Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:09742


This item is only available as the following downloads:


Full Text
m
ji\mo de 1847.
Sexta-fcira 15
O p[jRtO pubca-se todos O (lias, qae'no
n de eunnla t o preo d msicjnatur he de
?,? ,.norqinrtel, J)g"f adlanfaot. Os irn-
os dos ssi^nantes i~< inseridos i raso de
!.'!' norlinlm, "s rs. em typo cjiflerente, o as
, .,, pon""" ...-.----..,- ----,-----, ---
.-oes P',a i""*1"18- *- 1U0 n,, ,or *-
"Ti..*nr.lo 80 rj. por linf.a, e IGO cus typo
flUASFS DA LU.\ N< SS DE OUTtJBR.
fH* ',' I a 7 dorase 16 rain, da manh.
hogonte, >(( 6 horaj n m.n da inanh
/0\te\ 17. 4 l>ora$ 11 min.da raanh.
^HCo.n,a..3o,.Tl.or.s35min.d.Unle ,
PARTIDA DOSCORREIOS.
foiinna e Paraliyba, as segundas e sextas fe ir..
Rio-Grande-dn-Norte quintas teirasao meio-dia.
Can, Serinliem, llio-Eormnso, Poilo-Calvo e
Macci. no l.*, a 11 e 31 de cada mez.
Saraahuas e Bonito, a 8 e ?S.
Bo-V."ta e Floros, a 13 e 38.
Victoria, s quintas feiras,
Olinda, todos os das.
PHEAMAR DE HOJE.
Prime ira, s 9 lloras e 18 minutos da man la.
Segunda, s 9 horas e 13 minutos da larde.
DIARIO
<*e Outubro. Anno XXIV.
Ni 253*
mi.1*
- DUS D\ SEMANA,
1 Segunda, Piraii. o Aud.do J i'os oruli.
do J. do c. da 3 v. e do .1. M. i. 2 v.
2 Terra. S. Cyniiaiio. Au.! .lo J dociv. da
I. v. e do l. de |>v. do I. dist. da i.
3 (.luarta. S. Eduardo. Aud.'do l.dociv. da
, 2 r. e do J. de paz do 3. dist. de t. *
|4 (Quinta. S. CelltO Aml .lo J.dcorpli. e
do J. monioinat da I. vara. .
15 Sosia. S. Thcret.i de Jess. A mi do J- do
civ. dal.v.e do J. de paz do I. dist. del.
IU Sabbado. S. 11.iiiiii.ni. Aud. do J. do civ.
da I. v. e do J. de az do I dist. de l.
17 Domingo. llcduviges
CAMOS NO OA 14 D OUT'
Cambio sobro Loiidrti.. "'A, d p. ijrs.
u Pris 3l) is. por franco.
a Lis'... a io i i i ii. de premio
Des*.iUlettrasdebossfir.nsd
/),,,_(), i., [.esoanbo '* *
Moedasde > l)it vci. IB
de 6IIK' MOV., lllf;!
u de *, uno ..... i
P, M l'.,lacoes......... 2#000
Pesos columuarcs... HW> a
>i Ditos luexicauos... 10820
Muida............. ljOJO*-
Cn d.
J'JMll
91300
2|li|0
3JI 90
14840
Acedes da comp. do Ueberihe de bOf/uOOrS, ao par.
i^immi ter ---ma ntmrtm
TaVETin^fl'ff ""JUBTlKWeNsaCW.-l .
PARTE OFFICIAI
COMMANDO DAS ABMAS.
Quartel do eommando das armas na cidade do Recife,
12 de outubro de 18*7.
OIDEM DO DA N. 3.
Ocommandantolasarmas faz publico, para que
surta seu devido olTito na guarnicilo, os nomos dos
Srs piciacs, que por decreto de 7 de setembro ulti-
mo foram promovidos, o dos que passaiam nos mes-
roos poslospara os diftorentos corpos, e armas d o
esercito.
PROMOVIDOS.
ESTADO-MAIOR UE SBGUNDA CLASSE.
espita effectivo, o capitiio graduado Joo do llego
Cspiao graduado, o tenento Salvador Coelho de
Orumond e Albuqucrque.
Tencnlc, o segundo lenlo do segundo batalho de
artilharia Jos Nunes Bahyonso.
Alferes-aiudante da fortaleza do ttrum, o primeiro
sargento da segundo balalho de arljlliaria a pe e
almoxarife da msmn fortaleza, Manoel Marques
tloAmaral.
CORPO UE ENGENI1EIR0S.
Primeiro lente, o segundo lente do mesmo cor-
po Jos llasileu Neves Gonzaga.
ARTILnABU" A TB .
Segundo batalho.
Tenente-coronel commandante, o lenonte-coronel
do estado-maior do primeir|^lasse Manoel Igna-
cio de Carvalho Mcndontja.
Msjor, o niajor graduado do terceno batalliiio Hy-
einoJosCoellio.
Capitao quarlel-mestre, o primeiro tenente quarlcl-
meslre Manoel Lopes Maciel.
Segundo tenente cirurgiao-ajudante, o Dr. em me-
dicina. Antonio Jos Dios Mat litis.
Capitao da oitava conipaiiPiia, o lente do estado-
maior de prmeira classe Vicente Ferreira da Cos-
ta Piragibe. .
Segundos tcnentes, os aleles alumnos Antonio Ma-
riauo Lobo llolelho 0 Albino Adolfo Barbosa.
Quarlo batalltdo.
Priineiro tciicnle, o segundo lente do segundo ba-
lalliflo da inesma arma loBo Evangelista Nery da
Fonscca.
COMPAK1I1A UE ARTFICES DESTA PROVINCIA.
Primeiro tenente, o segundo tenente do segundo ba-
lalbio de arlilharia Iticaido Pires de Maccdo.
Segundo tenente, o priineiro cadete do segundo ba-
Ulhflo de arlilharia Trujano Alipio de Carvalho
Mendonga.
C0MPAM1IA tiik 1E CAVALLARIA DESTA PROVINCIA.
Tenente, o alferes do stimo batalho de fuzileiros
Manoel Francisco Monteiro.
FUZII.E1ROS.
Segundo batalho.
ttere, o primeiro cadete do segundo batalhlo de
arlilharia Pedro Lino de Barros liis.
Stimo batalk&o.
Capitao, o primeiro tenente do segundo batalho
de irtiAiaria Antonio Jos de Mello.
Oilaco batalltdo.
Alferes, o'primeiro'cadete do segundo batalliSo du
arlilharia a pe Jouquim da Costa llego Monteiro.
CAC/OORES.
Segundo batalhi'o.
Mnjor, o major graduado do estado-maior de pii-
meira classe Jos da Silva GuimarSei.
Tenente, o alferes de iufantaiia Manoel Claudino de
(H'iveira Cruz.
Sexto bulalho.
Alferes secretario, coni direito a accesso, oparticu-
lar sargento-aldanlo do segundo batalhuo de ar-
tilharia Guillierme dos Santos Sazes Cadt.
Capilo da lerceka compunhia, o lente do nfall-
ara Jos Marciano de Azcvedo.
Tenente, o alferes do segundo de caladores Jos An-
tonio Ferreira Adriao.
Alferes, o priineiro sargento do mesmo sexto bata-
lhlo Jos Eugenio de Jezus, e o primeiro cadete
do primeiro regiment Alexandro Augusto do
Frias Villar.
Oitavo b dal/i'iu.
Capito da quinta companhia, o lenle de infanta-
ria Francisco Antonio da Fonseca Calvilo.
COIIPOS FIXOS l>E CAQADORFS.
Do l'iauhy.
Major graduado commandante da primeira conipa-
iihi, o capitao de iitfanlaria Joaquim del'onles
Maiinho.
Do Cear.
Tenenie-coronel commandante, o tenente-coronel
graduado docSjado-maior de primeira classe l.uiz
Antonio Favilla. ,
PASSARAM NOS MESMOS POSTOS.
Para o estado-maior de'primeira classe.
O coronel do segundo batalho de arlilharia Joa-
quii Jos l.uiz de Souza.
O tenente-coronel commandante do stimo batalho
de fuzileiros Antonio Pedro de S Brrelo.
O tenente-coronel graduado do eslado-niaior de se-
gunda classe Antonio Comes l.eal.
O major graduado do segundo batalho de arlilha-
ria Sergio Tertuliano Caslello-Branco.
O capitflo do segundo btallnlo de arlilharia Francis-
co Camello Pessoa deLaccrda.
Para o eslado-maior de segunda classe.
O coronel graduado de infantaria Trajano Cesar Bur-
lamaque.
O major de artilharia Antonio Affouso Vianna.
U major de infantaria Joaquim Caetano de Souza
Coussciro.
O niajor de infantaria Manoel Machado da Silva San-
tiago.
O alferes de infantaria Manoel Porfirio de Castro e
Ara ujo.
Para o corpo de engenheiros.
O segundo lente do segundo balalho de arlilha-
ria Antonio Thcodoro da Rosa Gama.
Para o segundo bulalho de arlUharia.
O cirurgiao-ajudante do primeiro batalho de cala-
dores Dr. Mailoel Adriano da Silva Pontos.
Alferes do corpo lixo doGoyaz Severiano MartiDS da
Fonseca.
Para o corpo fixo da corte.
O priineiro tenente do segundo batalhto de arlilha-
ria Joo Carlos Villagrain Cabrita.
Para o primeiro batalh'h de fuzileiros.
O alferes de infantaria Antonio Caslos Frederico
Seara.
Para 0 segundo balalho de catadores.
Os alferes do sexto batalho de caladores Augusto
Pereira llamalho, e Bolarmino Concia da Silva.
Para o terceiro bulalho de catadores.
alferes do sexto batalho de caladores Jos Carlos
Galdino de Souza.
Para o quinto batalho de curtidores.
O tenente do sexto batalho de caladores Joilo Ger-
vasio tle Souza Pern.
O segundo lenle da companhia de artfices desla
provincia l.uiz da Franca de Carvalho.
Para o sexto batalhuo de caradores.
O alferes do quinto balalhfio de lacadores Joaquim
.Nery da Fonseca.
Para o stimo batalho dr caradores.
alferes da sexto batalho de caladores Berardo
Joaquim Correa.
Para a companhia de cavallaria do corpo fixo de
San-Paulo.
O tenento da companhia lixa de cavallaria desla pro-
vincia Jos llana deSiqueira Cesar.
Pura a companhia fixa do Jlio-Cruiiile- 0 capitao do estado-maior Manoel Fernandos da
Cfuz;
Para o deposito tle lecruttis da fahia.
O tenente cirurgiUo-mr do segundo batalho de Br-
illara Dr. Antonio Jos da Fonseca Lessa.
Determina em consequencia o commandante das
armas:
l_o Que os Srs. olciaes dos corpos despacha-
dos'para o estado-maior de primeira c segunda clas-
se, que ic liverem emprego, sejam considerados
ot segunda orden cun residencia temporaria nesla
provincia.
,o QU(i os Sis. ofliciaes despachados, com ac-
cesso e nos mesnios postos, para corpos de oulras
rovincias, ostejam promptos para seguir aosseus
deslios, logo que se ollereca opporlunidudc de
transporte, o que cinquanto isto se nao verifica,
aquellos que estavam como efTcclivos pertencendo a
corpoaqui existentes, sccouservarBo nos niesmos
na qualiilade de addidos, fazendo o servido da guar-
Hc3o nesta cidade ; os addidos, porem, sero desde
ja desligados. .
3." Que os Srs. olliciaes d oulras provincias
despachados para corpos em servico nesla, que nao
estism presentes, sejam contemplados em diligen-
cia lora da provincia, al que se recolhain, ou se le-
uda sciencia dos lugares onde seacliam.
.1.0 Que, havendo actualtncnle no segundo hata-
llio de arlilharia a p tres cirurglOes-ajudantes,-so
considereaggregado oque loi ulliniainenlo despa-
chado.
.c Que, estando o coniinaiidante nomeado para
o segundo balalhuo de arlilharia em oulra comniis-
sao do servico, declarada na ordem do dia 11. 1, o
eommando deslo batalho seja devolvido interina-
mente ao Sr. capitao mais anligo, All'onso Honora-
to Bastos, que o recbela do Sr. coionel Joaquim
Jos Luiz de Souza, com as formalidades do cos-
tume.
0. Que o Sr. primeiro tenente Pedro Alfonso
Ferreira passe a exercer provisoriamente asfuuc-
ces de ajudaiilc, cm lugar do Sr. primeiro tenente
Neiy da Fonseca.
7. Que 0 Sr. capitao do cstaUo-JJiuiur de pri-
meira classo Francisco Camello Pessoa do Lcenla
continu no exercicio de secretario deste eomman-
do, o que o Sr. tenente do estado-maior de segunda
classo Jos Ignacio de Medeiros liego Monteiro sirva
interinamente dosjudante d'ordens, em lugar doSr.
major Jos da silva GuimarSos.
0 commandante das armas sproveita esta occasiSo
para dar ao Sr. coronel Joaquim Jos Luiz de Sou-
za os scus agradechnontos pelo zelo o actividad o
com que socomportou 110 eommando do segundo
batalhio de artilharia, maniendo a disciplina dos
setis subordinados, iuciitiudo-llics dedicafiio ao Ira-
balbo, do qual multo dependo a regulai 1 lado e bom
andamento to servico; agradece tainbeat ao Sr.
major Jos da Silva GuimarSes os valiosos servicos
que preslou durante l anuos incompletos que excr-
ceu o emprego de ajudaite d'ordens, mostrando
helio inlelligencia.'actividade, zelo pelo sorvio,
uamor a desciplina; litialmente o commandante
das armas louva aos domis Srs olciaes, que dei-
xam de perlencr a esla guarnico os servicos que
nella lizerain : saudoSO Sedespedo de todos, e faz
votos para que uosseus novos destinos conlinuom
a dar iriefragavcis provas de sua adheso a augusta
pessoa tle Sua Magestado o Imperador, e a se pres-
tarcni da niellior boa vontade ao seu paiz.
Manoel Ignacio de Carvalho Mcndunca.
EX
CORRESPONDENCIA DO DIARIO DE PERNAMUUCO.
Lisboa, 5 Je selanbro.
AArma-se que M. Guiot dirigir tuna nota ao Sr.
Pacheco c Lord Patiiierstoii,para que cessasse .1 Inga
reacia das nacOcs all idas nos negocios de Portugal, vis-
to ter cessado o motivo da imei'vrn. fin. Qiicrom dizer
que foi cm consequencia dessa nota, que sabio do porlo
de Lisbo 1.1 esquadi 1 d 1 almirante Parker, sendo susti-
tuida pela tle Napier, com novas Instriiccfics.
Antes d.i partida c SS. MM, para Cintra, assistlrain a
urna pescarla para diverUineuto dos principes eui Pe-
droucos, na quinta de. duque da Ten eir. SS. MM. Jan-
larai uesse illa em casa do duque, 1 cujojantar assisti-
ram o camarisla, o ajudante deordens damas de ser-
viro, o duque de Saldaiilia, oinanpicc uiarquezafle
Frontelra, o conde de Santa- Mara, o vizconde 11 Cu-
r.'ii.a, I). Carlos Misc.irciilias e. o almiranteN ipler.
A dlssolucifo dos batalliAes nacionaet as clcifOes s"'
os assiunplos de que se oceupa a iiuprensa "peridica
progressista. N;i 1 se pega n'umjornalprogrpssista, que
se nao li ii mi liiu de um longo artiga as scguinfei cx-
prcsscs Vbaixo os Uatalboes ou longas qucixas con-
tra as fraudes platicada^ nos recrnseainentos para as
elcires. Fallando com Iniparcialidadc ellos iiarecem ler
algunia raso em ambos os assuuiptos,. o- batalhdes silo
una iiiiiic.icoiiir.ii 11 1 c irla eousti(u,cional, c pela inaior
pai te sin bandos de assasslnoa nas provincias, c de ca-
celeiros e vadios oiii Lisboa, dispostos para ludo. Ein-
quanio s fraudes nos rreenseamentos, parece, queessai
treiu lido lugar eui grande numero; pois sao bastante
extensas as listas, que publican! ns ditos jornaes, dos
cleitoresque tein sido excluidos.
A lula eleltoral parece ,|nc ser rrnhida. Os realls
las l.imbi-in qucrein tomar 1 ule nella, porcirt anda
tuto deeidiram se se colligarlam coni a opposi(ao pro-
gressista, ou se votai lam eni corpo separado. Km lodo
0 caso lie indtiliitave que alguns dos em leos realistas,
1 otilo Povoas, A/11.lia, ( i naidiuo, l .nedes c OUtrOS, vc-
nliain s corles. Di/.-seque Povoas leve un aineaco de
apoplexia em \i" mide -.e a. lia.
Nacoinuilsso eleltoral carlista, figuran o duque da
Trrceira, o duque de Saldanlia coutros magoatas. Q%
SS. MM. a rain ha c el-rci, acompanhados de alguns de I Labraltstas eonspiraraiii desaforadamente, e graudei
' reunios tcem lido lugar em 1 asa do coudc de 1 homar.
sous lilbos. parliram esta semana para Cintra, dondl
lencionaiu ira Mafia, aliui detl-rci SC divertir por alglllll
lempo a (ara.
t) ministerio contina a ser o alvo dos tiros da Impren-
ta da opposicfiu, o osen programma lem sido auajysado
por osla ininucioianientc. Segundo ella, o ministerio
mesmo, nuerendo prcni pratlca o dito prourauuiia, nao
0 podia fa/.er ; porque para unas colisas faltain-lhe a.s
leis regulamcntares, para outrat a forja e o prestigia
nrccssarlo, e Hnalinente para tudas a boa vohiadc.
Entretanto, o novo ministerio val caminhando, o pro-
mulgando .iinmis actos diflus de louvor. Entre estes
ftguraa portarla do mluisiro da marinha para as efl-
ides do Ultramar, onde so vcm rxprossas medid.is ..ilu-
tares o verdad, iraiiienlc oonsliltli oick s- Oxal olla
nao sejam sonhisuiadas. Taubein uicrecein iguaes elo-
gios as medidas ndnptadas pelo ministra da fazenda,
mandando proceder a umao.-iatisii. a dos empregados do
govoriin, aliui de se proceder a cuiiveniciile rolVirina,
como tambem nao" pernnllindn que varios emprrgadoa
daalfandega de Lisboa fossein fiscalisar o estado das nu-
tras alfandegas do reino, com as grandes gratifleafoes
quelhcs tinha arbitrado o conde do Tojal.
O banco contina a Intrigar, para oliter que as su as no-
tas iiiirom por meiadenos pagamentos. Por cinquau-
lo anda nao o oble ve, porm j aloancou a rcvogac3o
do ari. 9.' do sen regufainento, perinittindo-se que a a--
seiiiiilc.a poder fuuccionar, logo que, chegada .a hora
marcada, estejam presentes a quarla parte des accionis-
tas convocados ; mas ncnlitima resolucSo ser valida
seili um numero devotos igual ou superior a dous le-
eos da dita quarla parte.
Pelo ministerio da guerra se determinou que o fornc-
iin.euto do oxoreito se faca na oonl'oriiiidado da lei de
fazenda militar de 18 de setembro de iS-ii; eque, quan
to antes, se proceda publieacao da cunta t\.\ despoza
leita com o exercito de operares do norte. I)uvida-se
milito que CS! I i 01111 appareca oni breve a publico, pois,
secundo pin c lia ni.-so grandes tranquiberntas, c he pre-
ciso arraiija-las de nianeira que au deiU inliitn nos
ollios. l'orein, com a oxpodico dessas ordcjis, vai acal-
mando o clamor que se tem levantado, pela faltada pu-
blii.ico da rele ida coala.
Ao-iatisiiea dusassassinios. roubos c espancainentos
vai em progresso; Lisboa mesmo #u80f tem Sido fsenta
desses drploraveis acontecimentos, e os soldados do ba-
talho da carta continan! a insultar e a espancar a sou
(alante os que el les suspcitan serein patuleas. Isto tem
dado lugar a altos lirados da Imprcnsa progressista, cla-
mando pela extineco dus batallios ; poim ate agora
ogoverno, posto ler rccminendffdo sas suai portaras
a Todas as autoridades civis o militares que empreguem
lodos os lucios para mantel a ordem, e para que sejam
entregues ao rigor das leis os perpetrados de assassinios
coutros criiues, cointudn aiuda se nao dclibcrou dissol-
ver os bataldes nacionaes, porque nao tem forja para
isso, ou porque nao quer. Entretanto, assegura-se que
os batalhes do Algarve, de Beja e de Villa-Nova-dc-Fos-
o.i, que mais so tem istiuguido ein exoessos e tropo-
[las, si rao dissolvidos.
Assegura-se que o regiment n.15, que esta no Porto,
ir para o.Algarve, c que vira dalll para o l'ot lo o re-
giment de infantaria n. (.
Pelo ministerio da justicase dirigi ao patriarcha de
Lisboa un.a circular sobre o provimeato de parocliias,
curatos c beiirflcios, o sobro a boa escola dos ccclcsias-
ticosrpiedevem sor movidos.
O g.ivcrno revogou as leis promulgadas din.inte a
lula, pelasquaes se linlia ordenado que lodaapi i
que ii/.esse pagamentos aos rebeldes fosse obligada a
pagar novainentc ao ihesouro, nuandu nao provasse que
lora oonstraiigida pola forra. Todava, segundo as dcli-
beraces da asscmbla do bam-o couuncrci.il do Porto,
parece que a dita asscmbla so dlspdc para dcniapdar
os niembros da junta do l'orto. pelas sonunas que exi-
gi a.|U(1le eslabcl.'eiinento. Entretanto, assegura-s,
|ueovoloda maioria da assemblit foi que se exigisse
s urna indemuisaeo. .
Publicaram-se no Mario do Uoverno as attribuicoes da
secretaria dos negocios da fazenda. Parece que desde
a entrada all do novo ministro da fazenda, Marino Mi-
guel Franiinl, ten tudn andado u'uina roda viva. Tein-
se publicado varias ordena sobro o estado da cobran, a
dos impostes e regularidad.- de pagamentos,
Publioou-so tainbein no Diario a relacaa dos ofticlaes
do todas as armas que tomaran) parlona revolta com as
.,.,- ,, in.-ns collocajcs na i rceira o quarla iccfdcs do
excercilo. u nfameru be ooi.sidciavol.
Juao Muusinbo da Silvcira c lian cisco Martin ublive-
rain o privilegio exclusivo, pelo espacodc 15 anuos, para
extrahir o iodo das ].lautas marinas, vislo leicn apic-
1 sentado a. iuvencao de uu noy processo,
o de sen illuo Josii I', ibral.
Parece que lia grandes divisoCS eulre o partido*Carlis-
ta e o que corrobora mais esta oplniao, he o que diz o
l'criodtrt dos l'obys d.,l'oit<>. em mu dos seus ltimos
nmeros ti periodista do Douro exprinte-seassiin:
a ti nosso partido conservador nada tem aprendido,
api/..ir das li. .'es que Ibe leem dado, l'.-tc partido i un-
liniia dividido por grandes pequeas ambices. -Nao
sabe que moda he hoje extremar os carlistas honestos
dos deshonestos, e faer airucUes un apostolado, que
sirva de norma a todos os p u tidos do mundo terrqueo.
( a.!.i carlista boje, por diminivitivo que seja, em e tal-
lando no seu nomo iros vives, ja se julga Uin Gulzot,
(Ir., etc. '>
Tlenlos que ver sociias inters, inte.. e pela nossi
parte duvidamos inulto que o partido progressista possa
obter vanlagem alguina. visto que tcem b ivido l'reguc-
zias dundo so tcem eliminado 200 elcilores todos progres-
slstas,
Segundo noticia i Je Angola, o conde de Bouiflm, scus
lilbos r mitro-, dos deportados tentarain fnglr dalll, o
que sabido pelo governador-grnerat, niandou o conde
,lc llomllm o scus lilbos para o presidio de Motamos,
iicando o general Celestino, o conde d< \ illa-Real, e o
deinais deportados, no forte de San-Miguel U fiebres
lillfiaillSido benignas para estes inlclizes destina,los
Parece qiu se vai publicar cm breve un novo peri-
dico intitulada a Carla, que sustentara o ministerio, o
un qual influir mus particularmente o ministro da. .
justica, r'crro,
Torua-se a fallar di publica,, .o da .Vi ,'ni, jornal so-
tcillbro-rcalista, UU realista puro.
O.celebre Lamproia, que tem servido lauto aos pro-
gressistas como aos moderados, v li t.iinb.'iii publicar do
novo o sen peridico Procurador ios Powi, que lia mui-
tos anuos d, i\ou de appareccr por lilla de recursos C
persegu (Oes que sott'rcu.
lia diasque se leom inaiiili stado CIU Lisboa algun
casos de oiinb ria, mas de Ulll carcter benigno; nao
,o sabendo que ni nhum teuha tido resultado funesto.
No auno de I845 leve a companhia das pescaras por-
tuguesas 17 navios etnpregadas na pesca do bacalbu.
Estas, inba. o oes, iiue soinmam2:041' toneladas, fo-
ram ti Innl idas por 280 bonicns, o trotiM'ran a seu bor-
(lo6M:o83 li.ioalliaos o I: i" almudes de a/eito. O siIII
costlo de sabida imporlou oiu 111:000^842 rt'is, en cuja
ilespesa se comprehendeui os uli usilios que voltaraiu;
I,, ;: ilmnado aos na mus '.;.(i ni biiu res, terco pago i tri-
pi.iacao 2.i.oov,..,.",ii n'-is. Pens pois. que a despezao-
ra 40:380/183 ris.....lucro 10:005/840 ris, so o toreo
se (leve entender do producto bruto.
Parece que lia graude divergencia entre os irinos
Cabraes. Segundo uns, n coudc de Ihomar quer lidac
nas eleicocs, outros dizem que nao aparecer por ora
na siena poltica, porlu Jos Cabial cst decidido a
tudo, c paree.- que os cabralisi is. sto m lis por elle.
Diz-se que n duque da Torce ira ser noincado cbofe
de estado-maior, passaudo o duque .le Saldauba, para
a mordomi.i-iiiur da cusa real i e que aliual Ir para al-
guma cmbaixada cairangeira, porque parece qu eo-
nheccu que os cabralistas se quizrram servir dille, o
que agora Ibe voltaill as oslas. Isto, ceinludo, SOba-
tes sem fundaniculo algum, i duvida-sc multo que o
duque da fcrcelia abamloue o rendoso lugar de mordo-
iiio-inr.
As ni,tii i is de Ifespanba nao di ixau de ser interes-
sanl' s. A raiub i i oiitinna si parada dosi 11 joven esposo,
e apezar dos reiterados csl'or .. teilos pelos luiniblros
para conciliai os i giose o lentsut** posslvel
i, 111 ,.ii-se. Parece que drnolt d< mu nas conferencias,
o rcl coa.orle de, dio que mi duvidava rcunir-sc com
sua nal esposa, ni is que apra/. iva essa rciiiuo para
d.upii "a quatro mezes. Os motivos desla delonga sao
ignorados, pelo menos geialnicnte. tira, como os mi-
insiio- innl leitu da tuestode palacio, como emBespa-
uba chamaiu s dlsseiires eulre os regios conjugas,
tima nueslo mlnlslerial, corra ltimamente que o mi-
nisterio Pacheco pedera a su i dcuiissao.. .\esla oou-
junctuia, os progrcsslstas j se dlspunnaiH para subir
ao pod.'i; poiiin, api l II do BSCeildente que parece tem
tino.ido no animo da lamba, aiuda o nao alcanf am dos la
v. i pois tambem aiuda nao conseguirn) o icgresso ,'t
llespauha, do cu caud.ilho, general Espartero,
ti general Narvacz, que estiva de embaixador delics-
paohaem Pars, foi chamada a toda a pressa ; jchc-
Iou i Madrid, i lie indlgltado como o futuro obele do
luiuisterio, do qual formar parte gente da sua cor po-
ltica, islu be, moderada.
Os joro es progressislns pareoein assegurar novos ma-
i para a llespauha eoia a viuda do general Narvaez ;
e tvweajn a dizer que as suaJ latcucOes j5o mais favo-
MUTILADO



rivels causa da duqueza de Montpensicr, do que aos
direitos de Isabel segunda. Tem chegado at a rspa-
lhar-se o rumor di- abdicaciio dcsta soberana.
As guerrilhas carlistas, nio obstante o arcabu/.ea-
inentos de alguns chefes, e de lodos aquclles que sao
:ipprehndidos com as armas na mao, continan! a en-
grossar; e, segundo a opinio de alguns joiualistas, as
f.'irca da raiuha no principado da Catalunlia, mide exis-
te o gfono da f.iccao, sao insullicicntes para a extermi-
nar. Beceia-se milito una nova guerra civil, Na Ba-
liza tambem ha gucrrillias.
Km Franca oncorraram-se as cantaras depois de
trela sentenciado iiui negocio importante, e rjue tem
occiipadi) inuilo a altctirao publica nao s em Franca,
mas m toda a Europa. Joo Baplista Teste, ex-ininis-
tro das obras publicas, e o general Cubires, ex-niinislro
da guerra, foram aecusados de terem recebino de Mra
l'elapra c Parmentier, capitalistas franceses, grandes
sommas de dinheiro, para a concessao de urna linbade
caminhos de ferro. A aceusacao foi levada cmara dos
pares, e proyado o crime de concessao, o tribunal dos
pares condeninou Tes A a ser exautorado de todas as
su is honras, empregos c condecoraces ,i peda dos
scus direitos civil c polticos, a cineo anuos de prisao
e a !4,tt00 francos de rcstiluifao, a oulros 94,0(10 fll-
eos de multa, c as cusas avahadas em 12,000 Iranios.
O general Cubires foi igualmente condeiunado exau-
torado de todas as suas honras, empregos e condeco-
raedes, peda do seus direitos civis c polticose
multa de 12,000 francos. Mra, l'elapra c Parmentier fo-
r.iin condeinnados mesnia pena que o general Cu-
bires.
Nesta condcmiiacao nota-S a perspicaz poltica do
rei dos Franceses. Mr. Teste pertence ao partido mo-
derado ; pelo contrario, o general Cubires pertence ao
Saltillo progressista ; porcia Teste foi tratado com lo-
o o rigor das lela e alm disso o governo nao tem tillo
para elle eommiseraco alguina ; pois que, leudo elle
tentado suicidr-se, e sendo atacado de una febre
cerebral, o governo nao conseutio que fosse tratar-ge
/ora ila prisao, como requera a sua familia.
Quando anda eslava fresca a roeordacao destesacon-
tecinienlos, outro caso bastante horrivel velo occupar
a attencao da Franca. Na madrugada de 18 de agosto,
a duqueza de Choiseul-Praslln apparcceu apunbalada
lio leto onde repoiisava. Todas as suspeitas, segundo
as anveriguacoes a que logo se proceden, recabem sobre
o duque seu marido, que parece andava desvairado
com una rapariga chamada l.uzy, que tinha sido ala
de seus filhos. O duque lo i preso, c deve ser julgado
pela cmara dos pares, de que he nienibro, e que foi
convocada extraordinariamente Diz-se que o duque se
matara envenenado, estiecumbio a 24 de agosto.
Km Franca leeni havido alguns disturbios, por causa
da caresta do pao.
Na Inglaterra ludo tem estado oceupado com as
novas eleiycs. O seu resultado j he conhecido : O
gabinete llussel-Palmerston lera inaioria no parlamen-
to ; porin nao to numerosa como a que esperara,
Diz-se que spoder contar com 16 votos de inaioria de-
cididos. Alm disso ha algumas eleicos que parece
serao contestadas, como por cxeiuplo a do baro de Ito-
thschild, por Londres, nao si por ser israelita, mas por-
que tem contratos com o governo e a de oulros que
estao ueste caso, e que, segundo a le da cmara dos
comuiuiis, nao podem assenlar-sc nrin votar. Accres-
cc inais que dous dos aetuacs ministros Mrs. Howes e
Macaola'y nao foram reeleitos. Ora, como Mr. Macau-
lay foi mu dos que se mostrou menos favoravel causa
dos revoltosos portuguezes, os nossos jornaes progres-
sistas teem querido ver na sua nn-rcelciciio urna de-
iiMin-.il i- .ni dos eleltores Inglezes coutia o procedi-
mento do governo inglesa respeito da revolla de Por-
tugal.
Os restos de Daniel O' Connell, o libertador da Irlan-
da, que fallecen na Italia, j chegaram a Dublin, e fo-
ram srpullados'coin grande pompa.
Em Inglaterra tem havido urna irise linauceia. Al-
gumas casas commerciaes teem fallido o descomo su-
bi a 5 por eento ; e todos os fundos teem bailado na
bolsa de Londres.
Na Helgica mudou-sc o ministerio, c boje acha-se
;i frente dos negocios pblicos una adininislracao que
pertence ao partido liberal.
Na Molla mi.i teem con ido rumores de abdicaran do
re, e de desistencia dos direitos ao ti,roo, de seu io
primognito, o principe de Orange, acclamando-se rei o
ll'lho'(leste, anda menino, com urna regencia. Porin
acredila-se que taes rumores sao completamente iu-
etaetos.
Na Suissa contina a lula entre os scic cantos ca-
lmbeos o o resto dos cantos que forniaiu a repbli-
ca helvtica. Os priuieros, nao so chaniaram OS jesu-
tas, mas formarain urna liga o'enslva e defensiva. Na
ultima dieta decidi por inaioria que a liga fosse in-
timada para se dissolver, como prejudicial uiiidade
la ronfi drracao, empregando-sc a (Orea no caso de re-
cusa. Os cantdes catnolicos trolaram logo de se fortl-
iiearem, e de alevantaiem tropas. Isto trm dado lugar
a novas deliberacoes da dieta contra estas dlapnslcdcs
Alguns recean ver a Suissa em breve nadar em san-
gue : muiros allinnaiu que, nao se adiando os cantdes
Iue nao perleneem liga em estado de iuipor pela
/'orea as suas leis aos cantdes colfigados, o negocio se
terminar pacificamente, ou as declsoes da dieta Qca-
liio sein ilcito. Diz-se tambem que, no caso da Iota CO-
lliecar, a Franca e a Inglaterra Intervirti.
Em liorna descobrio-.sc nina Conspiraco contra o
santo padre, em que duoni achar-se envolvidos alguns
caldeaos, e ontros individuos peiiencente.s ao partido
retrogrado. Muitos dos conspiradores foram presos. O
governo pontificio mandou iininediatamcnte organisar
a guarda nacional nos seus estados, e dissolven os cor-
pos de Suissos, e os voluntarios de Gregorio1 XVI. Alm
disso, convocou delegados de todas as provincias, para,
de accordo com o governo, procederein s reformas nc-
cessarias. Urna das reformas que val j pr-se em exe-
cucao, he a das municipalidades, o governo austraco
niio v com bous olhos rsle procedimentn do governo
pontificio, porque a fernicnlaco parece j reinar na
l.oinli.ii dia, e por isso trata de fazer a vanear eorpos de
trojias para as fronleiras das legajos pontificias, c at
reforcou a guarnicao de Ferrara, contra o que protcs-
lou o governo papal.
NaToscana tambem o grao-duque trata de orga-
nisar aguarda nacional, e de fazer reformas as insti-
tulcSes do grao-ducado.
Na Sicilia e na Calabria ha grandes bandos de in-
surgentes que do cuidado ao governo de aples, o
qual tem enviado grande numero de tropas para sur-
focar a Insurreica'o.
Na Alleinanlia nada tem occorrdo de notavel ues-
tes ltimos lempos.
Na Prassia publieoii-se a rcsposla do rei hs peti-
edes da dieta. O rei Frederico Guilherme confonua-se
com poucas das pelices ; e as suas remostas sao inals
urna e.-iisura as decisoes da dieta do que outra cousa.
Parece que o governo prussiano, teniendo osprogressos
des ideas liberaos, as qcer reprimir, nao rcunindo a
dicla senao daqui a quatro anuos. Ao estado em que as
cousas teem ebegado na Prussia, poder o governo de
Frederico Guilherme conseguir o seu inteulo? O lem-
po nii-lo mostrar.
No resto da Enropa nada tem havido qne mereca
especial meiicao, alm de urna nova insimeicao, que
i-ebentou na Albana, e que parece dar cuidado ao go-
verno OllOIII IIMI
___
--'L."

arha-se fra do alcance do homom. _K incerteza, as
conjecttiras c as dedcenos os diversos boatos e
as successivas rcvoloces-- i csclarccenlo olisco ri-
dade, o desenredado trama o a final catnslropheque
uo tal carcter a urna investigado judicial c for-
mal, prva e de/esa, ludo se acha j invalidado pela,
perpetradlo de outro crime, que no niesmo lempo
convence^! cora o delicio originario. Dnas nicas
teslcniunhs qtte teriant podido depr sobre o fado,
ja mo existem ; c oque ja so tem averiguado, pro-
vavelmento lio ludo quanlo se poder vir a saber -
crca da inorto da dtiqueza deTraslin. .Yunia futu-
ra chronioa da dynastia tleOrleans n'um periodo
mais que muilo comparavel clebre regencia da
mestna casa ler-se-ha este fatal episodio pouco
mais ou menos nos segointes termos :
A 17 de agosto do atino do 181/, voltra o dtiquo
de Praslin, par de Franga, da mais alta plana e de
grandes possesses, para o sen palacio de Pars, a-
companhailo pela duqueza c por oulros membros da
sua familia. Ao entrar na cidade, antes de seguir
para o seu palacio, passra ello com duas filhassuas
pola casa da residencia do urna rapariga que fra
anteriormente aia do sua familia, mas que havia si-
do despedida' a instancias da duqueza, em rasfo da
sua intimidado com o duque. Ao chegar conseculi-
vamenlc sua casa, Irgcaram-se palavras speras
entre ello e sua esposa acerca da visita que lliea-
prouvera fazer; mas nao se observou muita cousa
que viesse ao caso c a familia rocollicu-se limado
costume, 0 duque o a duqueza doriniam em apo-
sentos separados, no primeiro ailar da trazoira do
palacio, que olliava para uin pequeo jardim, com-
miinicnnilo-se o quarto do duque por um curto cor-
redor com o da sua consorte, quo assim eslava s
na sua cmara rnmquanlo dorinisso ordinaria*
monto una rain a re ira u'uina anle-camara contigua.
IVrlo das 3 horas da manilla do dia 18, foi esta cri-
ada despertada por um repentino e vilenlo puxa-
vanle na campaloha da dui]tioza; ella correu im-
mediatamente porta ; achou-a ferrolliada ; e PlCOU
assustada deouvir do dentro alguma cousa seme-
I ha lite a fracos gemidos. Procurando ella auxilio, ar-
rotnbou-se a porta, c entflo achou-so a duqueza no
chao, revolvndo-se no seu proprio san^uc com na-
da menos que 0 feridas em differenles palles do
corpo. Tudo iiulicava que urna desesperada lula se
travra no quarto. As feridas da infeliz senliora eram
taes, que multas dolas tnostravam haverem sido re-
eobidas em quanlo ella se defenda do assassino.
Alguns pequeos movis eslavam vollados noas-
soalho. Eram visiveisem muitos lugares das pare-
des o portas vestigios de nios ensanguentadus. A-
charam-se porefies de cabellos pegados cama
Temos tinte os olhos os diversos peridicos que
rcebmos pelo vapor San-Sebastio, chegado hoje
'osportos do norte.
Se das outras vezes he sempre das noticias do Cea-
r que nos oceupamos em primeiro lugar, j pela
sympathia que nos merece, essa provincia, e aquel-
los dos nossos conterranoos quo hahitam-na, o J
pela importancia quo de ordinario caractersa os
acontecimentos que seni registrar em suas colum-
nas as gazetas que d'ahi nos rcmettem ; nesta occa-
siilo.julgamos mais que juslilicavel semelhnnle pre-
ferencia, porquanlose basca ella na sofrcguidfo que
lemos de por os leitnres ao corronte da situaco las-
timosa a que ha reduzido os f.earcnscs a campanha
eleiloral que entre clles se agita, e na qual o respec-
tivo governo provincial, coadjuvado pelos seus a-
gentes como que se esforc,a por descarregar por sii-
hre o povo e contra o povo toda a fr^a que as leis
Ihe confiaram para prolegero mesmo povo, para ga-
tuna gadolha da mestna cor e textura eslava agar-
rada na mflo da moribunda sonhora. Posto quo a vi-
da uo Ihe estivosse de todo extincta quando ella
foi soccorrida polos seus domsticos, todava esla-
va inteiramenlo insensivol oexpirou muitos poneos
niinutos depois. Apenas sou 0 alarma, correu 0 du-
que no quarto e precipitou-se sobre o cadver de
sua esposa n'um estado do gratule eonimociio ; e
apenas se podo prostar allenco a evidencia dascir-
cu instancias, observou-se que nSo se com metiera
roubo algum, o que s a morle podia ler sido o pro-
posito do criminoso, lluvia umajanella aborta que
deitava para o jardim de Irs j. mas o guarda, ordi-
nariamente postado em baixo, noeslava ah esou-
bo-se-que recebera ordens que occasionaram a sua
ausencia. Anda que, se o assassino se livesso evadi-
do pela janclla, dilBcllmonte loria podido affastar-
Se daquelles lugares, quando sou o alarma, com
ludo nada se tinha observado por fra. A polica
chogou dentro om poucos minutos a scena do cri-
me e.-> primeira pessoa, em quem recahio a suspei-
la pelos indicios adiados, niio foi outra sondo o
mesmo duque.
A repentina c involuntaria exclamarlo de um cri-
ado Chamara primeiro a altencff'o para esta parte, c
cada hora confirmara oais a.cxlraordinaria suspoi-
la. Observou-se quo 0 duque eslava vestido logo
quo sou o alarma, COmquanto so soubesse que elle
tinha ido para-a cama a noile. 0 seu chambre es-
lava manchado do sangue ; o anda que isto fsse
em parto explicado pelo seu contarlo con' 0 cada-
ver, todava provou-se que elle tinha estado a lavar
algumas pecas do seu lato, assim como as nios,
n urna pouca dagoa que a inda rcslava n'uma ba-
ca. Tambem se descubrir um leiico de cambraiu
ensanguentado e acharam-se alguns friigmonlo de
panno noiloados de sangue, e papis ineio queiina-
dos no lugar do rogo. Dcscobrliam-se retidas' que
pareciam mordeduras as nios dellc ocontusoes
llOUtras pai les do seu corpo. o cabello que se acha-
ra na nio da sonhora assassinada corresponda
exaclamento ao du duque. N'uma gaveta do
seu
a es-
po-
quarlo eslava um puohal quebrado, cuja bainhi
lava tinta de sangue. Prva lal como esta uo
dta sor despiezada. .Vosse lempo um par de. Fraiu
nao poda ser preso, anda quesubjoito a urna aecu-
sacao criminal, senflo por ordem do IribunaLdos pa-
ros ; mas 0 duque lo i poslo sob rigorosa surveillanee
nanoiledodia 18, o a polica nunca odcixounem
de da nem de noite. \ 19 e nos scguinles dias fra
ellesubmettido.a rigorosos exames que mal poda
sollicr. Em vez do carcter enrgico, precipitado e
el, pelo qual fra anteriormente notavel, ap-
rant-|o no livre o pleno exercicio do dreto de vo-
tar; dircito deque ninguem se despoja voluntaria-
mente, escm urna rasfioqualquer, ou real ou ficti-
cia ; dreto cuja aulhenticidade somonte he contes-
tada por alguns dos propros individuos a quem a-
proveitam, quando estes se deixam engodar pelo
srdido e mesquinbe-rnteresse ; dreto, emfim, que,
sendo Io sagrado como qualquer outro, deve de ser
mantido com a mais escrupulosa relgosidade.
Islosupposto, vamos entrar na revista das preci-
tadas gazetas, que alcanc,am a 6 do corrento. .-
Depois das mulas aecusaces que o Pedro I faz a
gente dominante, lemos nos com r merecida atton-
Qo lodos os exemplarcs do Cearense de que oslamos
posse, na esperanca de depararmos ah com alguma
conlraredadc capaz de enfraquecera i-mprcssTo que
essas censuras linliam produzdo om nosso animo;
por domis, porin, que nos aradgassemos por pro-
cura-la, unos Toi possvel acha-la seno em um
nico ponto, como ao adianto se ver. Assim, pois,
resolvemo-nos a narrar os acontecimentos segundo
os refere q primeiro dos' mencionados jornaes, sem
temor de incorrermos na pecha de parcial.
E mesmo, se uo framos to escrupulosos, pode-
ramos deixur de arreceiar-nos desse defeto que tan-
to nos osfrcamos por evlar, ao consderarmos s
duas pecas que abaixo transcrevemos :
Em observancia da ordem dojuiz do paz, cum-
pre quo Vmc. desde j passe a avisar as pessoas
constantes da inclusa rclacito, para que, coma me-
Ihor roupa que possam alcanzar, estejam no dia 2 do
seguintemez do oulubro, pela volta da urde, em
Soures, sem rallencia alguma, ofim de marchar dalli
para as elciQesna cdaiie. Cumpra-o assim. Barra,
17 de setemhrp de 187. Mathiat Jos Pacheco, sub-
delegado. Sr. inspector.....
a Ccarenses, homens do povo, qualquer que seja
aclasse ejerarcha a que pertenQais O governo,
que em todos os paizes e pocas tem invadido os di-
reitos do povo, he boje, entro nos, o seu maior arri-
mo e protector! A causa da liberdade esposada com
a convicio daquelle se manifesta por seus actos do
paz e de justica; as leis manutenedras do livre
exercicio de nossa soberana vo praticamente ser
executadas no da 3 de oulubro. Nfio vos rascneis,
nem do promessas, o nem deaffectada lisonja ila-
quelles que, desde 19 de setembro de 1837, toem
decimadonossa populaQo!. ...J mo predominam
os processos os recrutamentos e as presingangas
no momento da livre expressSo do voto O partido
nacional que protege a acijio do governo, emquan-
to for justo, he a mais vigilante atalaia devossa li-
berdade e garantas constitucionacs!!! Portanlo, de-
pondo todos os vos reccos que adrede se vos incu-
te, viude exercer o sublime sacerdocio poltico, que
vos garante o systema de governo, que adoptastes,
nico nieio de cbnlrbuirdes para o triumpho de vos-
sas ideias, de vossa paz, e onservaqo do governo
que confunde os seus inimigos com benejicios c jus-
tiqa!! Viva a religio do nossos pas! Viva o nico
Imperador Americano! Viva a liberdade do livre vo-
to! e vvam os lilbos do povo, que o defende contra
as siladas do seus inimigos. Viva vivo viva !
i O Popular.
Do feito, ao contemplar estes documentos; um que
nada menos he do que a circular por que o subdele-
gado de um distrcto policial determina nos scus ins-
pectores arrigimenlem o povo para ir, em ordem de
marcha, lomar parte as elec,es ; ouiro. que tam-
bem nada monos he do que a proolamac/iq que fra
recitada a dous hatalhes da guarda nacional de San;
la-Cruz por corto lente do corpo de polica, de no-
mo Florianno Yieifa Perdiguo, c depois distribuida
por quinhentas o tantas pessoas ; ao contemplar es-
tes documentos, dzemos, quem se negar a conlos-
sar que n polica do Ccar empregou todos os mcios,
qur lcitos, qur uo lcitos, que concorrer podes-
mado para o lado da gente quo quorobler o trium-
pho eleitoral, por fas ou por nefas: 3., que no Crato
at no tribunal da consciencia so aluciara o pobre po'
vo para votar segundo os desnjos dos governanies
quando falhavam as promessas doscontos ocotitos dj
ris, ou as ameaca's: 4.", quo, por nfo quererem siibs-
sitbs-
creverti chapa do eleitoros, imposta pet partido Jq.
minante, foram enearcorados, Francisco rfte Paula Fer-
reira Can, Manoel Francisco Pereira JosKbeiro, J0
Andr de Oliveira e Figueiredo, Raymundo Floren
co de Abren, Manoel llezorra do Abuqucrquc, \i._
noel Mara, Francisco Antonio Estoves e seis votan-
tes dn Santa-Cruz; 5., que pelo indicado motivo
onente Pedro Lopes do A?i
se,
l
receheram demsso o tcnenle Pedro Lopes de Aze^
vedo, salieres Jos de Agrella Jardim o Jos Mar.
tins do Castro, o porteiro do auditorio Jos Mauricio
Pereira, e o guarda d'alfandega Bernardo Pinheiro
Teixeira : 6., qucoSr. Pamplona mandara chamar
a palacio : o commendador e vice-presdente Jog
Antonio Machado, para indagar delle a rasSo por
que tinha ido ao encontr dos votantes de Santa-
Cruz ; oalferesde primeira linha Miguel Venceslao
Cidade, afim de que Ihe doclarassese em sua casase
fabricavam listas para a opposicjio; e a Antonio Ro-
drigues Ferreira, para responsabilisa-lo pela Irn-
quillidade da capital no dia da eleicao; expomlo-
se. assim, o mesmo "Sr. Pamplona aouvir respos-
las tilo pouco satisractoras como a que llie deu o
prenotado commendador, e que Toi conoebida nestes
termos ii Sito muto conhecidos os meus sont-
menlos de ordem ; a minha posco na sociodade-
he maisconhecda que a de V. Exc.; c se eu fi:
mais do que cumprimentar os meus amigos di
Santa-Cruz, diga-oo offical de polica, o Sr. Fio-1
ranno, quel f embargar a viagem desses cft
dadnos: 7., que no refridodia da eleico a
cidade da Fortaleza mais pareca o quarlel-general
de frmidalosoexordio de campanha, (loque a ca-
pital de provincia pacifica; 8.", finalmente, que0
Sr. Pamplona, assentra de invadir as attrihuicoes
do poderjudiciario, para inquirir o impressordo
Pedro II, i respeito de certos estatutos, que suppo-
zera indicativos da existencia* de um plano para
conspra?lo, como melhor so ver do termo que pa-
ra aqui trasladamos das paginas do proprio Ctarenu,
isto he, do defensor extrenuo da administradlo do
Sr. Pamplona :
Comparecendo no palacio do governo dosta
provincia do Cer, aos 23 das do mez do setembro
de 18*7, (a chamado do Exm. Sr. vice-presdente) o
compositor da typographia Cearense Joaquim Jos
de Oliveira ; o mesmo Exm. Sr. Ihe rez as scguinles
perguntas. Primeira, se elle tinha composto o m-
presso na typographia do que era compositor um
rcgulamento para urna sociedado denominada de-
fensora do livre voto : respondeu que sim. Segun-
da, quem Ihe hava entregue o authographo desse
regulamentov Respondeu que nfln eslaya certo, isto
lie, quo no eslava presente quem foi o individuo
que Ihe havia entregado, masque o fra em nomo
do Dr. Miguel Fcrnandes Veira. Terceira, por quem
ora assgiiudo o aulhographo. Respondeu que no
eslava presente por quem era assignado, e nem se
recordavrt se eslava qu nio assignado. Quera, se
havia conhecido de quem era a lettra do authogra-
pho. Respondeu que rio. Quinta, a quem havia en-
tregado es exemplares desse regulmcnlo, e quan-
tos Ibram. Respondeu que os mandou entregar no
Dr. Miguel Fernandes Viclra por um dos tres indi-
viduos quo trabalham na typographia ; mas que se
no lembravh' do numero dos exemplares. Sexta,
perguntou se havia reoietiido ao Dr. promotor utf
desses exemplares, como ordena a le. Respon-
deu que no sabia. Stima, so sabia da existencia
dessa sociedade, e o local onde ella se reuna. Res-
ponden, que no. E havendo-Jhe o mesmo Exm. Sr.
pergtintado so elle se achava no palacio a seu cha-
mado, respondeu que, havendo dito ao ordnanos
que o fra chamar, que se podia retirar, quo elle
cumprira a ordem da presidencia, o ordenfn-
qa Ihe responder quo no so retirava sem vir elle,
pois que esta era a.ordem que havia recehdo do
mesmo Exm. Sr.; e perguntando-lhe so ordenan-
za Iho havia dito que o trazia preso, respondeu que
no, queso Ihedisser que o hava de acompanliar,
que no sabia de l sent quO o trouxesse,^ao que ello
respondeu, que, urna vez que nfio quera voltar sem
elle, elle vira niesmo doenlo como se achava ;e
perguntando-lhe qal era essa molestia que sof-
fria, respoiidcu ser lim dt-fluxq, proveniente de una
constipac,ao, soffrendo dor no peito, enacahega.
E pergunlando-lho maisse tinha mais alguma cousa
a declarar, e se fra coagido nos resposlas que da va,
respond u que do. Findo o quo, Hdo por elle, c de-
pois em altas vozes pelo primeiro escriplurarto da
secretara do governo Jose'Nunes do Mello, servndo
sem para que os cidadfos.que desgraciadamente ihe do olh'cial-maior no impedimento do mesmo, pre-
paroceu nelle um lolal abalimento de fr^a physica
o mental. As suas resposlas os interrogatorios
eram vagas e incoherentes, o no encerravam extdi-
cago satisfactoria do qualquer circunstancia sus-
icita. No primeiro da das perguntas suspoibu-se
lela sua flaqueza o proslraco, quo olio hava toma-
P
do veneno e erapregou-se soccorro medico pan
iieutralisar OS seus elleilos. Esto foi to betn succo-
ilido, que a 21 fra elle removido para a priso do
Luxombourg, onde anda continuara a mellforar ate
a noile de 23, em quo sobrevieram svtnptotnas vi-
lenlos do um novo caraclcr.e expirou no seu leilo as
5 horas du larde do da seguinle.
(hvening-Muil.)
UIAHIU \)l l)EI,\AilliL'(JO.
RECII'E, 14 DE OUTUBHO DE 1847
LONDRES, 28 DE ACOST DE 1817.
Est concluida a historia do hoque i>k Puasmn. o
homicidio o o suicidio seguiram-se de porto um ao
outro, e una s semana vio o principio e o fin do
A caria do nosso correspondente de Lisboa, que
exaramos no lugar competente, be a ultima das que
Irouxe a barca Ttfo, que boje ancorou ueste porto.
Ella foi escripia a ." de setembro ullitno, c con-
ten o que ha de mais moderno e curioso a respeito
enme o mu atroz do socuifl. As coiis'equoncias iir- e l'^riVS"' ede oulms paizes da Europa, nao s
directas destes Taclos horrorosos estilo a inda no por- '"iis precitadas cartas, como nos diversos jornaes quo
vir; mas, quanto ao quo na mesnia historia ha de Ia8 acomPanharam, osquaosalcancan al
inleressanlo para o publico, ludo ja est termina-1lo meic
do, cun conhecimenlo mais exacto desses factosl ""
estilo subjeitos se reduzissem, no acto de volar, a
meros instrumentos seus? Quem no rcconheccr
que llrasileros, qucso tratados por esta,frma, uo
estilo no lleno gozo do mais importante dos seus di-
reitos, como he, por sem duvida, o de uomearcm
quem v rcpresfnta-los em urna das cmaras legis-
lativas, pois que he da eleico de dous senadores que
nessa provincia se traa? Quem no presentir que o
vico-presidente dessa mestna provincia, o Sr. Frede-
rico Augusto Pamplona, est o par desses manejos,
os tolera, e os intonsa ? Ninguem ceda monte. Ese
alguem ha tosimploro que o no presinta, que o
nSo recnheca; ou tilo dissimulado, que, presentn-
do-o e reconhecendo-o,.dexo do confessa-lo, ltenle
hem no que se segu, o sentir que sua simplicida-
dcdcsapparcce para ser substituida pola necessaria
agudeza de espirito, oq que sua dobreza recua anle
a evidencia dos factos. e (|ue esta o leva a proclamar
a vordade.
Corto, no lio possivel que doixe de pensar con
nosco, acerca dessa eleico, o individuo a cujo conhe-
cimenlo chegar : I.", que Joaquim Safilo, nomcado
areles de polica ad hoc, ao partir do Sobral para o
Ip, na madrugada de 12 de setembro ultimo, fizera
disparar muitos tiros a laes deshoras, com o nico
lim de derramar o terror por entre os pacficos habi-
tantes desses lugares, que, seguros em sua consci-
encia, dormiam o somno da innocencia; c assim ad-
vcrli-losde que tinha a precisa disposQtlo para re-
correr sarmns caso fossodesobedecidnem seus man-
datos: 2., que, com a mais rcvoltaute das injusti-
cas,oSr. Domingos Jos Pinto Braga Jnior, que,
alm de outras habilitarles, tem a que.Iho resulta de
havor frequenlado por tres annos a versidadede
Coimbra, fra demitlido do]cargode. Hurioda c-
mara municipal da predi la cidade de Soo. al, somonte
para agraciar-so com esso cargo a Aloxandre lialaio,
que com os AJafof e bemievii influir na revolueo
do Maranho n Piauhy; que, tondo sido escrivo no
Brejo, abandonara o cartorio c nunca dra contas
esse
. iM'dra
por mostrar incapacidado para exerc-lo ; nas que
tem queda para barulhar, e por isso cqmpria ser cha-
do predi-|,le"c 1U,; navendo servido por dous mezes
j mesmo cargo com quo ora o brindaran!, o per
sentcs as teslomunhas o doutor Joaquim 6aldanha
Marinho, o director dos Indios do Arronches Manoel
RufiiAde Oliveira Jamscat, o primeiro lenle de
engenbeiros Juvenco Manoel Cabra I de Menezcs, o
primeiro escriplurarto da secretaria do'governo,
sci viinio de secretario no seu impedimento, Anto-
nio Nunes. de Mello, o segundo osc ipturario Joflo
.Mondes Pereira, e os amanuenses Luiz Xavier do
Castro Silva, Antonio de Oliveira Macicl, Joaquim
Das Martina Jnior; ro polo mesmo Exm. Sr. as-
signado com elle, c as referidas teslomunhas.
Frederico Augusto Pamplona. Joaquim Jote de Oli-
veira. Joaquim Saldanha Marinho. Manoel Hufi-
no de Oliveira Jamacaru'. Jmencio Manoel Cabra!
de Menetes. Antonio Nunes de Vello Jnior. Jo"0
Vendes Pereira Luiz Xavier de Castro e Silva.
Antonio de Oliveira Maeiel. Joaquim Dias Martiiu
Jnior.
i i: cu Jos Nunes do Mello, que ooscrevi c assig-
ne. Jos Nunes de Mello, n
Contcntamo-nos com oquo cima deixamoscs-
criplo, porque uo queremos sr enfadonho, o por-
que estamos persuadido do que isso he mais que suf-
cente para provar a jnstoza das'asscrc.es que enjil-
limos quando encelamos este artigo.
Allirmmos a principio, que smente em um
poni linliam sido .contestadas as accusaccs da
opposico cearenso : releva que o memoremos,
Ei-lo :
Dizem os governistas, que os votantes de Santa-
Cruz, om que por mais de urna vez temos fallado,
forim mandados dispersar pelo Sr. chofe'de. polica
na estrada de Soures, porque vinlianv reunidos cni
numero superior no do 300, ecss'a reunioera pro-
hibida pelas leis dopz; accresccntando que a csses
volontcs se apprehenderam quasi cem racas.de pon-
la. Abstrahindo Ja segunda parle da contradiccilo,
esem que nos enca loguemos de avaliar a Torca da
primeiro, apenas observamos, quo muilo nos ms-
ravilhuque oSr. cnefo ue polica juigue niego!
indciiua reunio ; entretanlo que, sem ser por el-
lo reprehendido, unidos seus agentes u recommen-
da olicialmenle, conjo consta da circular que dci-
xamos copiada.



s. <'
n- fvl
aopbsso quo a poltica vai reduzindo os Cearen-
eCS condigno tilo lastimosa, a morte como qu se
aoressa cm aggrava-la privan^p-os da companhia
,ic alguns dosseus mais conspicuos c.oncidadaos :
os Srs. Joao Firmino Ribciro Dantas e Manoel Sovo-
rlno Duarte se (inaram, j nHo existem.'
Aifcra quo os subscriptores deste Diario se acham
inteira.losdcs occurrencias mais notavels do Cear,
cumpre que os scienlifiquemos *o que ha passado
10 Maranhio.
Os ltimos nmeros das folhas, que il aln nos en-
iaram veem datados de do presento mez.
""5T A provincia prospera, apezar do afn com que os
'exclusivistas buscam rcduzi-la situacio alllicliva
m (|ll0 por tanto tcmpo cstivera : a liga zomba
dessoafan; c, guiada polo seu instituidor, cami-
utia avante na sempre honrosa misslo de conciliar
os nimos.
Islo, porem, nao obstanto, apprccem alguns e-
vcntos que muito lamentamos, e quo demonstram
nao ser obra de momento a regenerarlo de um po-
yo a que se ha acanselhado o systema da virgan-
ca e da roacefio.
Tiiibam sido assassinados : cm Monc.no, Cactano
dos Sautos e em lcat, Joaquim da Silva. Os cri-
minosos, que roubaram a vida a osses dous infeli-
\ti estavam presos e processados, exclusive um
dos quc cooperaram para que so consummasse o se-1
cundo dos referidos homicidios, que pode evadir-so
pra o districto da Manga..
Em Chapad i n ha, o tenente-coronel Luis das Ne-
ves Finlho recebera um tiro de que ficra morte.--
O ferido denunciara de Nicolao Coelho da Silva,
Filippe Montoiro da Silva, Luiz Coelho da Silva,
.Antonio Luiz Marques de Almeida, Caracol oTheo-
Joro; declarando que osqualra primeiros haviam
sido mandantes,, o mandatarios os dous ltimos.
lim soldado do corpo de luzileiros (izera leves
ferimentos no peito de um quitandeiro de nome
joaquim Martins Hamos.
Para ser competentemente examinado, mandara
a polica exhumar o cadver Antonio Forreira da
Silva Jnior, que sedizia haver morrdo envene-
nado.Terminadas as experiencias medico-cirur-
eicas, se reconhecera quo, defoito, alguom propina-
ra arsnico ao desgranado Silva Jnior. A viuva
da victima e Antonio Carlos Jutahi, que eram os
indiciados como autores do delieto, j se achavam
recolhiilos prisSo.
O cambio sobre Londres eslava a 27 d. p. 1,000 rs.:
sacava-so para esta provincia de l'ernambuco ao
premio de 1 at 2 p /,.
0 l'rogresso, accusanijo recepeo de jornaes ame-
ricanos at 12 de agosto prximo passado, copiado
Boston dity Times o seguinle artigo que noticia a
entrada do general Scolt na capital do Mxico :
i. Estilo j basteadas no Mxico as nossas aguias,.e
deram lm as nossas lides. Nflo foi encanijada a
peleja, e a cidade nflo oflereceu resistencia. Rodu-
zio-se o tilo prophelisado choque mortal perda de
300homens, menos do que en Monterey / O feroz
espirito de resistencia da populacflo mejicana tro-
cou-se em regosijos pela sua liherdade : "restando-
Ihes smente o pezar de n;"io terem sido esmagados e
morios ueste ultimo combate "os tyrannetes milita-
res que teem vivido cusa do singue do paiz, alim
de cerlilica-los dessa paz que ha tanto altnejam e
louvam, e que tem do ser a (nal conferida.
Qual nflo ser seu pasmo quando soubercm que
o nosso governo nao pede agora mais do quo pedia
ha tres mezos, quo as condic,es sQo as mesmas no
Mxico'do que foram eiti Cerro-Gordo, Vera-Cruz,
Buea-Vista, Monterey e llesaca-de-la-Palma ; que
anda desojamos ulcancar o que posemos e conser-
vamos e que nem poder do Mxico combinado com
o de toda a Europa ser capaz de extorquir-nos ?
A militanca, o clero e a massa da populacio me<
xicana querem a paz, e haveuios de ter paz, como
nflo de ver, cm breve lempo. Nflo se hflodc Iravar
mais batalhas regulares entre as nossas e assuas
tropas, eainda que os nossos bandidos setravem
com as suas guerrilhas, nos nao nos havemos de ein-
bnracar.com isso. Findou a guerra por motivos na-
cionaes, cesta agora hossa cscolna tratarmos com
SanfAnna, ou com o legitimo presidente da rep-
blica Herrera, como melhoraprouver aos interesses
do nosso governo e aos prospectos do urna paz du-
radra
Est hojeo partido do guerra do Mxico physica
e moralmente profligado para nflo mais alevautar a
cabeca. A gloria de Fcrnflo Corlez, emquesesus-
tenlou a Hespanha por tres seculos, foi levada de
vencida por um punhado de americanos sob asor-
dens de Winfield Scott com a perda, desde Vera-
Cruz at os muros dos Montezumas, de menos de mil
lioniens Os Estados-Unidos lizeram a sua campa-
nha de Italia I A joven America deu urna resposta as
resolucOes do congresso de Verona. As heneaos de
todos os coraces vcrdadeirameiite liberaos se der-
ramam-sobre os nbssosgloriosos estandartes.
Resta-nos tratar do Para, cujo Ireze de Mato iraz
poidorradeira data a de 23 deselembro prximo
lindo. ,
A tranquillidado publica nflo soffrera a mnima ai-
leracfio, .
A 14, nstallra-sc o banco commercial dessa pra-
ca.-A mesa da assembia geral eslava assim cons-
tituida : presidente, o Sr. vice-presidente da pro-
vincia DT. Jo3o Mara de Moraes; secretarios, o!
phia, entrada no corrento mez, consigna^ a 1.
Ferreira & C, manifestou o soguinte :
2:781 barricas farinha de trigo, 7 meias ditas di-
tasdito, 400barrs bolachinha, 100 ditos ditas, ;10
meias caixas cha, 19 ditas chapos de palln, 18
cadeiras de bataneo, 20caixas caderas; aos consig-
natarios.
Consulado.
RENDIMENT0 DO DA 14.
('.eral
55,468
PERNAMBUCO, 14 DE OUTUBR DE 1847.
AO MEIO-DIA.
Hita da Cadeia do llecife, n. 34, loja de cambio de
Gregorio Antunes de Oliveira.
PRECOS COMIENTES DE IIOJE.
Moeda de prala. Compras. Vendas.
Pataces brasileiros---------2,000--..... 2,010
Pesos columnares.....1,980...... 2,000
Ditos da patria......1,820...... 1,840
Moedas do 5 francos 1,(160...... 1,680
Ditas do 2 patacas.....1,280...... 1,290
Ditas de 1 dita----------- 640...... 660
Moedas de ouro.
Pecas, vclhas........16,250......16,350
Dilas novas........16,000......16,100
Moedas de 4,000 rs.---------9.100......9,200
OiiQas hespanholas 29,000......29,200
Ditas da patria.......28,800 -.....29,000
Soberanos.........8,900......9,000
Moeda de cobre 4 p. /0 do premio 6 p. /.
escontos.
"Compram-se lettras de boas firmas do commercio
a 1 por /0ao mez, vencimentos at dezembro do
corrcnle, e vendem-se a 7/8 por /o > vencimentos pa-
ra o mesmo teinpo.
Cambio sobre Londres 27 1/4 a 271/2, a 60 das :
poucas transacc,oes.
Por procuradlo de G. A. deOlivoira
Manoel Joaquim Silveira.
THEATRO PUBLICO.
HOJE, 15 DE OUTUBRO,
a beneficio da segunda dama, Francisca Thcodora
das Chapas, se representar o muito applandido o a-
prcciavol drama
O DUQUE DE BlVtiKA,
o qual ser decorado com todo o brilhanlismo ,
lano no funeral da duqueza como na transmutaeflo
do seu mausulo para in elegante throno, ornado
do tropa c msica militar: Terminar o espeta-
culo com a muito graciosa tanja ~ Os dous Uborios,
ou a Cmara-ptica em quo o Sr. Santa Rosa
fura a graciosa parle do Andr Pateta. A beneficia-
da nfo tem poupado despezas para o bom desein-
penho do drama quo com a cooperaeflo dodiroctor
apresentar o mais brilhante quo al boje se tem
visto nestetheatro.
1101
ine res-
porque a-
do
ra
Vmvimculo Navios entrados no dia 14.
Para, MaranliHo, Cear, Rio-Grande-do-Nortc e Pa-
rahiha ; 15 das, e do ultimo porto 24 horas, vapor
brasileiro San-Sebastito, do 240 toneladas, com-
mandante o prmeiro lente Antonio Xavier do
Noronha Torrezno, equipagem 30. Passagciros :
para esta provincia, Francisco Lucio de Castro,
suasenhora e3 escravos, Joaquim Liberato llar-
roso com 4 escravos, e 5 escravos a. entregar; pa-
ra o sul, Joaquim Jos Pinto do Mello, Antonio
llenriquo Leal, Carlos Rico, Italiano ; 1 sargento o
14engajados para a marinha.
Lisboa ; 35 dias, barca portugueza Tejo, de 312 tone-
ladas, capiWo Silverio Manoel dos Res, equipa-
gem 24, carga vinhoe mais gneros do paiz ; a 0-
liveira lrmnos. Passagoiros, Victorino Jos Mon-
teiro e 3 menores cm sua companhia, Gnilherme
Jos Ferreira, Abel Maria da Costa Pinheiro.
Rio-de-Jaueiro pela baha; 30dias o do ultimo por-
to 14, brigue de guerra brasileiro Capibaribe, com-
mandanto o capitno-tonente Joilo Nepomuceno de
Menezes.
Naviossahidos no mesmo dia.
Rio-de-Janeiro; brigue hamburguez Courad, capi-
pitno I. H. llarmes, em lastro.
Cambia pelo Rio-de-Janciro ; barca franceza Ziliu,
capitno Delannay, em lastro.
Obicrvacdo.
O paquete inglcz Crane n.lo sabio para Falniouth,
e sim para o Ro-de-Janeiro e Babia
Joaq..
rio. A couimissno de exame constava
Arch Campbell, Jos Gomes de Oliveira o JoSoLuiz
d La Rocque.
Deconfunnid-decoin a decan.) do jury da capi-
tal, fura condemnado pena ultima, no .lia 10, o
mualo Nicolao, pseravo da nagio, que a 16 do a
antecedente assassinra o cidfldilo Jos Monleiro ue
Sae Albuquerque. .
A 22 ea 23, /uviram ler sentenga absolutonao
Portugucz Jos Azevedo de Oliveira, urna parda co
Dhocida por Florinda, e a ni3i desta, quo tinhain
comparecido anto o mencionado tribunal, alim de
seren julgadas por crime do cumplicidade no as-
sasslnalo do predito S Albuquerque.
Miguel Archanjo Monteirode Andrade o/ficial da im-
perial ordem da Rosa, cavalleiro da de Chrislo, e ins-
pector da alfandega de l'ernambuco, por S; M. o
Imperador, que Dos guarde, etc.
' Fazsaberquonodia 16 do corrente se hito de ar-
rematar em hasta publica, na portada mesma, ao
meio-dia, 72 chapos de mola, no valor de 300,000
rs e-12 duzias do bengalas, no valor de 53,000 rs.,
impugnados pelo guarda Antonio Lopes Ferreira de
Carvalho, no despacho por factura de Cals Frres,
sol) n. 1:479 : sendo a dita arrenialaco subjeita a
dirctos.
Alfandega, 14 de outubro de 1847.
Miguel Archanjo Monleiro de Andrade.
QIINTA-FEIRA, 21 DE 01 T1JBRO DE 1847.
Grande e variado espectculo que offerece ao il-
lustrado publico desta capital l.uig Plassa em seu
beneficio :
Primeira parte.
1. Ouvcrtura escolhida, a grande orchestra.
2. Scena earia dayle immorlal Verticinell, o-
pcraAttila, msica do mostr Vcrdi, executada no
clavecrp^lo beneficiado.
S.Q Hrllhantc aria-Bella Sorgoi la rosa-- da ope-
ra Colomis, cantada por Margarida Deperini.
4. Ari da Parisina, cantada por Jo;to Toseli.
5.* Cavatina-Casta Divada opera Norma, exe-
cutada no clarim de chaves pelo beneficiado.
6. Duelo da opera Norman! em Pars msica
o mostr Mercadante, por Margarida Deperini e
JoSo Toseli.
Segunda parte.
i.* Grando valsa nova c grande orchestra.
2. Oprimero acto da comediao Louco Itasoa-
vel ou o Ingloz cm Paria- -, excedente peca em dous
actos pela primeira vez representada ueste thea-
iro.
3." Aria do Torquato Tasso, por Margarida Depe-
rini.
4. Thoma com variacoes de clarim de chaves,
executado pelo beneficiado, no meio do qual, o
com o mesmo instrumento, imitar o corni inglez.
5.* Pequea ouvcrtura pela orchestra.
6. Duelo bufo, dao pera oElixir do amorcan-
tado por Margarida Deper rinie JoflO Toseli.
Terceira parte.
1." Ouvcrtura pela orchestra.
2." OsegundoaclO da comedia nglcza cm Pars.
Osbillieles vendem-se em casa dos Sis. Guerra
Silva sa da sontiora Margarida Deperini, ra do Queima-
do, n. 16, prmeiro andar.
I'refns dos camarotes.
Primeira ordem
Frente .
Segunda ordem
Frente .
Terceira .
Frente
........ 6,000
........ 10,000
.......'. 8,(100
........ 12,000
........ 3,000
........ 4,000
'lata superior.......... 2,000
Ce ral
Varandn
1,000
500
.-._- :.-*..- --,:
Loilao.
Jo;to Keller & Coinp.mliia faino Icilflo, por in-
tervenefodo corretoi Oliveira, de grande sorlimento
de fazendas modernas, e proprias do mercado : bo-
je 15 do correte, as lo horas da manhfia no
seu ai nazeni, ra da Cruz.
Avisos diversos
jljit.-claracoes.
-- 0 thesoureiro da irmandade de N. S. do Terco,
ahaixo assignado, convida pelo presente a lodosos
maos c mais devotos da mesma Senhora, para que
se dignem comparecer domingo, 17 do corrcnle, pe-
las 5 horas da tarde na dita igreja, alim de abrl-
lliaiitaiem o religioso acto da bencao das santas ima-
gens novamcnle encarnadas ; vi.slo ter-se concluido
o douramento da capella-mr: o approveita a occa-
sino paradeclararquo, no dia :it do corrente, se fes-
tjala rom toda n | onipa a mesma Virgem Senhora.
Jnsc l'iuto Mugalhes.
- AtuKa-se a loja n. 1.0, na
ruadoQiiemado, o vende-se a armado da mesma,
nropril pura fazendas, ou miudezas : a tratar na re-
ferida ra, loja de niiudezas, n.25.
OSr. que, no dia 13 do corrente, de una as
tres horas da tarde, foi 4*0888 do tmente (|iiaitcl-
mestre do G. batalllo de cacadores, e levou um an-
nel de ouro, lavrado, com duas tnincinlias le cabel-
lo .c a firma L. J. I. S., que eslava em cima de um tou-
cador, tenha ahondado de o mandar restituir, que
se guardara segredo; do contrario, vera o seu nonio
Adverte-sca meia duzia d carrancas e principal-
monto a um que lie emperrado pela roupa deMim
pardo, todos moradores no barro do Recite, qtio ne
mais acertado c justo oceuparecem-se cm MHV
seus (ilhos o tratar de ludo mais a beneficio de suas
ramillas, do que hilaren, nessecoiio.imo que qun-
tidianamente ha nos baen desa ponte i.'l.uu,
depessoas que nem poi pensamento*eombarac^
com sua vida. Emq'uanto as falsidades que avancam
adizer, a respeito da bandeira, inusica dono
setenario que ha no Corpo-Santo, nada si
pondo e se entrega ao devido despre/.o.
quillo nno pode agradar do maneira algnniaave-
Ihos carrancas que disso sflo inunigus, o por um
Ibes dizemos o que sabemos, que as intcncrtes das
pessoas que nisso andam orcupadas sito a decencia,
decoro e boa ordem, e com muilo gosto nisso proso-
guem. Secontinuarcm, talve se arrependam
Vm que astistio ao colloquio.
Aluga-seumpreto, propcid para armazer
assucar ou para outro^ualqucr servico
da Madre-de-Deos, n. 8 .
Aluga-sc urna casa no Poco-da-Pauclla, a uei-
ra do rio bastante fresca com conimodos, o quin-
tal cercado de limao, com arvorodos do espiono o
outros : quemo pretender dirija-ge a ra Diroita ,
sobrado (le dous andares n. 137.
Aluga-se um pelo bom trabalhador de pada-
ria do que tem muita pratica quemo pretender
dirija-so a Boa-Vista na do Pires n. 23.
Precisa-so alugar um pivto bom mnassador :
na padarla das Cinco-Ponas, n r>v.
Aluga-so urna propriedade de casr. terrea,
construida de novo com cominodos para grande
familia cozinha lora quintal para a marc, sita na
ra Augusta n. 72 : a tratar na i ua do Vigario, ven-
da n. 11.
Sabbad, 16 do crrante, lem de ser arro-
mataia por venda, urna DorqSo de terrenos bene-
ficiados na praia do Caldeiroiro, quo conliuain
com a ra da Palma, penhoradosa Antonio Jos do
Albii(|uerque por exocuco du francisco Antonio
de Oliveira & l'ilho, tendo lugar a anemaUcaoa
porta do Sr. doutor juiz do civel interino da segun-
da vara na ra do Collegio, pelas 4 horas da
tarde.
Jos Mondes da Silva, por baver outro de no-
mo igual, muda o seu para Jos Mendos da Silva
Guimardea .
Defronle dotheatro novoj casa n. ll, so dir
quem vende tres ricos ap'parclhos pira cha de um
metal blanco, por proco comniodo. Ma mesma casa
tanilieui se dia quem da dinhoiro a juros sobro pe-
nhores do ouro ou piala t.'io smento.
Roga-seaa autoridades policiaes de Fra-de-
l'oitas queirani lomar a seu cuidado n casa do
mesmo bairro, em que se juntam os rapazespara
jogar, osqiacsem consoquencia do primeiro avi-
so teem concertado entre si passarom-sc, por meio
de oseadas., pelos quintaos das casas inmediatas,
cproin-aeao fresco, quando a polica osprooa-
rar na primeira; assim como assenlarain de mu-
dar a reunhto para depois de cinco horas da lardo,
horas cm quo os pas de alguns parlom para seus
silios.e olios ficam a manga-lassa. Srs. pas de fami-
lia n.io so do Fra-de-Porlas como do Rcife sen-
tido com os seus lilhos, que se coutinuarem assim,
muilo teem do sentir suas gavetas, o muito tem do
lucrar o ebef independenle, que ludo arresta, o
nada perde.
l'azem-so bolos Franceses inglo/.es o brasi-
leiros ; boliuhos para cha ; bandejas dos mosmos ,
cnlcitadas com ramos llores e figuras tanto do
bolos cmodo allinini, do nelhor gosto e perfei-
eflo, queso apetecer tambem so fazom doces da
calda o seccp ; fruteiras do doces pastis do nata,
decaro; pudins; pastelflos;empadasde carneo
de peixe ; ario/ de leito ; tremed cicas ; aseados pa-
ia mesa : tudo por commodo proco: na ra Direi-
la sobrado de um andar n. 98, ao pe de dous do
verandas domadas.
-- Quem precisar de iim.i ama do leite que tem
bastante pratica dirija-se .:o beccodo Falcflo, atrs
da ra do S.-Thero/.a, ll. 30.
Ldward I enlon, nno podendo, pela hrevidado
de ana sabida para Lisboa, despedir-so do todas as
pessoas de sua amtzade, o >/. pelo presento, ofe-
recendo-lheso sen prestimo naquella cidade.
O vapor San-Sebastio, vindo dos por- declarado por extenso, pois o dito lenle bem sabe
tos do norte, fecha as malas para os
do sul, boje, 15, a uma hora da tarde;
c as correspondencias que vierem de-
pTs desta hora pagaran o porto duplo at as 2 he-
ras, o desta cm van lo nno se recbenlo mais.
__A cmara municipal desta cidade faz sessilo
extraordinaria no dia 20 do corrente, e nesso dia
andarro em praca as lojas da praca da Independen-
cia, que ainda nito foram arrematadas ribeira do
mercado da freguezia de San-Jose e casa da ra Im-
perial.
O arsenal de guerra compra quarenla arrobas
de plvora, 6 facas flamcngas e 200 vassouras de
timb: quem taes gneros quizer ornecer manda-
r sua proposta cm caria fechada, e as amostras,
directora do mesmo arsenal, at o dia 16 do corren-
te mez.
Arsenal de guerra, 13 de outubro de 1847.
Joo Ricardo do Silca,
Amanuense.
."" 9MB
UU1 LlS.
Compra-so urna preta que seiba nem engotn-
mar COZnbar e lavar sendo moca, fiel e sum vi-
cios paga-se bom : tambem oompra-so um adrelo
completo para senhora, de bom gosto 0 do honi
ouro, soni fetio : as Cnco-Pontas, n 62.
-- Na na da Cadeia do Recito, u 23 compram-
.se 2 pares de vcne/.ianiias ou rotulas em bom es-
tado. Na mesma casa so dir quem vende um sitio
perto-da Soledado com boa casa quo tem 4 salaso
7 quai los : o sitio lie bem plantado de hurta o mili-
tos arvorodos de rucio como larangeras parroi-
ras etc.
-- Compra-so uma porcffo do formas de l'azer velas
do carnauba o mais objeclos para as mesmas : quem
livor, annuncie.
nem he.
___Um home'm experimentado em escnplorio ,
despachos c loja de fazenda, de reeonhecida pndii-
dade, deseja se empregar para dirigiralguma casa
de negocio que precise, na aiisenciade seu chele, de
uma diroccBo de caixeiro capaz, ou o mesmo Iraba-
Ihar debaixo da direccflo do chpfo : inoni precisar
da dita pessoa,-falle na ra da Cruz, n. 40, prmeiro
andar. i .
--Quem precisar de uma ama d le
illio diiija-e a rui dos Quar-
lai-a do liozario n. ii, se-
andar.
Vetadas.
le sen
teis, boje
COMMEtO
Aatidega.
HlNDOiENTO DO DIA 14........
Descarrega hoje, 15.
Barca Esk barris
11:669,672
schmismo.
lai^RTACAU'.
San-James, barca americana, vinda de Philadel-
BENEFICIODE JOS ALVESMONTEIRO.
DOMINGO, 17 DO CORRE.NTE,
se representa a grande e muito applaudida peqa -
OS TRES VICIOSOS
ou
destino r. eulca^aO.
Dividido em 3 actos c 6quadros, a qual, por sua
extensao, decoragnodo scena e muilo trabalho, nno
admitte farsa como se bavia projeclado.
Lotera do iio-de-Janeiro.
Vos 20:000 ^ 0.00 (rereis.
Na ra da Cadeia do lenle, loja de cambio do
Sr. Vieira, n. 2 eslSo n venda bi I heles e meios
ditos da terceira lotera a beneficio da fabrica de
papel de Ze ferino lene/. A el les antes quochoguo
o vapor. Estes buhles vflo rubricados por Vieira da
Silva.
. Vende-se cera do Rio-de-Janoiro, em velas de
libra, do meia libra, do Iros cm libra, do quarta, do
5, 6 o 8 em libra, de boa qualldade e por preQO com-
modo : na ra da Cruz do Recito, u. 66.
Vende-se urna porcffo de panno delinho, vin-
do da Iba de San-Miguel, assim como uma porcSo
de peixe congro o dcoulras qualidades, em salmou-
ra : na ra estreila do Rozario, n. I o 11.
Vonde-so um piolo de uac.no proprio para o
servido de campo ; um moleque de 18 annos pou-
co maisou menos muito bonito ; urna parda de 15
annos que cozinha, engomma o cose; 2 escravas
do Oacflo ; urna parda muilo prendada : todos mui-
... lo em conta : na ra Imperial largo da torca, n. 3%
,iercuniodc rapazes (ilbos-lamilias em i ora-ui i ,.,.
'orlas de cujo favor Ibes ficaremos obrigados. I >v Segundo e lerce.no auno do llamalhete jornal
meun'no Antonio de Oliveira.- fos Mana Naberros. |,ie nslruc^no c recrcio com lindas estampas :
HZi------------------------------;-------------------;---------1 ^-^ neo. como uma grande quanlidade do diversas
Nao foram os Srs Oliveira o ISaberros os autores dol ,)raS .u,Jo lliujt0 or.i conta. Vende-SO lia ra do
anuuncio a que se referan. ^ ^ J Agoas-Verdes ,.n. 48, primeiro andar.
"lindo
Precisa-se de nnia ama de leite : no Atorro-da-
Boa-Vista, n. 12. ,
Quem precisar de uma ama de leite vimia do
inalto dirija-se a ra do Haugcl n. 3(, primeiro
andar. .
Quem precisar de urna ama para cozmliar, la-
var engommare fazer o maisservico de urna casa,
dirija-SO Fr-de-Portas ra do Pilar n. 44.
Os ahaixo assignados rogam aos Srs. Redacto-
res do Diario de Pcrnambuco bajam de declarar por
este mesmo Diario,, se foram os ahaixo assignados
que botaram o anuuncio que falla sobre i
MUTILADO


-


*
==
Vende-se urna parda clara, de 25 a 30 annos,
mo cose, lava e faz Lieos de lodas as quididades ,
e o mais servigo de uni8 casa ; um cobrinha de 12
annos muito bonito e diligente : osquaes vendcm-
se por terem viudo do serlflo para uin pagamento:
^na ruados Tanoeiros, armazn: n. 5, ouna ra do
Trapiche-Novo, n. 36, segundo c tereciros andares.
Vendem-so peas de chitas escuras e de co-
res fixas proprias para o servido do casa por sc-
rem muito encorpadase fortes, a 5,500 rs. c a re-
talhoa mcia pataca : na ra estreita do Itozario ,
n. 10, terceiroandar.
Manoel da Silva Santos ven-
de superior faiinha de trigo de
Richmond em barricas e meias
ditas.
Vende-so cera de carnauba muito boa, tanto a
rctalho, como em porcOes : na ra das l.arangeiras
ii. 11, segundo andar.
tl nova loja da
deia do Recife
('andino Salvador Iere-
ra ISraga,
vendcm-se vordadeiras gangas azues da India, mui-
to cncorpadas proprias para Calcas, jquetas c
saias de prctas a 1,000 rs. a pega do 14 covados..
Ra nova loja do. lasseio-Pu-
blico, n 17,
lia un grande sortimenlo de cambraia de cores para
vestidos de Senhora leudo cada corte C i a 7 varas,
de niuilo lindos padrOcs pelo barato preco de 2,560
u 2,800 rs. o corle; ditos os mais modernos que leem
apparecido, com barra, a 5,000 rs.; ditos adamas-
cados corn flores do cores, a 5,000 rs. ; ditos mui-
to largos e finos a 280 e 320 rs. o covado ; mursu-
linas decores para vestidos, que fingem seda a
200 rs. o covado ; ha leonuros de muito lindos gos-
tos ; a200rs. 6 covado ; chapeos de sol, de seda ,
para homcm fazenda muito superior a 6,000 rs ;
ditos de massa francesa, os mais modernos che-
gados pelo ultimo navio a 7,000 rs.
Chapeos de sol, de seda, para
hornern, a 6,j?400 rs.
Vcndcm-se .'na loja n. 4, de Iticardo J. dcF. Ri-
beiro ao pu do arco de S.-Antonio chapeos de sol,
de seda, muito superiores para bomem, a 6,400 rs. :
bem como lencos arrendados de cambraia para se-
nhora u pataca cada um.
ti ibos de metal-principe ; litas para silbas ; carnei-
ras brancas: na ruada Cruz, n. 2, casa de Geo :
Konwortbv & Companhia.
Vende-se una parda de20 annos, de figun. ,
c ptima fiara mucama que cngomina, cose chito ,
lava de ssli'io, cozinha alguma cousa e-faz rt..da: no
Atcrro-da-lioa-Visla, sobrado n. 5.
Vcnilcni-se accoe."-' da extincta com-
panhia de Peinambuco e Farahiba : no
oscriplorio de Oliveira IruiHOS ck Com-
panbia, na rua da Cruz, no Recite, n. 9
A 5^000 rs.
Na loja nova da rua do Quei-
mado,n. HA, de Ry mun-
do Carlos Lcite ,
ha um novo sorlimcnto de fazendas finas ebaratas ;
bemeomo uns lindos corles de chitas* francezas,
.... #i_ ( Unas ornadas com lindas barras, a5,000rs., ser-
I le lid v el- doestcoultimogoslodel'ariz.
11. 5H, de
Sorvelc, a iOO rs.
Np pateo da S.-Cruz , n.6 , com lodo asseio e
peleigflo que be possive .d is6 bor is ua tarde cm
diante.
lqiiissiinas manas de seda ,
a8#000 rs.
V'undem-se na nova loja n. 4, da rua do Crespo, ao
pe do arco de S.-Antonio.
Champnnlia de superior qna-
Ifdade ,
vende-se na rua da Cruz, n. 38, armazem do
Scbariieitlin& Tobler.
-- Vendem-so pegas de panno de linlio do Porto,
icpqa qualidade e por prego c.onimodo: na rua da
Cadciu doltecilc, loja de miudezas n. 51.
DEPOSITO DE CALVGEM.
Na rita do Trapiclic ii. 17, ha sem-
ine cal vit(ii. de Lisi, cm b
i|iienos, e ltimamente
lo superior
>orris pe-
, niui-
e por preco rasoavel.
chegada
S8SF.
Vcndern-so meias barricas de faiinha doSSSFde
ri.minho : no caes da Allandega armazem n. 1. do
(.uimarics.
Vendem-se caixas de cha hvsson de 13 libras,
cm porces ou a relalho ; caixas de velas de es-
perinacctede5c6 em libra : na rua da Allandega-
Velba, n.36, cm casa de Matheus Austin & C.
AGENCIA 1)X FUNMCAO'DELOW-Mon..
Na rua da Scnzalla-Nova n. 42, conlina a haver
um completo sorlimcnto de moendas o machinas de
vapor para engenhos de assucar : bem como tai-
xas de ferro batido e coado de lodos os lainanhos :
lodo por preco eominodo.
-- Vcndcm-sc pegas de niadapolflo limpo, com
20 varas, a 2,400 rs. c a sele vintens a relalho :
na rua estreita do Hozario, n. 10, [terceiro andar.
O BAKATE1RO
na nova loja da na do Cres-
po, aop do arco de S.-An-
loiio 11.4, de iticarrfo Jos
de I'ieitas incito.
A esta loja ha chegado um riquissimo sorlimcnto
de cambalas de cores de muilo ricas cores lixas e
estampado suisso a 2,500 : 3,000 rs.; chapaos de
inassa t francezes e do ullinio goslo a 7,000 rs. ca-
da unr; lencos de seda para gravata.de bonitas
crese boa fazenda a 1,280 rs. ; lencos de cam-
braia com abertura para inflo de senhora a 240
rs.; muito ricas ckinbraias de cores, com rama-
gens e transparentes uropriaspara cortinados, no
ultimo gosto, a 320 rs. o covado ; um rico sorlimcn-
to de pajinos linos de lodas as cores por preco mais
commodo do que em outra qualquer parte; casimi-
ras O brins muito modernos ; um esplendido sorti-
meuto de chitas linas, a 120, 140,160, 200 e 240- cor-
tes de cintas muito linas e de segaras tintas, com 14
covados, a 3,500 rs.; los pretos de muito bonitos la-
voures, a 2,400 rs. ; e emita contina a ebegur to-
dos os das novo sortimenlo de fazendas de goslos
inoui-i uua j.ur precos rasoaveis. As amostras es-
larflq francas aos freguozes.
Vendem-se selljns inglezcs do palele elsti-
cos, aIcochoados e lisos, os mclhorcs que ha no
meicado c recem-chogados; cabe-cadas roiieas ; es- I
AO BOM E BAllATO.
Aos (j na tro-can los da rua do
Quciinado, n. JO, loja de
Francisco Jos Tcixcra las
ios, vendem-se
corles de cambraia de cores, com algum mofo, 1
3,460 rs.; cassas brancas de quadros rosos, pro-
prias para vestidos a 240 rs. o covado ; lindeza de
bonitas cores, a 160 rs. o covado; cortes de cam-
braiasadamascadas a 4,500 rs. ; chitas linas, de
cores lixas e modernas, a 200, 240, 280 e 320 rs. 0
covado ; meias brancas para senhora, a 200,320,
400 e480rs. o par ; fustes brancos e de cores pa-
ra colletes, a 800 rs. o covado; dilo de quadros,
prio parajaquela a-480rs.; setim prcto superior,
a 3,600 rs. o covado ; brini pardo trancado de puro
linho a 480 rs. o-covado ; dilo de quadros lisos.
proprio parajaquela 1 100 rs. ; castores para ca?
cas de superior qualidade a 280 o 320 rs. 0 cova-
do ; brini da liussia, largo, a 560 rs. a vara ; meri-
no prcto a 1,600 rs. o covado ; algod&o america-
no, de lislras a 160 rs. o covado ; cassa branca de
quadros, a 3,000 rs. a pega ; algodflo da Ierra, lar-
go e de superior qualidade a 240 rs. a vara ; cha-
les ile pura 13a e seda a nielhor. fazenda possivel a
5,000 rs. ; alm destas, oulras militas fazendas de]
bom goslo, por preco con.niodo.
TIJOLOS DEHARMORB.
J. Saporili teni lijlos do marmore azul e branc
para vender : queni os quizer comprar appareca em
sua casa no Recife fcn. 18 segundo andar, d ma-
nlifla al as B horas, e de lard das 8 em diante.
Vendem-se na rua do Trapiche n, 6, 20 e
lautos esclavos, leudo entre elles negrinhas, mu-
latinhas de 10a 14anuos, muilo proprias para mu-
camas; pardasepretasde 20a 25 annos, que hflo
engoniinadeiras, costureirasc lavadeiras; moloques
de 10 a 20 anuos, de muito bonitas figuras; 8 pelos
de 20 a 40 annos*. lodos se veiidem por prego comino-
do por o dono relirar-so para lora da provincia.
Vendem-se msicas as mais modernas, para
diversos instrumentos e cantona do celebre autor
C. Verdi: na rua da Cruz, no Recito n. 18,segun-
do andar, de mandila a'. as i) horas e das 3 da Ur-
de em dianlo.
-- No liin da rua da Aurora, n. 4, vendem-se ro-
detes tambores e aguilhes anligos, por preco
commodo ; bem como um crioulo de 24 annos, bom
carreiro c vaqueiro.
co de urna "casa ; dous escravos, bons para o traba-
H10 de canino e um dellcs perito carreiro : na
rua doPasseio-Cublico n. 19,so dir quom vende.
Vende-se, ou permuta-se por urna casa ucsta
praga um pequeo sitio naCapnnga, com casa no-
va cercado de limo, com algumas arvores que
diofructo eoutrasquo n5o dao, boa agoa de be-
ber : na rua Dircita, n. 16.
AO BOM GOSTO.
L\a loja nova do Passeio-Pu-
blico, 11. 19, de Manoel Joa-
quim Pascoal Hamos,
vende-se finissimo panno azul para fardas, a 4,500
rs. ; dito preto a 5,000 rs ; chita franceza, a 360 e
280 rs. o covado ; mantas do seda muito superiores,
a 9,000 rs.; lencos de seda, a 800, J, 000, l^OOe
1,440 rs. ; longos de seda para grvala a 440 rs. ;
princeza muito lina a
qualidades boa agoa de bober : a tratar ded(ro da
ribeira da Boa-Vista,n. 25,ondo r i dir quem vende.
Vendem-se, ou i*rmutam-so duas casas do tai-'
pa, novas ebem arranjadas unidas o om terreno
proprio, com quintal bem cercado de madeira e II-
mHo inla novo collocadas na travessa da rua Beal
da Capunga, eqaerendem cada urna 5,000rs. rnen-
saes, por um.i casUcrroa do lijlo na Boa-Vista,
voltando-so o .:jue se convencionar : a tratar com
[.padre Jos Antonio dos Santos Lessa no palacio da
Soledade.
Vende-se urna agulha de mareare uro oculo do
ver ao longe : na rua da Roda, n. 14. -
ditos de cassa a 200 rs.
Vende-se um cavallo em boas carnes que ...
*<; amia baixo al nicio muilo bem, c he de bo- fe
*jg ni la cor, por prego commodo: na rua das
Larangeiras, 11. 14, segundo andar.
&
--Vendem-se 3 pules de urna casa terrea, cm
WlBos proprios na cidade de linda, rua de Ma-
tltias-Ferreira: a fallar com Manoel Jos Mairiz ,
morador cm Mario-Simplicia.
-- Vendem-se na rua da Cruz, n. 26, os seguin-
les escravos : urna parda de 20 annos, que cose e en-
gomma ; duas bonitas negrinhas de 12 annos; um
preto ; um molcquc de 12 anuos ; um mulatinho
de 14 anuos ; um dito de 8 annos proprios para
apiendereni qualqqer oflicio ; sola ; couros niiudos;
bezerros ; cera de carnauba ; sebo ; esleirs ; Cha-
peos de palha ; pennas de cma ; una |iorgo de sac-
eos vasios.
Vene-se um sobrado de um andar no largo
da Boa-Vista : a tratar nb Aterro do mesmo lugar ,
primeira loja de louga.
1,000 rs. o covado ; brim branco, de purolinho,
a 1,500 rs.; chapeos deso, do seda preta o de co-
res a 6,800 e 7,000 rs.; chales de Isa, a 2,000 rs. ;
dilos de lila c soda a 7,000 rs.; brim pardo a 800
rs. a vara ; 'incia-casimira a 600 rs. o covado.
Lotera do Rio-de-Janeiro, a be-
neficio da fbrica de papel.
S'cndem-jc bilheles desta lotera, em casa de J.
O EfSter, na rua da Cadeia-Velha, n. 29.
Carlas para volta-
rete,
as mclhores e mais baratas : vendem-so na rua larga
do Hozario, n. 24.
Vende-se um bom carro de duas rodas muito
Corle com todos os ai reos em bom uso, sem que
se precise fazer despeza alguma para usardelle:
ua rua do Collegio n. 15, segundo andar.
Vende-se una armagnode venda, com pesos e
medidas ; duas camas e um cabide : na travessa de
S.-1'edro, D. 10.
Avi Vende-se peroba de cxcellcntc qualidade : na
praia de S.-Rila, armazem da rcsiilagao.
Vende-se loucinbo da tena, j salgadoe mui-
to bom em porgao grande o pequea ; tambem
se ,vende banha em rama eaprazosendo fregue-
zia: em Fra-dc-Porlas, rua do Pillar, n. 145.
toja do nicho.
.Na esquinado Livranienlo loja do nicho, ven-
dcm-se cortes de cassa de cores lixas, a 1,600 rs.
CAMBRAIAS ES60CEZAS,
vendem-se na rua Nova, n. 26, loja de Tinoco &
lincha : tambem vende-se ua mesma loja crep de
cures, a 8801 s. o covado.
n
%\
Escravos Fgidos.
m
Q
Vende-se urna prela de 20 annos de na-
cflo com muito bom leile para criar urna
cranca, e que cozinha o diario do una
casa o engoinma liso : na rua das Laran-
geiras, 11. 14, segundo andar.

S
VA
' i '. i> TT--" ." .': "S
> ',. : -:,,,.:-., ;.-..,,'.i
. NesU loja vendcm-se corles de cambraia de @ jruadJ Ass. mpgao, n. 12.
m cores lixas, a 1,60() rs. ; C chales da Suis- fe vende-sc um cavallc
^ sa, de neos padroes a 2,000 e 2,500 rs. |! bonito bem feZ, ^areg
Vende-se, por prego commodo, urna parle no
engenho de Jaguaribe : no Aterro-du-Uoa-Visla
n. 58.
Vende-se fumo cm folha de primeira quali-
dade em porgao e a relalho : no Aterro-da-lloa-
Vista n. 58.
Vende-sc una carleira do una so face, de
aniaiello, com pouco uso muilo bem leila com
seu gavetao e boas (echaduras, por prego commo-
do : na rna da Moda 11. 25 oude se mandou cn-
vernizar denovoadita caileira.
Vende-se um piano inglcz usado que precisa
de algum concert proprio para so apreuder a to-
car, por ser de construegao muito forte por prego
commodo ; na rua do Cabug, n, 12, loja do amo-
lador l'rancez.
Vendem-so palhas de coqueiro parabanhe-
ros: no sitio do Cajueiro junto do Sr. Francisco
Ribeira de llrilo, ou no pateo do Carmo, loja de lar-
tarugueiro, n. 2.
Alicncioao barato.
Na rua do l.ivramcnto n. 14 vende-se chila de
coberla de bous pannos a 160 rs. o covado e a
5,500 rs. a pega? ditas muilo linas e de cores fixas ,
a 200 rs. o covado ; merino muilo lino a 3,000 rs.
o covado; bretanha com 20 varas a 3,900 rs. ; brim
ara caigas, a 240 rs. o covado; algoiUlozinho azul,
a 200 rs. o covado ; ricos cortes de cassa ; algodfio-
ziulio a 160 rs ;e oulras niuilas fazendas a troco
de pouco dinbeio.
Vendem-sc, em meio uso os movis seguid-
les : urna cama de casal feila de angico ; urna me-
sa de meio de sala ; duas inesnlias : luilo de aina-
Ausentou-sc, ha das, da casa de seu senbor, o
escrauo JoTo pa'rdo triguiro de 15 a 17 annos.
cara grande, olhos regulares bons dentes; bem
conhecido por andar freqiienlomenlo fardado: quem
o pegar levo ao Mondego, a seu senbor, Luiz Go-
mes Kerreira que recompensar generosamente.
Fugio, na noite do da 10 para 11 do corrente
um escravo, de nomo Rufino de nacfto Congo, do
40 annos de estatura alta, corpo medio, cor fula
olhos grandes nariz e bocea regulares, barbado
tem urna perna cambada; foi queimado em uri
brago,e por isso icou com elle meio branco docoto-
vcllo para a inflo, ficando com a mesma mSo sem a
poder fechar; tem os ps compridos eapUlietados.
Quemoaegar leve a sen senbor, Jos Fornandej'
Ferreira.
Fugio, na noite de 10 do correle um preto
de nomo Fernando de estatura alta barbado por
baixo do qncixo ; reprsenla ter 40 annos falla
bem e he bastante desembaragado; lem os ps
grandes e largos; levou camisa e caigas brancas,
suspensorios ,e sem chapeo ; foi escravo do lllm.
Sr. Tbomaz Jos da Silva Cusmiio ; julga-se que an-
da mesmo pela Boa-Vista ou S.-Antonio. Quemo
pegar levo a seu senbor, na rua do Trapiche, n.
34, que se recompensar.
Fugio, da rua da Cruz, no Recife, n. 49, a Joa-
quim Pinto do Azevedo a sua cscrava Leopoldina,
de nagflo S.-Thomc a qual a tinha vendido ao Sr.
Antonio Domingucs Ferreira, e em nomo de sua
senhora. Como a dita escrava paucos das depois'de
vendida fugisse da casa da compradora foi o dito
Azevedo avisado da sua fuga, ao que responden que,
apparecendo, Me levasse que elle dava o mesmo
dinheiro e a romettia para o Rio ; e sendo-lhe osla
a presentada polo'Sr. Ferreira amarrada debragos,
nodia 11 docorrente, generosamente Iho deuscu
importe e icou com a dita [escrava. Acontece, po-
rm, que, ficando fechada em urna sala da frente do
primeiro andar, fugio de noito pelas janellaSjiBue
sao bastantes altas o que faz crerque foi auxilia-
da de fra por alguns malungos ou amantes. Por
isso recommcuda-se a todas as autoridades supe-
rioresc inferiores tanto da capital como das co-
marcas, que a apprehendam aondequer que ella ap-
parega. Os signaes d)escravasflo os scguinlcs: de 30
a 35 anuos de boa altura, cheia do corpo, nadegas
grandes, retia cabega grande cabellos corta-
dos da parte posterior, ecrescidos alguma cousa na
parte superior tesla larga, alta e saliente, olhos
grandes e fundos com os lagrimaes muilo abati-
dos, principalmente odirctro que parece acalmado,
ou dellc padecer, beigos grossos falla baixa e de-
vagar pouco ligeira no andar, pes cheios ou c ar-
nudos ; levou varios vestidos, entre as cures le ro-
sa branco azul-claro alvacenlu, esle de {riscadb
achadrezado miudo e com babado, chale de me-
tim, de franja semi-encarnado rozelas as ore-
Ihas e panno da (osla Quem a pegar levo a seu se-
nbor que gratificar generosamente, e protesta
com lodo o rigor da lei contra quem a seduzio, ou
der coulo.
Fugio, no dia 11 do corrente a preta *faria,
de nagflo Angola de 20 a 22 anuos; alta-lhe um
dente no queixo inferior; lem os ps bstanlo
grossos; levou vestido de chila e panno da Costa
ida :. quem o pegar leve ao dilo engenho, ou
i-Visla, rua da Aurora, 11. 26, em casa de Fran-
relloo envernizado ; um par de mangas do vidro ,
isas ; um par de castigaos de vidro lapidados : na
Vende-se urna bonita ucgriiiha do 10 anuos,
com principios de costura ; um mulatinho da mes-
ma idade propriu para aprender qualquer oflicio,
lio
ga
ic muilo manso :
alazflo-caboclo muito
muito bem baixo; es-
la rua da Florentina ,
quipa
n. 16.
. Vendcm-se casaes de pombos grandes, bons
baledorcs, de bonitas cores, e de ptima casta,
por preco eonimodo : na rua da Florentina, n. 16.
Na inesiiia mesma casa vemlc-se urna porgflo de es-
todos chegados ha pouco : na rua buya do Itozario, tacas de ptima qualidade, proprias para atierros,
venda n. 33. por muilo barato prego.
Vendo-se uma barretina 1 barreto, taiim, ca-, Vende-se um escravo pardo, bastante mogo,
nana e nina farda; ludo proprio para guarda naci- I com algumas habilidades: na rua da Concordia,
nal, por prego eominudo : na rua Nova, n.35, se di- n. 25..
ra quem vende. Vendc-se una fazenda, f o casco) no termo
yemle-se, para foia da provincia una es- de .Moxot, em l'esqueira leudo casa, curaos,
crava de naciio, que engbmma, cozinha coseo faz 'cercado, lavras ,tendo una exteusflo do mais de 3 le-
lodo o mais servifO de tima casa: na rua do los- goas de tena que he a inelhor daquelles lugaies,
picio, 11. 4, das (as y da mauhfla. por preco muito commodo : a tratar na rua da Ca-
\endem-.se insignias para M sociedades M.-. deia do llecife, n.57, com Jos.Meudes.
Vendem-se 4 escravos mogos e uma parda,
proprios para engenho, por prego em conla : na loja
de Comes & Carvallio ao p do arco de S.-Anto-
nio.
--- Vende-se mi! sitio porto desta praga com ca-
e quadios Histricos de Portugal por Antonio Fe-
liciano de Ca.stilho : na rua da Moda, n. 11.
Vende-se urna pela de muilo bonita figura,
de 20anuos boa cozirtlicira e que chgomma e la-
va ; un,1 parda de :.'> anuos, boa para ama do ca-
sa; urna preta de 30 annos, boa para lodo o serv- -sa para familia arvuredos de fineta de todas as
velho : quem a pegar leve a rua larga do Rozario,
n. 30, terceiro andar, quesera generosamente re-
compensado.
Fugio, na noile do dia 17 de setembro do cor-
rente auno, do engenho Queluz, cm Ipojuca, uro
pelo de nagflo, de nomo Antonio de estatura alia,
de bom corpo olhos grandes c um tanto verme-
Ibos j com alguns cabellos brancos; levou ca-
misa de chila azul de quadrinhos ceroulas de al-
godfloziuho branco, ou bamburgo e mais alguma
roupa em urna trouxa e levou mais urna enxad
encavada
na Boa
cisco Antonio de Oliveira que ser recompen-
sado.
ATTENCAQ'.
No dia primeiro do corrento fugro do sitio da
Rozeiras, do major Joaquim Flios de Moura, defron-
leda capella do Itozarinho, o seu escravo crioulo,
meslre pedreiro de noine Silvano, com os signaos
segunles : estatura regular, seccodo corpo, bem
preto cabega pequea olhos vivos, pouca barba
c com alguns cabellos j brancos, suissas finas o
compridas muito falto de denles ; s tem na man-
dbula superior um dente canino, peilos cabelludos,
ej tambem pintando de branco; lanto trabalha
com a mflo dircita como com a esquerda com a
qual toca viola; tem peinas linas urna, cicatru
vermelha na canda e outra no peitodo p da ou-
tia perna. Quem o pegar, ou dellc der noticia coi-
la va ao dito sitio que ser gi rlilicado com gene-
rosidade.
p-gio, no dia 7 do corrente da villa do Rio-
Forr. o, de casa do seu senbor Luiz Carduzo de-
Alme.wa uma escrava crioula, de. no me Francisca,
secea do corpo cor bem prela, de 28 a 30 annos;
a qual foi vendida ao mesmo cima por Anloniodo
Azevedo l'ereira morador lio Aracaly ; .quem a pe-
gar leve a dita villa do Itio-Formoso a seusenhor,
ou nesta praga na rua larga do Itozario casa do
Jos l'edro de Alcntara que recompensara.
~ Fugio, no dia 2 do corrente uin preto de li-
me l'edro.de nagflo enguela.de 28 a,30 annos, gros-
so do corpo, rosto chato, olhos pequeos sem
barba.; tem no brago direito.logo cima do coiovcl-
lo uma cicatriz ; he canoeiro ; ja fez uma fgida ,
o andava pelo Arraial, S.-Anna e Passagcm dor-
mindo em canoas ; levou camisa lie algodozinho
grosso ceroulas compridas de algodflo da terr :
quem o pegar leve a rua da l'raia-de-j.-dtita n. 5>
que ser recompensado.
B*tm. : N \ tvi'. BE M. r, Dt; 1 iua 18^7-


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EIMT1H3CH_IFLXTH INGEST_TIME 2013-04-30T21:55:32Z PACKAGE AA00011611_09742
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES