Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:09754


This item is only available as the following downloads:


Full Text
r
I
Auno de 1847.
Sexta-felra 29
O Dl.lltl') pnMioiHMIMMW di, qM i>3o
i he ds
3" rs. pur 11 ii ni ......('" .....-.-.,
r.p;li;ixM |3'a metaHe.' Ql que n'o f 'rom ast.'g-
ii-inii pai-aro 50 n. por linh, e I0H cm Ijpo
diH'erente, porcada (lulilicnciu.
PHASF.S DA LA NO \1F.7i l>E OUTUUKO.
Minyoante, I, > 7 horaae 1.6 niin. da manli.
La nova, >, Uhoraa 47 min. da inanli.
CiescenM 17, a & lioraill min.cU manli.
La cheia a 23. a 9 hor. < 16 uiiu. da taide.
ftliili;oaute a .lo, a 7 lioraa & uiin. da luide
PAhVHDA DOS COIlREtOS.
loiann- Paralivlia segunda e sextas feir,.,
Ilo-lir.-iiiii-dn Norte quiuta feirasno meio-dia
Cabo, Serinliem, llio-Fonnoso, Potto-Calvoa
MaceiA, rio I.*, n II e 21 de cada inez.
Garantan! e Bonito, a 8 e 2*.
Boa-V.*ta e Flores, a 13 e 78.
Victoria, s .|UiiU folias.
' )l i ni i.,, lodos os das.
PI.EAMAR DE HOJE.
I'riineira, al 3 horas 41 niinutoi da in.inli.Vi.
Segunda, it 4 horai e C minutos da Urde.
."Hll-ji'J-j-u-iiaJ-LuJl^jji" -:."
de Outabro. Anno XXIV.
N.Mff.
DAS D\ SEMANA.
7& Sexuada, i. Crispim And.do J. dos orjii.
do J. do*, da J v. do J. M. da I v.
26 Terea. S. Pv.-irisn Aud do.l do ci da I. t
e do 1. de paz. do 2. dist de t.
27 Quarta. S, Elcsbio Aud. ilo J. do civ. da 3
v. c cln J. de pal do J. dill de t
2S Quinta. >ff .>. Simo Aud do J. r!c orp'i. c
lio .1. municipal dn I. vara.
29 Seil. S. Feliciano Aud do .! do civ. da I,
v.e do J. ilrp.i/. iln I. dist de I.
30 Calillado. 9, Serapio Aud do J do civ.
da l. v. e do .1 dr pal do I dist. de 1/
31 Dominga. S. Quintino
CAMBIOS NO DA 28 DE OIJTUBRO.
Snl.rc Londres de 27'/, d p.lJ r.a < d.
i Paris Siifl rs. por franco.
. Tisho IOS a 110 de premio.
Desc. de letlra de hoas lirmas de I U ao m.
OiirnOncaa l'espauholas
a Moed.os de-lilil velli.
de 6?IOi> nov..
de 4'Olio.....
Prola Palacoes..........
a Pesos co luui ii a res...
Ditos raeticanos...
Muid
Sjfioo a fl|000
lii.ion a l2i0
lOfflOft n I6fl0(i
9#n00 a 9*200
l|870 a I|
i'.'..'i a IJ70
lf70 a 11800
IJ580 a l|29l)
Vc96esdaco.np.do Beber.be de infolio n.aopar.

DIARIO DE PEBJNAMBUCO.
PARTE OFFICE
MINISTERIO DO 1>1IEIU0.-
Illm. e Exm. Sr. Foi presente a S. M. o Impera-
dor ooITicio do 1.do niez pussado, em que V. Ex.
stilinictlc decisfio do governo imperial asolucflo
que dern s seguinles luvidas, quo na execuQflo da
lei regtilamentor dascleiciies oncontraram o presi-
dente lo concellio municipal do recurso da cidade
do Cabo-Fro copresidenlo da cmara municipal do
Itio-Bnnito.
1. SoManoel Barbosa Ribeiro que, na qualidade
d mo, devia fazer parte do concedi de recurso ento
o fez por so adiar, ao lempo da sua reuniflo, pro-
nunciado emerime deresponsaliilidadc, pode agora,
tue provou estar absolviilo. ser admittido a tomar
parle nos respectivos trabadlos.
2." Se em consequencia de lerde reunir-se o con-
ceibo munici|ial de recurso do tormo, e nflo poder
este sor presidido pek) dito presidente da cmaro
municipal de Cabo-Fro, na qualidade do primeiro
substituto do juiz municipal, por estar actualmente
excrcondo aquello cargo de presidente da cmara,
devese-lo pelo segundo substituto Manoel Joaquini
Calharino, que tamben he o juiz de paz mais vota-
do, o qiicm cabe a presidencia da mesa paroebial, 011
se pelo terceiro Joaquim Antflo Cesar do Andrade,
posto que bouvesso sido membro da junta de quali-
licacflo, 011 finalnienlese pelo quinto, Alexandre Pe-
reira dos Santos, que se acha juramentado, visto nflo
se dar essa circunstancia no quarto, que por doenle
at agora nflo se habililou.
E inteirado o mesmo augusto senliorde ludo, man-
da significar: 1." Que bemresolveu V. Ex. a primei-
ra duvida, quondo declarou que, havendo cessado
o impedimento pelo qual o referido eidadflo Manoel
Barbosa Ribeiro deixou do l'uiiccionar, ibeassistoo
direito para oceupar, como requerera, o lugar que
no dito conceibo de recurso Ibe compete, nao so por
ser isso conforme a Icttra e espirito da citada lei em
algumas de suas mais sagradas disposicOcs, taes
como as que dcsgnam oscidadilos que devem for-
mar us juntas de qualifieacflo e os concelbos munici-
paes, mas tainbem a varias decises que pelo gover-
no temsido dados em casos muilo anlogos iodo
que se trata, como, por oxcmplo, a constante do de-
creto II. 503 do 20 de fevereiro desto anuo ; tanto
mais quanto uno obsta a isso a circtimslancia de ter
o concclho de decidir um recurso pelo menino eida-
dflo interpOsto da junta de qualifieacflo, porque nes-
sa occasiflo devo elle ceder o lugar ao seu substituto
loga I.
2. Que igualmente bem resolvida foi por V. Ex.
a segunda duvida, quaudo ilisse que, podendo o se-
gundo substituto Catbarino, na conformidad da de-
cisilo do governo exurada no aviso de 8 de marco ul-
timo, dirigido ao presidente da provincia do Mara-
nlifio, optar entre os dous cargos do juiz do paz e
substituto do municipal, renunciando tacita ou cx-
pressamente no primeiro desde que assumir a ju-
risilicfflo do segundo, smenle dio compete presidir
ao eoncelbo de recurso, se lizer ou ja tiver feito, pe-
la forma indicada, a renuncia do carg de juiz de
paz, devendo no caso contrario cssas funeces screm
desempenhadas pelo *." substituto, que para isso
cunipre seja convidado, ou pelo primeiro dcsimj-i:-
d'ulo los que se Ibe seguirem na ordcni le suas no-
meacOes; porque o terceiro, Joaquini Antilo Cesar de
Andrade, len.lo feito paflo da junta |uolibcadora,
nflo pode servir no mencionado concedi do re-
curso.
O que ludo comm'unico a V. Ex., para seu conlicci-
mento e governo. Dos guardo a V. Ex. Palacio
do Hio-de-Janciro, 8 de judio de 18*7. Manuel .il-
xtt Brunno. Sr, vice-presiileule da provincia do
Hio-de-Janeiro.
Illm. eExm.Sr. Sendo presento a 8.11. o
Imperador, com o ofllcio de V. EX. de 24 de judio
ultimo, no so a copia do que Ibe dirigir o juiz de
paz da freguivja do Allinbo, participando baver-
Ibe remellido o concedi municipal de recurso do
termo do Bonito nina lista dos cidailaos votantes da
povoacao de l'unollas que dcixaram do ser quahlica-
dos na dita fieguezia a que dantes perlenciam, por
ter sido elevada parochia a referida povoacao e lia-
ver-se formado nclla junta dequalilicaciio antes do
recebimento do aviso de 20 de fevereiro do corren te
anno, duvidando p mencionado juiz de paz proceder
a respeito nos termos doarligo37 da lei de 19 de
agosiode1840, por niio ter precedido reclamaco,
como tambem a copia da iiilormaco do presidente
dn sobredilo concedi municipal a quem V. Ex. ou-
vio, cm que asscveni qUO os eidndaos de que se tra-
a rcclainarnm e foram allendidos: hove o mesnu)
augusto senbor por bem declarar que, no cuso ligu-
rado, nenhuma duvida pode bavor que o juiz do paz
da fieguezia do Allinbo cumpra a decisfio do conce-
di municipal, nscrevenilo a lista dos cidadfos por
este rcmeltida, pe tencentes a referida povoa;fio de
Panellas.
O quo communico a V. Ia, para seu couliecimcnto
e execucao.
Dos guarde a V. Ex. Palacio do Itio-de-Janeiro,
em o I.* de outubro de 1847. Manoel Avet Bran-
ca. Sr. presidente da provincia de l'ernambuco.
Illm, e Exm. Sr. Subi a presenca de S. M. o
Imperador o ollicio do 2 de agosto ultimo, em que
V. Ex. submetlo decisfio do governo a solugflu que
dera duvida apresentada pelo primeiro supplenle
do juiz de paz da freguezia 'lo Espirito-Santo do
J'o-d'Alho, acerca da excepcSo do artigo 52 da le
-
regulamentardasereicOes; o o mesmo augusto se-
nbor manda responder a V. Ex. que bem decidi
quando declarou ao dito primeirQsupplenlo, quo, se
no lista gcral da qualificat^o a que so procedeu na
mencionada freguezia, no crrante anno, oxislem
7,432 votantes, dove ella dar trinta eseis eleitores,
segundo a regra estabelecida no supracilado arti-
go 52.
O que communico a V. Ex., para seu conliecunen-
to e governo.
Dos guarde a V. Ex. Palacio do Mio-dc-Janeiro,
em o 1. de outubro de 1847. Manoel Alees Blanco.
Sr. presidente da provincia de l'ornambuco.

MINISTERIO \ FAZENDA.
EXTACTO 1)0 EXFEDIENTE DE 30 DE SETEMBRO
HE 1847.
Ao presidente do Santa-Catharina, sobreas duvi-
das propostas pelo juiz do direito interino da co-
marca do norte: primoira, se um escrivHo do col-
lectoria geral o provincial que recebe os tributos em
virtude dasleisem vigor ple exorcor coiijiicla-
mente o ollicio do advogado esolicitador dos audi-
torios, ou receber procuraces quo niio sejam das
parles de quo trato a ordenadlo, liv. 1., til. 8., 5.,
no final; segunda, so, exorcende os ditos emprogos
conjunctamente, pode tambero exercer odeescri-
vfo da cmara municipal; tercoira, so silo ou ni
compativeis uns com osoutros, visto que, todos os
documedtose autos pblicos estilo pelas leissubjei-
tos ao sello e mais tributos respectivos,- e miiilos
teem seus fundamentos no archivo da cmara; se
declara que nflo devem baver taos accumulacOes.
EXTERIOR.
NEGOCIOS DO MXICO.
NEVV-YOBK, 27 DE JULI10.
Desde o principio da lula entre os Estados-Unidos
ooMexico, oalvolconstanle dos esforcos daadmi-
nistracflo do Washington ora destacar do governo^ Uo
.Mxico parte dos estados do norte, que teriam ior
mado urna confederacilo indepondenlc, eufraque-
cendo assim o poder mexicano o dando a causa dos
Estados-Unidos o concurso de um sebisnia impor-
tante. Esta previsflo era considerada como lito certa,
que por vezes annunciou-se a sua reulisacao. ven-
licou-se coin elfeilo, mas nflo no sentido que se es-
perava cm Washington. Os jornaes do Mxico tra-
zem a noticia de urna liga forma.la entre os seis es-
tados de Jalisco, San-liiiiz-Polosi, Zacatecas, Mxi-
co, Ou are Uro eAgoas-Calientes. Mas esta coalisflo,
loige de dar mais urna probahilidado na balanea da
paz, boagouroameacador para oluluro.
Cominissai ios nomeados por esses seis estados di-
rigirn! ao povo mexicano urna proclamacao na qua
declaran) uueosystema federal faz dcada capital
de estado um centro de acco, e que, mesmo no ca-
so de suecumbir o Mxico, cada estado deve resistir
as armas americanas o recusar reconhecer qualquer
tratado que possa ser imposto ao governo central.
O lim desla coalisflo lio manlcr a independencia e a
repblica federativa, e substituir, se preciso lr, a
repieseiitacflo nacional, no caso de adiar impedi-
mento no exercicio de suisluncces. Por consc-
guinle, nflo aceitarao coiivencfloalguma ou tratado,
emquanto o inimigo amcacar ou oceupar acapilal
ou qualquer outro ponto do Mxico. Deilaram linal-
menle que, longe de separar-se la uniao nacional,
os estados que coiupOem a coalisio cstflo resolvidos
a aiudar o governo geral com toda a loica, mesmo
alemdoque a constituicflo exige : a causa do paz
be commuui as suas desgracas o perigos.
Esta resolueflo mostra ao gabinete de Washing-
ton que nem no palacio dos Montezumas achura
urna paz mais duradra que al aqui; prava que
o Mxico ser para elle urna hydra cujas cahecas re-
nascuin incessantemenle, oque nao poderadomar
senflo quando as dece|>ar todas de una voz, islo be,
quando oceupar o territorio lodo inteiro.
{Courrter de Eslats-V nito
(Jemal do Cominercio.)
INTEHGR.
UIO-DE-JANEIUO.
Dissemos no Jornal do Commercio. de 21 do pasca-
do quede bordo da barca brasiloira Lembranfa, sur-
ta em New-York, tinbam sido levados perante a jus-
tico, por urna ordem de hal/eas-corpui, dous m i-
vos marinbeirosdiiquclla barca, osquacs, prevale-
cendo-se das leis dos Estados-Unidos, reclamavam
a sua liberdade. .
Va serie completa de jornaes do New-York que re-
cebemos hontem (30 deseleuibro), enconliamos os
pormenores deste aconlecimcnto, que aqui resumi-
mos.
Apenas a barca Lembranca, perlcncente ao Sr. Ro-
cha Pe eir desla praca, chegon a New-York, sou-
beram os abolicionistas que havia a bordo urna ama
de leite, um cozinbeiro e um marinlieiro negros,
que erain cscravos do capililo o do proprictario da
barca; o immedialamente licou o caes apinhado do
liomens de cor, que ohliveraui lo juiz Daly urna or-
dem de Aa&eai-corpu. Em virtude dessa ordem, fo-
ram levados os escravos barra do tribunal de Com-
m tes da sociedade abolicionista quo os escravos fos-
sem declarados livres, segundo as leis.lo New-York.
No dia seguinte proteslou o cnsul goral do Bra-
sil, cm nomo do seu governo, contra semclluinto
procedimonto, negando que o juiz, ou outro qual-
quer funecionario, tivesse direito do privar os sub-
ditos de S. M. o Imperador dn Brasil da sua proprio-
dale, sendo que como tal silo reconhecidos os es-
cravos no Brasil. Na mesma occasiflo representou o
capilflo que os escravos foram embarcados no dio-
do-Janeiro para fozorem, como pracas de bordo, a
viagcmdeida e volta, por nunca dio ter occorrido
que a propriedade dos subditos de urna nacflo amiga
deixaria de ser respeilada nos Estados-Unidos.
O agente dos abolicionistas, reconhecendo como
exactos os factos mencionados pelo capilflo, conti-
nuou comtudo a exigir quo os escravos fossom de-
clarados livres em virludo das leis de New-iork, as
quaescslatuem que nflo serflo inlroduzidos escra-
vos naquelle estado, seja qual for o motivo que ah
os leve, e que se forem inlroduzidos serflo declara-
dos livres. .
O juiz, attendendo s rasOes apresentadas pelo
consol pelo capilflo e s circumstancias decidi no da 17 de judio que os dous escravos fos-
sem entregues a seu dono, por se provar que eram
pracas da Iripolacflo da barca, e por seiem upphca-
veis ao caso as leis do Brasil e nflo as dos Esta.los-
Unidos. Quanto a ama do leile, accrescentou 0 juiz
que nada havia a resolver, porquanto declaiava el-
la que quera vollar para a companhia de sua so-
nhora
- Mal tinbam sido, pofm, restituidos os escravos ao
capilflo, foram novamenlc cita.los para comparece-
rem perante o juiz Edmonds, e no tribunal desto jui-
zo so apresentou, no da 21 do judio, um novo ad-
vogado dos escravos, negando que (izessem clles
parte da guarnieflo da barca, e sustentando que os
seus clientes nenbum conhcciniento linham litio das
oceurrencias perante o juiz Daly; que nflo linham
autorisndu i pessoa queentflo se aprescnlara a dar
por provados os Tactos allegados, e quo reccnlemcn-
toos havia tratado o capilflo com a maior crueldade.
Sobre estes pontos (o s ate aqui he que temos no-
ticias) teria de decidir o juiz Edmonds, como ma-
gistrado do tribunal supremo. So so. appellasso da
sua decisfio, iria a causa para o tribunal dosappel-
lacOcs.
O Morning Expren de New-York, referindo os fac-
tos que resumidamente publicamos, accrescenta o
seguinte:
Scja-nos permittido dizer que, no estado actual
das nossus relacOea cont o Brasil, milito lie para de-
plorar que orcoiTossc um successo que pode aug-
mentar us dilliculdades existentes. Quando se dflo
casos como estes entre cidadflos dos estados do sul
a do norte, nflo aprsenla oassumpto tanta gravi-
lale, porque nao envolv; quesles de lei interna-
cional. O caso do que boje nos occupaiuos be, po-
reni, nniito dillerente. As nossas relaQcscum o Bra-
sil solfieran grande abalo em consequencia da lou-
ca temeridaJo do Sr. Wise, nosso ministro naquella
Corte; e o ministro brasileiro nos Eslados-Unidos
foi leiiiiltiilo, visto ter sido lesapprovado o seu pro-
cediinenlo as rtagociacOM enlaholadas em Wa-
shington por molivo da conducta lo Sr. Wise. E,
pois, repelimos, muilo lie para deplorar que esta no-
va quesillo viesse azedar os seiiliiuenlos ja pouco be-
nvolos do Brasil para com o nosso governo c ins-
titu cOes.
, A decisflo do juiz Daly nos parece manifestamen-
te justa, e avenlurauo-nos a accitscentar que o juiz
Edmonds a confirmara ; porquanto, ao estamos fenj
Informados, nflo tenciona elle intervir na decisfio do
juiz Daly, limilando-se a tomar em consiVaracflo i
materia nova que se apreserilar. E demais, nflo ha
nesle caso injuslii;a clamorosa. Todo este bartilho
be feito pelos abolicionistas, deaccordo com esse
amor cgo de desordein que tantas vezes tem mani-
realado, e qu lala vez, nos o esperamos, encontra-
ra a reprovaeflo quo mere. e. A assercflo de trala-
iiiento cruel anda nflo foi provada, ; parece-nos
quo nflo condiz com o exterior nedio dos cscravos e
com a deelaraeflo da cscrava, lo e.-lar pe Todamente
salsleila com a sua sorle.
Cumpie notar que os escravos nflo teem a mo-
nor ideia do que esta occorrendo, o que a nica
cousa que desejam lie sabir da cadea croque os a-
holicislas os nietterain, como so prova pela declara-
cao do novo advogado,-de que a causa foi intentada
perante o juiz Daly soiu o conheciiiiento ou consen-
[iment dos negros. Se estes forem declarados li-
vres, os abolicionistas os nflo vestirflo e inanlerflo
por etilo ; bflo de ahaiidona-los, como sem fazer,
a sua iuiuecilidade e ignorancia, que os arrastara
ao crime o os levar ao hospital dos mendigos. Eis-
alii a sua philanlropia
(Jornal do Lommercw.;
Cmara municipal do Kccife.
:,. SSSAO ORDINARIA DC I9DE00TBR0
DK 1847.
111 -.nii m i v do SEMioa caamiao montbiro.
Presentes os Sis. In. Ncry da Fonseca, Ferreira,
Dr. Aquino, Barata o Caudillo, abrio-se a sessflo, e
foi lida c approvada a acta da antecedente.
O secretario toza leilura dos seguidles ollicios i
Um do Exm. presidente da provincia, determinan-
do que so executasse provisoriamente a postura ad-
deional, que esta cmara Ibe remetiera em ollicio
de 7 do coi rente. Inloirada, e que so maiidasse
publicar dita postura e sua approvacfio.
Outro do fiscal do Poco, remottendo o mappa do
gado niorlo para consumo daquella freguezia, desde
28deagosloal o 1."lo corrento.--Inleirada.
Outrodo juiz de paz do Io districto da freguezia
de San.-foureiiQo-da-Malta, romettendo o lvro da
acta da eleicflo a que ltimamente so proceder na
mesma freguezia.Inteirado, o que soarebivasse.
O Sr. venador Aquino apresentou um^rojecto de
ropri'sentacflo a asscmbla legislativa provincial,so-
bre a demolieflo de UJB quarteirfio das casinhas I
ribeira do peixeda freguezia de San-Jos, decreta-
da pelo artigo 23 da lei do orcameiHO municipal vi-
gente, o qual Foi Bpprovado, votando contra os Srs.
Barata clir. Nory; e maudou-se passura limpo pa-
ra se enderecar "ao Exm. presidente da provincia.
Itequcrendo o Sr. vereador Aquino, que continu-
assea discusaffo do novo projeclo do posturas por
elle apresenlado, dopoisde algumas rellexi'ies ledos
pelo Sr. vereador Barata om sentido opposlo, del-
berou a cmara quo fosse discutido, e eiu segui-
da foram approvados os artigos 7 e 8 do titulo 4.*
Aiulaiaui em praca as lujas ns. 1 c 2 da praca da
Independencia por a quautia de 200,000 rs. cada
urna. ,
Despacbaiam-so as petiQoes do Antonio Jos Lo-
mes do Correio, de Antonio Ferreira da Costa Bra-
ga, do vigario l.ourenco Correia de Sa; elevanlou-
se a sessao. Eu, JoCw Jos Ferreira de A'juittr, secre-
tario, a subscrevi.- Cuntir )lont*iro, pro-presi-
lenle. l-erreira. Aijuino. Barata. A. de Bar-
ros. Dr. Nery da Fonseca.
i'SESSAO ORDINARIA DE 13 DE OUTUBRO
DE 1847.
PI1RSI11ENCU DO SESHOH CAIIHKIRO MONTKIRO.
Presentes os Srs. Dr. Nery, Dr. Aquino, Barata,
Ferreira o Caudillo, abrio-se a sessflo e Toi lida o
approvada a acta da antecedente.
O secretario nflo fez leilura do ollicios.
Entrando cm.discussflo um rcqnorimento do Mar:
cellino Jos Lopes, licou a sua discussflo adiada le
o compaiecimento do ungcuheiro cordeador.
Contnuou a discussflo do projeclo de posturas, e
foram approvados os artigos 9,10, 11, 12, 13, 14,, la
e 17, e mais dous artigos additivos, licando adia-
dos o artiLO 16 e o aditivo n. 1.
|>espflcliarnm-< os requenmeolos de Francisco
Alves"rda Cunda, do Ignez Maria da Trindadi, dos
proprieturios o moradores da ra da Praa; e levan-
1,,-se a sessao. En, Jodo Jos Ferrara de Aguiar, se-
cretario, a vscii'vi. Carneiro Uonleiro, pro-presi-
denle.--Jr. Nenj.-Dr. Aquino. Barata.tirrei-
ra.Caudino.
III10 IIK PKIIXHBBCO
nzcier., 28 de outubro de 1847.
Um dos it fracedo do sexlo balallio de curadores qm
sean para o norte no vapor Paracnse.
Abivflo, por esses mares, alguns olliciaes, diver-
os sargentos, varios caboa-de-osqutdra ocem pra-
cas do <." hatalhflo de cacadores, com destino ao
' Essesiidios de Marte liveram, ncsla cidade, com-
portamenlo reguUrj e po.s merecem quedaquido
nossoeseriptorlo Llioa racamossentir que a capital
dePernambuco, ao pasco que ll.es agradece ama-
neira porque se unduzran, nao recordara, sem
vivo sentimento le saudade, a poca durante a
qual oa conteve em ai. __.
Os ventos Ibes sejam favoraveis !------Possam el-
les chogar ao lugar a que sedingem, a salvo dos po-
neos une socm correr lodos aquelles que, em aiei
frgil OU reforcudo, lemandam um porto qual-
quer. _____ _______
< 'OiiCS'i'-liKlMK'ia.
Srt UedaHores do Diario de Periiambuco Li um
communicado, no Diario-Novo de 5 do crrante ou-
tubro, cintra miiii, eso dissegeralmento nesta ci-
dade, que eram os autores lelle os Sis. hachareis
Jos Angelo Marcio la Silva, aqui promotor, e An-
tonio Buurquedc Cus.nflo, juiz municipal, posmas
agas .i quem nunca aggravei le forma alguma : seja,
Borm, quem EQr. "<""r ll lal communicado, que
Foiescriptonflocoma peona com que costuma os
crevera gente orlbodoxa, e sim com o dente da vi-
boiai eu estou promplo a defender-me, responder-
II,. essoalmente, e mostrar ao publico com a l.n-
WKem decente de me., coslume, que a ininha
conacienciase acha iniciramento tranquilla das ve-
. s! se calumniosas arguiSoes cuspidas contra
i n nesse communicado. so porventura o seu au-
tor u autores so dignaren, declarar seus nomes.
Portadlo, mcus senhores, apresontem ao publico
seus nomes, e nflo do pessoas desconhec.das esem
imyulacflo, para que nflo gozem da reputado da-
,in..|lc0.lepravados que escrevem nos muros todas
us cousas contrarias a moral publica e as regras da
boa educaeflo, sem quo o assignem.
Lis, Sis. Redactores, o que por agora liles rogo se
dignen imprimir cm seu esliinavel aOi'on'o, porque
com islo muilo obrigarflo ao seu
Amigo velho etc.
Jos Ttllts dt Meneies.
Macci, 23 de olilubio de 1847.


.fl

I
4
I I '
COTOE?IQ.
Alfandega.
IIENDIMENTO DO DA 28............16:621,555
Descarregam hoje, 29.
Brigue Whig farinha.
Brigue Novo-Vencedor -- mcrcadorias.
Brigue -- Manj-Queen-of-Scots idem.
Barca l:$pi rito-Santo idem.
Consulado.
RENRIMENTO DO DA 28.
fiera!
,151
Diversas provincias ............... 326.1QQ
1:712,35Q
PERNAMBUCO. 28 DE OUTUBRO DE
AO MEIO-DIA.
reedificada) pelo lempo que decorrer do dia da ar-
rcmetacTo a 30 de junho de 1850.
Administragio geral dos es'.abelecimontos do ca-
ndado, 25 de outubro do 1847.
O escriturario,
Francisco Antonio Cava/cante Cousseiro.
1847.
Uua da Cadeia do Kecife, n. 34, luja de cambio e
de corretagent de Gregorio Antunes de Oliveira.
PBECOS CORAENTES DE MOJE.
Uloida de prata. Compras.
I'.ilacoes braaileiros 1,970-
Vendis.
-------- i.onn
Tesos columnares-----------1,950------------- 1,970
Ditos da patria-------------1,780...... 1,800
Modas de 5 francos--------1,600 --------- 1,620
Ditas de 2 patacas-----------1,280-------- 1,290
Ditas do 1 dita ------------ 640 -..... 660
Modas de ouro.
Pecas velhas........16,100......16,250
Ditas novas -.....- 16,000-------------16,100
Modas de 4,000 rs.--------9,000......9,200
Oneas hespanholas 28,800......29,000
Ditas da patria.....- 28,500......28,800
Soberanos- -.......8,900......8,950
Uescontos.
Compranr-sc lettras de boas firmas do commercio,
prazos at dous mezes a 1 por ', at quatro a 1 1.8,
cat 6a 1 1/4 por %.
Cambio sobre Londres 27 3,4 a 28 d. por 1,000 rs.
I'or procuragilo de G. A. de Oliveira
Manor Joaquim Silveira.
Moviniento lo Porto.
Navios entrados no dia 28.
Macri ; 40 horas, brigue-cscuna de guerra Leopol-
dina, commnndanlc o primeiro lenle Candido
Jos Ferreira. Passageiros, o alferes do sexto ba-
talllo Antonio Cennozo da Silva e 9 pracas do
exercilo.
dem 48 boras, corveta de guerra brasileira Dona-
ranchea, commaiiilante o capilio-tcntenle Ma-
noel Mara de Bulhes Itibciro, Passageiro, o al-
teres ajudanlc d'ordens docommandanle das ar-
mas, Manoel Porfirio de Castro Araujo.
Guayaquil; 104 das, barca liospanhola Iruracbat,
de 400 toneladas, capililo Andr Cortina, equipa-
gem 14, carga cacao; ao capililo. Vem refres-
car o segu para Barcelona.
Navios sahidos no mesmo dia.
Ass ; brigue brasileiro Sociedade, capililo Jeronymo
Jos Telles, cm lastro. Passageiro Jos Duarte,
Portugus.
Idem ; brigue brasileiro Echo, capitllo Manoel Perei-
ra da Silva, em lastro.
Babia ; sumaca brasileira Santo-Antonio-de-l'adua,
capililo Manoel Jos Ribclro, carga varios gene-
ros. Passageiro, francisco Zuzarte Baliieusc.
Konlucket; galera americana Empirc, capililo A.
Veeder, carga a meso.a que trouxe.
Poilos do norte ; vapor brasileiro l'aracnte, com-
mandanlc o capililo de fragata Manoel Francisco
da Costa Pereira.--Alm dos passageiros que trou-
xe dos porlos dosulpara osdo'norle leva asen
bordo : para a Parabiba, Jos Pereira Gumariies ;
para o Cear, Herculano de Araujo Sales, o segun-
do sargento Joilo Fre Villa de Castro, Ignacio
Smitb de Vasconcellos ; para Maranhiio, Tilo Fran-
co de AI incida, Cailos Pedro Itibciro, 1 capililo, 2
lenles e 1 alferes comsuas familias, 1 primeiro
sargento, 2 segundos, 8 cabos, 1 corneta e 100 sol-
dados do sexto balalliflo do caeadores.
EDITA L.
Miguel Archanjo Monteiro de Andradt, o/ficial da im-
perial ordem da Rosa, cavalleiro da de Christo e ins-
pector da alfandega de I'ernambuco, por S. M. o
Imperador, que Dos guarde, etc.
Faz saber que no dia 29 (boje; do correnle, ao
meio-dia, e na porta da alfandega, se hilo do arre-
matar cinco caixas co m 95 pecas de seda prcla e de
cores, no valor de 2:100,000 rs., impugnadas pelo
amanuense Congulo Jos da Cosa c Sa, no despa-
por factura de Schaflieiltim & Tobler: sendo
Contrato a celebrarse com a thesouraria^das rendas
provinciaet, no correnle mez.
DIA 30.
O estabelecimento de una linha de mnibus, que,
na forma da le provincial n. 191, do 30 de marco
ultimo, facilite o transporte desta cidado para qual-
quer dos respectivos arrabaldes, o para Olinda.
Objectos que a reparlicao das obras publicas quer
comprar.
Vlnte c quatro tabeas de assoalho de curo; 5 tra-
vs de 32 palmos de comprimento e palmo e coito
em quadro ; 5 mitos-travessas ; 12 duzias de ripas ;
25 pregos caixaes 200 caibraes e 2:000 r/paes.
Escravo apprehendido pela policio.
Duarte, crioulo.Acba-se recolhido cadeia des-
ta cidade; deelarou pertencer ao engenho Suassuna,
o deve de sor reclamado na subdelegada dos Afo-
gados.
Benedito, apprehendido em Ferraz, Ierras de A-
pipucos, no dia 23 de setembro prximo passado.
Acha-sc na cadeia desta cidade, o deve de ser re-
clamado ante a subdelegada do Poco-da-Panclla.
Lisia das cartas vindas do Porto, pela barca Espirit-
Santo, em 22 do correnle mez.
Aurelia (Jmbolina Carvalbo, Agoslinho Vieira Coe-
Iho, Antonio Domingos Pinto, Antonio Fernandes,
Antonio Ferreira Silva Jnior, Antonio Francisco
Correia ('.., Antonio Concalves de Oliveira, Antonio
Joaquim da Cosa, Antonio Jos Enny, Antonio Jo-
s Dias Cu i n>a riles, Antonio Jos Francisco Veiga,
Antonio Jos Miz.*, Antonio Jos Magalhiles, Anto-
nio Jos Nogueira, Antonio Jos Silva, Antonio Lo-
pes Pereira Mello, Anto'iio Manuel Pereira Vianna,
Antonio Manoel liamos Antonio Olinda Pereira ,
Antonio Pereira da Costa, Antonio Pereira Mendos,
Antonio Santos da Conceicflo.
Bernardino Antonio Ramos, Bernardino Ferreira
Luna, Bernardo Jos da Costa V.
Cosme Jos Correia, Custodio Jos Pereira.
Diogo Pereira Souza da Cuuha, Domingos Ferrei-
ra .Mines Cuinianies, Domingos Ferreira Lima, Do-
mingos Jos de Azevedo, Domingos Mesquita, Do-
mingos de (Hiveira Pinto
Feliciano Bernardino da Silva, Francisco Antonio
Correia, Francisco Antonio Pereira, Francisco An-
tonio Pereira Piulo Lemos, Francisco Flix de S
Mello, Francisco Conexivos Nelto, Francisco Jos
AlvosGuimariies, Francisco Jos Pacheco de Olivei-
ra, Francisco Machado da Costa, Francisco Xavier
de Oliveira.
Izabel d'Austria.
iConlinuar-se-ha).
THEATRO PUBLICO.
SEGUNDA-FEIRA, 1. DE NOVEMBBO ,
a beneficio do ador Pedro Baplista de Santa Bosa,
lera lugar o seguinte espectculo:
Depois de execulada por grande orchestra a pti-
ma symphonia l.hcvat de llronze, representar-se-ha
o aparatoso drama intitulado
A MOItTE DO TENENTE-GE.NERALCOMES FREIR
DF. ANDUADE,
no qual o beneficiado esforgar-sc-ha por bem desem-
enliar a parle do gracioso criado.
Os iulervallos do drama scrilo precnchidos com
as bellissimas symphonias: Duello Nclf Opera 1
Due Foscari, l.cstocq. Terceto de Lucrecia lorgia e
Nubuco Donosor.
O mesmo ador, certo da benvola allengiloque
os seus protectores sem prestar-lhe, espera que el-
los aprcciciii dcvidamcnle, nilo s. a representaglo
do indicado drama, como o desempeuho das predi-
tas syniphonias, que o Sr. direclor da orchestra, o
joven Pernambucano Theodoio Orestis, se compro-
meta a fazer executar com lodo o zelo e perfeigiio ;
ja porque conta com numero de msicos maiur que
o ordinario, e j porque, amigo, como be, do bene-
ficiado, deseja concorrer para quo o divertimenlo
seja ero ludo digno do respcilavel publico desta ca-
pital.
Terminado o drama, Santa Rosa cantar a joco-
sa o nova aria denominada
* KEGRA AFRICANA,
0(1
A quilandeira na Dahia
Dar lini ao espectculo a graciosa farga
os dous lidorios.
Para o Rio-Grandc-do-Sul seguo, com brevida-
de ,0 brigue Dom-Pedro-Segundo; receb carga o
escravos a fete, e tem excelontes commodos para
passageiros: os pretendientes dirijam-se a Joo
Francisco da Cruz na ra da Cruz, n. 46.
Para Lisboa sane, com toda a brevidade, a bar-
ca portugueza Tejo, de que he capitflo Silverio Ma-
noel dos Rois : quem na mesma quizer carregar ,
ou ir de passagem para o que tem os mais asseia-
doscommodos, dirija-se aosseus consignatarios,
Oliveira Irmlost Gompanhia ou ao capililo, na
praga do Commercio.
Para o Itio-do-Janeiro segu viagem, impreteri-
vcllnentc no dia 30 do corrente, o hiate Nereida ; pa-
ra passageiros trata-se na ra da Cadeia do Recife,
botica n. 61.
Para o Cear segu viagem a sumaca Carlota,
mestro Jo3o Antonio da Silva iquem na mesma qui-
zer carregar ou ir de passagem, dirija-so ao mesmo
mestre, ou a Luiz Jos de S Araujo, na ra da Cruz
uu Recife, i. 25.
Leilao.
Rolhe& Bidoulac far.lo leillo, por intorvenefo
do corretor Oliveira, de esplendido sortimento do fa-
zendasdeseda, lila, linh e de algodilo, proprias
(leste mercado : hoje, 29 do corrente, s lOhoras da
mandila, no seu armazem, ra do Vigario.
Avisos diversos.
O TltlBUNO N 35.
Nunca estove o Tribuno tilo bom e tilo popular co-
mo boje ; a ello na praca da Independencia, ns.
6 c 8.
A abaixo assignada, viuva de Antonio Dias Sli-
to roga ans credores de sen casal, quo se dignem
de comparecer em sua casa ra da Cruz n. 68 ,
pelas 10 horas da manhila do dia 30 do carrente ,
para resolveren] a respeito do mesmo casal.
liara Filippa Lima Soulo.
Attencao
' lio
lirei-
dita arrematacosubjeita ao pagamento dos
tos.
Alfandega, 28 de outuhro de 1847.
Miguel Archanjo Monteiro de Andrade.
Declarares.
--Cartas seguras existentes na administiagilo do
correio, para os Srs. : doutor Abrilo dos Santos,
Antonio Caetano do Almeida Babia, Calhariiia Ma-
ra da Conecicao, Francisco Jos Paulo Jnior, Ja-1 Prego 2,000 rs.
cinlho Soares de Menezes e Joilo Luiz Hangel.
A administragio geral dos cstabelecimenlos de
caridade manda fazer publico, que, om consoquen-
cia de se n3o ter effecluado hoje a arrematacilo do
rendimento do furo das caixas do assucar, fo trans-
ferida a mencionada arremalagiio para o dia 30 do
corrente, pelas 4 boras da tarde.
Administradlo geral dos eslabelecimentos de cari-
dade, 25 de outubro de 1847.
O escripturario,
Francisco Antonio Cavaloanle Cousseiro.
Publicacao com-
mereial.
Est no prclo no Rio-de-Janeiro, o subscreve-se
nesta cidade na loja de Cardozo A y res, na ra da
Cadoia-Velba n. 37, Arilhmetica commercial, por
Guilherme Licchtenstein um volunto em oitavo ,
contendo : aritbemctica elementar quebrados, de-
cimaes regras conjunclas c do associacOes regras
de commissOes coiretagem do juros simples e:
compostos deseonlos, etc. ; regras de cambios,
arbitragens de saques e remessas de gauhos e per-
das dos fundos pblicos clculos de mcrcadorias,
facturas c contasde venda simuladas, com varas
tabellas das modas cambios, pesos e medidas de
difieren tes paizes comparados com os do Brasil.
s;s maiiiiuios.
Sabe impiclerivclmente para o Bio-de-Janeiro,
no dia 31 do corrente, o muito veleiro briguo ame-
ricano Whig com muito bons commodos o asseio
fpara qualqucr pessoa : quem nclle quizer seguir,
dirija-se aosseus consignatarios Hcnry Forster &
Gompanhia na ra do Trapiche, n. 8.
__ (imUuiri'T "irTT" "TmH*^ ,"|r. Para a Babia segu viagem, em poucos dias, o
ridado ,., fi, ?u, f !S cstal"'0nj?nlo. de hiato Ii-K.,e, por ter amaior parte da carga
correnle w.. I |S[JS^Sf &* a* *'* 30 "" Pimpla : quem no mesmo quizer carregar ouir
M&Tn^ d^ferragensluntaao
ca
Na loja da ra do Queimado, n. 30, de Jos Joa-
quim de Novaos, contina a haver um sortmonto
de obras fo tas ; chapeos do todas as qualidades;
ditospara meninos e meninas; ricos chales de seda;
mantas do seda ; lencos de todas as qualdades ; e
oulros muitos objeclos que ha para vender.
Quem precisar do urna ama para casa estran-
geira de homem solteiro, ou casado, dirija-se a
ra da Penha, 11. 29.
--Oflerjce-se um rapaz branco, sem vicios de
18 annos para criado do qualqucr Sr. : quem de
seu prestimo se quizer utilisar dirija-se ao pateo da
matriz de S.-Anlonio, coebeira n. 2.
Quem tiver na Iba de S-Miguel alguma pro-
priedade do Ierras ou quintas lvres e desemba-
ragailas, e queira vender, dirija-se a ra do Colle-
gio,*n. 19.
Aluga-se um sobrado de um andar, sito na
ra da Alegra n. 6 por prego commodo : a tratar
na ra do Mondego, n. 21.
Clara Roza llamos, viuva de Joaquim Marlins
Ramos, declara ao publico essim como a todos os
seus credorcs,que a sua venda da ra do Vigario. n.
33 seacha fechada o penhorada pelos alugucs do
dito predio : e como a mesma rcconhcce quo he de-
vedora a diversos senhores, que negocia m na alfan-
dega, de gneros que comprara para sortimento da
mesma venda o nilo tenha oulros bens e meios
com que possa pagar aos dilos seus credoros : por
mco deste faz scente a todos, que he os bens'que
possue ; alim de que seus credores bajam com tempo
de reclamar para nio ficarem na ignorancia li-
cando cortos que por nada mais se responsabilisa.
Recife, 26 do outubro do 1847:
O Sr. Carlos Barboza, natural de Cuimariles, da
cidade do Porto, o queja residi em Pedras-de-Fo-
go, queira ter a bondade comparecer, ou quem do
mesmo Sr. scuber dar noticias, no armazem da ra
da Moda, n. 17.
Joiio Manoel, subdito portuguez, retira-sc pa-
ra a corto do llio-de-Janeiro.
O Sr. quo levou, no mez de setembro, do pateo
dol'aroizo, casa n. 1, urna bandeja com pratos, ta-
Ihercs e loalba, que Ulvcz por esqueciment tenha
demorado cm seu poder, faga o favor de mandar le-
var, ou dar parto na mesma casa para se r buscar.
Quem tiver um prclo ou prcla para alugar, di-
rija-se a ra larga do Rozado, n. 48, segundo an-
dar, ou annuncie.
Prccisa-se de um caixeiro para tomar conta de
urna venda por balango ; d-sc bom'ordenado sen-
do que tenha pralica : no pateo da S.-Cruz, n. 2.
-Aluga-se um prclo ou preta para carregar fa-
zenda com oulra pessoa na ra do Vigario, n. 19.
Quem precisar de una ama para o servigo de
casa, dirija-se ra Nova, n. 52, segundo andar.
=Aluga-se, na Trcmpe, urna casa terrea com quin-
tal, cacimba e mais commodos para grande fami-
lia, na ra da Solodade, n. 37, por 12,000 rs. men-
saes; c mais duas oulras pequeas, na ra do Sebo,
ns. 52 e 54, por 8,000 rs. mensaes: quem pretender
dirija-se ao escriptorio de F. A. de Oliveira, na ra
da Aurora, n. 26.
Tiraram-se, por engao, duas carias do correio
para Manoel lliheiro de Carvalbo : quem for seu
dono procure na ra do Queimado, n. 18. .
Precisa-sede um Portuguez sendo dos Asso-
res mclhor ser, para serfeitor em um engenho em
Serinlilem distantcilcsla praga 18 legoas : quo'm
esliver neslas circumslancias dirija-se a ra de
(tortas 11. 90. Na mesma casa vende-sc por qual-
qucr prego que couvenha um parda de mcia ida -
Je porm. sadia que he boa cozinheira, doceira
de toda qualidade de fruta e de massa lava e en-
gommaliso, e he muito prqprio para qualqucr ca-
sa de familia que tcnlia prcisilo do urna tal es-
clava.
Aluga-se o leTceiro andar do sobrado da ra
larga do Rozado, confronte a igreja : a tratar na
ra da Cadeia do Recife, n. 44, loja de ferragens.
No boliquim da ra larga do Rozado, n. 27,
dao-se almogose jantares mensaes para fra.
Precisa-sede om preto ainda mesmo bruto:
na ra do Rangel, 11.11. Na mesma casa compra-
se um scllim cm bom uso.
Jos Gongalvcs Curado vai ao Rio-de-Janciro,
evando em sua companhia o seu escravo Scipiilo,
e deixando por seu procurador o Sr. Jos Mondes
de Freitas.
Precisa-se do um caixeiro para cobrar fra des-
ta praga que tenha bastante pralica o d fiadora
sua conducta : na Soledadc, sitio da cscala a tra-
tar com o Sr. Burgos.
Precisa-se sabor so existe ou quem d noti-
cia de D. Quiteria Maris da Conceigilo que foi ca-
sada com Similo JosBorgesdo Araujo, natural da
Iba Terceira onde falleccu e filho do Luiz de
Mello Lobo e do sua mulher Cobrclinda de Lemos
para interesse da mesma sonhora : na ra Imperial,
n. 67, primeiro andar.
Para passar a festa perto da praca e
com banho na porta,
alugn-se urna casa com bastantes com-
modos estribara, e pequeo sitio por
preco mdico ; a tratar nos Coelhos ,
com Aliguel Garneiro da Cu 11 lia, ou com
Thomaz Carneiroda Cunha.
O Sr. doutor Lourenco fiezerra
Garneiro da Cunha queira ter a bonda-
de de dirigir-se ra do Cabug loja
n. o, a negocio que Ihe diz respeito.
Na casa de modas francezas no Aterro-da-Boa-
Vista, precisa-so de algumas duzias de caixas de
papelHo ou laboinha para chapeos de senhora.
Precisa-se de um moleque ou preto que saiba
fazer o servigo ordinario do urna casa : no Aterro-
da-Bba-Vista ,n. 1. '
Urna casa particular se ofterece para dar al-
mogo, juntare seia com muita decencia : na ra
atrs da matriz de S.-Antonio, n.28
OfTerece-se, para feitor do algum sitio perto da
praga ou para alguma- serrara um homem che-
gado prximamente do Porto, o que d fiadora
sua conducta : quem o pretender drja-se a ra do
Trapiche, n. 6. Na mesma casa existe urna caria
para Joaquim Francisco da Silva Paciencia.
PARA AS PESSOAS (QUE TENGIONAM SEGUIR
VIAGEM.
Na ra do Rangel, n. 9, conlinuam-se a tirar pas-
saportes para dentro e fra do mporo depacham- '
se escravos e correm-so folhas tudo com brevida-
de, e por prego muito o muito commodo.
os Srs. cstudaotes de grammatica latina quo
se quizerem applicar pelo tempo das ferias, ou se
apromptarem para em margo fazerem seus exames,
dirijam-se a ra do Queimado, n. 37, ptimeiro an-
dar. *
Braz Floren lino llcnrques de Souza, estudan-
te do tercero auno Jurdico, cnsina particular-
mente philosophia francez rhetorrea o geogra-
phia na casa da sua residencia na ra Nova, n.
38. Advertc que cnsinar gratis aos que eslivercm
cm circumslancias do o merecer.
Agencia de passaportes.
Na ra do Collegio, n. 10, o no Aterro-da-Boa-
Vista, n. 48, continuam-sc a tirar passaportes tan-
to para dentro,.coi.-ui para fra do imperio; assim
como despachan! so escravos: tudo com brevidade.
O professor de inglez e francez do collegio S -
Antonio d lic.es as ditas lingoasem casas parti-
culares : quem do seu prestimo se quizer utilisar
dirija-se a loja de livros do pateo do Collegio, n. 2.
Egidio Hcnriqucs da Silva cnsina rhetorica,
goometriu c gcographia, a 5,000 rs. mensaes; e -
quelles quo 11S0 estiverem ras circumslancias de
poder pagar o prego, cnsinar dous dos ditos ramos
pelos mesmos 5,ono rs mensaes. Quem so quizor
utilisar do seu prestimo o procure na ra do
Dorias, no primeiro sobrado da casa n. 22, das 8
horas da manliaa-al as 7 da imite.
O abaixo assignado faz sciente ao rospeitavel
publico, quo pelo brigue americano Olinda, vindo
do Boston, ontrado neslo porto em 22 do pretrito
mez do setembro, ha recebido novo provimento de
pillas vegelaes do Dr. Brandroth. Estas pilulas, cu-
jo autor basta para garantir sua cxcellcncia, tor-
nam-se muito recommendaveis por serum medica-
mento inteiramenlo inoffensivo, podendo applicar-
seats criancas recem-nascidas ; ltimamente so
tcem applicado a urna inlinidade de molestias jul-
gadas incuraveis, decuja applicagilo se tem tirado
tilo felizes resultados que parece cada vez mais rc-
solvido o problema de'um remedio universal. Ao
annuuciante calida gloria do asseverar ao publico,
que as ditas pilulas silo as nicas vordadeiras quo.
exislem nesta praga, as quaes se veudem om sua
botica, na ra da Cadeia-Velha, n, 61.
Vicente Jos de Brilo.
Quem precisar de um homem francez para pro-
fessor de sua lingoa ou guarda-livros, que seja
em francez ou em portuguez, annuncie.
Dentista.
M. S. Mawson, dentista bem conhecido nesta pro-
vincia, tondo agora chegado da Europa, e leudo vi-
sitado as capitaes de Londres e Paris, donde trouxe
osmelhores objectos da sua profissio que at hojo
se condecoro, como novos instrumentos, denles e
mais necessarios para qualqucr operagilo da sua ar-
to ofTercce seus servigos aos Ilustres habitantes
desta cidade, conforme a sua tabella lixa, o promet-
le fazer todos os esforgos para agradar s senhoras,
011 senhores, que o quizerem procurar, das 9 horas
da manhila at 3 da tarde na ra do Trapiche-No-
vo do lenle, 11. s, segundo andar.
Perdeu-se, desdo a ra do Rangel at a ra do
Queimado, urna carteira 'contendo 23,000 rs. cm
cdulas e varios papis,entre ellos um vale da quan-
11.1 de 16,770 rs.. a vencer cm 30 do corrento, assig-
nado por Ezcquiel de Souza Cavalcanto : quema
achare quizor restituir dirija-se a ra do Rangel,
venda, 11. 50, que ser recompensado.
Aluga-se, na povoagilo do.Monlciro, defronte
do Sr. Joaquim Tiburcio, urna casa com bastantes
commodos para se passar a festa : bem como um si-
tio as Ierras da Torre, qu8si'defronle da Ponte-de-
Ucba, com urna pequea casa, boa baixa decapirn,
um bananeiral, o terreno dcvoluto para selercm ani-
maos sollos : a tratar no Atcrro-da-Boa-V'ista, n. 37,
segundo andar.
Prccisa-se do um bom ollicial do sapateiro pa-
ra obras de lustro, o qual queira trabalhar c nilo se-
ja volhaco : na ra Nova, loja n. 58.
Precisa-sede urna boa lavadeira, o de conduc-
ta co.nhecida, para lavar roupa do urna, familia
nilo pequea : na ra da Cruz, no Recife, 11. 18, se-
gundo andar.
Aluga-se um sotio muito fresco o em boa ra,
proprio para horneen solteiro : a tratar na esquina
do Livrameulq, loja do 6 portas.
Precisa-sc de urna ama de leile para acabar do
criar urna menina do nove mezes : na ra larga do
Uazario, outr'ora dos Quarleis, n. 24, segundo an-
dar.
m


5
Est aberla urna subscripto para ce ^rade urna
typographia Popular, quo se ponha no logar da Na-
zarena, e para sto convido a todos os intoressados-
nnMcfosa da liberdado a concorrerem como po-
derem. .
Hethesoureiroomeu amio o Sr. Victorino tran-
cisco dos Santos, o qual dar recibo n quom quizer
para restituir as quantias dadas, no caso de se no
efTectuar a compra da typographia: a residencia do
dito thosoureiro he na ra do Hangol, n. 54.
He agento desta subscripto o mou amigo o Sr. Ja-
cob de Santiago, comi'} de alfaiato na ra Nova ao
p da Concei^So.
Ossenhores quequizerem concorrer para lito til
(im, o faro nossobreditos lugares. Agora, mais quo
nunca, temos necessidade de urna imprensa pela
qualpossad povo advogar a sua causa contra esses
senhores '.jue o opprimcm. .....
Ksporo quo o povo se mostr digno da iberdade,
concorrendo promptamente.
Rccifo, 21 de outubro de 1847.
Antonio Borgu da tomeca.
nEcurucA.0.
Alm dos agentes cima, estilo mais encarrega-
dos da subscripto para a typographia os mous ami-
gos, Srs. Joo Jos do Alhuqurrquo, morador nos
Afogados, o Joo Tenorio de Alhuquerque, morador
em Igtiarass.
Advcrte-se que, para embargar o curso da subs-
cripto, andam por ahi os traidores adizer que j
tenho em meu poder urna typographia. He esta fal-
sidado digna dos inventores.
Antonio Borgei da ontcea.
Caumont, (lom-adiu ra
Nova, n. &%
fabricante de candieiros de gaz e outros, d.oura, pra-
tea, bronzea de diversas cores e faz tambem com
pcrfei?ilo a imitaco de dourado a todos os melaes,
para casas, igrejas, etc., o para os militaros. Ello
concerta todas as cousas quebradas o avariadas, e as
pOe taes quaes as novas. Os candieiros de azoi to ho-
tamseagaz.Ellofaz todos c quaesquer trocse lam-
bem compra os melaes velhos por um proco rasoa-
vel. Na mesma casa precisa-se de um discpulo para
aprender este ohlcio.
Rita do t'tmeio-Publico, n. 5.
JoSol.oubct participa ao respeitavel publico, que
recebou, por estes ltimos navios francezes, um com-
pleto sortimonlo do chapeos deso, de seda, amis
rica c superior qualidade; furta-cres o nutras mul-
tas coiihccidas, lano para homens, como para Sras
e meninos. No mesnioesta1>elecmento ha um sorti-
menlo de chapeos de sol de paninho, dos mais mo-
dernos; ditos muito grandes, proprios para homens
decampo : tambem tem chapeos de soljdo paninho
para meninos o meninas, por seren inuilo linos: po-
dem-se chamar chapeos de economa. Na mesma loja
lia sortimento de bengalas, bengalinhas o chicotes
muito modernos; cbrense quiilqucrarmaco de cha-
peos ile sol, com sedas de todas as cores e qualida-
des. Na mesma casa ha um grande sortimenlo de
panninhos trjncados c lisos, imitando soda, para
cobrir os mesmos: desta fazenda so vende arelalho.
Concerta-se todo qualqucr chapeo do sol, por haver
um completo sortimento de todos os pertenecs para
os mesmos, com loda a perfeico e brevidade.
Furlou-se, da Pontc-de-l'oha, da casa do ma-
jor Miguel Alfonso Fe'rreira, um cavalloruco, com
nlgumas pintas do pedrez que he cap-do e raho.
--OSr. Flix Joaquim Domingues quena ir a ra
da Cadeia loja n. 47, para receber uma caita, viu-
da do Porto.
O Sr. Antonio JOaquim Connives de Moraes
queira dirigir-so a ra do Crespo, n. 9, para rece-
ber mis papis de importancia, vindos de l'edras-
de-Fogo.
{$ G H A TI KIC A C A O" f>os ooo R S. jl
fp! Dosemc 17 do corrente, i!a rua do Viga- j
rio, n. il\, um culioclinho de ri-
me Vicente, escuro, seceo do cor-
1 po, com camisa de algodo j sii-
[|7| ja : tem no anua duas (bridas de
f bobas ; foi visto cborando no For-
[pJ (e-do-Maltos, depois foi condu- }.
til zido para Santo-Antonio por nns J
?j meninos e inoleques, e depon ha nT
j] noticia que passon a ponte da ^
[Ri Boa-Vista : quem do mesmo der J
(fn noticia ser generosamente reconv
Compram-se garrafas francezas, vasas i na rua
daGadcia-Velha n. 29.
Conipram-se garrafas e botijas vasia.s : na rua
Direita, n. 17.
Compra-se uma canoa do carreira que pegue
em a 6 pessoas novae de boa construccBo : na
rua da Cruz no Recito n. 56, primeiro andar.
Compram-se, para uma encommenda clora-
ros de ambos os sexo, protose pardos, de 10 a 40
annos ; agradando pagam-se bem : na rua es-
trella do lio/mi n. 31, primeiro andar.
Compram-se para uma encommenda do mal-
lo 4 escravos : na rua da Cadeia de s.-A uto ni o ,
n. 19, primeiro ailar.
--Compram-se olllciaes de carpina, pedroiros,
ferreiros e carpinteiros, para fra da provincia ;
pagam-se bem, agradando : na rua da Cruz, no Re-
clfe, n. 49.

Vendas.
___Aluga-se o segundo andar com solo o com-
modossunicientes, quintal c cacimba : na rua Di-
reita, n. 54, a fallar com scu proprietano Joo l.ei-
te Pita Ortigueira, na rua da Cruz no Recie, n. 12.
Oabaixoassignado tem contratado a compra
de uma venda cm Fra-de-l'orla com o Sr. Manoel
Domingos PeVeira Ramos: c para que no baja du-
vida em todo o lempo, por isso se faz publico.
Ignacio Jos Rodrigues.
Manoel Mara do A mural Jnior, nfiopudendo,
pela brevidado de su.-, viagem para a Rabia, despe-
dir-so de senamigos, o faz por meio dosto annun-
cio, e Ibes oderecc o scu,diminuto prestimo na-
quella provincia. .
__Pcnleu-sc tima chave de porta, grande, deduas
brocas, na direccTio para o theatro publico, na noi-
te do 24 do corronle : rogi-se a pessoa que a ucbou,
financie, ou leve-a na rua Direita, padaria.n. 69,
que so recompensar o traballio.
__|>rocisa-sc alugar um moleque quo saiba co-r
zinhar para casa de bome-m solleiro : quem o tiver
annuncieuu dirija-se ao caes da Alfandcga, arma
zem, n. 1.
ii i" ii i -
C.UtU[US.
--Compra-se una ou duas folhas do venderom
azeitena rua com as competentes medidas, e um
barril tambem para azeite na rua Imperial, n. 9.
Casimiras elsticas c finas, a
7#000 rs.
Vcndcm-se superiores casimiras elsticas finas e
de cores, pelo baratissiino preco de 7,000 rs. o cor-
te de caira. Esta fazenda he recommendavcl pela
sua qualidado lanto em fazenda como em gostos ,
porserem os mais modernos; casimiras pretal i
superior fazenda por seren muito finas a2, 3 e
3,500 rs. o covado : na rua do Collegio, loja n. 1.
-----Vende-se azeite-doce refinado em
caixas de doze frasquinbos pelo comino
do preco de >., <><> rs. cada caixa, mui
proprio para gasto de casa : na rua da
Cruz do Mecife, n. t8, segundo andar.
Conlinuam-se a vender as superiores velas de
carnauba de 6, Se 9em libra a 210 rs. tanto em
libras como em arrobas : na rua do llozario da Boa-
vista, n. 2.
Vende-se una venda das mclhores e mais afre-
gtfezadas para a praca, por seu dono ter de retirar-
se ; assim como tambem seda sociedado quem ti-
ver algiius fundos, cuja vi'iida tem connnodos para
familia, o o seu aluguel ho bastante mdico: em
Fra-de-Portas. n. 92.
Pcclinclia na loja co nicho.
Na esquina do I.ivramcnto, loja do nicho, vendem-
sc chales do seda, a 2,000 rs.; lencos do dita, a 800
rs.; riscados de novos padrOescom lio de soda, a
400 rs. o covado; cambraias de seda lina, a 800 rs. o
covado; damasco do duas larguras, a 1,000 rs. o
covado, c outras mais pechinchas novas, proprias
para a prxima (esta.
Idniiraveis nava-
Ihastle acoda China
que tcem a vantagom do cortar o cabello sem ofTen-
sa da pello, dentando a cara parecendo estar na
sua brilhante mocidade.
Este ac voiii exclusivamente da China e s nol-
le tiabalham dous dos melhores o mais abalisadus
cutileiros da nunca excedida o rica cidade de Pe-
kiin capital do imperio China.Autor Shan. .
N. 1$. He reoonhecido o uso destas navallias
maravilbosas por todas as sociedades das soicn-
ciiis inedico-cirurgicas, tanto da Europa como da
America Azia o frica, nio s para prevenir as mo-
lestias das cutis mas tambem como un meio cos-
mtico.
Vendem-se as verdadeiras s na rua larga do Ro-
zario, n. 24.
Vendem-se os seguinlcs esclavos,
de mui lindas iuras, sem vicios neni
acliaques : 2 negras, de 20 a ai annos,
boas lavadeiras, que cozinbam o dia-
rio de urna casa, c eozem ; urna muala
da mesma dade, e com ganes Iiabilid.i-
dcs; um mulato, de 1^ a 16 anuos, pro-
(rio para todo o servico; 2 dilos de 16 a
18 annos, sendo um perfeito ollicialdesa-
pateiro, o mitro alfaiate, e proprios pa-
ro pagens : um moleque de i2 anuos ; e
um iiinliii inlio de 7 para 8 annos: na rua
do Crespo, Loja n. 2 A, se dir quem
vende.
Contina-so a vender calcado, feito nesta cida-
de, linhas, lio, couro, sola, marroquim ccourode
lustro a retalho, o mais alguma colina ; assim como
uma porr;So de madeiras, como sejam : caibros, va-
ras, ripas, c algumas milos-travcssas, una cama pa-
ra casal, una porclo de parreira brava ou abtiia,
para remedio, e alguns ferros para colleira de caval-
lo de carroga : na rua Nova, loja n 58.
Vende-se, para fra da provincia, uma escra-
va crioula, moga sem achaques nem molestias ,
que sabe b;m coser, engommar e cozinhar : na rua
da Cruz, no Recife, n. 18, segundo andar.
Cheguem ao barato !
Na roa do Crespo, n. 14, vende-se algodo en-
traado azul o mesclado fazenda muito cncorpa-
da o propria para trabalhadores o para escravatu-
ra pelo barato preco de 200 rs. o covado; algodo
liso americano muito cncorpado a 200 rs. a vara;
bi im branco trancado de algodo a 4t)0 rs. a va-
ra ; dito misturado a 480 rs. a vara ; lito do puro
linho superior fazenda a 800, 1,000 e 1,280 rs. ;
brins francezes, de quadros e listras, a 320 rs. o
covado; meias casimiras de algodo, do ricos pa-
drOcs a 440 rs. o covado; Illas-de quadros o lis-
tras de superior qualidade, 800 rs. o covado;
merino muilo largo, a 1,280 rs.; prineeza lina, a
800 rs.; fcanklini muilo lino, a 640 rs. ; superior
selim niaco para colletcse vestidos, a 3.000 rs.;
lencos de selim do muito bonitos padrOes de qua-
dros e listras, para grvalas, a 1,800is.; ditos os-
curos, francezes, muito linos, para tabaco a 400
rs. ; cassa-chitas de ricos padrOer, a 3.500 rs. o
corte'; chitas escuras de listras, ricos padrOos, a
160 rs. de cores muito lixas, a 180 o 200 rs.;
ditas de ramagem cdo cores lixas, a 200 e 240 rs. ;
casimira amarella para coeiros, a 1,000 rs. o covado;
pe^s de niadapolo a 2,600,3.000, 3,600, 4,000 ,
4,500 e 5,000 rs.; dil, entestado a 5,500 rs., e a
vara a 140,180, 200 e 240 rs.; cassa de quadros ,
milito larga a 320 e 360 rs.; cassa lisa muito larga ,
a 200 rs.'a vara ; meias para meninos de 4 a 6 anuos,
a 160 rs e pan meninas a 200 rs.; e outras mul-
tas f-izendas pe r barato preto. Assegura-so nos Srs.
compradores quo todas estas fazondas o tecm
avaria e sodc 1nuita.durac.89..
Vende-se urna parda de boa figura:
represento (er 24 anuos de dade; nao
tem vicios nem achaques, o que se afi-
anza; cozinli muito bem o diario de uma
casa, e he mui'o propria para todo e ser
vico. Vende-se por preco commold.
Na rua doCrespo, n. 12 a fallar com
Jos Joaquim da Silva Meia.
MEZ MARIANO A 1,000 RS,
Vende-se na livraria Ja praca da Independencia ,
ns, 6 e 8 o Novo Mez Mariano, accrescentado com o
Lausperenne do Santissimo llozario.
Vende-se um preto de naco, moco, sem vicio
algum, e que he proprio para todo o servico : na rua
do Livramcnto, botica 11. 22.
sa'i.sa-parriliia DESANDS.
Este exccllentc remedio ciira todas as enfermi-
dades, as quaes so originadas pela impureza do
sanguc, ou do systema ; a saber
Escrfulas, rheumalismo erupcOes cutneas,
brebuthas na cara, hcmnrrhnides, doencas chroni-
cas, hrehulhas, bertoeija, tinha, inchacOes, dores
nos ossos c jnntas, ulcar, doencas venreas, citica,
enfermidades que atacain pelo grande uso do mer-
curio, hidropesa expostos a una vida extrava-
gante Assrm como clironicasdesordens da cons-
tituico sero curaihis por esta to til appro
vada medicina.
O extracto seguinte he de urna caria recebda do
Sr. Maco, pois sua mulhir foi atacada de escrfu-
las no nariz, ilas quaes os mclhores doutores em
Franca a no poderlo tratar.
I Hcnncs, departamento de lile e Vilain.
I Franca, julho 17 de 1844.
.S. Sandt. A salsa-parrilha mandada por Vm.
foi recelida com a maior salisfaco possivel, minha
mulhera loniou, e em pouco lempo se acbou me-
llior; pelos grandes beneficios que recebeu desla
medicina, a considera como uma das mclhores me-
dicinas do mundo para laes doencas, pois dou-
tores de alta sabedoria nunca a poderam tratar. Mi-
nha mulhera contina a tomar, at se adiar in-
teiramenle boa. Por favor nos queira obsequiar com
algumas garrafas o mais depressa possivel. Sr. ,
nos (eremos o goslo ile l'azer conhecer a sua medi-
cina entre os uossos amigos, assim como entre o
povo: sem.iluvida ser usada aqui bem como em
lodo o mundo como eflicaz medicina para allviar
c tratar o corpo humano.Tenho a honra de ser 0
niais aliento venerador.
J. Mace.
N. 1, me LouisPhilippc.
Il.egaco dos Estados-Unidos,
i Berln, Prussa, abril 8 de 1846.
.Sr A. II. & I). Sands.- Srs., tendo-se a sua sal-
sa-parrllha usado nesta cidade, com grande efleito,
cm casos mui severos de escrfulas me pedem tres
duzas ile garrafas da sua medicina as quaes as es-
pero sem falla que para isso remello o pagamen-
to. Espero que Yms. liqueni de toda a certeza que
a composico de salsa-pnrrilha he uma das mellic-
res medicinas do mundo, assim como se va i in-
iroduzindo muilo entre opovo S011 o mais aliento.
TheodoreS. l'aij.
Preparada e vendida por junio o a retalho aa-
sim como se expolia por A. II. Y I). Sands, chum-
os e droguistas, n. 100 Fullon-Strcet, esquina de
William, New-York.
Vende-se na bOtiCa do agente, Vicente Joso de
Brilo na rua da Cadeia-Vclha, n. 61.
Lotera do Kio-rie-Janeiro.
Vendem-se bilhetes e meios ditos da terceira lo-
tera a beneficio 1I0 convento de S.-Antonio : na rua
da Cadeia, loja de cambio, 11. 38, de Manoel Comes.
'lino /.u;i :
Eleva /un voz, excelsa Fama !
Annuncia as mui bellas Prnceznas ;
Lindo adorno que serve ti loda dama,
Sejam vel/ias, ou mocas, ou meninas.
Antonio Loil dos Santos & Compaiihia, com
S loja deazendas na rua do Crespo 11. 11, recebe- a
I ra'm pelo Ultimo navio fraiicei chegado a este ij
* porto os mais ricos e bellos corles de vestidos *
5 para senhora ao ultimo gosto de l'aris, onde esta
S fazenda lie denominada Priuceiina : nao he ;i
* posilvel deserev-la com todas as sitas prop irda- 3
* des e sublimes encanto! j por isso limitaino-mis
adlserqueseusdelicadosnadrdessao nioio ino- .,
i!
demos, como de urna especie nunca vista
A cor azul, o verde guio,
O rxo Uno, a cor tic rosa,
f Vista de jierto, he tcnlaco,
Ao longe mili cubicasa.
Na nova loja do Passeio-Pu-
1)1 ico, o 17,
vendem-se cortes do tarlatana do muilo lindos t
modernos padrOes, a 3,200 rs. ; chales de cassa bor-
da oscuros c brancos a 640 rs.; suspensorios de
maia a 80 rs. o par ; cortes de cassa com 6 a 7
varas a 2,240 c 2,560 rs. ; cassa com 4 palmos de
largura a 280 rs. o covado ; cortes do collele para
hoinem de Illa c seda a 320 rs. ; lindeza do inul-
to lindos padrOes a 200 rs. o covado ; cortes de
chita comIOcovados.a 1,000 rs. o corto ; dilos li-
nos com 10 covados a 1,800 rs. ; ditos de dita com
14 covados, a 2,800 rs.; casimiras as mclhoies que
tem apparecidoem qualidade e padrOes, a 8,000
rs. o corte ; cortes do collele de velludo a 3,000
rs. ; loucosde cassa para grvala inteiros a 200
rs.; eoulrasmuitas l'azendas mais baratas do que
em oulra qualquer parte.
l\o Aterro da Boa-
Vista; loja n, 24,
vendem-Se bros francezes, de cor,
pelo baratsimo preco de 280
ris o covado : esta fazeyda be
muito bem acabada, e nao des*
bota.
bc6 imci%'ms8
'-. ,':.; -
Nesta loja vendem-se pannos linos, pretos e
de coros a 2,500, 3,000 3,500, 4,000, 4,500 e
5,000 rs. o muito lino, prova do limo a 6
e 7,000 rs. ; casimira preta a 3,000 rs. O
muito superior, a 3,500 o *,00t) rs. ; casine-
ta de duas larguros a 1,000 o 1,500 rs.; me-
rino preto, a 2,000 o 9,500 rs. ; corles de
rolletes de selim de cores e do velludo a
2,000 e 2,500 rs. ; hrius .le puro linho su-
perior fazenda, a 800, 1,000 e 1,500 rs. a va-
ra ; madapolOo, a -i, 2,500, 3*, 3,5000 4/
rs. ,e muito lino a 1,500 o 5,000 rs. a pe-
ca; chitas finase do c.Ves lixas a 5/ 5,500
e 6,000 rs., e muito lina a 7,000 rs. a po-
Ca e o covado a 140, 160,180 o 200 rs. o
milito fina a 220 rs. Alm destas ha ou-
lias mullas l'azendas novas, proprias nara a
lala como sejam : ricos chales de bellos
padrOes de cores lixas e de varias quali-
dadea a 2,000. 2,500 e :1,00o rs. cassas de
' m
Corramos a a prove lar as pc-
ciiiticliascloaiitigo barateiro
pois elle vende or pouco di-
nheiro.
O antigo barateiro esta vendando na sua nova lo-
ja de mludezas da rua do Collegio 11. 9 papel al-
maco muilo lino a 2,600, 3,000 o 3,200 rs. a res-
ma ; lilas de retro/ de todas as cores a 560 rs. a
peca ; ditas de lac;<> de sapato, a 440 rs. a peca; pen-
les de tartaruga para marrafa a 960 rs. a parelba;
botueadeosso forados a 200 rs. a groza ; ditos do
madre-peola a isors. a groza ; ditos grandes, a
400 rs. ; medidas para alfaiate a (o rs cada uma ;
lamancospara homem, a 320 rs o par ; macos do
cordflo de todas as grossuras para vestidos a 320
rs. o maco ; escovas para denles a 80 rs. ; ditas fi-
nas, a 240 e 320 rs. cada uma; ditas de escovar rou-
pa a 320 o 400 rs. cada urna ; ditas de limpar pen-
tes a 80 rs. cada una ; caixas de ijlias de marcar,
a 120 rs. cada uma caixa; macos de litas de linho
d..- 12 pecas a 200 rs. o maco ; torcidas de todas
as larguras para candieiros, a 100 rs. a duzia ; cai-
xlnhas de agulhas francezas, a 280 rs. cada urna;
caixas de tartaruga, para rap, a 1,200 e 1,600 rs.
cada una ; ( esto se acabando; caixinhas de pos
de aliar navalbas, a 200 ris cada uma; pen-
tesde prender cabello, a 80 rs. cada um ; canas
com urna groza de pares de colchetes a 320 rs. a
carta ; caivetes do uma folha muito linos, do ca-
bo de viado a 200 rs. cada um ; lesouras muito
linas com toque de ferrugem. a 130 e 160 rs. cada
una ; livelas doaco para colletcse calcas a 100rs.
cada una; riquissimos brincos pretos o garganti-
llas de Hiagrana : brincos pelos com enfeites dou-
rados,da moda a 960 rs. o par; e outras militas
diversidades de galanteras de todas as qualdades :
ludo se vender por procos quo agradaro aos fre-
guezesanligos e modernos: por isso cheguem de
pressa antes que se acabem as pechinchas.
Vende*se, na rua da
Cadeia, ti. 37,ceraem ye-
las fabricadas no Rio-
de Janeiro, em uma das
melliores fabricas em
caixas pequeas, sorti-
89 metilos ao gosto do com
piador, e por prego mais
barato do que em oulra
qualquer parte.
Madama Millochau com casa de modas fran-
cezas na rua do Atei ro-da-Boa-Y.sla n. 1, pri-
meiro anda, icccbeu pelo ullinio naviotaH
/.lia um grande sorlimenlo de chapeos de palla
para senhora, meninos o meninas; ricas litas de
odas as larguras; Lieos de blondo; um bonito sor-
mento de "icos de linho verdadeiro ; bicos a imi-
Jo muito largos para C.bOCO ; ricas enturas
dese.horae.nei.inas; cortes o vestidos I mia-
dos decoros; gravatinhas de lila ; collarinhos e
camisinhas bordadas para montana ; ntremelos
e liras bordadas; filos de linho de todas as qual-
dades ; filos de hico preto, muilo mais elegantes
que a seda, para mantas; visitas e manteletas;
cambraias lisas e bordadas; luvas de relroz para
senhora e meninas; lencos do mo de cambraja
de linho, e cambraia bordada o imprimida; cortos de
vestidos para casamento; llores para os ditos; se-
das de todas as crese ores para chapeos de se-
nhora ; c outras muitas fazendas que se vendero
or preco muito rasoavcl. Na mesma casa conti-
na-so a fazer chapos vestidos, o em geral tudo o
mais do toilette das senhoras.
Vende-se um quoijo de manteiga muito bem
feito pesando uma arroba proprio para presen-
te : na rua de S.-llita, n. 91.
f
*P



A.
!
N

Vende-se urna ptima crioula para mucama,
cor ser bonita e do boa conducta : no pateo do S.-
Pedro, sobrado de um andar, p. 1.
Vende-se urna preta de muito boa ligura que
engomma, cozinha e tu todo o servico do urna casa;
una preta de 35 anuos por O.OOOrs., que co/.i-
nlia lava e vende na ra : na ra do 'asseio, n. 19.
AGENCIA DA FUNDUCAO'DC I.OW-MOOR.
^a ra da Se.nzalla-Nova n. 42, contina a baver
um completo sorliinentodo moendas e machinas de
vapor .para engenhos de assucar : bem como tai-
xas do ferro batido e coado de todos os tamanhos
ludo por prego commodo.
Na rua Nova loja de fazen-
das, i. t*2 ,
vendem-se ricos cortes de seda para vestidos ; ditos
de ditas escocezas com algumnn ninlns de m\fn
por barato preco; setinsde cores de boa qualida-
de damasco de seda ; dito de lila; bonitos cortes
do barege, a 11,000 rs.; casimiras de cores, a 1,800
rs ocovado; pannos finos preto c verde, a a,000
rs.; casimiras francezas de quadros e listras a 4/
rs. o corte ; cortes do cassa-ebitas, a 2,400 c 3/ rs. ;
ditos de cumbraia piulada a 2,200 rs.; chales de
I -i nseda, a 4,000 rs ; chitas francezas, a 280,
.120 0 360 rs. o covado ; lencos de setim, muito boa
lazenda para senhora a 4,500 rs. ; bonitos cortes
de larlatana, a 3,000 rs.; brins trancados brancos, a
800,1,600 e 1,800 rs. a vara ; riscadinhos francezes,
a 200 e 210 rs. o covado ; chapeos de sol, de seda ,
|>ara sen.iora, a 3,000 rs. ; ditos para homcn a
6,000 rs ; moias pretas de laia, curtas e compridas;
ihtas do s<>da ;luvas de dila e de pellica; coulias
muitas fazendas por barato preco.
o ptima para mucama quo engomma, cosecho i
lava do sabio, cozinha alguma cousa e faz renda: n
Aterro-da-Roa-Vista, sobrado n. 5.
Luvas de pellica,
Afinnea-sc as boas qualidades destas luvas. lia de
todas as cores tanto para homcm como para se-
nhora. Vendcm-sc mais emeontado que em ou-
Iraqualquer parte. Na rua larga do Rozario, n. 24.
Cartas para volt-
rete ,
as melhores o mais baratas
ga do Rozario n. 24.
vendem-se na rua lar-
Vendc-se marmelada nova, vin-
de de Lisboa no brigne Vencedor,
em latas de 2 e 4 libras : na rua
das f/rozes n. 4 i.
I'otassa.
e superior po-
, a mais nova que existe
Vende-se a verdadeira
tassa da Hussia
no mercado : na rua da Cadeia do Nen-
ie, armazem n. ia, de Bailar i\L Olivcira.
Vende-se um mulatinho de II annos; urna par-
da de 18annos com habilidades; dous lindos mo-
Icques de 12 a 16 anuos ; 3 pardas mocas quo co-
sem cfazem renda ; 3 pretas engonimadeiras e co-
zinhciras ; um preto de bonita figura, bum carrei-
ro ; um pardo dc/meia hJade ptimo para o servi-
do decampo; no falco da matriz de S.-Antonio,
sobrado n. 4.
Vende-se, ou Iroca-se por casas nerta praca, un
terreno com 412 palmos de frente e 150 do fundo,
sito por detrs do covento do Carmn : a tratar com
o scu proprietario no Manguind segundo sitio
dcpoisda capella de S.-Joa.
SORVETE A200RS.
Cada dia de urna qualidade : no sobrado do pateo
a S.-Cruz com commodos para senhora prepa-
rados com lodo asseio e lerleicao que he possivel.
Casa da F
na rua c.slreila do Rozario, n. 6,
Neslc cstabclecimenloacham-sea venda as bem
nereditadas cautelas da lotera do Incali publico
desta cidade cujas rodas andam no dia 29 Je cor-
reute. O cautelisla espera que os scus freguezes
concorram a comprar o reslo .las (lilas cautelas ,
nasquaessecspcrain boassortes, pela escolente es-
culla que se fez dos nmeros para serein divididos
em cautelas. A ellas que sito poucas e boas. Piceos
os do roslmne.
CAIXAS DK VELAS DE CERA DO MIO-DE-JANF.1BO,
de urna libra ale 19 e lamliem brandOes, lochas e
boa i as a volitado do comprador: na rua da Senza-
Vclha n. 110.
A 5^000 rs
Na loja nova da rua do Quci-
mado,n. 11 A, de l aymun-
do Carlos rite ,
lia um novo sol tmenlo de fa/.endas finase baratas
bem romo uns lindos cortes de chitas francezas
linas, ornadas com lindas barras a 5,000 rs. sen-
do este o ultimo goslo de Paris.
Vendem-se caixas de cha hysson, de 13 libras,
cni porcOes ou a rctalho ; caixas de velas de cs-
pcrmacetedc5e6cm libra : na rua da Alfandcga-
Velha n. 36, em casa de Matheus Austin & C.
DEPOSITO DE CAL TIUGEM.
Na rua do Trapiche n. 17, lia sem-
prc cal virgeni de Lisboa, em barris pe-
queos, e nllimaniente ebegada mui-
to superior c por prern rasoavel.
Chegaram do norte bonitos
escravos para sevenderem,
muilo baratos na rua das
l-araiigciras, n. 14, segundo
andar :
um elegante moleclo de 20 anuos com principios
dosapaleiro, e que be ptimo para tmgcm : um
molequedeHannos; um dilo de 18 anuos, com
pequeo defeito; um preto de, 25 annos, de bonita
ligura.com um pequeo principio de sapaleiro;
dous ditos muito fortes e que sao ptimos para
armazem do assucar ; um dito de 24 annos que es-
ta acostumado ao trabalho de campo e entende de
carreiro, por 420,000 rs.; um dito de 40 annos, mui-
to loite, sadio c que he bom canociro e ptimo
ollicial do canteo, por 400,000 rs. ; um dito bou.
para Irabalhar em algum sitio por 220,000 rs. ; um
pardo de 38annos por 330,000 rs. ; urna preta, que
lava muito be... por 220,000 rs.; urna dila boa 3-
ccira e Coznheira ; urna mulatinlia de 16 annos-
por 440,000 rs.; urna preta ue 20 annos com mui-
to bom lene e som cria ; e mais outros escravos.
Cadeirasa polka, a 1^600 rs.,
vendem-se no armazem do GuimarHes no caes da
- Vende-se urna parda do20 annos, de figura ,
Na I >ja nova da rua do Quei-
mado, n. I i dcllaymun-
do Carlos I.cito ,
acha-se um novo sortimento do meias cras o finas,
a 5,000 rs. a duzia ; ditas de linho, fiuissimas, a
5,800 rs,; a tira fazenda intitulada fazenda do
norle, tecida de linho e seda, cores oscuras e
proprias para todo o trago; mantas do sedado pa-
dres modernos a 3,000 10,000 16,000 e 20,000
rs. ;.chales de seda o de lila o seda : ludo por preco
bara ti salmo.
Vende-se a hem condecida venda da rua Impe-
rial n. 145, por scu dono ter muita precisilo de ir
a Portugal. Os Srs. que ha perto de um anuo desc-
jam! comprar a dila venda sendo quo ainda quei-
rain dirijam-sea inesma venda.
Na rna de Agoas*Y'eides,
n 46 ,
vende-so urna parda recoll.ida de 20 annos com
exccllcntcs habilidades, perfidia cozinheira, ecom
um lindo f i I lio ludo por 600,000 rs.; qualro cscra-
vas |iara todo o servico ; dous esclavos de nacfio ,
de 25 annos, sem defeitos, por 750,000 rs.; dous
bonitos nioleques de nacilo, do 16 a 18 anuos; um
bonito pardo ptimo para pagem ; um escravo de
naciio de 30 anuos para todo o servico.
Vende-so urna cabra ( bicho) parida de poucos
dias, rom dous cabritos: na praca da Roa-Vista,
n. 18.
Vcndc-se una escravo crioula, do muito lin-
da figura que sabe bem doananjo do urna casa,
e lem principios de engoinmado : o motivo porque
se vende, se dir ao comprador : na rua da Cadeia-
Velha n. 29.
Vende-se um mulatinho de II annos, com
principio de sapaleiro., isloporseu donse retirar
para lora da provincia : na rua larga do Rozario ,
n. 44, lenda de sapaleiro, a fallar com o seu mes-
tro.
Vende-se um piano inglez que precisa de al-
gum concert, por 60,000 rs. proprlo parase
prender por ser (orle e bom : na rua larga do Ro-
zario, loja de niiudezas, n. 35, se dir quem vende.
- Vende-se um cavallo ruco, bastante gordo,
muito bom andador de baixoal meio, sendo estes
andares no passo e que he proprio para senhora ,
por ser muito manso e bom andador : na rua eslrei-
ta do Rozario, n. 30, segundo andar.
ptimos passaros
Ricudos, ctiries, canarios e um cxccllentc papn-
capim : veinlcm-se na Roa-Vista, rua do Pires,
n. 10.
Vende-se urna escrava de nacilo, de mcia i.la-
dade sadia e sem vicios c que sabe engommar o
lavar : na rua da Pcnha n. 3, segundo andar.
Vende-so urna preta recolhida, muilo moca,
do bonita figura que cose muito bem, engomma
ava : na rua do Hospicio, primeira casa terrea
que tem sollo com varanda.
Vende-so muito superior panno de algodilo da
lena : na rua do Crespo, n. 23.
PIANOS FORTES.
Vendem-se dous pumos fortes, de Jacaranda,
Chegados ltimamente, que, alcm de seren um
magnifico ornato de urna sala, teem excellcntes
votes, sendo o machinismo de urna nova invenco
muito approvada chamada repetidor patente de
Collard : na rua da Cruz, n. 55.
sabe coser, engommar. coiinhar o fazer d^cs : no
W teodo Torco, lujo do sonrado n. 37, de manhia
al as 9 horas o a tarde das duas em diante.
Etna do Qiiomado,n IOtj
nova loja de sirgueiro.
Lima
vndeuniformes militares, para todas
as patentes de legiDo cavallaria e in-
fantaria da guarda nacional; gales de
ourooprata; espadas prateadas, com
roca e sem ella.
TRASTES NOVOS E QUASI NOVOS.
Vende-se urna grande porefo de cadeiras de oleo
e de palhinha ; ricos sophs de angico marquevas,
armarios, mesas redondas o elsticas, camas, etc. :
tambem se vondem alguns escravos escolhidos, por
prego commodo : para vor e tratar, na rua da Ca-
cia do Rccife, loja de miudezas, n. 19.
HHiuiras.
Vondem-so superiores cortes (la fazenda nova
(icnominada bclinira para vestidos de senhora ,
pelo barato preco de 4,500 e 5,000 rs. o corte. Esta
fazenda lio nova e de muito sublimes gustos, sen-
do as suas coros mui apreciaveis por ser m cor de
lirio, rosa n perola. A elles", aotes quo se acabem.
Na rua do Collogio, loja n. 1. .
Vende-se um carro do 2 rodas com todosos
seus pertences, em bom uso o som que so preciso
fazerdespeza alguma com elle: tambem se vendo
urna cadeira de arruar : na rua do Collogio n, 15
segundo andar.
f$880>8 O @@@#
A 160 rs. ocovado.
Hiscados francezes, a 160 c 200 rs. o co-
vado ; damasco de algodilo, a 640 rs. o co-
vado -cobertas de dito muito largo, a
3,500 rs. cada urna ; meias casimiras a
2,240 rs. 0 corle ; ditas elsticas, a 2,500 o
3,000 rs. ; panno fino de todas as cores, a
4,000 rs,; cortes do cassa-chita de bons
gostos, a 2,500 e 3,000 ; novas casimiras
elsticas de bonitos padrOes ; cortes de
chita o mais lino possivel; cortes de cassa
do padrOes muilo modernos ; alpaca mui-
to lina ; dila de cordio o de varias cores ;
cortes do panno bordados para sapatos ;
novo sortimenlo de corles de cassa-seda
de novos goslos; chapos francezes da ul-
tima moda jeoutras muitas fazendas li-
nas: ludo por menos prego do que em ou-
tra qualqucr loja : na rua do Queimado ,
loja nova da casa amarclla n. 29.
o,
m
m
c
iSa loja nova da rua d Quei-
mado,!]. 11 A, de 11 aymun-
_ do Cario* Lo i le
ainda ha o sortimenlo de todas as fazendas ja an-
nunciadas bem como guardanapos de puro linho,
com una ristra azul lecida a 800 rs. cada um; cor-
tes do vestidos de lila de ricos padrOes ; chapeos
francezes linos ; um oplimo sortimenlo de pannos
linos pretos e de cores : os quaes se lornam recoin-
mendaveis, nao so pelas boas cores e
como por seren novos na loja
muito rasoavel.
Vciilem-sc duas carrocas c
para as niesmas : na Trenipe, n. 1.
Vende-se um sobrado com muito bonita vista
c em chilos proprios, em Olinda, rua de S.-liento : a
Iralar na rua atrs da matriz do S.-Anlonio n. 28.
m
^^ V- >*< 3S 55- 9& ^*' 5k- -~s >*h **? >^s? ^>
Lotera do Itio-de-Jaucim, a be-
neficio do .covento de S.-Anto-
dg da corte.
Vendem-se bilheles dcsta lotera em casa de J.
O Elsler, na ru da Cadcia-V'elha n. 29.
Uvas, ameixas e passas,
ludo novo, chegado ltimamente e de qualidade
superior: no armazem de Dias l'erreira 'no caes da
Alfaudega.
Vende-so urna prela de naciio Angola de 15
anuos, que cose, lava e vende na rua : na rua da
Cruz, n. 52.
Pichincha.
No Aterro da Joa-Visla, loja n. 78,
vendem-se .apalOcs de bezerro, para lio-
mein, obra boa, o 1,280 rs.; ditos de lus-
tro, a 4,000 rs. ; bengaliinhas para pas-
scio, a 3ao rs.; e botina de bezerro, pa-
ra bomom, a 2,800 rs.
Vende-so urna escrava muito moca sem vicio al-
gum, que engomma, cozinha e vende na rua: no
paleo do Carino, loja do sobrado n.7.
Vendcm-se superiores que jos lon-
drinos
gura de 18 annos sem vicies nem defeito algum
oplimo cozinheiro do diario de una casa ^ que he
muito babil para todo o servico : na'rua do Vicario
11, 18, terceiro andar. '
Vende-so urna carteira de duas abas; para es-
criptorio : na rua da Cadeia-Velha, 11. 25.
Botoes da moda.
Na rua do Cabug, loja de miudezas do Francisco
Joaquim Duartc, recebeu-se pelo ultimo navio vin-
do de Franca um completo sortimento do botoes
de casaca pretos, de setim, sarja e velludo, e ama-
rellos dos melhores gostos que tecmvindo ltima-
mente de Paris, delibre de pagens, de Pedro II, pro-
prios para os Srs. militaros, e os mais bem dourados
que teern'apareeido; de madre-porola, de cores, pro-
prios para roupas de moninos e roupinho de sende-
ras : as amostras se acham patentes aos senhores
compradores.
Aftita attencao.
Na rua da Cadeia, loja defronto da rua da S
Madre-de-Deos, n. 50, de Cunha & Amorim ?
vendem-se pegas Jde madapollo |inos, a %
2,800,3,200, 3,700 e 47000 rs|; pannomescla-
do para palitos, fazenda superior, tanlo om 1
qualidade como em goslo, a 4,200 rs. ; sedas f
de cores proprias para vestidos de senhora e 5
meninas a 800 rs. o covado; mantas de gar- f;
ga para senhora, a 2,200 rs. cada urna ; brim P
trangado do edrus para caigas, a 1,200 rs. a |f
vara; chitas de ertres escuras, fazenda que *
nlo desbola, a 150 c 160 rs. o covado; pannos ^
de cores para caigas, a 240 e 280 rs. o covado; 8
panno fino preto, a 2,600 e 3,500 rs.; dito &
azul, a 3,400 rs. o covado ; mantas e chales i
de seda de milito gusto; chapos de massa
francezes ; cassa pintada de muitas qualida-
$ de ; cambraias com flores de seda para vesti-
m dos de senhora|: ludo por monos prego do quo
H em outra qualquer parle.
IWiHwiiiiiiMiaiiWiiiiiiBsaiiPWiii^
Caixas para joias.
Na rua do Cabug, loja de Francisco Joaquim Ru-
arte, ha um sortimento de caixas para guardar
joias, de muito bons gostos; assim como alfinetes
do peito de vidro, de diversos goslos, para senho-
ra; fitas de setim; bicos de diversas larguras, ocu-
los de annagfio de aro de balda c lequcs finos : lu-
do por pregos commodos.
Quadros.
Na rua do Cabug, loja de miudezas de Francis-
co Joaquim Duartc, ha' un completo sortimento de
quadros do santos em moldura dourada e de dille-
rentes tamanhos, do 80 a 800 rs. : a elles antes quo
se acabem.
Vende-se cal virgem em barris chegados pr-
ximamente de Lisboa, por prego mais barato do que
em outra qualquer parto : na rua da Moda, arma-
zem 11. 17.
Escravos Fgidos.
superiores queijos
; presuntos inglezes ; conser-
vas; cb preto; passasmiudasp.ua pu-
dins ; frutas para os mesmos ; saltnao
emlata; carry-powder ; latas de sedlitz,
lano grandes como pequeas : na rua
do Trapiche, n. 4*.
ludo por prego
3 bois mansos
finos.
ramios
Vendem-se superiores pannos linos, a provade
limSo preto, a 3,000, 4,500, 5,500 c 6,500 rs. ; di-
to azul, a 3,000 rs. e muilo fino, a 4,500 rs. Estes
pannos sao novos e pela sua baraleza, atlendcndo
asuaboa qualidade, tornam-se rcconimeiiilavois.
Na rua do Collegio, 11.1.
Vende-se nina linda escrava de iiagio Angola ,
de 20 anuos, propria para qualqucr applicago que
se queira dar por ser de boa conducta : na rua es-
trella do lozano n. 31, primeiro andar.
Vende-se um bote de navio, em muito bom
estado por commodo prego por se ter necessida-
do: na rua da Florentina n. 3.
Vende-se um sevado inulto gordo : na ruada
Florentina n. 3.
Vende-se uma,|par<]a de bonila figura, que I
Rolachinha de aramia,
liialidades muito nova e de superior qualidade, em latas: no
armazem do Bacelar, confronte da esaadinha da
alrandesa.
Vendem-se caixinhas com agulhas francezas,
das mais superiores que teem viudo a esto mercado ,
tanto em qualidade de agulhas como cni lindas
pinturas que Irazcm as ditas caixinhas; grozas de
botoes de madrc-perola para camisas lisos o lavra-
dos e de lodos os tamanhos ; resinas de papel al-
mago branco ; dilo de peso azul ; as melhores peri-
llas de esciever, por prego muito barato: na pra-
ga da Independencia, loja do miudezas, n. 4.
Presuntos para fiambre,
i muito superiores e novos, por prego commodo:
1110 caes da Alfaudega armazem n. 1.
-- Vende-se para fura da praga um pelo mo-
go, bom canoerio: na rua da l'raia-de-S -Bita, n. 25.
Vende-se muito superior biscoulinho lino ; pre-
suntos inglezea ; pScs de assucar rolinado a 300
rs. a libra ; latas com liervilhas; ditas com sardi-
nhas chegadas ltimamente do Franga ; chocola-
te de Lisboa ^ conservas, tanto inglezas cmodo
Lisboa ; sag e massas linas ; passas e figos : tudo
novo e por barato prego : na rua da Cruz, no Me-
dre, n. 46.
Vende-se um molequcde nagSo, do bonita fi-
Ausentou-sc, ha dias, da casa do seu senhor o
escravo Joilo pardo trigueiro de 15 a 17 annos ,
cara grande, olhos regulares, bous denles; bem
conhecido por andar frequenlemento fardado: quem
o pegar leve ao Jlondego a seu senhor Luiz Co-
mes Ferreira que recompensar generosamente.
Fugio, no dia 10 do agosto de 1845 ,a parda
Mara escrava de Madama Knoth no paleo da Te-
lilla n. 4. F.sla eserava (cin-se por forra e j esleve
com o sargento Padilha ; he muito conhecida no
corpo de polica por Maricas F.ma Macuca apellido
que tom ; he alva baslanle cabellos acastanhados
((liando os lia/ sollos, c ((liando os ala licain pretos;
olhos agatados rosto comprido c descarnado en-
tre os olhos em cima do nariz tem urna marca a es-
pecie de verruga que fui de urna queda ; do um
lado do rosto lem oulro signal de verruga subi
urna das venias do estatura regular, corpo des-
carnado e mal l'cilo ; tem mai cas de feridas as pei-
nas de urnas gomas que leve denles limados e al-
vos. Quem a pegar leve a dila senhora, no pateo da
l'enlia, sobrado de um andar o sotiio, n. 4, que re-
compensar bem. Advcrlc-se que esta escrava lie
muito experieiile, por dar dcsculpas a quem a co-
nhecee a cncontia, dizendo quo j fpi pegada, u
que boje so aclia forra ; por isso quem a pegar nao
(leve estar por nada.
--Fugio.no dia 25 do correnle, um muleque
crioulo, de 18 anuos pouco mais 011 menos; he bas-
tante amalutado por ter viudo lia pouco do Assu ,
de onde lio natural ; caliera grande, com a pelle do
rosto bastante lina ; he um pouco fulo ; costuma
andar ganhando e no dia que liguio fui visto no
trapiche novo procurando gando : quem o pegar
leve a rua da Praia-de-S.-llita, 11. 25, quo ser re-
compensado.
No dia 27 do correnle, pelas duas horas da
lardo da porta de urna loja na rua do Queimado,
dcsappareceu um cavallo rugo, com a cauda torada,
levando em cima da cangalha uin sacco com urna
arroba de carne do Cear. listo cavallo. tom marca
de girimnm na sarnelha, ja uio lie novo, e carregn
de furta-passo obrigado. Uueai o 1 egar, leve as Cin-
co-l'ontas, casa de Joanna Francisca de Menezes,
que seta gratificado.
Fugio, no dia 17 do correnle, o preto Joaquim,
de nagiioCalabar, de 45 a 50 annos, estatura regu-
lar nariz chato bocea grande cor fula ; ja lera
alguns cabellos brancos, e lio olllcialde carpintei-
ro : quem o pegar leve-o a rua da Cadeia do Mecife,
11. 2, que ser recom ensado.
Fi.gio, na norte de 27 do correnle, do bordo do
patacho Hous-de-Agotln, um escravo marinheiro de
nome Lu/., ciioulo, do 30 anuos pouco mais ou
menos altura regular, magro, cor bem prela ; tem
signaes de bexigas j levou cuicas e camisa de zuar-
le azul chapeo de bala e igualmente urna por-
gflo de roupa usada; provavelmenbe j lera muda-
do de tragos. Boga-so as autoridades policiaes o
capitflcs do campo, que o prndame levem-no a
bordo do dilo patacho, ou a ruada Cadeia 11. 45,
que sero gratificados.!
i; un.
KA TYI'. DE U. F. DE FAJUA. lo4;
ih
~s


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ENP4OK4KL_L4MSON INGEST_TIME 2013-04-30T22:24:57Z PACKAGE AA00011611_09754
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES