Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:09624


This item is only available as the following downloads:


Full Text
AIIO HIVIII. 1DMEIQ 217
r tre ezes4iaitadts 5100O
?*MreiMze vencido. 6|000
MIMO
WGARRBGA.DOS D4, SUBSCRlPgA.O' DO HORTK.
Parebyba, o Sr. Antonio Alexandrioo de Li-
na ; Natal, o Sr. Antonio Marques da Silva;
Aracaty, o Sr. A. da Lemos Braga ; Cetra o Sr.
J- Jos da Oliveira : Maranho, o Sr. Joaquim
Marques Rodrigues ; Para, Manoel Piuheiro &
O.; Amazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
E^C\RRBGA.D09 DA SUBCRIPgxo' DO SUL.
Aagia. o Sr. Clsodno FalcoDiae; Bahia,
o Sr. Jos Mirtina Alves ; Rio da Janeiro, o Sr.
J"lao Pereira Mariios.
PARTIDAS DOS CORREIOS.
ptinda todos os diss as 9 < horas do dia.
Iguarass, Golanna, e Parabvba naa segundas
e eextas-eiras.
S. Anto, Becerros. Bonito. Saraar, Allioho
e Garaohins as tergi-feiras. *
Pao d'Alho, Naxerelh. Limoero, Brejo. Pes-
quera. Iugazelra, Flores, Villa-Bella, Boa-Vista.
Oericury a Ex as quartas-feira.
Cibo. Seriohero. Rio Formoao Una.Barrelros
Agua-Preta, Pimente ras e Natal quiotaa-feiras!
(Todos os correioa partera a 10 horas da manb)
SAMADO 20 II SETB1BM 01 MI.
m m ii
fir tu* .lUitUdt !J|00O
NrU fruto tara t nbiri>tor
EPHEMSRIDES DO MEZ DE SETEMBRO.
7 La chela as 5 horas e 16 minutos da tarde.
15 guari mingaante a 1 hora 21 minutos da
tarda.
[33 La nofa aa 6 horas e 16 minutos da maohaa.
30 Quarto erescente a 1 bora e 28 minutos da
tarde.
PREAMAR DE HOJE.
Primeiro a 1 hora e 41 minutos da msnha.
Segundo a 1 hora e 18 minutos da tarde.
'ARTIDA DOS VAPO
-'jra o sal al Alagoaa
at a Granja 14 e 29 de
FAHTIPA DOS
Para o Reclfe : do Apip
e-3 l|2da m.;de Olinda
Jabmto i 6 1|2 da m.;
s 7 da o.; d Bem fica
Do Recite: para o Ap
41(2, '>. :,l|, 51[2 e 6
da m. e4 1|2 da t.; para
o Caxang e Varzta a
aa 4 da I. 1
-OSTEIROS,
20; para o norte
mei.
BIS.
a6 1|2. 7, 7112.8
da m. e6 da t.; de
Caxang e Varzta
da m.
as31|2. 4, 4 1|4.
. ; para Olinda s 7
boato a) da t.; para
l[ da |.j para Bem fica
AUDIENCIAS DOS TRIBUNAES DA CAPITAL.
Tribunal do eommereio: segandaso quintas,
Relego ; tergaa o aabbadoa s 10 horas. .
.Fazenda : quintas s 10 horas.
Juizo do eommereio : segundea ao meio dia.
Dito de orphoa: torgas e aexta s 10 horas.
Primeira vara do cival: tercas e sextas so meio
dia.
Segunda rara do eivel: quartaa e sabbados ti
hora da tarde.
DAS DA SEMANA.
15 Segunda. S. Domingoe em Suriano.
IR Tere*. Sj. Cornelio e Cipriano mir.
17 QuarU. As Chairas e S* Francisco de Affsi.
18 Quiote. S. Jos de Capertino f.
S*xta. S. Janearlo b. m.; S. Coostanca.
30 SabO-uo. S Euelsquio a,; S. Glicario b.'
21 omi Festa de Nosaa Senhura das Dores.
ASSIoNA SE
co Reclfe, em a livraria prara da Indepen-
dencia na. 6 e 8. dos propriatario Manoel Pigaei-
Iroa de Fin & Filbo.
Aviso,
Sendo difficil e dispendioso
recebimento das assigoatu-
ras des te Diario, nao so nos
irrabaMes, como lias diver-
jas cidades e villas do inte-
rior da provincia, preveni-
os, aos Srs assignantes des-
das localidades, queiram man-
dar satisfaze-las, antes do pri-
meiro de outubro prximo,
para evitarem a suspenso da
r/emessa desse dia em diante,
medida necessaria, vista do
itraze em que se acharn.
f*ITE OFFICllL
60VERN0 DA PROVINCIA,
expediente do ella 17 de setembro
de 1863.
co ao Exm. presidente da provincia das
i. Sgain lo p>ra esta capital no vapor
'i'n seto pragae de pret do 7" batalhao de
ria qua se dirigem villa de Tatarata.,
gar V. Exc. se eirva de proporciooar-lhes
os de se traneportarem ao lugar de fea
.10 ao commandante das armas. O Exm. Sr.
neistro da guerra, dando aotugo matara do
officio de 54 de julho ultimo, sob n. 1,431,
sbi de declarar-ma era aviso de 27 de agosto
loximo fiado,junt> por copia, que bam proce-
lu o cooiraindanledo 2' batalhao de infamara,
lixando de tirar a pr^atsgo de premio de vo-
Jujitario vencida pelo soliaoo daquelle batalhao,
"*5liciano Pereira da Coats, preao pira responder
sooilho de guerra, por erime de morte. visto
t uos termos do ^ 3 art. 5 da lei n. 1,101 de
-i le aetembro de 1860, as prac.se aantenciadas
f0rpai3 di 6 mezs perdem o direlto a tal van-
''Wi por Uso cumpre esperar a deciso do
d-.iojeonselho, para se saber se com efleito dita
pracj* esi ou oo comprelundida em tal dispo-
aiciA
pituso mesmo. Constando do aviso da repar-
tido da guerra de 3 do correnie, qie foram re-
movidos os segundos-ciru'g'es do corpo de sui-
cie do exercitj, Dra. Abrahio Bruno da Cmara,
e Manxil Al ves da Costa Braoc;,g|e. eiieteniea
nestapuvificla, o priaeiro para a cdrteeoat-
undo para a% Alagla, assim o declaro V. Exc.
pira aea couheciraeato e expeli^o da conve-
nientes orJeas, sd-n de que eises oiFuiaes sigam
quatito antea para os seus destinoi.
ito ao m'smo.Sirva-se V. Exc. de maular
apreseatar ao dilagado da repartido da polieis,
imioha as 10 horas do dia 1 cabo e 10 solda-
dos para esceltarem 7 crimioosos qo vo res-
u'idar ao jury 00 termo do Cabo. Commoni-
c >-ae ao delegado enearregsdo do expediente da
r-partigao da polica.
Ulto ao mesmo. Sirva-se V. Exc. de mandar
apreaentar ao juiz municipal da 2* vara, confor-
me aollcitou em ofcio de 15 deate mez, urna
pra^a montada para aa diligeociss Becessarias
reunio do jury desta capital, que ae acha convo-
cada para o dia 29 do correte.
Dito ao mesmo. Em observaoeia do aviso do
rcioisurioda geerrade 2'J de agoste ultimo, juo-
to por copla, sirva-se V. Exc. de expedir as seaa
<>Meus, aflm de qae regresse para a corteo aol-
J1I0 Ernesto Alexaandrino de Moura, que
i-oo aido remanido para esta provincia como
''- -jirtor do 2* batalhao de infantera, veri tico-
se nao perteacer ao mesmo balalho. segundo
V. Exc. declaro* em seu olficio de 25 de abril
ultimo, sob o. 839.
Dito ao mesmo.Da cooformidade com o ari-
a> circuhr da repartgo da gaerra, da 27 de
agosto ultimo, coostaote da copia jeota, queira
V. Exc. expedir as auaa ordens, para que na re-
inajsa de recrutaa deitioados ao servido do exer-
oilo, ae observe pootualmente o disposto no
art. 15 do regulamento que baixou com o decre-
tlo l* de maio de 1838, e no aviso circular de
95 de abul do aaoo prximo passado.
Dito ao mesmo. Sirva-se V. Exc. de infor-
mar acerca do que pede no incleao reqmerimen-
to Francisco l'ereira Vianna.
Dito ao meamo. Com a copia do aviso da re-
pirti;o da guerra, de 29 de agosto ultimo, ds-
"olvo V. Exc. o incluso mappa da coruc-anhii
artfices desta provocis, afim de que V. Exc.
raaude completar, advertiodo a qaem o fz da
iita em que iocojreu, por nao o lar concluido,
e recommeodsndu por essa occasio que se nao
re'pitam aemelhantea descuidos.
Dito ao dezembargador procurador da corda.
Sirva-se V. S. de interpor o sen parecer acerca
do artigo addiciooal de posturas da cmara mu-
nicipal do Reiife, que incluso remello acompa-
ohado de ioformajao do procurador fiscal da
'.heaouraria de fazeuda
Dito ao inspector da thesouraria de fazenda.
De conformidade com o aviso junto por copia,
expedido pela repartido da guerra em 3 do cor-
rete, mande V. S. abootr ao alfares qusrtel-
rnestre do corpo de guarniqao desta piovincia,
Beruardino Candido de Araujo as vaotagens cor-
respondentes ao seu posto durante a diligencia
em que estsve fra do eorpo, levan lo-se esta das -
peza ao ti diversasdespezas eveatuaea 00
caso de que igaaes vaotagaoa tenham aido abo-
v.-i las durante o mesmo periodo, ao official que
o substituio no emprego, devendo V. S. infor-
mar ae com otfaito honre tal abono.
Dito ao mesmo.Transmiti V. S. para seu
conhecimento e expa ligao das convenientes or-
dens copla do decreto o. 2,965 de 3 do correte,
n mielen do a Carlos Luiz Cambronoe, director
di empreza para o servirlo eesgoto das aguassar-
t: las e asaeio publico desta cidade, isempcao por
lempo de 30 aonos dos direitos de importarlo
de eatrumo preparado pela referida empreza.
Oit) ao mesmo.Transmuto V. S. para o Qm
conveniente a inclusa guia passada pela thesou-
raria de fazenda de Santa Cilharioa, relativa-
mente consignarlo que all deixou o teoeote
juartel-mestre do 9* batalhao de iofantaria Joo
PaalO de Miranda, a qual, para ler esse destino,
os* foi remettida pelo Exm. presidente daquella
provincia, com ofBcio de 3 do correte mez.
Dito ao meamo.Tendo de seguir breiemente
nara a corte o brigue eacuna Fete/toada, mande
V. S. abonar ao commandaote e officiacs daquel-
le navio as comedorias do mez de outubro pr-
ximo vindouro, viato aasim o ha ver solicitado o
commandaote da esta;ao naral em ofBcio de
bontem, aob n.59.
Dito ao meamo; Estando em termos o pret
junto em duplcala, mande V. S. pagar ao ne-
gociante Francisco de Paula Mindeo, conforme
aolicitou o commandante superior da comarca
de Nisrireth em officio de 11 de agosto ultimo,
aob n. US, a importancia dos veocimentos re-
lativos 10 mez do julho ultimo, dos guardas oa-
cionaec destacados naqaella cidade.Commuai-
c)t e oomajaailaate lupenor luipectir*.
Dito ao mesmo. Recommendo V, S. que
nos termos do mea officio de 13 de agosto ulti-
mo, mande pagar a importancia dos vencimentos
relativos ao mez de julho prximo findo, dos
guardaa nacionaes destacados na villa de Barrei-
ros, e para esse fim devolvo o pret em duplcala'
aobre qae verja a sua informado de 2 do C04-
rente, n. 837.
Dito ao mesmo.Restitu V. S. oa documen-
tos que rieran) annexos aaa informacao de 11
do crrante sob n. 869, afim de que mande pa-
gar aos empresarios da illumtoaco a gax nesta
capitil, a quantia de 486} em que importa o
gsz cooaumido no mez de julho ultimo com a 11-
luiniuaco do hospital militar e dos quarteis doa
batalhes quarto de artilharla a p, segundo e
nono de iofantaria, e da companhia de cavaila-
ra, visto estar satiafeita a rsquisiejio da V. S.
cootida na citada informadlo.
Dito ao meamo.Da conformidade com o avi-
ao da reparticao da guerra de 27 de agosto ulti-
mo, constante da copia junta sob o. 1. mande
V. S. nao s abonar a Joaquim Jos de Cirvalho
Siqueira Varejo a gratificado aooual de 6000
que elle percebeu como eocarregado de leceio-
nsr geometra mecnica e deaeoho limar aos
spr.ndizes menores do arsenal de guerra, mas
ttmbem arrecadar a quaclia de 4g, que segundo
a_copia n. 2, deve elle pagar pela expedirao do
citado aviso.
Dito aocapito do porto.Tendo por despacho
deata data concedido ao recruta de marinha Jos
Cardoxo de Araujo; o prazo de 2 mexes contados
de hoje para provar iseoco do recrutamento ;
<*aim o commuoico V. S. para seu conheci-
mento.
Dito ao inepector do arsenal de mariohs.
Manda V. S. fazer alguna raparos ligeiros de que
nacesaita o ve,por Ipiranga, como aolic tou o
commandante da eataco naval em officio dasta
data.
Dito ao director do arsenal de guerra. Traas-
mtto i V. S. para 01 fias convenientes as duas
inclusas primeiras vas de conhecimento dos ob-
jectos que o araeoal de guerra da edrte remelle
ltimamente para esta provincia no brigue nacio-
nal Damon, cumprindo que V. S. fac* seguir na
primeira opportunidadeparao Maraohao.Cear e
Puuhy os objeetjs viudos uo mesmo brigue com
destino aquellas provincias, segundo recoramen-
da o avi em 1 da correte.
Dito ao mesmo. Poraec.1 V. S. com brevlds-
da ao deposito doaait'gos bellicos do Cear vln-
te mil cartazos desembalados para armaa do
adarma 17, como determina o Exm. Sr. miniatro
da guerra m aviso de 29 de agosto Itlmo.
Dito ao deleitado encarregado d repartido da
polica.Faga V. S. desembarcar do vapor de
guerra Ipiranga e ponha disposido do juiz
municipal da primeira vara os sentenciados de
just'.ga Francisco Antonio Claudino, Luiz Antonio
de Sanl'Aona e alaria da Purificado Loureiro,
que vieram do preaidio de Fernando, por terem
cumprido aa peoaa a que haviem sido coodemna-
doa.Remelteram-se as competentes guiaa ao
suorsdito juiz.
Di. o iif. i< aoeisco Elias do Reg Oantaa.
Livpiao couhecimaoto do Exm. Sr. mioiatro da
Justina e do Exm. presidente da provincia do
Amiiooas a matiria do officio desta dta, em que
V. S. participou achar-se melhor da seus soffri-
mentos, e que pretende aegair para aquella pro-
viotia 00 primeiro vapor qae passar para o aor-
'*Fez-sa o necesaario expedieot*.
Dit i ao engeohairo flacal de estrada de ferro.
Remeti por copia a Vmc. o aviso de 23 de
agosto ultimo im que o governo imperial conce-
deu permissao para que fosse aberta ao trafago
publico ama parte da quarta secdo da linha fr-
rea desta provincia, nos termos do avico do mi-
nisterio da agricultura, eommereio e obras publi
cas de 10 de outubro do anoo passado, modi
cando a coodigo segunda de modo que as nbras
estejam completas na poca fizada para a con-
cluso da toda a linha.
Despachos do da t 7 de setembro.
/teauerimento*.
Francisco Xavier Soares. Dirija -se thesou-
raria de fazanda, qusm ae expede ordom para
o pagamento que pede o eupplwante.
Fre Joao Baplistado Espirito Santo.Informe
com urgencia o Sr. inspector da thesouraria pro-
vincial.
Josa Cardoxo de Araujo.Concedo o praxo pe-
dido.
Jos Joaqaim Lopes d'Almeila. Entre-
gue se.
Joaquim Coelho de Sant'Aana.Informe o Sr.
inspedir da thesouraria provincial.
Joo Games da Silva,Quando algam dos hia-
tes obliverem liceoga para seguir, ser attan-
dido.
Joaquim Francisco d'Albuquerque Santiago.
Informe o Sr- Dr. juiz da orphos e ausentes na
parte que Ibe diz respailo.
Miooel Gonalves da Silva.Entregue-ae.
Pedro Jorge da Silva Ramos. Informe o Sr.
Dr. juiz de ausentes na psrte que Ihe diz res-
peito.
Vicente Licinio da Costi Cimpello.Informe
o Sr, Dr. juiz de orphsos e ausentes desti cidade
na parte que lhe diz respailo.
DIARIO DE PERNAMBUCO
A leitura de um artigo estampado no n. 15 do
peridico Correspondencia de Portugal, e sub-
scripto pelo Sr. Franci-^o Travassos Valdez, obri-
ga-oos a laojar ale- a linhas em opposirio s
suaa assergoes, eatomo am protesto contra os seas
enunciados na parle qae seexlaode at nos; vis-
to qua inculcando a colonisaQo portuguesa para
a frica, trata com pouca verdade o que se passa
no Brasil com relado aos colonos porlaguexes.
. Nos enunciados do Sr. Valdez nao queremos ver
ama inteodo offeuslva, sen3o um recurso para o
giuho da caaaa que sostena ; mas a ausencia da-
quella, e a preaenga deste nao mportam a ver-
dade dos fictos avanzados; que por isso mesmo
cumpre que sejam restbaleeidos em aua verda-
dera situado. ErTectivameote aquello Sr. dea
coohece os doas paizes qae ae refere ; ignora as
coodicoes pecaliares frica portuguesa a ao
Brasil; e assim aconselha aos portugueses que
preflram a primeira ao segundo na sua expa-
triado.
E nesse conselho harar a sobaja rsxo, que se
insina ?
Os primeiros portugaezes que habitaran! o Bra-
eil, con necia m par faltamente o territorio africa-
no ; e se este offerecesse as vantsgeos qae ora ae
deacobrem ou nello quarem ver, por certa que
nao daixariam um paiz frtil, qae lhes flcava qua-
si em caaa, para atraveasarem
Mares nunca 'antes navegados,
e virem eatabalecer-se em distancia lo grande.
Este fado histrico, que do dominio de todos,
falla mai alto, apexar de s agora ter-se desco-
cerlo as preconisadas vaotagens do slo africano,
que sao ateridas oa razo inversa dos inconve-
nientes que ae consigna trra da Santa Cruz.
No entretanto, porm, opiniao nona, eompro-
vada pela pratica, que a coloniaa;o da frica s
tem sido excellente para abaorver cipit.es do es-
tado e enriquecer aos respectivos promotores.
Os dados comparativos da receita e deapeza, re-
lativas ella, aaro o melhor mata authentico
argumento. Que o prodazam, que essa exposido
sppare;a, e ver-se-ha a raalidade em sua nudez,
capitulando de am sorvedouro a referida coloni-
sarjao.
Domis, sao lo vantajoias aa coodicas geol-
gicas daquelle slo, tao excollontss sao a&colhei-
ts da M.-sjamaies, qu disto di ara tasteonaho
o mesmo peridico. O Sr. Joo Dusrte d'AImei-
* djz Corraipondenct'o efe Portwgal, traba-
thandocom quarenta pessoas, colheu dwzenlase
cxncoenta arrobas de algodo ; urna prova plana
da uberdada do terreno por certo; mas importa
qae ae aaiba, qae nao ha no Brasil trra que com
!?* n"mero de bragas nu produza o qacdru-plo
desta aomma de arrobas, plantando alada oa ope-
rarios groa a legumea para a propria alimen-
a?ao.
Nao isto um parallelo que abrimos, msa
ums consignado neeeaaaria para marcar o discri-
men entra os sertoes do aprasirel clima de Mossa-
medes e o nono paiz, que o Sr. Valdez aecen-
tua caracteristicameote por este modo, tratando
acerca de emigrados : Se tiveeaem chegado ao
saa destino, muito provavel, qaa ou todos ou
moitos delles j livessem suecumbido. victimas
Ja febre amarella, como tantoa milhares d'outros
corapatnotaa nosaoal... nao podem contar com
outro porvir all, salvas poucas exeepgoes, qua
nao aejs infeliz, e at certo panto de escrav-
dao, e mesmo a morte, ae se desenvolvem ss mo -
lestas, que tem aasolado quasi continuamente
aquella imperio. i> E" para notsr, porm, que
qaando o pintor carregou maito de negro o fundo
do seu qaadro ; qua qaando altrapaaaou a vero-
smuhanca daa aituagoas ; que quando deatioguio
a nosaa trra como lusicida. jjtonto de aer irre-
missivel a morte do emigrado partaguei, que a
proeara ; que qaando finalmente s deixou no
ia i *" a all8rnsti da moite ou da esera-
vidao, lance no mesmo escripto estas pslavrss de
appello c recorra-se mais eita vez s tenden-
cias, esforgos e j proverbial generosidad* e ver-
dadeiro patriotismo dosnossos irmos residentes
no Braail.
D'aqui sa v que nem esta imperio a luso ua-
cropole, que se augura, era lo pouco essa lo
tena de plano lo mal orgaoisado, que s tem um
os outro bilhete com premio, como ae allegori-
sou, da modo qae a parda i absoluta quasl.
D aqui se ve aioda, qae ha grande numero de
portugaezes no Brasil, qua possuem fortuna feita
nesta Ierra, e para o patriotismo dos quaes ae
recorre louravelmonte, devendo notarse, alm
disto, que easa fortuoa nao foi ganha em longa
apoca, como se inculca ; porquo a fortuna agen-
ciada nessas condiges, quando a aflluencia de
erigajadoe, colonos e emigradoa era aioda em
muito pequea eacala, aeha-se hoje em sua ge-
neraiidade aabdividida pelos herdairos dos prirai
uvos amontoadores della ; oa quaea herdeiroa aao
oa plaralidade braaileiroa, braaileira a sua fortu-
o. e por conseguinte o appello nao feito nem
a estes, nem to pouco esta.
Isto posto, nao fallando contra a evidencia
dos actos, qae chsgaro ao fim de9ejado; por
qua elles Um urna logics, que primeiro deve ser
combatida em seus elementos, para d'ahi sabir o
reconhecimento do erro, que se lhe arge.
E alm de que, ae abusos se tem dsdo nos eo-
gajameotos, nao tem elles origem de trra brasi-
lera. so devidoa aoa commaodanlea da navios,
que para obtarem crescido frote, apianara oa mea-
mos de emigrantes; aos qaaes conservam bor-
ic, nao ealtand-, para trra ae nao ajoella que
paga oa garante a pasaagem. Mas, torca con-
ijea-io, eate mesmo abaso j ha mais "de as,
aonos qua Se extingui, ao menos nesta provinf
cis de Pernambuco.
Nao tivemos aqu aioda ama colonia, nem
mesmo um grupo de portagaezes, que se desti-
oassem agricultura ; e dos milhsres de emi-
grantes nem cem ella se dedicam, ao paaso qae
oioguem ignora, que aeviessem com o proposito
Je ser agricultores, nao s seriara bem acolhi-
dos, como recebdos de Dragos abarlos.
Temos immensas trras, e nao ha um s pro
prietario deltas, que nao estejs prompto a admil-
11-los, e a fazer os necessanoi avangos ; mas o
BO1 da emigrago o eommereio, o que j nao
pode darse na frica, porquaoto o desgragado
que all chega, nao tem oatro recurso se oo
plantar nessa trra ingrata.
Ora, a emigragio dasta provincia para Mossa
medes, tonga de tersido sido urna esperaoga para
os portoguezes emigrados, foi a nullificsgo do
sea presente, e a negago do futuro que lluham
em mente. Com ella ae locupletaram armadorea,
orneeedores, agentes e especuladores; della
tirou se em resultado fallecerem niquolia locali-
zada para mais de metade dos emigrados, que se-
ducidos pela aareia da especalago, e apavorsdos
patos funestos acontecimentos dos das 26 e 27
dajunho de 1818, embarcaram deste porto ero
busca aoEldorado, em aabstituigo do qust ach*!
ram porm a fome, a peste e a morte, no em-
ireanto qae os especaladores desta infeliz ne/U.
ciada lucraram 50 por /, no fornecimento. -f.
ontas
recar-
lodos
aciotas
nossa
ssgens, etc., etc., como em presenga da
se demonstrar 1
Desenvolva o Sr. Valdez, pois, qaa
sos tiver em saa intelligencia ; jogue >
os meios que lhe occorrerem como coi,
ao seu fim ; amesquinhe mesmo ui e.
trra, que sam embargo de lado oa seui, m-
menlos cshiro em faca da experiencia Os por-
tuguezes sao recebdos no Braail con: irmos
nao sao aqui desconhecidos, anconi sodo ah
quando aportara s nossas plagas mafatnia
qae a sua, que lhes d a mo, qae, Thes pro-
porciona anda hoje o auspicioso cmico da vida
?.l2mhr"i 'em que lh" ,eiam Wonoioi 01
vmambres de concurrencia dos naV^raea em ca-
ieince. administrago de obras, eje, que foram
VaYde!' "U"" de Um ob,tW< Jilo Sr
Com efTeitj, no Brasil todos os '.rocuram ; to-
dos os querem ; e elles seu no gossr de
mu.tas facilidades, podando usar (de todas aar!
L?..!idl9,0 ofllcioi em eguidade com os
brasileiros, alm de serem preferide,, 0 commer-
Ni0.'.?.e.,l!'",,60,,aqM.,So S8mp're oolicitados.
C m P0d9 M9r pe, '", balance doa
totonyenientes um ou oatro tumultfj popular em
qaa elles possam psrtilhsr com moiioi brasilei-
n'r?f?" V9 laes.lmllos cc.rret.m
uZrHXSt d **.' P0'*' UCS" Po-
tica, que todava no sea intento da persuadir
emigrago para a frica, apenas leMaUim
monstro horaciano ns combioago "JES, d"
coasas que se repugnara a nao guavd,m "" Vor
reros.m.lhanga, par. poder.ra tmRFVi
.nrao,,q, se procurara captar: nem boje K
mais a recalar os abusos dos capiti9, Sa navios
por que o.Sra. cnsules porlug.- ^ tem a nra-
^pe'liviYjQicdo.89 MMU V" O Brasil recouheee e aprecia as rsotasans re-
cproca, da emigrago W^UmTS.
pna. j 1mais conveniente por cs,t., p,u pVl0
lagos Ja sangae, pal. agualdada de coa umes
io P,,;dhdS gU, E'1-' """lieos nao
sao extranboa aoa propf.'os portugueses, que me-
inor apreciam a nossa recepgao do que o Sr. Val-
dez em sea escripto ; e a experiencia daquelles
que. depms de aonos de residencia entre nos,
volvera patria, falla mais alto do que esses
arabescos da intelligencia adstricta ama idea,
qoe proeara inocular noa espintos.
PERNAMBUCO
REVISTA DIARIA.
.um!.-ha'Vr "" h0,a .d lo. m "o
solemne etTartua o nstttufo Archeologico t
beograpktco Pernambucano oamposaameoto dos
membros da saa primeira direcgo effactlTa.
hu luoecio to, lagar a soia.9 do conrelo
do Csrmo. em qua se acha a bibliotheca provin-
cial ; e eipera-se qoe tenha ella a solemnidad a
condigna.
Nao sotando reunido a aasembla geral doa
aeclonistaa da companhia de Jfeor6r para tra-
tar-se do eocanamenlo das agaas patavels para
os ARoidos, deve hojjdar-se essa reaniao, para
a qaal aao os meamos areci jniatas convidados pela !
respectiva direego. ,
r.P,Elm: Sr- P,r.5nt8 da proneia-, em!
folicitoda pelos i^f'jinoi da administrado;
dos negocios sWJ*^-,, i8 acham ,,*
cargo, ;.pb)a de ror moamo ;.,. a.,nin
VbHdfE*** *o Bon-Conse*" 0..V.II!
anta-huntenf *m* ?sila easa collegio.
Nesse att d# preciar petos proprios olbos,
examino:! 8r Elc* "'arios alumnos das classea;
de latim, fr|*Dcei o ingles, bem como a oatros
de primrrsl|Jel(r*'- Alm disto, nao aacapou
su obaerva tado dessa 'P'0 ezame, conta-sos, qae moa-
troa-se S. stisfeilo, acabando por eacrever
no oi6!iwils,o.ibelet
geiras acerca da aua a
No dia 4 do co
o Sr. Dr. chafe de pol
calidaue aens ojaiot al
t
nto palavras mui lison-
ago.
ite chegoa a Tacarat
i. encontrando easa lo-
ago.
oa noticiaa al 16 do
Jantem-ae em baa condi-
De Garuar,
corrate.
A tranquillidade m"""-- >" "
goes, lento apenas hvfi turbio promovido por soldados do destacamento
em conseqaencia daiIIID *am&o.
Eate tacto aoa tr.'nsmitiido nestss palavras:
< Cioco soldados sodestcamento desta cidade,
inclaaive o corneta r'"m Da Q0'te referida nm
lama para aa b/*"*111 do Bosario ; e qaerendo',
elles que urna mojC' a,n* nm *olho qua lam-1
bem abi ae achavrV daoaaaso com elles, e a isto
ae oppoodo o paic ti bastante para que o eapan '
caasem, quebrar0"*6"!.08 caDacs o facen-
do-se-'h--, outras/ oi'ssoes mais, alm de pren-
derem-n'o. ]
facto, preodeui tambem sos autores do delicio,
sendo psra laaidmar qae o corneta se oppozesse
armando-sa, 'I"* "' demais aoldados se son-
aervassam irn,,,,'V9'* speaar da ordem do dele-
gado para alarma-lo. Maa a brioss gusrda
nacional que e\h\ sa Iensv. vendo am superior
desaltendido feelos saos aulalterD0S> agsrrou ao
tal coro ta eVracolhea-o pria'aucom )*
mais. Em qiiaoto astea esli na SOSBora, Vvao
oa guardas nslcionaea fazenlo o servigo sem um
real de sold), a sendo desta sorte privados de
cuidar de aa:4s adazeres.
Por ordelm do Or. juis de direito expedida ao
juiz municilpal, foi passado mandado para serem
ootitlcadaaf teatemanhas que deponham no pro-
cessodo Dlr. Gasjei.o.
isof ioformsnte conclae a carta qoa nos
esta forma :
ir de velbo, e de ter mioha escasa
" receios de ir parar ahi recrutado: a
deata cidade tm aodado da sala para
"om o tal rocrataaento, pois lem sido
un. E por isso maitos elogios leve o
>hefe de polica, qaando para c vol
:ist"> Mf*aita>st avlta i W"i%.
a H, por occasio da miasa que se
Virgem das Dores, am doado que aqui
que s vezes torna-se furioso, fez suaa
igreja, cantando em coro com o Rv.
e eapavorindo com am ccete a diffe-
, tulheres, que iam coramungar.
,,. ibridade publica hsoogeira, e a jastiga
dirige po
Apea
legal, teo
populaga
a cosinb
quasi
digno Dr
tr.im os
o No
caotra
lemos t
tretas na
Tlgario,
rentes o
A
m*r,fiQ| regaarmente, dovido ao juiz municipal
Asfel te em e"iei0-
,,.' "s tea sido abundantes de vveres ; a
n .a s, a 4* Pr ar^0D,! a fi'inhs a 160 ria
ria milho a ,a0 ris ; ,i'a0 a 56
nhej sensivel ora existente all de di-
tn~"- ca' ir. capito Francisco Ao-
d.VA n !" delegado de policio da Ci-
An l .r01*00*' flx" "Pt"r. ns madragada
da 14 deste mez, ao criminoso Joao Borgea,
5p i '9r "siaado a Amaxio Borges, no anno de
;M: pelo que se acha pronunciado no art.
yz combinado com o art. 35 do cdigo cri-
minal.
Lotera.Hoje, no lugar e hora do cosa-
me, se extrahir a 5" parte da 2* do Gymnasio
Pernambocano, (31 concessao.J
T ? Pa,,sn0 hambargaex A/aria Luir, en-
trodo hontem da Uamburgo, encontroa em sua
viagem: a 16 iat. N. e *S 30' de long. O. de
Greenwieh, a baraa bremense Apollo, de New-
t 1 p" Sba8" e a 3o 30' lst. N. e 18"
80 long. O. de Greeovnch, o brigua hallandez
>ee Frag, capito De Jury, de Zetlo para o Rio
de Janeiro, com 80 das de viagem. Tudo ia
bem a bordo de ambos os navios.
loformam-nos que, desojando alguna socios
do H ispital Portugaez de Beneficencia, mais
abnlhanlar a risita do estabeleclmento tarde,
contrataran) a banda de msica militar do 9*
batalbao de infantera para tocar durante a
tarde.
. ~Z- R"ARTIi d* poucia.(Extracto da parte
do da 19 de aatembro.)
Foram racolhidos casi de delencao no dia 17
do crrante:
A' ordem do Dr. delegado do 1 districto, o
cnoulo trancisco, de 22 sonos de Idade, eacravo
de Manoel Francisca Duarte, por briga.
A ordem do subdelegado do Recife, ocriouulo
Jos, de 32 aonos, escravo de Jos Bsrnardino
Galvo, por diaturbios, o o africano Maooel. de
40 anooa, escravo de Guilherme Augusto Ricsr-
do, requislgo deste.
A' ordom do depositario geral, o crioulo Nssa-
rio, de 32 anoos, escravo de Manoel Joaquim
de Fariaa Brasil, aem declarago do motivo.
O chofe da segunda secgo,
G. d$ Mesquita.
Movimento da casa de deteoco do dia 18 de
setembro de 1862.
Existiam......368 presos.
Entraram...... 6 o
Sshiram....... 12
Bumeckan, Geiseoe Guiol, sua mulber a 2 Albos
menores. Albino Meorique de Almeida esua se-
ohora, Vicente B Montenegro, Jos M. dos Sao-
toa, Antonio Taixeira Araajo Filho, Pedro Jos
Pereira Sieupira, Alcides de Souza Castro, Lau-
rsntino Penlo de Mesdocce, Antonio Ribeiro,
Jos Joaquim deOliveire, Antonio dos Santos
Villaga, Ignacio Moreira da Silva, Jos Googal-
vesdos Santo, Domingos Joe deSou* p
des, Theodosio Theodorie n r-
Araujo Medairos. r ""
cisco Le'- '
Aa ..ezes, 2 apitk*s,
M .-argeir. >, um segundo cadete cargan -
to, 1 cabo de esqu*dra, 18 pracaa e 1 ex-praga de
pret. 10 reerares, Salvador Corroa Alves.
tanella. A. C. de-Mello. Leoncio.e 1 filho
Salvador Franciaco Alves Fraga e 17 escravos a
entregar.
Obituario bo da 18 db setembro, no ca-
ITBRIO PUBLICO.
Viscondessa de Camaragibe, Pernambuco, 66
annos, casada, S. Lonreogo da Malla, pari-
lisia.
Antonio Joaqalm Vidal, Portugal, 42 annos,
aaaado, Santo Antonio, apoplixia.
Felicidade, frica, 30 annos, eolteira, Santo
Antonio, pneumona.
Marta Francisca doa Prazerea, Pernambuco, 30
annos, solteira, Santo Antonio, thtyalca.
Sabino, frica, esvravo, 40 snnos, solteiro,
Rscife, diarrha.
Joaqaim, Pernambaso, escravo, 21 annos, sol-
teiro, Santo Antonio, bexigas.
Fraociaao Jos de Sant'Anna, Pernambaco, 37
annos, solteiro, Ba-Viata, aacile.
Joanna Maria da Concaigo, Pernambuco, SI
annos, solteira, Boa-Viata, bexigaa.
Manoel Melchiades Guilherme, Pernambuco, 2
annos, solteiro, S. Jos, etiaa pulmonar.
Marcelino, frica, eacravo, 3 annoa, Recita,
bexigis.
Joo Francisco de Soaxa Xavier Jnior, Per-
nambuco, 9 annoa, Olinda, catarro pulmo-
nar.
Latina, Pernambuco, 7 anoos, S. Jos, ttano.
19
Maria, Pernambuco, 2t annos, aolteira, esersv
Boa-Vista, peritooi*'*
Isabel Marta da rrtnCp' -i|l per(I8mbuco,
M aonos, S'jll9itli B0i_Vista, taberculos pul-
monarea.
Jacintha Maria da Conceigo, Pernambueo, 40
anoos, solteira, Boa-Vista, tuberculoa palmo-
nares.
Joaquim Diaa da Craz, Pernambuco, 24 annos,
solteiro, Boa-Vista, songeato cerebral.
Maria, Pernambaco, 3 mezes, S. Jos, espasmo.
Jos Joaqaim Ferreira, Portugal, 48 annes,
casado, Santo Antonio, schirro.
Arcalino, Antonio do Monte, Pernsmbuco, 21
snnos, solteiro. Boa-Vista, hemoptiae.
Maria Fraoctsc Candids da Fonseca, Pernsmbu-
co, 80 annoa, *iuve, S. Jos, erysipela.
deira estaja d. cachorra para vir recebar a rou-
pa ; pois um 5a?, ou oatra qualquer fasta,
bsstaote para a den. do sea of&cio, oa ant^s
divertimenio ; mas, o ,._ -. a Testa aca-
bou ; toca a lavar rps.
Foi urna alegra q-; Chagoa a Sos! a> la-
redeira JJjj5a etitia toda suja ; e.'a precia.*
"fr lodos os diss r gragas!ehegoi' a la-
ella, a lia P'^rHjcia ; canead .^'-',* -....o-
"iar laja-aua^M/iiL ld* Daf>::*'j8 eD1 3""r- SWta-
se a ta FIoreoc:S., e contj. a historia da sus ter-
dsnga.
Fonm artes do sioh ; foi urna camarada, q 19
com urna espioha
*& it-ve am perig>
da- mentira ; foi um
-o-- 1 unm artes a sioh ; for 1
raga ae eateve para morrer engalgad
Uin- da carapltanga ; foi o seu, q*
menor, de vida ; tudo urna radont
cooseq-aenciaa auraram
9 E' preciso atarar a ta
se shama a Florencia)
boa pra'.a, a eu gosk-
Communicados
samba Infernal, cujas
mais de tres das.
Mas que se ha de fazer .
Flor, (que assim tambem
ella no tlm de tudo urna
della.
P eages, parlamentarmente fallando, Jo duas ho-
ra* di t,rde es q"e *e 'snla a ta '.or, a diz ,
Ah I que o canoeiro est espera, anh va-
mos depressa I
Ah rem anlo a Irousa de roupa, d-ae tudo a
rol com muita pressa ; o canoeiro espera ea rua-
r j coche.
Vsi ludo aos trambulh5s ; oa prea carre-
gam a roupa para a canoa, e as despedidas da-
ram meia hora anda.
Foi um dia perdido I poia vem a lavafiaira,
oao ae poude fazer mais nada !
Se o lempo correu secco.se nao se h terceto* um
samba, um presepe, urna novena,urna fasta, tudo
vai s mil maravilhas ; no fim de vinte diaa che-
gou a raopa.
Nova alagria, da familia 1 Ahi vem a lia Flor,
es chega a roupa I
Chegou a final a reverenda preta sempre mui-
to fatigada, mas sempre alegre e risonba, eslei-
r 00 chao, disata-ae trouxa camisas para
aqui, toalhas, para acola, forma-se ludo por pe-
lotes, eomega-se a averigoaco ; aRora
a9 cam'.ass
que nao aao aconta, as fronhas nao vieram ;
finalmente faltam dez ou quioze pegas, e vem
quatro trocadss.
Ha ama allercago obrigad, duvida-se do rol.
conlam-sc quatro historias, e passam-sa tras ho-
raa ueste trabalho entadoubo e imporficuo.
Sague-se a contagem, aao tantos e qaanlos :
s vezes quasi que equivale o valor da roupa.
A troca da que vem par engao, restitalcio da
que perdeu fica para depnis, para larde, psra
nunca.
Anda tado ito se o tempo correu bem ;
ia, ai se ahoveu, ai 1 se houve um samb ;
se urna festa como a de S. Panttleo no Monle-
ro, adeos roupa, as caigas brancas foram preci-
sas, assim como os vestidos da cambraia,
A roupa s chega quioze diaa depois da festa.
i '.ra r, i.Joss. iue lornam intil.
Em coocluao: ha nada mala ocommodo. a
ui..s insuportaroi T
01 l. 4 1 .._ j- ....... .. "^ como lava a ta Florencia, issim lavara to-
labOratOriO Je lavagem dC rOUpa aidas aalavadeiras do Beberlbc e
A saber
._1_2 V
Ezistsm....... 362
Nacionaes.....
Mulheres......
Eslrangeiroa..
Escravos......
Escraras......
230
8
35
79
10
155
Total........ 862
Alimentadoa a custs dos cofres provin-
ciaes.............
Morimeoto da enfermara do dia 19.
Tiveram alta :
Uongalo Florencio.
Maooel Lino de Mendonga.
Jos, escravo de Francisco Alfonso do Reg
Mello.
Joaqaim, eacravo de Garda Leite.
Tiveram baixa :
Pedro Caleatino Msgao, syphilis.
Matbeus, (escravo) senteaciado, intermitiente.
Para o hospitsl do Dr. Ramos:
Jos Csetano-Gomes, rariols.
Maria, eacrava de ir. Antonio da Rcinha dos
Aojos, vaiiola.
Pasaageiros saludos para os portos do sal
no vapor nacional Tosanfini: Joseph Gerald
Willenaem a aaa seohora a 1 filho menor, J. La-
Tuort, F. P. Joan, F. R. Joumanier, Francisco
Reg Pontos, Joaquim da Silva Brsgs, Antonio
Lelte Vieirs Gainares, S. P. da Foneece G.
Baptista dos Santos, Salomeo Mesetas, Luis Aa-
gusto P, Coelbo Cintra, Manoel Gomi Ros, y,.
vapor.
Os preprietarios deata otlieini aproveitaram o
ultimo domingo da agosto para dar urna expo-
sigo.
0 dia eslava bello, era santificado, a hora da
axposigo era a mais commoda, e tudo convida-
va para am agradavel passeio ao aillo dos Bu-
rltys.
A concurrencia, porem, foi pequea ; foi di-
minuta ; em compeosagao, oa visitantes eram
todos coobecidos, e contavam-se elgumas se-
nhoras, que gragas s suss virtudes domesticas
tambem qulzsram ver como sa lavava roas. a
vapor.
A oCficioa est disposla com a mais perfeita or-
dem ; aea machinismo o mais simples, seu tra-
balho pode aer comprehendido pela intelligencia
menos perspicaz.
Trea cyliodros de lavagem, ama machina de
forga centrifuga para espremer a roupa depois de
lavada, duas calandras de madeira para paasar a
roupa depois de enxata, e um motor da forga da
10 saralloa para mover as 5 machinas sobre-
ditas.
Es tado o qae constitae o laboratorio de la-
vagem, espax de apromptar em meos de 2i ho-
ras a roapa, que 2i muUerea nao podom lavar
em 2i diaa.
Os dignos directores do estabeleeimento man-
daran?, trabalhar a machina; velo urna grande
porgao de roupa, qae se compuoha da pegas de
todo o genero, msis ou menos usadas, mas nem
urna s rota ; ostylindros receberam esta roapa,
e com agua bem saturada do melhor sabo co-
megaram o aau moviraento ; mudada a agua em
curtoa intervallos, no fim de maia horafoi a
roupa extrahida, e estava perfeitamente lavada.
0 aimples movimeoto de um cylindro cheio
d'agus, e esta renovada de vez em quando, bas-
tou para se obter am trabalho perfeito ; e por
qae esss cyliodros nada tem no aeu interior,
que possa prender a roupa, e por que a agua no
sea moviraento de rotago uniforme nao pode
concorrer sanio para a lavar, a roupa saelo iu-
teira como entrou sem o menor rasgo, sem o' 1
menor defeito.
A machina de forga eeotrifaga recebe a roupa
molhada, e, paisads" minutos, com um sim-
ples movimeoto de rotago, a resulte to expri-
mida qoe, exposta ao ar livre por 5 minutos, ti-
ca perfeitamente enxuta.
Alisada na calandra, a maior parte dalla nao
carece ser passads a ferro para ser usada.
Osantes presenciaran) este processo. conhece-
rsm por experiencia propria que a lavagem a
vapor nao importa mais do qaa a rapidez,da ope
rago.
Nem am a reagente se empregs, qae possa
ofTander os tecidos submettidos acgodas ma-
chinas, e estas osto cooatruidss com a perfeigo
necessaria para preeacher o fim, a qae sao des-
tinadas, sem qae em nenhuma deltas se encon-
tr um s pretexto para dalle deduzir o estrago
da roupa.
Verdade tambem, que no caso de que a roupa
ii rasgada, as machinas nao tem no seu in'.t
rior meio algum de a cozer, ou gruda la ; e a
nao ser por milagre, a roupa deve sahir to
deteriorada como tiver entrado.
Oa Sra. directorea do laboratorio de lavagem
a vapor muito bem andaram na exposigo, que
fizeram, e faro maito bem am repetir de lempos
a lempos s mesma expoaigo.
A concurrencia aera a principio diminuta ; maa
alguem ha de ir; e quem l fr eonhecer pelos
seas olhos como se lava a roupa bem e depressa,
sem estrsgo nem deteriorago.
S assim podero desengaar o publico do Re-
cife, o mostrar que um preconceito infundado
o recelo, que tam mu tas familias de qae a sua
roapa Mear estrsgada no laboratorio de lavagem
a vapor.
A vantagem, qae offerece o laboratorio da re-
caber a roupa n'am ponto central da cidade, de a
entregar lavada, passados oito oa des das, res-
ponsabilissodo-ae por qaalqaer pega perdida ou
trocada, completa qnanto a este respetto podem
desojar as familias, qae tivaretn em verdadaira
conta a commodidde domestica.
Compare-ae agora, o qae flea dascripto com o
processo do lavagem da roapa, asado palaa ioti-
taladas lavadairas do Pogo dt Panella, Monteiro,
Apipuccs etc.
Comaco-se pela entrega da roapa, que deve
ser lavada,
Eflroirameoto twcssssrlo que a Sra, ww
Caplbaribe.
O procasso da lavagem deataa boaa prelas tam-
bem simples, a antiga infuso, a enliga barrel-
la cederara a um aystema menos complicado
agua corrento, e ccete em lugar de sabo.
Ao milagroso ccete, a asta alavauca podero-
sissima que se deve a lavagem da roupa. V
verdade que ella fica puida, estrgala, rota .
maa se a roupa est lavada pela ta Florencia,
quo maia preciso *
Alera de que nossos avs tiveram a tia Pas-
choa, oosaos pas a tia Jacintha, tiln da Ps-
enos, e por que oo devemoa tar a Flor que a
osla da lia Paschoa ?
Mas o laboratorio dos Ruritys 1 Sempre passa-
mos sem o vapor.e nem por isso deixamoa de ter
roupa lavada I
A final de sontas, nada mais verdadeiro do
que o velho dito da celebre feiliceira de Colchov.
Video meliora, proboque ; Deteriora sequor.
Ao que ae \t no Diario dt Pernambuco de ho-
je com relagao ao juiz de direito do Limoeiro, o
a todas as miseraveis calumnias que nesse e ou-
tros jornaes desta cidade, contra mim se tem pu-
blicado e se ba de publicar; nao dou resposta,
nem exhibo deten.
Prso-me bastante de nao desear ao charco
immundo, em que se chafurdam oa anonymos
que me detrshem ; e confio noa meus actos de
magistrado, na minba conduta de cidadao, para
me julgar despensado da detfdnder-me dos bal-
des que me aaaacam ioimigos despresveis.
Se meus actos, como jaz de direito do Limo-
eiro, e de outra qualquer comarca onde 1 a;.:-,
exercido a nobre miaso de juiz, preciaam da
correctivo ; elles ah e-tio, o governo qae os
examine, qae ayadique de minba moralidade ; e
eu aerei contente.
Reeife, 18 de aatembro da 1862.
Josi 'Juintino de Castro Leo.
Publicaces pedido
DIA LAGRIMA DE SAUDADE
OiTerecida ao E.vm. Sr. visconde de
Casuarasibe, por occasio da
infausta morte de sua Exma. con-
sorte.
Sin Coate, lit'r.'Ut. t-iill'", iii'ii
a.ik'od victorioui djua t7*t;
A>.af Lh \
/
ie palme 1 en ta
j
Mais ama vida preciosa acabe agora da ceifar
a tyraooa Parca I
Mais ama flor mimosa acaba de murchar no-
jardim da vida 1
Maia ara astro lumiaoso desspparece aos olhos
do mundo, para brilhar aomente aos olhos de
Dos 1
Sim, pagando o tributo da vida, foi receber oa
manso dos jastos a aureola brilbante, que es-
tava reservada a maito virtuosa viscondessa de
Camaragibe. Ah 1 como nao seria aasim so
ella por suas grandes virtudes pertencia smenla
Daos I
Transcendente todos os elogios, que tecer-
Ihe possa a maia eloqueDte cabega, aabtrahindo-
ae ama terra ingrata a inhspita, foi reunir-so
so cora doc aojos, para l diaole do Eterno po-
der bem advogar a caaaa daquelles qaem na
terrs servia de ama verdadeira mai 1
E vos, hamauidade desvalida, qae tantas
vezea eccontraatee no regago de suas virtudes o
lenitivo de rossu dies I Vos que hoje tsnto la-
mentaea a saa amencia I Nao choris msis!
Lembrai-voe qaa suas grandes virtudes eoson-
traro j diante do Eterno ana recompensa 1
Sita! Nao choraia mais! Hoje brilha no co>
maia am sstro I Hoje tendeo diente do Eterno
mais urna advogada.
E vos I Exm. Sr. visconde de Camaragibe 1
Vos qaem o Eterno acaba de aafenr tao pre-
ciosa prendo I Vos 6 qaem hoje a msis acerba
dor opprime I Vos, cajo corseta se acha hoja di-
lacerado pelo paohal da aaudade I Saspendei
vosso pranto 1 reprim vossa ddr! modera! vossa
ssadade 1 lembrai-voe que este saje de vossa
affeijes se foi reunir no co ao coro da anjosj;
onda oso cesssri mais am instante de advogsr a
vossi verdadeira felicidade I
'
MELHOR EXEMPLAR ENCONTRADO
/
MUTILADO
/


Virn.
itfsUDO 20 DI 5ETEMBHO DI 1861.
Sel bem, Exm. 't., qae a votte ddr profun-
da; sem limites 1 Porm 01 nobre senlimen-
loa religiosos, que domioam em tono crelo I
esse fundo de religio qu ahi descubro, o
baliamo tnais conf jrtativo que posto appltcar
vosea ddr I
Etevai, poii, vosios nlhos bamedecidos ao Al-
liasimo, e lupplicai-lhe comigo palo eterno des-
0(0 de sua alma !
Ella dascance em paz.
Olioda 18 da setembro de 1862.
Frei Pedro da Purificagao Pats < Paiw~
Offerecido c dedicado ao milito illustre
e digao iroio ministro Antonio Pe-
rcira de Furias.
E' de devtr o mrito louvar-se :
Elle tem jos a todos os louvores ;
Todos Iba jogam palmas ecotoas,
E o csmiobo stepetam-lhe de flores.
Ta,qe his sabido governar a barca
Confiada aos teas zelos e cuidar1'
Embora o mar oem sempre fosse calmo,
E o co nem sempre lmpido e ailado;
Tu, que has sabida compr'hender ao certo
T onde cbega a ita j da caridade
E ella deve-sa abrir prodiga, cheia.
De fn.ciua, de consolos e amiiide ;
De um teu irmo recebe est .tuto
Tao espoutaneo como a f
Se mais do que a r' ,4 poasulise,
Mais-.,, ,i. dara, ci I
li a pala
A sabia directo com que g~
rea jenlo alfvel
Sas don, qut) te admirara
-- r.f, a li
rnS,
e a caridade (aa ;
p'ra louva-lo
.InnuiBo...
l'rosegue, o teu trumpno ser grande,
te baocos cobriro teu nome augusto.
Ea leoibrauga dos beos que nos legaste
Hade, entre os teu, te etigir um busto.
O ex-seeretario e archivials,
Thomaz Jote da Costa e S.
m.
TM*.
(cjuh nuil
DO
Banco do Brasil.
Acafxa filial descont letras con praso st
qtto n meie* 10 0|0, *8 d0 ,flu PrP aceito
* 9 0|0, toma dinbeiro a joros em tonta crran-
le, oo por letras a 7 00 ao armo, n aacea ao par
cortos praso, sobre o banco do Brasil.
Caixa filial 9 de setembro do 1862.
Francisco Joo de Barros.
Secretario.
NOVO BANCO
DF
Pernambuco.
O novo banco da Perntmcuco pags o 9. di-
videndo a rtzo de 12$ por acjo.
Praca di
A$ qualro horas da tardt.
C01AC.0ES OFFtCIAES.
Cambio.
Nao hcuveram cofaces.
J. da Cruz Macedopresidente
John Gatissecretario.
A arresaataeo sari feito na (orno da lei pro-
vincial o. 343 de 15 de malo do 1854, so as
clausulas aspeciaes abata declaradas.
As pesaos* que te 'oozeram a esia arremata-
Cao cooiparecam na aai* daa tastoes ds mesma
anta n dia cima mencionado, pelo meio-dia,
comretentemeate habilitadas.
E para constar te mandn publica uia
pelo Diario. v
Secretaria da tbetouraiia provincial de Pernam-
buco 32 de agotto da 186.
. secretario,
A d'AoQiieiace.
Clausulas especia' i arrematacao.
- 1.a Oa raparos da .rte da ettrada da norte
portancia .69480 torio (eitoa de con-
lormioada com o roapectivo ornamento approvado
palo contelho da directora.
2.a O arrematante dar comeco aot trabalbot
no praza de 20 dlss contados da data do (armo da
arrematacao, a oa cencloiri ao de quatro mezas,
contadoa dopoia dos 20 diaa para o comeco.
fg3. O pagamento aera feito em dnas preataces
igatet, que sera"o tffectuadas, a primeira qaando
esliver prompta metada da obra, e a aeguoda no
flm da metsaa.
4.* Em tado o mais, que nao rai especificado
as presentes clauaulas. seguir-se-ha o que dis-
pe a le provincial n. 286.
5.a Em caao aliara e por qaalquer motivo se-
rlo attendidas reclamacoes e indemnisacoes de
quslquer natareza e por prejuizot ainda que pro-
vados. Coaforme.
A. A. d'Annunciacio.
Peraote a cmara municipal dssta 'cidade
aataro em praca nos dias 18 o 25 do corrate
mez e 2 de outubro prximo vindouro, para se-
rem arrematados por quem mais der p'r tempo
de um anno os segointes impostoa que fszam
parte do patrimonio e renlaa da meama cma-
ra : o arrendamento da cisa no paleo do Corpo
-Hade do Recite por 8048. affericao
-'-"te obrirado aflerir oe pe-
mpost mesma cmara,
cum 575. arrendara T,.c'
166. dizimo do caplm de planta 481^. ...'."
bre cabaca do gado vacam recolhldo no curral
00200, matcatet e boceteiraa 36. 40 rs. por
cada p de coqueiro 555, 80 rs. por carga da
farioha c legunua 23040rs.. repeso do aco*gee
12J400 rs., 200 rs. sobre o gado saino 85O0 rs.,
100 re. sobre o gado ovelhum 3200 rs., os pro-
teo lentet podeni comparecer no paco das sessdea
da cmara nos referidos das muoidoade fiadorea
habilitados ua forma da lei para poderem laucar
aem o que nao poderlo ser admiltldos a faze-lo.
Paco da cmara municiptl da cidade de Olinda
ern sessao ordinaria de 18 de setembro de 1862.
Chriatovlo Pereira Pinto, pro-presidenta.
Marcolino Das de Arsujo, secretario.
pra
urna
do A
qua>
300#,
nario, \
fazenda tic
bro de!86i.
a das audiencias
neia-agua, sita ua rua
t), com urna sala e dous
m quintal, avallada por
ada a Joo uuarte Magi-
igamentu do que deve a
al. Recife 19 de setena-
Juizo
Na (juir
10 horas c
praca publi'
carro de 4 r
liado por 5
Vinbas por A
ment do que
Recife 19 de.
Dt&i$r&
.\Svta a
- O lllm. Sr. regedor do Gymnasio manda
avisar aos paas, tutores ou eorresp-ndentts dos
alumooa inurooa, meio pensionistas o externos
do meamo Gyranaiio, que no dia 23 do corrente
principia o recebimento da mensaiidades cor-
respondentes ao ultimo quarlel que se linda no
ultimo de dezembro. Gymnasio provioclal de
Pernambuco 20 de setembro de 1862.O terre-
tario, A. A. Ctbral.
De ordem do lllm. Sr. inspector da thetoa-
raria de fazenda desta proviocia te publica para
conhecimento doa interessados a relagao abaixo
tranacripta dos credorea da ditias de exercicios
lindos na importancia total 8958819 ris cujo ps-
0 foi autorisado pela ordem do thesouro
, nacional n. 16. -tembro de 1862.
Secretaria da thesourana o .eoda de Per-
(nambuco, 17 de setembro .le 1862.
Servindo de ofcial maior
Manoel Jos Pinto.
Reliraoa que se refere a ordem suprs :
O solicitador,
F. X. P. de Brito.
feitos da fazenda.
ira 25 do corrente pelas
anhaa se vender' em
t sala das audiencias um
, em mo estado, ava-
penhoradj a Ferreia
isto Ficher para paga-
e a fazenda nacional,
abro de 1862.
O solicitador,
. X. P. de Brito.
Na quinta-t|ira 25 do corrente
pelas 10 horas da manhaa se vender'
em praca publica na sala das audien-
cias, os objectos seguintes penliorados
a Francisco Gomes Castellao para paga-
mento do que deve a fazenda nacional:
52 pares de sapatos de couro branto
para liomem avahados por 800 rs. cada
par, 13 pares de botinas de couro de
lustre para mulher a 2#500 rs. cada
um, 18 pelles de bezeivo francez ja
preparados a,2# cada um.^rj pares de
a~p.w. ^e pelles de carneiro de diver-
sas cores para mulher a 480 rs. cada
um, 16 duziasde meias ordimrias para
homem a 1$ cada duzia, 66 pelles de
carneiros de cores a 800 rs. r' da urna,
25 ditos de ditos maiores cor ebezouro
a 1$ cada urna. R te 1V._ setembro
de 1862.
/
&lfau<*eafK.
< -...;Dto do di* 1 i |s, .
[doa do da II.....
283:8178560
12.7268671
296:54423
R6aT trsento A* alane||aj
Valoraesantrados omtaiendaa..
ora ganaros..
Volamos sahidot com faxondas..
* a com feneroa..
132
== 132
123
133
= 250
Doatarrt,am no dia 20 do setembro.
Tlacho hamburguez-Meria Luizamercadorias.
Keeebedurla de rendan Interuaa
fferaeti de Pwruatiibaeo.
fUninienlo do da 1 a 18. 23:19958*7
dem do da 19...... 5^70
23:7008017
fontmlaclG provlaelstl.
Hondimento do da 1 a 18. 22:5462858
, 24:9298835
Alberto Joa Rodrigase
Autooio Ferreira da Silva '(a)........'.
Boavertura Eliaa de Su i'Ami. ()...
Domingos Lopes deSant'Anna [a)....
Francisco : Manoel d'Oliveira Miren-
..* (")..............................
l-ranciso de Paula S e Peixoto.....
Fraaciaco Rodrigues de Mello (a) (c).
Gonzalo Viaira do Eayirito Santo la).
Gregorio Cerdoso Pereira (a)........
Joao FelixdCotta ^a)................
Joao Jos d'Andrade (a)____........
JoiFigueira do Nascimento (a ...."."
Jos 5os FS>reira (a)..................."."..
Luiza Mara do Livrameuto, viuva de
Manoel Sheodoro deSouzafal (b)..
Maooel Deaiderio (al (el..............
Msnosl Francisco II................
Manoel Hermenegildo.................
Manoel Maris........................
Manoel Po....................'.'.....'
Roque Francisco...............*.."."."..
Segundino Ayres Velloso de Mell'.'.'.
Thomaz Aulonio doa Saotoa..........
Tito Braz Cerdoso....................
1078434
218868
20*168
1478368
228088
818662
O|33ti
228248
158188
498.H8
408336
288508
38*908
408576
208168
408336
208168
198368
13^123
2O3I68
268378
208168
21j>768
208168
O
uaoareiro
Obfervacoes.
Rs. 895J8I9
Moyimento do porto
yac ios entrados no dia 19.
Coquimbo56 dlaa, barca iogleza Precursor, de
450 toneladaa, capitio Joaeph Thonsoo, equi-
paren) 17, carga borra de cobre ; a ordem. Veio
refrescar e segu para o Havre.
llaroburgo58 diaa, patatho hamburguez Mara
Luxxa, de 130 toneladas, capito A. F. Stroaze
equipagem 8, carga azendas,: a Kalkmann &
Irmaos.
Navio sahido no mesmo dia.
JerseyBarca iogleza Carolina, capitao Jobn
Theland ; am laalro.
Sr-totBrigue iogle Babthorp, capitao John
Holdridg, carga a mesma que trouxe de Santos.
Rio de Janeiro e poitos intermediosVapor na-
cional Tocantins, commaudante 1* tenente Pe-
dro Hypolito Duarte.
Obaervr^o.
Fondeou no limarao um brigue inglez, mas
rao tave commanlcagao com a trra.
pro-
0 sob as
pelo meie-dia,
so maadou publicar o presente
O lllm. Sr. inspector ds thesourana provin-
cial, em cumpriroento da ordem do Exm. Sr. pre-
oidento da provincia, manda azer publico, que
do dia 13 de novombro proxiaao vindouro, perao-
te a junta da fazenda da mesma thesouraria, so
ba de arrematar, a quem por menos flzer, a obra
dos reparos da segunda parte da estrada do norte
da ponte da Fragoso a ponte de Tinsp na oxten-
aao de 3,076 bracas, avahada em 7:6171200.
A arrematacao ser falta na forma da lei
viacial n. 343 do 15 de maio do 1854
A pessoaa que se propozereta aeass arremata-
do comparejam na sala daa afeada* da referida
junta no dia cima Mencionado,
competeatemente habilitadas.
E para constar
pela Diario.
Secutara da thesouraria provioclal de Pernam-
buco 2B de agotto de 1862.
\ O aecretario,
A. F. d'ABaaociecao.
craaealas atpeciaea para a arreaatacao.
1.a Ot reparot da 2a parte da estrada do norte
na importancia da 7:6478200, tero feitos deeon-
foraiidade com a respectiv oresrneoto approvadu
pela directora am contelho.
2.a O arrematante dar cobboqo a obra no pra-
za de 3# dias, contadoa da data do termo da ar-
rematacao e a concluir no de cinco mezea de-
poit dot 30 dias para o comeco.
3.a O pagamento ser feito as tres prestaces
igaaes, correspoodoado cada orna a m terco da
obra.
4.a Era tudo mais que nao vai especificado as
|}o^ie,-necla"a," eu--h o que dspoe a
161 O. zoo.
t?'* m^ a,gaBI Pr qaalquer motive, se-
.i.\nn ." reclaB,,a indemnisacoes de
da IWr ^W "> qa. pm-
Conforme,
- A. F. aTAnnunclsQao.
- O Illa. Sr. iospecter da thesoursria proTo-
cial, em cumprimeato da ordem do Exm. Ir. pre-
a.den.e da previacia, manda .xer pubiieo que no
da 18 da setembro proxiaao futuro, aerante a
junta ds fazenda da mesma thesouraria ae ba de
sirematar, a quem por manos flzer, a*obra dos
reparoa da 8a parte da estrada do norte da pate
de Timb a entrada do engenho yonjope na es,
toast! de 2,664 brajas, rallada tm I76m.
raconhe eate credor com di-
reito a quantia que se manda pagar, e nao a li-
quidada por eita thesouraria.
(b) Antes de rea!isar-se o pagamento dest di-
vida, convem que ae exhiba a 2" via do titulo.
(c) Antes d* effectuar-se o pagamento, couvam
que a tbesoararia exija do credor a Ia via de ti-
tulo.
(d) Sendo o credor praga effectiva do exercito,
o pagamento deve ser feito ao quarlel meslre do
corpo a que elle perteoce.
Con sel ho administrativo.
0 conselho administrativo para fornecimento
do arsenal de guerra tem de comprar os objectos
seguintes :
Para o hospital militar.
6 libras de almecfga nova.
16 libras de cevade.
16 libras de cera amarella.
8 libras de escamonea inteira.
6 oogas de hydroferro cianalo de quinino.
16 libras de jalapa inteira.
54 libraa de oleo de ricino.
64 libras de oleo de amendoas.
2 arrobas de mottarda.
1 arroba de mano de primeira qualidade.
16 libras de sulphato de sods.
8 libras de raiz de turbith.
1 resma de rtalo para medicina.
1 resma de rotulo para cirargia.
1/2 resma para familia de oflkiaes.
Para a colonia militar de Pimenteiras.
2 livros para registro de correspondencia of-
Quem quizer vender tses objectos aprsente
ss suas propostas em carta fechada oasecietaria
do conselho s 10 horas da manha do dia 24 do
correle mez.
Sala das sessdea do conselho administrativo,
para fornecimento do arsenal de guerra. 17 de
agosto de 1862.
Antonio Pedro de S Barrtto,
Coronel presidente.
Francisco Joaquim Pereira Lobo,
Coronel vogal secretario interino
Consulado provincial.
Pela mesa do consulado provincial se avisa aos
Idevedores do imposto da daciroa urbana, de 20
0|0 sobre o consumo de sguerdente.de 4 01O so-
bre os estabelecimentos de fora da cidade, pren-
aaa de algodao, typographias, cocheira, cavalla-
rices, botis, botequins, casas de pasto, e fa-
bricas, de 12 o|0 sobre os ettabelecimentos de
commercio em grotto e a retalho, armazeos de
recolher, de deposito e os trapiches, de 8 n'O
sobre consultorios mdicos e cirura,icos, cartorios
escriptorios, de 509 sobre casis da medaa. bllhar
chapese roupa feita eatrangaira.de 1:0008 sobre
casas de opersgo nanearla com emissao e privi-
legios, de 300* sobre compsnbias soonymas e
agencia?, de 200g sobre casas de cambio, 10 Oin
sobre a renda dos terrenos oceupados com o
planto do capim, de lOOJ sobre correctores com-
merciaes, de 50* sobre correctoras de escravos,
de 500 rfiis por toneladaa de alvarenga e canoas
empregadas no trafico da arga a descarga, e fi-
nalmente o Impoato sobra carros, carrogas e om-
solicitador,
F. p. de Brito.
Na quinta feir 25 do corrente a
urna hora da tarde se vender' em pra-
ca publica na rua dalmperatriz a ar-
macao da toja sita na ueirna rua n. 16,
avaliada por 400#, pe.horada a viuva
Dias Pereira deAvelar iara pagamento
do que deve a fazenda eacional Reci-
fe 19 de setembro de 18(2.
O solicitador,
F. X.P.'ie Brito.
Companhia do Be.
beribe.
A diieccao convida novtmente aos
Srs accionistas para se rtunir hoje
20 do corrente ao meio dia em assem-
bla geral extraordinaria, afim de de
liberar se sobre o encananento das
aguas para a freguezia dos Afogados,
conforme as bases oerecidas pelo Exm.
Sr. presidente da provincia en ohcio
publicado no Diario de Pernanbuco de
9 do corrente e em virtude o artigo
additivo ao 16 dos estatutos, havera'
sessao com o numero de votos qte com-
parecerem.
O secreta rio^
Justino Pereira de Faf as.
Conselho administra 11*1
O conselho administrativo, para fort- cimento
do arsenal de guerra, tem de comprar osi bjeclos
seguintes: '
Para o presidio de Fernando de Norc"h8-
200 meios de sois.
150 vaquetas.
300 couros de forro.
200 libras laxas de salto.
Quem quizer vender taes objectos apreteDte *s
suas propostasem carta fechada, na secret"r conselho, s 10 horas da manha do dia '7 do
correnl* mez.
Sala das sessdea do conselho adm 'Uo
para fornecimento do arsenal da guei ) da
setembro de 1862.
Antonio Pedro o,
Coronel presi
Francisco Joaquim Pereira Lobo,
______ Coronel voanl secretario interino.
C4SSIN0 POPULAR
Sabbado 20 do correle tara lug Popular am grande baile estroodoso, talvez como
oao apparecilo at o presento, para cujo flm o
beneficiado Antonio Martina Vianna tem eafor^s-
do-se pars apreseotar ama grande orchostra com-
poitt dos Ilustres professores de msica da ir-
mandade de Santa Cecilia, para meihor S'tisfazer
ao respeitavel publico.
Ter maia na porta principal do aalo ama ban-
da de masica marcial de urna aociedade, a qual
se apreser lr bem ooiformlsada disposigo do
beneficiado.
A orchedra tocar varias dansas, qae deve de-
leitaros ouvidos dos espectadores.
Comegar o divertimento s 8 y horas.
O beneficiado grato aoa seas companbeiros de
arle, atradece no intimo de sua alma a honra e
obsequio qie lhe Ozeraui, e eapera do reapeitavel
publico que seja benvolo e desculpavel al-
gumaa f it-s que por acaao se poaaa dar.
Sabbado 20 do corrente ter lugar um dos mais
1 explaodidoa bailes, em beneficio do administrador
ideales saldes ; eitando a casa magnficamente
1 adrnala, e appsrecendo urna mu engenhosa es-
trella da lu, obra mu recentemente chegsda de
Inglaterra, a qaal ostentar 280 lazes de gaz, que
produziro o maia mgico elleito.
Concert musical pela or-
* chestra.
Aria da opera Simiramcdesobligada
a requinta.
Ouadrilhas da opera Poluto, valsa da mesma
op era.
Polka Traquina, sompostt por am meatre co-
c hecido.
Vsris;6es de clarinel, compostas por um
joven. v
Quadrilha da opera el Pinto Staanilo de Verdi
Quadrilha o Guerreiro Garibaldf.
Urna linda polka intitulada Luiz XV.
Scbolz as margeos do Cspibaribe, pelo profes-
sor Colas.
Aria obrigsda a ophiclide, da opera Lacrela
Borgla.
Dita dita oa requint* a
nlbas, que no altimode aetembro corrente fioda- e"*'
opera da Graga de
THEATRO DE S. ISABEL.
Sabbado, 20 de Setembro de 1862.
Mi.-PRIMEI^0 fSPECT>CUL0 extraordinario dos exercicios da ousadia humana, pela cora-
panh.a gymnasiiea dos irmaos bdislay, prirneiros artistas do Hypolromo de Paris, cujos ira-
balhostem sido applaudtdos e admirados em todas as panes onde ten trabalhado, e Diurnamente I
em Lisboa, cujos exercicios granHes applausos tiveram na Europa.
Os directores tem resolvido apresentar um extraordinario especlaculo, como se ver do
SCEUlnlQ
PBOGRAMMA.
concessao) no consistorio da igreja de N.
S. do Rosario de Santo Antonio.
Os bilhetes e meios bilhetes acham-se
' a venda na respectiva thesouraria rua
ido Crespo n. 15, e as casas commis-
sionadas rua da Imperatriz loja de fer-
ragens n. 44 do Sr. Pimentel, praca
, da Independencia n. 22 loja do Sr. San.
I tos Vieira, rua Direita n. 3 botica do
Sr. Chagas, e na rua da Cadeiado Re-
cife loja n. 45 do Sr. Porto.
As sortea de 5:000$ ate {10$ serao
pagas urna hora depois da extraccao,
3 as outrps.no dia immediato depois da
distrihuicao das listas.
Servindo de thesoureiro,
Jos Rodrigues de Sou2a.
i SECRETARIA DO INSTITUTO ilJ
CHE0L0GIC0EGEOGRAIM1ICO U
PERMMRICA>0.
para nellc ter ligar cm sessao
solemne o emjwssameuo dos
fe
Primeira parte.
Symphonia pela orcheara.
A transa espanholc,
exercicio de equilibrio e destreza, executado por
Mrs, Jules e William.
O TORNO PERSA,
miravilhoso exercicio, execuiado pelos irmaos
Buislay.
Divertimento,
pelos Clowns.
Segunda parte,
A ESCADA PERIGOSi,
m lgnifarios uovameule eleilos, g
gj iissim o seicnlijieo a lodos os SS
Srs. socios, convidndolos a que
comparecjim no referido diae
hora,no sali em que se atlia
collocada a Biuliolhcca Provin-
cial no convento do Carmo.
grande exercicio gymnasiico, pelos irmaos Julio M ^* ^ 'll*UV0. P. B. c A. de V,
M Io secretario.
e Pepe Buislay, concluindo com o grande
SALTO 1NC0NCEB1TEL
Terceira parte.
JOCO O EL MONO DAFRICA,
pantomima cmica, na qual o Sr. Julio Buis-
lay desorapenhar a diicil parte do Joco, sendo
as outras partes confiadas aos prirneiros artistas
da companhia.
l-aK^S-a&LS
LICOES PIUTICAS
DB
MlIIilB MiBMIDM
theatro.
Os bilhetes de camarotes, cadeiras e platea, esto desde j, venda no tscriptorio do
P re eos os do costume. Principiar s 8 horas.
Para Lisboa
pretenda teguir com muita brevldade a aeleira
a bem conhocida barca portuRueza ratido,
capitao Antonio Farrsira Borgos Pastana, lem
parta de s*w carregameuto prompto: para o res-
to que lhe falta trata-se com os ss cenaiguata-
rioa Antonio Laiz do Olivatra Azevedo, no sea
ascrlptorio raa da Crux n. 1, oa com o capito
na pra;a.
COSPASBIA PBRNJilRIir.&rlA
DB
Wavegato cosleira a vapo
Macei em direitura.
O vapor Mamaogaape, commandante Mour.,,
*,hi t para oa ortos Oo aa 1 ao dia 25 do corrente
mez a 6 horas da tarde.
Receba carga at o da i ao mel dia. En-
com mandas, passagoiros a dinhairo a frete at
o da <]a aahida a 3 horas : escriptorio no Forta
do Manos n. I,
:* 4000 mil resteas
de alhos e 60 ca-
nastras ditos,
Seguiida-feira 22 do crreme.
O agente Pestaa (ara leilao por sonta e risco
de quem perlencer crea de4000 reateas ne alhos
o OOcanaslrss com ditos, em lotea a vnttdo :
aeganda-feira ti do cerr-nte ptlaa 10 horas da
manha no armazem do bario do L'vramento no
Forte do Mattoa.
/
IIP
Rio de Janeiro,
pratande aegair com muita bravidada o Tolairo o
am conhaeido patacho nacional Capuana, a-
ptto Thaotonio Joa da Silva Rota, tem parta
da tu carragamento prompto : para o raato qa
ihf (alta, trata-aa com os aaaa consignatarios An-
nio Luiz da Olivaira Azevedo A C. no aoa es-
riptorio, raa da Crnz n. 1.
Fazendas is>glezs
Tercafeira 23 do corrente.
Por despacho do lllm. Sr. Dr. juiz espacial do
comrrercio o agente Pestaa lar leilao das a-
zendas pertencanles a maisa fallida de Seve Fi-
lhos& C. exialentes no armazem da rua da
Cruz n. 50, contando fazendas franceses, ali-
ntaos, suissas e ioglezas, como sejem rr.adspo
loea, algodoziobot. chitas etc., na aro.aiem
i cima : lerQa-feira 33 do corrente pelas 10 horas
. da manhsa. '
HILA
Viho e ch;unpa-
nhe^
Quarla-feira 24
do correte.
O agenta far* leilao por conta da quem per-
tenter eaam reserva preco de 20 calas ctm
vinho de Bourgonhe, 50 ditas com cognac e 20 do mrito do guarda-lirroa pela sua bonita latir.
E DE
ARITHMETICA
Tres ver.es por semana
SEGUNDAS, QUARTAS, E SEXTAS, '
Rua larga do Rosario n. 8, Io andar.
PREGO 10x000 POR MEZ
ATTEiNqO!
A aula da ascrituraco mrcanlil dirigid
M. Fonteca de Medeiros, principiar a fuoc
do y de oatubro viudouro am oame, rece
diacipuloa para serum leclonadoa traa veze
seicaoa, daa 7 horaa as 9 da noite. nos di
gandas, quarlas, aellas, pelo honorario mei i
cima mencionado, satisfeito adiantado, coa.o^
praie em todas aa au>as de iostrmcao superiot.
A longa pralica que lem o aonunciaote de *s-
criplurar pelo metbodo de parias dobradaa,
junta a da leciouar ha quaai cinco annos neaia
Cidade, com o meihor aproveitarnefcto riaa di-
varsaa peasoas que se ecnam empregadaa no
commercio, garaotem a quem de teu preatimo se
quizer utilltar o desejado resultado.
A eacrilerso doa liaros commerciaes por
partidaa dobraaaa, alera r)t ser o uwt'co systema
que pode aatisfazer o dispoato em ooaao cdigo
comojercial, uma setenis /acillima qu- podo
ser conhectda de quslquer que lenha vontsde de
aprende-la.
Cerrem-se os ouvidos a vez do ego'sn o da al-
guna guarda-livroa que pregam as grandes d\fi-
culdadts das partidaa oobradas com o iuieoto ta
reumtren< o maia possivel o numero dos que
possuem esse grande thesouro.
Comocon,plirjeniodi> enaluo de ecrilurac3c
addlcionat o ai/ouociante aquelte da reduccao
de moedaa esiraogeiras, calculo de uros, a r-
ma Ce exlrahir urna conta correle aimples e cou
juros ; Qnslmenta tado quanto for utit e necesl
aario saber aquelles que se de.icam ao cocu-
mercio.
Aspeoas portanto que desejarem matriew-
lar-te. queirara deixar seus norcs rea Larga
do Roaario n. li, pntrieiro anuar, junto ao arma-
zem Ja lour;a de porta larga,
Ao commercio
. s7osas*cca le .Tledcirot se oferece aos
Srs. commerciaotes, que deaejarem aprender a
escriturar por partidas dobradat a dar-lhea lic.s
em aeua e>criptorioa. a tarde ou a noite, uos oia
tercas, qaiotaa e sabbados de cada semana, me-
diana uma mollea paga.
Entre aa grandes vautagtna que remitan para
os Sra. commerciatiles do cocbecimoolo da fa-
cillima Miencia do guarda-livroa, sccreace aquel-
la de habilita-loa a poderem eacolher quem bem
oa airva ueaae ramo de trabalbo eommercial, de
modo aJnSo aerom Iludidos por charlatea, co-
mo acontece sempre com aquelles que ava.iam
< PtNBiA rRRNaVKBL'aUr
M
Nave^aco costeira a vapor.
Parahiba, Rio Grande do Norte, Ma-
cau, racaty, Ceara' e Acaracu'.
O vapor lguarass, commandante Vianna,
aahir para a portot do norte at o Acarac
no dia 22 do corrente a 4 horta da tarde.
Recebe carga at o dia 20 guos com champaLhe, s 11 horaa do dia cima
mencionado no armazem do Sr. Aones em (ren-
le a alf-ndega.
Duas
DE
escravas.
comineodas, passsgeiros e dinhairo a frete at o ,cima mencionado
da da sahida js 2 horas : escritorio no Forta 'ieodo HD3* a% 8 aB001
do Mattoa n. 1. _________
Para Lisboa deve sabir com mu t< brevida
da o brigae portfguez MargaridaD, capito Jos
E. Ribeiro ; lev prompta maior parte de sea
carregamecto e Jocabe o retto a frete : a tratar
no escriptorio d Amorun Irmaos. raa da Craz
n. 3.
Terca-feirs 23 do corrente.
O agente Pinto far leil* s 11 boraa do dia
de duas escravas crioulas
e ontre de 28 anuos, em
teu eicru.toij^ rua da Cadaia n. 9.
Nar.ohao e Para
Segse com bravidade o veleiro brigua. encuna
Gracioiao, csPtta Antonio Maria da Coala e
Iva, por ter a:ft"n,a carga para ambos os por-
ios : para o resto trata-se com o consignatario
Aotoniode Alnfida Gomes, rua da Cruz n. 27.
a
Baha
tom multa brevida^* pretenda segsir o bao co-
nbecido a veleiro brigaa escana cJovan Arlharsv
capito Joaquim Ai*tonio Gongalvea dos Sanio,
tam parta de sea cafragamento prompto ; n4ra o'
resto qaa lhe falla, trata-se com oa seuseooijg.
natartos Antonio Luiz da Olivaira AsvtejtJo c\ C,
no sea ascrlptcria rua d^CjAttVB .
se o prazo marcado para o recebiroenlo dos seus
dbitos partancenles ao anno flnanceiro de 1861
a 1868, ficando sujeites os que nao pagarem, a
serem executados
Meta do contulado provincial de Pernambuco
4 de setembro de 1862.
O ebefe da teganda aeccSo.
Francisco Ferreira Mtrlins Ribeiro.
Juizo dos feitos da fazeuda.
Na qubta-feira 23 do corrente pe- ,
ha lOhna damaahaa H .e^'iW I *tt^,T^ ,'
Quadrilhat Pedro V.
Dita o Carntval de Lisboa.
Scbolz intitulada a Pernambucans.
Polka compoita pelo professor Colas.
Aria de pistn matica do maestro Paocfne
A banda da msica militar estar posta en-
trada dos grandes ealet, e ahi locar dat 7 ho-
rta em ponto at Qntlisar-ie o baile, preeneben-
do os inrvanos com ricas e variadas pecas es-
, colbidas propnaniflnle para Me dia. mente prompto oa'ra
tt SPSfS 5H*! .d0. "gaznen- ?-se conTseus* S
de Janeiro
Vf*

As pessoas que do offerecimeoto do anoan-
cianle se quizerem utilisar dinjam-ae a raa Lar-
ga do Rosatio o. 28, primeiro andar, junto a lo-
ja de loora do porta larga.
i' classe do Cussercio.
Curso de lingua francea
noite.
JosSoares d'Azevedo, professor de
lingua e litteratura nacional no Gym-
nasio do Recife, tem abetto um curso
pratico-theorico de lingua francezapelo
novo systema de Ollendorfl, para a
classe do commercio que nao pode fre-
quentar este estudo de dia. As pessoas
que desejarem fallar e escrever esta lin-
gua, podem dirigir se a' residencia do
annunciante, rua de Rita Santa Nova
G SUS Oi
Laboratorio a vapor
DE
Roupa layada e engommada
de Ramos & G.
Podem miniar batetr t rnupa lavada os donos I
dos nmeros seguintes : 145. 24. 40. 144. 76, 53.
77, 115. 134. 200. 78. 15. 25. 34. 15, 210. 169,
6, 57. 158. 60. 212. 107, 3. 209, 89 34, 8. 98.

3Rua estreita do Rosario3
0 Francisco Pinto Ozorio continua a col-
sj locar dentes artificiaes tanto por meio da
0 molas como pala presso do ar, nao re-
0 taba paga alguma sem qae aa obres nao
9 flquem a vontada de seus donos, tem pos
^ outras preparacoe as ruis acraditada &
para contervaco da bocea. aa.
aMNlSaMava!
Aluga-te ot raa da Aurora uro escolenle
predio ha poaco edificado, com todos oa com-
modot dattjavaia para uma familia turceroaa,
que quaira um tralameoto dlaliocto um arma-
zem rua do Imperador n. 35 : a trat mi raa armazem de lou;a n. 41.
Tesituras! tesouras!
tesouras!
J. Hunier alfaiate tem nm rival tem segundo
e ama habiii'iade aeteaoura de aliaiata : na rua
Nova n 67 lenda oe alfaiate e todoa oa instru-
mentos exiatem para turar os nobret freguetea
da m*tma tenda.
grilis.
Pretenda teguir com muita brevidade para o
Rio de Janeiro o veleiro e btm conhecido brigue
nacional Almirante, a tenafp,rie o eu carre-
o 'ro qaa Ibe^iU ra-
gnat|%08 Aotonio LoU de
i ^i***" Ak^vedo *Si C. no s*! escriptorio, ru*ta
n. i.
i Cruz
MELHOR XEMPLR ENCONTRADO
\
HOJE 20 do corrente mez, se ex-
traer' a quinta parte da segunda lo-
tera do Gymuasio Pernambucano 3
Grani aucoauuodo.
Faz-se saber a qaem perlaocer que na cochei-
ra do largo do Paraizo o. 21. em todaa ss ooilaa
a vttinhaiga o'alli ao r aoffrt um encommodo
grande pelo muito b.ralho que a'.n fazem ot ca-
valloa e iiv criadoa grilao No di. 20 da s-i-ii. tiro deooia da audienria
do Sr. Dr julz municipal da aeguuda vara pro-
vedor de capelUe e residuos se ha da arrematar
am cavallo, p.Menente a beBt do evento.
Alaga ae u a icrava coalohaira e engum-
madelra para o servido inieroo de caaa de fami-
lia : a tratar no priicplo da estrada de Joo
rsroindes Visira n. 36.

I
MUTILADO

1
/



DLUUO D* ttlflAMBOOO. SaBBaDO 10 DI 8ETIMBRO BB iS.
E JUNTA CENTRAL DE HY6IENE PUBLICA


iJvJuliiii/JiioUAiJ
F"
TI
/r
EROUPKS
SHAPAS US
ELECTROMAGNTICAS EPISPASTICAS
Sorraenlo completo da sobrecasacos de panno a 25$, 289, 305 e 35$, casacas muito bera
faitea 259, 283, 30, a 35, palelots acasacados de panno preto de 16 al 25, ditos de case mira
decora 15, 18 e 20, paletots saceos de panno ecasernira de 8 at 14, ditos saceos da alpaca,
merino e la de 4$ at 6, sobre de alpaca e marin de 7JJ at 10, calcas prews de caseraira de
39 at 149, ditas de cor de 7 at 109, roupai para menino da lodos os tamao- , ment deroupasdebrinscorao sejam cahjas, palelots e collete?, sortiraento de filetes pretos de
metira, casemira e velludo da 4 a 9, ditos para casamento a 59 e 6, paletots brancos de bra-
mante a 49 e 59, caigas brancas muito finas a 5, e um grande sonimento de fazendas finase mo-
dernas, complel) sortiraento de casimiras inglezas para hornera, menino e senhora, aeroulas de
iluho ealgodo, chapeos de sol de seda, luvas de seda de Jouvin para horaem e senhora. Te-
mos urna grande fabrica de alfaiate on uso est sendo administrada por um hat.il meslre de seraelhante arte e um pessoal de mais de
cincuenta obreiros e;colhidos, porlanto executamos qualquer obra cora promptidao e mais barata
po que em outra q,'ialquer casa.
ineonlestav
Para serem applicadas s partes affectadas
sem resguardo nena ncommodo
Muito conhecidas ntsta curta e em todas as
provincias desta imperio pelos seus infailiveis re-
sultados em todos os casos de inflaramacao sejam
exurnas ou internas ( com cansado e falta de
respiraco ) como do estomago, figado, bago,
bofes, rins, tero, paito, palpitarlo de corceo,
garganta, olhos, erysipelas, rheumatismos, para-
lysia e todas as effecepes nervosas, etc; etc.
Igualmente para qu.esquer inchacoes, feri-
das, tumores intestmaese venreos, escrophulas,
lobinhos, papos, etc., etc, sejam qual for oseu
A\iso
Os abaiio assignarios, curadores fiscies da
musa fallida de Jo Jos de r'igueiredo, pedem
(o loa oa devedoras deata que mandera pagar
san debito* na ra da Calais do Recita, aserilo-
rio n. 47; tendo lambsm uesla dla auiorisado
o Sr. Joao da Souza Azevedo para recebar o que
cad um esiier a dwver. Kecie 18 de eelinbro
de 1862. Antonio Joto Leal Rea. Djmmeyer
Carneiro C
Quem precisar de un ama para o eervico
totern da casa de familia, dirija-ae a raa da
Cruz d. 55, terciro an lar.
Precisa-se da ana ama Ce leiie ; a tratar na
raa da Aurora o. 80. s->n ir, andar.
Aluga-se
um sitio com boa casi, boos arvoredos de frutos,
, com estribara e coxeira, boa acua, oa Soledade :
, a as innmeras curas completas, ,ral,r Ds r-i da Cr \K 13. 8
obtiaas as diversas molestias em que foram Precisa-se de um otoe
applicadas, o fazem meecer e conservar a
confianca do Ilustrado publico, que j tive a
honra de merecer delle 25 anuos de existencia e
de pratica.
ro qua seja hbil no
ou aertico de (orno : a tratar na ra eatreiti do
Rosario, deposito o. 4. .
Alug-se urna casa terrea com qiiotal e ca-
cimba na estrada da Joo de Barros ao p da ca Gaimbras
i pella : a tratar na ra da Cala d'Agaa a. 46, ol p,ii,
JY. B Nena cortee de tod. sos pontos deste na ru. do Q.eimado o. 33. loja. ^ B
importo recebem-se participacas satisfactoriai a
respailo das ditas Chapas Medtcmaes.
As encommendas das provincias deven ser
dirigidas por ejeripto, com todo o cuidado de
admira* os medteos .i, celebras. Qu.nut
passoasrecobraraa.com asta soberano raed
o uso de seas braSos e pamas, depois dador
permanecido longo tempo nos hospit.es otea
ieviaa soffrer a amputa$o Dallas ha iaau-
casque'iavandodeixadoesses, asylo daaada-
timantos, parase nao submatereB aessaop*.
racao dolorosa forasscuradas completaname
madunta o uso dassaprecioso remedio. Al-
fumas dasiaespessoanaenfusio de seu reto-
nhecimanto declarara estesresultados benef-
eosdisnta do lord corregedor e ou tros .asna.
irados,afimda *ii ...unticare sus a firmau>
ingaeas desesperan, do astado dasauda s
tivessehast.nt. confianca par. encinar su r-
medio constan temenwseguindo algum tempo
traaaanto que necesstassa a natureza do saai
sujo resultado saris provar incontastavalie!
Qua ludo cura.
O ungento he til, mala Prtl
lamiente nos Marutnte rasaos.
Alporcas
Na ra da Guian. 62, pnmeuo andar, lava
sea engomma-se toda a quilquar roapa de se-
nhora e de horaem com ruaior breidade a aceio.
e mais em conla do que em outra qualquer parte.
tamanho e profundis, por meio oa suppurscao' fattC as nWessariasex'o^acoesle a"s rhlnaTJo que t',^avt >Amta- unntao-t tiaxer a
__:. .jj:..i_____._.>_.j._ ,,a37'4r,ll",V0,s e as cnapas sao qutm a leve : espera, poia, daa maia do familia e
imem, senhora, menino, ou erianga catxeiroa que frequantem os. seas ogommados
sero radicalmente extirpados.
( Estas Chapas nao podara fazer mal de declarando a molestia e" traa iMrta^do'eorM
rorma alguma, ellas tem sido applicadas aos existe. r
olhos com o melhor successo, vaj.m-se os atiesta-1 Para iBchaSoes, feridas, lobinhos, papes etc
dos de curas completas queja foram publicados o molde justo deseu tamanho em um pedaco d
pelos jornses ) papel a declarado onde existe, afim de^ue a
u uso delUs acconselhado e receitadas por chapa seja da forma da parte, afeclada, a para
habis e distiactos facultativos, sua efficacia ser hem applicada no seu lugar.
Foie-se mandar vir tl qualquer ponto do imperio do Brasil
com presteza.
As chapas sero acompanhadas das suas com-
petentes explicacoes, e tambara de todos os ac-
cesorios necessarios para suas aoplicacoes.
WB2
Consultas as pessoas que se dignarem hnra-
lo com a sus confianza, todos os das sem ex-
captjao. dss 9 horas da raanh s 2 da tarde.
uar, Miliar, Miliar.
Ba larga do Rosario n. 44,1. andar.
O proprietario do hotel Trovador, nao poupando esforcos e sacrificios pa-
a bera wrvir os seus amigos efreguezes, acaba de reformar o seu estabeleci
aento e itutallar no mesm) m it um rico bilbax de mogQO de sua propria en-
o babdts artistas ueste genero, em o qual os amadores deste passa tempo, encentra-
V.u uma distraccao to necetsaria ao espirito e ao inesmo passo to innocente.
No mes uo se encontrarSo quartos preparados para as pessoas que quizerem per-
noitar. *
I O proprietario espera a' concurrencia de seus amigos e freguezes, setenti-
I fien lo-llies tao soinmte que serao servidos cora todo o asseio e promptidao, a'
\par da raoilicidade nos precos.
0 ANTIG0T0S0 GENEVOIX
OLEO PURO DE CASTANHAS DA INDIA
H^ o r.nie.llo .1 le no o\rrllcullM.lmo coiUra goltn iIicuihuUi,.,, e nr.rll<
pprovadopalo Cr.nselho medical de So-Pcierslmrgo em20 de marta de 189.
I l O oleo de castanhas da india, empregado por unc6es leves, pelo meio de um pincel
!;. r,' 'r ''""'i"'';:";:- irritadas, possua uma accSo superior a de todos os mais calmantes
r i 'X^? i;'n"' ;' ?Z "'T""- '';'>"'"''"':' P<>r numerosas expeiiencias,hedevJtl'
i iiunii / (.11,11 ..-i.....iii>a fin nlfto de COStaplQU.
Aluga-se uma casa terrea na povoaco ue
Beberibe, com b -stinu commodo para uma grao-
da familia, bauho rnuito perto da casa : a tratar
ua raa do Cabug, tnja da cara.
f

iolowl
oor,
Ba das. Seuzall NoTan.lt
Neste astabaUsimeoto continua a havarum
completo sorliruenlo da moenaas a maia moa-
dss para sngenho, machinas ds vapor a taixas
de farro balido a eoado da todos Odiamanhn
para dito.
Anearas.
Cortaduras
doras da cabera.
das costas.
dos meiabros.
Enfermidades ds c
em garal.
Ditas da anus.
Erupcpes escorbticas.
Fstulas no abdomen.
Frialdade ou falla da
calor na; extremida-
ds.
Friaira3.
flangivas escaldadas.
Inchacoes.
Para as encfmmendJS- VA "rTrtoracoes :,rvra3-se a phar^uaci-
rua do Queimado/h. l. -
/
/ RUA
/ DO
'PELUDOR
55.
RUA
DO
IMPERADOR
55.
VIG1

O oleo de castanhas alhria oito vezes sobre dez. Este oleo ...,i,..,i.:.-.,. .-,.>.
rapidez que nuitas vezes necessita-se de quatro ou cinco unces repelidas urna sobre a
utra para embeber completamente os poros da pello. Enlranliando-se n' ella este oleo a
levemente c uniformemente. Sua accao he tal sobre a ftuxo articular que as vezes I
I "ma se produz repentinamente, mas isso quasi sempre ap6s algumas horas.
mire as nomeroaM rovaa fia eaaeaeU du oiru de carnauba* da inaUa, eb aicjaum ------
ui.cll.a. p 1,n 1T..- du alor llirraprullco d' !< produelo :
P. irla, 1S I tevereiro de Mee. Paris.MdeiulliodatSlIl
. itoi me. 11a. cavallieiro Dm caso de nossa clnica nadical provari a ecacia do oleo
eficenciada de castanhas da India.
O senhor Hamelin, empregado na estrada da tarro, a morador
rua Harcodet (Nonimarlre-Paria), padeca desdt 5 da
1 idor, rua di; M :. I ]. te(
r mu ; oics nos violentos
i da India preparado pi>lo
rua de Iteaux-Arts, la, i tur
izca restituidos do em-
proJ uiu um allivio
i: 11 1 1 -; o prsenle attes-
Aitiynatlo Ja.SIN, a. n. p. -
Fienns em 21 de ulhode 1808.
me fana padecer h<,m\e'.-
: i i lo; cu liiava |.ri-
til um vi ti-i do seu oleo
' icsenll immedi iia-
, inte 11 '...-lio porreita-
f I :i. lacio vidro :
leilipre tei ii] I ^ : este preoiOM reme-
, agam uto, envii 4he ^ trancoa em aellos. Tenho
- A,.,ri'iu, Mmn\,cur adjunto.
rua oiari.iuet iiiioiiinmrirc-faris', padeca desda 5 da Janeiro de
1(161, dedoros gotlosaa nos desdoa dos 1 -. > de rheumatiamo ot-
toso nos joelbos. Em 12 de tevereiro e* se tez tranapertar de carro
ate aonda Ihe ordennei maa inulliunnie o enpreao do
arope de galac.das tisanas d'Astruc anti-athridicas, sudoriflet
estimado, as pipulas I. !IS da fevereiro'; a pocoocolchitica exci- I
lame antimoniada a mixtura lerebenthina (2'.- de fevereiro); o
sdevapor.1 demarcu>;osbaUamosOpodeldul
! I I mm Ddi r [5marco); o poallcrante de Richtcr. 1
l>i kci [12 marco), etc. No da u o. ntarco o accesso augmenta
as dores not joelhos li.lo insupportaveis ; ordennei o enipre 1 di
0U0 dr cninihai .tu Imiiu, preparado por Genevoix. em un "1 >
le\es c Pitas com un pincel sobre as articularles onrennas.' N.. !
niesmo dia a ac.;o sedativa tica manifiesta ; .s unfoea tres vosea por da; apis dois das, o senhor Hamelin achou-se inteira-
mente livre da sais dores e em 18 demarco voltava no seu emp ego
.1iini4io: Doctcur Lckel, om Paria
O oleo re castanhas da India se conserva illiniitadamente sem alterat-ao. Os vidros e meios i
rolhados de vnlro i............
irosroioados de vtdroe accompanhados d'um pequeo pincel, d'umprospectus e d
larolha de papel maia-borrao,ficao fechados dentro uma caixinlta quadrada de cor rosa
liquoita de cor de laranja traz a firma.
e A / \ 0______ Boticario
1.1., tiiiro Iraz sabr um Ju> lados a inician-; SI fi
y i utro a:i ureas tachygrajibicas scguinies:
i :u Paris, em cusa de Emile Cbhevoix, rua des Beaux-Arts, u.
bn-nsiTABios : Rio da Janeiro, Eimne Cherelot; Bahia, Jos Oatano Ferrcira Esntimheira
Pamambwco, d'Alnielda Piuto Maranhao, Ferrdra c C Rio-Grande do Sal"S e ffl
.
DE
FE
DE
t
Na rua Nova n. 47, junto adonde dos Militares.
Naita graaie armazeni de roupaa (eitsahatudo qainto tendente a roapss frt-s. ludo por
pr*qos mallo modiflesdos como e de en aoatama : aobreeaaacaa e casaeaa de panno floo a 25a
S~t. 3(>Jj 33, pilnt.u rto f.,,.,.no paDuo a 14. 168. 18j| e a 20j ditos saceos de caaamira de cor
T$, 8J, 9, 108. 12> e 14S. ditos aobre de 16a Ib, Mtos oe alpaca de cordao a 8, ditas de
marino de corda. d 12S a 14 ealc-a dp casemira -i- edr e pretaa a 5. 6, 7J 8; 9 o IOS, rl-
lelas das mesmaafazeoias a 3a500, 4 e 5. ditoa de brim d- cd' e braocos a 2, 2jU e 3.' cal-
Cs de rim brando <** 49 a dilaa de brim de cor a 9500, 3j 3500 e 4JI, oitaa da meiio de
cord.. a 4J, 5 e a 6, p>letuta aaccos de alpaca pialo da 3g50 a 4. ditos de brim de cor e
brar.co a 2J50'). 3)J. 4 5, d'toada alpaca branco a 6$, ditoa na palh* de seda a 8$, camisas e
aeroulaa dplinno e de bramaole, chapeos de todas a* qaalldadea, roups de todas anualidades
oara meoiuo, aaalaj como Umoa um rinde ortimeoto de (aiendaa eaclhilaa de todas as qali-
dadea tanto de p-nno como de caaamira e ?ria para manlarmoa apro nplar qualquer eocom
menda qne not fot incumbia, a iue para et flra temos una grande officioa de alfilete com cem
operario nirlgia porum mestre franc* o Sr. Carlos Laurent.a tras conira mealre oirigidopelo mea-
mo. cada um destes ci-m aua espelaliiad>, dous egrtando calca, utb cortando eollele o Sr Lau
real eortaodo obras arandea da todaa as qualidadea. *
Ista grande officina pela sua perfeiso e prompUdao nada deixa a desejar.
Os pianos desta amiga fabrica sao hoje assazer.
sobre a, .up.riorid.d.. v.otageo, e gara,ia, que o^ec.io'acfa coZ\"S3k3^K
.ncontestaveis que elles tem definitivamente conquistado ,hre todos os faa tem p'parocido7
BsLsTS Umr !6, d -** 1" odas as voniades e caprichos d '
ESlsZltt^*"*?*1?"*-***** eter'S9 feit'' ""amante melho
STST21 Tmos par* 0-?,m;dos,e paiz; quan,as v/as so me,ojosa3 55
por isto muito agradaveis aos ouvidos dos apreciadores.
Fazem-se conforme as encommendas, tanto nesta, fabrica como na do Sr Blondel de Paris
somcorrespondente de I. Vignes, em cuja capital for^am sempre premiados em todas as J-
Carta dirigida ao IIlu. Sr. Ri-
cardo Kirk.
Tendo feito uso da chapa medicinal, qua por
V. S. me foi prescrib, me acho inUiramsnte
boro, do que Ihe rendo muit >s agraileitiieritoa,
a os fa;o publico plo jtinuncio incluso, o qual
sendo preciso para aaa publicac.ao, poder reco-
nhece-lo nos tabellies ; tlcando outrosiro certo
de que da i?a oz serei panegerista de suas cha-
eia que sou etc.
Luiz Antonio de Aludida Lima.
/onda do S ""do
ATT ESTADO.
Sr. redactor.Seodo obritfaco de todo o ho-
mem o spr grata, eu filtaria a ella se nao decla-
rasse publicamente o quantu de?o ao Illm. Sr.
RlCarJo K'ik, coro eutiptorio d> rua do I'Mo n.
110 Rio <1* Janeiro.
InflaaMacao dt btxiga
da matrix
Lepra.
Males das pamas.
dos peitos.
da olhos.
Mordeduras da raptis.
Picadura da mosquitos,
Pulnies.
Queiaiadalas.
Sarna.
Supurabas ptridas.
Tinha, aai qualqu
parta que saja.
Tremor da ervos.
Ulcera na bocr
do figsdo.
das articula^
Veias torcida?
das as r
atlammacao do figado.
Vende-sa esta ungento no estaba!*
garal de Londres n. 244, Strand, e na
da todos os boticario! droguista a oetras pes-
soas encarregadas da sua varada am toda a
America do sul, Havana a Baspanha.
Vende-sa a 800 rs,, cada bocatinha coutsa
uma instruccao em portuguez para explicar a
modo da fazar uso daste ungento.
O deposito jaral 4 em casa do Sr. Sou,
harmaceutico, na rua da Crux n. %i, es
parnamhuco.
SYSTF3IA 5H-D1C0 OUtl.i.V. \>
PILLASHOLLWOYA.
Esle inestiraavel espacifico, coi"
mente de harvas mer'' *,c n'
'""u' .obstancia.......,.. di
Digno a maistenra infancia, e a coiaplaicao nas-
dalicada, igualmente prornpto a seguro par;
dessneigar o jaal ds compleicao mais robusta
e.enleiramante innocente em suas oparacase af-
Padecendoha mais de tres annos de urna jran-' fritos; pois busca a remove as doencas de qus-
de in/lammaco de figad-j e c-niinuada palpita-] quar especie e grc por mais antipas i
cao ae coraco, que m* privavam at o uso dajqU9 ssiara.
falla, resulvi-tde a mandar Ir as chapas medid-. ., "... .
Cntre milnares da pessoas curadas com este
reaidio, muitas qua j eslavas s porus da
morte, preservando em seu uso couseguirant
recobrar a sauda e (oreas, depois de havdr tauu-
nocs do mesmo senhor, e do lim de dez diaa j
pooia deitar ma d> lado do ligado, e hoje qun
sjo paasadoa quareot diaa teo cessado lodos 09
meus aoflriment is e me echo iuteirmett. bom.
Asaim, Sr.redactor, peQo-lhe quaira publicar!
estes meus agradeciroeoloi pe'a sua a
Ihi, tamo pjra os que padecerem esta niolesli
acharem como ru completo restabelecimeotd e
como aj so o presente a'tu.-tido para ser conhecido pu-
blicasenta.
Luiz Antonio de Xhneida Lima.
Cantagallo. Faieoda do Sobradu.
Kicorihfcida verdadeira a assinolurs auppr,
pelo t creditada fo-'^ intilmente lodos os outros remedios.
lora
l'aratiltt o jui/.o Jo oryliaus, eacrivo Ba-
to, e di sala das aulieoctaa dj mesi.o jutzo, Sf
ha de arrematar a reada trienntl, paga adianto-
da nnualruent;, do sitio que 'oi do finado Lv
valcaiili, r.,. M, ni r .i,-,1 cSit de tienda e nr-
or^s de frutto, uo da -2i o correte, a ultima
prac,a.
Preoia-ae de uro ctiteiro que entanda de
pharmacia : na botica InCabua 11. 11.
eveacao.
steoes.
do. m?h m9Sra eslabe,ecienl2 sa ach> sempre unfesplendido e variado mimen
dos melhores compositores da Europa, assim como harmonios e pianos harmnicos, sendo tudo' "' R' ^ -"neiro
vendido por precos muito razoaveis r uu lUQ0, Marauhiu. com qaem o
* randa bem mouda fabrica da machiotemo, a maia autiK>
axecutar com a maior presteza e perfelcao
00 pan, lando aempre prompto o aeguinte
Grande aortimecto da moand
o imperio, tontinua-ie 1
ancomrondaa d toda a qaalda^. oa mchica* aalai
M.VLI ,2"lm"Bt,V" noendas d .ou. da tolo. o. ayst.maa a tamanhoa.
M.hin.s d. vapor da divarast qualidadaa.
lana* fundldaa a batida*.
C.-ivo* a boca.a para fornalhaa.
Broasaa eguihoes.
R >das, fod.;ta. rodaa d'anaa.
Gaindaeted flxoa e portatis.
Mhioaa de ylindros oara padaria.
Serraa da ac para aerr*ri.
Pti-aa par barros ttf., e'-c. t.do pnr prega gu. bam jnalda.
Traspassa-se o arreodamento de um sitio
distante de.ta prigi meia lagua, a beira dorio.
C -m duis Rranaas casai de viienda, um coquolral.
dous iielros bero sementados, uma grande t.ai-
xa docampim, ra bananonl, muitos roredos
deTructo de toda* aa qulidade*. maita horta, a
quom pagar aa b.m.itonaa que sa t^m feito ;
qaem o ptetaoder. dirija-se rua do Cabula,
Godinho Tavares & C. curaiuros liial c'a m as-
ea fallida de commerciante Mmnel Oo-iy, n^>
fir, para os tio< conreoientes, fat constar s
Baha, Proaonbufo e
fallido Un he rela^oe*,
qje ette se acha lohibido da edmioiatracao de
sua casa, des lo 0 dia da abertura da faleorii
publicada no Diario do Gra<> Para 0. 202, e no
Jornal do Amaionas, u 218, De 5 de aelembro
do correte anuo, conforme o dispuslo uo artigo
526 do cdigo i'Ornniercial.
Nossa ,snhora las Dores
Avia -s sos devotos de No9a Senhora das
Dores que ha uma grande porfao e regate! da
mesma S-nhors, que se trocam a pre^o maito
cimoio, sando ella de um desenlio tino e co",
lindas enfeites : na rua do Iroperador n. 15 das
'J hora da Hiaoli. i 4 da tarde.
As mais Alicias nao Hevem entregar-ss a d-
33pera;o; fa^am um corti|.etQt* ensaio das
eflicazes effeitos dasia assombros medicina, o
prestes rerupraro o benefirio da sauda.
Nao sa perca lempo em tomar esta remadio
Aara qualquer das seguimes enfermijades:
Aluga-aa um prnto qae sabe andar uro
carncat e faz qualquer outro servico de cao-po.
ede armaz-im ; oa rua do Imperador, u. 50 3*
eDdar. '
Uiu guarda livros liabilitaJo se
Olereoe a fazer a escripia lie qualquer
cata cooamercial, quer por partidas do-
bradas, quer por singelat, com ac^io e
promptidao : a tratar na rua Veiha nu-
mero 9o.
Febreto da especia.
Gotta.
Hamorrhoidas,
llydropesia.
Icterieia.
Indifestes.
Infla mmatoes.
Irregularidades da
mensiruac-lo.
Lombrigas da toda as-
picie.
Mal ie pedra.
Manchas na cutis,
Abstrurco do entre,
l'htysica ou consumn-
go pulmonar.
Reten^o .a ourisa.
Hheitraatismo.
SynitOiD!is secuciisrios.
Tumores.
Tico dolorosa,
Uloras.
Venreo ( malj
Precisa-a* dTiro ama para o servico interno Serte este anuuneio para as pes-
a alterno de pouca familia : ni raa do G.bag soas que me pedirm ver tahir pinto*
n. aeguodo sndar. ,1 \ ,. *.
--------__________________________________ ; ua machina de liojeate o da 20.
Braz Ciuarro, subdito italiano, retira se pa-
ra fora do imperio.
Mteiieo
As peaso-s que tiverera par vender proprie-
dadea as ribeirag do povoado da Lage do Canho
lo, Crranles Mauda, distrlcto da Macei6, e
qu^ easas pro .riedsoa. tenham casas que'se-
jam terrenos de rueia legoa para mais ; enten-
dam-ae com Leal 4 lrroao na rua da Cadeia do
Recita q 56, que dirao qum pretende enmurar
Anugam-se dueecaea*, uma no Campo Ver-
de e outra na rua doa Prazares ; a tratar com Jo
s C^rneiro ds Cunha.
A lien cao.
a
Uma passoa lnieirameote habilitada em tdo
que diz reapeito a p.daria, o.creve ertu a coro
ptima 1.Ira,com looga pratica do blca ae of
ferece psra lomar conla de uma casa, dando fia-
dor de aua conducta : a peaaoa, poia, que quizer
se utilisar deseus preati jornal t-ar. a*r prorurada.
Att Stado.
por este
(.Merece-se um pardo para criado de qual-
quer pesan* que faga viattam para fora ou para
qualquer porlo do Braail para compras, dando co-
nhecimeoto de aua boa conducta ; quem o pre-
tender dinja-ae a rua do Rosario, ua. Baa-Viata
n. 51, qae aa dar relago do dito.

Arrenda-ie o ngenho Santo Amari-
nho sito na freguezta da Varze., a uma
leu, moei.te d'aaua com boas maltas
ierrs le plantagoea, a tratar na rua da
Praia casa o. 53, tercMro andar. A pro-
prie'.aria e maia herdeiros proleatam
contro toloe qualquer detono que a *i-
randeira fuer de conseotir, iato nao
ter arrendado dito eogeoho de novo e
por eooseguinle oo poder criar nova
aafra. Rscife 10 de aelembro de 1862.
Hlieumatismo no joelho.
Be abaixo assiunido certifico qae, padeeendol
ha n uito lemoo de urna gran lisaiaia dor rhu
matice no joelho direito, aja perna nao polia
ndireiiar, e teodo usado variaa fomentar-oes
a-m poder obler melhoras, resolri-me altima-
n-enia a toplicar aa chapaa melicioes do Sr
Rtanlo Kirk, com escriplorio na raa do Parto !
o. 119, c4]aa chapas no flm da 15 dia. me poze-
rar> iuleiran.ente bom da mesn
Em minio ao Alt Sr. Ricardo Kirk lha agra-
dece sinceramente e p.aso o preaente atteatado
Rua du C.ltete n. 167, Rio de Janeiro.
__________ Francisip Joa doi Rej*.
_ Vctor Em Proto, Bmi Bm Prolo, eMa
Fue. Niiulo t n Prolo, subditos Italiano*, reti-
ra -ae para tora da proiocia.
O baixj asioado, lerMo de retirar-te pr
lurop p ir iodo o mea ae outubro, e desojando
a aobr.do do paleo d. Ribeira n. 1, .'squioa de San-
ta Rua, astioi con o pede a toda* as p-sioasque
be esto a decr, tat.tj por eonta de liro co o
letra > muito andd*a, assim como tambero faz
o mesmo pedido a todaa aa pessoas que eram
deedores ao meu fallec lo aogro, de ir pagar al
o nm deata mez, fiodo o qual aero todos cha-
roadoa a juio. A tratar aobre qualquer negocio,
na ma do ngel n. 75.
Recite 16 de aelembro de 1862.
_____ Jos Bernardino Alves.
Aluga-se. a ala .-.a Irsote do prtmeiro an :.ar
D. 15 '.i raa de Queituado, propria para alpuro
adroga 10 ou esenptorio : na mesma rua, botica
numero 15.
aayiM 1 i'i i'i'iiwi ii.._m^^m
O cor. 1. t-i Aillo .10 fooro U sa B.rreio
faz seua Ciimprimentos de gratidao a tolaa
i c-.i.o < ,u.' hoararam com aaas preaen-
C'S o uffiio fan-bre e acorot'anharam ao
cemiterio publ co oa resto* moriste da seu
estimado giuro Virginio Carne-.ro Lelo, e
pede-lhes o car.doso favor de unireo an-
da >uat preces aaa dos tena uo oa 22 do
crreme pelis 8 horas da marha, na igre-
ja i Nissa Senhora do Carino
AlMa-3. aiua eai-ra. e -(1, uiolequi oe
!6a"nos para todo ser^icj de uma cia oe fa-
Qiilia ; ni rua da Aurora, t'beroa, n. i8.
Aluga-se
um sobrado de um andar, sito na travessa do
Vera, na Boa-Vista ; quem o prat-oder, dirija-
se a rua ds Imperatf, n. 34.
Sitio.
Preaiaa te du uro iau-iro a uada
16 anaoe : do besee Largo n. 6.
de 12 a
Alugt-se o bem eonh*eido aitio na entrada do
Monltiro onle u'timamei.ta esiivara'm os Sra.
etaellantea ommoioa para grande familia, co
eheira, estribara, todo murado, grande terraoo
na frente, porto na frente e do fuado para o
baoho, afete )o de fru. tu e grauoa janlim coa.
bellaa e hi-m dispostaa florea: a tratar com o
Sr. Antonio Jo*e Gome* do Crrelo, no Moalai-
ro, ou om Manrique Jjrge na obra da trave***
do Pocinho.
Precisa-.e de una ama para o aenco de
um casa de oouta familia : na rua eatreita do
RoeaJo n. 10. aeKun.io andar.
-~-^^-^"^"~-^- Dode
iirim-iro andar do aobrado da I .v.
Aluga-*e o .
rua da Senzalla-elha n. 48
mesmo
a tratar na loja do
@
Mu Oolicitador Jo* Coelho da Silva e Areejo
mudou aua reiidencia para a raa do Livramento
a. 81. segundo andar.
Precisa-ae de um caiieiro que antenda da
pharmacia: na bolisa da raa de Gabogi u. 11.
UNGENTO HOLLOWAY
Milhares da individuos de todas as naca,
dea* testemunhai as virtudes desteremdai
iijcompara vele oro va reta caso nacessario.qupe
pelo uso que delle fiaeran tem seueorpoa
aembrosinteiramen'.asaosdepoisdehaTer **-
areejadoinut ilmeota oulroetratamentos. Gadt
pessoa ooder-se-bironvencar dessascurasaa.
ravilhosas pelaUitura dos patiodicos, quslh'ai
relatara, todos os das ba muitos aoaos; a
maior parte dallas sao to sor praadeut.es qua
cidentes epilpticos.
Alporcas.
Ampolas.
Are'us ( mal de) .
Astoma.
Clicas.
CooTolsoas.
Dabilidade ou extenua-
ojao.
Uebilidada ou falta de
torcas par* qualquer
cousa.
esinturi.
Dor da garganta.
da barriga.
nos rins.
Dureza ao ventre.
rLnfermidade no ventre.
Dilaa no figado.
Ditas eamareas.
tiichaquec*.
Herysipel*.
Febre biliosa.
Febre intermitente.
Vendem sa estas pilulas do estaba)acimanlo
?iral da Londres n. 224, Straod, a na loja
I* todos os boticarios droguista a outras pessoas
aacarregadas de sua vnda e.- toda a Amarina
lo Sul, Havana a Hespanha.
Vendem-se as bocutinhas 800 rs., cada
iima dallas contem uma instruccao ara portO-
|oes para explicar o mono Je se usxr destatpi-
lotas.
0 deposito gaaal i em casa do Sr. >oum
pharmaceutico. na ruada Crui n. u2 am Par-
ia-o buco.
SEGUNDA EDICTO
THESOLUO HMEPATlDJ
OL
Vade-m^curu rio borneopstha
pelo flHutur
tULBOBd i. 1. WHli.
Este livro que se tem tornado tao popula
quanlo necesario, acaba de ser publicado cora
todos os melioramentos, que a experiencia e os
progressos da scienria tem deraonnrado. A no-
va edicto era tudo superior priraeira, ea-
cerra:
1." Mais ampias noticias acerca do curativo
das molestias, com indicaees mui proveitosas
dos medicamenios novos recentemente experi-
mentados na Europa, nos Estados-Unidos e uo
Brasil.
2. A expsito da dculrina homeopmha.
3.* O estudoda apropriacao dos remedir-s, se-
gundo as predominancias dos temperan en tos,
das idades dos sexos, e segundo as circurastan-
cias aimosphericas eic, etc.
5. A preservacao das molestias epidmicas.
6 Uma estampa Ilustrada dernon-trativa da
conlinuidade do tubo intestinal, desde a bocea at
o anus etc., etc.
Vende-se na pharmacia especial homeopa-
TUICA, propriedade do autor, rua de Santo-
Amaro (Mundo Vovo) a. 6.
Preco de cada exemplar.. 209000
N- B. Os senhoresassignanle3queiram aaan-
dar recebar seus exeaiplares.
njecc Brow
Remedio infallivel contra as ognor-
rbeas antigs e recentes, nico deposito
na botica ranee*7., rua da Cruz n. 22,
preco 3J.

MELHOR EXEMPLAR ENCONTRADO
MUTILADO


>
BUHO M flEJIlfciCCO. SaBIDO 20 Df SHEMBBO M ites,
AliK ta grande familia, todca muito frasca, a belra
do rio, tefe maito boa agoa de bebsr, etlribeii
para 6a?alloa, qearloe par criadot, ten bom ai-
lio para paieear : a fallar com a *UW Villar.
Atimrein-se e fcpproveitem-se
Retratoe de antroiypo a lj um ; oa maia acre-
ditada cantiga oficina da photogrsphia detl ci-
dade, na raa do Cabega n. 18, eDtrada pelo pa-
eto da matrli.
Nesta typographia precsate fal-
lar ao Sr. Manoe Ferreira d'Almeida,
Prectsi aa lomat a premio a qaantia de
400$ por lempo de seit raezes, dtndo-ae peoho-
tea por seguranza : quem quizer faier esta nego-
io, dixe caita aob aa inicia* A. A., na pra$a
de Independencia na. 6 a 8.
PEQUEO CURSO
DE
Chimica Agrcola
POR
Etla iotareatante obra de agriculUra, traduii-
da do trancet pelo t.* lenle de engenbelro
Philadelpho A. Ferraira Lima, contina a aatar
venda naa listaras doa Sra. FigasirOa e Gel-
meraee* Oliveira, e ua rea eatreiuldo Roeazio,
typogrepbla commerclel, a raiao da 2$G00 cada
eiemplar._________^^_^___^_^__^_
Utferace-ae uui peqaeno de ldade de 15 ao-
noa, o qaal aaba 1er e eecrerer, para qealqeer ar-
rumigj, o qaal j tem algama pratica de taber-
na : trata-se ua raa Direil* n. 8.
Na ioja amarella a' ra da Praia
vi. 3i>. ha um completo sortimento de
azendas inglezas e francesas proprias
deste mercado : pannos linos, casemi-
ras, brins finos brancose decores, ahi-
tas francezas, cambraias brancas e de
cores, madapoloes de diversas qualida-
dc, chapeos francezes do mais acredi-
tado fabricante, ditos de sol de seda e
de panninho, algodao branco e de co-
res proprio para escravos e saceos de
COnduzir assucar e outras militas fazen-
'. a contento do comprador que pagar
i .ista.
__ Alagase o primeiro andar do aobrado n.
: da ra do Pilar, com excellentea commodos c
tima vista para o mar : a tratar nc segundo
dar do mesmo._________________^__^__
' rakpassa-se o arrendamenlo de um sillo
detl pra^a meia leeraa, a beira do rio,
.ai grandes catas de venda, um coquei-
i8 viveiro bem sementado!, urna giaode
capim, um banaoeiral, muitoa arvore-
clo de lodas aa quididades, maita hor-
,uem pagar as bemeitonas que se tem fai-
,'i-.-ii o pretender dirija aa a raa du Cibug
. srof ro 6
- Biliar & Oliveira vernlem lihraa elerlma.
Nova exposi-
cao de candieiros
aV
a gaz.
v exqoslcao
xpotic'
uhegou a itaV exposicau
Cbegoa a no'a exposicao.
Caodietroe a gaz
Candieiroa a gas
Candieiros a gaz
Candieiros a gs:
Caudieirot a gsi.
Soilimento complato
Sor'i erilc completo
Sortimento completo
Sorlioeoto completo
Scrllmento completo.
Gaz da primeira qualidade
Gaz de primara qualtdtde
Caz de primeira qualidade
Gaz de primeira qualidade
Gas de primeira qualidtdi.
S6 tem na nov expsito
^6 lm na rr'i eiposico
S6 tem na nova expoaico
S tem na cor exposigo.
O proprietario oeste ctlabtlecimenlo avisa ao
publico em geral que tem recebido em complete
(crtimeota de tanlieiros a gz para ricas talae,
queras, etcadic, aogenbos e para estado pe-
moa que pode som a economa da urna gar-
rafa de gaz ter para 60 horaa de luz, rica cadei-
ras de balando de Ierro com estofo adan.asca.it.
re linho, lavatorio de ferro econmico com
todo o peileuces, com esgoto no udo da ba-
da, rico qaadroa para oroamentua de ss a um
riqtiissimo sortimei.lo ce oljeclarisa a imitago
de marfim para aenhoraa epprovada na ultima
riqnissiroit pulceiraa a imitacao de camafeo, lu-
do se vende por diminuto precc que muito de-
ver agradar tos preteodentes ; na rea Nova n
20 e 24, loja de Ctroeiro Vianna.
Freciaa-se de 1:U0U& a premio pelo lempo
de 4 mezea, dando-se para garanta urna bypo-
tbeca eui dous escravos BOGO : quem pretender
fazer sta negocio annuocie aua inorada para aer
procurado.
Alaga-se na povea^o de Jaboaio ema
feraude caaa de lijlo com 2 tolas, 8 quartoaj 1
gabinete, cozinha fura, tem mobilia de amarello
qce incommoda meooa a qaem pesia a feata, por-
io ao lado, telo o ailio cercado e merado, lem
grandes jaqueirat, laraogeirsa, e maia [rectas, e
o melhor o no Jaboalo que corre pelo fundo,
e baobeiro feilo: oa paseadores de feata no frea-
co podem dirigir-ae a ra Direila n. 95, que
echarlo com quem tralar. ________________
Padaria e
confeitaria.
Domingos Jos da Ceoha Legos,premiado pelo jery da eipoiiconacional de 18Cl.com ama
aedalha de praia, avisa aoa ases fregusiea em geral, qae sen sstsbelecimenlo na rus da Senzsla
Novan. 30. tem o melhor sortimento, prepara bandeijas no melhor gosto, recebe eocommendas
de p&o-de-lo, bolo ioglezes, bolos imperieea, aletrla de ovos, podios, pastis, prepara prsenlos
de fiambre, docea de frectaa aeccos da caldee para aturar e exportacao, respecta tilisa-ae pelas
bossqualidadase bom acoodicioaamento, vande por menos preco poisivel:
Precna-ie de 3:000$ com bypotbeca em
um ailio parto desta cidade : na raa da Cruz n.
33, primeiro andar, ae dir quem precisa.
Na rna do Rangel n. 28, primeiro an-
dar, iinge-e d todas as cores com presteza e
prec.0 razoavel.
Acha-sa urna pes a desempregada, a qaal
eolende perfeitaoient* js Irabilbos de pedera,
e se acha hatilita la t tomar cenia da alguma
por balanco, por entender tanto dos trabaIh ja co-
mo do forno, e pode dar fiador de aua conducta.
O bacharel Fernando Afno de Mello,
nxoeurador 1'ncil da fazenda nacional, mudou-sa
para o principio da ra do Hospicio, sobrado da
um andar de liento Jos Ramos de Oliveira, com
portan de ferro ao lado.
Arrena-ae ama grande parte do ailio da
coquairo, denominado Maria Farioha, na fregue-
zta de Uarangaape : a tratar no englobo Mari-
nara, freguezia da S. Lourenco da Malta.________
Pao commem.
> crioulo.
> Provsncs.
de familia.
Bolachas econmicas.
> commam.
> fina com letreiio.
Bolachiohas de ararais.
alnados.
> regalas.
cora(es.
Garibaldis.
cariocis.
d catrellaa.
> sodas.
duble.
> latias.
> partculas.
Biscoalo doce.
Biscoatinho.
de ambargo.
Bolachiohas inglesas.
de laile.
panfusos.
Biscoalo agoado.
palitos.
Fariulia de ararais.
Litas com bolacaiuhi de amula.
> > biacouloa Inglezes.
Bolachinhi8 francezaa.
> meopathla.
a eapadar;
linas para cb.
Boloa de amor.
Bolos suissos.
t raivas.
chioeze.
caaadinhoi:
> de la reina.
gemas.
a eipiclones.
allemes.
> massapas.
s csatinhoa.
.' afogoiados.
> cestinhi de amandoas.
de erva-doce.
> alaiquins.
> SSS.
d po-de-lo torrado.
> anel.
trochas.
pingos de tochas.
lacoa de coco.
araonas de coco.
cocada d'oros.
i chocolate.
a palitos.
> ameodoas.
6 qudidides de pastilhas.
Vioho de caj.
10 qaalldadea de doces seceos.
10 d de calda.
4 > de gela.
Immanios doces estrangeiros.
Assucar cande e refinado de todas ai qualidades.
Figuna de aisacir.
Xaropee capil de todas as fructas.
Fugie do engeoho Sa, fregaezia de Santo
Amaro Jaboatfto, no da 9 desetembro, a escra-
va cno!a, fel, de nome Josquino, id no, poeco mais ou renos, condaziodo um fi do
de non e Benedicto, cor caba vtrmelho, c..m
idade de seis annoa, dita esersva alts, chela
do corpo, lem um talbo no braco, que lollreu em
pequeua, porm exilie a marca muito viaivel,
tem os denles iLteiros e as feices grostelras ;
deiconfia-se esisr aqui no Recite com o titulo de
forra : roga-se assutoridadea policises e aos Srs.
capitea de campo, que a aprehendendo eotre-
geem-na rea da Piaia, em caaa do Sr. Pedro
Jote da Costa n. 35 ou 46, que tecebero 50$
de grtliticr*o.
(Jasa de ctnipo.
Alluga-se annualmente, para passar a testa,
m sobrado com muilos boni lommodos para
grande familia, tmaco, jtrdiu, coxeira, esl-iba-
ria e cacimba, pe lo do baoho, no Poco da Pa-
nells quam olpreteuder tratar oa ra da lm-
poratriz com Frederico Cba Saca-se
sobre Lisboa e Porto : na ra do Vi-
gario n. 9, primeiro andar, escriptorio
de Carvalho ARMAZEIKI
Francisco Jorge da Silva Paranhoa, dentiala
com aseu gabinete na raa larga do Rosario n. 9,
tema honra de scientiflear ao refpeiiavel pabli-
co desta cidade, que recebeu altimamente de
Paria e da America do NoMe m variado sorli- |
melo de objecto* de sea proCaso anda nao>
vndo a eU* cidade, como sejam denles de dif-
erentes qaalidades, transparentes mineraes per
Valcinet, estes denles nao a pela aoltdez como
lambe.m pela grande releco de analoga qae tem
com oa natarsea, sao saperiores sos que ordi-
nariamente tem vlodo a eita cidade, razie per-
qas presentemente sao elles os mal adoptados
pelos melboresdaniistaa da Paria e da Amrica
do Norte. O annsncianle tem tambem um gran-
de aortiotenlo da massas fins de diversaa corea
para encher os denles cariados, as qaaes lem i
propriedade de adherir a cavidade t de solifl-
ca-la de modo a poder logo exercer a mistiga-
cao, dissipam iulelramente as dores ainda as
mais sensiveis propriedadas que nao lem a da-
HSHIIL
Porluguez de Beneficencia
tm PerBmbuco.
O liotpilal Portugut: de Btne/icencia nesta ci-
dade, leodo de soleo-nisar o stimo anolvcraa-
rio de aua fandaco, como determina o artigo 102
doa au eaialulos, clferer^o aoa reapectivos e-
nnore socios e i o publico em geral, o resumo do
progrimma adoptado pala seteal jaola adminis-
Aa 9 horsa do da 21 do correte ser o eati-
Delecimeiito Iraoqaeado concorreucta publica.
As 11 boraa em ponto celebrar-se-bu miaae no
leu oratorio, sendo esta axecutada em muiica
pela orchestra ; finda a qaal lera legar a viait-
5ao i eofeimirlae pelea auloridadea e convida-
doa preainte.
Urna hora depoia de ttrrxinida a featividade,
dar-ae-ha o janiar ioi enfermos, sondo este ser-
vido pelos mordomns, ou tiro do aaal ser capta-
do o psalajo Ladale owwiumde Calis, em ac'
rao de gra;a ao Altissimo.
Aa 7 ||S horaa da noite ciut*r-e-be urea la-
dalnba em honra e luuvor do noaio patione S
Joo de Dos.
O eatebelecimento ccoterv*.r-e-ha aberto af
as 9 horaa da noite para aer visitado pelos con
correnttsde am e oairo exo, esteDdo nao a
capaila como as tntermarlaa e maia Interior e n-
terior do edificio convenienieaenle dacorido
illeminado.
Urna baoda de muiica itarcial na frint
edificio tocar variadaa pecas.
Espera-ae, portento, a concorrencia do enbo-
res associados e de todae aa peaioss que qaize-
rem abrilhaoler estes actoa solemnes.
Sscretsrla do Hospital Porlegaez de Benefi-
cencia em Peroambuco aoa 16 de eelembre da
1862.-0 |. secretarlo,
^_______ Joao Carlos Coelho da Silva.
<.
do
Aluga-se o segando andir n. 29 do piteo
do Panizo : a tratar na ra da Roda n. 17. se-
gundo andir.
Billar & Oliveira
D-'tO. '
sacam aobre a
BOTTOD.
irgo do Ter$o23
Attencao
Felippe Santiago da Aqaino Jorge, faz idete!
ao reipeitavel publico e maia aos seu credoresl
que desde esta dala tica o sea utabeleclmei.t
maolina de que ordinariamente se faz aao. a aaal i *orrendo someote por tu conta, visto j ter sea
Alugam-te uous grandes arma-
zens na ra da Concordia proprios p&ra
qualquer estabelecimento em ponto
grande : a tratar com o Sr. Miguel Jo-
s Alves na ra da Cruz do Recite.
Ao publico.
O abiixo assignado, antigo aolicitador dos aa-
ditoriaa desta cidade, contina a exercer aa pro-
fitsao, tanto no civel como no commercio, a ae
eocarrega de desempenhar coro fiielidade e
promptluo lodos os mistares que lhe saoinhe-
rentea porajuatea mai raxoaveia : oa seus ami-
gos amigos que sempre o honraram com sua con-
OaDc, e quaesquer outras pateos o podero pro-
curar em cata de sua residencia na ra da Im-
peratriz o. 34, em todos oa diaa da 6 a 9 boraa
da mauhaa, e da 3 da tarde em diente
Victorino Jos de Souz Travaasoa.
Precisa-ae Ugr urna pretaque lenha boa
conducta e teja fiel, que saiba eogommar e co-
sinhsr : na ra do Queimado sobrado o. 44, pri-
mt-iro andar.
VIS
Sitio,
Veiiie-ss um sitio ni eitrsda do Roiarioho, no
oitao da igreja do mesmo nome, com boa casa de
pedra e Cl, contendo 2 salas, gsbinete, 4 quirtos,
concha e copiar, tem boa agua para beber, estri-
barla, coebeira, baixa de espiro, muitaa lirangei-
ras dai melhore qualijidcs, e bastantes oulra
ervore de fiuclo, lauque pa<-a btnho a jerdim
:.s frente : trata-te na ra da Cadeia do Recite o.
6, ou pa ra Nova o. 55
Furtaram hontem 18 do correte da ruada
Paz defronte da cocheira, um cavallo com ostig-
iiaes segainlet : grinde cor casiat.ha, dinas
grandes, calcado de um p e mo, levando cas-
auaes : quero o pegar leve-o casa cima que
ser generosamente recompiniado.
Joao de Medeiros Raposo
taz sciente a quem ioteressar poasa que desisti
em beneficio dos herdeiros do finado Antonio Jo-
s Terelra Ermida ds heran^a que em sua terca
.be deixou o mesmo finado.
Attencao.
Precin-se alugar ama casa terrea com algans
cornreodos para familia, no bairro da Boa-Vista,
em bom local ; quem a tiver r a ra do Amo-
rim n. 25. qa acharcom quem tratar.
J. E. Chouvn
mechanieo, velho discpulo da etcola imperial de
artea mechanicas de Pars: moota e repara ma-
chinas a vapor, hylraulicea, elecliicia e bombis
de todos os syitemas, repara armas de todo o ge-
nero, fabrica coocerta burras de ferro segundo
os melhores modello, issim como as abre sem
fjrca-las, fechaduras as mais complicadas, cam-
panilla para anounciar o objectos pedidos, faz
qealqaer relevo aobre metaes, trnela sobre me-
tal, torno redondo e oval de lodo lamanho para
asaentar rcedalhas, escudos de armas, etc.
Ra de Joto Fernandes Yieiru n.
19, Su le lude.
O sdixo assignado, conhecido por Xieo Bexi-
ga, aotigf.int-.ute cox loja de calcado alraz da
praca di Independencia, travessa das Crazas, e
boje com o mesmo estabelecimento na raa da
Imperatriz, oatr'ora aterro ds Boa-Viata, ao p
do becco do Ferreiroa n. 38, participa aseas nu-
merosos freguezes, tanto da pra;a corro nego-
ciantes do mato e deste gsuero, que cita bem
aortido pira servir bem seut fregaezes, e vende
muito barato como de cottame vender muito e
geonir poaco Franciaco Maciel de Soaia.
OSr Joo Du*rte Magi
uario queira vir & esta t) po-
graphia a negocio seu.
O proprietario deste novo armazem, Aenda os gneros por menos do que em outra. qualquer
parte, afiangando-se a boa qualidade de qualquer genero comprado oeste armazem.
Mantaig iogleza da primeira qualidade a 720 e 800 rs. a libra, e em parcao a 700. s
dem franceza da safra nova a 600 rs. a libra e em meiosbarris, a 560 rs. a libra.
Queijos flamengos chegados ullimamenle a 2, do vapor pass'do a 15800.
Caf de primeira asegunda sorte a 260, 280 e 300.rs. a libra, e em arroba a 8 e 99.
Servejs das melhores mateas a 480 rs. a arrafa, e a duzia a 59000.
Vinho engarrafado do Porto a 19000 s 1|200 a garrafa, e a duzi a 99000.
Dito era pipa das melhores marcas a 480, i>G0 640 rs. a garrafa.
Massas, para sopa a 320 rs a libra, e em caixa Je urna arroba, por GfOOO.
Aziita doce de Lisboa a 7-20 a garrafa e de carrapalo a 360 rs. a garrafa.
Sardinhas de Nantes muito novss a 380 rs. e em por^o se fiz abatimento.
Alm dos gneros annunciados, encontraro sortimento completo mais barato do que
em outra qualquer parte, por \irem a maior parte delles por conta propiia.
i Companhia
DE
Seguros martimosM
SEGURIDADE
g Estabeleci.ia uo Rio del
^ Janeiro. m
AGENCIA RUADO VICARIO N.tO.fg
Banco Unio.
Estabelecido na cidade do Porto.
Agentes em Pemambuco.
Antonio Luiz de Oliveira Aze~
vedo & C.
Sacam por todos os psqaetes sobre o mesmo
Banco a prazo oa k vista, a aobre asagsnciaa om
Lisboa, Figaeira, Coimbr, A.veiro. Vizeo, Villa-
Real, Regoa, Vianna do Castalio, Gaimarea,
Bsrcelloa, Lamego, Covllha, Braga, Penaflel,
Braganca, Amarante, a cito das, oa so praso
que ae convencionar: n sea escriptorio raa da
Craz n. 1.
am vezda dissipar motiva aa dorea por cause
d'agua ocidolada do aulpburico. Quem quizar
aeaa deotes cariidoa, chelos de ditaa mistas t
recorrendo ao aonuncianle porque elle o ni-
co que presentemeate tem nesta cidade ditaa
matsaa recentemenle chegadaa da America do
Norte e de Para. A' vala daa circumstaotias
crilicaado lempo tem o aonunclante resolvido a
modicar oa precoa e de aeaa trabilbos afim da
chagar para todos. O intimo colloca dente so-
bre base de ouro, platina etc sem extracto de
raizes pela presso, a pivot ou a pisto, desres-
lort de crochet, como melhor exigir o estado da
bocea. Para a cooservacao doa dentes em esta-
do de jaape lem o innanciante excellente p da
Chica verdadeiro preservativo nico e magnifico
denlriGcio para conaervar a bocea e dar-lbe ua
hlito sublime, tornando os deote* pelo seu aso
quutidiano isenloa da carne que'vulgarmente
chamam pedra, da frouxidao dos ervos lveo
larios e de outros maitos inconvenientes qae a
falta de tses preservativos ocetsiona tendo por
origem a negligencia qae commumente ha qaa-
*i am todo o publico, acontecendo estim per-
dtr-se o especial ornato da bocea ; o acnancian-
te alm.disto faz toda as operc-"'es de sua pro-
risio com toda a promptido ponivel e delica-
deza. A entrada confronte a caaa depbarma-
tia do Sr. Harti.-olomeu.

bado a sociedade que hava com o Sr. Pedro Mari
lyr de Souza.
Beeife 9 de aetembro de 1862.
Furiaram ao amsobecer do da 4 do cof-J
reote do abaixo assignado proprietarlo do enge- S
nho Gamella Iregaezla de Ipojuca, doua cavtllos
com o stgose seguintes : am russo vermelho
bom baixeiro.e outro radado talhado, ambos tm
elem de oatroe o ferro IR na qaeixada eeqeerda:
roga-ae a pessoa que os encontrar oa embargue *
participe ao Sr. Joo Visir di Rocha, cu oa rus
do Vigsrio case de Joao Slmao de Almeida. t
Kemedio para a hyurc-
pesia.
No povoado de Gameleira existe ama peno
que cura a hydropesia e a hlorosis em pouc<*a
dits, pode alian ;r a certeza da cura, porque
em todot os doentes destit moltttias que lem em-
pr*g?do oa aeui remedioa em breve achira-sa
completamente restablecidos : quem precinr,
dirija ss ao chele da etla:jo da va-frrea dP
mesmo nome, que este indiesr pesioa que ta-
beo remedio que tintos bens j tsm feito ao>
aflictos doentes de lao mortifica flora molestia.
Joaquim F
L.
gravador aobre todos os metaes, fornece plagia
de cobre polido para portea de advogados, mdi-
cos, loulores, logislss e outros, igualmente for-
nece aioetea para marcer, emblemas e mais ob-
Jectot concernentes so sea offlcio, ludo por pre-
4-os moderados, dando a contento : na Soledade,
roa de Joao Fernandes Veira n. 19.
A peaaoaque aoounctou estar habilitada a
tomar coola de um padaria, dirija-se a ras Im-
perta! na padaria o. 51, qae achara co
tratar.
4#Ra do Oueimado40
Defroiite do becco da Cougreg&co letreiro verde.
Reste estabaledmenU ha sempre nm sortimento cemplato de rcapa Islta de
todas aa qualidade a tambem se manda axecatar per medida Tontada des fregaa-
xes para o qae tem am dos melhores professores.
com quem
Aluga-se urna preta que aaba eogommar
coier e cozinhtr, ta lo com maita perfei(o, e et-
etller.te compradeira de qualquer objecto; oa
raa da Girfeia do Recife n. 64
Pede-ce ao Sr. Uiesoureiro interino daa lo-
teras qae nao pagua a pessoa algama, caso saia
neoiia Jo o meio bilhete o. 970 da loteria qae
orre Aoje, cejo meio bilhete est sssigosdo no
Terso *>or Mara Candida Bandeira Magalbsea.
Contraria de Jossa ce-
ahora do Livrament >
Convido a todos- os irmios dests coofraria para
do dooiiogo, 21 do correte, pelas 3 horas da
larde, comparecerem no coosclorio da mesas,
afim de reuoirem-seem mesa geral pira elege-
rem onovo juiz qae lam de reger no anoo de
1863. Consistorio da contraria de Nossa Sen ho-
ra do LimmentQ W de setenan de 1868.
faJcoSeeretirio.
Gomp&iiiiia Pideiidade de *e-
gurof maritimos terres-
tres, estabelecioa no Rio de
Janeiro com o capital de
16:000:000^.
Agentes em Pemambuco
Antonio Laiz de Olivsir* Azevedo & C. compe-
tentemente aatoriaadoa pela directora da compa-
nhia de segaros Fidelidade, toma m seguros de na-
vios, msreadorias predios, no sen Siriptorie,
raads Cruzn. 1.
mmmmmmommmmm
Dentista de Pars.
19Ra Nova19 %
Frederico Gautier, cirurgiao dentista |
fas todas as operaees desaa arte a a co- j
loca dentM artificiaos, ludo com -sdeln I
I rioridade perfaicao que ts pessoas-,n 1
tendidas lhe rsconhecem.
Tem agua pos dautifirics, ate.
I
I
I
f
i
Um Fraocez
abri um carao diario da fraocez, e tambem lec-
cin em catea particulares: tratase oa ra da
Senzali-Nova d. t7.
m&
Precisa-se Je ama ama para casa de maca fa-
milia : na praj Ao Corpa 8en4 a. 17.
Casacas ue panne preto a OS.
I5| e
Sebrecasacosde dito dito a 35; e
Paletots de panno preto e de co-
rea a 35, 809, ^5, IOS, 18 e
Dito decaaemira de cores a 22$,
15J.V25 7c
Ditoa do alpaca preta golla de
vallado francezas a
Ditos da marin setim pretoa e
de coraa a 9| e
Ditoa de alpaca de corea a be a
Ditoa de alpaca preta a 9>, 7 J, 6| e
Ditoa de brim de corea a bl,
4*500, 4 e
Ditoa de bramante delinho bran-
co a 6?, II e
Ditos de merino de corde preta
a 159 a
Cale do caaemira preta de co-
rea a 115, 109, 95, 79
Ditaa da primaz a merino de
cordo preto a 59, 69500 e
Ditaa de brim branco ede cores a
59, 49500 a
Cale de ganga d corea a
Gollete de reliado preto o de co-
rea Usse bordados a 129,99 o
Ditos do caaemira preta de co-
res lisos bordados a 69,
59500,59
Ditos de setim preto
309OOO Ditos de seda e aattm branco a 6 e
309000 Ditoa de gorgurao de teda pretes
a de cores a 79, 69, 4$ c
109000 Dito de brim a faslao branca a
3J1500,19500 a
99OOO Seroulas de brim da linbo a 2$ a
Ditas de algodao a I96OO e
OJOOO Camiaas de paito de fasta hrar.ee
oda coras a 99400 e
89000 Ditas da pcite delinho a 59, 49 a
290OO Ditaa de madapolao brancaa a de
8(500 corea a 89, X9500, 99 e
Chapees prctos de massa francesa
39500 forma da altima moda a 109,
8S500e
49000 Ditos de feltro a 69. 59, 49 a
Ditoa de ioi de seda ingleses e
89000 frantezes a 14J, 119, HJ
Colarinhos de linho malte fines
69OOO noTocfeitios da altima moda a
Ditos de algodo
495OO Ralogios de onro patente e heri-
nn su. "i'*1 10*' ,0*' Wf 7!W
21500 Ditos de preta galvanisados pa-
9000 tente e horizontaes a 409 SOSOOO
Obras de oaro, ad.reos e meio
89OOO adereces, palestras, rosetas e
aneia a <
saanasn -,,lb" d#.llnho d"1" i0*' 6 S000
8f5O Dits grandes para masa urna 39 e 49OOOJ
5J000
59000
59000
59OOO
29*00
19280
29100
8*000
1*600
79000
19000
79000
9800
9500
M
Be*
Padaria franceza del
km mechanieo,
NICO NA PROVINCIA
fe50-7?Ma da Imperatriz50
A padaria franceza sita na ra da Im-
peratriz n. 50, onllnu aub a admini-
trii^u Ua viuv nirreitier e alli bsver
lodo os das :
Pao queote de leite s 6 brrts ds Ur-
de pare tomar eom cha do dia ti do tor-
rente em fiante.
Bolachas de todos os tamanhes e cua-
lidades,
Bscoutos doces e agalos e de todaa
as qualidaoer.
Bolachinhss de araruta doces e olea-
das.
Bolos francezes.
Fatias doces.
Pao communa daa melhores farinhas
do mercado.
Preparsm-se bandejas de todoa os ti-
ma nho com bolos de toda aa qualida-
de e tudo isso por precoa comroodos.
A referida padaria trabalha em m
forno mechanieo assaa deapeodioso
nico na provincia. O pao, qee delle
^5! sahe o mais limpo, puro e de melhor
&| gosto e bem essirn as bolaehaa e tudo o
^. mais. O forno tem am asseio nolavel e
G o pao cosido com muito poeca le.ha,
@ e aem haver communicaco com esta
i ou as bases, sendo por isso que nao se
t encootra o menor fragmento de orvao
fe no pao e naa massas que elle cosloha.

m
m
g33
lt! WSCHll.MO
DAS
AiiYB:^
ORIAi
PARS
Entalhador
i
11RA DAS CIIUZESK. 11.
Tendo observado que em muilos saloes desta
cidade falta-llies um dos primeiros ornamentos,
como seja :
11 Guarnifo das jancuas

(para uso dos cortinados) geralmente adoptado
na Europa, e hoje bem conhecida no Rio de Ja-
^ j neiro, e que talvezpor falta da quem se encarre-**
@gue desse trabalho, seja a principal causa pela
Iqual ainda se nao tenha tambem aqui desenvol-
vido estegoslo.
Convida, pois, aos senliores que se quizerem
utilisar de seu presumo, a virem a sua t.flicina
para verem os MODELLOS e as diversas com-
COKSJLTOB ESPICULHOlElfsiTBiGt) P08^8 ^ncementes a esse fin.
DO DOUTOB
SAIIIGO.L. PINKO.
Ruade Suato Amaro (Mundo
Novo) lt 6.
Consultas todos os das uteis desde as 10 ho-
ras, al o meio dia, acerca das seguintes moles-
tias ; moltstias da mulheres, molestias das
crianzas, molestias du pelle, molestias dos
Igualmente . QUADROS PARA RKTRAOS DE FAMILIA
cora molduras, que'r simples, ou com entallia.
Assim como recebe SANTUARIOS e trastes ye-
llios do antigo gosto para os consertar e dar-Ibes o
M.IUIO MODERNO.
Consultorio medicocirurgico
Consulta por ambos os syslemas,
Em consequencia da mudanza para a sua nova residencia, o proprietario deste estabeleci-
mento acaba de fazer urna reforma completa em todos os seus medieimentos.
O desejo que lera de que os remedies do seu eMabelecimentj nao se confundam com os de
nenhum cutio, visto o grande crdito de que sempre gozaram e gozara ; o proprietario tem tomado
a precaucao da mscrever o seu nome era lodos os rtulos, devendo ser considerados corno falsificados
todos aquelles que forera apresentados sem esta marca, e quando a pessoa que os mandar comprar
queira ter maior certeza acompanhar urna conta assignada pelo Dr. Lobo Moscozo e em papel
marcado cora o seu nome.
Outro sim : acaba de receber de Franca grande porfi de lindura de acnito e belladona, re-
medios estes de summa importancia, e cujas propriedades sao to conhecidas que os mesmos Srs.
mdicos allopathas empregam-as constantemente.
Os medicamentos avulsos quer em tubos qur em linduras custarao a 1 o vidro.
O proprietario deste estabelecimento anouocia a seus dintese anigos que lemeommodos, ,
sumcientes para receber alguas escravos de um e outro sexo doentes eu que precisera de alguma j Dir>lu gj
contada ae cambala Antonio Eoiigdio Ribeiro
pelo ibaizo astfan'do. Pelo preaente annuntio
previno aos meamos senhores. Recife 18 de se-
jlembro de 162 Maooel Antonio Simie do
Amaral Jnior.
O ataixo asaigoado de que fora feito em cass de aea patiao Peid^l Pinto
. ,& C. ae echa romprehendida urna letra da ouan-
olhos, molestias syphihttcar, todas as espe-1 li e 1016C0 sacaba por Franciaco Alves do
ces de febres, febres intei mittenles e suas p'nno- BC'?11, fT Jo* Luiz Goncalvea Proas Ju-
consequencias '' vencer-*a. 30 do correte, aralo der-
PHAR.MACIA ESPECIAL HOMEOP ATHICA
Verdadeiros medicamentos homeopaihicos pre-
parados com toda cautela neeessarias, inclu.iveis
seus effeilos, tanto em linlupa, como era gl-
bulos, pelos pregos mais com modos possiveis.
N. R. Os medicamentos do Dr. Sabino sao
nicamente vendidos em sua pharmacia; todos
que o forera fora della sao falsas.
Todas as carteiras sao acompanhadas de um
impressocom ura emb'ema em relevo, 'endo ao
repor as seguinles palavras : Dr. Sabino 0. L.
P inho, med'co brasileiro. Este emblema posto
igualmente na lista dos medicamentos que se pe-
de, As carteiras que nao levarem esse impresse
ass m marcado, embora enhaui na tampa o no-
me do Dr. Sabino sao falsos.
Na ru de Sinla There/.s junto a esoa n. lt,
deeja-se saber quem o Sr. Maooel Joiquim
da Silva Guimarae.
Saques sobre Portugal.
O abaixo asaigoad* agente do Banco
Mercantil PortneDe net cidade, aaca
affectivamente por todos os paqaetes so-
bre o mesmo Banco para o Porto a Lis-
boa, por qualquer aomma avate e a pra-
zo, podendo logo os saqu6S a prazo serem
descontados no mesmo Banco, na raze
de 4 por canto ao anoo aos portadores
qa> atsim Iheconvier : naa ras do Cres-
po n. 8 o* do Imperador u. 51.
Joaquim da Silva Castre.
I
I
f
I
a taeestiatMesc -tetts<:*aaiei
Aluga-se ama boa casa terree na ra Impe-
rial n. 213, com 6quartoe, 2 aalat, cozinha fora,
quintal e cacimba : a tratar na padaria da ru
operacao, affian(an4o que serao tratados com todo o desvelo e promptido, como sabera todos aquel-
es que ja tem tido escravos na casa do ansunciante.
Asituacao magnifica da casa, a commodidade dos banhos salgados sao outras tantas vanta-
gens para o prompto reuabelecimento dos deentes.
Aspesaras que quizerem fallar com o annuuc"ianle devem procralo de raanha at as 11 ho-
ras e de tarde das 5 em dtante, e fra destas horas achar.oem casa pessoa com quem se podero en-
tender na ra da Gloria n 3 caa do fuadao do Dr. Lob MoscozoV
Precisa-se alugar um
Imperatriz n. 76.
moleque : na ra de
Precisa-te alugar urna mu her forra ou cap"
ti qua sibs fazer o servico interno de ama casa
de familia ; na raa da C.deie do Recife o. 55, te-
gando andar.
Aluga-se s csa lerrea da raa dos Pirts n.
46 : a Iratsr na rea Nova o. 53.
ANTIGOTOS GENfcVOIX
[Oleo puro de vaslanhns tl India
B(. uno ra de Beaux-Artt, i i, < m Varis
r
O uo d' este Anilxoiu"- o nico que i'.o scj.l
mu remedio mytieriuso sem perigo para a MiiiJe
e nao i'inliarara 01 ellvitos le quahiuer outro tral
ment interno.
O oleo tlt raatanhas da Ina coioieca-i'e la
iHcnteem leves uncese\terqsi sobr u','
i.i.a daranle o aecesso e romo prescrvJ9io da Oo.
i dos tHieuinatisinos.
Demcitamos : Rio de Janeiro, Lui;ne Chevcj
le; Baha Joiw ii.ujai:. Ferreira K^priR)li^ira4
Pemambuco, d'Aliueida l'inlo Maranhao, Fcr-|
reir e C*j Rio-Grar.de do Sul, Cuulo e Goilny
Attencao.
A
Luis, pintor francs, partculirmante te re-
commeoda para piular taboletas, lalreirot, em-
blemtv, e omiit corcerneote e piotura por pre-
QOsmod*redoa : da ra da Cruzet o. II.
Alaga-te urna tala com nm cuarto, frente
para a ra, com um soto, tendo rozioht.stle de
janiar, 1 quartoae janellaa para duas ruaa, pre-
fennd-se homem solteiro : quem precisar diri-
ja-te a ra do Amotim n. 33, segando andar,
daa 9 a 2 hora do die.
O Sr. Simes, correaponaenle oeste ci'ade
do Sr. teoente-coronel Bernardo Joi da Cma-
ra, convidado a comparecer na secretaria de
polica para negocio qae intereses ao eervico da
repartico. Secretaria da polica de Pemambu-
co 19 de tetembro de 1668.O secretario,
Dr. i, Catvpos.


MELHOR EXEMPLAR ENCONTRADO
MUTILADO

_



\
BUBIO DI ERHAMICCO P, SibB.DO SO 01 SETEHBhO 01 UM
^.
>
>
Y
I
I
i
}
-
i
1
Ama.
Fretiss-te de urna ama para caaa de pequea
[amilla ; tratar na roa daa Larangeiras o. 24.
Criado.
Prcciaa te de um criado: a tratar na raa do
(.'aireado o. 41, ptimeiro andar.
Ooimpr&s.
Compram-seaccoee do doto banco do Per
carabuco : no escrlptorio do bfanoel Ignacio do
Oliveira Ftlbo, largo do Corpo Santo n. 19.
Compra-se
crelos em qualquer porcao : na ra
do Vigario n 9, primeiro andar.
Compra-se urna tiborna que teuha poucos
fandof, ou mesmo uro deposito ; quem qaiier,
pode annanciar.
VftXida*.
Isperanca
Loja de miudezas ra do Quei-
mado numero 33 A,
Costureiros.
Agalhas Victoria papal a ISO rs.
Licha a de 00jardas detodoaos nieros a 80 rs.
Caacarrllha a pera 29.
Ditaa rumio boa vara a 400 rs.
Tranca de linhc para todo preco.
Franja de seda, de liaho, de algodao rutilo ba-
rato.
Hi trox, linba de novelo etc.
Meias.
Um completo aortimento eende de cores para
meotnoa a 240 rs.
Ditas brancas a 200 rs.
Ditas para seohora a 240, 300 o 400 rs.
Ditas para hornera a 5j> e 65.
Ditas pratas para aenhora a 400 a SCO rs.'
Gravatas
com boto a 10.
Da coreo malto boas para bomem a 15.
Para meninos eslraitinhas a 800 rs.
Pulceiras
de sontas miadinba 1$.
De cabello a 4$.
De phantaaia de dito etc. a 500 ti.
Botes.
Para caaaca o para calca groxa 320 rs.
Para camisa manto finos groza IjjiO.
Grandes para roupo groza 11600.
Fequeninos para crianca 12400.
Alamares.
Para capole a dazia por 800 rs.
Colxetes.
De Do batido especial dazia 720 rs.
De earto 14 parea a dazia 500 rs.
Em cala pretoa a dazia 800 rs.
Brincos.
A baleo brancos, encarnados, asees e doarados o
par por 1$.
Rozetinhas com pedras qae parece diamante o
par 1$.
Penas e caetas.
>a todas as qaalidades especialmente de caligra-
phia o de lanca.
Canetaa para aprender eacrever pelo systema do
Sealy ama per 500 rs.
Papel.
Almaco pautado 500 fo)has6J.
Dito dito 420 ditaa 40500.
Dito dito 420 ditas 4g.
Dito liao SglOO.
Dito d peso azal e branco 4S500.
Dito azul liao 20500.
Dto peq60o tarjado 10500.
Dito pequeo de cores 1|200 e 10500.
Dito tarjado de preto 10500.
Envelopas canto lg.
brelas de colas 100, 120 e 300 ti.
Peulee de tartaruga.
A Imporatti* 8 10$ o qae se Tendea por 160
e 200000.
Direito para atar caballo a 40.
A. imitaco por 10.
a arripia para meninos a 800 a 10.
Tirlaraga para alizar HJ.
Da bfalo para sui;a e cabello 400 ra.
Pentes de borracha peqeenos para trazar por ca-
aa maito bons a 320 rs.
E iDcloidide de artigos notamente chegadoa
loja Esperanca ra do Queimado n. 33 A.
Remedios do Dr. ladway
Prompto alivio.
Resolutivo renovador.
Pilulas reguladoraa.
Kecenlemente chegados pelo navio aMersey ;
vende-se na botica franceza no Recite, raa da
Cruz n. 22.
Vendase um eogeoho peilu etta cidade,
com boa proucco, muilaa malta, proporces
para safrefar 2.000 pes anoualmeote.boaa obraa,
de moer com agoa. Nao eiige-se dinheiro vis-
ta, bstanlo que o comprador pague oa juros de
5 0|0 ao anno por determinado lempo, e d boa
garanta aa lelrar, ou hypotheca em predios oes-
te cidade. Tambem troca-se por predios na mes-
ma cidade ; nj duvlda incluir sa na mesma ven-
da ou troca algaoa escravoa que chegeem para
manobrar o eogeoho, assini oxo algans bois :
a fUar na loja de (azeodas da esquina da raa do
Crespo para a do Queimalo.
Vende-se o acreditado deposito de asaacar
da rea Direita n. 38, multo proprio para qual-
qaer principiante por ter poacos fundos, e a cass
tem commodos para morar familia ; a tratar no
mesroo deposito,
Vendem-se canas com ceblas novas de
superior qualidade a 60000 a caixa, e soltaa a
640ocenlo: na ra da Muela n. 43, no Re-
cite.
Sobo vigilante.
Vara as sentaras.
Perott.
160
600
80
160
500
160
240
160
Rival sem se-
gundo.
Raa do Qneimado n. 55, loja dt miadezae de
Josa de Azevede Haie Silva, conheclde por Jo-
te Bigodinho, eat vendeodo tudo pelos precos
j sabidos, porm quem nao soaber tenha a
boodade de ver o qae bom e baralissimo:
Frascos de Lavando maito finos, a 80(1
Ditoa de oleo babosa aaparior, a 320 e.. 500
Fraacoa de agoa de colonia maito fina a 400
Ditoa de dita grandea superior, a 600
Caixas com pos cr de roa para limpar
denlca, a........ .
Dazia de aabonetaa maito fines, a .
Varaadebico daallbae, eat no resto, a
Garriteis de linha preta muilo grande,
e tem maita linha, a..................
Bengalas do melhor gosto, a .
Tiotairoa com tinta maito boa, a .
Baralhoa de cartas francesas, a .
Ditss de cartea portugaezas maito fi-
naa, a ; :.......
Varas de fita de velludo recortada, a 160
Praacos de banha de ar;o malto supe-
rior, a...........
Ditos dedits transparente, a ....
Fraacoa de macaca parola, maito fine, a
Dltoe de dito oleo, maito fino, a .
Varas de fita para fazer cintos dos me -
Ihoree goato, a........ 500
Babado do Porto para todo o preco. .
Lsbyrintoe multo fios para todo prego.
Barra com pbocpboroa maito bona, a 160
Miraos de linbs fina para bordar, a .... 240
Cartas de clcheles superiores a 40 a 80
Escovas para limpar denles, a 200 o 400
Carritais de retroz de lodaa aa corta, a 240
Bonecaa naaa porm maito bonitas,
240 e.................. 320
Gravitas de duaa voltaa maito supe-
riores a............................... 800
Fios o masaos de coral de qualqaer qaa-
Hdade a............................... 500
Sabonelea grandes e mallo finos, a.... 120
Agalheiros com egulbas...... 80
Fitaa para espartllbos grandes o pe-
queos a 60 e........ 80
Varas de bico de 3 e 4 dedos, a 120
Calas com agulbas francezas cartas, a 200
Linhas em csrles brsncas o de co-
res, a................................. 20
Milho e arroz.
Vende-se emaaccos grandaa multo barato por
ter grande porcao ebegado eatea diaade Maman-
guape : na Iraveasa do pateo do Paraizo n. 16,
com oito para a ra da Florentina.
M0DIFIG.4C0 DE PRECOS
MENOS 10 a 20 POR CENTO
NOS
PROGRESSISTA
PMXSIH
CALCADO
45-Ra Direita45
NA
Ra das Cruzes ii. 36, e largo do Carino u. 9.
Sciantificam sos seus freguezes que em virtude do actual estado de apathia commercial re-
solvern vender todos os seus gneros por menos do que outro quslquer anunciante e oOerecem para
garantia da superior qualidade de seus gneros as competentes amostras de cha, manteiga, caf,
arroz, tapioca, araruta, etc., etc., para que pessoa alguma duvide destas qualidades, a vista de to
resomidos presos.
Convidara portento ao publico desta eidade e de tora, a virem fazer sua dispensa *m ditos
armizens, afim de poupsrem annualmente de lOOfOOO a 2:0009 conforme a cusiumada des-
2*0 peza de ca(]a CDefe je familia, economa esta que muilo til lhes deve ser, sem que -ceja rnister
soffrer a miis insignificante privsco do cuslumado diario de se', passar, devendo porem manda-
rem, ios armazens indicados.
600
800
200
100
C5~3 S"
? Sg
. oa g^
6> I
g sr
Z s

m s
> > 2.

oo
o
a* O
n
Nada
8
n
a
a
lfPfe
g 3 I O
a ef 3
B> m c "o ?^.
3 tr 5' a 5"
s. o -%
S-o S o> 3
o <* g
os ^
_ O o -
?e:
5 5
c/s o
O u>
a o
o a>
3 5.
tu
5
o
o
S
u>
c_
ce
s >-
S 5 2
B o.
I
o
Mr
o
5
i
P
frg
S v
o
H
(A saaalaaaj c,
k. epidemia declina aenaivelmente, a o sea
completo deaappareclmento est prximo I 0
propietario deste bam aortido estabelr convida oa seas numerosos fregaezes a substitu;
o Salgado velho, que todo eat cholerico, por no-
vo, e qae poasa reaislir s mil sebotis e mazzur-
cas qne vo aer dansadaa em louvor do reatabe-
lecimento da saade pablica. Oa pracos coo-
vidam:
, IIOMENS.
Botinas afamadas Milis.
oon-plua-altra Nantas.........
> Nantea 2 bateriac..............
a luatra....................
t inglezaa de boie..............
> baledores.......................
i couro de porco.......
a becerro e lustre...............
ingleses pea salvsgens.........
taxiados brasileiros............
Sapa Idea oon-plws-altra................
3"^aterias e maia..............
12|0OfJ
12&<>(Xi
llfOOO
lojfooo
tojooo
98500
9#000
y--'u
755^1
OOOi ja-
500 \~
5J
7*(H)0
6j5(Ki
"g- 9'
aaa* et^ "-fi?.
ai
-
_ ~* fi
B9?3
GT i
o 93 d *o
i s."
O (S> .
o fia
O 3 CC O
as
H
5- GE
o 3.
B
o
Vi
?o
S
I o? Z
m cu <=> 5 2
g
O Cl.
3
3 2 3
5 9 SO os*1
^ *
c. Q

5
13
No pateo do Carmo esqui-
na da ra de Hortas
n. 2,
Vende-se presantes maito superiores que
tanto srv* para fiambra come para panella a
320 rs. e aando iateiro a 300 n., toucioho a 320
rt, queijos doaeno muite reicoa a 560 rs ,
ditos de coalha a 360 rs., banha a 400 e 440 rs.,
amendoas a 320 ra., mantaiga a 640 e 800 rs.,
dita muito fina a 960 ra., francesa a. 640 ra.,
arroz a 100 o 120 ra., cat em caroso a 2*0,
280 e 320 rs.. tambam se venia oleo de ricino a
640 e 720 a libra, carrafaa aando em lata inteira
a 560 ra. a libra, vinh a 400,480, 560 e 640 rs.. 1 "
muito fino a 800 rs., engarrafado a 1, lJOO.e '
29, aceite doce a 640 rs. a garrafa, tambem ae
vente cal da Lisboa a retalbo de 8 libras para
cima, sendo esta cal muilo superior a da Ierra
porque renle muito mais e aproveiti-se toda.
Aqu tiesta estabelecimanto nao ae annuncia
urna couaa para se v*uder ostra.
Para o baile do
club.
'Vende-se na loja do pava
Ricoa corles de vesimoa ue camuiaia Branca,
primorosamente bordados a croz, aando oa maia
bonitos que tem viodo a este mercado, e vsn-
dem-ae por presos btralissimos, na ra da Impe-
ratriz n. 60, loja a armazem do pavao.
Casemiras a 3,200 rs.
Na loja do pavao.
Vendem-se casemiras entestadas de qaadrinboa
o liatras miudinhaa. aendo cores escaras a 3S200
o corte para caiga ; venda-sa a meama fazenda,
tendo duaa largarse, a I58OO o eovado ; Uto na
raa da Imperatriz n. 60. loja do pavao.
B
tu
'a
3
2
c
o
o
o
o
p
B
w
c
c_
c
CA
B
cr
Ui
sr.
Si
O o

0 so
3^
5. o
as
Ov
B
a
3
s
en
8-
o
5
I
3
Ricas fvelas dourada para
sinto.
Tendem-se fivelas doaradaa a 2 a 29500, as
maia moderoaa qaa tem vindo ; na ra do Qtci-
mado n. 63, loja do Beija-flor.
Ricas voltas de aljofares.
Vendem-se voltaa de aljofarea com craz de po-
dra imitando a brilhante ; na raa do Qveimcao
oamero 63. loja do beija-flor.
Nantea 2 bateriaa vaqueta..... lie
> 2 bateras bsserro...... 5$
> trabalhadores.......... ty
brasileiros de 3S500 a.......... 2
Sapatos 2 solas a salto.................. 5;
transa portuguezea.......... 2c
* francezes...... 1$
SENHORAS.
Botinaa dengozas.........5$
> salto de bater......; 5$
> pachiocha de 4*500 a. ',$
> americanas 3|500 a -2c
Sapatoade salla (Jol& ...... 3J(Ki
1 aem elle (idem)>.....1&920
tapete:........ 800
econmicos. :...... 500
t lastre 32 e 33....... 800
MENINOS E MENINAS.
Ha de ludo em relasao nao ae dtixa sabir
dinheiro.
Um completo aortimento di couro de porco,
rcqalti, sola, coarinhos etc., qua tudo sa troca
por dinhalro vontade do comprador.
Cal de Lisboa
A 5,000 rs.
Ve&de-se barra com cal nova chegada altim-
mente, a 50, no antigo e acreditado deposito da
raa do Brum n. 66armazam.
- 1-------- __________ a JLI_______1___________________
IlQUlicio
Vende-se ama refinaso com todos os seus
pertences, am doa bona eatabelecimentos para
quem preciaar : quem a pretender dirija-ae ao
pateo do Terso n. 32, que abi sa dita quem
vende.
Facas e garios.
Vendem-se tacaa o garfos tinas do cabo da U-
iSSL*? d0" boloe 6800' dll* Pa doce a
5$800, dita de am boto a 69200, dita para doce
a ;>?200, dita prala cravada a 360O, dita branca
a 394OO, dita roiiea a 89 a dazia ; na raa o
Queimado n. 63. loja do b.ija-flor.
Jugo de \ispora.
Vende-se jogo de viapora a 19 ; na raa do
Qneimado o. 63. loja do beija-flor.
Anvelopes.
Vendem-se anvelopea da diversas qualidadts
branco a I92OO e 19400, azul a 19, e de corea a
1940O: aarua doQueimado n. 63, loja do ba,-
flor.
Papel adamascado de cores.
, V!^?J" pai*el damascado de cores s 60C e
19. dito"braoco a 19200: na raa do Queimado t.
63, loja dkbeija-flor.
rrav.-it indas de seda.
Vendem-se gra/atinhas de seda para senhorc,
de diversas cores : na xua do Qaeimado n. 68,
loja do beija-flor.
Tiras bordadlas.
Vendem-se ricaa tiras bordadas para veatidos
e saiaa brancas a 800 e 1# : na raa do Qaeimado
n. 63, loja do beija-flor.
6 na grande expsito
de faieudas novas e bara-
tissimas, na ra da Impera-
triz, loja e armazem da ara-
ra d. 56, de Magalhcs t
Mendes.
Fazendaa por menos 10 OjO, qaeirsm vir vfii
para acreditar, a ser: chites a 160. 180 e 2DO ra.
o eovado, ditas francezas a 220, 240. 280 e 320 o
eovado, cortes de chilaa finas com 12 \\2 aova-
dos a 2j500, cortes de cassas trncalas a 2.J5C0,
ditos prelos a 2J5U0 : na ra da Imperatriz, loja
da arara o. 56.
Arara vende oiestim para reitdos.
Vende-se a fazenda por nome olestim de linb*
de urna s cor e quadrinbos, propria pat
e vealiloa de seohora e roupa de manir
o eovado, fustao de corea para ves''
W\) O eovado : na r *'
ra n. 56.
ia ua su-
ri
o
c
S
- H.
m
os
O
o

3
O
<
O
c
o
SI
Cl o
B
B
cu
o
o
05
n3
? g
CO S
sa
> ~Z-
ta 3
> n <"
e;, *, 2 T3
*0 1.1
*0 vj ce
o. o
4 =
o a
m %
a.
rr.
0 a
a o
r a
a .
llff
es
o

5*
3
o
3
o
c_
o
B
0
o
T"
cr
*j
S'
w
D
s
5
t
00
D
B
B
o
3
3
B
O
C_
O

Satca g.
Car>
o g
O B
"te CO
iss. "
c *. m a*
.A
s". n
o- <*
" re
a, ~
\3 3
-. re
r*
re
S
cu
o
o
fi>
as
|S 9
n &> ay o
o
fi9
B
fia
S
o
<
o
cu
o
3
ce
o
B-
cu
cu
o
B
o
fi>
B
o
B
O
<
fi>
Cu
O
- O ^_ t ^_ OO
" ~ ?** sr > 2
O o Q_ 9
re 3 o asa
re 3 o "
a
o
3
0

--3
o
o
aa
* f*"
<=> 3 ^
fiv fl
Ooo
fi*
si
s- s*
r> ss
n es
rs: o
pi
3
n -
=
O'era
cr
o
te
a>
I*
A
O
CO
B>
B
O
ft
B
era

vft
S

S^ SUS sr-g'.6' Efg
r
no vigilante.
Lindos enfeites para ves-
tidos.
Sao chegadas no vapor inglez as ricas flores de
velludo que sao admiraveia pela delicadeza das
lindas cores, pois coro pequea quanta as senho-
rss roerao enfeitsr os ricos vestidos que ser
muito sprociavel, pelo baratiuimo preco de 10
a duzta : c no gallo vigilante, rna do Crespo
numero 7.
Pu (cetras.
Tambem ao ahegadaa as riquisaimas palseiras
com pedras azues e oulras verdes, cousa maito
delicada, que sevuode por precos baratissimos :
s no gallo vigilante, roa do Crespo n. 7.
Baieias para, espartilho.
Tambem sao chagadas aa verdadeiras baieias
de todas as grosauras e fornidas, para espartilho,
pelo barato prco de 120 rs. cada ama : s no
vigilante, raa do Crespo n. 7.
Chegado pelo vapor fran-
cez s para o vigilante.
Lindos pentes de marrafa.
Sao chegados os lindos penlinbos douradinhos
com multo lindas molduras de differeotes gostos
B
0 *r
o
g-s Ef if
3 S o 3
o
fi
9?
05

V
Z B
O
o
o
o
o
er
3
i
o
o
o
er
cu
o
B'
S
4*
01
o
o
c
3
o
E
3
B
fi>
O
00
B5
O
CHS
3
t
10
00
tro

V
a g 3 a>j
pe
s
pat o
2 2 B r=ri
S. 2
s i
c
"V2)
Luvas de pellica,
Tambem sao chegadas aa verdadeiras lavas de
Jouvin mullo trescas, tanta para homem como
para s-nhora : s no vigilante, ra do Cres-
po n. 7.
lardados bralissimos
Aos manguitos da arara.
Vendem-ie mangaitoa e gila de linho pira
aenhora a 20, golltnbas a 500 rs., eofeites paia
senhora a 2g t:]; : na ra da Imperatriz, loja ca
arara n.56.
Arara vende a popelina da China.
Vende-se a taienda por nome popelina da Chi-
na em la para vestidos de aenhora a 320 o covt-
do, chales de merino estampados a 3$, ditos ca
las a 19. ditos de 13a e aeda a 20, ditoa abertos a
640: na ra da Imperatriz, loja da arara n. 56.
Htisamb da arara.
1 Vende-se a fazenda por nome musamb com
I palmas de seda de i 1|2 palmos de largo, propria
| para vestidas de senhora a 500 rs. o eovado,
Oe linho de cores a 200 ra. o eovado. dito lavti-
; do a 1S120 a vara, liso fino a 780 e 800 ra. au.
! ra, tarlataua a 800 rs. a vara : na ra da la r-
| ratriz, loja r. arara n. 56.
3U e
Na loja do pavao.
Vendem-se gollinhaa muito linas de cambraia
bordadas e de fil a 400 rs., mangeitos com gol-
linhaa de cambraia bordada a 10280, manguitos a Arara vende
balo finissimos a 10, lencos de linho com labv-
rmiho a 23500, ditoa de cambraia de alfo ;o a
irxita?o de labyrintho a 640, 800, 10. e uissi- venaem-se Datoes a crinolinas de arcos, rs
ir a ttraa bordadaa e ntremelos por preces bafa- ma" ttodemos que tem vindo, ditos de madapc -
tiaaimoa : vende-sa na ra da lmpurttriz u. ti) ,c0 brilhanlina, saias de cordao que taz vez
'l baiao a 2&4UU, ttaioea para menina a 20 : aa tl*
as crinolinas de 15,
40 arcos.
Vendem-se bales a crinolinas de arces,
loja e artuazem do pari.

E' chegado no vapor francez oa lindos perotta para marrafaa ou trvessos, pois s com a vista
os compradores 4)0aerao apreciar o quanlo sao
ou enfeitea para as aenboras conaervarem o ca-
bello antes de ser amarrado, pois s a vista faz
t, pelo baratlssimo pre-o de 1$509 : s no vigi-
lante, ra do Crespo n. 7.
Gravaiinhas.
Tambem to chegadas ss lindas gravatinhas
pretas e de cores, tanto para homem como para
seohora, lando as de homem lindos botdese eom
elstico, se vende pelo baratissimo prego de \$
e, 10500 : s no vigilante, raa do Crespo n. 7.
Vende-se a propriedade oa ilha do Lime-
a, simada entre a barra de Serinhem, o a pro-
priedade chamada da Gamella, com casa da vi-
verjda, baatintea coqueiroa, ptimas Ierres para
plantacea e salinas, das quaes os antigos propie-
tarios liravam avultadoa lacros : oa pretndanles
dirijam-se ra do Cabug, loja n. 18.
delicados, pelo barato prego de 35 o par, assim
como sem ser dourados de lindos gostos, pelo
bsrato prego de 23 o par: s no vigilante, raa
do Crespo n. 7.
Pulseiras de cabello com cha-;
pa dourada, e trancelins
para relogios.
A loja d'aguia branca acaba de recebar a saa
encommenda das lao desojadas pulseiras de ca-
bello com oiffereotes e bonitas trancas, tendo el-
las chapas douradas de delicados modellos con
pedras e sem tilas, o que de melhor gosto se
piedar em tal genero; ssslm como traocellna
compridos e curtos, com paaaador doarado para
ralogtos, e por que de lulo isso a qaantidade
pequea e nao cngara para todos os prettn-
denles, conven que se apreasem em mandar
comprar taes obras na loja d'aguia branea, ra
do Queimado, n. 16. ______________________________
Chumbo! chumbo!
Vende-se chumbo de menico aortido e do
diverroa nuneroc, a retalho ou en porcao, par
pre<; i nais barato que em outra parle; na raa
larga do Rosario, botica, o. 3*.
Iunileiro e vidraceiro.
Grande e nova officina.
Tres portas.
31Ru*DireU31.
Reste rice e ban nontado eatabelecimento aa-
contraro oa fregaezas o mais perfeite, bem aca-
bado a barato no sea genero.
URNAS de todas ss qaalidades.
SANTUARIOS qaa rivalisam com o Jacaranda,
BA.NHEIROS de todos oe tamanbos.
SEH.ICUP1AS dem dem.
BALDES iden dem.
BACAS iden dem.
BAHUS iden iden.
FOLHA en calas da todaa as groas ras.
PRATOS initando enperfeicao abaa percal-
lana.
CHALEIRAS de tedas aa qaalidades.
PANBLLAS Iden iden.
COCOS. CANDIEIROS a (landres para qaal-
qaer sortinento.
VIDROS en caixaa a retalho da todoa es ta-
mandando-se machos, botar dentro da aidade,
en toda a parte.
Receben-ae anconnondaa da qaalqaai nata-
raxa, coaeartos, qaa lado ser deaenpenhada a
contento.
VeBde-se urna cama franceza de amarello
para solteiro, e mais objectos de amarello por
barato prego ; na camboa do Caroso n. 8.
a, -o
Vi o
C
** <
2
1 =
9s
I I
3
3
O
B
Q.
O
o
B
c
ce
? ^
as a
W 5 <"
S |!g.
5 C*3-g-
5 H '
o
C-
CD
D
-
o
S9I
8.1
o.
o
h3
co
p
o
1-3
CO

O

*S fia
o r
f i
o
e
o
o
o.
5'
r
o
o
3
o
fe
B 2.S-3 l: S-Sg
IhIs sS^S
s-QSO 5er2cr
N rys fla
Sg S ^si
=; >~t 5 cao 3 5? ts?
"gyft a> O I P.
fi ^ Sns
3
Z
a
B
M
5'
cu
e
ss
o
>
81
I
!
5r3
B
w
S 2
2 9
l
fi! O
B*
!
Si
p.i
o
B
a
c
c > -*
O. =
z~ ~ -i.
f UJ o
o
o fi CR
a* " CJ
n -i
t^ te -i
< t>
a CO
C5 o --_
n c
^S
-2. O
<* o c
09
CA ?
Vende-se ama commoda de nogno e ama
mesa redonda com pedra, por prego muito con-
nodo ; na ru dos Manyrios o. 26.
e
B
er
cp
B
.i e
i
i i
B

m
CA
as

2. CA
i"
O
B
B
o
t
Gil
O
c
s
5
s
aa
?o

e
o
r
a
o.
a>
C
B
II 5 : <
5"5 I T3 s-
b- 1! ? e^ 2 ? S
;gss,* ti.s
ere o n 0^5
= 8rg a5-
S H
ra
fi>
S
es
sr
B
B
O fi>
'
"So.1
CR) fi> C i
65 B- '
!|ii
_ ss M o
B ( E *
B* "^ b *5! i
o B -O
" o 2. o
a ^^ a ^*
da ImpTalrlz, loja da arara n. 56.
O babadim da arara.
Vende-se a fazenda por nome babadim com lis-
ias de seda para vestidos de senhora a 5DU rs. o
eovado, cobertas do chita para cama a 2$, col-
chas de fusto para cama a "c, ditaa avelladadta
a 8f, aberturas para camisaa a 240 cada urna
cortes de ca!c.a para bomem, do bun: escarce
claro, e de ganga e fusta de quadrioboa a If a
1J>280 o corle : na ra da Imperatriz, loja"ca
arara r. 56.
Arara vende as cassi-s cliinczas.
Vende-se a fszenda por nome cassss chinezzs
Na loja do pavao.
Vendem-se mullo lindos vestidos de csmbrsla
bordados a seda, seuJo de todas as cores a 6$,
ditos com barras e babedos a 4$5O, ditos a i<
cortea de tarlclana brancoa bordados e de ccres
a 3^. ditoa de cambrsia branca com babados a
2$!>00, ditos de cambraia bordados com babados
a duaa aaias a 4$, cortes de barege com 22 cora-
dos cada corle, tendo fios de seda a i$, ditos de
la a 4$, cortes de cambraia com salpicoa bran-
coa e de corea, tendo 6 varas cada corte a 3$, i^it'Qao de sedioha de qaadros, propria pera
ditos de salpicoa mais n-s com 8 varas s 4;'! ^"'i^05 de senhora e roapa de meninos a 4C e
tudo isto se vende por menos que em oalra quai- -^u eovado, riscado a Garibaldia 28U o covaio
qaer parte para apurar dinheiro, s na ra da
Imperatriz o. 60, loja e armazn do pavio.
Aipakin ou gorguro de iinho.
Vende-se esta noa fazenda a imitaQio de aeda
de quadrioboa a 280 o eovado : s na ra da Im-
peratriz n. 60, loja e armazem do paTo.
Muaselia branca a 200 rs
Vende-se musseliua branca com 4 1|2 palmos
de largara a 500 r. o eovado : s na ra da Im-
peratriz n. 60, loja do pavac.
Cflc?
al rr>

o
O
B
B
5"
c-
r.
i
a
u
21
o
er
u
aa
S. g
B
5f H
P9
2 B "
o a ^Jcf
2. w as -1 m
2 S <-
S1
B
S B
B-
0 3
*t
B =
B
S
I
M o>
SARD1NHAS DE NANTE& As mais novas que se podem desejar, a 360 rs. a lata.
GENEBRA DE HOLLAN'DA. Era garraloes^com mais da 15 garrafas a 5*800 e frasquei-
Tas com H frascos a 6J50O e 600 rs. o frasco.
AMENDOAS COIS FEITADAS. Muito novas e de diversas cores a 800 rs. a libra.
DOCE DA CASCA DE GOIABA. Superior a 800 rs. o caixao com 4 libras, tambem temos
grandes com 8 libras a 2| cada um.
QUEIJOS 5UISS0 E PRATO.Os memores que se podo desejar a 600 rs. a libra do prato e
800 rs. o suisso.
CHAMPANHE. Dos melhores fabricantes qua vemao mercado, de 12$ a 18*000 o gigo e
19500 a garrafa.
LICORES. Os mais finos que se pode desejar a 800 a garrafa e 99000 a duzia.
COGNAC INGLEZ. O mais especial que se pode desejar a 1*000 a garrafa, e 109000 a
duzia tambem temos superior para 700 a garrafa, e 8*000 a duzia.
SER VEJAS. Das milhores marcas a 59 a duzia, e 500 rs. garrafa.
NOZES. As melhores do mercado a 120 rs. a libra e 39200 arroba.
PAP^L GREVE. Lizoe pautado o melhor do mercado a 4*000 a resma,
FRUTAS EM CALDAS. Pesego, pera, damasco, rainha Claudia, ginia, serejas, e morango
a 560 rs.a lata, e 69000 a duzia.
AMENDOAS. De casca molle a 240 rs, a libra das melhores, e 200 rs, mais ordinarias.
Grao de bico a 120
ris a libra, e sendo de 10
libras para cima a 100 ris
Vende-ae nicamente por esies precos nos ar-
mazens progresista e progresssivo, no largo do
Carmo o. 9 e raa das Cruzes n. 36, affianca-aa
aer mullo novo. _________
Grande expsito de ba-
les de arcos na loja do
Pavao.
Acaba de chegar loja do Pavo am grande
sortimento de baldes de arcos americanos sendo
a Malhildo, Carola e a Eagenia que sao os
melhorea e maia bem armados qae tem vindo ao
mercado com diveraos lmannos sendo de 6,8,
10,15, 20, 25, 30 e 40 arcos e afiaoca-se a du-
racoe boa qualidade dos ditos bales: s na
raa da Imperatriz n. 60, loja e armazem do
Pavo.
Mozambique a 640 rs.
Na loja do Pavo.
Vende-se mocambiqae todo de la sendo fa-
zenda muito leve para vestidos d senhorae e
roupa para meninos, com delicadas cores miu-
dinhaa e tendo de ama s cor proprio para capaa
de senhora tendo eata fazenda 4 palmos de lar-
gura e vende-se a 600 rs. o eovado : na raa da
Imperatriz n. 60, loja earmazam do Pavo.
Lamocambique a 400
res.
Na loja do Pavao.
Vende-se lazinbas de urna s cor com qua-
drinbos e lista propria para vestidos e capas
sendo faxenda flnissima a 400 re. o eovado : na
raa da Imperatriz n. 60, loja e armazem do
Pavo.
Las com flores a 400 rs.
Vende-se lazinbas ;maito finas eom bonitos
padrdes a 400 rs. o eovado : na roa dt Impera-
triz n. 60. loja e armazem do Pavo.
Tarlatanas com pal-
minlias.
Na loja do Pavao.
Vende-se tarlataua com palminbas de cores,
tendo corea proprisa para lato a 310 rs. o cora-
do : na ra da Imperatriz o. 60, loja a armazem
do PavSo,
para vestidos, cobertores de algodao a 1$, carr-
braias brancas a 1$600, 2, 22500 e 3 a peca : la
ra da lmperatiti. loja da arara o. 56
Organdys da China da arara.
Vndese a fazenda por Doma organdys da Chi-
na adamaacado o palmsa de cores, propria para
vestido e muito largo a 400 ra. o eovado, capis
de la para senhora a 9J, ditas de grosdenapie
modernos a 20 e 25$ : na ra do Inuperalriz, lo.a
da arara n. 56.
Arara vende fazenda por nome mais
a inini.
Vende-se a fazenda por nome maia a mlm pi-
ra vestidoade senhora e adamascada, de bonitos
goslos a 360 o eovado, pegas de cambrairs a
aalplquinhoscom 8 1|2 varas a 3$500 e 4f : La
ra da Imperatriz, loia da arara n. 56.
Tiras e ntremelos da arara.
Vendem-se liras e ntremelos da largura de )
e 5 dedos, de bonitoa gostos a 15280 e 1;t'00 a
peca, ditaa de eotremeioa a 1$. 1JJ00 e 12600 a
pe;a,corpinbos bordados para meninos a I-c. a
am : na ra da Imperatriz, loja da arara n.56.
SemeDtes de hortalice viudas
de Paris
Chegaram loja de ferragens de Btstcs, ra
ra da Cadeia do Recite n. 56 A, as novas se men-
tes de horlalice vindas de Paria, aa quses sao de
superior qaalidade. e se vendem barata*.
Cal de Lisboa a i$ o barril.
Tem para vender Antonio Luiz de Olivelta
Azevedo, no seu escriptorio ra da Craz n. 1.
Cal e potassa.
Vendem-se estes dous ar-
tigos ltimamente chegados,
no bem conhecido e acredita-
do deposito da ra da Cadeia
do Recife n. 1% mais barato
do que em outra qualqu&r
parte. ____________
Grampos a balo
com pendentes dourados.
A loja d'aguia branca contina na recepeo de
objectos do ultimo goato, por iaso acaba de des-
pachar vindo pelo ultimo vapor eaas delicados
novieeimos grampos de bonitss cores com pen-
dentes doarsdos o que de mala delicado ae pode
encontrar. Essa loja come gerslmente sabido,
tem setnpra em vistaa a commodidade de saas
boas fregaseis* a por isso tem resolvido vendar
esses galantes enfeitea a 5$ a 31 e par, o qae na
realidade maito mala valen. Convni pois qae
a vista da limitadlo do preco a aenhora que com-
prar am oo maia parea, nao aa demore em par-
ticipar as suas boaa viztnbaa o intimas smigas de
colltgio, psra qae ae amittem no saa aperado
gosto, a mandam logo comprar oatros pares na
loja de saa affeico : qae a d'aguia branca, ra
do Qaeimado n. 16.



MELHOR EXMPLR ENCONTRADO
MUTILADO


f
WUUO DI rEftiMBCCO SABBiDU 20 IB 5E1EMBM) M 1801
OIMINUIQAO DE PRECO
JaHJ
FRANCISCO FERN^DES DUARTE.
10 Largo da Penha 10
ido conhecida pelos seus mi m7^ "r *"ou',,uu ""a moinados tem offerecido, ha
s^5^3S35T-?=:" s:jr:r z^rr
parle
proprielario encarregar
DE
llano el Pedro de Mello
Largo do Livramento ns 38 e 38 A
Defronte da grade da igreja, cojo titulo distioctivo
O BALIZA.
quer parte, pois para isso se recebe em "lta^Z^SES *^" ^ qUaI"
maior parte dos gneros dTconta propria PeT-
iropneiario encarregar-se para con aquelles senl
lachar e remetter oda via-errea para o lugar in
a viodos da Europa, a
-mmodidade, resolvou o
dachar e remetter pela t^^T-!""**?" PS8"-m ''^ n9m ****"' da daS"
ffnneriw j#^i. 7 i. 1~~ "<"is uo vea viuaos aa curop i
Sm^^TA I"1''0' COncorr"c 'ommodidade, resolv.u' o
n aqueles senhoresque nao possam vir, nern mandar, de des-
o lugar indicado, todo e qualqutr genero comprado neste
libr. lrnii d? .P.nmeira 1KW ^ safra nova a 00 a 720 rs. a
^^ ora, e em barril se faz abatimento.
Cita bnxlm failCeXft a mais nova do mere -?? h qU9 Pd* deSeJ" n9St gener m ,ibra-
* nlrfto*011 ma$ SUp8r0r d merCad 2*800 libra' em P*** abati-
1tS*II!^,5^ttl,,, u,ti^ vapor uio frescos a 23000, dito, che-
?"* ?T^tO verdadairo inglez a S000 a libra ent poroao aa faz abatimento.
*. w 9 confeitadas, contando diversas iguarias muo proprias
para mimos a 1*000 cada urna. r
Bolaximfea de soda
m latas cona differentes marcas a 1&400, afianca-sa a boa qua-
hdade, assim como em latas gr.nd.s com bolachinh propri.s para lancha a 2*500.
nna do obw espeial voho d0 Porlo gm
* nosso mercado a 15200 a garrafa e em caixsscom i duzia qor 12*000
T \ '' \\ \ ii i*
' r, 'das melhores marcasqua vera ao mercado, como seio Duque
do Porlo, Carcavelhos e Feiluria a 1*200 a garrafa.
VuWtttaa COUI ViaVo do Porto com 70 garr.fas proprio para casa particular
em garrafas 32*000, afian^a-se ser de superior qualidade.
Y&SV-* em p&fA de superior qualidade Porto. Figueira a Lisboa 500, 560 a 00 rs.
a garrafa, a em caada a 39500, 49000 e 49500.
l *ft& a an barr, a 400 rS a ,bfa
ca/ia ", ,lwn* 220 rs. a libra, a am cauca grandes por
68000. afianza-se sar muito novo.
Cuntica* enalos
129000 rs.
La"
NeMa vasto eslabelecime
chara o respeitavel publico desta
capital e de fora, um grandb e
PERFEITO SORTIHENTO 1>B MO-
Lhados, que se vende Unto em
grosso como retalho por muito
menos prec,o do que em outra
qualquer parte, por serem quasi
todos recebidos de conta propria.
Muita atten^o.
Todos os gneros sahidos des-
te boto armazem levaro urna
etiqueta para seguranca dos Srs.
que nao quizerera vir fazer as
suas compras, e mandarem por
seus escravos ou fmulos.
Esta prevango atiesta bam,
que a mais perfeita e duradoura
conBanga se desoja possuir de to-
dos geralmente, e por isso nao se
pouparo exforcos para serem
bam servidos todos os Srs. com-
pradores, afim de que possa esta
grande estabelecimamto ser apon-
tado como um dos melhore a
mais acreditados desta pra^a.
Aviso particular.
Previna-se s pessoas de fora
desta cidade que podem sera re-
ceto algura mandar oa seus pedi-
dos por escripto, que sarao satis-
faites com a maior pontualidade
e boa f possivel, anda mes rao
de objactos que nao sejam pro-
prios de-te stabelecirneuto, como
ferragens, miudezas, ou medica-
mentos.
O anouociante desejando fa-
cilitar a consecuQo dos negocios
que por ventura tenham os seus
freguezes de fura, se offerece
tambera para fazer procurar qual-
quer despensa ou licenca que de-
penda da autoridade do Exm. Sr.
Bispo Diocesano, bem como de
apresentar qualquer consulta aos
senhores doutores desta cidade,
quer respeito de direito, quer
de Medicina.
Tambera se receb qualquar objecto como assucar, couros, laa, etc., etc., para serem ven-
ando a com e o seu producto entregue promptaraent* a quera for determinado.
frm. in|9n5aoLdf possuir munas relete, faz o annunc ante todos estes offerecimentos: de
torrna que ne^te est.bele-.iraonto, nao acharo os Srs. de fora desta praca um bora freguez,
mas tambera ara aratgoeura criado s suas ordens.
A ?' ys em-geral.
imm0; por a rameiataraente trocado ou restituido o seu importe, conforme for exigido. q
u annunciante protesta cumprir com a mais seria e restricta exactido eta sua promessa.
AMEIXAS francezas em latas de tres
mais, a 29240 a Uta.
U7Jflam ,e f?SCS de ,res,ibras e n>. ^
2800 a 39 e frasco.
Rival sem
igual
Ra larga do Rosario n. 63,
junto da botica do Sr. Bartholomeu.
Pedro Paulo Tioco de Souia. dono deateea-
labilacimento eatiempre reaolvido vpndermM-
to barato todas aa miadetaa da ana loia. para o
qae tem am rico aortimento, como leiao
Cartoat de clchelas i 40 ra.
Carritata de Itehai fama] de Alexmdrea 80 ra.
Ditos da dita de 100 jardea a 40.
Llnhaa da croxel para bordir (maiso) a 640 ra
Tioteiroa com tinta e t.ropa da uetal 180 ra
Pantea da borracha para aliaar a 560 ra
EteoTaa para limpar uohas a 320.
BUaa para limpir deutea a 240.
Ditaa para limpar rouya a lOOO.
itaa para limpar cabello 1*000 ra.
Estsmpae da todaa as qulid*des a 160 ra.
La. para bordar, aortida, libra a 6*400 ra.
BotOea delloho para caaareqa* a 20 ra.
Uitoa de aada para diU a 30 a 40 rs.
SlDtoa douradoa a 1*500.
Ciixis de panas de ago a 400 ra.
Di ta de metal com penas 100 e 200 ra.
Boto-a para puoho a 120 160 ra
Aaulhae fnneetaa em casiinha a 220 ra.
Rotetia com pedra maito bo>.its a 400 ra.
Colxetea preto. 14 pars a 60.
Almiares para capote, duiia.a 800 rf.
Palaeiraa de cootis miudaa a 1*280 o par.
bravatas com bola a 1*000.
Maiai pari aenhora a 2g400. rs. a duila.
Bico preto de lioho por todo prego para acabar.
Aaaloi como tara par trocar imageoi de aan-
to Aotonio, Ser.hor doi Paasos. e S. Benedicto
de barro a 3*000 ra. coa um, maito barato i
por gr nuit j pr(ito.
Pechisi cha
Chapeos da sol da aada a 5*
rondo n. 44.
na ra doQuei-
didos, sando a coot
^lo
muito novas a 560 rs. a libra a em barril com urna arroba por'
seguintes qualidades savel, congro, corvina,
a 630 rs. a libra, e am caixa a 660 rs.
latas de 1 e raeia libra por 1*500, ditas com 3 libras
a 56<1 rs. o frasco, e 69400 a frasqueira con 12 frascos.
lias cim neixe a. u
cherne, pescada, e vezugo a 19400.
oas d espomasot
D *rn*aba refinada a 360 rs. a libra, e em arroba a 11 rs;
u!?^^? 0 **** 560 rs. libra, e era porejio a 500 rs.
oao i agUx para fiambra, 640 rs a lihit
\vb--xx.* irasice&aa em
por 2*600
bra 4> ''oUa'afla
UsmiOeS com gen8brjl de Hollanda com 25 garrafas por 9*000.
Al^ftiiia muito Iimpo. a 160 rs. a libra, e em arroba 49800,
R ftl%$0 muito novo a 160 rs. a libra, a 49800 a arroba.
O. totl
suspiros era raeas caixinhas, do melhor fabricante da Bihia a 2**00cada urna
*a o mais superior que ha no morcado a 240 rs. a
por 1*600, so o garrafo val 500 rs.
Vadlaka de Franca
X0xlu\ta>^ rouio fmaealva a
^aUtos 1a?i03i
a groza e a 20 rs. a caixinha.
libra, e em garrafes com 5 libras

muito nova a 200 rs. a libra.
100 rs. a libra e em saceos se faz abatimento.
para dantas a 160 e 280 rs. o mago com 20 macinhos.
PalltOS O g .Z a 2*300 rs.
anrola^Tata da
las marcas tenente, ou XXX a 6*000 a duzia e 500 rs. a garrafa.
?V^j?\ bra&tV* das mais acre litadas marcas a 59000 a duzia e 480 rs. a garrafa.
1 in-iU) b*aM.* tambem tenho de barril para 560 rs. a garrafa.
1 onaialio Aa Lisboa 79000 arroba 628o. a libra-
^M a Hlo lavado a 300 rs a 1bra a a 9000 arrob dilo da 2 a ,dada
260 rs. e 89000 rs. arrobi.
(
a libra, ditto trancez a
de Maranhao a 100 rs. e 120 rs a libra, e era arroba a 39000 e 8*500.
LOeOlato hespanhol a 19200 rs. a libra, ditto francez a 19100.
rfA&a. nOiaaa imperial do ttmado Abreu eda outros muitos fabricantes de Lisboa a 800 rs
a libra, tambera h para 500 rs. a libra.
1 S.'4AwS MU CaltlH. pecego, damasco, pera, alperche, e ginga a 6d0 rs.alatta.
trana d*s Hailtaa a 380 rs, a lata afBansa-so a boa qualidade, a emporjo
se faz a batimento.
"' w francezas a portu^uezas as maisnovosa 640 rs. alalia, em meias latinhas a
500 rs.
I aaO SiOf'\f3HX, Marg, Medoque e S. Juende Medoqua a 9^1000 e 10*000
a caixa, em garrafa 800 rs. e 1*000.
Ii^ltlie o melhor pelisco que pode haver por estar proraplo a toda hora a 800 rs. a libra.
f^eoolas noy s a i9 0 cent0 e a ls2j)() 0 rao!ho com cenl0 e tanfaSj tambem ha
proprias para conservas a 400 rs. o canto.
MY& OCt muito nova a 320 rs. a libra, a era arroba a 8*.
P** gTeV6 a 49 a resma, dito de peso pautado a 39, dito almajo bora a 39200.
-HaSSa pa.ra SOpa estrellinha e pevide a 600 rs. alib'a, era caixinhas sahe mais
barato.
Jdem (le tomate era latas de l libra por 800 rs ede 2 libras por 1*500.
ASeite UOCe^ refinado a 800 rs. a garrafa, e em caixas cora 1 duzia por 89500.
deiH de Lisboa a 720 rs. agarrafa e 5*600 a caada.
AlTieildoaS da casca molle a 320 rs. a libra e 89000 a arroba.
Vinagre de Lisboa
qualidade.
>namo*nne dasmais acreditadas marcas a 15*000 e20*000 o gigo, aera garrafa
0 I #8QO.
1 Qr)gie DrallCO quese podedezejar neste genero a 400 rs. a garrafa.
^100^8 francezes de todas as qualifcd* ques. procurar a 19000 rs. a garrafa.
Jbannia do tfaraiihiV mui,0 ,m ,charosa, 160 rs., libra.
lIJOlO para Kmpw faccas a 180 rs. e era porgaosefaz abatimento. -
Conbaque inglez 900 ,s. a garrafa 10900* a c.ix.^1 uaia duzia.
Aiem dos ganaros cima mencionados encontrar o respeitavel publico um completo sorti-
anto da tudo qua tendente a molhados. mpioiu auru
a 240 rs. agarrafa e 19800 a caada a fiansa-se a boa
AMENDOAS de casca mole de 240 a 280 rs
a libra.
ALPISTE a 160 a libra, e era arroba a 49800.
oz k J1 d9o!Sa 12rs-a lbrae em
arroba de 39 a 39400.
dem de Java de 100 a 120 rs. a libra, e em
arroba de 39 a 3*400.
dem do Maranhao de 100 a 120 rs. por libra
e em arroba de 3 a 30200.
Id,i3.-d?Pened0 80 rs' a libM era a">ba a
2P240 e emsjccos a 2*.
dem cora casca a 160 rs. a cuia, e em saceos de
20 cuias a 29500.
Azeitonas em ancoretas de 8 garrafas a 19500
e era garrafa a 320.
Azeite doce refinado a 800 rs. a garrafa,
dem em barril e de
'u 640
-O a
pnmeira quali
a 660 rs. agarrafa.
Bulachinhas americanas muiio nov
360 rs. a libra.
Biscoutosebiscmtinhos. araruta, a'iados e ou-
tras cualidades de excellenles massas a 320
rs. a libra.
dem em latinhas de 2 a 3 libras e de diversas
qualidades, contando urna lata mais de dez
especies de biscoulinhos por 1*400.
Bolinhos de ovos ara latas recomraendados nelos
tenhorea mdicos a 15400 a Uta.
Batatas a 80 rs. a libra,
libras por 3*200.
ibras e ( Genebra verdadeira inglezade marca Gato do fa-
1 bricanta Carduer i Broorahal de 19400 a
1*500 a garrafa.
dem de Hollanda era frascos pequeos e gran-
des de 500 a l90(10.
Graixa em boioes a 210 rs., e a duzia a
2*700.
dem em lata muito nova a 120 rs.
Grao de bico muito novo a 100 rs. a libra,
Gomma excellente do Aracaty, a 100 rs. a libra.
Kirsch Wasser, excellente bebida do fabricante
Richard & Muller, em garrafas grandes a
1*500 agarrafa.
Licores dos melhores fabricantes inglezes e fran-
cezes e em differentes vasos de 500 a 19600
a garrafa de diversos tamanhos.
Manteiga ing!eza perfeitamente flor de 700 a
800 rs. a libra.
dem da segunda qualidade de 560 a 640 reis
a libra.
dem franceza de 560 a 580 reis a libra.
tambraias lisas.
Na loja o Pvo.
Vende-ce peca* de cambraias liaas maito floae
com 8 ardas a 2$50O. ditia com 10 jardas a 3* I
ditas com 8 jardas a Sg.oit.s eom 10 jardaa a 4* :
aa na raa da Imperatrr o. 60, loja e armazeir
do Pavao.
Retratos de sua alteza real a
princeza de Italia D. Mara
Pia.
Ttm para vendar Jos Azavade Mal a Silva.
na saa lojs. ra do Qaeimado D. S5.
Plvora e chumbo
venda.
Joo Jos de Carvalho Moraes Filho,
competentemente autorisado vende pl-
vora superior de dierentes marcas e
chumbo de varias qualidades por pro-
co commodo : os pretendentes poderao
dirigir-se a sua loja de ferragens na ra
do Queimado n. 13, a contratar.
Rosas
e buuquels
artificiaes com cheiros.
A loja d'aguit branca acaba de receber lindas
rotas e bouqaets artiflciaaa com agradaveia ebei-
roa, ai qaaea aervem para trazar te Da nao oaa
occaaioea de ballea, caaaaantot. etc., etc., o qae
aqu noisaimo, porm da maito gosto, e poaca
deapaza ; castam 1* a 1*500, e acham-sa unica-
mante aa ra do Qaeimado, loja d'agaia braaca
Damero 16.
Brilhautiu&s de quadrinhos a
200 ris
Na loja do Pavao.
Vande-sa brilhaniloas aa quadrlnhot, lando
da todaa aa coraafatanda mnlto ancorpada e mala
laL?q"e chila iole,a. propriat para vestidoa,
a ZOO re. o codo : s ta ra da Imparatriz n.
60, loja a arm.aem do Pa*ao.
As
cassaw baratas Pav&o liquida.
o
Cageos Polares.
Saino a' luz e acha-se a' venda na'
Livraria Econmica, a obra vertida do
inglez pelo primeiro tenente da armada
Collatino Marques de Souza, a qual
tem por titulo Descobertas e Aventu-
ras nos Mares e Regioes Polares
POR
Sir John Leslie.
Roberto Jameson
E
Hugh Murray.
Esta importante obra compor-se ha
de dz olhetos, do custo cada um da
1$, e ornada de um mappa dos mares
polares, e de bellas estampas, que suc-
cejsivamente acompanharao os olhetos,
que mensalmente se publicaiao.
Vaudam-se u*a partea do iiio de lerraa e
caa da morada com maltot arvore'1 ito noSalgadiabo, parteQieotaa a Higael hrtei'
ra de Mello aaua iroia : a peasoa 'iu- quitar,
pode-ae dirigir ra da Cadea do Reiif. a tra-
tar na botica con o Sr. Vicepte Joa d Brito;
Ra da Sai-.zfiliaNoYa a- -^2.
Vanda-sa am casa da S. P. Joabstoo & C,
Jliias a ailhoes inglasos, caodieiros a casticau
bronzaados, lonas ioglezas, fio da vala, chirotes
para carros a montara, arreios para carros da
uaa a dous cavallos. a relogioi de onro patanta
inglax.
Vanda-ta flais9imaa asasat francezas de corea i
muito bonitas a S, 240 e 280 rt. o aovado : a I
na tua oa Impeutrit u. 60, loja do Patio.
Bramante do Pavao.
Veode-te pejis de bramante de listas tando ama
a largara, com 27 arat cada pega, pelo bara .
tissiuio pr)Qo de 10* a paga, tambem ta vende
rxeias pacas do metroo com 13 1|2 varas por 5*. i
esta fazanda proprit para lenQo#s. toalhas, ca-
r-Voj:^dV.,,i "ried"- >*" r.ncal.ins ?.r. o.
xeoda maia barata eendo d. linho, isto a na ra masaoS-
d In-peratric n. 60. loja a arma*a> do Pavo.-------------------------------r-------------------------------
Relogici
Vanda-sa m casa da Johnston Pater C.,
l do Tigario n. 3, um bailo sortimemo da
lelogios da ouro. patenta inglez, de um dos mais
afamados fabricantes da Liverpool; tambe
a
La e seda pan, vestidos
400 ris.
S na loja do Pavao.
Vende-te la e teda para veatidoa com multo
bonitos pidr5->a, modo lateada que teropre a*
vendeu por 1*. e torra-ae a 400 ra. o covado para
ra da Tmpfir* o. 6*),
Esperaoca
apurar dinhoiro
loj
t ni
a >tn) res a
dem de DftnM m latas com 10 libras a 35600
e a libra a 380 rs.
Mera em barris muito superior a 360 reis.
Marrasquino de Zara a 800 reis o frasco.
Massas para sopa, raacarrao, talharim e aletria a
300 reis a libra e a caixa com urna arroba
hespanhola a 5J60O, do fabricante Nervy. eamr-rala rici-mantebordadoapeloinatgilea't
dem nas estrellaba, pevide e outras a 560 rs t'r,?J 'l0 2 ("" ",* m.-^uitoa com ama olla
a libra. sendo que stmpre costaran, 6* ada par, aaaim
1 polt racorumoda-6 aos amigos da santa eco-
noma que aprovellea a boa oecaaio, 'risin
do-s com dinh.iro a loja a boa f na ra* do
Qammada n. 52.
miudesag, run
n. S5
Manguitos egolias de
cambraia ricamente bordados
Vena-joi-te manijaitoa .ollas de superior
L^j.i de
Qucinauxlo n. 25 A,
Guhjares $ Hocln
Para baloes.
coberlaa de flo para aaias a 160
do
i. a
rt.
Mlhos inglezes e muito superiores a 500 reis
o frasco,
gigos de 30 a 0 dem dem idera a 2$ era frasco grande rolha
de vidro.
Cafe do Ceara de pnmeira qualidade, de 280 a I rozes superiores a 200 reis a libra.
ti a j "' 'bra- Pl'OSihoros do gaz a
dem do Rio |. 2. e 3. sones a 240, 280 e rs. a duzia.
300 rs. a libra, eera arroba de 7, 7500
2*300 a groza, e a 200
ou
e em gar-
a 8*500.
Cha parola de primeira qualidade a 3*200 a li-
bra,
dem uxim a 2*800.
dem hysson de primeira qualidade de 1 <1300 a
29800 a libra.
dem nacional de 1J500 a 19600 a libra.
dem preto homopathico de 19500 a 1*800 a
libra, primeira quslidade.
dem idem nohomeopathico de 19500 a 1*800
a libra, primeira qualidade.
Cevadinha a 240 rs. a libra.
Chocolate de Lisboa (do Abrou) encommenda es-
pecial, qualidade esta que sem medo da errar
a rarlhor que aqui tem viudo a 1* e 500 rs.
o massinho, c niendo 12 e 24 paes.
dem hespanhol e francez premiad>s em di-
versas exposices, de 800 a 19 a libra.
dem Biiisso de differentes qualidades, romo se-
jam haunilha ecanella, etc. etc. de 19100 a
19400 a libra.
Cfiarapanha era gigos com 12 garrafas inteiras
de24 meias ditasa 129 a duzia
rafas de 1 $100 a 1*200.
Chonrieas das mais novas a 480 rs. a libra eem
barril de 1 arrobado 13* a 149.
Charutos superiores Guanabaras, Lanciros.
Delicias, Napolen, Parisienses, do afamado
fabricjnte Jos Furiada de Simase outros de
1*500, l*80, 2, 29600, 3*600 e 4*50
o cunto.
Ceblas a l9o milho com mais de 100 ceblas.
Conservas inglezas muito novas a 800 rs
frasco.
Cognac inglez em barril, garrafa a 640 rs.
dem idem engarrafado de 800 a 900 rs.'a car-
rafa. "
Doce de goiaba era caixes e em latas, prepara-
do especialmente para embarque, garantindo-
se a boa conservado por um anno.
Emihas em latas de 1 e 2 libras de 700 a 800
rs. a lata.
Extracto de absyntho em garrafas de 1 Ii2 car-
rafa a 1*500. l 8
Farinha de trigo Fontana, das marcas SSS ga-
lega, family, de 120 a i60 rs. a libra.
dem do Maranhao a 160 rs. a libra, e 49800
a arroba.
dem de araruta, especialmente preparada de
a 320e360rs. a libra.
Figos muito superiores a 240 rs. a libra.
Garrafes com mais de 5 garrafas de vi'nho do
Porto fino, a 3*200.
dem idem de vinho verde a 29800.
dem com mais de 5 garrafas de vinagre de
F. &S. de Lisboa a 1*600.
dem dem com vinagre de Hamburgo a 19000.
dem com mais de 15 garrafas de genebra de
Hollanda a 6*000.
Genebra de laranja em fraseos grandes a 1*000
Prezunto de Lamego o melhor do mercado a 480
reis a libra, e era portjio 460 rs.
dem inglez para fiambre a 560, 610 e 700 rs.
Passas das de carnada de 320 a 400 rs. a libra
e em caixa de 5 a 6*000.
Palitos para denles macos com 20 macinhos a
160 rs.
dem lichados idem idem com flor a 240 rais
o mago.
Peixes curvina, safio, (inguado, pescada, peixe:
espada, pargo, robalo, salmo e lagostim,
em latas hermticamente f-chadas a 1*300 a
lata de 1 a 2 libras, sendo preparado pelos pri-
rneiros fabricantes de Lisboa, Inglaterra e A-
merioa.
Queijo flamengo do ultimo vapor a 2*000.
dem idera do ultimo navio a i9400.,e em cai-
xa a 19200.
Idam prato de 600 a 6i0 reis a libra.
Salpicos, vindos de casas particulares a 640 reis
a libra.
Sardinhas de Nantes a 380 rs. os quartos, e
meias latas a 5H0 reis.
Serveja marcaTenente, Cobrinha, Cavallinho e
outras marcas a 4, 5 e 5*800 a duzia.
Sag a 280 rs. a libra e em garrafes com 5 e
6 libras liquido por 1*600 com o garrafo.
Sabo moga de diversas cores e dos melhores a
120 e 200 rs. a libra.
Sal refinado em potes de vidro com rolha do
mesmo por 600 rs. cada um, s o pote vale
o dinlieiro.
Sal refinado em potes de louga com
mesma por 50U rs. cada pote.
Toucinho de Lisboa do novo a 300 rs. a
libra, e emarrobi 89800.
Idera idera menos suporior de 160 a 200 rs. a
libra, e em arroba do 5*000 a 69000.
Tijolos de grande tamanho a 160 rs. cada ura
(para limpar facas).
Velas stearinas a 640 rs. o maco.
dem do Aracaty, carnauba, a 400 rs. a libra.
dem de composicio de Buenos-Ayres a 440 rs.
a libra.
Vinhos engarrafados vindos parte deltas de conta
propria. como sejam; Duque do Porto, Ca-
rades, Charaisso, Silva & Meneses, e outros,
que se veadem de 19000 a 1*280 rs. a gar-
rafa e em caixa de 12*000 a 15*000, a
espera m-se novas qualidades.
Vinho Bordeaux das marcas Margaux, S. Ju-
lien, e outros a 800 rs. a garrafa, e a du-
zia a 9*000.
Vinho verdadairo de Setubal ara barril
garrafas de 640 a 800 rs. a garrafa.
Vinho do Porto era pipa das melhores marcas
de 5*000 a 69000 a caada de qualidade
especial.
Vinhoda Lisboa, Madeira.Carcavellos, Figueira,
francez, e da diversos paizes da 39000 a
49500 a caada.
tarapa
da
e em
""" taJliJ W9IW n/%
Niva u-j da bandeira
que vend-barago,
na ra d Cruz Recife
Manoel iosi da Foucece, yartecipa a
todoa os seut freguezes e juntaajeute ao
respeitavel publi o, que tem grfnle tor-
limento de regadoret, usod> Europa, isto
vende te mullo barato, bahus, baciat
banheiro, baldes pan despejo, bacas d
aenieupa, gamelas para banho, Utas para
deposito de farioha ou outra qualquer
atirveulia, eaneca para cuodutir agua,
machinas para cat, bal.ios para compras;
I ha sortimeotode outras maltas obras e to-
das de diferentes taniaohos e junlamen-
i te envernisadas de diversas cores ; r.cf-
5 bem-SB encoimni)ai se fabricaro
SvootadH de aeus dooos e jsotamente se
aflanga a boa qu>li lado e pereicao das
Soiesmis ob'aa; ba fulha de flandrea a ea
taohoam erg.inhas 700 r... erniz eo-
3 pal I{j200 rs.. latas de arroba 1J000
81 ra.. cotos a 1*400 rt., canecos a IjOOu rs.
regadores a 1*280 rs., bhu gnoues
4*000 rs. e peqanoa a tOrs., bacas
II K"04aa a 4*000 rs. e pequ#iiis a 600 rs.
S Todo isto *rne-e na loja de funileiro,
que por aignal tem urna bandeira na por- i
Sta que gira cam o veoto, etta charaa-se 5L
a loja da bandeira. I
Neste estabelecimento vende-st:: ta-
chas de ferro coado libra 110 rs. idem
de Low Moor libra a !20rs.
coras trata;
jatlo
V.atoa, pra
PVa caija a
LeDQOS DrallCOS
com barras de cores para meninos a i#
a duzia.
Aloja d'agaia branca tambem vanda bons a
bonito* leaciohoa brancoa com barras de cores,
proprios para -leolnot, pl diminuto prego o
1* a dalia. Aviata da iimiligao do preo talve
algaem desconrtn da bondade da faiso;, mas I
para desengaoo dirigir e. prevenido ne diobei !
ro. ra do Qoeionado, loja d'agaia tranca d. 16,'
onda oa acbarX paUotea.
Venle-se um mulato de vinte mooa pouco
mais ou mennt, preferiodo-ae para eugenho, por
qualquer prego : no paUo d., Terco n. 9.
feenvis v^mla
Venda-se orna mulata pessa de (dada de 20
aooos, a qual ccrinha, engomroi bem e co.',
duas negriohas de 10 e 11 aonoa de dade, que
j coiem Saffriral um mulatinho d 7 anno: a
tratar na ra da Cidoia dn Rerifa, Inja n. 6i
Botica.
Na ra do Impetrador n. 15 ha para venderse
01 teguinies bilhete : Le Hoy, perajentea de to>
dos ot g os, e vomitorios, agua oe vichy, taro-
pe dedlgitalet, de ponas de expargo, opodelioc
grandes redondos para bocra dos frascos, bal-
samo pbilaotropico, lime na i gasosa da axtracto
de magnesia, agaa desella, sedililt, vermefugo,
a em braoco com tarjas para nelles se escrever o
qae ae qnlier.
Molas
vara.
Agulhat victoria o papel a 120
Ditat fundo doarado a 120 rs.
Liona de peso, meada a 100 ra.
Dita fioxa para bordar aiJO rt.
Dita de carretel. 200 jardas a 80 rj.
Dita da core, qaalquer qaalidade.
Gravaras
1 com bots e tem elles a 1*. da
1 para hoaieni menino*.
Tranca de linho.
Kotebeu um Imdo aortia-ento drsta tt
proprias para aa leves rompas da fesla
qaa tao-sa iTaveaindo.
BotOes
' para casata e caaeqae, de coret
! camisa madrei^erola fina, da otso
! 320 a groa, muito finos.
Colchetes
Esta toja dea*jaudo sempre ter oljecloa c&Tca
1 recebeu colchte! reforcadoa to fio batido a
'ouas sao eo. forma de un.a CarteirioLa q.^ IS
torna mallo alegante, s ha na Esperanca a 80
ra. eaixioba, m cartao a 60 ts., ou duna por
600 ra. *
Pennas de aro
taligriphkas porSJ 2*400, verdadeiraa d Per-
ry, a -le outras qualidades, por menos do rjue se
custurua vfcnier, canelas pnfe ae adquirir -ma
posicao elrg.ot (estr*v.3o) 500 ra". a n,u<-
taa qoalidadas cor. o de borracha a 160, a balao
160, 5 i-t-let' a 120, e multo boaa muito ba-
ratas por 40 rs. cada ama I I
Perfumaras.
O ebeiroso a suave sndalo a 1*600 o ratco
(esa^UkU Conc.mrada) p.tbiUiilv, o att.jr
bouquet deoepciea, o de Labore, a veUvia'k
msguolia, a rosa, o jato ir-, a flr da larflDg,"ra
um eootplaio aorlineoto de perfumaria qua te
mos, taoto francez* conio inglezas.
Banbas.
Pomada lmprlal, frasco a 2*.
Japonaza a 1*.
Imperador a 1*.
Iniperairii Eugenia a 1.
Exposigao eoivaraal a 2*500.
5!"C'i am>rit>iis a FOO r*. a !{.
IJrQo em frascot a 600 ra.
Grande, grande, maito a ojaitoaortimer.'.
, leos
pira csbello, ero virlude da depracia^ao que ten-
do lida o oleo dito philoconie soci-t hygiea-
niqi-> por lr violo todo falsificado, rec.ptmoe
um rtigo idntico aquell da [srica de Modu-
las que garanli.Ois^r o melbol coameliqua pa-
ra o cabello, e osaromaa Bscolbldos tosu^ces a
duradouros qua desafia meaoio quem nao qu*ira
a oor.prar.
N. li. Temos feito uinm -n ei't um oolrsto
eom um fobrieaela qu nos permita vanoer esto
enero, cujo consuno s adisnta, por precoa in-
teiramente baisua e -. riv|io.de.
Ha iim ve.1 .er->e um excnl'eclB Cuilihe-
ro: n.i rea do Calmea .. 18. a..br(|.>.
Tabaco americano.
Cbegado prximamente da America
em caixinhas de 22 libras : vende se aa
travessa da Madre de Deosarmazem de
Barros & Silva.
:o.
veiide-ee un eacravo cona idade de3ao-
not. *rioulo, caireiro, boa figura, sem achaques:
a rus oa S.nta Crz. na Bia-Visla, u.
dinja-ae
r^que scharsi com qu.>m irtar.
Tah rna em Apipuccts
Yeade-se urna taberna em Apipucos
cota poneos fundos ou mesmo so a ar
maco, em boa localidade e bastantes
commodos para familia : a tratar na ra
da Praia n. 53.
?
'




MELHOR EXEMPLAR ENCONTRADO I
MUTILADO
__L


'-
i
DLUUO 0k Pf iUMSUGO ~ SABB4DO 30 DE SETEMBllJ BI 1861.
Calcado francez
na loja do vapor, ra Nota n. 7.
Novo aortimeolo de calcado fraotex, roupa
feita, perfumarlas daa melhores q.alidade.
Me e alcalrao,
Coke da m.Ihor qaalid.de, muito proprio para
vapor, tambem para todua oa mu domestico.,
lornoa pequanoa e grande, etc., para eatea ser-
vaos, o cok. e mais econmico do que qualquer
outro combeslivel, por s.r meaoa da matada do
pre;o e da nais duraco.
Alcatro, esta sendo appKcado navio, bar-
cas, alvareagae, canoa, etc., pr.st. muilo bom
affeito, consrvenlo a madt>ira da todaa as qe-
lid.de. da blcboa, fizando durar um
fluido Tambera conserva madeira de ertlfica-
c,fies, preserendo-e doa blcboa a contra o tempo :
aa propriededes cbimicaa daile alcatro da car-
o mnie (orla do qua qualquer oalro, extrahl-
do de n x Que-n prectaar achara venda, no armazam do
gax. Kua do Imperador.
Prco do cok 129 por tonelada.
Prco do alcatro 500 ra. por caoeda;
Para atar cabello.
Timbem ha chegado lfnoa pontea de tarta-
ruga todo entraado com fita de borracha, de
forma que o cabello amarrado fica dentro de um
engredado, intelrimenle couaa nove, e de muito
goato, aaaim como com lijo e lizoa de lindoa fei-
tioe, queae vende por preco multo raxoavet : 16
oo rjgjlaatg. ra do Creapo n. 7.
Luvas de pellica.
Tambem chegado aa verdadeirai luvaa da
Jouvin multo (reacas Unto para homem como
para aenbora; a no vigilante ra do Creapo
Venden!-se caixes va-
sios, proprio para funileiro
e bahuleiro, a 1280 cadaum :
tiesta typographia se dir.
m
Gravatinhas.
Tambem chegado aa linda gravttinhaa com
todaa as qua- lindoa botoaa. que ae vende pelo barato preco da
L HmpV.2de" ? : no viS'1,ntf. ta do Creapo p. 7,
L&a p&T& bordar.
Tambem ha superior la para bordar que te
vende por 69 a libra, aaaim como la de (amilia
que aa rende a 19, e em cada caixinha muito fina
palo baratsimo prego de 79 a caixinha : a no
vigilante, ra do Creapo p. 7.
Espelhos.
Tambem ha grande ortimento de eapelhoare-
doodoade moldura douradoa de todo8 oa tama-
ohoa, com excedente vidro, que ae vende pelo
baraliaaimo de 35, 4$ e 5$ : a no vigilante, ra
do Crespo n. 7.
Si otos.
Tambem chegado os muito desejados sintos
com ricas >*l da concha a borlote ao lado
Chega vapor para o vi-
gilante.
Ac para balo.
Sao chegadaa *s verdadeiras asteas ou ac pra
concertar ou faxer balse, que com ama pequea
quaotia qualquer seohora pode aier um grande I *0,,8, muito chique ae venda pelo barato prego
balo, pola vende-se pelo baratisaimo prego de d'A?,."''m como 'icae flvela* pira aiotoa core
140 ra. a vara.oa pega com 50 metro a 55500
a no gallo vigilante, ra do Crespo n. 7.
Cordo de borracha.
Tambem aso chegadoa oa cordoziohoa de bor-
racha e de retroz, sortidoa, de lio laa crese de
todaa aa groaauras, que muito ae destjava, tan-
to para pulseires cojijo par debrum da collete,
a para muite outra obrae : a no gallo vigilan-
te, ra do Crespo n. 7.
Fita de borracha e de seda.
Tambem sao chegadae aa aaperiorea fitas de
borracha, asiim como de aeda preta, propria para
debrum de vestido, como pira collete, que ae
?ende pelo barato prego de 160 ra. a vara : a
no g'llo vigilante, ra do Crespo n. 7.
Caixas de tartaruga e charu-
teiras de charo para rap
e charutos.
O tabaquista que aprecia a boa pitada d Lis-
boa ou maamo Princeza, Meuron etc., etc., e
jaato que compre urna bonita caixa de tartaruga
toda ma rebelada com a qual nao ae eavergonha-
r de offereeer da boa pitada de su gasto a to-
dos oa eircaraetaotes que aeacharem em aua ro-
da, muito do quaes louvarao o seo bom gosto.
Assim como a caixa neeeaasrla ao tabaquista,
charuteira nao auparflua no (amante e sendo
ella bonita como sao a de charo cuchetas raa-
lhor ser porque com isso deixa conhacer quan-
to sbe apreciar o bom. Para oc maia ommo-
dsts tambem ha bom aorlimento todo encoo-
traro barateza urna vez qua munidos de diohei-
ro a* dirigirem a ra do Queimado loja da aguia
branca n. 16.
podriohaede liodoa gostoa qua aa vende a 1*600
a 29; 6 no vigilante ra rtn Crespo n 7.
Chegado pelo va-
por fraocez s para o vigi-
lante finos peutes de mar-
rara.
E' chegado oa lindos pentinhoa douradoa com
multas lindas molduras de differentea gustos pa-
ra mjra(a ou travetso, poi s com a vista oa
compradores sabero apreciar o quanto sao deli-
cados pelo baratissimo prego da 3g00o o par :
asslmaomo aem aer douradoa da lindo gostos
pelo barato prego de 9: na ra do Ceeepo n. 7!
S no galo vigilante, rus do Creapo n. 7.
Grmps a balo.
Tambem chegado ss lindas grampaa a balo,
couaa muito linda : a no vigilante, ra do Crea-
po n. 7.
Acba aa venda no eacriptorio o* Antonio
Luizde Oliveira Azavedo & C, ru da Crux I
a obra eacriptapalo vi.conda de rugusy.Eoaaio
Sobre o Direito Adrolnialrativo ; deixamoa de te-
cer elogfoa a eate obra, basta o nome de a*u au-
tor part a tomar reeomm.ndad, daoa volem.a
em brochura 109. encad.rncdo jM.
Fazeudas pretas
superiores.
Groadenaple preto multo aaperior pele dimi-
nuto preco de 59 o corado, pauno preto muito fi-
ne a 3, 4, 5, 6, 7 e 9g o corado, caaemira prata
multo fina a 25, 19500, 3, 3*500 a 4 e ovao*.
mantas pretea d. bloode mullo auperior... 129,
man tlete de superiores groadenaplue pretoa ri-
camente bordados a 35, aobrecaaacaa de paone
preto multo Ono a 80, casacas tambem de pinna
preto muito fino i 309, paletota de panno preto
fine a 18 e 209. dito de caiemira de cor cuee-
clada i 18, uperiore gravatinhae eatreltat
i#, dita de aattm maceo a de gorguro muito aa-
periorea para duaa voltea a *J, oitaa etreitinhai
*om lindoa alluetea a t$, auperior gorguro pre-
to pea collete a 49 o rorte, rico nUite preto
a 69, e aasimoutraa multaa (izendee q sendo a
dinheiro vit, vendem-ae por pregos muito ba-
rato : na ra do Quaimado n. na bertj eonh*-
, cid loja da boa f.
venee-se chalea de merino muito grandea a -------------------------------------------------______________
^d'VnU^m-^ditoa'pre^r.tTord0: C*mSS >Ord*d*S e OUt,OSob-
rede a imUtgo de relrot com bomlaa palmas a
3|, dtloade caa de quadroa a 640 1a.: a na
ra d* lmperetriz n. 60, loja a armazam do
Pavo.
Soehall Mcllora & C, tende recebido or-
den para vender o aeu creacido depoeito de rale-
fiaa v|to o fabricante ter-aa retirado do neg
M ; canrida, portanto, a paaaoaa qua quixerem
peaaalr um bom relogio de ouro ou prata de ce-
lebra fabricante Kornby, a aproveltar-ae da op-
portanidade aem parda de tempo, pera rir com-
pra-Ioa por eommodo prego ao aeu eaerlpterie
roa do Trapiche n.t8.
Ba fama n. 35*
Vende os seguintes ob-
jectos ai>aixo mencio-
nados.
Grampoa a balo com pndente douradoa a 23
o par.
Pentes imitando tartaruga para bandes, ulti-
mo goato a 39 o par.
Firelaa par* dIo, fazenda inteiramente nova
a 29 o par.
Alfinetea pretoa com dourado para enhora,in-
teiramtnte novoa a J9 cao uro.
Botoaa pretoa com nourado para punbea, intei-
rameote novo, t 29 o par.
Botea de tartaruga p*r punhoa a 19500o par.
N* ra do Queimado, loja de mialezae o. 35
da tu a fama.
Tinta
para marcar roupa.
Vende-se tinta para marcar roupa a 19.
Agua de malabar para Ungir csbelloa a 59 o
Iraaco: na ra do Queimado, loja de miudezaan.
35. da boa fama.
Cartas linas para jogar.
Vende-ae duzia de b. ralbo de cartas fina com
a ponta douradsa a 69, dita aem er dourada a
39500 e 4J : na ra do Queimado, loja de miu-
i-za n. 35, bos (ama.
Fitas de la para debrum.
Vendam ae pega ae fila de le para debrum a
lg, e am vr a 120 r., dita de leda a 29400, e
m vara a 240 ; na ra 00 Queimado, toja de
miudezas n. 35 da boa fama.
sem segundo
Na ra do Queimado n. 55, loja de miudeza
de Joae de Azevedo Maia a Silva, est queiniando
todaa aa auaa miudezaa muito boaa e baratisat-
maa, a saber :
S. atoa de tranga de la mullo superio-
res a
Ditos de la pata meninos de peito a 200 e
Parea da boloea para punhoa a
Caixa com papel de divenas qualidadcs
sortido a
Ditoa decore o melhor que ha a
Tnesourae de 6 polegsdaa a
Aia prea muito oa (libra)
Pegaa oe fita para c, de superior qua-
lidade a
Novelloa de linha que tem 200 iardaa a
dem dem de 400 jardea a
dem dem de 800 jardea a
Linha do gz de 10 e 20 jardas a tres ;or
doua barato.
Caixsa de folba com phoaphoro a
Corneta de chire pira entreter meni-
noa a
Carrteia de linha de 100 jardaa a
dem da Alexandre muito superior a
Duzia de lata e garios, esbu preto, mui-
to flnaa a
Calas com colxrtes francezea a
Ditag com pbos^horos do gez a
Ditaacom dito de vela muito superior a
C'ixas coro isc para accender charuto
Ouzias de meia cruaa muito encorpa-
daa a
Duzia de meias brancas a
Duzia de meia brincas muito fina para
aenbora a
19440
400
240
700
700
40
100
320
40
60
110
80
80
30
100
89500
40
20
20
40
2J400
15 600
Superiores atoalhatos
adamascado.
Masaos com grampoa de todaa aa quali-
dade a
Bolgas multo Boaa para guardar dinhei-
re, servirn tambem pars guardar fumo,
e aervera tambem para srnbore a 500 a
Thaaouraa pequea, potm muito li-
nas a
Ditas par uoha tambem muito itipe-
rior^s a
Uircas para cobrir, sao pequen, porm
o prgo convida a
Pra de meiaa de corea para mentnoa a
Parea de meias brancas para meninas a
Groza de peonaa d'ago de todaa as qua-
lidadea a
Csixaa com 100 anvelot.es muito finos a
Groza de botea de louga pratdos a
39000
40
800
200
400
10
160
200
500
1JO0U
240
Attencfto-
Vende-se
n. 1.
a aaberna sita no pateo do Terjo
Vende-se
Urna rnobilia de amarello, e algn enleites para
cima de meza : na ra Bella n. 14, segundo
andar. "
3
m
lutos com goilinhas.
Vendu-ae mangnitoa com golliob, faseuda
- sasas \ssrsA &i
flnaa bem bordada a 1J000 cada ama na ra
do Qeaimade loja de mtudexaa da Boa fama,
o. 35.
moa de largura a 1 $600 r. a vara : na ra
Quaimado n. 22, ni loja da boa f.
do
Damasco par* coixas o pr
ornamentos <;e igreja.
Vende-a multo uperior damasco de l da
urna a cor, muito proprio para colxaa e pare
oruamenloa, com 6 palmoade largura pelo ba-
rato prego de 2&800 ra. o corado : na ra da
Queimado n. 22, o a loja da boa f.
I Tiras o ntremelo* bordados.
' n H!.t",o; P*?M "" tordadaa de 2,500,
3,0(^0, 3,500 a 4.000 .r, tr.oj.ioa a I96OO e pOOO
cada pega na ra do Queimado loja da miudezaa
da Boa fama, n. 35.
^ect s > 500 e 7iO rs.
Vende-ae sodas de littas e de quadros para
Teatidoa de aeohora a 500 e 720 re. de quadri-
nhos miudos o corado : na ra da Imperatrix n.
60, loja do Pavao.
Camisas ?jara senhoraal^OOO
S na loja do Pavao.
Vende-se camisas de madapolo francez multo
bem eufeitada* 1 1 f cada urna, r na ra da Im-
peralru p. 60 loja e armezean do Pavo.
Chales baratissimos.
BalOes de bramte,
Vh loja do P;>ii o .
jecto necessarios p&ra
senhora?.
Na loja da aguia branca acha-e um bello aor-
limento de bonitas camUinbaa de fina cambreia
com babadtnhoa e tuui bonitos bordados de no-
voa e delicados deseohos, aa quaea serven! mal
bem para o moderno veatido da frente abarla
e vndm-ae palo diminuto prego de 39 cdi
, um ; ssim como booitos manguitos a balo coro
Vende-ae baloes de bratuaotu mullo bem fei- gollinhea do superior tambraia a9l6 e todoa bor-
lo, secdo de por e tirar os arcoa quando ae quer | dadoa. com punho* viradoa a cada par pelo ba
lavar, para a.nhora e para menina, do memo rliimo prego de 2J. o que admiravel aviata
a e le arco : oa ra da Impeaetriz n. 60, [ d uperioridade da obra, e bem assim punhoa
igollinhaa tambem bordado com bonito bote
' a 29 a guaroigo, gollinbaa solas IgualmeBt*
; bem bordadas 19 cada urna a msogoitos a 800
rs. o par. A viale poia de um to completo sor-
lmenlo nenbuma seohor deixtri da comprar
neceiarioa objectoa tanto mai quanto a
commodidade doa pregue convida e pra que to-
doa aejam bem servidos convem que maodum
ogo comprar na loja da aguia branca ra do
loja do Pavao.
Vestidos raiioos.
Vende-ae corles de veitidoa brinco bordados
a seda, praprios psra noiva, pelo baratiasimo
prego de 69, ditos de (rlatana branca borda- '
des a '.a; : 1.1 ra da Imperatrix n. 60, lojt e ar- i
mazara do Pavo.
Jarlatanas e fil do Pavo
Vende-se tarUtaoa branca e decore s 800 rs. I
a vara, fil branco liao a v 0 n.,dito lavrauo de
palminhas a 19 a vara, organdy branco muito
Verdadeira pecbincha.
Vundem-sa corteada auperior gorguro de aa-
da para collete palo baratisimo prego de 19
'29 39 o corte : na ra do Quaimado n. 22 na'
bem conheclda loja da boa (.
tara os tabaquistas.
Lengoe muite fino aimttago doa de linho de
multo bonitos padroea e de cores flxaa muito
proprio para aa peeioaeque tomam tabaco pele
barato prego de 48800 e 59500 a duxia : na ra
doaeimodo n. 22, na b*m conhecida loja da
boa f. *
Bramante de linho.
Vende-ae muito euperior bramante de linbo
eomde*ared largura propric p.ra lenco.
pelo barato prego de 29400 r. a vara: na bem
onhecidi loja da boa f. na ra do Queimado
o. 22
t
Boueca fraitCezas.
, 7*5l*'*? %itk*w ffOCza riciDMOte vestidas
49000 e 59OOO, e l|0no bonecaa de cera com o
olho n.ovaflgos 2J000 e SfcUOO, o. ,,, n qu,i.
ruado loja de rr.tud.ze da Boa fama, n. 35.
Fiveks de ayo para sintos.
Vende- flvela de ago par linio a lg500 r.
29000 oa ra do Queimado loja de miucexaa
da Boa fama. n. ".;.
Baleias.
Vende-ae balaias 4 120 ra. cada urna aapa de ago
par balo a 160 n. a vara, bandes a I95OO rt. a
29OO o par, na rus do Quaimado loja da r.iudazas
da Boa fama, n. 35.
Queimado n. 16.
A Soja da gui&
fino a 19 a vara : na ra da" Im'peratriz n. 60, loja I braUCS m* (\0 Queimado II. 16
do Pavo.
Luvas e sintos do Pavo.
Vende-se luvas de sed pretas e de cores a
640 rs. o par, ditae de retroz a 640 ra., aintoa de
aeda muito ricocom fiveles douradaa a 19 cada
um : na roa da Imperatnz o. 60 loja do Pavo.
4 pavo.
Vende-se neste ettabelecimento aa fazenda
mai baratas do que era outra qualquer patte, s
com o fim de apurar dinheiro, chitas largas ri-
curas com pequeo toque de mofo a 200 rs. o co-
Tado. ditas francezas a 2(0. 20. 280. 320 e 360
rs., pegaa de madapolo e algodozinbo por pre-
gjg baratissimos, cese organdy de toda as co-
res, cambraias de todas a quliddes e todaa aa
maia fazeodas precisas para o consumo, alm de
estar este estaboleelmento aberto da 6 aa 9 ho-
ras da noite, tambem ae manda levar aa fazea-
des eamostrae peloa caix.iroa : na ra da Impe-
ratriz n. 60, loja do Pavo.
Roupa para horneas.
Vende-ae ealgea de caaemlra.de brim pardo,
de dito de corea, paulla fraoeezes a 69, ditos de
Acaba de receber oa precisos objectoa aeguin-
tes:
Aspas de baleia grandes e pequenaa.
Fita com colxetet branca, ptrda e preta.
Dita da la para debruar vestidos de cores.
Trancinha de canaol miado conhecida por bom
tonta
Alflnetea pretos e braocos em caixinbaa.
Agolbac imperiaes fundo dourado.
Oitaa victoria em caixinhaa a papis.
Retroz preto fino m cirreteis grandes:
i
no vigilante.
Collares para senhoras ou me
ninas.
E' chegado os muitos desejadoa collares de el-
jofarea flogindo madreparola, com urna cruzioha
I d* pedrea flngindo brilbantes que sao muito ele-
gantes, poia s com a vista que se poder epre-
| ciar, que ae vende pala barato prego de 39 cada
um :. lato "na ff.js do gallo vigilante, ra do
Creapo o. 7.
A.derecos pretos
Tambem chegaram oa lindoa aderegoa pretoa.
panno prato e cor de caf a 69, caigas de case- \ sendo dais pulseirae, roaetas, alfinetea, ludo em
__I_______..*_ .X _. 1.1. J '- .. 1 .. _.~_ J_ 'una 1 i r. K i, t ^ i ^ m I .-. a.a.. _._. _..._
Novos pentes
de tartaruga e iuhsss,
com dourado e sem elle,
para star cabello,
A loja d'aguia branca acaba da receber eaaea
pentes de que as sf.nhoras lano precisavam para
igualar oa pequenoa dourado. O sortimento
pequeo, porm completo, porque tem de tirta-
reg- lam, dourado e sem o ser. A belleza
a perieigao dellee difficil desirerer, a por isso
limitemo-nos a dlzer que elle sao de um dese-
nlio novisstmo de ipuredo gotto, a de custosa
exetugo, na quel o artista elevou-se por su
pericia. Tem elle a forma de um lago de fita no
centro do que st conhec o feche por meio de
urna flvella, isso aleas de rendadoa, tanto oa de
tartaruga como os de massa. Agora, pois, que
appireca o bor, convem que aa senhoras se nao
demorem em mandar comprar na loja d'aguie
ranea, ra do Queimado n. 16.
Moendas c meias moendas.
Taixas de ferro batido e
coado.
Machinas de vapor.
Rodas d'agua.
Rodas, dentadas etc., etc.
Ru do lrurn n. 38, fundicao
de W. Bouman.
mira preta a 59 : >6 na
Imperatrix n. 60.
loja do Pavo, ra da > u[ua Caixinha, inteiramente couaa nova nest
I praga, todos muito delicados pela grande mo
I de obra quu tem, poia aa pessoas de bom gosto
3't^S^?WS-i^{^3^'l^5^^!eS!> soberao epreciar : a no gallo vigilante, ruado
Oeapo n. 7.
Asnillas
O a
Tambem ao chegadaa aa verdadeiraa agulttas
Victoria, de fundo dobrado, que ae vende pelo
barato prego de 100 ra. o papel: no gallo vi-
gilante, ra do Creapo n.7.
|Loja das 6 por-|
tsis em frente do Li
vraineuto.
Ifialoes de 15, 20, 30 e iO arces.
Grande lortimeoto de bale de arco
os melhores nesta fazenda e grande, chi-
tas francezaa largaa eacuris 2*0 e 'tt
ra. o corado, cambraia lita para for-
ro com 8 1.2 vara s 29 a pega, ditae fi-
qa a 39, 4$. 59 e 6g muitu lioas, ditas
de ulpiqutuho com S 12 vara a 3;")"0
a pega, ores para cama a 4$50O e 59, casias de
cores francezaa Ifntae seguras a 320.rs. o
corado, pega d bretanha de rolo a 29,
algodo trangido alvo maito lirgo para
toalhas a 19 a ver, eofeitea a Gsribaldi
aeodo preto a 5$ cada um, lenco bran-
eoicora barra de corea a 120 ced um.
roUi> felta de todaa aa qualidade muito
baratee, e loja eii aberta ale as 9 horts
da aoite.
I
Capeias para noiva.
Tambera sao cbegsdaa aa lindas capellaa bran-
caa, o mais delicado qua pode baver. que se ven-
de pelo baratiasimo prego de 79 e 65, tambem h
outras meia inferioras que se vende por 29 e 39.
Pede-se que ju> m tiver de coreprer qualquer
deste* otjpctos, que se aprasse anlrs que se aca-
be, potafoi apeoaa urnas pequenaa amoatraa qae
e racebeu : s uo gallo vigilante, ra de Craapo
numero 7.
Arados americanos e machinas
I para lavar roupa : em casa de S. P.
Johnston* & C
u. 42.
ra da Senzalla Nova
\st ra da Iioperalriz nu-
mero 20.
Vende se o seguiote.
Bramante eom 10 ptlmn de largar a 19500,
riscadinbos eacuroade edr fixa 1 160 rs., aaaaa
de orea a 280 e 320 ra., oleados pera cobrir
masas a 2$, indianas rr.eito hnas a lg, chitas a
160, 200. 240, 280 e 320 ra., cambraiea de sal-
pico de cores e brenca a 400 re., cobertores
brenco e curo a I9SOO, I96OO e 29, psnnot
finos pretoa de core a 29. 29400 a 39, cam-
braias para cortinadoa 29 a pega, dltaa lisas
29. 39, 4 e 59, tpeles muito finos a 69 a 79,
chapeos de seds e de eestor muito finos e do ul-
timo goato de Perla a 89 99. ditoa de feltro fi
no copa alte a 59, casemirespsre forro de cerro
a I9fi00, corles de dita muito fina para caigas e
49, pegaa da entrera.ioa a 19, e finalmente ma-
dtpoloe, Igodoe. brioa, bratanhea e outrai
muitaa faxendaa qae o dono do ettabelecimento
at reaolvldo vunorr muito brto *flm de
purar dinheiro, dandu-se aa competentes amoa-
traa com panhor
A 2500,so pavo.
Vendem-ae cortea de cambraia branca com 2 a
3 babadoa 29500, dito de tarltUn brancoe a
de corea, com barrea bebedo a 39: 01 ra
da Impera'r* o. 60, loja a armaxem do pavo da
Gama & ^ .ve.
"^kscariJhas de seda.
Venda-sai caacarrilha da seda para anfcltar
vestidoa a 29000 a pga na ra do Queimado
loja de miudezee, n. 35.
Meia de t>orrcha.
Venda- meiaa da borracha paraquaui padac
de eryipela a 159000 o par, meiaa de seda preta
para aenhora 1 1$000 o par oa ru do Queimad*
loj de roiudrzaa da Boe fa*ia. a. 35.
Perfumaras muito finas e
b ratas.
Opiata ingleza a 19500 ra, dita franeeza a 500
r.t 640, I9OOO, olo da aociedad byj;*r.iq,
verdadeiro 119C00 o frco, 0U0 baboaa de Pirar
verdadeiro a 800 ra. o frasco, igui be'iaamict
para oa dentea e I9OOO, dita da Botot tambetr
par os denle 1 IgOOO o frasco, pomada franee-
za ..1 poa a 500 ra. e 150(11), 320 rs. saboneta
maito fino a 640 rs., 800 rs. e 19000 cadt um nt
rus do Queimado loja de miudezaa d Boa fama,
n. 35.
Superior brirn braco de
linho
Vende-se superior brim brauco d linho trasi-
gado pelo baratiaaimo prego de I92OO, I944O e
19600 a vara, dito muito encorpado de doua floa
e de linho puro a SJ a vara : na ra do Queima-
do n. 22, na bem conhecida loja da boa f.
Selralos de D. LuizlS
el). Mafia Pia
$ Chegaram pelo paquete fian- $g
^ cez Guienne : na ra do Crcs- 1
^ pon. 2, loja de Nogueira de ^
^ Souza, junto ao arco de Santo ^
^ Antonio. &
J chegaram os remedios
do Dr. RaduayResolutivo
renovador, prompto alliviol
e pilula reguladoras,
No droguista Raymundo Carlos Leite!
Irmao. ra da Im^rtriz n. 12.
Eufeite* para sehora]
Oa melfcoreaenfelte preto e.de edre que p-
para* 5950v, 69 6J500 : na loj* da Victoria
o ra do Quaimado p. 75.
C as meninas trazerem
no hra^o.
Mallo lindes eaixinhas a cabezas para meninas
de 100 rea at 29500: na loja da Victoria, na raa
do Queimado n. 75.
1 fmm7m mmm***tof
1 brande
liquidado por todol
1 o pre?o, na loja do I
Serlanejo.
RA DO QUEIMADO N. -5
Apparecam con, dinheiro queno
deixaro de comprar.
Chitas escura, una, a 160, 180 a -00 5
rs cortes de vestido preto. borde".,. S
velludo de custo de 15(9
. 309, 409, 509 e 70S. B&ifttfff-
"h, '%T 123 ,39' c,mi"59 Mr Va.
- "ll W% ulllDbmbra l, r la*
de fil bordado 120 r., eaeaTeaes de
fusiao 59. 69 7, 'mena J ,d
I i""'..6 prel" MM anhora
?5J" ll,8S bordada a 500 *
^laaoa^earoedfestada .....
i O eovado. caabraia
i rs. vara
.1-
S
1;
* 70o
* 300 f 361- .
prela a 400 440
Tfnoj. a, ,or#t 6C
veti-aj, nju Tf.'o a^,e,,^, ,
in.do.. i~*m?se?grjg;
m, cortes t. olleta de caaemira br"
dadoa pretos 29 a 3snoo. ditos de
reliado de 3r preto "9, 49, 52 t f^
paletots de brim brenco frnc.z.a .
3*500 49500. ditos d. ..remira J.(0I
re. t pretos a 149 e 169. ditoa da alpaca
prata a de corea a 39, 3500, 49 4*500
Sel**!** d* iiLi, ^5u. ^ '
ue rllate de eonarae a 195OO 1-7imi
gaOO. 3|l, SS500.eoll.te. Ssdhd,'
29500, 39500 dtto. faito, d. cas,-
05500, 4J
Stl-f" *' d"0' (? f,ill0 d "ra *
lflOO, um variado ortirrepto de mei-a
flor. TfmX 'r""110"' Sol eom
Hora, cbalea da froco, espartilbo, e lo-
da a qulidade de roupa. feila par ho
m.m que lude., vand
seu valor.
F01 melad, do
&mvezmmim mas bs^
C, .es'rtf,
Em esas de N. O. Biabar &
! rus da Crui n. 4, Tendem- :
Franjas pretas com vi- "h. ^^^^^"ri.
driiho e sem elle.
Dita p.radeacarogar mllho.
: DiUa p.r. cortar carim.
Selin. com perlence 109 -JOJ.
Rico aortimantoa de fr.nj.a pretea e de ore ?**" 1* eU1 Pri"ip prteadaa.
>om vidritbo a aem elle : na loja da Victoria, na C*V" dSuecia.
ra do Queimado n. 75. Verniz de alcatre para n
iuhasr peso veraa-
deiras.
Linha fine da peso verdadeira, meada ^,rfca pequea?,
grande a 140 reta : n. loja da Victoria, na rea
do Queimado n. 75.
I Salsa parrha d primcir'qailidid* do P
j YinnC Xerai de 1836 err de 1
ICogu.c em caija.de 1 uuxl."*~ ,
i Ando o grade. ,
! ISrilhante
^hosphoros de seguran^
Pboapboroa da aeguran;., por que livr. do In-
cendio, a 160 rii a eaiz. : n. loj* da Victori,
.. ra do Qu.im.do n. 75.
Baeias para vestidos.
Baleia. maito randa, a boa. a 160 rila urna .
aa loja da Victoria, na ra do Qucioiado n. 75.
(EM
nova de Lisboa
O antigo deposito da ra do Brum n. f>
rem, acaba oe riebir 1 superior ca.*<
1B-
rrr.a-
L'sboa
Linba de croxel para a-
byrintho.
Aa malborea linha decroxel para labyrinthe,
oovelloa monstrosa 330reta um : na loja da Vic-
toria, na ra do Queimado d. 75.
da ni. i- iiun guu i,0 ,, uie,t.01jOf ohoR.-i,
destts das pelo btigua portugoez cCoosli&lea
qee se vende porpregoa muito eommodo.
Vende-so urta csa dt-talpa na Cebajca
a tratar na ru Imperial a. 237.
Fabrica de vel s
Vende-so urea fabrica de velas com 118 lorias
de frrase e ms^s pertenece, ludo em bo.r. uto t
bem acroditsde ; na ra da P^nh n. U.
Sintos doarados para se-
nhoras-
Lindoa aintoa douradoa pin aenbons a 2^-200.
dito de ponta cihida a 49, ditoa da fita a 19600
Livro das Dores.
Contendo o cfficio, modo de reear a croa, re-
tenerlo e tote aaoraro* para deprer^r s D>>-
res de Mara Saniiesin-a : veude- se a 3 r< ca
livrara .a praija .la ln epeodeacil n. C e 8.
o oj. d. vuioji,n. ru.doQuonnece o. 75. [ Boa tinta |ar ecn~\ er,
V.nde-ae a 640 rs. a garrafa : na livraria li.
Ricos espelhos de
moldura dourada par
sutes
e 8 d praga rt. Independencia:
Vende-se
Vende-se urna
p!(,J
dir quera a
__ .--------carroca com bei, ludo em bom
estaco a pessoa que quuer, dirija-se
Chafee pera a loja da Victoria urna peques* 'da lo'l'pendencia, n. 17, que e
porreo do ricoa espelhos da v.rios tamanbos par veDde- ________^__^^_
ernamentos de aalaa, efTun(.ndo-.e erem 011 ~ 7T TT1 _"
m.lbot*. am vidro que tem rindo : na leja da | ( I { t Tf Sfl i
Victoria, na ra do Quelm.do n. 75.
ar.
La para bord
La mnito boa de toda aa edra* uri bordar, a
79 a libra : na loja da Victoria, na ra. do (.ri-
mado n. 75.
A 2,400 rs. a tiuzia.
Longo branco fino para algibeira pelo dimi-
nuto prego da 1*400 r. a ftii : na bm conhe-
cida loja da boa f, na ra do Qurimado n. 21
Cambraias de cores
Vendem-. c.mbrai. froc*>z>a de cores fe-
xenda muito fin pelo barttisimo prego de 260
. 280 rs. o aovado : na loj. d. bo fe n ra do
Queimado n. 2t.
Para luto.
Pumo de sed elstico pere chep.os largo* e
eetreitoaa 19500 : n ru. do Queimado n. 22,
oa loj d bn f.
Lazinhas muito finas
par vestidos.
Supriore_lriohi para veatidea de multo
bonitos vdr6eqaa a. vendera pelo baratisaimo
prego de 440 ra. o eovado : na ru. do Quaima-
do r. SI. no loja d. bo. f.
Linhas do gaz,
Caixinb.a com 50 novelloa da liaba muito fl-
us do gas a 900 ria a crixa, ditas com 30 no-
.lloa a 700 ri, dita eom 10 novelloa grande
700 rt, brancaa pretaa : na loja da Victoria,
oa ra do Qaeimedr- n. 75.
defrente da Penha n. 33 vende manteiga iu,e-
za auperior a 800 ris, dita francei a 600, quei-
jos do ultimo vapor a 1J900, ditoa l700 e
i 15 r^h u0 a ^80. Cfllx,,s "o '" le toii.-
1 be 500, esprtatele superior a 720 ria. su-
RmLvt!''hZlpor!.0 a 80- dilJ dtlF B"*"1
640. 5b0 e 500, e todoa oa m&is oenetos boos
baratos.
Carroca.

Vende-se uma carroga nova bem coDttruida e
bem ferrad, e que serve para boi e eavalio por
ser sppirelhada pira uma e outra cousa : na ra
i da Concordia, tenda de ferreiro junto a um esta-
leiro de ciriintelro.
NA.
Luja do pavao.
Cambraia organdys a 280 rs.
Vende-ae cambraia organdy decorecom mo-
dernissimoa padres a 280 o aovarlo, e c:e>;
franceua muito finas a 240, 280 a 300 rs. o ao-
vado : s na loja do pavo, raa da Imperatrix
numero 60.
B"i (Ituu* ifavmto*.
Vendem gollinh de cambrai e de fil bor-
dadaa a 500 r., manguito a 19 o par, manguito
com r,olla hordrda d* cambrai* a lg600, e tira*
bordedas e ntremelos ; na ra da Imperatrix n.
60, loja do pavo.
Veudetu-se t&chas <^e
ferro cuado do fabricaiit;inais
acreditad:-: a& roa do Brum
d. 28 B, armazem de Jos da
Sitva Loyo &C.
Alpakiiia 280.
Vende- esta nova fazenda da linhe a imitagao
deedde quadrinho* miudinbo propria para
veatido de seohora, roupaa para meninos, sendo
faienda qua nao desbota, a 280 o eovado : oa ru
da Imperatrix n. 60. loja do pavo.
Libras steriiiiats
Vendem-ae no acriptorio de Manoel Ignacio
de Oliveira & Filho. largo ajo Coroo Santo n. 10.
h\nm k ii8
9a
Vende-se emcaia de N. O Bieber
C< succeitoreS) ra da Cruz, n. 4.
Russia
e mereana.
No e.criptorio do Manuel Ignacio d. Oliveira &
JFiiho, largo do Corpo Santo n. 19, por prego I proprioa: a oiar cus AfoKid'oiVruoDirita'nu-
' reala barato do que em outra qaalqeer parte. I mero 40.
Barato para acabar.
Na ra do Queimado n. 6 loja de Ma-
chadosi Santos.
Vende-aa Mecos de isgem de oleado muilo
bon pelo diminuto prego ue 39 cada um, cami-
a ui.lezae do linho para meniooa d. diilereote
idade, elles que o prago grada, caigas bor-
i dadas para me uno ou meninas a I9 o par e >u-
Iraa muita fazenda que le vena m muito bara-
to para liquidar.
Vende-ae pedra da cantarla rr.uito boa
por meno. do que em outra qu|iu r parleta
tratar na Poule Velha ou ru. o Mindego .45.
V. de-ie uoie caes na
com grande quinte! e alguoi
rus de S. Miguel,
arvoredo, chaos
Cartas finas para vollarete
A. loja d'aguia branca acaba de receber am boca
aorlimento de cariaa com Untas mui fin luatroao opaco, e caracteres de novo desenhos,
repreeeotsndo figuras o grande penonigena
daa guerra, da Itriia e oulroa. J ae v, poia,
que coic una baralbo aaaim booa e bonitos, tor-
oa-ae ainde meia deleitavel o entreter-se part.
d. noite no divertido voltarete, tendo sempre
espadilba, maoilba, baato, etc., etc.e pelo con
trario um pichoso, 10 qual os bolinhosea chava-
os do boto cha do dono da easa far eaquecer o
pouco qae perder. Os baralhoa de canto redon-
do e dourado cesiam 69 a duxia, oa immediaios
59, e outroa 4, 3g500 e 39. Tambem ha flna
para oa apaixooadoa da bisca, espadilha, etc.,
Chitas largas a 200 rs>.
Vendem s* chius lergaa a 200 ra. o eosado por
ter am pequeo toque d. mofo ; na rea da Im-
peratrix n. 60. loja do pavo.
Braiuante a 10$.
Vendem-aa oegaa da bremante de linha de
ama ao largara com 27 varas a 109 a pega, tam-
b.m i* vende 1|S pega coro 13 1 \i rara por 59 ;
a raa d Imperatrix o. 60, loja do pavo.
Carnauba
Vende-ae a mai n?erior cera de e.rn.ab. que
h. no morcado ; n* ru d* Imperatrix d. 60, loja
do pavo.
Carubr.ias lisas a 3$
Vendem-ae naga d* cambr.i. liaa maito fin.
com 8 1|2 v.r.a a 39 a pega : na rea da Impara-
vita de queno ha miiaacanaar-'se, o preleo- trix n. 60, loja da pvo.
dente dirigir-ie com dinheiro raa do Qaeima-
do, loja d'aguia branca n. 16, qua aera bem aer-
tido conforma e loovevel costume.
Aos Srs consumidores
degaz
Nos armazeoa do caes do Ramos ns. 18 a 36, a
na ra do Trapiche novo ( no Recite ) n. 8, ae
vende saz liquido americano primeira quslidade,
e recntenteme chegdo, a 159000 a lal de 5 ga-
ln., assim como lataa de 10 e de 5 gsrrafoe, e
em girrafa.
Chalis baratos.
Vendem-ae chalea de merino da corea sendo
maito grandea a 39 : na rea da Imperatrix n. 60,
loja do pavo.
Perlas falcas
*
ou aljfar de fina qualidade.
A loja da sgoia banca acaba de reefber um
novo sortimento de superior aljfar branco ou
j erlas falgas o qual por ana perieigao deffieil-
roento se distingue das pirlas verdadeiras e ser-
ven elles porsua extraordinaria grandeza para
os gargatilhas que presentemente esio em mo-
da emesmo paraoutos enfeites, e cerno sempre
vendem-secommodameniea 1, 192o0e 1500
ofio isso na ra do Quemado loja d'aguia branca
n. 16.
f^ra^os f
ag
.o
Paletota a 6$.
Vendem-ae peletola de panno preto fino e cor
de caf a 69 : na ra de Inp.ralrix n 60, loja do
pivo.
Chitas escuras a 240.
Vendem-ae chitaa franceua esuras a 240 o co-
rado I na roa da Imperatrix n. 60, loja do pavo.
Fugio do cngenlio Pereira da
fregurzia de JaboatSo no dia 12 do cor-
rete, um escravo de nome Paulo, re-
presenta 35 annos pouco mais ou me-
nos, baixo, cheio do corpo, preto, sup-
poe-se ter ido para esta cidade : quena
o aprehender leve o aoengenlio Perei-
ra ou nesta praca ao Sr. Francisco Pe-
reira dos Reis, que generosamente re-
compensara' : na ra das Cinco Fontas
n 72.___________________________
2001 de gratificado
a qaem pegar o pardo Francisco, de 17 annos
da idade, de bonits fi.ur. com todoa os dente:,
cab'llo caripinhos a ruivoa, eate pardo foi da
Sr. Dr. Bordes da Fonseca, o qur.l viajo, com
mesroo stphor todo o serlo a suburbios flesli
provincia, neess!*m*nte quando era seo e>*
cr.vo, talvax aipds ae inculque a servir;.- de
mesmo: queT. o pegar queira entrega lo a ti
legitimo dono na ra do Hospicio o. 6.
Ignacio Luix do Brito Tbrd.

MUTILADO
a.


Literatura
DIARIO M HIWAMICCO, fe SBBaDO 0 M SKUMB .0 DE ii6i.
-''n----------------------------------------------------,____________-______________________

romo proleilam contra primeira isi.rgo; det-
de ni fundaglo at boje elle tem recabido de
direreoe minitterioi de oppoataa renga politicaa
a meima coneider.gio, a meama .nimigao, e
sempte benevolencia.
Os tituioa de membro honorario e effedlro ao
procurados e solicitados ; oa primeiros, o proprio
Instituto tem aempre conservado em graode re-
serva como objecto de valor que aa deprecia pe-
1) abundancia.
O Initiluto acatado mesmo fora do imperio,
d'oode lbe tem viudo remeltidas por seas autores,
obras de escriplorea eairaogeiroa ; e no paii, as
Instituto dos adYogado*.
Breve discurso tido pelo teu presidente em a sai-
sao magna de 1 de setembro de 1S62.
Senhorea.Coniega hoja o 20" anno do novo
instituto.
Em vgual dia de 1843 foi elle ioEtallado ; a o
seu digno preaidenta de ento fez a leitura de
um discerao, que ae pode denominar monumen-
tal, em qua, eipondo a historia daordem dos ad-
vogadoe na antigaidade e entre as nacoes moder- SU" (lel90es ,0Dr qnestoes juridicas, ao ouvi-
nsa, e tambem entre nos, manifeatou quaea os I d?*_ atl flns da lnslltulgio, e conclua, lendo no futuro, i dlrelto lhe remellen> obres, e alguna ios-
com as segaioles momoraveia paladas : Itilut(>, 'u" reTst"- Poder-ee-hia diier que
, o fllho da Amrica Hadado da indolencia in-
Senhores, os antlgoa Egypcios tinham ama nacU ,0f do piil? >ma jniSo lorno(j
le que mandava proceder solemne investiga- ie um. ,.. ... .i... ,. ,
.:,,.hf0 a a- l crenga para alguna esputos auperflc aes.
gao sobre as acedes e caracteres dos cidadaos mor- a verdad m a
,,.-,.;,. Araaae, porm, e em contrario; o Americano
los perante jauea pira isao nomeados, afim de & cn.. a. _q.__... ... '
,._..... P*a aa meama actmdede que o Europeu.
Z! E V 8aa. mea SerU deTda 'icio di 5 Ltina. q.a ptr.
V; SM 0"8etT,50, Tog?-Ma. a historia da mundo br.d.r contra
sentavam deale severo e ultimo processo. | eraelhanle aiaergio.
i Qae cada um de nos, maus illaatres e cha- Poder-se-hia dizer. tambem, que a vida pura-
roa collegaa, ae conreo?, que, embora nao exiata mente Iliteraria no Brasil por ora impoaaivel,
entre na le que tal dispooha, comtudo a opinio que o miia precioso do lempo abaorvido em as
publica da poca em que vivemos, e o juizo da oceupagoes diarias, exigidas pelos cargos ou pelaa
poateridada, iofallivelmeote ha de processar-nos,
svaliar embalaoga imparcial e bem aterida, to-
dos os nossos actos, todos os nossos trabalhos,
nossa dedicarlo e^o pela estabilidade e gloria
do Instituto quesebamos de fundar.
Senhores, tenhamos aempre diante de nos,
de um lado o empenho ora contrahido com os
nossos concididaos que teem direito a esperar do
Instituto aacrificios e melhoramentos uteis, e de
outro lado a senteoca do aabio: Sed fagit intere,
fugit irreparabile tempus.
Grandioso foi, por certo, o pensamenlo daquel-
lea que, songregando-se, plantaram no paiz urna
instituic.o da maia inconteata?el utllidade, quer
em relago aos proprios membros della, quer em
relagao ao eatado.
profisses?Em parte seria vardadaira esta sup-
posigo. Mas, aesociagoes semalhaotes tem exis-
tido, e existem antigs ou de recente creacao ; to-
das se mantm com mais ou menos vida ; o pro-
prio Instituto tem porpes provado praticamen-
e que nao obsoletamente verdadeira aquella
conjeetura.
PoJer-ae-hia meamr. supporque nao ha bastan-
te e profunda cooaciencia do dever ?Mais isto,
alm de altamente offensivo, nao exacto na sua
generalidade.
Se nao fra a censura que particular e mesmo
publicamente se tem levantado contra a nossa
inatituicao, eu por certo nao me oceupra de tal
fado, nem abasarla da vossa paciencia, principal-
mente em o dia de hoje, que devera ser um dia
exclusivamente festivo. Mss por isso mesmo que
sal a"" r'.' T *d3d0S' di solemne par. o Instituto, aproveito
approxm.ndo-o, entre s :-elev.ra... ..lustra- o en.ejo, e vos digo a verdad., inda que dura
Slo, pela permuta do. pensamenlo, (rel.ve-se a paroca. A idlfferenca. que ludo mata, por vezes
xpressao). pela (orce productiva do espirito de ameaga a nos,a instiluigao; a Po,m de .1-
a3sotiarao ;-desenvolver o estado do direito e guns a vae maniendo.
i jurisprudencia, discutindo e decidindo sobre O nosso regiment interno prometteu-nos ums
pontos controversos ;Analmente coneorrar eom revista. Em 1843 comegaram a publicarse urnas
eus trabalhos para o melhoramento daa pro- Memorias do Instituto, que nao tiveram eegui-
pn leis, uscitaodo mesmo a sua r.forma pelos ment. No crrante anno de 1862 comegoa-.e a
meiv. *es :tal '" ^ mis.o que se lapo i pafelic ^20 da Revista.
litutp sua Creagao. s Frca anda como toda, aa publiescoes deste
e'genero em aeu. primeiros tempos, ella poder
_ maoter-se, desenvolver-se e elevar-se altura a
. | que tem direito o Instituto, sua fonle, ae fr ali-
mentada pela boa vontada dos socios.As revis-
O Instituto tem tido em su. vid. momentos j^Jj J^J^*? litn*U'
felizes um certo onibusiasmo por v.zes tem bri- s- ""P ""l"" *"J ; os ^r"i0' a
lhado; trabalhos app.recem en.ao ; e o interesse Z^Z'^ % t""""" ?***"
vonlade podsm conseguir melhor e maia abun-
Dezeoove anoos ji sao passados. E, cumpre
dizer-vos toda a verdade, se se instaurasse o jui-
zo da lei egypcia, elle nao poderia ser inteiramen-
'efavoravel.
pela sua prosperidade se manifesta.
Mai uto como u dciiriu du itDriciiaDit'. Vdui a
reaego, e apparece o abatimento.
Quaas, porm, as causas de taes phenomenosT
te colheita do que um granja nomero sem ella.
\'$ sabis de eatido era que se acha a noisa
legislagao ; nem neeesssro que eu vo la des-
creva.
Nao s o direito, mas tambem o processo of-
.1 J k contado, e anda cont. em .eu ferecem cada pssso d.vid.s de seria eravidade
seio, membro. que (nao fazendo injurias a qual- Sao outras tantas questes a es.I.re r t
qoer dosoutros) sao verdadeira. illustracoe, :- ,r0s tanto, beneficios aoa nossos c nc d.ao 0
se alguna do. socio, .ao de edade provecta, ou- ei.ud.-la. e decid la, com acert
tro. esto no vigor da edade ; se uns ae podem di
zer ainda noveiana pretica da jurisprudencia, ou-
V. sabis, tambem, das lacuna. que o dlrelto
offerece em pontos de primeira importancia. E,
,__._._ ., ,---------------K---""-o ('""jo'ia luifonancia. ns
SSSl "T rnUn0em Um ,0UdO ^ 8Uar meSm Seu P'echimeoto. cuando depeo-
fund.mento para odesenvolv.menloe prosperida- de de medida legislativa ou governativa, sao ou-
ce ao instituto. tr09 ,anlos sertos de primeira otem preilar>
Sera o Instituto pouco coosiderado. ou merece Sobretudo, senhores, ha urna materia de que
c'.'.e a aceitagao publica ? Todos os actos do go- i nos Prmeiros tempos se oceupou um dos nossos
FOLHETIM
POR
AMEDE ACIIARD.
(Continusgao do n. 215.)
XIV
Um passo para o tmulo.
Camilla, penetrando no pavilho, encontrou a
Sr.a de Chsteaufort desmatada junto do cadver
do Sr. u'A.sooville, que reconheceu logo pri-
meira vista. Ento comprahendeu claramente a
pergunta que lhe fizera Bella-Kosa ; mas sem se
dar ao trabalho de caleular o alcance dessa per-
guata, poz-se a bridar ata qua acudiram os cria-
dos, e ajudsram-na a transportar a duqueza para
o seu aposento.
Os acontecimentos motores daquella cata.tro-
he Se haviam succedido com tanta rapidez que
a Sr.a de Chtleiufoit nao pode resistir impe-
tuosidad delles. Ena mulher, forte e poderoaa,
que se moitr&vasobraocaira em toda e qualquer
circunstancia, pareca entilo abatida por um i
golpe. Multas horas se conaerv&ra como que fria
e inanimada, com os cabellos espargidos sobre os
hombros; a vida trabia-se somente pelas lagri-
mas que lhe cahiam urna urna de suas palpe-
Iras entce-sbertas, e pelo estremecimeniod e suas
fjees, onde se relecliam todas as angustias do
terror o desespero.
A duqueza de Chateanfort havia chegado ao
seu palacio em Paria pouco depois de meio dia:
mal Uvera tempo de mudar de trajo, e fez-se in-
mediatamente transportar n'uma aege de alugual
casa da rus Cassette. O Sr. d'Assonrille se apo-
sentara all na vespers, e naquelle mesmo dia. A
duqueza mandou-o procurar em sua caai: j ti-
nha sahido ; mas disseram ao portador que vol-
taria 4 tarde, e a Sr.* de Ghateaufort recommen-
dou um dos criados do caplto, que apenas alie
chegassa o pravinisse de qae ella o esperara na
ra Cassette.
Por infelicidade o Sr. d'Assonville, lendo pro-
curado a duquesa no aeu palacio pouco antes de
esta ebegar & Paris, e sabendo da resolugo que
ella tomara da prolongar a sua residencia do
campo adoptoa um partida immediatamente. Co-
nhecia o parque do caitello, e todas as sahidas
secretas a pasiagens que condnziam aos aposen-
tos da Sr.* de Chateanfort; e, bem convencido
pelo silencio della, qua estiva firmemente decidi-
da a evitar qualquer encontr com elle, quiz ten-
tar por si mesmo esse encontr ainda que tives-
se de perecer.
No momento, poi, em qua a Sr.* da Chateau-
fort entreva em Paris, o capito sahia da cidade.
Apenas avisloa Ecouen parou i espera qae anou-
tecesse, cao qaarendo apreientar-sa i grade do
csitel'o como rtceiode serimoedict.mentedes-
pedido*. Ao oscurecer approximou-se do muro do
parque, oceultou-se por dotraz da urna motas,
e qaando as sombras da noata tornaram-sa es-
petan, dirigia-so para a porta eaareta at onde
m lempos mais ditosos acompaohavsm-no Un-
tas vezes es ligeiros pi de urna mulher. Achou
a porta aberta, peoetrou no parque, em que o
guiava cem certeza a sua memoria.
Ma o Sr. de Villebraia, que aodava em procu-
ra de Bella-Rosa, vendo um homem approxi-
mar-se pela avenida que conduzia ao caatello,
lane,ou-se sobre esse homem, suppondo ser o seu
rival: Defende-te, miseravel I exclamou
elle.
Anda o Sr. d'Aaaonville nao tinha tido tempo
de puxar a eapada, e achavt-se j farido oa gar-
ganta. Eofraquecido pela recente ferda, nao pOde
oppOr longa resu-tencis ao aeu adversario, e ca-
hiu uo momento em que Bella-Rosa corra em
aeu aoccorro.
Emquanto estaa cousas se passavam no caslel-
10, a Sr.a de Chateaufort, dominada por febril
impaciencia, eaperava na caaa da ra Cassette.
As horas voavaro, a o Sr. de Assonville nao ap-
parecia. Por volta de meia noute, contndoos
minutos assustida, tornou a mandar casa do
capito. Responderam que o laciio do Sr. d'As-
sonville voltra s, tendo deixado seu amo na
etttada de Saint-Denis. A Sr. de Chateaufort
nao disse maia urna palavra ; e pelo seu olhsr
Camilla comprehendeu as angustias por qae pas-
sava aquella alma temeraria.
Alguna minutos depois subiam ambas car-
ruagem, que desiilou toda a pressa pela estra-
da de Ecouen.
O leitor aabo como se deu o encontr, e qual
foi o aeu reiullado.
Bella-Rosa em lula contra a loucura e deses-
pero, que delle se queriam apossar, vagou a as-
mo at pela manha. O Sr. d'Assonville havia
suscumbidoe aquella, a quem elle amava, era
tambem aua amante 1 Assim pola aecusava-se da
morte do capito como de um rime que bouves-
se commttiio. e os remreos peoetravam lhe na
alma de envolta com a dor.
A fresca brisa da manha acalmou a agitigo
do soldado : lancou elle um olhar mais tranquil-
lo sobre a sua vida ; restava-lhe um dever a
cumprir, a voz da honra elevou-ae no meio dos
tumultos do pensamenlo, e foi attendida.
Bella-Rosa diste um ultimo adeus ao corpo
inanimado do seu protector, etereveu um bilhete
que dirigiu Sr.1 de Chateaufort, outroa doua pa-
ra Claudina e Cornelio, ioformando-os sucinta-
mente da sua partida, e resolugo em que catara
da ir apreseoUr-se ao Sr. de Nmcraie.aellou um
cavallo comsuaa propriaa maos, e sabia i galope
pela grade do parque.
A duqueza tornava a si apenas do seu longo
de.maio, quando ouviu rodar a grade obre os
seus gonzos, e soarem as podras os caacoa do
cavallo. Erguei-se de um salto, chegoa saca-
da ; urna navem de p se elevara na estrada ;
um cavalleiro dasspparecia envolvido por easa
nuvem ; mas dos labios e coraco de Genoveva
um nomo partia.
De repente voltava-sa para Camilla com o
olbar abrazado: eslava sublime de susto a de
amor I
O Sr. da Verval I exclamou. Qua veaha...
quero faliar-iheimmediatamente!
E com o gesto imperioso moslrsva S sua criada
a porta da cmara, que naquelle momento se
abriu, a um lacsio appareceu no limiar com urna
aarta na mao.
A Sr.* da ChiUaufort tomn a caita, cahin-
mala llluatrea consocios, a de qae o proprio Ina-! eavslleiros avaetar.iros, a sua nobra a firme r<-
titato tambem aa tem ocopado por vezas, a qual aolugo qaando vio a ambarear-se. o quadro em
merec, um atado mal. regular, mal. vto. qae repreeent. o. parantes a .migos correado
Quero fallar daa leis sobre a escravid&o no; contrstalo, a rar o embarque daqnelles, qae
B"!"- MJ inlgavam deveram ser victinea do herosmo a do
K aabido quequasl nenhumae temos proprias amor da patria, o ao ve-loa pela ultima vez as
que regulem etss dase, infelizmente nao poaco ezclamages contra a expedigao, flaalmeoU toda
numerosa da nossa sociedade. A ezcepgo do essi represeotigo de partida aim urna origina-
dreito criminal e do proceiso respectivo, s.bi- lidada e inv.ngo que nada deizar a desejar
do que legiakcao moderna do imperio quaai E' digno da se observar como todas as discrip-
nao tem della enredo. S5aa da aceas nuticas, e das Ierras que deaco-
Um projedo ltimamente rotado no senado brimos, soeitssno s com aquelie graode en-
brasileiro, embora defeituoea a incompleto, alo
. -------a"**", >--i h er uoiiao, mas com urna
da nao le do estado ; e no amianto ha ahi al- natnralidade como quem tinha feito longas via-
guma idea humanitaria.
Esta mesma legislagao criminal relativa aoa es-
cravos digna de emenda, ji em ratao daa pe
nalidades a classiflcigo doa deudos, ji em rezao cimento'.
da forma do processo.A morte e os s;outes per-
seguam o eeersvo.-Os reenrsos lhe sao denega-
dos.Parece antes um ante execrando langado
fora das leis dos homens, do que ama creatura
humana que tenha o direito de defender-se ple-
namente, e de ser punido { quando criminoso ;
com pena proporcional ao delicio a nao infa-
mante.
A legialagio civil, quinto aos eicravos, fludaa
no vago e indefinido.
De modo que, alguns etpiritos fortet, apezar de
viyerem no aecnlo XIX e de profeaaarem a reli-
gode Christo, nao querem ver no escravo sa-
nio urna cousa, exactamente como um animal,
ou outra semelhante ; pretendem applicar-lhe,
conaeguintemenie a thaoria geral da propriedade
em todo o aeu rigor, sem ae lembrarem de que o
escravo nio cousa pela natureza, e apenaa re-
putado tal por urna ficeo de direito, que ssne-
conou o fado revultanle da aujelgao do homem
ao dominio de outro homem I
Eatudaressa materia, tizar a sua theoria aeom-
modada ao eatado actual da aociedade no scalo
em que vivemos, aos nossos costnmes o ndole,
temperando o rigor do direito eom a equidade
(juatiga para o escravo ) e eom o balaamo da
verdadeira e saphilosophia do.christiaoismo, por
certo tarefa digna do Inatitnto.
E, em quanto a. circumatancia. do paiz nao
permitiera aaboligocompleta da eseravido, se-
ria tambem digno delle, estudar os meios e pro-
videncias para melhorar o estado, a aua sorte,
preparar os escravos para o gozo da libardada,
dispr a aboligo gradual ; at qua em poca
iproprlada possa ter 1 a extinego absoluta
dease cancro, iniroduzao pela cubiga, e que noi
corroe a sociedade e a propria industria.
Poaaam, Ilustres collegas, estas mal aliaba va-
dsa phrases despertar em tados ni aquello ardor
pela nossa baila Inatituigo que em diveraaa eraa
se temj manifestado ; possam os meus votos ser
preenchidos coocorrendo cada um e todos nos
com o msior contlngootu que poder, em b.m nao
6 do aperfeigoamento moral e iotellectual da
nossa ordem, ma. tambem do eatudo da jurispru-
dencia e do melhoramento da legialago 1
Teremos cumprido um dever, e na satisfago
intima de nos mesmos acharemos a recompensa
de o haver feito. E a patria, qua tem direito de
exigir de seus filhos a msior somma de serviros,
agradecida elevar o novo Instituto i altura que conde de Jarumenba.
lhe compete : a gloria de o haver merecido ser
o stu brazo, que refledir tambem em cada um
dos seus membros.
A. M. Perdig.vo Malheiro.
genho deque o poeta era dotado, maa com urna
geos do mar, a viaitsdo aquellos remotos pases.
V tambem admiravel a destripgao de Neptuno.
E' nova, muito agradavel e de no grande mere-
Mas em nenhum lugar o poeta deixou correr a
sua pbaotisia com mala calor e mimo, como na
beliissima flejao,ornada e tratada com todas as
galas da poesa, da ilha a quo Veous conduz, e
dlipea recebar os seas protegidos dascobrldo-
res da Iodia, para all deacangarem e dar-Ibes o
premio de terem fioalisado a sua gloriosa em-
presa.
E como bem deseohado o excelleate carcter
de Daarte Pacheco I Como justa a censura da
ingrato qae elle dirige ao re, por deixar msrrer
wmalhante hroe n'um hospital 1
Emfim, todo, os quadros que Camdes nos
aprsenla na sua vaata galera, sao daaenhadoa
com aquellos tragos rasgados e vigorosos em que
sobresihem os grandes pintores.
Uo poema inspirado por um patriotismo que
embriaga de enthaiiaamo, escripto com tanta
elegincia e simpllcidade da diegao, cheio de tan-
tos incidentes notavei,, j pela Invengo, j pala
frtil variedadede deicripges, ou pela sublimi-
dade doa peniamentos, elevago dos senlimenlos
e graga daa expressoes, d sem duvida ao asa au-
tor todos ot dir-Uos para ser contado entre o nu-
mero dos primeiros poeta, pico,.
A Bpopeic de Luiz de Cames, a eompostgao
que mais o distingue ; todava o seu abastado e
deiieado engenho cultivou-ae em todoa os gene-
ro, depoe.ia usados naquelle tempo ; tanto que,
Pode dizer-ee, para ter conhecimenlo da poesa
no seeulo XVI, basta conhecer as suas obras.
Nunca as musas for,m agazalhadas com mais
elegante nem maie magnifica hospedsgem ; talvaz
po.,^e, como disse um nosso distindo orador que
do alto da tribuna agita a seu sabor todaa aa psi-
lae populares : O genio domina com o seu po-
der creador todas as formoiuraads natureza, to-
dos os feitos dos homens. O seu imperio termi-
na com o de Deas ; mas estas vistis poiaesses
quaai sao esteris, se a intetligencfa intrte nao
aceodida palo .entimento de nacionalidade.
Pouco temos d iqui dito do csracter, proee-
dimentu e auccessoa da vida do famoso pico ;
por itso vamos agora, em leves tragos, relatar o
que de mais ioteressaole consta a tal reapeito ;
que ludo fomos buscar ao Ensaio Biographico,
trabalho apurado, e de grande eatsiduo estado,
que precede a nova edirrio daa obras de Luiz de
Camoes pelo nosso distindo escriptor o Sr. vis
Sala das sessoes, 7 de setembro de 1862.
( Do Correio Mercantil, do Rio )
Luiz de Cames e o dia 28
de 1862.
ii
{Continita(o.)
A solemoiJade dos preparos espiritases
V jtinho
dos
do sobre o sof, acenou ao lacaio para que ae re-
tlrasse.
Tenho medo I disse ella.
Seus labios empallideceram ; sus vista pertur-
bou-se.
Oh I senhora I Estou-a desconhecendo 1 ex-
clamou Camilla.
E nem me podes comprehender, respondeu
a pobre amante ; porque nao amas.
A duqueza abriu a carta ; mais tinha os olhot
cheios de lagrmaa ; nao poda 1er:
Toma, l, ditte ella i Camilla. Oh E' pa-
ra enlouquecer 1
E cobriodo o rodo com as mos prestou at-
tengo.
Camilla tomou a carta, que era concebida nos
seguintes termos :
a Senhors.
< V. Exc. roubou-me o direito de viager o Sr.
de Assonville ;recommendo-lhe porm os seus
restos morlaee. Ao menos d ao corpo de meu
pobre amigo o repouso que recusou-lhe ao cora-
gao. O Sr.de Assonville me encarregou de urna
miaaao sagrada. Se algum dia encootrar-me com
V. Exc. ser para cumprir essa mlasio, e cum-
pri-la-hei todo o transe : o que elle quiz, eu
tambem quererei. raga, senhora, de modo que
me nao veja torgado i odia-la.
Bella-Rosa .
A Sra.de Chateaufort cabiu pira traz -- palu-
da e inanimada : j nao tinha mais voz para
laalimsr-se, j nao tinha mais lagrimas para cho-
rar. Ardente febre adevorava-a.
Entretanto Bella-Rosa deizando ficar o cavallo
na primeira muda, tomou um outro da aluguel ;
e, apreasando a viagem, chegoa no dia seguate i
Cambrai, onde ae achava ento o regiment do
Sr. de Nanceis.
O capito trabalbava na ana .aleta, quando
Bella-Koaa apreaentou-ae no corpo da guarda :
ao aom da voz do aarganto elle ergueu-.e de um
salto o foi em pessoa abrir a porta, que fecbou
violentamente depoia que Bella-Rosa entrn.
Co'os diaboa 1 chegas quando menos te es-
perava 1 exclamou o Sr. de Nancrais. Suppu-
nbas que ji eslava paaaando o tempo de ser en-
forcado 1
Julgaem-me como quizer, Sr. visconde :
nio foi porm isso que aqu me trouxe.
Pola isso smente que te ha de aqui re-
ter. Se nao te lembraa do chairo da plvora,
senil lo-has agora de to parto, que nanea mais
ters desejo de esquece-lo.
Permltta-me V. S. qua Iba observe qae a
cousa nao est (eita ainda...
Mas como se estivesie. Tiveste o cuida-
do de arraoja-la de maneira que nao rada a mo-
nor duvida. Vao-te para o diabo Applicas
nma estocada no teu tenante, e depoi. deaertas.
Metade era bastante para fusiisr-se um homem 1
Porque nio fiesste l por onde andavas T
JS eu flquei maia do que davia:
Antes Qcisses por nma vea 1 Ai lea da ser
um homem de bem veiu-te mullo tarde ao pan-
samento, meu bregeiro.
Capito I
Era o qua faltaraa 1... Podes zangar-te ago-
ra comlgo....
Venho entregaran, aaobor; nio lato bas-
tante ?
Pois nao I quo duvida I muito bulan-
Exerceu o poeta o emprego de provedor cerca
de doua annos, sendo depoii preso por intrigai
que lhe tramaram os seus falaos amigos. Vol-
tando de Macan para vir responder a aecusa-
<5ai que lbe faziaro, a nu em que vinha em-
barcado nanfragou na costa de Camboja na Co-
ebinebina.
Nsste naufragio pardeu a fortuna que tinha
adquirido ; e aisim que chegou a Coa, foi logo
recolhido a urna prisSo, e nos principios d 1558,
om a chegada do novo vice-rel D. Constantiu*
da BrgijS, irmao do duque D. Theodoito, aen-
doprovadaa iojuatta aa accusagSes que lbe fize-
ram, foi poeto em liberdade.
Porm em eetembro dosle anno achava-se o
lo... Mas eu sempre ta digo que se nao tinhas
geito para o officio de aoldado, devaa ficar sen-
do desertor toda a la vida. Que diabo querea
que diga agora ao Sr. de Assonville, meu irmo,
depoia que teestrsngularem a eabegs ?
Aonome doSr. de Assonville Bella-Rosa com-
primiu um suspiro.
Ah I suspiras I replicn o Sr. de Nancraia
que paiseiava de um lado ao outro da aaleta oc-
cultando sob a sua colera apparente o interesse
que tinha por Bella-Rosa. O Sr. de Villebraia,
que, aegundo dizem deixaite ficar bam enainado,
pasiimo homem, nao ha dovida ; maa emGm
teu official... Ainda ae te delxasses massacrar por
ah eu teria lavado ae maos.
Sr. visconde, ditse Bella-Rosa procurando
dar firmes, i sua voz alterada, ser o que Deus
quizer I Permitta-me porm mudar de conver-
sago. Tenho outros deveres a preencher.
Outrcs deveres I Eits lonco 1 O dever que
agora tena recolher-te prisao.
D'aqu i pouco ; mas antes tenha a bonda-
de de dizer-mese nio receben urna carta do Sr.
de Assonville para mim ?
Ah 1 sim, tinha-me esquecido : aqui eat
ella. Se meu irmio lembrou-se de encarregar-
te de alguma commitsio, perdea o seu tempo !
Mas psrece-meque deve agora eatar em Paris...
Viate-o ? Como paasa elle 1
A' esta pergunta Bella-Rosa tornou-se paludo.
Ento, noouvea? tornou o Sr. de Nancraia.
Est bem... Se nio queres fallar ; continuou per-
cenando a hesitago do soldado, guarda o tea se-
gredo. Meu irmio o homem mais myaterioao
do mundo qua conheco : anda sempre s voltas
com certos negocios obscuros que nio posso com-
prehender. Se os teus sao eguslmenta assim,
bem se podem ajuotar.
Ai de mim 1 exclamou Bella-Ross triste-
mente. Acabsram-,e neste mando os negocios
do Sr. de Assonville I
O Sr. de Nincrais paron subitsmente.
O que ests dizendo 1 exclamou elle.
O Sr. de Assonville a modo.
Modo I
E o capitio apolou-se i chamin : aa peroaa
trema mi ha.
Bella-Rosa contou clrcumatandadamente o ira -
gico aconteclmento de que fdra testemunhe,
omittlndo todavia aa particulari ladea qua lhe di-
zlam reapeito, assim como Sra. de Chateaufort.
O Sr. de Nancrais ouvia-o com o pescogo es-
tendido para disnte, os olhos ios nos delle. Ca-
da paiavra daquella fnebre narragio despedsga-
va-lhe o coragio : mas latava eom todas as Cor-
gas contra a emogio que se apoderava de sua
pessos.
Sltn ; disse afloal depois que Bella-Rosa se
salou, assim dovia aar!... Meu irmio ara bom,
bravo, franao a leal ; o outro um miseravel
carregado de dividas a da vicios: smbos se en-
contrara m com a espada na mi.... e mea irmio
morreu 1 Asiim vae o mundo I O infama trinm-
phs.snccnmbe o homem de bem I.... Pobre Gss-
(iol At onda niochegarial.... Mas amava..'..
urna mulher ea ioterpoz entro elle a o baatio de
marechil.... o cata mulher f-lo tropezar em
eu caminho .... Oh I Dena a maldigo, essa infa-
ma creanrta I
, E o S. de Nancrais mais lvido que n cada-
poeta outra vez preso, dizem nns qae por cortas
tfavessuras que fizera, outros que ainda por ca-
lumnias qae lhe levantaran, cosa reapeito do que etercra, de proredor-mr dos difuntos
na India. Mas como D. Francisco Cotitibo, con-
de de Redondo, chegra este mesmo anno a Ga
para substituir o lagar de viee-rei, pdJe ella ob-
ter do conde, a quem j anteriormente tinha ei-
cripto urna carta queiaaulote das iojustigas de
que era victima, a sus soltura.
Prestes a sahir da prisao, embargara-o um li-
dalgo. por nome Miguel Rodrigues Coutioho de
alcunha o Fios Seceos, por urna certa quaotia
qua lhe havia ernpreetado. Dirigiu por iaio ao
vice-rel um memorial em esiyio jocoso, no qual
ridiculartsava o ;seu perseguidor e pedia ao con-
de, quaeitava para ir aaaentar pazea com o Ca-
morim, que antea de ambarcar o mandaste dea-
embargar, com a teogio de o acompanhar oa ex-
pedigao, como, aegundo parece, o conde (he ha-
via promettido.
Desembaragado do captiveiro, atompauhou o
vice-rei na apparatosa armada com que foi a
Calecut atsenttr posas com o Cimorim. Reatl-
luida e paz, voltou eom o vice-ret, qae ae fez de
vela para Cochim para deipachar a carga das
nua a eecrever para e raido.
Em 1564 terminou aezistencia do vice-rei, que
o poetajnuito estima, e a quem davia sioceraa
obriguces. Eita morte, juntamente com outroa
deagostos porque o poeta pasaou, davia causar-
Ihe urna impreasio dolorosa e aggravar a sua m
situagio, privando o dos recursos e protergo
que lhe poda preatar o valimeoto daqudle per -
onagem.
De notavei nada mais ha a dizer sobre o resto
do lempo que Luiz de Csmes se demorou na
India : consta, com ludo, que pous.as foram a,
expedigoas militares em que elle nao tornease
psrte.
Urna tradiego constante, ajudada de bom fun-
damento, d o poeta residiodo algum.tempo em
Malaca e naa Molueaa ; porm, no que ae nio
pode concordar na pocba qae designan) os
OifTerentea biographoi, .que est em dasaccordo
cora toda a chronologia da vida do poeta.
Em s-tembro deste anno (1564) chegou o novo
vice-rei, D. Anto de Noronha, acompanhado de
D. Diogo de Menezes, o primeiro martyr da li-
berdade portugueza, qua annos depoia, sendo
governador de Gaseaos, Felippe II mando, de-
golar por lhe resiitir, aeguindo o partido do prior
do Crato. Achava-se apparelhada urna nu e
prestes para fazer a viagem do Japao, em que
baria de ir Simao de Mendooga, e pretenda tsm-
bem embarcar sa I) Leoniz Pereira para ir en-
trar na capitana da Malaca, para que estava pr-
vido.
D. Diogo, porm, eatava prvido em primeiro
lugar com esta capitana ; por isso o vice-rei D.
Anto de Noronba apenas chegou o despachou
logo para ir na dita nu, e com elle, ou por iola-
reisespartitulare oa por ter de obedecer s or-
dens militares, foi obrigado a ir o nono poeta,
e de l ae pasaou s M -lucas, e tslvez ao Japo,
sitios donde dea tracer o nu Jau, que to po-
ticamente figura como seu comptnheiro e amigo
fiel na adversidad e na misara.
Regressiodo a Ga em 1567, o vice-rei, que
lhe era affeigoad), lhe fez um bom acolhimeoto,
e jusliga ao, seus grante, e aturado, servigo, ;
poiso agraciou com a sobrevivencia da Feitoria
de Chaul, lugar de repreeentago, e tm que elle
poda recuperara ortuaa quettoha perdido.
No entretanto as saudades da patria nao o a -
baodonavam um momento aequer ; a resigna-
gao j lhe fattava para supportar o aeu longo
eziiio.
De dia para dia se lhe augmentaba o lesejo de
votu a patria. Offereceu-se-lhe urna occaaio de
se ir approximando a ella e immediatamsnte a
proveitou. Embarcou-se pira Mogimbique, e
durant i o invern que ali e demorou, erapre-
gou-.e em rever e aperfeigoar oa sees Lutiadai.
nico thesouro que tra.ia da India para apra.en-
tar a el-rei D. Sebaatio.
Partia de Ga a armada para o reino em aetam-
brode 1869 e nella vinha o vice-rei D. Anto de
Noronha, que falleceu aot*. de chegara Mogam-
bique. Vinhim com elle varios tidalgos e neste
numero Heitor da Silveira o Drago, e o celebre
historiador da Iodia Diogo do Couto, amboi iati-
mo. amigos do poeta, a quem foram encontrar,
indo de arribada a Mogambique, to pobre qua
corpia de amigo, dando-lhe edes o que elle ca-
reca para vir para o reino ; porem, segundo di-
zem, Pedro Barreto o embargara por duzeolu.
cruiadoa que cora elle havia gastado com a pas-
sagam de Gda ; ma, oa fldalgo, que ali vinham,
se tlotaram e psgaram aquella quaotia, de ma-
neira, exclama loria e Souza, que a posso de
Luiz deCamots ea gloria de Pedro Brrelo, to-
ram vendidas por dazantos crusadoi.
A armada fez-se de vela para o reino no mez
de novembro e nella se embarcou, poeto, apro-
ver ergueu ambas as mos para o cu com am
gesto asiustador de odio e de furor.
Bella-Rosa eatremeeen.
Ella ha de viver ni grandeza e oa alegra,
proseguiu o capito percorrendo a sala largos
passos, e elle .... elle est morto I Por ventura o
soldado deve amar ? Qem ignora que as mulhe-
res sao para nos como arbustos espiohosoa que
noa despedagam a, carne, 1 Todo o tangue fu-
giu-lhe da, vea, gota gota I .... Ma, e*se mal-
dito Villebrais devia t-lo atacado pela retaguar-
da : Gasto tinha o brago firme e o corago for-
te : elle, s, teria morto dez como esse bandi-
do 1 Oh I se ainda vivetse !... Havia de arran-
car lhed'alma at a ultima recordago de se-
melhante amor, ainda que devesse tuecumbir I
Porm est morto ... morto o meu pobre irmo I
Nao abe, ? Eu era aapero e aevero para com el-
le, colrico e intoleravel: maa amava-o como
um pae pode amar aeu lilho.
Vencido deita vez pela dr, o capito cahiu
sobro nma cadeira, e oceultou a cabeg sobre aa
mios. Chorava. Bella-Roaa aproximou-se sem
fallar e segurou-lhe na mao. Ella correspondeu
eise movmento com um aperto, e ambos com
o dedot ontrelagadoa flearam mudos por alguna
momentos.
Sbito o Sr. de Nancrais levanlou-se.
Basta de lagrimas! disse ella pastando s-
peramente a mo sobre as palpebras hmida,.
Mil solugos nao lhe restlluiriam urna hora do
vida I Tratemoa de ti. Por ora que aqui se achsm
presentes em face um do outro o irmo do Sr.
d'Assonville e Bella-Rosa, vou dizor-te franca-
mente o que pens. E", um soldado bravo e hon-
rado ; o Sr. de Villebraia um official miaeravel
que poise mala orgulho do-que eoragem. Fe-
ritte-o e flzette multo bem ; outro qualquer que
tivesse brio, como tu, faria a mesms coma. Ti-
nhas o direito e a juatiga do teu lido. Kotretanto
sers fusilado : a disciplina o quer, a bem sabes
que devemos obedecer disciplins. Poder-se-
hia fazer de ti alguma cousa... E' horrivel na
verdade I D-me e la mi; porque amanhaa,
quando nos encontrrteos, ,erai o capiio, e tu 0
desertor. Agora recolhe-te prisao.
O Sr. de Nancrais sgitou urna eampaioha : La
Deroute eppareceu. O capito trocou um ultimo
olhar com Bella-Roaa, o formalisou-ae para logo.
J nao era o amigoora o official.
Cabo de esquadra, disse elle i La Deroute
com voz breve, eis-aqui o desertor Bella-Ross :
oocarregue-se de conduzi-lo priio ; e volte
para receber as miohas ordena para a coovosa-
gio do conselho de guerra. Obedega.
La Deroute levoo a mi ao bonete e aahia.
Apenca pats.ram o limiar da porta o cabo da
eaqa.dra saltou ao peacogo do sargento.
Por vida minha I disse elle. Foi urna pessi-
ma idea easa que teve, Sr. sargento. Ma pacien-
cia, ainda nao est tado perdido.,.
Mas ha de ficar d'aqui tres ou quatro
diss.
Viole e quatro horas badam para a azeen-
gao da nm projecto.
O que quer isto dizor *
Nada ; eu ci me entendo... Nio proprio
o eoaajo para conversares. Vou primeiro ac-
eommodi-lo n'um lugar quo nao do muito f-
cil ingresso.
A prisao T
nfivJo i..r-?po rever em
iaouTno ftX^VJU'SfL "
..do pae. ..ni;.o.^irg.B,^rt?iJ; ^
tav.-lhe apena, ums velha decrepita ,.' h'
5ar e lhe au.vls.r os infortunio.) .ata lih. -r."
sua maa que parece lhe sobrerir.r. p. V"
SX?" ^ Ulti,D9, mme0t0' W"t
. aS! *c rl.d*^57 "C0f"8 bahia deCaacaea
.f S"nla ilara. n's rica qee"hf
do LnllV-'r-" d' Id'r' PS ,r"U /.
a L de ^"0" D0 d0 Colo. E o. ra-
dado, o poeta de Veouz. f.zia vuo, ouVall?,
na.io que lev.v. Virgilio a Alhena. &L>2 .!l
ramelo, nao deviam os Portng.ezesV.zT-fo. mi"
nos ardente,. p.r, nu Vn "?r?ehe
tarjsx por,.!., **'t-?'i&
proprio que o peblieou ; ou ae 0 rende, .lm
ed tor, o que ao certo .. sabe que .. T.
animo.aadarem muito oecup.L.'.a' J.los .
gocioa o paiz j pela, cal.mid.de, do ano o
poema foi aceito com o rais vivo enthusia.mo' l
tao vidamente procurado aue n. *
se public.r.m dea. .di".,'. *" U ae,ao n'
Os BOU contemporneo. coroaram-Bo eom n
titulo da Principe dos poetas nilT
eSo.z, que elle foi toCm?rado e re^.U.do
que quando app.recia em publico ni I!
sera tirar o. olho, della at da^arS. Jd<"
Meiquioho premio foi aera duvida psr, au9r-
tao grande brado deu aos Ilustra. f,Hoa da JeoS
portugueza E diz Manoel de Fari, SoaVau
o pofi dina que havia de pedir a el-ri
que rocaaso o. quinze mil ris por outros tan ?
ment ,?7 ff1"*!?" Pr a"" co"" o p.gT
Su J ?' Prm' p,r,c* *r ozageraro dsA
qoll!gaeeoSecrr:'riPo0r(,aed" ""-* teng.'.a
uJi^ri* Jal* norente al fllll" o "es
orori. Vn?,0"'e0m eI'8 C0Dfe", P*'N
haduzidra^p0 ;9Ste teD,urou delle n0 "
s^\. .Pa'"0,penUtnciae depois de te-
r"poPndouT 6 la S,-1" P0m. o V
artL!8nnhor' q,anl e" os r". acnava-me as
,":nl9. florecido da. dama,, e tinha2
necessano. a agora me falta ludo, que ahi est d
me- Aolonlo. pedindo-me qu.tro'm"."edil cr
carreo e nao tenho para lh'os dar. P
Oa annos Que corraram ita a^"'. ^ <--n
ass, calamSosoa. ^tASUSSS.
"g01"nlar 3 inod.nio. do poeta! m", "e^a
o.casiao nem o lagar nos permiti dar Si,
do,... calamidades que for.m horriroi. rsojo
A.wl 10 de.Junh0 de 380. foi quaado o Poe-
d. ed.de XIVT"'- ">3 56 annos
dii^ni',^'10 de amor PrquHa ae. outr'ora
dUosa pttrxa, como ae v das palavras ae te oi -
contram na carta que ello escroven pouS auta.
da aua morte a D. Francisco de Almeid.
fui?*,.SL!!b,Jw ? !ids 8 wrlo todos 7ue
cont.nt.i l d ai,nhanp,t'i* "ue "os me
conteniere, em morrer nella. ma. com ella
.5ori.".:,t.d.Wre" "o de axtroma
mi.ena em que luttarta nos ltimos dial da ridV
entregue adver.idade e fome. '
r. i J' M^Ml Ventura.
(Continuar-.e-h.j._ {fyp. de Setembro.)
ERRATi.
Por equivoco typographico deu-se no
numero de iiontem o seguinte erro de
epigrapbe : No alto da primeira co-
lumna dcsta mesma pagina, onde se e
--Us religiosos que renunciara as or-
dens sacras podem casar ? lea-se O
que vai pelo mundo.
Ju.tamente. Depois volto a ter com o capi-
to e se obtiver o commando da guarda. Acar-i
muito satisfeito.
Pega-lhe em raen nome, qua elle conten-
HaTAe)
Estava penaando niato me,mo. Caminhe-
mo, mals depr.a... Teremos muito tempo de
conversar.
No r.m de cinco minuto. porta da prisao aa
abriu para dar eolrsda Bella-Rosa. Era urna
aal.nha baixa contigua a0 quartel dos artilheiroa.
A, janella, erara guarnecidaa de groa,., barras
de ferro. Urna dallas deitava para o caminho. on
de se vis um soldado passeiando com o mosqu;
ao hombro.
Bella-Rosa ,orriu se.
Ora eis-aqui urna residencia muito commo-
da, donde te se para entrar na eternidade.
Quemsbae! murmurou La Deroute.
O prisioneiro Qtou nella os olhos; no momen-
to em que ia fallar-lhe o cabo de esquadra o da-
teve.

Caludal Temos por aqui muitos ouvidos
alerta, disse de,igoando a porta em que sa achs-
vam grupados tres ou quatro sollados, escance
que eu vou e volto j.
La Deroute apertou a mo do seu esmarada e
p.rtiu. Bell.-Ros. ouviu correrem-.e o. ferro-
Ihos, e soar naa pedras da calgada o coeee da ar-
ma de urna seotinella. As palavras do cabo de
esquadra occupavam-lhe o pensamenlo: aeotou-
ae beira de urna peasima cama, e deizou pen-
der a cabega naa mos.
E' uma esperanga via pensou elle. E
demaia para que eiperar.... agora principal-
mente I
Um inspiro eotre-sbrio os labios do soldadc; s
a sua imagioagao perdea-te oas frescas arenidas
do parque, que acibara de deixar; via patsar ufea
sombra adoravel por entre as flores, e fechouU*
olhos para ver melhor. J
D'ahi i pouco a porta gemen sobre os seus
gonzos: La Daroule entrou.
Est dormindo perguntou elle pou.aado a
mi no hombro do Bella-Rosa.
Nio; eatou scismando I respondeu o sol-
dado. Julgava-me em Saint-Omer, em casa da
meu pae.
Ligeira vermelhidio coloriu as faces do prisio-
neiro ; era como que nm vu em que se envolva
a tristeza de ana recordago. Elle disaara Saicl.
Omer, mtspeosava am Saint-Ouen.
Poia aaiba qua venho de eatar com o capi-
to. E' um excellente official I Faz as coasas,
como deve....
Sim?
Por amizade i aua pesioa, a para minsrar-
Ihe os soffrimentos da prisio, vae apresaar o je!-
gamento e e ezecucio. Nos fallavanos ha pouco
om quatro diaa : pois cont que ha deaer fuzila-
do dentro do qearenta o oito horaa.
[Continuar-se ka.)
PERNAMUCOrrTYP^I M, f. DIP. & rUfiO.


'MUTILADO


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E3XLJNVHD_HD0YDL INGEST_TIME 2013-05-01T01:01:37Z PACKAGE AA00011611_09624
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES