Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:09751


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Auno de 1847.
Terqa-fera 20
O D11 RIO i-mMci-p todos os das, que nlo
fb.-eti 'le qnarda t o preco d i Msgnttura he de
4i.'. rs.DOi qnartel, pitan ad^ntadnt. Os .n-
nuncios dos anillantes s > i"'"-1 "'V "a" ,ie
tO rs. por linli, ion tr trpo dillereule, e as
repeli;oS |>i'" meUde. <*s que "o I"'"-" assig-
u|itM pn'irrfo 0 M pofl'-h>, e I6i> cin lypd
difl'erente, porcada poVBaeSo.
PHASES D\ LA M> MI'% DK OTURRO.
Miii'-OMite. I, a 7 lioraie 16 ruin, da manh.
|.uiiova, a 9, a 0 horaj 17 rain, da inanli.
drcente a 17. & hora II mi. da mauli.
La ch'ia iM.il hor. e IB inln da Uide.
Miaguaule 3o, a 7 Horas 35 mu. d larde
PART3V DOS CORREIOS.
finUnna e Pt-ll* ;;-:'., IO.de-.....'" I '"'' :'1' fif*0 '.je-0-Hi-
C*b, Serloh&em,RiFormse, Poito-Calvo.u
MaoeiA no I.*, a 11 e-*i de cada raez.
Garunhant e onito. ile!'.
[Roa-Vi>t c Flore, ill'.
Violn, as i|UinUi feitaj.
|i)lind.i, lodos os das.
PHEAMArl DE HOJE.
Primeira, s C I-oras e li minutos ila maohSa.
Segunda, as 6 horas e 30 minutos datarde

(le Ontiabro. Adro XXlV.
N.
a "
DfA
JUJLAAV.LV
TA
D!AS D\ SEMANA.
Secunda. 5. Crispim Aud do i. H J. Terca.S. r.yarist-i Aud doJ dociv i'a I. v
ed^J. de p'Z do 5. d'st. de t.
Quarla Blelbo AWi 00 J. abclv. da X
v. edo i. de paz do ;, dist.de I.
'iinta. ij< 5. Simio And uoJ. de otnh. e
do J. municipal d I. Tara.
Scla. S. Feliciano Aud do do cir. da I.
T.e do J riepai do I. dist de t.
Calillado. S SerapSio Aud. doJ. do civ.
da I. y. e do J de paz do I disl. de t.
Domingo, ti. Quinlino
tua
CAMBIOS NO DA J5 DE OOTBRO.
Sobrei-ondre"; ^e Vi P" "" d>
o Par ISO rs. por franco.
Jj?hoi lOSa l ir. de premio.
Dte, e ledras d la- irni.s del0, o
(>lir0_<>r |.e-pir.hol.t.... "-??!!""
Moedasdc .u.ojto.'nov.. ICjfflOO a IrflO
des'OOo..... 9flft0 a 0
Pr.rt-H.ucO.-...... i#wi. Joo
Pesos columuares.,. l*T0 ltw
Ditos meticanos... lftf0 !#*
Miada........... MO
Vccfies dacomp. ...-...-_-T -----------~.........~^---------g~TrT "---------------------^------------' ------- = = -~"
PERNAMBUCO.
-

PERNAMBUCO.
ELE1CA PARA DOUSSENADORES.
COLLEGIO DO BONITO.
OS SRS.
Antonio Pinto Chichorro da fiam *......--
Ernoslo Ferrelra Fran?a --........---
Mattoel Manoel Paulino dcGouva Muniz Fcijo-----------
Francisco Honorio Bczerra do Monezes.....
Manoel Barbosa da Silva.............
VOTOS.
- 98
98
98
98
98
98
Itr'SUMO da vntaro doi collegios do Recife, Olinda,
/* Po-d'lho, fio-l'ormow, Santo-Antao, Na-
' zarelh, Sertnhem, guaran ti Bonito.
OS SUS. V0T0S'
Antonio Pinto Chichorro 9a Gama -.....6*8
Manoel Paulino d.if.ouva Muniz Fono-----------623
Francisco Honorio Bezerra de Mi nozes ---------623
Ernosto Ferreira Franca --.......----617
Manoel de Souza Teixeira............61*
Manoel Barbosa da Silva --........---605
DIARIO HE PKnMIBCO.
RECIFE, 8 BE OOTUBRO DE I87.
Existem, de feito, nesta cidade alguns dossesho-
mensdeconsciencia elstica, quehuscam enrique-
cer todo olanse, eque se n;1o importan} de a;-
gravarainda mai as circumstancias jiccuniarias do
paizem que vivem; existem, lie feito, nesta capi-
tal alguns introductores de moda falsa !
Nao he islo urna novidade ; diversos sito os fados
que corroboran a nossa asserclo, o entro elles fi-
gurain. pordecerto, dous ou milis julgamentos do
tribunal do jury. Eslava, porm, reservada urna
ucciirreiieia para autorizar o nnsso juizo. Ei-la :
Km seis barricas de feijilo-fradinho, vipdas da ci-
dade do Porto no brigue portugiicx. Feniuro-Fe/u,
com a marca A. S A. L. foram achadas hoje II la-
tas com 6:308 das mencionadas cdulas, na impor-
tancia de 21:522,000 rs., a saber
5:695 notas azues de 2,000 ris.....11:390,000
112 1,000. ..... 112,000
501 amarcllas20,000 .....10:020,000
6:308 21:522,000
O brigue ancorara aqui aos 16 de novelnbrode
18*6; as barricas vinbam consignadas aordem, e
remetltdas por Antonio da Silva Abren Lima, cujas
iniciaessSo as jnopiias .da marca que aima indi-
camos.
O Sr. inspector da alfandoga maudou examinar
cssiis banicas em consequencia de denuncia que
rerehra to Sr. amanuense da niesma reparticilo,
Concalo Jos da Costa eS.
CQM!WE*lO.
Alfndega.
nENDIMENTO DO DA 25............ 8:096,231
Descarrcgam hoje, 26.
Barca Htpirilo-Sanlo mercadorias. ,
Brigue Mary-Queen-o f-Scots idem. ....
Brigue Spray bacalho.
Brigue ~ Bom-Jesut massas.
Brigue Guiare bacalho.
Brigue Whig farinha.
Sumaca-- Vlor-do-Angelim-- fumo e charutos.
IVBWB "
F
MPORTACAO'.
VItXCEKZA. (*)
ron sgsel is'iLSffiP^oiiis
v. .
CH PASSEIO POR MAR,
O marquez de Casiano, de volta ao seu bello pala-
cio da praca de San-Marcos, procurou reunir abi lu-
da a nolircza pura e antiga que havia Os festins que elle deu foram esplendidos, porque o
marquez era magnifico. En tu: a elegante sociedade
que obstrua habitualmenle a salas Jo palacio Cas-
tao, notava-se o joven conde Ruggiei i, que pedir
Vincenza em casamento, e ao qual o marquez ha-
via acolhido favoravelinenlo, porque pe teucia a um
das mais nnltivs o opulentas familias veuezianas.
Coinludo, Vincenza pareca desgoslosa o cons-
Irangida no ineio do urna sociedade, cujas hoinena-
(*) Vide Diario n. 239.
Espirito-Santo; barca portugueza, vinda do Por-
to, entrada no corrento mez, consignada a Francisco
Alvos da Cunha, maniestou o seguinte : --
Scanastrasdealhos, 3 barris progos, 1 caixa po-
mada, 1 dita palitos ; a Uernardino Francisco de A-
zovedo Campos.
1 cunhele com 1:570 patacOes e 2:210 pesos, 1 cai-
xa retroz, 10 barris presuntos, 15 canastras de albos;
a Antonio Joaquim de Souza Flibeiro.
15 barris repolhos ; a Jos Paulo da Fonseca.
* calxoto garrafas de vinho, 3 coinmodas, 2 me-
sas e 1 lavatorio ; a Joaquim da Silva Castro.
2 barris presuntos ; a Antonio Jos Alves da Fon-
copa
40 barris pregos, 11 caixas fecnaduras, 1 dita pa-
utse marcas, 2 ditas panno de linho e linhas, 63
canastras de alhos, 6 caixas palitos, 13 cuulietes
machados, caixas velas de cera, 1 dita panno de
linho e coturnos, 1 dita linhas e coturnos, 3 ditas
escovas e caixos de chifre, 2cunheles pedras dea-
fiar, caixas candieiros dclatSo o panno de linho,
10 caixas pomada, 2 ditas linhas ; a Antonio Valen-
tim da Silva Barroca.
28 pinas e 6* barris vinho, 3 caixas archotes, 1 di-
ta lio do vela, 1 dita panno de linho e camisas, *2
ditas cevada, 9 barris presuntos, 5 caixas e 2 pa-
colescoeirosdealgodno, 36 cadeiras el secretaria
depoprcto, 1:631 resleas de ceblas, 25 canastras
maces, saceos 3:510 pesos opalacOes, 61 canas-
tras do albos, 36 barris pregos, 6 caixas fechaduras,
7 ditas chapeos barreiros, 2 ditas palitos, 10 ditas
pomada, 2 cunhetes ferros pedrezes, 1 dito pedras
de aliar: a Francisco Alves da Cunha.
1 caixa l?ia para chapeos ; a Lourenro Fernandes
do Carino. .'ll
2 caixas pentes ; a Jos Francisco da Silva.
1 barril presuntos ; a Manoel Ignacio de Oliveira.
3 caixas drogas, 1 sueco rolhas, 7 caixas arbus-
tos: a Manoel Antonio Torres.
1 caixao panno de linho, doce e meias ; a Rodrigo
da Costa Carvalbo. _
1 barril vinho ; a Joaquim l.uiz de Mello Carioca.
* caixas tangas de algodito. 5 ditas linhas c pan-
nos de linho, 20 ditas pomada, 1 dilaignnra-se; a
Mendos & Tarroso.
18 rodas de arcos de pao, 200 hacas do vime ; a
Domingos de Oliveira Pinto.
50'.canastras de albos; a Manoel Duarte Rodri-
g caixas pomada ; a Jos Duarte das Neves.
I caixa panno do linho, 3 ditas langas de algodilo;
a Jos Antonio da Cunha & IrmElos. _
10 barris presuntos; a Manuel da Cunha Cunna-
rOcs Ferreira.
1 caixdlinbo o bras de prata ; a Joilu Pinto do Lo-
mos & Filho. ,., ,
70 canastras do albos, 600 ditas de batatas, 40
barris pregos, 6 caixas fechaduras, 5 ditas linhas,
2 ditas coe.ros de algodSo, 2 ditas pomadas, 10 barris
presuntos, 8 pacoles lio porreto 50 cimbeles velas
de sebo; a Jos AlTonso Moreira.
3 caixas tramoias ; a Jos Antonio Bastos.
3 caixas diversos objeelos; a Antonio Joaquim
Vidal.
* caixas agoa para olhos,
dos, 1 dita flor do macells
cisco de Souza.
1 caixa cascos para chapeo. 3 ditas macaos; a
Joaquim de Oliveira Maya.
5 pipas c 23 barris vinho, 27 caixas pomada, 2
ditas chapos barreiros; a Manoel Joaquim Ramos
e Silva.. ., ..
1 bairil presuntos ; a Jos Antonio de Carvalbo.
1 caixa linhas, 1 dita bilheles impressos, 1 dita
garrafas de barro vasias; a Jos Francisco de Arau-
joOuimaries. ,
2 volumes balaios e esleirs ; a Manoel reman-
des Guedes. .
3 caixas cascos para chapeos ; a Joaquim Monlei-
ro da Cruz. .
2 caixas palitos, 7 barris presuntos ; a Justino An-
tonio Pinto. _^_ _____
gens Ihe era ni todas dedicadas; porque, nflo obstante
sua prima ser bella e moca como ella, o seu genio
fri desviava todas as admirarles e gola va lodosos
enthusiasmos. Vincenza j nild gostava doturmillo ;
o seu proprio noivo j Ihe n3o agradava ; c quando
ella procurava indagar a causa de tal mudanca, o
espirito desvairado sonhava-lho com a floresta, com
a choupaninha, com o misterioso desconhecido......
e o coracuo balia-llie com violencia no peilo.
Lina noile, admirada, e como cheia de terror pela
sua perturbacao. sonlindo as lagrimas prestes a ri-
benlai-lhe, Vincenzn se rclirou para ojardim, c all
seentregou inleiramenlea profunda emocuo de que
se n-o poda livrar. e dexou-so cahirsobre a relva.
A noite era lnguida e perigosa. So urna parte da la
apparecia por Iras dos lolhas das arvores, que lanc.i-
vaii aos ares melanclicos queixumes. As ores ex-
balavam perfumes, estremecendo..... De repente le-
vaiilou a donzella a cabeca pensativa ; os olhos h-
midos brilharam-lhe como duas estrellas..... I oz:se
a eseular..... Urna voz que Ihe pareceu condecida
acabava de pronunciar as primeira. palavras de una
cantone, cuja tradcelo he puuco ma.s ou menos a
qU. Oanfante que perdeu aquella a quem amava, a
reclama aos echo., ao mar, a Dos e aos l.oniens.
. Eu te procuro no meu coraQo, no silencio da
.. noile, liara ainda le di/erque te amo.
\ dias, como se encobre o sol! 0 leu coracao pro-
2 ditas dita para
: a Barlboloineu
ouvi-
Fran-
1 barril enxadas, 1 dito presuntos ; a Manoel Jo-
s de Souza Carneiro. .M
2 caixas fechaduras, ditas palitos, 2 ditas pan-
no do linho, 6 ditas pomada; a Francisco Xavier
Martins Bastos. ..
5 barris vinho, 1 cunh'-to coturnos o panno de li-
nho; a Jos de Oliveira Campos.
1 caixilo obras de piala ; a Antonio da Cunha <*
Irmitos. ,, ,
25 cunhetes velas de sebo; a Manoel da Cunha
Guimarfies. .
1 caixilo ameixas ; a Manoel Caetano Pereira de
Mendonca. ,
3 barris presuntos ; a Joaquim Jos de Moura.
1 caixote coturnos o panno de linho; n Manoel Jos
de Souza. .
9 pipas vinho, 1 barril carne de porcO ; a Miguel
Antonio da Costa e Silva. .
22canastras ceblas; a Fernandes Joso Braguez.
DO canastras de albos, 4 caixas papel doembru-
||,0, 3 canastras palitos, 9 niolhos e 120 rodas de
arcos de pao, 600 hacas de vime ; a Manoel Itudn-
buss do Carvalbo. .
4 caixas pomada ; a Antonio francisco Martina de
Miranda. .
1 caixa panno do linho; a Joaquim Juvencio da
Silva. ..
1 barril presuntos ; a Jos de Souza Silva.
22 canastras de albos, 2 meias pipas o 4 barris
vinho ; a Joito dos Santos Nones Lima.
84 caixas garrafas de vinho, 1 cunhele 1 salva de
prata ; a Christophers & Donaldson.
I caixote seinentos de flores, 1 dito panno de h
nlio ; a Jos Ferrreira Bastos.
800 feixes de pinho abatidos; a Rosas Bragas
caixote objeelos de ouro c prata, 1 caixa retroz;
a Firmino J.iselelix da Roza.
2caixotes imagens; a Joio da Silva ferreira
687 resleas de ceblas ; a Joaquim i.oncalves CBN
Ycwi-StrM maques; a Joaquim Monleiro da Cruz.
1 barril vinho ; a JosConqnlves.
094 cadeiras, 2 canaps, Smarquezas secreta-
rias, 7 comniodas, 2 canastras macaos, 200 resleas
de ceblas; a Antonio Ferreira Leitc Jnior.
1 caixa ignora-so. 2gaiolas coelhos 2: ditas ca-
narios, 1 canastra macaes; a Manoel da Silva fus-
lala snlpices ; a Joaquim da Silva Pereira.
200 resleas de ceblas, 3 canastras macaes, 2 em
hrulh.s panno de linho; a Alexandic Pereira d
Camilos. i _
1 en.hrulbo panno de linho; a Joaquim de bouzi
Silva Cunha.
150 resleas de ceblas ; a Manoel Alves.
80 resleas de ceblas; a Antonio Jos Rodil
gtis.
.20 reste as de ceblas ; i Manoel Pedreiro.
_ canastras macees; a Antonio Joaquim de Si
queira.
1 caixao gnora-se ; a Joaquim Antonio da Silva
I einiruHio pannode linho; a Domingos Joaquim
Ferreira.
1 cnihrulho panno de linho ; a Antonio Lopes Pe-
reira de Mello.
1 cartucho dinheiro de ouro, 1 cmbrullio obras de
p rata ; a Joaquim Antonio Carneiro.
Guiare, brigue ingle/, vindo de Terra-Nova, en
Irado no coi rento mez, consignado a Me. Cahnoiit
Cfffipanhia, maniestou o seguinte :
2 175 barricas com bacalho; aos consignatarios.
Consulado.
BENDIMENTO DO DA 25.
PBRNAMWCO, 85 DE OITUBRO DE 18*7-
AS 3 HORAS DA TARDE.
Uua da Cadeia do lUeife, n. 34, luja de cambio e
de corri-lagens de Gregorio Antunes de Oliveira.
PRECOS CORRENTES DE HOJE.
Moia de prala. Compra. L. Vend't.
PatacOesbrasilelros-------1,980-----JE- a.ooo
Pesos columnares.....1,970------.^^- 1,990
Ditos da patria ----- -- 1,800 ------ 1,820
Mondas de 5 francos--------1,600---.------I.O
Ditas de 2 patacas-----------t,280......1,290
Ditas de 1 dita...... 640...... <>
Hoida de ouro.
Pec,as velhas........16,150......16,300
Ditas novas........16,000......16,10
Modas de 4,000 rs. 9,100-------------9,200
Oncas hespanholas 29,000......29,200
Ditas da patria......- 28,800......29,000
Soberanos- ^......8,900......8,950
Detcontos.
Compram-so leltros de boas linhas do commercio
a 1 por 0 ao mez, vencimentos at dozembro do
1847,cvendem-seal 1 8, vencimentos ato Janeiro o
fevereiro de 1848.
Cambio sobre Londres 27 3 4 a 28 d. por 1,000 rs.
Por procuradlo do (i. A. de Oliveira
Manoel Joaquim Silvnira.
i^caT(_BBB2a9Msasa_B_9HarTraaBBea_a_Baa_PBiiiaBBBiiaai_aaBB^aBw_^
Movinici.to do Porto.
le
Navios mirados no da 25.
Figucira ;40dias, brigue portuguez Primavera, do
169 toneladas, capitao Rodrigo Joaquim Correa,
oquipagem 1 (i, carga vinhos, albos e ceblas; a
Oliveira re iri
Buenos-Avres ; 29 dias, patacho brasileiro Douro,do
166 toneladas, capitao Jos Caetano Viotra da Sil-
va, equipagem 10, carga carne e couros ; a Gaudi-
no Agoslinlio de Barros.
Navio aido no meino dia.
Liverpool; brigue inglez Cecily, capitao John Chris-
lic, carga a mesma que trouxe.
Obscrvaco.
Entrn para o Mosqueiro a polaca austraca Ab-
tle-Kud'i; capitao Lae Ralula.que tinlia tundeado
no Lameirflo em M do curenle, viuda de Liverpool
em lastro.
EDITA h.
Coral........
Diversas provincias.
2:041,732
898,311
2:434,043
___nim jMWjafy- *-' "'
cura a sombra a lu cabeca so inclina ao delirio.
Tu te recordas, suspiras e amas !
a Tudo dorme mcia-noitc ; ludo se cala.....50 OS
ic amantes se buscam as sombras e fall.ini baixi-
nhO..... Aojo d'amor, junta a tua voz a niinlia ; c
Vincenzn, brandamentc agitada por osles sons
apaixonados, erguidos pela brisa, Olivia anida as ul-
timas palavras do improviso, quando urna pedrmlia
laucada por cima do muro Ihe cabio aos pos..... I m
papel estava enrolado aoprojcctil. Vencida pela cu-
rlosidadc, 0 primeiro movimento de Vincenza foi o
de se apoderar com vivacidade da singular niensii-
aeiii Mas a luz de un facho apparecia atravesdas
arvores, do lado do palacio ; e ouvio-se a voz de Lu-
cia, que chamava pela prima. Vincenza esconden
o papel noseio, e apressou-so em ir para o sabio.. ..
O marquez a abracou, sem notar a agitadlo que
ella procurava dissimular ; c ambas as primas se re-
tiraran! cada urna para o-seu aposento.
Vincenza tinha necessidade de estar so;.....a car-
ta que havia guardado no seio queimava-lhe o cora-
rlo .. Aprcsson-se em mandar embora Margan-
da.. .. Dcpois, abrindoajanella, expoza cabeci ar-
dente s auras refrigerantes da noitc..... Havta-sc
levantado um vento mais forte.... Sbito um leve so-
pro oue llio penelrou no aposento, fez vacillar a luz
da alampada, que se apaguu. O primeiro movimen-
to de Vincenza fot o do pozar..... porque ja mo po-
da lr a cana; o segundo foi o do temor..... Com-
Ignaoio dos Keis Compeli, fiscal da fregueua de San-
Jote, em virtud da lii, etc.
Tem marcadooprazode20dias, contados da da-
ta desle, paraos propietarios da mesilla freguezia
razaren! concertar as calcadas dos predio que se
acharem arruinadas, sob pena de seren multados
em 8 000 rs., como marca o artigo nico das postu-
ras addioionaes de 7 do correte mez de outubro.
Frecuezia de San-Jos, 21 de outubro de 1847.
Ignacio dos liis Campello.
Declarares.
O lllm. Sr. coronel director do srsenal de guer-
ra tem de contratar, para o sustento da companhia
Je a prendizes menores, <> fornecimento de arroz
branco, assucardito, bacalho, carne secca, cale em
grilo.farinha, feijflo, lenha e toucmho : a quem esso
contrato convier comparecer na sala da directora
do mesmo arsenal das 9 horas da manh!Ia as duas
da tarde dos dias 26 (boje; e 27 do corrente mcz.com
sua prosposla em caria fechada. Arsenal de guer-
ra 23 de outubro de 1847. Jou Ricardo da Stlva,
amanuense.
HHfcl*
tudo, a la inundava clrissima a cmara "da donzel-
la edesenhava-lhe osprinoipaea movis com una
precisao rigorosa. Lu grande raio de luz alravessa-
va a cmara perpcndicularmente, e dando sobre um
leito, branco como um troco de marinare, se oslen-
dia subindn pelo muro a maneira do una facha de
ouro. No fundo dessa cmara, c na transparencia
impida de um grande espolho. bi ilhava um campo
semeado de estrellas, como inuinerayeis diamantes
sobre um crep prcto. lio lado de fora a luz res-
plandeca no ar c sobro os ledos das casas.
._ Maldita alampada murmurou Vincenza;.....
se a la ao menos tivesse una faisca para a tornar
accender !..... Mas nao poderei eu lr a osta palh-
i claridado ?!
da
lnelinoii-se janella, e leu :
Erro em vo em torno da tua morada..... NSo
me iluto com valor de all'nmtar a tua indiiferonea,
ou taivez o trumpho de um rival. ... 0 meu amor
s repelle a morle..... Dizc ama palavra. fazo um
signal, e eu deaaflarei o proprio co..... A meia-
noite, quando smenlo os olhos de um unante vc-
lam sobre nos, quilo agradavel nao he deixar-nos
ir desusando por cima d'agoa, e enlregarmos ao
mismo lempo o batel aos beijos das ondas, e a
fronlo aos beijos doamr'...... Amanbaa, a eslas
oras, estar um batel de vela azul, tundeado ao
largo..... Un homem esperar l em silencio a
mais bella c mais adorada das mulheres. Se esta

m
i



MUTILADO


i


t
V
annos, Hrasileiro, ou Portuguez dos prximos ch"
gados : na run Nova. n. 0.
A admlnistragno da compnbia do Bebirihc man
da fazer scienle aosSrs. accionistas, que so acham
realisadas as entradas de 80 por cont sobro o va-
lor das acgflos emittidas, sem que tenha sido do
mister por ern cxecugdo o nrt. 9 dos estatutos, nuin
a medida adoptada eni iissemhla eral a resneito
dostjuo nu ultima reunido cstavam em atraso.
A mesma adminislragdi rosa aos Srs. accionistas
bajando realisar urna prestadlo de4 por centoden-
Iro dopra/o doSOdias, contados desta data. Es-
criptonoda companhi.i, is de uutubro do twt?.
II secretario, t. J. Femantes Horros.
Avises martimos.
Para o Rio-de-Janeiro segu viagem. impreteri-
vclmente no da :)0 do corrente, o hiato Nereida ; pa-
i iMMtgelros trata-sc na run da Cadeia ilo Itccifo,
botica n. 61.
Para o Ceara segu viagem a sumaca Curila,
nieslre Joflo Antonio da Silva : qirem na mesnia qul-
zercarregar ou ir de passagem, dirija-seao mesmo
mestre, ojfa l.uiz .luso de Sa Araujo, na ra da Cruz
do Rccifesk. 26.
l'araWPorlo saldr, alo o liia 15 do mez vin-
douro, abrigue potingue/ Maria-Flix, capildo
LourengoiFeriiandes do (armo por ter parte do
eu rarrogamenln prompta : para o reslo da carga
e passageiros Irata-sc com o dito capildo ou coin
o consignatario, Antonio Joaquim de Souza Ribeiro
A sumaca S.-Antonio-de-Padua salic para a Ba-
bia, terga-feira 6 do corrente iinprelerivelmenle :
quem quizer ir de passagem dirija-sc a ra do Viga-
rio, n. 5.
-- Para o Rio-Crande-do-Sul partir dentro em
ISdias, o briguebrasileiro Etfirito-Santo, capildo
Alcxatulre Jos AI ves ; para passageiros olforeee
expelientes commodos, bem enmonara esclavos a
frote: os pretndante* dirijam-se a Firmino Jos Fe-
lis da llosa, na ra do Trapiche) n. 44, ou ao capi-
Para o Rio-dc-Janeiro sabe o brigue-cscuna
Amazonat : para o resto da carga, passageiros e es-
cravos, trata-se na ra do Vigario, n. 5.
Le Id'

"RA OOTffRiTRO
As rodas desta lotera andam nfalh^elmeulo noi b Rio-de-Jano.ro du'as escravas, urna cot
'"""'ocorrente mnz, para oslo fim marcado; q/> nomn Antonia, o a outra do nomo Mari
respectivo thosoureiro avisa a quem tiver billietes pardas.
apartados, quelra irrecebe-los at odia 28, certo ~ Aluga-se a casa terrea com quintal o
8.
Amanhda, 27 do corrente, baver leilfo de 40
Pipas com vinlio de Tenagoi.a, no caes dn Allan-
dega.
de'l"e gmenle al este da, que he o da vespera
do andamento das rolas, se vndenlo os buhlos
qUe restam.
Caumniit. dourador, ra
Nova, i. Stt,
fabricante de oandieiros de gaz e outros, doura, pra-
t.a. brnnzea de diversas cores e faz tamhem com
prrfoigdoa imitagdo .le dourado a todos os melaes,
para casas, groja, ele., e para os militares. Elle
concerta todas as cousas quebradas o avariadas, e as
po>. taes quaes as novas. Oscandiciros deazeile bo-
ta m-se a gaz..Ellefaz lodos equaesquer trocse tam-
hem compra os melaes velhos por um prego rasoa-
vel. Na mesma casa precisa-se de um discpulo para
aprender este officio.
Faz-se uni vantajoso negocio, por meio de
venda nu permuta, com urna exeellente proprio-
dade no centro tiesta cidade, contendo duas pro-
priedades feitas, terreno para mais tres, o gran-
de porllo ao lado, com um gramle quintal plantado
de arvoredos e extensflo para se fazer qualqucr es-
laheleeimento em grande escala. A quem convier,
pode comparecer na ruada Florentina, n. (6, para
tratar deste ajuste.
IJi ali-iixo assignado aviso ao Sr. Carlos Mar-
tina de Almelda, baja de dar urna resposta promp-
ta o decisiva i niinha carta de I2dcstc mez.
Desgoult.
Precisa-se alagar um moleque que saiba co-
zinhar para casa de homcm soltciro : quem o tiver
aiinuncie ou dirija-so ao caes da Alfandcga, arma-
zem, n. I.
l.uiz Antonio Pcreira Franco relira-se para a
provincia da Baha, e leva em sua companhia um
seu escravo, de nome Jciio.
Aluga-se, na povoac.to do Monteiro, defronte
do Sr. Joaquim Tiburcio, urna casa com bastantes
commodos para se pasaara fesla : bein como um s-
lio as tenas da Torre, quasi defronte da Ponte-de-
l.'oha, com nina pequea casa, boa haixa decapim,
um hananeiral, e terreno devoluto para so terem ani-
maes.sollos : a tratar no Atcrro-da-Boa-Visla, n. 37,
segundo andar.
Precisa-se de um bom official de sapateiro pa-
ra obras de lustro, o qual queira trabalbar c ndo se-
ja velhaco : na ra Nova, hija n. 58.
Precisa-se de um caixeiro portuguez para ven-
da, que tenha prutica e i|ue de fiador sua conduc-
ta : quero estirar neaias filrcumstanoia, dirija-sc a
ra do Fogo, n. 20, que se dir quem precisa.
Moje, 26 do crlenle, vai em praga do Sr. I)r.
0 TRIBUNO N. 33
est a venda na praga da Independencia, livraria ns.
6 o 8 : exeellente para Iluminar o nosso povo, que
o deve comprar logo para Iho ndo sentir n falta.
Jofio Pinto de Lemos & Filho embaream para
m cria, de
a, ambas
ga-se a casa ter/ea com quintal o cacimba",
na ra do Pilar, ti. 6, em Fra-dn-Portas: a tratar na
ra da Cadcin do Jiecife, n. 18-
0 doulorJos Bento da Cimba e Figueiredo tem
agora oseu escrplorio no Aterro-da-Boa-Vista, n.
37 primeiro andar.
Precisa-so de um homem dos chegados lti-
mamente do Porto, para feitorde um engonho, sen-
O dentista e sangrador
Jos Anacido,
lo hbil, e qucd&
Bolla, n 40.
Precisa-so di
ua conducta : na ra
ulti-
loja de ferragens
Aluga-sc o Si
doQueimado, n.
lirado.
Precisa-se de dous officiaes de
ra Velha, n. 101.
portuguez, dos
(sirva paf? <-*'
ova, u. 16.
Bar d sobrado Uf, ra
r na loja do mesmo so-
.. proseng;
Sr. cnsul dcS. M. It. e por cotila e risco de quem
pertencer de grande parte do carregamento de as-
sucar averiado d'agoa salgada a bordo da escuna
mgieza Desiandes capil.o l'iuiipe r.lampicd arri-
bada a este porto com apoa abarla na sua recente
viagem que fazia de Macei com destino a Trcate;
assim com dascaixas vasias que contiveram parle
do dito carregamento quarla-feira, 27 do corrente,
as 11 horasda manhda, no Trapicho-Barboza, de-
fronte do Corpo-Santo.
--lodo Keller v C. continuarlto o seu leudo, por n-
tervongdodo corrolor Oliveira, de grande sorli-
nienlo de riquissimas sedas, Illa o seda, fazendas
ilela de linhoe dealgoddo, todas recenlemente
chegadas : hoje, 96 do corrente as- lo horas da
mandila, no sen armazcmda ra da Cruz.
O correior oliveira (ara leillo da mobilia e per-
tenecida casa do Sr. Edward FenlQii, prximamen-
te retirado para a Europa, consislindo em mesas de
sala e de jantar, consolos, guarda-roupas, so-
cadeiraade varias qualidades inclusive do halanco,
phas, marquozas, loucadores, leilos de madoi-
raodc-ferro, com modas., loucadores, um lindo
piano de excellentes vozes es| elhos grandes Ion-
cu ile mesa e paii cha crislacs Irom de cozinha e
da agricultura um carro Je 4 rodas, o muilos ou-
tros ohjectos uleis <; necess.irios : quinta-Cetra, 88
do (oriente, as 10 horasda manhaa no sitio que
foi de sua residencia e anteriormente do Sr. Hen-
ry Cibson, antes de rliogar v prximo ao em qne
residi o F.xm. Sr. Bardo da Boa-Vista, na l'assa-
gem-da-Magdalena.
Jos Joaquim Diaa Femeniles rara leilfo de 26
barricas le cerveja branca : hoje 26 do corrente ,
as 11 horas da manhfia, no cae.-, da Alfandege, arina-
zemdoSr. Antonio Aunes.
l\hos diverso.
recisa-sede um caixeiro para loja, de 10 a 12
mulher l nio fr, esseJioinem ir-se-ha szinho
da praia. ... nms nioguem maisovor.
Conlia-le em Margarida, que ella sera discreta.
As expressoes atrevidas desta Carla lane.-.iMm a
coiifusflo na alma de Vincenza. Comtudo, pouco e
pOUCO aclioil ella SO lulo desculpa ao menos rasilo
sufliciento na inlimidadc eslabelecida entre elles,
em um momento, polo acaso e pela dcdicatjo do
desconhecido. Alm disso, parccia-lhe niui cordato
e delicado o pcnsamenlo que impeda o desconheci-
do de se apresentar em casa do marques seu pai
antes de ter a certeza de ser amado. .Mesmo dla
de tima entrevista, frca do ser allegada, acabou
por pender aos olhos de Vincenza o que apresenta-
va pnmeira vista de impruilento e criminosa. A
presenta de Margarida parecia-lhe tambem um mo-
tivo de seguridade capaz de fazer calar lodos os es-
crpulos..... Veio o sonmo sorprende-la uo meio
getia risonhas dominavam sem cessar.
NmauH8a aeguinte, em todo esse da, Margarida
sobdilrercntcs pretextos foi muitaavezes acamara
de sua ama, como quem esperava certa confidencia,
que urna vergonha secreta reliuha nos labios de Vin-
enza. Chegada a noite, anda Vincenza exitava
l'ortc-do-Mattos, um bah, pertencente a Jos Fran-
cisco de Alahide, comas pegas seguintes : 1 chapeo
fino, 3 mantas de seda, 3 chapeos do Chile, urna ja-
qnela neta,9 ditas brancas, 1 dita de rucado,
caiga pela,3ditasdphrim trancado bruco, i dita
de riscadinho, I corte de calcas de Ida, 1 par de sa-
lalos de lustro, 2 pares de meias de seda pretas, I
lenco de seda azul, I dito preto, I dito hrauco, 2
colleles, 6 camisas linas, 1 dita de meia, I manga
ile vidro e 135.020 rs. etn dinheiro-: qualquer pessoa
quedo dito bah souber, ou dequalquer una das
pecas cima ineocionadas, queira dirigir-se a tra-
vessa das Cruzes, n. 8, que ser recompensado.
Otferece-so para ama do urna casa de pouca fa-
milia una parda que cozinha eengomnia: na ra
das Agoas-VerdeSj n. 10
Muga-SO um sitio em Santo-Amaro, no prin-
cipio ila entrada da estrada que vai pura lielm, bas-
tante grande, com urna ca>a grande de pedra ocal,
com com modos para familia, cinco vvenos depei-
xe, haixa para ineles e melancias, pasto para vac-
cas deleite, haixa para capim, cacimbad'agoa,de
beber e murtos arvoredos do Inicio quem o preten -
der,dirija-seao Aterro-da-Boa-Vista, n. 21.
Manoel de Carvalh e Moura responde a'oan-
nunciodo Sr. Joaquim Pacheco de Sa. Inserto no
Diario de Perntimburo de 25 do corrente, deelaran-
do-lhe, que as pessoas que disseram que elle anuuii-
ciants Ihe ilra prejuizos nao sao pessoas de duvida,
nem capazes de levantar seinelbante cousa por sua
cabera ; luanlos Sis Jos Joaquim lijas Felandes
e Joaquim Lopes da Cruz, que foram socios deS. S.
--Quem tiver um preto ou pela para alugar, di-
rija-se a ra larga do Rozario n. 48, segundo an-
dar, ou aiinuncie. .
Precisa-se de um caixeiro para lomar contn de
urna venda por halancu ; da-se bom or do QUO tenha pralica : uo paleo da S.-CrUZ, 11 2.
--Um rapaz solleiro, de 18 anuos, sq' offeiece
para ci indo : quem de seu preslimo se quizer uli
lisar, dirija-seao pateo da matriz de S.-Anionio
cocheira n. 2.
ma. A'meia-noite, quaudo ella ficou certa de que
todos dorjiiam em casa, tomou a pressa una manti-
Iha, na qirI se envolveu 0 melhor que pode, e des-
een aojardiin.acompanhada por Margarida epois,
abri eccriou pTjs-si com preca'UCfln urna porlinha
oachou-se-na ra..... la a noitc bella ; h la lancava
por toda a parte urna luz brilhante..... No ngulo do
palacio Venuli, Vincenza sentio passos airas de si, e
vio, ao vollar-se, um homem que parecia segui-la.
Apresaando o andar, se acbou ella d'ahi a alguna
momentos na praia.
Dous h.....cus esta Va m em p no lugar marcado,
junto de una barca cujas flmulas azues lluctuavain
agitadas pelo vento. A' vista de Vincenza, um dclles
seseparou, e caminhando respetosamente a encon-
tra-la, ollereceu-lhe o braco e f-la entrar na hin-
ca. A niAoa voltando-se prouurou de balde a Marga-
rida para Ihe dar lugar a seu lado..... Margarida ha-
ra desapparecido com o mitro homem, o qual se re-
tirara quaudo (da chegou. Vincenza se achava, pois,
s, sentada defronte do desconhecido..... Dou um
grito de terror, e quiz saltar em tena ; mas o desco-
nhecido a releve, mostrando-llio com o dedo a per-
sonagem inysteriosa que Ihe havia seguido os pas-
. .~.- ...
Acommissio administrativa recebe as propostas
para convidados partida de 6 de novembro, nodia
26 hoje) (lo corrente, pelas 6 horas da tarde, na ca-
sa da mesma snciodade.
Jos Rodrigues subdito portuguez relira-se
para o Rio-de-Janeiro.
Jos Gomes Marques hrasileiro adoptivo, re-
lira-separa Portugal a tratar de sua sade.
Km F'ra-de-Portas casa torrea n. 68 existe
um brinco do ouro de filagraua, qua se achou no
domingo a noite, em a matriz do Corpo-Santo j
quem for seu dono pode trazer o outro qun ,
combinando Ihe sera entregue.
OSr. Flix Joaquim Domingues que,ira ir a ra
da Cadeia loja n. 47, para receber.uma carta, Vin-
da do Porlo.
O Sr. Antonio Joaquim Gon?alves de Moraes
queira dirigir-se a ra do Crespo, n. 9, para rece-
her uns papis do importancia vindos de Pedras-
de-Fogo.
Anda restam para alugar, para a fesla, al-
gumas casas em S.-Anna : a fallar no mesmo lugar,
com Joilo Venancio.
JosJoaquim de Freitas tiuimares embarca
para Corada provincia as suas escravas Claudina e
Euzohia.
Quem tiver e quizer alugar um proto sadio o ca-
paz do servico do campo, dirija-se ao Aterro-da-
Boa-Vista, n. 39, casa do doutor Nahuco.
Precisa-se de urna ama de leitc, escrava : na
roa da Penha, n. 23.
Aluga-se urna casa com bastantes commodos
para qualqucr familia ; oulra dita pequea : ambas
ao lado da groja- de llehirhe, com quintal o fun-
dos para o rio: a tratar no Atcrro-da-Boa-Visla ,
n. 47, segundo andar.
Precisa-se do um caixeiro portuguez de 12 8
14 anuos que tenha alguma pralica de venda, in-
da mesmo dos chegados ha pouco de. Portugal : na
ra do Agoas-Verdes, n. 48.
Aluga-se urna casa terrea sila na ra do Mun-
do-Novo n. 31, com bous commodos : a tratar na
ra da Senzalla-Velha n. 70.
Furlou-se, da Ponto-de-Uc!ia, da casa do ma-
jar Miguel Aflonso Forreira, um cavallo iiiqo, com
algumas pintas de polrej que be capado o rabilo.
Aluga-se para a festa o sitio do Sara i va no
Caldoireiro, com bastantes arvoredos bom poco
d'agoa, pe lo do hanho : a tratar ua roa do Mon-
ilego n. iii ou na praca da Boa-Vista, venda
n. 4.
Rg
iMdd-Mzid l=.mzXdz} zi'zXdJd
Vcndem-se qalro lindos moloques, do 16,
18 e 20 anuos, sem vicios, multo espertos e
habis para todo o servido ; tres escravas
muilo mocas, que cozinhain o diario de urna
casa, engoiiiinain liso e lavam roupa ; una

dita, que engoiiima perleilamenle, cose, C0- |l!j
zinba, marca c faz lavaiinlo dous pardos
muilo mocos, .ptimos para pageos. Todos
mogos, opinos para
estes escravos vendom-so por prego coinmo- .-|
do. Na ra do Vigario, n. 24, so dir quem .,
vende. J
.I
(I
Acha-se jusla o contratada para se vender urna
casa terrea, s la na liavessa da ra do Caldeiiciro n.
4, peitenceute aosSrs. Joaquim Carneiro Machado
Rise Jorge Vctor Forreira. Lopes. Quem se adiar
com ilireiLo referida propriedade, baja do atinuu-
ciar por esta tulla, para so evilarem questes judi-
ciaes.
Prcrisa-se de um forneiro que soja perito em
sua occupagilo na ra Direila n. 26.
muilo coDhocido tiesta cidade, com 16 a 17 annos
le pralica em sua arte, morador na ra eslreita do
Rozario do bairro de Sanlo-Anionio, junto A igreja
casa lerroa, n. 7, lem a honra de anniinciar ao roi-
peitavel publico pela segunda vez, especialmciite j
lodosos sous rraguer.es e amigos, que olla se aclia
milito prompto, das 6 horas da maiiliaa at as 6 da
tarde, para praticar qualquer operaeflo pertencente
a sua arte, sendo quo do seu preslimo sequeiram
ulilisar, dagora em diahtn pela tabella fixa aqu
expressa, som dislinc.lo nem qualidades do pessoas
Tudo ser fcito com milita delicadeza e humanida-
dc, o muilo desemharaco, mesmo pcratite qualquer
um medico eoirurgilo, lauto em casa como dentro
S^e fra da cidade, mandando-se-lhea indicacaoilo lu-
.3fcar a que ello he chamado, nmada rnB/ .Mj.rpri
Vb casa, com a firmado dono ou dona, afiaiie^n-
rua Ho-se pagar-llie as paseadas ou a visita, caso n.lo
pralique a operagflo por uo ser mais precisa, ou
por outra circumstancia independento da sua von-
charuteiro: na am?' I"""0 vir proniptamcnte. perdendo elle os Seus
interesses em sua casa, fallando aos seus Cregue-
zes como sempre tem acontecido e acontece.
Primeira tabella fixa do prero ratoaveis das opera-
Ces pralicadas em cata.
Tirar delicadamente um dente ou urna raiz 1,000
Chumbar um dent com qualquer metal
hrancrrde la........ 2 000
Chumbar com ouro, sendo preciso 4^000
Apartar perCeitamente os qualro denles in-
cisivos do queixo superior.....6,000
Sangrar delicadamente, aventar, sendo pre-
ciso', por cada vez........ifooo
Porcada applicago do ventosas seccas ou
sarjadas at se tirar a quantidade de
sangue exigida pelo Cacultativo 6,000
O mais pagarilo conCormo as suas generosidades.
Segunda tabella dos prerot mais ratoaveis das operaf/ki
pralicadas dentro da cidade. *
Tirar delicadamente um denle ou urna raiz 2,000
Chumbar um dente com* qualquer metal
braneo.......... 2,000
Chumbar com ouro, sendo preciso ... 5,000
Apartar perCeitamente os quatro denles in-
cisivos do queixo superior.....8,000
Sangrar delicadamente, aventar, sendo pre-
ciso, por cada vez ".......2,000
Por urna applicagflo de ventosas seccas ou
sarjadas, al se tirar a quantidado de
sangue exigida pelo Cacultativo 8,000
O mais pagardo conforme a sua generosidade.
Terceira tabella dos precos das opcracSes pralicadas
fura da cidade.
Tirar delicadamente um dente ou urna raiz,
viagem e opernedo al a altura de urna
_ legoa.......; .
Chumbar um dente com qualquer metal
braneo............
Cnumhiir com ouro, sendo preciso -. .
Apartar perfeitamente os quatro drilles in-
cisivos do queixo superior .....
Porcada applicagao do ventosas seccas ou
sarjadas' ate se tirar a quauidnde do
sangue exigida pelo facultativo .
0 mais pagardo conforme as suas generosidades!
O abaixo assignado faz scienle ao respeitavel
publico que Jos Joaquim Congalves, tendo-so re-
tirado para fradasta provincia o deixou por seu
procurador : pelo que, roga as pessoas que sdo de-
vedras ao sobre dito Sr., tenhan a bondade de se
entenderem com o aiiimnciaiile na ra do Quci-
mado n.15.- Pedro de AlmetdaGuimarHts.
Joaquim Pacheco de Sa em resposla ao an-
nuncio de Manuel de Carvalh Moura, publicado no
Diario de l'emambuco do 20 do concillo tem a do-
clarar-lhe, que, mo o podeudo considerar sen crc-
dor por isso que Iho pagou todos os seus salarios
d tiempo que servio ao aiiiiiincianlc nenhuma sa-
lisfagflo lema dar-lhe qifanto aos seus negocios
com os seus yerdadeiros credores : mas, se elle Mou-
ra pretende firmar o seu crdito para o seu novo es-
tabelecimeiito no descrdito do aiinuncianlu se-
r mister que prora primeiramente a quem he e
quandu disse10 annuncianie que elle Ihe dera pre-
juizos, depois do querccchcr una resposta satis-
l.iloria : alias ser lido por.*
Ofl'erece-se utn homoin hrasileiro, solleiro, pa-
ra caixeiro de la ou outra qualquer oceupagdo ,
excepto venda quem de stu preslimo so quizer uti-
lisar dirija-se a ra Direila, venda n. 4, onde se dir
quem he a mesma pessoa o qual d fiador a sua
conducta.
8,000
8,000
12,000
16,000
16,000
i
i
Aluga-se urna grande rasa terrea na povoagdo
do Monteiro com 4 quartos cozinha fra, cacim-
ba qmtrfc) para pretos dous quintaos murados e
coiiijliidd para o rio, estribara para dous caval-
los : S Halar na Boa-Vista travessa do Veras so-
brado n. 15.
O Sr. Bernardo Pereira da Silva haj.i de pagar
os 5,520 rs. que deve, desdo 8 de agosto do 1844, na
padaria que u.lo ignora.
a dizer-lhc, e a sua condescendencia
ao desejo te-
merario que ousei coinmunicar-llie, iniuha senhora,
he para niim urna prova preciosa de qoo me perdoa-
ra o ter pensado mais na sua dignidade do que na
niinha. .Margarida esta n'um lugarseguro, eachar-
se-ha a sua espera para a recebur," o tornar a con-
-se na esleir luminosa e rpida iracada pelo ha- duzi-la para casa..... Agora, iiiiuhn senhora, se urna
; mas dentro em pouco, a dislancia e as trovas o 'injusta desconlianca nao a torna insensivel, se tem
ohi rain aos ollios dos fugitivos. 'piodado da mais ardoute paixdb, liquo anda, por
;_ exitava ; I sos, e que nesso nioinento, vendo-a quasi a CSCapac-
-?LdX,-:.r/J'" l'oco20, hvrou-a, a Ihe, coi 1 a para ella com .i.lenQ:lo fcil doadivl.ll.ar.
a^ktSL 'nnra.dc parto da vergonha do Vmcouza so deixou cahir muda e fria dentro do ha-
oorcodesera ti?,?; .'""V'".' "" wsublrahir aol tel, ejAixou com vivacidades man id ha paca o ros-
cTuetoumra r.Tno8 e J.orli?'ecer-S "a resolu-I lo..... Acahava ella do rcco.ihecer no hoiiiom que a
cao que lomara, deixou anda cedo a sou pai o pri-lsegua oco.ido lluggieri, seu noivo.
suBCgaix^MSBKE-:-^ -irmnfffgrmrTM
No momento em que o condo chegava praia, o
batel largava do Ierra, polo potente impulso de dous
remos, poslos um mov ment por nidos deslras. O
conde ltu'ggieri ao v-lo largar langou urna horrivel
praga Uopuia, mudando do parecer repentinamen-
te, poz-se a correr pela praia como so quizessu lan-
esr-aO m
tei
enco
Entreanio, o desconbeciio coiitinuava a remar-i quem he, o dille, se lio possivol, este clardo de fe-
cm silencio, ancioso do por entro si e a torra um es- Iiciddde quo brilharu em toda a niinha vida,
pago que nao fosso transposlo. J a cidade mesma Ao pronunciar estas ultimas palavras com voz
havia dcsapparecido por ntreos vapores da noite; cheia do emoli, o desconhecido cabio aos ps do
o as agulhas dos mais altos edificios dcsappareciam Vincenza.
tambem, eutranhando-sc pelas alturas immensas do \ Confio-me no seiihor, disso ella, liqiiemos um
co. ... Parou entilo o desconhecido o lilou eui Viu- pouco, e levante-se.....
oxcla-
do da
. .111 pre-
(.oncobo os seus recelos, mmha senhora, Iho songa da iinnicnsida lo..... Acaso o nieu amor ndo lio
disso elle; comtudo, sou menos criminoso do quo lo puro como o co, e Ido profundo como estas 011-
ceo. ... parou cuino oescouiiecido o htou em V111- pouco, o levante-se.....
cenza um dosses otilares, Cuja lembranga ella havia 1 Nunca; nunca; aqui, o sempro aqu, o?
guardado : na siluagao 0111 que so achava, semelhau- mou o desconhecido, cobrindo do beijos a md
le olhar Ihe foz modo donzella. A leus ps, sol) a vista de Dos, o em
Iho parego. lie s o acaso que d a esta entrevista a das Oh Vincenza cu te amo Nao foi o acaso quo
apparencia de ni rapto ; o a udo ser a appsricd 1110 conduzo pela primeira vez ao pe do ti ; foi a nii-
desso homcm quo a segua, podo car corla que mu: uha vonlado. Ku to procurava ; tic"
leria dado pressa em a pOrom terrado depois do moliendo polas inunianhas ; quiz lorui
ouvir, a senhora persislsse em se ndo fiar na mi-sede da lua'proscnca. Segui dlo
uha-lo vjsto cor-
nar a ver-to ; luida
presenca. Segui de longe a carruagem
uha honra. Quanlo a desapparig do de Margarida, que te*mia-a Voneza.. A Providencia fez ornis....
confesso-lhc (|uo he o resultado de urna medida quo Ier-lo-hia disputado ao amor do universo, e ndo
julguoi conveniente tomar por nosso nteresseeom- ousara approxiniar-me do ti..... Kd'alii..... Mas tu
mum..... Margarida ndo deviaouvir oque eu leuho mesilla, 6 Vincenza..... esta lembranga.....
ILEGIVEL
mmm


D-sc azeitc de carrapato de ven-
dagem a i, 120 rs. a caada: na na
Direita venda 11. 72.
Tranceln* 1I0 qualquer modelo anneis, fitas ,
flores, alteremos, pulseiras, brincos etc. ; ludo o
mas biMii feilo possivel o por proco mdico.
Oahaixoassigitado faz sciente ao rcspeitavel
publico, que pelo brigue americano Olinda, vinilo
de Boston, entrado ueste porto em 22 do pretrito
mez 1I0 setombro, ha rceebdo novo proviment de
plalas vegelaes do l)r. Brandrolh. Estas piulas, cu-
jo autor basta para garantir sua cxcellcnrja, tor-
nain-se muito rocommendaveis por ser um medica-
mento inteiramenle inoflensivo, poilcndo appliear-
ge al s changas recem-nascidas ; iiltimamenle se
tcem applicado a una infundado de molestias jtil-
gailag incuraveis, decuja applcagSo se tein tirado
tilo felizes resultados que parece cada ve/ mais rc-
sdlvirio o problema de um remedio universal. Ao
aunuiiciante calua gloria de assoverar ao publico,
que as ditas [ululas silo as tnicas vcrdadeiras quo
exislem nesta praca, as quaes so vendem om sua
botica, na ra da Cadcia-Velha. n. 61.
Fcenle Jote de tirito.
Quem precisar de um bomom francez para pro-
fessor de sua lingoa 011 gnarda-livros, que seja
em franeez 011 cm poriuguez, anmincio.
Permuta-sea (asa terrea n. 3, sita na ra do
Bom-Successu, da ciliado do Olinda, cum duas salas
na frente, quatro quartos, Cozinha dentro, toda
reedificada de novo, com um sitio soflrivel, ebrios
proprios, poroutra qualquerno bairro de Santo-
Antonio ou Boa-Vista; prefer ndo-se ser na Soledadc:
na ra de San-Francisco, casa n. 2*, ou na praca da
Boa-Vista, n. 6.
gCHAPKOSDISSOL
Rua do l'assefo* Publico, n.
Joao I.oubct participa ao rcspeitavel pblico, que
recebou, por estes ltimos navios francezes, um com-
pleto sortimenlo do chapeos desol.de seda, amis
rica e superior qualidade; furta-cres e oulras mili-
tas condecidas, tanto para horneas, como para Sras
e meninos. No mesmo estahelecimofito ha um sorti-
menlo de chapeos do sol do patinillo, dos mais mo-
dernos; ditos muito grandes, proprios para liomens
decampo tambem teih chapeos de sol do paninho
para meninos e meninas, por serom muito linos: po-
dem-se chamar chapeos de economa. Na mesma loja
lia sortimenlo do bengalas, bengalinhas o chicotes
muito inuOi'nO; O.bi-s uuaiquei ai maguo de cha-
peos do sol, coih sedas de todas as cores cqualida-
des. Na mesma casa ha um grande sortimenlo de
paiininlios trancados o lisos, imitando seda, para
cobrr os mesmos: desta fazenda se vende arelalho.
Coneorla-se todo qualquer chapeo de sol, por haver
um completo sorliinento de todos os perlticos para
os mesmos, com toda a perfeicfio c brevidade.*
--Precisa-se de um preto,'ou inoleqito cozinhei-
ro : no Atcrro-da-lioa-Vista n. I primeiro an-
dar.
Precisa-se de una preta que saiba fazer o ser-
vico ordinario de urna casa, o soja diligente : quem
a livor c quizer alugar dirija-so a ra da Alegra ,
n. 11.
Aluga-se um molcque, ou mulalinho que nSo
exceda do 10 a 12 annos paraoservco interno.de
urna casa de pouca familia : n palco do Torga ,
n. 13, a qualquer hora, se achara com quem Iralar.
1 Tern-se tratado a compra da cas*,
de um andar ps ra da Conceipo da
Moa-Vista n 8 : quem se fichar com
.ilgiun direilo a mesma casa !i ip de dc-
cl ir.u- por estu 'olha sua opposic&o al
o dia 27 do corrale mi na ru* da Ma-
dre-de-Dcos, n 36, primeiro andar.
w.j.-i|iiJ-.t-BBa-g__________1__ i i.". 1 i mi
Comnrn-p urfia C
quecja por prego cm
Vista, n. 37, primeiro
-- Compram-se ofilc
de arruar usada o
o: no Aterro-da-Boa-
rpina, pedreiros ,
ferreiros 0 carpinteros, para'fra da provincia;
pagam-sn bem, agradando : na ra da Cruz, nolle-
cife ti. 49.
Compram-se, para fra da provincia dous itio-
leqnesque tenhamde 12a 18annos, e duas pretas
ou pardas com algutnas habilidades na ra Nova ,
n. 50, tereciro andar.
Compra-se urna cabra do leite : ,'bicho) na ra.
do Collegio arinazeiii 11. 19.
Cornpram-se2molequesdo 16a 18 annos: na
ra da Cadeia do S.-Antonio-, 11. 19, primer an-
dar.
--.Compra-se, em segunda mito, una porgiio de
taimas do forro, ou de assoalho, anda mesmo om
pedacos : na ra hit o i la 11. 18.
Compra-se urna carteira em meo uso. na ra
doVigaro, n. 9.
Compra-so una padaria, anda mesmo hilo tondo
fregueza, preferindo-se doTcrgo at aoLivramen-
t : quem tiver annuncio, ou dirija-se a ra das A-
goas-Verdes, n. 48.
Para fra da provincia compaim-se alguns es-
cravos peritos nosollicios de podreiro edecarpi-
na, sendo vistosos e mocos, os quaes, agradando c
ajustando-se, pagam-sc bem : na ra da Cadeia.
n. 45.
Batatas.
Vendom-senoarmazem do Oas Ferreira, no caes
d'Alfandega, a t000 ris u arroba.
Pccliiiicha na loja do nicho
Na esquina do Livi amento, lojn do nicho, vendom-
se canibraias do soda e de coros, de ricos padres pa-
ra vestidos de scahora, a640rs. o covado; Chalos
do seda de bonitos gostds, a 3,(>00 rs., o lencos da
mesma qualidade, a 800 rs.
I'ccliincha.
lNo Alerro da Boa-Visla, laja n. 78,
vendem-se sapates de bezerro, para 10-
mem. obra boa, o 1,280 rs.; ditos de lus-
tro, a 4,000 rs, ; ben^allinh s para pas-
seio, a 3ao rs.; e botins de be/erro, pa-
ra linini'tn, a 2,800 r.s,
*:'.-....", .'. ;: .;: ."': ,::,:. "

l'rincczim!
Vendas.
& 5B@^^g5@3^3EBH
GilATlHC CAO'.W'ooo It.
D.setnc iminlinu-se. no d mineo
Viga-
110-
id
I
i
17 do crtente, fia 1 na do
110, n. .>.') mu c.ibocliubo de
me Vicente, eaj uro. secco do cor-
po, com camba de ilgodaoj su- ,
ja : tem no antis duas le idus de |L
libas ; foi vislo clmiando no Fnr- jQ
le-do-Maitns, depois Coi coniu- WJ
zulo para Santo-Antonio por uns Lji
meninos e mo'eques, c deimis bu ii
noticia que passou a ponte da j}r
Bou-Vista : quem do mesmo der Ui
noticia ser generosamente recom- ij.
pensado na dita casa cima. {?)!
*.-
mmm*tm*tM Militas vezes tcnlio pensado nesse encontr,
Lotera do Rio-de-Janeiro.
Aos20:000,y000deris.
Na ra da Cadeia do P.ecife, loja do cambio do
Sr. V'eira 11. 24 estilo a venda bilhetes e meos
ditos da terceira lotcria a bunecjo ila fabrica de
papel de Zcferino Ferrez. A clles antes que chegue
o vapor. Estes bilhetes vito rubricados por Vieira da
Silva.
Fardos
chegados ultima ni ente do l,isln'ia cm barra de 3 ar-
robas, por preco commodo; no caes d'Alfandega,
armazem n. i. No mesmo tnmbemaluga-so um pre-
to propro para todo o servco.
. Vende-sc ou troca se um eavalli-
nbo fazo, muilissimo bem eilo, bonito,
manso, e ao mesmo lempo bastante anii
go, propro para qualquer menino ou me-
nina : na ra do Trap^cbe, n '1, 011 na
l'onle-de-Ucba, no sitio delronle do Sr.
Berilo Jos da Cosa.
Contina-so a vender calcado, feito nesta cilia-
do, linluis, lo, couro, sola, marroqu o ecourodc
fustro a rctallio, o mais algiina cnu-a ; assini como
urna porclo de uiadeiras, como sejain : caibros, va-
ras, ripas, o ilgunias maos-lravessas, una cama pa-
ra casal, urna porefio de parre ira brava 011 abtiiii,
para remedio, o alguna ferros para eolleira de cava I-
lo de carroca : na ra Nova, loja n 58
Vendeni-se 6 esclavos, sendo : 4 do 13; 16, 18
o 22 annos, do botillas liguras proprios para o ser-
vico de campo c nicsinu da priiQa ; una crenla de
26 anuos, com habilidades; urna nula o elegante
mulaliiilia de 18 annos que eugomnia, cose c serve
bem a urna casa : na ra dasCruzcs, ti. 22, segun-
do andar.
A fama va.
Joai]iiitn Bernardo dos Res, com deposlode cha-
rutos na ra da Cruz, n 51, avisa aos seus fregue-
guezes e a todos os fumantes que sabem apreciar
os bons charutos que acaba de receber pelo pata-
cho Ijiuih, vndo da Babia um sortimenlo dos
veiiladeiriis charutos do S.-Ftlix, queleem me-
recido grande aceitaclo ; ditos regala, marca de
fogo ha va na, primores regala de diversas mar-
cas, e oulras mais qalidades que se rilo patentes
ios fieguezes o que sero vendidas tanto em por-
cia) como a iclalliii, por preco rasoavel. Tambem
vetiilem-so ricas chai uteiyis para os rapazes de bom
gosto.
le ricos pa-
covado; meias casimiras de algodllo r's,?;.'
droes a 440 rs. o covado ; lilas -e qu.tjo >
tras, de superior qualidade, a 800 tB.o W- ?
merino niui.o largo a 1,280 r*. JiPWJMJ
800 rs.; fianklim muito fino, a 640 rs. s^"'"'0.
aeaoparacolletesovcsl.dos n 3.000 rs
lenC,,s de setim do muito botutos padres JM"
.iros e lislras, para grvalas, a 1,800... | euros, IVancezes nmiloCiios para tabaco a 400
; eassa-chitas do ricos padrOe, a '.><
ico padrfles, a
180 e 200 rs. ;
a 200 o 240 rs. ;
corte; chitas escuras de lislras, i
160 rs. ede cores muito lxas a
1
1
Elena la voz, excelsa Fama !
Annunria as mu bellas Prncezinas ;
Lindo adorno que sent a toda dama,
Se/am velhas, ou moras, ou meninas.
Antonio Lua dos Santos & Companhia, com
ff loja ti.- I'.i/ciiiI.is na rua do Crespo n. II, recebe-
I rain pelo iiltinu navio francet chegndo a este
porto os ni.ns ricos c bellos corles de vestidos
^ para senliora ao ultimo gosto de Paris, onde esta
I rateada lie deaoniinadal'rincezina ; nao lie
.'.i possin I desercvt-la enm todas as suas proprieda-
S des e sublimes encantos; por isso liiiiitamo-nos
^ a dizerque seus delicados padro.es sao nao s ino-
, demos, como de uaia especie nunca vista.
A cor azul, o verde guio,
O rxo fino, a cr de rosa,
f Visla de perla, he Icnlatdo,
Ao Inii/: mu cultirosa.
V
*
i\To vterro da Boa-
Vista, loja q. 2^9
veiulem-sebrins francezes, de cor,
pelo baratissiiiio preco de 280
rcis o covado : esta f'izenda he
ntuit.) bem acabada, e nao des-
bota.
Vende-se urna casa lerrca, sita na rita do Mon-
ilego ii. 46 com 4 quartos, 2 salas, gabinete,
cozinlia, copiar fra bom quintal murado, cacim-
ba om chitos proprios por preco commodo : na
mesma casa ou tiesta typographia, se dir quem
vende. *
urna estrella quo corre. Ao v-1a, Vncenza deu um
nessa noilcdoemocno, e tenho guardado no pcito as grito. O dcsconheciilo tomou de novo os remos, o
palavras que eu Hernia ler nial comprehendido. com um esforco violento impeli o batel. Mas a luz
(ib! muiloobrigndo, nieii querido anjo! mu- caminhava com urna veloeidade espantosa nadirec-
to obligado por ssii lemluanea. Nosso ho o futuro eflo que a lanterna da barca llie indicava. Dissereis
ca felicidado. urna vida d'auor e de embriaguez! cssas I tizos iicerlns que vagam pelo ar abrazado de
Oh! agoru sinto-mc forte; posso alTronlar todos os nina noite d'cstio, e que parecein seguir unas as ou-
perigos. Irci pedir-lc a leu..... Mas, Vinccn/.a, quo trar arrastradas pelo mesmo curso.
devo eu esperar? Ests prometlida, eu osei.... Tragiio! exclamou o dcscoahecido estamos
Kspere tudode mim, o nada do met pai. descubertos. Eessa maldita giindola nos pega.
llei de vencer sua vontde.assim como ja ven- Oh meu Heos.' estamos perdidos niormurou
c o iiieu rival.. .. ; Vinccnza, desesperada
llavia algiini lempo que linio absorto nos sonios Anula nao, respondeu o desconhecido, que se
dessa flora d'amor, o pela cuntcmplaofo da suave levantan c apagou a lanterna.
ihiraveis nava-
llias de acoda Jiina
o
que teem a vantagem do coi lar 0 cabello sem ollen-
sa da pello dciXBiidn i cara parecendo oslar na
sua biilhanto mocidado.
Fstc agovem cxcliisivamenle da China eso nel-
le Iraballiam doua dos melhores o mais abalisados
culileiros da nunca excedida o rica cflade do Pe-
kim capital do imperio China.Aulor Shan.
N. II. lio reconhocido o uso doslas navallias
maravlliasas por todas as sociedades das scien-
cias niedeo-ciiurgicas. tanto da Europa como da
America Azia c frica, nao s para prevenir as mo-
lestias d cutis', mas lainbem como um meio cos-
mtico.
Vemlem-so as verdadeiras s na rua larga do Ito-
zario, n. 24.
Cheguciij ao barato
Na rua do Crespo, n. 14, vende-sc iilgodflo cn-
tratifado azul o mesclado fazenda muito cncorpa-
da o propria para lialialhadorcs e para oscravnlu-
ra pelo Innato pceo de ^00 rs. o covado ; algodo
liso americano muito enenrpado a 200 rs. a vara;
briol branco trancado de algodilo a 400 rs. a va-
ra ; dilo misturado a 180 rs. a vara ; dito de puro con. perfeicfio ; um preto canoeiro: ambos vendem-
dilas de ramagom ede cores lixas.
casimira amacolla para coeiros, a (.000 rs o covado,
pecas do niKilpolilo a 2,600, 3.000, 3,600 4,000 ,
4,500 o 5,000 rs. ; dito entestado a 5,500 rs.,, e a
vara a 140, 180, 200 o 240 rs. ; cassa de quadros ,
muito larga-, a 320e 360 rs.; cassa lisa mullo larga ,
a 200 rs. a vara ; meias para meninos de 4 a 6annos,
a 160 rs. e para meninas a 200 rs.; o oulras min-
ias fazendas por barato preto. Assegura-so aos srs.
compradores que todas estas fazendas iio leem
avaria e sao do milita duraclo.
Vemlem-se os seguintes escravos,
de mal lindas fie/mas, sem vicios nem
achaques: a negras, de ao a *i annos,
boas lavadeiras, que cozinham o dia-
rio de urna casa, e eozem ; urna mulata
da mesma idade-, e com tgtraa habilida-
des; um mulato, de i'i a 16 annos. pro-
|ir0 para todo o servico; a ditos de it a
iS annos, sendo um percito o!Ucfldesa-
pateiro, o mitro alfaiate, e proprios pa-
ra pageos : um moleque de i2 anno9 ; e
um mulalinho de 7 pira 8 annos: na rua
do Crespo, Loja n. a &, se dir quem
vende.
Va nova lift do la blico-, n. 17,
vendom-so cortes de tarlatana do muito lindos o
modernos padrdos, a 3,200rs.; chales de cassa bor-
la oscuros e brancos a 0 rs.; suspensorios do
maia a 80 rs. o par ; cortos de cassa com 6 i a 7
varas a 2,240 o 2,560 rs. ; cassa com 4 palmos do
argura a 280 rs. o cavado ; cortes do collete para
homem do lila e seda a 320 rs.; lindeza do mui-
to lindos padrocs, a 200 rs. o covado ; cortes do
chita com 10 covados a 1,000 rs o corto ; ditos fi-
nos com 10 covados, a 1,800 rs. ; ditos de dita com
14 covados, a 2,800 rs. ; casimiras as melliorcs quo
tcem apparccidooin qualidade o padrOos a 8,000
r.s. acorte ; cortes de colloto de velludo a 3,000
rs.; lencos de cassa para grvala, intelroa, a 200
rs. ; e oulras militas fazendas mais baratas do quo
cm outra qualquer parte.
Vendem-se tres inoradas de cssas
(eneas nos Ooelhos, pelo muito comino-
do preco de 2:ooo'ooo rs., visto rende-
rem cisiono rs por mez: quem as pre-
tender dirij i-se rua da Cadeia de San-
to-Anlonio, n. 17, das 9 horas de man-
lia isri da larde.
Vendem-se 3 lindos molequos do 18 a 20 an-
uos ; 4 prctos de 25 annos sendo um olllcial dosa-
pateiro outra de pedreiro outro bom carreiro o
nulro propro para lodo o servico; dous pardos do
|0a 18 annos sendo mu carreiro 0 O ontro pro-
prio para pagem ; ditas pardas, tima de 20 annos,
com habilidades ,.0 a outra do 12 annos, propria
para ser educida ; 5 pelas do 20 a 30 anuos, com
habilidades ; duas negrinhas de 11 a 12, com prin-
cipios de habilidades : na rua do Collogio, 11. 3, se-
undo andra, so dir quem vende.
Vendem-se queijos do sertSo muito superio-
res, grandes c pequoiios; na rua do l.ivramcnto,
venda que lica ao p do lampean, n. 38.
Vende-se urna escrava muito moca sem vicio ai-
gum, que eugomiiia, cozinha c vende na rua : no
lateo do Carino, loja to sobrado n. 7.
Vende-so um sitio na Capunga com 200 pal-
mos de fente o 225 ditos de fundo com planta
le larangeiras,cercado de limilo: vende-sc a dinhei-
ro ou a prazo ou lanibcni se troca por escravos : na
rua do Collegio, 11. 10.
Vendem-se duas excellentcs canoas de carrei-
ra com proporcOes para so ahrirem; e traveja-
inento de 30a 40 palmos: no Forte-do-MatlOS a
fallar com Lima Jnior & Coinpanhia, ou com Jos
Antonio da Silva Vianna.
Vende-SO, para fra da provincia, urna escra-
va crloula, mucii sem achaques nem molestias ,
que sabe bdii coser, cngonimarc cozinliar : na rua
da Cruz, 110 llccife, n. 18, segundo andar.
Vende-se urna parda de mu i lo bonita ligara,
de 21 annos, que cozinha milito bem o engomma
belleza de Vncenza, o mancebo dcixra de remar.
Pe vez em quando, o profundo silencio do ar era in-
terrompido polo voluptuoso murmurio das ondas.
Vncenza julgava viver a vida dos aojos; um ar mais
puro Ihe agitava os cabellos ondeantes, o Uto encina
o scio. 0corceo balia-llio brandamonte ; e quando
com os olhos euconlrava o olliar ardenle e o paludo
o bello rosto dp desconhecido ajoelliado diantc de
si, parecia-lhc que una frca dcsconliecida a devia
unir a elle.
Knlielanl, o ar lluvia refrescado f o marcomega-
va a agitar-sc, como 11111 homem qu acorda, pro-
cura leva na r-so, csedeixa cahir a cada tentativa.
O batel abandonado a s mesmo se havia approxitna-
do pouco e pouco da praa. Nesle momento, urna
luzappareccu ao longe e deslisou pelo mar como |tos, sorrindo-c, este singurar espectculo; depois
Vncenza eslava do joelhos o com as mflos er-
guidas.
Coragem e silencio, Vncenza / disso dependo
a tua honra. Eu conh'ego estos lugares..... Os nossos
iiiimigS ja nos nao segueiu..... Olha.'
A luz que ha pouco partir da praiahavia parado, e
eslava immovel e como que vacllanle na escolba do
caminho que devia tomar. Depois, mudoudedirco
gflp, voltou para a dreila, vrou de novo para a es-
querda, oscilando o tragando nos ares mil figuras
movidigas c plianl^slicas, como as evolugOes do um
balao que do noite hoagoitado pehjs ventos con-
trarios.
O desconhecido contemplou por alguns monien-
linho superior fazenda., a 800, 1,000 e 1,280 rs.;
brins francezes, de quadros e lstras, a 320 rs. o
tomou do novo os remos com novo ardoit e conli-
nuou a remar para o largo.
Para onde vamos nos .' disso Vncenza um pou-
co reanimada.
NiTo sol anda..... Tu oras, mas pedo la que
nilo nos iilunije Iflo indiscrelamento ; porque as tro-
vas noseonvm.....Oh / j lio milito tardo
Voltou-se Vncenza. A gndola inimigi havia mu-
dado de direcgiio e caminhava, dardojando a luz ar-
denle sobre o tmido batel.
Entreta'nto, qurfosse peloelTeilo das orages de
Vncenza, qar por misericordia espontanea, o cea
que havia alguns momentos se obscurecer, calino-
so de negras ecarregadas nuvens. lie vez em quan-
do a lua se encola ia, como que para suhlrahir os fu-
gitivos aos olhos do sen enearaigada iamigo ; e to-
dava, ello caminhava semine, aja pouca distancia
os soparava, quando o companlieiro do Vncenza ou-
vio mu pe lo de si o murmurio sardo do vento que
estremeca por entre os arbustos quo cobriam a cx-
tromidade de una dessas lagOaszinlias. Ksla parto do
mar ha muito lempo que Ihe era conhecida. Com
duas remadclas o batel locuu na praia : depois, lan-
cando-so atrevido por un. lugar estrello onde a
Igoa era comprimida por duas lingoas de Ierra, des-
apparcccii. Anda o batel nao havia tocado mar-
so per necessidadee por prego multo commodo na
rua de S.-Ita n. 44.
hiiiiiiiiii .ij : i^w.ciaeam
listas ferdo exclamou Vncenza.
Estamos salvos, minhasenhora .... Oh! senhor
conde, accrcscenlou elle apanhando um punhalqua
Ihecahira aos pos, foi boa a pontaria; mas o senhor
nao tein o impulso muito solido, creio cu.....Have-
mos de v-lo qualquer dcsles das.
Por amo- de iniii niesnia niio faga nada.
Silencio!.....
A gndola, como um cavallciro que, n'um jogo
d'armns, nao attingio o annel, vollava para tras e gy-
rava rpidamente pela exlremidado da lagazinha.
Mas odcsconhccido, ciiculando atravs desses ro-
deios impenetiaveis, como nina serpcnle que per-
passa sem rumor por entre as hervas, rev.oava ja pa-
ra Veneza, emquanlo a gndola anda rodava em
torno da laga.
Miotardou muilo que Vncenza avistasse Mar^a-
rida e o gondoleiro em pe, junto praia.
Adcos, minhaalma, disso o desconhecido abra-
gando-a; adeos, tninha querida Vncenza. N3o le
esquegas em leus sotihos.....do barilo de Cotzen.
D'aln, entregando a donzella a Margarda, seguio-
as a ulguma distancia, at quo as vio desapparecer,
fechando de aovo a porthiha do jarditn. Depois do
geni opposta, quando outra gndola passou, langaii- 'que, tambem elle so recolheu ao sen palacio por en-
do pela lagoaszinha una luz ra; ida o brilhanle; de Ir ras pouco l'requenladas.
repente ouvio-se um leve silulopelo ar, c o deseo-1
nbecido deixou cahir um dos remos. 1 Continua/-se-ha).

s
&
i




m*
i
.4.




Yendo-se um piano de boa construcgSto o ^ue
proclM uealgum concert, oor isto d-so em con-
ta : na ra licita p. 18
Vende-se urna das meUtores viudas no bairro
de s.-Antonio do Recife.na esquina-do boceo do
Peixe-Fnlo com poucos fundos: vende-se para
pagamento dos dignos credores : a trat .roa mesma
com Francisco Antonio de Carvalho Siqueira.
Na rua Nova loja de fazen-
das, n. I'l ,
vendem-se ricos cortes de seda para vestidos ; ditos
de ditas escocezas com algumas pintas de mofo,
por barato prego ; setinsde cores e de boa qualida-
do ; damasco de seda ; dito de lila; bonitos cortes
do barr.''', a 11.000 rs.: casimiras de cores, a 1,800
rs ocovado ; pannos finos pelo e verde, a 3,000
rs.; casimiras francezas de quadros e listras a 4/
rs. o corte ; cortos de cassa-chitas, a 2,400 e 3# rs. ;
ditos de cambraia pintada a 2,200 rs.; chales de
Iflaoseda, a 4,000 rs ; chitas francezas a 280,
320 e 360 rs. o covado ; lencos de setim, muilo boa
fazenda para senhora a 4,500 rs.; bonitos cortos
de larlalana, a 3,000 rs.; briiis trancados brancos, a
800,1,600 e 1,800 rs. a vara ; riscadinhos l'rancezes,
n 200 e 240 rs. o covado; chpeos de sol, do seda,
i ni senhorn, a 3,000 rs. ; ditos para homom a
6.000 rs. ; meias pretas de laia, curtas c eompridus;
ditas de seda ; luvas de dita e do pellica; ooulras
minias fazondas por barato prego.
Vendem-se pites de assucar refinado, a 300
rs. a libra; latas com bervillia, cbegiidas prxima-
mente de Franga ; biscoutinlio lino ; presuntos iti-
glczcs ; latos com sardinhas ; chocolate de canella,
ile Lisboa ; conservas inglezas e de Lisboa ; sag e
nassas finas : ludo po"r barato prego : na rua da
Cruz no Recite, n. 46.
-- Vende-se uiarnielada doRio-Crande, muito su-
perior, propria para doentes, por prego commo-
do : ua rua da Praia, n. 20.
Potassa.
commodo Jo que em outra quslqucr parte; casimi-
ras o brius muito moderno ; mu esplendido sor!.-
mento de chitas filias, a 120, 140,160,200 e 2">; cor-
es de chitas muilo finas e do seguras tintas, com 14
covedos, a 3,500 rs ; los pretos de muito bonitos la-
voures, a 2,400 rs. e einfiru cclinuva chegar to-
aos os das novo s'rtimento de fazendas de gostos
modernos ;>or pregos rasoaveis. As amostras es-
larflo flaneas aos freguozes.
Casimiras elsticas e finas, a
7,?O0O rs.
Vendem-se superiores cortes do casimiras els-
ticas francezas das mais linas que leem appareci-
ilo, e do ultimo gosto e moda de Paris pelo ha-
rato prego do 7,000 rs. o corte sendo esta fazenda
recommenilavel pela sua Doa qualidade de gusto e
bonitos padrOes : na ruado Collegio loja n. 1.
Vendem-se caixas de cha hysson, de 13 libras,
em porges ou a retallio ; caixas de velas de es-
permacete de 5e 6 em libra : na rua da Alfandoga-
Velha n. 36, emeasade Matheus Austin & C.
AGENCIA l)A FCNDrCAO'DF. I.OYV-MOOR.
Na rua da Sonzalla-Nova n. 42, contina a haver
um completo sortimento de moendas e machinas de
vapor para engenhos de assucar : bem como tai-
xas de ferro batido ecoado de todos os tamanhos :
ludo por prego commodo.
DEPOSITO DE CALVIRGM.
Na roa do Trapiche u. 17, ha sem-
prc ca| Yl'rgem de Lisboa, em harris pe-
queos, e tilliniatnente chegada mui-
lo superior c por precn rasoavel.
Chegaram do norle bonitos
escravos para
muilo baratos
Na rua da Cadeia-
Velha, n. 29, loja
de J, O. Elster,
vende-sevinhodo Porto, do diversas qualidades;
dito da Madeya ; dito de Sherry ; dlo de Bordeaux ;
dito chateau-la-rose; dito de S.-Julien; dito de Te-
nerife; dito do lilieino ; dito de Bucelas e Carca-
vellos; dito de Lisboa ; dito de Malaga ; dito San-
terne ; dito de graves ; dito champanha sellery ;
ago'ardente de Franca ; Kir$chwasscr .extracto de
nbsinlhe ; Cherrj -cordial ; sgoa do llor do laranja ;
Irascos enm rnuserv" dA Verduras ; ililos COin frUC-
las ila Europa em calila de assucar; ditos deditas
em cognac ; dito de inostrda ; sardinhas em latas
evidros; petits-pois y salame do superior qualidade,
vindo no ultimo navio d llamburgo; agoa de seltz.
em botijas; azeite doce de Marsolha finissimo;
velas do composigiro ; cha preto, hysson e perola ;
charutos de Havanae regala. Advcrto-se que tudo
he excclleute e por prego commodo.
\& I ja nova da na do Quei-
mado, n. II A, deRaymun-
do Carlos Leite ,
aeha-se um novo sortimento de meias cras e finas,
a 5,000 rs. a duzia ; ditas de Imho, fiuissimas a
5,800rs.; a rica fazenda intitulada -fazenda do
norto, teciila do linho e seda, cores escuras e
proprias para lodo o trago; mantas de sedado pa-
drees modernos a 8,000 10,000 16,000 e 20,000
rs.; chales de seda o de lila c seda : tudo por prego
baralissimo.
Vende-se a veffladeira e superior po-
tassa da Russia a mais nova que existe
no mercado : na rua d le, armazem n. 12, do Bailar & Oliveira.
Vende-se um mulatinho de 11 anuos; urna-par-
da de 18 annos com habilidades ; dous lindos mo-
loques de 12 a 16 anuos ; 3 pardas mogas que co-
sem e fazem renda ; 3 pretas engommadeiras e co-
zinheiras ; um preto de bonita figura, bom carrei-
ro ; um pardo de|meia idaile ptimo para o erri-
co de campo; no jateo du matriz de S. -Antonio,
sobrado n. 4.
Vende-se, ou troca-se por casas nesta praca, um
terreno com 412 palmos de frente e 150 do tundo,
sito por detrs do covento do Carino : a tratar com
o scu proprietario 110 Manguitiho, segundo sitio
depois da capella de S.-Jos.
ANNI1ARIOPOLTICO, HISTRICO E LSTATISTICO
1)0 BRASIL.
O primeiro volume conten a falla do throno, os
relatnos dos ministros, as leis voladas e os decre-
tos publicados 110 auno de 1846 : assim como lam-
beni todos os acontecimentos decorridos no dito an-
uo e os documentos eslatisticos relativos i popula-
cho a agricultura etc. Est a venda no Alerro-da-
Uoa-Vista, n. 3, loja de J. Chardon..
SORVETE A 200 RS.
Cada da de una qualidade : no sobrado do pateo
da S.-Cruz com commodos para senhora prepa-
rados com lodo asseio c perfeigito que he possivel.
Casa da F
na rua estrella do llozmio, n. (5.
Nestc estabelecimenloacham-sea venda as bem
acreditadas cautelas ila lotera do thcatro publico
desla cdade cujas rodas andam 110 da 29 de cor-
rele. O caiilclista espera que os seus l'reguezes
concorram a comprar o resto das ditas cautelas ,
uas quaes se esperan) boas sortes, pela excclleute es-
colha que se fez dos nmeros para seren divididos
0111 cautelas. A ellas que sito poucas c boas. Pregos
os do coslume.
Vende-se orna venda sila na rua da Cruz no
Recite, com poneos fundos, eslahelccida em bom lo-
cal, e com boa fieguezia a rcialho. Esta venda foi de
Domingos Alves da Costa Rodrigues. A tratar na mes-
iiiii rua n. 28, segundo andar, com Lima Jnior &
Companhia.
A S^OOO rs
Na loja nova da rua do Qnei-
inado,n. ti A, de liaymun-
do Carlos I .cite ,
ha um novo sortimento de fazendas.finas e baratas ;
bem como uns lindos cortes de chitas francezas
linas, ornadas com lindas barras, a5,000rs. sen-
do este o ultimo goslo de Paris.
Loleria do Rio-de-Jauero, a be-
neficio da fabrica de papel.
Vendem-je bilheles desla lotera em casa de J.
O. Elster na rua da Cadeia-Vcllia n. 29.
CAIXAS DE VELAS DE CERA 1)0 RIO-DE-JANEIRO,
de urna libra at 19 e tambem bratides tocllas e
bogias a volitado do comprador: na rua da Senza-
Velha n. 110.
O BAKATEIUO
na nova loja da rua do Cres-
po, ao p do arco de S.-.4n-
to :io n.4, de Ricardo Jos
de Freit;ts Ribeiro.
A esta loja ha chegado um riquissimo sortimento
de cambraias de cores de muilo ricas cores fixas e
estampado suisso a 2,560 e 3,000 rs.; chapeos de
inassa francozese do ultimo goslo a 7,000 rs. ca-
da um ; lengos de seda para gravata.de bonitas
crese boa fazenda a 1,280 rs. ; lengos de cam-
braia com abertura para mfio kde senhora a 240
rs.; muito ricas cambraias de cores, com rama-
gens etransparentes, oropriaspara cortinados, no
ultimo gosto, a 320 rs. o covado ; um rico sorlilucil-
lo de pannos finos de todas as cores por prego mais
se venderem,
, na rua das
larangciras, n. 14. segundo
andar:
um elegante molecHo de'20 anos com principios
de sapateiro e que he ptimo para pagem ; um
molcque de 14 annos ; um dito de 18 anuos, com
pequeo defeito ; um preto de 25 anuos, de bonita
figura com um pequeo principio de sapateiro;
dous ditos muito fortes ,c que sito ptimos para
armazem do assucar ; um dito de24 annos que es-
t acostumado ao Irabatho de campo e enteude de
carreiro, por 420,000 rs. ; um dito de 40 annos, mui-
to forte sadio e que he bom canoero e ptimo
official de canteo por 400,000 rs. ; um dito bom
para trabalhar em algum sitio por 220,000 rs. ; um
pardo de 38 annos* por 330,'>00 rs. ; urna preta, que
lava milito bem por220,000 rs.; urna dita Loa do-
coira e Cozinheira ; una miiiatinha de 16 anuos;
urna preta de nagito, de 26 annos boa quitandeira,
por 420,000 rs. ; urna preta de 20 anuos com mili-
to bom leite esem cria ; e maisoulros escravos.
( .ule-iras o n vendem-se no armazem de GuimarHes no caes da
Alfandega e em casa de J. J. Tasso Jnior na rua
do Amnriin, u 35. .
Vende-se sebo do Aracaty esleirs carnauba,
sola courinbos, chapeo de pal ha sapatos, sebo
derretido : na rua da Cruz, n. 26.
Vende-se una parda de20 annos, de figura ,
e ptima para mucama -. que engomma, cosecho ,
lava de salan, enzinha alguma couaa e faz renda: no
Aterro-ila-Roa-Vista, sobrado n. 5.
Na loja novada rua d > Quei
mado, n. 1 f i, de Raymiin-
d Cario.-* Lelt
anda ha o sortimento de todas as fazendas ja an-
nunciadas bem como guardanapos de puro linho,
com urna listn azul tecida a 800 rs. cada um; cor-
les ile vestidos de lila de ricos padres; chapos
francesas linos ; um ptimo sortimento de pannos
finos pretos e de cores : os quaes se lornam recom-
mendaveis, nSo so pelas boas cores e qualidades,
como por seren novos na loja : ludo por prego
muito rasoavel.
Veude-se por prego commodo, urna casa ter-
rea sil na rua Imperial aup ila matriz nova de
S.-Jos : na ruadas Cinco-'Poiilas n. SI.
Vende-se um rico presepe e una cela denomi-
nada de S.-Anlonio : no Alerro-da-Boa-Vista, loja
i). 48.
Luvas de pellica.
Afianga-se as boas qualidades tiestas luvas. Hade
todas as cores tanto para homem como para se-
nhora. Vendem-se mais em conta do que em ou-
tra qualquer parte. Na rua larga do Rozario, n. 21.
Carlas para volta-
ret,
Vende-se, na rua da
Cadeia, n. 37,ceraem ve-
las fabricadas no Rio-
de-Janeiro, em uma das
melhores fabricas em
caixas pequeas, sorti-
mCnlos ao goslo do com-
prador, e por pre^o mais
barato do tju em oulra
qualquer parle.
Gaz.
Loja de Joao Chardon,
Uerro-da-Koa-Vista, n.5.
Nesta loja acha-sr um rico sortiinento de LAMPEOES
PARA GAZ com sins competeotcs vidros, accendedo-
rei c abafadores.
Estes candiel ros i >e",ore8 e
inaisiupdernos que existen! hoje : recoiiimendam-se ao
publico, lauto pela segurauca e bom gosto de sua boa
contec^Q, como pela boa qualidade da luz, economia e
asseio de seu servijo.
Na llICSma loja consumidores lem-
prcacharaoum deposito de GAZ., de cujo se afiaiija a
qiinlidndr e em porfo bastante para consuminp.
Vende-se conforme a qualidade a 320 o 400 rs.
a garrafa.
= Veiidein-se moendas de ferro para engentios de as-
ucar, para vapor, agua e bestas.de diversos laiiianhos,
por prejo cuniinodo.e igualmente taixas de ferro coadn
e batido, de todos os tamanhos: na prata do Corpo-San
lo, n. II, em casa de Me. Calmont i Companhia, ou na
rua de Apollo, armazem; n. 6.
Kiia do Qucmado,u IO,(
nova loja de sirgueiro.
Lima
vndeuniformes militares, para lodas
as patentes de legiao cavallaria e in-
fanlaria da guanta nacional; galOes de
nuil e piala ; espadas plateadas, com
roca o sem ella.
--Na padaria du"ia s porta, na praga "da S.-
Oruz. junto ao sobrado da osqiiina da rm Velh ,
vende-s", alm do excellonteptlo, biscouto doce e
d'agon o sal fatias, bolacliinhas doces ed'agoa o
sal de 24e mais em libra bolacha de todos os ta-
manhos ; tudo da inelhor L.'inha que ha no morca-
do e com o maior asseio possivel. N> mesnao pada-
ria se dir quem vende quatro moquillos de par-
reira moscatcl-jasmim, omcaixOes, proprios para
serem plantados em qualquer quintal.
Vende-se uma preta de muilo boa figura, que
engomma, cozinha o faz todo o servigo de urna casa;
urna preta de 35 annos por 250,000rs., que COZi-
nha lava e vende na rua : na rua do Passeio, n. !.
Vende-se Diccionario jurdico de Forreira Bor-
es; Tratado de testamentos por Gouveia Pinto;
Tratado da religiSo, 3 v.; obras de CamOes, 3 v..;
ditos de l!ocage,5 v.; Recreio de familias, 5 v.; Cas-
leilo d (manilo 4 V. : tudas aUa OfcfSS Sl!o KO-
vase muito em conta : na rua Bella, n. 40.
Vendem-se casaes de pombos, grandes, mui-
to bons baledores, de ptima raga o de cores mui-
to bonitas por prego muito commodo : na rua da
Florentina n. 16.
Vende-se um sobrado de um andar, em cliitos
proprios sito no largo do Tergo : a tratar no mes-
mo sobrado n. 26.
Vende-so um preto do 20 a 22 annos sem vi-
cios perito official de 'sapateiro; ua travessa do
Corpo-Santo, ti. 27.
Na bem conhecida loja da
rua do Queimado, n. t de
Gaspar Antonio Vi eir Gui-
ma raes & Companhia,
ha um completo sortimento de fazondas (as do
ultimo gosto con leudo do ricos cortes de prince-
zinas. padres muito bonitos ; ricos chales o man-
tas de seda; lengos de blondo com listras assetina-
das c franjis do niesmo ; corles de garga com lisiras
asselinadaso palmas de seda; selins pretos para
cohetes; ricos cortes de cassa do cOr; riscados de
cores finas, assentados em cambraia; ditos teci-
doscom listras assetiuadas, com quadrose palmas ,
ede largura propiia para vestidos de senhora ; pan-
nos pretos e azuos, muito finos bom como de ou-
trascores; casimiras pretas francezas, de muito
boaqualidado ; brins brancos trangados, depuro
linho tic 800 at 2,000 rs. a vara. Tambem an-
da existe uma pequea porglo dos brins pardos lis-
Irados de 200 rs. o covado ou 320 rs. a vara ; e tiao
sestas fazeiidas como outras mais, por prego o
mais commodo que he possivel visto que nesta loja
he aondeos amigos do barato sompro cncontrarSo
os pregos majs favoraveis.
Vende-sc muilo superior panno de algodfo da
trra: na rua do Crespo, n. 23.
Vende-so, parafrada provincia, ou para o
malto, uma rapariga de elegante figura, rnsigno
engoinmadeira, lavadeifa e cozinheira, o que cose
alguma colisa : o motivo da venda se dirao com-
prador : na rua da Cruz, no Itecife n. 49, primeiro
andar.
Vende-se, por commodo prego por se querer
finalisarconi a venda d'agoa um tanque do anta-
relio muito forte que leva para mais do 50 pipas
d'agoa, e por isso he uiuiiu prupf i p.n >> me!, ou mi-
tr qualquer liquido. Este tanque nao tem pregos
nem estopa,he sacunhadoe muilo fcil para se col-
locar em oulra qualquer parle. Na rua de Apollo,
u. 27, primeiro andar
Vende-se, por prego commodo uma casa de
taipa, bem cons'.ruida na ruada Casa-Foito: a
liatai no Ai'aial, com Francisco Bel miro da Costa.
Veude-se urna parda moga que cose, faz ren-
de, doces e o nais preciso de urna casa : no largo
da Boa-Vista, n. 30.
Vendem-se 3 moleques de 12a 16 anuos; una
negrinha de 12 anuos ; 3 mulaiinhas do 14 anuos;
as melhores e mais ba
ga do Rozario ,*n. 24.
alas : vendetn-se na rua lar-
!Sa rua da Cruz, n. 26, vende-so uma pardal
de 12 anuos ;
du'sescrvas mogas ; 3 escravos de nagQo : na rua
Direita, n. 3.
Vende-so uma venda na ruada Senzalla-Nova,
u. 1, defronlo da S.-Cruz: a tratar na mesma .venda.
Vende-se a bem conhecida venda da rua Impe-
rial n. 145, por seu dono ler niuila precisflo de ir
a Portugal. Os Sis. que ha perlo de um anuo dese-
jatnc niprar a dita venda sendo que anda quei-
iaiu dirijani-sea mesma venda.
>ellins p; i a a festa.
Vendem-se sellis nglezes para montara do ho-
inem com os seus competentes pe leiices : em casa
de Frederico llobilliard, na rua do Trapiche-Novo ,
n. 18.
Vendo-so. por prego commodo, uma parte no
engeuho de Jaguarabe : no Aterro-da-Hot-Visla, ,
n. 58.
Vende-se, adinheiroou a prazo, uma mora-
da de casa de dous andares e solflo com verandas
moga que cose e engomma ; iluas dfastriguiiras;! de reno na travessa da Madrc-de-l)eos n. 7 : a
us pretos e dous mu- tratar na rua da Cruz, n. 50.
duas negiinliasde 12 anuos ; dous pretos i
lalinlios.
Venric-se matnielada nova, vin-
dc de Lisbi uobrigne Vencedor,
t-
em latas
das i iii/.cs
2 e
n.
I libras
4i.
na rua
Uvas, ameixas e passas ,
tudo novo, chegado ltimamente o de qualidade
superior: vende-se no armazem de liias Ferreira,
no caes ilfl Alfandega
l| Vendem-se superiores chapeos de
Ja^.castor, pretos e brancos, por preco
muito barato : na rua do Crespo, loja n.
la, de Jos joaqtiiin da Silva Mala
Vende-se fumo de primeira qualidade : no Ater-
ro-da-Boa-Vista, n. 58.
Veude-se sem feilio urna gargantillia de
globos de ouro de lei com 19 oitavas e mu quarto;
urna redoma com 7 oitavas o meia ; um annel e um
par de argolas com uma oitava e 12 gritos ; um par
de brincos de lilagrana com 4 oilavas : na rua Bel-
la, ti. 40.
Vcnde-scum cavallo lavrado, cuja cor se tor-
na exquisita ,e que tem bons andares, por prego
commodo: na Boa-Vista, ai niacm do Rufino.
Vende-se un molccotc crioulo de 15 a 16 an-
uos, setn vicios nem defeitos : a fallar com o Sr.
I'ir.ientel, no porlo da rua Nova.
Vendem-se, defronte do Trapiche-Novo, n. 6,
16 escravos ,sendo : duas negrnhas de 10 a II an-
uos ; dous moleques da mesma idade; 6 mulatinhos
do 6 a 14 annos ; duas pardas de 20 annos coslu-
imas e que cozinljam o diario do urna casa; uma
pela ile 40 annos ; 3 pretos de 34 a 35 anuos, pro-
lirios para o servigo de campo : todos so vendem
por prego commodo por seu dono se retirar para
fra da provincia. *
Vende-se uma casa grande, com meio sitio mu-
rado e plantado nos Afogados rua do Quiabo :
na rua Direita n. 9.
Ausntou-se, ha das, da casa da seu senhor o
escravo Joilo pardo trigueiro de 15 a 17 anuos,
cara grande, olhos regulares, bons tientes; bem
conhecido por andar frecuentemente fardado: quem
o pegar leve ao Mondego, a seu senhor Luiz Co-
mes Ferreira que recompensar generosamente.
Fugio, do poder do capitfto do sexto batalho
de'cagadoros, no Atcrro-dos-Afogados, n. 33, uma
escrava de nome Maria, cabra, viuda do Rio-Cran-
de-do-!Sortc ; levou toda roupa ; tem 22 annos, bem
parecida altura regular, olhos pretos, rosto re-
dondo cabello preto e carapinhado ; tem pelo cor-
po algumas marcas de chicle; fbgio no da 23 do
ooirente pelas 8 ou horas da noitc. Quem n levar
a seu senhor, ser generosamente recompensado.
Iloga-se as autoridades policiacs e capiles de
campo que apprehendam a csrrava Anua, parda ,
do estatura ordinaria secca do corpo, olhos torios,
costuma, de lempos em lempos ser atacada de
asthma ; fugio no dia 24 do corrento levando um
chalo urauco com listras du cores; e alguns vesti-
dos entre os quaes um verde com listras 'cor do
caf. Quem a pegar, ou dola der noticia na rua da
Cruz, no RcCife, n. 43, sera generosamente recom-
pensado. Assim como su protesta haver percas o
dainos da pessOa que a tenha oceulta.
Fugio, no dia 19 do crranle o mulatinho Jo-
s que foi escravo do fallecido Francisco P*reira
Diniz de 18 anuos pouco mais ou menos estatu-
ra baixa corpo regular, rosto coniprido ; liesizu-
doquando falla com alguem ; tem algumas marcas
de bexigas no rosto : quem o pegar Jeve a estrada
do RozarinUo sitio contiguo a capella do mt-smo ,
que ser recompensado,
EKN.
XA TYP. DE M. F. DE FARIA .'1847-


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EKWG8TSYJ_KZ7UIS INGEST_TIME 2013-04-30T20:31:58Z PACKAGE AA00011611_09751
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES