do dos fcitos da fazenda.
19 Quart. S. Juliana. Aud. do J.da2. v. docivel.
20 (.Miint. S. Silvero. Aud. J. dos orf. c do m.
d> I. v.
21 Sext. S. I.uiGoniaga. And. doJ.da 1. v. dociv.
e dos t'eitos da fazenda.
22 Sab. S. Paulino. Aud. da Chae, c do J. da 2. v.
do critne.
15/000.23 Dora. S. Joao sacerdote.
CAMBIOS KM 17 DE JUVTIO
Sobre Londres. 28'/, a 27 d. por 1/000 rs.
. Paris, 346.
. Lisboa, lOii por cento.
Gar.Onca hespanhoet......... 29/000 a
MoedatdcfAtMOOvelhas.. 16/500 a
de 6/400 novas .. Ib/100 a
de 4/000........... 9/100 a
Prl. PatacSe brasilelros...... J/WO a
Pesos columnarios....... JW
Ditos mexicanos.......... '/"" a
bk
a 60 da>.
29/50*
16/700
161200
9/2""
2/000
2/t.....
1/840
l
PARTE OrFIClAL.
GVERNDA PROVINCIA.
LE N. 2W-
Jos Ildefonso de Souza Ramos, presi-
dente da provincia de Pernambuco. Faco
saber a todos os seus habitantes, que a as-
sembla legislativa provincial decretou, e
eu ssnccionei a resoluclo seguinte :
Artigo nico. Fica transferida a sede da'
comarca da Boa-Vista para a villa doOuri-
Citry.
i'icam revogadas as disposirOes em con-
trario.
Hando, portanto, a toilas as autoridades a
quem o conhecimento e exccuc,iio da referi-
da resolucjlo pertencer que a cumpram o fa-
cam cumprir tilo inteiramente como nella
se ccnlm. O secretario interino da provin-
cia a faca imprimir, publicare correr. Ci-
dde o flecife de Pernambuco, aos 40 de
jimlio de mil oitocentos e cincoenta, vige-
simo-nono da independencia e do imperio.
L. S. Jos Ildefonso de Souza Ramos.
Corla de M pela qual V. Exc. manda execu-
tar a resoliirao da assembla legislativa pro-
vincial, ove sanecionov, transferido sede
da comarca ta fa-Vista para a villa do Ou-
ricvry, como cima se declara.
Para V. Exc. ver.
Francisco Ignacio de Torres fandeira a fez.
Sellada e publicada nesta secretaria da
provincia de Pernambuco, aos 10 do junho
de 185o.
Antonio Francisco Ptreira de Carvalho.
Registrada a II. 163 do livro segundo de
leis provlnciaes. Secretaria do governo da
provincia de Pernambuco, 15 de junho de
1850.
Jado Polycarpo dos Santos Campos.
lllui e Exm. Sr. Tendo ja participado
| V. Eic. a niinha inrcha para a Serra Negra,
de aovo o taco com uiaior detalbe. No dia
25 fiz marchar o capitao Jos Aurelio de Muu-
ra, com 66 pracas do fixo, a segunda coinpa-
nhia de batedores de guarda nacionaes tendo
* 50 pravas ao mando do alferes Lucio Jos de
-i Siqueira Campos por urna estrada, a priinei-
ra companhia de batedores tendo 50 pracas ao
mando do alferes Arnaw Nuncs de Magalhaei,
e 30 pracas de polica com um sargento por
outra, o coronel Simplicio Pereira da Silva por
oulra, e o quinto batalho de f'uzileiros com o
contingente de artilliaria marcharan! commi-
gopor oulra, para nos reunir-mos a diante, o
que foi feito cm Pipipam, lazendo esta dlvisao
para qua os faccinoras nao cscapassem nos-
sa vigilancia, e viessem atacar villa, como
aineacavam c como clles se concentrassem ,
tornel a ditpr as frca em detalbe rrgulan-
do-lhes suas marchas paro ser o ataque (eral
no dia 4, pelas 8 horas da inanha. fazendo
marchar urna frca pelo norte, e outra pelo
aul com ordem de explorar, e tomar as aveni-
das : acompanbando eu a frca do lado do sul,
e tendo noticia de que no lugar denominado
logrador tlnha estado nina torca iuimlga, tu
partir parte da frca, afim de esplorar o ter-
reno daquelle lado, do que restiltou a prlsao
de Serafun, de pois de haver fogo renhido de
parle a parte, como j parlicipei detallada-
mente i V. Exc. tendo sii de acrescentar, que
os morios fraiu tres, e feridos seis, liavendo
os faccinoras abaudonado inteiramente o cam-
po, como me participou o capitao Jos Aurelio
de Moura, que foi com a segunda frca. afim
de explorar de novo o lugar do combate e
ncriegui-lot ; feito isto, liz marchar frca
para a Serra, aQin de executar-se o plano de-
lalhado ( por mira ) oque sccflecluou, entran-
do todas as frcas as 8 horas da manhaa do
dia 4, encontrndose apenas vestigios de te-
re ni abandonado a Serra uaquelle mesino dia ;
pelo que fu sabir as 9 botas o alferes de
guardas nacional s, Arnaw com 50 homens pa-
ra o lado de ocot, as 10 horas o paiiano
Paulino Das Frasao com 25 bomens para o la-
do da Quxabinha, as ti horas o alferes do
quinto de fuziteiros Antonio Jos Itaplsla (Ja-
macho Jnior, com 40 homens do mesmo cor-
po; para o lado do olho il'agoa das Caraibas,
afim de descobrirein fuga dos bandidos indo
o alferes Camacho incumbido lambem de Ira-
zer gado para a Torca, e voltando o paisano
Paulino as 2 horas da tarde com a noticia-de
ter encontrado raslos de una partida driles,
liz sabir inmediatamente o coronel Siinplidio
com o lente Manoel Amnelo de Almeida do
quinto batalho de luziieiroi e 40 homens do
iiiesinu batalho, que os flz montar a cavallo.
a[ia de segui-los, e reforcaudo a loica do Pau-
lino com parte da segunda companhia de ba-
tedores, ao mando do alferes Lucio, piefazen-
do o numero de 52 homens, os fix seguir no
mesmo rumo que ia o coronel Simplicio ; no-
rm por ditfcrentes trilitos; voltindo o coro-
nel Simplicio as 5 horas da tarde informnu,
que os faccinoras srguiram pelo riacho do Na-
vio abaixo, e as 6 horas chegou o alteres Ar-
naw com inforuiaces tiradas por vestigios de
ramenlos bravos dispersos.
Po dia 5; pelas noticias obtdas na vspero,
fiz partir as 6 horas da manhaa o coronel Sim-
plicio com o lente Antonio Jos de Carva-
lho do quinto de fuzleiros e 50 homens do
mesmo batalho para o riacbo do Navio, e o
alferes Arnaw cun os 50 homens da primelra
companhia de batedores, e um sargento e 30
(najas pois disto chegou o alferes Camacho cora car-
ne, e confirmando a noticia dada pelo coro-
nel Simplicio, porm tendo j deitado duas
Torcas em busca dos faccinoras, tive de espe-
rar por noticias mais positivas, alcancando no
dia as 2 horas da tarde por um otncio do co-
ronel Simplicio, em que me participa da fuga
do Jos Hodrigues e oulros, para o lado da fa-
zenda deuominada queiinadas -- em conse-
queucia do que, drizando o capitao Jos Aure-
lio com as pracas du fixo, e alguinaa do quinto,
guardando a Serra e a bagatem mais pesada,
marchei com o capitao Belford coinmandan-
te do quinto batalho, e 73 pracas do seu ba-
talho para a dita fazenda, cliegando abi as b
horas da larde, seguindo no outro dia para os
Sirea, fazenda do Jos Rodrigues distaule tres
legoas das Queiinadas, afim de ver se os en-
contrava, visto nao encontrar as Queiinadas,
jur n'uina, qur n'outra parle nao encon-
i ron-se nenhuns vestigios, resolvendo-me a
vista disto a esperar novas noticias, e obtlve
no dia 8 pela chegada do coronel Simplicio,
ti-azendo dnas arrobas de plvora pnuco mais
ou menos, duas balleiras, algum chumbo, e
luiros prepares para cartuxames e nove ca-
vallos, alguna dcllcs ensilhados, e algumas car-
tas de Jos Rodrigues, a dlflerentes pessoas de
Tacaral, encontradas na Serra branca, por
estarem os faccinoras completamente Toragi-
Mate mesmo dia chegou o Arnaw. tendo da-
do em um grupo que fugio em debandada,
deixando cinco sellas tres armas, e alguna
f.coei e facas ; Tugindo com a precipilacao em
cavallos em osso, deixando rasto de sangue,
proveniente de alguns ros que se deram:
pelo que fiz marchar o paisano Paulino com al
homens do corpo tizo, quinto de Tuiilelrose
guardas nacionaes a persegui-los em direccao
em Taorat, e dei ordem no dia 10 para a Tor-
ca que se achava na Serra Negra ao mando dr,
capitao Jos Aurelio vir oceupar o ponto de
Sires.eeu e frca do quinto, Tul oceupar o
lugar denominado curar novo distante I
legoa i no da II chegou o capitao Aurelio nos
Sires c no curral novo um hornera dando a
noticia de terem dous homens assasslguado
no lugar denominado S Caetano, a um guar-
da nacional, que ia para sua casa tratar-ic
por doente, pelo que fiz sahir as companhlas
de batedores ao mando deseus coiniiiandantes
os alTeres Arnaw e Lucio, afim de exploraren!
aquelles lugares, e capturarem os atssass-
nos porm Tul intil a diligencia, dcixando se
conhecer, que o campo eslava livrc dos Tacci-
noras, c a populacao desassonibrada, tanto,
que apresentaram-se 60 e tantos habitantes
daquellcs lugares. .
Fiz reunir a Turca do capitao Jos Aurelio,
ao ponto do curral novo no dia 13 e ueste
mesmo da a fiz partir com a Torca do corpo
fixo, e o alTeres Pciilia e 40 pracas de polica,
para Tacaral, com ordens deprender e per-
seguir algum bandido que por al.i divagas-
te, dcixando a frca de polica destacada ua-
quelle lugar ; retisando-se o capitao com a
frca do fixo para esta villa, c eu marchei
com o quinto batalho e as duas companhia ele
batedores para aqui, aonde chegamos no dia
17 ao meio dia,nao continuandopor mais lem-
po a estacionar por aquelles lugares, pela com-
pleta Taita de farinha, c principiar a adoece-
rein os soldados, nao havendo necessidade de
una frca to forte naquelles lugares.
A desmoralisacao em que ficaram osscclera-
los, j por perderem o inelhor de seus chefes,
por se haverein apretentado a este conunando
gente, com quem elle comtavam, e pora per-
seguirn que lhc fizeram a porfa os bravos,
que tenho a honra de commandar, me autori-
sam a declarar a V. Exc, que se acha cm so
ceg esta comarca, nao obstante, que eonhe-
co haver milita neressidade deque, por aqui
fiquem ao menos 150 pracas, para persegulrem
a Jos Antonio e Jos Rodrigues, at que se-
jam capturados.
Ciimpre-ine declarar a V. Exc, que o Sr
delegado Manoel Pereira da Silva, assiin como
o seu mano Simplicio Pereira da Silva, me
acompanharatn em toda a marcha, que fiz, |e
acho rscusado dizer a V. Exc, se prestaram
com a maior vontade, c valor como he de seus
eosturnes.
O capitao Alfonso de Almeida c Albuquer-
que o uomeel para servir na frca, como en-
carregadodo detalhe do servi(o, c posso asse-
verar a V Exc, que cuiuprio exactamente c
coma maior vontade todas as ordens, que llie
dei. O capitao Uelford, commandanle do quin-
to de fuzleiros, prestou-se a todas s requisl-
ccs que Ihefu com promplidaoie vontade.
O capitao de rommisso Jos Aurelio de Mou-
ra, que coinmandav* o contingente do corpo
lixo, e a-sni es commandantes das conipanhias
de batedores desempenharain com empenho c
vontade as suas obrigaces assim como A el*
dadSo Paulino, que cninmandava os 30 paisa-
nos do coronel Simplicio, eque aluda se acha
na diligencia, que foi para Tacaral. He o
que me cumpre levar ao conhecimento de V.
Kxc a tal respeilo.
eos guarde a V. Exc. Qnartel do conunan-
ilo geral das ficas de operaco em-Pajaii ele
Flores,17 de maiodrl850."Illm. etxm. Sr. con-
eelheiro de estado, Honorio llermto Carnriro
.eo, presidente da provincia.--Jemo da Itego
liaros Falciio, commandanle.
Quartel do enramando gcral das Torcas em
operaces em Caraybas, 3 de malo de 1850.Or-
dem do diaO teuente-coronel comiuandantr
tem a satisfaeo de declarar as Torcas de seu
commando o triumpho, que acabara de alean-
car as nossas armas contra as do bando de sal-
teadores desalmados, que com o maior desca-
raracnto existem nesta paragem, roubaudo e
matando impunemente os pacficos habitantes
desta comarca.Sendo informado a noite pas-
tada, que no lugar denominadn--Logrador
se arliuv un sessenta malvados e roubadoures,
capitaneados por Seralim de Souia Ferraz, e
Jos Antonio Pereira; para all fiz marchar
quarenta homens da companhia de batedores
mu o aeu coinmandante, o alferes Lucio Jote
e Siqueira Campos, e dez homens do corpo
fix< commandados por o sargento do mesmo
corpo Francisco Morelra Lima, entregando o
commando desta frca aomajor de guardas na-
cionaes Christovao Jos de Campos, o qual
seguindo daqni as II horas da noite, e chrgan-
elo ao Logrador as 2 horas da madrugada, foi
recebido com vivissimo fogo das casas e do
inatto, durando por mais ele 2 horas ; -tiran
do em resultado tomar todos os pontos do ini-
inigo, Tazendo prlsioneiros ao seu chele Sera-
lim de Smua Perras, eao cabecilha Jos Pedro
de S, alora de 2 morios, que ficaram no cam-
po do combate, tomando 9 armas aos Tacinoras.
Deve-se esta gloria ao Sr. inajor ( ampos,
que com a maior cuiagem deseuipcnhou ludas
as ordens, que Ihe dei ; ao Sr. alferes Cam-
pos, pura bravura, cora qnc se portou duran-
te o fogu, ao sargento do corpo lixo Uoreira
Lima poro bem, que desempenhou asrdeos
do Sr. inajor, e por a bravura, com que se por-
tou dorante o combate ; e aos bravus soldados
da companhia de batedores e do corpo fixo. que
com a maior coragem e aangue fri, no exita-
ram em eumprir exactamente as ordens de teus
superiores.
Sendo informado do ataque as 6 horas da
inanha de hoje, marchei com o qumto bata-
lho de fuzleiros ao encontr do initnigo, r
ilrm ill:ee, que nao se como em 1 horade mar-
cha por um pessirao caminbo, chelo de mallos
e esplnhos, andamos 2 legoaa e meias : lugar
este, de onde vollei por encontrar em caminbo
com os valerosos couibatentes ; portanto nao
pode o tenente-coronel commandanle deixar
de tecer elogios ao quinto batalho ele fnzilei-
ros pela vontade, que linha de partilhar glo-
ria de seus camarados, andando expontanea-
niente a marche marche.Assignado.Joo lo
Reg Birroi Faleio, tenenle-coroucl comman-
danle gcral.
EXPEDIENTE DO PA 11 DE MAIO.
DE 1850.
(inicio. Aocommandanfe das armas, com-
municando ter S. M. o Imperador por decreto
de 15 de marco ultimo, concedido a demisso
que pedir Krei Antonio do Amor Divino do
lugar de capello do quinto batalho de caca-
dores.
Dito. Ao commandanle superior da guarda
nacional do Reclfe, para mandar dispensar do
servico activo, menos das grandes paradas o
guarda da texta companhia doquarto batalho
da iiiesma guarda nacional Antonio Carlot de
[.eraos Duartc, que se acha exercendo as func-
ces de porteiro da secretaria do arsenal de ma-
linha. Coinmunicou-sc ao respectivo com-
mandanle superior.
Dito. Ao coinmandante da praca, intelran-
do-o de haver S. M. o Imperador, segundo cous-
tou de aviso circular do ministerio da guerra
de 15 de Janeiro proximu passaelo, que as for-
talezas desta provincia se faca observar multa
puntualmente, o que se acha determinado nos
regulamentos elo porto e outras ordens do go-
verno sobre a entrada e sabida de embaraarrs
durante a noite.
Dito. a o mesmo, scientilicando-o de ter S.
\t. o Imperador, segundo foi declarado era Mi-
to da guerra de 8 de abril ultimo, mandado dar
liaixa do servico ao anspeeada do segundo ba-
talho defuzileiros Luiz Jacinlho barbosa, vis-
to ter expirado o praso, que por lei linha de
tervlr.
Dito. Ao mesmo, cominunicando que S.
M. o Imperador houvera por bem conceder pas-
sagera para o terceiro batalho de cacadores ao
prTiiieiro cadete do segundo batalho de art-
Ihariaap Jos de Oliveira Calheirns de Albu-
querque Mello, que jase acha adido aquello
batalho.
Dito. Ao mesmo, inteirando-ode ter S. M.
0 Imperador concedido passageni para um dos
eorpos estacionados nesta provincia ao soldado
do sexto batalho de cacadores Tbomaz (arlos
Augusto de Kigueiredo.
Dito. Ao mesmo, scientificando-o de ter
arbitrado a gratificaco de 150.000 rs. ao pai-
sano Manoel da llosa de Oliveira Jnior, que
se offereceu para assentar praca na msica do
quarto batalho de artilliaria a p. Couuuu-
nicou-teao inspector da pagadoria militar.
Dito. Ao mesmo, para que remella cora
urgencia a guia de Francisco Soler de Figuei-
redo (.astro, que assentou praca voluntario
em um dot rrgiinenlos de cavallaria de linha.
Dlo. Ao inspector da pagadura militar,
para mandar pagar ao coniiiiainlante do segun-
do batalho de fuzleiros, vista da conta que
rrmriio em duplcala a quanlia de 7,000 rs.,
que elle despendeu com o enterrainenlo do
soldado do mesmo batalho Antonio Flix da
Costa. Cummutiicou-sc au tummandanle da
praca.
Dito. Ao mesmo, ordenando que vista da
cotila que devolve em duplcala, mande pagar
a Joaquim dos Alijos Soares a quanlia de ris
475,000 rs., era que importara as saceas de es-
loupa, que S. me. mauduu aproraptar para
couducco de farinha para a ilh- Dito. Ao director do arseual de guerra,
pan que fui ne,/a ao commandanle Interino do
priineiro batalho da guarda nacional deste
municipio ceulo e viole granadriras, e receba
! I ir o armamento arruinado do mesmo bata-
lho, o qual deve ter substituido por igual lili
mero cm bom estado. Comtnuiiicou-se ao
commandanle superior respectivo.
Dito. Ao mesmo. concedendo a autoiisa-
So que pede para despender a quantia de rs.
29,100 com a compra da baiidcira nacional e
dos mais objeclos mencionados nos dous pedi-
dos que devolve assgnadot pelo coraiiiandantc
do quinto batalho de fuzleiros. Intelligen-
ciou-se au inspector da pagadoria militar.
Dito. Ao inspector ela lliesoiiiaiia da fa-
zenda provincial, ordenando que mande pagar
ao ex-administrador das obras publicas aquan-
lia de 12,800 rs. que elle deipendeu cora a re-
moran dos objeclos existentes no ai mazcui n.
1 para o de n. 2.
Pito.Ao procurador fiscal da thesouraria
da fazenda provincial, para que contrate con
liai tlioluineu Francisco de Souza a cesso do
terreno da ra da Concordia n 69 c. pelas mof-
las mullirnos com que cedeu os terrenos09 b.
e 69 il., visto ser elle neressaiio obra da casa
de detenco que se est construindo na mesma
ra. Neste sentido oflicou-sc ao referido bar
Ibolomeu.
Dilo. A Victoriano de S Albuquerque, de-
clarando, que nao pode aceitar a despeza que
Sinc. pedio do lugar de primero supplente do
juiz municipal c de orpbos do termo do Cabo
por nao julgar justos o motivos porSnic. apre-
senlados e obrigar a lei os cidados a servirem
cargos laes como upara que foiSmc. nomrado.
Portara. Dispensando do cargo de direc-
tor do lycu desta cidade ao vigario Francisco
Ferrelra Harreto, e nomeandopara o substituir
o padre Miguel do Sacramento Lopes Gama.
Pila. Nomeando lente de rhetorica do ly-
cu, o padre Joaquim Pinto de Campos,Coiu-
iniiieoii-se ao inspector da thesouraria da fa-
xenda provincial, c ao director interino du
mesmo lw eu.
Dila. Nomeando secretario da directora
dat obras publicas Joaquim Francisco de-
Mello -aillos.
Dita. Mandando patsar titulo de guarda
dos armazens das obras publicas Andr Ave-
tino de Barros. Intcirou-ae ao inspeclor da
thetouraria da fazenda provincial e o directoj
das mes mas obras.
Dita. Demiltindo do cargo de priineiro
supplente do subdelegado da Ircguezia do Li-
moeiroJoao bemardiuo Nunes Kibeiroporsc
ler mudado para Tora da comarca, e nomeando
para o substituir o cidado liento Jos de Al-
Albuquerque. Intelllgencou-se o chefe de
polica.
DEM DO DIA 12.
Ofuciu. = Ao coinmandante da praca, intei-
rando-o de ter S. M. o Imperador, seguudo
constou de aviso do ministerio da guerra de 4
do corrente, determinado que se d baixa do
servico ao soldado da cotnpaubia de cavallaria-
de linha desta provincicia (juintno dos Santos.
PIFJiNAWBUCO
ASSEMBLA PROVINCIAL.
41.' SESSA ORDINARIA EM 8 DE JUNHO
PE 1850.
pueshifscu do SR. elimo CAViLCARTI,
Summrio. Approrac&o da acia da sessSo
anterior. Espediente. Itequcrimento do
Sr. Drumond. Pareceres. Adopcdo do
urt 15 do orcamento provincial cm segunda
discutido cum una emenda do Sr. Floripes ;
- do art. 16 com varias emendas, e do 17
A's II horas da manba, feitt a cha-
mada, acham-se presentes 31 Srs. depu
lados, faltando os Srs. Manoel Cavalcanti,
liis e Silva e S Pereira.
O Sr. Presidente declara aborta a sessflo.
OSr. 2. Secretario le a arta da sessSo
anteced nte, que he approvaila.
O Sr. 1. Secretario menciona o seguinte
EXPEDIENTE.
Um oflicio do Sr. secretario interino da
provincia, remetiendo por cpia.aim de ser
oresente assembla, um oflicio em que a
cmara municipal de 01 Indi solicita se mar-
que qtioia para o reparo de tima casa sita
no Varadouro, que faz parte do seu palrinio
nioA' cnmmissSo ti conta* de cmaras.
Outro do mestEO senhor, Iransiniltindo
ni requera otilo do ollieial-mainr.la llio-
sotirsria provincial, pedindo o pagamento
de ajuda de cusi que so julga cum direi-
to, por ter si lo nontcailo para esse empregn
quattilo resida em Maceio.A' OOmtniMSo
de legislacSo.
Oulro do mesiro senhor, significando,
para conhecimento da assembla. que nilu
ha possivel presidencia pre-slar ja eis es-
elarccimenlos que fOram solicitados acotes
lo projeclo n. 30 que eleva a fregurzia l
illiit da Fernanilo-ilc-Nuronlia.Ititeiraila.
Um requerimenlo de Joaquim Leoc ',:o <\e
l'reilns, professor de piitneirss leltias da
froguezia da EsCadt, pedimlo que SO lile, fa-
cam extensivas as diaposicooBda lei n 250
de 21 de junho de 1843.-A' commissito de
instruc(So publica.
Outro ile Joaquim Coelho Cintra, fiador
de Jos .Vives Bezerri Cavalcanti na quanlia
da 4:203,010 ris para com a fazenda pro-
vincial, pedindo que a assembla Ihe con-
Cda novos piasos pura roalisaro pagamen-
menlo da referida qiiniitia.A' cointnissilo
de or^amonlo.
Oulro de Vicente Fcrroira foellio da Silva,
pedindo permissilo para n tirar u r. queti-
mento em que lulicttava se llio mindaise
pagar a gratilicagSo de mais de 12 anuos de
eicrric o, como professor publico.-- A'com-
miMfio ele instruecio publica.
Outr.i do vigario de Iguarass, pedin lo
iiue na lei do orcamento se consigne a quo-
ta nicv-saria para os concertas da capella-
mr da matriz daquella freguozia.A' com-
iiii.-s.'ui de ort;ainenlo.
Outro dos professnros das l'reguezias da
Boa-Vista, S.-Aiiloni >, e curato da s do O-
linda, pedindo assembla una niedida
legislativa pela qual o honorario que tetii-
almenle percebem seja elevado cm relncSo
aoseu Irahalbo.A'commissJo ele itistiuc-
cilo publica.
lie liduo approvado o seguinte requer-
metilo :
a lleqneiro que, polos tramitlcs compe-
tentes, se peca ao governo com urgencii
urna copia uliii'iiiiiM ila soiii. n.'a ultima
mente publicada pelo doutor juiz dos feilos
da fazenda interino na causa %m que liti-
gan! a lliesouraria provincial, os arrentalali-
tes do Imposto de 8,500ria e Aniutiio da
Silva Ciisniio.S. It.Drumond.
S3o lambem helos e approvados os se-
ruintes pareceres :
< A commissito de negocios ecclesiaslicos
Jevolve mesa as duas infurma(0es juntas
do prolado diocesano que por engaito lli
fratn devolvidas, altm de terem o compe-
letile destino.
S 1850. Uitirana -- l'toripet. -- Queiroz Fon
ceca.
A comutissilo de inslruc(iio publica, at-
tendendo pelillo do professor jubilado de
primetras Icltras Manoel Antonio Monteiro
de Andrade, e sos documentos a ella ale-
los, he de parecer que o referido professor
continuo a perceber a gratificaco por mais
de 12 annos deservido, que marca o art. lo
da lei de 15 do oilubro de 1827, e que se
'he res itua a mencionada gralilicacno que
'letxou de perceber desdo o ultimo do ju-
nho dd 1849 at o ultimo de junho do cor-
renle atinii, vislo que o aitign 12 da lei
do niraiiieiiiii provincial de 1813 nilo lie
interpretativo daquella lei de 15 de outubro
le 1827, nom de outra qualquer lei existen-
te, o por isso iiiiu poda ser enlcndido re-
troactivamente, |or ser essa ititclligencia
atiti-conslitucional.
< Sala das commissOes, 8 de junho de
|850.--I'//e; de Gutiara.-Corri'a de Brito.-
4. Jos de Oliveira. i
i na adiadu, por pedir a palavta o Sr.
Mello Rogo, o seguinte parecer :
I o | resente a cummis,3o do posturas a
negocios das cmaras o requerimenlo etn
que Francisco Jos de Paula pede permissilo
para levantar um foi no de padana nos fun-
dos da casa n. 75 do Aterro-da-Ua-Vista,
ou, para melhor dizer, margem do rio Ca-
pibaribe.
< Attendendo a que o art. 4 do titulo 5
Jas posturas munteipacs de 30 de junho de
1849 apenas leve em vistas prohibir que se
eslabelecessem taes fornos em lugares em
que, nao obstante as reslricces a que o
mesmo artigo so refere, podessem ellos tor-
nar-se damnosos salubridade publica ; at-
tendendo a quo aquello que 0 supplicante
pretende conslruir jamis offender 6 men-
cionada salubridade, visto quo ficar a mais
de oitocentos palmos das casas contiguas ;
he a cotnmissfo de parecer que, remelten-
do-se o referido requerimento & municipa-
lidadedo Itectfe, ordene-se-lhe que mando
examinar o lugar em quesillo, e, casoess.i
exime justifique as releseos que acaba do
fizer, conceda ao supplicante a licem;a pe-
dida.
Sala tascommissoes da assembla le-
gislativa provincial de Pernambuco, Silo
junho de 1850./-Voranno Corra de fnli.
Antonio Carneiro Machado llioi.
Ficam adiados, por pedir a palavra o Sr.
Vellez, os segtiinles pareceres :
A commissilo de cotilas e orcamenin
municipal, conformando-so Com O abate du
261,000 ris que a cmara municipal da r-
dade da Vietnrts coneedeu a Antonio I.nu-
renco de Albuquerque, arromalai.tp do con-
tracto dos sopse repeses daquella muni-
cipalidade, be do parecer que seja approva-
do o dito abate.
Sala das commissees, 8 do junho de
1850.Manoel Joaquim Caf-tiro da Cunlio.--
Franciseo R. do Mello Reg.fandeira de
Vello, i
a A COImisado de conlas e orcamento
municipal be da parecer quo seja approva-
>lo o abite de 124,200 ris que a Alejandre
llarboza da Silva, arrematante dos sepoa ci
repesos do municipio da villa do Po-d'Alho,
cnncedeii a cmara respectiva.
Sala das commissoes, 8 de junho do
1850. Manoel Joaquim Carneiro da Cunha.
-Mello Rigo.Bandeira de Mello.
ii a cominissfio de contal e orftinenCo mu-
nicipal he de parecer que se indo lira o reque-
liiiicnio de Joaquim dos lU-isOiiiues, arrema-
tante que fui das eaeinlias do mercado da lliia-
Vlsla, que pede o abale de 200 000 rs no pceo
por ipn- arreinalou ditas cazinhat, visto que
nenhuma rasan aprsenla que justifique seu
reiioio, conforme se deprehende da leltora
de seu rei|uermenlo e da informacao da c-
mara municipal desta cldade-
Sala das commissoes, 8 de junho do
1850. Manoel Joaquim Carneiro da Cunha.
Mello /.'"/'. -- fandeira de Mello.
Acomniiss.il) de contal c orcamento mu-
nicipal, ion; nulo em considerado o abale de
99,42(1 n. que a cmara municipal da villa do
l'ao-d'Alho cuuccdfeu a Amonio Barbota da
Silva 'Joutinho, arrematante dos pesos c re-
pesos desse municipio, lie de parecer que seja
approvado.
- Sala das commissoes, 8 de jnnho de 1850.
-- Manoel loaquim t'nnieini du 6'unna -- Mein
llego. Bandtira ile Mello.
le ldoe approvado osei-uinle parecer .
- A coiiiiniiio de fazenda c ore.-ainento. esa-
minando o contrato feito pelo governo como
artilla (srrmano l'ianeseo de Oliveira, pro-
poi no projeclo de lei do o cimento a quantia
que da lliesuiir.nia deve rrceber esle empre-
sario, como subsidio para auxilia-lo no cuni-
piiiiieiilo do meiiiio contrato, oto obstante nao
te achar anda approvado poreita aescmbia;
e, C' um a respeilo das mais clausulas que nel-
le se eunleeiii nao se julguc a COmmisMO com-
petente para dar o seu parecer, visto perten-
cer i coiniulsifio de leglsjacao, devolve-o por
isso mesa, para que leulia u conveniente des-
tino,
n Sala das coininssoes, 8 de junlio de 1850.
- Joi; Pedro da Silva. /luiros Hrrelo. .
OBEDM Di) DIA. .
(!ontlDua(aoda segunda dlicuiso do orca-
menlo provincial
Entra em dlicuuSo o artigo 15.
Art. 15. Como llie.ilro publico, a saber:
tj I. Com u administrador 1:800,000
i 2. Coino.icabainenlo,dr-
CoracaO e subsidio para as re-
nrescnlrcs do mesmo thca-
|ro. 30:000,000
(> Sr. Francisco ioo faz diversas considera
res acercado *i |.doartlgo,deuionatrando que
piola, ah designada, (leve de ser dada ao ar-
tista emprezario, por llioque elle lem o du-
l>la qualidade de administrador c de empre-
/.aro.
OSr. Jos Pedro da as raines porque a com-
uiImIo de fazenda c urcanienlo redigo o para-
ra|>ho tai coinoseaclia;oppe-se;ii|ueoeinpre-
zaro receba como orden-do a quola, ah mar-
cada ; c declara que, caso ic reconheca a in-
sulliciencia do lubsidldlo estipulado no con-
tralo, acha melhor que o augnieiilrm.
OSr. Franciscoloao, respondendo aopreo-
cedente orador, lembra que o contrato ce-
lebrado entre o governo da provincia e Ger-
mano Francisco de Oliveira da este o ca-
mlenle administrador ao mesmo lempo
que o deemprezario.
Pondera a necessidade de animar esse ar-
tista brssileiro que nilo exiloit em deixar
sita patria para vir crear aqui a scena ; faz
diversas eotisideraces geraes tendentes a
iinivarqtie, em sua opiniao, muila protec-
eao so deve o talento e inlelligent-ia ; e
eonclue declarando que vota para quo ao
mencionado Germano se d como ordenado
que Ihe compele na qualidade do adminis-
tradora quanlia queo*j 1 do art. emdiscus-
sBo marca para salario daquelle quo exercer
semelhante lugar.
O Sr. Correa de tirito manifesta-se pela
opiniao do Sr. Francisco JoSu. Lendo o a-
preciandoosirts. l.e 2." do contrato qua
se elle rereriu, deiuutistra que.sem grave i ti
juslie;a, se nilo pJe negar a Germano Fran-
cisco de Oliveira o salario designado no$l.*
Jo arligo em discussSo. F.m conclusSo, con-
gratula se com o menctonido Sr. Francisco
Joio por ter manifestado a convicc3o em
que esta du deverquea assembla corre de
proteger o talento e a inlelligencia, porque
isto serve como de resposta cab.el e termi-
nante a qnimlii se tem dilo com o lim de fa-
zer crer quo o mesmo Sr., elle orador e ou-
lros membros da casa s3o pouco amantes
da instruct;o publica.
OSr. Floripes esla disposto a concorrer
para que so U toda a proteccSu o auxilio ao

*


.----
rt'sla nacional de que ora se fata :se no
sM, envidara os ltimos de seus esforco-
l'an que o commercio, a industria, a agri-
cultura e a< demas fonlesde riqueza esti-
vessem mais ao alcance dos Brasileiros. A
este respeito tem o orador ideias muito lar-
gos que desojara ver rcalisadas.
Islo posto, e, recejando que, a conservar-
se o tal cpmo est, pofer o q'uanti-
talivo mirra o para o adiriinistrador ilo
theatro ter destino diverso Jaquelle que elle
suppoe se llmdeve dar, e por conseguntc
niio lheaproveite, mandar urna emenda i
iicsa, redigindo-o de modo a excluir todo o
equivoco
OSr. C.uedei de Mello :Sr. presidente, de-
pois .la discussfloquo tem havido na casa
eu desdo j declaro quo nflo quero entrar
no terreno odioso della...
He umatomcridade da minha parte que-
rer fazer algiimas reflcxes a respeito ueste
art ; porquoentrea faze-las.vou collocar-me
Sylla eCharyOdei...Entra Sylla o a Charib-
des, porque de um lado sosustcnlou o arti-
go ate o ponto de so discutir com ardor o
ment do artista omprezario, o que eu tam
ln'in apoio, cu 'no amigo das artes
l'm Sr. Ueputado :-Nem era menos do es-
perar.
O Sr. Guedes de Millo....* de oulro lado, a
nobre commissflo de orgamenlo nflo pode
snlrrer que cu estranheadeslrihuicflo da des-
peza tal como so acha no projecto; simia
nmis, porque eu pretenda tirr desta verba
pelo menos lo cotilos de ris. Quem me ou-
vir assim fallar querer eerlanienle que eu
diga a npphcac.no que se deve daraos 20
cotilos de ris ; mas eu, longe de mo deco-
rar nislo, direi .omento que Dfio posso pres-
taromeu votoaoarl. 15; permiltindo-me V
Fxc. lazrr urna com nracflodelle'com o art
17. Vejo urna despioporcflo extraordinaria
entre um e outro artigo. Eu nito posso vo-
tar por nina despeza de 31 contos e tanto em
fazer do theatro...
f Ha divenos apartes. )
Eu h Sylla eCharybies...
O Sr. Carneiro da Cunha :-Entflo Cliarvb-
des silo as matrizes ?...
O Sr. Cucle de Mello :--.NJo s!o as matri-
zes, afta as opinies encontradas nesta casa ;
de um lado o nulire dcpuladoe oulros, do
oulro lado a nobre commissflo. (Eu nunca
chainei a malrizes Cliarvbdes. ) Vendo Sr
presidente, que vai-se volar tima quanlia
tflo requena, dous tercos apenas, para o re-
paro dus Cppllas-mres de todas as matri-
ces, dous tercos, digo, daquella que se vota
para as despezas do tbeatio. Aclio urna
deaigualdade 18o palpavel, que nfio posso
prestar o meu voto a este artigo. Entretan-
to, niio so persuadam que eu neg o meu
vol a enipreza do thealro ; mas me parece
quo o thealro est acabado...
O Sr. los Pedro ;Existo o orcamento da
obra que falta,.que importa em i* conlos
de res.
reparos do seminario da cidade de Olinda
V tiles.*
Sendo um conlo de ris nara cada um
las malrizes do Cabo, Serinhlem, Ignaras
u e llio-Formoso. -- llaccdo. Drumond
Queiro% l'onseca.Selle.
Dapois da palavra malrizesaccres-
:ente-se : sendo dous contos para oacaba-
nonto da matriz do Caruar.-CafanAo.
l'ara a freguezia iIh Maraimuapa 600/1
-.Vellez. Queiroz l'onttca. Mello Reg.-
Vanoel Joaquim.
Sendo 1:000,000 rs. para reparos do hos-
picio de N. S. da Penha e de sua canalla-
mr. Floripes.--Mello Rejo \ellei.~ Fran-
cisco lodo.
20:000,000 rs. para as capellas-mros
nSo contempladas as emendas, o que o n3o
!'oram na l?i do orcamento,--f/mi>eimo
Supprimamse as palavras--capellas-
mres.--Affi'/'o/f^o.
Com a matriz de Barreiros 1:000,000
rs.Selle.
OSr. Jos Pedro oppfle-se s emendas of-
ferecidas, por entender que ao governo
cffmpete.'conhocer das necessidades dessa
mslrizes e designar, em vista das infornia-
coes que obtivor, a quota de que cada una
necessitar.
Declara que sempre assim se lem feito,
e quo nflo houve aida parodio que recia-
masse do governo quota para reparo da ca-
pella-mr da matriz por ello cura lo, que
nflo fosseallendido.
Accresccnta quo anda da verba decre-
ta la para o auno vigente exatem iniacios
12:500,C00 ris: convin, porm, na emenda
relativa a matriz da Ba-Viali porque,
!2!
Substitutivo o 1. Em lugar de
152219,800 rs. diga-'se 152:537,800 rs.
los Pedro. Hanoi Hrrelo.
Jugada amatara discutid lio o artigo
ipprovado com a emenda da commissflo.
Tem dado a hora.
O Sr. l'reiidenle designa a ordem do dil,
a levanta a sessflo.
CMARA MUNICIPAL DO RECITE.
SSSAO EXTRAORDINARIA DE 6 DE MAIO
DE 1850.
Presidencia do Sr. Mamede.
ras emenda ofl'crccidas em tercelra do niiini-
ilpal.
A ordem do da para a sesso de ntnanhSa
'te conlinuaco da de hoje; tercelra discusso
|o arc.am.ento provincial, e ultimadas einen-
|as quenol referimos por ultimo.
Presentes os Srs. Carneiro Monteiro, fr
IforMt, Viauna, c llonriques da Silva fj-
tando os mais senhores, abrio-se a sesso,
efoi lida eapprovada a acia da antecedente
Foi lido o seguidlo expediente :
I,'m officio do Exm. presidente da provincia, |a, Dr. Jos dos Anloa Vieira de Ainorhu e
delcriniiiaudo que a cmara enviasse diploma I,._ i^nnc,.. c. ,, '
Anda boje nSo fol poislvel ao Sr. julz pre-
idende do jury da capital encelar os trabalho*
la segunda sessSo ordinaria deise tribunal;
pois que apenas comparecern! 28 Srs. jure'
le facto.
Dos mencionados delzaram de apresentar-ae
* fram multailos eui 10,000 rs. cada um, os
ira.: Antonio da Cunba Soares Guimaraea, Dr.
tgoitinho da Silva Neves, Antonio Henrlques
Wafl'ra Jnior, Rartbblomeo Francisco de Sou-
osprlolvin-|'!,n l5'0(>0r8' S"- Alesandre Uibeiro,
olaei, segundo bavia resolvido a assembla le-1 IanoeI Romao de Carvalbo, Joao Canelo Pe.
reir Freir, Luli Pedro das Nevcs e Joao Car-
ilozo Ayrcs.
A sessao foi adiada para 18 docorrenle.
gislativa dcsta provincia, regulando-te a cama
i.i pela apura^o feita pela iiietnia assembla,
Inteirada por j se ter expedido dito di-
ploma.
Oulro di i.....sino, remetiendo para acamara
Informar conforme exige a assembla'legislati-
va provincial, os rcqueriineutos de Joaquim
Jos Helio, fiscal dos Afogados e Joaquim dos
fiis Gomes, arrematante da ribeira do balrro
da Hoa-Yisla. Que se informasse favoravcl-
menle apretenco do fiscal, contra o que votou
o vereador Carneiro Monteiro; c que ae reme-
trsse ao procurador a peticao do dito Joaquim
dos Iteis, para informar o que tem ocorrido -
cerca da materia mil i comida,
Outro do liscal da freguciia de Santo-Antb-
COMMERCIO.
, nio, participando que as inultas dadas na ines-
dizendo a verba respeito a reparos, e nAolmafreguezia de27dc marcoaoultimo de abril
(endo aquella matriz que reparar, mas sim I importaran! na quantia de'207,000 rs., confor-
me as notas que envin a contadoria. Intei-
rada.
Outro do fiscal ell'ectivo da mesma freguciia,
O Sr. Guedes de Mello :-Me pareen que o
ealro nflo precisa mais esta quantia que
II
s" nSo deve
aipruvareala verba com urna
i.imanlia differenca da que se marca para os
reparos das matrizes...
O Sr. Jim Pedro A um aparte.
O Sr. Gunles de Mello :Nfto posso prestar
o meu voto para se dar tima tal quantia ao
tneatro em quanto vir as matrizes no estado
etn que se aehain, porque anda nao chega-
moa an art. 16, e eu ja vejo em nulos de al-
gunade meus collcgas mullas emendas em
lavor de Hlgumas matrizes, oque (nova que
ha esta neceaaidarie, e tndavia aqu nflo es-
tilo anda os representantes de luds as ma-
trizes...
Um Sr. neputado-.Xem ha lepre&ntanlcs
de matrizes.
OSr. fuedeiile Mello: Entretanto que
cu vejo que, para aalsazer-se aoa aformo-
Beamentoadi capital, j demolimos umaca-
l'ella, contra o que de al^uma manelra se
lem prnniinciado a animadversm publica
i', quando vejo isto,ni!n posso concorrer pa-
ra se votar una quanlia ''estas em favor do
Uiverunenlos, em favor de tlioatros...
O Sr. Correa de llrilo : -O thealro he
nma escola de toral,nSo be um lugar de di-
vei tmenlo.
O Sr. Iraittiico Jodo :Eu nfio son .acde-
nlo nio.
0 Sr. Guedei de Mello: Nflo posso por isso
volar pelo artigo do projecto. Aprovei-
lando-m ta palavra, direi a V. Exc. quo
nSo pretendo ptolellar a discusailo; mas,
quindoseapresentaraquialgoma ideia con-
iiiin nos meus senlimentos, eunflopode-
rei deixar tle pronunciar-me conlia ella: e,
romo Hilo rosan fazer o batimento de lo
contos de ris, vol contra o artigo.
O Sr. I'ranciico oo insiste BU) suas ideias,
de>envolvendo-as de maneira aprovarque
he tmente guiado ielo detejo que o ilomi-
ni de que a assembla calenda milo protec-
tora aodislinclo artista brasileiro Ceirnatio
Francisco de Oliveira
OSr. Jos'Pedro aprsenla algunas rrfle-
xO s em favor do artigo e como em resposta
01 oradores que a teem precedido.
Va i mesa e he apoiada-a segu'nle emen-
da :
Com o administrador do tbentro, que
devera ser o proprio emprczaiio, ove/7o-
ripis.
Encerra-sea discussfo ; e, submettido o
artigo a volaeflo, be approvado com a emen-
da to Sr. l-'loi ipes.
Entra em discussflo o seguinte
Art. 16. Com os redaros das
capellatvmrea das matrizes 20:000,000
Vilo mesa e aaq apoiadas successiva-
menle as legoilltei en.nudas :
Dapois daa palavarasinalrizesarcres-
centc-se : srndo dous coritos para a obra da
etitalba da cupella-inr da matriz do Boni-
to, segundo o respectivo orcamento/7o-
ripcs. Gilirana. -Qutiroz omeca.
Sendo 4:000.000 rs. para a concluso
da obra da matriz da Ba-Vista. S. II --
Villez.
Para a matriz de Afogados l:00f>,000 rs
--S. II.Francisco Jodo.n
Depois da palavramalrizes--dga-se :
.cuno para a matriz de N. Senhora da Con-
reicOo do ^azarelll 1.000,000 rs.Bandei-
ra.
i. Depois da palavra--matiizes--diga-se :
sendo para o acabamenlo das obras das ma-
lrizes de Po-d'-Alho 1:000,000 rs.Olivetro
e Vello.
que e.l li'.'ii', hoprecisoqun.se Ibe design
espressameiite quota, sb pena denfld po-
der oblo-la. Nota que nflo foi pela coin-
mssflj resolvido nada acerca da nova matriz
de S -Jos; porque, havend receliido o
respeclivo viga rio cinco contos de reis em
dezembro, at boje niio pflz um lijlo na
obra que esla a sen cargo, quando esla
quantia era su luciente para dar um impulso
m uito valioso a mesma obra. Nflo saben
rasflo que o respeclivo vigario tem (ido para
isso; e pon lera que, nflo queren lo lazar-
Ido acusaeflo alguma, apenas tem por (iin
revelar i casa este facto.
OSr. Francisco Jado acquiesce s obser-
vaces do precedente orador, c declara que,
apezar de ser autor de urna das emendas
jue rxistem sobre a mes i, nflo duvida re-
un, ciar ao seu pensamento, convencido
pela argumentaeflo do Sr. deputado que
acaba do fallar. Discorda.poim.delle quan-
to ao que disse acerca do seminario; por-
que reconhece quo o Sr. hispo tem feito
quanto Iho tem sido possivel a favor desse
estabel, cimento, e que be conveniente que
o nico rolle.; o que aqui existo para ensi-
llo da mocidadequo sn deslina ao clericato
seja protegido de alguma maneira pelos co-
fres proviiiciaes.
O ir. liutiltt de Mello:Sr. presidente, fura
j ocioso accrescentar altuma cousa acerca
tiesta materia, de que inc hei de oceupar, por-
que o nobre deputado que acaba de sentar-se
me prevalo quanio a. que eu quera ditera-
cerca do seminarlo de Olinda. Direi apenas,.|iie
a mitra nfto pode occorrer a todas as despezas
daquelle estibeleciniento por que S. Exo.
itvin. mi s t. ni sustentado aquella altaba-
lecimento uapaitcuiateii.il, mas niesuio no
sustento dos estudautes pouco abastados : cu
son disto ttsleihiiiilia, porque recbi os ef-
fritos da gcneosidade da mitra, quando tive
all de receber alguma edueacao : nao posso
negar lato, os rendlmeUtoi da mitra sao dis-
tribuidos em grande parte em favor dos eslu-
dantes pobres, e por isso iinpossivrl llie be
que os possa applcar aos reparos da casa ; ra-
so por que voto a favor dessa emenda. E,
aproveltando a oceaalio, direi que, comquanto
as obiei vafoes fritas pelo nobre deputado ins-
pector da tliffsouraria collocassem a casa ciu
alguna embarazos a respeito domodu de votar,
rom nuil) be lora de duvida que quem nao sa
he do Herile nao sabe o que por abi vai, ni
sabe ipir ha matri/.es que cerecera preferen-
cia, equa s pode ser demonstrada esta pe
trstrmiinlio de lodos que as \eeiu. A man i/
do l'.io d'Albo, jior exeiu|ilo, foi demolida poi
se adiar incapaz de all se dar celcbrajao dos
offlcioi divinos, foi riinii'pd i desde os srus
alicerces, de maneira que est at em meio a
obra, e nao se pode aiutl i all piadca o culto :
romo cata lia mullas outras (|ue se acliaiu uas
mesillas clrcumslancla*. O nobre inspcctoi
diste que o governo nao tem duvidao dar
quota para cada una das matiizcs que a trin
reclamado; porcm eu acbo nisto alguma dif-
liculdade, he, preciso vir um orcamento dos
concertos iicccssarios, o que militas vetes lie
inipossivel, por nao haver nessas localidades
qut'in os fafa ; mas, Cnino pelo regulainenio
das obras publicas vejo que os engenhelroi
sao distribuidos pelos diversos pontos da pro-
vincia, eolio lalvcj convenha impor-se-ibes a
obrlgacfio defazercm esses orfanicntos decla-
ro, porm,que agora volarei especialmente pela
emenda que mande! mesa comighanda 20
tontos de ris paia as matri/.es que nao livc-
ram aqu padrinbot, isto be, que niio fram
ineiiciuiiadas nessas ctneoda ollrrecidas ; por-
'|ue, consuiiiiuula a quota por estas, nao po-
den) as outras litar de peior condifo.
O Sr. Floripti sustenta a sua emenda, jus
Sendo 1:500,000 rs para os reparos di
i ipeiia-iiior da matriz da fregueziade A-
gnas-BellaS, termo de Caranhuns.Raliie
Silva.
l>ando-so 2:000,000 rs. para concertos
liliraudo-a com os beuelicios que a rcligifl.
e a huutanidade teem feito os capuchiuhos,
e aprcseniando alguns lacios por eile pla-
ticados em abono desta assercSo.
OSr. Ralis a Silva sustenta a sua emenda
faz diversas consideraijties om sentido In-
verso s doquelles Srs. que entendem que a
assembla nflo dx've fater designtffto das
matrizes u preferir na deatribui(So os soc-
corros.
Depois de algumas obs^rvacoes mais do
Sr. ISandcira de Mello e Velle/, encerra-se a
discusailo, semlo a prova Jo o urtgj com as
emendas oll'erecidas ; com excluido, purear,
da do Sr. Cuedcsde Mello, que foi rejelada.
Entra em discussfto o artigo 17 e seus pa-
ragraphos :
Art. 17. Com o corpo de po-
lcia ; a saber:
$ 1. Com os sidos, l.>i :;: -
mi tilos,gratificai,esefonagens 152:249,800
^ 2. Com o armamento e e-
quipamcnlo 2:000,000
;. 3 Culi agoa e luz para os
quarttisdo corj, o e dos desta-
camentos 2.000,000
;. 4. Com o supprimento pa-
ra o curativo das pravas do tnes-
mo corpo 4:000,000
;, 5. Com o transporto dos of-
ficiues que destacaren! 800,000
O Sr. Francisco Jado : (Publicaremos em
o numero seguale o discurso do nobre de-
putado. )
Vai a mesa o he apoiada a seguinte emen-
da :
participando que passava a assumir as suas
funcfdes. --inteirada, eque se comniunicasse
ao que se achava lunccioiando interinamente.
Outro do procurador, di/.endoque era preci-
so que a cmara Ihe mandasse forneccr do co-
fre a quantia que julgasse bastante para a con-
tinuaciio das despezas feitas e a faier-se com a
obra do aqueducto do pateo do Carino. (ue
se desse ordem aos clavicularlos a lirarrin do
di lo cofre, e entregarem ao procurador a quan-
tia de 1:000,0(10 rs. para dito flu.
Oulro do contador, reflexionando que talve?
a verba da despeo para limpera d mas, ve-
nha aexliuguir-sc antes de lindo o anno, para
que fui ella consignada, visto ter a cmara mau-
llado incluir nella a despeza do calcamento da
ra do-Vigario, do concert d'outras e da es-
trada do Monteiro, que vai sendo avultada.
iv>ue se pedisse a assembla provincial marras-
se qunta de 200.000 rj. para os reparos j fritos,
ile dita estrada; bem como para despezas da
mesma natureza que possaui orcrrer ; e que
se respondesse neste sentido ao contador.
Outro do liscal interino da Tregueiia deSan-
Jose. participando a existencia de urna grande
ion i .ni de entullio na roa do Forte, nos fundos
da casa de Francisco Jos Dias da Costa, que
priva a comuiunicavo desta pela parle poste-
rior. Que o liscal removesse dito rntiilho,
tendo nessa despeza dito entulho, tendo nesja
despeza, a economa possivel.
Oulro do vigario da freguezia de San-Jos
o niiip inli ido rjc dous requerimentos ; pedindo
o un o uii'llioi aiueoio das ras do pateo do
fereo e adjacenles que esto intransilaveis pe-
la accommulaco de aguas pluviaes ; e n'outro
ademollcao do telheiro existente por detraes
da nova matriz da mesma freguezia que ou-
ir'oia servio de bebedourn do gado. Que se
o Jen i-..r ao mi ili-.iil.it informasse sobre a
uieUinr maneira de esgotar as agoas estagnadas
ein ditas ras, e que se reuiettesse a coinmis-
so de edilioacao o requerimento que pede a
demolicao do telheiro para einittir suaopinian
a respeito e inandou-se neste sentido respon-
der ao vigario.
Mandou-sc informar favoravelmenle a peti-
cao du ajudaute do porteiro Fraucisco Jos Al-
ves Gama, feito a assembla, cm que pede teja
o seu ordenado anivelado ao dos oulros aju-
dmles.
Foi lido emantlou-se reinctter a cainininao
dos senhores doulores Angelo e Moraes. um
i equeri i.rol.i do pin lino -indanies, oit'eirerinlo um projecto de organi-
sacao para a secretaria da mesma cmara.
Mandou-sc remeller ao procurador os reque-
rimentos de D. Antonio de Locio e Silbes, e de
Maaoel Jos Fernandos Barros, requerendo pa-
gamento de cusas em que foi a municipalida
tle condciiinada, alim de que consultando ao
advogado da casa, informasse se os documen-
tos com que os requerimeiilos, justificado e
importancia de ditas conlas saolegaes e sufli-
rieutes para tanto.
Entrando em discussao o requerimento do
ajudaule do porteiro Anastacio Xavier de Cou-
to, pedindo, como maisantigo, que a cmara
lile mandasse pagar a diileren, a que cxisle
ALFAINUEGA.
Rendimento dodia 17.. .14:118,626
Deiearregam hoje 18.
Patacho l'reiidenle cebollis, al los e ba-
tatas.
Patacho Sultana mcrcadorias.
Barca Santa-Crvs idem e.lechos aba-
tidos.
Brigue Brandy-Wine larinha e bola-
chinha.
CONSULADO GERAL.
Rendimento do dia 17.. .
Diversas provincias ....
1819 a 1850, por todo o crrante mez do ju-
nho, (Indo o qual tempo, e depois de eigo-
ladas as diligencias amigaveis nos domi-
cilios dos ditos devedores pelos recebedo-
res para isso creados, serflo remettidos seus
dbitos para juizo; bem como se vai ja pro-
ceder contra oa que, tendo-lhe sido apo-
sentados os recibos do primeiro semestre,
do imposto do lojas, vencido em dezembro
prximo (indo, ono tem querido pagar.
Pola segunda aeceflo do consulado pro.
vtncial se fax constar a todos os aenhore
propietarios de predios urbano) dos bair
ros desta cidade e povoacSo dos ATogados-
que do lia 1. de junho do correte anno
sepnncrpia a contar os trinta dias para o
pagamento, bocea do oofre, da respectiva
decima do segundo semestre de 1849 a 1850
incorrendo todos os que deixaretn de psga
nesse prazo, na multa de 3 por cento, j o
valor de seus dbitos, seuJo de promnlo
executados. H
2:940,461
367,815
3 308,276
CONSULADO PROVINCIAL.
Rendimento do dia 17......2:995,014
ov une n i o do oT
Navioi entrados no dia 17.
Parahba -3 dias, hiate nacional Tres-Ir-
Mandes da Silva, equipagem 4, carga to-
ros do mangue; a Joaquim DuartedeA-
zevedo.
Glasgow 58 dias, brigue inglez Rainbou,
de 160 toneladas, oapilSo Peter Scole,
equipagem 9, carga fazeudas; a Adamson
lloiwe 6 Companhia.
Navios taidos no iitesmo dia.
Costa d'Arica Oriental Polaca portugue-
za Eolo, capitflo Estevflo los Tavares,
carga vinhos, ago'ardenle e mais gneros.
Cear Escuna nacional Emilia, capitflo
Antonio Silveira Maciel Jnior, carga va-
rios gneros. Passageiro, o nacional Jos
Samico-
Theatro de 8. fzabel.
QUINTA HECHA DA ASS1GNATURA.
Quarta-feira, 19rf junho di 1850.
Representsr-se-ha o excellente drama mo-
ral, em 5 actos e um prologo, composieflo
do hbil escritor o Sr. L. A. Burgaiu
PEDRO-CEM,
gui j leve e agora ndi lem.
Denominacflo dos actos
Prologo. A mildicflo.
! acto. O casaiiionto em Lordelo.
2.* A sombra de J0S0. Goocalres.
3 A esposa modelo.
4 A torreda Msrca.
5. A mflo de Dos !
0 artista emprezario desejoso de apresen-
tar espectculos dignos de um.t/Jojudicioso
publico, ha vencido quantos obstculos ae
Ihe tem apresenlado, j no pessoal da com-
panhia, j com as decoracOes e vestuario,
para levar scena esta tflo sublime prodc-
ese O publico, juiz imparcial, relevar al-
gumas faltas, que por ventura possam ha-
ver, em atteneflo ao estado Rscenle do
theatro.
Cometer s 8 horas.
Osbilhetesacham-se veuda nolugardo
coslume,
Avisos martimos.
EDITAKS.
entre o seu ordenado e o do porteiro, cujo lu-
nar excrceu desde o l. de Janeiro, foi indefe-
rida senielliantc prelenco, cm consequencia
do seguinte requerimento, que fez o Sr. Vc-
tor Delinques da Silva, e que foi approvado
Requeiro que se declare na acta que o orde-
nado de porteiro compele a aquelle dos al-
danles que excrcer o lugar de porteiro desta
data em diante.
Oelibei-ou acamara qnc o ajudante do por-
teiro, Francisco Jos Alves Gama, passasse a
seivir interinamente o lugar deponeiro
O Sr. venador Carneiro Monteiro declarou
que se achava contratado o arrendamenlo da
casa 11. da ra Nova, para nella faier a c-
mara suas sesssOes, por a quanlia de 500,000
rs. anrni.il, e cm consequencia deliberou a
mesma cmara que se pedisse a assembla pro-
vincial inarcassc quota para etsa despeza
visto dar-se a differenca de cem mil ris para
mais da quota votada no orcamento vigente.
Despaebarani-se as prticesde Anastacio Xa-
vier de Couto, de Filippe Franco, de Gcrvazio
oucalvV-a da Silva, de Joao Pedro Gomes de
JosGoncalvcs Ferreira e Silva, de Jos ller-
naido de t.arvalho, de Vicente Ferrelra de
cesta, e Icvanlou-se a sesso.--Eu Manoel Ker-
rcira Accyolc, secretario interino o escrevi
Declaro cm lempo que se pedio a assembla
marcaste a quota de 300,000 rs. para as des-
pea a fazer-se com os ar anjos da casa para
onde tem a cmara de mudar-sc.-Accyoli o
declarei. '
Pela inspectora da alfandega se faz pu
blico que, no dia 19 do corrente, depnis do
iii'in-ilia, se ha de arrematar em hasta pu-
blica, na porta dn mesma o seguinte : 8 liei-
ras para relojoeiro, urna 500 rs., total 4,000
rs., 6 irmaces para serrotes de dilo, urna
500 rs., total 3,000 rs., 18 grozas de serr-
les de dito, umagroza 1,100, total 19,800
rs., 15 duzias do ponteiros de metal para re-
logios, urna duzia 2,400, tolal 36,000 rs., 18
limas muirs, urna 100 rs. total 1,800 rs.,
4 grozas de vidros para relogios, urna groza
8,000 rs. tolal 32,00 rs 6 duzias de celin-
dros para relogios, urna duzia 2,000 rs. to-
lal 12,000 rs,, 8 duzias de carrileis deseo
para ditos, urna duzia 700 rs. total 5,600 rs.,
U ditas de dilo qua.Irados para ditos, urna'
duzia 700 rs. total 4,200 rs., 6 duzias de cha-
pas pulidas para ditos, urna duzia 700 rs
total 4,200 rs. e 6 bornidores qnadrados
mu juo rs. total 3,000 rs. ; ludo impugna-
do pelo amanuense Concalo Jos da Cosa
o S, no despacho por factura fb n. 231 de
14 do correte : sendo a arremata5flo sujei-
111 a di re tos.
Alfandega de Pernambuco, 1 7de junlio do
1850. O inspector, nls Antonio de Sampaio
Vianna.
Pela inspectora da alfandega se faz pu-
blico que, no dia 19 do corrente, depois do
meio-Aiia. portada mesma, se hilo de ar-
rematar 28 charuteiras de vcludo, por fac-
tura urna 3,200 rs., total 89,600 rs. impug-
nadas pelo amanuense J0S0 Atbanasio li-
le! lio, no despacho n. 273 de 15 do corren-
te : sendo dita arremalacflo sujeila aos di-
reitos.
Alfandega de Pernambuco, 17 de junho
de 18.50.--O inspector, Luiz Antonio de Sam-
paio f'ianna.
Deca racoes.
!A!II0 01 PSNaiBllCU.
BEOIFE, 17 SE JUNHO bb 1859
A assembla adoptou boje em segunda dis-
cusflio o projecto que approva o compromlsso
da irmandade du Santisiimo Sacramento de
Saiito-Anto; o que consigna o crdito ne-
cessario para o pagamento de dividas de ejer-
cicios findoi: e una emenda substitutiva do
Sr. barros iiaireto ao que marca o subsidio dos
deputados provinciaes para a legislatura se-
guinte.
Ao demais, a assembla conclulo a segunda
discussao do orfamento provincial, e votou va-
A cmara municipal desta cidade faz
sessflo ordinaria do da 20 docorrenle em
dianle,
Oescrivflo, servindo de administrador
da recebedoria de rendas internas geraes
desla cidade, avisa a lodos os propietarios
eadminislradoresde escravos.que, lindan-
do-se no corrente mez de junho o prazo
marcado para a matricula dos meamos, de-
vem comparecer na mesma reparticflo den-
tro do dito mez, munidos das relacOes ,
que conlenham os nomes dos ditos escravos,
sexo, cor, naluralidade eofllcto, paraserem
novamente matriculados, nflo sendo admit-
iidos depois desse tempo escravo alguma
matricula sem que seu dono aprsente o ti-
tulo por que o possue, assim como flearflo
sujettos mulla de 10,000 a 30,000 rs. por
cada um o dono ou administrador dos es-
cravos que os nfio tlver matriculado : lu-
do na forma do regulamenlode 9 de abril
de 1812,
O escriv.1o. servindo de administrador
da recebedoria de rendas internas geraes
desta cidade, avisa a todos os devedores de
impostos de lojas ahertas, carros, barcos do
interior, laxa de escravos, perfumaras, mo-
das, calcados, e segunda decima de mflo
mora, que venham pagar o que estive-
rern a dever proveniente dos ditos im-
postos, relativo ao auno fiuanceiro de
Para o Aracaty seguir im-
preterivelmenle, a 7 do vindouro
mez, com a carga que tiver a bor-
do, o hiate Novo-Olinda, por j
estar tratador 0 melho de meio
carregamento : que-m netle mais
pretender carregar, entenda-se
com o mestre do mesmo, Antonio
Jos Vianna, no trapiche do al-
godao, 011 na ra da Cadeia-Ve-
ha, 11. 17, segundo andar.
Para o Aracaty segu com brevidado,
por ter parte da carga promettida, o pata-
cho Santa-Cruz : para o eslo e passageiros,
trata-se ao lado do Corpo-Santo, loja de-
massames, n.25.
Para o Rio-de-Janeiro sabe com toda a
brevidade oveleiro patacho brasileiro*A'i-
theroy : para carga, passageiros e escravos,
os pretndanles queiram dirigir-se ao es-
criptoroda viuva Caudino &Filho, praci-
nna do Corpo-Sanlo, n. 66, ou ao capitflo
Antero Jos de Araujo, a bordo do dito pa-
tacho. '
Para o Itio-Grande do5ul sabe em pou-
cos dias, por 1er parte da carga prompla, o
patacho nacional Euterpe, capitflo Manoel
l.uiz dos Santos : para o restante da carga
passageiros e escravos afrete, trala-secota
Luiz Jos de S Araujo, na ra da Cruz, n.
33, ou na ra do Apollo, armazem o. I*.
Para o Itio-du-Janeiro seguir em pou-
cos dias o brgue-escuna Henrgueta : anda
pode receber alguma carga, para a qual
trata-se com o capitflo Manoel Joaquim Lo-
bato, na praca do Commercio, ou na ra da
Cadeia-Velha, n. 17, segundo andar.
Para o Hio-dc-Janero
segu no dia 2i do corrente o brigue nacio-
nal Maria-I : para o resto da carga, escra-
vos o passageiros trata-se com Machado &
l'inbeiro, oa ra do Vigario, n. 19.
Para o Cear pretende seguir viagem
com muita brevidade a sumaca nacional
Carlota, mestres Jos Goncalves Simas:
quem na mesma quizer carregar, ou ir de
passagem, pode entender-se com l.uiz Jos
de Sa Araujo, na ra da Cruz, 110 Recife.
n. 33. '
Para o Rio-de-Janeiro segu em pou-
cos dias o palacho nacional Valtntt, capi-
tflo Francisco Nicolu de Araujo : para o
resto da carga, irala-se com Joflo Francis-
co da Cruz, na ra da Cruz, n. 3.
-- A barca portugueza Santa-Cruz, de
primeira marcha, forrada eencavilbadade
cobre, chegada a esle porto em 9 do corren-
te, sabe para o Porto cem muita brevidade,
porque ja tem parte do carregamento
prompto : quem na mesma qui/er carregar
ou ir de passagem para o que lem excelen-
tes commodos dirija-se ao seu consignata-
rio Francisco Alves, na ra do Vigario,
n. 11, primeiro andar.
Vende-se o briguc-escuna Alegra, che-
gado recenternento do Rio-Grande do Sul,
de lote de 150 toneladas, demanda 121/
palmos d'agoa carregado, forrado, cavilha-
doe prega \io de cobre, fex costado lixo ha
pouco mais de tres annos, he veleiro, tem
lancha nova c bote, bons ferros o amarras,
e todos os mais arranjos necessarios, promp-
to a fazer qualquer viagem, sem que o com-
prador faca despezas : quem o pretender o
poder examinar aop das escadiohas de
palacio, anude se acha fundeado, e tratar
com Leopoldo Jos da Costa Araujo, na ra
da Moda, 11. 7.
Vende-se o brigue brasileiro Penia-
ment, encavlhsdo, forrado de cobre e ve-
leiro : icha-se na volla do Forte-do-Maltos,
para quem quizer examnalo, e para qual-
quer trato queiram procurar a viuva Cau-
dino & Fifho, na pracinba do Corpo-Santo.
n. 66.
Leudes.
Hoje, 18 do correte, baver leilSo de


quarenta birria com manteiga : no armazem
de Antonio Annes' J. Pires.
I.cilfn de 35 barris fl 55 meios ditos
coro manteiga franceza, chegada prxima-
mente do Havre, por conta e risco de queo
pcrtencer, no dia 19#b corrente, pelas 11
horas, na porta da A fandega
-- Me. Calmont t Companhia far.lo lei-
Jilo, por intervencHo do corretor Oliveira.
de variedade de pannos, casemirase de (ni-
tros Calendas ioglezas, inclusive estopas
lurgase averiadas, etc., para liquidarlo de
certas contas : terca-feira, 18 do corrente,
s 10 horas da manliiia, no seu armazem do
largo do Corpo-Santo.
-Kalkmann IrmRosfarBo leilSo, por in-
tervencSn do corretor Oliveira, de grande
sortimenlo de fazendas francezas, suissasr
allem.les, de seda, linho, 19a ealgodffo, to-
das proprias do mercado quarta-feira, 19
do corrente, s 10 horas da manliBa, no seu
armazem, ra da Cruz.
I.uiz l'isior Tari leililo, por interveng3o
do corretor Oliveira, do todos os pertences
mobiliario seu eslabeleciment, consis-
tindo em dois lindos buhares completos de
ludo, bal co grande, mesa de janlar, ditas
grandes e pequeas, ditas de jogo, cadeiras
usuaes mMito boas, ditas de bataneo, guar-
da-roupas, dito pequeo, aparadores, alma-
rio envidracado, relogios de parede, cartei-
ra de urna face, sofs, marquezas, commo-
das, camas grandes, ditas de vento, Un-
pedes, castigaes com mangas devidro, lou-
cas, garrafas, copos, e todo o trem de cozi-
nha, e igualmente urna porcSo de salmfio
em latas de varios lmannos: quinta-feira,
20 Jo correte, s 10 horas da manlia, no
hotel d'Europa, contiguo a Lingneta.
particularmente theologia em casa de sua
resi Jcncia, na ra das Cruzes, n. 11.
--Jos Antonio Bastos embarca paraos
portos do sul a escrava de nome Candida
O Sr. Dr. A. J. de S. G., morador na ci-
dade de Olinda, haja de ir loja de fazendas
da ra do Passeio, n.3t, pagar o saldo da
sua letlra vencida a 28 de maio de 1839 ; do
contrario, tera de ver o seu norae por ex-
tenso nesta folha, ate que embolce a dita
quanlia.
Precisa-so de olciaes de empalhar: as
Cinco-Pootas, n. 58.
Quem deseja saber da morada de JoSo
los de Moraes, dirija-se ra da Assump-
gflo, n. 4.
Joaqun) Jos da Cunha Osorio, subdi-
-se pi
io a tratar de sua sade.
to portuguez, retira-se para frfdo impe-
Avisos diversos.
rtoga-so ao Sr. J. M.S. S. e.M. quetenha
bondade de declarar por este. Diario
se he ou nSo casado ; pois com sua resposta
satisfar aos Iludidos.
Pelo juizo de orphSos se ha de arrema-
tar, no dia 18 do corrente, pelas II horas do
dia, armaeSo e cera, e mais objectos da
loja do flnado Manoel Francisco Rodiigues,
sita na prac da Boa-Vista, n. 17, e junta-
mente o resto dos trastes que licaram por
arrematar na praga do dia 11 : quem preten-
der, compareca no da cima, no referido
lugar, que he a ultima praca.
Justino Alves da Costa, Brasileiro, reti-
ra-se para fra da provincia.
fcliza Fenton, Ingleza, relira-se para fra
do imperio.
No dia 18 do corrente, pelas 4 horas da
tarde, na porta da casa do Sr. Dr. juiz do
civel da primeira vara, na ra das Fores, se
ha de arrematar, por ser a ultima praga, a
requenmento do testamenleiro do fallecido
SobasliSo Jos de Oliveira MaceJo, dous es-
cravos, a botica e todos os mais pertonces,
na ra do Rangel, n. 64.
Prtcisa-se alagar um preto velho, ou
compra se : na ra Diroita, n. 78, refiiagSo
--Offerece-seum homem brasileiro, de
40 anuos, para administrador de qualquer
engenho, por ter bastante pratica, ou para
caixeiro de venda, ou para oulro qualquei
estabslecinienlo, para o quo dar fiador
sua conducta: quem o precisar, dirija-se
rus da ordem terceira de S.-Francisco, n.
8, que so dir quem he a pessoa, ou an-
nuncie por esta folha.
O abano assignado lem contratado
com o Sr. JoSo Ignacio de Avilla a compra
de urna casa terrea no pateo de S.-Jos, n.
43 ; porissose houver quem tenlia diroilo
a mesma, annuncie por esta folha, ou en-
tenda-so com o Bbaixo assignado, no prazo
de 6 dias. Paulo os Goma.
Na roa da Prtia, linceo do Carioca,
qoarlosobradinhodefronle do portfio gran-
de, que lem letreiro, engoinma-so toda i
qualquer roupa, por prego commodo, ecom
toda a perfeicSo e presteza.
Precisa-so de urr.a preta captiva que
sailia coser eengommar com perfeicao : n
Atcrro-da-Boa-V -sta, n. 26j a tratar das 7 s
9 horas da manhSa.
Os abaixo assignados, tendo
dissolvilo amigavelinenle a socie-
dade que liaviain contrahido na
loja de fazendas, sita na ra do
Queimado, n. 3, e que gyrava sb
a firma Finito & Bastos, assim o
fazein publico, com especialidade
ao coinmercio desta praca, c de-
clarando que fica a cargo nica-
mente do socio Jo.o Augusto de
Pinito a liquidaco da estincta fir-
ma, tanto activa como passiva-
mente, sendo por consequencia o
tnico responsavel por todas as
transaccSes feitas. Mecife, 17
de junho de i85o. Joo Augus-
to He Pinito. Jos Joaquim
Goncah'es Bastos.
Precisa-se de um caixeiro que tenha
pratica de venda, e que d Dador sua con-
ducta, si'iii aqual Ranea uo se recebe : na
ra da Mmlre-de-D.>os, 11. 5.
Precisase de um bom amassujor, e de
um preto que enleuda de [adaiia, ou mes
mosem entender : na padaria defronte da
foilIeza da Cinco Ponas.
Conslando-me que existe em Olinda
um circulo apostlico de sciencias ultra-
economicas, creadas pelos progressistas l.e-
dru Boln, lllanqui, I.uiz Blauc e outros, cu
jo presidente lie o verstil Dr. *, deso-
jo ardenleir.ente pertencer um il circulo,
onde se collie nfio so o necessario, como ti
spra.sivel, como o ideial. Cobrimos o preco
da entrada com mais 4,000 rs.
Por um admnisia.
I .ti iza Margan.la llerbester, viuva d
Joo Baplista llerbester, querendo prevcnii
duvidas futuras, faz sciente, que ha poucos
dias priucipiou a assignar seu nome por seu
propiio puoho ; por isso d'ora em diante to-
dos os papis que apparecerem som a sua
assigoatura, tanto credilivos, como procu
rages, apudautas e outros quaesquer par-
ticulares ou pblicos para juizo silo falsos,
e protesta desde j contra a validado di
qualquer assignatura que a seu rogo posst
apparecer.
O padre Leonardo Antunes Meira Man-
riques adroga no civel ecrime, e ensina
Moje sabe o numero 2 do Conciliador.
Est interessante. Vende-se na loja do Sr.
Doura.lo, largo dofollegio, n 6 ; na praca
la Uniuo, loja de calcado, n. 33 ; e na typo-
graphia da ra da Praia, n. 45.
Luiz Jos da Silva, com lenda de carpi-
os na ra da Cadeia de Santo-Antonio,, faz
saber pelo presente annuncio, que se acha
com o mesmo estabelecimento na ra das
Cruzes, n. 14.
No da 13 do corrente mez perdeu-se,
na ra dos Pires, duas voltas do cordSo com
urna escoleta do ouro com afirmado M. J.
P. : roga-se a quem achou, querendo resti-
tuir, de entregar na mesma ra dos Pires,
o. 19, que ser generosamente recompen-
sado.
-- Relira-se para o Bio-de-Janeiro Senho-
rinha Maria da Conceigilo com dous flhos
de nomes Francisco Ferreira Fiallio o Utn-
belina Leopoldina das Virgens.
- Fanny de nagflo Africana, solteira, reti-
ra-se para a cidade da Baha.
Precisa-se de um feitor para um sitio
distante desta praga : na ra Dreita, n. 14,
Leopoldo da Silva Queiroz, Portuguez.
retira-se para fra do imperio.
O abaixo assignado comprou a venda
sita no Forte-do-Mattos, ra do Codornis,
n. 1, pertencente a Antonio Luiz da Silva,
em 15 do corrente, pela quanlia de 300,000
rs., fleaodo o mesmo abaixo assignado
obrigadoa pagar aoscredores o que a mes-
ma vemla dever. Joo Pedro da llocha.
Lembra-se ao Itvdm. Sr. ennego vlg.irio
da fregueila de S -Jos desta cidade, quealm
ilus cinco conloa, que em sua corresponden-
cia, publicada no liiurio de Pernambuco de 14
do correle, declara haver recebido da lite-
sniira: i.i da faicnda provincial em dezenibro
do anno prximo paaiado, recebeu mala em 2
de agolo de 1845 da extincta thesouraria das
rendas provinctaes douscontos de ris, perfa-
tendo ambos os recebimenlos a soinina de sete
contoa de ris.O curioso.
O Patulea.
Amanheceu hoje na praca da Independencia
n. 33e lia ra daT.rui do llecii'e n. 11. o 2.'
numero do 1'aluWa. A rapaziada deve agradar-
se deslc numero, que est palmeo.
O Sr. Justino Alves da Costa queira pagar
a Domingos Jos da Cunha Lages S C. a quan-
lia de 9(i,u00 rs. antes de se retirar para fra
da provincia. s
Kmbarca D. Anna Maria Monis para o
ttio-Je Janeiro a sua escraya de nome Isah I,
do gento de Angola.
-- Justino Pereira de Parias, tutor da me-
nor Ignacia, declara que ninguem compre
as casas terreas sitas lio Manguinho, hoje
denominada ra Bial, de n. 53; na estra la
de S. Jos do Manguinho, n. 23 ; e um terre-
no na Capunga com duas casis de ta'ipa, ns.
41 o 43, do casal do finado Benlo Jos ln>-
tista da Silveira e I). Claudina Jacintha Ne-
ves, boje casada com Justino Alves da Cos-
a, pois que na qualidade de tutor tom de
intentar por parte da tutelada accHo desu-
uegados; e desde j protesta contra qual-
q 1er venda das referidas casas, ou cousa
que tenha de prejudica-la.
Quem precisar de urna ama com bas-
tante leite, e muito carinhosa para crian-
gas: dirija-se atraz do Iheatro velho, n.
'0, segundo andar, das 11 horas do dia em
liante a qualquer hora.
-- Precisa-se de um menino para caixei-
ro de loja de miudezas, com pratica ou sem
ella : na ra larga do Rozarlo, 11. 35, se dir
quem precisa.
Urna pessoa habilitada pela theoria e
pratica d principio a ensinar grammatica
portugueza, latina e franceza ; como tam-
bero msica vocal e instrumental de flauta,
violo e alguns rudimentos de piano : no
bairro da Boa-Vista, ra da matriz, n. 5.
- O Sr. Joaquim Jos dos Santos Barraca
queia ir ou mandar pagar a quanlia de is.
33,460 na ra da Cadeia de S.-Antonio, n.
13; do contrario, lera de ver sempro seu
nome por esta folha.
Arrouda-se urna grande campia, pro-
pria para plantaces, e pastagem de gados
de todas as qualidades, na estrada nova,
Ingar denominado Lucca ou silio do Enfor-
cado : a tratar na ra do Vigario, n. 7.
Aluga-se a casa da esquina da ra do
Caldeireiro com armafSo para venda e com-
modos para familia, com quintal, cacimba
e |iorl3o para txavessa, a qual telo local
offerece muita vantagem : na praca da In-
dependencia, livraria ns. 6 e 8.
Arrenda-se o sobrado de dous andares,
sio na ra da Guia, n. 42, com a sala forra-
da de taboa e a alcova de papel piulado, to-
do envidrando e com bastantes quartos :
quem a pretender ver, dirija-se mesma ca-
si, e para ajustar com o seu proprielario
Silvestre A11 Ionio de Laage, morador no Po-
co-da-Panella, junto ao sitio do Sr. cirur-
gio Silva.
Cosme das Trevas Texeira, professor
substituto de primeiras letlras das cadeiras
desla capital, d licOes em casas particula-
res de primeiras letlras, grammatica portu-
gueza, arithmetica e geometra pratica :
quem de seu presumo se quizer ulilisar,
urocuie-o no pateo do Terco, 11. 24.
- Deseja-se fallar a Autuiro Francisco
GuimarSes! nesla lypographia se indicar
quem pretende fallar.
Precisa-se alugar um prelo canoeiro,
de boa conducta : paga-se muito bein, e d-
se-lhe de comer e vestuario : na ra do
Livramento, n. 35.
O arrematante das afericOes deste mu-
nicipio do Becife faz crio que est a lindar-
se o lempo marcado pela lei para as aferi-
cOes.
Irmadade do Divino
------.....5
fechar as suas conlns, 1051 r. qualquer pes-
soa que porven'ma se julguo crodora da i
ti irmandadr, haja do apresentar as sua*
contas ao respectivo tliesoureiro Manoel Per
reir l.enios, para seren promptamente pa-
gas.
Negocio interessante.
Faz-se todo e qualquer negocio com duas
letlras de 493,024 rs., vencidas ha mais de
seis anuos, declaram juros de 2 por cento
ao mez, aceitas pelo Sr. capilSo Antonio Pe-
reira Freir, que morou no engenho Cainha,
e que ha 3 ou 4 annos se mudou de Taqua-
ratinga para Quebrangullo, comarca de Ca-
ranhuns : na ra da Cadeia do Recil'c, loja
n. 50, a fallar com Cunha &. Amorim-
~ Aluga-se um grande armazem om Fra-
do-Porlas, no sobrado que fica ao sul da
fundido ; bem como um sobrado com gran-
de quintal com boa plantado de capime
parreral, aito no lugar dos Arrombados : a
tratar na Lingota, n. 8, venda.
Oflerece-se um rapaz porluguez para
csixero de engenho, ou mesmo para feitor,
ou para ensinar primeiras letlras : quem de
seu prestalo se quizer ulilisar, dirija-se
ra de S.-Bita-Nova, casa junto a igreja.
A pessoa que annunciou
querer arrumar um menino brasi-
eiro, e que daria fianca a sua
conducta, dirija-se aos Coelbos,
n. i3, que se dir quem precisa.
Precisa-se alugar um moleque que cn-
tnda de cozinha e compras: quem tiver
annuncie, ou dirija-se ra larga do Roza-
rio, n. 26, loja de miudezas.
Aos Fumantes.
Joaquim Bernardo do Res avisa aos fu-
mantes que gostam da boa fumaba que a
sua fabrioa de charutos da ra larga do Ro-
sario, n. 32, acha-se um sortimenlo de
charutos de boas qualidades, fabricados nes-
la provincia e assim como da Babia, como
ovos e diversos e que se venderlo por pre-
co commodo; tanibem vende-se cigarros
de palha de milho, a 480 rs. o cenlo.
Aviso aos fuanles.
Na fabrica de charutos da ra Nova, n. 32,
acha-se um grande sortimenlo do diversas
marcas de charutos dos principaes autoresj
da provincia da Baha, como sejam :
Acadmicos.
Os verdadeirosS. F. de Brandlo.
A vista faz f da marca de Franco.
Defensores da patria.
Liberaos.
Cavalheiros.
Saquaremas.
Depulados.
Venus de llavana.
Ditos marca de fogo.
Americanos.
Regalos.
yaya.
Afama va.
Fama.
Emilios.
Cigarros de la llavana.
Regala.
Senadores.
E oulras mais qualidades que serSo paten-
tes aos compradores, e que se vndenlo pe-
lo menor prego que poder ser: bein como
muito lio ns cigarros de pajilla de milho.
~ Na ra de Agoas-Verdes, casa terrea
n.26, engomma seelava-se toda a qiali-
dade de roupa, com todo asseio e prompii-
dSo, por prefo mais commodo do que em
outra qualquer parte.
Precisa-se de um moQo estrangeiro de
16 a 20 annos, para criado de libr, distan-
te desta praca 8 leguas: quem pretender,
entemla-se na venda da ra da Penha de
Joo Pinto Begs Sonsa.
l)3o-se 400,000 rs. a juros sobre penho-
res de ouro eprala, e a dous por cento ao
mez: quem precisar dirja-sc ao pateo do
Carino, n. 3, quo se dir quem d.
Atlenco.
Na tarde do dia 15 do passado, por occa-
silo deconducefto de uns trastes da Capun-
ga para o Becife, se estravou um refogio
de ouro com corrente do mesmo metal, ten-
do os signaes seguintes. O relogio he des-
coberlo do lado do mostrador, horizontal,
Irahalha sobre qustro rubios e sobre o tai-
po de dentro que cobre o machinismo lem
gravado dous passarinlms beijando-so o por
baxo dos mesmos urna danzarina seguian-
do com as milos em una manta que traspas-
si por cima da cbela ; ea correte he de
aullar no pesclo o lem o passador mu fro-
cho, que pondo-se perpoudcular, deseo sem
V
dirija-se aoarmazom do Palmeira, largo do
CorpoSanto, para Ihe sor entregue tima re-
commendacSo do Angola.
Alugyj.sc urna cozinheira forra ou es-
crava : na ra da Cruz no Becife, n. 2.
O ello Sexo.
Sahio lur o primeiro numero deste pe-
ridico em livragflodo 10 paginas, com ca-
pa de cor; a sua assignatura he 1,000 rs
por trimestre, eo numero avulso \eudc-se
por 400 rs na prac,a da Independencia, li-
vraria do Sr. Figueiroa ; na ra do Collegiu,
loja n. 9, do Sr. Morcl; e no largo do Colle-
gio, em casa do Sr. Dourado, n. 6.
Jos Ignacio Borgea lem justo o contra-
tado com Manoel Maria da Costa Pinto
compra do seu deposito deassucar da ra do
Arag.lo, 11. 36, livre de responsal>ilidade al-
go m a ; por isso faz o presente para quem se
jnlgarseu credor queira, no prazo de 8 dias,
ir cnlender-se com o dito Costa Pinto, no
mesmo deposito.
--Precisa-se alugar um ou dois andares de
um sobrado no bairro do Recifo ; quem tiver
annuncie.
-- Faz-so todo o negocio com a parte do
um sitio, c tanibem arrenda-sc : quem
pretender dirija-so atrs da matriz de Santo
Antonio, n. 2.
te Chapeos de sol
Rt'a do Passeio, n. 5.
Nesta fabrica ha presentemente um rico
sortimenlo destes objectos de todas as c-
rese qualidades, tanto de seda como de
panninho, por precos commodos; ditos pa-
ra seohora, de bom goslo : estes chapeos
sflo feitos pela ultima moda ; seda adamas-
cada com ricas franjas de rctroz. Na mesma
casa se.acha igual surtimento de seda e pan-
ninhos io.liando sedas, para cobrir ai -
macoes servidas : todas estas fazendas ven-
lein-se m poreo e a retalho : tamben" se
concerta qualquer chapeo do sol, tanto de
hasleas de ferro como de baleia, assim co-
mo umbelas de igrejas : tudo por preco
commodo Na ousnia casa ha chaios de
sol de marca inaior, do panno e de seda,
pro, rios para IVitores de engenho porsorem
dos mais fortes quosepdem fabricar,
lua do l'asseio, n. 5 A.
Joo Loubet participa pela segunda vez as
pessoas que teein em seu poder chapeos de
sil para cobire concertar, que os venliaui
buscar no prazo de oito dias ; do contrario
serio vendidos pelo importo do concert,
visto j se ter advertido nos ns. 104, 105 e
106 deste Diario.
A cidade de Pars.
Fabrica de chapeos de sol, ra do
1

Golli
o, n
4-
Espirito Santo.
Estando a actual mesa regedora da irman-
dade do Divino Espirito Santo a finslisar o
anno de su* adminstrac,ao, e precisando
ser preciso tocar-lhe : roga-se por tanto a
quem fr offerecido, de o lomar e restiliiin-
do-o a seu respectivo dono ser generosa-
mente recompensado : na ra da Cruz do
Becife, n. 27, casa de Crocco & Companhia.
Fumo em folha.
Superior fumo de primeira, segunda c
terceira sorle, lano em fardo como a rctu-
Iho, por preco commodo, na ra larga do
Rosario, n. 32.
-0 coronel Benlo Jos l.emenha Lins previ-
ne ao publico que ninguem aceite o ti aspas-
so do seu engenho Junqueira sem o onus de
entrega-lo f'lndo o arrendamiento) moente
o corrente com agoa, as obras em bom es-
tado, e mais clausulas estipuladas ni es-
crplura passada em 1812 ao fallecido Flix
Augusto Scola, a cuja escriptura sesujeita-
ramos negociantes M. Calmon & C, so- com
o accrescimo de mais annos, por isso que
o annunciante lem de baver o cumprimeuto
da dita escriptura daquelle rendeiro que ti-
ver de Ihe entregar o dito engenho. Outro-
sim, previne mais que ninguem compre e
nem facs trinsaccSoalguma com os herdei-
ros do dito fallecido Scola com os escravos
seguintesFrederico, Francisco, Jo3o, A-
maro, Bomualdo, Cerlrudeg e filhos, Joa-
quina, Feliciana e lilha; os quaes sSo de
propriedade delle annunciante, por os ler
comprado no engenho ConceicSo ao Sr. Jnse
Francisco Pereira da Silva, do quo tem ti
lulo legal, e nao sflo incluidos noarrenda-
mento do mencionado engenho.
O bacharel Jos Joaquim Ceminiano
de Moraes Navarro ensina com toda a per-
feic,o e desvelo lalini, philosophia e rheto-
rica, na ra da Cadeia-Velha, n. 51, segun-
do andar, onde deve ser procurado por
quem quizer utilisar-se de seu prestimo.
Alugam-se os segundo e terceiro anda-
res da casa: do largo da assembla, n. 8: a
fallar comJoaquim Francisco do Alem, no
forte do Mallos.
O Sr. Aleixo Xavier Pereira de Brito
J. Falque participa ao rcspeitavel publico
desla cidade, quo elle abri o seu novo es-
tabelecimento, onde se encontrar semprc
um grande e bonito sortimenlo destes ob-
jectos dos mais modernos e variados, como
sejam : chapeos de sol para liomens de se-
das chamalotadas e lizas, de cores e pretos,
Jilos de iiimaco o'aeo inoilo fortes con*
sedal de todas as cores, ditos para senhoras
de sedas Invradas e lisas, com franjas e sem
ellas, cores muito bonitas, ditos ditos de
panno imitando seda, com franja esem el-
11, dilos de panninho para homem com ar-
flltcSo rica e ordinaria, sortimenlo de ben-
galas de todas as qualidades, lialcias para
vestidos, colletes eespartilhos par.i sendo-
ra. Na mesma casa concerta-se o colire-se
toda a qualidade de chapeos de sol e benga-
las, para os quaes lem boas sedas e pannos
em pe?as : todos estes objectos vendem-se
em pori;!io e a retalho, por monos preQO do
que em outra qualquer parle.
--.\a ra Nov8, loja n. 58, so dir que?i
d a jiiros'quantias de 300, 400, 500, 600 e
700,000 rs. sobre hypotliecas em casas ter-
reas.
Precisase de um moco, quo tenha prin-
cipio ile pharmacia ou que queira dedicar-
se a aso : na botica do llaitliolomeu Fran-
cisco deSouza, ra do Itosario larga n. 36.
OfTerece-se um homem casado de boa
conducta para administrador do qualquei
engenho, entrando com 6 escravos, pois
tem bastante pratica desse laboratorio
<|um delle precisar, dirija-se ra Augus-
ta, n. 15.
Aeliando-se proceJendo o inventario
pelo juizo de orphos dos bens deixados pe-
lo finado Manoel Francisco Bodiigues, o
abaixo assignado, tutor das menores, lilln>
do mesmo, avisa a todas as pessoas que fo-
rem credoras do casal a justificaron seus
dbitos pelo respectivo juizo ; assim como
roga a ludas aquellas que lu no devedoras
a salisfazerem suas importancias, entrndon-
do-se para este lim com o mesmo abaixo as-
Signado. Pedro Ignacio liapliila
-- Os Srs. Joo Jos de Moraes, Joaquim
F.lias de Moura, Albino Jos Ferreira da Cu
nha, l.uizde Qneiroz Coilinho, Andr u-
os Cardoso, Jos Xavier Rodrigues Cam-
pello, e Cerqueira Cavalcanlo, silo rogarlos
pelo presente a declarar por osle Diario suas
residencias, afim do se Il.es fallar a negocio
de interesse.
Em resposta ao annuncio do Sr. Bernar
dio Jos Leitfio, declara a abaixo assigna-
da, que he nolla a compra quu fez, porque
ainda no houve parlilha, eo lierdeiro que
fez a venda nSo podia faze-la, visto quo ain-
da n.lo tinha dominio certo sobre a casa. Da
mesma escriptura se prova o falso supposto
em que ella labora, porque dizondo o ven-
dedor que tiuha tiavido parlilha pelo juizo
le orphos, lal n.lo ha, n pelo juizo do civel
la primeira vara, ecrivlo Mota, beque a
abaixo assignada requereu inventario. A
baixo assignada protesta pelo direilo que
Ihe competir ; e para que uo allegue igno-
rancia faz o presente. -- Joanna Maria da
Conccico.
O abaixo assignado declara ter disso!
vido a sociedade que gyrava na Urna de
Silva & Cunha, e no passivo fica obrigado
a pagar aos diversos Srs credores Antonio
Joaquim da Silva, no mesmo estabelecimen-
to, pateo da Santa-Cruz, ti. 6. omingot
Bernardina da Cunha.
Prrcisa-se fallar, com muita urgencia,
aoSr. Ignacio Correia de Mello : na ra D-
reita, n. 6.
Jos Carlos Ferreira Soares Jnior faz
sciente a todas as pessoas que com elle ti-
ver traltisacQes, hajam de apresentar sua."
contas at o dia 20 do corrente, alim de se
rem saiisfeias, nilo se responsabilisanilo
por qualquer cotila que apparecer depois
desla dala.
a 3,500 rs. com a maior perforo em
qualquer carcter dfl lollra, u da mesma S ir-
lo chapas para cartOes, com tarjas ou s-im
ellas: tudo a contento dos quo oncommeii-
darem: quem pretender estes objectos
dirija-se : praca da Independencia, loja do
livros, ns 6 e8.
Precisa-so alugar urna escrava de boa
conduela, e que saiba eozinhar, rngom-
mar, ensalmar e fazer o mai arranjo
urna casa do pouca familia : paga-sebe
na ra do Trupicbe-.Novo, n. 18, segundo
andar.
.^__^^^^MM>I MHK.WJKM..< <
Compras.
Coinpra-se uina escrava do nacSo An-
gola, qaeseja moja, e saiba fazer todo o
servieo do urna casa, co/.er, engminiar, 60-
sintiar, ainda que poueo, o lavar : na na
do Rosario larga, n. 28, seguddo andar, so
dir queni quer comprar.
- t:ompra-se urna negrinha do 10 a 12 an-
uos, mesmo sem habilidades : na ra da
Cadeia de S.-Antonio, no segundo andar
do sobrado da esquina do becco do Ouvidor.
Compra-ss urna batanea gratulo o pesos
de 4 at urna arroba: na ra da Cadeia do
Hecie, n. 1.
-- Compra-se um cavallo que seja grando
e elegante, mesmo tendo s andares natu-
raes : na praca do Corpo-Santo, n. 2.
-- Compra-se um mclhodo do violilo por
Carulli ; na praga da Independencia, loja
de Sr. Meroz, ou annuncie.
- Compram-se avps de fructa-p8o, em
estado dse planlarem : quem tiver annun-
cie, ou diriji-se ra das Cruzes, n 41.
HMaVa*
Vendas.
Sortes.
Na livraria da praQ da Indendcncia, lis.
6e'8, vendem-se folhas de papel com sor-
les a 80 rs carta um, e os seguintes livros :
Acasos da fortuna, ou livros do sortes
diverlidos etc. a 610 ris.
Livros dos destinos para seren -consulta-
dos as noitcs de S. Antonio e S. Joo etc. a
610 rs.
VenJem-se 16 escravos, sendo um de
18 anuos, bom cozinheiro, tanto de forno
como il massas ; un dito pedreiro ; um di-
to denago, bom carpina ; um dito de 16
anuos, oleiro ; um dito canciro ; um dito
do serve.o de campo ; varias caravas mo-
gas para todo o scrvigo : na ra Direita,
a. 3.
Kna >()Vi, fi. 34.
Madama Bosa llardy, modista hrasileira,
acaba de receber de Franga lindos capoli-
nbos de fil preto para senhora e meninas,
os quaes ven le muito barato.
Vende-se a laver na da travessa da ra
do Queimado, n. 5, com poucos fun los, o
quo he alreguezada para a Ierra: a tratar
na mesma.
Vendo-so um linio moleque, muito
mogo : nj passeio publico, loja n. 10, do
Leos Amaral ct C.
Vcndem-se duas lindas escravas com
hahiliilades precisas pare seivirem a um i
familia : na ra do liange.l, n 57.
--Os herdeiios de Joanna Francisca da
Frailas, mulher que ful do Sr. Jos Rodri-
gues de Oliveira Lima, venden para poile-
rera pagaras divi las a quo licaram sujei-
tos, cujos juros cada vez vo-se augmen-
tando mais, o gruido silio de coqueiros
que Pies tocara em parlilha, no lugar da
Koa-Viagem, om excedente cisa de vivnn-
da, toda envidragada, com 3 salas, nove
qu irlos mais um preparado para qualquer
sacerdote poler celebrar, mais um quarto
para feslor, e outro para escravos, estriba-
rla para 4 cavallos, com tres mil ps de co-
queiros para mais, bastante terreno para
grandes paitidas deroga o melancia : a tra-
tar com o professor Castro Nones, na ra
Augusta.
Vende-se urna escrava de Angola, bo-
nita figura, moga, brta quilandeira, e sem
achaques, pois nilo tiobe espirito do quali-
dade alguma, nunca fugio, o que ludo so
afianca debaixo de palavra, seu prego he
400,000 ris livres : na ra larga do lio/, ai io,
n. 48, primeiro andar.
Muito barato.
Na ra Nova, n. 11, ioja do Jos Pinto da
Fonseoa e Silva, vendeui-se[lions lencos da
garca ile c^res, a 400 rs. ditos de seda
muito grandes, a 800 rs.; dilos mais pe-
queos, a 400 rs.; copos com pe lapidados
nara agoa e cerveja, a 5,500rs. a dutia, ci-
lices pira vinlio, a 4,000 rs. a duzia bicos
de blondo verdadeiro, brancos e eslreiti-
nhos, a 80 rs. a vara ; cortes do vestidos de
seda do q n a dios com 1S covado, a 16,000
rs. ; caisas decouro para guardar chapeos,
proprias para viagem, a 2,000 rs.
Fazendas b ratas.
- Abrem-se firmas para bilbetes de visita, do Queimado, n. 57.
No armazem de fazendas, de Baymundo
Carlos l.eite, na ra do Queimado, n. 27, ha
um bello sorlimento do fazendas de todas
as qualidades, por os pregos mais commo-
dos que so teem vendido, a saber : pegas do
madapolilo da India, com 2i jardas, muito
lino, a 3,200 rs.; dito muito fino o encorna-
do, com 4 palmos o meio de largura, muito
proprio para camisas de escravos por ser da
muita durago, a 3,600 rs. ; alpaca de cor-
dflo, de lindos gostos, e de diversas cures,
proprio para palitos, casacas e caigas, a 800
rs. o covado ; dita preta muilo (na, a 800
rs. ; ptimo riscado francezde varias cores,
a 280 rs. o covado ; cortes de brim pardo
Dar caigas, a 1,400 rs. j ditos de quadros
muidos, muito bonitos, a 1,000 rs.; risca-
do monstro, 210 rs. o covado ; corles de ehi-
li chineza, gosto escolhido, a 3,500 rs. ;
ainalli ida entra nejado com 7 palmos e meio
de largura, a 800 rs. a vara.
Na ra Nova, n. 11, loja de Jos Pinto
da Fonseca c Silva, vcndem-se caixas de
muito linda marleira com embutidos em
mosaico, de ^odos os tamaitos e proprias
para joias, para jogo de voltarcte, relogios,
cha, carUs, fumo, e para costura de senho-
ra ; avenaos de seda bordados para se-
nhora.
Vendo-se um cavallo rugo pequeo,
canegador baixo, pelo prego de 70,000 rs.:
na praga da Independencia, ti. 14.
Vende-se urna preta de nagilo Benguela,
com bom leito para criar, e quo engomma
e lava de varrclla e sabo: em Fra-de-Por-
las, la do Pilar, n. 85, segundo andar.
Vendem-se coqueiros ein bom estado
do se plantar, a 200 ris cada p : na ra


<
Deposito de Potassa.
Vende-se muito nova potassa.
de boa qi lidade, embarri^inho;
pequeos de quatro arrobas, por
preco barato, como j lia muito
tempo se nSo vende: nc Recife,
roa da Cadeia, armazem n. n.
Vendem-se cigarros de pslha de milho,
bons, por prego eommodo : na ra das Cru-
zea, n. 40.
immmmmmmm mmmmmm.mmmi'
;!'
Grvalas de molas.
1,lvalas do mol de nova inven- I
I g3o ; lencos de setim prelo e de crt- 9
oj res ditos de fio da F.seooia ; ditos f
2 tecido do norte ; chapos francezos; '$
"I boas casemiras ; pannos pretoso de $
3 rdres | brinf rom tecido de lona ; e
f ootras militas fazendas, nilo s para
i homein como para senhora : ludo
jj vende-se ror rommodo preco: na
* ra do Crespo, n. 9, loja t marella.
!:
Vcnde-se muito superior farinha cni
meias harneas : na ra da Cadeia do Itecife.
escriptorio de heane Youle & C. em seus
grmazens do becco du Congalves.
As novas eassas sublimes
a ',240 rs. o corle.
Na loja de Cuimailes & llrnriqucs, na
ra do Cresfo, n. 5, que faz rsquina para a
ra do Collegio, vendem-se novos cortes de
cassas linas denominadas sublimes, pela
sua boa qualidade e barato preco.
Vende-se um pardinho de 12 annos ;
nina preta que cose, engomma e cozinlia ,
t>lo barato que lie para liquidar cotilas ve-
llias : na ra larga o Rozario, 11. 46, pri-
men o andar.
*IBP!A "'(iibeof oiuojuy op
fo| B3 K| BHJ BU OS- lll,)|'ll.i.\
v. 'djvo vdv soqmoif
Vendem-se amarras ae iirro: na ra
da Senzalla-Nova, n. 42.
99999 ffftffff 99999 99^.
Manteletes a 20,000 rs. J9
liicos manteletes modernos, vindos *
de Frang, vindem-se pelo diminuto *
prego dei'0,000 is. : na ra do Ores- 9
po, n. 9, loja Joflo Antonio Comes 9
Farinha de mandioca de
S.-Catharina.
Chegou em iireitura do S.-^atharlna o
brigue nacional Minerva, com um errega-
tiento da superior farinha muito nova, e
icha-se Tundeado defronft do caes do Ha-
mos, onde se vende a preco eommodo, ou
emeasa de Manoel Ignacio de Oliveira, na
Praga doCommercio, n. 6, primeiro andar.
Vende-se um dos dous engenhos, Telha
b Triumphos, sitos na frepuezia de Seri-
ohSem, com bastante trra e muito produc-
tiva para criar grandes safras ambos bons
d'agoa, por serem copeiros, e distan! do
ambarqoe duas legoas : a tratar com o pro-
pietario, Joito Climaco Fernandes Caval-
canti, ou com Antonio da Silva Ciismlo, na
ra Imperial, do Aterro-dos-Afogados.
Corram ao barato.
Na nova loja do Passeio-Publico, n. 19,
de J.emos Amaral is: Companhia, se est
vendendo fazenda por todo o dinl(eiro, ci>-
mo sejam chitas muito finas e do cores (1-
xas, a 120, 140, 160 e 200 rs. o covado. e a
peca a 5,500, 5,K00, 6,000 c 7,000 rs.; brim
de linho mindinho, a 300 rs. o covado ; cas-
tores para caigas, a 200 rs. o covado. A el-
los antes que se acaliom. Os novos admi-
nistradores estilo torrando por todo dinhei-
ro, efslilo resolvidos a acabar com todas s
l'azendas para .'O tir de novo.
>
=>
L gano,n.
Deposito de bichas.
Na travessa da ra do V-
,vendem-se bichas
* de llamburgo, ltimamente
* chegadas, a 3o#rs. o cento:
tambem se altigam por mais *
m barato preco do que em 011- 4t
E tra qualquer parte. *
.............
Pechiiicba.
9
? (.uimaifles, nicamente.
Abordo do brigue Jguia-tle-l'rula, ven-
de-sc farinha de mandioca, por prego eom-
modo.
(ambredes a 1,800 rs.
Vendem-se os hem acreditados curtes de
gambrtes, a 1,800 o 2,000 rs. o corle de
caigas : esta fazi nda torna-se recommenda-
vel, tanto por sua qualidade como por ser
ile muiti duraefio o de bonitos padioes : na
ina do Collegio, n. 1,
A ellees ante
lOJt,
ante cjno
llCIII.
se aca-
Vendcm-sesapalocs de couro de lustro,
pelo baralissimo prego do 2,500, 3,000 o 4^
rs.; ditos de bezerro fiance?. felos no paiz,
a 2,500 b 3,000 rs. ; ditos de bezerro da Ier-
ra, com tres solas, proprlos pura o inver-
n, a 2,200 rs ; ditosdo Aracaly, a mil rs :
na i na da Cadeia do Hecife, n. 9.
Vendem-se telbas de vidio, prxima-
mente chegadas, em grandes < pequeas
porgOes : na ra da Cruz, n. 48, armazem.
Na ra da Cadeia, n. 17, loja de
mindezas,
vendem-se luvas de seda com dedos, prc-
tas e com palmas de cores, | co barato pre-
go de 240 rs. o par ; ditas de algodo de i-
res, pro(rias para montara, com ulgum
mofo, a 120 rs e sem elle a 200 rs.
--Vende-se urna terga parle do sobrado
n. 24 do Aterro-da-Iioa-Visla, de dous an-
dares, slito grande c bom quintal com ca-
cimba ; una casa de pedra e cal nos Afola-
dos, no principio da ra de S.-Miguel, cun
duas salas, tres quarlos, cozinha lora, gran-
de quintal e cacimba ; orna bomba de ferro
para cacimba, em muito bom uso ; um pa-
lanqun em bom estado ludo por prego
eommodo : no Aterro-da-lloa-Vista, n. 17,
Cera de carnauba.
Vendc-se cera de carnauba, multo' boa,
om pequeiies porgues: na ra daCiu/, n
36, taberna de Mendes & Braga.
i.stO S 111
he que faz conta a urna casa de familia
caf a 220 rs., macarrSo e lalbarim a 160
rs.; e sendo em caixa mais barato ; bola-
cbinba inglezaa260 rs. ; sendo im baruca
anda mais barato ; I nuba de Maiar.bo
a 120 rs. ; assucar a 80 rs. ; arroz a 80 is. ;
azeite doce do Porto a 560 .rs ; dito de co-
co a 320 rs. ; dilo de caimpato a 280 rs. .
dito de peixe a 400 rs. ; cba a 2,000 rs.
Anda ha um resto de canella e comiuho pa-
ra se vender em libras e a relalho; assiin
como azeite de deudo, ervilha, gu'10 de bi-
co, presunto do Porto, imguigas, paios,
vinhos de champanba, moscatel, hordeaux,
madeira, d.> l'oito, de l.isboj,[ligueira cdo
Estrello. Est-se torrando, no se engeita
diobeiro; 11B0 se nota, lodos es gneros,
nem se declara os pregos, porque iio se
acredita ; o que se diz he, que se d ludo a
contento pura os freguezes examiuatcm as
qualidades, pesos e medidas. Alguns dos
gneros estSo-se acabando, e na all'andega
n3o ha para se comprar : na ra das Cru-
ze*,hairro de S, 1 tu-Antonio, primen a ven-
da pintada de azul.
~ Vcnde-se farinha de araruta, ltima-
mente, a 160 rs. a libra na ra da Cadeia
do Itecife, n. 23
Limas de agulha a 4o rs.
Vendem-se limas de agulha: na ra da
Cadeia,'loja de ferragens, de Antonio Joa-
quin Vidal ; assiin como outras feragens
para ourives, por prego eommodo.
Cliegaram novamente a ra da Sen-
zalla-Nova, n. 42, relogiosde ouro e prata
patente inglez, para bomcm e senhora.
Na ra do Qucimado, viudo do ozario,
segunda loja, n 18, ainda reslam alpumas
pegas de metim verdee cor de cal, com 20
(ovados, a 2,200 rs ; cortes de cohetes de
sftim prelo Uvrndo, a 1,000 rs. ; chales de
seda, a 5,000 rs. ; panno de linho suisso,
rom 25 varas a pega, a 6,400 rs. ; panno ti-
no prelo inuilo bom, a 3.200 rs. o covado ; e
outras l'azendas por prego eommodo.
Vende-se, ou troca-so por um preto que
seja niocoe possanie, una uegrinba de 10
a 11 annos, que j tem principios de costu-
ra, e lie mullo viva : na ra larga do loza-
rio, n. 16, sobrado.
que
x%l a nileles
Vcnde-se, na ra do Crespo, loja de qua-
tro portas, n. 12, manteletes de seda fulla-
cores, de muito bom goslo e de superior
qualidade,chegadoa ltimamente de Fran-
ca, os quaes se vendem por menos prego do
que em nutra tiualquer paite.
Pegas de madapoIBo com 0 varas, com
ulgum 11 ofo, a 2,500 rs. e a 140 rs yare-
jado, proprio para torro e roupa de relos ;
esloupa limpa a 160 rs. e com alguma avaria
a 80 c 120 rs. : na ra larga [do Ituzario, n.
48, primeiro andar*
111M1 lmenlos para mu-
para
sicas.
Vendem-se instrumentos para msicas
militares ; bem como pianos e violOes mul-
las! n os ricos : na ra da Cruz, n. 10, [casa
de kalkmann Irmiios.
Cadeiraj de palhinha,
e sobas para meninas: vendem-se na ra da
Cruz, n. 10, casa de Kalkmann Irmiios.
luiras i?e Ierro
du muilo boa qualidade, e com segredo pa-
ra as abrir: V'iideiii-se na ra da Cruz, n.
10, casa du Kalkmann Irinos.
Charutos de Havana,
de superior qualidade : vende-se na ra da
Cruz, n. 10, c-.sa de kalkamaun IrniDos.
Vinho de Bordeaux,
de superior qualidade : vende-se na ruada
Cruz, 11. 10, casa de Kalkmann Irmios
Panno pardo fino a 4,000
rs c (l.i um < ova o.
Na loja da esquina da ra do Crespo, u 5,
Vflllde-se panno lino pardo c cor d caf,
pi'lo barato prego de 4,000 is o covado;
dilo preto e azul, a 3,000 rs. o covado, e de
mitras militas cores e qualidades, por dimi-
nuto prego.
A o barato preco de 140
rs. o covado.
Na loja n. 5, oeCuimtrfleS llcnriques,
vendem-se chitas escutas, pelo diminuto
prego de 110 rs o Covado, c de outras mul-
las qualidades por diminuto prego.
Acaba de clicgar
.1 bija da uta do Crespo, n. 6, um
novo sorlimcnlo de l'azendas ba-
ratas,
como sejam : cassa-chitas muito finas, de
crtres lixas e Com 4 palmos de largura, a
320 rs. o covadn ; cortes de ditas a 2,000 e
2,400 rs. ; nscado d 1 linho, a 240 rs. o co-
vado ; dito de algodiio ainciicauo para es-
iravos, a 140 e 100 rs. o covado; dito mons-
11 ii com 4 palmos, a 200 rs. ; zuarte azul,
200 rs. o covado dilo furia ciares, a 200
rs. ; cintas de cores lixas e de bonitos pa-
dnVs, a 160 e 180 rs. o covado; cortes de
fustio, a 600 rs. ; chales de tarlutana, a
1,280 rs. ; meios ditos, a 320 rs. ; coberto-
res de algodiio, a 610 rs. ; alpaca preta de
rordo e com sete palmos de largura, a
1,280 rs. o covado ; o oulras umitas fazun-
las em cunta.
Par.i as nuiles de S. Anto-
nio e S. Jofio vendem-se livrosde
sor les a 3 jo is. : no paleo do Col-
legio, casa dn-iivro azul.
-- Na ra do Cabug loja do lluarlc ven-
dem-sc uvas de algodiio para riomem, a
320 rs. ; meias pintadas, as mulhores qne
luem apparecidn, a 4oo rs.
hita do Crespo n. 10.
Loja de viuva Freitas Cuiuiariles vcnde-se
as si'guintes faztndas pelos baralissimos
pregos abaixo mencionados : pegas de pico-
te asul com 40 covados por4,000 rs ; zuaite
asulcom 5 palmos de largo a 160 rs. o cova-
do ; riscado moi^tro a 200 rs. o covado ;
chales de IBa escures o muitu grandes a
l,000rs. cada um ; suspensorios de mciaa
400 rs. a duzia ; Itngos de seda proprios
par meninos a 320 rs.; mantas de ISa e su-
da pequeas a 400 rs.; corles do brrm par-
do de puro linho a 1,000 rs.
chales de chi-
Arados de ferro.
Vendem-se arados de ferro de diffe-
rentes modelos : na fabrica de machinas e
fundigSo de ferro, na ra do Brum,
ns 6, 8e10.
NA ItUAgDO CABUGA'
Loja do Duarte vendem-se sicotes ingle-
zes para carro, ditos para cavados, frss-
queiros de metal proprios de caca, polvari-
nlios de 2 canos, chegados ltimamente da
Inglaterra c por prego eommodo.
Quem admirar
venha ver e comprar.
Na ra do Crespo, esquina
volla para a cadeia,
vendem-se pannos pretos, a 3,000, 8,600 e
5,500 rs. o covado ; dito azul, a 3,000 rs. ;
lito cor de rap, muito superior, a 4,000 rs.;
cortes de casemira preta, muito boa, a 3,200,
5,000 e 10,000 rs. ; ditos de setim de cores
para colletes, a 1,600 rs.; ditos de gorgu-
ro, a 1,280 rs.; ditos de brim branco de
linho para caigas, a 1,600 rs.; ditos de fus-
tilo para colleles, a 600 rs.; ditos de casss
para vestidos, de muito bom goslo, a 2,400
e 2.500 rs.; cortes de brim amarello do pu-
ro linho, a 1,600 rs. ; cassa preta, a 140 rs. o
covado ; ditas de cores muito bonitas, a 200
e 280 rs. ; alpaca prela de cordSo, com 7
pnlnos de largura, a 1,280 rs. o covado,
sendo esta fazenda muito propria para cal-
gas, sobre-casacas e vestidos, por ser muito
rorte econmica em rasilo da largura; ris-
cado de linho a/ulzinho, a 240 rs. o cova-
|o; longos de seda para grvala, a 1,280
rs. ; ditos para algibcira, a 1,280 rs. ; zuar-
te azul de vara de largura, a 200 rs. o cova-
do ; dito fuil* cores, a 200 rs. ; riscado
monstro, a 200 rs.; picote muito cncor-
pado, proprio para escravos, a 210 e 180 rs.
0 covado ; riscado de algodflo americano, a
140 is. o covado ; corles de brim de listras
decios, a 1,000 rs.; ditos com listra ao
lado, a i.'-'Mi is. ; ditos escuros, a 1,280
rs.; pegas de chita* muito bonitas, a 5,500
r.s.; ditas escuras decores fixas pora casa ,
a 160 e 180 rs. o covado ; chales de Unala-
na, a r,280 rs. ; meios ditos escuros, a 320
rs. ; lengos de cassa para grvala, a 320 rs.;
meias para meninos, a 100 rs. o par; ditas
muito superiores para senhora, a 400 rs.;
lengos pequeos de lila com tres pontas pa-
ra escravos, a 140 rs. ; cassa de xadrez para
vestido a 320 rs. o covado ; pegas de cam-
braia lisa com 8 varas e meia, a 2,700 rs;
dita muilo lina, a 640 e 720 rs. a vara ; cha-
peos de sol, de panninho com bastes de ba-
lis, muito bons a 2,000 rs. ; e outras umi-
tas fazendas baratas que a vista dos com-
pra lores se farSo.os pregos.
Folha de latao e de Hondees.
Cootiiia-sea vender folha de latiio e de
Fiandres, de todas as grossuras : na ra da
Cadeia, loja de ferragens, de Antonio Joa-
quim Vidal.
Charutos.
Na ra da Senzalla-Nova, n. 42, vendem-
se charutos superiores da marca victoria,de
llavana ; ditos primores e regalos, por pre-
go eommodo.
Panno couro a 1,300 e
1,300 rs.
Vendem-se corles da excedente fazenda
denominada panno couro, a 1,200 e 1,300
rs. o corle de caigas : esta fazenda be muito
encorpada, escura e d muita dura gao: na
ra do Collegio, n. 1, loja.
Vende-se, para esta provincia ou fra
della, urna preta recolhida de 22 annos pou-
co mais ou menos, bem parecida e sem mo-
lestias, que cose bem, corla vestidos de se-
nhora, engomma, cose, cozinha e serve para
todo o survigo de urna casa : o motivo por
que se. vende se dir ao comprador : na So-
ledadc, ra de Joo-Fernandes-Vieira, no
sitio que tem 4 leOes na frente, a qualquer
hora do dia.
Na i na Nova airas da matriz,
i, vendem-se barato
eaixas de pao para costura de senhora
3,000 rs. ; earteiras para viagem, a 4,000
-. -1- i -- i' ni duas navalliHs, a 1,00o
rs.; aliadores, a 500 e 1,000rs.; lanternasde
p de casquinlia, a 10,000 is. lengos de li-
16 de linho, a 1,000 rs. ; pescocinbos de di-
to, a 2,000 rs.; engos de seda para bomem,
a 1,000 rs, ; ditos para grvala, a 1,000 rs.;
meias du feda curtas, brancas e de cores, a
1,000 rs. ; sapalos de marroquim de cures,
a 800 ; ditos ditos de duraque, a 800 rs.;
lengos de cassa para grvala, a 640 rs. ; ra-
mos do flores para chapeos de senhora, a
1,200 rs.; mantas de seda para senhora, a
10,000 rs. ; chales de seda decores, a 10,000
rs. ; vosde lil de linho, a 5 e 6,000 rs. ;
grandes; bonetes para meninos, a 480 rs. ;
meias de fio da Escocia, a 1,400 rs.; ditas
de algodiio com lios de seda, a 1,000 rs., di-
nheiio a vista e tifio liado.
Vendem-se chitas i ardas com llores
encarnadas, cores muito lixas, a 160 rs. o
covado, e em pegas a 5,800 rs.; ditas mo-
ldadas de cliuva, a 120 rs. a relalho : na ra
larga do llozario, u. 48, primeiro andar.
A 1,000 rs. o corle.
Na loja n. 5, que faz esquina para a ra
do Collegio, vendem-se curtes com 3 cova-
dose meia de brim de algodiio trancado de
listras e de quadros, pelo barato paego de
1,000 rs. cada um corte.
Os antigos riseados mons-
tros a 'J00 rs. o covado.
ti.
Chitas francezas finas a
320 rs. cada um covado.
Na ra do Crespo, n. 5, confronte ao ar-
co de S.-Antonio, vendem-se chitas france-
zas linas o de modernos padrOes ainda nilo
vistos neste mercado, pelo barato prego de
320 rs. cada um covado ; panno preto, pelo
barato prego de 1,600 rs. cada um covado;
lengos do cambraia brancos e abortos pele
beira, a 2,800rs. cada urna duzia.
Vende-se araruta, a 240 rs. ; chourl-
cas, a 400 rs.; queijos do reino, a -120 rs. ;
manteiga ingleza, a 400 rs.; na ra Direita,
n. 14 Na mesma taberna precisa-se de um
feilor para um sitio distante desta praca 10
legoas.
o A ultima moda.
J Para roupinhos di vestidos veludo 9
jj de cores, conforme os ltimos flgu- 9
O rinhos: vcnde-se ns rus do Crespo, <*
O n.9, loja amarella. 9
& $
Vendem-se 2 mulatlnbas, urna de 10
annos e a outra de 12, de muilo lindaa fi-
guras, com bons principios de habilidades,
e que s9o proprias para um pai fazer mimo
a urna filba, por serem vendidas por urna
grande precisSo ; urna prela de 20 annos,
que cozinha, engomma e lava de sabSo ;
urna preta boa quitandeira, com dous li-
nios, um de 7 annos e o oulro do 5 ; urna
escrava da Costa, muito boa vendedeira ; 2
escravos os mais lindos que pode haver
para carregar palanquim a moda da Bahia ;
2 ditos para todo o trabalho ; 2 o.oleques,
um de 10 aunse o outro de 16, proprios
para todo o servigo a que os queiram appli-
car: na ra do Collegio, n. 21, primeiro
andar, se dir que vende.
Vendem-se 8 lindos moleques de 18 a
16 annos ; 4 pretos Je 24 a 30 annos, sendo
um delles ptimo ofltcial de sapaleiro; um
pardo de 22 annos, perito cozinlieiro, bo-
lieiro, empalhador, e que he de boa con-
ducta ; 3 pardas de 18 a 20 annos, com ha-
bilidades ; 6 pretas de 14 a 25 anuos, com
algumas halidades, equesSo proprias para
todo o servigo ; na ra do Collegio, n. 3.
Para se acabar.
Vendem-se superiores pannos finos da
melhor qualidade que tem apparecido (pro-
va de limito) cor de caf, a 4 e 5,000 rs. o
covado ; dito azul, a 3,500 e 5,000 rs.; dito
preto, a 5, 6, 6,500, 7, 7,500 e 8,0o0 rs.,
qualquer destas qualidades he a melhor
possivel; cortes de casemira de cores mui-
to linas, a 4, 5, 5,500, 6 e 6,500 rs. ; ditos de
meia casemiras de lila, de bonilos padioes,
a 1,600, 2. 3 e 3,500 rs. ; casimira encarna-
da muito lina, a 1,800 rs. a covado; cha-
peos de massa francezes, do ultimo gosto, a
6,500 e 7,000 rs. ; setim preto macao mui-
lo lino, para collete, a 2,i>00, 3 e 3,500 rs. o
covado ; camisas de meia muito linas, a
i.-.-s > rs. ; alpaca pretil fina, a 640, 800 e
1,000 rs. o chales de lila de superior qual dade, a 1,600
2,500 e 3,500 rs ;'cassa de raroagem gran-
de e de vara de largura, superior fazenda
para cortinados, a 700 e800 rs. a vara ; to-
das estas fazendas sSo de superior qualida-
lea vendem-se por estes pregos para se
acabarem : na ra do Collegio, n. 1, loja da
estrella.
Na loja de 6 portas, a produccSo
de alcaides para luto.
Vende-se cassa preta, a 120 rs. o covado ;
meias pretas de algodiio para senhora, a
200 rs. o par chales pretos de rede, a 320
rs. : franklim largo, a 480 rs. o covado ; al-
paca do duas larguras, a 610 rs. o covado ;
merino, a 1280 e 1,600 rs. e muito lino, a
3,000.rs. ; chitas pretas e rouxas, a 160 rs.
o covado; e todo o mais sortimenlo do fa-
zendas de cores, por prego a convidar a tro-
car cdulas para enroupar as familias.
Vende-se caf em grao de segunda
qualidade, a 4,000 rs. a arroba: no arma-
zem de Das Ferreira, no caes da Alfandega.
A 2,000 rs. o par.
No Alerro-da-Boa-Visla, n. 58, loja de
calgado, vendem-se sapalos de couro de
lustro para senhora, a 2,000 rs. o par; ditos
para bomem, a 4,500 e 5,000 rs.
A 20 rs.
Vendem-se honeles para meninos, a 320
rs cada um: no Aterro-da-Boa-Vista, n. 58,
loj i de calgado.
-- Vendem-se duas pretas da Costa, de
bonitas figuras e mogas, urna com urna cria
de um auno : na travessa do Veras, n. 15,
Vende-se manteiga inglez muito boa,
a 400 rs. ; queijo do reino, a 1,120 rs. : na
ra Direita, n. 14.
Vende-Se uuia morada de casa terrea,
sita na Boa-Vista, buceo do Quiabo, n. 12:
no Aterro-da-Boa-Vista, n 74, loja.
Vende-se manteiga boa para bolos de
s.-Julio, pelo barato prego de*240 e 280 rs.
a libra : na ra do Livramenlo, n. 20.
Oh (pie pechincha!
Para os bolos de S.-Joilo e S.-Pedro.
Vende-ae manteiga muito boa, a 210,
320, 400, 480 c 720 rs. ; dita franceza, a 520
rs.; banha, a 320 rs ; toucinho de Santos,
a 120 rs. ; esperm acete, a 720 e 800 rs.; ce-
vadiuha franceza, a 200 rs.; macanQo e ta-
Iharim, a 200. rs.; azeite doce, a 560 rs.;
paios, a 200 rs.; chourigas, a 360 rs. ; car-
nauba, a 320 rs. ; cha liysson muito bom,
a 1,920 rs. ; tapioca, a 120 rs. ; caf em
-lo, a 2lo rs.; assucar refinado francez,
a 100 e 120 rs. dito branco, a 80 rs., e
masca vado a 6o rs. : dao-se amostras de lu-
do : imiiia Nova, n. 71, venda nova ao p da
,ionle, defronte da ConceigSo, ti. 40.
Vende-se cera decarntba muito alva,
em barrisde4a 5 arrobas; euros mitidos
de boa qualidade, vindos do A-su, por pre-
go eommodo: na la da Cadeia do Itecife,
u.43.
Vende-se um sobrado de um andar,
por 700,000 rs. o qual rende 10,000 rs.
mensaea : na ra do l'asseio, D. 13, se dir
|oem vende.
Vende-se orna prela moga, sem vicios
nem achaques, o que se aliauga, a qual co-
zinha o diario de urna casa, cose soffrivel,
engomma lisoe ensaboa, defronte da ribei-
Farelloa3,5ooris.
Vnde-se saccas grandes com farello, a
3,500 rs., chegado ltimamente de llambur-
go : no armazem junto a botica do areo da
ConceigSo, que foi do falecido Braguez.
Escravos Futidos
Na loja de CuimarSes & Ilenriques, ven-
lem-seosantigos liscados monstros, de 5
palmos de largura, e de padres novos, a Ira do peixe. n. 3.
280 rs o covado; riseados california, de c-[ Vende-se urna cadeira de rebugo, da
la rolos a 500 is. e oulras muitas fazendas I es finas e muilo encorpados, e tambem do [llallis, em bom estado, por barato prego:
que a vista dos compradores se venderSoJcpres escuras, pelo barato prego de 200 rs. [no pateo do Carmo, esquina da rus de llor-
n baratos pregos. (o covado. 'las, n. 2.
-- Fugio, da propriedade denominada Ca-
pindOo, do abaixo aasignado, no dia 16 da
maio prximo paasado, um mulalinho, de
estatura ordinaria, cara redonda, sem bar-
ba ; no muito rhetorico, cambaio dos ps ;
levou caigas de casemira parda, jaqueta ua
riscado, cbapo de palha, e mais alguma
roupa entrouxada em um panno da Costa ;
piesume-se ter ido para a eidade do Itecife,
por ter a mai no bairro d Boa-Visla, es-
crava de Bernardo Jos da Camera. Roga-se
as autoridades policiees e capitSes de cam-
po, que o apprehendam e levem-no a dita
propriedade, a sen senhor, ou nesta eida-
de, a Francisco de Paula l'ereira de Andra-
de, que sordo recompensados.
Miguel Gomes Pereira de Lira,
Fugio, do engenho Caraua> comarca de
Goiaona, do abaixo assigoado, no dia 15 do
prximo passado abril, o cabra Msnoel,
outr'ora do Sr. Joflo Xavier Vital, da eidade
de Parahiba ; he oflleial de sapateiro, rosto
descarnado e cheio de pannos, alto, seoco,
esrada.lo; he um tanto cambado ; tem
urna ferida em urna das pernas: tambem
fugio um preto de Angola, de nome Jos,
balso, rosto redondo, nariz aquilino ; tem
ao p da bocea urna cicatriz : ambos foram
a cavallo; levaram um quarto rugo e oulro
castanho. No dia primeiro de maio fugio o
prelo Jos Alves, de 40 annos, secco, altura
regular, testa ovada e o rosto com rugas,
lloga-se as autoridades policiaese capitaes
de campo, que os apprehendam e levem-nos
aodito engenho, ou no Itecife, Francisco
de Paula Pereira de Andrade, que serSo re-
cu n i pensados generosa mente.
CAn'jIocdo l'i'eiro de Helio.
I
100,000 rs. por ambos, ou jo,ooo
rs. por cada um.
No dia iodo corrente mez de jonho, s 8
horas da noite, fugiram da casa de Jos Sa-
poriti, na estrada doa Afflictos, dous escra-
vos, um pardo e urna parda, ambos do ser-
t3o : o pardo cbaina-se Manoel, nativo do
Sobral, de 25 a 30 annos ; foi remedido a
esta eidade por Manoel Jos de Albuquer-
que, do Cear ; be de altura regular, pei-
los (largos, rosto descarnado|, pernas fi-
nas, com algumas cieatriz.es | elas canellas;
tem a mSo direita que ailo abre bem por
ter dous dedos aleijados ; tem em um dos
ps urna marca de ferida, por baixo da sola
que o nffodeixa pisar direilo, falla desean-
gada, denles limados levou urna trooxa
com bastante roupa, camisas do nlgodo-
zinho e madapolSo, caigas de brim de dilTe-
renles qualidades e de algodSo azul ame-
ricano e riscado ainda novas, chapeos de
seda e de couro certaneja : a parda cha-
nia-se Irmenia, e responde por Esmeris, ns-
tiva do sci lo das Russas, de idade de 25,
a 30 annos; foi remettida do Aracaty por
Antonio Jos da Rosa ; ho alia, magra, pel-
los cahi-los, cara chala, olhos papudos, ca-
bello corlado rente ; tem urna das orelhas
quasi toda rasgada no lugar do biinco; tem
na frente do pe lo duas marcas de feridas,
com outras duas do mesmo lado as costas,
duas ou tres glndulas no pescogo, falla
desembaragadoe bem fallante ; tem em um
dos ps urna costura bastante funda em ci-
ma do dedo grande e um dos dedos dos ps
mais curto que os outros ; levou tambem
trouxa com bastante e dilTerente roupa, ves-
tidos de chita e de cassa, camisas, pannos
da Costa, sendo um delles novo e francez
com listras encarnadas e franja de algodflo;
polo ser que ambos troquem de nome e se
intitulem por forros. Roga-se a todas as
autoridades policiaese capitSes de campo,
que os apprehendam e os levem ao lugar
cima, ou ao Itecife, na ra do Trapiche-No-
vo, n. is, oua ra da Cruz, u. 33, a Luiz
Jos de S Araujo, que se gratificar prom-
ptatamente com o prometido.
Adverte-se que os sobreditos escravos
spezar de tercm fgido juntos, pode ser que
se sepsrassem em camiiiho, e cada um to-
masse destino differente, pelo que roga-se
as mesmas autoridades policiaes e capitSes
de campo que continuem na captuia delles,
mesmo separadamente, pois ha desconfian-
gas que a parda tenha sido vista sozinba
pela eidade de Olinda.
No dia 1 do corrente fugio um preto de
naci, dade 30 e tantos annos, bem ladi-
no, falla bem, bstanle hai hado e tem urna
cicatriz junta ao lmeselo da perna direi-
ta, cliaina-se Cabiiel, tem o roslume de
abaixar a cabega quando falla, gosla de
embriagar- se, vi in ha punco do Rio-de-Ja-
iii un, e por issii deve ignorar as mas desta
eidade ; levou vestido caiga de casimira i is-
cada e camisa de madapolSo, mas furlou
urna troxa onde leva algumas cagase ou-
tros objectos, assim como algumas celhe-
res de prata : quem o pegar dirija-so i ra
da cadeia do Itecife, n. 21, que ser recom-
pensado.
-- Desappareceram, no dia 16 do corre-
le, de bordo do patacho poiluguez Andar i-
nha-do-Tejo, 3 pretos mogos do navio: Joa-
qun! Antonio, natural de Angola, de 10 an-
nos, bexigoso : Francisco Ida Silva, Cabin-
da, >lto, de 16 annos : Matheus Jos, de na-
gflo Benguela, de 18 annos, baixo e barba-
o : quem os pegar levu-os ao dilo patacho,
que seas gratificado.
Fugio, no dia 29 de abril ultimo, o es-
cravo Joaquim, crioulo, col por ter de
menos o brago esqueido, repiesenla ter 32
annos, de altura regular, pouea barba, ps
largse com os dedos quasi todos comidos
de bichos; suppOe-se que ira para a bar-
ra do prata, comarca do Bonito, de onde he
natural: quem o pegar lave-o a ra do Vi-
gario, ii. 7, primeiro andar, ou no Cordeiro,
sitio da viuva do commendador Antonio da
Silva, que gratificar generosamente.
Gratificaba o.
Fugio, da Cidade de Macei, no passado
ubi il, a escrava de nome Colecta, do don-
tur Jos lavares Bastos, egraliflca-se a sua
appiehensflo nesta praga, ra do Uangel,
n. 3ii, segundo andar: signaos seguintes :
crioula, moga, disfargada, boa estatura,
corpo espigado, peitos escorridos, e com
visivel quemadura no rosto.
fsan. :ma fre. de a. f. de mu.- 1851)


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EOFKG827H_U5ORCI INGEST_TIME 2013-04-30T23:22:40Z PACKAGE AA00011611_09793
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES