Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:09613


This item is only available as the following downloads:


Full Text

AIIO XII1I11. IDIEIO 2(6
Pr tres ezesadlantados S$00O
Por tmmeze vencido 6$000
MH

.
SABBADO 6 DS SETEMBRO DE lili
Ptraut adlautao i9|0QO
Nrtt fraict para ubsiriytor
PEMAM
gtCARREGADOS DA SUBSCRIPQAO DO NORTE
Parahyba, Sr. Amonto Alaxandrino dt Ll-
ati; Natal, o Sr. Antonio Marques da Silrs ;
Aracaty, o Sr. A. da Lemoa Braga; Gear o Sr.
J. Joi da Olreira ; Maranho, o Sr. Joaquim
Mara** Rodrigues; Para, liinoel Pinhtiro &
C; tmiMaii.o Sr. Jaroaymo da Costa.
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPCAO DO SOL
Al*g6as,oSr. Claadine Faleo Diaa; Baha,
o ir. Joa Martina AItm ; Rio da Janairo, o Sr.
i j Preir Mirtina.
PARTIDAS DOS CORREIOS.
Olinda todo* o diaa as 9# horas do da.
Igaarass, Goianna, a Parahyba as sacandas
saxtas-feiras.
S. Anto, Bexerro*. Bonito, Caruaru, Altnho
uaranhuna na* targaa-feira*.
Pao d'Alho, Nazaretb. Limoalro, Brejo, Pee-
qaeira, Ingazeira, Flores, Villa-Bella, Boa-Vista,
Ouricary o Ex naaqaaUaa-feiras.
Cabo, Sertnham, Ro Formoee, Dna.Barreiroa
Agua Preta, Pimenteira* a Natal quinta* (aira*.
[Todo* oa crralo* partan) a 10 horaa da manha
IPHEMEB1DI8 DO MEZ Dfe SE1EMERO.
7 Laa ahaia aa 5 horas a 16 minato* a tarde.
15 Qaarte mineaante a 1 hora e 21 minuto* da
tarde.
93 Laa noraaaC hora** 16 minuto* da manha.
30 Qaarta cretcente a 1 hora a 28 minato da
tarde.-
PREAMAI DEHOJE.
Primairo a* 2 hora* a 30 niato* da minhii.
Segando a* 2 horaa e 6 minato* da tarda.
**HTIDA DOS TAfORES COSTKIROS.
rara anl at Alaaoa* 5 a 20; para o aorta
at Granja 6 14 a 29 da ad* mez.
PAKT1DA DOS OMIBrs.
Pra o RecKe: do Apipucot 61|2, 7, 7 1(2, 8
*.81|2dan).; de Ohnda i 8 J* m. 6 da t.; de
Jaboatao j 6 lp2 da m.; do Caxang e Varita
a 7 da m.; do Bim/ea as 8 da m.
. !' f Pr* o Apipueot fs 8 1|2. 4. 4 t|4,
4 l\2, 5 5 lj4, 5 1|2 a 8 da t.; para Olinda a* 1
da m. a 8 t[2 da t.;p*ra Jaboatao a 4 da t.; para
o Caxang Varita a 4 12 da t.; para BtmAca
as 4 da t.
AUDIENCIAS DOS TR1BUNAES DA CAPITAL.
Tribanal do sommareiai aeganda* quintas.
Relaco: terga* a aabbado* la 10 horas.
Fasenda : quintas s 10 hars.
Juizo do commorcio : (gandas aa mala da.
Dito da orphios: taren a sextas i* 10hars.
Primairarara do irel: tersas a extaaae meio
dia.
Segandarara da alral: qaartase iabbdoi l
hora da tardo.
1 Segunda.
2 Terga. S.
3 Quart. S
4 Ouitta S
5 Sexta. S.
ti SabbaCo.
7 DomiDgo.
no RaelU,
deim os.6
roa de Fari
DAS DA SIMARA.
S. Egidio ab.; Ss. j.a a Gedeo^
Ltev.ao rei de H-mgrii.
. Eufemia v. m.; S. Aristheib. m.
Rota da Vnerbu (. t.. s. Candila.
Autnoino m. ; S. BVrtino ab.
S. Ltbinia v. m.; s. PretiJio m,
Nusa Senhor* da Panhs; s. J,,o p.
A3SIGNA-SS
em a livrari da priea da Indepaa
a 8, de* proprietario Manoel Hia!
a 4 Filhe.
Aviso
publi
Sendo entregue ao transito
lico 7 do corrate aquar-
taeeccoda via-ferrea at A-
gua-Preta, convidrnosos nos-
sos assignantes que residem
as proximidades de Calam-
buca e Agua-Preta, e receben*
o Diario nesta cidade, a vi-
rem ou maudarem ao nosso
escriptorio fazer a transferen-
cia respectiva, para que o te
nhiin ordinaria mente pelo
trem da manha, como o tem
aquelles que morara at Ga
melleira.
GOVEKNO DA PROVINCIA.
Expediente do da 3 de setembro
de 186*
Officio ao Eim. presi lenta da provincia do
Par.Foi entregue ao naturalista Luiz Jacques
Brunel, o oflloio que para ter esse destino V.
Exc. me remetteu com o seu de 22 de agosto
prximo (iodo.
Dito ao commandapU das armas.Sirra-se V
lando de participagao official que o aacri'o de
orphdos Francisco Jos da Rosa accumula ao em-
prego de secretario da cmara municipal de Ta-
carat, r*>omroendo a referida cmara munici-
pal que providencie no aentido de faiercessir
semelhaote accumulago. por isso que aqaalles
cargos sao iucornpativeis como se acba declara-
do no aviso n. 287 de 7 de outubro de 1859.
Portarla.o Sr. gerente da companhia per-
nambucana mane dar ao major Joaquim Igna-
cio de Carvilho Mendongs para o seu transporte
at a capital do Cear a nica passagtm de esta-
do que aioda cao foi concedida no rapor Jagua-
nbe. r *
Dita.O presidente da provincia attendendo ao
que requereu o ajudante de eogenheiros das
obras geraes W. J. Lindoy e teodo em vista a io-
formagao do ioapector da tbesouraria de fazeoda
de .1 de agosto sob n. 915 resolve conceder-lhe
i mezas de licenga sem vencimentos.
Dita.O presidente da provincia tendo em vis-
ta o que requereu o arrematante da obra di co-
berta do edificio dogymnasio provincial Jos Au-
gusto deAraujo e bem assim ainformagao mi-
nittrada a ene reapeito pelo director interino da
leparligo das obras publicas em 27 de agosto ul-
timo sob b. 191 resolve prorogar por um mez o
praso marcado no respectivo contrato para a con-
clasao daquella obra.
ED1TAL.
Pela secretaria do governo, sa faz publico para
Conhecimento de quem interessar possa, que por
torga do disposto no decreto de 30 de Janeiro de
1834, acharr-se em concurso os oOicios de pri-
meiro tabelliSo do publico judicial e notas e es-
crivo de orpboa, residuos e capellas, segundo
tabelliao judicial e notas o sxecugoes civis e cri-
mes da nova villa e termo de Ipojuca da comares
do Cabo.
Etto igualmente em concurso os officios de
partidoreado mesmo termo, creado pela lei pro-
vincial n 504 de 29 de maio de 1861, devendo
um accumularas funeges de distribuidor e outro
decoutador e bem como o officio de deposi-
lei provincial n. 529 de
as relagea, j por vezes por mim reclamadas,
dos fallecidos do cholera enviarei V. Exe. o res-
pectivo mappa.
Daos guarJe V. Exe. felizmente.Villa do
Cabo, 2 de setembro de 1862
Illm. e Ex u. Sr. Dr. Manoal Franiiseo Carrea,
digno presidente da provinila.Jos Biodeira
de Mello, juiz de direito do Cabo.
Cinforme.O bocharel Luis Salazar Hoscoso
da Veiga Pesso.
tario geral credo pela
6 de juoho deate anuo.
ue^SVr m bfa qUe P0derK "^ l ^-^.tr^
do de t lores no offi.io que acompanhou por co- 817 de 30 de agosto de 1851 o doaviso iiSSt de
pa o do Dr. dalagido ana.rraRado da rep.rtigio 30 de dezembro de 1851 no praso de M di.Vcon-
da polica com dala de hootem, e que junto re- >*- ~->- ---
metto.
t '4 o.
IDito ao iosj
Estando em tt
a informagao
Dito ao mesmo.Sirva se V. Exc.de informar
acerca do que selicili o Dr. chefe de polica in-
terino no incluso offi.io sob o. 1187. a que ae
refere o inspector da thesoararia de fazeada no
officio tambem janlo, sob n. 836.
Dito ao proveJor ds Santa Gaaa da Misericor-
dia.C>m a fcepgao do officio de V. Exc. do
1* do corrente flquei inteirado de terem entra-
do de mez o moriomos Dr. Antonio Ilercalano
de Souz* Bandeira e Antonio Jos Gomes do
Orreio, este no hospital dos lazaros e collegio
dos orphos, e aquello na casi dos expostos e
collegio das orphas, ccoliouiodo no hospital
Pedro II o Dr. Joaqun de Soaza Reis.
Dito ao desembarga jui procurador ua uoroa.
Oaeira V. S. servir-se da oterpor o seu parecer
*6V e a materia do officio junto que no primeiro
do corrente dirigi me o bacharel Christo'odos
Santos Cava le. a mi segundo auppleole do juiz mu-
nicipal e de orpliaos, nomeaJo para o termo do
Pao d'Albo no quironio correle, de coofor-
mila4e com o diiposto no decreto o. 2.012 de
4 de novembro de 1857 combinado com o de o.
2,576 de ti de abril de 1860.
Dito jo inspector da thesouraria de fizenda.
V.i"diodo nesti data as convenientes ordena
-..j de que siga para a villa de Barreiros,
urna forga de oito pragas de primeira liaba com-
mandada por um inferior pars substituir as pra-
gas e guarda nacional que all se acbam desta-
cadas; acabo de reconimendar ao reapectivo
co-nmandinte auperior que logo que houver che-
gilo junlla villa a referida forga, faga dissolver
o dsstacameoto de que se trata. O que commu-
nico a V. S. para aeu conhecimento a direego.
Dito ao mesmo.Nesti data expego ordem
para que seja despernado o destacamento da
guara nacional txistente na villa do Brejo. E
igual ordem expego para o estacionado no lugar
Ouas Curas do termo de Serinhem, logo que
ah ubegae o de polica qae o vai substituir : o
que coaimunico a V. S. para sua intslhgencia.
Dito ao mesmo.D-svolvo a V. S. os papis
qne vieram axuexos a saa iaformagao de hootem
so'i n. 838 relativos ao pagamento que pede Ha-
noel Jos Pereira Marioho, na importancia de
3:053500 proveciente de (retes de gneros,
pasaageus de officiaes, pragas do exercito e pre-
sos que con luno no hiate Tino deata Capital
ilba de Fernando e vice versa, afim deque
man 11' psgn somn'.e a qusnlia de 3:033$500
r foriije V. S. indica em sua citada infor-
L ^30.
spector da thesouraria proviocial.
termos a inclusa coola coberta com
do admioiitrador da casa de de-
tencao,mande V. S. pagar aos empresarios da il-
luroinagao a giz nesta capital conforme solicitou
o delegado encarregado do expeliente da secre-
taria da repartido da polica em ofli''io de hon-
tem sob n. 1,351 ,a quanlia de 1505300 em que
importou o gaz consumido no n.e dejuiho ulti-
mo com a illutniuago da mesmacisa de de-
tengao.
Dito ao inspector do a-senal de marinha.
Em vista de sui informagao n. 89 de 20 do cor-
roo la com referencia a maleria do officio n. 1336
de 29 do mez passado do delegado encarregado
da repartigao da polica, mande V. S. por a dis-
posigao desie urna das padiolas das enfermadas
provisorias de cholericoi desae arsenal.
Dito ao commanianle do corpo de polica.
Palo officio de V S. n. 388 do 1 do corrente fl-
quei inteirado de que os cabos de esquadra Anto-
nio Crispiano da Paz, Xisto Santiago do Carmo e
o corneta do corpo sob seu commaodo Manoel do
Girmo do Nascimento, tendo concluido seus en-
gajamentos coolrahiram novos d^pois de julga-
dos para isso aptos.
Dito ao mesmo Deferindo o requerimeolo do
soUado do corpo sob seu commando que acom-
panhou o officio de V. S. n. 390 de 2deste mez
Joaquim Manoel de Souza, autoriso-o a miodar
dar-lhe baixa, visto ter concluiJo o seu en-
gijamenlo.
Dito ao engeohairo fiical da estrada de ferro.
Remeto a Vmc. para aeu coobecimente e di-
recgo najparle que Ihediz respeito, o aviso jun-
to por copia, expedido pela repartigao da agri-
cultura, commercio e obras publicas, em 22 de
agosto prximo linio sob o. 58.
Dito ao Sr. Apolioario Florentino de Albuquer-
que Maraaho juiz de paz em exercicio da fra-
'guezia de Santo Antonio de Garanhuni.Decla-
ro a Vmc. para seu conhecimenlo, que nesta data
remello ao delegado encarregado da repartigao
da policia para providenciar como for acertado
o officio que Vmc. me dirigi em 20 de agosto
\ prximo rindo.
Dito ao Sr. Antonio Baptists de Mello Pexoto
dalagado de polica ejuiz municipal suppUnte
eoaexercici do termo da Garaohuni.Rtspon-
deodo ao officio de 27 de agoato prximo pretri-
to, -aun que Vmc. consulta se dove continuar a
acgo da le contra Jos Lepes Lima, que tendo
aldo pronunciado comoiocurso oa primeira par-
te do ert. 222 do coligo criminal declarara que-
rer casar eom a offendld*, que negou-se a esse
casamento, cabeme-me dizer-lha qae, em vis-
ta do que ee ach estabelecido no aviso d. 7 de
ferereiro d* 1851, deve}Vmc. julgar como enten-
der de le dando os recursos que eouberea para
os tribaaaes superior.
Dito cmara meoicipal de l'acarat.Con-
Palacio do governo de Purnambuco, 5 de etem-
bro oe 1862.
Officio ao director do arsenal de guerra.Fica
V. S. autonsado para entregar os objectos que
dguraram oa exposigo nacional, vindo no vapor
Jocanlxns e recolhioos nesse araenal, a quem se
mostrar habilitado para os receber pela apresen-
lagao dos respectivos eoohecimentss devendo V.
S. ter todo- o cuidado em que baja na entrega a
malor regularidade. Para sua resalva exigir
V. S. os convenientes recibos alem de certificar-
se da identidede das pessoas que reclamaren! os
referidos objectos mencionado* na relaglo anoe-
r pop oopi. mouoiBeio do 00 Jo goato Ul-
timo.
Despachos do da 3 de setembro.
Requerimentot.
Adelioo Augusto de Carvalho.Informe o Sr.
delegado encarregado do expediente da policia,
Comiuaudo das armas.
Qaartel-general do commando das
arma*) de Pernambuco na cida-
de do Becite em S> de setembro
de 186S.
ORDEM DO DIA N. 127.
Devendo aolemois*r-se no dis 7 desle mez o
aoniveraario de nosia emaocipsgao poltica, deter-
mina o general commsndanle da* armas, de con-
(ormidade com a* orden* em vigor, e com as que
Ihe foram expedidas pela prestdeneia em officio
datado do Io do corrente, que forme em graode
parada urna diviso composla de 2 brigada* *ob
o coromaado do Sr. coronel Laiz Jos Ferreira,
no caso de que nao esteja presente o Sr. corooel
commsodaDte superior interino da guarda nacio-
nal deste municipio, sendo a Ia brigada organi-
sada do f esqnadro de cavallaiia dos batalboas
de infantera 1* e 2* da guarda naciooal deala ca-
pital, e a 2* dos batalhes 3* da mesma guarda
nacional, do 7o do exercito, ambos de infamara,
e de um parque de artilharia de quatro boceas
da fogo, gaarnecido pelas pragas da companhia
de artfices, ambas commandadas peloa Srs. of-
ficiaes a quem por lei competir
A divieso tomar sua primeira posigao em li-
ona no largo Pedro II, s 3 horas da tarde, e
apa a revista do costume marchar para o Cam-
po das Priocezis pelas 4 horas em ponto, a to-
mar aquella que conveniente (r, em orden* i
dar as descargas, e a fazer as continencias que
sao do estylo.
Os Srs. commandantee de divisao e da briga-
das escolhero os seus empregidos de entre os
Srs. officiaes dos corpos de que ellas se tompoe.
Os corpos de infantaria iro municiados para
darem 3 descargas, e o parque de arlilharia urna
salva de 21 tiroa.
As msicas locaro a alvorada e o recolher do
indicado dia pela ordem que previamente Ihe*
aera detalhado, e bem assim no acto do cortejo
effigie de de S. M. o Imperador, no palicio da
presidencia, para o qual o mesmo general con-
vida a todos os Sr*. efficiaes do exercito, da e'x-
lincta segunda lmha e reformados.
Assignado. Solidonio Jos Antonio Pereira
do Lciqo.
Conforme. Jotl Francisco Coelho, capito
ajudante de ordena encarregado do detalhe.
mflea demoostr.cao 1 Sois o povo das vesperas,
o poro das barricadas; coohegovos pela vosss
sublime energa o soloitarisno reme ainda sob
o peso do estrsogeiro ; comtudo ha irmos nos-
sos que vi remesen vos ; ests rergonba da Italia
deve cessar I [aqui B povo exdamou-a Roma, a
Venera). r '
A Roma, aim, a Roma, onde isnpe a so
vontada um principe eslrangeiro. com escndalo
de todasi as lela humanas e divinas; a Roma,
donde a sombra de ama baodeira. que naoa
nossa, consplram contra nos os banooieiros.
A Roma a a Venen.... Sim, a Roma e a
Veoezs, mss com Tactos e nao com pslavras !
Com factos e nao com patarras taremos sanlr
dilli Bonaparte. Eli* nao est all para defender
oa iotereise* da Italia, ou o* da religio dt Chris-
lo representada pelo papa.
c O homem de dous dezembro est all pelo
seu interesse particular.
Manchado com o aangue do poro de Paria,
est alli porque um tyranno, porque a sua cau -
sa a caasa do papa rei, isto a ruina da
Italia.
Est all para sustentar a guerrilhigem,
convartendo-se desla maneira em chefe de as-
sassinos.
Par* que tala de Roma preciso qu* se Ihe
falla a linguagem que allastes aos Bourboos em
1848 e 1860, om Franga e em aple.
C Povo da* Vesperas Siciliana, povo de 1860,
que Napoleo evacu Rom, e se preciso pata
isso ama* novas Vesperas Sicilianas, nao ros de-
tenhtis ; preparem as suas armas todos os cida-
daos, cujo peito bale pela iiberdade.
c J nao tempo de cooeesses oem de expe-
dientes ; se o Iniroigos da Italia nao querem sa
hirj, leremos de expalsa-los torga.
* O povo forl ; sfle a hora, e, indo eu na
frente, iris todo atraz de mira. (.Guibaldl foi
outra vez inlerrompido por milhares de vore,
quedizlam: sim, sim, todos a Roma, tods a
Veneza I Urna voz perguntou : Mas quan-
do? J, respondeu Ganbaldi e por toda a
parte soaram os mais vivos applauso). Aquello
programma com que passmos o Testino, e des-
baratamoaosaustriacos.com que desembarca-
mos em Marsila e viemos partilhar aqu da vosa
neira a lisogear os a goveroos conserradore,
urna alluio Russla e a Prassia.
< N_. 3.VemJ depoi urna nota qae trata da
quetto romaoa, mu de passagem.
< A guerrilhagem e a corte borbnica to o
astumplo principal. A fuso delinitiva e efecti-
va da Dus Sicilia* com a Italia do norte, de-
monstrada depoi* de tantas oulras prova, pela
recente viagem de Vietor Emmanuel a aples,
apresenta-te como deveodo pdr termo, no epi-
rito das potencia, s ympathias que podem ter
cootervado pelos infortunio pesioae de princi-
pes, cuj restaurago urna quimera. Eatando,
oois, o Estado italiano iocontestavelmente bem
formado em situago normal, tem o direito de
reclamar contra a violago por parta de Roma,
Crines juagados pelas autoridades
_______ Iolcias.
Processo S.Crimes 1.
Mus 9.
A.NNOS.
Processo..........
Seu comego.
Por queixa........
Por denuncia particalsr
Ex-offlcio.........
Numero de reos .. .
em seu detrimento, de todos os principios ioter- Mascolinos .
oacionaes. As iocursoes continuas de guerrilhas Nacionalidades
apoiadas e animadas pelo ex re e pelos seus Brasileiros
cumplices, iocursoes sem resalalo possivel de- Ealraogeiros .
baizodo poni de vista poltico, mas criminosas Estados."
e desastrosas para as pessoas e propriedades, nao Solleiros
podem ser impedidas pelas tropas francezas ; t a Casados .. .'.
exteoso da linha da* frontairas oppe-se a que
poasam ser guardadas. Eitis palavras e as pre-
cedentes tem um sentido chelo de inianges.
Convida o imperador, em oome dos principios
da humanidade e da juatiga, a fazer affastar de
Roma as causas de tantos allantados.
N. 4.Chegamos ao recoohecimento da Rus-
sia. E nho. Mr. Benedetti annuacira em Turin que a
Russia est prompta a reconheeer o reino da Ita-
lia, eom tanto que o governo de el-rei 0* escls-
recimentos sobre certos pontos. Estes pontos
sao :
1* Que podem os elementos revolucionarios
na pennsula ?
2' Est o governo bem certo de os poder re-
primir, a quer seriamente faze lo ?
A isto responde o ministro italiano recordan-
do a nota acuna resumida sob o. 2, e declara-se
em circumstancias de garantir que o governo se
conservar senhor ds pisigo e plenamente li-
vro de qualqatr cumpromisso.
a Segundo ponto de interrogago da Russia
Impediris os Polacos de conspirar entre vs
EXJEKiR
ITALIA.
Urna correspondencia de aplas resume da
seguinte maneira a noticias daquella provincia :
a Nos Abruzzos tem havido recordescencia de
gaerrilhagem. As provincias de Teramo e de
,.i r,t. i____^. i -. ,7 ----- tusninin va ruiacos ue cuusuirar enire 'OS
.mm?ra.H..r*^nP~.V!I1,mI1|0,I "q f P-" o wl-gndada do imperio russo. e de for-
8n.! "CMl8U emancipagao. ra legioe. polacas?
(Depois detallar do muralismo. do bourbo- Resposta :
Modo de livrameoto.
Presos ...........
Sollos............
Crimes.
Deobedipncia.......
Calumnia e injuria .. ..
lofracgo de posturas ..
Condemnac5s.
Priso simples......
Hulla...........
Absolvigdes.
Appellage.........
Absolvidos.........
Patsaram em julgado..
Prolisses.
Agricultura.........
Commercio.........
Artes.............
Sem officio.........
Instrucge.
De mais educago.....
Sabendo 1er.........
Analphabetos.......
<
C
6
1
l
8
g
3
3
6
i
I
4
S
2
3
I
RECAPITULANDO TEMOS
olsmo e do clericalismo, acrestentou
Unmonos em volta da mesma bandeira ;
recommendo-vos a concordia; a concordia al
com os que professam opioioea poltica oppos-
tas s nossa, mas que se proponham ao mesmo
fim.
Quando estiverem todos resolvidos ros cha-
msre t armas. (Vozes, a Roma e a Veneza !)
Da Opinin Nalionale vamos traduzir orna pu-
blicagao teila n'aqaella folha, em que se eocon-
posta
a Nunca o temos permlltido ; nao ser agora
que comecaremoi.
Terceiro finalmente :
Cooseotirieis em que se fechem escolas de
polaco* em Cun) ?
Resposta :
Nio neceissrio ; a escola vai fehar-se por
si mesmo. otra jamis se abrir, m coosequen-
cia das difflculdades que occorreram na marcha
interna daqulla inslituigo.
a N. 5* Ultimo documento : Recoohecimento
tram esclareclmentos que servem para confirmar' r! a a a .
Como ae ve, ludo se liga a este documento : I
loca-se completamente o m proposto no pro-
Processo?.
Reos. .
Homeos ,
Hulheres. ,
Brasileiros. .
Eilrangeiro
Autores ,
Homicidio.
Crimes.
ouvindo o delegado do termo oe Agua-Preta e o Cbieti, tranquillas at agora, comegam a ser in-
subdelegado respectivo.
Cmdida Senhorioha de Jesas.Informe o Sr.
provedor da Santa Casa de Miaericordia.
Dr. Caetano Xavier Pereira de Brilo.Informe
o Sr. inspector da thesouraria de tazenda.
Daroio africano livre.Prove ter os ancos de
servigo exigidos pelo decreto n. 1 303 de 28 de
dezembro de 1853.
Eduardo ddault.Informo o Sr. desembarg--
dor proredor da Santa Casa de Misericordia
Francisca Mari de Jesas.Remtttido ao Sr.
Dr. delegado encarregado da repartigao da poli-
ca para providenciar como convier.
Joao liaplista da Luz.A vista da informagao
nao tem lugar.
Joo IV africano livre.Prove o supplieante
ter os onnos de servigo exigidos pelo decreto n.
2.3C3 de 28 de dezembro de 1853.
Marcelino de Souza Travasso.Informe o Sr.
commandante superior da guarda nacional do
municipio de Olinda e Iguarass.
Matia Magdalena.A visia da informagao nao
pode a supplieante seratlendida.
Illm. e Extn. Sr.Tenho a salisfagao de par-
ticipar a V. Exc. que o cholera j sa acha extinc
lo nesta comarca. Se multas victimas temo* aqu
a lamentar, talvez nao menos de 3U0. me parece
todava que ninguem siorreu a mingoa e sim pe-
la natureza e intensldade do mal, que em mullas
occasies zomba de lodos os medicamentos e da
pericia doi melhore meneos! Talvez quena
fesladas pelos guerrilhas.
cr Um certo Cacchiane, um dos que se evadi
das prises de S. Valenlim no Io de juoho, for-
mou urna guerrilha na provincia de Aquila,
com os restos das flleiras pessalinas que exisiiam
oo mez pastado, e appareceu ha urna semana na
provincia de Teramo.
de Stramengo, e consta que no dia 13 cootavam
cem guerrilhas.
a Este bando vagueia nss ImmediagOes de
Val Castellana, e o general Longooi toma medi-
das para o extinguir.
a Ns provincia da Aquila, algn* pequeos
bandos infestara as mootanhas de Mtrrica, a dif-
ferentes novos destacamentos devem ser estaba-
lecidos em diffareotes localidades para proteger
a seguranga do viajantes, e especialmente a dos
correios da malla posta.
Na proviocia limilrophe de Aicoli, sntigos
estados romanos, e precistmente no valle de Ac-
cumoli, eas margen* do Trento, pode orgaoisar-
se urna guerrilha a 60 salteadores.
Urna companhia da guarolgode Ascoli mar-
chou para Arqueta, o outra meia companhia mar-
chou d'Aqoila para Amstrico, afim de darem ca-
ga aos guerrilhas.
As ultimas informagas do major Voltri,
commindante interino da regiao do Piano delle
Cloque Miglia, e das montanhas no meio-dia da
Hajella, contestam que o bando do padre Nunzlo
Ssraburribi. que se julgava comprehender 40 a
onhecimento da Prussia foi sam coodic-
goreroo italiano limitou-se, -quanto a
anouoeiar a inteogo em que est de
o morimentos que a imprudencia de
lene tentar ; no que toca queato
declaro que todoa os hotnen de Estado
desde 1853, reconhecertm a imposii-
maior parle dos que succumblram se teoha a no- 50 guerrilhas, nao se compoa rTectirsmenle
tar despreso dos primairos aymptomas e aberra-
gao de todos os preceltos hygieuicos. O medico
Dr. Ldrte Real foi prompto em ir a toda a ptrle
onde os seus serrigos eram reclamados e nao e
poupou a sacrificio algum em beneficio dos po-
bres e para que ninguem tivesse motivos de
queixa, muilas vezes au mesmo a qualquar |bora
oo da ad* noite ia applicar remedio emqaaolo
o medico se achira ausente desla villa em ou-
tros pootos do termo a exercer a sua profisso :
e so a etse respeito Uve algum descango quando
os Srs. Fortuna, corooel Francisco Costa e te-
nente-coronel Jos de Moraes, se apreseutaram
curando homeopahicameote ; e honra Ihas seja
feita, a ninguem* se recusaram, fuste qual fuste a
pessua e a occaaio, sendo que por tu a assidu-
dade e espirito de caridade prestaram nessta vil-
la e em alguna dos seus arrabaldes, bons ser-
vigos.
Tambem em slgumas occatioes, fui judado
pelo medico inglez o Hr. Dr. Lole que a meu
chamado nos casos em que nao sabia o que de-
vese applicar aos accommetidos, se apreseniou
promptamente com remedios seu : o meimo
medico se apresentou a diversos particulares,
que dalle se valtram, dando provas de sua peri-
cia e do seu genio philaolropico. J a seu res-
deito fiz honrosa mengo em officio u. 25 de 13
de abril.
Fazendo a cada senhor de onganho responsi-
vel pelo tritamento dos pobres, que fossem mo-
radores em suas trras, pondo a dlsposigo del-
les nicamente os servigos do medico commis-
sionado, e os medicamentos que reclamassem,
com as autoridades principaes, com o medico, o
vgario uni-me em commlsso para soccorrer-
mos aos meseraveis deita vjll, e seus suburbios,
conforme o plano que j uve a honra de levar
ao conhecimento da presidencia em officio o. 21
de 9 de abril ; e em consecuencia dealas provi-
dencial uos cabe boje podermos oizer, que a ex-
cepgo de medicamentos que riaram para esta
villa, de medicamentos e pegas de bata que fo-
ram para Ipojuca em nada mais fomos pesados
ao tbesouro publico ; porque al o medico pres-
tou-se grataiiameole, e a commisso entendeu
dever tomar sobre si as despezas com os eoterrs-
mentosdos miseraveis e com o trata ment da-
quellesquepor nao tarem casa nesta villa onde
tutsem uevidamente tratados se recolberam aum
hospital, que creamoa na sala livre e oa priso
das mulhtres que se achavam detoecupadaa e
com o acelo e proporgoes coaveoianles para urna
pequea enfermarla.
Tivemos aqui por algum tempo um enfermeiro
ganhando 2)000 diarios, despeza aulorisada pelo
governo ; mas a commisio entendeu dsver to-
mar a si essa despeza.
Logo qaa os delegados de polica remetterem
sa-
nao de 15 homens.
Muitos boato assustadores te teem espalha-
do, annunciando a presenga de outras guerri-
lha dos districtos de Ltuciano; mas as bati-
das e os reconhecimeulosque o geoeral Cadorna,
eommandante em chefe dos Abruzzos, acaba de'
fazer operar, demonstraran que esses bandos na
exittem.
a At agora esles novos bandos, que eram
lulvez destinados a formar as tlleiras de Tristany
se os Franceze Ihe nao tvessem cortado o ca-
minho do valle de Roveli, oceupando o convento
de Triaulli, nao tem feito estragos.
Comtudo, espalhou-se o boalo de que se ti-
nham sorprendido hontem sele empregados do
camioho de ferro na provincia de Cbiete, e que
haviam degoladodous.Jdepois de Ihe terem rou-
bado urna forte somma de dinhelro.
U Direio publica a seguintes pilavras, qoa
o general Garibaldi pronuociou em presenra
das depulages das sociedades operaras de Svr-
cusa, Hisiloi e de Palermo:
Ou necessirio nao comegar, oa, quando
se eomega, preciso acabar.
Para terminar satisfactoriamente, neces-
sario arma e ufficiente numero de horneo.
A ngo pode salisftzer desda j a eslas'ne-
eessidaile.
A Prussia, no caso de guerra, d 13 porcen-
to da sua popuiagio.
Nao dando mais d lOporcento, a Italia for-
nacera ainda mais de dous milhes de bomens.
Com urna forga deslas, pode-se Ir Roma e
a Veneza sem combater.
A Franga e a diplomacia no dariam rzo
e a Austria navia de retirar-se.
Ficai persuadidos de que a forga do direito
reside no direito da forga.
Ot jornaes da Sicilia referem tudo quanto oc-
corrtu em Palermo, em contequencia dos dis-
cursos de Garibaldi, dando um* idea exacta des-
ses discursos.
No primeiro domingo de julho, por occsso
d apreentgao do geoeral Medicis aguarda Da-
ciooal, Garibaldi com o perfelo e o syodico di-
rigi ao ponto desuado para o municipio no fd
ro italiano, afim da presenciar o desfilar das
tropas, e alli foi recebido por um grande ocur-
so de poro.
Em torno daquelle recinto haria um extraor-
dinario ajuotamento, e depois de grandes ap-
pltusos que recebeu o hroe da Italia, como
tempre acontece quando se aprsenla em publi-
co, pedio silencio, e dissa pouco mais ou menos
astas patarras:
t Poto de Palermo.Agradego-vos esta msg-
E' rerdade que tere menos camioho a percor-
~*-"i?.e"m d8 ""* m4De'ra tencias nunca forsra retirados de Turin e Berln.
Houve sempre urna certa cordetlidade entre ot
dous paizes.
Ot Piemonlezes regosijtram-se por muito
tempo de ser os Prustianos da Italia ; boje sao
os Prussianot que te podem regosijar de ser ot
Piemontezes da Allemaoha.
a Tudo lito forma urna especie de frateroidade.
Eulende-se pols cora meia palavra esta nota, e
por tanto mais curta que a precedente.
Manlm-se neile os direilos sobre Veneza,
assim como sobre Roma.
O governo mostra-se firme, a prompto a im-
pedir o golpe de mo ou cafcecadas, que pos-
sra prejudicar (isto a express'o) as quetoe
pendente ; um argumento ad hominem a?re-
senlado Prussia :
que o
Ce.
Veneai,
repri
algam
romn
Italia
bailad* da l
nao folssm o* meios moraes. O modo mesmo
porqu consta se flzessem etsttsegurangas mus-
ir qufe Mr. Ritszzi em nada abandonou o pro-
gramnia dos aeus predecessore.
Eia o que sa l na Opinin Nalionale
Turin, 16 de julho.
c Ainda que as pegas diplomticas aprsenla-
daa na meaa da presidencia da cmara e do se-
nado, aiuda nao estejarn publicas o seu conteudo
eomega a ser coohecido. Eis pois um resumo
deste pequeo livro azul, resumo aproximado,
mas exacto na sui substancia:
N. 1.Circular do ministro dos negocios es-
traogtiros, Rataizi, aos agentes do governo ita-
liano no eslrangeiro, datado dos ltimos das de
margo de 1862.
O ministro sssenta o seu programma e pasas
rpidamente em revista os progressos foitot pela
Italia desde a acclamagao da uaidade nacional ;
faz sobresahir os factot que dio um carcter di-
fioitivo reconstituigao da Italia ; de passagem,
a impossibilidade cresceote de qoalquer idi de
eonfederagao, de qualqaer atienuago, mesmo
administrativa da unidade di Italia ; as tentati-
vas de partido para retabelecer o regimens
deeahido, a cumplcidade da Roma com esse
parlidos e com a guerrilhagem, sua arma de
guerra ; o direito da llalli em ser coobecida pela
Europa, e o interesse finalmente do commercio
geral e das relagoes ioteroaciooaes, que dima
nam imperiosamente da regalarisagao do estado
dis cousas existeotes. O que acabamos de escre-
ver forma como um primeiro ponto u'aquelle ma-
nifest.
O segundo ponto do minifetto relativo a
Roma. A este respeito o presidente do cooselho
de extrema franqueza. O direito da Italia to-
bre Roma, o dever imposto ao governo pela oa-
gao, a respeito da reviodicagao da sua capital,
altamente proclamado. A ihese boje irrefutavel,
da separago dos poderes espiritual o temporal,
est exposto em termos bons e precisos. A li
bordada da llalli difinida, a entrad di egre-
ji no rgimen do direito commum. As ga-
rantas dasta Iiberdade sao indicadas, como de-
vendo ter as mesmi s da Iiberdade de lodos os ci-
dados. A iocompetencia do estado era mate-
rias religiosas est ali proclamada. Faz de novo
o ofierecimento de urna dotago conveniente pa-
ra a santa s, smeote contribuiro para ella to-
das as potencias catholieas. A coexistencia em
Roma, do papa e do governo italiano admilte-se
e apresenta-se como um fado que o propno pas-
eado fiearia um da satisfeilo de ver realisado, se
as paixes do momecito o levastem aotes disso a
tentar a repartigao, para sua forluns.
O Urceiro ponto, finalmente, da exposigo
de Mr. Rattazi, diz respeito a Veneza, cuja re-
vindicigo, de direito exitte em grande vigor na
sua essencia. ainda que moderada na reform.
A solidariedade iodistoluvel de Veneza e da Ita-
lia, os lagos multiplica los que unem a joven na-
gao antigi sede do Adritico, sao ali coofirma-
dos; invocs-se o futuro como consigradora des-
ses lagos. A bypothose de urna solucao picifica
desla qusito admille-ae como realiaavel, porom
*om o auxilio e mediante o exforgo das poten-
cias, sobre as quaes o gabinete italiano langa
urna parte da respoosabilidade de uma'situago
to anormal e to ampia.
< O coojuncto deata nota to claro quanto
possivel, e a imprtsio qae nella existe de qu*
a Italia deve ser to forte no instruir como oo
extruir, para usar urna tal lioguagem com a po-
tencia do norte, e para ser dellas reconbecida
depois de a ter usado.
N. 2.Pastamos agora ao segundo docu-
mento :
E' datado de aples, por consequencla do
mez de maio ; o atu objecto a tentativa do par-
tido de acgo reprimida em Sarnico e em Brea-
da. O ministro dos otgocios eslrangeiros, que
era o'aquella poca o general Durando, assegu-
ra sos agentes do goveroo no eslraogeiro [porqoe
tambem ama cirtultr) que o governo tem os
meios d* fazer entrar de novo nos deveres os
que consplram contra a patria, e os que a com-
prometiera pelo excesso do seu patriotismo. O
que fere principalmente, a supposlgo, emitti-
da pelo ministro, de que o partido clerical con-
tribuir, nesta circamstancia para ssoprar o fogo
garibaldioo; ha tambam a declartgo positiva de
qae o goreroo nao soffrer o menor atique das
suas prerogarai. Faz-ae ali sera dunda de ma-
gr>mmt, atravez da viageut do re aples, e
da repretsao do Smico, peripecias que assentam
lodo o direito ao recoohecimenlo. A Prussia vem
poi* como ierra tila da Ruaiia.
a V e primeiro, como nos temo* feito res-
peitar o Tyrol, ameagado dat carnizas vermelhas.
c A razio lrresistivel. Com isto a nota esla-
belece que o gabinete espera com certeza os re-
lullados ioevitaveis da sua poltica particular a
respeito de Roma.
a Nada de bravatas, mas muito vigor e since-
ridade ; eis o tom geral dettes documentos, que
produziram sem duvida alguma urna impressio
muito favoravel.
c E'imposslvel nao ser tocada detla srgursnri
tranquilla, detta energa que tem um lio bora
xito.
Nao esqueceremos oottr que a Russia noti-
ficando a reolugao em que ettava de reconheeer
o reino da Italia, diz qne a sua inltngo auxi-
liar desla maneira o governo italiano a preservar
nos camiohot regularetem que tem marchado e
a continuar a manter a ordem.
c Exceliente cargo.
[Jornal do Commercio de Lisboa.)
Ferimentos e offensas pbysicas. .
Reiistencia..........
Tirada e fuga de preso.......
Ameagat......., ,
Armat defezas.........
Calumnia e injuria........
Infracgo de potturat.......
Desobediencia..... .
Priso siraplts.........
Multas. ....... 2 ... .
Absolvig5es........ .
Appellagei..........
Passsram em julgado. ...:..
..... Profisso.
Milicia. ;.........
Agricultura ........
Artes.....
Commercio........: .
Servigo domestico....... "
Sem officio.........
Instrucgo.
Di mal educago.......
Sabendo 1er.........."
Analphabetos.........
[Continuar ic ha.)
30
36
35
1
31
5
36
3
14
2
7
2
1
6
2
v.
8
4
'!
>
34
1
8
6
1
13
1
U
21
U
REVISTA DIARIA.
IITERIfi
AMAZONAS.
Rohiforio aprcseiitado asscmbla le-
gislativa provincial, pelo Ex ni. Sr.
Dr. Manoel Clcmenlino Carnciro da
Cunta, na sessto ordinaria de 3 de
maio de 1862.
Crimes julgados pelos juizes de rii-
reite, de que trata o decreto u.
56 de 8 dejuiho de 1SUS.
ANNOS.
Processos 1 Crtmer 1 -
Reos 1. r- 00 OS o l-o
i5 lO ti C0 se
XJ JO 00 oo
" ^ *~ ^ *
Proceasos ........ 1 1
Seu comego.
1 1
Quem susteotou.
0 promotor........ 1 1
Numero dos reos..... 1 1
Sexos.
Masculino......... 1 1
Naclontlidsdes.
Brasileiro ,....... 1 1
Idades.
De 40 para cima..... 1 1
Eitsdo?.
Viuros.......... 1 1
Modo do lirramenlo.
Presos. ........ 1 1
Qualidades.
Autor........... 1 1
Crimes.
Homicidio........ 1 1
Absolriges.
Absolrido. ....... 1 1
Paisiram em julgado. . 1 1
Profisso.
Coamercio....... . 1 1
Ioitruccao.
Analphibetos....., . t 1
Amanha alvorece para nos brasileiros o qua-
drageiimo primeiro anoiversario da notsa eman-
cipagao poltica ; e esse dia que sempre um
motivo de prazer para nos, que ora nos embala-
mos n'uma vida aoiialmante livre, este anno
festejido por urna maniestigo eloqaenle dt^sta
mesma vida ni abertura de mait urna linha de
nossa va frrea, que assim aproxima-sa ao seu
termo garantido
Tor occasiao dessa festa de lano regosijo.
ter lugar a abertura do tramito publico de 11
milbas da 4 secgao da estrada de ftrro, ficando
apeoa9 faltando 6 milbas para a completa coo-
ciusao da linha concedida.
A companhia deu prena a obras precisas para
franquear ao publico estas 11 milhas ; e o enge-
nhiro fiscal extroinando-ts encontrou-as em
perfelo tstado de seguranga e quasi inicuamen-
te acabadas.
Ha um mez visitou as obras o Exm. Sr. presi-
denta da provincia, encontrou-as j em estado
de prestar-se ao tervgo publico, chegaodo tem
o menor embarago al a ettago de Agua-Preta,
que tem de ser a'ora em ditnte o ponto terminal
di linha.
O acto pelo qual o Exm. Sr. presdeme da pro-
vincia autorisou a abertura de mais slas 11 mi-
lhas ao transito publico foi muito acertado, e at-
tendeu todos os inleresses.
Aos do publico facilitando este commudo meio
de transporte, e ao dos lavradores daquelle dis-
trelo em particular, libertando-os da extraor-
dinarias despezas com a conduegao dos productos
agrcolas, a quaes, segundo not ioformam, a>-
sorviam a melade do seu valor.
Aos do eitado, deianlo a questo da garanta
d* juroa sobre o capital respectivo dependente
de aolugo do governo imperul, que seguramen-
te proceder com todo o certo, se bm que nao
descubrsmo embarago a que, mediante certas
condic08 ella se torne effoctiva desde o dia em
que esta nova parte da estrada franqueada ao
publico, como se proceden em relaga a 3' sec-
gao aberta ao trafico ante* do prazo marcado para
ua concluso.
Aot da companhia que neste caso combinam
com os do publico porque nao era justo que -
catsem tem animago os esforgos empregados
para a rpida promplificago desta parte da es-
Irada.
Hoje s 7 horas da noite dever ter lagar
a sessao magna de iotialUgo da attoclaco aca-
dmica Onze de agotto no salo de honra
do Imperial Instituto de Noa** Senhora do Bom-
Gooselbo, tob a presidencia honoraria do Illm.
1 Sr. Dr. Tristo de Alcncar Araripe. Vespera do
maior dia do paiz, e que records a gloriosa po-
ca de nossa emancipagao poltica, renhum outro
te preala mais aos eothutiaimoadsTmocidade bre-
tileira ; e devende essa reunlao ser a expresso
Gel do amor e devotamento pela sciencia e pelas
lellrat, de suppor que seja bailante concorrida,
nao pelo* demaiteitudaoles da faeildade, co-
mo tan bem por grande numero de pessoas gra-
das desta cidade, que consla-nos ter aido con-
vidadas.
No caminho da Torre existe morts urna
vacca, lomando quati toda a largura da ettrada,
segundo no lo ioformam ; e sendo de suppor que
o ocqo delta se nao spresse a retira-la d'alli.
bom seria que o Sr. fiscal cumprisse com a le
que rege o caso.
Acham-se concurso os offlcios de 1* ta-
bellio do publico, judicial e notas, e eicriro
de orphSos, residuos a capaila*, e de 2" dito do
judicial e notas, e eterivao dn exexcugoei cireis
e crimes do tarmo da rilla de Ipojuca, ornare
do Cabo.

MUTILADO


-----------
wmrmm
DIARIO M PK13SAMBCO SABBADQ Di SETEMBRO O 186*.
Alm deitea officios eslao igualmente coo- ncite do da 2 do crrante, .
corso es de depositario gem, e de partidores do a vr improsa pelo* termos em que oa Reaista
mesmo termo, daveodo um dosquaes accumular Diaria de 3 do correte fui narrado
as funecoeo de distribuidor e outro as e con- que coro toda audacia me Ozeram.
or* O facto senhores redactores, passou-se
Tejo-Bie"c "" na Reaista -----
asse roab<>,
i^
Para a hbil;t.-cao dos respectivos pretenden-
tes e a consequente apreaentago da seas reque-
rimentoa, luoo o que deve ser feto conforme o
decreto de 30 de agosto de 1851 e aviso de 30
de dezeojbro de 1854, Li marcado o prazo de
ses.enta das.
A
-. .----------- pela
lorma seguate, e nao como reeriram vo.sas
lenhoria*.
No dia 8 pelas 8 e meia horas da noite, achan-
do-sej fechada urna poila de meu esiabeleci-
menlo. como aempre acontece noite, e Miando
eu junto ao balcao. entraram tres individuos dis-
grega dos objectos expotlos neits pro- fardados, e, dirigindo-se dous delles para mim
vincia. que ha pouco regressaram da corte, de*e o tereeiro passou a fechar a oatra porta. Feilo
ser realiaada pelo Sr. coronel director do arse- lsto exigiram de mim qae lhe dsae dinheiro: e
nal de guerra, segundo a ordem da presidencia., eniSo, abriodo a gaveta do balco, eotregaei-lhea
DaquelU senhor haverao os expositores, por-
tmto, os se productos pela apreseniaco dos
respectivos coohecimeolos ou drC'arec,io qae
lhes foi pastada pela commissao, deveajo leca
, disto patsar um recibo para resalva ao referido
Sr. director.
Com data de J do correte offlciou o Dr.
juiz de direito da comarca doCabj presidencia,
declarando haver ceasado o cholera na roesma
comarca completamente.
Foi prorogsdo por um mez o prazo da ul-
timegao do cootralo do arrematante das obras do
gymriaaio provincial.
Na segunta feira (8) deve ter lugar a festa
de Nossa Seuhora do Bom Conselho, padroeira
da sociedade acadmica no convento dos reli-
gioso franciscanos, com por*pa e brilhauismo
Oraro na festa o Rvm. Sr. D. abbade, dos
benedictinos, e no Te-Deum o Rvm. padre-mes-
tre Antonio de Albuquerque Mello, cujoa talentos
oratorios sao bem co<] heridos entre nos.
Na vesprra e durante a tarde e noite da festa
tocara no largo urna banda de msica militar.
Os Rvm*. missionarios capuebinhos feste-
jar igualmente oesse da sua padrotira, No>sa
S"'ihora da Penha, com vesperas, festa e Te-
l/tum, para o que se acha a respectiva igreja
eleganteujeote ornada e iluminada com profa-
ao, sobresahiodo um primoroso quadro no qual
ae acha representada a serpete mandada f per M yss, para perpetuar ante os olbos do po-
v qua condoiia um dos castigos enviados por
Dus.
Na tarde de domingo, anos a volta de S
xc, o Sr, presidente, da via frrea, procesar-
se ha parada e e cortejo do estylo, no palacio
da presidencia.
A'doile haver, no Santa Isabel, urna re-
Frtseutagaoljrrico-dramatica, da qual aeha-se o
programla n'outra parle do Diario.
O Club Commercial d boje sua partida
mental, .que, nos a drenaos, deve ser muilo bel-
la e concoma.
A sociedade Corybanlina, que tew sua s-
de ra larga do Roas rio, traordinaria na noite do don ingo.
A companhia de aprendizea menores do
arsenal de guerra fez honiem tarde, depois de
haver o digno Sr. coronel director passado re-
vista, exercicio de espada e algumas evolucoes,
em frente d6 seu quartel.
Fui rinde a concurrencia de pessoas, sen-
do todos unnimes nos louvorea ao bom desam-
penho dado por esaea menores ; oque devido
era grande paita ao interetse e zelo que, por
essa companhia, lem o digno Sr. coronel director
Antonio Gomes Leal, o o respectivo instructor o
Sr. alteras Primavera.
A's o exercicio fez o Sr. Primavera um pas-
Seko militar, com os seus subordinado?, \ aun-
teendo o garbo e a disciplina de que tem sabido
revistir eises futuros alhlelas da seguranQa pu-
blica.
O Sr. Santa Rosa, desjaolo condescender
eom a vontade publica, e camprebenlendo o ve
xame resultante da venda obtigatoria cara duas
recitas, resolveu molitlcar essa determinado
atnio vouijos bilhstes nicamente para a noi-
te de 7
N verdsde que foi acertada s medida tomada
pelo Sr. Saola Roja, e, estamos certos, colher
elle b iis resultadas.
A parada de araanhia compor-se-ha de urna
divisao ao riiflu Jo do Sr. coronel Luiz Joi Fer-
retrj, com du.s brigadas fumadas: dos bata-
lhoe pnmeiro e segundo de itifaoUria, e pri-
HiMro de arltiharia e pii iciro esqui'lro de ca- j
vallara da guarda nacional, a pnmeira ; e dos!
tercriru da mesma guar la, stimo de iufautaris
do linha e um parque de artilharia a segunda.
A diviso reunir se ha na praja de Pedro 11,
dahi insrchaodo para o Ctmpo das Princezas s
4 huras da t^rde.
repartido da polica. (Eitraeto da par-
te do da 5 de atlembro.}
Foram recolbidos casa de detengao no dia 4
lio crrenle :
A'ordem do Dr. delegado do Io dtslricto, Zefe-
rino Vieira da Paixo, pardo, de 15 anuos, nado
a pescarla, para recruta.
A' ordem do subdelegado do Rec.fe, os pardos
B-ymuodo Jos de Lirna, d 28 anuos, catraeiro,
por eapaocimento, e Patricio Joaquira Ferreira,
Ce 49 ancos, martimo, por embriaguez e in-
leltos.
A' nrdem do de Santo Antonio, es crioulos Luiz,
de 35 annos, eicravo de Jos Aoto de Souza
Magslbaea, e Juaquim, de 18 annos, escravo de
Luiza Francisca de Souza, ambo por disturbios.
A' ordem do ta Magdalena, Alanoel Francisco
de Lias, crioulo, de 18 annos, sem ollicio,
crime e furto de cavallo.
O chefe da segunda secc.ao,
/. G. de Mesquita.
Movimento da csa de deteocau do dia 4 de
saemt.ro de 1862.
Exisuam...... 323 preses.
Entraram...... 6 s
Sabiram....... 10 >
por
42$ ro., que ah exiatiam ; maa, nao se satistazen-
do elles com isso, e nao quereodo receber tres
relogios que lhes apreaeutei, ain la mostrei-lhe a
oatrs gaveta em que neohum dinheiro havia. Na-
da caos'gui por asse meio, e os tres Individuos
contiouaram a axlgir que lhes dsse dinheiro,
mandando qe com elles seguissa eu para o fun-
do do estabelecimeoto.
Constrsngido, por tal forma, dirig me eu para
o fundo do armazem.e ahi liz-ram abrir o cofre
para entregar-lhes o dinheiro que houvesse. Pro-
curei evitar isso, allegando anda qae nao tinba
dioheiro, e apenas algumas jolas que Ibes apr-
senle!, ao que me relorquiram elles que nao que-
riam as jotas pomoserem ladroes e sim diobei
ro para livrar do precipicio a um pai de familia,
e que a seu lempo me realiluiriam o tal diuhei-
ro, pois que s o dasespero os lerava a pralicar
esse emprestimo forjado.
Nesle ponto am dos tres individuos, vendo
dous embrulho*. em um dos quaes havia 2:973$
rs. e no ouiro 420^000 rs., que estavam dentro
do cofre, laocou mo delles, (ionio assim satis
fitos, por usda mais haver no cofre.
Depois de conseguido seu inteoto, conserva
ram-se prximos a mim al urna hora da raanhaa
am que, deixanto-me no fundo do estabeleci-
meuto, vieram a frente, e, abrindo a porta, shi-
ram, tendo o cuidado de torna-la fecha-la le-
vando comsigo a chave.
Ainda incerto sobre o destino, que haviam lo-
mado asses individuos, nao sabendo se todos se
havjam retirado, ou se algum tinba ficado de
guarda, cooservei me no fundo do eslabelecimen-
lo al cinco horas da manha, quando, abriodo
a outra porta, narrei o facto a algumas pessoas,
que foram passsndo. E' esta a verdade do facto,
que commigo se dea.
Agora, seuhores redactores, pormittam-me que
faca algumas reflexes em relacao so modo, por-
que fot narrado o facto, descobiindo ss ahi ama
iosiouacaodesfivoravel mim. Bem seiquecom
isso se pretende tambera ir laojando davidaa so-
bre o fado, porque infelizmente entre ni a po-
lica Imptenle para a descobena dos autores
de fictos dessa ordem ; mais isso nunca justifica-
ra o procedimento que para commigo leve quem
transmiltio tal noticia.
Segando a narrsgao que acabo do fazer.de que
me servia a existencia de urna guarda no arsenal
de msrinha, tanto mais quanto sabido que de-
pois das 8 horas da noite essa guarda recolhe-se,
tacando fechado o portao do mesmo arsenal? Se
na cocheira, que Oca junto a mim, algumas ve-
zes ha ajuntamentos de pessoas, como diz a /a-
ftso, talonea sempre acontece, e iudagando eu
dos cocheiros se oessa noite aha havido essa
reuoio at alta noite, respouderam-me negati-
vamente.
E demais ninguem em taes circuraslancias, de-
sarmado, o em presenta de tres individuos, se
recordara, e era mesmo se atrevera clamar
por soccorro no fundo de m estabelecimeoto fe-
chado e a tal hora.
Coocluindo, senhores redactores, devo dizer
que grabas a Deus, nao preciso recorrer a taas
meios para obter qualquer var.iagem em miohas
transaeges commerciaes. Todo o meu debito pa-
ra com a praga de Pernambuco apeoas de qui-
nbe los e tantos mil ris, de que credora a cata
dt* Cals ; Irmo. Em meu estabelecimenie te-
elio fuciuoa mu superaveis essa quaoiia. Os
penhores, que me deixaram, tambera eram por si
sos sufficieates para fazer face meu depilo, e
felizmente ainda possuo oulros beus ; e portento
a insinuado prfida, que se me quiz dirigir, cahe
por trra logo ao pnmeiro exame. A polica que
cumpra o sea dever, certa de que es9as iosinua-
?es lhe nao darao lugar a obier esculpas, se
por ventura se conservar iuaclva.
Sou senhores redactores, ltenlo venerador e
obrigado.
Anselmo Jos Duarte Gedrim.
or francez Extremadura, para BorJos,! re os estsbelecimentos de foro da cidade nren-
carregaram : sas de algooo. lypographiss, coch.ira c*avalla-
Tisset frerea. 96 saceos com 516 arrobas c
libras de algodo.
e 34
Brigua heapanhol Uanoel, para Barcelona, car-
regaram :
Araoaja Hijo & C 204 saceos com 1,037 arro-
bas 26 libra* de algodo.
Frsocisco Hevrera, 1,000 couros seceos com
casca.
Brigue portogaez. Rio Vouga, carregaram :
Palmeira & Beltro. 1.500 adas de lenhs.
Dia 4.
Barca .hespanhola Carmen, para Barcelona,
csrregaram :
Aranaga Rijo & C., 549 saceos com 2,759 ar-
robas e 28 hbras.de algodo.
.S5ocedort* de readsas internas
sjasraesi de Pernambuco.
Randimentodo dia 1 a 4 5:666*676
idam da dia 5......; i.i2666
O Sr. Beili desempenhar a grande cavatina da
opera O BRAVO DE VENEZA, do maestro Mer-
cadante.
Findo o segundo, a Sra. Luigia Corbari axecu-
tar a cavatina da opera AZEMA DI GRANADA.
do maestro Lauro Raeaioi.
?J?!?Ifi0 do I", grande duelo da ope-
ra RgA DE DOS, do maestro Donizelli. pela
Sra. Corbari e o Sr. Rameada.
As Pessoas que quzerem camarotes e esdeiras
podem desde j airigirem-se ao escriHorio do
6:789js342
"n ti a la do provine!!
RtQdimcnto do da 1 a 4
idam do dia 5
7:4258659
a59a901
7;685S5*0
^rvimeinto do porto
Navios entrados no dia 5.
Rio de Janeiro10 di.s, barca portugueza Grs-
lidaoi). de 234 toneladaa, capitao Antonio Pe-
reira Borgea, equipagem 13. am laatro ; a An-
tonio Luiz de Oliveira Aievedo 4 C.
Rio de Janeiro10 dias, brigua nacional aDa-
rnao, de 284 toneladas, caaito Jos Mmoel
Vieira, e^aipagem 13, carga farinha de trigo e
outros generoa; a Antonio Luiz de Oliveira
Azevedo & C.
S. Francisco (California)81 das, galera ameri-
cana Rambler, de 1,119 toneladas, capito
Ctrltoo, equipagem 27, carga diversos genero;
ao mesmo capitao. Veio refrescar a aesue psra
Boalon. 8
Navios Sahidos no mtsno dia.
AracatyHtate nacional Santa Anos, capitao
Aniomo Joaquim Alvea, carga tazendaa e ou-
lros gneros.
Rio Grande do SulPatacho nacional Guarany,
capitao Mthias Ferretra Braga, carga sal.
MacciBarca ingleza aSnowloo, capiiao H
Pearce, com o mesmo laatro que trouxe do Rio
de Janeiro. Suspenden do lamaro.
Macei e portos intermedias Vapor nacional
Mamaoguape, commandaota Maooel Rolri-
gues doa Saatos Houra.
ObaervaciOi
Fundeou no lamaro urna barca iogleza, mais
nao leve commuoicago com a trra.
rices, btela, botequins, casas de pasto, e fa-
bricas, de 12 0|0 ubre os estsbelecimentos de
commercio eu. groaso e a retalbo. armazeoa de
recoiher, da deposto e os trapiches, de 8 n0
sobre consultorios mdicos e cirurgicoa, carinos
escrlptorios, de 50 sobre casas da molas, bilhar,
chapese roupa feta estrapg*ira,de 1:000 sobre
casas de operacao baocsria com emissao e privi-
legios, de 300j> sobre compaobias anooTsoaa e
agencias, de 2o0g sobre casas ae cambio, 10 Oin
sobre s renda doa terrenos oceupadoa com o I iheatro
planto do capim, de 100J sobre correctores com- O Santa Rosa nao danH<, ,
merci.es de 50 .obre corredora, de escravo.,' blko^m"^ "la tac. f i.c V mT0""
de 500 ra por tonelada, da alvareng. a ta^\MmwLffSm^lSkmt' '
empregadasno Iraflco da carea e de.cars. e fl-' o di. 7"J,?i 8DDC1,3os nicamente para
n.lmen.e o impoalo sobraT.ros. c.rro^e\L tSel* ** ^ P,,S da "mPSQ"ia dra-
nlbus, que no ultimo de xelembro corrente Cola-
se o prazo marcado para o recebimenlo dos seus
iu1" ,6,,enteDle o anuo nanceiro de 1861
a 1862, Ocando sujeitos os que nao pagareni a
seren execatados
Mesa do consulado provincial de Pernambuco
4 de setembro de 1862
O chefe da segunda seceso.
Francisca Ferreira Martina Ribeiro.
Pela thesourarls provincial se faz publico
D6 r1rleo,acao dos reparo, da ealrada de
tao d Albo, foi transferida psra o dia II do cor
i*ar
Rio Grande do Sul.
Uaubrio. Uuvm. B.r 4 c, uTS ^"1
po Santo o 6.
de
Per-
Cassino Popular
BAILE
do
Editas.
rente.
Secretaria da the.ouraria provincial
nambuco 4 de setembro de 1862.
O secretario,
A. F .da Annunciago.
Ump&uhia de cavallaria
Pernarubuco.
Precisa-se contratar o fornecinjanto das fer-
r'geos para a cavalhada em areola, a saber-
capim de planta, milho. mel. farella a ag.a ;
achando se as quantidales desigoad.s na tabel-
la qua se acha patente oa secretaria dt compa-
nhia. r
Ditof^raeciajeoto lera vigor do* di* 1S 4o cor-
rente at 31 de dezemaro prxima futaro.
.* rot'.0*,'a 8e" recabidas am carta fechada
at o dial3dett maz.
ie lS? D0 e,mP Princez"1 5 de "tembro Sr. D
EXTRAORDINARIO
MAGESTOSO SALO
IMaraiibo e Para,
Segu com brevidade o valeiro brigue escuna
Graciosa, capitao Antonio Mua da Coitaa
Silva, por ler j .Iguma caraa pera ambos o
porloa : para o reslo trata-se com o consignaiario
Antonio da Almeida Goma, raa da Cruz n. 27
i5i ti
DO
PALACETE DA RITA DAPRAIA.
Sabbado 6, em festejo do dia
7 de setembro.
Haver neste dia um sumpluo.o baile. Sero
empregados os meios para que cortespouda a
sumptuusidade e grandezi dpsi dia.
A msica exerutar oHYMNO NACIONAL
antes de principiar o baile, e ous inlervallo* da
quadrilha haverao algumaa danaaa tiguradaa, por
pessoas que a isto se uresiam gratuitamente com
O nico Om de toroarem o baile mais brilhsnte.
Sara manlida a boa ordem e observadas es dia-
do regulameoto
segu brevemenu o hiate cEttialtc j lera
algum a crga para o rest.. e p.ag-iro. 'a tratar
na ra da Cadeia do Recite o. 58, prin.eiro andar.
O Dr. TrstSo de Alencar Araripe, oflicial da im- '
perial ordera da Rosa e juiz especial do com
Miaoel Porfirio de Castro Araujo,
Capitocoromandaato.
De ordem do Ulna Sr. inspector da thesou-
rana de razeada desta proviocia se faz publico
que teado havHo engao as materias aonun-
ciadaa no da 28 de agosto prximo Ando para
os exames de pralicanies da alfaodega desta maa-
ma provincia, sao ellas as exigidas no art. 7* as
ostrurcoes de 3 de margo do correte anno a
saber : leitura. analyse gramnatical e orthoera-
Pbia, traduccao correte daa iioguas ingleza e
irancezsou aHo menos da ultima, arilhmeiica a
uaa applica^oe. at a theeria daa proporres in-
clusive. S-cretaria da theaouraria 4 fazanda
ae ternambuco 5 de aeteasbro de 1861.Ser-
linee deofflcial maior, Manol Jos Piolo.
Acham-se recolhidos casa de detenco, a
ordem desta subdelegada, os esrravos legislte*:
liloy. pardo, escravo de Pedro de Oliveira Coe-
ln j. residente no Rio
approvado
chefe de polica.
Entrada para 'lamas eraija
pelo Illm.
Savalleiro9 2j}.
-os fmariUrsBOS..
r-..-. v.wwu ua hujj c juia e "e Janeiro, recolhido em
mercio desta cidada do Rcife de Pernambuco I, ae u'uoro de 1861. Joo. pardo, escravo de
Leoncio Cavalcanti de Albuquerque, recolhido
em o de agosto prximo pessto. Joo. eacravo
doi deaambargaaor Maooel Ignacio Accioly, reco-
mido em 27 de agosto prximo patssdo.
Sabdalrgacia da freguis de Santo Antonio do
Recite 4 de agosto de 18620 aubielegado,
Mnoel Antonio da Jess Janior.
Publicacoes pedido
A saber:
Existen!....... 319 >
Nacjonaes..... 217
Mulhere...... 2
Estrangeiros .. 29
Lscravos...... 63
Escravas...... 8
Total........ 319
a custa dos cofres provin-
do dia .
135
iotermit-
Alimentadoi
caes. .
Movimento da enfermara
leve baixa :
Juaquim, escravo de Vicente da Gala
lente.
Te ve alta :
Rila, esersva dos herdeiro. de Viclor Pareira
falco.
P9sageiroa do brigue nacional Damao, vin-
du do Rio de Janeiro : Msnoel da Silva e Joo
Pereira.
Ptssageiros do hiate nacional Sania Anna,
sillico para o Aracaly .-Eduardo Francisco Va-
lente e CamiHo Brasniense H. Civalcanii.
Passageiros do vapor nacioual Mamangua-
pe, S'lii'io para Macei e pnrtos intermedios:
Carlos Pereita de Burgos, Jos Flix Pereira de
Bu-goa e 1 criado, Mauoel da Rocha Hollaoda
C->vaicanti e 1 criado, Jos ouc,ales Malveira,
Jos Gonjalvea Loarenco, Philauetihto Americo
de Lima, Maooel Torre. Temporal e sua Olba,
Francisco Pereira de Lyr, sua .enbora, 4 Olhoa
e2e8craos, Maooel Jos Tapanca. Domingo.
Jos da Souza, Severlano Rabello de Mello, Can-
dido Fraucisco Soares, Joaquim, escravo de An-
tonio Jos Duarte da Silva Braga, Joaquim Leite
da Costa Belm e 1 criado, Rodolpho Candido
Rodrigues. Fortunato Jos Marques, 1 lilho e 1
escravo, Manoel Joaquim dos Sntos, soldado do
Ia batalno de intsntaria e sut senhora, Antonio
Farreira Prado, Manoel Eugenio Teixeira Lima,
Jjaqutm Accioli Los e 1 meoor, Antonio Euze-
b;o da Siiveira, Joaquim da Azevedo Mate, Joe
Joaquim Karla de Maitoa.
Mataoouro pubuoo :
Mat.ram-se para o coosumo desta cidade no
o :ia 4 corrente 48 reze..
No dia 5-63 ditas.
Obituario do da 5 de setembro, no ck-
ITBIIIO PUBLICO.
Francisco. Pernambuco, 45 annos, solteiro, es-
cravo. Boa,Vista ; hydropesia.
Daria, Pernambuco, 1 miz, S. Jos; losae con-
vulsa.
Custodio de tal, 28 anoos, solteiro, Recite ; ana-
zarc.
ilra prvulo encontrado no porta da igreja da
Saota Cruz, 8mezes, Boa-Vista ; espasmo.
Antonio Vital da Oliveira, Rio de Janeiro, 63 an-
nos, casado, Santo Antonio ; pneumona.
Joo Padre Luff. Allemenha, 85 aono, viuvo,
Boa-Viata ; apoolexia.
Joao Climaco da Hagaihes Bastos, Pernambuco,
18 annos, solteiro. Boa Vala ; varilas.
Victoria*, frica, 50 anno, olleira, escravo, S.
Jos ; congeato cerebral.
Mil Iouvores sejam dados ao aubdelegado
da freguezia de S. Jos pela acertada oomeaco
de inspector do primetro quarteiro o cidaoo Pe-
dro Chry.o.tomo da Cuuba, qae sempre tem
cumprido os deveres deste cargo, acodiodo a
qualquer chamado para policiar nao s em seu
quarletro como em oulros, e ronjando al de
manha.
No lugar da Cabanga que continuadamente ha-
via disturbio, hoje est um paraizo, porque este
iucansavftl inspector Do se tem poupado da ron-
dar este lugar, como tarabem que os moradores
roodem uos ios oulros. J acabou tambera com
o abuso das pretas de ns;o alravessadoras de
genero de piimeira necessidade, que tanto mal
fazia aos moradores desta a de outros lugares,
nao se poda comprar cousa alguma aosaimocre-
ves, porque as ditas pretas nao consenlum : om-
Gm j se i le transitar sera susto neste lugar a
quaquer hora da noite, devemos isto aquelle,
llusire iospeclor.
Pedimos ao subdelegado desta freguezia de S.
Jos que conserve em outros quarleiroes, inspec-
tores que saiam cumprir os seus deveres, como
o Sr. Pedro Chiysostomo da Cunts.
Recite, 5 de setembro de 1562.

GOJMMKJMcCfiO.
(CJUIM ItUUU
DO
Banco do Brasil.
A cala filial deaeonta letras com praso at
qualro mezes a 10 0,0, as do seu proprio aceite
a 9 0(0, toma dinheiro a juros em coota carre-
te, oa por letraa a 7 0|0 ao anoo, e sacca so par
a curtos prasot, sobre o banco do Brasil.
Caixa filial 26 de agosto de 1662.
Francisco Joo de Barros.
Secretario.
t*raca o ttecife 5 de
setembro de 1862.
\s qualro horas da Urde.
Colaces da janta de corretores.
Nao houveram cola?6ea.
}. da Cruz Macedopresidente
Jobn Gatisaecretorio.
afiandef.
f.ui:!::.(i do da 1 a 4 .
Idum da da 5 .
72:06fij895
17 390J739
89:457631
e seu termo, por Sua Mag.slade Imperial, qua
Deus guarde, etc.
Fajo saber aos que o presente edita I virem e
delle noticia tiverem, que acha -se oberta a fallen-
ca de Joo Jos de Fgueiredo, pela seui-u;a
do theor seguinte :
Venlo-se da petjeie a fl. 2, que o comraer-
ctsnte Jo3o Jos de Fgueiredo acha-86 em esta-
do de Insolvencia, hei por declarada a sua fa-
lencia k datar do dia 18 do correte mez, e orde-
no que em lodos os bens, livros e papis do fal-
lido se ponham selhs na forma da lei, e qe por
editaesseja a mssraa falleocia publicada.
Para curadores Qscaes nomeio os credores Joao
Keller & C. e Anloaio Jos Loa! Reis. que pres
tarao juramento, e aQm de se nomear depositario
sejam os credores coovocados para o dia 29 do
corrente mez, pelas 3 horas da tarde.
Recife 27 de agito de 1862.Tristo de Alen-
car Araripe.
E mais se nao conlinha em em dita
oulros
|5 preen-
yer Car
Moviuento dtt alfansfegiai.
Velarecr. antrados aomfazenda...
* tota ganaros..
Vleme, ahido aom fazanda...
t com gneros..
134
== 134
90
607
== 697
Destarregtm no dia 6 de setembro.
Barca americanaAzeli.farinha.
Patacho portaguezJareomafcadorias.
Brigue heapanholThemoteo II vnoos.
Barca ioglezaCsrolmebacalhao.
Iniportayao.
Patacho nacional bom Jess, vindo do
Rio
-
orrespondencias
Sr$. Redactores ua Revista Diaria.Anda aob
t dolorou impresso do roubo, que solTri na
Graode do Sul, consgnalo a Barlholomeu Lou-
renro. manifestou o segaiute :
9,085 arrobas de carne seces de charque, 200
ditas de graxa em bexig*., 40 ditas de sabo em
rama, 40 coaros vaccuos seceos e 8 saceos com
40 arrobas da colla ; a ordem.
Barca ingleza Carolint, viuda de Ariehat.con-
aignada a Saundars Brothers & C. manifestou o
segu o le :
2016 barricas bacalhao ; aos mesmos.
Kxportac&o
Do dia 2 de setembro de 1862.
Brigne-escuna inglez 'ante Packet, pare o
Macei, carregaram
sentones
aqu mu bem e fielmeole transcripta e copiada,
em subaituifo de Joao Kellar & C. qoe nao
aceita rara a curadora fiscal, assim coi
qua igualmente foram nomeados, acha-j
cbilo este lugar pelos credores Dama)
Oeiro & C. *
Epara que l-'nha lugar a oomeaco d
tario da referida maasa, conforme j f<
oilaado pela senteng* suppra, o c
pelo presente todos os credores da me
fallencia comparecerem na sala dos a
no da 6 do corrente mez, s 2 horas da
O pnuenie ser publicado pela impren.a, e af-
flxa lo na forma do esiylo, afim de que poua che-
gar ao conhecimento de todos,
Cidade do Racife de Pernambuco, 4 de setem-
bro dn 1862.
Eu Adoipho Liberato Pereira de Oliveira, cs-
crevente juramentado o escrevi.
Eu Manoel Mara Rodrigues do Nsscimento,
earrivo o aub9crevj.
O Dr. Tristo de Alencar Araripe, oflicial da im-
perial ordem da Rosa, ejuiz especial do com-
mercio desta cidade do Recife de Pernambuco e
seu termo, por Sua Magestsde Imperial, que
Deus guarde, etc.
Fago saber aos que o presente edital virem e
delle noticia tiverem, qoe acha-se aberla a fal-
lencia 'le Carlos Joa Asiley {Companhia, pela
senteoga do theor seguioie:
Vendo-ae da pslico a fl. 2, qae os comraer-
ciantes matriclalos Carlos Jos Aat'ey 4 Com-
panhia apreseotarara-.e o declararan! achar-.e
em estado da insolvencia, cessandoos seu. paga-
mentos, hei por a berta a falleacia doa ditos com-
mercianlea, cujo termo legal dalo de hootem : e
assim ordeno que era tolos os beas, livros e pa-
pis dos fallidos se pontiam sellos, segundo de-
termina a lei, e que a fallencia sa publique por
editaes.
Psra o r-:g i de curadores fiscaes da massa fal-
lida nomeio o credores Hennque Gibson e Krab-
be Thora & Companhia, que prestaro juramen-
to ; e aliin de ae nomear depositario aejam os
credores convocados para o da 3 do mez prxi-
mo futuro, s 12 horas da manha, na sala das
audiencias.
Recife 39 de agosto de 1862.Trlslao de Alen-
c-.r Araripe.
E mais senjo conlinha em dita senten;a aqui
transcripta ; a nao tendo aceitado a nomeacio
de carador o referido credor lL'orique Gibso,
deixou de ler lug-.r a reunan dos credores oo dia
cima designado, oque lera lugar no dia 6 do
correle mez. ao meio da, na sala dos audito-
rios, tendo sido nomealo curadores em seu lagar
os credors Rabe Schartelteau & C.
E para que a presante chegue so conhecimen-
to de todos, ser publicado pela imprensa e affi-
xado na forma do estylo.
Cidade oo Recifw 4 "de setembro de 18R2.
Eu Adolpho Liberto Pereira de Oliveira, cs-
crevente juramentado o eserevi.
Eu Msnoel Mara Rerigues do Nascimento,
esenvo o subscrevi.
Tiislo de Alencar Araripe.
O Dr. Trislao de Alencar Araripe, oflicial da im-
perial ordem da Rosa e juiz de direito especial
do commercio desla cidade do Recife e seu ter-
mo, capital da provincia de Pernambuco por
S. M. I. e C. o Sr. D. Pedro II, a quem 'Deus
guarde etc.
Fogo saber pelo presente que no dis 15 de se-
tembro do corrente anno se ho de arrematar por
venda a quem mal. der, em praga deste juizo,
depois da audiencia respectiva, o. escravos se-
guinies : Eugenio, de idade de 40 e tantos annos
pooco mais ou menos, com oflicio de alstate,
avallado em 600J, e Athanaaio. de idade de 40
anno. pouco mais ou menos, com officio de a-
patei
cen
por axecucio qua contra o mesmo encaminhara
Leandro & Miranda, e na MU de licitante, sero
arremtalos pelo prego da adjudicaco com o
ebstimeoto respectivo da lei.
E para que ebegae a noticia a qom convier
mande! passar ediiaes, que serao .Airados nos
log-res do cosame e publicados pela imprensa,
lado e passsdo cesta ci lade do Recife de Per-
namouco, ao. I de aetembro de 1862 41 da In-
dependencia e do imperio do Brasil. '
Ea, Joo Vicente de Torres Bandeirs. escrivo
intarioo o subscrevi.
Iasp$co do arseaal de ms
rioha.
F.z-se publico qua a commissao de peritos
Oestearetnal, examinando na forma determinada
no regulamenlo acorooanh.ndo o dacr.to n. 1324
le 5 de fevereiro de 1654, oa cascos, machina.,
appareli.os, maatreaco. veame, amarras e anco-
ras dos vaporea Camaraaibe a J.guaribe, das
compauhlaa V.filaue e Cjrr.par.hla, achou lodoa
esses oO]ectos em regular estado.
lospeccio do arsenal de manaba de Pernam-
Duco o de setembo de 1862
M. A. Baroosa de Almeida.
Inspector.
. CORREIO.
r-la .dmioistragao do crrete desta cilale se
taz publico que hoje (6) s 3 horas da larde em
pomo, fechar se hao as malas que davecontuilr
o v._pur costal ro Jiguaribes oora oeslino s pro-
vincia, da P.r.h.ba, R,o Graude do Norle, Ceai
e portos intermadio..
Correio.
.A* ,m que ,0m de coniuzir o palhabote na-
cional| Pjed.de para o A.- e Fernando sero
fechada, hoje (6) ao meio di..
Collectoria provincial de
Olind.
O colleclor de rendas provinciaes de Olinda
manda fazer publico pelo presente aos c>otri
buimes dos impostos langaios. que no dia 30 do
correle se encerrar o exercicio da 1861 1862
e que, quem deixar de pagar at es. oia as suas
conlribuigo.. t-r de o faiec de oulubro ero dian-
le com guia do juizo dos feioa ; faz tambero
constar que d expediente tndoa os dia. uteis na
ra do Amp.ro sobrado ti. 42 o ultimo, seguindo
para a ra dos Galos, do lado esquerdo.
c.'''PClor provincial de Olinda 1 de setembro
de 1862.O escrivo, Joo Goncalves Rodrigues
rranga.
Por ordera do Illm. Sr. inspector declaro
que cou transferida pra o dia 5 do corrente a
venda em leilio lo escaler e laucha da e.cuoa
Ltnioya, anoanci.da para hoje.
ac'".-ff de Pern,,tDbco 2 de setembro de
loba.O 2.' escriplurario,
Manmiaoo Francisco P. Duarle.
Conselho adiBBisliative.
O conselho administrativo, para forneciraento
do arsenal de guerra, tem de comprar os objectos
seguintes:
Para o hospital.
50 cnlches de panno de linho com enchemen-
lo de laa com 9 palmos de comprimento e 8 de
largura.
50 Iravesseiros da panno de linho cheios de
laa. com tres palmo de comprimento.
Quero quizer vender lees objectos aprsenle as
suas propostas em carta fchala, na secretaria do
conselho. s 10 horas da manha do dia 6 do
corrente mez.
Sala das sessoe. do conselho dminislrativo
para fornecimprito do arsenal da guerra. I de
setembro de 1862.
Antonio Pedro de S Barreto,
Coronel presidente.
Francisco Joaquim Pereira Lobo,
Coronel vogal secretario interino.
Janeiro.
O veleiro hiate Novae? segu com breiid.de
recebe alguma carga i frete : trata se com o. con-
signatarios Marque, Barro. & C, lugo do Corno
Santo o. 6.
a
Um sof', 2 consolos, 6 cadeiras e tima
mesa de Jacaranda', um guarda ves-
tido, um tocador, 1 lavatorio e 1 me-
sinlia de mogno, i cama francesa, 1
apparador, 1 marqueza, i mesa re-
donda, 1 commoda e 6 cadeiras de
ainarello, quadros, 2 jarros, 1 can-
dieiro de gaz, 2 escarradeiras, al-
ma louca e outros objectos.
Quarta-feira 10 do corrente.
O aEenie Piolo far lailo por ronla de urna
pe.vsoa que reiira-.e desta proviocia dos objec-
tos cima mencionad"* existentes no primeiro
andar do sobrado n. 17 da ra da Cruz, onde se
i effectuar o leilao s 11 horas do da cima men-
cionado.
IgU-
Rio de Janeiro,
pretende seguir com muita brevldada o veleiro a
bam conhecido patacho nacional oCapuan, ca-
pitao Thotooio Joa da Silva R.isa, tem parta
?i? MrrefmeDto prompto : para o reato qaa
lhe falto, treta-sacomo. tea. f;uiiignstrioa An-
onio Luiz da Oliveira Azevedo tt C.
riptorio, raa da Cruz n. 1.
Um sobrado
Sabbado 6 do corrente.
O agente Pinto farl-ilo s 10 horas do dit
cima mencionad do subr.do da uro andar e
soiao n. 4 sito na ra do Calabiugo, em ch.los
proprio, o qual tern mullos c. mmodos e rende
600.3 aonaaes, em seu escriplorio ra da Cadeia
n. 9.
no seu ea-
Pretende seguir com maita brevidade para
Rio da Janeiro o veleiro o bem conhecido brisas
oarjo.ni Alrriraoieu, im paria de aeu crre^a-
r.ieoto prompto ; para o reslo qae Ih falta, tra-
ta-a com oa aeusconaignalri(.s Antonio Luix da
Oliveira Azevedo, no s*a asiriptorio ra da Cras
oaraero 1.
a
MEA
ah
ma
eom muita brevidade pretenda eauir o bent co-
nhecido veleiro brigua escuna Jovan Artbur
aatoa,
para o
capitn Joaquim Antonio Connives dos Si
t*m parta de su carragam<.'nto promplo ;
resto qup lhe falta, tratase com oa s.us consip-
natarios Antonio Luiz de Oliveira Azsvedo & C.
no aeu ascriptorio ra da Cruz n. 1.
COMPANHIA PERXAMBUCANA
DI
Nvegai;o costeira a vapor.
Parahiba, Natal, Macau, Aracaty, Cea-
i, Acaracu' e Gtanja.
O vapor Ja*usrtbe>, commandanta Lobato,
aahr para os porto, do norte ala o da Granja,
no da 6 de selerr.bro as 4 hora, da t.rda.
Recebe carga at o da 5. Eneoo.mendas, pas-
sageiros e dinheiro a frete at as 3 horas do dia
la sohida. Escriptorio no Fort do Matto.
mero 1.
Sebo, graxa eazei-
te de Pafana.
O agente Almei la far leilio t reqaerimenlo
do dep.silario da maesa fallida de Joqoim Fran-
cisco de Mello Santos p aotariaacSo da lltm. Sr.
Sr. Dr. juiz especial do c 'mmerr.io. de 230 bar-
ra com sebo, 121 vnlumes <-om graxa, 198 ban-
do- 1o Celm ..m(j ) ;0
um resto de azeite de Palma
raeama massa.
Tersa-feira 9 to corrente.
Oleilo fr 1-igsr na fabrica do fallido Mel-
Santos. era l-o-a de P .ra. n. 2
a-I"-, urna ipa e
tu'o pertencente a
lo
LEILAO

Sabhado 6 do corr^te.
O agente Pinto far leilio as 10 horas do dia
cima meocionado do sobrado de um andar com
4 lejas, sendo urna na frente e tres no oit, sito
na ra da unala n. 104. o qual loma-10 mui
recommendav^l P(| grande rendimpnto
era seu escriptorl na da Cadeia p. ;.
annufl
LEILIO
UM TEtRENO.
Sabbado 6 do corrente.
O agente Pinto far le.lo s 10 horas do dia
cima mencionado de um lerreno o estrada do
Luiz do Reg eom 60 palmos de freeia e uBla
casa de laipa com 3 palmos roo terreno, em aeu cacnpiurio ra da Cadeia nu-
mero 9.
nu-
i\
/i
X*-'PJ.^ia.j-i. al m
Por est.'s dias segu para o Aracaly o hiale
Santa Rita, mestrs Joaquim Antonio Figueire-
a tratar com Taaso Irmaoa.
Sabbado 6
do corrente
em ponto.
as 11 hora*
Oo
THEATRO
DE
.'Y
m
Domingo, 7 de Setembro.
Grande gala.
Festejo do aBDiversarift da inde-
pendencia do Brasil.
eiro, avallado em 500, o. quaes ao'perten- Represenla^iao J vrica e dramtica.
tes a Jos Thomaz de Aguiar, e vao a praga Logo' qie 5. Ex.-, o Sr. presdeme da provin-
cia se dignir comparecer na tribuna, dar prin-
Trislao de Alencar Araripe.
' uira'd.
Consolado provincial.
Pela mesa do consulado proviocial se avisa .o*
Jomes Ryder & C- 800 saceos com 4,000 orro- devedores do imposto da dacima urbana de 20
bai de asiucar. qjO obre o consumo de agurdenle, de 4*oiO o-
cipio ao espectculo
0 livmno nacional
cantado pela Sra. Corbari e respondido por todo
i companhia, perante a efBgie de S. M. Impe-
rial.
Seguir se-ha
em cinco setos.
a represente;o do bello drama
DI BEIJDSTICEIRO
ou
AIDADO MINISTRO.
Para maior brilhaotismo do festej >, no Bm do
primeiro acto os Srs. Bell e Romeado eiecuts-
rao o grande duelo da opera OS PURITANOS, do
maestro Bellioi.
COMPANHIA BRASILEIRA
DE
Espera-se dos portos do sul at o dia 13 do
corrente o vapor Crusetrodo Sul, commandante
o capitao de mar e guerra Gervazio Mancebo, o
qual depois da demora do costume seguir para
os portos do norte.
Desdo j recebem-se passageiros e engaja-se
a carga qua o vapor poder conduzir a qual deva-
r ssr embarcada no dia da sua chegada, en-
commendas e dinheiro a treta at o dia da sabi-
da as 2 horas: agencia roa da Crut n. 1 as-
criptorio de Antonio Luiz de Oliveira Azevedo
& C.
Krsbbe, Thom tV G.
rjao do agente Pinto e
periencer de cerca le 40 izas e 8 barricas"com
cervfja branca e preta de muilo boa qualidada ;
no di e hora cima mencionado em
torio ruado Trapicha n. 17.
faro leilo por intervpn-
por conta e risco le quem
eu escrip-
, r
COMPANHIA BRASILEIRA
MUDimil TiPJDl.
E' esperado dos portas do norte al o dia 17
do correte, o vapor aTJpcantins, commandante
o primeiro lente Pedjro Hyppolito Duarte, o
qual depois da demora o costume seguir para
os portos do sul. \
Desde j recebem-se rAaesaizeiroa, a engaja-se
a carga que o vapor podejr conduzir, a qual deva-
r ser ambareada no dio ae sua chegata : dinbsi-
ro a frete e entumme-uu^a. aU o dia a .anida aa
2 hora, da tarde : agencia ra da Cruz n. 1,
escriptorio de Antonio Lhz de Oliveira Azeve-
do & G.
G&AsSDE
Laboratorio a vapor
DE
Roupa lavada e engorumaia
de Ramos & C.
Podem mandar bascar a rnepa lavad* os donos
dos nmeros spjrui>.tes : 71 t'JI 40 QQ lo fl
121 3 223. 6. 218 1. 1. 73. 201. 21.? 175 lS
Sf-^*14- ,7, 187 10S *. 6. 1*. 6 ,43
105. 183 131 21 -25 145 '
Pcro U'y'tvn fo lo ie" io e aTud r
celebrar ao da t-rca-feira 9 do correte,
s 8 1|2 hera da manha, no convenio dos
religiosos carmelitas, urna missa pela al-
ma de seu narto pae, pede a seus mu
dignos lentes, amigos e collegas ae dipnea*
honrar cm a sua preseac* ee sclo,
qe lh-s flear ele'naaanie grato.
pelo
Sc*-se
sobre L:sbos ePuito; na rus do Vicario n. 9
pnm-iro andar, escripiorio de Carvalho Nouet-
ra& C.
Nojaizoda pro'eona dua reziduo., linda
a audiencia, sa proceder, porta na sala daa
audiencias, a arreoiatego por venia de um boi,
m cavallo e Irea eabraa aporehendidas como
bens de evento, no da 6 oo crreme mez.
O eacmo,
Galdlno Terristo'-les Ctbral da Vasconcelos.
Aiugarii-se as casas Ierre-, o. 9 e 15 da
ra Beila : a tratar na raa larga de Rosario nu-
mero 44.


\
4


UkiO D
S BB'.D 01 SETEMBRO E 184:
'
'. $&3$fj
: ;
I"
- \
-
m*
franceza del

...,.-.,.....^... __ ...^ r
N!4B
IPadaria
| forno mechanico, |
NICO NA PROVINCIA g
50-/iua da /mp6rain--50$
@ A psdsrts fraoceza sita n ra da Im- @
fj peralrix a. 50, sontinua aob a adminis-
f tragao da viura Barrellier e alli baver .
^ todo* oa diaa : ?5
^ Pal quente de leite s 6 horaa da lar- V.
, de para tomar com cb do dia SI do cor- j
2 renta em diante.
$ Bolachas de todos os lmannos e qaa- vf:
& lidaoes, a
ff Biscoutos doces aguados e de todas W
<3 as qualidades. $J
0A Bulachichas da araruta doces e olea- U
das. %*
t$S Bolos franeezes. fi
g Fatua doces. j.
Pao commum das melhoras farinhas 2
V do mercado. t5
|jj| Preparsm-se bandejas de todos os ta- a
t nianbuj com bolos de toJns as qualida- g?
* dea a tado Iseo por prego conimodos. w
$y A referida palana trabalha em um fJ
^s (orno mechanico asaas drapenaioso e >.
oleo ns provincia O jo, qie delle w
f9 sahe o mais limpo, puro e de melhor @>
#j gosto bem assim aa bolachas e tudo o f-%
mais. O (orno tem m aaaeio notavel e Si
o pao cosido com muito poaca lenba w
-*! e aem haver cori>munic<;ao com esta' @
a oa aa bases, sendo wor iaso qu* nao se g
2 encontra o menor fragmento de emito 2
^g> uo paoe n-.a massas que elle coslnha. q&
Precisa-se de una ama que seiba engor-
m" e 0lIn"r: a tratar no bacco da Liouoeta
10. primeifo nUr.
Lembra-se ao Sr. J. F. de B. R que mande
pagar letras vencidss em marco, abril, malo
e julbo de 1861, visto at boje o dilo sensor nao
Li* roenor eerlea que tm re
ceb.d.. tenio desde junho de 186I Andado ai re-
lacoos com o se credor
~~ "reci-se d um rapaz portuguez. de 14
1* anuos, para cixlro de t.berns, da qual j
tenha ortica ; a trat,r nn pat0 do T,r^, j-g
Precia* ae de 3:000 a pr.roio eoDre bypo-
theca etn tres eiaas Urroas neata cidade : a ira-
t.r na raa do Destiuo n. 25, daa 6 s 9 horas da
manhaa.
O 8r. saludante Guilherme Amazonas de S
jem urna certa vindi do Para, ro ascriptorio de
Mansel Igoacis de Olireir & Filho, largo do
Corpo Santo n. 19.
AluRam-se daas casas na ilha de Bemflca,
antea da Ponte da Passagem, a primeira de t40f
por anno, enm 8 qaartoe, qitintal, cacimba, etc.,
a segunda com 5 quarlos, d 159*. a primara de
n. 10 C. a segunda da n. 10 A : quem em lempo
ae quizar prevenir de dus ciaaa embelUscon-
dicos para o vera, e de prej barato, pide tra-
tar na ra estrpita do Rosario n. 4.
Peda-se ao Illaj. Sr. colleclor das decimas sua
alinelo para oa prego cima, por nao se querer
ciintinntr a pagar na rsio de mais. Sobrs o que
se protesta, e j ae reclamou.
Sori-mento complet desobrecasacos de panno a 25fl, 288, 30 e 35$, casacas muilo bem
feitas a 25, 28, 30, e 358, piletots acasteados de panno preto de 16 at 25, ditos de casemira ;
decora 15, 18e 20, piletois saceos de panno a casemira de 8 al 14, ditos saceos da alpaca,
merino e la de 43 al 6, sobre de alpaca e marin de 75 al 10, calcas pretas de casemira de !
W> al 14. ditas de cor de 7g at 103?, roupas para menino de todos os tamangos, grande sorti- j
roenlo de roupasde brinscomo sejam calcas, palelols e colletes sortimento de colletes pretos de'
met in, casemira e velludo da i a 9, ditos para casamento a 59 e 6, paletots lira neos de bra-
maran a 43 e 53?, caljas branets limito finas a 5, e um grande sortimento da fazendas finase mo-
dernas, complet. soriiraenlo da casemiras inglezas para horaem, menino e senhora, seroulas de
ilnho e ligodan, chapis d- sol de seda, luvas de seda de Jouvin para horaem e senhora. Te-
mos umt grande fabrica da alfaiate orne recebiraos encoraraendas de grandes obras, que para
u;o esi sendo admini-tnda por um hat.il raesire de semelhante arle e um pessoal do mais de
cincuenta obre'ros e^colhidos, portanto execulamos qualiuer obra com promplidaoe mais barata
po queem outra qualquer casa.
Para o Ki > Grurte do Norte e
Ass.
CuDsulturjuritiii;
ou
Manual de apontamentos
en tortn^ de diccionario, sobre varios
pontos de direito patrio, etc., etc. j Admireiu-Sts 6 sfiproveiteEif-se
Acib' .1* ebegar d i Rio da Janiro esta obr,
A barcada Uiiao do Norte segu para oa por-
tas referidos at o dia 10 do corrent* ; para car-
ga, trala-se com Jolj da Gunh* Mngalhes, ra
da Cariei* n. 54.
ltimamente pu"lica li, e veode-M na livraria
ecooom c- anta ao arco de Smto \ntouio, 1 vo-1
Iuik por 7j
Oilerecem-se Soui Po aiministra tor .le eoeuho. eo'nro para feitor dos i
mismos eatibt-l^cimtotospor diata tere-a as ba- !
.bilitag"! necesarias; portan'o quem seu
ipreslimo a q pie N. S. da Liz, termo de Pao a'Alho, mi* d^ !
CfAnt i iio lil..ro Gitnjs la Sil", qu* ffchirs com
t\'im Ir.Ur ; istu tu^S'no puri iota da provincia,
T-Lftr o 'ip^ icio qm ae ras|ra>n por suas cou- ;
| V. .r,..,, n)4ll i.),iti |n.
*' U iiiiiu a-ina iu, vtulo no tDiarlodel
erVrti lol qual imi A uJ'.T'eWo nodia6 4ima ca de .
c,lp.i na estrada Jo Luiz do Re "fu-anoi visa aajfeloj oa comorr-uts a esse ac-1
]e nao facao n-'^o.-o algem s.b.;e a dita
Retratos de anl'olypo a 1 um ; njj-ftiais acre-
ditala esntiiia otlicma d photographia deata ci-
dade, na ra do Cab^g n. 18, ontrada pelo ps-
teo da matrw.
Attencao e eco o o-
Antonio Franciaco Torrea Junior, residente
em Campos, e Joaqol'n Franciscn Torrea m cjda-
de do Rio de Janeire, annunciam que tt-ulo ex-
pirado o praso de pu ootrato social qu |iyrava
sobre a rma de Torrea lrmao, o cissolv^ram
aroigavelmente conforme a estVlptm de dtatrato
renistrada no tribunal do commercio nesla data.
Rio de Jannirn 21 de aeotio de 1862.
Aluga-se ama escmva cozinhira par* o ser-
vigo interno da casa : a trutar n> Solelade, prin-
ciuio rta eatr.da d* Joao F-rnn ts Vinira n 3S
A. S.halU-r & C n>uiuu o seu estriptorio
para a ra do Trapiche n. 17.
DA
E JUNTA CENTRAL DE HY6IENE PUBLICA
mhfht MEBIC1MAC
ELECTRO-MAGNTICAS EPISPASTICAS
Para serem applicadas s partes affectadas
sein resguardo nem incommodo
~s
Muito conbecidas nesla corta e em todas as i inconlestaval, e as innumaras curas completas,
provincias deste imperio pelos seus nMliveis re- obtidas as diversas molestias em que foram
silbados em todos os casos de inflammajo sajara applicadas, o fazera me ecer e con-ervar a
exurnas on internas ( com cansago t falta de confianza do Ilustrado publico, queja Uve a
respiraco ) como do estomago, figado, bago, honra de merecer delle 25 anuos de existencia e
bofes, rins, uiaro, peito, palpitado de corceo, de pratica.
garganta, olbos, erysrpelas, rheumatismos, para- V. D JVe-ta corte e de tod. s os pontos deste
lysia e todas as effecces nervosas, eic; etc. importo recebem-se participa{oes satisfactorias a
Igualmente para quesquer inchaQoes, feri- respailo dasdilas Chapas Medicinaes.
das. tumores iotetmaese venreos, escrophulas,
lobinhos, papos, etc., etc, sejam qual for o seu
As encommendas das provincias devera ser
dirigidas p-.r e-cripto, cora todo o cuidado de
ma.
Na rua da Cruz, sbralo n. 9, ni tuceiro an-
dar, aluga-se ama apagosa e Irnsca sala com sua
aleovs, independente do resto -"a casa, propria
para peasoa solteira, e des.jando contratar a co-
molorta, poder enten 1"r-s por urna e outra
couaa, co-n a familia que l mora, a qualqaer
hora do da.
Anda fgido perto de um mez o escravo An-
tonio, que deyer ter cincuenta o tanto* anuos de
idade, de nago Ansien, alto e magro, rosto ta-
Ihado, ten1o o olho eaquerdo tolo coberlo por
urna rande belide e os denles agvcados, pin-
tor, vidracciro, e entende algama cuaa de funi-
leiro, pelo qne nao se duvirta qua eeteja traba-
lhanio em alguma parle. Este escravo perttnce
aetualmenta massa (all.la de Francisco Antonio
Corma Cardoso, e por isso ro^.-se aoa aeubores
capues de enmpo, ou qualqui r pessoa que o ap-
prehander, o faor de o leeer rua do Brum ns.
82 e 84, que ser gratifcalo.
A pe^oa que ttvar urna cadeira de rbugo
em meio uso, e a quizer vender, dirija-se pra-
ga ila Boa Vu'.a n. 5. segundo andar.
Pr*cisa-se na coalureiraa ue aifaiue : no
paleo do Lmamenio n. 2"i. loja.
Precisa-se alagar la a ngra para comprar
o coiiohar para utua familia d duai pessoas ;
prefere-so eiciava : na rua do Csqo (bojf> da Paj)
auroero 12
taroanho e profundeza, por meio na suppur>c,ao fazer as necessarias explicagoes, se as chapas sao
serao radicalmente extirpados. para hornera, senhora, menino, ou crianga
( Estas Chapas nao podem fazer mal de declarando a molestia e em que parta do corpo
forma alguma, ellas tem sido applicadas aos existe.
olhrs com o melhor successo, vejm-se os attesta- Para inchac,oes, feddas, lobinhos, papos etc.;
idos de curas completas queja foram publicados o molde justo de seu t3manho em um peda$o de
I peloa jornaes ) pspel a declaragao onda exisle, afira de que a
O uso deltas acconselhado e receitadas por chapa seja da forma da parte, affectada, e para
habis e distinctos facultativos, sua eficacia ser bem applicada no seu lugar.
Pode-se mandar vir dt qualquer ponto do imperio do Brasil
SEGll\0A EDIftO
THESORO HOMEOPATUIGO
v.tde-urtcum lo homeopatha
pelo outor
fmm i. fmm.
aS3S^wjirts
todos os melhoram.ntoa, qa a experienria oa
prugrasso. da adasMa tem d.monatr.d A aZ '
va^diegao m tado ap.r,or t'^st ,^
1. Mais ampias noticia. ,cr, do ,,.,-
as mol.stiaa, com indicsC6s mal proreUo
loa madt.amento. novos recentement. ,w
RrTsi rop no Es*doa-Unidoaa
K e,D0,iS" d doatrina homeopattf..
3. O estado ds aproprisgao dos remedo, sa-
5,Dm I' P"edomiD'" dos temper/manto..
t*a atmospharics etc., te.
:0.nnun,'tcd'c,-b0 Dl"UD'1 "SXSSi a
irnaro (Mundo Noo] n. 6. Dto
Prego da cada exempl.r. S0000
N. B. O senhoraassignantes quairam man-
dar recaber seus eiemplares.
81 bMua da Crnz~\ 61
O Dr Rcha Basto W
d consultas lodosos dias.
Cura radical em pouco daa moles- 3
n,o.PhllU,M8 d0* ros Nto!. |
| wSS"d- mm a 8 M 9 hor" ** i
PEQUEO CURSO
DE
CHIMIC. AGRICOLi
POR
F. Malaguti.
.JiS.i,bra de Unla u"""d. para os nosso.
aRr cBltorea,e que tao apreciada tem sido no Ri
de laneiro, contina estar a venda .. I.vra!
ras dos Sra. Figueiroa e GHim.raea & Oveira
lVE!* **!.. rus estrena do*
As chapas serao acompanhadas das suas com-
petentes explicagoes, a tambam de todos os ac-
cesorios necessarios para suas applicagoes.
Consultas as pessoas que se dignarera hnra-
lo com a sua confianga, tedos os dias sem ex-
cepgao, das 9 horas da mnnh s 2 da tarde.
tu
csi. por juanto ella eaii ja'tcialmenlf sujaita
11 an lunciante para pgamelo f.\g\ bttmf-'
"l-tis e deca)a atrasad >s o e KJn toj J un .ru; existentes em poder oo m*amu n-
laote, e da senlenc pela qua aelw o o,
a de habitar na ao'ire.lia casa. \ j. .,,, a,i.
ast>antia feti a q>"S'|U<:r pussoas ^uaui olla
>r um pTrt\:j\ar olTrr-C'la por venda ou outro
egociu, com o qnl tenha dj tl^ar pr^judicado o
pnaociante. Hecife 5d-setmbro de 1862.
Aniooi Fra1 Clcn Xaier.
4 O Sr. Franciaco Ja Oa Costa que nirou ne '
ji > da Assem .a o. 1. queira tor a bondaiie ae
n inr.ltr yor est-i jornal a sua morada para se '
W enlrear ama carta.
O s-oiior procurador ou orres.on ienl- uo
ar. Joajui'u 'le S, morador no engnhu Jardim, !
. :iha i bon lade d annuncur a sua morada para
,'ser-lh onlr.'oe yma c*rl*.
Precisa-se i- nu-' l'ortUK*eirs qae quel-
y-tn, h.'mr le caiieiro em eu^eobo, e tr^taf de-
( "ia estribara, ni fr-'l?ll-Za d ElCada ; quem
i at si, dirija-se ao pleo Jo Tugo n.
.|!. 0 ru .I-' II i'taa n. 122.
,. i.-. .v
'!;':'#.*-,"i*":' '"
......
"
ESTRI^ DE FERRO
DO
Recife a Sao Francisco.
Abertura da 4' scelo ate a estadio'
gua Preta, no dia 7 rJe setembro,
iversario da independencia do im-!
o.
Grande redcelo nos precos das pas
mgens : os billietes de viagem slngela j
leverSo ser para ida e volta.
0> passageiros encontrarlo botis!
C.-ii as commodidales necessarias em !
nineleiraem cuja estaca) os trens na !
olta se demoraro expressamente.
Ira' no trem urna b m l,i de msica
larcial que tocara' durante o trajelo. !
grande trem que ieiB de conduzir !
os pas nartira' das Cinco Pontas as 7 horas a
iik'u da manhaa.
i P.ira mais commodidade do publico
c^s bilhetes destinados a estacao de Agua
afreta nesse'diaestarSo a venda desde ai
vespera nos escriptorios respectivos.
B*teribe.
Alugam-se tres zasan terreas novas no sitio do
Porto da Madeira, em B beribe, a beira do rio,
muito frescas, com o banho logo no fundo : quem
as pr-teiiler, .Hija-a- a rua llireita n. 69.
Sarua ^j goi o. il aiuxa se um eairovo
proi'tio p ra trahal^o deenxa.ia. x
Compauhia Fidelidude d+
guros martimos r terrus-
tres, estabelecida no Rio da
Janeiro com o capiUl te
16:000:000^
Agentes era Pernambuco
Antonio Luii d Oliira Azav.do & C. eomiMH
i-^temenle a-torisados pela directora da compa-
nMa de sngyroa Fidelidad', toman, seguros o a-
loa, marcadon.a predios, no su ucriplnrie.
rua ds Cruz n. 1. *
e&tMdjl de fe mo
Co
m urgencia.
iTFt
Precisa-se de700Ja juros por 5 mezes, hypo-
Ihecando-se urna ai melhores casas da villa da
lisiada, que rende por aluguel 129">00 mensu-
meule, que ficarao pelos juros da retenda quan-
lla, ten^n-se engeitado de diversas pessoas do
lunar 1:600} por v^nla : a tratar com o sachria-
tao da or.lerri terceira de S. F'ancisco.
No da 2 do torreiilt aahlo Oa casa de Jos
Mina G iiigaltes Vivir Guinares, na rua Nova
n. 49,0 preto Joaqun), de nacao Angola,para ga-
nhar na rua, que era seu costume, e nao vollo
-at hojn, levnu vp.lido caiga a camisa azul e Cha-
pen il (.alba. |olya se ter fuui.io.

ffl
reta no
- Alu^o a. o pl IUj^I IU flii.mi Oo s.iorn-iu i . 83
da rua ilo Pll ir com excell^n es coiimodos e
boa vista par 0 b'.rra a tratar no segundo an-
dar rto mearno
Na rua do Li*rani*nlu u. 29 urecisa-e oe
um ou iioos aprenaitea de sapateiro, forros o
i'scravos, fazeodo se a Conveniencia de no fim
oe quatro mezes pnucipiar-se o pagar um tanto
por emana.
Precisa-se fallar ao Sr. Manuel Franciaco da
Silva Prazo par* se lh-> entregar urna carta vio-
lto ie Gimnhuns: na rua D reita n. 127, segun-
do andar, das t s 8 Ja ujauba, erdss 2 s 4 da
tarde.
i 4.a ec .o at a est cao d'Agna
h 7 de setembro,
ANIVERSARIO DA INDEPENDENCIA DO IMPERIO
Grande redueco nos pr^osi das passagens oa bilhfiesdeiriagem ^ingela devero
ser para i !a evolt. Os passageiros encontrara o hoteis com as coaimcidades necessa-
rias em Gameleira, em cuja estaco os trens se demorarto expressuniente. Iruotrnn
urna ban ia de musct marcial, quu tocar durante o trajelo O gran le trem qne tem de
conduzir i s assaeiros nesse agl-adave] passeo, partir d s Cinco PunUs s.7 \\2 h r..s d
mnnhaa Ptir* mais commodipade do publico, os bilhet) destinados a estaco d'Agua
Preta, nesse dia, et-taro venda N. B.-~Nestedia o trem partir d'A^uf Preta urna hra nntesda marcada na tsbrlla,
para dar lagar a que os passageiros tenham tempo para descancar em G mellieira.
(Assignado.E. V Bramah, superintendente.
Offarece-ao um pequeo de uaue 15 minos
o qual sabe bem ler e eacrever, e leui aiguma
pratica dn negocio par qualquer estab-lecimen-
lo ; a Ir-tar na -u- Dir-ila n. 8.
Aluja se a loja do sobrado n. 2
da rua dos Martyrios, com OOmmodoS
para familia : na tliesouraria. Q^ loc
tetias. /
A
v

O abaixo asgnalo, eonhecido por X^cr. Bxi-
Ca.-tes do n.Mo eue.teg.nern.'que eal b
mu t0hP,r.1 StrVr b-80J SeUS f. e ver,u,
muto b.rato como e -je costume rendar muitoe
gvrihar P..U.-Q l-,f.,ci..f M.j^| rt> Sl,u,_v
AiuKa.e .u^ ca na raa Imperial i.2t3
rom fl.a. bo-a salas. 6 qoart,,,. rozirba fr,,
bom quintal com cacimba : a trat.r Da p),iaria
da rui Dir.ita n. 64. v
Nesta typograpla precisa-se l'A-
lar ao Sr. Manoel Ferreira d'Alxneida,
que mora na Casa Forte.
Sabbddo 20 do corrente mez, se ex
tnahira' a quinta parte da segunda lo-
tera do Gymuasio Pernambucano (3*
coiicossao; no consistorio da igreja de N.
S. do Kosario de Santo Antonio.
Os bilhetes e meioi bilhetes acham-se
a venda na respectiva thesouraria rua
do Crespo n. 15, e as casas commis-
/sionadas rua da Imperatriz loja de fer- I
ragens n. 44- do Sr. Pimentel, praca i
\da Independencia n. 22 loja do Sr. San- i
tos Vieira, rua Direita n. 3 botica do l
Sr. Chagas, e na rua da Cadeiado Re-
cife loja n. 45 do Sr. Porto.
As sortea de 5:000$ ate 10$ serao
pagas urna hora depois da extraocao,
o as outrss.no da immediato depois da
distribuicao das listas.
Servindode thesoureiro,
Jos' Kodrigues de Souza.
Na ru do Sal n. SI, alugi-se um eicraro
proorio para trabalbir da eaxaia.
Joao Joe o Eapitiio hanto, mora.ior em
Cruz de Almas, oa citae ds Victoria, comarca
de Smto Auto, avisa so rr-speitnvel publico e a
qualquer pessoa -m particular, que se acha livre
e exonerado do pagamento do importe de doaa
letras que ac-lioo no 1." de julbo prximo pasaa-
do a favor da J-- Fraooiaeo da Cunha l'eiros,
pagar a primeira uo.dia 31 da .ie?.embro do cor-
rente aono, da quantla igual quintia de 708000. p'gtr no altimo de
iunho d- 1863. provenientes o imposto do con-
sumo de aguordinle deste municiuio da Victoria,
com consta do papel de venda do mesrno enn-
smu, que ao armunciaote flzera dito Pedroaa,
uo referido dia 1." de julbo do torrente anno,
visto que elle IV Irosa aa acha inhabilitado essa
rrecadaco, em consequencia do annunrio pu-
blicado no Diario ne Perdarnbuco n. 180 d 6
de agosto aroiimo passado, em que o Sr. Paulino
Ro Ingues d*0!iveira fez setenta ao publico que
catsava ou revogava os poderes conalilutdoa '
seu bastante procurador Umbliuo B-odeirade'
Mello, morador -jue tra na villa da Encada, por'
haver o nonio Binieira fallecido, pnacipalroen-1
le porque uno Rindo Baodeira nao tioba poderes
esjeciaes para vender o couaumo desla munici-
pio, eos o illiisoiiamante vender aoja fallecido
enle Francisco Xavier Cavalcanti de Almeids,
e an mencionado Pedrosa, motivos estes, pelos
i'jai-s o annunciantu protesta nao pagar itaa le-
tras ro Sr. l'e iros., a nem to pouco a outra
qualquer qessoa que por ventura tenha recebido
ditos letras em transaegao. finalmente avisa
ao S- Pedrosa que oo praso de 8 dias, contados
da publicarlo do presente ana-mcio, I he tesiHua
dita letra, qu QelmeNte o aonuaaote f.r en-
tr>^a do mencionado papel cima referido, do
consumo da agurdente, por se achar nuilo ae-
melh arr*cadac6o de semelhanla imposto, e de coofor-
midade com o direito que astillo ao menciooado
Sr. Paulino Roirigues Oliveir. Ctdade da
Victoria 2 -i setnmbro O .- baixo assigoadu declara que tt-odo se de-
leiic-Tiinhado de seu poder um fica da qaantia
oe 218800, assignado a roo do Sr. Joa de Caa-
tro Redondo, datado de 25 -le julbo, a veocer-se
em 25 de novembro deste crrente, apparecendo
em outra mi, o oo pagua romo o meamo Sr.
Jos de Ca-tro Redundo ji foi avis>do, a por va
de duvidasfsz o presante. Becifeoe aelembro
de 1862.Francisco Beroirdo da Cuta.
ESTAC-OES.
Cinco Tontas ( partida]
Afoliados.............
Boa-Viagem.........
Prazeres ..............
Ilha..................
Villa do Cabo.........
It'Ojuca ..............
Olinda................
Timb Aas.........
Escoda...............
Frexeiras............
Arioib.............
Ribeiro...........
Gamelleira.........
Cuiambuca..........
Agua Preta ^chagadal
T!tr.\S PARA O INTERIOR
Dias de traballio
l>9 igciroa Jlcrcadonas Puaagr r< -
I. i. c 3. i- pMspgpi 1. -2. 3.
claasc. roa 2. e 3 classa. clasac.
NANHAA TAntlE TAROE
H M. 11 2 M 11. 5 N.
8
8 8 5 8
8 19 5 19
8 28 5 28
8 50 5i 50
9 j 3 36 6 5
9 20 3 51 _
9 34 4 11 __
9 47 4 29
10 _ 4 54 1
lii 28
10 48
11 9
11 30 _
11 49
12 10 ~
Duuiingiis e dias
.nulos
Passageiros 1. 2 > 3. ciaste
MANHAA
llura.
7
7
7
8
8
8
9
9
9
9
10
lo
10
11
II
Mo.
30
38
49
58
20
35
51
1
17
30
56
14
33
52
9
30
TAllUE
ll-.ras Mm.
8
19
28
50
PEOS BE BILHETES
Yiasrem de ida
ai>-r<
400 ra.
11900
l Sii'O
25700
33100
35'JOO
4>-'>l'0
5JIO0 a
58-00 i)
65000
6a5n0
7JOO0
7j>5O0
8>000
8*800
2.a
300 rs
900
13100
2$200
2J70>
3:00o
3g2O0
33400 b
33800
43000
4fS00 a
4:800
jOOO
53200
53600
3."
200 rs
500 b
600 b
13100
13100 b
13600
13900
23200
23500
2a800 v,
3JOO0
33200
33500 t
3800 b
4 3100
Viasrem de lila e volta

!
CLASSLS
1 2.a
600 rs. 500 rs.
18"0 IgOO
2cOOO b I56OO
45000 3g2o0
53000 43000
55800 b 4a5tO
7$000 3800
73700 53100
93000 53700
9j5M0 63000 B
10-3500 6*300 j>
113000 78200
115500 7J500 b
iSaOOO 8r000
133000 8j400
3."
300 rs
800
90
13700
23100
23400
2S900 b
3^300
35800 b
45200
4*500 b
4*800
5*200
f>8"00
6:200
A quem porteuce
A peio que se julgar preprietario do sitio Ja-
r, termo de Pomoal, provincia da Parahiba, a o
quit-r vender, dirija-* a rua da Mangaeira n.9,
Dairro d Boa-Vuta,
No da 9 do crrenle, peas II horas da ma-
nha, depois a audiencia ro Sr. Dr. juii de or
phaus, se bio de arramatar os alugueia do sobra-
do n 15, sito na rua do Vigirio, pela quantia de
l:2ol3 por anuo, pur quanlo e*l arrendado aa-
i.uaiuiente, cajo arreo incenlo er port-mpo de
tres auou. e vot a praca a requiirtmento de Ma-
ximiano Francieco Riguetra Dart, como lulor
da aeus liihos.
ESTAQUES.
Agua Preta (partida]..
Cuiambuca...........
Gamelleira,........
Ribr-iro.............
Aripib..............
Frexeiras............
Escada ..............
Timb Ass........
Olinda.............
Ipojuca ............
Villa do Csbo......
Ilha................
Prazeres ...........
Boa-Viagem.......
Afngados...........
Cinco Pontas (chegad
TRENS DO INTERIOR
Dias de trabalho
l'.ssageiro
1.8. c3-
ciaste.
MAillAA
II.
M.
35
5o
1
21
32
40
Merca ilor.d>
c passagei-
ros 2. e 3.
rl.is.si'.
manhXa
II. I M.
10
45
31
30
'ass^oir.is
1.4. cj.
classe.
TAKUE
H.
12
12
1
1
1
2
2
2
3
-3
3
3
4
4
4
4
M.
20
41
10
31
52
tai
,39
52
i
50
12
2i
32
40
Duiuiijsot* e dias
santos
Pa agtiros 1. 2. e3. ciaie
MANHAA
Horas
Mm.
5
20
42
51
2
10
TAllDK
lloras
Mi.
30
49
16
35
54
12
39
52
6
20
35
50
12
21
32
40
i-.. Q,yCBd8 sau aquellas em que devem partir e chegar os treos,
lagar essa puotualidade, e nem sera responsavel pelas demoras: comtudo. os treos
s meninos menores d.e 6 annos pagaro metade.
PRECOS DE lllllinis
Viasrem de ida
CLASSES
1." 2.a
1*000 rs 800 rs.
2*100 b 18500 b
2a80O 1*600 ,-
3*300 2*200 0
3&900 2*700
5*100 31*00
5*700 33800 a
6*200 > 43000
Sf8O0 44O0
7*i 'OO b 4S600
7*300 b 4j900
8*100 55300 .
83-ttK) 58OO 0
858OO 5*400
85800 58600
500 rs.
900
1*200
10100
1J700
2*000
2*300
2J500
2*700
2*8'10 b
3*100
3J5M0
38600 b
3,7800
4*100
Viaseni de ida e volta
CLASSES
1.a 2.a
18500 rs. 1200 rs
3*200 2c200
48200 23500 B
5*000 b 38300
6*000 4*000
78600 5*100
8*500 5*700
9ff30O 6*0: 0
IO3OOO B 6i?fi00
108500 a 6*900 b
10*700 a 7*40(1 b
1*8000 > 7*900
129*00 > 8*100 b
13*000 > 8*100
13*000 8*400
3.a
800 rs.
1*400 b
U800
2*100
25500
35000
3*400 b
3*800
4*200
4*200 b
4*700
5*200
5*400
5>700 a
6*200 >
mas a compauhna nao garante, que em todos os casos possa ter
nao parlirao daa estac.ea antes do tempo especificado.
Os bilhetes de ida e volta servem para 24 horaa ou 48 quando nellas se comprehendam domingoa ou dias santificados. O de primeira nes-
ae ultimo caso aervem para tres dias.
atara ,n"Rog'"M eQefftcidamente aos senhores passageiros que tragam sempre o dinheiro correspondente ao preco da viagem que tiverem do fazer,
para senao yerem por falta de troco as estacos oa contingencia de nao segutrem. sendo como certo que mais fcil lhes 6 traterem o dinheiro do
seu bilhetaiMa, do | /; terem indefinidamente troco nata darem a todos.
BAij.\i,n\-a E IASSAGEIROS.Os passageiros poderao transportar gratuitamente e sb sua responsabilidade a bagagemdeum peso inferinr
rroba, que possa ser collocada por baixo de seu assenlo o sem iocommodar os demais viajantes. Ests concessaD nao se esteod aos objectos
As bsgigens e cavallos que liverera de aeguir nos trens, deveio achar-se na estaces ao roanos 15 minutos antes da hora marcada.
As ponas das esta;o*a serao fechadas cinco mi a uto* aaie da hora marcada na tsbe\la, depoiado que oio se rendeti mais bilhetes.
Assignado.E. Bramah, superiutuude.ata
a urna a
preciosos
J..a,]im Fr.ncisi-o Torr-a, surcesaor da ex-
tincla Iirma de Torres lrn.aos, contina aubrfl Ma
responsabilidad- commercial no mesmo ee. to-
rio do conig..c6^s, na rua de S. P-dro n. 82
Rio de Jan. iro 21 de agosto de 1862.
J a&ques sobro Purtu^^L
m O .b^ixo aaalarnada cenla co Banco
g llnreanUl Portaaoaa neata tinada, .. :
\| ef 3 b o piasmo lia:-.-o par* o Pnrtr .. (,|a
3 bo, por qaaiquar somma avista pra-
Zl>, podando loso os saques a orazo s- t-
j daacontadoa no m*amo Banc, na raza-- 1
** dt 4 por ;sito ao anno aoa portador* %
^5 qu assiu": lhecon*ier : na ras do Crea- S
^ po n. Son 00 In.perarior u. 51. e
s Joaqun a> Silva Caatr*.
m iUffiirmuMi BweMewawm8
Searle de algodao dos
Estados Unidos
Na livraria n. 6 e 8 da praca da lo.
dependencia distubue se sement de
algodao mandada vir dos Estados Uni-
dos pelo governo.
^&80cta.co HvpoQVp hlcn
JJevuamUucaua
Nao se tendo reunido aafflciente nrr.e-o da
socios pira haver setiao da assembla geral noa
oou doujingns anleriore, d* ordem do Ulm.
Sr. nreidente sao p>-la terceira vez ciiiv'dados
os Srs. socio* eff-ctivos a coroparecerem s-sun-
da-eifa 8 do corrente. no lugar ilo roslume, a
It boras da manhaa. Os Srs. membros de cen-
si-lho sao igualmente coovidadoa para eo>
o8e m-sii o dia a 9 1|Z horas da tuauha.
Secretaria d Aaaocucio Typographica Per-
nambutana 4 de setenbro de I862
________O primirn secretario Silva Lins.
Quen*. i-r-."--r Oe un.a ama i ara casa de
hemem solteiro ou d* pouca familia, a qual eo-
ioh e enaomnaa : oro-oro na rua Oi'eil n. 81.
AUgiie a caaa a B'ixa Verde passaii 00
pingela, com en.'tolos suffioieoles para f.-mi-
lia e com bstanles arvoredus : a tratar na rua.
do Rang-I n. 18!_________^_^^__^__^^_
Aluga se o S'gundo noar e loja que setv>
para negocio, no pateo do Panizo n. 4 : a tratar
na ru da Rol n. 17. segundo andar.
E'ault mapravyaf
Em presen; do IUm.Sr. Dr. juiz dos orphoe
"ai a pr(* no di 9 do corrente a casa terrea si-
ta na rua da Santa Cruz da Boa-Vista n. 54, era
cbos proprios, situad no melhor lugar da ru,
com duas salas, tres quartos, otioba tora, quin-
tal murado, cacimba.etc.: os pretenlenlespteo
examina la, e querendo unja w-se a sala dis au-
diencias publicas uo referido di.
Fugio do engenhe Slg*dinbo um e* ere ve-
de nome Gri^orio, de boa altara, ml f**'10 do
ps, e tem aluuna bichos. lm c|hs a,l*
aportado .10 que 1 ntro, j fot surrado : a pesaaa.
qua o pegar leve (, ao dito angeobo ou neiti pre-
-ja, na rua a* H .ttas o. 114, qua bem gratt-
titada do sau irabaiho.




________

MELHOR EXEMPLR ENCONTRADO

MUTILADO


MAMO I IIHIaUOtiCO.- K SaBBAD i D SElRUBRO #1 i!6i.
Consultorio medico cirurgico
Consulta por ambos os systemas,
Em eonsequeneia da mudenca paa a ana nova residencia, o proprietario deaU ulabelett-
aento acaba de laxar ama reforma completa am todoaos se mediearaentaa.
O desejo que lem da qa os eoiedioa do san estabelecimeDto nao se confndate eom oa di
nenhum outro, visto o grende crdito da que aerapre gczaram a gozam ; o proprietario tem tomad
preceugao de inscrever o sai nomo em todoa os rtulos, devendo ser considerados como falsifica-
do! todos aqucllea qua forem tpresantadoa sem esta marca, a asando a pessoa que oa mandar com-
prar queira ter maior eerteze aeompanhar. mma conta assignada pelo Dr. Lobo Moaaoio a am pa-
pal marcado cora o sen neme.
Outro sim : acaba >a receber da FraDca granda porco da Unciera da acnito a belladona, re-
melua estes de summa importancia e cujas propriedades sao tao conhecidas qaa oa meamos Srs.
medicoa aliopatbaa empregani-as constantemente.
Os mbdicameutca avulsosqur am luboaqur em tiDCtaraa cuslarao a 19 o vidro.
O proprietario esta estabelecimento annancia a seua clientes e amigoa que tem commodoi
ufficieutea paraeceber alguua escra?os de um e outro sexo doentes oa que precisam de algn.
operac&o, affiaoc^ddo que sero tratados eom todo o disvelo e promplidao, como sabem todo
aquella* qua i tcnnlido eecravoa na caaa lo anuunciante.
A situscao mMDica da casa, a commodidadedoe banhoi salgados aao eatraa tantas Tanta-
atea prr o promptn Testabelecimento dos doentes.
as -.-ss'.aa qua quizaren, fallar eom o annuoeiante devem procura-lo de manha at 11 hora
t tarda dea 5 em liirjt, e fora destaa horaa acharao em aaaa pessaa eom quem aa portars ar
tnJer re da tilia n. 8 eaaa do funda o do Dr. Lobn Mntenrn.
Arrcoda-te mma grande pirte (Jo ,m0 u0
coqeeiro, deoomioido Mari Faosa, Da (r9)[ue_
tia de Marangeape : a tratar \o eogeoho Muri-
bara, frguiia de S. Lof.reoco da Malla,
Bailar & OUr;t team aobre a praca do
Porto.
23Largo do Terco23
O proprietario de>te novo armazem, Aende os gneros por menos do que em outra qualquer
parle, afianzndose a boa qualidade de qualquer genero comprado neste armazem.
Jkfsa taiga ingleza da primeira qualidade a 720 e 800 rs. a libra, e em parcao a 700. rs.
1 Jern franceza da safra nova a 600 rs. a libra e em meios barra, a 560 rs. a libra.
Queijus flaroengos chegadus ltimamente a -J>, do vapor pass-do a 15800.
Caf de pimer e segunda sorte a 260, 280 e 3004rs. a libra, e em arroba, a 89 e 9$.
Servejas das melhores marcas a .480 rs. a garrafa, e a duzia a 5JM)00.
Viaho engarrafado o Porto a 1C00O e 1|200 a garrafa, ea duzia a 90000.
Ditoein pipa dis melhores marcas a 480, o 60 e 640 rs. a garrafa.
Massas. pata sop a 320 rs a libra, e em caixa di urna arroba, por 60000.
Aztite dore Je Lisboa a 720 a garrafa e de carrapaio a 360 rs. a garrafa.
Sardii.hiS decantes mullo novas a 380 rs. e-era porco sa fz abalimento.
Am dos gneros annunciados, encontraro sonimenio comp'eto e mais barato do que
era outra qualquer parte, por virara a maior parle delles por conla propiia.
Boga se aos devedores do tallecido
Joaquina Jos Kibeiro de Oliveira que
teve lojanarua Direita n. 55, que ha-
jam de vir pagar seus dbitos na mes-
ma loja ou na ra do Queimado n. 41 e
48, evitando desta forma o receber se
judicialmente e publicar-se seus nomes
por este jornal.
Peee-ae a pessoa que no da 1* a crranle
levoe por eogieo ou por peca ana cOia de
prata eom tabaco eom aa iniciaea A. J. F: S. que
se achara em cima de urua mesa, o favor de a
manear entregar a leu dono ou buta la por bai-
lo da porta de sea eitabelecimeoto, do contrario
ae publicar seu nome.
Roga-se ao Sr. Horacio Ferreira da Silva
que oo prazo de 3 das apparec na rea da Cruz
n 13, segundo andar, a aegocio de urgencia e de
particular intereiee do meaaio. Recite 5 de se-
tembro ale 1662.
ENSAIO L.RITICO
Sobre a viagem ao Brasil em 1852
DE
GIMAS B MA\SF1ELD
POR
A. D. Pascual.
Os Srs. assignantes queiram mandar
ver o segundo volume na ra das Cru-
zes n. 4i, segundo andar, das 2 as 4
horas da tarde.
Alega-ae urna caaa ierra fita a moue'O
eom bastaDtea commodoa, na Soledad, ra da
Eaperaoca, essim como na maama ra urna baixa
a* capia bem plantada : a tratar na ruadaCraz
n. .0 aritumn.
Precisa-se Callar ao Sr. Francisco
SimAes dos Santos, para se lhe entr. gar
urna caita do norte : nesta typographia.
*s*iejf d^aiMwQa)w^6Sfia89i}$ssaA
SOC1EDAE
| Recreativa (kjban-
lina.
5* N'o lenlo sido possivel reunirse nu-
1 mero legal de socios no dia 15 do mez
5*1" proiiao lindo, a comrcisso directora
msrcou o dia 8 do comoie as 10 horis
d mnhaa par em assembla geral se
E rem ip^rovalos , que com?-,uriico aos Sr. socios da notsa
pP soci^jade, A mpsms lommls-ao dirpcio-
" ra esper que os Srs. socios nao fslluao
a esta t rm. Sala da reunios da sociedad* Recrea-
f (iva Corybantina 3 do selemoro de 1852.
Jeronym de C. Lima,
33 l's^crelirio.
Precisasealugar pietos de a
bos os sexos para vender finetas:
ma d.i Lingcta n. 2, taberna.
_ Precisa se e iluus amassadorea ne profla-
E30 para urna padana, sita oa ra doi Quarlei
i'. 16._____________________- _______
Aviso *,o pai litio.
Manoel Vaz Pnlaleo d.-0i*-ira faz acidi-
ficar o publico que ninguem faca negocio eom
letras que tem a sua tiro.a, porque o icesmo se-
nbor l-pji* ue foi ruconhecido icaior lo afsig-
l.. lelns nenhumaa, s sim que era (rpho e
menor, para que ningoem cia ua duvi.ia Ce com-
prar, pIIh (i r porque essss nao tem *lidae.
Recife 4 de aeiembro .le 18(2
m-
na
Alugase em ailiu oa Poule de UcbO> junto
ao sobrado amarello, eom boa casa aceiada e
muilo boos commodoa para familia de tretamtn-
to, eom gua de encaDamento e banhoa de cbo
que : c tratar na rea do Crrspo n. 14.
Aluga se em ariuazm na ra do Corto* ou
becco daa Bolas: a fallar na ra da Madre de
Dos n. 4.
A:ua-se a caa terrea a ra oo Ourgoa
n. 27 : a tratar na rea da Aurora n. 36.
Toda &UeBo!!
Ai'toi Comes da Caoba e Silva, eom loja na
ra da C'deia do Recite n. 50, d*froote da ra
da Madre de Dos, roga aoa aaa numerosos de-
vedores lauto deata cidade como fora della qae
e sirvam mandarem pagar aeua debito t ao
um do crranle mez de agosto, porque Do po-
Jendo mais esperar pissar a asir dea meios
dUBjulgar icaia conveniente para eom aqeeei
que i.do cumorirem aei deveres.
Joaepb Littlan socio gerente da casa eom
mercial de Mus. Latbam & C, tendo de reii-
rar-se temyorariameote nara Inglaterra a tratar
le sua aaude, deixa como orocuradores em pri-
meiro lugar ao Sr. H. C. Wells e enj segando lu-
gar ao Sr. John Roberls.
Arremtamelo.
Pelo juizo de orpdaos desta cidade
vai a praca de venda no dia 9 do cor-
rente mez os escravos ci ioulos Antonio
Andre, EUuteria e Joao, pertenecntes
aos menores ilhos do finado Jos Paz
de Moura Accioli. Estes escravos sao
importantes por suas figuras e aptos pa-
ra todo servico.
Aiuga-se
Alaga um grande i larrea Cum 0-
lio. ccoteodo 5 salas e 10 quartos, cozinh ex-
ellenie, e quintal, eom um deoosito n'aRua de
chuva : ni ra da Concordia n. 75, a tratar corrj
.lsnool Firminn Fwrreira
A pesaoa que achuu no da I.* do correle
a quat.lia de SUO em aelulas, que iara fechadas
em um involucro ofir'els, terih a bondade d-
o mandar ou enlreg-r ra d" Livramento o. 33,
cu travessa de S. I Jm n. 35, segundo andar^
qua .* f^'tilicar ;Jnr "rente.
.urna mulata para casa de familia que engomma
e cosinba : quem a quizer dirija-sa a ra da Ci-
deia loja n. 21, qa s dir iin4 o ajusta.
O Sr. Antoolo Pavo, de Ulinda, ca favor
de ir padaria de Santo Amaro a negocio que o
m-S'iio senhurno enora.
PraDcisco Jorge da Silva Paranboa, dentista
.em a hoota de acientilicar ao respeitavel publi-
co deaia edade, que recebeu ltimamente de
Paria e da America do Norte um variado eorti-
rceoio da ot.jecios da sua profissao ainda nao
vindoa a esl* cidade, como sejam denles de dif-
ferenes qealidadea, t'ansparemes miceraes per
Vulcinel, estes denles nao t pela solidei como
lambem pela grande relaco de aoalogia qae tem
eom es natunee, ao saperiores aoa qu ordi-
nariamente tem cindo a eta cidade, rajaa i".r-
o.ue preaenlen.kDte sao elle oa mals adoptados
pelo ctolhore deniisla da Pane e da A menea
Co Norte. O acinencianle lem ta-frrbem um grao-
Ce soriin-nto de maisa tinus de diversa roret
para e:icK!r os dente cariado, as quaes tem a
propriedade de adherir a esvidade e de aolifl-
ca la de modo a poder logo exerrer a m'Stiga-
co, dissipam intetramenle as dorea ainda a
mai sensiveis rroi rieCadea que nao temada-
tacotiia de q* ordioariamenlo se faz uao, a qual
e_:n vez de disipar motiva aa dorea por causa
'aga ocidulaja de sulphurico. Quem quizer
tfs deoles cutidos, Chetos e ditas macee i
recortendo ao arinuociante porque ell o ni-
co que pres&otemeute Um neaia cidade ditas
roersas rcentemote chegaa da America do
Norte e f Parig. A* iat daa circumstencias
critir.j t'. lempo tem o aoouneianie resolvido a
modilieac 04 precoa e da seus trablhoa alim de
chegar pera todos. O meamo oalloca dente so-
bre base de uro, platina etc sem extraccao de
railes pela pcesaio, a pieol ou a piato, desr6a-
sorl de ctocueij como melhor exigir o estado da
toces. Para a conaervaeao dos deatea em esta-
do (fe jaspe Uai a noancjmte exceliente p da
Cito vvrdadeiro preservativo nico y magnifico
deuiriGcio para eoaaervar a bocea e dar-lhe um
hi't'i sublime, leraando os atantes pelo seu uso
qaoUdiano isentos da carne quevulgarmeute
chaitan pedr, da frouxido doa ervos lveo
lario e e outros muttoe iocooveuienles ^e a
flta detaea preaervttivoe .oxcaaiona tendo por
ongem a tigli|{#ncia qee commumentc ha qea-
ai em todo o publico, acootecendo asim per-
der-se o efpecial oroito da bocea ; o anouncian-
le alero dilo faz todas aa opericoes de au pro-
liitio coro toda a prumplido possivel e delica
deis. A entrad confronte a eaaa de pharma-
cis do 6' Barlholimeu.
Alu<.a-se imi pequen c>sa no Retife, rea
d Senzsla, proprie para algom eatabelecimeoto,
ou peqneo >li> lrlr oa ra da Cruz pu-
lpero M.
ttencao
Perieu-se no dia 2 do correte, da Soledad*
at a ra da Uniao, urna caixi cootendo urna no
ta da caixa filial de 50$, e urna uavalha ae cabo
braoco, cuja cixinha l-m o norae R. & I. Slaik
Celebraled arrty Razor n. 336 Strnd, em le tres
douradas : pesaoa que achou-a, querendo res-
tituir, pode levadla ao eattleiro Pradioe, na ra
Nova, defronte daigreja dos militsres. ou ao tra-
piche do Barbosa n ll, praca do Corpo Santo,
qae se gratificar Eanroamenle.
Preci*-se alugar uii.a escrava (.ara o s^r
vico de urna casa de pouca familia: a tratar no
; paleo do Terco n. 42, 2 aodar.
**$ mmmm mmmm^9
Companhia |
d ^ dj
Seguros martimos f
g SEGRIDADE.
S Estabelecida uo Rio de
,% Jftiiiro.
H AGENCIA RA DO VIGARION. 10.
Nava expasi-
cao de candieiros
a gaz.
Chagou a nova exqoslcao
Chegoa a nova expotico
Cbegoa a nova exposic.3o
Chegoa a nova exposicao
Chegou a noa exposigo.
Caodieiroa a gaz
Candieiroa a gaz
Csndieiros a gaz
Caodieiroa a gaz
Gmdieiroa a gaz.
Sorlimenio completo
orti'.'.ento completo
Sortimenio completo
Soriimento completo-
Sortimenlo completo.
Gaz de primeira qmlidada
Gaz de primeira qualidade
Gaz de primeira qinh.ta.1e
Gaz do primeira qualidade
Gcz de primeira qu.\hdadf.
So tem na nova expsito
S Um na nova exposicao
S tem na nova expotico
S tem na nova exposicao.
O proprietario deate oatabalecimento avisa ao
pablico em geral que lem recebido am completo
aortimento decandiairos a gaz para ricas aalaa,
qurtoa, aseadas, eogenbos e para estados pa-
queos que pode eom a economia de urna gar-
rafa de gaz ter par 60 heras de luz, rlcaa cade-
ras de bslanco de ferro eom estofo adamascado
de bobo, lavalorioa de ferros ecooomicoa eom
todos o peitencea, eom eagolo no fundo ba-
ca, rico quadroa para ornamento de a um
riqusimo surmenlo de objeciartaa a .tac&o
de marQm para aaobofa approvadaa na "*
ei < si<;*o daa princezaa tando o premie
riqaissirtiaa pulceiraa a imtUco de ama
do ae vende por diminuto prego que muii
era agradarlos preteodentes ; na raa N
20 e 24. loja de Csrneiro Vianna.
ENSINO
DE
PARTIDAS UOBBADA
E
ANOEL H&SSi DE IEDEB08
DUAS VEZKS POR SEMANA
TRRQASE SEXTAS
DAS7AS9..0IUSDAN0.TE.
i?i7A LARGA DO ROSARIO N. 28. 1 ANDAR.
# Hl
RETRATISTA DA CASA IMPERIAL
Ba do Cabnjg n ih. entrada pelo
pateo da matriz.
Es galeria ornada eom o augustos retrato
phutographicoa de SS. MM. a d> s aeraoiaaimaa
urincezaa Impertaea, aasim como rom os de mul-
la daa principaaa peasnaa dest cidade, eat
dlepoaigo do publico, qae a pode visitar todos
oa diaa daa 8 boraa da manha a 5 da tarde e
examtmr oa trabalhoe xpostos.
Cnntinua-se a tirar retrato por todoa os sys-
temaa pbotographlcos, e espciaimente por ara-
Drotypo eem cartoes de visita. Fazem-ae tam
bem mimosea miniaturas em talco para se collo-
caram em joiaa.
na precoa doa retratos sao os maia razoavals
qee ae encontram n-sta cidade.
J. Fwrreira Viotoarapho. phllela,
3dd- R. B. Oa madtesmentoa do Dr. Sitica ia
anieamanta vendidos en aa pharmasia; tado>
lae o forem tora della aa talsaa.
Todaaaacarteiraa io icompabhadta de a
.mpreaae sotn am amblema etv. relavo, tendo ac
raonr zi segaintea pelmas : Dr. Sabino O. L.
Plnho, medico btaalisiro. Este emblema poete
aalmante na lista o* medicamento qae ae p-
Al "rl6iri" 1** ni"> levarem eaaa impresa
uaim marcado,embora enham natampa ene-
ai do Dr. Sabino aio falaoa
Roga ae o sr. brislovao Sauiago do
Nascimeale, qoeira ter a bondade de appareeer
aa raa de Santa Tbeteza junto a caaa de n. 22
ou ras Imperial junto a casa do n. 80, sobre
am uego io de aeu ulerease o sem falla.
L oifcpras.
Compram-se aecoee do novo banco de Per
nambuco : no eacriptorio da Hanoel Ignacio de
Oliveira & Filho, largo|1o Corpo Soto o. 19.
Compram-se escravos qae saibam irab ;hr
em armazem de asiucar. e que aejam robustos :
na rea do Trapiche n. 9, armazem.
Compra se
oureos em qualquer porco : na ra
do Vi gario n 9. pri meiro andar.
Vendas.
^eocos braceos
eom barras de cores para meninos a 18
a duzia.
A loja d'aguia brinca tambem vende bons e
bonito lenciohos braocoa eom barras do cores
proprios para meninos, pelo diminuto prego d
lj> a dazia. Avista da limitsco do preo lalve
iguem desconfi d boodade da tazeos, ms
para desengao dirigir-se, prevenido de dinhei
ro ra do Queimado, loja a'aguia branca n. 16,
onde os achara patente.
Veodem se balanzas decimsaa e urna de Ro-
mao cum pertecces : na ra do Trapiche n. 9 ar-
maiem. '
KfcmtlUINiJUiVIPAKftVhL
UNGENTO HOLLOWAT
Milhares de individuos de todas as naede^
fodea testemunh.,,, virtudes dtsur.mdia
incomparaveleprovaremcasonecessario.qu
pelo uso que delle fizer.n. tem seu corpo i
ambrosinteiramentesosdepoisdehaverer*-
aregadointilmente outrostratamentos. Cada
pessoa poder-sa-haconvencar dessascuras ma-
rayilhosas palaleitura dos peridicos, qUelh'tI
ralatam toaos os dias ha muitos annos: a ,
maior parte dallas sao o sor prndenlas qu
admiran os mdicos .j, celebres. Quanta.
pessoasrecobrara eom ,ste soberano remedie
o uso de seus bracos pern.s, depois dlD,
permanacido longo tempo nos hospit.es,o ta.
deviam soffrer a amput.co I Dallas ha ku
casque'iavendolciTado.sses, asylos depada
timemos, parase nao submatere aassaopa-
racao .iolorosa io raa curadas completaarente
mediante o uso dessaprecioso reaedio. AJ-
gumas dastaes pessoa na enfuso de seu reco-
nheeimento declarara astesr.sultados bene-
eosd.anta do lord corregedor e outros m.gis
irados.afim.ie aais autenticare, sua a firmativ
Ningue desesperara do estado desaude f<
uvessebastanteconfianc. para encinar este re-
medio constantemenuseguindo algrjm tempo
tratantn ,.. .......'..
geral de Londres n. 224, Strand, a na loja
de todos os boticarios droguista e outras pessoas
encarregadas de sua venda em toda a America
do Sul, Havana e Hespanha.
Vendem-se as boceiinbas a 800 rs., cada
urna dellas contera urna insiruccao am portu-
guez pan explicar o modo de se usar destas pi-
lulas.
O deposito gaaal em casa do Sr. Soum
pharraaceutico, na ra da Cruz n. 22 em Par-
nambuco.
Manguitos eom golLihas.
Veade-ae mangnitoa eom gollinhaa. fazend
maito boa, pelo barato preco de JOOO, gollinhis
e punhoa litrr.o gosto a :;000, gollinhaa multo
flnaa a bem bordadas a 1U(IU cada ama na re
doQueimedo loja da mladazaa da Boa fama
n. 35._______
Tiras e ntremelos bordados.
Veode-ae pecaa de uraa bordadaa de 2,500,
3,000, 3,500 e 4,000 entremeioa a l600 a 2000
cada peca na ra do Queimado loja da miudazaa
da Boa fama. n. 35.
Bonecas franceza.
Vaode-ae boneeaa franeezaa ricr.-.nie valida
i 900 e 5;UUU, e 2S000 boneeaa de cera eom os
olhoa o o vadeos a 23000 e 3&000, na ra do Quei-
mado loja de miedezaa da Boa fama.n. 35.
Pivelaa lie ac para siutos.
Vende-ae Ovalas de \o para sinto a 1$500 rs. a
29000 na ra do Queimado loja de miadezas
da Roa fama. o. 35.
Baleias.
Vende-ae baleias & 120 rs. cada urna aspa de acc
para balo a 160 ra. a vara, bandea a l$500re. a
23OO o par, na ru do Queimado loja de miadezaa
da Boa f A 25500,s o pavo.
Vendem-se cortea de cambraia branca eom 2 ?
3 babados a 2&500, ditoa de tarlatana brancoa a
de cores, eom barras a babados a 3#: na ra
da Imperatrix n. 60, loja e armazem do pavo da
Gama & Silva.
C&searilhas tie seda.
Vende-ae caacarrilhaa de seda para enfeitar
vestidos e *SO00 a peca na ra do Queimado
loja de miudezaa. n. 35.
Meias de borracha.
Vende-ae meiaa de borracha para quem padece
de erysipela a 15$000 o par, meiaa de seda preti
para aenhora a 1000 o par na ra do Queimado
loja de mledt-zaa da Boa fatna, n. 35.
Perfumaras muito tinas e
baratas.
Opiata ingleza a 1;?50're, dita franceza a 500
ra., 640, l( 0. oleo da sociedade hygieniqa*
vetdadeiro c lC00 o frasco, oleo babosa de river
verdadeiro a SOO rs. o frasco, agua balsmica
liara oa dentea a 19000, dita de Bolot lamben
para os denles a 1$000 o fraseo, pomtda franca
ia "a, poa a 500 rs. e lU0O, 320 rs. abnete
muilo tino a 640 r.., 800 rs. e 1^000 cada um m
ra do Queimado luja de miedezaa da Boa fama,
n. 35.
das seis portas esa trente do
Livramento. 15, 20,30 e 40
arcos.
Grande aortimento de aaiaa a balo de arco,
os melhorea que aqai tem apparecido no merca-
dio constantemenuseguindo algum tempo e melhorea que aqei tem apparecido no merca-
itaento que necesstassa a natureza do mal do 450. 5*- 68 e 6500 cada um, d-ae par
ijo resultado seria provarincontastavelm.nt.' fmoslrcom panhor ; a loja eat abena ala a9
-Qua tudo cura. venaente. horas d. noite.___________
vu uuu cura. ------- ___________________________
^SSS^S;9mJ^SLVS^ Superior briin bracode
Alporcas
Catmbrai
Caitos.
Aneares.
Cortaduras
Dores de cabeca.
das costas.
- dos mebros.
Enfermidades da cutis
em geral.
Ditas da anus.
Erupces escorbticas.
Fstulas no abdomen.
Frialdade ou falta de
calor as extremida-
des.
Frieiras.
Gengivas escaldadas.
Inchacoes.
nflammacao do figado.
irifiaB5ao da bexifi
da matriz
Lepra.
Malas das pomas.
dos paitos.
de olhos.
Mordeduras de reptil.
Picadura de mosquitos.
Pulmoes.
Queiosadelas,
Sarna.
SupuracSes ptridas.
Tinba, a qualquai
parte que seja.
Tremor de ervos.
Ulceras na bocea.
do figado.
das articulacoes.
Vaias torcidas ou no-
das as pamas.
Bombas
%<$'
Aisentsm-se bombas em ctcimbss, e concar-
lam-sede todas aa qualidadea, e f.zera ae enca-
namentoa de chumbo e zlneo para gu, asaim
orno se vendem bombas propriaa par sillos, por
precoa quanio aa eocootra-o em outra qualqaer
parle ; coocertem so lambem candleiros a gai
eom peff>iCa0 : na ra d Imperatriz n. 43.
Banco nio.
Estabelecido na cidade do Porto.
Agentes em Pernambuco.
Antonio Luiz de Oliveira Aze-
vedo Saeam por todos os piquetes aobre o meim,
Banco a przo ou visla, a aobre aa agencia en
Lisboa, Figaeira, Coimbre, Aveiro. Vizeo, Villa
Real, Regoa, Vianna do Caalello. Gaimara
Barcelloa, Lamego, Covilha. Braga, PeoaQel
BraKanca, Amarante, a cito dias, ou ao pr>-
que ae convancionar: no sea eacriptorio ra d
Cre n. 1.
*
3-Rua estreita do Rosario3
. r'eC'$e-aa oe um bomem que eoleoda oet-
Imitan ota ie rpflnador : tu Direita n 95.
Aluga se um segundo andar ni
ra da Senzala Nova eom duas salas.
quatro quartos e cosinlia no sotao, por
preco commedo : na praca da Inde-
pendencia livraria n. 6 e 8.
t

*
i
e 0
a fc
Juaeph Latra.."" e iva eqhor? subdito
glezes rao a Ioglalerrr.
Francisco Pinto Ozorto eontinaa a ol- *
locar dentea artificiaea tanto por meio de 6
molas como pela prsalo do ar, nao re-
beba paga alguma sem que aa obraa nao
8quem a vontade de aeua donoa, tem d
oulres preparagoe as mai acreditadas ii
, para conaervaco da bocea.
* ** *aae
ONSLTttRlO ESPECIAL BOMElpATHICC
DO D0UT0B
SIIINO 0 L. PIRHO.
ind Santo Amaro (Mundo
Novo) n 6,
Conaaitaa todoa oa dias tala deede aa 10 herai
ajagA-s-arSaK
*ra# tni.rmitt.nt. eonseouaneiL
ferdadeiroa medicamenloe homeopatbUoa ore-
mdoa ao todas aa ca.tel. neeeaa.ri.. P|T
..hvei. em aeu. .Beltos, tanto em uSS #a
- ,-------...
Vende-se este ungento no estabelecimentc
geral de Londres n. 244, Strand, e na loj
de todos os boticarios droguista a outras pes-
soas encarregadas de sua venda em toda i
America do sul, Havana e Hespanha.
Vende-se a 800 rs cada bocetinha contia
urna instruccao em portuguaz para explicar t
modo de fazar uso desta ungento.
O deposito geral em casa do Sr. Sou
harmaceutico, na ra de Cruz n. 82, e
pernambuco.
iySfiaO IbICU HUKLLOWAI
PILULASHOLLWOYA.
Este inestimavel especifico, coraposto inteira-
mente de hervas medicinaes, nao contm mercu-
rio nem alguma outra substancia delectara. Bei
nigno maistenra infancia, a a compleicao mas-
delicada, igualmente prompto e seguro par;
desarteigar o mal na compleicao mais robusta
>nteiramente innocente em suas operacese ef-
feitos; pois busca e remove as doencas de qual-
quer especie e grao por mais amigas a tenazes
I que sejam.
Entre milhares de pessoas curadas eom asu
remedio, muitas que j estavam s portas da
morle, preservando em seu uso conseguirn)
recobrar a saude e torcas, depois de haver tenta-
do intilmente todos os outros remedio.
As mais afilelas nao devem eniregar-sea des-
esperacao; facam um competente ensaio das
efficazes effeitos desta assombrosa medicina, o
prestes recuperaro o beneficio da sande.
Nao se perca tempo em tomar este remedio
Aara qualquer das seguintes enfermidades :
(videntes epilpticos.
Alporcas.
Ampolas.
Areias(malde).
Asthma.
Clicas.
Convulses.
Dabilidade ou extenua-
;o.
Debilidade ou falta de
torcas para qualquer
cousa.
Desinteria.
Dor de garganta.
de barriga.
nos rins.
Dureza no venir.
En farra idade no ventre.
Ditas no figado.
Ditas venreas.
Enchiquera.
H erysipela.
Febre biliosa.
Febre intermitente.
Esperanea
Loja de miudezas ra do Quei-
mado numero 33 A.
Costureiros.
Agulhas Victoria papel a 120 rs.
Linhas dezOOjardea de todoaos nmeros 18O r
Cascarrllha a peca 2?.
Dilaa muito boa vara a 400 rs.
Tranca de linho para todo preco.
Franja de seda, de liaho, de algodo muito ba-
rto.
Retroz, liona de novelo ele.
Meias.
Um compiafo soriimento sendo de coras para
meninos a 240 ra.
Dilaa brancaa a 200 ra.
Oilia para s.nhora a 210, 300 a 400 r.
Ditas para bomem i 5;e 6g.
Ditas prelas para aenhora a O a 860 rs.
Gravatas
eom botao IJ!.
D corea maito losa pr hornero a 1$.
Para meniooa eslreiliuhaa a bou ra.
Pulceiras
de conlas miedinha a Iff.
De cabello a 4$.
De [hanlaslade dito etc. a 500 r.
Botoes.
Para cauca e pira caiga a groza 320 r.
Para camiaa muito riuoa groza IjiOO.
Grtndes para rcupao groza 1>6U0.
Pequeninos para cranca 1J400.
Alamares.
Para capole a dazia por 800 ra.
Colxetes.
De fio batido eapecial duzia 720 ra.
De carteo 14 parea a duzU 500 rs.
Em caixa pratoa a duzia 800 rs.
Brincos.
A balo brinco, encimados, azues a douradoa o
par por 1.
Rozetinhas om podras que parece diamante o
par 1.
Penas e caetas.
De todas aa quali Jadea especialmente de caligra-
phia a de lauca.
Canetaa para aprender eacrever pelo ayaUma de
Scaly urna por 500 ra.
Papel.
Almaeo pautado 500 folha6fi.
Dito dito 420 dilaa 4S500.
Dito dito 420 ditaa 4g.
Dilo Uao 39200.
Dito de peso azul a branco 4$3G0.
Dito azul Iio2j*00.
Dito pequeo tarjado 19500.
Dito pedueno de coras IfSOO e 1500.
Dilo tarjado de preto 1{500.
Eovalopai cario 15.
Obreiae de coi 100, 120 e 300 r.
Pentes de tai taruga.
A imperatriz 85 a 10$ o que ae vendes por 16
e 20JOOO.
Dirito para alar cabello a 4J.
1 A irniuco por 13.
i De arripia pra meninos a 800 a 1)J.
Trlaruga para alizar 8g.
^ De bfalo para suica e caballo 400 rs.
] Pentes de borracha uequenoa para trazar por ca-
sa muito boLaa.320 ra.
E inflni.iade de rrngoa novameote chegados fc
loja Esperanca ru* co Queimado d. 33 A.
Fazeolas baratas
NA
Loja do pava 0.
Cambraia orgaiyg a 280 rs.
mJZmaZ ,br.,i "'yandy. decore.com mo-
tSSSm- re' /SSo'ocov.do. ..,.
[*Ar an. fi5" 54- ^ 300 r. o co-
15*. 1,
uaio
Vende-ae auperior brim branco da linho trao-
gado polo baratiasimo preco de I52OO, 1$440
lfiOOa vara, dito muito encorpaoo de doaa Boa
e de linho puro 2$ a vara : na ra do Oaeime
don. 22, na bem conhetida loja d be f.
A 2,400 rs. a nuzia.
Lencos branco Anos para algibira pelo dimi-
nuto prero de 254OO ra. a dazia : na bera conhe-
cida loj* da boa fe, n ra do Queimado n. 22
pordaua Lrto.
!X,tB'OT> gollinhaa da cambrai de fil bcr-
u.u.a 500 r., mnnguitoa a 1J> o pr. mnge 'os
eom golla bordada de cambra! a 1J600 e ti-as,
bord.das antrerreio 5 oa ra da lmperatrt n
oO, loja do pavao. '
Cambraias de cores
Vendem -ae cambraiaa franeezaa de core fa-
zanda multo fio pio br*tisirno prego de 2GO
a 280 rs. o covado : na loja da boz f ua rea do
Queiaado n. 22.
'ara lulo.
Pumos de seda eltalicoa para chapeos largea a
eetretoe a 1;500 : na ra do Queimado n. 22,
oa loja da boa f.
Ldazinhas muito linas
para vestiJos.
Superiores liazinhas para vestidos de multo
bonitos padrees que se venlem pelo baralisaimo
preco de 440 ra. o covado : na ra do Queipa-
do n. 22, no oja di boa f.
Aipakiii a 280,
Vende-te eta nova fazenda de linho a imitaeo
desedaa d quadrir lio miedinhos propria para
vestido de aenhora, roepaa pra mecios, sendo
UaanOa que nao desbola, a 280 o covado : ca ra
I da Imperalrii n. Chitas largas a 200 rs.
Vendem-ae ehitaa largaa a 200 ra. o cosido por
tr am pequeo toque de mofo : na ra da Im-
peralru n. V,(), lu|a -lo pavo.
Bramante a 1U#.
Vendem se pegaa de bramante de linho del
urna s largura ton, 27 varaa a 10 a i.eca, tam-
uem a ve,.de 1,1 pega eom 13 1(2 vara por 5j> ;l
na rea da tmperatm n. 60, loja do pao.
Carnauba.
uperiorcera de carnaab q
Vende
1 La
-lae a maia
Fazendas de bom
gosto.
Lindos cortes de precalia para vestido e casa-
vaque igual eom barras iguaes so Dgurioo qup
acompanha cada corte, illloa de lia cares eom
barra de moito goslo, superiores seda de cores
de padres muile linios a 2} o covado, ditas de
superior qu.laiie rom um pequeo toque de
mnfo 1J o covado, superiores cortes de cam-
ama brancoa bordeaos, diioa de blondo brincos
rom mana e capelia para noiva, lindaa mugam-
tiques de ores para vestido a 480 rs. o covado,
dita a.uilo tinas nial9adns a seda s 640 ra.,
muito ulteriores cortes de seda de cores os mais
modemos que lem vindo a Pernambuco, saias
brancas bordadas de rambraia de Escocia muile
Moas, lindos chapees de palba de Italia para se
nhora a Eugenia e Beilriz, diis de palha de
fctllro enfslcios eom multo bom soito para me
nio, lira bordadas, eoirerr.eio tapados e trans-
parente, froohaa de lahynolo, lencos de cam-
braia de linho bordados, ditos de labyrinto, su
periorfs baloe ameriaoos de 13, 15, 20, 25,
30 e 42 arcos para senhora. ditos de 8 e 11 ar-
cos para menina, luvas de peliic de Jouvio pa-
ra homem e senhora, tuperiores manteletes de
seda, capas de eda bordadas para senhora, bour-
nus ou cap^s de phanlasia, mauleletes brancos e
ouirrs uil's fazendas de bom posto por pregos
rriais core-(nodos do que em outra qualquer parle
na loja do sobrado de 4 andares ra do Crespo
o. 13, de AMonio Cori de Vaacnncellos C.
Febreto da especie.
Gotta.
Hemorrhoidas,
Hydropesia,
Ictericia.
Indigestos.
Infla mmacoes.
Irregularidades de
menstruacSo.
Lombrigas de toda as.
pecie.
Mal de podra.
Manchas na cutis,
Abstruccao do ventre.
Phtysica ou consump- i
cao pulmonar.
Retenco de ourina.
Bheumatisrno.
Symptomas secundarios c-
Tumores. #--
Tico doloroso, Ven.te-e um sobrado de uro aodar e solio.
Ulceras.
Yenvreo (mal)
Superiores chapeos
Chapeos do Chyli rsuiio fios, diloa 5
J de seda superiores, diios de sol ee mu- W
j lo superior qualidade de 8. 10, 12 e 15 flfj
I asteas : n loja do sobrado de 4 andares !
ra do Crespu n. 13, de Aulonio Carrea 5
! de Vascoerelloa C. -'-
Fpechhicha Bem iguala
i Superiores cortea de aeda de core fe*
i eom 18 a 20 corados cada corte pelo &}b
, bsratisimo preco de 20)$ o corle, laa Z
' de cora de quadros e de florea para ves- *-*
| IMo de senbnra e de meoioos a 200 ra. f
> o covado para acabar : na loj* do io- fte
braSo de 4 andares ra do Crespo n. 2
13, de Antonio Carrea de Vasconcellos W
eom quintal murado, silo na f'eguezia de S Jos.
a tratar na praca da Independencia ns. I9e2l.
Vende-se um pequea fabiica de velaa de
vj. carnauba, quasi ora : a tratar ,na taberna d. 48
Vandam-sa astas pilulas no stabalecimenio | da ra a da Aaror*. a u. ,<,
Paintota a 6^.
Vendem-e paletnta de panno preto floo "-o
de caf a 6} : na ra da Imparttriz o GO, lu
pavao.
Chitas escuras a 240.
Vendem-se chita franeezaa uras a 240 o eo-1
vado: n. ra d jjaaeralrii n. 60. l..j do pavo.t
Chnl^s baratos.
Vfriilem-se chale de merino de corea aendo
maito grandea a 3jj : oa ra da Imperatriz n. 60,
loj. do pav.n.
--------------------1-----------------------------------------------------------------.-------1-------------.___________________________
Chegado pelo va-,
por francez s para o vigiJ
laute luios peutes de mar-/,
rafa. ,
E' rhegado oa lindos pentinhoa douradoa eom
muitas lidas moldures de differentea gustos pa-
ra majraa oa trav.sso, pois 6 eom a virta o
compradores saberSo preciar o qunlo sao deli-
cados pelo bareiisaiuio preco de 3J00q o par fc
assim como sem ser douradoa de hndoa goljA
pelo baralu prego de 2j : na ra do C-eapo o. 7J
S6 no galo vieilmte. ra do Cre.po n. 7. '
GrempAS balo.
Tambem chegado aa lindas rampas a belaojL
cousa multo lida : s no vigilaote, (ui do Cres-
po n. 7.
Garlas hs para vollared
A loja d'aguia braDC acaba de receler um boi.
oriimeoto de rartaa eom tintas mui n-s, pape
lutroo a opaco, e caracierea de novos de'senbos
repreientando aa figuria oa grndes penooageo
d.a guerna d* Italia o ouiroa. J ae v. poia
que eom una baralhos assim boo e bonitos, tor-
na-*e ainda maia deleitael o enlreier-se parta
da noiie no divertido voltarele, lendo sempra
vspadilha, mantlh, basto, ele. etc.e pelo con- '
trano en. pichoso, ao qualoa bolinhosea chavi-/'
na do bom cha do *ono da casa f.r esquecer o)
pouco que perder. Os baralhos de canto redoli-
do e dourado casi.m 69 a duzi. os immediaoa
5, e outroa 4, 3giOO e 3. Tambero ha fi/nta
para oa apaixonadoa da bisca, tfpadilha, etcl
vita doqaenu ha maia a cansar se, o'pretea-
dente dirifir-e eom dioheiro i rea do Queima-
do, lojadeguie branca n. 16. que aeri bem ser-
vido cooforme o loov> - Ha para vender-.^ um excellente coznbei-
ro: n ra do CbMg n. 18, aobrado.
Vende-ieen.a carroga em mallo bom es-
tado : na ra da Trenpe sitio a. 80.
/

MELHOR EXMPLR ENCONTRADO
l
MUTILADO


DUftlU BB IKftAAMlCCO SABB DO 6 DI SETKJIBkO DE ISAS
;

Vendem-se caixoes \a-
sios, proprio? para funileiro
e bhuleiro, a 1#280 cada un
neaU typographia se dir.
Kua da Somalia INuv* U. 42.
Neste estabelecimento vende-ie: ta-
chas deferro soado libia 110 rj. dem
de Low ftloor libra a 120rs.
Potassa
ussia
Terrenos perto dapra No sitio do Cordeiro em Sant'Anna
vende-se a retalho o resto dos terrenos'
por preco commodo : dirigir e a L. A.
Dubourcq no escriptorio da ra da
Cruz n. 40, para tratar. O engenheiro
Sette encarregado das medicoes.
Vende-se emcasa deN. O Bieber &
C., successores. ra da Cruz n. 4.
Grampos a balo
com pendentes dourados.
A loja d'aguia brinca contine na recepgo de
objecloa do ultimo gosto, e por isso acaba da des-
pachar vindo pelo ultimo vapor esses delicado*
novissimoa grampos de bonitas corea com pen-
dente! donradoi o que de maia delicado te pode
encontrar. Esta loj* como ''"luiente sabido,
temsempre em vistas s eommodidade deseas
boas freguezias e por isso tem resolvido vender
esses galantes enfeilss a 25 e 3j o par, o que na
realidale meito mais valem. Convm pois q
vista di limitagodo prego a senhora que com-
prar em ou mais pares, nao se demore em par-
ticipar as suas boas vizinhas e intimas amiga* da
collegio, para que as emiltem no saa aparado
gosto, e man lem logo comprar outros pares na
loja de su* affeico : que 6 a d'aguia branca, ra
do Qeoimado n. 16.
Gal e potassa.
Veihieui-se estes dous ar-
tigos ltimamente chegados,
no bem conhecido e acredita-
do deposito da ra da Cadeia
do Recife n. 12, mais barato
do que em outra qualqiior
parte.
Acna-se venda no escriptorio de Antonio
Luizdo Oliveira Azevedo & C. ra da Craz n. 1
a obra eacripta pelo visconde de UruKeay.Enaaio
Sobre o Direito Administrativo; dallamos de te-
car elogios a aata obra, basta o nome de sea aa-
tor para a tornar recoumeodada. dos volumei
ru brochara IQg, eocadernado 15$.
Para baptisados.
A. loja d'agua braoca acaba de receber pelo ul-
timo vaporaaaa encommanda dos seguintes ob-
jtetos para baplieados, sendo lindas toaqeioha*
de setim mui bem enhilad**, e cada ama em
saa calimba, sapatinhoa da setim branco, e de
cores ricamente bordados, e meias de seda, o
melhor a mais booito possivel. Agora, pois, os
i na qua nao qaizerem esperar pela generosida-
do daa sauhoras comadres, dirigirem-sa logo
munidos de dinheiro f loja d'aguia braoca, ra
do Queimado n. 16, onde bem podero comprar
esses gala Lies objectos.
Ra da Seuzalia Nova u. 42.
Veivie-se em casa ds S. P. Jonhston <& G.,
selns o silhoes nglezos, candieiros a casticaes
bronzeados, lonas ioglezas, fio da vela, chicotes
para carros e montara, arrotos para carrol da
era a dous cavallos, e relogios da onro patenta
inglaz.
^^emiPeFalwWriaW lata;' JfflV^VwWwfirS.'N
Perolas falcas
ou aljfar de fina qu*lidade.
A loja da agnia branca acaba de receber um
novo sortimento de superior sljofar branco oa
perolas lalea o qual por saa perfeico difficil-
mente ae distingue das perolas verdadeiras e ser-
?em ellas por ana extraordinaria grandeza para
aagargantilhaa que presentemente esto em mo-
da e mesmo para outros enfait.a e orno semor*
vendem-se commodamente a 19, 1JS00 e 1J500
o Ho: isso na rus do Queimado loja da agaia
branca d. 16.
Fitas para habito.
* Vendem se litas para commendador da 9
'J Rosa, ditas para commendador tle Chria- (te
to, ditas para cavalleiro da Ross, dit.s g
2 erde e amarella para independencia : 5
W na loja de Nabaco & C. na ruaNova n. 2. q&
Toda atenco.
Na ra larga do Rosario n. 38, loja da aurors,
tem para vender um grande aortimento de col-
leles, a 40 e 60 rs. de 14 pares, a 80 rs. de 24
pares grandes e pequeos, e muilas outrss miu-
dezss baratas qae so a vista se dir o preco de
tudo.
Vende-se por prego comniodo urna negrt-
nha de idade de 6 ancos, multo esperta : na ra
da Imperatriz n. 19.
arroca.
6
Vende-se urna carreas nova bem construida'e
bem ferrada, e que serve para boi e cavallo por
ser apparelhada para urna e oatra coaaa : na ra
da Concordia, leuda de (erreiro junto a um eita-
leiro de carpinteiro.
K. iiRa da Imperatriz. o.
A esmeralda.
Loja de modas francezas.
Lsvsm-se chapeos da palha da Italia, pondo-
se s ultima moda, lavam-ae chapeos do Chille
muito tm conta. Na mesma ha para vender ri-
cas capellas pira bailes e easamentos, vastidos de
be'ooda para dito, luvas enfeitadas da plumas e
floras de laraoja, borzegains de setim brsoo,
ricos leques, a lindas rosas soltas para Csbello,
* pentes de tartaruga, assim como a faiem ves-
tidos, capas, manteletes, zuave, e Lerna, ludo
que exige a ultima moda ; reeebem-se por todos
os vapores oa figulinos de Pars, tambem fazem-
se cortinados para camas e janellas.
uidaeo per todo|
opre^o, na loja do I
Seranejo.
RA. DO QUfclMADO N. 45. 1
Apparecaua con dinheiro que noo
deixaio de comprar.
Chitas escuras finas a 16U, 180 a 200 i
rs., cortes de vestido pretos bordados a 1
velludo d cuato de 15CJJ se vendem por 0?
309. 409, 50$ p ~i'9. aahidaa de baile vel- m
I j l ) e seiim i> 129 139, camisas para se- M
nhora a 29 e 39. golhohas e manguitos a 8
'29. 3t e 39500. golliohaa cambraia borda- j
iaa j0J,6'i0. 70J. 8(:), 900 a 19, ditas J
[ de fil birlado a 120 rs., casaveques de 3fc
1 fasta.) a 5. 69 e 1, meias ds seda g
brancaa e pretas para sanhora a 1J200 ]
o par, tiras bordalaa a 500 a 700 rs., 5
la de qaadro edfeitada a 800 a 360 ra. jg
O aovado, cambraia preta a 40O a 440 >
rs. a vara, organlys de orna a 600 ra. a 5
vara. Ci braoeo daroaseado Dra cor- a
tinados a vastidos a 400 a 500 ris a g
vara, cortes da colleta d eaaemira bor- 3>
dadoa pratos a 5 a 39000. ditos da f
vallado de cor a ptetoa t 39, 49, '>t 69, tt
pal-*tota de brim branco frtncezes a S
39500 49500, 'Mis da easemtra da eo- g
res a yr'-tos a 149 e 169. ditos de alpaca SS
prets a da corea a 39. 3J500. 49 a 49500, 3
camisas da paito da linho a ; OU, .ort-t *
da eollata da irorgarc a IpMKi, 19700, i
9200, 3g 3$30. colletea (eitos da bnm *
branco a 29"00, ilitoa feitos di gorguro S
a 29500 e 39500, ditos eilos da easemtra 2
a 3$500, 4S a 40500, ditos de vallado a j
59, 69 a 79, ditos da fustio da cores a S
13500, um vtrlado sortimento da maias Je
[>ara homem a sonhora, grioaldaa com ap
fiares, -halos de fre-o, esp'.rtilhos, a to- 5
da a qaalidada do roapas feitas para ho- jg
mam que tudo se venda por motada do S
seu valor. ffi
das Crazes n. 11.
6wa8M ^ss sisis
__ Vcale-se urna roobilia de mogoo a Lu'z
XV : psra ver e tratar na roa
primeiro andar.
RA
DO
MPER\D0R
55.
Vende-aa um cabriole! de gosto, de 4 rodas,
m ndito bom uso, proprio para a preaeote es-
tago, o qual lem asseoto para 2, 4 a 6 pessoas,
toaos articiaes. e que trabalha ale 2ctvallos
mulla leva, e nao americano, igaalmante s
vendem 4 cavallos, sendo urna parelba de casta-
uhos, um aodriso, bom andador, proprio para
ser.hora por ter as quahdades necessanas, e um
rodado pequeto para menino por ser muito pe-
queao e muito maoso : qaem os pretender pode
se dirigir ao sitio defronte da Estancia, sobrado
de doas andares, at as 9 da manba, ou das 3 da
tarde em diaole, que chara com quem tratar'.
Tudo isto s' veoda muito em conta.
fuueiro e vidraceiro.
Grande e nova oficina.
Tres portas.
31 RuaDirtta31.
Nasta rico a baro montado estabalecimento an-
contrarao os fragaezes o mais perfeito, bam aca-
bado a batato do sea genero.
URNAS de tolaa as qaalidades.
SANTUARIOS qaa rivaliaam com o jatearandi.
BANHElKuSde todoa oa tamanhos.
SEU1CUP1AS dem dem.
BALDES idam dem.
BACAS dem dem.
BAHUS dem idam.
FOLHA em caitas de todas ai groaaaraa.
PRATOS imitando m parfeiQo a boa poraal-
tana.
GIIALE1RAS d todaa as qualldadaa.
PANELLAS idnm dem.
COCOS, CANDIEIROS a (landres para qaal-
qaer aortimento.
VIDKOS em caitas e a ratalho dt todo* os ta-
mandando-aa manos, botar dentro da cidada,
am toda a parla.
Recebem-se encoramendaa de qaalqaer nata-
raza, coocertos, qua tado aera desampanhada a
COoUntn.
Pulseiras de cabello com cha-
pa dourada,e trancelins pa-
ra relogios.
A loja d'aguia branca acaba da receber a saa
encommenda das lo desojadas pulseiras de ca-
bello com aifTdieotes e bonitas iranias, lendo el-
las chapas douralas de delicados moldes, com
pedras e aem ell-s. o que de malhor gost se po-
de dar em tal genero ; asaim como trancelios
compridos e curtos com passador dourado para
relogioa, e porque de tudo iiso a quaotidade
pequea e nao chegar para lodosos pretenden-
te, convem que se apressem em mandar comprar
taes obras, na loja d'aguia branca, ra do Qeei-
mado o. 16.
RA
DO
Liogaas do Rio Grande em porges de 100
para cima : so armazem deTasso lrmaoa.
IMPERADOR
55.
Chega vapor para ovi-
gilale.
Ac para balo.
Sao chegadaa is varladeiraa asteas ou seo p>ra
concertar ou fazerbaloes, que com urna pequea
quantia qualqusr senhora pode fazer um grande
balo, poia vende-se pelo baratisaimo preco de
140 rs. a vara, oa pega com 50 metros a 5}500 :
s no gallo vigilante, ra doCreapo n. 7.
Cordo de borracha.
Tambem sao chegsdos os cordozinhos de bor
racha a de relroz, sorltdoa, de Unas crese de
todaa as grossoras, que maitose desejava, tan-
to para pulseiras como pare debram da collete,
para muilaa oulras obras : s no gallo vigilan-
te, ra do Crerpo n. 7.
Fita de borracha e de &eda.
Tambem sao chegadaa as superiores fitas de
borracha, assim como de seda preta, propna para
debram de vestido, como para collete, qae se
vende pelo barato preco de 160 rs a vara : s
no gallo vigilante, ra do Creapo n. 7.
Caixas de tartaruga o charu-
teiras de charo para rap
e charutos.
O tabaquiata qae aprecia a boa pitada de Lis-
boa oa mesmo Princeza, Mearon etc., te,
justo qaa compre ama booila caixa de tartaruga
luda marchetada com a qaal nao ae envergonha-
ra de offerac'er da boa pitada de aea gasto a to
dos os circamstaolea que se acharem em aaa ro-
da, muiloa dos quaes louvarao o seu bom gosto.
Assim como a cala oecescaria ao tabaquista,
charuteira nao superQaa no fumante e sendo
alia bonita como sao aa de charo nochetas ma-
lhor ser porque com iaso deixa conhecer quan-
to sabe apreciar o bom. Para os mala commo-
dialas tambem ba bom aortimento a todoa encon-
traro barateza ama vez qua munidos de dinhei-
ro so dirigirem a raa do Queimado loja da aguia
branca n. 16.
A loja da viuva Lecomte,
ra da Imperatriz d. 7, acaba d receber pelo ul-
timo vapor francez grande sortimento de rotas e
daliaa tollas para ornamento de caberas, pentea
denominadoa Berlhe, e outros muiloa de atar ca-'
bello, cravadoa de prata, luvas de Jouvin para
bornean e senhoras, peramarUs ioglezas e fran- !
cezas, am sortimento de enfeites de velludo psra
cabacas de senhora, tudo do ultimo gosto.
Aviso.
No armizam Bario do Livrsmenlo no Forte do
Mallos n. 15, vende-se farlnha de mandioaa a 39
a saces de alqueire : a ella.
Suecas de arello a 3#8U e de
milho a 3#000.
No armazem ds estrella do largo do Paraizo
o. 14
Luvas le camurca.
Veodem-ae na rus Nova n. 9, luvas de camur-
ca amarella, ditas de castor branco proprias para
militar.
Para o baile do
club.
Vende-se na loja do pav-i
Ricos cortes de vestidos de cambraia branca,
primorosamente bordados a crox, sendo os mais
bonitos qoe tem vindo a este mercado, e ven-
dem se pr precos baratiasimos, na ra da Impe-
ratriz n. 60. loja a armazem do pavo.
Lasemiras a 3,200 rs.
Na loja do pavao.
Vendem-se casemirss entestadas de qaadriohos
e listrs.8 miudinhas, sendo cores escuras a 3(200
o corte para calca ; vend-s a mesma fazenda,
tendo duaa larguras, a 1$800 o cotado ; isto na
raa da Imperatriz n. 60. loja do pavo.
Urco em frascos a 600 rs.
Grande, grande, muito e muito sortimento.
leos
psra csbello, em vijtude da deprtcieco que ten-
do tido o oleo dito philoeome soci*t l.ygien-
niqae por ter viudo tolo falsificado, recabemos
m artigo idntico aquella da fabrica CeMoupu-
las que garantimos ser o melhor cosmelique pa
ra o cabello, e os aroroaa escolhtdos to suaves e
duradouroa qua desafia meamo quem nao queira
o comprar.
Chegado pelo vapor fran-
cez s para o vigi ante
Lindos pentes de mai rafa.
Sao Chegados os lindos peolinbos Oouradinhos
com mullo lindaa molduras de diflereut-s gofios
psra marrafas ou travessos, pois s cora a vista
os compradores podero apreciar o quanto sao
delicado!, pelo barato pre^o de 3g o par, sssim
como sem ser dourados de lindos goitos, pelo
barato pre;o da 2$ o par : s no vigilante, raa
io Crespo n. 7.
INa ruado Vigario n. l, ven-
de-se :
Panno e Qo de algodo ds Baha.
Potassa da Russia e cal de Lisboa.
Vinho do Porto fino engarrafado.
Dito Bordeaax em caixar.
Dito Collares idem.
Pianoa da afaraac'oa autores.
Ra larga o Rosarlo n. 38,
loja da aurora,
tem par vetder bqo para balo a 120, 140 a 160
rs. a vara, tem luvas de pellica de verdad.iro
Jouvin paraaeohora o para homem, muito fres-
cas, ebegadaa no vapor inglez no oia 28 do tas-
sado, agulhas de todas as quslldades, rapPaalo
Cordeiro, dito Rocha, dito Uno. dito grosao, dito
meio grosao, dito M-uron, dito rolo francez,
dito Lisboa : lurfo vende aa em libra como em
oitavas, grande sortimento de Ota da seda, ven-
de-se muito barato, a muitas mais miudezas em
conla.
fcedas 500 e 7JO rs.
Vende-se sedas de lalas e de quadros para
vestidos de aeohors a 500 e 720 rs. de quadri-
nhos miudos o covsdo : na ra da Imperatriz n.
60, loja do Pavao.
Camisas jara senhora a 1$000
S na loja do Pavao.
Vende-se camisas de madapolo francez maito
bem r.feitsdis a Ig cada urna, s na ra ds Im-
peratriz n. 60 loja arm*?em do Pavao.
Chales baratsimos.
' Venee-se chales de merino maito grandes s
39, ditos a garibaldina a 49, ditos estamoadna
fizeoda finisaima a 6$. ditos pretos a 59, Oitos de
rede a imit<;a de relroz com bomtaa palmas a
3|, dilosde csisa de quidros a 6i0 is.: s na
ra da Imperatriz n. 60, loja e armazem do
Pavo.
Baldas de braotante,
Va loja do i*i a o.
Vende-se bales de bramante muito bem fal-
tos, sendo de por e tirar os arcoa quando se quer
lavar, para suhora e para meninas, do mesmo
bramante e de arcos : na ra da Impeaalriz n. 60,
loja do Pavo.

no vigilante

Luvas de pellic
Tambem sao chegadas as verdadeiras laves de
Jouvin muito frescas, tanta para homem como
para senhora : s no vigille, rus do Cres-
po o. 7.
iordados baratsimos
Na loja do pavo.
Vendem-se goiuhas mailo finas de cambraia
bordadas e de fil a 400 rs., manguitos com gol-
linhssde cambraia bordada a lg-280, mangailoa a
balo fiolaaimoa al, lencos d lioho com Uby-
rinlho a 2(500, ditos de r.an.brata de algolao a
imita{o delabyriutho a 640. 800, lj>, e fioissi-
maa tiraa bordadas e ntremelos por procos bra-
tissimoa : vende se na ra da Imperatriz u. 60,
loja e armazem do pavo.
Ricas fivelas dcuradas para
sinto.
Vendem-ae fivela doaradas a 2J a 2$00 aa
maia modernas que tem vindo : na rus do o'utt-
madop. 63. loja ao B-ija-flor.
Ricas voltas de aljofares.
Venlem-ae voltas oe aljofares com craz de pe-
nL,n.i,"M."-bfi,h,n,e5 na r" 0 Oueimdo
namaro 63. loja do beija-flor.
Facas e garios.
V*ndem-se faca, e garlos fluss de cato de b..-
c5u"<,S-f0!l,bo,Or,6Wt0. dita. par^docVa
a 55('0, dita prela crav.d a 31,600 dita tr.nrl
.35100, dita rolica a &; |5TT!
ijaeimado n. 63. loj do beija-flor.
Jogo (te vspera.
Vende-se jogo le viipora a 1;
Queimado n. 6i. loja do beija-flor.
na ra do
Auvelopos.
Vendem-ae snvelopes de diversas quaiir'.-.des
Sm0-'.1SO; 154"- "ul 0-cure..'
ja-flor'. Queimado n. 63, loja do bsi-
Paptl adamascado d; cores.
Ven Jo-se papel adamascado de cores a Siiil
155. dito branco a 1200: na ru. do'out.LuoV.
6.1. loja do beija flor.
rjavatinhas de seda.
Vendem-se gravaiinbs de seda psra senhora
de diverses cora : na rus do Queimado u. 3
loja do beija-flor. '
Tiras bordadas.
Vendem-so ricsa tiras bordadas para vliSi,ios
n.,.,l^.",?,t;rli:."':"'-"- "'"""
8 na
fffande
Lindos enfeites para ves-
tidos.
Sao chsgadsa no vapor inglez as riets flores de
velludo que sao admiraveia pela delicadeza daa
lindas corea, pois com pequea quantia aa senho-
ra. toiero enfeitar os ricos vestidos que ser
muito spreeievel, pelo baratisaimo prego de 1$
a duzla : s no gallo vigilante, ra do Cree, o
numero 7.
sVuiceiras.
Tan bem sao ahegsdss aa riquisaimas palaeiraa
com pedras szaes e oulras verdes, cousa muito
delicada, que sa vaude por precos baratsimos :
s no gallo vigilante, ra do Crespo n. 7.
Balei-ris par* esp&rtiiho.
Tambem sao cbagadas aa vardadiras baleias
da todas as groisuras e fornidas, para espartuho,
pelo barato prar^o de 120 rs. cada urna : s no
vigilante, ra do Crespo o. 7.
Leis do Brasil.
Hs para veuder-se am grsnde sortimento de
collaccea das leis, senlo de diflerentes anooa,
em brochara, e tncadernados, por prsQo muito
commodo: na ra do Imperador n. 15, das 9 ho-
ras da manha at as 3 l|2da tarde.
'I
Na loja Ho pavo.
Vandsm se mullo lindos vestidos de cambraia
bordados a seda, sendo de toJas as cores a 6*.
; ditos com barras e babados a 45300, ditos a 4$,
corles de tarlslana br-oco. boroados e de cores
ja 3jJ. ditos de cambnia branca com babados
255OO, ditos de cau,brais bordados com babados
e duas saias a |f, cortes de barege com 22 cova -
1 dos cada corle, leudo os de seda a 4|, oitos de
j I*4 45, cortes de cambraia com aalpicoa bron-
cos e de core, Wndo 6 viras cada corte a 3J,
ditos de salpicos mais fines com 8 varasai^,
I tudo isto se vende por menos qae em oatra qual-
quer parte para apurar dinheiro, s na ra da
Imperatriz n. 60, loja e arrruzem do psvo.
MA
easamentos e bai-
les.
BoAasde setim branco para senhora.
Dit e pellica branca psra senhora.
Dita .. e setim pralo para tenhor* a 43.
SapaVs de dito dito para dita a 1(500.
Na 1 ola de calgadoda ra do Caoug n. 16.
i
Vendem-se luvas de algodao
ranea propria para a guarda
acional a 200 rs. o par : na lo-
jp de Nabuco 61 C. na ra Nova
Alpakin uu gorgiirao.de iinho
Vende-se esta nova fazanda a imitacao de soda
de quadrlobos a 280 o covado: t na ra da Im-
peratriz n. 60, loja e armazem do pato.
Musseliua branca a 200 ~s
Vende-se musseliua branca com 4 1 [2 palmos
de largara a 200 rs. o covado : s na ra da Im-
peratriz n. 60, loja do pac.
Grodebico a 120
ris a libra, 6 sendo de 10
libras para cima a 100 ris
Vende-se nicamente por estes precos nos ar-
matens progressista e progresssivo. c'o largo do
Carmo o. 9 e ra daa Cruzea n. 30, affianja-se
ser multo novo.
Grande txposi^o de ba-
ldea de arcos na loja do
Pavo.
Acaba de chegar loja do Pavo am grande
aortimento de baldes de arcos ameiicanos sendo
a llsthildo, Carola e a Eugenia que s.io os
melhores c mais bem armados mercado com diversos (a,:,aohos eodo de 6,8,
10, 15, 20, 25, 30 e 40 arcos e afiaoca-se a tiu-
raco e boa qualidade dos ditos bnes : f na
ras da Imperatriz n. 60. loja e armazem do
Pavao.
5.uus, expaspo
de fazeudas novas e bara-
tsimas, na ra .a Impera-
triz, ioja u armazem da art-
ra n. 56, de Magaies A
Men'les.
Fazendaa por menos 10 00, qaeiram vir vftr
para arreditar, a tu : chitas a 160. 180 e 200 rs.
o covado, ditas francezas a 20. 210, 280 e 320
colado, corles de (hilas tinas Com 12 1|2 cova-
dos a 23500, cuites de casass franelas a 25500,
ditos pretos a f>00 : oa ra da Emperatriz, loja
da arara n. 56.
Arara vende oltsttm para reftttdos.
Vende-se a (azenda por nome olesiim de Iinho
de urna s cor eqoadrinhos, propria pane-; s
e vestiJoa de leohora e roupa de menino* a 580
o covado, fusto de cores para vestidos 3 280 o
320 o rovaao : na ra da Imperatriz, luja da ata-
ra o. 56.
Aos manguitos da arara.
Vendem-se mao)titos e golla de liuho pin
senhora a 25. golliuhas a 500 rs., eotnia para
tcohora a 2jJ e 35 : na ra da Imperatiu, Iota da
arara n. 56.
>&
Vestiios brancos.
Vende-se corles de vestidos brancos bordados
a seda, praprios para noiva, pelo baralissimo
prego de 69, ditos de larlalana branca borda-
des a 105 : oa ra da Imperatriz n. 60, loja e ar-
mazem do Pavo.
Jariatauas e ii do Pavo
Vende-se larlataoa branca e de corea a 800 rs.
a vara, fil branco liao a h o rs., d to lavrado de
palmichas a 15 a vara, orgendy* branco muito
fino a 1$ a vara : na ra da Imperatriz n. 60, loja
do Pavo.
Mozambique a GiO rs.
Aa hnm Plaftsiiisfi f t Naloja o Pavo.
^*-v/ aV#V/lll ^0.1^*0.^*^ i l\ Vende-se mocambiqie tolo de la sendo fa-
zenda mullo leva para vestidos de senhoras e
roupa para meninos, com delicadas crt-a mio-
dlohas e tondo de urna f cor proprio pan cr.pas
de senhora tendo ecta f^enda 4 paln oa i'e lar-
gura e vende-se a 600 is. o covado : na ra da
Imperatriz n. 60. Inja e armazm do Pava).
Luvas e sintos do Pavo.
Vende-se luvas de seda prelas e de cores a
640 rs. o par, ditas de retroz a 640 rs., sintosde
seda muito ncoacom ltelas douradas a 1$ cada
om : na ra da Imoeratrtz n. 60 loja do Pavo.
pavao.
Vende-se oeste estabelecimento as fazendaa
mais baratas do que e com o fim de apurar dinheiro, chitas largas es-
curas com pequeo toque de mofo a 200 rs. o co-
vado. ditas fraocazas a 210. 260, 280. 3Z0 e 360
rs., pegas de madapolo e alatodoziiiho por pre-
cos baratiasimos, cassas organoys de todas asco-
res, c*mbraias de todas as qualidades e todas as
mais fazendaa precisas para o consumo, al'n de
estar este eslaboledmeoto aberto daa 6 as 9 ho-
ras da ooite, tambem se maoda levar aa fazen-
daa o omotras pelos can.iros : na raa da Impe
ratriz o. 60. loja do Pavo.
DE
.). VGNES
Os pianos desla amiga fabrica sao hoje assaz conhe^idos, para que seja necesario insistir
sobre a sua superioridade, vnta.;>,ens e garantas que offdrecem aos compradores, qualidades estas
inconiestaveis que elles tem definitivamente conquistado sobre todos os que tem apparecido n'esta
praca ; possuindo um teclado a machinismo que obedecem todas as vootades e caprichos dos
pianistas, sem nunca falhar por serem fabricados de proposito e ter-se feito ltimamente melho-
ramentos importantissimos para o clima desle paiz ; quanto as vozes sao melodiosas e flautadas, e
por isto muito agradaveis aos ouvidos dos apreciadores.
Faiem-sa coBorme as encommendas, tanto nesta fabrica como na do Sr. Blondel de Pars,
socio correspondente de I. Vignes, em cuja capital foram sempre premiados em todas as expo-
sic5es.
No mesmo esubeleciment se acfaa sempre um esplendido e variado sortimento de msicas
dos melhores compositores da Europa, assim como harmonios e pianos harmnicos, sendo tudo
vendido por precos maito razoaveis.
lio upa parahoiaueus,
Vende-se alcas de casemlra.de brim pardo,
de dito fe cores, palitots fraocezes a 65, ditos de
panno preto e cor de caf a 65. caigas de case-
mira preta a 5 : na loja do Pavo, ra da
Imperatriz n. 60.
Libras steriinns
Vendem-se no scriptorio de Manoel Ignacio
de Oliveira & Filho, largo do Corpo Smlo n. 10
i smmtMm-9KBmwi9aB9R9!gii*
Loja das t por-|
tas em frente do Li
2 vrameuto.
f Baloes de 15, 20, 30 e iO arcos.
Grande sortimento de bales de arcos 8
V os melhores nesta fazeoda o grandes, chi- *
j las francezas largas escuras a 220 e' 210 M
rs o covado. ditas estrelles miudinhas a **
100 rs. o rovado, cambraia lita par for- 8
rocom 8 l|2v.raa a 2# a peca, ditas fi- **
as a 3?, 4$. 5# e 6| muito oas, dit.s fi
de salpiquiuho com S 1,2 varas a 3*500 O
I a peca, cobertas alcoiofias brancas a de i
* cores para cama a 4j50O e 5J, casias de *
cores francezas Kntas taguras a 320 rs. o S
covado, peca da bretaoha de rolo a 2$,
algodu trao^ado alvo maito largo para' II
Stoathas a 15 a vr. enfeites a Garib.ldi S
sendo pretos a SJJ cada am. lenco, bran- 1
I eos com barra de corea a 120 cada um, S
roupa fetta de todas aa qualidades muito 1
baratas, a loja est aberta ale as 9 horas S
da noile. if
mmjmmm vBvammmmm
No srm.sem de materiaes de Uanoal Fir-
mino Ferrolra, na raa da Concordia, vad-se
ubre piche para fabrico de embarcares.
Acaba de chegar loja do Porto, esquina da
rus da Madre de Dos, um completo aortimenio
de caira.10 francez, sendo : borzeguins a sapates
de Naotes para homem, ditos para senhoras e
e meninos de todas as qualidades, como tai bem
um completo sortimento de fazendas e roapas
feitas por presos muito em conta.
Keiogios
Vende-se em casa da Johnston Patera C,
. .i do Yigario n. 3, um bailo sortimento da
1 elogios do ouro, patente inglaz, de um dos mais
afamados fabricantes da Liverpool; tambem
asaa variedade de bonitos trancollins para os
masmos.
Esperance
L: jai de miudez&B^uia do
Queimado n. 55 4, de
Guiuares $ RuvA, .
Para baldes.
Molas cobertas de fio para saias a 160 rs. a
vara.
Agulhas victoria o papel a 120 rs.
Ditas fundo doarado a 120 rs.
Liaba de peso, meada a 100 rs.
Dita froxa para bordar a 80 re.
Dita de carretel, 200 jardas a 80 rs.
Dita de cores, qaalquer qaalidade.
Gravatas
com boloise sem elles a 19, de cores e pretas,
para homem a meninos.
Tranca de Iinho.
Recebeu am lindo sortimento destas trangas,
proprias paraaa leves roapas da festa, justo
qae vo-se preveniudo.
BotOes
para casaca e caa.veque, de corea o pralos, para
camisa madreuerola fina, do osso para caiga a
320 a groza, muito finos.
Clchete*.
Esta loja desejando sempre ter objectos novos,
recebeu_ colchetea retorcidos do fio batido, as
caixaa sao em forma de urna carteirioba qae ae
torna mailo elegante, s ba na Esperance a 80
ra. a caixinhe, em cartao a 60 rs., ou dazia por
600 rs.
Pennas de ac
caligraphieas por2, o2400, verdadeiras da Per-
ry, e de oulras qualidades, por menos do que se
costuras vender, caetas para se adquirir ama
posigo alegaste (escrevando) a 500 r... da mui-
tas qualidadas como de borracha a 160, a balo a
160, a pistolete a 120, e maito boas o muito ba-
ratea por 40 ra. cada ama 1 I
Perfumavias.
O cheiroso e suave sndalo s 1JJ60O o frasco,
(essencia Concentrada) patbchouly, o mbar, o
bouquet de nupcias, o de Lshore, a velivia, a
magnolia, a rosa, o jasmim, a flor do larangeira.
a um computo sortimento da perfamaria que te-
mos, tnto francezas como inglezas.
N. B. Temos feito ltimamente um contrato
com um fabricante que noa permiti vender este
genero, eujo cooaamo so adiaola, por precos in-
letramenle baixos e sem rivalidade.
Arara vende a popelina da China.
Venl.-se a fazeoda por nome popeln* da Chi-
na em l. para vestidos da senhora a 320 o cova-
do, chales de merino eitampados a 3jJ, oitos do
la i I}, ditos de la a seda a 1 ?, ditos abortos a
60 : na ra da l'nperalriz, loja da arara u. >.
Alusambe~d_a arara.
Vende-se a fazenda por noraa Nmuan..b com
palmas de seda de 4 l|t palmos de llfgb, ropiia
para vestidos de seuhora 500 rs. o cova o, uiu
de lirho de cores a 200 rs. o covado, dito lavra-
do a lgtO a vara, liso fino a 780 e 800 rs. a va-
ra, tariat-.na a 8U0 is. a vara : na ra <",a Impe-
ratriz, loja da ?rar n. 56.
Arara vende as crinolinas de 10, 50 e
40 arcos.
Vendem-se baloes a crinolinas 5e arco.', c
mais mo-'eroos que lem tio;o, ditos do madapo-
lo e brtlh>olioa, saias de cordo que faz sos de
balo a 29400, b.les para ii.ei.ina a 3$: oa ra
a Imperatriz, loja ,m srr.rs n. 56.
O baljudtrn da arara.
Vende-se a fazend* por nome babadim cora lis-
Iras de seda para vestiios de seuhora a 5U r*. o
covado, cobertas do ihita psra cama a ^;, col-
chas 1e fusto para cama n 5^, ijitas avolladadas
a S, alerturaa para cau.isas a 240 aua urna
corles de calca pars homem. de brim currt
claro, e de ganga e fusta. de qoadriooos a e
I#280 o corte : ca ra oa Imperatriz, loja da
arara i 55.
Laamocambique a 400
veis.
Na loja do Pavao.
Vende-ae ISazinhaa de urna s cor com qua-
driohns e lista propria para vestidos e capas
aendo fazenda flniaima a 400 rs. o covado : na
raa da Imperatriz n. 60, loja e armazem do
Pavo.
Las com llores a 4(J0 rs
Vende-se lazinhas.muito finas com bonitos
padroes a 400 rs. o covado : na ra dr Impera-
triz n. 60. loja e armazem do Pavo.
Tarlatanas com pal-
m i n has.
Na loja do Pavo.
Vende-se tarlattna com palminhas de cores,
tendo cores proprias para luti a 320 rs. o cosa-
rio : na ra da Imperatriz o. 60, loja e armazem
do Pavo.
O Gira sol
defrente da Penha n. 33 vende manteca ingle-
za superior a 800 ris, dita franceza a 600, quei-
jos do ullimo vapor a 1g!IOO, ditos a 1;700 e
15500. cha fino a 258OO, caixas de doce de goia-
ba a 500, espero,atete superior a 720 ris, su-
perior vinho do pjrto a 800. dito do Figueira a
640, 560 e 500, e todos os mais geuetos lous e
baratos.
, Arara vende as cass;s cliintzas.
I Vende-se a a imitacao de seainha da qiai.ros, propria para
vesios de senhora e rouia de meninos a 240 e
280 o covado, rucado a Ganbalni a 280 o covado
para vestidos, cobeiiorns de algodo a 5, ciil-
braias brancas a 1>000, 2*. 15500 o 3 a peca : La
ru da 1- peratii?, loja da Mar n. 56
Org..ndys da China da arara.
Vende-se a (azenda por nome organdya ^a C'.i-
na aoamascado c palmas de cores, propria para
vesli.io e muito largo a 400 rs. o covaoo, c irs
de la par senhora a Ojj, oilas de groaoeoaple
mojemos a 20 e 25j : na ra do Emperatriz, loja
da arara n. 56.
Arara vende lazend.i por nome u..s>
a mim.
Vende-se a fazenda por nome mais a mirr. pa-
ra ve.stiJosde. senhota e adamascada, d. bonit. .1
g. oos a 360 o covado, pegas de eambraiaa da
salpiquinhoscom 8 1|2 ver>s a 8)500 e 4 : :a
ra oa Iiui bu iii/, foja da arara n. 56.
Tiras e ntremelos da arara.
Vcndem-se tiras e er.tremc-ios da largura de 4
e 5 dedos, de binitoBgolos a 1$80 e l^i 00 a
peca, ditas de emremeioa a lj. IjxO e ljtiOOa
teca, corpinhos bor.lados para meninos a locada
um : na ra da Imperatriz, loja da ar>ra n.56.
Semeiites de Paris
Cbegaram loja de ferraftens de Bastos, na
ra da Cadeia do Recife o. 56 A, as novas s. mea-
tea de horl.lKe viudas de l'aru, ss quaes sao de
superior qaalf.de. e so vendem baratas.
Banhas.
Pomada Imperial, frasco a 2J.
Japooaza a 1JJ.
Imperador a IjJ.
Imporatrix Eageoia a 1J.
Expoalcao anivaraal a 2J500.
Mogas americanas a 500 rs. 1*.
guezes n km e kmk*
Kua estreita do Rosario,
esquina (te ra das
18Laruigeiras18.
Veudem-se todos os gneros por menos do
| que em outra qualquer parte: msoteiga iogleza
tica a 800 e 510 rs. a libra, dita frauc.za a 610,
i em porco faz-* alpam abatimeoto, cha supe-
rior a 2SbO e ~jiI a libra, passaa muito novas
a 380 rs., nozes a 120 rs., ameodoas a 3oO rs a
librs, superior caf a 280 rs., toucinho a 300 rs.
a libra, macarro, aletria, lalberim e mais massas
finas muito novas a 3Z0 rs., velas de carnauba
saperiores a 400 rs. a libra, ditas stearioaa a 720
rs. a libra, queijos de qualha muito novos a 320
rs. a libra, caixe.com 4 libras de doce de caaca
de goiaba a SOO rs., ditoa pequeos a 560, vinho
de Lisboa a 400 e 500 a garrafa, dito Ftgueira a
600 rs. a garrafa, dito do Porto engarrafado a
IJIOO a garrafa, 1200 e 1#600: alm destes g-
neros mencionado* se encontra tudo quanto
pertencenle a molbados e de superior qaali-
dade.
Vaode-sa urna porc.o de botija* va.i.* por
prego commodo, no deposito do finado Joaqnim
Lob.lo Ferreira, assim como tambem vndete
um armazem o am ped*;o de terreno que tem
no fondo do mvso.o deposito : os pretendentts
qae quizersm, dirijam-se ao mesmo deposito.
Venue-se um tscravo etieulo de ldade 1S
annos, rouito stflio, e sem vicio: im ra do
queiaado, loja de ferrag-n* d. 13. Na mesma
oja tem qoeljos do sprin para enoer.
Cal de Lisboa a
o barril.
Tem para vender Antonio Luir de Oliveira
Azevedo. no seu escriptorio ra da Cruz n. 1.
Calcado barato!!
Na loja do Porto esquina da ra da Madre de
Dos, vende-se urna port.o de calcado com pe-
queo defeito muito barato
Venda de animaes
4 vaccas crioula, sendo 2 paridas da primelra
bsrriga, e outra prenhe ; 1 novilhot e 2 eguas,
sendo urna dellas muito boa criadeira e prenhe
de jumento, o que se afianza : na ruad* Aurora
venda do sobrado o. 48
Cal de
A 5,000 rs.
Vebde-se barriscom cal nova ebegada ltima-
mente, a 59. no antigo o acreditado deposito da
raa do Brum o. 66 armazem.
Farello
em saceos grsndes a i: no armazem do Sr. Luiz
Antonio Acns na eacadinha da alfandega.
.


6

Vl$O DK PERRAMIUCO ~ SABlAD 6 DI SElEjUBHO I 1861
IC&O DE PREGO
m
mmm
$

>>
FRANCISCO FERNANDES DUARTE. "
10 Largo da Penha 10
A vantagem que o proprietsrio deste scrediwdo armazem da molhados tem offerecido, ha
sido conbeeida pelos seus numerosos freguezes, mas como assm ainda b.jam alguns senhores que
nao se tem dado ao trabalho de esperiroentar, rogo a todos elles o favor de mandaren comprar suas
encommendas no armazem Progresso do largo da Penha n. 10, afim de verificaren! a exactido
do meu annuncio ea d.fferenca de prego equaHdade que faz, se fossera compradas em outra qual-
quer parte, pois para .sso se recebe em todos os vapores navios de vela vindos da Europa a
m.-nor parte dos gneros d. conta propria. Para maior concorr.nm e .ommod.dade, resolve o
propne.ano encargar-se par.com aquelles senhores que nao possam vir, era mandar, de des-
dacha e remetler pela v.a-ferre. para o lugar indicado, todo e qualqu.r genero Conrado neste
armazem. fiancando-se serem to bem servidos, coo viessem pessoalmante. pois para este fim
aama pea, de confian;, para de prompto conduzir as cartas na chegada do vapor.
aal*gft 14*d*>ZH de primeira qu.lidade da safra novia 00 a 720 rs. a
libra, e em barril se faz abatimento.
tatiteiga raneen a mais nova do mercado a 00 rs> a ,ibraj e am barrU 1560
VU UllXim o qu9 sq pode desojar neste genero a 35000 a libra.
vUa aySSa 0 mais superior do mercado a 29800 a libra, a em porcao se faz abati-
mento.
UftV OS ll ?lrlU* chafados neste ultimo vapor muilo frescos a 2&000, ditos che-
gados em navios a 15700.
< '!\a pYVMI verdadero inglez a 2*000 a libra em porejio se faz abatimento.
LSe^m feltX'llla**! confeitadas, contando diversas iguarias muito proprias
para mimos a 1*000 ca.la urna.
* da soda em latas com differentes marcas a 18400, afiamja-sa a boa qua-
lidade, assira como tara latas grndas com boLchinha proprias para lancha a 2*500.
"Lsg'fim&S A WoUfO eSp9.ial wnho do Porto em garrafado vindo a sigunda vez
ao nosso mrcalo a HzOO a garrafa e em caixsscom 1 duzia qor 12*000.
VI :UJ C&giTf">iaaO das melhores marcas que vem ao mercado, como sejao Duque
do Porto, Carcavelhos e Feituria a 1*200 a garrafa.
tacatas S>m \inh do Porto co* 70 garfas proprio par. casa particular
em garrafas 32*000, afian^a-sa ser de superior quali.iade.
^ lllO em \>\$>\ de superior qualidade Porto, Figueira e Lisboa 500, 560 00 rs.
a garrafa, e em caada a 39500, 49000 e 49500.
m refinada eaialas corn 10 m por 4000j e em barrifa 400 rS a libra>
awmi, HafteTvao **l\w>in 822
65000. afian^a-se-ser muito novo.
12Ofo rs.
ss de escabsche das seguintes qualidades savel, congro, corvina,
chorno, pescada, e vezugo a 19400.
V S df) epermaSete a G80 rs. a libra, e em caixa a 660 rs.
d ci\raaaaa refinadaa 3G0rs. alibr3f eemarrobaa llf rs.
$ LliatO tO T*4f*0 a 560 rs. a libra, e em porcao a 500 rs.
Dito inglez para nambre a 64o rs a Iibrat
J\l& X%fl I?*tcela* em latas da 1 e meia libra por 1*500, ditas com 3 libras
por 2*600
*** >** dO aoUamda a 5G0 rs. o frasco, e 69400 a frasqueira con 12 frascos
IX&TTS 10C3 cora gonebra de Hollanda com 25 garrafas por 9*000.
H?MW muito limpo, a 160 rs. a libra, e em arroba 49800,
-i muito novo a 160 rs. a libra, 49800 a arroba.
20 rs. a libra, a em caixa grandes por
auito novas a 560 rs. a libra eera barril com urna arroba por


DE
DE
flaiioel Pedro de
FUNDICAO DA AURORA.
largo do LivrameDto ds 38 e 38 A
Defronte da grade da igreja, cujo titulo distiactivo
O BALIZA
tade como um des melhores e
mais acreditados de;ta praca.
Aviso particular.
Previne-se s pessoas de fora
desta cidade que jodem sem re-
ceio al>um mandar os seus pli-
dos por escripio, que sarao satis
fait s com a maior pontualidade
e boa fe possivel. ainda mesmo
de objer.tos que nao sejam pro-
prios de-te estabelecimeuto, c mo
ferragens, roiudezas, ou medica-
mentos.
O annunciante desejando fa-
cilitar a consecugo dos negocios
que por ventura tenham os seus
freguezes de fra, se offerece
tambem para fazer procu'ar qual-
quer despenda ou lioenea que de-
penda da autoridaledo Exm. Sr.
Bispo Diocesano, bem como de
apresentar qualquer consulta aos
.'enhores doutores desta cidade,
quer respeito de direito, quer
de medicina.
W* suspiros era meias caixinhas, do melhor faSricante da Baha a 2*000 cada urna
^a o mais superior que ha no morcado a 240 rs. a l.bra, e em garrafes com 5 libras
por lOOO, s o garrafo val 500 rs.
.5&"V!*Mll?la de Fraoga muito nova a 200 rs. a libra,
nomina muito finaealva a 100 rs. a libra e em saccas se faz abatimento.
ratWlft naOS oara dentes a 160 e -80 rs. o mago com 20 raacinhos.
PtttOS O ^Za 2*300 rs. a groza e a 20 rs. a caixinha.
flT i|a aff?,*'* das marcas tooente, ou XXX a 6*000 a duzia e 500 rs. a garrafa.
1T4 i|a *&:.;$ a das mais acrelitadas marcas a 59000 a duzia e 480 rs. a'grafa-
w nnO ayatiCO engarrafado o iuis suparior que tem viudo ao nosso mercado a 800 rs
tambam tenho de barril para 560 rs. a garrafa.
1< Uriana rh LUbnn a 7900O a arroba e280 rs. a libra.
Cal do tt.l< iavado a 300 rs a ,bra a a 9jooo arroba, dito de 2.a qualidade a
260 rs. e 89000 rs. arroba.
AtfO* de Maranhao a 100 rs. e 120 rs a libra, e em arroba a 39000 e 3*500.
^eealata hespanhol a 19200 rs. a libra, dilto francez a 19100.
laai il^iaa*, imperial do afamado Ahreu ede outros muitos fabricantes de Lisboa a 800 rs
a libra, tambem ht para 500 rs. a libra.
1 ?ai*>iS m Cala1** pecego, damasco, pera, alperche, e ginga a 600 rs.alalta.
3 JdTi^l.-ia d^ nattHM a 330 rs, a latta alliansa-so a boa qu.lidade, e emporgao
se faz a batimento.
9fslin 18 francazas a portuguezas as maisnovosa 640 rs. a latta, em meias latinhas a
500 rs.
l3no Wrtrl^^UK, Marg, Medoque e S. Juliende Medoqua a 9^000 e 10*000
a caixa, em garrafa 800 rs. e 1*000.
^^lirOri 0 melhor pelisco que pule ha ver por estar prompto a toda hora a 800 rs. a libra.
fj600laS nOV-iS a l* o cento e a 1*200 o molho com cento e tantas, tambem ha
proprias para conservas a 400 rs. o canto.
Aii V3. UOCt muito nova a 320 rs. a libra, e em arroba a 8*.
e s pCl gTGVfc a 49 a resma, dito de peso pautado a 39, dito almajo bom a 39200.
,_?J.>.SS'rl para SOJ)a estrelnha e pevide a 600 rs. alib'a, em caixinhas sahe mais
barato.
Jiem de tomate era latas de l Um por 800 rs ede 2 libras por 1*500.
Afc^lte (lOCe refinado a 800 rs. a garrafa, e em caixas com 1 duzia por 89500.
Ideill de Lfrb a a 720 rs. a garrafa e 5*600 a caada.
AmendoaS de casca molla a 320 rs. libra o 89000 a arroba.
Vinagre de LsbOl a 240 rs. agarrafa e 19800 a caada a fiansa-sa a boa
qualidade.
Ull* m '>illt das mais acreditadas marcas a 15*000 e20*000 o gigo, asm garrafa
a 1*800.
V ln-igre Dra neo 0 qUesa poje dezejarnesie genero a 400 rs. a garrafa.
^ieOre8 trancezes de todas as qualidades ques. procurar a 19000 rs. a garrafa.
Familia do tlaranha-. mu5t0 alw flchairosa, 160 rs 1bra#
TIjolp para limpar faccas a 180 ra. e era porcao se faz abatimento.
Coilhaqiie nifleS a 900 rs. agarrafa e 109000 a caixa com urna duzia;
Alm dos gneros cima mencionados encontrar o respeitavl publico um completo sorti-
mento de todo que tendente a molhados.
Neste vasto estalelen ment a-
char e respeitavl publico desta
capitil e de fora, um gande e
PERFEITO tOKTlME.vro 1>E MO-
LHADOS, que se vende t-nto era
grosso como retalho por muito
menos pre^o do que em outra
qualquer parte, por serem quasi
lodos recebidos de conta propria.
MuiU atten^o.
Todos os gneros sahidos des-
te noy armazem letarao urna
etiqueta para seguranza dos Srs.
que nao quizerem vir fazer as
suas cumpras, e mandaiem por
seus ecravos ou fmulos.
Esta prevnrao atiesta bara,
que a mais perfeila e duradoura
confianza se deseja possuir de to-
dos geralmente, e por isso nao se
pouparao exforgos para serem
bm servidos todos os Srs. com-
pradores, afim de que possa este
grande estabelecimamu ser apon-
Tambera se receb* qualquer objacto como assucar, couros, la, etc., etc., para serem ven-
didos, sendo a coat eo seu producto entregue promptaments a quem for determinado.
Na mtenco de possuir mu tis relc5. faz o annuac ante lodos este3 offerecimentos; da
forma que neta estbele-.imento, nao acharao os Srs. de fora desta prara um bom freguez,
mas tambem um amigo e um criado s suas orJens.
A todos em goral.
Si por acaso nao gradar qualquer g immediatamente trocado ou restituido o seu importe, conforme for exigido.
U annunciante protesta cumprir com a mais seria e restricta exactido eta sua ptoraessa.
AMEIXAS francezas em latas de tres libras e Genebra \erdadeira inglezade man Gato do fa-
mais, a 29240 a Uta. bricanla Carduer & Broorahal de 194U0 a
dem dem em frascos de tres libras e mais, de 1*^00 a garrafa.
29800 a 39 e frasco.
AMENDOAS de casca mole de 240
a libra.
ALPISTE a ICO a libra, e era arroba a 49800.
Arroz da India de 100 a 120 rs. a libra, e em
arroba de 39 a 39400.
dem de J.va de 100 a 20 rs. a libra, e em
ar ob3 de 39 a 3*400.
dem do Maranhao de 100 a 120 rs. por libra
e em arroba de 3 a 39200.
dem do Penedo a 80 rs. a libra, em arroba a
29240 e erasiceos a 2*.
dem com casca a 160 rs. a cuia, e em sacc
20 cuias a 29500.
Azeilonasem antoretas de 8 garrafas a 1.
e em garrafa a 320.
Azeite doce refinado a 800 rs. a garrafa,
dem em barril e de primeira qualidade de
a 660 rs. a garrofa.
Bolachinhas americanas muilo novas de 32
360 rs. a libra.
Biscoutosebisoutinhos, araruta, a'iados e
tras qualidades de excellentes massaj a
rs. a libra. >
dem em latinhas de 2 a 3 libras e de diversas
qualidades, contendo urna lata mis de
espacies de biscoutinho3 por 1*400.
Bolinliosde ovos era Utas reoomraendados pelos
senhores mdicos a 19400 a l.ta.
a 280 rs.
ceas
de
0,
40
k
a *u-
>20
II
em de Holanda era frascos pequeos e gran-
des de 5i>0 a i9ur O.
Graixa em boies a 240 rs., e a duzia a
2700.
dem em lata muilo nova a 120 rs.
Grao de bico muilo novo a 100 rs. a libra,
Gomma excellonte do Aracaty, a 100 rs. a libra.
Kirsch Wasser, excell-sot* bebida do fabricante
Richard & Muller, era garrafas grandes a
1*500 a garrafa.
Licores dos melhores fabricantes inglezes o fran-
eezes e em differentes vasos de 500 a 19600
a garrafa de diversos tamanhos.
Manteiga ingleza perfectamente flor de 700 a
800 rs. a libra. '
dem de segunda qualidade de 5G0 a 640 reis
a libra.
dem franceza de 560 a 580 reis a libra,
llera de porco em latas com 10 libras a 39600,
e a libra a 330 rs.
llera em barris muito superior a 360 reis.
Marrasquino de Zara a 800 reis o frasco.
Massaspara sopa, macarro, blharim e a'letria a
3o0 reis a libra e a caira cora urna arroba
hespanhola a 59500, do fabricte Nervy.
dez dem finas e.-trelinha, pevide e oulras a 560 rs.
a libra.
Momos ingleses e muito superiores a 500 reis
o Ta-co.
Bateas a 8'i rs. a libra, e em gigos de 36 a 40 dem idem iJem a 29 em frasco grande rolha
libias por 3200. I de vidro.
Caf do Cear de primeira qualidade, de 280 alloza* superiores a 200 reis a libra.
a 300 rs. a libra. j Piosj horos do gaz a 2*300 a groza, e a 200
dem do Rio 1. 2.' e 3.' sortes a 240, 280 e! rs. a duzia.
300 rs. a libra, e em arroba de 79, 7500 Prezunto de Lamego o melhor do mercado a 480
aiaeiuVwm dm!iSllir'|DUda fbrf1"-d "lano. mais .nti*. do imperio, tont
ST-2. U.d.a'p SfeiSSS: ne0Bin,"d" d P* 5 achia
Tiixaa fuodlJas batida.
C'i'oi e boccaa para (oroalhai.
Broozaa iguilhoes.
Rodas, rodetu rodas d'agaa.
Guindastes Oxos e portatis.
Machinas de cylindros para padaria.
Serras de a;o para serrara.
Piteaa para barcos, etc.. etc.. tado p0r praco jM bam eooAlda.
inua-se n
IS sssdss
. uiijiao4<
Defronte do becco da Congregago letreiro veHe
Ret sstibelecimente ha sempre nm sortimento completo de roape foiu d W.
g{j todas as qaalidadaa e tambem te maeda execattr por medida i Tontada ot (recae- 8S
^.; para o qae tem am doa melhore profaaiores.
&S Casacas ae pannv prato a 0, Ditos do sotim preto
85f o 30^000 mtoe de seda e setlm branco 161
f Sobrecatacosde dito dito 35* o
Paletota de panno preto o da co-
res a 359, 809, 25p, 109,189 o
ffjgS Dito de casemlra de cor.s a 229,
ffS 15,123. 79 e
^5j Ditos de alpaca preti colla do
'^r' >Uado (raceeia
gra Dito de merino setlm pretos o
F%?.' d* coros a 9| e
' '-'j Ditos .1o alpaca rio cores a 5* o
(i0 Ditoa le alpaca pretsa99, "9.59 e
Ditos da brim de sorel a 5f,
45500, 49 s
i',fA Ditoa d* braviante dalnho bran-
5J000
SfOOO
309OOO Hilo da sjorgurao de seda prttea
e de cores a 79, 69, 49 o 5S000
509000 'Ditos de brioc fualao branco a
j 85O0,19500 39OOO
9*000 I Saroulaa de brln. de linho a 2* o 9100
Ditas do alftodao a I96OO o 1280
109000 '
3
1 .-,'-,
prets

o a 6*, '% e
Ditos le merino do rordao
a 159 *
Ca'c.'j da cssomira preta edo co-
ras a M9, 109, 93, 79 e
Ditas de priucei e Di*rir. de
eordao preto a 59, 69500 o
Dit* -4e brior. br%uco ed rorss a
5*. 4*500 e
Cartees de canga da torosa
Collate de yollvdo preto o ds co-
ras lisos bordados a 129,99 o
Hi lo farruta preta o d co-
rsa lisos o bor!"!r>i a 59,
'v.OJ, 59
\>M?i
Omisas de peito (lefHato branca
o da cores 1 2;S00 e
88000 Ditas de paite -.elinhc a 5*, 4* e
89500 Ditas de madapolao brancas o da
:.0U cores a 89. t9500, 9 e
Chapeos pretos le aiaaa* (raneeza
39500 orua da altima moda a 109,
8JS00
49000 OUas da eltro a 69. 59, 49 e
Ditos do sol do seda ingleos e
89000 frnecea a US, ttft, 11* o
Colarinhoa de linho mano fines
630OO novo 1"i ti os da ultima moda a
unos de alsroao
495OO Selocios da ou.-o oateuto O buri-
zontal a 100j. 909. 80g o
SJ500 Ditos 4* prat calvnisdos ps-
JOOO taiitp e boriiontaes a 40* 0 80|000 vJ
Obras do'oaro, ade?oa e melca fe?v
8*000 aderemos, palceiraa, roxetas e *&&
aneaU 9 ?^S
Toalb.s 9<\ linho duii 10J, 69 o 9^000 T^
500 Dius cr*n1e para mesa um 39 o 4J00
J
a?5oo
3000
lffiOO
73000
53000
79000
9800 *H
7*;oo.! m
Chapeos de sol da soda a 5* : na ra do Qoei-
marto n. 44-
a S500.
Cha parola de primeira qualidade a 3*200 a li-
bra,
dem uxira a 2800.
dem hysson de primeira qualidade do 1S300 a
29800 a libra,
dem nacional de 19500 a 19600 a libra,
dem preto hom-opathico de 19500 a 19800 a
libra, primeira qualidade.
IJem iJem nao homeopatliico de 19500 a I98OO
a libra, primeira qualidade.
Cevadinha a 240 rs. a libra.
Chocolate de Lisboa (do Abrou) encommenda es-
pecial, qualidade esta que sem raedo de errar
a melhor que aiiui tem vindo alie 500 rs.
o massinho, c nienlo 12 e 2 i pes.
dem hespanhol e francez premiad s era di
versas e dem suisso de dilTarentes qualidades, 1 orno se-
jam baunilha e canda, etc. etc. de 19100 a
1940 a libra.
Charapanha em gigos cora 12 garrafas inteiras ou
de 24 meis ditas a 129 a duzia, e em gar-
rafas de 19100 a 1*200.
Ch-iurigas das mais nova a 480 rs. a libra eem
barril de 1 arroba de 13* a 149.
Charutos superiores Guanabaras, Lanceiros,
Delicias, Napoleo-s, Parisiense, do afamado
fabricinle Jos Furtado de Simas e ouuos de
1*500, 1*800, 29,29600,3*600 e450
o cento.
Ceblas a l9o milho com mais de 100 ceblas.
Conservas inglezas muito novas a 800 rs. o
frasco.
Cognac inglez em barril, girrafa a 640 rs.
dem idem engarrafado de 800 a 900 rs. a gar-
rafa.
Doce de goiaba era caixes e em latas, prepara-
do especialmente para embarque, garantindo-
se a boa conservaco por uraanno.
Rrvilhas em latas de 1 e 2 libras de 700 a 800
rs. a lata.
1 Extracto de absynlho em garrafas de 1 Ii2 car-
rafa a 1*500.
Fsrinha de trigo Fontana, das marcas SSS, ga-
lega, family, de 120 a 16O rs. a libra.
dem do Maranhao a 160 rs. a libra, e 49800
a arroba.
dem de araruta, especialmente preparada de
a 320 e 360 rs. a libra.
Figos muito superiores a 240 rs. a libra.
Garrafes com mais de 5 garrafas de violto do
Porto fino, a 3*200.
dem idem de vindo verde a 29800.
dem com mais de 5 garrafas de vinagre de
F. & S. de Lisboa a U600.
dem idem com vinagre de Hamburgo a 19000.
dem com mais de 15 garrafas de genebra de
Hollanda a 69OOO.
Genebra de laranja em frascos grandes a 1*000
reis a libra, e em porcao 460 rs.
dem inglez para fiambre a 560, 610 e 700 rs.
Passas das de carnada de 320 a 400 rs. a libra,
e em caixa de 5 a 6*000.
Palitos para dentes cuacos com 20 macinhos a
160 rs.
dem lichados idem idem cora flor a 240 reis
o mago.
Peixes curvina, safio, linguado, pescada, peixe:
epada, pargo, robalo, saimo e lagosiim,
em latas hermticamente f-edadas a 19300 a
laia de l a 2 libras, sendo preparado peda pri-
meiros fabricantes de Liala, Inglaterra e A-
merica.
Queijo flamengo d) ultimo vapor a 2*000.
dem idem do ultimo navio a i94i)0.,e era cai-
xa a 19200.
Idem pralo le 600 a 6i0 reis a libra.
Salpicos, vindos de casas particulares a 640 reis
a libra.
Sardinhas de Nantes a 380 rs. os quartos, e
meias latas a 5*0 reis.
Serveja marca Tenente, Cobrinha, Cavallinho e
ouiras marcas a 4, 5 e 5*8oO a duzia.
Sag a 280 rs. a libra e em garrafes com 5 e
6 libras liquido por 1*000 cora o garrafo.
Sabao moga de diversas cores e dos melhores a
120 e 200 rs. a lib'a.
Sal refinado era poles de vidro com rol^a do
mesmo por 600 rs. cada um, s o pote vale
o dinheiro.
Salame encapado a 700 rs. a libra ( hnche
prompto.)
Toucinho de Lisboa do novo a 300 rs.'a
l dem idem menos superior de 160 a 200 rs. a
libra, e em arroba do 59000 a 69000.
Ti jo los de grande la mando a 160 rs. cada um
(para limpar facas).
Velas steanas a 640 rs. o maco.
dem do Aracaty. carnaubs, a 400 rs. a libra.
dem de composicao de Bueoos-Ayres a 440 rs.
a libra.
V indos engarrafado* vindos parte delles de conta
propria como fejara; Duque do Porto, Cs-
moes, Chamisso, Silva & Meneses, e outros,
que se ven lera de 12000 a 1*280 rs. a gar-
rafa e era caixa de 129000 a 15*000, e
esperam-se novas qmiidades.
Vindo Bordeaux das marc-s Margaux, S. Ju-
lien, e outros a 800 rs. a garrafa, e a du-
zia a 9*000.
Vinho verdxdeiro de Setobal em barril e em
garrafas de 640 a 80<> rs. a garrafa.
Vinho do Porto em pipa das melhores marcas
de 5*000 a 69000 a caada de qualidade
especial.
Vinnodo Lisboa, 5aadeira,Carcav9llos, Figueira,
franc-7, e de diversos paizes da 39000 a
49500 a caada.
liambraias lisas.
Na loja do P.tvao.
Vonde-se ppc.as d cmbralas lias muito fins
cm 8 i^Ma* a 28500. dius com 10 jrd a 39
ditas com 8 jarlas a 3,iiile com 10 jardas a 49 :
s na ra da Imperatnz n. 60, luja e armazem
r*o PaSo.
Briihantiiias tle quadrinhus a
200 ris
Na loja do Pavao.
Venie-sa brilbaaiioss le quadrinho, teodo
de toOss a* cores fii>uda mnlto eocorpada e Qjais
ldri que chita iogleza, prourias pura vestidos,
a 2l0 ri. o covdo : s na ra da ImperaiMi d!
60, loja e armoiMii ro l'rf'o.
A^ t) V:} H (ue O
I iv&o liquida.
Vende-s Bnissimas cssa^ franceza do cores
muito lionitas a 200, 210 t> 280 rs. o cov8do : s
oa ra se 111
Bramante ao Pavao.
Veode-se pej^s de bramante de listas leudo ama
s lardara, coru 27 ors cada pfC.i, pelo bara
Ussiipo pr.-Qo Jv 10-; a pega, tambera 83 veode
saeiss p*cas do mesmo com 13 l|2 Taris por 59.
esta fazeuda protris para 1hucos. toalhas. ca
nitsa9 serouiss te., em proporcao do prego
que etti hoje o algodozinho torna-se est te-
lenda n-.ain brata sendo de linho, isto s na ra
da Imperatriz n. 60, loja e armazem do Pao.
La e seda para vestidos a
4(10 ris.
S na lo a do Pavao.
Venrte-se la e seda para vestMos com muito
bonitos pdro-s, sendo fsxsods qun gamnre la
rendeu por 19, e lorr-se a 400 rs. o coTado para
apurar dinheiro : os ra da Imperatriz n. 60,
luja e armazem do PbtSo.
igual
RiTal sem icual
Hivel sem t^ual
Bus larga do Rosario d. 36
Rus larg do Rosario n. 36
Ra larga do Rosario o. 36
Psdro Tin5-:o vtiide
Pelro Tinoco Tonda
Pedro Tinoco Ti'nde
Miedezas muito baratas
Mmdezas muito baratas
Miudnz Cartoes de clcheles franrezes a 40 rs
Batampas dB s-i 1 .1 a lt'0 rs.
Ditas com Tistie de gaerra SfO r.
Dit? com peronagens a S->|) rs.
Pentes de borracha pnrt almfr 560 n.
Sintoa dou ados a I56O
Aulhas fr^n^ezaa era camnh a 22'l rs.
La para bordar a 63400 a liOra.
Teaouras lio -.s com toqu a 4tiU r.
Boioe para puoho a \-20 e 160 r*
Tinteiros com unta e lampa de meta* a 1MJ rs.
Metes cruas par homem a SgjOO.
itas bfaocea or aenhnra a g400.
Enf-il.! pretos a 4?800.
Liohas de eroiel para borttet a 610 rs. o miso.
JogOi de Tispora a 800 rs.
Ditas do bello i vtrez a 1600.
GraTatta com bola a I9OOO.
Pinceis para barba a 400 e 600 rs.
Pulseiras de misaauga a 1o*8 o par.
Carretela de litiha a 30, 40. 60 e bO s.
Lavas de aeoa com toq< < 200 rs.
EseoTas p.ra impar deptes a 240.
Ditas para cabello a lg.
Ditas boas para uohaa a 320 e 500 rs.
Ditas para roupa a 80U a 1,-
Asim como um snriimnto complpto d raro
Paulo Cordeiro a 19M)0, gsie grosso 1:600, nilo
meio grosso a 18,600. dilo tino a ig280, Lisboa a
29600, rolao (rancuz a 25900, Mearon I5OO.
\
p
i
M
Vtcde-aeums mobia da iicartocom pelrti
brancas, tima dita de amarelto de r.-iz e de mui-
to bom gosto, vidrospsts eiL-elbo de todos os
tamanhos de 12 at 36 pollegadna de altara, ri-
cos Iremos de jacaraud com cunaulus de pdra,
gin -a laca, molduras (rincezt* para enfeites
de orotirios e ootrss muitas obras de boro gos-
to e por banto preco ; na ra da Camboa do
C vee La Manguitos e gollas de
cambraia ricampBto bordados
Vandam-se mangaltos a ollas de eaperior
cambraia ricmente bordados pelo insignieaote
prego de 29 o par da manguitos Com ama golla,
sendo que Sempra eostaraai 69 cada par, aaaim
pola recommnd-se aos amigos da aanta eco-
noma qae aproTeitem a boa occasiao, dirigi
do-se com dinheiro a loja da boa fe na ras do
Qaeimado n. 22.
45-Ra Direto-43
1 A epidemia declina sensivelmente, e o sea
I completo d<-aapp3reciraentn est prozimol O
proprietario deste bem aorlido estabeler.imenta
1 convida os seus numerosos freguezes a substitair
o c/lijado *elho, que lodo est cholerico, por no-
I to, a quo possa resistir s mil sebotis e mazzur-
cs que vao ser danssdos am louor do reaube-
lecimeulo da saade pablica. Os presos con-
Tidam:
BOMENS.
Botinas afamadas Milia. ; : 12J000
DOD-plus-altra Nantes......... I29OOO
Nautas 2 bateras.............. 1I{0
luatr.................... 109000
inglezaa de boides............. 10?>000
bateduret....................... 9?00
coaro da porco....... '.riKiO
11



>



bezerro a lustre....
iriglzes pas eelvagens.........
lanados brasileiros............
Veiideai se tachas de
ferro cuado do fabricante eons
acreditada : ua ra do Brum
n. 28 B, armazem de Jos da
Silva Loyo 5000
7t5(K)
5*500
70<0
6cr^)0
59500
69000
59*00
591 KM)
291100
5i'00
29(100
19280
A 5.000.
Chapeos de sol de seda a 59 cada um : ven-
de-sena, ra do Crespo esquina da ra do Im-
perador n. 7.
Veode-se a taberna n. 53, da ra de S'nia
Rita, propria pra um principiante por ter pou-
cos fundo : a trtar na rila <1 Pr*ia n. 84.
VeO'le-SH urna negnoha rrioula sonus : na ra Nova de Santa Rita o. 1, taberna
de Aalonio Francisco Mitlios de Miranda.
Sapa toes non-pluj-ultri...........
3 bateras e meia..............
esmaga cobra..................
> Nantes 2 baterias Taqeeta.....
> 2 bteriaa bezerro......
> trabalbedorea..........
> brasileiros da 3(500 a..........
Sapatoa2 solas a salto..................
tranca purluguezes..........
a (raocezes......
SENHORAS.
Botinas dengozss. ........
> salto do bater......;
pachineha de 450O a. .
americanas 3|500 a .
SapalosM asilo IJoljJ J .
sem ella (dem)......
ttpate.........
> econort icos.......
> lastre 32 o 33.......
MENINOS E
Ha da ludo em ralacao o nao ao
iinheiro.
Um completo sortimento da couro de porte,
nrdavao, bezerro (ranee, eouro do laalre, Sflar-
ruqutm, sola, coeriaaoa etc., que tado sa troca
por dinheiro i Yootada do comprador.
MENINAS.
daixa
5950O
55000
4JOO0
2j500
38000
19920
800
500
800
sshil
-

K
MUTILADO


DIARIO Dfc PIRKUtiliaO SUBtDD fi DE SETEMBiO M 1861.
Goke e alcatro.
Coke i melhor qealidade, maito proprio pira
rapar, e tambera para todos oa uaoa dometicos,
tornos pequeos e grandes, etc., para eatea ser-
tjos, o cok* maia econmico do que qualquer
oatro combuslivel, por aer meooa da metida do
preco e de u.ais dwrecao.
Alcatro, esta aeodo appllcado navios, br-
cacis, alvareogas, canoas, ate., prasts rouito bom
effeiio, conservanhi a madelra de todas as qea-
lidades da bichos, faxeodo durar um lempo inde-
finido Tambern conserva madelra de edifca-
las, preservando-e doa bichos e contra o lempo :
as propriadades chimicaa deste alcatro de car-
vao mais forte do que qualqaer oetro, extrahi-
do de msdairis oa oulras materias.
Quem precisar acbar renda, no armazem do
gaz. Ra do Imperador.
Preco do cok 129 cor tonelada.
Preco dolcetr 500 rs. por cunada.
fintaUes para senhora.
Os uialbores en (altes pretos e de coras que ep-
parece a 5500, 69 6J5O0 : na loja da Victoria,
na ra do gsiejifcado o. 75.
Caixinhas e cabazes para
as meninas trazerein
no braco.
Multo Unas caixinhas e cabezas para meninas,
de 100 ris ate 29500: na loja da Victoria, na rea
do Quelniado n. 75.
Franjas pretas eom vi-
drilho e sem elle.
Ricos aortimentos de franjas pretas e de corea
co>n Tidrilhoe sem elle : na loja da Victoria, na
rea do Queimado n. 75.
Para atar cabello.
Tambem ha chegado linios pentes de tarta-
rR todo enlraocado com fila de borracha, de
forma que o cabello amarrado Oca dentro de boj
engredado, ioteinmenle cousa nova, e de mutio
gusto, assim como com bco e lizos de lindos fei-
tios, que se vende por prego nimio razoavel :
00 vigilante, ra do Crespo o. 7.
Luvas de pellica.
Tambem chegado as verdadeiras levas de
Jouvn maito frescas tanto para homem como
para sen hora ; s no vigilsnte ra do Crespo
D. 7.
iuhasdtj peso verda-
deiras..
Linhss Bnss de peso Terdadeiras, meadas
grandes a 240 ris : na loja da Victoria, na m
do Qaelroado o. 75.
Phosphoros de seguran^
Phosphoroa de sebera oca, por que livre de in-
cendio, a 160 rea a caixa : na loja da Victoria,
a raa do Queimedo n. 75.
Baleias para vestidos.
Saletas muito grandes e boas a 160 ris ama :
na loja da Victoria, na ra do Queimado n. 75.
Linha de croxei para ia-
byrintho.
As melhores linhes de croxel para labyrlntho,
oovellos monstros 1 310 ris um : na loja da Vic-
toria, na re* do Queimado n. 75.
Simos dourados para se-
nhoras.
Lindos sintos doarados para seahoras a 200,
ditos de pona cnida a 4, ditos de Ote a 10000:
na loja da Victoria, na ra do Queimado o. 75.
Ricos espelhos de
moldura dourada par*
salas.
Chtgeu para a loja da Victoria ama pequea
poroso de ricos espelhos de varios lmannos para
ornamentos de aalaa, e3iancando-se seren o
meihores em vidros que Um viudo : na loja da
Victoria, oa ra do Queimado n. 75.
La para bordar.
Lia multo boa de todas as cores para bordar, a
7J /libra : na loja da Victoria, na ru do Q>i-
m*4o n. 75.
Linhas do gaz,
Caixinhas cora 50 novellos de linhss muito li-
rias do gaz 1 900 ris a caixa, ditas com 30 no-
*>os a 700 ris, ditas com 10 novelloa grandes
a 700 ris, braocae e pretas : na loja da Victoria,
Da raa do Qaeimsdo n. 75.
Gravatinhas.
Tambem chegado as lindas gravatinhas com
lindos botes, que ae vende pelo barato preco de
18 : s no vigilante, roa do Crespo n. 7,
La t-ara bordar.
Tambem ha superior laa para bordar qaa te
vende por 68 a libra, assim como lia de familia
que aa vena a 1$, e em cada caixinha maito fioa
pelo baratissimo preco de 78 a caixinha : i 00
'ixilaote. raa do Cre.po n. 7.
EspelhoSa
Tambem ha grande sortimento de espeibos re-
dondos de moldura dooradcs de todos os tama-
nbos. com exceilente vldro, que se vende pelo
baratissimo de 35, ff e 5J : s no vigilante, raa
do Crespo n. 7.
Surtos.
Tambem cbegado os muito desojados sintos
com ricas fivels de concha e borlla ao lado
cousa muio chique se vende palo barato prego
de 48. eastm como ricas flvelas para aiotos coro
pcinobasne lindos gestos que se vende a 1)600
a 58 ; s no vigilante ra do Crespo n 7.
Velase arroz.
Vendem-ee velas de espermscete a 640 a libra,
arroz de casca em saceos grandes a 28800 cada
m : na taberna da travessa do pateo do Paralio
P. 16. eom olio para a ra da Florentina.
Fazeodas pretas
superiores.
Grosdenapla preto maito saperior pala dimi-
nuto preco de 8 o covado, panno prelo maito fl-
00 a 3, 4, 5, 6, 7 e 9| o covido, caaemira prats
maito fina a 2g, t500, 3, 38500 e 48 o ovada,
mantas pretas de blonde mullo saperioresa 12j,
manteletes aesai eriores grosdenaples pretos ri-
camente bordados a 358, sobrceasacas da panos
prete multo Ano a 308, casacas tambem da panna
preto multo fino a 308. paletota da panno prete
One a 18 e 208. ditoa de casemira da cor mes-
ciada a 188, superiores grsvstinbas estreitas a
i;, ditas da setim maceo ede gorgario maito sa-
periorea para duas voltea a 5, ditas eetreitinha
com lindos alQnetee a te, superior gorguro pre-
:lo para cohetea a 48 o corte, ricos eofeites preto
I a 68, e assim oalrss nuiles fszendas qaa sendo a
Unheiro i vista, vndem-se por presos aiaito be-
ratoa : na ra do Queimado n. t. na bem conhe-
cida loja da hoa (A.
Camisas bordadas e o utros ob-
jecto* uecessarios para
senhoras.
Na leja da agaia branca acha-se um bello sor-
liuieoto de bonitas camiainnaa de flu cambrsia
com babadinbos e mui bonitos bordados de no-
vos e delicados desenos, as quaes servem nial
bem pare os modernos veatidos de frente abarla
e vendem-se pelo diminuto preco de 38 cada
ama ; assim como bonitos manguitos a balso eom
gollinhas de superior cambraia e fil e todos bor-
dados, com panhoe virados e cada par pelo ba-
ralisaimo prego de2g. o qee 4 admiravel aviata
da superioridade oa obra, e bem ssiro penbns e
golliuhas tambem bordados com bonitos botes
a 28 a usrmelo, e gollinhas solas Igualmeet.
bem bordadas a 18 cada urna a manguitos a 800
rs. o par. A vista pois de am to completo sor-
tlmenio nenhuma senhora deixar de comprar
saesnecessarioa ubjectoa lauto maia qeanto a
cori.m'loado dos precos convida a para que lo-
doa s*jam bem servidos coovem qaa mandara
logo comprar na loja da aguia branca ra do
Queimado n. 16.
Fita com eolxelea branca, parda a prata.
Dita da laa para debruar vealidoa de corea.
Trancinha da caracol miado conbecida por
tom.
Alneles pretos e brancos em caixinhaa.
Aaalbaa imperlees fuooo doarado.
Ditas victoria em calimbas a papis.
Reros preto fino em carretela grandes:
bom
i 6 no vigilante?,
Collares para senhoras ou me
liioas.
E' chegado os mui tos lesejados collares de al-
jofares Ungilo madreperola, com urna cruzinha
de ppdras tingindo brilbantes que iao muilo ele-
gantes, poia scom a viste qnese poder apre-
ciar, qee se vende pelo barato prego de 38 cada
um : isto s na loja do gallo vigilante, roa do
Crespo o. 7.
Ad**reco8 pretos
Tambem chegaram os lindos aderecos pretos,
sendo dais pulseiras, rosetas, alfinetes, ludo em
urna caixinha, inteiramente couaa nova oests
praga, todos muito delictdos pela grande mo
de obra qae tem, pois as pessoas de bom gesto
saberaoapreciar : s no gallo vigilaote, ruado
Crespo n. 7.
Fitas de laa para debrum.
Vendem-se peces da fita da laa para debram a
\$, e em vara a 120 ra., dil- s de seds a 28400, a
em vara a 540 na raa do Queimado, loja da
miadezae n. 35 da boa fama.
Botes para puuho.
Vende-se botes de punho Oooa de diversas
qualldaoes a 200 rets o par. que tambem servem
para manguitos de senhora : na loja do beija flor
ras do Qneimado n. 63.
Occulos.
- V!2dVf* 0Mul finos da armacao da
28.18.J00 aiOOiia : loja do beiia flor,
Queimado n. 68.
a?o, a
raa do
Agu ha Pa
Tambem sao chegadas aa verdadeiras sgulhas
Victoria, de fundo cobrado, que se vende pelo
bsrsto prego de 100 rs. o papel: s no gallo vi-
giUnte, rea do Crespo o.7.
Capellas para noiva.
Tambem sao chegadas as lindas capellas bran-
cas, o mais delicado que pode haver, que se veo-
de pelo baratiasimo prego de 78 e 68, tambern ha
nutro mais inferiores qae se vende por 28 e 38-
Pede-se que quem tiver de comprar qualqaer
desles objectos, que se apresse sotes que se sea-
be, pois fol spenaa urnas pequeas amostras qee
se recebeu : sno gallo vigilante, raa do Crespo
numero 7.
Arados americanos e machinas
para lavar roupa: em casa de S. P.
Johnston" 4
42.
C ra da Senzalla Nova
n
sem se
iiflik
A loja da aguia
bratjcaru1 do Queimado n. 16
Acaba da receber os precisos objectos seguio-
tes :
Aspss de balis graodes a pequeGas.
Potassa da ussia
e Americana.
No escriplorio de Uaoeel Ignacio de Oliveira 4
Filho, largo do Corpo Santo n. 19, por prego
mais barato do que ero outra qualqaer parta.
Suenan M iiura & ti., tenue receido or-
dem para vender o sea amatado deposito dersle-
gios v[sto o fabricante ter-ae retirado do nego-
cio ; convida, portento, s pessoas qaa qeizerem
possair um oom retorci de oaro oa prata do c-
lebre fabricante Kornby, a aprovattar-aa da op-
pertanldade tem parda da lampo, para vir com-
pra-Ios por ommodo preco ao sea escriplorio
roa io Trapiche n.M.
Boa fama n. 35.
Vende os seguintes ob-
jectos ataixo mencio-
nados.
Grampos a balo com pendente doarados a 2g
o par.
Pntes imiteRdo tartaruga para bandees, alu-
no gosto a 38 o par.
Fivelas para sintos, faiands inteiramente nova
a 28 o par.
Airioeles pretos com dourado para aenfaora, in-
teiramente novos a $8 cada aro.
Botoea pretos com dourado para puohes, intei-
ramente novos, a 28 o par.
Botoea de tartaruga para peobos a 18500 o par.
Ni ra do Qaeimado, loja de miuaezaa n. 35.
da hoa fm.
Tinta para marcar roupa.
Veade-ae lima para marcar roupa a Itf.
Aua de malabar para tioftir cabellos a 58 o
fraeco : na ra do Queimado, loja de miudazaan.
35. r> boa (ama.
Cartas finas para jogar.
Vende-se dezla de bralhos de cartas Anas com
as pontea douradaa a 68. dita sem ser dourada a
3j5(K> e 48 : na ra do Quaimado, loja de mla-
dtz*s n. 35, boa fama.
fieos Casquines
A loja da boa f recebea superiores basquinas
de maito flna cambraia a imltaQo da de hubo,
bordados a eofeitsdos com apuredo gosto a os
veode pelo bsrsto preco de 88" cada um, tendo
sido sempre sea cesto de 16J e 208, apressem-sa
pois em compra-los na mencionada loja da boa
f, na raa do Queimado o. 21.
Superiores atoalhados
adamascado.
Superiores atoslbsdo adamascado com 8 pal-
moa de largura a 1$600 ra. a vara : na ra do
Queimado n. U, oa loja da boa f.
Damasco para colxas e para
ornamentos Vende-se muito saperior damasco de. la da
ama s cor, muito proprio para colxas a para
ornamente*, com 6 palmos de largura pelo ba-
rato pre^o de 28800 ra. o covado : na ra do
Qaeimado n. 22, na loja da boa f.
UfalL
sem segundo
Na ra do Qaeimado n. 55, loja da miadesas
de Jos deAzevedo Maia e Silva, est queimanie.
todes as suas miadezas muito boaa e beratissi-
mas, a aaber :
Sspatos de tranca de laa multo suptrio-
Verdadeira pecfcincha.
Veodem-ae cortes de superior gorgarao de se-
de para colletee pelo baratissimo prego de 1$,
28 a 38 o corte : os ra do Queimado o. 22, oa
bem conhecida loja da boa f.
Para os tab?quistas.
Lencos aite flooa a imitaco dos de linho da
maito bonitos padres a da cores (lias maito
proprioa para as peaeoaeqee tomam tabaco, pelo
barato preco da 48800 e 58500 a duzla : oa raa
doOaeimodo o. 22, na bem conbecida loja da
boa f.
Bramante de linho.
Vende-se maito saperior bramante de linho
comdaas varas de largura proprio para lences,
pelo barato preco de 28400 rs. e vara: na bem
conbecida loja da boa f. ua raa do Queimado
n. 22.
Novos pea tes
de tartaruga e massa,
com dourado e sem elle,
para a tar cabello,
A loja d'aguia branca acaba da receber esses
pentes de qae os snhoras tanto precisara! pars
igualar sos pequeos dourados. O sortimento
pequeoo, porm completo, porque i. m de Una-
ruga e msssa, dourados e sem o s> r. A belleza
e perfeicao delles difficil des:rev(.r, e por isso
llmitamo-oos a lzer que elss sao de um dese-
obo novisslmo de spurado gosto, e de custosa
execucio, na qusl o artista elevou-se por sua
pericia. Tem ellea a forn-a de um laco de Uta no
ceniro do qee se coobece o feche por meio de
urna flvella, isso alom de rendados, lanto os d<
tsrtareiga como os de massa. Agora, pois, que
o born, coovem que as senhoras se nao
em mandar coa prar na loja a'aguia
ua do Queimado n. 16.
oendas <> meias moendas.
aixas de ferro batido e
coado.
Machinas de vapor.
Rodas d'agua.
Rodas, dentadas etc., etc.
Ra do Brum n. 58, fundicao
de D. W. Bouman.
res a
Ditos de la para manios de peito a 200 e
Pares de botes para pannos a
Calas com pspel de diversas dualidades
sortioo a
Ditos decores o melhor que ba a
Thesouras de 6 polegedas a
Aia prea muito fioa (libra)
Pecas de tita para cs, de saperior aua-
lidade a
Novellos de linha que tem 200 jardas a
dem idem da 400 jardas a
dem idem de 800 jardas a
Liohe 4o gaz de 10 e 20 jardas a tres por
duus bsrsto.
Geixas de folba com phosphoros a
Cornetas de cbifreT psre eotreter meni-
nos a
Carriteis de linha da 100 jarlas a
dem de Alexaodre muito superior a
Duzia da facas e garios, cabo preto, mul-
to finas a
Cslxsscom colxetes frsncezes a
Ditas com phosphoros d> g>z a
Ditas com dito de vela muiio superior a
Oixes com isess para acceoder charutos
Duzias da meiss creas maito encorna-
das a
Duzia de recias brancas a
Duzia de meias brancas muito finas para
si-nhora s
Masaos com grampos de todas as quali-
dsdes a
Boleas muito finas para guardar dinhei-
ra, servem tambero pars guardar fumo,
e servem lambem para snbora a 51 o e
Thssuuras pequeas, porm maito li-
nas a
Ditas psra unhas tambem multo supe-
riores a
Marcas para cobrir, sao pequeas, poim
o pre(o convida a
Pares de meias de cores para meninos a
Pares da meias brancas para meninas a
Groza de penoas d'aco de todas as qua-
lidades a
Caixas com 100 anvelopes muito finos a
Groza de botoea de looQa pralisdos a
Boa compra.
Vande-se o exceilente engenbo S. Joaquim
sito na freguezia da Varzes, urna !eoa por bi m
caminho, mocte e correte d'agua por doua
acudes, terrenos e rustas sern iguses, poce sa-
frejsr at 2,000 pies. Trocs-se twbem por pra-
dioa o maamo engenbo, porm sf> nes'.e piare ;
qaem ae quizer enriquecer em pouco lempo,di
Mja-se a negocia-lo na ra da Praia u. 53, Ur-
ceno andar.
18440
400
240
700
700
40
100
320
40
60
120
80
80
30
100
88500
40
20
20
40
2J400
1600
38000
40
800
200
400
10
160
200
500
1JJ00U
240
O
serados fuci .o
i
Machinas americanas.
EmcasadeN. O. Bieber 4 C., saccessoras,
raa da Cruz n. 4, vendem-se :
Machinas para regar hortas a capim.
Ditas para descarocar milho.
Ditas para cortar caolm.
Selins com pertences a 108 a 208.
Obras da metal pnocipa praleadas.
Alcatro da Seecia.
Varnti de alcatrae para navios.
Salsa parrilha de primeiraqaalidade do Para,
Vlnho Xerex de 1836 em caixas da 1 dazis.
Cognac em caixas del dazia.
Arados a grades.
Brilhantes.
Carrosas peqaenas.
l\a roa da .injiera triz nu-
mero 20.
Vende se o seguiute.
Brsmsnte com 10 palmos de laraura a 18500,
risesdinhos escaros de cor flxa s 160 rs., oseas
Je cores a 280 e 320 rs., oleados psra cobrir
meeas a 2g, inrtianas meito boas a 1$, chitas a
160. 200. 210, 280 e 320 rs., esmbraias de sal-
picos de cores e brsnras a 400 rs., cobertorea
brancos e escuros s 18*00, 1J600 e 28, pannos
flnoe pretoe a de cores a 28 28400 e 3, esm-
braias pare Cortinados a 28 a p-ca, dllas lisas r
29. 38. 4$ e 58, tapetes muito ooa a 68 e 78,
chapeos de aada e de castor asalto 6dos e do ul-
timo gosto de Parla a 88 e 98, ditos de feltro fi
oo copa alta a 58, casernires para forro fe carros
a IjMJOO, corles de dita muilo lina para calcas a
48, pegas de eotremejos a 18, e finamente ma-
dapoles, slgodoes, brins, bretanbas e outrai
nuitas fszendss que o dono do estabelecim.nto
est resolviao a veod.r multo barato sfim da
apurar dinbeiro, daodo-se as competentes amos-
tras com penhor.
Farahiba do Korle.
Fugio do eogeoho Velbo da freguezia t Santa
Bita termo da capital da Parahiba, o ts.raro
crioulo de nome Trajano. com os seguintes sig-
nara : estilara beixa, frsnzino do corpo. rosto
msgro, beicos curto, maos, pea e oielbas pe-
qnenes, de muita acliilade e ladino, nc.-tra
ti'r de 18 a 20 annos e principia agora a barbar,
bom carreiro e cosinha soHrivein,eote ; eiie
escravo andou homiziado pelos suburbio, drsla
eapial, poim consta que seduzido se Iranspor-
tsra pars essa capital de Pernambuco no intento
de uleressar eo iraticante: roga-se pois as auto-
ridades policiaes que se dig.ueni mandar iren-
d-lo e aos capilea de campo que o capiurem que
levando ao seu senhor no refeiido eogeobu Iiao
generosa recompensa, protesta te conita todos
squelles qae derem gearids e suxiliarem a tuga
de aemelhanie escravo cooservando-o em pro-
veito proprio.
Niccicio fugio,
Contir a a estar fgido desde 11 da agosto, o
escravo Nicacio, cor fel, eslitura regalar, sereo
do corpo, eom falta de deotss oa trente e ledo
supeiior, pouca barba, com bigote, mullo fallan-
te, ioculca se de crioulo, mas de nacao ; leseo.
veitido caica de casimira esverdeada ja desteta-
da, camisa nova de algodaoiinho, a qoal prova-
velrrente ter mudado, assim como o nome : rn-
ga-se aos capitaes de campo de o pegarera e le-
varem-no roa larga do Rosario n. 33 segn lo
aodar, ou ra do Queimado loja de iudezas
n. 16, e em qualquer das partes S" gratificar.
Fugio oe bordo 10 Dnge escuna aCysm s o
mulato escravo de nome Luiz, vindo uliio.(ma-
te do Rio de Janeiro no vapor Oyspo.k. per-
tencei.ie so Sr. Maooel Joaquim da Silva L ao,
Oh Marei : ello, msgro, pouca barba, <..{
! amas feridas as csonellss das pernas, lev o 3-
tido camisa e caiga de panno azul e elgnroa rof-
pa nova, chapeo de palba ordinaria. Recomo en-
ds-se s autoridades oulic's.s a sua captura, con-
duzindo-o ra da Cruzo. 3.
AVISO.
Rea do Qneim>do n. 55, loja de miudezas de
Jos de Azevedo Maia e .Silva, cor h.'Ci '> por Jo-
S Bicodioho, est vaadeado ludo pelos prgos
j sabidos, porm quem nao souber tenha a
bomlade de ver o que bom e baratissimo .-
Frascos de Lavan4e muilo finos, a 80'
Dito* de oleo babosa cuo*rlor, a 320 a.. 500
Fraacae de agoa de colonia muito tina a 400
Ditos da dita grandes superior, a 600
Caixas com pos cor de rosa para limpar
deotea, a.......; 160
Dezia desabnelas muilo finos, a 600
Vera.de bico dss Unas, est no resto, a 60
Csrrteade linha preta muito grande,
e tem m.ia linha. a.................. 160
Bengalas lo melhor gosto, a ; 500
Tiotiiros coro liu-a muito bos, a .- 160
BaraXhos de cartas U-nc-zas, a 240
Dit*s de cartas portugus muito fi-
nas, a........... 160
Varas de Ota de velludo recortada, a 160 240
frascos de banba de r;o muilo atip-
is "or. a........... 600
Ditos de dita transparente, a 8Q0
Frascos de macag parola, muito fino, a 20(1
Ditos de dito oleo, multo fino, a 100
Varas de fila para fazer sintos dos me-
lhores gosto, e........ 500
Babado do Porto para todo o prego. .
Labyriolos muilo lino, para todo prego.
Birria com phosphoros muito bons, a 160
Haaaoada linha nua para bordar, a .... 240
Carlas de clcheles superiores a 40 e 80
Estovas para limpar deotes, a 200 a 400
Carriteis de relroz de lo las as cr-s, a 240
Bonecas naas porm muito bonitas,
210 e.................. 320
Grvalas de duas vollas muito supe-
riores a............ .................. 800
Fios e raassos de oral de quilqu>ir qua-
Itdale a............................... 500
Sabonetas grandes e muito finos, a.... 120
Agulheiros com eguihas. ..... 80
Fitas para espsrtilhos grandes e pe-
queos a 6(1 a........ 80
Varas de b\co de 3 e 4 dejos, a 120
Caitas ci -i a^ulhis franceas curtas, a 200
Lionas em carles brancas a de co-
res, a................................. 20
DA
Fundicao Low-Moor,
Bota da Seazalla Nova n.4t
Nusia asubelesioianto continua a haverum
completo sorticoento da moanoas e meias moen-
das para engenho, machinas da vapor a taixas
da farro batido coado do todos os tamanho
para dito, ______^^^
Fegfo no dis 30 de agosto am moleque criool
de nome Joao, de idade de 16 anuos, b-.i-:.'.o
secco do corpo, cor fula, est alguma cousa rt"-
corado por esiardoente de frialdaie, ps h toaos
peqaeoos, e tem urna peqoena ferlda uo p es-
querdo, levou caiga e camisa de algodo zui es-
curo, foi cria do Sr. Omiiello, em Sanio Aolo,
o qoal vende ao Sr. Leonardo Bezarr C*val-
caoli, e este o vendeu nesla praga ao >huo as-
sigoado ; e constando que vai em aeguimenta
para o diio lugar, rogo a todas as autoriaiies po-
liciaes do roesmo lugar, oa a qualquer capitac
de campo, ou horoeus do povo que o vjrem pieo
daro, a dirij.m se ra D'.reits d. 3, que sero
gratifiradoa.J. s (la F' Est tegioo deso- 11 00 corrrote Diez fleja-
Iho, o escravo pardo, Ricardo, boleeiro e carro-
eeiro, bem ronhecldo nests praga e seus arre-
baldas ; representa ter 25 annos de idade, hal-
lo a magro, lem cabellos carapinbos raspado fia
pouco tem i o na cadeia, onde estece ^or csusa
de estar fgido, tem pouca barba eflts de denles
na freot, rosto cnmprldo e olbos redondas ; ;?rr
ai.10 eticontrafio na Capanga, e-Olindt n> asis.
diaudo e jngando com mais d 2(*8 QU" I :
qeem o appreheriTer e letr a cas* desees
ns I'assagem da Magdalena qae ser gcneioea-
mente recompensado.
Antonio Valentim da Silva Barraca.
2001 de gratifot"
a quem pegar o pard Francisco, de 17 aotMS
de idade, de bonita figura, com todos os dp:'t.->,
c-belios carapiohos e ruivos, este pardo fol do
Sr. Dr. Borgesda Fonseea, o qusl viajo* c s
roearoo sennor todo o serijo a suburbio 0f*\t
provinris, neresssfiamrnte quando era s*u or-
eravo, talvez ainds se nculqee a lervlca de
meamo: que'i o pegar quira eDtrega lo lea
legitimo dooona ras do Hospicio o. 6.
Ignacio Luiz de Brito Taboroa.
Dos premios da ultima parte da i.' lotera concedida por lei provincial n. 370 de 15 demaio
de 1855, a beneficio dos religiosos franciscanos de Olinda, para reparos do sea con-
veto; e 1/ da 1/ do.Sania Casa da Misericordia, para paga mtnto das despe zas j afeitas com o tratamento de enfermes
po^rfsremettidos pela polica.
NS. PERMS. INS. PRE1IS. NS. PBEMS. NS. PREMS. NS. PKEMS.
J chegarain os remedios
do Dr. LinduayResolutivo
renovador, prompto allivio
e pilulas reguladoras,
No droguista Kayrauudo Carlos Leite
t& Irmao, ra da Imperatriz n. 12.
1 203 i 00 5 374
4 5 1 78
o ^ 1 2 82
7 17 95
10 21 400
14 24 2
15 26 4
19 32 7
23 33 13
24 38 20
29 40 2't
34 41 31
37 44 39
42 61 45
46 63 54
48 65 62
51 71 -- 64
56 75 5
59 78 66
64 __ 80 76
66 84 81
67 __ 93 84
75 94 85
77 __ 95 89
81 __ 96 90
86 _ 98 94
93 3u4 95
93 5 96
99 7 97
106 _ 8 98
15 __ 17 500
19 __ 19 6
23 _ 24 7
34 , 29 9
36 _ 32 100 12
42 --- 34 2009 20
50 __ 35 5 21
52 --- 36 22
53 39~ 29
54 __ 44 _ 30
71 --- 45 31
74 --- 46 41
79 --- 52 _ 43
80 55 45
82 56 __ 49
83 60 51
84 --- 65 2
8G --- 68 61
87 --- 72 63
93 73 67
5
400g
40
5
20
5
10
5
10
58
568
69
71
77
78
79
84
85
86
87
89
92
94
600
5
7
14
15
23
29
34
40
42
46
50
52
57
69
71
73
76
77
79
80
81
85
88
89
90
91
93
96
99
701
3
4
8
12
14
27
50
ios
5
728
41
43
48
54
55
.58
60
62
67
68
69
75
77
78
80
81
82
85
66
89
91
93
95
97
802
3
4
10
15
23
29
30
31
42
45
48
57
58
62
73
75
77
79
82
83
89
90
902
14
5?
20
58
108
5
10a
5;
NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS.
916
26
28
30
36
33
46
48
50
57
65
73
75
80
84
87
88
89
91
97
98
1007
9
10
12
15
17
18
19
20
22
23
30
33
34
38
40
45
49
53
55
60
61
67
69
75
78
79
84
85
5|
100
50
100
5
100
50
-
1092
95
1101
2
6
8
12
16
18
20
23
31
36
42
43
47
48
52
59
60
61
68
70
73
76
80
81
82
83
85
87
89
97
98
1206
7
9
21
22
23
24
30
32
36
43
45
47
50
52
54
5
20J
58
10g
5
20
5
0 escrivSo, Seveano Jos de Moura.
1255
65
68
71
73
75
79
83
86
95
96
99
1300
3
10
16
21
28
33
35
36
37
39
40
42
45
51
52
55
60
61
63
65
67
70
71
73
76
80
84
86
87
91
94
95
96
97
99
1400
50
10
5S
10
5
NS. PREMS.
5
20
5
1402
3
6
7
11 -
17 -
23 -
25
30 -
31
32 -
36
39
41
46
50
57 -
58
59
63
65 -
66
68 -
71
75
77
79
80
t>3
85
86 -
87
88
89
94 -
98
1513
17 -
18
20
22
25
35 -
38 -
41 -
42 -
45 -
46
48 -
NS. PKEMS- NS. PItEMS.
1553
54
55
56
59
61
62
73
75
79
80
92
98
1610
12
19
22
23
26
27
42
46
60
62
71
75
76
80
81
87
92
93
94
95
99
1701
3
4
6
8
10
14
15
18
25
26
27
28
31
1000
5
100
5
10
50
1733
34
36
38
53
54 -
62 -
63
66 -
70 -
71
72
73
76
81
84
85
88 -
93
94 -
97
98
1800
N3. PREMS.INS. PREMS. NS. PREMS. tS. PRE.U-.
2
5
10
11
13
17
19
24
28
35
42
43
44
48
49
55
58
60
63
66
75
78
82
83
89
92
100
5
40
1896
1900
1
2
3
6
7
10
12
13
17
22
28
33
42
43
46
47
48
53
55
57
60
62
61
66
67
78
79
80
83
87
88
90
94
97
99
2001
3
11
16
17
18
27
30
32
34
40
43
10a
5j
209
5 000a
5}
2049
51
57
60
62
63
64
65
72
73
75
76
80
81
83
87
91
97
2103
4
5
6
11
15
17
18
27
33
35
38
42
48
52
63
66
71
72
76
81
84
86
89
90
91
97
2200
3
I 4
I 8
59
50
40
5
10
5
2209
10
11
12
16
18
19
25
28
29
30
33
34
36
37
40
44
47
49
51
53
55
57
58
62
64
66
67
70
75
76
77
82
83
87
89
92
97
2301
3
5
8
11
12
15
16
17
21
26
te
5g
^S. PRE.U-.
2327 5
31 __
34
38
42
44
46
49 800?
50 5?
54
56 _
57
59
63
65
70
73
76 10c
78 5
83
84
94
95
96
2406
7
8
9
10
12
16
18 20
19 5
23
26
28
31
34
35
42 40
43 5
45
58
63
64
66
68
71
78
NS. PREMS NS. PREMS.
2481 5c 2633 5#
89 34
89 35 _
-Jl 40 40 __
92 50 45 __
95 50 -_
98 53 __
99 54
2503 _ 55
8 _ 58
10 ^ fil
11 ... 62
12 _ 63
14 __ 64
16 _ 65
17 _ 68
19 200 70
21 5f 73
22 78
24 _ 80
25 _ 87
27 88
35 96
36 2704 __
43 5
44 10 9 10
51 53 5 11 14 5
59 15 . 1
60 18 aesaa
62 19 ...
68 25 ---
69 33 _
70 34
72 wm 45 bjjssj
73 50 __
80 10$ 51
82 5 53
89 54
95 65 _
98 66
99 67
2602 20 77
5 5 79
7 85
14 __ 86
22 88
27 93
30 95
Pem.Iyp- di M. F. de Faria & Filho.1862
\
MUTILADO
**


8
DIARIO DI fOHAMBCO. *~ SABBiDO 6 DI SETBMBiO DE 1161.

Litteratura
Catalogo dos productos nacionaes e iu-
duslriaes remettidos para a c\po-
sico universal ora Londres, pelo
Brasil.
PRIMEIRA SECCO.
CLASSE ovara*
( Continuado Tapiohoam araarelloj. 377.
Tajicuro. 378.
Dito amnllou. 379.
Taiajubarana, 5 a 6 palmos de grossura, 45 de
ciDpnm-nio ; emprega-ae ni conslrucco ci-
vilo. 380.
Xatsjuba, 8a 10 palmo* de grossura, 40 a 80 de
comprmanlo; emprega se oas construcces
natal e civil o Da lioiurariad. 381.
lata-Pirinea, 3 a 4 palmos da gtosaitra, 30 a 40
de compnmonto ; emprega-ae oa constraeco
civilD. 382.
Tariimano* 383.
Tat, 2 palmos degrossnra. 50 de comoHmento ;
emprpga.se Da consirucco civild. 384.
Timbuhybjd. 385.
Timbtubso. 393.
TiDieira, 3 a 5 palmos de grossura, 20 a 40 de
cora primelo ; emprega-se Da construccao ci-
vilo. 386.
Timb-rana, 4 a 5 palmos de grossura, 35 de com-
Pfmenlo ; emprega-se oa construccao civil
Tanaoqueira de espioho, 1 a 5 plmos de gros-
sura, 45 de eomprlraeolo ; emprega-se oa cons-
traeco civil d. 388.
Tamequar, 8 a 10 palmos de grossura, 40 a 60
de comprmanlo ; emprega-se oas construcces
ciil o Tauary braoco, a 6 palmos de grossera, 95 de
comprimeoto ; emorega-sa oas construcces
Daval e civiln. 390.
Ta^inhoamd. 381.
Do olbo de sapoo. 392.
Tajuba-n. 393.
T-ycican. 394.
Ubaian encarnadoo. 396.
Dito br.iacon. 397.
Uoatiogeo. 398.
Ujob- braoc, 5 a 6 palmos de grossura, 20 a
40 de compnmonto ; nao usada Da eonstroc-
C&o civild. 399.
Dita da mata, 5 palmos de grossura, 60 a 70 de
cumprimeoto ; emprega-se na construccao ci-
viln. 400.
L'miry, 7 palmos de grossura, 50 a 70 de com-
priti.ooto ; emprega-se oas construcces civil e
oavalo. 401.
Umary, la 3 pilraos de grossura, 16 a 21 de
comprimenio emprega-se na marceneria.
n. 417.
DUo da varzea, 6 a 7 palmos de grossura, 50 a
/O de comprimeoto ; emprega-se cas cons-
lruci6a naval e civild. 418.
Uva n. 402.
Uxi, 3 a 5 palmos de grossara, 50 a 70 de com-
primeoto ; emprega-se oas construcces naval
e civilo. 403.
Uxiraos da varzea, 4 palmos de grossura, 45 a
J de comprimeoto ; emprega-se na conatruc-
coo civilo. 404.
Ve? l"r 'u Tarze. 4*5 palmos de grossura,
45 a 50 de comprimeuto; emprepa-so oa cons-
truccao civilo. 405.
Vergueiroo. 406.
Viohatico amarilloo. 407.
Dito lljr de algodon. 408.
Dito testa de boin 409.
X'n, 0 palmos da groasurs, 95 de comprimen-
: <" 41o. Quaoro de madeiras da provincia do Para,
exposto pelo Sr. baro de Mau, coDtendo as
seriles especies : acap, acaprana, andiro-
ba, cerno vermelho, condar, guanaba, gua-
duba de oleo, jacariuba, jauma, louro claro,
louro escuro, louro vermelho, macacubt, mas-
saraoduba, marampauba, mulracoara, mulra-
pinima. muirapioima rjala, pao amarello,
pao arara, pao cruz, pao marm, pao mulato,
^ pao d oleo, pao raioha claro, pao raioha es-
caro, pao rosa claro, pao rosa escaro, pao r-
io, pao saoto, parraruba, piqoi, piqiraoa
ciar, piquiraoa escura, saborana. sapocaia,
sapucua escura, sec.pira, tamanqueirs, taman-
oupira do espioho, tamaquar, umi>yo. 68
416. Dito de madeiras da provincia do Para, ex-
poato pelo Sr. Francisco Carlos da Arauio
Brinque d. 649.
417. Dito de madeiras da proviocia de Santa Ca-
thrio, exposto pela ornara municipal do
Desterro, cooieodo as seguiotes especies : ara-
rib. arjgelim, cibiain. cajauva, caoella preta,
cedro, cbru, guapary, guarojuba, ip, jaca-
rsnd vermelho, enipapo, louro, massaran-
tluli, olandi, oleo, orucurana, assafraz, so-
brajo. 650.
SEGUNDA SECCO.
CLAS8K oir.WA.
Machinas em geral.
418. Bombas a dopio etTelto, feilas e exposlas pe-
los Srs. Lenoir & Ramos, Rio de Janeiron.
*y i.
419. Cyliodrode ferro fundido, com (ampo e hss-
te de ferro balido, para mach oai de vapor de
baixa presso da furca collectiva de 100 cavsl-
los, sysiema oscillante feilo e exoosto pela
compsnhia da Poota de Ara n 295.
420. Dilo para torrar farioha, feilo eexposlo pelo
^ mesmo estabelecimeoton. 295 A.
421. Machinas de vapor fixas, fetas no arsenal
do manoba do Rio de Janeiro, sob a direceo
dos Srs. BracooDot & Mallos, seodo urna de
24 e outra de 40 cavallosn. 292.
422. Dita de dilo de alta presio, feila oa casa
de correceo do Rio de Jmeiro, sob a direceo
de Luiz Thimoleon lleliotn. 293.
423. Diu de candar, feila oa casa da moeda do
Kio de Janeiro sob a direceo do eogenheiro
AdolphoIIalliern. 294.
424. Dita de vapor oacillante, da torca de 4 ca-
vallos, sem vlvula de distribeigao, feila a ex-
posta, pelos Srs. Miera, Irmo & Vlaylorn.
425. Moenda* de ierro para canna, movidas a va-
por ou outro qoalquer motor, feita e exoosta
pela compaohia da Ponta da Aran. 296 A.
CLASSE NONA.
Machinas e instrumentos de agricultura e horti-
cultura.
426. Instrumentos de agricultura, feiloa oa fabri-
ca de fuodigo do Sr. Miguel Couto dos San-
tos, Rio du Janeiro ; a saber : urna cavadeira
(o. 297), duas eoxadas (o. 299), duas fouces {n.
298), dous machados (a. 301) e um sacho (o.
300).
4" Uilos de dila' f,bricais na provincia de
Minas Geraes ; a saber : tres enxadas (o. 303)
e dous mchalos (o. 302).
CLASSE DCIMA PH1MEIRA.
irabalhos de engenharia militar, armamentos,
uniforme, artilharia e armas curtas.
428. Baoda bordada a dragonas de ouro, feitaa e
expo las pelos Srs. Costa Real & Pinto, Rio de
Jaoeiroo. 305.
429. Cla?ioa, pistola e espiogarda a Mini, feilas
no arsenal de guerra do Rio de Jaoeiron.
306.
430. Pistola, feita no arseoal de guerra da pro-
viocia de Peroambucoa. 307.
rOLHETIM
LL& LUSA
ron
AMEDE ACIIARD.
(Contiousco do n. 204.)
VIII
l ni casa da ra Cassette
No du seguinie multo cedo o Sr d'Assooville
rean lnu chamar Bulla Rosa o seu aposento. Via -
ae esuslhndos sobre a mes', juolo a qual eslava
elle sentado, algumas cartas e diversos papis.
Pea palli.lezdo seu rosto, e olhos fatigados, co-
nb-cia se ficilmeole que o capito havia pessado
a nout loJaa escrever.
Maniei dizer ao Sr. de Nancrais que tinha
precalo dos leus servigos, disse elle apenas Bel-
|a Rosa enirou. Asstm pois flea garantida a taa
r. fp-insabilidade de soldado, e de um dia para
nutfo pode ebegar i proloogaco da tus llcenca.
Lats anda resolvido a partir?
Anda.
evo preveoir-te de que talvez corras algum
pengo.
Sinto nicamente que eis* perigo seis an-
da duvujrso.
O Sr. u'Assonvilla fixou em Bella Rosa os seus
lindos olhos; e apertndo-Ihe a mao proseguiu :
Ueixa a tristeza para aquelles que nada roais
oevpm esperar. Teos vinte anoos, Bella Rosa :
vinte eonos a edade do prazer 1
E o stnhor capito tem iriola annos : tri-
la ani.ij* a edade das paixoes !
Pensas assim ? lornou o capito sorrindo.
rota a raim pare;eque tenhoj morlo o coraco I
E depois de um momento de silencio elle con-
Idui u :
- Deus granie. Deixemos este assumpto, e
Tcie-riu tua viagem. Aqui ealSo tres cartas,
Itcu ao jq : cada urna deltas eocerra ama parle
de raiohi vida. Conserva bern d* memoria oque
te v.,u dizer. Quando chegarea a Paria procura
abolet,ir-te em alguroa ra prxima do Luxem-
bourg. a' ooule dirigi-te ra Cassette do can-
to dt ra de Vaugirnrd tendo o cuidado de levar
com ligo a mais pequea destas tres cartas. Ba-
lars a uma porta baixa que d sobre um pateo
plantado deareores, onde vers ao lado ini ca-
sinha velba e de misaravel apparencia. Tira a
crta epede pessoa que vjer que a entregue
Sra. Camilla. Faz por lambrar-te bem deste no-
me por qe elle nao est no subscripto. Se le
Tfsoooderem que ella partiu, pede eotao para que
eeja a carta eotregue a sea irmo Cypriaoo. O
Jiinviduo. quemquer que seja, que le fallar to-
mar a carta, e tu te retirari depois de iodicar
no subscripto o tea nome e o lugar em que esti-
veres aboletado.
Moto bm : Camilla e Cypriano.
Se, psssa Jos tres din, oo receberes ros-
tosla, Vdiia casa da ra Cassette, e entrega
mesraa pessoa a segunda carta, que esta.
Eita que maior do que a primeira, e me-
nor do que a terceira ?
Justamente. Esperaos a resposta mais tres
dias; no flm dos quses, se te nao apparecer Dero
mHr-saneiro nem carta alguma, tomars a terceira
c oniregars com as duas outras.
K perguotarei sempre pela Sr. Cimilla ou
pio Sr. Cypriano, seu irmo ?
Sempre : desla ultima vez someole accres-
centars oo sobscripto estas pslsvras : Pari em
vmie e quatro horas.
E iievo com effeilo partir?
A' meos qu queira car em Paris.
Enio parlirei.
Nso creio. Mas estou certo do que da ter-
ceira vez alguem te ha de ir procurar.
Quem ? A Sra. Camilla ou o Sr. Cypriano ?
Uma ou outro, a lalvex que amboa/resiao-
4u o Sr. d'Assonville sorrindo siogalarmante.
Nesss casos seguirs, e farsexactamente aquil.
loqaa elle le disaerero.
C1.ASSE DECIMA-SECINDA.
^rcritiecluro naval e aparelho.
431. Modelos de coostruci;ao naval, feilos no ar-
senal de marioha do Rio de Janeiro, sob a di-
receo do Sr. Napoleo JoSo Baplista Levelo.
432. Ditos feilo? no estabelecimeoto dos Srs.
Miers, Irmao & M>ylor, Rio de Janeiron.
309.
432 A. Ditos feitos no estabelecieDto ds com-
panhia da Poota da Aiao. 311.
433 Modelo de construccao naval, feito no arse-
nal de marioha, da proviocia de Peroambuco
n. 310.
CLASSE DCIMA TERCEIRA.
Instrumentos de sciencias naturaes e proassos
relativos a seu em prego.
431. Um quadro com 2i especies de abelhas, da
provincia do Cear exposto pelo Sr. Manoel
ferreira Lagosn. 313.
435. Abelhas em 23 vidros, preparadas para es-
tudos, da meima proviocia, e exposlas pelo
mesmo saohor.
436. Amostras de diversas especies de cera das
mesmas abelhas, expostas pelo mesmo seohor.
437. Ditas de diversas especias de mel das mes-
mas abelhas, exoostas pelo mesmo senhor.
CLASSE DECIMA Ql'AIlTA.
Aparelhos phutographicos e pholographias.
438. Retratos em haloiypo, feitos a expostos pe-
lo Sr. Joaquim Iosley Pacheco, Rio Oe Janei-
roo. 317.
439 Ditos photographicos da familia imperial do
Brasil, feitos e expostos pelo mesmo seohor
D. o lo.
440. Retrato photographico, feito e exposto pelo
mesmo seuhoru. 356.
441. Vistas photographicss do jardim botnico
do Rio de Janeiro, fetas e exposlas pelo Sr.
Daer, Rio de Janeiron. 319.
CLASSE DEC1MA-QUNTA.
Instrumentos de relojoaria.
442. Relogio oe ouro, feilo e exposto pelos Srs.
Gondolo &C, Rio de Janeiro.
CLASSE DECIMA-STIMA.
Instrumentos de cirurgia e accessorios.
443. Ioatrumeoios cirurgicos, feitos e expostos
pilo Sr. Blaochard, Rio de Jaoeiro d. 344. A
saber: 1 fca cirurglca, 1 ioslrumento e cortar
alfleales, 1 bistur de duas olhas, 1 dito curvo,
2 ditos para operacea especiaes, 12 pegas de bis-
turis priDcipiados e 1 agulba de sedanbo.
TERCEIRA 8ECCAO.
CLASSE DEC1M A.-OITA VA.
Algodoet.
444. Algodo branco e amarello da Campos, pro-
vincia do Rio da Janeiro, exposto palo Sr.
Manoel Napomoceoo Baptiata Pereira, n. 209.
445. Dito herbceo do Rio de Janeiro, exposto
pelo Sr. Carlos Jos Alves Rodrigues, d. 212.
446. Dito da provincia da Pernambuco, exposto
pelo Sr. Luiz Correa de Mello, o. 211.
447. Dito em rama de Valenca, provincia do Rio
de Janeiro, exposto pelo Sr. Lux Ribeiro de
Souza Resende, n. 210.
448. Dito dito, em rama da provincia das Ala-
gdas. d. 218.
419. Dilo dito, da provincia do Amazonas, n. 116.
450. Dito dito, da proviocia do Cear, n 213.
451. Dito dito, da proviocit do Para, n. 215.
452. Dito dito, da provincia da Parahiba, o. 214.
453 Dito dito, da provincia de Pernambuco, n.
454. Dito dito, da proviocia de Santa Citharina,
n. 219.
455. Dito dilo, da provincia de S. Pedro, n. 234.
456. Colchas de algodo lavradas, da provincia
de Santa Catbarina, expostas pelo Sr. D. Luiz
de Atis Mascareohas, n. 219.
457. Tecidos de algodo da fabrica de Todos os
Santos em Valenca, provincia da Baha, ex-
postos pelo Sr. Antonio Pedroso de Albuquer-
qae, o. 224.
458. Ditos, de dito da fabrica dos Queimidos, na
provena da Baha, n. 225
459. Ditos de dilo, colchas de pastas, productos
da fabrics de fiar e tecer algodo de Aodarahy,
Rio de Jaoeiro. expostos pelos Srs. Julio Car-
los Magoo de Usmar, n. 223.
460. Ditos da dito, da fabrica naciooal de Ssoto
Aleixoem Mig, proviocia do Rio de Jaoeiro,
expostos pelos Srs. Jos Antonio de Araujo
Figuairas & C. n. 220.
461. Ditos de dito, fabricados no arrayal de Pas-
sa Tempo. provincia de Minas-Geraes, expos-
tos pelo Sr. Joaquim das Chlgfcj Andrade, n.
3Es0a
462. Ditos de dito, da fabrica do Sr. Manoel de
Almeida Costa, em Campo Grande, Rio de Ja-
neiro, o 226.
463. Tecido de dilo, da fabrica de Bramado de
Suassnhy, na provincia de Minas Geraas, per-
tenceote ao Sr. F. F. de Oliveira P*noa. ex-
posto pelo Sr. Fortunato Rodrgaos da Costa
Jumbeba. n.221.
46. Dito de dito, de Quelux, proviocia d Minas
Geraes, exposto pelo Sr. Felisberto N. N. de
Palua, n. 227.
465. Dilos do Crato. proviocia do Cear. exposto
pelo Sr. Minoel Frreira Lsans, n. 228.
CLASSE DECIMA NONA.
Linho t Canhamo.
^6. Folhas de caru, da provincia das Alagas,
n. 253.
467. Guaxima de mar e de trra da frsguexia do
Pilar, proviocia do Rio de Janeiro, exposla pelo
Sr. Viscoole de Barbacana, n. 237.
468. Lioho de carrapicho, da proviocia de Minas
Geraes, o. 238.
469. Dito de Iisguaby, provincia do Rio de Ja-
oeiro, o. 254.
470. Ditos da proviocia das Alag, a saber : ca-
ro, coroat. embiribeira, gravat-assu' a tu-
_cum, ds. 248 a 252.
471. Dilo, da provlnea do Amazonas, a saber:
caro e ticuro, ds. 264 e 265.
472. Dito da proviocia da Bahia, a saber: tucum
_e baoaoeira, os. 239 e 240.
473. Dilo, da proviocia do Para, a saber: guaxi-
ma, pila, tucum, tucum em rama, tacam de
rede, tururi, ds. 258 a 263.
474. Dito, da provincia da Parabyba, gravat o.
257.
475. Dilo, da provincia da Pernambaco, asaber:
aoanaz, croal-assu', croata de coco, croata de
rede e oulros, ds. 241 a 215.
476. Dito, da provincia do Rio Grande do Norte,
a saber : macambina e gravat. ns. 25S e 256.
477. Dilo. da proviocia de S. Pedro, n. 267.
Dilo, da provincia de Sergipe, a saber : malva
e tucum, ns. 246 e 247.
478. Tauari de diversas cores, da proviocia do
Amazonas ; serve para impresao e tambem
I para cigarros, n. 266.
CLASSE VIGESSIMA.
Sedas e velludos.
479. Amostras da seda da proviocia de S. Pedro,
collecQo compreheodaodo : ovos, bichos, ca-
slos, borra de sala, seda fiala e o ; ex-
poslas pelos Srs. Dr. Manoel Pere da Silva
Ubatuba, D. Claudios Rosa de Arau 0 Vicen-
ta Pebres Capbdebila n. 219.
CLASSE VIGESSIMA-PRIMEIRA <
Lat e fagendas de Ida, mclutive as f. ^^das de
mistura em geral. Vl
480 Bicheiro de lalecido, da proviocia U Pa-
ran, n. 639. 1
481. Ciberta de la, feita ds provine} de Mi-
nas-Geraes, exposta pelo Sr. Luiz fieira da
Silvao. 231.
Mas como reconhec los ?
Por estas palavras que Camilla ha de pro-
nunciar chegando-se a ti: A Cistelhana espera.
Talvez mesmo que elUa venham escripias em al-
gum bilhete, oude te desiRnem um lugar a que
de.vers ir, e a queirs com elTeito. Nao ha pe-
rigo mas previoo-te por cautella que leves com
ligo um punhal.
Sim I
E que teohas o brago direilo desembaraza- i
do para qualquer evenlualidade.
Ah 1
Repilo uma precaucao. Qaaodo tiveres
Cbegado jo lagir a que te cooduiirem, e fallado
com;a pessoa a quera te envi, dirme-hss tudo o
que ouvirea, immeJiatamente, sem perda de
lempo.
Nada mais ?
Nada mais. Deas queira que vas e que vol-
te a salvamento I Agora podes partir.
No momelo em que Bella Rosa ia montir a
cavallo o Sr. o'Assonville o abracou.
Quer eu viva, quer eu mo'rra, disse elle,
desie-ma a tua palavra.: cont com o teu slen-
tio.
Bella Rosa guardou as tres cartas no seu gibo,
deu de esporas, e partiu.
A agiiajo do corpo acalmava-lho a agitaco do
espirito ; e pois corra a galope para trsoquilli-
sar-se.
Cnegando Paris o seu primeiro cuidado foi
alugar um pequeo aposento situado no aodar
terreo da uma casa da ra de Port-de-Fer Saiot
Sulpice. O psenlo compunha-se de uma sala
e de um gabinete bem aceiados, e dando vista
para una jardins.
U-!l,i Rosa pagou logo quioze dias adiantados,
pois graca ao Sr. d'Assonville podia fazer boa fi-
gura em Pars. Depois chamou parle o dono
ds casa, que servia tambem de porleiro, deu-lhe
um luiz d v. ouro, recomraenriando-lhe que repa-
rasso bem as pessoas que viessem perguntar por
elle.
Semelhantes maneiras ginharam a boi vonta-
de do hospedeiro, que lirou o seu bonete, e
disse :
Fique descansado, mou fijalgo, ser servi-
do como deseja. Posto que velbo teoho boas
olhos para var. boos ouvidos para ouvir, e boa
liugua para fallar.
Mullo bem ; mas devo preveni-lo de qaa
oo sou dalgo. i
Tanto peior: pessoss como V. S. mereciam '
ser msrquezes ae nascenga.
Trata-me por Bella Rosi.
Traalo bei como V. S. quizer. Permita- I
"me porm dizer-lhe que se V. S. oo realmen-
te o que eu auppooho, a sorte oo foi nada avi-
sada oeste ponto.
Bella Rosa trscou a sua capa ao redor do hom-
bro, metieu naalgibeiraa mais pequea das car-
tas, e sshiu.
E' isto mesmo, dizia o hospedeiro segain-
do-o com o olhsr ao passo que elle procurava en-
costar-se s paredes da ra de Pot-de-Fer Saiot
Sulpice. Nao quer darse a conhecer : porm
ningoem me lira da idea que um grande Qdalgo.'
Que apparencia I
E esta exclamarlo corresponda ao brado inti-
mo do seu coraco, que dizia : Que luiz I
As cousss se passaram como o Sr. d'Assooville
predissera a Bella Rosa. A portinhs s se abriu
terceira pancada. Uma mulber embiocsda n'u-
roacoifa, que Ihedsela por diaote aios olhos, a
por detraz al a nuca, appareceu oo limiar. Lri-
ce u sobre Bella Rosa um vivo olhar que o abra-
cou do ps cabeQa, depois abiixou os olhos,
craso os bracos por cima de um sobretudo de la
ciozenta, e esperou.
A casinhs, que se achava eocostada a um mu-
ro baixo, e que da ra s deixava ver o seu le-
lo doardosias, era todo grelado e deaaprumado,
e cofterta de musgo no tempo. J da liga de-
vera ser muito velha essa casa : liaba a appa-
rencia discreta, humilde, e sileociosa. Nao sa-
bia fama;a da cbamio, e a jsnellis conserva-
vam sa hermticamente fechabas. No paleo cres-
ciam, irvores enormes, 3 4 aua sombra viam-se
aqui e acola vasos de marmore mui bem trabalha-
dos. mas coberlos de grosseiras heras e privados
de flores.
Esta casa oo est para alugar, disse a mu-
lber que enchergava slravex da saa coila.
Tambem eu ',no a vim alugar, observou
Bella Rosa que tomn-se um poueo vermalho.
Tenho uma carta que me eocarrvgaram de trazar
Sra. Cxmilis.
A mulher lancoa um novo olrnr sobre Billa
Rosa.
A Sra. Cimilla partiu, roplicou depois bai-
lando os olhos.
Ne9to caso teoha a bondade de entregsr ao
seu irmo.
Outro olhsr da parte da discreta persjnsgem,
que replicou logo:
Que irmo?
O Sr. Cypriano.
A mulher estendeu a mo, tomou a carta,
comprimenlou, e fechou a porta na cara de Bal
la Rosa.
No dia seguate, quando este introlatia a cha-
va na porta do seu aposento, o hospedeiro ehe-
gou-se a elle, e 4isse :
Teoho ah ama carta para V. S.
Ah I disse o sargento suppondo que a res-
posta oc ss linha feilo esperar tanto tempo co-
mo o peosara o Sr. d'Assooville. E ondo est
essa carta ?
Aqui a tem.
Ole exclamoa B^lla Rosa lendo o sobs-
cripto. Parece que sabem o meu norte, titulo,
e qualidado. E' isto me3mo : Bella Rosa, sar-
gento de sapadores do regiment de l Feri.
O hospedeiro sorriu-se astutamente.
Sim, verdade, disse elle: lodo mundo o
sabe., como eu I
A carta achava-se dentro de um enaloppe,
fechado com lacre vermelho. Baila Bosa rssgou
o eaveloppe, e lancou apressadamenie os olhos
sobre o papel. Eis o que elle continha:
O sargento Bella Rosa faltou disciplina
abandonando a sua compaohia sem permisso.
Para corrigir-se, o dito aargeoto ser pasto em
prisao por oito dias na aua volts ao corpo. Mas
cumpriodo desculpar a sua ausencia, oclus's
achara a patele que o aocarrega da commisso
de sargento recralador, e as iastruccoes loheren-
tes esse novo gru. O sargeolo Bella Bosa fiea
aatonsado a demorar-se um mez em Paris, ou
mais, se for predio.
a O viscoode Georges de N'ocrais.
Sempre a bondade disfamada I murmurou
Bella Rosa.
No dia seguiote entrou !no exercicio de suas
novas fuoccoes: era mais um motivo para nao
dar descango ao corpo.
O Sr. Merisel, o honesto propietario, nada
pJe ouvir ds leitura da carta que o sea aquili-
no mastigava nos denles: mas o ooma de vis-
coode de Nancrais pronunciado a meia voz nao
Ihe escapou.
Um viscondel repeta elle apenas ficou s.
Um viscondel Nao ha duvidao homem 11-
dalgo.
E a partir dease momento aagmaotou os res-
peitos e cortezias para com uma personagem qae
coohecia viscondes, recebia cartas com o sello de
lacre vermelho, e pagava a peso de ouro.
Na tarde daquelle mesmo dia Bella Roa per-
guutou-lhe se algiem o havia procralo.
Niogaem, responden o bom homem, que
deixava se flear sentido jauto a porta n'um pe-
queo aalo desde maeha al a noute com o re-
celo de qua viesse alguam na sua ausencia.
No terceiro dia o Sr. Meriset apenas avialou
Bella Rosa, que vioha ainda|muito longa, correu
para elle. Havia j urna a duas horas que os
habitantes da ra do Pot-de-Fer Saint Sulpice
viam o Sr. Meriset passeianlo em frente da aua
porta, e consultando o relogio a cada momelo.
O honesto hospedeiro chegou-se para Baila Ro-
sa com o sea bonete na mo, e am arao nusmo
tempo mysterioso n satisfeilu.
O' Sr. Bella Rosa I
O que tem.os, Sr. Meriset?
Vetu c urna pessoa protura-lo.
481. Cobarlas de lia, feitas na provincia de Mi -
nss-Geraes, expostas palo Sr. Felisberto N. N
de Padaan 230.
483. Ditas de dita, feitas na provincia de S Pe-
dron. 226.
484. La de ovelha, merino, da provincia da S.
Pedron. 232.
485. Dita mstica, da mesms provincian. 233.
486. Dila de ovelha marin, de Pelotas, provio
cia de S. Pedroo. 235*
CLASSE VIGEaSIMA-QUINTA.
Pelles, pennas e cabellos.
487. Pelle cortlda da cobra socury vermelha,
exposia pelo Sr. Jos Maria da Silva Piagari-
Iho. proviocia do Paran. 363.
488. Pelles diversas, de diferentes provincias do
Brssilo 362.
489. Ramo de flores de pennas, feito na provin-
cia da Bahia, exposto pela mordomia da casa
imperialo. 354.
490. Ramoade flores de peanas, feitos na mes-
an provincia, e expostos pela mesms mordo-
mia n 355.
CLASSE VICE3S1MA-SEXTA.
Couros, incluiive objtctos de selltiro e arreios.
491. Couros, preparados e exposto* pelos Srs.
Lima Uuimares & Souza, Rio de Janeiroo.
360. A saber : 10 marroquias, 1 meio de sola
enveroisado, 1 imitando couro da Rusaia, 2
cordaves enveroisados e 5 pagas amostras de
oleados.
492. Dilos preparados e expostos pelos Srs. Ro-
mo un 15 et & k 1 an, Rio de Janeiroo. 361.
Asaber : 6 marroquins, 1 couro da Ruasia eo-
vernisado, 1 dito para guarda-lama de carros,
1 sola garroteada, 1 meio da aola, 1 pelle de
bezerro, 1 lita de pellica e 1 dila de caroeiro.
493. Ditos diversos de differeotes provincias do
Brasiln. 362.
494. Lombilho com todos os seus pertences0.
5
495. Sallim, feito pelo Sr. Auspicio de Abreu
Guimares, na proviocia de Peroambuco, ex-
posto pelo Sr. Chrstovo Jos de Abrea'Gui-
ruaresn. 330.
496. Dito, feilo e exoosto pelo Sr. Auspicio de
Abreu Guimares. Rio de Jaoeiroo. 325.
497. Dte, faito e exposto pelo Sr. George Jaa-
sen. Rio da Janeiroo. 656.
198 Dito, feilo eexposlo pelo Sr. Guarino de S.
Peixe na provincia de Pernambacoo. 329.
499. Dito, feito eexposlo peloSr. Joo Marcoli-
00 da Silva & C, R 500. Seilim, feito e exposto pelo Sr. Joo Ribei-
ro Dias, na proviocia de Peroambuco n.
328.
501. Dito, feito e exposto polo Sr. Tarquioo Toeo-
tooio de Abreu Guimares, Rio de Jaoeiro
n. 326.
CLASSR VIGESSIMA STIMA.
Arligos de vestuario.
502. Calgado, feilo e wxuoslo p-lo Sr. A. M. Ma-
riam. Rio de Jaoeiroo. 370.
503. Dito, feito o exposto pelo Sr. JosCaetano
Carreiro, Rio de Jaoeiroo 369.
504. D.to, feito e exoosto pelo Sr. Jos Mria
da Silva Pinganillo, provincia do Para n.
O/I*
505. Dito, feito e exposto pelo Sr. Jos Moreira
oe Queirz. Rio de Janeiroo. 368.
506 Dito, feito e exuosto pelos Srs. Joo Cam-
pos & Filho, Rio de Janeiron. 366.
507. Dito, feito e exposto pelo Sr. P. A. Guilher-
me Fnho. Rio da Janeiron. 367.
508. Dito, feilo e exposto pelo Sr. Paulo Thior,
Porto Alegre, proviocia de S. Pedro u. 372.
509. Chapeos de pellos diversos, feitos e expos-
tos pelo Sr. Joo de l.-mos Pioheiro, Rio de
Janeiro0. 511.
510. Ditos, de ditos, feitos e expostos pelo Sr.
Fraocisco Antonio da Cjsta & C. Rio de Ja-
neiroo. 657.
511. Ditos, de ditos, feitos e expostos peto Sr.
Victorino Jos Gomes & C Rio de Janeiro
n. 658
512. Dos, de pello de labro, feitos e expostos
pelos Srs. Barcellos & Vianaa, Rio de Janeiro
n. 659.
513. Ditos, da dito faitos e expostos pelo Sr. Ro-
berto Augusto da Almeida, Re de Jaoeiro
b.512.
514. Ditos, de dito de seda, feitos e expostos
pelos Sra. Cbostel & C, Rio de Janeiron.
_ 405.
515. Ditos, de dito feitos e expostos pelos Srs.
Mallo 516. Ditos, de dilo feitos e expostos pelos Srs.
Pereira de Castro & C, Rio de Janeiro n.
_ 510.
517. Vestuarios completos de pelle, da provineia
das Alagoasn. 365.
CLASSE VIGEMIMA-01TAVA.
Papel, objectos de e-criptorio, impressao e en-
cardenaco.
51S. Atlas e relalorio da axploraco do rio de S.
Francisco, orgaoisado por ordum do goveroo
do Brasil, pelo Sr. Fernando Ualfeld, eoge-
ohefro, impresso e lUhognphaJo pelo Sr. Edu-
ardo Reosbarg, Rio de Janeiroo. 663.
519. Livros grandes para escriplursco mercan-
til, feito e expostos pelo Sr. Georgea Leuzin-
ger. Rio de Jaoeiron. 331.
520. Ditos imoressos e eocaderoados as officioas
dos Srs. Edaardo & Heorique Lsemmert, Rio
de Janeiroo. 332.
521. Ditos eocadernados na officioa do Sr. Lom-
baerts, sendo um dalles impresso na typogra-
phla nacional do Rio de Janeiroo. 333.
CLtSaE TIUGISSIMA.
Mobilias, taperarias, inclusive transparente de
papel para janellas. papier march.
522. Caixa de costura, feila de diversas madeiras
do Brasil, polo Sr. Joo Rieder. da colonia de
Santa Isabel, na provincia do Espirito-Santo,
exposta pelo Sr. Adalberto John, director ds
raesma colonian. 337.
523. Dita de dita, feita de diversss madeiras do
Brasil, exoosta pelo Sr. Ziochi, Rio de Janei-
ron. 339.
521. Dita embutida de diversas madeiras do Bra-
sil, exposta pelo Sr. Joo Antonio Caple, Rio
de Jsneiroo. 336.
525. Mesa de costura embutida de diverjas ma-
deiras do Brasil, feita pelo Sr. Joo Rieder da
colonia de Santa Isabel, proviacia do Espiri-
to-Santo, exposta pelo Sr. Bernardo Augusto
Nasceotes de Azambujan. 315.
526. Dita dita, falta de pu canda, na provincia
de S. Paulo, axposta pelo Sr. Manoel de Aguiar
Vallimn. 338.
CUaSI TRKESSlaU NMEIUA.
Ferros e ferragens em geral.
527. Barra da ferro (orjaio, na provincia d6 Mi- ,
as Geraes. exjosta polo Sr. Aotooio Ribeiro1
de Aodraden. 30.
528. Dita de dito, forjado em Coogoohas do
Campo, provincia de Minas-Geraes, exposta
pelo Sr. Lucas Antonio Monteiro de Barros
B. 31.
529. Dita de dilo, forjado em Antonio Pereira,
proviocia de Minas Geraes, exposta pelo Sr.
Manoel Pedro da Calan. 32.
530. Dila de dito, de Itsbira de Mato Dentro,!
proviocia de Mioas Giraes, exposta pelo Sr. !
Joaquim Carlos da Cjnba AnJrade3. 33-
531. Dila de duo, da mesma localidade e pro-
viocia cima, exoosta pelo Sr. Joo Antonio
de Moolsvadan. 34.
532. Fechadura, falta e exposta pelo Sr. Miguel
Coalo dos Santos, Rio de Janeiron. 341.
533. Dita da segredo para porta, feita e exposta
palo Sr. Joo Ferreira, Rio de Janeiro
n. 310.
534. Medalhes da ferro fuoJido, feilos e expos-
tos pelo Sr. Ado Urbach, Rio Janeiro
n. 3.
535. Medalho de ferro funlido, feito e exposto
pelo Sr. Hargreaves. Rio de Janeiron. 5
536. Oro'tos de fjrro fundido, faltos e expostos
pelo Sr. Mi neiron. 6.
537. Paiuel de ferro fundido, feito e exposto pelo
mesmo senhor3. 4.
538. Ponlaa da Paris, eraros, rodellas e porcas
de parafusos, feilos e expostos pelo Sr. Beu-
chon, Rio de Janeiron. 313.
CXASSE TRICESSIMA SECI'NOA.
Aro e cuularia.
539. Facas com cabo de madeperola e oulros
objectos, feitos e expostos pelo Sr. Jos Pradi-
nes, provincia de Pernambucoo. 3iC.
540 Nivalhi e tres folhas de dila em fabrico,
feilas e expostas pelo Sr. Bl-ncharda. 344.
CLASSE XRIGB8SMU TERCEIRA.
Obras de metaes precioso!, imitarles ejoias.
541. Armas imperiaes da prala, feilas no estabs-
lecimeoio dos Srs. Domingos Parani & Irmo,
Rio de Jaoeiron. 633.
541. Cordao de ouro, feito na proviocia de Mi-
nas-Geraes, pelo Sr. Ajiostiuho Jos Lopes
n. 634.
313. Laneta de ouro pertencente S. M. o Im-
perador, exoosta pelo Sr Jos Mara dos Reis,
Rio de Janeiron. 635.
CLASSE TBIGESS1MA QCAIITA.
Fidros.
544. Copo de crystal lapidado, gravado pelo Sr.
Seraflm da Fooseca e S, Rio de Jaoeiro
_ n.638.
515. Obj-cles da fabrica da Praia-Formoia, Rio
de Jaoeiro, perlencentes aos Srs. Castro Paes
& C expostos pelos meimos senhores
n. 636.
Uma bandeja com uma tijella e oito chicaras,
opala e encarnada.
Uma bandeja com duas garrafas, um copo e um
aasucareiro, azul e braoco.
V r calix com gravura (grande.]
Uma cesta com asa, colorida.
Duas compoteiras, uma branca lapidada o outra
de cor.
Tres copos lapidados, um branco e dous de cor.
Um dito para vioho, lapidado.
Um calix para cerveja, dito.
Oito copos coloridos, diversos.
Um dilo lapidado e gravado, asul e branco.
Uma coroocopia.
Uma fructeira gravada
QVerdeg,"ar" ******** bran:is e uma
Uma garrafa branca.
Quatro ditas ordinarias.
Uma garrafa, copo e prato.
Um frasco para agu de colonia.
Um lobo do lampeo.
Tres flores.
Um fuQil com toroeira.
Tres jarros pequeos.
Una mac*nlta de edr, lapidada.
Urna porta iilhetes.
Tres pratos'peqaenos, seodo dous trancos, lapi-
dados e om de cor.
Uoi provea de botica.
Um tubo. /r-
Uma torneirs.
Nova vasoa_de cores diversss.
Q.iatro vidrosVjversos.
546. Objectos da fabrica de S. Roque, Rio da Ja -
oeiro, perteaceotVao Sr. Maooel Lombos ; ex-
postos pelo mesmo ssohorn. 637.
Dous clices.
Dez copoi.
Urna compoteira.
r na escarradeira.
Uma fructeira.
Duas garrafas, uma de cor e outra branca.
Uma maanis.
Quatro pratos pequeos lapidados, um branca e
tres de cor.
Dous povetes de botica.
Um frasco para agua de colonia.
Dous tubos pira lampeo.
Siis vanos diversos.
Duas mangas, lavradas.
CLASSE RlOESSIaU QUINTA.
i ouro.
57. Baca e jarro de barro pintado, feitos na pro-
vincia do Amazonasd. 351.
518. Louqs de barro, feita na fabrica do Sr. Fran-
eiseo Eaberard, Rio da Janeiro, exposla pelo
mesmo seoboro. 348.
549. Dua.de dito, feita na provincia de Pernam-
bucon. 347,
550. Tenas, lijlos e tabos dedrainage, feitos ni
fabrica dos Srs. Pedro Antonio Salvillo & C,
era Niiherohy, proviocia do Rio de Janeiro, ex-
postos pelos mesmos senhoresu. 349.
551. Tajlos diversos, feitos na fabrica da com-
psnhia Uoio e loduMria, estabelecida na co-
lonia de Pairo II, no Juiz de Frs, provin-
cia de Mioas Geraas, expostos pelo Sr. Maria-
no Procopio Ferreira Lagen. 350.
552. Ditos, feilos Da fabrica do Sr. J. S. Freir,
provincia da Bahiao 352.
CLASSE TB.10ESSIMA-SEXTA.
Arte fados nao clafst/icvdos as classes ante
riores.
553. Agulha de marear, feita e exposta pelo Sr.
Antonio Maria de Mascareohas, Rio de Janei-
ro d. 304.
553 A. Asphalto artificialn. 97 ; marmore ar-
tificialn. 96 ; e lijlo n. 98 ; feitos e expos-
tos pelo Sr. Mathiaa de Mallos Vieira. proviocia
le S. Pelro.
551. Caixas para guardar joiss e botica hrreo-
pathica, feitas e expostas pelo Sr. Andr Fo-
reste, Kio de Janeiron. 353.
555. Charutos, feitos e expostoa pelos Srs. Baun
e Castaofira, Rio da Janeiron. 392.
55G. Ditos, feitos e expostos pelo Sr. Do n.;nga3
Palos, Rio de Janeiron. 386.
,557. Dilos, feilos e exposlos pelos Srs. Joo Ji-
ciniho Mootes & C, Rio de Jaoeiron. 389.
] 558. Charutos feitos e expostos pelo Sr. Jos Joa-
, __quim de Souza Flores, Rio de Janeirod. 3:J8.
i 559. Ditos, feilos e expostos pelo Sr. Pascoal Pa-
los, Rio de Janeiron. 387.
560. D tos, feilos na colonia de Santa Cruz, pro
viocia de S. Pedron. 390.
561. Ditos, feitos ns colonia da Soledade, da
mesma provincia0. 391.
562. Cifaarros de palhs, faltos em Campias, pro-
viocia de S. Paulo, exooitos pelo Sr. Fidelis
Aotooio Machadod. 382.
563. Ditos de papel, feitos na proviocia de Per-
oambuco, expostos pelo Sr. Joo Goocalves
n. 383.
561. Ditos de papel, feitos na provincia do Para,
expostos pelo Sr. Sanspaio Peresn. 384.
565. Dilos de tauary, feitos na proviocia do Pa-
ran. 385.
566. Estadio em forma de bengala, feilo pelo S'.
Aotooio Corroa de Mello e Oliveira. exposto
pelo arseoal de gaerra do Rio de Janeiro
566 A. Ferro de engoramar de metal principe,
feito em Campos, proviocia do Rio da Janeiro,
pelo Sr. Jos Vieira de Mallos Lisboan. 342.
567. Flores, feitas com azas de iosectos pela Srj.
D. Balbioa Benedicta Quintanilha, Rio de Ja-
neiroo. 316.
(Confinuar-se-A '
de pois
alguma
Sim? Homem ou mulher?
Um mancebo rica tu ente trajaio; bigole re-
torcido, nariz afilado ; mag'o, asvello, e de ap-
parencia distincta.
E pergaolou por mira f
Perguotou, mas sem cumorimentar como
Gdalgo. a Bom homem, me perguntou elle, Bel-i
la Rosa est em cae ? Mo, seohor, Ihe res-1
pondi levaotaodo-me com o bonete na mao, pois
pelo sea ar condec logo que eslava fallando com
algum seohor da corle.' diabo I replieou elle.
Pola diga-lha que o vim procurar, e que aina-
nha v fallar comigo.
Disse-lhe o seu nome?
Nao, senhor.
E a saa residencia ?
Tambem nao.
Ora essa, Sr. Merisel I Como hei
encontra-lo ?
Porem se nada disse, escrevaa
palavras que deixou tiear sobre a mesa de V. S.
Felizmente 1 Eis-ahi por onde o seohor de-
vera ler coraegado.
Bella Rosa achou com effeito sobre a mesa
uma tira de papel com estas palavrasGaspar de
Villebrais.
O mea lente I exclamou elle. O que que
rer do mim ?
O meio mais simples do o saber era ir sua
residencia ; foi o que fez Bella Roa no dia se-
guiote.
O Sr. de Villebrais Ihe disse que se dirigir
Paris para tratar de negocios seus, e tambem ds
companhia.
Tratarei daquelles qae ms pertencem, ac-
crescentou elle, e quanto aos oatros da compa-
nhia cont com o seu aaxilio. Se liver necessi-
dade de mira ha de encontrar-me todos os dias
de uma s duas horas 00 jogo da pela junto do
Luxembourg, o das tres s quatro na Praga Real.
E' l que se rene a gente do bom tom. Adeas,
esperam-me n'uma parte.
De uma hora s duas no Luxembourg, das
tres s quatro ns Praga Real. Muito bem, dizia
comsigo Bella Rosa ao relirar-se, hei de lem-
brar-me, mas nao para l ir.
Esse lente era um homem altivo, e irascivel,
a quem detesiavam tolos os seis iaferiores.
No dia seguate o sargeolo voltou xaa Casset-
te, e batea na portioha baixa. A mulher de so-
bretudo de la cozeola lomou desla vez a carta,
logo primeira palavra.
O negocio nao vae mal, observava corasigo
Bella Rosa. A' primeira eotrevista disse urnas
cinco ou seis palavras, agora nao dissa mais que
duas, na ultima entrevista nada dir absoluta-
mente. Isto abrevia as negociaces deum molo
siogulsr.
Bella Rosa punha o Sr.d'Assonville ao tacto de
tudo o que fazia ; e o resto do tempo corra a ci -
dade recrulaodo hroes a seis sidos por dia pa-
ra s artilharia de sua magestade christianisima.
No meio de suas cartas e passeios o sargento
lembrava-se sempre de Suzaoa. Nao poda ha-
bituar-se a chama-la Sra. d'Albergotli. Accon-
tecia porem que se profundo era o seu amor, a
recordarlo della era menos amarga. O senti-
meato do dever, muito poderoso na saa alma,
fazia-o desculpar a conducta de Sitzana, que ce-
der somante autoridade paterna.
Quando elle passava pelo quartsiro do Palais-
Royal, pela rea Saiot-Honor, e jardins pbli-
cos, o seu bonito aspecto e fresca mocidade at-
trahiam oa olhares e sorrisos de todas as lilas
grisettes, e tambem de algumas damas de alta
gerarchia : mas olhares e sorrisos resvalavam por
aobre aquello coraco em que se aninhava um
pezar.
Tres dias depois da eotrega da segunda carta
quanlo Bella Rosi entrou na ra do Pot-de-Fer
Saiot Sulpice avistoa o digno Sr. Meriset a pas-
aeiar em frente de sua porta com o passo apres-
aado. Tirava o bonete, tornava a po-lo na ca-
bera, parava, olhava para trate para diaote. Os
ps tocavam apenas no chao, e os labios um
poaco ll'ecta los pareciam cooler a muito costo
um moato de palavras prestes a escaparen-se-
! Ihe.
Oh I oh I disse elle balxioho a Bella Rosa.
Temos graoda nnvidade 1
O que ? Una carta?
Melhor aiuda.
Uma visita ?
E que visita Os mais guapos lilalgos do
nnssj gionoso rai desejanam t-ias sempre
aisim.
Eoto era alguma mulher?
E das maia lindas 1 Olhos pardos, malgos e
brilhaotes ; cabellos dourados e fios como fio
de seda ; nariz delicado ; labios que excedera s
mais frescas rosas, e que deoles I Ah mea fi-
dalgo! Qjam madera poder tomarme n'uma
careja para ser mordido por aque'.les deoles I
Sr. Meriset, a poesa fa-lo esqaecer-se da
mlnha qualidade. Ja Ihe disse que oao sou -
dalgo.
E elle a dar-lhe! pensou comsigo o hon-
rado propietario, que comtinuou elevaodo a
voz: Ha ciocoenta e dous annos que moro na
ra do Pot-de Fer Saint-Silpice, e nao me
lembro de ter visto um semblaote egual.
Mas quem seria? Alguma criada de co-
media ?
O que, senhor! Eal engaado.... Com a-
quellea ares de alta personagem nao poda dei -
xar de ser uma marqueza.
E ella o disse?
Nao disse, mas eu adviohei.
Bella Rosa sorriu-so; coohecia a perspicacia
do seu hospede por experiencia propris.
J qu-a o quer, seja uma marqueza, repli-
cou elle. Mas olla devera lor-lhe dilo alguma
consa.....
Justamente : disseque voltaria.
Ah
E depois retirou-se ns mesma sege qo a
havia trazido.
Sem oada mais acrescents'' 1
Nada mais. Todava pelo seu ar compre-
hend que ficou contr* contrado.
Bella Rosa persuadu-se logo de qua a mar-
queza de seu hospede era alguma emissaria da
ra Cabelle: e por isso deixou de ficar todo o
dia seguate espera della.
Nioguem appareceu, e o raesmo acontecou no
dia subsequeote. o sargento voltou aos seus
recrutas.
Oraadeual dizia e'le. Se me qaizerem al-
guma ceusa qus escrevam. Nao ftltam pennas
ao munJo.
Passados dous das, voltando elle para casa ao
cabir da nonte, avistou no Bm da rus um car-
rusgem parada: uma mulher achava-se de p
00 estribo dessa carruagem, e ao lado della um
homem lodo inclinado com o seu bonete na
mo.
O homem era o Sr Merisel.
O intelligente proprietario percebe Bella Ro-
sa, que se approximava, e fez-lhe um signal ira-
perceptivel para que ae apressasse. Baila Rosa
correu : mas a dama saltou lentamente para den -
tro da carraagem, o cocheiro fustigo os caval-
los, a a eqaipagem desapparecea na ra de Vaa-
rigard.
O Sr. Meriaat batea com o p na chao, o que
001 seus hbitos pacitlcos denotara violenta con-
trariada Je.
Se chegaise cinco minutos mais cedo, t-
labia visto! exclamou elle.
Era ella ?
Nao, aenhor.
Quem era ento ?
Uma outra.
Mr a ou velha, bonita ou feis?
Seguramente ama oa outra cousa. Nao
o aei.
Pois noesteve com ella, nao a viu?
Nao vi, porque trasia am vea cnido pelo
rosto.
Nada pededescobrir absolutamente?
Nada, a excepeo do p.
B que tal?
Um p de duqueza !
Bofe, Sr. Meriset 1 B essi du juera flcou
marqueza por ni
que eu pensei
tambem contrariada como
me ter encontrado ?
Ao contrario ; e foi isto o
vendo-a saltar para a carruagem.
E pensou muito bem.
Est claro que oo vicha para fallarme.
Nao vinha para fallar-Ihe; porm vicha pa-
ra lirar indagacoes.
E o que lie respondeu o Sr. Meriset ?
O qae respond? Eu c nao sou (o sim-
ples como pareQ. Deixe-a perguntar sua
vontede, e nada descobrl.
Falla serio?
To serio como ser esta mioha casa an.a
casa da gente honrada. Nao porque nao pro-
eurassera seduzir-me, e esta bolsa qus me du-
rara prova ss iotences de quem m'a deu.....
E o Sr. a recaben ?
E enlao Recebi-a, mas nada disse. Uma
casa tem sempre necessidade de reparos, parm
os reparos nao obrigam a fallar. Por m;is que
me sondassem por lodos os lados pira que eu
dissesse quem era V. s., o que fazia, de onde
vinba, conaervei-me mudo como este bonete. O
que qnr I Nao pude resistir-lhe : V. S. logo
primeira vista captivou-rae, e nao sei motilo o
que seria capaz de fazer por sua pessoa EoIito-
tsnlo sej dilo em abono da verdale qe a mfnhi
descripgio mais meritoria na jpparencH do
que na fealida Je ; porque se e" nada disse, tam-
bem nada sabia.....
Nao iosistirei mai* nssse negocio: a in-
teocOj muilo bastte.
Oh! quantn a intenco, a melhor t>osksi-
vel, e o ha d ser sempre.
Bella Rosa julgou-se obrigado a recompena/sr
ess' 00a iolengo afim de maut-la no mrsato
ru de honestidade; e como a pessoa nao hsv/ia
dito que voltaria, nao se deu ao trabalho de'a
esperar no stguinte dia.
Dsquelli vez nao ssbia o que pensar das duas
visitas; nao era provavel que ambas viessem da
rus Casette ; e como por outro lado a nioguem
coohecia em Paris, nao podiam deixar de ser
j muito vagas as suas supposicoes.
Depois de haver por mil modos torturado o
jjijzo, lomoa o partido mais prudente, que era
deixar ao acaso o cuidado de explicar essa aven-
tura.
O da de sua terceira visita casa da roa Cas-
sette chegou finalmente O resultado foi o mes-
mo que elle havia previsto. A dama de sobre-
tudo ciozento tomou a carta sem fazer a menor
observadlo.
Nosenuiote dia Bella Rosa ficou em casa a es-
pera. Succederam-se as horas: oinguem appa-
receu. Veiu a noite. O sargento preparoo a sua
bagagem para partir ao romper do dia immedalo,
e sahiu aSm de ir uma casa de pasto da ra
do Bac, onde costumava fazer as suas refsi-
;6es.
Ao voltar foi de'.ido 00 caoto da roa de Svres
por am ajuotamenlo de operarios e merca dores.
Nao tendo mais de que cuidar, envolveu-se na
muliido, que fazia grande alarido por causa ae>
uma rixa entre ora boleeiro e um burguez.
De repente o sargento sentiu se agarrado pe':.
braco, e uma voz de mulher pronuaciou distioc-
lamenie aos seus ouvidos estas palavras : a A
eastelhana espera ,
Bella Rosa astremeceu ; quando voltou-se viu
comente operarios juoto de si: mas pressentiu
que Ihe haviara iotroduzido na mo um papsL-
zioho. Apressou-se a sabir do meio do grupo,
e dirigiu-se para a raa do Pot-de-Fer Saint-Sul-
pice afim de lr o bilhete.
Quando Iraospunha o limiar da porta uma mu-
lher la sahiodo.
A mulher paroa repentinamente. Uma rast'.a
de luz deu sobre o semblante de Bella Rosa, a
ella exclama :
__ Meu irmo!
Claudias 1
E o sargento abriu osbra;os a sua irmla,
/Continuar-je-Aa.'
PERNAMBUCO.-TYP DEU. P. DBP. & PILHP.
'.
'
.1
\
.

P


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EQFGIIR6N_5WQB82 INGEST_TIME 2013-04-30T22:36:04Z PACKAGE AA00011611_09613
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES