Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:09616


This item is only available as the following downloads:


Full Text
..-;-- WT
\
,-
1110 XXXVIII. lMEtO 2C 9
r tres aeiesadiantados 5J000
PtrtreiHezt vencido* 6|000
YH-s .
>t
OIBTA HURA II DE SETEliM
" -
Ptraiit acUantadi $00d
Pirtt fri*t para ubscriatar
KKC&RRBG&DOS DA. SUBSCRIPTO 00 NORTE-
Parahyba, o Sr. Antonio Alenudiioo de Li-
ma ; Nelel. o Sr. Anlouio Marques da Sha ;
Atacaty, o Sr. A. de Lpidos Braga ; Cear o S'.
J. Jote de Oliveira : M -r-nhao, o Sr. Joaquim
Marques Rodigue* ; l'a-a, Manoel Piuheiro &
C; Amazonas, o Sr. Jerooymo da Coila.
ENCA.RRBGa.DOS DA SUBCRIPCA.0' DO SL.
Alago i, u Sr. Clin lin.J Falto Hu; Bihia,
o Sr. Jos Ma -iins Airea ; Rio da Janeiro, o Sr.
joo Pereira Martins.
PARTIDAS DOS CORRE10S.
Olinda todos os dits as 9 # horas do da.
guarasa, Golanna, e Paraojba as secundas
e sextas-feias. 6
S. Antao, Bezerroa, Bonito. Caruar, Allioho
e Garaohans as terga-hira*.
Pao d'Alho, Nazsrelb. Limoero, B'ejo, Pes-
quera, Iugazeira, Flores. Villa Bella, Boa-Visla,
Ouricury e Ei as quartas feira.
Cabo. Seriohem. Rio Formoao Uoa, Barretros,
Agua-Pela, PirKeoteJras e Natal quintas-feiraa!
(Todos os correios paitem s 10 hars da maoh)
EPHEMERIDES DO MEZ DE SETEMBRO.
7 La chela as 5 horas e 16 minutos da tarde.
15 Quarto minguante a 1 hora e 21 minutos da
tarde.
23 La nova as 6 horas e 16 minutos da machas.
[30 Quarto crescenle a 1 hora e 28 minutos da
tarde.
PREAHAR DE HOJE.
Primeiro as 5 horas e 18 minutos da manha.
(Segundo as 5 horas e 42 minutos da tarde.
PARTIDA DOS VAPORES COSTEIROS,
Para o su I at Alagoaa 5 e 20; para o norte
at a Granja 14 e 29 de cada mez.
PARTIPA DOS OMMBl'S.
Para o Reclfe : do Apxpucos 6 1|2, 7, 7 112,8
e 8 |2 da m.; da Olinda s 8 da ni, e 6 da t.; de
Jaboatao s 6 1|2 da m.; do Caxang e Varzta
s t d* m.; de Bemfica s 8 da ro.
Do Recite: pata o Apipucos s 3 1|2 4, 4 1(4
4 li2, 5.1 5til, 5t|2 e 6 da t ; para Olinda s 7
da rn. e4 iiZds t para Jaboatao s da t.; para
o Caxang e Varzta s 4 1[2 da I.; para Bemfica
as 4 da t.
AUDIENCIAS DOS TRIBUNAES DA CAPITAL.
MUTE OFFICIIL
|Tribuoal do comrnercio: segonda* o quii.
[Bela(io tergas o sabbados s 10 horas.
Fazeoda : quintas s 10 horas.
Juizo do comrnercio : segundas ao meio da.
Dito de orphos : tergas e sextas s 10 horas.
Primeira Tara do cival: tergas e suts ao meio
da.
Seguoda Tara do civel: quartaj e sabbados al
hora da tarde.
DAS DA SEMANA.
8 S*gunda ca Nali'Maie de Nossa Senhora.
9 Terfa. S. Sergio p ; S. R*f:no m.
10 Quarta. S. Ncolo ToUotioo; S. Jader b. m.
11 Ouinla. S. Tneodora penitente; S, Proto.
|12 Sexta. S. Auia ?. m.; S. Jeveucio b.
(13 Sabbtdo. S Frlippe m.; S. MauriTo b.
14 D.niigo. O Sanlistimo Nome dciru.
ASSIGNA-SE
n? Reclfe, em a livraria da praga da Indepen-
dencia na. 6 8. dos proprietarios Manoel F.-aua-
roa do Ftna & Filbo.
OOVERNO DA PROVINCIA:
Expediente do da 6 de setembro
de 186%
Quicio ao commaodaote das armas.C>mmu -
nieo V. Exc, para sea cooheciraento, qae vie-
ram da corte no hiate nacional Damon, e acham-
e recolhilos ao arsenal de u >rr dez cuohetes
com dez mil cartuxo*. um dito cot dez capsu ai
fulminantes, para o 7* batalho de Infioiari e
um liro meslre co o ci coanta folla** para a com-
panhia Bxa de cavallaria.
Dito ao mesmo.Cora a ioclusa copia da in-
orraago minstrala pelo inspector da thesoura-
ria de fazeoda datada de bonlem, e sob o. 853,
respondo ao officio que V. Etc. me dirigi em
11 de agosto ultimo, n. 1,538, pe Hn1o providen
cias acarea do pegamento do vencimentos das
praets destaca las na villa do Bonito.
_ Dito ao commsodante superior do R*cifeA'
vista do que V. S. pondera em seu officio n. 102
de 3 deste mez, queira eoviar-me a proposta, a
que aella se refere, parassr lomada tm conside-
rago.
Dito ao inspector da thesouraria de fazeoda.
Inteirado do coateudo do sea officto de boje, sob
n. 857, tenho a dizer, que pote V. S., conforme
indica 00 citado ofBcio. rematter ao collector do
Bonito a qaaotia de 3008, pa auxiliar o paga-
mento dos vencimentos do destacaxeuto lli
xisteote, pdenlo essa quantia ser entregue ao
eibo de esqeadra. qua V. S. se refere.
Dito ao mesrao.Re>lituo V. S. os papis
que viarara sonexos a sua loformago de houtem,
soo a. 85i, aiim de que, em vista delta, mande
pagar ao l*nenta Lau Jerooymo Ignacio dos San-
tos, confirme soliicitou o commandante saoerior
da comarca do Rio Formoso em officio de 25 de
julho ultimo, qe vai cobriodo laea documentos,
a quantia de 7g680, dispenddi com o forneci-
mnto de azite para luzea no quartel do desta-
camento de guanas oaciooaes daquella cidade,
nos mezas de margo e abril desle anoo.
Dito ao mesmo. Declarando o bacharel Bar-
tholomea Torqaato de Souza e SiUa, promotor
publico removido para a comarca do Liosoxiro,
em oR:io de49 do mez pstalo que, renuncian-
do o resto da licenga que obtivera, entrou no
exercicio do seu cargo no da 23 daquella mez ;
assim o communico V. S. para sua iotelli
gencia.
Dito ao inspector da thesoararia provincial.
De accordo com a sus ioformago de 16 de agos-
to ultimo, sob n. 20t, e do director geral d ios-
ruegao pubbca, jaota por copia, man le V. S.
pagar ao profossor publico de inatruego elemen-
tar da fregeezia de Gravat, Joiquim Manoel de
Oliveira e Silva, a quantia de 168666, provenien-
te di gratitlcagao de exercicio, que dsixou de re-
cebar, no mez da malo ultimo, por ter estsdo fe-
chali a sua aula, em eoosequentia da epilemia
do cholera-morbus.
Dito ao ensarno.Atienden lo ao qae axpoz a
profassora de inatrucr;io elementar da cidade le
Garuar, Aooa Joaquina Pires Campello de Mello,
no incluso reqaenmeoto, auturiao V. S. a mo
dar pagar a sajplitaota, como se lem praticado
em casos idnticos, a gratiQcago de exercicio.
relativamente ao mez de abril ultimo, em quaes-
teve (echada a sus aula, em consequeoela da epi-
demia do cholera-morbaa.
Dito ao capito do portoFago apreseotar
V. S. o recrata de marinhs, Antonio Qenrique de
Araajo, aOm de que Ihe d o conveniente desti-
no, dapois de inspeccionado.
Dito ao director do arsenal de guerra Mande
V. S. receber a bordo do hiate nacional Damon,
e recolher a esse arsanal dez cunhetes com dez
mil cartuxos, um dito com dez capsulas falmi-
naotes, que, segundo consta de partuipsgo do
director do arseaal de guerra da edrte datado de
21 da agosto aliimo, viaram d'alli com destino ao
7* batalho de iofantaria, um l\ro mestre com
cincoanta folhaa para a coenpanhia tita de caval-
laria, e bem assim dez barris com viole arrobas
de plvora fina, para a provincia do Piauhy, e
Cinco ditos com ciocoenta arrobas, para a do
Ciar, e deztaeis caixes com tresentas e seis
espingardas de fuzil, do adarme 17, para a do
Maranho, davenio V. S. contratar a conlugo
dos objectos perleoceotss a outras provincias.
Dito ao commsnlante do presiiio de Fernan-
do.Transmiti V. S., para os fios convenien-
tes, a inclusa nota, por copia, dos artigos, que
aeguem para esse presidio, no hiate nacional Pie-
dad*.
Dito ao director das obras militaras.Auloriso
V. S. a mandar caiar os alojameotoa do comman-
dante e sollados da guarda do palacio, bem como
a fazer os concertos precisos 00 respectivo lsdri-
lho, podendo dispender com esie servigo a quan-
tia de 50$(JQ, em que importa, aeguo 10 se v6 do
aea ofRcio de hootem datado, sob n. 143.Com-
muntcou-se o inspector da ihasouraria de fa-
xenda.
Diio ao provedor da Santa Casa de Mi dia.Em resposla ao officio de V. S. de 29 do
mez fio 10, sobre o pagamento do imposto de qua
trsta o 42 do art. 40 da le n 510. paaso s
mos de V. S copia do uiiino com dala de boo-
tem, qae me dirigi o inspector da thesouraria
provincial, pelo qual ver V. S. o que a tal res-
peito tsm occorrtdo.
Dito so juiz manicipal de Ouricury.Haja
Vmc. de devolver o requerimeato, em qe Clau-
dio Pereira Piolo Cavalcpoti pede a serventa
vitalicia dos officios de labelliao e eacri'oo do
termo do Ex, qut foi remetlldo eata juizo para
informar, declarando se ha mais pretndanles a
estes officios, e quaes sao ellas.
Dito ao conselho administrativo.Promovs o
cooselho administrativo a acquingo das pegas
de roupa e uteocilios, comanlas da ralago jun-
ta, as quaes sao precisas para uto do hospital mi-
litar. Commuoicoa-se ao inspector da thesou-
raria de (zsnda.
Circalar sos commandants superiores.Em
observancia do que mailo terminantemente foi
determinado por aviso do ministerio da justiga de
lt de agosto prximo lindo, recommendo V. S
qua remeta regular eimpreterivelrnente naa oo
cas marcadas as ioformsges, mappas e relegues
de conducta de que traiam os 55 11, 12 e 13 do
art. 1* Jo decreto o. 1,35i de 6 ue abril de.13">l.
Portara.U presidente da provincia, alten-
dendo ao que informou o respertivo commandan-
te saper.or em officio n. 101 de 2 do correme.so-
bra o requerimeoto de Manoel Banto da Silva
Magalbiet.tenaote da 3* ompanhia do 1* batalho
da arttlharit da guarda nacionil deste municipio,
tesolve conceder a este qualro mezes de liceo^a,
para tratar da sua saule fra da provincia.
Cotnmunicou-se ao comisando superior respec-
tivo.
Dita.O presidenta da provincia, conforman-
do-se com a proposts do teoeole-coronel com-
maodaote do 4* batalho de iofanlaria da guarda
nacional do municipio do Recife, aobre que in-
formou o respectivo commandante superior inte-
rino em officio de 20 de agosto ultimo, sob n.8t,
resolve nao .- transferir o alteres porta-bsndeira,
Silviao Antonia Rodrigues, para slferes da 2a
Commaoieou-M aojcommandanteaaperior repec-
tvo.
setembro
Oeajpaehos do dia 6 de
Requtrimentot.
Antonio Symfronio Rodrigues delLuna.Avista
da informaco nao pode ser attendido.
Antonio Pires 1-Vreira.Informe o Sr. inspec-
tor do araeoel de marioba.
Cosma Mara de Jess.Gonsedo o praso de 30
dias.
Francisco Jos Martins Paons.Remetlido so
Sr. Dr. director gerat da instruc^o publica, para
atiender ao supplicanta nos termos de sua lofor-
magio de 5 do correla sob o. 202.
Haurique Augusto Milet.A' vista do psrecer
do Dr. procurador fiscal, e ioformago do inspec-
tor da theeouraria provincial, indeferido.
Irman Jade do S. S. Sacramento da freguezia
de Saoto Antonio desia cilade.Vollom ao Sr.
inspector da thesouraria provincial paras vista
desta informagao, atiendar.a mesa ragedora da ir-
man lade do S. S. Sacrameoto na parte relativa
ao imposto correspondente casa n. 11, que ae
ver sjr arrecadado quando se continuar o calgi-
mento da ra.
Jote BernardinoVaz da Silva.RemetUdo ao
Sr. inspector da thesouraria povincial, para a
vista do parecer do D-. procurador fiscal de6 de
correte attender aosupplicante nos termos da
sua ioformago da mesma data.
Joaquim Miuoel de Oliveira e Silva.Dirija-se
a thesouraria provincial.
Padre Joo BaptutaSoares.Informe o Sr. ins-
pector da ibeaourana provincial.
Jos Nicacio da Silva.Informe o Sr. iospec-
tor du thesouraria proviotial
Jos Evangelista Ferrelra Paz.Ioforme o Sr.
Dr. juiz municipal do lermo ce Caruar.
Luiz Belli, e outro.Procedara os aupplicantes
como iodica a directora do theatro de Santa Isa
bel. em sua informago desta data.
Manoel Banto da Silva M.galhes.Passe por-
tara uncedenlo a liceoja requerida.
Mariaoa Francisca da Conceigo.Informe o
Sr. desembargador provedor ua Santa Casa da
Misericordia.
Maria Joaquina de Mallo e Silva.Informe o
Sr. Dr. chufa de poluta.
lTEilR
companhia, o desta para a 6* o slferes Francisco
Antonio Poutual Jnior, mss tsmbom promover
o* poslos para que forsm indicados,na firma do
rt. 48 da le n. 602 de 19 de setembro da 1850,
os ddadaos segaintas :
Estado maior.
Atieras ports-bsndeira, Aurelio Chrispiano da
Caohs.
Ia companhia.
Alfares Jorge Vctor Ferreira Lopes Jnior.
4* companhia.
Alteres Malchisdes Hanosl dos Santos Li.ma,
AMAZONAS.
Relatorio apresentado assembla le-
gislativa provincial, pelo Exm. Sr.
Dr. Manoel Clemcaliiio Carneiro da
Cu ha, na sessao ordinaria de 3 de
maiodc 18G2.
(ConticuagSo.)
CLONISACAO.
E' mais umi qoesto, cuja solugio nesta pro-
vincia vai sendo adiada, e entre tanto urna de
suas primeiras necassidades. O engrandeciesen-
lo do Amazonas depende do augmento de saa
popuUQo, de bragos que Ihe faltam, para epro-
vaitar os muitos recursos naturaes, que lera, e
Ihe oro monos uin luuiii Drilhinie.
Nao deve estar para maito tarda o tampo, em
que o goveroo imoerial lome a seu cuidado tra-
tar da coluoisago nesta provincia, como o tem
feto em ouiras. Em quanto porem uo chega a
sua vez, convem, que a aasnmblea provincial
vote para esta nsaumpto os fundos, deque poder
disoor, proseguindo assim no pens ment, queja
est convertido em le.
Observo apenas, que nao convem restringir o
ensaio de colooisago ao rio Madeirs. Nao des-
conhec) os thesnuros, e a opulencia natural deste
rio, mas a sua distancia desis cidsde, que por
ora o mercado mais importante da provincia, e a
difficuldade, que leria a auloridade para dirigir,
e inspeccionar o servigo estabelecido l, sao ra-
zoes bstanles, para que nao aeja elle o preferi-
do. A' muito pouca distancia desta cidade ha
terrenos feriis, e proprios para colonias agrco-
las. Por ora seria ah de mais proveilo o ensaio
de colonis-.^ao. O acto legislativo pois deve com-
prehender tambem o territorio do municipio da
capital.
EXPOSIQO DE INDUSTRIA
No dia 2 de detembro do anno paasado, anoi-
versario natalicio de saa magestade o Impera-
dor, foi aberta a expos que o governo imperial se propoz reslisar. E' o
easaio da um pensameoto generoso, que conti-
nuado produzir sem duvida consecuencias sala -
tares em prol da industria do palx.
As provincias forsm chamadas a concorrer
para esta festa da otelligencia, e do trabalho,
exhibilo um documento authentico de seu va-
lor industrial. O convia do poder geral foi bem
aceito, e o paiz maoilestou a melhor rontade em
correspooler a sua expectativa.
Nao ficou etquaclda a provincia do Amazonas.
Concorreu tambem na medida de auas torgas
para a festa nacional.
A' 7 de outubro do anoo pssssdo chegaram as
commaoicagas officiaes esta, e a 25 devism
seguir para o seu destino os productos, que ti-
vessem iie apparecer na exposigo. De outro
modo nao se vencerla a tempo a distancia, qae
nos separa da corte. Paracea-me quasi impossi-
vel, que no prazo de pouco mala de 15 das sa
podessem colligir artefactos, e productos natu-
raes, qua destara urna idea verdadeira do estado
da industria desta provincia, ainda mesmo atra-
sada, como ae acha. Eotre tanto assim nao suc-
cedau. E', que a idea de verdadeira tilidade
encontr o apoio da opioio geral e o concurao
de todos, e oestas circumstanciaa fcilmente se
encera as difficuldadea. A modesta collecgo
dos productos do Amazonas reprsenlos aua ri-
queza, que aa pode dizer ainda obra da natureza,
e exhibi urna prova do engrandaeimento, qae
attingir, logo que a industria vier explorar aeos
thesouros, opulencia natural.
U trabalho, que se (ez, devido ao empenhn
da commisso, qae oomeei para executar o pen-
sameoto do goveroo imperial,* boavontade de
todatas pessoas, a quera recorreo pira haver ob-
jetaos de produego da provincia. A commisso
fez expensas suas as despezas do servigo. Re-
conhecendo o bom resaltado dos seus etforgot
traoscrevo neste documento os nomes de seus
membros, como testerrnoho do mea aprogo.
Dr. Antonio Gongalves Dias,presidenta.
Dr. Caetano Eslellita Cavalcante Pessoa.
Cooego Joaquim Googalves de Azevedo.
Dr. Joo Mtrtins da Silva Coutioho.
Dr. Antonio Jos Moreira.
Coronel Leonardo Ferreira Marques.
Br. Jos Antonio da Freitat Jnior.
Eogeoheiro Sebaetio Jos Basilio Pyrrho.
Henriqee Autony.
Joo Jos de Frailas Gaimaraes,
Rufino Luiz Tavaras.
O annexo sob o numero X contera a relagao
das petsoas, que concorrerara para a expoaifo,
o calhalogo dos productos qa* se colligirara, _
diversas axposiges feitas sobre ellas, que sao
trabslhoada slgum interesse.
VIGENS AOS ROS PURU'S, MADEIRA, E
NEGRO.
Iocambi ao cidado Manoel Urbano da F.octr-
nago de faxer ama explorsgo no rio Puras sob
o pooto de vista de descobrir pssssgem para o
rio Madaira salvo de stas ctchoeirss. Feita a
provisto dos gneros, que pedio, ( o que impor-
to* em desposa de pouco vulto ) parti deata ci-
dade em fevereiro do anno passado. A' 19 de
novembro do mesmo aono cnego* de volt* de
saa commisso;na qaal gastn nove meies. As
tuformaguas, que ministro, (orara tiradas i limpo
pelo engenhelro Joo Marlins da Silva Coutinho,
e constara do annexo sob o numero 3.
O tiii principal da commistao nao foi detem-
penhado. Nao se deseobrio passagem livre para
o Mallo Grosso, mas o trabalho nao foi perJido.
Ficou racooheclda navegago do rio Part at
s visinbaogas da povoagao de Saraiaco, que se
suppoe eocravada em territorio do Per. I* ava-
llada em 600 leguas a extanso percorrida.
Estas importaotes iofornjages. a outras, que
se eocontram no annexo me' reeoWfcram man-
dar explorar o rio Purt por pessoa competent.
Parti com este fira desta cilade o vapor Pxraj
i to de fevereiro, levando entra outras pessos a
sen bordo o eogenheiro Joo Martias da Silva
Coutinho. A' elle, e ao commandante do vapor dei
as precisas iostrueces para se tirar da commis-
so todo o proveilo possivel.
Por falta de gneros alimenticios, segundo me
consta, voltou o vapor sem ter reconheeido todo
o rio. Cbegou at s barreiras de Hiatanaan.
At esse ponto a navegago franca em Indo
tempo. O espago percorrido nao inferior *50
legaas. No resto do rio ainda nao explorado
competentemente tambem possivel a navega-
go ao menas oo tempo da endiento. Convem
completar este estado. O relatorio circumstan-
ciado da explorago ser trazido ao conhecimeulo
desta casa, logo que o receber.
Como o rio Madaira o Purs abundante em
seringa, salsa, oleo, cacao, caslanha etc. Seus
terrenos prettam-se perfeitaraente cultura do
eaf, algodo, canna, mandioca, arroz, milho,
feijo, e outros gneros. E' porem superior
elle na franqueza da sua navegago, nao tem ca-
choeiras. II de ser urna das melhor** sahilas
para os habitantes da encosta oriental da cordi
Iheira de Cuzco, e suas visinhangas, qae talvez
encontrem tamb->m a mesma facilade no rio
Juru. O csmtnho polo Paro, Apurimac, Ucaya
le, e Solimea muito longo, e quasi impralka-
vel para ctoas regulares por causa das earhoei-
ras, que se encontram. O Purs a hyuolhenusa
do grande triangulo, cuja base o Solimea e o
outro lado o Ucayale. Povoado e cultivado o
vale deste rio, com a navegago franca, que of-
ferece at e territorio do Per, ter a provincia
ah urna foole abundantissima de riqueza. Cum-
pre nao perder de vistas esta ids.
Tendo de fazer seguir at a freguesa de Sil-
ves o vapor Piraj conduzindo a seu bordo o
chefe de polica para d ordem, que recehi do mioisterio do imperio so
bre assumpto de saa competencia, aoroveilei a
occasiao para mandar explorar a retoohecer o rio
Madeirs sob o pooto de vista especial de aua na-
vegago e colonissgo. Desta commisso foi in-
cumbido o eogenheiro JooMart'os da Silva Cou-
tioho, que a desempenhou satisfactoriamente. O
aea trabalho consta do folheto, que corre impres-
so, e ha de ser distribuido nesie casa.
O estudo atiento das condigoes actuaes do rio
Madeira indica tres randes necetaidades. que
convem attender. Sao ellas, navegago vpor
em tuas aguas, que importa rapidez, e fa de transporte para a industria, e promplido na
aecoda aatoridade para assegurar a ordem, co-
loDtee;aa, e a catecheae doe Indios, que em Rrao-
dn numero hebitam suas margeos, as *ot seu.
affiuentes, o que vale trabalho, e bragos para
proveitar as vantegeos naturaes do solo. Estas
quettdes, qua sao tambem por outras partes ne-
cesidades de primeira ordem da provincia, nao
podem ser bem reiolidas com os seus recarsot
actaaes, etto dependentes de iotervengo do
goveroo imperial. Entretanto nao ser sem pro-
veilo qualquer providencia, que tomar a assem-
bla provincial no sentido decrisr meios de scro.
Das tres neeessidades indicadas a menos dis-
pendiosa a catecheae. Sua difficuldade consiste
em achar. agentes proprios para desempenbar
esse delicado empenhn, que tem por base a edu-
cago saaral, religiosa, e industrial, sendo esta
conforme as Inclinages do indio. Estes agentes
em regra s se encootraro no clero virtuoso, e
dedicado saa asgrads misso. Sua acgo ser
de prompto e proficuo resultado se houvtr o cr-
dito, que ex'gem as despezas deste servigo. S>b
ootras condignas tenho por trabalho perdido
qualquer empreta, qae se tentar ; porque espe-
ro pouco de servigo gratuito neste assumpto, e
oada do simples directores parciaes com honras
de tenenle-coroneis.
O annexo sob o n. 4 o relatorio, qae me a-
nreseniou o eogenheiro Joaquim Leovigildo de
Souza Coelho de volts da eommisso, em que
foi at a fronleira doCucuhy. E'malsam docu-
mento da decadencia do rio Negro, qua, sguo-
do a traiicgo, oulr'ora floresceu tanto. O zelo
pela reltgio, que se trsduzio em catecbese pro
veitota, e motivos polticos bem conhecidos tor-
naran! muito importante este rio, e em seu vals
se estabeleceu s seda do goveroo da antiga ca-
pitana de S. Jos do rio Negro. Era natural, que
assim prosperasse, mas cetsando os motivos de
ordem superior, que promoviam o adiantamento,
e passando ella pelo traoslorno, que soffreu to la
esta, provincia cosa a suppresso de sua admi-
nistrago propris, e ulteriores acontecimentos,
nao para estranhar o resultado, que hoje se
nots.
As fregaezias do rio Negro era sempre tem
tido parochos. Da catecbese nao se cuia regu-
larmente por falta de meios, e os indios esto en-
tregues aos cuidados dos directores parciaes. Nao
ha emigrago espontanea, nem se trata de fun-
dar ali estabelecimentes coloniaes. Em lugares
to longinquos a acgo das autoridades subalter-
nas, que l exislem, nao deve ser muito regular
para inspirar condaoga. Estas circumstaaeas
naj sao as mais favoraveis ao desenvulvimeoto
d'um territorio, que por ora nada tem de ospe-
cial, o superior oatros da provincis, para cha-
mar com preferencia a populagio, a iodustria, e
a civilisago. A prospendade do rio Nrgro hade
vir oateravmente do complexo das medidas, que
se forera tomando para coosegair regularldade na
acgo da autorilade, augmento de populaco
ioduttrioss, e saa educago, e civilisago. E' a
mesma qaeato da quasi todo o Amazonas.
OBRAS PUBLICAS.
Contina asta repsrligo a reger-se pslss ios-
trueges de 6 de jnuho oe 1853. E'um trabalho
provisorio e expedido somonte para regalar o ser-
vigo das obras, que reclamara esta cidade, tendo
paasado a catbegorla de capital de provincia.
Nao comprehende, como convem, as obras de
fra.
As initrucgoes nao eslabelecem unidsda de
vistas, e d'agaono servigo di reparligo, o que
um incooveaiente grave. As obrigagoes dos di-
versos empregadoi nao esto bem descrimios-
das, ea interve*go da presidencia da provincia
se faz sentir em asanmptos de nenbuma impor-
tancia.
E'nacessario criar a reparttgo de obras pu-
blicas, e regula-la davidameote. Felto este tra-
balho eotendo, que se poda dispeassr o regula-
meato, que a preatdeocia da provincia est au-
toriaada dar para factura, e concert daa igre-
jes malrizes. E' ara servigo, qae tambem deve
ser feito sob a iospecc.o da reparligo daa obraa
publicas.
Em o anno passado chegaram da corte 31 afri-
canos livres para ae mpregarem as obras da
provincia, tilo ao operarios da meihor qualida-
de, mas supprem a necessilade de trabalho, q*e
ae aeolia, e com ellos auxiliados dos operarios,
que ha nesta cidade, qae se tem dado andamen-
to ao servigo.
Aioda sensivel a falta de materlaea para qaal
quer obra, qae a* tenba da emprehander. S
apparecem no mercado accidentalmente, ou por
encommenda, o isto mesmo com Irregularidade.
Esta circumstaneia concorre, para qae as obras
a* tornea al* atas,
sao. .Emquanto nao honer um armazom sempra
com abundante provimeoto da materiaes se ha
de experimentar esta falta. A escassez dos cr-
ditos concedidos para obras nao permita em-
patar espitaos. Noavullando o dinbeiro para os
traDaihos, e empregado o disponivel no aetvieo
dos que esto em andamento.
Foi supprida a falta quo havia de instrumen-
tos matheoiaiicos. e de oulros objectos para o
servlco ds reparligo. *
Passo s axpdr o qua de mais imporlrote se.fez.
Matriz da capital.
Conlinno* esta obra, logo que houve crdito
para a despesa. D* 26 de setembro do anno pas-
eado U de margo ultimo consiruirara-se 17,155
palmosjcubicos dealveooria. Ha de contiauar no
exercicio futuro apenas ebeguem os materiaes
encommendado?.
Ponte de S. Vicente .
Esl concluida esta ponte, que liga a cidade
ilha deste ntme. No parecer dos eogeoheiros
a mais elegante, bem construida das pontea da
capital.
Enfermara militar.
Tem tido grasde adiantamento esta obra, que
o concert do hospital de Vicente, e est qutsi
concluida. Se nao faltar crdito para esta des-
pesa multo breve terminar este trabalho. Ser
urna enfermara militar commoda para o servigo,
que destinads, mas era lodo caso um edifi-
cioirregelar, e de constr*cgo defeituosa. E'
urna cas Hova sojeila as regres da construeco
da baixe, e acaohada casa, que serva de en-
fermarla. Com poaco mais da despeze, que se
ha de fazer, lalvez se conseguisse um edificio de
coostruego regular. Depois de acabado ha de!
exigir eontloaados concertos para nao cahir a ri-
beoceira, sobre que est fundado, e cora ella des-
bar. Digo coocertos continuados, por que me '
parece qae a importancia da obra nao justiticaria
bem o avultado gatto da construeco de um caes
solido, qae o meio proprio psra no fuluro abri-
gar de ruina a eofernmia.
Ponte des Remedios.
Teve coroego esta obra e deve estar acabada por
tolo este anno, se nao fallar*m os recursos pe-
cuniarios para as despeas ueceatarias. Depois
de concluida ser a primeira ponte da cidade.
Fortificacoes do Cucuhy e Tabalinga.
Foram examinados estes trabalhot pelos enge-
nheiros Joo Martins da Silva Coatinho. e J ia-
qaim Leovigilio de Soasa Coelho. Submetti
apreciago, e deciso do mioisterio ds guerra o
parecer o'eiles. Parocendo-me que a obra do
Cneohy corra com muila irregularidade, qu? era
defeituosa na sua planta, e exacugo, e que o des-
pendi nao correspondis so trabalho feito, sus-
peodi-a at ulterior deciso do governo imperial.
Exncutarara-se otros trabalhos de pequea
monta. Conslam do relatorio da reparligo des i
obras publicas, que ser preseote a estaasaem-
Mea.
HIAPPA dos gneros exportadlos era
o anno fe ihi;i.
(UALIDADEDOS
GNEROS.
Breu. ,
Cacao. ,
Caf ....
Couros de bu!.
Tanto nesta cuade, como yu. ., .. nooctai-
daaus publicas reclaruam multas obras, em
quanto nao possivel attender a lodaa, convem
escolher as mis urgentes, e poro ubi ....;,
os recursos otficiaes por alguns annos seguidos
Por torada capital devem ser preferidas as ma-
lrizes, e cadij is dos municipios, que anda nao as
tem, e nesta cidade a concluao da poote dos Re-
medios, da nova matriz, o augmento da casa oos
educandos, footes para haver agua polavel boa, e
livro de materias orgaoicas, urna casa de merca- i Es'topa
do, e u seu calgameuto. Este ultimo trabalho Guaran
necessario, alm d'oatras considerages, cono Madeiras
meio de prevenir despesas publicas, e particula-
res, que continuadamente ha de trazer a acgo das
Cbuvas, que sao fortes,e abundautes sobre o ter-
reno, em que esl fudada a cidade.
Cravo.....
Caslanhae .
Chifres de boi. .
Couros de onga. .
Couros de outros
animaes, .
fal-
r.
Julgo conveniente, que se vote urna resolugo
regalando os casos, o a forma, por que deva ler
lugar a desaproyragao por ulilidade provincial,
e municipal. E' assumplo da competaocia do
poder legislativo provincial. J tive occasiao de
sentir a taita d'uma le deata ordem.
INDUSTRIA E NAVEGAGO.
Comrnercio.
Anda desls vez nada posso adiaotar sobre o
movimento commercial de imporlago. Nao sao
conhecidos os valores, que o comrnercio fez en-
trar na provincia em compensago dos que sa-
hiram. Estes constara dos registros das reptrti-
goes titeses.
Em o anno de 1861 sabio a 639:86$670 a im-
portancia dos gneros, que se exporlarru. t in-
ferior a de 1860. A differenga se explica pela
dimiouigo dos pregos dus gneros principaes,
que fazem objecto do comrnercio da provincia. Se
os pregos fossero, como os de 1860, o valor da
exportago seria o mesmo, seoo maior.
Este resultado attribuido em grande parta a
luta poltica armada,que arrebentou nos Estados-
Unidos da America do Norte, um dos princioaes
mercados consumidores dos productos do Para,
e Amasonas.
O qaadro da produego exportada o seguinte :
em
es.....
Maleiras em pao
de voitis. .
Mantega. .
Muirs. .
Oleo de cupahiba.
Piraruc, .
Peixe boi. .
Paxury .
Piassava. .
em cor-
doalha. .
Redes de maqaei-
"......
Salsa parrilha. .
Seringa. .
Sebo em bruto. .
T.baco ,
Taboas. .
Toros pranchoes.
Tartaruga. .
Somma.
3

a

D
A
\

i
>
QkUNTIDA-
DES.
20 <8
16
94
9:936
643
377
c ct .
'82 4
23:333
148
14
320
1:076
121
67
20
3:810
573
3:867
56:740
70
13
6:718
5:063
30
12
533
1:793
16-777
35 36 <
1:187 *6
60 3/4
425
39
VALORES.
188J8O0
39 6ilj360
3:15*5500
1:262:500
HoBOO
1:1309030
31:2165075
14500
22J00O
126J00O
1:723jj2O0
l:946f000
2C85C09
20*000
30:t8Oj00O
4.736550O
50:773j01O
209:027c833
16eaOCO
1333120
12:495j>789
5:063*000
1:0825100
26:902j|SOO'
222:6S9S382
116J300
18:2325571
6955000
8)05000
795000
639:8595670
Os gneros de prodaego do Per, que tem
transitado no* cinco ltimos annos as aguas do
Amssooas. segundo os maoifestos apresentado*
a reparligo da fazenda provincial, o os segua-
les valores :
Annos.
1857........
1858........
1859........
1860........
1861........
O quadro minucioso da exportago encontrar-
se ha na pagina seguinte.
Valores.
490:5115100
493:5505000
4741115120
318 679J00O
311:1835720
QUADRO demonstrativo dos gneros da repblica do Per manifestados naadministraco da faienda provincial e expor-
) tados para o Para no quinquenio de 181)7 1861.
t
Qualidad dos
eros.

Bombonassa em rara a
Breu .
Chapeos de palha.
Cacao.....
Charutos ....
Cigarro* ....
Farioha ....
Fio.....:
Gomma elstica. .
Maotaiga. .
M-queiras .
Ditas finas .
Muir.....
l'irarur. ,
Pelles de animaes
Redes de lancisr .
Salsa parrilha .
Tabaco ....
Tueum. ....
Tarrifas de pescar
o

N.o
?.

Atq3
9

Potes
N.

Potes
9
N.

@
s

N.
ANNOS A QUE RESPEITO.
1857
Quanl'-
dades.
80,716
2,430
19
650
101
2,520
Valores.
484:2925000
485600
655500
2:6005000
1:01 OSOOC
2:5205000
493:5415100
1858
Quanti-
dadet.
66,370
5
12,200
82
5
642
4 209
1,487
3
246
2.510
119
Valores.
464:590-5000
20)000
60500C
2055000
801000
2:2476000
16:8365000
1:4870000
60$()00
2:4805000
25105000
2:9755000
493:5505000
1859
Quanti-
dades.
66,083
260
1,720
14
200 3 se
2,36o
19
12
\alores.
462:6165000
2605000
5:5015000
2805000
2:50951i5
2:3608000
4965000
965001
474:1115125
Quanti-
dades.
80
6
39,781
14
7
720
8:097
183 16 se
102
43 6 se
1860
Valores.
125000
78:4675000
2248000
56s0OO
2:5205000
32:3885008
3:8355000
10*800(1
1:0755000
318:679500
REVISTA DIARIA.
De hoje para amanha deve chegar esta ci-
dade am grupo de algumaa vinte pessoas, proce-
dentes da povoaco de Pedras de Fogo e de suas
imraediages; as quaes vera em misso religio-
sa psra trtntportarem nos proprios hombros de-
ferentes pegas, que aqui se est fabricando em
varias ofBcioas, para a coocluso da igraja que
alli foi comegada no anno pastado, sob a invo-
cago de Noiss Senhora da Cooceigo, pelo Rvm.
religioso ctpuchinho Frei Sera (Ira de Catanis.
A' parte qualquer classiGcago qae o espirito
do secuto possa fazer deste acto, ella sempre
ums maoiftstsgo da existencia de f e rellglosi-
dade dignas de outros lempo*.
Fecha-se no da 16 o prazo marcado para a
inseripeo dos concurrentes a cadeira vaga de
ingles do curso de prepsralorios, annexo a Fa-
culdade de Direito desta cidade.
Nao leodo-se effectaado no dia 9 do cor-
rente o exame de habilitago psra o magisterio
primario, deve hoje comegar este acto, compon
do-ae a respectiva commisso de exame do3 Srs
professoras padre Vicente Ferreira de Siqueira
Varejo e Gemioiano Joaqaim ds Oliveira.
Hontem prestoa juramento peranl* a di-
rectora geral de instraego publica a professori
novamente nomeada para a primeira caleira de
instraego elementar do bairro do Recife, D.
Claudiaoa Nativa do O' e Santos.
No mez de agosto prximo pssssdo produ-
zio a receita da estrada de ferro nos differentes
ramos do seu rendimeoto a quintia de......
21:5615187 W.
Na deacripgo que hontem demos acercado
acto da iostallago da sociedadeOrne de agos-
to, foi omittida palo nosso communicante a
raengo de um discarao pronunciado pelo aca-
dmico U. Uonteiro, que se aspecialisou pela
idea da colonisao voluntaria. Pique assim
r*stab*lecido1*ste (acto, que fdra esquecido.
No dia 22 de agosto prximo passado o Sr.
Dr. Carolino Prsoeisco da Lima Santos praticou a
operago da taina em uro menino de 4 annos de
idade, Qlho do Sr. Jsclotho Hendee de Medeiros,
morador em Tamsodar, e ora hospedado na
rus de Santa Rita n. 5.
Assistto como ajudaote dessa operago o Sr.
Dr. Carneiro HooUiro
Havia doua para tras annos que a crianga ss
estorcla em dores no acto de oarinar, por igno-
raren! aeus pal* qaal fossa a natureza da moles-
tia. Hoje, porm, acha-ae a pobre eriaoQt, de-
pois de vint* diat, radicalmente curada; poi*
foi-lhe extrahida urna pedra oblonga dar*
maior do que um ovo de pomba.
Em am do* dia* do mu d* jelho ultimo,
lando tido scientis a respectiva autoruiade do
segundo districto do termo do Ex, da qua, no
lugar denominadoJaca-, Eugenr, Maa e
saaemor* sua conslu-' Vlceot*, tinham. procurado em se.* propra ca-
sa, a Seuhonoha Mana ue Jcsua, muin^r >.e um
velho da nome Aizostinho, para dtr-lhe ama
aurra ; e nao tendo sido esta alli encontrada, a
foram descobrir n'uma fonte, onde a espaocaram
as referidas muiheres, qoeeram todas irmas, de
modo a ficar a infeliz gravemente offeodida : e
porisso a auloridade f-las recolher cadeia da
villa para seren processadas na forma di lei.
Por cartae de Iogateira consta haverera
comparecido ao collegio eleitoral 28 eleitores,
sendo votado
Dr. Maooel de Figueira Faris. 28 votos.
1861
Quanti-
dades.
32,793
7
315
1,397
93
2
9,497
3
1:614
712
116 #
Valores.
|229.55i 5OOO
285000
3M50S00O
5:5885000
3725000
185000
37.9885000
605000
21:21 US'100
11:4929000
30J720
312:4855720
O resultado, pois, dos collegios conheeilos at do dia 10 correte 79
, Uoug.lv.-s ce y.iirs AlOujuerque, de 18 anuos,
sem offleio, e Manoel dos Santos Costa, de 20 an-
; nos tambem sem t.flkio, todos braocos, o Io por
1 insultos, e os ltimos por desordem.
O ebefe da seganda secgo,
/. G. de Mesquita.
Passsgeiros do hiate nacional Sergipanc
j vindo da ilba de Fernando :Rosa alaria da Con-
ceigo, Damiaoa Maria da Conceigo 3 Albo*
I menores.
Matadouro publi&o :
Mataram-se para o consumo deita cidade no-
hoje o saguiote
Dr. Manoel de Figueira Faria. 160 votos. I
Dr. Caetano X. Pereira de Brito. 51
Movimento da casa de detengas do dia 9 de
setembro de 1862.
Existiam...... 336 presos
Eotraram..... 10 d
Sshiram....... 14 >
DA 10 D8 SETKMB-KO, RO CB-
solteiro, Boa-Vista, v-
A aabar:
Existem....... 332 >
Nacionaes.....
Muiheres......
Estrangeiros..
Escravos......
Escravas......
229
2
29
65
7
140
Total]........ 832
Alimentados a custa dos cofres provio-
ciaes.............
Movimento da enfermara do dia 10.
Tiveram alta :
Jos Pedro de Soaza;
Joo Francisco de Lima.
Ionocaocio Jos Tavares.
Joo Bernardo Teixeira.
Antonio Lu! Verbulioo.
Tiveram baixa :
Flix Jos Rodrigues, gastralgia.
Joo, escravo de D. Felieidade, gaslrite.
RBPAtvngAO da polica. (Extracto da par-
te do dia 10 de setembro.)
Foram recolbidos casa de detengo no dia 9
do crrante :
A' ordem do Dr. delegado do 1* districto, Loa-
rengo Maooel Pereira, crioulo, de 21 anoos,
marctueiro, indiciado em crime de tarto, o qaal
foi preso pelo teoeate commsodante da guarda
da altanlega, e Aalonio Muoiz de Mello, pirdo,
de 24 annos, pedreiro, para recruta.
A' ordem do subdelegado do Recife, Antonio
Pita d'Albaquerqua Oliveira, pardo, de 25 annos,
ourives, por rime de roubo.
A' ordem do da Boa-Vista, Jos Domingos
Thom, de 31 annos, sem officio : Antonio Lou-
relro de Lamos, poriugaex, de 20 anoos boleei-
ro ; Francisco Jote Correa, da 38 annos, sapa-
teuo, todos braceos, e Migael Variasimo de Mei
lo, pardo, de 45 anoos, jortalerra, por autpeitt
em crime de farto de cavallot.
A* ordem do de S. Jos, Antonio Gome* da
Costa Beitrao, d 23 anoos, ]omaW.ro ; Mano*!
OBIrUARIO DO
ITBRIO PUBLICO.
Francisco, 70 annos,
Ihic*.
Christovo, Pernambaco, 11 mezes, Santo Anto-
nio, clampsla.
Joaquina Francisca do Carrao, Rio-Grsode do
Norte, 22 annos, solteirt, Reclfe, bexigas.
Paula, Perntmbuco, 50 annos, solleira, escrava,
Recife, tubarculoa pulmonares.
Tertuliano Francisco Pereira, Pernambaco, 12
annos, aolteiro, BoaVitta, frialdade.
Antonio Jos Ferreira, Pernambaco, 40 annos,
casado, S. Joa, bexigas.
Aotooio, Pernambaco, 7 dias, Santo Antonio, es-
pasmo.
Francisca, Parnambuco, 2 annos, S. Jos, as-
t tinta.
Jos, Pernambaco, 7 mezes, Santo Antonio, te-
ngan.
Manoel, Pernambaco, 1 anno, Recife, ento-
rile.
Berilio Francisco do Rosario, PernambacOj 18
annoa, aolteiro, S. Joa, aacit* borola.
chronig^IjIcTaria,
Tribunal da Relaco.
SESSAOEM 6 DE SETEMBRO DE 1862.
PRESIDENCIA DO KXH. SR. C0NSELHEIR3 BRJIEL1K3
DE LBO.
A'* 10 horas damanba, presentas o* senhwes
desembargadores Caetano Santiago, Sil*eir, Ci-
lirana, Lourengo Santiago, Mella, Peretli, *> Ac-
cioli, (tltendo os Srs. desembargador** Poreira
Jorge, e Guerra, procurador da corda, tio-aa
a aeaao.
Passado* o* feitos, e entregue* o* d&cibuidoa
daram-se osseguintes
JCLGASLENTOS.
Recurso crime.
Recorren te, o juixo *, recorrido,, Leonardo Pe-
reira de Barros.
Relator Sr. desembargaor Lourengo San-
tiago.
Sorteados o* Srs. desembargadores Peretti,
Acciali a Matta.
ItQJ)KC*d*nt0.
Appellacoes crimis.
Appellante, o jauo *, appellado, Francisco Au-
to ola d* Costa.







\
r
MUTILADO
ILEGVEL



f
\
DIARIO M rEISHAMBGCO QUISTA FEIR 11 DE SBTEMBRO DI 186.
A' nove jarj.^-^
AppellaDte^e^aizo-; appellado, Francisco, es-
cravo.
A' doto jury.
Appellante, Joaquim Pedro de Almeida; ap-
pellada, a jusilla.
Nullo o proceeso, e absolviJo o to.
Appelltnte, o promotor; appellado, Jos Fran-
cisco de Uoraes.
A*novojury,
Appellaote, Jo< da Silva fctonteiro Papa-mel;
appellado, o jiizo.
Reformada a eentenca para o medio do artigo
194.
Appellaate, juizo; appellado, Jos Bento Fer-
raira da Silva.
A' novo jury.
Appellanle, Manoel Pereira da Silva ; appella-
do, Antonio Donato Pcisoa.
Improcedente.
Appellaote, o juizo ; appellado, Marcelino Fer-
zeira.
A'novo jury,
Appellaote, o juizo ; appellado, Maooel Bezer-
ra dat Nevee.
A' novo jury.
Appellacoes civeis.
Appellaote, a cmara municipal ; appellado,
Basilio Alves de Miranda Varejo.
Desprezaram-se oa embargos.
Appellaote, D. Anna da Rocha Sampaio ; ap-
pellado, Jos Teixeira Bastos.
Reformada a senteoca.
Appellanle, Jos Theotonio da Silva Borges ;
appellado, Jo3o Duelas da Silva Borge9.
Desprezaram-se os embargos.
Appellaote, a cmara municipal ; appellado,
Anlouio Jos de Oliveira Braga.
A' pagar a dizima.
Appellaote, a faxenda ; appellados, Oliveira,
Irmo & C.
Receberam-se os embargos.
Appellante, Antonio da Cunha Sosres Guima-
raes ; appellado, Ignacio Luiz de Brillo la-
bordo.
Desprezaram-se os embargos.
un
Anoailania, nadie Erovdio do Reg Toscanqde
no ; appellada, a irmaaaade ae iSosea Aaono-
xa do Livranseuto.
Desprezaram-se os embargos.
DILIGENCIA CHIME.
Com vista ao Sr. desembargador promotor da
jusilla a seguiote
Appellaco crime.
Appellante, o promotor; appellado, Maooel
Antonio Nunes.
OESIGNAClo IiF. DA;
Assignou-se dia para julgamento da se-
guate
Appellaco crime.
Appellante, Francisco Jos da Costa ; appella-
do, o juizo.
Appellaco civel.
Appellaate, a tiara e tthos de Luiz Jos da
Silva ; appellado, Maooel Caroeiro da Cunha Al-
buquerque.
DISTRIBU1QBS
Ao Sr. desembargador Caetaoo Santiago :
Appellaco crime.
Appellante, Rolim Ce'valcaoli de Albuquerque ;
appellado, o juizo.
Aggravo de peti;o.
Aggravante, Aoilio Feuaudet Trigo de Lou-
reiro ; aggravado, o juizo.
Ao Sr. desembargador Silveira :
Aggravo depelico.
Aggravante, a Santa Cosa da Misericordia ; ag-
gravado, o juizo.
Appellaco crime.
Appellaate, o promotor ; appellada, Senhori-
nha Mara da Cooceicao.
Ao Sr. desembargador Gilirana :
Appellaco crime.
Appellante, Joo Tbeotonio Bezerra ; appel-
lado, o juizo.
Ao Sr. desembargador Lourengo Santiago :
Appellaco crime.
Appellaote, o juizo ; appellado, Maooel Ao-
brosio dos Saotos.
Ao Sr. desembargador Molla :
Appellaco crime.
Appellante. o juizo ; appellado, Maooel Fran-
cisco dos Sanios.
Ao Sr. desembargador Peretti :
Appellaco crime.
Appellante, Antonio Carlos Pessoa ; appellado,
o juizo.
Ao Sr. desembargador Accioli :
Appellaco crime.
Appe'iliote, Manuel Mirtina da Silva Aboim ;
appellado, ojuizo.
Ao Sr. desembargador Pereira Jorge :
Ay[)tllufZ i".
Appellaote, Dciaiuiino Alves de Carvalho ; sp-
pellado, o juizo:
Aggravo depelico.
Aggravante, bachsrtl Luiz Rodrigues Villares ;
zggravado, o juizo.
O Sr. desembargador Guerra, procurador da
coica, comparece* as 11 horas do dia.
Eucerrou-se a sesso a 1 hora.
orrespondencias
Srs. redactores.Eax satlsfaclo ao publico de-
vo urna respost. a um anoancio publicado no
seu Diario de 28 de agosto do correte anno. O
preto Maooel Fernandes da llora pede-me o pa-
gamento de seu salario durante o lempo que me
servio como cosinheiro.
Devo declarar ao publico que nada devo a este
preto e que.nunca esleve,em mioba casa como em-
pregado, e sim por caridade un Odias que o live
noengenho doode sabio para cara do Sr. vigario
de Ipojuca como se ver da carta abano. Eu
portnnlo vou chamar perenle os Iribunacs do ptiz
a este individuo coobecido por lodos como am
mendigo e elle ento responder pelo crime de
injuria que me irrogou, levado sem duvida a la-
to por insinuacoes maltvolss ce um insensato
cojo nome me abslenho por agora de prooen
iiar.
Queira por obsequio Srs. redattores publicar
eatu linhas do que lh agradecer o seu assig-
uLte
Jos Candido de Barros.
Ecgeuho Monlivido, 8 de setemb o de 1862.
lllm. Sr. vigario Firmino Jos de Figoeredo.
Lugeoho Monlivido 6 de setembro de 1862.
Sirva-se V. S. abera da verdade responder-me
su p desta se o preto Maooel Fernandes da llo-
ra, foi sempre sau empregado em quaato esteve
era Ipojuca, e ae Ihe constou que elle fosse rneu
empregado. Pego-lhe Hceoca para fazer uso
desta como bem ma aprover.
Sou de V S. amigo, obligado e criado
Jos Candido de Barros.
Illm. Sr. commendador Jos Candido de Bar-
o?. Ipojuca, 6 de setembro de 1862.
Teobo presente a mal presada carta da V S.;
firinsda em 6 do correte, e veodo o seu contex-
to, cumpre-me respouder-lhe, que Maooel Fer-
nandes da llora, todo o lempo que esteve nesti
povoacao foi rneu empregado, na qualidade de
cosioheiro, cajo lagar deixou por baver adoec-
do, e oa aua retirada foi pago restrictamente,
ciino consta do seu recibo, que em meu poder
< lisie ; asaim como, que o meamo nao foi am
s dia empregado de V. S, como aqui sabido
por todos.
E' o que em deferencia verdade, e ao brado
de minha comsciencla responder-liie posso, Po-
de V. S. fazer desta minha resposta o uso, qae
lb'aprover.
Sou com todo o respailo e considerado,
De V. S. venerador, amigo, obrigado e criado.
Vigario, Firmino Jos de Figuerelo.
procedido aa indagares e interrogatorios lem-
brados pela requerente, remelteu todos os papis
ao Sr. Dr. chele de policia a flm de qua este
man.atae proceder a basca naquella casa e
appreheoso daquelles escravos. E efectiva-
mente 7 de agosto foi apprehendida na referi-
da cata pelo subdelegado da freguezia de S. Jos
a escrava Simiana com os" seus fructos, a depo-
sitada com estes em poder do negociante Albino
da Silva Leal por ordem do Sr. Dr. delegado.
Feito lato, constando logo ao Sr. Francisco
de Paula Cavalcante, entiado do Sr. Maooel
Bezerra Cavalcante e aobrinbo da Sra. D. Fran-
cisca de Salles, que por parte de pessoa da inti-
midado da mulher, em caja easa foram appre-
hendidos a escrava Simiana e seus fructos, se
deuuociava por carta ao Sr. Dr. delegado que
em poder de seu padrasto o Sr. Maoeel Bezerra
Cavalcante, exista com sujeitos a dominio urna
preta Torra e doua filos desta, verbalcaeote
expoz ao mesmo Sr. Dr. delegado fue em casa
de seu padrasto acbtva-se i aonoa a preta forra
Antonia e seus Dlhos Rosa a Joo e todos con-
siderados e tratados como livras, e tanto que era
elle padrinha de um dos lihos da mesma preta,
e todos estes haviam sidos baptisadoa como li-
vrea : que podia o Sr. Dr. delegado proceder a
todas aa deligeociaa qae julgassa a bem, pois
attava prompto para apresentar-lhe a preta e
aaui llbot a flm de aereas interrogados a este
rctpeito, mas qae devia preveoi-lo da que se-
melhante denaocia era am mel de vingenca e
de perseguirlo empregado contra ella e seu pa-
drasto por haverem ambos coocorrido para que
a Sra. D. Francisca de Salles requeresie a appre-
heaaao de saa tscrava Simiaoa e seus tractos.
Nada leodo havido a respeito de semelhaote
denuncia, succedeu que pelo juizo municipal da
I* vara, e requerimento de D. Francisca da
Salles, fji arrestada a escrava Simiaca a seus
lilhos 19 de agosto, a sendo produzidos por
parte da arrestante aa testemunhas necetsariaa.
foi por alia dito qe a escrava arrestada era
do dominio da arrestante, e qae iato aablam por
ter a preta forra Aatonia, que eslava em cata
do u.ci Detona Cheleante, dito que htvis
recoobecido a preta arrestada como sua irmat e
como a propria que liaba tido legada a Sra. D.
Francisca de Salles no testamento com qae fal-
lecer o lio detta de nome Jos Vieira Soa-
re.
Depoia ditlo no dia 25 da agosto fez o Sr. Dr.
deltgado ir a saa preseoct a preta forra Antonia,
a qual de volta cata do Sr. Manoel Bezerra,
onde ata ento se schava, retirou-se da mesma
cata para a da tal naulher Aquioha, contra a
qual a Sra. D. Francisca de Salles lia ecanhada
dos Srs. Fraoeisco de Paula Cavalcante e Maooel
Bezerra Cavalcaote, tem aeco pendente parante
o juizo municipal da Ia vara a respeito da escra-
va Simiaoa e seus fructos.
Em cooseqaencia disto o Sr. Mnoel Bezerra
Cavalcante, que se acha aesta cidade tratando
de tus saude gravemente arruinada, mandou
inmediatamente buscar os dous filhos da preta
forra Antonia, que havltm ficado na casa de toa
retidencia oo aogeoho Amaragi do termo da Se-
nohaero, e, chegadoe elles na tarda do dia 27,
mandou-os na mesma occasiao apresentar ao Sr.
Dr. delegado.
Nao lando sido encontrado naqaells tarde o Sr.
Dr. delgalo, no dia seguinte o Sr. Manoel Be-
zerra Cavalcante requereu ao Sr. Dr. delegado
que sj digoasse provideociar a reepeilo do dous
olhos da prela forra Antonia visto coreo oo
desejava cooserva-los em sua cata sem expreest
autor8s;o do mesmo Sr. Dr. delegado. Succe-
deu porm qae nao estando sellado o requeri-
mento quando foi apresenUdo a despacho e seo-
do exigida esta formalidade, quando o portador
dorequerimeolo voltava com lie j sellado, j
encontroa na casa da policia os dous filhos da
preta forra Antonia, que tioham sido mandados
cooduzir da casa do Sr. Menoel Bezerra Caval-
cante por ordem do Sr. Dr. delegado.
Els portalo tudo quanto occorreu a respeito
do objecto da noticia contida na Revista dia-
na. E desta exposigo succinta, mas vardtdei-
ra, se evidencia que a preta forra Antonia e seus
ulhot nao estavam sob o dominio do Sr. Manoel
Bezerra Civalcante, ras apeoas em sua casa,
sendo ahi lidos e tratados como livres; que por
parte do mesmo seuhor nao houve o menor acto
pelo qual procarasse por em duvida a liberdade
dos mesmos e ao contrario proced com a maior franqueza era semelhante nego-
cio.
E* natural qae a policia prosiga as indagaces
necfisrias sob semelhante objecto : o Sr. Me-
noel Bezerra Cavalcaote, coDecio da regularidad*
d teu procedimeoln ''" ou.c uaseja
^-o cssas indagaces, se facam e por ellas nao
tero seoo qua louvar o zoilo e deligencia que
o Sr. Dr. delegado tem tido e certamenle conti-
nuar a ler.
E' timbera natural que por parte dos interes-
sadoe da le mulber Aquioha nao deixe de haver
a zootiouacjo de emprego de meios de perse-
guirlo e ringan^a contra o Sr. Maooel Bezerra
Cavalcante e seu entiado, maa estes descaDcaro
confiados ni regulardade de seut procedimeolos
e na justica e -prudencia qae caraterisam o Sr.
D'. delegado.
E' natural anda que a tal niul'.er Aquioha se
julgue muito feliz por ter conseguido que fosse
para saa casa a preta forra Antonia, cojo depoi-
meoto astas importante na queslo civel qae
traz a Sra. D. Francisca de Salles peraate ojuizo
municipal da Ia vara a respeito da escrava Si-
miaoa e seus fructos, a qual fdra reconhecida
pela preta forra Antonia como irma desla e
como pertenceote a mesma Sra. D. Francisca
de Salles.
Reclfe, i de setembro de 1862.
O amigo da verdade.
X
Santos, al este seu criado, para vir coaa seus
embargos de enhor e pottuidor.
Pelo qua acabo de dizer, j vfi o Sr. Antonio
Gomes de Mtcedo, que os ttulos que teobo psra
consl lerar-me proprtetario do Souz, a legaes os
meus actos, a sismara do fioado Joo Leandro,
a venda que este fez ao fioado vigario, a venda
dette ao finado Luiz da Silva Saolot; o accordo
da reltco da Babia, quejulgta firme e valiosa
esta venda ; o inventarlo do Sr, Silva Santos jul-
gado por sentenca ; a vend que seus herdeiros
flzersm aocapilo Jos Felippa Santiago Rodri-
gues Ramos, a venda que este fez a tea irmo
o ctpilo Antonio Rodrigues, que tocou o que
elle possuia no Souza a sen Bino e filha, o in-
ventario qua se fez por monedo teoeote-corooel
Lameoha ; as compras que fex o fioado commen-
dador Manoel Zeferino aos hardeiros dos finidos
espito Antonio Rodrigues e Luiz da Silva, sen-
do qaasi todas as compras por escriptara publica
e os inventarlos lodos julgtdos por senteoca ; fl-
ntlmante pelas escripturas pablicas das compras
que fiz as Exmas vluva e Albas do fioado ttoen-
le-corooel Lamenha e commendador Zeferino dos
Sintos. Por todos estes ttulos foi qae sempre
me coosidarei ligitimo pottuulor do Souza, e nao
por vicio de possuir o slbeio : vicio de possulr o
alheo, tem aquella que quer perturbar posses
legtimamente adquiridas noespacode tres quar-
tos de teculo.
Agora Onaliso por hoje, aconselhando ao Sr.
Antonio Gomes de Maeedo, que aeja mais come-
dido qusndo bouvar da dirigir-se a pestoas qua
esto oo caso de dar-lbe licoes de morslidade.
Queiram, Srs. redactores, fazerem o obaequio
darem publicidade a estas mal tricadas liohat,
pelo que ficar atss obrigado, sau atiento ve-
nerador.
Jos Antonio Pereira.
Eogeoho Potosi, 26 de agosto de 1862.
A o poblico.
A Revista diaria,, puolicada oo Diario de Per-
nambuco de hoje, fazendo maoso dos aervicos
prestados pelo Sr. Dr. delegado do Io dittricto
detta cidade cauta da liberdade, conten alga-
mas palavras em relaco a preta Aotoola e seus
tunos menores, que estavam em companhla do
capito Manoel Bezerra Cavalcante, que obri-
gc-oos comocoohecedores qae somos do que a
reepeilo tem occorrido, dizermoa algamas pa-
la ma, nio com o m de menos presar ou desco-
checer os boos servidos prestados pelo Sr. Dr.
delegado, mas anicamente no intuito deresta-
belecer a verdade e fazer dissipar qualquer juizo
meos digno do carcter e procedimento do ca-
pito Manoel Bezerra Cavalcante que por ventura
techa dado logar aqaella publicaco.
Em dita do mez da julho do corrente anno,
a Sra. D. Francisca desales Cmdida da Rocha,
re.quereu ao delegado depolicia do termo de
Seriabem que requisilaae das autoridades
; oiiciaes desta capital a captara e appreheniao
ce urna sua escrava de nome Simiana e dos fi-
lhos da mesma, que conslava acharem-se em
ma casa da ra de Uortas sob o poder de urna
mui-ier chamada Aqaiafaf.
.Srs. redactores.Leudo sea cooceituado Diario
n. 174 de 30 de julho prximo passado, deparei
eom urna correspondencia assiguada pelo Sr. An-
tonio Gomes de Mtcedo, morador no Rio Formo-
so, na qual faz > ir que as Ierras do eogenho des-
ta freguezi* a'Agu Prela peitencem a elle cor-
respondente por compra que fez aos herdeiros
do finado vigario de Une, e nao a mim : Do que-
ro duvider dos ttulos do senhor, quero smente
fazer > ir ao Sr. Mtcedo e ao publico os ttulos em
que me bateio para intitalar-me proprietario do
Souza, e hoje de parle delle.
E' verdade que o finado Joo Leaodro Soares
de Araujo tiroa por sismara certo de um se-
cuto urna legua de ttrra orsde foi edificado o eo-
genho Souza, e qua a venden ao fioado vigario
de Uai Viceote Ferrelra de Mello e Silva, tssim
como tambem verdade que o mesmo vigario
veodeu ao fioado Luiz da Silva Saotos a legua de
trra comprada a Joo Leaodro, e qae teodo Luiz
da Silva tomado potse da terrs, descoberto parte
do terreno, estabelecido celia sua residencia, e
dado principio a levantar o engeuho.foi a obra em-
bargada e citado o comprador pelo vendedor para
urna aeco de nallidade da venda : Luiz da Silva
pedio vistas, e sustentaran) um libello por muitos
annos. que foi a final decidido pela relaco da Ba-
bia a favor do comprador; voltando Luiz da Sil-
va da Baha com sua demanda ganha, tratou de
acabar as obras do eogenho, e o possuio por
mais de 20 annos, sem que em sua vida ppare-
cesse pessoa alguma llegando direito algum so-
bre as trras do eogenho Souza.
O Sr. Luiz da Silva morreu ha mais de 40 an-
nos, seus beos foram inventariados e partilhados,
tocando a todos os seas herdeiros psrte do eo-
genho Souzs.
O finado capito Jos Fellppe Santiago Rodri-
gues Ramos, comprou diversas parteado ongnho
Souza aos herdeiros de Luiz da Silva, tomoa
posse do eogenho e arrendou, e do mez de julho
de 1825, venden as partes que tinha no eogenho
Souza a sea irmo o finado capito Antonio Ro-
drigues Ramos.
Por morto do capito Antonio Rodrigues Ra-
mos foram seus bens inventariados e partilhados,
tocando pouco mais de um cont de ris no eo-
genho Souza asea filho o Sr. Barnab Rodrigues
Ramos, e ludo o mais a sua filba, mulher do fi-
nado lente coronel Manool Francisco Lamenha
Lins.
O Sr. tenente-coronel Lamenha falleceu om
1846, deixande por seus herdeiros suas Exmas.
mulher e duas filha, que veoderam o que tioham
no Souza,comprando eu mais ao finado commen-
dador Manoel Zeferino dos Santos o que este ti-
nha no engeoho Souza, qae ere a parte que com-
prou ao Sr. Barnab Rodrigues Ramos, a duas
parles e herdeiros do Sr. Luiz da Silva que lin-
da estavam fra do eogenho.
Nao consta -que depols da morte do Sr. Luiz
da Silva Santos apparecesse urna s pessoa alle-
gando direito algum sobre as trras do Sauza,
porm eslava reaervado para o Sr. Antonio Co-
mea de Macado vir allegar seu direito de com-
prador daa trras do Souza. depois de 70 annos
palo menos. Parece que o Sr. Maeedo teve a
sarla dos dormentes, e que agora foi que acor-
dou, depois das terral do Souza terem passado a
seis possuidores contados do Sr. Luiz da Silva
CM2A MMM
DO
Banco do Brasil.
Acalla filial desconta letras com praso at
quatro mezes a 10 0|0, as do seu proprto aceite
a 9 0|0, toma diobeiro a juros em sonta corren-
te, oa por letraa a 7 0(0 ao anno, e sacca ao par
a curtos praaos, sobre o banco do Brasil.
Caixa filial 9 de setembro da 1862.
Francisco Joo de Barros.
Secretario.
NOVO BANCO
DF
Pernambuco.
EM 9 DE SETEMBRO DE 1862.
O banco deaconta na presente semana a 10 00
ao anno at o praso de 4 mazes, e a 12 0,0 at o
d 6 mezes, e toma dioheiro am contaa correntes
simples e com juros, pelo premio e praso que se
coovenciooar.
O novo banco da Pernamcuco paga o 9. di-
videndo a rszo de 12} por aeco.
&!tane.eSa,
fttudlmentodedfa 1 a 9 .
Idsm da da 10.....i
113:905g935
17:86823
131:3749158
Sovlmento la alfaaaletjra,
Velumeaentradoscomfaxendas..
om geoeroa.. 37
Valumat tenidos com fazendas.. 78
com gneros.. 872
37
450
Oascarragem no da 11 de setembro.
Patacho ioglezVellage Bell ferinha de trigo.
Palacho ioglezMerceymercaderas.
Berca ioglezaCarolinebeeelho.
Patacho americanoPlmelomercadoriai.
Importaban.
Brigue ioglez Village lietle, viodo fde New-
York, consignado a Pnipps & C., matfeitou o
seguiote :
2.106 barricas e 100 metas farioha d vlrigo. 5
harria os harrilinhns roanteiga. 2U0 ditol !
de porco ; aos consignatario. *..
lime nacional Sergipano, viudo da ilha de
Fernando, consignado a Henrique Jos Vieira da
Silva, manifestou o seguinte :
524 saceos milho, 76 ditos feijao e800 geri-
ms ; a Ilenrique Jos Vieira da Silva, capito e
consignatario do mesmo.
Brigue ioglez Mersey, viodo de New-York,
consiguado .a Wild & Jast, manifestou o se-
guinte :
64 caixat gaz para eandie.irot, 6 volumet ditos
e pertencet, 6 caixat meldaras e objectos para
pbolosraphia ; aos consignatarios.
1,200 barricas fannba de trigo, 100 barriqui-
nhas bolechinba, 10 barris manleiga, 75 tlitos e
10 caixis banha de porco, 25 ditas meiat, cha.
20 barris carne de porco, 5 barricas graxa, 2.2C0
resmas de papel de embrulho, 1 caixa esdeiras,
20 ditas gaz, 10 ditas tabaco, 1 dita arreios, 138
laboas ; a ordem.
20 caixas velas, 22 volames candieiros ; a S. P.
Johnston 4 C.
33 c- xas drogas ; a Ctors & Barboza.
17 caixas medicamentos ; a P. Maurer A C.
3 ditas soias a balo ; a F. Souvage i C.
Exportayao
Do da 9 de setembro de 1862.
Birca americana Azefia, pera Philsdelphia,
carregaram :
Maiheus Ausn &C, 741 saceos com 2,705 (>
de assucar.
Barca ingleza Ronald, para '.Liverpool, carre-
garam :
Saunders Brothers & C, 900 saceos com 4,500
arrobas de assucar.
Brigue inglez Babthorpe, arribado a este porto
car'egaram :
Widow Rajmond & C., 2 cestos de gavia de
sicupira.
Seeebedorla de rendas Internas
Kra?s de Pernambaeo.
Randimento do dia 1 a 9 ll;363~99
dem Ce dia 10......; 556a814
11:9205613
'/mtaiado provincial.
Rtndimen'.ododlal a 9 U.11M019
dem do ** 10......1:4764073
12:5949837
Movimento do porto
Navios enerados no dia 10.
liba d' Fernando de Naroohe5 olas hiate na-
cional Sergipano, de 54 toneladas, capito
Heanque Jos Vieira da Silva, equipagem 7,
carga milho; ao capito.
Bostoo45 dias, barca americios Weern Sea,
de 296 toneladas, caoltao E. C. Harding equi-
pagem 9, carga 2,332 barricas eom farias de
trigo e madeiras ; t Johnston Pater & Q. Se-
guio para a Babia.
Nao houveram sthidis.
H
concurso
prattcintes
O lllm. Sr. inspector da thesourarla de fa-
zenda desta provincia, em curaortmanto da cir-
cular do thesouro, datada de 28 de julho ultimo
sob n. 42, manda fazer publico que fica abert
para o dia 6 de outubro vindouro novo
para protnebimeoto dos lugares de
da alLmdega desta mesma provincia, com
os exames as 10 horas da manha sobre as se-
guintes matarita : |," grammstica da liogua ver-
oacula, leitura e escripia correcta e correte 2
iheoMa da aacripturaco merceotil por partidas
simples e dobradas e saas applicacdes ao com-
marcio, e a admioistra(o da fazenda 3 triih-
metict e saas applicecdis aocommercio com es-
peciahdade reducto dos pesos e medidas na-
clooaes e eslrangeiros, calculo de detconlo e ju-
ros simples e compostos, iheorUa da cambise
e suss applicar,oea; 4* nocees de algebra 5 tra-
dcelo correrla des linguea inglezt e f'raoceza
ou pelo menos da ultima ; 6" principios aerees de"
geographis, de historia do Brasil e de eslatistica
commercial: aquelles que pretenderem ser ad-
metudos so. concorso, deverSo previamente pro-
var que teem 18 ancos completos de idade, que
erumenf "i?!.?.^!.' 5A'em b t0- f061? en e a ret.Iho. armazen. de
S0ri8n!>ent0, S'cretarla'da theso*urara de fezen-
U de Peroambuco 28 de agosto de 18tt.Ser-
vtndo de offieial-maior,
. Manosl Jos Pinto.
O lllm. Sr. inspector da thesouraria provin-
cial em curoprimento da resoluto ds junta di
fiztnda manda fazer publico que te contrat. por
lempo de tres mezes a contar do | de outubro
ao ultimo de dezembro prximo futuro, o foroe-
timeato de alimeotieo e dietsa para os presos
pobrea da cssa de deteocao, a saber :
ALIMENTACAO.
Domingo.
Ataiogo.
1 pao de tres oocas.
1 once de caf.
2 onc.es de tssacar.
.... JANTAR.
1 libra de carne verde.
1 ooga de toocioho.
1 dcimo de farinha.
Lenha e sal.
Segunda-feira.
ALSOCO.
U mesmo que no domingo.
JANIan.
O mesmo que no dcmingo.
Terca-feira
ALMOCO.
O mesmo que no domioge.
ANTAR.
O mesmo que no domiogo.
Quarta-feira.
almo o.
0 mesmo que no domingo.
JANTAR.
Hela libra do carne secca.
1 ooca de toucioho.
Mel dcimo de feijo.
1 dcimo de farioha.
Lenha e sal.
Quinta- faira.
. almo.;o.
O mesmo que no domiogo.
jantab;
O mesmo que no domingo.
Sexta-eira.
ALMOCO.
0 mesmo que no domiogo.
JANTAR.
Meia libra de bacelho.
Meio dcimo da feijo.
1 dcimo de farioha.
Duat oitavas ds azeite.
1 ooga de vinagre.
Leoha e sal.
Sabbado.
ALHOCO.
O mesmo que no domiogo.
JANTAR.
O mesmo que oa laxta-feirs.
DIETAS PARA OS DOENTES.
N. 1.
Almoco.
ralctntl Coutseiro.
A?
i*o$ mxriilmm.
Para Lisboa
recolher, de deposito e es trapiches, de 8 fj'O dem 5 particullr d '
sobre eoosultonos mdicos e cirurgicos, carinos Secretarla da Ssnlt Ctaa da Miiarirordi. H u.
escriptonos. de 609 sobre css.s de mol... bilhar, cift 5 de Miembro d, \m -o SSS *"
chapeo, e roup. atl. eslr.ngeira.de 1:0009 aobr F. A. cSateSnS '
casas de operaQaobaocaria com emiaso e privi-
legios, de 3009 sobra companhiaa anooymis e
agencias, de 200$ sobre casis de ctmbio, 10 Oin
sobre a renda doa terrenos oceupados com o
ohmio do capiro, de lOOg sobre correctores com-
merciees, de 509 sobre correctores de escritos
de 500 ris por tooeladas da alvtreoga e canoas
empregadasno trauco da carga a descarga, e fi-
nalmente o Imposto sobre carros, carrocas'e m-
nibus, que no ultimo de setembro corrente fina-
se o prazo marcado para o receblmenlo dos seus
dbitos pertencentes ao anno floanceiro de 1861
a 1862, flesndo sujeitos os que nao pagarem a
serem executadoa
Mesa do consulado provincial de Perntmbaco
4 de setembro de 1862.
O chefe da seganda seceo.
Francisco Ferreira Martina Ribeiro.
Pela theaourari. provincial se faz publico
que a arremataco dos reperos da estrada de
Pao d'Alho, foi transferida para o dia 11 do cor-
rente. per.
Secretaria da thesoursria provincial de
nambuco 4 de setembro de 1862.
O secretario,
A. F .da Aonunciaco.
De ordem do lllm. Sr. inspector da thesou-
raria de fazeoda deata proviocia se faz publico
j que, tendo havido engao as materias aonun-
! ciadas no da 23 de agosto prximo findo pira
os exames de praticantes da alf.odega desta met-
I ma provine, sao ellas as exigidas no arl. T das
. iostrucedes de 3 de margo do corrente anno a
; saber : leitura, analyse gremnatical e ortbogra-
nhla, tradueco correcta daa liogaas ingleza e
francezaou pelo meoes da ultima, aritbmetlca e
suas applicacoes at a theoria daa proporcesln-
. clutlve. Secretaria da thatouraria de fazenda
de Peroambaco 5 de aatembro de
186.Ser-
Pinto.
viudo de official maior, Manoel Jos
Collectoria provincial de
Olinda.
O eolleclor de rendaa provinciaes de Olinda
manda fazer publico pelo presente tos contri
buiotes dos impostos langados, que no da 30 do
corrente te encerrar o exercicio de 1861 1862,
e que, quera deixar de pagar at est o. ai suas
coolnbuicpes Lr de o fazer de oulebro em dian-
te com guia do juizo dos feitot; faz tambem
constar que d expediente tndot os dias uleis na
ra do Amparo sobrado n. 42. o ultimo, seguindo
para a ra dos Galos, do lado esquerdo.
Collectoria provincial dt Olila 1 de setembro
da 1862.O eterivo, Joo Connives Rodrigues
Frange.
Conselho administrativo.
O conselho administrativo para fornecimento
Um quarto de gtllioha para trs caldoa no dia. do arsenal de guerra tem de comprar os obieelos
N. 2. seguintes
tres
Almoco.
oocas em sopa
de esldo de
Um pao de
gallioha.
Lsnha e sal.
Jantar.
Um quarto de gallioha cozida.
Duas enees de srroz para cinja.
Lenha, sal e vinagre.
N. 3.
AlmoQo.
O meso: o que oa dieta n.2.
Jantar.
O meirao que na dieta o. 2 e mais
Um quarto de gallioha assada.
Um pao de 3 ooges.
Leoha esal.
N. 4.
Almoco.
Data oitaas de cha da india,
Um pao de 3 oocas.
Duat ongasde issucar.
Leoha.
Jantar.
Um libra de carne verde.
Um dcimo de farinha.
Leoha esal.
N. 5.
Almoco;
O mesmo da dieta n. 4.
Jantar.
Urna libra de carne astada.
Quatro ongat de arroz.
Um pao de 3 onens.
Lanha a aal.
> as peesoes qua qulzerem contratas iiiin loro.
cimento apretentem as suas proposita em cartea
fechadas na mesma thesouraria, no dia 18 do
corrente, pelo meio-dia, onde eocontraro as
coodices com que deve ser effectuado o referido
contrato.
E para constar te mandou aflixir o presente o
publicar pelo Ditrio.
Secretaria da thesouraria croviocial de Per-
oambuco, 9 de setembro de 1862.
O eecreterio,
Antonio Ferreira d'Aaounciaso.
'fcvO.
Conselho administrativo.
O conselho administrativo, para fornecimento
do arsenal de guerra, lera de comprar os objeclos
aeguintes:
Para o hospital.
200 lencoes de brim de dtus pannos e 10 pal-
mos oe err primelo.
150 camisolas de brim eom 6 palmos de com-
prmanlo e 8 ditos de largura.
150 fronhas de brim com 4 pemos de compri-
mtnto.
100 toalhas de brim com urna vara e meia de
comprimeoto.
12 cobertes de chita.
100cobertores aa !aa.
80 colches do panno de lioho com enchemen-
to de 13a com 9 palmos de comprimeoto e 3 de
largura.
20 colchaes de panno de linho com enehmen-
lo dela, com 8 e meio palmos de comprimeulo
a 4 da largura para uso de officiaes.
100 Iravetseiros de panno de linho com tres
palmos de cumprimento.
100 guardaospos de brim com meia vara de
coropri "enio.
60 pares de chioellas.
12 copos de vidro.-
6 baci.s de rame com 5 palmos de circunfe-
rencia.
6 b.cin de rame com 6 palmos e meio de
circumferencia.
Quem quizer vender taes objectos aprsente as
suas propostas em carta fechada, na secretaria do
conselho, s 10 horas da manha do dia 17 do
correnta mez.
Pera e 4* balalhao de artilharia.
6 resmts de papel altnaco.
6 caixat de p 2 caivetes.
6 garrafas de tinta preta;
6 duzias de lapis de pao.
6 libras oe areia para escripia.
Pata o 7o b.talbo de infantarla.
6 reamas de papel almssto.
6 caixas de peonas de ac.
200 peonas de ave.
2 caivetes.
6 garrafas de tinta preta para escrever.
6 duzl.s de lapis de pao.
6 libra, de areia para escripia.
26 collcccdes de cartas para principiantes.
36 taboades.
12 grammaticas porttguezss por Monte Verde
ultima erticao.
12 compendio de aiithmetica por Avila.
12 pautas.
36 tranelados.
6 pedras para escripia.
18 lapis para as ditas.
Quem quizer vender tses objectos apresentem
as suas propostss em carta fechada na societaria
do conselho as 10 horas da manha do dia 15 do
correte mez.
Sala das sesses do conselho administrativo,
para fornecimento do arsenal de guerra, 6 de
agosto de 1862.
Antonio Pedro de S Barreto,
Coronel presidente.
Francisco Joaquim ereira Lobo
Coronel vogal secretario interino.
Santa Casa da misericor-
dia do Ret'ifc.
A Illma. junta administrativa da Sania Casa
da Misericordia do Recife, manda fazer publico
que no dia 11 do correute mez, na sala de suaa
aessOes pelas 4 horas da tarde, contina a preca
das rendas das casas abaixo declralas, pelo lem-
po de 1 a 3 anuos. Os pretndanles deeern com-
parecer acompaohadosde seus fiadores ou mani-
dos de cartas destet.
I Fiacade Pedro II.
i N. 1 particular e i publico, urna sala.
Ra do Queimado.
dem 1 particular e 35 publico, loja.
Ra do Crespo,
dem 3 particular e 11 publico, tres andares e
loja.
Raa do Raogel.
I'cm 6 particular e 56 publico, casa terrea.
Ra da Cadeia.
dem 17 particular e 59 publico, dous andares e
loja.
Ra da Madre de Dos.
IJem 22 particular e 9 publico, um an 'ar e loit.
dem 21
loja.
dem 25
dem 31
dem 33
dem 34
dem 36
pretenda seguir com muita brevldade a veleira
e bem conhecida barca portugueza tGratido
capito Antonio Ferreira Borges Pestaa, tem
parte Meatj carregemento prompto: para o res-
to que Ihe falta trea-aa com os seus ccoiigoata-
nos Antonio Luiz de Olivtlra Azevedo, no seu
sicriptorlo raa da Cruz n. 1, ou com o capllo
na
ara
Rio Grande do Sol.
O patacho Candida aegue coro brevidade
recebe alguma carga a frete : trata se com os cn-
sigoalorios Msrques, Btrros eV C, largo do Cor-
po Santo q. 6.
Mili
Janeiro.
O veleirohute Novaes tegae com breeidad
recebe alguma carge frete : trata se com ot coo-
t.goat.riot Marques, Barros & C, lugo do Corpo
sanio n. o. r
Rio de Janeiro,
pretendei tegair eom muita brevidade o veleira a
otm eonbecido p.tacho nacional .Capuana, ca-
pito Thtotonio Joto da Silva Rota, tem parta
i" e,rr8atenlo prompto : para o resto q.a
ine lana, tratase com os teas consignatiriot An-
Olo Luiz da Ollvaira Azevedo ii C. no tea et-
riptorio, ra da Cruz n. t.
de Janeiro
Pretende tsgair eom muita brevtdada para
Rio de Janeiro oveleiro a bem conbecido brig^u
naiional Almiranteo, im parta de seu tarraga-
ment prompto ; para o resto qaa Ihe falla, tra-
ta-te com osteuscontignatirios Antonio Luiz de
Olivcir Azevedo, no seu tseriptoro rut da Crua
numero 1.

i
segu brevemenle o hiele
alguma carga para o resto e
Exhalsco, j tem
" g Cade --JSStSUSSL
Jt^tk
UHM
Por estes dias segu para o Araealy o hlalo
santa Rila, rcestr. Joaquim Antonio Figueire-
do : a Irelar com Tanto Irmcs.
par
e 26
e24
e 12
e 8
e 6
e 2
Ru. do
icular e li
dous andares e

I

um andar e
casa terrea.

9
>
loja.
Torres,
publico,
dous andares e
particular e 16 publico, dous andares e
publico, dous andares e
Ilem 37
loja.
dem 38
loja.
dem 39 particular e 18
loja.
Ra do Cordoniz.
fdem 42 partirular e 1 publico, casa trros,
dem 43 particular e 3 publico, casa terrea.
Ra da Moeda.
dem 44 particular e 21 publico, cata terrea,
dem 45 particular e 45 publico, casa terrea:
dem 47 particular a 49 publico, cssa terrea.
Ra do Amorim.
bala das sessoes do conselho administrativo dem 48 particular e 56 publico, casa lerret
para fornecimento do arsenal da guerra, 10 de
setembro de 1862.
Antonio Pedro de S Barreto,
Coronel presidente.
Francisco Joaquim Pereira Lobo,
Coronel vogal secretario interino.
Gompanhia do
A directora faz publico aos habitan-
tes desta cidade que se acham abertas
a venda d'agua nos chafarizes da ram-
pa do Gymnasio Pernambucano e da
cidade nova de Santo Amaro, desde o
dia 29 de agesto prximo findo.
Correio.
Pela admioistraco do correio d.sta cidade se
faz publico que, em virtode da convenco postal
celebrada pelos goveroos, brssileizo e inglez, se-
ro expediaas malas para a Europa no dia 15 do
correte, de cooformidade com o annuncio deste
coireio, publicado no Diario de 9 de fevereiro
do anno penado.
A cartas serio receeida at 2 horas antes da
que for marcada para a sabida do vapor, e os
jornaes at 4 bons antes.
,o9rre0 de Fernambaco 10 de setembro de
1862.
O administrador do correio
Domingos dos Ptssos Miranda.
Consolado provincial.
Pela mesa do consulado provioclal se avisa ao
devedores do imposto da decima urbaoa, de 20
OlO sobre o coosumo de tguardeote.de 4 oO so-
bre os estabelecimeotos de fora da cidade, preo-
sas de algodao, typographias, cocheira, cavalla-
rices, botis, botequins, casas de patio, e fa-
bricas, de 12 oiP sobre os estabelecimentos de
dem 49 particular e 54 publico, casa terrea,
dem 50 particular e 52 publico, casa terrea,
dem 51 particular e 47 publico, casa terrea,
dem 52 particular e 45 publico, casa terrea,
dem 54 particular e2l publico, dous andares,
dem 55 particular e 24 publico, osa terrea.
dem 56 particular e 26 publico, cata terrea.
Ra do Azaile de Peize
dem 61 particalar e 15 publico, casa terrea,
dem 64 particular e 2 publico, casa terrea.
Ra do Vigario.
dem 71 particular e 22 publico, tres andares,
dem 73 particalar 25 publico, tres andares.
Ra do Eocenlameoto
dem 76 p dem 77 particular e 13 publico, dous andares!
Ra da Senzalla Velha.
dem 78 particular e 136 publico, dous andares,
dem 79 particular e 134 publico, dout ani.reti
dem 80 particular e 132 publico, dous andares.
Rui do Trapiche,
dem 85 particular e30 publico, tres andares.
Roa da Linguete.
dem 86 particular e 14 publico, dous andares.
Ra da Cruz.
dem 87 particular e 11 publico, doua andares,
dem 88 particular e 29 publico, dous andares,
dem 90 particular e 12 publico, doua andares.
Ra da Lept.
dem 41 particular e 2 publico, casa terrea.
Ra da Cacimba,
dem 65 particular e 5 publico, armazem.
Ra do Burgos,
dem 68 particular e 19 publico, casa terrea.
dem 69 particular e 21 publico, casa terrea.
Ra da Guia,
dem 83 particular e 27 publico, casa terrea,
dem 84 partcula- e 29 publico, casa terrea.
Raa do Pilar,
dem 96 particular e 2 publico, casa terrea.
Ra do Sebo.
dem 12 particular e 3 publico, casa terrea:
Sitio do Parnamerim.
dem 2 particular.
3RASILEIRA
DE
mmt u nm.
Espera-se dos portos do sul at o dia 13 do
corrente o vapor Cru;etrorfo Sul, commandante
o capito de mar e guerra Gervazio Mancebo, o
qual depois da demora do costume seguir para
os portos do oorte.
Detde j recobem-te passageiros e engaja-st)
a carga qua o vapor poder conduzir a qual deve-
r ser embarcada no dia de tua chegada, to-
commendas e dinheiro a frete at o dia da sabi-
da as 2 horas: agencia ra da Cruz n. 1 as-
criptorlo de Antonio Laiz de Oliveira Azevedo
& C.
GOMPANHIA BRASLFIPA
DE
E' esperado dos portos do norte al o dia 17
do correle, o vapor eTocantinst, commandante
o primeiro lente Pedro Hyppolito Duarte, o
qual depois da demora do costume seguir para
os portos do sul.
Desde j recebem-se passageiros, e engaja-se
a carga que o vapor poder couduzir, a qual deve-
r aer ambareada no dia da sua chegada : dinhei-
ro a frele a entommendas al o dia da sahida as
2 horas da tarda : agencia ra da Cruz n. I,
escriptorio de Antonio Lalz da Oliveira Azeve-
do
COIPAMM imiDIlGIlU
DI

JSaYegaco coseira a vapor
Macei em direitura.
O vapor Memangoape, cnmmmdante Moura
sahir para Macei no dia 15 de co-reote mez s
4 hora, da tarde
Recebe carga at o da 13 ao meio dia. En-
commendas, passagtiros e dinh-iro a frete at
o da da aahda s 2 horas: escriptorio no Forte
do Mallos d. 1,

.
MUTILADO
ILEGVEL
I
ata



D1A1K) D% ^filSAMlDCO. QUjRTa FB Aa I i 0| SITEMBR0 E I84fi
9&M
a Baha
com multa brsidida pretende seguir o be a to-
nbecido Teleiro brig escuna Joven Arther,
cipitao Joiquim Antonio GooQalve dos Santoi,
tem parta de ten earregameoto prompto ; par o
reito que lhe falta, trata-si cora o siui coong-
natirios Antonio Luiz da Oliveira Azarado & C,
no aeu eseriptorio ra da Crux n. 1.
ca* de talpa com 30 palmos de (rente do mei-
mo terreno, em leu escriplorio ra da Csdeii nu-
mero 9,
Avisos
CdMH HLM11BUGIIU
n
Havegago costeira & vapor.
Paralba, llio Grande do Norte, Ma-
cau, Aracaty, Ceara' e Acaracu'.
O Tapor lguarass, commaadante Yianna,
ahir para os portos do norte at o Aearac
no dia 22 do correte i 5 horas da tarde.
Recebe carga at o dia 20 io meio dia ; en-
commendas, pasugeiroi e dinhairo a (rete al o
dia da tahida das 2 horas : escritorio no Forte
do Mattoi n. 1,
MaWinu
DAS
Messagenes imperiales.
Al o dia lt do crrante espers-ia da Europa
O vapor france Guannc, commaodaute Enout,
o qu*l 'lep >u da d -mora do cosiume s.'guir pa-
ra o Rio da Jaoai-o locando na Babia para pas-
a*g-*n*elc. trata 86 n agencia ra do Trapiche
n.9.
O
Um grande carra e 2 ca-
vallos co -Varreios.
Sabbado 13 do crvente.
O agente Pinto ar |.,|o por cunta >lo quem
perlocer de uti carro grande e novo 2 cabal-
los con arreioi par d niesmo carro, o q*al lem
excelentes molas, lant^roas e tolo mais per-
tenses : s 11 h iras do dia cima meocionado ns
praca do comrnercio.
Alogam-sa aa caas terreaa n. 9 a 15 da
ra Bella : a tratar na rea larga do Rosario nu-
mero 44.
xmmmm mmmmmm\
| Saques sobre Portugal.
O abaixo asignada agente do Banco
Mercantil Portuanee neita cidade, aaca
effactiTamente por todoi o paquete so-
be o mesmo Banco para o Porto Lii-
boa, por qualquer somma avista a pra-
xo, podando logo os saques a prazo terem
Ueseontados no meino Banco, ni nza
dt 4 por cauto ao anuo aoi portador*
gqaa aasim lhe confiar : naa ras do Cru-
Ipo n. 8 oa do Imperador n. 51.
Joiquim da Silva Catire.
LOTERA
Sabbado 20 do corrente mez, se ex-
trahira' a quinta parte da segunda lo-
tera do Gymuasio Pernambucano (5*
concessao) no consistorio da igreja de N.
S. do Kosario de Santo Antonio.
Os bilhetes e meios bilbetes acham-se
a venda na respectiva thesouraria ra
do Crespo n. 15, e as casas commis-
sionadas ra da Imperatriz loja de er-
ragens n. 44 do Sr. Pimente!, praca
da Independencia n. 22 loja do Sr. San-
tos Vieira, ra Direita n. 5 botica do
Sr. Chagas, e na ra da Cadeiado Re-
cife loja n. 45 do Sr. Porto.
As sortes de 5:000$ at 10$ serao
pagas urna hora depois da extraccao,
a as outrps.no dia immediato depois da
distribuicao das listas.
Servindode thesoureiro,
Jos Rodrigues de Souza.
Para
criado.
Aluga-se um escravo parlo com Hade do 20
annos, muito Uel obediente, j servio n'uma
casa Pstrr>Keira 7 annos s^m nota e sabio por
se ler acabalo com o estabelecimenlo : na ra
da Cruz n. 62. ter<-eiro an-iar
CiVi-lk
Sabbado 13 do correte.
O aftaole Pinto (-.r leiiao por G3trang- elevte carro ameriesno da 4 rolas com cober-
t. com aaseoto para duas e4 pessoas, com ar-
rei 14 e lao<;as pira um e >ious easalioi '. s 11
horas do lia aern* mencinalo na praca do
cooamarein era (r'it.> a can comuiercial de
Saunders P,r..thrs & C.
Arreita^o.
Os escravos dos orpliaos Gllios do fi-
nado Jos Pues deMoura Accioli, que
deixaram de ser arrematados na praca
doSr. Dr. juiz de orphaos rao de novo"
a praca na sexta-feira 12 do corrente
por o- '
da ru
para 1
rias.
o n. 2
a modos
as lote-
anca.
A proprietaria do hotel da rus da Senzali No-
va, avisa ao publico e aos aeus (reguezes, que
mvtdou o meamo hotel paro a rut da Gaia n 36,
pnn.Hiro andar, aonle coniini a fornecer co
medorlus mensaes per meiina prego que em ou-
tra qualquer parte, com ass^io, regularidade e
preiteza em seu s.meo ; finelinenlH stienlica
sos aeus Irrguezes qu* lodos us dotningoa o alas
saitus pla n lru 'i harerfl exhoroaa mo de
"" Na niesma casase precisada um petfeitj
c 7.inhiru.
as 11
zem da
taes. lauc
object).
doras da manliia no arma-
ra do Imperador numero 57.
te O y.npio nlfilao de movis, crys
a, um carro da 4 rol9 e oulroi muiloi
O >gnte Aimeida (r Uili > pr conta de urna
tamlii quy s-? retiro*] de.ua provincia d uti
mobilia de faia, mjss, cadnir'S, marqu^us,
urna ,psa de jfCirand com pedrs, urna dita a
Luiz XV; baca d ruogno para costura, caiel-
ras fie^rolauco, conv6rs4dtiras, urna poltrona,
a^jij rtp >mrelio para casal e cid de mogno
com eolia o elstico, apparadiir pequeo com
tampo oe piira, um oiano, ma senphina, di-
verna obras ile prala e ouro, urna fliula de
msrtlm. relogios e muitoa outros objectoa de
apunado gosio qua poierao sr ex*minados pelos
preleodeut-s; ns roesma f>c:sio ae venier
vma carroga aa duai rodas em muito bom et-
tado.
Sexta-feirt 12 do crrante
No Hbrido da rus do Imperador n. 21, pri-
cneiro anlar, 11 horas.
A' publico.
O abixo assignado, aoti^o solicitador dos au-
ditori is Oesta cidade, coutna a exercer sua pro
tisso, tabla no civel como no commercio, e se
e..carreg de oesmp-onar com isliiade e
promplno todos os miai.res que lhe aaoithe-
rentes por ajustes mu raoa?eia : os seus *nli-
kos amigos que sempre o hunraram com sua coo-
aanrja, e quaeiqueruutras pessoaao podero pro-
curar em ca.a oe sua resi lencia un ra da Im-
peratriz r. 3i, euj todos os das das 6 i 9 horas
da Dianha, das 3 ia larde em diaole
__________VicUirifni Jos de Souza Travassos.
/xiugam-ae ous es^ravos poiMDtsa ; quem
s pretender, dirija-le a ra de Hartas n. 3, das
6 s 9 horas oa maoba, e das 3 s 6 horas da
trde._________
Preclaa-ie de um meuiuo oe 12 a 14 anuos
Je uade, qu soioa ler e escre?er: na ra da
Con urda n 38.
Alog se o lopra-lo 0a rus as Ma gueira n.
6 tratar m ru no S-bo n. 13
twelM-ni de um caxe:ro para laberua, de
14 o 15 annos, que alicea a sua conducta : tra-
Ur na ra Velha n. 33.
Precisa-aa de urna ama que compre e (aga
tolos os servlcos de urna casa e pouca (amilia :
na ras dos Pi es n. 27.
Piadas-leu um lroplQa lor : ua paoaria
da ra ;reiti D, 24.
Um sobrado
Sexta-feira 12 do corrate
O agente Pinto (ara lailn ii 10 horas do rin
cima mencionado do sjbrado d um andar e
solio o. 4 silo na ra do Calabnuco, em chaos
proprios, o qual tem muitos coratmodos e rende
60J aoouaes, em seu escriptorio ra da Cadeia
a. 9.
18
DI
livros de ilirdlo e
Fugiu Uo amo do iiini aisiguaoo, no Ola
8 do correte o escra'o a'ricnio de nome Jos,
que repreaenta ter de idade 50 annos, pouco maia
ou menos, altura regular, rosto onl, leroo rea
tido taiga de riacadiuho azul, camisa brauca da
algodo : pede-su as autoridades policlaes mor-
mente ai oa freguis, do Poco a Panella a sua
captura, con luzn lo ao seu sitio m Saut'Auoa
uu no R :ite, ra de Apollo u. II.
Joaquim Jus de Amorim.
Juizo dos feitos da fazenda.
Na quinta-feira 18 do corrente na
presenqa dolllm. Sr. Dr. juiz dos fei-
tos da azenda se venderao em praca
publica na sala das audiencias as 10 ho-
ras da manhaa os objectos seguintes pe-
nhorados a Francisco Gomes Castellao
para pagamento da mesma fazenda na-
cional : 32 pares de sapatos de couro
branco para homem a 800 rs. cada um,
13 pares de botinas de couro de lustre
para mulhera 1^500 rs. cada um, 18
pelles de bezerro trancez ja preparados
a 2$ cada um, 576 pares de sapatos de
pelles de carneira de diversas cores pa-
ra mulher a 480 rs., 16 duzias de meias
ordinarias para homem a 1$ cada du-
zia, 66 pelles de carneiros de cores a
800 rs. cada urna, 23 ditos de ditos
maiores cor de bezerro a 1$ cada urna,
e um carro de 4 rodas avahado por 50$
pen horado a Ferreira Yin has por Au-
gusto Ficher. Recife 10 de setembro
de 1862.
O solicitador,
______________F. X. P. de Brito.
Juizo dos feitos da fazeud.
Na quinta-feira 18 do corrente na
presentado Illm. Sr. Dr- juiz dos feitos
da fazenda nacional se venderao em
praca publica ao meio dia as armacoes
das lojas da ra do Cabuga' n. 2 B e
n. 4, a primeira de louro pintada a
oleo com o fiteiros envidracados, avaha-
da por 120$, penhorada a Castro &
Amorim, e a segunda de amarello en-
vsrnisadocom o iteiros envidracados,
avahado por 2W#, penhorada a ftanoe
Joaquim Dias de Castro, tudo para pa-
gamento da mesma fazenda nacional.
A praqa lera' lugar as mesmas loja.
Recife 10 de setembro de 1862.
O solicitador,
F. X. P. de Brito.
Joaquiiu FiaucIbcu u- HirTndT, AOgv'lica
Bernarda de Miranda e Jos Joaqoim de
Miran la, coruialmeote agradecm a todas
as pessoas qie assistiram as ultima exa
quiasdesua finada mi D Marianoa Do-
rothea Joaquina, e que tambem se digna-
ram acomoanbar o seu cadver ao comite-
rio publica nesta cidade, e encarecida-
mente lhes pedm queiram aisistir mis
sa que preleodem mandar celebrar no dia
l do trrenla, s7 horas la raanhaa, no
concento doOrroo rtsta cidadp.
Os encarregados da
festa da Senhora da Conceicao da Esca-
da na igreja da mesma Senhora dos
Militares annuncia para o dia 28 do
corrente visto a folhinha annunciar pa-
ra o mesmo dia.
&@
m&
'@^@
I ftluila attenco
Amarl-
leratura.
O agente Aimeida (ir leilo de ama Imana
-completa oa qual os nreteodeotes achira excel
lentes obras de dlr*ito e litteratara, doi melho
re eicriptore modernos com ricas encaderna-
.(deiqai lerio vendidas sem reserve de preco.
Ouinta-fira 11 do crreme
Olelao tr& lugar na ra da Gadaia do Recite
.51, ia 11 horas.
LEIUO
DE
UVI TEflHENO.
\
i-feira 12 do cor rento.
^eow Pinto far leiiao i 11 horas do dia
, n>eo*'ouado, de um terreno na estrada de
do Be*-com 50 palmoi da frente aaa
O anulo asalariado reaponJe ao Sr. Jo. da
Costa M-.riuis que o seu anuuncto publieado no
Diario de 10 do correla, que o sitio P050 Fun-
do pnenee-lhe, e^09 seus irmos, e que o sea
aonuucio nao (ax prora, visto que oo ba vera-
ciaade ; o absixo aasigoado 6 senbor legitimo do
litio Poco Fuudo, e seus i raaos, e nao coosida-
ra o Sr. Costa Marlios como seohor. O fallecido
Jos Vai da Co.ta quando *endeu o dito sitio ao
meu fallec lo pal, declaro que bavia um berdei-
roaankor de urna psqueoa parle, do valor oe
145&, e como o Sr. Cosa Martina diz que om-
prou h oais de 26 anuos, S. S. n3o saba que
meu (allscido pai lomoa poste do sitio e l mo-
roe dous annos, siodu l assassloado, S. S. ig-
nora que ao depois da morte da mea pai, o sino
asteve arrendado, a que S. S. fui euto para Id
contra vontade de aeus legitimos dooos ; confi
da jusiica de minhi trra, ella dar o qoa for de
diraito. Proiasto contra a venda que o meamo
Sr. Joi da Coala Martini q*er fuer.
Baraarda da Silv Franco.
frer.iaa -ae de 4Hl a jurul de doul por cen-
to au mea sobre hypotneca de arta caa, ou io-
bra peohore e bypoihecs de urna eacrava : a
tratar no nrmazern da bula aroarella junto do de-
posito do gaz, ou annuncia. ||
lano| Das Xa-ier val a provincial do aul,
Aiuaa-ae um prtlo foroeiro, perito m aua
arte por 405 : na ra doi Pescadorea ns. le 3;
t!""iv n libra.
Liu iuuj'1 cun haOilita^Oea preiiaa ae ull'e
rece para lomar por balaoco urna laberaa, estan-
do dei.rDbar*c.t'la, da qual tem multa pratica.
d conb"Cimeuto sua conducta, como le acba
arrumado: ai pasioas que pratenderem poderao
deinr dito aonde morara para se procurar, aa
rus da Senzala Vlha n. 48. deposito,
lojeccio Brow
Remedio nfallivel contra as agnor-
rheas antigs e recentes, nico deposito
na botica franceza, ra da Cruz n. 22,,
preco 3|. |
Arrena-se o aagaabo Santo
nho silo na (rc^ufzia da Varze
d'agea com muitai ratitas e b
de plantarlas. A propietaria a maia
b>rdeiraa protastam contra todo a qual- t|
quer damno que a ez-raod*ira fizr vis- fe
lo nao te-lo amolado da no'o dito en- Jc|
ganho a nio poder izer pl'.oiaco .ie
noa ara. Reiife 10 da setembre de $
186. 2
Fierre Hunabiet e J. L. F. Toaan, subdi-
tos BuIms. retlrarn-e nar fora da p'OVfaci*
J. S. Wiliamiuns, aua mulher Mana Vao
Weddinf? e ama filha raanor, sabditoi Belgn,
retlram-ae para o porto do lu.
Joia Autonia doi Santos, iibaito Portu-
gaez, a a M co
Preclaa-ae de m aatxeiro porluguez
idade de 14 a 15 annos : tratar oa ra I ipa
nal o. 4.
a
Sitio.
Alags-se o bem conhacido sitio na entrada do
Uanlairo onla ullimaruef.ta esii'araaa oa Srs.
cooialai tfaspanhoei D. Migael e D. Joao. Tem
etiellentea commo ioi para granda (mili, co-
Cheira, eatribaria, todo murado, grande terraco
na frente, portao na frente e no funio para o
banho, arvoredoa de frueto e grande iardim com
bellas e Don diapo.taa flore: a tratar eom o
Sr. Antonio Jos Gomes do Crrelo, no Montai-
ro, ou eom Manrique Jorge na ebra da travesa
do Pociuho,
ESTRADA DE FERRO
DO
n CIFE A & FRANCISCO.
Domingo 14 do corrente havtr um trena de excurso
Agua Preta.
Com grande di ninuijo de presos a saber :
Primeira clnsse (ida e volta) 6^000
Segunda classe (ida evolU) 5j000
Tercera classa (ida e volt) 4000
O trena partir das Cinco Pontea s 7 horas e meia .la manhfit e passar pelas est^...
.ntermedus conforme a tabella geral, ehegaudoja Agua Preta aa12,10^ Urde ?
Apartidado volta dahi aera aa 12,30 para assim faeultar eos s-nhores nassa^ir
maistempo para descancoepasMtoemGameleira.dondes partirte aaahwas^iftarite
Mediante ajuste previo feito no escriptorio da compauhia.os passageiros encontrarao
carros eipeewea para as reunioes de amigos que desojaren, f.zer a excurslo ta
Agua Preta ou algum outro ponto intermedio da linha frrea.
Assignada-. //. Bramah, superintendente.
^Padaria franceza del
1 torno mechanico, I
UNIC iNA PKUVLRCIA y
5Q-Rua da ImperatrizSOB
% A padaria franceza alta na ra da Ira- f?J
peratriz o. 50. ontioua iob a admiDis- gk
trago da viuva Barrellier e all hsver
todos os dias : sg
P-j quente de leite s 6 horas da tar- a
ft de D8ra tomar com cha ao dia do cor- 2*
W rente em iante.
Bolachas de todos os lamanhos e aaa- ^
v-c^ lidaaes, !=
Biscoutos doces a aguidos e de todas 9
as qualidades. i$
Bolachinhas de araruta doces e olea-
das.
Bolos (rancezes.
Falias doces.
Pao comcoum das
do mercado.
s
melhores farinbas
Q Preparam-se bandejas de todoi os ta- S
^ manhos com bolos de todas as qualida- ^F
des e tudo isso por precoi commodcs. 9
A referida padaria trsbalha em um te
forno mechanico asas daapeooioso e *[
nico na provincia O pao, qae delle &
JQ sahe o mais limpo, puro e de melhor %$
i ^ gusto a bem assim as bolathas e tudo o &i
- mais. O forno tem um asseio notavel e S?
o pao cosido com muito pouca leuba, 3
e em haver communicacao com esta J&
^ ou as bases, sendo por isso qua nao se c^
,-f encontr o menor fragmento de carv.io -i'
9 no pao e n.s massas que alie coslnha. f&
*mmm-mB*m-m**mmm
Sort-mento completo de sobrecasacos de panno a 2>tf, 28, 30 e 3535, casacas muito bem
feilasa 25, 288, 30, e 35, paletois acasacados de panno pretode 16 at 25, ditos decasemira
decora 15, 18e20, piletois saces de pinnoecasemirade 8* al 14, ditos saceos dd alpaca, ,
Zl- faSI-f f '''/l ^ RM C "19,"0 ^ 73- 3l a' *' C3,53S PrelaS ^ C8Senma ^ !^^"-"-ot.rgad^ Xpt
8>aie 145. ditas de corda 7 ate 10?, roupas para menino de tolos os lamanhos, grande sorli- te da malru.
ment de roupas de brinscomo sejam caigas, palelols e collete?, sortimento de collctes pretos de
metim, casemira e velludo da 4 a 99, ditos para casamento a 5$e 6, paletots hrancos de bra-
DMOtea 45 e &9, calcas brancas muito finas a 59J e um grande sortimento da lazendas finase mo-
dernas, completo sortimento do casamiras inglezas pira hornera, menino e senhora. serculas da :
ilnho e algodao, chapeos deso de seda, luvas de seda de Jouvin pa homem e senhora. Te- '
mos urna^rande fabrica de alfdiate onie recebemos encommendas de grandes obras, que para Na ra da Cruz, sobrado n. 9, di Urceiro an-
u?o estando administrada por um hal.il mestre da semelhanle arte e um pessoal de mais dedfr' alu',-se omaaaparoea e fresca sala com sua
^^J^^^^^^^^^^^^^ffomfXi^o^ mais barata STy.StlSff
. a> ,
Admirem-se e pproveilem-se
Retntos de ant'otypo 1 um ; na rr.aii acre-
,dilada eautiaia ofliema d pbotographia oeta ci-
Utenco e ecoor
mia.
outra qualquer casa.
DA
umm wm\m m ummim
E JUNT CENTRAL OE HYGIENE PUBLICA
ELECTROMAGNTICAS EPISPASTICAS
Para serem applicadas s partes affectadas
sem resguardo nem incommodo
medoria, poder entender-se por urna e outra
cus, co-n a familia que l mora, a qualrjaer
hora do dia. *
prov
sul'ados em todos os casos de infiammaco sejam appl..
. externas en internas ( com cansado e falta de1 eonfian$a do Ilustrado publico
() respiragao ) como do estomago, figado, bago, '"
__ ^ bofes, rins, tero, peito, palpilagao de corago,
ea moeale ^ garganta, olhos, cysipel?, rheumatismos, para-
oas trras ^ lysia e tolas as efftcces nervosas, etc; etc.
Igualmente para qmesquer inchagoes, feri-
das, tumores intestmaese veneraos, escrophuias,
lobinhos, papos, etc., etc, sejam qual for o seu
Na ru Qo Sol n. -21 aluga se um esiravo
pr-pno para trahal^p de e< xada
Compauhia Fielii*de d se-
guros martimos e terre?-
trs, estabelocida ao Rio de
Jaiiriro com u capit&] o"e
16:000:000^
Agentes em PernamLuco
Autoao Luiz da Ollraira Azavxde i C. coaipa-
wnteaente autorisadoi pela directora da eompa-
nbia de seguros Fi ialidadu, lomam lesuroi de na-
nos, mrr.artorii a predios, no uu reeriilorio
ru *. --* ..-.., ,v, i =n n- igiizc, u*^pjis u- i no-
Muito conbecidis nista corte e em todas as inconlestaval, e as innmeras curas comolatai S.! aT s" tlo-(,,e V"1"1" vO "da em
ovincias dest, imperio pelos seus inMIiveis re- obtidas as diversas molestias em ,ue lora ^S^Z^^i'^^^^^
liados em todos os casos de infiammaco sajara applicadas, o fazem meecer e con-ervar a "." M,n0*' J-"a" Bapitata contra j-. fior^n-
, queja tive
honr de merectr delle 25 annos ie existencia e
de pratica.
N. B IWta corta e de tod s os pontos deste
impono recel.em-se participaco.! satisfactorias a
respailo das dilas Chapas Medicinaes.
As encimmendas das provincias devera ser
dirigidas por e ,-_,_, -- i---------------------o-----r w ^.,,.., ,,u ,uuu 0 cuiuaao ne
taroanho e profunden, por meio da suppuri?ao fazer as necessarias e^plicacoes, se as chapas sao
serio radicalmente extrpalos. para homem, senhora, menino, ou enanca
( Estas Chapas nao podem fazer mal de declarando a molestia e em que parte do corpo
forma alguma, ellas tem sido applicadas aos existe.
olhos com o melhor successo, vejam-seos attesta- Para inch^oes, fondas, lobinhos, papos etc.-
dos de curas completas queja (orara publicados o molde justo de seu tamanho em um peiaco d
pelo? jornaes. ) papel a declararlo onde exisle, afim de que a
O uso deltas acconselhado e receitadas por chapa seja da forma da parta, affectada, apara
habis e disBctos facultativos, sua efficacia ser bem applicada no seu lugar.
Pode-se mandar vir dts qualquer ponto do imperio do Brasil
As chapas sero acompanhadas das suas com
- petantes explicares, e tambem de todos os ac-
cesorios necessarios para suas applicages.
Consultas as pessoas que se dignarem hnra-
lo com a sua connansa, todos os dias sem ex-
cepcao. das 9 horas da manh s 2 da tarde.
ua do parto ||9
Consultorio medicocirurgico
SK13\HA G1LOBii\ AS\ DO FlJLYDiYO -3
Consulta por ambos os systemas,
Ern consecuencia da mudanza para a sua nova residencia, o p'oprieiario deste estabeleci-
roento ataba de fazer urna reforma completa em todos os s-us mediementos.
O desejo que tem de que os remed s do seu e-tabelecimenn nao se confundir com os de
nenhum outro, visto o grande crdito de que sempre gozaran e gozam ; o proprietario tem tomado
a precaucao de inscrever o seu nome era iodos os rtulos, deven 1o ser considerados como falsificados
todos aquellos que forem apresentados sem esta marca, e quando a pessoa que os mandar comprar
queira ler maior certeza acompanhar urna coma asignada palo Dr. Lobo Moscozo e em papel
marcado com o seu nome.
matTu de"E T vST* 1*1 **" ,enbor na roa d Outro sim : ac iba le reesbar de Fran? gnnde p irji da aflatara de acnito e belladona, re-
^----------<"- i a. 11. que ie ncompeoiari. medios estes de summa imporlancia, e cujas propriedades sao tao conhecidas que os mesmos Srs.
Sitio de criar d^nominndo '
Atteuco
Acha-M fagidodeade 5 do crrante o esenvo
pardedeDomeLeoncio.de ldada de 16 annai
leroa resudo camisa de algodao branco, calca
de brim dsaeotado e chapeo de pilha de car-
neaba, o ligoil maia fi.i.pi ter em ama das
pernas duai etcatrisss provententea de foge, fot
ha uoacos iispreao ooi Afogadoa e recoiaido a
cideia a ordem do labdelegado da S. Jos a no
da cima tomo* a ausentar-.e, fot ruto no do-
mingo 7 ni Panagim da Magialana; peda-ie
por laoto aa antoridadei politiaei e maii paaiois
qa delle tivoram coahaciraeoio ou noticia o
aprehaodam eo levem a sea senhor oa roa da
ci -le Oiireira e Sila.
freclaa-aa de urna n", par caaa oa punca
la -lilla : a tratar no sobrado da roa VBlh* n.
Ordem turc^iria co do Recife.
Alugam-se os segundas andaros don lobradoa
dis ras ealraita rio Roiario n. 36, e C nceicio
la Ba Vista n 50, pertencenle ao patrirno^io
la oila ordem : os protendeotei polerao dirigir-
se ao irmao ministro o Sr. Antjnio Pcreira da Fa-
rias, na ra 0;reiia n. 91.
Ha para alugar escravos mogos e mullo
Geii para todo sarrico, tanto dentro da ci >ade,
como fora em litios, como tambem para aerrico
de copeiro ou criado : ajuern precisar dirija-ae
estrada d querd, lado pelo Mnajinho
Aos seahores d^ cngeiiho
Um agricultor q deixou de o eer, dia.e doa
escravos : entre ellas tpm um bom bom n eatro
de assucar e carreiro, de 25 annos, n.wito rolas-
toe lidio : quem pretender diriia-ie ruado
Sol n. 21. _________^____
Cas^s para alugar. *^
Alega-se o 1* andar do lobrado n. 2i da ra
da Crui, proprio para escriptorio, e o 2* andar
da ra di Snxalla-Novi, n. 9 ; quem pretender
dirija -se a Prente Viaona & C, roa da Cadeia
do Recifa. n. 57.
O Dr. Fredenco Schulz. medico, parteiroa
ooerador, mudou iea consultorio medico para a
ra Nova n. 21, 1* andar, aonde elle pode ser
encontrado todos oa dias para exercicio de sua
eieocia a qualquer hora do dia ou da ooite. Re-
ado oor eicripto.
Ats
Jac
H.2...!. i1"'*"*0 4 PrPriel"io d otada
a! r k!1,"U 00 ,,r1"0 Ue PoBlb"1 Proiiaita
f- ./ f ; ioaUnd-e que oa mloh. par-
.,! *8.i.,5*. Por uso proleitoem-
pregar o meloa di lei onira quem est des
.i- i'h" ? ,er '. ao mena-
me ter fallado respailo.
Recife 10 de aetembro de 1862.
Marcelltno Jos Lopes.
mdicos allopatbas empregam-as constantemenlr.
Os medicamentos avulsos qur em tubos qur em tincturas custario a 19 o vidro.
O proprietario de>te estabeleciment annucia a sem clientes e anigos que temeommodos
sufficientes para receber alguas escravos de um e outro sexo doentes eu que precisen) de alguma
operaeso, affi ingan lo que sere tratados com todo o desve'o e promptidao, como sabera todos aquel-
los que j tem tido escravos na casa do annunciante.
A situa^ao magnificada cass, a comraodidale dos banhos salgados sao oulras tantas vanta-
gens para o prompto re'tabelecimenlo dos doentes.
As pessoas que quizerera fallar com o annuuciante davem procura-lo de msnhit at as 11 ho-
ras e de tarde das 5 em diante, e fra destas horas acha-oom casa pessoa com quem se podaro en-
tender na ra da Gloria n. 3 cara do fundao do Dr. Lobo Moscozo.
O abaixo assfgnado, conhacido por Xieo Bexi-
ga, amigamente com loja de calcado airas da
praca da Independencia, travesa das Cruzas, a
hoja com o meamo eilabelecimenio oa ra da
Imperatrix, oetr'ora aterro ds Boa-Viata, ao pa
do beeco dos Ferreiros n. 38, participa i ieui nu-
merosos fregueiei, tanto di p;i como oego-
ciantei do mato e deste c*nero, que eita beoa
orttdo para servir bem aeui fregeexei, e venda
muito barato como de costume vender rcuitoa
gintiar poucoFraneiico liaciel de Soun.
A pesaoi que tlvar nma eadeira de rabuca
em meio uso, e a quizar vender, dirija-se pra-
ga da Boa-Vina n. 5. legundo andar.
Preciaa-ae o* urna ama para coiiuhar par,
am homim lolteiro : na ra das Cruies n. 24, ta-
reroa.
Miry Henlerson e leo filho meuor lukJItoa
ingl'zesratiram-ia para a Inglaterra,________
Arreada ie um sitio qua leaba pasto pira
4 vaceai algum iarre.no para captm agradaada
>& se algum dinheiro i villa : annuncia por -
te Diario. _____________________
Na re do Raogel n. 73, precisa ae de urna
ama da lalto qae nao leaba Albo, eicrava oa 11-
Tra,
MELHOR EXEMPLR ENCONTRADO



UUO II IIKHUOCOi t QUINTA FE1R1 11 DI SE1EMBRO II H62.
ARMAZEM
GQBSEBIftTinra.
23Largo, do Ter$o23
O proprietario deste novo wnas;lB| Aenj9 os gneros por menos do que em outra qualquer
paite, afianqando-se a boa qualida^e de qualquer genero comprado neste irmazem.
Manteiga ingleza da primoira ^ualidade a 720 e 800 rs. a libra, e em par^o a 700. rs.
dem franceza da safra nov<^ a 600 rs. a libra e em meiosbmis, a 560 rs. a libra.
Queijos flamengos chega^os ltimamente a 2$, do vapor pass Caf de primeira esecunda sorte a 260, 280 e 3004rs. a libra, e em arroba a 89 e 99.
Setvejs das melbores maicas a 480 rs. a garrafa, e a duzia a 55000.
Vinho engarrafado do Porto a lCOO a 1|200 a garrafa, e a duzia a 99000.
D'.to ora pipa das melbores marcas a 480, -:>G0 e 640 rs. a garrafa.
Massas, para sopa a 320 rs a libra, e em caixa de urna arroba, por 69000.
Azite doce de Lisboa a 720 a garrafa e de carrapato a 360 rs. a garrafa.
Sardi'ohas decantes multo novas a 380 rs. e em porcao se f.z abatimento.
Alm dos gneros annunciados, encontraro sortimento competo e mais barato do que
am outra qualquer parte, por virem a maior parte delles por cunt propria.
Arrenda-se uma grenda parte do Mito del Augaito Boureaa, retratlita em fh^gm,.
Icoqueiro, de,nominido Marta FariDha, na regue-Fphi, chegado ha pouco lempo de l',iDOl 0Dde
ala de Hroguape : a tratar no eogaoho Muri-lse demorou por eapaco dequalro ;aa e depoia
D,", trcguazia da S. Lourepco da Malte.
Bailar & Olttara sacam aobre a praca do
Porto.
Simpes dos Santos, para se Ihe entregar
urna caita do norte: nesta typographia.
Precisa-se fallar ao Sr. Francisco No ia 16 de **< Pel M ho' d
maoha na audiencia do Dr. juu de orphaos dea-
Xa cidade se ba de arrematar un..a caa tarrea
de padra e cal no paleo de S. Pedro Apotolo
o. 1 da cidade de Olioda, avallada em 1:4009.
A pesaos que acbou no ala i* do correuto I Sendo dita caaa periencenle aoa meDores Luiz a
quanlia de 2 em leiulss, que iam fechadas Amalia, lhoa do fioado Alexendriuo Cietaoo de
em um involucro ot>rala, tenhe a bondade deloiind, que a houveram por herauca no inven-
o mandar ou entregar ra d" Livramento o. 33, ilirio de ana av D. [goicie Mara a Coocel;ao,
ou travesa de S. Jo> n. 35, aegwodo andar,ie vai a prega por iuierluctoriod*sto juno prfe-
. rido do* autoa de inventario do dito Uado a ra-
que se graca' genrnesmente.
I rjuerimcnto do tutor i'l mesniOS.
Aiuga-ie o quono Nova D. 21:a tratar na mesma roa loja de 1er-
rtgens n. 6.
Saca-se
sobre Lisboa e Porto : na ra do Vi-
gario n 9, primeiro andar, escriptorio
de Carvalho & Nogueira.
Francisco Jorge da Silva Prannos, dentista
ion aseu gabinete na ra larga do Boaario n 9,
lem a honra de identificar ao respeitavel publi-
co deata cidade, que receben ltimamente de
Paria e da America do Norte um variado sorti-
mento da objecioi de sua profisso aiuda nao
vidus a cata cidade, como sejam denles de clif
fercoles qualidades, transparentes minpraea per
Velcanet, estes dentea nao a pela solidez com
tambern pala grande rei>can de analoga que tam
com oa naturaes, ao aaperiorea aoa que ordi-
nariamente lem vlodo eta cidade, rsiae por-
que prt-si-oterrante sao elles oa mais a Jo, Indos
velos melhurea deniislas dt Parla a da Americ
ao Norte. O aununciinle lem tambem um gran-
de siir.Ku.-nUi de maasas finas de diversas cores
r/.ara encher os deotea cariados, aa quaea tem a
proprledade 4a adherir a cavidade e de soliO-
ca-la da modo a poder logo exercer a mastiga-
ran, dissipam initiramer la as dore anda as
maia sensiveia propriededea que nao tem a ta -
maDtina de qua ordinariamente se faz ao, a quel
em vez de disaipar mitiva aa dores por causa
d'agua ocidolada de sulphurico. Quem qaizer
aeaa deotaa carlvdos, cheios de dito masas
recorreodo ao ar.nuncisnle porque ella o ni-
co que presentmoste tm neata cidade ditas
maesas recentemeote chegdas da America do
Norte e de Paris. A' vista -iaa circumstaneias
criticas do lempo tem o aonunctar.te resolvido a
modificar o precoi e de seus trablhoa aflm de
-chegar para to.ios. O m-smo colloca deotei so-
bre base de ouro, platina -tc lem ettraccao de
raizes pela presso, a pivni ou a pistan, esrea-
aort de crochel, como tnelhor exigir o eslado da
bocea. Para a conservarlo dos denles em esta-
do de jaspe Um o tnuuncUbte excL-llente p da
China verdadeiro preservativo nico e magnifico
dentrificio para conservar a bocea e dr-lhe un.
hlito sublime, tornan .o os denles pelo leu us<>
quotidiano sentoa da carne que "vulgarmente
chamam podra, da frouii.io dos oervos al1', o
larios e de outroa muU >s inconvenientes que a
ftlia de taes prea*rvalivos occasiuua leudo por
oiigem a negligencia que coiiiDum'nte ha qua-
li em lodo o publico, ac< ntceu I> astira per
d-r-se o especial ornato da bocea ; o annuncian-
le alm dialo faz todas as oper'C.es de sua pro-
sSo cora toda a prompuno pus:ivel e delica-
deza. A i-Rtr.l. confronte a caaa dd pharma-
t\n do Sr Barlholomeu.
SEGUNDA EDICTO
TIESOL'RO HUMEUPATIICO
ou
Vade-mecum o homeopatha
pelo doutur
SMDStt t. il. twm.
Este ltvro que se tam tornado to popular,
quanto ner.easario, acaba oa i.r publicado com
lodos os melhoramantoa, qua a experiencia a o>
progressoa da sciancia lem demonalrado. A no-
va diccao em lado superior prlmeira, en-
terra :
1.* Miie ampia* noticiaa acerca do curativo
da moUstias, com indica;*a roai proveitosa
"oa madicamentos novoa recenteroenta zperi-
meutidoa na Europa, uoa Estados-Uoidoa e no
Brasil.
X.* A expoiicaoda doutrina homeopatba.
3.* O ealudo da apropria^o dos remedios se-
gundo aa predominancia! dos temperamentos,
das idades, dos axoa, aeguodo as circunstan-
cias atmoapharicas etc., etc.
5.* A prt-aervacodaa molestias epidmicas.
6.* Ums estampa illuitrada demootlraliv da
continuidade do tubo inteatinal deade a bocea ale
e anua ele, etc.
Vende-s* ni phabmacu especial hohbopa-
tiica, propriadade do aulhor, ras de Santo
Amaro (Mundo No>o) o. 6.
Pre;o de cada exemplar. 30$000
N. B. O aenhoreaaisignantes queiram man-
car rucebar aeua exemplaraa.
Manuel Go-iiei KoSi. aubjllo portuguul, 16-
lira -le para fora da provincia.
Preciaa-se de um
n. 30.
forueiio.; ua ra irtila
Arreinatago.
Pelo juiao de orphaos desta cidade
vai a prara de venda no dia 9 do cor-
rente aiez os escravos ci ioules Antonio.
Andr, Eleuteriae Joao, peitcncentes
aos menores illios do finado Jos Paz
de Moura Accioli. Estes escravos sao
importuntcs por suas figuras e aptos pa-
ra todo servico.
O Sr. Antonio Pavo, de Olinda, faga favor
de ir padaria de Santo Amaro a negocio qua o
imsoio senhornao ienora.
Nova exposi-
cao de candieiros
a gaz.
Chagou a nova exqosicao
Chegou a nova expoaico
Chegou a nova expoaigao
Chegou a nova exposico
Chegou a nova expsito.
Candieiros a gas
Caodieiroa a gas
Caolieiros a gas
Candieiroa a gas
Caodieiroa a gaz.
Sortimento completo
Sortiu.ento completo
Sortimento completo
Sortimeoto completo
Sortimento completo.
Gaz de primeira qaalidade
Gaz de primeira qualtdade
Gaz de primeira quslidade
Gaz de primeira qualidade
Gaz de primeira qualidade.
S tem na nova expsito
S l*m na noca expoaigao
S tem na nova expoiigo
S tem na nova expoaigao.
O proprietario deate eaiabaleeimento avisa ao
publico em geral que tem recehido um completo
aorllmenlo de candieiros s gax para ricas salas,
quarloa, aseadas, eogenbos a para ealudoa pe-
queos que pode eorn a economa de urna gar-
rafa de az ter para 60 horea de luz, ricaa cadi-
res de blango de ferro com ealofo adamascado
de linbo, lavatorios de ferroa economicoa com
todos oa perlencei, com eagoto no fundo da ba-
cia, ricos quidroa para ornamentos de sals e um
riquisalmo lortimei lo de objectarias a imiuco
de msrfim para aanhoraa spprovadsa na ultima
exuosigo das princezas tando o premio maior,
riquiesimas pulceiraa a imitacao de camafeo, lu-
do ae vende por diminuto prego que mullo de-
ver agradar aos pretendentea ; oa ra Nova n.
20 e 24, loja de Csroeiro Visnna.
seguindo para Pana aflm de app>M-0r.ge em |
arte, lem a bonra de i^ounclat ao respeiiav*l
publico, que tem ajerio o leu salao de retratir
na ra da lorpertiru n. 6, tereairo |andar, onde
qualquer petsoa o aocontrar seropre prompto
para exercer a sua profisso, garaollado a per-
feigio do seu trabalho e commodidade de pregos.
O seu ealabeleciineoto, acban1o-ae prvido
da melhorai machinas, p le se dizer, aem te-
mor de errar, qae ser o nico nesta cidade em
tirar retraloa em ponto natural, ou em qualquer
tamauho, todos com a maior semelbanga poaai-
vel e no menor espago de lempo. Roga, portan-
to, ao mui diitincto povo pernambucano se dig-
ne honra-lo com sua concurrencia.
Alugam se dous grandes arma*
zens na ra da Concordia proprios para
qualquer estabelecimento em ponto
Joaquina Jos de Souia Meea dalias) de
ser caixeiro da exincta firma de Pinto de Souza
Balro, deade o dia 1 do p-cfente mez.
t'*5Mp!fHS
tiene
a
Pereu-se no dia 2 do correte, da Soledad
al a ra da Uniio, uma caixi coolendo urna no-
ta da caixa filial da 50$, e uma oavalha ae cabo
braoco, cuja caixinha Um o rime R. & 1. Slatks
Celebrated army Razor n. 336 Stnnd, em letras
Oouradas : a pessoa que acbou-a, querendo rea-
tituir, pole leva-la ao cutiUiro Pradioea, na ra
.V.-va, dt-fronte da Igreja doa militares, ou ao tra-
picha do Barbota n. 11, praga to Corpo Santo,
que se gratificar generosamente.
m
Companhia

m de
| Seguros martimos i
SEGURDADE.
&
m
&
Estabelecida uo Rio de
Jfliifr'iro.
AGENCIA RA DO VIG ARIO N.tO.|

tw
Bombas
Aisentam-ae bnmbas em ocimbis, e concer-
tam-se de todas as qualidades, e fazem ae enca-
namentoa de chumbo e zioco pare agua, assim
como ae vendem boojbua propriaa para sitios, por
pregoa qu nao aa encontraro em outra qualquer
parte ; conortim-se tanit.-.-n candieims a gaz
com perfvigo : na ra da Imperalriz n. 43.
Compram-saacgoes do novo banco de Per
nambuco : no ascripiorio de Manoel Ignacio de
Oliveir & Filho, largoWo Crpo Stnlo n. 19.
Compram-se escravos que saibam trabalbar
em armazem desnucar, e que sejam robustos:
na ra do Trapiche n. 9. armazem.
Ra da Seazalla Nova n. 1%
Neste estabelecimento vende-se: ta-
chas de ferro ;oado libra 11 rs. dem
de Low Moor libra a 120rt.
Compra se
ou reos em qualquer porcao : na ra
do Viga rio n 9. primeiro andar.
V"r'V;d
?-; y..
grande : a tratar com o Sr. Miguel Jo- j RetratoS de SUa alteza rea! a
Lecos brancos
com barras de cores para meninos a 1 $
a duzia.
A loja d'aguia branca tambera vende bcni a
bonitos lencinhoi trancos com barras de cores
proprios para nenios, pelo diminuto prego d
fS a duzia. Avisia da limiiigo do pregj Ulfes
alguem desconlle da bondade da fazenaa, mas
para desengao ditigir-ae, prevenido de d'inhei-
ro, 5 roa do Queimado, loja d'aguia branca n. 16
! onde os achar patentes. *
Vendem se halaoraa decinsaea e uma de Ro-
mao com pertences : na ra do Trapiche o. 9 sr-
s Alves na ra da Cruz do Recie.
Atso.
Fernando Garzoli, eatabelecldo com casa de
relojoelro na ra do Rangel d. JO. participa a
seus amigoa e freguezes, que tendo de fazer urna
viagem Europa para tratar de seus ioteressea
particulares, que veoham retirar os concertos e
ludo o que entregaram ao mesmo, iato oo prszo
de 30 das, cootando da data deate ; do contrario
laro de esperar al o regresso do mesmo, que
sera a 15 de Janeiro de 1863. Recite, -20 de
agosto de 186-2.
mazem.
princeza de Italia D. Mara
Pia.
Ra ua Soz&lia Nova 11. 42.
Vende-se em casa da S. P. Jonhston & C.,
Tem para vender Jos Azevedo Mala e Silva,' sellins a silhoes inglezos, candieiros a casticaes
na sua luj,, roa do Queimado n. 05.____________ bronzeadog, lonas inglezas, fio de vela, chicolea
Plvora e chumbo
venda.
Joo Jos de Carvalho Moraes Filho,
REMEOiU.NCOMPAKAVtL
UNGENTO HOLLOWAT
Milhares da individuos da todas as naco*
aodeaa testera un ha r as virtudes desteremedia
incomparavaleprovaramcaso necessario.qua
pelo uso que delle fizeram tem saucorpoi
embrosinteiramentesosdepoisdeoavar a-
*regadoinutilmente outrostratamentos. Cada
pessoa poder-se-haconvencer dassascuras ma-
ravilhosas palaleitura dos peridicos, quelh'ai
ralatam todos os dias ha muitos annos; a i
maior parta dallas sao to sor prndenles qu
admiram oa mdicos aaais celebras. Quantai
pessoasrecobrara com este soberano remedie
o uso de seus braSos e pernas, depois dedo,
permanecido longo tempo nos hospitaes.o te>
deviam sofrer a amputado I Dallas ha iaau
casquViavendodeuadoesses, asylos depad
timemos, parase nao submeteresa aessaopa-
raSao dolorosa foraaacuradas complelaiaenu
mediante o uso desseprecioso remedio. Al-
jumas dastaespessoanaenfusaode saureco-
nhecimento declarara astesresultados bem-
eos diente do lord corregedor e outros Hacia
tradGs.ahmU aisautanticareaa sua afirmaliv
INtnguesE desesperara doestado desaude s.
tivesse bastante confianza para encinar este re-
madio constantementeseguindo algnm tempo t
tratameDto que necesstasse a natureza do mal,
eujo resultado seria p rova rincn testa velmente!
Que ludo cura .
imaa pboiographtcos, e esppcialmenie por am- O nuguento hentll, mala partlca
oob seRulntcBeasos,
Inflamaaaro da baxiti
da matriz
Lepra.
Malas das pamas.
dos peitos.
de olhos.
Mordeduras de reptil
Picadura de mosquitos
Pulmes.
Queimadelas,
Sarna.
Supu.raf.Ses ptridas.
Tinha, asi qualque
parte que seja.
Tremor de ervos.
Ulcera* na bocea,
do figado.
das articulacoes.
Veias torcidas ou no-
das as pernas

RETRATISTA DA CASA IMPERIAL
Ba do Cabug n 18, entrada pelo
pateo da matriz.
Eie galera ornaoa com os augastoa retratos
pbotographicoa de SS. M.M. e daa sereoissimas
princazsa imp.rUea, aaslm corro com 01 "e mui-
tia das prinr.ipaca peaaoaa de^ta cidade, est e
41spoaiQo do publico, que apode visitar todos
os diaa das 8 horas da manhita a 5 da tarda, e
exarr mar oa trabalboa expostoe.
Coniiiiua-se a tirar retraloa por todos os sys-
brotypo eem cartes de visita. Fazsm-ae tam-
Dem mlmoaaa miniaturas em talco para se ccllo-
caram em joiaa.
Oa pre?oa doa retraloa ao os mais razoavela
que ae unconiram n*sta cidade.
J. Farreira Viotographo. pbllela.
Banco flio.
Estabelecido na cidade do Porto.
Agentes em Pernambuco.
Antonio Luiz de Oliveira Aze-
vedo & C.
Saeam por Indos os piquetes sobre o mesmo
Banco a przo ou vista, a sobro as agencias em
Lisboa, Figueira, Coimbr, Aveiro. Vizeo, Villa-
R-al, Ragoa, Vianna do Caalello, Goimeraa,
Barcelloe, Lamego, Covllha, Brega, PenaQel,
Bragao^a, Amarante, a tito dias, ou ao praao
que ae couvancionar: ne seu escriptorio ra da
Cruz n. 1.
Sement de algodo dos
Estados-Unidos
Na livraria n. 6 e 8 da praca da In.
dependencia distnbue-se sement de
algodao mandada vir dos Estados-Uni-
dos pelo governo.
Quem achar uma grande porcao de bicoa a
rendas da trra amarraOoe n'um leoco branco de
easse, perdioo deade a ponte dns C'rvalhos, ca-
minho dos Remeoioe al o littoda Torre, baja de
entrega-loa Antonio da Silveira Maciel Jnior, -,
no m-smo sitio da Torre, ou neita typographia,
qua aera recompensado.
Antonio Jos Pereira & vista e a>-u eslado
de saue, em r.jo de algumaa viagens que tem
fvito t li-ii de cobrar '
a
Frieiras.
\ *U S : Sengivas escaldadas.
i Inchaces.
nflammaclo da gado.
Vende-se este ungento no esubelecimenu
pela presso do ar, nao re- $ |8,ral de Londres n. 244, Strand, a na loj
lgumasomque aa obraa nao II de todos os boticarios droguista a outras pea
soas encardadas de sua venda em toda j
America do sul, Havana a Hcspanfaa.
Vende-se a 800 rs cada bocetinha cont*
urna instrucc,o em portuguez para explicar t
modo da fazer uso dcste ungento.
O deposito geral am casa do Sr. Souts
barmaceutico, na ra de Crui n. i2,
pernambuco.
3-Raa estreita do Rosario3
0 Fraucisco Pinto Ozono continua a col- u3
0 locar denles artiflciaea tanto por meio de t
ej molas como
9 sebe paga a
S> flquem a ventada de seus donos, tem pos
outras prepara^oe as maia acreditadas *}
O para conaervaco da bocea. X
GU^SLLTUKIO ESPKGlALHOlEirATHIG)
DO DOUTOB
S&BINO O.L. PINHO.
Ru*de Santo Amaro (Mundo
Novo) n, 6.
Consultas todos os diaa tais desde as 10 herai
t meio dia, acerca da aeguiutea molestias :
nolttliat da mulhtrts, moltttiat da$ crian-
o*, moUttiai da pilit, .ni/io* do* olhot, o
Uttiat syphilitieat.todat ai espacial dt ftbrtt,
ftbrit inttrtnitttntts tuat eonuqutneia$,
PIAHHACU BSrBClXl OliEO f 4TIIC A .
Vurdadeiros modicamentoa bomeopathiaos pre-
parado* sois todaa aa cautela neceasarias. h-
allivois em seus effeitos, tanto am tintura,cama
m glbulos, palos pregoa maia commodos pea-
iia.
K. B. Os medicimentos do Dr. Sabino sa
laicamente vendidos em sua pharmacia ; tedet
i o (orem tora dellea falaaa.
Todas as carteiras o acompanhadaa de an
impreaao com um emblema em relevo, tendo ac
raopr aa segaintas palavras : Di. Sabino O. L.
Plnho, medico braaileiro. Bata emblema* priste
igualmente na liata dos medicamentos que se pa-
l, As arteirsa que nao luvaremeaat impresse
isaiu] marcado, ambora enham estampa e ne-
de Dr. Sabino aiofalaoa
Attenco.
Lava -ae e engomma-secom todo o aceio a rer-
larmente
Alporcas
Caimbras
Callos.
Aneares.
Cortaduras
Doras decabeca.
das costas,
-dos meatbros.
Enfermidades da c
em geral.
Ditas da anus.
Empegos escorbticas.
Fistulas no abdomen.
Frialdade ou falla de
calor as extremida-
des.
ArreuuaUyo.
Oe eicravos doi orphoi fl boa do finado Jos
Paea de Moura Actio'y que deixaram de 1er ar-
rematados na pra(a do Sr. Dr. jais de orphaos,
iraode novo praca na sexta fera 12 do crren-
le por orde"i do m^smo juuo.
Alug-ie o aobraoo an oui auuarea n. b
dos Quatro Gantoa em Olinda, baiUnle fresco e
com eicelleote vala, tem boos commedos para
familia; a tratar com Joo Soarea Repoao, na bo-
tica dos Quatro Canina, ou com Leal Irmo,
na ra da Camela o Recife, escriptorio n. 36.
MlldaQa.
O solicitador Joa Coelho da Silva e Araujo
mudou aua residencia para a ra do Livrsmenio
n. 21. segundo andar.________________
Para Cjziiiar,
,Preciia-se de uma ama forre ou captiva pera
ceiiibar : na ra do Livramenlo n. 21, segando
Bar.
Preciaa-ae fallar ao Sr. Manuel Praacuco da
Silva frazo para se Iba entregar uma caria vio.
42a de Graohun: oa roa DTeile n. 127, aeguo-
do aodir, daa 6 a 8 da maoha, e daa 2 s 4 da
tarde._______________________________
Ifcmeritoa
Alugam-afi trae cesas terreas novas no sitio do
Porto da tfadeixa. em Beberibe, e beira do rio,
cquto freecia, com o banbo logo oo fuodo : quem
e pretender, dirija-ie a ra Direita n 69.
Nesta typographia precisa te fal-
Jar ao Sr. Manoel Ferreira d'Almeida,
- os pretendentea podem dirigir se a Sanio Amaro,
paaiaodo a casa do Sr. Antonio Jos Gomes do
Crrelo, na outra que vai para Olinda. Tambem
se alug o sitio.
I
1
fax
Dentista de Pars.
19Ra Nova19.
Frederico Gautier, cirurgio dantista 8
todas as oparaeoas desua arte a e co- 2
loca dentes artificias, tudo com -sdalo 8
rioridade a parfei^ao qua as pessoas-,sn 8
tendidas lhe recoobecem.
Tem agua a pos dentificios, ate. 8
3aaMieeM assaas atsoaa
Consultor jurdico
i
ou
Manual de apontamentos
em forma de di-cionario, sobre varios
pontoa de direito patrio, etc etc.
Precisa-sa oe um rapaz poriuguez. Uoa ebe-
gsdos de pouco. sendo possivel, de 12 U aonoa
de edade. para am pequeo aervico de um sitio
perto ds praQa; o que pretender dirija-se ra
da Concordia n. 35, que ahi achara quem o dirija
ao dito sillo.
Aluga-se
urna casa terrea na ra doa Praserea o. 20, por
preco multo em coota, por ter tres quartoa, am
gabinete e maia trea quartos no quintal; a tratar
na ra da Imperatriz n. 60. com Gama & Silva.
Francisco do R*go Ponte, aubono poriu"
guez, relira-ae para Portugal, a tratar de sua si*
de ; o meimo julga nada devar nesta pnge, po"
rem, caao alguem juluue-se seu credor, dlrija-ae
tabern da ra ^ Praia o. 2.
Aluga ae o aoDrado aa doua andares u. 28
da ladeira de S. Pedro Velho am Olinda, bstame
fresco e com commodoa luficientes para uma fa
iLilia pequea : a tratar cum Joo Soarea Rapo-
so, na botica dos Qaatro Canioa, oa com Leal A
Irmo, na roa da Cadeia do Recife, escriptorio
numero f6
l!
ros : quem os tlver ai,iJa.,e i ra do Vlgar-o n
17, primotro andar. ,..
Arreada a. um a.tio na lrre, COm b.ii'a
pare caplm, caa grande, coebelra e caaa para fei-
SVSTB2IA MEDICO UUUKLLOWAl
PILULASHOLLWOYA.
Esle inestimavel especifico, composto inteira-
mente de hervas medicinaes, nao contm mercu-
rio era alguma outra substancia delecteria. Bei
nigno mais teura infancia, a a complei$ao mas-
delicada, igualmente prompto a seguro par;
desaneigar o mal na compleijo mais robusiai
-en tai r ament innocente em suas oparaeoas e ef-
feitos; pois busca a remove as doen^as de qual-
quer especie e grao por mais amigas a tenaza
que sejam.
Entre milhares da pessoas curadas com asta
remedio, muitas que j estavam s portas di
morte, preservando em seu uso conseguirn
recobrar a saude e torcas, depois de haver tenta-
do intilmente todos os outros remedios.
As mais afflictas nao devem entregar-sea des-
esperaco; facara um competente ensaio das
efficazes effeitos desta assombrosa medicina, o
prestes recuperaro o beneficio da saude.
Nao sa parca tempo em tomar este remedio
Aara qualquer das segura tes enfermidades :
Febrelo da especie.
Gota.
Hemorrhoidas,
Hydropesia.
Ictericia.
Indigestos.
Infla mmacoes.
Irregularidades da
menstruacao.
Lombrigas da toda es-
pecie.
Mal de podra.
Manchas na cutis,
Abstrucco do ventre.
Phtysica ou consump-
cao pulmonar.
Retenqao da ourina.
Rheumatismo.
Symptomas secundarios
Tumores.
Tico doloroso,
Ulceras.
Venreo (mal)
ccidentes epilpticos.
Alporcas.
A m polas.
Areias ( mal de).
Asthma.
Clicas.
Gonvulses.
Dabilidada ou axtanua-
So.
Dabilidada ou falta de
forjas para qualquer
cousa.
Desinteria.
Dor da garganta.
da barriga i
nos rins.
Dureza no ventra.
Enfermidade no ventre.
Ditas no figado.
Ditas venreas.
Enchaqneca.
Berysipels.
Pebre biliosa.
Febre intermitente.
para carros e montara, arreios para carros de
um a dous cavallos, a relogios de onro patenta
ingles.
Grainpos a balo
competentemente autorisado vende pol-! COIH pendenC S dUradOS.
vora superior de d.lerentes marcas e A lnjl Agui. br.nc. ccntln. n. reePCo de
Cliumno devanas qualidades por pre- objectoa do ultimo goiio, e por ieso acaba de des-
eo commodo : os pretendentea poderao p*chr ?iudo V^o ultimo vapor enea delicadoe
(irieir-se a sua loia dp f-rntrpn* na r..^ Dovl8Boa grampoa da bonilaa cre com pen-
uingu se a sua loja ae terragens na ra dentes dour.doa o que de maia delicado se pode
do Queimado n. to, a contratar. encootrar. Essi loja como geralmente sabido
temsempre em vistas a commodidade de aaa
bosa tregeme e por uso lem resolvido vender
esses galanti-s enfe:ts e I; e H; u par, o que na
realidale mito mais velen.. Convm pea que
a vista da limiteco do prego a aaohora que com-
prar um ou mais parei. nao se demore em par-
Livros de direito
Na rea do Queimado, leja n. 14, vendem-ie
por prer;oi comn.rdoi as seguieles obras de di-
reito : LobaO, aredee surr.marias, a^guo^as li-
nhas, nota a Mello, inierdi los. direito emiihy- ,
tatico e pmcesso executivo ; Fbrbeira Bou- ,.pr ,ua bo" izll,h intimas amigaa de
ses, dicciooirio jurdico; Barros, direito fi- coll*,. Pra nancir..;_ Coelho BA Bocha, Oireilo civil ; f"o. manlem logo comprar outroa parea na
Mendes da Clmia. obaerviV-.'s ao cdigo crimi- '0J <> sua stleigao : que i d'aguia branca, ra
nal ; |)r. LoiuEiHO. direito civil ; Repertorio g"""1"'0 "16-__________________________
da Legislaca" Biaaileira al a letra Q por 1'lrta- ; Vende-se ama mobilia de moguo a Luiz
no deMendonc.v. XV : pa ver e tratar Da ma dts C^es o. 11.
primeiro andar.
Cal e potassa.
VDilem-bo estes dous ar-
Escruvo padeiro.
Vende-se am esvravo moco, de bo*s qualida-
dea e u lirr o pideiro e verdido para p?ga-
rem-se dividas com o seu producto : Da ra da
Imperitriz n. 50.
^^^^-^-^-^~* \
Aos 8rs. coiisumdores r^0* ttltmniente chegads,
No. arm.zens dotcaea^o Ramos ns. ,8 e 36. e na ra do Tratiche novo ( no Recife ) n. 8. se I dO ReClfe D. 12, I.h'is l)Jrto
vende gaz liquido an r-nca'i primeira quMlade, i .
e recenteroeniechegedo, a licDOO a Uts de 5 ga- U. f|UC C! OUtra UfalllUT
loes, assim como lelas de 10 e de 5 garrafei.e nm Pf
em Trata. i '' L"
Na ra nova de Sanie Kiw u. 19, juoto a Aeha-ie vend no eicriptorio de Aotooioi
senaria da Sra. viuv Cardiel, ha mullo tom mel Luiz de Oiielra Azaedo & C, ru da Crui n. 1
de furo para vender em barra e por prego ra- a obra eacrfpta pilo viscooda de Uruguay,Er.ieio
zoavel: Sobre o D.reiio Admimatreiivo ; dalzemoa de te-
--------- **r elogloa a ata obre, basta o nonie de iu au-
toi para a tornar raeoiriniendada, dos volumes
em broebura Itirj, encadernado lj.
i Vende-ie uma caaa terrea na I'a.sagem da
M-gdalena junto a ponte grande com 2 salas. 8
quartns, 1 soto, quintal Durado, canmba, ba-
. eho ne fundo ; as p-aois que a pretendtrem i-
!rijam-s* a ra Dinila n. 3.
LeSf&L? UT PXCellfnle -tav,ll c;chil Offi' VendH-aeoOpermuia-a. tor un,a e.crava
Zll l', "i"!!!" Pr0"r, P"ra 8 f(Sla por fe : nm le S. P.dro Marlyr tm Olinda
t- f TT : Vem 2 '':r,6nrtrr e auiI" ">* *>* P fea., et< "otada
Labriolete
Vende-se umeicelleote cabriolet de duaa ro-
das por preco muilo commodo, Mstu ter o dono
de ielin>r-se para o mato : a ver na ra do Ara-
gao n 37 e a tral.r na tea do L-vran.ento n. 8.
N. o-Rua da Imperad iz-.\. o~
A esmeralda.
Loja de modas fraueezas.
Lsvsm-se chapeo de palha da Italia, pondo- [numero 16.
ae a ultima moda, lavam-se chapeua do Chille i
muito am conta. Na mesma ha jira vender ri-
cascipellas para bailse escmenlos, v-sndoe ce
be'onda para dito, luvaa euf. iiaae d plumas e
florea de laraoja, borzeguu.s de stiim brsoc>
ricoa Uques. a lindas rosas solas para cabello,'
penUa de taitarog, assim cono a* fajerr, ves'
tidos, capas, manlelets, zutve. e ben.u, tudo
que exige a ultima moda ; reu-bem se por todos i f-S
os vaporea os figulinos de Pars, lambem fuem- 3
se cortinados para camas e i<-riellss.
tosas e biuquets
avtiicises com cheiros.
A loja o'anuii branca acaba de receber lindas
rosas e b loqaeta aitificia.s cum agradaveia ebei-
. ros, as '(uses seivem para trazar se na n ao as
; o caaioea ie bailes, casaueotos, etc., etc., o 4110
: aqui covissimo, porm de muilo gosto, e posea
I despezj ; cusam I5 e 1JM0, e acham-se unica-
u.i la do intimado, luja 'aguia braDCa
Vni'-fp um preto exceente sozinheiro :
na rna de H.irlas 11. 31.
( i\va lija (fu bundeira
que vend* bara'o,
na ra da Cruz do Recife
Sino,
s
8
yeu Je-se um sitio ne estrada do Rosariuho, no
oito de igreja do misino ron.e, com boa c*>a da
ped-a e Cal, tor.tendo 2 salas, gsLinala, 4 quartos,
coziiha e copiar, lem boa agua para beber, estri-
barle, cocheira, baixa rie cstim, n uitaa laraonei-
rai da rr elhore qusliladtp, e bastantes outras
arvores de f'Urlo, lanqoe 1 a'a b na frenle Inti-ie na ra da Cadeia do Rtcife d. i
26, ou na ra N.xa n. 35.
Aos seithores boticarios. ;
Aaaucar cmdy : na ra dos Guararipes n. 42,1
em Fura de Porta.
Venoe-se uir.a casa leriea era cblos pro- !
prios, concertada de dovo, quintal grande e mu-
rado, cacimba com boa agos, na fresuezia nos'
Afogados ; quem a pretender dirija a travesa
daeCruzea n. 4, loj de ciliado, que ae Cira
juem 1 vend. .
9
i
Manoel Josa da Fouceo, partecipa a
tonos ns seas frepuezes e juntan.enlo 10
r"pe!Uvel publi o. que lem tmi :e sor-
lirrifolo de regadores, uso da Europa, isto
vende se mullo baralo, behus. baci;s
bar.heiros, baldes pan despejo, badas d
semeupi, gamelas cera banho, lal.'s para
deposito de farinha ou oulrs qualqeer
serverilia, canecas para couduiir sgua,
machinas para ca'. bal-ios para compra:
ha sorlirrier.to de outras mullas obras e In-
das rfe difVrpiiUs laroaoboa e juo la men-
te envi-rnissdas de diversas corea rfce-
bem-se enc.amin.'aa e se fabricara
vontade de seus dorios e janlamente se
aanca a boa qusliiade e perfeico da;'
mesmaa obraa; ha fulha de laodres e es-
lai.h" em verK,iDhas 700 r.., verniz co-
pal l*00 r.. ILs de arroba IjOOO I
ra., coci.a a U100 re., canecoa a 1;C0m rs. S
rasadores a 1^280 rs., bahut gr.nde |
4;<;00 rs. e o-qa.nos a tOOra.. bacias O
B'andes a 4^000 rs. e pequeas a 6U0 rs.
Tudo isto ven le-se na loja do funilelro
qua por lignal tem uma bandelra ne por-
ta quo gira ora o vento, eeta chama-se
a loja da banieira.
Vende se chumbo de muoicao sortido e de di-1 JBSS^ftSiftaS-CSS^ft^^-^B^g^fv^
versos nmeros, a retalho ou em purc5es, por I Vente s* taberna sin 00 pateo do IVrco
prego maia barato que ero ->utra parte; na ra \ n. 1, muito projria para U'n principiante poi
larga do Rosario n. 34, bolifa.__________ ter pMjcoe fundo, tratar na mesma.
I
GbUDibo! (iiiBilio!
%
RA
Preciaa-se aluger uma ama para o aervico de
n a caaa de familia, e que compre : no becco
doa Ferreiros n. 7.
Deaaja selailarcon* o Sr. Joo Paulo Fer-
reite, na ru do Creapo n. 16, primeiro sedar
Ne ra 00 Creapo n. 16, pMoieiro andar,
diesrja.se fallar com a Sra. D. Maa da Piiao
Mallos.
Preciaa-se de um caixeiro que emenda de
pkarm.icia ; na botica da raa do Cabag n. U.
DIPERADOB
55.
KA
to
IMPERADOR
55.
MM
DE
.1. VGNES
Os pianos desta antiga fabrica sao hoja assaz conh&'idos, pira que seja necessario insistir
Vendem se estas pilulas no estabelecimento sobre a sua superioridade, venta^ens e garantas que off-recem aos comp-adores, qualidades estas
geral da Londres n. 224, Strand, a na loja incontastaveis que ellos tem definitivamente conquistado sobre todos os que tem apparecido n'esta
de todos os boticarios droguista a outras pessoas. praca ; possuindo um teclado e machinismo que obedeceui todas as vooiades e caprichos doa
ancarregadaa do sua anda em toda a America pianistas, sera nunca falhar por serem fabricados de proposito e ter-se feit ltimamente metho-
do Sul, Havana a Hespanha. ramentos importautissimos para o clima desta paiz ; quanto as vozes sao melodiosas e flautadas,
Vendem-sa aa bocetinhas a 800 rs., cada por isto muito agradaveis aosouvidos dos apreciadores.
uma deltas contem uma instruccjio am portu-1 Fazem-sa conforme as encommendas. unto nesta fabrica como na do Sr. Blondel de Raris,
guez para explicar o modo de se usar destas pi- | socio correspondente de I. Vignes, em cuja capital foram sempre premiados em todas as ex
lulas. 1 sice8.
O deposito geaal i em casa do Sr. Soum j No mesmo estabelecimento aa acha sempre um esplendido e variado sortimento d
pharmacauticof na ruada Cruz n. 22 am Par- dos melbores compositores da Europa, assim como harmonios e pianos harmnica
nambuco. vendido por procos muito razoaveis. / i,
umenio
,7
!
MELHOR EXEMPLAR ENCONTRADO
MUTILADO /
.
. .




DUR10 DI FERBAklLCU QUINTA IRA 11 DI SETEsiUnO DB it61
/
lODIFIGIClO DE PRKCOS
MENOS 10 a 20 POR CENTO
NOS
MogiiaK
Lingeas do Rio Grande im porcee de
pata cima : armazem de Taiio Irmaoa.
100
PROGRESSiST
P&MRK
NA
Ra das Cruzes u. 36, e largo do Carmo n. 9.
Chega i vapor para ovi-
j guante.
Ac para balo.
Sao chegadaa aaverdadelreaaeteasou ac pra
concertar ou laxar baloea, que cona urna pequen
quantia qualquer senhora pode faxer um grande
balo, pola vnde-se pelo baratisaimo P">V**
140 ra. a vara, ou peca com 50 metroa a5}500 :
s no gallo vigilante, ra do Crespo n. 7._______
Terrenos perto da pra No sitio do Cordeiro em Sant'Anna
vende-se a retalho o resto dos terrenos
porpreco commodo : dirigir se a L. A.
Dubourcq no escriptorio da ra da
Cruz n. 40, para tratar. O engenheiro
Sette encarregado das medicoes.

Scientificam sos seus f feguezes que em virlude do actual estado de apathia commercial re-
solvem vender todos os seus gneros por menos do que outro qualquer anunciante e offerecem para
garanta da superior qualidadede seus gneros as competentes amostras de cha, manteiga, cafe,
arroz, tapioca, araruta, etc., etc., para que pessoa alguma duvide deslas qualidades, a vista de tao
resomidos precos. ,.
Convidam portanto ao publico desta eidade e de (ora, a virem fazer sua dispensa m ditos
armazens, a6m da pouparem annualmente de 100000 a 2:000 conforme a cuslum&da des-
peza de cada chefe de familia, economa esta que muito til lhes deve ser, sem que seja mister
soffrer a mais insignificame privado do cuslumado diario de seu passar, devendo porem manda-
ren), aos armazens indicados.
c
"5 co 3
n M ZZ
O zr
i O m
2
o
S? s
V b>
1. U
a> O
cu O
o o
P3 t/3
o "
"3 c
3' 2. <* n
m O tr
en o o
" ,. ra
b o- o

ES ES g
>> 2.
3 b> i -
lilil
g 3 o I 0
a g* "
ET5 os e ^ CB.a
3- S o,
)

Cordo de borracha.
Tambem aao chegadoa oa cordozioboa da bor
racha de retroz, sotttdoa, de lindaa cores e de
todaa i* groaauras, que mello ae deaajava, tan-
to para paleeirea como par debrum de collete,
e para muitaa oulraa obraa : a no gallo vigllan-
tt, ra do Creapo o. 7.____________
Fita de borracha e de seda.
Tambem aao chegadaa aa aeperiorea fitas de
borracha, asaim como de eeda prela, propna para
debrum de vestido, como para collete, que ae
vende pelo barato preco de 160 rs. a vara : so
no galle vlgilaple, ra do Creapo n. 7.
Caixas de tartaruga o charu-
teiras de charo para rap
echarutos.
O tabaquiata que aprecia a boa pitada da La-
boa cu meamo Princeza, Heuron etc., te,
justo que compre ama bonita caixa de tartaruga
toda marebetada com a qual nao ae envergonha
ra de offeracer da boa pitada de seu gasto a to
dos.os circumataolea que ae acharem em aua ro-
da, muitoa doa quees louvar&o o aea bom gosto.
Aaaim como catxa aecessaria ao ttbaqui8t,
a charuteira nao superfina no fumante e sendo
lia bonita como soaade cbaro nuchelas ma-
Ibor ser porque com iaao deixa conhacer quin-
to sabe apreciar o bom. Para os mala eomrxo-
dialsa tambem ha bom aorlimenloe todoa eneon-
trarao barateza urna ex que munidos de dinhei-
ro se dirigirem a ra do Queimado loja da aguia
bracean. 16. _____
Perolas falcas
ou aljfar de fina quilidade.
A loja da aguia branca acaba de recaber um
novo aortimento de superior aljfar tranco ou
perolas falcaa o qual por sua perfeico difficil-
mente se distingue das perolaa verdadeiras e sei-
vem alisa por aua extraordinaria grandeza para
as gargantilhas que presentemente esto em mo-
da e mesmo para outros enfeitaa e como sernor
vendem-se commodamente a 19, 1S400 e 1|500
o fio: Iaao aa ra do Queimado loja da aguU
branca n. 16.
Toda attemjao.
Na ra larga do Rosario n. 38, loja da aurora,
tem para vender um grande aortimento de col-
irte*, a 40 e G0 r. de 14 psres, s 80 rs. de 24
pares graodea e pequenoa, e muitaa outras miu-
dezsa barataa que a a viata se dir o prego de
tudo.
Urjo em frascos a 15(10 rs.
Grande, grande, mito e muito sorlimecto.
leos
para cabello, em virtude da deprciec,oqap ten-
do tido o oleo edito philocome socWl hygien-
niqu por ter vindo todo falsificado, recabemos
um artigo idntico aquella da fabrica ae.Moopu-
las que garantimos ser o melhor co?melique pa
ra o cabello, e oa aromaa escolhidoa to suaves e
duradouros que deasfia meamo quem nao queira
o comprar.___________________________________
Chegado pelo vopor fran-
cs s para o vigilante.
Lindos jienlos de nianafa.
Sao chegadosos lindos peoltobos douradiihos
com muito lindaa molduras da uifterei.l'S gosloi
para marrafaa ou travessos, pois s com a vist
os compradores poderso apreciar o quanto sao
delicados, pelo barato prego de 3g o par, aaaim
como sem ser dourados e lindoa godos, pelo
barato pre;o de 2$ o par : a no vigilante, ra
no Crespo n. 7. ____________
Ricas fivelas acuradas para
sinto.
Vendem-se fivelaa douradss a 2} 2^500, aa
maia modernaa que tem vindo ; na ra do Quei-
madon. 63 loia do H-ija-flor.___________^^^
Ricas voltas de aljofares.
Venaem-se voHaa de aljofares com cruz de pe-
dra imitando a bnlhante ; oa ra do Oueimado
OHmaro 63. loja do beija-flor.
Luvas de pellica
Tambem sao chegadaa aa verdadefraa luvas de
Jouvin muito frescas, tanta para homem como
para aenhora : s no vigiUnte, ra do Crea-
po o. 7.___________________________
iNa ruado Vigario n. 10, ven-
dc-se:
Panno e Go de algodao da Baha.
Pottssa d Russia e cal de Lisboa.
Viobo do Porto fino engarrafado.
Dito Bordsaex em caixas.
Do Collares dem.
Puos d atenuaos autores.____________^_^_^
ssedttSa "iOO e 720 rs.
Vende-se sedas de litas o de quadros psrs
veatidoa de aenhora a 500 e 720 rs. de quadri-
nboa mluios ocovado : oa ra da Impeatriz n.
60, loja do Pavao._________________________
Camilas ara senhora a 1$000
S na loja do Pavao.
Vende-se camisas ae madapolao francs muito
bem aefeitadas a 1$ cada urna, s na ra da Im-
perlriz n. 60 loja > armazem do Pa^o._______
Chales baratissimos.
Venee-se chales de merino muito grandes a
39. ditos a garibaldina a 49, ditos estampadoa
f>zenda Qoisaima a 6$. Mos pretos a 59, ditoa de
rede a imitlo de retroz rom bomlaa palmas a
3f, ditos de casaa de quadros a 640 is.: a na
ra da Imperstriz n. 60, loja e armazem do
Pavao.
Bordados baratissimos
Na loja do pavao.
Vendem-ae golliohas muito finas de cambraia
bordadas e de fil a 400 ra., m>nKitcs com gol-
linhaada cambraia bordada a 13280, mangaitos a
balo ('musimos a 19, lencoa de linbo com laby-
riolbo a 2J500, ditos de c*n>brala de al| irxitaQo delabyriuiho 640, 800, le. o ni.i-
mas tiras bordadas e euireineioa por preces bara-
tissimos : vende se Da ra da lnii>er&iilz b. 60,
loja e armazem do pavo. __________________
Vestidos baralbiiuos.
Na loja do pavao.
Veodam-se muito lindos vestidos de cambrtia
do de iu u aa cores a 6i.
babados a 49300, ditos a 4g.
cortes de tarlstana brencos boraaoos e de cores
a 39. ditoa de embraia braDca com bahados a
Jj'iUO, ditos de cambraia bordados c m b>b&ooa
ouaa salas a 49, cortes de barege com 22 cova
dos esda corte, tendo flos de seda a 43, ditos de
laa a 49, cortes de cambraia com saloicos brao-
cos e de corea, tendo 6 varas ced corte a 3jJ,
ditos de salpicoa maia finia com 8 \ .-:.: .1 ;-.
, tudo iato se vende por menos que em outra quai-
iVcoe cortes de vestirtos de esmbraia branca, q-er pSri pra apurar dinheiro, s na ra da
piimorossmeote bordados a crox, sendo os mais iroperatriz n. 60. loja e errezem do psvo.
bonitoa que tem vindo a este mercado, e van- I-------!~T*-------------------------Z ~- T
dem-ae pnr presos biratisaimos, n ra da Impe- AlpaKUl OU gOrgliraO (1e 11DDO.
Facas e garfos.
Vendem-ae (acaa e garfua lina de cabo de ba-
lance de dona botdea a 6J800. ditaa para doce a
5g800, dita de um boto a 69200, dita para rtoie
s S9200, dila preta eravada a 32600. dita branca
a 39100, dila rolisa a 39 a duiia ; na rea do
Queio.ado n. 63. I'j> do bija flor.
Jj*go its vispora.
Vende-se jogo de viapora a 1; ; ns ruu do
Queimado n. 63. loja do beija-flor.
Auvelop^s.
Vendem-se anvelopes de diaerf-s qualidades,
irann i*,0 6 ,;>400' ,Zul '# e de Cte*
19*00: uarua do Queimado n. 63, loja do bal-
ja flor.
Papel adamascado de cores.
Vende ae papel adamaacado de cores a 8C0
19. dito branco a 1'LU : na ra do Queimado o.
63. loja do beija-flor.
Pulseiras de cabello com cha-
pa dourada.etrancelins pa-
ra relogios.
A loja d'agula branca acaba Ha rcobr a aea
eocomroenda das to desojadas pulseiras de ca-
bello com oiffereotes e bonitas trancha, tendo el-
las cbapss doara )as de delicados moldes, com
pedras e aem ell*s, o que de malhor gosto se po-1
de dar em tal genero ; assim como tranceliosl
compridos e curtos 'Com patsador dourado para
relogios, e porque de tedo laso a qusntidade
pequea e ne chegar para lodos os prelendea-
tes, convtm quesespresstm em mandar comprar
taea obras, na loja d'aguia branca, ra do Quei-
mado n. 16.
Luvas de camnrea.
Vendem-se na rus Novs n. 9, luvas de camur- b0fJ,"doVa"seda.'seni
Qa amarella, ditas de castor branco propras para dilog com bsrflS b
militar.
Para o baile do
club.
Vende-se ua loja do pava
Gravntinhas de seda.
Vendem-ae gravaiinhas de seda para acnbora,
de diversas cores ; na ra do Qieimao n. 69,
loja do bsija-Qur.
Tiras bordadas.
Vendem-ae rica8 tiraa bordadas para ves(ir!os
e satas brancas a 800 e 19 : na ra do Qoinado
o. 63, loja do beija-flor.______________________
S na grande expsito
de fazeudas novas *. bsra-
tissimas', na ra a Ira pera-
triz, loja e armazem ta ar-
ra n. 56, de Magaiiics 4
Mendes.
Fazendaa por menos 10 0i0, queram vir ver
para ecrediter. a ser: ehits a 160, 18(1 e 2' 0 r*.
o colado, ditaa fraocezaa a 220. 240. -i8( e 320 o
aovado, cortea o chitas lioas com \' 1|2 uve-
nos a 2;500, corles de casias franceias a 29500,
ditos pretos a 2fS00 : na ra da Irrperalri?, loja
da arara o. 56.
ratriz n. 60. loja a armazem do pavao
ttasemiras a 3,200 rs.
Na loja do pavao.
Vendem-ae casemiraa enleatadas de quadriobos
e listrss miudinhas, seudo cores escuras a 39*200
o corte para calca ; venda se a meama fazenda,
tendo duaa larguras, a I98OO o co*ado ; isto na
raa da Imperatriz n. 60. loja do rjavo^_________
Vende-se esta nova fazenda a inmerso de seda
de quadrlohoa a 280 o covado : c aa ra da Im-
peratriz n. 60. loja e armazem do pavao.
Musseliua brauca a 200 s
Arara vende destina para restidos.
Vende se a fazenda por nome olesiim de lii'ho
de urna s cor e quadriuhis, pro^ria para cst-'S
a vesiiloa de teohora e roupa de meniooa a S80
o covado, f.-iiu de cores para vestidos s 2b0 e
320 o ovado : na ra da Imperatrlx, luja ca ara-
ra o. 56.
Aos manguitos da arara.
Veodem-ie mtn^jiioa e golla de linho pr
Vende-se musseliua branca com 4 li2 palmos! senhora a 29. gnlliobas a 500 rs eof.-it.-s iu
de largura a 200 ra. o cova So : a na ra da Im- senhora a i$ e 39 : oa ra da Imperatrlx, lija da
peratriz n. 60, H
'o paRc.
_
'arara o. 5C.
Baldes de bramante.
/Va loja do Pn o..
Vende-se baldes de bramante muito bem
tos. Rpnoo oa doi .uar ua arcos ouao'iu uv
lavar, pira atnnora o \m\a uihuimiv, uu u
bramante e de arcoa : na ra da Impeaatriz n. 60,
loja do Pavao.________________________________
H no vigilante.
Lindos enfeites para ves-
tidos,
Sao chtgadas no vapor ioglez aa ricas florea de I
velludo que sao admiraveia pela delicadeza das
lindas cores, pois com pequea quantia as senho-
raa polerio enfeitar os ricos vestidos que ser
muito apreciavel, pelo baratinimo prejo de 19
a d.uza : s no gatlo vigilante, tua do Crespo
nerrefro 7._________^___^^_
t*ulceiras.
fi- j Ctrbem sao ahegadsa as riejuissimea ralftirM
>1" Vmi%$&}*t.3V&9JL$i*$oi iTre'cos 'DaratSima :
s'po gallo "igilante. rna do Creapo n. 7.
Vestidos brancos,
Vende-se corles de vestidos brancoa bordados
a seda, praprios para noivas, pelo baratiaaimo
prego de 69, ditos de tarlstana branca borda-
das a 109 : oa ra da Imperatriz n. 60, loja e ar-
mazem do Pavo.__________________
Tarlatauas e fil do P*vo
Venda-ae larhtana branca e deeorea a 800 rs.
a vara, fil branco liao a 8 0 rs.,dito lavrado de
palminbasa 19 a vara, organdy branco muito
fino a 19 a vara : na tua da Imperatriz n. 60, loja
do Pavao.
Luvas e sintos do Pavo.
Vende-se luvas de seda pretss e de cores a
640 rs. o par, ditaa de retroz a 640 rs., sintosde
seis muito ricos com fivelas doaradas a 19 cada
um : na roa da Imoeratnz n. 60 loja do Pavao.
Grodebico a 120
ris alibra, e sendo Je 10
libras para cima a 100 ris
Vende-se nicamente por estes precos nos ar-
mazens progressista e yrogresssivo, no largo do
Carmo n. 9 e raa das Cruzes n. 36, -.'.i -.i :a-se
ser multo novo. _____________
Grande txposUao de ba-
lees de arcos na ojado
Pavo.
Acaba de chegar loja do Pavao um grande
sortimento de baldeada arcoa americanos sendo
Malhildo, Carola e a Eegenia que s*o os
melnoree e u..;, hora rmanos u* irai pdn ao
mercado com diversos lan.anlios senao a o, o,
10, 15, 20. 25, 30 e 40 arcos e sfiarra-ae a '-'u-
raco a boa qualidade dos ditos baldes : s na
rea da Imperatriz n. 60. loja e arajazem do
Pavao.
Mozambique a 640 rs.
Na loja do Pavo.
4o pwao.
Vende-se neste eslabelecimento as fazendaa
mais baratas do que em outra qualquer parte, a
com o fim de apurar oinheiro, ehilaa largaa ea-
ceraa com pequeo toque de mofo a 500 rs. o co-
vado. ditas fraocezaa a 210. 2t0, 280. 320 e 360
rs., pecas de madapolao ealiiodaoiinho por pre-
cos baratissimos, cessas orgaodya de todaa asco-
res, cambraias de todas aa qualidades e todas aa
maia fazendaa precisas para o consumo, alni de
ealar este estabolectmento aberto das 6 as 9 ho-
ras da noite, tambem ae manda levar as fazen-
daa eamoatraa pelos caix*iros : na ra da Impe
ratriz n. 60, loja do Pavo.
IVileitjs par^. esp-.rtiIho.
*"ambem sao bagadas aa verdadsiras baleias
dh .odas aa groisuras e fornidas, para es^artiibo,
pelo* barato prego de 120 rs. cada urna : s no
vigilante, ra do Crespo o. 7.
Ao bom calcado!!
Acaba de chegsr loja do Porto, esquina da
raa da Madre de Dos, um completo sortimento
de calcado frantez, sendo: borzegaios e sspales
de Nenies para homem, ditos para senhoras e
e meninos de todas aa qualidades, como tambem
um completo soilimenlo de fazendaa e roupas
feitas por precos muito em conts.
Relogios
Vsnde-se em casa da Johnston Patsr & C,
. .. do Vigxrio n. 3, ua bailo sortimento da
telogios da ouro, patenta inglez, da um dos mais
afamados fabricantes da Liverpool; tambemlaendo axendaflniseima a 400 re. o covado
ama variedad*, da bonitos trancallins para os raa da Imperatriz n. 60, loja i
masmos.
Arara vende a popelina da Clima.
Venda-86 a fazenda por nona popeln da Cbl
na em la para vestidos da aenhora a 3!0 o cova-
do, chales de merm estampados a t$, oitos de
laa s 19. ditos de la e seda a ?9. ditos abortos a
640: ua ra da lrnperatriz. loja da ":> D. 5l>.
Alusambe da arara.
i Vende-so a fazenda por nome muiamb com
I palruas de sedade41|X palmos de largo, propria
' para vestidos de senhora a 500 ra. o covaoo 016- -
de liuho de cores a 200 rs. o covado, dito lavra-
do a lJltO a vara, liso fino a 780 e bO rs. a vs-
; ra, imiaians a 800 is. a vata : na roa ua Impe-
ralriz, loja da Tara n. 56.
Arara vende as crinolinas de 15, 50 e
i arcos.
Vendem-se baldes a crinolinas de reos, os
! mais modernos que tem vinuo, ditos de maoapii -
1^. 1...1U .ti.*, ouioo ud utfiutiu quo l-f vez oa
i'il.'io a ;UiJ, baloea para menina 1 ;; ; i,j rila
da Iniparitrz, loja aa arara n. 56.
babadim da arara.
\ ende-te a fozenua por nome babadin. com ,s
tras deseci para vestidos de senhora a Mo rs. .1
Covado, cobeiiasdo chita para cana a 2?, col-
chad de ftisto pata cama a ftjj, ditaa avelludadaa
a 8j, aberioraa para can.isos a 2-!0 tana u!>.
cortes de caigo par homem, de b i/u tscuioe
claro, o de ganga e futlaa de quadrinhoa a 1 o
12280 o cortu : ra ra d Imperatrlx, loja da
Vendr.-se mo^'rcbqne todo de IS S'"ndo fa-
zenda muito leva para veslldus de senhoras e
roupa para menino*, corr delicadas cores miu-
Olobas e tendo de uma cor proprio par, espas I erar" p". 56.
de senhora tendo eata fazenda 4 pala os de lar- j ___'._____________________________
gura e vende-se a 600 rs. o covado : na rna da | .
Imperatriz n. 60. loja e armazem do Pavao. Arara vende as casSS CliinrzaS.
Roupa prahomens.
Vende-se alfja de caaemira, de brim pardo,
de dito de cores, pslitota fraocezes a 69, ditoa de
panno preto e cor de caf a 69, calgaa de caae-
mira preta a 59 : s na loja do Pavo, ra da
Imperatriz n. 60.____________________________
Libras ster!iu*s
Vendem-ae no scriptorio de Manoel Ignacio
de Olivara & Filho, largo do Corpo Santo n. 10.
i
mais novas que se podera desejar. a 360 rs. a lata.
S^SnV.^r.WSM g'^roes.com mais de 15 garrafas a 5800 e frasquei-
^'c rSiOUBV McUl n0V,SDe de d,verfas 80 a libra.
vB^tt*^'mu-'mt*mm 4 ,ibras*umbera tmo8
WuOS SJISS ^ >elhorei q<"seP Lt 800 r m;lhoresfab4
rMUIPANHE. iraf8- .
LCORES92n TX3S.1 a 8fl0 a "rafa e 9,000 a duzi..
as que vem ao mercado, de 129 a 18000 o gigo e
Me desejar a l(i00 a garrafa, e 109000 a
rrafa, e 800o a duzia.
SERViTiAS Z hore8^ cerc8do w0 '" rffl r'- garrafa.
PZES aV LlzKjpautado o melhoM. .39200 ar-. ba.
L r^VLDAS. Pago, Pra, 4j
da ** rs a libra das .\
uuva^ l^GU fflj>ra6 marca- 5 a
ores Vo percado
'ai-----L> pagado o memo. h. v^. 39200 are bi
*A?~Lli*LA8. ~ Pa*ego. P"", **u$^\ 4f.HH a resma.
e 6J?oo0 a di*. ... 'Claudia, gnja, serejas, e morago
MUTAS
^Mv
iSjL-m'
X
es. a
|Loa das 6 por-j
S, i9B em frente do Li
vrameuto.
iBaloes de 15, 20, 50 e 40 arcos.
Grande aortimento de bales de arcos 8
os melhores nesta fazenda grandes, cbi- Z
tas fraocezaa largaa eacuraa a 220 e 240 I
ra o covado. ditas estrellas miudinhas a 5
100 ra. o rovado, can braia liaa para for- 8
ro com 8 li2 varas a 2a a peca, ditas fi-
M as a 3$, 4$. fe e 6jJ muito finas, dit.a
de salpiqeibhu com 8 1(2 varas a 3*500
a peca, obertas alcoxoadas brancas a do S
cores para cama a 4*500 e 5}, cassas de J
H cores francesas tfotaa seguras a 320 rs. o m
2 covado. pega d. bretanba de rolo a 23 V
algodao trancado alvo ru.iio largo para iS
toaihas a I* a vara, eofeiles a Garibaldi iS
aendo pretos a 5g cada um. leocoa bran- H
I coa com barra de corea a 120 cada um S
roupa feta de todas as qualidadea muit 1
Sbarat.s, a loja esta aberla ate aa 9 horas 5
da noita.
^aat* mmmmmmm
Cal de Lisboa
A 5,000 rs.
mtrd*'?! b,rri,',01D >noa ebegada ultima-
mente, a 5. no amigo acreditado dapoailo da
rata do Brum n. 66armaz*m.
200 rs, mais odmtm.fS^XiLHm ***** i **
Esperanca
Laja de miudezas,rua do
Queimado n. 35 A, de
Guimaraes tj /ocha.
Para bales.
Molas cobartaa de fio para saias a 160 n. a
rars.
Agulhaa victoria o papel a 120 ra.
' Ditaa fundo doarado a 120 rs.
Linha de peso, meada a 100 rs.
Dita froxa para bordar a 80 rs.
Dita de carretel. 200 jardea a 80 rs.
Dita de corea, qualquer qualidade.
Gravatas
com boltse sem elles a 1?, de corea a pretas,
psra homem a meninos.
Tranca de linho.
P.lV.uej.ajtll^d.^orJimanta.dieAt.(a| trapKft
qaa vo-ae pravenindo.
Botoes
para casaca e caaaveque, de cores a pratos, para
nmisa madreperola fiua, da osto para caiga a
30 a groza, muito finos.
Colchetes.
Esta loja deaejando sempre ler objeclos noves,
ecebeu colchetes reforjados do o balido, aa
taixas sao em forma da uma carteirioha que ae
brna meito elegante, a ha na Esperanca a 80
xv. a caixinha, em cartao a 60 rs., oa duzia por
0 rs.
Pennas de a<^o
taligrsphicis por 2$ a 2S400, verdadeiraa da Per-
ry. e de outraa qualidades, por menos do que se
costuma vender, caetas para ae adquirir urna
posrCo elegante (eacraveodo) a 500 ra., de mui-
taa quslidadas como da borracha a 160, a balo a
160, a pistoleta a 120, e muito boas a muito ba-
ratea por 40 ra. cada ama 11
Perfumaras.
O cheiroao e suave aandalo a 15600 o fraseo,
(eaaancia concentrada) palbchouly, o mbar, o
bouquet de nupcias, o de Lshore, a vetivia, a
magnolia, a rosa, o jssmirB, a flor da laraogeira.
um completo aortimento da perfumarla que te-
mos, tanto francesas como inglexas.
N. B. Temoa feto ltimamente um contrato
com um fabricante que nos permiti vender este
genero, cujo consemo aa adiaola, por precos in-
teiramente baixos e sm rivalidade.
Laa mocambique a 400
reis.
Na loja do Pavao.
Vende-ae lazinbaa de uma a cor com qua-
driobos e lista propria para vestidos e capas
na
do
Pavao.
Las com llores a 400 rs
Veoda-se lazinbas.muito Qois com bonitos
psdrdes a 400 rs. o covado : oa rna da Impera-
triz n. 60. loja e armazem do Pavao.___________
Tarlatanas com pal-
minhas.
Na loja do Pavao.
Vende-ae tarlatsna com palminhas de cores,
tendo cores proorias para luto a 3z0 rs. o cova-
do : na ra da Imperatriz n. 60, loja e armazem
do Pavo.
Vende-se a fszenda por nome cassas cninejs*
a iojitsgao de sedinha de quaro, propna yar
vpn ios de senhora e roupa de meninos a 2-10 e
80 o covado, riscado a Ganb&ldia 280 o covado
para vestidos, cobertores de algodao a 1$, ctm-
braias brsncaa a l^tiOO, 25, 2c500 e 38 a pera : na
ru da lr> peratnz. I, a da arare n. 56
/-
Banbas.
Pomada imparia), frasco a 2g.
Japonexa a 10.
Imperador a 1$.
Imperatrlx Eugenia a lf.
Exposicio universal a 23500.
Mojas americanas a 800 n, lf.
O Gira sol
defreoteda Penha n. 33 vende mvnteiga ingle-
za superior a 800 ris, dita franceza a 600, quei-
jos do ultimo vapor a IS900. ditos a 15700 e
lSOO. cb fino a 28800. caixas de doce de goia-
ba a 500, espermacete auporior a 720 ris. su-
perior vioho do porto a 800. dito do Figueira a
640. 560 e 500, e todos oa mais gneros tons e
baratos. ____________^______^__
Cheguem fre-
guezes ao bom e barato.
Ra estreita do Rosari),
esquina da ra das
18Lar* ngeiras18.
Veodem-se todos os gneros por menos do
que em outra qualquer parte : msntetga inglesa
fina a 800 e 540 rs. a libra, dita francesa a 640,
a em porjo faz-an algum abatimenlo, cha supe-
rior a 2$880 e 2^560 a libra, paaaaa muo novas
a 380 rs., nozes a 120 rs., smeodoaa a 3u0 rs a
libra, superior caf a 280 rs., toucinho a 300 rs.
a libra, macarro, aletrie, talherim e mais massas
linaa muito novas a 320 rs., velas de carnauba
superiores a 400 rs. a libra, ditas stearioas a 720
rs. a libra, queijos da qmalha muito oovoa a 3x0
ra. a libra, caixdeacom 4 libras de doce de caaes
de goiaba a 800 ra., ditoa pequeos a 560, viobo
de Lisboa a 400 e 500 a garrafa, dito Figueira a
600 rs. a garrafa, dito do Porto eogarrafado a
1SC0 a garrafa, 19200 a 1&600: alm destes g-
neros mencionados se encontra tudo quanto
pertencente a molhadoa a de superior quali-
dade.
Potassa da Kussia.
Vende-te em casa de N. O Bieber
C.j successores, ra da Cruz n. 4.
Org.ndys da China da arara.
Vende se a (an.nds por nome organeys da '. i -
na adamaacado e palmas da cores, propria para
vestido e rruito largo a 400 r. o covado, capas
de la para senhora a 9$, ditas de i: .: ..-i--,'.*
modernos a 20 e 25a : na ra do Imteatnz, loja
di arara n. 50.
Arara vende fazenda por neme mais
a mim.
Vende-se a fazenda por nomo mais a mim pa-
ra ve>lidoa de. aenhora e adamascada, de bnoitos
goalos a 3C0 o covado, pegas de cambraias da
salpiquinhos com S 1|2 var>s a 3^500 e 4 : ua
ra da Impere triz, loia da arara n. 56.
Titas e ntremelos da arara.
Vendem-se tiras e ntremelos da largura de 4
e 5 dedus, oe bonitos go-los a 1 g280 e lS^OO a
pe?a, dita de ntremelos a 1#. 1J500 e 11861)0a
per;a, cirpiibos bordado para meninoa a 19 caiin
um : na ra da Imperatriz, loja da arara n. ti.
Semeotes de hortalice viadas
de Paris
Chegaram loja <*e ferragens de Biatns, na
ra da Cdeia do Recife n. 56 A, as novaes. men-
tes de hortalice viudas de Pan, as qu<9 sao de
superior (junlilade. e se vendem baratas.
CmI de Lisboa a
o barril.
Tem para vender Antonio Luiz de Oliveira
Azavedo, no seu pseriptnrio ra da Cruz n. I.
Farello
ern saceos grandes a 4$: no armazem do Sr. Luiz
Antonio A'-ne na eacacinha da alfaodeua.
f UDileiro e vidraceiro.
Grande e nova oflicina.
Tres portas.
3Ruf Diraita31.
Neata rico a bem montado eatabeleclmento -t-
sontraro oa freguezaa o mais perfeile, bem ata-
nado e barato no sea genere.
URNAS de todas as qualidades.
SANTUARIOS que rivalisam com o jacarandi.
BANHEIROSde todos oa tamanhos.
SEMICUI'IAS dem dem.
BALDES idam dem.
BACAS idem dem.
BAHUS idem idam.
FOLHA am caixss da todaa aa gioeaurag.
PRATOS imitando am parfel^ao a boa parcal-
lana.
CHA LE IRAS da todaa aa qualidades.
PANELLAS idem idem.
COCS, CAN0IEIR0S fl.adras para q**l-
]uer aortimento.
VIDROS em caixas e a retalho da todoa oa ta-
1 mandando-aa manhos, botar dentro da cidada,
am toda a parte.
Reeebem-aa eneommendaa de qaalqr crtu-
raxa, concartos, que tado sti dasampaahaa a
cootaala.
MELHOR EXEMPLAR ENCONTRADO ILEGVELI MUTILADO



""' ." -". \ -. l :. '


.
6
OWO DI PEWUMMJCO QUISTA FKIBA 11 DI SIEMBRO M 1861
DIIIIINUIQAO DE PRECO
KV<
Mmial:
DE
rs. a
atan
FRANCISCO FERNANDES DUARTE.
10 Largo da Penha 10
.ido in^SZSlXSS^t deS'e ,Cred,,d arm,Z9m dfl m0,had0S tem offerecdo> h
encr.mm.nd ^oura,,^ F,^^^^^^^^ ^^^^^
do mou annuncio ea differenca denrer-n! Si ? ?' afim de ver,ficarem a exactido
quer parte, pois para i2T^t^S ^akdaie 1uefaz- se oss compradas em outra qual-
or par dos gen o dVconToronHa P* S "?"" DaVS ** "** VdS da Eur0P>
P'opneurio ne.frogar' p o.^|M^LIi neorr.nei, e commodidade, resolv o
dachar a remetter pela to5^TS?lS!S2SS "l.30 p0"".ni Vir' nam mand,r' de des"
arrnazera, afiancando-se aaim .3 8"J dlCad0, d 8 qU"qu,r 89nero mpmdo neste
urna oessoa dmnfi.S, ^m Mmdos' C0B0 viflSsem P*M**. Ps para (** i.
uttnSs^rr "**as cart,s na chegada **K
ChTw wirance4 a o hu vm 0 que se pod9 desejar nes[e genero a mQQ ^ ^
JE?** maS $Uperr d merC8d 2>800 libra' *m W ab-
l^Ldet ^ unS* D6S,fl UlUm Vapr BU, freSCOS m0' hos *-
P*tO verdadero inglez a 2*000 a libra em porc,ao se faz abatimento.
t^i.t^i *^nr,*'?* C0nf9itadas' conten4 div8rs iguarias muito proprias
para mimos a 1*000 cada urna. r
* de soda em latas coca diferentes marcas a 19400. afianca-sa a boa mi*
i *,,*TT,em gr,nd4Scomb0,achinha*** pSnS..S:
I*grimas do Oou o esp93aI vinho do Porlo era
ao nosso mrcalo a 1*200 a garrafa a em caixss com 1 duzia qor 12*000
*, '*^SS^ ::^ car*
i IHUO QIB p|p de superior qualirlada Porto. Figueira Lisboa 500, 560 00 rs
a garrafa, e em caada a 35500, 43000 e 45500
a s
Ha no el Pedro de Mello
Largo do Livrameoto ds. 38 e 38 A
Defronte da grade da igre.a, cajo titulo distioctivo
O BALIZA.
FUNDICAO DA AURORA.
no paix, tendo aempre prompto o guile : ~~ qaaildad da machinas asadas
SS^s^asr "4 *.....
Taixaa fundidas e batida*.
CriToa e boecaa para fornalhas.
Bronzaa a aguilhde*.
Rodaa, rodetaa a rodaa d'agaa.
Guimlaatea flxoa e portatia.
Machima de eylindros para padaria.
Serraa de a$o para aarraria.
raleza, par barcos, etc.. etc., lado por prega que bam aon*ld..
V
>
Nenie vasto estabelecime
chara o respeitavel publico desta
capital e de fora, m grande e
PERFEITO SORTIMENTO VE afO-
lhados, que se vende tanto em
grosso como retalho per mlte-
menos preco do que em outra
qualquer parte, por serem quasi
lodos recebidos deconta propria.
Muita atten^o.
Todos os gneros sahidos des-
le novo armazem levQrao urna
etiqueta para seguran$a dos Srs.
que nao quizerem vir fazer as
suas compras, e mandarem por
seus escravos ou fmulos.
Esta prev^nsao atiesta bam,
que a mais porfeita e duradoura
confianca se deseja possuir de to-
dos geralmente, e por isso nao so
pouparo exforcos para serem
nm servidos todos os Srs. com-
pradores, aGm de que possa este
grande estabefecimamto ser apon-
g

O
e latas com 10 libras por 4J0OO, e em barril a 400 rs. a libra.
fijonn ___ *"* a 220 rs. a libra, a em caixi grandes por
OF000. afianja -se sar muito novo. l
122000 rs. DVaS 3 5 libra e em barril com uma a"oba por
batas" coi nelxo a l ,_
cherne, pesTada/e vezugoTSS.^3 Ss^a[ congro, corvina,
a te ^permaeU C30 re. a lib.era caixa. ogo n.
,* refinada a 3G0 rs. a libra, e em arroba a 11 .
Ti it S ,i a 56 rs- a llbra e em PrSao a 50<> ".
U,W l**^* pura namt. oto a frnra.
fIiJo****1*- em latas de'9 meia libra por 1$500'dilas com 3 ,ibras
ij? ^ n^^^ a 5G0 rs. o frasco, e 63400 a fras^ueira coa 12 frascos.
e8 com genebra de Hoanda com 25 garrafas por 9*000.
a muilo limpo, a 160 rs. a libra, e era arroba 425800,
1 -?0 iaut0 novo a 160 rs. a libra, 45800 a arroba.
." suspiros em meias caixinhas, do mellior fabricante da Babia a 2*900 cada uma
- o naissapenor que ha no morcado a 240 rs. a l.bra, e em garrafes com 5 libras
por 1 600, so o garrafao val 500 rs.
SCT&dillka de Franca muito nova a 200 rs. a libra,
2*OBIIA* muit0 fmaealva a 100 rs. a libra e em sancas se faz abatimento.
I aiVS na jft para jeotes a 160 e 280 r8> 0 ma?o com 20 maciahos>
PatOS dO g Z a 23300 rs. a groza e a 20 rs. a caixinha.
ja (Yeta das marcas teaente, ou XXX a 6oOO a duzia e 500 rs. a garrafa.
9eYV9ja br^aC^ das mais acolitadas marcas a 55000 a duzia e 480 rs. a girraf-
/ \Y5I\ f)T^.WeO engarrafado o m.is superior que temvindo ao nosso mercado a 800 rs
tarabem lenho de barril para 560 rs. a garrafa.
^USiaVlSi 1^1)0% a 7500O a arroba e 280 rs. a libra.
^ lavado a 3f)0 rs- a libra a a 9*000 arrba, dito da 2.a qualidade a
260 rs. e 85000 rs. arroba.
AOS de Maranho a 100 n. e 120 rs a libra, e em arroba a 35000 e 350O.
tlMIllIfi hespaohol a 15200 rs. a libra, ditto francez a 15100.
'a.s.TsSllwl*'* imperial do afamado Ahreu ede outros muilos fabricantes de Lisboa a 800 rs
a Ifbra, lamben ha para 500 rs. a libra.
*> WU CIU Cal S tvdimiui d* IXamtea
se faz a batimento.
HVlS francezas e portuguezas as maisnovosa 640 rs. alalia, em meias latinhas a
, 500 rs.
f I^SIO Uori5TAX, Marg0> Medoque e S. Juliende Hedoqna a 9^000 a 10*000
a caixa, em garrafa 800 rs. e l}Ouu.
';5'- IIUG o raelhor pelisco que ple haver por estar prompto a toda hora a 800 rs. a libra.
^.'OOlfiS nOTttS al o canto ea 1200 o molho com cento e tantas, tambero ha
proprias para conservas a 400 rs. o cento.
af Va UOCe muito nova a 320 rs. a libra, e em arroba a 8.
1 pal gTe V6 a 45 a resma, dito d9 peso pautado a 35, dito almajo bom a"35200.
.TlftSSa pfl SOpa estrellinha e pevide a 600rs. alib'a, em caixinhas sahe mais
barato.
jdem de tomate emlatas de l \Sbr* por 800 rs., ede 2 libras por 1500.
Aceite (lOCe refinado a 800 rs. a garrafa, e em caixas cora 1 duzia por 85500.
detll de L9DSA a 720 rs. agarrafa e 5*600 a caada.
AmendoaS de casca molle a 320 rs. a libra e 85000 a arroba.
VliagTe de LisbOa a240 rs. agarrafa e 15800 a caada a fiaoga-se a boa
qualidade.
v* nam pan he das mais acreditadas marcas a 15*000 e 20000 o gigo, a em garrafa
a 19800.
Vinagre Ora nCO 0 quese poledezejar neste genero a 400 rs. a garrafa.
fjlCOrefi tranceZeS de todas as quaUdadas quese procurar a 15000 rs. a garrafa.
Farfolla do *f aranha'Y muho alva a Chairen a 160 rs. a libra.
ljalo para limpar faccas a 180 rs. a em poreio se faz abatimento.
ConhaqilQ ii Alm tos gemiros cima mencionados encontrar o respeitavel publico um completo sorti-
snsoto de udo qua tendente a molhados,
tado como ura dos melhore* e
mais acreditados desta praca.
Aviso particular.
Previne-se s pessoas de fora
desta cidade que f odem sem re-
ceio algum mandar os seus pedi-
dos por escripto, que sarao satis-
eitcs com a maior ponluslidade
e boa f possivel, ainda mesmo
de objectos que nao sejam pro-
prios de-te estabeleciraeoto, como
ferragacs, roiudezas, eu medica-
mentos.
O annunciante desojando fa-
cilitar a consecucao dos negocios
que por ventura tenham os seus
freguezes de fra, se offerece
tambem para fazer procurar qual-
quer desperaa ou linenca que de-
penda da autoridade do Exm. Sr.
Bispo Diocesano, bem como de
apresentar qualquer consulta aos
senhores doutores desta cidade,
quer respeito de direito, quer
de medicina.
Tambem se receba miai.tn %. l* i -
dilos, sendo a coat. n ..." -.5!f9r oblec, corao assucr couros.,aa etc., etc., para serem ven-
Na
forma q
mas tambem ura am.goe um criado s suas oVden
s A todos
&i por acaso nao igrad
noniri.hQ?P-S4Uir mu't,s relscjs.'faz o" annuncanta todos estes offerecimentos: de
>e nc le est.beladmento, nao t acharao os Srs. de fora "
1 producto entregue promptamente a quera for determinado.
ita lod
desta prac,a ura bom freguez,
em ge ral.
inmediatamente trrca'd7oM6r,Uta,7,!!!a,qUer gn-e' d dwU Cas? p61a. Ser davo,vido 1ue '*
Oannuncia i resMuiao o seu tmporte, conforme for exigido.
n e Pr0l6'a cumprir com a mais seria e reineta exsctido esta sua proraessa.
"mais, a mfifTtL** ^ da CWS Iibras 6 Gen6bra verda,iera ing,tza do marca Gato do fa-
ldera dem era frasco* \l i, ru I ^rIC3ntd CarJuer & Broorahal de 15400 a
25800 a 35 e fraSC0 ^ maS' dfl' r, *V f"^
AMENDOAS de casca mole de 240 ocn \^llZS&~**mm **'
em arroba a 45800.
120 rs. a libra, e em
a libra,
e era
ra,
I5fc
00,
a 380 rs, a lata affiansa-se a boa qualidade, e emporco
X
11-
a libra. --------'" 28 rs-
ALPISTE a 160 a libra, e
Arroz da India de 100 a
arreba de 35 a 35400.
dem de Java de 100 a 120 rs.
arroba de 35 a 3*400.
dem do Maranho de 100 a 120 rs. por lib
e em arroba de 3* a 35200
IJ2r5o40Pflene,IO,80rS'albM' *a"obaa
>240 e em saceos a 2
dem cora casca a 160 rs. a cuia, e era sarcos de
20 cutas a 25500.
Azeitonas era antoretas de 8 garrafas
e em garrafa a 320.
Azeite doce refinado a 800 rs. a garrafa.
"TJSL^J&J&b** alidada de
Bolachinhas americanas muito novas de 3:
360 rs. a libra.
Biscoutosebisciutinhos, araruta, a'iados e tu-
tras fualidades de excellentes massas a 30
rs. a libra. ,
dem era latinhas de 2 a 3 libras e de dive'Sas
qualidades, conlendo uma lata mais de dez
espacial de biscoulinho3 por 1*400.
Bolinliosde ovos era Ntas recomraendados pelos
senhores mdicos a 15400 a lata.
Batatas a 8il rs. a libra, e em gigos de 30 a 40
libias por 3*200.
Caf do Cear de primeira qualidade, de 280 a
a 300 rs. a libra.
Mera do Rio 1. 2.' e 3. sones a 240, 280 e
300 rs. a libra, eem arroba de 75. 7500
a 8SO0.
Cli parola de primeira qualidade a 3*200 a
bra.
Ilem uxim a 2*800.
dem hysson de primeira qualidade de 13800 a
25800 a libra.
dem nacional de 15500 a 15600 a libra.
dem preto homeopatliico de 15500 a 1*800 a
libra, primeira qualidade.
dem idem naohomeopaihico de 15500 a 1*800
a libra, primeira qualidade.
Cevadinha a 240 rs. a libra.
Chocolate de Lisboa (do Abrou) encommenda es-
pecial, qualidade esta que sera mede de erar
a m ?llior que a'jui tem vindo a 1 e 500 rs.
o massinho, c nien lo 12 e 24 paes.
dem hespanhol e francez premiad >s em d.
versas expisicoes, de 800 a 15 a libra.
dem sais de differentes qualidades, como se-
jara laumlha ecanella, etc. ele. de 15100 i
15400 a libra.
Champanha em gi^os com 12 garrafas inteiras ot
de 24 meias ditas a 125 a duzia, e em gar-
rafas de 1*100 a 1*200.
Chouricas das mais novas a 480 rs. a libra een
barril de 1 arrobada 13* a 145.
Charutos superiores Guanabaras, Lanceiros,
Delicias. Napoleo-s, Parisiense?, do afamas
1*500, 18,"2, 25600, 3#600 e450
o cento.
Ceblas a l5o nono com mais de 100 cebla.
Conservas inglezas muito novas a 800 rs. o
frasco.
Cognac inglez em barril, garrafa a 610 rs.
dem idem engarrafado de 800 a 900 rs. a gar-
rafa.
Doce de goiaba em caixes e em latas, prepara-
do especialmente para embarque, garantinde-
se a boa conservado por um anno.
Ervilhas em latas de 1 e 2 libras de 700 a 800
rs. a lata.
Extracto de absvntho em garrafas de 1 li? gar-
rafa a 1*500.
Farinha de trigo Fontana, das marcas SSS, ga-
lega, family, Je 120 a 160 rs. a libra.
dem do Maranho a 160 rs. a libra, e 45800
a arroba.
dem de araruta, especialmente preparada de
a 320 e 360 rs. a libra.
Figos muilo superiores a 240 rs. a libra.
Garrafes com mais de 5 garrafas de vinho do
Porte fino, a 3*200.
dem idem de vinho verde a 25800.
d-m com mais de 5 garrafas de vinagre de
F. & S. de Lisboa a 1*600.
dem idem com vinagre de Hamburgo a 15000.
dem com mais de 15 garrafas de genebra de
flollanda a 6*000.
Genebra de laraoja em fraseos grandes a 1*000
des de 500 a 150UO.
Graixa em boies a 240 rs., e a duzia a
2*700.
dem em lata mu:lo nova a 120 rs.
Grao de bico muito novo a 100 rs. a libra,
Gomma excellente do Aracaty, a 100 rs. a libra.
Kirsch Wasser, excellaota bebida do fabricante
Richard & Muller, em garrafas grandes a
1*500 a garrafa.
Licores dos melhores fabricantes inglezes e fran-
cezes e era differentes vasos de 500 a 15600
a garrafa de diversos tamanhos.
Vlanteiga ingleza perfeilamenle flor de 700 a
800 rs. a libra.
dem de segunda qualidade de 560 a 640 res
a libra.
Ilem '"" con r.eo .-' 1:1.. .
rima ue porco era latas cora 10 libras a 35600
e a libra a 380 rs. '
llera em barris muito superior a 360 reis.
Marrasquino de Zara a 800 reis o frasco
Maesas para sopa, macarro, talharim e aletria a
300 res a lit-ra e a caixa com uma arreba
nespanhola a 55500, do fabricante Nnrvy
dem tinas eurehnha, pevide e outras a 560 "rs
a libra.
Mlhos ingleses e muito superiores
o frasco.
llera idem Jem a 25 em fratco grande rolha
de vidro.
Ri'zes superiores a 200 res a
Plios.horos do gaz a
rs. a duzia.
Prezunto de Lamego o melhor do mercado a 480
reis a libra, e em por^o 460 rs.
dem inglez para fiambre a 560, 610 e 700 rs
Passas das de carnada de 320 a 400 rs. a libra'
e em caixa de 5 a 6*000.
Palitos para denles
160 rs.
dem lichados idem idem
o maco.
Peixes curvina, safio, linguado, pescada, peixe-
espada, pargo, robalo, saimao e lagoslim,
era latas hermticamente f-chadas a 1*300 a
lata de l a 2 libras, sendo preparado pelos pri-
raeiros fabricantes de Lisboa, Inglaterra e A-
raerica.
1KB3
m F. dos San
40Ba do Oneimado40
Defronte do becco da Congregaco letreiro verde.
JilSSFVyS. hl ""P" nm ornto completo da
a i qaalidadM tambem a manda execatar per medida i tod!
oq.tt.m >m do malbore profriaorea.
O,
toda
za p
Casacas ae panno
85M
SobrMtaaeoa da dito dito a 35*
Palatola de panno preto de o-
re a 35*. 80, 25. 10*, 18
Ditos de raaemira de corsa a 22a.
^ 15J.125.7.
Ditoa de alpaca preta golla da
!lu:'o fraacazaa a
Ditoa de merino letm pretoi a
d corea i 9) t
SB Dlto* d lpca d corea a b*
Uceen r\tii,i 1 ,-. ln>n. aui. flu -.
roapa feita de
Tontad dea freg-
30*000
30000
20*000
9*000
oaooo
8000
80500
X^ Dito* de alpaca preta a 9, 7*. 5* 3500
SgSl Dit'1s d* br!rn de eore 5f.
4*500. 4 e
?-. Dito ds bracuante delinho bren-
t % oa*, 55
-i Dito* 1# m,rir|6 4 tordie pret
35?s Calcas da caaemira preta da co-
W ft4.M";11{ 10.3.7*a
1^3 DUb* d* prinerza e merino de
^Wt *otMo preto a 5, 6$500
f Dlu* 'J* Mm Drneo a de corea
>.<% 5*. 4*500 a
1g^ Caleta de canga de corea a
jfS Collele de reliado preto de eo-
?'l risliaoae bordado a 12*,9*e
Ditos da caaemira prota e d ca-
ree Heoa a bordados a .
5*500.5* *'
Pechincha
Chapaos de sol de seda a 5 : na ra do Quei-
Diedn n. 44
proUaaorea.
Ditos da tira preto
Dito de seda e aetim braceo a 6 e
Dito de gorgurio de aeda prete
decore 7, 6, 4 a
Ditodebrime fuitao branca
85O0. tt500
Seroula de brim de linho a 2* a
DiU de algodao a 1*600 a
Camisaa de peiio defaatao branee
de corea i 5400 a
Dita de palta -te linho 5*. 4
Ditaa de madapoiad branca de
ores a 8. 1*500, J* ,
Caapaea pretos d m*a (r forma da Itima moda a 10,
DUos d<-. feltroa 6. 5, 4* e
Dito de ao! da seda ingleza
fraDMxaa14|,lS, llj e
Loiarlnfao de liofio malto fine*
noro eitio da ltima moda
Dito de algodao
Reloitic de ouro patente e hari-
sonta] a lOOt, 90*. 808 70g00o i.
Dlto de prata galvaniaadoa pa- f
tente e horiiontae a 40 801000 : V
Obra de oe.ro, ri.recoa meio fe?
derecs, pulcira, roxetaa a t&.
O t J ?TT '
Toalh. d, linho rtazi, 10$, 6$ e 9S000 m
uii*s *r*n-fBprs mea um 3 4000lfa
3500
4000
8#000
6*000
4*500
2(500
000
8000
3^500
5000
5tOO0
5*000
8*000
2*;oo
1*280
2^100
8000
lS'O

7*000 ?<5f
2*000 ^
7*000 gS
soo ?x
*r>oa

a 500 reis
libra.
2*300 a groza, e a 200
macos com 20 macinhos a
com flora' 240 reis
Queijo flamengo d > ultime vapor a 2*000
dem dem do ullimo navio a i540., e era cai-
xa a 15200.
Idem pralo de 600 a 640 reis a libra.
Salpicoes, vindos de casas pariiculares'a 640 reis
a libra.
Sardinhas de Nantes a 380 rs. os quartos e
meias latas a 50 reis.
Serveja marca Tenente, Cobrinha, Cavallinho e
outras marcas a 4, 5 e 5*8u0 a duzia.
Sag a 280 rs. a libra e em garrafes com 5 e
6 libras liquido por 1*600 cora o garrafao.
Sabao moja de diversas cures e dos melhores a
c i", c- *uU rs- a l'b'a.
oal rebiiu4. ,___ ,
rr.esmo por 600 rs. cada um, s o pieT\ie
e dinheiro.
Sal refinado era pole3 de louga com tampa da
mesma por 500 rs. cada pote.
Toucinho de Lisboa do novo a 300 rs. a
libra, e em arroba 85800.
dem idem menos suponer de 160 a 200 rs. a
libra, e em ar Tijolos de grande tamanho a 160 rs. cada um
(para limpar facas).
Velas stearinas a 640 rs. o mago.
dem do Aracaty. carnauba, a 400 rs. a libra.
dem de composigo de Buenos-Ayres a 440 rs.
a libra.
Vinhos engarrafados vindos parte delles deconta
propria. corao tejara; Duque do Porto, Ca-
mes, Charaisso, Silva & Meneses, e outros,
que se ven lera de 13000 a 1*280 rs. a gar-
rafa e em caixa de 12*000 a 15*000, e
esperam-se novas qu.iidades.
Vinho Bordeaux das marcas Margaux, S. Ju-
lien, e outros a 800 rs. a garrafa, e a du-
zia a 9*000.
Vinho verdadeiro de Setubal em barril e em
garrafas de 64o a 800 rs. a garrafa.
Vinho do Porto em pipa das melhores marcas
de 5*000 a 65000 a caada de qualidade
especial.
Vinhode Lisboa, Madeira,CarcavaIlos, Figueira,
francez, e da diversos paizes da 35000 a
49500 a caada.
Lambraias lisas.
JL**?.' Pe"d" "nbrelesliee muito fln.s
com 8 lerda* a 2Jo00. ditS com 10 jardss 33
dits com 8 jardas a 3g.dll* com 10 jardas a 4
toa ru. aalmperairun. 60, luja e armazem'
Brilhantiuas Je quddrinhos a
200 ris
Na loja do Pavao.
JSTS brilh,a""D" "e quadrnho, tendo
de tod.s a. eore.f.rend. molto aacorpad e maja
a MO r. o cov.do : s oa rus da Irao iriz
b. "'J e arm.iem lo Patio.
sem
Rival sem igual
Rival sem Igual
lglK
n.
As
iSSlita
baratas
Ji
i nc o
avao liquida.
Vende sn fioissimaa css franceza de cor
muito bornes a 200. 20 e 280 rs. o co'ad'o
na ru oa Imcetatriz < 60. luja do Pao. '
B'ainanle Veode-.e pecis de bramante de lista tendo ama
largara, cot. 27 vSr ,,ad, ppg ,0 bsr)
tissimoprecodelOSa peca. tmbem a vend-
ara p.fas do meamo com 13 l|2 var.s por 5*
esta fazeuJ proyri p.ra hmcoss. toaihas c.
misase serouias.te, em proporrao do preco
que eti boje o .IgodSoitobo toraa-aa est. fa-
enda ian brta Modo de lioho. isto s oa ra
d Iwperatriz n. 60. loja armaiem do Paao.
La e seda pra ve&tidos a
400 ris.
S na loja do Pavao.
Vende-te la e sed para vestidos com muito
bonitos p.iro, eodo f.zenda que aempre *
rendeu por 1*. e torr-ae a 400 r. o covado para
apurar dinbKiro : a n ra oa Imperatriz n 60
loja e armazern do Pao. '
Roa larga do Boirio d. 36
Rui lar* Pedro TinOco .aV""* lo B.86
Pe1ro Tinoco vende
Pedro Tiofico vende
Miadezas muito bfrats
Miu.iezae muilo bar^tf
r.,ts.. a 1M"",Pl" alto b.r,t-9
tartoe de colchetea fr.nceie 40 ra
Estampas do 9a,.Ia Hy '
una com vistas fle guerra a 5C0 r.'
P-ni. jDLti8 ecm P"rso'"'Kpos a 320 rs
Pentea d. borracha P,r. alir 560 r.
biuto* uuradoa a ljlit)
Aulhaa frenmua em eaismhe 220 rs
TaMn,.."' *""' bordar a 65400 a libr
Tesooraa flnaa com loqae a 400 ra
Boto" ora pUr,hu 12u e lfi0
Tinteiro. com tlnU e lao.M te Sal??! r.
Meia. crufs par hoftlPrn ,-iAa "'
Olla brancas pars senhnra a -2^0 v
Euf-nes prctes a 4-;800.
Lluh. de crozel para borde, a 610 ct. 0 BMMi
Jugoe de vispora 800 rs. W
Dita do bello xodrez lgGOO.
Grvla com bola- a lOOO
Pincel para barba a 400 e 600 rs.
Pelseira de misa.nu a 1.1280 o nr
Carretel, de liaba a 30. W. 60 e 80 i!. P
Luvas de aed com toqae a SWO rs
p*ra limoar dentea a 140.
Ollas par cabello a 1J. "
Dilasboa p.ra auba a 30 e 500 r.
Dit par roupa 800 a 1^"
Aim como um nrtta,.r.io omploto d -ar
Paulo Corrteiro a 1500, R.aie groeo l5p. dito
Sa22iW7 V1600- ,J,,n fl"0 18280, ,so, ,
2*600. rolao fraoca a 25900. Meuruii ^Oio
Estova
CAL
45-Ra DMb-
Vnde-aiima mobilia da Jacaran com peina
ranean, ama dita de marello de r.iz e de mui-
to bom goito, vidro para ei,elho de todos os
tamanhos de 12 al 36 pollegada de altura, ri-
co trem de Jacaranda com consol ue pdr
irenn.lfM.-uui,-., uiufiaa oon de bom got
lo e por barato preco ; na raa da Gamboa da
C vea La
A***, o ,
Prozioio I o
A epidemia declina e ,
eomoUto d.app,recimda ...
proprielario degte bem /re,,..,' beIecirteato
convida ot seut Dumer.sli ,hni!* ,"b'ilair

COQ.
atHENS'
o. 12, loja da mareineiro de Joao Goncal-lBoU'> ,t. ,*. ;
* Ll.boa. C f*mad,^Ii\t. jw^
9o.rv,.-atir.*-1*"**;;-. ir
Manguitos egollas de
cambraia ricamente bordados
Vendara- mangaito Rolla de superior
cambraia ricamente bordadoa pelo insignificante
preco de 2* o par de manguito com am golla,
aodo que *mpre cnslaram 6* da p*r, im
pola racommnda-ee coi amigo d ant eco-
noma qae aproveitam a boa occatio, dirlgin-
do-se com dinheiro a loja da boa fe na raa do
Quaimado n. 22.
Vederu se tachas de
ferro cuado do fabricante mais
acreditado : na ra do Brum
n. 28 B, armazem de Jos da
SilvaLoyoAC.
2 baten...... lj?*
lngTeu.lr...,--......-- j3j>
b..edort.boOe....:-y.;.^o)W
bazerro. j2 \ Por
lngl.iap< ;);
a latiados^,.^^.-
.aldea non-phi-i!rU;o,"l-
, Sbaleriu "r;,-y.../..
* L-tC Ala. '\
esmai? cob,
Nano 2
!f
oraailo.
ir.
A 5.000.
J
IH01
BoUaasi*tfs fc,*
'ch lu\
.'''a.aSfA50
- H'lio itJI?*0 .
9*500
"50O
5*500
7SOCO
509
5i>.-,00
6*000
600

Chapeo de aol de sed a 5} cada am : i
de-e na ru do Crespo esquina da raa 0>a
perador r. 7.
?.-
eeoiT-(
,".
Tpa",",,a>;. *
eeo,^,
'..rO0^,.- :
Veiiiierii-se caixK9^
sios, proprios para fi
e bnhuleiro, a 1 ^280 c'
nesta typographi^
-t^HS
do n
er
.AS.
p* i^55%8ariBhoBafi gkfe.tr, mar-
MELHOR EXEMPLAR ENCONTRADO MUTILADO


Mi
<
DUB10 DI PIBKAIUUCO ~ Q'JISTA filRA 11 DE SETEMB4Q DI 1861;
Coke e alcatro.
Coks da melhor qaalidade, omito proprio para
Tapor, tambem para todoa oa aaoa doraeiticoa,
forooa pequanoa a grsodes, ate, para eatea ser-
rinos, o coka e mais econmico do qua qualquer
eatro combuslivel, por aar menos de matada do
prego o de mais d.raqo.
Alcatro, eata sendo applicado narioa, bar-
cagas, alvareogas, eanoes, etc., prtata muito bom
affeilo, conservando a madeira da todas aa qae-
lidadaa da bichos, fazendo darar am tempo inde-
finido. Tambem conserva madalra da edifica-
res, preservando-a doa bchoa a contra o lempo :
aa propriadadea chimicaa deata alcatro da ear-
vo maia forte do qua qualquer ontro, extrahi-
do de madeiraa ou outraa materiaa.
Quero prectaar achara renda, no armazam do
gaz. Ra do Imperador.
Prego do coke 12$ por tonelada.
Prego do alcatro 5C0 ra. por eaoada:
Para atar cabello.
Tambem ha ebegado lindos pentea de tarta-
raga todo entrancado com fita de borracha, de
forma que o cabello amarrado flea dentro de um
engredado, ioteinmente couaa aova, e de muito
goato, aaaim como coca lio e ltzoa de lindoa fei-
tioa, que se vende por prego muito razoavel : a
no vigilinte, rus do Crespo n. 7.
Luvas de pellica.
Tambem chegado aa Tardadeiraa lavas de
Jouvm mallo frescas tanto para homem como
para aenhora; a no vigilante rea do Creapo
d. 7.
Enfeites pura senhora.
Oa melhorea enfaltea pretea e de coree qae ap-
parace a 5$500, 69 6S50Q : na loja da Victoria,
na ra do Qaaimado D. 75.
Caixinhas e cabazes para
as meninas trazerem
no bra?o.
Muito lindas eaizinhas a cabazas para maninaa,
de 100 raia ate 29500: na loja da Victoria, na raa
do Queimado d. 75.
Franjas pretas com vi-
driiho esem elle.
Ritos aortimantoa da franjas pretas a da corea
aom vtdrilho a sera ella : na loja da Victoria, na
ra do Queimsdo n. 75.
mhasil: peso verda-
deiras..
Lichas finas da peso vardadairaa, meadaa
grandaa a 1-10 ris : na loja da Victoria, na raa
do Qaaimado o. 75.
Phosphoros de seguran^
Phoaphoroa da segursngs, por qae livra de in-
cendio, a 160 reta a calza : na loja da Victoria,
a raa do Qaaimado n. 75._______________________
Baleias para vestidos.
Balalas maito grandes e boaa a 160 rla ama :
aa loja da Victoria, na rea do Queimado n. 75.
Linha de croxei para la-
byrintho-
Aa melhorea linhas de croxei para labyrinthe,
novelloa monatroa a 320 rla um : na leja da Vic-
toria, na raa do Queimado o. 75.
Sintos dourados para se-
nhoras.
Lindoa sintos douradoa para senhoras a 29200,
ditoa do ponta cahida a 49, ditna da fita a I56OO:
na loja da Victoria, na ra do Qaaimado n. 75.
Ricos espelhos de
moldura dourada para
salas.
Chegoa para a loja da Victoria ama paqaana
porgo de ricos espelhos de varios tamanhos para
ernamentoa de salas, affiancando-se serem os
melhores em vidros que tem vindo : na loja da
Victoria, na ra do Queimado o. 75.
Gravatinhas.
Tambem chegado aa lindas gravatinhas com
lindos botdes, qae ae vende pelo barato prego de
lf : s no vigilante, roa do Creapo n. 7.
La |ara bordar.
Tambem ha superior la para bordar qae se
vende por 6$ a libra, aaaim como la de familia
qae es vende s 1$, e em cada caixinha maito fina
pelo baratissimo prego de 70 a caixinha : a no
vigilante, rea do Creapo n. 7._________________
Espelhos*
Tambem ha grande sorlimento de espeihos re-
dondos de moldara douradoa de todos os tama-
nhos, com extelleote vidro, que se vende pelo
baratissimo de 3|, A& a 5J : s no vigilante, raa
do Crespo n. 7.
Sintos.
Tambem 6 chegado oa muito desejadoa aintoa
com ricas Avalas da concha a borlla ao lado
cousa muito chique se vende pelo bsrato prego
de 49. assim como rlcaa flvelas para aiotoa com
podnnbasde lindos goslos que se vende a 19600
e 2$ ; s no vigilante ra do Crespo n. 7.
Chegado pelo va-
por francez s para o vigi-
lante finos pentes de mar-
rafa.
E' chegado os lindos pantinhos dourados com
muitas lindaa moldaraa de dtffereotea gostoa pa-
ra majrafa oa traveseos, pois s com a vista oa
compradorea sabero apreciar o quinto sao deli-
cados pelo baratissimo prego do 3JOOo o par :
aaaim como sem ser dourados de lindos gostos,
pelo barato prego de 29: na raa do Ceeapo n. 7!
S no galo vigilante, rus do Crespo n. 7.
Grampks a balo.
Tambem ebegado ss lindas grampas a balo,
coaaa maito linda : a no vigilante, raa do Crea-
po n. 7.
Velas e arroz.
V*ndem-ae velas de eepermacete a 640 a libra,
arroz de casca am ssccos grandea a 29800 cada
am : na taberna da traveaaa do pateo lo Paraso
n. 16. com olto para a rea da Florentina.
La para bordar,
La maito sos de todas as cores para bordar, a
79 a libra : na loja da Victoria, na raa do Quei-
mado n-. 75.
Linhas do gaz*
Caixinhas com 50 novelloa de linhas maito fi-
nas do gaz a 900 ris a cala, ditas com 30 no-
vellos a 700 ria, ditas com 10 novellos grandes
a 700 ris, brancas epretas: na loja da Victoria,
na raa do Queimado n. 75.
Fazendas pretas
superiores.
Grosdanapla preto maito superior pele dim-
tate preco de 25 o covado, panno prelo maito fi-
no a 3, 4, 5, 6, 7 a 9J o covado. caaemira preta
muito fina a 2f, 29500, 3, 39500 a 4 o covado,
maotaa pretss de blondo multo superiores a 129,
manteletes da superiores grosdenaplea pretos ri-
camente bordados s 35$, sobrecaaacaa de panne
preto maito fino a 800, caaacaa tambem de panne
preto maito fino a 30$, paletota de panno preto
Ano a 18 e 209, ditos de casamlra da cor mes-
nada a 18, aaperiorea gravetiafaas eatreitaa a
19, ditas de setim maco ede gorgaro maltosa-
periores para daaa voltea a 29, ditaa eetreittuhaa
ora lindos alQnstea a 29, auperior gorgaro pre-
to para colletea a 49 o corta, ricos tnfoites pretoa
a 69, o assim oatras mnilas fazendaa qae aeado a
dinheiro vala, vendam-ae por pregos maito ba-
ratos : na raa do Qaaimado n. 22, na bem eonhe-
cida loja da boa .
umio
z
Raa do Qaaimado n. 55, loja de miadezas de
Jos de Az.vsflo Maia e Silva, eonhecido por Jo-
t Bigodinho, est vendendo ludo polos pragos
j sabios, pnrm quem nao souber tenha a
boodade de ver o que bom e baratissimo :
Frascos de Lavaode muito Goos, a 801'
Ditos oe oleo babosa sup.rior, a 320 e.. 500
Frascos d agoa de colonia muito tina a 400
Ditoa Caixas com pos cor de rosa para limpar
daotce, s.......; .
Dazia de sabonetas muito fines, a .
Vareada bico daalihaa, est no resto, a
Carriteis de linha preta muito grande,
e tem maita linha, a..................
Bengelas do melhor gosto, a ; .
Tioteiros com lint* muito boa, a .
Baralbos de cartas francesas, a .
Ditas de cartaa portuguezaa muito fi-
nas, a i.......
Varas de Ota de sellado recortada, a 160
Frascos de banba de arco mullo aupe-
rior, a...........
Ditos de dita transparente, a ....
Fraacoa da macaca pernla, maito fino, a
Ditoa de dito oleo, omito floo, a .
Varas de fita para faier aintoa doa me-
lhorea gosto, a........
Babado do Porto para todo o prego. .
Labyriotos muito finos para todo prego.
Barra com phoauhoros muito bons, a .
Masaos da linba fina para bordar, a ....
Cartaa de clcheles superiores a 40 e
Escobas para limpar deotea, a 200 e
Crrit is de retroz de todas as coras, a
Bonecas nuas porm muito bonitas,
240 e..................
Grav.ias de du-9 voltas muito supe-
riores a..............................
Fios e msssos de coral de quilquer qua-
lldade a...............................
Sabonetes grandes a n.uito finos, a....
Agalbeiros com aguthas......
Fitaa para eapariilhos grandes e pe-
queos a 60 e........
Varas de bico de 3 e 4 dedos, a .
Calzas com agulhas francezas cartas, a
Linhas em cartes brancas a de co-
res, a .................................
600
160
600
89
160
500!
160
240 j
160!
240 I
600
800
200
100
500
10
240
80
400
240
320
800
500
120
80
80
120
2U0
Camisas bordadas e ou tros ob-
jectoai necessarios para
senhoras.
Na loja da aguia branca acha-se am bello sor-
limento de bonitas camiainnas denos cambraia
com babadinhos e mui bonitos bordados de no-
vse delicados desechos, as quaea servem mai
bem para os modernos veatidoa de frente aberta
veniam-se pelo diminuto preco de 39 cada
ama ; assim como bonitos manguitos a balo com
gollinhaa de superior cambraia e al e todos bor-
dados, com paohos virados e cada par pelo ba
retiasimo prgo de2J, oque 4 admiravel aviata
da superioridadeda obra, e bem assim panhos e
gollinhas tambem bordados com bonitos botea
a 29 a gseroicao, a gollinhas soltss igualment-
bem bordadas a 19 cada urna e manguitos a 800
rs. o par. A vista pois de am lo completo aor-
tlmento nenhuma senhora delxtr de cemprar
eseesneaaaaarioa objectos Unto maia quanto a
eommodldade dos presos convida e para qae to-
doa sejam bem servidos convem que mandem
logo comprar na loja da aguia branca raa do
Queimado n. 16.
A loja da sguia
branca ruido Queimado n. 16
Acaba da receber os preciaos objectos segein-
tes:
Aspas da baleia grandea a pequeas.
Fita com colzeles branca, parda a prata.
Dita de la para debruar veatidos de cores.
Traocinha de caracol miado conhecida por bon.
tom.
Alneles pretos ebrancos em caixinhas.
Air.ulb.aa imperiaes fundo dourado.
Ditas victoria em caixinhas o papis.
Retrox preto fino em carreteis grandes:
H no vigilante,
Collares para senhoras ou me
ninas.
E' chegado 01 maitos desejados collares de al-
jofaras fiogiodo madreperola, com urna cruzioha
da pedraatiogindo brilhanles que ao muito ele-
gantes, pois scom a vista qae se poder apre-
ciar, que se vende pelo barato prego de 39 cada
um : iato s na loja do gallo vigilante, roa do
Crespo n. 7.
20
JaJxlatCllk
OA
Fundillo Lsw-Moor,
Boa da Senzalla Nova n.4*
Naste astabelesiraento continua a haverum
completo sortimento de moao las e metas moen-
das para engenho, machinas de vapor e taixas
de ferro batido e coado de todos ostamanho
para dito, ______________________
J chegarain os remedios
do Dr. RauusyResolutivo
renovador, prompto allivio
e pilulas reguladoras,
No droguista Baymundo Carlos Leite
Irmaoj ra da Impertriz n. 12.
Aderemos pretos
Tambem chegaram os lindos aderecos pretos,
sendo da>s pulse-iras, rosetas, alfinetes, ludo em
urna caixinha, iot<>iramenie couaa nova oesta
practa, todos muito delicados pela grande mo
ne obra qae tem, poia as pessoas de bom gosto
sabero apreciar : s no gallo vigilante, ra do
Creapo n. 7.
Agulhas,
Soahall Mellors & C, lendo recebido or-
dem para vender o sea crescido deposito de rale-
gios visto o fabricante ter-ae retlredo do nego-
cie ; ceovida, portento, a pessoas qae qaixerem
poasair am bom relogie de oaro oa prata de c-
lebre fabricante Kornby, a aproveitar-ee da op-
portanidada sem parda de lampo, para vir eom-
pra-loa por sommodo preco no cea escrtptorie
raa do Trapicha n.S8.
Boa fama n. 35.
Vende os seguintes ob-
jectos abaixo mencio-
nados.
Grampos a balo com pendente doarados a 25
o par.
Pentes imitando tartaruga para bandes, aiti-
mo gosto a 39 o par.
Fivalss para sintos, fszenda inteiramante nova
a 29 o par.
Alneles pretos com doarado para senhora, in-
teiramante novoa a 29 cada am.
Botoaa pratoa com dearado para panhea, intei-
rementa novos, a 29 o par.
Botdes de lartaraga para panhos a 15500 o par.
Na ra do Queimado, loja de miadexaa n. 35,
da boa fama.
Tinta para marcar roupa.
Vende-so tinta para marcar roupa a 1;.
Agua de malabar para tiogir cabellos a 59 o
fraaco : na ra do Queimado, loja de miadexaa n.
35, da boa fama.
Cartas linas para jogar.
Vende-se dazla de btralhoa de cartas finas com
aa pontea douradas a 69, dita sem ser dourada a
39500 e 41 : na ra do Queimado, loja da mia-
dezas n. 35, boa fama.
Fitas de laa para debrum.
Vendimia pecM de fila de la para debram a
1S, a em vara a 120 ra., ditas de aeda a 29400, a
em vara a 240 na raa do Qaeimado, loja de
miadezas n. 35 da boa fama.
Picos Casquines
A loja da boa recebea aaperiorea basquinas
da muito fina cambraia a imitaco da de Iinho,
bordedos e eofeitados com apurado goato o oa
vende pelo barato praco de 89 cada um, tendo
aido sempre sea casto de 16J o 209, apressem-se
poia em compra-loa na mencionada loja da boa
te, na raa do Qaeimado n. 22.
IrMTOdL
sem segundo.
NT* *f*Aio Q"ln'lo n. 55, loja de miadezas
de Jos de Azevedo Maia eSilve. estf queimendo
todaa aa auas miadezas muito boas e baraliasl-
mss, a saber :
Spalos de tran5a de la muito superlo-
" ,. 19440
Ditos de laa para meninos de peito a 200 e 400
Pares de botes para punbosa
Caixas com papei de aTersas qualldades
sortido a
Ditos da corea o melhor qae ha a
Tbesouraa de 6 polegadas a
Aia prea muito fina (libra)
Pecae de fita para coi, de saperior qua-
hdade a H
Novelloa de ||aha que tem 200 jardas a
dem idem da 400 jardas a
dem idem de 800 jardea a
Linha do gaz de 10 e 20 jardas a tres por
doua 6 barato.
Gaixaa de foiba com phosphoros a
Coroetaa de chifre para entreter meni-
nos a
Carriteis de linha de 100 jardas a
dem da Alexandre maito superior a
Dazia da facaa egarfos, cabo preto, mul-
to Boaa a
Calzas com colxetes francezas a
Ditas com phosphoros do giz a
Ditaacom dito de vela rumio superior a
Cixaa com iscaa para acceoder charutoa
Duzias de meiaa craaa muito encorpa-
das a
Duzia de meias brancas a
240
700
700
40
100
320
40
60
120
80
80
30
100
89500
40
20
20
40
Superiores atoalhados
adamascado.
Saparlores atoalhado adamascado com 8 pal-
moa do largara a lg60O rs. a vara : na ra do
Queimado n.22, na loja da boa fe.
Damasco para colxas e para
oruameutos de igreja.
Vende-se maito saperior damasco de l de
ama s cor, maito proprio para colxaa e para
ornamentoa, com 6 palmos da largara pelo ba-
rato preco de 29800 ra. o covedo : na raa do
Queimado n. 22, na loja da boa f.
Verdadeira pechincha.
Vendem-se corteado aaperior gorgaro de se-
da para colletea palo baratissimo preco de 19,
29 a 39 o corte : na ra do Queimado n. 22, na'
bem conhecida loja da boa f.
Tambem sao chegadas as verdadeiras agulhas
Victoria, de fundo dobrado, que se vende pelo
barato preco de 100 rs. o papel: s no gallo vi-
gilmte, rea do Creapo n.7.
Para os tabaquistas.
Lencos muit finos a imitado dos de linho de
meito bonitos padroea o de corea fizas maito
proprios para as peaaoaaque tomam tabaco pelo
barato preco de 49800 e 5500 a dazia : na raa
doOaoimodo n. 22, na bem conhecida loja da
boa f.
Bramante de Iinho.
Vende-se maito superior bramante da linho
com duaa varaa da largura proprio para lencea,
pelo barato preco de 29400 rs. a vara: na bem
conhecida loja da boa f. aa raa do Queimado
Sf400
1}600
Duzia senhora a 33000
Alisaos com grampos de todas as quali-
dadea a 40
Bolcss muito finas pera guardar dinhei-
re, servem tambem para guardar fumo,
e servem tambem para senhora a 500 e 800
Thtsoaraa pequeas, porm maito ti-
nas a 200
Ditaa para unhaa tambem muito supe-
riores a 4rjg
Marcas para eobrir, ao pequeas, porm
o preso couda a 10
Pares de meiaa de cores psra meninos a 160
Pares de meias brancas para meninas a 200
Grozs de peonas d'aco de todas as qua-
lldadea a 500
Caima com 100 anvelopes muito finos a lfOMl
Croza de botes de looga pratiidoa a 240
Mauguitos com guliiuhns.
Venda-sa manguitos com golltohas, fazsnda
maito boa, pelo berato prego de 2g000, gollinhas
e punhos altimo gosto a 29000, gollinhaa muito
finas e bem bordadaa a lgOOO carta orna na raa
do Qaeimado loja de miadexaa da Boa fama,
n. 35.__________________
Tiras e ntremelos bordados.
Vende-ae pe;ea da tiraa bordadaa de 2,500,
3,000, 3,500 a 4,000 entremeioa a I96OO a 25OO
cada pega na raa do Qaeimado loja de miudezaa
da Boa fama, n. 35.
Bouecas francezas.
Vande-ae bonecas francesas ricamente vestldaa
49OO a 59OOO, e 2|000 bonecas da cera com os
olhos rrovedeos e 55UOO e 39000, na raa do Qaei-
mado loja de miadexae da Boa fama, n. 35.
Fivelas de ac para sintos.
Vende-se Ovalas de eco para sinto a 1(500 rs. a
29OOO na raa do Qaeimado loja de miaaazas
da Boa fama. n. 35.
Baleias.
Vende-ae baleies 120 rs. cada ama aspa de ago
para balo a 160 ra. a vara, bandea a 19500 ra. a
29OO o par, na ra do Qaeimado loja de miadezas
da Boa fama, n. 35.
A2#500,sopavo.
Vendem-se cortes da cambraia branca com 2
3 babadAe 29500, ditoa de tarlatsna brancoa a
Novos pentes
de tartaruga e massa,
com douradu e sem elle,
para e tar cabello.
A loja d'aguis branca acaba de receber esses
pentes da que as senhoras tanto precisavam para
igualar aoa pequeoos douradoa. O aorlimento
pequeo, porm completo, porque tem de tarta-
raga e massa, dourados e sem o ser. A belleza
a perfeigao delles difficil desue?er, o por isso
limilamo-oos a dlzer qua ellas sao de um deae-
obo novisslmo de apurado goato, e de castosa
exeeago, na qual o artista elevoa-se por sua
pericia. Tem elles a forma de um lago de fita no
centro do que se conhece o feche por meio de
urna flvella, isso alem de rendados, tanto os de
tartaruga como os do massa. Agora, pois, qua
apparece o bom, convem qae as senhoras se nao
demorem em mandar comprar na loja d'aguia
ranea, ra do Queimado n. 16.
Moendas e meias moeudas.
Taixas de ierro batido e
coado.
Machinas de vapor.
Rodas d'ngua.
Rodas, dentadas etc., etc.
Ru do Brum n. 38, fundicao
de D. W. Bouuian.
Ca pellas para nuiva.
Tambem sao chegadas as lindas capelina bran-
cas, o mais delicado que pode baver, que se ven-
de pelo baratissimo prego de 79 e 69, tambem ha
nutras mais inferiores qae se vende por 29 e 39.
Peda-se que quem tiver de comprar qualquer
destes objectos, que se aprense antes que se sea-
be, poiafoi apenas urnas pequeas amostras que
se recebcu : sno gallo vigilante, ra do Crespo
numero 7.
Arados americanos e machinas
para lavar roupa: em casa de S. P.
Johnston^ 4 C ra da Senzalla Nova
a. 42.
Potassa da liussia
e Americana.
No escriptorlo de Uanoel Ignacio de Oliveira &
Filho, largo do Coreo Santo n. 19, por prego
maia barato do que m outra qualquer parte.
Na ra da Imperatriz nu-
mero
Vende se o seguale.
Bramante com 10 palmos de largura a 19500,
riscadiohoa eseuros de cor fixa a 160 rs., cissaa
le corea a 280 e 320 rs., olnados para eobrir
mesas a 5$, indianas n.eito hnas a 15. chitas a
160, 200, 210, 280 3SO re., cambraias da sal-
picos de corea e brancas a 400 rs., cobertores
brncu aepseuroa a 19200, 19600 e S9, pannoa
finos pretos a de cores a 28. 29400 e 39, cam-
bralas pare cortinados a 29 a pega, ditas lisas r
29. 39, A% e 59, tapetes muito finos a 69 a 79,
chapeos de seda e de castor muito finos edo ul-
timo gosto de Paria 89 a 99, ditos de feltro fi-
no copa alta a 59, casemirjspar forro de carros
a I96OO, corles de dita maito fina para calgca a
49, pegas de eotrmios a 19, a finalmente ma-
dapoloes, algodoee, brins, bretanhas a outrat
muitas fazendas qae o dono do eslabelecimento
asta resolvido a vender muito barato afim de
aparar dinheiro, dando-se aa competentes amos-
tras com penhor
Machinas americanas.
EmeaaadeN. o. Bieber & C, saccesaores,
raa da Cruz n. 4, vendem-se :
Machinas para regar borlas a capim.
Ditaa paradescarogar milho.
Ditas para cortar ca.iim.
Selins com pertauces a 109 e 20J.
Obraa do metal principa prateadas.
Alcatro da Seecia.
Varnis da alcatro para navios.
Salsa parrilha de primeiraqaalidade do Pari,
Vlnho Xerez de 1836 em caixas de 1 dazia;
Cognec em caixaa de 1 dazia.
Aradoe e grades.
Brilhantes.
Carrosas peqienes._________
Billn e arroz.
Vende-se em sacaos grandea, muito bsrato,
por ter grande porgo, ebegado estes dins de
Mamanguape: na travessa do piteo do Parazo
d. 16 com elto para a ra da Florentina.
da cora
da Impe
Gai
com barraa a
triz n. 60, loja
Silva.
babadoa a 39 : na rui
e armazem do pavo de
/ftscarllias de srda.
ceaearrilhea da seda para enfeitar
vestidos a 29000 a pega na raa do Queimado
loja de miudezaa, n. 35.
Meias de borracha.
Vende-se meiaa da borracha paraqaem padece
de erysipela a 159000 o par, meiaa da aeda pret>
para aenhora a 1&000 o par na ra do Queimade
loja de miadezas 0 Boa farca, t>. 35.
Perfuman*s muito ijas e
baratas.
Opiata ingleza a 15500 rs, dita francesa a 500
rs., 640, I9OCO, oleo aa sociedad* hygi.-..iq*
verdadeiro a I9COO o frasco, oleo babosa de Piver
verdadeiro a 800 ra. o frasco, agua balsmica
para os denles a I9OOO, dita de Botot tambem
para os denles s IgOOO o frasco, pomada franca
xa em paos a 500 rs. e I90OO, 320 rs. saboneta
maito fino a 640 rs., 800 rs. e I9OOO cada um n<
ra do Queimado loja de miaezaa da Boa fama,
n. 35.________________________________________
Superior brim branca de
linho
Vende-s* superior brim branco de linho tran-
cado pelo baratiaaimo prego de 19200, I9440 e
I56OO1 vara, dito muito encorpado de does fios
e de linho paro a 23 a vara : na raa do Qaeima-
do n.22, na bem conhecida loja da boe f.
A !2,4()0 rs. a : uzia.
Lengaa brincos finos para algibeira pelo dimi-
nuto prego de29400 rs. a dazia : na bem conhe-
cida loja da boa fe, n ra do Qaeimado n. 22
Cambraias de cores
Vondem-ae eambraas francezae de cores f-
zende maito fina pelo baratissimo prego de 260
a 280 rs. o covado : na loja da boa f na raa do
Queimado n. 22.
Kara luto.
Famos de seda eWstkos para chapeos largos a
streitos s 15500 : na rea do Qaeimado c. 22,
na loja da boa f.
Lazinhas muito finas
para vestidos.
Suptriorea lazinhas para vestidos de maito
bonitos padroesqa se vender pelo baratissimo
prego de 440 rs. o covado : na raa do Qaeima
do n. 22, no loja da boa f.
Cartas finas para voltarete
A loja d'aguia branca acaba de receber um bom
sorlimento de cartas com tintas mui fin-s, papel
lustroso e opaco, ecarsclerea de novos desenhos,
representando as figuras os grandes persooagens
das guerras da Itiiia e oulros. J se v, pois,
que com uos berelbos aaaim booa e bonitos, tor-
na-se anda maia deleitavel o entreler-se parte
da oolte no divertido voltarete, tendo sempre
espadilba, mamitis, basto, etc., etc., u pelo coa
treno am pieboao, ao qual os bolinhosea cha va-
na do bom cb do dono da casa far eaquecer o
pouco qae perder. Os baralbos de canto redon-
do e dourado cesim 69 a dazia, os immediatot
59. oulros 4#, 3g00 39. Tambem ba finaa
para os spalxontos da bisca, espadilba, etc.,
vista do que nao ha maia a cansarse, o pretea-
dente dirigir-se com dinheiro ras do Qaeima-
do, loja d'aguia branca n. 16, qua aera bem ser-
vido conforme o loovael costume.
Ha para veoder-se uro ezceilente cuzlnbei-
rot na rUa do Cabua n. 18, eobrado.
Vende-se urna pequea [frica oe velas de
carneara, qaasi nova : a tratar na taberna n. 48
da raa da Aurora.
Fazendas de bom
gosto.
Lindos cortes de precalia para vestido e cass-
I!2I*t" 52I- barr" '*"" figulino que
.comp.aha cada corla, diios da la de cores com
'"**6. "o goeio, superiores sedas de cores I
de padroee maite lindos 2 o cov.do, ditas de
mPr 04.q"1,d,dftom "m Peqeno toque de
mnfo algo covado, superiores corles de cam-,
araia Drneos bordados, ditos de blonde brancos '
com msnia e capelia para neiva, liadas mucam- i
tiques decores para vestido a 480 rs. o covado
ditaa eaaito floaa matisadas a seda a 640 ra. I
muito superiores cortes de seda de cores os mais"
modernos que tem vindo a Peraambuco, saias
brancas bordadaa de cambraia de Escocia multe !
finas, lidos chapeos de palha de Italia psra se-
ahora a Eugenia e Beatriz, eiios de palba de i
leltro entestados com meito bom goato para me '
nios, tirss bordadaa, entremeioa tapados e trans- '
prenles, ronhas de labyrinto, lengos de cam-
braia de linho bordadoa, ditos de labyrinto, su
periores baldes americanos de 13, 15, 20,' 25,
30 e 42 arcos para senhora, ditos de 8 e 11 ar-
cos para menina, luvas de pellica de Jouvm pa-
ra homem e senhora, superiorea manteletes de
seda, capas de aeda bordadas para senhora, bour-
nas ou capas de phantasia, manteletes brsncos e
outras muilss fazendaa de bom gosto por pregos
maia commodos do que em oalra qualquer prte '
na loja do sobrado fle 4 andares ra do Crespo
o. 13, de Antonio Cona de Vasconcellos & C

Paletots a 6.
Vendem-se paletote de panno prsto fino e cor
69 : na raa da Imperatriz n 60, loja do
de caf a
pavo.
Chitas
escuras a 240.
Vendam-ae cbitaa fr.ocezaa escaras a 240 o co-
la da Imperatriz n. 60, loja rio paveo.
Pe"
ira
! liquidadlo por todo]
i o pre-jo, na loja do'
Serian*jo.
RUA DO QUEIMADO N. 45.
Apparecain conj dinheiro que naual
S deixarao de comprar.
Chitas escuras liosa a 160, 180
* rs., cortee de
Superiores chapeos
Chapeos do Cbyli muito fios, ditos *
de seda superiores, ditos de sol de mui-
to superior qualidade de 8, 10, 12 e 15 m
asteaa : na loje do aobrado de 4 andares
raa do Crespo n. 13, de Antonio CorrSa @ 2
de Vasconcellos & C. fc *
Rehincha sem iguala I
Superiores cortes de seda de cores |
eem 18 a 20 covados cada corle pelo g
baratisiimo prego de 209 o corte, Isas S
de cores de qeadros e de flores pura ves- Vr
tido de senhora e de meninos a 200 rs. &i
o covado para acabar: na loja do so- Z
brado de 4 andares ra do Crespo d. *
13. de Antonio Correa de Vasconcellos
& C.
Loja de miudezas ra do Quei-
mado numero 33 A.
Coatureiros.
Agulhas Victoria papel a 120 rs.
Linhaa de 200 jardea de todos os nmeros s 80 rs.
Cascarrllha a pega 29.
Ditea muito boa vara a 400 rs.
Tranca de linho para todo prego.
Franja de seda, de liaho, de algodo maito ba-
rato.
Retroz, linha de novelo etc.
Meias.
Um completo sorlimento sendo de cores para
meninos a 240 rs.
Dltes brancas a 200 rs.
Ditas para senhora a 240, 300 a 400 rs.
Ditas para homem a 59 e 6g.
Ditaa pretas para senhora a 400 0 860 rs,
Gravatas
com boto a 19.
De corea muito boaa para homem a 1.
Para meninos estreilinhas a 800 rs.
Pulceiras
ie contas miadinha a 19.
De cabello a 49.
De phantaala de dito etc. a 500 rs.
Botoes.
Para casaca e pars cales a groza 320 rs.
Para camisa muito finos groza 19400.
Grandes para roupao groza I96UO.
Pequeninos para crianca 19400.
Alamares.
Para capote dazla por 800 ra.
Colxetes.
Da fio batido especid duzta 720 rs.
De carto 14 parea a duzta 500 rs.
Em caixa pretos a duzia 8('0 ra.
Brincos.
A baiao brancos, encarnados, azaea e doarados o
par por I9.
Rozetinhaa com pedras que parece diamante o
par 19.
Penas e canelas.
De todaa as qualidades especialmente de ealigra-
phia o de langa.
200
- veatido pretea bordados n
309. 409. 509 e 709. aahidas de Pallo vel-
ludo e setim al2a a 13, camisas par.-, se-
nhora a 29 e 39, goiltnhas e manguitos a
29, 3g e 3*500, gollinhaa cambraia borda-
jaa a 500,6iO,7O. 800, 900 a 19. dius
de fil bordado a 120 rs., easaveques de
fasto 59. 69 e 7$, meias de seda
brancaa e pretas para senhora a IfSOO
o par, tiraa bordadas a 500 o 700 r.,
laa de quedro edfertada 800 a 3t>0 ra.
o covado, cambraia preta a 400 4-lti
rs. a vara, organdys da coras a 610 rt. a
vara, fil branco adamaacado psra cor-
linadoa veetldoe a 400 a 600 ris a
vara, cortes de cete, de casemira bor-
dado! pretcs a 29 a 39000. ditos
vallado de r e pretoa a 39, 4?, 55 89,
paletots ce brim branco franeezes a
39500 e 49500. oilos de casemira do eo-
rea pretos a 149 e 169. ditoa de -
preta ede cores a 39, 3j50. 4 a 4JC0,
camisas de peito de heno a 29500, cort
da eolle'.e de (Torgarae- a 19500, IjTO,
292t!0, 3$ 3S.")00, colletea eitosde brim
branco a 29<>U0, ditoa feitcs de gorgurc
a 295OO e 39JOO, ditus feitos a caaemira
a 3S5O0, 4| a 48500, ditos de velludo a
59, 69 e 79, ditos de fuslao de cores a
1J50, um variado sorlimento de meita
para homem a aenhora, grinaldas tom
florts, chales de froso, espartilhos, e to-
da a qaalidade do roupss feitas para ho
mem que lado se vende por melado o
aea valor.
smmmm&i m$ mmt-

arroca.
6
Vende-se urna carrrg' nova bem conairulda e
bom ferrada, e que serve para boi e cavnllo por
ser apparelhada para ama e outra cousa : i,a roa
da Concordia, tenda de ferreiro junio a un, esla-
leiro de carplntelro.
Ssera^os ml
Escravo fgido.
Fugio ontra vez do poder do ab>izo asi^niJo
o teu e?cravo Uanoel, de nago maior de 4 fri-
os, com os segeinles aignaes : eswiura rexuUr,
chfio do corpo, olhos grandea e avarmelhOos,
rosto rd por isao fujo. Foi dos her-ieiros do fina.lo Aj-
guato da Costa Guioiaraes, Co Reeife- E' grande
mentiroso e por >ezes j tem sido castigad por
fegas andando no panno. Coctuma amar pel
bniiro da Boa-Vitta s Santo Amaro Recommen-
da-se aa autori ladea policiaca e sos sen! ores ca-
pitea de campo a captura deste escravo ; < iuem
o trouier *o aea st-nhor na ra da Cruz du R*cif
n. 23, s*r lecompenssdu, protestando o abaixo
aasiguado coi Ira qem o acoulsr com l^uu o ii<
gor da Ifj.Ooro'imo-* R.idrtaucs Ue Auo.ae.
Fuglo no Ola 6 de.ilu m*-z o calira acaiiuila-
do Jos, dt. altura neooi qu regalar, Cabello cor-
tado baixo por se haver raspado, aorredios e cal-
vo, letn caiga aiul e blusa de algodao brinco
trangado, com tres boleos, sendo doaa do ido
esquerdo e um do otreito, chapeo de coero Ota
feliro ; tem por codume ganhar oa rus, l n o 16
trabalba-lo no encauaraenlo do Cambrons, rose-
ta que se a.ha amancebado com urna pr :.s de
nome Rita, e que tem calugi no Mundo Novo,
one preteo.ie passar por forro : roga-se aos se-
nhores da policia que o prendero ; e aoa mora-
dores fio Mundo Novo qae o conhecem que o re-
i^ham esilre^ar ao *cu aeubor Joaquim Unacio te
pnla e de tanca i ------ ------ ---v. ^^.1-l'. **....v,..- ..?
Caeta, par. aprender e.crever pelo sjstem. de lt""t%, L'""- "' rua d* Sau""le Bj"-
Sculy urna por 500 rs. N ca 1 docorrnto asentou-si o 1 ui-
Papel.
Almago pautado 560 foihas63.
Dito dito 420 ditas 49300.
Dito dito 420 ditaa 4$.
Dito liso 39200.
Dito de peso azul a branco 4.jOO.
Dito azul Iiso2900.
Dito peqaeno tarjado 19500.
Dito ptnaeno de cores 1(200 e 19500.
Dito tarjado de preto 19500.
Eovelopaa cenlo lg.
brelas de colas 100,120 e 300 rs.
Pentes de tartaruga.
A imperatriz 89 e 109 o qae se vendea por 169
e 2O9OOO.
Direito para atar cabello a 49.
A imllagao por 19.
De arripia para meninos a 800 a 1?.
Tartaruga para alizar
tinbo Manocl, pacato, rom os Biguaes ei-gi 1 L3 :
idade 14 anno?, cheio do corpo, cor clara a ma-
cilenta, cabellos ceraplohoe, olhos peqaai.os,
como de iu*m soffreu nses incoa r. o "o, lera
falta de um dente na frente DO qaeixo superior,
a primeira vista mostra o acanhami-nto p- rio
dos eacravos do campo, tem o andar Icio, ts
moe e pee curtos e groisos, a ponto do parece-
rea inchadoa, levou camisa de algodao ue listn
e ca'ga azul nova, chao de palha de Carnauba
usado ; seppe so que ande equi roesn.o na ci-
dade, visto aue a ella veio pela primeira -i, -;u
que tenha acomptnhado alguoi aombol do ai'rLO-
creves : rogase as autoriacies policnee, capi-
laaa de campo, r a qoalqner ;e(soa, a a rt h n-
sao do referido mulatiiiho, que te gratifi.-.ar sc-
n.rosamente na ra de Apollo n. 43, pnrreiro
andr.
Fugio ds bordo ..o brigue eacaua Cysni o
mulato escravo de nomo Luis, vindo eliin.en en-
De bfalo para suiga e cabello 400 rs.
sa muito bons a 320 rs.
E infinidade deariigos novsmente chegados
loja Esperanga ra do Queimado n. 33 A.
baratas
las
NA
Loja do pavo,
Cambraia organdys a 280 rs.
Vende-se smbraia organdys de cores com mo-
dernsimos padres a 280 o covado, e csssas
francezas muito finas a 240, 280 e 300 rs. o co-
vado : s na loja do pavao, rea da Imperatriz
namero 60.
Josquira da su* 1. .1 >t
, de Macei : a alto, ianro, pouca barb>, a. tem
I amas ferldas as cannellas das pernas, levou .te.
j lido cemisa e calca de panno azul e algnma ron-
na nove, chapeo de palha ordioaria. Recommen-
' da-se s autoridades Peliciaea a sui captura, roa-
duzindo-o ra da C'uz o. 3.
Bordado baratos.
Vendem se gollinhas de esmbrais o de fil bor-
dadas s 500 rs., m.nguitos a 19 o par, manguitos
com golla bordada de catbraia a Ijtioo, a tiraa
bordadas a entremeioa ; na raa da Imperatriz n.
60, loja do pavao.
Alpakiu* 280.
Vande-se eata nova fazenda de linho a imitagao
desedss de quadrinhos miadinhos propria para
vestido da senhora, roupaa para meninos, sendo
fazanda qae nao desbots, a 280 o covado : na ra
da Imperatriz n. 60. loja do pavo.
Aluda ciulua Ujilflo desle o da 27 de
margo do crreme armo, o escravo Francisco,
crioulo, idade 25 at 27 aonos, pouco mais ou
menos, altura regular, bom corpo, baab pa:sa
piolhos, bocea lequeoa, cum todos os denii s na
fieiite, nariz afilado. pesi go curto e grosso, i'lboa
vivos, cor nao muito preta, tem urna pequea
cicatriz na lala por cima oe uu elbo, iolitula-se
torro por onde ar.d, basiante ladiuo ejogador,
trabalha de rarpinteiro pouco, 9 o serrador"tJek
nao, pea peqaen.s, tem n.r.r calas. Foi escravu do Sr. Mancel Joequin, da
Silva Carv*lho, morador no brejo de Tf q riin-
ga, e cmpralo pelo ab*i>o sssimado *o Sr. Joa-
qun) Antonio Santiago Lessa. Conaia qae o dito
escravn anda pelos sertoes de Serra l'alhaoa, Rm-
che do Navio, e outros lugre#, rm trrgo oe va-
queiro, e as veies vendendo miuoczas : rog-se,
portante, a tedas rs aulondades policiaea, capi-
laea de campo, e mais pessoas que delle 1 > u\
cenhecimeoto ou noiicia, o bajam de appieheo-
der e levar a seu legitimo dono o abaizo assigna-
do, na fiegoezia de Agua-Preta, que serao re-
comoensadue com 2009.
Calcado brato
Na loja do Porto esquina da roa da Madre de
Dos, vende-se urna porgo de calgado com pe-
qaeno defeilo maito barato.
Chitas largas a 200 rs.
Vendem-se chitas largas a 200 rs. o cossdo por
ter am pequeo toque do mofo ; na raa da Im-
peretriz n. 60. loja do pavao.
Bramante a 10$.
Vendem-se pegas de bramante de linhe de
ama a largara com 27 varas a 109 pega, tam-
t-em ae vende 1|2 pega com 13 lp veraa por 59 i
na ra da Imperatriz n. 60, loja do pavo.
Carnauba
Venda-aa a mala superior cara da carneaba qae
ha no mercado ; na ra da Imperatriz n. 60, loja
do paveo.
Cambraias lisas a 3$
Vendem-se pegas de cambraia lisa maito fina
com 8 1)2 varas a 39 a pega : na raa da Impera-
triz n. 60, loja d paeu. __________
Chaina baratos.
V*ndam-ae chelea de merino de corea sendo
maito grandes a 39 : na raa da Imperatriz n. 60,
loja do pavo.
Est fagido desde ll flo correte mes deja-
Iho, o escravo pardo, Ricardo, boleeiro e carro-
cairo, bem coofaecido nesta prags e aeus arrs-
baldas ; representa ter 25 annos de idade, bal-
so e magro, tem cabellos carapinhos raspado de
pouco tempo ne cadeia, onde eateve per causa
de estar fgido, tem pouca barba efalta de deotea
oa frente, rosto coroprido a olhoa redondos ; tem
sido encontrado os Cspunga, o Olinda anda ?a-
diendo e jngendo com mais de 209 QUI> leveu :
quem o apprebender e levar a caaa deeeusenhoi
oa Passagsm da Magdalena qae ser generosa-
mente recompenaado.
Antonio Valentlm da Silvs Barrocs.
200 de gralicaco
a qaem pegar o pardo Francisco, de 17 annea
de idade, de bonita fisura, com todos na denles,
caballos caiapinhos a raivos, este par- foi de
Sr. Dr. Borgesda Fonsoca, o qaal viajo con o
mesmo sentior todo o serto e auburbios Oeste
provincia, necesaa tsmnile quando era a-e. ti-
cravo, e talvaz aiods sa inculque a servigo de
mesmo : quero o peger queira entrega lo a sea
legitimo donone ra do Hospicio n. 6.
Ignacio Luis de firilo Taberda.
MUTILADO
ILEGVEL


*~^
$r
DIARIO DB FIRRAM1OC0 ~> QOWTA FEllA 11 DI SErBMBlO DE llft.
Litteratura
Scrmo da Senhora do Uoui Conselho,
pregado na cgrcja dos religiosos
franciscanos do Recife, por occasiao
da solemne fcsliviilade que ccle-
Ihou, 8 de sclciobro de 1862, a
sua iniaiidadc, smente cono posta
de lentes c estudnntcs da Faculdade
uc Uircilo, uo sevto aunivcrsai io de
sua iustiiuico, por Fr. M. C. Monte.
Carta dedicatoria.
Augisla e nobre irmandade.Huta nm lem-
pa, em que recuse aos honrados e virtuoso pe-
ueienses, con todas si forjas ds mea fraco es-
pirito, a publicoo da um pequeuo discurso, ou
orago gratulatoria, que, por occasiao da honro-
si visita, que se digjiou fazer-lhes o nosso au-
gusto r.onarchi o Senhor D. Pedro II, Uve a
grande veulura, e iocoocebivel gloria de prolu-
tir en sua adorsvel preienga.
Qz nales, 5 meu pezar, e ferido de acerba
or, cahir oo desagrado de alguna amigos por
0191 t Sr. -. Manoel Sobral Pinto, qus foi o poderoso
vehculo, por quem nm (oram, cioco dias aules,
trausmittidos os empenhos do Eim. governo d'a-
qj '.'.- provincia, para supprir a granlissima la-
cuoa, i >, por falta de quem se quizesse encar-
re/ar d*sse importante trsbalho, i discouceituar
qailh bella e dade, onda Gt o meu tyrocioio :
Hlepmz meimo ssr olvidado por aquella nobre
presidenta na lista dos servidores da patria com
a publicas demoostrage3 do cu'to S sqaelle, que
na lern fu constituido semi-Deus pela sgrads
uij ', i jo ao grande sacerdote tioha o mesmo
Dais mandado impor-lhe: prefer emflm, sen-
ta 1o-ras cor extremo pigo com o interior teste-
muiho de hsver prestado o servigo corresDoa-
denla ? minhas forjas, ser deslembrado das hon-
rosas munificencias, com qua o augusto impera-
lhantada de las luies immorlaet, annunciada
por os mais famosos oroslo, seguida de ama
serie nunca interrompida de patriarchu chelea
di familia, depositarla da tndicgo, a das pro-
mesiaa mais importaotes, ella abre suai paginas,
mostr suas propheciii, e sobre ai ruinaa de io-
dos os systemas, despeito de toda aa psixes,
off^rece aoa olhos do aniverso as maravilhasda
redempgo, preparada no espsco da qusrents s-
culos, e psrfeitamente realisada no complemento
dar so cu o sea Re, trra o leu Redemptor,
ao homens o teu Uessias, e toda a nalureza o
seu Conservador. Lxber generalionis... Maricr,
de qua natus esl Jeius.
Com effeito, enhores, ha urna magnificencia na
economa da nossa religio, que lhe grangea a
mais profunda homeoagem ; ha um plano da ai-
bsdoria, que auxiliando os voi di inlelllgencla,
desperu lhe a mais alta admlragao : o primeiro
homem, enrequecido de todos osdons, predesti-
nado pars a felicitarle, devia conservar intacto o
frueto, que, como deposito ssgrado, lhe fdra con-
fiado : entretanto elle achou na mulhar, qae fo-
ra o mais bello presente da Divindade, a cansa de
aua deignga. Coovinha, pois, Sabedoria e Mi-
sericordia Divina vingar a obra de suas ruaos,
oppoodo urna mulher, cheia de innocencia, mu-
Iher prevaricadora, e offerecendo-nos urna me,
que dsse seus fllhos o frueto da vida, bem
como a primeira ministrara o frueto da morte.
Liber generationis etc.
Ah! senbores, se em qaslqaer eircamslancia,
queaeja preciso fallar doiimffaveis myiterlosda
Me de Deus e dos homens, sempre to diffkil
e arriscada a empreza, que o mesmo genio pro-
fundo de um Agoatluho se via, como perplexo e
confuso, sem atinar jamis com os loavores pro-
porcionados excellencis da urna to soberana
V'irgem, o que ser, quando aos monumentos de
sua gloria |apparecem ligados os deslinos de um
vasto imperio, com a educaco de sua primoross
e escolhida mocidade, que deve um dia, ocaupar
os seus mais distinctos lugares, as suas p^sicoes
mal eminentes ? Quando ludo o que ha de mais
dor elargio e agrsciou todos, os que em taes
circumsiaaciaa foram ancarregados de traduzir sublime no espirito pensante, tudo o que existe
por expressde os doces transportes de jubilo, de, de mais elevado as altas sciencias do direito e
que so viram penetrados os Brasileiros, ante o
venerando aspecto de sou commum e iJolatrado
p-e, a desvirtuar a minhs querila religio, dan-
do a conhecerao respeilavel publico com to im-
perftj e*cripto a ppqienhez, ou tslvez oihili-
dale de um seu flho, quando de seus digoos
da justica, tulo o que pode ostentar a iotelli-
gencia de pomposo e magnifico no saber, em re-
sumo, quando diviso reunidas as sciencias do
prtico, do lyceu e da academia, quando vejo
congregados os sabios do Areopago ?
Coofesso, que me seria impossivel sustentar o
claustros se taro expandido, por todo o muodo Pes de tanta gloria, ae os esmeros de vossa pie-
dade me nao dspensaisem felizmente dos empe-
os da cloqueada, mostreado na faustosa so-
lemnidad?, cora que hoje celebraes os loavores
oa soberana Senhora, que lnvoeaes com o iote-
civilliado, luminosas, belliasimas e bem acabadas
pro1uz(5ea, que altamente a tem acreditado.
l ije aiods cooscio e prevenido do poueo ou
nada, qae va'.eu na grande repuolica das letras,
re>:.et egaaliuenle dar-vos, para ser estampado ressante e glorioso titulo do Bom Conselho, o
no wrel.. o sermao de vossa padroe.r. a Senho- | perfumes de vossa f. e os xtasis ineffaveis de
ra j lira Cjoselho, que vim de recitar em vos-1 vosso amor, e co
ti rospeitsvel presenga no 6' anniversario da
Sublime instituijao de sus augusta irmanlade ;
por.u reflectinJo, e pesando mais maduramen-
te o meu devor, apreciando a justiga, e avallan-
do em muito a nobreza d'aquelle, que sacrifica
tolos os particulares interesses s legitimas con
reaieocias da patria, nao hesitei mais um s mo-
msoto em carvar-ma aos vossos nSo equvocos
desejoi, e bsm manifestados e repetidos votos.
Ei lo ahi o meu mal elabralo discurso ante a
vosia auyrema vontade, e muito ennobrecido por
eacnlicar se aos vossos honrosos servaos. Mas
Cum iiue confuso o vergmhi rompo o embaraco
e parrileiilade, em que flucta o meu espirito,
para vo-lo eatregar ?
B-i-n como o extremoso pae, que, por criticas
e Imperiosas circumstaucias de sai nc,3o, se v
incalo aprasentar-lhe o nico llho, e este
rsesrao leviaoo o desassisado, para eogrossar a
Bleiras de seus defensores, e aoleveodo no ulte-
rior procelimento do filho, alm do descrdito e
evilimeoto da familia, as apupadaa, aa vaias e
os eev'os castigos do mundo, bem poucas vezes
talulgeote e compassivo, e quasi sempre auste-
ro juu at peneguidor atroz, ora se debutba
em lagrimas, e chamando o defeituoso fllho, que,
por isso mesmo, lhe mais querido, o admoesta,
O acunselha, o aperta trmula e affctuosameote
coutra o peito, e o eatrega protecgo dos cus ;
e ora animado e robustecido do ssgrado fugo do
herosmo, ou firmado na religiosa coosiderco
di juiica eterna, que, nao deixando de acolber
tamaito sacrificio, nao deixar tambera de com-
pensa-lo, desprende-o dos bracos, desapega o
do peilo, enchuga o praoto, toma-o pela mao,
con lut l'o ao exercito e o eolrega ao comman-
daulrt, cujo corpo tem de servir, abrigaodo-o
ot> sua influencia e prolecco: eu egualmeote,
repastado da mais pungente magua pelo pleoo
cunhecimeulo do desvairado flibo, que entrego
&9 conveniencias da patria, que em vos diviso,
O subnetto omnipotente influencia [omnipotem
supplex.S. Thom.) da nossa me commum a
Seonors dj Bjm Conselno, e o recommendo
vossa valiosa proteccao.
Possa o robusto e valente nome da academia
jurdica Pernambucao, to adornada de fulgu-
rantes astros scieotiQccs, esuda-lo com seu po-
deroso preiligio ; pnssa a sublime causa da pa-
tria defende-lo dos severos crticos, que nao des-
cu'.'jim a monor falta de urna prodcelo, sejam
quas forem as circumstancias, que a devam sa-
easar; possa emfim o aeu santo objecto, que
a propagado e iocremento do culio ds rainha
dos cus e da trra, abriga-lo dos tremendos fa-
rat's le acrimoniosas censuras, que desmorali-
eem o sou fraco autor, e com elle a aua estreme-
cis m* a corporacao benedictina, para que ae
nao d>sf)lham as quasi secas e bem poucis ra-
mas, que apenas restara deste anligo e outr'ora
tJ'copido e florescsnte tronco, a nao venha ea-
te dfl9apparecer da face do novo muado.
V-, oh Me Clemente e Pledosa 1 vos, oh doce
coos^iheia dos Brasileiros I vos inspiraras a re-
vogtco da terrivel senteoca, qae ameaca de
horrenda morte a Del e dcil aia, que encarre-
gaate da vellar sobre os teas fracos e desvsllidos
Dlhos.OA Clemens, oh Pia, oh Dulcs Virgo
Maria. Ora pro nobii.
Vos, grndes e illustrados mestres, digoos e
briosos dUcipaiosl Vos, qe sois o orgulho e a
esperanja da patria, ve nao consentiris, que
irrogese esse ultrage vosss irmaa mais velba,
e corporacao benedictina. Minhas esperances sao
bem justificadas, para seren exeedidas por vossa
dedicagao ao vosso palz, e palo grande amor, que
manifestaos s inslituiedes acienliQcaa e religio-
as; ellas se firmsm tambem na hourosa defe-
rencia, com que voa dignastes iotrodusir ao voe-
ao festivo e religioso banquete; o vosso humil-
de capello eternamente reconhecidoFr. Ma-
fioel da ConceicaoM.nteD. abbade.
Olinda, 8 de setembro de 1862.
Liber generalionis... Marii,
de qua natus est Jttut.
Math. cap. I, v. 1 e 16.
Se alguma religio tem direito a gloriar-ae da
cobreza de sua origem, sem coolradicco al-
guma, o chriatianumo : oeobuma. sociedade of-
ferece com Unta aeguranca oa ttulos do aoa il-
lutlrscao, como a egreja, qua convida aeu mea-
tnoi mimigos, para virem racoohecer a firmeza e
olidez de seus ioabalaveii fundamentos, Abrl-
m que teceis a eloquente apo-
theose ao culto da Me do Daus.
Sem pretender, pois, levantar-moa sublimida-
de de to nobre e transcendente aasumpto, ea
procurarei corresponder vossa religiosa oxp'ec-
tacao : e qual pequeo baixel, que, nao seallre-
vendo a empregar no alto mar, vae navegando
costa costa, sem jamis perder de vista as mar-
cas e balizas, qae lhe servem de guia, eu egual -
mente, sem aflastar-me ds doce considereco dos
beneficios, que a nossa terna e dasvellada Me
tem dilTundido, e contina a derramar sobre nos,
justificarei as peblicas demonstrares de vosio
amor para com a Seohora do Bom Consolho,
cajo abrigo voa entregaes na cultura do vosso es-
pirito.
Nao me assusta a illustraco e aabedoria de
to conspicua assembla ; pelo contrario ella me
conforta, ella me anima e fortalece, porque sei
que a indulgencia prenda doa coracoe bero
formados, e caminha par do mrito, da clvlli-
aego, da virlude e do saber.
Virgem admiravel, gloriosa reparadora de nos-
ios paes e salvadora dos filhos I um dos homens,
qoe tilvez vos amoa com mais exceaao, un dos
padres, que talvez fallou de v com mais entha-
sissmo, um filho tambem do meu Grande, do
mea Glorioso Patriarcha, o melifluo Bernardo
nao duvidou confessar, que nunca sa aentia mala
envergonhado do que, quando acabava de lou-
vsr vos ; porque, apezar dos v-oos mais rpidos
4o seu espirito, jamis poda fallar de vos de urna
msneira, que dsse a conhecer a profaso de vos-
sa magnificencia. Eu, porm, Senhora, me nao
arrependo da naver-me encirrigsdo do vosio
panegyrico : sei muito bem, que t fallarei a
lioguagem grossetra e incorrecta dos ignorantes ;
mas nao me privarei da esparantes de enternecer
a vosss seosibilidade ; porquanto lembro-me,
que as expresses mal formadas e balbucientes
de um filho mais moco, que deseja agradar
sua mae, teem nm enievo, team um encanto,
que o corjgao materno pode sentir, e que nos
outros nao sabemos avalisr. Sou este vosso pe-
queo fllho, qae, s desejando agradar-vos, nSo
sabe colber es mimoaas flores do vosso fragrant
jardlm, para tecer-vos a coros, que mais voi
realce a gloria : soa este balbucante 'menino,
que, s anhelando despertar vosia aenaibilidede
por meio de vossos louvores, vos pede, lhe emi-
neis a fallar Uulier ecce filius tuut.
#
meio de defeza, um motivo de confian-;*, nm ve-
hculo de amor a ama providencia, emfim, para
minuciosa e destrmente remediar todas ai auaa
oecenidadei: e ae a primeira Me, na ordem
material darramoa aobra a ma poateridade n tra-
vs do erro e da morte, a primeira Me, na or-
dem espiritas! promove-lhe a regen era gao e pro-
gresso moral.
Convioha, poli, seohorss, que instiuinjj pu-
blicamente a piadosa irmandade da Senhora do
Bom Concelho, vos dedicasseis com o mais r-
dante e vivo eathasissmo ao seu culto e des-
seis um honroso testemanho de voiia filiarjao,
efini de que e9ti cariohosi ms, recoohacida e
pinhorada de vossn to teroaa affeicaei, derra-
raasse no meio de vos urna torrente de benefi-
cencias, que os vossos anlepaasadosdesconhece-
ram, e nao podesseis um a instante duvidar,
qua eris protegidos mui de perto, por eita grao
de mestra, sempre cuidosa edesvellada pela vea-
tura de seus charos discpulos.
O mesmo pagaoiamo apreteotava em aua my-
thologis, ou polytheisrao, divindades protectoras,
das artes, das scienciaa, dos bons costumes a da
virlude; a religio, porm, do Crucificado, bs-
nindo o anligo culto, proscreveoto os altares do
crne, e quebrando os simulacroa de ouro a
prata, qae o homem fundir para adorar, osten-
ta cheia de orgulho os monumentos da grandeza
de Maria, e os homens apootam pira oatrophos
de sua beneficencia, e de sea particular amor.
Aqui apparecem congregacss, fondadas em
aeu nome : ali contrarias erigidaa em aua hon-
ra : de um lado templos, mosteiros e hospities :
de outro escolaa pias, colleglos e universida-
des : aasim Maria, depois da laucar no eoracao
do h.>mem o germen de todas aa virtudes, illa-
minas.u espirito, para deixar, em urna perfeila
harmona, a raaia bella das obras da creaco. e
conduzt-la ao termo feliz de aeu glorioso des-
tino.
Nao, senhorea, nao foram os talentos, nao
fot a politice do homem, que aalvou da nnun-
dago geral as familias de seui irmaoi : foi o ge-
nio da religio, foi a prolecSao de Maria, qae,
subtiau cathegoria de nosia Corredemptora,
iibertou o genero humano dos malea que o assom-
bravam. Estarla hoje extiocta a culturadoespirilo,
as sciencias teriam perecido com as artes se
ella nao tivesse domado a raiva dos vencedores
do norte, aiogado seus costumes, e morallsado
suasleis. Oh Brasil 1 oh trra ab.nco.da que
justamente te glorias de honroso titulo da Sm-
ta Cruz.como primeiro tropho arvorado. em las
amenas prai.s religio de Jeiui Christo I
Tudeves mal aluda, que nenhum outro-paiz,
oa milagree e prodigioa de tua existencia e de
teu engrandecimento aoi materosea desvellos de
la nunca asss loavads protectora. So le vejo
urgir, como por encanto, do selvagismo e
barbsndade, em que se jazias; quebra-se os duros
penosos gnlhos, com que o impio e sy4matico
Holandez te leva jungido e maniatado io sober-
bo carro de seas triumphos; ae conquista toa
maravilhosa emancipacao do absoluto dominio
portuguez ; se em flm, descooheceodo, por aa-
aim dizor, o longo periodo da infancia dai nscoea,
pareces tocar j maturidadee parfeico de urna'
edade robusta e florescente, tornando-te desta
arte tofamoio e respeitado. qae attrahea todos
os das a emigraeo de ionumeraa familia dos
mais remoto climas, depois de ae te alliciarem,
os seus soberanos chafes, tudo isto deves in-
leusidade e vehemencia da Ilimitada ternera e
compaixo de tua singular bemfeitora.
Nos podemos ser criminados, senhfes, de
exageratao, quando apresentemoaaoa oKoi doe
eie a auguala Me de Jeaut Christo, P'ulndo
de urna maoeira to directa nos negocio .a re-
ligio e no bem aer da sociedade. Faltos lelosos
oo sabios orgulhosos talvsz nos denuncim por
fanticos, ou ignorante, quando attribuimos i
Maria feneges, que parecem um desenvolvi-
meuto necessario da Providencia ; ma como ae-
rie possivel exclui-la de to elevadaa attribui-
Cdes, quando a f nos mostra a Me lneffavel
'los homens, cooperando na misso importantis-
sima do Reparador, e com elle salvando a nova
gerico da miseria edo oprobrio ?
N3o eram outros os sentimentos desses ho-
mens prvilegiaos, que o Eterno eicolhera, l
oa sea presciencia, para sustentar a gloria de
Maria com eeua luminosos escriptos, e com a
profusao de seus eoohecimentoi. Auim peasava
o grande S. Cyrllo, o mait extrenuo defeoor das
prerogativaa da Me de Deus ; foi Maria (dizia
o vlrluoso pstrlsrcha de Alexandrla, escrevendo
contra Nestorio) foi Maria, quem arrancn o ho-
mem dos erros iofamaa da idolatra, foi Marie,
qaemochamou ao aonbecfmento do verdedeiro
Deus, e assegaroulhe a graga ineffaval do bap-
tiamo: nao temos outro apoto, nao possulmos
outra proteegao, que nos afaste dos crimea, a
obtenha a misericordia; por Ella, que a reli-
gio tem estendido anas conquistas, lavado o
nome do Senhor s extremidades da terrs, e Un-
gido os alicereei deltas egrejas, qua flrmaram
para sempre os triumphos da Esposa Etiroa.
Perguntae S. Jeronymo.ella voa responder:
Maria o Valiciuio des prophetia, que por Ella
o insprou, e ellea revelaram a sua grsn-
desa.
Nao ers possivel, aeuhores, que estivessels por
mais lempo, privadoi de ami tao precila imti-
tuigo : vos, que particularmente vos delicies i
cultura de vosso espirito, epurifiesgo de vossos
sentimentos, devieis ter ama Me espiritual, qae
vos inspirasse a verdadeira aciencia, e imprima-
se em vosioa coracoea os solidos principios da
grandeza e do herosmo.
E' fra de toda a duvlda, que a ordem material
a viiivel oa realidade o syaabolo e figura da
ordem espiritual e divina : obvio da sagradas
paginas, que a vida espiritual e da grarja ae trani-
mitte, conserva e perpetua por meiosmysterioaoa,
nobilissimos a sublimes ; mai, ao mesmo lempo
anlogos aquellas, pelos quaes a vida da natureza
se transmute, conserva e perpetua. E assimeomo
ha urna geragu carnal, que nos faz nascer pira a
terrs, ha tambem urna gerago toda espiritual,
que nos produz para o cea. A vida material co-
megou por um homem, que, um Deus Creador
una urna mulber: a vida espiritual leve aeu
principio em um Homem, uoido urna Mulher
por um Deus Redemptor; e se na ordem tempo-
Ouvi Santo Anselmo, depois de S. Igoiclo de
Antiochia, e elle exclamarNao o davideis;
Maria a Mestra da egreja, e a cooselheira de
aaus intrpidos apostlos.
Escutae o que afflrma S. BoavenluraMara
urna toxa ardente, a lampada nextioguivel,
collocada no meio daa nsges, para affugentar as
sombras que aa envolvem, dirigir a marcha di
nona peregrnagao e diisipar a noate da illa-
sao edi mentiri.
Mil e mil vezei bemaventarado* vos, tabioi e
virtuosos lentes, que desempenhando oa encar-
gos mais importantes da religio e da patria, io-
cumbiodo-vos da eduge de to destinen moci-
dade, tomastes palto a fendacio o estabaleci-
meato da primorosa irmandade da Senhora do
Bom Concelho, confiando desta arte vigilan-
cia e cuidadoi de Maria os filhos de vossos con-
cldadaos, para os acoslumar com a lioguagem
di virlude. familiiria-loa com aa ideas da re
ligio, e levantar em seo eoraco urna barreira
contra a seduco das paixes. Sois instruido. 6
verdide, sois instraidos.aisim o publicara is ros-
ral, alm de um pae, principio da vida, nos foi sas sablea exolic.ges, aasim oatteimo
dada ama mae. por quem ella noa tranimittidi.!aoa riquissimos escriptoi; possais todos oseo-
M ordem eepirituil, alm de um Pae, actor e nhecimentos do vaitlisimo corpo da leRlslaco
principio da graga, que Jesas Christo ; fot nos 'inquirs,como verdadeiros sabios aa Unciii d
egualmecte legada ama Me, por quem a luz e a'
graga noi espaudida e derramada.
todoi os aotigos legisladores Sapientiam om-
niura aotiquorum exquiret sapiens.Conheeeis
Cerlamente o Dea. de bond.de. qua, u.ord.m que pacto, soci.es teem at igora eollig.do a.
temporal, quiz que cid. homem tive.se,em sua >?6es, 88Dei| frog.Udi(* e JJ2 "
progenitora. segundo a carne, um l.go de un.ao lapieDCa de Atnen nj8ge8de J'Vo"'.
p.r.com..uP.e terre.lre. um c.n.lde benefi- ,.bei8 .orno o Direito Romano, d.poi. df nval
cenci. .ma media... de concili.gao. um meio lo dos brD,roif 89 8llerSr
de defeza. um motivo de confianga.um vehculo danominagogothica. tend.a todas a. rauez.a
de amor, ma providencia, emflm. para com mi- dos cdigos dos paizes civiliaados; ponis todos
nuciosidade e destreza curar suas preciadas, este os theiouroi da legislagio patria ruaa tudo isto
Deas, na ordem ee,iriteal, aobre quem derra- pouco. ludo isto nada, para derram.rdee so-
moa mus copiosamente as riquezss de suas mi- bre esta briosa mocidade, que voa confiada ae
sencordlas, nao recuiou jm.i. lodo o christo, lhe nao eipmdird.....lhe nao derramarles
em Maria Senttsilma, urna Me espiritual, um la- tambem aa luisa do cu, e lhe nao dieerdei
?o de uoio com o Pae celeste, um canal de be- quotdianimente, qae o amor de Deus a a obser-
oeQoeocia, ama medianil de lecoociUecao, um rancia de eeua >receito o prioeipi doa onho-
dmentoaInltium aapientia ti mor Domioiqae
o saber a 6 urna joia precioaiaaima e mallo lu-
minosa e brilhante, quando engastada no ouro
purinimo da religio e da virlude, e qae, a 6
verdaderamente illuatre e sabio aqaelle, qae
soldamenle ama o aeu Creador e a aaa patria.
E' este o grande eegredo da eduesgo, que,
qual nova natureza, tem tinta torga e tinta ef-
ficacia, que muda os meamos erros do bergo, e,
semelhanga do prvido agricultor, amacia e mo-
difica astenras plantas, o faz que olbem direito
para o cea, qaando o rigo oa m destribuigo
de sus sve as inclina e faz vergsr para a Ierra.
Sim.mil grign e mil bengos ae derrmeos
sobre quem quer, qae projecloa e emprehendeu
urna lo celeste iasttaigo, em que, tornando-
vos particulares discpulos da Senhora do Bom
Conselho, bebis, com as luzes das sciencias jur-
dicas, os mysteriosos segredos do seu amor,
aprendis os seui gloriaos cnticos, e babiluaes
voi adescobrir em seus olhos i fonte di hon-
dada e da aciencia, beijando a mo protectora,
que voi arrancn a leduccao do crime, e vos
conduz verdadeira Illustrago.
Com effeito, aenhores, quando a torrente da pre-
varicego alega o aancluario, qusndo o furaco da
impiedade abala os muros do edificio eterno e
ameega seus mesmoi alicerces ; quando ouvens
espessas obacarecem o lustre destas corporagoes
regularea, outr'ora to floreles, onde a virlu-
de, onde os talentos encontram azylo, e urna bem
justa e fundada emulagao ; qaando a colorado
Eterno, sacudindo esta arvore frondosa, quebra
aeua ramos, e fre de etterilidade aeu tronco ;
qaando nossos proprioa olhoa observara a lula
formidavel das paixoea contra as mxima do
Evangelho ; quando a pedras do saoetuario cho-
rara de amargura, contemplando a magestade do
sacerdocio, o respeito dos cabellos branco, e a
dignidade do cidado honesto impunemente en-
chuvalhados ; qaando emfim o epticismo, en-
fraquecendo todos os principios, p5e em risco a
existencia da sociedade... urna academia aben-
coade, urna familia privilegiada apparece diante
de seus irmoa, envolvida e decorada com a fita e
raedalha de honra da Senhora do Bom Conselho ;
e profeasando o sou culto, e a docllidsde s anas
mtemeos inspirages, vem pagar-lhe o trbulo
da sua homenagem com os doces e harmonio-
sos hymnos dos seus louvores III
Emmadega e caa confundido aos ps de Ma-
ria esse orgulhoso philosoohismo. echo misera-
vel dos aotigos e j profligados ioimigos desua
grandeza, que erigindo-ae em orculos do gene-
ro humano, e vlngadores dos fres da razo, ou-
ssm qualicar o culto da Me de Deus, e os sen-
timentos de urna esclarecida piedade, eomo sa-
persticao ebaixeza de espirito, filha da ignoran-
cia e indigna das luzes do seculo. Vos bem sabis,
senhores, oquequerem dizer eeaei palavr! da
phraieologia dessajlingua inversa e monstruosa,
com que se tem pretendido mudar a f ensinada,
desde os apostlos al os nossos dias, cooisgrar
a irreligio a o crime, e desfigurar as verdadei-
ras nogoei da moral e da poliika : vos sibeis
egaalmente as funestas con9equeocias, que taes
doulrinas tem em lodoi os tempos producido, e
de que foi triste victima, nos finido seculo pal-
lado, a prioceza e loberans das nagei.
Sem duvidas a Franga.com o genio e ndole de
sua liogaa, com o espirito do seu prosesitismo.
eom o imperio de auas modas, com a tyraonia
de seas costumes e hbitos, eom a opinio de
seus talentos, com a magia e aeducgo desusa
gragaa, exerce urna grande magistratura, e para o
dizer melhor, umi especie de despotismo sobre
todoi o eipiritoi humanos. As mesmas oagoet.
rivar* de sua grandesa, nao pedem deixar de
adoptar seus costumes e modas, e at fallar saa
mesma lioguagem. Ferien Franca o sceplro
dea opiniea, eo imperio das iotelligenties ; po
dem ai torgas reunidaa dos outros povos aubju-
ga-Ia ; mai ella a poder revolucionar a Euro-
pa, e com ella o mundo civlliaado, fazeodo-lhes
mudar sentimentos, opinioei e idai. E quando
o mais mesquioho e miseravel povo se julgasse
degradado, em adoptar os coslumaa e aa idaa
os povoi mala poderosos, os povos os mais pode
rosos e mais soDerbos pelo contrario, sejam quaes
forem aa anas instiiuices, si prostram. para
prestir preito e homenagem nago franceza.
Poisbem.senhorea.este grande povo,este sol das
nagdes desfigura-se, perde o seu fulgor, obscure-
ce o seu bnlho, e produz um negro e pestilento
fumo, que invenena e esphyxia-lhe a propria vi-
da,qoando commette o grande alientado de pros-
erever o chriatianismo. abragir, com a seita doa
encyclopediatas, os fataes principios de illumi-
nitmo ; adorar e render culto ume mulher
iromnnda de vicio, denominada Deuia da
Rato.
Eoto a guerra estrepitosa da nuvem e das on-
das, batidas e agitadas em furiosa tormenta, nao
miis horrivel e espantosa, que o sanguinario
conlicto dos seas 'uracea aeio de urna conven-
Qo que o delirio revolucionario chamava salv-
dora ds patrie, e capaz de advogar a causa da
humenidade. Nenhum lexo, nenhuma edade,
nenhuma condigo eicapa da proioripgao e do
golpe di morte : a leori infancia, o curvado ve-
lho, o varSo aabio, o cidado juilo, o virtuoso
lacerdote, o eacmecido diplomis, o bondoso
rei, lodos, todos o victima do crime de lesa
divindade II A fluctuago daa opioides, a luts
dos partidos, a incerteza dos principios conititu-
cionaes, a incapscidsde feroz dos mooatros, qae
alternativamente susteem o timo do tumultuo-
so governo, o lato da morte, ansio da proscrip-
go, o terror imperante, oa cercerea cheios, os
cadafalaos g-atejando singue noute e dia, a desu -
nio intestina do povo, a insafficiencia emfim dai
lei, que apenas nascem logo expirara, dSouma
ideada voriarfnira confusas do inferno, onda em
aempiterna morada hsbita o espirito rebelde, oa
deusa d rszo,por ae haver revoUido ton-
tra o aeu Creador.
Nao voe assusteis, senhores, com esti negra e
medonh|psgina histrica daquelle grande povo,
que a voa (oi Umbrada para vossa reserva e
caulella contra aa aeducleraa e impiss doutnoaa
de racionalismo, e para avesar-vos ao doce e
suave jugo doSeohor. Nao vos aterris ; por-
que, do meio fio novo muodo, na mais bella
porgo do globo, rebentou.uma vergontea sober-
ba desta arvore froodoaa, plantada no Calvario,
per, aob aua espessa e delicadsima sombra,
acolber a eapecie humana, e produzir os mais do-
cea e alionados frucloa -Mvlier ecce filiut tuu.
Cumpriu-ae eile vaticio de EtequielcEu autei-
tsrai um geragao escolhida, homens de um ca-
rcter novo levantaran] mooumeotoa indele-
veii virlude : a pampa de ieu triumpho dini-
par a vergoohi da seas irmoa, e a gloria, de
que forem cobertoa, ieri para a sai patria o pe-
nbor de aaa prosperidades
Onde pode com efteito a mocidade braaileira be-
ber com mis abundancia as licoes luminosas da
virtud* T Onde pode encontrar um dique mal gi-
gantesco coolra as eed.CQea de seculo? Fura
dos bragos de Maria nao ha honra, nao ha probi
dede. nao ha religio. nao ha virlude. Eli
glorie e felicidad da ierra d anta Crea ; ros,
que faaveia de lubstituir a presente geragao ; vos,
que seris o sustntatelo e ornamento deste aben-
goado paiz ; s emflm, que tendea de oceuprr
todoaoa lugares, e exercer todos o empregos de
nossa aociedad, lembrae-voa... e 6 o uliimo
adeus de Lyeargo aoa Lacedemooienaea, dellea
obleado o juramento da observancia e cumpri-
ment de suas lea, no firme proposito de acabar
com a vida, s para fazer Ulizes aos sene querido
concidado, e o sgonisant* abraco de Jacob,
com S sua heneaos, ao seua charos Olhoa ; o
o resoroo do Evangelhoconsummatum e$t~-do
Reparador pan a humenidade; por que eu vos
fallo como vo.so concidaio, como vos.o affei-
coado,} como vosso irmo, como voso amigo,
como vosso pae espiritual, cora i emfim aquelle
que, leodo j pago o tributo efferveaceocia das
paixoei, e coabecendo mui de perto os engaos
e illuaea, ai coimeras- e Heivsrios, os perigos e
precipicios, que est eiposta a incauta e fogo-
ae mocidade, ae abraga terna e amorosamente
com vosco, para vos nao delta abysmar no ioson-
davel plago dos infortunios.
Em qnalquer estado que ros depira a sorte,
aeja qaal r a applicago e nao do vossos talen-
tos e vossos conhecimentos jurdicos, ou tenhas
de oceupar o gabinete do publico eseriotor, ou a
banca do hbil advogado, ou o estrado do justi-
celro Juiz, ou a cadeira do deavelado mestre, ou
a tribuna do experimentado legislador, oo os de-
grus do throno mooarchico com as redeai do
governo, ou qualquer outro distiocio e honroso
emprego, lembrae-vos ... eu vos repito, e prosigo
o suspendido peossm*nto, lembrae-vos roeus
concididos, raeus affeigoados, meui irmoi,
meus amigoi, raeus charos filhos em Jess Chris-'
lo, lembrae-vos que a impiedade nao ssieocia,
o moostro Horaeiaoo da razo, a completa
ruina dos costumes. o roaior dos crimea cootra
Divindade : a religio, pelo contrario, o bello]
pharoi da otelligsucia, a d:e luz da liberdade, e !
a grande mestra doi costumes ; porque s ella
esiablace a juatiga e a orlem na sociedade ; por
que s ella o a razo do poieres e dos deveres,
dos direitose das obrigag^a : por q*e s ella em-
fi n encherla a plaota ; a virtude, e l a virlude
o nico titulo, de que pode o homem justamen-
te gloriar-se.
Iocantadora un yleriisa conselheira, que civi-
Iisasle8 a sociedade, revelastes os deslios do ho-
mem, o sslvaties a especie humana I Eu creio
com razo, que foi para dar o derrsdeiro testemu
nho de voseo amor e de voasos cuidados por nos,
que despertastes to grandioia concepgio. Vede
uns estes filhos qoe osl*ntsm dnnte de seus ir-
maos a magnificaseis de sua ternura e de aua
piedade para vos, e vem pagar-vos com estes
cheirosos incensos, com os melodiosos caticos
de vossos louvores, com toda esta fulgurante pom-
pa, e com este apparato todo arrebjiador, o tri-
buto de eua homenagem e o testemunho do seu
amor.
E' ao abrigo de vossos engenhosos conselhos,
ob o mysierioso manto de vossas materoaesins-
piracoe que ellos desejsm conliouar asta bri-
Ihaole galera de hroes, que teem feito, e faznra
o orgulbo, a esperaoga da religio e da patria.
Nunca o bafo impeslado dos crime, que avilta e
dagrada a humanidade, envenena o sueco de
vida, que anima esta vergontea soberba : o orva-
Iho de roeeo amor e de vossas gragas fecunde o
germen precioso, i que esto ligados fructos o
mais sazonados. Ponsaes, vos, oh carinhosa mes-
tra, possaes, vos, sahindo pura e immacularla do
seio do Eterno, aspirar e convencer aoi vossos
discpulos que o fojo elctrico do patriot smo, o
eothusiasmo do valor, a nobreza da sabe loria e
os portentos do herosmo jamis se podem encon-
trar em um espirito e dentro de um corago on-
de nao residem as luzes da f e os encantos da
virlude. Demonstra, erafim, Senhora, com
doce influencia de vossos poderosos argumen-
tos e consolaos seductores, que a impiedade po-
de fazer homens notsveis, mais anda nSo produ-
ziu um s here. E<*s Muniz, Pacheco, Albu-
quer-jue, Aoehite, Vieire, Camaro, Dias, Vidal,
Csyru, Andrada e Romualdo, louberam amar a
sua patria e defender os seus direitos, pela peo-
na e pela espada, na tribuna e nos campos de
Marte, porque souberam amar ao seu Deus e de-
fender a sua religio.
Disse.
Fulla urna!
Surgate, quadra florida I
Pe galas a natura
Se veste ; a lymphe pura
Reflecte um cu atol ;
E entra as folhaa zrridas
Rabela flor mimosa.
No prado cresce a rosa,
Nymphas no pal.
Em cada verde cespede
Um ramo I Mil boninas
Enflorara a caropims
Tornadas n'um jardim ;
Toucou-se, aonunciando-le.
Da meudoeira a coma ;
D.'speiem grato aroma
Os cravos, o jasmim.
Ao p do trigo enlaga-ae,
Rebenta a dormideira,
Tngindo rubra eilei
Naquell verde mar;
Ali aoi bi tes rbidos
Da rosa mil espiohos.
Escollar ; os carinhos
C>m dr ousara pagar.
Ao longe, serr altlsslmo
Da crista at fralda
Semelha urna esmeralda
Cora estrellas de rubis;
Alm oo mar iodomi'o,
Sorriodo torva sanhs,
Gentil lorinhi banha
as ondas a raiz.
O vieco.j fatiiieo,
Vestiu mlrrado tronco ;
Do campo o muro bronco
Cobriu da silva flor;
Ao sol brilhmle, esplendido,
1) lirada flrnamore ;
A noute, que apavora,
Aa tem de rosea cor.
Olbaa I com vo rpido
Contente vae a abelha
o aeio flor vermelha
Sorver, roa.at o mal;
Ali aa pedrea latidas
O mu>o ciage, enfelta ;
Mais longe a hera estrella
Tombado capitel.
D'alm sarge a chryalida
Com manto radiante ...
Ergueu-ie, linda amante
Em cada flor achot I
Ateca gruta glida
Ao pe da ilalacute
Rebenta a flor .... aorri-te 1
Teu brago l chegou.
A todos, quaaro esplendido,
Trouxeste a roee querida I
Trouxeete nova vida,
Com ella vivo amor ;
Com todos foste prodiga.;.
Para mim madrasta f ;
Pola tu, primavera,
Sao tena a miaba flor.
As que naquadr inhspita
Vi eu arrebateda,
Cebir oo chao eatrradas
De novo ai-las ahi I
A tua vi mgica
Deu a vid a toda a rosa...
S falta a maia formn,
S falta a qae eu perdi.
Porto,
A. C0ELH0 lOl'SADA.
[Da Saudade.)
O presente e o futuro da poesa io
Brasil.
A litteratura nao ae aprsente ao obiervidor
ae politicamente como urna feigo da imagioagioin-
declara de urna maneira particular voiia conae- di vidual, ou como devaoeio inooceute sem ten-
lheira, roaia protectora e vossa mestra, abrigan- dencias que o filiem sociedade. Para oa exa-
do voa em sea aeio maternal; communicando-vos minadores da origem das idias qae preoecupam
a|piedade ea religio,e imperando em vossos co n iotelligenciaa, loroa-ae a expreno mais pro-
ragaa oa verdadeiroa e aolidoi fundimeatos da oonctada dea tendenciaa aociaea.
juitlga e ds maral, pera lorner-vos filboa respn- O diluvio podis de novo mudar a face da trra
loaos, paea desvelados, discpulos briosos, mea- mas nicamente com os Irnos, a aquelles que
tree dedicados, magialradoe iolegerrimoi, cid- aobreviveaaem ao cataclyama reconitroiriam aa
daos abraiadoa no fogo do verdadelro patriotismo: edades.
em urna palavra, para fazer-voa dignos virtuosos Aa falaa e cavallariaa noa paizea enthuaiataa
e berea. de narragea orientaea, e exaltados pelas mara-
Mbcidade braaileira, espersnga e coosolafo da vilhn de novoa mundos, mosuariam como os
patria I Vos, que aoia o elementos da (ature, peoaadorea bascam eiquecer com nohoa ele-
fidade" P*re" Mit de'or "' "" oaclona-
0 predominio da epopee corteta dos lostiocios
aristocralicoa correipooderia ao eoilh de a.a in-
fluencia.
A regularidide e birmonia, a delleadesa de
forma e sentido, revelariam as ultima cooee-
queocias salularea de um lyitem dindo a luz
todnlo sea brilho, toda .ua. flores.
Ai vildadei leotimanlaei. a iodifferenca theo-
ogica, os perfumes brilhaotea, mu exteriores o
iuxo, o gozo, darism iotuico da dlsiolaco das
penes leve toques de f.
A historii aproveitando as suascoDseqaeocia;,
mplaeave e0(D 0 feneeaor p,,,,,,.,,^1,^,,,;
nnn..V 5e" mo"el ,0 C8rro d0 'encido. fia
pensar em nevos evingelista, levantando-ie
Si"0* oliliae do aea apoitolado.
Mas todas eatas feigea verdicas al a abertura
doicyclos revolucionarios, legaram idenicsi tra-
digon as escolas vivificadas pelo espiriloliberal?
EUO o eremos siocerameote.
As nages que vivem as margeos do Iheao.
do Tamisa ou do Sena, podem reclamar a er
sombra da imagioagio, porque correspondas
locertezas e sociedade qne participaran) a in-
lelligeoeas os dogmas polticos, zca o nevos
principio! da arle, nao leem lliarcs no seu es-
pirito. As ragas novas que se itendam pela
margeos do Amazona! ou do Miisusipe emenei-
padei pela liberdade, essas tambem nao podem
aspirar a cocsubstanciar com a ma uacionrj'idade
ai irrilabililades romnticas, ou as misintrepias
dos realistas. Nestes paizes que apx>ntam ao fu-
turo a solugo dos mais grandiosos problemas da
civihsego, a itellijjencia trabalhoa, praocc*-
pou-se com o destino humano, aubiu as altura.i
lyticas oode paira a aguia. mas a essencia da es-
thetica flcou falsa, conservando-se estranseira no
Braiil especialmente como representante mais
pronunciado do esplritualismo da raga latina,
que talentos procurara nacionahiar a arte, depois
que Porio-Alegreou Googalve. Dias mostrarais a
poaaiUiidade t
Junquetra Freiro,!essa victima do claustro atu
pleno seculo XIX, reprodaziu a fatalidade So
Werther.
Genio precoce, olevoa-se ao ioSoito do pansa
meuio, o paisado deslumbrou o, o futuro sssus
tsu-o, e o presente punai-o eos agonas iu -
timas.
Estes pensares dolorosos roubirarc-lhe a tola-
rancie, levando-o a procurar oo clsaslro a sus-
pirada paz. L contiuuaram as torturas-, a phaa-
tasts creou muudus de imaginarios duendes, e o
poeta descrea do futuro e amaldigoou mais eras
vez o gamo. Podem dizor-nes que lemo'.hmtes
crises moraes 16 podem sor avahadas e (rtgsda
peloi leus pares.
Esta porm oem tinha novilade, e revelava de
novo esse fatal predominio do peusoaeuto eobre a
atg3o.
Alvares de Azeedo fez reviver o espirito aem-
brio de Byron, e Casimiro de Abreu su alms as
endeixas de Alfred da Musset. Ouiros leem ro-
velado a e>)r de suas inspirages, mas na? segucm
aquella estrada que Chateaubriand e Cowpe:*
aDnra^n aos talentos americanos.
O fado que o aspecto geral da liitoratura
nao tem umdade nem liagao com aa ideas ge-
raes da familia. Os herderos dos despojos de
Goethe. Schiller ou Dems filho, aspirara a exis-
tencia faustosa da verdadeira prole, mas nao po-
dem Ira tur a sua origum mundaoa. Ostyposr
proprioi nSo sao esto dalos com lgica e vera 1c
deixam o lugar para ai revollas dos sentidos o
imagioagoque nos lega a litteratura de turbilhc
do vslho mundo. A paixo nao se eleva ao ly-
rismo, o amor sacrifica o dever, e o geral subs-
litaido pola excepgo. O individualismo predo-
mina, exalta-se, euche de fe9lo-!s a propria es-
'tua, segunda a intolerancia poltica cootra o
usado, tem um santo horror das regras, sub-
isses, verdades fortes toman lo especialmente
falta de originalidade. Cada individuo segu
oicameote os caprichos humoristas da phanta-
'a o que muihs vezei nos leva ao psrodoxo, a
abtilezs, confusso de luz e trevas. que aug-
teulara na proporgo que desse a simplicidad?,
sobnedade do eslylo e iraagens a concordancia
e principios e cooclusdes.
No em tanto em um paiz de grandiosa origina-
lidad, oode a nalureza nos cala pensamentoa
my-licos, a litteratura tica falsa, tonora, vaga,
ficticia, pomposa, limitando todos os seua pen-
samenios elevados, todas as suaa ideas generosas
ao effeito dos panoramas thealraei. Quando se
reagir contra esta toulilisagao das forgas mais
"itaes da sociedade ?
Este predominio do cerebro sobre a comcien-
cli, doa iosiinctosiobre ocorigo qua tanto con-
cerre para nullidcar a forga moral do povo, nao
desapparecar ? A litteratura nao crear um pu -
blico, capiz de julgar e crer ? Nao ae tornar
directora da opinio, que dsixa merc dos rea-
listas sem verdade,nicamentepreoecupadoa com
lagrimas de singue pira a gaita e equivoca cons-
ciencia das Carotinas e Amelias, e maldiges con-
tra a sociedade por nao ae oreoecupar com estas
existenciis tormentosas ? E' qae o mal vem tam-
bem dos principios polticos, indecisos entre ten-
dencias germnicas e influencias latinas, que mais
ou menos nos levam so sceplicismo.
Sabemos nos ha um seculo se a estrada que
trilbamos nos leva a promeltida Ierra da promia-
lo ? A rerolugo liberal indispensavel pelos
erros das antigts monarchiis, e por urna edaca-
go miii ricional do espirito humano, levou os
seus dogmas ultima exiremidade do globo. Maa
o liberalismo, esse grito di maioria, nao contra,
mas ao pequeo numero de eleitos. foi abalada
pela victoria repentina da santa allisnga qae nao
pactuando com a nova doutrina levou os espi:i-
tos a um pissado impossivel.
Por toda a parte o Welingtoni e Alexindres
caricatos, avivaram saudadas, e os homens desa-
nimados com o lorpor que succede sempre per-
da das illusoes, engroisaram a torrente das mal-
dices. Dahi eaie complexo de icgo e reaego,
onde a paixo e a gloria, o lonhos deiinteres-
lados e prosperidad*! induilriaes, as vingaogas,
e principios a obicurecer, ae aasociam, e oo as
raaos, nao sendo em ultims aoalyse seno urna
reaego forta para o passado, como se taoto san-
gue. tanto martyrio, tanto livro, tanta discusso,
podessem ficar esteris, ou considerados como
meros desvarios aos individuos. 1630 e 1818 qui-
zeram modificar eitasituago falta. Venceu po-
rm o espirito do seculo ?
De modo algum. Os e,ue tinhsm feito ao man-
do as promessas do Chriito, msndaram os popu-
lares calgar aa ras, donde Ibes provioba a leiti-
midade. Assim depois de to dolorosos tratos
moraaa e materiies, a razo e a fe, o privilegio
e a egualdade, que o liberalismo desejava con-
cluir ou modificar, uediram de novo ao ferro e
fogo o predominio absoluto. Felizmente para os
adeptos de urna reacio em opposigo com a to-
lerancia do aeculo, a chamma chega nicamente
ao homem, mas nao cresta e antea purifica a idea.
O povo comprehendeu-o, reaigoou-se ao suo-
p'ciode Promelheu, eiperando que, iberios o-
vos horisontes ao aipirito do progreiso, este pu-
dease reconciliar-se com as traallgei. (juindo
iihirmoi di indeciso poltica, quando a revolu-
gao deixar a epiderme para ebegar ao coragao,
nao ae limitando como noa nosso din na nica
transfariecia dos beneficios aristocrticos, a bur-
guetis, quando for comprehendida sem odio,
quando os orgos legtimos do povo a literem
dentificsdacom as aspiragoes mais caras, enlo
litteratura elevar-ie ha altun di iui mino.
u comprebeoderque nos patzei imericaaot, tem
tradigoei, oode tulo bi fazer, deve alllir-se iin-
seramente liberdade preparando pela discutido
o glorilos principio! de 1789. E' indiipeosavel
para evitar repetigoes inuteis e tormentosas dis-
cutir o passado luz das noves ideas, harmoni-
sando-o com o presente, por que sera um lo,
que a elle nos ligue com tolerancia e amor, nao
ha progresso possivel.
As dfclamagdes io ordinariamente esteris, e
a tendencia hoje muito geral ni America para
tornar as lettrea refiexoa pallidoa da natureza
physic, leva-noa ao pantheismo, que nos faz ver
na me commum, nao a origem da vida, maa o
repouso temporario di existencia.
Quiodo pois eom o complemento da idi poli-
tica a litteratura tiver deixado oa exlremoi trgi-
co! ou crleos, o odio ou morle, com ajoe em
nome das doutrioas sociaes, frivolas oa adiante-
das, formaos saos juizos sobre os bomens ou
prioelpios, eoto anicer aa ldaa moraes e le-
vando os eapiritos f, belleza, ao azeor, ao
irabalho, utilinr o moviminto pritico di rid,
por que lem f e amor, o mais grindioee. pro-
bi amas do dealino humano, sao entrega*, aos
devaneios mysticos ou aos clculos do egosmo.
Se no em taoto a litteratura nao caminha para o'
aaa ideal, nem por Uso devemoa deeea.iea.ar. E'
urna bora de crepsculo. A neblioa anaced eu ao
ol. Maa o riioi benficos do astro ral hao da
alumisr da novo aquella estrada qe oee guiar
per lee tib lid a de. j. Evangelista de Lima
_____________( De Saudade)__________'
PKRNAMigCOa-TTF, BUt, I. DE I, & FILHO.

~
i


i


ILEGIVEL



Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E84RAOW89_3J2Y83 INGEST_TIME 2013-04-30T23:21:45Z PACKAGE AA00011611_09616
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES