Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:09732


This item is only available as the following downloads:


Full Text

Auno
,-
'547.
Segunda-feiri &
n ni ARIO puWli-c todo os dia., que nSo
O i/Mitiu p" d ,I,ill,ra ne de
f-em desuarda-l n,Van^0,. fl,
4Jft:(. r.poi WMW; -.,, ,lserMo i raeie
,nuncio, dM ***,,, dlffawoU, .o
,, porlu.U e '> -lC r.rem .silg-
uantei patrio ?.'-
Hiflerent, por cada puNlMCaO.
p11a.ses da Tombdi outbro.
PI1A3KS u. o da
?';;:T.:>** E& ;
'.cent"'''* ''*' "...ida fn-oh.
PARTIDA DOSCORRE103.
''.oi iimne Paraliyba, as segundas e sextas Ten'.
i li-lirntule-dn.Norte quintasreirnsao meio-dia.
:ul)o, Scriahem, llio-Vormoso, Porto-Calvo e
Macelo, uo I .*, 11 c 21 de cada I..CZ.
(aram.uiis e Honito. a 8 e 23.
lioa-Vi'a e Floros, a I 3 e 28.
Victoria, 9 quintas feiras.
Oliu.U, todos os das.
PREAMAft DE BOJE.
fruncir, s 0 horas e 30 miuutos d< n.auha.
Segunda, s 0 doras e* M minutos da tarde.
de Outbro,
.L..1 XX*.
N. 32
n"'

DAS da semana. '
4 Segunda. S.Pianciso d'Astil And.do J.dos
orpb. do J. dcc. da 2 v. c do J. M. da 2 v.
5 Tarca. S. Placido. Aud. do J doov.da I.
v. *> de paz do 2. disl, da t.
C Quarta. S. Pruno. Aud. do J.ilo civ.i .'...
c do i. ile pa/. do 2. disl. det.
7 uinlo. B. Marcos Aud do J. ele orpli. c
do J. municipal djl I. vara.
8 Saata. S. Brgida. Aud do do civ. da I. v.
e do J, de paado I. dist de t.
9 Sabbado. S: Dioniio. Aud. do J. do civ.da
I. v. e do J. de az do I dist. de t.
10 Domingo. O Patrocmio.de JoV-
CAMBIO?ild.pi DEODTBBO.
Cambio sobra Londres a 27 d. P. IJ W. M
> PrJ 3.0 rs. por Iranco.
a Lisboa IOS a 110 de.prei.no.
Desc.delattraj d. boas (ir.n.s d. V,V,<=
0ro-OMwl'esp"baM....l>#62? u 3"J0'
u Modas de (limo vem l6*too a
a ,. de 1*000------ 9:00 a
Prala Patacoes......... i#<>0
a Pesos columnares... IAH80 a
a Ditos mexicanos... l|800 a
Miuda............. '*9S0
Accoesdacomp. do Heberibe de SOJOOOrs. aopar.
DIARIO DE PERNAMBTCQr
EXTFRIOR.
LIVERPOOL, 19 DE AGOSTO.
Falto alarma. El-rei Luiz Philippe.
Todo o publico de Liverpool foi hontem hincado
n'um estado de grande anxiedade pelo boato de que
o re dos Franceses ttnha recebido um tiro de um
assassno que o matara Esta noticia .aterradora foi
trazida a Liverpool por um passageiro d'uma dili-
gencia exprossa, e fui confirmada por um annnncio
telegrapihco recebido em Manchcstor.e transmittda
a esta praca rio decurso da manha. Como dsagentes
do telegrapho foram engaados, lie caso que de-
manda exame e explicaco. A consecuencia da con-
firmac.ao assim dada ao rumor original foi obterel-
i- -rdito poralgumas horas, e dar occasifio a mu-
j discussOes profundas, e anciosas cogitaqOes,
qianto ao effeito que a morte, de Luiz Philippe
iiroduziri'a sobre a poltica da Europa.
Quando ehegaram os jornaes Je Londres houve
urna sofreguidflo em examina-Ios, e urna universal
inanifestaclo de prazer ao saber-se que-ntlo hotive
urna palavra verdadeira naquello boato; ao qual
nenisequr havia alluso al'guma em nenhnm del-
Ics. Resta averiguar-se como obteve elle circu-
licflo.
Felizmente appareceu hontem esso pengoso rumor,
ennhoje; porque se hoje houvesse sido recebido,
certo que teria sido levado para a America pelos pas-
sageiros do vapor Hulifax e Boston.
(Liverpool Times.)
INTERIOR.
MINAS-GERAES.
HELATORIO
do tentnte Joilo Jos da Silva TInodoro, enearregadn pe-
lo Exm. presidente da provincia de IUinas-Gcraes de
levantar o mappa topographico dos municipios d
Presidio, Pomba e San-Joo-Nepomuceno, e de veri-
ficar as dirizas entre a dita provincia, e as do llio-de-
Janeiro e Espirito-Santo pelo lado de Campos e Ita-
pemirim.
(Continuado do numero antecedente.)
Divisas dos termos e desva respectivas freguezias.
A' vista da carta que aprsenlo, fastidioso e mas-
mo intil seria, Exm. Sr., entrar na miiiuciosa nar-
radlo das divisas dos termos de San-JoSlt-Nepomu-
ceno, Pomba e Presidio, bo'm como de 8U88 ies|ioe-
tivas freguezias. Da mencionada carta vci V. Exc.
o curso tortuoso que seguom taes divisas, nSo estan-
do de modo algum estabelecidas por lugares nilu
raes, ou estaveis, demaneirn que as villas cabecas
dos termos e as sedes das freguezias estejam em
ionios mais ou menos centraes, como muito con-
vi'in ao servico publico e commodidado dos po-
vos ;disto he um cxemplo a freguezia de San-Janu-
ario-do-Uh, tflo estroila no noroeste, c tflo oxtensa
para o sueste, e a maior parte do seu territorio cor-
tado pelas do Presidio e Pomba, quo se unem no rio
do Presidio, ou Chopol-Novo, divi.lindo-a pelo
uicio, de fnaneira que o respectivo parodio nao po-
de passar para o maior pedaco Uc terreno de sua ju-
risdicc.no no Meia-I'ntaca e Kagailo, sein atravessar
as mencionadas fregunzias : a de San-Migiiel e Al-
mas mo tem limites conhecidos pulo respectivo pa-
rodio, tanto dolado da l'onte-Nova, como para o
sol onde divide com a do San-Paulo, cortando os
ros Carangola c Gloria ; outras, transpondo divisas
naturaes, como serras e rios caudalosos, vilo otjcra-
var-seem diversos distridos e freguezias, resultan-
do de ludo isto um sein numero de conflictos o de
desordens incalculaveis.
Estrada! e lugares para collocaro de recebtdorias
Na estrada do Muriali abaixo, que ha de vir a ser
de muito maior co'inmercio do quo a da Pomba, nao
se da um lugar apropriadn para eslabelecimento de
recehedoria, sean na mitiga divisa em o ribeirlo
de San-Domingos, "ou na cncost da sena Fiediei-
ra, oi.de se vilo cruzar as diversas estradas; pois pa-
ra o norto s (ica a de Itapemii im, quatji deserta por
causa do potico ou nenlium cominereio que offere-
ce aquella villa, o pelo llio-Prelo abaixo nao ha an-
da "cstr%da Iransitavel por onde sigam os gneros
do Minas a ombarcar depois do ultimo cachueiro
cima do Frailas e distante do mar nove legoas : dq
quesoconclue que esta provincia com duas recobe-
dorias, tuna na barra da Pomba, onde esta actual-
mente estabelecida, e oulrn no ribeir.lo de San-Do-
mingos, echaya todo o seu territorio pelo ludo do
Campos, c aproveitava todas as vantagens docom-
mercio que para all se dirige, e que necessariamt'ii-
tc ha de crescer a proporciio que lorem melhoradus
as e.tradas. que sjiflo frenquenladasem lempo me-
co por causa dos alagadizos a que estao subjoitas as
margeos do Pomba e principalmenlo do Munahe,
alm da falla de ponles nos nbeires que nelle de-
sagam.
Kslas margens sao inteiramente improprias para
estradas, e de necessidade se deve tomar urna nova
dircccilo fra dolas, sendo muilo conveniente que
seaproveitasseo caminho j aberlo polo fazendeiro
Joaode Almeida, que uaquelles lugares possue va-
rias fazudas; mas que enlrctanlo so permita que
por elle transite o sen ainigcWfstiBaslos eseus adho-
rentes, nicos que leem o privilegio de por all con-
duztrem seus gneros at o porto deSan-Fidelis, ao
passo que os tropeiroS desta provincia, que por tal |
caminho tenlam passar, com omais brbaro despo-
tismo sio obrigados a retroceder o a prnourar gran-
des voltas para ehegaram ao seu destino, como pas-
so a demonstrar: pelo caminho quo segu a mar-
ge m direita do Muriali, dando volla por Porto-Ale-
are, s.lo de Jos Bastos Pinto, no nheiro do
Camnoondcsealirem as duas estradas, at Poito-
Alegre, odiante da barra do Carangola 5 legoas:
de Porlo-Alegre a San-Domingos em Joaquim Itinei-
ro-3: do Joaquim llibelro a Candido Francisco
Vianna 6: que nrefazem 1 i legoas entre os men-
cionados UastpseJtNanna; entretanto que pelo ca-
minho impedido por Joilo de Almeida, silo 'le
Jos Bastos a passar o ribeir.lo de San-Domingos,
muilo cima da sua barra em Joaquim Rihono, 4 c-
goas : desta passagom a San-Louienqo, fazenda da-
quelle Almeid, tres; que, com urna emeiadeSan-
Lourenco a Candido Francisco Vianna, prefazem oi-
(oe meia entre os mesmos pontos, resultando por
eonsoquencia urna differenca de cinco e meia le-
goas para os que em direcc.Ho cidade de Campos
seguem de Jos Bastos por Candido Vianna. Aleni
desta notavel dih*eronc.a, lem o caminho do Joilo de
Almeida o vanlagcm de passar mui distante das la-
gadicas margens do Muriali, o de contar osribei-
rOes, quo nelle desagoam, muito as suas cabocei-
ras, de maneira quo as endientes nunca impedem a
passagem. O grande coinmercio quedo Minas vai
pelo Muriah abaixo, nao pode ir a San-Fidelis em-
barcar seus gneros c all comprar sal e outros ef-
feitos; porque var sabir muito adianto desse porto
de embarque, om Candido Francisco Vianna, donde
s pode seguir para Campos; c quando quizesse
retroceder para San-Fidelis, ser-llic-ia hecessario
dar volla por San-Lourcnco, fazenda do sobredilo Al-
meida, que, como j ica dito, impede a passagem.
Assim, pois, seria incontcslavclmento de grande be-
neficio para o commercio, quedo termo de Marian-
na segu para lale, a adopcSo de urna medula que
obrigasse o mencionado JoSo de Almeida a ran-
qear o caminho do que tenho tratado ; pois boiit
bastam os incommodos e privac.fi"-
de Minas encontram na parle da
lo a Campos, onde, alm da falta ...
aabrigarem das intemperies do lempo, do proposito
ilicuUam os moradores a passagem, cercando suas
trras de un. e outro lado da mesitia estrada com ar-
voresdeespinho, que apenas deixam um corredor
humillo e muito estreito para o transito. A cidade
de Campos tem cerca de seiscentas casas de nego-
cios, o cortamente o extraordinario commercio que
entretm tantos negociantes, e da consumo a seus
immensos effeitos, nao bes o dos lazendeiros do
Muriah, he mui particularmente o que tem com o
interior desta provincia; sendo certo que so peni
estrada da Pomba se calcula vir llalli animalmen-
te cerca de oitcnla mil bruscas de sal, o pelo <'o Mu-
riali, sesscnla mil; epor isso muito justo era que
os negociantes mineiros eiicoiilrassem naqueiias
estradas o mesmo abrigo o commodidado que
geralmenle acliam as quo so dirigcui a ouiros pon-
tos.
Um meio fcil de niclhorar as estradas de Cam-
pos pela Pomba e Muriali, he o de aproveitai-se o
servico de grande numero de Indios que andnrn er-
rantes pelas fazendas em que so fabrica agu ardente:
taes Indios nenhiima disposieo nem gcito leem pa-
ra fazerem cslabelecimeitlos em quo vivam juntos,
preferindo prestar como benrlhes parece algiini ser-
vico aos fazendeiroS quo Ihes fornecem aquella be-
bida de que sao tflo vidos, e s as fazendas de Joilo
de Almeida existem mais de duzentos, dos quaes
desfructa ello o servico Em lodo o, grande gym
que liz, mo encontrei urna s choupana onde esli-
vesse estabelecido um Indio, plantando para sis e
os mesmos aldeamentos s existem in nomine Mul-
lo conveniente, pois, seria que debaixo da dnccco
dopessoaszelosas fosso aproveilado esse nico e
til servico que os Indios do Muriali, Carangola e
llio-Prelo podem prestar ao paiz, maicando-se-
Ibes um mdico quanlitativo para sustento e vestua-
rio, o bavendo o necessaiio accordo com o Exm.
presidente da provincia do Rio-de-Janeiro, para, pe-
lo mesmo meio, ou por outro quo mais conveniente
llie paiecer, mandar concertar as ditas estradas na
parle perlcncfnte aquella provincia.
A respeitode urna estrada quedesla capital siga
para Campos, na carta que aprsenlo vera V. Exc,
que a nica directo adoptavel he de Manan na,
procurando sempre o rumo-de sueste pelos arraiaes
ou freguezias do Pinhciio, Taj-cra, Santa-Rita-do-
Turvo, a San-Sehastiao-dos-Alllictos, e descer a sor-
ra divisoria das agoas do- Rio-Doce O l'arahiba na^i
cabeceiras donbeitflo do Bagre, quo corre para o
Presidio, daquella serra ir pela margem do Rio-I re-
to quo entra no Muriah cima da freguezia de San-
Paulo, de San-Paulo seguir por Antonio Rodrigues
dos Santos, ecapella do Patrocinio desta capella
por Jos Basles Piulo; deste ao ribenHo deSan-Do-
rningos, tres legoas cima dasua barra no MuiiiiIh-,
em Joaquim Itibeiro; do ribeirlo de San-Domingos
pelas fazendas de JoSo-do Almeida a sabir eniSau-
Lourengo o Candido Francisco Vjanna ; deste Vian-
na a Campos silo novo legoas pelas voltas, o de
Saii-Lourenco a San-Eidelis, tambem porto de em-
barque, sao quatro. Esta Uirecca leiu anda as-
sim mullas voltas que podem ser atalhadas, redu-
zindo-se a distancia a muilo menos. KAo ho.^io-
rin, exequivel, ou de alguma vantagem ao com-
mercio a direcc/ioindicada de Mariaiiua no nascep-
te pelo Anta a procurar ascabeeeiras do Carangola,
e por esla abaixo seguindo ao sul: tal dirocciio so
pode servir para o commercio duecto da villa de Ita-
peiniriin, que, como j lica dito, nenlium tem, e ser
proveitosa ao director dos indios na (.Ibna, JoAo de
becciras em o ribeirao de San-Matheiis; sendo cor-
teque os tropoiros do tormo de Mar.anna procura...
sempre a mencionada direcc.ao de sueste, e ittM<
celta villa do Presidio e vao a Campos pela callada
da Pomba que ainda segu mais ao sul.
Terminando aqu osle.j tilo longo relator.o, cum-
pre-me certificar a V. Exc, que em todos os detall.es
que aprsenlo, procure! sein pro guiar-me pelo que
ocularmente observei, o pelas informacOes de
pessoas desinterossadas e de rcconhec.da probida-
.le a unem ouvi; o muilo feliz me considerare.
se tao arduo trabalho merecer a approvacao de \.
i?Am da carta geral, levante! tambem as plantas
das villas e povoacOes dos Ires termos que percoiti,
e as apresentarci a V. F.x. loge quo estejam con-
cluidas.
Dos guarde a V. Exc. Quro-l'reto, 1 de ma-^o de
18*7. lilm. e Exm. Sr. Dr. Quinliliano Jos da
Silva, presidente desta provincia, j Joao Jos da
Silva Theodoro, lente del." linha. *.,',
(Gaseta Oficial.)
Por esta occasifio apresentou o Sr. vercador Ba-
rata os dous seguintcs requerimenlos que foram
approvados:
m
PERNAMB^CO.
Cmara municipal do Ilecife.
SESSVO EXTItAORDI.NXRIA DE 15 DE SETEMBKO
DE 18*7.
rnnsiDENC. do s. carmviro monteiro.
Presentes osSrs. Dr. Nery, llego Barros, Dr. Aqui-
no, Egidio Feneira, barata oGaud.no, abno-sn a
sessao e foi lida c approvada a acta da antecedente.
O secretario leu um olllcio do F.xm. presidente da
provincia, participando let expedido orden, ao ins-
pector da.rsenal do marinba, p3r*rtwlarsalisfa-
zer a esta camina a quantia de 7#2W res das despe-
iil(ivi!liuaauuiiciii -...-..----------r -- | ,
Souza, e seus prenles, estabelecidos naquellas ca-|cados.
e Agoa-Prcta, sobre aexecuc,ao da le rcgulamentar
das eleiedes, c das dcciso, s dadas pela presidencia.
Inteirada, necusou-se o recebin.ento e lizeram-se
as necessarias participacOes.
Outro, em segunda via, participando ha ver con-
vocado a nova assembla legislativa provincial para
se reunir na prxima sessao de 18*8, e delerminan-
loacamara a espediciTodas necessariasrdeiis, para
que se proceda a elelcOt) dos inombros da dita as-
sembla.na forma doalaposto na lei n. 187, de l ue
agoslo de 18*6, e na mesnia occasiSo em que se fizar
a dos diputados geraes para a futura legislatura. -
lileirada, aeciisou-se o rccebiu.ento.
Outro do voleador presdeme, participando lino
poder, por incominodado, comparecer a sessAo. -
Inteirada. ,, ..
Outro do juiz ile daz presidente da junta de quali-
flcacAoda freguezia de San-Lourcnco, requisiUndo
urna copia aullieutica da acta da qualificac.Ao daquel-
la freguezia. Foi salisfoila.
Outro do procurador.aprcsenlando a nota da des-
peza prnvayel a que tem de (llegar a proinptihcacno
dosobjectos precisos para as prximas eleicoos. .
Foi reinettida ao Exm. presidente para em vista da
despeza conceder cmara a necessaria aulori-
sacAo.
Outro do fiscal da Boa-Vista, apresenlaiido a con-
tada despeza feita emjulho e agosto ltimos com
o eiiterraniento de cinco cadveres de mendigos, na
igreja da Santa Cruz. Mandou-se passar man-
dado.
Outro do fiscal do Poco, participando ser de joyooo
ril a importancia das inultos impostas em o mez da
agosto ultimo, e aprcsentaiido os niappas do gado
ntorlo para consumo daquella freguezia, em dito
moz. Inteirada:
Foi lido o aiiprovado um parecer da commissao
de edificarlo, apresenlado sobre as petic,0es de Ma-
nuel Toixeira Peixoto, Joaquim Teixeira PciXOtO,
Joaquim Lobato Feneira o Francisco Teixeira Pei-
xoto, que pediam por afoiamento lerreiios de mari-
nba edecouformidado com omesmo parecer se
mandn Informar cada una das pclicOes.
O Sr. vercador Barata apresentou a seguinte pro-
posta (iuo foi approvada, votando contra os Sis.
Aquino e Gaudino, enao toiido volado,por suspeilo,
o Sr. pro-presidente Qsrnei.ro Monteiro.
i Nos arrabaldes, suburbios e povoacoes circuni-
vizlnhBB desla cidade do Recite, |oder-se-bo cons-
truir casas de madeira u de taipa, cuberas de temas
e bem assim telheiras sobre esleios, precedondo li-
Cenca eeordeacao da cmara: os que conslruirem
taes obras, sem a respectiva liceuea cordeago,
serao multados na quantia de 8*000 reis e demolieao
da obra, se se verificar que esta lora to aliiihaineii-
to que houversido determinado pela cmara. Ficam
sein vigor todas e quaesquer posturas inunicipaes
que se oppo/.erein a cxecuc.3o da prezeiilo. Ilecile,
ldoseteuibro de 18*7. O vercador liarata
Em seguida o Sr. vareador Aquino le/ a seguinle
declarado:
i Declaro que votei contra o artigo da postura,
apresenlado polo Sr. vercador Barata, para ser co-
herente com a rcsposla que dou esla cmara ao Exm,
presidenta da provincia cni 2 de mato do crranlo
anuo. Sala das sessOes, em 15 de stleniluo de 18*7.
J. d'Aquino Fonseca.
Procodeu-se aarremataijao de alguns talhos dos
acougues das Cineo-Pontas e Roa-Vista, da maior
parle das easinhas da praqa da Independencia, e
bem assim das medidas da fariiilia dos dous mer-
Rcqiiciro que nos contratos, ou autos jlearre-
uiet0B0>8e expresse a clausula de que os fiadores se
obiiguem igualmente como pcincipaes pagadores.do
eonl'ormidade com as leis reguladoras da materia.
Recite, 15 de sclembro de 18*7. Barata.
i Reqaeiro que seja adiada a arremataeflo das
easinhas das pr8CS das ribeiras da Roa-Vista c San-
Jos, porterein.de concn er a ella outros licitan-
tes. Recife, l.'idesetembro de 18*7. Barata.
Por ultimo deliberou a cmara quo fossem postos
novamente em praca, no da J5 do correnle.os dilio-
rentes objerlos que deixaram de ser boje arremata-
dos pela falta de licitantes, taes como easinhas das
ribeiras, algunas lojas da praca .la Independencia,
diversos talhos dos dous acougues pblicos, casa
da ra Imperial e Iqrnecimenlo de azeilo do carra-
pato para In, es da cndiia desla cidade.
espaehaiam-so as pelic.>s de Francisco Jos do
Rogo* Francisco de Freitas Gamboa, Joaquim Correia
da Costa, dos iiiquilinos da praca da Independencia,
a de Jo.lo Evangelista ,1,. Costa e Silva. E ou, JoaO
Mi lerreira de Aguiar, secretario a subscrevi.
Reg .llbuqueraue, presidente. Cmaro Monteiro.
-- Barata. Aquino. Feneira. Barros.
PARKCF.K A QUK SR BEFEBB A ACTA CIMA. ^
a Os requerimenlos de Manoel Teixeira Peixoto,
Joaquim Teixeira Peixoto, Joaquim Lobato Ferreiru
e Francisco Teixeira Peixoto, em que pedem ao
Exm. Sr. presidente o titulo de albramento dos ter-
renos de que se acham de poste, a sobre o qual
mandn o mcs.no F.xm. Sr. informar acamara, es-
lAo no caso de ser lavoravelmcnlo informados, visto
como pelas iufoi niacOes que foram presentes a com-
missHo, e a que proceden, os referidos terrenos,
alen, de seren ja possuidos pelos peHciouarios, lo-
ram reservados para edilicaciies particulares, segun-
do o respectivo plano da cidade. Sala das sessr.es,
ljdesetembro de 18*7. Os vereadores, Barata,
RENDIMENTO DA MISA DA RECEBEDORIADEPEN-
DAS GERAES, NO ME/. DE SETEMBRO PROSia
PASSADO.
a sisea:
Foros de terrenos de marinba ..... 12,248
Ladennos.............. ^0,00
Sizadosbonsderaiz.......... 2:057,ooo
Direitos novse velhos......... 252,290
Ditos do chancellara........ .'l'?60
Dizima da mesni........... 56,5*7
Sello fiXO............... 1:199,110
Dito porporcioal........... 1:872,100
Premios dos depsitos pubHcos...... 27,700
l.icenea dos dcpachanles da alfandoga 2j,000
Emolumentos de certiofics....... 8.8!,(>
Carta de bacharel............ ><)0
Imposto de caixeros estrangeiros 120,000
Dito de lojas abortas.......... 336,800
TaxasdeescraVos........... iMS,OM
US.....7:382,3*5
Recelicdoiia, 2 de oulubro de 18*7.
o escrivao,
Ettantilo l'ereira de Oliveira.
IMUMH HEfER\JlBi:il.
IVECE, 3 DE OOTOBRO DE 18*7.
Recebemos Jornaes ingleses que alcangaui a 19 do
agosto ultimo, ...' .
S M a rainlia Vicl..lia, o principe Alberto e parte
da real familia embarcaram, uo da 12. cm o hiato
Iteal, de Osborne para a Escocia, que se propunliam
''/segundo as noticias mais recentes constava que
afioiilha real linha chegado aGrcenock no da 1j,
as 10 noras da nianlia. S. M. It. desembarcara em
Dumbarton: e dah'i suppnnha-se que seguira im-
mediatamente para Locli-I.oiiiond, O que no da 16
chegariam a Clyde os augustos yisiOres.
Constava que 0 niajoi-general Slr llarry Mil.tb, O
here-de Aliwal (na India fra ..orneado parasuecc-
,1er a Sir lle.irv-l'.dlingcr como governador do ca-
bo de lloa-Esperaiica Taml.ern se dizia que o ma-
ior-general Slavelev sucrederia ao niajor-general
D'Acuilar IIQ estado-maior de Hong-Kong, e que bit
He.uy Poll.nger havia do ser o novo governador de
Madras. .
A rainlia em coHcell.o, reunido a 10 na residencia
real de Osborne, na Iba de Wight, onde se ochava
enloa corte, ordenou que o parlaroenlo fsse pro-
logado de 25 de'setembro para 12 de oulubro.
S. M. a rainlia-inrii, acomparihada por urna dimi-
nuta comitiva, partira de Londres para a Madeira
no fim de selembro. A Ilustre visitante oceupariaa
residencia do governador daquella illia durante a
sua estada all.
Constava que o general lord Strafford seria ele-
vado a dignidade de Conde, oque os lords Ac.heson
e Cremorne, e Sir R Rulkeley Philipps, Bait. seriam
nomeados pares do reino. O teiienle-general Sir
John Mac-donald, lord Fitzroy Somerset, e Sir Colin
Halkelt liaviam de .acabar brevemente u gr"o-cruz
do Raulio.
| Proseguan! as eleicjiesgeracs.
MUTILADO


*
#'
..:.__._.
4
H-


mw
^
-
.
4

wm



Ilavia em Londres noticias de Lisboa ate 9 do
posto. A nota rollectiva dos enviados das tros
potencias alliadas, que exilia a mudanca do mi-
ro misterio, fura presentada na manhaa do da 5.
NflO se he tinha dado rosposta at a larde do di 8.
os ministros resolvern) entilo finalmente appellar
para os governgs da Inglaterra e Franca cont-a esse
diroito dse exigir a sua demissio as circunstan-
cias actuaos. Entretanto tinham-lhes dado urna res-
posta soplnstica.
Cosa Cabral fra afinal retirado da legado de
n .eJ.'; ,en,1.,r)-"1os """iros obligado ao desejo
que ene manifestara de ser demitlido. Seria subsii-
lri?nfei0Sir--ltar0M' ora enviado porlugue/ om
ronh. Hr Ser'a 0CCUPadu PelSl- No-
kSj 6Sl?Va e.m 8Tl Manqui". cxcbpco do
;f"' nde batalhil carlista l.avia commettido
niuitos excessos, inclusive un assallo A casa do vice-
cnsul francez em Faro ; que fizera com que M.
ue lareniie mandasse um vapor do guerra para
uquelle porto.
El-rei tinha nomeado o Sr. F. A. Alartins Bastos
gj Vnctptor dos principes, em lugar.do Snr.
OgovernO anda nflo havia publicado una so li-
nha a respailo de clcic-fies para as cortes ; mas li-
nham-se formado tres assocaeOcs elSTloraes.
Nflo so tinha anda dado ollicialmente ao ministro
licspanhol satisfazlo do ultrage commettido contra
os Gallegos.
L'xpedra-sc ordem para a abertura da universi-
dade de Combra.
Contnuavam a sor enormes as difllculdadcs finan-
ceiras.
Taubem hava cartas do Porlo at 9 do predilo
mez. Em consequenca de oidcns recohidas de Lis-
boa tinha-se retirado toda a frca despalillla 5
porm a paz publica nao tinlia sido perturbada, e
1 ordom ira bein inantida pelas autoridades da
rainha.
O estado do norte da Hespanlia era satisfactorio,
e o povo pareca adherir lvremente ao systema ac-
tual. A colheitado trigo, cevada e ava era a mais
favoravel possivel. Dizia-se ser ezcellente a vindi-
ina ; mas as crescenles cearas do milito liaviam sof-
fiido grave damno da ferrugem.
Ao Techar da mala de Lisboa, chegra um navio de
Angola com participares ollciaes do governo de
urna conspirarlo inuito seria e extensa, para ro-
volucionar-se aquella colonia, o por-se o conde
do llomlm i testa do governo. Eutravain na con-
jurac;"i<> elle e dutros presos, assiin como inuilos
dos ollicaes do governo e mais habitantes. O plano
era bein feito cestava a ponto de ser bem succedi-
do, quaudo se niallogrou por denunciar urn dos
conspiradores o plano as autoridades O resultado
foi a sua total ruina, c a adopclo de medidas as mais
severas para com os presos, e aquelles cujos noines
Corara denunciados como cmplices na ronspi-
raco.
&
Ibes eslivesse corrompendo os coracoes- com do-
trmas l So prfidas o estpidas, como "essa que os le-
vava a azorragar. m as magen-dejRSus-CunisTO.asda
sua Ha i Saj.tiss.ma, e as dos Atiilrtas que tanto se
araaran) por fazer que vigorassem os prcceitos da
mais santa di1 mais pura, da .mais pliil'osophca do
todas as roligiOes, da religSo pregada pelo lilho
do propno Dos, como ja dissemos em outra occa-
suio.o agora o repetmos. Porm, lainentavamos
anda mais que judicialmente se houvesse encarado a
quesiaopelo lado religioso, quando pensavamos que,
so ella ti vera sido considerada do outro modo, lalvez
quo a autoridadese nao vissecomo quo manietada, c
privada do obrar ludo quanto devra, ludo quanto
desejraa prol dos miseraveis quo Agosthilio de-
fraudava a pretexto do preparar-lhes urna sonhada
rodcmpgo.
Ccrto, se desde o principio se houvera reputa-
do Agostinho, nflo o prgador de urna nova sci-
ta, mas um vclhaco que, prcvalecendo-se da pou-
ca ou nenhuma llustracflo dos seus iguaes, os
imbua com varias alicantinas, para induzi-losa de-
positar-lhe as mlos o producto do trabalho, e at
o da venda de propiedades, para, com esso produc-
to, habilitar-sc a viver vida foigada e regalada,
soni subjeitar-se aos transes e s agonas a que est
exposto o operario nesta malfadada trra, e porven-
lura em todo o mundo ; so desde o principio se o
houvera levado aos tribunaes, como um depreda-
dor, c nio como um apostlo fementido, porque se
nos assegura que elle pe em contribuidlo todos os
queoouvem, e com os fructos dessa contribuic3o
be que se conserva em perfeito ocio, sem quo toda-
va sonta a menor das privaefies; se desdo o princi-
pio se houvera considerado Agostinho tal qual elle
be, e nflo tal qual inculca s-lo, entilo esse impostor,
esse sanguisuga dos prelos inexperentes, ha muito
quo Uvera recebido O juslo premio da sua especula-
cao, In muito que Uvera sido esbarrado na vereda
tortuosa que encelar, ecm que vai caminhando'a
passos largos, pois que esta verificado que elle nlo
arripiou earreira, masque contina em seus perver-
sos tramas.
Cambio sobre Londres 27 firme, a 60 das.
Pernambuco,* deoutubro de 18*7.
Lourenco & Oliveira.
PRACA-DO RECIFE, 2 D OUTUBRO DE*1847,
AS 3 HORAS DA TARDK.
Revista semanal.
Cambio-------- -Estove firme a 27 d. por 1,000 rs., e
foi esta qnotncSo que se effectua-
ram as transaeces da semana.
Algodao.....Entrnram 784saccasqe elevaram o
deposito a 1:363. N3o hou*e em-
barques ; es vendas fizeram-seao
preco que noticiamos na ultima re-
vista, islo he, a 7,000 rs, a arroba.
Assucar---------Nao cntraram mnisque27 caixas, e
embarcaram-se 512 ditas, 558 bar-
ricas o 1:298 saccas.. Os preqos fn-
ram os mesmos que regularan!' na
semana antecedente.
Ago'ardente -Vendeu-se de 40,000 a 42,000 rs. a
pipa. A exportacao foi de 10 pipas,
i barris e 10 garrafes.
Couros---------Venderam-se de 105 a 115 rs. a libra.
Exportaram-se 4:600.
Azeito-doce- -Vendeu-se de 1,900 a 2,000 res
galflo.
lugar ; devendo os prelendentes comparecer hah'
litados 0 munidos dos competentes fiadores
E para que cheguo ao conliccimento de todo,
mandamos publicar o presente nos lugares do o
turnee pela imprensa.
Cidade de Olinda, I." de outubro de 1847. j
Joaquim dcAlmeida Cuedes, presidente. Joa0~p"
lo lerreira, secretario. ""
Ignacio Jos Pinto, fiscal da fregufia da Doa-V,ia
rirtudeda1ei,cte. ,m
Faz saber aos propietarios do casas situadas e
dita froguezia, que pela lei do ornamento municin,?1
que deve ter cxccuqSo do 1. de oulubro viudo
por diante, estflo obrigados a concertar as calca'7
de suas propriedades. s
E para quo cliegue ao conhecimento de todos man
dou publicar o presente.
l'rtirtitatim .In R/iq.V.Ii. On Aa co>-~l -
e~>u oe 1817
Ignacio JoU pnl0 '
^ Hca-Yists,
Deca racatt.
-- O arsenal de guerra compra 6*duzias detiboas
o de assoalho de louro, de 30 palmos do comprimento
'o 1 e l a 2 de largura ; 24 costados de po-d'n|eo em
llacalho-------0 deposito apenas he de 400 barr-' pranchOes de 28 palmos de comprimento o 'dito
\i.uiii os pretos vulgarmente arntheeidos
por Motarlos do dirii*j>m9tre>
Os leitores leinbrar-sc-h.lo, por sem duvida, de
havernios nos, em um dos nmeros do Diario do au-
no pretrito, noticiado a CJatenci de um scili
ma, que. Hitro.tii77hi por um ceieTue Aftlstiiiiio,
tivera /sectarios fanticos que, como em testemu-
DJIO i/ sua adheso seila pregada por esse emba-
dor.-jam recolher-sca cadeiu para Ibe fazeicm com-
RXnhia nos l raba I los, o assiin tornarem-se mais
JHignos da ledempcflo com que o embuslero osen*
J godava.
Recordar-80-lifio elles, tambem, de termos nos
annuiiciado em ouiro numero posterior a esse em
que acabamos de fallar, que Agostinho portal for-
ma conseguir empapar em suas doulrinas as al-
mas dos inexpertos que Ih'as onvian, que estes des-
gracados, esquecendo-se do amor e respeito que
devi'.n a DEOSe 1 seusS antos, ebegaram ao arrojo
de acuitar, edepois inergulhar, ja noc ros, ja nos
regalos, ja nos viveiros, e ja nos pocos, a iinagein
do CncxiFicAno, a da ViaoBH e as de alguns desses
hroesdn christianismo, que a groja tem canonisa-
do e mandado reverenciar como os mais justos dos
SCCVOS do SMlon.
Por igual, sabem os subscriptores deste peridico,
assim como os habitantes de toda a cidade, que A-
gostinbo o seus asseclas, depos de tereni compare-
cido ante -o tribunal da relacfto do dislriclo, o ah
como que ostentado os falsos principios que pro-
fessavaqi, depois dehaverein ido ao palacio episco-
pal, v all repellido as admoestaoOes que Ibe dirigi-
r o nosso mui digno diocesano, foram poslos allim
cm liberdade.
Emquanto issose passava, diversas eram as opi-
niOes, que por mais de nina vez ou vimos emiltir-
cerca do procedimenlo da polica a esse sujeito.
linseiitendiam que ella exorbitava desuasattr-
buicOes, conservando encarcerada por muito lempo
urna porefto de individuos, a cujo delicio s cabiam
as penas coniminadas no arl. 276 do cdigo crimi-
nal, islo lie, a dispersan dellcs logo que se os
visse reunidos com o im de celebraren! cullo es-
tranho ao nosso, c:n casa ou edificio com forma ex-
terior de templo, a demoKciiO da pega 011 pecas
queconcorressom para que houvesse essa forma,
ea imposicao da multa de 2 a 1^,000 rs. a cada um
dos que se achassein prsenles na occasiftn de se Ibes
ordenar que se dspeisassem.
(luiros pensavain que a polica conteinporavisa
demais com os schisinaticos, qie tinha para com
elles urna tolerancia indesculpavcl, cqueporvcnlu-
ra concorra para acorocoa-los no erro ; pois quo,
bem longe de os perseguir contumazmente, bem
longo de degreda-los para aqu ou para all, con-
senta que commuuicassein com os curiosos que
biiscavam v-los, quo ante esses curiosos desenvol-
vessem as rasOes justificalivas da seila cuja esfarra-
pada bandeira haslcavam, e que assim losseiii 1111-
buindo os nimos dos incautos lias necedades o
parvoices em que seachavaui enreilados, e que se
eeforeavam por transmiltir a mais alguem,
Oulros, emfun, applaudiam a conduela daauto-
ridade publica, e. diziam quo a prisao dos Agosti-
nhoSfO incommodos que elles eslavam soffiendo,
asprivaqOesa quosoacbavam subjeitos, cain mais
que sulTicientes para fazerem com qm ossus espe-
euladores de nova especie dessem de niao ao embus-
te, e regressassein aos antigos hbitos e costamos,
logo que l'ossem restituidos ao gozo pleno do-, seus
lireilos cvis.
No iiieu de tilo encontradas opniOes, das quacs a
primeira pareca a mais ajustada, porque su accor-
tJava com a lei esciiptu, laiucntavamos nos a inex-
periencia com que essa le lora decretada, porquan-
to reconlieciamos que ella como que cooperava para
que um bichante como Agostinho, abusaudu da ig-
noraucia e boa f de algmnas dezenas de prelos,
Entretanto que por este modo nos exprimimos a
respeito do Agostinho, nao pojemos deixar de cla-
mar alto ebomsom contra o motim que, vai pa-
ra quatro ou cinco dias, teem os moleques le-
vantado nesta capital, com o proposito de perse-
guiicm*no e a lodos os que ofrequentam, ou sflo
suspeitados de se haverem alistado sob suas ban-
deiras; e clamamos, porque alm do ser essa
urna barbaria que nao osla de accordo com os
nossos costumes, muito recejamos que esses mo-
leques, assiin como assaltam a casa de Agostinho
eas de cellos comparsas seus, quebram-lhes as
rotulas, e invadem-nas, para apedraja-los, fractu-
rar-Ibes as calmeas, c ar.ebentar-thes os movis,
podem muito bem desenvolver igual procedimenlo
contra qualquer hi.mem honesto, cujos nimigos se
lembiem de cxp-lo as apupadas e insultos dessa
genio desmiolada.qucfaz ludo quanto se Ihe insi-
na, sem oonsciencia do quo faz; dessa gonte des-
ai roseada, que, quando se acha nos seus xtases de
desenvoltura, desrespeilira propiia auloridade co-
monos cansa ler acontecido ja no caso de que' nos
oceupmos, pois que nos infonnam que, inesiwo na
preseca .loscmpregados da puuia, o sempre que
e]lft/conduzQni.nra a cacfeia algum dos asseclas de
Agostinho, essa gente apnlia-se em derredor dos
conductores e doconduzido, prorompe em grande
algazarra, c assim percorro as ras por onde tem de
passar o perseguido, para poder chegarao lugar do
sen destino.
Pedmos e rogamos, pois, a mencionada poli-
ca baja deenipregar lodos os meios ao sen al-
cance, para que cesse inicuamente esse terrivel a-
buso, cujas consequencias ulteriores lio bem possi-
vel que venhaui a ser muito e multo funestas. l'u-
na-se o delinqueiite, faca-se cahir sobre elle lodo o
peso da lei ; n,asob-4e-se, e obsle-so com todas as
lorias, que elle seja maltratado, que elle seja des-
tellado, que elle seja apupado por algiimas duzas
de meninos vadlos, que, a um signa! dauo, agru-
pam-se em qualquer praca, ra ou travessa, como
se estivessem arregimcnlados e aquarlelados es-
pera do loque de guerra, que os tem do chamar ao
campo de Un la I ha.
___ Ut$ftinttO,
A lan ciega.
HKNUIllENTOOODfA i......
3:244,004
Descarregam hoje, 4.
Barca '/Alia mercaduras.
Brigue (durad botijas vasias.
Patacho Providencia mercaduras.
Polaca -- Constante --violto.
Barca Eske farinha do trigo.
(Consulado.
l!i;\l)IMENTO DO 1)IA 2.
Coral..........
Diversas provincias.
1:238,862
132,406
1:371,268
PBECOS CORRENTES DE IIOJE.
Itua da Cadeia do llecife, n. 34, toja de cambio de
Luurenco & Oliveira.
Moeda i!o prata. Compras. Vendas.
I'alacoes brasileiros 2,000------------- 2,010
Pesos columna res- 1,970 ------------ 1,980
Dilos da patria------------- .1,820 ------ |,84o
MoedasdeSfuincos--------1,660----------- 1,680
Ditas de 2 patacas- 1,280 ------ 1,290
Ditas do I dita...... 640 ----- 660
Moeias de ouro.
Pecas velbas------- 16,300--------------16,450
D)Us novas......- 16,100--------------16,200
Moedas de 4,000 rs. 9,100--------------9,200
Oncas hespanholas 'J9.200----------- 29,400
Dilasda uatria.......29,000"----------- 29,200
Soberanos.........8,950--------------9,000
Utscontus.
I.cttras de boas firmas commerciaes 7/8 por /oao
mea, vencimeutos at dezembro de 18*7 3/4.por
rento.
Ilillieles il'allau.lega, no lia.
Moeda de cobre 4 p. / le premio 6 p. "/.
cas. --As vendas a retalho regula-
ran! de 13,500 a 14,500 a barrica. -.
Tocn ueste porlo e seguio para a
Baha um carregamento vindo de
New-Carlisle.
Carnc-sccca- -Exstem 9:000 arrobas. N3o exce-
dem de 11:000 as arrobas que se ven-
deram aos precos de 2,400 a 3,200
res.
Far.'delrgo -Um carregamento do 600 barricas
vndas de Liverpool, e que anda se
nao venderam, sao as nicas que ue
acham em deposito. "
Farolp.....Vendeu-se de 4,500 a *,600 ris
sacca.
Mantega--------dem a 780 rs. a libra da irigleza, e
de 450 a 460 rs. a da franceza.
Massas-----------dem a 9,600 rs. a arroba.
Vinhos-----------dem a 112,000 rs. apipa do da F-
gueira, e de 120,000 a 122,000 rs. o
de Lisboa da marca PRR.
Est3o a fretar o brigue hainburguez Courud e a
escuna ngleza Bebe.
Entraran 7 embarcaces e sahiram 5. --Exstem
no porlo 34, sendo 18 brasileras, 1 dinamarqueza,
2 francezas, 1 hamburgueza, 6 inglezas, 3 portugue-
zase 3 sardas.
Uovimcnlo do Porlo.
Navio entrado no dia 2.
Ro-de-Janeiro; 19 dias, brigue-escuna braslero
Amazonas, de 138 toneladas, capitffo Manuel Mar-
ciano Fcrreira, quipagom 10, carga gneros do
paiz e barricas vasias; a l.uiz Borgesde Cerqueira
Passageiros, o prmeiro cadete Carlos Mara de O-
livel, D. Maria Carlota Olivel, D. Anua Candi-
da Fcrreira Comes, Jos Joaquim Barroso, Antonio
Brasilno de Oliveira, Pedro Garca Piales, Brasij
lei ros, o 3 escravos a entregar.
.Yuro entrado no da 3.
liba de San-Miguel ; 38 dias, briguo brasilero Espi-
rito-Sanlo,' de 200 toneladas, Capitflo Alexandre
los Alvi'S.-eqnipagem 21, carga vinho e mais g-
neros ; a Fumino Jos Flix da Bosa. Passageiros,
Manuel do Bego Lima, Antonio Joaquim de S011-
zii, SebastAo Jos Correia, lieurique Jos deCar-
vallm e Souza, Francisco Cordeiro Raposo, Vicen-
te de Oliveira Lima, Antonio de Souza, Jos do
Souza, Miguel Francisco de Souza, Jos Machado,
francisco Perena, Jos Jacntho Rabello, Mariano
de Audrade, Manoel Botclho. Manoel lgnaCo Fer-
rcira, Mauoel Carnoiro da Silva, Jos doAmaral,
Jos de Arruda, Jos do Reg Vieira, Antonio Jos
da Costa, Juan Bolelho, Antonio l'avao, Manoel
Rodrigues Paiva, Ricardo Fcrreira da Silva, Anto-
nio Borges, sua senhora e dous lilhos menores,
Francisco do Reg Lima, Jos de Oliveira, l.uiz
Cabral, Manoel Percira do Carvalho, Jos deMc-
deiros Tavarcs, Portuguezes.
Navios sabidos no mesmo dia.
de largura : qnem taes gneros ti ver e quizer for-
necer mandara sua proposta em carta fechada di-
rectora do mesmo arsenal, at odia Sdpcorrent
mez.
Arsenal de guerra, 1. de outubro do 1847.
Joo Ricardo di Silva,
Amanuense.
Ass ; barca brasileira Tentativa-Feliz, capitilo Jos
Antonio da Silva Grillo, em lastro.
Rio-de-Janeiro; brigue americano Olinda, capilao
James Poaton, cm lastro. Passageiros, Fernando
Celler, sua senhora e um filbo menor, Francezes.
Ilamborgo ; bVigue dinamarquez Fortuna, capitiio
II. Rolhe, carga assucar.
Loanda ; brigue portuguez Rosa, capilao Jos Fran-
cisco da Costa Roxo, carga ago'aidenle, assucar e
mais gneros do paiz. Passageiros, Mauoel Bap-
tista Duarte, Thomaz Baplisla Duarte, Portu-
guezes.
Aracaly ; biate braslero Olinda, capilao Antonio
Jos \ launa, carga varo gneros. Passageiros,
Geraldo Correia Lima. 'Antonio Gurgel doAmaral,
Manoel Itaiboza de Souza, Agostinho Jos Fran-
cisco Carneiro Monlciro, Joaquim Lopes Raymun-
do, Jos Alexandre de Souza, Joaquim Jos de
Souza Jnior, Antonio l'ei re ira Quixaha, Jos da
l*cnha dos Prazeres, Romao Ferrera do Rozario,
padre Manoel Francisco de Araujo.
PRESEPIO NO THEATRO PUBLICO.
O director da thcatro tenciona apresentar este
anno em scona o mais brilhante presepio, que al
agora se tenba visto : dividido em. tres parles sendo :
Primeira : o triumpho deMardocnco, Escriptu
Sagrada Eslher, de cap. l.'at cP- 14 24.
Segunda: a cegueira do Tubias, cap. 2.(ial cap. 12
Terccira o nascimento do Messas Seg. S. Lucas de
cap. 2. at20.
Para exeoucao destes tres dramas, convida a todas
aspessoas que quizerem dars meninas a quarenta
mil ris, os meninos a trnta mil ris, a comparecc-
reui 110 theatro do l.dc outubro at o dia 30 do
mesmo. Sendo que tanto, meninas como meninos
lulo de cantar ; o nao pdenlo levar em sua comi.a-
nliia mais do que urna pessoa que asdever condu-
zir ; nenhuma outra ter entrada na cixa do thea-
tro, seja qual lr o pretexto, debaixo desta condicio
he que p director d dez mil ris de mais do quo
oaniM passado. A decencia e recato j observados
nos seus dous presepios anteriores, sao mais sullici.ento garante que offerece para seguranza dos
juvens de ambos os sexos, que se contrataren! no
presente presepio.
.avisos martimos
Para o Maranh3o pretendo seguir com brevidS1-
de o muito veleiro patacho Santa-Cruz ,'outr'ora /"-
peronea), forrado de cobre, capitilo Joaquim Anto-
nio Gonc.alves dos Santos : para carga e passageiros,
trato-se ao lado do Corpo-Santo, luja de massames,
n. 25, ou com o capilao.
Vcnde-seuma barcaca pequea, de 10 caixas,
muito ligera, prompla de um ludo para navegar, ou
taubem se faz negocio com una niaior, de 18 a 20
caixas ; a queni o negocioconvier, dirija-se a ruada
Meda, sobrado de un andar, n. 21,
Para a Baha salte a sumaca Santo-Antonio-de-
Padua': para o resto da carga e passageiros, trata-
se na ra doVigaro, 11. 5.
l'ara a Baha segu, at o fin do corrcnle mez ,
o hiale Tentador: para carga, ou passageiros,trata-se
com Silva & Grillo na ra da Modu n. 11.
B,t'{0: S.
EIMTAES.
Manoel Joaquim do llego Albuquerque, presidente da
assembUa parochial dos Afogados, etc.
Tendo Je proceder, em conformdade da lei, na pri-
meira dominga de novembro uomea^ao deeleito-
res a legislatura futura, e havendo recebido por in-
termedio da cmara asrdeos competentes, convida
aos senhores eleitores e supplenles, actualmente mo-
radores nesta freguezia, para se acbarem na matriz
as 9 horas do mencionado dia, para composicao da
mesa, assim como aos cidadaos votantes a darem o
seu vol.
Manoel Joaquim do Reg Albuquerque.
Rotbe & Bidoulac farSo leilSo, em presenca do Sr.
cnsul da Dinamarca, por conta e risco de qnem per-
tencer, e por ntcrvenQflo do curretor Oliveira, de
476 couros salgados, avahados d'agoa salgada, pelo
desasir acontecido canoa que osconduzia para
bordo do brigue dinamarquez Fortuna, ueste porlo;
cujos ser&g vendidos livres de direitos para ocom-
pradojn ter^a-feira, 5 do-corrente, as 10 hoias da
manhaa fita ponto (prfr tero dito correlor de fazer
outro leiliio s 11 horas', no armazem do Sr. Araujo,
beceo do Sr M L. Goncalves.
Richard Itoyle faraoleilao, por interven gao do
correlor Oliveira, de grande porfo de fazendas in-
glezas, todas proprias do mercado : terca-feira, 5 do
corrente, es 10 horas da manhaa em ponto, 110 seu
armazem, ra d'Atfandega-VcIha.
Scbaflieitlin^f Tobbler continuaro o seu leiliio,
por intervenirlo do corretoi Oliveira, de um esplen-
dido sorlimcnto de fazendas : boje, 4 do corrente, as
10 horas da manhaa, no seu armazem, ra da Cruz.
Avtsw* diverso.
A cmara municipal da cidade de Olinda e seu termo,
em virtude da lei, etc.
Faz sabor que, nos dias 4 boje), 6 e 7 do corrente
mez, sorSo arrematados por quem mais dor os con-
tratos seguintes : dos muscates c boceteiras, o re-
peso dos acuugiu'S, as c.isiuhas da iibeiia, o subsidio
dos poicos, a afertflo dos pesos e medidas, o arma-
zem grande no Varadouru, dilo pequeo o mesmo
No .lia. 28 de selembrn prximo passado, pe-
las 4 horas da larde, um moco bem paiecido, um
pouco alto, suissas ruivas, chapeo proto, casaca de
alpaca j usada, cutele e calca de cor, un cbicoti-
nho pequeo encastuado de casquinha ou piala, um
enfeite do mesmo metal no meio do cabo, e no lim
do mesmo urna ponlira de linba ou retroz vrdo
torcida ; vuha acom|iiubado ue um prelo que 1ra-
zia un pcaco de sola enrolada debaixo do braco e
um chapeo, de sol, furlou na coche ira alias do thc-
atro uin cavallo sellado e enfreado, o qual lem
os seguinles signaos: um pouco pequeo, casla-
nbu, com cabellos de rosilho; fenle foveira, osqua-
Iro pos ciliados, uina broca no casco esquerdo de
urna enxoada que ha pouco leve, 6 para 7 anuos do
idado, bem fogoso e bastante carnudo. Este joven
ratoueiro dizeiii ter sido vislo multas vezs pelas to-
jas da 1 na Aova, oulros ja disseram que pelos sig-
uaes cima ditos he um moco chamado porsobre-
nomc Wanderley, morador nosul, e foi encontrado
pcrlo de S.-Amaro-Jabuatiio : a pessoa que der no-
ticia certa de anillas as cousas recebara 80,000 rs.
dcJoiio da Cunta Beis, lia inesma cocheira, OU no
Muuleii O onde lie a >ui residencia.
Anloniu'Francisot du Mores faz publico, que
Antn 10 Rodrigues .Mallilis Fereir deixou de ser
sou caixeiro, desdeouia 27 do- mez prximo pas-
sado.
MUTILADO



3>
___O abaixo assignado em resposta ao annuneio
<)o Sr. J. A. M. B publicado no Diario de sabbado, 2
do crrante, n. 222, declara que, se sua senhoria nflo
opresentar, dentro em 2* horas, documentos pas-
sados pelo abaixo assignado, que provem ter sido
liquidado o negocio do que Talla, sua senhoria ser
tido por calumniador, porque desta forma quer em-
palhar e nflo pagar ao abaixo assignado a quan-
tia de38,*80rs., que Iho ho devodor de saldo
de couros salgados que Ihe comprou. O abaixo as-
signado por muitas vezos fez ver a sua senhoria que
nunca se pode entender com o seu devedor, como
prova por copia de cartas dirigidas a sua senhoria.
Pergunta o abaixo assignado ao Sr. J. A. M. D. qual
a rasflo por que em das deste anno den por emita ao
seu debito rs. 50,000, e nflo abateu na liquidaQo que
diz ser-lho o abaixo assignado devedor. Sr. J. A.
M. B., Pernambuco he pequeo e todos,nos nos co-
nhecemos. -f D. /i. A.
Charutos ptimos.
ManoelJoaquim Concalves e Silva, na ra da Cruz,
n. 43, avisa a seus freguezes, que, pelo vapor San-
Salvador, Iho acaba de chegar um completo sortimen-
lo de charutos, daquelles de quesuas senhurlas nno
ignorara a superiodaiic ; assim como d'oulros que
he a primcii'a vez que vcem a esta praca, eque a vis-
ta da prova confirmaro o que cima diz.
LOTKKIA DOTHK/iTKO.
A existencia ainda do urna quanlidade crescida
do bilhetcs que se nflo vendern, vedou que as ro-
das desta lotera tivessem andamento no dia l.'do
corrente ;.e na expectativa de que esso resto de bi-
Ihetes se venda at o dia 13 dsto mesm mez, o res-
pectivo thesoureiro marca de novo este dia para o
referido andamento.
Aluga-se urna casa com'muitos commodos no
O armador que so oncarregou da decoracio de melhor local do Poco-da-Panella : a tratar na ra do
Santa Hita para a respectiva ultima resta declara Queimado loja n. 8.
que recebeu a imptirtancia dossa docoraeflo mosmo
antes de termina-la ; e que por conseguinte he in-
teiramente destituida de fundamento, he comple-
tamente falsa a narrativa do Proletario o Artitta -
cerca do que esses peridicos dizem haver-se passa-
doentre oreferido armador declarante e urna oulra
pessoa que elles designain com o nome de sao Lu-
cas Ferreira.
--- Precisa-sealugar um preto diligente : na fa-
brica de licores, na travessa da Concordia, n. 19.
I). Margarida Candida da Cunha o sua (ilha D.
Maria Anglica retiram-se para o Kio-de-Janoiro,
levando em sua companhia sua escrava prela, de no-
me Isabel.
O abaixo assignado, lendo o Diario de l'ernambu-
co de sabbado, 2 do corrente me?., achou um annuu-
cio do JosLuiz de Brito, seu exlincto socio que foi
em urna venda, sita na ra do l.ivramenlo, ti. 30, em
que deelarava ter vendido a dita venda ao annunci-
anle o outro inventado socio, que minea foi, Anto-
nio Joaquim da Silva ; quaml a casa foi comprada
nelo annunciante-e paga pelo mesino, emqueassis
liram ao bataneo Joo Paulo llamos Chaves e IgnacnT
JNunes leOlivcia: e pura a todos constar faz o pre-
sente annuneio. Antonio Jos de Arantes.
Sr. Jos Nobei lo Casado l.ima mande bus-
car o palito e collcto que mandou fazer na rua No-
va, n. 18, em marco de 1845, e pagar o foilio de dous
colletes qu"4cvou naquella data: por se julgar lem-
po sullicieiito, faz-se este annuncio.
Os Srs. Antonio de Medciros, Jos Antonio Tei-
xeira basto, Joflo da Costa llenrique, Joaquim de
livoira Cavalcanti, llenrique Cezar, eManool Joa-
quim Antuiies morador na matriz da Varzea, man*
ili'in a ra Nova, loja n. 18, receber cartas quena
mesma casa exislem para os inesmos senhores.
Todos os das, das cinco horas da
tarde e.n diantc, na ra das Cinco-Pon-
tas, sobrado n. 37, acha-se o bom sor-
vete, fabricado pelo fabricante da na da
Aurora, com todo o a.sseio e perfeicij, e
commodos para f-imilias. /
O abaixo assignado faz sciente ao rospeitavel
publico, que pelo brigue americano Olinda. vindo
de,Boston, entrado ueste porto em 22 do pretrito
mez do seliMiihru, lia receido novo provimqulu de
pillas vegetaes do lr. Brandrcth. Estas pilulas, cu-
jo autor basta para garantir sua excedencia,', tor-
nam-se muito recomniendaveis por ser um medica-
mento inteiramenteinoffensivo, podendo applicar-
seals Crianzas recem-nascidas ; ltimamente se
tcem applicudo a una inlinidade de molestiasjul-
gailas igeuraveis, de cuja applicaQo se len tirado
tilo felizes resultados que parece cada vez uUds re-
solvido oprobenla de um remedio univci*'!. Ao
aniiuiiciante cah a gloria do assoverar ao publico,
que as ditas pilulas sflo as nicas verdailen'as que
existem nesta praca, as quaes se vendem e"W,sua
botica, narua da Cadeia-Volha-, n. 61.
Vicente Jos de Vrilo \
'"" A irmandade de San Jos do riba mar avi?aa
todos os irmflos da mesma compaiccerem 110 dja
oito do corrente para urna mesa geral que lefl
principio as 7 horas da noile, a interesse da uiesinft pudor e manso dirija-se a a ra da Florentina
irmandade..
O bacharel Manoel Jos Pereira de Mello acha-
se, desde 28 do mez prximo passado, 110 exercicio
da proinotoria desta ciil.uk', por noineacao uterina
doDr. juiz de direito interino da primeira vara do
crime : reside na ra estrella do Kozario, n. -i-i-
Agencia de passaporles.
Na ra do Collegio, n. 10, e no Aterro-da-Boa-
Vista, 11. l, continuam-se a tirar passaporics tan-
to para dentro, como para fura do imperio; assim
como despachan! scescravos: tudoeom hrevidado.
A pessoa que anniinrioy, no lliurio de27 do
passado, querer comprar urna venda bem afregue-
zada tanto para o mallo como para aterra dirja-
se a venda n. 88, defronte da matriz da Boa -Vista ;
onde outra pessoa que a pretenda achara com queh
lialar a compra da mesma.
Maioel Joaquij Pereira embarca para o flio-
dc-Janciro a sua escrava do nome Maria, do nagao.
lima senhora poitugueza do muito boa capa-
cidade se oiTeroce para ama de casa de punca fami-
lia, 011 homcm solleiro : ella da Dador a sua .con-
duela : qem do sen prest 1110 se quizor autorisar,
dirija-se atrs do Carmo, ra do Cano, casa n. 24.
Precisa-so do um caixero para urna venda,
quo lenha pratca do mesiuo negocio: confronte ao
oitao da malriz da lloa-Vista, venda, n. 2.
Precisa-sedeuma niulhcr quo saiba bem la-
var eengommar, para estar em casa de urna fami-
lia estrangeira: quem osliver neslas circum-stan-
cias, sendo de meia idade, dirija-se a ruaatraasda
niatrii da Boa-Vista, n. 28, no segumlo andar.
Urna parda se ofTerece para ama de casa, de
piulas a dentro, de bomem sidteiro ou de punca fa-
milfii, em Fra-de-Portas', 11 44.
Precisa-se de urna ama do leite para acabar d
ciiar 11 1 a menina de oito mezes: na praca da in-
dependencia, n. 3, se dir quem precisa.
Precisa-sealugar una canoa de carreira, que
pegue o.'.i duas ou Irrs pessuas pelo tempo da
fesfa : na ra do Queimado, 11. 30.
Precisa-se de um caixeiro que seja bom o di-
ligente preferindo-se ja com alguma pratca de
qualquer negocio : na ra Nova, n. 25, se dir quem
precisa..
. ~ Jos Yerissimrida Rocha faz publico que dei-
xou de vender ago'ardente desde o lim de selemb o
prximo passado na sua taberna da ra do Trapi-
che, 11.26.
- O abaixo assignado faz sciente a todas as pes-
soas com quem tem tido. transaeces commeiciacs
em urna venda na ra do Livrament, numero 30,
que elle vendeu a mesma venda ao seu ex-socio
Antonio Jos de Arantes e a Antonio Joaquim
la Silva, .equepoz o seu jestabeleciment do nova
venda sobre si, no mesmo correr da ra, confronte
ao oitflo da igreja de N. S. do Livramento.
Jos Luiz de Ilrito.
Aluga-se a loja do sobrado da ra da Cacimba ,
n. 3, que tem sempro servido para acougue, e se
ada prompta de todo o necessariopara o dito tra-
uco por preco commodo : a tratar na praca da Boa-
Vista no terceiro andar do sobrado da esquina da
ra do Aragflo.
OlTcrecc-se urna mulher parda, do boa condue-
la para ama de leite : na ra do Hozado da Boa-
Vista n. 2.
Precisa-sede um homom para trabalhar de en-
xada era um pequeo sitio perto da pra^a : a tratar
na roa do Collegio, n. 15.
No Aterro da Boa-Visla, n. 1, primeiro andar,
na casa de modas de madama Millocliau, rebeu-se
pelo ultimo navio um rico sortimento de chapeos
para senhoras ; chapeos de palha de lodils as quali-
lades e da ultima moda, de palha da Italia, de ar-
roz, do palha aborta, lisa, etc., etc.; chapeos de pa-
lha para meninos e meninas, de paHia da Italia mul-
lo Iva j ricas litas de flores para os meamos cha-
peos; seiias de todas as cores para chapeos de se-
nhoras; canihraias; fil, creps o inuilos outros ob-
jeclos que se veinlerilo por preco com modo
Precisa-se de um criado que le fiador a sua
conducta eque seobriguea fazer as compras dia-
rias e tmlo o mais que se determinar: no pateo de
N.-S -do-Terco n. 13
--Aluga-se, para passara festa urna gramlc ca-
sa terrea na pevoaqflo do Monlciro com 4 quartos,
cozinha fra cacimba, q&rlo pan scravos es-
tribara para don-: tavallos 2 quintaos murados o
com saluda para o rio : a tratar na travessa do V-
ras, na Boa-Visla sobrado n. 15.
J.A. M. B. em resposta ao annuncio publica-
do neste Diario II. 221 declara ao Sr. I). II. A.,
que ha muito espera a leesao do que se encarre-
gou le receber de Jofio Jos do Olveira Cavafeante,
porsuaordem para o quo -Ihe passou procuracflo
bastante e que at boje so nfo dignou dar dccisQ
alguma, para entilo Ihe pagar ; pis que o referi-
do Cavalca ule diz ter liquidado a conta do que Ihe
devia com o referido I). II. A. : Apera pois que
dentro em 4 dias haja de apresenlar-lho essa liqni-
dacSo : do contrario lera de usar dos meios que
Ihocompctem.
ItOUBO.
Do engenho Paulisla furtaram,no dia 16 desetem-
bro un cavallo ruco com marcas na perna o p
lircita em cima da anca com a mesma marca de
ferro I. I.VCIO nio enxeiga peto olho esquerdu;
tem as queixadas 3 ; outro dito alazflo, velho,
bom carregador com a marca IS. Quem dos ditos
cavados ler noticia no dito engenho, ou na ra de
Agoas-Verdcs, 11. 46, ser bem recompensado.
Quem quizei dar 150,000 rs. poruin cavallo ala-
zilo muito bonito bom carregador baixo, es<|jii-
- Compram-sciacadcirasem moiouso,, que So
sejamde acarando nem de anRiCb : n ra AugU-
1.1, sobrado leum andar, ix.91, ou annunc e.
omana e qualquer
estoja em bom
-Compra-se a legislaeBo
obra le direito commercial
uso : quem ti ver annuncio.
que
rriacnconimenl.ipara for.i
da provinci.1, doa ulliciacs do carpuri ; um carp -
teiro do ribeira ; dous ferroiros ; n um laoooiro : im
ruadtCru. o Recife n, Vi), pnmciro amlar se
dir quom compra. Alverto-*c que, agi-adando, so
paeanlo bem. .
-- Compra-so tima preta bocetoira : tendo as qua-
lidades queso desojan, paga-se bem: na ra ua
Senzalla-Velha, n. 110.
-- Compra-se 11111:1 escrava de naco, do 16 a 1
annos sem vicios nem achaques, que sirva para
o servico interno e externo do una casa, em hora
nao ten.....naiores habilidades : na rj|8 da n. 19 segundo andar.
O Sr. que a semana passada dava 500,000 rs. pe-
lo molecfo Antonio querendo fechar o negocio,
dirija-se a ra Nova, loja n. 58 : o que poder fazer
outra qualquer pessoa sendo quanto antes.
-- Aluga-se, o vonde-se urna escrava recolhida ,
liie sabe lavar cuziiibar coser c engommar com
loda a perfeicfio : na ra Imperial, 11. 9.
- Aluga-se, no lameiro do Munteiro para pas-
sar a festa um sitio com mu i tos arvoredos de inic-
io com tres casas terreas muito decentes e sulli-
cientes para grande ou pequea familia : a tratar
na ra do Vigario 11. 13 segundo andar.
Roga-se ao Sr. J. C. V. G. o favor do mandar pa-
gar a pessoa que nflo ignora os alugucis do 80-
bradinho da ra do Livramento de que foi fiador
S. S. de Eslevfo do tlngria Pereira Pinto ; quamlo
nflo, se publicar o seu nome por extenso nesta fo-
Iha.
Trapassa-se o botiquim da Cova-d.a-Onca na
ra larga do Rozario, n. 34, muito beni afregueza-
lo seguido de um bom rgimen, em tudo pro-
veitoso ao comprador a quem se far ver o moti-
vo por quo se trapassa este estabelecimento : a tra-
tar no mesmo boliquim
No engenho Jos-da -Costa comarca do Rio-
Formojo oxistem dous quartos que se ignora a
quem pertoncem. Que for seu dono appareca em
lito engenho, que, dando os signaos Ihe ser en-
tregue.
l>-so dinheiro a premio sobro penhores de 011-
ro piala boas firmas 011 hypotheca em algum
predio : na rua do Aragflo 11 38, se dir quem da.
DOCE DE DIVERSAS QIJAI.ID.VDF.S.
Na rua da Penha sobrado de um ailar u. 11, da-
se doce do vendagem pagando-so 80 rs. por pata-
ca a pretas cojos senhores respondam pelas
faltas; o aprompta-so qualquer cucommeiida le
loco qiie quizerem.
Desaparecen dos Apipucos urna cadelinha com
os signaos seguinles : he loda melada com o Ib-
cinho prrlo respondo pelo nome de chiquita, elj^j Uuiia, incliac">es, odores nos r""'* >' lunus u
o ro.rrT-' car, daasts venreas citica cnfeiO'dades q
^ J'JSl/'lS.
Lotera A os 20:000^000 de ris.
Na rua da Cadeia lo Recife, loja de cambio do Vi-
eira, estilo a venda bilheles o meios Mos, da lotera
a beneficio la matriz da enfade le Nicihcroy
I
a el-
hc muito pequea. Quema achar, querend,. ..KI.
luir lirija-se ao sitio do coronel Ruado .^uo^ies-
nm lugar, 011 no Recife, rua da. i'iAinlega-Velba',
n. II que sera recimipensailq.'in 10,000 rs.
O lilho do viseon le de ^zenha acaba de receber
urna porco do fazenda dRfnomlnada l.oucainha.
Esta fazemla he de langnra muito propria para po-
ninas advertindo a\\ o iinnunciante tem gosto
particular para estalazenda.
Umcirurglffe/approvado por S. M. F deidad.'
veterana se |iusp0c a ir prestar os servigos de sua
arte, em al^rima villa ou povoaoKo, ou mesmo
em algum ejrgeubo perto desta praca e estabe-
locer urna #>equena botica segundo a pratica do
seu uso ; 4imo lambem a onsinar alguns meninos
as primt^rras ledras: quum de seu prcslimose
quizor auilisar lirija-se a rua do.Queimado,lio-
tica V*- ,'aonde achara cmn quemtratar do ajuste
--.I'recisa-se de um criado que se subjeite a fazer

0 16.
OITerece-se um liomem para administrador de
engenho do que tem bastante pratica, oque d
Dador a sua conducta : quem de seu prestimo se
qurzer utilisar, dirija-so as Ciiico-I'ontas defronte
do forte casa de rancho.
- Da-sc liuheiro a juros sobre penhores de 011-
ro ou prata, em pequeas e grandes quanlias no
Aleno-ila-lioa-Visla, n. 58.
de Lima
recerna rua to
aim tic tratir de
Ro{;a-se aoSnr. Jos Joa-
quim de Lima o favor de appa*
Crespo, 11. 12 ,
negocos que
nao ignora^
Precisa-se le 11 m homom para feitor lo um si-
lio muito perto desta ciliado: na rua las l.aran-
geiras, n. 29, casa das afericOes.
-- Precisa-se alugar um sitio pequeo perto la
praca desde o,Manguinho al a Poiite-do-L'eha ,
011 Solciladc, no lugar mais povoado : quem tiver
dirija-se a rua das Cinco-Pontas n. 13.
Na noitc do dia 27 para 28 do setembro, fur-
tarain da estribara do sitio da Criiz-de-Almas,
aoudc resille Antonio Jos Pires um cavallo de
carro com os signaes seguinles : ruco, ale pelle
preta dina e cauda pretas alguma cousa carcun-
da roncolho e com marca no peito' da colleira ;
suppOe-se que foi para as bandas le Coiauna : quem
o pegar, ou ler noticia no iiiesmo sitio ser gra-
tificado.
Compras !< urna casa e queas conduza para el-
la : no palco do Terco, n. 16.
D-sc um sitio muito grande, com duas bai-
xas proprias pana lavoura apim, 011 outra qual-
q'iier cousa com urna camboa a margem do rio Ca-
pibaribe, com militas frustas para plantar o des-
iructar de ineas : quem este negocio quizar fa/.er,
dirija-se mu pateo do Terco, n. 16.
Aloga-se, por 5,000 rs. mensaes,
um silln muito fresco pro>rio para lio-
mem sollciro : a tratar na esquina du
Livramento, loja de 6 portas
Roga-se ao Sr. Manoel Biuicin Barboza e Silva
o favor le dirigir-sea rua da Cadeia do Recife, lo-
ja le l'azendas, 11. 35.
Dflo-se 500,000 rs. a premio sobre penhores,
firmas, bu hypotheca na rua Nova, 11. 63.
~ Precisa-se le um caixeiro de 10 a 18 anuos,
que tenha alguma pratica de venda : na rua de
Agas-Verdes, II. 57.
Precisa-se de um feitor para um engenho lis-
tante desta ciilade 8 leguas : no Alerro-da-Boa-Vis-
la n -ej, segando andar.
Desoja-se saber quem nesta praca he correspon-
dente do Sr. de engenho, leronvmo do Alhiiquerque
Mello.
Aluga-se, para pasear a festa, ou mesmo an-
imalmente um sitio na povoaglQ do Monteiro no
becco do Quiabo, com boa sala seis quartos, co-*
zinhafra, com muitos arvoredos le liucto, por
preco commdo: a tratar na roa Vclh.i, n. 91, las
duas as 4 horas da larde.
A pessoa que foi no dia quinla-feira 30 do
prximo passado na loja do ourives na rua Nova ,
11. 32, amostrar algumas obras para seren avalia-
las, eque seesqueceu le 11 ni aiinel, queirii appa-
reccr, que, dando os signaos Ihe sera entregue
s antes que ChegUO O vapor.
SALSA-P VliRll.llA DE SANDS.
Este excedente remedio cura todas as enfermi-
lades as quaes silo originadas pela impuro,i losan-
gue, ouajesysteina, a saber: escrfulas, rh-uma-
lismo, erfpc,rteseul.,-,^}fSj;%ebuthas na cara, lio-
morrbx-^WiiWTics cUronics.breluilh.is, bortoei-
ul-
10
Carlti D. Fredricks, .proles-
sor contina a tirar retratos coloridos das 9 horas da
manlifla at asdoa- da tarde, na sua residencia,
rua da Cadeia-Nova, n. 26.
Precisa-se alugar um sitio para una familia es-
trangeira que nito sola muito grande, o quo te-
nha boa casa de vivenda boas arvores de fructo ,
c muitas de sombra, que seja porto da praca : pre-
fore-se a boira lo rio, at Magdalena ou Ponte-uc-
Ucha : quem t tiver, querendo alugar, dirija-se a
praca da Independencia livrarians. 6 e 8 queso
dir amule se deve tratar.
Trancelins de qualquer- .modelo aunis, lilas,
lloros,'adoremos, pulsoiras', brincos, etc. ; linio
mais bem feito possivol ,0 por preco moilico
:- i'eniuila-si! un c,|ii i:n sitio, n.ii
to prximo matriz da Varzi, e ao rio
Capiliaribe com casa d.; vivenda que
contin ifuas salas, qualro quartos e os
tribdiia, com imillas aivores fructferas,
e nina liaixa, por urna casa terrea nesta
cidade ; volt ndo-se de una ou de oulra
parlo o que se convencional-: quem Ihe
convier este negocio, dirija-se rua cs-
Ireila do hozario, n. iri, ond se dir
quem o faz.
1 Guimaraes Serafn & Companhia tcem autori-
sado ao Sr. Joflo Augusto Henriques la Silva para
cobrar as suas lvidas nesta praca, bmigayel o ju-
dicialmente.
gmpraM.
Compra-se um cavallo para carro sendo gor-
do possanie e de bonita figura embora nao tenha
bons andares ua rua do Pires n. 26.
atacara polo grande uso do mercurio ," hidropesa,
oxptistos a auna vida extravagante. Assim^eomo ,
ehronicas uesorilens da constui;"o serRo^JJ''''"
las por esta tilo til o approvada medicina,
A aduiinislrncao deste bello re-iiedio nos ata-
ques mais extraordinarios', tem 'sido san pro segui-
rios pelos mais relizcs resultados as suas opera-
rOes ; purera, osen principal objeclo lio lu purifi-
car o saogue o li.upar o systema de qualquer in-
lluoncia de mercurio. No seu modus operandi, he di-
rectamente como um remedio alterativo, anda que
Indirectamente serve ao systema como uqi verda-
ileiro tnico. Doeiu;a.s nos ossos e no systema gran-
ilular; assim como as .juntas e liganu'iilos sflo
Hlciramcule cura-las pelo uso leste reme que o lenle. fa;a resguardo algum, quando usar
ueste remedio, v operaeflo deste remedio consis-
te o 11 reirioVor n doaocdem lo systema-, o em bre-
ve lempo o lente ganbara a sua saude
A salsa-parrilba tem ganbadu por muitos annos
urna alta reputacflu do ter curado doona.emuidif-
licullosas, que ucuhum outro artigo de valor em
materia medica tem ciuado. lio le sabor que a sal-
sa-parrilba he nimios mais va la veis remedios que
os doutores usan) en tola a parle do mundo', com
vistas do ganhareiii cura pelo uso do tal remedio
vegetal Poim deve-se do notar que nem todas
as pessoassapem preparar este remedio assim co-
mo escolhereni a mcllior parte que se deve usar em
tal preparadlo. I:in celebre medico escriplor, quo
residi por muitos anuos no lugar aoudc ha a nie-
llior produccAo da salsa-parrilha, disse : a. Seis ou
oito especies destas raizes que crescem uestes bos-
ques, admira-me que nao poilesso adiar senflo
una emno gostoe propriedade da vordadcirasal-
sa-parrillia que so possa recommeiiilar para a me-
dicina ; pois as mais erara inspidase inertes. l'o-
ii'in, como os mdicos nao se dito ao liahilho do
fazeroui as suas proprias medicinas, mas sim cou-
liam nos seus habis boticarios, para a prepararon,
e com; 01 en lill'orenles drogas, i'orin do'lodas as.
proparacOes de salsa-parrilha devia de ser la genui-
111, para que 11 facultativo e o publico licassein bom
liados lias prepaiaciH-s de .salsa-parrilba a ser da
lliolliorqualrdado. Pois he este o genuino vegestn-
vel i|ii^ se ofTerece ao publico; neste se vni oombi-
nadoso utilecum dulce; jnns em infinitos casos em
que o doento esperanzas algumas tinha de viver,
e glandes quMlidades do remedios experimenta-
dos mas sem resultados de melhoras; mas com
esta pura salsa-parrilha suas curas tem sid,o in-
falliveis; pois os certificados que lomos leeehido
de pessoas que teem usado desle puro remedio, af-
lirniam d sua boa eflicaciaj osles certificados temos
a honra do apresentar ao rospeitavel publico para
pie |iic;ii certos 0 que acuna se diz he verda-
doiro.
O proprielario deste remedio tem por muitos an-
uos emprcgailo todos os meios pura preparar esle
tilo til o essi'iicial renii'ilioila ra/, la salsa-parri-
lha, que por um consegniramaa suas vistas, em
prepararen) um lao valioso remedio e seus tilo lin-
dos resultado! tem enchido os proprielanos le glo-
ria o iriuinplio'de torera preparado urna linda citni-
posieo contra doencas que osen lim he destruir o
Corpo humano. Ksla composi,'ao he chimica e nova.
Ksta salsa-parrilha lie combinada com nitros In-
gredientes que todos olios pcrioiicom a classe vege-
ta vel e todos com op'oderdopDriflcarem osangue.
O lenle que usar osla coiiijiosh'.'io podo contar
que tem o inais.ellica/ remedio para a sua oiifer-
midade
Preparada e vendida por junto ea retadlo as-
sim c.....1 se expolia por A II. V I). Sauds chimi-
cos e droguistas ein New-Voi k n. 100, l"ui)ton
IStieel,esquina de William.
Vende-se na rua da Cadei-Velha botica n. 16,
de Vicente Joso de Brito.
Sorvete, a *M)0 rs.
1V0 pntCO da S.-Crui 11.6, com IOUO sacio O
perfeicao |tio he possivol las 6 lloras da tardo em
liante.
A OS ESTLDVMKS DE GEO-
GlUPItlfc'.
S0I11Q.I0 dos principaes PROBLEMAS DE GEOC.RA-
PIIIA PIIY.SIC.VKASTIMIN'IIMICA, liviinho indispen-
savel aosque tooin d r.i/or.i'xame nesta disciplina :
vende-sena rua da Cruz-do Recife, livraria de San-
tos & Companhia, por 1#000 ris.
Vende-se una fabrica le chapeos con todos
seus pe teneos, c tudo novo : da rua do Hospicio,
n. 17. r
Vendc-se muito superior farinhade
tapioca : na rua da Gnu, u. 13.
Vende-so cera de carnauba muito boa, tanto
retalho, como em porces : na rua das Larapgeiras
n. 14, segundo andar.


MUTILADO


P"1"
.
4
JN


Vendem-se os seguintcs' escravos todos do
mili elegantes figuras sem vicios nem achaques :
uat molequede 18annos; um dito de 12 anuos;
urna pretil de 18a 20 annos corn algumas habili-
dades que se diro ao comprador ; 3 pardos, son-
do um de 11 annos c ous do 18 a 20; um inula-
nho de 7 ptra 8 nnnos, proprio para andar com
criancas: na ruado Crespo, loja n. 2 A so dir
quem vende.
Vondem-sc muito boas bichas chegadas lti-
mamente de Hamburgo, tanto aos ceios como a re-
talho, e tamljem sealugam; vo-seapplicarpara mais
com modo dos pretondentes : na ra eslreila do Ro-
sario, defronte da ruada Larangeiras, loja n. 19. Na
mesma casa vende-sc urna bonita nvulatinha de cin-
co annos.
Vendem-se caixas de cha hysson, de 13 libras,
oni porcocs', ou a retaltio ; caixas de velas de cs-
permacete de 5 e 6 em litirn : na ra da Alfandcga-
Velha, n. 36, m casa de Matheus Auslin & c.
Loteria do Rio-(le*Janeiro, a be-
neficio da matriz da cidade
de >iclhero>'
Vondem-se bilhetes desta loteria : ora casa de J.
O. F.lstor na ra da Cadeia-Velha n. 29.
Na na da Cruz no Hccife, n. 26 vendom-se,
em porcilo, couros de cabra; sola; ir patos, o botius,
Jeitos to Aracaty, o mellini- possivcl ;ccra de carnau-
ba; esleirs ; chaposde palha; sebo ,'queijos: eou-
tros objectos por preco commodo.
Vende-so una venda com noucos fundos, na
ra da linda ; una cama de angico ; um cabido de
amaretlo ; urna cama : no paleo ilo S.-Poiiro n. 10.
Vendem-so duas canoas de carroira,e alguns
escravos escolenles, d# < os sexos, perton-
centes a una pessoa o,e ..".i n-i na da Sen-
zalla-Velha n 110 ^ Se l"V......
Na n?S^ ,)A f-'NDCAO' DE I-OW-MOOft.
' "nra Senzalla-Nova n.12, conliya a haver
SSnpleto sortimento de moendas o machinas de
_JM, para engaitos de Bssucar : bem como tai-
xas de ferro batido e coado de todos os tamaitos :
ludo por preco commodo.
SSSF
Vende-se a verdadeira farinlia SSSF
de raminho chrgnda no da 5 do cor-
rente : a tratar com J. J. Tasso Jnior.
Na roa da Cadeia do Hccife", n. 31, escriptorio
de Jos Antonio Basto, vende-seo mais superior vi-
nho do Porlo, da colhela de 1822, em caira de
urna e duas duzias de garrafas.
Na ra de Agoas-Verdes, n. 46 vonde-se, por
seu dono retirar-so um bonito pagom pardo, olll-
cial de alfaiato ; dous moloques de 16 a 20 BQOOSj
um dito de 12 annos ; 5 esclavas ; duas niolecas e 3
escravos por commodo proco.
Vendo-so lima parda do 23 annos, que sabe bem
COMr enunmmar e coziiihar-, por proco commo-
do, polo dono tordo retirar-so para fra da pro-
vincia : na praca da Independencia n. 23.
POTASSA.
Vcn.lc-se a verdadeira e superior >o-
tassi da ilussia a mais nova que existe
no mercado : na tua da Cadeia do Iteci-
fe, armazem n. 13, defialthar k Oli-
ve! ra.
Vende-se um sobrado de dous andares
ra do Ago.is-Vordes, que
o so-
rondu
Larangei-
tflo silo na
70,000 rs. inousaes : a tratar na ra das
ras, n. 11, segundo andar.
.No 1 im da ra da Aurora, n. 1, venilom-so
niiiendas do ongenho, antigs, e rodetes por proco
commodo'; e um crioulo de 21 annos bom carrei-
10 o vaqueiro,
Vendem-se pecas de inadapolilo limpo, com
20 varas, a 2,100 rs. e a selo vintens a relallio !
na ra eslreila do llozario, n. 10, tcrcciio andar.
ra bezerros de lustro de superior qualidade, para
calcado; couro de lustro para canhOos do criados.
Ta m be m'se cobre m sollins do couro inglezefrancez,
(cando como novos o concertam-so outros; tudo
por mdico preco Na mesma loja tambem.se ven-
dem barretinas para oniciaese soldados de eavalia-
riaeinfantariaua guarda nacional; talins e cana-
nas de couro branco e pelo; espadas do metal
brancj.do roca o sem ella ; bandas ricas o inferio-
res ; liis ditos; correjamos de lustro para solda-
dos ; estrellas; globos ; apparolhos para barretinas
ricas; molas para espadas douradaso de latilo ; e
outros tnuilos objectos por preco commodo. Na ra
Nova, n. 28, loja antiga de Antonio Ferreira da Costa
Braga, defronte da (igreja do N. S. da Coiiccicno dos
militaros.
-1 Vende-se urna parda do20 annos, de figura
o ptima para mucama que engomma, csecliflo
lava de sabfio, eozinha alguma cousa e faz renda: no
Aterro-da-Bb-Visla, sobrado n. 5.
QUADKOS.
Na ra do Caliug, loja de miudezas,
de Francisco Joa(]uim Duarte, lia um
completo sorlmienlo de qmdrosde San
tos, etn moldura donrado, dedilTerentes
lamanlios de 80 at 4oo rs.
Superior cha hysson, era la-
tas de urna libra, a 2,400 r*.,
muito oplimo para casas particulares ou para fra
da praca pelo bom acondicioiameuto : vende-se
no arinazem de Antonio Tcixoira llacclar no largo
da Alfandega, n. 3.
l.liampanlia de superior qua-
lidade ,
Cruz, n. 38, armazcm de
8SSF.
Vendem-se meias barricas de farinha do SSSF de
raminho : no caes da Alfandega urniazcm u. 1, do
GuimarSes.
DEPOSITO DE CAL VIKGLM.
Na ra do Trapiche n. 17, lia sem-
pre cal virgen de Lisboa, cni Larris pe-
queos, e nltiniamente chegada mui-
to superior e por preco rasoavel.
Vendem-se escravos baratos, na ra das
Larangeiras, n. 11, segundo andar: 1
lindo pardo de 22 anuos, som vicios
nem achaques de boa conducta o quo
be ptimo para pagom ; um dito com
ofllciode sapatoirO, este troca-se.por urna
moca
faiate; dous molocotes de 18 anuos, bous para o
Imbalho de campo; um pelo do 23 annos por
450,000 rs.; um dito de 36 annos muito forte, e
que he canoeiro, por 400,000 rs.; um dito, por
250,000 rs. ; una parda de cor oscura bstanlo
corpulenta dbannos com algumas habilida-
des esta cscrava vende-se muito em conla per lor
um pequeodofoilo; umn niulalinha de 12annos;
urna iiezri*" d *o ounoe que cose cugomum,
eozinha e serve bem a nina mesa ,- urna negrula do
do 20 annos, que cose e eozinha o diario de urna
casa ; urna dita de naclo do ptima conducta, por
12,000 rs.; e mais alguns escravos.
Veudcm-se pianos ingfezes ,
de ritenle de
Collard 1 Culliird os muito celebres fabricantes
de Londres : em casa de Ceo: Konwortliy 4C. na
ra da Cruz 2.
--Vcndem-sesellins inglezes clsticos de pa-
tento forrados de couro de porco; dilos sem screm
elsticos, francezes puro montara do homcm o
senhora ; cabocadas rolcas, inglesas ; ditas de cou-
ro de lustro proto o blanco; estribos do metal bran-
ca e de ialau; perno i ras e guarda-lamas, de todos os
joitios; chicotes para montara do homem e senho-
venda-;*,* na na da
Schafhetlin&Tobl
Vende-se urna vfSfldasila em bom local, com
bastante freguezia, tantoy^ra a praca como para o
matto : no pa leo da S.-CruzV e-
Vcndcm-sc8 escravos /Vendo : 3 mocos, de
bonitas liguras proprios para\" servico do campo ,
ou tuesmo da piaca ; 4 moloques d 11, 13 o 16 an-
uos propriosjiara oflicio ; una ."scrava crioula ,
quo engomma ,cose eozinha o lavt,' de sablo : na
ra das Cruzcs 11. 22, segundo andar.
- Vendem-se duas cscravas, una parda com
cria propria para criar, por ter muito(s bom leite,
e que engomma, eozinha, coso o lava; e a outra
cabra para fra da provincia com todas is habi-
lidades i o quo tudo faz com alguma porfonj'"'0: "a
ra atrs da matriz da Boa-Vista 11. 24.
Vendem-so, por precisfio, 2 pardos de 22 -^li-
nos, por 350,000 rs. cada um : na ra da Sonzella-*
Velha n.132.
Contina-so a vender boa ma;ilciga,a 320, 400,
500 o 800 rs. ; chocolate novo, a 240 rs.; cal mo-
,1o a 160 rs. ; dilo em grito a 120 rs.; cevada no-
va a 100 rs. ; arroz branco a 80 rs. ; dito vernte-
llto a 60 rs.; carnauba do 6, 7c 9 em libra a 320
rs.; espormaceto do 6 era libra, a 720 rs.; cha
hysson, a 2,000c 2,5C0 rs. ; arroz branco, a 320 la.
a cuia.-dilo vermclho a 280 rs. ; foijo, a 280 t%. ;
arroz do casca, a 100 rs.; milho, a 100 rs ; quei-
josfrescaes, a 1,120 rs. : no palco do Carino, es-
quina da ra do Hurlas, lado d i re i lo n. 2.
Lotera do Rio-de-Janeiro.
Vondem-sc bilhetes o meios ditos da stima lo-
tera a bonelicio da cdilicagao da matriz d*a Impe-
rial cidade do Nictheroy : na ra da Cadoia loja
de cambio n. 38, de Manuel Comes.
Vende-so urna parda clara, do 23 annos, que
cosa, lava tcni principios de ongomuiado, o he
muito boa rondoira ; um oabriulia do 12 anuos, de
lnula ligura proprio para pagom : na ra dos Ta-
nooirqs, armazem de couros, n. 5.
Vcndom-so 3 cabras, bichos) paridas de pou-
cos das : na ra das Larangeiras, n. 18.
Vonde-se um mofequede 16 a 18 annos, do
liunita ligura quo lio ollicial de uiarconeiro : na
ra do Queiroado,*n. 10, lercciro andar.
Vendom-so 1,500 couros miudos corldi s ; una
porcffo de cera de carnauba: ludo chegado prxi-
mamente do Ass : a fallar com o Sr. I'imentel, no
porio da ra Nova ou na sua venda na l'onte-Ve-
Iha.
Vendc-sca loja de fazondas da ruado Qucjnia-
do, n. 19, com poucos fundos : a tratar na ir.osma
loja.
Irocedegoiaba.
Na ra da Madro-dc-Deos, venda n. 9, lia para
vender doce de goiaba lina, muito bem fcilo em
caixoosde 6 08 em libra.
Na venda do Antonio Joaquim Tavarcs, na ra
da Cadeia-Vellia n. I, vende-se mol de engenho ,
fresco, por preco commodo tanto as garrafas co-
mo em caadas.
' Anda so ocha para se vender, na ra do Hor-
tas n. 90 a cscrava parda, viuda do mallo quo
tcm as habilidades do ser boa cozinhera doccira
rs.; chales de metim a 1,000 rs. ;brim branco de
puro linho, a 1,000,rs. a vara ; o outras muitas-fa-
zendas, que pelo son diminu'' preco nao dosagra-
daro aos seus lrof,-iczcs.
Vende-se una preta com algumas habilidades;
una negrinha de 11 a 12 annos, do bonita figura :
no palco do Carino loja do sobrado n. 7, se dir
quem voudc.
Ycndcm-se' caixas, emquarto, dealelriade
superior qualidade, viudas prximamente do Ce-
nova : no caes da Alfandega, armazem do Francis-
co pies Ferreira.
Vendem-se chlysopempes, ou seringas de"
bomba, de diversas quahdades por muito menos
prego do quo em outra qualquer parte : na ra do
Collegip, botica deCypriannoLuiz da Paz."
O WH0>!0 AJ0 10 10 W0 10 1010@
^ Vende-se um pardo de 22 annos, proprio k
K para todo o servico: no praca da Indepen- 2
^ dencia livraria ns. 6 c 8. w
t;^; g^foto 0i 0; 0. 0 0H &*&
Vendem-se caivetes de mola para a parar pen-
nas do urna s vez; bolOes pretos para casaca
os mais modernos; caixas de tartaruga redondas o
quadradia a 3,000 rs. cada tima ; suspensorios do
borracha ; carteiras do mola; pentes virados para
prender cabello ; sabonetcs-para barba; luvas tro-
las nara scuhora ; relogios domados a 200 rs ca-
da um para meninos ; esporas para salto; botos
para camisa do ultimo goslo ; caixas de baloia ,
grandes para tabaco ; brincos e collares.para luto;
meias pelas para senhora ; oculos de 2e 4 vidros ,
para todas as vistas ; pennas para s'ccretaria ; luvas
brancas para montara, a lOO rs. o par; linha de car-
rcteLde 200 jardas; ludo muito em conla,porser para
liqdidac&o : na ra larga do Kozario, n. 35, loja do
miudezas baratas.
Vende-sc um mulalinliode 10 annos, muito
sadio proprio para pagem, ou algum odicio che-
gado do mallo ha pouco : no pateo da malriz do S.-
Anlonio, cocheira n. 2.
O BARATEIRO.
na nova loja da ra do Cres-
po, ao p do arco de S.-Ail-
lo ni 11.4, de Ricardo Jos
de Freitas Riheiro,
ha novamente chegado um esplendido sortimenlo
do fazondas francezas. o inglezas do mclhor gosto
possivel pera Testa, porprecos muito moderados,
coniosi'jam: cambraiasescocezas de cores iixase
ricos padi Oes, cor de rosa e de outras cOrcs tan-
to claras como escuras., com quasi vara de largura,
Deposito de vinagre da 'fabrica
da ra Imperial, n. 7.
na fabrica de licores, de Fredorico Chaves, no Ater-
rc-de-Boa-V'st, n, 17, onde se achara sempre
grande porgflo o por proco commodo.
Casa da Fe
na ra estreita do Bozario, n. 6,
NeslQ estabelecimentoacham-sea venda as bem
acreditadas cautelas da loteria do theatro publico
desta cidade cujas rodas andam no da 13 de cor-
reute. O cautelista espera que os seus freguezes
concorram a comprar o resto das ditas cautelas
as quacs se esperam boas sortes, pele excellente es-
colha que se foz dos nmeros para serem divididos
em cautelas. A Gasquesc poucase boas. Precos
os do costuinc.
Na ra da Cadeia-
Velha, n. 299 loja
de J. O. Elsteri
veiide-scvinhodo Porto, de diversas qualidades;
dito da Madoira ; dito de Shorry ; dito de Bordeaux ;
dito chateau-Ia-rose; dito de S.-Julien ; dito de Te-
ner i fo ; ditodo Rheino ; dito de Bucelas e Carca-
vellos; dito de Lisboa ; dito de Malaga; dito San-
terne; dito de graves; dilo champanha sellen ;
ago'ardente de Franca ; Kirschwasscr extracto de
absinthe ; Cherry-cordial ; agoa do llor do laranja ;
frascos com oonservasde verduras ; ditos com fruc-
tas da Furopa em calda do assucar ; ditos de ditas
em cognac ; dito de mostarda ; sardinttasem latas
o vidros; petits-pois ; salame de suporior qualidade,
viudo no ultimo navio de llamburgo; agoa deseltz,
em botijas; azeite doco de Marsolha finissimo;
velas de cnmposiclo ; cha prelo; hysson eperola;
charutos de Havanae regala. Adverle-se quo tudo
he excellente e por prego commodo.
Frederico Chaves, faliricantc
de licores, chocolate e es-
piritos, no A terro-da-Boa-
Vista, n. 17,
tem a honra do participar ao respcitavel publico e
com particularidade aos seus freguezes que tem
sempre grande sortimento do bem couh.cc.ido cho-
colate de sade canella baunilha e ferruginoso,
este multo approvado para as pessoas que padecem
a 320 rs. o ovado ; corles de cassa de cores muito jdoestamago e frialdade por ser muito tnico. O
ii.&Vrnas a 3,500 rs. ; boa casimira piola efatfrca, [|>y,, conceiti
a 2,800 rs. o covado ; lindos corles do brim de li-
nho, de cores escuras, que parecom casimiras
para calcas a 2,000 rs.; riquissimos cortes do cam- ieem'
braia padroes de moderna inveneflq ecstampadqs, ac|,a(
Itera vestidos de bailo, a 6,500 rs., padroes admi-
raveis ; urna poreflo de.cltitas btralas a 120,140 e
160 rs. o cuvadn de eiVes fixas O escuras.
. .. .i i ii.i >)" ."H-iiii ..lo n. 27
coiitiniiam-so a vender sorvotes do varias qualida-
des lodos osdias. No mesmo holol ha quartol in-
dependontcs dos liomcns c muito decentes para as
senil oras.
Vedc-so urna escrava de naclo moca, com
urna cria, quo lava .vendo na ra, c lio propria
para engenhu : na ra do Queimado, n 69.
Vendc-seuma halanca grande, com 5 arrobas
e tantas libras do pesos : na ra do Itozffrio pada-
ria n. 2, junto a botica
Vende-se urna escrava cabra, do bonita figu-
ra e conducta que lava e eozinha : na ra da Ca-
deia de S.-Antonio n. 19.
..itoqne tem tido este chocolate, faz com
que\boje partcipe as pessoas que anda nlo fizeram
uso ojelle,.o igualmente aos seus freguezes, que o
rocuradq, e por inconvenientes o nlo teent
i. Os presos so sempre os mesmos aude ,
cane1l\e baunilha a 400 rs. a libra, o ferruginoso,
a 1,000/rs. Tambera vende ago-'ardente do reino e
Franca,' de prirr.cira qualidatre; espirito de 36 graos,
sem chi'ro, em garrafas e em caadas ; genebra
em boMjaseem caadas ; ago'ardento de aniz o de
canna vinagro tinto, ago'ardente em pipas, nos
graos q\ue quizerem ; licores em garrafas prelas e
brancasS, com ricas tarjas douradas e bocea pratca-
da ; eSsincia de aniz em oncas e garrafas.
l\a ra da Cruz do
Keee,n.S8,
venqY-so o muito superior e estimado rapo meio-
grus.Mi o grosso da Tabrca de Eslevilo (iasse, chega-
do,!do lii)-de-jaiioiiii no briguo-escuna Galante-
Maria, eitlrado o moz prximo passado: seu preco
fie de 1,280 rs. de cinco libras para cima. .
=Veudem-se iiioeuasde ferro para enaenho de -
socar, para vapor, agua c tiestas,de diverso tamaito,
por preco coiiiinodoc igualmente taixas de ferro coado
e hatillo, de todos os tamaitos: na pra;a do CorporSao
lo, n. II, em casa de Me. (.almoni o Compauhia, ou na
ra de Apollo, armazeui, n. 6.
de todas as qualidades do huela o de massa, e que
taillbeiit lava e e.ngnitima. O aiiiiunciaiile j lew or-
ina preta (|e| ,| (|or,0 para a vender por menor preco do que
um molecote de 18 anuos, com ollicio de al- rsse qU0 f,avia pedido,
dous molecotes de 18 anuos, bous
Attemao !
Vlnlem-se e alugam-se as mui acreditadas bi-
chas hambui'guczas, chegadas no mez |>ro\imo pas-
sado de llamburgo sendo da tnica e verdadeira
qualidade tanto pelo bom servico como pelo zelo
eom quo so vaoapplicar : na ru eslreila do Hora-
rio esquina do boceo da ra do Fogo, venda n. 11 ,
deposito de bielias hamliurguczas. .
\a l< ja nova do Passeio-Pu
hlico, u 19, de llanuel Joa-
quim Pascual llamos,
vende-se panno fino muito superior, a 5,000 rs. o
covado ; dilo azul, a 4,500 rs.; cortes de cassa-chi-
la de muito bom gosto a 3,200 o 4,o00 rs.; cin-
ta.-, finas a 120, I60e 200 rs.; chales de laa o seda,
a 2,000 e 6,50ffrs.; pellododjabo a 200 rs.; lan-
zinlia, a 8i) o i-tt rs. o covadp ; meia-casimira a
600 rs. o covallo; pecas de madapolo, a 2,200, 2,400,
3, 4 c 5,000 rs. ; lencos da grarata a 200 rs. ; cassa
lisa a-2iu rs. ; pecas do bretanlia a 2.C0J rs. ; di-
tas do puro ludio a 800 rs. a vara ; lencos de soda,
a 1,440 o 1,800 rs.; pocas de cambiaia lisa a 2,560
Escravos Fgidos.
0
m
Vende-se alpaca de cordlo, muito encor-
pada o do varias cores, propria para pali-
tos, a i800 rs. o covado ; pamfos linos ver-
de, azul, cor do caf e cor de vinho a 4#
rs. o covado; chapos Irancezes da ulti-
ma moda ; corles de vestidos ricos pro-
prios para bailo ; atoalhados de varias lar- >i
guras e muito em conla ; corles de chi- ^S
la de bonitos padroes, lingindo seda; o g
oulras muilas fazeudas do gosto: lucio **
por menos prego do que em oulra qual- ({
quer parte : na loja nova do Jos Moreira .
Lupes & Compauhia na ra do Queinta- Q
do, nos qualro-cantos, casa amarilla
n. 29.
i
Vende-sc urna mulatiuha recolhida .do 18an-
uos com habilidades, ou permuta-se por urna pre-
ta ou pelo, que seja de boa conducta: na ra
eslreila do llozario, n. 31, primeiro andar.
.Vende-se cha preto muito superior, em caixas
de 16 libras, proprio para familia : na ra do Tra-
piche, n. 8.
V>nde-se estopa, propria para saceos : na ra
do Trapiche, n. 8
Vendem-se 191 pecas de|cabo do Cairo: na ra
do Trapiche, n. 8
Vendoni-se quatro inaslros de pinito: na rita
do Trapicho, n.8.
II \ cailem-se superiores chapeos de
^M^. castor, pretos e brancos, por preco
muito haralo : na ra do Crespo, loja n.
la, de Jos Joaquiui da Silva Maia
Desappareceu, nodia 13 de agosto da casa de
Francisco Jos Martina da Costa, o preto Pedro,
que scachava alugado- ao dilo scnlior e nilo ha
noticia nenhuma dellc al boje ; julga-se estar acei-
tado em alguma casa : por isso pronnlto-se boa pa-
ga a quemo levar as Cinco-I'onlas, n. 146.
Dito-so 50,000 rs. degiatificaglo a quem pegar
una escrava do nomo Mara do naco Bonguela ,
estatura regular olhos zarolhos, nariz clato, bei-
qos grossos cor bem preta ; qtando anda puxa por
nina perna ; c esl fgida ha dous annos: quenia
pegar leve a ruade S.-Francisco, ou Mundo-Novo,
n. 35. .
{Fogio, nodia 21 desetembro, do erigenhoTi-
rapa, um escravo crioulo, do noie liaymundo.com
os siguaes seguintes: do 18 a 20 annos pouco mais ou
menos alto, secco do corpo cara descantada ; tcm
< urna ferida no p do lado direito ; os dedos grmnlrs
dos ps abrem para os lados, denles limados; M
visto loa Canipiia-Crande, com dirt'CQilo para o
lenle ; lovou a roupa quo tinha na occasiilo em que
fugio,isto he.caniisa e cernulas de algodlo,cal(as de
riscado e chapeo de pallia: quem o pegar leve ao dito
engenho a Ignacio Civalcante do Allmirucrque ,
quo ser generosamente recompensado ou annun-
cie por esta folha.
Ausentou-se, ha dias, da casa de seu senlior, o
escravo Joilo pardo trigueiro de 15 a 17 annos ,
cara grande, olhos regulares, bons denles; bem
conhecido por andar frequentemenle fardado: quem
o pegar leve ao Mndego, a seu snnhor Luiz Co-
mes Ferreira que recompensar generosamente.^
Fugio, nodia 30 desetembro do engefthoGi-
nipapo de S.-Antflo, do Sr. doulor llantas, o pre-
to Paulo de naclo Angola, de 40 anuos pouco
mais ou menos bastante barbado, faltam-lhe 4
a 5 denles na frente ; tom as costas das m5os unas
manchas do quennadura : quemo pegr leve a o
dito engenho ou no lleoife armazom de assucar,
n. 15, defrontoda igrojado Corpo-Sanlo qqe sera
I recouiponsado. _____ ___
Vende-se carne de vacca salgada, em barrs: I ------~ ~
na ruado Trapiche, n.8. I rElUM A typ. bE M. t. DE fabu. 847'
y
MUTILADO


Auno de 1847.
Segunda fe ira 4 de Outubro.
N. 40.
@IBIfiSISS^&
DE
PERNAMBCO.
(SOB OS AUSPICIOS DA SOCfEDABE COMMERClAX.)
^ Sobwreve-se na Pra? dj* lniJcpendene, toja le li-res n. 6 e 8, por lafow rw pvr m, pagtw atvntwk.
PRESOS CORRENTES DA PKA?A (C
4
brreg-ido Sabbado as 3 lloras da tarde.)
II
o.
<
m
c-
*
A
O
i
a.
3e" 5-
000
Jlj|-I.......JJIM---- |4|ii-
k -"A. W *------,-------------------,------ ___.__________________.
<-* a.
__< <
OOOCOo=
...>
-'2 8 ? 8-888 j s ?* 2 8?;?8 ? 55'?
33
o t- = o ~ o m a i 5 S _
- r. en r. 2"
S?SSl?5SSg S 9|
III iilil
n e* c -t c* >*
r* r ---"
ees sc o e
ceo 9 5 e e eco
*>** = 5 >. %
*r a e -1 e
A #* c* O -%
s
rsP"
c8 SS*
|SSt.I-3
frsa
^3
"i
2
5
35
3.3-3
*s 2 a
3 X 3 U 2
5J &
.3? 55!?=^-
.S|.SJ.g.' g .H
S "j 3 3 3 "~ ~
a oooooeoo o o c o c*
..w cd ra rt -n
oJny
2 o c
2
1.5
3


c s c esc
O^COC--
S
f f j* j
>.: 1 <^ > p ;_s >
_____C^__________^_____ as
00c c c i) >a e> c c
gJf.-i 8-3-S.5.
I- C -O C f i-. O O
e c '" c i) "ce <= e w e o' o e. c o o' e' e cr o
8* ? 5 8-8^8 58< 8" 3?


(4)
EXPORTADO.
EVPORTS.
Agoardente Caxaca -
Aludi l torte -
I. -----
Assucar branco em cai*.s -
m.scavado -
para em barricar ou
em lacear, lirancu -
> .natcavaUo -
Jouros leccos salgados. -
Me do sola -
Clulrcs da terr -
I do Rio (randa
llum -------
Cotton I. qu.lily -
J. -
Sugar in catea while -
a > bro n .
a lor Brrala or Haga,
vrtiile J
a brovrn. *
Dry aaltad bidet -
Taima bidet
Oi-liomi
CAMBIOS.
2fir. ::::::::::::::::"::-.w; tft%z.lz~*-+
Franca.......................... *> Pr francn.
Rio de Janeiro....................,0 P" ,,.
PHATAmiud...........
a Pataco Braxileiroi......
Peaoa Columnnno. ......
> Ditos Meiicanoa........
OURO. Moedas de 0*400 velbaa".
Ditas dilae novas .
a Ditas depone..........
a Uncaa licspanliolas......
a Dis Patrio ticas .. ....
Letras......................
I/MO
. }#000 a 30010
, l*nn a 140*0
1*8110 a 1182
l/4nn a 10*400
I0|30fc a 16(100
o ioo a J0
8*6(10 a 80*000 .
38*000 a }8*M>0
c I por 100 ao me
- <
FRETES.
l.rverprol.....'......... Canal
Canaporlolngleiet...... Ijiti
Dito, ditneiitreHaiuu. e Havre. Dito
Genova............... o**"
H.mburgo eaiaas..............
Bltico........................
Trieste.................Caitas
Eslados-UnidoS... .
Portugal...................
franca........................
ASSUCAR.
I. 0.
3. I&
3. I*
3.
co
Com 5/.
Com' /
Com 10%
Portugal...........>
Tranca...............
Inglaterra..... .
Barcelona.................. Oris
COUROS.
ALGODO.
600 por (8> sem |irimagem nominal
400 por (fe 10 p./ ao camb. de 110 p-ir nominal.'
t/. d e a p. /a de priegen.
Inglaterra Saccoi....
franca............
Estallos-Unidos.....
por tonelada e6 porcento, nominal
10 liancot por toneladas, eomlOp canina
rio lia.
D. di. 11 Ha Korembr .le lili W- PK"" ft P' c rapou tabaco
,nt pd, os charutos ou cigarros, o fumo e.o rulo ou em loll...
. jii. ....mn ,lrcanliaiaiao. grossana ou unes da In.lia. otcani-
rtg.raoiO p. c. '"~" ;;n'?X" r-car.u^e......ptd* '"=< P'r"'-
q.er ......ir. confeuW o el.., a ago.nkmle a cerveja a cidra,,Mg'^". *
rVsquiuo. ou oulro, licores, a o. viuho. da qu.lquer qu.lid.de e precedencia.
Mearan'40 P c. as alevinan ou tapetes, O enhamaco ordinario ou grotsfrl, as
l,.l,ne de T..nP..?qudid,d, e mapa .cita, no e.peeincad. na t.r.f., ...**. -
. r f l de cabo de .i lii.i. o fogo .1. China em c.rl.s. ou qu.lquer ou-
o iO de arS/o Papel pintado, prateado, ou acurado, i.ndo de qn.l.d.d,,
G, panel n"do par forrar ..Uim collecce. ... p.i.agent o p.pel de Hol-
1,:,".*, iinp. i.l' outrS nao especificado na tarifa a polvor.,0, *"""*
1.0 em vela, .s vel.s de Sle.rina ou compos.co, as amenes, ou oiilras frucla
:,C ";a, ou Ut... .ceas, em calda, ou em .pinto, o chocolate de caceoordinario
o vinagre, o. emolios, c.rruagens ou cana., ,0,0.. rodas arreu par. urna ou-
t-a cousa aseateiras para forrar casas, os carros para conduiir gente, os >oci"W.
. silhues. os .reieiro. tinteiro. de porcelana. qu.lq.er obiecto de: lotie. nao cm-
prebendo o. tarifa ; o. latir... o. clice, par.U. <****%*'^T
rio o. de vidro mt.lda.lo ordinario lavrado ou moldado e lavradoordin.no da Alie-
rnVnh.cMm.IH.ntea os de vidro lito moldado ou lavado, de fundo cortean ou l..o.
o n molde ou lavor ordinario ; os clices par. Cl.ainpanhe ou eervrja, .. caneca,,
ecopoidi.eilosd.IOa I em qu.rtilho. as garrafas de vidro al I quartilho ou mais,
mirlo lodos estes objectot de ni. I e 3 ai garrafal de vidro preta, ou escuras da
aes.nacapacid.de, comprendidas as que servein para licores ou Le-Hoy os copos
ara tabernas al una caada, os frascos de vidro ordinario con. rolhas rio me,mo
ti 1 libras ou ...ais ; ou em rol ha l 3 libra, ou mais, os de Imca larca com rolhas
do momo, al 4 libras ou mais, ou sem rolh para opodeldoc os vidro, para a-
empailat ou candeir.s. aSjt.lK>.s ou folh.s de mognoou outr. m.deira Im., e tr.s-
oei de qiulquer m.deira.
P.o.ro 3& p. c. o ac, alcatro, lineo em barra ou em folha, chumbo era barra
ouleucol, esuiuio em barra ou e.n veiguiul.a, ferro em baira vergumha chapa o
lindados par. fundiro. folha de Flandres, gaiba de Alepo lata em folhas, lalaoem
cl..,.a, marhin, salitre, rime, b.c.lho, pc.xe ,o, e qualq.ier nutro, secco ou sai-
nado : I.Im, carne secc. ou de talmoura, herva-doce. lar.nlia de trigo, pellica
branca ou piulada., cordove* ou edites de lerro para calcado, bexerros e couros
nveniiados, euros de poico ou boi, aligados ou seceos ( sola clara para sapaleiro
ou correeiro, conre c caparrosa.
Paeari 30 p. c. o trigo em grao, barrilha, canotilho, espiguilha, fieiras, fios,
b.s." lantiioulas, p.lhet.s, passa.nanes, sendo de ouroou prat. entrefina, ordina-
i.. r.i.. giiioei a mesui. """'- tecidos com retro.. Iinho. aluodi
de onainner n.co, que tobrecrreg.r ot genero, brailleiic de m.ior dlreito, q
igu.ei de outr. n.cao.
nao usadas no lugar, em que forc.
fr.ni.s. lanliioulat, palhetas, passamanes, sendo ne ouroou prata .........-,
ril ou falsa: "loes d. mesm* n.lureza, ou tecidns com retroz, Iinho. alBodao_ou
teda, rendas ou ntremeos de algodo nao bordados ; rendas de fil, as de a godao,
retro, ou trocai j leucoi de cainbraia de Iinho ou Igodao, e Imndat de retrot de
anana.
Pjgani 10 p e. os livros, mappas e globos geogr.pliicos, in.lrumentos 'l'e-
malicos, de physica ou chimica, crS.les de vestidos de velludos ou damascos, borda-
rlea uc praU ououro fino j retroz ou trocai, e cabello para calielleireiro.
Pagaro 6 p e. o c.nutilho, cordo de Bo, etpiguillia. ficira. fiot. franja!, ga-
15o defoou pallieta. lamijoulai.palhela, rendat, cad.rcot e todoio inna objee-
tot delta uaturea, sendo de ouro e prata fina.
Pagara i p. e. tarvo de pedra, ouro para dourar, ou quaeiquerobru e
nten.il de prita,
Pagari 4 p. e. ai Joial de ouro ou prata, ou quaesquer obras de ouro.
Pagara3p. e 01 diamntese o utrat pedral preciotat sollai, semen les,' plan.
tu c tacas novade animal! uleii.
Pa*aT)30 p. C. todos OS mais objectot
O genero, ree.portados 011 b.ldcdos p.gSo I p. e. de ''', l*m '*'""""!"
u|!m, o.detvMhauU preila fianca.ta approv.cao de.la medid, pela A .sem-
bla. GeraU*
Coueedem-te llrre de arm.ien.gens, por f 5 di..,t,ai mereadorias *<;
daais meics .1 outr.1 j e findoi eita pratos, pagaro '/, p. e. ao meidoreapeei
va valor.
Oidireitoa daifaienda, quepagSo por rara, dere enWnder^e vara quadrada^
Os diraltoi no podem ser augmentado, dentro do anno financeiro t ma o Go-
verno poder, mandar pagar em moed. de ouro ou prata urna tim*. ]P"te d"J^
i Vmdore de 0 men.res de 60 p. c. dos preco* di. marcador..., ou metmo
*^c'mR*&F-----'^ mdirt.diirDcWHo. gaKT
igu.es
O. arligos no especificados na paula pago o direito aHyahrem .obre a faetnr.
apr.sent.da pelo decbante |>ode..do po.m ser impugnado. ,*r qualqurr oBeial
Z Alfandena qu. enT Ul pag. o mpor.. da factura ou valor, .0 diraHoi.
S. caso deHduv,d. sobre a cl.(iccSo da rn.re.donn pode a p.rte requerer
arbitramento par. de.ign.r qu.lid.de e valor da pauta, que I he compete.
Sultenla, de diieitot.s machina,
importadas.
EXPORTACAO Ot direitoi pagSo-.e .obre vliacao de un p.ut. iem.-
.lnaraxoseRuinle: Assuc.r 10 p. c. Algodo c.1 e Tumo 11 p c. _Ago.r-
denle. couros. e lodo, ot m.i. g.n.r- t p. c. Alem dMle. d.^PK-; *
taia.de I60 r.. em cad. ci.a, de 40 II. em cada fecho, de 30 rl. Cucada barrica,
ou t.Mot de assucar, e de 40 rs em cada lacea de algodao.
Couros e todos os mais gneros solivres dedireiloi para os porto..Jol'"ipeno, .
etcepc-o do algodo, .....car cal, e fon-o, que pago p. C. a. la... por voln-ie-
Osmet.es precioso, em b.rr. p,g5o de direilot 3 p ^>*j fj"
cade, ea prata e o ouro amoed.do nacional ouestrangeiro paga nicamente '/, p. e
Os escravos esportados pago ifOOO por cada um.
DESPFZ DO PORTO As emharc.ees nacionaei, ou eitringeiras, que
n.vego pa'r. for. do Imperio, pago 00 r. "g"L^.'we'entr.rent
n.c:o.i.e que n.vego entre 01 diver.o. portoi do Brilil 9C r.. As que enlr.rem
en. "astro e tahirein con. carga e viceversa, pag.ra met.de do Imposto supra e um
Srti "un "''7 em,",,0: 'ne"n ner!mrroPpormU.q.^
oue,c.U quer en.rem em l.ttro, quer com carga. ''"'" 'Xrm Z .nbad.
isenta. as que impon.remm.is de 100 Culono.br.ncot,.1 .. ^"ln,0"rai .f''"^
(oreada, com tanto que est.s no carreguem ou desc.rreguem I meuie 01 genero,
necessirios par. pagamento dos reparos, que nierem.
____________aaanaB a a o 0 e asna*"
REVISTA SEMANAL.
CAMBIO?. lYuWnrflbVl "-37 d. por 1|000 rt
ALGODO Kntrr-o 184 tcci : vendas a quot.e.10.
ASSUCAH.fequenit entrada, tem illeraao no prefO
~T&&^*&rZ^ deNovoCr.i.l.,qu. Kguiop,,.
llalli. : o de potito be de 400 barricas ,
CARNE DE CHARQUE. No bouve entrada, e o deponto he de 9:000 .rro-
bas.
Resumo das EmbarcacSe existentes neste porto no dia 3 d, Otubro Brasileir.......................................
Dinam.rquexa..................................
Fr*nccz.i......................................
Hamburguesa...................................
111:; le J ..S........................
Poiluguea......................................
S.rd................>.........................
*..
Total
,
If
t
3
I
e
1
t
it
A Provincia gota tranqnindade
N
J


<)
LISTA das Embarcages existentes neste porto at o (lia 2 de Outubrodel847.
ilt* Setembro
,147 JulliO
Agosto
Agale
1
27
II

IB
17
H


. n
Sewmbro H
I
*
l<
17
,
*
Outubro
Seteinbro 24
A)!n
Brtrmbro 21
Setesabro Ji
Sriambro 1

Srtt-mbro 20
J*

Outubro
Julbo
21
Setemtwo 1
Snerabre 2*

9 *
IUhU
Ho Grande do S.
Rio Gran do do S.
tlh. de Femando
Ra r.r.nde do 5
Rio de Janeiro.
Sin Cread* do S\
Il-hi.
Rio Hp Janeiro
Rio Grande do 8.

Rio de Janeiro
Rabia
Araealr.
Rabia.
Rio de Janeira.
Hamburgo.
ttar-eHe Graee
Ilivrr de Grace.
Hamburgo.
Glasgow
Liverpool
a
T/>ndrts
New 'artille
Literpool.
Porta.
Lisboa.
Liilioa.
Genova.
Marselha.
Oitbff.
Sumaca
hrtgde
brigue.

hrlg-ejc.
Irrigue.
talacho
late
brigue.
tuesaca
E aladio
ligue
E&T
liiale.
Iiiate

brig-eic
patacho
brigue.
barca,
brigue.
bi^ue.
brigue
1-irC
eacuna
brigue
barca.
brigue
barca,
brliue
pa tcito.
polaca.
Larca.
Hretil.
Dinam
Frane
llamb
Ingl.
Sania Ande
Utt
Mercantil.
ero.
Henriqaete.
Paquete de Pamamboco
Viajante
Notn-Olioda.
Felfa.
S. Antonio de Padua.
Espr-ranca
%MM
Fmiliana
n. Pedro II
Tentador
DuviHoao.
Roa-Viagem.
Amaionas.
Apenrad Packet.
Pert.
Nrlie Matbilda
7. lia.
Conrad.
Tarmouth.
Alhena
ltnpowoll.
IHeba.
l JeweM.
E.k.
Mara Felit
Ligeira.
Rohira.
Sirdo.
Providencia}
Cont tanta.
Washington.
TOKS.
92
io
IM
IBt
114
in
i4s
se
IST
71
93
117
120
U1
40
41
in
l3
ll>0
I9T
237
2 SO
11.2
192
197
113
II
l*
1*4
II
110
MESTft.
Jeto efe leos Pereira
Mr.noelI.niz dos Santo*.
Antonio Jo*** Soarea.
Joan." Pedro de Si e Ftria
Joa* Joaquim Airea
Joo Goncalves Rocha-
Antonio Joade Aranjo.
Antonio Joa* Vianna.
Jeaitino Jos de Souaa.
Manoel Jos* Ribeiro.
*oaq. Ant O. doa Santo*
Manoel Airea Marque
Valentn Ribeito
M J. Mnnteiro Vianna
Anlonio Joa Barreiro
Jos Joaquim Alves
Joa Anlonio de Snura
Xaeoel Marciano Ferrei P. i. Hcraeoet.
Joto Repinta Goilbert-
Deloonaj.
CONSlORAtAAlM.
J. II. Harna.
Wm. Pnrsylb.
Wm. Alien
Jamo Newton.
Villiaa Watt Donland.
J. IWcl.ru t.
Rolara. Cockrctt.
T^weace Fernanda da C.
Antonio Joaq. RoJrignei.
A. J. S. Upa.
M. Ivolieho.
B. Romagueir
A. Lepula.
Novaos k C.
Jos* Pereira da Cunhai
Amorini IrmSo.
I.. 1. do Coala Aranjo.
Francisco Joaq." Pedro da C.
Leopoldo Joa* da Costa A.
Amorim IrmSos.
Pranciaeo Joaq Pedro da C,
ir. J. Felfa da Roza.
I .ufa Borzes deSiquelra.
Manoel Joaq. Ramoi e Silva
Amorim Irmaos
o
Joo Franci'CO da Cru*
Siira It Grillo
lote Manoel Martina.
Joa* I.ni da Souaa.
Lufa Borge de Siquaira.
Kalkanann le Rosenround.
J. t. AdnorfSt C.
Dedier & Colombier.
N.O KeberkC.
Adamion Howie It C,
Roaaa h Praga
James Ryder U C.
Deane Yonle k C.
Frderick Robllfafd.
Latbatn HibberL
A. J. de Soma Ribeiro.
F. S. aballo! Filho
Thomai tfAqmne Fonseca.
Jos Saporltaj.
Leooir Puget k C.
Joaquim Baptis* Mortira.
DRSTIItO.
Rio Grande do Sol.
Rio da Janafao.
araca Cera
Aracati.
Babia.
Baha.
Par*.
Harr* da Gn{a.
Afretar.
CanaL
LWert. porMact*.
Afretar.
Porto.
Liaboat


Pema-bueo na Typograpkia da H._r. da F.rta.-II*T.

*


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ERURT4KM2_3M5SF5 INGEST_TIME 2013-05-01T00:28:40Z PACKAGE AA00011611_09732
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES