Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:09744


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Un no
de 1847.
Segunda-feira 18
o fHKIO publica-* todos o dias, qne no
\r- m le auardi i o preco da a'sijnatur.i he de
(v-JU rs.poi qnarwK PaZn' arUantadn*. 0 an-
I cim dos Mi*"^' s3i> merMof rnsHode
I?"", porlintia, trs nt tvpo diirerenle, e ai
I -i'irei p-d *Kf f .rem S?ig-
l", ri o****0 80r Porli,!!"' Bacn JPO
ohaSFS DA LA NO MF.Z, DF, OUTUBRO.
! uta a I, ''orate 16 ma. da nimia.
--"''"".', 9, M 6 hora 47 inm. da inanli.
:u* ""'."'a \1, a liora JI min.da manli.
C>eicni ^ 8 hor e |6 min da Ulde
PARTID\ 00SCORREI0S.
Goiannae Para hyha, as segundase sextas fein.
Rio-Uraiide-dn-Norte quintas leirasao meio-Hia.
Cabo, Serin'iiicm, llio-Kormoso, Poito-Calvo e
Haceio no I .?, a II e 2( de cada mez.
(iaranhuns e ltonito. a 8 e 23
Uoa-V"U e Flores, a l e 28.
Victoria, < quintas feiras.
Olinda, todos os dias.
PREAVlArt DE HJE.
Primeira, s G horas e 61 minutos da manha.
Segunda, s 7 horas e 18 minutos da tarde. _
de. Outubro. Anno XXIV.
N. 255.
DIAS DA SEMANA.
18 Segunda. S. Lucas. Andel., .1. dos'orpb.
do J. doe. da J v. e do J. M. da v.
19 Terca. S.Ptdro de Alca.tara. And do J do
civ. da I. v. e dn J. de paz do 2 dUt de t.
20 IJuarta. %'. Joo 'Rancio. Aud. do I. do civ.
da V! v. < do i. de paz do 2. dist. de t.
21 Quinta. S. rsula. Aud doj. ce orpli. c
doJ. municipal da I. vara.
22 Scita. S. Mara Salome'. And do J1 do civ.
da I. v.e do J depar do I. dist de t.
23 Sabhado. 3. Joiio Capistrauo. Aud. do J.
do civ. da I. v. e do i. deaz do I dist. de t.
24 Domingo. llala-l Arcuaujo.
CAMBIOS NO DA ii DE ODTI.'RO.
Sobre Londres de 27/, a J7>/, d p.U rs a Gn d,
" Pars S40 rs. por franco.
Lislma Ifli a 110 de premio.
Hese, de lettras de boas lirm.s de i % no mez.
OuroOm-iS lesp -i.diolas.... 29jll"(i a 2!)0o
o Moedas de oMW vell. iiiMfni IUW.no
o de 8*ton nov lUjfiiilii a i
de 4/000..... '91100 a W>"0
Prala Pataces..'....... iJ99u J#000
Peso columnares... IjPHO a 1,1990
Ditos maiioauos.... If820 a 1*8*0
Miud.i............ 1*930
Accesdacoinp. do Beberibe de Snjoonrs. aopar.
DIARIO DE PERMAMBUCO
PJ.BTE OFFIC1AL.
COLMANDO DAS ARMAS.
Qiiarlrl do eommnndo das armas na cidade do Recife,
\4 ile outubro it 1847.
' 0RDEM DO DA ti.' 5.

Ocommandante das armas, transcrevendo o ofli-
(jo que na data de ti docorrenle recebeu do Exm.
Sr.concelheiro.prrsidento da provincia, iuteressa na
sus execucto os Srs. commandantes de corpos.
omcio.
ii ltlm.Sr. V. S. dar as necessarias ordens,
pela parto que Iho toc'a, para que o commissario-vac-
cinador, Dr. Joaquim de Aquino Fonseca, possa des-
empenhar as obrigacOes que* llie silo iinpostns pelo
ti g. do artigo -' do regula ment que se refere o
lecreto n. 464-, de 17 de agosto de 1846 ; bem como
tara que si-jam observados os artigos 35 o 36 do re-
|-(eri a Jicos guarde a V. S. Palacio de l'ernambuco, 11
deouluhro de 1847. Tlnono Pinto Chicharro da
Gama Sr tenente-coronel Manoel Ignacio de Car-
TalhoMendon^a, connnaudaiilo das armas da pro-
vincia.
Artioos i do regulamenta, que se refere
oofjicio cima.
o Artigo 21, 9."Inspecionarseforam vaccina-
dos osrecrulas que tiverem de ser remeltidos para
o exercito, ou armada, edar-lhes ocerlilicado, no
cu mi de terem tido vaccina n*io equivoca, c no caso
contrario representar ao presidente da provincia,
pira que nSo permita a remessa dos ditos recrutas
ates de serem vaccinados; dando de ludo isto parle
10 governo por intermedio do inspeclor-geral.
Artigo 35.- Ninguem poderaser admiltiilo, ma-
triculado, ou inscripto em qualquer estubelecimen-
lo oBciiial, ou lilluiario, publico, ou particular,
sem que moslre pflmeiranicnlo que leve, vaccina re-
gular, ou bixigas naluraes, ou que foi vaccinado in-
/ruetuoramenle pelo mei\os lies vezes ; iinm conli-
nuar nos ditos estabelccimenlos, se tres anuos de-
piiis da primeira nSo tiver feito nova tentativa se-
guida de Feliz xito, ou igualmente repelida nos ter-
mos ltale regulainento.
Artigo 36. Todos os individuos quo entrarem
para o serviqo do exercito, ou armada, ou os que fo-
rem admitlidos a esiabeltcimenlos do educado,
ou olilcinas, que estejnm o cargo o governo, sorSo
primeiro que ludo vaccinados, a menos que mos-
trea) estar preservados desta enfermidade, ou quo ja
lentaram o vaccna$fio nos termos piescriptos ueste
regulamento.
Manuel Ignacio de Carvalho Mendonga.
Cartas de aples de 22 de agosto diziam quo rl-
rei bavia partido para Messina. Ilaviam occorrido
mj'ali'rmo alguns disturbios, e tiuliam sido presos
cinco olciacs da guarmeno e milito* cjiladfloa ms-
peilaveis, entre os quacs Toram dous irmilus. Ti tilla-
se dado ordem de marchar para b Abruzzi urna fr-
qh de 2,000 humeus, coinmandada pelo general
^Desugel.
Chngra ao porto de Liverpool um navio de l'er-
uamburo, eom um caire^amenlogeral do producios
da America do Sol, e com 16 cestos e 4 barricas de
laranjas, de producc;ilo do mesino lugar Comqunii-
tonao.seja urna novidade extraordinaria a importa-
cHo de laranjas da America doSul, havendo chiba-
do ha pouco lempo nina poreo dellas do Brasil para
n rainha, hecomtudo urna oceurrencia pouco coin-
iii un; e estas que ebegarnm, quamlo nfio bavia no
mercado urna laianja por todo o preco, consliluein
um facto nolavel e intercssanle.
(Times.)
EXTERIOR.
. INGLATERRA.
ANALYSE DA NOVA CASA DOS C0.MMUNS.
A seguinte analy.se das fraccOes que comporto a
nova casa dos cominuns apparcceu no Leeds Mercury;
e parece lia ver sido cuidadosamente compilada :
I.IBF.R.
38
3
9
1
35
PEEI.. 1'llOTEi:.
86
13
2
13
0
13
41
92
10
0
16
125
189 67 67
12 2 0
21 o 0
28 5 9
- J- OTBM mmmm
250 76 76
86 41 125
Condados inglezes-----------
Condados gallezes ---------
Condados escocezes ------ -
Orkneys (cujo resultado nto
he conhecido, mas sendo
ambos os candidatos lib
raesj----------------------------
Condados irlandezcs---------
Boroughs (povoacOes) o uni-
versidades inglezas---------
PovoacOes gallezas-----------
Ditas------escocezas -'_- -
Ditas o universidades irlan-
dezas--------------------- -
336 117 201
Esles algarismos mostram urna eluicto de 654
membros dos tres partidos polticos. Se a este nu-
mero se addieonai'eiti lies membros de poltica du-
vidosa, e se concederem dous pela exautorada Sud-
bury, deduztdo um ua dupla elcigto da povoac,ao de
Moutgoilie'ry, temosa casa doscommuns completa,
em numero de 658 membros.
Excluindo os de poltica duvidosa. a. posicto re-
lativa dos tres partidos na nova casa sera a se-
guidle :
l.iberaes cleitos---------------------------- 336
l'eelislas dilos---------------..._------ 117
Proteccionistas ditos-------------- -......- 201
Maioria liberal sbreos proteccionistas 13*
Maiora liberal sobre os proteccionistas e pee-
listas .....-'-......... :_ l8
Maioria liberal e peelisla sobre os proteceto-
IlisUs-------.....-------------.....--- -y2
NOTICIAS DIVERSAS.
Cartas particulares de Berne de 27 do agosto nos
preparain para o rompinento da guerra civil na
Suissa. A dieta ainda nilo tinha decidido da sorte
dos 15 olTiciaes do estado-maior federal, emprega-
dos no servido da liga calholica, mullos dos quaes
oceupavam elevados poslos no exercito. Os seto
canteseram, entretanto,infaligaveis na organisaenn
dos sous incios de defesa, que estavam enliln quasl
concluidos; e havia toda a rasiio para'crer-se que
resistiriam com as armas as mtos execucto dos
decretos da dieta, relativos ilissolug.lo da liga e a
expulsflo dos jesutas. Os cantos radicaes da sua
parte ntonstavam ociosos. Emilerno faziam-se pre-
paratvos bellicos em grande escala, o havia toda a
prohabildaile de que as (oi<,'hs federaes soriam pos-
tas em movimento no momento em que o griio-con-
celho expedisse o seu decreto. Comiudo, ainda ha-
via urna esperanza de que dous canlOes instruii iain
osseus deputados a dieta para levaron as cousas ao
ultimo extremo, e de que em taes circunstancias
nao se poderia obter urna maioria.
Urna correspondencia de Constantinopla fazia
ineni.'ao da completa derrota dos insurgentes alba-
nienses em Berat pelas tropas do sultfio, a 25 ,le ju-
Iho. Tinham-se manifestado casos de cholera em
Khars eTaganrog.
Noticias de Alhenas de 20 do agosto annunciayam
que o general (rziolti tinha-se evadido, da pristo
de Chalis, e levantado o estandarte da revolta con-
tra o governo Colletti em Negropoulo.
he negocio interno, he negocio oxterno, visivel a
lodo o mundo.
Quanto aos lies voiumes, tonho visto muitos pare-
ceres doconcelho de estado maiores o que se po-
diaiiiaccommodarom tres voluntes maiores que os
meus. Nisto tito ha censura nenhuma a fazer ao
concelho de estado; polo contrario, nto ha senao
luuvora dar-lhe, porque mostra o seu desojo de es-
cotara materia ; tem-so ao menos esta inteiic.no, 6
se uto suecede isto, he porque nao se pode.
O noliro senador deva tratar da materia em si,
conveucor-me, nilo digo de meus erros, (que ten lio
muitos; porm de niiiiha m f. Mas eu crcio que
nilo se oceupou disto, nem se podeiiaoccupar.
Eu fui procurar esse meu parecer; tenho aqu es-
ses tres voiumes. Esta he a copia, horrto, porque a
nulra mandei copiar melhorj poisque tinha mao es-
erevente ; mandei-a com a primeira redaeqilo, por-
que os meus collegas liaviam de 1er, haviam de sup-
primir, c eu havia de consentir em lo las as rel'r-
mas que elles li/.essem, porque eonhecia que o meu
tiabalho tinha sido feito a pressa, ao correr da pen-
na, sem grande cuidado, e por isso era natural que
houvesse erros; maso meu pensamento he este, c
inesnio que sustento boje.
O nolue senador dsse que a lei tinha facultadoes-
labecer bancos. Eu, senhor p/esidenle, nunca pudo
concordar em tal ; dsse-o aqui na casa logo, mo me
guardei para dize-lo depois; disse, sempic quo se
tratot desta materia, quo o governo uo eslava au-
lorisad.o.para cstabelecer um banco. Foi por esla
rasiio que eu iinpugnei a ideia do Sr Vasconcellos,
com a qual em si eu eslava de perfeito acconlo ; no
lamentava que nSo fbsM a ideia icom pan tuda da
taculdadcde allonder-se a urna nstiluit;ilo bancal
110 paz Era esta a nica divergencia que tinha,
poique receava que ella lioiixesse inconvenientes
que sineiite tima associacilo bancal 011 urna cumpa-
iliia nicrcaiilll poda suavisar.se nao destruir de
lodo.
Aqu tem V. Exc. um dos voiumes. Como o nobre
senador disse que, segundo seu entender, o governo
eslava aulorisado para cstabelecer um banco, eu
leio aqullo que escrevi, e com o que eslava de ac-
cordo pe feito. ao menos com o Sr. Maya e com o
Sr. viseoiide deOlinda, quo me fez a honra de elo-
girosla primeira parte do meu tralialho :
Consideado o projeclo como simplesmentc re-
gulamentar, a secejo nilo ihepde dar seu assenti-
nienlo. por Ihe parecer que esla milito fra das raas
da legaldade e das altribuicocs do governo, que
desla vez uo fnrain ampliadas.
INTEMOR.

PARLAMENTO BRAS1LE1R0.
aiEiim.lo-
SESSAO EM 13 DE SETEMBRO DE 1847. ^
ORC-AMENTO UO IMPERIO.' -
(Continuacdo do numero 232.)
O Sr. Presidente do Concelho proseguindo): --Se-
nhores, eu creio que em gcral tenho dito a minha
opinito a respeito dos bancos; accrescentarei quo
eu iz una proposta em 1845; esta proposta, que,
por ser muilo extensa, comprchendia muitos objec-
tos, tinha cu teneflo de re lo una-1 a eslo auno ou rc-
duz-la, porque as Licias era01 as mesiims. Tenho
tabalho promplo ha muilo lempo ; infelizmente nilo
pude propo-lo, pelo estado em que o ministerio se
vio. Elle est promplo, o at copiado em divorsos pa-
pis para so distribuir.
O nobro senador disse que apresenlnu um projec-
lo do banco que elle entenda que poda pr-so em
execucto vista da lei de II de setembro do 1816,
mas que este projeclo nto foi adianle, porque um
dos concelheiros de estado, querendo escrever tres
voiumes, i 111 pedio que tal projoct fosse avante. Eu
peco perdto ao nobre senador ; creio que est inlei-
rainenteesqueciilo; talvez o culpado de nto se ter
aprsentelo o parecer fosse o inesino nobro senador.
O nobre senador sabe perlVilainento que no moz de
marco ou abriS. Exc. no eslava 110 ministerio } a
seceto do concelho de estado uo he culpada dessa
sua ausencia : o Sr. Maya linha dado o seu parecer,
eu dei o me.i; c anda que diz o nobre senador que
este parecer conslava de tres voiumes, comiudo foi
dado'proinptainento Os membros da seceto estilo
presentes e me onvem ; forain logo entregues ao no-
bro senador esses papis. Oque se seguio dahi os
nobres senadores o poderiam dizer ; mas eu cuinpi i
da minha parle aquillo que entend que er.i do meu
dovor. No estivo em ferias, perdo-mo o nobre se-
nador. No costil 1110 estar em ferias, nem dou par-
te do doenle quamlo eslou fra do ministerio, como
disse aqui um nobre senador com asna gra^a cos-
lumada, porque ou no concelho de estado uo tivo
liceiica sono o anuo passado, em quo oblivodo S.
M. iros inezes, os quaes me l'oram concedidos em se-
(eiubrq, outubro o novembro. No moz de novombro
vimpara a cidade. O nobro senador mosmo me fa-
zia a graca e a Honra do -lizorquo mo dcixasse linar.
quemo maiidaiia os papis, porque eu eslava real-
mente doente, pois que no vorao padeco uiuito : nao
D exposicto que precede o projeclo cdalcttra
lo mesmo projectri, que tica cima substanciado,
ve-se que se pretende que 01 bancos do projeclo se-
jain de eniisso, c que cssa emisso uo seja simples-
iiii nie de lettras, mas sim de propria moda-papel,
que compe boje o nosso meocirculante, e que por
esla loi ma tem de ser augmentado indefinidamente.
Ora, islo nem esta lias attiibuicocs do governo, co-
mo hedoutrina correte, nem Ihe foi facultado na
novissima lei de 11 de setembro de 1846, quo antes
boa isso nteiramento contraria, como a seceto vai
tratar de demonstrar.
.. Todo osystema monetario das naees civilisa-
dasassenla sobre a base metlica de ouro c piala, e
he esse unais perfeito, porque nenhuma mercadu-
ra goiaem toalto grao das qualidades indispen-
saves a moda como o ouro e a prata. Assm, toda o
questo relativa ao melhoramento de um meio cir-
culante que se tem arredado desse typo do perfei-
q!\i> reduz-se a descubrir um meio de convcrlo-lo em
ouro e prata, ou fazc-lo de tal modo representante
delle, que sempre seja iiidilTerciite pagar em una
ou oulra moda sem a menor desigualdadc. E tal foi
o |irob!ema que se propoz resolver a lei do 11 do se-
tembro de 1816, e que sem duvida seria inatacavel,
se logo fosse com ella ostabelecida una institmeto
hancaria que proparasse sua execucto o quefizesae
mais fcil a transicto de una circulago de puro
papel para una circulado mixta, asseguraiulo o ef-
leito do todas as suas vistas em todos os casos pos-
siveis.
u nominada nossa circulacao, ha muito lempo, ex-
clusivamente de papei-moJa, 011 moda puramente
nominal, cabio esse. meio circulante 0:11 grande des-
crdito pela sua abundancia, o ouro e prata, ponien-
do eu carcter d moeda, deixou seu valor legal,
tomando smente o convencional de simples merca-
doria que pela baixi do papel veio a ser muilo su-
perior aquello, resultando dahi ser lodo expellido
das repartieoes publicas, onde s poda ser recebido
pelo valor legal, o por lim tambera do paiz. A lei de
11 de setembro do 1846 qui restituir aos metaos pre-
ciosos seus furos de moda, tra/.endo-os como taes
outra vez a circulacBo monetaria; o como amaior
dillciildade para isso consiste na diHeroiiQa de seu
valor legal o seu valor convencional, adoplou para
valor legal o valor convencional,elevando a oitava do
puro de ->-' quilates do 2/500 a 4/000 ; e por este mO-
do toruou-se possivel a entrada outra vez dos me-
taes preciosos na crculagilo monetaria, porque, es-
tando o cambio ao par, 011 antes havendo igualdade
berfoila entre um valor e outro, tornava-se indiffe-
routo a qualquer o pagar oiiuima ou outra moda,
o quo uo poda ter lugar quamlo una valia mais do
quo outra, pos ueste CaaO tudos os paganiontos ne-
cessariaueiilo so liaviam de fazor na mais Iraca.
Islo, poreui, uo era sullicionlo, porque, assm como
o estado uo pode tirar o valor convencional aos me-
taos preciosos, assm lamben! no podda-lo ao pa-
pel iieslituiilD de valor em si, c muito menos por
CoiiseguiiUMiiarcar-lhc um valor corlo e inva iavel
em leiaeo aos nielaos, poisque o cambio govema-
se. pelas circumslaiiciaa do morcado, sempre varia-
veis, enao pela lei.
1. Podiam, pois, anda os metaos desccrem ou su-
birem de valor convencional, perdendo outra vez o
legal as transadles, o sahindo do paiz ; achou-se,
pofm, que, para a satisfazlo das vistas da lei, de
IrazeP e conservar na circularlo monetaria os mo-
taes nocaso de desceren elles de valor ou de alta do
cambio, nada mais era preciso do quo a medida to- .
niada, isto he, reduzir a valor legal o valor conven-
cional. Com effeito, baixando de preco os nielaos,
ou alteando o cambio a todos, seria vantaioso lva-
los as reparticoes publicas polo valor legal, e. ain-
philda assim a drcalacSO monetaria, bom depressa
dsceria o papel, subira o metal ese resUboleeora
0 equilibrio, o exemplo dos Estados-Ondos prova
queum tal resultado nom he dillieil nem se luz lon-
go lempo esperar; porque, estando a circulaco da-
i|uello paiz inundada de papel desacreditado, baalou
que a importacSotSSe levada ao nivel do consumo
pata reslabelocer-seobalanco do cambio, e os des-
contos. que haviam chegado a :t0 por conlo, desee
rom outra vez a 6 por cont. Se neste caso do alta
do cambio a lei quizesso que se ampliasse a circula-
Qfio Com papel-moda, o elTeilo seria sem duvida o
mesmo; mas (Icaria intil o sem ubjecto a medida
de mudar o anligo valor legal dos molnes, porque de
cerlo elles abandonaran) de novo a eirfulaeao, lo-
mando um mais alto valor convencional, 0 mesmo
abandonaran o paiz em lugar do a ello affluireo),
como convm, creando-S maiores diulculdades pa-
ra o tliesotiro quando tivessede providenciara urna
baixa.
11 Era, pois, evidente que com a medida de. dar aos
motaos como valor legal o valor convencional, lica-
va providenciada da nielhoi inaneira possivel a alta
do cambio, que no pode ir muito longo, nem durar,
atientas as cousi.lerac.oes cima expendidas; ose
parteo firme, o UWei mesmo progressivo em algu-
nias pravas do imperio, vem isso inquestionavel-
niente de oslar ha muilo exhausto o morcado de me-
taos preciosos pela dominadlo exclusiva do papel,
de nao ser preparada a tiansic.o para urna circula-
Cto nnxla por inlervenc.iIo do urna inatiluhjfio han-
caria regular, e linalmouto de oulras causas, tanto
internas como externas, entre as quaes devora nu-
merar-se 1 abundancia de colhela, a demanda dos-
sos metaos por diversas nacOes europeas, c lalvoz
mesmo as grandes remessas feitas para Londres em
o auno passado pelo th^souro, etc. I'altava, porm,
providenciara baixa de cambio ealta dos metaes,
que pode sem duvida ter lugar do um da para ou-
tro, tanto por serem os motivos de alta inteiramente
transitorios, como por poder occoirer ropentina-
mentc algiim incidente mercantil 011 poltico gravo
quo a torne inovitavel. o foi a esta hvpollieso que a
I lei den luda a sua' aitenco no artigo -2."
11 Para remediar a baja do cambio manda a lei
tirar papel da circulacto na importancia precisa pa-
ra o efl'eito, o note-so por esta tfecasito quanto lio
fiel a lei no seu pensamento dominante, de chamar
a Circulacfio o conservar nell 1 os metaes preciosos;
leudo de contrahr acirculaco, ella nto manda ti-
rar metaos, mas sim papel em todos os casos para
restabelecer o equilibrio.
Como, porm, tirar papel da circulacto? Eis-
aqu o quo ella providencia na ultima parte do arti-
go citado, nas palavras e para esse lim poder fi-
zer as operacoes do crdito que forem indspeusa-
veis que pdenlo ser repelidas mais de urna voz.
porque nao s o governo tem de elevar o papeleo
valor indicado, como nelle consorva-lo.
Tal lio o systema da lei do 14 de solcmbio do
1846, o a Secfto no VC 0111 parlo alguma dola, ou
seja em sua lettra, ou em sen espirito, ideia alguma.
que nem de. longo so pareca com autorisaoSo para
emillir papcl-muda como pretende o projeclo, a
que alias, como Oca demonstrado, he inlcramonte
contraria as vistas da lei. Entretanto pretenden! ai-
guns que cssa autorisai;to esla incluida nas palavras
operacOes de crdito porque nto se pudo con-
servar sempre o papel no mesmo valor soin remediar
tambera a sua alta, o he um meio ellieaeissimn para
isso o emillir papel. A secuto esta persuadida de
que os que assim raciocinad nem dio a devida- at-
temjao a lei, nemsto muito escrupulosos a respeito
da sigiiilicaQo que o uso e a scioneia toom dado s
palavras, tanlo poique lio evidei'lo rjo artigo quo a
providencia limita-se u hypollie.se da baixa do cam-
liio, o nto a sua alta ja providenciada, segundo lica
cima demonstrado, como porque, se assim fora,
dar-se-hia a leio pensamento repugnante de querer
tirar papel da circulaQo omitludo papel Alm ds-
to, nunca as palavras operacto rain em pregadas pelo corpo legislativo ou pelo go-
verno para designar oiniss.i de papel; tem isso lie
coinpativel com o coniiiiuin uso do filiar, quo he a
norma Jas lingoas. Operacto de crdito lio lim noto
do livro vontade o consent ment dos contrllenles,
quecrediuiui ou so credilados, que comprara ou
voiiilem .1 croililo, que dan 011 tomam o oiiipreslimo
quamlo a emisso do papel he um aolo do poder, do
li'i,'n, do coaccao. Ilomais, ijuaudo as res quo aulo-
risain as ilespe/.as o Ibes miiiislram os llleios, quercm
que um dollesseja einisso do notas, sem pro o tecm
declarado explicitaiucnte, como se ve no decreto de
3 do outubro do 39, do l de novembro do 41, son-
do a osle respeito mui resnela e inesquinlia a nossa
assoinbla goral legislativa.
n rendo assim demonstrado a iilogalidado da e-
misso do olas 011 papel-iuoodo, oque por conso-
guiute ja por esto lado o projeclo remcltido a secco
uo pode ser considerado regularmente para a boa
o.vecuQiio da lei de II de solembro de 1846, aSeccilo
apuntara lambom o artigo 26, que pretende obrigar
o governo para o futuro a nao crear banco alguiu
d^eisodos do projeclo, 110111 mesmo na corto, polo
npaco de vinlo anuos, porque isso no Ihe parece
1 regular sem le; o artigo 15, pelo qual se compro-
V
A
Sty3t
wv


-------

----------------
="
_.
ue passa para os bancos do projecto a sirbslttucflo
in senes I,. ,,olfls em .no apparecerem falsas, ciue,
pelas l.-isem vigor, leve ser frita pela ra
mnrtisagflo esuas fililes as provincias ou
melte o Roverao a tomar por ompreatimo ilo por
cento tojo o dinheiro que os bancos poilerem obter
ac suasaegese depsitos, e que tillo possnm cm-
pregar em suas operagOcs cotn os particulares, an-
da que o governo nflo tonda alguma nocessidade,
poique, alem de ilegal, seria isao de utn absurdo
OMniTeslo; c, finalmente, o artigo 27, pulo qual so
prnpoea tirar da.rirculacilo quanto antes as notas
"^ |'000,,,00i)rs;, c ourtif.'o3 o seguales, em
xa da a-
. Ibesoura-
rias, Hssnn como tambem a provincalisagfln .las no-
tasda ."..000 e 50,000 rs. que anda nflo fol decre-
tada por le que rcvnguc as que Ibes 13o urna circu-
lagflo {{eral.
Sendo islo as.-m, a socgflo nilo pode entender
quo o governo quema fazer passar por ivgulamento
o projecto oflerecido sua consideragflo; porque, se
assim fra, ellenflo poda d.-ixar do ser considerado
como mullo extraordinario o Ilegal, c omito lora da
atlribuicSo do governo. segundo Dos cima demons-
trado. Ase clopassara, porlanlo, agora aconsiderar
o mesmo projecto pelo lado de sua utili ld<- em nos-
sas circunstancias, c como urna proposta de le que
o governo pretende ofTerecer ao corpo legislativo
em sua prxima reunido.
.ft
zeyedo a arrematagflo do quarteirflo da ribeira do
peixe, que nfto tem de ser demolido, polo prego an-
imal de 800,00rs.: sendo sen fiador Claudio Du-
beux, e volando contra esta deliberoslo os Srs. Fcr-
reira, Aquino e Karata.
Mandou-se aimunciar praga para o dia 2 deutu-
bro, para seren postas em arrematagflo es pracas
do marcado da Boa-Vista, por 1:000,000 rs.; a le de
San-Jos, por 1:202,000 rs ; casa da rus Imperial.
por f.0.000 rs.; afericao dos pesos e medidas, or
12:301,000 rs ; algumas Injas da praca da Indepen-
dencia e varios talbos dos acougues pblicos.
Desi>achou-so o requcrmonlojtf Guilhnrme Col
leus (Jos, e levanlou-se a sessilo.u, Joo Jos<: Fer-
reira de, Aguiar, s.^relario, a sub-cievi llego e Al-
bui/uerquc, presidente. Cintra Manoel. A. de Ror-
ros. Aquino. Barros. Ferreira.-- Carnciro Mon-
to ir o.
JURY DO RECIFrS.
PIUMEIRA KEUMAOEM 16 DEUTTIBRO DE 1817.
PRESIDENCIA 1)0 SENHOR D"UTOR VICENTE FER-
niuiu COMES.
COMERCIO.
Riso que eu pens sobro a autorsagflo que o go i ,,r- Manuel Jos Per-ira de Mell,
verno suptmnha ter doeslablecer um banco que e- No.
miUisae papel-moda. A lei preven o a alta do cam-
bio, estabeiccendo que os particulares, logo que o
cambio altensse, podessem levar as repartiges pu-
blicas o ouro e a prata ; conviuba-ll.es isso, e como
Ibes convmlia, baviam de levar all esses maltes.
Trata-se tambem da baixa de cambio no artigo 2. ;
diz que o govemo tirara panel da circuladlo, e Que
para isso far as operacocs de crdito precisas, (ir,
como he que por esta disnosicAu da le se pode mi-
gar o governoautorisado a ou.iltir papel? A librase
da lehe que, no caso de baixa de cambio, o gover-
no tirara papel da eireulaejio. Esta era a mnha pri-
meiraargumentac-lo, quecreio irrespondivel. A se-
Soiiila he firmada as palavras operagoes .le cre-
ito, pois estas sflo ilbas de contrato, deeon-
sentimento, enflo de coacgio e de torca, como sflo
as emissoes do papel.
As outras parles do meu parecer silo relativas a
considerar o projecto do governo como nina pro-
posta a olTerecer a assemblea geral .Na piimeira
parte eu examino se o governo eslava autoiisado a
crear um banco,se aquello regula.neiito podfa poi-
se em execugflo. A minba opn.lo fo que nao. \
segunda parte he se o regulamento, considerado
como urna proposta do governo ao corpo legislati-
vo, era til. A tereeira parte, quaes serian, as luc-
idores ideas a .presentar. Tcnho ludo isto aqui ;
mas he extenso, nao o, .levo ier. Fiquc-se, porm.
cnleiiilen.loque uo ral (o ao meu dever, que proCH-
reicumpri-loo mais nossivel c apressei-.ne a dar
cuita lo meu tradallio, tanto mais quanto sabia
que o nolire es-ministro linda alguna recios de
que eo nao estivesse do aocordo com elle quando
alias elle mo Hulla rasflo disto. O anuo passsdo
fallei nina ou duas ve/es, e em ludo o mais votei
com o governo em todo quanto quiz. Anexar do que
se liase o que be exaelo be isto.
O nobrei senador ex-ministro nesta mesina occa-
siflo nfto dcuou de laucar algu.n desar no COncelho
lo esta.lo, asseverando que SO serve para dizer--
nflo presta isso ,e nflo para dizer o que se leve
lazer. Isto nilo he exacto.
O Sr. H. Cavalcanti: Algumas vezes.
O Sr. /'residente do Concefho :-.... o meu pare-
cero prova. Quando o governo manda formular al-
euin projecto, o concelbo de estado l'ormula-o Bom-
pre ; npmadot >; quando pede um parecer, da-o diz
o que se .leve azer. Devo dizer ao nobre senado
que lenholido quena Franca os ministros formu-
la ni os seos tirojectos 11*0 lie ocouceldo de estado
que os organisa ; os ministros organisam-os e con-
sulta nij isto he um timbre, um capricho do mi-
nisterio.
{Continuur-se-ha.
PERNAMBOCO.
C.Minr.i municipal do lU'cic.
2. SFSSAO ORDINARIA DE 30 DE SETEMBRO
DE 1847.
rnr.siDF..\ciA no sr. nrr.o aiiii'qurrquk.
Presentes os Srs. Carnciro Nonteiro, Barios, Dr.
Nery, Cintra, Egidio Ferreira, Dr. Aquinoe Barata!
abno-se a sessflo, e foi lida e approvada a acia da
antecedente.
O secretario leu um oflic.o do porteiro desla c-
mara, Luiz de Franca o Mello Jnior, podhidon sua
demissilo do referido lugarFoi-ll.e Concedida,
sendo logo nomcado para o substituir o ajudante
do porleiro, Manuel Ferreira Accioli e para o lugar
deato* Jos Clemente .ioss.ni"s S>queira con. cinco
votos, ibtendo um OCdadai. Francisco Xavier l'erei-
ra de Biilo, eileixando de vutai, por se .lechn.reiii
susptitos, os Sis. Dr. Aqnino e Barata
U Sr. vereador Aquino fez o seguinte requenmen-
to, que foi approvado, mandando-se tirar copia delle
para se remetter a commissiiode saii.le ;
Bequeiro que esta cmara enc.rreguc sua COrt)-
missao de sai.de publica de examinar una parle
da pateo do l'araizo e da ra de San-Francisco, e
de dizer se a estagnacfio daSagoas, que all existem
por causa .la collocacflo do cl.afariz, e falta de es-
Ooa.lor, pode influir sobre a sade dos lia hilan tes
daquelles lugares. Sala das sessoes, 30 de Seleiiibro
de I Ni".-- Jim'i ii i a, de, Aquino FonMCtt.
U Sr. ven-ador Ferreira apresentou o seguinte ai-
ligo de postura addicional que fui approvaito, vo-
lando contra o vereador Aquino, e mandndose ti-
rar copia d'elle i>ara se leu.eltur ao governo da pro-
vincia, ulim de ser approvado i n Ion na meu te.
POSTURA AUDICIONAL.
Os proprielarios licam obrigados a concertar
os passeiosquo oruam os seus edificios, todas as v-
aos que se arruuiarem : se o nao lizeren. serflo mul-
tados em 8.000 rs. e o concert sera feito a sua Gua-
ta. Pato enmara, 30 de setembro de 18*7.- O ,e-
reaior t'intira.
Deliberou a cmara que o novo porleiro recebes-
se, por inventario, do demitlido os objecloa que
eslavam a seu cargo.
Fui arrematado o forneciment de azeite decar-
rapatu para luzes da caieia .lesla cidade por Jos
Amonio Pereda Rodrigues, por lempo de um anuo
ea ras.o de 1,880 rs. a caada, sendo seu fiador
Luiz Conzaga da Bocha. %
Mandou-se adjudicar a Joaquim Fernandos de A-1
Occupa a cadeira do org.lo da juslica publica o Sr.
Manuel Jos Per-ira de Mello,
lugar .lo escrivito acha-so o Sr. Joj Affonso
dueles Alcanforado.
O hai.ro dos reos est desoecupado; a galera de-
sirta. Nilo ha forca de polica no tribunal.
Est na casa o doutorjuiz municipal da nrimeira
vara.
O .Sr. Presidente ordena que se faga a chamada.
Cumprda esta nrdem peloescrivilo, verifica-se es-
larem presentes os seguinles senhores:
Patricio JosdeSouza. Jos Mara'de Castro Simes,
Francisco- ilexandriuo de Vasconcelles Callaba, ller-
nilano Alves da Si I Va, Antonio Concalvcs de Alme-
da, Joan Rihern de Amlrade Malvinas, l.uz Antonio
\lvi\s Mascarei.has, Manuel Ferreira AIIlunes Villarn,
Eduardo Firmmi da Silva, llemeterio Macel da Sil-
va, Patricio Jos Bornes, Muioel Francisco la Silva,
Ancelnio Jus Pinto de Souza Jnior, Jos Joaqun
Ferreira de Carvalho, Joflo Baptisla Fragozo iunior,
Manoel Ferreira llamos, Firmino Antonio da Cmara
Santago, Antonio llenrique,Mafia, Tliomaz le Aqui-
no F.uiseca Jnior, Antonio de l'inho llorges, Joilo
Nanos da Fonsoca (alvo, l.ourcnco Jos de Moraes
Carvalho, Candi,lo Aullan da Malla e Albuqueique,
lose Nirjssuno dos Aojos, Manoel Duarle Rodrigues,
Dr. Juan Jos Pinto, Luiz Rodrigues Sello.
O Sr. /'residente declara que o tribunal nilo pode
fiinccionar, visto faltai-llie o numero, que, segundo
a le, deve do contar para queseja considerado co-
mo constituido; e convida a alguna dos Srs. jurados
acscoldeiem no lvro dn qualilicacilo alguna Srs
que se nchem as circumslancias de comparecer
com mais lacilidade, aflm O Sr Eduardo Firmino la Silva designa e os Srs.
jurados approvam os seguinles Srs.: -- Joilo Caval-
canti de Mello e Albiiquerque, Goncalo Jos da Cos-
a e Sa, Jos dos Santos Nunes, Joo Theodoro da
Cruz, JacoineGurardo Mara Lumaki de Mello, Jos
Pacheco de Queiroga, JoAo deFreitas Barbosa, Jos
Rodrigues do Pasao, Joflo Valentiin Villela, Jos
Maiques Vanua, Joflo Jos Copes Jnior, Luiz llor-
ges .le Cerqucira, Luiz Antonio Vieira, l.uz Antonio
Siquoira,Manoel Ignacio da Silva, Manoel Joaquim
Tliomaz, Manoel Jos de Souza Luna, Malinas de Al-
buquerque e Mello, Rufino Comes da Fonseca, Fran-
cisco de Moraes Lima. Antonio Jos Dual te Nariz,
Sao condeinnadosem to.ooors. lemulta, pornfl
terem comparecido, nem a presenta da escusa algu-
niii, >s seguinles Sis. : Manoel Joaquim da Costa,
Jeronynio Pcrera de Mora os Portel la, Francisco de
Sou/.a llego, Antonio Luiz dos Sanios c Dr. .Manoe
Ruarte de Faria,
O.sv. Presidente convoca o tribunal para o .lia sc-
gunda-feira, 18 do coi rente; diz que a sessflo deve
.le cumecar impreterivelmente as io horas la ma-
nhfla, e dissoive a reuniao.
Alandga.
ItBNDIMKNTO 00 DIA 16.....,......10:611,021
Descarreoam hoje, 18.
Urigue Huracn mercaderas.
Barca -- San-James farinha.
Barca -- Tej vinho, vinagre, ceblas e batatas.
I'a tacho O/ireira mercadorias.
Barca E$h maedinsmo.
imhjktTcao'
Huracn, hergantnn hespanhol, vindo de Ma-
laga, entrado por franqua no correle mez, con-
signado a Joflo Pinto de Lemos & Filho, manifostou
o seguinte:
140 larris azeite-doce, 80 ditos vinho branco,'
2,550 caixas passa's, 50 ditas amexas, 200 potes o
675 barris uvas, 300cestas figos, 100 harris azeito-
nas, urna porcflOjde ceblas, urna dita de btalas e 1
cal xa sarjas; a os consignatarios.
Consulado.
RENDIMENTO DO DIA 16.
fiera!......................... 158,969
Osa
PEBNAMBIICO. 16 f)F Ol'TlIBRO DE
AO MEIO-DIA.
1847.
Hua da Cadeia do Red fe, n. 31, luja de cambio de
regorio Antunes de Oliveira.
PBECOS
IHoda de prata.
C0RRF.NTES DE MOJE.
Compras. '
Vendas.
1,990..... 2,00(1
1,980...... 1,990
1,800...... 1,820
1,600...... 1,620
1,280...... 1,290
640...... 660
.orrrsiiJOlMiCiicjA.
Sis. Reductores do Diaria de l'ernambuco.___Ro-
go-lhes o particular obsequio de Iranscrevere
no seu Diario os documentos ns I e 2, que |hes
remello; aflm deque visla lelles os narionaes c
Pstrangeiros, que repararan! na conesa iiiformacao
dada peloSr. Concillo Jos da Costa e Sa, publicada
no Diario Novo de honlem fiqueni persuadidos do
seu liom sonso.
Estes documentos se nao pio.luzem loda a f em
illreito, ao menos a terflo do publico judicioso, em
vista dos mimes que mdles (iguram, a pardo do Sr.
Goncalo ; oquel, se nao quizir que a sua conscien-
cia soja victima dn lerrvel rmnrao, nao sera capaz
ilcapreaeiitar lacios queojustiliquem: aejaqual
ror o seu procedmento, llie fleara sempre o nouie
que justamente Ihe perlonce.
Ileem B-resa lia minha prnpria dgnidade e'da de
mina Nlguem, a quem de proposito se pr> teude des-
conceiliiar, que eu boje me vejo obrigado a fazer
esta lyiblicacflo que minio I lie agradecer o
Do V. etc. etc.
Thomas de furia.
I'alaces brasleiros
Pesos columuares-
Ditos da patria ------
Modas de 5 francos -
Ditas do 2 patacas -
Ditas do-1 dita......
Moidat de ouro.
Pecas velhas........16,200.....- 16,300
Ditas novas -------- 16,000 ---*-- 16,100
.Molas de4,000rs.---------9.100---------v- 9.200
Oncas hespanimias 29,000----------- 29,200
Ditas da patria- ------------28.800--------- 29,000
Soberanos.........8,900......9,000
Vescontos.
Compram-sc lettras de boas firmas do commereo
a 1 por /(Pao mez, venc montos at dezembro lo
correte, e vendem-se a 7/8 por /0 vencimentos pa-
ra o mesmo lempo.
Cambio sobre Londres 27 1/2 a 27 3/4. Pouca in-
fluencia nos compradores por falla dedinheiro.
Por procurarlo le G. A. de Oliveira
Manoel Joaquim Silveira.
Recfe, 16 de oulubro de 1847.
DOCUMENTOS.
N 1. O abaixo asslgnado declara, por Ihe ser
ped.lo, que nflo Ihe consta que n Sr Thomaz de
Fana, subdito portoguex, residente nesta cidade, w
li'iiba pronunciado de qualqiier niaiieira na eleicflo
que ltimamente leve lugar nesta provincia : oque
allirnia sob a pnlavia que Ihe de proprla. 'ernanibu-
cn (i de oulubro do iH{7.liodiif/o Theodoro de
l-reitas.
( llefio-mo em ludo i declaratflo sttpra ; o
que taco por ser-me pedido, o em abono do que a
iispeilo leulio conheeiment Peinan.buco, 7 de
oulubro le 18i7.--A/anrfrc Rodrigues dos Anjos <>
-- a llcfiro-mo a mencionada declaragiio cima
Becilo de Pernambuco, 7 de oulubro de 1817. An-
tonio Annes .lamine tires.
N." 2. Nflo me consta, nem a pessoa alguma
tenho oiivi.li, dizer, |ue o Sr. Thomaz de Faria se
envolvesse direcia ou iidireatamenle mis eleitdcs
que ltimamente aa flzeram na freguezia d iieci-
le. o referido he verdade, e faco a presente dccla-
raeflo por me ser pedida. Becife, 8 le oulubro de
I87.--7(/a/'' Jluymundo da Costa idenezes.
i F.stavam reconhecidos por labelliflo publico )
PRACA DO BECIFE, 16 DE OITIJRRO DE 1847,
AS 3 HORAS DA TARDE.
Revista semanal.

Cambio----------- Flurtuou entre 27 e 27 J por
1/000 rs,As transaccOes da se-
mana foram diminutas.
Algodilo ------ Vendeu-se de 6:700 a 6:800 rs. a
arroba.--O deposito lie de 2:863
saccas.
Assucar- ----- No principio da semana esteve
em .patina ; mas nos ltimos
lias foi mais procurado, e ciTcc-
luaram-se algumas vendas ao
prego noticiado na ultima re-
vista, islo he, a 1:000 rs. sobre o
ferro por arroba lo encaixado.
Couros.......O deposito he diminuto.--A-
inda se vendern) de 105 a 110
rs. a libra.
Bacalho ----- Tocou no porto um carrega-
mento, que seguio para a Ba-
ha.
Carno-secca- Vondeu-se de 2:600 a 3:500 rs.
a arroba. Um carregamenlo
chegado esta semana elevou o
deposito a 13:000 arrobas.
Farinha de trigo Chegaram dous rarrcganmntns
com 3:700 barricas mil quaes vflo ser exportadas paia
o Itio-de-Janeiro. Vendeu-se
urna | artilla de 1:800 barricas
ao prego de cerca de 19,000 rs.
As vendas a relalho regulam de
20,000 a 22,000 rs. a barrica.
Mantciga......Vendeu-se a 760 rs. a libra da
ingleza, ea 445 rs. a da fran-
ceza. _
Passas--------- <.- hieni a 4,500rs. a csxa.
Entra rm .'epois da ultima revista 8 embi.rracOfs,
e saliiram 9.--Existem no porto 33, sendo I ame-
ricana, 21 b-asleiras, 1 bespanhola, 4 inglezas, 3
porluguezas e 3 sardas.
iHoviiueiilo dcTivi^w
mes preparatorios deverflo instruir os seus renuef
mentoscom doclimonlos, dos quans conste ern
lugar, com quem aprCnderam as difrerenles.iiscini1;8
as, e em quaes destas le acham examinados ean
provados. "*
Secretara l'acadomia jurdica de Olinda t# i
oulubro de 1847. w *
O bacharel Eduardo finare i\ A{bergar
Secretario interino. "'
Para cumprimento do art. 10 cap. 1| dos esUluI
tos que regem esta acatlemia, aqui va Iransfrinin
atm de que clieguc ao conhecimento le lodos os m
ldanles, e o execulem, como hn de esperar de mn
cebos heme locados, o que se dedicam a honro
carreira das lellras.
CAPITULO 11.
ARTIGO 10.
Para boa ordem dos esludos exige-se a t
gravidade dentro das aulas nos termos do art. i
deste cap., e toda a civilida.le e cnrtezia fora a.',
mesmas, que, reunidos os cstudantes, ou quando si
encontrarem uns com os outros, ou com os onte
pelos geraes, onde nenhum se poder coiiserva
com o chapeo na caheca; e fazendo-o, ser adverti-
do pelo porteiro, ou por qualquer dos continuos"
que alli so achar, os quaes, no caso d nflo seren
attendidos, darflo listo jiarto ao director, para n
este correccinnalmente re|irehenda o infractor do
presente artigo.
Si-cretaria d'academia jurdica de Olinda. 9 de na.
tubrode1847. .
O director,
Miguel do Sacramento Lape Gama
Em observancia lo art 3." cap. 8. los estatuto
fago saiieraos estudantes, que houverem le lomiro
grao le bacharel formado, que no breve discurso
que drgirem aos assistentes limilar-se-hflo n dar
gragas pelo bom secesso lo seu acto ao presidente
e lenles, ea todo o auditorio a honra la sua si-
lencia, nflo se Ibes permil lindo ilenliuma |.rii|.(is-
gflo, que directa ou indirrciamqnle possa offeudera
pssoa alguma.
Secretara d'academia jurdica de Olind, 9 de ou-
tubrodc 1847.
O director,
Miguel do Sacramento lapes Gama.
Joo Raplis'a Pereira Lubo% jw's de, paz, presitkntt
da mesa parochial do l'oco-da-Panella, em vimie
da lei, etc.
Faz publico que os ele lores e supplenles da fre-
guezia, convocados |ielo seueilital le 6lo corre-
te para a eleigflo primaria de 7 de novembro pr-
ximo futuro, silo os seguntes :
. ELEITORFS OS SRMIOIIES !
Vigarto Francisco Luiz de Carvalho.
Vereador Jos Camello do'Bego Barros.
Tenente-coronel Antonio Lius Caldas.
Major Florencio Jos Carnciro Montejro.
Capitflo Francisco Ceraldo Morera Temporal.
Joaquim Jos Carnciro Monleiro.
Tenente Pedro Jos Carneiro Monleiro.
Major Francisco Hozarlo le Mello.
Commandante superior Francisco Jaclho Pereirt.
Major Carlos Maitins le Almeida
Joflo Francisco do Reg Maya.
Capitflo Jos Cczario le Mello.
Alferes Francisco de Paula*lo Reg Barros.
Tenente Manoel Joaquim lo Bogo Barros.
Ci.lada.i liento da Bocha YVanderloy Lius.
Em pregado P. Francisco Duarle Coelho. .
EscrivSo Francisco Jos Alves Gama.
Monsenhor Francisco Muniz Tavares.
Tenente Joflo Francisco Carneiro Monleiro.
Major Joflo Ignacio Bibeiro Boina.
SUPPLENTES -- OS SENBOUES :
Joaquim Francisco de Paula Esteves Clemenle.
AtilonioAyres Vcllozo.
Paulino Augusto da Silva Freir.
Joaquim de Alhuquerque Fernandos Gama.
Luiz de Mello de Alhuquerque Pilla.
Joaquim Fernandos Gama.
Jos Luiz Pessiia.
Jos Antonio Congalves de Mello.
Joflo Se ver i po do Reg Barros.
Jos Ignacio Pereira la Bocha.
Francisco Belmiro da (losta
Joflo Rufino da Silva Ramos.
E para constar niamlei fazer o presente edtsl,
qu- seiallixado e publicado pida imprensa.
Freguezia do Poco-da-l'auella, 15 le oulubro de
1847. E eu, Francisco Jos Alves Gama, esc vflo ju-
ramentado, o escrevi.
Joo llaptista Pereira Lobo.
J/ccaiac,oivs.
Maranbfln
Navios sabidos no dia 16.
. patacho1 brasilero Santa-Cruz, capitflo
Joaquim Anlono Congalves dos Santos, carga fa-
milia, caf e mais gneros Passageros, Severno
Alvos de Carvalho Jnior, Manoel Ferreira, Cacta-
no Cyriaco da Costa M..reir.
Paiadiba ; biale brasileiro Conceicdo-Flar-das-VirtH.
des, capitflo Elias do Rozario, carga varios lio-
neros.
Navio sabido no dia 17.
Aracaly ; brigue-escuuahrasileiro Henriqueta, capi-
tn Jos Joaquirr. Alves da Silva, carga varios g-
neros. Passageros, Domingos Jos Pereira Pache-
co, Joso Antonio Pereira Pacheco, Claudino Jos
Pereira Pacheco, Leandro Bezerra Monleiro, Manu-
el Antonio Moi.teiro Concia de Oliveira, Joflo de
Dos Franco, Evaristo Vieira Cavalcanti de Alhu-
querque l.ins, Abel Mara da Costa Pinheiro.
EMITA E3.
Aadmiiiislragio geral dos eslabelccimentos de
caridade, de conformda.le com o ait 161 do ie-
gulameato de 25 de fev.-reiro do coi rente auno,
manda fazer publico, que, no .lia 19 do corrente, are
ni versa rio lo padroeiro do grande hospital de c*ri-
(lii.le, se flanqueara entrada, das 10 horas da nit-
iidaaasHda noiie. as pessoas que quizeieiu visitar
aquelle esta bel ecimenlo.
Administiagflo geral los estabclecimentos le ca-
ridade, 14 le oulubro de 1847. O escripturario,
Francisco Antonio Cava/cante t.uusseiro.
[DGBEBDDBo
Bi'hiribe man-
que se acbain
- CURSO-JURDICO DE OLINDA.
Deordem dolllm. Sr. director lo curso de scieu-
Cias Jurdicas e aociaes desla cidade, fugo saber a
quem convier, que, para exaelo cuiuprimeulodHS re-
A a.l.njuisiragfln da conipanha do
la fazer scienle aos Srs. accionistas,
reaiisadas as entradas de 80 por cenl sobre o va-
lor das acgOes eniitti.las, sein que le.iba sido do
misler por em execugflo o art. 9 dos eslatutos, iwn
a medida adoptada cm assemblea geral a reSpeiW
dos qui! n-i ultima reuniflo eslavam em almso.
A mesina udu.inistracfl > rbR aos Srs. accionistas
hajam de realisar urna preslagflo de 4 por cento den-
tro do prazo de 30 das, contados desla data. Es-
ci iptorioila coiKpanhia, 18 le oulubro de 1847.
Oserrelario, II. J. Fernanaes liarros.
Contrato a celebrarse com a thesouraria das rendas
provinciaes, no eorrenle mez.
DIA 30.
: nafornt!aCr^


n
ra,
tul
t
3
*=*
ultimo, facilite o transporte desta eidade para qual-
querdos respectivos arrabaldes, o para Olinda.
THEATRO PUBLICO.
TERCA-FEIKA, 19 DO CORRENTE,
ir scenf, a beneficio de Malinas Antonio Cczar &
C. a bella c bein reputada peca
' OS l>OUS EV GADOS.
Kalkamann & Rpsonmund continuaran o seu
Wlio, por intervencflo do corretor Oliveira de
grande sortimento de fazendas recontcmenl des-
pachailas: boje, 18 do corrento as 10 horas da
manlifla no sen armazetn da ra da Cruz.
--Russell Mellors & Companhia lano leltflo ,
por interveiiQilo do corretor Olivoira de homsor-
'tmenlo do fazendas inglezas proprias Jdo : terca-feira, 19 do coi rente as 10 lloras da ma-
Os beneficiados, desrjosos de lornarem o ospec- Inhfla noseu armazem da ra do Vigario.
taciilo t'10 J'Kn0 ll rospeilayel publico quando
Loilofs.
O ahaixo assignado avisa aolllm. Sr. capilJIo, Para fra da provincia rompram-se algunses-
Jeronymo de Albuquetque Mello, sonhor do engo-lcravos peritos nosolllcios Je pedreiro edccarp-
nho Hamos, do termo de Po-d'Alho, que hojo, 121 Ha, sendo vistosos o moco*, os quaes, agradando o
convem que o pja, leen envidado todos os esforcos
ciara que ello seja esecilla.lo de maneira a nao dei-
Lr nHda a desejar ; e resolvern) qu, antes do pri-
meiro acto, se recitasso una breve allocucao relati-
va ao graii'lioso di que escollieram para seu bene-
ficio sio be, o do noine do augusto monarcha bra-.
sileiro, determinando que ein seguida a essa llu-
cose cante o hymno nacional.
Os intervallos serio preenebidos com escolhidas
ouverturas, e n'tim delles o beneficiado, cujo nome
so declara, contara urna aria da opera Hernani.
Terminar o divert ment a mui applaudda a-
rj Ditn que sou borbuleta cantada felo Sr.
Sania Roza.
QUINTA-FEIRA, 21 DE OUTUBRO DE 1847.
firando e variado espectculo que offeroce no I-
luslrado publico dusta capital Luigi Plassa ein seu
beneficio:
( Primeira parle.
Avisos divcjrsos
7
1. Ouvortura escolhida, a grande orchestra.
2 Scena e aria dayle mmortal Verticinell, o-
pera AttiJa, msica do mestro Verdi, ejecutada no
clavecr pelo beneficiado.
3 Rrilhaiiie ariaBella Sorgea la rosa da ope-
ra Cnlomla, cantada por Margarida Deperni.
4. Ariida Parisina, canta la por J.iito Tuseli.
5/CavatinaCasta Djva--da opera Norma, exe-
culala j i <> clarim de chaves pelo beneficia lo.
fi.o Huelo da opera Normani om P.iris msica
do medir Mercadante por Margarida Deperni e
JoaoToseli.
Segunda parle.
i.' Orando vals nova e grande orchestra.
2." O primeiro acto da comedia o l.ouco Rasoa-
dI oh o Inglez em Pars, exoellentu peca em dous
actos pela primeira vez representada ueste thea-,
Iro.
3." Aria de Torquato Tasso, por Margarida Depe-
rini.
* Thema com variaces de clarim de chaves,
ejecutado pelo beneficiado, no meio do qual, e
cumomesmo instrumento, imitar o corn inglez.
5.* Pequea ouverlura pela orchestra.
6." Duelo befo, dao pera oElixir le amorcan-
tado por Margarida Di-perrini e JoSo Toseli.
Terceirq parte.
1." Ouvertura pela orchestra.
2." O segundo acto da comedia ingteza em Pars.
Os bilhetes vendeui-se em casa dos Sis. Guerra
Silva &C, ra Nova, n 11, e os camarotes em ca-
sa ila senhora Margarida Deperni, ra do Queima-
do, n. 16, primeiro andar.
Precas dos camarote.
Primeira ordem......... 6,00d
Frente............. 10,000
Segunda ordem.......... 8,000
Frent............. 12,000
Terceira............ 3,000
Frente.............. M00
tea superior.......... 2,000
Cera I
Wanda
1,000
500
Grande c ultimo concert vocal e instrumental ove dar
o rabequista Agostinho Robbio, na imite do dia 19 do
corrate, nos saldes do Hotel-Francisco, na ra do
Trapiche-Novo, no qual contar o Sr. Joao Toselli;
dividido da maneira seguinte :
PRIMEIRA PARTK.
1." Svmphonia pela orchestra.
2." P'liautasia sobre motivos da opera Auna llolena,
cciiiail.i na rabeca pelo beneficiado.
3." Aria nova da opera II Varia, do inestre Donizelti,
cantada pelo Sr. Joiio Toselli.
i." Pot-pourri, pola orchestra.
5 Variaces de Iteriot, ejecutadas na rabeca pelo
beneficiado.
SKGl'NDA PARTE.
Intermedio Watliger, pela oiclieslra.
TKRCEIRA PARIE.
1. Symphopia pela orchestra.
2." Iiitroduccao e thema, com variaces de Maysrder,
ledira.las no iiumoilal Paganini, execulada ua rabeca
pelo bi'mi liriailii.
3." Aria nova da opera Uzira, do mesjrc \ crdi, can-
tada prlo Sr. Joiio Toselli.
4 Instrumental pela orcliC9tra.
5 Vampainka mi < aprieco variado, executado na ra-
bera |ll'|o beneficiado
Principiar as 8 e ineia horas.
Pr. en dp entrada 3/1100 rris.
Agostinho Rubbio espera de ta Ilustrado publico a
sua protceco. _
O bilhetes veedem-se na ra do Torres, n. 8, segun-
do ndar, das 10 horas da inanha as 2 da tarde, e das 4
da tarde at as 0 lloras ; e, na noite do beneficio, no
salao.
O TRIBUNO N. 29
est a venda na praca da Independencia livraria
us. 6 e8. Este numero est tal, que nada mais (lui-
sa a desejar. I.ciam os que interessam na prosperi-
dado nacional, o se dse igauarao.
- Pede-se a quein por engao trocou um chapeo
na academia, que faca o obsequio de leva-lo se-
cretaria da mesma academia para destroca-lo ; no
caso, porm,de ler sido por machiavelis'no, o que se
duvida entilo logo que seja condecido voltura para
a casa de seu dono, cando bem acreditado que o
quer para si.
A pessoa que quer comprar formas de fazer
velas do carnauba dirija-so a ra de S.-Francisco,
no segundo andar do sobrado da esquina do becco
doOuvidor, defronteda serrara que achara una
porcilo de formas por prego muito commodo.
Precisa-se to urna ama para o pequeo servico
internoe externo de tuna casa : na ra de llorlas, n.
16, primeiro andar.
O annuncio publicado em o Diario de segnda-
le ira prxima passala nao se culeiide com o Sr.
Joaquim da Assiimpco Queroz.
D-se dnheiro ajuma sobro penhores de ouro,
ou prata : no Aterro-da-Roa-Vista ti. 58.
Aluga-se urna uica-agna na travessa do Dique :
n tratar na ra da Praia n 10.
Aluga-se um sitio un largo da matriz|dos Afoga-
dos, ua ra do Molocolomb.n. 3, com casa de vi-
venda, com duas salas, 4quarlns, nssnbriidada para
Irs e com commodos em cima, cozinha fia, es-
tribara para dous cavados arvoredos de inicio de
todas ns qualidades, duas boas cacimbas, sendo
una dellas d'agoa de beber, com ro no fundo, pa-
ra han lio : la m bem se vende o mosmo ou permu-
ta-se por casas nesta iraca ou por escravos pola
todo e negocio se far, convindo : a tratar na pra-
ca da Boa-Vista n. 7.
O Sr. alferes Sera tem urna carta na ra do
Cobug loja de Percha & Cuedes.
O Sur. I.uiz de Franca do Oliveira l.ima tem
una caria viuda do Ccara, pelo ultimo vapor na
ra do Hospicio, n. 14.
Quem precisar de urna pessoa forra para casa
de una familia para o servico de portas para den-
tro e que o faz com porfcigo dirija-so a ra de
S.-Jhereza, n. 13.
lima casa particular so offerece para dar al-
troco jantar e seia, com decencia para duas ou
tres pessoas quem predender dirja-seao sobrado
de dous andares, n. 28, defionte dos fundos da ma-
triz de S.-Antonio.
Quem precisar de um liouiem francez para pro-
fessor de sua lingoa ou guarda-livros, que seja
em francez ou em portuguez, annuncie.
ijj Vendem-se moleques do 16 a 18 annos J
|J muito lindos .corpulentos e quesaoopti- Lj]
-I uios para cadeiriiiba um dos quaes he hom }-
71 cozinheiro e tem principios de sapateir ; r,
do corrente inez de outubro, appareceu em sua casa
um escravo por nomo Luiz, que diz ser de S. S. Este
escravodiz andar procurando senhor que o compre;
por isso Iba avisa o ahaixo assignado, declarando
que quanlo antes venha ou mande buscar o dito es-
cravo por pessoa competentemente habilitada, e
satisfazer as despezas, pois que o ahaixo assignado
mise responsabilisa pelo dito escravo, que lleve ser
procurado no Alerro-da-Boa-Vista, loja de miudezas
n. 54.
nomai Prreira de Vatios Ettima.
- Desencaminliou-se, na larde de 17 do corrente,
umrahrinha, de nome Vicente, de 6 annos de ida-
de : levou camisa de algo.lio da trra, e nilo be co-
nhecido nesta cdade, por ter viudo doAracaty no
ultimo vapor. Quem o pegar love-o a ra do Viga-
ro, n. 24, que sera gratificado.
DECI.ARAf.AO.
Oabaixo assignado declara que, tendo a casa
(ios Srs. J P. Adourc Companliia recebido um car-
regamento de viudos e azele-doce, pelo brigue hes-
panhol Jesusa, o tondo feito venda do mesmo carre-
gamento, succedeu que os compradores, no acto de
conferir os vlnhoscom a amostra, ciicontrassem dif-
ferenga, e reclamando, e verilicandii-se que do fac-
i nao conferiam, celebrou-se um novo ajuste' quo
se verificou, sen que os Srs. J. P. Adour & Compa-
nbia e o ahaixo assignado dessem crdito ao boato
quo se espalhra de leroin os compradores laucado
nos viihos agua salgada, por os julgarem incapa-
zes de liio grosseira' e baixa accHo.
/.. A. Dubourcq
A ella que o calor
ajustando-se, pagam-se bem : na na da Cadcia,
n. 45.
- Compra-seum baldo que sirva par escrito-
rio; urna mesa que sirva para escrover ; um arma-
rio para guardar papis : na ruada Cadeiado T
cife, loja n. 50.
Re-
%'enclas.
Lotera do Kio-de-Janeiro.
Aos 20:000,?000 de ris.
Na ra da Cadeia do Re.cife, loj do cambio do
Sr. Vieira n. 24 .estilo a venda bilhetes e meios
ditos da terceira lotera a beneficio da fabrica do
papel de Zeferino Ferr/. Aelles, antes que chaguo
o vapor. Estes bilhetes vao rubricados por Vieira da
Silva.
imwm mi
l'i in<( /iun

?
he grande !
Anda esta por se alugar una casa grande na fren-
te do rio Cipiharihc, no lugar da ('.aponga, com
mullos Com modos para gran le familia, com estri-
bara, cocheira, casa para prctos, outra para aves de
penua. Por estes das lica proninla do pinturas e
oiitros concerlos que precisava Trata-se na ra da
Madre-de-Deos, n. 36, no piimciro andar.
OSr. alferes Sera tem urna encommenda
viuda do Rio, na loja da ra do Queimado,
n. 10.
ism&m
T um dito (le 12 annos, muito
ni cabritilla de 6 anuos, muito lindo
bem
esperto ; mu MTi
pre- (IH
tf
un ,
3 pardos Llj
to de 24 anuos, bein" reforja.lo ,
j! de 22 a 24 anuos; una preta muito bem edu- j^-
(-1 cada, de 25 annos, (jue coso muito bem, };!
A\ marca engoinina faz lavarinto, he do \i
Hl recnubecida capacidade, e nilo tem vicios TL
v ruhlifA(flo l.illeraria.
Quadros histricos de Porltigal por Caslilho
reimpressilo do Rio-de-Janero um vi
quarlo, com estampas linas a 5,000 rs. :
us loja delivros le Carduzo Ayres, na
deia-Velha n. 31.
ume em
vende-se
ra da Ca-
nem achaques o que se allanen ; 6 pretas Li|
H muito mocas ,'com algumas habilidades, al- ji-j
\^-i guias das quaes veinlem na ra : na ra H
*! do Vigario, n. 24, se dir quem vende.
Hi

Avises inaiitiinos.

Para a Baha o hiato San-llenedilo pretende
sabir al o dia 19 do corrente : para carga e passa-
geiros, trata-se cun o meslie, trt.a do Aniurim,
it.19. ...
Para a Babia segu impretcrivelmente ai suma-
ca S.-Antonio-de-Padua : quem quizer ir de passa-
geni.dria-sc a ra do Vigario, armazetn n. 5.
Para o Aracaly segu, ate 30 do corrente, e
hiato Duiidoto : quem quizer carregar, ou ir de pas-
sagpin, dirijii-se ao lado do GOrpo-Sanlo, loja do
niBSsaines, n. 25, ou ao inestre a bordo.
Pari llio-de-Janeiro segu viagem, em breves
das, o bulo nacional Nereida, forrado de cobre e
de primeiro marcha, por ter ocariegamenlo quasi
piompto : quem quizer carregar ou ii de passagem
dirija-se ra Ul Cadeia do llecife, botica n. 61.
Antonio Montciro Correia do Oliveira retira-se'
para fra da provincia e deixa por seu procurador
Francisco Joaquim Hilarte.
No dia "Jo ras do lia, tem de se proceder venda
judicial da.loja de loaca e escravo per-
teiieen'es alieidiina do fallecido Jos Joa-
nui.n de Son/a Castro de quem lie les
tanieniciro Joao Jos t1e Lima : os liri-
tanti s dcvein comparecer na rus da C't-
dei do Recife, na referid t I j >, onde es-
lata presente o Sra dotitot jtiiz do civel
da pi ineira Vara.
- Aluga-se urna propriedadn de casa terrea ,
construida de novo ,_ Com cominodos para grande
familia cozinha fr ; quintal para a mir, sila na
ra Augusta n. 72 : a tratar na ra do Vigario, ven-
da n. 14.
Defionte do theatro nnvo, casa n. 11 se dir
qilem vende tres ricos apparelhos para cha, de um
metal branco, por | reco commodo. Ma mesma casa
laniliem se dia quem ila dnheiro a juros sobre pe-
iihuiesdeiuiro ou prata tilo gmenle.
Aluga-se um preto bom trabalhador de paila-
ra do que tem mulla pralica : quem o pretender
dirija-se B Roa-Vista ra do Pires ,. n. 23.
Precisa-se alugar um preto bom amassador:
na padaria dasCinco-Pontas, n 154.
Aluga-se um preto proprio para armazem de
assucar, ou para uutro qualqucr servido : na ra
da Madre-de-Deos, n 8
Aluga-se urna casa no Poco-da-Panella a I,ei-
r do rio bastante fresca com commodos, e quin-
tal cercado do limiio com arvoredos de espinho e
oulros : quemo pretender dirija-se a ra Direla ,
sobrado de duusanduics n. 137.
Precisa-se de200,000 rs. a premio pelo lempo
de um auno, e d-se por garanta urna propriedado
livre edesembracada : quem quizer dar annuncio
._ Achou-se um pequeo alfinetcde ouro : quoiu
for seu dono, dando-os signaes certos e pagando as
despe/as do ani'U icio, Ihe sera entregue, na ra do
Queimado, n. 14.
Precisa-at alugar um preto que se subjeite a
todo o trabalho 1 na ra de Santa-Rita, n. 85.
, tem
No dia 9 do corrente, dcsappareceu do esla-
leiro doSr. Joaquim uma canoa aborta, de carga
Esta onda eslava sobre dous rolos, aonde linli.i su-
bido para a preia-mar para se virar no da seguin-
te, e procurando-so ueste dia nao se achou- Sup-
pOe-se ter sido solta de proposito. Da-se uma
gratificaco de 5,000 rs. a quem dola souber e
mandar denunciar, na ra larga do Rozario, pa-
daria, n. 18.
O baixn assignado, tendo de sabir para o centro des-
ta provincia alini de cobrar algumas dividas, previne
aos seus devcdoics moradores Desta eidade, que den-
tro deslcs prximos 15 das, a contar da datadeste, de-
velo vir satisfacer seus dbitos; do contrario. l.u..ii,ni
ao abaixo assignado dcixar um procurador bastante
para cobrar judicialmente lies dividas, visto que j s/io
antigs, c o aballo assignado n:io pode mais esperar,
vista que taiiibeiu tem de far.er algiins pagamentos;
prtanlo, a bem dos iiiesmo seus devedores, la/, o abai-
xo assignado o presente annuncio, para au so poupar
despe/.as, como tambein algiim descrdito.
Thnmaz l'treira rfe Maltas Estima.
Ignacia ('andida Gurdes, tendo noticia que Mana
Carolina Quedea pretende hrpatbecar o escravo JoS->,
(|iie se aelia ri-eiilliido a cadeia desta eidade por preca-
loria viuda da piovedmia Ooiann.t, previne ao respei-
tavcl publico, ipil- niiiguem cuutrale com ella cousa
algllllia a retprlto do referido escravo, puis, que pen-
de (lenianda acerca delle prlo julio da segunda vara
desta eidade, cseiivo Vasconcellos.
LOTiliX DO THEATRO.
ConlinTa a ser interrompido o andamento das
rodas desta lotera que nilo podo ser realisado no
dia Hilo corrente, pelo bem pouco- adiantamento
que levo a venda do resto dos bilhetes. Por esta ra-
s"io he o mencionado andamento transferido para
o da 2!) deslc me/..
Precsa-se de uma ama secca, que seja de bous
cosluipes, para uma casa de pouca familia, e paga-
se bem. Dirgir-se a ra do Rangel, n. 59, segundo
andar.
Culos liaidy, ourives francez,
na ra Nova, n. 32,
araba de rcreher de Pars um sortimenlo de obras
de ouro de lei dos mais modernos aderemos ricos,
aherlos a buril, com pulseiriis, eoutroaaem pul-
seiras; garfiaiililhas para pesclo ; lmeles ; brin-
cos para seiihora e menina; caplelas; bulos de a-
beilura e aunis, e obras de ouio da Ierra. Na mes-
ma loja ha" para vender loras para menina o se-
nhora; ese fa/.em de encommenda.
Quem precisar de una ama de leite viuda do
mallo dirija-se a ra do Rangel n. 86, primeiro
andar.
A^onrii do jmss.iportes.
Na ra do Collegio, n. 10, e no Aterro-da-Boa-
Visla, ii. 18, continuam-se a lrarpassapories tan-
topara dentro, como para fra do imperio; assiin
como despachan! mi escravos: ludo com brevidade.
Eleva tita vos, excelsa Fama!
A nnnnriu ns ai ul bella* Pi necz i as ;
l.iml adamo que serve a toda dama,
Sc/am velhas, ou mocas, ou meninas.
Antonio l.ui/. dos Santos & Companhia, com
loja de f i/enilas na na do Crespo n. II, recebe-
rain pelo ultima navio francei eiicRido a este
poi to OS mali ricos e bellos cortes de volidos
para senhora ao ultimo gnstn de Pars, onde esta, !{''
i'.uciida he denominada Princzhia : nao he ;y
pnssivcl descrevc-l i com todas as suas prnprirda-
des e sublimes enc.nilos por isso liinitaiiio-nos <&
a diter (|iic seus d' Meados pidroes sao nioiii lili). ...
demos, como de nina especie nunca visia
A cor astil, n verde aau,
O rovo fino, a cor de rosa,
Vista dc-prrin, he tentafo,
A lunar mui cvbicoso.
*
#mmww*w;mwww--miiw&mmm-Mm,*<*-.
Admirareis nava-
llias de acoda China
que leem a vantagen de coi tur o cabello sem olTen-
sa da pello, deixaiido a cara pareceudo estar na
sua brilhante mocidade.
Kate ac vem exclusivamenteda China eso nel-
le Iraballiam dous dos melhores e mais abalisados
cutleiros da nunca excedida e rica eidade dePe-
kim, capital do imperio China..Autor Shan.
N. 11. He reconhecido o uso deslas navalhas
maravilliosas por todas as sociedades das scien-
cias medico-cirurgicas, lauto da Ivuropa como da
America Azia o frica, nao so fiara prevenir as mo-
leslissdas cutis mas tambein como um meio cos-
metico.
Vendem-se as verdadoiras so na ra larga do Ro-
zario, n. 24.
--- Vende-so una porcio de panno de Imtio, vin-
dodailhii de San-Miguel, assm cuino timaporcSo
ile peixe cougiu e de ouiras qualidades, em salmn-
ra : na ra estreila do l!n/ario, n. 1 e II.
\ eii(iem-se escravos naraios,
ja Larangoiras, n. 14, segond
/ft(\tt> lindo pardo de 22 annos,
-fiy nem achaques de boa eond
Mfr llfi ptimo para pagem ; ur
tWk'-fnnifXXtnmm^
'Unn
>i as.
Compra-seum oratorio-em meio uso, e tro-
ca ni-se algumas imagens: na ra da Madre-de-Deos,
n. 9.
Compra-so uma preta que saiba bem engom-
inar, coznhar e lavar ; sendo moca, liel e sem vi-
cios paga-se bem : tanibemcoiiipra-.se um adereco
completo para senhora, do bom gosto e de bom
ouro sem feilio : as Cinco-Pontas, n 62.
Na ra da Cadeia do Recife, n 25 compram-
e 2 pares de veneziaiinas ou rotulas em bom es-
tado. Na mesma casa se dir quem vende um sitio
porto da Soledade com boa casa que tem 4 salase
7(iuaitos ; ti sitio he bem plantado de horta e inui-
tos ai enredos do Inicio como iaratigcras parrei-
ras ele
Ciinipra-se urna porcio de furnias de fazer velas
Vendem-se escravos baratos, na ra das
14, segundo andar: t
sem vicios
nducta e quo
Mt "" "I/1""" I-'" I- > "m tl', COm
olliciode sapateiro, este, troea-se por uma preta
moca ; um moloeote de 18 annos, com oflicio de al-
faiate; dous molecotes de 18 anuos, hons para o
Irabalho de campo; um preto de 25 anuos por
450,000 rs.; um dito de :I6 annos inuilo furte fi-
que he canoeiro, por lOO.OOO rs. ; um dito, por
250,000 rs. ; una parda de cor escura bastante
corpulenta, de i2 anuos, com algumas habilida-
des esta escrava vende-se muito em cunta por ter
um pequeo defeilo; urna niulaluha de 12annos;
urna negrinba de 13 annos quo cose, engomma ,
cozinha e serve bem a uma mesa; uma negrota da
de 20 anuos, que cose e cozinha o diario de uma
casa ; urna dita de nacio de ptima conducta, por
42,000 rs. ; e mais alguns escravos.
Vendem-sc duas crnicas com dous bois man-
sos ; na Treinpe, 11. 1.
Vende-se um prelo de naco proprio para o
Servico de campo ; um moleque de 18 annos pou-
co mais ou menos muito bonito ; urna parda de 15
anuos, que cozinha, engomma e cose; 2 escravas
de nacito ; uma parda muito prendada : todos mul-
lo em cunta : na na Imperial largo da torca, u. 3.
Vendem-se queijos do sertilo muito fresca-.- ,
obra superior : na loja de loiica atrs do Corpo-
Santo, n. 08.
Vendem-sfl duas pretas prendadas ; dous es-
cravos proprios para qualquer servico: na ra da
Cadeia-Vell.....1. 33, se dir quem vende.
Vendem-se tres lindos moleques de 18 a M
annos, sendo um ptimo co/inheiro ; Irea pelos de
24 anuos, .sendo um uflieial do sapateiro e os outros
proprios para todo o servico J dous pardos, sendo
um hom carreiro eo oulro proprio para pagem ;
duas pardas, urna de 20 anuos con habilidades e ou-
(ra com 12 annos, propria para se educar; duas pre-
tas de 2U a 11) anuos, cum algumas habilidades;
duasnegrnhasde 11 a 12 anuos, com principios:
na ra do Collegio, n 3, segn lo andar, se dir
quem vendo.
--Vende-se una rasa mea-agoa, na ra dos Co-
piares n. 36 : a tratar com Domingos Jos da Cos-
ta Cuimaraes defronte do Corpo Santo, no trapi-
che do Barbosa.
i'abel'.o prelo,
Contina -se a vender a agoa d- tingir cabellos o
suissas : na ra do Queimado, 31. o methodo de
aDplicara dita agoa acompanba os vid ros.
U Vende-se urna escrava de 20 anuos, que eo-
n
iba, cose, la/, laiinto e
20 anuos
ngomma com perfeicfio;
carnauba c mais objectos para as mesmas : queui Imio tum defeitos nem achaques; 110 pateo da S.-
tiver, annuncie. ICru n. 10, se dir quem vende.


I
I
J
A 5T000 rs
Na loja nova da ra do Quei-
mado,n. II A, de aymuo-
do Carlos Leite ,
ha um novo sortimenlo di" fazendas finas charatas ;
bem como uns liifflos corles de chitas francezns
finas, ornadas coin lindas barras, a5,000 rs. sen-
do este n ultimo posto de Pars.
Vende-se urna parda de 20 annos de figura ,
e ptima para mucama que engomma, coscchflo ,
lava de sahflo, cozinha alguma cousa c faz renda: no
Aterro-da-Boa-Visla, sobrado n. 5.
Vcndem-se occoes da ex fineta com-
panhia de Pernambuco e Pa rali iba : no
oscriplorio de Olivrira lrmos & Coin-
panbia, na na da Cruz, no Kccife, n. 9
Sorvete, a 200 rs.
No pateo da 8.-Cruz n. 6 com todo asseio o
perfecflo que he possivel, das 6 horas da tarde em
diante.
Vendem-se pecas do chitas escuras e de co-
ros (xas proprias para n servico de casa por se-
rem muitoencorpadase fortes, a 5,500 rs. o a rc-
talhoa meia pataca : na ra eslreita do lio/ario ,
n. 10, lereeiro andar.
Vonde-se um sitio perto desta praca com ca-
sa para ramilla arvoredos de fruclo de todas as
qualidades boa agua de beber : a datar deillro da
libcira da l!oa-Visla,n. 25,oudc so dir quem vende.
A a ova loja do Passcio -Pu-
blico, u 17,
h um grande sortimenlo de cambraia de cores para
vestidos de senhora tendo cada corle 6 a 7 varas,
de inuilo lindos padroes pelo barato preco de 2,560
e 2,800 rs. o corte; ditos os mais modernos que teem
apparecido, com barra, a 5,000 rs.; ditos adamas-
cados com llores do edre o 5,000 rs. ; ditos mili-
to largos e finos a 280 e 320 rs. o covado ; mursu-
linas de cores para vestidos, que (ingem seda, a
200 rs o covado ; baleeniiras de inuiln lindos gos-
los a 200 rs. o covado ; chapeos de sol, de seda ,
para homem fazenda iniiilo superior a 6,000 rs. ;
ditos de massa france/a os mais modernos che-
gados pelo ultimo navio a 7,000 rs.
Champauba re superior q'ua-
lidadc
.18, armazem de
seu gavetfloe boas fecha duras, jjftr preco commo-
do : na na da Roda n. 25 ouae se mandn cn-
vernizar de novo a dita carteira.
Vende-so um piano inglcz usado que precisa
de algum concert proprio para se aprcuder a to-
car, por sor de construccAo muito forte, por prefo
commodo : na ra do Cabug, n. 12, loja do amo-
lador fiancez.
Pannos e casimiras baratas.
Vende-sc panno lino verde, azul, cor de violto ,
preto e cor do caf, a 4,000 rs. o covado; casimira
preta clstica a 2,000 e 2,240 rfj dita superior a
3,000 rs. : na ra do Queirnado, loja do sobrado
amarcllo, n. 2!>.
Vendem-sc duas negrinhas e um molecote;
lodos crioulos sem vicios nem defeitos de qualida-
de alguma : a fallar com oSr. Pimentel, no porto da
ra Nova.
Vende-sc bolachinbn de superior
qualidade vinda ltimamente de Ham-
burgo : na ruada Cruz, armazem n. 4^-
n.
vende-se na ra da Cruz
Silialheitlin& Tobler.
Veiplem-se pecas de panno de linho do Porto,
de boa qualidade e por proco commodo: na ra da
C.adeia do llecife, loja do miude/.as n. 51.
DEPOSITO DI- CALVUIGEM.
Na ra do 'I rapich<
Vendem-se ricos cortes de casssa-seda,
proprios para baile ; cortos de cassasde .
cores, as mais modernas quo ha ; alpa- '^^
ca de cordflo de varias cores propria
para palitos a K00 rs. o covado ; ineia-
casmras de bnuilos padroes a 640 rs.
o covado ; atoalbados do varias largu-
ras ; cortes de chitas muilo linas fin-
gindoseda ; chapos francozes, de for-
mas as mais modernas ; bem como um
sortimenlo de fazendas finas e grossas,
por menos proco do queem OUtra quol-
quer parte : na nova loja ele Jos Morei-
ra l.opcs & Companbia, na ra do Quei-
rnado nos quatro-cantos, casa ama-
relia n. 20.
Vende-se una pela do muito bonita figura,
do 20 anuos boa roiinheira e que engomma e la-
va ; urna parda de 35 anuos boa para ama do ca-
sa; urna preta de 30 anuos boa para todo o servi-
co de urna casa ; dous escravos, bous para o traba-
dlo de campo o um delles perito carreiro : na
ra doPassoio-Publco, n. 19, so dir quem vende.
11. 1
/ >
a sem-
ine cal virgem de Lisboa, ca barra pe-
queos, e ltimamente cliegada mui-
to superior c por preco rasoa/vel.
SSNF.
Vendem-se meias barricas de farinha deSSSFde
raminbo : no caes da Alfandega armazem n. 1, do
Cuimarfles.
Manoelda Silva Santos ven
de superior farinha le trigo de
Kicluiiond em Dnicas e meias
ditas.
Vendom-se caixas de cha hysson de 13 libras,
coi porcoes ou a retalho ; caixas de velas de es-
permaceti-de5e 6 em libra : na ra da Alfandega-
Velha n. 36, emeasa de Matheus Austin & C.
AGENCIA liA FUNDVQAO'DE I.OW-MOOR.
Na ra da Senzalla-.\o\a n. 42, contina a baver
um cmplelo soiiimento de moendas c machinas de
vapor, para engenhos de assucar : bem como tai-
xas do reno balido e coado de lodos os tamaitos :
ludo por preco commodo.
Vendem-se pecas de madapolfo limpo, com
20 varas, 8 2,400 rs. e a sote vintons u retalho:
na ruu eslrcila do Rozurio, n. 10, [lereeiro andar.
RAliATKIHO
na nova loja da ra do Oes*
|H>, o p d arco de S.-.tn-
lo io ii.4, de liicarJo Jos
de fre I s R i be no.
A esla loja ha chegado um riquissimo sortimenlo
de cambraias do cores de muilo ricas corea fixas c
estampado sumiso a 2,560 e 3,000 rs.; chapos de
massa fraucc/es e do ultimo gosto a 7,000 rs. ca-
da um ; lencos de seda para grvala, do bonitas
crese boa fazenda a 1,280 rs, ; lencos do cam-
braia eoni abertura para inflo de senhora a 240
rs. ; muito ricas cambraias de cores, com rama-
gens e transiliente proprias para cortinados no
ultimo gosto, a 320 rs. o covado ; um rico soiiimen-
to de pannos linos de todas as cores por prego mus
comuwda.do que em oulra qualquer parte; casimi-
ras o DTtis muito modernos ; mw esplendido sorti-
menlo docilitas linas, a 120, (40, 160, 200 e 240; cor-
tes docilitas muito finas <; do securas tintas,Com 14
covados, a 3,500 rs ; los pelos de muilo bonitos la-
a 2,400 S. ; e emlim contina a chocar lo-
dosos dias novo sorlinienlo de fazendas de gitos
modernos. por piceos rasoaveis. As amostras cs-
tarflo fraileas aos freguo/.es.
Vendom-se lia ra da Cruz, n. 26, os seguin-
les escravos : nina parda de 20 annos, que cose e en-
gomma ; duas bonitas negrinhas de 12 anuos; un
preto ; um molequc de 12 anuos; um niulatinho
de 14 anuos; um dito do 8 anuos, proprios para
aprenderem qualquor ofllcio ; sola ; couros miudos;
bozoi ros ; cora 'le carnauba ; sebo ; esleirs ; cha-
peos ile palha ; penuas do orna ; urna porc/io de sac-
eos vastos.
Vende-sc um sobrado do um andar no largo
da lioa-Visla : a tralar no Aterro do mesmo lugar ,
priuieiru loja do louca.
Vende-sc urna caiteira do urna s face, Jb
amarcllo, com pouco uso, muito bem loita com
ras para plantare ler vaccas de leite, por ter bom
pasto e agoa permanente : a tratar no sobrado que
tom olaria atrs do Remedio.
998>
Vende-se urna preta de 20 annos, do na-
<8o com muif" bnm leilo para criar urna
crianca, e que cozinha o diario do urna .
casa e engomma liso : na ra das I.aran- !|g
geiras n. 14, segundo andar.
9

Potassa.
Vende-se a verdadeira e superior po-
inssa da Hussia a mais nova que existe
no mercado : na ra da Cadeia do Keci-
fe, armazem n. 12, de Bailar & Oliveira.
i
i\a lija nova da ra do Qnei-
mado, n. II A, dcRaymun-
do Carlos Leite ,
acha-se um novo sortimenlo do moias cras e finas,
a 5,000 rs. a duzia ; ditas de linho, fiuissimas a
5,800rs,; a rica fazenda intitulada fazenda do
norte, tocida de linho e soda, cores escuras c
proprias para todo o trago ; mantas do sedado pa-
droes modernos a 3,000 10,000 16,000 e 20,000
rs.; chales de seda e de Ifla c seda
baratissimo.
Bom e barato.
Vendem-se cassas de corepara vestidos, de bo-
nitos padroes o de tintas muito linas, pelo barato
preco do 240 rs. o covado : na ra do Queirnado lo-
ja da casa amarella n. 29.
}o Aterro-da-B *a*Vista, loja
n.4B,
vendem-se sa patitos de" bezerro para homem, :
1,440 rs. ; ditos de lustro a 4,000 rs.; bonetes de
velludo o panno para meninos, a 1,000 rs. batus-
zinhos para guardar roupa de enancas eaouro dft
640a 2,560 rs.; bonetos para homem, a 400 rs. ; su.
perior couro do lustro a 3,200 rs. a pelle ; sapaios,
,a 1,000 e 1,120 rs.; marroquim, a"*
Vciide-.se um cavado em boas carnes que
anda baixo at meio muilo bem, e he de bo-
nita cor, por preco commodo : na ra das
l.arangeiras, n. I i, segundo andar.
AOltOM E liAUATO.
Nos q ua tro- can los da ra do
Queirnado, n. iO, loja dt
Francisco fos I eixera Bas
tos vei'dcm-sc
cortes de cambraia de cores com algum mofo, a
2,400 rs.; cassas brancas de quadros rxos pro-
prias para vestidos a 240 rs. o covado ; lindeza de
bonitas cores,a 160 rs. o covado; cortes de cam-
braias adamascadas a 4,500 rs. chitas finas, do
cores lisas e modernas ,,a 200, 240, 280 e 320 rs o
covado ; meias brancas para senhora a 200, 320 ,
400 e480is o par ; fusles broncos o de cores pa-
ra cnJh'les a 800 rs. o covado ; dito de quadros ,
prio para jaquela a 480 rs. ; t-ctim preto superior ,
a .'1,600 rs. o covado ; brim pardo trancado de puro
linho a 480 rs. o covado; dito do quadros lisos,
proprio para aqueta a 400 rs. ; castores para cal-
cas de superior qualidade a 280 o 320 rs. o cova-
do ; brim da Itussia, largo, a 5(0 rs. a vara ; meri-
no preto a 1,600 rs. o covado; algodflo america-
no, de I istias a 160 rs. o covado ; cassa branca de
quadros a 3,000 rs. a pega ; algodflo da torra, lar
go o do superior qualidade a 240 rs. a vara ; cha-i
les de pura Ifla o seda a medio; fazenda possivel a S ''" costume.
5,000 rs ; alcm destas, outras muilas fazendas de
bom gosto por preco con.modo.
-- o f i tu ila ra da Autora, n. 4, vendem-se ro-
detes tambores e aguilhOes antigos, por prego
commodo ; bem como um crioulo de24 anuos, bom
carreiro o vaqueiro.
Atlencaoao barato.
Na loja n va da ra d Quei-
rnado, n. 11 a, de Rayinun-
do Cario, l.i te
anda ha o sortimenlo de todas as fazendas j an-
niiuciadas bem como guardanapos de puro linho,
com uma listra azul tecida a 800 rs. cada um; cr-
* loa do vestidos de lila de ricos padrOes; chapeos
francezes finos ; um ptimo sortimenlo de pannos
finos pretos e de cores : os quaes se tornam reconi-
meiidaveis, nao s pelas boas cores e qualidades ,
como por seren novos na loja : ludo por preco
muito rasoavel.
Vende-se, por preco commodo, urna parte no
engenho de Jaguaribe : no Aterro-da-Boa-Visla,
n. 58.
Vende-sc fumo em folha.de primeira quali-
dade em poreflo e a retalho : no Atorro-da-Boa-
Vista n 58.
Casa da F ,
na ra r.streita do llozario. n. 6.
Neste estabelecimonto acham-se a venda as bem
acreditadas cautelas da lotera do llieatro publico
tiesta cidade cujas rodas andam no dia 29 tic cor-
reute. O cautelisla espora que os seus fregueses
eoncorram a comprar o rosto das ditas cautelas ,
mis quaes se esperam boas sorles, pela excedente es-
eolha que so fez dos nmeros para seren divididos
emcautelas. A ellas quesSo poucase boas, l'iecos
para senhora
1,600 rs.
-- Vende-se cobre a cinco por cento: na ra laf.
gado Rozario, n. 48.
Vende-se urna preta de nacflo de 18 annos
de bonita figura, boa engommadeira, costureiri*
cozinheira,lavadcira,e quen So tem vicios nemach!
ques : na ra da Cadeia do llecife, n. 53.
-Vcnde-se urna poreflo de fumo da Babia,en
fardos, fumo de lavrador, sortido do ptima qua-
lidade e barato : na ra Direita loja do sobrado
n. 32.
Vende-se um moleq'ue por 00,000 rs., bem.
figurado de 18 annos, sem vicios ; he perfeito co.
zinheiro do diario de urna casa e muito hbil para
qualquer servico : na ra do Vigario, n. 24 se dir
quem vende.
CAIXAS DE VELAS DE CERA DO IU0-DE-JANE1R0,
de una libra at 19, etambom brandos, lochase
bogias a vontade do comprador: na ra da Senza-
Velha n. 110.
Vende-se para engenho, um preto de nacflo,
do 18a 20 annos, de muito bonita figura, proprio
para qualquer servico por ser corpolontoe forco-1
so : na ra da Madre-de-Deos n. 9.
-Vede-so urna espada de metal propria para guar.
da nacional por muilo barato preco : na praca da
ludo por prego {Independencia n. 23.
Continuam-se a vender bolos de todas as qua-
\ lidades: lambom se fazom bandejas tos ditos com
milita pcrfeicflo: na Solcdade, padaria n. 14, de
Joaquim Francisco da Cruz.
Vende-se cal virgem em barris chegados pro..
xmamente de Lisboa, por proco mais baralo doqua
em oulra qualquer parlo: na ra da Moda, arma-
zem n. 17.
--.Na ra da Cadeia do Recife, n. 34, escriptorio
do Jos Antonio Basto vende-se o mais superior vi-
nho do Porto da colinda do 1822 em caixas de
urna e duas duzias de gariafas
Vendem-se 5 propriedades de casas, sendo: urna
de sobrado, emOlinda, na ra do Coxo; urna dita
de sobrado esotflo na ra da Senzalla-iNuva, n. 37;
1 dita terrea no becco dos Martyri os, n. 4; urna dita
na ra dos Pescadores do bairro de S. -Antonio,
n. 7; urna dita dita meia agoa nos fundos desta
cima n. 8: a tratar na ra da Cruz, u. 54 com
alendes & Tarrozo que so acham competentemen-
te autorisados para esta venda por cunta de quem
pertencer.
Na ra do l.ivraiuento ri. 14 vende-se chita de
coberta do bons pannos, i 160 rs. o covado, e a
5,500 rs. a peca ; ditas muito finase de cores fixas ,
a 200 rs. o covado ; merino muito lino a 3,000 rs.
o covado; bretanha com 20 varas a 3,900 rs. ; brim
para cajeas, a 240rs. o covado; algodflozinboazul,
a 200 rs. o covado ; ricos cortes do cassa ; algodflo-
zinbo a 160 rs ;e outras muitas fazendas a 'troco
tic pouco dinlioiro.
Vende-so um cavado
bonito bem foito carrega
quipa e he muilo manso :
n 16.
Vendem-se casaos de pombos grandes, bons
batedores, de bonitas cores, e do ptima casia ,
por proco commodo : na ra da Florentina, n. 16.
alazflo-caboclo muito
muito bem baixo es-
la ra da Florentina ,
Casimiras clsticas e tinas, a
7#000 rs.
Vendem-se superiores cortes do casimiras els-
ticas franeczas das mais finas que toem appareci-
do e do ultimo gosto e moda de Pars, pelo ba-
rato |>reco do 7,000 rs. o corte sondo esta fazonda
rccommendavel pola sua boa qualidade de gosto e
bonitos padrOos : na ruado Collegio loja n. 1.
AO BOM GOSTO.
\a loja nova do lkasseo-Pu
1)1 ico. n 19, tic Manoel Joa
qoiio PascoI bamos,
vende-sc fiuissmo panno azul para fardas, a 4,500
rs ; dito preto ta 5,000 rs ; chita franceza, a 360 e
280 rs. o covado ; mantas de seda muito superiores,
a 9,000 rs.; lencos de seda, a 800, 1,000, 1,200 e
1,440 rs. ; lencos de seda para gravata a 440 rs. ;
ditos de cassa a 200 rs. ; prinec/a muito lina a
Na inesma inesina casa vende-se urna pnrefl de es- ; ,,00 rs ''ova,l '""i"1 blanco, de puro linho ,
lacas de ptima qualidade, proprias para atierros 1,5,l rs Capeos deso de seda preta e de co-
pn.mito barato p.vco. ;<,* 6.800 c.7,000rs.;
pre?i
Vende-so um cscravo pardo, bastante moco,
com algunias habilidades : na ra da Concordia ,
u. 25.
- Vendem-se tedias de vidro e fias-
cos de bocea latga, de lodos os t-ma-
nlios, de Boncag al la libras: na ra da
Cruz, arm tem u 4>^
Vendem-se 4 escravos mocos c urna parda,
propr|oS para engenho, por prego em conta ; na loja
de Gomes 6 Carvalho ao podo arco do S.-Anto-
nio.
Vendem-se, ou permutam-se duas casas de tai-
pa, novas e bem airanjadas unidas e om terreno
proprio, com quintal bem cercado de madeira eli-
mflo anda novo collocadas na travessa da ra Real
da Capunga, c que rendotii cada nina 5,000rs. nien-
saes, por urna casa lenca tle lijlo na Boa-Vista ,
vultaudo-se o que se'convencional- a tratar com o
padre Jos Antonio dos Santos Lessa no palacio da
Solcdade.
\ ciulcii) se b.llancas decimaes d
i <>l ca
de
24
arrobas
na mu
j por pre-
da Cruz ,
ii, n e
co uiuitu coiiiinodo
armazem n 48.
' Vende-se, ou arrenda-se um sitio com casa de
viveuda para graudo familia coiu arvoredos, ter-
, chales do lfla, a 2,000 rs. ;
dilos de lfla e seda a 7,000 rs. ; brim pardo a 800
rs. a vara ; meia-casimira a 600 rs. o covado.
Lotera do Rio-de-Janeiro, a be-
neficio da fabrica de papel.
Vendem-se bilheles desta lotera em casa do J.
O. Elster, na ra da Cadea-Velha n. 29.
Vendc-se urna canoa de carreira : na ra do
Queirnado loja n. 13.
I*a ra de Agoas-Vertles, n. 46 vendem-se 2
lindas mucamas ; 3 escravos para todo o servico ; 2
moleques; dous escravos; 3 pardas do excedente
conduela ; um molequo do 12 anuos por commo-
do preco.
Vonde-se urna casa terrea, sita no lugar do
S.-Thtiroza em Olintla com 4 quartos Cozinha
fra e um quarlo no quintal : na ra do S.-Cecilia ,
freguezia de S -Jos n. 23.
Vende-se um sobrado de um andar, em chflos
proprios, sito no largo do Terco : a tratar no mes-
mo sobrado n. 26.
Vende-se a bem conhecida venda da ra dt
Kangcl n. II : a tratar na niesma venda
Venile-se urna colherdo prala de tirar sopa ;
conloes do ouro ; auncles ; brincos ; botos ; roz-
las ; argolas; o nutras muitas obras do ouro para
homem e senhora; nina caixa de piala domada, obra
muito delicada : na ra do Kangel, n. II.
Escravos Fgidos.
Auser.tou-se, ha idas, da casa de seu senhor, o
cscravo Joflo parti trigueiro de 15 a 17 anuos,
cara grande, odios regulares, bons tientes; bem
conhecido por andar frequehlemente fardado: quem
o pegar leve ao Moudego v a seu senhor l.uiz Go-
mes Ferreira qu recompensar generosamente.
Fugio, na noite de lo nni preto, de no me temando, de njcao;
mas parece crioulo por fallar bem e ser
bastante desembaracado ; representa ter
/io annos ; de estatura alta rosto com-
prulo, bastante barbado, c cos nina usar
de suissas "por baixo de queixo ; tem fal-
ta de dentes na frente olhos pequeos e
alguma cousa averinelhados ; tem urna
pequeua cicatriz no ante-braco esquer ps grandes c innitol argos; levou camisa
e calcas brancas,suspensorio9, e sem cha-
peo ; mas d*ve j ter mudado de rou-
pt por ter "Igtima fra de casa i foi es
oravo do S.r Tliomaz Jos da Silva Gus-
mao. Quem o pegar leve a casa de No-
vaes ck Companhia, na ra do Torres,
n. 34 que ser recompensado.
Fugio, na noite do dia 17 de setembro do cor-
rente anuo, do engenho Oueluz, cm Ipojuca, u
preto do nacflo, de nomo Antonio de estatura alta,
de bom corpo olhos grandes o um lauto verme-
Ihos j com alguus cabellos ln uncos ; levou ca-
misa de chila.a/ul de quadrinhos, ceroulas do al-
godSozinho branco ou hamburgo e mais alguma
roupa em urna trouxa o levou mais urna enxatli
encavada i quem o pegar leve ao dilo ongenlio, ou
na Boa-Vista, ra da Aurora, n. 26, em casa de Fran-
cisco Ajitonio de Oliveira quo ser recompen-
sado.
- Fugio, no dia 4 do rorrete o pe-
lo Joaquim, de naco Angola; leptescii-
aunos, de corpo e estatu-
osto la'go e b rbailo;
tem o dedo gr-nde do p direito des-
mentido, e forma um bolao 'le carne por
baixo d i jimia do inoino dedo; anda
nao, se explica bem no filiar ; levou ca-
misi e calcas de alg"do azul, tunicado.
Este preto foi de Al.nioel Antonio l'erei-
r, morador tn Lapa, ao p de Goianna
Quem o pegar leve a ra da Alfandega-
Velb, n 36, que ser generosamente
recompensado
Fugio, no dia 14 do corrale o preto Tibur-
cio do nacflo bdixo, cheio do corpo, de 20 anuos
ponco mais ou menos, crfula sem barba, l"'i-
t,'os grossos coiu um lo tu ii lio em cima da sobra"'
cell.a ; levou camisa o calcas de algodflo. Roga-s
as autoridades polictaes e capitflcs decampo, que o
apprcndam e levem a ruado Livrainonto, n. 3, n.u
serflo gratilicados.
la ter 35 a Ao
ra regulares,
i'HM. : NA TYH. DK t. F. DE FARU l*!'


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ENFP7VXS7_KZE95H INGEST_TIME 2013-04-30T22:44:11Z PACKAGE AA00011611_09744
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES