Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:09730


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Anac de Si1?.
Sexa-eira
Itrente, porcad- (.ulilic^o.
PHASF.S DA W\W> W M iTnf0'
(Unte, i, i I'" IG.""";d" 'Th-
SSiiM horaa H .">'B.d .n.uh.
LuTcn^ 23. a 0 bor e iC ....... U.de.
, .*.,.- I 35 da ...de
PA.IITI.OV DOS COP.RF.IOS.
(loinnnae Paralivna.s segundas esextas fe ir.
Rio-<>rnde-dn.Njrle quima* feirasaomeio-dia.
Cabo, Swinliam, llio-t'ormos.0, Porto-Calvo e
Uaceio. no I.*, a II e Ji de cada inez.
Gara ihansa Bonito, a 8 e 53.
Boa-Vi';, e Flora, a 13 c 58.
Victoria, as quintas fe;ras.
Olinda, todos os das.
PNRAMArt 1>E HOJE.
Plimeira, as 10 horas c G minutos da manha.
Segunda, s l o horas e 30 tnioutos da tarda.
e
Quiebro. Anno XX 7.
za. 22 L
das da sev.ana.
27 Sfiiid. i. F.liziario. And. d>.'. dos or-
oh, do J. doe da 2 v. e doJ. M. da vara.
20 Terca. 8. \ ences'io. And do J lo civ. da
I. v. do J. de paz do 2. dist. de '
SO Ou.ru. S. Miguel Archanj. Aud. lo J.
dociv.daVv.edo J. de paz-do J.dist. <'e t
30 Quinta. S. Jeronynio Aud. do J. le orpli.
e do J. nsnnicipai da I. vara.
1 eate. S. Verissimo. Aud do doeiv. d i.
v.edo J de uasdo I. dist de t.
2 tMbuado. S Leodegario. Aud do J do civ.
da l, v. eiloJ. de pal rta I dist de t.
3 Domingo. O S. tlciariode Nossa Senhora
CAMBIOS NO DA 30 DE SETEHBRO.
, ,,,,,,0 ,.!*.Tandee.. P-'* fin dm-
B n Par. 3>0rs. por Iranio.
. I*lia df,^^-
Datc. de letUM de boas .ncs i J ,tfr a0
pAi P.UC6-.'.......fc;:
Pwoscolumnares... l|0 a lf
DiUM mexicaoos ... )#" >"
,__------------___-r_rT-.-:7I::L:.
ll Jii aan-i"'." : i.!''!?.:*?"*
i
JJULAI\1V JLP r buja *
UMBCQ.
PJIRTE 0FF1C1AL.
COMMANDO DAS AMAS.
Quartel do commando da arma na cidade do lltcife,
30 de ttlembro de 1847.
H.o 3|. -0RDM ADDICtoNAL A DO DA.
Ocommandante das armas interino, fazendotrans-
crever u prsenlo orden o ofllcio quo ndala Je
27 do expirante mdz lho#uiderocou o fcim. Sr. conce-
fheiro presidente da provincia, acerca do indulto
que S. M.^ Imperador foi servido conceder, por de-
creto de 7 e da guarda nacional em destacamento, .rocanos no
crime deprimen desercjio e segunda simples, de-
lern>ns.aosSrs commandanles du corpos, quo fa-
cam desdo j elTectivas as imponaos disposicocs,
,Iuanto aos desertores presos, senlenciados e por
sentenciar, a quem ellas aproveitar possam.
OFFICIO.
Illm. Sr. Sua Magestade o Imperador, com-
miseraado-se das circtunstancias, ejn que se acham
os militares dos di Hercules corpos do excrcilo e dos
da guarda nacional em destacamento, que tlveram
a infelicidadode lesert*r, apartando-so desuas han-
deiras, houve por be ni pcrdoar-lhes, por decreto de
7 Jcslo inez, communicado em aviso de 10, o crimo
de prinicira desereflo e o de segunda simples, aprc-
senlando-so os reos dentro do prazo de tres mozos,
contados da publicacflo do referido decreto em ca-
da provincia, e incliiindo-si tambera no indulto os
que estiverein senlenciados, o por scnlenciivr. O
quo participo a V. $., |>ara sua inlelligencia-e execu-
CSo na parle que llie toca.
leos guarde a V. S.. Palacio de Pernambuco, 27
desptemhro de 18*7. Antonio l'xnto Chicharro da
Cama. Illm. Sr. Feliciano Jos Nevos Uonzaga, co-
ronel graduado e commandante das armas inte-
rino.
Feliciano J*i Pi'evet Gomaga.
..........i iir-7.1^" i'.. i !!r-
real ser de fr...............406,000,000
FIVAACA.
En Franca, estuila-se, em tres grandes escolas, a
explorarlo das iniuas e a metalurgia : a primeira,
fundada em Pars no anno de 1783, lie especialmente
destinada instruceno dos engenlieiros do governo;
a segunda, eslabelecida em Saiilo-Kslevflo, lein a seu
cargo o proviinciito das necessidades da.industria
parlieularj a terceira foi creada ha pouco lempo em
Alais pela respectiva muuicipaM.lade : nesla sflood-
millidos somonte os quo se deslinam a mestres mi-
nnos.
Desde 1840 que a escola 'de Sanlo-Estevfio tomoti-
cerla importancia. Ileahi que o estado va i buscaros
guarda-minas, que nada menos sao do que auxilia^
res dosengoimeiros na illa vigilancia que estes sao
rhaniB.dos.a exercer.'Situada no centro da niais iin-
loi lauto das nossas minas docarvBo Je pedia, he
tamhem a ella cjue recorre a iniliiliia para piovra
todas assuas nccessidailes. Ale 183, o numero me-
dio animal doa alumnos da escola d Sanlo-Kslovfio
nflo exceder a 19; de 1813 a 1838, elevou-se a 36; em
1840, chegou a 45 ; huje no lie inferior a 55. Infe-
li/uicnl, a exiguidadu'' do local nao permiti que
ossa escola altiuja a lodlis os dcsenvolvimenlos de
quohesuseeplivel, o o director ve-so obrigado a re-
jeilar lodos (IS annoS tima gi ando porclo de mogos
que se deslinam a essa especialidad industrial.
Isto posto, a administragno superior tratou de oli-
ter, na portas de Sanlo> Kslcvao, urna prepriedado,
quccoolni varios domicilios, a fin de passar para
ella a escola tb.s miuoiros, que est" muito mal no
mbito, por domis acanhado, do local que oceupa,
oque llio fdra destinado provisoriamonte pela orde-
nanza que a crtou, de 2 de agosto de 1816
A cmara dos deputados volou, na sesso de hoje,
rquautia de 937,400 fr. para a acquisicao da propnc-
dado denominada Cliaute-Grillel, e suas dependen-
cias ; mas-a venda dos dous tercos dos terrenos quo
circundan! os domicilios, o que sao-desnecessanos
a escola, contribuir para que o thesouro recolha
aos respectivos cofres a somma de o,uno fr. por essa
que ora vai despender.
Bepois de ter volado assim, adoplou a cmara dos
deputados o projeclo de lei que, para o anno liu.in-
ceiro de 1847, eleva a 275 nullioes os fundos publi-
cor eui Ciroula)|3o> que a lei anterior do orcamoto
da recolta fixra em JI0 uiilhOes. Nessa occasio o
Sr. Hu inoiii, niiiiislro das iiuaiiQas, deu pjovas de
una nioderaCflo, a que nos nao tem habituado o ga-
binete, de ordinario to exagerado em suas exigen-
cias de crditos. 'vista de lima divida flucluante
que, nolini de 1847. clevar-se-ha a 974 millifJos, o
Sr. deliamnevillejulgava insullicienlo esse augmen-
to de 65 nullioes sobre a tolalidade dos fundos p-
blicos. O Sr. Dumonl deelarou a caijiara, que nao
aceitara um suido de mais..... salvo fe, anles de se
encerrar a sessfio, as cii cumslaiicias o lev.issem a lo-
mar outroaccorilo Alera disto, alDrmou o Sr. mi-
nistro uas Imancas, que, a 31 de dezemhro de 847,
a divida flucluaiile uo exceder a 600 milboos.
lioiu seria que o Sr. Diimoiit inscievose esta soninia
no capitulo...
proprio enjalenlo
A cmara volou despezas na impor-
tancia de, ........!.......^86,000^000
992,000,000
Deduzam-se para as cauQes das com-
panhiasdeeaminhosdo ferro...... 18,000,000
K ler-se-ha para a divida fluctuante a
31 dedezembro........... 74,000
Para occorrer a essas necessidades,
d'aqtii ate olim do anno, o ministerio
poder dispr de fundos pblicos na im-
portancia de ..,.:.....275,000,000
Por conta tas diversas cor-
respondencias do thesouro,
podera lambern dispr de 400,000,000
Total dos recursos........'. .,- 675,000,000'
Dficit............... 299,000,000
O Sr. Dumont compromelleu-se n'combatcr c rc-
duzirestas cifras quando se discutir oorcamenlo;
seria melhor que olle respondesse inmediatamente
ao honrado Sr. do Raiuneville, eacalmasse assim as
inquietacOcs do paiz.
No principio da sessflo, adoptara a cmara, per 195
csplieras brancas contra 61 espheras pretas, o pro-
jeclo de lei acerca das promocles de lugares-lcnen-
tes a funeces especiaes.
{UCommerce.)
Neste momento, o nosso minislerio pratica na
SuisSa un .acto de audacia inaudita. Mas ja nao ha
quem se admire das indignidades desse ministerio.
EntreUnlo, cumpre registra-las.
Derne, que actualmente he o canlilo director, ele-
mu para presidente do directorio ao Sr. Ochsem-
bein, um dos chefes dos corpos francos. As potencias
pra^c/ora da Suissa niogostaram desla noieacfio :
sso Ihes era permittido Mas essiis potencias foram
mais longo: protestaram, lizeram ouservacoes con-
tra a pro'mocOo doSr. Ochsenbein, contra o pronun-
ciamento dos principios que esta promocfo indica.
K isto ainda nfio he tudo : sabe-se que ellas encarre-
garam-sc dedizer a um estado livre : Obrastes mal
em usar de vossa independencia interior como bem
ves pareceu ; obrastes mal em cscolher para magis-
trado um hornera cujos precedentes representara o
dircito, que tem o povo, de rcvollar-se contra um
governo queja Ihe nao agrada. Talvez algiiera en-
eontre dilhculdacles em adivinhar qual a potencia a
que soimpoz papel 1,1o extravagante. Mas bem dc-
pressa oadiviuhar quando a Hender que, serapre
que se trata le tima conimissSo indigna, conta-se
quo oSr. Giiizot ha de aceita-la para a desnaturada
Franca. Sim, foi a Franca que o Sr. de Metternich,
esse soldado velho da Santa-Alianca, ironicaniente
encarregou de amcacar Berno eSuissa por causa da
nomeaclo de um magistrado, por causa do uso que
um paiz livre Riera do dimito le eleger seus repre-
sentantes, por causa de urna especie de manifest de
lolitica revolucionaria !
Pela nianha, pois, do dia 2dejunho, O Sr. de
Bois-le-Comle, nosso ministro diplomtico na So is-
la, dirigio-se ao Sr. Ochsenbein, novo presidente lo
directorio, e entregou-lhe urna nota, chamada dis-
curso eicripto, cujos tpicos mais importantes vamos
extrahir, para cdiiracflo do publico : I vemos o cui-
lado desublinhar aqu ealli alguiis erros de frau-
cez, porque nessa poltica extravagante, represon-
lada pelos agentes do Sr. (uizol, ale o nosso idioma
sena corrompido, c tem perdido o carcter da na-
cionaldailo :
Scnlior presidente.
A principio nflo pensara eu em vir boje expres-
sar auto V. Exc. (i qnanto lesejaiiios que a sua ma-
gistratura concorra para a felicidadoda Suissa ; pois
que arreceiava que esse passo, segregado de una
explicacao qualquer, levasse a snppAr um desae-
cor.lo entre mim o alguns le mcus collcgas; as
circtimslancian qucacoinpanharan e preecdeiam a
eleiQflo do V. Exc., os discursos que V. Exc. profer o
anles avantj euVpois, incliuaram-mea julgar neces-
sario encelar minhas relaces com V. Exc., por una
exposieo quenenhunia duviila Ihe deixe [laisse. -
cerca de uossos principios o
Depois deste prembulo, entra o Sr. de llois-le-
Gomto no sujeilo do seu discurso : nosso agente tem
n pretencffb de expllcar-se a rnpelto dos corpos
flanese da independencia cantonal ; censura csses
corpos; declara que a poltica revolucionaria de
Heme leude a constituir nina Suissa unitaria, c que,
perianto, ami'uga a independencia de cada um dos
cantoes. Nosso agento acciesecilla, quo, so 'sta a-
meaca se realisar, a Franca ha de tomar meilidas pa-
ra Suspende-la. Kxpriminiiudo-ee assim, Franca
acha-sedo perfeito iiccordo comas potencias signa-
tarias dos tratados do 1815, e mais particularmente
com a Austria.
Tudo isto he exorbitante. Mas nada he to curio-
so como a lingoagem de que o nosso poltico usa no
exterior.
Kis como um agento francez condomna a doutri-
radodreilo revolucionario dos povos, direlo em
virludo do qual existe toda a Frainja moderna, e
ainda com uias espocialidade a nossa instttuicdp de
julho :
na mao, este principio pode vigorar, -ja para com os
estados, j para com os outros cantoes. "s1l"7ae
mil Franeezes quo vivem na Suissa sol) a le (ios ira-
ta.los podem ser um dia attingidos por essa isHejl
popular, as nossas Tronteras tamhem podem ser
compromettidas por ossa mesma justlga. Com W
governo que a.lmittisse semelhante principio, e que
iiao Dodesse responder pelos aclos da sua popii a-
Cao armada, desappareceria a segurauca ta rea-
?Assm,he qualificada de ma doutrina do direito re-
volucionario los povos : e porque? Porque torna la-
certos os governos, e porque ameaca invadir os esta-
dos vizinhos.Sem duvida foi o Sr.dc Metternich ifuem
suggerioaoSr. de Bois-le-Comle essa nescia ees-
tupida maeira de qualidear um principio. Para me-
lhor poderem insultar a justica, despem-se do senso
commum, despojam-se da intelligencia.
Eis como o nosso Sr. de liois-le-Comte improvisa
sobre o principio da independencia los estados :
a Todas as naces sao independentes ; mas um
dos all'ibutoa inherentes sua independencia he
poilerem rcstrngir-lhe o exercicio por raem de lia-
lados com ouIras nacos A Franca assim o tem lei-
to umita vez, eih dillerentcs pocas do sua historia
particularmente {nommitmnie) quando renunciou a
faculdade de podt\r fortificar diversas porcOes de seu
territorio.
A Suissa miloii a Franca ; sem que, nem Ue le-
vo. ofTendosse o principio lo imlcpendeitcia, assig-
nou um tratado quo restringe o uso dclla em [en]
pontos especificados.
i Fallo-vosdas disposicOcs do acto do congresso
de Vicua.
Tudo isto nao carece de commentos : urna nle-
pendencia cujo altrilinto consisto em podOr restnn-
gir-se, una huniiliacao da Franca allegada como
pro va, a Franca querendo dar lices Suissa cora o
argumento le suas miserias.os tratados de 1815 avo-
cailos por nos meamos e lu.lo sto na bocea de um
ministro francez I.e-se, rel-sc, e ainda assim se
n3o acredita no testemunlio los olhos.
Eis como o Sr. de Uois-lc-Comlc interdi/ n Suissa
o direito de modificar sua eonsliltiicao, c de cstabe-
lecor-se, a partir de 1847, em siluaefio anologa a es-
sa que nos mesmos Ihe nnloi gamos em 1798 o 4805 :
a O acto do Vienna reconhero, niTo urna Suissa u-
nlara, mas tima Suissa federativa, coraposta de
viole e dous cantos.
Se um ou alguns desses cantos nos represen-
tarem um dia, queameagam sua existencia ndepen-
denle, que qiiercra conslrange*la ou dcslrui-la,
o tenan, on marche) substituir por urna Suissa
Unitaria n Suissa cantonal que os tratados reconhe-
cem, eque por conseguinte csses nossos tratados
estilo sendo violados, nos examinaremos se do feito
seda senielhante violacilo.
Assim, n Franca omprega hojo seus agentes em
rapidirem no Suissa o descnvolviincnlo la uniiio fc-
leral; esse desenvolvimenlo, impedimo-lo mis em
ame dos trillados de 1815 que lestruran na Suis-
sa a propria obra da Franca ; porque, releva repet-
IO,(t8o pasmosa lio a cousaj esse progresso que a
Franca ora nlcrdiz Suissa Ihe rn lahoriosaineiile
ti ansmillitlo pela mesma Franca Mas se, na actua-
lidade, a Suissa aspirar de novo a essa tinidado que
Ihe aconselhamos, de que Ihe demos exomplo, e cu-
ja pralica Ihe ensnainas, a Franca guerreara a Suis-
sa .' Dar-se-ha, acaso, que a Franca renegu sua
piopria obra i' (tito ; quem neste momento falla na
Suissa nao he a Franca, heissoa que oSr. GuiZOl
chaina mea paiz ; he um agenle do Sr. GulZOt, he
um Ivoraeui, que,-segundo elle inesnio confess, he
um los alliados los nossos inimigos ; o Sr. de Bois
le-C.onite declara-se mu explictainente : em perfei-
to accordo de espirito e intencua Com as potencias signa-
taria* dos tratados mente com a Austria.
OSr. Ochsenbein deu aoSr. de Bois-le-(.omlc a
resposta que ascircumstaiicias exigiam, isto he urna
resposla em que transpira a dignidade, a energa, a
candura. Mas, depois, o Sr. Oehsenbein nioslrou-se
rancoroso o vmgalivo ; publicou a coiiiinunicueao
o discurso escriplo de nosso agente.
Jdem.)
provinciacs : em virludo, pois, destasordens de V.
F.xc. venho hoje dar conta do resultado ue minnas
investigaces .^_B
Organisando a carta topographiea dos menciona-
dos termos do Presidio, Pomba e San-Joao-Nepomu- .
ceno, roconheci a necessidade de nella dar urna
rdeia da posiciio de todo o terreno desde os limites
lesta provincia com os municipios de Campos o oo
llapeniirim polo lado oriental ate o mar, tanto para
que melhor se podesse conhecer a divisa que amiga-
mente leve esta mesma provincia, e a que proviso-
riamente so Ihe demareou em virtude do decreto uo
19 de maio de 1843, como para dar urna idos clara
lo terreno apossado, e povoado pelos Mineiros e
reos habitantes do termo de Campos e da provin-
cia do Espiilo-Sanlo. Para este efTeito indispensa-
vel foi, que, lirigindo-ino quelles lugares, percor-
resse ambos os termos do Itapemirim e de Campos,
para bem examinar todo o territorio, e poder satis-
lazerconi mais approximada cxactioK as ordens
recebidas; cjulgo que a carta que aprsenlo preen-
chera os lins para que foi exigida ; podendo asseve-
rsr a V. F.xe que, confeccionando-a, empreguei o
maior esmero para que ella desse una verdadeira
exacta lea do inmenso paiz que representa, tanto
no que he relativo a latitudes o longitudes, como no
quo diz respeito as distancias geographicas dos di-
versos pontos entre si, o que procurei conseguir por
nieiode muitas' triangulaces que fiz do alto das
serias
Nflo toma re terapo a V. Exc. com a narracSo mi-
nuciosa da tonga viagcui, trabalhos e fadigas que
supportei para obtero resultado que ora apresento.
Iinpossivel era em menos lempo desempenhar 13o
ardua trela, lauto mais que, sendo inexactos os
mappas que existem, o nos quaes muilos lugares ha
poUCO povoados, nao se acham mencionados, e ou-
tros inteiramonte fra de suas respectivas posiefies,
neccssai o loi que ludo visso e examinasse por inm
inesnio ; e apezar disto, lisongeaudo-me de que o
traballio, que aprsenlo, seja o mais completo, re-
coiiheco que no futuro muito liaver que se Ihe ad-
diciouar, especialmente na parte nao pertcncenlc
esta piovineia, o onde por ora sfio impossiveis quaes-
quer exames, por talla de eamiiihos e de outros mui-
los recursos.
Tendo, pois, dado a V. Exc urna ideia geral do
plano sob o qual urganisei a caria junta, passarei a-
gora a apieseular as inforniaces que com lodo o
cuidado pude.obler para cumprir quanlo V. F.xr. mo
ordenou.
IMEi OR.
MINAS-GEftAES.
ItEI.ATOItlO
do lente JoSo Jos da Silva TInodoro, encarregadn pe-
lo Kxm. presidente da provincia de Minas-Geraes de
levantar o mappa topugraph'Co dos municipios da
Prendi, Vomita e San-Joo-Nepomvceno, e de veri-
ficar as dirizas entre a dita provincia, e us ao Itio-de-
Janeiro e Espirilo-Samo pelo lado de Campos e Ita-
pemirim. m
Illm. i. Exm. Sk.
Por olhciosdo 28 de maio e 12deju'nho do 18*5
dignou-se V. Exc. encarregai-rao le ir examinar as
divisas desta provincia com a do Kio-de-Janeiro pe-
lo lado do municipio de Campos, devendo levantar
nina plaa dos tres tormos de San-Joao-Nepoiiiuce-
no, Piesidio e l'oiiiha, que com aquella provincia
conliiiaiii, e ah designar os limites dos mesmos ter-
mos e os das fregtiezias nellcs comprehendiilus, a-
in de quu este trabalho podesse servir de baso
urna melhor livisflo, ou uorporacao das mesmas
fregue/.ias ; eoulrosiui, que. exaininando a colloea-
presttntcm o caso e
do estado ailmittein, tolerara ou leo em que se acham as estacos fiscaes desta pro-
era que o povo, julgaiulo que o go-l viucia, pelo dito lado, apresentasse niinha opioiSo
Divisas da provincia de Minas com a do Rio-de-Jt-
' neiro, pelo Indo da cidade de Campo.
As divisas do municipio da villa do Presidio testa
provincia com o da cidade de Campos, boje perten-
ecale a do lio-de-Janeiro, sempre foram as soguiu-
les, desde que se comedn a povoar aquello paiz.
Seguiudu da barra do rio Pomba, no Paradina, po-
la serra Frecheira a procurare alravcssar o rio Mu-
riah na sena de Saii-boniingOS, e lalli pela sorra
do lliu-Prelo a encontrar a divisa com a provincia
do Espirito-Santo na serrados Piles, quo vai fron-
tear coffl as vertenles do jio (maud, limite, em to-
do o seu curso, desta com aquella provincia do Es-
pirito-Santo al a ilha da Nalividado no Rio-Doce,-
divisa esta que vai n'uma recia do sul a norlo, como
se vi>da carta; no cntanto quo a provisoria, man-
dada observar em 1843, segu um curso tortuoso,
eseiuleclio algum para ambas as provincias, como
aln igualmente se observa. A estrada da Pomba a-
baixo fot aberla o feila por habitantes du Minas ha
quasi quarenta anuos, quando lodo esse territorio
era anida seilao povoado |ielos Indgenas; na barra
da Pomba fui enllocada o registro denominado da
Pomba, o lodo o territorio do inesnio registro para
dentro foi powiado por Miuoiros; tanto que a fazen-
da denominada Frecheira, hoje de F. Moraes, o que
esta a urna legoa aquem daquulle registro, foi cul-
tivada pelo Mincho, capitSo Aulonio Comes Candi-
do, quando coininandaiitedo dislricto do Meia-Pa-
laca. Jamis se duvidou desla divisa, sempre reco-
nhecida pelos habitantes de Campos que, muito do-
pois, dahi vieram povoandoo torritonu at encon-
Ira-a. Do lado do Muriali nflo ha urna s posse
feila pelos Campistas cima do Beln, que est mais
do legoa abaixo do San-Domingos, lugar quo igual-
mente sempre foi rpconhecido como divisa desta
provincia; o he do notar que ainda boje n3o lia um
s morador, aqum do San Domingos, quo vi esse de
Campos ubi eslabelecor-se, a excepcao de Jos da
Ierra, que ha pouco comprou no ribeirflo do l.imo-
oiroas possesleilas peloMinoiro Antonio Benedic-
to : alni disto lodo o Bio-Prcto, que no distado de
Campos toma a denominaeflo de Itabapuana, foi a-
posseado e povoado pelos Mineiros at as ultimas
caclioeiras, quo distiwn do mar oito legoas, e estes
povoadores perteiiceiam sempre ao dislricto do Pa-
trocinio, freguezia da (.loria, como se ovidoncia das
listas que juntas aprsenlo, e que mo foram ollicial-
uieiilc minislradas polo respeclivo juiz de paz; a
nova divisa os subjeilou, porcm, a jurisdiceflo civil
eecelesiaslica de Campos; o uole-su que os habi-
ta ules das rahece uas do mcsmo Rio-Prelo ainda
boje pe tencem freguezia do San-Miguel o Atinas
du di.-irielo de Ampiados, como se ve da carta.
Todo o Carangola loi po\oado por Mineiros, olo
se encontrando ah ur s Campista; e na carta
mostr que" anula hojo as eaheeeiras deste rio fazoin
parlo do terrilorio das freguezias de San-Miguel e
da Gloria, portencendo oulr'ora ao dislriclo do Pa-
ti ocinio a parte quu om virludo da nova divisa se
annexou a Campos, c que be da barra do niesrao rio
al a Caclioeira-dos-Tombos
O inesnio rio de Itapemirim al seis legoas cima
do mar, no ulliuiu caclioeiro, e loilo o rio do Castel-
' 1
das ill sOes Segundo se deduz do verno lie por le.nais I Julo o por deu.ais fraco em la-1 sob, e a ulilidade de mudar -se alguma deilas para lo mar, no u tuno caclioeiro, o lodo o no do CasWi
,o, nssa poca d divida lluclantel ler-l.e justica, a faz por si mcsmo, com as armas I lugar que mais faciluasse a arrecadacao das reudas I to que nclle desagOa, uove lcgnas cima da su ira
x>


m
^
"T~r
.9
r
cslffo apompados por Minciros, tendo lii si.lo sem-l Rio-Preto em Jos Ferroira llorges, ond
KStaS,"' Vm'*, CT *'Vr ?PfM'0W. *>l pontOes'seguir po! srr.
ira Minase fopirito-Simte o existimlo em tempes da Caiana t rhegar serra geral no flm das'cabe-
antigoso quartel divisorio ainda alm dn mcsma
serrn no limar denominado POmhal i liojp, porm.
todos o Minciros esi -.viecidos alen dn mencionada
divisa pertencp-n aquella provincia. Na carta se a-
cham especificadas lodas.as vertentes los nos acuna
mencin!1 is, com declaracflo les Minciros queni
P'-rtenorm pelo Tacto do se rom os primciros descu-
bridores e povoadores desses terrenos. Urna cir-
o-umstancia mui notavcl he. Exm. Sr que os habi-
tantes das provincias do Espirito-Santal) Rin-do-Ja-
neiro. que jamis se animaram a explorar r cultivar
as Ierras ceutraes, rontentando-se apenas de povnar
as margeos daquelles caudalosos rios, so at a altu-
ra em que podiam suhir embarcados, queiram e te-
nham agora conseguido engrandecer os termos de
suas respectivas cidades. ou villas, com terrenos
.escbenos e povoados por habitantes de provincia
diversa,e istocom manisleslu despiezo dos antigos
alvaras o cartas regias, que tflo sabiamente fixaram
os limites entre aquellas provincias e esla.
Vas numerosas inrormaces quecolbi, eslou ha-
bilitado a dar as causas que mlivaram a divisa lti-
mamente mandada observar ; e enmquanto mesqiti-
nnas sejam, devem todava ser mencionadas': -- Jos
.usina Pinto, estabelecido em Matliias-llarboza, mu-
iiando-se par o districto do Patrocinio e Riboirflo-
uo-Campo, Ierras oiilr'orn perteheentes a Constanti-
no ije tal, morador na rreguezia boje de San-Paulo,
contrahio all amizadecom Joflo de Almeida, seu vi-
Sinti e um dos abastados fazendeir.is de Campos,
que inmediatamente tratou de oreduzir a que per-
ln cesse a Campos, fazendo-lho ver que, entre ou-
iras vantagens, Ijcnva isento de pagar direitos em
qualquer eslaefloque por tarto de Minas se bouves-
s .le establecer na divisa em San-Domingos : por
Ota* mesmo lempo existia oceulto, por se adiar com-
promottido nos movimeutos poiticoa de 1842, o vi-
cario de San-Joflo-Nepomuccno, Germano Goncal-
vos de Carvalho, na fazenda de seu cunbado Anto-
nio Dutra Nicacio, estabelecido no Ribeiiflo-da-Con-
ceicflo, yerlentes do Carangola, que sompre pcrleu-
""--0J,Slr.icl. ,l0 Pi,l'_"Cinio e freguezia la Gloria;
os receos de buscas e do outros procedimentos ju-
denles induzram o mencionado Dutra a querer
tamhcm perlencer ao municipio de Campos 0 para
eslo eiTeito convidaran! o delegado de polica da-
quella cidade, Jos Ribero de Castro, oqualeom-
pareceu naquelles lugares acomp.inba.lo do unia
guarda de polica de oito ou dez i;
inflo c -
como
poi
accart
ci,
podessei servir para nellese marcara divisa,sab
uoaua lazon.la para o la.lo de Campos ; e em resul-
tado licou marcada a cacboeira dos Tombos: da
n.es.ua sorlo designaran., Bastos o seu capellflo o
i ii .. Jllsl1"""'0 ((l"c lambem so mudara de
Alalb.as-Rarhoza para all] o lugar do Poco-Fundo
noMunahe, ed'al'i para osulat o riacho l'ereni-
eeirado,Oarango|a, e d'alti tomar direita e se-
guir pela sena divisoria dasagoaft do Rio-Doce, no
rumo que tenido nordeste ale ch.-gar s cabeceiras
do rio Jose-Pedro e Cuando, indo por este abaixo
ie a liba da Nativi.'ade ; por esla forma fieam todas
a* cabeceiras do Itio-Preto para Itapemirim ; enem
le outro modo pode ser ostabelecida a ilivjsa, sem
que a recebedoria da Pomba leuda dofeer deslocada,
do que graves inconvenientes se devem seguir por
estar ella cslahelecida no nico ponto'em que se
cni/.im as diversas vias de commuriieaeflo, e onde
mais fcil se torna a arrccadacfln los mposlos, sen-
do corto que a mudanca desta recebedoria necessa-
namente demanda a crcacilo le sele ulras, sem
que anda assm se possa evitar o infallivcl extravio
das rendas provinciaes.
Tendo ale aqu exposto c baseadera ininba opinin
acerca das divisas provisoriamente estabeleciils, e
lasque maisconvm adoplar-se, que silo as antigs,
aqum das quaes todas as fazendas o povoacoes fo-
rajn (pitas por Minciros que na mair parle estilo per-
lenocinio boje a Campos, como so v das relaces a
queja me refeai, releva, Exm. Sr., quo alguma cou-
sa diga sobre o parecer lo lenle de engenheiros
inflo Rodrigues da Silva, quando vagamente infor-
mou acerca las alleraces proposlas pelo Exm. ge-
neral Andrea, ex-presidente'lesta provincia. A di-
visa pelo rio (.'mangla era muito niais convenien-
loedemelhor ruino, do que pelas seras irregula-
res e sem fecho que seguoin a margem esquerda do
riacho Gavillo: apezar de que, pondo-se a divisa no
Carangola, nffo Rcavam remediados os defeitos que
ella lem leste rio para o sol. Irrisoria he, Exm. Sr.,
a lemarcacflo proposta pelo mencionailo lente de
engenheiros.e hem se leixa ver quo suas observa-
ces foram feilas da cacboeira dos 'l'omhos no Ca-
rangola, onde s chegou; e se d'ahi nflo passou, co-
mo podo observar onde ebegam as cabeceiras do
IVripetinga, n a serra que delle seguo a encontrar o
ponlflo da (Inca, e a crista que deste sabe e se dirige
cordilheira geral, ou seria do Brigadeiro ou le
Arrepiados, e a serra Negra as cabeceiras do Rio-
Preto, hem como a que divide as agoas leste com as
de Itapemirim, para phantasiar tflo extraordinario
nngrandecimento do terreno de Qiniposa custa do
quasi auiquilaiiiento dos tres municipios de San-
Joflo-.\eponiiiceno o Presidio, lesta provincia, e do
llapeuiiiim da <'o Espirito-Santo? Eso este eice-
C0K?^3IC0.
Alfandega.
RBNOBIEMTO DO DA 39 .'......,. 7:353,723
Detcarregam hoje, 1 de outubro
Rrigue Cnurad mercadorias.
Itarca Zilia ~ i.lem.
Ilrigue -' lOibim idem.
Patacho- Providencia ~ massas, alhos e batatas.
Patacho- Apourade-Packcl alcatrltoe forro em bar-
ras.
_UENDIMETJTO NO MEZ DE SETEMBRO DE 1847.
Direitos de consumo.............. 157:444,530
Expediente dos gneros do paiz, i por c .
Expediente dos gneros com carta de guia,
5porceril>...............,
Armazenagem de mercadorias.......
Dita da plvora.................
Premio dos assignados......
Multas......................
Emolumentos de certidoes ........".
57,246
o 205
88l.'898
13,500
1:914,779
210,784
6,080
Rs.
160:931,022
OescrivAoda alfandega,
Jncome Gerardo Mara Lumachi de Mello.
IMI'nTAGAO'. .
fque deveter oxecueflo dol. de outubro vinto.,,,
i por diante, estilo obligados a concertaras calcad
I de. suas propriedades. as
F. para que cheguo ao conheciment de todos m,
Ion publicar o presente. '"
Freguezia da Boa-Vista, 29 le setemhro de|iu7
Ignacio Jote i>nl0 '
Ignacio d.os Res Compeli, fiscal da freguezia de San
Jote em virlwle da lei, etc.
Faz saber aos propietarios do casas sitiiai|S8m
dita freguezia, que pela loi do orcamento municipal
que love do tor oxecuclo do 1 de outubro vimiL.
ropordiantp, estflo obrigados a cencertar os pa"
seios, ou calcadas de sitas propripdade. "
Epara que cheguo a noticia a quem cd\tver aun
don publicar o presente.
Freguezia de San-Jos, 29 de selembro de 847.
.^."Gwu uw, neis Competi.
Deca racops.
Providencia, patacho sardo, viudo de Genova, en-
frailo no enrrente mez, consignado a J. Saporiti,
manfestou o seguinte:
20 barrisazeite-dOce, 200 caxinhas dito dito, 6
fardos barbante, 905 resteas d'alhos, 300 caixas mas-
sas, 80 hcelas ditas, 47 caixas pelras de marmore,
l aliiiofariz.es lo marmore, 8 caixas lijlos do dito,
3:993 lijlos de dito, caixas contendo urna urna de
lito, 3()caixinhasalvaiado, 1 bocela e 1 pacote pa-
Iha para chapeos, 303 fardos' papel pardo, 48caiXas
dito le machina, 137 volumes drogas, 1 embrulho
amostra de papel; ao consignatario.
11 caixas legraos le marmore,.! dita comtli-
vros; aos missionarios..
1 caixa com urna pedra para sepultura, 2 barricas
senne, 2 caixas drogas; a Joilo Pinto de Lomos.
1 rardinlio sedas ; a J. Kcllr.
34 fardos fio le vela ; a ordem.
1 poreflo de batatas a granel; aocapitito.
-....., i-....."" wiioi-iiii Perep.
Ji",-', licando lodos a peitencer ao municipio .1.
-ampos. Muilo notavcl he, poieni, que Jos Bastos
i i.u.ed "'" d0.iu, ,le P"> e subdelegado do
i silicio do Patrocinio, assimatraicoasse a sua pro-
vin.ia, Banda mais que aquello delegado de Cam-
pos, lora,|s imites
-"na ,le una so autori.laile le Minas, se atrevesse
por si so a niillilicar limites ja eslabelecidos, e a do-
marcar os que convieram aos individuos cima men-
ciona.los, com maiiifeslo prejuizo e diminuieflo d
municipio la villa lo Presidio, por pujos habitantes
eram aquellos terrenos povoados.' Presidia entilo a
provincia lo Rio-dc-Janeio o cidadflo Joaquim
irancisco Vianna, Irmflo de Candido Francisco \ian-
jia, ambos proprietarios da fazenda do amigo col-
legio no Miiriah, e assm lolosamenle.e fiados na
pn.leccfloque tinliam, conseguirn! que a divisa se
Uzesse por onde hem quizeram,c sem quo le nen-
num modo fossem ail.-ndi.los os direitos c inleres-
ws lesla provincia, que por tal modo ficou privada
orsua nalureza eram os mais proprios para o esla-
i'pipcimenio dcestacOes dearrecadaeflo de luos-
los leerela.los por sua peculiar legislado. Dos e.li-
laes ilo jiiiz de lireito de Campos e lo Subilelegado
Jie Santo Antonio le GuaruUloa, que juntos apresen-
lo, vera V. E*0 os frivolos motivos que foram al-
agados para cohonestar a usurpaeflo de territorio
|uese leza esta provincia com alleracflo das anti-
gs divisas, e tflo inconsisteoles sflo esses motivua,
pie por si mesmo se lesvanecem, bastando que se
reineta sobre qiianto Oca dito, c quo se atienda que,
aquem da divisa, c mesmo muilo alm, nflo exis-
iiam moradores le Campos. Parecer incrivel, mas
ne Tacto, que, existindo a cidade de Campos ha lu-
zentos anuos, nunca s.-us habiantes so animaran) a
explorar o rio Muriah cima do seus ltimos ca-
choeiios; e s ha pouco lempo cliegaran a Belni.
lomando esse poni ao Mineiro que bavla descober-
loeaposseado: eislo ja depois de estar San-Do-
mingos povoa.lo por Mineiros que foram os expl.j-
ra.lores do seriflo pelo Muriah abaixo, al oneoii-
irare.n os prnneirus habitantes
re un s lugar azado para eslabelecimenlo daquel-
asestaces? Filialmente, Cxin Sr., be Iflo palpa-
palpi.
vel o espirito de bairrisino que presidio confecefl..
db trabalho daquello engeiiheiro, quo me abstenho
leapresentar mus argumentos para Completamen-
te dest'ui-lo.
Em agosto d'o auno prximo passado apresontou-
piena distancia
campistas na pe-
se na asseinhia geral urna resoluefio -que repuuha
a divisa na barra do rio da Pomba, dalii barra do
riboiriloSanto-Antonio, desta em rumo a serra lo
San-Domingos, o lesta a barra do Carangola, o por
este acuna : lis influentes de Campos testaran) lo-
go do seduzir alguna moradores da Pomba e Muria-
h para que luessem assignados, declarando pie
nflo queriaiu perlencer a Minas, alim de que com
taes documentos se podesse requerer a nflo-appro-
racflodaquella resucflo. Esta divisa, porm, he
anula mal entendida o clieia do tortuosidades, for-
niando um Z, a sendo impossivel lirar-se um exacto
rumo la liana do/iboirflo Saiito-Aulonio a serrado
S.iii-Diiinngos, ii'uma distancia de dez legoas pOU-
cu inais ou lenos, o por uui paiz lodo aborto.
Seja, porm, como Cor, be iudispensavul, Exm Sr..
que este negocio seja defiiitivaniento decidido, pois
em ver.la.le, do laclo nflo exisloin divisas; los ha-
biantes prximos aos limites provisorios, uus Iflo
obediencia a esta provincia, outros as lo Hio-.le-
Janiiro e Espiilu-S.iulo, o mullos a noiiiiuina las
Iros: por exeiiiplu, o.suo rio Carangola para haixo
da cacboeira dos Tombos, nflo preslam obediencia
as autoridades de Campos, porque nflo querein per-
lencer a esse municipio: o lu bulo la serra lo Ga-
viflo, eolio o Carangola, subjeilam-se as de Minas :
Iioltio-Pieto, poreui, lie ini,, coul'usflu geral nin-
guem sabe a quo provincia peileuce: no riiieirflo
Sanl.i-Autoniu, que entra no Pomba, os moradores a
niargein direila, un do lado lo puente do mesmo ri-
beuflo, qo periencem a Alinas, dflo obediencia as
Ji'sticas ..o Calnpos, seduzidos por um 'Manuel Fe-
llsberlo, de Catas-Altas, que, coiilrabindo relacOes
de pal enlosen com Jos bastos Piulo, foi igualmen-
te rediizulo a ser de Campos: no riboirilo Bonito,
ou do Garca, quo entra pela mu geni direila do rio
pomba, enasto au pe lo riacho Poripolinga, uus
moradores dflo obediencia a Campos, outros a Minas;
o se a divisa bouver de-por all pussar deliilitivamen-
le, devea enlflo smenle ser no rumo de norte
sol, lirada da barra uo ribeirflo Sanlo-Aiilonio a sa-
bir em una liba que lem 0 Ivripelinga, o na qua
esla situada a fazenda Uo Manuel Feroira Pinto : uu
rio Pomba abaixo, lodos os mora
Consolado.
RENDIMIENTO DO DA 30.
Geral. .
Diversas
provincias.
1:667,734
60,594
1:728,328
RENDIMENTO NO MEZ
Consulado d 7 p. c. .
Restituicflo.........
DE SETEMBRO DE 1847. -
. 23:498,507
... 1,330 23:497,177
Consulado de |.p. c........ 4,020
Ancoragem para fra do im-
perio................ 2:628,607
Ancoragem para dentro db im-
perio................ 572,774 3:201,381
Sello fixo.....
Dilo de ttulos.
459,080
7.600
Cerl;lfio. .
Siza de 5 p. c.
Depsitos existonlcs.......
Divertat provincias.
Di> i ido ilo assucar
da provincia das
Alagas...... 884,789
Restituoslo feita .. ,570
Dizimo do algodo da provin-
cia da Paralliba.........
Dito do dilo do Itio-Grande-do-
Norle................
466,680
25,640
520,500
27:715,398
3:154,498
884,219
308,528
17,442
Depsitos restituidos.......
O administrador,
Jodo Xavier Carneiro da Cunha.
1:210,189
32:080,085
1:983,033
Dquanlo fica ilito claramente se evidencia que
nflo po.lcm, nem devem persistir as divisas proviso-
riamente eslaheleci.ias pelo decreto ja citado, e que
poslos de parle iiicsquinhos interesses particulares
e len.lo-se umcamenle em vistan mutuo i a (orease
oas provincias confinantes, o os inconieslaveis direi-
tos de Minas, devem taes divisas ser pelos pontos an-
tigaMenle demarcados ; islo he. da barra da Pomba,
seguindo pola serra Frecbeira, a alravessar o rio Mu-
J-iahe na serra de San-Domingos, o d'ahi seguir os
gamos da serra do Rio-Preto, e alravessa-lo, e sem-
pre por serras, indo a divisa-sahir na borama los
inoes.e dla soiiuir cuno ainda segu, pela serra
Josmeamos Piles. alollm, as cabeceiras lo rio
i ei Jose-Pedro, ou Guan.lu, que vai Jividm.lo Minas
espirito-SantD, ale Iba da Natividade no liio-Do-
<->- ; be esta a nica divisa quo pode conservar fe-
rirprc,""''ci*8pr,lerenl suas cebedorias, ou
mr rr nrrccada,;no. V* '!" segu seinpre
iZJt ",gromcs 5 e m*"do porventura nflo
p.ssa esla ,i,vlsa ser reslabolecida, indicare! anda
umuP,'|,^pn0S1,,'^,, Vem "erque, cedemlo Minas
Tifcir,U'rreno a PWinci. do Espirito-San-
hu,, '<* "tuaoquo foi lomado para a do R.o-de-
no Paraluba 8BgUl|. pBllt srrra ,,ri!Chcir u
.saroMuriahe na do San -Do.,,lugos, e d'ahi pelo ga-
IIo da serra que vai sabir nos poulOos altos da do
cecoiiiosdoMuriahu; loque so conclue quo unn
final ilecisSu, demarcando os luales cun bausas co-
nlieciilas o pi elendas sempro as naturaes que exis-
lein, se torna doabsutula necesaidaiie, para por ler-
ino lauta desordena, e fazor com quo os ci.ladflos
Uteis que por aquelles lugares exisloni se presteln
a exercer OS diversos cargos pblicos nos munie-
piosaquo defacto o do uiioito perlencem; o que
piesnileineiilo nflo acontece, escusaudo-so cada um
un a mu simples coa [Ciada do perteucer a provin-
cia diversa.
Concluimlo, pois, esta parlo laminha oxposicflo,
resomirci o quo lica dito, declarando que, postos le
parlo caprichos eambices particulares, dovem ser
outra \vy. reslabelecnlos os antigos limites Testa
provincia,como altamente he reclamado pelo u-
lorcssi' publico; sondo certo quo para a maiur parte
dos habitantes daquelles lugares he por ora indif-
fercnlo perlencer a um, ou outro municipio .lastres
provincias em quesillo; visto que, nem a villa do
Presidio, nem a do San-Joflo-.Nepoiuuceuo, o ainda
muito menos a cidade de Campos*, que I be lica en:
inaior diataifci, podera 'servir de centro a popula-
eflni|i,e com rapidez all se vai dcsonyolvoudo, e
qu; 3in breve demandara a crea;flo do U'.n novo mu-
nicipio, cuja'cabeca devora ser o anaiul de San-
Paulo, por onde passa urna estrada que lem do vir
a sor a de maiur coinmcrco para o interior desta
provincia. ,\Coniinuar-$t-ha.)
.liiiiiiiit'iilo lo Turto.
Navio entrado no dia |30.
Canliff (Inglaterra); 40 dial, barca sarda Washington,
le 230 toneladas, capilflo Antonio Copula, cqui-
pagem 12, carga carvflo de podra ; a Joaquim Bap-
tista Moreira.
iVavo sahido no mesmo dia
Porto ; hrigue brasileiro Alberto, capilflo Christovflo
Pedro de Carvalho.Leva a misma carga e O
mosmos passageiros, com que entrara.
11 .' .'i<.i--......... i r~ -~
0 arsenal de guerra compra 889 covados de
haetilha : quem dito genero quizer fornecer man.
lar sua proposla emearta fpchada eaamoslra a
directoria do mesmo arsenal at o dia S do prximo
futuro mez de outubro.
Arsenal de guerra, 28 de setemhro de J847.
Jodo Ricardo da Mita,
Amanuense.
O arsenal de guerra compra um livroem bran-
co. pautado, de 200 folhas : quem o mesmo tivere
quizer fornecer majular sua proposta em carta fe-
chada a directoria do mesmo arsenal al o dia 2 do
prximo futuro mez de outubro.
Arsenal de guerra, 28 de selembro do 1847.
Jodo Ricardo da Silva,
Amanuense.
_______.____,
Til K Al'O l>E A POI LO.
GRANDE CONCERT VOCAL E INSTRUMENTAL,
DADO PELO PR0FESSO11 DK RADKCA
Na noile de sabbado, 2 de outubro, as~
sitn dividido i .
PRIMEIRA PARTE.
1. Symphonia pela orchestra.
2.' Itccordacoes de Rellini, executadas na rabera
pelo beneficiado.
3." Potporri, executado pela orchestra.
4." Aeisda opera .Nabuco, do meslre Verdi, cm-
tada pelo Sr. Joflo Toselly.
5. Variares de Beriot, executadas na rabeca pe-
lo beneficiado.
SEGUNDA PARTE.
1. Symphonia portoila a orchestra.
2. Romance da opera il Furioso, do mostr Doni-
zetli, cantado pelo Sr. Joo Toselly.
3. Casta Diva, da opera Norma," executada na ra-
beca pelo beneficiado.
4." Aria da op*a Cemma de Vergy, do meslre Do-
nizetti, cantada pelo Sr. Joflo Toselly.
5." Phantasia burlesca, sobre motivos de valsas do
Strauss, executada na jbeca pelo beneficiado.
Principiar as 7 f lloras da tarde.
Os bilbeles vendem-so em casa do beneficiado, na
ra do Torres, ri. 8, segundo andar, das 10 horas
da mandila as 2 da larde, edas 4 at as 6; e, na noi-
le do concert, no thealro.
PAECOS.
..........2,000 rs.
1." ordem.........3,000 rs.
..........3,000 rs.
.........3,000 rs.
..........2,000 rs.
Pl atea.
(la loria 1."
M 2."
H S.
u 4.'
IDITAES.
.4 cmara municipal da cidade de Olinda e seu termo,
em virtude da lei, tic.
Faz saber que nos lias 4, 6 c 7 do corrente mez,
serflo arrematados por quem mais der os contratos
seguintes: dos mscales o boceleiras, o repeso
dos acougues, as casinhas da ribeira, o subsidio
los porcos, a afericlo lospesos o medidas, oariria-
PRESEPIO NU THEATRO PUBLICO.
O director do thealro tencinna aptesentar este
auno em scena o mais brilhante presepio, que al
agora se tcnlia visto : dividido em lies parles sendo :
Primeini : o Iriuuipho deMacdoeheo, Escriplura
Sagrada Eslher, de cap. I.'al cap. 14-^24.
Segunda: a cegueira do Tobius, cap. 2.iit cap. t
21.
Terceira o nascimento do Messias Seg. S. Lucas do
cap. 2." al 20.
I'ara oxecueflo dcstes tres dramas, convida a todas
as pessoas que quiaerem dars meninas a qua renta
mil ris, os meninos a trila mil ris, a coliiparpcc-
rein no thealro do 1." ric'outubro al o dio 30 do
mesmo. Sendo que lauto meninas como meninos
hilo de cantar; o nTo.podi-rflo levar em suacnnu>a-
nbia mais lo que urna pessoa que asdevoi condu-
zir; nenhiima outra lera entrada na cixft lo thea-
tro, seja qua! loro pretexto, lehaixo desta condicao
ho que o director da dez mil ris de mais do quo
o anuo passado. A decencia recato j observados
nos seus dous presepios aiiterioies, sflo mais que
sullicienlc garante quo oflerece-para- segurauQa dos
jovens de ambos os sosos, que se contrataren! no
presente presepio.
P ii b I cacees 'Luteranas.
PORTUGAL.
Recordacdes do anno di 1842, pelo principe l.'ichnonsky,
traducido lo atlemdo segunda edicto (torrela e an-
notada.
O consumo rpido da primeira edicilo, e a sua
procura por muitas pessoas que ficaram sem ella ,.
induzio o traductor a reimpressao d'esta obra cu-
zem grande no Varadouro, dito pequeo no mesmo |r,osa'qu" Co,llem a apreciacflo los caracteres m'S
lugar ; deven.lo os pretendenles comparecer hab-|lav^d.'L.Pa^
litados c mullidos dos competentes liadores.
E para que chngue ao coiihecimenlo do todos,
mandamo publicar o presente nos lugares docos-
tumee pela imprensa.
Cidade de Olinda, 1 do outubro de 1847. Jos
Joaquim de Almeida Quedes, presidente. Jodo Pau-
lo refreir, secretario. .. ,
Ignacio Jos': Pinto, fiscal da [reguesia da Boa-Yuta, em
virtude da le, etc.
Faz saber aos proprietarios de casas situadas em
dila fruguCzia, que pola lei do orcamento municipal,
eos, monumentos e lugares principaes feita por
esse principo prussiano, quealli viajou uo anuo
citado. Esla interessanle obra, que conten "220 pa-
ginas vendo-so por 1,000 rs., na ra da Cruz n.
7, segundo andar.
A LGICA. POPULAR lo Mr. Ad. Lccomte acba-se
tradozida chi portugiicz pelo pa.lj-e Joflo Barbosa
Cordiro, que a leu no pelo no Cear. A simplici-
dad \ clareza e concisflo desta obra a poem ao al-
cause de qualqucr inlolligencia, por mediocre que
seja, e a torua,de suninia ulilutado ainda aquellas
pessoas, que nflo podem frequentar aulas publicas,


_ na "ueacoo*: <> seu titulo moslra oque ella lio, e dis
P -i i litla"'1" outra recommendagio. Acha-so a
r r 11*56 i l>m 8-Antonio, na praga da Indepen-
jlllwn Irtia lo livrol do Sr. Figueira, n. 6 e. 8 ; en
rtii.li a' lia* dos Quatro-Ciulos, I -ja do Sr. Domin-
go,, pelo mdico !,rei>'" ,l" 1.28 is., rada exompiar.
I$us iii;iri(iiuo>.
Vode-seuma barcaga pequea, de 10 caixas,
m..iin liKeira, prompla de umludo para navegar, ou
umhein'se faz negocio com urna.naioi* de 18 a 20
m a quem o negocio convier. dirija-so a ra da
Mn,.,ia sol)r Para a Baha sali a sumaca Sanio-Antonio-de-
Padua para o resto da carga e passageiros, trata-
na ra do Vigario, n. 5.
_ Para a Baha segu, ale o lim (lo corrento mez ,
o hiato Tentador: para carga, ou passageiros,trata-se
com Silva & Grillo na ra da Moed., n. II.
Para a Bahia segu com brevulade, por ter mais
"motada da carga, o hiato S.-Qenediclo : para o
rosto da carga e passageiros tiata-se com o mes-
5,. bnrdo.ounaruadoAmonm, n._19.
\ barcaga Satalense sabe para o Rio-Granda-do-
\orle no dia de outubro improterivclmente : quom
nella quizer carregar, entenda-se com Sebastiilo
Jos Gomos Penna na ra do Collegio.
liClao
Schafheitlin & Tobbler farlo leillo por inter-
vonc'o do corretorOliveira, de um explcndido sor-
timonto defazondas, todas proprias do morcado-:
hoje, 1. de outubro, s 10 horas da mantilla, no seu
armzcm. ra da Cruz.
mmmmmimmmmmmmmamaBamm
Avisos diversos,
Srs Redactare. Hontem ti una pergunta ai) Sr.
fiscal do Rncife sobre a estalla de urnas laixas no fim
boceo Largo : boje, passando por abi, vi una protos
oceupados em reioverom a immundico, mo para a
o-aia mas para o meio da ra. Isto nada aproyeila
aos moiadores do mesmo becco, porquanto anda
ser conservado nelle o ncleo de po.dinlilo e mias-
mas contra o qual como que reclamara o pergun-
lado'r; por conseguinte resolvi-me a trazer o Tac-
to para o prelo, observando 80 inesmo lempo, que
a conservarlo dastaixasncs.se lugar pode concor-
rer para alguma desgrana semelhante a que succe-
deu no dia 29 do passado ; a qual consisto cm ter-so
um pobre menino machucado do encontr a um fer-
ro que se achava prximo s referidas taixas, o ha-
ver ficado bastante enfermo.
s*:g;:g :3f5e:e ;e;e:6.!@;e;e:@:sff
a- ., c5
JS Vcndom-sc seis oscravas muilo mogas, o de
bonitas figuras, algumas com habilidades e "*
CU muito habis para todo o servico de urna ca- 38
M sa, enSo se duvida darom-se para amostra as jfj
""' pessoas capazos ; sele escravos de dilTorciiles-
V idades e cores, sendo qualro moleques, um JQ
QJ do lOaunos, dousdcll annosc um do 16 an- jjj
S nos, muito lindos e espertos; dons pardos, utn j*:
official da alfaiato; dous ptimos pageos:
Si? iodos estes escravos silo muito lindos, o o!- CM
j) gunssein vicios ncm achaques, do que so les- jfj
MJj engaara o comprador. H
Precisa-sede urna mullicr quo saiba be ni la-
var e engominar, para eslarem casa do una fami-
lia estrangeira: auem oslivor neslas circiimstan-
cias, e sendo de ineia idade, dirija-se a ra alraasda
matris da Boa-Vista, n. 28. no segundo andar.
Urna parda se offorece para ama de casa, de
portas a dentro, dehomom soltoiro ou do pouca fa-
milia, ein Fra-do-l'orlas, n. *.
Precisa-se de una ama do Icito para acabar de
criar urna menina de oito mases: na praca da In-
dependencia, n. 3, so dir quem precisa.
Iloga-se aos Srs. dnutores do tribunal da ss-
lubridado publica, que se dignem dirigir suas
visias ra da Paz desta cidade, aim do observaroni
0 charco inmundo que all elleclivamente existo,
e providenciaroni a respeito a bem dos moradores da
musina.
.tflPKOS.DISS<>l3
TACHGr.APlUA.
O profossor de tariiigraphia, querondo por lonas a
maneiras genaralisar o ensino da son arlo, resolvou
dividir o prego por que animnciou ensinar em qua-
tro prcstacAes: sendo do 1,000 rs. a primeira, no Co
da inscripclo, o de 6,000 rs as nutras tres, pagas iie
seis om sois ligos A matricula focha-so improten-
Tolniento no da 3 do correle moz, e as ligOescomo-
gam no dia 4 do-prsenle mez, ao mi'io d'....
- l)a-se dnheiro a juros sobre penhoros de oti-
ro ou prata, ein pequeas e grandes quantias no
Alerio-da-lloa-Vista, n. 58.
- Conslou ao abaixn assignadn., que pessoas
suas gratuitas inimigas leem vulgarisado, com o ti-
to do desconcetua-lo ( o quo mo conseguirn) quo
elle Irahio nessas oleigOes ao partido saquarema,
cujos principios tem a honra de professar, fazendo
entrega de listas de eloitores do seu dito partido ao
Sr doulor Ferreira'Gomes O inra assignado re-
pello com indignaen mplhanln calumnia, o desa-
fia a essa pessoa. u pessoas, para que o declaren!, e
circumstanciadamenteo publiquem pela imprensa ;
e mo o fazendo serilo tillas por calumniadores con-
victos. U inesmo abaixo assignado he pobre, porem
tem envidado esforgos para ser honrado, e sempre
tem seguido estos mesmos principios po'ilicos, so-
mente por conviegao e mo por cspeculagilo ; vrve
do seu honesto trabalho, com o qual mantem sua
pesada familia, sem ser (gragasa Dos) pesado a so-
ciedade. /'. I'. L'avulcunti.
i'.oga-se ao Sur. J. A. M. B. o favor de saldar
sua conta do 38,480 rs. resto de couros salgados,
que comprou o anuo passado ; isto no prazo de 4
das ; do contrario ter de ver o seu nomo por ex-
tenso. .
- Perderam-se desdo a ra da Boda ale a ra do
FogO, 25,000 rs. sei.do duas cdulas de 10,000 ,rs.,
una de 2,000 rs. e tres de 1,000 rs.: quom acbou es-
to dnheiro querento entregar, dirija-sc a praga da
Independencia, livraria ns. 6 e .8
ti.
i.
Rua do Pmseio*Publico,
Joflol.oubct Tiarticipa ao rcspeilavel publico, que
receben, por estes ltimos navios franceses, um com-
nielo sorlim>-nlo de chapeos de sol, de seda, -
rica e superior qu ililado; furta-cjJres e oulr
a mais
ras inu-
iilii'cids, lano para homens, como para Sraj
' joninos.~No mesmo cstabolecmcnlo lia um soiti-
para men-------
dem-se chamar chapeos de economa. Na mesma loja
lia soTlnionlo de bengalas, bengalinhas e chicotes
muito modernos; cobre-se qualqucr arniago de cha-
peos deso, com sodas do todas as cores equalida-
lles Na iiiesnia casa ha um gran lo sortimenlo de
i.nn'i.iiihos Irangados e lisos, uiilando seda, para
cobrirosmesmo.-.: desta fazenda se vendo arelalho.
Concorta-so todo qualqucr chapeo de sol, por liavor
um completo soi-liinenlo de todos os perlences para
s mesmos, com toda a perfcig.lo c bnvidado.
8 ;n. t.
O primoiro secrelaro faz publico aos senhores so-
cios que no dia 3 d.o crlente, cm conformidade do
ai ligo iodos estatutos, llavera iouiio da assem-
bla eral, para se cumprfr o disposto no artigo 13.
. ,\o Aterra da Boa-Visia, n. I, primeiro andar,
na casa de modas do madama Millocliao, rebeu-so
pelo ultimo navio um rico sortimonlo do chapeos
uara senhoras ; cbapeus de palha de tudas as quali-
ilades oda ultima moda, de palha dallada, do ar-
roz, de palha aborta, lisa, ele, etc ; chapeos de pa-
lha para meninos e meninas, de palha da Italia mul-
to a'va; ricas lilas de flores para os mesmos cha-
peos sedas oY todas as cores para chapeos desc-
nhors; cumbraas, lil, creps e nmilos outrosob-
joclos quo se vndenlo por preg comrnodo
_.: ,\ pessoa que annuneioii, no Diario de
co
zad
lagem ,
Direira ,
quim
recer na
fim d
Trancoliiisde qualquer mode(o anneis fitas,
flores, aderegos, pulseiras, brincos, etc.; ludo o
mais bem feito possvel ,o por prego mdico
~ JosVcrissimoda Bocha faz publico, quedci-
xou do vender ago'ardenle desdo o fim de setembro
prximo passado, na sua taberna da ra do Trapi-
che, n. 26.
- Moje, primeiro de outubro pelas 4 horas ila
larde se l.a de arrematar na porta do Sr. doulor
juiz dafrimeira varado civel, a escrava Antonia,
penhorada a JoflO Carneiro da Cunta Albuquerque,
por execugio do D Anua Joaquina l.uis Wanderley.
? Roga-se, aoSnr. Jos Joa-
de Lima o favor de nppa*
ra do Crespo, u. 12 ,
trato- de negocios que
nao ignora.
ATTF.NCAO".
No dia 28 do prximo passado. o mogo que disse
chamar-se Manocl Joaquimdo llego, oque morava
na ra Nova, com os signaos segiiinles rosto re-
dondo barba e suissas ruiVas, bem parecido com
casaca de alpaca ja usada, chapeo prelo, re
rancelim levava com sigo um prelo com um lioc-
.a.lo desolafalug0iiuinc.avall6na coche.ra alias
do theiitio, para ir aos A rogados de cor castanho-
elaro pequeo gordiubo l'oveiro, calcado de lo-
dos os ns, lenle iberia toda na cabega. Boga-so
as autoridades policiaos, que. O proiidam por lor
dado nomo trocado, O conduzanio cavalloa ditaco-
Clieira que se gratificara.
SOCIEADE I5K(.IU:I0-Jl VlML.
O primeiro secretario avisa aos Srs. socios, que
domingo, 3 do crrante, ha wwlodi sociedade u
4 horas da larde : bem como se recbenlo as propos-
tas de convidados a partida de 23 do crrante.
Na imito do dia 27jiara 28 de selembro lur-
taram da estribada do sitio da Cruz-de-A nas,
anudo reside Antonio. Jos Pires, um cavallo i o
carro Com os signaos segunte* : rugo, ue pone
preta, dina e cauda pretas, alguma COMa carcun-
da roncolho o com marca no peito da collona ;
suppOe-se que loi para as bandas de Goianna :
o pegar, ou der noticia no inesmo sitio
mio-se 200.000 rs.. a juros sobre penhoros de
ouro e prata : na na Ao-gusta, loja do sobrado, n. i
--- Narcizo Jos da Costa embarca i>ara oBio- Janeiro a sua escrava crioula, do nomo Jacini ha:
--Prerisa-se singar u" sitio pequeo perlo la
praca .losdo o Manmiinlio al a Poiito-do-clioa ,
OU S.doda.lo, no lugar mais povoado : quom live
dirija-so a ra das Cincn-Pontas n. 13.
Aliiga-snoarmazeme primeiro andar da casa
da ra do Torres, n. 16 : a tratar na ra do Trapi-
che armszem n. 19.
I)-sc aieite de carrapato de ven-
a i,i7o rs. a caada: na- ra
venda n ~i.
Jos PKadies, culelciro amo-
lador,
a ao respeitavel publico desta cidad. que se
scha eaUbeJeeido :a ra .16 Cabuga n.ls anaa
sempre estar~prompto Vara fazer qua,9uc,r {e,na'
monta ou instrumento de crurgia trinchantes o
outros: tambem roncera espingardas, lazlieio
para cavallos, esporas do todas as modas e tuno o
mais quo mr concemento ao seu ofllcio. Amla as
lergas, quintas e sabbados.
ORDEM TKRCEIRA 1)0 CARMO DO RKCIFE.
Tondo sido enviados pelo F.xm. c ltovm. Sr.
pispo diocesano a actual mesa rogedora os artigos
de concordata entre mesma ordem e os reveren-
dos religiosos do convento do Carino, deliberen a
referida mesa sunmetter discussilo e approvago
dos mesmos A >ima mesa conjuncta na forma uos
seus estatutos para a qual silo pelo presento con-
vidados todos os Sor, cliarissimos irmilos ox-mc-
sarios a comparecercm no domingo, 3 do outubro,
as 9 horas da manhfia no respectivo consistorio
da igreja afim de emtirem suas opiniOes ,, o (Icli-
bcrarem como mais acertado entenderem.
A mesa roga aos referidos Srs. cliarissimos irmaos
mo deixem de comparecer a um lim tilo justo o in-
toiossanleaobcm geral c uniiio das duas corpo-
ragOes. ~Secretaria, 28 de setembro de 18*7. -- An-
tonio [.andr da Silva secretario.
Clorgue Iranios, |i conhecidos em l'ermim-
buco, acabara de estabelcer no Bccire, ra da (.a-
deia n. 30, una casado pasto a moda de I ans ,
na qual desde o pTimeiro de outubro servirlo ai-
almogos e jantares a todas as pessoas que uuizo-
rcm ser suas rreguezas e que quizerem honra
desde as 9 horas da mandila alo as 6 da tarde
todo assoioe por um prego mdico.
Os mesmos tambem se. encarregam de apromnlar
Millares para (ora ao gosto das pessoas que quize-
rem dar algum banquete de luxo. Nos ditos acha-
ran as bablitacOes necessarias para o mellior ues-
empenho ao modo Trancoz. Se algumas pessoas
quizerem confiar-lhcs pelos para ensinar-l
lo culinaria recebeui smenle dous
o acharilo milo >nt*mn- beir do rio
-senina casa no Monioiio,
- Aluga .
dl.arihe.com duas salas con
redor arfmaio eou-
Capibarioe com 0W"" e "" or.ie|heiras e
tro ao lado 6 qnartos. um de'o* l?mJ *"^ dous
servo do dispena, eoilnba fra,W*"7 eou-
eavallos um quarlo co,. UrlniNlWftJ '-
troquarto "o fundo do quintal,, que serve < Q
mo. ouinl.1 murado : a tratar nO Aterro-aa
lercoiro andar.
pojo
Vista
qui
n. 37,
Compras
- f.ompram-so 12 caderas em n"*"*0'*?"
sojamde aearand ncm de angico : na rua Auu^
ta. Cobrado de un. anda* n. 94, ou "".
-Compra-so a lenislaeo romana e qulquer
ohr. de direito comn.erc.al. que eslej. em bom
uso : quem tiver annuncie. __, .,
Lcomitram-ae, para umaencommonda P Jora
da provincia, dous offlriaes de carp.na um u-P"
teiro de rlbera ; dous ferreiros ; o irm tanoeiro na
ua da Ci uz no Beeiro ... 49, pr.me.ro andar se
dir quem compra. Adverte-so que, agradando, se
pagariio bem. -' -
Compra-se urna escrava moga do boa Hgura,
que saiba cozinJ.ar e lavar, e no tenha vicio: agra_-
Jando paga-sc bem: na Boa-Vis a, ra e hi,n.W.
Quem a tiver, devo apparecer das II horas da ma
n"!Vomp,aa^r,uma preta boceteira : leudo as qua-
lidadesqueso desejam paga-se bem: na ra ua
Senzalfa-Velha, n. 110
Ve o das.
tr
ca
sera gra-
li lenlo.
Offerece-so um liomcoi para
reiisa-se ile cflici.es He obra grande c niitida : na na Nova,
n.6o.
__GuimanlesSeralim Companhia leem auton-
sado ao Sr. JoflO Augusto llonriques da Silva para
cobrar as suas dividas nesta praga, amigavol o ju-
dicialmontc.
PABA AS PESSOAS*QUE TENCINAM SEGUR
VIACEM.
Na ra do Bangel, sobrado n. 9, continua-se a ti-
rar oassaportes para dentro c fra do imperio, despa-
cha m-se escravos o correm-se folhas, ludo com lue-
Vidade, e por prego muito e muito comrnodo, do
que ja so tem dado exuberante prova no decurso de
seto anuos..
A' BAPASIADA.
A cochera da ra da Boda recebe cavallos para
trataniento, e prometa o administrador todo o zelo
c cuidado em bem pensa-los. Tambem lem bous ca-
vallos de aluguer, arreios novos, etc.: os senhores
rreguezos de fra da pinga oncontrarfo em dita C0-
eheira liom agasalbn para os seus cavallos e para pa-
geos se necessario frtr.
Aluga-se o silio que foi do fallecido Jos Car-
los Tei'xeira, na estrada da Cru/.-de-Almas, proprio
para grande familia, por ter excellenles commudos
quem o pretender dirija-so aoniesmo.
|>recsa-se fallar com a senbora lilha legitimada
do fallecido padre liento l.eite Cavalcante, que fo\
vigario nafregueza d'Agoas-Bollas, a negocio de
seu interesse, at sabbado, 2 de outubro; o passan-
do doste dia uflo encontrar mais a pessoa que Ihi
desoja rallar: na travessa do Carino, n. II, ou
largo, venda ni.
1'crdou-so, na noilo de 26 do correle, urna car-
tera nom diversos papis, 8,1100 rs. em cdulas c um
billiete da lotera do llioatro, que esta anniiHcada
para correr no i.' de outubro, n. 1386, estando as-
signado no verso por Antonio dos Santos, Jos la-
varos, Antonio Joaquni Bernardo e Jofio l.eile: quem
a acbou, querendo-a restituir com os papis co b-
Ibelo, dirija-se a ra d"os Guararapes, n. 17. Iloga-se
ao Sr. lliesourero, que, no caso de sabir premiado o
engenlio, do que tem bastante, platica equo
fiador a sua conducta: quem de seu preslnno se
quizer ulilisar dirija-so as Cinco-lvmtas delronle
do forte casa de rancho.
- O Sr que a semana passada dava 500,000 rs. pe-
lo molecilo Antonio querendrj rochar o negocio,
dirija-se a mu Nova, loja n. 58 : o que podera lazer
nutra qualquer pessoa sendo quanlo antes.
- Olleroce-so urna uiulher iwrda, do boa condue-
la para ama de Icite : na ra do Roza rio da Boa-
Vista n 2. ,
l'Fcctea-sr de um homem para trabalhar de en-
xaila em um pequeo silio porto da praga : a tratar
na ruado Collogio, n. 15
Precisa-sede um homem para redor de un si-
tio muito porto desta cidado : na ra das Laran-
geras, n. 2<, ca>a das al'erigcs.
Sorvctes,
|)as 5 e i horas da larde em diante, haveni sorve-
te todos os das no botiquim a p do llieatro,- bem
feito e com mullo asseiu. .
-- Aluga-se, pu vende-so urna escrava recomida ,
que sabe lavar cozinba coser e engommar com
loda a perfeigio : na ra Imperial, n. 9.
Quem precisar de novilhos para amansar e de
vaccas com crias para tirar lete dirija-so ao silio
da Mangueia na freguezia de Agoa-I'rela ou ao
silio do Cordcro do Sr. Gabriel Antonio, casa grau-
:l aribe'.
rta-loira,
ila bem
rija-sc a
quem tem.
administrador de hilhete, nao pague seno ao assignado Antonio dos
,l.i Santos. .
O Sr. Borniio l.ourcngo de Medciros, ou seus
herdeiros, quoiram dirigirse a ra da Cruz, n. 11,
para negocio de seus interesses.
-- Anlono'Monleiro Correia'de Oliveira rclira-se
para fra da provincia a negocio o deixa por seu
procurador o Sr. Francisco Joaquim Ruarte.
lodo de Dos Franco, subdito portuguez re-
tira-se para a provincia do Cear.
Carlis I>. Fredricks, profes-
sor do daguerroolypo,
contina a lirar retratos coloridos das 9 horas da
mantilla al 88 duas da tarde, na sua-residencia
ra da Gadeia-Nova, ti. 26.
POilMATF.AU, CTELEHIO NO ATF.BRO-DA-
BOA-VISTA,
tem a honra de avisaran publico, que mudou o
seu estabelcciniento da ra do Atorro-da-Boa-Vista,
n. 5, para o sobrado novo, n 16, da mesma ra.
Na sua loja sempre o publico acitara como de eos-
tumo um grande sortimenlo de cutelcrias linas e lo
todas as quadades ; bem como pistolas de viagein,
o armas para caga. Contina a concertar todas as
quadades do armas o ferragens c amla lias quar-
as-feirascsjbbados.
Pelo novo destino que deu ao edificio da sua
residencia mi ra. do Hospicio, podera o dutor
Sarment receber em sua casa doenles que desejem
vir Iratar-se tiesta cidado. Serilo recebidos nao s
os doenles de qualquer seso e condigo que sejam ,
mas tambemas pessoas, ou familias, quo os qui-
erem acompanbar.
Lotera do Itio-de-Janeiro.
Aos 20:000.^000 de ris.
Na ruada Cadeia do Bocifc, toja de cambio do, Vi-
oira, estilo a venda hilhetes e mcios ditos, da lolcr ,i
a beneficio da matriz da cidado de Nictberoy I a el-
los antes que cheguc o vapor.
AOS ESTL'DAN-TES l)K GEO-
GIIAHHIA.
SolugnodospiincipaesPBOIlLEMAS DE CEOCBA-
l'IIIA PIIYSICA i: ASTBONi.MICA, livnnho indtspen-
ssvel aos quo leem de lazer exame nesla disciplina :
vonde-se na ra da Cruz do Recire, livrana de San-
tos 6i Companhia, por 1.#000 res.
Vemle-seumaduziadeca.letras com Siento
de palha, um jogo de bancas o urna mesa de meio de
salla, tudo moderno e com pouco uso; um lear
para bordar coeiros : tudo por prego muito com-
rnodo : na ra de San-Francisco, no segundo anda
do sobrado da esquina do Ouvidor, defronte da sor-
Vendc-se cera de carnauba muito boa, tanto a
retalbo, como em porgues : na ra das Urangeiras,
n. 14, segundo andar.
PRELOS.
Vendem-sciiosarmazens do Caes-da-Alfandega,
ns. 1 e 3, suecas muito grandes com arelos de tri-
go por proco muito comrnodo.
Cheguem fregueses, antes que se acaben*.
No depsito da pa.lai ia da ra estreita do Roza-
rio n. 13, vendem-se, por todo o prego bichas do
llamburgo ; peneiras dearamo pilulasde Tamilia ;
e um grande sortimenlo do condecas de lodos os
lamanhos : tudo por barato prego.
A 3,500 rs.
Manas para meninas,- superiores : vendem-se na
mi ra do Queimndo, beco da Congregagflo, n. 41.
VWHO DE BOHDEAUX.
Avrial Irinios receberam novamente urna peque-
a quanlidade do vinhode Bordeaux, em quartolas,
como aquello que ellos estilo acnstumados a receber,
sempre da mellior qualidade que aqui tem vindo ;
por isso avisain aos seus freguozes do irem ou man-
darem comprar esta p-quena porcSo, aflm do immc-
dialamenla maudarm buscar outra para no lica-
rom privados, como lem acontecido, deste precioso
vinho, a queja estilo acoslumados, o que na verdad
lio o mais proprio para tste paiz.
Deposito de vinagre
da ra Imperial;
na rubrica de licores, de Fredorico Chaves, no Ater-
ro-da-ltoa-Visla, n. 17, onde se achara sempre
grande porgilo e por prego comrnodo.
Vonde-se ferro da Suecia ; folhas de Flandre ;
cobre paja rorro de navio ; dito para caldoireiro etn
porgos grandes e pequeas na ra de Apollo, ar-
mazn) u. 6.
Vendem-se quatro maslros depinho: na na
do Trapiche i). 8.
F rede rico Chaves, fabricante
de licores chocolate e es-
l>iritos, no Aterro-da-Boa-
Vsta, ii. 17,
tema honra de participar ao respoitavcl publico e
com particularidade aos seus freguezes que tem
sempre grande sortimenlo do bem condecido cho-
colate de sade canalla bauuilha e ferruginoso,
este muito approvado para as pessoas que padecen
doestamagoefrialdadc por sor muito tnico. O
bom conceito que tem tido esto chocolate faz com
que hoje participe as pessoas que ainda nilo lizeram
uso dello, e igualmente aos seus freguozes, que o
leem procurado, c por inconvenientes o no teetn
adiado. Os pregos silo sempre os mesmos, sade,
canda ebaunilha a 400 rs. a libra, e ferruginoso,
a 1,000 rs. Tambem vende ago'ardente do reino o
Franca, de primeira qualidade; espirito de 36 graos,
semcheiro, om garrafas e em caadas; gonebra
em botijasectn caadas ; ago'ardenle de aniz e de
caima ; vinagre tinto ago'ardenle cm pipas nos
graos que quizerem ; licores em garrafas pretas e
brancas, com ricas tarjas douradas e bocea pratea-
da : essencia de aniz cm migas e garrafas.
=Veiiilem-sc in.ii'ini.is de ferro para engenhos de u-
mcar, para vapor, agoa c bestas.de diversos tamaitos,
por pr?f<> oiiiiiinode igualinentr taixas de ferro coado
e batido, de todos os lanianhos: na praja do Corpo-Sajt*
lo, n. 11, em casa de Me. Caluiont & Companhia, ou na
ra de Apollo, arimuem, a, 6.
da fabrica
n. 7.
i
i

fefi.


rw
Vendem-se os seguintes pscravos todos de
>uie|pgan|ps figuras sem vicios nem achaques:
um moleque do 18 anuos; um dito de 12 annos;
una pretde!8a20 annos, rom Igumas habili-
dades, quo se dirilo ao comprador ; 3 pardos, sen-
do nm de 1* annos e dous do 18 a 20; um mula-
tinhndo7para 8 annos, proprio para andar cotn
cianeas: na ruado Crespo, loja n. 2 A se dir
quetn vende.
Vendem-se muito boas bichas rhegadas lti-
mamente dp Hamhurgo, Innto aos rento como a re-
talho, e lambem sealugam; vflo-se applicarpara mais
commodo dos pretndanles : na ra estreita do Ro,
zario,.dcfronlcdajiuada Larangeiras, loja n. 19. Na
mesma casa vende-se urna bonita mulatinha do cin-
co annos.
Vendem-se caixas de cha hysson, de 13 libras,
em porcOes ou a retalho ; caixas de velas de es-
pprmacete de 5 e 6 em libra. : na ru da Alfandega-
>eina,n. 36, em casa de Matheus Austin r.
AVISO IMPORTANTE.
4Hinca !
Oabaxo'assignado aponte do dontor Hrandroth.,
tema salisfaglodc annunciaraos seus freguezes, o
ro DfJKUe americano Olinda vindo de Boston entra-
bado nodia 22desptembro Ihcchegou um caixo-
le com caixinhas de pillas vopolaes do dontor
Itrandrcth. O mesmo abaixo assignado afianca ao
espeilavcl publico quo silo as nicas e verflelras
pillas vopetacs de sen proprio autor, lie dosne-
ressano repetir a boa acoitacAo o acolhimento que
leem olitido as verdadeiras pillas do dontor Hran-
dretn nesta provincia, peluqueo abaixo assipna-
lodoix de o fazer. Vende-se na ra da Cadcia-Vo-
Ilia, botica, n. 61 a prego de 800 rs cada caixi-
iilia com o competente reeeitnario.
Fcenle Jos de llrilo.
Lotera do Rio-de-Janeiro, a be-
neficio da matriz da cidade
20 varas, a 2,400 rs. e a sote vintens a retalho :
na ra estrella do llozario, n. 10, lercein andar.
__ vende-se um sobrarlo de dous andares e so-
,Tn'J'l "* n,a (l Agoas-Verdea, que rende.
70,000 rs. m.ensaos : a tratar na ra das Larangci-
n. 14, segundo andar.
ras,
--Na loja nova n. 17, do Passeio-Poblico, vendem-
cortos de casimira do lila do imperio, fazenda
'"'"lorle in'"o lindos padrees "para calca
,000 rs o corte; chales dircassa,-mullo tinos
a 4,000 rs. ; ditos de lila
se
muito forte
a 2
com listrasde seda
2,000 ra.
--Vendem-se saccas com 3 arroba de farelo,
muito novo ltimamente chegadas: no armazem
doBacellar, no caes da Alfandega ou na ra da
Cruz n. 52, ou na ra Nova no porto das canoas.
Vendem-se meias barricas de farinha de SSSFde
raminhn : no caes da Alfandega armazem n. 1, do
Cuimariles.
DEPOSITO DE CAL V1KGLM.
Na ra do Traniche n. n. ha
em casa de J.
29.
de i\ iclheroy
Vendem-se bilhetes dosta lotera:
O Elator, na ra da Cadeia-Vollia n
Na ra da Cruz, no Itocifp, n 26 vomleni-se,
em pnreflo, couros de cabra; sola; sapa los, o botina,
Jeitos no Aracaly, o melbnr possivel jeera de carna-
na; esleirs ; chapos de palha; sebo /queijos: eou-
tros objeclel por preco commodo.
Casa da J'
nn rua r-slmla do |t ozono n <>'.
Nesle estahelcrmcnloacham-sea venda as bom
acreditadas cautelas da lotera do Iheatro publico
dosta cidade cujas rodas an.lam no dia 1." de OU.-
O caulelisla espera que os seus l'roguezcs
pre cal
'Menos
Vll'gPIli
n. 17, lia sem-
, em liarris pr-
egada imii-
corpolenta, dbannos, com algumaa haliilida-l Atcrro-da-Boa-Visia, sobrado n
:',.- I'_t 1 ,.,.(! 1 I-,,, 1 *%~ -...'*- .1 ... '
dea pata escrava vendo-so muito em conla por lor
um pequeo deleito; urna mulatinha de 19 annos;
nina negrnlia de18annoa que coso engomnia ,
eozinha e serve bom a urna mesa ; urna negrota de
ilo 20 anuos, quo cose e eozinha o diario de urna
luhro. i inora que os seus
resto das ditas cautelas ,
as quaea se espera ni boas sorles, pola excellente cs-
colha que se fez dos numero para seren divididos
un cautelas. A ellas quo silo poucasc boas. I'iecos
os do coslume.
-- Vciidcm-sc sellins ingle/os e francezes para
montara de liomem e senhora ; cabecadas religas,
nglezas ; ililas do couro de lustro prolo o blanco !
estribos de metal braneo c de latilo; perncii is o
guarda lamas de lodosos feitios ; chicotes para
montara de bomem o senhora ; hoznos de lustro
de superior qualidade para calcado; marrnqiiins
do todas as cores ; couro de lustro para canhoes do
criados ; lambem se cobren sellins de couro in-
gloz e francz licandn como novoa e concerlam-se
utios; ludo por modiro preco. Na niosnia loja tam- Cnllari
bom ao vendom barretinas para olliciaos o soldados del.on
de cavallaria e infamara do guarda nacional ; la- rua da Cruz 9
nie h'.1I^S 1 C0," lr""C.l P .'"'"T ''s',a,la-s.,lc 1 Vende-se um escravo pardo ptimo offieial do
tai ni anco, de roca escinda ; bandas ricas o 111------ '
rapiclie
de Lisboa,
, e ltimamente el
lo superior e por preco rasoavel.
Xa 11 iva loj do Aterro-da-
Boa-Visla, ji, 7,
vendem-se bonetes para bomem, a 500 rs. ; ditos do
panno o.velludo para menino* ; sapaloosde be/01-
ro para liomem a 1,440 rs. ; hahusde pnho.com
focliaduras o bonitas pinturas, que servem para
puafilarouro, roupa do crianga, ele., a 640, 1,000
1,280, 1,440, 1.660, 2,240 e 2,500 rs ; Rpalos do
couro de lustro para meninos de 2 a 12 anuos sa-
patos para senhora, a 1,000, 1,120 o 1,200 rs. bo-
tn de bezerro para homoni, a 3,520 rs. ; marro-
quiin a 1,600rs.
-No fin da rua da Aurora n. 4, vondem-so
moendasde engonho, antigs, e rodetes por proco
commodo; eum orioiilodo 24 annos, bom carrei-
roevaqueiro.
Vendem-seeseravos baratos, na na das
1.a rango ras n. 14, segundo andar: I
lindo pardo do 22 anuos, sem vicios
nem achaques do boa conducta e que
lie ptimo para pagom ; um dito com
oUlciude sapateiro, osle troca-so por urna prota
moga ; um molocoto de 18 annos, com oflicio de al-
faiale; dous molecotes de 18 anuos', bous para o
Iralialhn de campo; um prelo de 25 annos por
450,000 rs. ; um dito de 36 anuos muito forte, e
que he canoeiro por 400,000 rs. ; um dito, por,
250,000 rs. ; una parda de cor escura bastante
, armazem h. iij de Baltbar & li-
veira.
Vcndc-se um escravo do. naco, proprio para
oservico do campo, ou engenho por ter disto
pralica: na rua da LingotHa, n. 3, se dir quem
vende.
Vcndem-se sellins inglezo, elsticos, de pa-
tento forrados de couro de poreo; dito sem serem
elsticos, francezos para montara de homem e
senhora; cabecadas roldas inglezas ; ditas de cou-
ro de lustro preto o braneo; estribos de metal bran-
eo o de latilo; perneiras e guarda-lamas, de todos os
roitiqs; chicotes para montara de liomem e senho-
ra ; bezerrosde lustro do superior qualidade, |iara
calcado; couro de lustro para canhfies de criados.
Tambemsecobrem sellins do couro inglezcfrancez,
(cando como novos, e ce.cerlam-se outros ; tudo
por mdico preco Ni mesma Irrja tatnbem se ven-
,.cm arre.!t:&s -na mCiaoa 6suIhuo J cavitf-
ria e infantara da guarda nacional; talins o cana-
nas de couro braneo e preto ; espadas de metal
branco.de roca e sem ella ; bandas ricas e inferio-
res ; fiis ditos; correames de lustro para solda-
dos ; estrellas ; globos ; apparelhos para barretinas
ricas; molas para espadas douradase de latilo ;e
Vendem-se 1,500 courosm i iidbscortidcs-iim,
porcSodecerade carnauba: tob encado p'rox?
mente do Assu: a fallar com o Sr. Pimenlet n
porto da rua Nova ou na sua renda-na Ponte-Ve-
Iha.
Vende-se a loja de fazendas da ruado Oueim.
do, n. 49, com poucos fundos : a tratar na mesma
lOjS.
Docedc^oiaba.
Na rua da Madrc-dc-Deos, venda n. 9, ha nara
oni
vender doce de goiaba fl.na
caixflesde6 e8 em libra.
muito bom feilo,
-- Na venda de Antonio Joaquim Tavarai, n m
da Cad.-ia-Velha n. 1, vende-sp mel de engenho
rua
fresco, por preco commodo
1110 em caadas.
tanto as garrafas c<
,-->
outros muilos objectos porprcijo commodo. Na^rua
Nova, n. 28, loja nntiga do Antonio l'erreira da Costa
Braga, defrunte da|igrcja de N. S. da Conceicilo dos
militaros
Vende-se urna prota sadia que he propria pa
ra o servico de urna casa pelo barato proco de 300/
rs ou troca-se por um iiiocqiio vollando-se o
re slo: na rua da Cadeia-Vellia n. 33, se dir quem
vende.
Vende-se urna commoda urna secretaria 6
cadeirasdeassento do palhinha, 4 bancas, urna ca-
ma tic armaeflo, 14 quadros cointemplando em si
os 14 pasaos, um cspelho do paredo dous jarros
de floro, um par de mangas do vidro: na ruada
Cadca-Velha, 11. 9, se dir quem vende.
QUAD'-OS.
Na rna do Calinga, loja de miudezas,
de Francisco Joaquim Uuarie, lia um
completo sorlimeniode quidrosde San-
tos, em moldura dourada, dedifferentes
lamanlios de 80 al 4oo rs,
Superior cha hysson em la-
tas do urna libra, a 2,400 r>.,
muito ptimo para casas particulares ou para fra
da praca pelo bom acondicionamento : vende-se
no armazem de Antonio Teixoira Bacelar', no largo
ila Alfandega, n. 3.
Vende-se una parda de20 annos, de figura ,
o ptima para mucama quo engonima, cose chito ,
,ivn desalmo, eozinha alguma en usa e faz renda: no
IVa rua do Crespo, loja n. la,
de Jos Joaquim da Silva
Maya,
vendem-se chapeos de seda para cabecas de senhora
os mais ricos, e mais modernos,queteem vindo a est
' pra?a; assim como se vendem chapeos de seda ede
I palhinha para meninasde dous a 12 annos; tucas na
ra enancas, de-muito lindos gostos. Tudo chejadn
deFranga pelo ultimo navio, e por muito commodo
prego.
casa ; una dita de iiago de ptima conducta, por
42,000 rs. ; e mais alguns eseravoa.
Vende-se un. moleque erioulo de 9 a 10 anuos :
na Passagem-da-Magdalena no beceo que vira para
o Remedio, venda n. 29.
Vendem-se pianos Dgfczes,
de palele de
& Collard os muito celebres Tahriranles
res: em casa de Cco: Konwoilhy & C. na
loriores ; fiis ditos; enrreiames do lustro para sol-
dados ; estrellas; globos; apparelhos para ha (te-
linas ricas; molas para espadas douradas c de la-
tan; o outros muitos objectos por preco commo-
do Na ru!1 ,\ov( 5 ( |(1ju de lodo da Silva Braga ,
ilolronle do oitilo da matriz.
Vende-se junco a rdallin, por prego commo-
o: na rua da Ciideia do bairro de Santo-Antonio.
n. 18. '
SSSF.
Vcndem-M barricas o meias barricas de farinha
SSSF le raminlio: noarmazonidc Joaquim Lopes de
Almeida, caixeiro do Sr. Jofiu Matheus, airas do
Iheatro.
Vende-se, por prego commoilo, para fra da
proNneia, ou para engenho, urna pela : na rua da
Cruz do Iterife, n. 57.
Vendem-se duas canoas de carroira e alguns
esclavos expelientes de ambos os sexos poilon-
ceiitos a urna pessoa que se relira : na rua da Scn-
zalla-Vi-lha ,n. 110.
AGENCIA HA FNOFCAO'DF. I.OW-MQnii.
Na rua da Sonzalla-Nova n. 19, contina a iiavtr
um completo sortimento do moendas e machina de
vapor, para ongonhos de assucar : bem como tai-
xas de ferio batido cenado de lodos os tamandoa
Indo por prego commodo.
\ ende-se a verdadeira
do r.iininlio clieg.ida no oa :i do cor-
a tratar com J. J. Tasso .lunior.
dia C>
reo lo
PatasS'i da uissia-
Cunliai Amorim leem paja vender polassa da
llussia da mais nova o superior que ha no merca-
dado, do que reslain poucos barris : na rua da Ca-
dea dollocife, n. 50.
-Na rua da Cadoia do ilecife, n. 34, escriptorio
do iose Antonio Basto vende-seo mais superior vi-
nl.o do Porto da rolhela do 1822 em caixas de
uma e duas duzas .le gar> alas.
-Na rua de Aguas-Verdes, n 46 vende-so, por
seu.ionuroiirar-so um bonito pag, 'aldealfaiate; dous.i.obquesdeie a 20 nnT-
eacruvos por commoilo prego.
JL H*0** uma l,ard de a"0-S I. i"'"?'0.0"'"11""' l,or f"*V> com.no-
,do, polo dono ler de rolirar-se para /ora da pro-
JlOCia: na pracadalniopendenea, n 23
, ~ Vendem-se pegas de inadapolo limpo, com
sapateiroecozinhoro, o que he'muito bom pagem:
na rua do Jardim n. 43.
Na rita ova, n.O, loja de
Maya Hamos & C, ,
vendem-se riquissimas guarnigos de flores, para
vestidos do niiiva.lq chegadas pelo ultimo navio
de Franca ; lindas capollas brancas, do melhor gos-
to e qualidade quo ha; ramos do lluros, ladea do
velludo, proprios para chapos de senlidraj uva's
'if pellica, com guarnigOes o melhor que tem ap-
parecido nesle peero, sendo onda par em sua rai-
xinl.a ; ditas curias, n uilo olnslioas e bc.nalvas;
corlo.-, de seda rniia-cdres, branca e prcia, de
lindos gostos de ptimas qualidade; sedas para
chapos de todas as cores ; sapatos de selim bnm
alvos ; ditos do couro do lustro mairoquim cor-
dovilo e dniaquode Lisboa; chapos de maesa, fran-
co/.os. da ultima moda a 7,000 rs ; inanias de se-
da para senhora as mais modernas que ha presen-
temente ; ditas matizadas, do muito lindos padros;
vestimentas para meninas de 3, 4 e 5 anuos, polo
diminuto picgo do 4,000 rs ; luvas de seila do todas
as qiialidades, para senhora.; ditas de pellica de
soda ilo coros c de lio da Escocia para homem;
han.lejas do lodos os tamaulios com lindas pintu-
ras o de excellente qualidade; eupolhos de paredo,
muito proprios para ornar salas; chicotes deha-
lea bastante grossos para carro ; ditos de caima ,
junco e do pao; um completo sortimento le per-
fumarlas do melhor fabricante que ha em Paria,
Mr. I'iver.
Vendem-se borzeguins pora homem, n 3,
o 7,000 rs. ; sapatOes do lustro a 4, 5 e 6,000 rs
botinarrhcpzes, a 4.500 rs. ; meiosditos, a 7,000
rs. ; sapatOes inglezos a 3,000 rs.; sapatos, a 2,560
rs. ; sapatOes de Nanles de pala; ditos de sola
grossa taixeados; botins do Lisboa a 3,000 rs. ;
meios ditos a 2,000 rs. ; borzeguins para senhora,
a 3,200 e 4,000 rs. ; sapatos do couro do lustro pa-
ra senhora, riancezese de Lisboa; ditos de setim
eduraquo, francezesodo Lisboa ; ditos de marro-
quim o cordovao ; sapatos para meninas de lodosos
lmannos, de lustro e marroquim ; ditos de col-
cheles de todos os tamandoa; sapatOes do lustro
para meninos ; botins de marroquim; o outras
miiilas quididades de calgados : na praga da lude-
dependencia os: 13 e 15, loja do Arantes. -
,
< hampanha de superior qua-
lidade ,
38, armazem de
n.
endo-fe na rua da Cruz
Schalheitlin& Tohler.
Vende se um moleque de 1 annos, de bonita
figura, oque nao tem vicios: as Cinco-Ponas,
n. 71. Na mesma casa compra-so um escravo sapa-
teiro.
Vende-se urna venda sita em bom local, com
bastante ficguezia, lano para a praga como rara o
mallo : no pa too da S.-Cruz n. 6.
Vende-se um escravo bom eozinhoiro que se
dar a contento ; urna negrnha de 12 annos ; duas
dilasdo 16 anuos ; 4 esclavos do todo o sorvgo ; 3
o timas jniilalinhns, com principios de costura;
escravos, sendo um dollos bom carreiro ; dous
moloques de 14 a 16 annos: todos dilo-se a conten-
to ao Boato do comprador : ni rua Direita n. 3.
-Vendem-se 8 escravos sendo : 3 mogos.de
bonitas figuras proprios para o servigo de campo ,
OU mesmo da praga ; 4 moloques do 11, 13 o 16 an-
uos proprios para oflicio ; uma escrava crioula ,
que engomo cose eozinha e lava do sablo na
rua das Cruzes n. 22, segundo andar.
Vendem-se duas escrava, urna parda com
cria propria para criar por ter muito e bom leite,
o que engomma, coziha coso o lava; o a oulra
cabra para fra da provincia com todas as habi-
lidades e quo ludo faz com alguma perfeicao : na
rua atrs da matriz da Boa-Vista n. 24.
Vondem-so, por prociso 2 pardos de 22 an-
uos, por 350,000 rs. cada um : na rua da Senzella-
Volha n. 132.
dol:raVpTche;8ne8SlOPa'PrOPra Para MCC0S :
na7udodrra;ichaer,nn.VaCC" 8a,g"d, Cm barrS:
-Vendem-se 191 pegasdejeabodo Cairo: narui
do Trapiche, n. 8.
IVa rua da Caepia-
Velha.n. 29, loja
de J. O. FAstev,
vende-se vinho do Porto, do diversas qualidades
dito da Madeira ; dilo de Sherry ; dito deBordeaux
dito chaleau-la-rose; dito de S.-Julien; dito de le.
nenre ; dito do Rheino ; dito de Buoellas e Carca-
vellos; ditodc,Lisb ; dito de Malaga ; dito San-
terne; dito de graves; dito champanha sellery ;
ago ardente de Franca ; Kirschwasscr extracto de
ahsin.he;Chcrry-cordial ; agoa do flor do laranja ;
frascos com conservas do verduras ; ditos com fruc-
tas da Europa, em calda do assucar; ditos deditas
em cognac; dilo de mostarda ; sardinhasem latas
e vid ros; potilSiDOis ; salame de superior qualidade,
vindo no ultimo navio de liamburgo ; agea deseltz,
embotijas; azeito doce de Marselha (inissimo;
velas de cnmposicilo ; cha prolo, hvsson operla;
charuto de Havana e regala. Advcrto-se que ludo
he excellente e por prego commodo.
i\a rua da Ouz do
Ilecife, n.-SS
vende-se o muito superior e estimado rap meio-
grosso e grnsso da fabrica de Estevlo Casse, chega-
do do Itio-de-Janeiro no brigue-escuna Uaiante-
lUaria, entrado, o mez prximo passado: seu prego
he de 1,280 rs. de cinco libras para cima.
Na rua da Seiizalla-Nova, n. 3o ,
(padaria) vtudem-sc juncos de superior
qualidade, em por^ao en relall.o, e por
menos do que em oulra cpialqucr parte.
Escravos Fgidos.
\eiiilem-se 12 Iravesde mangue com 10 pal-! "~ Conlina-sea vender boa ma-itciga, a 320, 400,
mus : na ruada l'raia, a fallar com Jos lligiuio de 500 e ""
Mira lula.
- Vendem-se. na liviaria da rua do Crespo, n.
11 os niclhores folholos que leem apparPcido, hein
como : llislora da imporatriz Porcinia; Iti.beilo do
Diado | Haga lona j oragOes ; um rico sortimento
de enlioniezes ; I
do
Vil ,
Iha
rs.
' 800 rs. ; chocolate novo, a 240 rs. ; cali
- Da casa do abaixo asignado onde eslava rara
ser vendido fngio. no da 23 do passado o escra-
vo Manuel, (lenagil, perloncente ao Sr. Pedio Tei-
xoira Cuimarfles com os signaos seguintes ; re-
presenta 25 a 30 anuos, baixo reforgado do corpo ,
cor uno muito piola olhos atrlvessados ; lom os
dedos de um dos |!s ruidos jquando foge, coMiima
r para as partes do Apipucos, Luco, Olinda, Boa-
Vista e estrada de Jono-de-ltarro. Pode-so encara-
cidamenle as autoridades polcaes, capililes de
campo e pessoas particulares, que apprehendaui e
levem a rua de Aguas-Verdes, II. 46, quo rcccbero
20,000 rs. do gralilicarfio.
JouFicdericode Abreu ftgo.
foro civil
Miiezps ; Primeiroa elementos prattcoa do!" cuia;diio vermcldu ai
I pelo diminuto prego do 2,000 rs.; obras Brro* de casca a 100 rs. ;
a 160 rs, ; dilo em grao i 120 rs.; cevada no-
alOOrs. ; arroz braneo a 80 rs. ; ililo'vormc-
, o 60 rs. ; carnauba de 6, 7e 9 em rirra a .120
. espormacete de 6 em libra, a 720 rs.; cha
hysson, ir 2,000 o 2,560 rs. ; arroz braneo, a 320 rs.
Desappareccu no dia 28 de setembro a es-
crava Thnmazia, do cor fula; alta, cheia do corpo; .
representa ter de 20 a 24 annos ; andava vondendo
pito. Kata escrava he natural da Serra-dn-Martis,
provincia do Ccar e nl.i foi escrava do Iferculano
Torre de Lima. Quem a pegar leve a ruadas Cru-
zes n. 30.
Ausentou-se na nniledo dia 26 do passado a
prcla Hila de nagilo liculo-, de 25 anuos, alta,
refurgada, cor pela, coreada do carrogar poso ; lom
mi'- "- cos!as cnfeitailas com signaos o guipes do sua n-
280 r. ; feijflo, a 280. rs. ,
, milito, a 100 rs ; quei-
complclas de \ollaire, por 3,000 rs. ; Tratado da ; Jos fresones, a 1.180 rs : no pateo .do Carino es-
rol igiilo, por 3,000; Horacio, por 3,000 rs. ; Telc-!,lu"11 la ruado Norias, lado direito n 2
inacn. por 1,280 rs ; Arilhmelica por Besout, poi- .
Lotera do Hio-de-Jaiieiro.
Veiiilem-sc bilhetes e meios ditos da selima le-
tona a benelicio da edjlicagao da matriz da impe-
rial cidade de Niclheroy : na rua da Cadeia loja
de cau.hio ii. 38, do Manuel Comes.
-Vende-so urna parda clara, do 25 annos, que
cose, lava lem principios de ougommado, o lio
muito boa rondo ira ; un cabritilla do 12 annos de
bonita figura, proprio para pagem : na rua dos l'a-
noo i ros armazem de couros, n. 5.
Vendein-se 3"cabras, i bichos j paridas de pou-
cos (lias : na rua das Larangeims, u. 18.
Veiiilc-so um.moleque ile 16 a 18 anuos, do
1,280 rs. ; Virgilio, por 3,000 rs.
Kola lu ha de arariK.i, em
la las ,
muito superior o nova : no armazem do Bacelar, no
caos da All'andoga confluido a oscadinlui.
TOTASSA.
Ven le-se a vcrdedciiu
lassi da hussiu a
uo increado
o superior po-
nais nuN <|ue existe
na rua da Cadeia ln lt-i ,)0uii" H"ia ,'l" l,e mc,a> le niarcenoiro
i un uj uduea UO eu-iruadogueimado, u. tO, turceiro andar.
na
giln bous denles micca grande beicos grossos,
seio pequeo; levou camisa de algodflozinfio no-
va vestido do rislado de quadros oscuros ja des-
bolados panno da Costa'usado o sem estar a-
bainhado.Koga-se as autoridades policiacs c capi-
liles do campo que o oppn liondam e levem ao;caes
da Alfandega u 5 ou cm Olinda rua do S.-ilen-
lo, n. 3.
Desappareccu, no dia l.'i do agosto da casa do
Francisco.Jos Marttns da Coso, o. preto Pedro,
quescachava alugado ao dilo senhor, nSo ha
noticia neiihun.a dclle al boje ; julge-se estar acui-
tado em alguma casa : por isso pioiui Ito-se boa pa-
ga a quem o levar BS'Ciuco-l'pntas, n*. 146.
Dlo-se 50,000 rs degialilicagilo quem pegar
uma esciova do nomo Mara do nagilo Beuguela ,
estatura regular olhos zaroiho, nariz chalo, bei-
coa grossos cor bom pela ; quamloanda puxa por
urna pona ; e isla rugida ha dous anuo : quem a
pegar leve a rua de S.-Francisco, ou Mundo-Movo ,
ii. 35.
' "*' .'' -*
-TTir
iiia: >a t.p.j.lm. r.M f*biaa ,47


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E2AP37TW7_EY1UIG INGEST_TIME 2013-04-30T22:19:44Z PACKAGE AA00011611_09730
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES