Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:09741


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Armo de 1847.
Quinta-feira 14L
O DI.4KIO pulilica-se todoJ os das, tiue-nio
fivcm de guirila i o preco A asignatura he de
4 JO A rs.poi tpiarlcl, pagos adianiadnt. Os ao-
nimiiiis dos asignantes s^o osan lo i, rajo do
20 rf. pcrHlilia, 10 H. mi tvpo difleraule, e as
r,>ptic6ej pU metido. Os quen'o fir-em assig-
nanles pagarlo 80 rs por liona, c ICO c:n tyiio
dinrente,_por cad UUdIIcico.
PIIASBSOA LANO.VIK'ADR UTUBR.
Miii-oante. a I, a 7 horas e 10 mu. da man!i.
I.ua nuva, a 0, a G horas \1 min. da inanli.
Ci osenle a IT, a & honis 21 min. da maiiii.
La clieia a 11, a 9 bor. e 10 min. da tai de.
Miugoanle a 3o, a 7 iioras 35inid. da larde
PARTIDA DOS CORREIS.
(aoiamia e Paraliyha,s segundas esertas felru.
Hio-ll.-aiule-dn. Sorte quintas i'eirasao meio-dia.
Cabo, Seriuhcm, Hio-Formoso, Porto-Calvo e
'.Iar.eiii. no I .*, a I: e 2 I de cada met.
(iaranhufis a llonito. a 8 e 23.
Iioa-Vi"'a.e Flores, a II e 28.
Y:ctona, -( quintas l'eiras.
Oliuda, lodos os dias.
PREAMAfl DK HOJE.
Primeira, as 8 horas e 30 minutos da manlia
Segunda, i> 8 horas e 54 minutos da larde.
re Outubro. ..iho XXIV.
1 25.
DIAS D\ SEMANA.
.1 Sezunda. i. Firmi o \ud do .1. do c. 12 Terca: S. Cyuriano. Aud do I do civ. da
I. v. e Ao S. de pa/. do 2 di.i. de t
13 Quarta. S. Eduardo. Aud. i'o I,(lo civ >"
2 v. e.lo J. d paz ilo '!. lis i. ||e t.
14 ('iiinia. S. Calisto Aud ti J. lio J. municipal da I. vara.
15 Sexta. S. Thereza de Jess. And do I- do
civ. da I. v.e do J. de paz do I. dist. de l.
IG aullado. S. Martiuiau. Aud, do J. do civ.
da I. v. e do J. de az do I dist. de t.
17 Domingo. Ileduvlges
C\M'IOS NO DA 13 DI". OUTUBRO.
[Camino sobre fjondresn !?',' < p. f Jl rs.
' i> ,, PaHa Sao r. por /'raneo.
i. ii f.lsiioa IOS a i s'- de premio
DeiO.de lellras de iioas lirin..* la '/f%Sk)
OtiroOiieas ic,'i.niiiii...----- '!*" I t
lloeda
de 8JNH1 w v.. iiifiiOii a
de IIOOO..... 9fl00 a
pritffl PaUces...... ... J^OOO a
Pesos columnares... IJ080 a
Ditos mesicauos ... I|'820 a
Hiuda............. IftM
Acedes da comp. do Helici die de 50 JOOOrs.
i 00 (I.
mez.
.'.,9211
uh'-
SjSOO
Vj.lld
20OOU
IjSIip
aopar.

BE PERNAMBUGO.
PIRTEOFFIS.AL
GOVERNO DA r^jrVINClA.
EXPEDIENTE DO DA 16 DO PASSADO.
Oflicio ~ Ao commandante das armas, declarando
que S. M. o I. ordenara se mandasse passar guia de
passagem do corpo flxo do Piauhy para o 4. bata-
lho do caladores do Para ao primeiro sargento Ma-
noel J. da Silva Lisboa".
Dito -- Ao juiz relator da junta dojustiga, trans-
mittindo o processo de Antonio Joo Bar-boza.
Dito Ao inspector da thesouraria da fazenda,
acensando remessa de urna copia do imperial aviso
de 28 de novombro de 1844, arespeito da antigui-
dade do segundo escripturario da mesa do consula-
do, Jolo Francisco RcgisQuinlella.
Dito Ao inspector da tbesouraria das rendas
provinciaes significando dovo mandar restituir a
Thomaz do Aquino Fonsoca os direilos que de mais
pagou, segundo consta dos diversos papis que a-
companharam osen oliciodo 1* dcste mez, (setem-
bro) e que ora I fie devolve.
Dito Ao chefe de policio, declarando que vai
consultar o governo imperial acerca da duvida do
propietario do Diario de Pcrnambuco, sobro a exe-
cuco do decreto numero 433, de 3 dejulbo prximo
passado.
Dito -- A'cmara municipal do Po-do-Alho, de-
terminando juramente a alguns dos respectivos ve-
readores, para que possa ter andamento o pleito que
Lu/ do Albuquerque Barros est movendo ante o
juizo municipal daquella comarca.
Dito A'cmara municipal do Recife, dando-lbe
faculdade para despender oque for absolutamente
indisponsavel com a compra dos objeclos que forcm
precisos para o processo das prximas-cleQes.
Portaras Rccommendando as respectivas auto-
ridades locaes consinlam que Maria do Carino Leal
mando cortar 100 pranchcs do viubalico para a
construccflo de um hiate, e que Manoel l.uiz de Mel-
lo fa(a conduzir para esta cidade 60 duzias de plan-
chos de amarello que se acbam no sul desta pro-
vincia, e 40 que estilo as Alabos ; visto como glo-
bos se acbam para isto aulonsados pelo o governo
dbS. M. o Imperador.
DEM DO DA 17.
OTicio Ao Exm. presidente das Alagos, aecu-
sando remessa do concelbo do disciplina de Jos
Fernandes, soldado desertor do segundo balolho
de artilharia a p.
Dito Ao mesmo, solicitando a cxpedico das
convenientes ordens, para que a madeira que foi
cncoinmendada para a barca de escavago, oque se
aclia no porto do Jaguar, seja conduzida pata esta
cidade na barcada Alagoana. Parlicipou-se ao ins-
pector do arsenal do marinba.
Hito Ao presidente do concolbo gcral de salubri-
dade, dando faculdade para mandar concertar, em
Paria um dos cilindros o o prato da macbina peneu-
inatica, pertenecnte ao mesmo concelbo.
Portara Ordenando que ao bacharcl Augusto
Jos Pcixoto so passe provisflo de promotor publi-
co da comarca de Fiares. Fizeram-sc as conveni-
entes partcipasOes.
DEM DO DA 18.
OJllcio--Ao commandante das armas, declaran-
do que, einqiianto o contrario scnilo resolve, pode
Thomaz Jos das Neves continuar a fornecor do
agoa o forto do Buraco, pola quantia de 5,000 rs.
mensaei.
Dito Aomesmo! aulorisando a baixa do msi-
co Jos Antonio do Sousa, e do soldado l.uiz Jos
Montciro, visto como sao idneos os substitutos que
elles oflcreceni'.
Lito -- Ao mesmo, rccommendando a cxectiQSo
do imperial aviso de 6 de agosto prximo passado,
que manda dar baixa do servido a Manoel Jos de
Moraes, sargcnto-ajudantoaggregado ao sexto bata-
lliSo do caladores. -- Parlicipou-se ao ex-presidente
das Alagas, por cujo intermedio foi recobido o pre-
citado aviso.
DEM DO DA. 20.
Offlcio Ao capitfo do porto, determinando faga
inutilisar as matriculas dos toldados do quinto ba-
lalhflo da guarda nacional deste municipio. l'ai-
ticipou-so ao commandante superior da referida
guarda nacional, por cujo intermedio fura recobido
o odifcio em que o conimantlantc d mencionado
batalMo solicitara a providencia que lica dada.
Ditos Ao presidente do concelbo geral de salu-
bridade e ao inspector da tbesouraria das rendas
provinciaes, scienlificando-os da uomeacilo doJoo
l'inheiro Catle para delegado do referido conce-
lbo no municipio to Rio-Formoso. Tambem se
participou ao nomeado.
DEM DO DA 22.
Oflicio Ao commandante das armas, facultando
a baixa de Honorato de Salles Abba, soldado do sex-
to balalliib de cacadores, visto ser idneo o subs-
tituto qno elle offerece.
Dito Ao desembargador juiz relator da junta de
justi?a, transmillindo os processos de Belizario An-
tonio c Justino Francisco de Sousa.
Dito -- Aocommissario-pagador, ordenando que
dol." de agosto em diante suspenda o pagamento
da preslac.no que deixra nesla provincia o alferes-
secretario do primeiro batalho de caladores.
l'arlicipou-se ao ex-presidenle da provincia das A-
lagas.
Portara Determinando que a Augusto Jos
PeixotQ se expeca Ululo do ajudante do procura-
dor-fiscal da tbosouraria das rendas provinciaes
na comarca de Flores. Participou-se ao inspector
da tbesouraria das rendas provinciaes, ao respecti-
vo procurador-fiscal e ao nomeado.
DEM DO DA 93.
Oflicio Ao presidente do concelbo geral de sa-
lubridade, recommendando a expedieflo do suas or-
dens para que o respectivo porteiro abra a cas da
vaccina nos domingos o as horas quollie indicar o
commissario vaccinador, alim de quo possa esto
cumprir oque Ibc incumbe o rogulamento do 17 de
agosto de 18*6. ~ Participou-scaocommissario vac-
cinador.
Dito Ao mesmo presidente, significando quo de-
ve proceder a proposta para delegado do supramen-
cionado concelbo no municipio doSerinhnem, vis-
to haver-so mudado para o termo do Cabo o cida-
d;1o quo se achava no cxcrcicio deste emprego.
Parlicipou-se ao inspector da tbesouraria das ron-
das provinciaes.
DEM DO DA 24.
Oflicio Ao commandante das armas, prevenin-
do-o de liavi'i' de ser transmitida secretaria da
guerra urna copia da acta dnexamo do estado do
hospital militar tiesta provincia, com declaradlo dos
melhoramentos que esse estabelecitnento requer.
Dito Ao chefe do polica, approvando a nomea-
cilo de Joaiiuim Tavarcs Itodovalho para amanuense
da repartidlo a scu ca go.
Dito Ao inspector do arsenal de marinba, aulo-
risando o pagamento de urna Icltra da importancia
de 1:276,836 rs. que a thesouraria da provincia das
Alagas sacara sobre o mesmo arsenal pelo custo
das madeiras encommendadas para a barca de esca-
vaQo.
DitoA' administrarlo doscstabclccimcntos de
cardade, declarando organise as condices para a
arromalac1o do imposto sobre o furo dascaixas de
assucar, cassubmclta ao conbecimento da presi-
dencia, afim deque, depois quo ellas forem appro-
vadas, seja designado o dia em que deve verificar-so
essa arremataqilo.
!DEM DO DIA 27.
Oflicio -- Ao commandante das armas, scientifi-
cando-o de haver S. M. o Imperador ordenado lique
de nenhum elTeito o aviso do 30 dejulbo ultimo,
que conceda baixa ao sargenlo-ajudante Miguel Jo-
s de Moraes.
Dito -- Ao mesmo, recommendando a exeaucito
da ordem imperial que manda dar baixa ao cabo de
i'squadra do sexto balalhflo de cacadores, Antonio
Nunes de Sousa.
Dito Ao commandante da Iba de Fernando, in-
teirando-o de haver sido declarado por aviso de 11
deste mez, (setemhro) que jamis se devo consentir
que os presos na mesma Iba venhaiu a osla cidade
em balsa ou jangada i procura de soccorro ; e que
releva seja feita por pracas do destacamento algiima
parlicipagilo urgente o imprevista, de que porven-
lura baja necessidade.
Dito -- Ao chi'fo de polica, exigindo informac.lo
terrea le um roquerimento em qnePilippa Mari
i Concei^fo diz achar-se, ha 30 annos, no presidio
da Iba de Fernando, sem declaradlo doseu delicio,
nem da respectiva sentenca condemnatoria.
Dito A Elias Francisco Baslos, scienlilicando-o
de ler-lbc S. M. o .Imperador feito nierc do oflicio
de segundo la bellido do judicial e olas, escrvdo
privativo do jury e labellilo do registo gcral das hy-
polliccas da comarca do llrejo-da-Madre-de-Deos.
IDEaf DO DIA 28.
Oflicio -- Ao commandante das armas, rccommen-
dando a cxcciiflo do imperial aviso, que ordena
sejam remullidos para o arsenal de guerra da corte
os 13 menores quodahi vieram incorporadas m-
sica do sexto batalho de racadorrs, e que se reco-
nheceu nilotcreni aptido para a arle a que se des-
tinan).
Dilo Ao presdeme interino da relaco, dndo-
se por inleirado de ter S. S. nomeado para juiz re-
lator da junta de juslira o tlesembargador Joaqtiim
Teixera Peixolo de Abreu e I.ima, c para vogacs os
desembargadores Manoel llodrigues Villares e A-
gostinho Ermolindo de LeSd.
Dito -- Ao inspector da alfandega, scicnlificaudo-
o da nomeaefio de Joaqiiim Izidoro da Silva para
gualda daquella repartieflo.
INTE IOR.
AULAMKNT UBAMLEIHO.
SESSAO EM 43 DE SETEMBBO DE 1847.
ORCAMENTtJ DO IMPERIO.
(Conlinuafo do numero antecedente.)
O Sr. Presidente do Concelho (proseguindo;:-- Quan-
do nlo fosse poroutra causa, convinha mesmo que
so potlessem deslruir as provincias os manejos das
pessoas niio alTei?oadas ao governo, ano espalham,
para melhor enganarem o povo, que ellas silo da re-
commendacflo do governo, o quo muitas vezes nflo
acontece; muitas vezes a opposico se serve desse
vemiz do governo, a quem se moslra opporluna-
menlc affeiQoada, mas sobre quem dcscarrega trai-
coeiamente lodos os seus golpes, para cnlrar as
urnas eleloraese influir grandemente naseleicOcs.
Quando nao fosso para outro fin, cuinpria ao me-
nos, para livrar o governo de eleigesdesta ordem,
que se soubesso qual era a pplniflo do governo, sem
que o governo quizesse influir por violoncia ou
fraude,
Eu, Sr. presidente, devo dizer que, bem que assim
pareca que muto influo as elei{0es, son coitudo
o que menos inlluo ou que menos tero i influido nel-
las, porque sou inuito pouco inclinado a pedir cou-
saalguma. Sei de mullos empregados meus de mui-
lo lempo quevotaram carga cerrada na opposi-
co; nunca os incommodei, nunca os reprehend
por isso. Os nobres senadores, pois, noteem raslo
quando lauto mo aecusam a este rcspeilo, porque
nlo podem apresentar um scmpregado, quo fosse
lemiltido pormim por causa de eloicOos.....
O .Sr. Vasconcelos : OSr. Vasconcellos acaba de
ebegar doCeara, porque tfloquiz promover a elei-
Qio do Sr. Candido Itaplisla.
O .$/. Presidente do Concelho : Eu nlo devo ex-
plicaros motivos que pode ter O governo para remo-
ver um empregado de confianza a assembla nlo
tem direilo de exigir islo do governo.....
O Sr. It. Torres : Tem, tem.
OSr. Presidente do Concelho : Motivos ha que nlo
devem ser publicados: so empregados de confian-
es. A le da ao governo o direilo dos Hornear ou
demillir conforme entender, conforme a conflanca
que Ibe meroctim tacs empregados....
O Sr. Vasconcellos : La est na lei da responsa-
blidade a resposla.
O Sr. Presidente do Concelho : Quo direilo toma
assembla de pergunlar qual foi a raslo por que se
removeu este ou aquello empregado de conflanca f
O Sr. Vasconcellos : I.eia a lei de rcsponsatiih-
dado.
O .Sr. Presidente do Concelho : Se isto osla na lei
de responsabilidad!1, heanarchia oipio nella esta.
Pojaba do so pergunlar ao governo porque removeu
um general em chefe ou outra auloridado desta or-
dem ? A resposla seria a que ileu lord llowdeu aos
negociantes de Monlcvdo, que ello s tinha. de dar
lei. A assembla nflotom direilo de pergunlar as
rasOes por que so uomeados ou removidos empre-
gados de puro conflanca, como sao generaos, presi-
dentes de provincias, etc...-.
O Sr. Vasconcellos : Nlo be adO do poder exe-
cutivo.
O Sr. Presidente do Concelho : -- He daquella parte
do poder exeeutivo em que ha discrico.....
OSr.H. Torres : O poder discrecionario nlod
ronlasi1
OSr. Presidente do Concelho : Ora, genitores, o
poder discrecionario dando conlas!.....
O Sr. Vasconcellos : Bem diz oSr. Hollando Ca-
va lean ti !
O Sr. Presidente do Concelho : O poder que d
cotila ho aquello que osla cingido ao padrflo de leis
escripias, scripii-juris gmenle, enOo quando a lei
da faculdade do obrar discreclonariamonte, segundo
a conflanca que tem no individuo, o contrario ues-
te caso, meo chara senhor, [ha de me pordoar lio
translorno total le ideias.....
O Sr. Vasconcellos : -- Pelo amor de Dos, nn pro-
lira taes propusieres; V. Fxe. nao tem reflecliilo
milito
U r Presidente do Concelho : Pois estas so as mi-
nhas ideias ; asscnlo que nem os nobres senadores
lecm direilo tle perguntar-me a raslo por que re-
mov um empregado de conflapca, nem eu tenlio o-
brigafilo de a dar. Se qui/crcm, facam urna lei que
estabeler;a esla regia, para cu me subjeitar a ella.
Eu desejava dzer duas palavras a respeto de una
assercio que tambem ouvi aqu na sessio anterior,
e que se: converte OU se deduz pouco mais ou menos
nesla oulra milito celebrada : o re reina e nlo go-
verna -- ; mas islo nao vem ao caso, fican'i para ou-
tra occasilo.
Passarel agora a Iralardo t]uc se disse a respeito
dos bancos.
I'm nobre senador disse que vfo apparecendo ban-
cos no imperio, que havia um desojo de bancos em
todo o Brasil, eque o governo mostrova-sc inteira-
niento indifferente a ludo islo, nlo se orcupava de
scmelhanle materia, nem se importava com taes
bancos, quo entretanto podam ser milito peri-
gosos*,
Sr. presidente! OU nio sei cm que fados se funda
o nobre senador para dizer islo; por minba parle,
devo declarar-lhe que, em meu entender, o governo
nio deve impedir o espontaneo nascinienlo dos ban-
cos em qualquer ponto do imperio. O que o governo
deve fazer he regula-los : mas o scu primeiro regu-
lador he a creadlo do um banco central : esla be a
primeira liscalisa^o dos bancos. Admira intiilo que
o nobre senador, que viocrear-se um banco em po-
ca anterior a 1842 mesmo, nunca se Icmbrassc de
tratar desta materia, e que agora tenha icado to es-
candalisado com os bancos que vilo apparecendo.....
OSr. Vasconcellos : Peco a palavra.
O Sr. Presidente do Concelho: O banco do Itio-dc-
Janciro foi creado em poca anterior a 1842; e quan-
do tomou o governo conhecimento do scu rogula-
mento? Eslava no ministerio o Snr. visconde de
branles; eu era aquelle que mais insista em que
o governo entrasso flisto ; pareceres meus existem
a este respeito. Emlim, o banco apresenlou os seus
estatutos, regularisou-se tanto quanto podia ser rc-
gularsado; masantes nlo havia regularisaco ne-
nhuma, e o banco exista, conlinuou a existir sem
que ninguom se importasse com isto.
Devo dizer que advogados da corle, o mesmo mui-
los das provincias, homens de importancia, eran de
opIniSo que estasassociacOes, no estado dnosla
legisla^flo, podiam existir sem que o governo nellas
inlcrviesse. Islo be lano assim que alii estilo exis-
lindo'companbias de seguros eoulras, que nio po-
nha lomado conbecnienlo dellas ; eat os liibunaes
teem julgado que ellas teem esse privilegio, em quo
tocou o nobre senador, de nao responder senlo po-
los fundos seus.
Es-aqtli o que lem havido ; o banco psjatio mui-
lo lempo assim, dobaixo das regras que dizainos-
ttvam oitabelecidas as nossas leis, e eran aadeei-
soes dos nossos tribuna es ; e sendo lalve le neces-
sidade que se regtilarisasse, apresenlarain-sc uns
eslalulos que quasi nenluuna alleraeao solfrcram,
. orque noconsidoro alteracjlo o adaxittir o banco
uni empregado do thosouru as oocasiSes n n que o
mesmo banco vai Cazer os seus batanaos, para ver so
ello tem feito urna emisslo superior aquella a quo
est comproinetlido. Eu mo sei quo garanta lio
BSSl.
Sr. presidente, eu nflo posso allirmir decidida-
mente, porque nflo visiiei os ba ic s Ja E iropa ; mas
sSo lito multiplicados os bancos na Inglaterra, nos
tres reinos, que duvido que la man lo o governo um
empregado ou dous ou tres tojos os annos, para lis
calisaressos bancos. Os verda loiros liseaes dos ban-
cos da Inglaterra sflo os mosmos bancos uns dosou-
tros, o o. naneo geral, que he o grande regulador.
He verdade quo dizem quo no Inglalorra os socios
respondem com seus bono porqoaesquer eventuali-
dades que possam appar cor mas quo garanta he
esla? Nao se podem reunir uns poucosdo socios que
teuham, por assim dizer, unta fortuna como dez, e
t|tie entretanto se comproineltam por procura^So
como vinlei' Qual he a garanta que existe aflu ?
Qual lie a grande lisoalisacflo que ha nesle negocio ?
"Entretanto nflo serve isto de obstculo a essa naclo
para desojar o desenvolvmenlo maior possivel das
inslituicos baneaes ; s entre nos ha roceio muito
grande a este rcspeilo.....
OSr. Vasconcellos Su entre us '!
OSr. Presidente do Concelho: Eu nio digo quo
nlo seja inuilo para desejar acautela' a quebrados
bancos; hemisler que o governo olhe para isto ;
concordo, mas uo posso entender que sem isto nlo
devam haver iusliiicoes baneaes no paiz; appai'O-
Cfltn ellas, e o governo quo cuide em liscalisa-las.
Masa llaealisaaflo que olle pode dar aeliialiiienle lio
fiscasaeio iraca, porque o vordadero regulador
dos bancos silo ellos entre si, e principa luiente o,
banco central. ...
0 Sr. Vasconcellos: So V. Ex. tivesso tomado par-
le na discussflo do cdigo commerciaI, nio oslara
agora dizendo estas colisas.
O Sr. Presidente do Concelho : Pois, Sr., Infeliz-
mente nao (nmei parle nessa discussio, mas pouco
mais ou menos silo estas as inhibas .ideias, Poderei
talvez nio exprim-las tle maneiraconvenientc, com
a clareza com que se me apresentam; mastonho
mais ou menos as ideias que acabo de enunciar.
Ora, o banco do Rio-de-Janeiro a untos garanta
que tem lio o empregado Sothesooro quo vai ver o
banco dar o sou balaaco, que vai examinar se ello
exceden na sua emiss.io de lettras o quantilativo
que llie esla mareado. Arespeito do da Babia nio
se mandn fazer isto ; mas he negocio muito sim-
ples ; ereio que nonbiima companhia da Babia recu-
sar-se-ha a islo ; he negocio sobre que o governo to-
mara providencias : niio ieja niolivo para tanta bu-
lbo. Em Pcrnambuco apparece um banco creado pe-
la assembla provincial ; lamlieiu emille lettras com
O nome de notas que entram as repartieres publi-
cas. Este negocio esla na secefio do concelho de es-
lado, ou ja me veio s mitos, porque bontem o vi.
O governo vai tomar piovideucias a rcspeilo.
. Nao diga o nobre senador, que he mulla opiniio
que as leis provinciaes sejam sem pro oxecutadas
emquaiilo a asseinlilea uo as revogar. Tal opiniio
nunca Uve : he misler marcar os casos em que ta-
iilio enteiiidoque cumple pedir a dcclaraco da as-
sembla geral henaquellescasos em quo o acto
addicioual nio declara que aslcis possam ser sus-
pensas pelo governo. Nestcs casos, bavendo muitas
duvidasa respeito de toessuspenses, lendo-se ve-
rificado algtimas vezes inconvenientes graves nesto
negocio, lenlio entendido que be misler quo a as-
sembla resolva sobre este objeclo. Ao menos sou
moderado nesla paite, porque oulros entendem quo
nio, que as assemblas provinciaes eslio no seu di-
reilo. Cu posso apuntar casos ; no caso de direilos
de cxporlacio, de inipr mesmo no consumo do
mercadorias viudas de hira e as quacs so vo eonsu-
in 11 as lavernas. Nesle caso, sao oppOStasas opi-
niOes : uns entendem que o governo nio pode sus-
pender as leis provinciaes, c outros cnleiiilem que
o governo deve mandar suspende-las, e eu tenho si-
do de opiniio que se deve mandar urna tal legisla-
Cfio assembla geral, para que. ella declare, para
quo ella suspenda, leosla a iiiinha opiniilo, c no,
como disse o nobre senador, que eu entenda que
todas as leis provinciaes deviam ser exceuladas
omqiianto nao losscm revogadas pela assembla
geral.
(Conli'nuar-je-Aa.;
a
('o iisjxnitL'iitia.
1
Sentare 0 inrrllo fui victima infausta
K as torpes aras da i.iuiiut.t inveja.
Selle oo.
.Srs. Redactores A gratido com preferencia a
todas as virtudes soeiaes, exige de mini boje um
pequeo tributo ao ineiilo, injustamente espesi-
ubado na pessoa do meu cslimavel amigo, oSr. pa-
dre Joaquim Pinto do Campos: sim, o reconheci-
mento, em qu"e os saquarcmas desta freguezia se
acliam para com o Sr. Campos, nio soffre que um
del les, supposlo que o mais li ac, so conservo in-
demser menos piijuUiciaes ao paiz, esem quesc te-ldilfcrenle aos aloques vilenlos quo alguom, me-

*1

':v'

TT


I
..
tamorphoseado em Malulo da Escoda ousou di-
rigir ao mou prczado amigo, em o Diario Novo do 15
do passado.
0 porte verdaderamente digno e lionesto que
ornen amigo lia (ido nesta freguezia ; as maneiras
afTaveis, c carcter seinpre inleiro com que tem elle
tratado lodosos seus hahitantos, fazem um nwfrav-
Ihoso contrasto com cssas calumnias misoraveis,
com esses linldes incivis, com que pretende-se
marear a reputacio do meu referido amigo, cuja
gravidade e circiimspeccdo o deviam por ao abrigo
de (amarillos desacatos Mas infelizmente tocamos
a um lempo em que o mrito h una quallficadlo
ridicula ao liomcm social, o como que o germen
primitivo das aggressOesc dos odios dos seus con-
cilladnos !
Invoco o toslemunlio dos proprios praieiros da
Kscada pro ou contra o Sr. padro Campos; deso-
jo mesmo que apresentcm um s actoseu, quo os
liaja escandalisado e que revele no meu amigo
eaas tendencia* perniciosas que nelle enxergaiii o
seus calumniadores .... F.llclcm residido por mais
de sele mezes em casa de mou sogro, o Sr. Ilcnri-
que Marques l.ins informem-se delle e da redon-
deza, qual tem sido o seu comportamiento, em qual-
quer sentido e conhecer-se-lia se o mou amigo
ha desmerecido, n'uin s pice, o elevado concoito
do que sempre se lizeram credoras suas boas qua-.J
lidades. I.eiam-se os documentos abaixo tianscrip-
tos, o deste genero cu aprsenlaria immcnsos, se
ndo conliasse na auloridade dos dignos cidadHos
que boje fallam a folba em favor do meu amigo, o
qual, sobranceiroa imputables incsquiiih>s, mar-
char avante na brilhante carreira que ha encelado,
'pardas nielhorcs affeiqcsda sua provincia.
Os saquaremas da Escada, de queni hoje son or-
gdo, se congratulam de lercm litio nesles poucos
lempos um tilo infatigavel e prudente mentor, cujas
inspirares, sempre conlidas na esphera do bom
senso, honram a sua illustracdo e acoioQam os
nossos bous jlesejos.
Aceite pois, o Sr. Joaquim Pinto de Campos os-
las abreviadas linhas como signal ndo equivoco da
eslima que sei consagrar ao amigo sincero, ao alija-
do firme do partido saquarcma, cuja sorte lem par-
tilbado com resignadlo e constancia heroica.
Sis -Redactores, dignem-so de dar accolhimento
em seu cstimavel Diario a estas reflexoos, que, sa-
bidas do corando, nilo tordo do ser averbailas do par-
ciaes e cnibiisteiras.
Engonho Diamanto, na freguezia da Escada, 10
deoulubro de 1847.
Antonio Margues Hollando Cavalcanli.
DOCUMENTOS.
Illm. e Itrm. Amigo Campos. Respondcndo a
sua estimavel carta do 3 do crrente, o meu cora-
i.ii ndo i!ci\;i .!< experimentar o mais vivo senti-
mento, pela noticia que V. S. se diguou de dar-me,
de que pretende passar o resto do auno, em com-
panhia de oulros amigos seus ; o como isso redun-
de ein por-sc V. S. mais longo demim, que o pre-
zo de corceo, cis-ahi porque me he sensivel essa
resoluedu. O comportainento que o meu amigo tem
tido nesta freguezia, a inaneira por que tem sabido
equilibrar seus passos nos vordadeiros dictamos
da moral e da decencia, o torna eredor dos inaiorcs
elogios.
Km qualquer parte onde se adiar, tenha em
lcmbianca a estima que Ihe consagro, e a vciicra-
530 con que so e soroi eroquanto viver
De V. 8. amigo verdadeiro e obligado
Manoel Thotn de /esus.
ii Noruega, 12 do setembro de 18*7.
a'Illm. e livm, Sr.--0 padre Joaquim Pinto de Cam-
pos, a bem do seu direilo, requor a V. Hvm. que Ihe
attesto ao p deste o que Ihe constar a respeitoda
conducta que elle Ih tido nesta freguezia, 110 es-
I .ii-ii di' oito mezes que tem nella residido.
Pede a V. Rvm., Sr. vigario collado nesta 111 es-
ma freguezia, assim Ih'o atieste.
u O padre Joaquim l'into de Campos.
ifi de setembro do auno de 1847.
i' Jo'io Zefirino l'ires, prefbitero secular, cavalleiro do
habito de Chisto e parodia collado na parochial torc-
a desta freguezia de N. S. da kscada, por S. M. /.,
que Dcos guarde, etc.
Attesto, por me ser pedido, que o P.vm. suppli-
canlo tem residido nesta freguezia |ior espado de
oiln mezes, e al o presente me nao consta que elle
se baja conduzido de uianeira que escandalise, sen-
do smente publico e notorio que a sua moral be
austera, e lojuvavcl o scu coiiiporlamenlo; oqueaf-
lirmo em fe de parodio. Povoadlo do N. S. da Ksca-
da, 20 de setembro de 1847.
O vigario Jodo/.cfirino l'ires.
Attosto e faco certo que o reverendo supplicante
supra he de. urna conducta regular, civil e moral,
tendo a melhor oploiSo e coucoilo de lodas as pes-
soas de probidade e bom sonso, isto no decurso do
oilo mezes que tem residido nesta freguezia ; e por
assim ser verdade c conslar onde convier, mandei
passar o presente em f de verdade c assignei. Ks-
cada, 30 do setembro de 1847.
11 Manuel Jos Pereira Pinto de Lsmos,
Coadjutor.
Kstavam reconhecidos)
Pesos columnares.....1,980...... 2,000
Ditos da patria -.....1,820...... 1,840
Moedas de 5 francos--------1,660-..... 1,680
I)itasdc2 patacas.....1,280----------- 1,290
Ditas de 1 dita------------- 640 ------------ 660
Moedas deouro.
Pecas reinas........16,250......16,350
Hilas novas......- 16,000-------------16,100
Moedas de 4,000 rs.--------. 9,100......9,200
Oncas hespanholas 29,000-------------29,200
Ditas da patria.......28,800------------- 29,000
Soberanos- -......8,900-------------9,000
Moeda do cobro 4 p. /0 de premio 6 p."/.
Desconlos.
Compram-sc leltras de boas firmas do commercio
a 1 por /0ao mez, vencimentos at dezembro do
corrente, e vendem-se a 7/8 por .' vencimentos pa-
ra o mesmo tempo.
Cambio sobre Londres 27 1/4 a 27 l/i, a 60 das :
poucas transaremos.
Por procuradlo de G. A. deOliveira
Manoel Joaquim Silveira.
COMMC^CIO.
AI (andera.
RENDIMENTO DO DI A 13............5;574,822
Descarregam hoje, 14.
Polaca ~ Hosa farinha.
Brlguc Espirito-Santo vinlio e pedras de moi-
n lio.
llarca San-James-- farinha.
Rarca Esk mercadorias.
Consulado.
RENDIMENTO DO DA 13.
'eral......................... 154,865
PEKNAMBUCO, 13 DE OUTUURO DE 1847
AO MEIO-DIA.
Kua da Cadeia do llecife, n. 34, luja de cambio de
Gregorio Antunes de Oliveira.
PRECOS COMENTES DE HOJE.
Moeda de prata. Compras. Vendas.
Pataces brasileiros--------4,000......2 010
Mov ment do Porto.
Navios entrados no dia 13.
Barcelona o Malaga 56 dias, o do ultimo porto 38,
patacho hespanhol Huracano, de 138 toneladas, ca-
pilflo Ciraldi Mazertany, equipagem 11. carga vi-
nlm, frutas o mais gneros; a Joilo Pinto do Le-
mos.
Ilha da Madoia ; 27 dias, briguc inglcz Hibbert, de
128 toneladas, capiliio W. Rrucc, equipagem 12,
em lastro; a Deanc Youlo & Companhia.
Navio sahido no mesmo dia.
Paiahiba; hiato brasileiro Espadarte, capitdo Nico-
lao Francisco da Costa, carga varios gneros.
ti i 1 1111 1 1 iin 1111 11111 111 i 11 m 1 iii' 1 111 111
KIMT.vL"
A cmara municipal da cidade dn llecife, etc.
Faz saber que ella fez, e o V.\v.\. presidente da
provincia determinen que se executasse provisoria-
mente, a soguinte postura addiconal, a qual, por
isso, da dala' deste por dianlo lera intoiro vigor co-
mo nella so conten.
l'OSTt'RA AOIIICIONAL.
Artigo nico. Os proprietarios ficam obrigados a
concertar os passeios queornam os sous edificios,
todas as vezes que se arruinaren): se o nilo fizerem,
sordo multados em 8,000 rs., e o concert sera feito
a sua costa.
Pacoda cmara municipal do P.ccifc, em sessfo
ordinaria de 7 de ouluhro de 1817.Manoel Joaquim
do llego e Albuquerquc, presidente. Manoel Caetano
Soares Carneiro MonUiro.Jos Camello do llego llar-
ros. Manoel Coel/10 Cintra. l)r. Joaquim de Aquino
Fonseca.Jos" Egidio Ferreira.llodolpho Joilo lia-
rata de Almeida.Gaudino Agostinho de Horros.
K para conslar mandn acamara publicar o pre-
sente.
Pacoda cmara municipal do llecife, em sessdo
ordinaria de 12 de ouluhro de 1847.
Manoel Cr.e'.ano Soares Carneiro MonUiro,
Pr.o-presidenle.
Joi'o Jos Ferreira de Aguiar,
Secretario. .
i/eclaracoes.
O arsenal de guerra compra quarenta arrobas
de plvora, 6 facas fia mongas e 200 vassouras de
timb: quein taes gneros quizer fornecer manda-
r sua proposta em carta fechada, c as amostras, a
directora do mesmo arsenal, al o dia 16 do corren-
te niez.
Arsenal de guerra, 13 do ouluhro de 1847.
Joo llicardo do Silva,
Amanuense.
Contrato a celebrarse com a ihesouraria das rendas
provinciaes, no corren te mez.
DIA 30.
O cstabelecimeiito de una linba de mnibus, que,
na formada lei provincial n. 191, de 30dcti.arr;o
ultimo, facilite o transporte desta ciliado para qual-
quer dos respectivos arrabaldes, c paraOliuda.
THEATKO PUBLICO.
SKXTA-l'KlllA, 15 DE OUTUBRO,
a beneficio da segunda dama, Francisca Thcodora
das Chagas, se representar o milito applaudido e a-
prcciavel drama
O DUQl DE BAYIKRA,
o qual ser decorado com todo o hrilhanlismo ,
tanto no funeral da duqueza como na transmutando
do seu mausulo para um elegante tbrono, otilado
de tropa e msica militar. Terminar o espeta-
culo com a muito graciosa larca Os dous Liborios,
ou a Camara-Optica em que o Sr. Santa Rosa
fai' a graciosa parle do Andr Paleta. A beneficia-
da nilo tem poupado despezas para o bom desem-
penho do drama quo com a cooperando do director
apresentar o mais brilhante que al boje se tem
visto nesle thealro.
Avisos martimos.
Para o Aracaty segu, at 30 do corrente, o
hiate Duvidoso ; quem quizer carregar, ou ir de pas-
sagem, dirija-se ao lado do Corno-Santo, loja de
massames, n. 25, ou ao mestre a bordo.
Para 0 Rio-dc-Janciio segu viagom, em breves
dias, o hiato nacional Nereida, forrado do cobre e
de primeira marcha, por ter o carregamento quasi
prompto : quom quizer carregar ou ir do passagem
dirija-so a ra da Cadeia do 'lecife, botica n. 61.
Para a Babia segu viagom, em poucos dias, o
Male Boa-f'iagem : quem 110 mesmo quizer carregar
ou ir de passagem, dirija-se a loja do ferragens jun-
to ao arco da ConceiQdo.
Para o Maranhdo segu, no dia 15 do corrente,
o palacho Santa-Crui: para o resto da carga e pas-
sageiros, trala-se ao lado do Corpo-Santo, loja de
massames, n. 25.
Paran Babia segu, em poucos dias, a* sumaca
Santo-Antonio-di-l'adua: para o reslo da carga o
passageiros, trata-se na ra do Vigario, n. 5.
Sabe com a maior brevidade para a Babia, por
teramaior parto de seu carregamento prompla, o
ja bom conhecido hiato Tentador, forrado e pregado
de cobre ; para o resto da carga e passageiros, Ira-
ta-sccom Silva* Grillo, na ra da Moda, n. 11.
L
rilo; S.
- Jo3o Keller & Companhia farfo IciISo, por in-
terven^flo do correlor Oliveira, de grande suri monto
de fazendas modernas, e proprias do mercado : sex-
la-fera, 15 do corrente, as 10 horas da manhfa, no
seu armazom, ra da Cruz.
Johnston Palor & C. farfo leilo, por inter-
venefo do corretor Oliveira, de grande sorlimento
do fazendas inglezas, todas proprias do mercado :
boje, 14 do correto, as 10 horas da manhSa, no seu
armazem, ra da Madre-do-Deos.
Avisos diversos
Carapuea a polka.
Manoel Joaquim Goncalvcs e Silva ra da Cruz ,
11. 43, faz semnie a seus devedores principalmen-
te aos que nilo silo desta pra^a que est resolvido
a embargar a passagem a todo aquello que tencio-
nar retirar-se, sem ter satisfeito o seu debito. E ad-
verlc lies que lera loda a vigilancia em quenenhum
Ihe escape, principalmente daquelles que,lendo-lho
pregado o calote, afreguezaram-se depois para
outra parte.
LOTfCRlA DOTHEATRO.
Contina a ser interrompido o andamento das
rodas desta lotera que nilo podo ser realisado no
dia 13 do corrente, pelo bem nouco adiantamento
que teve a venda do resto dos bilhetcs. Por esta ra-
Sflo he o mencionado andamento transferido para
odia 29 deste mez.
Prccisa-sc de urna ama secca, que seja de bons
coslumcs, para urna casa de pouca familia, e paga-
se bem. Dirigir-so ra do Rangel, n. 59, segundo
S3 ^
%% OSr. alferos Sera tem urna encommenda ^|J
O viuda do Rio, na loja da ra do Qucimado,
iNo dia 9 do corrente, desappareceu do esta-
Iciro do Sr. Joaquim urna canda aborta, de carga
de 500 lijlos, j com la boas no fundo e no paneiro.
Esta canoa eslava sobre ihius rolos, aonde linha su-
bido para a prcia-mar para so virar no dia seguiu-
tc, o i'i'iii'iirando-se neste dia nilo soachou. Sup-
l'Ae-se ter sido solta do proposito. D-se urna
gratificando de 5,000rs. a quem dclla souber e
mandar denunciar, na ra larga do Rozario, pa-
itara, 11. 18'.
Pergunta-sc ao Sr. Ignacio Carneiro Ledo, so
nilo Ihe doea consciencia para vir pagar o relogio
de ouro que comprou na ra estreita do Rozario ; e
caso n."ui venba pagar uestes 8 dias, se publicar
por extenso a maneira do negocio.
-- Piecisa-se de200,000 rs. a premio peln lempo
de um anuo, c d-so por garanta urna propriedade
livre o desembarazada : quem quizer dar annuncie.
Achou-so um pequeo alfinetode ouro : quem
for seu dono, dando ossignaes cerlos e pagando as
despezas do annuncio, Iho ser entregue, na ra do
Qiieimado, n. 14
Precisa-se alugar um preto que se subjeitc a
lodo o Irabalho : na ra do Santa-Rita, n. 85.
Aluga-se, at 17 de setembro do seguinlo auno
de 1848, a boa casa junto a ponte do Cacbang, per-
tencenle 1 viuva Mara Joaquina dos Sanios: lala-
so na ra da Cruz do llecife, n. 45, com Nascimeuto
& Amorim.
Caudino Agostinho de Barros faz sciente aos
seus devedores e as pessoas com quem tem transac-
efles, quo Jos Antonio de Bitancourt nilo lie mais
seu caixeiro de cobranzas.
Cumprc-me responderaoannunciantc de ter-
ca-feira, 12 do corrente, cujo podo as autoridades
policiaes do bairro de Fra-de-Portas, que botcm
suas vigilancias sobre uina casa 110 mesmo bairro,
onda diz elle que so pervertc a mocidade com jogos
de grosso dinbero, e outras maldades : rogo-lbe,
pois, milito humildemente, sonbor compadecido, que
deixe-se de andar incomiiiodaiido a polica com essa
sua allienadlOj pois, senbor meu, lilho familia com
grosso dinheiro'para jogar, e anda mais sondo a
mor parte dolles estudantes, na verdade s doudo.
Adeos, senbor vigilante lo alheio, al quaiido Smc.
fizer-mo a honra de espichar a sua respeitavel assig-
natura nesta mesilla folha: do contrario, serei sur-
do. Sou
O que figura de dono da mtsma cusa.
Miguel Goncalvcs llodrigues Franca, lilho legi-
timo do fallecido lenonlc-coronel Manoel Gonijnlves
llodrigues, faz sciente 10 respeitavel publico, quo
por ello ser cgo tem deliberado que lodos os seus
papis, qur pblicos, quer particulares, sejam assig-
nados por sua inulher; e se apparecer o nome do abai-
xo assignado em algum papel por outra firma, o
aiinunciante protesta a nullidado delle. Por meu
marido Miguel Goncalves Rodrigues Franca, Marta
Francisca de Luna Franca.
O abaixo assignado avisa aolllm. Sr, capitdo
Jeronyino de Albuquerquc Mello, senbor do onge-
nho Ramos, do termo de Po-d'Alho, que boje, 12
do corrente mez de outubro, apparcceu em sua casa
um cscravo por nome Luiz, quo diz ser do S. S. Esto
escravo diz andar procurando senbor quo o compre;
por isso Iho avisa o abaixo assignado, declarando
quo qiianlo antes venba ou mande buscar o dito cs-
cravo por pessoa competentemente habilitada, e
satisfazer as despezas, pois que o abaixo assignado
ndo se responsabilisa polo dito escravo, quo dove ser
procurado no Aterro-da-Boa-Vista, loja de miudezas
n. 54.
Thomaz Pereira de Mallos Eslima.
Precisa-sede 120,000 rs. com hypolheca em
um escravo canoeiro, para ser descontada essa quan-
lia nos servicosdo mesmo; pagando-se o premio
que se ajustar sobre a mesina quantia : na ra Ve-
Iba, sobrado n. 18, se dir quem precisa.
Na ra Velba, sobrado n. 18, existe urna carta
para a senbora Marcolliua Maria do Mello, moradora
oulr'ora na ra do Aljube da cidade de Olinda ; sen-
do a dila carta viuda do Rio-Grande-do-Sul, de um
seu iiman, Manuel Carneiro Machado Freir.
- Precisa-sede um feitor para un sitio-porto da
cidade, que seja solloiro, o que nfio seja moco: nes-
ta lypographia se dir quem precisa.
OI.IDADORN.219
estar a venda ao meio-dia. Contina a tratar da eloi-
Cflo de senadores Iraz um trecho importante do
discurso do senador Visconde de Olinda acerca des-
ta provincia, etc.
A ella que o calor
he grande !
Ainda est por se alugar urna casa grande na fren-
te do rioCapibaribo, no lugar da Capunga, com
muitosconiniodos para grande, familia, com estri-
barla, coebeira, casa para pretos, outra para aves do
penna. Por estes dias Mea prompta do pinturas o
outrosconcertosque precisava Trala-se na ra da
Madre-de-Deos, n. 36, no piimerro andar.
Aluga-se urna casa terrea com bons commo-
dos; que tem quntale cacimba ; he pintada e raja-
da de pouco tempo, c sita na travessa do Peixoto, n,
19: a tratar no becco do Sarapalel, sobrado n. 16.
GCF* Peranto o Sr. doulor juiz de orpbdos e au-
sentes va i a praca, no di quinta-feira, 14 do cor-
rente, por venda, o sitio da Capunga, com 50 palmos
de frente e 260 do fundos, com casa de vivenua e al-
guns arvorodos, por execuedo de Antonio Dias da
Silva Cardial contra o finado Antonio Mar!ins Vian-
na ; os prolendentes comparecam as 4 horas da lar-
de do mesmo dia, por ser a ultima praca.
Precisa-se de un fitor para sitio, o'quoon-
tenda de jardim do llores : quem estiver nestascir-
cumstancias, dirija-se ao sitio junio r.arellado
San-Jos do Manguinho, ou na ra da Cruz, casa,
11. 66.
Piecisa-se de um corneta do chaves para o !.?
hatalhdo de guardas nacionaes de Olinda : a pessoa
3ue se quizer propr ao dito fim, dirija-se a cidade
e.'Hinda, na ra de San-I'edro-Marlyr, a fallar
com Antonio Nunes de Mello.
|| CH \ PEOS DE SOL g|
Ruti do i*as&eio-Publico, n. 5.
Joilo Loubct participa ao respeitavel publico, que
receben, norestes ltimos navios franeczes, um com-
pleto sorlimento do chapeos de sol, de seda, amis
rica c superior qualidade; furta-cres o outras omi-
tas conhecidas, tanto para bomens, como para Sras.
e meninos. No mesmo estabolecimcnto ha um sorli-
mento de chapos de sol de paninho, dos mais mo-
dernos ; ditos muito grandes, proprios para homens
decampo : tambem lem chapeos de sol de paninho
para meninos o meninas, por serom muilo finos: po-
dem-se chamar chapos de economa. Na mOsma loja
ha sorlimento de bengalas, bongalinhas e chicotes
muito modernos; colire-se qualquer armagdo de cha-
pos de sol, com sedas do todas as cores e qualida-
des. Na niesinacasa ha um grande sortimento do
paniiinhos trancados e lisos, imitando seda, para
cobrir os mesmos: desta fazenda se vende arelalbo.
Concerta-so lodo qualquer chapeo de sol, por haver
um completo sorlimento de todos os pertences para
os mesmos, com loda a perfeiedo e brevidade.
Attencao.
Joaquim Antonio Carneiro & Companhia avisam
ao respeitavel publico e particularmente aos sous
freguezes; que, pelo ultimo navio chegado de llam-
burgo, receberam una grande porgdo de bichas das
mclhores quo ha, as quacs so alugam e se vendem
aos ceios c a rctalho, polo menor pre^o possivcl,
no seu anligo deposito, na ra da Cruz do Becife, n.
43. Dcclaram mais que, sendo preciso, a qualquer
hora da noite, applicar bichas ou sangras, os acha-
rdo promptos na mesma ra, n. 28, primeiro andar.
Ainda cstdo para se alugar os casas terreas do
ns. 25, 27, 29 e 31 sitas no bigardo Manguinho,
proprias para se passar o verflo, por seren muito
frescas, de bonscommodos, com quintaes mura-
dos porlo do embarque o urna dellas ten seu vi-
veiro do peixe dentro do quintal : a tratar com Ma-
noel PereiraTcixeira morador prximo aquelle lu-
gar.
D-sc azeite de carfapato de ven-
dagem a 1,120 rs. a caada : na ra
Direila venda n 72.
?
Aencao!
Na loja da ra do Qucimado ( n. 30, do Jos Joa-
quim de Novaes, contina a haver um sorlimento de
obras (citas ; chapeos de todas as qualidadc2 ; ditos
para meninos c meninas; ricos chales de seda;
manas de seda; longos de todas as qualidades; o
oulros niuilosobjcclos quo ha para vender.
Deseja-se fallar com o Sr. Joo Pi-
mente!, viudo da Ma de San-Miguel no
brigue Espirito-Santo: na rus Nova,
numero 35
Aluga-se o segundo andar do sobrado de tres
andares da ra da Senzalla n. 48, onde morou o fal-
lecido Antonio de Souza liis : na ra do Vigario,
ns. 5 ou 7.
Francisco Pinto da Costa Lima lem para ven-
der bons pannos pretos azul o verde ; bom setim
proto a 3,000 rs.; bons brins; bom vplludo preto ;
lindos cortes de colletos, a 3,200 rs. o corle; brun do
linho; hamburgo; algoddozinho branco entrancado;
linha da carretel branca e de meiada ; boloes pre-
tos de Pedro II; dilos do massa para fardas ; sar-
gelinas para forros; ganga amarella e mesclada ,
francezas ; fuslOes brancos c algumas obras leilas.
Precisa-sede urna ama de lete, forra, esem li-
lho, para acabar de criar urna enanca de seis me-
zes: na ra da Cadeia do Recife, loja de miudezas
n. 51.
Permuta-se a casa terrea n. 3, sita na ra do
Bom-Siiccesso, da cidade de Olinda, com duas salas
na frente, qualro quartos, cozinha dentro, toda
reedificada de novo, com um sitio soffrivel, chaos
proprios; por outra qualquer no bairro de Sanlo-
Anloniooii Boa-Vista; proferindo-seser uaSoledade:
na ra de San-Francisco, casa n. 24, ou na praca da
Boa-Vista, n. 6,
Arreudam-sc, pelo tempo da fesla, tres moradas
de casas na propriedade de Sanl'Auna, com sudici-
entes commodos para qualquer familia honesta, o
por prego coinmodo : quem as pretender, dirija-se
ao Forte-do-Mallos, a fallar com Jos Francisco
Bclm.
-- Precisa-se de dous Purtugoezes que saibam
trabaiharcm padaria ,para tomareru conta da fre-
guezia de vender pdo as Cinco-Pontas u. 30.



OSr. que em o Diario de segunda-feira prxi-
ma pausada avisnu a um Sr. Queiroz, estudanto de
preparatorios para certa restituido, tenha a hon-
dada de declarar se o dito annuncio onlonde-se
com Joaquim da Assumpgilo Queiroz.
lima mullier de bons costamos c de excellontc
conducta se ofTerecc para ama de casa do homem
soltciro ou de pouca familia a qual he muito di-
ligente csaeta no servico interno, o pensa que nfio
desagradaran os seus Jservigos e comportamenlo :
quein'do seu presumo se quizer utlispr, dirija-se a
na de Moras, n. 126.
Perdeu-sc um livrinho aone un
procurador de causas fazia os seus
ossentos das mestnas causas I', oga-se a
qualquer pcssoa que o (ver adiado o
f.ivor de mandar a ra Nova, n. 39 ,
ou annuitciar, que ser gratificado.
-- Anda ha para alugar 3 casas no sitio Cajueiro,
para se passar a fosta e uma meia agoa que servo
para cocheira na Boa-Vista : a tratar cm Francis-
co Ribeiro de Drito.
-*Precsa-se, na fazenda do C.inipapo da comarca
do Brejo-da-Madre-deDeos, de um sacerdoto para
capellilo, e para ensillaras primeiras lettias a uns
meninos, tendo todas as missas suhjcitasa capella-
nia exceptuando as duas do Natal etodos os mais
actos proprios de seu oflicio; dando-se-lho o sus-
tento diario roupa lavada e engommada casa pa-
ra morar, eum bom ordenado: por isso convida-
sen qualquer Sr. sacerdoto do conducta exeinplar,
que Iho agradar as con.dic.des_, para ir contratar
csso negocio com ojuiz de diroito da mesma co-
marca .na ruada Cadeia de S -Antonio n. 14, pri-
meiro andar.
i
m
'<
M
*
*
Vcndem-se lOcscravos, a saber: 4 escravas
muito morcas com algumas habilidades
queso dirflono comprador, eque vondem
na ra; uma dita de nagilo.que he boa cos-
tureira e engommadeira, marca, faz lava-
rintoo he boa cozinheira ; um bonito ca-
brinha de 16anuos ; um inolecote de 18 a
20annos, muito ha-bil o esperto ; um pe-
lo do 24 anuos, propiio para armazn) ;
dous pardos muito mogos, ptimos pa-
gens um dos quaes lu ollicio de alfaia-
te : todos estes escravos vendem-se por
precos commodos. Na ra do Vigario, n.
24, se dir quem vende.
&
>'.
'IK'V ^'W^ *& ^ *ar
- Perdeu-se, no lia 10 do correte noite, na
matriz de Santo-Antonio, por occasiilo. da chrisma,
uma carteira de nlgcbeira usada, Gimiendo 24,000 re.
em cdulas miudas, 23 lottras de 20,000 re. cada
uma, o 1 de 18 mil e lautos ris, sacadas por lia no-
el Fcrrcira Hamos, aceitas por Jos Pinto de Maga-
Ilulos o Jos Joaquim Lopes Moreira, e todas-pagas
por este ; uma dita de 100,000 rs., passnda por Jos
Pinto de Magalhiies a favor do inesnio Jos Joaquim
Lopes Moreira, j vencida ha mais de tres anuos; c
uma de 60,000 rs. aceita pelo padre Joaquim Jos do
llenezes a favor do mesmo Lopes Moreira, tamben)
vencida ha mais de tres annos, e mais papis que de
nada servem. Por isso, quem a achou, querendo res-
titui-la, o pode fazer na ra Diieita, n. 135. (cand-
se com os 24,00 rs. : oprevine-se ao publico para
nilo fazor negocio algum com ditas lettras, pois os
interessados estilo prevenidos.
Carlos Hard-y, ourives Vancez,
na ra Nova, n. 32,
acaba de receber de Paris um sorliment de obras
deouro de lei dos mais modernos adoreco ricos,
ilcitos a buril, com pulseiras, eouliossem pul-
seiras; garganlilhas para pescogo ; allinetes ; brin-
cos para senhora e menina; cacolctas; botOos de a-
bertura e aunis, c obres de ouro da trra. Na mes-
ma loja ha para vender tocas para menina o se-
nhora; ese fazem deeucommenda.
-- Roubaram, do primeii'O an-
dar da caa do abaix : assignado,
na ra Nova, n. 5, na noite de
sabbado para amaiiheccr no
dia de domingo, os objeclos Se-
guimos : una casaca do panno azul nova com bo-
loes amarellos egola do chamalolo ; dous lencos de
seda nos bolgos da mesma ; um par do calcas de
panno preto com suspensorios ; um par do ditas de
casimira de listras ; um collete de gorgurilo lavra-
do cor de lirio ; 2 camisas com os seus competen-
tes botOes deouro; um chapeo do Chli, lino, c
mais alguma roupa que anda se nilo pode saber da
poreo; urna caixa com differentes obras do ouro,
j antigs e aliebrados; um tranceln) novo; nina
correte nova para relogto bastante grossa ; 2 bo-
tos do abertura de camisa presos em uma oorren-
tinha com da mente ; um dito de dito ; urna cartei-
ra com 332,000 rs. o alguns papis do importan-
cia ; duas caixinhas com dous retratos etc. Os ro-
badores desles objectos cnlraram-pela varanda da
lente, porescada ou vara trepadeira. Quem 08-
lcaobjectoa|appioliender, ou delles der noticia sera
compousado generosamente ceilo que nao ha de
ser comprometido. JoSo da Silva llraga
- A mesa regedora do glorioso patriarcha San
Jos de lliba-mar desta rulado do Itecifo participa a
lodos os rmfios charissimos c em particular -
quelles que leen) oceupado cargo na mesma ir-
mandade, que tem de se convocar a beneficio da
mesma uma mesa geral no dia domingo, 17 do
corrente mez, pelas 9 horas do dia, no consisto-
rio da mesma innndade. V, para que nilo haja igno-
rancia para o futuro, faz-so o presente annuncio.
Jos Francisco Cabial,
Escrivlo da irmandado.
- Na ruado Rai.gel, 36 primeiro' andar, pre-l
cisa-se de uma ama de leite, forra, ou captiva, para
acabar do criar um menino de 6 mezes.
- Furtaram, ao amanhecer do da 12, na ra da
Senzalla-Velha, do primeiro andar da casa do Snr.
Jos Antonio Bastos, 55,000 rs. em notas e una
leltra de 200,000 rs., aceita no da II do corrente
pelo Sr. Leonardo Rufino de Freitas, a favor de Pe-
dro Nicolao Villa, vencivel no dia 19 desle. Prevno-
se, pulanlo, ao publico, quo pcssoa alguma faga
negocio com a dita letlra ; pois nao ser paga, por
j se adiar prevenido o aceitante.
Aluga-se o armazem da praa da Ponte-Velh
junto a fabrica do fallecido Corvazio, proprio pi""
deposito de madeiras, ou carviio do podra : a tratar
na Boa-Vista, ra da Matriz n. 33.
Procisa-so do um Portugucz de 14 a 16 aun os
de idado paracaixeiro do un engolillo seis lego as
distante da prega; o boro assim de um feitor para O
mesmo : a fallar na ra do Vigario, n. 22.
A. ROBBIO RABKQU1STA ,
dar o seu ultimo concert no
Francisco, na noite de
'lo corrente e avisa ao
hotel
terca-feira ,19
rcspeitavel pu-
blico, que liaverao dous salocs no mesmo
hotel para nos intervallos poderem os
espectadores estar mais a seu com-
modo.
Os bilhetes vcndem-se na casa do be-
neficiado, ra do Torres, n, 8, segundo
andar e na roite do concert no mes-
mo hotel. Entrada geral 3,'000 rs.
Alugam-se as duas moradas de casas, sitasen)
Sant'Anna de" dentro, juntas 11 exlincta ciigenhoca
da mesma, com muito suflcientes commodos para
passar a festa : quem as pretender dirija-se a boti-
ca de Jofio Moreira Marques, n. II.
Precisa-sede trabalhadores do cnxada para un
silio perlo da praga : na ra do Collego, 11. 15,
prmoro andar.
ldward Fenlon, nfio podendo, pela brevidade
do sua sabida para Lisboa despedir-se do todas as
pessoas de sua amizade, o faz pelo presente ofie-
rcccndo-lheso seu prest uno naquclla cidade.
Est para alugar-seo segundo andar do sobrado
n. 1 da roa do Burgos : a tratar no armazem 11. 5,
da travessa do Arsenal-de-Cuerra.
Prncisa-se alugar um preto diligente : na fa-
brica de licores da travessa da Concordia.
Quem precisar de um rapaz brasileo para fei-
tor dc-algum sitio ou mesmo para alguma paita-
ra o qual be hbil em qualquer dcslas cousas o
d conlieciinento ile sua conducta, annuncio.
--A viuva do fallecido Manuel Jos de Bastos Sou-
tello avisa aos credores da venda sila na ra da
Praia, liajam de apresentar suas cuntas, no prazo de
3 das.
Desapparcceu no da 6 do corrente do por-
to de Luiz Comes Ferrcra no Mondego uma ca-
noa aberla, bastante grande, c que faz umita agn:
quem a tver adiado ou dctla der noticia dirija-
se no annunciante que gralilicar.
J. I) Wolhopd & Companbia fazem scienleao
rcspeitavel publico queleem desonerado do cargo
de seu procurador bastante ao Sr. Manocl Pereira
Maga I lulos ; e que por sso desd" ja licara sem nc-
iiliuin cffeito a procuragio quo Iho passaram, para
tratar de suas demandas. ,
Offerece-seum liomem para administrador de
cngenlio sitio, ou olara o qual tem pratica de
qualquer desle servicos e, alm disto, da fia-
dor, nesUi praca, de sua conducta: a tratar na ra
da S.-Cruz, 11. 42.
Perdeu-se, no dia 12 do corrento as elc ho-
ras da noite, da ra Nova at o Mnnguinho, 3 lencos
de cambraia delinho bordados para nio, cmbrii-
I hados em um papel : quem reslitu-los, dirija-son ruado Queimado, loja n.-4,
quo ser gratificado.
Roga-se aos Srs. administradores da casa do li-
nado Joaquim Antonio Ferreirn de Vasconcellos, ha-
jain de por em praga os heos do mesmo finado, para
pagamento dos credores; visto lerein decorrido mais
de 5 annos, alm do prazo que foi de 3 e 6 mezes, e
nfio convir aos credores mais demoras, que de
cerlo sao sempre projudiciaes. Um dos credores
Quem precisar de 300,000 rs. a juros, dando
por seguranea urna escrava rcqlhida", para estar
em companbia de urna senhora, nnnuuce.
Dentista.
M. S. Mawson, dentista bem conhecdo nesta pro-
vincia, tendo agora chegudo da Europa, e leudo vi-
sitado ascapilaes de Londres e l'aris, dondo trouxe
os melhorcs objectos da sua prolssilo que at hoje
se conhecom, como novoa instrumentos, denles e
mais necessarios para qualquer. operacio da sua ar-
te od'ereco seus servicos aus Ilustres habitantes
desta cidade, conforme a sua tabella (xa, e promet-
i fazer todos os estoicos para agradar s senhoras,
ou senhores, que o quizerem procurar, das 9 lunas
da mauliaa ate 3 da tarde na ra do Trapiche-No-
vo do Rccife, n. 8, s gundo andar.
O abaixo assignado faz sciete ao rcspeitavel
publico, que pelo.brigue americano Olinda, vindo
de Boston, entrado ueste porto em 22 do pretrito
mez do setembro. ha rocebido novo provmento de
pitillas vegelaes do Di". Brandrctli. listas piulas, cu-
jo autor basta para garantir sua exccllcncia, tor-
nam-sc muito rccoinincndaveis por ser um medica-
mento inleiramenle inollensvo, podendo applicar-
seats mangas recem-nascidas ; ltimamente se
toen) applicado a uma inlinidadc de molestias jul-
gadas ucuraveis, decuja npplicagio se tem tirado
Ido felizes resultados que parece cada vez mais re-
sulvido o problema de um remedio universal. Ao
annunciante calida gloria de asseverar ao publico,
que as ditas ululas silo as nicas vordadeiras que
existen) nesta praga, as quaes se veudcni em sua
botica, na ra da Cadoia-Velha, 11. 61.
Vicente Jos/: de Unto.
Furtaram na noilododia 9 do correte, no
lugar dos liulhOes trescavallos, sendo um cardan,
com tres ps brancos ; um pelo ferrado na pa di-
rcita ; um dito alazo-caboclo j velho ; outro di-
to ruco ,'com lodos os quatro ps brancos. Roga se
a qualquer pessoa que os aprehender baja de ontre-
ga-los nas Cinco-l'ontas, n. 21, queso pagarilo to-
das as despezas.
0 TRIBUNO N. 28
est a venda na pregada Independencia, ns. 6c8,
as 3 horas da larde. Contina aconta e historia do
n. antecedente, e esta mais interessante inda que
ellrr. Concorrain, aflimein saim com a procura a re-
bacgilo, e o Tribuno satisfar a optniao publica.
Para f:a da provincia compram-se alguns es-
cravos peritos nosodicios de pedreiro e do carpi-
ra, sendo vistosos e mogos, os quaes, agradando o
ajuslando-se, paga in-so bem : na ra da Gadcia,
n. 45.
Vendas.
Loteria do I? io-de-Janeiro.
Aos 20:000^000 de ris.
Na ra da Cadeia do Recife, loja do cambio do
Sr. Vieira 11. 24 estilo a venda bilhetes o mios
ditos da lerceira lotera 11 beneficio da fabrica de
papel de Zeferino Ferrez. A clles antes que oh'oguo
o vapor. Estes bilhetes vito rubricados por Vieira da
Silva.
O Segundo o torceiro anno do Itamalhete jornal
de instrucgfo e'recroio com linUas estampas :
bem como uma grandoquantidadedo diversas
obras : tudo muito em conta. Vendo-se na ruado
Agoas-Verdes 11.48, primeiro andar.
Vendem-se queijos do serto muilo frescaes ,
obra superior : na loja do loug.i atrs do Corpo-
Sanlo, n. (H.
Veiule-se um sitio perlo desta prega, com ca-
sa para familia, arvoredos de todas as qualidades,
B boa agoa de beber : quem pretender di rija-sea
ribeira da Boa-Vista, n. 23. que se dir quem o
vende.
ihiraveis nava-
llias de acoda China
quo teero>a vantagem de cortar o cabello sem oiTeli-
sa da pello, deixniiilo a cara parecendo estar na
sua brilhanle mocidado.
lisie ag.o vcni exclusivamente da China, e s nel-
lo tiaballinni dous dos melhores e mnis abalisados
cutileilos da nunca excedida e rica cidade de Pe-
kn), capital do imperio China. Au'orShan.
N. II. Me reconhecido o uso destas navalhas
maravilliosas por todas as sociodades das scion-
cias inedico-cirurgjcns, tanto da Europa como da
America Azia e frica, nao s para prevenir as mo-
lestias das cutis mas taiiibeiu como um nicio cos-
mtico.
Vendem-se as verdadeiras s na ra larga do it o-
znrio, n. 21.
1
Vende-sc, na ra eslreita do Rozario jun-
lo a greja. casa terrea 11. 7, da freguezia H
de S.-Antonio desta cidade do Recife a mui-
to acreditada, na Europa o verdadeira agoa |
imperial de Mr. Cnriot, ex-cirurgio dentista M
dorei da llespanha a i|iial he una das 1110- jis
lliores preparages que so conhecom para o ;-.
tralaineiito dn hueca c nsseio dos denles ,
dando-Ules belleza conservando o esmalte | .
lando consistencia nsgengivas, dcixaudo na 1
locca um alito agradavel, e tendo a propric- '
r dade de prevenir 11 dor quo delles provm.
.' Pelo uso que se lizer desla agoa ver-se-ha i
que ella tem a vantagem do se empregarom
lugar dos pos morinente qunndo se acliam ih
denles cariados, que a escova nilo os podo po- !
gar qiiaiidoseeucoiilramgengivas de uma sen- S
sibilidade extraordinaria, como militas vezes I
se tem observado.
Cada Irasco va i acompanhado de um ini- |
presso que ensina o mclhodo de applcar,
-I Vende-se cada frasco por 1,280 rs. A ella ,
I untes que se acabe.
3
i:
1
i
fe
t:
B
t;
I

.
Co<*i|>ras.
-- Compra-se um preto embora nfo seja mogo ,
porm quo seja sadio e que sirva para o servigo de
campo e vender fructas na ra da Cadeia de S.-An-
tonio serrara n. 13.
Compra-se um cavallo para carro, sendo gor-
do possante e de bonita Figura embora nflo tenha
bons andares ; na ra do Pires n. 26.
Xa I ja nova da ra do Qtiei-
mario, 11. II A, dcllaymtm-
do Carlos S eite ,
acaba de chegar um ptimo sortimento de pannos
linos de todas as coros e qualidades, aom especial!-
dade o preto; a melhor casimira preta e elstica;
ditas de listras de cores ; alpaca preta lina, a 800 rs.
o covado; ricos longos de selim 0 gorgurilo preto;
ditos de vareja de cores ; o verdadeiro velludo lies-
panhol de quatro pellos, a 4,400 rs.; chamelote;
os nota veis chapeos francezes, nSo s porsoremos
mais modernos como por seren os mais linos que
ha: ludo por precos baratissinios.
Vendem-se escravos baratos, na ra das
Larangciras, n. H, segundo andar: 1
lindo pardo de 22 anuos, sem vicios
neni achaques de boa conducta e que
he ptimo para pagem ; um dito com
oflicio de sapatoiro, esto troca-se por una preta
moga ; um inolecote de 18anuos, com oflicio de al-
faate; dous moleeotes de 18 anuos, bous para o
Iralmlho de campo; um preto de 25 anuos, por
450,000 rs. ; um dito do 36 anuos muito forte o
que he canoeiro, por 400,000 rs. ; um dito, por
250,000 rs. ; urna parda de cor escura, bastante
corpulenta, de 22 anuos, com nlgumas habilida-
des esta escrava vende-se muito em conta per ter
um pequeodefcilo; uma mulnlinha de 12annos;
urna negrinha de 13 annos que cose, cngpnima ,
cozinhae serve bem a urna mesa; uma negrota de
de 20 anuos que cose e coziuha o diario de urna
casa ; uma (lila de nagiio de ptima conducta, por
12,000 rs.; e mais alguns escravos.
V1NHO DE BOUDEAUX.
Avrial Irmlos receberam novamente uma peque-
a qiiantidade de vjnbode Bordenux, em quartolas,
como aquello que clles estilo acoslumados a receber,
sempre da mllior qUalidade que aqu tem viudo :
por isso avisan) aos seus fregnezes de irem ou miin-
diircni comprar osla p-quena porgo, afim de imme-
diaiamentc umndarem buscar outra para nilo lica-
SALSA-PARRILIIA DESANDA
Este icoljenle remedio cura todas as onftrmi-
dn.les as quaes ffooriginada pela IIBP"r^'r*>||""
guo ou do systema, .1 saber: escrfulas, rT)e.uma
tisnio, arupoflescutneas, brebuthas na MJV"?
morrhoides, doengna chronicas, brebulhas, nonow
ja, tinha, inahagoe*, dores nos ososcJunUWi
car, doencasvenreas citica enfermi-ladr. n 1..
ataca:,, pilo grande uso do mereurio ImlropeMa,
expostos a urna vida extravagante. Assim como ,
chronicas desordena da conslituicSo, serao curi-
"as por esta tilo til 0 approvada medicinn.
A administradlo deste bello remedio, nos ata-
ques mais extraordinarios, tem 'sido sempre segui-
dos polos mais felizes resultados nas suas opera
roes porm, usen principal objecto he de puriu-
car osangue,e llmpar o systema de qualquer in-
lluoneia de mercurio. No son modus operandt, lio ui-
lectameiite como 11111 remedio alterativo, anida quo
indirectamente serv.ao systema como um verda-
deiro tnico. Doengas nos'ossos e no systema gran-
dular; assim como uas juntas e ligamentos sao
inleiramenle curadas pelo USO deste remedio, sem
que o (lenle faga resguardo algum. quando usar
desle remedio. A operacSo desle remedio consis-
te en remover a desoideu, do syslemn o om bre-
ve lempo o docnle ganhara n sua saude
A salsa-parrillia tem gnnliado por niuitos anuos
urna alta reputagSo de lr curado doengas mu dif-
icultosas que nenliuin outro artigo de valor em
materia medica tem curado, lie de saber que a sal-
sa-parrilba lie unidos mais valuareis remedios que
os doutoros usam om toda a parle do mundo com
vistas de ganharem a cure pelo uso do tal remedio
vegetal Porm deve-se de notar que nem todas
as pessoasSabem preparar este remedio assim co-
mo cscolberem a melhor parle que se devo usar em
tal prepareco. Dm celebre medico crlptor, quo
residi por mu i tus anuos no lugar aonde ha a me-
hor produeclo da aalsa-parrilha, disse : Seis ou
oito especies destas raizes quecresoem nestes bos-
ques, admira-mo que nq podesse achar enno
urna com o gostoe propriedade da verdadeira aal-
sa-parrilha que se pOSSB reconiniemlar para a 1110-
dicina ; pois as mais eram insipidase inertes. Po-
rm, como 08 mdicos uo se dSo ao Irab.ilho da
l'a/.erem assuas proprias medicinas, mas sim con-
.iam nos seus habis boticarios, para a prepararen),
e compore 11 dilferenles drogas. Porom do todas as
preparages do salsa-parrilha devia do ser da genui-
na para que o facultativo e o publico llcassem boin
liados nas pre[iaragoes de Jalsa-parrilha a ser da
melhor qualidade. Pois he este o gemuno vegesla-
vel que se olTerece ao publico; ueste se vom combi-
nados o utilecum dulce ; pois em infinitos casos cin
uue o doeiile esperaiigas alguir.as tinha de viver ,
c gandes quantidades de remedios experiuienta-
ilos mas sem resultados de melboras ; mas com
cala pura salsa-parrilha suas curas tem sido 111-
lalliveis; poisos certificados que temos recebido
Ja pessoas que leen) usado desle puro remedio al-
lirmam do sua-boa elUcacia; estes-certiflcados temos
a honra de apresentar ao rcspeitavel publico para
qiieliqnem cortos, o que cima se diz he verda-
deiro.
O proprielerio deste remedio tem por mullos an-
uos empregado lodos os moios para preparar esto
tao til e essenciai remedio da ra/ da salsa-parri-
lha, que por lili) conseguirn! as suas vistas, em
prepararen) um to valioso remedio o seus trio lin-
dos resultados tem encliido os pioprielaiios de glo-
ria o triuinplio de lerein preparado urna nula com-
posigo contra doengas que o seu lim he destruir o
corpo humano, ^ta composiefio be cliimica e nova.
Esta salsa-parrilha lie combinada com oulros in-
gredientes que todos ollas pertoncem a classe vege-
tavel e lodos com o poder de purificaren) o sangue.
O dooiilu que usar esta composigao pode contar
que tem o mais ellicaz remedio para a sua enfer-
inidado
Preparada e vendida por junto o a retalho as-
Sim como se exporta por A. B. V I). Sands chinii-
COS c droguistas eai New-Vork n. 100, Flll)l0i)
Street, esquina de Williani.
Vende-se na ra da Cadeia-Velha botica n. 1h,
de Vicente Jos de Brilo.
IIPER11L
DE rXpe fino
FABRICi
NACIONAL
. ./*..-"
rem privados, como tem acontecido, desle precioso
viuho, a queja estilo costuinados, e que na verdade
he o mais proprio para esto paiz.
Na cocheira do paleo da Matriz de Santo-An-
tonio vendem-se difTerentes parelhas do cavallo pa-
ra carro, bons e por prego commodo; c igualmen-
te difforentes carros maiorese menores.
Vendo-s um bergo em muito bom estado
e por prego commodo j no Aterro-da-Roa-Visla ,
n. 49.
Vendmn-se duas carrogas com dous bois man-
sos :na Trompe, n. 1.
Os agentes do rape Andarahy nesta praga, vendo a
ocoitagilo e bom acolhimento que tem merecido os-
le rape desdo que foi exposto a venda promet-
tem ter sempre rap Uoeo em librase meiaslibras ,
nodepositoda ra do Trapiche, n. 34, onde so ven-
de de." libias para cima o a retalho nas lojas dos
Srs. Antonio Francisco do Muraos A. F.lMira lr-
milo, A. B. Vazde Carvalbo, Pontea d Mello. CU-
nha&Amorim, Pontea & Sampaio, na ra da Ca-
deia do Recife; A. I), de O. Reg, na ruada lladre-
do-Oeos; Campos4 Almeida, o Costa k i.uinia-
riles, na ra do Queimado ; T. A. Fonseoa e iimoe-
liun Maximino de Carvalbo na ra do Lauga ;
c. G. liivskeinfeld. na nacida Independencia: <-ae-
tano L. Ferreira o Antonio Pereira la Costa e i.ama,
no Alerro-da-Boa-Visla.
\a ruada Cruz do
Recife, 11. $8*
vende-se 0 muito superior o estimado rap ineio-
grosso egrosso da fabrica de Estovan .asse, ciega-
do do Rio-de-Janeiro no brigue-CScna dalante-
Maria, entrado o mez prximo passgdC: seu prego
he de 1,280 rs. de cinco libras para cima.
Kcas sed s brancas
e de cores, para vestidos de senhora ; I,ivas de pel-
lica,'curtas e compridns enleitadas ; muito bons
bieos de blondo; meias de seda para homem, sn-
nhora o meninas ; mantas- e chales de seda, do mui-
to bom gosto; chapeos de patita para senhora; fitas
de seda bordadas ; bor/.eguins para senhora ; sapa-
tos de todas as qualidades ; e oulras mudas fazen-
dasque seveiulem poi coinniodo prego i na ra do
Cabuga, loja do Manuel Pinhei-.i de Mondonga.
Vende-se espirito de vubo muito bom ; agoa-
ardeulc do reino, aniz, genebra o licores; tudo
pelos precos por que nas fabricas se vende : na pra-
ga da Boa-Vista venda em liento do oitio da ma-
triz.


I
e,
,'
!
A
Vende-sc una parda clara, de 25 a 30 annos ,
buo cose, lava e faz bicos de lodas as qualidades ,
e o niais servico de uma casa ; um cabrinLi de 12
annos muilo bonito e diligente : os quaes vendem-
se por terem viudo do sertrio para um pagamento:
na na dos Tanoeiros arniazem n. 5, ou na ra do
Trapiche-Novo, n. 36, segundo c terceiro.-. andares.
|Vendcm-sc 8cscravos sendo : 3 pardas de 18
a 25 annos com habilidades: um molcque de 4 an-
nos, cozinheiro ; um preto de 22 annos bom car-
reiro.e de bonita figura ; 3 pretas com labilida-
des; um pardo do mcia idade por 250,000 rs. de
muitoboa conducta : no paleo da matriz de S.-An-
tonio, sobrado n. 4.
Vendem-so pegas de chitas escuras e de co-
res hxas, proprias para o servido de casa, por se-
ren muitocncorpadase fortes, a 5,50it rs. e a rc-
talhoa moia pataca : na ruu estreita do llozario,
n. 10, terceiroandar.
Manoelda Silva Sanios ven-
de superior farinha de trigo de
Kichmond em bai ricas e meias
ditas.
.Vende-sc cera de carnauba muito boa, tanto a
retamo, como em porches : na ra das l.arangeiras
n. 14, segundo andar.
-- Vende-so uma parda de 18a 20 anuos, de figu-
ra elegante que cose, marca engomma e cozinha
be in, seni vicios ncm achaques, e que d-se acon-
tento para mclhor se vercm as habilidades ; 1 molc-
que de 12 a 14 annos, que enteiulc de castalia: no
l'Ulco da matriz de S.-Antonio sobrado n. 4.
Na nova loja da ra da Ca-
uda do Kecife n. 52, de
( andino Salvador l'erei-
ra II raga,
vendem-se verdadelras gangas azuos da Indi, mui-
to encorpadas proprias para calcas, jaquetas o
snuis de pretas a 1,000 rs. a peca de 14 covados..
JVa nova loja do Passeio Vu-
to de pannos finos de todas as cores, por prego mais
commodo do quocm outra qualquer parte; casimi-
ras e brins muito modernos ; um esplendido sorli-
mento de chitas finas, a 120, 140, 160, 200 e 240; cor-
tes de chitas muito finas e do seguras tintas, com 14
covados, a 3,500 rs.; :s pretos de muito bobitus la-
voures, a 2,400 rs. ; 8 emlim contina a chegar to-
dos os dias novo surt ment de fazendas de gostos
modernos por precos rasoaveis. As amostras cs-
larlo Trancas aos freguo/.es.
~ Vendom-se sellins inglezos do patente elsti-
cos, alcochoados e lisos, os melhores que- ha no
mercado e recem-chegados-; cabecadas redigas ; es-
tribos de metal-principe ; litas para silbas ; carnei-
ras brancas: na ra da Cruz n. 2, casa le Geo :
Kcnworlhy & Companhia.
-- Vende-se una parda de 20 annos, de figura ,
c ptima para mucama quo engomma, cose chao,
lava de sabfio, coztaha alguma cousa c faz renda: no
Aterro-da-Boa-Vista, sobrado n. 5.
I'ara cuinprimento das riisposiges testamen-
taria do finadp conego Francisco Antonio pinto,
vendo-sc uma terga parte da casa de um andar, n.
?, sita na ra da Caricia do bairro de S.-Antonio
desta cidade do Itccifc : a tratar com Manuel Perc-
ra Te i xe ira.
Vendem-se 12 cadeiras de Jacaranda com al-
gum uso por prego em conta por sen dono pre-
cisar de dinbeiro : na ruti larga do llozario n. 46,
primeiro andar.
Vcikcm-.se aceites ta exlinctn
eiid cm-se accocs
pjnliiii ilc I' i iimibuco e
cscrinlorio' de Olive-ira
ra da
ponina, na
Cruz, i
coni-
Fa rali iba : no
huaos & Com-
o Uccife, n. 9
fiqueirode sobro mesa com? garfas, 12 facas, 12l.se vende banha em rama ea prazo sendo freeue-
colheres parach, 1 de a-mi ar, tudodo rriesmo zia; em Fra-de-Portas, ra do Pillar, n. 145
fjiqueiro, 12 colheres para s3,.h ; tudo de prata con-
(rastada novo e de molhor gosto : na ra Velha n.
55, se dir quem vende.
Vondc-sn urna venda com poucos fundos, sita
na ra da Cruz, no Itecifc, n. 32, quefoi de Domin-
gos Alves da Costa Rodrigues, que a entrcgoua seus
credores a tratar com Lima Jnior* Companhia,
na mesma ra ra, n. 28, segundo andar ou no
caes da Alian,lega.
Vendem-se msicas as mais modernas, para
diversos instrumentos e cantona do celebro autor
C. Verdi: na ra da Cruz, no Recife n. 18 segun-
do andar, do manlifla a'. as 9 horas, e das 3 da tar-
de em diantc.
Vende-se, para fra da provincia, um mole-
quede 18 a 20 annos, de bonita figura, e que he
oflicial do marceneifo : na ra do Queimado, n. 10,
terceiro andar.
No fim da ra da Aurora, n. 4, vendem-se ro-
detes, tambores e aguilhes anligos, por prego
commodo ; bem como um crioulo de24 annos, bom
carreiroo vaqueiro.
Loja do nicho.
Na esquinudo l.ivramento, loja do nicho, ven-
dem-se cortes de cajssa de cores lisas a 1,600 rs.
Vcndc-sc merino verde, de muito boa qualids-
do proprio para vistido d montara, a 1,600 rs.
ocovado ; meias para meninos e meninas, a 120e
160 rs. o par na ra do Queimado, n. 97.
Vende-se um nioleque de nagao, de 18 a 20
annos, de muito bonita figura ; sabe cozinhar, ho
proprio para qualquer servico, por ser corpulento e
multo forgoso : na ra da Madre-de-Deos, n. 9.
}S Vende-so um cavallo em boas carnes que
^ anda baixo al meio muito bem, e be de bo-
s^ nila cor, por prego commodo : na ra das
Larangeiras, n. 14, segundo andar.
A S^OOO rs-
Mico, n 17,
ha um grande sortimenlo de cainbraia de corea para
vestidos rio senhora, leudo cada corle 6 i a 7 varas,
de muito lindos padroes pelo barato proco de 2,560
e 2,800 rs. o corte; ditos os mais moderaos que leein
apparccido, con. barra, a 5,000 rs.; ditos adamas-
cados com llores do cores, a 5,000 rs. ; ditos mili-
to largos e linos a 280 e 320 rs. o covado ; miiisu-
linas de cores para vestidos, que (lngom seda, a
200 rs. o covado ; balccmiras de muito lindos gos-
tos a 200 rs. o covado ; chapos do sol, de seda ,
para homem fa/enda muito superior a 6,000 rs. ;
Hitos de massa frauceza os mais modernos, che-
gados pelo ultimo navio a 7,000 rs.
( hapeos de m)I de seda, para
homem, a 0,^400 rs.
Vcndem-se 'na loja n. 4, de Ricardo J. de F. Ri-
beiro ao p do arco do S.-Antonio chapeos de sol,
do seda, muito superiores para homem, a 6,400 rs. :
bem como longos arrendados de cainbraia
nhora a palaca cada um.
para se-
Sorvete, a 200 rs.
No paleo da S.-Cruz n. 6 com lorio asseio e
perleigilo que he possivcl, das 6 horas da tarde em
diantc.
Biquissimas mantas de seda ,
a 8#000 rs.
Vcndem-se na nova loja n. 4, da ra do Crespo, ao
pido arco de S.-Antonio.
Champan ha de superior qua-
Iidade ,
vende-so na ra da Cruz, n. 38, arinazem de
Scliafheitlin& Tobler.
Vendem-se pegas de panno de linlio do Porto,
de >oa qualiriade e por prego commodo: na ra da
1.adeiu do Recife, loja de miudezas n. 51.
DEPOSITO DE CA
Na ra do 'mpidic ,
VIRGEN.
lia
n. i
i
sem-
niui-
pic cal virgein de Lisboa, cm barra pe-
genos, e ltimamente ebegada ,
lo superior e por preco rosoavel.
SSSF.
Vcndem-se meias barricas de farinha dcSSSFde
raminho : no caes da Alfandega arniazem n. 1, do
Guimartes.
Vendem-se caixas de cha hysson, de 13 libras,
cm porgOes ou a retalho ; caixas de velas de es-
permacete de 5 e 6 em libra : na ra da Alfandcga-
Velha n. 36, em casa de Ma theus Austin & C.
ACENCIA lA FL'NDACAO' DE I.OW-MOOR.
Na ra da Senzalla-Nova n. 42, contina a havtr
um completo sortinicnto de moendas e machinas de
vapor para engenhos de assucar : bem como tai-
xas de ferro batido e coado de lodos os tamaitos:
ludo por prego commodo.
Venriem-sc pegas de madapulflo limpo, com
20 varas, a 2,40o rs. e a sele vintens a retalho :
Da ra estrella do llozario, n. 10, .terceiro andar.
O BAJiATEIKO
na nova loja da ra do Cres-
po, io pe do arco de S.-An-
loiio n.4, de Ricardo Jos
de fretas Kibcuo.
A esta roja ha chegado um riquissimo sortimenlo
de cambraias de cores de muito ricas cores fixas e
ai 8,560 c 3,000 rs.; chapeos de
mo gosto a 7,000 rs. ca-
a loja nova da ra do Quei-
mado, n. II A, de Itaymun-
ha um novo sortimenlo rio fazendas finase baratas ;
bem como uns lindos corles de chitas fraifcezas,
finas ornadas com lindas barras a 5,000 rs. sen-
do esle 0 ultimo gosto de Pariz.
AO DOM E BARATO.
Nos q o a tro canlos da ra do
Queimado, n. !0, loja de
Francisco Jos eixeira Bas-
tos vcitdcm-se
cortes de cambraia de cores, com ulgum mofo, a
2,400 rs.; cassas brancas de quadros rxos pro-
prias para vestidos a 240 rs. o covado ; lindeza de
bonitas coros, a 160 rs. o covado; cortes de cam-
braiasadamascadas, a 4,500 rs. ; chitas finas, de
cores (xas c modernas, a 200, 240, 280 c 320 rs. o
covado ; meias brancas para senhora u 200, 320 ,
00 e 480 rs. o par ; fusles brnncos e de cores pa-
ra collctes a 800 rs. o covado ; dito de quadros ,
prio pata jaquela a 480 rs. ; reti preto superior ,
a 3,600 rs. 0 covado ; brint pardo Irnngado do puro
linho a 480 rs. o covado; dito de quadros lisos,
proptio para jaquela a 400 rs. ; castores para cal-
gas de superior qualiriade a 280 o 320 rs. o cova-
do ; brim da Russia, largo, a 560 rs. a vara ; meri-
no preto a 1,600 rs. o covado; algoriilo america-
no, de lislras n 160 rs. o covado ; cassa branca de
quadros, a 3,000 rs. a pega ; algodflo da Ierra, lar-
go c de superior qualiriade a 240 rs. a vara ; cha-
les de pura ISa e seda a melbor fazenda possivel a
5,000 rs. ; al:n des-tas, ouli as militas fazendas de
bom goslo por prego commodo.
--Vendem-se3 parles de uma casa terrea, cm
cbios proprios na cidado de Olinria, ra de Sla-
thias-Ferreira a fallar com Manocl Jos Slairiz ,
morador em Mara-Simplicia.
Vendcm-sc, na ra da Cruz, n. 26, os segua-
les esetiivos : urna parda de 20annos, que cose e en-
gomma ; duas bonitas negrinhas de 12 annos; um
pelo ; um molcque de 12 annos ; um mulatinho
de 14 annos ; um dito de 8 annos proprios para
aprenderem qualquer ollicio; sola ; couros miudos;
bezerros; cera de carnauba ; sebo ; esteiras ; cha-
peos de palha; penfias de ema; uma porgflo de sac-
eos vasios.
Vende-se uma barretina bnrrtllo, talim, ca-
nana e tima farda ; ludo proprio para guarda nacio-
nal, por preto ommouo ; na ra Nova, n. 35, se di-
r quem vende.
Vende-so um sobrado de um andar no largo
da Boa-Vista : a tratar no Aterro do mesmo lugar ,
primeira loja de loga.
Ausentou-se, ha das, da casa de seu senhor, o
escravo Jo3o pardo trigueiro ,- de 15 a 17 annos
cara grande, qIIios regulares, bons (lentes; ben
conhecido por andar frequentemenlo fardado: quem
o pegar leve ao Mondego a seu sonhor, Luiz Co-
mes Ferreira que recompensar generosamente.
Fugio, nanoitedodia 10 para 11 do corrente,
um escravo, do nome Rufino de nacilo Congo, do
40 annos de estatura alta, corpomodio, crtr fula,
olhos grandes nariz e bocea regulares barbado ;
tem uma perna cambada; foi queimado em um
brago.e por isso (icou com ello moio branco do coto-
vello para a mlo, (cando com a mesma mijo sem a
poder fechar ;tem os ps compririos e apulhelados.
Quem o aegar leve a son senhor, [Jos Fcrnandes
Ferreira.
Fugio, na noite de 10 do corrento um preto,
de nome Fernando de estatura alta .barbado por
A OS
ilimos,
i. 13, vende-se
um
de larangeiras,
estampado suisso ,
massa fianecese do'ulli
itLT^T* df Se,la ,'uri' ravaU de bonitas
.? 5n ""> a 1,280 rs. ; lengos de catn-
braia corr abertura para nulo de senhora a 240
L?i.,C" ?mbraias de cores, com rama-
"" Oransparenles, proprias para cortinados no
ullmio goslo, a 320 rs. o covado; um rico sorlimcn-
Srs id a
Na ra do Queimado loja
mappa da cosa do Brasil.
Vende m-se | es de frncta-| fio
de sapolis o de tmaras da India
res, n. 25, se dir quem vende.
Yende-.se unta pela de 20 annos que Coli-
nda lava de sab8o 0engomma : vende-se para fra
da provincia : o motivo porque se vende se dir
ao comprador : na ra Direita, n. 22.
Vendem-se 5 esclavos sendo 4 de 12, 16, 18
e 22 anuos, de bonitas figuras, proprios para o
sei vigo de campo e mesmo da praga ; urna crioula
de 24 anuos, de bonita figura, com habilidades:
na rita das Critzes n 22, segundo andar.
Vendem-se, por commodo prego, cuixilhos o
potlas para janellas; ditos com al mofadas, para
interior de casas : na ra da Cad.cia do Recife,
n. 52.
Vendem-se de 80 a 30 caadas de azeite de
ca rpalo, pelo prego de 1,000 rs. a caada: em
IVira-de-Portas n. 145, venda de Jos Congalves
Bel filo.
Na ra de Agoas-Vcrdes, n. 46, vendem-se dous
moleques de nagfc ; dous pardos de boas conduc-
tas ; um dito insigne criado; duas molccas; uma
parda mucama, com um lindo lilho de um auno de
idade, a qual lio insigne cozinheira ; 3 esclavas
por commodo prego; um escravo de nacilo, de 30
anuos. t
"TlJOi.OS DE MARMORE.
J. Sapori t tem lijlos de marmore azule branco
para vender : quem os quizer comprar apparega em
sua casa no Recife n. 18 segundo andar, de mii-
nliila at as 9 horas e de tarde tas 3 em diantc.
Vendem-so na ra do Trapiche, u. 6, 20 e
tantos esclavos, leudo entre el les negrinhas, mu-
latinbas de 10 a Himnos ntuito proprias para mu-
camas; pardas e pretas do 20a 25 anuos, que silo
engommadeiras, costureirase lavadeiras; moleques
de 10 a 20 annos, de muito bonitas figuras; 8 pelos
de20 a 40 annos: todos se vendein por pregocommo-
tl por o dono relirar-sc para fra da provincia.
O a precia vel sor vele
vende-se no pateo ta Matriz de S.-Antonio, todos
os dias das 6 lloras da tarde em diantc com lodo
asseio c pcrleigilo.
-Vende-se um escravo mogo, sem defeilo, mui-
|to proprio para o servigo de campo ou do engenho,
do que tcnt muila pratica c mesmo para todo o
servigo tle rita na praga : na ra INova n. 44, casa
do Sr. doutor Aguiar.
Vende-se com meio feitio 1 paliteiro 1 ca-
fcleira, 1 bule, 1 mauleigueira com pialo, urna li-
gedla, i jarro, 1 hacia,! leiteira, 1 espevitador
com pialo 1 colher para inollio, 1 assucareiro 1
copo, 1 faqueiio de mesa, completo, com 12 colhe-
res, 12garles, 12 facas, 1 trinchante l.collier de
tirar sopa, 1 dila de arroz, 1 dita de tirar peilte, 1
Nesta loja vendem-se cortes de cambraia de
cores lixas, 1,600 rs. ; chales ta Suis-
sa, de ricos padroes a 2,000 c 2,500 rs.
Vende-se uma bonita nogrinha do 10 annos,
com principios de costura ; um mulatinho da mes-
ma idade proprio para aprender qualquer oflicio,
todos chegados ha pouco i na ra larga do llozario,
venda n. 33.
Vende-se para fra da provincia urna es-
craya de nacflo quo engomma, cozinba cose e faz
lodo o mais servigo de urna casa: na ra do Hos-
picio n. 4, das 6 as 9 da mandila.
Vcndem-se insignias para as sociedades !H.\-
quadros histricos do Portugal por Antonio Fe|,
liciano de Caslilho : na ra da Moda, n. 11.
-Vende-sc tima preta de muito bonita figura,
tic 20 annos boa cozinheira e que engomma e la-
va ; uma parda de35 anuos, boa para ama de ca-
na ra das Fio-Isa; tima preta de 30 annos boa para todooservi-
( co de una casa ; dous esernvos, bons para, o traba-
Iho de campo c um delles perito carreiro : na
ra do Passeio-Puhlico, n. 19, se dir quem vende.
Vende-sc ou permuta-sc por urna casa nesta
praga um pequeo sitio na Capunga, com casa no-
va cercado de limito, com algumas arvores que
dito fructo e outras que nfo dito, boa agoa de be-
ber : na ra Direita, n. 16.
AO BOM GOSTO.
Na l buco, n 19, de Manuel Joa
cfuim Pasten] tamos,
vende-se inissimo panno azul para fardas, a 4,500
rs ; dito preto a 5,000 rs ; chita franceza, 360 e
280 rs. o covado ; mantas de seda muito superiores,
a 9,000 rs. ; lengos de seda, a 800, 1,000, 1,200 e
1,440 rs. ; longos de seda para grvala a 440 rs. ;
ditos de cassa a 200 rs.; princeza muito lina a
1,000 rs ocovado; luim branco, do puro linho-,
a 1,500 rs.; chapos deso, de seda preta e de co-
res a 6,800 e 7,000 rs.; chales de lita, a 2,000 rs. ;
ditos de lila e soda a 7,000 rs.; brim pardo a 800
rs. a vara ; ineia-casimira a 600 rs. ocovado.
Loierja do Hio-de-Janeiro, a be-
neficio da fabrica de papel.
Vendem-se bilhetes desta lotera em casa de i.
O Klster, na ra da Cadeia-Velha, n. 29.
Carlas para volta-
rete,
as melhores e mais baratas : vendom-se na ra larga
do llozario, n. 24.
Vende-se um bom carro d duas rodas muilo
forte com lodos os arrcios cm bom uso, sem que
se preciso fizar despeza alguma para usar ilelle :
na ra do Collegio n. 15, segundo andar.
-Vende-se uma armagode venda, com pesos e
medidas ; duas cantase umeabide": na travossa de
S.-Pedro, n. 10.
baixo do qneixo; representa ter 40 annos, falla
bem e he bstanlo desembaragado; tem os ps
grandes o largos; levou camisa e caigas brancas,
suspensorios e sem chapeo ; foi escravo do lllm.
Sr. Thomaz Jos da Silva Cusmilo ; julga-se quo an-
da mesmo pela Boa-Vista ou S.-Antonio. Quemo
pegar levo a seu senhor, na ra do Trapiche, n.
34, quo se recompensar.
Fugio, da ra da Cruz, no Recife, n. 49, a Joa.
3uim Pinto de Azevcdo", a sua escrava Leopoldina ,
e nacto S.-Thomc a qual a linlia vendido ao Sr-
Antonio omingues Ferj-eira.e cm nome de sua
senhora. Como a dila escrava paucos diasdepoisde
vendida fugisse da casa da compradora foi o dito
Azevcdo avisado da sua fuga, ao que respondeu quo,
apparecendo, I he levasse que elle dava o mesmo
dinbeiro e a romettia para o Rio ; e sendo-lhb e3ta
apresentada pelo Sr. Ferreira, amarrada de bragos,
no da II docorrcnle generosamente Ihe deu seu
importe c ficou com a dita [escrava. Acontece, pn-
rm, que, ficando fechada em urna sala da frento do
primeiro andar, fugio de noito pelas janellas, quo
so bastantes altas o que faz crerque foi auxilia-
da de fra por alguns malungos, ou amantes. Por
isso reconiineiiila-se a todas as autoridades supe-
riores c inferiores tanto da capilal como das co-
marcas, que a apprehendam aonde querque ella ap-
parega. Os signaes da'escravaslo os seguintes: de 30
a 35 annos de boa altura, cheia do corpo, nadegas
grandes, retinta cabega grande, cabellos corla-
dos da parle posterior, ecrescidos alguma cousa na
parte superior testa larga, alta c saliente olhos
grandes e fundos cornos lagrim'aes muilo abati-
dos, principalmente odirelto que parece acanhado,
ou delle padecer beicos grossos falla baixa e de-
vagar pouco ligeira no andar, ps cheios ou c ar-
nudos ; levou varios vestidos, entre as cores de ro-
sa branco azul-claro alvacenlo este de. Jriscadp
acbadrezado ntiudo e com babado chale de me
lim, de franja semi-encarhado rozetas as ore-
Ihas, e panno da Costa Quem a pegar leve a seu se-
nhor, que gratificar generosamente, e protesta
com todo o rigor da lei contra quema seduzio, ou
der coulo.
Fugio, no dia 11 do corrente ,"a prela Mara,
de nagao Angola de 20 a 22 annos; ralta-ihe um
denle no queixo inferior; tem os ps ba grossos; levou vestido de cliila o panno da Costa
velho: quem a pegar leve a ra larga do Roza ro,
n. 30, terceiro andar, que ser generosa mente re-
compensado.
Fugio, na nolte do dia 17 de setembro do cor-
rente auno, do engenho Queluz, em Ipojuca, um
pi co de nagfio, de nomo Antonio de estatura alta,
de bom corpo olhos grandes o um lauto verme-
llios j com alguns cabellos braucos ; levou ca-
misa de chila azul de quadrjnhos, ceroulas de al-
goriitozinho branco ou hamburgo e mais alguma
roupacm uma trouxa e levou mais urna enxaria
encavada : quem o pegar leve ao dito engenho, ou
na Boa-Vista, ra da Aurora, n. 26, em casa de Fran-
cisco Antonio de Oliveira quo ser recompen-
sado.
ATTENgAO'.
No dia primeiro do corrente fugio do silio das
Rozeras, do major Joaquim Elias de Moura, defron-
te da capclla do Rozarinho, o seu escravo crioulo,
meslre perirero, de nome Silvano, com os signaes
seguintes : estatura regular, secco do corpo, bom
preto cabega pequea olhos vivos,-pouc barba
e com alguns cabellos j braucos, suissas finas o
compridas muito fallo de denles; s tein na man-
dbula superior um dente canino, pcilos cabelludos,
ejtambem piulando de branco; lauto trahalha
com a miio direita como com a esquerda coma
qual toca viola; tem peinas finas uma, cicatriz
vermelha na canella e outra no peito do p da ou-
tra perna. Quem o pegar, ou delle der noticia car-
ia v ao dito sitio que ser grrtilicado com gene-
rosidade.
~ Fugio, no da 7 do corrente da villa do Rio-
Formoso de casa de seu senhor Lu* Cardozode
Almeida urna escrava crioula, de nomo. Francisca,
secca do corpo cor bem preta de 28 a 30 anuos;
a qual foi vendida ao msmo cima por Antonio do
Azevedo Poreira morador no Aracaly ; Jquetn a pe-
gar leve a dila villa do Rio-Formoso a seu senhor,
ou nesta praga na ra larga do Rozario casa de
Jos Pedro de Alcntara quo recompensara.
Fugio, lio dia2doc/)rronte um preto de no-
mo Pedro.dc.nagao Uenguela,d 28 a|30 annos, gros-
so do corpo, rosto chato, olhos pequeos,, sem
barba ; tem no brago direlto logo cima do cotovel-
lo uma cicatriz ; he canoeiro ; ja fez unta fgida,
o andava pelo Arraial, S.-Autia 6 l'assagem dor-
mindo em canoas ; levou camisa de atgafloziiiho
grosso ceroulas compridas de algodflo da trra :
quem o pegar leve a rita da Praia-de-S.-Rita n. 25,
que ser recompensado.
Avio aos (anoeiros.
Vende-se peroba de excollciile qualidado : nal___________________
praia de S.-Rila, arinir/.eiii da roslilacilo. I---- 5-^^gBB^Tr?^*^5
Vondo-se toucinlio da tena, j salgado o uiu-|.,
lo bom em porcao grande e pequea ; tambem j i n> n v xvp. de M, r. DE faua. .' lb4"]
V


Anuo de 1847.
Segunda feira 18 de Outubro.
N. 49.
M
PERNMBUCO.
(SOB OS AUSPICIOS DA SOCIIDADE COMMERCIAI .)
CNtAfc
Subscreve-se na Praca da Independencia, loja de lirros n. 6 e 8, por ns'ooo ris por anno.. pagos adiantados.
PREfOS CORRENTES DA PRAfA (Corregido Sabbado as 3 horas da tarde.)
-----------------**--------------------------------------------------------------------------------------------------______________.
s j i .. _
a.
o
&
u
ti
o,
Sm O -r <0 9
" A** r- 5
-*| 5
> O O
j o e> o o o f

j r o -3 o m O O -i *- -
r- **
"owcso-soo
C C >4 ^ O 3
w <* C O to o C P >
<-
-oc- -r
O ? S c o o c c
ote c o e e e T
** S S ***Ur "%-- *. a ** -* *fc 4k^
n - -.3 r* c C -i
q.fli .f.-llfilil:-!--!.
S"t?295 oooeo e~ o
o o ooo.4** os c -o o o o
4 (C X f W O w -<3 W a O C .4
* t # "^ c es *
5
P
3TS
"5 -s s; 3
= < = = =
4 -
o o i- c JD r*
CC = S -4 9 -O0
= = = OC4 O -4 CfQCtCOCCr'OKHIVt
? fj W n r r, f^ _
l ttie2 2>c-!'-s. Sil15?a
O-J
2
I
3:
Seooooo
nocianooo
1 O +
o ac
**

o
O ce
1 S= '....."iiiiii
.'_............
o o a o
e
t
j; 1- p# />
1* -
= -*
c t*c
= .4.4* = 5L-.=
ecos
eoc^
C / C C -1 O -)
1 -* %
rg (T f t
t.
H
2
11 1 -1
3 E <
- 1 i 1 -_ 1
S 8
m-
lil1-
111
11
1
1
oc-3
2 '.s
1 "^
I

B *
,M
2-0
ti'
l I I
I I

I1
rv
ej '
JJ
3 '
9
ac 1
fl
11 1 11*, (a.
>"
en 1/,
1 9
11 .
I I 1
i.:1-
III""
t I I I I
I I I I I
I I
I I I
-o
..,s'il
S B1 v-2 mi
'flilil!!
I S a h- yi r- 3- 7S
I I I 1 1 I I l~"

5
H
* S J I I I I I 5 I I I I I I
.-""til' "Ir''si
l'XMl.illt.ll l5!1- 1 I I 1
;i:iii;.IiJisii-i':
; lili* H iVi id
11

I I I
V
' '1
.. ,1
I I 1=5
fiel
* y l_ -
1 1 1
1
i
i. 11
jal
0.3
1 1 1
2
]
' IJS
2 '
hi
1

I o^
1 .-5
*"S '4 '1'
s: lili
.-s-s
J5.
c3
I o


j u
=
V
O > a
JS&E*
UU


r


Agoardeote Ca
Algodo I sorte- -
I. ---.--
- Assucar brnco em caitas -
* mascavado
par em barricar ou
em saccar, brauco -
a mascavado
Louros seceos salgados. -
Meios do sola -
Ubifres da ierra -
a do II10 Graude
Coiton I. -quality
3. a '
Silgara cases while
> brown ,
a lor barris or Bags
wlule !
a brown. -
Dry salted bids -
fanue ludes -
Ot-horus -
40fooo
ay.oo
ej2uu
2J30O
ms
3#u00
JflOOO
42J0GO
6^800
l;- >"
IfOtM
IfOUO
2J10U
400
110
IJ20
tJiliO
Pipa.
A nuba
a
I s. ferro
Libra.
Ilum.
Ceulo.
CAUBIOS.
Londre..........................277,0 277, d. por l| rs. a Odias.
Lisboa..................... 104a loe ,.oi ceuto premio, por nct.leuccluado
rranea .....
Rio de Janeiro...............
PK.VTA iniuda ..........-
a Pat.ces Brazileho......
Pesos Columoario........
> Ditos Mesicauos......... <
OUKO. Mcelas de 0*400 velbas ..,
Pitas ditas iioviis ...
Pas de 4J000............
a Dunas l-espauhola* .......
a Ditas Patriticas..*.......
Letra........................ */.
160 res por (rauco.
, ao par
1S820 a 1/930
JjblO a 2020
Jftio a 20t0
14820 a l|84o
IS/2IIH a hijSOO
I0IIUG a I'.f200
O 100 a J26
29'&00 a 30,1000
2UJOO0 a 2IH.00
e I por lUOao mes
F RtE T E S.
ASSUCAIt.
Liverpool............Cana f I. 16.
Gaual, poi tos Inglete........u 2. I&
Dito, diloenlrell.ini. e Havre. Dito
(.cuuva................ Saceos
Hamhurgo caitas............... > '
Bltico.......................
Triest..................Caitas i 3.
Eslaitos-Uuidos............
Portugal....................... ,Gn
franca........................ ".
Com 5 7. i
Com 10%
Portugal........
Franca..........
Inglaterra.......
Ilarci-ioo........
Inglaterra Seceos,
franca.,.....
Ksl.-lot-Unidos..
ALGODO.
800 por (g) sem piimagcm nomina 1
400 por (Te 10 p /" ao cainli. de lOOp'lr aoraloalj
7, d e op. / de primag'B.
4 Curis
COUHOS.
......... por tonelada e por cenlo, nonind.
.......,. 10 Iiaucos por toneladas, com 10p. cento
,........ fio lia.
freces.
_ijsaoooUia
rolo-o de artilicio, o papel piulado, prateailo. OU dourailo, sendo de una i*aes
n, .pe pintado para forrar s.lai cm colleocdes ou paiz.gens, o papel in 1, imperial, ou nutro nao especilicado na tarifa a plvora, os sahoiielex, o salmo,
i cebo coi velas, as velas de Sleiriua ou composico, as ameixas, ou ontras frucias
liedla II de Nove.nbro de HM4 ItenM p.g.r 0 p. c. o rap ou tabaco
ara p, os charutos ou cigarros, o fumo em rolo ou em lolba.
faiaraoSO |>- c. os saceos decauliauusso. grossan. ou gimes da In.lia, o Canj-
eles enlnni de n-j-il.al, as almofadas pa-a carruagens, pedras lavrsdas para la-
jado, as pedras deci.u.u para portes, portas e j-uelUs, as pedraslavredes para
enc.iiaiiiuiitos cenas, cunhacs c cornijas, o assucar refinado, crystalisado ou de qual-
quer .n.uciri conleitado, ocha, a agurdente, cerveja. a cidra, geneura, o mar-
rasquino, euoulrn licores, e os viulios de qualquer <|ualula.le e precedencia.
Hrao (Upe. as ale .tifas ou tapetes, o canhamaro ordinario ou graseria, as
??.lincas de qiilqucr au.lid.de. 0 ron;)., (cita, nao espeeilicd. na lana, asearlas pa-
ra .Mar. .s escovas de cabo de in lim, o logo da Urina cm cartas, ou qiialq.ier c-u-
troioM de artilicio, o papel piulado, pratea.lo, ou dourado, sendo de qiiehdades
a
i.n
oceiio vm
..-.i frisen ou latas. M30M, en calda, ou en cipinto, o cliorolate de cacao ordinario,
o virtazro, os earriuhos, oarrUHgon OU caitas, jogoi, rodas, arreios para urna o ou-
t-a cousa as esleirs pira Ibrror casas, os carros para conducir gente, os soci.veis,
sil'ues, os areiuims e tinteiroi de |M>rcelaua, e qualquer objecto de louca nao coin-
pralieudiilo na tarifa ; os lustro os clices para licor ou vinlio de vidro liso ordina-
rio os de vidro .nil.la-li ordinario lavrado ou moldado, o lovrado ordinario da Alle-
mtnlt. O SOimlnantet os de vidro liso moldado on lanado, de fundo cortado ou liso,
o n molde ou lavor ordinario ; os clices par. Cliainp.ulic ou cervrja, as canecas,
CO.Mt direuos .le III I tu quartilbo, as jarrafas de vidro al I quailillic ou mais,
nindo todos otes objootot de us. I e 2 ai gnalas de vidro pretaa ou escuras da
e:naeauaetd.de, eoiuprehradiila* as que lorrem pira licores ou I,e-lloy j os copos
d l 3 libras ou unis ; ou sem roa al 1 libra- ou mait, os de linca larga com roldas
do niesuio, at 4 libras ou inais, ou sem rolba para opndeldoc os vidros para a-
e upadas oii'candeiris. asjlalioas ou folhas de inogno ou outra madeira liini, e tras-
cas de qualqucr inadeira.
Pagarn 2S p. c. o ac, alcalro, lineo em barra ou em folha, chumbo em barra
ou lenco), etantlo en barra ou em verguiiba, ferro embair verguinba, cbapa o
lin;ua ios para fundir.'.o. follui de Flandres, galba de Alepo, lata em folln., laltoem
oiiapa, marina, latitre, vime, bacall.o, pei'se pao, a qualquer ouiro, seco ou sal-
!ndo t Iwlac'ia, carne secci ou de .alumina, berva-doe.e, farinba de trigo, pellicas
IranCiOU pintada, cordovoes ou cortes de bezerro para calrado, bezerros e cornos
enveruiz.dos, cunos de porco ou boi, salgudos ou seceos tola clara para sapnieiro
ou correeuo, coure e caparrosa.
Pa -arl 20 p. c. o trigo em grao, barrilb, canolilbo, espiiiilha, fieiras, (jos,
Iranias, lanliijuLls pailiota, passa aues, sendo de ouroou prala enlrelina, ordina-
ria ou falsa: galos da wmii nalui-eza, ou tecido com retro, linbo. algodo ou
seda, rendas ou eiilremeios de algodo nao bordados ; sendas de lil, as de algo.lo,
reiiJ un^trocal; leos de cambraia de linlio ou algodo, e bandas de retot de
malla.
Pijar 10 p c. o livros, manpas e lobos geographicos, inslriimenlos malbe-
maticos, de pbysica ou cliimica, edites de vestidos de velludos ou damascos, borda-
dos ne prata ououro lino retroz ou trocal, cabello para cabelleireiro.
i'......i" p c. o c.nulillio, cordo de le), espignilba, fieira, los, franja, ga-
lio dcioou palbela. lentijoula, pali.ela. rendas, cadarros e lodoso mais objec-
tos desta nalureza, sendo de miro e pr.luiin.
P.ga- i p. e. o e.rvn de pedra, onro para dourar, ou quaesquerobra e
atenis de prata,
Pagura 4 c. as }oi. de ouro ou prata, ou qu.esquer obras de ouro."
P.uar 2 p. e. os diamantes e outr. pedras preciosas soltas semente,'"plan-
tas e races novas de .nimaes uteis.
P.sr.r0]'i0 p, c. todos os mais objectot*
O (teneros reetporUdos ou baldeados pagan I p. e. de dire'los lm da'armaie-
Mgjm; e o despachante presta Ranea at a approvaro desta medida pelaAssem-
blea (eral..
Coucedem-te livres de armazenagens, por IS di.s, s merc.dori.s de Estiva, e
dous metes as oulras j e fiados este preto, pag.r '/, p. c. ao me do reipecj
fe valor.
O direito das f.sendas, qne p.go por vara, dore entenderle var quadrada.
Ot direltos nao podem ser augmentados dentro do anno financeiro roas o Go-
eerno pndor mandar pagar en moeda de ouro ou prata urna vigesim. parte das que
forero maiores de e menores de iO p. c. dos precos das mercaduras, ou n.rsmo
dimiiiuil ", secundo I he parecer. _
O Governo est autorisado a ettabelecer um direito differeneial sobreoe Kee0,
le qualquer naro, que sobrecarregar os geueros hratiiciio de inaior di rulo, que
iguaes de oulra naco.
Os artigos nao especilicndos na pnul pago o direito ji va/oremsobre a factura
upresentada pelo despechante I podendo poiln ser impugnados poi qualqurr oOicill
da Alfaudoga, que em ll caso paga o impone da factura ou valor, eos direilos.
.Niieasode duvida sobre a classificac;Mo da meic.dori., pode a parle requerer
arbiliamento para designar qu.lidade e valor d. pauta, que I lie compete.
Soisentas de diieitos as machinas, anda nao usadas no lugar, em que taren
nipona das.
KXPORTACAO Os direitospago-se sobre a avali.co He um. pt.i. tema-
na nio segulnte : Assucar IO pe., Algodo, caf, e fumo It p c.. Agoar-
le, couros, c todos os mais gneros 7 p. c. Alein destes direitospago-se.
s de 160 rs. em cad caita, de 4 II, en cad. fecho, de 0 r. eui c.d barrica,
ia:cos de assucar, o de 40 rs em c.d. sscca de algodo.
dos os m.is gneros sao livres de direilos para os porlos do Imperio,.
id.'.ii, assucar. caf, e fuii-o, que p.gio 3 p. c. e as tatas por voliuiie
Couros o to.l
excepeo do algod
Os metaos preciosos em barra p.go de direilos 2 p c. sobre o T.lor do mtr-
do.ea prala e o ouro ainoedado nacional ou eslr.ngeiro p.ga nicamente / P-
Os escravos .portados pago ijjIOOO por cada um.
DKSPEZA DO POUTO As embarcaces nacionaes, ou eslrangeira, qne
...iveuo para fora do Imperio, pago 00 rs de aiicor.gem por lonrl.d. ; eai
nacionaes, que navegan entre os diversos porlos do Brasil 9C rs. As que entrares
em lastro, e sahirem com carga e vice-versa. pag.r. mi.de do Imposto supra e um
trro as que entrarem, esahirem em lastro; e mesmo as que entraren) por franqua,
ou escala, quer enlrem em lastro, quer com erg. Desla nnposicao po.m sen.0
isentas as que iniporlarem mais de 100 Colonos brancos, e as quee iilr.orem poi arribada
(breada, com lano que esl.s nao carreguem. ou descarreguem i mente o gneros
uecestarios para pagamento dos reparos, que lizerem.
REVISTA SEMANAL.
rA'Tin.-'. ronciis IransacrSes durante a semana t quol.coes.
A I ( OPAO Pe etico a 6jjn0 rs. a arioba, e enliro 028 s.cc.s.
ASSUCAIt. EnlradM diminuas, e foi ais procurado nos ltimos das da se-
mana, ao precos quntados
COUHOS. Pean aller.eo, e diminuto deposito
FAlllMJ* DE TUIGO. r'ntr 5o, durante a semana dous carresainrales,
lendo liniii o riados-Unid-s, e onlro d. Babia : o lodo .200 barrica, da
quaes mi|:,vao para o llio de Janeiro, teudo vendida 1:800 b-rrie.s .cerca de
i9j' on rs. ..
I\CAl.!lAO. Chegou nir carregamenlo, e teguio par a Baha.
CAANE PE CIMBQUE Cbego-i um carreg.ine.-lo, cum o qual o deposito b
de 13:000 ai robus, e os p.eeos quoiados de 2JI800 a 3o00 rs.
Itesumo das Embarea^5et existentes nestt pono no dia l6 t Onluoro de II4T
Americana......................................................... ,,
Hiasil.iras........................................................... |
II. sp ni. ola.................................................
Iuglezas................................................................ |
Poituguetas..............................................* '*"" |
gal Uas................................................ ^_
Total "
A Prorioeia goaa tranquilidad


(5)
-J
LISTA das Embarcares existente nesle porto at o da 16 de Outubro de 1847
BTIUDA1.
un Outubro i*
,! tembre
,IT Judio
AgoU> "
Ar*.?
*
SO
Selimbro 10
'I
. *
I*
11
> JO
14
I
3
7
a.
10
14
IJj
DOSDEvM-
C48CO

Culubro



a

Outubro U
Seiembro 14
Outubro I
13
15
JulliO ?
Setemhro 11
Uulubro l<
P.,il.dt|>bU.
Baha
Rio Grande do S.
RioGrando Ho 8.
liba -le Femando
Rio (lrnrt lo S
II io do Janeiro.
B.hia.
Rio He Janeiro
Rio Graade do S.
a
Rio de Jaotiro
Rabia
Uacaty-
Babia.
Kio deJanelra.
'So Miguel
Rio-Graodo-do-3
Rio-i -leneiro.
Aracaly.
Rio de Janeiro.
Rabia.
Barcelona p. Mal.
Londres
Liverpool
lili da Madeir.i.
Macelo.
Porto.
L'sboa.
Liiboa.
HACAO.
Seternbro 1
3)
Uulubro a
Marsella.
Ordiff.
Ricbmoud.
gler-
sumaca
brmue
hrigue.
brcese.
I palaclio
sumaca.
p.tacllO
oiigue
patacho'
hrigue
hiale.
I.l.te

hrg-esc.
hlWM
escuna.
Mato,
sumaca
palacbo.
patacho.
escuna
baiea.
hrigue.
escuna.
brie.ua.
b igue
barca.
polaca,
l-aica.
poUc
Rraxil
RMU.
Hesp.
lnBl.
Port.
Sardo
St. Janes.
Sania Ana
Kcbo.
Mercantil.
Henri(('ieta.
Paquete de Pernirabuco
Viajante
S. Auto o de Padua.
Esp-ranca
Argos
Emiliana
n Pedro II
Tentador
I )lliilon.
Bo.-Viagem.
A matonas
Kspui o-Sinto.
Km rupis ta.
\erri la .
Carlota.
IVous d Agosto
Oliveira
Humera
llebe.
K-k
Hbhtrt
Deslindes
Mara FeUt.
Robbn.
Tejo
Constante
Washington.
Hola*
TONS,
Sli
180
lt
llt
ion
U
18
1
1*1
110
HT
40
I
J'i
US
10
US
l1
<
1*4
I ti
ItS
i;
S 17
14
141
186
134
Sil
118
ISO
101
MBSTM.
B. S. Johusoo.
loio de Oros Pereira
Nanoel Luis do Santo*.
Antonio Jo- Sores.
Jos Jraqmm Aires.
Joao Guiiralves Rocha
Antonio Jos do Araujo.
Manoel Jos Ribeiro.
.oaq. A 1.1'G. nos Sanios
Mainel Aires Marques
Valenlim Riheun
M J. Munteiro Vianna
Antonio Jrs Harreuos
J"i Joaqun Alvcs
Jos \ntonio de Sou/a.
Ml Marciano Ferreua.
Alejandre Jos l-es.
Antonio Luis ornes Urna,
t'anoel Luis dos Santos.
Jos <>encalves simas.
Jlo Antonio de Souta.
Jote Dias Crrela da Silra.
G. M.risl.ny.
Villlam Watts Oonland.
nhertn Cock ett.
Wm Hruc*
Hiilip Blampied.
Lurenco Fernandes da C.
A. J S Lapa.
Silrerio Manos! d 1 Res.
B. Romanueira.
A. Copula.i
Joao Bapliiia Pree.
[ovaes k C.
Jos Pereira da Cuaba.
Amoiin Iroo*
Francisco Joaq." Pedro da C,
LeoH lo Jote da Costa A.
A moni lnn.'.os
Luis Ron-es da Siqueira.
Manoel Joaq. Romos e Silva
Aaaorim I raos
a
lo.o Francico da Crux
S va k Gnlio
Jos Manoel Marf'ni.
Jet Luis de Souta.
Luis llories de Mqueira.
Firmioo Jot_ Follt da Roa.
A mor Irmos.
Joao Jos Froandes Mae,"
O Capillo.
Amonio Irmos
Joao Yet u'Uliveira.
J. P. de Lemoi k Filho.
Oeane Tonl* k C.
Letl.am tt llibbert.
I'cae Youle k C.
I ki istophret k Doualdsoa.
A. J. de Souta Ribeiro.
Thomat d'Aqnino FoiaStce.
liveira lriniot fc C.
Lenoir Putei k C
loaquim Raplitia Moreira.
Leooir l'ueel k C.
Rio Grande do Sol-
* recata t Oaaea.
Babia.
Baha.
Aiacaty.
Rio-de-J
Rio de Janeiro.
Afretar.
Liverpool.
Liverpool.
Porto.
Lisboa.
Genova.
A Ireter.
Alrcur.
VWasboeo .. T^*** ** *+**


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E9M8WEDDA_B15BN0 INGEST_TIME 2013-04-30T22:44:19Z PACKAGE AA00011611_09741
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES