Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:09771


This item is only available as the following downloads:


Full Text
o
**
Anno XXIV.
Qn arta-fe ira 10
'?
O Ofd/l/Opubllca-se todos os diasque no
forein de guarda: o preco da asignatura he
de 4#00 rs. por quarlel, pnjoi adianladot. -Os
fiinuacloi dos assignintes sao inseridos 4
aaso de20rs. noi linha, 40 rs. im typo dlf-
i-crenle, C as repetiroes pela mctade. Os nao
essignantcs pagaro 80 rs. por linha e H.0 rs.
am typo difierente, por cada publlcacao.
PHASES DA. LA NO MEZ E JULHO.
Creicent*,**. s7 llorase 11 min. da manh.
lu raen, a 16, as 7 horas e 2 mln. da manh
.'nqoante, a23, s9 horas e50 min. da manh
/ nova, a 30, s 5 horas e 6 min. da manh.
\
PARTIDA DOS CORREIOS.
Goinna e Parahiba, s segs. e sextas-fcirs.
Rio-G.-do-orle, quintas-feiras ao mcio-dia.
Cabo, Serinhem, Rlo-Formoso, Porto-Calvo
e Macei, no 1., a 11 e 21 de cada raez.
iara iiIihiis e Bonito, a 8 e 23.
Boa-Vista e Flores, a 13 e 28.
Victoria, s rjuintas-feiras.
Olinda, todos os das.
PREAMAR DE IIO.IE.
Prlmelra, s 7 horas e 42 minutos da manh.
Segunda, s 8 horase 6 minutos da tarde.
c?e Julho de 1848.
N. 18.
DAS DA SEMANA.
17 Segunda. S. Aleixo. Aud. do J. dos or-
? haos, do 1. do civ. e do i. M. da 2. v.
erca. S. Marlnha. Aud. do I. do c. da
v e do J. de paz do 2. dist. de t.
19 Quarta. S. Vicente de Paula. Aud. do J.
do c.da 2.v. e doj.de paz do 2 dist. de t.
20 Quinta. S. Jerouymo Emiliano. Aud. do
J. dos ni |ili. e do J. M. il.i I. v.
21 Sexta. S. Prxedes.- Aud. do J. do civ.
e do J. de paz do 1 dist. de t.
22 Sabbado. S. Meneleu. Aud. do J. do c.
da 1 v. edo .1. de pi do I dist. de t.
23 Domingo. Apollinario.
CAMBIOS NO DA 18 DE JULHO.
Sobre Londres a 25 d, por M rs. a 60 das.
Paris a 345 e 350 rs. por franco. Noin.
Lisboa 100 por cento de premio.
Oesc. de leu de boas firma 17.i o me*.
Acces da couip. de ^""^^VVr0
toro.Oncas licspanholas ?**' *2?.
. MuVdas de 6/400 v. 7/200 a 7/400
de 6/400 n. Ib/500 a lo^WO
. de 4/UOO." 9/500 a 9/700
traaPalaces brasileiros 2/000 a
Pesos oolumnarios. 2/00O
. Ditos mexicano!..... )/>" a
Miuda.................. 1/920
2/020
2/020
11900
1/930
DIARIO DE
EXTERIOR.
se marque quota para pagamento de seu ordenado.
Inteirada.
REPRESENTACA DA DIETA ITALIANA A SUA
SANTIDADE PI IX. .
' Fin um dos mirar ros do Times, que ltimamente nos
foram entregues, encontramos a seguintc peca trans-
cripta do Diario de ililao ..... -. ,,
Santissi.no padre, os deputados da dieta italiana
cni liorna protestan! altamente contra a 1r.terprela9.10
nue o consistorio dos cardears ha dado a allocuc.io que
liie haveis f.ito. A naclonalidade, Senhor, he obra de
Deos.e nao do homem. A cama dajustica c da verdade
deve ser proclamada ou defendida por aquelle que re-
presenta a incarnacSo da verdade na trra, eissoA Se-
nhor, vos o haveis felto Como chefe de urna rcligiad tte
iustica e vrrdade. Nos, pois, c todo o povo Italiano, cu-
los representantes somos, estamos certos de ter-vos sem-
pVe entre nos e diante de nos as veredas da justica, da
religio e da Hberdade. '
Nos o proclamamos, como enviados le Veneza, na
Loinbardia c da Sicilia, certos da appiovaco de nossos
governos, e do nssentimento de nossos concidadaos.
Prostrados ein vossa presenca, santissimo padre, humil-
demente Impetramos a vossa paternal bencao. Nos a im-
ploramos para a Lonibardia, -- para Veneza, para a Si-
cilia, para toda llalli. '
(Assiguados os deputados da dieta )
A MAI MODELO.
A mai modelo enleva-se ein seus filhos. cura delies,
para que nada Ihcs falte, vigia-os continuamente, ntre-
os ella mesina, brinca, ora ri coni ellcs, e (quando es
tan doentes ) chora com clles : donnindo, he com elles
que ella sonha.
A mai modelo lem anlhipalhia ( a qual ella se esforca
todava por vencer ) aos liomens que nao goslam de me-
ninos. Se olhardcs benignamente para seus filhos, vs a
coinpratcrcis ; se Mies fallardes com all'abilidadc, delei-
ta la-hels ; mas se Ihcs mostrardes algum agrado, tudo
far por vos. Se quando ella chega porta, tendo nos
bracos seu fillio, alguem passa e diz: Que lindo me-
nino Quizcraque fsse nicii nao cabe cni si de ale-
gra. Se as ras succcdc encontrar un menino pareci-
do com o seu, para, e de manso na cabecnlia Ihe bate ;
porm, se a semclhanca he inais que mediana, toma-o
dos bracos da ama, c o cobre de beijos. Ella syinpathisa
exlremanente com as mais que de repente lio ficado
sem filhos.
Ella nao faz visitas, mas gosta de ser visitada por ma-
tronas experimentadas na ediicaco dos meninos. Ella
nao l romances ; se a virdes com um livro as niaos,
podis estar certo que nao lie senao pin livro ulil as mil.
piovavelmenle-. As carlat a urna mai do Dr. Con-
qiiest, 011 As indi de Inglaterra de Mrs. Ellis.
Raras vezes. e so de leve, ella bate cm seus filhos, pois
prefere castiga-los cm uas lagrimas ; c se seu marido,
em um transpone de colera, levanta a ino para bater
em um delies, to veloz como o pensatneiilo, ella inter-
pe o sen braco, e nelle recebe n golpe.
Se alguem rccoinmcnda mi modelo c Seu marido
que mandem seu filho mais moco para nina certa esco-
la fra da cidade ; o pai pergunta, 1. Omestro he hbil
-- a iii.il, k D elle bastante refeico a seus discpulos/
Mas. desvanecidos os sens receios a este respeilo, ella
consente na Ida deseu lilho. .
Se o irnio. rico negociante de Quebec, no Canad, pe-
de mai modelo baja de Ihe mandar seu I1II10 mais ve-
Iho para elle o empregar ein seu escriplorio. e o lazer
seu socio aflnal; se o rapa/. Ittr, estar ausente de Ingla-
terra por muiios anuos.por toda a vida talvez menle
vor toda vida Q110 tei 1 ivel he para a mai a contempla-
cao de tal contingencia I mat, como he para o bem aeiea[i-
Iho, ella o deixa ir, e no da da partida suaface he riso-
nlia, posto que o coraco esleja a poni de quebrar-se-
""' jj 1
A mctade da somina concedida para seu vestuario el-
la a deposita na caixa econmica, para que seus lilhos
tenham alguina cousa, quando cliegarem maioridade.
He isso um grande sacrificio de sua parte, porque ella
naturalmente gosta de gala ; porin a mullo maiores sa-
crificios clin ssiibjeitaria de boa vnulade ; tudo quauto
lie licito faier, ella o fai a por seus lilhos ; contente per-
dera vida para salvar a delies. Deosabencc a mai 1110-
Jel: W.M.M.
[The Liverpool Courier.)
P.ERNAMBUC0.
ASSEMBLEA PROVINCIAL.
27.' stSSO OXIDISTARIA XH 15 DE JI.HO
BE 18*8.
PRF.SIDKNCIA -00 SK. VICARIO AZEVEDO.
Sujiiijmo. ^cla. Expediente. Beque rmenlo do Snr.
Olinda Compeli. A'omeoro da depuHco
cncarrcaada de reeeber o Bxm. pretidente da
provincia. Parecer da commiisdo verificado-
ra do criado doi cofret provinciaci. Entrada,
juramento e retirada de S. Ex.
s II horas da manhaa, faz-se a chamada, c verifica-
se estarem"presentes 22 Sis. deputados.
O Sr. Presidente declara aberta a sesso.
O Sr. 2." Secilario le a acta da sesso antecedente, que
lie approvada.
O Sr. 1." Secretario menciona o seguinte
EXPEDIENTE.
Um ofticio do secretario da presidencia, participando
que o Exin Sr. desembargador Antonio da Costa Piulo,
nomcado para presidente, desla provincia pelo governo
imperial, vinha hoje prestar juramento. Inteirada.
Outro do mesmo, communicardo haver sido aposen-
Jado o_oOU'ijil maior da secretaria da provincia, e p.ediiido
Outro do mesmo, remetiendo copia do officio cm que
acommissao encarregada de examinar o estado dos co-
fres da thesouraria provincial d coma do resultado dos
seus trabalhos. Inteirada.
He lido e approvado o seguinte requerimrmo:
Requeiro que se pe{a ao governo, pelos canaes com-
petentes, os documentos pelos quaes foi aposentado o
t.li-i.il maior Antonio Jos deOliveira. S. R. 0/indu
Compeli, o
O Sr, Vreeidenle noinca pala a df.putafao, que tcm de
reeeber, na ante-sala, ao Sr. presidente da provincia,
aos Sr... Olinda Gainpello, Luz Duarte e Dorna.
O Sr. 1." Secretario l o seguinte parecer:
A commissao encarregada de examinar o estado dos
cofres da thesouraria provinciid, pelo faci de haverem
sido encontradas na circuaco coinmercial as lettras que
ilevian existir nos incucionados cofres, passa a cominu-
nicar esta assamblca o resultado dos seus trabalhos,
o quaes fraiu eDectuados com o auxilio da dominissiio
que j se achava naquella reparticao, nomeada para o
inesino fin pelo vicc-presidente da provincia, por en-
tender a commissao, que seria mui proficua, como foi,
a coadjuvaco de pesioas professionaes nos, negocios da
fazenda.
A commissao a dar comeco a seus trabalhos achou-
se embarazada por nao haver escripturaco regular, neui
os documentos qiufdeverain existir, c no meio de seme-
Ibante labj rintn, forca foi tomar urna poca para averi-
guar o balaueo, c esta poca foi a do auno linanceiro de
1847, ponto d'mide parti o exame. Examinados os li-
vros, docciimentos c cofres, conheceu-se que devcrla
existir de saldo do exercicio lindo, e do corren te at o
ultimo de julho de i840, 116:519/035 ris, isto he, em
lettras 99:142/334 ris, e era notas 17:377/501. entre-
tanto que existiam apenas 50:336/908 ris cm lettras, vc-
rificando-se um alcance de 66:182/037 ris, sendo .
i7:377j501 ris era notas o 48:805/436 ris em let-
tras : na caixa do deposito das lettras dos exerci-
cios futuros deverla existir 264:434^666 ris e apenas
achou-se 68:263^193 rs. sendo seu alcance o de ris
196-171/473 : na caixa de deposito das lettras sobre bebi-
das expirituosas exista em lettras 4:109/370 rs:, e nao
foi possivel averiguar se nesta caixa houve algum alcan-
ce, por n;o haver escripturaco alguuia a respeilo: final-
mente a caixa dos descoutos dos ordenadus nada con-
tinua, posto que por alguns lancainentos feitos pelo fiel
do thesoureirodevesse existir 1:585/119 rs. Oeste exame,
alias impeafeito, purm compativel com os dados que a
commissao leve sob suas vistas, resulta que o alcance da
thesouraria he de 263:930/529 rs., sendo 2*4:976^/909 rs.
em lettras,-e 18:902/620 rs. em notas : c he de presumir
que elle se e|i ve a nenio maiorquanlia, quando se pro-
ceder um minuncioso exame, nao s sobre o exercicio
presente e o futuro, como sobre os passados.
u A commissao observou que nem todas as reccitas
cstavam assignodas pelo tliesoureiro da reparticao c.im
infraccao manifesta do regulamenlo : que a despea de
58:387f037 rs. do mez de mar9o foi mandada abonar por
una portara, c que esta despea nao combina con os do
cimientos respectivos, os guac mencionara suiente a
quanlia de 40:8H/534 : que o abono de 15:271/640 rs. de
lettras remedidas para o juio havia sido feito por nina
simples portarla, sem queessas lettras tivesscm sidode-
vidamcute processadas na contadoria para poder ter lu-
gar sua remessa no procurador-fiscal, do que se deve
concluir que o lancaincnlo foi indevidamente feito, c
que as lettras no tiveram o destino legal : observou
mais a commissao que despea do mei de junho-eslava
porlancar, sendo que dos respectivos documentos cons-
ta ser de 35:568/239rs.: finalmente, que, sendo expres-
samentc prohibido os descontos das lettras da thesoura-
ria provincia'! por decises da presidencia de 16de julho
1844, e 31 de malo de 1847, as quaes foram mandadas pe-
lo inspector cmnprir e registar na mesma thesouraria,
reinetten pector ou thesoureiro negociar estas lettras.
A coiiiinissao nao pode descer mais minuciosa
analysc, porque nao liaviain 11a thesouraria os_ livros
que sao indispensaveis para a devlda escripturaco, tacs
como o da caixa de depsitos, o de especies, o do lan-
i, amento das letii as pagas e ajuizadas, etc. ; e porque
para 11111 exame em delallic seria de mister longo lem-
po, e o mais aturado trabalho de pessoas adiestradas
em escripturaco c contabilidade, que revolvesscm o ar-
chivo dessa reparticao desde o seu fundamentos para de
bases seguras concluir um resultado ceno.
A vista do expusto, he a commissao de parecer que
esta assembla envi ao presidente da provincia urna
copia desle exame, para que elle mande proceder ua
forma da rei contra os autores de tao calamitosa fraude,
sendo aulorisado a nomcar uina commissao permanen-
te para balaocear toda a reparticao desde a sua crea-
co, sendo encerrada a actual escripturaco, c abrindo-
se urna nova para nao parausar a arrecadaco e despe-
za, nem confundir a escripturaco al agora feita cora
a que se liouverde fazer, at que esta assembla de-
crete medidas a respeilo de to importante, quanlo ur-
gente negocio.
Salada assembla legislativa provincial, 14 de ju-
lho de 1848. C/irloeo Xavier Lopes. Luil Duarte
Pereira. Luit Ignacio llibeiro Roma. -- Felippe Cma-
ro de Olinda Campillo. Fcente Ferreira (lomee.
O Sr. Jos Pedro: Sr. presidente, a concluso do pa-
.recer est um pouco ambigua. Nao sei se a nobre com-
missao pede que esta assembla recominendeao Exm
presidente da provincia que nomeic a commissao de qu-
l'alla o parecer, para rever todos os papis da thesouraa
ria c examinar o estado da escripturaco dessa reparti-
cao desde a ana creacio, ou se quer que ella seja no-
meada pela assembla: rogo, pois, aalgum dos meiii-
bros da nobre comiiiissao, queira explicar-inc, 011 de-
clarar 'casa qual he o sentido de suas palanas. A'vista
da explicacao, decidir-me-hei a fallar ou nao sobre o
parecer.
O Sr. Xavier /.op: Sr. presidente, o nobre deputa-
do que acaba de fallar, eqiic nao sei se o fez pela nrdem,
ou nao, pede algumas explicacoes que, quanto a mim,
soobjecto da materia do mesmo parecer; mas, como
elle nao est em discusso, nada posio responder ao no-
bre depulado, o que far'ci em lempo competente. Por
agora, liinito-ine a esta pequeas rellexes.
O Sr. Jos Pedro:- Eu j disse, que vista da explica-
cao de aleuin dos meinbros da commissao signataria do
narecer que ha pouco e leu, fallara oudelxar.a de
|flar sobre elle Se nada mais se quer senao que o
Exm. presidente da provincia nomeie a cominissSo que
deve de examinar a thesouraria, desde j declaro que
Tolarei pelo parecer. Entretanto, cumpre-me observar
que nao vejo rasiio para que a commissao se negu s
explicacoes que peco, pois que ellas nao Ihe trazeni des-
aire algum.
O Sr. Xavier Lopes: Quando, pela prlmelra vez. me
levanlei e fallel pela ordem, pondcrel que nanentrava
nodesenvolvimentn das ideias do parecer, porque elle
nao se achava em discusso : c como a explicafao que
e por isso nada dlrei nesta oc-
nclle comidas, e darci todas as explicacoes que a
casa queira. Portanlo, cntendo que isto Ije objeclo da
discusso do parecer
cnsio.
O Sr. Jos Pedro: Aqu est como conclue a conunis
sao. (L.) Pergunto, quer a commissao que a assembla
nonieie.ou recoramenda ao Exm. presidente que o faca ?
OSr. O/inda: Recommenda ao presidente que no-
meie a commissao.
O Sr. Joje Pdro: Enlo porque se nao diz isto? Se
he o Exm. presidente que deve noraear a commissao
examinadora, cu voto ja pelo parecer.....
0"Sr. Xavier Lopes : Quando entrar em discusso,
se dir.'
O Sr. los Pedro: Mas nao v o nobre deputado que
elle pode deixar de entrar om discusso, e pode ser vo-
tado sem ella, se eu nao fallar? Ento porque se nao ha
de dar a explicacao que solicito?.....
O Sr. Xavier Lopes : E uo quero dar agora a expli-
cacao, pelas rasdes que j expend.
O Sr. Jos Pedro: Nao vejo motivo para tanta tcna-
cidade.....
O Sr. Ferreira (ornee: Como inelnbro da commissao,
declaro que a sua inienco foi a de recoiinnendar ao
Exm. presidente da provincia a nomeaco dessa com-
missao permanente, que deve investigar os cofres pu-
blicos; porque smenle por um came minucioso, c
feito por pessoas professionaes, he que e pude entrar
no cabal coiilieciinento do estado delies. Este lie o peu-
saniento da commissao.
O.Sr. Jos Pedro: Aceito a explicacao, c agredeco a
generosidade com que me trata.
Encerrada a discusso, he o parecer siibmetlido i vo-
taco c approvado.
" ORDEM DO DA.
Segunda discusso do projeclo 11. 20 que autor i.a o
governo a mandar fazer urna ponte sobre rio Goit, no
engenho San-.loao. .
O Sr. Cordeiro (pela ordem): llontem cntrou em dis-
cusso o projeclo 11. 13 deste anno, e'tratava-se do arti-
go 1." eseus par.igraphos, quando deixou de haver casa
parece-ine, pois, que pede a ordem dos trabalhos, que
se prosiga na discusso dcste projecto, para depois ter
lugar a de outro qualquer.
O Sr. I." Secreiario : Si. presidente, eu nao poda ter
noticia deste acoijtcciinento, porque, honteni nao me
acliei na casa; mas, se assim be, enteudo que o nobre
depulado tcm toda a raso, e que deve continuar a dis-
cusso .cerca do projeclo 11. 13.
O Sr. Presidente: Contina a segunda discusso do
projeclo n. 13, adiado na sesso de liontcm. Disciiiem-
se o artigo 1." e seus paragraplios.
OSr. lUavignier requerque a discusso deste projeclo
seja adiada, para depois de haver prestado juramento
o Exm. presidente da provincia.
Uepoll de algumas rcilcxcs dos Sis. Olinda c Jos Pe-
dro, he indcfei ido pela casa orequerimento do Sr de-
pulado.
Coiilinua a discusso do projeclo 11. 13.
05r. Jote Pedro peda permissao para retirar a emen-
da que olcreceu, na sesso de liontem, a um dos para-
graplios do artigo 1.
A assembla assentc a este pedido.
He lida e apoiada para entrar cm discusso a seguinte
emenda:
Supprima-sc no 1. as palavras calculo mental,
arithmetica, gcoractria elementar c desenlio, em suas
diversas partes.
No $ 2.", diga-sc os preparatorios para a primeira
maricura da escola sao graininatica nacional, francez,
o primeiro anuo mathematico, ensinado actualmente no
l\ eeu e desenlio.
Supprima-sc o 3." Jos Pedro.
Chegando a ante-sala o Sr. presidente da provincia,
sahe a deputaco nomeada para introduz-lo na sala, e
volta dtil a pouco cora S. Ex. que, depois-de ter pres-
tado juramento, e assignado o respectivo termo, retira-
se com as mesillas formalidades com que havia en-
trado.
OSr. Presidente propoc que a assembla vaassistirao
acto da posse do Exm. presidente da provincia.
A casa concorda nesta proposta.
O Sr. Presidente d para ordem do dia da sesso se-
guinte a mesma que vinha para boje, e levanta a sesso
a 1 hora da tarde.
Portugal ficra tranquillo, comquanto nao deixase de
haver serio recelo de prxima desordena.
O governo eslava vigilante, e as curtes continuaran!
regularmente em seus trabalhos.
Em a unne de 22 de raaio, em Coiuibra, uina malta de
caceleiros assallra uns poucos de sujeitos que sa-
hiam, pelas 10 7, horas, da casa do commendador Ma-
linas de Carralho, c nao se retirara eraquanto nao vi-
ra quatro delies estendidos por trra e bandados em
sa ligue!
A iraprensa opposicionista dizqueesses bandidos, dos
quaes alguns se reconheerram ser militares, perirnreni
ao partido dominante, no que parece ter raso ; por is-
so que sem embargo de mui tos delies haverem sido per-
feilainente condecidos, ainda nenhuin linha sido perse-
guido.
Era a noitc de 21 tambera se deram bem boas caceta-
das, naquella cidade, e taes eram os caceleiros, que urna
patrulha que o presenciara, retirou-*c ao aceno de um
delies !
Para a amortisacao das notas do banco de Lisboa ti-
nha-sc mandado proceder extraeco de uina lotera
nacional, cujo capital ser at de dous mil e quatrocen-
tos qputos de ris ein inscripces ou apolices de cinco
por cento da divida fundada interna, das rrsgatadas que
se adiara era deposito na jimia do crdito publico, e das
que se rcsgatareiu, provenientes do penliorque por con-
tado estado existe no banco de Portugal, perlencentes
ao einpreslimo contrahi'lo entre o governo e o banco
de Lisboa, no 411U0 de 835, etc.
Em o dia 18 de malo, o governo hespanhol .enviara e*
passaportes a Mr. Hullwer, einbalxador britannlco ein.
Madrid, e ordenara que dentro em 48 horas houvesse de
retirar-sc do lenitorio da Despalilla Nesse mesmo dia
fuera elle sahir para Londres o conde de Mirasol para
participar ao governo inglez os motivos que Uvera para
dar um tal passo.
A 13 de malo, pelas 9 '/, horas da noite, una parte do
halallio de Gtiadalaxara se sublevara era Sevilha. e d-
ra vivas a repblica. Os irmolinados diiigirani-sc in-
mediatamente ao quartrl que extramuros oceupava uina
pequea partida do regiment de cavallaria do infante,
e unidas ambas as de.,-a. se dirigirn! principal, dan-
do gritos subversivos e sediciosos, ao apresentarein se
dianlc deste posto, guardado por foixas Icaes. Os milita-
res que cstavam de guaida ueste ponto receberam cm
Ums os sublevados, os quaes abandonaran! c posto, r
ni.111 dar.mi sobre outro forte da cidade onde enconlra-
ram igual acolhiniento. Ja este lempo o capllo-geue-
ral Schelly havia montado a cavallo, ido aos f|uarleis.
e corra frente dos soldados leae da guaruicao da ci-
dade em busca dos amotiuados, os quaes, vendo a inuli-
lldade de suas lenlaliras sobre dous diversos pontos da
povoaco, e que nem um s paisano se Ibes havia uni-
do, abandonaran! a cidade pressa, encaminhando-se
ao condado de Niebla.
O capilo-general sahio em sua perseguicao com uina
forja suflicienle, e aloarcando-os no outro da (14) ein
Sau'liie 11 .1 M ii"i. batc-os completamente, desalojan-
do-os a bayoneta desle povo onde trataram de fazer-se
fortes : varios olhciaes e soldados morreran na refrega,
e mullos mais ti cara 111 feridos. .
Os revoltosos, ein numero de 260 lanceiros e 400 a 600
infantes ohegarain, no dia 19 a Serpa em Portuguai, r al-
li entregaran! o armamento e ditas pecas de artilharia.
O regiment 4 de cavallaria, que tomara parle na in-
surreico, foi extincto.
A rainha, a instancias da infanta Luisa Fernanda, com-
iiii u nnmm\.
REOirE, 18 DE JULHO DE 1848.
Ordem do da para a sesso da assembla, amanha
continuacao da de 15 ;- leilura de projectos,
pareceres e Indlcaccs ; 3.' discusso do projeclo
n. 7. ._
(l&)
Recebemos ditrerentesjornaesportugue7.es : os de Lis-
boa alcancam ot 31 de malo, e os do Pono ate 7 de ju-
nho. O que de sua rpida Icitura podemos colher lie o
seguinte :
inutra a pena de ninrle ao alferes graduado D. Carlos
Sauz, que j eslava no oratorio pelos acontccimcntos
UC delMinns referiilns.
Algumas partidas de republicanos que por csse lempo
se liv.ni 11 no foram de lodo dispersas.
No dia 19 houve na mesma cidade de Sevilha um al-
voroto de escudantes na universidade por causa dos ac-
tos : intervicram as autoridades c frca, ,jue dispersou
os grupos.
Foi exonerado o chefe poltico de Sevilha. e substi-
tuido por Lasla. Parece que linha chamado sem neces-
sidade o capilo-general aSevillia, oque fez que este
nao conlinuasse a perseguir os revoltosos depois da der
rota de Saulucar.
O governo ha recibido multas cougratUlaccs dos po-
yos e corporales por o uolavel Irliimpho oblido contra
a revolta e desorden!.
Os proprios carlistas dirigiram rainha a seguinte fe-
licilaco.
Senhora.Os que cuinpriain um dever do covaeo
ou da consciencia defendendo as pretencoes de D. Carlos
ao throno que merecida c dignamente V. M. oteupa, des-
iiieiiin 1.1111 a nobreza dos sentimentos que ein todas as
occasies lera sido o estimulo do seu proceder, se nao se
apresentassem a por aos P. R. P. de V. M. um humilde
e respeltoso tesleinunho do seu praierpelo trlumpho da
causa da ordem nos memoraveis das 26 da marco e 7 do
crreme.
Alegres por vereui frente da sua patria urna rainha
lo magnnima, e um governo to poderoso com o apoio
da raso e dajustica, esqueceiiirse de una poltica que
daqui em dianlc s se mencionar na historia ; e agrade-
cidos ao beneficio do real decreto de 17 de abril ultimo,
ofereccina V. M. asuaadhesoe vida, para que se dig-
ne emprega-las contra lodo o partido, ou contra quem
quer que alenle, submergir a desgracada Hespanlia na
anarcliia. de que felizmente o lino e firmeza de V. M. a
lera sabido preservar at agora. Praza a Dos proteger
a V. M. para que consiga levar a porto feliz a nao da 1110-
narchia por meio da espantosa borrasca da poca, e dig-
nc-se admitlir esta prova de lealdade que de aecrdo
com as autoridades superiores civil e militar desle dls-
trelo ofl'erecem os supplicantes.
II.immln o goveruo hespanhol rcconhecldo a repbli-
ca franeeza, M. Lesseps, encarregado de negocios da
inesnia repblica em Hespanha, entrara ein rclacoes of-
ficiaes cora o governo de S. M. Cathoiica.
Em Franca, depois das desordens de 15 de maio, a coru-
inisso do poder execulivo nao s ordenou a dlssolucao
dos clubs Itaspail e llanqui, sobre o fundamento de que
delies haviain sahldo inultosdaquclles horaens que inva-
do am a assembla nacional, e proclamaran! 110 llitel -de-
vills um governo provisorio ; como tambera propoi na
assembla nacional o baiiimento perpetuo de LuU Ptu>
lippe e de toda sua familia. Este projecto foi reuiettido
a uina coinraisso, c, havendo sido por ella ltimamente
approvado, tinha sido posto em discusso.
O presidente da assembla recebeu duas cartas relati-
vas a este objecto, urna assigoada pelo ez-prlucipe de
Joinviilc e duque de Anuale a cintra pelo ex-duque de
Nemours. Ambas foram apresenladas assembl, c sao
as seguintes:
I
. .-:-.


o
I
Claremont, 19 de maiorfe 1848.
*jS5 I""'"'1''""'- Osjornaes nos traxem um projec-
to Je decreto, tnsenle a fe liar-nos as portas da Fran-
ca ; os sentlmcntns que este prnjecto nos Inspira, arran-
cam-nos reserva que at aqu nos dolamos imposto;
tlnriamos-cspcrado que esta reserva, (oda patritica,Se-
ria cnmprehendiila. A assembla eslava reunida ; ella
ia, nasua independencia c na sua soberana, votar a no-
va conslituico : nos nao queramos laucar ao mel de
suas deliberafae a expressao de um vola, ou preocpa-
la de pessoas. '
Haramos julgado, por oulra parte,que,(endo deixado
Argel aopriuieiro apello para o nosso pa(rio(ismo, nao
ao (tnbaiuos dado ao paii una prova patente de nossa fir-
me intencao de nao procurar desunir a Franca, como ha-
ramos testcmunfiado o respeito coin que aceitavamos o
apello para a nacao. Lisongcavamo-nos tambera de que
o palz nao poderla pensar ein nos repellir, por sso
eu designio, delxra a cldade e se dirigir para o
No dia 19 chrgou a Inspruck, onde foi recebldo por
todo o povo com acclamaces sem lim. Sua carruagem
loi desmontada, e puzada pelos Tyrolezes, que losta-
va"' -"i" o imperador para ficar entre elles.
No da 18 nina proclamarn, asslgnada pelo ministro
Pellersdorf, confirmou a retirada do Imperador, ajun-
taudo que o ministerio s tinha recebldo esta nova por
alta noite, e que na carta nflicial o imperador mostrara
ter deixado a cidade por causa de sia saude e que con-
lava ir a Inspruck.
Esta nova poz Vicua ein commoco. A guarda nacio-
nal pronunciou-ie unnimemente pela nionarchia cons-
titucional. Alguns jovens, que teotaram proclamar a
repblica, fram presos. O povo os quii enforcar. To-
dos os habitantes pegaram etn armas para inanter a
ordein.
O ministerio provisorio tomou multas medidas ener-
o tullamos sempre servido fiel e lealmente ein nn.<.. |6lcas atl,n c manter a tranquillidade. Comecou por
"constituir-se cm junta de seguranca publica.
Publicou-se a lei marcial contra todos os que pre-
garon a revolta ou que apparecerem coin as armas na
ni, i".
Obtervaco.
0 brlgue inglez Cynthia, que apparecen no Lanielrao,
veio de Maceio. c nao de Maranhiio, como se publicou
lio Diario n. 157.
bcciipacdfs de martimo c de soldado.
O projecto de decreto indica que se julgou de outra
inane.ra,,* o momento escolhido para o produzlr cons-
titue alias urna comparado que nao poderiamos a-
ceitar.
liento de toda a ambco pessoal.proteslanios peranle
"*_'11l!r"5_t?"e* Ua naa contra urna medida de que
e uossos sentiinentos nos deviam
nossos precedentes
garantir.
Scrvi-vos, Sr. presidente, levar esta carta ao conhecl-
mrnio da assembla nacional, e recebei a seguranca de
iiossaaltaconsideracao.
.. Praneiieo de Orleam.
" Henrique de Orleam.
II.
u Clarimonl.in de m.tio de ig-fS.
Sr. presidente.Ausente no momento etn que aqu
clierrou a nova de que se havia proposto uu> pi ojete de
decreto para banir nossa lamilla do territorio francez,
nao pudcajiintar minha assignatiira carta que mem ir-
Inos vos dirigirn! hontem. 19 do crreme ; mas eu me
apresso a vos declarar riue aclhiro nteiramentc a ella, e
vos rogo o Cacis saber a assembla nacional.
Recebei, Sr. presidente, a seguranca de minha alta
consideradlo.
(i Luild'Orleani. a
! Ein Lille e Lyo tliiham occorrldo grandes disturbios:
iiiuitos guardas nacionaes fram feridns pelos obreiros
que se sublevaran!, mas inultos destes fraiu denolMi c-
sos,
A assembla nacional adoptuu em a sessao de 24 de
inaio a sesirlnte resoluoAo:
A assembla nacional convida a commisso do poder
etecutivo a continuar a tomar, como regradeseu com-
portamento. os votos unnimes da assembla, reunidos
nestas palavras :
n Pacto fraternal coin a Allemanha. Reconstituirn Ja
Polonia, indepenpente c livre. Libcrlaco da Italia.
O seguate facto prova bem quanto o valor da propric-
dade est actualmente depreciado em Franca.(/liando
rebentou a revolcao de fevereiro, a ieranca do mar-
quei de Aligre anda nao eslava liquidada ; constando
principalmente de bens de rali, eslava avallada no in-
rentarlo em 54 milhoci de cruzados ; mas do proiluctu
da venda linhaui que sabir 1S milhcs delegados. A
venda nao se tem pudido verificar, porque os iuinioveis
c propriedades nao dariam hoje seno metade, e depois
de pagos os direitos de transinisso e os legados, com
po/ico ficaiain os herdeiros oais beneficiados. Quasi o
indino acontece coin uma,propriedade do conde Hoy.
As navas de aples sao betn desagradaveis.
Na maiilia de 13 de mato, os debutados napolitanos
tiveram na sala Monie-Oliveto una reuuio preparato-
ria para modificar a formula do juramento que deviam
prestar na sessao da abertura. Este juramento era con-
cebido pouco Milis ou menos nestes termos : Juro fide-
lidad* ao rei e constituico de 29 de Janeiro o Os debu-
tados rejeitaram esta formula, por estar em contradicc
com a eoncesso de 3 de abril. Os (lias 18 e M se passa-
ram piii entrevistas ; s II horas da noite soube-se que
O rri recusara mudar a formula. Os deputados, eill nu-
mero de 80, reuniram-se inmediatamente, declararaoi-
se em sessao permanente, e enviarain una depulaco a
pedir a nio.lificico. O rei recutou.
A guarda nacional, ein nuuiero mu consiileravel, apre-
sentou-seenlo em "onlc-Olvelo, escoltando os depu-
tados, e cx.itando-os a conservan m-se firmes. Pela
mela-noite ful enviada ao rei nina deputaco que procu-
ro u ganhar lempo ; no entanlo concordou-se em modi-
ficar o juramento do modo seguinte : jurar-se-hia licle-
lidadeaorel c constiluico de 29.le Janeiro, salvo odi-
reilo reeonheclilo pelo decreto de 3 de abril de revero
estatuto ; os termos do dito decreto crain rcproduzidos no
juramento.
O rei dan mostrai de consentir, e tudo pareca acaba-
do. De repente a cmara he advertida de que o rei fa/.ia
sabir as tropas, e ella emende que toda a concilladlo
lie iinpossivel, pois que se trata de a dominar pela forja.
A luna bora, depois da meia-noile, aguarda nacional
oincca a construir barricadas, e ,- hora c meia faz tocar
a chamada ein todos os quinis.
As dnas horas todas as tropas, infamara, cavallaria,
artilbarla e os carpos de luistol, sahem dos quarteis e
orcupam as pracas do caslello, do palacio e do pequeo
inerculo, com 18 pecas de artilharia.
O rei, saliendo da construeco das barricadas, manda
recollieras tropas, comente nao s na abertura do par-
lamento sem prestar-se juramento, como tainbem na
reviso e inodilicaco dos estatutos.
A guarda nacional, sabendo que tinhain entrado mais
tropas durante a noite, e suspeitando algtuna traico,
recusa abandonar as barricadas menos que se Ihe en-
treguetu os fortes ; que as tropas se retrela completa-
mente, e que se suprima a cmara dos pares. Neste mo-
mento a lula lorna-se eminente, a praca do palacio he
de novo oceupada pelas tropas n pela artilharia, e a do
ca.ilello pelos suissos.
A barricada inais forte era a da ra do Toledo, defen-
dida por 4 a 5 mil guardas nacionaes. As II horas um
tiro de fmil disparado, nao se sabe donde, na pra;a de
S.-Fernando, foi o signal de uina horrivel matauca. A
guarda nacional, jnlgando-se traluda, deu una descarga
sobre a tropa ; os suissos respondern! imuiediatamente
a esta descarga, e a artilharia fez fogo de metralhas
barricadas, as quaes fram successivamente tomadas.
Os guardas nacionaes refugiaraiii-se uas casas e dahi con-
tinuaran) a alirr sobre a tropa ; mas por fin fram
obrigados a render-se. O combate durou sete horas: per-
to de 600 pessoas fram moras, e 800 ficaraui feridas.
Durante o conflicto coiiiinelteraiu-se horriveis atro-
cidades, incendiaram-se algumas caas, e umitas fram
saqueadas.
No dia 16, um novo ministerio eslava formado coinpos,
todos amigos moderados, a saber: negocios estrangeiros-
o principe ( ariall ; interior, F. P. Kozell ; agricultura e
coininercio, o principe de Torella ; obras publicas, o
general Carascosa ; fazenda e justica, F. P. Ruggiero ;
guerra e marinha, o principe Ischilella. No dia seguin-
te o rei publicou urna proclamaro, declarando ser sua
intencao sustentar a constiluico, dissolver a cmara c
couvocar outra. A cidade de aples foi declarada em
estado de sitio, e creou-se urna coinuiisso para pren-
dfr, encarceriir ejulgaros suspeitos. A guarda nacio-
nal foi dissolvida, e expedirain-se ordens para sua nova
organisacao.
O governo tomava medidas para cooter os lazzaronis,
de sorte que nao houvessein mais roubos. No dia an-
tecedente tlnbain-se levantado os acampamentos das
ras e pracas, e as tropas fram para quarteis. O rei
inspeecionon-as, e agradeceu-lhcs pessoalmcnte os seus
servljos.
A lei contra os ajuntamentos foi de novo afnxada. Fl-
nalinente, fonnou-se um corpo de guardas municipaes
para velar dia c noite pela seguranca das pessoas c pro-
priedades.
Oe Vienna tinhain partido deputaces para persua-
dir o imperador a voltar. Preparava-se-lhe uina recep-
;o bullanle c ciuhiisiastici. O banco se tinha fe-
chado.
APOPULACAO DOS ESTADOS-UNIDOS.
De um artigo do American Quarlerly Regiiter, transcri-
to pelo /'ciMiyitiania Inquirer de 23 de maio, colhemos al-
gumas infurmares acerca do augmento progressivo
que (em tido a populaco dos Estados-Unidos desde
1790 at 1840; informaces que vamos transinittir aos
nossos icilores.
Em o anuo de 1790 a unio americana contava
3,929,827 habitantes, sendo 3,300,130 livres, e li:':i,(i r es-
clavos.
Km 1800 a populaco livre era de 4,409,076 almas ; a
scrava de 896.849. Total 5,303,92,). Augmento da prl-
meira 1,108,946; aiiguieuio da segunda 267,152 ; aug-
mento total 1,376,098.
Etn 1810 a populaco livre era de 6,048,539 almas; a
escravade 1,191,364. Total 7,239,903. Augmento da pri-
meira 1,639,463; augmeuto da segunda 294,515; aug-
mento total 1,933,978.
Em 1820 a populaco livre era de 8,100,108 ; a escrava
de 1,538,118. Total 9,638,226. Augmento da priineira
2,051,569; augmento da segunda 346,754; augmento
total 2,10.8 323.
Ein 1830 a populaco livre era de 10.857,177 ; a escra-
va de 2.009,043. Total 12,866,220. Augmento da priinei-
ra 2,757,069 ; augmento da segunda 470,925: augmento
total 3.227,994.
Em 1840 lin.lmenle a populaco livre era de
14,575,353; a escrava de 2,487,213. Total 17,062,566.
Augmento da priineira 3,718,176; augmento da segun-
da 478,170 ; augmento total 4,196,346.
Pelo censo dcse anuo achou-se que a populaco livre
cniipuulia-se de 7,435,733 pessoas do sexo masculino, c
de 7,139.620 do sexo femiuluo, c que a escrava continha
1,246,408 pessoas do primen o sexo, e 1,240,805 do se-
gundo.
Comparando os resultados desse censo com os do an-
uo de 1790, vc-se que a populaco da Unio Americana
no decurso dos 50 anuos enlie elles decorridos se tor-
nara quasr cinco vetes inaior do que era, c que o seu
augmeuto uesse lempo fura de 13,132,739 pessoas, sen-
do 11,275,223 livres, c 1,857.516 cscravas.
Presentemente a populaco dos Estados-Unidos deve
andar por 22 millics de habitantes pouco mais ou
menos.
Se nos pe re u n ia re ni agora porque raso a populaco
daiiuelle pan lem tido tfio rpido augmeuto, entretanto
que a do brasil tem licado quasi estacionaria, nos res-
ponderemos que he poi que nao se vive all ein conti-
nua desorden! como aqu; -- que (lie porque os cidados
da Unio nao se teem deixado fascinar por especuladores
paliticos para se inalaiciu uns aos outros, como nos
quasi por nada o havemos feito j no Para e Maranho,
ja to ll,o-(raii.lr--dii-.Sui e Alinas j na liahia, j fi-
nalmente a | ui cm Periianibuco c Alagas; que be por-
que os cstraugeiios, de qualquer naco que sejam, sao
all beui leceuidos e aculliidos, c estes ccrlos de que
nada teem a recelar, tieui qnanio s vidas uciii iiuanlo
fazenda, einigraui para all em mu grande nuuiero, uo
O Dr. Gervatio ontalve da Silva, juit municipal da pri-
meird vara em txercicio do eivel deila cidade do ecife, por
S. V. I, e C. que Deo guarde ele, etc.
Faco saber que o doutor procurador-fiscal das rendas
provinciaes, me dirigi apetico do teor forma e 'ina-
neira seguinte. Diz o procurador fiscal das rendas pro-
vinciaes, que, tendo requerido e notificaco dos acei-
tantes e indossantes das lettras extraviadas da thesou-
raria provincial e precatoria para que fssem. notifi-
cados os de fura, e pudendo acontecer que fssem dei-
xados de mencionar alguns destes devedores, requer a
V. S. para que por editos mande citar a todo e qual-
quer contratante de rendas provlnciaes, e que Itaja as-
signado lettras, as nao paguem ao pmtador seno
bocea do cofre, sb pena de as pagarein a mesma Ihe-
sourarla, c protesta o supplicanlc juntar certido dos
contratantes queja requereu a thesouroria. Pede ao Se-
nhor doutor juu da priineira vara do civel Ihe delira
pela forma requerida. E receber merc. Alcanfo-
rado. E nada mais se continha etn dita petico, etn
qual exarei o meu despacho no teor, forma e maneira
seguinte. Na forma requerida. lenle, 15 de juhfao
de 1848. toncalves da Silva. E nada mais se conti-
nha etn dito meu despacho, etn virtude do qual esta se
passou e pela qual sao citados tollosos contratantes de
rendas provinciaes e que hajam assignado lettras as nao
paguem ao portador, seno bocea do cofre, sb pena
de as pagarein mesma thesouraria. Esta ser afinada
nos lugares mais pblicos e do cosime. Dada e pas-
sada tiesta cidade do Rcclfe de Pernainbuco, aos 17 de
j ni lio de 1848. Pedro Jote Cardlo, subscrevi. terva-
si'o Goncaloee da Silva.
Ao sello 200 rs. Valha. sem sello, ex cauta. ian-
calrts da Silva.
Miguel Archanjo Monteiro de Anirait, oficial da im-
perial ordem da Roa, cavalleiro da de Chriito e int-
pector da alfandega di i'ernambuco, por S. M. o
Imperador, que Deo guarde, etc.
Faz saber que, no dia 21 do corrente, ao meio-dia, e
na porta da alfandega se ho de arrematar em hasta
publica 100 cestinhas, de verguiiha, no valor de 22*000
rs.; 2 tennis de com.-cas, no valor de 8/000 rs. : ludo
impugnado pelo guarda Jeronyino Jos l-.-ri eir, na nota
para despacho : sendo dita arretnataco subjeila ao pa-
gamento dos direitos.
Alfandega, 18 de iulho de 1848.
Miguel Archanjo Monteiro de Andrade.
Para o Rio-lrande-do-SUl seguir em poucos dias
a veleira polaca Marinho, caplto Jos Mara Aflbnso Al-
ves Uarcellar, a qual tem bous com modos para passagel-
ros c escravos : qii.ni pretender pode coiivcncionar con\
o niesmo caplto, ou com Ainoriin & lrinaos, ra da C'a-
deia, n. 45.
Para o Rio-dc-Janelro seguir, com a malor bre-
vidadepossivel, abarca braslleira Tentaliva-Felii, porj
ter j tratados dous tercos de seu carregamento : para o
restante, passageiros e escravos a frete, para o que.offc-
rece os mclhores conunodos, trala-se com Silva $ Gril-
lp na ra da Mocil.i, u. II, ou com o capitn, Antonio
Silveira Maclel Jnior, na Praca-do-Commercio.
Para o Cear pretende sabir com inulta brevida-
de por ter a inaior parle da carga prompta a sumaca
Carlota : queni na inesina quizer carregar, ou Ir de
passagem dirija-so ao tuestre Jos (nucaIvs Simas uo
a l.ui/. Jos de Araujo, na ra ua Cruz, n. 26
Para o Cear sabe, com inulta brevidade por ter
parte da carga prompta, a sumaca Flor-do-Angiltm para
o restante e passageiros, trala-se com o inestre Ber-
nardo de 5ouza nn cnin l.ui/. Jos de S Araujo, na
ruada Cruz n 26.
Para o Aracaly sahe inipretelvelmente no dia 28
do crreme por ter a carga qunsi prompta", a suma-
ca Carlota : para o restante c passageiros trala-se coin
o meslre JosGon(alves Simas, ou com I.uiz Jos de
S Araujo na ra da Cruz, n 26.
-- Para o liio-de-Janeiro sahe, na presente semana, o
patacho Sovo-Temerario, por j ter parte de seu carrega-
mento prompta : qiiem nelle quizer carregar ou ir de
passagem dirija-se no capitn, a bordo, ou a rua do Vi-
gario, n. 3.
Para o iio-dc-Janeiro salle coin brevidade, o bri-
guc Minerva, por ter a inaior parte da carga prompta :
quem quizer carregar dirija-se ao seu proprietaiio ,
Francisco Alves da (Junha, na rua do Vigario, n. II.
Avisos diversos.
Declara^es.
o Caieodo para o Drasil, por isso qu.* este paiz, iufeliz-
iiente sempre cm cutiliuuas oscillaces, nao Ibes olle-
recc as mesillas garantas.
AUaiideg.
HK.NDIME.NTO 00 DIA 18...........5:720/729
eicarregam hoje, 19 de julh:
Escuna Oiiletie inercadorias,
llriguc Lewii farinha, bolachinha e barricas aba-
tidas.
Galera Tentadora mercadorlas.
IMPUHTAGAO'.
Oulfrie, escuna americana, vinda de Boston, entrada
no crrente mez, consignada Henry Forslcr& < ., uia-
uifeslou o seguinte:
505 barricas breu, 20 ditas carne de vacca, 70 saccas
com farello, 12 caixas com reloglos, 5 ditas com pesos,
IB calas de cb, 80 luelai ditas de dito. 6 caixas fazenda
dealgodao, 1 dita coin medicina aos inesmos coiisie-
ui.'larios. *
GUcNSllLADOGEaAL.
RENDIMENTO DO DIA 18.
Geral. .
Diversas
provincias
768/1629
111/307
879/936
A admlnlstraco geral dos eslabelecimentos de ca-
ridad.' manda fazer publico, que no dia 24 do corrente
pelas 4 horas da tarde, na sala das suas sesses, contra-
ta o forneciiurnto da carne verde de que precisarem os
inesmos estabeleciinentos. Os pretendentes devero
presentar-seno lugar e hora apraiados,munidos de suas
propostas.
Admmislraco geral dos eslabelecimentos de caridade,
l7dcjulhodel848.
O escripturario,
/'. A. Cavatcanle Coiaieiro.
O arsenal de guerra compra 148 limas chatas de dif
ferenles pollegadas ; 24 ditas muras, de oito pollegadas;
136 ditas meias caimas, de dilTerentes pollegadas ; 36 di-
las ineias caimas imitas, sendo 12 de olto pollegadas, e
24 de seis ditas ; 24 limates de quatro pollegadas e 24
limas triangulas de quatro ditas : duas arrobas de a;o
de crrela ; quatro arrobas de cobre velho; 48 libras de
cobre ein lancoes finos ; duas caixas com folhas de (lan-
dres ; quatro libras de ti nuil, 16 oitavas de prata fina !
una libra de esmeril; una caada de veruiz preto; duas
ditas f. azeite duce seis pedacos de pedra de amolar ;
1,000 millas de boi ; dous alqueires de sal ; i2 tinas com
barro; quatro cadinhos do norte de n. 8; seis ditos de
ii. 10 ; tuna quarta de gumuia de mandioca ; quatro paos
de sicopira, tendo cada um 25 a 30 palmos de compri-
iii.-ntii, 16 pollegadas de largura e 9 a 10 ditas de grossu-
ra ; e oito livros etn branco pautados coin 50 folhas ca-
da um quem os ditos gneros se propozer a vender,
mandar sua proposta coin seus ltimos preco cm caria
fechada directora do niesmo arsenal at o dia 2l do
corrente mez, e no dia 22 os concurrentes ho de com-
parecer na sala da mesma directora, afim de se real-
sar a mencionada compra.
Arsenal de guerra, 18 dejulho de 1848.
O escripturario,
P. Serfico de Auii Cartalho.
= Acha-se preso na cadeia dcsta cidade, por estar f-
gido, um pardinho de nome Henedieto, que diz ser es-
cravo de Joaquim de Morars Navarro, morador na villa
de San-Goncalo, provincia do Rio-Grande-do-Norte : seu
senliuc dirija-se, com os competentes ttulos, subdele
gacia da lloa-Vista. Boa-Visia, 17 dejulho de 1848.
.iiIonio Pire Perreira.
= Pela subdelegara de polica dos Albgados se faz
publico que seacham depositados quatro cavallos que
fram tomados a Antonio Jos da Silva I.ins, etn cujo
poder foi na mesma occasio lomado um que, na noite
de 13 do corrente, foi furlado en Santo-Ainariiiho An-
tonio barbota da Silva, llenando de ser preso unidos
ladrrs, por se ter evadido por dentro dos mangues da
11 lia (lo Arac. Um dos cavallos he ruco-ponibo comVli-
ii.ii c cauda pretas, e gordo outro alazo-caboclo ;
oiitm ruco-mellado e castrado; e o outro ruco-cnrdo,
tambein castrado: quem sejulgar com diretn a ditos ani-
in i.-s, eouiparrca na mesma subdelegara, para Ihe se-
ren entregues. Afogados, 15 de julho de 1848.
Machado Rioi.
O subdelegado dafreguezia de Santo-Antonio appre-
hendru, em a noite do dia 16 do corrente um saeco de
assucar que um preto, escravo de Manod Cardozo da
Fuuseca, pretenda vender a um vendelho : suppondo
que o dito assucar he furtado, avisa a quem quer que
fr seu dono para u procurar. Recife, 19 de jullio delfo,a ua provincia. ,
A VOZ DO BRAZIL
a el, a-se a venda, hoje, as 10 horas.
A pessoa que deseja ver o ornamento usado coin
seus pertcnces dirija-se ao arco da Concei(o, por ci-
ma da loja n. 2
Helo arde Je C. participan! ao publico que dexou de
ser seu calxeiro, desde hoje, Antonio Jos de Faria J-
nior.
A pessoa que tiver cartas para Bernardino Francis-
co de Aievedo Campos, vindas do Pono, queira fater o
favor de as mandar entregar ou annuncie para se pro-
curar.
.*.ror.io Jos;- Mnrcira de Azcvcdo, Braiilcra adop-
tivo, retira-se para fra do imperio.
Narciza Perpetua da Luz retira-se para o Rio de-
Janeiro, levando emsua esmpanhia sua lilha Maria Per*
peina da I ameeieaii. lima alillrlda, l/.i liel .Mara da I'. -
nlia, eduas escravas. Maria prea e Mara'parda.
Alugam-se bixas hambiirguezas c tambein se ap-
plicain por todo preco: sao muilo boas, freguezes: a ellas
antes que se acabem : na loja de barbeiro na praca da
Independencia n. 10, confronte rua das Cruzes.
Antonio Pereira de Miranda faz saber a todas as
pessoas que tem penbores deouro e prata ein seu"f>odcr,
os vo resgatar no pi a/o de oito dias: do contrario os ven-
der para sen pagamento, visto ter de retirar-se para f-
ra do imperio.
Paga-sc generosamente a una ama de lelte que o
tenha bom e com abundancia : na rua do Queimadn,
ii. 17, segundo andar.
D. Anua Victorina de Mello, propotarla do enge-
nho Queimadas na frrguezia de Una cumarca do RIO-
FORMOSO faz publico que se acha procedeudo ao in-
ventarlo dos bens que ficaram por morlc de seu marido,
Cosme Jos de Mello ein o juizo dos orphos daqurlla
comarca: quem, portanlo, se julgar errdor doseu casal,
. I o, i ia mandar quanto antes proceder a necessaria. jus-
tificacodr suas dividas em o referido juizo afim de
que pelos lucios legaes Ihe sejam adjudicados os bens
nccessaiios para pagamento das inesmas.
Jacintlio Jos de Mello embarca para o llin-dc I.inoi-
ro o seu escravo de ome Germano.
D-se dinheiro a premio com pinhores, me sino em
pequeas poredes na ra dirQuciiuado, n. 14, se dir
quem d.
Prccisa-se de un feitor para urna olaria perlo dcsta
praca, eque tenha os quesitos seguiles : que nao seja
milito moco, e esteja sent de familia, praca e empre-
go publico, e que esteja j acoslumado a vida do campo
.-ent. aula alguina cnisa ,: e na i ia : os que se acharen!
nestas circunstancias, dirijam-se a rua larga do Rosarlo,
n. 18, que acharan coin quem tratar. ,
-Perderam-se 200/ rs. em cdelas de papel branco, da
11 p.ii litan do sello al ao largo do Terco n'as Ciiico-Pon-
tes c dahi pela rua das Agoas-Verdes, na Direita onde
se deu por falta: quem as achar e quizer restituir to
smenle metade dirija-se a rua das Uarangeiras, casa n.
5, segundo andar.
Quem aiinuncioii querer trocar urnas imageus, di-
rija-se a Fiira-dc-Poi tas, rua do Pilar n. 145 Na mesma
casa tambein se vende ou troca-se por outro mais peque-
no um oratorio novo viudo do Porto, obra de limito bom
gostn.
O tbesoureiro da irmandade de .Y S. do lioni-Parto
faz s.-lente a todos os irinos da mesma irmandade, que
ha quatro metes que elle tbesoureiro lem pedido mesa-
de contas, e nao tem sido possivel os mesarlos se reun-
i .ni por avisos que se teem publicado para lal fun;e por
sso faz o presente para prevenir algumas duvidas futu-
ras, que porvenlura possam apparecer. E pede ao juiz
da mesma irmandade d providencias a tal respeito, a-
fitii de seren ditas contas turnadas.
Amaro Goncalvcs dos Sanios embarca para o Rio-
de-Janelro a sua escrava crioula, de nome Escolstica.
A pessoa que auiiiinciou no Diario de 18 do corren-
te querer comprar una luja de miudezas coin poucos
fundos, querendo uina nestas circunstancias sita no
Aterr.o-da-lla-Visla dilija-sea iiiesma loja, n.58.
Prelcndc-se alugar um primeiro ou segundo andar,
ou lamn ni tuna casa de um s andar, para nina fami-
lia, cm qualquer un dos bairros desta cidade nao
sendo em ras exquesilas, e paga-sc beiu : quem o ti-
ver annuncie por este Diario.
= Un iapaz brasileiro se oll'erece para caixero de
qualquer cstabeleciuienlo (excepto venda) : quem de
seu presumo se qui/cr ulilisar, dirija-se a rua das Cin-
co-Ponas, n. 102.
-- Jos Certreme de Sousa, Portugus, rrtra-sc para
1848.
0 imperador da Austria, desgostoto sem duvida das
scenas que ein o dia 15 de majo tiveiam lugar na capi-
!..?k \ .?' ",e,tcu-se >"> 'a 17 cm um carrlnho
oMcobeiio, elle e a imperatriz, e atravessando as ras
ae vicua sem que ninguein tivesse conhccimenlo de
CONSULADO PMOVINCIAL.
RENDIMENTO DO DIA 18..........621/320
.^ovimonto do Porto
Navioi entrados no dia 19.
Genova ; 48 dias, polaca sarda OaVi, de 260 toneladas,
capitn Pedro Rebulla, equipagem 14, etn lastro ; a
Le Bretn Srhramm.
Ilha de Fernando-dc-Noronha ; 3 dias, brlgne-escitna
de guerra Legalidad', cnminand inte o capito-tenen-
te Joo Custodio de Hondain.
Navio ealiido no meimo dia.
liahia; brlgue Inglct Veitel, capilao Williain Taylor,
carga a mesma que trouxe.
PUBL1CAGV0 AGRCOLA.
Saliio a lu e achs-se venda por i$
rs ua li vi aria ila praca. da Independen-
cia, ns. 6 e 8, o manual pratico do fa-
bricante de asnear, tendo por epigraplie
o pioverbio quem quer os fitis quer
os nicii-s ; obra interessantissima para
os nossos agricullores.
sg*ewaiaeB^(^aHagBBaBiBHHr
Avisos inaritimos.
O brlgue SociedadeiSihe para o Rlo-de-Janelro at o
fim da presente semana: anda tein lugar gara receber
alguma carga, assim como escravos a frete c passageiros,
para o que tem exeellentes conunodos: trata-se com Jo-
s Francisco Collares na loja de ferragens ao p do arco
da Conceico, ou com orae* S C, rua do Trapiche.
CASIMIR GARNIER U (.'.,
Relojoeiroi da rua Nova, n. 22,
acabam de receber pelo ultimo navio francez um sor-
liniento de reloglos do ultiinn gosto ; co|o betn, ade-
recos, brincos, aunis, pulseiras, etc., e tambein relo-
glos deouro, inglezes, suissos e correntes paraos ditos,
e chaves com siietes.
Prccisa-se de pii-t is para venderem pao pagando-
sr-lhes a vendagem sendo sb responsabilidailc de seus
senhores na rua Direita, padaria n. 26.
Precsa-se de dous officiaes de charuteiros, pa-
gando-sc-lhes a 180 rs cada cento : na fabrica da rua
Direita, u. 36.
Aluga-se uina csa terrea cm qualquer rua cujo
aliigui'l nao exceda de 8/a 10/ rs.: quem UVer annun-
cie ou dirija-se a rua linpeiial, n. 63.
Tendo o Sr. Pedro Alexandrlno da Costa, lavrador
do engenho Pantorra, mandado ao Sr. Manuel Caldas Br-
relo uin prelo de noine Jos crioulo, pata o mesiiio Sr.
Caldas aqu o vender ; aconleceu o preto no dia 30 de ju-
nho fugij, o qual foi encontrado no niesmo engenho Pan-
torra: e assim roga-se a quem o pegar,,.de o levar a rua
da t aU.ula, n. 2, que receber 50^000 rs.: c tambein se
roga as autoridades e capites de campo, o apprehen-
dam no caso de ser encontrado. O preto tem os seguintcs
slgnaes.' brm preto, beicudo, falta fina, (rentos limados,
estatura regular e grosso do corpo.
A


Precia-sc de um fcitor para fra da cidade: prefe-
rf.sr quem entend do servico de o ninas: a Tallar no
Rerfe, rua ''a ''a('eia casa 53, laja de faiendas.
.. Kurlaram do to do Sr. Porto, no Manguinho-Papa-
frra,'abbado,15docorrcnt, oito horas da nullc, urna
casaca de panno preto qe linha ni tini boleo una car-
'!, He algibeira, roxa, com duzentos e lanos mil rls
cr iiiaisalgumas de dez, cinco, dous emn mil risy Harta
'rainlamben na inesiua occasiao um par de pistolas com
' fechos cobertos: quem descnbrir o ladro ou eale rou-
l'i',. levando-o no mesmo sitio, ser generosamente grati-
,icad' ATERMO-DA-BOA-V1STA N. 16
l'ommaleau, cutilleiioe armeiro
ilavcl publico que re
sortimento de ar-
supeT
,emahonra de partici;
cebeu de Franja pelo
mas francezas, espingardas, pistolas de monlarl
rimes tsnotetas de marca G, tudo quanlo perlence a cu-
au, cuUUtiioean
i|.ar*n respeilav
iilwinii navio um
aulas, pistolas d
... irea G, pudo quat
tdlaVia,'Tus avalhas dasquaesse garante aqualidade,
estoios com todos os pertcnces para homem, brides, es-
coras, chicotes, bengalas, estribos, cabecadas, polvari-
nlios, chmbenos, esponjas grandes, massa para arlar
navalhas potei de banha preparada para conservar o
huiro do ac e prohibir que se enferruge, fundas de lo-
das as qualidades e IWllos, assim como oulras multas fa-
icndas, ludo por preco commodo.
- A pessoa que liver 0 segundo drama pastoril que
fui ltimamente representado ua Natalense, dirija-se a
rua da Palma em casa de Pedro Baptista de Santa Rosa,
que far todo negocio que fr conveniente ca a copia
do memo drama. .
-Atrs d.. IheattO. a cochclra de Joao da Cunta Rclf,
vende-seum bom cavailo, proprio para carro c sella: pa-
ra carro, por ser milito grande, manso, bastante gordo,
srm mancha iiom achaque, e bem novo ; para sella, por
rr ni"''" bom passeiro e galopar da inelhor forma :
vi'iide-se outiw proprio para senhora, extraordinario
em andares, sem que o oavalleiro Ihc conheca a menor
falla. Nesta mcsina cocheira ha outros cavallos reuda,
e lambem se alugaui para passeios e viagens.
Jos Miguel dos Santos rctira-se para torada pro-
vincia, e avisa pela segunda vez a quem c julgar eu
i-redor haja de comparecer no sabbado, 22 do correntc,
julho. ua Lingoeta. venda n. 5; assim como ruga a to-
>a* o Srs. que llie sao devedores. hajaiu de llie pagar
' 11 i 3 : do conlriin, julga de necessidade dcixar
um procurador para cobrar pela brevidade de su i
viagem.
Francisco Jos de Sou/a Coreixas retira-sc para
fura da provincia.
Joo Evangelista da Cosa embarca para o Rio-de-
Janeiro o escravo de nome Pedro.
-- O Sr. M. A. A. queira mandar pagar o alu'gucl de
i / : 111 /. -. i i casa em que iiiuu uiis se publicar o
asi ii nome.
"'__Offcrcce-se um caboclo de 18 anuos para todo o
E'tcvIco de cavailo : na rua do Livramcnlo n. 19.
Alugam-sc mobilins da forma que convier ao fre-
|iiel, pagando iiiensalmenie ; bcni como cadeiras para
ollicios e festividades por preco mullo comiiiodo : na
ruVWova, armazein n. 67.
Jos Snares Pinto Corrcia fax publico que deixou de
vender bebidas espirituosas em sua venda, desde o
dia I.1) do crrante em diante.
Preeisa-se de una ama de leite forra ou captiva :
na rua do Vigario n. 20, primeiro andar.
Joaquiui Goncalvcs Maya de Azevcdo relira-se para
fiira lo imperio.
Kernardino -I.uiz da Costa relira-se para fra da
provincia.
DENTISTA.
M.S. Mawson, cirurgio dentisla, leni a honra de an
mi na ii a.i rcspcitavrl publico ,quc contina a exercer
i luilas as operacoes inherentes a sua profisso, como se-
ijiin : tirar denles, chumbar com ouro e prata colto-
Icar denles novog mnis perfeilos e duradores do que os
proprios naluraes: ludo com a malnr porfolfSu pussivel,
e com a inaior cetninndld.idi' em precos na casa de
I -ii i residencia na rua do Trapiche-Novo, n. 8.
-- Pelo juizo dos orpUcis, nos dias 17, 20 e 24 do cr-
ente, vai a praca de renda, por um iriennio o engenho
I Amparo, silo na ilha de Itamarac, juntamente 14 es-
Icravos robustos e de todo o servico, cujo engenho, alm
I do fabrico de assucar, lem mais os seguinles ramos lu-
i i ir. us, como lie ni : ral lima i em ponto grande ; tres
salinas e viveiros, e grande quaiilidad.c de ps decoquei-
ros, que lian 11 ni i ii-., com a grande vanlagcm de ser to-
llo o .i-ii transporte embarcado para o Recife c oulras
umitas vantagens : os prelendentes dirij.iui-sc a rua do
Hospicio, n. 21, para se Ihes darem as inforuiaccs exac-
| las a respriio.
-* Precisa-se de 4 serventes de pedreiro para urna
I obra na estrada da Magdalena entre a ponlczinha c
I a ponlc Grande sendo o jornal de qnalrn rentos e ol-
lenta rs.": quem liver, ou'tpdos ou alguns pode dirigir-
se a rua Imperial n. 79.
O abaixo assignado na qualidade de testamente!-
o do finado Jos Pereira Teixeira avisa a todas aquel-.
Ilaspossoas que se julgarcm credoras do dito finado ,
[que lia j.mi de apresentar sua cotilas legalisadas no pra-
liode Indias, visto que se est procedendo ao inventario
| dos bens do mesmo finado. = ReciTe, 13 de julho de
1848. = Joaquim Antonio dos Sanloi Aniraile.
* Pugi, marecneiro francez,
I na rua Nova, n. 45, acaba de recebnr, pelo navio Zi-
i'm, um sortimento de trastes .le mogno, domis
.moderno goslo ; bem como Tullas do Jacaranda,
lli-y.'in> e oulras madeiras do folear ; Termnenlas
Ipropijas de marceneiro ; n papel de licha. O mesmo
Isecncarrega do. Ta/.er loda aqualidade do mohilia,
que se poder dosejar, por ter roceljido desenlio das
mobilias modernas que agora se usain em Franca.
m
11
$##l
Aulas de primeiras lettras
O abaixo assignado com aula de primeiras, *
na Iravessa do Veras no bairro da llua- Yi-t i, *?'
contina a receber meninos de ambos os se-' ^js
xos tanto pensionistas corno externos me- >?W
este \v
I dianteuma relribnifio mdica sobre os meni-
nos que d'ora em diantc Ihe Tor confiada a
sua i-duraran, c .-linda mais quellcs cilios pas
niu sejam abastados em fortuna ; por sso no-
vaiiiRnt convida ao publico e especialmente
aos seus amigos tanto da praca como do cen-
i^S] tro que desejarem a iiistruccaode seus filhos
>> cun deerncia e presteza o procurem a
'fi\, fi m.
M' O annunciante lisonjeia-sc de ter recebido
I em sua aula ( durante o periodo de II annos
* que rxerc-e esle magisterio; grande numero
de meninos de pessoas gradas desta praca e
para certificar o regime e boa ordem de sua
aula, basla ser publico a sua estada nella per-
manente nao se empregando t-in outros a la-
za-res nos dias otis. roliearpo Nunts Corrra.
J
A*
Q
m
j
%mmm^9B
o
&
Wy'^9
-- Precisa-so alugar um prelo que seja boni co-
peiro para o servido te urnas familias estrangeiras :
na rua do Trapiclie-Novo, n. 10.
Fiiiiiiio J. F. da llosa, na rua do Trapiche, n. 44,
no seu escrlplorio ,' lem para vender lindos vasos es-
tallados para jai dim por preco inulto coinmodo as-
iiii como o genuino vinlio velhoda Figuelra. para quem
' ln- api i riar tanto no pipas como em barrls: os
l^'eU'iidentes entendain-se coiii o annunciante lodosos
I o..is d,is ill horas da manliiia ein diantc, no caes da
allar lega.
Prceisa-sc de um criado nacional ou cslrangeiro,
le jaiba govT-arfcarrb : na rti do Hospicio, n. 5.
Roga-se aos Srs. possuidores de
lettras descontadas por empregados da
tliesonr.tria provincial, em nome da ines-
ma thesournria, queiram reunir-se quar-
ta-feira, 19 do corrente ao meio-dia, na
sala dassess5es da associacao commercial,
levando as mesmas ledras para se rela-
cionaren), e resolver o que convem fazer.
Precisa-e lugar um escravo para carregar pao e
faicr o mais sc>vic.o de urna casa pagando-se-lh'e meu-
saliucnteoque se ajustar : na rua do Pires, padaria
n. 44.
_ A pessoa que, por engao, levou da porta do sa-
laoda entrada de palacra no dia 15 de julho um cha-
peo de sol, de seda novo armaca de ac cabo de
osso com urna pequea falba, queira ir trocar pelo seu,
taubem novo que dcixou na rua do Rangel, n. 42.
Appareceu, no sitio de S.-Amaro-de-Agoa-Fria ,
um escravo que diz chamar-se Luiz c seu senhor ser
lu/. Joo da Costa morador na rua Direita cujo es-
cravo (diz elle) fra vendido por sua senhora, D. Luiza
da Conceicao viuva de Joaquim Mannel Goncalves. Es-
te escravo fol procurar trabalho e dizia ser forro: a
?uem elle pertencer, dirija-sc ao mesmo sitio, ou a
os Francisco de Souza, no 1 rapletle da alfandega velha,
certificando que se nao rcspoiisabelisa pela fuga c nem
por das deservico. ^ .
A cha -se a vendaifios lugares do sTis
iKljWio:
nil^rT)
I ume o segundo nniii^R do Capiba libe .
est verdaderamente'digno de ser lido
por todos os amantes da oidi-in; assim
como o segundo numero do Ecletico:
est hoin, mesmo bom. A elle, ao meio-
dja,nos lugares do cpstume.
^^ Precisa-ye alugar um moleque que
entenda alguma cousa de cozinha, com-
pras c o mais necessario de tima casa de
pouea familia : na rua da Cruz, nniweni
n 48.
^CHAPEOS"DE SOL
m
r.
'la do Passeio-Publico n.
Nesta toja ha presentemento um completo sorti-
mento do chapeos de sol modernos, tanto de panni-
nho como de seda Turta-cres o do mais cores co-
ndecidas; ditos para liniiu-iii, senhora, meninos o
meninas ; gtianla-chuva para o tempo de invern ; e
guarda-sol. F.steschapeos silo tilnliem construidos,
quo se afianza a qualidade ; sao de marca grande,
com 32 pollegadas e proprios para este J.omfio por
serem de seda o de panninho trancado. Nesta fa-
rica ha sedas de cores e panuinhos trangados e
lisos de tu-las as cores para colirir qualquer urma-
?So de chapeo do sol : lambem secoucerla qualquer
chapeo do sol, c vendem-se baleias para vestidos.
"Trocam-se um Menino Dos, Sanla-Auua, San-Joa-
quim c o Senhor Cruxilicado : quem liver aununcie.
No 4tenv-da-Boa-Vista, 11 G4.
O armador e estufador participa ao respeitavel publi-
co que em sua casa se,po4>*l,---- ?-*--..lirados
para caniimrSncer.as", oude qualquer outro fellio ; di-
tos de janellas ,tudo do mais moderno gdsto que lia;
colchdcs de molas ; ditos Oucos multo frescos : respon-
sabilisa-sc, nao estando as obra perfeilas a fazercm-
se oulras ao goslo dos Srs. compradores.
O abaixo assignado faz sciente aos
seu's amigos e freguezes que miidou a sua
lojt de relojoeiro para a rua Direita, loja.
do sobrado n. 29, junto botica do 8r.
l)r. Ignacio Neiy da l'onseca.
Joilo Antonio de Saboia
Obras dt cabello.
rio Magnutn Lexicn e Fonseca, francez em qualquer
estado que se achem ,' com tanto que Ihes nao l'.iltem
l'.'llus: na rua de S.-Francisco, outr'ora Mundo-Novo
n. 66.

Vendas.
Fazem-se, no Aterro-da-Hoa-Vista n. 2li, segundo an-
dar, todas as qualidades de obras de cabello, como se
jam : trancelins para relogio e lonetas de todos os mo-
delos ;nl.-i e.-iis pulseiras brincos, alfinetcs c cres-
cenles etc. tudo : por preco commudo.
Aluga-se o segundo andar do sobrado da rua da
Moda, com commodos para grande familia : a tratar
ua rua do Vigario 11. 5. .
I'recisa-se de urna ama de leite, pa-
ra dar leite tirado a urna crianca : na rua
indo pela rua da
Formosa, quinta casa
Aurora.
Fugio no dia segunda-feira, 3 do
crtenle, um preto fula, por nome Mau-
ricio, baixo, grosso, cabello pegado ;l le-
vou -in <|iiiirl'iii ruco-escuro, magreirao,
que tem um carrego ; lambem furlou
urna cangalba e levou um facao. Kste es-
cravo foi do Sr. Francisco Antonio Gaio
Jiiuior, senbor do cngenbo Buenos-Ay-
res, e be muito conbecido para as parles
dono.ite : lem de id ule .') i anuos. Quemo,
pega/, leve o a Antonio de Paula Souza
Leo, senbor do engcnbo das Matas, na
freguezia do Cabo, que ser bem recom-
pensado.
Quem precisar de um ornamento usado, com calix,
pedra e missal, aniiuncic.
Compras.
Um lindo molecot de naco, de iS
annos de idade, ptimo cozinbeiro e bom
copeiro ; um dito de idade de 20 annos ;
um dito crioulo, com principio de sapatei-
ro ; duas negras de roeia idale, or pre-
co commodo ; um lindo pardo el
idade de 22 annos, ptimo pagem; um di-
to de 25 annos ; um dito de meia idide,
por a5o|oo0 rs. ; urna negra que emgom-
ma, cose e cozinba ; una bonita pardi-
nba ; inna preta de meia idade, boa la-
vadelra, tanto de sibao como de varrella;
urna preta de nacao Costa, e outros es-
cravos que se mostraro aos comprado-
res : na rua das Larangeiras, n. 1/1, se-
gundo andar
Vende-se cevaduiba muito nova,
em garrafes de urna arroba : no arma-
zem da rua di Cruz, n 48.
Vende-se tuna escrava parda, de 31 annos de idade,
com niuias habilidades, menos engommar, c que he de
n un conducta exemplar, com duas lilhas claras c muito
bonitas, una de sette annos, a outra de cinco, cujas es-
cravas so se vendem a pessoa que as queira possuir;
vende-se por seu senhor se retirar para fdra do imperio:
quem as pretender dirija-sc defronte do oitao do thea-
tro novo, n. ll.
Vende-sc um escravo da Cosa, inda 111090, bastan-
te ladino ; una escrava de nacao de 40 anuos que sabe
cozinhar, lavar de sabao c varrella, e vender na rua; dous
sellius novos patente ingles ; dous sellins novos Irnos na
trra com todos os pertcnecs: todos estes objeclos se
vendem por coinmodo preco, por seu dono- se retirar
para fra do imperio : a traler, defronte do Ibcatro no-
vo, 11. II.
Charutos da fahia.
\ ri.il, in-sr os melhores charutos da Babia, na rua da
Cadcia do Recife, primeiro andar, n. 48.
Vendem-se pianos de muito boas
vozes e da mais moderna construeco,
por preco commodo : no armazem da rua
da Cruz, n. 4^-
Vendem-se, no armazem de Francis-
co Dias Ferreira, defronte do caes da \l-
fundeg, canastros com muito boa batata,
ebegada ltimamente, por preco commo-
do.
Vende-se, or Ki^iis.'-.''- ; .|auoi,
um esjri>- -v. de bonita figura, sem vicios nem
qucs.'e'ritendcdordcplaiilacrs
do Hospicio, 11. '.1
c bom hurtelo : na rua
guinsa
Compra-se um apparelho de cha superior e duas ca-
mas para casal, sendo ludo em bom uso e por preco
commodo : na travessa do Qiiciinado, venda n. 3,
Compra-sc ouro e prata mesuro em obras quebra-
das : na ruado Queimado, n. 14.
Compra-se una loja de miudezas com poucos fun-
dos com as fazendas 011 sem ellas : quem tiver annun-
cie, para ser procurado.
Compram-se, na padaria do* Manguind, 2 ou 3
vacras de leite : sendo boas pagam-se bem.
__Compra-se una duiia de cadeiras de Jacaranda,
um supla e duas bancas, ainda mesmo em meio uso :
quem liver annuncle
Compram-scescravoi de ambos os sexos de 12 a
30 anuos ; pagam-se bem : na rua Direita n. 3.
-- ( ompram-se.oii trocam-se por outros quaesijuer
llvros a traduccao de Horacio, por Joaquim Jos di
Cosa c S, e"liesptro"DQreinpe-; assiin Jcomb dicciona-
Na rua das Cruz.es, n.22, segundo andar, vendem-
sc5 escravas sendo : duas lindas pardas que engom-
10.110 cosen) chao, 10/ iohaio c lavam de sabiio ; dous
lindes molcques para todo o servico de 16 a 18 anuos ;
urna preta de 30 annos que cozinha lava e vende na
rua.
Vende-se una muala moca, de boa conducta, sa-
brndo cuzinliar bem, engommar, lavar, coser, e todo o
mais servico de urna casa : na ruada Cadeia de Santo-
Antonio, n. 21.
Vende-se nina bomba de cobre j;i usada para ca-
cimba ; na rua larga do Hozorio, n. 20.
- Vende-se cera em velas sortidas, fabricadas em Lis-
boa : no escriplorio de Firmino J. F. da llosa, rua do
Trapiche, n. 44.
CASA DE MODAS FIUNCE7.AS.
A. MILLOU1AU.
Alerro-da-Koa-Nista, n. 1, primeiro andar.
Neste estabelecimeiito especial de modas lia siem-
pre para o escolhimcnto das senhoras um grande sor-
timento de chapeos de todas as qualidades c cores ; ri-
cas filas bieos de todas as larguras ; collerinhos ca-
misinlias e ioucas as inais em moda, e recebidas pelo
navio Ceiar ; e outros iituitos objeclos que se vndenlo
or 11111 i ni barato preco : lambem sciuprcsc fazeni cha-
pese toucas para senhora, da ultima moda e com
proinpli.l.io.
Vende-se urna escrava de bonita figura sadia e
sem vicios nem achaques por isso propria para todo o
servico : na rua da Florentina, 11. 3.
Vendem-se os muito bem fe i tos sapa
toes de lustro, francezes, pelo barato pre-
co de 5s'ooors. o par ; bem como borze-
3,6oo; e S3patos de marroquim
para senhora a 1,120 rs:
di ia do Recife. n. 35.
Vende-se cerveja
bocea de prata, em barucas c cestos : vi-
nho de Claret, Xeres e Porto, em Caixas
de 11 m duzia cada umn ; .e Cbampanba
da verdiideira maica Cometa, ullimu-
nieiitecbeg.tda : na rua da Cruz, n. 17,
armazein de C. J. Astley.
SAI.SA-PARRILHA PESANDS.
F.sle excollente remedio cura todas as onfermi-
dades, as quaes silo originadas pela impureza do
san gao, ou dosystema ; a saber :
ICscrol'ulas rhoumatismo erupr0es cutneas ,
brcbullias na cara, hcmorrlioides, doen^as chroni-
cas, brebulb'as, bertueija, linha, inchoQOes, dores
nos ossos e juntas,ulgaras, dootiQas venreas,citica,
enfermidades que alacam pelo grande uso do mer-
curio, lndropisia expostos a urna vida extrava-
gante Assim como chronicasdesordena da cons-
tituic.lo serilo curadas por esta tilo til o appro-
vada medicina.
llio-de-Janeiio U de dczoinbro de 18*7.
Sr. Frederic H. Aouthworlk.
-Teudo eti lido no Jornal do Commtrcio onn Mari-
do Kio de Janeiro por diversas vezes annuncios da salo
sa-parrilha do A. II e l>. Sands que so vendo na
rua do rtozario, n. 79, por l'redcrico II. Southwortli,
a"?ste me dirig e Ihe comprci urna caixa com 12 vi-
dros-d dito-extraclo e jtfhando-me cora um ran-
na rua da Ca-
bail
urgueza
de tumor no sovaco do brago direito parte do pe
to, soffrendo immensas dores.por todo. ocorno ^
deliberei a lomar o extracto da dita aalaa ; o teir,
tomado dous vidrose usando delle, logo a segn
do v.dro conheci immensas melhores, o ntm",.
do, liquei perfeitamente bom ; ltend.r "'*""
amigos ineus felto uso do dito extrv o para rheu
maiismo, tem no uso delle por flm de terem "o
8 a 10 vidros ficado bons. do que lem resulUdo man
darcm-me do difTercntes partes oncommenaas iia
dita salsa para fra dcsla corte a .livcrsosque leem
eifto uso della e se tcem restabelecido perreilamenie,
o mandando-me agradecer, assim considero ser utn
acto de bumanidade e oliriga^Ro minha fazer puoii-
co tilo efucaz e salutar remedio. Joaquim ferreira
deSouta Flores. .,
Hcconhego verdadeiro o sigua I supra. l0 >
dede/.embro de 1817. Em lestemunho de verda-
de 'Joaquim Jott de Catiro. >
Vende-se nicamente em l'ernambuco na bouca
do Vicente Jos de Brilo, na rua da Cadeia do Re
cife
Lotera do flo-de-Janeiro.
aos -jorooosooo of. rs
Vendem-se billietes da lotera a beneficio da fabrica
de papel : na ru* da Cadria do lleclfe, u. M.
finas grandes vistas de Pernumbuco^
proprias para ornamento de sala em fumo e coloridas ,
urna lomada do forte do Hrum c a outra da ladera da
Misericordia, em Olinda muito bem acabadas e fei-
tas igualmente a beneficio da sociedade da lienettclen-
ciaAllema e Suissa : estao a venda no armaiem de
K ilkioiiiin & Rosenmund, rua da Crua. n. 10.
Vendeip-se ptimos presuntos para fiambre,chega-
dos ltimamente : no armazem de Kaikmann Kn-
s r o ii ni mi, rua da Cruz, n. 10. '
MEDICINA UNIVERSAL.
.'ilulis eg(-la-es Je James
,^o son.
A medicina vegetal universal he o resultado de 20 j
annnsde investigar/Oes do clebre James Morison.
Por mcio destas pilulas consegio sen autor inn-
meras e admiraveis curas desdo as aflecroes quo
atacan) as criancas de peilo al as molestias chroni-
cas do anciio.
A Europa saudou esl remedio como remedio uni-
versal para todas as doengas, e al boje ainda no
fui deamenlido tal titulo.
EBta medicina vem acoinpanbada de urna roceita_
que ensina e facililla a sua applicagno. Consiste em.
tres picparagoes, a saber : duas qualidades de pilu-
las distinctas por nmeros, euin p cadaqual goza
de modos e acgOes diversas.
As pilulas n. 1 silo aperitivas ; purgam sem abalo
os humores biliosos e virosos, e os expulsam com
otlioacia.
As do n. 2 expulsam com csses humores, igual-
mente cotn grande Miga os humores serosos, acres
e ptridos; do que o sanguo se acha a miudo infecta-
do ; percorrem todas as- partos do corpo, eso ces-
sam de obrar qnaiulo leem expulsado todas as im-
purezas.'
A lerccita preparagao consiste em urna limonada
vegetal sedativa no operativa tiium*r.iiia <. -'-
gante : torna-se em commum com as pilulas e lacu-
lita-lhes os melhores efteitos.
A posigilo social do Sr. Morison, a sua fortuna 10-
depenilenle, repellem loda a ideia do charlatanis-
mo ; o as admiraveis curas, operadas com o sea
svsloma no collegio desnude de Londres, sao mais
que garantes da elcacia do sen remedio.
Keconimenda-se esta medicina, que nao pede nem
resguardo do tompo, nem de posigHo da parte do
tlocnte a lodos os que, atacados de molestias jul-
gadas inciiravcis, se quizerom desengaar dasua
virtude.
Oxal que a bumanidade feche os ouvidos aos in-
teressadosem desacreditar estes remedios tilo sim-
ples tilo commodos c tao verdadeiros.
Vendo-so smente em casa de nico c verdadeiro
Bgentc J. 0. ElsWr, na rua da C.adeia-Velha, n. 29.
Vende-se urna famosa escrava com urna cria pro-
pria para ama de Icilc, e que lava, e he quilaudeira :
na rua da Paz, cosa junto ao lampeo iudo da rua, do
Cano para o porto da Hoa-Vista.
T'arinha de mandioca.
No armazem de farnha da rua do Collegio, n. 21 ha
urna porco de saccas com fariuha nova e de boa qua-
lidade por preco commodo.
Vende-se superior cha brasileiro,
na loja. de Guerra Silva &C. chegadoa-
gora do Rio-tTe-Janeiro : na rua Nova,
n. ti.
Vende-se urna linda mulatinha de
18 annos, com urna cria ; urna negrinha
de ia annos ; e um moleque de 7 annos :
ni rua formosa, quinta casa, indo pela
rua da Aurora.
Vende-sc farinha de mandioca de boa qualidade.
em alqupires, tanto em porcao como a retalho, por pre-
co commodo : no beceo do Carioca armazem de portal
larga, n. I.
Vendcm-se caixdcs de goiaba fina de b em arro-
ba a 800 rs. : no pateo do l armo esquina da rua de
lionas lado direito, n. 2.
Vende-se urna mulatinha com 12 annos, propria
para alguma srnhora que a queira educar, por ser mul-
lo bonita, de bom genio, e muito humilde, a qualj co-
se um vestido de senhora, assim como camisas de ho-
mem : na ruada Penha, confronte torre do Livramen-
to, n. I, primeiro andar.-
~ Vende-seum piano de muito boas vozes e de bem
conhecidosautores porprefo muito commodo: na rua
do Vigario, n. 4.
Vende-se um preto de 22 annos, de nacao, proprio
para cadeirinha por ser alio e de bonita figura : na rua
da Penba, confrpnte a torre do Livrainento, n. 1.
Vendem-se dous molecotes mu lindos ; urna pre-
ta de 30 annqs que engomma e cozinha o diario de
una casa una dita de 30 annos perita engoininadel-
ra cozinheira de toda as qualidades de comidas si-
sados de Torno e faz todas as quididades de doce ; uma
parda qiie cozinha o diario de urna casa engomma liso
cose alguma cousa ; urna negrinha de 16 annos, multo
linda, que cose sofl'rivel, he inulto esperta e de boa con-
duela, o que se aliauca ao comprador ; moa dita muito
robusta propria para o trabalho de campo, por ter
disto pralica : na ruada Penba confronte a torre do
Livrainento n. 1, primeiro andar.
__Vende-se um bonito moleque de 18 annos sem
vicios; dous prrlos ptimos para o campo sendo um
dclles bom ferreiro uma dito bom ganhador de rua;
una booita preta perfeila engoinmadeira costureira ,
cozinheira e que nao tem vicios ; uma negrinha mul-
lo linda de l.'l anuos he recolhiija c tem algumas ha-
bilidades ; duas pelas para todo o servico de casae
campo ; um preto de meia idade ptimo para sitio ,
por preco muito em cinta ; na rua do Vigario n, 24, jq
dir quem vende,

MUTILADO
-5
a
a
ILEGVEL


Verulem-se trinta varas de btbiiV ^ffl?!8 JKTS 8*5? LuTIfjS
de linho de palmo de largura, pelo dimi-
nuto, preco de 4>ooo ": na ra do Quei-
inado, loja n. 17.
1

1
Cera de Lisboa
Na rua da Cruz', n. 6p, vende-se a me*
llior cera que ha no mercado, em caixas
de todos os tamanhos, vontade dos com-
pradores, e mais barato que em ontra
parle.
A 200 Rs. O COVADO.
No novo armazem de fazendas
de llaymutulo Carlos Lcite,
na rua do Queimado n. 27,
.11 ha-seo melhor algodSo trancado azul proprio
para ruupa de escravos a 200 rs. o covado e em
pecas a 280 rs. a jarda o qual se torna recommcn-
davel pelo mullo corpo uo ter gotnnia ser muito
largo e de cor (xa ; ptima chita preta forte a
5,800 rs. a peca ; engranados pannos de mesa de
algodilo encarnados prctos e grandes a 3,200 rs.;
ptimos briol trancados de linlio, a 1,000 rs. a vara ;
lencos de cassa de cores, grandes, para senhora a
480 rs. ; ditos de seda para meninos, i 610 rs. ; ex-
Collenle alpaca delinho ; chitas linas do ultimo cos-
to ; e todo osortimcnto de fazeodas linas e grossas
para vender por atacado c a retallio o mais barato
possivel.
Champanha C & C.
Vende-se champanha desta afa-
madi marca em casa de M c. Calmont
& C. praca do Corpa-Santo. n. n.
Vende-se um pardinho de Idade 18 annns, cnm
principio de alfaiate, ptima ligura, e de muito boa
j.....--i
conducta
alfaiate,
na rua do Vigario, n. 25.
!sooo rs
loja
!!.
8
SapatSes de tres solas-, a
>o Aterro-da boa-Vista
vendem-se saplOesde tres solas, pelo di-
minuto preco de isooo rs.
A isooo rs.
ancorelas com azeitonas superiores : ven-
dcm seno caes da Alfandcga armazem
n. 7, ile Francisco Das Ferreira.
-- Vendem-se calas de maca rao inulto bom a 3/000
a caia de 25 libras : no armazem de Francisco Dias Fer-
rol ra.
= Vcndem-e6 duzlas de cadeiras com-assenio de
palhinha a que sao multo faites todas ou a duzias :
ni rua das Trineheiras, n 36.
Vendeiu-M caifas c meias ditas de laa de diversas
odres padroes, do melhor gosto que tem viudo do Rio-
de-Janeiro : na rua larga do Rozario, n. 4,
Rua do Queimado, n
Ihaes &
46, loja de Maga
rmao.
h
Vendem-se ricos cortes de cambrala aberta, a 4,000
rs.; ditos, a 4,000 rs.; ditos de casta de cor, a 3,000 rs ;
cortes de canibraia lisa muito lina, de 8 varas e meia, a
4,200 rs.; ditos de 3,200 rs.; loncos bordados, coiu blco.a
360 rs.; corles de cohete de fusto de cores, padroes mo-
dernos, a 1,280 rs.; ditos, a 800 rs.; brim trancado par-
do, de puro linho, a 600 rs ; merino prclo fino, a 3,000
rs.; cassade babadn fina, i ."Jiu rs. a vara ; chita de co-
berta de cor fixa, a 200 rs. o covado ; cassa lisa, a 400 rs.
a vara ; camisas de niela, das melhores que teem appa-
recido, a 1,400 rs.; muito boa fazenda para toalhas, com
4 palmos e meio de largura, a 600 rs. a vara ; setiin pre-
to lavrado, a 3,500 rs. o covado ; chapeos de sol de seda,
a 5,500 rs.; brim 'raneado' de rnrps, de mui ricos pa-
droes e puro linho, para calca ; lencos de setlm para gr-
vala ; ditos de seda decores; riscados franc07.es largos
muito finos ; ditos nglczcs; bicos largos c cstreitos ;
c rendas.
Vendeni-sc pautas das alfandegas do Imperio do
P-rasil impressas no Rio-dc-Janoiro : na rua da Cruz ,
11.20.
Vende-se Lizla potica, ou colloccao de poosias ino-
doru.is, de autores portugueses publicadas no Rio-de-
Janeiro por Jos Ferreira Monloiro conlondo o pri-
meiio volume 52 nmeros enin 312 paginas ; proco 2g
is Reccbem-se assignaturas^iara o segundo volunte ,
constando todoo anno de 48 dividido em 52 nmeros :
na rua da Cadcia do Recife, loja de Joao da Cooha Ma-
galhaes aonde j se cncuntraro os ns. 1 a 9. Na .mea-
to! Inja so coutinuaiu a rocobcr assignaluras para a
Chromcit-Litlcria, jornal do instrueco c recrcio por
proco de 6/ rs. por anno por 52 nmeros.
Vendem-se fazendas muito baratos nos
Qiiafro Can/os da rua do Queimado,
loja n. ?.o, de Teixeira Bastos & r-
melo ,
como soja.*.. istorcs oncorpados para calcas a 200 rs.
o covado ; loncos brancos de caita com risca em rolla',
a 200 rs. ; cortos do cambrala pintada para vestidos ,
fazenda lixa a 2#400 rs. ditos com alguin mofo a 2/
rs.; cassa chita lina e muito larga a 200 rs. o covado ;
dita superior a 400 r.; riscados largos em cassa com
algiim inofo a 200 rs. ; chitas brancas de llores a l20
rs. ; ditas oscuras a 160,200 o 240 rs. o covado ; uioias
para menino a 80 e 160 rs. o par ; ditas para meninas
a 320 rs. ; ditas para senhora de 400 a 560 rs. o par
loncos de seda prola para grvala a 1/280 rs. di los de
cores 0111 sellm para grvala, a 1/600 rs. ; ditos do fran-
ja para senhora a 2/5(10 rs.; luvas protas bordadas ,
800 rs. e par; camisolas do mola americanas, muito
boas a 1/600 rs ; e outras muitas faiendas por pre-
co couimodo.
Vende-se, ou arrenda-se o sitio de-
nominado Casa-Caiada na praia do
Jio-l)oce : a tratar no Forte-do-Mttos,
n.ia, com Jos Francisco Bclm.
nopasseio-fubuco,
na loja de Manoel Joaquim Pascoal Ra-
mos, n. l9, '
vendem-se muito superiores pannos finos, de todas as
qualidadei, a:y, 3/600,3^800, 4/e 5/ rs. ; sarja muito
superior a 2/.c 2/400 rs. ; merino, a 3/200 rs. ; alpaca,
a i/rs. ; lenfos do seda a l/rs ; cortes de casimiras ,
a (i/ rs. ; ditos de lia a2,500 rs. ; chapos de sol do
seda o 5/900 rs. ; e tudo o mais por preco rasoavel.
Vende-se urna ptima morada de casa terrea ,
ita na rua Augusu com mela-agoa para a rua do Ale-
crim ; um terreno Junto a dita com alicerces para
cerca de dnus mil palmos de fundo desde a rua do
Aleei un at a belra do rio : tudo por preco muito com-
modo : a fallar com Joaquim Teixeira l'cixoto na rua
da Concordia, n. 25.
Na rua Jo Queimado, n. 30, ha pannos de boni-
tas cores, proprius para palitos e aobi'ecasaca6, as-
sim como chapeo de castor, pelo barato prego do
5/000 rs.
Vendem-se acQes da ex-
mela companhiade Pernambuco
e Parahiba: no escriplorio de O-
liveira lrmos & C, rua da Cruz,
n. 9.
SUPERIOR FAIIEI.O, A *,000 rs.
Vendem-se saccas com farelo fino de Trieste, che-
gado ltimamente, o qual he o melhor de todos que
aqui tem aportado, por ser o mais nutritivo: ein casa
de J. J. Tasso Jnior, rua do Amorim, n. 35.
VENDEM-Sf
coileccoes de vistas de Per-
nambuco ,
sendo as da ponteda Boa-Vista,ponte do Recife.Dom-
Jesus, Olinda, Poco-da-Panella o Cachang, fei ts ao
beneficio da sociedade da lleneficencia allcmla e
suissa : no armazem doKalkmann& Rosenmund ,
no hotel l'istor, as lujas dos Srs. Lufa Antonio Si-
<|uira da Snra. viuva Cardozo A y res & Fillios, na
rua da Cadcia do Recife; nijs I o jas dos Srs. Santos
Ncves 6c Cuimaries na rua do Crespo ; do Sr.
de AleiqucrSimoes do Amaral na rua Nova ;
Sr. J. Chardon no Aterro-da-lloa-Visla.
A. sublime banha Jranceza.
Anda oxistem alguns potes desta sublime banha, con-
tondo cada um 2 libras por 1/600 rs. ; na rua larga do
Rozario, 11. 24.
Vendeni-sc 45 taboas de assoalho de amareilo,
l6dilasdecostadinlio 31 ditas de assoalho de louro :
na 111a da i'rala 11. 35, ou tratar as Cinco-Pontas ,
11. 34. Na mrsina casa vendem-se 16barril de mol de fu-
ro de 4 e de 5 0111 pipa.
Vende-se urna preta de 22 a 24 annos, que cngoni-
111a com toda a perfeico cose coziuha e faz todos os
mais arranjos de una casa ; nao se duvidando dar para
se experimentar: na rua do Rangel, 11. 11, prinieiio
andar.
Vendem-se escravos de ambos os
sexos, de bonitas figuras e setn achaques :
na rua do Crespo, n 4 ou no l'asscio-
l'ublico, n. 17.
Casimiras elsticas a G40 re'is.
Vendpm-se casimiras elsticas de algodflo e lila,
pelo haralo prego de 640 rs o covado : na loja nova
Corran, fresimes, d laja de Manoel
Joaquim Pascoal Ramos, no Passeio-
PjltlQ, n. ip.
Vendo-se poili uu uiJuS'l1 .W.....-."lar, a 200 rs. ;
algodao azul, a 200 rs. ; algodao de lislras, "Tr-f1
hila de coborta a 200 rs. ; riscados franeczes, a 200 rs.
uadapolao lino a 200 rs. a vara ; lucias, a 200 rs. o par;
chitas de assento escuro do coros filas a 120 140, 160
e 900 rs. ; riscados muito finos, a 240 rs. o covado ; cor-
tes de cambraia do quadros com 9 varas a 2/400 rs. ;
cassa-chilas de todas asqualidades a 2 2/500 3/ c
3/200 rs. o corte; lencos de soda para grvala a 400 rs. ;
ditos de cassa, a200 rs. ; chales de moliiii a I/rs.; di-
tos de laa a S/400 rs. ; e outras multas fatendas, por
menos preco do que cni outra qualquor parte.
Jos
e do
# ,' I/fwTSOoW o 39 'rsTTTTnrrn"* >. da daTireTT 'Dionisio .Icrloulo, de ISannos, bem tallante e dosen.ba-
Na loja que faz esquina para a rua do
Collegio, n. 5,
veudc-sc princeza larga preta muito superior pelo
barato proco do l/rs. ocovado ; luvas brancas finas, de
algodao a 120 rs. o par; ,-lm destas fazendas ha um
completo sorliiuonto de todas ai qualidades de fazendas,
ludo por preco commodo.
Vende-se cal virgem de Lisboa,
chegad 110 ultima navio, em barra pe-
queos, por menos do que em outra qual-
quer parte : na rua do Trapiche, arma-
zem n 17.
Vendem-se pecas de madapoln com 20 varas, mul-
lo largo c muito forte a 2?800 rs. o a rotalho a 140 e
160 rs. a vara ; chilas limpaa cilros fixas muito en-
corpadas o muito fortes a 5/ e 5/500 rs., o a rotalho
140 e 160 rs. : na rua eslreita do Rozario, n. 10, terce
ro andar.
C/ieguem aos novos riscados.
Na ruado I.ivramenlo, n. 14, vendem-se riscados mui-
to linos e de ricos padroes ; cassas pretas com flores en-
carnadas ; panno-couro para calcas; e outras inuilas
fazendas baratas.
Vendo-se cal virgem de Lisboa em barril de
arrobas chogada polo ultimo navio, por proco commo-
do : a tratar com Alndela & Fonsoca na rua do Apollo.
Casimiras lisas, a 2,400 rs.
cada covado, as melhores que tem vindo n esta praca.
no s pelas delicadas cores, como por ser perfeit
fazenda ; ditas de listras, vindas ltimamente d
Franca os melhores gostos o melhor fazenda que
ha a 9,500 rs. o corto ; meias casimiras a 3,500 rs.
o corte : panno preto e azul lino a 3,000 rs ; dilos
de cores, tle 4,000 at 5,000 rs. ; dito preto a 6,000,
6,500, 7,000 al 11,000 rs. que nada deixam a deso-
jar ; c todo osortimcnto de fazendas finas o grossas
que se vendem a retalho e.por atacado: mi rua do
ueimado n. 27 no novo armazem de Raymtindo
Carlos l.eite.
s.i iim|ii.ni ajqos clisme a
s.. ni.i soas-oerj -aiaoo epea seaiited .n.is apoajjd oinu
-|iii|p 0|ad sex[| saina ap 3 sag.ipedsoa|j jp opcpia
i i..> i- ainauuuijiin sepe9at|a sasudjsped sussea sbaou
se as-mapujA 'c *u oiuojuv-'S-"P oojb oe aiiioijuoa
' 'O JS S9PJVWV1Q 9p VOJ VU 9IJOO O
sj OftSt n sssuaisiJvdsvssuo svaou sy
Vende-se una exccllente casa terrea na freguezia
da Doa-Vista, coiq muito bous cominodos, grande quin-
tal com inuitos arvorodos de fructo : na rua que aira-
vessa para a Gloria, casa do lampeao.
- Na loja de Guirnares & C.
que faz esquina para a rua do Collegio n. 5, vendem-
se pecas de chitas do 38 covados a 3800 rs. a peca, de
sol 11 vil panno e padroes agradavcls. Dao-se as amos-
tras aobre penhores.
Vende-te urna preta lavadeira, quitandelra e que
fax todo o mais tervico de urna caa de familia com
dosembaraco e presteza : na rua Augusta, u. 54.
= Vcnde-se cal virgem chegada ltimamente de
Lisboa por preco mais barato 500 rs. que os outros *en-
derem : na ruado Guia n. 9.
Vende-se uin lindo niolecote de nacao, ptimo co-
zinheiro c copeiro e que no tem vlcloa nem achaque;
na rua dasLarangeira*, n. 14, segundo andar.
Vende-ie una preta crloula, de 26 anuos pouco
mais ou menos que coziuba, engomtna e cose softrivel;
sem vicios era achaques: na rua Direita, conlronle ao
oitao do Livrainenlo venda n. 4.
Vende-se a venda n. 86, na rua do Pilar o melhor
lugar de Fra-dc-Porlai, bem afreguezada com com-
modos para pequea familia o quintal, e ba outra con-
veniencia vantajoia que se dir ao comprador, a diphej-
roou aprazo com endossantc que agrede: vcnde-se
porque o sen dono oceupa-se em outro negoeio e quem
a administra nao pode coulintMr i a tratar na rua do
Queimado loja n. 21. -
= Vende-ie um bom violao encorduado com excel-
entes vozes por 6/ri. : na ruado Seve, teacelra casa
do lado direito.
Vende-se vinho do Porto de todas as qualidades,
empipas eem barris dequarto eoitavo ; i evada ; pain-
co ; pcncirai de rame; azeite doce; fechaduras para
porta de armazem ; retroz do Porto; coelros de algodao ;
meias de linho para honiem; panno de Hubo, azeilonas
em ancorelas; tudo por preco commodo : na rua do Vi-
gario, armazem n. 1, de Francisco Alves da Ounha.
Na rua de ygoas-Verdes, n, 46,
\ i'u/le-sr una boa escruude 20 annos ; 4 escravos mo-
90S ; duasesi ravas paaiBlo o servico c outroa escra-
vos que se vendem porTstcessldade.
Vendem-se 6 lindos moleques de 16 a 18 anuos; 4
prctos do 25 a 30 annos sendo um ddlles cozinheiro; 3-
pardos de 16 a 25 anuos, sendo umdelles bom carreiro ;
duas mulatinhas de 7 a i4 annos com principios de ha-
bilidades ; duas pretas do 20 anuos, com habilidades :
na rua do Collegio a. 3, se dir quem vende.
Batatas e ceblas. ^^
Vendem-se btalas eliegadas ltimamente d^FBHo
a 1/600 rs. a canastra c multo boas ceblas por pre-
to commodo : no arinazem que fol do fallecido drague? ,
na rua da Cadoia, n. 64.
Vonde-sc un tanque para deposito que leva 600
a 700 gales de oleo obra muito bem feita, e com pou-
uso : na rua da Treinpe, sobrado n. I.
\j -u oiB7oa ep B8ae| eiu eu : opoiu
-nin.i n.Vi ul jod 'soiaafqo so^nu sojino a sajn a m-.mi|
m.'ui ap sjpepnl) se sepoi ouioa uuq : acpjoq o jas
-oj ejed niir.iniii.uis o iixn moa si:.u,i;.i-a ui? uijqme)
! sczoaucij seui| sei||n3e sejiapepjaA se .'s-iii.ipii.i \
A a5J rs.
Vendem-se 4 vaccas que j] nao dao leile c que nao
osto maltratadas a 25/rs. cada uina sendo duas com
as respectivas crias : nos Afililos, silio da casa aiul ,
defronte da igreja.
= Vendcni-seduas corremos de ouro, 4 annele
una molida um Irancelim ,2 cordoes, 2 relogios urna
corrento, urna dita de prata um rico bahuzinho de
1I..U iui|.iurn i"ilii i.i\i .ul" umaseraphina de cxcellcntes
vozes propria para apreuder-se a tocar piano ou para
igioja : na rua do Queimado, n. 14.
Cfiegnem,frcguezes,a luja nova do Pas-
gem e chegados de Franca no ultimo navio : na rua rj.
relia, lnja decalcado ecouros do Mello.
CHF.GUEM, FRKGTJF.7.F.S, AS BO\S PRCIIINCHAS.
No Atcrro-da-U ia-Vista loja do fuuileiro, n. 85, dP
porta larga vendem-se obras de ll i odres muito bara.
tas como sejain: bacas par.i lavar meninos ; ditas p ,, ,
|i,'>; ditas para rosto; babs para ensturelra ; ditos j^
roupa de meninos e oulrai multas obras, por precia
muito em conla por scu dono relirar-se para fura da
provincia a tratar de sua aaude. I
Chocolate amargo de musgo islndico,
ou thesouro do peilo, preparado por
Mr. J. G. C.
As allecr.orn do peito offerfcin todas um syinptoma
geral e constante. A tosie ewa_ doenca t3o coiiunun,
quando descuidada, t;To graves sio tuas consequencias
quanto parece ligeira em eu principio, tao inhiadon
por si como toda as outras doenfas que consoinem
a espeele humana nao ti o lia para combate-la e destru-
la um medicamento especial e nico. Tadas as pastiihai
e xuroprs qucteeiu apparecldo ele hoje teem sidoim.
potente.
Nao tem acontecido isto com o chocolate de musgo
preparado por J. G. C. O principio que forma a sua ba-
se i>i un pal oO'ercce propnedades incontestaveis e re-
condecidadepoi de nimio tempo c niuguem ignora
ns felizet resultados da sua applicacao em todas ai
pbleumaslasagudas, u chronicas do pulmo alie,.
cao do peito phlislca, delluxo, tosses etc., para dar
iniii no < ,m,,,, ., abrir a vontauc Je ccincr conser-
var a gengivas e o bom alito malar as lombrlgas,
principalnionle as crianzas
Toiua-se puro inascando-o, e pde-se tomar tambeig
combinado em agoa como outro qualqucr chocolate,e
com leite, toniandn-sc urna das dses marcadas em'
uinacbavcna do< ditos liquidas ou mais de una con.
forme agravidade da doenca.
Vende-se nicamente na rua do Queimado n. 16, lo.
jade Jos Dias Simdos.
Vende-se urna poreo de telhas taboas de pinho,
eoutrasmadeiras pertenceute a um telhelro que t'e
desmanchou : tudo muito novo : na rua da Viracao
n. 29.
scio-Publico, n. 5,
pT\;de o meia da fabrica de chapeos de sol de uina s
porta, vendem-sc chitas escuras a 120, 140, 160 e 180
rs. o covado e a 4500,6/, 6 e 6/500 a peca ; cortes de
calcas a 10 rs. ; pelle do diabo. a 200 rs. ojcovado ; ina-
dapolao, a 3,200e 3/800 rs. inuilo fino, a 4/200 rs.
airle, tJflQOe 5flM rs. a peca; cortes de cassa a
de armacao de ac a 5/500 rs ; e outras muida! fazen-
das por proco commodo.
(.'ompram-so dous diccionarios inglczcs, do autor
Vioira ; a Historia de Inglaterra com estampas : quem
livor annuncie.
n "
oijuzo)] op e3.ie| c|jj eu : 'aia 'baooso sei||eeu'cj
-liosa] 00103 i.'i|.n.'i| e Jazej Clt'd oi.iess.ia.m o npua)
U03 ui.i^eA i ii il si.-i ulii.ul su ii.iue.) svuessoaju se
itspuSA as i" .' no i|m.i/11 .ianb
-Ii hIi iimii'iii i'!'u| no iii.i.i.iiiiiiiiu ap vse.i j.ml.p.'iili
II 'I .I1HIIS IIIII 11103 sl.'-IMpllMiodAl SI.'IIIM Sl.'l ll.'SS.I.I
-.ni oiiimi se ii Vuil oinuimip sisa aod as-tuapuaA
SI fa JOJ
Na loja do nicho ha una pechincha co-
mo nunca houve.
Na esquina do Livramento loja do nicho vendom-
C cortes de cassa chiuea.a 3/200 rs., que vale m a 5/ rs.
4 liviana da esquina do Collegio avaha
de receber do Rio-de-Janeiro osi
SEGUNDOS CANTOS
do Ilustre poeta brasiloiro Antonio Goncalves Djas 1
v. de 300 paginas om grande oitavo de ntida iuipressao
o ptimo papel : proco 4/ rs.
Vendem-se bolachinhas de araruta, em latas limi-
to novas por proco barato ; bem como saccas com rod-
illa de mandioca muito boa : no armazem de Das Fer-
reira no caes da Alfandega.
Vendem-se, por milito commodo preco duasVca-
noas de couduzir agoa quoservem para alerros ; una
bomba de forro, muito bem feita ; dua ditas de |cu-
pira ; um rologio de parede ; urna batanea grande com
bracos e differentei peso : na rua Nova loja n. 33.
Vendo-so um oscravo de nacao, moco, de boa li-
gura ; um pardo de bonita ligura por proco commodo :
na rua da l.oncordia, lado direito, primeira casa.
Vcnde-se um terreno na nova estrada que vai da
Soledado para o Manguinho com 60 palmos de largu-
ra e 350 de fundo cercado, coip tolhoiro dentro: tm-
belo se vendem duas carmeas novas e dous bois tudo
no uiosino terreno : na rua Nova, loja n. 5, de Joao da
Silva i'raga.
Vende-se um oscravo de naco Angola, de 25 a 28
annos do Irabalho da tarifa (leste porto : he capoeiro
e hbil para outro qualqucr servico: oni Fra-dc-Por-
tas n. 145.
Vendem-se, na rua do'Crospo, n. II, os seguintes
livros ; Diccionario de Constancio em portuguez, qoasi
novo, por 8/rs. ; ditos de romposicao de Fouseca po
4/500 rs. ; Uistoria do Portugal por A. Horculano 1 v.
enea domado, por 3/500 rs. Liccs de eloquencia na-
cional, pelo P. Miguel do S. L. Gama 2 v. por 5/ rs. ;
Jcsus-thristo poraute o soculo 1 v. por 5/ r. ; His-
toria da America 2v. por 3# rs. ; Historia universal
om latim 1 v. por 4/rs. ; a Medita(iio por J.' A. de
Macedo.lv., por 2/rs.; Tito Livio, 1 v. por 3/ rs. e
outros muilos livros de aulas que se vendem baratos
e continuam-se a trocar, sendo boas obras e estando eni
bom estado.
Vende-se uina venda po largo da rlbcira de S.-Jo-
t n. 5, com poneos fundos : a tratar na inesma venda.
\ i nilioi-se, na rua do Crespo, loja de uiiudezas
n. 11, charutos de regaba ,a l/200a caixa. A ellcs, fie
gures que sao pouens e estaose acabando.
Vendem-se 6 lindos uiolecotes dV 16 a 20 annos.
em vicios nem molestias : na rua do Vigarlo, n. 24,
se dir quem vende.
= Vende-se urna cania de angieo nova, grande e J
gosto moderno e outras cousas por preco cnm modo :
ia rua do Caldolroirp atrs do Martyrios h. 50.
Vendem-se riquissimo couros de lustro cor de
ganga, amareilo, cor de cima ebranco com a cor natu-
ral do mesmo couro tudo para caahSo de bota* de pa-
Escravos Fugiclos
Fug:o, domingo, 9 do correntc urna, preta de na.
cao Cambiada, estatura regular, inae-ra. de'klade de l
a 40 annos com uns bordados nos jicitos de signal
na^an lovcui vestido amaiello de laa sala preta p
no preto e um taboleiro com laranjas que andava ver,
dendo : quem a pegar leve-a a rua larga do Rozarle,
n. 20, que ser recompensado.
Fugio, de bunio do brigue Sertorio na nianhaa do
dia 5 do correte mu escravo niaiiiihriro de nome
Francisco de naciio Jang ; representa ter 30 a 35 an-
nos'; tem um signal na face esquerda falla muito des-
cancado ; levou caifas e camisa de algodn ai ul, chapeo
de palha pintado de tinta branca mu balde onde con-
duzia a racao e 7/ rs. em cdulas ; falla hespanhol:
quem o pegar ou delle der noticia a bordo do inesino
brigue fu n de.i do na Lingola ou na rua da Mocda ,
n. 7, que ser recompensado.
Fugiq. no dia 10 do crreme, pela maahaa, o mo-
loque Anastaclo de naciio Rengela, de 18 annos pou-
co mais ou menos de estatura C corpo regulares cnm
una cicatriz no rosto ; foi escravo do Sr. Tlbnrcio Va-
leriano Baptista c ltimamente do Sr. Antonio Loii los
Santos a quem fol comprado : quem o pegar ou del-
le tiver noticia leve-o a rua da Cadela de S.-Antonio,
n. 22, I.* andar.lou na rua do Queimado loja n. 38.
Acha-se fgido, desde o dia 16 i[o correte o preto
racado de estatura ordinaria socio do corpo ; levou
calcas de riscado camisa de algodantaniericano e bone-
te ; he oRlcial de pedreiro e aprendW_o-iflcio com o
mestres Rozario e Amaro : quem o pegar leve-o a rua do
Queimado, n. 55, que ser recompensado,
~ Fuglo, na manha de 13 do correte a cscrau
preta, de nome Hollina de 18 annos, de nacao Angola;
tem o rosto redondo ,-olhos grandes, denlos limados,
altura regular ; levou vestido de ilnu usado, e panno
lino preto com ourelo pelos lados ; costunia vender de
taboleiro na rua e por isso he bem conhecida ; ha no.
licias que est oceulta as partes de Ponte-de-Uchi.
Roga-se as autoridades policiaes e capitaes de campo,
que a apprehendam e Icvom-na ao Recife, beceo do
Abrou u. 2, que sero recompensados
Fugiram, no dia 10 de Jutho do corronte anno de
1848 pola madrugada do engenho Serra-Grande dis-
tante duas legoas da cidade da Victoria, ou S.-Anto,
dous escravos: Itenedicio preto crioulo, de 24 anuos,
de estatura ordinaria chelo do corpo ps algnni tan.
to cambados e muitas vezes sobre alpragatas : foi e*
crnvodeJoode Paiva morador na Serra-dos-Pintos,
ou do Martins junto a llarriguda, na varzea do Apiv
dy e hoje portenco ao tenente-coronol Antonio flnin-
raes Leal : Francisco taiubein preto, crioulo de 38 an-
nos de estatura regular grosso do corpo, nariz gros-
so e pequeo olhos averinelhados com falta de um
dente do lado esquerdo superior ; tem pooca barba,
c os pollos bem cabelludos ; tem uipa marca lisa na
porna esquerda abai.xo do joellio do lado de dentro; he
muito regrisla, canta chulas a.o uso doserlao e loca vio-
la ; fol escravo de Jos t.'arrilho, morador no Pao-Ferro
do-Calola-do-Kocha de I.uiz Ferreira de S e MaSfi
Nunes do Mello da capital do Cear e hoje pertenec
Jos Mara Seve ; levaran! roupas suas e dos pateciro)
eouduziram facas de ponas pistola, bacamarte ina-
diado fouce e varn com ferro Quem os pegar love
os ao ilito engolillo, ou no Ro ife a casa do niesnio i*1-
nente-i oronrl Antonio Gomes Leal ou aditiva Seve S
Filhos que grotificaro generosamente.
O escravo Joao, de naco Angola, de 30 annos pon,
co mais ou menos, de estatura baixa rosto descarnad
olhos abotoados na llor do rosto ; tem punca barba, '
nip dente de um dos lados quebrado ; tem no hombro
direito alguns cortes de chicote e una cicatriz na n>-
doga do mesmo lado que diz o dito oscravo ter sida
umaempingem, ponmi bem parece ter sido de algn
castigo ; costuoia nao srparar-sc de urna bolea de coura
a tiracollo, e as vezes por baixo da camisa j |evou_ch\
peo de couro surrao e na roupa urna camisa de linho-
chadroz que muitos chamain chlla ; fol com prado i
9 de junho prximo passado ,a Pedro Antonio Calll*
S.-Podro morador na fazenda Cachocirinha dislrlc
de Agoas-llellas e fuglo a 3 de corronte julho I"*1
no andante anuo de l848 : quem o pegar lovo-o a casa
eu seubor o capilao Joaquim de Farla Lobo Labas1'
em Cpruripe ou om Macoiein casa de Jacasem, w'*
boza & Conipanliia, ou'em Pernainhuco em casa*
Amorim limaos que recoinpensaro.
- Desappareccu, no dia i3do corronte, urna escririi
de nome Vk-encia, crioii|a, de 13 anuos pouco mais ou
menos feiado rosto; beicos grossos ; levou vestido*
Viseado azul e panuo quem a pegar leve-a ao silio do Cajuoiro que ser p>g
de seu trabalho.
Fuglo, no dia 6 do crreme da padaria do Aterro-
da-Roa-Vista n. 66, um preto crioulo de nome Henf*
dicto ; foi creado no sortao do Rio-do-Pete,; represen-
ta de 25 a 30 anuos de estatura regular cor fula, ""'
to secco ; quando falla com alguem nao encara p'1'
possoa que com elle falla ; tem pouca barba : levou cai-
cas de algodao azul e camisa de algodao ,-de iiiang'
compridas : quem o pegar leve-o a casa cima que'
bem gratificado.
Pern.
NA TYP-DEM. F.-DEFERA
I*
l
MUTILADO
ILEGVEL


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EAZJJCFNN_YLUHSO INGEST_TIME 2013-05-01T00:56:10Z PACKAGE AA00011611_09771
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES