Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:09723


This item is only available as the following downloads:


Full Text
~*h
a ,111o (le 1847.
. nl/MIO pul.|ica-e lodos 05 da, que uo
,' i'c R"rdB l,re d" ,i8,""'a he 'le
"*L l5, mi quarlcl papia-ad'.-nnlaJnt
dos signantes '"'. UmtinM casita .le
rlilil*, '" i' en: lypo difireme, tai
""'i'iCiP-|mel,t,e- (!* 1uei,:' r rcm'asvg-
>'P ."__IrSn 80 rs por llntin, e lo ein lypo
,tn iaearto *" T
ilTorc-nW, | "IIASKS DA LOA. NO MEZ DE JANEI.~0..
fi cia a I, o$ 21 minuios il* larde.
u,'..o.nlC as J r " .. a ifl. lis 1" "Oras e J I mm. d larde.
I 11.1 lio*'' j
; ,cente, aIS, al boca e 57 mm. d maana.
Sabbado US
TAllTIDA DPS CORM-IOS.
Goi.iinae Parabyaia, ai* segii. das csrslas letras.
IWUrande-dn-Moiie quimas UiMUaieio- Cabo, Serinlicm, llio-Foimoso, roilo-Valvn e
_ Macelo, no l., a 11 e Ii de cada mea.
(araiihun*encuito, a locJl.
Il.ia-Vista e Floies n 13 e J8.
Victoria, as quintas le-as.
Ulinda, todos oiilias.
PUEAMAit DE IIOJE.
Priineira, i lo lioias 1 1! trinlos da man lia.
Segunda, a< 10 llorase 30 minuto da ranlr.
de .Janeiro.
Anuo XXflf.
N. I.
pgai. IHIl I
ni as d\ SEMAPv
Segunda. S Priea. A mi d>J. do orph ,
do.l. dor da ? v. o do J. M. 1I.1 i v.
Terca. S. Camilo. Aud. do J. do civ. da I
v. c'do 1 ,-de |iat do 5 ilist. de l
Oiuii-i S. I'i.|n'o Aud. do I. do r'v. da 1
v e .lo .'. de ptx do 3 L'lsl. de I
Quinta. S. l|nM Aud do J. de orpli., do
J. municipal da I vara.
Sc\ti..-. Canil'- Aud. do.l doCiT da I.
v c do J. i'e buz .lo I. disc. de I.
Sablwdo. S. Inicime. And do J doeir.da
I. v e do J de pin 1I0 I ilisl del.
Domingo. ISussa Snior ua l'az.
CW1MOS NO DIA MOR ANKHtO
ml.io s .lar Loadresa ?!>'/ d- p, Ifri.a en d
1 Pri 170 rs por Iraaic.
r_,| oa la ale premio.
11 c ilelel de Loas lirm..s l1
furoOurai l-espaaihoJa**..
n i!, c 11' de 1?I00 vel'i,
.," > ile fljj'loi nov.
(leiooa....
P.iaM Pataco* ......
a Pi .... cnlai nniies...
11 Ditos mexicanos 1.
Hiuda
lVP.VMn,e*
lajaian
loouil a Ififm.
llill.UI
ajo 00
jjoim a
tjQtl) n
i#74'> a
IJ7.) :i
Ol-i
Sfi;.>
I7ii"
Acte*daooiap.do llilaei .bede60(1000n.Mpar.
DIARIO DE PERNAMBUGO
-

EXTERIOR.
CORRESPONDENCIA DO DIARIO DE PERNAMBL'CO.
LISBOA, 7 DK DEZEMBR0 OF. 18*6.
No din 2 ilo enrrente, anniversario natalicio dcS.
SI. o Imperador do ISrasl, houve rounflo no paco a
qual estove muito concurrida e brilhanlc
Tem corrillo estes (lias o rumor to que eslava a
chegar oduqueda Tereeira, indo al para a casa de
S. Kxc. c para oulras parles miiilus girndolas de
fugeles para anear ao amo mntenlo da sua chega-
da. Dzia-so que a junta do Porto 0 havia sollado,
cotn a condieo de se retirar a um miz estrangeiro,
podendo vircomludo a Lisboa ter una entrevista
CDOI sua illuslro esposa. Apezardestcs rumores corre-
rem desde o dia 2, --ainda o duque nflo appareceu,
eas noticias receladas daquella cidade pelo vapor in-
gle?, viudo do Norte, c que chogou aqui no dia 3, na-
da dizem a semelliante respeilo : por coiiseguinte
julga-sc falso o boato. O que parece certo he que se
tentou urna especie de reacefto no Porto, a qual se
friistoit completamente, e era talvez esperando o
born exilo da tentativa que os homens do partido do-
minante ospalharam a noticia; porm a chegatla do
vapor inglez desvaneceu todas as snas esperancas.
Conliniia-sea fallar de convenco ; porm gcral-
mente se acredita que por emquanto nada se far,
pela difliculilade de virem a um accordo os dous par-
tidos bclligcrantcs
Procedeu-secleigUo daassembla geral edirec-
cao novoBanco-tle-Portugal --, eambas as coipo-
nres se compoem quasi dos mesmos individuos que
fortr.avnm a asscmbla geral c direceflo do Banco-
de-l.isba. A assembla geral actual compoe-sc do
conde de Porto Covo de Itandeira, presidente ; An-
tonio de Azevedo Mello e Gamillo ; Antonio Joa-
quim deOliveira ; o Augusto Xavier da Silva, secre-
tario. Adirccco compOe-se do conde de Porto Covo
de llandcira ; Bernardo Miguel deOliveira Uorges ;
Augusto Xavier da Silva ; Flix Pereira de Magallifles;
Jo> Antonio Ferreira Vianna Jnior; Jos Oordeiro
l'eio; JofloFerreira dos Santos Silva ; Joaquim Fer-
reira da Costa ; o Alexandre Jos Ferreira Braga. Es-
ta corporacHO dirigi a S. M. a rainlia urna folicita-
To, agradccendo-lhc as medidas ullimamenle to-
madas a favor do dito banco, qual S. M. respon-
den cougratulando-sc com as esperancas do futuro
mclboramciilo e prospeiidadc daquelle cslabeleci-
menlo.
lio disto que geralmento seduvida ; porque o cr-
dito do banco om lugar de augmentar diminne. Nin-
guem troca urna nota sem perder nella 900 ris, e is-
so quando Ih'a querem trocar.
flo be s ent Portugal que a fazenda publica se
ai lia desacreditada. Os fundos portuguezes licavam
em Londres, segundo as ull imascotisaces, a 301!...
D/iorocbamou a istoerro de imprensa, e promet-
teu clara sanerd estado dos fundos, quando visso
uutros jon.aes ; porm, logo que se desenganou, re-
niotleu-sc ao silencio envcrgonlrado, vendo que a
sua gente, osbomensda ordeni, nilo inspiram con-
lianca nem dentro nem fra do pniz.
1) niesmo Diario tcin-nos apnquenlado esta sema-
na rom os assignaladns lriuinpbos do coronel Lapa,
o qual so aebava, segundo elle, em Alcobaca a 28 do
paaaado, e daiji dirigi urna proclamacao a os povos
da Leiria que o mesmo Diario Iranscrcvc. Entretan-
to, parece que a tal proclamacao no agradou muito
aos ditos povos ; pois que, segundo ltimamente se
di/, o dito coronel Lapa, acossado por frcas popu-
'i(res, leve de retirar-so para Obidos ou lorres-
Vedras.
Tambem se assegura que em Cintra houve urna
nova sublcvacao, leudo vindo para Lisboa fgidas as
autoridades que alli liaviampor pmtedo governo de
LisbAn.
O Diario tninbcm nos mimosea com um extracto
de una carta do Porto (obra de Antonio Pereira dos
Res, como teem sido oulras ja publicadas no menino
Diario' no qua nfio s se pinta o estado da revolucSo
no Porto o em Coimbra como o mais precario e mi-
seravel, mas descreve-sc de uiii maneira vergonzo-
sa e ridicula a entrada da divisilo de Sii da liandeira
no 'iiilo Segundo a dita carta de 2,500 bontens, a-
renasentraram 200 e lanos, descalcos e esfanapa-
'los Isto be urna ridicula falsidade, porque se sabe
posteriormente que o visconde de Si da Bandeira
m conseqiieneia da defeocHo da torca de tnfantana
i c 15 oue se passou ao burilo de Cazal, retirou em
boa ordem para o Porto, onde enlrou con. alguma
rrcn,.deixando a nutra parte m margen do Douro,
para obstar a passaceni de Cazal, o qual cflecliva-
menle nada lem emprchendido.
Diz mais a dita caria que o conde das Antas man-
dara dizer junta do Porto que era preciso acabar
rom a divisilo do Cazal fosie como fostt; porque sem,
isso nno poda tomar a ottens va, o quo esto pedido
dera lugar i expediefio de Sa da Bandeira. j
Por ultimo cnnclue a niesma carta corn a irrisoria
noticia de que o general escocez Mac-DonaId que
eonimandouoexercilo de I) Miguel, as linlias de
lisluVi e em Saittat^m, se echa frente de urna guer-
rillm no Minti. Ninguem que tenba senso cominum
1 ar.___ 1.1 ii ,\.,i\>i,\ nf'ifl*ailn IIII
inactivos a revolta, c nilo a hostilisarcm, nem adbe-
rirem legitima causa da rainlta.
O outro objecto be querer, com o pretexto das
guet rilhas miguelistas, justificar a intervcnQuo es-
caiulalosa da Hespanha nos nossos negocios.
O governo mandn suspenderos processos em que
os militares forem autores ou reos, durante a presen-
te lula ; mandn crear utncorpode guardiis-liscaes,
com tres compendias de infantaria e una de caval-
laria : total 301 ; assimeomo mandn crear dous ba-
talbes naciouaes, um em Albandra c nutro no Car-
ta xo.
A proposito dos ba tal I me* nacin aes, cabo-mc di-
zer-lhus aani que talvez estes corpos venham a ser
mui prejudieiaesao governo. Km Lisboa ha grande
niaioria de gente opposla ao governo alistada nel-
les; e j teom tido lugar varias oceurrencias que nia-
nifestam o que se pode esperar do futuro. No segun-
do batalhilo de atiradores naciouaes (0 de Joilo Anto-
nio de Almeida) manifesloti-se tal espirito do descon-
tentamente que o governo julgou prudente transfe-
ri-lo do quarlcl doS.lo-Pedro-de-Alcaiitara que. oceu-
pava, para o dos Paulistas, onde se acha una compa-
nhia de guarda municipal, alim de os vigiar e obstar
a qualquer tentativa.
No primeiro batalhilo do conimercio, mandn ha
dias omajor Joaquim das Neves Franco alguns sol-
dados presos, entre urna escolla, para o Cusidlo. Os
outros cantaradas comccarain a murmurar disto, e
lendo-se travado urna acalorada disputa entre o sol-
dado e o dito maior, este ameacou aquello com o pu-
nhocerrado, ao que o soldado respondeu puxando
pela baioncla, para o alravessar. Ntsto chegou o co-
ronel (o conde de Penamacor) avisado de aulemno,
e reprchendeudo o major, por tratar os soldados da-
quelle corpo como pravas do pret, disse-lhe que ja
iio podia alli permanecer, e o melhorera relirar-se;
o niandou logo soltar lodosos soldados que omajor
tinha prendido. Em vista disto v-so oque se pode
esperar-de taes tropas n'um momento decrisc.
I'oi deniittidode director da casa da moeda, e de
inspector da escola polvleclinica de Lisboa, Antonio
Cabral de S Nogucira," irmilo do visconde de S.
Em Lisboa acabaram-se as fachinas para a repara-
dodas Hullas de defesa ; mas parece que oslraba-
Ibadores passaram Oulra-Banda, onde se diz que se
vflo fazer forlificacoes. .
Assegura-se quo o conde das Antas recebera 200
cavallos, comprados em Hespanha, os quaes esta or-
ganisandoem Santarm, para depois entrar em cain-
panhu. Parece que a falla de cavallaria lem sido a
causa da sua eslranha inaccio
Diz-se que o visconde de Setubal oceupara Peines
com alguma frca para cortar aos revoltosos a estra-
da de Coimbra; porm lica-lbes aborta a estrada vo-
lita qne passa por branles e oAlemljo, donde po-
deni tirar recursos, visto que Saldanha se acha lia
impossibilidadede dividir muito as suas frcas, ja
bastante diminutas. Oulras asseguram que o mesmo
visconde de Setubal vai lomar orommando das rot-
eas do burilo de Cazal. ... o
Parece que o conde de Bombm salnra de Saniarem
com alguma Torca para as piovincias do Norle. Jul-
ga-se que o sen fin be bater as tropas do Cazal. I.n-
irelantoisto prolonga a situncao, porque nilo pode
alli chegar antes de 12 ou 15 dias.
UiEM, 8.
Publicou-sc bonlem um suplemento ao Diario, on-
nunciaudo a tomada de Valonea, pela tripolaco da
fragata D.-Mnriu que cruza as agoas de Vigo. O fei-
to nflo be deconsequenciiy .ponjue Valonea eslava
completamente abandonad?; porem lie muito signi-
ficativo, porque, segundo se diz, a dita iripolacAo
desembarcou em Vigo, ntravessou o territorio hespa-
_ 1. 1 _.' 'I-. ... n llxll .il.u.mi 'xieditarque'sTac-Donad, general afamado na
'uropa, se- iessepra I
Portugal.
IIB jiuu-wuii"".| n-.............;-
por afrento do urna guernllia em
Dous sito os objectos com quo se propalam esta e
nutras noticias scmelliautes. O primeiro lie crear
descomanca entre osseleinbrislas, metiendo meiio
rom os estreos dos miguelistas que nunca estiverain
lilo quietos ; e urna nrova eVidenle disto he urna or-
dem do exercito ullimamenle publicada, na qua el-
'; como commandante em chefedo exercito, eslra-
nha e reprehende os ofliciaes miguelistas, por vercm
enviando grande numero de navios carregados de.di/om que manlina sobre i Amina, ponto na esli
ccrcacs aosportosda Irlanda e da Escocia. Kntie- jila de Setubal, ent cuja villa rntranrn ullimainenl
pariamenio 101 uuau'i para a einn.i uu <.-iasuu.nj ^
entilo torito lugar os grandes debates e oxpliracoes
sobre o casamento do principe franeez com a infanta
hespanhola.
Nos cnidos suissos de Cenohra o Hasilea, hou-
ve urna rovolueo em quo flcou triumphanto n parti-
do radical. Berna aehn-se a frente desle movinieiito
para oppr nina barreira preponderancia dos seta
cantiles calholicos, que teem frmalo entre si urna
liga a Tavor dos jesutas. Em todos os cantos se fa-
zem preparativos de guerra, e parece que a Repblica
Helvtica quer dar i Europa um espectculo sangui-
nolento que por certo Ihc nSo sera proveitoso. A
indecjaitO da dicta ent resolver varias nuosloos vitaos
lem levado as colisas a este ponto. A falta do sulisis-
nliolalTuy, e dalli alacu a praca. utra prova da fragata u-W,f;XB"VrriuVrioVies'iVaiii.".l"veio
mais da ingerencia da Hespanha nos nossos neg- ^^^^^]^^L:
;aiia.
Diz-sc tamben) que o coronel Lapa entrara em Co
mbra, abandonada pelo marque? de Lole. Esta no-
ticia depois das que correram de ter sido derrotado
o dito Lapa, parece inverosmil c ninguem acredita.
Entretanto veremos se se confirma ou nilo. As men-
iras por urna e outra parle silo em abundancia.
Secundo as ultimas noticias de Hespanha, pa-
rece queja teem apparecidoalgumas guernlhas car-
listas na Ciitalunha, cnoAragf.o; cape/.ar da vigi-
lancia da polica francczB, todos os correros nos an-
nuncam que grande numero de refugiados carl.slas
tcnlam intcrnar-se no territorio hespanhol pela Iron-
eira A isto se ajuntam os rumores da chegada de na-
vios com armas, munices, ele. ,s costas de lles-
pauha; assim cmoda vinda de Cabrera, Torra.lcll
outros Chefe carlistas. Tudo isto parece indicar
ue a Hespanha vai ser novamento theulro de gran-
des acontecimentos. .....
- Em Franca houve esle anno no principio do m-
erno grandes c desastrosas inundacoes. O Loira, o
Rhodano.oSaone o outros rios sah.ram dos seus
leitos.e inundaram os pa.zes c.rcun.v.z.nhos, dcs-
ruinio casas, pontcs, arvores, homens, gados, etc.
iscrdas teem sido cnsideraveis. Ore, e ospr.nc-
esderam logo avulladas qoant.as P""f^rrr
felizes victimas das inundacoes; e o governo fo.
atorisadocon, varios crditos para atlonder asper-
das Com motivo (lestes desastres, suspenderam-se
ffestas que doviam ter lugar as Tulber.ascom o
otivo So casamento do duque de Monlpcns.cr com
l".hS^Ka'r.al.a de subsistencias oceupa
todos os anK A mu coll.eita das btalas edoou-
?os gen.ros aiimenlicios le... deixado son. p3o o
"m dimento multas populaces da Irlanda e da l,s-
coe ri egando a morrercm de tome algumas pM-
os U ^Ul t.Udo do cousas deu lugar a vanos n,o-
?i sem diversos condados; nos quaes se formarara
dUs na a dar trabalho e de comer aos pobres 0
P" ..' c! a.mhm i.a.ln nnue eslava da sus parle,'
ii: u>, i ni ijii. ni- i iiui.ii.iiiw.,iii\' .-..--. .... .......
ment Moraes o Mantas, antigo commandante do 15."
balalhflo da guarda nacional, e decidido patriota.
Assegura-se que O dito liatalhJo de h'.mioraiim, de-
]>ois de ter viudo a Val-de-Zebro, onde nueilUDU a
ponte dos vapores, se situara em A/eitio. lie contra
ludas estas lorias que o general Scliwalhaoh vai
manobrar, o veremos n resultado.
O coronel Lapa, depois de soifrer um desastre em
Obidos, t'ni tambem balido em Alda-da-Cru, junto
Ourem, lendo-se que reunir i columna do coro-
nel Ferreira, para nflo (Icar completamente derro-
tado. Rnfrotanto 0 Diario que ainda falla do no-
jenlo assiimpto das pedradas ao regiment n, 1, diz,
pelo contrario, que 0 coronel Lapa derrotara as iv.r
i'aii; |iinini. n i!., ,../.......... i..................., t ii i
lencias tem tambem dado lugar a varios disturbios Cas que o atacaran., c ate talla de dous ou tres pri-
em Berna o outros cantos. oneiros ; pororrt n.a ...serla parlieipacao nlgnm:.
lo combate; assim como tambem nao nserin dota
Em algumas legaces pontificias teem havido
desoda* promovidas pelos sanfcwttas, ou partida-
rios do antigo rgimen. Ha quein diga que a Austria
rilo be eslranha a estes mnvimcnlos. Entretanto o
novo papa Pin l\ contina impvido no sen syslema
de reformas.
O casamento de duque de Brdeos com a princeza
Tbere/a d'Este, irmaa do duque de Uodona, una da*
princezas mais ricas, o que goza das prerOgalivas de
archidiiqueza de Austria, tem animado muito os lo-
gitimistas l'rance/es, o causado nao pouco dissabor
a coi te de Franca, lia quem assevere quo esle ma-
trimonio he fructo de poltica ingiera, unida a das
potencias do Norte, para se vingar de l.ttiz l'ilippe,
por causa do casamento do duque de Monlpensrer.
Contina a questflo entre o governo dinamarqus
1W 1 "IIIIMir al.-s.-lllll lilil" nata.- ....- ...------------------
Ihc algiim relativo a aceito que hoiive entre o haro
do Cazal eo visconde de Sa da liandeira.
A proposito do harflo do Cazal, o mesmo Diaria,
depois de um silencio de mais de vinle dias, no*
diz no sen numero de Mimado 19 do eorrente, que
o dito general inarehavii de Villa-Real sobre o Porto,
e que, tendo-lhe a junta revolucionaria daquella cido-
de fcito proposlas, as rejeitara inlimine, por nada
ter a tratar com nina junta facciosa.
Salie-seque o Porto se acha magnficamente for-
tificado, e que os seus habitantes sao valentes e
leazos, do que derain exuberantes provas na hita
contra as formidaveis loicas de I). Miguel. Sere-
mos o que faz o Si. Cazal, que tinha sido ate agora
reronheeido romo setembrista, e ate ajuma do
.jraa"i!riH^^
parece que ainda oceupara por muito lempo a alten-1 para commandante da cavallaria, nape. Mas.,
ello da Allemanha, visto quo ambas as parles estilo que annuir.a a resolta
\t_____a__. .uBlBAlaa na cxanu flirnilrw
disposlas a sustentar os seus dircitos.
Porm outro assiimpto chama agora mais a atten-
cio tanto da Allemanha como da Franca e da Ingla-
terra, lio este a anncxacHo da pequea repblica de
Cracovia ao imperio da Austria, resolvida entre esta
potencia, a Itnssia c a Prussia. Parece que o tratado
de Vienna so garanta a independencia lo Cracovia,
conservando-sc esta neutral; mas tendosido .foco da
ultima sublevacilo da Polonia e Gallitzia, as ditas po-
tencias, segundo o mesmo tratado, decrelaram a
annexaco. Todava diz-se que a Franca c a Ingla-
terra vilo protestar contra esta dccsio.
Nos domis paizes da Europa nada tem occorrtdo
de importante '_
." S Acaban, de assegurar-me. que hnuvo ti.na
revolucflo em Madrid, leudo cabido o mnislerio Islu-
riz. Ignoro ainda os pormenores, por nao me ter si-
do possivel ver folhas de Hespanha. lodavia consta
que correti satigue, c que 0 povo quiz laucar fegO M
rasas dos ministros. Tambem nflo sei quaes sao o.>
membros do novo ministerio; mas de ludo v,*a."^| ^"'^"Vh'iro "nra "asTnlv^"*' Jo" Norte mal-"
jtsttsgsfssta ssfla.- sr atksr*'............."'"
neira a favor dos revoltosos.
lllESI 1G.
Ilavcndo o navio Conftif5o- tinaaesse porto, demorado a sus partida (quo es*
lava annunciada para o dia 8) at hote,^fM COffl-
muncar-lbeoccorrdo .leste aquella dala, na quid
Ihc eserevi a minha ultima. .
Confirmare a tomada de Valonea pela tripolaco
.. .!.._._ ___ .....,,, il... niimiiieiei saltn
O marocnal Saldanha permanece as suas posi-
cocs'do Cartaxo, e o conde ilas Antas era Santarm.
Esta inaceflode frcas continua a ser um problema ;
e por corlo quo nflo lie ventajosa para os revoltosos ;
porque, .segundo so diz. ja de Sanlaivm tem fgido
gente DOS batalhfles populares para suas casas.
desgostos de estarem ha tanto lempo em Santarm.
sem la/eiem eousa alguma. Se alli se demoraron!
inactivos, hade vira acontecer o mesmo que acon-
tecen a I). Miguel quando alli so rctirou do cerco
de Lisboa, nos lilis do anno de 1833 ; alhe, desc
tarnm companhas nleiras dos batalltes do volun-
tarios realistas, deisando cartas aos seus coniman-
dantes, di/en.lo que : so iam embora, nflo porque
tivessein mudado dcopiuies, masque nada fazeit-
.lo em Santarm, e leudo chegadoo lempo rio amn-
nho das Ierras, iam tratar da sua vida, para nflo fi-
carem completamente a mi i nados. >. Isto mesmo
se espera que neontcen agora em Santarm, se os
revoltosos all se demoraran pormaisafgOm lempo.
Diz-se que o conde de Itomfim, que anniiiicioii
t..onnrin.-1-sKmiMiiutiii.". -,- -.- i ./
da fragata U.-Maria, que como Ihc aniiunciei saltn
..." ____.1___l>:irin linsilOBlllll VIMI1
iliatili aiii.iv.i. ti.i'^*'- -i------ ....,.
sua Kuarnicfio era diminuilissinia, e so conservavo
algumas boceas de fogo. Alem disso nao era poni
do importancia para os revoltosos, (i goyernadjr
Jos Mara tic Souza, que lem o posto de brigadeiro,
nflo fez resistencia alguma, e abri logo as portas
da praca aos atacantes, os quaes all so installaram,
restabeleceram o governo da rainha, c instauron-se
nodilopontoa junta contra-revolucionaria queso
aebava em Vigo, a frenleda qual esta a Antonio I c-
. >:<..l~ 1a ,i.,iiiinn.'.ai'io rniriaf
iHlliHil I lll I "," *-.... -i---------------------------------
reir dos Iteis, com o titulo de coninnssiirio regio.
Este aeontreimonto nflo lie de importancia algu-
ma, nem mesmo os homens do partido dominante
em Lisboa Iba deram. He comludo muito signifi-
ca I vo pelo lado da interferencia que a Hcspentaa es-
ta lomando nos nossos negocios internos, consen-
lndo que desembarcassem n'um dos seus porlos
frcas, e que estas atravessassem o sou ten ilorto
cara virem atacar una piuca frontetra do um reino
eslranbo. Alm dsso contina a alliriuar-sc quede
Hespanha veem lodos os soceorros e ate dinlictro
para o governo porluguez de Lisboa. E que razem os
Inglezescm vista disto:' Por emquanto nada Iliz-
sc que querem liostilsar a Hespanha, e que para isso
IbesconvCtnderrubaro governo de Lisboa ; mas se
he pelo triumpho do condo das Antas, ou nflo, he o
aue ignoramos. .- ,. ,.
O visconde de Setubal (general Schvya bach) fo.
exonerado do comraando da fr;a que tinha as suas
ordens.e que, viudo do Alen.tjo.sc unirn.i as tropas
do marcchal Saldanha. Eslevo alguns das desempre-
gado, catcorreu que eslava ..o desagrado da gen-
io dominante que descontlava .iole desde quohavia
cvanlado o sitio de Evora. Porm ltimamente ap-
pareceu Horneado para commandar a 7." .Iiv.sao mi-
litar lAlcmljo), passando o barilo de l>lun.o/
para o 8.* divisilo ( Algarvo;.
1 O visconde de Selubal parti para o ni do Tejo a
lomar o commando da columna tojMJorJUHICO de
alguma frca da guarda muntcpal, o ^ r^tttejRM
"'...i ,a indo mis 700 a 800 homens. Com esta lrca
lapae Eerreita, que recorre entre Salarem o (.omi-
tir se ven. situar rom frcas em Cintra, para se
anossar da estrada de Torres-VedWS, ter conimuni-
cco com Penchc o o mar, o corlar ole vehculo
de cominunicaclo entre Lisboa c a dita columna.
As gara..lias foram suspensas por mais um mez,
isto heat" uc Janeiro. ...
Diz-.-e, que quando no da ) desebarcaram algu<
feridos viudos do Sulubal e de outros pontos da Ou-
tra-Banda, varios paisanos quo se ehavain noTer-
reiro-do-l'co, Ihe dirigirain algumas chufas. Em
soldadodaguartlainuiiicipalqiiealli se aebava puchou
da boionela contra o povo, porem fot derrubado no
chflo e desarmo : entilo gritn a diversos soldados
dos bataliu.es populares que alli se acbavam que
castigassem o povo ; ao que parece estes responde
rain : que tambem eran, povo, e que o melhor
era elle soldado calar-se, o ir-se embora. Em
conseqnencia disto, diz-sc quo desde csse da teem
andado varios magotes de soldados do balalhflo da
taita recommendavel pela sua exaltncao. pelos
liotiqiins c sitios frequenlados, insultando os
paisanos, resultando disto vanas desorden.
Na minha ultima Ihe fallei de ter havido tima re-
volucflo em Madrid ; e at agora anda nflo pude
apurar a verdade .leste boato, om consequcnea do
n8o so receberem em Lisboa, nem peridicos nem
correspondencia de Hespanha, porque as guern-
lhas .me inrestam a provincia do Alemlejn, nao
Jcixan. passar eousa alguma. Corren diversos ru-
mo, es sobre esla ..ocurrencia d.zc.n una que houve
uma revolucflo, leudo sido assass.iiailo o general
Pe/uela, capiWo-gcncral de Madrid, e pratlCando-so
outros excossos: assegumm outros, que houve
apenas .una crso ministerial, porem que fico.i de
novo no poder o mesmo gabinete. Inclino-mc a
que esta versflo seja a mais verdica ; porem nflo me
descuidare! de averiguar a verdade deste negocio,
e Ib'o parliciparei immediatamcnte.
|, s. Diz-se geralmente que o visconde de Se-
lubal enlrou na villa dcsto nomc, depois de um
pequeo liroteio, e havendo os revoltosos que all
linliain entrado retirado para Alcacer-do-Sul.
inEM 17.
No da9 do crtenle a noite houve grande desor-
den! com o povo no sitio da Boa-llora, onde se acha
aquartclla.lo un dos balalhocs nacionacs: acudi
cavallaria'da guarda municipal, c acutilou urnas
10 ou 12 pssoas, Islo causou bastante commocilo
ci.lade, e muito mais porque nessamesma noite
EBSHES r.r.aff~*- ~


*


<|a capital. Como no lempo le I). Miguel Ibi este o
anniinclo de nina conspiraran que se ilisse deva
reticular; e >> havondn rwolocfin mi enVrresconcn
e se laucando fogucles, logo se julga que a rcvolla
*ai robentar. Tu.Ua as praVas dos batalhors nacn-
iiaea hoaramnosquartea; porm nacaou-sa a nnile
s. n iinviil.-nle, e ncredita-sc que, BC liavia nlgum
plano, este abortou. .
Foi demUtido do lugar de procurador reglo, jun-
to a relajo de Lisboa, o concelheirn Jos Joaqun,
los Res o \asroncellos que servia do govornador
UVII, durante a adminstracilo l'almella
Ampl.ou-se o decreto de. 19 de Janeiro de 1821
sobre sidos as viuvaS dos oITlclaes e soldados do
-to nior[os 01| mp0ssihlM|.1(|ns pn!aonl(1
l'or decreto do dia 4 do correte silo demiltidos
de se retirara Lisboa. Aoorosoentamalguns que o ma-
rectial ja Tora batido em toda a linlia.
Osliomens do par ido dominante em Lisboa di-
zomqup, tendo pasando numerosas forcea revoltosas
aoAlomleo. para dormtarom agnnerat Scbwalbach,
As Razlas do Maranho alcancam a 13 deste moz-
Lilas nos habilitar a completar a nntincia que em
o mano u. 291, de 30 do dezembro ultimo, foi por
nos dada, acerca do arrombamento da casa da cma-
ra da capital, feito polo 8r. Anelo Carlos Moniz ,
ajudado por alguns de seus comparsas.
" mareehal Saldanha volta com todas as suas tropas
lrni,^lJ1^hL%'!eJ,eXi'r.gn.a,'n',ci',as M linnM ?. conso.HWo o m prtocptl qV, ao praticar
l;;<;'l"l.1|, marcha como resto das frcas para o A- !'"> lio arrojado acto, tinba esse homem em vista,
30. Traz aseu bordo:--para esta provincia o
doutor Antonio Henriques de. Miranda.com 1 cscra-
vo, Nicolao Bruno, 1 sargento e 2 escravos a entre-
gar : para o Sul doutor Joaquim de Saldanlia
Marinho, frei Joflo de N. Senhora, capitn Grego-
rio Antonio da Silveira, lenle Joaquim Ferroira
de Souza Jacaranda, 8 prncas para a armada e 3o
escravos a entregar.
de
lili
seus postos todos os ofDciaea que
iro liv.'iem tomado parto activa
desde 9 do im-
parto activa na rebelliflo. e
serflo tlemlttidnj os que se nflo apresentarem (leudo*
secoMervado ndifrerenles] dentro de 21 horas na
capital, o de ni dias oas domis divisos mililares
CnnUnua-soa assvornrque Mac-l>onal se acha no
Minho, oque engrossa cornos miguelisUs naaim-
nicrtlaeoea fe Braga, tendo-se apoderado do Pna-
lo Harcellos e Rsposende. Se osla noticia he cer-
ta no mais um obstculo para a terminacio da actual
lula, porque be oais um inimigo com quem os
nous partidos bWligerantesae teooi a havor. Toda-
va acredito que se ha alguma couia neste sentido
nao no do importancia, porque anda se. conservan.
cm I.isln'.a iiiuitosdos OuTciaasdoexercito de I) Mi-
guel, qno pas-ain pelos m.iis puritanos no seu par-
tido, e queporcerloja so teria.n unido a Mac-Do-
nol, se este se aohasso i frente de alguma forea res-
pcilavel; e por isso nao hesito em Ihe assogurar de
novo, que lato ho maia um boato, espalhado pelo
partido dominante em Lisboa, para justificar o
procedimento da llespanha, do que um negocioaue
posea inspirar rcelos. M
r para cousa alguma; e ou Saldatiha lia de M". te devenios acreditar a Revira, dentro om
M.'mi/.iS ,rJf*em ,isl)0a ou l'i,r,il' oom elll,s P Pouco teem dn'" minificadas a demisso o a rein-
i..imi'.J 1 5,ufal"' P"luole|K>i das bravatas que kwacflo tilo acinlosa' quanto illcgalmente decidi-
nas;porquanto a maioria artificial que as forjou.des-
apparecco inteiramente, com a exelusao de Manool
Jos doAniaraleCunha, supnlento que ainda nflo
eslava juramentado e que o lora pelo Sr Angelo ede-
uiai.s socios do arrombamento; com a adon'sslo do
sr. Jos. Miguel Pcreira Carioso, a quem os arrom-
>.uiore tinham negado assenlo, mo obstante j o
"i antecedentemente tomado, sol o pretexto de
que na qualidadc de medico do municipio mo poJia
<-xti ceras runccflus de vnrnador, o que o presidente
'id provincia, a snmelhante respeito consultado, de-
eiirou que dovia tomar parle nos trabalhos da c-
mara ; o com a apparicio do Sr. Isidoro Jansem Pe-
.-..as bravatas i|in-
wm uno o Diario, acerca de higirem os revoltosos
Wgu que se anresenliin as tropas da rainha. he vr-
gonhosa a retirada do marccbal em frente daquelles
Alguna homens do partido dominante queacreui-
lavom iinpossivel urna derrota da sua parte, o que
''" ludo vei'in traicoes nflo besilam cm dizer que
'< mareehal Saldanha, ou esta doido, ou vendido. A-
pezar.iejulgar o mareehal capas deludo, dou mais
cnMjtoa que osteja allucinado, do que compra lo
Nao na duvida que passaram frcas revoltosas ao
Alemtcjo, asquaes em combinac.lo com asquecom-
manda o conde de Mello, que se acha em Estremoz,
operaran! contra o general Scbwalbach. Este parece
< oluinna l.apa, alaqucm o conde de llomliui para obs-
tar o seu movimento sobre Cintra.
Tambern so diz que o condo das Antas saldr do
saiiiarpm rrcnledcalgumasfrcas, mas ignora-so
com quo deslino.
O Diario diz-nos que o barao do Caza 1 so acha va em
along, eluda as suas avncelas em Hio-T.nto,
iievondu operarem breve contra o Porto; porcm eo-
laliiienlc aeacredita que nada tentara contra aquel-
la cidade, excepto se'livesse dentro intoll
para promoverein urna reaccao.
q
gcncias,
. Ilimamente foj preso o administrador c
piKsor da imprensa do l'atriota, tendo sido tambem
arcslada parto da lypograpliia. Parece que se des-
conliou que scimprimiam alli alguns dos boUiins
clandestinos que se espnlham todos os
boa, com noticias (avoraveis,ios rev
dos ditos empregadoa do Patriota d
prensa, por eerto que nfto ha de destruir o mal
uolotina, porque em Lisboa ha centenares de im'-
juensas nao so publicas, mas particulares.
Ogovorno niaudou fortificara Oulra-Banda, e den
ordem para quo marchassem para ulli do guarnicfio
lina porcao de artilheiros nacionaes Parece que'es-
tes recusaran) marchar; mas como no dito corno
lom praca muita gente do contrato do tabaco, o su
coronel barilo da Folgosa ( o antigd capeliata Bran-
dao) que he um dos conlratadores, ordenou nue
marchassem 80dos empregadoa na fabrica dos rlia-
ruios.sob pona de perderem os empregos Os dos-
gcaydos nao liveraui remedio se nao resigiiar-sc
marcharam.
El-roi I). Fernando passou revista no dia 13 nos
seus respectivos quarlcis, a lodos os batallies na-
cionaes. Noqnartel do balalho dos voluntarios da
arta offereceran um esplendidoalmocoaS. M. ouo
SO dignou aceila-lo.
Conlirnia-sc oflicinlnicnln n entrada do general
Scbwalbach cm Selubal, e a retirada dos revoltosos
para Alcacer-do-Sal. Porm tambem se assegura des-
de liontem que o rondo >las Aulas avancara para Sal-
danha com frcas respeitavefa, entre ellas 00 caval-
los, e quo Saldanha recuera ale as posices dcAlhan-
dra. Certo he que (cm ordem pata marihaiem ao
priuieiro aviso todos os bMalhoes movis nacionaes
de Lisboa.
man 19.
O Diario do Govtrno annunciou hontem que boje
comecariam a tercurso as novas notas do /anco-de'-
tortuga/, de 1,200 e de 2,400 rs c com este motivo
anta victoria dizendo que cssa medida fara des-
cor o agio das antigs notas OoBanco-de-Lisboa,aa
o,uues, segundo o Diariilm, teem subido alguma cousa,
ha algnni lempo, por mera especulaciio. Oalyuma
rousa que teem subido as ditas notas he quequaudo
tevo lugara reacefio ila noite de 6 de outubro o agio
las mesmas era de 400 a 440 rs., depois te ni continua-
do sempre a subir at 960 rs.; e no mesmo dia 'hon-
tem; que o/Jarioexultaviieoniasalular OlllisSilOdas
prximo o desenlace da lula; o ha quem assogure
quo por estes tu dias esta ludo concluido, lieos as-
siinoqueira, porque a piolongacao da guerra civil
esta causando irreparaveis dainos niio s ao com-
mercio, mas a lodos os ramos da industria. Alm
disso, asclasses pobres que pouco toem a fazer, sor-
frem consideravelmento, nflo so na perda das notas,
mais porque lodos os gneros de primoira necessi-
dadecomo o pao, a carne e o azeile vo subindo de
proco excesivamente, em consequencia da manu-
tensflo das tropas do um coutro lado, o dos revolto-
sos das provincias do Norte nao pcrinitirem que ve-
nham para Lisboa e provincias do Snl cousa alguma.
Chegnn um vapor de guerra inglez do Porto, ediz-
se que trouxo a noticia de se ter descobejio una
conspiraeflo iui(|uella cidade contra o moWmenlo
popular. Parece que toram presas urnas (6-neasoaa,
o entre ellas o negociante Wanscller. iz-so quena
quinta desle so encontraram 1,400 espingardas ,
14,000 oarluxoi c nina grande porcao de dinheiro.
Nomeou-80 urna commiSsSo militar para pilcaros
conspiradores.
Tambem se diz que o general Povoas marchara
s os das por Lis- ,|0 Porto, a fenlo de Torgas revoltosas e populares,
e oares.n,!1',^',0 C0Bin,110 S** *> (;,IZil1 que parece ainda achar-s
. ,sl''".'.n,~ em \illa-iieal ou Amarante,
Em Lisboa contina a prender-sc a lorio e a direito
n.'io so para soldado, mas por suspeilas. No dia 16
lectada rediiccilo do corpo de pulieia ; procura equi-
librara dospezacomaroenita para fazer desapparecer
o dficit de maisde 60:000,000 de rs., do quo est a
provincia amcacada em o corrente anno financei-
ro; busca liberta-la da divida assaz consideravel,
de que se acha sobrocarregada; c persiste na louva-
vel o honrosa missaode reparar as injustieas por que
lano se celehrisou o seu antecessor.
0 l'rogrmo, folba que ora comecou a ser alli pu-
blicada, cojos seln primoirosnumoros vimos, eque
clama pola necessidade da eonciliagflo dos partidos,
e pela conveniencia de seren por urna vezesqueci-
dos o noslos de lado os odios quo se votam os mem-
bros desses partidos, pensa com nosco acerca da
administrado do Sr. Franco ; deposita nelle Ilimi-
tada conhanca, c impOe-se a tarefa de advogar os
seus principios.
No Para, cujos peridicos chegam a 6 do mez em
que estamos, nada liavia occorrido de extraordina-
rio.
I'assagciro, Jidiu Richard Armstrong, luglz.
Mar-Pacifico, tendo sabido do New-Bcdford, ha so
mezes, galera amoro ma Pioneer, de 231 tonela-
das, capitflo George Woolborton, equipagem ai"
carga azeile; aocapitao. '
Itio-de-Janeiro ; 30 dias, brigue brasileiro Fiel de
200 toneladas, capitaoJezuino Jos de Souza, equi-
pagem 10, carga varios gneros; a FirminoJos
Flix da Boza. Passageiros: Joa"o l.uiz da ilva
Joaquim Lopes da Costa Albuquerquc, Brasileiros*
Jdilo Francisco Pcreira, Portuguez.
Navio tahido no mesmo dia,
Babia; brigue inglez /.'no, capitn Arcbibald-San-
derson, em lastro.
Dcclarncoes.
COMMERCIO.
porm o segundo hooiisiou-se Ambos ellos tinbaii
sido redactores da eeolucio do Slinho, peridico,
que ltimamente sustenlou a admiiffstracao l'almel-
la ; e parece que se suspeilou scrcm os rodadores
de um jornal revoltoso queso publica clandestina-
mente em Lisboa com o titulo de Hcho dcSunlarm.
Geralmenle se acredita que as suapeitaa sao infunda-
das, o que esles dnus individuos ncm urna liuha so
lom cscriplo para o dito jornal Todos rcconheccm
nellcs posoas que nao gostain da actual ordem de
rousas; mas inull'ensivos e i tica pazos de seren agen-
tes Ja revolucao. Parece que o verdadeiro motivo
da sua piisao lio seren cieatuias do duque de Pal-
mella, contra oqual o partido dominante lem de-
clarado um odio irrcconeiliave
unir a ellos.
Alindega.
RENDUENTO DO piA 99.....
DESCARnRCAM IIOJK 23.
Patacho Eaglemercadorias.
Brigue -Conceicdn-de-Mara idom.
BrigueCourad- idom.
982,116
por se nao querer
N. I. Roeeboram-so noticias de llespanba at 8, e
com eiroilo houve una crisc ministerial, masnilo re-
volucao. Os ministros lornaran a licar. Houve tam-
biiii um grande incendio que consumi o edificio
em que se achavaoi estabeleeidas as secretarias da
guerra, marinha e justica ; porm este incidente ou
lu casual, ou parece quenada tem com a poltica.
O inl'anlo 11. Ilenrique chegou a Madrid, depois do
lerleito oin Bruxollas una rclracta(flo do seu pro-
leslodcCand, acerca do casamento da rainha e da
infanta.
Km llespanba tralava-se das cleiges, e parece que
opart.do progrossisla obteria grandes vantagens em
todas as provincias. Na do Madrid j linb obtido
maioria.
pdc dar s banalidades do Diario, relativamente a
iecupera<;o do crdito publico.
Parece certo quo a derrota soffrida pela columna
do coronel Lapa, junio a Ourem, foi devida nao s
.10 denodo com que se balcrnin as frcas populares,
mas tambem s dcsintelligencias entre os coinman-
dantes das forcea da dita columna, os coronis Lapa
e l'erreira, e o major Joaquim liento.
He positiva a noticia da sabida das forcea revolto-
sas de Santarm. Segundo se aflinna saliiraniem
lres columnas una commandada pelo conde das An-
las nutra pelo conde de Bomlim, e outra pelo coro-
nel Amonio Cesarde Vasconcellos Correa. DeCoim-
bramarchou tambem outra columna commandada
pelobaiao de Almargem. Todas estas forcea 86 di-
rigiram a Leiria, ondeseachava a columna dos co-
ronis Lapa e Ferreira, a qual relrou logo para llio-
Maior; mas nao com tanta pressa que Ihe mloalcan-
cassem a retaguarda, perdendo alguns piisonoiros,
n tuna peca de artilharia. A mesina columna nilo sus-
tenlou a posicno do Bio-Maior, nilo obstante ter mar-
chado o mareehal Saldanha em seu auxilio enm lo-
das as frcaa. O mareehal e toda a forra relirou para
AlcocntrinhoeCastanbeira.e paroceque se recolho
as ludias de Lisboa, para disputar a victoria, lie cer-
to que j chegaram a esta capital as bagagens da
tropa de Saldanha, e alguma artilharia mais pe-
sada. r
Correm diversos rumores sobre a retirada do ma-
reehal Lisboa. Segundo os sctemb islas, o conde
de Bomlim lomou a esquerda ao mareehal, adian-
lando-se pela estrada de Torrcs-Vedras, onde dizem
que entrara nodia 17, e que"uvancara para a fenle,
e receaudo Saldanha ser atacado de frente, de nan-
eo, ou pela retaguarda, lomou a prudente resoluto
RECirS, 22 DE JANEIRO SE 1847.
Com 14 dias do viagem, chegou hoje dos portos
do Norte o vapor Pernambuiana quo nos trouxe di-
versos jomaos.
He de 16 do corrente a ultima data dos do Coar.
Eesa provincia osla amcacada de continuara ser
talada pela secca : nenhunisignal do invern seha
manifestado ; o mais forte dos verOes a abrasa : as
arvores uo florecem, e ao passar polos lugares em
que deviam ellas vegetar, o viajor, com o coracilo
oppresso de dr.as v despidas das folbas que, torra-
das pelo sol teem abandonado os ramos, a cojo
adorno cram destinadas,equasi reduzidasa p, jan-
ea m a tona '
1MPORTACAO.
Brigue portuguez C.onceitfo-de-Marm, vindo de
Lisboa, entrado no da 21 do corrente consignado a
Thomai de Aquinn Fonscca, manifestou oseguinte
40 pipas vinagre tinto, 20 barris chouricos, lOdilos
paios, 6 lagos de pedia, 40 moios de sal, 104 pipas
vinho tinto 14 ditas dito lira neo, 40 barris dito a
Thomaz de Aquinn Fonseca.
2 gamellas de cera branca; a Jos Pcreira da Cu-
nta.
5 caixas rap ;a Joao Jos de CarvalhoMoraes.
30 pipas vinho tinto; a Pirm i no Jos Flix da llo-
sa & Irinflo.
!> barris dito dito ; a Constantino Jos Baposo.
10 pipas e 13 barris vinho tinto. 10 brrris dito
branco, 5 pipas vinagre linio; a Manoel Ignacio de
Ohveira
10 barris vinho branco 3 ditos dito tinto ; a Fre-
derico Youle.
1 caixflo chapeoa, 1 dito ditopara armar ; a Po-
licarpo Jos Layne.
95 pedias de cantara lavrada *caxotes balaus-
tres do pedra ; a Joo Pinto do Lemos.
4 barricas nozes, 4 caixas mermelada : ao capitao.
pipas vinho tinto ; a J. Pereira.
lOcaixotes velas de cera, 2 ditas mercurio-do-
ce; a Joaquim Ferreira-Mcndes Guimariles.
1 caixa com una imagem de N. S., 1 manga de
vidro para a inesina 12 pares de brincos 3 broxes-
a Antonio Francisco Bandira Jnior.
-_nior.
8 barricas ceiras de figos ; a Jos Fornandes Fer-
reira.
54 caixas toucinho; a Francisco Severianno Ba-
bello& Filho.
1 caixole drogas ; a Verato de Carvalho Tavares
1 pacoteimpressos; a Izidoro L. do Sousa Mon-
teiro.
8 caixas drogas, 8 barris dito, um fardo pao cam-
pse; a viuva Cunha.
1 caixa brnxas, t dita chicoria; a Bartholomco
rrancisco de Souza
5 pipas vinagre tinto 5 pipas c 5 barris vinho tin-
to ; a Machado & Pnhciro
6 pipas vinho tinto, 5 ditas e 5 barris dito dito- -
Francisco Severianno Rabello& Filho.
Fra do manift'to.
1 barril com figos, 1 babu doce seceo, 1 embru-
llio amendoas; a Joflo da Costa Lima.
1 caixotelivros; a JoodoSiquoira FcniTo.
5 barris vinho linio 3 ditos
^U> As malas do vapor Pernambuenna para os por-
tos do Sul principiam-sea fechar hoje ,S3)
I hora da tarde.
De ordem do Sr. coronel pagador militar desta
provincia se faz publico, que, em virtudede nfiocon-
corrercm licitantes arrcmataco dos gneros que
sobraram das comodonas da tropa, Vinda prxima-
mente da ilha de Fernando, que poz-se em praca a
noria desta pagadoria, cm os dias 20 o 21 do corren-
to, conformo so havia annunciado ; vilo novamenlo
a praca os referidos gneros em o dia 25 do corrente,
ao meio-dia, porta desta mesma repartico. os pre-
(endentes que os qtiizorem examinar, podem dri-
ir-se ao arsenal do guerra, onde se acham. Paga-
doria militar, 21 do Janeiro de 1R47. O cscrivo
Joaquim Marinho Caralcanle dt Albuquerquc.
O escrivilo da mesa de rendas internas geraes
lesta cidde, servindo no impedimento doadminis-
trador, faz constar a quem convier quo tem do bre-
vemente remeller para juizo a rclacao de todos os
devedores (sem oxcepijilo de pessoa algumai quo se
achamadever a laxa de escravos, do auno prximo
passado e corrente; da segunda dcima de milo
murta, impostos de lojas, de seges ecarrinhos, e
de barcos do interior do anuo corrente, inclusive
qualqucr divida que anteriormente exista ; nssim
como da dizima da chancellara daquellas pessoas,
cujas causas foram afinal julgadas contra ellas, des-
de junho do anno (indo at o presento, queconstain
das retacos j remettidas mesa pelos respectivos
escrives. Recebcdoria, 20 de Janeiro do 1847.
Estanislao Pereira de Oliveira.
BRILIIANTE l'HKSEFK)
> o
Thetfro |nil)lic(>.
MOJE 23 DO CORRENTE.
GRATIS PABA OS S"S ASSIO^ANTRS.
ULTIMA FUNCCO.
N'esta noite se representa rilo todas as pecas que
teem obtido maior applauso do res(ieitavol publico,
tanto cm cantona como em laucas.
Seguir-se-ha
A abbematacaO das OFFERTAS.
Cada pastora apresentar, por inlervengflo do pas-
tor Boos, a sua offei la; os benemritos espectadores
poder.u) laucar nasditas offeitas que pretcnceroa
quem mais der, e o producto ser, vista do publi-
co, entregue competente pastora ou paslor: facli-
tando Ibes assim o director o meio de serein melhor
recompensados por um publico que se Ibes moslrou
tilo atfei(;oado.
Finda esta operaciio, seg^ur-se-ha a quclraa das
palhinhas, ornada de cantonas e dancas, rom oque
terminar o presepio este auno.
Avisos maritimo.s.
Para a Baha segu viagem a sumaca Santo- Anto-
tomo-de-Padua, de lote de 76 toneladas, pregada e /
forrada do cobre; quem quizer carregar ou ir dar
passagem dirja-se a ra do Vigario, n. 5.
Para a Baha esta a sabir em poneos dias o b'ri-
guo-escuna nacional Laura; anda podo receber algu-
ma carga muda : auem no mesmo auizer nrim m
quem no mesmo quizer carregar o
do
ConsuluJo.
RL.NDIMfcNTO DO DIA 22.
"1: .,........
Provincial...........1:826,881
Diversas provincias....... 169 966
5:976,053
"'" I........... o iiwipiinw
luviiuciilo do Iorlo.
ngoitas e presun-
tas os peridicos cearonses.em vez de dirigirem '*.nma porclo de cbalas a granel, i caixa igno-
preces ao I odo-Poderoso para arredar do paiz o fia-j ra",e > 2 gaiolas com 2 cocllxos ao capitao
gello que Ihe esta ilumnente, em vez de aconsolha-J ( einhrulho ; a Senhora D. Genoveva Rosa da Silva
rem aos seus leilores que procurein obter os meios < dito; a Antonio Joaquim de Aratijo.
do tornar menos lenives os elleilos desse ilngello,
cm vez do Ibes insinurtelo queso provejam dos gne-
ros, cuja falta deve de ser urna das primciras consc-
quencias delle, slhes fallam de poltica, s para a
poltica Ibes cliainarn a atteneflo.
Poucos dias depois de sabida alli a morte de Ma-
nuel do Nascincnlo de Castro e Silva, ja se embara-
cavamelles eomaoleMjAo do homem que dovo oc-
cupar a cadeira, que no senado vagou em conse-
quencia dessa morte; ja ndigitavam os cidadilos que
mais aptos Ibes pareciaiii para prceiicher nina seme-
Ihantc vaga.
O Sr. doutor Jcronymo Martiniano Figueira de Mel-
lo be unidos candidatos apresentados pela opposi-
glo, que. desesperando das prumessas do ministe-
rio, e julgando-o incapaz de execular o programma
de cuucil.Hgno que l.,o alio proclamou, ora o alaca
de Irento e sem rebuco.
ir de passagem, dirija-so a Novaes & C, ra do Tra-
piche, n. 34.
Para o Bo-Grande-do-Sul segu impreteri-
velmente no da 25 do corrente o brique Compra-
dor ; recebe nicamente passageiros e escravos a
frote para o que Irata-se com Gomes & Irmilo na
ra de Apollo, n. 2.
Para o Aracaty sahe, com muita brevidade ,
a sumaca Carlota, meslre e dono Jos Gon-
calvcsSimas, perlera maior parto de sua
carga prnmpta : quem na mesma quizer carregar nu
ir de passagem, entenda-se com o dito meslro, ou
com Luiz Jos de Sa Araujo, na ra da Cruz, n. 26.
Vende-so urna barcada de lote de 24 caixas, no-
va, bem construida e muito vcler; e tambem se fre-
a jiara qualqucr porto do Norte ouSul : na ra das
Tnncheiras, casa n. 19.
ParaMacei, por estes dias, sabr a barcaca Di-
ligencia, por j ter a maior parte de seu carregamen-
lo prnmpta : quem nella quizer carregar, ou ir de
passagem, dirija-se a bordo da mesma, fundeada na
escadmha da alfandega, a tratar com o mestre.
*, Para o Porto sahira com brevidade a barca Bil-
la-Pernambucana, por ter parte da carga prompta;
quem nella quizer carregar ou ir de passagem, para
o que tem excedentes commndos, dirija se ao capi-
tao, na praca ou ao consignatario, Antonio Francisco
de Montes, na ra da Cadeia do Rccife, n. 51.
aX Para o Aracaty o hiato bereide segu viagem
Jf ^ o mais breve possivel: nflo sahio no dia 28,
39BBfcom escala pelaParahiba, por falta decom-
pnmenlo do trato da parte dos rretadores : quem
quizer carregar dirija-se a ra do Vigario, n. .">.
I.cilo.
Afamo* entrados no dia 29.
Pann1i*.,1aS or"*' l d ultimo porto 13 Pa-| -O'eilflo do aletria, lalharm e passas fica Irana-
S.ndnVrri!T',truna' 2* toneladaslferidopara quarla-ftlra, 27 do corrente m 10
commandante Joao Militno Henriques, equipagem Jhoru do dia, no caes da Alfandega.


* i I
Avisos diversos.
LOTERA
I) A ftl A T \\ I Z
DA CIDADE DA VICTORIA.
6:000^000 de rs.
As rodas ilcsta lotera teem o seu imprelcrivcl an-
menlo no dia2'Jdo corrente mez, no consistorio
da reja la Cutiecigflo do militaros, anda quo al-
nos poucos bilheles fiquem por vender, o resto
estes deve sr-r procurado no bairro do Recife ,
nns lujas de cambio dos Srs. Manoel Comes eVicira;
,,1 de Santo-Antonio, naloja do theso;:reiro Anto-
nio da Silva Cusmilo, e na botica do Sr. Morcira
Maniuos, na ra do Cabula.
O Sr. Thomaz de Carvallio Paes do Andrade
queiradirigir-sea ra Nova, venda n. 65, para ne-
gocio que nflo ignora.
a pessoa que Me fallar um cordita de ouro,
dirija-se a Joflo da Cunha Res, no Monteiro, quo
dinido os signaos certes, Iheser entregue.
Precisa-sede uro caixeiro para loja de ferra-
bas e que tenha alguma pratica, ou destes chega-
Jas de prximo do Porto, ou que ja tenha sido cai-
jeiro cm algum estabeleeimento : na ra .Nova,
a. 25.
-- Na cocheira do beceo da ra da Cadqia, por
detrs da casa do l)r, Jos Narciso Camello, alu-
gani-sc cavallos e tambe ni se tratam : os prcten-
dentes dirijam-sea mencionada cocheira, queseriio
servidos iininedialamenle. Na mesma cocheira
compram-sc c vendem-se cavallos para ambas as
sellas: a tratar na mesma cocheira com Joo da Cu
nha II .'is.
i O abaixo assignado, tendo sido thesourciro da
testa que no corrente mez so fez a S -Antflo, nflo
pode deixar de elogiare agradecer por esto Diario
o bom procedimiento com que se portou a banda
de msica pertencente ao quarlo batalhflo de guar-
das nacionaes da Boa-Vista, durauto dez dias que
illi estiveram, e com particularidade ao mestre
da mesma, pelas suas boas qualidades, com as
qisaes adquiri muitassynipathias, deixandoamr
parte dos habitantes da villa bastantes saudosos.
Josi Cavalcitnli Ferros de Aztcedo.
Quem precisar de urna mulber para ama de urna
casa de pouca familia, dirija-se ao boceo da Bom-
ba, n. 3.
Trust, fabricante de orgos t realejos no Aterro-da-
foa-Vista, n. 21,
avisa ao publico que elle contina a fabricar orgflos
para a igreja, do todos os tamaitos com trombeta ;
realejos com tambor e campanhia contendo qua-
drilhas para danca As pessoas que o honraren) em
visita-lo achanto, entre outras obras j promptas ,
S orgflos para igreja ou outro qualquer lugar [ que
M'in iluvida nfloteem apparecido aquii, a duas linas,
a olaviere a chave de realejo por falla de organis-
ta, ou por falta de saber toca-lo, entilo so toca com
a chave, como se fosse um roalejo oblcndo a mes-
ina voz, conlendo noscylindros a inissa, ou qualquer
msica de igreja tudo reunido na mesma obra; dito
orgflo forte-piano. Tambem concertaos ditos ins-
trumentos e pOc marchas novas concerta pianos c
qualquer instrumento do msica concernente ao
sen oflirio.
I'recisa-se de um caixeiro de 12 a 1* annos :
na ra Dimita, n. 24.
I'recisa-sealugarum prelo padeiro : naruaDi-
reila, n. 24\
- O Sr- cadete do 4 batalhSo d'arli-
addido a compatiliia do a
Manoel Mareellino de Lima De
Vendas.
, .->- ........*. i iiiiinuuiin: st; m mi |iei lea c iolcliip'i
lio as nami'n rn?-T. T ,em.P T "* g~ """I"' rcunini| n si ouS '"abis adjuntos, bastantes
ciasnue ohrfoK?1 ?m a J1", ***'"";- P^alicou mesma facublade, lem a honra den-
cxm,i^ fazer'!'" ,ermo ,l0 """rio respeltavel publico, quealli scaviarflo os
II nronnsh i" ''na, para ninis nunca ser i einodios com a maior prompiidflo e escrupulosa ob-
iiwulKir tpm ?.? iUR!r' pe,0S S-US ."bvM P crv"M 'os reccituarios e boa qualidade dasdro-
'',"i,lli tfni reno, tanto com os irn.los como gas, o quo milito contrihue para o bom resultado
o ^li'm.HWSen0M'rio rr..Se Provar; '" sade publica. Acham-sc, pnis. a venda mu r.es-
i'promnl l ,\,J". i : SP houT.er p01' .lle resPosl!1. Cs n"vas drogas, rhegadas de Franga o de Portu-
teremosa dizer; bastara que elle se submetU ao si-
lencio Por parte da mesa, o escrivflo da irman-
dade, Jos Morara.
Quem precisar de um caixeiro para qualquer
estabeleeimento, oqualtem pouca pratica de ne-
gocio, dinja-sea ra do Crespo, loja do miudezas,
O Sr. que dava roupa para lavar a parda Jose-
Eha moradora cm ltebcribo, o que Ihe faltou um
otilo de ouro de abertura no anuo de 1845, dirija-
se a povoagita de Bebcribe a casa do professor Ale-
xandre Jos Dornellas que, dndoos signaes, Ihe
ser entregue.
Oahaixo assignado lendo, um annuncioquenf-
fereco a venda em relalho o terreno do beceo das
Rrreiras declara ao publico, que a esse terreno
tem direito; por isso ningucm contrate sobre elle ,
sob pena do comprador perder: e para evitar duvi-
das de novo se protesta contra o comprador, como
por varias vezes se te tem feito.
lenlo de Horros Falco de LattrJa.
Rxlraviaram-se, do taboleiro de miudezas que
andaya vendendo urna preta ,2 pares de fronhas de
lavarinto para travesseiros pequeos tendo lava-
rilo as ponas um par feito de esporas o outro
par de urna trepadeira urna dellas tem uns Ros ti-
rados no corpo da fronda sendo todas de bretanha
fina : roga-se a quem as 11 ver, ou a quem forem
offerecidas, de levar a ra do Rozario da Boa-Vista ,
sobrado n> 32, quesera gratilicado.
~ Precisa-sc de um homem de boa conduela, sem
familia, que tenha pratica e intelligencia, para admi-
nistrar ou arrendar una padaria, a qual est bem
situada e bem afreguezada, poisseu dono faz qual-
quer dos dous negocios, por nflo a poderadministrar,
em rasflo de suas molestias: a quem convier qual-
quer dosdous negocios, dirija-se a venda 0. 1, na
esquina da ra do Rangcl, na casa que foi do defunto
Joflo Carlos.
tloga-sc a qualquer pessoa, a qnctii
for o len culo um casal de gneos Im an-
cos, inglezes, que furlaram do sitio onde
mora S. 1*. Jolinslon, na ponte d'Lchu,
na noite de 18 para 19 do -corrente, de os
levar i ra da Scnzalla-lNova, i>.4i, onde
2 com pan Ina
Diaria a pe,
balallio da nicsina arma, J.S. F., quei-
ra ir ao Hospicio, venda do ],eo d'Uu-
ro, ao negocio que nao ignora ; e nao o
duendo no prazo de tres dias, se pulili-
r.ira seu nonie por extenso e a qualidadc
110 negocio.
Compaiiliia geral
fia agricultura das vinliasdo
AI lo- II o tito.
O abaixo assignado, agente desta com-
panliia nesta prnca de l'ernambuco, acaba
de receberpela barca Helia-Pernambuca
na urna rcmessa de viudos daquella com-
panhia, depois que ella foi rehabilitada,
pola legislatura de Portugal, e dolada com
111 mos pblicos pela le de al de rbril de
1843, para levar a todos os mercados os
padioes c baiisas do vinbo genuino c pu-
ro do Allo-Donro, geralmente condecido
pelo nome do vindo do Porto, ofinr de
servirem de guia ao commercio. tsta
rcmessa. toda de vinlios da main escolbi-
ila qualidade, deve olFerecer aos Srs. con-
umidores, 11S0 s a certeza da sua pu-
reza, mas tambem o typo verdadeiro dof
fxcellcnles viudos do Porto. Espera,
poisj o abaixo assignado que os Srs. con-
Mimidoies se dirigiio ra da moeda.ar-
niaie 11. 7, para liatarem do ajuste de
qualquer poro que desejarem.
Antonio francisco tle Moraes.
ATTENCAO !
Urna pessoa que tem muilo boa lellra o escre-
ve com muita orthographia se encarrega de copiar
todos os papis que se be cncarregar cni.com asseio
<-' prompiidflo : annuncie.
A mesa actual da irmandade de 9. Benedicto,
erecta no convento de S. Antonio em rcsposla ao
anniincio que fez Joflo da Costa Palma no Diario ae
M do corrente, ote nada disse ; porque no anuo
"o 1846, em que foi elle juiz da mesma irmandade,
^'envolveo nos cargos de escrivflo, thesoureiro e
procurador, 'alim de pegar em moeda e alterosa-
mente maltratando aos irmflos, que com elle se n-
eorporavam, com amiacas e oulras ac?Oes mais in-
'l'gnas na confianza de alguns serem Africanos, e
ltimamente agora em dias do mez de dezembro
proi-imo passado, no capitulo da irmandade, langou
n- le um ferro pedrez e quiz espancar ao irrnao
rer.eber ios'000 de gralilicacao : a mes-
ma se olerecea quem descubrir o ladino.
Antonia Francisca de Albuquerque Monlciro ,
viuva de Manoel Berna id i no Monteiro faz sciente
a todos os seus credores que est procedendo a in-
ventario do bens de seu casal, pelo juizo do civcl da
segunda vara escrivflo Souza ; assim como que es-
t diligenciando a venda de seu sitio, atim de poder
pagar aos mesmos credores o evitar queslocs litigio-
sas e despezas de cusas. Concluida que sejaa referida
venda, participar aos dilos credores para receherem
os seus dbitos com ordem do juizo respectivo.
As pessoas que quizerom fazer sorveles na tes-
ta de Santo-Amaro, acharflo sempre gelo venda na
ra da Cadeia, n. 15, loja de Bnurgard.
Nsahaixo assignados participamos ao publico
3ue de commum accorJo temos dissolvido a socie-
ade que tullamos na loja de ferragense miudezas,
sila na ra Nova, casa n. 15, cuja gyrava debaixo
da firma de Andrade & Rosado, (cando o socio An-
drade obligado a liquidacflo da extincta firma. Per-
nambuco, 14de Janeiro de 1847. Joaquim Antonio
dos Santos Andrade, Jeronymo fibeiro Hosado
Na ra do itangel, sobrado n. 9, cnilinuam-se a
tirar passaportcs para denlro c fra do imperio,
tudo com milita brevidade, e por preco muilo com-
modo; e bem assim despachani-se escravos
= Se convier a alguma Franceza de probidade e
bous costumes ter passagem gratis para o Havre,
pelo simplesservico de bonne a urna senhora doentc,
durante o trajelo, poder dirigir-sc a ra da .Sen-
zalla-Velha, 11. lio, primeiro andar, que se Ihe indi-
car quem precisa, at o mez de mar^o desleanno.
Prfcisa-se de ofliciaes de all'aiale,
tanto de obra iniuda como grauda, na ra
Nova, n. 19.
Alugain-se os armazens da ra de
Apollo ns. 38 e 30, com desembarque
a tratar no inesnio lugar, com Joao Este-
ves da Silva.
O arrematante das afericAes dcste municipio de
novo avisa aos Srs. de engenho e mais pessoas que
mandam vender ago'ardente neste municipio, que
o'teiupodi mesma aferieflose acha lindo, e por isso
dvcm, quanlo antes, mandar aferir as ancoras;
pois do contrario passar a denunciar a quom com-
pete daquelles quo vicrem vender sem a dita afe-
rico.
Aluga-se parte da casa n. 18, por cima de urna
loja doferragens, aondemora odoutorFilippe Ncry;
pode servir para pouca familia ou mesmo pessoa
como letrado ou vigario : u tratar na mesma.
Pesejam-se nformaces do Sr. Antonio Vieira
do Sousa Meirelles que residi nesta cidade ha an-
nos: quem as poder dar faca a merce deannunciar, ou
diriia-so a casan. 7 da ra da Cruz, segundo andar.
dirija-
__ Aluga-se o segundo andar do sobrado da ra
Direita, n. 127, com muitos commodos para grande
familia : trata-se na ra da praia de S. Rila, serrana
n. 21.
I'recisa-se de um Sr. capcllflo para um enge-
nho distanto desta praca cinco legoas, entrando no
contrato oonsino Ue primeiraslettras a um peque-
no de9 annos : para receber as demais cxplicaces,
na ra d'Agoas-Verdes, n. 21, se achara com quem
tratar. ,,
- Precisa-se do una ama: na ra da Senzalia-ve-
Precisa-se de um pequeo de 12 14 annos,
para caixeiro de venda : na ra de S. Rila, 11. 85.
Na praca da 1. vara do civel tem de ser arrema-
tados, no da 26 do corrente, s 4 horas da tarde, a ar-
maeflo o gneros da venda, sita na ribeira de S.-Jose,
por execueflo de Joaquim Fcrnandes de Azevedo con-
tra Machado & Torres.
O doutor em medicina. Moscos?, ef
no Alerro-da-Boa-Vista n. .
gal, que, alem de excellentes, silo por um pre<;o ra-
soavel e commodo. Recommenda-se o mesmo an-
nuneiante Mnura a generosidade de lodo aquello que
de seu presumo se quizerservir, promellenilo-llieq
bom desempenho c acolhimento, proprio do seu de-
ver para com todos.
Aluga-so um escravo ptimo padeiro, pelo pre-
Co de 10,000 rs. mensaes : no pateo de N. S. do Ter-
co, sobrado de um andar n 26.
Iloje, 23 do crrante, arremata-s, por ven-
da a parte de um sitio no lugar do Arraial, pelo
juizo da segunda vara as horas do costume na sa-
la das audiencias depois de linda esla: os pretenden-
tes comparceam por ser boa compra.
Precisa-sede urna ama secca para urna canda
pouca familia : na ra da Paz, anligamentcdoCano,
n. 30.
Precisa-sede um prelo para o servico do casa,
pagando-se mensalmcntc : no hotel de l.u'17 l'islor,
na l.ingneta n. 3.
Quem tiver duas pretas de boa conducta que
as quoira alugar as tardes de lodos os dias, para
serem empregadas na venda de azeite dirija-se a
ra da florentina, casa n. 16, que achara rom quem
tratar.
Na ra do Rangcl, sobrado n. B, ha quem se en-
rarreguc de loda e qualquerescripturaQflo, com mui-
lo boa lellra, certeza de ortographia e prc^o muilo
commodo; e bem assim copiam-se sentenqas de qual-
quer genero que seja.
Precisa-se de um caixeiro para una venda, na
ra da Cruz, n. 62, ou cm Fra-dc-Portas, venda de
Bernardo Jos Rodrigues Pinheiro.
Aluga-se um prelo cozinheiro para urna casa
de familia : quem o tiver derija-se a casa n. 7 da ra
da Cruz, segundo andar, ou annuncie para ser pro-
curado.
Manoel Jos de Barros Vcigas avisa a todas as
pessoas que tiverem penhores emseu poder, osquei-
ram tirar dentro do prazo de oilo dias contados da
data deste; c nflo o fazendo assim, os perderflo, pois
o annuuciante os vender para pagamento do princi-
pal c juro; porque o annuneianlc Iciude relirar-se
desta provincia, para tratar de sua saiule.
I)eseja-se saber se nesta cidade existen) al-
guns prenles de Manoel Archanjo dos Sanios, ca-
lido com Manoell do Nascimcnlo de Jess, ja falle-
cidos, naturaesda freguezia da Itoa-Visla desla cida-
de, onde foram moradores : comparceam na ra do
Queimado, loja 11. 6, onde so Ibes desoja fallar.
Aluga-se o primeiro andar do sobrado da ra
Nova, n. 7, com excellentes commodos para familia
a tratar no mesmo sobrado, com Tempellc&C.
Precisa-sc de una ama de lelta forra ou es-
crava, sem lilho na ra do Encantamento, n 8.
= Prccisa-se alugar urna preta que seja liel, cm-
bora seja idosa ; paga-se mensalmenlc o que se con-
vencionar : na ra Augusta 11. 16. Na mesma casa
se ollerece una mulher portugueza para ama de ca-
sa de pouca familia.
I'.'ngomma-secom asscio o prompiidflo, assim
como se faz toda a qualidade de costura inclusive a
de all'aiale : na casa ao p do sobrado da esquina, no
pateo do Paraizo, quem segu do quarlel de polica.
Precisa-sede um cozinheiro hbil, para em-
pregar-se nesta cidade em casa particular : na ra
larga do Rozario, n.26, primeiro andar.
Permittc-se a qualquer individuo o tirar ma-
deiras e Ierra gen s nos restos da barca Nota-Aurora,
cncalhada na Coroa-dos-Passarinhos
Jos dos Santos Souza declara ao publico que,
por haver outro de igual nome de boje em diante se
assignara Jos dos Santos Souza Lina. i
Precisa-sc alugar urna cscravn para o servico de
urna casa de pouca familia, quesaiba comprar, cozi-
nhar, cmsaboar eengommar: dando-sc-lheo susten-
to, e pagando-se-lhe conforme o ajuste: airas da ma-
triz da Boa-Vista, casa n. ti, se dir quem quer.
Relalha-sc o terreno lo beceo das Barreiras,
que foi de liento de Barros Falcao em lenos de
30 palmos de frente e mais de 500 de rundo : a tra-
tar na ra da S.-Cruz n 6(.
Precisa-se alugar urna escrava que eozinhc c
engommc, c um moleque do 10 a 14 annos : no lar-
go doTergo, n. 16.
Aluga-se o andar terreo ou loja do sobrado n.
12 da ra da Aurora, com ptimos c muito assciados
commodos para moradia de homem soltciro ou de
pouca familia: quem o quizer alugar dirija-se ao
mesmo sobrado a qualquer hora.
__Proc-isa-ae de douslavradores ; em casa do doura-
dor, ou fabricante de candielros de gaz na ra No
va n. 52.
Hepollio muito novo edegado ultima-
monte de Lisboa, no ra largado Hoza-
rlo, n. 12, indo para o quarlel de polica.
*- Na loja nova de Raynmndo
Garlos Leiln, ra do Queimado,
n. II, lia corlea de eln'ta lina, em-
papelados, e de padrSes de ultimo
'{>osto, n 3.^'00 rs.; clipposdesol
d'liastes d'aco edos ra< lli res pa-
droes que ha, de riscaaos fran-
eezes, ludo baralissino.
MAYA BAM(K & COMPAMIIA ,
Ka ra y ora, H. 6 ,
venden ricos chales de 'seda dos melhores pu-
dines que leem appareeiilo ; ricas manas de seda
esccete, do ultimo posto; sarja preta liespanhula ,
largas; sotiro liso e prelo bom para vestido; luvaa
de pellica com borracha; dilas pelas e bordadas
de cores curiase compridas ; perfumarlas muilo fi-
nas ; um sorlenlo de calcado para senhora; borze-
guins para homem ; chapeos de pallM 'la Italia pa-
ra meninos e mininas ; bous chapeos de sol paia ho-
mem e senhora ; ricos espelhos douradOS para sala ,
os quaes se dflo muito baralo; e oulras militas fa-
ICIldasa que o preco eonvida.
Vendenfse oculoi de alame, por
prero commodo, na ra da Cadeia do He-
cid
c, n.
3o.
-- Vemle-se, ou aluga-se um terreno, cuja l'ren-
le da para duas boas moradas de casas promp-
toc aterrado, com bom caes no fundo; tem um
teliieiro que.lem servido de serrarla para o que he
muilo proprio, ou pora outro qualquer cstaboleci-
menlo : a tratar
PraiadeS.-llila
unlo ao mesmo terreno ,
serrara, n. 21.
na na da
Alerta freguezes
que o baraleiro esl quei-
mnndo !
Compras.
Compra-sc um lauque grande que sirva para
guardar mcloque seja de amarello ou oulra qual-
quer madeirade boa qualidade : quem tiver annun-
cie.
Compram-so 3ou* escravos marinheiros : na
ua da Cadcia-Velha n. 17, segundo andar.
Ainda se contina a comprar cobras de viado
vivas para remedio : na praca da Boa-Vista, n. 32,
segundo andar.
Compram-se os primeiro c segundo voluntes do
Judeu Errante, segunda edicqfio, impressa em Lis-
boa em 1844 : na casa n. 7 da ra da Cruz, segundo
andar.
Compram-se, em segunda mo, 6 cadeiras
americanas; 2 grandes mezas; e a obra Conde de
Monte Christo : na ra larga do Rozario, n. 6.
Compra-so o compendio de arilhmcliea, por
Bcsout.eo do geometra por F.uclides : quem Ilver
annuncie.
Compra-se urna preta moca e sadia que sai Da
coser, engommar e vestir uina senhora tudo com
perfeicflo; um preto moco sadio e diligente, para
comprar o diario de urna casa o fazer o mais sei vico
delta : na ra da Cadeia loja n. 57, de Jos Maris
Se.ve.
Compra-se urna esrrava que saiba cozmliar
e engommar, nflo excedendo o seu preco a mais de
400,000 rs. ,.a troco de urna leltra a vencer a 6 me-
zes .aceita por pessoa segura que possue dous pre-
dios nesta praca livres ; quem tiver annuncie.
Oanlign baraleiro est vendendo a troco de ponen
dinheiro na sua nova loja de miudezas da ra do
Collegio, n. 9, papel almajo, a 9709 rs. a resma e
Ricia resma a 1390 rs. ; lilas de rclroz a 640 rs. a pe
ca de todas as coTcs ; tesouras douradas para cos-
tura a 160 o400 rs. cada urna ; caivetes entre-li-
nas, para pennas, ile uma'folha, a 100 rs. cada um;
e de duas folhas a MO rs. cada um ; boles de du-
raquee de seda, linos, a 200 rs. a du/.ia ; ditos de
madrc-dc-perola a iWOvs. a grn/.a : dilos de metal
fuidos, para calcas, a .120 rs. a grata j pentcs de
tartaruga paia marrafa a tltl rs. a jiarellia ; ditos
ile prender o cabello a 2000 rs. ; lequcs de seda,
rom entalles domados a 2400 rs. cada um ; luvas de
seda para meninas, a 200 rs. o par; ditas para se-
nhora de seda preta a 1000 rs o par; luvas de pel-
lica a 800 rs. o par; torcidas para candieiro, de
todos os nmeros a 100 rs. a duzia ; cachos do flo-
res para enfeiles de chapese cabeca a 320 rs. cada
um j riquissimos caivetes linos para peonas, de
urna e duas folhas ; c oulras militas miudezas por
preco mais baralo do que em nutra qualquer parle.
Vendem-se galesde ouro
e piala, linos, largos e eslreitos ; e
compram-se dragonas usadas de
ofliciaes de primeira esegunda l-
tdia : na i ua Nova, n. 2, primei-
ro indar.
Veudem-se bichas grandes o tambem se alu-
gam, por prego commodo : no Alerro-da-Boa-Visla,
na primeira venda ao p da ponte, n. 2.
Vende-so urna preta do 20 annos que lavae co-
zinha e uo lem vicios; um cabra de 18 annos,
robusto sem vicio e apio para qualquer ollicio ; um
pardo de 16 anuos as mcsinas circuinstancias : na
Boa-Vista ra de .-Gonealo, n. 34, das 7 as 9 ho-
ras da maubfla e das 2 as 4 da tarde.
Vcndc-seum sobrado de um andar sotan, si-
lo na ra da Aurora, n. 34 : a tratar na mesma ra ,
na primeira casa terrea 11. 50.
Vende-se um oseravo de naciio, de 30 annos
pouco mais 011 menos : no largo do Carmo loja do
sobrado 11. 7.
Vendem-se cadeiras de angico, por menos pre-
go do que em oulra qualquer paite : na ra Imperial
11. 145.
Vende-sc urna rica cpula de mogno com
bambinellas de setim carmezim com borlas pro-
nria para cama franceza de casado ; urna grade do
louro bem feila propria para oseada 011 loja ; In-
do por prego commodo : na ra das Cruzes, n. 9.
Vendem-se roquetes para padres ", por prego
commodo na praga da Independencia n. 19.
IVa loja nova da ra do Quei-
mado, ft.fi,
de Raymtmdo Carlos Leile, se
aclinm mantas de seda, das mais
modernas que lia, muito baratas ;
assim como chales de seda, e
dos de la e seda; chapeos deso
d'hastesde ayo, e o novo algodo
dobrado Americano, proprio para
saceos, &c., a 300 rs. a vara.
-- Na loja de Guimares, Se-
ralim & C. vendem-se pannos
finos, de cores, pelo baralo pre-
go de 2,^400 rs. o covatlo; e de
outras umitas qualidades, de va-
rios pregos.
MUTILADO




A
Vende-se sal em grandes c pequeas porches :
na rqp da Moeda, armazem n. 7.
Vendem-se 30 hocoos da compn.iha de Bebe-
ihau no valor de 70 por cento : ncsla Ivpogrnphiii
se d% quem vende.
ISa loja de Guimares Se*
rafim 8c Companhi.i, e nfronte
ao arco de S Amonio, n. 5, ven-
dem-se lencos de vapor, de pa-
droes modernos, pelo barato pre-
go de 480 rs. cada utn ; lencos
franceses de cores linas e fixas ,
fmjiindo seda a 180 rs. cada um;
lirim escuio rancvz trasigado, de
puro linho, a 720 rs. a vara.
otassa da Kiissia.
Vende-se a bem conlict-ula r superior
polassa da Russin, cliegaa ltimamente,
no a ria tem de llolhe&Bidoiilac, ruado
Vgario, n. .
- Vende-se polassa branca, da
mais nova e superior (|ue lia ues-
te mercado, por mdico prego:
na ra da Cadeia-Vellia, armazem
n. 12, de Bailar^-Oliveira.
Vende-te potasta branca do superior ji didadi ,
fin harria pequeos ; mi casa do Mallicus Aii-.nn i5
Companhia, na ra da Alfnndega-Vrlha, n. 30.
-- Vende-se cal vlrgcm em niela barricas chega-
da prximamente, por prcfo commodo; na ra da
Moeda arinazcm n. l;"i.
FEBB0! FEBIIO,
ile todas ns qunlidadcs e cobro para forro de navio ,
de 18 al 8 oncas, cni grandes e pcquenns parti-
das : no armazem de a. V. da Silva Barroca, defron-
te da igreja da Madro-de-l)eos.
Voiidein-se morullas de- fciTo para engonlios de as-
snrar, para vapor, agoa c bostas, de diversos tainanhos,
por proco cominodo ; e igualmente laixas de ferio coado
e batido, de todos os tamaitos: na jirafa do t.'orpo-San-
lo, n. 11. em casa de Me. Calmont & Companhia, ou na
ruado Apollo, armazem, n. C.
Casa da F,
na rita estrella do Itoznrio, n. 6,
Ncsta casa acliam-sc a venda ns entlelas da lole-
ria tas obras da matriz da eidade da Victoria: da qnal
nnilum ns rodas no dia 29 do rorrenle. A ella qua
Sito poucas : os procos silo os du coslume.
Vendc-so nm terreno na ma que fien por do-
las da ra da Aurora, em (rento do rundo da caaa
do finado Pereira com igual largura n dita caaa ,
com 300 c lanos palmos de fundo, o qual chega
ate a terecirn na : a tratar na Iruvessa da Madre-de-
Deoa, n. 18.
Vendem-se 30 escravos, sendo prelas, prelos,
moloques, pardos, negrinhas pardas com hnhilida-
sem -Has : na roa da Cruz ti 51.
Vendem-se, na livrari.t da ra do Crespo, n
II, os Amores de CamOes, cncadornados por 3000
rs ; Carlas de Kcho a Narciso, a 800 rs
Vcnde-se un rologio de prata, patente in-
fS-% glez oplimo regulador : na Boa-Vista, ra
1-- "de S.-Concalo n. 34.
Vende-se un llaulim com algum uso : na Boa-
Vista ra deS.-Goncalo n. 31.
AVISO
aos Srs.deiigenlio
Ka ra do Crespo, loja n. 12,
de lose Joaquim da Silva
Maya, vendem-se
cobertores de algodfio muito encorpados, proprios
para escravos ; liem como tima fazenda de liuho a
imitaeo de estopa forte e propria para roupa de
escravos c saceos para assucar; ludo por preco mui-
to barato.
\a ra do Crespo,
loja n. l.cle Jos Joaquim
(la Suva Haya,
vcnde-se superior sarja preta liespanhnla ; nnhreza
roxa, muito superior e muilii propria para capas
doSr. dos l'assose oulras irmnndades ; ricos corles
lie soda para vcslido de sotiliora ; mcias de seda pre-
las e brancas, as mais superiores que teem apparc-
cido, lano para bomein como para seubora ; luvas
de soda ; chales de seda muito modernos o de lin-
dos goslos; cnnibraia de lindo, muito lina; lengosdc
cambrnia de linlio bordadus, pnrascnbora, dos mais
finos que lia por mtiiio barato preco; esguio de
puro linho entinto lino; plalilha de linho ; o nutras
militas fazendns que seto patentes aos comprado-
res e por burato preco.
-- IV a loja de Guimares Se-
rafim & Companhia, confronte
ao arco de S.-Antonio, n. 5, ven
dcii)-se cass s finas, largas e fian-
cezas, pelo btalo preco de 480
i s. a vara; chitas francezas, lar
fas a 280 rs. o eovado.
riia do Crespo,
loja li.it, de .Fos Joaquim
Vende-se a troco de tijolo urna canoa grande,
muito forte quucnrrega mil lijlos de alvonaria i na
ra da Cruz, n. 63
Vendem-se bichas mftmo superiores, aos ce-
ios o a relalho : na ra.da Cruz n. 62.
Vendem-se 5 escravas e um escravo moco, d
bonita figura com algumas habilidades : no pateo
do Collegio, ii 33, segundo andar.
Vende-soazeile fino do gerselm, para comer e
para luz : no deposito de azeile do (-arrpalo na ra
da Senzala-Vclba, n. 110.
.Vende-se sag de primeira quaiidade; ceva-
dinba de Franca : gomma de araruta tapioca do
Mamullan ; cevada ; ludo por preco commodo : na
ra das Cruzes, n. 40.
Vendem-se 10 escravos, sondo: una preta, boa
engoinmadeim ; 3 ditas de 15a 25 anuos, com ha-
bilidades; urna mulatinha de 15 annos; 2 moloques
de elegantes figuras; um relo cauoeiro; um dito
bom cozinhoiro ; um dito do servido de campo: no
pateo da Malriz n.4.
Vendem-se 2 lindos moleques de 14 a 16 annos;
um dito de 7 annos ; um pardo ptimo para pagom ,
de 18annos, oque he bastante hbil para outro qual-
quer servico; um dito de 10 annos; urna preta de 25
annos com habilidades; urna nogrinha do 7 annos;
ti ma preta de idade, por 200,000 rs. : na ra do
Collegio n. 3, segundo andar.
Jos Joaquim da
Silva Maya
vende una pela denac.lo que cozinha o diario de
urna casa engomma liso, lava de sabilo o \ arrolla ,
cose soffi ivelmente ; um preto de 24 annos de boa
figura, proprio para todo o servico. .
Vendem-se 2 escravos, sendo um pardo, ofilcial
de alfnintc e um preto, ofjieial de carpina ambos
mocos ede bonitas figuras : na ra da Cadeia, n. 38,
casa de Manoel Joaquim liamos e Silva
Vcnde-se um terreno com mais do meia legoa
em quadro, ptimo para nellc se levantar um en-
gerido do fabricar assucar: a tratar na comarca de
Coianna no engenho Poco-Bedondo.
Vende-se um sitio na estrada de Joo
de Barros, com bastantes arvnredos
de fructo, queenma vista melhor se
mostrar : na ruadas I.arangeiras, n.29, casa da
a ferelo.
Vende-so um preto crioulo, moco", pronrn
para lodo o servico, principalmente para agricultn"
ra por ter ido ocupado neste servico : no Ftecifo
ao p dn Conceicflo casa d" Joo Jos de Carvilh'
Moraes. '
Vcnde-se a venda da ra da Cadeia do Recite
n. 1, com fundos a vonlado docomprador, adinliei'
ro ou a prazo : a tratar com Jos Goncalves Torres
Vendem-se 6 moleques de 12 a 15 annos mui
lo lindos; 4 negrinhas; 8 escravas com habilidadev
3escravos do servico do campo:'na ra Direita
II. '
Vende-se fumo para charutos, velbo o novo
de primeira o segunda quaiidade de 4500 a "joo rs
a arroba ; charutos em caixinhas de com e ditos h
ma. por preco commodo : no Forte-do-Mattos r,',
do Codorniz armazem n 9.
Escravos Fgidos.
Fugio.nodia 15do corrente, urna preta
nntneMarianua, de naqfto Costa de 30 annos
de boa altura, bom prela com 3 talhos n
testa enfeites de sua nacloj tem o dedo mnimo
da milo esquerda virado para a palma da mao que
(liando a abreno iguala aos oulros 3 dedos;'tem
um dedo do pe virado alguma cousa para cima mo-
l vado de urna chaga que leve, do que licou uma
marca; levou vestido de chita branca, com pintu-
ras encarnadas. e panno preto usado : quem a pe-
gar, leve ao largo do Corpo-Sanio, n. 13, quesera
generosamente recompensado.
Fugio,nodia 16 do corrente, uma preta, de
nomo Mara, alta.secca do corpo; rom em uma
nio marca de queimadura e a caheca do pri-
meiro dedo voltado para cima; levou vestido de
chita desbotada ; ha dcsconangns de estar oceulta
quem a pegar leve a travessa de S.-Jos ou nesla tv-
pographia, que sedir quem he seu dono para ser
recompensado.
Fugio, no dia 21 do corrente om moleque, Je
nome Jo3o, de nacilo, cambado das pernas; le-
vou um taboleiro de venda camisa de risca-
do; est alguma cousa descorado por ter principio
do frialdade ; tem 16 annos d idade pouco mais ou
menos: quem o pegar leve a seu senhor na ra .Na-
va, loja de Antonio Ferreira da Costa Braga.
Fugio, nodia 19do corrente, a preta Mara,
velha, beicos grandes, pernas arqueadas; le-
vou saia de chita de assento branco e ores pre-
m
da bufa Maya


l> ;
Vende-se sarja de seda larga, bospanliola, w
muito superior; selim de varias qiialidades
para vestido ; dito de Macao pnrn collele I
o mais superior que lia; casimira prela i
elstica, superior; panno pelo muito lino; *
dito de cores, de todas as quididades ; ve-
!'
ludo preto; merino preto de todas as qua-
| ldades; dito, O mais superior qiielcinap-
'-,:!. parecido; cbamnlole; casimiras francezas, r
Lg sem pello, de bonitas oies; damascos para \.r
corsas, muito superiores e debons goslos; >
e nutras umitas fazendas que a vibla dos ;

presos e da sua <| un idade o comprador nHo
(loixara de comprar un nova loja da ra
do Queimndo, nos quiitr-eaiitos eas;i
ama i ella, n. 29.
l'X'i
CARNAUBA.
No armazem de farinhado cues Jo Collegio, con-
tinua-sc a vendo,-cera de carnauba, por preco com-' Dhccida marca1 de Fam-Vard'e'I
modo lano em pnrcOes como 11 relalho o he che- (jrllz M 55
gada agora uma pon-o da melhor quaiidade que lem
. vende-so alpaca preta a 800 rs o covndo; dita muito
lina, piola ede cores, por barato preco ; merino
preto, muito superior; panno fino preln o de co-
[res; casimiras elsticas, de duaa larguras, para
I calcas n 6000 rs. O corlo ; velludo; gorguro de se-
da ; selim para rllelo; ludo por preco commodo ;
fustOea para colleles; o oulras militas fazendas,
tanto para cal(as como para vestidos de senhora ;
ludo pelo barato.
-- .a loja de Guimares Se-
rafim & Companhia, confronte
ao arco de S.-Antonio, n. 5, ven-
derse papel alm u;o aparado a
2800 rs. a resma ; fila de relroz
(ie cores, peca grande, a 700 rs. ,
soi tidas ,- relroz preto, azul e sor-
lido a 10,000 rs. a libra ; cor-
tes de pello do diabo, a 1 i40 rs.
Vcndem-sc charutos de regala, da bem co-
S. Flix : na ra da
Vendem-se 3 pretos mo?os, ptimos para ojias, cabecSo de algodozinho: quem a oegar'ic-
scrvicodccampoedapraca; um mulatinho de 16 ve a ra do Collegio, n. 6, quesera recompensado
annos, de muito bonita figura, da-sc muito em
conla, por precisar de um pequeo curativo; um
moleque do 12 annos; 3 pretas mocas, que cozinham,
lavam e engommam; duns ditas quitandeiras;[3 par-
das mocas, sendo uma dolas perfeita engommade-
ra costureira c cozinheira : na ra do Crespo, n.
10, primeiro daar.
Vende-se
apparucido.
A 2^500 rs. oco\ado!
Na loja de Guimares Serafim
Qc Companhia confronte ao ar-
co de S.-Anlouio, n. 5, vendem-
se casimiras francezas, sem pel-
lo finas de lindos padioes e
pelas lelo barato preco de 2500
rs. o eovado ; ricos corles de cha-
l de la e seda, com barra, a doze
mil rs. o corte.
Vende-se urna preta de 24 annos, de honila fi-
gura, que engonimn, lose, cozinha c faz todo o mais
servicio d uma casa; urna dita de 30 aunes, que lava o
cose alguma cousa ; uma dita de 20 anuos que lava
desalio e varrclla,cozinha o diario de urna cusa,o lie
qtiilandeira ; um mulatinho de 7 annos, muito es-
perto para se ensillar qualquer officio; fazendas,
na importancia de 1:000,000 deis., com o rebate de
um cosmorama em ponto pequeo com muito bom
vilro, que faz 24 vistas muito elegantes, as quaes
silo : a vista de Veneza Calerio de Orleans pala-
cio real em Paris, prn^a da Concordia, praca de
Vandomc, ponte de Caruzel, convento de .-Ger-
mano convento deS.-Antonio-de-l'adua a vista da
praca c porta de S.-Dinz, a vista da praca de Vs-
caya, a ra de Bebuli, o golfo de Joo; por proco
commodo : na ra do Collegio n. 9.
MAYA RAMOS* COMPANHIA ,
Na ra Kara n <>,
vendem ricos leqties de eburno, chegados ltima-
mente, com pinturas muito linas. A clles antes que
se acabem.
Romances de venda calugucl.
A livraria da esquina do Collegio receben nova col-
Iccc/io de romances modernos, interessanles e dos
mclhores autores.
Vcnde-se cal virgem de Lisboa, em caixas e
barricas, chegada ltimamente : no eseriptorio de
FranciscoScverianiio itnbello <\ Filho.
Vende-se superior sebo em rama ; na ra da
Cruz ,n. 51.
Vende-se uma preta de 34 annos, boa lavadei-
ra e que he propria para o servico de campo ; von-
dc-sc por o dono se querer retirar com brevidado
na ra do l.ivramento venda n. 8.
~ Vendem-se, na ra do Trapiche-Novo, n. 18 ,
em casa de Frederico Bobilliard, os seguintcs gene-
ros : massas sortidas ; cerveja branca c preta em
garrafas ; (lila preta em botijas, a melhor que lem
viudo a este morcado; ago'ardente de Franca, em
garrafes; azeitedoce fino engarrafado; pos pre-
tos; papel drele c de embrulho; sellinsjnglczcs com
seus pertences; ludo de superior qulidado e por
pre^o muito commodo.
Vende se, ou Iroca-se por moleques, uma par-
da com habilidades ; uma prela, propria para lodo
o servico de uma casa ; uma negrnha de 4 annos :
na i na da Cadea-Velha n. 30.
Caa dt modal francesa* M.A. Millochou.
No AteiTO-da-Bon-Vista, n. 1 primeiro andar,
vendem-se ricos chapeos da ultima moda para
(senhora; maulas de bico ; larlatanae barego ; col-
p( lie lomillos o ealiocfios bordados ; bicose fitas de todas
as qualidades; cambraiase larlalanas; luvas de pel-
lica superior, para homem e senhora ; e outros mul-
los objectos de modas. Na mesma casa so fazcm cha-
peos loucas c vestidos do senhora da ultima moda,
:Fugio, ha pouco tempo, um preto, de nome
Ignacio de naco Mina, consta ter mudado o nome
para o de Manoel, e inculca-se forro; tem os ps al-
guma cousa grossos e anda quasi peiado ; lem o ca
bello muito carapinhado c alguma cousa ruco, com
bastantes marcas de bexigas no rosto, nariz um tan-
to grosso. Boga-se as autoridades policiaes ou ou-
Ira qualquer pessoa que o pegar, de levar a rua da
Aurora, n. 8, casa de Jo3o Pinto de Lemos Jnior.
Fugio, 09 din 10 de setembro do prximo
passado, da villa de S.-Jos-do-PccIiim,
um escravo, do nome Candido crioulo,
alto o grosso, bem barbado j pinta
bastante a barba, que com reparo se v ,
uma cicatriz que mal se percebe em um dos ps por
baixo docalcunhar .proveniente do um cravo,ps
grandes e npalhelados, orelhas regulares boa phy-
sioiiomia ; lem o andar mcioaccelerado, muito me-
tido a pachola, bem cachaceiro, trahalha cni roca
bom carreiro e enlcndo do trabalho de gado; julga-si
ler falta do denles; levou camisa e reroulas de al-
godfio da trra : quemo pegar leve a casa de Manoel
JosConcalves Braga em Pernambuco, que recom-
pensar
ENIGMAS
PITTORESCOS.
20 por cento : na rua da Concordia passando a
ponlezinha n direita segunda casa terrea.
Vende-se uma preta e um cabrio ha ; sola ;
couros miudose hezerros; cera de carnauba ; uma
poreflo de sebo em barricas ; um octilo de ver ao
longc; uma porciode esleirs pintadas: vcnde-se
cm conla sendo por junto e iambom se vende a
relalho : na rua da Croz, n. 26.
Vende-seuina preta moca, de bonita figura ,
que cozinha, lava, c lom principio de engominado
uma mulalinba de 15 omos, boa parase acabard
educar : vendem-se estes escravos muito cm contn :
no pateo do Ca mo loja do sobrado n. 7.
; Vende-se um casal de escravos a prela tem al-
gumas hubilidades eo pelo be proprio para todo o
.servico de uma casa ou para o campo: a fallar com
Jos Joaquim da Silva Maya que dir quera os vende.
Panno de linho puro, a 600
rs. a vara.
Na loja nova de Raymundo
Carlos Leite, rua do Queimado,
t. 1 I, acha-seum nevo s lo de fazendas finos charatas; as-,
sim como panno de linho, em'l-
pecas.de 15 varas; a nova
do diabo, a 400 rs. o eovado; len
eos de seda, pequeos, pioprios
para meninas, a oiU rs ; e os pan per preco commodo.
nos finos sao preferiveis aos d'ou-| aos2ooi
Ira parle,
por seren no vos na loja.
Vende-se um burro de boa rae'a : no Fortc-do-
Mattos rua do Codorniz n. 12 casa do Belm.
i Vendem-se mcios bi I heles, qua ros, olavos e vi-
IltO peiO pre^O, COmo gesimos da lotera a beneficio do convento de S.-An-
lono ;e Iambom a beneficio da matriz do Cea ni,
que tem de se extraliir no Bio-de-Janero a 30 do
corrente : no Becife, loja de cambio do Sr Vicira. A
dos de S.-Antonio J antes que chegue o vapor
el les
Vende-se nina preta de 36 annos pouco mais ou com a lisia,
menos, mulosadia, sem vicio nem achaques, boa) Vendem-se 4 pretas e dous pretos de bonitas
lavadcira de salino e varela oque cozinha o dia-! figures, viudos prximamente do Aracalv : na rua
doV'igario n. 5.
-^ Vendem-se, no armazem do Braguez, ao p do
arco da Concerno canastras com castanhas em ou-
ricos e saccas com milho novo, ludo muito barato.
Vende-se, na livraria da rua do Crespo, n. 11,
Tratado da legislaco ou exposieo das les ge-
raes, por Carlos Comte, 2 v. 1000 rs ; Compendio
de geographia histrica I v. 3000 rs.
- Vendem-se 200 e tantas otavas de prata : na
rua Nova, venda n. 65.
--Vendem-se pegas com 20 varas de bom mada-
pollo, largo e encorpado com algum toque de ava-
ria.propriopara forro ou roupa de meninos a 2500 rs.:
na rua eslreita do Rozario, n. 10J terceiro andar.
no de uma casa por prteo milito commodo : na
rua das I.arangeiras n. 14, segundo andar.
- Vendcm-sc cal virgem em meias barricas, che-
gada prximamente ; caixas \asas para asquear;
ii ma porcio de pesos de ferro de 2 jirrobas ; sorras
grnndesi'ii ra serrar madeiras ; ludo por preco com-
modo : na rua da Moeda armazem n. 15.
-- Yende-sc superior sal do Assu : a bordo do br-
gue-cscuna Htnnqutim, fundeado ao p do trapiche
novo.
VF.EAS l)l CF.liA IIO RKMHC-JANEIRO.
Vende-se completo sortimento de una a 16 o bo-
giasde4,5 e6 : no armazem de Alvos Vianna na
rua da Senzalla-Vlha, n. 110.
DECIFIfjAO
Jisperir a lortunado destino
lie navegar em procura do Vellocino.
31. Mo.NTRlItO.
FKRR. : KA TYP. DE M, F. Dt FAR1A.-
liK\
\


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EMPAJEMFD_LX4IR7 INGEST_TIME 2013-04-30T21:17:12Z PACKAGE AA00011611_09723
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES