Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:09769


This item is only available as the following downloads:


Full Text
**$H
^mm
P
-

Anuo XXIV.
O 0/4 M publlca-se todos os das que nSo
ida: o prefoa ass.gualura he
rcrente, e as repelicc.es pela mctade. Os nao
,,5iiDai>tespagarao80ri. por linhae 160 rs.
> /%m Fypo differcnle, por cada publicacSo.'
PHASES DA LA NO' MEZ DE JUI.HO.
/nW, a 8, 7 hora 11 min. da manh.
Iuacheia, a 16. as 7 horas e2 min. da man!..
m "a aovo, a 30, s 5 horas e 6 min. da manh.
Segunda-feira 17
PARTIDA DOS CORREIOS.
Golanna e Parahiba, a segs. e lextas-feiras.
Ro-e.-do-Norle, quinta-feira ao mcio-dia.
Cabo, Serinhacm, Rio-Formoso, Porto-Calvo
e"Macei, no 1., a 11 c 21 de cada mcz.
Garanhun e Bonito, a 8 e 23.
Boa-Visla e. Flores, a 13 e 28.
Victoria, s quintas-feira*.
Olinda, todos osdias.
PREAMAll DE HOJE.
Primeira, s G horas e 6 minutos da manh.
Segunda, s 6 horas e 30 minutos da tarde.
ele Jnlho de 1848.

das da semana.
I
17 Segunda. S. Alcixo. Aud. do J. dos or-
phoos, do J. do civ. c do J. M. da 2. v.
18 Terca. S. Marinha. Aud. do J- do c. da
v. c do J. de paz do 2. dist. de t.
10 Ouarta. S. Vicente de Paula. Aud. do J.
do cda 2.v. e do J.de paz do 2 dist. de t.
20 Quinta. S. Jeronyiuo Emiliano,Aud. do
J.dosorph.e do J. M. da I. v.
21 Sexta. S. Prxedes. Aud. ds J. do civ.
e do J. de paz do 1 dist. de t.
22 Sabbado. S. Mencleu. Aud. do J. do c.
da 1 v. cdo J. dcpazdoldist.de l.
23 Domingo. Apollinario.
CAMBIOS NC^DIA 16 DE JULHO.
Sobre Londres a 25 d. por 1# rs. a6C1 dias.
Pars a 345 e 350 rs. por franco. No....
. Lisboa 100 por coito de Pteiule. .
r-asOT
4*-X um i fe
Pesos columnario. W a ^J
Ditos mexicanoi..... J3I n
f

BUCO.
: J :.:z~"
PARTE OFF30L.
OOM QUE O EXOELxJEITISSIMO SENHOH
DOMINGOS MALAQUIA8 DE AGIAR PIRES FERREIRA
EKTItKGOU A ADMINISTRADO DA PROVINCIA
j.u axtsd* BBS
ANTONIO DA COSTA PINTO.
blicas
0. Com despezas eventuaes
Arl 4. A cmara municipal da villa de Iguara.au he
autorisada a despender con. o. objectos designado, no,
seguiules paragraphos a quaiilia de ij^juu
A saber:
1. Com os emprendo*, sendo o ordenado
do secretario, 120/1)00 do porte.ro 801)00 ;
do aldante do porteiro 50/000; do procura-
dor os seis porcento na forma da le, calcu-
lados cm l0#000; c do, liscaes das'frcguc-
Illm. e m. Snr.
' 4j..,eado por So Magestade o Imperador para o cargo
devl.rce-prc,sidcnle desta provincia, lomci posse da
administracao della nos 17 de junho ultimo, receben-
do-a do Sr. Dr. Vieente Pires da Molla, cujo relatarlo
..- x- *& Je Y. E*.
'" Nevedlas depois de me havci encarregado da presi-
dencia, permittio o ino fado, que a auarchia tcntasse
correr desbridada pelas ras desta to bella, quanto im-
portante cidade : cdcfeito, Exm. Sr.. ella se houvcra
ostentado ainda mal horrivcl do que se moslrou a 2
e 27 do citado junho, se, coadjuvado pelos Pernambuca-
os sensatos, e mais que tudo pela DIVINA PROVIDEN-
CIA, eu nao tivesse adoptado as medida constantes dos
divenos omcios que ah ficam archivados na secretaria
do governo.
Constata V. Ex. que me forre ao pungente trabalho de
desdobrar o quadro negro e melanclico dos eventos
que houveram lugar as duas datas que por ultimo cite!.
o ofncio que dirig ao Exm. Sr. ministro da justifa aos
28 do me que acabou, c que por igual deixo na secreta-
ria, deparar V. Ex. com a narracao uccinta e abrevia-
da de tao de.agradaveis acontecimentos, de que ainda
me nao posso recordar sem profunda magoa.
Eses lastin.aveis guccessos frain causa para que, no
curto periodo da minba administraco, eu-nao atten-
desse 15o acuradamente quanlo desejava aos diversos
ipelhorainenlos materia emoraes de que carece esta
trra em que nasci, e i que desejo o mais prospero por-
vir-: n.o me he possivel, pois, dlzcr cousa algu.ua se-
melhante respilo.
Quasi ao largar o pesado encargo, que lmenla recebi
em obediencia s orden s imperiae,, e levado pelo dese-
jo de prestar miaba patria o servicos compaliveis com
asminhasdcbei.forca. un. acontccimenlo De... desas-
troso velo cnluctar ainda mais o meu corajao, que tao
compungido j seachava: reconheceu-se que c.rcula-
vanapracaavultadissimaporcao de iettras falsas, re-
vestidas dosn.esmosca.acte.es das que falla parte dos
fundos da thesouraria das rendas provinciaes.
Logo que fui informado de semclhantc occurrcncia,
encarreguei o examc dos cofres dasobredila thesouraria
ao inspector da de fazenda, ao respectivo contador, c ao
empregado que elles, de co.nmu. aecrdo, houvesscm
de nomear.
Ksta eommlnSo enectouos MU trabalhos no inesmo
diaemque a creei, i.to he, a 12 do correte; e como
qur que, j as 5 e meia horas da larde, scnt.sse qur os
nao podia terminar, offlclou-.nc declarando que reco-
nhecra haver na caixa da receita e despeza um dehet
que orcava por mais de .essenta contos de ris; que sup-
punha encontrar outro ainda maior no cofre de depos,-
lo e que, apenas terminasse o ame, dar-me-h.a con-
tado resultado dclle.
Semelb.au promessa. Exu, Sr., foi mprld* Um-
tem. Aco.n...issaoenderecou-.ne um offic.o, datado a
13, acompanhado de dous termos.
O primeirodc.se, documentos demonstra que o de-
sdido cofre de receita monta a sessenta ese!, cont
cento e alenla e don. mil novecento. e trala e ee r.i
(66:182/937); e que o do de depsitos chega a cento e no-
rnta e se. coito, setecen.o, e cincoenta e ,e s mi. sc.s-
cento. e noventa e dous ris (.07 nao contan-
do com aslettrasque tal.cz se lenham extraviado da
segunda das taixas, existentes netc cofre, por nao ter
sido possivel verifioar-selslo, en. consequenc.a de nao
baverem d.dos sufficientes.
A comn.ijsao pen.a que s se poder conhcccr com
laclldo overdadelro liquido, depois de proceder-se
a minucioso examee... todos o.livros e co.il, mcsu.o
de poca, anteriores, e depois deserem recolhidas todas
aileiuw. actualmente em circulacSo, para .eren, con-
ferldas.
Em presenta de tudo qu.nto f.ca expendido e das pe-
ta. omcioe.aquemel.eireporlado.V. Ex. ilgn.r-.e-h.
de providenciar a respeito como entender em .ua sabe-
.. doria.
Certo deque o reconhecido desfalque dos cofre, pro-
vinciaes ha de occasionar grave embaracos no paga-
mento, que elle estilo obrlgados, tomei a resolucao I, 6. Con. as cusas do, procesos criminaos
. >. i __ le conlravciicucs de posturas
de fazer suspender todas as obras publicas, a que ,por y {,gm a doci|na os predio9 urbanos
conta dos mcs.no cofres, se eslava procedendo por ad- 8. Con. o concert dos predio, ealcan.ej.-
to das rna c inclhoranienl", tas tomes pu-
minstracao.
Em vlrtude de rcpresenlacao do administrador interi-
no do consulado provincial, ordenei que, at resolufo
em contrario, sej.in depositados nos cofres da thesoura-
ria de fazenda o dinheiros arrecadados scinaualinentc
naquclla repartico.
Porei fim s minha informaffies, tendentes a tilo im-
portante negocio, participando a V. Ex. que j se acham
demitlidos, naoso inspector da thesouraria das rendas
provinciaes, Joiio Itaplista Perciral.obo, senao tambe.n
o respectivo thesourciro, Joao Mauool Mendes da Gunha
Azcvedo, eofieldeste, Evaristo Mendes dat'uiih. Azc-
vedo e que o juiz de direito interino do crlme commu-
nicou-mc, a 13 do corrente, que, havendo ordenado, a
requerimento do promotor publico do termo doRecife,
se cx-.cd:sse mandado de Untura contra os tres indivi-
duos cijos nomes mencione! mais cima, aconteceu
que smente fssem encontrados e p.csosos dous nlti-
inos, e que se nao achasse o pr.meiro.
Nao conclulrci s'em nianifestar a V. Ex., que "nao cons-
ta que a tranquillidade publica esleja alterada em nc-
nhum dos pontos da provincia.
Eis quanto me cabe relatar aV. Ex., aquem apeteco
mu feliz admlnistraciio.
Palacio de Pcrnambuco, 15 de julho de 1848.
Domingo. Malaquia de Acuia. Pibes Febheira
ctmgtntr^3Wgxi
. do do secretario 250/000; do porleiro 50/O0;
.'WO/OOO do njudai.lc do porteiro 40/000 ; do procu-
50O00 rador a gratilicaco de 30/OO0, alen, de (i
'por cento calculados em 70/000 ; e dos lis-
caes das freguc/.ias a poicenlagen. de 20,
_____&___- i.......1 diii -Ml4lillUk
1:000/000
50/000
3301000
25/000
60/000
100/000
18^960
200/000
30/000
50/1)00
PERNAgflBUC?.
ASSEMBLA PROVINCIAL.
25 8B3SO OMBABU *M U DE JIHO
SE 18*8.
(Conlnuaro do numero anlrredmlt.)
Contina a lcilura de projectos.
CAP1TCLO I.
(i Deipnai municipati.
Art 1 A despeza das cmara munlcipacs da provloj
cia, para o anno municipal do 1." de oulubro de 184b a
30 e etembro de 1849 he xada ua quanua de.....
WWOOOrt. camara municipa| da cidade do Itecife he
autorisada para despender com o objectos dMHgnadoa
nos segulntes paragraphos a quautia de 29:j7J/Oo
A saber:
jlas a poroenlagem de vinte por cento, cal-
culada em 20/000 '
2. Con. o expediente, c despezas miudas.
3. Como tribunal do jury e clcicocs
4. < om as cusas do. processos criu.inars
e coiitravcnco de posturas
5 Con. a dcima dos predios urbanos
6/ Con. o concert dos predios do patrimo-
nio, clcamelo e limpeza das ruis
7. Con. o fornccimciuo de luzes pura a ca-
ricia
8. Com despezas eventuaes
.. Art. 5 A cmara municipal da cidade de golanna he
auto.isaa para despender con. os objectos da.ljK,ado.
nos seguimos paragraphos a quanl.a de 1.48./000
A saber:
1. Com os en.pregados, sendo o ordenado
do secretario 400/00, do portc.ro 80/000 ,
do norteJo do audimrio 40/000; do proc.
rador os seis por cento. calculados em 100/
e dos f.scaes das freguez.as a rttict^Uagcm
de (Inte por cento, calculada cm SOfOW,
rendo o liscal da cidade 100/000
2. Con. 0 aluguel da casa de suas sessocs
C Oom o expediente c despezas miod.1
4 Com a decima dos predios urbanos e
foros de UHWIM oceupadas pela cai.ura
5 Com o tribunal do jury, e ele.cocs
6. Com as cusas dos processos criminad
e coiilravcncoes de posturas. ^^
7. Com o fornecimento de luzes para a
8. Com o reparo do, predios, fonles, pon-
tes c limpeza das ras.
0. Com dejpeza cveutuae
Fxtraordinaria.
por cento, calculada em 2/U00
2 Com o advogado da cantara
II. Com o expediente c despezas miudas
4. Com a declina do predios urbanos
5. Con. o tribunal do jury c cla.coc.
6. Com as custns dos processos crimiuas
e contravenfocs de posturas
7. Com obras, reparos e limpeza ds ras
8. Com asjignatura do Diario
9. Com o fornecimento de luzes para a
cadeia
10. Com despezas eventuaes
700/000
600/000
500/000
1:950/000
1:271/000
740/000
84/000
20/010
20/000
60/000
80/000
50f000
200^000
lOfOOO
460/000
80/1)00
20/000*
6/480
50/000
I00/000
300/000
12*000
50/000
50/000
Arl. 10. A cmara municipal da cidade da Victoria
he autorisada para despender com os ol>jfctoa dos nos seguiules paragraphos a quanlla de 4:U7z/l)Utl
A saber :
2. Com os empregados, sendo o ordenado
dosecrctario 300/OUO ; do porleiro 80/00(1 ;
do ajudantc do porleiro70/000, do advogado
200/000 ; do procurador os 6 por cento, cal-
culado c-. 120/000 : c dos fir.cas das fre-
gueziasa poroenlagem de 20 porcento, cal-
culada em 20/000 lento o liscal da cida-
de 100/000
2. Con. o guarda do, pesos c bataneas do
acouguc
3. Com o expediente e despezas muidas
4. Con. o tribunal do jury e elcicocs
5. Com s custas dos processos criminaos e
i'oi.lravcnces de postura
6. Com o fornecimento de luzes para a
cadeia
7. Com obra,, reparos, calcamcnlo c lun-
pe/.a das ras, inclucive a quantia de 2:000/
desde j para coattruccBo de urna casa de
mercado ao lado da fcira actual i
8/ Con. .".signatura do D.'iirio
9. Com alericofs dos pesos do acouguc e
medidas da farlnha
10. Conidespeasevenluaes
10. Con. a divida do padre Ricardo Jos
Machado.
78/000
1. Como.ecreUrio
2. Com o contador
3. Com o porleiro ,
4 Comosqualro ajudante do portero,
tendo o que serve de porteiro jJo jurado,
5801000, dous a 500*000 e um a 400/000
5. Com o procurador o cinco por cento na
forma da lci ..
. Com os fiscaes da f'eguez.a doRccifr,
COO/OOO de San-Jose e MWj;
de Santo-Antonio do Recite, 400/000, de A-
fogados, 300/000; do Poco, San-Lourenco e
Jaboatao, 150/ aiM
7. Con. o engenhe.ro cordeador
. Com o advogado
9, Com o cirurgio do partido
10. Com o aluguel do pajo da Camara
11 Com o expediente da secretaria, inclu-
sive a impressaoc mais papis da cmara
12 con. a decima dosprediosmunicipaes.
13 Con. o tribunal do jury e elc.c0es
14' Com as custas dos processso/crlm.-
naes e conlravcncoes de posturas
15. Com o fornecimento de luzes para ac-
Ift Com o concert dos predio do palri-
'""""corn os negocios forenses da cmara.
18. Com a limpeza da ras
19. Com as despezas eventuaes
clraordnario.
20. Para pagamento da segunda preitacfio
das dividas da fazenda, provincial diJoao
Ferroirada Silva e de Jos Rodrigues I e-
21. Para oaiCmentO das ras, dando-se
preferencia ao calcamento do pateo do ua.-
!no, San-Pedro e segulmento oa ra do Que l-
mado ou principio da ra do Rangel, hcan-
do os pioprielarlo, das casas obrigados ao
concert das calfadas
22 Com a construecodos arcos, ou pila-
res c recdifica{ao no quarteirao da ribeira
. Art. 3.* A cmara municipal da cidade de Olinda he
autorisada para despender com o, objectos de../n.do
nos seguintes paragrapho a quanlla de
A saber :
1 Com os empregado, sendo o ordenado
do secre aio (M0>0 ; do porteiro 200*000 ;
do .jadant. do porteiro 120/000; do procu-
rador o, seis por cento, calculados em180# ,
Art 6 A camara municipal de N.-Sra.-do-O" he an-
laitaS. para despender com os objectos degnado^no.
seguinle.s paragrapho, a quant.a de *../ouu
A saber:
I. Con. os empregados, sendo o ordenado
do secretario 120/000; do portero 25/000,
do pSdor ossci, por cento. calen lado,
cm 25*000 ; e dos liscaes das freguez.as a
poreen.agc.n de vinte por cenio, calculada
Cm20/liOO^ dlfB|e e despezas miudas
3. Com o tribunal do jury c ele.coes
i Con. as costas dos pror.rsso, crimlnoc,
e contraveneno de posturas
6. Com o fornecimento de luics para a c-
dcia
(i. Com despezas evcnuwes
190/000
10/000
50/000
60/000
25/000
50/OO
2:850/000
800/000
400*000
500/00(1
400/000
400#()00
800/000
2:000/000
9400*000
200/000
500/000
200/000
500/000
1:000/O00
3:522/865
4:477/135
4:000/000
30/000
20/000
6/310
80/000
00/000
40/000
200/000
100/000
.ador os seis lio. ..-.----------------.."... j
dos f.scaes das freguezias a porcentage .. de
"?',". CCnto, percebendo a quanlla de
OO^OO cada m doPs liscae, das dua. fregu-
zias da cidade
I SoeSXlnJ.ecdepeza, miudas
4 Con. o tribunal do jury e elclce.
5." com o fornecimento de luz e agoa para
a cadeia
nos/guintes paragraphos a quantia uc
A saber:
. 1. Com os empregados, sendo o ordenado
do secretario 200/000 ; do porte.ro aO/000,
uo ajudante do porteiro 10/000 ; do procu-
rador hs seis por cento, calculados en. b0/
e dos liseaes da. NnE^-Waffl*" 370/000
de vinle porcento, calculada cin0/ow
2. 0... o encarregado das balanas do
'Tom o expediente e despeza, miudas
4. Com o foro dos terrenos occupado,pc>
'a5C.aCoam o tribunal do jury e eleicf.es
(i! Con. as custas dos precessos cr.minaes
e eontravencSes de posturas
7 om o fornecimento de luze.pa.aaca-
18 Com obra concertos e limpeza de
ras
9. Con. despezas cjrcntuae.
Art 8 A camar. municipal da villa de iMHlbkl
kulolid. pa'ra despender come.os^objee.os desdado
nos seguiules paragiaphos a quantia de i.i
1. Com 01 empregados, sendo o ordenado
do secretarlo 250/000 : do porlen-o 00/000 ,
do continuo ajudante do porteiro iOOOl
So procurador os 6 por cento, calculado, em
(iO/000 ; c dos liscaes das fregucx.a a por-
cen.age... de 20 por cento calculada cm
2T Com o expediente e despezas miudas
t. Com o aluguel da easa de suas scs.oes
gnaaos 4 Con, o tribunal do jury e elc.(oe.
3:310/000, y 5. Coma, esta, dos procesos Mhm
e coniravencOes de posturas uiclu-ive a
quanade 37|84l que e deve dos anno. ^^
"t C^u8obras, conce.ios e ..^de-a 200/tHH)
7. Com despeza evenluaes mcluire a
quantia de 100/000 para ""^Tame'rto-
promover a cob.anfa da. div.das anter.o |flJ^
res
890/f.OQ
30/000
30*000
100/000
200/000
50/000
2:600f()00
16/1KT0
76/1)00
80/000
..Art II A cmara municipal da villa de Serinhens'
he autorisada para despender com os objectos dciMgna-
dos nos seguiules paragraphos a quantia de HB^fUnu
A saber:
1. Com os empregados, sendo o ordena-
do do secretario 120/000; do porteiro 25/000;
do procurador o 6 por cento, calculado, em
55/000; c do, fucae. das trcgue*ia. a Pgrcen-
tage.n de 20 por cento, calculada en. 0/000
. Com o expediente e despezas miudas
3. Con. o tribunal do jury e elc.ces
4. Con. as cusas dos processos cr.ininaes
e coniravcncocs de posturas
5. com despezas evntuac
. Art. 12. A cmara municipal da villa do Rio-Formo-
so he autorisada par despender com os objectol1 del-
nados nos seguintes paragraphos a quanl.a de 1 014/000
A saber :
1 Com o, emnreeados sendo o ordena-
do do secretario" 120/000 ; do porteiro #
do procurador os 6 por cento calculados
em 60/000, licandoapprovada a gralilicaeao
de O/fiuO; marcada pela cmara ; e dos lis-
caes das Ireguezial a porcentage... de 20 por
canto, calculada em 20/000 lendo o l.seal
da villa a gratilicaco de jO/Olin
2. Con. o advogado da cmara
3 Com o expediente e despeza, miudas
4. Como tribunal do juiy e eleicoe,
5. Comas cutas do, processos cr.minac
c eoutrasencOes de posturas
6. Com as obras, reparos C limpeza das
"V Com o aluguel da casa da cmara
8: Cm. o fornecimento de lu/.c, pafa a
casa de prisao
9. Com despezas eventuaes
fc'xlri/oniina.-ia,
190 JIM")
10/000
30/000
50/001)
50/000
350/UOH
100/0011
30/000
60/OlKi
200/000
200*000
144/000
10. Com o pagamento da divida proveni-
ente das custas dos processos criminaes
1:450/000
.50/000
40/000
220/000
50/000
400/000
. Art 13. A cmara municipal da villa do Bonito, hr
.Utorhida para despender con. os objectos des.gnado,
nos seguintes paragraphos a quanl.a de 95/00U
A saber :
1. Com os empregados, sendo o ordenado
do secretario 200/000 ; do POelro 50/000 .
do procurador os 6 por cento calculado,
cm 40/000, c mais a gratilicaco de 0QIWO,
e do fiscal da villa a porcentage... de 20 por
cento!.calculada en. 20/000. e ma.sa grat.-
L'',C^CJom f/Sdienlee despezas miuda.
3' Con. o'tribunal do jury e elc.coe,
4. Comal custa, dos processos crhn.naes
e enntravei.ciSes de posturas
6 -0 Com obras, "paros e limpeza de ru
O Con. o fornecimento de lu.es para a ca-
de7aCo... o aluguel da casada cmara e
8|TSm%^-Sn&^-
Uq^VIB com o advogado da ca-
390^X'KI
20/1100
80/000
100/000
KMI/OOo
50/000
06/000
l/OOO
. \ saber: ,
1. Com os empregados, endo o-ordena-
niara
100/000
- ^udre^^o.^]^
A saber: .
1. Com o, empregado., sendo o ordenado
.lo secretario 150/000 ; do portero 50/000 ,
Z procurador o1i por cento, calculado, em
ffc dos f.scaes da rrcguezla, a por-
Sa de 20 por cento calculada em ^^
2TCom o expediente e despexas miudas 10/000
3-. Com o furo dos terrenos oceupados pe- ^
U Com -tribunal do Jury e cienes 40/00.
I NUMERACAO INCORRETA
J_______ -^ijMaamMdMiM'ras *


'


5. Con ai cusas dos proccssos criminaes
p ^n'rovencao das posturas 100/000
6. Com o fornccinicnlo de luzes para a
cadeia 12/000
' Com despe/.as eventuaes 50/W0
Art. 15. Acamara municipal da villa de Cimbres he
autorisada para despender com os objcctoi designados
os seguintes paragraplios aquautia de 410/000
A saber :
1. Com os einpregados, sendo o ordena-
do do secretario I J0 do procurador os (i por cento, calculados
ero. 30/000 ; e dos liscaes das iregueilas a
porcentagem de 20 por cento, calculada
em 20/opo 225/000
2. Comocxfdientee despezas iniudas 15/000
3. Com o tribunal do jury e cleices ,'t0/00u
4. Comas cusas dos proccssos crlinlnaes
e conlrawsBccs de posturas 60OOO
.^jpn dVjjpezas eventuaes c reparos 80/000
Art. 11. A cmara municipal da villa de Garauhuns
Ijc aistorisad> para despender com os objectos designa-
ntes, paragraplios aquantiade 730/000
?
dos nos
Asa
1. Com os einpregados, sendo o ordenado
do secretarlo 200/000 ; do porteiro 40/000 ;
do procurador os 6 por cento, calculados em
30/000 e dos liscaes das fregueiias a por-
centagem de 20 por cento, calculada cm
T ... 290/000
f- Com o expediente e despezas iniudas !0#00C
3. Com o tribunal do jurj'e eleices o^JOO
4. Cora as custas dos processos criminacs
e contravenedes de posturas 80/000
5. Com o l'orneclinento d'agoa c luzes para
a radeia 40/000
(j. Com as despezas eventuaes 50J000
extraordinaria.
7. Com a coustruccao de un acude 200/000
Art. 17. Acamara municipal da villa de Flores he au-
torisada para despender com os objectos designados nos
seguinles paragraphos a quantia de I178/IG0
A saber:
1. Com os einpregados, sendo o ordenado
do secretario 300/000 ; do porteiro 40#W0 ;
do procurador os 6 por cento, calculados
em 50/000; c dos liscaes das frcguciias a
porcentagem de 20 por.cento, calculada
en. 20/000 410/000
2. Com o expediente e despezas iniudas 10/000
3. Com a decima dos predios urbanos 8/lO
4. Com o tribunal do jury e cleices CO/000
5. Com as cusas dos processos crimiuaes
c eoiitravenroes de posturas 100/000
0. Com o forneciineiito de luzes para aca-
cia 40/000
7. Com obras, concertos e limpeza das
ras
8. Com despezas eventuaes
500/000
50/000
Art. 18. A cmara municipal da villa da Floresta he
autorisada para despender com os objectos designados
nos seguimos paragraphos a quaulia de
A saber:
1. Com os einpregados, sendo o oidenado
do secretario 180/000 ; do porteiro 32/000 ;
do procurador os 6 por cento, calculados
em 40/000 ; e do riscal da frcgifeiia a por-
cenlagem de 20 por cento, calculada em 20/
2. Com o expediente e despezas iniudas
3. Com o tribunal do jury e cleices
4. Com Montas do- r>roes.*.== --.-minus
80/000
oo/uoo
30000
Art. 19. A cmara municipal da villa da Boa-Vista he
autorisada para despender com os objectos designados
532/000
272/000
10#000
40/000
p conlravcnccs de posturas
5. Com uiua casa para acougne
ti. Com despezas eventuaes
liosseguiutes paragraphos aquanlia de
A saber
1. Com os einpregados, sendo o ordenado
- do secretario 300fOUO do porleiro 40/000 ;
do ajudantc do porteiro 20/000; do procura-
dor os 6 por cento, calculados ciu 42/000 ;
e dos liscaes das freguezias a porcentagem
de 20 por cento, calculada em 20/000
2. Com o expediente c despezas iniudas
3. Com o alugucl da casa que serve de ar-
chivo
4. Com o tribunal de jury c eleices
5. Com o forneciniento de luzes para a
cadeia
G. Com as cusas dos piucessos criminaes
e contravenees de posturas
7. Com obras c limpeza de ras
8. Com despezas eventuaes, inclusive a
ijuautia de 150/000 com o advogado
81)4/000
422/000
10/000
12/000
50/000
20/000
80/000
100/000
publico, a taxa arbitraria que ora cobra. Picando os ines-
inos desonerados dea pagar.
Art. 25." A quota designada ua presente lei para pa-
gamento das custas dos processos criminaes ser smenlc
applicada para aquelles procesos que tivcrcn lugar
dentro,do anuo da mesma lei.
Fitam revogadas as leis e disposivocs em contrario.
Paco da assembla legislativa provincial de Per-
nambuco, 12 de julho de 1848. Tiburtino. Corma de
Mello. L. Roma.
He approvada aredaeco do projecto n, 12 deste anno,
que concede j ulularn com o ordenado correspondente
ao lempo que tem servido ao reverendo Joaquim Rafael
da Silva, professor publico de latim do bairrado Recite.
O Sur. /loma: Grelo que est concluido o expe-
diente, Scnhor presidente. Peco, pois, a palavra pela
ordem.
Em vista de certos boatos que, de hontem para c,
tecm corrido nesta cidade a respeito do estado em que
scacha a thesouraria provincial, requelro a V. Ex. que
nonie urna commissao riara examinar o estado actual
da mesma thesouraria, nao s para saber o que podere-
mos fazer quando se discutir a lei do orcamento, como
tambem para averiguar se com cffcitofran dlstrahidos
da caixa para mais de duzentos contos de ris em lettras
a vencer, como gcralmente se diz. Vou mandar incu re-
querimento mesa.
He lid.,, c appoiado um rcqucriuicnto do Sr. Roma,
para que oSr. presidente da assembla rsse autorsado
a nomear urna commissao, para examinar o estado da
thesouraria das rendas provlnciaes, dando de tudn canta
.i assembla.
Depois de algumas rcflexes dos Srs. Jos Pedro, Ca-
bial e Roma, he este requerimento approvado, licando
prejudicado um do Sr, Olinda, para que fsse nomcada
urna commissao auxiliar de tres membros de fazenda
e orcamento.
Tambem sao approvados, depois deaduiillidos a dis-
cusso, dous requerimentos do Sr. Cunha Machado, o
primeiro pedindo com urgencia ao governo todos os do-
cumentos existentes na secretaria que dizcm respeito as
duvidas suscitadas entre esta provincia c a daParahiba
do Norte, sobre a posse do territorio da freguezia da Ta-
quara; o 2., pedindo, por intermedio do presidente da
provincia, varias infbrmaces ao inspector da thesoura-
ria provincial acerca do contrato para a publicarlo dos
trabalhos por tachigraphos.
O Sr. Presidente noma para a commissao que tem de
examinar o estado da thesouraria provincial aos Srs.
I.ni/. Duartc, Roma, Xavier Lopes, Ferreira Gomes c
Olinda Campello. Os Srs. Jos Pedro c Trigo de Lourei-
ro, tendo sido nomeados para essa commissao, solicita-
ran! c oblivcram dispensa.
mos desde j esse parecer, a casa compromette-se a fa-
zer realisar seno o todo ao menos uina parte desse de-
bito, c pergunto cu, vista das necessidades vilaes a
que se refiri o nobre deputado que acaba de fallar,
lacs como cadeias, estradas, etc., a casa poder mar-
car quota para semelhante pagamento ?.,.
( Ha um aparte que nao podemos ouvlr.)
O Sr. Trigo de Loureiro-. Nao ser inelbor adiarmos
este negocio, para quando se tratar da lei do orcamen-
to ? Certo que sim : eutao poderemos conhecer, se he
ou nao possivcl satisfazer ao empenho a que vamos
subjeitar os cofres da provincia. Nao ser isto mais ai-
roroso, do que contrahir urna obrigaco, para ao de-
pois a nao deseinpenhar?
A' vista, pois, destas considerares entendo, como ja
disse, que o requerimento deve ser approvado ; lano
mais (iianto he fura de duvida que, a passar o parecer,
o peticionario nao reeebrni j e j a quantia que re-
clama.
200/000
Art. 20. A cmara municipal da villa d'Agoa-I'reta
he autorisada para despender com os objectos designados
nos seguinles paragraphos a quaulia de 375/000
A saber :
1. Com os einpregados, sendo o ordenado
do secretario 100/000 ; do porteiro 50/000;
do procurador os 6 por cento, calculados
em 25JO00 ; e do liscal a porcentagem de 20
por cenlo, calculada em 2O/O00 195/000
2. Com n expediente c despezas iniudas 10/000
3. Com Q tribunal do jury ecleicoes .'10/000
4. Com as custas dos processos criminaes
e contraleuces de posturas 50/000
5. Como foruecimento de luzes para a ca-
sa de prisao 20/000
'i. Com o aluguel da casa para suas ses-
ses 50/000
7. Com as despezas eventuaes 20/000
CAPITULO II.
Renda municipal.
Art. 21. As cmaras municipaes da provincia, para o
anno municipal desta lei, arrecadaro dentro dos seus
municipios as rendas sob os ttulos abaixo designados.
1. A lugueis de predios municipaes.
2. Foros e ladennos dos terrenos municipaes.
3. a tii i cao de pesos e medidas.
4. I.cencas e cordeaces.
5. Repeso de acougues.
C. Taxa de 2/000 sobre os mscales e boceteiras, paga
animalmente no municipio da residencia.
7. Taxa de 2/000 sobre as engenhocas.
8. Taxa sobre as passagens dos rios.
9. Taxa sobre estradas c puntes municipaes.
10. Multas segundo o cdigo criminal e do processo.
1). Multas por contravenedes de posturas.
12. Multas por eleices.
13. Multas das cmaras, conforme o artigo 190 15 da
lei municipal n. 135, de 2 de maio de 1844.
14. Quaesquer outras rendas, imposices, ou laxas que
estiverein na posse de cobrar, que nao lenhain sido abo-
lidas. ,
15. Divida activa dos annos anteriores.
16. Saldo do anno anterior.
C.AP1T1 1.0 III.
Disposicei geraes. .
Ait. 22. Ficam em vigor as dlsposices dos arls. 20,
21 e 22 da lei municipal n. 141, de 19 de maio de 1845,
e as dos artlgos 21, 22, 23 e 24 da lei n. 174, de 30 de no-
vembro de 1846, como tambem as dos arligos 24 e25 da
lei n. 197, de 30de abril de 1847,.e lodas as mais que nao
tiverem sido expressaiuente revogadas.
Art. 23. Fiea extracto o dizimo de miuncas.
Art. 24. O arrematante das medidas chamadas da
cmara municipal da cidade do Recife nao teem direito
Oetobrar, daquelles que trazem farinha ao mercado
ORDEM DO DA.
Discusso do parecer adiado na sessao de hontem,
acerca da pretcnco do cidadiio Thouiaz d'Aquino Fou-
seca.
O Sr, Jote l'edro pedio a palavra na sessao anterior
acerca do parecer que ora se val discutir, porque emen-
de que a prclenco do peticionario deve de ser adiada
para quando se tratar da lei do orcamento, visto como
s i nian se poder saber se os cofres da provincia eslo
as circumstancias de fazerem o pagamento, solicitado
por elle. Eiiicoucluso, declara o orador que mandar
mesa una emenda no sentido cm que ha fallado.
Val a mesa c he apoada a seguiute emenda:
Conelua-se o parecer em discusso da maneira se-
guinte : A commissao he de parecer que fique adiado o
ilcl'ci ment da prelenco do peticionario, at que se
discuta a le do icameiito. Jote Pedro.
O Sr. TibwrliHo : Sr. presidente, eoiiiquanlo eu res-
pi He iiiiiiin os conhci-nclitos do imlie- deputadoque
un- preceden ; todavi.i, ti ndn j votado nesta casa o
favor de urna pertcnco igual e fazendo agora parte da
respectiva commissao, parecera incoherente seprocede
se de oim a maneira. A coininisso, pois, altendcndo as
que diversos arrematantes de estradas teem aprescutado
pretcncees iguaes nesta casa, assenton que, para nao es-
tar lodos os das aprcscnlando pareceres idnticos, dc-
via indicar que na lei do orcamento se marcasse una
quota que, comquanto nao amortisasse no todo essa divi
da.a fsse amonisando cm parte : com a qual medida
llic pareceu que os cofres prxivinciaeslucrariaiii, porque
licaria em seu proveilo o abate de 15 por cento, que lie,
o que cada um dos arrematantes ofl'crece, e nao menos
de quatro ; por isso entendo que este abate s be rela-
tivo a quaiquer quantia que se dr para amortisar esse
debito. Neste sentido he que a commissao deu o seu pa-
recer, c firme uestes principios contino a suslenta-lo.
O Sr. Joi Pedro nao quer que a casi se persuada que
elle tem em vistas negar ao peticionario, ou a quaes-
quer outros que se acharcm as mesmas circumstan-
cias, o pagamento das quantias a que teem direito, pois
que apenas deseja que a assembla se nao subjeite a
obrigaces que anda nao sabe se poder satisfazer,
visto como ignora se, depois de marcadas as quotas pa-
ra as despezas indispensaveis e de mais palpitante nc-
cessidade, Ihc licarao nietos para occorrer a essas obri-
gaces : e porque esse estado de duvida smentc dcsap-
parecer depois de discutida a lei do orcamento, o ora-
dor vota pela emenda que apresentou,
CSf. 'i"i6urtino: Sr. presidente, nao foi da inten-
ciio da UL>iiiniis-.ao tomar una medida genrica a tal
respeito ; a commissao quiz ser coherente com os pre-
cedentes da casa, c parecera injusta, se nao attendesse
aos peticionarios que teem recorrido a ella, e se defe-
risse as suas supplicas por outra maneira, una vez
queja se mandou pagar urna divida a um outro peticio-
nario como abate de 15 por cento. Ora, este abate j
tem sido ofl'erecido por oulros ; mas, para que se man-
de pagar, he neccsiario que se marque quota na lei do
orcamento ; c sobre isto nao ha questao alguiua, por-
quanto cites o teem requerido. A assembla nao pode
mandar pagar tudo por agora ; manda, pois, pagar o
que estiver as suas turcas ; por conseguinte, se ellcs
quizerem, receberao essa quota, c se nao quizerem,
ninguem os obrigar. A casa ser injusta, se nao votar
nao estao em peior circumstancia do que eslava aquel-
le outro peticionario a quem se deferio, e ainda devo
dizer que as dividas dos acluaes sao mais antigs, e isto
he mais urna rasan para se marcar quantitativo na lei
do orcamento ; tanto mais, quanto agora se faz uina
grande economa com a reduc(o do corpo policial. Sr.
presidente, as necesidades uiais'urgeiites que nos te-
mos san a factura das estradas para facilitar o coin-
raercio...
O Sr, Xavier Lopes : Y, as cadeias ? ..
O Sr. Tiburtino. .. : Concordo e as cadeias ; por-
que para moralisar os povos, he necessario que haja as
prises ; por consequencia, a ueeessidadc das cadeias
he cumente, assun como a das estradas : logo, havendo
una economa de 100 contos de ris, nao he muto mar-
car 12 contos na lei do orcamento para se dar 3 contos
de ris a cada um dos quatro peticionarios, que icquc-
rerain a esta assembla : pelo que, vol pelo parecer,
e contra o requerimento do nobre deputado, coinquau-
to respeite multo as suas ideias.
O Sr. Trigo de Loureiro : Sr. presidente, parece-me
que a casa deve votar pelo requerimento, se, como jul-
go, elle tende a fazer com que seja adiado o presente
parecer para ser tomado cm consideracao quando se
discutir a iei do orcamento.
Sr. presidente, qusudo, pela primeira vez, aqui se
apresentou o requerimento de um credor da fazenda
provincial pedindo, que se Ihc mandasse pagar o seu de-
bito com o abate de 12 a 15 por cento, eu votei pelo pa-
recer da commissao a semelhante respeito ; nao s por-
que recoiihec a provincia na obriga;o de pagar a
quem devia, seno tambem porque entend que ella
colhia grande vantagein do abate oerecido : mas,
nand a-sim proced, nem me passou pela mente que
Julgada a materia discutida, he o parecer submettldo
a votacao c approvado, com a emenda do Sr. Jos Pedro.
Tcrcelra discusso do projecto n. 6, que fixa a firea
policial para o anno de 1848 n l849, com as emendas ap-
provadas cm segunda discusso.
VJo i mesa e sao apoiadas as seguintes emendas:
i. Ao artigo 20.Que se supprimam as palavras os fun-
dos do fardamento que actualmeute existem, continuem
na caixa como auxiliar aos fundos, que se arrecadarem ;
e que fique tal qual se a cha redigido o artigo do projecto.
Oii'noV CemptUp.n
'Ao artigo 20.Supprimam-se as palavras -os fundos de
fardamento, sendo substituidas por as palavras os
gneros comprados para fardamento. Depois das pala-
vras ti que se arrecadarem accrescente-se rccolhen-
do-se ao cofre provincial quaesquer quantias, ou crdi-
tos que estiverein na mesma caixa, sendo estas cobra-
das devidameute pela thesouraria provincial.Teixcira.-
" Suprima-se n art. I ." das (Hiendas i> < un ajudan-
tc de cirurgia com a graduaco de aiferes. Xavier Lo-
pes.
Ao artigo 0." Suppriinam-se as palavras de tres
membros, officlaes do corpo ; c accressente-se depois
da palavra concedi composlo do commandante
c dous oftlciaes do corpo: o mais com o nn artigo. S.
R.Teixeira.
i Bu Tea da cine ma ao art. 15, approvada na segunda
discusso, diga-se : licando salvo o poder de demittir
antes do fun do-tempo do engajamenlo, assim o numero
de pracas que porventura exceder o que para o futuro
se lixar, como aquellas que, por mo procedimento ul-
terior, nao de va ni mais fazer parle do corpo policial.
Trigo re Loureiro
o Ao artigo i ."Depois da palavra ncenvenienle diga-
se despeudeodo n'essa obra a quantia de 3:00(1/000
rs., que sei ao designados na lei do orcau^ento. Car-
vallto.
Ao 1. do artigo l. -- Depois da palavra capitn
accressente-se devendo ser um ofTicial de quaiquer
das classes do exercito. S. R. Olinda Campello.
Artigo additivo. O corpo de policia ser distribu-
do pelas comarcase municipios de toda a provincia, na
raso das necessidades de cada umadellas; de tal sorle
que, em circumstancias ordinarias, e no caso de paz,
nunca esteja na capital mais de um terco da frca de-
cretada. Xavier Lopes.
O Sr. os Pedro combate a emenda que manda sup-
primir o eirurgioajiidante, e d as rases que leve em
vista quando apresentou a sua emenda na segunda dis-
cusso, com o i ni de conservar este lugar no corpo, que
pelo projecto era abolido.
Sustenta a emenda que apresentou na segunda discus-
so ao artigo 20, c onne-p : que agora se presenta a
este artigo ; e, dando as rases desta opposico, declara
que nao approvar esta emenda, principalmente porque
legalisa essas obrigaces que existem na caixa do corpo,
provenientes de emprestimos prohibidos por lei.
Oppe-se tambem emenda que diz que o comtnando
do corpo deve ser um olticial de quaiquer das classes do
exercito, porqu cntende que, sendo esses officiaes ein-
pregados geraes, a assembla nao pude legislar a respei-
to dilles, obigando-os a servlcos que elles pdem recu-
sar podendo assim tornar-se inexequivcl, nesta parte, a
lei que se discute.
Conclue declarando que votar pelas outras emendas,
menos a que oLriga o presidente da provincia a ter
corpo permanentemente destacado.
Encerrada a discusso, sao approvadas todas as emen-
das que lu un apresen!.idas, com exeluso da do Sr. Xa-
vier Lopes, que supprimc o cirurgio ajudanle, a qiial
foi rejeitada, e a do Sr. Olinda Campello, acerca do ar-
tigo 20, que ficou prejudicada, pela approvaco da do
Sr. Jos Carlos ao mesuio artigo.
OSr Pendra Gomes reclama para que se lea evote
urna sua emenda, que apresentou em lempo, e que an-
da o nao foi apreciada.
Move-se alguina discusso a respeito.
Alnal a casa resolve que se admita a emenda dis-
cusso.
O Sr. I* Secretario faz a lei tura da mesma emenda, que
he a seguiute :
.los arligos 1." e 2." O commandante do corpo le-
ra a graduaco de major : seu sold ser de 70/ rs.
terreira (Jomes.
O 5"r. Tiburtino : -- Parecc-tue que V. Exc. deve con-
sultar a casa se a emenda est ou nao prejudicada.
Atuilos Srs. Deputados: J se decidi que cntrasse em
discusso.
Julgada a materia discutida, he a emenda submettida
viilae.in crejeitada.
Entra em segurfda discusso o projecto n. 25 do anno
passado,' que aulorisa o presidente a mandar construir
uni acude ua povoaco de Ik'zerros.
t> or. .mu t"tino : Sr. presidente, a necessidade de
se fazer esta obra na freguezia de Bezerros, he tal que
creio que nao ha um s Peroambucano que a negu urna
vez que icnha viajado por all. Aquella povoaco que j
est bastante populosa, tem uina falta sensivel de agoa
polavcl: logo que apparece o vero, o rio Ipojuca, que
passa cm frente della, absorve todas as agoas ; por isso
que seu letto lie excessivaiucnle arenoso, e os habitantes
i ci-oi reni a pequeas extavacet no mesmo lveo, que
Ihe do urna agoa muilo insalubre.' salitrosa,-e es-
sa mesma com malta difftculdade. Agor direi que
quaulo a emenda que mande para se lbc marcar na lei
do orcamento tres contos de res, he porque julgo ser
iurcalisavcl a mesma obra com 2:000/000, de rs. e ainda
com tres : mas os habitantes sepropein a supprircom
o que lhe faltar, e nao sendo a obra daquellasqueuo he
possivcl que admittam suspeuso de coustruccao depois
de principiadas, deve-se marcar logo um quantitativo
que seja suQicieute, ai crescendo que, sendo a obra feita
no mesmo rio, demanda urna parede to grossa e solida,
que nao s resista ao peso das agoas: mas tambem ao im-
pulso das iiiesnias as occasies de cheias; e por isto as-
seutei que a menor quantia que se deve marcar he tres
contos de ris: e quanto a exigir que se marque n* lei
do ni ea i uen lo he ).urque sei que obras que se teem de fa-
zer com sobras be o mesmo que dizer-se que nunca se
facau.
Portauto, voto pelo projecto e emenda. *
Yai mesa, e he approvada urna emenda.
Encerrada a discusso, be o projecto approvado, e
rejeitada a emenda.
He approvado em terceira discusso o projecto n. 8,
que autor isa o presidente da provincia a mandar cons-
truir nesta capital uina casa dedetenso que possa ac-
commodar ate 200 pessoas.
Entra em primeira discusso o projecto n. 15 que au-
torisa o presidente da provincia a mandar fazer uns a-
terros c puntes na villa do Rin-Formoso.
O Sr. Xavier Lopes; Sr. presidente, como autor
do projecto, sinto-me collocado na necessidade de ex-
pender as rases que me iiupcllirain para_o apre-
centro, que teem passado pela villa villa do Rio-Forrno.
so, ou teem delle conhecimenlo ; porquaiito a situaran
on posicSo topographica do I!in-Fm iiiiish he lguiria
cousa peculiar: o terreno cm que est situada a villa he
sniniiiamente baixo, e subjelto accao das mares, <>
Maneira que circula a villa de ago, pur modo que n'.
deixa uina passagem livre e franca. A municlpalidade
desta villa tem lido muilo eni vista Isto, e tem bracpja>i
do com as diffieuldades de remediar esse mal um
halda de todos os mcios c recursos pecttnlarog, por v,'!
das rases que em outra occaso aprsente!, ella nao
tem podido occorrer a isto : que fazer, pois, em teme,
lhante conjunctura ? Recorrer a esta caa. Eu.J ei
outra occasio aprsente! n necessidade que havia de
algumas obras publicas na villa do Rlo-Fonnoso ; esta
he da primeira intuico, e para prova disto eu lerel nina
representaran que a enmara chvkou ao governo, c que
por intermedio deste foi para aqui reinettida. (Le \
Ora, o-governo provincial, remettendo esta casa a re
presentaran da enmara para prover u necessidade doj
aterros, tem multo positivamente rcconhccido esta pre-
clso, c invocado desta casa o seu provimento e nao
he crivel que a assembla legislativa provincial deize
em olvido, quanto mais rejeitar um projecto de lei de
tanta necessidade para um dos lugares mais uteis c
mais ooinmerciacs da provincia.
Como, pois, o projecto e acha em primeira dis-
cusso, eu nao quero roubar o ternpo casa; e pa.
rece-me ter justificado a sua ulilidade reforjando essa
utilidade coiu a representarn da municipalidade. Voto
pelo projecto.
He appiovuit o projecto em primeira discusso para
passar segunda.
Entra em segunda discusso, c he approvado p,1ra
passar terceira, o projecto n. 14 que autorisa o gover-
no a mandar abrir o rio Una.
Tambera he approvado em primeira discusso, para
passar segunda, o projecto n. 24 que manda Doioear
para delegados do concelho de salubridade pessoas
nao professionaes, nos lugares cm que houver falta das
que o frem.
Entra em segundaa discusso o projecto n. lo qUC
manda edificaruma cadeia na villa do Rio-Forutoso.
Vai a mesa e he apoiada a seguiute emenda:
Artigo 1. Em vez de i< urna cadeia i diga-se una
casa de prisao. Mawignier.
Tambem he apoiada, para entrar em discusso, a sf'.'
guinte emenda: ^
u Depois da palavra cadeia diga-se com as con-
difesreeommentladas no artigo 179 21 da constitu-
cao; seguindo depois o resio do artigo assim e cun
acondico de poder comer. 60 criminosos. Trigo de
Loureiro.
O Sr. Xavier Lopes: Sr. presidenls, eu nao sei qual
seja a mente do nobre autor da primeira emenda, quan-
do substiluio a palavra cuili ni [inir/is.i le priso. Quanto
a mili), cadeia e casa de prisao he a nicsmissima cousa;
accrescendo, porm, que a palavra cadeia he. segundo
as nossasleis, a nials adniissivel, ou, se assim me devo
exprimir, a .-mis constitucional. A consttuico, no arti-
go 179, 21, faz menco de cadeias, etc.: por consequen-
cia a substituidlo c casa de priso por cadeia s pode tra-
zer comsigo urna discusso philosophica; questo que
jaoccupou esta casa bastante lempo quando se discutio
o projecto n. 8 que ha pouco passou em terceira discus-
so. Porlanto as cadeias as villas sao edificios, por ellas
liein ii ni |ii eli elididos ; d.n'in ter os cu mnenlos preci-
sos para a .separaran dns sexos, criines, ele.: logo a
questo he meramente de palavra. Perianto, voto pelo
projecto e contra a emenda.
sois de una 11 lie.Mies dos Srs. Maviguier e Tri-
go de Loureiro, he o projecto approvado em segunda
discusso para passar terceira, com a emenda do ul-
timo destes Srs. "
O Sr. Presidente d a ordem do dia, e levanta a sessao
lis 3 horas da tarde.
PROPAGANDA HOM0EOPATHICA.
I
Dos te salv'e, Pernambuco! Eu te sado com aquelle
enthusiasmo sincero e fervoroso, que nunca arrrfece no
coraco dos bous llrasileiros, verdaderamente amantes
do engraiidecimento e progresso do reu bello paiz. Do
alio da iinpreiisa te dirijo um signal da mais dlstincta
consideracao, c urna prova nao equivoca da affeico que
te consagro. Tua magestosa perspectiva, leus ares de so-
berana das costas do norte do brasil me infundem um
respeito profundo, e me inspiran! una multidodepen-
saineuln agradaveis, que, ainda depois de r.inha ausen-
cia de teu seio, continuaio a fazer parte das delicias de
minha vida. Tua aprazivel stuaco, leus soberbos edifi-
cios e essecordo de rochedos que te defende de urna a
outra extremidade, c faz que o ocano abata respetoso
sua furia diantc de ti, e se nao atreva a beijar-te os ps
seno com o acatamento devido a magesladc ; tudo Isso
permanecer gravado em niiiiha memoria, quando ini-
nha missao estiver aqui terminada, e eu haja de conti-
nuar minha voluntaria c humana peregrinaco por ou-
lros lugares, nao menos dignos e merecedores que lu
dos beneficios da boinreopathia. A teu povo brioso e he-
roico trago este presente sublime que Dos revelou ao
seu predestinado, o inmortal Samuel Hahnemann, para
salvara triste humanldade dos grandes tormentos a que
eslava votada pelo barbarismn da velha medicina. He
una mu n i i.i in iei i-amen te nuva, e que tem seguido seus
passos regulares, apezar dosciubaracosc barrancos qi
adianto della se teem querido collocar.afim de faze-la pa-
rar em sua marcha gloriosa. He a sciencia da redempeo
physica que cusma a curar os males do corpo cun....urna
s jota d'aqoa crystalina e pura, tm que vai vida, como na
simples hostia consagrada vai a redempeao.... He uiua scien-
cia que obrga o medico a fazer experiencia.em si pro-
prio, antes de administrar o medicamento ao enfermo.
He essa sciencia, he essa maravilhosa doutrina medica
3iie touiei sobre iniui propagar pelo norte do imperio
a Santa-Cruz, e para cujo desempenho' nao pouparei
trabalho e nem sacrificio algum. He esse o mimo, bella
cidade, com que pretendo brindar teus habitantes, por
cuja prosperidade farei os mais ardentes votot.
14 de julho de 1848.
Dr. Sabino O. L. Pinho.
HUID DE PERNAMBUCO.
RECIFE, 16 DX JIHO SE 1848.
Honlem tomn, com effello, posse da administrarn
desta provincia o Exm. Sr. desembargado!- Antonio da
Costa Pinto.
O acto esteve inulto concorrido ; bouve lugar com to.
das as formalidades do o vio, e terminou por cortejo
ao busto de Sua Magestade o Imperador.
Novo na provincia, e por conseguinte eslranho s in-
trigas dos partidos que ahi se debatern, S. Exc. pode co-
brir-se de gloria no desempenho da nobre c importante
mlsso de que se acha eucarregado, se persistir na In-
tenco, com que nos amiinain viera, de governar se-
gundo a lei, distribuiudo justica a quem qur que a
merecer.
O Exm. Sr. coiiimendador Domingos Malaquias de
- Aguiar Rlres-Cerreira j se acha>reiCilldo*- vlplaci-
era rasao desse delcruncnto, appareceriaiu tantos credo- sentar. 1. '
res requereudo o pagamento de seus dbitos e offere- Sr. presidente, esta obra he de urna necessidade re- aa e^ulea, de que smente saino em observancia as
cendo tambera essa vantagein, Dcmals, se approvar-1 conhecda por todas as pessoas que teetn viajado pelo | ordens de Sua Magestade o Imperador, e levado .do de-
ILEGIVEL
MUTILADO I


srjo de prestar algum irarVleo a sua trra natal: S. Eic.
cutrcgou hontem a admfnislraco da provincia ao Exm.
Sr. des.embargadpr Antonio da Costa Pinto, passando-lhe
s raaos o relatorio que publicamos rom este numero
do Diario.
7*1 U Podemos dtier, sem que qin nada ofrendamos ve*,
dade, que ainda ninguem se sentou na cadelra presi-
dencial de Pernambuco, dominado por seniimcn tos mais
nobres do que aquelles de que 8. Exc. se achava anima-
do ; que anda ninguem cccupou etsa cadelra, con
Intenc6"es mais puras do que as de S. Exc. Seu priineiro
pcusamento, sua Idcia dominante, era portar-se de mo-
do que lodos o conitderasseui, nao o instrumento de nm
partido, mas slm o delegado fiel de Sua Magestade o Im-
. perador, que, sendo o pai corhmum de todos os Brasl-
leirps, nb querer certamentc que e persiga a urna
grande prcSo deseus filhos pelo simples e nico facto
de adoptaren opiniones avetsas s dos que se entendem
cora direito a dominaren exclusivamente o palz. Essa
ideia e esse pensamento, S. Exc. os revelou altamente
as poucas nomeaedes que fez, esooUicndo para os lu-
gares aos que lhe pareceram mais aptos para clles, mi-
ora periciicesseui a esta ou aquella das parcialidades
em que se acha dividida a populacho da provincia.
O Exm. Sr. Agular n3o chegou a estar por um mez na
dlrecco dos negocios de sua patria. Entretanto, per-
mitUo o acaso que. em tso pouco tempo, dessem-tc fac-
grafadoa faiiam nos outros horrorosa mortandade. Em
uins da mais de duzentos tinhm sido morios.
Esse ompinento suppc-sc baver sido occaslona'do
pelo dissabor dos pardos em serem governados pelo
actual presidente, que he preto.
Quantn as noticias da Europa, s5o todas "anteriores
as que j em outros nunnro desta follia havemos pu-
blicado.
Finalmente temos de annunciar aos nossos leitores
3ue no da 15 de abril foram aprisionados e levados a
crra-Lea pelos brlgues ingle7.es Rapid e tderl duas es-
cunas negreiras com bandeira braslleira, una com
100 escravos a bordo ; e a outra tmente preparaJn
para o trafico,
Quando reflectimos nos perlgos a que, inesmo nesta
vida, se expoeni os traficantes decaine humana, e as
penas que infallivelmente os esperara na outra, por ha-
verem procurado o seu bcra particular desgrasando
mllhares de familias, sem "se lerabrarem que todos
somos irmaos, e como tas not devenios amar, nao
podemos deixar de exclamar coin o poeta de Mantqa
......(.d o mortalia putera oj
Auri acra ames ?
Wovimcuto do Porto,

Navios sabidos no iia la.
Publicabas a pedido.
Jim. Sr. Ditera JoSo Manoel Mendes da Cunha Aie-
vedo e Evaristo Mendes da Cunha Atevedo que Ihes fas
a bem que o carcereiro da cadeia desta eidade informe
de manelra que faca f, certificando ordein de quem
forain rcinovidot da cadeia para urna das prisoes do cor-
po de polica os supplicantes. Pedema V.S. deferlmento.
-- E n. Mcrc. Despacho. Cerclfique. Subdelegada
de Sauto-Awonio, 15 dcMutho de 1848. rala de Al-
mtida.
tos capazes de por em prova, nao s a sua energa e ti-1"'0*' Marcelino Ribeiro, larcireiro Merino da cadeia dula ci-
o govcrnatlvo, temi tambera o ten grande zelo pelas
financat da trra em que nasceu. Queremos fallar dot
horrivels eventos dos das 26 e 27 dejunho ultimo, c
desse consideravel desfalque que ha pouco. se reconhe-
ceu haver nos cofres da thesouraria provincial.
linjlysein os homens honestos e sensatos o procedi-
inrnto de S. Exc. netses das aziagos ; avallen acurada e
pausadamente as providencias que elle entilo tomn, e
decldajn em mas consclenclas se alguem serla capaz de
r.-s reanlfiAnc
ctuiUdos do que estes que S. Exc. co-
!he ; te alguem poderla fozer parar com mais promp-
/ id fio o carro da anarchia e desolaco, sem derramar
rrutb tangue pernanibucano ; te alguem adoptarla
medidas preventivas mais acertadas do que essas que
em multas occasides aniquilaran os bem combinados
planos dos desordeiros.
Isto quanto aos desastrosos acontecimenlos a que nos
havemoj referido ; a respeito, porm, da fraude escan-
dalosa de que fol victima a faznda provincial, junta-
mente con una grande parte dos negociantes e capita-
listas desta praca, ainda deve de estar bem presente na
memoria de todos o comportamento, em ludo louvavel,
que S. Exc. desenvolveu, para conhecer de semclliante
traficancia que, tein a mnima contradieco, he de Ion-
ga data, e Uvera, por sem duvida, continuado por mais
algum tempo, te ot mencionados acontecimientos nao
liouvessem concorrido para que os possuidores das let-
tras da thesouraria defraudada se apressassem a haver
a importancia dellas.
Despreie, pois, o Exm. Sr. Malaqulas os insultos que
lhe teem sido dirigidos pela imprenta bastarda de Per-
nambuco, e cont com oreconbecimento e com at svin-
patliias daquelles de seus concidadaos que se nao dei-
xain dominar pelo lntcresseproprio ao ponto de desco-
nhecerera a verdade. m
dade do Recife di Pirnambuco, tic, tic.
Certifico que a ordem pela qual fram removidos os
supplicantes he do teor seguintc. Ordeno aos ollieiaes
de justica que coinpriram as prisoes por mandado deste
juizo no thfsoureiro da thesouraria proviucial, Joo Ma-
noel Mendes da Cunha Azevedo e seu fiel Evaristo Men-
des da Cunha Azevedo, que se dirljam a referida cadeia,
e removam os dous referidos presos para o quartel de-po
licia, devendo apresentar esta minha portarla ao carce-
reiro para cumpri-la Recife, 13 de jullio de 1848.An-
tonio da S/ta Neves, Juiz de direito do cime.Certifico
m.'iii que o recibo lie do teor seguinte. Recebemos os
presos cima. Recife, 13 de jullio de 1848. --Ollieiaes de
justij. , boa.Nada mais se continua em dita portara, recibo,
os quaes vo fielmente transcriptos sera cnusaque duvida
laca, e a mesma me reporto. Dada nesta cadeia do Reci-
fe, aos quinte dias do mez de jullio de mil oitoceutos c
quarenta e olio. Mandei passar a presente, que vai por-
mim tan simiente assignada era f de verdade. Joo
Marcellino Hibeiro.
OSr.juIz de direito Antonio Henriques de Miranda
ctitrou hontem cni exercicio do cargo de chefe de-poll-
cia desta provincia.
S. S. tanibeni he estranho s controversias polticas
que aqui te agita ni ; e, pois, parece que est as cir-
cunstancias de obrar de aecrdo com o systcma de jus-
tica que, conforme se nos diz, vai ser adoptado pelo
Exm. Sr. Costa Pinto.
eos
Fn*IO.
.sa^i
Alfantlega.
RENDIMENTO DO DA 15...........15:697/287
Dlsearregam hoje, 17 de julho.
Driguc San-Jos fumo e pipas vasias.
SumacaFloreo-Angelim fumo e lirio.
Brlgue Lewii -. farinha, bolachinha e barricas aba-
tidas.
Galera Tentadora mercaduras.
CONSULADO GERAL.
RENDIMENTO DO DA !5.
Geral....................1:391/076
Diversas provincias.......... 16/316
1:407/392
Rio-firandc-do-SuJ pelo Rio-dc-Janeiro ; patacho brasi-
leiro Nicthtroy, capito Joaquim Soarcs Micoim, car-
ga assucar e ago'ardentc. Passageiros, 7 escravos a
entregar. ,
Falnioutli i brlgue inglez Lady-Salti, capllao David
Young, carga assucar,
Lisboa; barca portugueza Ligtira, capito Antonio Joa-
quim Rodrigues, carga assucar. Passageiros. Antonio
Franco deOllveira Castro, sua senhora e filho9 me-
nores, Manoel Rodrigues Pinto, Duarte Antonio Seara,
Jos Gomes do Sobral Naseimento, Joaquim Antonio
da Silva, Joao Raposo 1-Vrnandes, Carlos Dias de Mel-
lo, Euzebio Rafael Rabello, Thoraaz Jos Ferrelra, Por-
tuguezes; Manoel Jos Fernandes Eira, Manoel Jos
de Souza Bastos, Urasllelros ;. o Portugus deportado
Antonio Alves Jnior, remettido pelo desembargado!-
chefe de polica.
Navios enlradoi no dia 16.
Boston ; 38 dias, escuna americana Ouleile, de 99 tonela-
das, capitn Wllliam II. Caullield, cqulpagem t, car-
ga resina, cha, relogios, carne de vacca e mais gene-
ros a II. Fosler & Companhla.
Limerick ; 37 dias, brigue inglez Jamts-Gibson, de 204
toneladas, capitoFrcderico Creen, equipagem 10, em
lastro ; a James Crabtrec & Companliia.
Lisboa ; 43 dias, brigue portugus Tarujo I, de 233 tone-
ladas, capiliio Manoel de Oliveira Faneca, equipngem
15, carga vinho, azelte, lagedo, cal e mais gneros do
pali ; a Fermluo Jos Flix da liosa. Passageiros, Joao
Ozorio Maciel Mouteiro com dous criados-Antonio
Crrela Mara Nascimento, Antonio Uernab de Mi-
randa, Jos Oaetano das Charas. Ilernardiuo Ramos da
Silva.
Caiis-de-Guenaby ; 46 dias, escuna ingleza Atice, de 146
toneladas, capito Frcderick VVilliam, equipagem 9,
em lastro ; a Le bretn Schramm.
Navioi rahidot no mesmo dia.
Portos do norte ; vapor brasilciro Pernambucano, com-
uiandantc JoaoMllitp Henriquc. Alm dos passagei-
ros que tronce dos portos do sul para os do norte le-
va a seu bordo : para o Cear, Jos Sniith de Vascon-
c .los com um IHIio menor c um cscravo, o alferes
Luiz de Franca Carvalho com dous fillios menores c
una criada j para o Maranbao, Fr. Luiz de Alba, Izi-
dro Jos de Araujo, Fernando Francisco Malhciros
com um escravo.
Portos do sul; vapor brasilciro lialiianna, cominandantc
J. II. Olton. Alm dos passageiros que Irouxe dos por-
tos do norte para os do sul leva a seu bordo : para Ma-
eei, P. Venancio Lilis Tellet liando, Rodrigo An-
tonio llrasileiroMacei com um escravo ; para Haba,
Carlos Vaugban, Charles Gadoulli, Silvestre dos Reis,
Tilomas Foster, C. Dieslel, Ilernardo Cj-priauo Ribciro,
Joo Miguel Alves Piulo Guinisrcs, tarlos Filippe da
Silva Mnniz Abren i para o Rio-de-Janeiro, o major
Joo Guilliermc Bruce, o mestre de fragata llraz de
Freitas, o cabo Manoel Thouiaz de Lima.
Rio-de Janeiro; brigue-escuna brasilciro Sella-Virgi-
nia, capiliio Francisco Pcixoto Guimaracs, carga assu-
car, ago'ardentc c sola. Passageiros, Caetano Jos
Travaco, Hrasileiru ; c 10 escravos a entregar.
btervaciio.
I iiiiilion no Lameiriio, para acabar de carregar, o bri-
gue inglez Induslrius, capitao Samuel Wccks.
Declaraces,
guando se prepara vam as tropas para a parada que de-
viade astistir aposte do actual presidente, evadiram-se
cinco dos criminosos que se acbam recolhidot ca-
4ciade&la eidade ; mas duem-nos que alguns j fd-
"Aii apprcbcndidos, e estao recolhidot priso.
Etna noitc de 15 do correnle, l para as bandas da
ra do Jardim, um pardo assassinou aoutro de que re-
cebara tarde una bofetada, c a quera prometiera redu-
zir a estado de nao mais podar desfeitcar a ninguem.
0 assataino foi preto em flagrante, e acba-se recolhi-
*lo i cadeia.
CONSULADO PROVINCIAL.
RENDIMENTO DO DA 15.......... 841/749
Itecopitacio do rendimcnlo total da mcia do consulado pro-
vlncialda provincia de Pernambuco, noannofinanceiro de
1847 a 1848.
A tAIEB :
1847. Importancia.
Julho .............. 31:263/452
Ag<"............. 22:739/c4(J
Setcmbro............ 14:194/499
Outubro ......-...'... 15:586/828
Novembro........."..-.;. Jfcfl65/354
Deiembro............ 52:757/668
1848.
Janeiro ..'....."..-.... 50:334/0l4
Fevereiro............ 46:724/108
Pela procuradoria fiscal interina da faicnda publi-
ca nacional se avisa que se lera pastado mandados de
secuestro contraes devedores do Imposto das lujase
estabelecimentos commerclaes do bairro do Recife e
que os devedores qnc ora qilizerem pagar, devero re
ceber do escrivo gula e com ella verificaren! o paga-
mento, bocea do cofre publico e rccolher o conhe-
cinclito u> cartorio paraseajuntar ao autos, e d-te-llie
ehloquilaco sem oque nao se suspender a execu-
cao neni sero havidos por desonerados. Outro sira, se
avisa que nenhuui dos empregados do juizo est au-
torisado para receber tais dbitos, para se absterem
dos quaes receblmcntos at j foram judicialmente in-
timados coino consta no cartorio. O devedor, pois ,
que, apezar disto, Ihes eulirga qualqucr somma das
contribuidles que devem e>U,i entendido que o fafa
Cuino a quarsquer particulares e que se clles abusa-
ren da sua boa f e coniTanc.a nao entregando eflectiva-
iiiente no cofre publico o que assini recebereui nao
teem os devedores pago fazenda a qual proseguir
contra clles contribuimos as execuces.
PUBL1CACV0 AGRCOLA.
Malln a luz e acha-se venda por i$
ila praca da
Marco
Abril
Maio
Junho
Total
40:942/151
28.367/002
25:099/551)
33:346/824
377:321/299
Piestaram-nos o Pennsylvaniu Inquirer, e a JVorth Ame-
rican and Iniled Slatts (iuiel (jornaes publicados era Phi-
ladelphia; de 28 e 24 de maio : o que de sua leltura co-
llieiiins he o seguintc :
Todos ot estados da Unlo Icavara era paz, e coni-
quanto estivesse prxima a eleicao do presidente da re-
Publica, e os dltl'erentes partidos te esforfassem por
vencer, nao bavla quera receiasse a menor desordem.
O general Taylor (o hroe de Ruena-Vista) e Mr. Clay
eramos candidato! que, segundo sesuprinha, obteriam
Waior numero de votos.
0 general Scott, etse segundo Coi tez, tinlia vallado a
na patria. Os cidados de f*ew-Jersey, que o nao espe-
'avain, apenas souberam de suachegada entre riles,
prepararam-se para, pelo menos, ijar as bandeiras e
"picar ot tinos, mas o general prohibi absolutamente
toda a demouslracao dtte genero.
O tratado de paz ainda no tihha sido ratificado pelo
ie>ico. mas esperava-sc que o fsse, c esta uietina era
npitiio do general americano.
i-in incalan coiiiiiiuavaui os Indios em tuas devas-
tacfies sem que ot habitantes Ibet podessem resistir.
Em Venezuela as provincias de Mncaraibo, Coro, Tre-
Brlo, e Merida haviam declarado guerra contra o pre-
'laentc Monagas por causa da mataiica de 24 de janci-
'- O congresso eslava ainda en Caracas, auieacado
por Monagaa, o qual o obrigra a reunir-te no dia 25
U(-' Janeiro, e o fizefa adoptar diversosactos, por ello dic -
J*dos. Todos os bens do general Paez e de outros of-
"raes haviam sido confiscados.
-Dlz-sequea principal cauta de*odas estas detgra-
Sas lia sido Mr. Bclfor. II. Wilton, encarregado britan-
'ueo de nfgobios ein daracas, eja -conducta obrigou
0 general Loubliettc a pedir a sua dcinlssao.
tin Porto-Prncipe ( Ilaity) a populaco preta havia-
r* levantado em inatia contra ot pardos. Ettes des-
Recife, 13 de julho 1848.
No impedimento do escrivo,
Jos Guedes Salgueiro.
PRACA DA RECIFE, 15DEJULIIO DE 1848,
AS 3 HORAS DA TARDE.
Reviila semanal.
Cainbioi.....Ilouve poucas transaeces a 25 di por
1/000 rs. I___/
Algodo Entraram 873 saccas. Foi oft'erecldo
a 4/000 rs. arroba.
Assucar-.....Os precos foram ot meamos da semana
antecedente, porm foi menos procu-
rado.Vierain ao mercado 154 caixas.
Courot- Pouco procurados a 90 rt. por libra.
Azeile depcixe Vendeu-te a 800 rs. o galo.
Bacalhc- O consumo foi ihul diminuto. Fiea-
ram por vender 500 barricas.
Carne tecca Venderam-se, na, semana, cerca de 2o
mil arrobas aot precos de 2/100a2/500
rs. por cada una.Estao cu er.SO.OOO
arrobas, '
Farinha detrigo-0 deposito he de 7,500 barricas, por
ter chegado um carregamento de l'lii
ladelphia__Hetalhou-se de 19/000 a
22/500 rs. por barrica, conforme aqua-
liilade.
Louca ordinaria -Vcndeu-se a250rt. por cont de pre-
mio sobre a factura, cambio ao par.
Velas d'esparcetc-Ideni de 800 a 900 rs. a libra.
Knlraraiu5 embarcaces, esahirau4. Ficaratn no por-
to 39, sendo 1 austraca, 2 americanas, 96 brasileas, 4
anecias e 2. rtprtuguezas. ....
rs na Iivraria da praca da Independen-
cia, ns. 6 c 8, o manual pralico do fa-
bricante de assucar, tendo por cpigraplre
o proverbio quem quer os fins quer
os mcios ; obra interessaiitissima para
os nossos agricultores.
1limsamm*iimmataamimimimim^msmimmm'^m'Mr*mmm*^
Avisos martimos.
Para q Rio-de-Janciro aeguir, com a malor bre-
vidadepotsivcl, a barca brasileira Tenlaliva-Filit, por
ter J tratados dous tercos de teu carregamento : para o
restante, passageiros e escravos afretA para o que olle-
rece os' melhores commodos, trata-so X>n^itlva 8 Gril-
lo na ra da tloda, u. II, ou com o cjfpltaa, Antonio
Silveira Maciel Jnior, na Pracardo-Coinmercio.
-- Para o Cear pretende sabir com umita brevida-
de por ler a inaior parte da carga prompla a sumaca
Carlota : quera na mesma quizer carregar ou Ir de
flassagcni dirija-se ao mestre Jos Goncalves Simas uo
a Luis Jos de -~;i Araujo, na ra da Cruz, n. 26
Para o Rio-de-Janeiro deve sabir coii toda brcvl-
dade possivel, por ter a malor parte da carga, o brigue
Sun-ioi barcar escravos, dirija-sc a Gaudino Agostinbo de Bar-
ros, na.ruada Cruz do Recife, casa n 66.
Para o Cear sahe, com inuita brevidade por to-
parte da carga prompta, a sumaca Flor-do-Angelim: para
o restante e passageiros; trata-se com o mestre Ber-
nardo de Souza oucou Luiz Jos de S Araujo, na
ra da Cruz, n 26.
Para o Aracaty sahe, impreterlvelmenle no dia 23
do crreme por ter a carga quasi prompta a suma-
ca Carlota : para o retame e passageiros trata-se com
o mestre Jos Goncalves Simas, ou con Luiz Jqs de
S Araujo na ra da Cruz, n 26, .
Para o Kio-de-Janelro sahe, na presente semana, o
patacho Vo>o-Vm*rario. por j ter parte de teu carrega-
mento prompta: quem ncllc qulzcr carregar ou ir de
pasaagein dirija-se ao capitao, a bordo, ou a rua do Vi-
garid, n. 3.
Para o Rio-de-Janeiro tahe, com brevidade, o bri-
gue Minerva, por ter a inaior parte da carga prompta :
?uem quizer carregar dirija-se ao teu proprictaiio ,
rancjtco Ajes djiCunlia, na^rua.doJV'Jgaro, u. 11, .
ivisos diversos.______
-- O coinmaudante do paquete de vapor /Vaamiuieona
declara qnc nao recbela a bordo do mesrao paquete
oncoininciidas de quem quer que seja, sem que lhe se-
j un dirigidas por intei-ncalo da agencia.
-- Oll'erecc-se um lionieiii pardo, para criado de qual-
qucr casa, para todo o tervico, o qual d fiador a sua
conducta, ou iol'ormacoes das casaf em que tem estado:
quem precisar dirija-se a rua Helia, n. 43, que achara o
mesmo para tratar.
-- Paga-se generosamente a una ama do leite que o
tenli i bom e com abundancia : na rua do Queimado,
o. 17, segundo andar.
AcrioulaScverinaqueaeaoha no deposito, he pro-
priedade do Sr. Jolquim Alves Camrllo de Araujo Pc-
reira senhor do engeuho Mirador: o mulatinha Ale-
xa ndre que se acha icualiiientc no deposito, be pro-
prledadedolir. Joao Paulo de Miranda jnior e ludo
isto sabe a pessoa eii cujo noiuc foram depositados :
portauto os referidos Srs. cuiden de seus lUteresses ,
pois caprichos de alguem Ihes detse Incoiinuodos
Quem annunclou um ornamento usado, rom ca-
lta, annuncie sua morada para ser procurado.
D. Anua Victorna de Mello proprietarla do enge-
nbo Uiieimaibis na l'rcgue/.ia de Una comarcado RIO-
FORMOSO faz publico que se acha procerteudo ao In-
ventario dos bens que liearam por inorte de seu marido,
Cosme Jos de Mello em o juiso dos orphacs daquella
comarca: quem, portauto, scjulgar eredordoteu catal,
pielia mandar quanto antes proceder a iece5aria jus-
lificacaode suas dividas en o referido juizo aliin de
que pelos inelos legaes lhe tejara adjudicados os bens
necessarios para pagamento das mesnias.
A typographia Amarina acha-se estabelecda na rua
doNogeira, n. 19, do bairro de S.-Antoitiof freguesa
de S.-Jos. Presta-se a quaiquer pubcacu, eorretpon-
dencia jornal, etc. de quaiquer partido que fui-, viu-
do competentemente rrsponsabilisadas. Na mesma ty-
pographia ou na rua das Calcadas, n. 7 se achara o,
administrador, o Sr. Manoel Joaquim de S -Anua Mar-
ros, com que te deve tratar. Sendo ette un meio que
ten a abaixo assignada visto o estado em que se acha
seu marido espera que os Srs. que tenham publicaedes
a fazer busquem esta typographia que far as publi-
cares por prc(o muito conveniente.Kccife, 14 de ju-
lho de 184S. i- Mara da Conceirao Borges da Fonieca.
DENTISTA.
M. S. Mi iviim, ririirgio dentista, lem a honrado ana
uiiiii i.ir ao respcitavel publico ,que continua a xercer
todas as opera ene, i librenles a sua prolisso, como se-
I un : tirar doutes, chumbar com ouro e prala c-uiio-
car denles novos mais peffcitos e duradoret do que o
proprios naturacs: ludo con a inaior perfeicao possivel,
e com a maior coimuodidade em precos na casa de
sua-residencia na rua do Trapiche-Novo, u. 8.
Precisa-se alugar um escravo para carregar pao c
f i're o mais seivi(o de urna casa pagando-se-the meii-
salmeuteoque se ajustar : na rua do Pires,' padaria
n. 44.
l'crdeu-se um lettra da quantia de 130/ rs. sendo
o sacante Francisco Xavier Lopes e o aceitante Ama-
dor de Araujo Pessoa de Mello. Roga-se ao Sr. aceitante
que h.-ij i de uo pagar se lhe for a presentada.
A pessoa que, por engao, levou da porta do ta-
ino da entrada de palacio no dia 15 de julho um cha-
peo deso, de seda novo armafao de ac cabo de
osso con urna pequea falla, queira ir trocar pelo teu,
tambera novo quedcixou na rua do Rangel, n. 42.
No dia 18 do correnle, perante o Sr. doutor juit da
primeira varado civel na cata dat audiencias, de-
pois des,a sr ha de arrematar de renda nnnual por
execueo urna parte da casa de sobrado de dous anda-
res e .-.oan n. 17 sita na rua do Vigarlo do Recife.
Aluga-tc urna eterava que emende do servico d
urna casa de pouco familia sendo fiel, paga-sc bem
na rua da Florentina, n. 3.
.- Roga-se aoSr. que fez o annuncio" sobre o aalxei-
ro da rua do Queimado no Diario n 153 intitulada
= o lrgalo. que haja de publicar por esta folha as
ledras niciaes pois na rua do Queimado, ha muito
caixeirot, e que nao estao para alguma ilisconanca do
publico a ser biltre.
Appareceu, no sitio de S.-Amaro-de-Agoa-Fria .
um escravo que diz chamar-se Luiz e seu senhor ser
Luiz Joo da Costa morador na rita Direita cujo es-
cravo (diz elle) lora vendido por sua senhora, I), fui/a
da Conceicao vluva de Joaquim Manoel Goncalves. Es-
te cscravo foi procurar trabalho c dizia ser forro: a
quem elle pertencer, dirija-se ao mesmo sitio ou a
Jos Francisco de Souza, no trapiche da alfandega velha,
certificando que se uo responsabelisa pela fuga e neta
por uias de se, vcs.
LOTERA
po TttEATRO PUBLICO.
Esta lotera, que at agora era dividida em mcias, pe-
la demora c dillii-ublades na prompta venda dos respec-
tivos bilbetes, fui dividida em tercos, conforme o plano
que, abaixo vai transcripto, diininuindo asslin tanto o nu-
mero dos bilbetes, como o capital. Em consecuencia do
que declara o thcsoreiroqueos mesinos bilbetes achara-
se desde j venda as lujas dos Senhores Gusmao J-
nior & Irina i ; Manoel Florencio Alves de Moract, rua
do Queimado ; na rua do Cabug, botica do Sr. Joao
Morcira Marques ; no Recife, lojadc cambio da vluva de
Vieira & Filhos ; eui San-Jos, pateo do Terco, casa dr
Manoel Pcquenino i e brevemente ser marcado o dia
iiil'allivrl do andamenlo des rodas.
PLANO
Para um (rico de cada urna dai loteras concedida! a favor dt*
obra do theatro publico da eidade do Recife.
20:000/000.
2:000 bilbetes a 10/000
12 porcento de beneficio
8 por ce uto de imposto.
2:000 verbal de sello a 150
2:400/000
1:600/000
300/000
-------------4:300OOll
15:700/0urt
premio de.... ,......5:000/W)o
dito.............2:000/000
dito.............1:000/000
ditos........, : 400/000 800/00
ditos......... 200/000 800/OOt
6 dilos......... 18/XI0 600/000
8 ditos ......... 50/000 400/000
10 ditos ......... 20/000 200/000
465 dilos......... 10/W 4:650/000
2 dltosl.e2."brancosa .125/000 259/000
Rs. 15:700/000
" 500 premios.
1:500 iiilliL'tes blancos.
2:000
total.
N. B. -- Os premios de um cunto de rs. para cima sao
subjeitos ao descont de oito por cento de segundo Ira-
posto : e aos dous prlineiros numeras que freni publica-
dos depois de esgotada a urna dos premios, locaran os
dous premios designados nette plano por priineiro e se-
gundo brailcos.
Recife, 8dejulho de 1848.
O thesoureiro,
Antonio da Silva Gumio.
Palacio de Pernambuco, 8 de julho de 1848.
Approvo.
jtguiar.
Conforme.-
icrino.

Franeiico iaier t Silva, officinl-maior la
I
MUTILADO



1
/\

-- O reverendo sacerdote que quizer comprar um ro-
Juelc de lavarinto, milito rico d.rija-sc a ra aa ua-
eia-Velha, botica n. 3, onde o podera ver c achara com
qU--0 abaixo assignado na qualidade de testamente!
ro do finado Jos Pcreira 'I eixelra avisa a todas aqucl-
las possoas que se julgarem credoras do dito finado ,
que hajain de api esentar suas contas legalisadas no pra-
to de 15dias, visto que se esta procedendo ao inventario
do bens do inesmo finado. = Recire, 13 de julho de
1848. = Joaquim Antonio do$ Santal Aniradt.
MUDANCA. .
?D. W. Kaynoir, clrurglao dentista, do Estados-
Unidos, rep*Uoamente noticia ao seu amigos e
pcitavcl publico, que tcm mudado a sua residen-
cia da casan. 40da ra da Cruz do Recife para a de n.
2 da ruada Cadeia de Santo-Antonio, tercelro andar,
aonde nltimamente resida o retratista americano Frede-
ricks, c aondedaqui cin diante o annunciaote tera inul-
to gisto de receber os que preclsarem dos seus servi
ros professionaes.
carnudo, cllnas cahlda e curtas, e pecoco fino : quem
o vir e o levar ao engcuho Boaclca, ou a ra das Cruie,
n. 30, ser bem recompensado. '
--Precisa-se de urna ana deleite de boa conducta.
na ra Nova, n. 39. _.,..
- Prcca-sc de um pequeo de 12 a '> annos paia
caixeiro de venda que tenha ou nao pratica: na la ao
Cotovcllo n.31. j-.m ._
--Furteram.no dia 30 de junho prximo passad.3, do
sitio junto a igreja de Belcm um cavallo castanlio-cs-
curo quecarrega meio a baixo; tera tima sobre-canna
na n,3oqdireitae queimada de fresco cora ferro naper-
na direita: quem o levar a estrada de Joao-de-Barros ,
confronte a pensado.
^ CHAPEOS DE SOL
Ra do Passeio-Pnblico, n
- Vcndc-se urna mulata moca, de boa conducta, a-
Ignado la.p.ibU que ^^inUUdo cozimmr bem, cngominar, lavar coser, e todo o
- mais servico de urna casa : na na da Cadeia oe Santo-
Antonlo, n.SI. ,
__ Vende-se um diccionario latino, ue
e outro latino,
r>.
- O abaixo 8ss'.0--- -
n socio do scu cslabeleeimento de venda, na ra
Amorra?, n 36, ao seu primo Antonio da Costa errelra
Fm lia nico gerente e encarregado da 1 quidacao
K'.a.transacW anteriores., qur PW. A"//.
activa, da mesma casa.que'gyrara de hole em **
naixo da firma de Antonio Joaquim Vidal C. Hecite,
,3 de julho de 1848. ^^ ^^ ^
-Urna rarda de bon cotume e offerece para^ana
decasadehomem soltelro oude pouca fam lia.. na ra
do Collegio, no segundo andar do sobrado n. 16, e
dr.-Lava-seroupa devnela com perfeicao: na ruado
Q" Tornamientoe cincoenta mil ri.apremio com
nv7o?heTe..i'urna b6.ea.a.terre. na noa-Vi..., lime
d'esembaracad
"iSpc^oa habilitada ,e offerece para tirar passa-
. rln...-,ArM. or nreco multo coromodo .
compo'sico de Fonsec.a, v uv.*, .-...,, ,
Magno lexicn, com ppuco uso : na pra-
ca da Independencia, ns. 6 e 8-
- Vende- o ,itlo, na estrada !do Arraial.tque foi do
fallecido Manel Goncalve. Bodrlgue* : o. pretndeme.
diriJMn?se a ra da" Cadeia le banto-Antonlo, ca ,
que he perfeita
por preco multo
. porte e folhas/ c""^11*,^
Nestalojaha presentemente um completo sorli na r"a ^a'Dde ^ 0u"cento e cincoenta mil "*' | b: "o'escVipt"
*. i' 4. .i ...,,.i,-j inntniln nanni- iiecisa .c u*.....
ra da
P'~Vende-e um preta de 26 annos
eneommadeira costureira coilnhe.., ., u-
XSi 3 dra, do servico Me campo muito
mocas m ptimo preto bom ganhador de ra que
dlpO "diarios um dito bom ferrelro e traba hader
de campo ; um dito de meiaIdade que e da mullo em
T S. Vua do Vigario 24, se '"-gff^Su
ra do
ment do chapeos de sol modernos, tanto de panni- ^[""Veipo" de 6mirY."Undo-te firma a con-| xaplche, n. 44.
nto : quem qtiiier annuncie para sei P'00:
1 AntonioJoaquim Vidal e-nbarca para o Bio-de- a
Pugi, marecnero 'rancez,
na ra Nova, n. 45, acaba de receber, pelo navio Zi-
lia, um sortimonto do trastos de mogno, domnis
moderno goslo ; bem como olhas do jacarando,
irtosno e oulras madeiras do folear ; ferramentas
propTias de marceneiro ; e papel de licha. O mesmo
so encarrega de azer toda a qualidade de mobilia,
que so poder desojar, por ter recebido desenhos das
mohilias modernas que agor se unm em Franca.
.-Perante o juiz municipal da segunda vara se deve
arreinalar uina inorada de casa de um andar, sita na ra
Vcllia por execufo movida contra Anua Joaquina
Guimaraei e ouiros.
Alnga-se una casa na travessa da ra Bella, em
inuito'bom estado, com 4 quartos, 2 salas corredor in-
di-pendente quintal c cacimba : a tratar na ra de
> -Francisco palacete prximo mar.
' O majorManoel Ucnriqies Wandcrley faz publico
que elle nao aceitou lettra alguma presentemente: e
cuino Ihe consta que alguem tem em sc.i poder lettra*
de importancia sdb sua firma, protesta por este meio
contra ellas e declara que sao falsas, prometiendo pro-
redor a um exame minucioso a csse respeito se acaso
ellas appareccrem a luz.F.ngenho Changu, 10 de julho
de 1S48. n .
Tcndo voado. do sobrado n. 38 da ra do Quei-
inado um papagaio levando urna correte no p di-
rcito.c tendo-se visto pausar em um dos quintaes da
na do Llvraincnto e ter sido ah pegado; roga-se, por-
tanio, a pesoa que o pegou de o mandar entregar na
casa cima mencionada, que se ficara agradecido.
Aluga-sc a casa n. 22. sita na Passagcm-da-Magda-
len.i, do lado dorio Capibaribe, contendo duas salas ,
t quartos c mais urna salae urna alcova forrada : a tra-
tar ao lado do Corpo-Sauto, n. 25.
__|>recisa-se de um preto para o servico de um ar-
inazeni pagando-se-lhc bem e; faicndo-se o ajuste a
vista : na ra de S.-Rita, n. 85.
__O abaixo assignado, tcndo de rctirar-se para Lis-
boa a tratar de sua saude .avisa a scus devedores e ere-
dores que dcixou encarrrgadaao Sr. Joio Ferrcira da
Cotia a toa casa de negocio, sita na ra da Liugota ,
li. 1, para pagar o que se dever e fazer qualquer tran-
saccao debaiao do mesmo noioe ; assini como fica nu-
tnrisvlo para reallsar todas as suas dividas. Recife,
13 de julho de 1818. Uunrle Antonio Srt>a.
___\ iniiiiii i ilr bous coslumes que se encarrega da
criacao de meninos de peito e que tambera recebe me-
ninos para desmamar com todo o mimo e amor ,
inudou a sua resiiencia para a ra da Pcnha junto do
sobrado de dous andares c sotao, de varanda de ferro.
~ Jos Machado Cotta e seu irmao Francisco Macha-
do Cotta reliram-sc para fura do imperio.
~ Urna senhora brasileira, que ja teiu pratica de
erisino por ter ensinado algumas meninas de sua fa-
milia e de pessoas de sua amizade delibera-se a acei-
tar mais algumas sendo de boas familias ; quanto ao
seu ensino he de prlmfira* lemas ler, escrever ,
contar, gramniatica porliigur/.a, arithmetica, doutri
naehristaa costura chaa bordar de seda lacada, sus-
to. DUtlt de froco de ouro a tapete ; assim como la-
varinto tanto passado como chelo marcar de differen-
tes qualidade. Boga-se aos pais de familia que de scu
preslimo equijcrem utilisar,dirijain-sc a ruado Ara
gao. n. 32.
No da 13 do crreme, pelas i horas da inanhaa ,
na ra do Collegio perdeu-sc uina carteira com diver-
sos papis edous meios bilhetesda lotera do hospital
Pedro II, n. 23e 1,417, cujo estavam assignados com
os uoine, Jos Joaquim Vlclra e Antonio Joaquim Mel-
lo eiim vigsimo da lotera do Rio-de-Janeiro, n.
3,141, c juntamente a quantia de 11# rs. em dinheiro.
Rogase aquem aachou o obsequio de a entregar no
largo da Alfandcga a Jos Joaquim Vieira caixeiro de
Domingos Pereira de Mcndonca que gratificar gene-
rosamente.
__ bacharel Manoel Firmino de
Mello advoga no civel e crime fc na co-
marca do Rio-Formoso ;c como tem de se retirar para
allia neste tre dias, offerece o eu prctimo quelle que
para esse lim delle ge quizerem utilisar, podendo ser pro-
curado na casa de sua residencia na ra larga do Roza-
rio n. 23.
H| Aulas de primeims lettras. fp
/^ O abaixo assignado com aula de primeiras, .g
(SS3) na travessa do Veras no barrro da Boa-Vista, '5**'
contina a receber meninos de ambos os e- /SJ&
xos tanto pensionistas como externos, me- "5
diantc uina retribuijao mdica sobre os meni- z^j
nos que d'ora em diante Ihe for confiada a 52?'
sua educaco, e ainda mai9 quelles cujos pais jy.
nao sejam abanados em fortuna ; por isso no- 3f
vamente convida ao publico c especialmente rjj,
ao scus amigos tanto da praca como do cen- "
tro que desejarem a instruc(o de seu filhos
com decencia e presteza o procurem a ele >S
O annunciantelisonjeia-se de ter recebido "5S
cm sua aula ( durante o periodo de 11 anbos ,/rfr
3ue exerec este magisterio ) grande numero Vgg'
e meninos de pessoas gradas desta prafa e ^^
para certificar o regime c boa ordem de sua ^^/
aula basta ser publico a sua estada nclla per- rgv
nanente, nao se empregando em outros a fa- vX&
nho como de seda rurla-cres e do mais cores co
nhecidas; ditos para homcm, senhora, meninos c
meninas; guarda-chuva para o lempo de invern ; e
guarda-sol. Esteschapos sao tilo bem construidos,
que se alianza a qualidade ; sao de marca grande,
com 32 pollegadas e proprios para este tempo por
serom de seda o de panninho trancado. Nesla a-
lirica lia sedas de cures e panninhos trancados e
sos de todas as cores para cobrir qualquer orroa-
qlo de chapeo do sol tambero se concerta qualquer
chapeo do sol, e vendem-se baleias para vestidos.
Trocam-se um Menino eos, Santa-Auna, San-Joa-
oaira e o Senhor Cruxificado : quera tiver annuncie.
Quem precisar de um ornamento usado, com calix,
pedia e missal, annuncie.
Aluga-sc o segundo andar do sobrado da ra ua
Moda, com commodos para grande familia a tratar
na ra do Vigario n. 5.
Aluga-se una preta para todo o servico de uina ca-
sa : quera a pretender dirija-se a ra da Guia,_ n. 4b.
__Prccisa-se de una pessoa forra que nao sojagre-
la, para ama secca de una enanca, de aiguns das,
bem como para mais algum servico interno de urna ca-
sa de pequea familia: piga-se bem : na ra nova do
Uruin no segundo andar da casa nova do Sr. I rancisco
Alvos da Cunha
Na, 4terro-da-Boa-Vista, n. 64'
O armador c estufador participa ao respeitavcl publi-
co que cm sua casa se continuain a fazer cortinados
para canias franeezas oude qualquer outro fcitio di-
tos de janellas tudo do mais moderno goslo que ha;
colchoes de molas ; ditos oucos inulto frescos : respon-
sabilisa-sc, nao estando as obras perfeitas, a fazeren
se outras ao gosto dos Sis. compradores.
Furtaram, na noite de 8 para 9 do corrente do
quintal da casa n. 33 da ra Imperial um cavallo casta-
nho-escuro, dn cauda e dinas ripadas ; tem um dos pos
calcados e cm outro p tera un pequeo signal blan-
co junto ao caseft; tcm os mcsiuos cascos gastos na
beira por sor passeiro carrega baixo at meio obri-
gado; tcm entre as ventas um signal branco e cm cima
da anca una mancha redonda de cor preta ; tciu no es-
pinhacoum calo procedido de uina bexiga que teve c
de um dos lados junto a sarncia uina marca de sarna,
que est pellada : quera o levar a dita casa ou der no-
ticias, ser generosamente recompensado.
O abaixo assignado faz acidule ajs
seus amigos e freguezes que mudou a sua
loj de relojoeiro para a ra Direita, loja
do sobrado n. ag, junto botica do Sr.
Dr. Ignacio Nery da Fonseca.
Joo Antonio de Saboia
No engenho Novo do Cabo, compra-se ago'ardente
cm qualquer porco que soja : paga-sea 320 rs. a can
da sendo de 20 graos para cima.
Oabaixo assignado faz sciente ao publico que, aini-
gavelraente, disstlvcu a sociedade que leve com Anto-
nio Jos de Souza t'.uim.iraes na venda da ra da Sen-
zalla-Nova, n. 39, que gyrava debaixo de firma de oui-
mares S Cunha ficaudo q mesmo annunciante obn-
gado a indemnisar todas as dividas contrahidas por
aquella firma al 3 de junho prximo passado. Reci-
fe, 10 de julho de 1848= 'ernardo Jote da Cunha.
Obras de oabello.
Faiem-se, no Alcrro-da-lloa-Vista n. 26, segundo an-
dar, todas as qualidades de obras de cabello, como se
jara : tranceln* para rologio o lonetas de todos os mo-
delos adereco pulseiras brincos, alfinete e cres-
centes etc. tudo :por preco coininudo.
~ OH'erece-sc um moco brasileira para caixeiro de
qualquer cslabeleeimento : quein o pretender annun-
cie.
Alngam-se tressobradinho de um andar, na tra-
vessa do Carioca: a tratar com Guilherme Sette, no
Aterro-da Boa-Vista, n. 10.
AOS PAS DE FAMILIA.
rV?ssT*r6ei SSL
aquim Vidal embarca jjara o '>-
neiroo eseravo c?ioulo, de nome Simao, pertencente a
Antonio da Costa Ferrelra. .. .
.. Pelo iuizo dos orphos, no dias 7, 20 e Hioojor
rentei val a praca de renda, por um men.oo ;
Amparo, sito na ilha de lta.naraca, c J 14. f'
eraio* rbu-tos e de todo o servico, cujo engenho, alm
do abrlco d"e a,ucar, tcm mal, o. ieg o lu-
crativos, como bem : call.c.ra. em ponto flrtt, *"
salinas e viveiros, e grande quanlidade de pe* de coqut
os, que dao fructo,f con. a grande vantagem de Mo-
do o seu transporte embarcado para o Recife, e (ttM
inultavantaaeM: os proiondentes dinjam-se a ra do
ilospcio? nf, para seP Ihe darem a informatae. exac
tasa respeito.
PROPAGANDA HOMOEOPATHICA
O doutorSabiiioOlcgarioLudgroPinho, ff^endoso-
breosseus hombros a grande uuisao M" "J
mreopapathia ne.a provincia e M^%
avisa a todos a quem possacsla kWS^SRS
teressar, que se acha por ora hospedado mW.M
Francisco, onde poder ser procurado todos os das
uleis desde as 9 horas do dia ate 2 da .
-Miguel Jos de Al.neida Pernambuco participa a
todosolseusconsiituintesca quem conv.er n^'"1
dou a sua residencia para o pateo do Carino sobiado
de um so andar pegado a ordem terceira.
Offerecc-se una pessoa de boa con- na e
tem pratica de engenho para administrar lgum ,
.ranuo com 4 escravos de servico entre ellos um car
reir : quem este negocio quizer dir.ja-c a 0|.nda ,
ra do Carino casado professor de fira,,CM-_
Rodrigo l'eixeira Leiterelira- para o Ceara at o
s
211
I
s
bem as pessoas que M
Precisa-sealugaruma escrava para o servico m
temo de urna casa de pouca familia, que MttM^ bem
saboar comprar na ra c
sustento o 10/ rs. inensac*
Trempe lado esquerdo
..rvende-.e ew em velas sortida*. picadas
a: no escriptorlo de Firmlao J. F. da Bosa,
L?Vehede u...a balanca grande eom pesos de 6 ar-
,bas para baixo : na ra do Vigario, n. l.>._____
P*rn*e-*ae umpre"to7p"erlto" oficial desapateiro
iddeVdeen20 a'nno's,' em vicios nem achaques : na ra es-
trella do Rozario, b. 43, segundo andar, *e dir quem
vende.
Farcasnovas f
Dcpoisde meia-noile o Primo d'lmpolia ou eslapafur-
dio loerado: a Logracao; e outros mullo, chegados de
ovo!meSmalivraBriaV, oude igualmente .eacha um.
collecSo de dramas dos melhores e mais modernaincn-
te P"blicados.ASA ^ M0DAS FRANCEZA8.
A. MILLOCHAU.
Aterro-da-Boa-Nista, n. l, primeirn andar.
Neste cUbtleclmento especial de modas ha sem-
pre para o escolhiinento das senhoras um grande sor-
limcnto de chapeos de todas as qualidade e edre ; n-
cas fitas e bico de toda as largnra; collerinho, ca-
misinhas c toncas as mais em moda e recebidas pelo
navio Ceiar ; e outros mullos objectos que ge vendeyu
muito barato prc9o : tambera sempre se fazem eV,-
senhora da ultima moda ef_ciui
que
en-
para
Bodrigo l'eixeira Leleretiia-se paru ^c. .... .
lirado crreme : que... sejulgar V^'a'.M.
suas contas, e... sua casa ra de S.-Bita n.Sj 20 deslen.cz. que depois desta data nao se reiponiabi-
fsa por cou.a alguma que appareca j bem como roga a
cus devedores que Ihe vao pagar ale a esta data, e tam-
ben) as possoas que teem penhores de os ir rcsgaiai.
m

zere no* dia uteis. Foliearpo Aunes Correia. ^i\
__Desappareceu, no dia 13 de julho, um carnciro
mocho, capado ha pouco lempo, coi um caboslo de
corda e unta corda de rasto co.nprida : roga-se s pes-
oas que delle tiverem noticias de o levarem a ra do Pi-
res, padaria n. 44, que rao recompensadas.
Ofierece-se um rapaz de 18 a 19 annos para caixei-
ro de loja, e tambera para ra, oude qualquer estabele-
ci.ncnlo que Ihe apparecer, com a excepeo de venda, o
qual d fiador a sua conducta: quem do seu prestimo
te quir ervir, dirija-se junto as catacumbas de San-
Pedro, casa n. 1.
Prccia-sc de um criado nacional ou cstrangeiro,
. que taina gojrcrnar carro -. na ra do Hospicio, n,3.
Precisa-se de una boa ama para todo o servico de
u.na casa e que tamben, compre : ha ra do Vigario,
n. 27, segundo andar.
Desappareceu do quintal da casa n. 32, na ra da
Camboa-do-Carmo, um cavallo capado, pedrex, bom
Urna senhora examinada cm primeiras lettras e de
boa moral perfeita modista em tudo o que di* respei-
to ao trabalhodcagulha, offerece-sc para ensinar meni-
nas era qualquer lugar fra da cidade inda inesmo sen-
do muito remontado : assim. os pais de familia rae de-
sejarem com a boa educacio formar o dora primario
de suas lhas, querendo ulilisar-se de seu mrito ,
poderao ao cuidado da nicsma confiar toda a expecta-
tiva ,pois como maiordesvelo e appiicacao prometi a
dita senhora ministrar o saber aquellas que tocarem ao
seu alcance. Narua'Iarga do Rozario, n. 26, terceiro
andar.
Quem precisar de una pesssoa para qualquer es-
cripturaco, e que a faz muito em conta dirija-se a ra
estreita do Rozario loja de cncadernacao, n. 0, que ac
dir quem he.
Tiram-ie passaportcs para dentro c fra do imperio,
ecorrein-se folhas : na ra estreita do Rozario, loja de
cncadernador, n. 6, se dir que.n tira.
O abaixo assignadn, morador narua do Collegio, gra-
tifica generosamente a quemapprehender um esclavo,
cabra claro.de nome Benedicto,de 16 annos, que princi-
pia a barbar, lecco do corpo, bom espigado, canda
compridas c finas; tem o rosto e o pescoco at ans peito
manchados de pannos brancos, os dentat da frente lodos,
podres, bastante ladino c curioso para qualquer ollioio,
muito vivo e esperto ; sahio vestido de camisa e calca de
algodozinho azul trancado. Este eseravo perteuce a
Joaquim de Moraes Navarro, da villa de San.-Goncallo,
provincia do Rio-Graode-do-Norte, donde fugio cu. 27 de
junho corrente anno, e igualmente gratifica a quem
quer que Ih'o entregar. T
Sebailiao loi iomei Pinna.
' Fugio, no dia 12 do corrente, s nove horas da noi-
te, urna escrava ceioula por nomp Ricarda : representa
ter30 annos; levou vestido de chita de listra, eom as
costas bastante corladas de chicote, estatura baixa ; he
bastante fcia de cara, est bastante hjagYa, barriga um
tanto grande, e tem a cor fula : quem a pegar ou della
der noticia, dirija-e a ra da Penha, sobrado n. 21, que
ser bem recompensado.
Fugio, no diasegunda-feira,3 do corrente, um pre-
to vermelho, baixo, grosso, cabello pegado; levou um
qi.arto ruyo, de c6r preta, magreiro, e que tem carre-
go : tambem furtou uina caugalha velha, e. levou mais
um floao na cintura este eseravo* foi do Sr. Francisco
Antonio G&io Jnior, senhor do engenho Ruenos-Ayres,
e he muito condecido para as partes do norte ; tem de
idade 32 annos, pouco mais ou menos: quem o pegar
leve-o ao engenho das Mallas, a Antonio de Paula Souza
Leao.
en-
cozinhar : dando-sc-lhe o
na Soledade indo pela
n. 42.
'--Precisa-Te de'um pequeo de 12 a 14 anno, para
caixeiro era Caruarn preferindo-sc Portuguez e destes
chogaJos agora : na ma Direita, confronte ao oitao do
l.ivramei.io,.. !. .__
- Jos Leonardo embarca par- o Rlo-le-Janeiro o
scu moleque erioulo.de nome Gamillo. ,,,..
- O escrivao da subdelegacia da freguetla de S.-Jos
faz sciente aquella* pessoas que com.ellc lenhama tratar
negocios tendeules a inesma subdelegacia o procurem
uo paleo do Terco, n. 4.
-' Prccisa-se de 4 erventes de pedreiro para urna
obra na estrada da Magdalena entre a poiitczinha e
a ponte grande sendo o jornal de qualro centos e oi-
tenta r*. : quem liver, ou todo ou aiguns pode dirigir-
se a ra Imperial n. 79.
... Perdcu-se uina corrente de ouro francez, com uina
loneta pequea engastada em ouro : quem a achou e
quizer restituir dirija-se ao lira da ra da Aurora, n.
4, quereceber20/rs. de graliheacao : e sendo ofterc-
cida a alguem pede-seque a demore e avise cm dita
casa, para final decisao. .
- Precisase de urna ama cea, prefer.ndo-se de ida-
de, para fazer todo o servico de urna casa de familia : na
ra do Queimado, n. 39.
__ U abaixo assignado declara que tem
vendido a sua refinacao, sita na ra D-
reita, n. aa, e juntamente tres esclavos
refinadores, ao Sr. Jos Francisco de
Lima.
Joo Antonio da Silva Braga.
Precisa-se elugar um preto que soja bom co-
peiro para o servico de urnas familias estrangoiras :
na ra do Trapiche-Novo, n. 10.
O pharmaceulico queesliver nasclrcunutancia* de
ir para uina casa, nao precisando r-approvado,dirija-e.
por
poe tomas
prfL IJende-se urna escrava de bonita figura sadia e
sem vicios nem achaques, por sso propria para todo o
servico: na ru da Florentina, n. 3.
Vende-se una duzia de cadeira de angico novas
ebemfeius: na ra de Hortat i Ms do sobrado rc
fica bem defronte da torre de S.-Pedro n. 48.
___Vende-sc urna famosa escrava com una cria, pro-l(
pria para aula de Icitc c que lava e he quitandejrai:
na ra da Paz, casa junto ao lampeao udo da ra do
Cano parao porto da Boa-Vista.
Farinha de mandioca.
No arinazcm de farinha da ra do Collegio, n. 21, ha
urna porcao de saccas co... farinha nova e de boa qua-
lidade por preco commodo.
___Vende-se una bomba de cobre ja usada para ca-
cimba ; na ra larga do Rozario, n. 20.
Vende-se urna cabra de 18 a 19 annos, de bonila
figura boa lavadelra, e que he bem disposta para qual-
quer servico na ra do Livramento n. Id, gumlo
"I.8 Vende-se um piano de iiuito boas vozes c de bem
conhecidos autores por preco muito commodo ; na ra
do Vigario, n. 4.
Vende-se farinha de mandioca de boa qualidade,
em alqueires, tanto em porcao como a retalho, por pre-
co commodo ; no becco do Carioca aiii.azeni de porta
"t Vendm-sc caixOes de goiaba fina, de 6 em arro-
squina da ra de
a ra do Rangrl, n. 64.
Firmino J. F. da Rosa, na ra do Trapiche, n. .
no scu escriptorio, tcm para vender lindos vasos es-
maltados para jardim por preco multo commodo as-
si m como o genuino vinho velho da Figueira, para quem
o sabe apreciar tanto cm pipas como cm barr: os
pretendemos entendain-secom o anuuncianto lodosos
das das lO horas da inanhaa cm diante, no caes da
Alfandega.
Comoras.
Compra-te um apparclho de cha superior e duas ca-
ma para casal, endo ludo em bom uso e por preco
eni modo : na travessa do Queimado, venda n. 3.
ba a 800 rs. : no pateo do taimo
Hortas ,lado direito, n. 4.
Duas grandes vistas de Pernambuco,
propria para ornamento de sala em fumo e coloridas,
una tomada do forte do Bruin e a outra da ladeira da
Misericordia, em Ollnda muito bem acabada e rel-
ias igualmente a beneficio da ociedade da Beneficen-
cia Alleniaa e Suisa: estao a venda no armazcm de
Kalkmann Si Roseninund, ra da Crua, n. 10.
__Vendera-e ptimos presuntos para fiambre,chega-
dos ltimamente.: no armazcm de Kalkmann u Ro-
senmuiid, ra da Cruz, u. 10.
Em casa de Kalkmann & Rosenmund,
narua da Cruz, n. io, acha se a venda
um grande sorlimento de mobihas ,
consittlndo em coinmodat metas redondas e quadra-
das de jamar, do jogar, de xadrez pequea pintadasc
todas as formas armarios de roupa ditos de livros,
SKIS MAGNFICOS PIANOS dos melhore autores, ca-
delras depalhinha ditas de balanco ditas de bracos,
mochos, lavatorios, etc., chegado rccenteinentc de
Hambureo ; bem como caixinhaspara costura, estojo,
toucadorc appareiho de vidro de cor para tobre-nic-
a, castlcaes de vidro candiciro e globos para corre-
dores e escadas tudo feito ao gosto moderno e parte
com nova invence. Advcrte-sc que na semana se-
guintc haver un grande leilao destas cousas.
- Vendem-ae tapatoes de tola e vira, pelo baraUssH
.no prrdto de 1/200 rt.; botlns, a 2200 rs-: no Aterro-
da-Boa-VliU,ii. 47, onde tambem te vendem couros
u.iudos. _.
Vcnde-se un. preto de 22 anuos, de nacao, proprm
para cadclrinha por ser alto e de bonita figura : na raa
da Pcnha, confronte a torre do Livramento n. 1.
__Vendem-se dous molecoiea mili lindo* ; urna pre-
ta de 30 anno que engomma e cozinha o diario de
urna casa; urna dita de 30 annos perita engorainadel-
ra cozinheka de toda as qualidades de comidas si-
sados de fomo e faz todas as qulidade de doce ; un
parda que cozinha odiarlo de uina caa engomma liso
cose alguma cousa ; una negrinba de Ib annos, muiio
linda, que cose soffrivel, he muito esperta e de boa con-
ducta, o que se alianca ao comprador ; uina dita nimio
robusta .propria para o trabalho de campo, por i
disto pratica : na ra da Penha cou/ronte a torre a<
Livramento n. 1, primclro andar.
Vendas.
Vendem-se, na ra das Larangelras, n. 14>
segundo andar os seguimos escravos, mui-
to era conta elodos de bonitas figuras : um
casal de escravos pardos, casados de pti-
ma conducta o pardo he ptimo purgador
de assucar e a parda ten. algumas habilidades ambos
nao pastara de 23 annos ; um lindo pardo claro, de 23
annos com algn principio de tapalelro e que he
de una conduela muilo regular, epor uso multo bom
naeem um dito da mesma idade, bom copeiro ; um di-
to de 40 auno ptimo para tomar coma de um sitio ,
poriWr ; dou pretode nacao; unta preta de na-
cao de 20 anuo vinda da Baha, muito boa engoin-
niadelra e cotinheira ; urna ptima cozinheira, de 20 an-
uos ; uina parda de 20 anno ; un moleque pedreiro ; e
aiguns eteravos. a
l- Vcudem-M nove burros : no largo da cadeia, hoje
das 9 hora em diante. ...
- Vende-e, por motivo que se dir ao comprador,
um eseravo moco, de bonita figura, era vlolot nem acha-
que, entendedor de plan taces, e bom hortelao : na ra
do Hospicio, n. 9. ,
Na ra das Cruzes, n. 22, segundo andar, vendem-
e 5 escrava sendo : duas lindas parda que engom-
mam co.em coito, cozlnham e lavara de sabao ; don*
lindo moleque para todo orvlco de 16 a 18 anno ;
una preta de 30 annos que cozinha, lava e vende na
ra.
Escravos Fgidos.
Fugio, domingo, 9 do corrente uina PJ ^."Sn
caqCainblnda, estatura regular^iiagra, d*. ,gnl da
pan-
a 40 annos com uns bordados not pe
nacao ; levou vestido amarello de laa saia preta
no preto e um tAboleiro com laranja* que nuTa ...
dendo : quera a pegar leve-a a ra larga do Kza
n. 20, que ser recompensado. .,-,
Deappareceu, no dia l3 do corrente, uina 's"*\
de nome Viccneia, crionla de 13 anuos poueo ma'5
menos fel do rosto ; beicos grojao ; levou vctti"i
iscado azul e panno da Costa ; andava a vender na r
quem a pegar leve-a ao sitio do Cajueiro que era I 6
de seu trabalho. ..,.,,.
Fugio, no dia6 do corrente ..da padaria do aic^
aa-noa-vma n. ou um preiu muuiu de nom
dicto ; foi creado no erlao do Rio-tJp-Peixe, ; rrpr
la de 25 a 30 anuos de estatura regular cor lua,
lo eco ; quando falla com alguem uao encara p
pe*soaque com elle falla ; tem pouca barba : lev" p4
cadcalgodio azul e cainita de algodio ce "' ^
compridas: quem o pegar leve-o a casaac
bem gratificado.
Pern.
NA
TTP. DK M. f. DE FABIA
If
MUTILADO


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EEQMZL15P_ML2F9E INGEST_TIME 2013-04-30T23:42:54Z PACKAGE AA00011611_09769
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES