Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:09708


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Ji I
^nn0 (Tol847.
Te r^a-fera 5
jjURIO publica-sc todos oj diaJ, rue 11S0
,',.....arda : o iirei-o da atiicnatara lie de
"' _,.i__... j...7Lj.. n. ,..
"i'.i rs |'<" T'rttl- l"V" "d'nMn.t, Ot Hn
""' ,(. assiananies s inseridos rusSo el
" r |i.il.n, f'S Ivpo difireme; e as
i ipgr!<) 80 !'or ''",ia> e ,8em 'yp"
;;;,;,;'le:rorcad.|.ili,c-r-,o.
rl|AS1.;S DA LIJA NO MEZ D JANEIRO
-i,e a 1. nos '.' '"inilUaxt larde
ir,.....,,'. n 0, sl,=n el6h.il,. data, de
r no, a 16, al "' l-ora. a min. .1. larde.
C,eente, "
PARTID DOS CORREIOS.
Coianna e Paralrfha, seRundas escitas Mr,.
H.-(,inde-dr.-Noile quimas fe:,,, ,onie0.,|ia_
(.abo, Seiinl.K.m, llio-Foimoso, foi to-Uliio e
laceir mi.'.iu e J di cada mez.
(araidiuiis e.lloiiilo. a 10 c 21.
Boa-Vista e flores 13 c 58.
Victoria, as quintas lenas.
Uiiiiria, lodos os dias.
PPEAMArt HE IIO.IK.
Primeira, s f, loiai e 54 inutos da inlu"a.
Segunda, s 7 horase I! minutos dn Urde.
de Janeiro.
Anno XXIII.
N.5.
DAS DV SEMANA.
(_ Segunda. S. Tito.
.', Terra. S SeaneoEstellita.
0 (Ruarla. *4< Os Santos Res Magos ( Epi-
fana do Senlior )
7 Quima. S.'I'haoiloro. And. do J. de orpli.
do J. municipal da I.' vara.
Setin. .-.Paciente. Aul. dol.dociv.da I.1
v do J. ile paz do I. dist. de t.
'.) Sabliado. fit. Juliao, Celso, Epilecta e Mar
cionilla.
10 Domingo. S. Goncalo de Amaran ir.
CAMIUOS NO DA DE JANEIRO.
Cansino sobre Londres d por l^rs. a 00 d.
P-tn 87S pW franco.
Lisboa 9J d uranio.
Desc. de letlras de Imms lirm.s I'/, p. *U o mes
Ouro-O.irss I cspanl.oU JUlOOO
McerlajdeU.OOvell.. lOono
a de ofiOO riov H>ll
de.fflo..... *('
Pral.1 Patacas....... !#"
a Prso cidumnirei... I*""1
Ditos mexicanos..,. 'I"1'!
a Unida............ H'-'"
58*6 o
ib#:oi>
lAfOOi)
ttfOOn
joon
}|00U
'son
Acces da comp.do liclierdic de iOfOOO rs.ao par.
DIARIO DE FERNAMBUCO
PA^TE 0FFICIAL.
MINISTERIO DO IMPERIO.
-
lllm. e Exm. Sr. Fo ouvida a sepilo do conce-
llm de estado dos negocios do imperio sohro as sc-
piiiiiles (huidas que na rxecucAo da le regulamen-
tar das eleices se offerecem nos juizes de paz da ca-
pital ta provincia de S -Paulo, e da villa de Taman-
du, na provincia de Minas-Geraes.
i.'Se, sendo dcpuUdns provinciaes os eleitores de
una parochia, e estando elles em efteclivo exereco
das funccOes legislativas, podem ser convocados para
a formaciio da junta qualificadora, nfio obstante u ar-
tigo 23 do acto addicional, que nao permilte, du-
rante as sesses da assemblca legislativa, a aecumu-
lacilodesle cargo coni a-do qualqueroutro:
2.* Se, sendo o juiz de paz presidente da junta
qualificadora um dos eleitores da parochia, devera
scicoiilado no numero dcsles ou considerado im-
pedido :
3.' Se, desannexadoporle provincial um dos dis-
trictos ta parochia, para formar parte de diverso
termo e parochia, o morando no mesmo dfstricto al-
guna eleitores, deverflo ser chamados para formar a
junta qualificadora da parochia de que eram elei-
tores :
4.' Finalmente, se, lendo morridoou estando im-
pedidos alguns eleitores. de manoira que se nSo.prc-
enclia o numero dos que nomeou a parochia, devem
ser todava convocados tantos supplentes quantos
so os eleitores que deu a parochia, hom que pelos
motivos mencionados nflo pqssam ser convocados
ou reunidos lodos os ditos eleitores.
E havendo-sc S. M. o Imperador, por sua imme-
diata rcsolugflo de 3 do correte, conformado com o
parecer daquella secedlo, exarada em consulta do 28
do mez passado, ha por hem declarar;
1." Que tlevem ser convocados todos os eleitores
da parochia, anda que sejam dputadosprovincaej,
tanto porque podem nSo ser designados para fazer
parte da junta qnalilicadora, como porque, nflo sen-
do cniprego publico o acto de qualilicar os votantes,
ou o de servir de membro das mesas parochiaes^nflo
lia inconveniente algum em que sirvam em tacs
actos os eleitores que frem deputados, urna vez que
asassemhlas provinciaes o permittam; cunipriiido
porm advortir que, visto no haver le que mande
preferir o servc.0 das mesas qualilicadoras e das as-
semhlas parochiaes ao exercicio de depulado pro-
vincial, nflo podem estes ser multados se nflo coni-
parecerem para o dito lim, ou se, tendo compare-
cido, se ausenta rem, ou no assignarem as actas.
2 o Que o juiz de paz presidente da junta qualifica-
dora nflo deve ser enumerado entro os eleitores, por-
que o mesmo individuo nfio pode exercer simult-
neamente fiinccOcs que a Ici quiz que fossem eom-
nietlidas a diversas pessoas, e cabe consequente-
nienle cousidcra-lo impedido.
3.'Que os eleitores de urna parochia que moram
em districto que, depois de sua eleic,fio, foi por Ici
desmembrado dola, c passou a fazer parte de outra,
nflndevcm ser convocados para a formaefio da junta
qualificadora da parochia pela qual foram eleitos,
disloque para a eleiefio de urna parochia s podem
contribuir om parochianos dola.
i.' Finalmente, que devem ser convocados tantos
supplentes quantos forem os eleitores da parochia,
aiuda que baja certeza de que por morte, mudancji
ou nutro impedimento nflo romparec.am todos, pois
assimo prescreve a lei, e foi inqdeslionavelmenle a
sua intenefio, porque, mandando ella convocar
niaior numero de eleitores e supplentes (loqueos
necessanos para a formaciio da junta, com o intuito
de hovera maior incerteza possivcl dos quo pode-
riam yira ser memoro delta, sosera completamen-
te satisfeita a mesma lei quando concorra o maior
numero de eleitores que a cada parochia cabe dar,
e o mo'or numero de supplentes, comanlo porm
que nflo excedam ao numero de eleitores que devem
ser convocados, hem que nenhiini vicio haja na elei-
clo, quando assim se nflo verifique por motivos in-
uependenles da autoridade publica.
Oque ludo communico a V. Ex. para seu conbe-
cimeiitoegoverno.
heos guarde a V. Ex. Palacio do Rio-de-Janeiro
em5do dezcnibrodo 1846. Joaquim Maree/lino de
Jlrito. Sr. presidente da provincia de S.-Paulo.
N- f. Na mesma conformidadeaos presidentes das
demais provincias.
C^ovemo da provincia.
EXPEDIENTE DE 19 DO PASSADO.
Officio Ao Exm. bispo diocesano, aecusando re-
messu de copias das leis provinciaes de ns. 175,183 e
ii Ta,"''eii> se lemcttcu adtninistragflo dos es-
lal eleeimenlos de earidade a copia da lei provincial
n. 165 ;ao inspector da Ihcsnuraria das rendas pro-
vinciaes as das de ns. 162, 176 e186;ao adminislra-
uor nicipal desla cidade a da de n. 179.
ni i "i Ao insl',!Clor interino do arsenal do mart-
nna.iieclarando.queao arsenal de guerra estflo da-
uas as convenientes ordena para que-fornecu ao bri-
gue laliope os obejectos mencionados em os dous
pedidos por S. me. remetlios.
Dito Ao mesmo, ordenando que mande vaccinar
0 paisano Hartboloniao Xavier de Mattos.
Hilo -- I)osecretario interino da provincia ao juiz
dedireilo interino da segunda va.a do crime, signi-
1 cando que o l,xm. Sr. presiifti, acha-se inteira*
dos motivos por que se nflo effeituou a sexta sessflx)
dos jurados desta capital.
Xommando das armas.
QUARTEI^GENERAL NA CIDADE DO RECIFE, DE
JANEIRO DE 1847.
N. 145 0P.OEM DO OIA.
0 St general commandanledas armas manda fa-
zer publicoquo o Sr. alferes da quarta classo do exer-
cito, Manuel Leocadio de Mira Wanderley, addido a
companhia de artiffees, foi recolhido preso, porque,
tendo de entrar hoiltem de guarda na praca, se apre-
sentou na parada dez minutos depois da hora esti-
pulada para este servico. Jote da Silta Guimardet,
ajudante d'ordens.
EXTERIOR.
PARAGUAY,
. VVA A REPBLICA DO PARAGUAY !
Independencia ou morte!
Assumpcflo, 15desetembro de 1846.
O tupremo goterno do Paraguay ao Sr. D Guilherme
A. Harrit, encarregado de negocios do Esiadoe-Uni-
do.\ junio ao-goterno de Buenoi-'Ai/ret.
0 abaixo assignado, presidento da repblica, rece-
beuanoln que o Sr. Guilherme Rrent Jnior, ante-
cessordoSr llarris, tevea bondadededirigir-lhe om
lata de29 do abril prximo passado.
Na dita nota offereceu o Sr Rrent ao supremo go-
verno desta repblica a respeitavel mediaeflo dos Es-
tados-Unidos, para o lim de procurar-se, pormeios
amigaveis, urna accommodaefio honrosa entre o Para-
guay e Iluenos-Ayrcs.
Posto que tal documento nflo indique directamen-
te a natureza dos meios ou expedientes a adoptar,
comtudo a credencial com que vieram munidos os
Srs. cnsul Graham e secretario da legaijflo Rrent
cncarregava-lhe de proprcm, como propozeram :
1., a nomea^flo, por parle desta repblica, d agen-
tes diplomticos, convenientemente autorisados para
iiom tratar em Rucnos-Ayres com outros agentes in-
vestidos de idnticos poderes pelo governo argenti-
no, sobre a determinaefin final das questOes vigen-
tes ; 2., a cessaeflo de todas as hostilidades, em vr-
linlc ila mediaciio. sein que possam ser renovadas
para o futuro senflo depois de previa intimar/flo pelo
menos de tres mezes.
Relativamente a este tpico, allegou o Sr. Brent na
sua indicada nota que Ibefra mu i grato observar
que a consequencia inimediala e importante da acei-
ta cao da mediaeflo dos Estados-Unidos pelo governo
do Buenos-Ayres lora a instantnea expedieflo de
ordem ao general Urquiza para nflo fazer a menor
bostilidade ao Paraguay.
Taes sflo os antecedentes sobre os quaes o presi
dente abaixo assignado vai lera honra de responder
ao Sr. llarris. Mas para que a sua resposta seja mais
clara, mais bem comprehendida e justificinla, sera
necessario partir de urna poca anterior a nota do
Sr. Brent
Em 10 de novembro de 1845, ja o Sr. Eduardo Au-
gustollopkins, agente dos Estados-Unidos nesta re-
publica, tinlia offciecido em nome do seu governo
igual mediaeflo que foi aceita pelo presidente abai-
xo assignado.
Apoiadoem correspondencias anteriores, eem no-
va manifestacao de ideias formuladas pelo Sr. Wise,
ministra plenipotenciario dos Estados-Unidos na
corto do Brasil, ideias interessantes ao bem-estar
das potencias da America meridional e adoptadas pe-
lo proprio Sr. Guido, ministro argentino na dita cor-
le, dirigiu-se o Sr. Hopkins a lluenos-Ayres.
0 governo do general llosas nflo s impediu que
aquello agente agitasse a indicada mediaeflo, ou que
participasse na que offerocra oSr. Brent, senflo que
at recusou receber as suas informacoes em carcter
publico! ,.-
Alm destes factos, cujo alcance e valor nflo seria
conveniente qualilicar ou caractensar por agora, oc-
cori eram outros tflo flagrantes, que de modo nenhum
podiam deixar deattrahir a inleira altei.Qfio do go-
verno paraguayo.
Com ell'eiio o governo do general Rosas, declaran-
do em nota de 26 de fcverero que aceitava a media-
eflo oflerecida pelo Sr. Brent, allegava o que mlgava
conveniente a seus interesses, mas nflo estabelecia
bases oueondOes queaflirmasseni precedentes de-
gradantes e inadmissiveis. .
Erapossivel a mediaeflo porque nflo havia deshon-
ra : e se urna vontade justa c sincera presidiase aos
passos ulteriores, poderian. delerminar-se os funda-
mentos de um ajuste conveniente e decoroso.
Mas em%%e marco o mesmo governo do general
Rosas, Z, contcmlacopara com os antecedentes,
elo resolvido a romper e impossibd, a^^lodo
o ensarna utos que revela, osobretudo pelas ba-
^e que indicou como conloes para um ajuste ,m-
imssivel com a repblica do Paraguay!
' OditoKOverno re.netlet. copia dessa nota ao Sr.
ent e Mtea aceou sen. fazer reparo ou pedir ex-
ent, ct sii. .i., ..., n h xoassiiuadoau-
Sontos aguardo'o silencio que por tantas ra-
sos se tornou notavel.. sSo>r
3ue o abaixo assignado evitar o desdouro dorepro-
uz-las. Basta declarar que esta repblica nflo po-
llera de modoalguin convir no progresan de nego-
ciaqfln fundada sohro taes principios, nem mesmo
concordar na presislencia de urna mediaeflo que acei-
lasso seinelbantes condic,0es,porqueellas constiluiri-
am o governo mediador em agente da morte poltica
da nacionalidade paraguaya!
Depois de grande demora e silencio, chegaram a
villa do Pillar os Srs Grahan eBie.nt, encarregados
dos ollicios do antecessor de S. S., e dalli dirigirn,
em 4 de agosto ao abaixo assignado urna resumida e
simples indicaefio da sua niissflo.
Sob o peso das desagradaveis mprcssi^es cima re-
feridas, e para salvara dignidadeda repblica, orde-
nou o governo supremo a repartiefio dos negocios es-
traugeirosque exigisse explicac;Oes, como exigiu em
data Foi entflo presente ao abaixo assignado a nota dos
Srs agentes, datada emIO, constante da copia n. 4,
que veiu arompanhada da credencial j mencio-
nada.
Os esclarecimenlos nflo eram porm sulueientes,
porquanto aqueslflo capital consista em saber-se
sena offerta do mediac.fio vigoravam do qualquer
maneira as rondQOes inscriptas pelo governo argen-
tino na sua memoravel nota jJeSdc marco, hypolhe-
sena qual cnnvnha rcpellir mconnene lodo e qual-
quer pas*) ulterior. Teve porlanlo lugar a corres-
pondencia de 16 c21 de agosto, designada nos n-
meros 5 e 6.
Por ultimo, persuadido o governo supremo da re-
publica de que taes condigoes, ou>foram retiradas, ou
escripias somonte paraoulras vistas ou lins, teve,em
consequenci.i da nota n. 7, o prazer de ver nesta ca-
pital aos referidos Srs. agentes, ede receber osofll-
cosda legacflodos Estados-Unidos, concebidos nos
termos ja expostos.
Depois deste breve resumo dos factos oecorridos,
siilliciente para auxiliar a memoria de taes factos,
o presidente abaixo assignado procurar prescindir
de lodos os antecedentes desagradaveis e a'.lender
smente a possihilidade de eolher da ollcrta q-ie
vista dos documentos 8 c 9 de 5 do crlente, julga
ser autorisada pelo governo dos Estados-Unidos, os
resultados honrosos o uteis que a generosa polti-
ca do gabinete de Washington procura proporcip-
nar-lhe
Assim pois, a repblica do Paraguay nflo so aceita
de novo a indicada mediaeflo, senflo que renova lam-
bem as segurancas ja dadas de sua gratdflo pelade-
HiOnstracao de inleresse eamizade que o respeitavel
governo dos Estados-I nidos leve a bondade de signi-
fica r-l he.
Duassflo as nicas condcOcs postas pela legacflo
dos Estados-Unidos, e o presidente abaixo assignado
aceita ambas com pequea modilicacflo ou addila-
mento. Em primeiro lugar, atoncorda na nomeaeflo
de ministros plenipotenciarios, autorisados para ajus-
taren! ascoudivoes de um arranjo honroso e essen-
cial aos interesses cprogiessos dos dous paizes. Os
ditos ministros trabalharflo sobre a base indefeclivel
do reconhecimento da independencia do Paraguay
como nacionalidade soberana e inteiramente dis-
tncta da ConfederacAo Argentina.
Fra superlluo declarar que sem essa base nenhuma
negociacAo he possivcl, e que at seria menos de-
coroso ao alto governo dos Estados-luidos progredir
na mediae,Ao, que por sua propria dignidade so pode
ler lugar entre questOes iiilernacioiacs de duas so-
beranas, e nflo no pequeo carcter de lutas domes-
ticas alheias interferencia externa; c demais, nun-
ca semelhantc mediarlo seria olTerecida para des-
truir existencia de urna das nacionalidades que a
aceitasse, e que em virlude della nunca esperara ou-
vira proposta da sua morte poltica ou desappareci-
mento da lista das naces onde tem seu nome ins-
cripto depois de urna larga duracao de mullas deca-
das o de urna existencia reconhecda e saudada por
dlTerenles potencias.
A indicada base nflo he pois innovaeflo alguma, e
porisso o abaixo assignado dir que a nica modili-
cacflo que propc a respeilo da primeira conilicffo he
que os referidos ministros, em vez de soreuiiircm
cmBuenos-Ayrcs,sereunamem umacrtnestranba,
como muilo aconselha a rasflo imparcial e a comple-
ta liberdade de seus trabalhos. A curte do Rio-de-Ja-
neiroolferece todas as coiidi(0es para o effeito, o a
pre>eiica all de um ministro plenipotenciario dos
Estados-Unidos olTerece todas as proporcoes para
que a mediaeflo consiga proveitosos resultados.
Em segundo lugar, a repblica do Paraguay acei-
ta seiiiellianleinente a condicao da cessaeflo de hos-
tilidades, certa deque nflo sera ella quem ministra-
ra materia para a sua renovaefio. E como a legarlo
dos Estados-Unidos se mostrou grata ao governo do
general Rosas, por terelle, em virlude de tal media-
eflo, expedido instantneamente ordem ao general
Urquiza para nflo hoslilisar ao Paragay, o presidento
abaixo assignado tem a honra de olferecer-lhe a in-
clusa copia authentca do decreto desta data pelo
qual manda cessur todas as hostilidades declaradas
ao governo de Buenos-Ayres, e restituir as cousas ao
estado anterior nos termos nclle consignados; e
acredita quo este fado sera avahado como prova in-
controversa da sua dedicaejao aos Estados-Unidos e
do ardente. desejo que o anima pela paz e prospen-
dade da America Meridional.
O honrado Sr. llarris observara que umaconse-
uuencia leal destes precedentes, he que o governo
artonlno reponha por sua parteas cousas no estado
anterior aos seus decretos de8 do Janeiro e 16 de
abril do 1845, abrndo-se effectivamente a navegacAo
entre oParaguav e Buenos-Ayres, anda quo seja
com a restriceflo de nAo passar alm para ir ao Rio da
Prala ja porque taes decretos sAo verdadeiras hos-
tilidades que devem cesaar, j* porque o contrario
sera illusflo poueo generosa, quo revelara urna rea-
lidade iliametralmente opposta a quaesquer palavras
de negociacAo amgavel ou paz sincera. Al^mdsso,
os verdadeiros interesses commerciaes da Confede-
racAo lgam-se a essa poltica por modo tflo obvio,
que as mais trivaes nocOes de economa e riqueza
nacional os demonslram claramente; nflo te pede
urna providencia nociva ao governo de Buenos-
Ayres.
Debaixo destas eonsidcracfies, o presidonte abaixo
assignado aguarda smente a rosposla do honrado
Sr llarris para no-mear o ministro que dever ir com-
binar com o ministro argentino condices recipro-
camente vantajosas para os dous paizes, e que assen-
tem sobre a independencia paraguaya, e lim futuro
de poder e de frca commercial, deuesenvolvineulo
de industria c de prosperidade para as duas ropubli-
cas, capazes e dignas de um grandioso porvir. Con-
sequentemente nflo resta ao supremo governo do Pa-
raguav"senfio renovar as suas exprcssiles de alta gra-
tulan o Ilustrado gabinete de Washington, e offe-
recer aoSr. llarris a seguranza, &C.
Carlos Antonio I.opfz.
ESTADOS-UNIDOS.
NEW-VORK, 20DEOLT0BODF. 1846.
Temos1 noticias do Vera-Cruz at 25 do passado, e
sflo de nalureza a fazer desapparocer as ultimas illu-
sOes daquelles que julgavam que o Mxico daria ou-
vidos a ideias pacficas.
Sant'Anna entrn na capital no da 15, e foi aco-
Ihidocomo salvador da repblica. A prolissflode f
que dirigir na vespera ao general Almonte d a es-
ta recepcAo enlhusiastica urna signlicacAo muito
particular.
Em resposta a urna communicaefio oflicial em que
Almonte Ihc ofTereca a presidencia em nome do ga-
binete interino, Sant'Anna que se achava entilo em
Ayolla,a12lcgoasda capital, declarou que tinha si-
do chamado para nr-se frente do exereito, o nflo
para tomar o poder soberano, e que portento aceitar
por un s instante a autoridade suprema tora per-
der lodos os direilos confianza do paiz.
Veuho cumprir, diz elle, o mandato do nicu paz.
Chama-me para o servir como commandanto em che-
fe do exereito; eslou promptoa obedeccr-lhe. 0 in-
mioecupa nossos portea, despojnu-nos dos nossos
mais ricos territorios, e ameaca-nos com o seu do-
minio Vou pr-mo testa do exereito mexicano,
lilho de un povo livre, e com elle cumprirei o mais
sagrado dos meus devores, combatendo os inimigos
do mcu paiz; ou morrcre combatendo, ou conuu-
irei os valenles Moxicanos a um triumpho a oue
leem dreito. A guerra he urna uccessipade inmedia-
ta; cada dia de demora lie um seculo de infamia;
nflo posso largar o posto que a nacflo me marcuu ;
devti marchar para a frente se nflo quzer merecer a
reprovaeflo devida ngralrdflo,-ou pelo menos se
nflo quizei vero mcu paiz humlhado e entregue a
desgracas perpetuas. En commetlena um erro gravo
se aceitasse a magistratura suprema quando o mou
dever mo chama acombater os inimigos da minha
patria.
Esta resposta he una vcriladeira profissflo de f ua
qual Sant'Anna adopta por divisa- liberdadeinteira
aopaize guerra de inorle aos Americanos He por
isso que o enlhusiasmo publico com que foi arolhi-
doo generalsimo das Hrr;as mexicanas, ao fazer a
sua entrada na capital, pode ser considerado como
umasanceflo nacional desse duplo principio. Recu-
sando a presidencia, deixa Sant'Anna desersuspei-
to aos federalistas puros, e torna-so a esperance e o
chofo do partido de guerra que pareco ser boje o do
todo o Mxico.
10 governo mexicanonflo perde lempo,e as medidas
que adopta estflo longo de annunciar urna tendencia
para a paz. Ao rccriitamento de 30,000 homens,
promessa de comprar todas as .-urnas emunicoesdo
guerra que serAo admitalas livres de direilos, ac-
cresse agora o estabelecimento tic urna tundicAo do
pegasea liberdade plena da fabricatfln da plvora.
Sant'Anna oceupa-so tanihem activamente ta orga-
nisaeflo do exereito ede formar o seu plano de cam-
panha, para oque se preparou de anlemflo, levando
coinsigo da llavana uns vinte olllciaes hespanhes do
reconhecido mrito. SAo auxiliares uteis paraoge-
neralissimo mexicano, e mais nina prova de quo as
suasinleiiQoes pacificas nunca existiram, e que na
combinaeflo quo dcixou penetrar Mvrementeem Ve-
ra-Cruz o vapor Arab, ou fez o Sr. Polk um calculo
inteiramente falso ou se dcixou Iludir grosseira-
mente.
Tinto o quo lemos as folhas mexicanas e todas as
medidas tomadas pelo governo denotam no Mxico
um senlimento de hostildade muito pronunciado.
Ser presumivel que a oceupaeflo de Santa-F e a
tomada de Monlercy faeflo abalar essa resoluto de
continuar a guerra ? Nflo; e a rasflo he fcil de dar.
Quanto a Santa-F, j a noticia tinha chegado ao M-
xico, onde causou profunda sensaefio, mas em nada
mudou a resolueflo do governo c da populacflo. A
tomada do Monterey nenhuma influencia exercer
as determnacoes de Sant'Anna, porquanto parece
quo contava com isso. Diz-se que desde o primeiro
dia (xaraS.-Luiz.-jle-Potosi como o poni, onde a-
guardarra o general Taylor, e accresccnta-se quo
tinha dado ordem ao general Ampudia para evacuar
.Monterey. E pois, os ltimos successos nflo muda-
ramaseus olhos o estado das cousas. Assegura-so
queche dissera : Ou os Americanos hfio de ser ro-
pelidos, ou o Mxico hadedesapparecer do mappa
poltico das pacAes '
dem, H os outubro.
Chegou a Now-Orleans o vapor iMektm, sabido de
Brazns-de-Santlago no da 5 do correnle, o poucas
noticias traz dignas de mencAo. Vemos apeos quo
-

//
'


'\
em Matamoros reina grande epidemia, oque haviam
700 voluntarios atacados de febre tvphoide.
He as enrrespoudenriasde Washington que cum-
pre procurar linje as noticias do Mxico. Todas ellas
aniiiinnam que o governo est decidido a continuar
a guerra a todo olanse. Urna deltas refere que o
secretario da guerra exigi seis regiment* da l'en-
nsylvania, e que o conliiipentc de New-Vork ser
podido brevemente. De outro lado, he hoje sabido
que se vai atacar Tampiro, e IbIvcz tan.bem Alvaza-
do.-O oommmlnrc Perry que se diz estar cncarre-
pa.lo de dirigir este ataque, chegou a Vera-Cruz no
dia23desetembro. O vapor litsissipt que levou or-
dena sobre um plano de operncoes inmediatas, deve
terchepa.lo no dia 4 do corrente; Imprtenlo pro-
vavel que nfopassar o mezde outubro sem que se
comer a operar activamente. 0 Repvb'ican deSa-
vannah de 15 do correnlo rontm mesmo acerca das
operacoes projectadas alptimas rovelacos que referi-
remos aqu sem garantirsua aiillientieidade. Diz csse
jornal que o Sr. Berryman, tenento aTrvxton, o
encarregado de despachos do commodore Connei
para JPashington, eommuntcra a um dos seus com-
panhems de viapem que o poverno teneionava, h go
depois da lomaila de Tanipico, atacar portera a ci-
da.le deVera-O.uz, e que a apparicilu da bandeira a-
mericana sobre essa cidade seria para a esquadra o
signal do taque contra S.-Joflo-de-Ulloa. le pro-
je cto he considerado como o nico meio eflicaz de
por lim guerra.
A (/indo de Washington declara que o governo tonf
tomado as medidas mais enrgicas, e accresccnta
que a eunosidade publica A cari satisfeila quaiide os
chales do cpngresso lornarem publicas as inslruc-
goes dadas^aos dirTerenles oficiaes A conducta do
poverno, diz o correspondente do Journal ofCom-
merre, be muito clara : consiste em tomar posse dos
territorios conquistados como perlcncentes aos Es-
tados-Unidos, salvo semprea aecflo ulterior dos po-
deres qufazem os tratados e as leis.
Quantoaos resultados da guerra, accrescenta o
correspondente, todos nos os sabemos tanto como o
governo. Acabar com a guerra no sen estado actual
sena cousa impraticavcl, mesmo quandoqs dous go-
bernoso desejassem. A populadlo tumultuosa o valle
oo.Missisipi resolved a conquista-do Mxico e con-
quista-lo-ha todo.e.-m a cooperacilo ou sem a coope-
racilo do poverno dos Estados-Unidos ((destino assim
o quer A loucura e oegueii a dos Mexicanos, de una
parte, oda outrao impulso das populaooes america-
nas, assepuraram a rpida conquista de todo, o M-
xico. I'ouco importa o que Tara a administracAo nos-
ta guerra, pouco importa que a dirija hoin ou mal,
porquanto o que so precisava era que come^asse a
contradancji. O desastre dn general Tavlor e de to-
das as suas Coreas em S.-Luiz-dc-Polosi desastre
mu prnvavel, nao contribuira senilo para apressar e
nsscgiirar a deslruico da nacionalidade mexicana
Rcceberam-se tambem alpumas noticias deSanta-
Fe. Alcancam a 6 de setemhro, eannuncian que o
general Kearney partir no dia 3 para urna expedi-
eflo, a frente de 900 honiens. Deve descer at o Itio-
Abajo, almixo do Rio-Craiulc, edalli para Albuquer-
que c Soccorro, onde levantar fortiticacOes Logo
que cbegasseni a Santa-Fe os reforcos que para alli
estilo em marcha, teneionava o general Kearney di-
vidir as suas loicas edirigi-laspor tres caminhos dif-
ieren tes sobre .Monlcrey na California, deixando urna
pnamiCiio em Santa-Fe. Esla expedidlo arriscada
teria porm de ser abandonada, a ser verdade o boa-
to que corre de que os peeraos Armijo e Ugarla
maichavam sobro Santa-Fe com 5,000 homens.
{Lourrier des Elais-Unit)
{Jornal do Lomtnercio.i
tas do nosso mundo, achar-se-ha para o dimetro
apparenle do planeta desconhecido tres segundos e
um terco 3", 3) em raslo.da su distancia, eseu bri-
Iho nilo exceder ao terco do de Uranos. Ora, so se
attender que este, raras vezes visivo] sm o soccorro
lo telescopio, ai enas apparece como urna estrella de
sexta ou de stima grandeza, conreber-se-ha quanto
sera dilticil a procura do novo astro. Mas, lm dis-
to, ha urna grande incerteza sobre a sua posielo real
por causa da indeterniinaclo da excentricidade d
sua rbita.
M Leverrerdifciitiu com perfeita lucidez as con-
seqiienciaa desaa indeteim:nac1o. Mostrou que as
iiierencasque pnrvcntuia possam baver em os re-
sultados de seu trabalho apenas permittirflo admit-
itrqiieo lempo da revolucflo esleja Comprehendido
nutre 207 e 233 anuos, oque, por consegunte, olu-
kn Ve 8S !' ,levl>r* ser proPnrado em um mbito de
32 aqumealm do ponto que Ihe elle assigna
como o mais prnvavel. Emlim, como j huvia elle
annunciado, a introduccilo deste novo elemento em
nosso systcma planetario permitte harmonisar os re-
sollados do calculo com as observacOes. Dillerencas
que nflo silo mais que rraccoes de segundo para as
mais modernas dessas observacOes, oque apenas se
elevnoa 4" para as de Bradley eMaver en. 1753 e
17o6, e5 emeio para a de Flamsteed em 1715, no
cnlietanto que, a u.1o roritar-so com o novo planeta,
scmelhantes difierencas chegarilo a 80e loo segun-
dos- F. DJARD.H.
INTERIOR.
FRANCA,.
B0I.ET1M DO MUNDO SCIENT1FIC0.
ASTKONOMIA.
Planeta perturbador de Uranus.
Em sua memoria do 1.* do Janeiro, annunciou M. Le-
verrier a existencia de um planeta ainda nflo couhe-
eido que se achava alcm da rbita de l'rauus, e cuja
, acciio perturbadora ora por si s sodicente para ex-
plicar todas as i i repu lanchles do tunvimeolo do pla-
neta de llerscell. Esse annuncio lemhra, pela sua su-
blimidade, o que fez oaslionomo llally, em 1705. da
volla peridica do cometa de 1780. Se ralisar-se deve
tambem inmortalisar o nome de seu autor. Deve,
pois, M l.everriei esforcar-se para que participen! da
sua inabalavel convicco os observadores que silo
chamados a confirmar, pelo testemnnbo dos seuso-
Ibos, una descoberta, devida smente ao pensa-
menlo.
Em o I de junlio a se arrisrava ellea predizerque
a massa do novo planeta, duas vezes mais (lisiante
que lanos, deve estar coiupreheiidida entre 1/OOOe
1/20000 i'a massa do sol, e assigunvu-He para o 1."de
Janeiro de 1847 uma longitude comprehendida entre
320" e 330. Segundo estes dados que bastavam pa-
ra representar todas as posicoes de Uranus com uma
aproxiniaco vinte vezes maior do que o de todas as
outras theorias, aflirmava que os. telescopios acha-
riam no co o pldneta procurado. Mas ludo isto ape-
nas era os prin eiros resultados de um trabalho in-
completo; na segunda feia ultima 131 de aposto de
1846 apresenlou M. Levcrrier nmeros mais exactos,
dados muito mais positivos, deduzidosdu uma apu-
rada analysc, e parece-nos que desta vez nao podeni
os asi romos reousar-se a accedar um laclo anhuncia-
do com o senlimento de urna f tilo robusta.
Em vez de urna distancia ao sol dupla da de Ura-
nus que, segundo a Ici de Bode, o autor havia admit-
ilo, (xa essa distancia em 36 vezes a distancia me-
dia da trra ao sol, ou em 36 vezes o semi-diametro
da rbita da Ierra ; entretanto que o planeta Uranos
dista 19 vezes essa quantidade, e assigna a sua revo-
luto em torno do sol urna duracflu de 217 anuos
Uranus, como he Sabido, faz a sua revolucilo em 84
anuos, Saturno, em SW a irnos eSmczes, o Jpiter,
em menos de 12 annos.
A longitude do novo astro que apenas cstava ap-
proximadamente indicada, arha-se agora fixada em
226* 32' para o 1." de Janeiro de 184, c este astro que
a 19 de agosto, a meia-noite, eslava en. opposicflo,
isto be, passava no meridiano entre o Capricornio e
o Aquano/Vm 5>E. da estrella Delta sera visivel
anda por tres mezes em a mesma parte do co, em-
raslonla leirtidaodo seu movimenlo, pois nflo per-
eorre mais que grao emeio em cada auno (1 36').
De mais, he tambem agora qne elle deve ser mais fa-
cllmcnteapercebido. porque son porihelio heu 284',
isto he, este paneta dea um pouco maw distante do
ponto de sua rbita que mais seapproxima do sol.
A massa do planetf desconhecido tambem eslavaJ
indicada de uma maneira assaz vaga ; M. Leverrier a
flxa boje em 1/9300 da massa do sol ; isto he, metade
da massa de Saturno, <;u i;9 da u>iu]>iler, e mais do
duplnmiqasi o triplo da massa de l'ranus que he
sejam de que idndeforem; ludo serve quelles la-
drees: muitos escravos teem fgido depois de pre-
sos, porque preferem ocaptiveiro de seus aenhores
a liherdade que Ibes quer dar aquella caualha : ou-
Irosteemsido novamenle* comprados por seus pro-
prios dnnos aos commandantes das partidas encarre-
gadasdo roubo. Quasi lodos os Brasileirosqu'* tasta-
vam naquellc paiz teem-seretirajlo, porque dalli na-
da mais lia a esperar senlo males; eso traa ni de
salvaras vidas, porque hoje nenhuma segu anca alli
eiicontram. Muitos tropeos que tinliaui passado a
comprar gado, teem voltado saqueados: os pobresFa-
rinhas fnram urna de lanas victimas; e tanto sa-
quean) os colorados como os blancos.
n Servando Comes passou o ltio-!\egjo com a sua
diviso, a reunir-se com Ignacio Oribe, que se acha,
segundo dizem, em S -Jos. Os blancos esperavam
ha muito lempo pela viuda deUrquiza; porm sup-
pnho que isso silo historias, e mais desengaado
liquoi depo*s que \ urna carta do liarbate ao Neto,
dizendn-lhe que o presidente vinha ao Uruguay ler
una conferencia com Urquiza que est na Concor-
dia, e que deixava o presidente Jo senado a testa dos
negocios: isto he uma prova deque Urquiza nlo pas-
a, e neste caso perdida est a causa de Oribe. Tam-
bem so dizia ha poucos das, na villa de Taquarim-
b, e em muito segredo, que as torcas da prffra de
Montevideo tinham feito nina sentida sobre os sitia-
dores, perdendo estes mais de mil homens no com-
bato.
Osorio oscreveu-me ha poucos dias; est tilo en-
tos acerca do coronel Osorio, e das desordens que I
haviam por causa disso e:e Bag; Dos pe^niilta queJ
assim spja. Cresce c-.da vez mais o desposto de se ]
ver que nenhuma prnterefln encontram os BrasUeiros]
no seu governo; e sera posslvcl <|iie isto v assim? I
Nao contentes os unssos vi/inhos de devastarem ai|
fazendas dos Itrasileros, consumndo gados, caval-
los, coreando, fazeudo-os sollrer os maiores vexa- I
mes, 'al muitos teem sido acontados agora com
urna medida barbara e contra todo- o direito, sem
carcter de lei, pois Ihe fa^tnu a publicaclo, de um
modo impoltico, leraoloda a impossiblidade dellcs
podercm tratar dopoueo que Ibes deixam, rouban-
do Ibes a escravatnra. E com esse duplicado prejuizo
irbrram aspcirlas das enormiasmas perdas quo vilo
apparecendo por este lado, e segiiir-se-hio: fallo
da fuga dos escravos, deste para aquello estado. Nes-
te desespero, o povo se impacienta, c o governo de-
pois ter de ltarcoin males maiores que nlo pensa.
lie muito dormir!...
0 anniversario natalicio de S. M. o Imperador, diz
o Rii-frandentc de 5,. foi solemnisado nesta cidade
com extraordinarias e pomposas demnnstracftcs de
amor e lldelidade sagrada pessoa do Soberano.
De madrugada, a banda de msica do 8." bata I hilo
de catadores percorreu as ras, executando escollo-
das pecas, a cujos sons despertou alegre a popula-
Clo, para saudar a aurora do ma'gestoso dia que pela
vigsima primeira vez despontava no horizonte da
patria.
As 10horasconcorreram igreja matriz as auto-
RHM)E-3ANEIH0:
NOTICIAS IK) RIO-GRANDE.
noticia* da campan ha Oriental: libo darle ijeral da e.t-
cravntura. rccrulumcnto, prejutso ioffridas pelo* 'llra-
sileiroi resvlentes na cumpanha. JaquarOo : nssas-
sinalat. Rio-Grande; 2 ilc dezembro; caria do coro-
nel liento Gunralves da Silva ; cheijada do Exm. Sr.
Galro. *- Porto-./legre: collegios eleitoraem demis-
scs; 2 de dezembro; chegada de S. Exc. o Sr. Gatuno.
As fnlhas do Jtio-Crande alcancam a 9, e as de Por-
to-Alegre a 4 do correte ; e temos vista urna carta
desta ultima cidade de 10.
Cartas particulares datadas da costa deS.-Cooca-
lp em 18 o 20 de novembro, e publicadas no Rio-
Grandense, davam as seguintes c importantes noticias
da cainpanlia oriental :
18. Acaba de chegar do Serr-Largo um prenle
iTicii, o qual diz que auiVihcceu a villa cercada, n'u-
ma madrugada, eque, logo depois de clarear o dia,
so publcou a liherdade geral da esrravatura, sem
excepclo das fnicas; e no mesmo acto se princi-
piuu a agarrai os escravos machos, sem deixarnem
um, passando-se paja'sso uma vistura geral, ese
lhes foram entregando armas para servirem de sol-
dados.
Diz mais o mesmo meu prente que houve recruta
geral em lodo o departamento, a um lempo, e que se
publicaran! penas de perda de vida e conlisco de
liens aos que occultassein ou passassem para esta
provincia.
Que o motivo foi por ter sofTrdo o general Oribe
uma derrota na liuha, na qual perdeu cerca de 2 mil
homens.
20. Ante-hontem Ihcconte as noticias que tive
do departamento do Serr-Largo, e que silo confir-
madas por um a m i no meu que, morando na costa do
Arroio-Malo, leve lempo de escapar se com os seus
estravos, e diz que ha urna reunflo geral, sem ex-
cepclo ; o que nilo aflirma he o revez de Onibe.
Tambem acaba de dizer-me um sujeto vindo de
llag que o teen te-coronel Ozono, lendo ido a sua
estancia no Arapehy com 30 homens, a fazer uma tro-
pa, lora atacado por uma forca de oribislas, e que,
depois debrigarem muito, calina morto aquello te-
nente-coronel com alguns dos seus; esta noticia po-
rm carece de confirmaciin, nAo obstante estar eu re-
ceioso de que seja verdadeira, porque, por combina-
coes (pie ti tilia commigo de mandar o gado que po-
desse agora no cedo, deve ter ido ou mandado.
O correspondente do Rio-Grandenne escieve-lbe do
Jaguaro, a 23 de novembro, que os llrasileiros resi-
lientes na campaiiha oriental soffreram grandes prc-
juizos com o decreto de liherdade dos escravos, ex-
pedido ltimamente pelo general Oribe.
" Sei que por ah ja corre a noticia do decreto de
liherdade dos escravo*, liberdnde tilo doce que neni
clles a quercm, e enjeilam! Com o tal decreto sof-
freram porm grandes prejuizos os Brasileiros resi-
dentes na campanha Oriental, pois*quefoi levantada
toda a escravalura que tinham as fazendas. Que li-
herdade que philantropia!... Esia-meclicando a
philantroniae liherdade de urna certa nacao Mas co-
mo ludo he relativo, C homens ha que se curvam ao
azorraguc dos despolas, com tanto que Ibes herrom
viva a liherdade, uo admira que uebem tudo isso um
mana
o O-que porm far o Brasil Que medidas tomar o
governo neste casoi' deixar, olhandn inipassivel,
3ue se continu a zombar por este modo da fortuna o
as vidas de seus subditos:' Que papel representamos
aos olhos do mundo que nos observa!
Esse decreto bem mostra os apuros em que se ve
Oribe;. e boje bem se pode dizer a esse pai tiJo o que
diziam em idnticas circuroslancias aooulro io
patadas de alagados.
Os riveristas lucraram mais esm esse decreto do
que se tivessem ganho uma grande acciio, porque os
seus contrarios perderam a f que nelles se deposi-
tava.
O odioso nlo est,s no docreto, est no levan-
lamento dos escravos, sem previa dcclaracAo ou pu-
blicaclo dclle; e nao para ah, e vai a ponto de pros-
tituir os seus ajustes; pois que, se a medida fossese-
ment para os habitantes que clles nao chamaram
para la moraren), teriam anda um frivola desculpa ;
mas abranger essa onlcni os charqueadores que el-
les chamaran), e instaram para estabelecerem char-
queadas na margem do rio, o a queni prometieram
seguro apoio e prolecgiio de seus bens, sob condi-
Cflo de um pesado trbulo que lhes pagavam, he mais mo como
trelido com o trabalho da estancia, que hilo quer vr; j ridadescivis o militares, o corpo consular restrangei-
mas agora foi o cunhado a verse o resol ve a retirar- "'
se, pois muito cuidado nos d a estada delle entre
quelles barbaros, a
As vi/ inli.-ineas da villa de Jaguaro se acliam red ti-
zlas a laoieutavel estado. Urna carta particular de
23 do mez. passado diz que fra ssassinado no dia
15 o emigrado Mathas Benito, por uma partida ao
mando do alferos Sant'Anna, do 2." batalho que di-
zem ia em busca de um Africano.
Chcgadn ao rancho orRIe o miseravel, descansado
dos ti.ibalhos que as sombras da noite Ihe vedavam
continuar, na companhia d. outro emigrado, foisau-
dailo com urna descarga da qual foi victima, porque
ferdo o poderam colbers mlos para acaba-lo, imi-
tando os bravos orientaos. O outro mais feliz, ainda
que com as barbas chamuscadas, escapou a nado; e
viudo no seguinte dia, sem camisa nem ceroulas,
contar a faeanha do Sr. alferes, encontrou na carida
de dos vizinhos quem Ihe cobrisse a nudez.
Cada vez.dizo correspondente do Rio -Gratlense,
se torna mais sensivel a falta do polica. Urna des-
graca, acontecida no dia 21, tem consternado os ha-
bitantes deste municipio, por causa de duas mortes
fcitas por a Intus soldados que desertaran! desta vil-
la, ao amauhecer para o dia 20, m numero de |0 ou
12, que, por nilo se-sabor para nnde se encamnbas-
sein, e nem haver cavallaria para os ir observar, se-
guam bem armados para as bandas do llerval, e na1
fazenda do l.uiz de I-aria, distante da qui 5 ou le-
guas, mata rain a um nelo do mesmo, de idadede 14
annos, e a outro homem, sem que ainda "se saiba
qual a causa de taes mortes
Se houvesse urna frtrea de polica maior que a
de 6 OU 8 piucas que a qui existen!, de cello nao
acontecera isto, nem os assassinos teriam lempo de
caminbar tanto sem que fossem capturados
" A noticia das mortes hcquoosdetiunciou, e im-
meda lamente chefe das Aireas de liuha, com a acti-
yidade que ocaracterisa, fez marchar um piquete do
infautaria em seguimento dos desertores.
Consta que os prenles do menino trataram de
reunir gente, ccercando os assassinos n'uma restin-
ga, abi os demoraran), moslrando-sc dispostos a
combater; mas com a noite os desertores poderam-
se escapar, antes de chegar a torca que liuha ido (to-
qui, a qual inda contina a persegui-Ios; mas at
esla hora nada se sabe.
Hontcni um sujeito deu urnas facadas n'outro;
montou a cavallo o foi-sea salvo !... a
Urna carta particular da mesma villa, de 4 do cor-
renlo, refere que na tarde do dia em quo sahiu a bar-
ca, as cornetas tocavam a reunir; e uma immensa
mu I tul ande povo e tropa corra para oaquarlelamen-
to do 4. batalhiio, onde seapinhava ; eoqueocca-
sionava essa reunan era a chegada dos desertores
que tinham sido agarrados. Nwihuns esforcos pou-
pou o Sr. i'ommandanle da guarnirlo para que Ms-
sem presos esses malvados que por sua parte tenta-
ra m lodos os meios para se livrarem do castigo que
niereciam, e com essa olistinaeao nada mais lizeram
do que aggravar o criine que tinham commetlido
com o l'eninenlo do mais sele individuos; qualro
moi talmente feridos, e dos quaes tres com certeza
morreram logo ao- outro dia. A tropa formada, no
meio do maidr silencio o Sr. commandantc da guar-
nicAo mostrou o odioso do proredimento dessea n-
felizes que vieran) como de proposito manchara re-
putacio da guarnicao a seu mando. Dous dos deser-
tores que se intitulavam chefes, semostravam muito
animados, e expressavam suas pbysiOnomas um
raucor ferino ; outrns dous, uma averslo ao crime
que tinham sido obrigados a commetter, ou concor-
rer para elle; eos mais esla va m impassives. Depois
foram recolbidos a bordo da canhoeira com ferros
aos ps, e uma guarda os vgia; la espera ni o seu
julgamenlo.
Nenhum dellcs sucrumbiu como desejava o povo
que, azedado contra elles, antes queira vrsaca-
beca de cada um, e nenhum ferido, porque a postilo
que tomaram era muito vantajosa. .
A mesma carta da algumas particularidades cerca
da morte do emigrado Mathas Benito.
Tondo o sr. delegado uma denuncia de que em
corto lugar suspeito havia sanguo, e tinha sido en-
contrado um negro pequeo ) chorando, o com a
cabeca quebrada, requisiluu uma frca para averi-
guar o negocio; e leudo esta, commandada por um
ofllcial, chegado ao lugar, quiz prender a uns ho-
mens que ah seachavam; mas, lendo ella sido rece-
bida com tiros, o commandantc deseonliou ser cousa
ro residente nesta cidade, e grande numero depei-
soas de distinecao, para.assistirem ao Tc-fevm que
em acclo do gracas ae Todo-Poderoso mandou can-
tar, como de costme, a cmara municipal: e dalli
segniu esse liizido prestito para a capella de Nossa
Seuhora do Monte do Carmo, onde igual solemni-
dad!' teve lugar, a expensas do lllm. Sr. bripadeiro
commandanteda fronteira, da briosa nflicialidade
do batalhiio 8.', o de alguns odiciaes do batalhiio do
guardas nacionaes.
Findo este acto, teve lugar na praca municipal a
carada da tropa que, depois dos vivas do estvlo, des-
louem continencia na presenca do sobredito lllm.
Sr. commandantc da fronteira, ao som do hymno
imperial.
Todos os navios surtos no porto estiveram elegan-
temente em ha ndei rados. -
A' noitejlliiinnou-se a cidade, o houve espect-
culo no thatro Sett-de-Setenibro.
Assim se passou na cidade do Rio-Crande o dia
por excellencia Assim volva eDe por vezes sem fim,
para glora e arosperidade do imperio !....
OSr. coronel liento Concalves da Silva dirigiuao
Rio-Gratlense a seguinle correspondencia relativa
imaginara conferencia que a Gazeta de Rueos-Ag-
res disse que tinha havido em Porto-Alcgre na au-
gusta presenca de S M..o Imperador:
Retirado da scena publica desde a paciUcacio
da provincia, eafastado de todos os negocios polti-
cos, tratando nicamente com assiduidade de curar
dos poucos interesses que me restam para manuten -
Clo do ininha numerosa familia, no centro da qual
me acho no gozo do mais completo socego, sem ou-
tras vistas nem interesses, senDo aquello do meu tra-
balho domestico, hcquando a 15 do rorrele me
vierams niilos.cnviadas por um amigo, as suas fo-
llias nmeros 129 e 131 de outubro prximo passa-
do, as quaes depare com um artigo, transcripto
de ujn jornal de Buenus-Ayres quo publicva uma t
imaginara conferencia que diz commigo hornera
na cidade de Porto-A legre, na augusto presenca de
S. M. I., sobre os negocios do liio-da-Prata.- e
posto que tambem visse satisfactoriamente desmen-
tida essa asserco pelos Exms. senadores, Conde de
Caxias e Almeida Torres, todava cumpre-n.o deca- "
rar que semelhante annuncio foi una calumniosa.
invencJJO, tal vez com o ignobil objeclo de desconcel-
tuar a alguem; o para desvanecer qualquer ideia
desfavoravel que o publico possa fazer a meu res-
neito, rogo-lhe, Sr. redactor, qoera admittir no seu
bem conreiluado peridico estas linhas com o que
muito obrigai ao son aliento vewVrailor Rento
Goncalves da Silva. Cristal, 19 de novembre de
1846".
I.-se no Rio-Grandanse de 5 :
Entroua barra da provincia, edeu fundo no an-
coradouro do norte pelas 8 horas da tarde de 5 do
correte, o paquete de vapor Imperatriz, a cujo bor-
do veiu depassagemo Exm. senador Manocl Anto-
nio Galvflo, a quem S. M. o Imperador, tendo eon-
sideraco a seus distinctos merecimenlos, adheslo
a sagrada causa deste imperio, e mais qualidades
recommendaveis que coneorrem na pessoa de S.
Ex., houve por bem nomear presdeme desta pro-
vincia, por carta imperial de 16 de novembro.
Nessa mesma tarde, o na mnnhiia do dia seguinte,
recebeu S. Ex., a bordo do vapor, os comprimen-
tos das cmaras e mais autoridades, tanto civis como
mililares, qur desta cidade, quer da villa do S.-Jos-
do-Norte.
I'ouco depois do meio dia passou-so S. Ex,, para
bordo do vapor de guerra Amelia, c nelle seguiu
para l'orto-Alegre, a tomar posse do alto emprego,
que Ihe confiou o governo supremo do estado, para
hbordade, seguranca e prosperidade dos povos desta
briosa provincia.
0 Exm. Sr. Manoel Antonio Calvflo lem represen-
lauo tilo proeminente papel na scena poltica do pa-
iz, trio contienda he a sua illiistrcno, 0 sen espirito
prudente e justiceiro, que ocioso ser trcennos
aqu o panegyrico das eminentes qualidades que a-
vultflo em S. Ex., e quo silo o mais seguro penhor
ua rectidao c bondade da sua admimstraeflo.
Em Porto-Alegre, o governo provincial expediu
no dial.' de novembro a seguinte circular:
l'atncio Correa da Cmara, &c, vice-presden-
te da provincia de Sflo-I'edro doRa-Crande-do-Sul.
Facosaher, emeumprimento do artigo 63 do ti-
tulo 3 o da lei n. 387, de 19 de agosto do corrente
auno, que, nflo convindo actualmente fazer-se alte-
STVflKS^fS: rraj=*^tSS^!iKrsss "4W<<*
que irritante. E o que he mais lindo he a oroVm de
prisSo, segundo dizem, que elles liveram, por nilo se
haver encontrado um s escravo as charqueadas,
porque por felicidadeestavam destelado
o A canhoneira do Sr. coinmandaule l'into, e as
providencias dadas por elle, la I ves prevenissem al-
guns excessos quando vira ni sua empreza ouassalto
mallo(j^uclo.
Urna carta de Bag de 29 de novembro accrescenta
as seguintes particularidades:
Ped-mo V. noticias do estado vizinho ; ellas
sao bem desagradaveis, e eslou persuadido que rflo
n peior; porque
(|uanlo o nosso
ger tantas vidas
1f24500da"d0sol. 1 'ur conseguint", iippondo-iieque jlli perdendo. A ordem sobie a escrava tura tornou-1
he a mesma a densidade Oestes dous ltimos plane-lse agora geral; nao deixam as escravas nem crias,1
vautou
era um
com faca
don viro cadver, e convocou os Srs. Drs. I baluba
e Sillez para procederem a auto de corpo de delicio ;
eosmesmos Srs. certilicaram existir dous ferimen-
tos, um no pescoco, que o degollou, mas ferimento
por arma de fogo por causa dos sgnaos que elles da-
r m, e por ser muito irregular a ferida; e outro no
braco, que o quebrou, que nilo deixava duvida algu-
nia que fosse feito com bala.
A fArca policial desta villa, accrescenta a refe-
Aasegura-nos pessoa
briol, Bage, eruguayana; vindo assim a
a teros seguintes collegios : as cidades de l'orln-
Alcgre, HiOTCrande, Pelotas e Ro-Pardo, e as villas
.?. M'HoM-do.Norte, l'iratini.n, Japuarilo, Cruz-
Alta,S.-Borja, Algrele, Cassapava, Cachoeira, Tri-
ompho Santo-Antonio-da-PalruIha, Siio-Lcouoldo.
silo-Cabnel, Bago e Uruguayaoa.
" E para que assim ae obs-rve, mandei publicar
*Prfacn?Bd,:cl?r*tn qe sei-4 olllcialmente corn-
il
vespera
... emprego
da f nuflRSh fal^n.n. h. I "C"J mBlor da tnewm'arM da fazenda da pro-
de re que sao falso os boa- J vincia o Sr. JoSo Coelho Brrelo, que constava U-


Jfll

|fremo, '>nle tiveram a honra de cortejar a eOlgie
*'lj,s Vhnras da tardeembarcou-.e na galeota rom
.ras mtoridades o pessoas dislinctns o mesmo
' Sr vire-presidente, ese dirigi aoChristnl ; a
SfflKircilo qc galeota frontcava as chcaras do ca-
Lnhiulc lidias, era audada com immensos logue-,
liniicdellas se lancavam.ao ar : pelo dito caminho
iransitavn grande numero de pessoas de ambos os
os c ile toilas a classes, que se cneaminhavam
Jo me ,c au (hristal, o arompanhado pelos memliros do
toncelhoailministrativo do collegiodcSaata-There-
,. c grande concurso de povo, se dirig.u ao lugar on-
de leni de ser edificado esto collegio, c descendo aos
turerees, llie foi apresentda em urna salva de prata
urna pequea caixa de madeisa.'conlendo almdas
mnedas ile ouro, prata e cobre do cunbo actual, uma
lamina de prata que tinha'cm uma face asegrate
jnscripco, lida em voz alta pelo Exm. Sr. vice-prc-
'" Este'collegio de Santa-herez.i, destinado para
aeilueaco ile meninas or'phfias, foi-fundado no rei-
nado do Sr. I). Pedro II, por decreto imperial de 2
dedi7emurodet845, para memorara visita com que
o mesmo augusto Sr. *sua egregia consorte digna-
rani-sc de honrar esta provincia: csuapedra funda-
mental foi lancada em 2 de dezembro de 1846 pelp
vire-presidente da provincia, Patricio Correa daCa-
mnS ...
Eem outra face a mesma inscripto vertida na
lingos latina pela seguntc forma :
Petro Secundo imperante; Collegium isid, cui
nomen est Diva Tlie.esia, ad nstittitionem Tiliarum
parentihusorbarum, Caesariano Decreto anni proc-
tcrilislatulum fuil : Monumentum pietati dicatum
indiuturnam moriam imperatoria' visitationis, qua
AugusUis illc Princeps cun egregia suaConjuge pro-
vineiam Itio grandensem honoro alicerc digrtali
sunl. Lapidcm auspicalem posuit Patricias Correia
da Cmara, proviuciam inlerea pnesidens, diequar-
to ante nonas decembris, anuo Oomini milsimo oc-
tinpentesimo quadragesimo sexto.
K fechando depois a caixinha de madeia, foi esta
introducida cm outra de chumbo queS. Exc. lancou
dentro da pedra.
Terminada esta ceremonia com todas as formalida-
des do cstylo. subiuS. Exc, e na frenleda tropa sol-
tou o viva a S. M O Imperador, -augusto fundador e
protector ileste pi cstabeleciment, que foi corres-
pondido Com girndolas, msica eenlhusiasticasdc"-
monstraces do povo.
Pareca, diz o Imparcial, que a propria nalurcza
quizconcorrer com seu contigonto para maior pra-
zerdcslcilia, porque a tarde e a noite fnram das nie-
llio.es que temos visto na presente estacad, e con-
vidavam ao passeio.
Dep'oisdo laucamcnlo da pedra, e dentro de uma
extensa barraca, nrmujada Cm baixoolaranjal, es-
fera una esplendida iqesa com excelentes Basados
ecouro anianeira da provincia, e outias
liscellanci
a.
SSOreuioesVarieuJcY
(i =--
jm total
vnparticu
irilhmotco estendeu as suas
|n igualmente demiHidos os Sra. doutores
lb"iho da Silva Lima do, emprego de delegado de
.' erapltfio Ferraz d'Elly de engenhelro das
^'n'rnvinciaes. Pretende o Commrcin que estes
,rie.iciam nopnrtWo bs que estro em desac-
''Tcoin a actual ndmiiiistrncfio interina,
niia de dezembro foi soleinnisa "
J po'rod.1 a populan. de Porto-Al
^.madrugada ro aaudada com
Sni-renrreudiTcr:
I"' Ljez horas do dia, na greja de N. S. das Do- O arilhmctico estendeu as suas invesligacftes
nreslai em obras atfflc, seentoou por to immensidade de programlas, annuncios e bilhetes
'torivel motivo -o hymn9|iI>-/>ri/n laudamos, ao que se doverao ler feito para estas solemnidades
ssislram S. Ex oSr. vce-presidenlo da pro- musieaes.
" cmara municipal, autoridades civisemili- Col locados osles programmas, annuncios e hilhe-
l'L, emuitos ditinctos cidadiios, os quaes, de- les, diz o insigne calculista, na superficie do "globo,
lo 7>-/'"" seguimm todos ao palacio do go- uns ao lado do out>os, eobririam um espago igual
distancia que val de Cdiz aB.-Petersburgo.
Amontoados uns sobre oulros, e snbmettidns ac-
Qlo de uma prensa hydraulica das inais poderosas,
rormariam urna pyramide,. cuja altura excedena
dous mil metros aocumedoChimhorazo, o qual se
eleva a 6:530 metros sobre o nivel do mar.
Para o transporte de todos estos papis se necessi-
turia um comboy de 850 carros.
Levados a hraQO de um sitio a outro, oceupariam
a 1,400:000 horneas durante um tempo de tres quar
los o hora.
Data de nlgitns peridicos inglese*. N'um'peri-
dico cstrangeiro lomos o tempo que contao de exis
lencia os cinco diarios da manhita, quo abaixo cita
mos, e que se pubiieam em Londres.:
The Chronicle, fundado no annode t.770, conta 76
annos
de
dem a 850 rs. o dito, diobeiro
! Btalas dem a 2,000 rs. a arroba: e ha falta.
._ Angola.
~ ,.,-,,.., he de 33,000 arrobas, in-
clusive um carregamenlo eatrado esta so-
mana.
Yinlios Venderam-se de 120,000 a 125,000 rs a pi-
pa do de Lisboa marca PltR, e a no,uno rs.
a dita do do Hespanha.
Velas de espermacete dem a 740 rs a libra.
Entraran) depois da ultima revista 17embarcares,
esahiram13, exislindo hoje 114 porto 48 : sendo 5
americanas, 2 siriacas, 18 hrasileiras, 1 belga, 1
dinamarqueza, I francesa, 2 liespanholas, 13 ingle-
zas, 1 porlugueza c 4 sardas.
llovimento do Poilo.
Abeoi entrado* no da 4.
Cdiz; 24dias, briguc sueco Clara, de 290 tonela-
das, capitn Gustavo liiignam, ci|iiipagem 10, car-
ga sal; a Me. Calmnnt & Cnmpanhia.
Macei; 23 horas, vapor do guerra hrasileiro Gxia-
piast commandante o capitiln-tenente (iuilher-
mo liarlos Lassance. Traz a seu bordo : o capi-
to-tenenteFilippe Jos Kerroira, alleres Leandro
Jos Cavaleanti, 1 soldado dol."
The Posl, lundado em 1772, coota 74 annos.
The Herald, fundado em 1781, tem 65 annos.
The Thimes. fundado em 1788, conta 58 annos.
The Adrertiter, fundado om 1793, conta 53 annos.
ASSOCIAgAO DB BKNEFIC.ENCIA.
Em Vienna formou-so ha ppuco uma ossociacilo de
jeneficencia que comprar Jos pobres ludo quanto
iiarem para o vender depois, aem augmento de pre-
co, aos teccloos do paiz. Preside associaijilo o ar
chiduque Eslevfio e o imperador Ihe fezj o adianto
ment de 10,000 dorios.
POVOAtAO 00 IMPERIO MABBO0U1N0.
A povoacao de Marrocos compOe-se de quatro ra>
cas diversas, Amazirges, Mauros, rabes, e Judeos.
Os primeiros sfio os antigos descendentes directos
ds antigos habitantes do norte da frica, cujo no-
nio se cncantra j.nas historias grega e romana; os
Judeos nrocedem na maior parte da Europa, e sflo o
resultado das grandes cmigracOes que houve nos
seclos 14." e15. Em quanto origem dos Mouros
e rabes, he demasiado conhecida para que nos oc-
cupomos della. Vejamos agora em que proporcilo
entram estas racas na populaco gerade Marrocos.
Amazirges herbleseos 2,300,000; Amazirges shel-
luber 1,130,000; Mouros 3,550,000; rabes de raea
pura 740,000; Judeos 340,006 ; negros 120,000; enru-
laos 300; renegados 200; toUl 8,500,500 habitan-
tes.
Ape/.ar de alguns geographos fixarem o numero
de habitantes do imperio em 6,000,000, estes dados
nio silo exaclos, o por isso, seguindo Mr. Craverg,
sabio geographo, a calculamos em mais de 8 mi-
IhCes. .-,..
Oslo de Marrocos he summamente frtil, e pode
subministrar com augmento a subsistencia de seas
habitantes. Quando ha alguns annos o imperador
permittiu a exporlacilo do trigo, .1 os campos de
Dars-el-Beida produziram tanto que so carregaram
253 navios 'de, 150 a 170 toneladas.
A' vista dislo no he desproposito dizer-se quo as
ISOmilhasquadrndas de que se compe o territorio
de Marrocos, seriam capazes de abastecer do cercaes
, e outias iguarias 0Ua a Europa, so a sua administracao fosse mais
do muilobom gusto. Foram convidadas muitas pos- |)Cni entendida e menos desptica. Em um dos ali-
so para a mesa, na qual reinou a inelhor ordem c nos anteriores a carregae.ao de mportacflo e expor-
tada a satisfazlo. S. Exc. c todas as pessoas que ti- tacao de coreacs, nos porlos de Maghnb, ro de 9,700
nliam Picado para jantar, rctiraram-.se pelas 8 horas toneladas, e o valor das ininorlacflcs mbntou e
da noite. No thcatro teve lugar urna reprosentaeo 800,000 francos, e o das exportaces em 400,000.
pela nova coinpanhia que nesta cidade nvameute se (^ rendimentos actuacs do sultao de Marrpcos nao
organisou. excedem a 2,600,000 piastras, e as suas. despezas sao
\lo podemos,' accrescenta o Imparcial, antes de geralmeulc Jedous milbOes por anno.
cnncluirestearligo.deixarde louvaro concelhoad- a Mica militar deste estado compOe-so de 1j a
iiiinistrativo docollcgio de Santa-Tbereza, pela ac- 16,000 horneas de tropas regulares, entre as quaes
hvidade e zelo com que tem procurado cumprir a (iguram 8,000 negros; mas em caso de guerra aug-
nuurecnmmissao que por S. Mi. all Ihe fra con- nieata-so cousideravelmente o exercito coni levas
liad-i; c Ihe pedimos a continuado de lao distinc- extraordinarias, e com a cavallana irregular dos Be-
loempenho; afiui de que em breve vejamos lerm- dninos. Sidi-Mahanred ludia em 1780 uns J.o sol-
nada uma obra de tanta actividade clilo prazivel re- dados, e a sua niarinha compunba-so de 10 traga-
cor.licilo. tas, 4 brigucs, e 32 navios mais pequeos, tnpola-
Teinos avista uma carta de Porto-Alcgre de 10 do dos por 6,000 intrpidos mannlieiros. Comtudo
'oriente, quo diz o seguiale : desde que o trafico negreiro e a piratona loram per-
Estamos com S. Exc o Sr. Calviona tena, pra- seguidos sem cessar por todas as potencias da hu-
'aansCos que para bem. Hon'tcm o vice-pcsideii- ,0pa, estas frgas diminuiram consuleravelmente,
teoLzcquiou-ocomum esplendido jantar, a que cu e.ficaram reda/idos a 3 brigues armados com 40
assisti o milito svmpatlis*i com suas boas maneiras negus, e 13 barcos de pouco porte que esiao esia-
csem-ccremonia. Amanhaa, 11 do corrate, as 11 donados na embocadura dos pnucipaes nos Uo im-
ndrac A.\ .1 n / ...... c____:.....____.. n ........i., ,1a '.ni
. ......v.vtuwui,.............,., ..--------------------------,
oras do dia (que fazcm justamente 9 mezes.da ad-
niinsiragao do vicepresidente ) toma posse o Sf.
I fialvilo,
(Mercantil.)
71,730
2:214,390
932,870
351,387
**................. ;ro.>,o
l porporcional...........1:229.110
'liga dos despachantes da alfandega.
f;'oliimenlos iluceiti.tOes ....
| "ipoalO de lujas abcrlas......
'dem de segese carrinhos
I 'axas de cscravos .
perio.
(Mercantil.)
C0MWE*C(0.
PERMAWBUCO.
IKvniMENTO DA MESA DA RF.f.EBEDORIA DAS REN-
\S I,| UAKS IMTER.NAS 1)0 ME/. DE DE/.EMBIIO
l'KOXIMO PSSADO.
i J'!>r(>sde terrenos de marinha .
M/a ilos bens de raiz ....
tepinda decima de mao mora .
"ireitos novos o vclhos .
"'os de chancellara....... 6,160
ll'^iina da mesma........ 435,355
I htll I'XO............... 985,800
'Mr, porporcional...........1:229,140
100,000
2,70
4:499,000
64,000
1:333,000
12:024,542,
6:486,025
AlK'iudega.
REND1MENTO O DIA 4. .
DRSCARnEOAM HOJE 5.
Barca ingleza Pritclla machinismo e taixas.
Bi gue-/op*rfarinha e bolacliuu..
Barcalltpragbacnlbio. ._
BrL'uc-/rffl--brricas abatidas, cerveja p rot.m
Barca portugueza-7;'-;--viuho.
Calera o/umus-niei cadonas.
patacho--i5 Coit-ulailo.
HENDIMINTO DO DIA 4.
Geral.
Provincial.
2:031,534
853,763
Pertencenlo ao rcndimenlo
do anno rorrele .
dem ao rcndimenlo da divi-
da activa.....
10:051,742
1:972,800
12:024,542
Reccbcdoria, 2 de Janeiro de 1847.
1 No impedimento do cscrivilo, o
,<>l."escrpturario,
manoel .inferno SimCi* 4o Amoral.
fTcT DO REC1FE, 2 DE JANEIRO DE 1847
'AC IWgfj H.0|US DA TAR[)1.;.
REVISTA SKMANL
do Aragto.'uma carteira dealgibeira de cor r<\xa-
com a beira dourada, oonU-ndo alm de dous reeiho
nassados, um pelo Sr. capit-io J0.10 do lleco Barros
Falcilo,eoutro pelo Sr. (onente Pedro Afronso lei-
reira, a quaalia decenio equnrenla o nove mil res
cm cdulas, semina de eem mil rcis branca, e mais
um patacoeduas mo.-daa pequeas de pinta, 00a-
tros papis de pouca importancia : quem adiar a re-
ferida carteira, ea quera restituir, sera generosa-
mente recompensado, entregando-a no silio da es-
trada dos Afilelos; a sen dono, o 2.' lenle secre-
tario do segundo batalhiln de arlilharia a pe, Candi-
do Leal Per reir.
-Os abaixo asignados declaram quo tem.dede o
dia 31 de dezembro de 1846, dissolvido amigavel-
mente asocieiladeque tinham na loja demludiras
da roa da Cadeia-Vollia, n 5, e que gyrava debailo
da (Irma de Vaz cBorges: ficamlo d'ora em dlante a
firma de Antonio Bernardo Vz de (arvalho que be
o rcsponsavel pelo activo o passivo da referida loja.
Antonio liet nardo Yaz deCflnvilAo.Fronet'eo Jfe-
mel llorgei.
- Manoel Pacheco da Fonseca e Jos l'*etono, Por-
tuguezes, retiraai-se para a Babia.
Perdeu-se, naigreiada Congrcgacilo, na noite
de Natal na ocensiaoda missa fdo gallo ), urna vol-
ta de cordilo grosso de ouro com ama liga tam-
homdc onrnquetudopesa9 oitavas pouco mais 011
meaos i quem a achou c quizer restituir para des-
encargo de sua i'onscicncia, dirija-so a ra do Col-
legio, 11.12, que ser recompensado.
o Jos Soares de Azevedo, lente de
- lingoa Iraceza no lyccu, abrir no dia 7
docorrente cm sua casa, ra do Rangel,
n. 5q, segundo andar, mn cirso de rhe-
.. balalhflo deca
gadores, 8 ex-pragas do exercito, 2 de marinha
23 presos de justiga.
Navio tahido no metmo dia.
Portos do Norte ; vapor hrasileiro 5 -Sebaitido,com- TORtrA c outro de OF.OonAPHU. As pessoas
mandante ocapilSo de fragata M. T. da Costa Pe- j-rpn, ........lar nma o,, oulra des-
nniiiiioint \s|fi*ii w ..r..... ,-., wu >-w%. *
reir. Passageiro, Augusto Tapcmbek, AllemSo,.
os que vieram dos portos doSul para os do Norte
Dcclarnces.
O arsenal do marinha compra, no dia 5 do cor
rente mez boje;, azeitc-doce, vinagre eesparmaceto
em velas.
As pessoas que semc'hanles objectos q^uiz^rem ven
der, comparecam nesta secretaria no indicado dia.
pelas II horas da manliil, com as suas proposlas
acompanhadas das competentes amostras.
Secretaria da inpecgflo dn arsenal de marinha de
Pernambuco, 4 de Janeiro de 1847.
O secretario,
Alexandre Rodrigues aos Aojos.
O brigue nacional Echo recebe a mala
para o Rio-de-Janeiro hoje (5) as 11 horas
da maullan.
c que descjareni cstndar uma 011 oulra des-
tas disciplinas, nodem dirigir-sen indica-
da residencia a qualqucr hora, excepto em
das santos c feriados.
Aliiga-se um pcipieno sitio com casa
de vivenda, na estrada do Pombal, na es-
quina da entrada para 0 silio do Sr. coro-
nel Joaquin Bernardo de Figueiredo :
a fallar com Joaquim Lopes de Almeida,
ca^xeiro do Sr. Joao Malbcus.
rrecisa-sc alugar uma ama de lei-
-k
BRUJ AINTK PRESEPIO
NO
Theafio publico.
QDARTA-FEIRA, 6 DOCORRENTE.
Conlinuaco do grande presepio que Untos ap-
plausos tem receido do respeitavel publico. Os Srs.
assgnantcs que ainda nilo receberam os bilhetes de
platea, os podem vir receber no mesmo dia dema-
nhfla. A cor dos bilhetes para estedia he branca.
__BS9*,
Amsos
uiantinios.
Para a Baha segu, no dia 6 do corren le, o hia-
to nacional Tentador ; para carga mitida o passagei-
ros Irala-se cm Silva & Grillo, na ra da Moeda.
ParaoBio-de-Jancirosahe, at o dia 10 do cor-
rente, o patacho ingle/. Eleonor, capullo Nicols Br-
baro ; recebe passageiros, para os quaes tem excel-
entes coinmodos : os prelendenles drijam-se aos
consignatarios, Oliveira, Irmfos & Coinpanhia, ra
Cruz, n. 9.
I.cilao.
- LL'IZ BRL'Gl'IERE, querenndo liquidara sua ca-
sa de commei ci nesta cidade, fara leilAo, no dia 7
do crrente, de um esplendido sol tin;eiito de fa-
zeudas ebegadas pelos dous ulljmos imyios france-
zes, Armorigue e tilia; como bem, casimiras frali-
enzas de liom gosto, um grande sortimentn de cal-
gados, chapeos de sol para homem, ditos para cabe-
ga dito, e para meninos, merinos, setins lisos, nieas
e luvas de seda, curtas e compridas, suspensorios,
sellias,peiramarias superiores e outras muitas fazen-
das de boin goslo.
Avisos diversos
Francisco Congalvcs Bastos Taz sciente que, por
haver outro de igual nome, se assignara d'hoje em
diante Francisco Gongalves BasloscSa.
Precisa-sc alugar um escravo que seja bom
cozinbero, pagando-se oalugucl mensalmente: na
ra.do Crespo, 11. 6.
SOCIEDAD*
Cambio Contina ^\*f-^ consc-
Algd5o--^rar:.m^r^.^eCen.oievedj(T._
renga de prego. houveraui
Assucar ^Z^>SS^ ^ UCS *
os..Ser,irgrd*M.rego,epo-copropu-
A,,,e-dccra-d-Vcndco-?e de 2,200a 2,450 rs. ogahlo.
O morador da casan. 16 da ruada Florentina
que anniinciou por esta Tulla a veala de urna casa
terrea entre as duas pontea da Magdalena, compre
mo omitlii era seu annuncio : l., o 11. da casa: 2.,
o nome 1I0senhorio directo dosoloem queso aclia
ella plantada : 3, o titulo pelo qual a houve ao seu
dominio c posse : 4., se ella est dosembaragada e
livre do pagamento do foro, aflmde que nao se \c-
r;fiV;"n," J* em emNrags.qualquer que seja o comprador
2:88,J7 a pretpni|a.
O autor do annuncio, intitulado-Padccenle-,
AS declara que as lettrasJ. M. mo se en tenderacom o
Sr. Jos Mariano de Albuqaerque, o nem a nalavra
-c outros- comprcheiule o Sr. Jos Antonio Correia
Jnior, porque estes Srs. nunca deye.am <
anin.nciante, visto que, quando mandara fazerqual-
te : no Aterro ra Boa Vista, n. 36.
Rnga-seao Sr. r.regoio Francisco Torres Vas-
concellos Jnior que venha entregar a chave da casa
da ra de S. Thereza que levou desde 17 de dezem-
bro de 1846, para ver soagradavam os commodos ,
visto nilo ler cumplido o que tratou, na ra das Cru-
zcs, 11. 30.
SOCIEDADE NOVA-NATAL1CIA.
= O primeiro secretario faa sciente aos Srs. so-
cios que os bilhetes para o espectculo da hiesmu
sedistnbucm boje e amanhaa, na ra larga do Boza-
rio, n. 38. ., .
__O abaixo assignado faz sciente ao respeitavel
publico que pela barca americana Isnae-Eranklm,
viuda de Boston, cidrada ueste porto em 22 do pr-
ximo passado recebeu um novo provimento de pi-
lulas vegetacs d doutor Urandroth. Estas pilulas
cujo autor ba*ta para garantir sua excellenca tor-
nam-se muito recommendaveis, por ser um medica-
mento inteiramente inoircnsivo, podendo apphcar-
sealas criangas rcccm-nascidas ; ltimamente-; se
teemapplcado a uma nfindade do molestias jul-
gadas incuraveis de cuja applicagHo se team tirado
tilo (alizos resultados que parece cada vez mais re-
solvido o problema de um remedio universal. Ao
annuneiaiuccabea gloria de asseverar ao pul>lico
queasditas pilulas silo as nicas vcrdadeiras que
existem nesta pr.aga, as quaes so vendem em sua
botica p ra du Cadcia-Velha, n. 36.
Vicente Jos de Bulo.
- Joaquim CongalvesCasoaorclira-se para a Pa-
ralaba, a Halar de sen negocio.
--JcronymoScbiatlino, Sardo, retira-se para a
-Jos Leonardo embarca para o Rio-de-Janeiro
a sua cscrava Romana crioula.
__Precisa-se do 1 a 3contosdo res a juros a t
por centono mez hyp.othecando-sc para seguraiie*
casas de maior valor epagaudo-se os juros mensal-
menle : quem quizer dar dirija-se a ra Nova, loja
n.58, que se dir quem piecisn.
- IViganla-scaoSr. adecente, do harto de Per-
nambuco de 31 de dezembro prximo passado, cm
o lie lagar de sua queixa esta collocado O solicitador
Joaquim de Albuquerque e Mello, quo muito desoja
sabero >belhudo. ,,,
ofTerece-se um homem solteiro quo sabe, tra-
tar do arvpredos e ludo que diz respeito a um sitio o
cngenhojtanfbemsahe lazer lijlo e lelha : quem
de seu nreslimo se quizer utilisar dinja-se ma do
Padre I'lorianno n 25
- Os abaixo assignados fazcm publico quedesol-
veram, 110 dia primeiro do correnle, a sociedade que
tinham sob a firma de Joaquim Ferreira Ramos & lr-
mflo, e que desta data em diante lca perlcncendo ao
primeiro abaixo assignado a loja da ra da (.adea, e
o segundn do Aterro-da-Boa-Vista. Rec.fe, ?
lejaiTcirodc 1847.- Joaguim herrara Ramos.-Joto
aos Srs. so- ferreira liamos
,- l'ma pessoa de boa conducta o competente-
. .,-,'. .......-. n .lar 1 riles de nnmeiras
HARMOMCO-THEATRAL-
A commisso administrativa convida
a dascssilode 18 denutubrt) prximo passado.
m ... .. i._____-. atf J,. .,,. .l-i I.'hiri'iil 11
quer exocugno, nromptamenlo pagam : e *V**
ccasil para jar uma sat.sfagflo a muitosSr, soli-
ntailores, que quando cxceptnnii os das letras B., I.
S. mrcomVengno de olTender aos dcma.sde
Loa nrobidade, uma Wz c,ue a carapuca nWa6cn-
Ueifi tantos, e s so dirigi aquelles a quom el-
MamenlelrahallM, o n5o.oscxtraord.nar.os.
-I "crdeu-se, desde a estrada dos Afflictos le a ra
.isar de seu prest.inoaanuncie ou dir.ja-se a luade
Aguas-Verdes, 11.8. ..ja
Precisa-se de um Porluguezque saiba tiacarde
vaccas de leile o entrala de maisalgum serv.go pro-
prio para sitio : na ra larga do Rozano, >*
, Precisa-se de um rapaz rara caixeiro de uma
venda: na ra Imperial, n. 145. ,
_ O abaixo assignado Taz saber ao respeitavel
publico e particularmente aos pas de ram.lia queno
dia II do corrate abre em sua casa no Alwro-u-
Boa-Vista n. 82, urna aula de primeiras letlras, e
os cursos de gcographia c de lingoa franceza : as
Sssoasqltedc.sejare.n seguir qualquer dest.saulas
. .dea. d rigir-sc a indicada residencia a qualquer
ora dodag; c ira tambemdar ligues em casas par-
ticulares. Doutor J de Oliveira Sama Juntar.
... I ma mulher preta, do 45 annos ntu.lo activa
e fiel quo da fiador a la conducta, sabe con
norfelo cngominar, coser, coz.nhar lavar roupa
Ses.bTloev.mdl. contras muitas ecusas do ser-
vico interno de uma casa e tambera ira a de me-
ninos, se propflc a servir de ama de casa de[ bon.em
solteiro vuvo ou casado com pouca milia pie
ferindo-so casa estrangeira, pela mwDca quanirn
de olto mil rs. mensaes c sustento : quem a preien
der dirija-se ra Nova loja n.58,ou annunce.
^k


-
Jofo ConcahrsNetto, lente do primeiroba-
talhno de rocadores de linha.tendodeisadn de ser
agente, conforme a Iliteraria disposicfln da loi, por
haver servido um auno, e (enlo tido durante este
prazo canias rom alguna Srs. negociantes desta pra-
ca ja relativamente ao fomecimento de vveres
como de guerra para se manufacturar fardnmcnto;
desrja, nflos para resal va de sua honra, mas at
para crdito do seu batalhlo, que se houver algum
Sr. negociante por emhnlcar-se ainda'de qualquer
quantia considerada como dehilg do lempo de sua
agencia este Sr dirijn-se aoseu quartel, n* ruado
Terco, n 27, segundo andar onde ( posto que o an-
nunciante esteja beni convencido de que nada deve)
Iha ser sem a menor demora paga. ( mesmn asen-
te pede a os mesmos Srs. rom quem teve contas o
total esquecimento de algumas imperter.encias, fl-
lhas smente do desojo de bem servir o cargo que se
lheconliou.
Oabaixoassignado, em ronsequencia da pro-
curadlo bastante, que Ihe conferiti o eapitfio Fran-
cisco de Paula Corroa de Araujo em dala de 18 de
dezemhro prximo passado, acha-se constituido
Erocurador bastante do referido Sr cima, para co-
rare receber lodosos foros dos terrenos que Ihe
pertencem nesla cidade ; assiih como os laudemios
de loda e qualquer casa que se possa vender ; dando
bilhetesde lirenro para isso, revogando como revo-
gou outra qualquer procuracSo que antes desta ha-
ja deapparecer. Recife, 4 de Janeiro de 18*7.Joa-
quim Manuel de Barro
Jos Xavier Faustino Ramos de-
clara aqnelles dos seu amigos fjne Ihe
,'.eem fallado para tomar, conta. do ensino
de seus ilhos e aos que por ventura
estejSo dispofilosa coniar-lhe essa mis-
sao que or to aula e com antecedencia preveni-los-
lia do di dessa abertura que ter lugar
na na do AragSo casa n. 37 onde
actualmente reside.
A fabrica de charutos da ra larga do Rozario,
n. 32, est huje unida a um grande deposito dos
melhores charutos vindos da Babia como sejilo
charutos de S.-Flix de superior qualidade ; ditos
signrros ; ditos da llavana ; ditos regala de se-
gunda c terceira qualidade ; ditos de marca estroi-
ta ; tudo de muito bons fumas : se afianen ao com-
prador as suas boas qualidades e promette-se sem-
prc ter boa fazenda para"servir bem aos seus fregue-
zes, tanto anligos como os que. quizerem se afregue-
zarnaessa. Na mesma fabrica vende-se urna mora-
da de casa terrea no bairro da Boa-Vista por proco
commodo ; um balcilo pequeo, com tampo de ama-
relln e com 3 palmos de largura, proprio para qual-
quer negocio por preco commodo.
Os Srs. tomantes de sorvetes que tomaran)
anrvctes liados no pateo do Carmo e na rua do Ran-
gel, queiram vir pagar no prazo de 8 dias; do con-
trario terflo de ver os seus nomos por extenso no
publico, nflo pelasquantias mas para quem ven-
de sonres os (car eonliecendo e nio ser logrado.
Candido Jos Lisboa ensina primeiras lettras,
grammatica portuguezn e msica, em sua aula na
rua de pollo ,n. 21,ou em casa dos alumnos; bem
como copia c transporta quulqugr msica.
Sorvele.'
INo principio da roa do Aurora, haver sorve-
le ile frutas mui bem preparados e com todo
selo de quinla-feira, 7 do corrente, em
diante temi principio as S horas da tarde.
= Quem precisar de um amassador, ou mesmo
de um bom reilor para um silio, pois que de tudo en-
tende, dirija-se a rua larga do llozario, padaria,
n. 48.
Deixou-se, por csquecimenlo, na noile de 30
de dezembro prximo passado, em um banheirodo
Oaldcireiro, um chapeo de palha fina do Chili:
quem o ti ver adiado, querendo restituir, dirija-se ao
mesmo lugar, silio do (inado Percha.
100,000 nrc gratificacaO.
Na madrugada dodia 23 do corrente dezembro,ar-
rombaram o telhciroque existe na rHa do Brum em
Fra-de-Portas, junio aorio,e levaran) urna grande
poreo de laboas de amarcllo,serradas ha muito lem-
po, e de diucrentesgrossiiras, urna porcilo de ferra-
gem ecordas de navio. O roubo foi perpetrado por
* ou mais homens que o conduziram em urna canoa,
e consta que venderam algum taboado para as partes
de Santo-Amaro. Manoel Duarte Rodrigues, morador
na rua do Trapiche, n. 26, he o prejudicado no dito
roubo; offerece a gratifieagfio de 100,000 rs a quem
descobrir sua existencia ou os seus autores, e se
qualquer d'elles o denunciar receber a mcsina
quantia e nflo ser perseguido ; ao mesmo tempo
que protesta esgotar lodos os nieios para perseguir o
crimeeser indemnisado do daino causado. O mes-
mo convida a quem tenba comprad* dito roubo a
entender-se com o prejudicado, para do melhor for-
ma nao ser criminado.
Aluga-se o andar terreo ou loja do sobrado n.
12 da rua da Aurora, com opimos e muito asseiados
commodos para moradia de homem solteiro ou de
pouca familia: quem o quizer alugar dirija-se ao
mesmo sobrado qualquer hora.
Precisa-se de urna ama de leile farra, ou es-
crava : no Aterro-da Boa-Visla, n. 62.
--- I'recisa-scde douslqvradures ; em casa do doura-
dor, ou fabricante de candieirM de saz na rua No-
va n.5SL
Precisa-se alugar um escravo diligente, para o
servico de urna casa, e que seja bom cozinbeiro: na
rua do AragSo no bairro da lloa-Vista, n. 27, ou an-
nuncie.
Precisa-s de urna ama parda ou preta e que d
fiador a sua conducta para urna rasa de muito pou-
ca familia : na Cmboa-do-Caimo, n. l'J.
Quem Ihe faltar urna vitela procure no sitia
de AulonioFerreira da Costa Braga, na ruantes de
rhegar a ponte do Manguinho que, dando os signaos,
Ihe sera entregue nflo se ficaOilo responsavel pela
fuga da mesma vitela.
Precisa-se de urna ama de leite, forra ou es-
crava : na rua do Crespo, o. 13.
Manoel l.uizda Vciga e mais herdelros do fina-:
do Manoel l.uiz da Vciga respondem aosannuncios
dos Srs. Joflo Cavairanti de Albuquerque c Rufino
JosFernandesdeFigueiredo, sobre os alagados que
ficam entrp a estrada que\#i para o l'ombal e a pon-
tezinha de S.-Amarinho, com o protesto que fizeram
inserir no Diario de fernambven, de 21
do armo prximo passado ; pois que i-oin-|
ptente esperam os pitrleslantes obter a gar:
de sua propriedade, pe que:
tiveremdelprgar de seus autheiilicqie valiosos t-
tulos.
fi-

Cdulas encarna-
das de Oi rs.-e brancas
do i.9000 rs.
Na esquina do i.ivramento, loja de 6 portas ro-
cebem-se cdulas encarnadas de 20,000 rs. e brancas
do2-,000rs., sem descont e a troco de fazendas.
Vende-se pofassabranca, da
mais recetmc-liegada por modf-
co prec-o ; em casa de L. G. Fer-
reira & Com panilla.
Vendeit.-sc chapeos do palha do superior qua-
lidade* em casa.de llonry Forster & Companhia na
- Urna muMter de bonseoslumes se encarroa daruadoTrapichi-Novo n.;8.
rriagilo de meninos de peito impedidos e desimpe-i '- Vendeu-ae oradas*
didos, e tambem recebe meninos para desma-
mar: quem de seu presumo se quizer u'tilisar, di-',
rija-sea rua Augusta, sobrado novo que tem a fren-
te cor do chumbo. Na mesma casa vende-se um ber-
co anda ern bom uso por preco commodo.
Declara-so, em resposta aos annuncios inse-
ridos no IHario-n. na 279 e 280, pelos-Srs. Joflo Ca-
valcanti de Albuquerque e Rufino Jos Fernandes de
Figueiredo.qun o terreno annunciado por aquelles
senhorescomode marinha, foi comprado por Joflo
Xavier Carneiro da C.unha a Manoel Cezar do Espi-
rito Santo, em 5 de oulubro de 1836 por escritu-
ra lancada as notas do tabelliflo publico, Jos Fran-
cisco de Souza MaKalhilcs Jnior leudo pago a siza
nacional e o competente lamiendo ao proprietario,
o finado Manoel I.uiz da Vciga ; o que se faz publico
em resposta ao mencionado annuncio, contra o
qual se protesta.
Compras.
Compra-se um par de mangas de vidro, lisas ,
ou urna s manga : na rua de Borlas, casa terrea,
n. 62.
Cqmpram-se bois, carneiros, vaccas e vi-
telas gordas, proprias para acougue: pro-
curen!, ou inandem por escripia na rua
larga do Rozario, ns. 6elt,ao pedos quarteis, ou
bom ; superior cognac, rhum de Jamaica, Ar.rae, gc-
nebra de Hollanda. vinho de Malaga velho; eW mea
garrafa ate de Pamille; passas miuusjgte.
vejas: rapoUio conservado; barr* pequeos ddbu-
viarj (mostarda francz e ingle/.a, charutos. Todos
estes objetos silo da m'olhor qualidade. e por preco
commodo.
Vendem-se exceljenles cordas do tripa para n-
beca e violan, chegadfls de prximo, por preco com-
modo : na loja.de miudezas, n. fc>no Recife.
Vendem-se 2 pretos, aendo um de 16 a 18 n-
nos c o outro.de 20 a pannos de murto boas figu-
ras c proprios de todo o_icrvico ; um lindo mulati-
- nho, de It annos proprio para pagein ou para
, n. 11,-cmcasadeMc Calmont a Companhia, ou naainrender aualuucr ofllcio na rua da Cadeia de S.-
inde Apollo, armaze 111, n. 6. antonin n <>\
= Vcnde-e potasta brinca d> superior mialldade, "W>nio, i), ^j. ....,
urar, para vapor, agua t brataa, de diversos tamanhon,
por preco coiiunodo e igualmente taixas de ferro coadd
e balido., (le todos os tainanhos : na nraca do Corpo-San-
to,
rua__
potassa branca (Ir superior qaalld
fm barra pequeos; em Casa de Matheui Austln &
Companhia, na rua da Alfandega-Velha, n. 38.
= O corretcir Oliveira tem para vender cobre em Co-
Iha r pregos de dito para forros de navios : os pretn-
deme* dliijam-se ao mesmo, ou aos Senhores Mesquita
SuDu'tra.
= Vende-se cal vlrgem em metas barricas chega-
(ia prximamente, por preco commodo; na rua da
Moeda arinazein n. \!f.
A 12$ rs. o corte.
Na loja da esquina confronte ao arco de S.-Anto-
nio, n. 5,de G.uimarfles, Seralim & C, vendem-se ri-
cos cortes de chal de lila e seda com barra, os mais
lindospadres que leern vindo a este mercado,
pelo barato prego de 12,000 rs. o corte.
; Venilem-sc beierro francezes. de Nante, de
superior qualidade os melhores que teem vindo a
este mercado por atacado ou me sino em duzias a
vontade dos compradores por mais barato preco do
que em outra qualquer parle : na rua da Cruz, 11 20.
Vende-se vinho linio cormniini, ei
(jii rlolas, pelo baratLssimo preco de l\oi
rs. cada urna : na*rua da Cruz n. 10.
r=' Vendem-se barricas e meias ditas com farinha jal-
lega muito sup. rior; barricas e nielas ditas com cal
annunciem.
Compra-se para remedio urna cobra do vado
3ue esteja viva: na praca da Boa-Vista, segundo an-
ar da Casa n. 32, OU annuncie para ser procrj-1 virgem de Lisboa; barricas com potassa branca epfeta;
_ 1 1 fecnaduras para pona de ariuatrm ; peneiras de rame;
-'compra-secfTeclivamenle cobre a3 por cento,!r}"d*" P" barricas; bichas de Hamburgo
para trocos : na rua larga do Rozario loja de miu-
dezas, n. 33, do l.ody.
Compram-se patacOcs brasilcirose columnarios,
qualquer porefln : na rua da Cadeia do Recife, loja
de fazendas, n. 5*. de Joaquim Ribeiro Pontes.
V'nd;s.
FOLHINHAS
do ilniinak c do porta.
A edicn mais correcta e cm-
ela que existe denlas rolliinhas,
est venda ras livre as da pra-
qq la lndepondenci, ns 6 o 8; da
esquina do Collej'io; e na Boa
Vista, botica defronte da matriz,
p'
pe*
Vende-se urna escrava moca boa engomma-
deira e lavadeira: na rua do Cabug loja de miu-
dezas, n. 1 li.
Vende-se a bem situada venda da rua da t.a-
dcia, n. 1, para dissolver urna soeiedade que nella
exisle, com poneos fundos : a tratar com Miguel
Joaquim da Cosa na rua da Senzalla-Novn n. 4.
Vendem-se varios escravos,sendo-, prelascom
habilidades, pretos, moloques e pardas com habili-
dades : na rua Nova n. 40.
~ Vendem-se duas escravas urna parda com
Erincipiosde engommado, do 21 anuos; urna ca-
ra, de 25 annos; urna lileir n 5 cangalhas : na rua
do Collcgio, n. 17, segundo andar.
Vendem-se casaes de rolas brancas na rua do
Raheel, n. 5.
Vndvse a venda sita na travessa dos Marty-
rios, n 8, com pucos fundos : a tralar na mesma
venda.
Vende-se urna venda em bom lugar, propria
para se principiar por ter de fundos 250,000 rs. :
na Camboa-do-Carmo, n. 3.
-- Vende-se urna poreflo de sebo em rama que to-
ra vinte arrobas pouco mais ou menos por preco
commodo : na lloa-Vista, rua deS. Concalo, n. 34.
Potassa da Itussia,
arcos para barricas ; bichas
tudo por preco commodo : lia rua do Vigario arma-
icni n. 0.
Grammatica do Salvador,
sexta edieflo correcta e augmentada : vende-se na
livraria da esquina do Collegio.
Na botica da rua do Rangrl, vendem-se os reme-
dios rguiutcs; dos quaes i experiencia tem confirmado
os memores effeltos : denlitico, que tem a propriedade
de limpar .os denles cariados, c rrstituir-lhrs a cor es-
maltada, em muito pomos dias ; o uso do dito reme-
dio fortifica as gen:.:lvas c tira o mo chrlro da bocea,
proveniente nao s da carie, como do trtaro que sr
une ao pescoco deates orgos; o remedio he drslgnado
pelo nmeros l." e 2 : orchata purgativa, mui til as
crancas e as pessoas de toda e qualquer idade ; he coin-
posta de substancias vegetnes, nao conten mercurio,
iiem droga alguiua que possa prejudicar: remedio para
curar calos, em poneos das ; dito para curar dores ve-
nreas antigs e que teem resistido ao tratamento fe-
ralmente appllcado ; dito para provocar a menstriiacao,
e accelerar a accao do tero nos parios naturaes em
3ue nao se precisa das manobras cientficas da arle ;
to para resolver tumores lymphaticos, Higo glndu-
las ; dito para curar boubas e cravos urccos, o mais cni-
cas que se. eduhece at aqu ; dito oximel de ferro, mul-
to til nai cbloroses, vulgarmente chamadas frialdades;
pos anti-blliosos de Manoel Lopes ; capsulas de gelati-
na, contendo balsamo de cupabib.i ; ('.tas de oleo de
rec'mns purificado ; ditas de cubebas em p<> fino ; ditas
de assafelida; ditas com pus purgantes; ditas de ruibardo
da China; (lilas de sul plalo de q ni ni no de i e 2 grao cada
capsola; algaleas, velinhas elsticas; pilulas de sal de ca-
li ( inho; agoa das C.ddas, ehegada prximamente; reine-
dios que cu rao a filaldade dentro de 40 das, mesmo estn
do bichado; oleo iiiuitobom para conservar o cabello,que,
alni de nao delxar calilr o cabello, limpa a caspa, e
elijo uso continuado la< rcapparecer o cabello perdido ;
pilulas especificas para curar as gonoriheaa cnroulcas,
finando a lesao nao paisa da ureta ; igualmente um xa-
rope anti-heiuorragico, applicado nosca-os *m que se
deila sangue pela bocea : o prejo dios he mui rasuaveI, e os bons resultados da sua appli-
cacao he que devem faier sua apologa.
Vendem-se vidos para espedios ,
de varios lamanhos ; dilos para vidraca
na na da Cruz. n. 10. .
Rape prSucfsa i\fvf>Lisboa
a ISOOOrs. a libra.
De todos os rap que a Industria braslleira tem ate
boje fabricado, nenhum imita inelhor o verdadelro ra-
p nrlneeza porluguri, do que o intitulado RAPE PRIN-
CEZA NOVO LISBOA, fabricado no Rlo-de-Janeiro, sen-
do (ao perfeita a sua scmrlhanca, que os mais veteranos
tabaquistas o lomao pelo genuino rap princesa de Lis-
boa.
Igualmente o fabricante deste rap teve a maior
verdadeira e novo, em barr pequeos, Micdade pm consegui^Ur pe^Umente^ra-
. j i Pes Area-prela, Meio-gnmo t Commum que nao so
por preco minio commodo: na rua ua|1r?ua|0UIIOIiroma) e suas qualidades, como na in-
Cruz. n. 10, em caso de Ralkmann &. dentica forma dos boles e c6r dos papis, sendo
n I difficil distinguir-se a copia do original.
rlOSCnmilll'I. I O deposito deste excellente rap he no arinazein de
CELO A DINHF.IR0 Ulvcs Vianna, rua da Senzalla-Vclha, n lO; c taiiibeiii
na rua da Scnzalla-Velba, n. 18, das 9 as 11 horas se vende nos tres halrros
ida manhflae das3
I rs a arroba e a li
I ha troco em cobro _
I necessario trazerem os Srs. compradores a quanlia i M| n) rgl| j j,0,ai icl. Jo,P joapiiinda Coi o-
certa. ja de miudezas na fu do Cabug ; no Aterro-da-lloa-
I Vende-se um terreno na rua quefir por de- .'Vi, t i.ns ' tras da rua
do finado Pereira
Dos, n. 18. ^k;. Ao Rol, n- 40; Thomaz Perrlra de Mallos Estima, o. 54 ; I^eal
Vcndem-se 30 arcos da companhia de Bebe-1 & IrmSo n ^ e Antonio Ayie de Castro, n. 72
ribe, no valorde70 por cento : nesta typographia nssilll colllo a travs do Veras, 13. onde o fre-
se dir quem vende. .guezes acharan armpre um variado sortimenlo de bou
- Vendem-se 2esclavos, de mciaidadp, proprlOS uumeros. O paganirnto das i|ue salilram prrmiailas
para sitio, por preco commodo, poro Joo se que- na passoda lotera do I'ivr?,"rn,.n^n""u? a '!
... .i;.,i;.,n,|a nm He llnrtas. travessa como d'antes a toda e qualquer hora do Uia
ce pe. o de domingos c dias santos.
Ie-se nm terreno na rua quenca por ue-|Vsta lojasde miudezas dos >r. Amonio ay/es oe*"-
i da Aurora em lrente do fundo da casa tro t Companhia Antonio da Silva Guimaraes e Tho-
l>ereira com ikuaI largura a dita casa maz Pcrrrn de Manos Estima.
tantos palmos de fundo o qual chega A camelas da lotera da cidade da Victoria acham-
laoius pHiuiu ur nn.uu h i ,iii nnMU. venda no Aterro-da-
rer retirar : no principio da rua de llortas, travessa
do S.-Pedro, n. 15.
Vende-se nm piano, em mno uso,
com muito boas vozes, du8S rebecas, no-
vas a obra Becreiod.* familias', dicciona-
rio da petialidade, con ricas estampas,
em ,5 vol. ; diccionario jurdico, de l'tr-
reira fiorges ; Cambista universal, em
a vol. ; Jeaua ^ltrslo pera ule o sernio ;
Tialado da leligio, em 3 vol. ; 'I
i stis objcclc* se veudeui por barata
co na rua Bella* n. 4*
Aa iua co Trapicho, n. 34,
aruiazoni de I ma.ufo
de Lucca,
vendem-se os segu recentemente
conservadas en
nos, de 3 4 llbr
de pepinos e cel
xas; e tanihem
fry, Madeira, viuho do
lidias em p
amei-
vitiho do Porto, Sher-
rne, Clan
jquartolas e oaias; dito engarrafado, 400 rs., muito
Ve.ndc-se a armnciio da venda da rua da Praia ,
n. 46 e passa-se a chave, em bom lugar, por flesr
no meio da rua em a esquina que volta para a rua do
Rangel; eoaluguelhc mais em conta por ter o Sr.
Paulo Caetanode Albuquerque comprado a "casa o
abaixado o aluguel: tratar na rua estreiU do Ro-
zario venda n. 1.
Vende-se salde Cadi* a retamo ,.a bordo do
brigue sueco Clara entrado no dia 4 do corrente ;
tratar em casa de Me Calmont & (iompanhia, derron-
tedo Corpo-Santo, n. 11,
Vende-se urna parda mo$a do bonita figura.
na rua da Cadeia-Yelha, n. 30.
Casa da F,
na rua estreila do llozario. n.. f>.
Nesta casa acbam-se a venda as cautela da lote-
ra das-obras da matriz da cidade da Victoria: da qual
andam as rodas no dia 29 do corrente. A ellas que
silo poueas! os precos sflo os do costume
Vendem-se bichas de superior qualidade por
preco commodo ; na ruado Vigario, n. 8.
Livros em branco.
Vendem-se excellentes livros em btanoo, feitos
em Hamburgo, por pro?o commodo: na praca di
Independencia, livraria., ns. 6 e 8.
Vendem-se relogios de ouro e prata, patento
inglez : na rua da Senzalla-.Nova, n, 42.
Vende-se urna preta Mocambique, de 18 annos,
de bonita figura, que cuzinha o diario de urna casa,
e engomma; venda-se para fra da provincia ; na rua
do Sebo* n. 40. *
FElinOIFF.rtRO,
de todas as qualidades e cobre para forro de Bavio,
de 18 at 28 oncas ea\g5ndes e pequeas parti-
das : no armazem de A. V. da Suva Uarroca, defroti-
to da igreja da Madre-dc-Deoa.
Na ra oTrapiclic, n. io, frcei-
ro andar, vende-se urna riqnissima cama
de ferro envernisada e dourada com o seu compe-
tente cortinado do mais moderno modelo que existe
na Europa ; certos de que a vista da mesma hilo pode
deixar de agradar aos amantes do bom gosto : pde-
se ver a qualquer hora do dia.
Vende-se eh hysson, ltimamente chegado e
deniuito boa qualidade, em caixas grandes e pe-
queas de 12 libras: em casa de L. C. Ferreira k
Companhia.
Vende-se sal em grandes e pequeas porefles:
na rua da Moeda, armazem n. 7,
Vcndem-se castanhas frescacs, em saccas e ar-
robas, por prego barato : no armazem do Drague?.
-- Vende-se tinta preta para tingir couros, mui-
toau'erior que al serve para escrever.a lOOrs i
garrafa e a 640 rs. a caada, levando a vasilha ^qual-
quer hora do dia ; tambem se tingo de preto liia c
seda com pcrfeigiio o por preqo muito commodo: na
rua do Mundo-Novo, n36
Vendem-se 3 pretos, proprios do trabalho it
campo : no sitio do Cajueiro, de F. It. Brito
Vende-se urna mulalinha do 14 anuos; urna
negrinha, de 15 annos ; una dila, de 13 annos, que
coseemarca; 4 meleques j de 12 a 14 anuos; um
ptimo mulatiuhOjjjta 15 annos; 4 escravas cara
varias habilidades : na rus Dircila, n* 3, defrontedt
becco de S.-Pedro.
Vende-se urna preta, de 24 annos, quecozinln
solTrivelmenle o.diariode urna casa ; urna cabrinlia,
do 12 anuos; urna poreflo de barricas com sebo;
sola; couros miudos^ hezerros ; esleirs ; um orulo
e um i elogio de oiiat); tudo para se fechar contas,
por prego commodo : na rua da Cruz, n. 26 vend
de Lulz Jqm de S-Araujo
VeilKec um preta de nagio, de 23 annos, de
bonita figora, quecozinha o diarin de urna casa la-
va de sablo e varrella e he quilandeia; una dila, de
30 anuos que lava c cose ; um molcque, de t a ;
annosj.lodos^em vicios nem achaques: na rua da
Concordia passando a poute/.inha, a direila, se-
gunda casa terrea.
Vende-se fumo cm fardos, para segundas e
milo de.charutos, de boa qualidade, por prcr,"
commodo ; na rua da Praia n. 31, em casa .de rre-
dericoda Costa Itios.
Vcnde-sc um pardo, de 25 annos, de DOS Ha
ra ptimo carreiro; um Ujto, de 18 anuos, l!r0"
prio para pagem ou outro qualquer servico: 2mo-
leques, de 14 anuos, de bonitas figuras e sadios : no
armazem de farinha do caes do Collegio.
Escravos Fgidos.
Fugiu, no dia priineirodo corrente, um preli
de nome Joquim, de nagilo Angola de 30 annos, u
boa allura Ifio plido do rosto que parece 1er fn
dade: tem um p inchado e he aleijado do de*
grande e dos dous immediatos ; tem a'lin dislouii)
cliaga em urna perna e costura em um braco, jv
mesmo dia tambem fugiu urna preta, de nome He.'1'
na ba isa do corpo raT8:redonda, pes mttilo in
diados, falla muito clara e baixa. Roga-se a inrt
as pessoas da polica que os encontrarem conduzao
rua da Cadeia do Recite n 25, que serflt) genero-
smente lecompeiibailus.
-'- Fugiu, no dia 22 do prximo passado, urna pi-
ta deniic; vestido de chita ja lesbotado
panno da Costa novo ; ten- em urna mflo marcas i
quelroadurasdefog.- J!p
isso que sahiu para ve "O" ; q'al ""
comprada no dio 9 doM)" mez e auno u ha to-
da provade ter sido acollada pelo ftBsmo vendedor
nfio appai dita escrava declarar-se-n
quem he n previm>-se a toda e qual
dita escrava, porqm
lurtada.
MBB, : NA TtP.
DE M. F. DE EAR1A.^ibii',
_____


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EUFEUSSYS_29LK43 INGEST_TIME 2013-05-01T00:05:54Z PACKAGE AA00011611_09708
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES