Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:09629


This item is only available as the following downloads:


Full Text
.
A1I0 IUVIi. 1DME10 222
?*? tre mzs idiautads 5JOCO
Pr tresaez veucidoi 6J0Q9

EXTA rilli 26U SStlIBll di I2.
I aaal
?r um lutadt li|00i
Pirt fratiM jura iibitrifttr
'M
PERMMBlll
trCAKRBQADOS DA SUBSCRIPTO DO KORTE.
Parihybt, o Sr. Antonio Alexaodtino de Li-
ma ; Natal, o Sr. Ajalo Marques da S !';
Amaty, o Sr. A. d Lemos Braga ; Cetra o Sr.
J. Jos de Olivetn : Marinho, o Sr. Joaquim
Marques Rodrigues ; Par, Manoel Piaheiro &
Cj Amazonas, o Sr. Jerocyrao da Costa.
ENGARRBG.VD03 DA SUBCRIPg\o' DO SUL.
Alagis, o Sr. Claodioo Falco Dias; Bhia,
o Sr. Jos Marlias Alves; Rio de Janeiro, o S-.
j>o Pereira Minies.
PARTIDAS DOS CORREIOS.
Olinda lodoi 01 diai as 9 # horai do dia.
Iguerass, Golaona, Parabyba nai secundas
e aextas-feiras.
S. Aoto, Bezerroi, Bonito, Caruar, Altinho
Garanhuoi as terga-feiras.
Pao d'Alho, Nazarelh. Limoero.Bfejo, Pes-
quara, Iugazeira, Flores, Villa-Bella, Boa-Vista,
Ohcury Ex as quartas-feira.
Cabo. Seriohem, RioForoioao Una.Barrelros,
Agea-Preta, Piaente raa Natal qeintas-feiras.
(Todos os eorreios parlen s 10 horas da manh)
EPHEMERIDES DO HEZ DE SETEMBRO.
7 La cheia as 5 horas e 16 minutos da tarde-
15 Quarto minguanle a 1 hora 21 minutos da
tarde.
23 La nova as 6 horas e 16 minutes da manha.
30 Quirlo cresceote a 1 hora 28 minutos da
tarde.
PREAMAR DE HOJE.
Primeiro as 6 horas e 5- minutos da manhia.
Segundo as 7 horas e 18 minutos da tarde.
PARTIDA DOS VAPORES COSTEIROS,
Para o sul at Alagoaj 5 e 20; para o norte
at a Gruja alie 29 da cada mez.
PARTIpA DOS orones.
Para o Beeife : do Apipucos as 6 1|2, 7, 7 112,8
e 8 1)2 da m.; de Olinda s 8 da m. e 6 da t.; de
/aboatdo 6 1|2 da m.; do Caxang e Varsea
s da ru.; de Bemftca s 8 da m.
Do Recite: par o Apipucos Ss 3 1|2. 4, li4,
4 ll2, 5. 51(4, 51 ti e 6 da t.; para Olinda s 7
da m. e4 I [2 da t.; para Jaboato s 4 da t.; para
o Caxang e Varzeai* 4 l[i da t.; para Bemftca
as 4 da t.
(AUDIENCIAS DOS TRIBNAES DA CAPITAL.
jTribunal do eommereio : segundas o quintas.
Relaco tercas o sabbados s 10 horas.
Fazenda : quintas s 10 horas.
Juizo do commartio: segundas ao oeb di.
Dito de orphsos : tergas e sextas s 10 horas.
Primeira rara do cival: tercas e sextas ao neie
dia.
Segunda Tara do ciral: quartia e labbade a 1
hora da tarde.
DAS DA SEMANA.
22 Segunda. S Miuricio m.; S. Santioc b.
23 Tera. S. Lioo p. m. ; S. Tecle m
24 Qtarte. Noasa Seobora dat Merci.
|2 Quinta. S. FirmiDo b. m. ; S. Niomizia -, c.
26 Sexta. S. Cvksdo e Justina mm
i27 Sibbado. Ss. Cisme e Damio irmos mu.
t28 Domingo. S. Wenceslao duque; S. Salonio b.
ASSIUNA SE
!B0 Recle, m a livreria da pra{a da Indapen-
dvntia ni. 6 e 8, dos proprieiarioi Maaoel Fiuai-
Iroa de Faria & Filho. *
flTE OFFICIftL
60VERX0 DA PROVINCIA.
Expediente do ella aa de setembro
de 186?
4- *10na0 Eim- P'M^en 1 provincia do
t-aaraPelo officio que V. Exc. me dirigi em 3
do torrete, aob o. 46, fleo ioteirado de haver
v. Lie. expedido ordem
comirca do Crato para que
Paiva alferes da primeira companhia do batalhao
ii. 21 de infantaria da guarda necional desee mu
oicipio acerca do que informou V. S. r,m dita de
11 deste mez, autoriso-o a mandar psstr-lha a
guia de quo trsti o art. 45 do decreto n. 1130
de 12 de margo de 1853 visto ter mudado de re-
sidencia. *
Dito ao director do arsenal de guerra.Dos
menores aprendizes que por officio de hootem
mande! pastar como addidos para a companhia
de artificie, faga Vmc. apresentar ao brigadeiro
comminlante das armas os de nomes Jostioiano
Pereira da Silva e Jo3o Eaogilists de Lima aflm
servirem como msicos no V batalhao de infan-
taria de coeformidada com o aviso da repartico
da Ruerra de 55 de fevereiro de 1859.
Dito ao juiz de direito da 2a vara.Designan-
do 4 Vmc, para ser>irde relator da junta de ul-
tima instancia que tem de tomar conhecimento
------- do conselho de julgament a que foi submettido
innli ornM accoiiimelleeae aquella re- ; o guarda da s.cco urbana do corpo da polica
"."""", en*i.P "I os aoccorroa ped- Domingos Jos da Minnda. assim lhe o com mu-
nico remettendo-lha o respectvo protesso aflm
ao juiz de direito da
-----,.... ,,., entendendo-se com
o d Boa-Vista dfcti provincia, se por ventura
vier all a manifestar-se a epidemia do cholera
como era de reseiir, lbe preste, sendo por este
reqsjitUado, a ambulantia de medicamentos que
ii:ar intacta na predita comarca do Crato. Agra-
oecendo jV. Ei*. o alvitre que tomn, cabe-me
declarar-lhe que prineira participicio que mo
oi teita pelas autoridades da Boa-Vista de haver
dos, nao tendo ebegado at o presente tomen
conhecimento noticias que conflrmem aquele
recelo. H
Dito ao Exm. bispo diocesano. Opportuna-
wLi'/rti0^,8'1?03 Df,.rm56e* rel,l'a< enOo Vmc. que sntendendo-aecom o inspei-
irogaeua da Peiroiina. que V. Exc, remetteu-mo tor da thesourar
com seu officio de 21 do crrante para serem paros de
de que para isso compirec, neste palatio no dii
Ti oo corante as 11 horas de manhaa.
Dito ao tjirector das obras publicas.Racom-
legialaliva provincial em
presentes assenibla
sua primeira reunio.
Dito ao comin.oante das armas.Sirva-se
V. txc. de indicar um official para commandar o
cestacamento da villa do Buique visto ter talle-
cido do eholen-morbasem caminho para aquel-
la villa, como V. Exc. comminicou-me em offi-
cio de 22 do corrente sob n. 1822 e consta da
Prluipacao juDta por copia do juiz de direito
interino da comarca de araohuns, o cpitio do
iiouo batalhao de infactfria Firmino da Cunha
Ugo, qufl ha7ia sido "orneado para esas tim.
-.ommunicou-ae thesouraha de fazenda a mor-
tj desse official.
Ditj ao meamo.Slrva-se V. Exc. de expedir
suai ordens atai de que de boje em dianle e em
quinto existir em tratamento na casa do Dr.Jod
da Silva Ramos um criminoso de morte que para
ella vai ser neita data removido da casa de de-
loogo, hija alli urna guarda compoita daa pra-
gai que V. Exc. julgar necessatias pira guardar
o aiesmo criaiaoso.
Dito ao mesmo. Sirva-se V. Exc. de infor-
mar-me acerca do que pede no iucluso officio o
j-nz municipal do termo de Cibrot.
Dito ao provedor da Sinta Gasa da Miiericor-
uia.Approvo o contrato que de conformidade
^om o art. 2.' da lei proviucial n. 531 de 9 de
juano uaioio fez a junta administrativi dessa
banta Casa coai Trijano Felippe Nery de Barcel-
los para servir Je professor de
lajtrumentsl do eolleglo doi orphos, cejo ter-
mo acom^aahou o officio de V. S. datado de 20
orrente, o qual ics assim reipondido.
Dito ao eommandaut da estaQ naval.Ex-
pej >. S. as su ss ordens para que sejam trans-
vurtados no brigue escaoa To)ie/ero para o pre-
sidio de Fernando, coajo rejaisilou o brigadeiro
co jimaadante das armas em officio do 22 do cor-
rente tob n. 1831, o segundo tenenle do quartj
auihao de arMhara p Gabriei de Araojo e
a provincial maniefazer os re-
que precita a parte do edificio em que
funcciona aquella repart-cio.
Dito o juiz municipal de Csbrob.Pelo seu
officio de 20 do mez passido quei ioteirado de
que a epidemia do cholera-morbus nao tem pro-
gredido na fregufzia de Salgueiro, e que os ac-
commettidos della no Cunhi se acham quasl
restabelecilos.
Dito ao juiz de paz do primeiro diitricto da ci-
dade da Victoria.Ao officio de 30 de agosto
ultimo em que Vmc. consulta se, eitanio pro-
nunciado como suppUnte dojuizo municipal, po-
de continuar uo exercicio dos cargos de juiz de
paz o presidenta da
lisaco. O director, um dos nossos habis enge-
Qheiro3, sobrecarregado com a direcQio do expe-
diente, pouca attenqo pode dar urna parte to
importante da administrago das obras publicas.
Nao ser precito exigir novos onaa do thesou-
ro nacional para occorrer s despezas necessarias
a sustentiQao daquella corpo ; porquant) o mi-
nisterio a meu cargo emprega actualminta am
numero de eogenhelros mtis oti manos avoltado,
onforme as obras em andamento ; os quies,
dispersos, sem ligajlo entra ai, e sem prestaren)
regularment contas de seas trabalhos, que alias
nao podem ser rigorosamente tomadas, passaro
ter urna organisagio, que reverter principal-
mente em provelto publico.
Os empregados daa diferentes drectorias ae es-
fo.-gim por cumprir asas deveres. Se b*m que
novos qeisi todos, vo todava adquirindo prati- !
ca dos trabalhos, que sendo de igual importancia ;
aoa das miis secretarias da estido, Ibes do di- |
reito, logo que aa circumstanciss o permittirem,
de percebarem retribuiga igual de seas colle-
gas dos outros ministerios.
AGRICULTURA.
Quem levado plo proprto inUresse oa palas
circum*tincias peculiares em que se achar Callo-
cedo, quizar estudar a sitaao da lavoura do
paiz somanta em reanlo a um de suas diver-
sai spplicagoes, ou a um ramo especial de cul-
tura, apreciar, por certo, mal eata indus
atlribuir ao todo o quesmente pode compt
parte.
Na verdade, ao passo qui ao nort do imperio
o lavrador exuiti vendo seus estorbos, seus sa-
criflcios amplamente compensados por abundan-
tes colheiWs, tinto de cereaes) cerno de produc-
tos de exportlo, ou de commercto ; ao sul os
que ae dedicam cultura do cal, esmorecidos
por dai colheitas desgranadas, desanimados pe-
los erTeitosdo mal que ltimamente tem aticido
a planta, desesperados pelos prejuisos que ac-
dsles animaea ; e o desenvolvimento da til ge-1 cis, que convier cultivar, ae propoz o mesmo
-' instituto fundar ama eaclimar.escola elemeattr da
agricultura para 24 alsmnos.os quaesalem de co-
nbecimeotos theorico-elementares, e especiaes a
eata indust-la, tero occaaio da eonhecer, epra:
ticar osprocesses mal adiaotados de cultura,
que d9vem tambem ser alli executados.
Deata arte preenche-se as vistaa.com qu fo-
rana promulgadas aasibias disposico^a do artigo
' da lei n.66 de 12 da oatubro de 1833 e do
1' do art.lt da lei n. 719 de 28 de aetembro de
1853.
it ih cmara municipal, rsapondo tualmenta solrem, chegim a julgar irapossivel
lo-ine que ijual duvida propoata pelo jatz
correte pelo
de direito tuve so!ur"io em 15 do
officio constante da'copia junta.
. D, o presidenta da camsra municipal da
villa deCabmb.R>metta-me Vmc. ama copia
da a:ta di ioitallacio da mesa do eolleglo elei
toril que funceionou nessa villa por occasio de
proneoer-ee a eleico de um deputido provincial
no dia 17 de agosto ultimo.Igual a da villa da
Boa-Vista e villa do Ex.
PortariaO Sr. gerente da Companhia Per-
nambu:na mande dar urna patsagem de prdi
at as Alagois no vapor Mamanguape am lugar
delinsdo a pi sageiros de estado a Luix Anto-
nio de Araujo Mello, qua conata ser desvalido.
pti.o presidente da provincia resolve cod-
ceder ao bacbarel Joao Juvencio Ferreira de
msica vocal e I Agular a exoneradlo que pedio do cargo de pro-
motor publico da comarca de Goiaona, e nomi
para etse meamo cargo o bacbarel Jos Antonio
Crrela da Silva.
Dita.O presdante da proviacia attendeodo
ao que represen'ou a cmara municipal desta
cidade em officio de 9 do corrente sob n. 83, rs-
esnrio destas calamidudes, sem se lembrarem
de que, em regra, colheitis abundintes sueca-
dem-se outraa menos felizis, e da que o mal do
cafe, que appareceu ha cerc de dous asnos, nao
deve provavelmente prolongar-se por multo
lempo.
Ai alternativas de colheitas mi sao commuas
nao s entr nos, que infelizmente anda nao em-
pregsmos os esforcos netessarios para minorar
os fifleitoa das irregularidades daa estacoes, e das
molestias do reino vegetal ; mas ainda nos pii-
zes onde a livoura, dirigida pela sciencia, tem
conseguido eombater com baitante provei'.o as
causis naturass, que impedem o desenvolvimen-
! to das plantas.
Ajatm, pois. creio, que se o estido de noiaa la-
voura nao tao satisfactorio quanto para deso-
jar, nao tem sem duvida, peioralo do anoo pas-
sado para c ; 7sto que ooae devom considerar
como prova de ana decadencia, e atraso aa pe-
queas colheilis oblidas em umi ou oatra cul-
tura, em um outro dislricto agricola ou provin-
cial. Taeareaultados nao s teem constantemente
ero de industria retribuir largamente qaalquer
avaoco de fundos que lhe forem feitos.
Renovago da planta do caf. Distribuirao de
/ementes de algodo, trigo, etc.
Senlo o caf o nosso mais importinta producto
agricola, ea-npre facilitar todos o meios de o
aperfeicoir. O seu melboramentc pode provir ou
do preparo maia cuidadoso, oa da variedade do
arbuato productor.
O interesse particular, aempre sagaz, escolher
segurumeole entre os diversos aystemaa de co-
lher, lacear e acondicionar o caf, aqielle que
lhe proporcionar maior interesse. Nao est, po-
rm, sempre ao alcioca do fazendeiro oblar a s-
mente maia preciosa, e que tem de dar producto
de maior valia.
A sociedade auxiliadora da industria nacional,
qua to imporliotea servidos presta nossa la-
voura, trata de fazer importar da Arabia semen-
l-*s, e mudas de cafeieiro : psrece raxoavel que
os poderes do estado acoadjuvem neste loavavel
intento.
Talvez que os arbustos da eipecie importada
sejam menos aujeitos ao mal que tem atacado os
nossos cafezaV; e, se assim idr, dupla aera a van-
tigem que tem de pjrodezir o designio daquella
sociedade, ae o levar a eff.ilo.
A molestia dos cifezeiros, o bailo prpftO do as-
r, e a elevarlo do do algodo, davida a ciu
> vos sao bem conbecidas, desenvolveram
ladordi do sul, cenirO e norte do imperio
ardentes desejos de cultivar esti preciosa planta
textil.
Da todas as parUs se dirigem aogoverno pedi-
dos de sorteles de algodo das melhores qua-
lidades.
A requislcao da sociedade auxiliadora da in-
dustria mcional, o goveroo encommendou-as
para o Per, e pan os Estsdos-Unidos; maa o
estado, am que se acha eate paiz. e a grande dis-
tancia, a qae demora aq--.-e outro, Dao tem
permittido ainda o recebimaoto da que foram
solicitadas. Anda nltmamente fiz novas encom-
mendts de sementes por coota do ministerio
meu cargo.
Entretanto tendo o Sr. Bartra F. Alien, da
cisa ommercial de Phlppa Irmos & C tiesta
corle, offeracido ao goveroo cinco barricas de se-
mentes de algodo herbaceu, foram ellaa distri-
buidas por alguns lavradores das provincias.
Nao basta porm qua seobteorum veliosaa es-
pecies de algodo, timbem preciso que conhe-
?amos o rrelhor systema de trata-lo, e prepra-
lo. Em algunas a felpa ae acha to ligada se
mete que as grosseiras machio entre nos usa-
das nao sao capazos de a sepirar, sam estragar a
rica materia prima da maior parte dos tecidos de
que nos servimos.
Precito se torna pois que sut irisis o goveroo
para imroduzir, e ceder pelo custo. algumas daa
machima aperfeicoadas, j conhecidas, eempre-
gadas co preparo do algodo.
osra
7ei re.ericco com relaqo ao moquico di
rus T^orawiaa porquanto, apezar do que dissa-
moa, na^a se fez no eniido de acabar com aqu i
furna de vitioa e eicota de perdi^o.
Pedmos, pois, ao Sr, subdelegado datpielli fre-
guezia, que exlenda suas 7istas proviJentis ct;
alli.
Acha-se em exercicio da aula de primeira i
Ultras do ariwnil de mirinha o Sr. Capitalino
I Gongaivea Leasa, que ulmimente fra nomead >
i para easi empregj.
O Dr. ufano! Jos da Silva Naife, iuix de
allte, .?.J J*7 d0 Mr*'9J d* "",0' I"9 d-^ilo da SP wra. deo honUm audiencia de aeu
os restantes pela maior parte do aexo fami- ftla exhibida pelo Dr. Aaerico Nato de JUea-
111 .^ U mUU0 araosda' ou done, aublr.mos autos coo.l.aao para ser aQ-
muito tenra, e que por consequencia pouco tra- ii jugado o feito
n.S.iPft0d.eIia.li/r,ii,r e.m r8lqaerr"lfa ""! ~ P*10 Sr- "Pi> delegado do termo- eolic.
?renS. \ SiH ;Lh* ^ ^^ ^"VT i de GoiDn <" Po. co di. do correnU, Joic*
treges, a pedido do muito digno provedor ad- de GouvSa. que assasaiuara em 18Yo ao inwectj-
m.nistracao da santa casa de misericordia, onde : d9 q,.eirVo FeliarTino. naCSrc. Sr Na:
reth.
a troco de trabalhos compativeis coai |as suas
forjas, recebem os caidsdos, e tratamento con-
venientes.
A experiencia tem demonstrado que impossi-
vel aa instituto, com a subvengo que pelo seu
contrato tem direito a percaber dos cofres p-
blicos, manter o jardim ao menos no stado em
que lhe fr entregae.
Sob diversos directores, conhecides por seu
zelo, intelligeneii a honestidade, a;ezar de se
nao fazer despeza com silarios de trabalhadores,
cuitava a parta jardinada mais'dp 23:01)05.
Sa o instituto applicar qualquerNPrSo dos
seus tenues rendimentos a manutengo, em-
bellezamento de um passeio publico, SC
tim de sus instituidlodar lcoes praticas de cul-
No dia 15 do corrate E-i^vjo Viaira ootea-
deu que o meihor meic de amaciar a pella a> Ro-
sa Francisca da Guia era espancaado-i, a naim
o fez ; resultando lh, porm, um procaaao ins-
taurado por qnsixa desta perante e delegad? do
termo de Birreiros.
Outro tinto acontece a Frinciaco Cabrsi.
por tar procurado eonhecer a sohdec dis faces t
Joo Rodrigues de Andrade Paiva, dando-.:.-
quantidade de bofuidaa.
Ojogo, este terrivel cancro da sociedade,
perturbador da paz domealica, acaba de leva:
Jorge Nunaa, morador no termo de Santo-Anta^
'assioar com um tiro urna facada Jo ,\
Jeruuymo, .10 lugar Pirpiri, coosegeindb
-.-- .......tu,., ?o lugar firpiri, cooseguindO Syadir-
lura aperfeigoada oe diversos ramos de Uvoura.; se pela falta da oessois q :[;em commet-
r-,i-.V/.7K"7"!!! P',b,i?i ac0D,elhi r.m-. .C" a ,co,mp,t' q-uev" S8" : procede 5l edagacoes, a and. pilla para api-
jameotosera votalo para o jardim bota- nha-lo.
ae eleve
riores or
nico da Lagoa de Rodrigo de Freitas'.
Accedeodo a preteogo da presidencia da pro-
vincia de S. Pedro, o goveroo imperial houve
por bem por decreto n. 2,816 de 24 de agosto do
anoo pissado, crear um instlela agricola na dita
provincia sob aa mesmas basea do imperial ins
titulo de agricultura da Bthia.
COMMERCIO.
Desde
No engenho Cachoeirinha, do termo cima,
do qual proprietario o capito Joaquim Minoel
da Silva, os eacravos Theodoro e Raymuodo ten-
taran atsassinar ao feitr Vicente Ferreira da
Silva, em a noite de 18 do corrente, quando eal
deixava o primeiro quirto de vigi, ferindo-o
gravomeoli nos peitos com urna fouce. Apenas
commettido o crime, pozeram-se os escravoa am
,aexecuSao das lea, que regalim aa fBg., nao logrando a polica, rjue os apanhoa na
trmsaccoas mercaDtis. e estabelecem a junsdic-. n0ita seguinte. e lhes est formando processo.
QSo, e competanctidoi tnbunaeaque deveiude- lQftfra)im-nos que na segunda-feira ter
l ti,\r. ,ob arenos dos commercisnles, (lugar, uo salo do Smti Isabel, um concert em
eslmmediatamente incumbida ao minate- beneficio do ex-baix-bulTo da companhia Mari-
. rio dos negocioa da justiga ; e que palo da uangeli. Squadro. o qual foi aqui deixado em
fazenda correal todos os negocios concernen- consequencia de acbar-sa extremamente doente.
tea aa operaross de erudito, a pereepcao dos di- Bildo de recarsoa para iransport.r-se aeu
reitos de coosamo, e de exportarlo, a a navega-1 pait Dalaif 0DteTe da leu, rmao, da|U Corbari.
aido peridicos, mas principalmente ao devidos
soive approvar provisoriamente o seguinte artigo ; a esusas transitorias.
de posturas j Sobra os meios de "auxiliar a lavoura acredito,
flUMBi^ni ;...."* Prohibido o andar nal- que. o. jetualidade. excepto boaa vas da com-
quer peasoa mascarada as ras dest manict-
* ? "ES-J! -.it.o^eaV^ *_>; 1 x; ff^fWi :B? JTS i Mff &i"P6r S1. iW VS9tlS
i. re, am caixo coutsndo artigos de fardameoto
e um molho de estiiras.
Dito ao mesmo. Remeti V. S. pira seu
cohecimento e expedigo daa convenientes or-
eos a releo dos sentenciados de jestic,a que
-jvem ser transportados para o presidio de Fer-
nando no brigue escuna Tonelero.
Dito aa capito do porto. Sirva-se V. S. de
iuformar-me o destino que liveram os recrutas
Ignacio Jos do M-uazes Campos e Manoel Mau-
ricio doi Santos mencionados na relaco annexa
.1 s*u officia de 13 de agosto ultimo, sob nume-
ro 104.
Dito ao inspeetor da thesouraria do fiztnda.
Msnde V. S. adiaatar ao segundo teaente do
quarto batalhao de artilharii a p Gabriel de
Araojo e Silva o sold relativo a este mez, visto
ter elle de destacar para o presidio de Fer-
nando.
D;l) ao mesmo.Di aecrdo com a sus infor-
mado de 20J- corrente sob n 904, auloriso V.
S. a maular abo'iar a cada um dos engajados
belgas Luiz Francisco Ilanriqne, Antonio Dilan-
shecre e Bernardo Francisco Vendervairt a quan-
lia de 00$ para a sua passagem, visto terem
coocluido o tampo de seus eogajamrntos.
Dito ao mesmo. Transmiti V. S. para os
fias convenientes as coctis documentadas da
daspeza do hospital militar desti provincia no
mez de agosto ultimo, e bem assim a copia do
parecer da junta de aaude relativa ao exime a
que na forma da le proceder em ditas contas.
Dito ao mesmo.Nos termos de sui informa-
do de 22 do correte sob n. 909, autoriso V. S.
a miniar pigar ao capito Candido Leal Ferrei-
ra a gratlficagao de 40$, a que tem direito por
hiver presentado na qualidade derecrutador usa
frrguezias desta cidade, dous voluntarios para o
servigo do exsrcito como se ve dos Inclusos do-
cumentos'cofceitos com officio do brigadeiro com-
mandante das arffijs, de 13 deste mez, e sob
d. 1779.
Dito ao iuspector da lh':soursru provincial.
Em vista do competente certificado mande V. S.
pagar ao arrematante do atierro das ruaa do Sebo
k Trompe, Francisco Botelho de Andrade a quan -
ta de 1:9j0j850 rs., em que importa a primeira
prestarlo a que elle tem direito por haver con-
cluido a terceira psrt^ das obras do seu contrato,
segundo deelarou o director interino da repart-1
co daa obna publicas em officio de hontem,
ub n. 203.
Dito ao mesmo. Mande V. S. por em hasta
publica as madeiras arruinadas da ponle velha
do Recite constantes da nota junta por copia que
rae foi remettida pelo dirsetor da repartirlo das
obras publicas com officio de bontem sob n. 204,
doveuo servir de base a essa arrematarlo a
ii'ianlla de 800;, em que foram avalladas taes
medeiras.
Dito ao coa mandante do presidio de Fernan-
do.Accusando reesbido o seu officio n. 145 de
29 de agosto ultimo, tenho a dedarar-lhe que
nao veio a guia do sentenciado Rufino Marques
de Castro, de qae trata o seu citado officio.
Dijo ao masmo.Remetiendo i V. S. as guias
dos sinUnciados mencionados na relaga 1 janta
n. I que aeguem para eass presidio no brigue
scuob Tonelero, bem como as dos qui existem
ahi sem ellas e esli compribendidas na reliQo
b. 2, tenho a recommeodir-lhe qu* fac.a regres-
sir para ett3 capital em algam dos navios de
guerra qae pm ahi seguirem os sentencia loa
indicados na reanlo n. 3, visto que assim o re-
quisita o juiz municipal da 1" vara em officio
de 21 do corrente.
Dito ao director das obras militares.De con-
formidade com o qu* solicitou o brigadeiro com-
mandante das armas am officio de hontem da-
tado sob n. 1832, mande V. S. collocar novaa
dobradices na porta da cosinba do quartel do 2
batalbode iofanlaria, visto acharem-se quebra-
das ss que ah existem.
Dito ao commaodante do corpo de polica.
Em vista do atleslado junto ao seu officio n. 420
de 22 do corrente, pode V. S. mandar engajar no
corpo aob sea commando o paisano Manoel Crin-
da Villela.
Dita ao commandmle superior de Olinda.
Expe;a V. s. aaas ordens para qua urna guarda
de aonra do batalhao n, 9 de infantaria da guar-
da nacional aob seu commando saperior acom-
psnbe a procisso de Nossa Stnhora da3 Dores
na larde da 28 do correte.
Dita ao commandanta auperior do Limoeiro
Defsrado o reqaermeto de Gmtsio Piato de
traventores pigaro trit.u mil res da multa e
soffrero 8 dias de priso. Esta prohibigo nao
comprehende os 3 dias do carnaval.
Despachos do da 83 de setembro.
/eauerimeno.
Antonio GoOilfM da Rocha.Informa o Sr.
commandaoie superior da guarda nacional de
Santo Aoto.
Padre Francisco Verissimo Bandeira.Remet-
tido ao Sr. director geral da aatrucco pu-
blica.
Conego Joo Cirisostomo de Paiva Torres.
D rija- re ao commandante saperior da guarda
nacional de Olindi.
Joo da Cot Ribeiro de Souza.Como re-
qaer.
Joo Gregorio dos Santos.Informe o Sr. ins -
pector da thesouraria da fazenda.
Joo Calssim.Informe o Sr. inspector da
thasouraria da f'Z-iida.
Jos Furias.Concedo o prazo de vinle din.
Alferes Luiz Antonio Ferrax Jnior.Como
requer.
Mara Felicia da Apresentagao.Remetliio ao
Sr. director do arsenal de guerra para altender
4 sepplionte nos termos de sua nformajo de
19 do corrente acb n. 264.
mum
ressa e ao eaforco individual o emprego de quaas
quer meios tendentes a colloca-la em circums-
tanciaa mais favoraveia. Convircom tudocoad-
juvar taes esforgos, animar laea interesaos.
Neste pensamento tem o goveroo insinuado aos
presidentes das provincias que procurem esclare-
cer os lavradores sobre as conveniencias de culti-
varem mais de urna especie de gneros agr-
colas, e priocipalmenta o algodo, o trigo, e o
fumo.
Tm aido encommenladas sementes destes ve-
geties das melhores qualidades, e o governo,
medida que os obtem.fa-las distribuir ou direc-
tamente por aquellet que a solicitara, ou pelas
provincias, por intermedio das respectivas presi-
dencias.
Se a lei dojorgamento, permittisse o governo li-
ria procurado iniroduzir machinas, que, poupao-
do braQos, melhoraasem oa productos agrcolas :
a aa cedera pelo custo aos lavradores, qae ae
quizessem utilisar deltas.
Os instituios agrcolas, pelas noticias que de-
ven publicar, e sobretudo pola pratica, toroaro
successivamente popularea os melhoramenlos
introduiidos na agricultura, e a faro maia pro-
ductiva.
MOLESTIA DOS CAFEZEIROS.
O mal que accommetteu am dos nossos mais
importantes ramos da industria agricola, e de
que j vos dei conts no ultimo relatorio, tem-se
eslendido novas localidades, sem desapparecer
completamente naquellas, em que a principio ss
manifestou.
Os arbustos sticados nao te n morrido, antes
reverdecer ; mas receai-seque a perda continua
,l.r.,lh,.. ...:-. :_,.;________ __i_ -. _
I-.?! akI. fu. d" folha, or85os indispensaveis vida daa plan-
-10 e oni.is punaa- las> os [,s, perecer( 0u pelo menos os eofraque-
a assemblea ge- | 51 por tal modo, qae extenuados, nada ou pou-
RELATORIO
da reparti^ao dos negocios da agri-
cultura comaerc
cas apresentado
ral legislativa, na segunda ses-j o vmhim a pr'oduzir^
sao da dcima primeira legisla-! Este receio pe em sobresalto os fazendeiros
tura, pelo respectiva ministro e d caf, que procurara, uns, terrenos virgens pa-
secretario de estado Manoel Feli- ',* comeQarem novos trabalhos, e outroa, variar
/.irlo de Souza e Mello,
Augustos e dignissimos senhores representantes
d nsclo.Pala segunda vez cabe-me a honra
de expor-vos o estdo dos differentes ramos da
admioitrajo a cargo do ministerio da agricul-
tura, commercio e obraa publicas.
Offerecendo-vos minuciosas informacoei sobra
todos, nos relatorios parciaes dos directores da
aecrelaria da est>do do mesmo ministerio, limi-
tar-me hei a tratir dos que mais necessitam de
vossi attenr^o e valioso auxilio.
Poderai prestar alsm disto varbalmente os es-
clarecimantos que desejardes sobre alguma cir-
cumstancia, que hija escapado naquelles traba-
lhos.
SECRETARIA DE ESTADO.
Terminadas aa indispensaveis sccommodic,5es
no proprlo nacional n. 41 do campo da Acclami-
5o, effectuou-para ella, am 8 de julho do anno
Oodo, a rr.u Uori da aeeretaria, qae havia at
ento trtbilhado no edificio da ra da Giardi-
velba, juntamente com a dos negocios do impe-
rio.
As directoras ahi desempe'ihim suas funccos
em salas separadla ; e o expediente se pode fa-
zer com a necessaria regalaridade.
Ao archivo foram dadas aa iostrucres de 31
de agosto do anno fiodo, annexia ao relatorio da
directora central, ai quses tem satisfeito as ne-
cessidades do servico.
O regulimenlo n. 2718 de 16 de fevereiro de
1861 nao completou o pessoal da secreta'ria ; e
no seu art. 4 deixou a segunda dlreetoria, encar-
regtda especialmente das obras publicas, depen-
dente da ereacao de um corpo da engenheiros.
Est quasi ccnluiJo o regulamento deate cor-
po, e brevemente aera publicado. Por elle te
crea ama corporago incumbida da confecgo dos
trabalhos preliminares das obras publicas, da or-
gioisa;o de seas planos e ornamentos, a da sua
oxecuco e flscalisac.o.
Com esta instituico nao se emprehendero
obras sam os necessarios estudoa : todoa sa li-
garo a am systema geral ; e assim deiiaremoa
de deplorar no futuro prejuisos aemelbantes aos
que se tim soffrido com trabalhos comegados, e
reputadosneceaeirios.ou uteis por uns engenhei-
ros, e abandonados por inuteis, ou prejadiciaes
por seus succaaaoret.
A segunda directora, compoita em quasi aua
totalidad* de psssoaa alheiaa proflssio da en-
genhsria, nao reane os elementos neeeeaarlos pa-
ra o ataros tachnuo das obras, s pira m jci-
i.vr.Hl!S .de-"a. *lgUDS .re,^uer,me;,0, de 50 d, crtotigem ; ao mioiiterio a mea cargo Belli, Ramonda e EicheQbae
6 I d 52 f1 ?nid0 XeT0o0H,e:ld,0 Phl0 i ?"', e ,ln9,niuD1l "a,> "e sobre este to part um COBCerto, no qual por aua parte tambem
Sa lw L l a' "' KiA" 26t da ,ele bi imp^ortaD,9Irclo de industria. canlu alguna p.dacoi de operas burlas.
!.Jr,iPi -naverem reco'hldo n18 de cem al- Por aquellas ministerios vos ser-o, por certo, Desejando s obter o importe de s.u traospo.-
'80. I apresentada as informacSas da que podereis ca (e, o Sr. Squidro avisa s pessoas que se digna-
e maia interessam ; rem acceitar bilhetea para siu concert, qua o
ment do coTDmercto. pr0 estipulado c la.
... --- ------- -r,.-.<>...., uiiire d> niTegacio tiu vial. :
iiao me teobo deacuidado de fazer importar se-! dos negocios relativos aos paquetea, e de'iutroe
mentes das melhores qualidades deste cereal, e "
- i O gr^rc-o, antes de final delerimetto, ulgou \ recer acerca das queitea qu
- convntonte ouvir o parecer da aecsao dos neg- I a prosperidado e oesenvolvim
- eioj ao ooose|i,0 do e,t.<|0. / Oppottmamaaaala tra la re di
de cultura, dando principio do algodoeiro.
Pan eonhecer a nalureza do mal, e descobrir,
a ser possivel, remedio que o remova, oomeou
o governo urna commisiao composta do general
Fredarlco Leopoldo Cesir Burlamaque, a dos
Dr. Francitco Bonifacio de Abreu, Francisco Ga-
briel da Rocha Freir e Ezequiel Correa dos San-
toa, pessoas conhecidas pelas suas luzei e pitrio-
lismo.
No relatorio apresentado por esta commisso,
que vai annexo ao da primeira directora, e a que
dei loda a poblicidade, se v o que ella penas so-
bre a causa dos estragos que lamentamos e os
meios de combate-Ios.
Eotendeu o goveroo que nao devia parar nos
estados comedidos em materia de tinta impor-
tancia, e incumbi a coDtinuaco dalles ao con-
selheiro Dr. Franciaco Freir Allemo, de certo
um dos homans habilitados que possuimos em
coohecimentos especiaes acerca deste assumpto.
O zelo deste conselheiro faz esperar que pro
vellosa ser tambem esta segunda investigarlo.
Melhoramento das ragas de animaes.
Os garanbes destinados melhorars rac ca-
vallar, vlndoa da Allemanhi em 1858, o dando
vaotajoaos resultados, segundo informan as pes-
sois, quem foram cedidos.
A criaco e melhoramaoto de animaes uteis de
oulras especies deven merecer toda asolcitide
dos poderes do estado.
O gado vaceum, indispensavel auxiliar do la-
vrador, e qoe constitae parte to importante de
nossa alioientaQo,perder auccaiiivamente aaas
qualidades alimenticias, e fon; se nao se lheappllcar o systema de cruzamentos,
e inteligente cuidado em leu trato.
O langero que tambem pode contribuir para o
sustento do homem, e pela la para o seu ves-
tuario, nao deye merecer menor atteoc,ao.
Os nossos vzinboa do aal tem por este lado
desenvolvido um ramo multo valioso de indus-
tria, pela iotrodueso da raja dosmerinosque
julgo se aclimaria entre nos com (acilidade.
Nao meooa vanttjoso seria o melhoramento daa
rafia suinas. Ha entre ellas algumas, cujos indi-
viduos em pouco lempoj e portento com pequeo
emprego de alimentos, toman volme extraordi-
riimente coosideravel.
Para a importaco da animaes uteis, e de boas
ragas, das diversas especiaes, nao pode o thesou-
ro deixar de fazer alguma despeza. A axperien
cia porm mostrar logo depoia aa yantagens im-
meossi do otaiot cuidado prestada a reproducalo
principalmente daa que devem ser mais produc-
tivas, atientas as eondicoes climatricas do nosso
paii.
INDUSTRIA SRICA.
Eva algumis provincias do imperio cncontrsm-
se differentes especiea de borboletas productoras!
da seda de axcellente qualidade, das quaes urnas
alimentam-sedas folhas do earrapateiro, ou ma-
mona, outrai das do cedro.
Segundo as informicoes colbidas a este res-
pailo, a aeda que alias fabricam, tem sobre a do
bombiz-mori, to justamente apreciada na Euro-
pa, onde encootra numerosos mercados e altos
prtcoa, a vaDt'gamde ser mais lustrosa e alas-
tica, e de ter o lio mais grosso ; o qua facilita a
prepararlo; sendo provavel que sua qualidade
anda melhore pelos cuidadoa que sa houverem
de ampregar oa cultura daquelles insectos.
Propuzeram o Dr. Otto Liogar e Jarge Adol-
pho Abich, fuulir ao norte da cidade do Dos-
trro, um eslabelecimanto para a criaco dos nos-
sos bichos da aeda, entre os quaes, segundo a-
firmam, se distingue urna especie nova, por ellas
descoberta, cujoa productes sao da priiieira qua-
lidade.
Exigiram porm que o governo imperial lhes
coocedesie : Ia, maia legua de terral para aueo-
sento Uo estabelecimeDt->; 1", o empreslimo de
quince a viole conlos de ris, sem juros, e pelo
praso de oito annoa; 3, iaengo de direitos de
importarlo pira todas as machinas, apparelhos,
etc., que introduzirem para o servico do mesmo
ettibalecimenlo.
Para bom xito da empresa, nacionalisago da
urna industria to lucrativa e importante, e que
eotre nos via aproveitar iorcas, qua se perdem
por falta de emprego, o trabalho da mulher e
da criinga, o que alm disto alimentaria outra
iodustria, a da extraco do oleo da baga da ma-
mont, ou geoeraliaaria a cultura do cedro, pti-
ma madeira de comtrucco, que to cuslosa se
vai tornando, me pareceram por certo mui ioiig-
nificantes os sacrificios pedidos aos sofre p-
blicos.
Porm, na incerteza de se alcanzaren tasa Uns,
nem coavinha arriscar aquellos valores, nem me
achava autnrisado para despender a quaotia pe-
dida a titulo da empristimo.
Entretanto, ponderando que nao me era licito
despresar in Intime um rxeio de contribuir para
0 eitabelecimecto no paiz de to importan-
te ramo ioduitrial ; que o eatado deve at certo
ponto prot-ger o auxiliar aquella! industrias,
que promettem grande desenvolvimento, e pros-
pero resaltado ; deliberei conceder aos propo-
nemos algans pequeos favores, e bem assim a
sorama de 1:0000 para os primeiros ensaios, e
aguardar os resultados, para definitivamente re-
solver o que convem fazer em favor desta indus-
tria.
JARDIM BOTNICO DA LAGOA DE RODRIGO
DE FREITAS.
A admioittrago deate estabelecimento panou
para o Imperial instituto fluminense da agricul-
tura em virtude do ontrato celebrado em 17 de
agosto do anno pastado.
A necessidade de cuidar da reparos nos edifi-
cios existentes, e decoostrairoutros, que se tor-
mo iodilpeosaveis, os trabalhos preparatorios,
a que cumpreaecudir para se poder darcomeco
aos servicos de cultura aperfei{oada, que o ins-
tituto deve por em prlics, a finalmente a falta
de instrumentos appropriados a este flm.e que
foram encommandados para a Earopa, tem sido
causas de nao se ter dado j a eite jardim todo o
desenvolvimento, que o goveroo imperial leve
em vista quando pasiou a administrado ao impe-
rial instituto.
O relatorio da respectivadiractorii minucioia-
mente vos mostrar os trabalhos j alli feitoi, e
01 que devero ae-lo muito brevemente.
INSTITUTOS AGRCOLAS.
Sobre a sitaago dos nossos insta .1 tos agrco-
las encontrareis no relatorio da directora cen-
tral as informacoes que se poderam obter.
Conforme acabei de communicar-vos, foi ce-
dida ao imperial instituto fluminense de agri-
cultura a administrarlo do jardim bot*nico da
Lagoa de Rodrigo da Freitas, onde, a par do jar-
dim propriamente dito, destinado ao racreio
do publico, e que aquello eatabelecina&nto ae
obrigou a conservar, e melhorar ; 4a manu-
tenQodo vivelio de planta iadig^oai,a eiok-
meios decommenicaQo, que, comosabeia, exer-
cem grande influencia naa trraosaeces mer-
ca nt'.s.
No relatorio das directoras encontrareis sobre
estes objectoi osclirecimentos, que por este mi-
oiiterio voi podem ser prestados.
De accordo com o parecer dn leccoes reuni-
das dos negocios do imperio a da fazenda do
cooaelho de eatado, o governo imperial reaolveu
Sendo am pedido rszoavel e de verdadtira ca-
ridade, nao devidamos pedir a proiecQio publica
para ella, e esperamos sero coroados aeus desa-
jos, que bsm poucoa se limitan-.
Na casa de laude do Dr. Joao da Silva Ra-
mos falleceu 00 da ?3 do corrente, da bexigas, u
indio Jos Caelano Comes, de 61 annoide idtde,
casado, natural do Cear, peacadar, lentencialo
vindo do presidio de Fernando em 19 de fevereiro
do corrente anno.
Procedeu se a exame de verificago o identi-
Klllpn,,,,Hmprl,"' ?,,0Caied'?eK aD0ym"'?,de de pesaos no cadver do mencionado preso
dogiz, Pona da Atea, e Mau, estabelecidaa ni p9i0 jU20 muaUip*! da Ia vara.
corle, a provincia do Rio de Janeiro, o traspillo
a companhiis estrangeiras, eatabelecidas fra do
imperio, dos direitos o obrigaQes, que lhes per-
tencem, debaixo das eonaicoes que lero de-
claradaa, no acto da concesso, segundo a oitu-
rezi, e ai circamitancias de cada companhia.
No dia 22 do corrente S Exc. o Sr. presi-
dente da provincia visitou as oficinas da estrada
de firro em compinhit da sua familii, dos Exms.
Srs. desembargador preaidente di relaco, e do
Dr. Joaquim Portada.
S: Exc. parti desta cidade pelo trem ordinark
...;_ .f.i.___--------------7 ," *----, 1 *v. panio uesia ciaaas peio irea orutniru
1. n,MirSn ni?S V! l*W*" 'tageoa de8 horas da manbi daquella dia. recolhendo-
c orovirnti fian an tim ntrnrlufnin Aa m >i, l .. __ u *
que proviro nao s da iotroducglo de machima
e ipparilhos aperfeifjoados, e principalmente de
trabilhadores intelligentes, e morilisados, que
viro eitabelecer aselas praticas para os nossos
concidados ; mas tambem da mobilisa;o dos
capitaes fixadoa neatas empresas, os quas ira>
fecandar novaa induatriai.
Foi neita conformidade concedida por decreto
se a l horas e iOminutis da tarde.
Informam-nos que alm da visita das oflhinas,
examinou S. Exc. na villa do Cabo urna pequea
michioa locomotiva montida'naquelle estabele-
cimentoa para o servido de iospeceo da linlia
frrea, tendo feito sobre ella uxa excurso at o
engenho Utioga;
ajMaTE a*W conceai(la Por decreto A locomotiva sobre que vi.jou S. Exc. se pode
n. 2 910 de 19.de abril do correte anno. a com- dizer nacional, porquanto foi completamente a-
panhia de mineraco maranhvnse permuso para ; justada e imaginada no paiz. Funcionando ad-
passar companhia iogleza denominadamoa-
te ureoso privilegio, os favores, e direitos,
que lhe competen em virtude dos detritos ns.
1,044 de 2z de aetembro de 1852, e n. 1,925 de
25 de abril de 1857.
E como j ealiva completo o prazo do exclusi-
vo para ai explorarles tendentes ao descobri-
menlo de minas,novamente obteve a companhia
ingleza este privilegio por dous annos, contados
da data do mesmo decreto, para taes explorarles
as provincias do Maranb&o ePiuhy, onde lbe
devem ser concedidas as dalaa de trra, quena
forma do citado decreto de 1853 lhe pertencem ;
icando determinado que a mioeraco de terre-
nos diamantinos depender de nova deciso,
visto ser regulada por legiilaro especial.
(Continuar-se-ha.)
mnmuzQ
REVISTA lAfliA.
No processo de habilitadlo pera o magisterio
primario, a que se submetteu no dia 19 do cor-
rente a Sra. D. Francelina Cssarina, foi a rr.esma
Sra. considerada pela commisso de exame res-
pectiva em eondicoes de obter o titulo de cipa-
cidade.
O conselho director conformou-ae com este jul-
gamento.
Em sssso de hontem do conselho director
daiostruccao publio, tratando-ie acerca doi ha-
billlandos, qae foram a concurso no dia 11 do
corrente, conformo-se o mesmo conselho com o
julgameDto dacommiaio de exame, excepto oa
parte relativa approvaco simples do Sr. Jalo
Verissimo de Licerda Jnior, com a qual deixou
de conformar-sa, deliberando oat-osim que fosse
propoito ao goveroo da provincia, que oo se
achava o meamo no caso de obler o titolo igual-
mente com os domis approvadoa.
Damoa boje o ultimo discurso recitado na
sesso do Instituto Archeologico e Geographico
Pernambucano pelo acadmico Jos Fiel de Jetas
Leite, orador da commiiso do Mheneu Per-
nambucano, o qual deixou de sor publicado na
ordem chronologica, porque foi pronunciado, por
s ter vindo para a oficina na tarda de ante-
hODtam.
Pedem-nos que lembremoa, a quem por ven-
tura compita, que (ac remover da pnc, 1 que fice
ao lado da igrejinha da Gooceicao da Boa-Viats o
espim que all sa deposita, bem como os respec-
tivos vendedores, que lazam desse local urna ver -
dadeira ribelra pelos seus dicterios immoraes e
acedes cyoicas, com offeosa do decoro daa fami-
lias que por alli moram, e flagrante dos reapei-
to do referido templozinho.
Sempra 01 ties traficantes de capim colloca-
ram-M no beeco do Tambi, onda at'tinham o
reapectlvo armazem de deposito; a por isso com-
pre que aejam chimados aoaantigoa pollos, para
evlter-se o quo vo praticando.
1 CoQliauan oa actos de immoralida.de q.o i?
miravelmente, tem a vintagem de consumir urna
insignificante quantidade de combuitivel.
S. Exc. foi acompanhado em aeus exsmes pelos
eogenheiro fiscal do governo e um de seus aju-
dantes.
Hontem suspendeu de nosso porto, com des-
tino ao Rio de Janeiro o brigue escuna de guerra
Fidelidad?, commsndado pelo uosso comprovin-
ciano, o Sr. 1* lente Francisco Romano Step-
ple da Silva.
Nao podemos deixar de apreciar o mrito e bra-
vura desse hbil e distincto official, que cao te-
mando petigos, e desejtndo oslar sempro em pea-
quizaa na nossa marinha, emprehende agora essi
tmida vegem n'um navio sob mos auipicios :
se consegui la bem, ser mais urna gloria, um
louro que, nao t ciogir a sua froote, como o
far linda maia merecedor da calima e cooaide-
rir;ao
Conhecemos mu de perto o Sr. Stepple, que
em 101 vida publica ou particular, nao tem um s
fict que deslumbre a hoon desse pernambu-
cano diatincto.
Desajimos lhe prospera viagem a que em bra-
vo commande am outro navio nesta provincia.
RepartioIo da polica.(Extracto das par-
tes dos dias 25 de setembro.)
Foram recolhidos cisa de deteneo no dia 21
do corrente :
A' ordem do Dr. delegado do 1' dialricto, os
pardos Pedro Carneiro de Soatia Ferrax, ou An-
linio Pereira d* Millo, de 22 annos, soldado do
10* batalhao de infantaria, por crime de tantativa
de morte, e Joaquim Jote de Saol'Anna, de 21
anaos, sem officio, sem parte.
A' ordem do subdelegado de Santo Aotonio. o
pardo Joo Eleuthario de Deo, da 37 annos, t.-
ooeiro, por embriaguez, e oa crioulos, Riymuodo
Manoel da Costa, de 18 annos. marceneiro, para
recruta, Hermioo Pereira, de 33 annos, Bsoio
Jos da Rosa, de 45 annos, paseador, ambos por
embriaguez, e Domiogoi da Cunha, de 50 aanos,
servente, por disturbios.
A' ordem do da Boa-Vista, o pardo Gincalo,
de 22 annos, escravo de Joaquim Ignacio Ribeire
Jnior, requisicao do respectivo aenhor.
A' erdem do da Varzea, o pardo Antonio Jota
dos Santss, de 29 annos, agricultor, por desobe-
diencia.
O chafe da segunda sacefo,
-'. G. de Mesquita.
Moviment da cisa da detengo do dia 2i
de setembro :
Exiatiam...... 366
A sabar
Eotraram
Sahiram.
Existem
Nic'torj'jes. .
Mult-aeraa. .
Kstrangelroi.
Eicrsvoi .
Escravas .
Total.
10
11
"365
2i5
6
37
69
8
"35
presos.


MUTILADO

J


DIXRIO tEBRAMICO, aW SEXTi flIRA S4 DI 5BTEMBRO DI 1861.
Alimentado! a custa do cofre provin-
cial!. ..<-.<..
Mevimeuto di enfermara do di So.
Tiferam baixa :
Francisco Victor ais Chagsi ; lyphilis.
Antonio Joaquim Soare Lisboa; rucara.
Te ve alta :
Valeriano Francisco das Chagai.
guido essas vauugens, porque os commandante
147 deus colonia, com honrosas exceptes, teem tra-
tado mais dos seus intercales e dos inleresses
eleitorses, do que dos malhoramentos da eo-
l0B8.
Para justificar o mea juizo. ssm qae reterisse
o Dome de algtem, e guardandosempre a mode-
racao p conveniencia!, qae coatueae gatsslar nss
Passsgelros do biate braaileiro Santo Ama- discussoes, die, que sioda na ultima elegi a
ro, vindo do Asi-.A familia do capitao e 4 es- popalecio de Prmentelras lioha ido por ordem do
travos. commaodsnte votar em sas chapa, e condal aetta
Passsgelros do vapor nacional Mamanguu- parte o mee discurso pedindo ao Sr. ministro da
pe, sabido para Macei e portos intermedios : guerra a sua lntervencio, direcro a ordena, sfim
(Jrnbeliuo Gor-calvns de Aievado, Josquim de A. da que mqaella colonia (osse mantidaa le, res-
Vi lia rouca, Jos Antonio de Almeida Geimaraei,. peitada a autoridade, e o commandante promo-
Maooel Domingo, Luiz Antonio de Araajo Mello,| 'esse o sen melhorametito, accrescentando, que
Joo Carloi Isleioer, Jos Portella, los de Mello fallando assim nao poda ser tido por saspeito,
Costa Oliveira, Pedro de Alcntara dos Guimare
Peixoto, Feliciano Rodrigues da Silva, Flix Ra-
mos Lieutler, Joaquim Accioli Lios.
Matadouro publico :
Mataram-se para o consumo desta cidade no
dia 24 do correte, 75 rezes.
No dia 25 50 ditas.
Obituario do da 25 db setembro, no cb-
TBU10 PUBLICO.
Manoal, frica, 45 anuos, so'teiro, escravo, San-
to Antonio; coogeslio.
Vicente, frica, 75annos, solteiro, escrsvJ, Boa-
Vista; varilas.
Msria, Pernambuco, 1 hora, cscrava, Boa-Vista;
tspsamo.
Alfredo, Pernambuco, 4 annos, Boa-Vista ; va-
rilas.
Joaepha Barbosa Ctrneiro Pessoa, Pero-Jibuco,
50 annos, viuva. Recia ; varilas.
CHRONICAJUDICIARIA.
Tribunal do ccmmcrcio.
SESSO ADMINISTRATIVA EM 25 DE SETEM-
DE 1862.
PRBSIDBNCU DO EXB.SR.DESBMBARGADOB
F. A. DB SOUZA.
A's 10 horas da manha. reunidos os Srs.
deputados Lemos, Malveir, e Rosa, o Sor.
presidente declarou abeita a sesso.
Foi lida e approvsda a acta d sesso antece-
dente.
DESFACH08.
Um requarimenio de Ji3o Baptista Gongalve
Bastos, pedindo por ceiMdo o registro do con-
trato de sociedade do supplicaota com Jlo Ber-
nardo da Costa Reg Montairo.Passe.
Outrode JoSo Orina Bastea de Oliveira, pe-
diodo o registro de urna procurarlo. Regis-
tra-se.
Outrode Joaqaim Francisco do Espirito Santo,
satiifazendo o despacho do Sr. desembargador
fiscal.Matricule-*.
Oatro de Jos dos Santos ds Costa Morairs, pe-
dindo o registro de sua nomaaco da caixelro.
Reglstr-se.
Outro de;Antonio Cecilio Ferreira Neves Cruz,
pedindo por ceidlo o papel de licenga ou au-
loriisoo dada por G Hsn>y sua mulher Rosa
Jlardy.Paai.
Nada mais houve.
SESSO JDICIARIA EM 25 DE SETEMBRO
DE 1862.
"HESIDENCIA DO EXM. SR. DESEMBARGADOR
SOUZA.'
**C7I^9t,Julio GuirnJ&.res.
Ao mel dia, o *..?; K presideute abri a
sesso, estando presentes os senhores desembar-
por ser actualmente o commandante de Pimen-
teiraa o meu irmao, Sr. tenente Vireila, etc.,
etc.
Esta considreles, qae slis mersceram o seo
lilimente do Sr. mioiitro da guerra, e da cmara,
exeilaratn as iras do Sr. Amorim Becerra contra
mim, porque suppondo-se por mim invectivado,
ou antes crendo, qae ea me aproveitra do ec-
sejo para deaforcar-me das hostilidades, qae cha-
ma aDpostas, e qae S. S. me flzera na elelcJo
de 1860, recorreu a Revista Militar, o. 13, de 20
de setembro, onde em correapondencia proona.
oa por S. S. asslgoada, tr*la de refutor-me, des-
jnente-me, e o que mais sem ter consciencia
"do si, procura abocaohar a minha repatecio, como
bomem poltico.
E' forcoao rospondsr correspondencia do Sr.
capillo Amorim Bezerra, nao por amor de S. S.,
de caja autoridsde e competencia ea declino oas
materias, de que se trata, maa por amor do pu-
blico, a quem muito rspelo, por amor daqaellea,
que trabalharam ia minha eleigao, me honra-
ram com oa seus vetoa e confian;.
Do ralalorio de S. Exc, o Sr. marquez de Ca-
xias, e que foi distribuido pelos deputados, v-
se que S. Exc, fallando da colonia de Pimentei-
ras, escreveu apenas vine e ums liohis; v-se
m s, que S. Exc. di essa colonia, dentro da le-
gua em quadro da demarcarlo, urna populacao
de oitocentas pessoas livres, accresceodo apeuas
quinze escravos, e, fallando da colonia Leopoldi-
na, d-lhe urna pon--'aclo de dous mil habitan-
tes, etc., etc. Porlsnto, se ea errei, quando com-
parando a colonia de Pimenteiras com a de Leo-
poldina, disse qae esta florsscia, quando aquella
la em atraso, dei este urna populadlo fluas ou
tres vezes maior do que aquella, o erro nlo
meu, e sim do Sr. ex-ministro da guena marquez
de Coxis, que aflirmoa em sea relitorio o qae
no parecer do Sr. capitao Amorim Bezerra nlo
verdtde, teDdo apenas a notar, que, quando um
mioiatro de estado occapa vinte e urna liaba* no
seu relatorio com urna colonia, e colonia como
Pimenteiras, nao se podo dizerque fallou muito,
e que disse tudo r*pelto dells.
Segundo affirma o Sr. capitao Amorim Bezerra,
a populacao quasi toda de Pimenteiras foi erre-
gimentada, por ordem do commandante, em 1856,
**' no Boollj em chapa minha, e nlo o foi em
looO. porque o director, que era
prestou a i.so. d'oude ,vntsjrapste(Weiti
lh eu ter. PnmeirameQis>;T0 p0Qderar ao Sr.
b eu ter. Primeiram^sj-ae
imorim Bezerra ^Y na0
exacto, que eu lhe
n 08*r"8'.^- S. eog.n.-se pereitamente, se
fim ri Vr* (,ue 8U d',,e Da Cimara W tom o
um ae myiesta.|0 live UDicatnente em attengio
v-.. meu dever e fallar a erdade;eem
segundo lugar, assevero que o commandante de
Pitcenteira, em 1856, nao foi com a populacho
dessa colonia vetar em chtpa minha. Eu nlo
, assisti i eleiclo primaria do Bonito, como todos
adorea Villares e Silva Guimaraes, e os senhores gabera, nao fiz chapa de eleitore. nem de-a
deputados Lerros, Malveira e Koss. ; alguem, e apena fui assistir a eUclo de deputi-
Lda, foi approvada
foi approvada a acta da sesso ante-
rtbt
" Foi assignado o accordo proferido Da sesso
nntecedeote, entre partes :
Appellaote, D. Delphioa Marinha lavares Cor-
Jeiro ; appellados, Braga A Antunes.
JILGAMEITOS.
Appellantes, Antunes & Irmo ; appellados,
Seve, Filhos & C.
Sorteados os Srs. deputados Rosa e Malveira.
liejator o Sr. desembargador Villares.
Foi reformada a seoteu^a appellada.
Appellante, Antonio Jos Das ; appellado,
Maooel Joaquim Dias de Castro.
Sorteados os Srs. depatados Lemos e Malveira.
Relator o Sr. desembargador Silva Guimaraes.
Foi reformaba a sentenga appellada.
Appellante, Sebastio Jos da Silva ; appella-
do, Izidoro Bastos de Oliveira.
Sorteados os Srs. deputados Lemos e Mal-
veira.
Relator o Sr. desembargador Silva Guimaraes.
Foi cooGrtr.ada a eotenga appellada.
AppeHsnte, Antonio Jos di Castro ; appella-
do, Francisco Jo6 Leite.
Sorteados os Srs. deputados Lemos e Mal-
\eira
Relator o Sr. desembargado^ Silva Guimaraes.
Foi reformaa a atntenQa appellada.
OSr. dtsambargador Silva Gaimarles apre-
icntou suspeirao na appellago entra paites:
Appellante, Almeida & Csj ; appellado, Joa-
quim Antonio da Silva.
E o Exm. Sr. presid o ao Exm. Sr. presidente da relego pediodo
]BZ.
PASSAGESS.
Appellante, Jos Joaquim Gongalves Bastos e
i-'rr ncisco Antonio de Astis Ges ; appellado,
joo Bapliata Gon~alves Bastos.
Do Sr. desembargador Silva Gaimtraes aoSr.
tlesembargador Villares.
Appellantes, Guimsraes & Irmo ; appellados,
os administradores da massa fallida de Siqueire
& Perelra.
Do Sr. desembargador Silva Guimaraes ao Sr.
desembargador Villares.
DISTRlBUirOES.
Appellantes, Joaquim Ju'vencio da Silva, Rosa
Mara de Lima e outros, como testamenteiro e
herdelros de Antonio Francisco Pereira ; appel-
lado, Frederico Lopes Giimarci.
Ao Sr. desembargador Villares.
Appellantes, D. Mara do Carmo Got^alvesde
i-iira, viuva de Manoel Antonio nos Pasaos,
t>or ai e como tul ora oe atas lbos e o Dr. cara-
dor gral ; appellados, Isaac, Curio & C.
Ao Sr. desembargador Silva Guimaraes.
AGCRAVOS.
\< gravante, Luii Antonio Annes Jacome ; ag-
gravado, Josquim Luiz Virles.
O Exm. Sr. presidente negou provimento.
Aggravante, Gildino Temistocles Cabral de
Vaaconcellos ; aagrarados, Maool Alves Guer-
ra, Francisco Actonio de Brito e outros.
Negou-se provimento.
a,-.ygra ante, Joo Hyppolito de Meira Liui ;
ggravado, Chrysaolo Dario Nobre de Almeida.
O Exm. Sr. presidente deu provimento.
Ja maia houve.
Communicados
Aos eleitores to
o" districlo.
l.k'ito, como acabo de ser, membre da assem-
bla provincial |pelo 5* dlsiricto, em substifuiglo
lo mtu eollegs, o finado Dr. Aotonio Baptista
.airan* Costa, aeja-me licito dar urna publica
maaifeetac,o de duplo agradacimento aos amigos
que me opresentaram essa.candidatura, e aos
digooa eleitorea que me honraram com seus qaa-
si unnimes aafTragio.
Mais que nunca foi expressivo o acolhimeoto
que obteva a minha apreseatsco. Se elle ae
nao pode ligar urna imposico oa um motivo
menos digno, sobresahe todava de sua existencia
a dadicacao dos meu amigos desta cidade de
todo o districlo, que mais urna vez tenho a
honra de representar pela escolha espontanea de
cavalleiros to distinclos, aos quaes procurarei
sempre agradecer pelo desenvolvimeolocomple-
to do maodato. qua me confiaran).
Kecife, 55 da Miembro de 1862.
Dr. Mainel de Figueira Faria.
Breve resposta do depulado Vilella Ta-
vares ao Sr. eapilao Brasilio do Amo-
im Bezerra, ei-drector da colonia
de Pimeoteiras.
Srt.redactoret.K tselo da 17 de julho deste
aono, fallando sobre diversos assumplos da re-
parlisao da guerra, ea disse qae o honrado Sr.
marquez de Caxlas. exmioistro da guerra, Dona-
se occuoado pooco em sea relatorio com a colo-
ou de Pimeoteiras; que, segando as informscoes
de >. fcxc, essa colonia se achava atrasada,'e a
*ua popelscao moLtiva apenas a oitoceLss pes-
soas, em qaanlo que a colonia Leopoldina de Ala-
Kcas floreada, e sua popUs|0 andava por doai
milatreamil almas. Pondere! ai vantsgens,
que offerecsj a colonia de Pimenteiras, quer pela
iberdade de sea solo, quer por sua localldade, e
.'aiiimei, que o governo aleda nao tiris-e corna-
do. Sa pois o commetidite de P'imentelrss em
1856 votoa em thapa, que ma ra favoravel, f-lo
de mota proprio, e nao posso jmala aer aecusa-
do de intervir de quslquer modo para com esse
digno offlcial, alim delle pratiear o que reprovel
no honrado Sr. capillo Brasilio de Amorim Ba-
zerra, que com qaanto diga nlo se ter prestado
u eleicao de 1860 cbpa, que me era favora-
vel, nlo pode negar, que se prestou com dedica-
cao que me era contraria, favorecendo a esndi-
datura d quem S. S. nlo ignora, e de modo to
positivo, que indo deata cidade para o Bonito foi
murar com esse caodidato, ou com os seas mais
dedicados padriohos.
Recorde-se S. S., que quando foi mandado para
o Bonito pelo Sr. Leillo da Cunha, tstava tao
prevenido Contra miro, que suppoodo-e o dono,
o senbor dquella comarca por cingir urna banda,
e ter urna espada ao lado, encontrando se comi-
go na ponte da Boa-Vift, acompanhado por um
amigo, quelhenio desconhecido, trlon-me
com li dcsconsiderrc.no, que me euppoz talvez
um dos seus subalternos, e ea be pardoei, como
anda boje iha perJOo iaao, porque sel dar O de-
vdo descont Maccdea pralicads por am offi-
clal, que anda em 1860 recordando as suppostas
offeosss fsitas a um veterano do exercito, a quem
urna folla* jocoseria d 1848, no lempo da exa-
cerblo dos partidos, ihamou clarim e cauallo,
esperava vingsr-se com ua grande autoridade
militar no Bonito do candidato deputaglo, que
auppunha aer o autor desse gracejo ou appel-
lido.
No firme proposito de ferir-me, o Sr. Amorim
Bezerra, apreseulou a minha candidatura em 1860
como sympeloica ao governo provincial e geral,
e assevera, que o meu honrado amigo o eolio
juiz de dirello do Bonito Sr. Dr Oveira Hibeiro
tivem recommendaroes em meu favor de dous
ministros de estado* Ora que grande crime, qae
bcqIo tao vergonhosa ter eu sido recommeodado
por dous ministros ao Sr. Dr. Oliveira Ribeiro 1
Saiba pcis o Sr. Amorim Bezerra, saiba o publi-
co, iue nao intervim nessis recommendaroes, e
qae se dous ministros, meus amigos, deiejaram
a minha reelegi, isso acto lio innocente, que
nem a mim, nem a elle pode desairar. Fsliz-
mente, anda apoiando um ministerio quslquer,
nao desci de minha dignidade para obter os ssas
favore. A minha conducta no parlamento lem
ido sempre muito houesla, muito indepeudente,
e invoco para confirmar o que digo o teatemunho
de todos oa deputados, sem excepcao de um t.
l'or esse lado me considero muito aito para que as
sellas envuenadas do Sr. capillo Amorim Be-
zerra me possam ferir.
Contestando a proposiclo, por mim enunciada,
de qae meu irmo, o Sr. lente Antonio Villela
nao toma parte em poltica, nem em qusstes
eleitoraes. lembra S. S., que elle j fora cndida-
lo deputacao provincial, qte ea flzera pracados
princio* polticos, que elle segu, diversos dos
meus, os qaaes o Sr. Amorim Bezerra nao sabe
quaes sao, se o 1848, se quando ea devaneava
no /fleto do ocano, se guando votei contra o Sr.
Dr. Godoy,e a favor do Sr. Mello llego.se fm.il-
mente quando communguei os principios da li-
ga, etc.
Declaro, que tenho muiti pena do Sr. capillo
Amorim Bezerr*, lastimo que S. S., pertencendo
brioss clatse militar, venda pela imprenta tor-
nar se echo das intriga! e calumnias, com que
alguna desaOeicosdos meus pretendern) em 186U
desconcaituar-me, e por isso consinta o publico,
que responda essa tpico acrimonioso e om-
tanle da correspondencia do ex-director da colo-
nia de Pimenteiras.
Eu disse, que meu irmo, o Sr. leaente Anto-
nio Vilella, como direct >r de Pimeoteiras, nlo se
envolva em poluic, nm am questoes eleito-
raes; que t se oceupava dos melhoramentos da
colonia, isso um laclo publico e notorio.
Ainda ha pouco houve urna eleiclo de depulado
provincial pelo circulo, qae comprehende Pimen-
teiras, e nlo consta, que meu irmlo se enrolvts
se nella. O que importa le sido candidato, se o
foi em poca remota e muito aUerior aaa do-
meaclo ? o qae pode servtr-lha a opioio de con-
servador, que elle abraca, a* nao joga com ella
am eleiQoes, se nao consta qae se entrometa em
questoes eleitoraes?
Ora gor pelo que respeits mim, permitta o
Sr. Amorim Bezerra, qua o nlo adtniUa, nem acti-
te para qiuliflcar aa minbas opinies polticas, ou
ceniursr-me por inconstante e de carcter dobre
e simulado. Nunca deixe de ser liberal, nunca
renegaei as michas creac.s em todo o decurso ds
minha vida politice, que dala de 1834, quando
alada eatudaote. Marchar com prudencia e re-
fleczlo, aconsalhar a moderarlo, abracar a con-
tili c/io, proclamada como um meto de arrefacer
es odios e as paixdts violenta, adherir liga,
ettabelecida com eolhasiasmo por lodos os libe-
rtes e conservadores moderados da camars e do
senado, nao aer voluval, nem da carcter do-
bre, ao contrario ser lgico, coherente e amigo
da liberdade do psiz; porque todas essas madau-
C, que se tem dado desde 1852 para c, tem si-
do favoravel a opioio, ao espirito liberal.
O Sr. capitao Amorim Bezerra, crendo sem da-
vida explorar ama mina, e formar ums intriga
contra mim para a comarca do Bonito, nao du-
vidou levianamente avanzar a propoiico de que
eu vota! na cmara contra a allelo
pereitamente, qua pola minha votacio elle nao
pedia ser exdaido da caara. Antes d'aa ser re-
conbeddo deputado nlo poda votar sobre a va-
lidado, oa nallidada do aleledes, por virtade das
quass dovia ser ou nao reconhecido ; mas toda a
cmara sabe, qae me pronanciet de modo multe,
poaitivo pela eleifio liberal do Bonito, favoravel
ao Sr. Dr. Godoy. Quanto is eleicoes d aquella
fregoslas, sobro as quaes haviam dundas, o -
carsm sdiadss para qaando sa fratasas do reco-
nbecimento do Sr. Dr. Godoy, oa do Sr. Mello
Reg, votei de modo que os lnieresses do Sr. Dr.
Godoy nao foram por mim prejadicados. E quem
nao sabe na comarca do Bonito, que eu, longe,
bem longe de hostilisar a candidatura do Sr. Dr.
Godoy, lhe fai propicio ? Appello para todos os
meas amigos o'aili, alies qae o digam, elles que
mostrem as minbas cartas: appello para o mes-
ir* Sr. Dr. Godoy.
Poda terminar aqai a respoita proveselo do
Sr. Amorim Bezerra ; mas, incalcande-se S. S.
um ptimo commandante da colonia de Pimen-
ras, am xeloso fanecionsrio, injustamente por
mim acensado na cmara, parecen-me convenien-
te juntar por ceidlo do cartorio dos feit is da fa-
zeada nacional o documento abaixo transcripto,
pelo qual ae prova, que o Sr. capitao Brasilio de
Amorim Becerra, como commandante da colonia
de Pimeoteiras, fez msis do que eu disse ns c-
mara, lsto /con aicanado para com a Ae
sourarta da faxenia na quanlia de 87*5863.
Trantcreram, Srs. redactores, em ssa concei-
tuado jornal estas liohas, e o documento junto,
que por Isso maito obrigado Ibes ficarei, e diga o
Sr. Amorim Bezerra o qae quizer, que nao lhe
darei mais reapoata.
Seu aasigoante, etc.
Dr. Jernimo Vilella de Castro Tavares.
Recite, 25 de setembro de 1862.
Illm. Sr.0 Dr. Jernimo Vilella do Castro
Tararea precisa bem de sea direito, qae o es-
envao dos feltos da tazenda nacional certifique
ao p dests se expedto-se mandado de sequestro
contra o capillo Brazilio de Amorim Bezerra, e a
raiao porque, asslm como se effectuou-se essa
sequeitro.
P. a V. S., Illm. Sr. Dr. juiz dos faltos da fa-
zenda, lhe delira.E B. MeDr. Jernimo Vi-
lella de Caatro Ta varea.
Reclfe,23 de setembro de 1862.
Certifique. Reclfe, 23 de setembro de 1862.
Domioguts da Silva.
Jos Poltcarpo de Freilas, escrivao privativo dos
fetos da fazeoda nacional, por S. M. 1. e C, a
quem Deus guardo, tic.
Certifico que revendo os aaloi de que faz men-
;3o o supplieante em sua petizo retro, delle
consta qae a 17 de maio dette correute aono,
requerimento do Dr. procurador fiscal da fazenda
nacional, passou-se mandado paraserem secues-
trados beos do capitao Brazilio de Amorim Be-
zorrs, que cbegtisem para o pagamento da <
Sditaes.
ta de 874S868. alean*- ., .e fije* dever
souraria d* fazed* como director da colon- .ui-
litar. de. Pimenteiras; e qae nlo se effectuoa d lo
I?^:-fer-*T^ra0 4e-'sqeestro por tero dito espitio declarado aos of-
fieltes, eocarregadoa da diligencia, qae aada poa-
suia para dar a sequestro. O referido verdade,
e aos setos me reporto.
C inferida e concertada na forma do estatuto :
aos 24 de setembro de 1862. Fiz escraver e ss-
mgno em f de verdade.O esctlVio, Jos Poli-
carpo de Freitas.
(CMM IFEEM
DO
Banco do Brasil.
A caixa filial desconta letras tom praso ato
juitro mezes a 10 0,0, s do sea proprio aceita
a 9 0(0, toma dinheiro a jaros em sonta corren-
te, oa por letras a 7 0[0 ao aono, e saeta ao par
curtos prasos, sobre o banco do Brasil.
Caixa filial 9 de aetembro do 1862.
Francisco Joo de Barros.
Secretario.
NOVO BANCO
DF
Pernambuco.
O novo banco d Pernoncco paga*> 9. di-
videndo a razo da 12o\por at;a.
l'ruva do Recife.SS de setembro de
18C.
As quatro horas da tarde,
COTAgOES OFFICUES.
Nao houveram colacea.
J. da Cruz Macadopresidente*
John Gatissecretario.
avffauatesa,
Mttdimanta de da 1 a 24. .
'.des da dl 25 <
354:337*516
13.812$853
268:150g369
aovlnseisto ds Ifstsxvesifc.
7elamesenlrados comfazendas.. 116
c cora ganaros.. 258
VelEtnessahidos cem (azendss..
a > core gneros..
== 404
54
133
== 187
Oescarr**,am no dia 26 da aetembro.
Barca ingleza1 mogeaemercadorias.
Barca inglezaHindoodem.
Importa>a.o.
Barca nacional Atrevida, viada do Ass, coo-
8ignsda a Marques Barros & C, mtnifesloo o se-
guate :
1,209 alqueires de sal e 1,800 cocos com cas-
ca ; a ordtm,
Exportaeo
Do dia 21 de setembro de 1862.
Pstacho americano Palmitto, para New-York,
carregararo :
Henry Forslers i C, 2.095 couros salgados
seceos com 58,856 libras.
Barca franceza Raoul, psra o Havre, carre-
gararo :
Tisel freres, 800 couros silgados seceos cora
45.295 libras.
Barca inglezi Rouald, para Liverpool, carre-
garam :
Ferreira & Maiheas, 60 saceos com 295 arro-
bas e 18 libras de algodlo.
Patn Nash & C, 531 saceos com 2,670 arro-
bas de assucar.
Barca portagueza Margarida, para Lisboa, car-
regaram:
Amorim Irmos, 600 saceos com 3,000 arrobas
de assucar.
Palmeira & Baltro, 200 esleirs.
tfteeetsetaorla de rendas Interuaa
sjreraea de Pernansbaea.
Rendimentododia ls 24. 27:620*781
dem da dia 25......j 287^430
27.9085211
<3onsalado provincial.
Randimtnto do dia 1
dem de dia 25
a 24.
36:325*220
1:409,263
37.-73UI483
Moviinento o |>orto
Naviot entrados no dia 25.
Ais 15 dias, biate brasileiro S. Amaro, de 69
toneladas, capillo Mtnoel da S. Santos, equi-
pagem 8, carga sal ; a Antonio Luiz de Olivei-
ra Azevedo & C.
Hamburgo68 dias, brigue hsmburgaez Mathil-
de, de 187 tonelada, capillo A. Boysen, equi-
psgem 9, carga fazenda e oatros seeros a
Prente Vanna & C. '
Mavios sahidos no mesmo dia.
llha de Fernando de Noronha brigae-escuna
nacional de guerra ToncZro, commandante o
Io lenle Montaury.
Rio de Janeirobrigae-escuna nacional de guer-
ra Fidelidade, com mndente o 1'tenente Fran-
cisco Romano Stepple da Silva.
Asi brigw-eseuna naeional Cysne, capillo
J os Monleiro de Almeida; em laatro.
oo honrado Macelo e portos intermediosvapor nacional Jfa-
Mtuoel Rodrigues
man
dos
Sr. Dr. Gooy. Esss miseravel calumnia j tilo
pode prodazir os elle; tos, que talvez deseje o ex- !
director de Pmenteirss, porque felizmente o Sr. New Yorkpstacho "americano Palmillo cenitio
Dr. Godoy estova no Rh) tfasia poca, sabe W. W. Jones; carga assucu e coaroi.
uape, commandante
untos Moura.
0 Dr. Tristio de Alenear Arsripe, offlcial da
imperial ordem da Rosa e jais de direito espa-
cial do commerclo desta cidade do Recite, e
sea termo capital da provincia de Pernambu-
co por S. M. imperial econetitecional o senhor
D. Pedro II, qaa Deus gaarde etc.
Paco saber pelo presente, qoe no dia 6 de
outubro do corrento aono, se hlo de arrematar
por venda a qaem mais der em praca publica
deste julzo, depois da audiencia respectiva os
bens seguintes:
Urna arroacio e seas pertences, avahada em
1005 ; 96 pares de espatos de marroquim, para
senbora, avaliado cada par 320 ris; 26 parea
de sapatos de couro de lustro surtidos, svaliido
cada par a 500 ris; 14 pares de sapatos de
tranca 700 ris o par; 22 paras de aapatos de
tspete, avaliado cada par a 400 ris ; 30 couros
de esbrs, avaliado cada um a 300 ris; 10 pares
de sapatos de Aracaty. a 320 ris o per; 4 parea
de borzeguins, para homens, avaliado cada par
a 1S500 rs.; 70 psres de tamancos, a 240 ris o
par; 2 pelles de marroquim de cores, avaliada
cada urna a 18000; 4 varas de msdapolao de
ferro avaliada cada vara a 160 ris; Ss pelles de
couro, a 500 ris cada urna; t alambique de co-
bre e parto de um outro alambique, avaliadoa em
200JS; 3 caitas de vldro inteiro, avaliada cada
urna a 85000.
Urna loja na ra larga do Rosario n. 22, tendo
dentro da mesma o segainte:
Urna arm-ro com lodos os seas pertences,
avaliada em 500$; 1 carteira de louro, avaliada'
em 5f] 1 laminador, machios e cortadaira, em
bom estsdo, avaliado em 700$; 1,125 pecas de
fin de algodlo, avaliada cada pega a 100 ris,;
60 per.t* de fita de cadaco, avaliada cada paca a
120 rea; 480 pecas de fitas de brane, avaliada
cada pega a 200 rea ; 22 maasos de fita beira
branca, a 240 ris cada masso ; 335 pe-as de
franjas de lia e sed, avaliada cada p*c a 400
ris; 26 caixinhas com seda, a 200 ria cada
ama ; 246 pecas de fita de pregidlo, a 300 ris ;
19 massos de lioha, avaliado cada am a 160
ris; 11 duziss de differentes objectos de miu-
dezas, por 20$; 11 duzias de meias pintada,
avaliada cada auzii a 800 ris ; 48 pe?ss de fita
de sede, avaliada Cada pega a 240 ria; 2 livros
em braoco, avaliado cala um em 58; 300 grosts
de flvellas, a 100 ris ; 60 covados de burraxa,
avaliado cada covado a 1$500 ris; 20 duzias de
lacea para borzeguins, avadado cada durla a 18;
20 duiias de flvellas, a 500 ris a duzia ; 30 co-
vados de merin-setim, avaliado cada covado a
800 ris ; 1 duzla de estovas para sapatos, por
18600 ris ; 16 duzias de meias cruss, avaliada
cada dazla a 18; 90 pares de borzeguins sorti-
dos. avaliado ca la par a 500 re; 50 pares de
1% para menino, a 500 ria; 7 duzias de
, .i tos de la, avaliada cada duzia a 28; 5 meioa
de sola franceza, 15g 12 duzias de sapatos
de tranga francer, avahado cada duta a 68; 12
[landres vatio, a 500 ris ; 400 libras de tachas
de ferro, avaliada cada libra a 240 rit; 70 du-
zias de sapatos de marroquim, avaliada cada
dazia, a 55; 6 duzias de sapatos de lustro psra
senbora, avaliada c&da dua a 88; 280 milhei-
ros de brozas de sapateiro, a 300 ris cada mi
Iheiro; 24 pares de focos, avaliado cada um a
15; 36 pares de borzeguins para senhora, ava-
liado cada par a 28; 46 pares de borzeguins pars
homens, a 33; 28 sapates de vaqueta para ho-
maro, avallado cada par a 28; 19 pares de sapa
toes de lustro, avaliado cada par a 28; 60 pares
de sapatos de barraxa sonidos, avallado cada
par 1 600 ria; 42 pares de sapato, avaliado
cada par a 500 ris; 66 psres de sapatos brancos
Unos avaliado cada par a 600 ris ; 80 grosas de
botoes, a 100 ris; 3 dunas de marroquim de
cores, avalitda cada duzla a 129; 4 pelles de
couro francez de bezerro, avaliada cala urna a
28; 6 duzias de castor, a duzia a 208; 2 estojos
para barba, a 500 ris; 27 pares de borzeguins
para senbora, avaliado cada par a 2$500 rs.; 580
pares de tamancos, a 210 ria; 24 pelles de cou-
ro de lustro em roo estado, avaliada cada urna
a 200 ris; 60 pelles de couro de lustro, a 200
ris ; 39 barriga* de sola a 200 ris ; 220 couros
de cabra, avaliado cada um a 140 ris ; 23 plles
de msrroquim, avaliada cada urna a 18; 26 pel-
le de cabra aparelhads, avaliada cada urna a
350 ria ; 12 pelles de cordavo por 20$ ; meia
libra de lia fina, 20l0 ris : 30 garrafas de vt-
nho de caj, avaliada cada urna a 500 ris; 25
massos de tranca de caracol, a 2(0 ris; 2,000
pares de pao para tamancos, avaliado tada par
a 400 ris ; 63 pares de formas ferrada, avahado
cada par a 2$; 160 roda* ne cera preta, por
S">00 r*. : t par de eocoapiaa grandaa, por 6#
60 parea do formas j usadas, avaliado cada par
a 100 ris ; 6 pares da sapalos de couro de lus-
tro, avaliado cada par a 500 ris ; 1 par de eo-
cospia pequeo, por 38". 2 meios de sola da
Ierra, a 13; 4 pares de bolins, avaliado cada par
a 28; 105 pares de sapatos de marroquim, ava-
liado cada par a 320 ria; 3 paras de sapatos de !
Aracaty, a 500 ris; 12 finos de pospont), por'
38; 300 cortes de tamancos, a 100 ris ; 60 pares
de cortes de tamancos, a 100 ris.
Ums loja de louga na raa larga do Rosario
o. 34, leudo dentro da meama o seguiote :
Armario e aeus perteoces, avahada em 6008 ;
76 bulea pintado-, avahado cada um a 400 ria ;
60 aasucareiros pintados, avaliado cada um a'
240 ris ; 46 mantegueiras, avahada cada urna a
240 ris ; 84 duzias de chicaras e pires pintados
avallada cada duzia a 800 ris ; 28 duziaa de'
pralinhos pintados, avahada ca* duzia a 400
rs.; 24 duzias de tijellas pinttdas e brancas a 900
rs.; 95 canecas brancas e pintadas, svalieda ra 1*
ama a 200 rs.; 26 canecas azues e de cores a 500
rs.; 40 bailes braocot.avalia lo cada um 400 rs. ;
11 assucsreiros a 210 rs. ; 59 molheiras brancas I
de beira azul a 500 rs. ; 46 pnlos com lampa
de beira azul a 500 rs. ; 152 pratos travessos a'
240 rs. ; 19 tarrioas de beira azul, avaliada oda
urna a 18 ; 32 pratos travessos pintados avaliado
cada um a 320 rs. ; 3 terrinas pialadas, avalia-
da cada urna a 18200 rs. ; 18 pratos cobertos a
18 ; 8molheiraa pintada, avahada cada urna a
500 rs. ; 48 comadres brancas a 800 rs. ; 120
duzias de pratos azues avalitda cada duzia a
18280 rs. ; 120 pratos travessos re toados a 200
ra. ; 12 duziaade tijellas azues aviliada cada du-
zia a 1J280 ra. ; 60 pratos de louca azul par*
padim a 320 rs. ; 46 ditos travessoa azues a 400
rs. ; 20 aelladeiras azues avaliada cada urna a
400 rs. ; 48 pratos coberlos azues avahado cada
um a 18 36 trricas azues a 38 ; 150 bulles
azaes avahado cada um a 500 rs. ; 157 cafete-
ras azaes, avaliada cada urna a 18200 rs.; 151
leitairss azuea avahada cada urna a 320 rs. ; 60
assucsreiros szues a 320 rs.: 66 manteigueiras
azaes avallada cada urna a 320 rs. ; 30 molhei-
ras azues a I ; 94 duzias de pratos sioea pe-
queos a 640 rs. ; 44 duzias de pratos de beira
aial a 500 rs. ; 11 ourinous azues com lampa
avaliado cada am a 18200 rs.; 69 duzias de chi-
caras azaes avahada cada duzia a i% ; 140 qaar-
tinhaa hamburguezas, avaliada cada ama a 18 :
154 clices hamburguezes de barro, avaliado cada
um a 500 rs. ; 162 copos htmbargetzes de bar-
ro, 1 200 rs.; 7 Ip duzias de chicaras de por-
celana braoca finas, avaliada cada duzia a 48 ;
1 1i2 duzia de chicaraa de porcellaoa sem pires,
a 25 ; 2 duzias de chicaras de porcellant para
caf, lizas, avaliada cada duzia a 28500 rs ; 8
duzias de chiciras de porcellana grandes r 58 ;
7 bulles de porcellana branca fin, avahado cada
um a 18640 rs. ; 3 assacareiros de porcellana
branca a 640 rs. ; 1 mantelgueira branca fina
avaliada em 640 rs. ; 8 tijellas da porcellana
branca, fina, avaliada cada urna a 500 rs, ; 3
fracteiras de porcellaaa branca, fina, avaliada
cada urna, a 48; 1 terrina de porcellaoa Una
branca pof SfSOO rs. ; 4 manteigueiras douradas
a 18* 24 pratos dourados s 640 rs. ; 1 jarro e"
baca de porcellana fina por 4&500 rs. ; 14 parea
da jarroa de porcellana dourado, avaliado eada
am por 108: 2 paras da salangas de porcellana
doarados a 48 ; 7 paliteiros de conchas dours-
dos, avaliado cada um a 500 rs. ; 16 paliteiros
pintados a 400 rs. ; 19 escsrrsdeiras de vidroj
avaliada cada urna a 18500 rs.; 45 compoteiraa!
de vidro da cores s 500 rs. ; 30 terrinas de louca,:
avahada cada urna a 200 rs. ; 36 pares de com- >
poteiras de vidro finas, a 6f; 28 garrafas de vi- I
dro Qaa, avaliada cada ama a 28; 3 duzias de
callees fines, para champanhe avaliada cada du-
zia a 88 8 daztas de ditos do vidro finos para vi-
nho, avaliada cada dazia a 3$500 rs.; 9 galbe-
teiras, avaliada cada urna a 28 ; 2 mauteigueiras
de vidro a 2j ; 6 Imagens de barro do Porto,
avallada cada ama a 18 ; 150 globos de vidro
psra candieiro, avahado cada am a 600 rs. ; 2
lustres de seis lezss svaiiado esda um a 168; 1
serpentina de cinco luzes por 158 '. 3 paras de
laoternss de zinco avaliado cada par a 5 ; 1
eastjcal de vidro e manga por 28 ; 2 palmatorias
de vidro t- a manga, avaliada cada ama a 38;
7 redomas Je vidro pequeas a 500 rs. ; 1 appa-
relbo de mesa psra meninas por 500 rs.; 108
garrafas de vidro de cores e brancas, avaliada
cada ma 400 11. ; 43 bu Us da todos oa t-
mannos, pratos, a 820 rs.; 20 manteigueiris
assacareiroa do mesmo a 320 rs. ; 10 daziss de
*pJ! a* vldro ordinarios, avaliada cada daxia *
IJJZOO rs. ; 5 caixas para barba a 640 rs. ; 1 ba-
ria de beira azal por 800 rs. ; S vasos verde
para jardim, avaliado cada am a 18 ; 21 duxia
ae eopoi de gommoi ordinarios e enligo gosto a
O rs. 1 7 duzias de ditos lizos, avahada rada
duzla a 500 rs. ; 48 duzias de chimin de vidro
para ecadieiro, avahada cada duzia a 18 ; 36
duzias de chicaraa para psaaarnho, avsliada ca-
da duzia a 500 rs.; 6 duziaa de calicea ptra sor-
vete, avallada cada duzia a 38 ; 5 1i2 duziss de
ditos finos avaliada cada duzia a 38 ; 60 duziaa
de ditos ordinarios a 18 ; 201 manguinhas para
candairo avaliada cada urna a 220 ris ; 136
gar-rafas lizas hamburguezaa a 400 ris ; 32
mangas de lanternas de globos a 2 : 99
mangas de vidro para lanternas, ordinariaa, ava-
hada cada urna a 18; 7 gtlheteiros ordinarios,
avahado cada um a 1$ ; 4 palmatorias de vidro,
avaliada cada urna a 2p ; 1 lustre de 8 lazas de
rnC por 10# dUo ordlnarl usado, por 5$ ;
150 araodetlts de lato, avaliada cada urna a
JOO r*. ; 25 pares de galheias psra mista, doura-
das, a 500 rs. ; 13 duzias de anglicas de vidros
psra casiieaee, avaliada cada dazia a 18 ; 70
colheres de vidro hamburguezas a 100 rs. ; 68
ditas para terrinas, avaliada cada urna a 400 rs. ;
I quartioha hamburgueza por i? ; 1 bada de
rosto, de'louet verle, por 800 rs.
Os quaes Deus sao perteocentes a Francisco
jome Csstellio, e vio prsga por execucio que
contra o mesmo encamioham Prenle Viauua &
C., e na fa.Ude licitante serlo arrematados pe-
lo preco da adjudicagn, com o abatimento rea-
pectivo da le.
E para que chegue a noticia a quem coo-
vier, mandei passar editaes que sero aluzados
nos lugares do costume, e publicados pela im-
prensa.
Dado e passado neata cidade do Recife, capi-
tal desta provincia de Pernambuco, aos 22 de
maio do anno do nascimeoto de Nosso Senhor
Jess Cbristo de 1862, 41 da independencia e do
imperio do Brasil.Eu Manoel de Carvalho Paea
de Andrade, eacrivlo, o subscrevi.
Tristio de Alenear Araripe.
H^mr&vO-: -.
A pessoa a quem lhe faltar ma e?cada de
mo doatrvico daa obra de pedreiro, dirija sea
sao talegada da frenuezi* de Saalo Antonio, que
da.ido os sigoaes da mesma, e reconhecendo-se
ser a queahi se ach depositada, lhe sn en-
tregue.O subdelegado,
M-noel Antonio de Jess Jnior.
Couselko adminislralivo.
O tonselho administrativo, para forneciirento
do arsenal de gusrra, lem de comprar os objec-
tos seguintes:
Para os recrutas do 2* batalhao do Infantera e
4* batalhao de aililharia a p.
31 esteiras de palha.
10 oxadts.
10 ps de ferro.
Para provimento do almoxarifado do arsenal de
guerra.
1,367 pares de sepatoes adoptados pars os cor-
pos de primeira linbi.
6 caixas de peonas d'aro.
2 caivetes.
6 duziaa de lapis de pao.
6 libraa de areia para escripia.
Para o 7* batalhao.
6 caixas de peonas de bqo.
200 peonas de ave.
caivetes.
6 duzias de lapis de pao.
6 libras de areia para escripia.
6 pedral para escripia.
18 lapis para as ditss.
Quem quizer vender taes objectos ipreseute as
suas proposlas em carta fachada na secretaria do
coosolho, s 10 horas da msnha do dia 29 do
correte mez.
Sala das sessoes do conselho administrativo,
para fornecimento do arsenal de guerra, 22 de
setembro de 1862.
Antonio Pedro de S Brrelo,
Coronel presidente.
Francisco Joaquim Pereira Lobo,
Coronel vogal secretario inleriuo.
Pela thesoararia provincial se faz publico
que a arrematico da obra dos reparos da 3a pr-
te da str*da do norte, foi transferida para o dia
25 do corrente.
Secretarla da thesocraria provincial de Parnam-
buco M8 do outiabro do 1864.
O secretario,
A. F. d'Annunciacao.
Pela theaouraria provincial se faz publico,
que a arremitago da obra do calamento d'S
ras do Arago a Rosario da Boa-Vista, al sahir
no patao da Santa Cruz, foi transferida para o dit
16 'le outubro prximo vindouro.
Secretaric da tbetourara provintislde Ternam-
b' o 18 de setembro de 18S2.
O secretario,
A. F. d'Anoubciaco.
Tela admiaistraco do correio dests cidade
se faz publico, para os fins convenientes, que err.
virtude do dispotlo no ari. 138 do regulamento
geral dos correio de 21 de dezembro de 1844, e
art. 9 do decreto n. 785 de 15 Je maio de 1851,
se proceder ao consumo daa cartas ezitt-ote
nesta adminitraca>>, d setembro do anno paa-
sado, no dia 3 de outubro prximo a 11 hora
da miobla na porta o mesmo correio, e a res-
pectiva litis se acha iesde j exposla aos inleres-
sado. Admini'traco do correio de Pernambu-
co, 25 de setembro ae 1862.
O administrador do >orreio,
Domingo dos Passos Miranda.
Pela a lm n stra,;io do correio desta cidade
se faz publico que, emviiiude da convengo pos
tal celebrada pelo governos brasileiro e francez,
sero expedidas mslas para Europa co dia Io de
outubro prximo, de conformidase com o annun-
cto deste correio, publicado no Diario de 9 de
Janeiro do anno pasado. As cartas sero recibi-
das at daas horas ai tes da que for marcada pa-
ra a sabida do vapor, e os jornaes al quatro ho-
ras suts. Adrainutracao do corr-io de Pernam-
uambuco, 25 de setembro de 1862.
O administrador do correio,
Domingos dos Passos Miranda.
Directora das obras militares
Tendo a directora das obras militares de ram'
dar fazr os colicortos precisos no qaartel de
Olinda, convida as peaaoas que deste servico se
queiram encairegar a comparecerem oa ditadi-
rectoria com suas prapostus. nos dias 24, 25 e
26 do corrente, das 10 a 1 hora da tarde.
Orectoria das obras militares de Pernambuco
23 de setembro de 1862.O escripturario,
Joo Monleiro de Andrade Malvinas.
Consulado provincial.
(Pela mesa do consulado provincial se avisa aos
devedores do imposto da decima urbana, de 20
OjO sobre o consumo de guardente.de 4 0,0 so-
bre os eslabelecimentos de fora da eldade, pren-
sas de slgodao, typographiss, cocheira, cavalla-
rices, notis, botequins, casas de pasto, e fa-
bricas, de 12 01O sobre os estsbelecimentos de
commercio em grosso e a retilbo, rmaseos de
recolher, da deposito e os trapiches, de 8 fll)
sobre consultorios mdicos e cirargicos, cartonoa
escriptorios, de 508 sobre easss de modas, bilhar,
chapeoae toupa feita estrsngeira.de 1:000 sobre
casas de operscio bancaria com emissao e privi-
legios, de 3008 sobre companbias anonyross e
gencias, de 200$ aobre casas de esmbio, 10 0(0
sobre s renda dos terrenos oceupadoa com o
planto do espira, de 100$ sobre correctores com-
merciaes, de 508 sobre correctoras de esersvos,
de 500 ris por toaeladaa de alvarenga e etnoaa
empregadas no trafico da carga descarga, e fi-
nalmente o Imposto sobro carros, carroca8 e m-
nibus, qaa no altimode setembro corrente fioaa-
se o prszo marcado para o recebimento dos seas
debilos perteocentes ao anno fioanceiro de 1861
a 1862, fiesodo sujeltos os que nlo pagarem a
serem execatadoa
Mesa do consulado proviocial de Pernambaco
4 da setembro de 1862
O thefe da segunda seceo.
Francisco Ferreira Martina Ribeiro.
COMOTO HUSICiL
EM BENEFICIO DA PIANISTA
Carolioa de Azevedo Carvalho S-
queira Varejao.
SALiO DE SAMA ISABEL
A TI de setembro de 1862,
PB1MEIRA PARTE.
1.* Grande Isa briinafita a 4 maos pe J,
no plano pelo maestro Plerti. "f^unaua
8* Phaotssla eoncernante" de Anna TUUn.
neniad.i o. rabee, pelo Sr. r^o* B
acompsohada pelo maestro Smoltz "c.
.?'h SMD." d'ArU d0 TrOTdo' deG. Verdi exe-
ntado ao trombone pelo Sr. Fe'ippo 9mn R.r
celos acompanhado pela beneficiada no piano
5. Phanlasis com variaces da opera da So
oambuia execatada na cirmela pelo Sr. Kusta"
qalo p. R.bouca acomptnhada pelo maestro
so oiir.
6." PhantasiPrazer de Amor romance de
Marlini por Tuloa execatada na flauta pelo Sr
ba asliano Libanio Tenorio acompanhada rala be"
neficiada. """"
V Variagoes brilhanles aoncerlantesfavori-
ta da cavatina S.miramedes por I. Maizerder exe-
culada na rabeca pelo Sr. Padre Justino scom-
paohada pela benttitiada.
8. Pock misares brilbantLalada de R0
aas por Adriano Talexy executad* no piano nel*
beneficiada. K
SEGUNDA PARTE.
I. Po.k de Saliio a 4 moa compssicao do
maestro looceozo Smollz ezeculada no piano
pelo^mesmo autor e o S\ G. llelmold.
t.' Cavatio* oe Domino ero por Lauro Roen
cantada pela Sr. Jaciniha Pierre scompaohala
no piano palo maestro Pi.rro.
3.a Marcha nocturna de Gollchalk execatada
no piano pelo Sr. Uelmoid.
4." Aria variada pela elarin.ta com acompa-
nhamento de piano por H. Kio. sxantada na
clarioeta pelo Sr. Th.otonio Jote de Sjeza acom-
ptnhada no puno pela b iBelleietJa.
J: Arla de Lombardo a urimeir. Crocitta por
1. Vert cantada pela Sr.' J.Clntha Pierre acom-
pauhads pelo maestro Pierre.
6.' Phantaiia sobre os motivos de Nabecodo-
noaoi a 4 maos por II. Crtmer executaua no
pian. pelo Sr. G. Ilalmold e beneficiad.
7.o VYales com vanac>i de rabeca e acompa-
ntumcnlo de piano omposigo do Sr. Pedro
Justino exec-lsda na raoeca pelo meanio seon;-
pennada no piano pela beneficiada-
n^i0?!""1 de yene-Varia5o bnlbante
Por H. Ilerzexecat.da no piano pela beneficiad*
CASSINO POPULAR
Baile e concert
NO
MAGESTOSO SALAO
no
PALACETE DA RITA DAPRAIA.
Em favor da pessoa relatada nos cartes
pela mesma distribuidos.
Sabbado, 27 do corrate.
O artista beneficiado nao pretenda abasar da
benevolencia do illuatrtdo publico pernambucano
se nlo fone asinttanciss de alguoi amigos e a-
feiroadoi, por isso que ainda esta vez implora a
sua coslumada protec^ao.
O benficiado far quanto for possivsl para qe
o dvertimenlo seja completo ; e compromette-se
desta vez a satisfaier as exigeocai qae lhe furem
feitai dando assim urna prova de sua gralidio e
mais realce e brilhanlismo ao diverUtnento.
Os inlervilloi dai dans ero preenchidoi
com a exeeuco de vaiiac,de de piano, com o
companhtmento de vio o celo ou rabeca, tira-
das das operas BeMriz de Tenda. Turco em Ita-
lia, Trovador, Nurna, Traviata, Eruani e Purita-
nos, transtiguraodo os sons pelo gosto do autor.
O beneficiado espera da briosa eilluttrada cor-
porsqo.... a quem de mento toda a sua valiosa prnteccao.
A boa ordem respeito que s* observa no bai-
le Cassioo e s tina sociedade que o frequenta
acompanhado doa etorcoi do beneficiado, So
garantes para que todos que se dignarem abri-
Ihaotar o divertimeuto deste dia fiquem conten-
tes e s-tuf*ito.- ; o reto c'os cartes echam-te
em poder do beneficiado no hotel Trovador, e :.o
dia do divertimeuto no pavimento terreo do men-
cionado palacete.
Para damas gr-tls, cavalleiro 28.
Ser mantida a boa ordem e observadas as dia-
posicovs do reRulameoto.
Caes de
Grande e extraordinario
baie em beneficio de
um empregado da casa
Sabbsdo 27 do correte, ter |ggar um mag-
nifico baile, em o qual ae repetir", odii a dan-
ta e pegas de raisic, etc., htvias^ua noite tc
20, em beneficio do administrador.
O insigne artista psrnambuctno Sr. Magalhes,
em obsequio ao beneficiado, ex3cular variaa
ansas figuradas.
Entrada para homens } e para as senhorse
gratis; sendo cumprido o regulamento policial.
'.SO* -. -.- lifeOK.
O brigue pertugaez Laia II, capillo Antanlo
Francisco Vidre, a sahir com bravdsda por ter
parte do sea carregamtnto prompto, para carsia
e passageiros trata-se com os conslgn- Itrios F.
S. Rabello 4 Filho, ra da Ct-'eia n. J35.
rara Lisboa
pretenda seguir com muita brevidade a veleira
e bem conbecida barca portugueza Gratiaio,
capillo Antonio Ftrrcira Borges Peataoa, tern
parte.de sea carregsmento prompto: para o ru-
to que lhe falta trata se com os seas consignata-
rios Antonio Luiz de 01ir*ira Azevedo, oo sea
escriptorto raa da Cruz n. 1, oa com o capitao
na praga.
'^'V'
iOMPlNHIA PRRNAfBL'CAM
BB
Navegatjo^costeirA & vapor.
Parahiba, Rio Grande do Norte, Ma-
cau, Aracaty, Ceara' e Acaracu'.
O vipor Jagaarlbe, commandante Lobato,
aahir para oa portos do norte at o da Granja,
no dia 7 de outubro as 5 horas ds tsrdo.
Recebe carga at o dia 6. Encomiendas, pas-
sageiros e dinheiro a frete at as 2 horas do dia
da sabida. Escriptorio no Forte do Mallos nu-
mero 1.
a sabia

j com muita brevidade pretende aegair o boa o-
i nhecido e veleiro briga* escuna Joven Arthar,
l capilla Joaqaim Antonio Gon;alves dos Santos,



MUTILADO


DUliO DI MNM1C>. SEXTA MIIU 26 D| SETEMBRO E IS1:
tara parta de i%y carrsgamento prompto ; para o
reata qa lhe falta, trata-aa com ea stua onaig-
natarios Antonio Luix da Oliveira Azsvedo ti C,
do tea acriptoria ra da Cruz a. 1.
1&&i
m-9
O hiate Santa Ritas segu para o Aracaly do
dia 30 do cortante, pura o resto da carga quo
Iba (alta trata-aa cotu Ta.so Irruios ou com o
capttao Joaquina Antonio da Figaeirelo.
Maranlto e Para
Segae com brandado o valeiro briguo es'una
cGraciosa. capito Antonio Msria da Coita e
Iva, por t*r alguma cra para ambos oa por
ioa : para o resto trstt-se com o consignatario
Antonio de Almelda Gomes, ra da Cruz n. 27
Urna liberna.
Segunda-feira 28 do corrente.
O agente Paatana a raquerimanto da Barroi &
Silva e por deipaiho do 111 ti. Sr. l>r. juiz eipe-
eial d conimercto (*r leilo do. generoa a ar-
maco exiatentes na tabaroa da ra lrgs do
Rosario n.35, em um ou mais lotes : sagunda-
(eira 28 do corrente pelas 10 boraa da manhaa
na mesma taberna.
i*'a?
3
'^rsM)
CQNIP&NHII iRASILEIRA
DS
IPOTSTSS l IJSM1.
At o dia 30 do crrante, 6 esperado dos
portos do sul o Tapor Oyapoek, comnnudan-
te o primtiro lenla Antonio Marcelino Pontea
Ribeiro, o qual depois da demora do cosium
eguirlpan osjporlos do norte*
Dssda j recebem-se paaaagairoa, a engaja-ae
a arga que o vapor pod*r conduzir, a qual deve-
ri aer ambareada no dia d* sua chegada : dinha-
ro a frete a encorumendas iu o dia da sabida as
horas da tarda : agencia ra da Cruz n. 1,
2-.riptorio da Antonio Luiz de Oliveira Azeve-
do & C.
Para Lisboa dte sabir com muili brevirta
d>* o brieu''-ortigue: Margarida, capito Jos
tem prompta maior parte de ea
> recabe o reato afrete: a tratar
Je Amorlm Irmos. raa da Craz
4 quem toca.
No alto da primeira pagina deste
DIARIO se acham as condicues de sua
assignatura, e desnecessario se tornam
contestacoes com os cobradores acerca
de preco; a' vista, pois, dessa previa
advertencia, esperamos que nenlmma
duvida terao os assignantes em pagar
segundo se acha determinado
Boa tiuta p*ra escrever.
Ven Ja-so a 6S0 n. a garrafa : na livraria ns.
6 e8 da pr.ga da Ind"P"nHenei
Lirro dasj Dores
Contendo o officio, modo da resar a corOi, se
tanario da todas as aranaes para deprecar as Do-
res da Maris Sintissima : vende-se a 320 r. na
livraria da praga da Independencia ns. 6 e 8.
Neata grandaa bem ornada fabrica da mschiniamo, a mala antiga no imperio, continua-**
execatir com a maior praateza parfaicao aocommandas J toda aqualidada da machinas saist
no paix, tendo sempre prompto o aguinte :
Grande aortmeoto da moeodaa de caona da todos os .ystema* a tamanhoa.
Machinas da vapor da divsr.ss qualidadas.
Taitas fundidas a batidas.
Crivo. a boceas pira (ornalhas.
Bronzas a Agiutho-ts.
Bodas, rodetaa a rodaa d'agua.
Guindaales flxo e porttil.
Machinas di- ryiindros para padaria.
Serras da .go para serrara.
Patexas par* barcos, te, etc., tudo por pra<;a qua bem comida.
IUJDMSiKEi B J_P_ MIAU
, DA
kmmm mmmi m Mimmt
E JUNTA CENTRAL E HYGIENE PUBLICA
ELECTROMAGNTICAS EPISPASTICAS
Al*
if
& -
io de Janeiro
Pretenda agair com muita brevidide para o
Rio daJmeiro o veieiro e bem coohecido brigue
nacional Almirante, Um parle do seu C.rre-
gament > prumpt >, para o resto que Ibe falta tra-
ta-se com ot seus consigoetirios Antonio Luiz de
Oliveirs Azevedo &C, no seu ascriptorio, ruada
Cruz o. 1
i
G iAI\D!s
Laboratorio a vapor
Roupa layada e engommada
de Ramos A C.
Podem mandar b.car a roupa lavada os donos
dos nmeros seguintes : 57, 187, 88, 186, 78,59,
215, 145,144, 31, 186, 213, 31, 67. 40. 27, 83.
225, 221. 212.79, 230, 216, 204, 128, 38, 124,
231, 7:1, 36, 221, 2, llil, 4, 58. 97.___________
4' classe do commercio.
Curso de
.IRA
*
> '
nQWPAMH
mnjiv .
ipera-se dos portos do no o dia 2 do
-o o vapor Cruzeiro do Si mandante
de mar e guerra Gerv aocebo, o
>is da demora do costurae seguir para
i do sul.
j recebem-se passageiros e engaja-se
que o v ipor poder conduzir a qual deve-
nbarcada no -lia da sua negada, au-
las e dinheiro a fret* at o dia da sahi-
as: agencia ra da Cruz n. 1 e.-
Vntooio Laiz de Oliveira Azev*-lo
lingua franceza
uoite.
Sortimento completo de sobrecasacos de panno a 259, 289, 309 a 359, casacas muito bem
feitas a 259, 289, 309, a 339, paletou acasacados de panno preto de 16 at 25 j, ditos de casem'tra
de cor a 159 18* e 209, paletois saceos de panno e casemira de 89 at 149, ditos saceos de alpaca,
merino el de 49 at 69, sobre de alpaca e merino de 79 at 109, caigas pretas de casemira de
89 at 149, ditas de cor de 79 at 109, roupas para menino da todos os taannos, grande sorti-
mento de roupas de brins como sejara caigas, paletots e colletes, sortimento de colletes pretos de
metim, casemira e velludo de 49 a 99, ditos para casamento a 59 e 69, paletots brancos de bra-
mante a 49 e 59, caigas brancas muito finas a 59, e um grande sortimento de fazendas finase mo-
dernas, completo sortimento de casimiras inglezas para hornera, menino e senhora, seroulas de
ilnho e algodo, chapeos de sol de seda, luvas de seda de Jouvin para horaem e senhora. Te-
mos urna grande fabrica de alfaiate onde recebemos encomraendas de grandes obras, que para
uso est sendo administrada por um hal.il mestre de semelhante arte e um pessoal de mais de
Para serem applicadas s partes afectadas
sem resguardo nem incommodo
Muito conhecidas nasta curta e em todas as incontestaval, as innmeras curas complatme
provincias deste imperio palos seus infalliveis re- j obtidas as diversas molestias em que for'sa
sultados am todos os casos de inflammacao sajam applicadas, o fazera me-ecer e conservar a
externas ou internas ( com cansaco e falta de \ confianza do Ilustrado publico, que jl tve "a
respiracao ) como do estomago, figado, bago, \ honra de merecer delle 25 annos de existencia z
bofes, rins, utaro, peito, palpitago de coragao, de pratica.
garganta, olhos, erysipelas, rheumatismos, para-
lysia e todas as effecgoes nervosas, ele; etc.
Igualmente para quiesquer inchagoas, fari-
das, tumores intestinaese venreos, escrophulas,
N. B. Neita corte e de lod. s os pontos desta
imporio recehem-se participagss satisfaciorias a
respailo das ditas Chapas Medicinaes.
As encimraendas das provincias deven sar
lobinhos, papos, etc., etc, sejam qual for o seu dirigidas por e.'cripto, com todo o cuidado de
tamanho e profundeza, por meio da suppuragao fazer as necessariasexplicagoes, se as chapas sao
serio radicalmente extirpados. para homem, senhora, menino, ou criaoga
( Estas Chapas nao podem fazer mal de declarando a molestia e cm que parta do corno
cincoenta obreiros escolhidos, portanto executamos qualquer obra com promptidoe mais barata forma alguma, ellas tem sido applicadas aos existe.
pe que em outra qualquer casa.
iihar, Miliar. Miliar.
rSffilAIBOGUU
DS

cosiein a vapoi
ui direitura.
pe, iVmrniodante ftloura,
i do sul ao a 25 do corrente
d. larda.
at o du 2i ao meio dia. En-
.una
o a k-or
iraa
paasa^tiiroa a
ida s i horas
Jos Soares d'Azevedo, professor de
lingua e littcratura nacional no Gym-
nasio do Recife, tem abetto um curso
pralico-theorico de lingua franceza pelo
novo systema de Ollendorfi", para a
classe do commercio que nao pode fre
quentar este estudo de dia. As pessoas
que desejarem allar e escrever esta lin-
gua, podem dirigirse a' residencia do
annunciante, ra de Rita Santa Nova
l) se 4$ a quem ti ver e quizer
ceev lira fiasco do pcitoral de Pene-
do : nesta typographia.
Ra larga do Rosario n. 44, l. andar.
O proprietario do hotel Trovador, nao poupando esforcos e sacrificios pa-
ra bem servir os seus amigos e freguezes, acaba de reformar o seu estabelcci-
raento e installar no mesmo m.is um rico billiar de mogno de sua propria en-
commenda, fabricado em Pars cora todo o esmero e perfeieao por um dos mais
habis artistas nesse genero, em o qual os amadores deste passatempo, encontra-
rao urna distraccao tao necessaria ao espirito e ao mesmo passo tao innecente.
No mesmo se encontrarao quartos preparados para as pessoas que quizerem per-
noitar.
O proprietario espera a' concurrencia de seus amigos e freguezes, scienti-
licando-lhes to somenteque serao servidos com todo o asseio e promptidao, a'
par da modicidade nos precos.
olhos com o melhor successo, vejam-seos attesta- Para inchagoes, feiHas, lobinhos, papos etc.;
dos de curas completas que j foram publicados o molde justo de seu tamanho em um pedago da
pelos jornaes. ) papel a declaragao onde existe, afira de que a
O uso deltas acconselhado e receitadas por chapa seja da forma habis e distiRctos facultativos, sua efficacia ser bem applicada no seu lugar.
Po<)e-se uiaijiiar vir d>- qualquer ponto do imperio do Br^sii.
As chapas sero acompanhadas das suas com
ptenles explicagoes, a tamben de todos os ac-
cesserios necessarios para suas applicagoes.
Consultas as pessoas que se dignarera hnra-
lo com a sua confianga, torios os dias sem ex-
capgo. das 9 horas da manha s 2 da tarde.
-'-1*1^- V
%*%

Sabbado
extrahira'
ra lotera r
Misericord
de N. S.d
Os bilht
a venn.on
linhairo a (rete at
eriptorio no Forte

iv<*i' t >r-) DCdits brovidaria o veteiri
. i aotonio Jos da Silva Rosa, tem par
irrogamento prompto : para o resto q**
!h filfa, trila-i* *om os aeas lonsi^natoros An-
-jjIo Lu: d O^aira Ajftvei1o & C. no tea ea-
ri;.ioriii, r <' CrU7 d. 1.
ptt
da
wm&
Preteoda teguir com muita brevidade o veleiro
< bem fonhoclflo bHiae nacional Damoo, capi-
lao Jos Mmoel Vieira, o qual tem parte de sen
carroguaento prompto: par o reslo que lhe fal-
ta, trata-ie coro or seus consignatarios Antonio
Luii d Oliveira Azeedo & C, no aeu ascriptorio
ra da Cruz n. 1.
abro prximo se
parte da prime-
io da Santa Casa da
onsistorio da igreja
de Santo Antonio,
ios bilhetes acham-se
^a thesourara ra
do Crespo n. 15, e na" casas coinmis-
nonadas ra da Imperatriz i"ija de fer-
ragens n. 4i do Sr. Pimentel, pisa-
da Independencia n. 22 loja do Sr. San-
tos Vieira, ra Direita n. 5 botica do
Sr. Chagas, e na ra da Cadeiado Re-
cife loja n. 45 do Sr. Porto.
As sortes de 5:000$ at 10$ serao
pagas urna hora depois da extraccao,
e as outr9S.no dia immediato depois da
distribuidlo das listas.
Servndo de thesoureiro,
Jos Rodrigues de Souza.
As prs.oas que sao constrangidas a aceitar car-
ios para asaistirem roultiplicidada de bailes
pblicos em beneficio, q*> or* ae do nesla ci-
dade, nao sao da (:ma sUuma obrlftadas a pa-
gar ditos cartes qundo delxem de ir aos bailes
a que elUs se referem. lato affianga
O baileiro-rtr.
m&w>
ROUPA FE1T
Para as encommendas ou informages dirijam-se a pharaiaca de Jos A
ra do Queiraado n. 15.
DE
Ama
de
leit
Aluga-se uma extellenlo ama de leite ; na rus
ios Pires n. 51.

Consult por 'mtes osijfen.- -
Em consequencia da mu langa para a sua nova residencia, o proprietario deste estabeleci-
mento acaba d* faz^r uma reforma completa era talos os seus medicamentos.
O desejo que tem de que os remedios do seu estabelecimenta nao se confundara com os da
nenhum outro, visto o grande crlito doquo sempre gozararae gozam ; o proprietario tem tomado
a precaugo da inscrever o seu nomeem todos os rtulos, devendo ser considerados como falsificados
todos aquelles que forem apresen lados sera esta marca, e quando a pessoa qua os mandar comprar
queira ter maior certeza acompanhar urna coma assignada pelo Dr. Lobo Moscozo e em papel
marcado cora o seu nome.
Outro sim : acaba de re-eber de Franga grande p.rgo de tinctura de acnito e belladona, re-
medios estes de summa importancia, e cujas propriedades sao to conhecidas que os mesmos Srs.
mdicos allopathas empregara-as conJtanlementj,
Os medicamentos avulsos qur em tubos qur em tincturas custarao al) o vidro.
O proprietario deste estabelectnunto annuicia a seus dintese a nigos que temeommodos
sufficente> para rec-ber alguus escravos de um e oul'O sexo doenles eu que preci-em de alguma
operago, afliancanlo que sero tratados com todo o desveto e promptidao, como sabera todos aquel-
les que j tem tido escravos na casa do annunciante.
A situago magnifica da casa, a cornmodidade dos banhos salgados sao oulras tantas vanta-
gens para o promplo re-tabelecimento dos doentes.
A? pessoas que quizerem fallar com o annuuciante devera procura-lo de manha at as 11 ho-
*as e de ''de das 5 era dianle, e fra destas horas acharoem casa pessoa com quem se podero en-
'"' na ra da Gloria n 3 ca^a do fundo do Dr. Lobo Moscozo.
14e*cram
O gante Aira ida far leilo a raquerimento
do9 depositarios da massa fallida do fallacido
Joo Jos da Goaveia, aman lado do Illm. Sr.
Dr. juiz especial do commercios de quaforxe es-
cravo de bonitas Cgursa pertensenlea a mesma
massa
Sabbado, 27 do corrente,
aa rua do Queimado, taja n. 27, gil horas do
IU.\.VSCI?2K\TO
nAS
ARTES

RIAU
Uma loja de miu-
dezas
DE
PARS
Entalhador
11RUA DAS CRUZESN. 11.
Tendo observado que em muitos saloes desta
cidade falla-lhes um dos primeiros ornamentos,
' como seja:
: Guarnigao das jmilas
\ (para uso dos cortinados) geralmente adoptado
'na Europa, e hoje bem conhecida no Rio de Ja-
neiro, e que talvezpor falta de quem se encarre-
gue desse trabalho, seja a principal causa pela
qual anda se nao tenha tambem aqui desenvol-
vido estegoslo
Na rua Nova n. 47, junio a Hondeo dos Hitares.
Naate gtan 'o armazeni da roupsa fi(js ha tu -o anto teodeots a roaps feitas, ludo por
pracos nnaito modifieados como de sea coatwme: sobrecaaacaa e casacaa de panno fino a 23*,
S83D .< 35S, paletots a 1%, 89. 99, 10, 12) e 14. ditos aobre de 163a lb, nos de alpaca de conlao a 8j>, ditos de
marin ae cordo d 12$ a 14, caigas de eaaemira r.o -r e pretas a 5, 6?, 7g. 8; 9 e 10J, tol
gbtaa oas mesniaafazenaas a :i500, i e 5, ditos de bnm d cor p brancos a 2, 2500 e 3, cal-
cas de brim branco de 4 a 5, ditas de brtn de :or a 29500, 3. 350) e 4g, dilas de merino de
ordao a 4g, 5J e a S, paletots aaccos de alpaca pelo di 3J50U a 4. ditos de brim de cor e
sianco a 2j500. 3, 4 e 5, ditoa de alpaca braDco a 6S. "litoa 'le palha de seia a 8g, camisas o
ceroulas de limo e da bramante, chapeos de todas as quMtdale, roupi de tolas as qualidade*
para meniuo, asairu como t*mos um rnde sortimento de (?zsnd? escolhi Jas d* todas as qiali-
dades tanto le p*nno como de casemira e brins para manannos apro uptar qualquer enconi
meoda qne no for incarablda, o iue para ale rlm temos ma grande oficina de alfiUte com ceti
operarios dirigida porum mestre Iraoctz o Sr.Culos Lau-eot. t'-s con'.ra mestre oirigidopelo mes-
mo. cada um oestes cum sua espe:lalide, dous cortando caiga, ulu cortando COllete, o Sr. Lsn-
rent cortando obras irraodes de tolas as qualidades.
Eata grande officina pala sua perfeicS) e promp'idao nada deixa a dasejar.
RUA
DC
IWErUDOR
55.
RUA
DO
IMPERADOR
55.
D*
.). VIGNES
Os pianos desta antiga fabrica sao hoje assaz conhecidos, para que seja necassario insistir
sobre a sua superioridade, vantagens e garantas que offerecam aos compradores, qualidades estas
incontestaveis que elles tem definitivamente conquistado sobre todos os que tem apparecido n esta
Convida, pois, aos senhores que se quizerem praga ; possuindo um teclado e machinismo que obedecem todas as vontades e caprichos dos
ulilisar de seu prest mo, a virem a sua
officina pianistas, sem nunca falhar por serem fabricados de proposito e ter-se feito ltimamente melho-
I para verem os MODELLOS e as diversas com- ramentos importantissimos par o clima deste paii; quanto as vozes sao melodiosas e flautadas, e
' posiges concernentes *JrabJ, fim. por isto muito agradaveis aos ouvidos dos apreciadores.
Igualmente fe eru9j3 ga de fazer-____ Fazem-se conforme as encommendas, tanto nesta fabrica como na do Sr. Blondel de Pars,
Terca-feira 30 do corrate.
J^*!&%^A!!$$ QUADROS PARA RKl-tiTOS DE FAMILIA socio Correspondente de I. Vigne,, em cuja capital foram semprejremi.dos em todas expo-
Dias de Castro, f.i leilo da armacio. miude- com molduras, qur mJIm, ou com entalha. sicoes.
zas e existentes na loja cita na rua do Cabagi n. Assim como recebe SANTUARIOS e trastes re- No mesmo estabelecimento se acha sempre um esplendido e variado sortimento de msicas
2 B, em um ou^maia lotis: terca-feirajJOjlo ihosdo antigo gosto para os consertar e dar-lheso 0% melhores compositores da Europa, assim como b'jrmonios pianos hamonicos, unto tudo
co
loj
O cursi. il da massa fallida
deGuilher"- 'ho&C-, Fran-
cbeo Leopoldno e uu.ao Lobo, pre-
cisa entenderse cora os sen'maes abaixo
mencionados, e pira este ii.n pc^sor
procurado em casa de sua residencia, l
ruado Cubuga' n. Gl :
Komao Antonio da Silva Alcntara.
Antonio Borges Galvo Ucha.
Pedro Jos de Mello Costa.
lose Martins Nogueira de Mello.
Joao Victorino das Nev.
Jos Luiz de Squeira Cavalcanti.
Jos Mara Ribeiro.
Bctito da Silva Ramos.
Manoel Pires Campello Jacome da Gama.
Jos Lim de Siqueira Cavalcanti.
Antonio Francisco Martins de Miranda.
Rento da Silva Rosas.
Jos Victorino de Paiva.
Joaquim Francisco de Alem.
Joao Francisco Ramos de Oliveira.
Jeronymo Joaquim Fiuza de Oliveira.
Lopes & Irmao.
Joao Pinto da Costa.
Antonio Fernandes Ramos de Oliveira.
Francisco Ferreira de Andrade.
Joao Duarte Ma(jinario.
Joaquim Jos Ferreira.
Francisco Jos de Almeida.
Auguito Fischer.
Guilherme Carlos Monteiro.
Jos Joaquim de Miranda.
Jorge Wubilt.___________________
J. Hunder avi*a a seas fregueies qae ma-
dou-se da rua Nova para a raa da Cruz n. 59,
primeiro andar, onde lhes offer6ce os asas ser-
vidos ; efai acienle, qae na occasio da mu lan-
ga perdeu tres letras na importaotia de ra. 47"j>,
sendo uma de rs. 255 afeita por Fraocisto Bran-
da. Cavalcanti de Albuqueraae, venda em 12
de marco passado ; outra d rs. 134| aceita por
Elias Ploseg ti.ibem veecida ; e outra re rs.
98g aceita por Maximiano Frao-isco r*ixot. Da
arte, e mais am docamanto de rs. 82$ aasignado
por Garlos Jusiiniano Rodrigaea : pe de a quem
achou ditas lelraa e Jocaff.ento, que os entregue
ao meamo, na rua da Crui n. 59, qo* gratificar !
Has s6 podem servir para o aaccador, visto que
os aceltsotea nao pagrao a oatra pessoa por j
estarem prevenidos. ________^^^^
Proci sao da Virgem Santis-
&ima da, na sua ca ella de Santa
Craz.
% O baixi asaignado. hsvendo de aprosentar no
doi.. >^;-'guinte, pelia 4 hor.*s da larde, a pro-
j eiio o 'ora das Dores, oni tt.'osito celas
Maa do Yarauuu.r^ n. Bnto. RibPra,.M.'*dias
Ferreira, pteo da mat'it )e f. p. ,1ro Mirtyr,
l'asso Cailelhano, e dahi racolhar-se : lemhra ao
rrioradore das sobredil ras que manden) or-
nar as frentes de suaa habiuco-s para um fira
tao juilo.Confgo,
Joao Ch'isosMii.o de Paif Torres.
as e existentes na loja cus na rua ao t,aDu?a n. Assim como receDe a i uAtiiua e irasie o- o mesmo estabelecimento se acha sempre um esplendido e variad
B. em um ou mala lol-s: terca-feira 30 do |hos do antigo gosto para os consertar e dar-lhes o fos melhores compositores da Europa, assim como b'jrmonios pianos
orrenta, pela. 10 hora, da manhaa, na mesma, MOM MODERKO. I vendido pof presos muito moaveu.
Egeiiho venda
por preco com modo.
Na Ribeira da Agua-Branca ha um engenho
para ae vender com os predios seguiolos : o en-
genho todo novo, muit) boas majeiras, boa
ferragem, bons vasos, boa casa de purgar com
um tanque muito bom, tres iludes dous de gas-
to e um de beber, boas casas para lavradores,
boa casa de morada com um quarlo de venda e
armago, ras de negros, duas estribarla, muito
b'.as, casa de szer farinha com bons aviaman-
tos, uma prensa de la maito boa e crrante,
urna testiUg'o com fundo de cobre, um tanque
para deposito de mel na dita destilarlo, deiesei
snimaea de roda muito bons, o engenho tem\du-
zentas e dore braras de larra, cem quatro cenia
e quioze de fundo, ci ha embara<;> algi^n no
dilo engenho, veode-se por preco de dote coo-
tos ii j ris : a pessoa que qnizar comprar diri-
ja-te ao lugar denominado Ribeira da Agua-
Branca de Morojo, comarca de Nuaareth da Mat-
la, em casa do mesmo aenhor do engenho.
No largo da Assembla n.lS, casa de pasto,
precisa-se de um negro para conduzir comidas
para casas particulare.______________________
__ Precia-se de uma criada para o servigo de
uma casa de um pequea familia, e que saiba
oaer; bem como de uma pessoa para trabalbar
em sitio : na rua do Amorim n. 54, das 9 1/2 s
4 horas, ou na estrada de Joiir "aires, daa 6
al s 8 da manbaa, sino ale C
aforado.
Antonio Soare, Francisco Pauto da Silva,
Jqulm ongilve e Manoel Joaquim Quinto,
aubdito. porUgu'-e, ietiram-53 para o Rio de
Janeiro.
r
O abaixo .asignado, r
ga, antigsmeote com
praga da Independe'
hoje com o mesmo
Imperatriz, outr'c
do bscco dos r
namero.o. freg'
gocianlss do r n
aorti.io para ,-*
muito bar.t M c
ganharpov
MELHOR EXEMPLR ENCONTRADO I MUTILADO ILEGVEL



1U11Q 11 flUUfcAOCO. SEXTA FEiiU 26 DI 8HEM1RO 1 x*6i.
Padaria e
eonfeitaria.
*edl& ?e du i. .5! ..^* ,P *ml"d0 Del "y d" POt>nlon.lde 1861.com urna
SnmS^SSh^l^ frfa,">* 6" g.l.qe MI eat.bsleclmanto na ru. da Seozala
de od.-iobalnTnruA. t. l?' pMpm bde'Ja "ot gesto, receba encommeoda.
*.t3u:i 5sasfi&rafi!i2s. HKaSri^KMi pe!"
I'o coirirutc.
r
crloolo.
a Provenca.
de familia.
Bolachas econmica!.
> commtim.
fina com letreito.
Bciechinhee da ararate.
ailiadoa.
B regalas.
0 coraeoes.
> Garibalde.
cariocas.
B satrellas.
sodas.
dable.
> la liar.
' partculas.
ii,aconto doce.
Liacouucho.
> de Hamburgo.
Belachioi] ai inglezaa.
a de a,te.
s para fusca.
Luco ato agoado.
B palitoa.
canr'>a d araruta.
Latas com bolacbiuhi da araruta.
> > b.iscoutos Ggleies.
r-olachinh as fraocezas.
meopethia.
> espadar.
> finas para che.
Eoloa da arcor.
Boloa suistos.
o Valvas.
cbioezet.
t c.'.-adinfco:
> d t reina.
; gemas.
espiciooef.
tlleniaes.
> msssapas.
castmbot.
afoguisdos.
> eesttnhts de amsndoas.
de erra-doce.
> alasquios.
sss.
o pao-de-lo torrado.
> aneir.
trochas.
a pingos de tochas.
> locos de coco.
: aranosa da coco
> cocada d'ovos.
chocolate.
s> palitoa.
> emendte.
6 qualtdades de paatilhaa.
Vmho de caj.
10 qvalidadea de docea seceos.
10 de calda.
4 > de gela.
Immanos docea etlrangeiros.
; Assucar cead e refinado de todas vi {validades.
, Figuras da assucir.
. Xaropa c tepile de todas as truetts.
AG.CIC,Ii\
fia
Fundico Low-Moor,
Bus* da Sennzalla Nova n.4*.
Neste sstabelas manto continua a havaru*
eoupleto sortimento da mosudas a meias moen-
das para engenho, machinas da vapor a taiai
da farro batido a toado da todos o i amaneo
para dito.
ARMAZEM
Quem pretender comprar non terreno na ra
Imperial com 60 palmos de (rente e 1,000 de fun-
dos, cuja frente deila para o nascenle, dirija-ss
a ra ds Cilcada o. 12.
Preciaa-sa de um caixetro que tenha prati-
ca de taberna ; no Campo Varde n. 52.
atvogado, abaixo assigoado, Ul publico
que madou sua residencia para o lugar de Ditas
Barras, termo de Serinbem, um qaarlo de legoa
d'stente da estaco de Gameleira, onda se achara
todos os diaa atis i hora da shegada do trem,
que parte da capital, para aaaim facilitar audien-
cia a qaem o procurar, que as sesiss-feiras se
achara oa villa do Gibo para comparecer i au-
diencia do Br. juiz municipal, eque se encarrega
de quseaquer queildea crimes, civei., ou eom-
mercises era qualquer dos foros do Cabo, Ipoju-
cs, Escsds, Serinhem, Rio Formoso, Bsrreiros,
e Agus-Prett*
Pedro Gaudisoode Ralis Silva.
Preciaa-se alugar urna ama forra ou e.era-
va que tenha boa conducta* saja fiel, que aaiba
engommar coilohar para casa de familia : na
ra do Queirnado n. 44 primeiro andar.
Precisj-se de um caixeiio portugetz de
idade 12 a 14 annos : na taberna do pateo do
Te-yo p. 21. __________
Procisa-eede urna ama deleite: a tratar
ca ra da Aurora o. 80 segando andar.
Mudanca.
O solicitador Joa Coelho da Silva Arsaje
nwdou aua residencia para a ra do Livraateoto
o. 21 segundo andar.
Na ra do Quelmado n. 12, primeiro andar,
precisa-te de urna ama deleite sen filho, pega-
aa beno agradando.
Ftantisao Jorga da Silva Paranho, dentista
om asea gabinete na ra larga do Rosario n. 9,
teni a honra da selenliflear ao respeitavel publi-
co desti eldade, que receben ltimamente de
Partieda America do Norta um variado aorti-
menta da objectos da
rudos
com os naturaes, sao superiores sos que ordi-
nariamente tsm vindo a eala cldade, razie por-
que presentemente sao elles os mals adoptados
pelos melhores dentistas da Paria a da America
do Norte. O annuncianta tem tambem um gran-
de sonimanio da massaa linas de diversas cores
para enchar os denles csriados, ss quses tem a
proprledade de adherir a cavidsde e de solifl-
**** modo a poder logo exercar a msatigs-
sao, dissipam lnteiramenta as dores ainda naa
maia sensiveis propriedades que nao tem a da-
mantina de que ordinariamente se fax uso, a qaal
m tez da dissipar motiva as dores por causa
d agua ocidolada da sulphurico. Quem quixer
aaus dentaa csrisdoa, chaioa da ditaa massas t
recorrendo ao acnunciante porque ella o ni-
co qua presentmoste tsm nesla cidade ditaa
massss recentemente chegsdss da America do
Norte e de Paria. A' viata das circumstantiaa
critcaselo tempo tem o annunciante resolvido s
modificar os pregot e de seas trsbalbos aflm de
ebegar para todos. 0 mesmo coilota denlea so-
bra basada ouro, platina etc., sem extracQo de
raxes pels presso, a pivot ou a pitto, desras-
eort de crochet, como melhor exigir o estado da
ca. Para a coneervacao doa dentea em esta-
Aeneo.
Sitio,
Aluga-ae am aitio do lear da Magdalena, prin
do de jaape tem 0_MMaa7\\cen"li'pOa"ds I '! |,A,.!r"!,_".a do ?-". Crra Cli Pfdra e
China verdadelro preservativo untco e magnifico
tm Fraocez
23Largo do Terco23
O prj rietario deste novo armazem, Aenda os gneros por manos do que em outra quoquei
patta, afiacjando se a boa qualidade de qualquer genero comprado neste armazem.
Mantaiga ingleza da primeira qualidade a 720 e 800 rs. a libra, e em parjo a 700. rs.
dem fracceza da safra nova a 600 rs, a libra e em meios barris, a 560 rs. a libra.
"Queijos Camengos chegados ltimamente a 2J, do vapor passsdo a 19800.
Caf de primeira asegunda sorte a 260, 280 a 300rs. a libra, a am arroba a 89 a 9;
Servejas das melhores marcas a 480 rs. a garrafa, e a duzia a 59000.
Vinho engarrafado do Porto a 1900O a 1|200 a garrafa, e a duzia a 99t)00.
Dito ero pipa das melhores marcas a 480, 560 a 640 rs. a garrafa.
Massas, para sopa a 320 rs. a libra, e em caixa de urna arroba, por 69000.
\zite doce de Lisboa a 720 a garrafa e de carrapato a 360 rs. a garrafa.
Sardinhas de Nantes muito novas a 380 rs. e em porgao ss faz abatimento.
Alm dos gneros annunciados, encontraro sortimento completo a mais
xe outra qualquer parta, por \irem a maior parte delles por conta propria.
barato do qua
abri um curso diario ds francs, e tambem Uc-
tiona ca. caas particulares: trata-te na ra da
Senzala-Nova o. 17.
Companhi* Filelidtde de ie
guro* uictritiiiios e terrei-
tres, estabelecida no Rio de
Janeiro com o capital rte
16:000:0004.
Agentes em Pernambuco
Antonio Luis da Olivuira AztTade di C. ompa-
tectemeiite astorisados pela directora da compa-
nhla de seguros Fidelidad*, tornan: aeguros d na-
vios, mercadorias predios, no s*u ascriptorie,
ra da Croan. 1.
Alnfc-e urna sala com um quarto, frente
para a rus, com um aolao, tendo roziohs.sala de
jantar, 2 quartoae janellaa para duas ras, pre-
feriodo-sehomem solteiro : quem precisar diri-
ja-te a ra do Amorim n. 33, aegundo andar,
dat 9 s 2 horas do dia.
dentriflcio para conaervar a bocea dar-lbe um
hlito sublime, tornando oa denles pelo seu uso
qnotidiano isentos da cama que vulgarmente
chamam pedra, da frouxido dos netvos alveo-
lanos a de outros muitos inconvenientes que s
falta de taea preservativos occasiona tando por
orlgem a negligencia qae tommemtnta ha qua-
ai em todo o publico, acontecendo assim per-
dsr-se o especial ornato da bocea ; o annuncian-
te tjem disto fax todas ss operroes de sua pro-
fltsao com tods a promptidao postivel e deiies-
dexa. A entrada e confronte a caaa dspherme-
ia do Sr. Bartholomeu.
Baltar & Olivtira tacare
Porto.
duas grandes baixas de capim para invern a
verao, e grande quantidade le arvoredot da fruc-
los: a tratar no Campo-Verde, ra do Palacio
do Bitpu n. 20, aobr.do:
Aliga-se o armezam da ma do Visarlo o.
i ; a tratar no largo do Curco Santo o. 6, se-
gundo andar.
mmm:
Dentista de Pars.
19Ru*No\a-19.
aobra a p-n ;i <.
m
i
m
&
9
AUgam-se mei-aguas da ra do Camarao
na ra da lmperatrix o. 60. loja do pavas.
Ama.
Precisa -se de urna ama forra psra pouca familia e que fa^a todo o servico lar-
go do Collegio, n. 37, prximo ao becco d
gregago.
la.-j
Mudaua.
Albert Aschoff, relojoeiro, c ulou o seu esta-
bslacimento da raa da Cruz n. 11 para o Csmlnho
Novo n. 64. O mesmo pede aos seus frageles,
que ainda deixtram relogios para concertar, ds
mandar busca-Ios no rrsso de 15 dias, do con-
trario sio veD.iios para pagamento de sea tra-
balso.
Atten$o
Oueimado40
Defroute do becco da Gongregico letreiro Yerie.
Reste estabeleciments ha aempra um sortimento completo ds rosna iata da
as aa quaUdadca t tambem ss manda exesetar psr medida i ronttds des frecia-
A pessoa que aonunciou para comprar urna ta-
berna com poicos fundos, diiija-se ao pateo do
largo n. 1, que se faz todo o negocio a contento
do comprador.
Anda eat para eeder-se o eogeoho Cara
mur alte na comarca do Cabo : a tratar na ra
da Tremps o. 1, casa da Exma. Marquesa do Re
ciff.
HuitaaUencio.
Arrenda-se o aogenho Santo Amari-
nho so na fregoezia da Varzea, a ama
J. legua, moente d'agua com boaa maltas
;?3 Praia casa n. 53, terceiro andar. A pro-
^ prielaria e maia herdeiros protettam
w contro todos qualquer damoo que a ex-
&} randeira fuer de consentir, slo nao
q ter arrendado dito engeobo de novo e
~ por conseguinte nao poder criar nova
V safra. Recite 10 de setembro de 1862. j3
No collegio das orphas de Nossa
Senhora da Esperanca pode azer-se
qualquer trabalho d agulha, como
costuras e bordados de todas as qualtda-
des e por precos muito acommodados.
As pessoas que se quizerem aproveitar
deste olerecimenlo tenham a bondade
de entender se com a directora do dito
collegio na ra da Aurora.
f baques sobre Portugal, f
f O abaixo assignads agenta do Banco S
Mercantil Pertnecss netta ddado, taca J
| effectivament por todos os paquetes to- S
s-'S o mesmo Banco para o Porto e Lia- M
B boa, por qaalquar somma avista a a prs- *c
9 xo, podando logo os aaques a praxo ssrtm
|| dsseoctadoa no racamo Banco, na razao
8*5 de 4 por cento so anno aos portadores
qss assim lhe convier : nss ras do Cras-
. po n. 8 os do Imperador n. 51.
Joaqun, da Silva Caatr.
FrsdsricoGautisr,cirurgio dentista
fax todas as operajoa desua arte a e co-
loca dentsa artificiaos, ludo com -sdsln
j rioridade s psrfaijao qua as pessoai-,en
tendidas lhe reconhecem.
Tsm agua a pos dsntificios, ste.
Sa, ma do Rangel n. 38
dar, tinge-se de todas
prego razoavel.
Chicotes
Ouem achou um chicote do Rio Grande ppa-
relhado de prata, q.e se perdeu na eitrada dos
aillictos, na t-rdeda 21 do correnle, quereno
entrega-lo i seu dono ser gratificado, se o exi-
gir, alem de Ibe icar muito obrigtdo.
primeiro an-
as cores com presteza e
Com 22 annos de grande pralica de me;tre de
atsentsmento de apurar o ataecar de cenfs pelo
tnelhor svsteza adoptado as Anlilhaa, e tsm-
nem menre do mismo assucar, como de ums a
outra coasa consta pelos llims. Srs. de engenhes
a quom tem tido a honra de trabslhar alanoei
Joaquim A. de Olivetre, assim offrece o vretti-
mo de teu trabalho, fructo da taotoe annos da de-
dicado e fadigia toa respeilaveis S-s. de (oge-
nhos, tanto desta provincia de Pernambuco como
de outra qualquer do Imperio, que o q.izerem
honrar com a tua allavel aceitarlo e amor a in-
duttria ; aprove'.tando por assim o possulresi 'm
bom e econmico asientcmeotd, tanto ns gra'nda
diminuigao de consumo da combutlveis coa c na
pretteza e facilidade da limpeze da caldeira a
apuro das Uliss.nlo se errpregando mtis que mui
pequea quantidade de bigs;os a proporco dos
vasos; aperando por tarefa, em termo regular.
oO pita de magnifico assucar, como contta do qu
fot ltimamente apreaentao em Inca na expoti-
?ao desta provincia de Pernambuco.
Pelo melhor aystema sesete os alambiques de
destilar sguardante, montando cora gotto e asseio
a dsttiltco para dimiouijao de bra-os e icii-
dade do trabalho.
Tem a teu cargo officiaee de pedreires e ss
sues empreiladas ajusta-as pelo maia eommodo
postivel, pois tetje maia tervir bem que ganhir
rauuo : pode ser procurado na p- -a do Livn-
mtnlo, leja de fzendas de Jos r
Iho n. 8. ou por ette jornal.
Aos senhores do commcrci'
dos de lazenda.
O bacharel Americo Feroaodea
reiro abrir um curso theorlco e y a ..n-
gua francesa, do printipio domes de oulubro em
dianta, das 7 s 9 horss da noite, na casa da sua
residencia, ruada Saudade n. 9, para as pesteas
cima radicadas eoutras. tujos etTazeres nao Ibes
poderera dispensar para asse Dm. seoo etsat ho-
ras. Eoeina por ambas os melbodos, enligo a
moderno, tanto a traducQdj e escripia, cerno a
locuQao, a arbitrio dot pretendentes. Ettes quei-
ram ir interever-se at o flm do correte mez.
procursndo-o Da mesma cata daa 9 horas da ma-
nhaa ao meio dia.ou das 3 s 5 da tarde.
Aiuga-se pelo tempo da testa ou por todo o
tempo que convenha ao pretndante, uaa casa
terrea recentemente edificada na proprledade
Torre com os commodos necessarios.e ucs fami-
lia, e mais rantagens proprias d< l5g*-r como
tejan), boa agua e lenba gratit'eic. : a (i[ar La
metma p-
jlr.o seu- rlino.
Chr
cata de n
previne a
zer uegoi
jue soja c
llar, cont
que, eata
do juizo
o respec
luiller, estatieletida com
a ra Nova o. 56, pelo
ta
I
Francisco Pinto O
9 locar dentes artificia
9 molas como pola pr<
t sebe paga alguma s
( flqcem a vontade de
(t outras preparace
9
tod
zea para o qse tem am dot melhores BicUssorts.
lll
Casacas ae penca pelo a OJ.
85g s
Sebrscasacosds dito dito a 35$ s
Paletots da panno preto s da co-
res a 35, ZO5, 25$, 10$, 18$ e
Ditas de caaemira ds corsa a 22$.
15|,12J,7$s
Ditos ds alpaca preta galla ds
veiiado francesas a
Ditos de marin aetim pratot e
da seres a 9$ s
Ditoa ds alpaca ds cares a b1>
Ditos de alpaca prata a9"Z V
Ditos dajbrim d 'fc ',
Ditos da bramante da Un he blan-
co a 6$, Sj s
Ditos da marin da sordie nrsts
a 15$ a
Caiga t da casamira prata a da to-
rw.1",*1**! l*.l.7$s
Ditas ds prlncsxa s merino ds
cordao prato a 5$, 6$500 s
Ditas da brim branco ada corsa a
5$. 4$500 a
Calcas dsgcngsds coras a
Gollete ds vsllsdo prtto s ds co-
ras lisos e bordados a li,35e
Ditos da casemira pratt a de ca-
res lisos a cordados a 9*.
$5O0,S$
i Ditos ds sstlm preto
30$0C0 Ditos d seda s sstim branco a '
305OOO Ditos ds gorgsro de ssda *
s do cores a 7$, 6
20$000 Ditos de brim s faf
81500, 2$500 .
9$000 Ssroulas ds M- u,^ ^
I Pitas da j.^"*?0 600 s
1010001C"d'3ir* p,Il d'taa braata
* : ada coras a 2$i00 a
M, .Ditas da palta dalinhe a 5$. 4$ a
=?500 Ditas de m.d.Polao brancas a ds
SIsO I cores a 8$, 2$500, 2$ s
j** pepees pretos ds msssa franssxa
J$500 forma da ultima moda a 103
8$500 s '
49000 Ditos de eltro a 6$. 5$, 4$ s
enno D;t! t *oi d* B8'
8$000 franceses 14|, 12$, 11J a
,- LolriDl>oa ds linho msita fines
19000 novoefsiliosdsaltlmamadaa
Ditoa de algodo
4$500 Bslogios ds onro patento a herl-
xontal a 100$, 90$, 80| a
Ditos ds prata
2S50O
$000
5000
8J500
gatvanisados pa-
$000
89OOO
292OO
19280
2$200
3JO0
1|600
79000
29000
79000
9800
$500
70J0O0
Pre '! ma ama para a servico in-
..^u 0 externo da urna casa de pequea familia
no beeto doa Ferreiros o. 7.
Offereee-se urna malher para ama de casa
de familia ou mesmo de homem solteiro, sendo
para eosaboare engommar, o que faz com per-
fecao : na ra do Rosario n. 30, sobrado, Boa-
SOC1EOADE
mi m pus
tente horizontsss a 40$ 80100o
Obras da owo, adsrscss a malos
adsregss, pulsairas, roxttas a
anels a
Toalhas ds liuho dszia tOf, 6$ t
Ditas gran.lss para masa urna 3$
9
9S000
49OOOES
Domingo 28 do correte haver a
que sao convidados todos os irmos.
Secretaria da sociedade Amorao Prximo -'Ida
setembro de 1862.
Theodoro Oresles do Patroioio.
__________________Primeiro secretario.
Joaquim Paterno Gouvaia Cordeiro oerdeu
um meio bilhele n. 1311 da 2a. parte da 1 lo-
tera a beneficio da santa casa da misericordia,
qua tem de correr no dir 4 de outubro. Pde so
Sr. thesoureiro das loteras que nao pague o aue
por ventura sabir por sorte a quem quer aue
apreeentsr o dito bilhele. H
>nsa a tol- <|
m meio de fl
, nao re- fj
obres nao a]
s, tem pos j
^rad''*** utf
------------------- para eoDservacac a t-
Alugamse dous grandes arma-! .77" r<-*cisa-se de urna criada para fa-
milia composta de duas pessoas : a tra-
tar m ra Augusta n. 5.
Aluga se o segundo andar e sotao
do sobrado na ra Direita n. 89 : a tra-
tar na mesma ra n 93.
. zens na ra da Concordia proprios para
-qualquer estabeleciment em ponto
grande : a tratar com o Sr. Miguel Jo-
s A Ivs na ra da Cruz do Recife.
:r
PMTllMS liMJODAS
E DE
ARITHMETICA
___"Tres vezes por semana
SEGUNDAS, QUARTAS, E SEXTAS
Ra larga do Rosario n. 28, Io indar
PREGO lO.sOOO POR MEZ.
ATTENgO!
A aula de escritur.ao meresntil diiigida por
M. tonseca de Medeiros, principiar a funecionar
o? 1 de outubro vlndouro am diante, recebendo
discpulos psra serem lecionados tres vezes
vloja a
. Pr co que nirguem se arrisque 1 f4_
aotaegao de qualquer natu
marido Julio Francisco
ki os baa de seu casal,
,a dalle divorciada per ten
ttiico, e estando agora a p
ver.tario e parlilbs, os
leote podero chegar paratsologao
descriptas ; e quenco attim nao teja,
direito tem ata dito marido aos bei s
em vista da eacriptura antenupcial, qu.
brou, e que lera de regular a paililha.
Domingos Ermes Pereira cidadao
retira-se para o Msranhao no proxi'
Aluga-se por prego rasosve
para todo o servido do urna esa >
de homem solteiro : quem a prite
a ra de Santa Rita o. 52.
Aluga-se a casa da ra do 1'
zie da Boa-Vista n. 13. e dita r.a .
o. 10, fregufzi; ds S. Jos : a tr
travesea da viadre de Dos
O curador liscal
de Guillierme de Car\
allar com o Sr. Joao
rio, e pode ser procut
a' ra do Cabuga' n.
O abaixo aaiainado;(
fier que em sua u*oica l
doa freguezia de Cmbrese
Madre de Dos, veio ter o e
ipade qua representa ter de
mal diz ter sido vendido por Joi t
rador em Terra Vermelha comarca'
esen-o embarcado pelo compraJ
provincia de Maranhao, stltou
no dia 10 de jaueiro, polendo a
ganhar trra, dizenoo qaeease he
nhao que o comprou chsme-se Uso
ro. A quem quer que pertencer
dinja-se ao antunciaute munido de
ltalo ptrt o receber. oiho 'Aaua
17detgottode 1862. R
__________Francisco A Ivs de Morae
la
imarc
.ravo J
23
rra
tonte
redos
Aluga-se urna casa terrea
.: a tratar na padaria da
ra
na ru
Direita i
.1 n.
O Sr. Francisco Xavier do
Carino nao mais caixeiro da
fabrica de vinagre da na Im-
perial adatar de hoje. A la-
t rica nao se res>onsatelisa!inNh,for. ^m'v TcItaobV"
por conta aguma pertencen '
te a ella, que o mesmo seuhor
tra-
Alega-te um dos quartos d. 3 ca
la no becco jui to a casa do Dr. Moscos
tar oa ma do Crespo n. 14.
Casa.
Aluga-se a casi nova n. 6 di ra do Princine
a tratr na
Perdeu-se uo domingo 21
Hospital Portugus ou em
me, urna bolioha de
. dos di"a se- .receber. 23 de setembro 1862;bril'haD|.j P'cafan
gands, quartas, a sextas, pelo honorario mensal
cima mencionado, satisfeito adiantado, como
Um guarda livros habilitado
mik
-himieo com privilegio de lovencao, autor da medicina do-
mesflea dos paizes calidos, etc.
Este xarope preparado com substancias paramente vegelaes tem sido erapreca-
0 COra xito pelos mlicos maisflminflntPS nn iniimanu A.~ ~.i.:....._...*..
Pretisa-S6'3sma ama secca para cuidar de
ma memos : na ra do Trapichen. 16, terceiro
andar.
luguel
Aluga-so am moleqae da 11 ancos da idade
muito iotelligeote a esperto, o qual j serve bem
a urna caaa : para tratar, na ra da Aurora, ta-
beroa do sobrado n. 46. '
IrmanJadede INossa Senhora i S!
praxe em todas as aulas de instrucS5o'superior, .olerece a azer a escripia de qualquer
-M..B. "'"" "* "m ra"L '--,-mme,cial, ,V Pacido. '
,;, bradas, quer por sin^ela?, com accio e
cripturar pelo methodo de
(*. d* 'on' ha quaai cinco annos i
Cldade.com o melhor aproveitamenlo das di- promptidao
varsat pessoas que se acham empregadas noLml
commercio, garanten) a qaem de seu prestimo se
qulztr militar o desejado resultado.
A Kritaricjio dos livros commerciaes por
pariidaa dobradas, alm de ser o u/m'co syttema
que pode aatisfazer o disposto em ootso cdigo
commercial, urna sciencia facillin
ser conhecida de qualquer que tenha vontade de
aprende-la.
Jo torrente no
caminho para o rtes-
o com uos pequenog
- alunte de
acnado e auizer reiitn<*
queira entregar na ra do Qoeim.do n. 42 li.
queae graliicar com o valor i*
peto : quem o tiver
a tratar na ra Velha nu-
A.uga-ae oa raa da Aarora hu exilente
precio ba pocco edifeado, com todcs os com-
modos desejaveia para urna familia numerla
. que queira um trUameutodisItneto, a um arma-
faalhma que pode | rus do Imperador n. 35: a tratar na
metma ra aimazem de lovoa r. 4t.
Cerrem-se os ouvidos a voz do egosmo de al- ir.r^mV6. "*? 5 rua t0,Fc B-
gosgu.rds-livros que preg.m as ora7 Jil. l" com *^"o L"'* J OHwTm
culdadu da. partida, dobradas com o intento'd aoJ^e,criPto" r Cruz n. 1.
/ A Vil
% abaix<
;">*.
dos
que
po Santo.
Soconvidados os nossos irmaos a coraoare-
cerem hoje 25 no consistorio Uilfl horas de tar-
da sfim de eleger a nova mesa qe tarn de re-
ger a irmandade no anno de 1862 a 1863.
Josa Fernsndes Ferre'ira.
__________ Escrivao.
.ori,reC"*"8e de un"1 eCr* quitandeira para
dad .W "'!." tr4fiC0' p0rm daTci-
dd%a .'D,'S?0b0tn '""""o e a pootusli-
dare de seus salarios : na rua da Rod n. 11.
Qaem precisar de urna petsoa para enirom-
mar e coz.nhar : dirij.-te na" tr.ve.P.VVo Pod-
nho n. 2. que achar com quem traiar.
Hoje finda a aadiencia do Illra. Sr. Dr iali
de orphaoa. leem de ser arremaladoa a.ls escra-
voa a saber, um velho de 50 annos. um para "o
pancadas. sicaTriles e fe'idas deqoalquer^ .oVos. .m Zt.^k 8?ioVJnt%V.\*
resumirem o maia postivel o numero
potsuem esse grande thesouro.
Como complemento do entino de escriluracao
addiciootr o annunciante aquella da redoccao
e moedaa estrangoiras, calculo de juros, a fr-
do Rosario da matriz do Cor-! jurV-e- -x,"-hlr-"a'." C.0DU eor.rent* ^pies e com
Aluga-ae o terceiro andar de rua eetreita do
Rosario n. 31, com commoJos para duas familits
por ter grande soto, corrido de janellaa nos ol-
ios, a ter um elegante mirante : a traiar com o
proprietario Joto lioreira aa S.Ua.
mimbres inferiores e toJag as affeccoes cutneas e syphililicas.*
Misjaii'mrjiuurum
neces-
miTzs que s&jam por
Araull chimico
L'nico deinsi0 na pharraacia franceza de P. HaiTcrAC.
^ -RUA DO IMPERADOR38
^mmmm kmfmmmMMM
tos. sondo am rendido ds urna verilha, penl.ora-
doaao casal do finado commendadur FrtOelsco
de Crv.lbo Pae. de Andrade. assim como m2
angalha e um par de casa.ss pequeo, e ve-
- Aluga-se no Recite, becco rto Abrevi, pega-
do praca do commercio, a loja e segur/do V
iros ; finalmente tedo quaolo for til e
serio saber aquellea que se dsicam ao com-
mercio.
As pessoas portento que desejarem matrlca-
lsr-se, queiram delxar seu. nomes raa Ltrga
do Rosario n. 23, primeiro andar, junto ao arma-
zem o loaca de porta larga,
Ao commercio
M. Fonscc.i de Medeiros se offerecs sos
Sr. commerclantes, qus detejarem aprender a
escriturar por partidas dobradas a dar-lhee licoes
em seas esetiptorior, a tarde ou a nolte, nos dias
tercas, quintas e ssbbsdoa da cada semana, me-
diante urna mdica psga.
Entre as grandes vantagensque resultara para
os Srs. commercisntes do conhecimonto da fa-
cxlhma sciencia do guerda-vro, accresco aquel-
la da habilita-loa a poderem escolher quem bem
oa sirva nesseramo de trabalho commercial, de
modo aaoao sersm illudidos por cfaarlates, co-
mo acontece sempre com aquellea que avaliam
do mrito do guarda-litros pela sua bonita lettrs.
Aspessossque do oflerecimento do enoun-
O Sr. Manoel Carneiro l.-asa um uma tar-
ta vmda de Macei : no escriptorio de J;ao Qua
ruto ds Agailar & C, rua da Cadeia n. 61 te-
gundo andar.
_-xo asignadoi, curadores is-
caes ta massa fallida de Joao Jo; de
F-gue.redo, pedem a todos osvkvedo-
res desta que mandem pagar s. u
i tos na rua da Cadeia do Recife] esafni
l!si! fT f ; tcndo tambem n$tadata
autonsado ao Sr. Joao de Souza^Azeve-
do para receber o que cada umfsttver
a dever. Recife 18 de setembro de\862
Antonio Leal Keis.
____________Dammayer C
'/
Aluga-ae o armazem o. 1 da rua do En-
cantamento : a tratar na mesma rua n. 13.
Offerece-se um criado para todo o servico
do qualquer casa, do que d conheeimentos a
tratar na praca da Bot-Vista n. 16.
Aluga-se uma escrava para andar com cn-
ancas : na rua do Hospicio o. 61.
~ Offereee-se uma ama com as seguintes ha-
bilidades : coxiuhe, lava e engomma pereitamtn-
te : quem de seus prestimos quizar utilisar-se
dirija se ao becco doCampello n. 4.
ieite,

-srneiro & C.
ou escr-
Precisa se rlagar ama tmi forra
va. que tenha boa conduele e teja fie), qae saiba
engommar e coxinh.r para cas. de familia ca
rua do Q.etmado n. 44, primeiro andar.
Furto.
Fartararo dostio de Antcnlo Alves Barbosa
em Santo Amare, oa noile de 23 pire 24 do cor-
rente mez de setembro, uma veces prenhe, bran-
ca, lavrade, tendo por slgnaes ts galhas grandes
e abertaa com marca pouco vizivel, ni aneado
lado direita AB ; rega-se s pessots que dalla
lirerem noticia de declararom oa raa doaGaara-
rapes n. 18, ou no mesmo sitio, onde se dar rt-
tificaoSo exlgiodc-re.
, Preele.-tede 800g a premio, p.g.ndo i"e
Santo Aaio, a dahi tornara a evadir-se, e bem | _?**'SL'*?.m.lzL?.- t"*H de 9 a 8 me-
Qaem precisar de uma ptima ama ae
dirija-ss a rua da Florentina o. 38.
Ausentou-.e do engenho Novo de Ipojaca o
preto Filtppe, foi tar ao engenho Pirapsma do
Sr. major Jote Gome, da Silva, na comarca de
^"^"''".'""^"'"'rdirijam-sea rua Lar- oente-edronel Msnoel Joaqaim do R
E2lfM*lJ&f!^*J^tjlnt**l0'\*'MrTt** napoToico doa Afogadoa,
ja de Iouja ds porta larga. 'gfttificado.
de suppr que vague pelos engenho. a lug.re.
daquella comarca, ella alto, steco, bastante
barbado, a cotluma a conservar t. barbas eres-
cides, e j vti piolando de branco, carreiro, e
hbil em todo o qualqut servico de eogenao ;
quem o pegar poler traxer a aeu senhor o le-
Rego Alba-
quo ser
xe, hypolhecaodo-ie urna esclava mulita i
seguranca, caja escrata cose, engomma e cozi-
nba perfHUmente bem : quem quizer fazer esta
negocio, anouocie para ser procurado.
Joaquim Pereira Ramoa. sobrinho de BeT-
nardino Pereira Ramos, declara so publico, qa
tendo apparecido Miro de ig.si rime, d'ora em
ditnts se asslgnata por Jo.quim Pereira da Aza-
vado nanof.
MELHOR EXEMPLR ENCONTRADO | MUTILADO ILEGVEL


y
DllUi Bl fElBAHICCO SEXTA rEA 36 DI SETEMBhO DI 1161
Bailar & 01i?aira Tndem Ubraa aterllnss.
Ra
do Imperador n 28
Vende-ie gomma vinda do Cear por todo e
qualquer prsco._______
Arreoda-ee ama grande pitia do atlio da
eoqaeiro, deoominado Maria Farinha, na Iregue-
zia de Msraogeape : a tratar DO eogenhe Mari-
tara, treguada da S. Lourenco da Mal.
Admireni-se e approveitem-se
Retratoi da antrotypo a 19 um; na maia acre-
ditada e antiga oficina de pholographla delta cl-
dade, na raa do Cabagl n. 18, entrada pelo pa-
ito da mutni. v"4e-e um barro do Hio Grande do Sal,
------_ r.,k7fcr. maito gardo, novo, e msDso : quem quier dlri-
- Precisa-.e alagar umsi pretaqueitoont boa ji.|e jon,o h ChQ'*t.|Bn|l0ffl
condi.ua e seja Sil,qoe saiba eogommar e co- I cu, Q r* Tende-se um bol
atnhar : na raa do Quelmido obrado d. 44, prt- muit0 m,0,0 e ctrroc,._______________________
Vaoda-ae urna eicrava de boas coitumet,
labe Itvi r e cosinbar o ordinario de urna casa :
no pateado Paraso n. 18. Na meama casa pre-
cisi-ie deuma cabra (bicho), que tinha bom
leit.
meiro andar.
Companhia \
DE
eguros martimos.]
SEGURIDADE
5 Estabeleeila no Rio de ^
^ Janeiro. j
AGENCIA RUADO VIGARIO N.10.<
Banco Unio.
gstabelecido na cidade do Porto.
Agentes em Pernambuco.
Antonio Luiz deOliveira Aze-
vedo A C.
Sacara por todoa oa paquetea aobre meamo
Banco a praxo ou i vista, a aobre aa agencias em
Lisboa, Pigueira, Coimbra, *>Teire, Viseo, Villa-
V ende-se
i um grande sitio doa melhorea que tem em Olic-
1 da, di-fronte do jardim, boa casa de morada,sen-
| do sobrado, com 3 salas de (rente, 8 quartos, co-
i lioba fura, sais de jantar, boa agua, muitos ar-
l voredos de (rucio, inangabiiras, mangueiras, ja-
I queiraa, (ru outres fructn, com urna grande capoelra com le-
nhi, robado para planteco, baixa para capim e
com algum cspim, olaria com lornos para louja
e lijlo, frente murada : quem pretender, dirja-
se a ra dos Pescadores, casa n. 7, padaria.
GRANDE LIODIDAQ&O
DA
Loja do Pavo.
Acha-se ette eatabelecimento completameite
soitido de todas as faxeodas de la, lioho, algo-
do e leda, as quats se vende mala barato que
Real, Rigoa, Vianna do Caalallo. Guimaras, i em outra qualquer parte a diuheiro a sute, e
Barcellos, Lamego, Covilha, Braga, Penafiel, roga-se aos seohores compradores de darem-se
Braganca, Amarante, a cito dias. ou so prsso ao trabalho de visitarem este e.tabelecimento ou
que se convencional na aea ascriptorio raa da procurarem neste Diario, OS annunuoe da loja
Crux n. 1. do PaTa que nao deixarao de se agradaren!,
------r------------------------------------rrr-:------- tanto das axendas, como dos presos, e de todas
Na roa estrena do Rosario n. d2, loja, se |8 ho amo,trag deixando Qcar um peLhor, ou
dir quem empreata dinheiro com penhores de | maad3m.ie le?ar as faxendss e motcas pelos
ooro ou prata, masmo em pequeas quantias.gj
AluRa-sa acata tarrea na travessa da| ra
Bella d. 7 : a tratar na ra da Cruz do Recife
o. 57, segundo sodar.
caxeiros da casa, acha-se constantemeote eate
estsbelecimento aberto daa 6 horas da mauh3a
as nove da noite na rus da lmperatriz n. 60.
Retalhos do Pavo.
Aluga-ie urna casa naSo!edade,|rua de Joo Vende se porco de retalbos de chita de todas
Fernandes Viaira n. 62, com 2 calas, 2 quartos, as qualidades, ditos de eassas de cores, ditos de
sorinha fora, quintil mirado, e cacimba : quem
pretender, dirija se alli padaria do Sr. Soasa
c. 14. que achara com quem tr.Ur.____________
..No porto do Jacobina, sitio do Albuquer-
que, existe umeavallo roxilho qe alli appareceu
desle 19 do correte : quem (or sau dono, dsodo
os signaos, e piganlo as despezss, o rscaber
ArremaUcao.
No da 26, depois da audiencia do Dr. jaiz mi-
Precna-se di um criado;
mado.'n. 28. prioijairo andar.
ra do Uuei-
' Alugam-se ideas esas margem do Cepi-
btribe, no lugar^da Torre, sendo inteiramente
frescas, e com boa* agua de beber, lendo urna dal-
las planta de espira para 4 cavallos: a tratar na
ruadaKodan. 2(ft.
- Leu 1 -.o*ico Eonoquist, Bernardo Fran-
t ico VVsndei wam, Delaccir Aolji&e vo para o
eiro.
c
ompr&s.
cambraia branca, na ra da Imptretru n. 60,
loja do Pavo.
Capiu.has do Pavo.
Vende-ie capinhsa muito bem feitss com
mangas e sem ellas para senhora, e manteletes
de velludo e pietos multo bem et.eilados e ri-
camente bordados: na ra da Imperatrix o. 60,
loja do Pavo.
O Pavo vende para luto.
Selin da Cblns, (axenda sem lustro propria
para vestidoi, cspss, roups para bomens, tendo
i. e 3$000 o cova-
todos os precos e
princesas prttie, e
casi pretas, meiss de seda preta para senhora
a 1J000, enfeites prtt n os mais modernos a
5SOU0, chales de merino pretcs a 5#000, na ra
da lmperatriz u. CO, loja do Pavo.
Grosdenpie do Pavo.
Vcndc-se grosdenapla preto muito encorpado
que sempre se vendeu a 2$0(> rs.. e vende-ae
a 1J600 rs. o covado, dito a 1^800 rs., dito a
3;U o covado t com o Um de apurar dinbeiro,
velludo cor de caf com pequeo toque de mofo
a 15600 rs. que proprio para vestidos oa roupa
de men'.nos, na ra da lmperatriz n. 60, loja do
Pavo.
s nara senhora e me-: -
G*
&i
Pavr-
Organdy do Pavo, i
Vende-se cstsa organdy a 280 ris 0 covsdo,
caasa de virios padroes a 240 ris: s na loja do
Pavo raa da lmperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Organdy de la a 800 ris.
Vende-se floissimo organdy do lis, sendo fa-
renda inteiramente nova no marcado, com deli-
cadsimos deaeuhos multo tranapsreotes a 800
reta o covado: na ra da lmperatriz n. 60, loja
do Pavo.__________
Organdy de seda a 800 ris.!
Vende-ae organdy de seda muito transparente
para vestidos, com delicadas cores, bonitos dese-
nos a 800 ris o covsdo : s oa loja do Pavo,
ra da lmperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Cabaia do Pavo,
Vende-se esta nova fazenda com o titulo de
cabsi*, propria pira vestidos, tendo 1 e 1|2 pal-
mos de largura com delicados padies miudinhos
a 400 ris o covado : na sua da Imperatrix n. 60,
loja do Pavo.
La e seda do Pavo.
Vende-se la e aeda do quadroa propria para
veatidos a 400 ria o covado : na ra da lmpera-
triz n. 60, loja do Pavo.
Crinolinas do Pavo.
Yendem-sa crinolinas o baldes de srcos, sen-
do americano! qae sao os msis bem armados,
mais fortes, tendo de 6, 10, 14, 20, 25, 30 e 40
arcos, vendem-se mais barato que era outra qual-
quer parle, tambera se vndete baldes muito fi-
nos com grandes bsbados, que pefece duas saias,
ditas de bramante muito bom feitaa : na ra da
Impera Iriz n. 60, loja do Pavo, da Gama & Silva.
Chitas do Pavo, franceza e
ingleza.
Vendem-se chitaa francezss oa padroea msii
novos que tem vindo ao mercado a 280, 300 e
320 ris, o muito finas a 400 ria, ditas ioglexts a
160, 180, 200 e 240 ris o covsdo, sendo por me-
nos que em ostra qualquer parte : (6 oa loja do
Pavo, ra da lmperatriz n. 60, de Gama &
Silva.
Las do Pa\o.
Vendem-se lazinhas, sendo de qasdrinhos de
pslminhas de llstrinhas e da urna s cor, e mo-
'jimbique psra espsa e vestidos a 400 e 500 ris
o covado : s na loja do Pavo, rus da lmpera-
triz n. 60.
Phantasia do Pavo.
Vendem-ss ricos vestidos de cambraia phsLli-
siidos com lindos lavores de seda, pelo baulia-
simo preco de 60 cada corte, tendo da todas ss
cores, vendem-se por este prego para acabar :
s os loja da ra da lmperatriz o. 60, de Gama
& Silva.
Vestido do Pavo.
Vandem-sa ricos vestidos brsncos bordsdos
com seda, proprioa psra noivas, e assiitir caaa-
mintos, pelo barato preco de 60 : na loja do Pa-
vo, ra da lmperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Exposico de eassas na loja do
Pavo.
Vendem-se as modernas eassas orgindyz, sen-
do ss msis bonitas qne tem chegado ao mercado,
pelo bantissimo preco de 280 e 310 ris o cova-
do, do-se ss amostras deixando peohor : na lo-
ja e armazem do Pavo, raa da lmperatriz n. 60,
de tiama & Silva.
Ricos vestidos brancos a 20$
na loja do Pavo.
Vendem-se ricos vestidos do csmbrsis braceo
bordsdos a agulha, e qae chamara croch, multo
proprioa para bailes e casamentos, fazenda que
r* oulrs qcslqafir parle vende-se por muito
vende-se apenas por 200 cada
a da lmperatriz d. 60, loja do
M0DIF.C4(!a0 DE PRECOS
MENOS 10 a 20 POR CENTO
NOS
ma
PROGRESSISTA
IPliSHl
Ricas fi velas don radas para
si uto.
Vendsm-se fivelaa doaradaa a 20 a 20500, u
maia modernas que tem vindo ; na rua do Quei-
madon. 63, loja do Beija-flor.
Ricas voltas de aljofares.
Vendem-se voltas da aljofarea com eras de pa-
dre imitando a brilhante ; na rua do O/taimado
numero 63, loja do beija-flor.
NA
Rua das Cruzes n. 36, e largo do Careno n. 9.
fc
Scientificam aos seus freguezesqueem virlude do actual estado de apathia commercial re-
lolvem vender todos os seus gneros por menos do que outro qualquer anunciante e offerecem para
garanlia da superior qualidade de seus gneros as competentes amostras de cha, manteiga, caf,
arroz, tapioca, araruta, etc., etc., para que pessoa alguma duvide destas qualidades, a vista de to
resomidos precos.
Convidam portanto ao publico desta cidade a de fora, a virem fazer sua dispensa em ditos
armazens, afim da pouparem annualmente de 100000 a 2:0005? conforme a custumada des-
peza de cada chefe de familia, economa esta que muito til lhes deve ser, sem que .'eja mister
soffrer a mais insignificante privacao do custumado diario de seu passar, devendo porem manda-
ren), aos armazens indicados.
Facas e garios.
Vandem-aa facas a gsrfos Anas da cabo da ba-
lanco de dous botoes a 6(800, ditas para doce a
5$800, dita de um boto a 60200, dita para doce
a 59200. dita prata era vida a 39600, dita branca
a 30400, dita rolie.a a 30 a duiia ; na rua Co
Queimado n. 63, loja do baija-flor.
Jogo de vspera.
Vendase jogo de vispora a 10 ; na rua o
Queimado n. 63, loja do beija-flor.
n
terrea, em ponto al-f"
>0.
Sedtv
Pavo a 500 ris
bam
ouoa o mis* i mflOUOS p*ra UUia fe2eQ1ja mullo >iaiu barata, ai
KUlar, bom quintal e,Pre? que tem/chegaao o ma
o ,. i_ leita peehincha s na loja e !
U quem tiver an-Bramante do Pav
e Diario.
_adapolo fraoeez multo
i- para meninas de f a
aeobora pn -...;
Venddui-s- 'ia de quadriohos e de Hslra a
500 r"s o u ditaa miodiohaa a 720 ris ;
s na lo's do Favao, raa da lfflperattit n. 0
a pessa
Vende-se pessa de bramaole delinho com 35
jardas, com a largura di llamburgo sendo pro-
1 prio para lences, toalhss, sroslas, etc., esta
fazenda vende-se a 100000 a pesss e meia pessa
.se g
oes do novo bsneo de Per
-io da Marroel Ignacio da
do Corpo Santo n. 19.
ifss vaiias ns rua Direita I por~5gOGO tornando-se muito mais barato que o
_________ i preco que atualmeole se vende o madapolo e o
1 ^BBBgaajajjni: a|g0jaU8iQho, vende-se esta peehincha s na loi
;do Pavo, rua da lmperatriz n. 60, de Gama &
i Silva.
Sebastopool do Pavo.
Vende-se esta fazenda muito nova e muito
euvorpada e de urna s cor propria para palitos,
calcas, coletea, ate., na loja do Pavo na rua da
Imperatrix -n. CO, de Gama & Silva.
Pai'.its do Pavo.
i LUS
Leis jirevinciaes.
mo
ende se por l 'iciaes do corrente anno, assim co-
a\s de todos os annos antecedentes
ao mestio preco : na livraria n. G e 8
da prar da Independencia.
Vend1 de typograpliici.
A typograiphia do Puritano, prompta de tudo
quaoto precisa para trabalnu : a tratar na rua
dos Prx-vtes da Boa-Vate, n. 7. _____________
i olla
Vende-se eolia da Bshia, a meilior que liste
no mercado, pelo barato preco de 640 a libra, e
sendo para arroba aa vender por menos : na loja
de ferrgens aita ne rua Nova n. 35.______________
Cambraias do JTavtfo.
v6^"iem-se pecas de cambraia lisa eona-8 e li2
" "- .'* i r-ra* a 3, diUs a 4. s na loja do Pavo, ivt
uuSS\ TarlatanadoPavao. '
nce-se'8'' '-'"" -* rSras Qi^ liso
-- re liu_____-, ""o i psiminba : na iua
da Imp'erstiiz n. 60, loja-do i"*vo.
Cera de Carnauba.
Vende-se cera de csrnaubs de superior quali-
dade : na rua da lmperatriz n. 60, loja do Pavao.
Casemira do Pavo.
Vendem-se casemirss entestadas de quadriohos
e listras miudinhss. sendo corea escurss a 3*200
o corte para csIqs, vende-se a mesma fazenda,
tendo duas larguras a 1800 o_covado : na rua d
iroperitriz n. 60, loja do Pavo.______________ fc
Milho e arroz.
Venda-se emsaccoa grandes muito barato por
ler grande porqo chegauo estes diaj d_e Maman-
guape : a*trafe'ss o"pateo do l'iraiio c. t^6
Vende-se palitos de pagino oet" e cor ofe'cutT COm oiio pars a rua da Plorentina.
pelo baralusimo prego de 7^000, ditos de Fency
de cores a 6*000, ctl?s de casemira preta a
5J000, ditaa de cor a 5j00, na loja do Pavo
rus da lmperatriz n. 60, de Gama i il*a>
Bordados do Pavao.
Madeiras de lei.
Vende-se a madeira do andiime que servio
pira a coolrucco da ponte de ferro entre o
tbeatro de Santa-Isabel e a rua da Aurora, em
porpes a vottade dos compradores : os preten-
deUes dinjam-se t obras da mesma ponte, dss
9 horas da manha at Liquidado
Vende-se orna rica mobilia de Jacaranda
com lampo de podra composta de um sof, 11
csdeias de gusrnico, 4 do braco, 4 de balanco,
urna mesa redonda a doaacoosotos com grsndes
, espelhos moldura de jccarsnd : os pratendsn-
Vende se manguitos com punho e gola, pelo tas dlrijam-se a rua da Cadais n. 9. _______
barat'.saimo pre^o de 1980 rs., manguitos del ---------------------------------------------------------------
cambraia bordados a 800 ris. gchnhas de cara- pnle,:pafi Aa ohAllo PfiTTl fha-
braia bordadas e de l a 100 ris, cada urna, fUlSeiraS e CaDeilO CIU tUtt
Anvelopes.
Vendam-aa anvelopea de diversas qualidades,
braoco a 1*100 e 1*400, azul a 1$, e de cores a
19400: ua rua do Queimado n. 63, loja do tu-
ja-flor.
Papel adamascado de cores.
Venda-sa papel adamascado de cores a 800 a
1*. dito braoco a l$z00 : na rua do Queimado c.
63, loja do beija-flor.
Gravatinkas de seda.
Vsndem-se gravatinhasde seda psra senhora,
de diversss cores : na rua do Queimado n. 68,
loja do beijs-fior.
Tiras bordadas.
Vendem-se ricas tirss bordadas psra vestidos
e saias brancas a 800 el;: na rua do Oeeimaco
a. 63, loj do beija-flor. ______________
S ua granae exposico
de faiendas novas e bara-
tissimas, na rua da lmpera-
triz, loja e armazem da ara-
ra u. 5G, de Magalhes Si
Mondes.
Fazendas por menos 10 0i0, qaeiram vir v"r
para acreditar, a ser: chitas a 160, 180 e 2110 rs.
o covado, ditas fraocezas a 230, 240, 280 e 320 o
covado, cortes de chitas Anas com 12 1|2 ova-
dos a 2;500, coites de casnas fraocezas t 2jy5C0,
ditos pretos a 2&500 : na rua da lmperatriz, le.a
da arara n. 56.
Arara vende oltstim para vestidos.
Vende-se a fazenda por nome olestim da Itabo
de ums s cor e quadriohos, propria par esprs
a vestidos de ieohora e roupa da mtninoa a 280
o covado, fustao de cores para vellidos a 260 a
320 o covado : na raa da Imperatrix, loja da ara-
ra n. 56.
Aos manguitos da arara.
Vendem-se mtogailos e golla de lioho para
senhora a 1c, golliohas a 500 rs., enfeiles para
senhora a 2g c 3; : na rua da lmperatriz, loja da
arara n. 50.
Arara vende a popelina da China.
Vende-se a fazenda por nome popelina da Chi-
na em la para vestidos de senhora a 320 o cova-
do, chales da merino eitsmpados a 3g, ditos de
la a 19. ditos a la a seda a 29, ditos abertos a
640: na rua da lmperatriz, loja da arara n. 56.
Barato.
3*200
136C0
2000
39500
200
500
1S500
Sapaics de marroquim para senhora 640
Borxegttins com bo'.oea e lago franeexta
para senhora 49500
Sspates de balera propnos para o ser-
vico da estrada de ferro
Pellas Je marroqalm de cores
Ditas de dito cor de bisouro escolhido
Bezerro francez superior
Luvasde seda com toque de mofo (par)
S'patiohos de las para menino
Sintosdourados para ssnhora
Rua br*a do Roairio n. 36, rival sem igual, e
nette estibelecimento se veudem diversas mlu-
dexas barata, a cousa o fregusz trazar diobeiro
Attenco.
Vende-se ou alaga se roodiesmeote ma mu-
lata moca e vigoroa, qae cozinha para o diario,
lava a ngomma. tudo eoffrvelmnte : quem a
pretender por urna oa oulra forma, pode ve-la e
tratar na Estancia, casa n. 4, a qualquer hora
do di:_______________________________
ums grande ptelo de tiras bordadas e entre
meios, por precos bsratsaimos, s na rua da
Imperatrix n. 60, loja do Pavo.
Chales do Pavo.
Vende-se chales de merino eslampados sendo
muito grande a 33000, ditos imitaco de rstroz
I com palma a 3g000. ditos do tarlatana a 800 ris,
^ditjs Garibaldi 49000, na rua da lmperatriz n.
60, loja do Pavo.
Kiscadiuhos do Pavo.
Vende-se riscadinhos francez miudinhos pro-
prios para vestidos e roupas para meninos a
240 ria o covado, na rua da lmperatriz n. 60
loja do Pavo.
Cortes de vestidos
j o Pavao.
Vende-se cortea de vettidoa de cambraia
branca com babados pelo baratsimo preco da
2*500 rs. cada um. cortea de ditos de tarlatana
com barras e babados, brancos e decores a
3200. ditos de cambraia brancos com babados e
Musambe da arara.
Vande-se a fazenda por nome musamb cera
palmas de seda de 4 \\ palmos de largo, propria
para vestidos de senhora a 500 rs. o covado, .
de luho de ores a 200 rs. o covado, dito l&vra-
do a 1J120 a vara, liso flnoa 780 e SGO rs. a va-
ra, tarlattna a 800 rs. a vara : na rus da lmpe-
ratriz, loja da erara n. 56.
Arara vende as crinolinas dlo, 50 e
j,, 40 arcos.
\ "r idam-i-'sa Daioes a crinolinas de ircos, es
mais modernos que tem vinco, ditos de madapc-
lo e briilnnlioa. saias de cordo que faz vez da
bailo a 294OO, bales para merina a 29 : na rua
da Impantrlz, loja da ^ra 0. 56.
O bahadim da arara.
Vende-se a fazenda por nome bahadim com lis-
tras de seda para vestidoa de senhora a 500 rs. o
covado, cobertaa du chita para cama a 29, coi-
chai de fnsto para cama a 59, ditas avelladadia
a 8$, alertaras pira car-isas a 240 tada urna
corles de calce pars bonum, de b.im escuro o
ciaro, e de gai^a e fusta* de quadrinbos alfa
19280 o corte : na rua ds Imperatrix, loja da
arara p. 56;
Arara vende as eassas chinezas.
Vende-se a fizenda por nome cassss chineza*
s imitago de eedinha d* qasdros, propria para
vestidos de senhora e roupa de meninos a 240 a
280 o covado, riscado a Garibaldia 280 o coraCo
Dar vestidos, cobertores de algodo a 19, circ-
bnis bracas a 19600, 2?, 2-9500 e 39 s pega : sa
rua da lmperatriz, loja di erara d. 56
pa dourada, e trancelins
para relegios.
A loja d'aguia branca acaba ds recebtr a sua
encommeoda dea to desojadas pulseiras de ta-
bello com ciferentes e bonitas traeres, lendo el-
las cbspaa douradaa de delicados modelloa com
pedrss e sam ellas, o que de melhor gosto se
poda dar em tal genero; ssslm como trancelins
compridos e curtos, com pssssdor doirsdo para
rslogtos, e por que de lulo isso a quantidade
pequea e nao chsgar para todos os pretn-
danles, convem que se apressem em mandar
comprar tsea obras na loja a'aguia branca, rus
do Queimado, n. 16.
Para o baile do
club.
Vende-se na loja do pavo-
Ricoa cortea de vestidos de cambraia branca,
lmorosamante bordados a crox, acodo os mais
bonitos que tem vindo a este mercado, e vsn-
dem-se por presos bsratissimos, na rua da Impe-
ratrix n.60, loja a armazem do pavo.
Landieirosa gaz.
Dinheiro aviita.
Na rua ds Cideia do Recife o. 56 A, loja de
ferrgns de Bastos, chegaram novos candieiros
a gaz e vanie-se palo diminuto prego de 29500,
3* e & cada um ; o dono deste estabelecimsnto
tendo de recteber um grande sortimento de can-
dieiros. desde j previoe ao respeitsvel publico e
eos seus freguizea, que vende mais bsratodo que
outro qualquer, pois recebe este genero de sua
conta propria._____________
Milho e feijao.
Vendem-se saceos com milho qae pesam a
quasi quatro arrobaa, maito novo a 3* o aacco,
ditos com fefjo mulaiinho a 8f500; a tratar no
Forte do Mallos, armazem Baro do Ltvramento,
ou na ras do Queimado n, 4.
(Lasemiras a 3/200 rs.
Na loja do pavao.
Vendem-se cssemirasenfestsdas de qaadrinhos
a liatraa miaidinhas, aendo corea escuras a 39200
o corte para caiga ; vende-se a mesma faxenda,
tando duaa larguras, a l;80 o covado ; isto na
raa da Imperatrix n. 60, loja do pavo.
duas saias a 4g000 ditos de fantazia com baba- awsjsj w uu. uo munii
dos de cores a 59000, tudo isto por menos da primorosamante bordados a crox, aendo
metade do seu valor, e vende-se s na loja do
Pavo rua da lmperatriz o. 60, loja de Gama &
Silva.
Musselina do Pavo.
Vende-se muajelina branca com 4 I/i palmos
a 240 lis o covado, lasinha com palminhas a
320 ris o covado, t na rua da lmperatriz n. 60,
loja do Pavo.
Com 22 cov&dos t o Pavo.
Vende-se cortes de vestidos de bareje tendo
22covados cada um corte, pelo bantuaimo pre-
co de 49000, cortes de vestidos de las lenlo ss
as ssias j feitas a 4*000, na roa da lmperatriz
n. 60, loja de Gama & Silva.
Organdy do Pavo.
Vende-se cortes de organdy com bonitas bar-
ras, tendo 22 1/2 covados cada corte, pelo bsra-
tissimo prego do 49500 rs., s na rua da lmpe-
ratriz n. 60, loja do Pavo, de Gama & Siva.
Alpakin do Pavo.
VAniiA.a* ta nova fazenda de linho, sendo I liodss corea, pois com pequea qusntia as aenho-
muilo leve propria para vestidos e roupa de | ras polero enfeitir os ricos_Tatido- que ser
meninos por ser de urna i cor de listra a de
qasdros miudos proprio para aa aenhoras que
SOio
3 >3
o r2.
" oM
O o
fifi
9s
2 I i
1B a
c- o
B ts _
- S B
v a Ji
g. Ct>
StB
SSarO" P
"> m S C-
si*
m S
o- er 5T^
es 5 m
o
o
a
3
n
o
3
13
O
O
o
o
8

3
t-o
oo
O
o
O IO
o o
c


1*9

S no vigilante.
Lindos enfeites para ves-
tidos.
Sao chagadss no vapor ingles as ricas florea de
velludo que sao admiraveia pela delicadeza das
o
X
o
o
o
rr
a
sr
3
A
B
er
-i
a
" B '8 F
Bus -.. = O _
^|3l3 3 9
P"sa u __ _. > ir. D
N -s 2 S S5 S.
a g J w 8
V M.3
0
eo -n
a
o
> M
=3 H
53a
u C^
50 cr
o
-1
cz
i Ul
o s

^ i
1 c.
-n
=3 u
zr- o o
o
o>
o
3
3 era "*H
3 era
c a

a
o 2-
o
= 3
1.a
r>
- u
b.
3 ?
ti o
3"
I
2 i "
a O
s o s* a ^
o 3 5 3 2- ET
U vi o


Bi
u
c
3
o
o
Be D
s^a,
Bl I
| i
55* r>j
m
a
o
O
b> Jos O e
a <-i t> O
^J ?6
sr-
o
era
!!
. Vi al
1 s*
r 1* s ns
33
vi ai* *s '**.
a. z'fl o o m
s *
cr
o
f
3
o
0
Bl
O
"O
s
a
Cfl
O
O
O
O
as
c
*
e
3
3
as
o
o
3
3
o.
a
t *
se
a
o
o-
w
cns
as
- s
S-2
a o
C A
a *
en
a
O
O
fbrem passar a tests no esmpo, e vende-se a 280
ria na loja do Pavo rua da Imperatrix n. 60,
de Gama & Silva.
Gambraias do Pavo, com sal-
picos, a 3$.
Vendem-se pegas de cambraias com salpico,
carocinhos brancos e de cor, tendo 8 1/2 varaa ca-
da corte, pelo barattasimo preco de cada urna,
ditaa mais Boas com aa mesmas varas a 4g, cor-
lea de cassa da cor ultimo gosto.com 7 1|2 varaa
a 2:500 ; na loja e srmazem do Pavo, rua da
lmperatriz o. 60 de Gima & Siivi.
cor de listra a de muito apreciavel, pelo baratiasimo preco de 1$
a duzia : s no gallo vigilante, roa do Creapo
numero 7.
Fulceiras.
Tambem ao ehegadaa as riqaisaimaa palseiras
com pedras azaes e oatraa verdea, coasa muito
delicada, que aa vende por precos baratisaimos :
s no gallo vigilante, rua do Graspo n. 7.
Baleias para espartilho.
Tambem ao chtgadaa aa verdadairaa baleiaa
da lodaa aa grossoraa a fornidas, para espartilho,
pelo barato preco de 120 ra. cada ma : a no
vigilante, ma do Creapo n. 7.
SARDINHAS DE HANTES. As mais novas que se podem desejar, a 360 rs. a lata;
GENEBRA DE HOLLANDA. Em garrafoes>>m mais de 15 garrafas a 5#800 e frasquei-
ras com 1* frascos a G500 e 600 rs. o frasco.
AMENDOAS COINFE1TADAS. Muito novas e de diversas cores a 800 rs. a libra.
DOCE DA CASCA DE GOIABA. Soperior a 800 rs. o caixo com 4 libras, tambem temos
grandes com 8 libras a 21 cada um.
QUEIJOS SUISSO E PRATO. Os melhores que se pode desejar a 600 rs. a libra do prato e
800 rs. o suisso.
CHAMPANHE. Dos melhores fabricantes que vem ao mercado, de 12? a 18I0U0 o gigo e
19500 a garrafa. .
LICORES. Os mais finos que se pode desejar a 800 a garrafa e 9*000 a duzia.
COGNAC INGLEZ. O mais especial que se pode desejar a U000 a garrafa,
duzia tambem temos superior para 700 a garrafa, e 8*000 a duzia.
SERVEJAS. Das milhores marcaa a 59 a duzia, a 500 rs. a garrafa.
NOZES. As melhores do mercado a 120 rs. a libra e 355200 arroba.
PAP^L GREVE. Lizoe pautado o melhor do mercado a 4#000 a resma,
FRUTAS EM CALDAS____Pesego, pera, damasco, rainha Claudia, ginja, serejas, e morango
a 560 rs,a lata, e 69000 a duzia.^
AMEHDOAS. Do casca molle a 240 rs, a libra das melhores, e 200 rs, mais ordinarias, qualqv
Organdys da Clima da arara.
Vende-se s fazsnds por nome organdys da Chi-
na adamascado c palmas de cores, propria para
vestido e muitu largo a 400 rs. o covsdo, cspis
de la psra aenhora a 9g, dilas de grosdenapla
modernos a 20 e 25J : na rua do Imperatiiz, Ir.a
da arara n. 56.
V Arara vende fazenda por nome mais
a mitn.
Vende-E. 'azeods pornome mais a mim pi-
ra vestidoa de se. -^ adamafcada. de b~"/4,c
gostos a 360 o covado, IreCas de cambraias da
salpiquinhoscom 8 i|5 v.ris a 3^500 e 4f : ca
rua ds lmperatriz, loja da arara n. 56._________
Tiras c entremeios da arara.
Vendem-ae tiras e eclremeios da largurs de i
e 5 dedos.de bonitos gostos a lg280 e lfOO a
peca, diUs de ntremelos ai. IfSOVe 1Jj6C0a
peca.corpir.hos borJadoa para meninos a \~Scsit
um : na rua da lmperatriz, loja da arara n.56.
Seineutes de hortalice viadas
de Paris
Chegaram loja de ferragens de Bastos, ca
rus da Cadeis do Recife n. 56 A, as novas smen-
les de hortalice lindas de Taris, ss quaes sao da
superior qualidade. e se vendem barata.*.______
No puteo do Garmo, quina
da rua de Hortas n. 2,
venle-ie msoteiga auito ssperior em barris de
13 libres, proprios para casss particulares a 710
a libra ; sirai [a su a fiiitlidade.
svjia (ella muito barata.
43Rua Jo Queimadoa.
Loja da esquinal que volta p*J~
a Congregacao.
Vende-se
Paletota de essemira, saceos, a 8, 9 e |f
dem idem sobrecseos a 9 10 '2*.
dem de neis casemira, sacc .-.
a 4S, 4$500 e 5g.
dem de merino ds cordo (
e 105000 a
dem de slpaca preta a
lde Calce de casemira pret
dem de cores a 5, 6
Caigas de meia case
dem de Irim par-
Iiem de fuste e
Ilem de rce'io
pretss a ?#, 4*5f
Calcas do pri
Colletes pre
a essemira r
Colletes f*
dem dr
E oatr
aampre
.


e 6,
- 3?.
a catemira
da marin fino
a 4$. 4*500 e 5#.
do s3J. 3*500 e 43.
es de roapa feits, qva
> uenos do que em outra
jgano da Tlsta 6 rer.
MELHOR EXEMPLAR ENCONTRADO
:i. "i .i i i
\ ILEGVEL


OIIVIINUIQAO DE PREGO
MAMO DI r^JMUMSOGO XT1 FI1IA 2 H^fETEMBaO | laja

___
FRANCISCO FERIUNDES DUARTE.
y> Pernambu
a ^^argo da Penha 10
do ^hecidTp"^ **, r,!,ai,os.t8m offd<>> t
Bao SO lom AaAn w,n l.l.il
Neste vasto estabelecime
chara o respeitavel publico desta
capital a de fora, um grande s
PERFE1TO SORTIMENTO DB MO-
tonos receidos de cont propria.
se pcom?n.!ilMIlin''0r con.uorr,nc coimo^oS, mSZ o
dachar remetter pela SC!'" ?"9?_eLf*?h?.ws5ue D.ao P0538* vir- n* ^ndar, da des-
IMILMiD!
DE
Mauoel Pedro de Helio
Largo do Livramento ns 38 e 38 A
Defronte da grade da igreja, cujo titulo distiaetivo
O BALIZA.
do meu
quer parte, pois para issoT recehST e,q"aWade fos* Pdu em outra qual-
maior p.rt dos gneros d. ^2. ^ ""?" navios.d8 veU do d* K
proprietari.Q encarregar-se paracom?m!l l ^orrencia commodidade, resolva o
lachar remellar pela via-Tru .!? nhorea que nao possam vir, nem mandar, de des-
rmazem, iH^^t0^? !odo a l^"' gnero comprado neste
- na. pe, de confianc.ZX TmSS m0 V19Mam I8301""19- P P* este fim
1* -i _L .p aa PromPo conduzr as cartas na chegada do vapor.
QlU
^J-sKjhSijsqu,1,dade da,afra nov'007io rs-
ximtaUeCX* *mis nva dmxui0 a 00"'a ,ibr,' 8m hum 86-
^ h' ^ qUe M '"* d9S*ar n9Ste g8ner 3if000 libra-
ySSOa o mais superior do mercado a 29800 a libra, m porcio se f abat-
0gls em ^iofa*7hSo,dS ""^ "^ "^ "U' fr8SCS 25000' dtM dw-
M ptefa verdadairo inglez a 2000 a libra em porco se faz abatim.nto.
*' n.r mmc .1*1;*?* confaita conteni diversas iguarias muito proprias
para mimos a 1JOO0 cada urna. r r
BaUxtaii* d, soda em latas com differenies oarcas
i llT T,em lasgrinddS "m bolachinha prprias mtSiSR
lAgAMM do llOWtO esp.ia. vinho do Porto em garrafado yindo sigund, m
ao dossd mrcalo a li00 a garrafa e em caixss com 1 duzia qor 12*000
doCp?rPrW,f ? A V' ^T marCaS(Ua V9m a ** Duque
do Porto, Carcavelhos e Fetuna a 1J200 a garrafa "luo
4memU Cm lMM do Porto com 70 garrafas proprio para casa particular
em garrafas 32*000, afianca-s. ser de superior qualidade. particular
lUHO Hl VlfVt de superior qualidade Porto, Figueira a Lisboa 500, 560 00 rs
a garrafa, e em caada a 39500, 49000 e 49500.
Muita atten^o.
Todos os gneros sabidos des-
te Rovo armazem levarSo urna
etiqueta para seguranza dos Srs.
que nao quizerem vir fazer as
suas compras, e mandarem por
seus escravos ou fmulos.
Esta preTenjo atiesta bem,
que a mais perfeite e duradoura
confianca se deseja possuir de to-
dos geralmente, e por isso nao se
pouparao exfortos para serem
bem servidos todos os Srs. com-
pradores, afim de que possa este
grande estabelecimamto ser apon-
tado como um dos melhore
mais acreditados desta praca.
Aviso particular.
Previne-se s pessoas de fora
desta cidade que |odem sem re-
ceio algum mandar os seus pedi-
Rival sem
igual
Ra larga do Rosario n. 63,
junto da botta do Sr. Bar.olomeu.
Pedro P.alo Tidco de So.m, dono deateea-
abalaeimento e.taempra reaoldo "SS? .'-
t barato toda. a. mi.desae de au. loja,p^o
qee tem m rico aortimento, como aeian
Cartoaa de clchelas a 40 rs.
Ca"itia de liaba iu 1 de Alexindrea 80 re.
Diloa de dita de 100 jardas a 40.
Linbss de croiel pare bordar (masse) a 640 rs.
rmteiroa com tic (a e limpe de metat a 180 rs.
rentes de borracha para aliaar a 560 rs.
KMovas para limpar nnhas a 320.
DMM para limptr deotes a 240.
unas para limpar roupa a 1*000.
BWM para limpar cabello 1J>000 rs.
Katampaa de todas ss qBtliddes a 160ra.
Glft! W. bra a 6400 rs.
Botes delloho para calaren, a 50 rs
Ditos de seda para dito a 30 e 40 rs
Sintoa douradoa a 1&500,
Ciixia de panas de aso a 400 ra.
Ditis de metal com panaa a 100 e 200 rs
Botoas para punho a 120 e 160 ra.
Afulhas frineexae em caixinha a 220 rs.
Iloxetis com pedra miito bor.ilas a 4C0 ra.
tolxetea pretoa, 14 pars a 60.
dos por escripto, que sarao satis- ''.T61 p,ra caP,e. dxia, a 800 rs.
feitcs com a m.ior pontualid.de SSSSSSS "oo' m* P"'
e boa f possivel, anda mesmo Miaapar senhora a g400. rs. a duzia.
de objectos que nao seiam oro- Bico Prell> de linho por todo nrer.o nur'a <
objactos que nao sejam pro
prios de-te estabelecimento, como
ferragens, roiudezas, ou medica-
mentos.
O annuocianto desojando fa-
cilitar a consecu^ao dos negocios
que por ventura tenham os seus
freguezes de fra, se offerece
tambera para fazer procurar qual-
quer despensa ou Hcenga que de-
penda da autoridade do Exm. Sr.
Bispo Diocesano, bem como de
apresentar qualquer consulta aos
senhores doutores desta cidade,
quer respeito de direito, quer
de aedieina.
didos, S?Z!Z!?f*9*. obflCto como >ssucar' ""<' ,aa. etc., etc., para serem ven-
fSTi 1iL- ? Producto entregue promptamente a quera for
farms ?J2~. mUlt "-B- '" o annunciante todos
por todo prego pira acabar.
Aiaiin como l*m para trocar imageru de nu-
lo Antonio, Senhor doa Pasaos, e S. Benedicto
de barro a 3>000 ra. cada um. miito barato 1
por ser BOitd perfeito.
L\ava loja da bandeira |
! que vends barago,
I na ra da Cruz do Recife
Retratos de sua alteza real a
princesa d* Ttalia D, Mara
Pia.
Plvora e chumbo
venda.
Joo Jos de Carvalho Moraes Filho
competentemente autoriado rende pl-
vora superior de dierentes marcas e
chumbo de varias qualidades por pre-
90 commodo : os pretendentes podero
dingir-se a sua loja de ferragens na ra
do Queimado n. 15, a contratar.
Esperanca
Loja de miudezas,rua do
Quimado n. 55 4, de
Guiniaraes cj- Mocan,
Para baloes.
cobertaa de fio pira sala a 160 rs. a
Manoel Jos da Footeci. partecpa a
lodos os seus fregyezes e juotaoiente ao
reapeltafel publico, que tem grande aor-
timtolo do regadores, uso da Europa, i8Jo I
vende-as muito
asnaqmUh7n.C,l9Sl,beladment0'n0 sach os S
mas rtmbem um ara.goe um criado s suas ordens.
A todos
desta
determinado.
estes offarecimentos; de
pra^a um bom freguez,
e^a latas cora 10 libras por 41000, e em barril a 400 rs. a libra
aUttU, aaeifefao tt^Vh^fim, 220 rs.
69000. afianza-se ser muito novo.
palos
129000 rs.
a libra, a em caixa grandes por
muito novas a 560 rs. a libra
escabeche das saguintes qualidades savel, congro, corvina,
*f
e em barril cora urna arroba por
COI pSXC de
chame, pescada, e vezugo a 19400.
las d* apermasete 68o r, .,... cixa aeeo .
B Carnauba refinada a 360 rs. a libra, e em arroba a 11| rs-
%2.nau 4o reino___ .ftA
~------stv rjrt e em porc,ao a 500 rs.
Bl^O VR$l$Z para fiambre 640 rg t Iifcfi(
A^^xaaJaJramcoiftB em ,atas d91, mea libra por 1|500) diUs com 3 librti
^'^ ^ Wtalaa 560 rs. o frasco, e 69400 a frasqueir. con 12 frascos.
txfcftaiftal cora genebra de Hollanda com 25 garrafas por 9*000.
^.i^lSta muito limpo, a 160 rs. a libra, e em arroba 49800,
&taa\$8 muito novo a 160 rs. a libra, e 49800 a arroba.
lUmente tIU.il ? q-U-.a,quer genor Sabid desU casa Pda ser ^volvido, que ser
nTn? '"Muido o seu importe, conforme for exigido. 4
u annunciante protesta cumprir com a mais seria e restricta exactido esta sua promessa.
A^s^924aSTuta!m Ia,a8da UeS,brase Ge.Mbra Ter-dadeira Ni"
"Sa^ffJS *** K*
a 280 rs.
a 39 e frasco.
AMENDOAS de casca mole de 240
a libra.
27B.V6Vlibra'e em arroba a 48<>.
arnt HiVVSS 12 a ,ibra' e
arroba de 39 a 39400.
dem de Java de 100 a 120 rs. a libr.
rroba de 39 a 3|400.
Ideto do Maranbo de 100 a 1
e em arroba de 3# a 39200.
dem do Penado a 80 rs. a liD,
29240 e emss''-
"
dem com casca a 1
* 4- 20 cuias 'Lp2*3'"
jAzeitonas em frico
bricante Carduer & Broomhal
19500 a garrafa,
dem de Hollanda era frascos pequeos
des de 500 a 19000.
Graixa em boioes a 240 rs., e a
2700.
dem em lata muito nova a 120 rs.
Grao de bico muito nnvn mn-
-' .,
..
- Si
. c!
" bIIm .
- *
de 19400 a
e gran-
duzia a
barato, bahua, baciaa, -
Danheiros, baldea pin despejo, baciaa de S
aenteupi, gamelas pira binho, latas para
oepoaito de farinha ou oalra qualqter
aervenlia, canecas para eonduiir aeua
machinas para cal, bil.ios para compras;
na sortimentode oulraa muitas obras e lo-
oaa de diferentes tamanhoa e juntamen-
te envernisadas de diversaa cores : rece-
)
pretas;
---------- corea ; rece
oem-se encmraendas e se fabric
voolade de seus donos
aflsnga
-
.
,fc
e se fabricam i i
e janlsmente se -??
a boa qualidade e perfeico das
mesmis obras; ha folha de flandres s es- |
tanno em erginhaa 700 r., verniz co- l
pal 18200 r.. latas de arroba 1*000 i
8ra., cocoa a 1*400 ra., canecoa a 1^000 ra. &
e51dorS a 1J*280 b,,h grmdee a 8
4O00 ra. e peqe.noa a 600 r., baciaa %>
M gran4.es 4000 ra. e pequeas a 600 rs. g
Sludoisto vande-se na loja de funileiro ff
que por aignal tem urna bandeira na por- S
la que gira com o vento, eata chama-se S.
a loja da bandeira. M
mmmmvmmmm'mHmmm
a Bnozalia Noya u 45
estabelecimento vende-#e:ta-
jferro coado libra 110 rs. dem
* Moor libra a 120rs.



B40
-
s
suspiros em meias caixinhas, do melhor fabricante da Babia a 2|S00 cada urna
S*l o mais superior que ha no morcado a 240 rs. a libra, e em garrafes com 5 libras
por 12600, so o garrafo val 500 rs.
*lV&Cs.i?*f&a de Franja muito nova a 200 rs. a libra,
GoklIlH muito fina e alva a
lautos fmo
I e em garrafa t
Azeite doce nfin
dem em barril e de primara qualidavv
a 660 rs. a garr&fa.
Bolaebinhas americanas muito novas de 320
360 rs. a libra. *
Biscoutos e bisoutinhos, araruts, aliados e ou-
tras qualidades de excellentes raassas a 320
rs. a libra,
dem em latinhas de 2 a 3 libras e de diversas
qualidades, conlendo urna lata mais de dez
especies de biscoulinho3 por 19400.
Bolinhos de ovos era latas recommendados pelos
senhores mdicos a 19400 a lata.
Batatas a 80 rs. a libra, e em gigos de 36 a 40
libias por 25200.
Caf do Cear de primeira qualidade, de 280 a
a 300 rs. a libra,
dem do Rio 1. 2.1 e 3. sones a 240,
>s de 500 a 19600
tnhos.
ante fiar de 700 a
Ja 860 a 640 reis
eacos broncos
com barras de cores
a\
reis a libra.
100 rs. a libra e em saccas se faz abatimento.
para dentes a 169 e 280 rs. o maco com 20 macinhos.
P&ilt ^'^ja $0\& das marcas tenante, ou XXX a 600 a duzia e 5 .a garrafa.
SftfVO}* Taa* das mais acrelitadas marcas a 59000 a oQ rs. a girrafa-
a laaCI VksuMO engarrafado o mais superior que tem vio .u nosso mercado a 800 rs
tambara tenho de barril para 560 rs. a garrafa.
'E0114llll0 4 LltOa a 7900O a wrba o280 rs. a libra.
|9an* *P hr, 9}000 arroba, dito de 2.a qualidade a
e a
lavado a 3"
260 rs. e 89000 rs. ^a.
Af yS tfe Marnffioa" 100 rs. e 120 rs a libra, e em arroba a 29000 e 8*500.
CaO Ha\ae3ftlA!A 1 imperial do afamado Abreu ede outros rauitos fabricantes de Lisboa a 800 rs
a lfbra, tamben ha para 500 rs. a libra.
1? KUli&al QID. Caltlfl pecego, damasco, pera, alperche, e ginga a 690 rs. alatta.
se faz a batimento.
KaTwllU'-IS francezas e portuguezas as maisnovosa 640 rs. a latta, em meias latinhas
500 rs.
Botfommx,
a 380 rs, a lata affiansa-so a boa qualidade, e empor^o
Marg, Me loque e S. Juliende Medoque a 9^000 e 108000
a caixa, em garrafa 800 rs. e 1*000.
^al.'iTie o melhor petisco que pode haver por estar prompto a toda hora a 800 rs. a libra.
tfjQUQjlSS UOV&S alocento ea 1*200 o molho com cento e tantas, tambem ha
proprias para conservas a 400 rs. o cento.
Jai Va (rpCt muito nova a 320 rs. a libra, e em arroba a 8*.
? p81 <*^eVe a 49 a resma, dito de peso pautado a 39, dito almajo bom a 39200.
I*I.^SS& paTci SOpa estrellinha e pevide a 600 rs. alibra, em ciixinhas saha mais
barato.
T(Iein de tomate eralatas de l libra por 800 rs ede 2 libras por 1*500.
leire UOCe refinado a 800 rs. a garrafa, e em caixas com 1 duzia por 89500.
-*.m de Lisboa a 720 rs. a garrafa e 5*600 a caada.'
MldOBS de casca molla a 320 rs. a libra e 89000 a arroba.
* llT&g're d^ IjabO'i a 240 rs. a garrafa e 19800 a caada
grande rolha
a fiansa-se a boa
n
.vh$fU->' t a 19800.
*J llli*re br*iHCO 0 qUese p0^Q dezejar ne3le genero a 400 rs. a garrafa.
picores fraiieeZeS de todas as qualidades que se procurar a 19000 rs. a garrafa.
*arillh^ do Warailha> muitoalva echeirosaal60rs..lbra.
J Par> limpar faccas a 180 rs. e era porgo se faz abatimento.
jfeL^116 *n?^eZ 0 a arrafa e 10,000 a c*a cora urna duzia;
dos ganaros cima mencionados encontrar o respeitavel publico um completo sorti-
msnto da tado qu, jendente a molhados.
, 280 e
300 rs. a libra, eem arroba de 79, 7*5.10 'Pr
a 8*500. *"M '
Cha parola de primeira ^alidada a 3*200 a li-
bra. -
^dern uxlra a 2*800.
dem hysson de primeira qualidade de 1S800 a
29800 a libra.
dem nacional de 19500 a 19600 a libra.
dem preto homeopathico de 19500 a 1*800 a
libra, primeira qualidade.
dem idem nao homeopathico de 19500 a 1*800
a libra, primeira qualidade.
Cevadinha a 240 rs. a libra.
Chocolate de Lisboa (do Abrou) encomraenda es-
pecial, qualidade esta que sera medo de errar
a raalhor que aqui tem vindo a 1* Q 500 rs.
o massinho, emendo 12 e 24 paes.
dem hespanhol e francez premiados em di
versas exposices, de 800 a 19 a libra.
dem suisso de differentes qualidades, corno se-
jam baunilha ecanella, etc. etc. de 19100 a
19400 a libra.
Champanha era gigos com 12 garrafas inteiras ou
de 24 meias ditas a 129 a duzia, e em gar-
rafas de 1*160 a 1*200.
Chouricas das mais novas a 480 rs. a libra e em
barril de 1 arrobado 13 a 149.
Charutos superiores Guanabaras, Lanceiros,
Delicias, Napoleoes, Parisiense?, do afamado
fabricante Jos Furtade de Simas e outros de
1*500, 1*800, 2*, 29600, 3S600 e450
o cento.
Ceblas a l9o milho cora mais de 100ceblas.
Conservas inglezas muito novas a 800 rs.
frasco.
Cognac inglez em barril, garrafa a 640 rs.
dem idem engarrafado de 800 a 900 rs. a gar-
rafa. 6
Doce de goiaba em caixoes e em latas, prepara-
do especialmente para embarque, garantindo-
se a boa conservando por um anno.
Krvilhas em latas de 1 a 2 libras de 700 a 800
rs. a lata.
' Extracto de absvntho em garrafas de 1 Ii2 gar-
rafa a 1*500. l
Farinha de trigo Fontana, das marcas SSS, ga-
lega, faraily, de 120 a 160 rs. alibra.
dem do Maranho a 160 rs. a libra, 49800
a arroba.
dem de araruta, especialmente preparada de
a 320e360rs. alibra.
Figos muito superiores a 240 rs. a libra.
Garrafes com mais de 5 garrafas de vinho do
Porto fino, a 3*200.
dem idem de vinho verde a 29800.
dem com mais de 5 garrafas de vinagre de
F. & S. de Lisboa a 1*600.
dem idem com vinagre de Hamburgo a 19000.
dem com mais de 15 garrafas de genebra de
Hollanda a 6*000.
Genebra de laranja em fraseos grandes a 1*000
dem tranceza ae ot>o a o80 .
dem de porco em latas com 10 libras a 39600,
e a libra a 380 rs.
dem em barris muito superior a 360 reis.
Harras^uino de Zara a 800 res frasco.
Massaspara sopa, macarro, talharim e aletria a
300 reis a libra e a caixa com urna arroba
hespanhola a 59500, do fabricante Nervy.
dem finas estrelmha, pevide e outras a 560 rs.
a libra.
Mlhos inglezes e muito superiores a 500 reis
o frasco.
Han dem idem a 29 em frasco
de vidro.
Rjzes superiores a 200 reis a libra.
, Phosphoros do gaz a 2*300 a groza, e a 200
rs. a duzia.
sinto de Lamego o^mieUior do~mreap a 480
reis a libra, e em porgao 460 rs.
dem inglez para fiambre a 560, 640 e 700 rs.
Passas das de carnada de 320 a 400 rs. a libra,
e em caixa de 5 a 6*000.
Palitos para dentes magos com 20 macinhos a
160 rs.
dem lichados idem idem com flor a 240 reis
o mago.
Peixes curvina, safio, linguado, pescada, peixe:
espada, pargo, robalo, salmo e lagostim,
em latas hermticamente fechadas a 1*300 a
lata de 1 a 2 libras, sendo preparado pelos pri-
meiros fabricantes de Lisboa, Inglaterra e A-
merica.
Queijo flamengo do ultimo vapor a 2*000.
dem idem do ultimo navio a -9400., e era cai-
xa a 19200.
dem pralo de 600 a 640 reis a libra.
Salpicos, vindos de casas particulares a 640 reis
a libra.
Sardinbas de Nantes a 380 rs. os quartos, e
meias latas a 580 reis.
Serveja marcaTenente, Cobrinha, Cavallinho e
outras marcas a 4, 5 e 5*800 a duzia.
Sag a 280 rs. a libra e em garrafes com 5 e
6 libras liquido por 1*600 com o garrafo.
Sabo moja de diversas cores e dos molhores a
120 e 200 rs. a libra.
Sal refinado em potes de vidro com rolha do
mesmo por 600 rs. cada uro, s o pote vale
o dnheiro.
Sal refinado em potes de louca com lampa da
mesma por 500 rs. cada pote.
Toucinho de Lisboa do novo a 300 rs. a
libra, e em arroba 89800.
dem idem menos suporior de 160 a 200 rs. a
libra, e em arroba do 5*000 a 69000.
Ti jlos de grande taraanho a 160 rs. cada um
(para limpar facas).
Velas stearinas a 640 rs. o mago.
dem do Aracaty, carnauba, a 400 rs. a libra.
dem de composigo de Buenos-Ayres a 440 rs.
a libra.
Vinhos engarrafados vindos parte delles deconta
propria. como sejam; Duque do Porto, Ca-
m5es, Chamisso, Silva & Meneses, e outros,
que se vendem de 19000 a 1*280 rs. a gar-
rafa e em caixa de 12*000 a 15*000, e
esperam-se novas qualidades.
Vinho Bordeaux das marcas Margaux, S. Ju-
lin, e outros a 800 rs. a garrafa, e a du-
zia a 9*000.
Vinho verdadeiro de Setubal em barril
garrafas de 640 a 800 rs. a garrafa.
Vinho do Porto em pipa das melhores marcas
de 5*000 a 69000 a caada de qualidade
especial.
Vinhode Lisboa, Madera,Careav9llos, Figueira,
francez, e de diversos paizes de 39000 a
49500 a caada,
para meninos a 1 g
a duzia.
Aloja d'aguia braDcatxnbam randa bom
bonitos lencinbos brancos eonfbsws de core
pioprios para rcenlnos, palo dlmr*lo prco A
1* a dezia. Aviita da limiticao oiIL*'*CJ. lalve;
Iguem dfcsconfle tia bondade da fazena, M7s 'iuradonroa'qu desafiares
par desengao dirigir-se, prevenido ae dinhei oowpnr.
ro. roa do Quimado, loja d'aguia branca o. 16 N-B- Temos feito alti
ondeos achara patentes.
Molas
vara.
Agulhas victoria o papel a 110 rs.
Ditas fondo doarado a 120 rs.
Linha de peso, meada a 100 r*.
Dita froxa para bordar a 80 rs
Dita de carretel, 200 jardas a 80 rs.
Dita de cores, qeilquer qualidade.
Gravatas
com botes e sem elles a 1*, de sores
para homem e meninos.
Tranca de linho.
Recebe am lindo sortimento desda trancas
prepriaa para as leves roapaa da leita, ie'at
qie vao-se prevenindo. '
Botes
para casaca e casateque, de cores e pretoa, para
camisa madreperola fina, de oaso para calca a
320 a groza, muilo Unos. *
Colclietes
Esta loja deaejando sempre ter objectos doto*.
recebeu clcheles reforcados do fio bat'.o. as
calas sao em forma de ama carleirinha qe ia
torna maito elegante, s ba na Esperawca a 80
600*" ,m "rla *60 cn T"if por
Peonas de ac
caligrapheas por 2J e2*400, verdadei.'raa da Per-
ry, e de outras qualidadea, per medios do que a
coatuma vender, caetas para aeladquirjr ama
posiQao eleganti leserevndo) a 5Ct) d d,_
taii qualidade como de borrachea 161, a balaoa
160, a pistolete a 120, e maiui boas a muito ba-
ratea por 40 ra. cada ama I
Perfumaras. l
O cheirosc suave sndalo 1*600 o rrauo.
(esssDcia concentrad!) patbchouly, o au^r
bouquel de nupcias, o de Labore, a vetivia'
magnolia, a roaa, o jaamiu,, fl.,r de larengeira.
eum complato oriio>nto da fierfumaria que te-
mos, tanto francezas como inayezis.
Bandas. ^
Pomada imperial, fraco a 9*. -
Jiponeza a 1$.
Imperador a 1>.
nperatriz Eagenia a 18.
fsxposiQao aniveraal a 2*500.
-Mogaa americanas a 500 ra. a 1S
Urco em fraacoa a 600 r.
' Grande, grande, muito a maitc
leos
para cabello, em virlude dadepr
do tido o oleo dito philocome ;
rjiqee por ter vindo todo falsifica
m artigo idntico aquella da b
la que garantimos ser o melhor
r o cabello, a o aroma eacolhld
Hosas e bouquets
i com um fabricante que no
; genero, cujo consamo ae a
teiramenle baixos e seas n
Ispr
4 i*>
rtifici^es com cheiros
A loja d'iguii branca acaba de receber lindas
rosas e bouquots artiflciaea com agradaveis chei-
ros, aiiqaaes servem para trazar-ae na mo as r j j ^
occssioes de bailes, casamento!, ele, etc., o jue LJa IMUtleZCLS TUd CO Ou
aqu noissimo, porm de muito gosto, e poica i **,,' WWlMMlrt qq a
deipezi; castam 1 e 1*500. e acb.m-se nica i ma nUm^O A.
ZEZMH d Queimad. l d'aguii branca | Costureiros.
n,mer0 I A.thu Victoria papel 1S0 .
Liaht (i20O jardas dato loaos nuoioros t
Castarrha a ttct 2*.
Dita muito tea vara a 400 N.
Tranca de linho pan todo praco.
Franja de itda, de laho, e algodao muito ba-
rs.o.
Retroz, linha da novelo etc.
Meias.
Un eom^leo aortimento sendo de
meninos a 240 ra.
Ditaa bmncaa a 200 rs.
Ditas para snhora a 240, 300 a 400 r.
Ditasp-ra homem a 5* e 6J.
aos refinadores e
padeiros.
Na ra do Bum n. 42, e ru da Gruz n. 47,
coras para
vendem-se peneins de rame 'indas ltimamente Ditas pretas para aenhor a400 a 360 rr
de Lisboa, mais baritas'.qxe em outra qualqusr
parte. ^
Vende-ae urna taberna na ra de S. Migael
n. 86, povoacao dos Afogados, com poucos fundos
e era
Gravatas
com boto a 1*.
Da coraa maito bota psn homem a 1*.
., Para meninos estreilinhaa a 800 rs.
para qualjuer principiante, com fregueza pira a Pulri-iris
terr, por a pesso querer-e retirar para fora,' t0D... mlMninll ,, '
tanto a es, 3 port.s de frente, .ando as ditas ; D, 25SL a 4a **
na taberna, e ama separada para familia, coro 3 n lhubal rt. ,mn .t. Ktux
quartos, 2 salas, cozinhs for, quintal mralo eV ^ ""d'* 5 "'
cannha, poi tem a v^iilPgem da c.a ser pro Otoes.
prie, que se far negocio c>m fgurnga em alai-
guel Bxo : a pstoa que quizer, dinja-se a mea-
ros casa, que acbsr Candido Theotonio da Cj-
mara paraeffectaar o nxgocio.
Cr] (lo Lisboa A$ o barril
Tem para vender Antonio Luiz de Olivein
Azevedo, no seu estriptorio ra da Cruz n. 1.
C I t potassa
Veuaem-se r?Ht dous aur-
tigaa ultimameute chegad .&,
ao bem conhecido e ucrediU-
do deposito do Recife u. 12, mais barat
do que em outra qualqu r
parte

j;"
Saldo Ass
Veode-sa a borJo da birea brasileln Atrevi-
da : a tratar com 01 consignatarios Uarqus,
Barros & C. largo do Carpo Sinto n. 6.
Chumbo!
Cnumbo de manicio a 21*500 o quintal, a di-
nheiro : na ra larga do Roaarion; 34.
Vende se a
Concordia n. 54
traveisa da Madre de Dos n. 18.
Vende-sa ama taernana regaezia da Boa-
Vista, tendo poucos fondos, propria para am prin-
cipiante, muito afreguezada tacto para a cidade
como para o mallo : na ra do Mondegj n. 32.
Venda-ate umaescraya de 16al8 innos, que
cozinha, engomma, coze, sem defeito algum :
ruado Imperador n. 50 terceiro andar.
taberna da ra da
a tratar no Recife
Vende-se ama victoria, em bom estado na ra
Nova n. 59, cocheira.
Pira casaca pira cale* groia 320 rs.
Pira eaiTiiea muito fiaos groz l*S0O.
Grandes p.ra roupo croza 1*600.
Paquanioos para criaos* 1*400.
Alamares.
Para capote a dazla por 800 r.
Colxetes.
Da fio batido eepecial duzia 720 ra.
De cartao 14 pares a duzU 500 r.
Em caixa prtoa a duzta 8U0 ra.
Brincos.
A balao br*ncos, anearnadoa. asaca e doerar
par por 1*. *
Rozatinh com padrea qaa paree* diamanta a
par 1*.
Penas e caetas.
Datodae aa qualidades especialmente de eaha-
phla a d lauca.
Cioetai pr* prendar escrever palo syatem da
Sculy utr por 500 ra.
Papel.
Almico pautado 500 folhaa 6.
Dito dito 420 ditas 4*500.
i uno dito 420 ditas 4j.
Dito liso 3*200.
Dito de peso azul a branco 4*500.
Dito azul liso 2*500.
Dito peqeeDO lirjaoo 1*500.
Dito pauueuo d iots 1J200 e 1*500.
Dito tarjado de preto 1*500.
Er.Tlop4. arito lg.
Obreiaa decolaa 100,120 e 300 rs.
Pentes de tartaruga.
A teS,.1* 10# p" *
ZU*>UUUa
Direito para atar caballo a 4.
A ioiitacao por 1*.
Da arripia para meninos a 800 e 1*.
Tartaruga para atizar 3*\
De bfalo para suica e caballo 400 rs.
Pantos de borracha pequanos para trazar por sa-
a* maito boma 320 rs.
E infjci-lade da artigo noament chegadoa &
loja Esprnc ru do Quemado n. 33 A.
lemedios do Dr. iilwty
Prompto alivio.
Rpsolutio renovador.
Pilulaa reguladoraa.
Recentemeote chegadoa pelo navio aMerseys
SSVa* "*MM no fiflcle w
MELHOR EXEMPLAR ENCONTRADO MUTILADO ILEQVEL


DIAK10 Di PIRMM1C. SEXTA FKIfU 36 DE SETBMBaO U 1861.
/
t
i
Calcado francez
na loja do vapor, ra Nova n. 7.
Noto aortimento de calcado fraocex, roapa
taita, a ptrfamartaa daa melhorea qaalidadet.
Ghega vapor para o vi-
gilaste.
Ac para balo.
Sao chagadaa aaverdedeirssaateaaoi aro pira
concertar ou facer baldea, que com ama paquena
qaintta qaalqaar tenhora poda izer um grande
balito, pola randa-fe pelo baratisiimo prego de
140 rt. a vara, oa pega com 50 meiroa a5$5U0:
a no gallo vlglUnte. ru do Crespo n. 7.
Cordo de borracha.
Tambem aso chegadoa oa cordaozinboa da bor-
racha e de ratrot, tortidoa, de lindaa cores e de
todta ie groaaarac, que maitoae deaejava, tan-
to pira palseiraa como para debram de collete,
a para muitas outna obrat: a no gallo vigilan-
te, rBadoCreapo d. 7.
Fita do borracha e de seda.
Tambem ao chegadaa aa aaperiorea fitac de
borracha, asiirn como de aeda preta, propria para I
debram de vestido, como pira collete, qae se
vende pelo barato prego da 160 re. a vara : a <
no galle vigilante, ra do Creapo n. 7. |
C*ix-\s de tartaruga e charu- i
teiras de charo para rap
echarutos.
O tabaquiata qae aprecia a boa pitada de Lia-
boi o animo Princesa, Mearon etc., etc.,
jaat qae compre ama bonita caiza de tartaruga
toda marchetada com a qual nao ae envargonhs-
ra de offerecer da boa pilada de i*u gaato a to- |
doa oa circamatantea qae aa acharem em aaa nv-
da, mnitoa doa qeaes louvarao o aen bom -,-osto.
Aasim como a caiza necessnia ao. 'tabaquista,
cbarateira nao superitas no temante e aendo
alia bonita como soa-fcUe charo nechetaa me-
lbor aera porque <-wa iaao deixa conbacer quau-
to sabe ihmmi o bom. Para oa maia eommo-
dietas tarpbem ha bom aortiraenlo e todos eneoo-
traro h*irateza ama ez qua manidos de diohi-
ro r lirigirem a raa do Queimado loja da aguia
bran ca n. 16.
fLoja aas o por-|
tas era frente do Li
vramento.
*BalGes de 15, 20, 50 e 40 arcos.!
Grande aortimento de balea de arcoa 8
9 os melbores peala fazenda e grandea, chi- 2
tai (rinceaa largas escuras a 220 e 240 1
ra. o covaio, cambraia lita para (or- X
Sro com 8 i|2varaa a 25 a pega, ditaa ti- 1
oa a 3J, 4S, 5? e 65 muito finas, ditas "r
de salpiqainho com 8 1(2 varaa a 3JS50O
a pe :i, cocerlas alcoxoidaa brancas de O
J coras para cama a 4$500 e 59, casias de 2
cores francezaa ((alai seguras a 320 rs. o '
X covado, pega de bretanha de rolo a 2j, S
2 algodo treegado alvo maito largo para g
toalhas a t$ a vara, eufeile a Garibali f
5m aeado pretoa a 5$ cada am, lengo bran- 5
coa com barra de corea a 120 cada um, Se
a roupa eita de todas aa qualidades maito
barato, a loja est eberta at aa 9 horas 1
g da noite. X
Potassa da issia.
Vende-se emeasa de N. O Bieber 4
C. successores. ra da Cruza. 4.
J chegaram os remedios
do Dr. RaduayResolutivo
renovador, proWpto allivio
e plulas reguladoras,
No droguista Raymundo Carlos Leite
lrrnao, ra da Impertriz n. 12.
Enfeites para senhora.
Oa rreltioraa enfeltes pretoa a da edres qae ep-
parae. .a 5{50vi. 6JS e 6J500 : na loja da Victoria,
p rae do Qa.in.ado p. 7'.
Caixinhhs e abazes pars
as menir s trazerea*
no bra$o.
Mallo lindas caizinh
de 100 ria at -500-
d-o Quaimado n^-7''.
Mf ailL
sem segundo.
Na raa do Qaeimado n. 55, loja de miadezaa
de Joa de Azevedo Maia e Silva, est queimando
todaa as suas miadezas maito boaa e bsratiasl-
mn, a saber :
Sapatoa de tranca de laa multo soparlo-
res a 1J440
Ditos de laa para meninos de peito a 200 e 400
Parea de botes para panhos a 240
Calzas com papel de diversas qualidades
aortido a 700
Ditoa de corea o malhor que ha a 700
Theaourea de 6 polegadaa a 40
rea preta muito fioa (libra) 100
Picaa de fita para coa, de saperior qaa-
lidade a 320
Novolloa de linha qae tcm 200 jardas a 40
dem idem de 400 jardas a 60
dem idem de 800 jardas a 110
Linha do gaz de 10 e 20 jardas a tres por
dous barato.
Calzas de folha com phosphoros a 80
Cornetas de ehifre para antreter meni-
noa a 80
Carriteia de linha de 100 jardas a 30
dem da Alexandre maito saperior a 100
Dazia do facas e garios, cabe preto, mal-
to finas a 85500
Calzas com cohetes francezaa a 40
Ditas com phosphoros do gaz a 20
Ditaa com dito de vela muito superior a 20
Caizas com iscaa para accender charutos 40
Duzias da maias cruaa maito encorpa-
das a 28400
Duzia de meias brancas a 1)600
Duzia de meias brancas muito fiaas para
aenbora a 3$000
Macios coro ?;^:;u-. te todas as quali-
dades a / 40
Boleas-multo finas para guardar dinhu-
r**| servam tambem para guardar futro,
/ e servem tambem para senhora a 510 a 800
Thisoaras paquenaa, porm maito fl-
I nasa 200
! Ditaa para unhas tambem muito upe-
riores a 400
Marcas para cobrir, sao pequeas, ptrra
I o pngj convida a 10
'. Paras de meias de cores pera meninos a 160
i Pares de meiai branca', pira meninas a 200
Croza de penoaa d'aeo de todas as qua-
I Hdadas a 500
! Caizas com 100 anvtlopet muito finos a 1|000
Groza de botoea de loaga pratiados a 240
Manguitos com goiimhas.
Venda-sa maoguitoa coin gollohas, fazaoda
maito boa, palo barato praco de 2J0OO, gollinbaa
e puohoa ultimo gosto a 2$O00, gollinbaa maito
finas bem bordadaa a 1JO00 cada ama na raa
do Qaeimado loja de miadezas da Bea fama,
o. 35.
jpmmmm mmmmmmx
Grande
1
liquida^o por lodo
opre^o, na loja do
Seranejo.
RA. DO QUIMADO N. 45.
Apparecaa con} dinheiro que nao
deixarao de comprar.
Chitas ascuraa finas a 160, 180 e 200 g
rs., cortes de vestido pretos bordados a I
velludo de cuato de 15t 5 aa vendem por i
309,40, 509 e 70$, sabidas da baile vel- 8
lado e setim a 125 a 139, camiaas para se- j
nbora a 23 e 3J, gollinbaa a manguitos a 1
2$, 38 e 39500, gollinhaa cambraia borda-
das a 500,600,700. 800, 900 a 1}, ditss
de fil bordado a 120 ra., casaveqaea da
faalao a 59. 69 o 7f, meias de aeda
brancas e pretas para senhora a I92OO
o par, tiras bordadas a 500 a 700 rs.,
lia da qaadro edfeitada a 800 a 360 rs.
o corado, cambraia preta a 400 e 440
ra. a vara, organdys de cores a 600 rs. a
vara, fil branco adamascado para cor-
tinados a veatidos a 400 a 500 ris a
vara, cortea da olleta de casemira bor-
dados pretos a 29 e 390O0. ditos de
Mllado de sor e pretoa a 39, 49,59 e 69,
i.-al-'iots le brim branco francezes a
39500 a 49500, ditos de casemira da co-
res a pratoa a 149 e 169, ditoa de alpaca
preta e de cores a 39,3$500, 49 e 49500,
camisas de peito de linho a 29500, cortea
de collete de gorgare a 19500. 19700,
292OO, 38 a 38500, collotaa feitosdabrim
1 branco a 29000, ditoa feitos de torrars
! a 29500 e 39500, ditos feitos da cssemira
[ a 3,500, 48 a 48500, ditos da velludo a
59, 69 e 79, ditos de fusilo de coree a
18500, am variado aortimento do meias
i para homem e senhora, grinaldas com
flores, chales de troco, espartilhos, e (0-
ds.a qaalidade de roapas feitaa para bo-
rnee que tadeaa vende por matada do
sea valor.
fhaotasia
lentes com enfeius.
A loja d'agaa branca acaba de receber iindoa
Doviaaimos peotes com enfeites pendentes, obrsi.
de muito goilo a ultima moda para senboraa, of radicada, igualmente prompto a seeuro oar
quaes custam de 5 a 12. conforme os diff.rentea JM.ri.in, .1 ... ._.,_:.:. _.i! _.i..aL
SYSTEIA MEDICO HODKLLOWAY
PILLAS HOLLWOYA.
Esa inestimavel especifico, composto intoira-
BaOta da hervas medicinaea, nao comrn mercu-
>m alguma outra subsUneia delectara. Bei
maistenra infancia, a a coupleicao aas-
. 129, conforme os differentes
e agradavels moldea ; assim os pretendentes man-
dem qaanto antes na loja d'aguia branca, raa do
Qaeimado n. 16.
Conservadores para ca-
bellos de senhoras.
A loja d'aguia branca receben esses delicados
enfeites para caberas de aenboras, os quaes alm
da galantera tem maia a singularidade de con-
servar perfeitamente o atado dos cabellos, e sao
elles de um gridiado mu fino e ornado com fl-
mssimca vidrilhos, o qae os tornam to agnda-
veis viits de todos, e vendem-se pelo diminuto
prego de 19500cada um, laso na raa do Qaeimado
loja 0 age branca n. 16.
Vendem se os dous grandes armf------r?
na ra de Apollo de na. 38 e 40 (ce? '.8DS ?1101
contendo o prlmeiro 32 palmos q>7." qV,?n>'
lantoa de fando ; o segando X rei,u e 300
primeotoe poeto menos ,"'>m "t"00 com"
fundos para o caes do r de ,ar0' i"000" C0IB 0I
por dentro para com*"mo -Dome' com *reos
aaal nunicigao, proprio para
e e*fllflDt9 POo de ue deembarqu,
Dmcli" J"D'V r J0"- E' lgu*lmante
proWrio para rocolhe fleros de estiva por ter
milSZE!* e.tl *ia,de' e 'dem-se janto.
Dradr^."40''00^"6 melnor conTer os com-
na ra doa Gaararapea n. 28.
Tiras e ntremelos bordados.
Vaode-ae pecaa 3a tiras bordadaa de 2,500,
3,000, 3,500 a 4.000 entrameioa a 19600 o 2*000
cada pac,. n raa do Qaeimado loja de mindezae
da Boa fama, n. 35. n .
Bouecas fraucezas.
Vr..1e-a bonecas fransazas ricansenta vestida
49000 a 59OOO, e 2J000 bonecas de cera com oa
olhos aovedeos 2}000 e 3000, na raa de Qni-
mado loj da giiadttaa da Boa fama, n. 35.
Fivelas le a$o pars sintos.
Vnde-s Avalas de ac par siolo a 19500 rs. e
29OOO na raa do Quaimado loja de miadezaa
1a Boa fama, n. 85.
Carrosa.
Vende-se ama carroca nova bem coostraida e
bem ferrada, e qae serve para tai e cavallo por
ser appirelhada para urna a outra cupo : ca'ru
da Concordia, tenda de ferreiro junto a um eata-
leiro de cirpinteiro.
Vendem-se tachas de
ferro cuado do fabricante mais
acreditado : o a ra do Brum
n. 28 B, armazem de Jos da
Suva Lovo & C.
? bn par menina,
leja da Victoria, na ra
Friij
as predas com vi-
drho e sei elle.
Rico* certimeot-ja de franjas pratas c d* tdret
cors vidrilhoe sato alie : na loja 'a Viroria, na
raa do Queimido n. 75.
iohasde peso verda-
* deiras..
Linhas finas de paae verdadeirea. meatiaa
grar 1 a 240 ris : na loja da Victoria, na raa
do Qaaimade n. 75.
Phosphoros de seguran*;
Phosphoros de ssguranca, por qae livra de i^
cendle, a 160 r.; a caiza : na loja da Victoria,
aa raa do Qaaimade n. 75.
Baleias para vestidos.
lals maito grandes e boas a 160 ria ama 1
aa leja da Victoria, na raa do Qaeimado n. 75.
Linha de croxel para ia-
byriutho.
Aa malhore linhaa de crozei para labyrlcthe,
" e cevalloe mooatros 1 820 ria am : na leja da Vic-
torla, na raa do Quaimado n. 75.
Sintos dourados para se-
nhoras.
Lindo sintoc douracoa pan senhorae a 29200,
dito de ponte cahid ditoa do fita a 19600:
oa loja da Vieoria, na ra do Quaimado c. 75.
Baleias.
Vode-aa balaias 120 r. cada ama aspa de 850
pera balso a 160 r. vara, bande a 19500 ra. a
2800 o pr, ua ra do Qaeimado loja de miadezaa
rt* Boa fm, n. 35. _______
A2#500,sopavo.
3 babadoa a 29500, ditos do tarlatana brancos a
de corea, coro barras e bbdos a 39: na ra
i Imperatris n. 60, loja a armazem do pavo de
gama & Silva.
Cascariihas ie seda.
Vende-sa cascarrilhas da sda para enfsitar
vestidos a 29OOO a pe^a na raa do Qaeimado
loja de miadezaa, n. 35.
Veiat de borracha.
Vande-se meias d* borracha paraqaem padece
da erylpela a 159000 o par, maia de aeda preta
pare aenhora a lgOOO o par na raa do Qaaimade
loja dg rr.lad.tas d Boa taai, n. 35.
Perfumariss muito finas e
baratas.
Opiata iugleza a 19500 rs, dita franceza a 500
ra., 650, I9OOO, olrdMa soriedade hygieniqae
verdatairc al9C0O o frasco, oleo babosa dePivar
rerdadeiro a 800 rs. o frasco, agaa balsmica
para oa dantea a 19O00, dita da Botot tambem
para os deutes s IgOU o fraseo, pomada trnce-
la em paos a 500 ra. e 19UO0, 320 rs. sabonetea
maito lino a 640 rs., 800 rs. e 19000 cada um na
raa do Quaimado loja da miadezaa da Boa fama,
o. 35.____________
Cartas unas para vollarete
X. loja d'aguia branca acaba de receber um bom
corlimento de carlaa com tintas muifints, papel
lustroio e opaco, e earaclerea de novos desenhos,
representando as figuras os grandes personagena
das gaerraa da tilia o oatros. J se v, pois,
que com un baralhos aasiin boos e bGnitos, tor-
na-a* ainda m*ia deleitavel o entreter-se parta
da noite no divertido voltarete, tendo sempre
espadilba, manilba, basto, etc., etc.e pelo con-
trario am pichoso, ao qua los boliohosaa chava-
na do bom cb do dono da casa far esquecer e
pouco que pf rder. Os baralhos de canto redon-
do e doarado cestem 69 a duzia, oa immediato*
59, e outros 49, 3J500 e 39. Tambera ha finas
para os apiizooadoa da bisca, etpsdilha, etc.,
viste do qae nao ha mais a cansarse, o pretn-
dante diriglr-se com diuh'iro rea do Qaeima-
do, loja d'aguia branca n. 16, que aera bem aer-
vido conforme o lonvavol coatume.
Aa$ Srs. consumidores
de gaz
Noa armazene do caea do Ramoa os. 18 a 36, a
oa raa do Trapicho novo ( no Recite ) n. 8, se
vende gaz liquido americano nrimeira quslidade,
e recntenteme chegado, a 159000 a lata de 5 ga-
lo?, assim como latas de 10 a de 5 garrafa, e
em garrafa.
Vende-so urna lveme com peucoa fandos
sit< na ra Direita dos Afogados n. 84 A : quem
pretender diriji-se a meama que achara com
quem tratar.____________
Sobo vigilante.
Fatal ts euliY&8.
Perott.
' chegado no vapor francez oa lindos perotla
ou eofeitea ptra as seuboras cooiervarem o ca-
bello antes de ser amarrado, pois so a vista taz
f, pelo baralissimo pre;o de 1J500 : s no vigi-
lante, ra do Crespo d. 7.
Gravatinhas.
Tambem sao chegadas as lindas gravatinhas
pretas e de cores, tanto para homem como para
senhora, tando as de homem lindos boloese eom
elstico, se venie peio baralissimo prego de l
19500 : 16 no vigilante, raa do Crespo n. 7.
Aderezo! prlo
Tambem ebegaram os lindos aderemos pretos,
sendo daas palseiraa, rosetas, alucete, tado am
ama caixinha, inteiramente couaa nova neata
praca, todos maito delicados pela grande mo
de obra qaa tem, pois as pessoas de bom gosto
saberao apreciar : s no gallo vigilante, raa do
Crespo n. 7.
Agulhas
Tambem ao chegadas as verdadeiras agalhas
Victoria, de fando dobrad, que se vende pelo
barato prego de 100 rs. o papal: s no galle vi-
giUnte, raa do Creapo n.7.___________________
Capellas para noiva.
Tambem ao chegadas as lindas capellaa bran-
cas, o mais delicado qaa pode baver, qae se ven-
de pelo baratisiimo prego dt.79 e 69, tambem ha
nutria maia inferiores qae se vende por 29 e 39.
Pede-se qae quem tivar de comprar qualquer
destes objectos, que se aprease antes que se ses-
be, poisfoi spanas urnas pequeas amoatras qae
ae recebeu : sno gallo vigilante, raa do Crespo
namero 7.
Arados americanos e machinas
para lavar roupa: em casa de S. P.
j ol us ton
42.
C ra da Senzalla Nova
XX
Machinas americanas.
Em casa de N. O. Biabar & C, aacaessores;
raa da Cruz n. 4, vendem-ae :
Machinas para regar bortas e captm.
Ditaa para descarogar milho.
] Ditas para cortar caplm.
Selin com perteaces a 109 a 209.
Obras de metal principe prateadas.
I Alcatro da Saeca.
Varniz de alcatr* pira oios.
Salsa parrilhade primvircqaalidaal* da Pari.
Virtho Xerez de 1836 em caixaa de 1 Jutt.
Cognac em caixaa da 1 dazia.
Arados a gradas.
Briihantes.
Cirrogas pequeas.
i
w<
l@@

[n tos de D. Liiiz II

icos espehos de e 0. Mara Pia
moldura dourada paral
salas.
Lt'.-f"* para a lja da Vitor. ama peqaasa
poree do ricos espelbss de vrico Uoianhos para
ernamestes de salee, afliangando-se serem os
melhoree em vidroa qa tem vlndo : na loja da
Victori, na raa do Quai-giado o. 7{L
Laa para bordar.
Las mullo to de lodae ae cores para bordar, a '
79 a libra : na loja da Victoria, na rea o Que]- :
made n. 75.
Linhas do gaz, \
Caixinhac com 50 covellos de li.-.h maito 8- *
ae do gaz a 900 rie a caixi, ditas com 30 no-
vallo a 700 ris, dita com 10 novelioa graodlea '
a 700 ria, brancas a pretaa: na loja da Vietorila. I
na raa do Queiroado n. 75. \ <
y
Saperiorea bichas hamburguezas naa e grandes porgSes, e tambem se alu^am, ca/l
para eogenho : na roa do Imperadora. 28.
*$ Chegaram pelo paquete fran- ^
^ cez Guienne : na ra do Cres- @
^ pon. 9, loja de Nogueira de SJ
^ Souza, junto ao arco de Santo %
| Ar.tonio. &
\ O Gira sol
defreoteda Penha n. 83 vende manteig ingle-
za auperior a 800 ris, dita franceza a 600, qaei-
jos do altimo vapor a 1f000, ditos a 19700 e
1950, cha fino a 29800, caizas de doee de gois-
ba a 500, esperoiacele superior a 720 ris. *-
perior vioho do pe*lo a 800, dito doFigueiraa
640, 560 e 500, e todoa oa maia gneros bons e
bsratot.
Acha-se venda no eseriptorio de Antonio
Luizde O'.ivef.-a Ar.'pio A C. raa da Craz n. 1
a obra tacripta pelo viacondt? de Urugaay.Ensaio
Sobra o Direito Administrativo ; ddxamos de te-
tar elogios a asta obr, basta o nomc de sa sa-
to*- para a tornar *ornrr;endad, dos rolam*s
sai brochara 109. eneadernado lig.
nova de isboa.
O antigo deposito da ra do Bram n. 66, arma-
zem, iciua de receber a saperior cal de Lisboa
da mais nova que ha no mercado, chegada a ni
deites dias pelo brigue portugaez Consiente,
qae e vende por pregos muito commodos.
Na ra da Imperatriz 'no-
mero 20.
Vende-se o seguate.
Bramante com 10 palmos de lirgara a 19500,
riscadinhoa eacarasda cor fiza a 160 rs., casiaa
de torea a 280 a 320 rs., olaadoa para cobrir
mesas a i$, indianas maito hnas a If, chitas a
160, 200, 40, 280 e 320 r., eambraiaa de tai-
picos da corea a brencas a 400 rs., cobertoret
brincot e eieuroi a 1^200, 19600 e 29, pannoa
Onoa pretot e de cortt t 29, 29400 e 39, tam-
braiis para cortinados a 29 a pega, ditas llsss r
29. 39. 4| e 59, tapetes maito nao 63 79,
thipeo de teda a de cattor mai'o finos o do ul-
timo gosto de Parit a 89 a 99, ditos de ftltro fi-
ne eopa alta a 59, citamiraspara forro de carroa
a I96OO, cortes de dte maito fina par* calgaa a
49, pegis de eotremeioa a 19, e finlmente ma-
dapolet, algodoej, brins, bretanhat e oatrai
maitaa fazendaa qae o dono do estabolecimento
etti retolvida a vender maito barato aflm do
aparar dinheiro, dando-te aecompetentetamot-
traa com panhor.
desaneigar o aaal na compleigo mais robusta
jentiramente innocente em suas oparages aiaf-
feitos; pois busca a remo ve as doancas da qual-
quer especie e grao por mais antigs tenazas
que sejam.
Entre milhares de pessoas evitadas com este
remedio, muitas que j eslava s portas da
morte, preservando era seu uso conseguirn
recobrar a saude a {orces, depois de haver tenta-
do inutilmenta todos os outros remedios.
As mais aff licus nao devem entregar-te a des-
espera^ao; J^^ra um complante ensato das
efficazg-'eg8il0SNjesta assombrosa medicina, o
. Pjjates recuperaro o bleneficio da saude.
Nao se perca lempo em tb^r esu remedio
Aara qualquer das seguintes enfermidao^
Camisas bordudas e outros ob-
jectoi uecesaarios para
senhoras.
Ha loja da agaia branca acha-ae am bello cr-
timento de bonitas camisinhss da fin cambn'a
com babadlnboa a mu bonitos bordados da no-
Tos e dellcadoa detenhoa, as qutss servem mil
btm para oa modernos vtatidoa de frent ab;t
a vendem-te palo diminuto prego da 39 cada
* i aatim como bonitos mangottoeabaiao com
gollinhaa da aaperior cambraia eB16 e todoa boi-
dados. cote panhos viradoa e cada prpelo S-
ratissimo pregodeSI, oqaa admiravei avif.a
oa aupariondadetfaobra, a bem aatim panhrt a
gollinhaa tambem bordado com bonitos botea
a 29agsarnigao, % gollinhas soltst igualmente
bem bordadas a 19 cada uro c manguitos a 800
re. o par. A viata pois de am tao computo sor-
timento nenhuma senhora deixar da comprar
eiscsnecessarios objectes tanto maia qcmU a
commodidade dos pregos convida para que le-
dos sejam bem servidos convem qae mandtm
logo comprar na loja da agaia branca raa <-u
Quaimado n. 16.
I
iO que
Ra do Amorim n. 43,
Vendem-se 1
iccaa com milho novo a 29500,
va-
dit.. com Jttjjynggjjj:
~ 'CI*Veija-se c&ixes
ios, proprios para funileiro
e ohuieiro> A ifaS0 cafaum .
tiesta TOographia se dir.
ceidentas epilpticos.
Al porcas.
Ampolas.
Areias ( mal de)
Asthras.
Clicas.
Convulses.
Debilidad ou extenua-
cao
Debilidad ou falta de
torgas para qualquer
eousa.
Desinteria.
Dor da garganta.
de barrigai
nos rins.
Dureza no venire.
Enfermidade no venus.
Ditas no figado.
Ditas venreas.
Enchaqueca.
Herysipela.
Febre biliosa.
iaaVvender (
ort & C, tende recebido or-
0 tea crttcido depotit de rtla-
Sea
dem par
ft*.*J3LL labricante ter-te retirado do nego-
p?M.l".m b'om'r1:010,' *,p,M0M q" l"ix'r,m
Boa fama n 35.
Vende os seguintes ob-
jectos abaixo mencio-
nados.
Grsmpot a balao com pendente doaradot a 23
o par.
Pentes imitando tartaruga para bandea, ulti-
mo gosto a 39 o par.
Fivelat ptra tintot, ftzenda inteiramanl nova
a 29 o par.
Alfinetea pretos com doarado para senbora, in-
teiramente novoa a 29 cada am.
Botes pretos com doarado para pauhes, intei-
ramente novos, a 29 o par.
Botes de tartaruga para panhos a 19500 o par.
Na raa do Quaimado, loja de miadezaa n. 35,
da boa fama.
Febreto da especie.'V
Gotta.
Hemorrhoidas,
Hydropesia,
Ictericia.
Indigestoes.
Inflammagoes.
Irregularidades de
menstruacSo.
Lombrigas de toda es-
pecie.
Mal de pedra.
Manchas na cutis,
Abslruccao do ventre.
Phtysica ou consump-
gao pulmonar.
Relengao de ourina.
Rheumatismo.
Symptomas secundarios.
Tumores.
Tico doloroso,
Ulceras.
Venreo (mal)
Rival
Rea do QneimaVo n. 55, loja da miadezas -:c
Jos de Azivedo Mi,:' Silva, conhocide por Jo-
si Bigodinho, est ven.dendo tudo pelos preeoi
I sabidos, porm quen cao louber tenh: a
>ondade de ver o que bom e earatiesRX
Febre intermitente.
QVendem-se estas pilulas no estabelecimento
geral da Londres n. 224, Strand, a na loja
de todos os boticarios droguista e outras pessoas
encenagadas de sua venda ea toda a America
do Sul, Ilavana a Hespanha.
Vendem-se as bocetinhas a 800 rs., cada
urna dallas con tem urna instruccao em portu-
gus par explicar o modo ddt se usar destas pi-
lulas.
0 deposito geatl em casa .do Sr. Soum
pharmaceutico, na ra da Gru n. 21 em Per-
aambuco.
Cabriolet
Vendc-se um cabriolet de duas rodas
com todos os arreos e em bom estado,
podendo ser examinado na coxeira da
ra do Imperador n. 45 : a tratar nes-
ta typographia,
Tinta para marcar roupa.
Vande-se tinta para marcar roapa a 19.
Agaa do malabar para Ungir cabelloa a 59 o
(raaco : na ra do Queimado, loja de miudizaan.
35, da boa lama.
Cartas finas para jogar.
Vend-, ijazla da baralhos da cartas nna com
pootv A,..,,. 39500 o 4$ : na raa do Quaimado, loja de mia-
dezas n. 35, boa (ama.
Fitas de laa para debrum.
Vendem-se pegas de Uta de laa par debram a
1J, e am vsra a 120 rt., diUs de seda a 29400, e
em vara a 840 : na rea do Queimado, loja de
miadezaa n. 35 da boa fama.
Superiores atoalhados
adamascado.
Superiores stoalbado adamaicido com 8 pal-
mos de largara a 1$600 rs. a vara : na ra do
Queimado n. 81, ni loja da boa f.
Damasco para colxas e par*
oruamentos de igreja.
Vende-te mhito tuperior damasco de la de
ama 6 cor, maito proprio para colxaa o para
ornamentos, com 6 pslmos de largura pelo ba-
rato prego de 298OO rt. o covado : na raa do
Qaaimade n. 2J, na loja da boa f.
Vende-se o sobrado do pueo da ribeira de
S. Jos o. 1, esqaina de Santa Rita, vende-se
melade a dinheiro e metade a praso, e tambem
ie recebe algara pequeo sitio peito di prega em
troca do meamo, ea alguma caaa terrea : a tratar
na raa do Kaogel n. 75.
Ra Vende-se em casa da S. P. Jonhston & C,
sellins e silhes inglexos, eandietros e casti^aes
bronzeados, lonas inglezas, fio de vela, chicotes
para carros a montara, arreios para carros de
un a dous ca va los, a relogios de onro patenta
ingl...
Relogio*.
Vande-se ata casa de Johnston rater & C,
-i. do Vigario n. 3, ua bello sortimeuto da
i elogios de ouro, patente inglez, de um dos mais
afamados fabricantes de Liverpool; tambe
ama variedade de bonitos trancellint para es
mesmos.
Cbegado pelo vapor fran-
cez s para o vigitante.
Lindos penles de marrafa.
Sao chegadoa os Iindoa pentinhoa douradlnhos
eom muito liodt moldurts da differentes gosto
para marrafa ou travesso, pois s com a vista
oa compradores podero apreciar o -quanto sao
delicados, pelo barato preco de 3J o par, assim
como sem ser dourados de* lindos gostos, pelo
barato prego de 2$ o par : s no vigilante, raa
do Crespo n. 7.
Para atar cabello.
Tambem ba chegado linios peotes de tarta-
ruga todo entrangado cura fita do borracha, de
forma que o cabello amarrado fica dentro de um
Frascoa de Lavande maito Giros, a
Ditos de oleo tboss supirior, a.* 320 ..
Fraco d agoa de colonia maito\na a
Ditos de dits grandes superior, a
pailas coro pos cor de rosa pira liml
dante, a.......
Dazia de sabonetas moilo finos, s
Varas de btco dssllbaa, ett no resto,
Girriteis de linba preta muito grande,
e tem meita linha, a..................
Bengalas do rrelhor gosto, a : .
Tioteirc com tinta muito boa, a .
Baralhos de cartas frii'ia, .
Ditss de cartas portuguezas maito r?
as, a ... i.......'
Vsrss de fita de velludo recortada, a 160
Priscos da banha de argo maito supe-
rior, a...........
Ditos d tiita transparente, a ....
Frascos de macaga perol, muito fine, a
Dito de dito oleo, maito fino, a .
Varas de fita para fuer sintos dos me-
lbores gosto, a........
Babado do Porto para todo o prego. .
Labyrintos muito finos para lodo prego.
Barra com phosphoros muito bons, a .
Missos de linha fina para bordar, a ....
Cartea de colcbetet superiores a 40
Escovae para limpar denles, a 200
Carriteia de relroz de todas as core*
Bonecas nnas porm bonita..
, 240 e.......... t '
Bravatea de ,; ToU,t m>il0","-, *
i^.'es-.,:... ....................K...
ros e masaos de eorsl de qualqaer qua-
lidade a...............................
Sabonetea grandes e muito Onoa, a....
Agulheiros com igulhas......
Fitss para espirtilhos grandes e pe-
queos a 60 e........
Varas de bico de 3 e dedos, a .
Calas com igulhas francezas curtas, a
Linhas em carices brancas a de ed-
res, a .................................
8(K;
500
400
600
160
600
bO
'.*?0
5(j 0
1&0
r.V-
if-0
SO
000
soo
ir o
loo
roo
160
4 inl
2D
CO
SOO
FiCO
1-0
80
80
120-
200
A "),000 rs.
Vehde-e barra com eilnova chegada al time-
mente, a 59, no antigo e acreditado deposito u
raa do Brum n. 66armnam.
V '. "
Moendas o meias moendas
Taixas de ferro batido e
coado.
Machinas de vapor.
Rodas d'agua.
Rodas, dentadas etc., etc.
Rll do Brum n. 38, fundicao
de D. W. Bouman.
Cal nova e velb.
A nova chega.l ltimamente no briguo cas-
Uo\e>, vende-se ns ra do Trapiche, armazem
numero 9.
eche c
*ii
Verdadeira pecbincha.
Vendem-te cortee de tuperior gorgurao da te- i en*r*(ia(,. inteirimente cousa novs, e d muito
da piracoUetet pelo baralissimo preco de 1 '?osl0' ",im cn>oom lago a Mos de lindos fe-
t e 39 o corte : na ra do Queimado n. 22 na itl0,, q" ,e Tende por pre?0 m"il r*10*,ei '
bam conhecida loja d boa f. no 'g't'P'e. ra do Crespo n. 7.__________
S
l^ara os tabaquistas
Langoa muit* Dnoa a imit.gto do de li*ho de t, "P11""",? ",ao ,", *
maito bonitot p.droet a de corea fl.t multo "**10 ?i1, re"'S ? pa" bom
proprio. par. .. pe.so.t qua tom.m tab.co?p. o P" "oho" 5 ^ no vig.l.nt. ra. t
Luvas de pellica.
T.mbem cheg.do .. verd.deira. luvas da
era como
o Crepo
Novo surlimento de meia casemira para Ci^as
e psletots a 6d0 rs. o covado : na rui do Qeei-
moo n. 3, esquina que volta pira a Congro-
aico.
Attenco.
Vende-se 16 a 20 travs todas de muito boa
qualidade: quem is quizer comprar entenda-se
na ra do Aragao casa n. 40, que abi achara
com quem tratar.
barato prego de 4800 e 5*500 a duzia : na ra
doOaeimodo n. 22, na bam conhecida loja ds
boa f.
Laa vara bordar
Tambem ha auperior laa para bordar que ce
vende por 6$ a libr, assim como lia de familia
que tt vnde 145, e em cada caiiinha muito fin*
pelo baratitsimo prego de "S a caizinha : a no
vigilante, raa do Craipo n. 7.
Espelhos
Tambem ha grande aortimento deeapeihoare-
dondoade moldura doaradot de todot ot lacia
nhos, com excellente vidro, qua se vende pek
do Crespo n.7.
Libras sterlinas.
Vendem-se no eseriptorio de Msnoel Ignacio
de Oliveira & Filho, largo do Corpo Santo n, 10.
Novos pentes
di) tartaruga e massa,
cora dourado e. sera elle,
para atar cabello.
A loja d'aguis branca acaba da receber esses
pentes de que ss senhoras tanto preciiavam nar
I ^^ -.*vt viu i *>in:u>r mili.', u QCT TTllUf U**il
igualar ios pequeos dourados. O sortimento ; baralissimo de 3S, 4fi a 58 s no vigilante, raa
pequeo, porm completo, porque tem de tarta-
raga e missa, dourados a sem o ser. A belleza
e perfeigao delles difficil destrever, a por isso
limitsmo-nos a dizer qae elles sao de am dese-
ubo novitaimo de apurado gosto, a de caito*
ezecagao, na qaal o artista elevou-se por sua
pericie. Tem ellea a forma de um lago de fita no
ceotro do qae se eonheco o feche por meio de
ama Avalla, isso alem da rendados, tanto os d
tartaraga como oa de massa. Agora, pois, que
apparece o bom, convem qoe as seohorss se nao
demorem em mandar comprar na loja d'aguia
ranea, rui do Queimado n. 16.
Viagens Polares.
Sahio a' luz, e acha-se a' venda na
Ltvraria Econmica, a obra vertida do
inglez pelo primeiro tenente da armada
Collatino Marques de Souza, a qual
tem por titulo Descobertas e Aventu-
ras nos Mares e Regioes Polares
POR
Sir John Leslie,
Roberto Jameson
E
Hugh Murray.
Esta importante obra compor-se ha
de dez olhetos, do custo cada um de
1$, e ornada de um mappa dos mares
polares, e de bellas estampas, que suc-
cessivamente acompanharo 08 olhetos,
que mensalmente te publicarSo.
Sintos.
Tambem chegado oa muito desejados aintoi
com ritas flvelia de concha e borlla ao lado
cousa muito chique se vende psle barato prego
de 49, s.sim como ricas fireltt p.r. tinto, com
pedrinh. de lindo, gostos que se vende a 1;6U0
e 2g; s no vigilante raa do Crespo n. 7.
Chegado pelo va-
por fran-cez s para o vigi-
laute finos pentes de mar-
rafa.
E' chegado oa lindot penlinhoi dourados com
muitas linda moldaras de differentea gottot pi-
ra mairafa oa travtatot, pois s com a vista os
compradores saberao apreciar o qamto sao deli-
cados pelo binUltimo prego de SJOOo o par :
aasm como tem ter douradot de lindot gostos,
pelo bsrato prego de 29 : na ra do Ceespo n. 7.
S no galo vigiltnte. ro. do Crespo n. 7.
roz.
Vende-se arroz moido superior, de 8 libras para
cima a 2&&00 a arroba, em libra a 100 rt. : io
pateo do Carmo, quina da ra de Hoitas n. 2.
Vente io o tostado do pateo da rlbtira 3e
S. Jet u. 1 ttqulua ot raa de Santa Rita, eos-
do metade a ci,tetro e metade a praio a tam-
bem se ret*b ilfum peqaeao sitio perto d
priga oa meimo a:*m caa tarrea: a traur
a* rea do R.ngel n. 75.
Vende se
ama errroga com boi, tudo em bom estado : a
fssoa quizer, dirija-se ;i praga da Independen-
cia n. 17, que e dir quem a vende.
&s<3ra?os rugidos.
200$ de gratiiicacao
a quem pegar e pardo Francisco, de 17 anLM
la idade, de bonita figura, com todos os dentar,
cabellos carapinhot e raivot, ette pardo foi de
Sr. Dr. Borgetda Fonteci, o qatl viajo com *
metmo tenhor todo o sertao a suburbios desu
provincia,necessailmente quando ert tea es-
cravo, a talvez ainda tt incalqae a aervigo :'
metmo : quem e pegar qaaira entre'gt lo a tta
legitimo dono na ras do Hoapicio n. 6.
Ignacio Luiz da Brito Tabarda.
Grsmpss a balo.
Tambem ahogado at lindas grampat i balo,
coaaa maito linda : a no vigilante, ra do Crea-
po n. 7.
Ptassa da Russia
e Americana.
No eteriptorio de Mantel Ignacio de Oliveira &
Filho, largo do Corpo Santo *. 19, por prego
raaii barato do que em outra qialqter parte.
Fagio no da 8 deate mez do eoginbo Bom
Succetso da fraguezia d'Agna-Preta, comarca ,-
Palmares, o escravo Jos, crioulo, de idade 35
innot pouco mais cu menos, cor preta, altura re-
gular, secco do corpo, rosto comprido e descar-
nado, barba pouca com bigodescrescidos, marcaa
de ftidas nsa pernas, am pouco gago, viciado no
fumar, e ofScial de aapateiro : rogase a appre-
henso e entrega do mesmo ao tnenle Antero
Aprigio Ferreira da Costa no referido eogenho,
ou ri'sii cidide a Malaqaisa de Lsgoa Ferreira
morador na roa do Rosario da Boa-Vista n. 12,
onda ie recompensar o conductor.
Fagio no da 12 de dezembro de 1861 do en-
genbo Boa-Viata, fregnezia de Serinhem o es-
tavo Jote, cor cabra, cabello crespo, testa gran-
de eesntuda, poaca cobrancelha, olho vivo, boc-
ea peqaena, oa denles apodrecendo no queixo-
de cima, barba poaca, os peitos altos como de
pombo, altara regalar, de bom carpo, tem algucs
talhot nsa costu, poico espantado, os dedot dos
pe rema para dentro, ide Je de 30 annot pouco
rrais ou mtnct.
MUTILADO
I
<;
ILEGtVEL


DIARIO M FiWAMMCO- SEXTA IBA DI S1T*MB*0 DE l>:
Literatura
Instituto Sarcheologico e Geogra-
phico Pernambucano.
Discurso pronunciado pilo orador etcolhido para
representar o Alheneu Pernambucano, Jos
fiel de Jess Leile ("
pe>T,o. qaerl-lo elevar i altara da divindade,
por^e, amm como oo cea alia lia eeue eepleo-
dorf grandezee, anim tamban e na larra 01
pote' tem acgoee qae procaram representar 01
sanie* desejoido Omnipotente.
A pita tanda promette mananciaM de pros-
peridad!! pira o eoriquecimenlo da nona hlfinW
patria? ella solevanta cheia de vida e de vigor,'
eeate voiao tabernculo patritico, onde ae en-
I co- trsrdoi 01 obreiroi maia iaatradoi daita pro-
^^ZS^f^JZET-iZT' honr-^. irabalh.ndo devidam.nte por accord.rem
in?.^ ..! .. eVm.e vCUOlbe de eo-m?r|- I 0Dda' Pera notas de luz os bellos principios
.? n,1 LJl?. -") f,e,lah0>0- P" lao i de sausave, des.fler o eterno rtconnecimeoio
cotl.Dte ronniasao ful eocarregado hontem s d< vossos compatriotas.
.^i'jfi!'.-..-._ ._ Delx.t qu. a turba indifferente nao aprecie o
rosao lagnan ampeoho pela vida e proiparidade
de vossa patria, que aomenti pode bem existir,
recordando-ae e progredindo na pratica daa mea-
As poueat horas decorridaa de ento para c,
alm da fraqueza natural, nao me permittiram
preparar na trabalho digno d vossa illualrada
tspectaliva.
Quando, senhores, urna phalaoge de bomens
amestradoa naa lidea acientifkaa ae levanta cheia
emprehendestea.
O Alheneu Pernambocsno, porm.soMadiM*
mas acges beroicaa da aua geranio pasuda ,
deuae-a, pois que ella, nao aentlndo correr am
dos alXJ ? u d,S Se" \nlTM~ r*r desl obra magestosa, que o nobre-
hf.rf. %.? efem bell,menl? Pfrpe'uadaa na | mente emprehendealp..
Miioria patria por novas avestigagoea na arena
acientiflea e histrica, qaem se negar aos
\ liusos, quem
anima;,'
A pro
heroicas,
de seua lidadores, nao podia cooaentir que,a fou>
ee deatruidra do tempo eontinuaase a apaga p/a
memoria de cada urn a verdade desaas tradi^rso.
pela traca voz de seo ioterpre
e vos admira.
e vem admirar, e
sociedade dos va-
. quaoto nao bello, senhores,
raeteneuco mais a mocidade contemplar at grandes acgoee dos
to que se deve aos | mais aot gos, e beber llcgoes de vlrtude e de ex-
fosse, nao seria malor o perlgo. Mas o qae all
ae nao veris, ara que logo atrs ama cabra in-
mensa, arrestada pela corrate, latan coa
ondea, bafava egoitendo as agnai, e fallgava-ie
com estorbos inuteia. O vapor qaa j enlo re-
ce a va, dea-ae lelamente oatra direcgao, de molo
qae os doea compsnheiros de iof >rtanio pesia-
ran loogeamdo oatro. O pobre do preto, no
aotanto, gritava como am posseiso, e quasi a
affogr-se aioda commetiia barbaramos aem
nenhum temor de Deas nern dos homens. Dsus,
.porm, foi servido que elle nao morresie duas
vezes sephixiado, pois iria com alguna erroa de
grammstica atravesados na garganta. Mi acu
di, gente.
Este espectacalo ejentou certaa ideas da alt
considerarlo a profundo respeito, como ae diz
ra secretaria de calado dos negocios estraogeiros,
edmiragao que ea j seotia pelo Amizonas
Ii eo, porm, tratando de saas ilhss. Sao el-
laa do mea entender urna das msravilbas do
Para. Multiplica o carao destesrios pela exten-
sio de suss msrgens, toma a cireamfereotia
deates milhares de ilhas,considera quantos
ros ha ainda de curso manos coohecido. os aaaea
IA1a At. mn~. ...__._____-_. _
E boje que eocetaes o caminho de vossa glo-
riosa romsgem com a possa daqaelles, que to
Era orncisn r,lir ,ui ---.v merecidamente foram ele tos para a direcgao dos
.7"J5S5! T .s a0 Pa9saa0 pesqu- voisos trabalhos,
'.t
Vos que compreheudestee o
pronunciado deste seeulo, o
hroesi o ao amor da plrla>v0i encarregasles de
lao sublime tarefe, e insa^dos por UB1j idano-
tore e petrolice. destaf7,ne ,j,,a e realmente
creste o Instituto Afoheologico e Gsographlco
Pernambucano
A vida de umvs.j, deve |er altastnela |
tnstoria.um pifio, qaedapoisde tres scalos co-
lonial, a cusj^ de seu deD0(io e herosmo, aoube
q"e.Draruufi urna das cadeis que o preodiam
nai&u 1(le'Polismo e alistar-se no mappa daa
caQoes l'.'yres, lia do ler ricas paginas para
enriqec/er 0 |,r de saa historia.
hti
da:'.
.s paginas derem ser escrlptss com a ver-
j6 do patriotismo e com a jsti;a do procedi-
tjentj de cada um. O here merece os bymnoa
da victoria e o cobarde nao ple deixar de ttr
mencionado como am atheo da religio do en-
grandecimnto e gloria da patria.
A historia de um povo a sua melhor apresen-
tagao em qualquer lugar do muodo ; a aua car-
11 de roommenlago diante do mundo militado
As acges gloriosas nunca devem morrer, pois
o or^ulho a nobreza de um paiz s podem cun-
aistr as paginas douradas de sua historia, e
i, telina que se esforcem por collecciona-las, pa-
r puri.t-l'is-las em um livro magestoso e sobe-
rano, am de ser lido pslos cootemporaneos e pe-
ios vindouros, prestara um importante servigo
minora dos grandes, patria e si proprio.
Magnnimo que o vosso um, senhores do
Icsti'.uto Archeologico e Geographico Pernamba- I da> sm eleldada scieol
"ercorrer a lirra, consaltar oa iitos gi- a",->rdJour. fe '* i"iblic
-j- dos vossos antepassslos, atravessar o
peno ,1,. Tossa historia, e corngir os factos de
algur 3con
achar revestidos, pai. a tudo isso perpe
tuado em monumentos immorr.-iouros como ir^- a TerJ,ae : os que o nao viram aluda con-
Diorredouros devem ser os oomesdos hartes per- '< *irflm e guardan l em am dos escaninhos d'al
nambucanos na historia do Brasil, magnnimo ma d.esajo da o visitar ainda algum dia. Poa,
qu? o vosso lim I no mei0 Qo luJo. C'S 1e o Anazinaa nada maia
E nem ha receiar o deixar Jes de estudar e de e do tta UJ rio. V-se, e admira-ae, maa s
contemplar conveniente e cuidadosamente 0s! com *ux'lio d relexio quj elle se torna ss-
acontecimonlos oolaveis dageragao paasada, paral sojofOio.
sr.rem b^m roraprchnudidas e purificadas aa auas | ^''ega-ae por um mmeoso lengol d'agua,
verdaJeiras glorias, que sao egualmenta ss vos- i onJe yeuto levanta tempestades perigosas,
onde a ooja e a cobra se afogam por nao pode-
ren cortir a eorreute, e como que o espirito se
satisfaz pensando ter j contemplado o Amazo-
periencia as pagiuas de aeus livros I
U Atheoeu, pois, vos dirig um cordial e sin-
cero aperlar de mao, e manda-me dizer-vos que,
corxo elle, na carreira de vosea gloriosa jornada
s tenhaes por divisa Avante sempre.
Cartas do i Mondes Al ter.
i
Antonio Henrlqaes.
Masoslo de dezembro de 1861
Principio agora com ama serie da cirtas to
tongas cada urna dellas, quo o nosso correio se-
gundo desconlio as nio deixar chsgar s tuas
mos, seoo por intermitencias. Setechegarem
constantemente, que elle o far de velhaco,
pelo gosto do me dar um desmentido perante o
respeiiavel, to pjuco respeiUdo. Ainda bem
se o QzerI
As noisas coasas lo interessam. Ahi vo pois
urnas noiiciai curiosas e necessarias como aa
batisaria o padre Vaacoocello, coaaaa que a
urna le morliqaern ecoasjlem como a langa de
Absalo, qae ao mesxo tampo levava a bocea o
mel e o ferrorecelta a que tea collega Willia
deu modernamente a desigajgo de Xarope cha-
libeado. Veode-se na bolles, tanto basta para
ser abomiuivel.
Todava apesir destss reminiscenciasbibUco-
pbarmaceuticaa, (-ae isto escripto ao quv a pena
ea, e aem pretengao
it
O Am^zon
Ao pcounnciar esta palavra loioocoragao bra-
incrirel do aolo favorecida pelo calor e pela hu-
midade ; a vers qae nenham paix lio pro-
prio para a agricultara, nenhum to favoravel
ao commercio, nenhum que ofhrec* tinto des-
envolvimento de trras em contacto com
mvegavel.
E logoo Biii qu Borre a9ph:
se iba tapamoa o oas, a Bolivi
tudo espera do Uadati. que pote ser
por meiodelle; a Vane li e Nova Gn
sgui
;conce^, eduvidas, de que se ponan '* eitremece. Os qua o tem visto sabem que
reslidos. pai. 'a tudo isso perpe- respeilj se tum escripto mais e menos do
sas glorias e ellas convoca qaa viram unidas ao
pulsar do vosso coracao como avila ao corpo.
Cimiohae segursmunte, que ides mostrar so-
ciedade moderna com todos os seas desvarios, a
grandezas e o herosmo da sociedade aotiga com
odjs os seas espleodores.
Oeus permuta que os vo3sos nobres e heroicos
esforgossejam coroadol, e que os modernos, len-
do no livro dos antigos, jamis ae esquegam de
imitar os sous acl >s grandiosos.
Em vossa carreira liaveis de sentir as emoges
viJi'iilis, que nos enche o espirito de terror ao
contemplar os paineis melanclicos, estendidos
por trra pala mo ensaoguentada dos despotas.
Iliveij tambem de vos ajoelhar sobre os tmu-
los dos martyros da santa causs da liberdade, e
eutr.o ahi, orvalhidos com as lagrimas do pranlo
de vosso auero palriolismo, de religiosa' recor-
dagao e de vosso verdadeiro recouheeimnt >,
contemplareis as grandezas de sua memoria, e as
escrevereisem irogos pomposos e immortaes para
admirago dos tontemporaneos, gloria e exomplo
da cruzada do futuro.
Na verdade, aenhores, nobre que foi o palpitar
do peito, d'onde parliu to elevado senlimento,
que vos congrega nesla llluitrsda e respeitavel
associago, ejsmais de entre vos, Pornambuca-
cos, surgiu urna idea to generosa e patritica co-
mo esta, que preside o vosso Instituto.
Recordar, estadar e perpetuar as glorias de um
(') Estas linbas foram escripias somenlo pa-
ra serem lidas e nao impressas, visto o pouco
tempo quetive p*ra dciempenhar esta commia-
aao, que por incorxmcdo dos dignos oradores do
Atlieosu e seu adjunto, fui escolhido para a vaga
uesus j bem tarde. Mas, para acceder as ins-
tancias de um dos dislinctos funecionarioa do
loatiiulo Archeologico vo ser publicadas.
VOLHETim
POR
AMEDEE ACIARD.
XVII
(Continuago do n. 220.)
Neise inlerim o Sr. de Nancrais entro na sala
cm que se achayam os dous amigos.
Tenente, disse elle, basta de converss. Apro-
xima-se a hora da partida.
Teneote exclamaran) um tempo Bella-
Rosa e Cornelio. A' quem est fallando, ca-
pito ?
A' BelU-Rosa : leia e desengane-se por si
mesmo.
E o Sr. de Nancrais astendeu ao mancebo um
p^rganiiuho timbrado com o sello real.
Achei esta patente, prosegua elle, entra os
cipcis que me foram enviados de Pars. Est em
regra, falta ser cumprda.
O posto de tenente para mim exclamou
Bolla-Rosa.
O ministro faz bem as cousas quando qaer,
replicou o caplto. O perdo, urna promogo, o
ainda em cia cem luizes adaotados para farda-
ment I Aqu eit o aviso : amanha podes re
ceber essa quantia do pagador do regiment.
O Sr. de Nancrais gosava da sorpresa e emogo
de Bella Rosa, cojo olhar ia de Cornelio ao capi-
to, p deste ao pergaminho.
Tera a supervivencia do Sr. de Viliebrais,
disie elle, do Sr. de Viliebrais, qaem a corpo-
xago de officiaes expelle do batalho em qasnto
nao presta tontas Deus de auaa infamiaa.
Praza ao eu qua aioda o encontr do meu
caminho 1 obiervou Bella-Rosa.
E' orna qaesto, da qual me caberia ama
grande parte, se o jalgasse digno do nosso odio.
i -ixemoi, porm, ao tempo o cuidado de Tingar-
nos. O dia de boje que to mal comegou, acaba
muilo bem : aa boas noticias chegam amaa apa
out'as. Amanba partiremos para as fronteiras
do norte.
Teremos gaerra ?
Havemoa de ter. O nosso batalho rae reu-
nir-te ao corpo do exercito commaodado pelo
Sr. duque de Luiembourg. E' am ralete gene-
ral, e sob as saas ordena tera logo occasio de
experimentar a tea espada. Devea estir promp-
lo ; aa trombetis daro o signal amanha ao rom-
per do dia.
Por minan, Sr. Bella-Rosa exclamou
Cornelio depois que o Sr. da Nancraia ratirou ae
para ir flecaliaar oa preparativos da partida. ^
fortuna o trata tomo urna leviana qae Depola
de a tormenta-lo aofcivelmente enche-o de aeua
favores I .
Nada fiz para ganha-los : mas espero
que os Hespiobes me ajudaro bem a mere-
ce-los.
Agora que o aeo negocios eitio em boro
as I mas o que se v de am lado e de outro
sao libas, e alcm dasta'a ilnas ha outros canaes
lao volumosos como este, e alm de>tea ca-
naes, novas ilhas I Comprehende-se ento que
pouco siguilkativa a expresso de Vieira quando
a slo chamouras e pragas d'agua,a a alma
se abysma nao podendo formar urna idea com-
pleta do qae eata immensidade 1
Suopoe pois, um ienmenso srclipelado, por-
que de cada um doi seus grandes sHUentea se
podo dizer que tem para mais do mil ilhas, e
nee riespejam alguns milhoes de bracas cubicas
de agu por hora.
Terra rme chama-33 somonte a que nao a-
lagadi;o ; aiargcus ciiamam-te prataa, a*
aguas elevam-se em ondas e vagas, e o vento
couliece que est no seu elemento. Os termos
mesmo da navegago de longo cursoquero di-
zerdo alto mar nao se estranham, antes pare-
cem aqu necessarios.
O Jares ouvir ?
Lim dia, em viagem do Para para o Rio Ne-
gro, navegavamos com mar um poaco pisado no
magnifico vapor Mandos da eompanh.a do Alto-
Amazonas. Seriara duas horss da larde, e es-
tivamos todos sobre a tolda, quando de repente
Orada urna voz nao aei donde: bomem no mar I
Inquietos e sobresaltados, corremos lodosa amu-
rada, tripolago e passageiros, e viu-se urna ca-
bega de preto, que fugii rpida, como urna seta,
pela poupa do barco fra. Ver naquelle ocano
ma pobre creatura lutar com o terrivel elemen-
too pango em que eslava a Incerteza de sal-
vago, a impresso daqualle espectculo assus-
tador,tudo eslava de accordo com o grito de
homem no mar ; porque no mar, onde quar que
caminho, o sonhortencDtj permitte que le lem-
bre os tnous?
Oj seus, meu charo Cornelio? Conheco-oi
perfeitamente O aenhor ama certa mocinha
que minha irma, e pelo molo porque me est
olhsndo, aeho-me muito inclinado crer que o
sea amnr cordealmente retribuido.
K' esta a minha mais doce esperanga.
Muito bem, Approvo que ella empregasse
como empregou as suas alleiges. Has embora
seja a mioha irma urna moga honesta, e o meu
amigo um homem de bem. com tado eochergo
alguns obstculos, que difficaltsm a satisfacao
dessa mutua ternura.
Ora faga o favor ds dizer-me quaes ao esses
obstculos ?
Em primeiro lugar, minha irma muito
plebes; pois fllhs de um pobre falcoeiro.
A' isso s a minha familia tem odireilo de
oppor-se ; e como toda a minha familia se resu-
me Da minha nica pessoa, esparo nao ha de
levar mal que o nobre se ligue ao plebeu.
Entretanto...
Nao admiti mais conNstages oeste ponto.
Demaia o senhor hoje oflicial, a a espada eno-
brece.
Concedo : mas resta ainda am oatro ponto.
Ciauoina quaai nada possue.
Este quasi nada tao visinho do pouco qae
possuo, que aem coropromettimenlo a minha for-
tuna poda alliar-se sua pobreza.
O aenbor tem urna lgica que me nao dei-
xa proseguir. J vejo os meas obstculos cahi-
doa por trra.
Eu esperava isto meamo. Ento, con-
sente ?
Que geito! Porm o mea consautmento
nao bstanle. Existe perto de Saiot-Omer um
velho honrado, que se chama Guilherme Griue-
dal, e que me parece ter alguna diroitos sobre a
Sra. Claudios.
Nao ha duvida I Em viole e qualro horas
estarc com elle.
Sim ; e as madaa reaet ho de aoffrer o
estrago de trea ou quatro cavallos I
Tanto peior para elles I E' o sea officio
correr.
E tambem aera nosso o eslarmos aqui a for-
mar bonitos projectos, que urna bala de artilha-
ria pode n'um pice deatruir ?
Que davida I Uetade di vida paesa-se a
formar caslelloa no ar : urna compensago dos
trabalhos da oulra metade.
Est aempre reolvido a partir ?
Amanha ao nascer do aol. .0 seu batalho
parte para Flandres.e eu para Artois.
E d'ali segas logo para Paria f\.
Nao ; venho reunir-me sua pessoa no
exercito.
O que I Poia pretende militar as nossas
Qleiraa ?
E ento ? Um Irlaodez j mel Fran-
me-hei.
xviii
A leviandade de uu homem grave.
A gaerra da 1667 foi o preludio da grande
guerre de 16~z, que se aonuncioa como m sor-
riso n'um cea sereno, para servir-nos da expres-
so do cavalleiro Temple propoaito da inraso
da Hollanda. V.
Cem mil bomeo moTeodo-se, & um tempo otra-
que nos eatenlem oa bragosdo tapar e d/>
elle Tperigo-
Negro, ao paaaoque se temec
so mar daa Antilhas, e aa n *-",ocias de
Goyaz e Mallo Groiso......
Amigo, seremoa alguma cos d dia, ae
os nosaos vindoaros valaram m^ e o X e Z
(1) de hojedo magna luminaria l Nao lhes
acho outro ponto de contacto aeoo serem ambos
I u Din arias (Ss. Exs. me perdoem.) Cooselhairo
ou commeodador, ministro ou preaidente, o qo*
for um, o que tivar sido oatrodo magna lu-
minaria. E' a Biblia quem o diz, e fleo maso
(Et Daua fectj ; porque aa Deus oa fez, ficaro
(eitoa por todu o sempre.
Adianta.
Pasmado quando entra no grande leito do
Amazonas, perdido neata immensidade, o via-
jante peoaa comaigo ; l mais em cima, eataa
aguas ae bao de tornar menos vol roas, bao
de eatreitar-se astas margeos, e este collosio ha
de emfim cahir debaixo da aeco e da compre-
hsnso dos sentidos humanos I Nesta esoerao-
ga pasaa o Xiog. Tapajs, Trombetas, Madeira
(gigantes tambem) e o rio aempre o mesmo I
Deixa atraz o immenao cebadal do Rio-Negro,
com aa auaa aguaa que espantam pela cor, o
lapur semelbaote ao Nilo com as suaa sete bo-
cas, o Puri, Uayale, llalley, a entre estea, o
Coary, Tafia, Javar, apo, centenas de outros ;
e o temo rio, oa distancia da oitoceotaa, de
noveceutas leguaa aioda parece o mesmo 1
Sem duvida que as aguaa dimiouiram ; maa
e quo ha menos ilhas manos pacanas ; ais tudo.
O que se v com differenga poaco sensivel, s
mesma cousa.
A sua forga ainda a mesma, as suas trans-
formagdes tem anda a mesma iotensidade; por
que o Amazonas, Solimoea e Marapou, eala mo-
dada fluvial n'um s corpo, am grande daatrui
dor ; tambem am creador por excelleocia. Ilhas
e praias faz elle oa desmaocha com assombrosa
facilidade.
Algnma vez, a canoa dirigida por um hbil
pratico, aporta a ama ilha que ali eziate, diz elle
deade que aa viu agenta gante ou por oatro
tarmoa diz que admittido a hooras, proas e
precilgoa de to panosa proBsso.
E' liaa a auperflcie das aguaa ; o cea sereno se
retrata nellaa como n'um espelho, as folhas oo
remechem, oe aoimaea bravioe paslim descuida-
dos, as aves contemplara, pasmadaa os novos
hospedes qaa lhe- ebegam. to patetas amas
como outros.
Na da revella perigo.nem ioAelligentia do ho-
mem, nem ai ioitincto do irracional.
Hestt paz, oeste ao qae parece :maosear das
forgia da natureza, ouve ae de repente um rugido
como' ae oa cua desabaasemirvorea coloaiaaa
oscillam, vergam, tombam como castellos de car-
tas I a trra falta, deaapparece,a canda nao
doaamarra, aem tem tampo : arrbeo*a-ae-Ibe
o eabo, aa aguaa r.|.o.,llJa pelaV T*^da daa
barreiraa e daa arvores repeliera n' tambem pa-
ra o largo ; e antes que ot viajantes possam
tornar a si do aaaombro; antea qae saibam e
conhegam o que foi antea qae o msstre possa
commaodar alguma manobra, voltam ellas pu-
jantes, furiosas, redemoinhando, n'am vrtice
canoa, arvorea, ilha tudo deaapparece e ae eavae
como por eneanto. Botamsmenle algumas dos-
sss arvores-mooatros qae loroam perigoaa a na-
vegago do Solimes e Amazonaa, e cajas raizas
sobrenadara aobranceiras como ilhaa iludanles
sobre a superficie das aguaa ; fogem grasiam-
do algumaa aves lastimando a perda de aeus ni-
chos ; e o rio cobre majestosamente aquella
eapago, aquella .ubi Trojao mostrando apenas
n'aquelle lugar urna larga maucha cor de trra ;
(1) N.fti lagar estavam os nomos de dous no
mena destnelos do paiz, que julgomos dever
sepprimir, o que em nada faz desmerecer o tra-
balbo do illuitro poeta.
(Da Red.)
porejat a liba at eubmerga n'um ablano tSo
tomptela a qaaai to instantneamente como um
tomn n etoga I
Jlit estes deitrogos trra o troncos mate
po te egglomeram, te accnmulam. accree-
tentando n oulra parte a continente -ou formando
auaerce para novas ilbaa. Depole a anioga ear-
gtr dentre as aguas com as saas folhas em forma
de eoragao e o fruto aemilhaoga da um anana
ineulto, e mais cima em trra j maia desto-
i 7lD**ar a aoarana, pasto do herbvoro
peixe-boi, perseguido na trra pelas oogas, nos
nos pelos jacar, e pelo homem em toda a
parte.
IoQoitaspalmeiras, cajas raizes procaram e ae
nutrem de hamldade, lavsotam os laques e as
palmas, mstizadas com aa cores vivas das ara-
ras a papa-gatos, que folgam de poassr aellas.
Logo mais a embaba vira ao aopro da briaa
curvar as folhas de esbraoquigadas, Gguraodo
um bando de gargas pouaadaa margem da cor-
rete ; e como coros de tado, a sumaumeira
eleva e alarga a copa immeosa e magestoaa, cuja
aombra ao maio dia cobre, segando se crO, a cir-
cunferencia daa raizes.
EmQm sombra desta vegetagao vigorosa e
rica vem a baanilha eocruatar-ae nos troncos de
superficie |ragoaa, embalsamando os ares: o
cacaoeiro pouco amigo de sol vira oecallsr-seafob
estas ramagena frondoaaa, em quinto parase tor-
naren! delicioaos mil tractos silvestres, e eotre
elles novas especies dos j domesticados,a
aorva, o auixi.o aragaraoas esperara a mo do
homem para o recompensaren! de aeus disvellos.
Accreacenta a iato milhares de paraeiUe, na-
nitas trepadeirae, que se emaranham pelos tro-
neos, debrugam-se dos ares.estrellam a paiaagem,
malisam o panorama, acariciando a vista e o ol
falo ao mesmo tempo, mas com cores tn > finas
que se nao desmaocharam ainda na palheta do
pintor, maa com olorea to suaves que os oo
descobriram ainda os nossos perfumistas de
agora 1 Aqui, quar ao claro da la, quer no re-
manaear de urna noate aeren dos trpicos, rea-
pira-se i largas, em ondaa, plenos pulmdes,
como se toda a athmoephera nao baataaae para
satisfazer essa deliciosa sede do olfato ; que ae
despert soffregs, que poesia, aioda, que se
sonverte em amor I amor por todoa quantos
respirara aob eate cea abengoado, e cojos paitos,
se algans tendee perto, arfam acordes comvoaco
n um aentimento indisivsl de amor patrio, a de
benevolencia reciproca. /"
Vos que, aemelhaotes a mim e a muiitos ou-
tras, talvezsem razo, vos eotrK.'.eceia qu irri-
fazer com o geito que aa coaaaa couaaa vo to-
mando, acaao por qae .'.ambem se vos tornou
menos risooho o cm da vossa imsginagao,
vos que, n'um accedi de bypocoodria, hegaeies
a daaamar a trra de que aoia filhos e a descrer
dos homens de qaem sois irmos, vinde-me
AO/&W*** iim quarto de hora em noate de luar
sereno, ou nessas noutea de escuro, ainda maia
bellas e mais serenas do que as outraa, am quo
milhe de estrellas se reflectem naa aguas, e no
escuro traoapareote do ceu e do rio deaeoham o
duplicado perfil deasas florestas immovais e gi-
gantescas : respiraeme estes aromas, qae se
elevam auavemeote combinadoa, como de am
vaso de flores, colhidas de fresco, e haveia de
achar-vos oatro, e. como dos lempos felizes
da juventude, capaz ainda daa illusas floridas,
da conflanga Ilimitada, da f robusta, dos suc
cessos, nos homens, no futuro, e, se quer por
alguna momeotoa podereis sentir, haveis 'de aen-
tr orgulho de vos chamardea Brasileiro tambora
Ele que obraa perfaz o gigante em alguns an-
uos I E' a Ilha de Cilypso sem a deusa, e sem
as nymphas que a serviam, um ninho de fadis,
que ae desencantaran), um paraizo mas visto
de looge. Parlo I... toda a luz projecta aombia,
diz um collega, toda a modalha tem reverao.
Santera -se logo oe meruioi, os mlcuias, os piuui,
os mosquitos, as motaeaa e os cavapaus, >s
araohaa, os lacraos, as cobras, todo o arsenal do
diabo em numero infinito de instrumentos,
uos na larra, outros nos ares, uns que mor-
der pela manha, outros larde, out-os de nou-
le, j estas que ferrara cantando, j outros que
mordem J surdioa, com rosto ou mandbulas,
com a boca ou com o abdomen, estes aqui.
aquellas mais longe, em urna palavra, ha de
tudo, para todoa os lempos, para tolos os luga-
res, para todos os gostos I
Nesta Babel de pragas, a poesa, como paisa-
nnho ao cahir da tarde, estonde-ieque ninguem
sabe mais noticias dalla. Eogano-me : a poeaia
do naturalista, botnico ot zologo, proclpal-
oeente se allemo, resiste a tudo. Martiui no
Yapar oa Grao Caquat. coma melhor aa cha-
me, faz um posma S 5 ilido das (Urestas. Lsti
maawscriptt, o poema, e tWtz morra oo lim-
bos, maa ea te fallo, iato que te escravo
egomel hisce oceulis vidi I
Felloi acaso ligeiramente da musa allema.
Pragueoto aera quem n'o suspeit*. Nao, mais,
e acaao melor que ninguem me deixei apaixo-
nar por ella.
A musa allem?!
La rae ama profistao da f de que julgo e
creio a seu respeito, posto quo nao fie a muito
ao caao.
E| urna dvsias nobres dooiellas, um poaco ia-
teingas, mas cheias de poesia e dignas de aea-
tamento, atravesssndo ae vastaa salaa da am an-
ttgo castalio fea !al entre retratos que an',edron-
tem, e ampios razas, que movidos ao sopro de
vento frigi lo n'uma noote de invern, do vida
a movimeoto a am muodo phantastico, ideal e
para aempre desvaoecido I
E ana deisas ligara de aojos, que vimos e
admiramos Iluminadla nos aot'goa misaaea e
velhos livros de orages, com physionoma de
vesssram o Meuse e o Sambre, e conquiataram
Flandres com a rapidez do raio.
A Franga ,preaentava naquella poca um es-
pectculo magnifico. Um re joven e guapo,
amante de todas as glorias e grandazas, Urania
aua corte a flor dis inteligencias dispersas
pelo reino. Moliere e Raclne lornavam o Ihea-
tro francez o primeiro do mundo ; Louvoise
Colbert admioistravam os negocios pblicos ;
Conde e Turenne estavam frente dos exercitos ;
os poetas de mais nomeads, os eseriptores mais
Ilustres, as mulheres maia celebres, os prelados
mais eminentes, em summs urna multido de
homoos destioctos por sua sciencia, espirito e
virtudes devam Pars tsl brilho, til fama,
que se estenda do urna oatra extremidade da
Europa.
Era urna reunio soberba e imponente de ge-
neraos, oradores, sabios, letrados, ministros o
seohoras destinctascomo poucas se eocontram
na historia dos imperios.
A Franga era ao meamo tempo aabia e pode-
rosa, possuia a dupla aulordade das armas e das
letras, e a sua supremaca abrangia taloquer
as cousaa do espirito, qaer as da poltica : ella
ordeoava com a espada em panno, e goveroava
com a penoa.
Durante aa cartas tregoas da paz, asnagoes por
ella veocidaa na guerra iam beber iaatruegoes
esse foco de luz que irradia no meio da Europa,
esse Pars maravilhoso que engendra philoso-
phos e soldados, livros e revoluges para guiar
o mundo !
I.'jz XIV aconselhado pelo cardeal Mazarlo
assignra em 7 de novemb.-o de 1659 o tratado
dos Pyrineos, a perda da betalhe de Danee, a to-
mada deDunquerqoe.de Gravelinei.de Ood^nar
de, e outraa pregas importantea, decidilo a lies-
paoha a propdr ama paz qae foi aceita. Com a
paz aasigoada na ilha de Faiaana o rei ganhou a
conrmago de Artois, Rouisilloo, Perpignan,
Mariemburg, Landrecies, Thlonville, Philippe-
ville, Gravelinea, Mootmady, aaaim como a mo
da Mara Thereza, tilha de Felppe IV, e infanta
da llespinha.
Laiz XIV, que no interior domioava como se-
ohor absoluto, quiz tambsm dominar no'exterior.
Pelo espag.i de oito aonos applicoa-se em cimen-
tar aluengas, neut-aliiar os eaforgos das poten-
cia, cuja rivalidade podia rezeiar, e eiteoder
por toda a parte a supremaca da Franga, qae a
Hespauha coraegou a reconhecer n'ama questo
qae ae dea em Londres entre oe embaixadores
dos dous paizes. O papa Alexindre V v ae for-
gado a censurar, por maio de urna publica e so-
lemne reparago, o ullrage feito ao embaixador
da Frang por sua guarda corsa. Daoquerqae e
Mardick ao resgatadas do poder doa Ingleses
pelo prego de claco mllhes de francos ; reno-
vada a alliaoga com oe Suiasos, tomada Marsal
em Lorraine, pantdoa os piratas d'Argel, sesteo -
lados os Portugueses contra oa Hespanhei; em
aumme o imperador Leopoldo recebe um aoccor-
ro contra oa Tarcos de seis mil voluntarios, os
aeaei tomara gloriosa parte na batalhi de Saint-
Gothard.
Entretanto o roi da Franga agaardava que soas-
se tambem a sua hora. Os mata habis geoeraea
comraandavam o tea exercitoaguerrido e disci-
plinado ; a marioha tiaha sido augmentada. El-
le deitava a Hollanda, sua allisda, exhaurir-se
'uma lula ettoril 9 deisilron contra a Iaglilef
expresslo celeste; mss of ps o as formas en-
volvidos n'umadenae ouvem de brocados, de Te-
lados, ele danaseoe, ligaras que nao poaaam, an-
tes pareeem que aspiram, o qat de fado remoa-
tam aos teas.
Impressioae-sembora das nebulosidades de
Kant, da Fichtt e dt Sehelltog... de Tes em
quando lhe ouvirais im ai, um grito, como se
juntamente serompessem urna corda a lyra e
ma arteria ao corsgo ; o mundo real, a olma,
a hamtoidade, e a natureza que filie, a ns-
tureza para, graode e l? nobre, que qussi pi-
reee ideal, a natureza manifestando-ae n'um
desses bellos idiomas, que por si hooram os que
o fallam, dao testemunho ds suas largas con-
cepges, e prognosticam aa seas vaatas cooquia-
tas nos dominios infinitos da intelligeocia e di
imagloago.
Ma.....
Eu que commetto imam e temerario ?
Musa, oode me sobes ?' Ueice, vadia,
senta-te com proposito, e tonta-oos....
Ai!... j me esquecia que eo tratara de prsgas
e de miudezas qaejaodas I
Dizia tu po;s que, se fosiea somante ellas, a
musa, mesma a do naturalista, teria desculpa,
cantando os enlevos desta trra, que celamos
tanto e to poa;o aproveilamoa. infelizmente
porem oa males, como as sarlinhas, andam em
cardumes e mais infelizmente aioda os cardu
mes, de pragaa fatem aucia com boa meia duze
de enfermi ladea, daa melhores quelemoa regis-
tadas nos ilfemoriaeJ pomolgicos.
alas nao oquerem crer, bem que mais alguem
o tenha dito.
Eotre esse, um homem, to distincto pelas
suas luzes, como polos seas sentimentos rapre-
seotou este Para e Amazonas, como um nferoo
m miniatura, as larras desertaa, inhabita
das, e qaaii inhabiiaveis, a zona trrida doe
antigos com um diluvio de todos os anoos,
emfim s real e verdadeiro paiz de Cocagne para
os fibu&ffjzos o.NoHf.. para os mdicos que nao
tam qiitfazer na corte, e pira ia "/i'warios, sam
pspeluxXde Tendedor de drogas, limera, que
tal dissasde Cahiram-lhe logo em cima desa-
fectos eml barda I
Por experiencia propria bem daves aaber, qu",
onde appcRece mcontestavel merecimento naice
logo esta mWards, como togumelos em tampo
de chara. \
^Cresturasfa quem nunca vistes, qua nao co-
heceis, r^uem nuaca flzestei mal, de quam
nunca se vos dar o valor do um caminho,
multas, a maior parte desses, e o que maia,
oe qua alguma cousa vos devem, os que vos de-
vem muito, estes principalmente, logo que
tends verdadeiro merecimento sao vossos desa-
fectos : o burguez de Alhenas, votando no oi-
tracismo de A'istides ; maa os nossos barguezes
de hoje, gragas s luzes do seeulo, nao se satis
fatem com escrever na concha a letra nefasta !
Atiram com ella, em vez de pedra, cabega do
pobre Ari-tides, para que lome juizo e se conle-
nha nos limites estrenos, na senda trilhada do
vulgar vulgacho. Digo-o aem applieagoes, e
P'sso aliante.
Ora, como ia dizeodo, a chusma dos desafec-
tos cahtulhe em cima como urna nuvam de ga-
fanhotos. Vejam ; qua adimioist-ador, diziam 1
Que juizo de homem Ditar aqulo de Cro
Ducado, que o nico Grao Dieado que ha em
todo o Braail, que o uoico Brasil que ha em
todo o mundo !
Perdo, meus amigos I
L quaoto o administrador nao digo nada
Desde que a le creou, ou van crear urna classe
dellea, da maior videncia, que todo o cm's ro
mama se deve sugeitar lei, e nao ha de mani-
festar talentos que a mesma lhe uo retonhece.
Se nao esf fita ainda a estatistica desloa nossos
grandes homens, paciencia esperemos sem
aventurar juizs temerarios 1
rvgar-so porm iotellfgeneia a crit >rio a urna
intelligencia d'aqaellas, s porque disae, pouco
mais ou menos, que isto um chirco e como
tal doentio, ides mais longo, infinitamente maia
longe do que elle, llouva exagerarlo no sea di-
zer, exagerago intencional, manifesta, proveda ;
mes falsidade, nao.
E ae oo, vele :
Desem&arcs um homem no Para, no comego
das chuvaa ou no principio do anno com a ioten-
go de aegoir para o iuterior. Se tem alguma
alma caritativa que por elle ae ioteresse, pergua-
ta-lhe logo at onde pretendo chegar na sua ex-
cureo.
Eu, responla-lhe o outro, desejo visitar cer-
to ros e lagos, andar por fu'os e igaraps, can
tos e recantos, at oode os fados m'o permilu-
rem.
Hm not ciiji raplioati aoaritaUva.
-- Sem duvida. De caminho.
Homem, nao faga tal I Aconselhar o ou-
tro prudentemente. Deixe isso para mais tard6,
para o tempo da secce. que enlo haver menos
perigo I Olhe, das Trombetas, quem l vae agora,
nao volts Madeira a mesma coaaa. Rio Negro,
isso tiro e queda. Purt morte certa. Dos ou-
tros tambem oo tem que aaber!
Onde ests t, meu Cuoha pensar elle
E o meu Cuoha tem razo ; porque ae ha rios,
que banham as raizes de salsaes immensos, e de
outros vegetaesbanefieos,cjasaguaspor tanto tao
innocentes seno medicinaos,outros como os Pu
rus diseolvem oa humores do aasac, e de outras
plantas venenosas e nocivas, da que l'm poda-
das ai margena, a aa suas aguas eatao loage de
ser salubres.
Considere-se tambem que esi* terreno quasi
todo plano e pouco eleado, que as ehaias sio
prodigiosas, que1 as aguas sobem al G e 8 brecha,
como no Rio Negro, o anno passado, que ar
ra
ra; a preparava-se para eofrar em campo op-
pot mmenle, quanlo a final a morte dt Felp-
pe IV deu-lhe occasio de experimentar as suaa
forgas. Como chefe da familia, e em virtuda do
direito de devolugao, Laiz XIV reiviadicou os Pai
zes-Baixos Hespanhes.
Em quanlo, porem, formidaveis preparativos
pareciam ameagar a Europa otelra, festaa e mais
fasto abrilhantavam as residencias roses de Ver-
sallles, e Saint-Geranio ; o theatro abra as suas
portas, e convidava os mais nobres estraogeiros,
os homsns mais considersveis do paiz a irem ali
apreeiir oa primores da poesia ; por toda a parte
se elevavam esplendidos monument>s; emfim a
corte mais polida e mais brilhaote do mundo via
escoarem-se os dias no meio das pompas da rea-
lezi triamphanta, 9 das maravillas da intelli-
gencia applaudid.
Do centro dessa paz fecunda, embellecida pe-
las mil creacoaa da arto, surge de repente a guer-
ra, e o incendio rebenta oas fronteiras do norte.
O proprio reiOJtravessa o Sambre, e aps elle
marchara os melhores generaes da pocaCon-
de, Turenne, Luxembourg, Crqui, Grammont,
Vaubao, que lhe respondem pela victoria.
Nesie movimeoto geral eram to rpidas e
profundas as vicissitudes, que at mesmo os pe-
queos podiam gilgar oa primeiros postos, im-
nelli os pelo acaao da fortuna. Quando es gran-
des guerras ou tormeotas sociaes agitam as na-
goesa audacia, a intelligencia, e o saber aer-
vem de degrus para ae sabir : aa differengaa se
aniquilam, e aquelles qae esto collocados em
beixa posigo nutrem ento a etperanga de ae-
re m grandes. O homem enrgico abre um ca-
minho com auas proprlaa moa. Apitiguado o
movimeoto, as clatses populares cootiouam a gy-
rar na aua aphsra, a immobilidade eatende-ae
pelo paiz.
Todoa estes peosimentos luziram como um
raio no espirito de Baila-Rosa: eotreviu logo o
seu hoTisonte esclarecido, e com todos os votos
de aua alma desejou que chegsda foaae a hora do
combale.
No aeguinte dia muito cedo o Sr. de Nancrais
maodoa-o chamar para coofiar-lhe o commando
de um corpo de recrolas que acabava de chegar
Cambra!.
Voa adlaote frente dos meus Telhos sol-
dadoa, e eocontrar-noa-hemos em Cbarlesroi.
Quinto mais depressa melhor.
Bella- Kosa detejaria antes seguir immediata-
mente ; mas cumpria-lhe obedecer. Demais a
miaao de qae o eacarregeTam era urna prova de
cooflanga. Reaigoou-se.pois, vendo Cornelio par-
tir e ao meamo tempo o Sr. de Nancrais, aquelle
para Siiot-Omer, eate para Charlesroi.
O leitor por certo nao far a iojuatiga de sup-
pdrqueocabb de eequadra I.a Deroeta foidoa
ltimos em ir cumprimenlar Bella-Rosa pela
sua nova promogo.
Nao ambiciono nem pens as dragonas,
dizia-lhe o pobre cabo de esqaadra ; o que maie
desejo presentemente car sob suaa ordena.
Sa o teneote me permitlisse a greg de acompa-
oha-lo sempre, considerar-me-hia o homem mais
f elii do mando.
Quaodo chegarmos ao exercito trataremos
disto. Estoo certo de qat o Sr. de Nancrais me
conceder eaaa permiaso, que tambem me hi de
e*usar muito prazer.
DepoU desta promem La Daroate, muito >
ZfLi..9mn.oma1ntidadaioc Ival de res-
ha i. h. e.a,niin"* purefaegio, e conce-
:?....?'"' tiM "*' nao lejam dos mais
a r.?v? qM.?,e du hab"u om .
r-7 V2S.'i?' 8,t. ,m PPortm-jt mais gra-
IZiJtJ^WT?' molti" lo que ellas
realmente alo. A ignorancia oa menos preso
dos mais coma.inhos preceilos da hyglenne a
carencia dos nodt.anen.ai o. ma.V.Tgares, '
alta da professor qua os applique, a aaaencls de
todas as commodidadea da vida, e aa mesinhis
dos eu-andeiros, isto o qae torna as molestias
fr*qtentes, o qua as aggrava e prolonga, o q-ia
muitai rezes coesorre psra que terminem fata--
menfs.
Maa prescindamoa dessas bagatellas ; porqu
afora diaso, tudo maisqmaoto natareza, gran-
de, aoberbo, magnideo : todava est ludo de-
serto, inculto, e o ptior, abandonado !
Abandonado ? !
Sim, abaoaooado I Povoajet oeJr'ora flo-
reicentes, pro.per.a, chei.s de vida, todas as d :
itio Negro, por eiemplo tudo isto est hoj*
despovoado CultvaT.m o.tt'ora o ail : o saf
o arroz ; a anab ;-tinham oleras, faziam eor-
doalhsa, extrahiam drogas em abundancia, ebo-
t... vivem de esmolas I O Para, que nio pro-
priamente urna proviocia agrcola, que o nio se
ra tao cedoo Para fornece farinba a Tebatinga I
e am todo o Solimoea, o erroz. como o trigo em
certas partes da Rassia, d duea eolhaitis po-
anno, e a mandioca e a micaxcra amaduruce ea
seis ii.er.es I
Iodioa, que de'le. I Poi. contsvam-ae eno)
as centenas, por milhares I
E pois cheguei aos ludios, fago aqu ponto p:-
lomar folego, e continuar miia da.cangado.
A. G. Dias.
(Do Vubhcador Maranheme).
Laiz de Camoes c o dia 28 de iuojo
de 1862.
ii
[Continuando.)
a Quemouviu dizpr, ascrevia elle, que em a
peqaeno theattT.,ao,mo o de um pobre lelto, qu;
zesse afortuna representa', to grandes desven-
turas E eu, como ae ella Tto baatassem, ma
ponho anda da su part^, porqee p^carar ress -
tir a tantos males, pareca especie de 4esavergo-
nhamento. .
Foi neita estado de extrema misara o ;*lvez
apoquentado por cradores, que o poeta' escre^'J
os aeguintes sonetos um em que pede a mor-
te. outro em que pragueja o da do aeu nasci-
meuto :
Oh! quanto melhor o aupreme dia
Da maosa mor,le, quo o do nascimento I
Oh 1 quanlo m 'hor um s momento
Ojo livra de anuos tantos de agonia I
De aleangat outro bom ceaae a porfa,
Cssss tolo applitado penaamento,
De ludo quanto d conlenlsmento,
Pois s contenta ao corpo a trra fra,
que do aeu fez Deus o dispenseiro.
Tem maia eatreila conta que lhe dar",
Ento parece rito o ovelbeiro.
Triste de quem ao dia derradeiro
Tom de suor alheio por pagar,
Pois a alma ha do vender pelo dioheiro.
O dia em que nasci morra e perega,
Nao o queira jimais o lempo dar.
Nao torne mais ao muodo, e se tornar,
Eclypse, nesse passo, o sol padega.
A luz lhe falte, o sol se escurega.
Mostr o mundo aignaes de se acabar,
Nasgam-!he monetros, sariga chova o ar,
A me ao proprio lilh,o nao conhega.
As pessoss pasmadas'de ignorantes.
As lagrimas no rosto, a cor perdida,
Cuidem que o muodo j sa deatrulu.
Oh I gente temerosa, n3o te espantes.
Que este dia deito ao mando a vida
Mais desgraga la que jamis se va I
Ooe soffrimento nao seris o do infeliz poeta pin
poler proferir expressesde tanta amargura !
Pouco depois da sua morte deu entrada em Lis-
boa Felppe II. per-untou pelo canter dos Luda-
das, e aabendo qaa. era fallecido mostrou dUso
seotimento porque de.eiava de o ver, no entre-
tejo nao sa mostrou difTarente ao sea alto ene-
nho ; (os 15$ que elle recebia, conaervou 6*000
a sua me Anua de S atlendendo aos servir m
de filho, e aer ella muito pobre e velha intei-
rando-lhe depois a penso dos fJOOOoo anno de
108, poca em que aioda era viva.
appareocia, era na c
gre e dizidor, como
pareas posto que j
to em melanclico.
(Continuar-ie-ha;.
rsago muito fcil, a!s-
em aeus motea, e es-
a edade deu a'gum tac-
Miguel Ventura.
(>- de Setembro.)
tisfeifo de si, dirtgiu-se para as fortilicaroes on- SofTrivelmente bem. obrigado. Assim tara-
da se eitaya formando a em compaohia. (Juan- bem dasejaria que todo, passassem...
do ia entrar em fo:rn o Sr. de Nancrais cha Por mioha f Nem todo o mi
mou-o.
O' l, meu bregeiro I Oode vae to apres-
aado ?
Para o meu posto: demorei-me alguma
cousa ; mis prometto compensar esla demora
com bom numero de eslocadas no venlre dos
Hespanhes.
Nao se trata agora de Hespanhes. Que
da sua alabarda ?
A minha alabarda replicou o gabo de es
quadra estupefacto.
Co'os diabos Parece que me explico em :
bom fraacez Nao lhe disseram ainda que era
sargento, ou fsz-ae de esquecido ?
Eu I Sargento I
B i tres horas pouco mais ou menos qua foi, al4bard
nomeaio.
Ms ha urna hora somente que sahi de prisao.
E ha de voltar para alia ae nao fr j re-
veslir-se das iotignies do seu grao. Vamos,
corra.
undo, meu
amigo, quererla t-r esta apparencia que a jora
noto no seu rosto. Se passa bem, nao pareco.
A minha eaude boa, grecas Deus : mas
nemeompre pode a gente andar eonteote vendo
certas cousis.
Eeta philosophia na verdade maito sa :
porm creio que nao compativel com o novn
gru que lhe foi conferido, o qae soube ainda ha
poaco. Succedeu-me no posto, e isto muito
contra a sus espectativa.
E' verdade : semalhante nomeigo tem me
j suscitado ama multido de reflexoea, que ainoa
I hoje me preoecupam naa minhes hars vagas, a
- Oh
Eo
reipeito.
de sargento o meu basto de m:-
taont bem sabe como pens este
Pois eu darii a mioha propria vida,
que pouco ou nada valle, s pan ver um Outro
ai. JrTrl' '0o "Pntdo-r "* coniioei.. mettido oestes habito., .'pesar de insignifica,ci
eia ao cipilio, e partiu logo. Pelo caminho o es-i dalles.
pirito do novo sargento, qua nao o tinh.a elle
muilo esclarecido, formava mil calculoa sobre o: Com qu modo est fallando, meu pobre
sea inesperado adiantamento. S merecer aer < aargnlo Acontecer-lhe-hia alguma deagraei '
punido, porque razo lbe haviam dado a alabar- i A mim ? Nio, seohor. Nao tenho eu des-
da antes mesmo de cumprda a sua pena ? Se. sas fortunas... Ellea procuram sempre os homeu-
pelo contrario a sua conduela devra ter urna re-! de bem...
compensa, porque ento haviam comegado por
prende-lo ? Demaia ocapito estara ou nao sa-
tisfeito com elle ?
Eeta dupla queito perturbava o eotendiment)
do pobre La Deroute ; ere um enigma, cuja de-
eifrsgo lhe ascepeva. Com bem de suppor
nunca elle ousou explicar-ae francamente com o
Sr. de Nancraia ease respeito, e aasim parece
qae essa desagradavel perplexidade o acompa-
nhou at o i a mulo.
Bella-Rosa, em quaota a sua companhia mar-
chava para a frootera do norte, apressava o mais
que poda a orgaoisigo doe aeus recrutas. Tal
actividada empregoa nesse exerticio que em poa-
cos dias os poz em estado de partirem, tanto que
chegaram ao quartel general do exercito antea
de comegada a campanh..
O exercito de Fiandres era commaodado pelo
Sr. principe de Conde, que tinha sob suas ordeos
o Sr. duque de Luxemburgo, o Sr. duque d'Au-
; moat e outros geoeraea. O batalho de artilha-
Bella-Ross aproximou-se de La Deroute, e en-
carou-o. Foi ento que tieou admirado do aba-
linientoque nolou no semblante do sirgenta alu-
aiiado pela fraca claridsda de urna candt, que.
para ali haviam tra?.ido.
Falle deprassa : o que acontecee ?
Urna grande deagraga... Nao sei mesmo ce-
rno lhe coote...
Mas a qaem ".'
Ao nosso capujo.
Ao Sr. de Nincrais ? Venho agora do quar-
tel, e disssram-me que elle eslava ausente ser*
vigo.
E' que por l ignorara talvez a casua.
Qaal poia es3a causa '?
O Sr. de Nmerais est preso.
Preso I E porque ?
Desobedoceu s ordena do general.
O nosso capito commetter ana iufracgV,
ra, de que fszia parte a compaohia do Sr. de contra a disciplina ? Oh I Nao poaairel 1
Naocrais, perteotia ao corpo do Sr. de Luxem-j Pois digo-lh'o eu, que o tL Nao soa ci-
burgo, que foi am dos primeiros a achar-ae naa paz de engaar ao meu lente.
marceos do Sambre em Charlesroi.
Quando Bella-Rosa chegou ao acampsmento
era qaaat noate : dea-se a conhecer s sentineli-
laa poetadas em frente do quartel de arttlharls,,
destribuiu a sua gente, edizendo-ae-lhe que o Sr;
de Nancraia achava-se ausente servigo, dlrigiu-'
se para a tenda que lhe eatava reaervada.
O teneote atabava de desabotoar o talim, e ti-
rar a farde, quando La Deroute suspendendo o
panno da tenda appareceu aoa aeus olhos. O
ssrgeoio tinha o olhar triste e abatido ; mas na
obscuridade que j reinara no interior ds tenda
o seu teoeole nao ae apercebeu disto.
Oh I E' o meu pobre La Deroute? Foi a
primeira pessoa amiga que me ipparecaa aqui.
Eol, como pista f
Como foi isto?
Mal poseo inda comprohender I Mas o que
quer? Depois da morte de seu irroo o Sr. de.
Nancrais j nao parece o mesmo homem : elle
que era outr'ora to calmo e seohor de si, ago-
ra aoefa anraivado. O heiroda plvora torna-r.
louce ; vista do ioisaigo nia sabe maia mode-
lar a aua paciencia, de aorta parece am raslilho
de plvora prximo do fogo I
, Porm vamo ao caao.
r O caso do *-se como too dizer.
j [Continuar-se ha.)
kRNAMBUCO.-TYP.S M. F. Dg F. 4 FILHO.
<
4



MUTILADO
ILEGVEL


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E50Z2CAGR_6DOYMW INGEST_TIME 2013-04-30T19:59:36Z PACKAGE AA00011611_09629
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES