Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:09738


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Anno de 1847.
Seguuda-feira II
O DIARIO pul>lic-se todo os (lian, que no
frem le guarda i o preco da asignatura he de
4j00f> rs. por quartel, pagos adianlntlm. 0 an-
nuncios dos anillantes sao inseridos i rasiio de
?nrj. porlinlia, 40 rs "ent typo dilierentc, e as
[ppeties pela inetade. Os que no furam assig-
Dantes pagaro 80 rs. por liiilia, e 160 era tjpo
difireme, porcada publicado.
PIIASF.S DA LA NO MEZ DE OUTUBRO.
Minyoante, i I, 17 horas e 16 niin. da nianh.
|,ii.i nnv, a 9, 6 hora* 47 inin. da raanh.
Crescente a 17, & horas SI min.da mauli.
I.ua cheia ai3. a 9'bor. e 10 rain, dalaide.
IHiui;oaiiM a 3o, a 7 horas 3S mi. da tarde
PARTIDA DOS CORREIO.
Ooiannae Paratiyba.s segundas escitas feirta.
Rio-Grande-dn-Norte quintas Teirasao meio-dia.
Cabo, SerinUcm, Rio-Pormosn, Porto-Calvo e
MaceiA. no l.', a I ( e it de cada mez.
(araalmns e Bonito, a 8 e 23.
Boa-Vina e Flores, j 13 e 8.
.Victoria, as quintas feiras.
Olinda, lodos os dias.
PREAMArt DE HOJE.
Primeire, as I horas e 18 minutos da manh.la.
Segunda, ii l horas e 42 minutos da Urde.
de Outubro. Anno XXIV.
N. 229.
- das da semana.
11 Segunda. S. I'irmino Aud.do 3. dos orpb.
do J. doc da J v. e do J. M. da 2 r.
12 Terca. S. Cypriano. Aud. do J do civ. da
I. v. e do J. de paz do 2. tlist. de t.
13 Quarta. S. Eduardo. Aud. do J.do civ.da
'! v. edo J. de paz do 2. dist. del.
14 Ouinia. S. Calido Aud. lo J.dcorph. c
doJ. municipal da I. vara.
15 Scita. S. Thcrea le Jess. Aud do > do
civ. da I. v.e do .1. de paz do I. dist. de t.
16 Sablndo. S. Martiuiau. Aud. do J. do civ.
da 1. v. e do J. de az do I dist. de t.
17 Domingo, lleduviges
CAMBIOS NO DA 9 DE OUTUBRO.
Cambio sobre Londres a 27'/, d p. I* rs. a 60 d.
a Paris 340 rs. por franco.
Lisboa 105 a 110 de premio.
Dcsc. de Ultras de boas firmis de '/,*/ ao mez.
OuroOnc.s l-espauholas.... 9jnmi a 29121
( ModasdoG^niivelli. I6#a I de 6fi......ov.. ljfi'.u.i I6|l<
de 4jo00..... 9fl00 a 9J2
/'rala l'alaces.......... I#000 a 2|0io
a Pesos columnares... 14980 a 24000
Ditos mexicanos.... I#S20 a l|840
Miuili............. I930
Acces da comp. do Beberhe de SOfOOOn. ao par.
DIARIO DE PERNAMBU
INTERIOR.
PARLAMENTO BRAS1LE1R0.

SESSA0 EM 13 DE SETEMBR0 DE 847.
ORCAMENTO DO IMPERIO.
Conliuua a segunda discussilo do artigo segundo
da proposta do govcrno, finando a recoita e despoza
gcral do imperio para o anno finaneciro de 1848 a
1849, conjunctamento com as respectivas emendas
da cmara dos Srs. dopulados, c com as dos Srs. se-
nadores visconde le Olinda e Costa Ferreira.
, O Sr. Aires Branca (presidento do concelho):
Sr. presidente, darei breve resposla ao que se tem
dito na casa por occasflo desta discussilo.
De todas as emendas, aquellas com que n.lo pos-
so concordar silo : urna que diz respeito aos paque-
tes de vapor; outra que tem feito aqui grande hu-
illa, a que prohibe que se nomeiem mais mombros
para a junta do commercio.
Eu entenda que, a respeito desta segunda emen-
da, nilo devia dizer cousa alguma, porque o govcr-
no no a propoz nem inlluio para que passasse na
outra cmara. A junta do commercio ha muito est
considerada como urna repartidlo a abolir; nflo se
tem para ella Horneado ninguem, e tambem daqui
por diante no so nomeara ninguem ; ao menos eu
n.lo pretendo nomear pessoa alguina. Appareceu
urna emenda na cmara dos dopulados a respeito
disto; eu no eslava entfo presente ; passou nao sei
com que fim ; mas o que posso lizer he quo o gover-
no no interveio nisto, nem tem tenco de nomear
ninguem para a junta do commercio.
Quinto aos paquetes de vapor, o governo pedio
apenas o dinheiro necessario para que os paquetes
saiam de 20 em 20 dias; mas na emenda est calcu-
lada a despeza necessaria para sahirem de 15 em 15
dias. Tamhcm o governo no interveio nisto, nio
pedio semelhanto augmento de consignarlo, nilos
porque assenta que bastam as viagens de 20 en) 20
dias, como porquo nflo quer aceitar como cndilo
de ir tratar com a administracilo dos paquetes do va-
por para tocaren) em taes e taes pontos do grande
dilliculdade, de grande perigo, como a provincia do
Espirito-Santo, Sergipe, etc.
Pelo que respeita a oulros olijeclos, os nobres se-
nadores nio trataran) das despezas ; apenas fizeram
consideracOes geraes sobre o estado das escolas,
tanto primarias como das de alio ensino, o tamben)
das academias de medicina e cursos jurdicos.
Sobre este objecto llevo dizer simplesmente quo
governo cuida em melhorar o ensino ; quo ja em o
anno passado, como consta do relatorio do meu an-
tecessor, fizeram-se trabadlos a este respeito : exis-
lom com clfeito pareceres do commissOes muito
bem elaborados, o quo nio poderani-ser apresenta-
dos este anno. Isto pelo quo respeita s escolas pri-
marias. Quanto aos cursos de sciencas malores,
tambem' aqui j se apresentaram os estatutos para a
reforma das academias mdicas, que voltaram aca-
mara dos deputados com bases sobre as quaes o go-
verno devia refundir csses estatutos. Esta emenda
do senado nio foi approvada pela outra cmara, e
assim licou o negocio empatado.
Eu devo dizer a minlia opinilo a 'Ste respeito.
Nio influ.cm cousa ncnliuma para que se rejeitasse
a emenda do senado ; mas nio mO parece -desarra-
soada a deciso da outra cmara, porque o governo
naturalmente, tendo de reformar os estatutos de
urna academia,.nio poda deixar de ouvir os profes-
sores, quo supponho sioas pessoas mais competen-
tes para rogular o trabalbo acadmico. Verdade be
que em urna ou outra cousa tinham os estatutos de
soffrer reforma, porque pens, como un nobre se-
nador, que os lentes podem algnmas vezes.favorecer
nos estatutos a sua propria causa, e he sobre isto
que devia recahira emenda do senado; mas, quanto
ao mais, parece-meque ninguem mais competente
era para reformar os estatutos do que os mesmos
professoies; o governo seguramente nio havia de
prescindir do auxilio delles. Por isso a rejeicSo
completa do.estabelecimeulo de bases para sobre el-
las formular o governo-os meamos estatutos pode-
ria nio parecer negocio desarrasoavel fufa talvez
molhor que se (izessom as emendas necessarias nos
estatutos ^presentados. Comludo, eu nio quero cen-
surar o acto do senado; antes, pelo contrario, tam-
bem entendo que. algumas das bases eram boas.
Mas emflm esto anno nio foi possivel ti aiar-sc com-
pletamente deste negocio.
fpsse boa-. Por ora paroce-me que nilo havia ser boa,
nio havia corresponder aos desejos do nobre se-
nador.
A reforma na organisa?3o da administradlo po--
doria trazer com effeito esta reparticlo do correjo
para o ministerio do imperio. Mas a reforma na ad-
ministracilo publica, que alguns entendm dever fa-j
zer pela reduccilo los ministerios a tres, eu enten-
do que deve serfeita pelo augmento do numero los
ministerios, ou ao menos por dcixar-se ao governo
um pouco indefinido o numero, com a faculdade de
accumular, grupar as diversas attribuirflos nos df-
versos ministerios. EstaopiniSo nilo he minha, he
opiniflo ilo duque de Palmella, fundada sobro a
eonstituicio porliigueza, quo lio igual nossa nesla
parte; ocreio que na Franca existo isto. Assim,
anda quando se defitisso o numero de ministros,
ello poderiaser maior, (cando todava o governo
coma faculdade de grupar as diversas attribtiic.es
conforme a experiencia mostrasse que era melhor.
Esta era a reforma que ou julgo devia dar-se, at
que o tempo, a experiencia pozesse as cousas como
di'viam Mear. Se acaso houver algum lia urna auto-
lisaQIo destas, se houver maior numero do minis-
tros, entilo poder talvez o correio, e seria melhor,
fazer parte da reparticlo da fazenda; mas por ora
parece-me que ah ser pesado.
Antes de sabir do ornamento, devo dizer algiima
cousa a respeito de urna aecusaefloque so tem feito
ao vice-presidonle da provincia do Hio-de-Janeiro.
isse-se que esto vice-presidente, sem inloinjilo de
fazer processos, mandou processar a alguns cida-
dlos importantes, creo quo da villa de Itaboraby
por pretonderem salvar da masmorra a um indivi-
duo quo ah jazia por no ter votado as pessoas in-
dicadas, pu cm quem desejava que se volasse o mes-
mo vice-presidonte. Esta accusagiiofoi feita lia lem-
pos e repetida por diversas vozes; mas, como os of-
icios relativos a ella estavm impressos'no Diario do
Itio, eujulguoi que nflo devia abstor-me de entrar
na explicaeflo de um facto que poda ser contestado,
aggravandu-se assim mais a postilo de pessoas que
defendem a causa contrara, llevo dizer que, inme-
diatamente que ouvi esta accusiiQilo na casa, escrevi
ao yiee-presidento do Uio-de-Janeiro, mandando-
Ihe informar sobro este objecto, e ello respoudcu
pela maneira que aqui est (tj.
a Existe no municipio de Itaboraby um batalhilo
do infantaria e um esijuailrlo de cavallaria que
constitucm una das legies da guarda nacional des-
ta provincia : o chefe dessa legilo he o commenda-
dor Joio Hilario de Menezes Drumond, que, achan-
do-so no oxercicio do cargo do juiz le paz, incom-
patvel com oservico da guarda nacional, como o
tem declarado mais de um aviso, passou ocomman-
do dclla ao tcnentc-coronel Thoniaz Rodrigues Per-
Disse o nobre senador que as inspoeces de sade
podinm ser vantajosamente substituidas por outra
inslituieflo. Nao a propoz nem iudicou, e por conse-
quencia nada tonho que responder a este respeito.
Perguntou-me o nobre senador so o correio do
trra nflo poda passar com vantagem para aadmi-
llislraQlo ,1a fazeinla. Eu tenho por opinilo autiga
que devam estar os correios subjeitos admnistra-
Cfloda fazenda, porque de certo modosSo urna fon-
te de renda: nad he o correio um estabelecimenlo
particular, que viva de seus proprios meios ; entre
nos tambem he Ionio de renda. E domis, quando
mesmo no fosse assim, ou fosseum estabelecimen-
lo industrial, baslava isto para que se collocasse na
administracilo de fazenda. Eu, comludo, declaro
que esta reparticlo esta mullo pensionada ; nao po-
da carregar com os trabalhos da aduiinistrac.lo dos
correios; para isso era mister que as cousas se ro-
r.'ulasui mclor, para que a reforma, ueste seulido
reir, oqual.como V. Exc. ver da corresponden-
cia publicada no Diario do Ido, que junto llie remel-
lo, por impedido passou o con)mando da mesma le-
giflo ao inajor delle, (cando o batalhilo interina-
mente sobo commando do respectivo major, Ma-
noel Antonio Pientzenauer.
M. A. tfientzenaiier, commandanle interino do
batalhilo, expedo ordem de prisflo contra o guarda
nacional Jos Paulo do'Carmo por faltas de servico,
e este havendo desobedecido, recorreu o dito com-
mandanle interino ao delegado de polica, para isso
aulorisado pela portara da presidencia desta pro-
vincia de 26 le novembro de 1834) af'nn de que tor-
nasse effectiva a prisflo do mencionado guarda.
c Depois de se ter recusado prisflo durante o es-
poro de 10 dias sob diversos protextos (conio V. Exc.
ver do oflicio marcado com o n. 1 na.Diario do Itio ,
no da 25 do mez passado se apresenlou ao delegado
de polica, declarando que em vrtude do seu man-
dado se ia recolher prisflo, o quo com elleito teve
"ugar.
Recolhido o guarda prisflo, eis que cortos in-
fluentes opposicionislas daquello municipio, nflo
sei porque motivos, se pozeram em campo para.
desaggravar o guarda nacional do insulto que aca-
bava de soffrer, sendo preso por ordem do sen com-
mandanle e por falta de cumprimento de seus deve-
res ; poresse fin (como V. Exc. ver lo mesmo of-
ficio i)'. 1) o commondador Uallhazarde Abreu Car-
doso dirigi diversas petiedes ao delegado, que Ihe
l'oran todas deferidas, exoepeflo da ultima, que re-
clamava contra a estada do preso noxadrezda ca-
llea, que foi desattendida pelo delegado, porseachar
o preso disposieflo do commandanto do batalhilo.
o ser esse o lugar onde custiimam ser recolhidos os
guardas nacionaes, visto nflo baver no municipio
prisflo ('-KVi.il para ellcs.
a Depois de tentar esse meio, em seguida dirigi-
se o mesmo commendador B. de A. Cantoso com
diversos ou tros cidadaos, do nomes Jos Paulo de
Magalhiles, Alexandro Alvesde Azevedo, Paulo Cesar
de Amliade, Jos Frederico da Motta e Candido Jos
Rodrigues Torres..,..
O Sr. Nodrtgues Torres : He tilo falso isto, que
nem ello estava presente.
O Sr. I'res i dente do Concelho : Eis-aqui porque
estas conleslacoes na cmara nflo tceui resultado,
porquo silo materias do faci que exigem pravas.
Por isso eu anda nflo liz em minha vida, nem pre-
tende fazer aeuusa<;es de fado peranle a assembla,
salvo com documentos que provem a verdade, por-
que, do contrario, a aecusaeflo nflo tem resultado, a
conlestacflo nflo acaba, nilo pode servir senflo para
irritar os espiritos, e nada mais. [Contina a ler ....
Candido Jos Rodrigues Torres cada, e ah apre-
sentaram ao carceieiro urna ordem de soltura para
o guarda, fumada por Tboinaz Rodrigues Ferreira,
como commandanle do batalho. O carecrero, sa-
bendo quo o Sr. Rodrigues Ferreir, a nao ac|iar-se
impedido, devia exercor o commando da legiio, e
quo, portanlo, era Ilegal a ordem que se Iheapresen-
tava, duvdou cumpri-la, e declaran que ia consul-
tar a respeito o delegado, o que elTecti va mente fez.
Ao passo que os individuos cima indicados procu-
ravain convencer o carcereiro de quo devia dar cum-
primento ordem, oxigiam ao mesmo tempo que ao
menos fosse o guarda removido do xadrez para o
eorpo da guarda, ao que nilo annuio o carcereiro,
segundo consta das pecas odlciaes queV. Exc. ver
transcriptas nesse diario.
< Tendo partido o carcereiro para consultar o de-
legado sobre a questflo da ordem, na su ausencia
conseguemaquelles individuos que o guarda saia do
xadrez para o corpo da guarda, e por (ni o tiran) da
prisflo, de modo que, quando vollou o carcereiro,
j nflo achou nem o guarda nem os seus devotados
protectores.
Aqui temos, perianto, um oflicial da guarda
nacional deixando o commando da legiio, que Ihe
competa, para assumir indevidamento o do bata-
lhilo, que, na forma da lei, perlcncia ao major res-
pectivo; eque defecto oexeroia; o.quo ludo nflo
era cstranho a*o dito tenente-coronel T. F. Ferreira,
poisello'o havia rcconhccidoem um officio quo di-
rigi ao major do batalho M. A. Pientzenauer {vide
oflicio n. 2).
Temos mais que um grupo de individuos se
apresentam cm campo para obter a soltura de um
guarda que fra preso orden) de auloridado com-
petente, o que, dirigindo-so prisflo publica, ten-
tam afastar o encarregado de sua guarda do cumpri-
mento de seus deveres, e por lim na sua ausencia li-
ram o preso do poder dajustica. ludo isto se fez,
como soube por informacOes particulares, e he de
presumir, com alarde e estrepito. Haviam esses so-
nbores protestado ao seu protegido, que nflo sei quo
grandes ttulos para isso tenha que contra as ordens
do seu commandandante, a despeito da lei o de to-
das as conveniencias, ello seria sollo. E o fizeram pe-
la maneira que cima lea dito.
i lnlerado de todos esses tactos, j pelos docu-
mentos constantes do mesmo Diario, o ja por infor-
mages particulares c fidedignas ; vendo que havia
timbre c proposito da parte de outros individuos em
tirar ao governo e aos seus delegados toda a forra
moral, menoscabando por urna maneira tilo acintosa
ordens legacs emanadas de autoridades competen-
tes, demitti o commandanle do batalhilo, Thomaz
Rodrigues Ferreira. E, como o facto era grave, en-
tend do-meu dever manda-lo responsabilisar, ex-
pedindo para este lim a portara que V. Ex. lera sob
numero 3.
o Assim procedendo, nflo livo por lim senflo des-1
aggravara lei, sustentar o respeito devido s auto-
ridades, c por nenhiim modo perseguir a este indi-
viduo. F. tanto he isto verdade, que o juiz de liroi-
lo que Ihe deve formar o processo, obacharel Joa-
quini llandeira de (ovia,(be juiz municipal, mas es-
t no cxeicicio de juiz de direito) nao podo ser sus-
peito 80 Sr. J. J. Rodrigues Torres e seus amigos.
Ve-se, perianto, que nflo houvc conluio nem
plano para perseguicffo, e smente o cumprimento
di lei. Fizo que devia; aojuiz compete julgar como
fr de juslica. Um facto desses nilo devia passar co-
mo ordinario e innocente.
Quanto soltura do preso, ordenc ao delegado
do polica que restaurasse processo sobre esse facto,
para seren punidos aquellos que porventura hou-
vessera tirado o preso da cadeia, sem ordem e na au-
sencia do carcereiro. *
O mais que aqui veni nflo importa. He isto o que
pude saber do facto aqu apresentado pelo nobre se-
nador a respeito de tim guarda nacional em Itabora-
by. Eu entendo que o qrflTse adirma nesta infor-
maeSo lie exacto, nflo posso censurar ao vice-presi-
dente do Rio-de-Janciro ; pelo contrario, acbo mo-
ti,vo, se nflo para o governo elogia-lo, porque fez o
son dever, ao menos para continuar a ter grande
confianca nelle.
|)z-se que o commandanle de um batalhilo da
guarda nacional de llaborahy passou a rnmniandar
a legiio, porque o commandanle da legiio passou a
servir de juiz de paz ou supplcntc de juiz de paz, o
porconsequeneia ficou vago o commando do bata-
lhilo. Esto commando devia ser tomado pelo major,
segundo a lei, ccom elfeito assim o fez. O major da
OraflOS a um guarda ; por tres ou quatro vezes foi es-
te guarda avisado para fazer oservico do piquete,
e desobedeccu ; o major, que commandava o bata-
lho, mandou-o prender; este bomcm foi preso;
mas diversos individuos foram prisflo com ordem
do commandantc do batalho, quo estava comman-
do a legilo, puraque o preso fosse solt o carce-
reiro no o quiz soltar; cumprio o seu dever; mas,
emquanto so vai informar ao delegado, que dizem
que morava na mesma praca, o preso he sollo e con-
duzido por esses individuos que o foram tirar da pri-
sflo. O vice-presidente, saliendo deste facto, demit-
te o commandanto d batalho que commandava a
legiio, por nflo ter cumprido oseu dever, ou por ter
feito incompetentemente o que nilo devia fazer, o
mandou processar esses individuos que se apresen-
lar,i.-n na cadeia para soltar o preso. Ora, ueste ne-
gocio nflo vejo nada quo seja irregular, nada que se-
j,i censuravel, se elle he assim; mas, comoosfactos
podem ser contestados, eu esperarei o resultado do
mesmo negocio para formar um juizo; antes no
aecusarci por maneira neiihtima o vice-presidente L
da provincia : eu-procederia da mesma maneira cm
qualquer occasifio e'na melhor be f.
O ir. R. Torres ; Peco a paavra.
PERNAMBJCO.
TRIBUNAL DA RELACAO'.
a
JCLGAMENTO NO DA' 9 DE OUTUBRO DE 1847.
Desembaryador de semana o Sr. I'onca de Ledo.
Na appellacflo crime omqucso partes a Justina e
JoflO Jos Alves Gomes, reo preso, julgaram proce-
dente a appellacflo.
.\a dita dita em que silo partes o promotor publico
e o preto Aleixo, escravo de tenente-coronel l.ou-
renco de Albuquerque, julgou-so procedente a ap-
pellacflo.
Na dita civel entre Bernardino Jos do Souza o
Alexandrina Mara da Conceieflo e outros, mandaran
dar vista ao Dr. curador geral dos orphflos.
Na dita dita entre Daniel Olput e Frederico Coln,
mandaran) dar vista as partes.
No dita dita entre Jos de Medeiros Tavarcs, como
tutor dos menores I i I tos do (nado Joo Amonio
Marlins, e Mauoel Ferreira da Silva Ramos, manda-
rao dar vista ao Dr. curador geral dos orphflos.
Na dita dita entre a viuva Sevo e lilhos o I. Mara
Joaquina da Costa Perelli c oulros, mandaran.) dar
vista as parles.
Julgou-so procedente o dia deapparecer em que
silo appellantes Auna lgnacia do Sacramento, viuva
do Estevo Marinho da Fonseca, e outros, e appella-
os Mauoel Antonio Itaptisla e oulros.
Foi indeferida a petic&O le queixa do caplilo Luiz
Consaga da Fonseca.
COMMEMIO.
latidega.
REND1MENTO DO DIA 9..........
Descarregam hoje, ti.
0:954,498
Barca Washington carvo.
Barca Esk mercadorias.
Brigue hspirito-Santo v inlio.
Hiato Nereide-- farinha do trigo.
Consulado.
RENDIMENTO DO DIA 9.
Geal.
992,839
PERNAMBUCO, '> DE OUTUBRO DE 1847.
AO MEIO-DIA.
Hua da Cadeia do Itecife, n. 34, luja de cambio de
l.uurcnco & Otiveira.
PRECOS CORRENTE8 DE HOJE.
Compras. Vendas.
Moeda de prala.
I'alacoes brasileiros -
Pesos columnares------------
Ditos da patria--------------
Moedas de 5 francos-
Ditas de 2 patacas.....
Ditas do 1 dita......
2,000......
1,980 ......
1,820......
1,660 ......
1,280 ---------------
640......
2,010
2,000
1,840
1,680
1,290
660
Moedas de ouro.
[Continuarse- ha.)
Pecas reinas- -.....16,300......io,400
Hilas novas-------.....16,000......16,100
Moedas de 4,000 rs.---------9,100......9,200
Oncas despatilllas---------29,000......29,200
Ditas da patria.......28,800......29,000
Soberanos.........8,900......9,000
Moeda de cobre 4 p. % de premio 6 p. %
Descontos.
Compram-sc lettras de boas firmas do commercio
a 1 por /0ao mez, vencimenlos at dezembro do
correte, e vendem-se a 7/8 por 0 vencimenlos pa-
ra o mesmo lempo.
Cambio sobre Londres 27 1/2 d. a 60 dias.
PRACA DO RECIFE, 9 DE OUTUBRO DE 1847,
AS 3 HORAS DA TARDE.
Revista semanal.
Cambios Fzoram-so transacc5esa 27,27 1/4
e27 12d. por 1,000 rs.
Algodo---------Entraran) 872 saceos. Nflo houve
expOCUcfio. As vendas continua-
ra m ao preco de 7,000 rs. por cada
arroba do de primeira sorte.
Estilo depositadas nos armazenff
2:235 saccas.
Assucar----------Foi pouco procurado, e por isso
limitadas vendas se effectuaram a
1,000 rs. sobro o ferro por arroba
doencaixado. Do velho, anda se
acharo cm deposito cerca de 1:200
caixas.
Couros ----- Os precos foram os mesmos quo
noticiamos na ultima revista.
Bacalho---------O deposito nilo excede a 300 barri-
cas ; isto no obstante, um carre-
gamento, que locou no porto, sc-
guio para o sul.
Carne-secca------Entrou um pequeo carrgamen-
to. O deposito ho do 8-.#00 ar-
robas. As vendas regularam de
2,600 a 3,400 rs. a arroba.
Caf- ------ Vendeu-sc do 2,600 a 3,400 rs. a ar-
roba.


'I


*
m
^y^g
==2s=*



i
Farnha de trigo-Chegaram 500 barricas do Rio-de-
Janeiro, que estilo em ser; e mil
oitocentos e cincocnta de Richc-
mond, que se estilo retalhando ao
prego de 22,000 a 23,000 rs. por bar-
rica.
Vinho......Vendcu-se a 65,000 rs. a pipa do
de Marsetha.
Existen no porto 34 embarcagOos, sendo 20 brasi-
leras, 1 dinamarquesa, 1 franceza, 1 hamburgueza,
4 nglezas, 3 portugnezas e 4 sardas; tendo entra-
do 5, e sahido outras tantas.
Estilo a fretar : para Gpnova a polaca sarda llosa,
de 207 toneladas; para qiialqucr porto o brigue
hamburguez Courad, de 250 ; e a escuna ingleza He-
be, de 197.
lioviiiiento do Porto.
Xarins iiihidot fin din Q.
Para ; patacho dinamarquez Apenrade-Packet, capi-
tilo P. I, Hcmmet, carga parte da que trouxo.
Londres galera ingleza Tefethire, eapilaoW. Pun-
chard, carga a mesina que trouxe.
IVavios tnlradoi nodiaiO.
Talmuth, pelas ilbas de Madeira e Canarias; 34 dias,
paquete inglez Crane, comniandantc o tenento
Parson.
Terra-Nova ; 38 dis, brigue inglez Kunnymede, de
200 toneladas, capitilo T. Waltcrs, equipagom 13,
carga 2:500 barricas de bacalho; a James Crab-
trec & C.
Araeaty; 13 dias, sumaca brasileira Carila, do 44
toneladas, capitilo Joilo Antonio da Silva, cqui-
pagem 9, carga sola carne e mais gneros ; a
Jos Gongalves Siims. I'assageiros, Mariano Jos
Filippe, Antonio Jos Correia Francisco Jos
PereradeBrito, Manoel Bernardiuo do Aguiar, e
32 escravos a entregar.
Navios sahidot no mesmo dia.
Macei; brigue-escuna de guerra lirasileiro Legali-
dade, commandante o capitao-tenento llaphael
Mendos de Moraes Valle.
Lisboa ; barca portuguoza Ligeira, capitilo Antonio
Joaquim Rodrigues, cargaassucar o mais gneros.
Passagoirs, Edward Fenton o sua familia, Ingle-
zes; Jos Joaquim Barroso, Porluguez.
Liverpool; barca ingleza Hopnetll, capitilo James
Newton, carga lastro de assucar.
Canal ; brigue inglez Alheni, capitilo William Alien,
carga assugar.
Babia ; patacho sardo Providencia, capitilo Marcos
Ivolitch, carga parto da que trouxo de Genova.
:">'
Paco da cmara municipal do I\ficfe, em 8 do
outubro de 1847.
Manoel Joaquim do Fego t Albuquerque,
Presidente,
Joto Jos Fericirade Aguiar,
Secretario.
A cmara municipal da cidade deOlinda e leu termo,
m virtude da lei, ele.
Faz saber que, nodia 13 do corrento mez, serilo
arrematados por quem mais der os contratos se-
guintes : dos mscales e boceteiras, o repeso dos
acougues as casinhas da ribeira, o subsidio dos
porcos, a afericlo dos pesos e medidas, o a'rma-
zem grande no Varadouro, dito pequeo no n.es-
mo lugar; devendo os pretendentes comparecer
habilitados e munidos dos competentes fiadores
E para que chegue ao conhecimento de todos,
mandamos publicar o presente nos lugares do cos-
til me c pela imprensa.
pdade de onda, i. de outubro de 1847.Jos
Joaquim de Almeida Guedes, presidente.Joo Pau-
lo terreira, secretario.
EDITA ES.
Miguel Archanjo Monteiro de Andrade official da im-
perial ordem da Rosa, canalleiro da de Christo, e ins-
pector da alfandega de l'ernambuco, por S. M. o
Imperador, que Dos guarde, etc.
Fago saber que, no dia 14 do correte mez, ao
mcio-dia, se bao de arrebatar em hasta publica, na
porta da alfandega, urna caixa com 24 livros do el i
reilo no valor He 74,800 rs; um barril com vinho
de Lisboa, no de 17,280 rs., e quatro caixas com
dilTcrentes vidros para botica, no de 155,545 rs., li-
vros de direitos ao arrematante, cujos volumes o-
ram achados de mais no acto da conferoncia da
barca portuguesa Ligeira c apprchendidos pelos
cnipregados que a fizeram.
Alfandega, 9 de outubro de 1847.
Miguel Archanjo Monteiro de Andrade.
A cmara municipal desla cidade do llecife c seu
termo, etc.
Faz saber que ella fez e o Exm presidente da
provincia mandou que se cxeculasse provisoria-
mente, a seguinte postura addicional, a quul, por
isso, da data deste em diante lera inicuo vigor, co-
mo nella se contm.
pensa qualquer outra recommendacSo. Acha-se a
vonda na loja de livros do bairro do Recife, ra da
Cruz. n. 56; em S.-Antonio, na praga da Indepen-
dencia, loja do livros do Sr. Figueira, n. 6 e 8; em
Olinda, ra dos Quatro-Cantos, loja do Sr. Domin-
gos, pelo mdico prego do 1,280 rs., cada exemplar.
Avisos martimos.
__Para o Rio-do-Janeiro segu em poucos dias o
brigue-escuna Amatoniis, por ter parto do seu carre-
gamento prompta : quem quizer^arregar ouirde
passsagem. para oquetem bons commodos, dirja-
se a ra do Vigaro, n. 5.
__Sabe com a maior brevidade para a Baha, por
ter a maior parto do seu oarregamento prompta, o
ja bem conhecido hiate Tentador, forrado e pregado
de cobre : para o resto da carga e passageiros, tra-
ta-secom Silva & Grillo, na ra da Moeda, n. 11.
Para a Baha segu, em poucos das, a sumaca
Santo-Antonio-de-Padua: para o rosto da carga e
passageiros, trata-se na ra do Vigario, n. 5.
JJeclaracoes.
O vapor Impcrtitris recebo as malas pa-
ra os portos do norte hoje, 11J do
. correte as 3 horas da tardo. As cor-
respondencias que vieren depois desta hora paga-
rilo o duplo.
Contrato a celebrarse com a thesouraria das rendas
provinciaes, no corrate mez.
DA 30.
0 eslabelecimento de una linhfl de mnibus, que,
na formada lei provincial n. 191, de 80 demarco
ultimo, facilite o transporte desta cidade para qual-
quer dos respectivos arrabaldes, c para Olinda.
Objectos que a repartic"o das obras publicas pre-
tende comprar.
Vinte e cinco caibros do 30 palmos ; 50 pregos
calbraes ; 50 de batel grandes; 6 varas de 32 palmos
decomprido; 18 pilastras de 7 palmos do compri-
mento c umem quadro; 16 milos-tra.vessas de 30
palmos de comprimento ; 32 libras do pregos de
cosladinho ; 16 de ditos de costado.
Cadeiras vagas a concurso.
De 4 do correte a 50 dias efTeituar-se-lia o con-
curso cadeira de grammaticu latina da villa do Na-
zareth. Os que quizerem intervir no concurso dc-
veni apresentar na secretaria do lyco desta cidade
os papis que necessai ios se fazeni para que sejam
considerados habis a ser incluidos na lista dos op-
positoros.
Lei loes.
Leililo de urna porco de queijos na porta do
nrmazcm de Das Ferreira, terca-feira, 12 de outu-
bro, as 10 horas da manhila.
Kalkmann & Rosenmund farflo leililo, por intor-
voncilo do corrotor Oliveira, do grande porcilo do
razendas, todas proprias do mercado : boje, 11 do
correte, s 10 horas da manhila, no seu armazotn
na da Cruz.
--Me Calmont & Comparihia farilo leililo, por inter-
vengao-do corretor Oliveira, de grande porcilo de
lazendas, todas proprias do mercado : terca-feira,
12 do corrente, s 10 horas da manhila, no seu ar-
ma/em, praca do Corpo-Santo.
Avisos diversos
POSTUlU ADDIUOSkL.
Art. 1. Nos arrabaldes, suburbios e povoacOcs
cireumvizinhas desla cidade, podei-se-hflo cons-
truir casas de madeira e de laipa, cobertas de tellia;
c bem assim tellieiros sobie csleos, procedendo li-
cenca ecordeagoda cmara: os que construiiom
taes obras sen a respectiva licenga e cordeagilo,
sorSo mullados na quantia do 8,000 rs., c dcmoli-
eflo da obra, se se veiificar que esta tora doalmlia-
mentoque houver sido determinado pela cmara.
Art. ultimo. Ticaiii sen vigor todas c quaesquer
posturas municipaes, que se oppozetem a execugo
da presente.
Paco da cmara municipal do Reare, em sessito
ordinaria de 28deselemhro de l847.--Afanoe/ -Joa-
quim do Hego e Albuquerque, presidente.-tfnoc
Caelano Soares Carneiro Monleiro.r. Ignacio ISery
da lonseca.Jos Egidio Ferreira.I)r. Joaquim de
Aquino Fonseca.Hodofu Joo trala de Almeida.
E para constar mandou a cmara publicar o pre-
sente. ., _
Pago da cmara municipal do Heciie, em sessao
ordinaria de 7 de outubro de 1847.
Manoel Joaquim do llego e Albuquerque,
Presidonte.
Joo Jos Ferreira de Aguiar,
Secretario.
Objectos apprehcndidos pela polica.
Um barril de 5em pipa, com algumas caadas de
azcitc-doco. Foi adiado no quintal do Porluguez
Domingos da Rosa. I)eve de ser reclamado na sub-
delegada do Recife
Escravos apprchendidos pela polica.
Tres prctos que se suppOc fgidos, e dos quaes
um declarou pertencer ao dono de una rundiglo.
Estfio no callabougo do corp"1 policial. !!e na sub-
delegada de Santo-Antonio que se bao de verificar
os ttulos comprobatorios do direto que a elles tiver
quem qur quo os reclamar.
Manoel, de nago Angola, que disse perlenccra
Joio Raposo, e que foi preso na estrada queconduz
de Tigipi a Saiil'Anna.F.st na cadeia desta cida-
de, edeve de ser reclamado na subdelegada dos A-
fogados.
THEATiiO PUBLICO.
SEXTA-FE1RA, 15 DE OUTUBRO,
a beneficio da segunda dama, Francisca Thcodora
das Cbagas, se representar o niuito applaudido o a-
prcciavel drama
A cmara municipal desla oidade do llecife, etc.
Faz saber aoseleilores das fieguezias de seu mu-
nicipio, ltimamente eleitos, que o Exm. presiden-
te da provincia, por ollciode 7 do correle, desig-
nara a greja matriz desta freguezia de Santo-Anto-
nio para a reuniilo docolleglo eleitoral desta cida-
de, quo deve ter lugar no da 19 do correle, para
proceder eleigilo de dous senadores, devendo o
mesmo colbgio compr-se dos eleitores acuna in-
dicados e dos da freguezia do Muribeca.
E para conhecimento de quem convier se mandou
publicar o presente.
Pagoda cmara municipal do Recife, em sessao
ordinaria de 8 de outubro de 1847.
Manoel Joaquim do llego e Albuquerque,
Presidente.
Joo Jos Ferreira de Aguiar,
Secretario.
Perante a cmara municipal desta cidade se
hilo de arrematar a quem mais der, hoje, 11 do cor*
rente, osalugueis das lojas da praga da Indepen-
dencia, ns. 1e8, leudo por baso a quantia de 200/
rs. de alugucl de cada una por anuo. Os preton-
o DUQUE DE BAYISRA,
o qual ser decorado com todo o brilhntismo ,
tanto no funeral da duqueza como na Iransmutagilo
do seu mausulo para um elegante IhroiiQ, ornado
de tropa e msica militar. Terminar o espela-
culo com a muito graciosa larga Os dous Ciborios,
ou a Camara-Ojitica cm que o Sr. Santa Rosa
fara a graciosa parte do Andr Paleta. A beneficia-
da nao te ni poupadodespezas para o liom desem-
penho do drama quo com a cooperaglo do director
apresentara o mais brilhante que at boje se tcm
visto ueste llieatro.
PKKSEIMO NO THEATRO PUBLICO.
O director do llieatro lenciona apresentar este
anuo em sceua o mais brilhante presepio, que at
agora se ton ha visto : dividido em tres parles sendo :
Primeira :o triumplio deMardocheo, Escriptura
Sagrada Eslhcr, decap. 1."at cap. 14 24.
Segunda: a ceguoira do Tobias, cap. 2.at cap. 12
21.
Terceira o nasciment do Messias Seg. S. Lucas de
cap. 2. al 20.
Para exccugflo destes tres dramas, convida a todas
as pessoas quo quizerem dars meninas a quarenta
mil ris, os meninos a trila mil ris, a comparece-
rein no lliealiodo l."de oulubro at o dia 30 do
mesmo. Sendo que lano meninas como meninos
bao de cantar; c nao pdenlo levar em sua compa-
nhia mais do que urna pessoa que asdevercondu-
zir; nenhunia outra lera entrada na caixa do triea-
tro, seja qual fr o pretexto, debaixo desta condigno
be que o director d dez mil ris de mais 'do que
o auno passado. A decencia e recato ja observados
nos sousdous presepios anteriores, sao mais que
sullicienlo garante que offerece para.seguranca dos
jovens de ambos os sexos.jque se eonttatarcm no
presente presepio.
Publicaco Litteraria.
A LGICA POPULAR do Mr. Ad. Lecomte aoha-se
traduziila em porluguez. pelo padre Joilo Barbosa
Cordciro, que a deu ao prelo no Cear. A simplici-
dade, clareza e concislo desta obra a pen ao al-
canse de qualquer intdligencia, por mediocre que
seja, e a torna de summa iitilidade anda aquellas
denles comparecerilo munidos de fiadores habilita- pessoas, quo nao podem frequentar aulas publicas,
dos na forma da lei, na casadas sessOesda inesniarnem pagar a mestfes particulares para Ihes dar es-
camara. JplicagOes: o seu titulo mostra o que ella he, e dis-
1_ Os abaixo assignados participam ao
publico, que dissolveram ainigavelmenle a
sociedaiJe que tinham na casa de cambio
da ra da Cadeia do Recife, n. 3$, a qual
gyrava sob a filma de Lourenco & Oli-
veira y e que unnimes se responsabilisam
por todas as (rojisaccSes feilas at hoje,
em que futuinmente se acba obrigada a
dita firma ora extincta; passando a sua l-
quidacao a ser feita na mesma casa cima
declarada, e a cargo de Gregorio Antu-
nes de Cliveira. Recile, 9 de outubro de
1847. Jos Antonio Lourenco. Gre-
gorio entunes de Oliveira.
O abaixo assignado participa ao pu-
blico, que tem eslabelccido urna casa de
cambio e de corretagens na ra da Cadeia
do Recife, 11. 34, e que se acha prompto
para pagar c receber,nos dias dos seus ven-
cimenlos, o importe de qualquer lettra
dasque seacbam em circulaco comas
cxtinclas firmas de Lourenco, Basto & C.\
e Lourenco & Oliveira ; e o mesmo fsr
com aquellas que de boje em diante nego-
ciar sob a sua firma. O mesmo tem jcons
tituido seu bastante procurador ao Sr
Manoel Joaquim Silveira,'pora tratar de
todas as tiansaccSes da sua casa, e poder
firmar qualquer documento no seu impe-
dimento. Recite, 11 de outubro de 1847.
Gregorio entunes de OUveira.
Achou-se urna sobrecasaca no porto de San-
Francisco, debaixo de urnas pedras : quem fr sen
dono, dirija-se ao mesmo porto, canoa de Jos A-
nacleto Pereira, que dir quem a achou.
Manoel Jos Vicira de Araujo, subdito portu-
guez, retira-se para Babia.
A uessoa que se mudou do sobrado da ra de
San-Renlo, pegado aos fundos de San-Pedrc-Vclho,
na cidade de Olinda, haja demandar pagar os 5,000
rs. que resta do aluguel da dita casa ; senilo, ver o
seu nomo por extenso nesta folha.
Precisa-so de dous aprendizes de charuteiro:
em Fra-de-Portas n. 127.
-- O abaixo assighado, tendo do fazer urna via-
gem fra da provincia a tratar de sua sade, dei-
xa por seus procuradores e oncairegado de sua ca-
sa a seu mano Antonio Pinhciro de Mendonga e a
Jos Joaquim de Oliveira Gongalves. Recife, 9 de
outpbro de 1847. Manoel Pinheirode Mendonca.
Aluga-^io urna casa terrea para grande familia,
no Pogo-da-Panella para se passar a festa : a tratar
n l-'ra-de-Portas com Manoel da Silva Neves.
Antonio Julio de Miranda Oliveira agradece ao
Sr. Manoel Francisco Durans o bom modo com que
o tratou, durante um anuo e meio que trabalhou
em sua paitara do que se acha assaz agradecido
-- No da 8 do corrente pelas 5 horas da tardo.,
foi un prolo levar na ra da Caileia-Volba, n. 12 ,
urna trouxa de roupa dzendo quo a lavadeira a
tinlia mandado o nodia seguinte indo-s exami-
nar conheceurso que a roupa pertonce a outra pes-
soa: por isso faz-seo presente annuncio, para quem
3uer que for seu dono a mande procurar que ,
ando os signaes certos llie ser entregue.
A. ROBBiO RABEQL1STA ,
dar o seu segundo concert no hotel
FianciSco, ti* noile de terca-feira 19
do corrente e avisa ao respeitavel pu-
blico que haverao dous saloes no mesmo
hotel pranos intervallos poderem os
espec'adores estareni mais a seu com-
modo.
Os bilhetes vendem-se na casa do- be-
neficiado, ra do Torres, n, 8, segundo
andar e na noite do concert no mes-
mo hotel. Entrada geral 3,ooo rs.
O TIUBUNO N. 26
5st a venda ao meio-dia nos lugares d costume.
Jlo carece recommendar-se a sua importancia, por-
quo o povo j o conhecc.
OSr. Augusto Duartcdc Moura queira mandar
pagar 7,680 rs. a Antonio Baptista Nogueira.
PARA AS PESSl-AS QUE TENCIONAM SEGUIR
VI\GEM.
Na ra do Rangel, n. 9, conlnuam-se a tirar pas-
saportos para dentro e fra do imporio, desp^cham-
se escravos e correm-so ful has; ludo com muita bro-
vidade o por prego com modo.
--O abaixo assignado faz sciento ao respeitavel
publico, que se ncha com provisilo para sollicitar
causis no juiz cvel e erime desta cidade por isso
que, quem de sen prestimoso quzer utilisar di-
rija-se ao paleo, do Hospital'do Paraizo n. 28, se-
gundo andar das 6 as 8 horas da manhSa o das 2 as
ida tardo.
Theodor de Almeida Costa.
Rosa-seao Sr. Odeirp ; sindanin de- [-
toriosnesta cidade o obsequio do restituir o cha-
pee de sol, qno no dia 2 do corrente, leyou por en-
gao do sobrado n. na ra do Rozario, onde po-
de entregar o achara o que deixou.
Precisa-so una multver parda, ou preta, do
meia idade fe do boa conducta que saiba coziuhar
perfcilamente para urna casa de pouca familia : na
praga da Independencia loja n. 3
Precisa-sede urna ama de leitepara acabar do
criar urna menina de 8 mezes ; na praga da Indepen-
dencia n. 3,
Permuta-se a casa terrean. 3, sita na ra do
Boin-Succcsso, da cidade do Olinda, comduassalas
na frente, quatro quartos, coziiilia. dentro, toda
reedificada de novo, com um sitio sodYivel, chilos-
proprios, por outra qualquer no bairro de Santo-
Antonio 011 Boa-Vista; preferindo-se ser na Soledade:
na ra de San-Francisco, casa n. 24, ou na praga da
Boa-Vista, n. 6.
-Precisa-so de um trabalhadorde tnasselra : na
ra arga do Rozario, n. 48.
T-Aluga-se una casa terrea com bons commo-
dos, quntale cacimba pintadas caiada ha pouco
tempo, sita na travessa do Peixoto : a tratar no bec-
co do Sarapatel, sobrado n. 16.
Aluga-se, na povoagilo do Monteiro, defron-
te do Sr. Joaquim Tirburcio, urna casa com bastan-
tes commodos para se passar festa : bem como um
sitio as trras da Torre q.iasi defronte da Ponte-
de-Ucha, com urna pequea casa, boa baixa de
capim um bananeiral, e terreno devoluto para so
ter animaes sollos: a tratar no Aterro-da-Boa-Vis-
la n. 37, segundo andar.
Aluga-se, ou arrenda-se urna das melhores ca-
sas do Caldereiro con quintal e cacimba de mui-
to boa agoa de beber, com 5 jancllas de frente, sala
de frente, duasalcovas gabinete com alcva, sala
de detrs com dous quartos e gabinete ..junto ao
sitio do Sr. Jos lligino : a tratar na ra do Queima-
do n. 37.
AO BOM TOM PARISIENSE.
RA NOVA, N. 56.
Tempelte & C., alfaiate,
teem a honra de avisar ao respeitavel publico e
com especialdedeaos seus freguezes que muda-
ra m o seu estabolecmento sito na ra Nova, n. 7,
para a mosma ra n. 56, onde continuarilo assi-
duos a servirem os seus antigos freguezes e quel-
les que os quizerem honrar Aproveitam esta oc-
casilo para participaren! que se acham prvidos de
um bello sortimento de fazends recentementeche-
gadas de Franca pelo ultimo navio como sejam :
pannos pretos e de cores para caigas ; casimiras-so-
tm ; dita elstica : tildo do ultimo gosto : bem co-
mo sedas, setins, velludos, fnstOes impressos e bor-
dados, proprios para colletes ; urna completa co(lec-
c/lo,de figurinos das modas as, mais recentes de
Pars. No mesmo estabelceimento se encontrar
sempre um gratule sortimento de roupa feita, para
todos os tamanhos, bonetes de'velludo para senho-
ra, proprios para montara e varios obiectos de
phantasia: ludo moderno e da melhorqualidade.
Joaquim Gongalves da Silva avisa quo nin-
guem faga negocio com urna lettra, cuja cobranga a-
gora exige do annunciantc Jos Sevenno Gavalcan-
te de Albuquerque, porquanlo a nilo deve, o protes-
ta mostrar seu direilo no foro competente. Epor es-
ta occasHo declara que actualmente so deve o Sr.
I)r. Antonio B'orges da Fonseca, e se alguem mais so
iulgaseu credor, no prazo de um mez, aprsente
suas conlas na cadeia publica desta cidade onde ac-
tualmente se acha o annunciantc. Cadeia, 8 de outu-
bro de 1847. .,,,.
-Quem precisar de um coznheiro, chegado lti-
mamente de fra dirija-se a ra da Cadeia de &.-
Antonio, loja de empalhador, n. 14.
-Aluga-se a casa terrea da ruado Sebo, n.is.
a fallar na ra Vclha, n.87.
-Foram apprehcndidos, na estrada da Passagem-
da-Magdalcna dous quarlaos com cangalhas, sen-
do um rugo eoutro melado, isto en das do mez do
selembro : quem sO julgar com direito a elles diri-
ja-se a barreira do mesmo lugar que dando os
signaes certos, e pagando as despezas Ine serao
entregues.
Aluga-se annualmente, ou para passar a festa,
un sitio no lugar do Pogo-da-Panolla na mor par-
le murado com boa casa de vivond com 6 quar-
tos casa para pretos, estribara pogo com tan-
quo arvoredos de fructo. inclusive dous parreiraes:
dirijam-se a ra ta Calgada-Alta, sobrado de dous
andares n.-, na freguezia de S.-Jos 011 a ino-
souraria desordenados, para tratar com seu pro-
pietario Jos Lopes Rosa.
OSr. Antonio Serafim da Silva queira apparc-
cer na ra da Praja arinazem n. 37,'ou pessoa quo
faga suas vozes a negocio de seu intorease.
Precisa-so de un criado que sesubjeitea fazer
as compras de urna casa e'que as conduza para el-
la : -no paleo do Terco, n. 16. >,
Aiugam-se na Trempe, urna casa terrea com
quintal, cacimba o mais commodos para 6ra!lU"'
familia : outra na ra da Soledade, 11. 35, por l.OOO
rs. mensoes, e mais duas outras pequeas, na ra do
Sebo, ns. 52 e 54, por 8,000 rs. mensaes 1 quem pre-
tender dirija-se ao escrptorio de F. A. de Oliveira,
rna da Aurora, n. 26.
Aluga-se una sala com urna boa alcova e um
quartode retiro proprio para um ou mais hornen
solteiros, na casa da ra do Collegio n. 17, no
segundo andar: a tratar na ra do Crespo, ". *i
com Ricardo Jos de Freitas Ribeiro.
Quem quzer dar 600.a 700,000 rs.* a premio,
sobre livpolnecaemum predio livre o desembara-
gado, d"irija-se a ra do Aragfio, n. 7, que se aira
quem precisa.


c J
O dentista e sangrador
Jos Anacido,
muito condecido ncsta cidade, com 16 a 17 annos
do ortica em sua arte, morador na ra ostreita do
Rozario do bairro de Santo-Antonio, junto igreja,
casa terrea, n. 7, tem a honra de annunciar ao res-
neitavel publico pela segunda vez, especialmente a
todos os seus freguezes o amigos, que alie se acha
muito prompto, das.6 horas da manhaa at as 6 da
arde, para praticarqualquer operado pertencente
a sua Hite, sendo que de seu prestimo se quciran
ut'ilisar, d'agora em diante pela tabella fixa aqu
expressa, sem distingo-nem qualidadesde pessoas.
Tudo ser feito com muita delicadeza e humanida-
de e muito desembarazo, mosmo perante qualquer
um medico e cirurgifio, tanto em casa como dentro
e lora da cidade, mandando-se-lhe a indicaco do lu-
gar a que elle he chamado, nome da ra, numero
da casa, con. a firma do dono ou dona, afiaucan-
do-se pagar-lhe as jtassadas ou a visita, caso nao
pratique a operado por nlo sor mais proowt, ou
por outra circunstancia independento dai sur vod-
Ude, para vir promptamente, perdendo elle os seus
interesses em sua casa, faltando aos seus fregue-
zes como sempre.tem acontecido e acontece
rrimeira tabella fixa dos precos rasoaveis das opera-
Ces praticadas em casa.
Tirar delicadamente um dente ou urna raiz 1,000
Chumbar um dente cdtn qualquer metal
brancodela ........... 2,000
Chumbar com ouro, sendo preciso 4,000
Apartar perfeitamente os quatro dentes in-
cisivos do queixo superior ,. 6,000
Sangrar delicadamente, aventar, sendo pre-
ciso, por cada vez........C080
Porcada applicacfio do ventosas seccas ou
sanadas at se tirar a quantidade do
sangue exigida pelo facultativo 6,000
, O mais pagarao conforme as suas generosidades.
Segunda tabella doi precos mais rasoaveis das operacBes
praticadas dentro da cidade.
2,000
lotera do'theatro
AOS 6:000,000 e 3:000,000 DE US., SE NAO1 QUE-
REM F1CAR SEM El.I.ES.
As rodas desta lotera desta vez andam l*jj*f
rivelmenteno dia 13 do corrento a,n,,*i2 .he-
gunsbilhetesfiquem: o por isso o respectivo in
soureiro convida aos amadores desle jOgo a que
concorram para se acabarem os bilhetes res'""le;
e principalmente aquellos quo se guardam para
vesperas, visto que estas silo chegadas.
- Quem livor equizeralugar um prelo robusto o
sadio que sirva para aservico decampo, air.ja-su
ao Aterro-da-Boa-VisU, n. 39.
- Precisa-se de um fetor portuguez ou nrasi
leiro que soja mestre em todo o serv.co do enge-
nho: Ji filiar no engenhoS.-Jo5o.em llamara .
ou nesta praca com Francisco X. M. Bastos na ra
do Encantamento. .___..
Aluga-seuma escrava parda para todo semeo
de urna casa de familia : quem a pretender dinja-se
a ra das Flores, n. 29. .
- O arrematante do imposto de 20 por cont so-
bre o consumo das agoas ardentes de produceao "-
sileira avisa aos Srs. que anda nilo psg""! J
consumo, venham faze-lo nos das 9, 1V1, "o
do crrante, na ra Dimita, n. 80 ; lindos o* anW,
so proceder na frma da le contra os que de.xa-
rem do pagar
AUencao!
NalojadaruadoQueimado.n. 30, do Jos Joa-
quim do Novaos, contina a haver um sorlimenlo ae
obras foitas; chapeos do todas as qualidade2 ; 8H0B
para meninos e meninas ; ricos chales de se.i ,
mantas de seda ; longos de todas as qtialidade; o
outros muitosobjectos que ha para vender.
Dentista.
-Prccisa-sealugar um sitio-para urna familia -
trangSTquonao soja muito grande, o y
nha ddi casa de virontfe, bos arvoras r
prica da iniiep*.
Uraaondesedowtu-'l-""
2,000
5,000
8,000
8,000
12,000
Tirar delicadamente um denle ou urna raiz
Chumbar um dente com qualquer metal
branco..... \
Chumbar com ouro, sendo preciso .
Apartar perfeitamente os quatro dentes in-
cisivos do queixo superior ..... 8,000
Sangrar delicadamente, aventar, sondo pre-
ciso, porcada vez...... 2,000
Por urna applicacfio de ventosas seccas ou
sarjadas, al se tirar a quantidade de
sangue exigida pelo facultativo 8>0u
O mais pagarao conforme a sua generosidade.
Terceira tabella dos precos das opcracOes praticadas
fra da cidade.
Tirar delicadamente um dente ou urna raiz,
viagem e operaefio at a altura do urna
cgoa.......;..;
Chumbar um dente com qualquer metal
branco........
Chumbar com ouro, sendo preciso
Apartar perfeitamente osqualro dentes in-
cisivos do queixo superior > 16,000
Porcada spplicnQfio de ventosas seccas ou
sarjadas al se tirar a quantidade d*
sanguo exigida pelo facultativo 16,000
O mais pagarao conformo as suas generosiuauos.
AUencao.
Joaquim Antonio Carnciro & Companhia, avisam
,o reqsPeitavol publico e usrlicularinen e aos seus
freguezes; que, polo ultim nnchegado de Han.
burgo, recebern. urna grande porefio de bichas da
memoras que ha, as quacs se alugam.sei venden,
aos ceios e a retalho, polo menor preco P"ss'vc'.
no scu antigo deposito, na ra da Cruz do ReCH*, n.
43. Declaram mais que sendo preciso, a quaiq. c.
hora da noite, applicar bichas ou sangras, os aciia-
rflo promplos na mesma ra, n. 28, primeiro andar.
- Martinho da Silva Costa correspondente do
Sr. Jcronymo de Albuquerque Mello ncsta praca ,
avisa a quem interessar que reside na Boa-visia,
pateo da S.-Cruz, n. 70, segundo andar.
- Aluga-so ue sitio na Capunga na estrada que
vai para .. Baixa-Verdo com estribara .quarto pa-
ra pelos cacimba com bomba (le pendnla a ira
lar na ra da Penha n. 33.
____Itufino W Corris de Almeida
annuncia que se ocha competentemente
nomeado solicitador do numero da rela-
cao desla provincia, e por issoautonsado
a solicitar causas no civel e enme na
primeira e segunda instancia : quem de
seu preslimo se qoiief ulilisar pde-o
procurar nos dias uteis, em sua casa na
ra da Santa-Cruz da Boa-Vista, n. 78,
da- 6 as 8 horas da manhaa. e dessi lio
?| da dar-sea contento; um molequo
I -i annos, muito lindo o esperto; dous cabr
fP nhas muito lindos, de 11a 16 anuos .ri-
fe toospertosehabois; dous oscrayos ptimos
til para armazem; dous pardos muito moQos
J$ ptimos para pagens, um dos cuses com1 of-
T- ficio de alfaiate: lodos muuo bous cscravos,
A tanto em figura com em conduela, porpra-
In eos commodos : na fu do Vigario, n. 2V, so
I,
dir quem vende.
I
5
--Precisa-so de um moco que saiba traballiar em
padaria, para tomar conta do orna freguezia de ven-
der pao : quem pretender dirija-so ao paleo do
Te-pra"nle2o Sr. doutorjuiz de orph'aos o ausentes
vai a nraca, hojo, 11 do crrante por venda o, si-
Uo da "apunga .com 50 palmos de largo e 260 ditos
do fundo, com asa do vivenda e alguns arvoredos,
por eMCUcao de Antonio Dias da Silva Cardla con-
tra o finado Antonio Martina Vianna: os pretenden es
comparecam-se as 4 horas da tardo do mosmo da,
por sera ultima praga.
O abaixo assignado, se tem que es
teja convencido dequeannuncios naodao
e ncoi tiram direitos, e se ben. que srja
inimigo de polmicas pelo prelo, todava,
para defender o seu crdito contra o an
nuncio do Sr Paulo Caetano e Albu-
querque, publicado no Diario ue 8 c.o
corrente, limita-se a dizer que nSo be
vei .iadeiro o facto de se ter passado urna
ledra com o praio de tres mezes, por en-
gao, pois que o lempo convccionado
fra de tres annos : porquanto a ledra
nao loi escripia pelo abaixo assignado ,
mas por nessoa da conlianca do Sr. Pan
lo Caetano. encangada da elecl.vi.lade
do negocio da venda do engenbo 1 enan-
dnba ; e nao he crivel que l.ouvesse se-
nielhante engao em negocio de tanta
monta. ...
O abaixo assignado, de prevencao, ez
ver que s Ihe convinha que um;. da-
Miras fosse de prazo diminuto, pela ne-
cess.dade de fazer transa cc)s;e nisto se
conveio com a ledra de tres mezes, a
qual o abaixo assignado immediatamente
passou par. pagamento de um dos seus
dbitos.
Cumpre que o publico faca conceito
disto depois que os lacios e a questao lo-
rein competentemente esclarecidos;e por
ora o annuncio do Sr. Paulo t'oetano
da- O as Horas ua manu ra em diante na ra Nova, loja do Sr. |o C(,etan0 0 privilegiado para ser ncre-
Gnerra Silva & Companhia. dilaclo cm negocio de seu inleresse, on-
-Alugam-se os segundo e terceiro andares da casa
da ra do Queimado, n. 17 : a tratar na loja da mes-
*"-Anda csiao para se alagar os casas terreas_ de
ns 25 27. 29 e 31 sitas no lugar do Manguind ,
op'asparasepssaro verflo, por soram muito
frescas, de bons commodos, com quintaos mura-
dos porto de embarque c urna dellas tem seu vi-
ve i ro do poixe dentro do quintal : a tratar com a-
nool PcreiraToixcira morador prximo aquelle lu-
crav
-'- Desapparcccu dos Apipucos urna cadelinha com
os signaes seguinles : de toda melada com o fo-
cinho prrlo responde pelo nome de chiquita o
he muilo pequea. Quem a achar, querendo -resti-
tuir diriia-se ao sitio do coronel Boado no mes
mo lugar ou noRecife ra da Alfandega-Velha ,
11 .quesera recompensado coro 10,000 rs.
-Quem livorequizeralugarurna preta sad.a e
robusta para ser empregada cm carregar iana-
mente urna boceta e hiendas '"js-se Aterro-
da-Boa-Vista sobrado do Sr. Porto, n. 39.
-Joaquim" da Silva Reg ^VniAn
n.x do primeiro districlo da freguezia de Santo-An-
Fonio, ePda subdelegacia da dita freguezia, mudou a
sua residencia para a ra do L.vramento, no pn-
M. S. Mawson, dentista bem conbocido nesta pror
vi'ncia, tondo agora chegado da Europa, e leudo vi-
sitado as capilaes de Londres e Pars, donde Irouxe
os melhores objeclos da sua profissflo que ale nejo
se conhecem, como novos instrumentos, denlos e
mais necessarios para qualquer operacHo da sua ar-
le ofTerece seus sorvicos aos (Ilustres habitantes
desta cidade, conforme a sua tabella fixa, o prome-
te fazer todos ososforcos para agradar aSfenhOMS,
ou senhoras. que o qu.zerem procurar, das 9 lioia
da manhaa at 3 da tarde na ra do Trapiche-No-
vo do Recife, n. 8, sgundo andar.
- Pelo novo destino que deu ao edificio da sua
residencia na ra do Hospicio, poder o doutor
Sarment receber en sua casa doontos que desejoin
vir tratar-so ncsta cidade. Scrao recobidos nao so
os doentes de qualquer sexo o condujo quo sejam,
mas lambem as pessoas, ou familias, quo os quizo-
rom acompanhar. ... .
-O abaixo assignado, tendo-sc no da 6 do corrale,
levantado, acbou dentro do quintal de sua residen-
cia, em Fra-de-Porta, n. 95, da parto da mar
grande, um barril com urna porreo de azeile-uoa,
do que foi dar parle ao Sr. subdelegado, a quem cn-
tregou o mencionado barril: quem so achar com
direilo a olio, pdodirigir-eao inesnio Sr.
Domingos da Kosa.
- Precisa-so do um caixeiro para tomar conta de
urna taberna por balanco, e que d fiador a sua con-
ducta : na ra das Cinco-Ponas padaria n .18.
-Jos da Costa Cu i maraes com prou ao sur. aia-
noeUFrancisco da Silva a sua venda sita na ra do
Caldoireiro, ...91. n-eguezia/do S.-Jose do l.ccil.- :
quem so achar com algum d.roito sobre B monc 0-
nada venda queira, no prazo do 3 das, contados
da publiCacS desto declarar aoannuncianlc, quo,
passado o prazo por nada so rosponsabilisa. nici-
fe, 7 do outubro do 1847.
- Quem precisar de mandar fazer almocos, ou jan-
lares dirija-so a ra da Bica-de-S.-Pedro, n.
Vendem-se 15 escravos, a saber: 5 cscravas
muito mocas, com algumas haBilidaaes ,
ealgumas vondom na ra; urna negrilUU ao
naci, muito linda, que coso solTr.vel.nen-
te.engomma, cozinlia, o he bem educada,
norserrecolbida; -2 lindos moloquesido 10
a II annos ; dous cabrinhas um de II an-
uos o oulrode 16 muilo luidos ; um boni-
to prelo de nacHo, do elegante figura, pti-
mo para armazem, por ser reforjado; dous
nardos muito mocos, um dos quaes com ol-
licio do alfaiate : todos estes escravos ven-
dem-se por preco commodo : na ra do Vi-
gario n. U, se dir quem vende.
Trancelins do qualquer modelo, anncis, litas ,
lloros, aderemos, pulseiras, brincos, ote. ; luao o
mais bm feito possivel ,e por preco mdico
-Prccisa-sedeuin bomom para fetorde um si-
lio, muito perto desta cidade: i| rus. das caran-
geiras.n.-J!, casa das afericOos. ,-,
Km S.-Anna, defronte da eenos do Sr. Nicolao,
lia nlgumas casas que so alugam para so passar a.
fosta : ral|ar no mesmo lugar, com J080 N enancio
Machado da Paz.
- Francisco Pinto da Costa lama tem para von-
1er bous pannos protos azul o verdo ; bom selim
prelo a 3,000 rs.; bous brins; boin velludo prelo ;
lindos corles de colletes, a 3,800 rs. o corte.; bnm do
linl.o; hamburgo; nlgodSozinho branco ntJJWSwJ
linda de carretel branc o do meada botaos pre-
tos de Pedro II; ditos do massa para fardas ; sar-
gelinaspara forros; ganga amaiolla 0 ***** '
francezas; fUalOBSbroncos o algumas obras icius.
-- Aluga-se o primeiro andar do sobrado da ra a
Guia n. 99 a tratar na bi tica do Sr. Paranhoiou
no sobrado da esquina da :ua larga do Horario,, n.
10, segundo andar.
Muita alteitQo.
Desappareceu. no dia i do co.1ro.1lo a escrava
Leopoldina .denacao, de28 a 30 anuos de boa fi-
gura cheia do corpo, cor pela com todos os den-
les cabellos penleados,-odos grandes: lovou 3
vestidos e um chale encarnado de franja; perten-
ec a SenhonD MariaMargarida Alvos; oi ven-
dida por esta sonhora a um padre Joaquim, aqu
chegado do Rio-de-Janeiro morador na ra da
Cruz 11 19, o este mesmo padre a voudou ao abai-
xo assignado morador na ra larga do Hozano ,
11. :(, terceiro andar, aonde quem dola der noli-
cu ser bem recompensado.
/ ictortanno de Mello Oltvetra.
'i
Compras.
de he paite e nao pode ser juiz, mor
mente quando o seu dizer esta destituido
de crenca ; pois que nao he crivel que o
procurador do Sr. Paulo Caetano se en
ganasse no passar a Ictlra, e que o mes-
mo Sr. Paulo Caetano ( alias to minu-
cioso em todas as colisas ) assignasse a
mesrop lettra sem b-la e vero engao-
francisco Ribeito de Brito.
Precisa-so de urna ama de leite, forra, e sem fi-
,o para acabar de criar urna crianca de seis me-
l' p_ ..... a ,a ,1,, Rpeife. o a de miudezas
zes: na ra da Cadcia do Reciie,
"'-^Precisa-se, na fazenda d#Ginipafo da comarca
do Breio-da-Madre-de Dos de um sacerdoto para
capeliao.e paro erisinar as primeiras lettias a uns
meninos .leudo todas as missas subjoitasa capella-
na exceptuando os duas do Natal e todos os mais
aclo's proprios do seu ofiicio; dando-se-lhc o sus-
tento diario roupa lavada e engomiuada cosa pa-
ra morar, eum bom ordenado: por isso convida-
se a aulauorSr. sacordoto de conducta exemplar,
' i__ _.. ____iiao r>ora ir ninhalar
inda ha para a'i.igar 3 casas no sitio Cajoeiro,
para se passar a festa, o urna meia agoa que serve
,;a coheira na Boa-Vista : a tratar com Franc.s-
^SSSmttm criado quo d fiador a sua
conducta o que se obrigue a fazer as compras dia-
rias o ludo o mais quo se determinar : no patoo do
N.-S -do-Terco n. 13.
CHAVES.
Perdeu-so, desden Passagem-da:Magdalcna aji
a,ua daCadia do Reeiltf, um n.oll.o com cinco
chines sendo urna maior que as oi.lras ; um cam -
veto com .abo do osso branco, do duas foll.as, u.na
maior que a outra; que... o livor achado e qu.zer
resilui-lo, dirija-sc n praca da Independencia, li-
naria ns. 6 e 8 que so recompensara.
- Aluga-sc a loja do sobrado .la ra da Cacimba ,
n 3. que tem sempr, servido para acougue o se
acha prompta de todo o necessai 10 para o dito tro-
nco .por preco commodo : a tratar na praca da Itoa-
Vista.no terceiro andar do sobrado da esquina da
ruado Arag3o. .
___Pe-niuta-se um pequeo sitio, m.ii-
to prximo matriz da Varzea, c ao rio
Capibaribe com casa de vivenda que
conten .duas salas, quatro quartos e es-
tribara, com inuilas arvores fructferas,
e umi baixa, por urna casa terrea nesta
cidade ; volt.ndo-se de una ou de oulia
parle o que se convencionar : quem Ibe
convier este negocio, d'uija-se ra cs-
treita do tiozario, n. 19. onde se dir
quem o taz.
-Arronda-so um sitio na estrada do Monteiro ,
ptimo para so passar a festa. por ter muito bous
commodos, casa com gabinete ao lado, loda en-
vidracada, cacimba com lauque, coclicna esin-
baria e quarto para escravos : a trotar na ra \c-
Ida casa da esquina da travessa do \e.as 11. 9t.
- Aluga-se, no lameirao do Monteiro para pas-
sar a festa um silio com muitos arvoredos do fnic-
lo com tres cusas terreas mu.lo decentes e su 11-
cienlospara grande ou pequea familia a tratar
na ra do Vigario n. 13 segundo andar.
D-se um silio muito grande, com duas uai-
xaspropriasparalavoura, capim ou outra qual-
uuer cousa com uina camboa a margein do rio l.a-
nibarbe, com muflas fruclas para plantar e des-
fructarde mcias : quem este negocio quizer razer,
dirija-se ao paleo do Terco, n. 16.
Compram-se algumas portas ja servidas, que
estojan, cm bou. estado sendo do taboa do assoa-
llio de louro ou amarelto o que tenham 10 pal-
mos para mais de comprimonto o 4 de largura I no
Aterro-da-lloa-Vista 11. 99, ou annuncio.
Compra-so urna escrava de 18 a '20 annos, do
bonita figura que nao tenha vicios nem achaques ,
anda mesmo nilo todo habilidades : na ra da l-
dela, n. 19. ...
__Compra-so um palanqun! de rebuco novo, ou
em bom esladu 1 quem o livor para vender, dirija-sa
ao Forte-do-Matlos, a fallar com Josc Francisco
lielm. ..
Compram-se, para urna elicoinmemia para lora
da provincia, dous olliciacs do carpina ; um carpiu-
teiro de ribeira ; dous ferroiros ; o um tanoeiro : na
ra da Cruz no Recife ... 49, primero andar so
dir quem compra. Adverle-so que, agradando, so
pagarfio bem.
Compram-se scmonles o btalas de flores do
todas as Dualidades: na ra da ('.loria, 11. 87.
Compra-SO una espingarda do dous canos,
ingle/.:., ou mosmo IVance/.a ua ra estroita do
Kozario, n. 30, segundo andar.
-~ Compra-se um cavallo para carro sendo gor-
do possante c de bonita figura embora nao tenha
bous andares :11a ra do Pires ,-n. 6.
,,j'Lf.
de
SftS? Sr ,'!rnoearUm.CzeuUdCo marca na ruada Cadeia de S -Auton.o,
caesdaAlfandega.
Carlos D. Fredricks, profes-
sor do dagucrreoiypo,
contina a tirar retratos coloridos das 9 horas da
manbaatasduasda tarde, na sua. residencia ,
ruada Cadeia-Nova, n. 26.
- Alugam-soos terceiro o quarto andares c um
arando sotfio comcozinhae quarto para pretos ,
eropiar, na ra do Trapiche-Novo, n. 18: os prctendeiiles
contratar dirijam-se ao primeiro andar do dito sobrado.
mesn.a co- Na ra Nova loja .1 58, se dir quem precisa
n. 14, pri-lde urna ama, preferiudo preta ja do idade, para
jensaboar e eogommar.
Msica para piano, e arte
dausa.
O bom goslo : cfllleccfio de dez modinhas e dous
londs.roinposlosporJ. F. Leal.
Novahirabrasileira, ou collecQcs de \2 modi-
nhas escomidas seguidas do byn.no da Imepea-
dencia da marcha fnebre do duquede Braganqa o
do dvnino nacional .
Owtdrilhq de cuntradanrns para piano forte com-
posta sobre os mais bellos motivos da opera Beatri-
ces de Tenda do mostr Itollind.
As Hivaes : coUecco de 13 valsas escolhidas o
um.. galopada para piano rort, intituladas sauda-
de d'America.Olvmpie, 1 Melanchola, AUMa.
a Ausencia a Bravura a Jo.a a Sylph.de, a l.igei-
reza a Aurora, o Lirio, ele. .
Principio, geraesde msica, por J. Ilossim, tradu-
zidos polo professor M. J- dos Santos.
Arte de dama de sociedade ensinada emlicocscla-
ramenle explicadas por meiodo 89 figuras gravadas^
0 coutendo alm das contra.lansas geraes e das re-
gras da valsa, as mareas das contradansas proviii-
ciaes de varias mitras inteiramonle novas e das
dansas moderna a polka o a """*..
Vende* na livrarla da esquina do Collegio.
Vendem-se 4 osravos sendo Um negro da
moia idade, proprio pera sorvico lo um sitio; urna
ueera dat anuos, boa quilandoira; urna dita do
30 annos, propria para qualquer servico, e urna
mulata do-'- anuos com muito bous coslumes e do
muilo elegante figura, com principio do coznha,
costura o cngoininado : no pateo da Sauta-Cruz,
n. 10, so dir quem vende. .
Vendem-se quatro paliteiros de
prata do Porto, obra mui delicada, e de
goslos muito modernos; e bem assiiu
duas salvas pequeas tudo prata le ;
um liotao de ouro com brilbantc por mu
commodo preco : na ra do Crespo, n.,
1 loja de Campos Qc Maya.
-.'
I
V


r/
!
r
--
*



t

Vende-se urna parda clara, de 25 a 30 annos,
que cuse, lava e faz bicos de todas as qualidadcs ,
eo mais snrvicodeum'a casa; u.ti cabrinha do 12
annos oiuilo bonito e diligente os quaes vendem-
e por terem vindo do serillo para uin pagamento:
na na dos Tanoeiros armazem n. 5, ou na ra do
Trapiche-Novo, n. 36, segundo c terceiros andares.
-- Vende-se un rico methodode violto, porl.ui-
gi Caslclacci, contondo ricas pecas em todos os tons
e emsuas competentes alinacOes : no primeiro a-
ilar esta typographia.
Na loja nova da ra do Quei-
niado.n. II a, de Raimun-
do Cario-, Leite ,
alm de um completo sortimento do fazendas tinas
e giossas anda ha ptimo panno de linho de 800
rs. a vara e as pocas sflo do 19 varas ; dito a 560
rs. a vara ; e as pegas sao do 25 varas c urna terca
guardanaposdellnho.osmais modernos quo ha
a 800 rs cada um ; brins trancados de listras de li-
nho ; ditos brancos ; meias de linho as mais linas
que iccm apparecido nesle mercado ; ditas de
algodao cru, (as : tudo por preco muito rasoave
4S
(0,
v

Vende-se alpaca de cordao, muiloencor-
pada, e de vanas cores, propria parapali- &
108, a 800 rs. o covado ; pannos linos ver- '*
de, azul, cor do caf e cor de vfnlio a 4/ \
rs. o covado; chapos fraiicezes da ulli- ZZ
ma moda corles de vestidos ricos pro- ()
pnos para baile ; aloalhados de varias lar- L
guras e muito em conla ; corles de chi- VVp
ta de bonitos padroes, lingindo seda: ,ajvi
meias-casimiras de bonitos padrOes, a W
640 rs. o covado ; c outras inuitas fazen- j
das de goslo : tudo por menos preco do *^
que em outra qunlquer parte : na loja
nova de Jos Moreira Lopes & Companhia
'
'fia* """"*""*rjiuii-nd sopesa i.ompannia ,-n,
l\g) na ra do Queima do, nos quatru-cau- AS,
'?}' Cflsa amarL'"a "9-
Potassa da II ss a.
Cimba & Amorim tecm para vender potassa da
Itussia a mais nova e superior que ha no mercado
o ila qual restam-lhes poucos barris: na ra da Ca-
deia do Itccifo, n. 50.
('asa da F
na ra estreita do Rosario, n. (i.
Nesle estabeleciment acham-se a venda as bem
acreditadas cautelas da lotera do theatro publico
desta cidade, cujas rodas anda m no dia 13 do cor-
reute. o caulelista espera que os seus l'reguezes
concorram a comprar o resto das ditas cautelas ,
as quaes se esperan! boassortcs, pela ezcelleute,'ea-
colha que se fez dos nmeros para serem divididos
em cautelas. A ellas que sito poucase boas. Precos
os do costume.
--Vendem-sedoiis mulatinbos de 10 annos, de
muito bonitas figuras ; urna parda de 22 anuos, cos-
tureirae engommadeira ; urna preta de 88 a anos ,
que he lavaJeira e quilandeira : na ra do Tra-
piche-Novo, n. 6, se dir quem vende.
A ella, rapaziada.
Na loja de Manuel Joaquim l'ascoal liamos, no
Passoio-Publieo, n. 19, vende-se pelle do diabo a
200 rs. o covado; brim de quadros e listras a 210
rs. Esta fazenda l.e de muita dura por ser entran-
cada e alcochoada. Cheguem untes que se acabe.
\endem-se 8 escravos sendo :'3 pardas de 18
a 2j annos com habilidades; um moleque de 4 an-
uos, coznneiro ; um preto de 22 anuos bom car-
ie.ro,e do bou,la (igura ; 3 pretas com habilida-
des ; um pardo de mciu idade por 250,000 rs de
muito boa conducta : no pateo da matriz de S'-An-
tonio, sobrado n. 4.
- Vendem-se pecas do chitas escuras e de c-
r.es l.xas proprias para osorvico de casa, por se-
ren muito encorpadase fortes, a 5,500 rs. c a rc-
lalhoa mcia pataca : na ra estreita do Hozario ,
n. 10, terceiro andar.
-Manoelda Silva Santos ven-
de superior farinha de trigo de
Kichinond em barricas e meias
ditas.
"~j v<5ndem-sc dous moleques, muito bonitos,
de 14 a 16 anuos, que se alianca iio terem vicios
nem molestias : na ra Nova, n. 18, se dir auem
vende. '
- Vende-se umn porcio de fumo da Baha, em
fardos, fumo de lavrador sortido do ptima qua-
Iidadee barato: na ra Direita, loja do sobrado
II. 32.
Na nova loja do l'asseio-Pu-
blico, ii. I 7,
ha um grande sortimento de cambraia de cores para
vestidos do sen hora leudo cada corte 6 i a 7 varas,
de nimio lindos padres pelo barato prego de 2,560
o 2,800 rs. o corte; ditos os mais modernos que Leen)
apparecido, com barra, a 5,000 rs.; ditos adamas-
cados com llores de cues a 5,000 rs. ; ditos mui-
o largos e linos a 280 e 320 rs. o covado ; mursu-
11 as de cores para vestidos, que fingom seda, a
200 rs. o covado ; balcemiras de muito lindos gos-
tos a 200 rs. o covado ; chapeos de sol, de seda ,
para liomem fazeuda muito superior a 6,000 rs ;
ditos de massn franceza os mais modernos che-
gados pelo u I limo navio a 7,000 rs.
loja de
Na ra N< va o. tf ,
Joo da Silva Braga, defron-J
t dooitaoca matriz,
vendem-sebonssollins inglezes c francezes, para
montana de homcm e seiihora ; cabezadas rolicas ,
inglozas; dilasde courode lustro preto o bran-
eo ; estribos de metal blanco o de latio ; peruchas
e guarda-lamas, de todos os feilios; chicotes para
montana de homem e senhora ; bezerros de lustro
de superior qualidade para calcado; marroquins
de todas as cores ; como de lustro para canhes do
(nados : tambem se cobrem sellins de couro inglez
e Irancez licando como novos e colicortam-se ou-
tros; ludo por mdico preco. Na mesma loja tam-
ben) se vendem barretinas para olliciaese soldados
de cavallana e infamara da guarda nacional; talins
e cananas de couro branco e pelo ; espadas de me-
tal hranco ,de roca esem ella ; bandas ricas o in-
teriores; Ueis ditos ; correiames de lustro para sol-
dados; estrellas; globos, apparelhos para barre-
mas ricas ; molas para espadas, douradas e de la-
uto ; e otros mudos objectos, por prego commodo.
Chapeos de sol, de seda, para
homem, a 0/400 rs.
Vendem-se na loja n. 4, de Ricardo J. de F. RJ-
beiro, ao pe do arco deS.-Antonio chapeos do sol
le seda, muito superiores para homem, a 6,400 rs :
be ni como lencos arrendados de cambraia para se-
nhora a pataca cada um.
\a I ja nova da ra do Quei-
madp, n. || a, deSlaymim-
do Carlos I cite
acaba de chegar um ptimo sortimento de pannos
Unos de todas as cores e qualidados, com cspeciali-
litas de listras de cores ; alpaca preta lina, a 800 rs.
o covado ricos lencos de setm c gorgurflo preto;
ditos de vareja de cores ; o verdadeiro velludo des-
palillo! de quiltro pollos a 4,400 rs.; cha malote:
os notaveis chapeos f.ancezes nao so por serem os
mais modernos como por seremos mais finos que
lia: ludo por precos baratsimos.
Sorvete, a OO rs.
No pateo da S.-Cruz n.6, com tudo asscio e
peile.cao que l.e possivel, das 6 horas da tarde em
(liante.
-- Vende-se urna cscrava cabra, de boa condiic
a que lavacozinha e cose soli.ivel : na ruada
i.adea de S.-Antonio, n. 19.
Vendem-se 6 escravos sendos de 12,16 e 22
anuos, de bonitas figuras, proprios para todo o
m. !. ""10,1"0^ '3.ue ,le g"hador de ra ;
No Aterro-da-Boa-vis, n. 7 ,
vendem-se bezerros inglezes de superior oualida-
dade para calendo a 3,000 rs. apelle.
Bons livros e baratos.
Vende-sc um diccionario francez, por 4 000 rs
um dito de composicao, por 2,000 rs. f 5 lomos d
\oltaire por 4,000rs. ; dous.ditosdc rbulas .le I a
rontaiuc, por 2,000 rs.; llliad de Homero, por
1,000 rs.; The vicar of warkeld, por 1,500 rs. ; una
grammaticapoitugueza, por!,000 rs. : no Alorro-
da-Uoa-Vista loja n. 78.
Vende-so cera de carnauba muito boa, tanto a
rctalbo, como em porches : na ra das I.arangeiras
n. 14, segundo andar.
- Vede-se urna parda de 18 a 20 annos, de figu-
ra elegante que cose, marca cngoimna e cozinha
bem, sem vicios nem achaques, e que d^so a con-
tento para melhor se verem as habilidades ; 1 mole-
que de 12 a 14 annos, que entende de cozrnha : no
jaleo da matriz de S.-Anlonio sobrado n. 4.
Na nova loja da ra da Ca-
deia do Recife n. 52, de
Claudino Salvador Perci-
ra Braga,
tVo"Se.Verda'leiras 8a"8as"os da India, mui-
-!teK?.'.Pr2" "ara -leas, jaqutas o
ma cscrava crioula de 26 annos, com babilida-
8 : na ra das Cruzes, n. 22, segundo andar.
Riquissimas mantas de seda ,
a U >000 i s.
\ ondem-se na nova loja n. 4, da ra do Crespo, ao
pe do arco de S.-Antonio.
- \endem-secaixas dechhysson, de 13 libras,
em porces, ou a retalho ; caixas de velas de es-
permacetede5e6emlJira: na ra da Alfandoga-
\elha,n. 36, em casa de Matheus Austin & C.
AGENCIA UA FUNDICAO' DE LOW-MOOR.
Na ra da Senzalla-Nova n. 42, contina a haver
um completo sortimento de moendas e machinas de
vapor para engenhos de assucar : bem como ti-
," enc;ro bat'd coado de todos os lamanhos:
ludo por preco commodo.
SSSF.
Vende-se a verdadeira farinha SSSF
de raminho chegada no da 5 do cor-
rente : a tratar com J. J. Tasso Jnior.
POTASSA.
Vende-se a verdadeira e superior po-
tassa da Russia a mais nova que existe
no mercado : na ra da Cadeia do Heci-
fe, armazem n. ia, de Balthar & Uli-
ve i i-a.
Vendem-se escravos baratos, na ra das
& l.arangciras, n. 14, segundo andar: 1
AjrV 'inuo pardo de 22 annos, sem vicios
pfft / nem achaques de boa conducta e que
.--M...- he ptimo para pagem ; um dito com
officiode sapateiro, este troca-se por urna preta
mocj ; um molecote de 18 annos, com oflicio de al-
faiate; dous molecotes do 18 annos, bons para o
trabalno do campo; um preto de 25 annos por
450,000 rs. ; um dito de 36 annos muito forte, e
que he canociro.por 400,000 rs.; um dito, por
250,000 rs. ; urna parda de cor escura bastante
corpolenta de 22 annos, com algumas habilida-
des esta cscrava vende-se muito em conta por ler
um pequeo deleito; urna mulatinha de 12 annos;
urna negrinha de 13 annos que cose, engomma ,
cozinha e serve bem a urna mesa; urna negrota de
de 20 annos que cose e cozinha o diario de urna
casa ; urna dita de nacilo de ptima conducta, por
(2,000 rs. ; e mais algunsescravos.
Vendem-se4 moleques, de 14a 16 annos; 3es-
cravos de todo o servico ; 3 ditos, sendo um delles
ptimo para engenbo outro carpina e outro carrei-
ro ; um cabrinha de 12 annos ; 3 mulalinhas muito
lindas, e que silo rccolhidas; urna negrinha de 12 an-
nos; 2 ditas de 16 annos; 4 ditas de 20a 24annos: to-
dos diio-se a contento : na ra Direita, n. 3.
Vendem-se sellins inglezes do patente elsti-
cos, alcochoados e lisos, os melhores que ha no
mercado e recem-chegados ; cabecadas rolicas ; es-
tribos de metal-principe ; litas para silbas ; carnei-
ras brancas: na ruada Cruz, n. 2, casa de Geo :
Kcnwnrlhy & Companhia. *|
Vende-se una parda do20 annos, de figura ,j
e ptima para mucama que engomma, cose chito i
lava de sabo, cozinha aiguma cousa e faz renda: no
Aterro-ila-ltoa-Visla, sobrado n. 5.
-- Na venda de Antonio Joaquim Tavares, na ra
da (.adea-Velha n. 1, vende-se mcl de engenbo ,
Iresco, por preco commodo tanto as garrafas co-
mo em caadas.
Vende-se urna mesa com 10 palmos de com-
primeivto c 8 ditos de largura que serve para ter
lazendasem urna loja : na praca da Independencia,
Vende-se um sobrado de um andar, no largo
da Boa-Vista rectificado de novo com muitos
eommodos: no Aterro-da-Boa-Vista lojadelouca
da esquina.
O BARATEIRO.
Cera do Kio-de-Janeiro ede
Lisboa,
vendem-se em ca.xas sorlidas, o qualidades son
radas.de la 16 cm libra, e tambem brando?!"
tochas e bogias: na ra da Sonzalla-VeUia, n. i10*
Loja do nicho.
NafsquinadoLivramento, loja do nicho, ven
dem-se cortes de cassa de cores (isas, a 1,600 rs.
A i>#000 rs
Na loja nova da ra do Quei-
mado;n. II a, de Kaymun-
do Carlos Lcite ,
ha um novo sortimento de fazendas finas e baratas
bem como uns lindos cortes de chitas francezas'
finas ornadas com lindas barras, a5,000rs. sen'
do este o ultimo goslo dPariz. '
Lotera do Rio-de-Janeiro.
Aos 20:000^000 de ris.
Na ra da Cadeia do Recife, loja de cambio do
Sr vieira, n. 24 estilo a venda bilhetea e meio,
ditos da terceira lotera a beneficio da fabricad?
papel de Zeferino Ferrez. A elles antes que cheeuo
Silva0""' S 't0S V, rubricados Pr Vieira da
Vende-se, por precisSo um escravo peca da
excellente conducta apto para cadeirinha ; cuio
prefero vendor-se para a praca : na ra estreita do
rozano n. 31, primeiro andar.
- Vende-se merino verde, de muito boa qualida-
de, propno para vestido de montara, a 1.600 m
o covado ; meias para meninos e meninas a 120 e
160 rs o par na ra do.Quemado, n. 57.
-Vende-se urna cscrava moca : na ra Diroita
n. 64, primeiro andar. '
Nosta loja vendem-se cortes de cambraia de
cores fixas, a 1,600 rs. ; chales da Sus-
sa, de ricos padrOes a 2,000 o 2,500 rs.
Champanha de superior qua-
lidade ,
38, armazem de
n.
vende-se na ra da Cruz
Schaflicitln& Tobler.
Vendom-so pecas de panno de linho do Porto,
ue boa qualidade e por preco commodo: na ra da
(.adela do Recife, loja de miudezas n. 51.
\a loja nova do Passeio-Pu
blico, n 19, de Alanocl Joa
qinm Pascoal Ramos,
vende-se panno fino muito superior, a 5,000rs. o
covado ; dito azul, a 4,500 rs.; cortes de cassa-chi-
ia.de muito bnm goslo ,a 3,200 e 4,o00 rs.; chi-
al nnVr "no"' 16el?00,rs' ; cl,1,,es de lia ***.
a 2,000 e 6,o00 rs.; pello do diabo, a 200 rs.; lan-
zniha.a, 280 e 320 rs. o covado; meia-casim'ira a
Til*' nnT. ;,Pl,,;aS nii"lal"li0. 2,200, 2,400,
3, ie o,000 rs. ; longos de grvala, a 200 rs. ; cassj!
isa a 240 rs. ; pecas de bretanha a 2,000 rs. ; di-
m tel,nh0 80 Ta Vi,ra I lec" u .
a 1,4Kt 1,800 rs. ; pecas de cambraia lisa a 2,560
mi., ,le.,m,,il" >.>00 rs. ; brim branco de
|H.. inho, a 1 000 rs a vara ; e outras muilas fa-
;,; que Pe,. se" diminuto preco mo desagra-
daiito aos seus Ircguezes
DEPOSITO DE CAL^riRGEM.
^a ra do Ta
cal virg
ulliinamente chegada
pre
quenos, e
to superior
piclie ,n. 17, ha sem-
ftem de Lisboa, cm barris pe-
o.X R!or',0gi? d U.r' de
aolmiiou.S! '.; becco du Spaiel,
6u inui-
e por preco rasoavel.
Vendem-se meias barricas de rarinha de SSSF de
raminho : no caes da Alfandega armazem n. 1, do
Cumiantes.
Vendem-se muito boas bichas chegadas lti-
mamente de Hambnrgo, tanto aos centos como a re-
talho, e tambem sealugam; vao-seapplicarpara mais
commodo dos pretendentes : na ra estreita do Ro-
zano, dofronte da ra da Larangciras, loia 11. 19. Na
ntesnia casa vende-se urna bonita mulatinha de cin-
co annos.
-Vendem-se pecas de madapolao limpo, com
20 varas, a 2,400rs. e aste vintens a retalho :
I na ra estreita do Rozario, n. 10, terceiro andar.
Na nova loja da ra do Cres-
po, ao p do arco de S.-An-
tonio n.4, de Ricardo Jos
de freltas Ribeiro,
a esta loja ha chegado um riquissimo sortimento
de cambraias de cores de muito ricas coros fixas e
estampado suisso, a 2,560 o 3,000 rs.; chapeos de
massa Irancczcs e do ultimo gosto a 7,000 rs. ca-
da um ; lengos de seda para grvala, do bonitas
crese boa fazenda a 1,280 rs. ; lencos de cam-
nraia com abertura para mSo de senhora a 240
rs.; muito ricas cambraias de cores, com rama-
gens e transparentes proprias para cortinados, no
ultimo gosto, a 320 rs. o covado ; um rico sortimen-
to do pannos finos de todas as cores por preco mais
commodo do que em outra qualquer parte; casimi-
ras o brins muito modernos; um esplendido sorti-
mento de chitas finas, a 120, 140, 160, 200 e 240; cor-
tes do chitas muito finas e do seguras tintas, com 14
covados, a 3,500 rs. ; los pretos de muito bonitos la-
voures, a 2,400 rs. ; e emfim contina a chegar lo-
dos os das novo sortimento de fazendas de gostos
modernos por precos rasoaveis. As amostras cs-
larilo francas aos freguozes.
Vende-se, por preco commodo, urna parte
no engenbo Jaguaribe: no Aterro-da-Boa-Vista,
11. 58. '
Vende-so fumo de primeira qualidade o re-
talho e em porfo : no Aterro-da-Boa-Vista n 58
- Para cumprimento das disposices testamen-
taria do finado conego Francisco Antonio pinto,
vende-se urna terca parle da casa de mu andar n
H'.,S.'lVl?,!la.dar><:;',^a do l,ailT dt' S.-Anlonio
desta cidado do Recife a tratar com Manoel l'crei-
o i 1 I \ 1 i I 1
... Vende-se urna parda muito moca, sadiaede
bonita figura que entendo de costura .lavar en-
gommar, cozmhare azer docea: no principio da
So edade logo ao sabir da Tiempo, casa de tres ia-
ncllas com vidros grandes e porlflo de grades ver-
- Veudem-se 12 cadeiras de Jacaranda com al-
gum uso por prego em conta por scu dono pre-
cisar de dmhfiro na ra larga db Rozario n. 46.-
pnmeiro and. '. '
Vendem-se occoes da exlincta com-
panliia de Peinambuco e Parabiba : no
oscriptorio de Obveira lrmos & Com-
panhia, na ra da Cruz, no ftecife, n. 9
A casa de Alves Vianua ,
na ruada Senzalla-Velha ,"n. 110, recebeu'pelo ul-
timo navio, vindo do Havre, caisas com 48 cha-
peos para homem, e outras fazendas do lSa e alco-
dflo, e seda, proprias deste mercado.
AO BOM E BAltATO.
Nos qnatro cantos da ra do
Queimado, n. 0, loja de
Francisco Jos feixera Bas-
tos vejdem-se.
corles decambraia de cores, com algum mOfo, a
2,400 rs.; cassas brancas de quadros rxos pro-
prias para vestidos a 240 ra. o covado ; lindeza de
bonitas cores, a 160 rs. o covado; cortes do cam-
braias adamascadas a 4,500 rs. ; chitas linas, de
cores hxase modernas, a 200, 240, 280 e 320 rs o
a ?J melas bTancas l'ara senhora a 200, 32
400 o 480 rs. o par ; fusbies brancos e de cores ua-
racolletes, a 800^8. o aovado ; dito de quadros
'r;oPara Wueta "a 480 rs. ; setim preto superior,
a 3,600 rs. o covado ; brim pardo'trancado de puro
linho, a 480 rs. o covado; dito de quadros lisos,
proprio para jaqueta a 400 rs. ; castores para cal-
cas, de superior qualidade a 280 e 320 rs. o cova-
do ; brim da llussia, largo, a 560 rs. a vara ; meri-
no preto a 1,600 rs. o" covado ; algodao america-
no, de listras a 160 rs. o covado ;. cassa branca do
quadros, a 3.000 rs. a peca ; algodao da Ierra, lar-
goe de superior qualidade a 240 rs. a vara ; cha-
les de pura lila o seda a melhor fazenda possivel, a
j.OOO rs. ; alem destas, outras umitas fazondas de
bom gosto por prego commodo.
-- Vende-se urna preta crioulo de 18 annos, com
principios de ongommare de costura, e que cozi-
nha o diario de urna casa, lava, e nGo tem vicios
nem achaques : ao comprador se-dir o motivo da
venda : em Fora-de-Portas, ra do Pilar, n. 107.
Vende-se um sitio na estrada dos Affiictos ,
com boa casa de vivenda, de pedra e cal, com sotao,
cozinha fra estribara para um cavallo muito
bom poco o qual adniitte ora ; todo chelo de ar-
yoredos novos: a tratar na mesma estrada com
Joaquim de Olveira c Souza.
Aos Srs. martimos
Na ra do Queimado, loja n. 13, vende-se um
mappa da costa do Brasil.
Escravos Fgidos.
~ Auscnlou-se, ha das, da casa de scu senhor o
escravo Joiio pardo triguero de 15 a 17 annos
cara grande, olhos regulares bons (lentes; bem
COnhecidq por andar Irequenlemenle fardado: quem
o pegar leve ao Mondego, a seu senhor Luiz Go-
mes Ferreira que recompensar generosamente.
Desappareceu, ou se julga estar furtada no da
5 do corrente, a urna para duas horas da tarde a pre-
ta Dorolhea crioula de 15 annos baixa, rosto re-
dondo, ohosinflo grandes peitos regulares, em-
bigo quebrado pes um lano apalhetados; levou
vestido tie chita de assenlo verde pintado do ama-
rollo e branco, e as orelhas argolas de ouro : quem
a pegar leve a sua senhora, Alexandrina Francisca
Itomana de Souza em Olnda, ladeira da llibeira ,
que gratiheara.
Fugio, no domingo, 3 do corrente, um cabri-
nha, de nome Severiuo, de 17 anuos pouco mais
ou menos ; levou caigas e camisa da algodflo azul;
lom unisignal na cabecadecarregar peso Roga-so
as autoridades policiaes ecapitaes do campo, que
o apprehendam c tambem se roga a quem por ig-
norancia o lenha emeasa, que o conduza a ruada
Cruz, 110 Becife, n. 26, queso gratificara.
PfiftN. ; XAIYP. DE M( r. PE fAJUA. l"],




Anuo de 1847.
Segunda fera 11 de Outubro.
N. 41.
m
g^Ss ,
di:
PERNAMBCO
(SOB OS AUSPICIOS DA SOCIEDADE COMMERCIaL.)
Subscreve-se na Pra<;a da Independencia, loja de I ivros n. 6 e 8, por iasooo res por anuo. pagos adiaiitadott.
PRESOS CORRENTES DA PRAA (Corregido Sabbado as 3 horas da tarde.)

0
0 J M *SJS
J 2 C _' c 3
3=
j]
11
o lilil
II r
o a
-a Sfc

-=
J 1
PiCP
liIr--UW
|I-=1 2
33

*^ itf^1 *-i -^ ^ -C (-; -* o r ffr\-=(-"j-=aOQeOQ000
c o o c ^oo<
aaoceo *-*r*->o -c .n <-* p <
.T -5 o o *> ^.-. r. o r- 1- -o ^ ^1 .
C = 0 = 03=3 = C = = <^C = O O
t OO --(--*|-S- T-* f< O r. c
** *-* ** ^ -fcc** *te*te -te k fc*
n nt. n i>
= 0 = 000000000000
*oooooooooo^-oo
t


ja* 3 .Ja J j-gcSSJja __J^Ja = ^ <- -c o.______ q eO c c = O o
oopo oe
o-o o OM-* a
-r O o O
o o o o O O
5 o o o o o
o o -f o o r-
te teta- te te *
o o o
o
oo <* o
te ** -
r* rt 4N
o o o
- J te
I- -^ -o o #t
o o o ^
_ O e
-> te te,
0000OC"0 -o
OwCOO-aoOCC-^ -r
t^ce^owo^-ce^
tet*-te-ktefc* .*>. A te
p-fcr* -t
eeeosooooo
C*C CS3
9 : .-. a c s
tefetefe "te *! *
n--------. r.
Si
o co c e c
c o iffei
r. <=3 -i C C C 9
**=* te* "a *
o>m -v o c o e -* c c
S .0 # c a
e o
e t o
-2
O
fe.
IB
11 j ia
!!
---------2 "O
C 3 -
X IX V
;!
f----B
-1 3 = O
x ..-. .r v
S 13 /T. >
I
x
1
-3
i
i 2 5 e 5 o
e 4 i* X
4
w
ZS 22-o
g .2 2 .= 8 S
C = j: a >. 5
0 5 31 e t s g .2 2
3> ) C O 0093.0030^^

i..iiiiiii?i..i. .t- -fl i-i t'-'MffiU
g s: 5 3 = = o QJ ,< x, J >_ < "O t ~Q>Z'
J o-j = ^-o- < C < _____ -----=L_3-----.-4-. -0v-Oa = 0Qo,a^S-
r a -* _______.____^_
a!,CsSpIpIi.:-
3-3 3 u 3

o.
I
a
tooooo-ioccaos o = = 300 = g
O O O JN O C* OO I- o
>-;.-
^eo*~--_ 3.
^ ap x -o
S.X1 ..1.-3...-S.I.-S. jlsii-i --vSlsiliil
-----=- = =------o-TTfTfc = =igc5ff ISSe'S S
c=oc o o ^ 5 = : : .; S^o-t-- c# *o^-
c = o = =
c c o o
c c c ^ **
4j p 00 rt f^
-
_ o ce c =c: :
ei -n ; ; ;
o c ^te=-"
** -> ^b, ^te-tefe tefc -. a *o.tefc
c .^--.Js
M **
o w r* -3 <= -' i
- ^ te> tekrte ***
*r- o
t4 c* n
o o
8S
oro ocoo
Soorc
p<
5- *
,t
? c- "


mr
(2)
KXPORTAQ.lO.
EXI'ORTS.
l'HKi.'.o DA PRA?
Agurdente Cataca -
Algodio I. torle -
2. -----
Assucar branco em caicas -
* mascavado -
* para em harnear ou
emsaccar, liranco -
a ma&cavado -
Jouros seceos salgados. -
Icios do sola -
minina da trra -
t | do Itio Grande -
Colton
qualily -
2.
Silgar in cases wlle
a brown .
a lor Barris or Uegs
while ]
a brown. -
L)ry salted hides -
Taime bids -
Oz-horns -
40000 42*000
7000
I gooo
ifooo
2*300 2*400
105
SjjluOn
ijfooo
1*400
110
1*200
4*500
POR
Pipa.
Arroba.
a
I s.ferro
Libra.
Hum.
Cenio.
CAMI1IOS.
Londres......................... '/ e J Lisboa..................... 106 a 106 por cenio premio, por metal eeeudo
tranca.......................... 860 ris por franco.
lod'c Janeiro....................a0 P"r
PHA.TA miuda................... *9!0
a Paiacoes llrazileiros........ 2*010 a
Pesos Columnarios......... J|u90 a
Di los Mexicanos........... 1*820 a
OURO. Mcelas de 6*400 relltas ... 16/3"'t
Ditas ditas novas... IfiJOOC i
l>i:as de 4*000............ 9fl00 i
a Duras despatilllas........ 29*000
a Ditas Patriticas..'......28*500
Lelr
1/030
2*020
2*0d0
ifMI
16*400
10(100
9*200
29f600
29*000
*/, e I por 100 ao uiei
F tt E T H 8.
r *
ASSUCAH.
Liverpool.....7........Canas f I, 10.
Canal, portos Ingleses...... l)W 2.16
Dito, diloenlrellanib.c llarre. Dito
tienova..........i...... Saceos
Ilainhurgn caisas............... 2. !
Bltico................'........
Trieste.................Calas i' 3.
Estados-Un idos.................
Porluga I....................... ICO'
franca........................ <-0 Irs.
Com 5 B/o
Com 5 /,
Coin lo"/
Portugal.. ,..
! i'.mii'.i........,
Inglaterra.......
Il.-trcelotta. ......
Inglaterra Seceos.
branca..........
r.stadns-Unidos a
ALGOOAO.
r.Ofl por (> sem ptimagem nominal
400 por (fe 10 p/ aocamb. de I60p-lr noaiinalj
>/, d e 5 p. "/0 de piimagem,
4co ris
colinos.
......... por tonelada c5 por cenlo, noiidu|.
......... 711 bancos pot toneladas, comlOp centoa
..."..... Nao ba.
I5E8V.
.^P*B!
lia da II de Novemhro de ISI1 .1l liante pajarad 00 p. c.o. rape mi tabaco
em p, os c i .i uiim ou cigarros, o fumo em rolo on em lollia.
i'.i.; i i-.i.> .<> p. eos saceos decanliaiuaiso grossaria oii gimes dn India, os cai-
vetes em idriaa de puuhal, asatmofa.las p.ra cu ruancos, ai pedras tarradas par I*)-
gdo, as pedral decantada para |iortoes, portas e jauclUs, ai pedias lavrada! f ara
eocanaineulos, cepas, coaitaes e cornijas, osaltearrefinado, crystalisado ou de qual-
quer maueira confeilado, o cli, a iigon-denle, a cerraja, a cidra, a geoeora, o mar-
rasquino, ou oiilruj licores, e os vinbos de qualipir ipialidade c precedencia
Hagar 40 p. c as alcatifas ou tapetes, o canil -tinaco ordinario ou grosspria, as
bataneas de qu.tl ra jngar, as escovas de cabo de m irliui, o logo da Cliiua em curtas, OU qualquer OU-
tro logo de artilicio, o papel pintado, prateadu, ou domado, sendo de qualidadm
fins, o papel pintado para forrar salas cin collccces un paizagens, o pape! de llol-
landa, imperial, ou outro nao especilieado na tarifa a plvora, os saboneta, o saho,
ocebocui velas, as velas de Slearina ou composico, as aincixas, ou outras frtelas
em frascos ou latas, sebeas, em calda, ou em espirito, o chocolate de cacao ordinario,
o vinagre, os cari'iiihos, carritageiis ou caitas, jo^os, rodas, arreios para nina e ott-
t-a colisa as esleirs para forrar casas, os carros para coudtmr gente, os sociaveis,
a> silhes, os areieiros e lintciroi de porcelana, e qiialquer ohjectn delonca nao oom-
prelieudido na tarifa ; os lustres, os clices para licor ou viudo de vidro liso ordina-
rio, o de vidro moldado ordinario lavrado ou moldido, e lavradn ordinario da Alle-
m.-nha c seinelhautcs os de vidro liso moldado ou lavrado, de fundo cortado ou liso,
(iai molde ou lavor ordinario ; os clices para Cliainpatibe ou cervrja, as canecas,
ecopoi direilos de 10 a I em quartillio, as garrafas de vidro al I qnarlilhc ou mais,
tundo todos estes objectos de ns. I e 2 as garrafas de vidro prelas ou escunis da
aesma capacidade, couiprelieniliclas as que sei vem para licores ou Le-lloy ; os copos
d.ra tabernas al urna caada, os frascos de vidro ordinario coin roldas do inesino
t 3 libras ou mais ; ou sem rollia al 2 libras ou inais, os de laica lar-^a com roldas
do mesino, al 4 libras ou mais, ou sem roilia par npudrldoc os videos para n-
empadas ou candeins, asjlalwas ou folhas de inocuo ou outra madeira fina, e fras-
ees de qualquer madeira.
Pagarlo 25 p. c. o ac, alcatrao, lineo em barra ou etn folba, chumbo em barra
ou leuool, estatuto em barra ou em verguiilia, ferro em bat ra vergiiinba, chapa o
linguadoi para lundico, folba de Klaudres, galha de Alepo, lata em folhas, lalo em
chapa, marlim, salitre, vime, bacalho, pcixe pao, e qualquer oulro, secco ou sal-
Eido ; bolacha, carne secca ou de nlutoura, herva-doce, larinlia de trisjo, pellicas
ranea ou pintadas, cordovocs ou corles de bezerro para calcado, bt-zerros e couros
enveriii/ailos, ouros de poico ou boi, salgados ou seceos ; sola clara para sapaleiro
ou correeiro, coDre e caparrosa.
Paga ri 20 p. c. o trigo em grao, barrilh, canolillio, espiguilha, lieiras, lios,
franjas, lantijoutas, pallietas, passamanes, sendo ilc ouroou prala enlrcliua, ordina-
ria ou falsa : gales da mesis natureza, ou tecidos com rclroz, linlio, algodo ou
aeda, rendas ou ntremelos de algodio nao bordados ; rendas de lil, as de algodio,
retroi o.t trocal ; lencos de cambraia de Itubo ou algodo, e bandas de relroz de
malha.
Ps-^ar 10 p c. os livros, mappas e globos geograpllicos, inslrumeiitos ntalbe-
maticos, de pltysica ou cbiinica, coi les de vestidos de velludos on damascos, borda-
dos ae pr.it.i ououro litio ; relroz ou Irocal, c cabello para cabelleireiro.
da qualquer uaco, que sobrecarregar os gk-croi braiilciroi de maior direilo, que
i^tiaes de oulra ttacao.
Os artigos nao especificados na pauta pago o direito ad valnrcm sobre a faclura
aprtientada pelo despachante podendo poiem ser impugnados por qualqurr ofliciil
da All'aiidcga, que i-mi tal caso paga o impone da faclura ou valor, eos direilos.
No caso de (divida sobre a rlasaificaco da mercadura, pode a parle requerir
arbiliamento para designar a qualidade e valor da pauta, que lite compele.
Sao sentas de diteitos as machinas, anda nao usadas no lugar, em que foren
importadas.
KXPOIITACAO Os direilos pago-se sobre a ayaliacode unta pauta sema-
nal na ramio seguinle : Assucarlf) p c. Algodo, caf, e fumo II p c. Agoar-
denle, cornos, c lodos ns mais genetos 7 p. c. Aletn destes direilos pagao-se as
Usas de 100 ra. em cada caita, de 4u ts. era cada fecho, de 20 rs. eiu cada barrica,
ou sancos de assucar, e de 40 rs em cada sacca de algodo.
Couros e toi
etcepeo do algod
los os mais gneros sao livres de direilos para os pnrlos do Imperio, a
do, assucar. caf, e fui.'o, que pago 3 p. c. as latas por volunte*
Os metaes preciosos etn barra pago de direilos 2 p c. sobre o valor do mer-
cado, e a prala e o otiro amoedado nacional ou eslraiigeiro paga nicamente '/, p. e.
Os esclavos exportados pago 5f000 por cada un.
DKSPKXA DO PONTO As embarcaces nacionaes, on slrangeiras, que
mvegfio para lora do Imperio, pagan 00 rs de ancoragem por tonelada ; cas
nacionaes, que navegan entre os diversos pollos do Brasil 9C rs. As que enlrarem
embisti e saliiretit com carga e vice-versa, pagar me.ade do im pollo supra e un
terco as que entraren), esahirem cm lastto; e ranino as que enlrarem por frauquia,
ou escala, quer enlretn em lastro, quer com carga Desta iinposicao poim sero
isentas as que impnriareinmais de 100 Colonosbrancos, e asqueenlradrem pot anillada
fot-cada, coin tanto que estas no carregiietn, ou descarregitein s mente os gneros
necessarios para pagauento dos reparos, que fizerein.
jec-
Pagario 0 p. c. ocanutilho, cordo de lio, cspiguilha, fictra, fios, franjas,
lo de lio ou palliela, latitijoulas, palltela. rendas, cadarcos e lucios o mais ob
tos desla nalureza, sendo de ouro e prala lina.
Paga- 5 p. c. o carvo de pedia, ouro para dourar, ou quaesquer obras e
tsnsis de prala,
Pagara 4 p, c. as joias de ouro ou prata, ou quaesquer obras de ouro.
Pagar 2 p. c. os diamantes e oulras pedras preciosas solas semenles,' plan-
tas e races novas de animaes uleis.
Patrarao|.) Os gneros reexportados ou baldeados pago I p. c. de dire'tos alm da'armaie-
ag:m ; e o despachante presta flanea al i approvaro desta medida pela Assem-
bla Geral,
Coucedem-se livres de armazenagens, por 15 das, as nicrcadorias de Estira, e
dous mezes as outras e lindos estes prazos, pagart '/, p. c. ao mei do respecj
wo valor.
Os direilos das fazendas, que pago por rara, dere entender-se rara quadrada.
Os direilos nao podem ser augmentados dentro do auno (naneeno ; masoGo-
Temo podera mandar pagar em inoeda de ouro ou prala urna vigsima parte das que
forem inaiores de 6 e tneneres de 50 p. c. dos precos das mercaduras, ou niesnio
diminiiil .s, segundo Ihe parecer.
O Governo est autorisado a estabelecer um direito diflerencial sbreos geneor
REVISTA SE!\1A^AL.
CAMI1IOS. Houvero transaeces durante a semana a 27 d. 27'/, e 27'/.pe
IfCOD.
ALC.ODAO. Enliro 872 sacres; ven-fas s quotaces
ASSUCAK. F.alradas muilo diminutas e pouco procurado.
COUROS. Sem alterarles.
FAHIMHA I)F. TII1GO. Cbegou um catregamento de lliclimond de 1,850 bar-
ricas, e inais 600 barricas do Kio-de-Janeiro ; a primeira esl se reta liando s quo-
tacr*.
IIACAL11AO. Cbegou un-a carga de Ausbonr Bretn, que eguio psrs o Sulj
o de posto nao etcede de 300 barricas.
CAftNEE CHARQUE Cbegou um pequeni carregamenlo do Rio Grande,
com oqual o deposito be de 8,000 amibas I pi ecos de 2JG0O a 3f400.
Resumo das Embarcacdciexistentesneste portono da 9 di Oulubro de 1847.
Brasileiras............................................................ 20
I inania I 'I (le/ i.......................,................................
Frunceza............................................... ......... *
Hambutgueza............................................v.............
i-*i-................................................................ !
Portuguezas..............................-.............................
Sardas............ .................................................. J
Total
A Provincia goza tranquilidada
i


as
LISTA das Embarcages existentes neste porto at o (lia 9 de Outubro de 1847.
UITIUMI'
1846 FtembrO
11*7 Julho
Ag"to
A gusto
fcetembro

XMubro
>
DONDE VE*.
Babia
Rio Grande do S.
RioGrando do S.
Ilha de Femando
Rio Grande do S
Rio de Janeiro.
!'in'i rao Je doS.
Bihia.
Rio He Janeiro
Rio Grande do S
Rio de Janeiro
Ralii
JO Aiacaty.
2t I Rabia.
Seleinbro U
Setembro 28
Setcinbro II
Sflembro I*
Sctembro 10
14
Outubro I
Julbo 14
78
Selemliro 2
Setemuio 29
-
3j
Outubro a
Rio de Janeiro.
Sao Miguel
Bio-Grando-do-5.
Rio-H -laneiro.
'orlos do Sul.
Hamburgo.
Havre de Grate.
(lamb, rgn.
Liverpool
Liverpool
Lmidics
Liverpool
Porto.
Lis' os.
Lisboa.
Genova.
Marsellia
Cardiff.
R climoud.
C4SC0
sumaca
hrgue
lirigue.
hrig-esc.
brigue.
patacho
brgue.
sumaca
E alacho
rigtie
talacho
rigue
hiale.
Iiiate

hrig-esc.
liria, 00
escuna,
hiate.
vapor.
patacho
lia rea,
litigue.
biigue
hatea
escuna
baica.
hrgue
barca,
bi igue
patacho
polaca.
haica.
polc
IUf;A6.
Ilraiil.
Dian
Franc
llarob
Ingl.
Port.
Sardo
Noms.
Santa Anna
Echo.
Mercantil. *
Henrqueta.
Paquete de Peroambuco
Viajautc
Felii.
S. Antonio de Padua.
Esprranca
AnM
Fmiliana
n. Pedro II
Tentador
DiiviMoio.
loa-Vm'Cm
Amazonas
l'"spM'o-S.into.
Enrupisla.
NereWa
Imperalrix.
Apenrad P ckel.
Zilia.
Conrad.
All.ens
Hnpowoll
Ilebe.
F.>k
Maria Feliz.
Ligeira.
Robim.
Providencia.
Constante
Washington.
Rozar
TOHS.
92
2&0
199
114
190
l'.
187
78
0J
187
120
717
40
3
11
183
200
na
97
47
11.0
537
2!>0
2,12
392
197
217
166
134
81
218
230
207
NUTR.
Joo de Dos Percira
Manoel Luii dos Santos.
Antonio Jos Soares.
Jos Joaquim A Ivs.
Joo oncalves Rocha.
Antonio Jos de Araujo.
Jesuino Jos de Souza.
Manoel Jos Ribeiro.
loaq. Ant 'G. dos Santos
Manuel A Ivs Marques
Vileniim Ribeim
M J. Monleiro Viauoa
Anlnnio Jos Harreiioa
Jos Joaquim Alves
An'onio de Sinra
Manoel Marriano Fcrrei'a.
Alejandre Jos *!*.
Antonio l.uiz ornes Urna
'annel Luii dos Santos.
I omina,I. o Cap." lente
P. J. litinenet.
Delonnay.
J II. II mus.
Wm. Alien
lames Newton.
Villi.m Watts Donlsnd.
Hohci lo Cork ett
Lourencn Vernandes da C.
Antonio Joaq." lio irigue
A. J S Lapa.
M. Ivolicho.
I!. Romagueira
A. (.opnja.
Joao Baptiita Prev.
CONSIGNATARIOS.
Novaes S C.
Jos Pereira da Cuaba;
Amoiini Irritaos.
Francisco Joaq. Pedro da C.
Leo|toldo Jote da Costa A.
Amorim lrmtos.
F J. reliz da Roza.
l.uiz Borces deSiqueira.
Manoel Joaq. Ramos e Silva
Amorim IrniSos
a
Joo Francisco da Crus
Siiva & brillo
Jos Manoel Martins.
Jo T-.iik de Souza .
Luis Borges de siqneira.
Firmino Jos Felis da Roa.
Amorim Irmaos.
Joao Jos Frnandes Mag."
Jesuino Lamego Costa.
Kalkmann 8 Roseumund.
Dedier & Colombier.
N.O. BieherfcC.
Rozas te Braga
James Ryder ti C.
[Vane Ynule Si C.
LatLam Si Ilibbert.
A. J. de Souza Ribeiro.
F. S Rabello Filho
Tliomaz d'Aqnino Fonseca.
Jos Saporite.
Lenoir Pnget & C.
loaqiiim Raptisia Moreira.
Lenoir l'uget Si C,
DKSTIHO.
Rio Grande do Sul.
Aracat'i Ceara.
Babia.
Bahis.
Rio-de-Janeiro.
Porto*doN.nod.ll
Para.
Havre de Grata.
Rio-de-Jantiro:
Canal.
Liverp par Maceid.
Afretar.
Liverpool.
Porto.
Lisboa.
Lisboa.
Babia.
Genova.
A (retar.
Afretar.
Pernasnbuco na Typographia de M.'t. de Feria.II4T.


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EAYHLBXBT_6T2EF2 INGEST_TIME 2013-05-01T00:26:32Z PACKAGE AA00011611_09738
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES