Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:09749


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Ajino de 1847.
r^|>flipje.-( ,.
nanlM-pn.!''"> s" poMiti-M, e Idtf eiu lypo
diilertfitc, po. cad iiubljcucio.
HIUSF.S Dj* U vi I .K/. DK UTIJBa.
Min^ounte. I, 7 librase 18 nuil. "I* innoti.
I.u* -io. 9, h 0 horas 47 imn. da inanli.
descante l' u & liorna 21 mln.d* nmuh.
1.11,1 chri* ti. Ohoi e 10 mu da taide.
Muguaule ti 1 horas 1S uo. da tarde
tfobbado 25
artid\ OJOS CORRE10-,
Sol tuna a P-h!iv1'-,s Hctindxtiextu i
inrld-di.-Nort* quinta* fraiao m 'ilm. Ssno'i'n' 11, Kiu-Konniso, l'oito-Calvo .
. I! e 51 de ced .*!.
<', ir i mus 8 rtonito, ,i K e ?J.
lo.i-Vi''.< B Floras. .1 i e S8.
Vi-to/ia, i qutuus feiras.
Mtuda, lu,l,n os das.
PI1EAMAS HK HOJE.
Prifncira, S 3 l.orai Mi minutos da manilla.
Segunda, lioras e 6 minutos dtarde
A". 24P
e Outuhro. Anoo XXIV.
INA, CAMblOSNOOlA 2! or Or'TUIlRO.
, y,...,.,.!.. J. Lucas. Aud.doJ .do* rp! b V W/i 28 ,>.!# rs. o d.
doS dO r. da 7 ,. c do J. M. d v. j Pf 0 PI JwHO.
19 Tero. S.P. ,1ro de tica >Ura. .\u,l .lo .1 co. Lislma l<"; al va l.vr o do i.* dtp, do 4 dist det.:l).-.-.c.d..|,iira.d hoas hrm.s de t /., ao me;

5(1 Quarta S. Jo'o ,
II Quinta. S. rsula. And. do J. ae 0'p!>.
do J. municipal da t. vara.
22 Sexta. S. Mari Saloiof. lttd do -dociv.
da I. v.e do J depas do I. dist de t.
23 Sahlwdo. S Joao Capistrano. Aud. do J
do civ. da I. v. e do .1 de ai do I dist. de l.
7.1 Domingo. Raf-rl Archa jo.
(,/. ni" -: ms, i.,: i. .-..-j^. .-".--------
a mi. ,o j. lo civ. ojtoo,irs i>up !'>'' ';..;"'
leTSeo
de (i#ini> iiov.. KljjfttO'i h
de i000 ...'.. S#too a
'rala Palacea......... '9,u
M Pesos colui.-.otres... I70 a
ii Ditos menicaiiOJ.... ltnn
. \liuda........ '030
Acetes d comp. do Uchcnie de SO jfOOOra. ao par
39*50i
9#2t>0
2|000
IJI9H0
,ftiO
P/HTEi)FflCil!
GOVEIINO DA FBVI1SC1A.
EXPEDIENTE DO DA 3 DO CORRENTE.
OuTrio.Ao commandante das armas, dando-se
por seicnle do forte do Buraco.
Dito. Ao mesmo, declarando que dos 13 meni-
nos vihdos da corte incorporados msica do 6." ba-
talhflo de cacadores smcnle devem de ser rometti-
dospara o arsenal da mesma corte os 5 que nflo leem
desenvolvido aplidflo para o misler a que se des-
tinavam.
Dito. Ao inspector da thesouraria das rendas
provinciaes, ordenando faca adianlar ao destaca-
mt'iito policial doBrejo o sold relativo ao crlente
nez eaosqo delle deeorrerem al o dedezemhro
prximo futuro. Parlieipou-'sc ao commandante
gcral do corpo de polica.
Dito. Ao juiz dedireito do crime da comarca
do Uio-Formoso, rccommeudando proceda na for-
ma da lei contra o professor publico tic primeiras
letlras da resptiliva villa, pelo irregular procedi-
meiiln quoellti ta tlescnvolvido segundo se depro-
hemlo doolficio da cmara municipal da mesma vil-
la, que Ibo transmita companhado do varios do-
cumentos.
Dito. Ap director do collegio dos orphflos, au-
torisandoa despedida do colle^il FloriajinoCalislo
Juca
Portara. Dcmiltindo o professor da cadeira de
grammatica latina da villa de Nazaread, padre Joa-
qum (lypriano Bezerra de Mello, por estar nos ter-
mos do artigo 3* capitulo 3 o artigo 4.* capitulo
8." da le provincial n 43, dclOdcjunlio de 1837,
conforinc so evidencia das inform.ices da respecti-
va cantara municipal e do dircelor-do lyceo, dt; 10 e
17dejulho prximo lindo. Apptovou-se a pro-
posta qui a camarade Nazarelh lisera de Francisco
de Paula Jiarrclo de Albuquerquo Maranh3o para ro-
ger intetitiaiiiento a mencioaatla cadeira ; e partici-
poii-se a referida caintra, ao inspector da tbesou-
raria das rendas piovinccs e ao director do lyco.
DEM DO DA 4.
Onieio. Ao Exm. e Rvm..hispo diocesano, con-
vdando-o a celebrar, na igreja matriz de Santo-An-
tonio, missa votiva ao Espirito-Santo notlia 20 do
correle que he o inmediato ao que se acha marea-
do para a reunido to collegio elciloral tiesta citlatlc,
afim do proceder a iKMIieac&o de dous senadores
por esta provincia.
Ditos. Ao presi.lente da relaeo, ao comman-
dante das armas, ao inspector da thesouraria e ao
coinmissarin-pngador scieiili(icautlo-os 'le ter conce-
dido tres me/es tle licenca com todos os vencinren-
tos aotlontoi Jiiaqiiiui Ntincs Machado, juiz dedi-
reito da piiiiieira vara to crime desta comarca e au-
ditor ta gente de guerra.
Dito. Ao Rvm. Miguel do Sacramento CopesGa-
ina, tlando-se por inleiradn de haver S. S. tomado
posse do cargo tle director do curso jurdico de
Olinda.
Diio. An commandanle superior da guarda na-
cional do municipio do Itteilc, declarando que
mesma guarda nacional nSo dar a giiainicflo da
pra^a no primero domingo de novt'nihro prximo
futuro, afim tle que osridadflos deque se ella coni-
poe, qooestivercm qualilicados volanlPs, possam ir
votar oesse dia. Pailicipou-se ao commandante
das armas..
Ditos. Ao director do lyco e ao inspector da
lliesouraria das rendas provinciaes, ntellpencian-
tlii-os de haver npprovado a proposta, que lizera o
piesidenle da cmara municipal desta ciaade, do ci-
dado Joaquitn Remigio Pereira para reger a cadeira
de primeiras lettras da freguezia da Varzea emquaii-
to esliver licenciado o respectivo professor.
Dito. Ao delegado do termo do l.nnoeiro, en-
earregando-lhe a direcciio dos conceilos da cadeia
da respectiva villa, cujas despeas, calculadas em
5U3/O0ris, seiflo pagas na thesouraria das rendas
provinciaes. Participou-se ao inspector da preci-
tada lliesouraria.
Dito. Aodoulor Joaquitii de Aquino Fonseca,
acensando receido, o ollieio em que S. me. partici-
para ter entrado no exercicio de comniissario-vac-
ci dador.
Dito. Ao promotor publico ta comarca doBrc-
jo, declarando-se inleirado de estar S. me. no gozo
da lieeiica que ohlivera da presidencia.
Portara. Ordenahdo que e passe patento de
majordo 1." batalluio da guada nacional do munici-
pio de (ioiantia ao capitn Joaquint (imicalves da Sil-
va. Participon-se ao respectivo comuiandaale su-
perior interino eao Horneado.
Dita. Deinilino a Pedro de Albuqnorque l.ms
e Metto c?o cargo de delegado do primeirodistricto
do termo to (Tabo. Nomeou-se para substituir o
demiltido ao lente coronel Jos Tliomaz tle Agin-
ar pires Ferreira; o |taa su| penles do predilo de-
logado : em segundo lugar, ao coronel Joso Carlos
Teixena ; em lu ten o, aO lenle coronel Fernando
Francisco dcAguiar Moutai roos ; o ni sexto, filial-
mente, ao cidado Francisco Pereira de Carvalho:
o que ludo se paiticipou no jui/. de dtieilo chele de
polica, de conformidade cun a proposta to qjual ti-
veratn lugar a demissiio e as noincat;Ocs, que cima
iicaiu indicadas.
IMTE^POf?-.
PARLAMENTO BRASILE1R0.
SESSXU EM 13 DE SETRMBBO DE 18*7.
ORCAMF.STO 1)0 IMPERIO.
(Cbnttnuaco do numero 256.)
O Sr. Rodrigues Tnrr$t : ~ Sr. presidente, pedi a
palavra pela necessidade do dar algumas explica-
cOestlenois to que tlssao nohro minslro do impe-
rio acerca de um. tacto que eu liulia relatado na
casa.
S. Exc,, depois de ter a respeito tlcsse facto refe-
rido o que Iha diz o seu commissario, censurou-nie
gravemente por 1er occupndo com elle a attenca do
senado. Disse que semelhanle proccdimeiito nao po-
llo dxar to perturbar a ortlem '\n nossos Iraba-
Ihos, que nSo he um ou outro facto acontecido com
um ou oulrocidadno que deve merecer a alloncio
do senado, e sim os negocios to paiz.
Maseu observarei que, quantlo liz menQilo deste
facto,Uve por lim demonstrar ma proposifjno mais
genrica, e era que. o governo mo se. oceupava se-
n.lo com o que dza respeito a leires, o- que nflo
se preoecupava com esse ohjecto para lomar as pro-
videncias qucilo precisas, que estilo dentro da sua
aleada, afim tle proteger a liherdatle tos votantes,
mas pa'ra perseguir, e violentar todos aquellos que
elle entenda que nflo estavain inteiamento tleac-
cordo com as suas opinioes, afim de obter o ti iutii-
pho dos candidatos que elle recomniendar ou impo-
zer ao povo. Se un senador nflo lem direito do nos-
la casa chamar a attenco do tfiverno para as vio-
lencias que se pratieam contra um ou outro indivi-
duo, ou contra um corpo de individuos, cntendo
que daqui se deve concluir que nflo lem direito de
pugnar pela liherdade dos Brasileiros em geral, vis-
to que, quantlo um governo qtier oppnnur um paiz
inteiro, nflo cometa por opprimir a manta mleira
doscidadans. Violar as leisa respeil d um ou ou-
tro individuo pareco-me que equivale a violar as leis
a respeilo de lodos os cdadlos, poique, so he per-
mitido em um caso, he tanihem permilldo no
outro. .
Mas nflo he esta theona de admirar no Sr. minis-
tro do imperio, quamlo elle esta convencido de que
assemhla geral pe -tunee tanto o dlreilo de exa-
minar o que pralica o governo a respeito ta mar-
cha dos negocios pblicos, como a um gazeteiro de
Montevideo compele examinar oque la/, 0governo
iii"lez S Exc. julga que nos temos tanto direito de
examinar as tendencias dogow-ino do pai/pelas
nomeacOes-ou tlemissOes los empicgatlos publlos,
cono UIP gazeteiro tlaquella repblica linha o tle in-
vesiigar o proceilimenlo do governo ingle/, relativa-
mente a altos negocios do estado !
Fsta tlieoria lie, com elleito, eoniinod.i, mas me
parece que lie mais propria para sei prol'essathi.na
Turqua aoi outro paiz semelhante no que no Bi a-
sil, oiitle se tlz quo ha syslema representativo ; por-
que so ha systema representativo quamlo as cma-
ras teem dreilo de exercer una afluencia, e influ-
encia muilti directa, nimio ampia, sobre a niaiicira
por que sflo atln inistratlos os negocios do| aiz As
nomeacOes e tlemissOes dos empregatlos pblicos
sflo meios tle eonhecci qnal lie a tendencia da mar-
cha to governo; porcousequeiieia, estao na alg.tda
dxscaniaias para seren censuradas ou elogiadas.
Eu havia, portanto, para provar'a minha o IniHo
a respeito to comportanienlo do governo, da niai-
cha quo eu ententlia que elle se havia piescnplo,
aprescnlatlo os actos que occoi reram em um muni-
cipio prximo ta capital to imperio. S Exc. qttei-
xuu-se tamhem tle nao o haver eu prevenido a res-
peito tlesses fados, alim de ter lempo tle procurar as
necessarias informaces para poder responder-me ;
mas essa aecutaeflo parece-nie un (,ouco infun-
dada.....
O.Se. Presidente do Conielho : -Nflo foi accusac.flo ;
foi sso ohservat,-flo.
O Sr H. Toras : Obseivjirlo que me parece um
pouco iiifundada, porque nt'iii no senado esta ad-
miltida essa pralica, nein mesmo eu exiga que S.
Exc'. nos dsse a esse respeito inlomiaces I ni me-
diatamente, ou mesmo n jo exiga que as dsse nun-
ca ; quz chamar sobro esses lacios asna atlencflo,
para ver se cohiba um poulbaosseus agentes elei-
toiaes na provincia do lUo-Je-Janciro.
Adiando, poitant, injusta essa censura, ou ac-
cuscSo, ou obseivacflo, ou o que qur que si-ja,
nflo nodeiei todava tleixar de dizer ao senado que
a principal aecusaefio que eu liz aosagenles do.go-
verno era lerein mandado ordem para que esse pro-
ces.so fosse feito, e deixaieu. que seus agentes itmt-
vaasein a execucRo desija ordem para a proxniida-
de tas elcitOes, alim de lerem em sua mito un ins-
Irumeiilo de persemii^flo contra niuitos cidatlflos
tos maia importantes degelle lugar.'quo licaram
asa i nipos tos Tura do combale por una pronuncia,
que nessa occasiflose lizesse, injusta e iniqua. Istu
be o que eu dizia entflo, e o t|ue anda suceede, i er-
que anula nflo se den eoineco a esse processo, esla-
se esperando a vespera das eleit;t5es para ae praliear
na provincia do llio-de-Janeiro o que se lem plati-
cado em grande escala ua provincia de Peroambuco,
e que se ha d*e praliear anda no inestno Rio-de-Ja-
rtei'ro
ir. A. Bronco ,| residente do coucelho).: -- A-
poiatlo.
OSr. Aureliano : Apoiado .....os seuhores o pra-
licaram em grande escala.
0 Sr. Yasconccllos : 0 nobre senador apoia : .
O Sr. Aureliano : Tamhem tlou o mou apiado.
O Sr. Vasconcelhs : Passe milito bem .'
0 Sr. R. Torres : Ora grabas a Dos que ja tive-
mos o prazer tic ouvir nesta casa a voz do Sr presi-
ilente da provincia do Rio-de-Janeiro NBO he pe-
queo beneficio que com as poucas palavras que le-
nlmtlito heireiloao paiz.
0 Sr. Aureliano : -Muito tic proposito nflo tcnbo
querido fallar. .
.OSr lt Torres: Mas, senhor presidente, o no-
bre ministro do imperio nflo so nflo tomou as provl-
denclas que devra lomar, afim do que esses proCM-
sos se (izessein quanlo antes, mas ve.n hojo justifi-
car o seu com.nissario. S.Exc. onlende que houve
um crime platicado ; piineirameiit" porque o com-
mandante ,1o corpo expedio una orden, i Ilegal ; fl
Sin segundo lugar, porque um cello numero tle ci-
latlflos forain arrancar o preso do xadrezem que se
achava. ,
Que a ordem expedida pelo commandante do cor-
po para a soltura do guarda nacional preso nflo lie
illegal, salla a lodas as vistas; porque, quer na qua-
lidade de oomniandanlo do corpo, quer ua qualida-
tle de chele de legiflo, esse eidadflo poda expedir es-
sa ordem : emboca o guarda nacional estivesse pre-
so a ordem docommamlanle interino,, o comniaii-
tlante elleeiivo, qur como commandante do corpo,
qur como chele de legiflo, poda dar ordem de sol-
tura ao preso.
O Sr. l'nsidrnl do Conulho : Nflo a nocido ;
uo be essa a lei militar em parto ncnhuina.: sem
interveneflo do commandante das armas, nao.
O Sr. /.'. forres: --(ludo esla na le da guarda
nacional seroeluanta principio .v ;
O Sr. Tresidtntedo Coucelho: -- lie esta u regia
militar.
O Sr. II. Torres: Nflo he : eu exijo que o Sr.
ministro apresAto a lei que tal determine.
OSr. I'tmcello: --O regulameuto de Lipe he
applicavel a guarda nacional.
OSr. I'residente do Concelno : Quo barullio nao
sera, se um estivesse coinmandando, e outro po-
desse soltar um individuo pToSO a sua ordem por lal-
la de servieo!
O .Sr II Torres ; En apello para o Sr. conde
de Casias que he militare que me parece ler mais
algum direito de fallar tiestas materias do t|iio o iio-
bre ministro edo que cu.
O .Sr. 'residentedo (once/Au : Informei-me com
as leiseconi militares. .
O Sr. lt. Torres: Nflo poda, porque tal le nao
"portanto, he Tora de duvida que o commandanle
olirou muito finalmente, qur como coinniaiidau e
,, ,,,,.,, qur como chele de legiao, mandando
sollar o puurda nacional preso por orden) do com-
mandante inleiino, en. viitu.lede ralla ue rvifiO.
Lobo; a ordem era multo legitima, mullo legal. O
resulamentodos cammandantes superiores lie que
exige que, tillando o commaiidanto superior quena
mandar soltar um guarda nacional preso por la U
de servieo, elle mica o commandante o Cheto de le-
BiflOi mas oles nao tee.n obrigacao, pela le, de turni-
os seus subalternos: be islo um principio lora de
toda a contestarse. .
Has os cdadflosquo foram cadeia apresenUr a
ordem para fazer soltar este guarda nacional com-
metleiam uinciime! Ora, aqui esla a impudencia
dos agentes eleitoraes daquelle dislriclo. Pois, so-
nl.ores, lie crivel que edatla.is respelavis, la/en-
deiros ricos, propi-ietai os, fossem cadeia arromba-
la com loica '!... ,
OSr. I'iesii/inte do Coucelho: Arrumba-la.
Ninguem falfiui em arrombaniento.
Sr. II Torres: Pois entflo como li/eram sa-
turo guarda nacional do xadre/. contra a volitado
docarcereiro?
OSr. Presidente do Concelho : O carcomi nflo
eslava all. .
OSr. II. Torres: O carec Tiro entflo deixou a
cadeia com a polla aberla ?
Senderes, o tarto he este, cu o posso aseeverar ao
senado: foram alguna cidadflos na verdade nflo oa
indicados na nformacflo lida pelo Sr. ministro la
fazenda, porque he urna grande calumnia propalada
para opprimir esses cidadflos : alguns tlclles leem
piovas tle ue se nflo acha va m na villa por occasifio
do segundo aconlecimenlo ; mas eumpiia alargar o
mais possivel o circulo daquelles que licassem sub-
jeitos ao processo, e por isso foi preciso incluir ne-
nies tle cidadflos que nflo se acl.ava.n no logar Co-
pio dizia, alguns cidadflos rcspeilaveis, sabendo que
eslava injuslainenle preso este eidadflo, toraIII opre
sentar ao carceieiro u sua ordem de soltura, e ate
mesmo declaradlo do delegado, ou subdelegado,
tle que esse guanla nacional eslava a disposicflo do
commandante do corpo. Em \irlu.te desta or.len.
rom despach, que nflo Hago nesta occasiflo, mas
que posso apresentar ao senado, e roe comurometli
a apresentai no caso de ser o fado conteajjtdo pelo
Sr. ministroj em oonseqjiencia disto, o carccien'o
soltou o guarda nacional. Saliendo disto, os agentes
.eleitoraes to lugar maudaiu chamar a carcomi, e
o obrigam a, em sua casa, asaignar tima paite, em
que so declarava que esses cidadflos O tnl.am coa-
gido a sollar esse guai da. Esta parle do carcereiro,
assignada por via do coaccao, servio de documento
aucommissario da provincia para mandar proceder
contra este eidadflo.
O r. Presidente do Concelho : O que assevero
be que nflo consta da parle oflicial.
O Sr. II. Torres : -- De cerlo, porque seus agen-
loa, seus ron.missarios, para perseguir quein qui-
zessem, nflo liaviam de coiitossar lodas as violencias
e actos imiuoraes que pratieam.
lleassm.Sr. presitlenle, que ha liherdade ase-
leices O Sr. ministro do imperio nos assegura
qne he doutrina de Benjamn Constant e outros
mtiitos publicistas que O nobre ministro estuda quo-
lidiananiente...
O Sr. Yasconcellos : Entre os qtiaes figura tam-
hem general Rosas.
O .Sr. R. Torres: --... Que he permittido ao go-
verno influir as cleieOes; mas que S. Exc. entendo
que o nflo deve fazer empregando as fraudes e as
violencias. Mas, senl.ores, entflo como be que o no-
bre ministro ha le obligar os seus empregados a
votaren) como elle....
O .Sr. Presidente do Coneelho ; Nflo obrigo a nin-
guem... nein peco.
O .Sr. II. Torre: Como be que o Sr. ministro
lia d obligar os seus cujni'lices OU eonimissarios a
votarem como elle quizer ? Demitlir un; oflicial da
guarda nacional porque nflo vottiu como o miniale-
rio quena que votasse, hiBftccflo, he violencia ; e
se nflo he coaceflo, se nflo ne violencia, entilo concor-
darcicomS. Exe. Mas um empregado, por exem-
plo, que vive to sen emprego o que cun.pre totlos os
seus tleveres, como tal lie nomeado eleitor : tem es-
se empregado o direito. sem llear siibjeito a ser re-
movido, a volar conforme a sua eonscieilcia ? Se
nao livor o tlireito tle votar conforme a sua conscien-
cia, se :'r obligado a inserever na sua listaos no-
mos que llio ordenar o Sr. ministro, entflo mo pare-
ce.que se tleveui rasgar algiimas paginas da nossa
Consliluicflo, porque ella da este direito. E como so
It'idedeix'ar de reputar tuna violencia o ameaga-lo
coiifiina den.issflo se elle nao votar como quer o
governo:' E se o demitlir elVeelivnnienle. depois que
elle tolot, nao lia nislo violencia;'
O Sr. I'xsidnite do Concelho: Responda a si
mesmo, que he quein figura ahypotliese.
U Sr. II. Torres: Mas se o Sr. ministro nflo
sdmille esse meio, nflo sa* que influencia possa te-
nas urnas eleitoraes, a nflo ser pelo seu bom nomc,
pela sua boa reputacflo. Senl.ores, o facto lio que as
oleicoes m bao de l'azer, mas com violencia como
nunca; bao de so dciuiliir os empregados pblicos
que nflo votarem como o Sr. ministro quizer; hflo
de se remover aqUelles que entender que silo obsta-
culos a que saia a eleicflo como querem os Srs. mi-
nistros.
O Si: /'residente do Concelho: Nflo he preciso
islb. __ .
O Sr R. Torres : l.n.a parlo da populacno hu
tle perseguir a oiitra, e por fin o Sr. ministro, quan- .
do paia o auno lr aqui censurado por este proced- t
ment, lia dedizco mesmo que disse a respeito do
piesidenledePeinainbueo: he um innocente, nada
fez souflo conforme le ; procetleu muito regular-
mente, nflo houve violencias em l'ernainbuco ; sflo
calumnias da opposca*o. So senado resolveu que
havia irregularidades iiisanaveis na cleieo de sena-
dores por Pernambiico, se o senado assin) o cuten-
dou, se ti senado por seu voto 0 declarou ao paiz. a
opitiiati do senado nflo ii.ereee fe, o Sr. ministro he
que n merece toda ; a opinio do Sr. ministro lio n-
quella que deve triumphar: o presidente do Per-
uambucu ha de ser conservado, porque o senado ca-
lumniou esse digno empregado pubfico.
O Sr. Presidente do Coneelho O nobre senador
perderOsta inventando: eu nflo disse nunca quo o
senado calumnio.! ; eu nflo desojo ofTender a nin-
guem, o menos ao senado.
OSr. a. Torres : A'vsla do procc.limcnto do-
presidenle de Pernambuco, o senado se mostrou
muito convencido de ter elle platicado actos de vio-
lencia contrarios as leis do imperto; mas o Sr. mi-
nistro da fazenda acaba de declarar que esse om-
uregadQ se coinportn dignamente.
O Sr. Presidente do Concelho : -- Na minha opi-
llfl-o.
OSr. i. Torra : Queprevalcceu, que tnum-
pbou, nal a que esse empregado fosse conservado.
Logo, so o presidente tic Pernambuco nflo praticou
actos de violencia o de fraude, o senado o calum-
(l Sr. Presidente do Coucelho : lio eonclusflo de
\. Exc. queest as suas promissase nflo as mi-
Oir. /.'. Torres : EiHereio que esta he a conse-
quencia malbemalica das palavras do nobre mi-
0 Si. Presidente do Concelho : A calumnia ho
lmenme, envolve ma Ib; he misler quo enlenda,
OSr II Torres .--Nflo poJa tleixar de supp.irma
fe no senado, porque, aserexaela a op.niflo do no-
bre ministro, quem pollera em boa To votar no
sentido do parecer da c.mmissao r1 ato porque o
,,. ministro lovanlou sua voz cloquonto nesta
C,M p senado, portanto, a fulgar exacta a argumentaQOi
do nobre ministro di fazenda, nflo poda deixar da
ter ma fe nao volando conformo a opiniflo do nobre
ministro. '
OSr. I'nsci'iic'l/os : OSr. ministro da fazenda
declarou na cmara tos depolados que a maioria do
senado, que votou pelo parecer, era composta de
falsos monarclustas. .
O Sr. residente, do Concelho : Nflo disso tal; isso
he seu. He um grande poeta .'
O .Sr. Yasconcellos -.Poetas sflo V. Exc. e o Sr. Ver-
gueiro, ins| irados | ola musa das eleieoes.
O r. Ii Torres: Si presidente, observarei que
o senado brasileo esta representando nos negocios
pblicos do imperio o papel que representa um ga-
zcleirode Montevideo nos negocios da Inglaterra.
lu.-g>.cadamente nflo ho s em theoria, lio tambem
de ficto. Se nflo fosse de fado, se o senado tivesse
alguma importancia na considcracSo do governo.


I*
^H?p

"^-

BT5P
;

:
-
I


ilo itpqui'nflo ditgaria uusrandalu a poulp
V, depois do urna votacfto tilo solemne, depois de
otna discussflo em queso ompenharam os oradores
Je un e outro lado, depois do se luiv ir decidido tju
o presidente de Pornambuco eslava convenciilo de
ter emprendo violencia e fraudes a elciijilo de
dous senadores por essH provincia, nflo chegaria o
escndalo, digo, a poni de o govemo conservar
(sse meslo pre.sipento para continuar do mesino
modii, senflo com imi.li mais ferocidade, a omprc-
gar os metas queempregou a primelra vez que so li-
/erain as elei<;es. Se o senado esta, com elToito, re-
ducido a esse papol, agr lega isso so governo ac-
tual, mormenle ao Sr. minislrp da fazenda, diguis-
siino presidente do concellio de ministros.
[Conlinuar-se-ha).
PERNAMB ELE1GAU PAttA DlSSENADORES.
COLLEGIO DO RECIPE.
OS US. VOTOS.
Antonio Pinto Chichorro da Cama.......173
Manoel de Sou/a Teixeira----------------------------173
Ernesto Ferreira Franca------------.------------1*71
Francisco Honorio Bezcrra de Meno/es---------lli!)
Manoel Paulino de GnuvaMuniz Feij----------- If6
Manoel Barbosa da Silva----------------------------1(il
Bario de Itamarac------...........- 31
da Boa-Vista.........---------------- 29
Padre Francisco MunizTavares--------------------- 28
Desembargailor Manuel Ignacio O. de l.ccrda 23
Antonio Joaquim de Mello---------------------------- 22
Padre Venancio llenriqies de RescnJe----------- 20
Vtittifo dos eltitortt de Santo-Amero-laboato, que,
segundo a decisiio do collegio, fji lomada em sepa-
rado.
VOTOS.
l
15
Padre Francisco Muniz Tavaros------------ 15
Burilo ila Boa-Vista............... 14
Antonio Joaquim de Mello--------------------------14
Padre Venancio Ilenriques de Itesende-----------11
COLLEGIO DE OIJNDA.
OS. SRS. VOTOS.
Antonio Pinto Chichorro da Cama---------------- 30
Manoel de Souza Teixeira -----.....-. 30
Manoel Paulino deCouva Muniz F'eij----------- 30
Francisco Honorio Hezerra de Menezes----------- 30
Ernesto Ferreira Franca-------------------------* 2!)
Manoel Barbosa da Silva------------------------------ 29
os SRS.
Ilario de Itamarac- -J^ ------
Desemhargador ManoelTJffaco C, de Laccrda-
COIJ.ECIO 1)0 PA'O-D'ALIIO.
os sus.
Antonio Pinto Chichorro da (ama------------------
Ernesto Ferreira Franca \w--------------------------
Manuel do Sonsa Teixeira-------------._..._
Manoel Ifarboza da Silva-----------------------..
Manoel paulino deCouva MunizFeij -
Francisco Honorio lie/erra de Menezes-----------
Flix Peixolo de Brilo Mello-----------------------10
Joaquim Nuiles Machado---------------------------10
Manuel Mendos da Cimba Azevodo---------------
VOTOS.
58
58
58
50
'.'i
18
COLLEGIO 1)0 KIO-FOIt.MOSO.
os sm. votos.
Antonio Pinto Chichorro da Gama --------- 5
Ernesto Ferreira Franca---------------------------- 5s
Manoel de Souza Teixeira---------------------------- 58
Manuel Paulino de Conven Muniz F'eij----------- 58
Manuel Barbosa da Silva--------------------------- 58
Francisco Honorio Be/erra de Menezes-------- 58
COLLEGIO DE SANTO-NTAO.
OS SBS. VOTOS.
Antonio Pinto Chichorro da Gama---------------- 79
rnoslo Ferreira Franca------------------------------ 79
Manoel de Souza Teixeira---------------------------- 79
Manoel Paulino de GouvOa Muniz Feij----------- 77
Francisco Honorio Bezerra de Menezes----------- 77
Manoel Barbosa da Silva------------'---------------- 75
COLLEGIO DE NAZARETH.
OS SHS. VOTOS.
Antonio Pinto Chichorro da Gama----------------- 62
Ernesto Ferreira Franca-------------......- 62
Manuel de Souza Teixeira---------------------------- 62
Manuel Paulino de (iouva Muniz Feij----------- 62
Francisco Honorio Bezerra de Menezes----------- 62
Manuel Barbosa da Silva------------------------------ 61
RESUMO rfa volar"10 dos colltgios do Recife, Olindo,
l'o-d'Alho, l\io-Formoso, anlu-Anlao e Aa-
zarelh.
os sus. VOTOS
Antonio Pinto Chichorro da Cama --------------- 460
Manoel do Souza Teixeira----------------------------460
Ernesto Ferreira Franca ---......-.._ 457
Francisco Honorio Bezerra da M iiozcs ----- 444
Manoel Paulino de Gouva Muniz Feij-----------442
Manoel Barbosa da Silva---------------...------434
OMMEttttO.
Alfamlega.
reno-miento do da 22.........
Descarregam hoje, 23.
Patacho Olivtira mercadorias.
Barca Tejo dem.
11:449,321
1 barril vinho tinto; a Manoel do Garvalho toe-
deiros.
10 pipas vinagre ; a Amorm & Irmilos.
110 pipas vinho tinto, 10 ditas dito branco, 2cai-
xotes diversas obras de lalflo, 300 molhos decebo-
las, 20 barra azeile-dce, 6 caixas loncinho; a T. de
Aquino Fonseca.
1 ombrulho diversos impressos; a IzidoroLuiz de
Souza Monteiro.
4 caixas cera lavrada ; a Jos Flix da Rosa.
2 caixotes chapos, bonetes o oleados, 5 fardos ca-
pachos de esparto, 1 ombrulho com 4 chapeos Ira-
deseos ; a Augusto Cczarde Abren.
1 barril vinho tinto; ao desembargador Domin-
gos Nuncs Ramos Forteira.
10 barril vinho tinto, 40 ditos dito branco, a
Doane Youle & Companhia.
4 pipas vinagro, 3 ditas vinho tinto, 5 barris dito
dito, 5 ditos azeite ; a Machado & Pinheiro.
4 barris carne do porco, Sditospeixe, 50 molhos
ceblas; a Manoel Franco.
32 pipas vinho tinto, 50 ancorlas cal, 5 caixas
touciiiho; a Manoel Ignacio de*OIvoira.
4 pipas vinagre, 3 ditas c 5 barris vinho tinto,
5 ditos azeite: a Francisco Severianno Babello &
Filho.
50 barris azeite-dce ; a Francisco Alves da Cu-
nda.
50 canastras batatas ; ancapilfo.
4 pipas vinho tinto, 20 harris lito branco, 10
mei'i.s pipas vinagre ; a Chrislophers & Donaldsnn.
4 caixotes uiarmellada j a Antonio Alies Teixei-
ra Bastos.
39 barris vinagre, I dito pales, 1 dito cbourir;os ;
B Jos Antonio Pinheiro
1 caixa livros; a Bernardo Jos Vicira Coulinho.
Consulado.
ItENDIMENTO DOMA 22.
'eral......................... 377,505
PERNAMBUCO. 22 DE OITUBRO DE 1847.
AO MEIO-DIA.
Ra daCa'leia do Itecife, n. 34, loja de cambio e
de corrtlagem de Gregorio Anlunes de Oliveira.
PRECOS CORRENTRS DE IIOJE.
Moda de prala. Compras. Vendis.
I'alaeoos brasileos--------
pesos co 111111 na res ---------
Ditos da patria --------
. 1111 con coi lar as calcadas dos prodios que S'?
acharern arruinadas, sob pena de screm multados
em 8,000 rs., como marca o artigo nnico das postu-
ras addicionacs de 7 do corrento mez de outuhro.
Freguezia de SanrJos, 21 do outuhro de 1847.
Ignacio dos liis Campello.
Mathiasde Alhuquerque e Mello, fiscal da fregueiia de
Santo-.inlonio, em virlude da lei, ele.
Faz saber aos propriclaros da mesma freguezia,
ue tem.marcado o prazo de 20 dias, contados da
ata dosle, para no decurso dellos serem concerta-
das as calcadas dos edificios que se acharern dete-
rioradas, sob pena de fazer eflectiva a disposicno
do artigo nico das posturas addicionacs, de 7 de
outuhro corrente, contra os contraventores.
Freguezia do Santo-Antonio, 21 de otitubro de
1817.
Mathiasde Alhuquerque e Mello.
---Para a Rabia sabe u sumaca .Santo-Antonia .'."'
Padw, pile recebor alguma carga e passageiros'
na roa do Vigario, n. 5.
Para o Rio-dc-Janoiro segu viagem, a 26 do
corrente o hiato nacional Vertida forrado de co-
bre, ede primeira marcha : para passageiros trata-
se na ra da Cacleia do Recife. botica ir. Para o Ass pretende seguir, no dia 28 do cor-
rente o briguo Echo, capijfto Manoel Pcreira de
S : recebo carga, se a houver; para o que, trata-sa
na ra da Cadeia-Velha armazem", n. 12.
I.('O s.
Declarables,
Acamara municipal dosta cidade faz sesslo
extraordinaria no dia seguuda-feira, 25 do corren-
te, c nesse dia andarflocm praca os objectos decla-
rados no annuncio antecedente.
A adniinistiacno goral dos estabelecimentos de
caridide deoonformidadecom as ordons do Exm.
Sr. presidente da provincia manda fazer publico ,
que no dia 25 \n corrente, polas 4 horas da tarde, I tros'ohjoctos litis e necessarios : quihta-feira 28
na sala das suassessoes ira iiovamente a praca o'do corrente, as 10 horas da manhla no sitio que
rendimento du furo das caixas de assucar, pelo tem- foi desea residencia e anteriormente do Sr. ||en-
--Joilo Keller & C. continuarlo o seu leililo, por 11-
tervenclo do corrotor Oliveira do grande sorti-
mentode-riquissimas sedas, lita c seda, fazenda*
de lila de linhoe dnalgodilo, todas recentemente
chogadas : terga-feira, 26 do corrente as 10 ho-
ras da manhfla no seu armazem da ra ida Cruz.
O corretor Oliveira far leiliio da mobiliao per-
tencesda casa do Sr. Edward Fcnton, prximamen-
teretirado para a Europa consislindo o 111 mesas du
sala e de jantar, consolos, guarda-roupns, so-
cadoirasde varias qualidades inclusivo do balanco,
phs marquozas toucadores, leitos do madei-
ra o de ferro, com modas toucadores, un lindo
piano de excellentcs vozes espelhos grandes lou-
c,a do mesa o para cha ; cristaos trem do cozinha e
lo agricultura um carro de 4 rodas e iludios 011-
Modas de 5 francos--------
Ditas ilte 2 patacas-----------
Ditas de 1 dita......
1,980----------- 2,00(1
1,970 ------ 1,990
1,800...... 1,820
t,00 -..... 1,620
1,280...... 1,290
610------------- 660
M"'ilus deouro.
Pocas velhas.......16,200-------------16,300
Ditas novas......- 16,000-------------16,100
Modas de 4,000 rs.--------9,100----------- 9.200
Oncas despalilllas--------29,000 t*.- -- 29,200
Ditas da patria---------------28,800 29,000
Soberanos.........8,900 -^- 8,950
Descantas.
-Cpmprani-se letlras de boas rma,s do commercio
a "por ",'0no mez, vencimentos at dezembro de
1817, e venilem-so a 1 1 /8, venciiuoulos at Janeiro e
fevereiro de 1848.
,CamJ)io sobre Londres 27 3/4 a 28 d. por 1,000 rs
Por procuraeflo de G. A. de Oliveira
Manuel Joaquim Silveira.
Fi
.IIovidcmIo Navios entrados no dia 22
Liverpool; 42 dias, polaca austraca Abdel-Kader, de
200 toneladas, eapitflo Luca Dulieta, equipagem
9, em lastro-; a ordem.
Porto; 32 ilias, barca portugueza Espirito-Santo, de
303 toneladas, capitflo Antonio Ferreira Leito Ju-
niur,equipagem 25, carga vinho, ferragens e mais
gneros; a Francisco Alvos da Cuoha. Passageiros,
Jos Dias de Paiva Malla Jnior, Rrasiloiro, Emi-
lia Roza Rodrigues o seu filho Francisco GonCal-
vi's Braga, Ignacio Sinith de Vasconccllos, Anto-
nio ^Francisco Corrcia JoflO Antonio do Faria,
Jos Pedio Ganges de Miranda, Antonio da Silva
Maia, Manoel Goncalvos, Manoel Jos Carneiro,
Antonio Francisco da Silva, Custodio Jos, Manoel
Francisco Relva, Joao Pinto da Cosa, Ignacio Ito-
> drigues de Carvallio, Francisco Poreira e Silva,
los l.uiz Ferreira lbeiro, Raphael Antonio Hrau-
dflo, Josc Concalves, Manoel Joaquim Peioiracb-
Mello, Manuel Joaquim Bapiista, Jos da Silva
Santos, Joilo Pereira Alves, Jos Joaquim Vieira,
l.uiz da Silva, Pin Inguezes.
Rio-(;rando-do-Sul ; 26 lias, brigue brasileiro San-
ta- tlaria-llou-Sorle, du 222 toneladas, equipagem
16, carga carne; a A11101101 Irmilos.
Rio-de-Janeiro; I3ilias, brigue brasileiro Row-Je-
sus, capitflo Pedro Jos de Sales, equipagem 14,
carga plvora, armamento do governo e mais g-
neros do paiz; a Gaudino Agostinlio Passageiro, Carlos Augusto Bilancourt cun um
escravo a ontiugar.
Terra-Nova, 48 das, brigue inglez Guiare, do 186
toneladas, capitflo Wilham Anderson, equipagoiu
10, caiga 2:175 barricas com bacalliao ; a.Me. Cal-
iiioni 61 Compauhia.
A'aei'o sahido no mesmo dia.
Liverpool; brigue iuglezCict/y, capitflo John Chris-
tie, carga a mesma que trouxe.
EIHTAE&
IMPOUTAGAO'.
Noto-fencedor, brigue portuguoz, vindo de Lisboa,
entrado no crrente mez, consignado a Thomaz du
Aquino Fonseca, manifeslou oseguinte :
6 pipas vinho tinto, 2 ditas dito branco, 13 barris
dito dito, 5 ditos dito lint", 1 cesto ; a Oliveira Ir-
mflos& Coinpanbia.
12 caixus uvas ; ; Manoel Maximianno Guedes.
24 ancuretas vinho tinto ; a Mondes 61 Tarroso.
10 barris vinho branco; a Jos Antonio de.Maga-
I hiles.
18 pipas, 34 meias e 25 barris vinho tinto ; a F.
II. I.utlkens.
2 barris vinbo ; a Silverio Manoel dos Res.
Miguel Archanjo Monleiro de Andrade o/ficial da im-
perial ordem da llosa, cavalleiro da de Chrislu e ins-
pector da alfandeya de l'ernamliuco, por S. M. o
imperador, que Heos guarde, etc.
Faz saberquenodia23 hujnj ao mcio-dia, na por-
ta daalfan.leg.i, se lia de arrematar um hasta publica
urna caixa Com 50 espadas linas no valur de 500,000
rs,, impugnadas polo amanuenso Domingos da Silva
Cuimariies, na nota para despacho do f, U Biober
6 C. : sendo a arromaia<;flo suhjcita a di re los.
Alfaiidega, 22 de outuhro du 1847.
Miguel Archanjo Monteiro de Andrade.
po que docorrer do dia da arremataeflo a 30 deju-
nho de 1848 sob as cundieres que serflo presentes
aos licitantes osquaes di-vorflo ir munidos deseus
iadnres. Administracflogeral dos estabelecimentos
deearidade ,20 de outuhro de 1847. O escritura-
rio, Francisco Antonio (Pataleante Cousseiro.
O arsenal de guerra compra 200 ineios de sola
c 6 toneladas de carvflo de pedra : quem dito gene-
ro quizor fomecer, mandara sua proposta em carta
fechada, e as amostras, a directora do mesmo aise-
nal, al o dia 25 do corrente mez.
Arsenal de guerra, 21 de outuro de 1847.
Jodo Ricardo da Mira,
Amanuense.
:.va=iLB. ttow Vj&JEnm
THEATRO PUBLICO.1.
RcnrfciO da primeira flama,
Joanna Jlaria de Frcitas
G-imhoa.
PEDROSEM,
Que jd leve, hoje nfto tem.
A anciodailecoinque o rospeitavel pu-
blico espera a repcticS desla grande pe-
pa, o lioin (Icscmpenliu com que foi execn-
latla, esse majestoso (piailro da entrada
dos dezoito navios da India, deque se
compunlia o rico comlioyde l'edro-Seni,
e que deixou exlasiados os espectadores
pela delicadeza e liobilidade cun que se
desempenlion o ponto de ptica, a bcllissi-
ma vista da Villi-iNova de-Caia, ludo
decidi a benellciada a prem scena est**
grande drama, que muilas pesso >s jtilga-
ram impossivel de ir scena, e que tanto
delcilou os espectadores. >enle, porm,
nao poder ir ou mandar repartir os sena
camarotes'e billieles, pelos muitos af.ize-
res de seu esposo ;mns, celta ns syinpa-
tinas dos sens concid idaos, espera que
estes concnam ao ibcatio, ou ao boli-
quim junto ao mesmo, onde se vcndein os
camarotes e hilheles, para domingo, i!\
do corrente.
J'uhlicacfio Li Itera ra.
Sabio a luz, e acha-se a venda na botica da ra
da Cadeia Vclha do Itecifo, n. 3, o romance origi-
nal Nossa Skmiora dos i.imuihii.-, em dous
volumes, preco 4:000 rs.
O autor que mu coidialmente ama Pernambuco ,
esta bella provincia, que tflo geuornsamento o ac-
colheu na sua desgraca, por um esforco, em ver-
daile supeiiur ao seu laleuto, avonlurou a sua pri-
meira prodcelo liIterara ueste genero, dedicando-
a a objectos pernanibucanos. Oassumplo era digno
de penna mais aparada ; porm, se olla o mo des-
creveu, como ello pidia, servir po menos de in-
centivo a outras para lucidor u tralarom.
O aulor uo pede indulgencia; antes conta e es -
pera que osjudiciusos crticos O advirtam, para que
possa corrigir as multas inadvertencias, de que,
como esta convenciilo, ha de abundar este seu tra-
liallio : uoso ufana elle de romancista, nao ; por-
quaulo conhece que para o ser Ihe falta, alm do
genio sublime a somma de. maleriaes para isso
imlisponsaveis. Sera tachado de emprehendedor mi-
ando, e com rasflo; nfld o dcsconheco : mas, so o seu
animo o impellea taes emprezas, tambem est dis-
posto a recebor o meiccido castigo' da cordata cii-
lica dos sainos, e mesmo dos entendidos o da des-
lemperada maledicencia daquetles quo crilicam tu-
llo e do ludo.
ry Gibson antes de cliogar c prximo ao em que
residi o F.xm. Sr. Barilo da Boa-Vista, na Passa-
gem-d a-Magda lena..
Jos Joaquim |)ias Fcrnamles far leilflo de 26
barricas de cerveja branca ; ler^a-feira 26 do cor-
rente as 11 horas da manhla, no caes da Alfande-
ga armazem do Sr. Antonio Anuos.
Avisos diversos*
avisos martimos.
Ignacio dos Re
Para o Bio-Crande-do-Sul partir dentro em
15dias, o brigue brasileiro Espirito-Santo, capitflo
Alexaudre Jos Alves; para passageiros offerecc
excellentcs cominodos bem como para escravosa
lelo: os pretndanle* dirijam-so a Firuvinu Jos F-
lix da Rosa, na ruado Trapiche, n. 44, ou ao capi-
lilo. .
Para a Baha segu viagem, at o fim do corren-
te niez, o Late lloa- Viagem, por ler a manir parle
da carga engajada :quem 110 mesmo quizer cane-
... j.. ;. -je. Jgar,ou ir de passagein, dirija-sc a lui de ferragens,
us Campello fiscal da freguesa de San- \fui[0 a arco^a lf0ceicfloJ '
Josc, em virtud* da le, ele. ._ ,, 0 Ki0.do.jallei,u sabe o brigue-escuna
-----------------brigue-escuna
lem marcado o prazo de 2i) dias, contados da da- 1 Amazonas : para o resto da carga, passageiros o es-
ta deste, para os proprietarius da mesma freguezia |cravos, trata-se na ra do Vigariu, n. 5.
MESA GEBAL.
O secretario da irmandade de N. S. ilo Tori;o
convida a todos os irmilos da mesma para compa-
rccoroin domingo, 24 do corrente pelas 8 horas da
mantilla no respectivo consistorio aflm dse pro-
ceder eleicflo da mesa regedora para o anuo fu-
turo.
O TRIBUNO N. 32
est a venda na praca da Independencia, lvraria
ns 6e8, s 10 horas da mandila. Cada vez melhor,
procurem, e ajudnm assim ao redactor.
O TRIBUNO N. 33,
amanhffa ao meo-dia ser distribuido, e se vendo
em m:1o dos distribuidores. Esta no mesmo gusto o
estylo.
--0 juiz da rmndade do Santissimo Sacramen-
to ila freguezia de San-Jos convida 11 todos os ir-
mlos para se reunrcm om ine.-a geial amanhfla,
24 do correle, polas 4 horas da larde, no consisto-
rio da groja de N. S. do Terco, alim de eloger-se a
nova mesa c tratar-so da fesla do Orago.
Flix Cyprianno da Silva Teixeira avisa a todas
as pessoas que tiverem penhores em sua inflo de os
ir tirar no piazo de oito dias ; do contraro, se-
rflo vendidos para pagamento de principal e juros.
Aluga-se um moleque de 16 annos,.que sabn
lazer ludo o sorvico do una casa-. na ra da matriz
da Boa-Vista 11. 33, segundo andar.
Aluga-se o segundo #)dar do sobrado da ra
doQucimado, n. 8 : a tratar na loja do mesmo so-
brado.
Precisa-so de dous olTiciaes de chai uteiros : na
ra Vclha, n. 101.
Precsa-se de um caixeiro portuguoz de 12 a
14 anuos, que tenha alguma pratca de venda, an-
da mesmo dos ehegados ha pouco de Portugal : na
ra de Aguas-Verdes, n. 48.
O Sr. Manoel Joaquim Ferreira da Silva Braga
queira dirigir-se ao capitflo do brigue portuguez
Mara-Felit, a negocio do sru interosso.
Aluga-se urna casa terrea sita na ra do Mun-
do-Novo n. 31, com bous com modos : a tratar na
ra da Senzalla-Velha n. 70.
Furlou-so, da Punte-de-Ueha, da casa do ma-
jor Miguel Aflbnso Ferreira, um cavalloruco, cum
algumas pintas de pedrez que he capado e rabilo.
~ Aluga-se para a festa o sitio do Sarava ,'no
Caldeireiro com bastantes arvoredos bom poco
d'agoa porto do hanho : a tratar na ra do Mon-
dego n. 95 ou na praca da Boa-Vista, venda
n. 4.
Quem ti ver e quizer alugar um preto sado o ca-
paz do sorvico do campo, dirija-se ao Alerro-da-^
Boa-Vista, n. 39, casa do doutor Nahuco.
Aluga-se urna casa com bastantes commodos
para qiialqner familia ; nutra dita pequea : ambas
ao lado da igreja do Itehiribe com quintal e fun-
dos para o rio: a tratar no Alcrro-Ja-Boa-Visla ,
n. 47, segundo andar.
O Sr. Gamillo Jos da Silveira Tavera lem urna
carta de sua provincia, na povoaco dos Remedios,
onde, paraobtc-la, devo fallar com o Maeambira.
Precisa-.se do urna ama de leite escrava : na
ra da Peuha, n. 23.
Precisa-se de um caixoiro portuguez : na ra
do Cellegio, n. 15.
A uloriso ao Sr. Manoel Lourenco
Carneiro Monteiro para poder cobrar os
dbitos, tanto nesta pieca, como aonde
for necessorio, do abaixo assign-uio.
francisco Jotu/tii/n Duarte.
Urna senhora do bons cuslugies se encarrega
da eiiarflo de meninos de peito, tanto impedidos
como desimpedidos ; assim como lambem recebe
os mesmos para desmamar, no que prometi esme-
rar-se : quem do seu presumo >e quizor utilisar, di-
rija-so ao sobrado quo tica dofionte do boceo do do-
funto Jos ila Ponha, n. 30, terceiro andar.
OfTerece-so para caixeiro de nadara um rapaz
portuguez, que tem bstanlo pratca do dito nego-
cio, e que da liador sua conducta : na ra do A-
goas-Veidos, n 17.
Aluga-se urna preta quo sirva para vender fa-
zendas cum nutra pessoa : na ra do Vigario, u. <9.
Pr.oviiic-so ao publico para que iiingein con-
trate sobro a compra ou venda da escrava Theodo-
sia, crioula, de guacia Guilherniina de Oliveira;
purquanlo a mesma escrava se acha brigada a quan-
tia lomada por uiupresliuio para a compra da mes-
ma escrava.
Alua-se o segundo andar do so-
brado da ra da Cruz, 11. 1, '- -
_



Est aborta'tima subscripto para-compra do uma
typographia Popular, quo se ponha no lugar da Mi-
'zarena, e para isto convido a lodos os interessados
na defcsa dii liberdade a concorrercm como po-
derem.
Me thesoureiro o meu amigo o Sr. Victorino Fran-
ciico dos Sanios, o qual dar reribo n quem quizer
para restituir as quanlias dadas, no caso de so n$o
efTcctuar a oompra da lypngrapla : a residencia do
dito thesoureiro ho na ra do Itangel, n._5t.
He aconto dcsta snbscripcao o mcu amigo o Sr. Ja-
cob deSaniiag, com loja de atraate na ra Nova ao
pe d*Conreic3o.
Ossenhores quequizo'rem concorrer para tito til
lim, o lano nossohredilos lugares Agora, mais que
nunca,' temos necessidade de uma imprensa pola
qualpnssa o povo advogara sua causa contra-esses
tenhoitt que o npprimem.
Espero que o povo se mostr digno da liberdade,
concorrenuo promptamenle.
Recito, 21 do outubro de 1817.
Antonio llorges da Fonseca.
Nodia (Odo correle desappareceu, doestaleiro
do Joaquim letal, na na da Praia-d-S.-ltita-No-
va urna canoa aberta que pega em 500 lijlos nfln
tcm taimas no Tundo e uem no paneiro; Icm duas
arplas uma na proa e mura na popa. Knga-se a
qualquer pessoa que da dita canoa srtiha de parti-
cipar na ra larga "do Itozario podara n. 18, que
se gratificar coni 5,000 rs.
- Permuta-se a casa terrea n. 3, sita na ra dn
Rom-Siircesso, da cida le de Olinda, com duas salas
na frente, qualro quartos, cozinha dentro, toda
reedificada de novo, com um sitio soffrivel, chaos
proprios, por nutra qualquer no bairro de Santo-
Anlomo oh Itoa-Vista; prefernilo-se ser na Soledade:
na na de San-Francisco, casa n. 24, ou ue praca da
Boa-Vista, n. 6.
Joo V"gites fabricante
ainador de piaiius, na ra
do reeebeu, pelos ltimos navios ebegados do Franga c
Inglaterra. um grande sorlimento de aviamentos de
primeira quallado, proprios para o fabrico dos
meamos : bem como cordas, camorras o claves. O
mesmo faz qualquer concert, por grande quo seja,
e lambern alia : ludo com brevdadec perfeicHo.
J|CH \PKOSI)ESOLg
Rutt (lo i'asseio*Publico, n. 5.
Joao l.oubct participa ao respeitavel publico, que
reeebeu, por estes nllmos navios francezes, um com-
pleto sorlimento de cbapos de sol, de seda, amis
rica e superior qualidade; furta-cores e nutras mui-
tas enaltecidas, tanto para hometis, como para Sras
e meninos. No mesmo estabelecimento lia um sorli-
mento de cbapos de sol de paninho, dos mais mo-
derno*; dilos milito grandes, proprios para bomens
decampo : tambero tem cbapos de sol de paninho
para meninos c meninas, por serem muito linos: po-
dem-sc chamar chapeos de economa. Na rnesma loja
ha sorlimento de bengalas, bengalinhas e chicotes
muito modernos; cobre-se qualquer armaciio de cba-
pos ile sol, com sedas de todas as cores cqualida-
des. Na mesma casa ha um grande sorlimento de
pantiinlios trancados e lisos, imitando seda, para
cobrir os mesinos: desta fazenda se vende areladlo.
Concerta-se todo qualquer chapeo de sol, por bayer
um completo sorlimento de todos os perlences para
os mesmos, com toda a pe feicflo e brevidade.
. -- Na madrugada do dia 21 do correntc desappa-
receram, do porto da senaria junto ao lltcatro ve-
llio, 3 prancliocsde lomo com a marca De quem
dos mesmos praneliOes der noticias na serrara da
ra da Cadeia de S.-Antonio, n. 13, ser gratificado.
Uo^a-so ao Sr. thesoureiro da lotera do Ihea-
tro publico', que rrio pague o mcin bilbete n. 1881
desta que est annunciada para correr no dia 29 do
con ente mez em virtude de se ter desemeami-
n liado,
Aluga-sc um moleque, ou mulalnho que nao
exceda de 10 a 12 aunos para o servico interno de
uma casa de pouca familia : no paleo do Terco ,
n. 13, a qualquer hora, se achara com quem tratar.
Prccisa-se do um preto, ou moleque coztnhci-
ro : no AterrO-da-Boa-Vista n. 1 primeiro an-
dar.
Procisa-se de urna preta.que saiba fazer o ser-
vico ordinario de uma casa, o. seja diligente : quem
a live're quizer alugar dirija-so a ra da Alegra
n. 9.
Precisa-sc de ofliciaes de babuleiro edeapren-
di/."s : na na do Collegio, n. 13.
GHAT1FIG \CA' iolooo RS. B
L)esemc 17 do corrente, da ra do Viga- lij,
no, n. j4- ,"" caboclihlio de no- iji
me Vicente, esi iwo, secco Jo cor- jjr
i ^t
ip po, com camisa Je algodao j su- j-
ja : tem no antis, duas le idas de |U
bobas ; foi visto chorando no For- ^
ipj le-ilo-laltps, depois foi condu- UjJ
|&*'do para Sanlo-Anlonio por uns lili
jj meninos e mol ipics, e '*' -- *-!
noticia ipie paasou a
LOTERA DTHKaTIO.
Contina a ser interrompido o andamento das
rodas desta lotera que nflo pddo ser realisado no
dia i:do corrate, pelo bem pouro adiantamento
que teve a venda do resto dos bilhetes. Por esta ra-
slo be o mencionado andamento transferido para
o dia 29 deste mez.
~ Aluga-so um sitio na Capunga, na estrada
quevai para a Uaixa-Verde, com estribara qHar-
tos para pretos cacimba com bomba de pndula :
a tratar na ra da Penha, n. 33.
Alugam-se duas casas terreas no sitio Cordei-
ro, umaa margem do rio Capibaribe. rom com-
modos para grande familia cozinha fra estriba-1
na eaoulra no fundo do mesmo sitio, tanincm
com bastantes commodos para familia : os preten-
dentes para ver dirijam-sc ao mesmo sitio e para
Iratar a Gabriel Antonio, no pateo do Carino, n. 17.
Dentista.
Ir,
I
ti
I
depois b
M. S. Mawson, dentista bem ennbecido nesla pro-
vincia, Jendo agora ebegado da Kuropa.e tendn vi-
sitado ascapilaes de Londres e l'aris, donde trouxe
os melhores objectos da sua prolissilo que al boje
se conbaccm, como novos instrumentos, denles e
mais neeessarios para qualquer operadlo da sua ar-
te ofTerece seus serviros aos mostrea habitantes
desta cidade, conforme a sua tabella lixa, e promet-
a fazer tiidos os esforcos para agradar as senlioras,
ou senbores, que o quizerem procurar, das 9 horas
a manlia al 3 da tarde na ra do Trapiche-No-
vo do Iterife, n. 8, s gundo andar.
Aluga-sc o segundo andar da casa n. 3 da ra
da Cadeia-Velha. Na mesma casa vende-se o acre-
ditado espcrifico para fazer nascer o cabello, viudo
da cidade de lirada.
O Sr. domingos Jos do Azcvedo procuro uma
carta viuda de Portugal, na ma do Hangel, n. 50
Aluga-se, pelo lempo da festa, urna casa no
Pocn-da-Panclla A margem do rio, junto a casa on-
de inoroii o sacristlo da matriz : na ra do Queima-
do, bolica ii. 15
-- O professnr de injlez e franeez do enllcgo S -
Antonio da licOes as ditas lingoasem casas parti-
culares: quem de sen prestimo se quizer utilisar
dirija-se a loja de livrosdo paleo do Collegio, n. 2.-
KgMio llcnriqucs da Silva ensina rhetorica,
geometra e geographia, a 5,000 rs. mensaes; e -
quelles quo mo estivcrem as circumslaiicas de
poder pagar o preco, ensinar dous dos ditos ramos
pelos mesmos 5,000 rs. mensaes. Quem se quizer
utilisar do seu prestimo o procure na ra de
Moras, no primeiro sobrado da casa n. 22, das 8
huras da mauhila at as 7 da noite.
Igrcja do t'orpo-Santo.
A mesa regedorn da itmanriade fio SS
Sacramento da Ireguezia de S. Pr.-I'e-
dro-Goncalves d.i Recite convida eroga
lodos os seus iiruaos pata compare-
cer m em mesa geral domingo, 2^ do
corrente outubro, pelas (jhoias da ma-
nbaa no seu respectivo consistorio,
aliui il'aili .se tomarem deliberacocs ur-
gentes que' muito inleressom, nao .s
ao bem -estar e necesaria decencia da
mesma irmandade, como, c aiuda mais,
da piopria igreja
AVISO AO PUBLICO.
"Oemprezario do theatro, vendo um bilbete de pla-
tea com a pega Branca e batiero para o dia 28, a-
visa ao publico, que esso Sr. beneficiado ceiili'iloii
o da 26, aliancado pelos Sis. Anuda e (oncalo Fran-
cisco Marlins, o que pode ver na tabella dOS baila-
flciosj marcada a vista do dito lieneliciadn : porlan-
to, baja de quanlo antes emendar a data do dito be-
neficio, para certeza do publico o nao comprometti-
iiiento do emprezario.
0 IIDADOB N 222*
acha-sc a venda : recommenda-sc a leitura deste nu-
nicro, pela importancia -de sua materia.
a----------------- '..'..' -j___a -i
41(iii|iras.
noticia sera
generosamente tecoiii
pi penando na dita casa cima
Tl ajusta'
ponte da BjJI 45.
- i ta
Compra-se urna cabra de leto: (bicho) na ra
do Collegio armazem n 19.
~ Compram-se 2 moleques de 16 a 18 anuos: na
roa da Cadeia do S. -Antonio, ti. 19, primejro an-
dar.
Compra-.se um braco de biUnca ,
concbas e pesos ou smentc o braco ,
sendo do aulor Boniao & Cotnpanbia e
que seja proprio pirra aiiiiizein de assu-
c.it: n-i ra do Trapiche, armaiem' n ig.
Compra-sc prata muida, dndose premio : na
na ra taiga do Itozario, botiquim da Cova-da-On-
i;a n. 34.
Compram-se diariam.ente pontasdeboi: na
travessa da tladre-de-l>eos, armazem n, 8.
-- Compra-se urna esclava que saiba cozinbar c
engnmmar : na rua Direila, n. 21.
--- Para f;a da provincia compram-se alguns es-
cravos peritos nosollicios de pedreiio e de car pi-
na, sendo vistosos e mocos, os quas, agradando 0
ndo-se, pagam-se bem : na rua da Cadeia,
Boa-Vista : <|item do mesmo der juM Compra-se um diccionario de Cons-
ucio, em poi tiigiiez, que estej-i em bom
id
()ITerece-se para ama de qualquer casa urna
muiherde bons coslumes : na rua Nova, n. 18, se
dir quem be.
Aluga-se a asa da rua do Sebo, n. 15, com
commodos para grande familia : a tratar na rua Ve-
Iha n. 87
Cornelius Dal subdito dinamarquez retira-
se par:1 o Kjo-de-Janeiro.
-- Aluga-se um sitio para se passar a festa com
commodos para familia e com Inicias de todas as
qualidades : a tratar dentro da ribeira da Boa-Vis-
sa, n. 25, confronte ao aQougue.
-- Aluga-se urna prela escrava para o sorvigo de
2yalqiier casa de fam ilia : a tratar com Manuel Lu/.
Veiga na rua da Madre-Deos, n. 36.
uso, e completo cm suas pagines
tiver annuncie.
quem
V cila.s.
Loteria do iio-de-Janeiro.
. Aos 20:000^000 de ris.
Na rua da Cadeia do Iterife loja de cambio do
Sr. Vieira n. 24 estilo a venda bilhetes e meios
ditos da terceira loteria a benecio ila fabrica de
papel de Zeferino Ferrez. A elles anles que ebegue
o vapor. F.stes bilhetes vflo rubricados por Vieira da
Silva.
SOBVETK A -'00 RS.
Nodopnstto decharutos da rua da Cruz, n. 51,
haver snrvcto das 6 horas do larde em (liante, fei-
lo com todo asseio-, e das fruas que for pos-
sivel arranjar-se.
- Vendem-se 5 bieudos, 3cories, uma pata-
tva i checheo todos muito cantadores; uma sa-
ina da malla quo cania noite e dia : ludo por prc-
<;o muito commodo : na rua Direita, n. 30.
Kicos bicos de blon-
da largos,
ditos de soda e linhn; sedas brancas o de cores, pa-
ra vestidos do senhura; sarja prola hespanhola; um
variado sorlimento do lavan de pellica, para senhnra
e homem; luvasdo seila prctas o da cures, para fto*
mem e senhnra; chapos pretos francezes do mu
lindas fui mas; sapalusde couro de lustro, para ho-
meui, senhura o nn-iiiia; ditos de seiim. para se-
nhora o meninas; meias de seda |iretas'e brancas,
para senhnra e meninas; creps cor de roza, -azul,
branco c crtr de palha, e as cores mu) lindas; borze-
guitis de senhura, o um rico e variado so'timento
de perfumaras linas, leques, lencos de algoiblo que
muito imitam seda, chales c mantas para senhora,
e oulras militas fazeudas que se vendein por mdi-
co praeo : na rua do Cabuga, n. 11, loja do .Manuel
l'inbeiro de Mciidnuca.
Madama Millochau com casa de modas fran-
cezas na ruado Alerro-da-Boa-Visla, n. 1, pri-
meiro andar reeebeu pelo ultimo navio fiaucez,
a /.ilia um grande sortimenlo de chpeos de palha
para senlioia mcnyiose meninas; ricas litas de
todas as larguras ; lucos de blondo ; um bonilo sor-
limento de lucos de linhn verdadeiro ; bicos a imi-
tag.lo muito largos para cabeefio ; ricas cinturas
de senhora e meninas ; corles de vestidos borda-
dos decores; gravatinhas do fita ; collarinhus e
camisiiibas bordadas para montara ; ntremelos
e liras bordadas ; filos de liulio ile todas as quali-
dades ; filos do hico preto, muito mais elegantes
que a seda, para mantas ; visitas o manteletas;
cambalas lisas o bordadas; divas de retro/, para
senhora e meninas; lencos de nulo de cambraia
de Imito, e cmbrala bordada o Imprimida: cortes de
vestidos para casamento ; dures para os ditos; se-
das de todas as crese llores para chapeos de se-
nhora ; e nutras militas fazeudas quo se vendeao
por preco mnilo rasnavcl. Na mesma casa conli-
na-se a fazer chapos vestidos, e em geral ludo o
mais do toilette das senlioras.
Na livraria da praca da Independencia, ns 6 e
8e em Olinda, rua do Amparo, botica do Sr. Itapo-
so, ncha-se a venda urna valsa para llauta com a-
companhaniento para violflo, com posta e impressa
tiesta cidade. I'reco de cada exempiar 320 rs.
Vendem-se 3 lindos moloques de 18 a 20 an-
uos ; 4 pelos de 25 anuos sendo um nllicial de sa-
paleiro nutro de pedreiro oulro bom carreiro e
oulro proprio para lodo o servico ; dous partios de
16 a 18 anuos sendo um carreiro e o oulropro-
prio para pagem ; duas pardas, uma de 20 anuos,
com habilidades c a outra de 12 anuos, propria
para ser educada ; 5 pelas de 20 a 30 anuos com
labilidades ; duas ne^rinhas de 11 a 12, com prin-
cipios de habilidades : na rua do Collegio, n. 3, se-
gundo andra, se dir quem vende.
(Iiegueiii ao barato !
Na rua do Crespo, n. 14 vende-se algod.to en-
trancado azul e meselado fazenda muito encorpa-
da c propria para trabalhadores e para eseravatu-
ra pelo barato pre^o de 200 rs. o covado; algodao
liso americano muito encorpirtlo, a 200 rs. a vara;
brim branco trancado de algodSo, a 400 rs. a va-
ra ; dilo misturado a 4b0 rs. a vara ; dito de puro
linhn superior fazenda, a 800, 1,000 a 1,280 rs.;
brins francezes, de quaqros e listras, a 320 rs. o
covado; meias casimiras de algodflo de ricos pa-
tlies a 440 rs. o covado; Ias de quadros o lis-
tras de superior qualidade a 800 rs. o covado ;
merino muito largo a1,280 rs. ; princeza lina a
800 rs. ; franklim multo lino a 640 rs. ; superior
selim macan pata eolletes e vestidos a 3,000 rs.;
lencos le selim de muito bonitos padres ,.de qua-
dros e listras, para grvalas a 1,800 is.; ditos es-
culos, francezes, muito linos para tabaco a 400
rs. ; cussa-chilas de ricos padrOei, a 3 500 ts. o
rrle ; chitas escuras de listras, ricos padrOes, a
160 rs. e de cines iniiilo lixas a 180 e 200 rs.;
ditas de ramagem ede cores lixas, a 200e240-rs. ;
casimira ama relia para coeiros, a 1,000 rs. o covado;
pecas de llmdapoluo a 2,6(10, 3.000, 3,600, 4,000 ,
4,500 e 5,000 rs. ; dild entestado a 5,500 rs., e a
vara a 140, 180, 200 e 240 rs. ; cassa de quadros,
muito larga, a 320 a 360 rs.; cassa lisa muio larga ,
a200rs. avara; meias para meninos de 4 a (anuos,
a 160 rs. c para meninas a 200 rs.; e oulras mu-
tas fazeudas por barato preto. Assegura-se aos Sis.
compradores que (odas estas fazeudas rulo teem
avaha c sao de muita diiracio.
AOS F.STI DANTES.
Vetide-se um jogo de diccionarios iuglezes, por
Vieira e da edigflo ultima, volumes grandes e no-
vos, por preco inenoi que em outra qualquer parte
na rua do Collegio, ti- 10, primeiro andar.
Vende-se uma prela do 12 anuos, com prin-
cipio de costura e que nilo teii achaques de qua-
lidade alguma : na rua da S -Cruz, venda n.|5.
Veiiieoi-se 3 moleques de 12 a 16 anuos; um
eabrinha de t2 anuos; 4 escravos do uacao ; uma
negrinha de 12 anuos ; 4esclavas de 20 a 28 anuos:
toaos do-sea contento: na rua Direila n 3.
Vendem-se duas esclavas mogas, sadias e
muito diligentes, uma dallas fax lavarinto marca,
cuse rhao.lein principios deeugomihar, de coziuhar
e de fazer doce, e a nutra lava ptimamente, cuse a
tem principios de cozinha ; ambas sao pruprias para
todo o servico por seren muito novas : na rua
da Cadeia (lo Itecife ni 53, terceiro andar.
Vende-se o resumo das operaefles de nteiros,
proprio para as aulas do 80X0 femenino pelo di mi
uto preco de 240 rs. ; dito conlenJo quebrados,
decimaes, proporcOcs etc. para meninos, a 640
rs. : na loja de Jorros d Sr. doutor Cutinho es-
quina dtfronle do Collegio.
Vendem-se duas encllenles canoas de carrei-
ra com proporcOcs para so abrrem ; e traveja-
menlo de 30 a 40 palmos: no Forte-do-Matlos a
fallar com Lima Jnior iCompanhia, ou com Jos
Antonio da Silva Viaiina.
Vende-se um escravo de naco bom cozinhei-
ro : na Soledade n 52, a fallar com Benlo Fernan-
des do l'asso.
Na rua da Cruz n 43, vende-se doce de ta-
marindos para refresco, cm frascos de 4 libras pn-
ico mais ou menos, por preco commodo.
l'cciiiiicita.
No Aterro da Boa-Vis,' '"j-1 n- 78
vendem-se spalea ele be/erro, para ho-
mem, obra boa, 1,280- rs.; ditos de lus-
tro, a ^oo rs, ; bei^allinhas para pas-
seio, a 'Sio rs.; e btins de b-zerro, pa-
ra homem, a
2,800
is.
II i I liar 110 Passeio.
Oh que pechincha appareceu ueste lempo .' Correi
cedo, reguezes, antes que se ac bem os sorvetes do
ananazes, a 200 rs. o copo : domingo, das 5 horas
da larde em diante.
<*mm*mm:MM*-*,m>*m i ***
1'riin i /lim !
-*^lJt,i-J?ajiimi!-...
:
Eleva la voz, excelsa Fama !
.1 anuncia as mu bellas Princczinas ;
Lindo adorno qvt serve a toda dama, ']>
Sejum vetlias, ou niaras, uu meninas. jj$
'.i
Antonio Lu/, los Santos S Coinpanliia, com ,, .
loii ile l i/endis na na iln r.reipn n. II, recebe- .
(. rain pelo ultima navio francei chegido a este :*.
jj piulo os mais ricos e bellos rolles de vestido
i para senhora ao ultimo gasta de l'.iris, onde esta |#
I [alenda he drnoinin idaPrincptlna .nao he f
Si possivel j des e sublimes rucamos; por isso liinitamo-nos jy
j. a diter que seus di Meados padres sao nao ino- jm
S dernos, como de urna especie nunca vista.
A cor azul, o verde aaio,
O n) ro ftno, a Car de rosa,
Vista de perto, he teittaco,
Ao longe mu calurosa.
\o \terro Vista, loja n. *&/i,
vendem-sebrins francezes, de cor,
telo baralisimo prego de 280
ris o covado : esla f.izenda he
nttiit, bem acabada, e nao des-
bola.
Vende-se urna casa terrea sita na rua do Mon-
dego, n.40, com 4 quartos, 1 salas, gabinete,
cozinha, copiar lora, bom quintal murado, cacim-
ba em chaos proprios por preco commodo : na
mesma casa ou tiesta ty'pographia se dir quem
vende.
Venfle-se una taberna em muito bom lugar,
para vender para a trra com os fundos de 700/
rs. pouco mais ou menos, e livie de alcaides : tam-
bem tem commodos para pequea familia; seu alu-
guel he minio barato: na rua larga do Itozario,
venda u. 33, se dir com quem so deve tratar.
Vendem-se 3 casas terreas na estrada do Ci-
11ii i,i junto a ponto sendo duas do taipa e uma
Je pedia e cal com quintal e arvores de fructo ,
boa agoa leudo una dellas boa armacflo para ven-
da o offerecendo bous arranjos para um estabti-
leciment o para familia : a tratar na rua da Mo-
ila n, 7. adverte-seque se far lodo o negocio a
bem do comprador.
Vcnilem-se os seguinlcs escravos,
icliatjties : i negras, de 10 n >.i annos,
boas luvadeiras, rpie eozinbam o dia-
rio de tima casa, e eozem ; urna mulata
da mesma idade, e com igaaes liabilida-
des; um mnfalo, de t ^ a 16 annos, pro-
trio pma lotlo o setvico; i dilos de tG a
18 anuos, sendo um perfeito ollicial desa-
o
i
nateire
ra paw
um nial itinlio
do Crespo,
vende.
oulro alfa ia te, e proprios pa-
um moleque de i2 annos ; e
de i para 8 annos: na rua
Loja n. i A, se dir quem.
Cabello preto.
Contina -se a vender a agoa de tingr cabellos e
suissas : na rua do Queimado 31. O methodo de
applicar a dita agoa acompauba osvidros. |
STa nova loja do laVseo-Pu-
blico, n. 17,
vendem-se cortes de tarlatana de muito lindos e
modernos padracs, a 3,0O rs ; chales do cassa bor-
da escuras e brancos a 640 rs.; suspensorios de
mala a 80 ra. o par ; cortes de cassa com f i 7
varas a -2.-240 e 2,560 rs ; cassa com 4 palmos le
largura a-280 rs. o covado; cortes do collete para
homem de lila e seda a 3-20 rs. ; lindeza do mui-
to lindos padres, a 200 rs. o covado; corles de
Chita com tOcovados a 1,000 rs o corle ; dilos fi-
nos com lOcovados, a 1,800 rs. ; ditos de dita com
11 covados, a 2,800 rs.; casimiras, as melhores que
leem appareeidoom qualidade c padrOes a 8,000
rs. o corte ; corles do collete de velludo a 3,000
rs. ; lencos de cassa para grvala, inteiros, a 200.
rs.; e oulras muilas fazeudas mais baratas do que
em Outra qualquer parle.
Vendem-se tres muradas de casas
(eneas nos lioelbos, pelo muito commo-
do preco de u:ooosooo rs., visto rende-
rem 2i$'ooo rs. por mei: quem as pre-
tender diiiji-se rua da Cadeia de San-
to- Aiiiiiiiio, n. 17, das 9 horas da man-
ba s 3 da tarde.
;il
1





;

Vendem-se chifa^ escuras, fazenda boa, a 4^
rs. a pega ; ditos riis finas rom flores amarcllas a
6,400 rs. ;.mrrinvenle proprio para vestidos de
montana a 1,500 rs. o covado na ra Jo Oucima-
do, n. 57.
- Vende-se um pianode boa construegao c que
prensa de alunir conrerto, por isso da-se em con-
ta: na ra Bella n. 18.
Vcrrde-se urna das melliores vendas no bairro
de S-Antonio do IteciTc na esquina do beoco do
PriXP-FrRD, com pnucos fundos: vende-so para
pagamento dos dignos credores : a tratar na mesma
com Francisco Antonio de Carvalho Siq (letra.
"~ Vendpm-se p8os de assucar refinado, a 300
rs. a libra ; latas com bervillia, ebegadas prxima-
mente de Franca ; biscoutinlio fino ; presuntos in-
glezi's ; latas com sardinhas ; chocolate do canclla,
de Lisboa ; conservas inglesas c.de Lisboa ; sag e
massas Gnas : linio por barato prego : na ra da
Cruz ,no Itecife, n 46.
Vmiii-se iouca da Ualiia muito em coula :
na ruada Cruz n 13.
Vende-se:uma canoa de 35 palmos para cima,
propna 4>ara abrir: na ra da I'raia armazem
n. 62.
Vende-se um cava lio ruco em boas carnes ,
mmto novo, andador baixo por preco commodo :
na ra de S.-liita n. 91.
Vende-se maimelada do Rio-Grande, muito su-
perior propria para doontes, por preco comino-
do : na ra da I'raia, n. 20.
Na rua de Agoas-Veriles,
n 46 ,
vendem-se dous bonitos moloques de nagilo, de 18 a
20 annos j dous excellentes pardos sendo un pti-
mo pagem e o outro carreiro ; urna bonita parda,
mucama com um filhinlio de y mezes e que tem
ptimas habilidades ; 5 oscravas com as habilidades
necessarias para oarranjodo urna casa ; duas ditas
boasquitandeiras.
Vendem-se portas, jancllas e grades, tanto de
Jouro como de amarello : tambom so vendem pedias
de cantara promptas : na rua da I'raia atrs da
ribeira tanque d'agoa ns 9 e II,
Vendem-sc duas fazendas de gado, em sitios
proprios muilo porto o feriis em recursos para
gOntoe gado, tanto que as seces nilo prnduzem
i r.'juizo o iodo rilo ter 80 vacrase sua respecti-
va producco : a tratar com Mannel Ignacio de Oli-
vtira que dir quem vende.
&mm-

mmKwwst

Vende-se urna preta .le 20 annos, de na
gflo com muito bom leile para Criar una
enanca, c que cozinha o diario de urna .
casacengommu liso : na rua das Laran-'j
geiras, n. 14, segundo andar. *.
A a rua loVa loja de fazen-
das, v. I <2 ,
vendem-se ricos cortes de seda para vestidos ; ditos
de ditas escocezas, com nlguinas pintas de mofe,
por barato prego ; setiusde cores e de boa qualida-
de; damasco de seda; dito de Illa: bonitos corles
de barege, a 11,000 rs.; casimiras de cores, a 1,800
rs o covado; pannos finos preto o verde, a 3,000
rs.; casimiras francezas de quadros e listras, a 4/
rs. o corte ; corles tle oassa-cliitas, a 2,400 e 3^ rs. ;
ditos de cambraia piulada ,a 2,200 rs.; chales de
laaeseda, a 4,000 rs ; chitas francezas, a 280,
3300 360 rs. o covado ; lencos .le setim, muilo boa
hienda para sentara, a 4,500 rs.; bonitos corles
de tarlatana, a 3,000 rs.; brins trancados raucos, a
uo 1,600 c i 800 rs. a vara ; riscadinhos francezes,
a 2(10 e 240 rs. o covado ; chapeos de sol, do seda ,
para senhora a 3,000 rs. ; ditos para hoine.n a
,ooo rs ; melas pretas de laia, curtas e co.....ridas;
lila de seda ; luvas do dita e de pellica ; eoutias
minias fuzend^s por barato prego.
Potassa.
Vende-se a verdadeirn e superior po-
tassa Ja Rustra a mais nova que existe
' no mercado : na rua da ( adea lo K< ci-
e, armazem n. 12, do Halt.tr iV liveira.
---Vende-se um mulatinhode II annos; urna par-
da de 18 annos com habilidades ; dous lindos 1110-
leques de 12 a 16 anuos ; 3 pardas mocas que co-
sein efazem renda ; 3 pretas engommadeiras o c-
/inlieiras ; um pelo de bonita figura, bom carrei-
ro ; um pardo doimeia idaile ptimo para o servi-
cn de campo; no [aleo da matriz de S. -Antonio,
sobrado n. 4.
Vendem-se dous lindos escravos de 20 anuos,
sendo um Mogambique, e outro.de nafefto Angola :
ambos de boa conducta : 11a roa estrella do Itoza
rio 11. 31, primeiro andar.
Vende-se, ou lroca-se por casas, nesta praca, um
terreno coai 4i 9 palmos de frente e 150 de fundo,
sito por detrs locoventodo Carino : a tratar com
o seu propietario no Manguiuho, segundo sitio
depois da capella de S.-Jus.
-ANM'AIIIOPOLTICO, HISTRICO E ESTATISTICO
IX) BRASIL.
O primeiro .volunte contena fallado llirono, os
relatnos dos ministros, as leja voladas c os decre-
tos publicados no anuo de 1846: assim como lam-
ben lodosos acouteciiiiontos decorridos no diloan-
no e os documentos eslatislicos relativos a popula-
cio a agricultura etc. Esta a venda no Atei ro-da-
Uoa-Vista, n. 3, loja de J. Chardon.
SOR VETE A 200 S.
Cada dia de urna qualidade : no sobrado do pateo
da S.-Cruz, com com modos para senhora prepa-
rados com lodo asscioeperfeicaoqiie he pussiwl
Vende-se por nflo se poder conduzir para o
mallo, um piano de muito boas vozes, e que tem
poucouso, por prego muilo commodo : em lin-
da, rua de Mathias-I'erreira quasi ao chocar ios
Qoatro-Canlos. Na mesma casa da-se gratis ,,,.,
comprar dilo piano um bom "mcihodo para o
mesmo. '
~ Vende-so urna mulalinlia do 12 annos sem
vicios nem achaques : na rua da Cruz, n. 42, t'crcei-
ro andar, defrontc da botica do Sr. Luiz Pedro das
Neves.
""iK^llle"sc uma lin(la "cerinha, do 13 annos,
recomida que cose muilo bem, engomma e lava
a rua do Hospicio primeira casa terrea de sol/Jo
com varanda.
Casa da F
ua rua estrella do Bozario, n. .
Nesteestabelecimenloacham-sea venda as bem
acreditadas cautelas da lotera do thealro pubhc
des a cidade cujas rodas andan no dia 2s de c-.
?,',,*L caule,,sla "P" 1^ os sous rreguezes
toncorram a comprar o resto ds ditas cautelas
lias quaes se esperara boas .surtes, pela excellonie es-
en "aX-las0 J& nU'"UrS "' **nm Ui"^
rua^ieTurSd^n^r00116^8 Voze9 ; ""
-Vende-se, muilo emeonta urna casa lerrea
na iravessa da rua do Caldeireiro nova o bem aca-
ba e que rende 8,000 rs. mensaes : na rua Velba ,
n. 61.
--- Vende-se urna venda sita na rua da Cruz no
liecife, com poucos fundos, estabolecida en bom lo-
cal, e com boa froguezia a retallio. Esta venda foi de
Domingos Alvos da Costa Itodrigucs. A tratarna mes-
ma rua o. 28, segundo andar, com Lima Jnior &
Companhia.
Vomlo-se urna machina de vapor, de forca de
4 cavados feita por 11 m dos melliores fabricantes
da Europa e que he muilo hoa para engenho : a
vista do comprador se fara todo o negocio em ra-
sio do donse reinar para fra : no Aterro-da-Hoa-
Vista n. 3, cocheira do segeiro.
A 1^000 rs
Xa loja nova da rua do Quei-
niado,n. II A, de ayinun
do Carlos Lrile ,
ha um novo sortiment de fazendas finase baratas ;
bem como mis lindos cortes de chitas francezas
linas, ornadas com lindas barras a 5,000 rs. sen-
do este o ultimo gosto de Pars.
O I)AKATJii)IKO
na nova loja da rua do Cres-
po, ,10 p do arco de S.-An-
tonio 11.4, (fe Ricardo Jos
de Fre tas Kiheuo.
A esta loja ha drogado um riquissimosortimento
de rambraias de cores de muilo ricas cures fixas e
estampado suisso a 2,560 o 3,000 rs.; chapeos de
masas francezes e do ultimo gosto a 7,000 rs. ca-
da um ; lencos do seda para gfavata do bonitas
cores e boa fazenda a 1,280 rs. ; lencos de cain-
jbraia com abertura para linio de senhora, a 240
rn.; limito ricas rambraias de cores, com rama-
gens etransparentes, propriaspara cortinados, no
Ultimo gosto, a 320 rs. o covado ; um rico surlimcn-
to de pannos linos de todas as Cores por prego mais
commodo do que en nutra qualqucr parte; casimi-
ras o brins muito modernos ; um esplendido sorli-
mento de chitas linas, a 120, 140, 160, 200 e 240; cor-
tes do chitas muilo linas e de seguras tintas, com 14
covados.a 3,500 rs. ; los nietos de muito bonitos la-
voures, a 2,400 rs. ; e emlim contina a ciiegar to-
dos os das novo sortimeiilo do fazendas de goslos
modernos por procos rasoaveis. As amostras es-
tarn francas aos fregue/es.
Vende-se un oabrinha de II annos com prin-
Richmorid eiy barricas e meias
(utas.
Ve'nilem-secaiasdeclihysson, de 13 libras,
em porgos 00 a relalhn ; caixas de velas de es-
permacote de 5 o. 6 em libra : na rua da Alfadcga-
Velha n. 36, em casa de Matheus Austin & C.
AGENCIA lA FIJNRrCAO'nE'LOW-HOOR.
^a rua da Senzalla-Nova n. 42, contina a haver
um completo sortimento de moeiufas e machinas de
vapor, para engenhos de assucar : bem como tai-
xas de ferro batido e coado de todos os tamanhos:
ludo por prego commodo.
\o Aterro-da-B<>a-Vista, loja
11. 78 ,
vendem-sc sapatOesde bezerro para lomein a
1,440 rs. ; ditos de lustro a 4,000 rs.; bonetes 'de
velludo e panno para meninos, a 1,000 rs. ; bahus-
zinhos para guardar roupa de criangas c ouro de
640a 2,560 rs.; bonetes para homem, a 400 rs ; su-
perior couro d luslro a 3,200 rs. a pello : sapa tos
para senhora a 1,000 o 1,120 rs.: marroquim a
1,600 rs. ^ '
Na loja nova da rua d Quei-
niado, n. 11 a, de Kaytnun-
do Cario.* Lvhe
anda lia o sortimento de todas as fazendas j an-
iiunriadiis bem como guardanapos de puro linho,
com una listra.azul tecida a 800 rs. cada um; cor-
tes de vestidos do lila de ricos padrOes ; chapeos
Irancezes (nos ; um ptimo sortimento de pannos
linos pretose de cores: os quaes se tornan rocom-
niendaveis, nos pelas boas cores e qualidades ,
como por seren novos na loja : ludo por prego
muito rasoavcl,
to doParis chollados ltimamente na barca Zilio-
bem como chapos do verdadeiro castor porlunui'z'
u da ultima htala ; chapos de palhn italiana ,para'
homem e meninos; bonetes de todas as qualHa-
dei .para senhora. homem o meninos; um geral
sorlimenK) de chapos de todas as qualidades e a
precos rasoaveis : na rua do Queimauo, loja do cha-
pos, n. 38.
Xa I ja nova* da rua do Qnci.
inado, 11. II A, de Kayriimi-
do Carlos l.eite ,
acha-se um novo sortimento de meias croase finas
a 5,000 rs. a duzia ; ditas de linho, finissims,
5.800 rs, ; a rica fazenda intitulada fazenda do
norte, tecida de linho e seda, cores escuras o
nropriaspara todo o trage; manas de sedado pa-
. dres modernos a 3,000 i,ooo ; 16,000 e 20,000
rs. ; chales de seda e de 13a o seda : ludo por prego
baraliss'ino.
Voiulo-sc niaMiiclada nova, viu-
do de Lisboa no brigne Vencedor, S
em latas de 2 e 4 libras : na rua &
ilas wuzes n. 4 1. 'fg.
Vendem-se ricos cortes de casssa-seda, *
proprios para baile ; cortes de cassasde Ko[
Coria, as mais modernas que ha ; alpa-
ca de eordIo de varias cores propria
para palitos, 11 800 rs. o covado ; meia-
W5/ casimiras de bonitos padrOes, a 640 rs.
o covado ; atoalhados de varias largu-
ras ; cortes de chitas muilo finas lin-
gindo seda ; chapeos francezes, de fr- ^r
masas mais modernas; bem como um
sortimento de fazendas linas e grossas,
por menos prego do que em nutra qual-
qilfir luirle : na nova loja de Jos Morei-
ra Lopes & Companhia, na rua do Quci-
mado nos quatro-cantos casa aina-
rclla 11. 29.
Vende-so (iodo vela ; pregos caixaes do 17 li-
bras cada milbeiro ; machados de 3 i libras; pan-
no de linho; coeiros dealgodfio ; boes pelos de
osso : ludo do Porto : mercurio-doce, de Lisboa
em caixinhasde 3 libras ; velas do cera de Lisboa '
em caixotes pequeos do bom sortimento : na ru
da Cruz, no Itecife, n. 54, primeiro andar.
Chegaram do norte bonitos
escravos para se venderim ,
muflo baratos na rua das
I arar geiras, n. |/i, segundo
andar:
11 m elegante moloco de 20 annos, com principios
desapaleiro c que be ptimo, para pagem; um
moleque do 14 anuos ; um diln de 18 anuos, com
pequeo deleito; un pretode 25 anuos, de bonita
liguia.Com um pequeo principio de sapaleiro ;
dousdilos muilo tortea e que silo ptimos para
armazem de assuca: ; um dito de 21 anuos que es-
ta acosliimndo ao Irabalhnde campo e enlende do
carreiro, por 420.000 rs. ;Mni dito de 40 annos, mui-
lo foite sadio e que be bom canoeiro e ptimo
oflicial de canteo por 400,000 rs. ,,, diu bom
j para trabalbar em algiim silio por 220,000 rs. um
pardo do 38 anuos por 330,000 rs ; urna preta 'oue
lava muilo bom por 220,000 rs.; una dila boa ,l-
ceira o cozinheira ; urna mulatiuba de 16 annos'
una preta de nagno, .le 26 anuos boa quitandeir'
1 por 420.000rs. ; una preta de 20 anuos com limi-
to bolo leile e sem cria ; o maisoutros escravos.
I!vas, ameixas v passas ,
ludo novo, chegado ltimamente c de qualidado
superior: vende-se 110 armazem de Iiias Ferreira,
no caes da Alfandoga
Na loja de Jos U a noel Ifon-
leiio lirada na rua do Cres-
po n. 16, esquina que vira
para a rua das Cr zes,
vendem-se chapeos para senhora c meninas, os mais
modernos e de melbor gosto que lia ; sedas para
vestidos, do cores e pretas, lavradas ; cortes de
cohetes de setim lavrado ; ditos do gorgurflo ; ca-
simiras d melbor gosto;-e nutras umitas fazen-
das de gosto.
Escravos Fgidos.
ripios de sapaleiro*, sadioode boa conducta: na
iua larga do llozario loja do sapateiro, 11. 44.
Borne barato!
Wndom-se eassas de cures para vestidos, de bo-
nitos padioes e do tintas muito linas, pelo barato
prego de 240 rs. o covado : na ruado Queimado lo-
ja da casa amarella n. 2!
Ca miras etasl.icas e finas, a
7,^000 rs.
Vendem-se superiores cortes de casimiras els-
ticas francezas das mais lillas que leem appaieci-
do, e do ultimo g.olo e muda de Parla, pelo h-
lalo prego .le 7,000 rs. o corle sendo esta fazenda
recommumlavel pela sua boa qualidade de gosto e
bonitos padioes : na rua do Collegio loja n. 1.
Lotera do Hio-de-Janeiio, a be-
rincin da lubrica lie papel.
Voiidem-je hilheles desta Ipteria em casa de .1
O Elster na rua da Ca.leia-Vellui n 29
CAIXAS DE VELAS DE CEIIA 1)0 lilO-IHC-JANEIliO,
de urna libra ale 19 e lambem bran.les, lochas o
hogias a vonlade do comprador : na rua da Sonzo-
Velba n. lio.
-Vende-se um bom piano ingles, usado, o oue
precisa de algn, concert proprio para se amen- 7" ""!7L^UM'" "taiv esleirs carnauba,
dora tocar, por ser de cni.struccilo muito forte, or 'i '. .crur,nhS c "J*0 (,c ',nllla sapalos.sebo
prego commodo: na rua ,l Calinga, n 12 loi lo dencll,, : ruadl.ruz, n. 86.
amolador francez J
Vende-se urna venda com muilo poucosfundos
por prego commodo : em Fra-de-l'ortas, n. 84.
Pannos e casimiras baratas.
Vende-se panno lino verde azul, eAr de vinho
preto e cor .le cal, a 4,000 rs. o covado; casimira'
preta elstica a 2,000 e 2,240 rs.; dita superior a
.1,000 rs. : na ina do gueunado loja do sobrado
amarello n. 29.
'Vende-se urna parda de 20 annos, de figura
(! ptima para mucama que engomma, cosechlo '
lava de sabo, cozinha alguma cousa e faz renda: u
Aterro-da-lioa-Visia, sobrado n. 5.
- Vendem-se pegas de chitas escuras e de cO-
res fixas proprias para o servigo de casa por se-
ren muito encorpa.lase fortes, a 5,500 rs. c a re-
talho a meu pataca : na rua eslroita do llozario .
n. 10, lerceiro andar. %
-- Ausentou-se, ha das, da casa de seu senhor o
escravo.Joiio pardo trigueiro de 15 a 17 anuos ,
cara grande, olbos regulares, bous denles; bom
conhecido pbr andar frequentemepte fardado: quem
o pegar leve ao Jlondego a seu senhor Luiz Co-
mes Ferreira que recompensar generosamente.
I*1 ligio, na rioile de lo 11 ni preto, de nomo Fernando, de r>n'co;
mas parece erioulo por fallar bem e ser
bstanle de.-en.baiaoado ; representa ler
4o annos 5 de estatura alta rosto com-
prido, bastante barbado, c eosluirra usar-
de suissas por baixo de qtieixo : tetn fal-
ta de dentesna frente olbos pequeos e
alguma couss avermelhados ; tem urna
pequea eiralriz no ante-bfaeo esquerS o,
ps grandes e mnilolargps; levou camisa
e ealca^ brancas,Mispeiisoros, e sem cho-
peo ; mas d*ve j ter mudado de ron-
p< por ler Iguma fra de casu ; foi es-
eravo do Sr 1 liomaz Jos da Silva GS-
nifio. Quem o pegar leve a casa de No-
vaes 6V Companhia, na na do Torres ,
n 34 que ser recompensado.
Fugio,do engenho Queluz froguezia de IpQ-
juca o caba Miguel de estatura alta vespo ; ti ni
as pernas grossas i levou urna caiga de risradinlio
azul camisa de alg.nlrio da tena corontas de al-
godfio echa peo .le 1 alba ; e lambem fuma : qiitiii
" pegar leve ao referido engenho ou nesta puna ,
...;.. .l I---------... ...,....:.. .,.. ,:....:... r(}a d1
( a (le 1 as a p Ika. a I 600 rs.,
venilem-so n. armazem de Cu i marfles no caes da
Alfandoga e em casa de J. J. Tasso Jnior na rua
do Amoriin, o 35
-- Vende-se sebo do Aracaty esleirs carnauba.
I'l *rll i'l nllnc nliu un il.. ...II... ... *
Luvas de p llica.
Afianga-se as boas qualidades deslas luvas. Ha de
todas as corea tanto para homem como para se-
nhora. Vendem-se mais em conla do que em mi-
tra qualiiuer parte. Na rua larga do llozario, n. s
Cartas para volt-
rete,
srl!oS,Ti2ba^a,as:vpm,c,n-se,,,,-,l-
--Na rua da Cruz, n. 26, vende-se urna parda
moga gm. 00^ a egomma ; duas .lilas trigu.'iras:
SuSF ?; ,lous prcu>s c Jus mu:
do7 ^mde,'S<' Pr l'0,iV08 qucse ,lira" "o compra-
he h im.J"J olp.1U0;'e a>noa, -cozinheiro e quo
. -t ift i!. d I""'" lod(? servico ,l0 'estico de urna
ina pretal vi,,,,, de LisLoa, enAnrns pe-j'^eX^.n^etacrioula, debo,,,, V,
DEPOSITO DE CAL VIBGEM.
ISa
. ------------------------< ^ -- --
a casa de Francisco Antonio de liveira na
Anuir n. 26, quesea bem loeompensado.
Fugio, no dia 15 do correle, o preto Jos, dv
naglo Congo de 55 anuos, descolado, pouea barba;
he cliaboqueiro, e de estatura regular; levou camisa
c cern las de estopa : quem o pegar leve ao sitio da
residenciailo reverendo fre Antonio, na estrada
dos Afllictos, 'que gratificara.
Fugio, no dia 17 do correi.te o preto Jnequim,
de nacflo Caiabar, de 48 a 50 anuos cor fula buc-
ea glande nariz chalo ; ja ten iilgunj cabellos
Illancos; iiitilu|a-sc forro, e he carpinteiro ; tem
oslado na venda perlo do Hospicio: quemo negar
leve a la da Cadeia-Velba n. 2 que sera gratifi-
cado.
Fugio, no lia 16 do crrenle as 10 horas do
dia, o escravo Jos Mara de nagilu Angola ir
fula, bastante amarello liugoa branca, ambigo
grande estatura indinara secco do corpo ; le^ou
camisa de algolao, caigas azues chapeo de palha;
Nu mi i-j.V;.>"iT ''"^ V1" "".' foi escravo de Uiogo Jos Malnla, morador em l'ao-
>a 1 ua larga do llozario, n. 24. jdo-Albo : quemo pega, levo a sen senhor o lix.n.
'Barilo deSuassuiia, 011 na rua Direita, 11. :i, que se-
r gratificado
-- Fugio, 110 dia 20 de setembro prximo passado,-
do engenho Brejo da froguezia do Una, o escravo
Simo, erioulo, de 20 anuos pouco mais ou menos
estatura baixi, cOr fula rosto conip, ido denles
limados pernas acaugalhadas e em urna dolas
tem un toino/elo um lalbo -que deu F.slo escravo
consta ler andado tiesta llaga Itoga-se a lodas as_
autoridades o mais pessoas que do dito escravo sou-"
beren .quejo'apprctiendaine levom-noa rua du Cres-
po loja n. 14, de/as Francisco (lias ou a seu se-
nhor ub dito engenho Joaquim Mendos-dos (jau-
tos que sarao georosmeulo recompensados.
Fugio, no dia 17do crlente o piolo Jos, de
penos, e ltimamente cliegada mui- r 'c>n. algunMishal^id'e'rre'iiueireTwla'DS-
ra mucama: no pateodo S.-Pedro, n. 1. '
A ultimaj^iuoil.-i
Vendem-se os"mas s"periores chapeos francezes
que existem no mcrcado, e do mais apurado gos-
o superior e por preoo r,-soavel.
"M;iiiotIia Sil%a S.inlos ven
de superior [faiuha de irigo de
nagao llengiiela de 22 aj nos con. pona de barba,
estatura regular, chelo ilp corno; levou cagase
camisa de ciscado e chapeo de palha. Itoga-se as
autoridades pliciaes e capilaes de campo que o
apprehendain e fevein-ito a rua larga do Roza rio ,
hadarla 11. 18, que sern gratificados generosa-
mente.
jVjiis. : NA TVl'. DE u, r. Di JMR1A .-riti4']


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EXKKEDYN2_S8DD3X INGEST_TIME 2013-04-30T20:42:28Z PACKAGE AA00011611_09749
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES