Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:09728


This item is only available as the following downloads:


Full Text
uno de 1847.

Sexta-ft ira 29
O )ARlO publica-ai loilos os dial, que nao
, ,. (.imrda o prro da asignatura he de
4,"pi> r. I'oi qtmjrll, pagos adratiladnx. Os M-
,riii dos asiignanle sii.> inseridos i rnsiio de
'''",, por linda s" is em lyi-o difiranle, as
,-li;ei p* melad*. O ','iirs' piiro 80 is por lian, e IGu em Ijpo
.^aVl-read. poeta
?| I ASES DA LA NO MEZ DE JANEIRO.
1 na cliel, a I, os I mnalo d tard.
Min"oanlc, a 0, s 4 dora e 18 min. da larde.
, o0va, 10. as II" lioras e*l min. da larde,
{rstente, i J, I l'J> ">'> < n.anhi.
PARTIDA DOS CORREIOS.
(oiannae Paraliyl, s segundss e sellas feiris.
Ri-(>rnnde-dn- Norte quintas feirns aomeio-dia.
rabo, Serinhem, Rin-Formoso, Poilo-C.lvo e
Macelo, no l., a II e Jl decada mej
Boa-Vista e Flores, a 13 e 8.
Victoria, as quinta feiras.
Olinda, lodos os dias.
PRF.AMAA DE IlOJE.
I'i'imeira, s 2 horas 51 minutos da manlu'a.
Segunda, l 8 horas c 18 minutos da larde.
de .Janeiro.
Ann XXIII.
N. S.
DI AS DA SEMANA.
JS Seaunda. S. Aumdai. And do J. do orjili ,
doJ.doc de v.edo J. M. da I v
20 Tere. S. Polycnrpo. Aud. do J. dociv. da I
v. e do I. de pat do 2 ilisl. de t.
2: Qiurta S. Vi.ali.ino. Aud do '. dociv. da
2 v e do J. de \>*i. do 2 dill. de l
38 Quii. S. Cwririo Aud do J. de orph., do
J. municipal da I Tara.
39 Seila. >. Aquilliuo. Aud. do .1. dociv. da I.
v e do J. de paz do I. disi. de t.
(0 Sabbado. S. iarlinha. Aud do J dociv. da
I. v. e do J de pal do I dist. de t.
II Domingo. S. Pedro NvlaicO.
CAMBIOS NO DA 27 DE JANEIRO.
Camino sal.reLondres20.2'/,d. p. ifr.aOOd.
a parit *to ni. por Tranco.
I/slioa 95 deprendo.
Desc. delet d. lio. lirin. i'/, l'/, l'-V. *"
OBro-O.ic.s lesnanhol......28*5110 a 2|0IH_
* Mcedxs de AfluO velh. lfOM
> a de 0/100 nov.. IfifiloO a
. .de onn..... #"o a
PrilJ-P.mcki.......... 2onn a
Peocoluinnaies... 2#on0 a
Ditos mfiieaiios ... '#'2''
Miuda........... U**"
lOflOU
9jlO
2/0?n
2/02 o
l/7tn
fiun
Acres da comp.do Heder.!* de .0/000 r. ao par.
DIARIO DE PEIUSFAMBUCO
PAUTE 0FFC1AL
Governo da provincia.
FAPEDIEMT UH 14 DO CBRENTE.
ofllcio. Aocommainlante das armas o ao com-
missario-pagador, scientificando-os do haver dispen-
sado Joo Domingues da Silva do coutralo por que
seobrigou a curar a tropa quo se aclia acampada em
Agoa-Preta.
luid. A cmara municipal do Cabo, dando-I he
faculdade para alugar urna casa na povoacao de Nos-
.sa-Senhora-do-O', onde se faQam as suas sosses e
ns dojurv, cm ctimprimenlo do artigo 1.* da lei pro-
vincial n. 152, de 30 de marco do anuo prximo pas-
sailo cm cuja execucjlo n" deve haver mais dom-
la ; a'utorisando-a a comprar os movis e quaesquer
oulros objectos de que tal casa precisar; e prevenin-
do-a deter de ser paga pela tbesouraria provincial
a despeza que com isso se fizer. -- Rccommendou-sc
ao administrador do correio a prompta reinessa des-
to ollieio; e ordenou-se-lho determinasso aos agen-
tes respectivos cohrassom e remetlessem a 8. me. ,
para ser Irnnsmitlido presidencia, recibo de qual-
querollieio cujo sobrescripto tiver a palavra r-
ytncia--.
Dito. Ao inspector interino do arsenal de mari-
nha, ordenando que foca Substituir pelo enearrega-
do do pliarol o ollicial a cujo cargo esta o registro do
porlo, nosdias em que se adiar elle oecupado na
junta qualifcadora da froguezia do SS. Sacramento
da Boa-Vista. Participou-se ao mencionado of-
licial.
Portara. Reformando Isidoro Camello Pessa
dcSiqueiraCavalcanli no posto de tenente-coronel
do2.batalhito da segunda legiflo da guarda nacio-
nal dos municipios do Brujo e Cimbres, ea Pantelefio
deSiqueira Cavalcanti Jttnior no de major do mes-
nio batallido. ~ Para substituir o primeiro dos re-
formados, foi noineado o cidadflo Candido Xavier
Pcrcira de Urito; para supprir a vaga do segundo,
mandou-sc passar patente a Joaquim de Carvalbo
Cavalcante; o communicou-so aocommandante su-
perior interino da guarda nacional do rejoeCim-
brw.
Dita. Nomeando subdelegados a Joilo de Barros
Silva e Albiiquerque e a Joaquim Jos Esleves: o
primeiro para o segunJo dislricto ilo Allinho, e o sc-
giindoparao primeiro do Bonito. l'uilicipou-se ao
fbefcde polica.
DEM DO DA 15.
Oflicio. Ao cnsul dos Kstados-llnidos, declaran-
do que, lia forma das orden* do governo imperial, o
Sr. W. A. Davis que S. S. lia nomeado parasubslitui-
lo, emeonsequencia de se adiar summaments mo-
lesto, nl podera sercer funccOe consulares sem
que aprsente benrplacito do mesmo governo.
Dito. > Ao agente da coinpanhia das barcas do va-
por, ordenando em consequencia de rcquisico fio
commandaute das armas, que na barca qun esta a
ebegar doSul mande dar passagem para o Parean
a."tencnte do 3." balalbio dearlilbaria a pe, Ber-
nardo Percrado Carmo. -- Communicou-so ao com-
niandanto das armas. ,. .
Portara. Demillindo Tbeolonio Jos dehreilas
.lo cargo de segundo stipplenlo do delegado do ter-
mo do Bonito. Nonieoii-se Marlinlio de Mello c Al-
buuuerque pora esle cargo; Joaquim Jos Esleves
l ara 0 de quinto supplente, e Antonio Francisco Tor-
res Caiindo para odoscxtC: e |.arlicipou-se ao chele
depolicia, cuja proposta deu lugar a essas nomea-
c,0es e demissOes.
suscitado mu grave desintelligcncia entre SS. MM.;
a qual compelleria a rainha ex-regente a voltar para
a Franca. Pare.ce mais que o fallado rapprochement
e a projectada reconcilia^no da rainha com o partido
progressista, eratn bem fundados: projecto quo
sefosse levado a effeito, diz urna corresponden-
cia do Pars ao rime, entre oulros resultados, feri-
na de morte os designios do conde de Montemo-
lin. .
As noticias da Italia recebidas pola imprensa pa-
risiense nHo eram satisfactorias. Parece quo o papa
ia proseguindo na suacarreira liberal mais rpida-
mente do quo agradava s potencias absolutas.
Daquioeoncelhodo re Luiz Pbilippe, levado a Sua
Santidadc por intermedio de M. Rossi (ministro
l'ranct'Z na corto de Boma), de proceder com cau-
tela, talvez tenha chegado muito tarde; porm no
actual oslado do espirito publico na Europa, o papa
Po X pouco tem a receiar da desapprovacilo da
Austria. A correspondencia do 7'i'm recebida de
Bologna confirma plenamente as apprel.ensoes sug-
geridas pelas noticias recebidas pelos jomaos de
Paris.
Cartas desta curte continham longos pormenores
dos actos do bey de Tunes, e da extraordinaria com-
placencia de S. M. o rei dos Franceses para com elle.
Comttido, dzia-se ser o bey bomem lino o sagaz,
muito capaz de competir em" intriga e designio com
qualquer amigo ou adversario. Elle no recusa a
Ilimitada hospitalidade do sen Ilustre hospedei-
FXTRACTO DE JORNAl-S FBANCEZES
i; INGLESES
Os jornses de Pars, recebidos em" Londres, ebe-
travam a 1* de dezembro ultimo. .
Os do dial.* oceupavam-se na parle commerc.al
oote adin.inuic.ao no preco do trigo cm mu os dos.
merrados ao norte da Franca, e con. a grand.ssima
sTn^m de imnortacnodellequeja bavia ido lugar
para cobrira .elicencia da m^SiLtlo Cra-
Na nartc poltica refei-lam-se a confi^cacno de tr.i-
coviaPcon mesma i.ulignaqno, ccitavam passa-
Bens ds foll.as aliemos, as quaes *"XTrZV
Bove.no franco/ fflni ha muito ii.ro.niadoda icsolu-
? o das potencias do Norte de ,uppnurt,n a re,mb ,-
i. de Cracovia, uto d'aqudU-s jornacs lereriam-
de novo aos males resultantes da n err,jp6od.
boa inlelligencia que havia existido entre rrniici c
i" gateira por um motivo nao nacional mas de
f.m.lia- circos primeiro dos quaes males collo-
Sm este ac.o da Austria. Sabia-sc de outr. on-
e art u-olica que mullos dosgovernos 11""^?"-
rei*ba... serios receos" de que as tres po ene as,
mi ejercicio da sua vonta.le, annullasscui ou red -
y,sscm a nada todas as disposicOes do tratadoi de
S pelas q'" *w <* ^ '
.. raasuuacsse firmavam os seus ttulos.
WoVnScsopi'Osicionlstas de Pars eensuravam
comoSna, e inleiramcntc anti-liberal a pohuea
da m vrcna ninisle-i! en. procurar azer pessoal-
nLrBta VeaPOTsavel lord Palmerslon pelo seo proto.-
Su raPo casamento Moolpensier, o qual, se
lord Abcrdeen honvesse cont.nuado no poder, te-
Sesle sido igualmente prompto em f.zer, ao n.e-
n.esgaUlfa.adas ftW* U^fl
~ hospitalidade do son Ilustre hosf
ro, diz o correspondente do Time$, mas be pro
fuso na sua despeza em actos do caridade e bene
volencia do modo que anda de conlas saldadas
Al aquella data pouca communicacilo linlia bavid
entre o Ilustre bospedeiroe o sou distincto hospe
de; ejulgava-se possivel que afinal nilolivessea visi
ta as consequeneias nem produzisse as vanlagens
polticas, com que se dizia haver contado o reidos
Fianeczes. .
OSWetraza um artigo com a ep.grapbe Em
baracos da Austria, no qual depois de observa
que o imperio d'Austria be um edificio inleiramen
te diplomtico, composto de tres reinos disididos
alm dos estados heredilai ios, accrescenlava que vio
lados os tratados dlanilo lera maisdircitoaubed.
enca das populacoes; que por consegunle ella ten.
muito interesso na manuteucno dos tratados,: mas
que ueste caso uno esta a liussia, cujo Itteresse he
deslruicilo da Austria. .
Depois referia-se o Sicle a um artigo da Gaietle de
Coloane, em quo se dizia que quando os plenipoten-
ciarios das tres polencias seajuntaram para decidn
sobro as medidas que se deviam adoptar em conse-
quencia das ultimas desordena, comecou a Rusto
porpropra supprcssnodo territorio deCracovia,
ao que os oulros plenipotenciarios objceUrar.com
os artigo 6." o 9." do tratado de\ icnna. Dse ando
a Bussia aniquilar lodosos vestigios do remo d Po-
lonia, insisti, cmquanto as oulras duas potencias
propozeram unirem-se em conferencia com osic-
presenlanles de todas aquellas que "ssigiiaran
[.alado do Vienn. A Cavile de Lologne di/ia que
Kftorava que meiosadoptou a Bussia para vencers
obieccOcsda Austiiae Prussia ; mas que o acco.do
a que chegarain as tres potencias a 3 de ma.o ue to-
marem possede Cracovia, foi finalmente concluido
a 6 de novembro. Trocaram-sc immedialamenli.
as estipulacoes, e comecou-se a levar a elleio
projecto; leudo a Bussia declarado que estova
prompta a lomar posse do territorio pera si, alim t
vencer assm a besilacilo que mostrava a Austria.
Mas a Cracovia fornece urna bella occasiflo para res-
labeleccr-se a boa ii.lelligencia entre a rranca c
a Inglaterra. Sobre isto observa o .We que n.1o
be dillicil de conjeclurar-sc, quaes foram osmcios
emnrcaados pela llussin para decidir n Austria. A
Bussia; ameacadra no Danubio, fcilmente podcr:
so-ha tornar tal na lala, prestando apo.o ao re.
Carlos Alberto, e poralgumas concessOes rcitas ao
papa, quo augmenlem a Torca moral que elle pos-
SII4* a
No da 2abriram-se osfundos na bolsa de Pars
com muita firmeza. Tendo as conferencias do con-
de de Montemolin com lord Palmerslon ocasiona-
do observacno, e tendo se fe.lo grandes vendas de
aoDcos, bouve urna ^accHo mu.lo co^,,orve
Collige-se dos jornacs de Pars de 8 de de/tm o
que a ma conlinu.vain en. varias partes. d^Frjnca
jesordeus provenientes da cscassez cxiatcnle iui tt
mida eaue a continua penuria das elasses medias
l" iTior c Piovava pelo continuo retirar das ca.-
xus econmicas As sommas retiradas das ca.ws
conomic"" de Paris na semana oue findou a c-
ni-Mlo ile Ciacov a, publicada na ha-Mu 2U1p oue deS der perreilo conhecimnlo os mi-
r.2uordods..,e6OCoseslPrangeiros em Londres e Pa-
' 'Sv F-nosiM diz -uuc a resposta do gabinete francez
Antes que so livossem passado lies mezes, tonam
os liomcns vres das montanhas provocado um cas-
ligo quo mu bem merecen aquellos que nao se sa-
lisfazcm com o bem estar, que do faeto abusan) de
um bem quo gozam a um ponto uaO couhecido
n'outra parto da Europa.
0 Noniteur publica u.na ordenanza real perm.tt.n-
do a mportacao, para consumo interno, do toda a
especie de grito o farinha procedente da America,
quer a bordo do navios francezos, qur do reino
britannico, at ulterior noticia. Esta ordenanza
era urna modi(cac,ao do tratado de commercio con-
cluido com a Orao-llrctanha a 26 de Janeiro de I8M,
polo qual a producQilo da Asia, frica ou America
s podia ser importada cm Franca em cascos britan-
nico para exportaco.
0 mesmo jornal olTicial dizia, que os depsitos
recebidos as caixas econmicas de Pafis a 6 e 7
monlavam a 653,783 fr.; ao pasto que os retirados
nos niesmos dias monlavam a 1,04,867fr. 80c.
As roldas de Paris, de 9, occupayam-s3 mu cx-
tensamenle com tres questocs de respectiva impor-
tancia ; as quaes cram a conriscac.no do Cracovia ;
a cscassez de grfio e do familia; e as dilbculdadcs
do banco de Franca, provenientes principalmente
das immensas sommas pagas por trigo eslrangeiro
para obviar a deficiencia da ultima colhe.ta.
0 primeiro .lestes assumplos derivara addic.o-
nal interesse da didulgada morte do principe Met-
ternich, se v.esso a ser confirmada. A sullic.encia
do deposito de trigo c farinha para manter-se o psll,
atq.ie comece acolheitade 18*7, era negada em
todas as communicacOes do 7iim. Dizia-se que as
dilliculdades do banco seriam superadas pela emis-
i. sl de urna porcHo de notas do governo.
Os jornaes franeczes do 10 nao conbrmavam o boa-
to da mudanca de ministerio na llespanha, masa
impressao geral era que a retirada do ministerio
Istnriz era inevitavcl. Cartas de Bayonua continua'
van. a referir-se aos actos de pequeos bandos car-
listas lias provincias Vascongadas, e as manobras
de Cabrera e dos seus partidistas ; mas parece pie
se cria ceralmcnte, como no caso da Suissa, qui^o
1 grande movimenlo do partido revolucionario nao
. torio lugar al a primavera. #
Dcixando por um momento de parle S poltica ex-
lerna, trazia o Journal dn Vhan um loilgo artigo
sobre a lar.ra franceza, n qual tenda a fndicar que
se proporiam alguns melhoranu,... Uu f -
nroxn a sessao das cmaros. Comecava por passar
cm rsenha o svstema prolector cm rjranfa desde a
si cao no auno de 1664, por Colbert, oaual
?oi, i mneiro que impoz um dirc.to sobre a produc.
cno es angeira para o fim de proteger o manufaclor
e nunca estabeleccu prohibicuo aobie arli0o aigum
^o'^^rolSf^d^dS^asde
MTsVird.ffl.Jdln^ mencionan, fac. no-
lilfcos de ^r de monta J mas veem chc.as de mate-
uticos iicgr.mii. > correapondenoia
Z',%b .S obr. I.ril. co,n,c,ri.l, q.
KSSssvn?fia
o assumplo en. considerado, com a mira n urna mo-
dilicacflo dos direlos existentes.
goeio ecommerrio de Franca noanno de 1846, suo
os principacs tpicos referidos nos jornaes de Paris,
do 14. Todava, a hesre eonlm um hbil artigo so-
bro as consequeneias da supprcssilo de Cracovia,
as quaes o oscriptor predi/ que sero desastrosas
para a Europa.
At o ponto que setinha averiguado, nenliuma
servava, que nao ,A..>_ .Br.ln
l5t: poTcert^-que as cmaras nao screu-
ni han a des'do da 11 de Janeiro. O n.ez de ..,-
era o tlvei augmentasse grandemen c a monta e
Importancia dos negocios sobre que ellas lerflo de
lnkPn$U aununciava a partida do bey de Tunes,
para 15, de Paris para a sua capital, liavendo S Exc.
evogodo a ordem para a sua projectada visita a
^As'foli.as do Paris, de 13 de dezombro, oceupa-
vam-se muito com as elcqocs mgnicipaes quo come-
raram naquelle da; e continham a respeto da es-
cassea do grao, existente c anda temida, noticias
que suggcriam mu tristes previses.
4 O lempo em Paris, por toda a semana que findou
naquelle mesmo da. foi summamente desagradave
-ora de nevociro, ora de nev, era de geada A 12
cabio urna geada aguda, que continuou no da sc-
tiinte. Immensos bandos d'avcsaquat.cas, v.ndos
lo Norte, passaram sobre a capital de Franca nos
Jias 11 e 12 ; indicio que se reputava ser da appro-
dmacilo de urna cslac.no rigorosa, lia mu.los anuos
quo nao linha cabido em Franca tanta nevo logo no
principio do invern como ..osle ultimo; mas anda
nflo linda sido acompanhada ou seguida de fro in-
le0/;r6a/i diz queademorahavidanachegadade
mu las das mala de Allemanba o Belg.ca era devida
a a ande queda de nev, e n.uilas vezes eram trans-
portadas ^elos campos por ser caminho mais se-
67com,nerce ^J^^^^^Z
9, a
vantagem muito scnsivel lera sido ganda por um ou
outro partido naeleicOe muncipaes metropolita-
nas. Comttido, suslentava a oppoiclo que linda
toda a rasilo para eslar satisfeila com os resultadoS|
I macarla particular de Bologna, Italia, de 2.' -
novembro, dizia que na tarde anterior occorrer-
quella cidade um tumulto que ameacava grave
sequencias. A 93 repreaentou-se urna pcc:uao*f no
lliealro de Bologna intitulada Cdristiano VIH, re .le
Dinamarca. Muitas passagensda peca quo alludiam
oreprovavain a inlervencilo eslraiigeira, foram es
troiidosamcnte applandidas. No diasoguinte loi re-
inada a peca pola auloridado. Porm a abrir-se o
ti.cairo, encheu-seaoasH de urna plebe turbulenta,
qiieconiceou por arrancar os nances c destruir os
lormososespell.os o lustres do lliealro. Quando es-
lava completa a obra ila ileslruicili), relirou-so ella,
antes que livesse lempo de chegar nina frca militar
que se linda mandado vir. .
Saba-so por cartas de Boma, que dopos da visita
feila pelo papa a abbadessa de Minsk, no convento
en. que ella acdou relugio, S.Sautidade dera-lde
urna audiencia de tres quartos do dora, o 4 de no-
vembro ultimo. Esta entrevista do diere da groja
romana com esta perseguida testemunlia da sua le,
constava bavciea. sido concedidas por Pi IX com o
designio expresso de tirar toda a duvnla, emquanto
i sua Crencs da historia della.
Oulras carias particulares do Boma, de .' de de-
zembro, aununciavain a conduto das d.ssidcncias
que exisliam entre o governo da llespanha e a santa
S. Accrescenlava-se que monsignorMarir.i, actual
govemador de Roma, lora nomeado pelo papa, como
prelado que de, para ir a Madrid na qualidade viado extraordinario da borle de Boma, f '"ratone
igualmente as segulnte nomeaijoes: ino"^" '
Manui ia ser substituido no lugar d^govOTnador O
Roma por monsignor C.rasscll.m, delegad, em A
cotia, que dovia de ser sticceldo por mon giuir \i
tonele. Fallava se na revocac.Ho do cardeal VanlPel-
li, legado da provincia ^^fo P0mpolo dos
a-nTfgCo^^ete^''.,oM",.oadoa no lempo de ..rogo-
rio XVI, cncerrou a sua sessiTo amiual. Iinham-su
dirigido a Roma varias rcpresenlHCoes, das quaes a
mais importante era a da formacto de um conce ho
de estad., permanentemente cstabe ocio em Jlo-
, nposlo de dmeos i Ilustrados, exper.c.i-
es, o bem versados nos negocios das provincias em
gu carta de Berlim, de 2, dizia que o protesto do
lord Palmerslon contra a incorporar,;) do Cracovia
a monarchia austraca, enriado ao pMMUede
Vienna c S.-Petersbugo, era redigido cm lermo.s
mu moderados, e nao de lal naturc/a que ndlKSO
o temor doum romplmento. Pergunta-se agora o
que fara Franca, obligada a r**^K
negocio!' lreveem-se os melhores resultados da in
tervencao diplomtica da Bussia em favor do com-
mercici continuado cutre a Silesia c_Cracovia.
Urlas purticulares de Coiislanlmopla, do 27 novtinbro aununciava... que Tadir Pac,.., govema-
dor de Mossoul, davia derrotado os rebeldes de
Kurdslan. Ocdolcra linda inlcli/.inente opparcc.do
em Mossoul; mas a morulidadc n|lo era flnli.
Carlas de Smvrna da mesma data diz.am que a 17
linda o logo destruido em Salnica 860 casas, pela
qual calamidad foram redunda a iiid.genc.a 1...00
Cartoa particulares de Atl.enos, do 30 dizian, que
M Colletl. anda contiuuava gravemonto enermo.
Con ludo liuha-se publicado por ordem do governo
un. bolelim .signado por seis medico, annuncan-
do que elle eslava livro do pengo.
jfirtVaa. 3 de dtumbro. O principo real da suena
foi a llamburgo, tendo primeiranienlo obt.de-do
principe Carlos e da princeza Luiza a promessa final
de conceder-lhe a ...3o da princeza. S. A. K>i e
Wei.nar fallar ao re ha u.na semana, e imme.liata
S.rooVe do S. M. a approvaSno do u projecto-
do casamento, 'todava, a no.va esta Uto 0"g
havor restabeloc.do da sua enfermidade cm Cenoy ,
ue o rei mandn ltimamente osen propr.o.medi-
co econcelhciro privado, Crim.n, aquella c dale,
[omarTarlo as consultas dos mdicos ass.sten.es
deS. A. B.
i
INTEKIOR.
BI0-CBANDF-D0-N01ITE.
N 108 Hlm. t*w- r- !Ncin T" s0 |)a,UVra
aur amis linha cu ouvido fsse de quem quer que
?He obre a pretendida trate occurrenc.a que, por
nformacr,es e'xl.a-ollioiaes, edegou ao a lo condec -
ment do governo imperial, conforme IotV.ExC. ser-
Zo'communicar-me, de ordem des. M O Impera-
dor na primeira parte do aviso que, no .domez
roximo pretrito, me dirigi V. F.xc. h****-
temenle nfto podia cu, anda quando ella dou>csse
sido real, te-la participado, por so que AMtn
possivel dar parte d aquillo de que nunca Uve a ma s
mnima ciencia, nem particular, quanlo mais ol-
?tregar despachos aos agentes consulares ran-
SSad? SX f^ed':g"uipr.t.d: i A^e.ei.Oes municip.es de Par,, e o estado do c-
,erVava que. ur.-..;- v--scaul0e9;i-lX VS^^^''^ W" ^^ tnn'
s, por ser impossivel moral, twiw nes a peque-
a cidade, onde de ludo se sabe, le muitaavei.es
do que menos importa, ou nao importa nada, que a
ser vordade, nao livesse olicgado ao nieu conneci-
inenlo a noticia de um crimo, ou ante* de una se*


i
quencia decrimes tfloatrozes, tflo nefandos, como
sem duvida sflo assassinar um liomem, reduzir es-
tado de cegueira a sua consorlu, e arrancar-l.hc os li-
llios para serem vendidos romo esrravos; todava
cin desempenho das res pe i lavo i s ordens que me To-
ra m por V Exc. transmitidas, exped mmediata-
Vniontc o ofllco por copia incluso, sob n. 1, ao chefe
^dc polica interino, o qual respondeu pelo modoqnu
/consta do seu olllco original n a, instruido com a
/ertidflo a ella annexa. De ambas estas pegas lera
V. Exc. a bondade de ver, nflo s que pela reparti-
do da polica igualmente nada jamis constou cer-
ra do objeclo em quesillo, embora se tivcssem alli
constantemente recebido participaeoes de lodosos
acontecimentos, ninda os menos notaveis Qccojridoa
na provincia, senflo tambem que lia milito poneos
das, c so talvez depois da chegada do vapor, porta-
dor do aviso que respondo, foi que prncipou a cor-
rer tal boato, que por infundado ningnem prestou
attoiico. Ochcfo de polica ptimamente o qualifi-
:n que pessoas despaj-
os setia contrarios.
^
caum desgracado manejo
ladasjulgain poder desforrar***
Com estas diligencias poda eu dar por salislila a
dcterminacfln imperial, mus assim mo moeonson-
tio o zelo epin que goslo de desempenliar os mcus
leveres, e por sso ao mesmo lempo que me dirig
aopredit' magistrado, ordenei tambem sos dele-
vados de toda a provincia, e a diversas unirs auto-
ridades que mo declarassem o que Mies liouvcsso
constado no locante o referido attentado. As res-
piislas que al esta dala tenho recebido constam dos
olbcios originaes sob ns. 3, 4, 5, 6, 7 e 8 que sao em
tudo conformes com o quo geralmcnte lenhoouvi-
do de innumeraveis pessoas i quein tenbo particu-
larmente inquerido l'rosegundo anda as minlias
avcriguacocs pude descobrir que a un prcto de li-
me Jos Solero, caixero de una tasca desta cidade,
1 111 vira a mulber ilc um 'cabo deesquadra de linha
destacado em Macan, em que dizia que alli encon-
t rara cega, e no ultimo estado de miseria, uma mu-
llier quefOia criada em casa do mesmo Jos Soloro,
porque no poil-tcriplum dessa carta que pude ob-
ter, eque inclusa remello a V. Exc., era Chamado
assassiuo o marido dessa infeliz, sem duvida pelo
mal que a tralava, desta circunstancia, um dosca-
bccilhas daanarebia ealeivosa faccflozinha chama-
da Norlisla, tuinou motivo para conipor o romance
que leve a ousadia de levar a presenca do governo
imperial. V. Exc. a vista da mencionada carta, c do
interrogatorio feito a infeliz cega que aqu cheg
Compra. Secretaria da polica do Rio-Crandc-do-
Norte, 28dedazembrodo 1846. tirito.
Em cumprimento da portara,supra do Sr. Dr.
chelede poria interino, francisco Xavier i>ereira
de Rnto, certifico que, revendo toda a corresponden-
cia havida entre as autoridades policiaes desta pro-
vincia e a secretaria da polica, della nada consta a
respeitodoque trata a mesma portara.
Secretaria da polica do Rio-Crande-do-Norte,
em39dodezembr amanuense da polica, Carlosjoaquim Pinheiro dtVas-
cnctlos. --Conforme.--O secretario da presiden-
cia, Jo *o Carlos Wanderley.

Sr. Jos Su tero. Macau, 1* de outubro de
~1~.. ole l'"m uue vou constar: andando
na ra de Macau, cnconlroi com uma cega, fallando
en com ella, responden-meque era do Rio-Grande,
lilha de Vicente Tabajarra, de nomo Micaeila, que ca-
sou com Manoel Franco: neslaoccasflo a minha mu-
llicr pegou a chorar, e a dita coga igualmente com
ella, porque conbeceu e vio desgraca, em que
eslava a dita cega; lembrando-se da creaeflo que
ella leve, e o estado em que est parada, tambem
lembrou-se, que tem urna ni ha casada; Senbora An-
ninlia, nao vejo a dita cega que nflo chore; Joaquim
promelteu-llie que havera fallar com o subdelegado
parafazcraosmola de bota-lana cidade, tendo oc-
casiflo de canoa; desde o dia que nos encontremos
pente dos preparativos para a qualificaeflo; este fez
ns convocares dos eleitores e dos supplenles, e re-
ceben osfllislamcnlos paiTiaesdosqua'ic.idds: as
vesperas do dia 17, designado para a reuniSo oleito-
fal, restituido ao districlo o prmeiro supplcnle do
juiz de paz impedido, eque liemais votado que o
segundo que eslava em exercicio, offlco aquello
esto que, assumindo o exerciciodo juizado, houvcsse
de passaivlhe todos os-papeis concernonles a quali-
ficaeflo, a cujos trabalhos ia elle presidir na forma da
le, como mais volado : recusou-se, porm, olb'cial-
mente o segundo supplente a casa exigencia. Anda
apresentou-seoormeiro suDolente aue lie tambem
posse e prc-
jpresentou-seo prmeiro supplente que
Rleilor na reuniito de 17, insislndo pela .
sidencia da junta; mas o segundo supplente, enlen- 320
deudo ser o competente por ter sido o individuo que "
fez a convoca$o, continuoua presidir junta e a di-
rigir todo o acto da qualificaeflo, (cando preterido o
prmeiro supplente.
Dispondo o artigo 2.' da referida le que seja pre-
nidenleda junta qualficariora o juiz depaz mais vo-
tado do districlo da matriz, esteja elle ou nao em
exorcicio, sogue-se que infringida foi esta disposi-
Cflo, quando presidio aquella junta o segundo sup-
plente monos votado qtio o prmeiro.
Nflo pode prevalecer a inlelligencia forjada do
artigo lio da mosma lei que o segundo supplente
tronce em apoo da sua presidencia. Esle arligo, pre-
s venindo ocaso do eleicoes de juiz do paz para um
legara
no dia 12, eque no mesmo dia llz interrogar pelo
chore interino de polica, avahar do carctere dos
ni-
os
es
seniinienlos do autor das nformacOos cima
dieadas.
A proporc,*io que Mr recehendo as resposlas dosde-
mais delegados que fallain, i-las-bei pnssando as nif
de^V. Exc, a quein posso issegurar (|iic, se os cri:r
suincut"existentes na mente dos inimigos desloaos
da minha administrarlo, c de tdasas mais que tem
tido cha de ter a provincia, ou outros alguns dbe-
los houverem de ser commettidos cebegarem ao nieu
conhecimento, darei infallivclmente todas as provi-
dencias ao met alcance, alim de quesejam osseus
autores processados, presos o punidos segundo as
leis, pois assim o tenho feito al boje sem que do
desompciiho desta ohrgacflo que sempro uvee te-
nho por uma das mais i i n porta ules da presidencia,
me lenham desviado, ou me hajam de desviar, com o
favor de Dos, respetos alguns bullanos, osquacs
me tenho acoslumadodesde inuito a desprezar, quan-
do ae trata de cumprinenlo dedever, cuja religiflo
./i,T,?"^ilor1,,; ',0Jt! invariavclmento seguido em to-
tcuar '"" ri''"' l""i'"'">ca, coinopar-
Quanto a segunda parlo do aviso, em que V. Exc.
exige informacoes acerca do estado em que se acha
o processo organisado por ordeni minha contra os
limaosCuaras e outros em virtudc de outro facto
aqu occomdo anteriormente, e a cujo respeito cstmi
persuadido que liz quanto se poda fazer por bem da
Mstica, como consta das pecas ofhciaes quetivea
liorna do enderecar a V. Exc., respondo com a corli-
nao sob n. 9, e com a correspondencia oncal, do n.
10 a n. 15, havida entre a presidencia eo chefe de po-
lica, para cffeito de ser preso o principal reo.
Rogo a V. Exc. que tenha a bondade do fazer pre-
sento S. M. o Imperador todo o expendido, eque
ouiro sim, dignc-se V. Exc. de mandar que tenha pu-
senhora Anninlia, nunca pensci que tal acoitccesse
navcrscmelhanlo encontr; tem lOllhos, mas (ca-
ra m com o ladrao do assassino que ellos tambem ha-
dem aprenderem a vida delle; aqui Hco noste Macau
para o que fr de seu servico. Joaquim das Chayas
Uarmita ... Conforme. O secretario da presi-
dencia, Judo Carlos Wanderley. n
Aos 12 dias do inez de Janeiro de 1847, na secre-
taria da polica do Rio-Grande-do-Norte, onde se a-
ohlva o Sr.I)r. Francisco de Souza Rbeiro Dantas,
enere de polica interino da provincia, commigo a-
manuense no dimite declarado, ahi peranto as leslc-
muiihas abaixo assignadas. comparecen Michaella
Mana ,1a Coneecao, chegada boje ao meio-da nesta
culade do Natal, da povoacflo de Macau, qual Tez o
dito chele de polica o interrogatorio da nianera se-
guinle. IViguntou s era verdadeiro o boato que
por aqu se assoalhava de ter o marido della interro-
gada sido assassinado, ella reduzida ao estado de ce-
gueira, eseusfilhos arrebatados para serem vendi-
dos como cscravos? Responden que era interameii-
ilso osle boato; porquanto seu marido existia
- ................'que teniia [ni
i'licidade nagazeta oflicial nao smenlo este OHcio.
como todos os documentos que o acompaiiham; alii
le que quem tiver ldo o aviso imperial em que d
nlgum modo fui censurado por nflo ter dudo parte d
imaginario successo a que elle se refere, colillera a
verdade e me poss fazer a justlca que me parece me-
recer, e que por certo o governo Imperial me nao ne-
gar.
Dos guarde a V. Exc Palacio do Itio-Crande-do-
orle 1.1 de Janeiro, de 1847. lllin. e Exni. Sr. con-
eelbeiro Jos Joaquim Fernandes Torres, ministro e
secretario d'cstado dos negocios da justica, .'ai-
tniro Josf de Uvraes Sarniento.
em compaiihia de seus lilhos no lugar Ccnipapeiro
lo termo da cidade do Ass, desta provincia; c quo
ella se linha ausentado de seu marido pelo ma Ira-
lamento quoelle Ihe dava em sua companhia; e por
cstalorma houve o dito chore de polica o presente
interrogatorio por findo, no qual assignou : e porque
a interrogada nao sabia ler, ncui escrever, a seu ro-
vo assignou Thomaz Jos de Aquino, o eu Carlos Joa-
quim Pinheiro de Vasconcellos amanuense da poli-
ca o escrevi. Danto*. Thomaz Jos* de Aquino
urtica Jos da Sitca. Joaquim Franci.co Lau-
olta llrala. lunoel Lmrenco l'ereira. Est con-
lorme. O amanuense da polica, Carlos Joaquim de
rasconceltu*. Confu -mo. Oaoorotai-io d Pho9
denca, Jodo Carlos Wanderley.
O escrivfio do crime, Manoel Mauricio Correia de
Souza informe ao pe desta, com urgencia e circuns-
tanciadamente cm que estado se acha o processo
|ue se organisou pelo facto de reduzir a csravidao
a preta ingenua ibel e suasquatro lilhas, contra os
irmaosGuaras c outros. Gumpra-o Cidade
do Natal 9dejane.ro de m~.-francisco de SouTa
ttbtiro Dantas.
JL!"'"\Sr dou'orJu<: reHo. Em 18 de no-
\cmhro do anuo lindo foi ordenada a remessa do
processo, deque V. 8. faz meneflo na portara supra
e logo que o receb, ordenaram-se as diligencias ncl
O artigo 110 que nflo pderovogaroarlgo 2., Iflo
explcito e terminanto como he na dosignaclo do
presidento da junta, eque nflo revogou as leis e a
pratca que regulam os subslituicOcs do emprego de
juiz, eque deve estar em harmona com o mesmo ar-
tigo 2., ministra no ultimo periodo delle a sua con-
cilaQiIocomo2.0 E se o legislador quizesse que o
individuo physicoou material que houvessc feito a
convocado sempro presidisse a junta com preter-
alo de outro mais votado pela mesma elei?flo, mas
que nflo fez a convocaeflo, c que se aprsenla em
exercicio depois della, dira : -- embora se aprsente
em exercicio outro individuo mais votado pela mes-
ma eleicflo --; entretanto no ultimo periodo do arli-
go que he como explicativo da sua primeira parte,
se le : -- embora entre em exercicio juiz de paz dado
para um novoquatriennoo que corresponde exac-
tamente a este raciocinio, que embora entro em
exercicio juiz de paz por uma nova eleicflo, antes ou
no progresso da qualificaeflo, este nflo presidir a
junta, esora sempre presidente della o juiz de paz
dado por eleicflo geral.
Portanlo, Sis. Redactores, o emquanto se espera
do governo imperial a solueflo de tal queslflo que me
dizem ter sido levada ao respectivo ministro pelos
eleitores desta freguezia, ou mo apresso tambem em
leya-la ao publico por intermedio da sua bem con-
ceituada olba; e em breve tornarei, palcnteando
lacios bem desairosos a maioria da junta, suas ter-
giversaees, injuslioas c mesquinhascavilaces, ca-
minhando rritamente sob a presidencia de um di-
rector incompetente, e que de mais tem aos ouvdos
um espirito assomado.
Com a insereno deslas linhas muilo obrigarflo
Vms. ao seu constante letor
O observador.
328
329
330 u
331
332 t
333 .
334 a
33.-
Alandegn.
RENDIMENT0D0DIA28. .
18:562,995
N. 313 Illm. e Exm. Sr. Respondendo ao
olhciode V. Exc, datado a 25 do corrento mez, lenhoa
signihcara \. Exc, que a respeito do facto nelle men-
cionado nada consta por esla seciciara, como mos-
tra a certidflo junta: devodizera V. Exc. que tenho
continuadamente recebido particpales de todos os
acontecimentos havdos na provincia; mas nenbum
so delegado, ou subdelegado me Tez meneflo do se-
melhante casu, o que meinduz a ciera sua falsidade
porquanto, tendo en recebido communicac/io do re-
los leves, por certo nflo escapara as autoridades po-
liciaca o mencionar esle de lauta monta por sua bar-
liandade: e quanto a segunda parte do citado ollico
posso asseverar a V. Exc que ha muitos poucos das,'
talvez depois da chegada do vapor, he que. se tem
vulgarisado um boato a semclhanlc respeito, o qual
nao passa de ditos infundados quo por seo nilo leem
merecido a menor allencflo de pessoa alguina, sen-
do quede mais a mais nflo ha quem ignore que esla
balda he niha do espirito de partido, e um dosgra-
cado manejo com que pessoas despeiladas julgain
poder desforrar-se de seus contrarios.
Dos guarde a V. Kx. Secretaria de polica do
Kio-Orandc-do-fVortc, em 29 de dezembro de 186
--Illm. e Exm. Sr. I)r. Casimiro Jos de Morajea Sar-
niento, presidente desta provincia. francisco Xa-
JroviS "' ChCfe f01* i,,lcri"'i
. Oamanuense da socrelaria da polica desta pro-
Miicia, revendo a correspondencia havida entre a-
autoridades policiaca dos dilTerentes tormos e ds-
li irlos da provincia e esta secretaria, cei tiuque a,
pe desta so della consta .que ooialguoi ponto dest,
provincia, ha seis, ou oito mezes a esta parte, fra as-
sassinado um individuo livre, reduzida sua dcaara-
;ada mulher ao estado de cegueira, e arrebatadas
seus lillios, para serem vendidos como escravos
,io '" 'loUtor Pmolor public appello
den,a .tisiio para osuperior tribunal da relaeflo do
11 s rielo. Quanto aos reos Andr Coelho, Joflo de
G0 o |. ranc.sco Comes dos Santos Guar pronun-
c idos peto mesmo delicio nflo leen, clles sido ac-
n "I' n.' ES w\nnm au8entos e,n '"Sar nflo sabido
sauossaovolumosos, por sso' ainda nflo pude
e nos osS'v" "" "PPe,lflo- leporto-mo aoa
r ^iV|,0IS' mandar o que for de
justica. Nata 9 de Janeiro de 1847. 0 cscrivflo
dojury.Af.mW Mam-icio Correia de Souxa Es
KaZerty- "T"*" d gdVCr" J
DESCAIIREOAM I10J8 29.
BrigueMaseppa -bacalho.
BrigueCoura -cimento.
Brigue Conceifdo-de-M aria -mercadorias.
Galera Seranhinaidcm.
Brigue C mPhTACAO',
Maseppa, brigue nglcz, viudo de S,-Joflo, entrado
nocorronle mez, consignado a l.atham & Hibbert
manilestou o seguinte :
ao; aos consignatario!
entrado
Schramm
2070 barricas bucalhao; aos" consignatarios.
(Jonsulado.
300 (i Moreira Marques.
307 Bernardino do Vasconcellos.
308 u Cavalcanli do Albufj'.terquc c Mello. -
309 Mara de Albuquorque e Oliveira.
310 Fernandes da Cruz.
311 Xavier Ribeiro de Andrade.
312 Francisco Regs Oiiintcllii.
313 n Ignacio do Reg.
314 Francisco Baslos.
315 (i Anastaco Dias.
31 (i i> Tiicodoroda Cruz.
317 dos San los Mimes Lima.
318 Rodrigues de Miranda. .
319 ii Manoel de Sequeira.
Podro Pessoa de Mello.
321 k Evangelista Nery da Fonseca.
339 > Manoel do Castro.
323 Dr. Joflo Ferrera da Silva.
324 Dr. Joaquim Jos da Fonseca.
325 Joaquim Marinho Cavalcanli de Albnqiierqun.
32fi Dr. Joaquim de Aquino Fonseca.
327 Joaquim Candido Terreirs.
Claudio Monteiro.
l.uz do Mello Carioca.
Flix sellado.
Jos de Miranda Jnior.
Fvrrcira da Rocha.
Teixeira Pexoto.
Jos da Silva Castro.
deAbreu Jnior.
336 Ignacio Francisco Pereirada Silva.
337 a Manoel Viegas.
338 liento de l.aiola.
339 Francisco Marti ns.
340 Dr. Ignacio .Nery da Fonseca.
341 Major Justino l'rera de Fariu.
342 Jeronymo Cesar Marinho Falciio.
343 Jacomc Gerardo Mara l.umachi de Mello.
344 Januario Alexnudrino llabellu da Silva Caneca.
345 Jeronymo Pcrcira de Moaes Porlella,
346 Justino M. Correia de Mello.
347 Coronel Jos do Barros Falciio.
348 Capitflo Jos Monteiro de Andrade Malvinas.
349 Francisco Pires.
310 Joflo Jos Lopes Jnior.
351 Jos Joaquim Xavier Sobreira.
35i Joflo Goncalvesda Silva.
353 Tenente-coroncl Joflo de Pinlio Borge*.
354 Jos Ignacio de Mouta.
355 Joaquim Alfonso Ferreirn.
356 JosBarhoza de Miranda Santiago.
357 Joaquim Jos da Costa.
358 k CarneiidMachado Ros.
359 Coelho Cintra.
360 Coronel Joflo Francisco do Chaby.
361 Jos Victorino do l.cmos.
362 Affonso Fe reir.
363 Joflo Valenlim Villela.
364 Major Jos Gabriel de Moraes Maver,
365 Jos Conexivos da Silva.
366 Joaquim Elias de Moura.
367 .< Rodrigues Pinheiro.
368 Jos Clemente Pcreira dos Santos.
369 Joaquim de Oliveira eSouza.
370 Jos LourciiQo da Silva Jnior.
371 Joflo Pacheco de Queiroga.
372 Jos
373 Joflo Alvcs de Souza Rangel.
374 Joaquim de Sant Auna Meireles.
375 Alfcres Joflo Cavalcanli de Albuquerqiie. ,
376 Jos Marinho l'ereira dos Santos.
377 Capitflo Jos Francisco'Luna.
378 Jos Marques da Costa Soarcs.
379 Joflo Cancio l'ereira Freir.
380 Capitflo Joo do llego Rarros Falcflo.
^^^^^^^ _____ [Contimar-ttfhafi
O cscrivflo o administrador da mesa de rendas
s provinciaes tem de remoller para o juizo
Ceral.
Provincial.
RENDIMIENTO DO DIA 28.
nmniiiil. 177 >;>>
Diversas provincias ...'.'.'. 93'm
KUOlJimB
866,079
222
309
1:136,610
Conespoudiicia,
1 liovinjenlo do lorlo
.Sr. Redactores. Por occasio d
Babia
venlual, (im principal da minha 'hi'q'uelleluga'r"
assentc. do demorar-mo anda, levado da curiosida-
(le, para observar o novo processo da organisaeflo da
mesa e dos seus trabalhos. Arrumados os banco* c'm
las ordens no corfi, da matriz, vi scnlar-se no lOpo
Natos en Irados no dia 28.
8 dias, brigue brasilciro l-elfiajanle, de
160 toneladas, capitflo Baltazar Affonso Alvos Bar-
celar, equ.pagem 15, carga carne ; ao capitflo.
lcnedo; 14 das, ltate brasileiro lloa-Viagem de28
toneladas, capitflo Manoel Ignacio da Cunha' caui-
pagem 5, carga pedra de amolar; aocapilflo
A'avos sahidos no mesmo dia.
Rm-dc-Janeiro, tocando em Macei e Babia; brigue
degueira brasilciro Caliope, commandanto oca-
pitiio-tenenlu Eliziario Antonio dos Santos l'as-
Dcclara^oes.
1
competente uma relaeflo constante dos Srs.proprie-
tarios abaixo transcriptos, relativa a decima que
estilo devendo de anas nropriedades; o quo ter lu-
gar iinprclerivelmenlo no dia 5 do feveroro vindou-
ro; o por issoos previno para que, so quizerem pou-
paras despezasdo juizo, compare?am na dita mesa
antes do citado dia, solver seus dbitos. Recife,
28 de Janeiro de 1847. Clorindo Ferreira Caldo.
O Exm. barflo de Suassuna, herdeiros deAnlonio
Coelho, Auna Maria de Carvalho Ichoa, Antonio
Pcreira Tyranno, Dr. Antonio .peregrino Maciel
Monteiro, Antonio Xavier da Silva Antonio Cardozo
degueiroz Fonseca, Alexau.li na Fortes de Alnieida,
Ihome Pcreira Lagos, J^aourm Jos de Farias, Car-
los Holmes, Anna Maquina, herdeiros de Joaquim
l lieodoro Al ves, herdeiros de Antonio de Soura Cir-
nes, Cosme Vicente Ferreira, Antonio dos Sanios
ren-eira, herdeiros do Dr. Bernardo Luiz Ferreira,
ditos do Ignacio Teixeira Coimbra, FrancisW das
Chagas Cavalcanli Pessoa, Jos Machado Soarcs.
O Illm. Sr. coronel director do arsenal de ger-
as em cumprimento de ordem do Illm. o Exm. Sr.
presidente desta provincia, do 26 do crranle mez,
tem de mandar concertar, ou descnlupir o cano
queda esgostoasagoas que cahem sobre a arca do
quartel da companhia de artihecs : por este convida
i quem se quizer cncarregar do mencionado concer -
to, a comparecer na sala da directora do mesmo ar-
senal ate odia prmeiro do mez prximo fucturo ,
para se fnzerom os convenientes ajustes. Arsenal
de guorra, 28 de Janeiro de 1847. Jodo Ricardo da
itva, amanuense.
- 0 proressor de rictoi ica do collego das artes
avisa a quem intercssar, que est aberta a matricu-
la; e que quem quizer iiscrever-sodevo comnara-
cerna rin. de Mathias Ferreira, -.10 terceiro sobra-
do do lado do Norte nos das uleis, a qualquer hora.
nianiimos.
EdifAl.
Iiianto delle se seguir, sem outro remedio
seja o de proceder-so a nova junta, o nova'quniifi-
oacflo: con, bem que firme em minhas coiivlcccs
nao so pelo que me dita asimples inlelligencia. co-
mo anda1 pelo que ouvi da discussflo tiazida i.cla
maioria los eleitores que repellia.n a direceflo Ja
unta no individuo que se havia sentado para nresi-
li-la, levo a Vais, um siiccinla mas lid oxposicflo da
Curpencia, com as rasfles de minhas conviccOes e
lo quizeraouvir o parecer dosSra. ed^-boo Joflo Antonio Viilasecca.
,Jb.^cidadA*is ^'-'"ados MU junta
RE\ ISORA, EM 15 DE JANEIRO DE 1847, P*4U Jl)|-
{Contnvacdo do numero 21 .*
ores.
Eslava impedido o juiz de paz nomcado pe
ao gera, llc 844? eslava tambem ausente 'efra do
slr.cto o sen prunoiro supplente, em laesf#fUl foi
incumbido pela cmara municipal o segundo Yup-
o !>r:Jofl ^aP'811-" Bandeira de Mello.
02 Joao Baptisla dos Santos.
303 n .Xavier Carnero da Cunha.
W* Baplsla doAraujo.
305 Manoel Rodrigues Valenca,
ara o Aracaly o dale .Vrrrfsegu viaajcm
o mais breve possivek flo sabio no dia82
com escala pela Parahiba, por Talla de cum-
primento de lalo da parte dos frotadores : quem
quizer carregardiija-sc n ra Jo Vigario, n. ;,
..7 a Tr "',ia SlVhlr"' Bl ''"'o
mez de fcvcreiro, a sumaca S -Anlonio-dt-Daduo:
tem parle de seu carregamento prompta : quem oui-
wrr8arEU "' de !'. tlirija-s. ra do
Para a Rabia sa r, al 2 de feveeiro, o hiato
-r-ie^ni.por ter a maior parte da carga pron
quem no mesmo quizer carregarou ir de passa geni
oirija-se a luja de ferragens junto ao arco da Con-
ceicUo, n. 63.
r."*.,fa!?- L capitflo VOBC nrimeira elasse, unir en, pou-
cos das; pode receber anda alguma carga a hele
l?f%T'r0S: "* protendentes dirijam-se a Me. Cal-
Imonl C, pra?a do Corpo-Sanlo, n. ||


-------------------
"-
i
_ o brigue F$i-Deslino segu para o Rio-Gran- 0 NAZARENO N
.le-dn-Sul, no dta 1. de feverciro impreterivelmen- est a venda nos him.r ahnuncaJus
t(. por se achar carreado: quem quiz.ec embarrar do sabido mais tardeci que se esnerava nur desar-
algun. escravos a frote d.r.j.-se a ra da .Cadcia, rnjodo prelo que fo S tonccrlaV
,,, rasa de Amorim Irmslos,que alu echar* com Antonio Borge da Fonacca advoM 1
qilC1 tratar; ou aocap.tiio do dito, na praca do Com- rivel romo no crimc : pode ser procmadcal 9
morrio. "ras da manhila na casa de sua residencia, no Atcr-
_ vende-M ou frcta-so o muito velero brigue 8- ro^ da-Roa-Vista, n. *9, e das 10 as 3 horas da tard
mericaoo Eagle, de ptima conslriiccfo, encaviihado no ra estreita do Itozario n. 6. orimeiro andar '
je cobr o forrado com o mesmo ha seis mezes.quo ao
iiicsino lempo fot. apparelliado de novo, acha-sc
|,nnn|ito a sugir viagem para qualqucr porto, e be de
lote de 110 toneladas: qucni pretender dirija-se aos
consignatarios, L.c. Ferro
para"oRio-de-Jnnciro segu viagem, imprete-
rivclmetito ale o dia 31 do correle, o brigue ameri-
smo Catket: a como o dito brigue Icnha bastante
lommodo para passai estoja bastante I i mpo
e seja liom do velas, se avisa s pessoas
,ie quizarcni. ir de paswgem, que vilo a na do Tra-
piche, n. 8, em casa de llenry Forster C.
Para Lisboa sabe, no dia 14 de feverciro a no-
va e exrellente barca portugueza Tejo : quero na
niosina qnizer carreoar a 200 rs. por arroba em
qualqucr tara ou ir de passagem, para o quo tcm
as melhorcscommodidades que qualquer navio da
rarreira pode Tallar ao capitflo, Silverio Manoel dos
Res ou a Oliveira lrmlos & Companhia, na ra da
Cruz n. 9.
Para o Porto snhir com brevidade a Larca litl-
a-l'trnambucana, por ter parto da carga prompta ;
quem nella quizer carrogar ou ir de passagem, para
oquetem excedentes commodos, dirija-se ao capi-
tn na praca, ou ao consignatario, Antonio Francisco
de Moraes, na ra da Cadeia do Recite, n. 51.
A sumaca Carila seguc viagem para o Araca-
|y, em poucos dias, portera maior parte (a carga
liromp : para o resto da carga o passageiros tra-
ta-sc com o mestre Jos Goncalvcs Sima, ou com
l.uiz Jos de S Ara lijo ,'na ra da Cruz n. 26.
Para Liverpool recebe passageiros smente a bem
v'coiihecida galera inglza Columba, cap tilo Daniel
Creen: deve chegarde Maeci at o da 31 do corren-
te, e segu para Liverpool no mesmo dia : quem
quizer ir do passagem trate com os consignata-
rios, Me. Calinonl & C.
Para o Rio-dc-Janciro segui breve o veleiro
brigue nacional talla; o qual ainda recebe olguma
carga, escravose passageiros,para oque tcm encl-
lenles commodos: dhijam-se ao consignatario Jolo
Francisco da Cruz, ra da Cruz, n. 48.
Para 0 Rio-Grande-do-Sul o brigue nacional
Competidor Iransforio a sua sabida para o dia 30 do
corrento : oaSnrs queembarcam escravosqueiram
mandar nsconbeciinenlos a ra do Apollo, n. 2, ar-
inazem de Comes & Irmfio.
Quem quizer carregar para a Parabiba nohia-
le nacional Santo-Antonio-1 tor-do-Rio, que s aclia
Tundeado defronte do trapiche do algodflo enlcnda-
secom o meslre a bordo, ou na praca.
i
Alugam-se o segundo e terceiro andares da ca-
sa do Atcrro-da-Boa-Vista, n. 49 ; a tratar no pri-
meiro andar da mesma casa, onde Umbem se alu-
ga a casa n. 3 da.ra do l'ires tendo commodos pa-
ra grande familia, e por proco commodo.
- No dia primeiro dn fevereiro, as 10 horas da
ronipnnbiA gera!
da agricultura das yinlins do
Alto-Douro.
aimixo assignado, agente dcsta com-
panhia ncs!a praca de l'crnamliiico, acaba
de lecehcrpela barca Bella-Pernainbuca-
na una remessa de vjnhos dacjuella com-
panliia depois que ella foi rehabilitada
pela legislatura de Portugal, e dolada com
manhila, no Forte-do-Matlos, prensa do Sr.Men-,fun,'os pblicos pela lei de ai de abril de
Jo,por ser a ultima praca,os 1843, para levar a todos os mercados os
padres e balisas do vinho genuino e pu-
ro do Alto-Donro, geralmente conliecido
pelo nome do vinlio do I'orto, afirn de
servirem de guia ao commeroio. fcsta
remessa, toda de vinlios da mais escolhi-
da qualidade, deve olFcrecer aos Sis. con-
sumidores, nao s6 a certeza da sua pu-
reza, mas tamben) o typo verdadeiro do?
excellenles violtos do Porto. Espera,
pois, o abaixo assignado que os Srs. con-
snmidoies se dirigirn ra da iMoeda, ar-
mazcm n 7, para (rutarem do ajuste de
qualquer porrio que desrjarein.
Antonio francisco de Moraes.
I.eilocs.
L. G. Forreira & Cotnpanhia torito leilio, por
inlervenene do correlor Oliveira de urna poreflo do
farinlia de trigo, avariada a bordo da escuna Eagle :
sabhado, 30 do crrenle as 10 horas da manliSa ,
no son arma/.em beceo de Manoel l.uiz Concalves.
Kalkmann & osenninnd
faro leilo, por inferveneo do
correlor Oliveira, de grande sor-
lmenlo de fazemlas, i eeentemen-
le chcgsfdas, hoje(selxa feiraj 29
de Janeiro, no se armazem, na
ra da Cuz, n. 10. '
Avisos diversos.
ROGA-SK ao Sr. decifrador dos enigmas, baja de
doclar.ii o nomo dessa pcssOa quo diz ter-lhc
ido billar para nao continuar as suas mu
apreciareis ileoifiacfies.
I'ede-sc igualmente, que com toda a ua boatduca-
fs, e sem os arremreos proprios do aprendiz desa-
paleiro, digiic-su de dizer quantos silo os dfgraos da
sua escada, para que nao fique alguciu ua pcrsuasiTo
de que S. S. assim como lera fumacas de poeta sem
i'sc', do sabio quando nao heais que un ignoran-
lao, e de decifrador no entreunto que nao pasca de
1,111 tnapirlh.lo, suppoe-se habilarn'um palacio quan-
i!o tcm asna residencia na sala inferior de una ca-
sinlia cuja athmosphera lie.maisque milito impreg-
nada do Insalubre cheiro le sola, cuinos, grasa e
mais pertenecs do ollicio, de cuto aprendiz Ihe roga-
mos evilasse os assomos.
FsPeraSe.satis.eitoo ^^y.^^
NOVA AfLA DK i." LKTTRAS.
o abaixo assignado, tendo aborto em sua casa na
na do Aragao n. 27 urna aula, onde, alem do eusino
correclo-de primeiras ledras, se dao licoes de gram-
il, tica das lingoas nacional, latina e franceza, con-
tina na mesma aula a receber alumnos externos,
pensionistas, e melos-pensioiiistas, empregando tan-j razcreffl cslesrecebimentos ; ficando cei
lo no ensillo, como no tralamenlo, desvelado zelo, q,la|qucr pagameiito aos mcsmosl-^ireirj
ccariiihoso cuidado. ......
Jcsr.Xaiier latsimo I amos.
Dcsein-se n,oslrar por nieio desle, que a casa
dariMKlo Alcrro-da-Roa-Visla, n. :>, se ada livre
edesembaacuda de qualquei debilode bypolheca,
ciiibargosou milioi|ualquerlilulo; se liouvoi-queii)
nccica da sobredita casa lenha q.uo dizer, baja de no
plazo de 3 dias publicar por este Diarw.
O abaixo assignado remelle para os porlos Uo
Sul os scus dous escravos, sendo una muala de
nome Antonia, c un molecotc de nome Anlonio,
ainlios crioulos.
Antonio Jvoaum de Souza l.iOciro.
~ Alugo-so a casa ra da Florentina ,
ii 7-atraanla na do Trapicho, ajuiuzcm n. 19,
iom DomingoSorianoConca ira.
.No dia 30 do crrente, pe ante o.sr. doutorjuiz
dociveldaaegnndavara.se ha de arrenialar por
ier a ultima praca, un silio no bigardo Arraial, pe-
dio'adoa Antonio Joaquim da Silva Castro, por
execuSo de seus credor.s A.Ivertc-sc que a execu-
i-flo be nclocertoi io do escrivio Molla.
--- riuamullierdo mallo, de bous costumese sem
lill.os se olTerece a criar algum jncnino para o que
lem excellenle le.ite : qem do seu presumo se <{u -
zerutilisardirija-sea ra das More* deron e do
earlorio de Francisco Joaquim l'erenadeqjryaino.
I |'recisa-ae alughr nrfo pr.eta para cozmhar : H
rqa Direila, n. 8*.
objectes salvados do brigue-oacuna Deliberado.
Quem precisar de urna nessoa para concertar
algum vinho que esteja em mao estado, dirija-se a
travessa da Matriz n. 20.
-- Custodio Joaquim da Silva Rraga subdito bra-
sileo va i a Portugal, com um criado de nome
Bernardo.
Auna Mara Antonia,casada com Bcrtauo de
Moura Taz scicnte ao publico que pessoa alguma
contrate qualquer negocio que seja, com o sou ma-
rido, sobre um sobrndinbo sito na ra do Callabou-
co-Velho, n. 25, sem que primeiro seja ouvida a an-
nunciaute: e para que ningucm se chame a igno-
rancia faz o presente annuncio.
-- O Sr. morador nos Afogados, que deve na re-
nacffo da ra Direila, n.10, a quantia de 50,2*0 rs.,
quena lera bondade de vir, ou mandar pagar a dita
quantia, pois que S. S. niio ignory que negocio de
assucarbopagoa vista: e comoS, S. niio lenha ap-
parecido, e lecm decorrido mais de qualro mezes, por
isso oannnnciante niio podo esperar mais lempo.
I'rccisa-se do um caixeiro liara urna venda, que
lenha prrtlica de vender, o qued fiador a sua con-
ducta : na ra larga do Itozario n. 37.
D-se dinheiro a premio sobre penhores de
ouro e prata em pequeas quantias : na ra da Ca-
dcia de S.-Antonio loja de marceneiro, n. 18.
Precisa-se de um caixeiro quo seja capaz, e
que d fiador a sua conducta pieferind-se dos
chegados ull mmenle do I'orto: no pateo da S.-Cruz,
padaria n. 6.
. Quem aununciou querer comprar urna escra-
va n troco de una lellra a 6 mezes de pi a/o, dirija-se
a ra de S.-Hita, n. N.
Alugam-se os ai nia/cns da ra de
Apollo ns. a8 c 30, com desembarque :
a tratar no mesmo lugar, com Joo Esle-
ves da Silva.
Empalham-se cadenas e marqUozas por pre-
ro mais commodo Jo que m outra qualquer parte :
naruadasLarangeiras, n. 13.
Perdcu-so urna carteira dealgibcira, conten-
do dentro a quantia de 75/000 mil ris, o mais pa-
pis, como foi annunciado no Diario-loro do dia
19 do corrente : c porque at boje a pessoa que a
achou niio tcm querido por em cxccucHo o convite
fcito no mencionado annuncio, roga ainda o dono
da carteira, que a queiram deilarna caixa do corroa
desla capilal, ainda mesmo sem dinheiro, e s com
o nieio bilhetc da lotera da matriz da cidade da
Victoria que deve correr a 29 do corrente ; pois
que a sabir nclle algum premio niio se servir delle
por se teroni dado as providencias. Kspera-so que
assim uno nulilise-sc aquillo qac pode ainda ser-
vira oulrem, assim como as mais lembrancas que
com o bilhetc estflo na carteira.
Aluga-scuma casa terrea com sotio que tem
bella vista c bastantes commodos; a qual se acha em
boro estado, e he sita na ra das Trincheiras, n. 17:
a datar na. mesma ra sobrado n. 19.
Precisa-se de um homem para feitor de um
engenho distante dcsta praca i legoas preferindo-
se dos chegados ltimamente do Porto: na praca
dn toa-Vista, venda n. 13.
Caudillo Agostinho de llarros embarca para o
llio-trande-do-Sul, pelo Rio-de-Janeiro,a sua es-
crava l.uiz, crioula.
~ i\a cocbtira do becco da ra da Cadcia, por
del ras da casa do Dr. Jos Narciso Camello, alu-
gam-se cavallos e tambero so Ira la m : os prcten-
dentes dirijam-sea mencionada cocheira, qucscr.lo
servidos inmediatamente. Na mesma cocheira
compram-sc e vendem-sc cavallos para ambas, as
sellas : a tratar'na mesma cocheira com Jolo da Cu
ulia liis.
O abaixo assignado, na qualidade de testamen-
leiro de seu finado irmflo Jos Antonio Borges ,
convida ios credoresdo mesmo, moradores nesta ci-
dade a apresentarem no Ccar suas conlas por si
ou seus procuradores at o ultimo de marco do cor-
rente auno, para seren satisfeitos naquillo que
existir pcrtenccntc ao dito finado.
Piciorino Augusto liorgei.
Aluga-se o andar terreo ou loja do sobrado n.
12 da ra da Aurora, com optamos e mujloasseiados
commodos para moradia de homem solteiro ou de
pouca familia: quem o quizer alugar dirija-se ao
mesmo sobrado qualquer hora.
__ j. n YVblfhnpp & C., Oidicr Colombiez & C.,
Rothe c Itidoulac administradores da casa fallida
de Ferrea & Oliveira avisam aos devedores da di
la casa que nao paguem quantia alguma senilo aos
anuuncianles, que sao os nicos competentes para
do cei tos de que
erreira ce Oliyei-
a o'ulro qualqucr, he nullo' e mesmo pode
compromellcraquem o lizer estalieleccndo cum-
plicidadc com os ditos fallidos.
Triste, fabricante de orgoi e realejos no Aterro-da-
Jioa-Vista, n. 21,
avisa ao publico que elle contina a fabricar orgios
oara igreja, de lodos os tamanhos, com Irombela ;
aleio'sco.n tambor o campanhia contendo qua-
dr has para danca As pessoas que o honraren! em
v s U-o acharao ,! entre nutras obras ja p. omptas.,
3 igaos ara igre a ou "tro qualquer lugar que
se. duvida nao leem aparecido aqu a duas linas,
a "la ere a chave de realejo por falla de organ.s-
a o i. iK>r falta de saber toca-lo, enlHo se toca com
a clon e como se fosse um realejo obteudo a mes-
mavoz .contendo nos eylindros a missa.ouqualque,
msica de igreja ludo reunido na mesma obra; dito
Sroilc-piano. Tamben concertaos ditos ins-
rumentos e nOe marchas novas concerta pianos e
qualquer inslrumcnto do msica concernen* ao
SCL AUiga-se urna prela para alguma casa estran-
, a qual cozinha bem, lava e engomma com
iicrfeicilo : quem a pretender annuncic.
. Amaro onde o acharflo prompto a sorvi-los com
' ptimossorvetes, eremos, geleas e oiitroa relrescos
! proprios da estaclo calmosa. 0 abaixo assignado so
I compremeilo a ter sua casa com decencia para re-
ceberas laniilias que a quizeiei". honrar e promcllo
obseiiuia-lasquantolbe for posslvel. Km sua tolla
do referido lugar. elle annuuciar o dia da conli-
nuncflndc seus trabamos, na ra doRozario, quo se-
r muilo breve. l'ranciscn Stmdes da Silin.
OSr. Silvestre dos Rios queira vir no prazo de
4 dias resgalaros pcnbores que niio ignora na ra
doCabug, n. 2 : quando nao, serlo vendidos parn
pagamento do principal e juros, llcandosobjeito ao
quo fallar para a indcmnisac.ln do annunciante : e
para que a todo lempo n3o venba allegando ignoran-
cia se faz o presento annuncio.
Aluga-se o (ereciro andar do sobrado da esqui-
na da ra do Rozario defionto dn igreja : a tratar
na ra das Cruzes, n. lf.
Fabrica do iiiflclinns e rund-
Precisa-se de um aniassador qiiccntenda dircl-
tamentedo inasseira : sendo que venda pito na ra, c
lenha algumas freguezias suas, melhor ordenado se
Ihe dar, advertnd(Kse que se indagar sobre a sua
conducta ecostumes, por niio se querer estar mu-
dando : na ra larga do Rozario, padaria n 48.
A aula publica de primeiras leltras cin o bair-
ro de S Antonio do Recife continuar o sen exer-
cicio lectivo no primeiro de feverciro prximo vin-
douro na ra do Livramcnto, n. 38, primeiro an-
dar.
' Na noile do dia 21 do corrente, pelas dez horas,
deilando-sc ra um pouco de agoa da casa n. ti,
da praca da Hoa-Vsla, aconteceu cahir de dentro
da vasilha urna colher de prata, obra anlga, com o
peso de 18 oitavas mais ou menos, tendo os lados
junto a ponta gastos alguma cousa:lni visto no mes-
mo momento- ser apanhada por urna pessoa quo ia
cutio oulias passando uaquella occasao : roga-se
a quem aachou, ou a quem fOr oflercrida baja do a
levar na dita casa, que se gratificara.
Aluga-se urna casa terrea na ra Bella com 2
salas, 3 alcovas, cozinha fura quintal o cacimba :
a tratar na ra do Collcgio, n. 15, segundo andar.
Agencia de passaporles.
Na ra do Collcgio, n. 10 e no Alerro-da-Boa-
Vista loja n. 48, conlinuam-sc a tirar passapories
tanto para dentro, como para fra do imperio; assim
como despacham-se escravos : ludo com brevidade.
Aluga-so nina boa casa terrea, com i quai tos,
salas, cpiai lo separado para pretose casa para ba-
nho, grande quintal com parreiras c figuoiras, ro-
manzeirase muitas maisarvoresde filelo; com ca-
cimba d'agoa do beber, a melhor que so lem visto;
no principio da estrada dos Afllictos, pegado ao sitio
quofoda Sr.'D. Laurianna ; outra casa terrea com
sotiio corrido muilo arejado, no becco do Scrigado j
trala-se na ra da Cadeia do Recie, n. 25.
Fabrica de chapeos
cao de ierro na ra
firum, no Recife.
do
Mr Callum& Companhia, engenheiros macbinis-
tas o fundidores de ferro, mu respcitosamenle an-
nunciam aos Srs. propietarios de engenhos fazen-
deiros, negocia ules, fabricantes e ao respeitavel
publico, que o seu eslabeleeimcnto de forro, mo-
vido por machina de vapor, so acha em effectivo
exercicio, e completamente montado- com appare-
Ihos de prnieira qualidade para a perfeita confec-
co das inaiorcs pegas de macbiiismo.
Habilitados para emprchender qnaesquer obras da
sua arte Me Calluin X Companhia desejam mais
particularmente chamar a atlencao publica para as
segwintel, porserein ellas da maior extraerlo nesta
provincia as quacs construidas na sua fabrica po-
dcmcompelircom as fabricadas em na ir. estrangt'i-
ro lano em preco como na qualidade das materias
primas e milo d'obra, a saber :
Machinas de vapor.
Moendas do caimas para engenhos movidas a va-
por, por agoa, ou animaos.
Rodas d'agoa c serranas. *
Manejos independenles para cavallos.
Rodas dentadas.
Agulhoes, broii7.esc cliuniaceiras.
Cavilhoes c parafusos de todos os tamaitos.
Taigas, crivos c boceas de fornalha.
Moinhosde mandioca movidosn milo ou |ior ani-
maes e prensas para a dita.
FogOes e Tornos para cozinha.
Canos de ferro, turneiras de ferro c bronze.
Bombas para cacimbas e de repuxo.
Guindastes, guinchse balanzas romanas.
Prensas hidrulicas c de parafuso.
Ferragcns para navios,carros, obras publicas, ele.
Columnas, verandas e grades.
Prensas de copiar carias e de sellar.
Canias de Ierro, ele.
Alem ta pcrfeicilo das suas obras, Me Callum &
Companhia garanlcm a mais exacta ronformidado
com os moldes e desenhos remetlidos pelos Srs. que
se dignaren! de fa/er-lhes enrommendas ; aprovei-
lando a occasiiio pera agradecer aos seus benvolos
amigos c freguezes a preferencia com que tcem si-
do por elles honrados. e assegurar-lhes que nao
poupario esforc.os nem diligencias para continua-
rem a merecer u sua confianza.
de
do Vas
15.
T
sol na ra
scio-Publico, n.
Joito l.oubct adverle aos seus freguezes que
queiram desenganar-se por urna vez sobro os
objectosabaixo declarados, lano em preco
como ero qualidade : tem nesta occasao um rico
sorlimcnto de chapeos de sol furta-cres c preloa
com barra lavra.la os mais modernos que tecn
apparecido neste mercado, de igual soi liinen o ; c
tambem chapeos de sol, de panninho de lodas as
crese ultimogosto da rainha da l-.scocia ; e para
senhoras um completosortiniento dos incsinos lodas as cores, pois seus gostos silo da ultima mo-
da de Pars. No mesmo eslabelecimento se acha um
completo sortimento de sedas epanmiibos de lodas
as cores, proprios para toda e qualquer obra que se
quizer fazer pois que silo proprios para ene fim.
Tambem so concertam chapos de sol, Unto de ho-
mem como do senhora, com toda jicreicno, por
nreco commodo, e com a maior brevidade possivol.
Na mesma fabrica tambem se vendem baleas para
ospartlhos e vestidos.
Dentista.
D. W. Baynon, crurgiilo dentista da cidade de
Philadelphia", participa aos seus amigos eao res-
peitavel publico quo elle pretende ficar pouco lempo
nesta cidade, para exei ceras suas funecocs, leudo
sabido ha pouco de sobredita cidade, onde elle por
muilos anuos tem pratcado a sua arle; acha-sc bem
instruido as operacOes dentacs mais difllcultosas,
conl'iirme o modo mais moderno da arle : quem
de seu prcslimo se quizer utilisar dirija-se a sna
moradia, n. 7, ra da Cruz do Recife, primeiro an-
dar, que o achara sempre prompto.
Bernardo Comcnsoro Fe reir Brasleiro re-
tra-sc para o Ro-de-Janeiro.
Manoel Alves Guerra Taz scicnte aos propncla-
riosdos alagados em fenlo do Hospicio, que em
pouco lempo deve ficar aterrado o seu que tica pe-
to Sul, e aoVIepois muilo maiores despezas.farilo com
os ditos aterios ; portanlo foriam bem em niio se
descudarcni com a concluso.
O arrematante ilo dizimo dos cocos do munici-
pio do Recite faz scientcaos Sis. collectados do mes-
mo dizimo quenflo Ihe ho pessivel ir ou mandar
mais de 3 vezesas suas casas; pois algunsSrs. no
esloemeasa ooutros ficain de mandar pagare
nao o Ice* fcito: por isso roga aos mcsmosSrs. col-
lectados de deixarem em suas Casas a dila impor-
tancia ou mandarem a ra das Larangciras, n. 29,
casa da aferieflo. .
Sabhado, 30 do corrente, vai a praca, pelojuizo
da segunda varado civel, as horas do costume que
he depois da audiencia a parle de um sitio no lu-
gar do Arraial porexccucflo pendente no mesmo
sorvete
Compras.
- Compra-se o Paraizo restaurado, em verso
francez : nesta typographia se dir quem compra.
Compra-se "urna casa pequea em qualquer das
ras desla cidado quem liver annuncie.
Cnmnram-so prelosoflciaesdo sapateiro ; sen-
do de bonitas figuras, pagam-se bom : na ra da
Concordia passando a ponlezinha segunda casa
larrea a direila,
Compra-se una rotula em bom eslado para
porta ; na ra Direila, n. 69.
Compram-se escravos de ambos os sexos, do
12a 30anuos: na ra llireila, n. 3, defronto do
becco de S.-Pedro.
Confpram-sc molequcs de 12 a 16 annos, sem
defeito; pagam-se bem: no Recife, loja n. 20. ,t
Ainda se contina a comprar robras de viado
vivas para remedio : na praca da Boa-Vista, n. 32,
segundo andar.
Compra-so una agulha de marear, em bom
uso: na ra Direila n. 91, primeiro andar.
Vendas.
Vendem-sc 15 cadeiras de Jacaranda duas
bancas, um soph urna mesa redonda
rom pouco uso ; lodos estes objectos sao
modernos, o se vendem juntos ou separa-
dos por preco commodo : na ra Dreita,
loja n. 36.
Vendc-sc, pelo baralissimo preco de 8000 rs., 1
berco de Jacaranda enveroisado, com seu cortina-
do ; una pedra de filtrar assentada em seu mocho,
ecoin sua competente jarra, tudo porCOOOrs. mes-
la Ivpographia so dir quem vende.
Vende-so urna casinha assobradada na ra do
Callabouco-Velho, n.25 : na ma Direila n.8t.
Veiile-se l'arinha muilo superior, em saccas ,
por prc^o muilo commodo : na ra Direila, n. 9.
__Vende-so umquarlo do silio Uria, situado em
Campina-Crande provincia da Parabiba : na ra do
Qucimado, n.3l.
Vendem-se duas exccllentcsescravas, urna par-
da o outra preta : na ra de S.-Jos, II. 60.
Vonde-se um cscravo do servico de ra : na rua
daCuz, n. 26.
Vendc-se una preta de 18 annos, que cozi-
nha perleitaincnle o diario de urna casa lava, en-
gomma e faz renda : no paleo do Tere.0, n. 87 se-
gundo andar. Advcrtc-se que s se vende para ca-
sa de familia.
Vendem-se por 600,000 rs. 100 palmos de
Ierra entre as duas pontes da estrada da Magdale-
na com quinhenlos do fundo ,ondo tem casa Joito
Thoinaz Pereira o qual porsentenca da rclacilo es-
t obligado a pagar com mil rs. animaos, emquant
nao o entregar, direilo que se traspassftra no titulo
da venda : quem os pretender annuncie.
Vendcm-sc hienas grandes e Umbem so alu-
gam, por preco commodo ; no Atcrro-da-Boa-Vista,
na primeira venda ao p da ponle, ni. 2.
Vende se urna porcSo de canos de
tinco que serviram em tanque d'agoa ,
por preco commodo : na rua de Apollo,
no anligo porto das, canoas, a fallar com
Joao Esleves da Silva.


m
.?< *
*
A
Na lojade Guimares Se-
rafim & Companhia, conlronle
ao arco de S -Antonio, n. 5, ven*
dem-se lencos de vapor, de pa*
droes modernos, pelo barato pre-
go de 480 re, cada um ; lengos
francezes de cores finas e fixas ,
fing n.do seda a 480 rs. cada um;
brim escuro rancoz (raneado, de
puro linlio, a 720 rs. a vara.
= Yende-ie potaua branca de superior qualidade,
em barrls pequenoa; eiu casa de Matheiu Austin &
Companhia, na ra da Alfandcga-Vclha, n. 38.
FERRO! FERRO,
de todas as quolidadose cobro para forro de navio,
ile 18 at songas, cm grandes e pequeas parti-
das : no armazem le A. V. da Silva Barroca, defron-
te da igreja da Madrc-de-l>eos.
= Vendeni-se moendasde ferro para cngcnliot de as-
lucar. para vapor, aguac lientas, de diversos taannos,
por prejo coininodo ; c Igualmente taixas de ferro coado
e balido, de todos os taannos : na prafa do Corpo-San-
to, u. 11, em casa de Me. Calmont ra de Apollo, armazcn, n. 6.
-" Vende-se polass i branca, da
niais nova e superior que ha nes-
te mercado, por mdico prego:
na ra da Cadeia-Vellia, armazem
n. 12, de Bailar $ Oliveira.


Vende-se sarja de seda larga, hospanliola, j&i
muito superior; se tira de varias qualidades fi**
para vestido ; dito de Maco para collele ,
o mais superior que ha ; casimira pela ,
elstica, superior; panno preto muito fino;
dito de cores, de todas as qualidades ; vel-
ludo preto; merino prclo de todas as qua-
lidades; dito, o maissuperior que tem ap-
parecido;chamalote; casimiras franceses, U
sem pello, de bonitas odres; damascos para |>vj;
(i) oolxas, muito superiores e debons gosios; j-yj
; o nutras militas fazendas que a vista dos |-'
pregse dasua qualidade o comprador nio |^
<; dcixara de comprar : na nova loja da ra 1*)^
do Qucimado, nos quatro-cantos casa j-H!
amarclla, n. -.'.
^7<}p<>.
m
CARNAUBA.
No armazem de farinhado caes do Collegio, con-
tina-sc a vender cera de carnauba, por prego com-
modo tanto em porgos como a rclolhn e be che-
. .-i.l.i agora urna porcao da mellior qualidade que tem
jippareeido.
A 2#50ft rs. ocovado !
Na loja de Guimares Seram
& Companliia confronte ao ar-
co de S.-Anlonio, n. 5, vendem-
se casimiras francesas, sem peU
lo, finas de lindos padrdes e
pelas pelo baralo prego de 2500
rs. o covado ; ricos cortes de cha'
li de la e seda, coin barra, a doze
mil rs. o corle.
Vende-so azeite fino de gersclim, para comer e
para luz : no deposito de azeite de carra pato na ra
da Senzala-Velba, n. 110.
Vondem-se cal virgem em meias barricas, che-
gada prximamente ; cnixa's vasias para assucnr;
urna porgip de pesos de forro de 2 arrobas; sorras
grandes para serrar madeiras ; ludo por proco com-
ii.< i .- na ra da Moeda armazem n. 15.
VELAS DE CERA 00 lllO-DE-JAiNEIRO.
Vende-se completo sorlimcnto de una a 16 o bo-
gias de 4,5 e 6 : no armazem de Alves Vianna na
ra da Senznlla-Vellta n. 110
Vende-so, ou permuta-se por um sitio perto da
praga, urna cxccllcnte casa terrea com bstanlos
rommodos para urna grande familia, sita nosla pra-
ga : na na Imperial, n. 9.
Vende-se sal em grandes e pequeas porches :
na ra da Moeda, armazem n. 7.
Na loja de Guimares Se-
rafim & Companhia, confronte
ao arco de S.-Antonio, n. 5, ven*
deii)-se cassas finas, largas e fran
cezas, pelo barato prego de 480
rs. avara; chitas francezas, lar-
cas a 280 rs. o covado.
Vendem-se 10 escravos, sondo: urna preta, boa
engeromsdeira ; 3 dita de 15 a 25 unos, com ha-
bilidades; urna mulatinhade 15 annos ; 2 moleques
de elegantes figuras; um preto conoeiro; um dito
bomcozinheiro; um ditodo 'servigo de campo : no
pateo da Matriz, n. i.
AOS 20:000,000 DE RIS.
Vendem-se meios bilhetes, quortos, oitavos e vi-
gsimos da lotera a beneficio do convento de S.-An-
tonio ;e lambem a beneficio da matriz do Cear ,
que tem de se extrahir no Rio-de-Janeiro a 30 do
corronte : no Recife, loja de cambio do Sr. Vicira. A
olios ( dos de S.-Antonio) antes que chegue o vapor
coma lista.
Panno de linhopuro, a 600
rs. a vara.
Na loja nova de Raymundo
Carlos Leilc, ra do Queimado,
II, II, aclia-o um novo soi lmen-
lo de fazendas finas ebaratas; as-
sim como panno de linho, em
pegas de 15 varas; a nova pclle
do diabo, a 400 rs. o covado; len-
gos de seda, pequeos, proprios
para meninas, a 640 rs.; e os pan-
nos finos sao preferiveis aos d'ou*
Ira parle, tanto pelo prego, como
por seren novos na loja.
Vende-se um preto crioulo, mogo, proprio
para todo o servigo, principalmente para agricultu-
ra por ter sido oceupado ueste servigo: no Recite',
jio pi da Conceigfi.o casa deJoilo Jos de Carvalho
Moraes.
j\a na do Crespo,
loja n. I'2, de Jos Joaquini
da HIva Haya,
vende-so alpaca prela a.800 rs o covado ; dita muito
preta o de cores por baralo prego ; merino
preto, muilo superior; panno lino pelo o do c-
res; casimiras elsticas, do duas larguras para
caigas a 0000 rs. o corte; velludo ; gorgurflo de se-
da ; sotim para collele; ludo por prego commoilo ;
fustdes para colletes; e oulras militas fazendas,
tanto para caigas como para vestidos do senhora ;
tildo pelo barato.
Vondo-so um preto de 20 annos pouco mais ou
menos, proprio para todo o servigo ; urna preta boa
lavadeira, c que cozinha c cose sotVrivelmentc ; um
mulalinho de 1* annos proprio para pagem ou
para aprender qualquorollicio : na ra da Cadoia de
S.-Antonio, n. 25
Vendoni-se apolices daextincta companhia de
Pcrnanibuc)e l'aiahilia para pagamentos a mesma:
na na da Cruz, u. 9, rasa de Oliveira IrmiTos & C.
Vende-se cha prclo, o mellior que ha, em cui-
xiubas de 10 libras, prnprias para familia: na ra
do Trapiche n. 8, casa de llenry Forsler Compa-
nhia,
Vende-se urna piola de nagio Angola, de 20
annos, de bonita figura., cose e engomma com per-
foigflo e cozinha o diario de urna casa : na ra
da Cadeia do Recite, n. 25, segundo andar.
Vendem-se bichas pelas de Lisboa, muito
superiores, a 200, 240 e 320 rs. cada urna, e aos eoli-
tos a 16,000 rs. : na ra da Cruz n. 62.
*Vondcni-so varios escravos mogos, de bonitas
figurase com habilidades o sem ellas: na ra No-
va n. 40.
Admirareis
naval!.as de ac da China
Tecm a vanlagem-de cortar o cabello sem offenga
da pclle, deixando a cara parecendo estar na sua
brifhantc mocidade.
Estcago vem exclusivamente da China, e s nelle
trabalham dous dos molhoros e mais abalisados cu-
lleiros da nunca excedida erica cidade do Pekim ,
capital do imperio da China.
AUTOR SIIAW.
N. R lie rccommomlado o uso dcsliis navalhas
maravilhosas por todas as sociedades das scicncis
]\a ra do Crespo,
loja n. 12,de Jos Joaqnim
da Silva Maya,
vende-se superior sarja preta hespanhola; nobreza
rdxa, muito superior e muilo propria para capas
doSr. dos l'assose oulras irmandades; ricos corles
do seda para vcsl do do senhora ; meias de seda pre-j,nojjro.,.nl:gVas", tanto da Europaconio da Ame-
tas e brancas, as mais superiores que teci apparc- ,oa, Asia e frico, niio s para prevenir as molestias
da cutis mas lumbem como um meio
COSMTICO.
Vcndcm-s$na ruado Crespo, n. 8, loja do Cam-
pos & Maya.
Vende se un piano horizontal, in-
glez, (in meio uso, e com muilo bousvo-
zes, por pceo commodo : a fallar com Jos
Joaquini da Silva Maya,na ra do Crespo,
loja n. 13
- Na livraria da praga da Independencia ns. 6e
8, vendem-se compendios resumidos de potica,
com o titulo do Breves nogesde potica impros-
sos em outubro do anuo passado proprigs das au-
las paraasquaes forflo compostos por *m profes-
sor substituto de rhetorica : prego 1000 rs.
Vende-se urna mesa redonda, de meio de sa-
la ; um par de bancas; una cama de armagfio com
escada ludo de Jacaranda e de muito bom gosto ;
qualro mangas de vidro lavradas, sendo cada pardo
dilforonte gosto ; 12 coln ros de cha ; I3ditas de
sopa ; urna dita de tirar sopa ; um tirador do as-
suear, ludo de pruta ; assiiu como varias obras de
-- Vende-se cora amarclla, em poreflo : no es-
critorio de Ridgusy Janison & Compannia na ra
da Cruz, n. 13.
Vendem-se
redes do MaranliSo, de multo boa qualidade : na ra
da Cadeia-Velha, n. 30. .
Vendem-se sapatos inglczes de todas as quai
lidades; ditos francezes : na praca da Independen-
cia ns. 13 e 15.
Vondem-se os preparas de um ocougue, sendo:
tarimba, pesos, balangss e 3 grades de porta: na
praga da Independencia, ns. 13 e 15.
Vende-se um relogio de ouro, de molde mo-
derno : na na do Hospicio, n. 5.
Vendem-se compendios de geographia para uso
das aulas de primeiras lettras a duas patacas: na
praca da Independencia, livraria, ns. 6 e 8.
SEMENTES.
Vendem-se sement de rbano, rebnete, couve,
renolho, espinafre, salsa, alface, coenlro de tccira,
cebla, nabo chegadasagora de Lisboa, muito no-
vas : na ra da Cruz, n. 62.
Vende-se cha superior, vindo ltimamente de
Lisboa, pelo muilo barato prego do 2880 rs.; dito a
baixo, a 2400 rs ; dito inmediato, a 1800 rs.;
manteiga ingleza, superior, a 800 rs.; dita franceza,
a 640 rs.; espermacete americano a 900 rs.; dito
francez a 720 rs. a libra ; superior vinho chegado
ltimamente do Porto, a 2000 rs. acanada, o agar-
rafa a 280 rs ; dito Mili de Lisboa, a 1800 a caada
e a garrafa a 240 rs.; vinagre de primeira qualida-
de a 1200 rs. a caada e a garrafas 160 rs.; azeite
de Lisboa o maigfiuperior possivel, a 760 rs. a garra-
fa ; dito do Estreito, bom a 680 rs.; doce de goia-
ba ,em caixio.a 1000rs.; e todos os mais gene-
ros de primeira qualidade, por barato prego : na
ra larga do Rozario, defronte da groja venda da
esquina, por baixo do sobrado de 3 andaros, n. 39.
Vende-se varios escravos com habilidades e sem
ellas, centre ellos urna negrinha de muito bonita
figura: na ra da Concordia, passandoa pontczinha,
segunda casa terrea adireita.
Sggi Vende-so um forte piano, de patente Lon-
Tfl don, dos autores do Colard & Colard: na
ra do Vigario n. 4, armazem de Rolhe& llidoulac.
Vende-se cera de cores para limas de cliciro a
1000 rs. a libra : na ra do Itangel, n- 52.
Vende-se um escravo trabalbador de enxa-
ila por prego commodo : no Aterro-da-oa-Visla ,
n. 55.
-- Vcndcm-se 50 aeges da companhia de Beberi-
be, por seu dono ter-se de retirar da provincia;
lambem se vendcriloem menosquantidade: no pateo
da matriz de S.-Antonio, n. 4, segundo andar.
Contina-soa vender chocolate iiovo.de superior
qualidade, chegado ltimamente, tanto o retalho
como em porgos grandes : no pateo do Carmo, es-
quina da ra de Hurtas lado direilo, n. 3.
*^&- Vendem-se ocultis azues e verdes de pa-
tente vintlos ha pouco de Inglaterra, por serem
encommendsdos, feitos pelo mellior autor que all
existe, o quosci'Voni para oncobrir quulquer dofei
tonos olhos pordoengas, para viagens, ler de nou-
te, estudar, etc., por que osseus vidros serveni pa-
ra todas as vistas, e teem a propriedade de nilo esn-
sarem : na ra lurga do llozario loja de miudezus,
do l.ody.
Vende-se, para fra da provincia, um moleque
crioulo, de dado 13 para 14 annos : uo principio da
ra do Norias, travessa de Slo-I'edro, sobrado de um
andar, u. 15.
- Vende-se a posse de tim terreno emS.-Amaro,
com 500 palmos de frente, uo alinhamcnto ta ra da
Aurora, efundo at a estrada nova do Hospicio,
todo junto ou a relalho : na ra do Qucimado, lo-
ja n. 8.
fechaduras para porta dcarmaieni ; peneirs de aratne;
rodas de arco* para barrica ; bichas de llaniburgo
ludo pnr pivju tommodo : na ua do Vigario riiu-
zeni u. 9. '
-- Vende-se um* crioula do muito linda figura
moca, quo engomma, e tem principios de costura
na travessa da ru a das Flores, casa do i portas, 0
pede tun porlo largoe novo, defronte do cirtir-
gilo Migucliubo.
Minia Vamos Jj" Companhia.
Ra I\'ova n. O.
Acliam-se a venda ricos leques de clja-
rao, com pinturas muito linas ; sarja pre-
la, larga, liespanliola ; se I im preto mui-
to bom, proprio para vestidos'; ricos cha-
les e mantas de sed esccef, dos me-
Ihorcs gostos que teem apparecido, tndo
o mais barato possivel.
Vendem-se sarjas pretas ; e meias
pretas, de seda e algodao, de excellenie
qualidade, na ra do Trapiche, n. iG
Vende-se urna preta, de 30 annos pouco mais
ou menos, com alguinas habilidades eque hcqui-
tandoira, por prego commodo : na roa tas Cruzes,
n. 41, segundo andar
Vcndcm-se botOes do massa com cora, pro-
prios para fardamento de offlciacs do cagadoros: na
ra Nova, n.26.
tt!atteftt%f
.v
tas e brancas, as mais superiores que tecm appare-
cido, tanto para homem como para senhora; luyas
de seda ; chales do seda muito modernos c de lin-
dos gostos; cainhraia de linho, muito fina; lencos de
ram bra i a de linho bordados, para senhora, dos mais
linos que ha por muito baralo prego; csguiio de
puro linho e muito fino ; platilhn de linho ; c oulras
muitas fazendas que sero patentes aos comprado-
res e por barato prego.
AVISO
aos Srs.deengenho
Ka ra do Crespo, loja n.iS,
de Jos Joaqnim da Silva
Maya, vendem-se
cobertores de algodflo muito encorpados, proprios
para escravos ; bem como urna fazenda de lindo a
imitaefiode estopa forte e propria para roupa de
escravos e saceos para assucar; ludo por prego mui-
to barato.
O baralciro da esquina do Livramcio par-
ticipa aos seus fregue/es das boas pechin- ^
chas, que elle tem um novo e completo sor- *f
tmenlo de fazendas que, a visla da boa qua->%
lidade e pregos commodos, merecen o tilu- 0
lo de boas pechinchas, das quacs se mencio- /p
iiam algumas, como; cortes de velludo dos Jh
mais modernos, a 5000 rs.; ditos de sotim 9
de cores, com listras, a 2500 e 3000 rs.; se- *&
da de cores para vestidos de senhora a 1000 &
rs. o covado ; luvas do pellica para homcm, t.
a 1001) rs. ; ditas para senhora, a 640 rs.; di- !j%
tas do seda a 320 rs.; meias pintadas mi- 9
lando seda, muilo proprias para as seuhoras (&
andarem por casa a 320 rs.; longos atla- Q
mascados muilo linos o proprios para senho- ^
ra, a 640 rs ; um grande sortimentode na- g
dapolOes, de 2000 al 6000 rs. lrando-so V
entre ellos algum que imita p.anniiho s dH
com a differenga da qualidade ; um com- 3
pleto soitimonto docilitas, do 140, 160 e 180 *j
SP rs. c entre ellas apparecem algumas quo JW
** pelo prego he urna pcchinclia ; bem como <5f
umatporgfio de litas pretas de rclroz a 640 jH
rs a'poga de20 varas; um resto de roupa foi- 3
i ta para escravos, que he urna pecliincha *
S por sor cada urna pega de obra a 500 rs. ; 2*
suspensorios de meia proprios lambem pa- fif
t ra osmesmos a 40 rs. ; o oulras umitas fa- jU
Ai fazendas por baralo prego, e rocebem-sc ce *
f** dulas encarnadas de 20,000 rs. e brancas de *jj
2000 rs. C
GiMinmalica do Salvador,
sexta ediguo correcta e augmentada : vende-se na
livraria da esquina do Collegio.
Fotassa da llussia,
verdadeira e nova, em Larris pequeos,
por prero muito commodo : na rua da
Cruz, n. o, cm casa de Kuikmaun
Koseomunti.
= Vendriii-se barrica* e meiai ditas com fariuba eal-
ouro com diamantes : na Boa-Vista, rua do Pires, I ieKa, ,nn|M .upcrlor; barrica* t meia. ditas com ca'
" i vlrgein de Liiboa ; barrica*coin potuia branca e preta;
Escravos Fgidos.
Fugio, no din 10 de setembro do prximo
passado, da villa de S.-Jos-do-Pocliini,^
um escravo, de nome Candido erioui'y
alio o grosso, bem barbado ja pinta
bstanle a barba, que com reparo se ve,
urna cicatriz que mal se percebe em um dos pspor
baixo do calcanhar .proveniente de um er.ivo, pos
grandes e apolhelados orelhas regulares boa phy-
sionomia ; tem o andar meio accelerado, muilo me-
tido a pachola, bem cachacciro, trabnlha em roga,
bom carreiro e cnlcndo do trabalho de gado; julga-sti
ter falta de denles; levou camisa c ccroulas de al-
godflo da trra : quom o pegar leve a casa de Mannel
JosC.ongalves Braga em l'ernambiico, que recom-
pensar.
Fugio, nodia 18do corrento, urna negrinha,
^K do nome Marcianna, de 12 a 14 anuos, com
Ja urna queimadura na face esquerda, urna enipi-
gem nailiroita eumaoutra queimadura na pona
direilo ; levou vestidoroxo e panno da Costa; tem
cabello cortado : quem a pegar leve ao Passoio-Pu-
blico, fabrica de chapeos de sol, que ser genero-
samente recompensada
Fugiram.no dia 27 de dozombro, do si-
lio Campia do engenlio Cumhc-dc-Hni-
xr., 2 escravos : Thomaz, crioulo, de 21
anuos, bnixo o grosso, ps requerios,
nidias mui perfeitase vermelhas, caad-
las finas, rosto redondo c carnudo pouca barba,
denles podres venias arrezagadas, olhos um linio
vermelhos, caliega compridu com utnn ferida ua
perna e cravos de btmbas nos ps : Antonio, criou-
lo tle 22 annos pouco mais ou menos altura mais
que ordinuris, peritas finase mais compridas quo o
corpo, um tanto cabido pura diante, espadando,
miose pos grandes unliasroxos, caboga redonda,
rosto descarnado, principia a bogar, denlos bous,
beigos dobrados olhos brancas, e quando fita a vis-
la aperta-os ; levou deus cavados, sendo : um cas-
tanho-amarollo de 7 para 8 anuos, pequeno, carre-
gador, corpo dobratlo cascos rasos e redondos u
p direilo calgatlo at o meio do peador, signa! co-
berto, um tanto earcundo, cabega bem feila e des-
carnada, urna grande estrella na testa ; dentro da
Su I tem cinco pintas grandes da cor do corpo ; lem
ous ferros no quarlo direilo sondo o d cima un
B como lado convexo vollado para cima, urna haslo
puxadn para baixo lindando emum C, o mitro igno-
ra-se, e nilo de castrado: o outro cavallo rodiulu-
claro, de meio tomando de 8 anuos, castrado, cas-
cos lirnncos, um mal do dcsla em um dos ps ou man,
no perno esquerda pola parte tic dentro tem urna ci-
catriz tlcum espravao, e na mesma pelo lado de
foro um O.iio meio do espindago urna cicatriz de
dexigs no saniolba urna ferida ; lio rarregador e
ignora-seo ferro. Quem os pegar leve ao dilo sitio,
ou na praga ao Sr- Francisco Ignacio Ferreiro Das,
morodor na ru da Pendo, que ser bem recompen-
sado.
-- Do engenho Loga-Vcrmclho, ribeir de Ceti-
luba, provincia tle AlagAas, ausentou-se, no din21dci
passado, um escravo tle nomo Itonodictii, nugilo Cam-
binda; tem urna ferida no calcanhar do p esquenio,
anda vagabundo, dizontl que seu Sr. o deilra pra
foro de casa, por o nilo querer tratar: a pessos que
o pegar, leve-o ao dito engenho, ou no llecife, na rua
da Cadeia, loja n. 20, que ser recompensada.
Fugio, no dia 2 do enrenle da ciliado
da l'aialiilia o cabra tica borlado, de no-
nio Athonazio, ofTicinl de fiinileiro.es-
liitiirn baixo, cabellos corridos, naiiz
afilado; lom uns signaos tle carne nos
peitos, c um dedo de menos nos pos; sabe tocar vio-
la, e he muito amigo de funccOescdc beber ago'ai-
denlc : quem o pegar leve em Pernamburo na
funilig.iode.Mcsquila & Dutro na rua do llrtiin c
naParahiba, ao Sr. Francisco Matcband, que ro-
compensui'iio.
Fugio, no dia 27 do correle pelas 7 horas da
noitc urna eseravn, de nome Florenca, de
25 a 26 anuos, cor acabralhiidu cara larga,
lesla c odos grandes o empapugailos nariz grosso ,
bocea grande, beigos grasos tientos largos o do
lado esquerdo lem um quebrado, estatura alU ,
corpo regular ; levou 3 vestidos unido ganga azul,
outro do risiadoamarcllo e loulro tic cosss piulada
deqiiodros, com um liabado- estreito por baixo ,
panno da Costa com franja do iesmo pono", 1 b'ii-
gol de algodriozinho, 2 pannos com abainhudo largo;
ps grandes, spalos da Ierra do panno do quadri-
ndos; tem todo corpo edeio do marcas do boxigas
frescas de pouco lempo; foi comprada ao Sr. Ma-
nuel Joaquim Pascual Ramos: mi|
fra para urna Casa le tuna senhora
iiheui senhoro ho das Larangoiras alin-
do ello fez urna criacTo c que tlissera que anda vol-
tava para l, que a dita senhora a comprava.
UN. :%A TYP. DE M. t. DE FAR1A.----lS4,*>'
MELHOR EXEMPLAR ENCONTRADO! .


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EOLH1D5P2_7WUW7L INGEST_TIME 2013-04-30T21:45:34Z PACKAGE AA00011611_09728
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES