Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:09610


This item is only available as the following downloads:


Full Text


AIIO IIIV1U. IDILIO 203
fr tres nezes dia ota dos 58000
Pr treiaezA vencidos 6$000

QAVTA fEIRA 3 M SETEMBRO DE Itll
Pr anui dUntado 19|00O
Ptrtt fr*. # iiira t ubscriptor
DE PER1\

E^CARREGADOS DA SUBSCRIPCAO DO MORTEi
Parahyb, Sr. Antonio Alexandrino do Li-
na ; Natal, o Sr. Antonio Marques da Silva ;
Araaaty, o Sr. A. do Lemoa Braga; Coari o Sr.
J. Jos do Oliveira; Maranhio, o Sr. Joaquim
Marqaea Rodrigues; Par, Maooel Pinheiro 4
C; Amazonia, a Sr. Jeronymo da Costa.
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPTO DO SOL
Alagas, o Sr. Clandino Falco Diaa; Baha,
o Sr. Joa Martina AIth Rio da Janeiro, o Sr.
Joie Paraira Mirtina.
PARTIDAS DOS CORREIOS.
Olinda todoa oa diaa aa %% horas do da.
Igaaraas, Goianna, o Parahyba naa segundas
a aextas-feiraa.
S. Antao, Bezorroa, Bonito, Carear, Altinho
a Garanhuna naa targaa-eiras.
Pao d'Alho, Nazaralh. Limoolro, Brejo, Pes-
qaeira, Iogazeira, Floroa, Villa-Bella, Boa-Viata,
Ouncury o Ez naaqtartae-feiraa.
Cabo, Serinhem, Rio Formn, Ona.Barreiros
Agu. Preta, Pimontelras Natal qainlaa eiraa.
'Todoa oa corroioa partom aalO horas da machia
IPEMER1DBS DO &1KX DE SE1EMBRO.
7 Laa chola aa 5 horas a 16 mina toa da tarde.
15 Qaarto minga.na a 1 hora o 21 minutos da
tarde.
93 Laa non aa6 horaaa 18 minatoa 4a manha.
30 Qaarto creacente a 1 hora o 28 minatoa da
tarda:
PREANAI DRHOJE.
Primalroaall boraa e 42 minotoeda manha.
Segando aa 12 horaa a 6 minatoa da lardo.
rARTtDi DOS TAFORBS COSTBIROS.
Para a sol ata Aiagoaa 5 o SO; para o aorta
at Granja 14 o 29 da aada mas.
PARTID DOS O*3 I BUS.
Para o RfcMe.' do Afpueot 6 12, 7, 7 1|1, 8
e.8 1|2 da m.; de Olinda a 8 da tn. o S da t.; da
Jaboato s 6 ]|2 da m.; do Caxang a Vartta
s 7 da m.; de Bmficn. s gdim.
Do Raaife : para o Apipvcof s 8 ljt. 4, 4 1|4,
4 li2, 5. 5 li4, 5 1|2 e 6 da t.; para Olinda s 7
da m. O 8 lf2 da t.; pn Jaboato a 4 da t.; para
o Caxang a Porteo t 4 12 da t.J para BsmAea
aa 4 da t.
AUDIENCIAS DOS TRIBUNAS DA CAPITAL.
Tribual do eommercia: aegandis e quintas.
Relagio: tergas e aabbadoaa 10 horaa.
Paseada: quintas a 10 horaa.
Juizo do commercio : segandaa ae malo dia.
Dito de orphloa: tergas e aextaa a 10horaa.
Primeinvara do ev.l: tergaa e extaaao molo
dia.
Segunda vara do sItoI : qaartaae sabbados l
hora da tarda.
DAS OA **MAUA.
1 Segund. S. Eidlo ab.; Si. Ja, e Gedeao.
2 T-rge. S. Eievo rei fle Hungra.
3 Cuarta. S. Eufemia v. m.; S. Ariathoob. m.
4 Ouinta S. Roas da Vuerbo f. .. s, Caudide"
Sexia. S. A'jtonino m. ; S. B-rlino sb.
t Sabbado. S. Libinla >.; S. Preat4i m.
7 Domingo. Nosts Stnbora da Penhe; S. J"0 p.
ASS1GNA-SB
'" N*M, em llTMria da atufa da IoeP,B .
den*! n.6o8,cs proprielarios Maceal Fija i
roa dataria 4 Filio.
PISTE 0FF1C1II
GOVERNO DA PROVINCIA.
Expediente do da 30 de agoste de
186*
Officio ao Ezm. preaidente da provincia da Pa-
rahiba. Declarando-me o Eim. Sr. ministro da
agricultura, commercio o obraa publicas em avi-
so de 20 do correle ter recommendado a V. Ezc.
qae demisa de preencher o lugares deatioados a
passageiros de osladoa no vapor Tocantins quan-
do passsr para o su!, aQm de traotportar deita
capital para a Baha a D. Cora Perpetua Colonia
Cezar, viuva do Dr. Pedro Antonio Cejar e a sua
familia, presso-me em commuoicar a V. Etc.
que a referida viuva
engajar
e aua familia iii se retiraran ; objectos que esta provincia remeiteu para a Ex-
S J,SI?ii ? 7 ? W 'Tli ?6 C,0tU po4,?io N'l 1* Corte, acham-se recolh.do.
ao. presidentes do Rio Gr.nde do Norte, Cesr, oa alfandaga, onde V. S. dever maada-loa ra-
Maranhao e Para. eeber.
H-D'fr ? ,om,a,"a,,ol *' C""""*0 Di o meamo.-Respondo ao sea officio de
de officio do Ezm. presidente da Baha de 27 do hontem datado, sob n. 233, duendo que deve V,
correte, que oaqaella dala embarcou do vapor S. contratar aomeote o transporte para o presidia
roeantins.com destino a esta provincia a ala es- de Fernando d objectos ezisteoles nease arae-
qoerda do < batalbao de ofantsna. assim o com- j nal com destino aquella liba, e qae nao pode-
rn.nuo a V. Ezc. para seu conbecimento e di-1 rem ser cooduzidoa no navio de gaerra, qae de-
"t?;^".^ .,____ c- v r, Ta P" alli seguir no mei do selembro prozimo
Dito ao mesmo: Sirva-se V. Ezc. de dar as vindoaro.
suas ordena pari que aeapreaente na secretaria Dito ao provedor da Santa Casa da Miaericor-
da polica amanha^s-rO-horaa do da, urna for- dia.C>mmunico V. S. que. por achr-e* en-
?a de dua. pra?as e am cabo de primeira linhi, ferm. a Africana livre Generosa, que e.t ae ser-
adm de escoltar a dous criminosos que seguem I vigo do hospital Pedro II, officio nesla data ao
ZV.V! Ioanl,ns com d8,UQ0 Prtmnc'" da inspector do arsenal de marioha para az-la
substituir poi oatra.
*?5i.**r?f d0 a}le,.l,aao,unto so seu offiaio Mano de Hollanda e Pedro Igmeo de Alrneida
Guedei qae vo destacar na villa do Buique.
Dita.O presidente daprovincii tendo em vis-
ta o resaltado do coocurso a que se procedan no
da 18 do correte, resolve oomesr professoras de
inslruccao elementar nesta cidade, a Thereza Jo-
sephina da Cunha Salles para a 2a cadeira da fre-
gaezia de SjdIo Antonio, ea Claudlsna Nativa do
O' o Santos para a l" da (reguezia da S. Fr. Po-
dro GongaUea de Recife:
Secretaria do goveroo de Pernimbaco, 30 de
agosto de 1862.
Pela secretaria do goveroo se faz publico que
S. M. o Imperador por decreto de 12 deate mez, I
houve por bem aceitar a desistencia qae fez Ao-
tonto Joaquina de Alrneida Guedes Alcanforado,!
dos officios de partidor e destribuidor dos termos
ce Olinda, creado pela le provincial n. 504 de 29
de maio de 1861, visto achar-se vagoa e em con-
carao os referidos officios. Os pretendentes ha- |
jam de apreaeotar os seas requerimeDtos no praso
de 60 das contados desla dala, instru los na for-1
ma do decreto n. 817 de 30 de agoste de 1851 o
do aviso 232 de 30 de dezembro de 1851.
n. 383 desla data, pode V. S. manda-lo
no mesmo corpo.
Dito ao director do arsanal de guerra.Cons-
tando de officio do Ezm. presideote das AlaRdas
datado de 21 do correte terem sido eotregoas no
deposito de, artigoa bellicoa os dous caizes com
aapatos que pelo vapor Oyapoek forana enviados
daquella provincia para ease araenal, e que pro-
cedeodo-ae ao ezame e contagem na forma do
disposto do aviso do minialerio da guerra do 1*
de margo ultimo achou-se estar ezacto o sea
namero; assim o commaoico V. S. para sea
conhecimento.
Dito ao mesmoDeclaro V. S. em addita-
melo ao meu officio desta dais, qus os 19 vo-
lumes viodos no vapor Tocantins, contendo os
Parahiba e Amazonas.
Dito ao mesmo. Sirva-se V. Ezc. de dar as
suis orden am de que os recrutas Jos Fran-
cisco de Mello e Adelioo Francisco da Cruz, men-
cionados na relajo auneza ao officio de V. Ezc.
da 28 do correla, sob o. 1,660, nao sigam para a
corte no vapor Oyapoek, o 1* por ter obtido oes-
ta data o prazo de 30 diaa para provar a sus isen-
go do recruiameoto, e o 2o por anda nao haver
a presidencia recebido a ioformago do juiz de
direito da comarca de Goiaona, aobre o que re-
quereu no mesxo aentido.
Dito ao mesoio.Commuoico a V. Exc. qae em
aviso da repartigao da gaerra de 18 do correte,
ma foi declarado que na primeira occaaiao possi-
vel ser remeilido para esta provincia o 1 iro
mestre deatioado a companhia Qza de cavallaria.
Dito ao mesmo. Declarando-me o Ezm. mi-
nistro da gaerra am aviso de 18 deste mez, expe-
dido pela 2* directora gerai, que nao necessario
o emprego de ajudante da fortaleza da Taman-
dar, para o qual Mr a nome>do interinamente
o lenle reformado Joaquim Jo< de Souza, ba-
ja V. Exc. da expedir as auas ordeoe para qae
cesse o mesmo teoente deezarcer o refer lo em-
prego.
Dito ao mesmo.Transmitto a V. Ezc. aQm de
seren cumpridas, as senleogas nelle proferidas
pelo conselho supremo militar de justiga, os in-
clusos procesaos de conseibo de guerra dos sol-
dados Francisco Jos Barbosa e Feliimno Auto-
nio Alves.
Dito ao inspector da thasouraria de fazenda.
Constando de aviso da repartigao dos negocios es-
trangeiros de 11 do corrente, que S. M. o Impe-
rador houve por bem conceder a sea imperial
ezequa\ni miutco^a do Jua (iim Jos6 do Afl&O-
rim para cnsul da repblica do Cnile nesta pro-
vincia, aasim o commuoico a V. S. para seu co-
nhecimento e am de que o faga constar ao ins-
pector da alfaodega. Fizeram-se as nacessarias
eommuoicages.
Dito ao mesmo.Commuoico a V. S. para seu
conhecimento, qae s-)gundo consta de aviso do
ministerio da imperio de 12 do corrente, foi sp-
provada o crdito de cinco contos d res que esta
presidencia auioriiou para pagimenlo das despe
zas com occorros eos desvalijos atacados do cho-
lera morbus.
Dito ao mesmo.Declaro a V. S. para seu co-
nhecimento, e am de que o fac coDstsr a quem
competir, que com aviso do ministerio da fazenda
de 19 do correte me foi remanido o decreto,
maridando aboosr a Antonio Luiz do Amaral e
Silva, ehefe de secgao dessa thesouraria, urna gra-
tilicago anoual correspondente a 10 por eeoto
dos vencimenios qae percebe esse empregadopor
contar mais de 30 anuos de a?rvlgo.
Dito ao mesmo. Transmiti a V. S. para os
fas convenientes, as inclusas contas e documen-
tos relativos a enfermara militar do presidio de
Feroanlo, a cootar de 23 ao novembro e 31 de
dezembro do aono prozimo passsdo, bem as-
sim o parecer da junta militar de saude que eza-
tninou laes cootas t documentos.
Dito ao mesmo. O bacharel Joo Rodrigues
Chaves, secretario desta provincia, que se acha-
va na Pirahiba com asiento na respectiva assem-
bla desde 19 dejulho ultimo, participou-me em
officio de 20 do correte haver entrado no dia 8
no gozo 4a liceaca de 30 das que lbe foi conce-
dida por portara de !> daquelle, o que commu-
oico a V. S. pira seu conhecimento.
Dito ao mesmo. Auloriso V, S. em vista de
sua informacao de hontem, sob n. 827, a mandar
pagar aos eoiprezarios da illuminagao a giz nesta
capital a quantia de 3315710, em qae importa o
Dito ao director da colonia militar de Pirren-
teras.Respondo aosea officio de 16 do corren-
te, dzendo-lhe que oa ezecugo de qualquer
obra de qae precisa essa colonia, deve V. S.
proceder de accordo com aa observages feitas
pelo inspector da thesouraria de fazeoda, na in-
formago junta por copia, datada de 20 do cor-
rente, aob n. 808.
Dito ao juiz maoicipal do Olinda.Por decre-
to de 12 deite mez, conforme me foi participado
pela secretaria de estado dos oegocioa da justi;a
de 18 do mesmo mez Sua Mageatade o Impera-
dor houve por bem aceitar a desistencia que fez
Aotonio Joaquim de Alrneida Guedes Alcofora-
do da serventa vitalicia dos officios de partidor
edislribuiJor desse termo, o que Ihe commuoi-
co para sau conhecimento e am de o (azar
coostar ao desistente.
Dito aos sgeutes da Companhia Brasilera de
Paquetea Vapor.Pdem Vmcs. fazer aegair
para os portos da aeus destinos os vapores Oya-
poek e Tocantini s horaa indicadas em seu offi-
cio de boje datado.
Dito aos mesmos.Declaro Vmcs. para o fim
conveoieote, que dos recratss que se destoam
crle, meoeionados na relacao de que trata a
portara de heotem datado, deizam de seguir os
de nomes Jos Francisco de Mello, Joaquim Jo-
s Bezerra de Sani'Anna, Jos da Freitis e Ade-
lino Francisco da Craz.
Portara,O presideote da provincia tendo em
vista o que requereu o 3 escripturaro da the-
t souraria de fazeoda Francisco Jos de Horaaa e
i Silva, e bem asalm a informago do respectivo
iospactor datada de 25 Jo correte, aob o. 799,
reun, conceder-la mais 30 diaa de Uceoga
com vencimentos, oa forma da lei, para tratar de
sua saude, devendo esta licenga ser contada do
da 20 deste mez como indica o mesmo ins-
pector.
Dita.O presidente da provincia eonforman-
do-se cora a proposta apresentada pelo teoente-
corooel commsndaote do batalbao de infaotaria
n. 2 da guarda nacional desta municipio acerca
da qaal informou o reapactivo commandante su-
perior em officio n. 99 de 23 deste mez noraear
officiaes do referido batalbao de cooformidade
com o diaposto noart. 48 da lei n. 602 de 19 de
setembro de 1830, os cidados seguinies :
3a aompanhia.
Alteres.Mloervino Nominando de Guimaries
Lima.
5a companhia.
Alfares.Jos Laurenlioo de Azevedo.
DilaO presidente da provincia ettendendo
ao que reqaerea Maooel Jos Pereira Marinho
mestre e consignatario do hiate nacional Tino,
resolve coaceder-lhe licenga para transportar na
presente viagem no referido hiate para esta ca-
pital, o milhoe fejo qae tiver recebido em pa-
gamento dos gneros alimenticios que vender,
e bem assim o que comprar.
Dita.O presidente da provincia atlandendo
ao qae reqaerea o professor publico de iostruc-
gao elementar da villa da Ingazeira Marcolino
Antonia Xavier, resolve conceder-lhe 50 uiae de
licenga com veoeirneotos, na forma da lei, para
tratar de sua saude nesta capital.
Dita.Os Srs. agentes da companhia brasilera
de paqvetes a vapor mandem transportar para o
Para no vapor Tocantins, por coDta do mioisterio
da guerra aos soldados Antonio Nicaeio Ferreira
e Joo Lourengc Xavier, oa quaes vio reaoir-se
ao corpo a que perteneem.
Dita.Os Srs. agentes da corapsohia brasilera
Despachos do dia 30 de agosto.
Requerimentos,
Antonio Gomes Farreir*.Nao ha que deferir
almioistrativamsnta, como j ae declaroa no
despacho de 22 do crreme.
Anna Maria do C>rmo.Ioforrae o Sr. inspec-
tor do arienal de marioha, a quem a supplicanle '
apreieniar os menores.
Jos Francisco de Mello.Concedo o praso de
trila das.
Jos Antonio da Malta.Dirija-se a thesoura-
ria provincial.
Leopoldo Antonio dos Santos. Dirija-se a
agencia da companhia brasilera de paquetes a
vapor, a quem ae ezpeda as convenientes ordens.
Maooel Jos de Sani'Anna.luforme o Sr. Dr.
juiz municipal da 2a vara, quanto a provedoria
de capellas e residuos.
ViceDte Ferreira Nunss de Paula.Passe por-
tara coocedendo a licenga pedida.
X!E$MUR
gaz coDStiBjido com a illumioaijo do arsenal de **e paqueles a vapor, ni-neaj dar urna passagem \ partido desiouarece
CORRESPONDENCIAS BO DIARIO DE PER-
NAMBUCO.
Pars 7 de agosto de 18G2.
Continuamos aioda no mesmo estado de silen-
cio : a imprensa nao ae lem oceupado das dis-
cussdes de oossas cmaras representativas, por-
que tambem essas discusaes pouco toteresse
apresentam.
Quanto aos negocios da poltica exterior, vo
passando ellas por urna phase de mera especta-
liva, at mesmo a ezpedigo do Mezico. O pro-
blema romano parece preites sua solugo e per-
gnta-se : ser ella devlda aomeote Franga ou
aera devida a um congresso europau? Deve-se
acreditar que o partido appellidado oa Italiapar-
tido de acgoIluda de urna maneira absoluta a
vigilancia de M. Rattazzi, e abra pura a I enmie-
la urna nova era de aveoturas ? Das coaferen-
ciaa de Ceustanlinopla resultar alguma mudangs
ao statu quo do Oriente ? O povo germnico tl-
Am despertar da immobilidade em que o tem
collocado as duas influencias oppostas : Aastria e
Prussia ?
Sao questoes estas que se scham aioda envol
vidas no veo do myiterio I Em quanto este se
nao rasga, e a luz penetre por toda a parta, di-
verte-se, distrahe-se. Uos correm s aguas ther-
maes, oulros aos biuhos do mar.oalros ao cam-
po, etc. Paria est quasi que abandonada pelos
Parisienses e so para os estrangeiroi que a ma-
nicipalidade prepara suasfestasde 15 de agosto
ioaoguracio de theatros, ioaogoracio de bouk-
vards, squires, fontes, etc., etc.
Nao pretendemos, todavia, dizer qua nao te-
nha havido absolutamente ucussao alguma pa-
los jorOaes fraocezes. O termo qua se aproxima,
do mandado dos actuaes depulados ao corpo le-
gislativo tem suscitado entre as polmicas da im-
prensa a questo de inlerveogo do governo as
futuras eleioes.
Oa jornaea aemiofficiaes acabam de declarar
que essa ioterveogao se legitima pela oecessida-
de de combater-se os excassosdos partidos. Isto
importa n'um sophisma. Combater os partidos
equivale ao mesmo que conserva-Ios ; nao com-
bate-Ios o mesmo que aooiquilla-los. O qae
ura governo qualquer pode e deve combater
ao as tendencias bostis ao principio, em que elle
se mantem Ora essas tendencias nao existem
absolutamente seno na theoria. Nao ha partido
que nao contribu mais ou menos para o fuoc-
conaliamo regular da orlem de cousas, cuja ne-
gago elle mesmo representa.
Por exemplo : quando se trata do imposto e
conscripgao desapparece a dislincgo de partidos.
Ora porque as eleigea nao ba de haver a mes-
ma analoga ? U candidato sustentado pelo par-
tido em opposigio antes de entrar na liee obri-
gado a deizar a divisa e programma do seu par-
tido, para nella entrar somente com o seu pro-
gramma de ideas polticas geraes. O homem de
vez sofJre mais com a criie
marinha nos mezes de abril a juoho deate anno, e
bem assim o concert de urna areudela per-
tencente a meama illuminagao, corao se v das
contas que devolvo, cobertas com o officio do
inspector dsquelle arsenal o. 269 de 6 do cor-
rente.
Dito ao mesmo.Mande V. S. entregar ao ge-
rente da compaohii pernambucana, que assim o
solicita em officio de hoje, os sete contos de ris
proveniente da prestago mensal correspondente
a este mez com que o goveroo imperial auxilia a
mesma companhia, visto ter ella cumprido as
condig 'i do seu contrato.
Dito ao commandante superior do Bonito
Para quo v9nha por intermedio e com informago
desse comman lo superior nos termos do art. 2t
do decreto 1,331 de 6 de abril de 1831, remetto
a V. S. o offieo que em 18 deste mez dirigi a
esta presideucia o capitao commanlante da oita-
va companhia do batalho n. 26 do muoicipio do
Bonito Joo Capislrano Torres Gallindo, com re-
ferencia ao recratameoto de guardas nacionaes
por autoridades policiaes.
Dito ao commandante superior do Recite.Em
vista do que iuformou V. S. em officio n. 91 de
23 do corrente sobre o requerimento do alteres
do S* batalho de infaotaria da reserva da guara
nacional deste municipio Jos Antonio da Silva e
Mello, que mudou a sua residencia para o muni-
cipio do Limoeiro, madde V. S. passsr-lhe a guia
de proa para o Rio de Janeiro, por coota do mi-
oisterio da gaerra, no vapor Oyapoek, ao sollado
do exercito Leopoldo Antonio dos Santos.
Dita.Os Srs. agentes dacoaipanhia brasilera
de paquetes a vapor, mandem dar transporte por
coota do mioisterio da guerra para a B>hia no
vapor Oyapoek, ao ez-aoldado do 7o batalho de
infamara Francisco Jos Soares de Oliveira.
Dita.Nos termos da condigo Ia das aonezas
ao decreto n. 2.513 de 17 de dezembro de 1859,
mandem os Srs. agentes da companhia brasilera
de paquetea a vapor tranaportar para as Alagas,
no vapor Oyapoek, queaogue para o sul.seodoo
ezcesso de peso se hoover por conta do ministe-
rio da gnerra, um volunte contendo artigos de tar-
damente com destino ao corpo de guarnigo des-
ta provincia.
Bita.Os Srs. agentes da companhia brasilera
de paquetes a vapor, mandem dar transporte para
as Alagoas em lugar de ri, deatioado a passa-
geiros de estado, ao bacharel Francisco Rodri-
gues Pessoa de Mello, juiz municipal e de orphos
do termo de Traip daquella provincia.
Dita.Os S.-s. agentas ds companhia brasilera
de paquetes a vapor, mandem dar passagem para
a curte no vapor Oyapoek, em lugar destioado a
passageiroda estado, a Qutotiliano Ferreira Cala-
do, que consta aer eavalido.
Dita.O Sr. gerente da companhia pernambu-
cana, mande dar umalpassagem de proa no vapor
de que trata o art. 45 do decreto n. 1,130 de 12 Jaguaribi, at o Cear, em lagar destinado apis-
de margo da 1853.
Dito ao commandante auperior do Limoeiro.
Ioteirado pelo officio da V. S. de 20 do corrente
de nao sa haver feito a reviso da qualificsgio da
guarda nacional na fregueria de Bom Jardim pelo
motivo exposto no mesmo officio, tenho a dizer-
Ihe am resposta que deve V. S. nos termos do
26 do art. I* do decreto o. 1,351 de 6 de abril de
1854, providenciar para que se cumpra aqaelle
precaito da le e opporlunsmenle se rena o res-
pectivo conselho de revista para tomar conhe-
cimento da referida qualifleago como permit-
s o artigo 51 do decreto n. 722 de 25 de outubro
de 1850.
Dito a inspector do arsenal de anarnha.
Mande V. S. postar hoje mesmo em frente do
arsenal de guerra urna lancha alinde conduzir
de bordo do vapor Zoenntini l volumes con
tendo os objectos qua foram remettidoa desta
provincia para ngurarem na exposigao nacional
da corte.
Dito ao commandante do corpo da polica.__
Sendo apta para o arvigo do corpo sob seu
commaudo o paisano Francisco Elmiro dos San-
sageiros da estado, a Joo Pi Machado, que
consta aer desvalido.
D.ta. Os Srs. gerentes da companhia brasi-
lera de paquetea a vapor, mandem dar urna pas-
sagem da r no vapor Oyapoek, at o Rio de Ja-
neiro, em lugar destinado a passageiros de esta-
do, a Luiz Antonio Nogueira de Moraes, empre-
gado publico aposentado na provincia da Para-
hiba.
Dila.Os Srs. agentes da companhia brssileira
de paquetes a vapor, mandem transportar no va-
por Oyapoek, por conta do mioisterio da justiga,
para a provincia das Alagas, os guardas nacio-
naes Antonio Francisca dos Santos e Joo Tei-
zeira da Miranda, a para a do Rio de Janeiro um
cabo e duis pregas do corpo de polica, qae re-
gressam para aquellas provincias d'onde vier m
escoltando presos, sendo aa respectivas passa-
gens pagas na forma do aviso do ministerio da
junica de 16 de feveralro de 1861.
Dita.Os Srs. agentes da companhia brasilera
de paquetes a vapor, mandem dar transporte
para as Alagas, por conta do ministerio da guer-
ra, no vapor Oyapoek, aos esdetes Mi nervino es-
perante a arna assim como
peranle a caixa do recebedor de impostos, e s
tica o cidado com o seu juizo fundado acerca da
marcha dos negocios pub;icos.
Assim pois o governo eogana-se ; nao um
perigo ulterior que conjura, como suppe. O
corpo legislativo nao menos rme as manifes-
| tages hostis, de que a arena eleitoral. A oppo -
sigo s discate as projosigoes do governo, e uos
debates s ioiroduz ideas geraes de econoraie,
progresso, refirma, liberdade, cousas estas que
sao perruitidas pela coustituigo.
Se acontece que saja veocido o candidato guer-
reado, Ormar-se ha elle no seu prejuizo de par-
tido : nao ir sentrsenos bancos da cmara,
onde a cooitituigaoo refretaria ; mas Qca em sua'
casa, nao abdica, teima mala que nunca as suaa
primeiras vistas ; em urna paiavre, nao se aup-
ponhe desarmado.
Se pelo contrario esse candidato da opposigo
no guerreado por um outro do governo, logo
a primeira derrota considera abalado o seu pre-
juizo : nao sendo mus.auspeito, julgar-se-ha to
livre como nao auppunha ser ; passar por ama
impresso pessoalqueha de forgoaamente modi-
ficar o aeu juizo sbreos negocios pblicos era
geral. Enlraodo para o recinto das cmaras-
discutir, criticar as propostas do governo, ha-
tera talvez os ministros ; porm a vietoria do ci-
dado ser a derrota do partidista.
Veocido, mas nao por candidatos officiaes, ha
de curvar-se maioria e nem ae queixar cora
amargura do escrutioio, nem ter queizaa do go-
verno.
De qualquer lado qne se encare a questoa
coocluso a mesma. Se o goveroo nada quar
haver com os partidos, sequer desarma-los, ao-
niquilla-los, tirar-lhes toda a razude ezistencia
o meio o mais simples possivel : abstenha-s
de ser elle mesmo partidista, observa urna stric-
t neotralidade e lmito-ae a garantir a libertado
de todos dentro dos limites coostituciooses. Des-
to modo ver os partidos desappareceram mer-
gulbados as oodas do suffregio universal. As
suas ideas geraes aa fundiro cera as da opinio
publica a nesta bilanga pesaro o que valerem.
Esta theoria, de quedamos aquiums idea mu
resumida, a nica admissivel. Os goveroos
com ella aproveitam multo, a comegar por aquel-
lea que espsram anda isao qae em poltica se
chamao remate do edificio. Esperamoa que
ter o seu andamento naa regiea officiaes da
Franga imperial por occasio das prximas elei-
goe.
Inglaterra.
O parlamento ingles termino a sai ssao por
um grave incidente capaz de abalar o gabinete.
O romp man lo entre o ministerio e a fraego do
partido liberal aob adirecgaoda Cobden eBright,
rompimento porque se esperara de algam lempo
para c, boje um fado consumado. M. Cobden
accuso-i o gabinete de ter faltado todas as pjo-
messss do seu programma.
Lord Palmerston devera effetluaroma reforma
eleitoral melhor do que aquella que fra pro-
mettida por lord Derby ; entretanto nada fez. De-
vera manter a Ioglaterra em perfeila amtsade
com os viziohos ; ao passo qua suscitou a idea
de urna invaso franceza para augmentar por
modo extgerado as despezas e armamentos. Em-
Om desviou-seo mais possivel dos principios que
oa opinio delle M. Cobden devem aer a base de
um governo liberal a saber : paz, nao inlerveogo,
reformas e economa.
E para completar a sua aecusago o orador, sa
quizessa trazer para os debates questoes pes-
soaes, poderla accrescentar qae lord Palmerston.
assaz orgulhososemdavida por seu aseen lente
e immeosa popularidade, como que de proposito
manifestou aa todas as aecuaagas o seu daspre-
ao para com alliados uteis que delle se separara
hoje. Porm M. Cobden manteve-se no terreno
dos facas geraes.
Lord Palmerston respondeu n'um longo dis-
curso e fallou como homem que conlava com o
aasentimeoto da nago : ebera qae perfeitamen-
te reconhoceaae a importancia da aicusagao que
solTria. com ludo nao deizou de langar at o fim
aobre M. Cobden o fel de sua irona. Concluio
dizeodo :
Tenho moito pezar por ver os bons amigos
sapararem-se de nos, nao posso habituar-mea
crer que assim ser. O honrado genlieman diz
qae acaba de dascarregar todas as objeeges que
sa haviam accumulado am seu espirito durante
a aes9o : spero que agtra mais alliviado, e du-
rante a calma produzida pelas ferias, ver as cou-
sas com olhar mais benvolo e pesar maisami-
gsvelmentea oossa conducta e nteoges. Tal-
vez qae deste modo venha a abragar urna opi-
nio mui differente daquella que acaba de emillir.
Coofio multo na calma que costuma haver
durante as ferias de noasos trabalhoi ; e por isso
espero que o honrado membro e seus amigos po-
lticos convencerse ho de que, apezar de cer-
tas differengas de opinio sobre certos o determi-
nados pontos, estamos ledos de accordo mais do
que desajiriam ; e que na prxima sesso dar-
nos-ho em sua opinio um lugar mais elevado
do que esse que boje nos da com grande pezar
de minha parte.
Finalmente lord Palraorstoo triumphou. As
faltas em que elle incorreu sao daquellas que
agradam sempre o amor proprio dos Ioglezes, e
a resposta do roiuistro que foi acollada com ap-
plauso3, nao sei estril de resultados.
A rainba Victoria pretende viajar neste ou-
tono.
Km principios de setembro far umi visita ao
rei dos Ueja^s, e passar depois am Kheirr-
hardtabrhm parto de Gotha algumas semanas em
completo retiro.
O priocipejde Gallee ir ve-la all, e em se-
guida reuuir^te em Berlim a aua irma a prioceza
raal da t'rujAa.
A ausencik do principe ser um pouco longa, e
se enisoderjai alm de 5 de novembro, poca
de sai maiotidade.
O Lancasy.re cada
americana. \
De 450,000operarios que emprega na industria
do algodo, j 80,000 se acham absolutamente
deaempregados, e 370,000 trabalham um da sim
outro nao.
Daquelles que, nao pertencendo a essa indus-
dustria, com ella deapendemha j oos 120.0DO
a quem (alta o trabalbo, e o pao por conse-
guiote.
Qua numero 1 Que tristes avisos para ostheo-
ricos do egosmo nacioual I Que formidavel re-
fulacio do priucipiocada qual faga por ai I A
lu lia nao pote ancher o vacuo immeoso deixado
pelos vendedores Americanos; e se a gaerra con-
tinuar, peior ser aioda I
Em honra da Inglaterra digamos que no meio
de todos esses metivos de lamentaveis preoecu-
psges lem ella razo de orgulhar-se. Existem
no seu seto duas associages nascidas da inicia-
tiva privada dos cidados, urna das quaes tem
em vista o desenvolvimiento das sciencias exactas
especialmente na sua applicagio a industria. Os
debates da segunda prepararam uteis reformas
para a legislago da Gra-Bretanha.
Esse grande exemplo nao passou desaperca-
bi Jo.
Bruzellss procura tambera
progresso das sciencias
internacional.
A nova iostitaigo coota muilos membrnsfuo-
dadorea, e tem j o seu programma: nao Ihe
faltsm adbereotes. Ser ella saudada como urna
das torgas civiliaadorss do oosso lampo. As auas
primeiras bases sero assentadss a 20 de setem-
bro prozimo vinJouro.
Italia.O parlamento de Tarn tem proseguido
em seus trabalhos, e tem constituido um dos
seus incidentes mais significativos urna serie de
interpellages comegadas por Mr. Pelrucelli. O
orador oi ouvido cara attengo, e at mesmo ap-
plaudindo, quando exyoz para um futuro maisou
menos prximo a evbotualidsda de urna alllanga
austro-italiana contra a Fraoga ; e accresceolou
que com quanto professasse a Franga um vivo
reconhecimento, com ludo ochava qua era pagar
inuito caro os seuaservigos deizar a Italia desor-
ganisar-se e sem capital.
Mr. Mordioi fallou depois da Mr. Pelrucelli,
apoiaodo as mesmas ideas quanto a questo ro-
mana : foi mesajo muilo alm, e propoz qae se
atacaase Veneza, dizendo que anius urna morle
honrosa do que urna vida manchada.
Maitos oradores seguiram nesse genero de In-
terpellages.
Os orgos do governo responderam, e de ludo
resultou que se a opinio de Pelrucelli ficou em
minora no parlamento, fra delle oo deizou de
ser abrigada pelo paiz.
Assim pois o mioisterio vai perJeodo oa opi-
nio publica pela aua fraqueza em resolver as
graves questoes de Roma e de Veneza, ao passo
que por outro lado vai tambem amorteceodoa
gj-attdo da Italia para com a Franga por causa
do prego que esta liga ao aea beneficio.
A questo romana acha-se mais que nunca
pendente.
A situagio da cilade pontificia nao deiza de ser
complicada.
Nem oa animes em geral, nem as tropas fran-
cezas poderam aioda vullar ao aeu estado ordi-
nario. Eiperam sempre algom grava acooleci-
mento, qae por mnlos desejado, e por oulros
temido.
Continuara as precauges kellicas de Mr. da
Monlebello.
Um jornal da Russia propoz ha dias a rennio
de um aongresso eoearregado da resolver a ques-
to romana.
dor, da e?i que este recebe oscumpriraentos dos
pnncipaes corpos do estado, e dos corpos diplo-
mticos. r
O Nuncio pontifical tem Igualmente de com-
primenia-lo ; e as palavns que pirtirem da boc-
ea ae apoleo III por essa occasio ter algu-
nas Importancia significativa?
Entretanto boato de urna ezpeligo organi-
sada por danbaldi tem tomado tal consistencia
que Vutor Emmaouel acaba de dirigir aos Ita-
lianos uma proclamago &os seguioies termes :
Italianos I
Guardai-vos
de culposas impaciencias, de
imprudentes agitages. Quando aoar a hora da
coniumago da oossa obra grandiosa a palavra-
do vosso rei se far ouvir eutra vs. Tolo o ap-
Prtlo qua nao parle delle ura appello a rebel- I do prorogVdo aT"l86V
Iiao, a guerra civil. A responsabilidade e o ri- Em Vtenu
gor das leis pesaro sobre aquelles que oo ou- nisterial
vlrem as minhis palavras. Acclamado vosso rei nelado as
pela negao sel coaprehender os mees deveres : bnete
conservarei em toda a saa inteireza '
cripgopara a armada elremi Qca em caixa em
vez de entrar para o thesoaro publico.
A Anslria apezar de sua coosluigo ntoito li-
beral, apezar dos generosos sentimentos d^aseuj
estadista, nao consegu anda em dez n-z^s
renoir um parlamento completo em Vienna. Pa-
ra a difficuldades financeiras nao ha ama saHjda
Plausivel do mesmo mo lo que para as diTieu.'Ja-
das polticas. O proprios amigos da Austria co-
mecan? a encarar o futuro com esmorecimeoto.
Agora oc:upa-e alia ds uniio mluaneira da,
Al emanhe : rene- co e trra para que seja re-
junado o tratado frantrez peloa estados merilio-
naei. Ornead voz bastara para que fbaae rejei-
tado pelo Zollverein. A Prussia Bcoria ligada
pessoslmeute com a Franga, e o alTeito do '.rila-
da cora
a parece mminente uma cri3e uii-
j por mais de uma vez se tora a..-
influencina diversas que reinan; no -i-
opinies irreconciliaveis que o divi-
reconhec;nie.
pela Pnissie
o.que parece Isncaram os partidistas da saiigs-
a as
dignldade dem em dous grupos oppostos. O r
me assista *> jo reino da Italia pela Ruasia o
e dop arlaroento, para que
sempre o direito de sollicilar daiEuropa a sua jus
liga para com a Italia I iii...'om i '. r"....."""" "*'
.Houveram no parlamento alguraas interpella- g?m c P.T de re SsUr" o Wmn? ^ 'M~
goes a respe.lo desla proclam.gao. Mr. Rattazzi' Se glS? li. i P. S r ?"' i
em a respost. a e.lae deixouSiransparecer mu- ittttUUSS& SSS.
de harajonia cora o la um accordo, conv.ncidos de que o gabinete nao
fundar em prol do
aociaea uma associago
A crer-se o qae diz uma correspondencia de
Paria Ja Indtpendenei Belga, eass conseibo fot
adoptado e a Franga prtpe-se a dirigir s prio-
cipaea potencias ama nota circular nesse sentido,
declarando que a oceupago romana oo se pode
prolongar por muilo tempo mais, visto que o
papa, recusando todas aa coaceisoes que se Ihe
fazem, comprometi deste modo a proteegio que
concede a Franga.
Po IX contra o sea costurne nao vai maie a
sua residencia de campo, constrva-ae no Vatica-
no como que sob a apprehenio de graves oc-
currenctas.
Falla-se qoe s ir depois do dia 15 d agosto
que em Pars o dia da (esta offlcial do imueni-
la firmeza
a opinio publica nao esl
uigor da aua lioguagem.
Caribaldt rompen j com o ministerio, na Si-''
cilla continan) os preparativos para a saa mys-
lenosa ezpedigo, e a Italia acha-se lalvez em
vespera do uma crise bem pengosa. J nao se
pode achar uma snhida satisfactoria para tado
iio, depoia que o mioisterio noteve o poder de
preveuir ease choque.
Se Gariballi dirigir para Roma esbarrar
sem duvda de encontr a resistencia dos Fran-
cezei.
E neste caso qual ser a posigo de cada um ?
Ellecluar-se-ha aevicurot Nao ser ento j
muito tarde para honra da Fraoga?
Todos esses tactos sao gravisslmos: acerase
mais que, emquaolo estas cousas se passam no
sul da Pennsula, outras manifeslages agitam
Brescia e Floreoga.
Anteriormente haviam prodszido iminensa sen
sago certas expresses, que escaparam a Mr.
Durando cencernentes as relagea da Italia com
a Suissa, e a eventuolidade de uma annezsgo do
Tessioo ao reine italiano. As duas cmaras Ja
assembla nacional federal Suissa trataram de
deliberar sobre esse incidente. Os deputados do
Tessino protestar.m com enthusiaamo a sua de-
dicago a nacionalidade helvtica ; e o conselho !
nacional, asiioi como o conselho dos estados
votaran urna ordem do dia muito enrgica.
O que ha de mais grave nesses debates sao as
revelages de um depulado aobre as sspiragoes'
aonexionislas da Italia, sobre o desejo de le-
var se ao goveroo da Suissa a questo da cesso '
do Tessino mesma Italia mediante compensa-
ges.
Taes revelages sao para lislimar, no ponto es-
pecialmente em que aecusam tendencias directa-
mente oppostas aos principios que firmaram a
uoidade italiana, e por coaseguiute a verdadei-
ra neceisidades da poltica da llalla.
O systema de cesses metante compensages
foi proprio de outros tempos: seria isso renovar
os tratados de 1815.
Na poca em que estamos os povos oo sao
objeclo de permutas.
Foi somente a Sul3Sa quem se mostrou viva-
mente commovida : se bem que a sua constitu
gao poltica nao asseote rigorosamente sobre a
nacionalidade, se bem que nesse ponto de vista
Mr. Durando a possa considerar artificial, tolavia
oeohuma reclamago de nacionalidade a amea-
gar no seu futuro.
Veremos se a agitaco que amesga o imperio
ottomano tomar proporge* coosideraveis. Neste
terreno poderemos predizer deade j que o movi-
mento de emancipago dos povos arvorar um
oatro estandarte que nao o de nacionalidade.
O incidente, a que nos eferimos oo ttve
maiores consequencias.
A Italia nao quer o Teasioo, a Suissa nao lh'o
cede, e as populages do Tessino protestam cora
muilo bom senso o seu patriotismo e dedicago
nacionalidade helvtica.
Por este lado ludo vai o melhor possivel.
Oriente
Terga-feira 22 de julho se reuniram pela pri-
meira vez os diplmalas de Conslanlinopla nos sa-
lces do grao-visir Aili-Pach no palacio de Cao-
j lidja.
J tres sesses celebraram, e esto anda mui
looge de'um accordo. Nao obstante, pode-sejul-
\ gar do alcance provavel que tero as aesses pa-
' los diversos terreos am que se ho collocado as
! potencias, pelas propoaigOes e conlraproposicoes
apresentadaa pela Porta pela Servia.
A Franga, a Russia, a Italia e a Prussia collo-
cam no primeiro plano o ioteresse q.e Ihes me-
recen) as populages chrisls do imperio ottoma-
no, e execugo das promessas comidas no tra-
tado (le Paris e no Ilaihy-Humayoon. A Prusaii
se poz lo lado da Russia e da Franga nao tem al-
guma hesitago.
As vistas da Gr-Brelanha e da Austria sao j
bem conhecidas, isto o statu quo, e maou-
tengo do dominio musulmauo na sua integrl-
dade.
At aqu as sen potencias chriats se limitaram
a tomar parte na questo sem formular proposi-
go alguma.
A Turqua testemuohou suas intengoes conci-
liadoras, e promelteu retirar lodos os Turcos do
principado servio, limitando-se a oceupar as for-
talezas. Isto u3o coocesso, mas .im execugo
de convenges j estipuladas. As quatro primei-
ras poteocias nao assenliram; querem mais
aioda.
As toatraproposiges servias sero as seguales
provavelmeate : o priacipe Migoel estsbelecer a
alternativa entre a evacuago pura e simples das
fortalezas e a sua demoligo. N'uma to bem es-
tabelecida alternativa a segunda parte parece
m.is prov.vel.
N>da de decisivo porm se sabe a respailo da
queato do Orienta. As dil.ges ae vo succedeo-
iio : a maoulengo dostatu quo- o meio mais
seguro da diplomacia, habituada a sanecionar o
tactos consumados.
Allemanhi.A questo apparatosa do tiro na
ciooal redundou n'uma fesla dada em Francfort.
A senha dessa aolemnidade era o verso de
Schiller :
Sej.mos um povo unido de irmos. >
O povo germnico quasi em massa para all
coocorreu.
O principal premio reservado aos aliradores al-
lemea foi gaoho por um auisso eolhusia.ts, o
qual depois de declarar que nao era allemo foi
obrigado a renunciar a esse premio, cootentan-
do-aa com a gloria de o haver merecido.
As numerosas sales e discursos pronunciados
nos diversos banquetes, s liversm um nico fim,
e oxprimiram um desejo unnime a untdads,
liberdade, independencia o torga da Allema-
nha.
E agora se se perguolar qual o resultado pra-
tico dessa grave demonstrago poltica, qaal o ef-
feilo immediato dessa r.unio de delegados da
nago alien., talvez nioguem saiba responder.
Demasa sitaago preponderante, aobre a qual
lodo o mundo tioha oa olhos tizos ha anda al-
guna mezes, muilo lem perdido na coofiaoga pu-
blica.
A Prussia soffra hoje ai consequencias da* fal-
tas do seu goveroo : o exercito prussiano perde*
sua popularidade i o Nacionalverein j aooosa
maii kUai era ta'or della. Q diohej'-.* d> aohs>
prole continuar csmpoito como Beta, a resolvido9
a lavar a questo de desharmonia deliberaras
do imperador. *
Eis porque disemos quo aihava-ae immloente
uma criae ministerial.
A probabilidado de ser diesel vida a cmara dos-
deputados em Berlim vai tomando bem consis-
tencia.
Acamara mostrase decidida nao votar o
crdito pedido de nove milhes da thalers para a
reorganisago do eiercito. Emquanto espara qae
do mioisterio paita a iniciativa nessa queito,
tem-si ella oceupado do exame do tratado de
commercio, ao qual somenu a fraego clerical
tem feito opposigo, proteitando alm de ludo por
ama absteogo pura e simple..
G If.
;.
tftNlMSUCO
e Acciolt
de Albu-
REVISTA DIARIA.
Segunda-feira reunio-se o Instituto Archeolo-
gico e Geogrophico Pemambucano em aesso ge-
ral, par. a elei^o da mesa ellectiv. e das cum-
misses. Damoa oseguiote extrecto da acta des-
sa sesso. que tontera iodo o occorrido dlla.
Instituto <%reheoloico e Geogra-
phico Feriiainbuvaiio.
2* SESSAO PREPARATORIA U DA 1" DE SE-
TEMBRO DK 1862.
Presidencia do Sr. Dr. /oaquxm Pires Machado
PorUlla
As cinco horas da larde verifica-se haver no-
mero sufficienie de membros a abre-ae .esaao,
A acia da antecedente lida e aprovada.
O Sr. Dr. Wilruvio oceupa o lugar d primei-
ro secretario o declara oo haver expediente.
Sio couaderado metubos instilladores os Srs.
Dr. Braz Florenliuo il do Livramento, commendador Amonio Joiquim
de Hallo paisa declarages aulorisada* que ze-
r.m os Srs. prndenle e segundo secretan.'.
_ Paisa-se a ordem do da e procede-se a elei-
go da mesa admiuitrativa e das respectivas
commisaes.
Sahem eleitos:
Presidente.
Monsenhor Dr. Francisco Muuiz lavares.
Io vice-presidente.
Dr. Joaquim Prea Machado Portella.
2o vice-presidenie.
Baro da Ver.-Cruz.
3* vica-presidente.
Cnego vigarij Veuancio Uenriques de Rezando.
Orador.
Dr. Antonio Vicente do Nascmento Feitoza.
Secretario perpetuo.
Dr. Jos Soares de Azevedo.
1" secretario.
Mejor Salvador llenrique de Aibuqaerque.
Supplentes do 2a secrelano.
Dr. Antonio Kangel de Torres Bandeira.
Dr. Cicero Odn Peregnoo da Silva.
Ihesourttiro.
Baro do Livrameulo.
COMMI5SES.
Fundoa e orgameotos.
Dr. Joaquim de Souza Res.
Ur. Amonio Wuruvio Piulo B-ndeira
de Vaacoocellos.
Francuco ae Barroa Falco Cavaleanti
querque.
Bedacgo da revista.
Dr. Braz Floreotioo lieuriques de Souza.
Ur. Aprigio Justiniaoo da Silva Guimares.
Ur. Pedro Aulrau da Malta e Albuquerqoe.
Reviso de manuicriptos.
Dr. Antonio Kangel de Torre. Baudeira.
Ur. Joo AlfreJo Correia de Oliveira e Andrade.
Ur. Antonio llercaiano d. Souza Bandeira,
Trabalhos histricos.
Padre Minoel Lino do Monte Carmelo Luna.
Ur. Antonio Epaminoiidas de Mello.
Ur. Jos dos Aojos Vieira de Amoro).
Subsidiara desta.
Dr. Cicero O Ion Peregrino da Silva.
Dr. Elusrdo de Barros Falco de Lacerde.
Ur. Amaro Joaquim Fouceca de Albuquerque,
Trabalhoa geugraphic09.
Ur. Antonio liaogel de Torres Bandeira.
Ur. Antonio llerculaoo de Souza Baudeira.
Ur. Maooel de Figueua Farii.
SiPsidiana desta.
Dr. Antonio Wilruvio Piulo Bandeira Accioli de
Vaacoocellos.
Dr. Joaquim de Souza Res.
Fr. Norberio da Purificarlo Paiva.
Admissu de socios.
Commendador Manoel Figueiia de Fari*.
Coronel Antonio oti.es Leal.
Coronel Jos Mana Ildefonso Jacome da Veiga
Pessa.
Pesrjuizas e manuscriplos.
CommeoJador Amonio Joaquim de Mello.
Francisco de Barros Falco Cavaleanti de Albu-
querque.
Teneole-coronel Joo Valentim Viilela.
O Sr. presidente desigua o di. 21 do corrente
. uma bora da tarde par. posse dos novo
eleitos, que ter lugar em sesio solemne, aieo-
do-.e os avisos e convites necasssrios.
Levaota-se sesso.
Presideote,
Joaquim Pires Machado Portella.
1* ..cretino,
Antonio Wiiruvio Pinto Bandeira Accioli de Vai-
concelloi.
2* secretario,
Salvador Henriu;eea de Albuquerque;
Depois d'emanha, no lugar e hora do cos-
ame, ae extrsbir uttim. parle d. primeira lo-
tera em beneficio dos religiosos franciscanos da
Olinda, e primeira da primeira da Santa Caa da
Misericordia.
o estado actual daa coodigoas aihraosphe-
ricis dada cidade, que ltimamente tem-nos da-%
do come nfallivel alguma chova pela larde, an-
da mesmo estando o lempo o melhor possivel ;
o catarrbo epidmico que reina na populsgao com
fe-ilca de iocommodo bem pronunciados, acon-
aelha que a parada do da 7 tenha antea lugar
pela manha do qua pela tarde.
CoueeL'9-,9 que n'um tempo ordinario de v
MUTILADO!


-*.
--i-
DIARIO U ffciBsSMBCO TERCA fElfiA 3 DB SETEMBRO DB 186.
de (ropas pela
rao leja praferiv .
tarde- roa '" rrumacao
ca e' 1*atu3 existimos aob tal icoostan-
' -guando eim disto est varitlcadoque para
T'ClUrtho, que reina, nada mais damnoao do
.. tjue apanliar-se qualquer chuva, a prudencia or-
dena a indicada transferencia.
* Pelo ministerio da agticu tura, commercio
obras publicas (oram reenviados a presidencia
deata provincia os objectos da dossi exposic.o,
que banam sido remettidos para a da corle.
Encerra-se no di 9 a inscripto doa pre-
tndeme i substituirlo vaga da faculdade de
ireito desti cidade.
Aiha-ae designado o dia 9 docorreute para
o fame de vencaco de capacidade para o ma-
gisterio primario.
Temos noticias da oleiro que se procedeu
no quinto circulo par um u'eiiutado provincial,
com o resultado que recebemos dus collegios de
timbres e Villa-Bella o qul o scguiote :
Cimbres (42 eleitere*.]
Dr. Caeaoo Xavier Pereira de Brito.. 41
Villa-Bella (33 editores.)
Dr. Manoel de Figueira Paria.......32
Dr. Caetano Xavier l'ereira de Brito.. 1
Dos collegios conhecidos pois, este o resal-
tado :
r. Manoel de Figueira Faria...... 132
l)r. Caetano Xavier Pereira de Brito. 52
Foi concedida ao padre Vicente Ferreira de
Siqueira Vnrejao, professor publico da primeira
cadeira desta (reguezia, a grelilcsco addicional,
por coatinuar no exercicio do meg6terio lendo
mais de 25 armo no mesmo.
O Sr. Dr. Estevo Cavalcaoti. compenetran-
do-se da necessidade de crear urna assoeiaco
medica na provincia, dirigi convites a todos os
seus ciliegas, e pie no dia 31 do passado reu-
Lir 18 raembros ; e nessa reuniao asseutou-se,
jue se dirigissem iguaes convites aos Srs. cirur-
gioes e pharmseeulicos da proviucia para faze-
rem parto da sociedade, e desle modo coofrater-
nisados trabalharera pelo progreiso da scieneia.
Foram nomeados provisoriamente: presidente,
o Sr. Dr. Estevo Cavalcanli; 1* secretario, o Sr.
Dr Lulos Frederico; e 2o dito o Sr. Dr. Seve.
Entre os beneficios quo devem resultar desta
sociedade para o progresso da scieucia, reiulta a
cree^ao de um monle-pio para as fami'ias dos
medico.*, cirurgies e pharmaceulicos, quo cahi-
rem em iudigeocis.
Trata-se da apreseolaco doa estatutos, para
cubirem aaocco da presidencia da provincia
depois de discutidos.
Damos os nosaos emboras a essa associago
por urna to feliz idea.
L'm noaso assiguanle nos envia a seguinte i
Charada :
Se maia umaIba .-juntas
Domina a naiureza eicrava... 1
Poi quem n admirado
Sou eipresso mu i usada..... 1
Couceilo.
Aojo incantalor, mulher sublime,
Que no solo habitas por mero engao 1..
A natureta orgulhosa te contmpla
E eus em te formar se raoslra ufano
Informara-uoa que na madrugada do dia 15
do mez prximo nlo, na comarca deGara-
chuos, tora roubado por Antonio Tenorio Caval-
li, o italiano Pedro Rigcom que all chegare,
mercadjndo diversos objectos de cobre e Ajo-
dre, e que o roubador aproveitsndo-se talvez
das horas airevera-se a praticar esae acto, pelo
qual loi preso, appreheodeudo-ee-lhe todo o rou.
bo, e est sendo {proceasado pela respectiva de-
legacic
No dia 23 do mez prximo pasaada pelas 7
horas da msnha, evadio-ae da villa de Florea
o desertor de marinha Joaquim Pereira de Lima,
na occasio era que era conduzido para a faxina ;
direm que ura guarda que eslava peitado Ihe de-
ra fuga, o qual se acha preio por haver desta
maneira procedido.
reparticao da polica. (Extracto da par-
te do dia i de aetembro.)
Forsm recolhidos casa de delenco no dia 1*
do correte :
A' ordcm do Dr. delegado do priraeiro distric-
to, Sergio Kuliniano O ympio Baptista, branco
de 32 aonos, sapateiro para recruta.
A' ordem do sabdelegado do Recite, o suisso
Charles Lrasoo, de 36 aonos, marujo; a requeri-
nuraio do respectivo cnsul, e Joo Antonio de
Vasconcelios, pardo, de 30 aonos, agricultor;
por intuitos polica.
A' ordem do de Santo Aotonio, Luiz, pardo,
J 30 anuos, pedreiro, escravo de Joo Jos de
Carvaiho Moraea Filho. e o africano Joaquim, de ;
82 acnua, escravo de joaquim Pereira Arantea ;
por iofracco de posturas.
A' ordem do de S. Jos, flonorio Jos da Ro- |
cha, pardo, de 3it aonos, alfaiate ; por deaor-
fio impedimento do chefe da segunda secco.
Alfonso do llego Barrot.
Casa de DETencaO.Movimento da enfer-
marla da casa do deieuc.o, do 1 31 de agosto
flodo.
Existia m ..:... 30
Entraran!.......58
Sahirai' (curados) ... 53
Existem.......35
M lestias nella tratadas :
Dt-fluxos.............. 16
Urticarias............. 6
Febres intermitientes. 20
Tumores.............. 5
Ferimehlos............ 4
Itidigesto............ 3
Anemia............... 5
lirn i hites........... 4
Diarrha.............. 5
Syphills.............. 6
Chagas................ 3
Saroas................ 8
Kheumalismo ........ 3
Calinitas................ 2.
Paisageiro 5o biate nacional Inienciw.
tahido para O Araeaiy :Vicente de Castro e
Silva.
Matadouro plblk.o :
Mataram-se para o consumo delta cidado no
do dia 2 correte 75 rezes.
OBI'UARlO do da 2 de setembuo, no ce-
ITEHIO PUBLICO.
Joaquina Haria do Sacramento, Pernambuco, 46
loaos, viuva. S. Jos, phtysica tuberculosa.
Manoel, Pernsmbuco, 14, anuos, solieiro, eacra-
vo, Santo Antonio ; malicia.
Thomazm Joaquina Micbado Freir, Pernambu-
co, 65 aonos, solteira, Boa Vista ; cancro no
peito.
Adelaide. Pernambuco, 3 mezei, Santo Antonio ;
convulsoea.
Maria, P.rnambuco, 8 diaa, S. Jos; espasmo
Mana, Pernambuco, 7 mezea, Re;ife : ;, terite
aguda. IU
Communicados
Total................. 88
Exislem era iralameoto 35
A saber :
Jo? Vieira Rezende, deflaxo.
I)-.n;io GoiiQalves Pacheco, lerimeulo.
J'i^G Alces dos Sanios, defluxo.
Joao Gomes da Silva, urticaria.
J'is Amonio Correia da Mello, bronchile.
Ji'.i Francisco de Lima, defluxo.
Januarlo Pessoa da Silva, bronchile.
Innoceocio Jos Tavares, intermitiente.
Luiz T^ixeira de aenna, tumor.
Jos Fernaodes Souto, syphili.
Manuel Antonio Sobral, urticaria.
Ha iop| Lino Meodonga, iutermilteote.
Jos Francisca Borge3, sarnas.
Manoel Carlos Finiente!, intermitiente.
Honorio Nunes Pmheiro da Gama, defluio.
Juo Bernardo Teixeira, anemia.
Jerooymo Ferreira lavares, sarnas.
Ju.- Caetano G imes, defluxo.
Antonio Jos Maria, idem.
Jn i G'.'Ong, (VphiliS.
Manoel do Nascimento Reg, idera.
S-tyro Clementino do R. Medairos, rheuma-
HS'LO.
Felicidade Pires da Luz, olermittenle.
Justina liarla do Espirito Santo, indigesto.
Manoel, Africano livre, defluxo.
Thomaz, escravo sentenciado, sarnas.
Igoacio, dito dito, n leraiae ,U.
Domingas, escrav de Alexandre Ferreira Cami-
nha, llera.
Rita, escrava de Vctor Pereira Falco Csrvalho,
idem.
Bazilio, dilo de D. Anloaia Luzia CueJes, urti-
caria. .
Loureoco, dito de Jos Manoel de Barros Wan-
d-iley, intermiltente.
Leo.oldioo, dito de Manoel Teixeira Baslos, Ie-
rimeotos.
Luciano, dito de Manoel da Rocha, pleuro-
dynia.
Abionlo, dilo de D Eugenia, chaga.
Antonio, dilo de Antonio Jos da Costa, feri-
mento.
Dislribuiram-se durante o mez de agosto
prximo passado 4.513 raides presos pobres
recolhidos casa de detergi.
Consumiram-se.com estas raQoes os seguiotes
grneros, a saber :
Pes de 3 ongal........ 4,513.
Carne verde............. 2.474 libras.
Dita secta.............. 287 libras.
Bacalho.............. 732 libras.
Farioha de mandioca.... 75 alq. e 13 decim.
Feijo................... 17 alqueires.
Toucioho................ 190 libros.
Assucar................. 564 ditas.
Caletn p.............. 282 libras.
Vinagre................. 60 garr. e 2 ooqss.
Aieite doce............. 18garr. e 45 oitavaa.
Na enfermara cooaumiram-se os seguintes :
Pes trigo (3 oocas).. 1,153.
Cha.................... 11 librase 14 oitavas.
AssuCar................. 97 libras e 2 oocas.
Arre................... 93 libras a Sonsas.
^rioha................. St''i'-i.8 43 ''ec,fi0,
Caras VJSld^...........>f 774 libra.
A comiuandUa.
Podem os factos suecumbir
forga da dialeclu ?
Piem.
Lemos com alteocSo o terceiro artigo dodefeo-
sor do Sr. Fragoso, e por elle coohecemos o
aforgo mais que humanoMo por aquello se-
nhor para dar urna reaposta que, oceupaoao duas
columnas do Diario, nada diz, nada prova, nem
convence finalmente a opiDio publica.
Fique o defensor do Sr. Fragoso cerlo de que
nao iremos para o terreno que nos chama, j orna
vez o disseraof, e o repetimos agora : vamos aos
fados e deixemos as dissettac,es de palavras,
palavroes, vu, palhada ou como o defensor qui-
zer, ou melhor uome leuha em direito.
Mas, para que se dizque fallamos apaixoe
nadamente porque perdemos o nosso diuheiro,
que somos aecusador syslemalico ?... Nao ser-
sio urna provocado e por demais impertinen-
te V... Poit nos commaulitarios, perdeodo o qe
nos tiraran), e defenoendo o que aioda nosso,
fallamoj| apaixooadameote, e o defaosor, defeo-
deodo o amigo e seu cliente, e auferindo secun-
do 6 publico urna somma norme por to pesado
trabalho. que falla aaaogue froa liogua-
gem simples, exacta, e verdadeira como diz ?
Prescindamos por agora do .pai de familia, do
cidadao respeitavel porque a isto leamos a
oppor oseguiote : por am pai de familia, duzias
delles que caram na miseria, por um cidadao
respeitavel duzias delles que nao o ao menos e
que perderam o seu auor, o seu trabalho ; acres-
ceodo por contrapeso de ludo isto, as lagrimas
de muitas viuvas, de muitos orphoa, de muitos
escravos, de muitos escravos repetimos, e flaal-
mente da tantas familias houestas e respeitaveis,
dignas de melhor sorle e de um melhor porvir.
Prescindamos, repetimo, de ludo isto, ponha-
mosde parteseparemos o eu Fragoso, e Irate-
mes somente do gerente e caixa da sociedade em
comruandila ; para este terreno e s paia este,
que iremos com o defensor do gerentecaixs
da commandila.
Par nos, e comnoaco temos muita geste,
fra de duvida quo o defensor do gereote-caixa da
commendita (Fregoao) idalaodo o plano para es-
tabelecer o seu aystema de defeza, o orgo ou
defensor, ns do pai de familia ou cidadao res-
peitavel, maa sim.doi gerentes da sociedade em
commaodila, ou melhor datriodade maldita,
que, tantos males veio acarretar sobre nossa pra-
ca commercial ; e por isso est o defensor diapon
do o terreoo,betando as basespara collocar a
pontepor onde lem de passar o gerente-caita
(Fragoso), e logo, logo em seguid, os Srs. Amo-
rim o Santos. Desta nossa humilde opiaio ap-
pellamos para o publico e para o futuro.
Diz o defensor quando se entrao exame t
petquiza das causas de fallencia, acha-se que
esta procedeu de haverem=zos gerentes=confiado
avultadas sommas a casas commerciaes que alias
as nao podiam pagar. i> E. pergunti ufano : Ha
ainda nesse fado o elemento da criminalidade l
responde a si uiesmo. Nao certamenle. Nao se
descobre nesta parte o orgulho oo faci, a auda-
cia de o commelter ?
Os gereutes da sociadade eram administrado-
res da casa commercial em commandila, e sem
apreciarmos ae bilheles e tiras de papel sao cro-
dilos regulares, e oulres cousas, fallaremos s-
meute das letras e crditos regulares, duendo o
saguinte :
Como que se pode explicar as enormes som-
mas,esses grandes dinheiros dados a homens
commerciantezinhos que d priori ou d'auleujo
os Sn>. gereutes, e todo o corpo commercial sabe
e sabiam que elles de maneira alguma podim
realisar? llavera quem diga que estas transac-
coes jogadas entre cinco ou seis parceiros (inclu-
sive os Srs, gerentes) fossem legses e fetus de
boa ?....
Fineluienle, considerando os Srs. gerentes co-
mo homens, devemos ler compaixo do que fize-
raro, e do papel que representaran), na praca
commercial de Peroimbaco ; porque nos lem-
bramns si-mpre do divino preceilo alem d do teu
semelhante. Mas como gerente da sociedade em
commaudita tem culpa (talvez engao ou erro,
como quer o defensor I) e culpa grave, e que a
defeza do defenaor, temeraria eprecipitada por
emquaoto ; pois que as feridas aioda esto rauito
recentes, e nao cicatrizaro tao cedo ;oxal nos
eogaiussemos.
H'ja vista ainda o parecer opini.no da direc-
cao da associnao commrcisl de 25 de agosto
passado. Ilaja ainda visla as recentes fallencias
das casas respeitaveis de Roslron e Astley, con-
sequencias da iufeliz fallencia da commandila,ou
antes de seus gerentes.
Um accionista verdadeiro.
Publicares pedido
Em um discurso do Sr. Dr. Casimiro de Seona
Madureira publicado no supplameoto do Jornal
do Commercio de 18 d agosto ultimo, faz aquel-
le senhor um bem merecido elogio dos correios
de Pernambuco e da Baha, e locando elle bem
de perto aos seus dignos Cbefes e empregaos,
abaixo traoscrevemes para que cheguo ao alcance
de tolos.
Ni larga doago que o projecto dos meus
dous collegas da commisso faz eos emprega-
dos do correio gerol a urna desigualdade com
as admioistraces da Baha o Pernambuco.
Estas administragoes sao mais sobrecarrega-
das de trabalho do que todas ts oulr.as das pro-
atocias do imperio pe psssagem dos paquetes
; ingleze3 e francezes pela troca da correspoo
deocia e de malas quo ha entre as ns;es a que
a pertencem eases paquetes e o imperio lo Bra-
sil. Tanto assim que ellas expeler 3600 e
tantos papis por anno, quando as provincias
cujas admioistraces se quer igualar cora es-
tas em gralilicacoes expedem pouco mais de
o 1000.
Parece pois, que urna grande injustica quo
. os empregados dstas a1miuiatrac.6s nao per-
cebam mais do que os das outras que lera um
trabalho muito menor. Por isso atrevo-me a
apresentar urna emenda, assignada por mira e
por varios merabros das provincias de Pernara-
buco e da Bahia, formulad* por esta forma
(L.)
E' ama pequea modiGcfcio:
O mesmo para a administra rao da provincia
< de Pernambuco, que urna admioislra;o be-
nemerila.
Quando todas as provincias em materia de
correios pesam sobre o cofre geral, e mais que
i j as a do Rio de Janeiro e a de S. Paulo, a
a provincia de Pernambuco manda saldos para o
thesouro ; isto prova que a sua admioislraco
a excelleote.
O Sr. Correia de Aievedo :Apoiado ; con-
Ira ella nao te tem levantado a menor queixs.
O Sr. Casimiro Madureira :Desde 1830 at
a 1SI5 observet excelleacia da administrado do
correio de Pernambuco sobre todas as oulras
a do imperio, e consta me que tem continuado
em progresso o seu zelo. Eta adminislrago
recebendo apenas 248O00 para as suas desleas,
< manda saldos para o ibesonro etc.
Ninguem mais ceg quo um rei : esse pro-
verbio nao so privativo dos monarebas ; infe-
lizmente, descerni por ordem, Inca tambem
intima iodividualidade administrativa.
Nao s ao governo que importa a ereccao,
reparos e melboramenlo dos templos ; a todos
cumpre esse santo dever, com especislidada aos
ministros da igreja catbolica apostlica de Roma,
qual lemos a gloria da pert-Dcer.
Essa honra, que tarto inflarama a numerosa
populacio do diilricto de Alagoa Grande, com-
muica'va-lhe o Dconsolsvel desejo de um pas-
tor, que maii a Pf 4e necesidades pro-
movesso deligentemente todo o porvir espiritual,
e fundaco de um templo, digno da Sautissima
Virgem a Senhora da Bia-Viagem.
Nao obstante esse desejo e necessidade, era o
povo persuadido da impossibilidade de conseguir
urna matriz, visto que a capella desta povoacao
era insufliciente, rao s por demasiadamente pe-
quena, como por se achar em ruinas e sem para-
mentos.
Nada, porra, trepida esse povo religioso, e
apenas reaentia-se de um director, que o guias-
se. Gracas a Providencia 1 Deparou esta popula-
Cao rom o io;aosavel soldado de Jess Christo o
Sr. Fr. Alberto de Santa Augusta Cabril, que li-
cenciado por autondade legitima, eotrou na ad-
ministrado da pequea igreja, em ruinas e a
desabar, da povoacao do Alaga Grande, filial da
cidade de Areia.
Nao claudicou o Sr. Fre Alberto ; compre-
hendeu as necessidadet religiosas do povo, con-
vocou-o, fez-lhe sentir seus deveres, expoz-lbe
a necessidade de um lemplo, dlgooda Senhora da
Boa-Viagem, e deu principio a sua adminis-
traco.
Ella infaligavel satisfazla as necessidaes do
povo, j no altar, j no coriflsaiooario. j aos in-
fermos de morte com a coofisso e o Saotissimo
Viatico, j com i devoco de ura terco, dedicado
i Santlssima Virgem, e j finalmente nos traba-
Ihos da igreja, ooda daca ao povo o mais claro
testemuoho de seus desejos.
Podeolo assim conciliar a vootade dos habi-
tantes desle districlo, deu principio ao novo tem-
plo, e, sahiodo muitas vezes em compaohia de
algum amigo, ora p, ora cavallo, coovidava
as pessois da visinhanga para dar seus servidos
casa de Deus, iostruindo-as cora o exemplo oas
horas vagas, eai que muitas vezes carregava pe-
dra e lijlo.
Sem excepcao de pessoa nem sexo, via-se as
senhoras mais gradas a par da populaco, e cada
um em particular apreaantava desejos de singu-
larisar-seem seos servicos.
Ascoairibuices pecuniarias satiafazia plena-
mente os operarios da obra e as mais necessi-
dade.
Foi desta maneira que vs-s hojo em Alaga
Grao le um templo nao acabado, bem paramenta-
do, elevado calbegoria de matriz, uo qual seus
habitantes por servicos e dinheiro, tem por cal-
culo de pesaoas intelligentes, contribuido com
mais do sessenla cootos de ris. **
Neste mundo, porm, oode nada estavel,on-
de a falsa tem seu throno. Temos sempre em
controversia os progressos da religio.
J por um despeilo infernal no habita esle
slo o director da matriz da Senhora da Boa-
Viagem.
Os materiaes reunidos junto nutriz para
continuaco desse migoico templo jazem no
esquecimento, o as cootribuiges e servicos do
povo sem director, retiram-se por falta de admi-
nistrarlo ; e assim ver se-ha depois de alguns
aonos esse templo em ruina, visto nao ter a so-
l la base de sua conclusao, e o governo pelo es-
tado do cofre publico o oo poder proteger.
A' vista desta fiel exposico.o respeitavel pu-
blico avalie as veixaqes porque passam os habi-
tantes de Alaga Crande, em um negocio que
lano reclama a iotervenco de nosao diocesano,
o roui digoo e respeitavel D. Joo da Puricago
Marques Perdigo, bspo de Pernambuco, a quura
este povo implora seu melboramenlo espiritual.
Muitaa lem so as provas de amor com que S.
Exc. Rama, demoustrou ao povo de Alaga Gran-
de que se interessa plo seu bem, lendo officiado
ao lllm. e Rvmd. Sr. visitador da proviocia da
Parabiba, que nomeasse vigario para esta fre-
gueiia contento do poro, para o qual Ihe deu
poderes.
Era continuaco.
J se achava com destino ao prlo a publicaco
cima, quando por graca da Senhora da Boa-Via-
gem, ve-se corso por milagre plantada a paz, que
ameacjodo esta freguezia iranquillisa boje (omil-
limoseasas circumatancias) seos habitantes, que
com tanta justica propugnavam seus direitos.
No dia 23 de agosto correte entrou nesta po-
voacao o Rvmd. vigarloeocomraendado desta fre-
guezia Fr. Alberto de Santa Augusta Cabral, por
nomeago de S. Exc. Rvmd., e no dia 24 lomou
posse.
A viriude nao Gca sem premio.
Nesses das para que nao se achava o povo pre-
parado, uodeiiou esse atleta da religio de ro-
eeber seus merecidos louros.
Acomp tos cavalleiros, eotrou nesta povoaQat de Alaga
Grande, oode o povo agglomerado usa ra princi-
pal, cora o roaior eathusiasmo o espf rava.
Os logeles cruzavam o ar, os repi" ues corres-
poodiam ao seolimeoto publico, e o pyvo aecon-
lioha ds mais inleira ordem. t
Seguindo o R'm. vigario para a igreja matriz,
acompsnhado desse povo amigo, depoi| de satis-
fetoo dever religioso, failou ao pon Jue reuni-
do se achava no pateo da matriz, agfdeceodo-
Ihe o; bous ofBcios de amizade que rocebia, e de
quo nao era digno.
O lllm. Sr. Dr. Chrlspim Antonio de Miran la
Hennque, dirigindo um discurso ao povo, elo-
glaodo sua adheso causa da ordem e de seus
direilos, deu vivas religio catholica apostlica
de Roma, a Senhora da Boa-Viagem, S. M I.
e imperial familia, s cmaras legislativas, ao
Exm. bspo diocesano, ao Exm. presidente da
Parahiba, e assembla provincial Parabibaoa,
os quaes eram correspondidos com uaanimidade.
Deu-se urna illuminaco na uoite do da 23, e
o concurso popular esperava aociosamonte o da
24 do agoslo.
Neste oa, em que vinha o lllm. e Rvmd. Jos
A.oliuario Gomes da Silva dar posse ao vigario
nomeado, muitos cavalleiros foram a seu encon-
tr, entrando nesta povoacao cora geral cooten-
tmento, e dirigindo-se a matriz deu posse ao
Rvmd. Fre Alberto, o qual depois de um dis-
curso, adnioestando o povo em seus deveres re-
ligiosos, honrou ao Rvmd. Fre Francisco de Je-
ss Maria, encarregaudo-o da celebrar o aanlo
sacriGcio da misas, cantada por eatee pelos Rvds.
Antonio Jos Borges e Fr. Augusto de Santa The-
reza de Jess.
O RvidJ. Jos Apooario Gimes da Silva, Gndo
o acto da misas, fez um discurso, agradecendo a
esta por>ula;o a maneira obsequiosa com que o
tralavam.
Fiadas as solemnidades da posse do Rvmd. vi-
gario, foi a'.nda o dia 21 de agosto seguido dos
prazeres de ura povo, que obediente s leis civis
e eclesisticas, sabe defender seus direilos.
Os habitantes desta freguezia nao podem bem
demonstrar S. Exc. ttvms. seus agradecimentos
e rogam a Deus pela tus. existencia e paz espiri-
tual, esperando que o mesmo Senhor o recom-
pense de seu zelo apostlico, pelo progresseda
'grt-ja e melhor.amenlo de suas uvt-lhas.
D'gnem-se, Srs. redactores dar publicidade em
seu constante jornal a eitas mal trar.adas linbas
que muito Ihe agradecer! seu menor'criado
Jos Gomes Trigueiro.
Alt
xendtmanto do da 1
Idunt do dli 2 .
t
l'l:806937
11.4558516
23:262*453
vlnanlo ata aiiiandexa.
rOMmtl intrads orafazendaa.. 35
ora ajanaros.. 917
Volaros tahido soei fazondas.
oru gneros.,
== 952
35
34
69
v -. :kA
rraca do Recife 2 de
setembro de 1862.
rVa quaUo horas da tar.
Colacfjcs da junta de corre lores.
Frete .
Assucar de Macei para o Canal para ordena
421,6 d. e 5 0(0 por tooelada.
Descont de letra?.
10 0|0 ao anno.
J. da Cruz Maeedo-prestdentes
John Oatissecretario.
jntiu
8hco do Brasil.
Acaixa filial deieonta Utras com praso at
; quatro mezes a 10 0,0, as do seu proprio aceite
a 9 0|0, toma dinheiro a juros em conta corren-
te, ou por letras a 7 0|0 ao anno, gacta ,0'Pr
e curtos praso, sobre o banco do Brasil.
Caixa filial 26 de agosto de 1862.
Francisco Joao de Barros.
Secretario.
novoTmco
DF
Pernambuco.
EM2 DE SETEMBRO DE 1862.
O ban.'odeacoola na presente semana a IOOiO
ao anno at o praso de 4 mezes, e a 12 0,0 at o
da 6 mezes, e loma dinheiro era contaa correntes
simples c coca joros, pelo premio e prtio que se
cotwaciooar, H
Oascarrtft.m no dia 3 de setembro.
Barca IngieraCearo reslo.
Patacho portaguezJareomeresdorias.
uaiera trancisBerihmercadorias.
Barca ngleza Caroliuebaealhao.
Iiuportafao.
Patacho portuguoz Jareo, vindo da Lisboa,
consignado a Amorim Irmo, manifestoa o sa-
guinte :
16 barris peixe salgado e em moura, e 100 bar-
r cal ; a Luiz Jos da Costa Amorim.
15 pipas e 20 barris viuho ; a Amorim & Ir-
mao.
8 pipas e 10 barris viuho ; a Palmeira & Bel-
irsOa
10 caixas cebla. 5 ditas cevada e 5 barris
painco ; a Duarte & C.
19 pipa 7 meias e 13 barris vinho, 3 ditos
azeite de olireira; a Thomaz de Aquino Fonseca
Jnior.
10 barris vinagro ; a Jos Ferreira Lesia.
50 saceos semea ; a Tasso & Irmo.
19 pipa, 5 meias e 13 barris viuho ; a Tho-
maz de Aquino Fooseca.
8 barris viuho ; a Belarmino do Reg Barro.
25 ditos difo a Marques & Silva.
* pipa, 8 meias e 10 barris vinagre, 30 caixas
cevada ; a Manoel Joaquim Ramo e Silva &
Georo.
-nAU,rris toucioho ; a Jos Marcelino da Rosa.
iOO caninhas passas ; a Aotonio de Almida
Gomes.
2 caixas sapatos da tranca ; a Antooio Rodri-
gues Pinto.
2 caixoles e 1 fardo drogas medicinaes e cai-
xinhas para plalas ; a B. Francisco do Souza.
11 pipas vioagre, 140 barris toucioho, 15 bar-
ricas nozes. 100 sseco farello, 33 barricas aipis-
ta, dOO barri cal de pudra.
100 caixas e 300 molhos ceblas, 1 canastra
alhoa.
150 caixas batatas ; a Francisco Severiano Ra-
bello & Filho.
10 caixote, 6 barricas e 4 fardos papoulas,
mostarda, colla, oleo de Ggado de bacalho, dro-
gas medicinaes, livros de ouro e prala, limalha
de ferro>. ldros etc.; a Joo da Silva Faria.
2 barrica e 1 caixa feze, azarco e man : a
Joaquim M. C. C.
1 caixa sapatos; a ordem.
1 dita carbonato; a J. o'Almeida Pinto.
Exportado
do dia 1 de setembro.
Brigue lubackense Nautilut, para Liverpool,
carregaram :
Paln Nash & C-, 144 saceos com 598 arrobas
de algodo.
Barca americana Meaco, para Philadelpha.
carregou :
Widoo RaymooJ, 2 araras.
Heeebetforla de rendas internas
feraea de Pernambaeo.
Rendiraentodo da 1.....1:071 $647
Mam da dia 2......: 1:816,713
2:918^360
Consulado provlnelal.
Randimcnio do dial..... 2.456.319
Idaro do la 2.......2:852j601
5:308^950
Movimento do parto
Miihos tmrados no dia t.
Rio Grande do Sul 25 dias, patacho brasileiro
Bom Je?us, de 170 toneladas, capilao Joo
Goncalves Reis. equipagem 11. carga 9.00O ar-
robas de carne secca ; a Bartholomeu Lou-
ren^o.
Terra Nova 53 dias, barca iogleza Carolina,
de 179 tooeladis. capilao Thellorp, equipagem
10, carga 2.600 barricas com bacalho ; a
Saunders Brothers.
Barcelona38 dias, patacho bespaohol Themoteo
de 116 toaviadas, capilao Ezequiel Pagos, equi-
pagem 9. carga vinhos e outros gneros; a
Tasso & Irmo:
A'auio tahido no mesmo dia,
AraeaiyHlate brasileiro Invencivel, capito Jo-
s Joaquim Alves da Silva, carga fazendas e
outros gneros.
''( i .-,-
;(U
Por ordem do lllm. Sr. inspector declaro
que Qcou transferida para o dia 5 do correte a
veoda era leilo do escaler e lancha da escuna
Lialoya, aonunciada para hoje.
Alfandega de Pernambuco 2 de setembro de
1862.O 2.' escriplurario,
Maximiano Francisco P. Duarte.
Santa casa da misericordia do
Recife.
A lllma. junta adminietrativa da santa casa de
misericordia do Recife manda fazer publico que
eotraram de mez os sen'.oes mordomoa Dr. Ao-
tonio llerculano de Souza Ban letra, no collegio
dasorpha e casa dos exposto, e Antonio Jos
Gome do Correio, no hospital doa lisaro* e col-
legio dos orphoa ; eomioaao ^o uo hospital Pe-
dro 11 o Sr. Dr. Joaqun de Sjuii Reis.
Secralaria da Sau Casi da Misericordia o
Recife 1 de setembro do 1862.
F. A. Cavulcaati Cousseiro.
Escrivo.
Directora geral publica.
Fago saber aos ioteressado qu olllm. Sr. Dr.
director geral designou o dia 9 do correte, pe-
las 10 hora da marina.*, para o exarae de verifi-
caco de capacidade para o magisterio -le instruc-
co elementar do sexo masculino. Os senhores
jue se acham inscriptos para este (im sao convi-
dados comparecer nesta repartilo no referido
Ola e hora.
Secretaria da instruccao publica de Pernambu-
co 2 de setembro de 1862.
O secretario,
Salvador Henrique de Albuguerque.
THEATRO
DE
O artista Pedro Baptista de Santa Rosa, tendo
obtldo do Exm. presideote da provincia o respei-
tavel despacho para dar represeoteces no mes-
mo thealro de Santa Isabel, tem a honra de par-
ticipar ao respeitavel publico que, unido slgun
companheiros, inclusivamente ao seu anligo coi-
lega Antonio Jos Duarte Coimbra (que de bom
grado se prestou a coadjuva-lo nesla ardua tare-
fa), tem resollido solemnisar o memoravel
Dia 7 de Setembro
com o drama em cinco setos,
DI EEIJUSTICEIRO
ou
AQIDADOMSTBQ.
O programma ser annunciado com antece-
dencia.
As pessoas que quizerem camarotes o cadeira
podem daide j prevenir so mesmo Santa Rosa,
ra da Sant Isabel n. 13.
*m i^ante-'.o*
Maraulio e Para,
Segu com brevidade o valeiro brigue escuna
Graciosa, capito Antooio Maria da Coitaa
Silva, por ter j alguma carga para ambos o
portes : para o resto trata-se com o consignatario
Antonio da Almeida Gome, iaa da Cruz o. 27. i
-
io de Janeiro
Pretenda seguir ove maita brevldde par c
Ro da Janeiro o veleiro e bem conbecido brigua
nKiooiUAlrairactes, tem parta de eu carreg-;
ment prompto ; para o reto qaa Iba falta, tra-
ta-se com os seus consignatarios Antonio Laiz da
Ollveic Azevado, no seu sscriptorio ra d* Crui
numero 1.
A
RiodiJaHeirn,
pretende seguir com Kuita brevidada o veleiro a
bem conhecido patacho nacional C.apaan, ca-
pito Thaotonio Jos da Silva Rosa, tem parte
u 'y" c,rre68raento prompto : para o resto qaa
Ihe falta, tratas* com os seus oosigoataros An-
tonio Luiz de Oliveira Aievedo & C. no seu es-
criptorio, raa da Cruz n. 1.
Quarta-fcira 3 do cor:ente.
, O igeoto Olimpio far leilo de divcrJS obras
importantes de ireilo e litl^ratura que sero
veodidas ao beler do marlello a quem mais der
o Srs advogados e esludanles de di-eiio s
convidados a comparecer no dia determinado s
11 horas da manha no arraazem da ra do Im.
perador n. 37.
MD b;
Janeiro.
O veleiro hiate Novaes legae com brevidada
recebe alguma carga frete : irata se com os con-
signatario Marque, Barro & C, largo do Corpo
Santo n. 6.
Rio Grande o Sul.
O patacho Candida aegue com brevidade e
recebe alguma carga a frete : trata se com os con-
sgnatenos Marques, Barros & C, largo dolCor-
po Santo n 6.

O agente Alraeida autorisalo i or uma pessoa
que se retira desta provincia far leilo do uma
ricamobilia de Jacaranda, ura excelleote piano
mesa elstica, apparadores, consolos de amarel-
lo, corj.rnola, ura par de roset-s de brilhanle
urna cruz e uo.a pulceira. aparelho de jintar'
lanternas.canielabro, relogios e muitos outros
objectos que podero er examiaados na vspero
e dia do ltilo
Sexta-feira 5 do corrente,
na ra da Cad-ia do Recite n. 48, II hura.
Frela-e para qualquer porto da Luropa,
excepto para Inglaterra, o brigue porluguez Rio
VougfB, de lotacao de 210 tonelada, de primei-
ra elasae, nos Lloids Uoiversaes. pregado e for-
rado de cobre, prompto para recpber carga : a
tratar na praga do Corpo Santo n. 6, ou com o
caoito.
C0IP4MU PER!UKBJC&!M
DB
^avega$costeiraavapu!
O vapor Mamaoguape, commaodante Moura,
sahir para os pono* do sul de ua escala n
dia 5 de setembro s 6 hora da tarde.
Recebe carga al o dia 4 ao meio dia. Eo-
commeodas, paasageiros e dinheiro a frete at
o dia da sahida s 2 horas: escriptorio no Forte
do Mallos n. 1.
R. S. Culver capito do hiate americano Har-
ry May Bee, arribado a este porto por torca
mior, precisa tomar sobre risco maritimo cer-
ca de 10:000| aum de occorrer as despezas do
mesmo feitas neste porto, os pr#tcndenles quei-
ram presentar as sua proposlas era cartas fe-
chadas no consulado americano ra do Trapiche
n. 8, isto no prazode 5 diae. Recife 30 de agos-
to de 1862.
COMPANHIA PERXAMBCANA
DB
Nvegaco costeira a vapor.
Parahiba, Natal, Macau, Aracaty, Cea-
r, Acaracu"c Gianja.
O vapor Jaguaribe, commandante Lobato,
sahir para os portos do norto al o da GreDja,
no dia 6 de setembro as 4 horas da tarda.
Recebe carga at o dta 5. Kosoc-imendas, pas-
sageiros e diuheiro a frete tt as 3 horas do da sahida. Escriptorio no Fort* do Matto nu-
mero 1.
MA
*
o muita brevidade pretende seguir o bent co-
nbecido a Teleiro brigue escuna Jovan Arlhur,
capilao Joaquim Antonio Goncalves dos Santo,
t-.ra parta de eu carragamento prompto ; para o
resto que Ihe falta, trata se cora os s*u conig-
nstarios Antonio Luiz de Oliveira Azvedo & C,
no seu scriptorio ru da Cruz n. 1.
Trastes e i taceas
leiteiras.
Quinta-feira 4 do corrente.
O ageote Olimpio far leilo por conta do
quera pertencer de diversos movis cndo de
duza de csdeiras para sala de janlar, camas
francezas de Jacaranda e amarillo, apparadores
guarda-vestidos, guara raup.. tear para bor-
dar, mesas, toilette de Jacaranda, urna marjue-
za. sofsdeamarello e Jacaranda, b-m corro re-
logios para parede, algibeira e cima de mesa,
uma urna de pedra raarmore, diversos quadro*
ointado a oleo, espelboi de difl-reates lama-
nhos e oelros muitos objectos que estarlo pa-
tentes no dia de leilo na ra do Imperador ar-
mazetn n. 37, a 11 horas da maohaa
Sexta-feira 5 do correutu.
PELO AGENTE
O referido agente a reqaenmeoto dos curadores
llscaes da massa commercial da Rastos & Le-
mos e por despicho do Exm. Sr. Dr. juit espe-
cial do commercio far leilo no dia cima de-
sigoado pela 10 horas da manha na ra do
Trapiche n. 15
DE
59 couros espichados.
21 cadeiras de Napols proprias para sitios.
102 caixas e rreias com figos
1 esjrava mora cora habilidades e outros objec-
los que sero paleles aos concurrentes.
E1LA0
Para os Srs. respondentes dos mesmos.
DE
50 barris k cal de Lisboa.
Quinta-feira 4 do corrente.
O agente Pestaa vender por conta de quera
pertencer em loles vootade dos compradores
cerc de 50 barris cora cal de Lisboa rauito nova
a qual sr vendida sera reserva : quinta-feira 4
do corrente pelas 10 horas da manha no arma-
zera do Aunes defroule da alfandega.
DE
aJa.IT
Por estfS dias aegue para o Aracaty o hiate
Santa Rita, roestra Joaquim Antonio Figaeire-
do : a Iralir com Tatso Irmus.
cemPJlNHiM BRASILEIRA
DE
Espera-sa dos portos do sul at o dia 13 do
corrente o vapor Cruzeiro do Sul, commaodante
o capito de mar e guerra Gervazio Mancebo, o
qual depois da demora do costume seguir para
os portos do norte.
Desde j recebem-e passagoiros e engaja-se
a carga que o vapor poder conduzir a qual devo-
ra ser embarcada no dia de sua chegada, en-
commeodas e diohejro a frete al o dia da sahi-
da as 2 horas: agencia ra da Cruz n. 1 es-
criptorio de Antonio Luiz de Oliveira Axevedo
& C.
Fazeiid s inglezis
Sexta-feira 5 do corrente.
O agente Pioto far leilo em o armaiem que
foi de Lstellier & C. ra da Cadeir- n. 11, de cer-
ca de 50 volumes de fazendas inlezas como se-
jam casss. chitas, brins, castores, camisas de
linho. chales, pannos de mesa, chapeos de sol.
um grande sorlimento de golas, manguito, e
lenco* para senhoras e 51 duzias Porto, as qoaes fazendas serio vendidas prazo
ou a dlobeiro Crm disennto, para fechar coritas,
s 10 horas lo da scirna mencionado na ra da
t.a t-ia 0 14.
Nesta mesma occasio vender-se-ba um piano
forle em peifeito estado.
LEILO
Stibbado G do Cirreute.
O agente Pinto far leilo as 10 horas do dia
cima mecciondo do sobrado de um andar cora
4 lojs8, sendo ama na frente e tres no oitao, sito
na ra da Senzala n. 104, o qual to'na-se mui
recoromendavel pelo grande r.'ndiniento annual,
emseu escriptorio ra da Cadeia n. 9.
LEILO
DE
COMPANHIA IRASILEiRA
DB
MAUfiTlS l M1PDI.
E' esperado dos portos do oorte at o dia 17
do correte, o vapor aTocantins, commandante
o primeiro lente Pedro Hyppolilo Duarte, o
qual depois da demora do costume seguir para
os portos do sul.
Desde j recebem-se passageiros, a engaja-ae
a carga que o vapor poder conduzir, a qual deva-
ri ser embarcada no dia de sua chegada : dinhei-
ro a frete o encommendas st o dia ds sabida as
2 horas da tarde : agencia ra da Cruz n. 1,
escriptorio de Antooio Laiz da Olivsua Azora-
do & C.
UM TERRENO.
babbado 6 do corrate.
O agente Pinto far leilo s 11 horas do dia
cima mencionado de um terreno ue estrada de
Luiz do Reg com 60 palmos de frenie e uma
casa de taipa com 30 palmos de frente no mes-
mo terreno, em eu escriptorio ra da Csleia nu-
mero 9.
Queijos flameagos
e prato
Quarta-feira 3 do corrente.
O agente Pestaa far leilo por conta o risco-
de quem perteocer de 20 caixas com queijo -
mengos e 50 ditas com dte, prato os melbores e
mais freacoa que ha actualmente no mercder
desembarcados do vapor Ooeiaa em sua ultiw
viagem : quarta-feira 3 do correte pelas 10 ho-
SV.iS'i.""no ,rm",m d0 AnnM defron,e
! MUTILADO!
y


DUUO D* flUSAMlDCO. QUART FEtHA 3 DI SETMfiRO E 18 SI.
*rosdedireito e litte-
ratura.
O gente Almeida vender em leilo ama
grande liraria na qual os Sr. adogado3 e es-
tillante acharo exeellente obras de direlto e
litieratura, dos melboro e.criptores modernos
com rica eocadernaco's que serio vendidas ao
correr do martello puii nao ha limile para ditas
obras.
Quinta feira 4 de setembi\>.
O leilao i.>rS lugar na ra da Caleta do Racife
n. 51, a. 11 horas.
20 saceos com amendoas,
60 caixas com charu-
tos ebarric *s com grao
de bieo.
Quarta-feira 3 do crvente.
O *gnlo Pest-na vender por coila e risco de
qji'm perlenoer 20 saccoi com roen ioas, 60 cai-
xs cotn hirutos do Rio de Janeiro, barricas
coru grao de blCO e 13 caixas com doce da fruc-
ta. p.t, calda : q jarla-feira 3 do correute. nolis
10 horas da mauha na porta do Aones defronte
Ja j 'a 'j-i.
Ao Sr. Joaquim \ntunes de Oli-
?eira conh^cido por Sargeaffio, $e de-
S ja fallar na praca da Independencia
n. 22.
Depois d'amaulia 5 do crtente se
extrahira' a ultima parte da primei-
ra lotera beneficio dos religiosos
t-acciscanoi de Olinda c primeira da
primetra da santa casa da misericordia,
do consistorio da igreja do N. S. do liu-
sario de Sinto Antonio. Os bilhetes e
meios bilhetes acham-se a venda na
respe i thesouraria ra do Crespo n.
15, e as c.is.ts cominissionadas praca
; i" > n l< ca n. loja du Sr. San-
I 'S V. ira, ma da Imperatriz loja de
ferragens n. 44 do Sr. Pimentel, ma
Direita n. o botica do Sr. Cha gas, e
na roa da Cadeia do Recife loja n. 45do
Sr. Porto.
As sortes de 5:000$ ate' 10$ serao
pagas urna hora depois --, extracto,
itras.no dia immediato depois da
^stribuicao Servodo de thesoureiro,
_________Jos' Rodrigues de Souza.
au i ij*s de bolnhos
''' e!5n preparam-se banleju com dif.
mea mo'.eloa de armecao eheir. ,;0m ,s
r s (uaiidadea de boliohos do nos-o mer-
ioj como os men.oa em liona por
proco rio el lamben) ioi a quah: 4e
ria a podio, e boloa franceses a divtraoa
" '' "- feito de ooaso p.izcom asado :quem
'. .,.ur- ru QoRangel n. 60. par*
justar.
N vae col i articul
ii ttrjcQau irioiaria yira o sexo tnaa- '"
1 ;'ia iua :i Cadeia du Recite u 52
^ Aluganj.se du.a eacr.raa, um-crioali rom
* -" '-. ''"' paria co 15 o 16 ao!,o>, ambas
de b ia ou lucia, irit^liirf^tilt>9 fiis ; a prim.-ira
cozoh coa >. oaaboa e arranja urna ca, a ou-
a mu ata, tera pequeos priocljjios de
:' ,,,'s ptima mu^anib. : quera as
muer procura na roa Di-eita. no becco que
.olla pra a ra da l'.nhs, s bra !o primairo au-
.8, que do coronel Joiquiui Bernaro
- m ser procuradas Oas 9 Uoraa do dia al is 4
da larde.
U Ra Nova 31
JOSEPH PRADINES
Premeado na expeslco do Bio de Janeiro
COM A
RA
DO
IMPERADOR
55.
MEDALUA DE PRATA
previne ao respeitavel publico e seus reguezes em particular, que mudou o seu
estabeleeimento de
1 TILEI^O E ARMEIHO
DA
Ra dos Quarteis para a ra Nova n. 34.
Elle aproveita essa occasao para prevenir as pessoas que tera concertos e amla-
cOes na sua casa que venham busca-Ios com o competente dinbetro at o fim do
presente mez, passado esse tempo serao vendidos para se cobrar do importe dos
oncertos.
lOlk
'ensuii por am os syslemas,
nmk," 252? ^' tcm ,u 1** 0 remedios do aeu estbelecimento nao ae confundan com o< dt
ITSS^d^SS^S CredU de.q,ie ,f>WV" "r9ra '""ra /o propriatario tem tomad.
oTCm anuelfr,?! fn Om' T? todO 8 rolul01' deTflodo S9r onsideraos como fa nica-
KElSit^JfiEr"*"** W"1 CO!!U l1**** Pelo Dr. Lolo^Mosaozo .* p
-, iir^.'.i0 8}n' '' tcaba.d,i rlrdo Franca randa porcao da tinctnrl da acnito a balladona ra-
iaditoa allopathas eroprexam-a constantemanta. aiBi *>.
Os njadicai..irtntoa avulsosqur am tubos qur am tincturaa e.starao a 1 o aidro.
mm^Z\'PArr^-rr **!: "bfiiecirr-eat? *""" aan cliMitea .mi* qu. ton commodo:
SS..I.. Urn?i esrr,r,,s Sb > tro sio doentea ou qu* precisara de alaama
"lla.aufliS 1 H,?0" !",ra" t,Sl"!!" T t0d atawl* P^P^ oS ..bou. tolo
>qaoi9. qua | tem ldo *.-ravos na casa r.n. ..iBS ":,r:i" ? V3:'. eommodidaddoa b.nbos saJ.doi .ao sutra. t.cta. T.nU-
t da taH8.P' DE
DI
Bja i inin
s^
I
_________y
23-Lugo do Tcr<;o23
cando-se^bt^liir05 ^ "^ ^ ^ 0Utr ^ reP-e, aBan-
j MaoUiga ngleza da safra nova de 750 a 800 rs. a libra.
Dita francHza de premeita qualidade a G00 e 5G0 rs. libra.
Queijos flarneiigoa cheg..d s ltimamente a 2 e dos do passaio vapor a 1$8( 0.
jLafe de pnmeir. e segunda qu.lidade a 260, 28o e 320 rs. a libra, e em arroba a 8$ e 99
hervejas das marcas mais aored tadas a 480 rs. a garrafa.
Vmho engarrafado .lo Porto a 1200 e 1 i a garr.fa.
Duo em pipa marca F. L P. a 480, :.G0 e 640 rs! a garrafa.
; Massas, macarro, talharim e alelria a 300 e 400 rs a libra.
Passas novas a 320 rs. a libia, e em meias caixas por 3 cada urna.
Batatas novas a 8) rs. a libra, e em poroto se faz abalimento.
Aim dos gneros annunciados, encontrarao sortimento completo de tudo quanto e tenden-
te a molhados. *
^Seguros martimos.
SEGURIDADE
g Estabelecida uo Rio de!
$ Janeiro. 2
AGENCIA RUADOVIGARION.IO |
*+mm ^_
Urna pesaoa q.e est tratando de umTeo
branca judicialmente na cidade da Parahiba offa-
rece-.P para fajer naquella eidate mais algonas
cbranos : traa sa na ra da Cidtia do Recif
n. 25, aegundo andar.
Tem de ser arrematad) em cta do Sr i.iz
da pat da 1 di.tricto da Boa-Vial., os obj'ecto.
eBu.ntes : 1 .of por 20. urna marquez p"
US 1 toucador por 4S. 2 conaolos por 163 14
cadairaa com .asento de palhinha por 30. tudu
de nada ra de am.rello em bum estado, tem lu-
gar no da G do correte 5 9 hora, da mauhaa
iautM m .. t u -------"rTT"."1"" "ro"!""u lunas as vuuiauos e capnenos dos I depois da audiencia do msmo Sr. jui/. em su.
pianis sera nunca falhar por serem fabricados de proposito e ter-se feito ltimamente melho- I ",a ns ,ua da Aurora, por execucao d. Jos Gon-
n1?i,r, mTrtanlT,m-S para cliraa des,e Paiz ^uant0 as vozes sao melodiosas e flautadas, e S. Ferreira Cola con,rs Joao da Cos,a Gal-
por isto muno agradavets aos ouvidos dos apreciadores. I D W, _. ^
mJSSSJST aSenCOraraandas' lanl0"esla fabrica como n, do Sr. Blondel de Paris, S-@##-
siejoes 'gneS em cuJa caPilal f"m sempre premiados em todas as expo-
4n8 riToT eslab,e,ecimenl1 se aca sempre um esplendido e variado sortimento de msicas
dos melhores composttores da Europa, assim como harmonios e pianos harmnicos, sendo tudo
vendido por pronos rautto razoaveis.
J. VIGJNES
BK,a 9cLPian0S d6Slf ,antiga fabrica sa0 hoJe assaz "nhecidos, para que seta necessario insistir
TZLJ.ii.Uper,,r, !",aens e 6arantias I* offerecem aos compradores, qualidades estas
ZT> ni! JS,d,e8 m definitivamente conquistado sobre todos os que tem auparecido n'esla
, possuindo ura teclado a machinismo que obedeceui todas as vontades e caprichos dos
- Na ra do LWurr.anta n. oc, ptec.-ie tfe
um ou doos aprenluoa de *i.aioiro forro, ou
egetavos, faiendo se a conveniencia da no fim
de quatro mezei priscipiarae a pegar um tanto
por aettana.
_** ".i? -J? ?T, -.>' '-/ ."
u

IUO,
i .. .
lompanhia
1RHUBACU I aiffflIfKCl

' -ir X.r l Vi.' ffi? r/ s_. v^ &?<&? & QSJI
Muita alenlo. S
DA
-.
*&
.
tmm tmmmi m
JUNTA CEKTRAL DE HYG1ENE PUBLICA
m
Pedo-., ao Sr. administrador do correto,
queira m.ol.r publicar na. viseos de partida'
dos vaporea da cuinpanhia a tao?lli do portos
aa.im tomo i declarejio dos que sao obrig'adus
paifar vi,t3, p,r.i serem remetttdes, a ds qu
ao paiis no lu^^r para onde o.
Aluga se um segundo andar na
ra da Senzala Nova com duas salas,
quatro qu artos e cosinha no sotao, por
preco comincdo : na praca da Inde-
pendencia livraria n. G e 8*
loa Iiperatriz d. I
Mod'S friicezfs
Mad.ma Baesaud Millochau, ten lo recebado
pelo ultimo vapor um bello sortimento de moda,
boi oo mt rieo enfeit-s de cajiga para bailes e'
cisim-ntos, ricos pintes de tarUr.m lloarados
para bm loes, luvas de oellica om do.s budes
para aenhora, chapeos de dina o de palh* tanto
pira sohora como para raenioj. caraisi'nhas a
manKuilJS. pelerinas cim mangas para vestido!
denotado do ultimo gosto. Otas larga, multo li-
na, para iotos, ditas muito linat para flvela.
enfeites oara biplisa loa e eatmanto*, lioda. ca-
melias e rosas para cabeca, e enfeitos de ve.iidoa,
chupeo prpto. para luto muito rico, e diversos
enteite par. dito. Netta m.ma caa Nvam-se
e anffcitim se de novo chapees com a mais prom-
ptido e por preco. razoavei, ludo de apurado
g jit) e a sali-'agai) das senhr>s.
Attcsnco
5
Perdeu-.e no dia 2 do correnta, da Soletada
at a ra da U nao. urna caixi contendo una no-
ta da caixa filial da 50$. e urna navalha de cabo
braoco, cuja caixinha lam o noma R. & I. Starks
Galebrated army Uizor o. 336 Siranl, am letras
douradas : a pesaoa que achou-a, qaereado rea-
tituir, poie leva-la ao cutiliro Praliaea, na roa
Nova, defronte di igreja doa militare., oa ao tra-
picha do lii'hoi" n 11. praca do Corpo Smto,
qae te ratificar ganaros.mete.
Pract.a-te alugar urna escraa para o sr-
vico de urna casa de pouca familia: a tratar no
pateo do TVrcn n. 42. 2* andar.
Precisa-aa da um. ama qu-? md. cosiuhar
e engommar : oa ra das Aguas Vares o. 86
primeir.i andar, casa de oour.a fa-nilia.
Preui doa S'Dtis pa ae Ihe entregar orna carta do
noria, nesta tytographla.
^lu*,"s', uru rmateui na ra da Prau ou
caea do Hamos, u serve p.ra m.rcio-irj ou para co^heira : a tra-
tar na ra larga do R .sarjo n. 42. primeirp andar.
Aiaga-se urna casa lerraa lau. moderna,
com bastante, eommolo, na Soledad., ra da
Etperanc*. aaeneomo na me.ma ra urna baixa
da capia, bem plntala : a tratar na ruada Crol
a. 30, armazso.
ELECTRO-MAGNTICAS EPISPASTICAS
n
Para serem applicaii^ s partes afectadas
sem resguardo nem ineommodo
Muito eODbeedas nesla curte e om todas as ,incon testa val, o as innumaras curas ComplaU.
provincias deste imperio palos seos inf.lliveis re- > obti.las as diversas molestias em que foram
suhados em torios os casos de inflammacao sajam'applicsdas, o fazem me e:er e con-ervar a
externas ou internas ( com camaco e falta de cmfianca do Ilusivo publico, qe i Uve a
respira-pao ; como do estomag.., fijado, baco, honr. de merecer delle 25 annos ie existencia e
bofes, nns, tero, peito, palpitado de coraco, 'de praiica.
garganta, olhos, ejysipelas, rheumalinnos, pa'ra- | N. D Neta corle e de tod s os pontos deste
lysia e tolas as efTeccoes nervosas, ele; ele. imporio recelem-se parcipacSes satjsfaclorias a
Igualmente para qu.esquer inchacSas, feri- resp-ilo dasdilas Chapas Medlcinaes
das tumores mitimaese venreos, escrophulas, As encimmendas das provincias deven w
ob.nhos, papos, etc., ele, sejam qual for o seu | dirigidas p-.r e-cripto, com lodo o cuidado de
tamanho e profunde/a, por meio da suppur.cao fazer es necesarias explicaces, seas chapas sao
serao radraknente extirpa ios parabomem, e..h-r.. menino, ou e-rianca
( Estas Chapas nao podera fazer mal de declarando a molauia e era que parta do corno
forma lguma, ellas tera s.do appcadas aos existe. '
olhi s cor, o menor succeao, vajam-seos atieste- Para ncbacoes, fe idas, lobinhos, paoo. ele
dos de curas completas queja forara publcalos o molde justo de seu tamanho em um pelaco de
n.llTn i. i I'? pe a declarado onde exisie, afim de que a
haW, I H ,i,!!r,0nf i i-* r ~ PO' chapa s.j, da forma da porto, affectada, e par.
os, sua efficacia ser bem applirada no seu lugar.

oa do Prior, n Si em Buenos
DIRIGIDO POR
Mesfre m
r
PoiJ-sti mandar vir th qualquer ponto do imperio do Brasil
As canas 5emo apomnHnhaHnc ^ac ^ r<___i. "^1/
As
petan i
cesseri'
japas serao acoro pan hadas das suas com
'explicaces, e tambem de todos os c-
necessarios para suas a^plicacoes.
JsB3fS.SC
Consultas as pessoas que se dign.vera hnra-
lo com a sua conflanca, icios os das sen. ex-
capeto, das 9 horas da manh s 2 da tarde.
Guherme Purcell tro para slogar om @
7$ Santo Amaro na rus do Lima e so lado ^
@ da fundigao cinro cas>s tf rrefls enneerta- ^
o ds de novo e em muito bom estajo Je V
? acfio (-om bastantes coramodos para fa-
milia) Undo cada urna 2 salas,a quartos, ^
cosinha fora, cacimba e quintil lado 2
^ muraJo, a prego de 200^ cada una:
(P quero pretender ve-las pode dirifir-.e o}
*^ elleou ao Sr. J.. Gjcgalves Ferreira das
;tr C'sti en\ Santo Amro, ou .) Sr. mjor S
W Manofl Joaquioi Gomes na ra do Im- W
-3 perador n. 26. ^
A mesa regedora do Suitissiino
Sacramento da matriz da Boa-Vista con-
vida a todos os seos ir mitos para no dia
8 do corrate- pelas 10 lioras do dia
comparecerem no consistorio da mes-
ina ii mandade, para em mesa gpral se
proceder a e!<:io!io de thesoureiro (Ja
mesma irmandade por nao ter nerita-
do o que fora eleito para o dito cargo.
Consistorio em mesa l de agosto de
t8G"2.O eterivao,
Jcse Kodopiauo dos Sanios.


"

"

yros,
m i
;..^-.'
reaes,
ESTRIDl DE FERRO
DO
Recife a Sao Francisco.
Abertura da i' scelo ate a estacao
de Agua Pela, no dia 7 de elembra,
anniversario da independencia o iri^
perio.
Grande redcelo nos procos das pas-
sagens : os bilhetes de viagem singela
deveraoser para ida e volta.
Os passrgeiros encontrarao 11 otis
com as commodidaijes necessarias em
Gameleira em cuja estacSo os trens na
volti se demorarSo expressnmente.
Ira' no trem urna banda de msica
marcial que locara' durante o trajete
O grande trem que tem de conduzir
os pastageiros nesse a gradare I p-.s^eio
partir'das Cinco Poatas as 7 horase
um quarto da mandila.
Para mais commodu'ade do publico
os bilhetes destinados a estacao de Agu
Preta nesse dia etarao aven'!:, desde a
Ivespera nos escriptorios respectivos.
m
m PROFESSOR DE ALLEMAO' NO LYCEU NACIONAL DE LISBOA. P
h a?r f!21.I0l,!al?Tl0.MtaftI d8i facu,lades ". iolellecluaes e phvsic.s o P
O garalde.te aslabelec manto, que a1r..itte de preferencia os alumno, de 7 a 11 an W
ri, Vt\1- AeottMcao at aos 13 annos dirigida coo.o em familia, circun.stan- WM
d,n,fhh,r^^,,eU B,elhr "ro;IUt<. "egar.nlo se urna instraccao sol- P/
da qua hablilla os alumnos pra seguirem os estudos superiores de qualquer eioe.ia-
li a rnuosTrlll"' ""^ *"" D e3lriD^Uo- ou P"a entraran, na'carS" mercao-
iar^, 0"le8i tabeleddo n'umgranle ediOoiocom exc.llenles aal.s para as dif-
ferentes aula., e ac,mmod.Coe. propries para s 24 peosioniat.s, e acha-ae n'om dos
sitios mais agrada.!, de Li.boa. Para eon.ervar a boa 85Ule do. alumnos e IWtalo-
!^S k6 a" J,r-',"rl d"Sle col,e8io ercicios gymoa.ticos, recreo. e jogos ao ar livre
RtaPn bem como passeos nos arredore, da ridado a na (..; .,..;. u. VT.a. 7.
.---, -_--------------------------D. ....v.viu. qj uiuaiuius, rccieos e lusos ao
com liooea dolat l? Brredorei d* cid,de' e na es,a5* ProPr'a ha banbos de mei
. tf'""* eoiralamenlopatarna. dos meninos que racebem a sua educscao
neste estab-lecimeot, ; a par do callado devido em conservar boa disciplina e vigi-
lancia continua, teem a liberdade conveniente a sua idade. Em lulo deve a educa
cao doa alumnos asaemeihar-.e o mais poistvel .o rgimen familiar de bem antead!.
$SSi!S^ m",mo dos a'"mnos 'immoa e 21 p"" 24
O en.ir.ode ea la alamno era em conformidad* com o sea eslado iolelleclu.l e
tSS52!S!S^pei0> pireDIM: poJem retber iQllruc"ao SWl!
Djutriua chrislaa e moral e historia sagrada I fieograpbia I
J Historia |em especial a portuguea.
ESTRADA BE FEttRO UlO MKCi^E A 8.FRAMCI8CO
_0sjrccos das passagens c as horas dos li-ein. scnia" resillados pela tabella spguinlc:
bstacOes.
Linguas modernas
'Mlemo
I ingle.
| oortsguez
Lfrancez
Principios oas sciencias naturaes.
| Aritjmetisa e geometra.
1 Escripia.
Cinco Ponas (partida
Afolados............
Boa-Vngem........
Prnzeres .............
Ilha.................
Villa do Cabo.........
Iyojnca .............
Olinda................
Timb Aas.........
Escada...............
Frexeiras............
Ariuil.............
Itibeiro...........
Gamelh'ira.........
! Cuiamtaca..........
Agua-Prel. febagada]
TltE\S PAMA O IMIllIllH
Das do traballau
Dumiiisus das
sasatos
,jj^ Liuguis antigs
Tlalim
I grege
PAGOS A'PARTE.
I
egoj
16800 mensaei. P'aB 4*800 cada duzia de lices.
| DesenbIJ2IJ0 meosaes (inciuindo os
Neste en,inoeroprag.rn-.et.do. o. alo. ttSrtco. VpnSS 7.**
lar o mais,completo resultado. Especial cuiado asta -adic.do .a aualro lin.! I
0 estado das mesmss, a correspondencia e conver.aco ao dinaido* .,
por ae,,,rof.or instruido, leg.lme.l. habilitado e natural do p.,z da li.Z resoec
t.v.. No collegio leccioo.m actualmente aete professore. da coehecida ttaSsfcaSa*
-rector e o profes.or inglez residentes no collegio teero cada um tres dial n.'se'm.
',l!p1e,tal0 "Pe"al "' os lmeos, a.sist.olo < re^re.ce. e estudos Zi
franee,* ^ ^ma' 6 S6 DWIBWia0 "nvarsarem am JS>?Lf\
As horas da. aula, ao dasde 9 da manhaa al i ,t. ii. ;. i .
tompeio jamare meta hora p.ra recreado Ha "do. ot'!liS'^lll'T
SSSVjir d" 4 hr"' 8S -P"-. Permitlindo-o o temVem^a^ios 'o
pelo nata, dez di., pal, n^pS^^titJT 'S^A?
,%p0er'PropuoSreprra,fen"fo"do .-. f- .z S
me8tre..PeSOdOCUr,0geralde,4S400"- Pr *"' P8 tsdoa em tri-
Os .lumnos seroi-internos pagara 10g e os externos 5
?cPm^0oDmpit;Te" **" '" ""V" ** bm e,l'B <*<" :
1 lavatorio com perlences ;
1 commoda pequea ou bah para o falo e roupa de uso -
1 talber e copos; '
Pentes. escovaa, eaponja o aaboneles.
O e.l.belecimeoto incumbe-se de foroeeer todo, estes obiectos e ro.n. 1....I.
augmentando a pensao a 1900 rs. meo.aes .di.ntado. aos trio-;eslres '
Todos os sanos ha um exame publico no max de malo: os nae< n i..i...
bem todo. o. s.i. mezes um rel.iorio exacto ubre o. fSm comoon. r,8Ce"
e.t.dodeaauledosseuspeniioni.tas. Frugresso., comportaraenlo e
ESTAQUES.
Agua Preta (partida)..
11 Culamamc...........
fe^ I Gamelleira,........
I Ribeirao.............
Aripib..............
Frexeiras............
Escada ..............
Timb Ass........
Olinda.............
Ipojuca ............
Villa do Cabo......
Ilha................
Prazeres ...........
Boa-Viagem.......
A fugados...........
Cinco Pootas (ebegadaj
1> EgQS DF. BILHETES
Viasre de ida
CLASSES
400 rs.
IflOO
ISl'O
^-;7u0
3i00 e
39900
i">i o
5SI00
O-iOO i)
63000
6->5lK)
"SO(X)
7jj5HO
8j0U0 a
8S800
i a
300 rs.
000
1*100
2J200
23,70)
3s0()0
3J200
30400
3^800 s
4s<)00
4S200
4^800 a
SjOOO
53-200
5S6O0
3.'
200 rs.
500
600 b
I5IOO
l.JOO B
15600
lOO
3200
2^500
2.-.800 *
3SOO0
33200
33500 >
3800 a
43100 )>
Viagem do Ida e volta
CLASsrs
600 r.
1-r-- 11
2J000 a
4j!0(K)
55000 a
5s800 b
7800H b
7.3700
93000
9-500
5500
II CODO 8
115500 -
12^000
I39OOO
2. ;
500 rs.!
igloo j
15600
3JS00
4-3000
stiO
8800
53100
55700
6-3000 b
65300 .
75200
7J500
83000
8J400 b
3.a
300 ra
800
90)
13700
2cl0)
23'tOO
2900
3cl()0
338OO a
43200
49500 a
I58 10
5200
5S700
632OO
THF\S DO I\ I I ItlOH
Das de trabalko
'aaaagairoa
12. v3
clsse.
MANHAA
II. 1 M.
HiTCddorijs
1* |ias;(n'-
r..S ->. t 3
claaae.
MANHiA
35
50
1i
21
32
40
11. I M.
10
PasMgeirot
1.2. l-3.
la>>c.
TARE
H.
45
1
19
37
6
30
12
12
1
1
1
2
2
>
3
3
3
3
4
4
4
4
M.
20
41
10
31
52
12
39
5
6
20
35
50
12
81
32
40
Domingos e lias
tullios
Panageiros 1. 2. e 3. ciae
MANHAA
Horas
Mo.
5
20
42
51
2
10
TARDE
lluras
Mo.
PBECOS DE MILHKTES
Viagem de ida
Viagem de ida e voltea
CLASSES
30
49
16
35
54
12
39
52
6
20
35
50
12
21
32
40
18000 rs
23IOO
2J800
33300
38900
53IOO
53700
68-200
6800
73''00 b
73300 b
83100
83300
83800 >
8J800 a
800 rs.
1$500 b
I960O
28200 b
23700 o
35500
33800
4fooe
4s400
4J600
490O
53300 a
5C4O0 b
58400
5S600 >
500 rs.
900
13200
lC'lOI) D
18700
25O00
23300
28500
2700
2j8'iO b
33100
3S5H0
3J600
3j800
43100
CLASSES
1/
ISOOrs.
33200
4$200
53000 a
63000 a
7S600
83500
9*300
IOsOoO b
108500
108700 .
113000
I2JS00
133000
13*000
'
2.a 3."
13-200 rs 800 r.
28-200 1 cilio
29400 b 1800
35300 2al()0
43000 2c500
53100 > 35000
53700 3s4 00
630'0 3S00
6j'6O0 45200
6a900 b 49200
78400 0 437(10
73900 53200
88100 8 59400
88100 5>700
8;4U0 (3200
Os'meninos m'enore. C ann^^o'me.de S lr6DS Da parlirio daS e,,'dM """ d l6mP tsPecilkaJo-
,e ol.imo^o'h.erVemepraaetrs0,d!..erVem P"a24 hr" U 48 qU8nd "** comprehendem domingos ou dia. santificados. O de primeira ne-
oar. wafo^V^nnr'fSti'X que tragara serapre o dinheiro correspondente ao prego d, viagem que liverem de fazer.
.h".u Bl? J?~m*UtE^ cerl ^ mais fcil "'es 6 l ** d-
a^arrlf^^^^^
\l S^f!,' 8 ca,T8ll08 que tiverem de seguir nos trens, deverao achar-se na. eataedes ao menos 15 minlos antes da hora marcada.
ii.l. aTc0"' "T0 ,echad,1 '1C.0 minutos antes da bora marcad, na Mella, depois do que nao se randera mais bilhetes.
Assigaado.E. a. Bramah, superintendente

.;* I
r
^.


I.
i
1X110 II I1E14WDCO. V QUARTA FEIRA 8 DI SEIEMBRQ 1 i|62.
Aviso.
Costuras de saceos.
As pessoas que quizeren)
Cozer saceos, <1 irijaru se a rua
do Bruui armazeiP Je assucar
n. 28 B, as yaes uo sendo
couherAuas, de ve rao apresen
t8r fiador O lCPfn P*lifitlla* 29 de Vgoslo a^186t-Fra"ocisca Mara de Jess.
*. UttUyr. u piCC/O eSllpUia* -torno procurador da meu pai Jos Eustaquio
do (le lfl por cada ce uto. Vell06 u su-.___________________
Alugani-se dous escratoe sadloa e posan-
les para qualquer aertigo e uma negra para ser-
vido de campo ou para teuler cora oulri ps
soa : na rea da Cadeia luja a. 4(1.
Nos tbalzo aiiigaadoi declafsiOS o publico
em geral, que desia data eoi dlihle oeixou de
er procurador da nossa, casa o ooiso Qlbo Auto-
uio Fernandos Velloso da SiUeire, pelo que uo
dos respoiisabiiisanu! por qualquer divida con-
Irahida pelo meimo, e para que pessoa alguma
aecharse a igaoraocia (azemos o prsenle do
qual nos assifcuamos. Engeobo Bom Despacho
ENSAIO CBITICO
Sobre a viagem ao Brasil em 1^52
DK
'.'. 1MNSFIEL
POR
Aluga-se um tino oa Ponte de Ueha junto
O sobrado amarello, coro boa cata acetada e
muilo boos commodos para familia de tretamen-
to, com agua de encanaraeoto e bnhoe de cho-
que : a tratar na raa do Cresoo n. 14.
Uiu peatoa tiuda do campo e que est aa
siatiodo oa rua do Catug primeiro solar D. 7,
lidd,U/^mS* V.CrTas-r!rlS,r./.''2' IteBl *>*'* "der um Irado molequ do 9 a 10 .0-
lidaaes, e aotneule para o interior de casa de fe- ;__ .; A -, a.
millo a tratar o. rua da Aurora n. 48. taberna i,eni ,,CI ou dt,',,0 *',in 1ue liPi-
A. D. Pascual.
Os Srs. assignantes queiram mandar
ver o segundo volume na rua das Cru-
zes n. 41, segundo andar, das 2 as 4
horas da tarde,
-------------.. ,. ^_
"
t meio dia, acare* di .egaintes molestias : 1 ger1, ,t..im ooi c. j 1
xolutiat d olfc.r., Weftia da crian, '* ^J<,'L?dr.M 224 .Strand, en.lojl

Advocacia.
Aluga-se ama caa com 2 qusrlos, 2 salas,
cozinha lora, quintal pequen., oas murado, a
qual Da raa de Joo Fernandas Vi.ira (Soleda-
e d. 58), toda casa concertada, piulad 1 e ladri-
lhaia de fleto : qaem a pretender, eoltnda-se
na padaria do Sr. Joaquina Jorge a. 14, ao ulti-
mo lugar.
Prectas-se da ama a ra uara hoinem sol-
teire : oa rua da Impartir o. 4, laerna ao p
da ponte da Boa-Vista, se dir quem quer
MM
D-se 20$ por mez a uma ao.a de leite sem fi-
lho : na rua do C ilovcilo n. 12.
Urna moya braslleira, calada, prupo s. a
lecciooar msica por pteeo commodo, promelt.
dar aa discioalas em seis mezes capazes de pesar
em quaisquer initfumeotoa O pat de familia
que du cu prestimo quizer atiliaar-se pode pro-
curar ca rua doa Martyiios a. 10, que se dir
q pa do aeuhora i>or barato prego.
1 UtTrt-ce-au utu ptqueuo e. Idade 15 cunos,
o qual sabe beui ler e eacrever, e tero alguma
errtica de negocio para qualquer estabelecimea-
'.o; a tratar na iu' l)ir>ila n. 8.
Aluga se am armaz becco das lloias: a fallar oa rua da Madre de
Dos d. 4.
Aluga-se- a cata unto da rua do Burgos
d. 27 : a tral>r Da rua d Aurora n. 36.
Uub commercial.
A reunio familiar do correula mes lera lugar
na noiie do da 6.
O abaiio assiguado, como procurador bas-
tete da Juao Das da Cists, e Francisco da Cos-
ta Lima, reiideules poj Portugal, respoudcodo
ao anuuucio do Sr. Ilauoel Das Pinbo, rasidebte
rit-sia cidade, qe sob o titulo de pubiieaco a
pelido appareceu no Diario do Recife de 3 de
agosio prximo psssado, declara a este smhor,
onieute por d*freecii o resieitavel publico,
que te acha munido de poderes para Tender a
propriedade a que allade am seu anounclo, mai
Dei.hura iie,(ocio lem tratado com pessoa algu-
nu, e rauito meos com seu irmo Domiugos Joi-
quim Ferrelra, e se *sie comproa a refetila pro-
priedade, toi cerlimenle em Poitugtl so seu le-
gitimo propietario : admira, poitu, que o Sr.
Diaa Pinbo se iocul iue herdeiro forjado, quando
sus paii lidia ezistem. Se port&nto o meimo
senhor sa julgar ^rejulictdo em qualquer nego-
cio fcito oaquelle palz cere* da meocionada pro-
priedade, pode l mesoio procurar o s.-u direito,
b deixarse de fizer public*^5es aauaticas, s
quaes o sbaixo assigoido prot.sta nao responder.
Recife 1." de seten.bro de 18*2.
Autiioio Jciaquiru Ferrira Porto.
Quem precisar de urna ame para eogom-
mar ou outro qualquer artico de casa menos
cosiohare comprar, em casa de pouca familia ou
de homem solleiro : dirija-se a rua das Calcadas
d. 30.
Thomaz de Faria i para o Rio de Jaueiro
deixaodo por leu procurador nesta cidade o Sr
Dr. Cosme de S Pereira, e declara que nao dei-
xa corruiomisso alguiu commercial com a sus
respousabilidade.
P.eaisa-se da uuj iu;pressor de lyihogra-
pba, o qual isiba fazir trauaportei a os mais
trabalhos da arte. Paga-ie aegundo as obras ou
por mez, conforme o ajuste : na rua as Aguas-
Verdes ii" 62.
Uffl meco (rasiUuo com alguma pratica de
rommercio le offerece para caixeiro de qualqaer
rasa de oegocio dentro desta praga ou fora dal-
la, astim como para eugenbo. do que j tem al-
guma pratica, e d coobecimeolo de saa con luc-
ra ; quem do seu piealimo se quizer ulilisar, an-
*]Uticie por eite Diario para ser procarado.
AlUga-ie a casa ua liiixa- Vt-rde, paasaulo
a piDgoella, com comaio>loi lufllclentes para fa-
milia, e com baslautei arrotedoi : a tratar Da
rua do tn.K-l n. 10.
Toda slteacao
Aotooio Comes da Canha a Silva, com loja na
rua da Cadeia do Kecife d. 50, d.froule da rua
ca Madre de Dos, roga aos s> ua Lumerosos de-
vedoreitanto desta cidade como fora delta qae
se sirvam mandaren) pagar eeue debltoa at ao
fim do correla mez de agosto, porque Dao po-
deodo mais esperar paisar a asar des meios
que julgar mais conteniente para com aqaellea
que nao cumprirem seai deverei.
Precisa-se de 3:000$ a premio sob hypo-
theca em tres casas terreaa neata cidade ': a tra-
tar aa rua do Deslioo o, 25, das 6 as 9 horas da
manhaa.
No da 18 do prximo panado (ugio a par-
da Felicia mais coubecida por Feliciana, idade
de 40 aiiriua pouco mais ou meaos, cabellos
grandaa e carapiohadoi, anda sempre embriaga-
da e tem o acidar atirando para a frente, sahio
com ama bandeja velha, urnas chicaras uma
toa 1 ha de linho com labyrioihc sem bico, consta
que dita escrava esi sempre nos lugaras se-
guidles Remedios, Afogados, Cabauga e Giqui
pastando por forra : roga-se portaoto as autori-
des e a quera a pegar levar a casa da rua do
Hospicio a. 23 ou C'paoga Velha casa da tin-
ta de Maximiano Francisco Daarle.
Joteph Liihatu socio gerente da casa coin-
irercial de Mills, LMham & C, tendo de reli-
rar-se temporariamente para Inglaterra a tratar
de saa saude, deixa como orocuradores em pri-
meiro lugar ao Sr. H. C. Wells e em segundo lu-
gano Sr. John Robera.
rII(ga
Na rua da Aguas Verdes existe um mogo viu-
do do Poito a pouco tempo e aa offerece ao rea-
peitavel publico uara copeiro ou para oulra
qualquer occapaco que possa aervir, tanto para
casas rifil-zai como fraocezas.
Alvgauj-se trai escravus para lodo aertjgo :
oa padaria do Manquioho se dir quem ilopa.
ArreuiataQdo.
Pelo juizo de orplios desta cidade
vai a praca de venda no dia 9 do cor-
rente mez os escravos ct ioulos Antonio
Andr, Eleoteria e Joo, peitencentes
aos menores ilhos do finado Jos Paz
de Moura Accioli. Estes escravos sao
importantes por suas figuras e aptos pa-
ra todo servico.
Aluga-se
urna mulata para casa da familia qae engomma
e cosinha : quem a quizer dirija-se a rua da Ci-
deia loja o. 21. que sa dir onde ae ajasta.
O Sr. Antonio Pavo, delioda, faga favor
de ir adaria de Saulo Amaro a negocio que o
mismo senhor nao ignora.
Aluxa-se uma casa terrea no principio da
rua Impeiial: a tratar na raa do Queimado uu
mero 32.
Juizo dos feitos tU fazenda.
No dia 4 de setembro ao miio dia, i portas
da casa do depositario geral, Da rua estreita do
Rosario, se vender em Praga publica urn carro
de 4 rodal em rao estado, avaliedo por 50g000,
peuhorado a Manoel da Silva Ferreira Vinhai por
Augusto Ficher, para pagamento do que este d-
te fazenda aaciooal. Kecife 28 de agoalo de
1662.O colicitador daffazeoda,
F. X. P. de Brito.
J. 11. da Footeca Jnior, na raa do Vigarlo
o. 23, primeiro andar, precisa fallar com o Sr.
Sebaatio Antonio do Reg Barros, e herdeiros
do Sr. Jos Xsvir Crneiro Rodrigues C*rapello
Precisa-sede um criado para todo servico
de uma casa de familia, qua seja do meta idade :
na rua da Ouz n. 44.
Ao comuiercia.
Hygiao Augusto de Miranda mulou o aau es-
labeleciui.ulo da rua do Grespo para o interior
da provincia, e deixa como aeu procurador nesta
praga a si-u irmo Augusto llygioo de Miranda.
Recife 28 de agoalo de 1862.
O bacharel Moraes Navarro adtoga oo
civtl e crime e poe ser procurado para
o ekercicio de saa proQsso em seu es-
criptorio rua das Cruzes o. 24, prirnei-
ro andar, dai 10 horas da manhaa is 3
da tarde e dahi em diante em caa de
sua residencia ilha dos Ralos n. 1.
'-*>i ift ,< '.'a sa ?>, <3k .
-S
Quarta-feira 3 do corrente finda
a audiencia do Sr. Dr. joiz municipal
da segunda vara sero arrematados por
venda dous excellentes sobrados no lu-
gar das Qinco Pontas em frente da esta-
caodavia frrea, avaliados ambos por
10:000^, e que estao arrendados por
1:40# por anno. e vao a pra^a por
execuco, sendo esta a ultima praca.
O abaixo assignado ixudou a sua
typogr^phia da rua da Praia n 47, pa-
ra a mesma rua n. oh-, oceupando par-
te da mesma casa com uma loja de fa-
zendas que acaba de estabelecer.
O mesmo abaixo assignado espera
continuara merecer a conianca e pro-
teccao dos seus assiduos subscriptores,
assim como a concurrencia dos seus an-
tigos freguezes.
Ignacio Bento de Loyola.
J chegarai os remedios
do Dr. RaduayResolutivo
renovador, prompto allivio
e pilulas reguladoras,
No droguista Raymundo Carlos Leite
& Irmao. rua da Imperatriz n. 12.
I Fitas para habito.
' Vendem se taepsra co-nrriendador da
^ Rosa, ditas para commend-d g to, ditas para catalleiro da Rosa, oit.s t-t |
2 terde e amarella para iodapeodeocia : ***
s oa loja de Nabuco & C, oa ruaNofo ti. 2. $
V60de-se uma burra em bo.u estado : a Ira-
tar oa rua da Praia n. 2.
O antigo armaz m da es-
trella do largo do Parai-
zo n. 14.
Continua a vender rraoteiga iogleza flor a 800,
700 e 640, e franceza a 600, cha bysson a 2560,
caf latadoa 300 240, massae a 320, arroz a
100 rs.. toucioho a 280, queijos do vapor a 1(800
e 18400 rs., alpitti a 160 rs., tabo maga a 160
e 200 rs., grao de bico a 120 re., vinho do Porto
fino a 15200 a garrafa e de Lisboa a 480 e 400
rs., azeite doce a 720 rs., de carrapato 320 rs..
vinagre forte a 240 rs., espermacet. a 640 e car-
nauba a 400 rs., milho a 180 re. a cuiafe am uc-
eo a 35, vende-se por estes pregos enffbora nao
tephtm de conta pruprta.___________T_______
Jusepb Latbam e sua aeuhora subditos iu-
Rlezes vao a Inglaterra.
ENSINO
DE
PARTIDAS IJOBRADAS
S. mofcifiae ia pillt, w.olut\ai du$ olhot 1 -mQ.
liat iyphil\l\cat,lodai as ttptcitt dt ft'oru,
ftbrtt in 1 trmitttnt* c fai eonttqvtneia*t
tkUMUCIA KSFldlili 10 USO r T*'.c* .
Verdadeiros meditarcenloe hrjmeopethicoe pie-
laredoe sooc todas at entele neceesarias, ln-
aliiteie em seas eJtelloe, tanto em tiaUra.eeme
em globelos, pelos pregoe mais commodos pee-
ITC.
M. B. Os madicamentoi do Dr. Sebine sea
anuamente tendidos em sea pharmaea ; tedes
?a forem f6ra del 1 na falsas.
Todas as carteiras o icompanhadas de em
impresso com um embleme em relevo, tendo ao
eo;r es segeintes palarras : Dr. Sabino O. L.
Pinho, medico brasileiro. Este embleroa posto
gealmente na lista dos medicamentos qeaee pe-
le. As carteirii qn nao letarem eseampresn
leaim marcado, embora enbam netampe ene-
ate da Dr. Sabina sio f alaos
-)
C(rabinete medico cirurgioo.J
Rua das Flores n. 57. g
Sero dada consellas medlcas-cireri-#
9 cas pelo Dr. EstetoCaralcanti de Alba- a
O qeerque da 6 se 10 horas da manhaa, ac- m
9 cadindo aoe chamados com a maior ere- am
^ tidade possitel. T
g Partos.
2/ Molestias de pelle. %
H 3.* dem do olhos. m
am 4.* Idemdoeorgosgenitaes. a
ak Praticertoda eqealquer operago am %
a) se gabinete oa em case dos doentes con- e
ej forme Ihes for mais conveniente. aj

REWEDIOINCOMPARAVEL
UNGENTO UOLLOWAT
Muhares de individuos de todas as nacoe
fodaettestemanharas virtudes desteremedi
incomparaveleprovremcaso necessario,que,
pelo uso que dalle fizer.m lem seucorpoi
exambrostnteiramentesosdepoisdebaver eai-
*reg*doinuttlmente outrostratamentos. Cadi
pessoa poder-se-haconvencer dessascurasm*-
ravilhosaspelaleitura dos peridicos, quelh'ai
relatem todos os das ha rauitos annos; s
maior parte dallas sao to sor prendantes qui
admiram os mdicos asis celebres. Quanu
pessoas recobrarais com este soberano remedie
ousodeseusbraSos e pernas, depois dedar
permanecido longo tempo nos hospitaes.o te.
deviam soffrer a amputacio I Dallas ha i*u
casque'tavandodeixadoesses, asylos de pede
tmenlos, parase nao submetereas aessaope-
raSao dolqrosa foracuradas complelaesente
mediante o uso desseprecioso reaaedio. Al-
gumas das taes pessoa na enuso de seu reco-
nhecimento declararas* estesresultados beneS-
cosdiante do lord eorregedor e outros agis-
trados.afim-le ais autenticare sua a firmalit
JNingueaa desesperara do estado desaude si
titease bastante confianc* para encinar este re-
medio costantementtseguindo alaum tempo i
iratameulo que necesstasse a natureza do mal,
ujo resultado seria provarincontestavelmente.
Qua ludo cura .
Ounguiduto ha all, tnals partleo
> nos sefcaintes casos,
InfiamjauQo da bexig
de todos os boticarios droguista a outras pessoas
encarregadas de sua venda era toda a America
do Sul, Hatana e Hespanha.
Vendem-se as bocetiobas a 800 rs., cada
uma del las conlem uma instruc^o em portu-
gus para explicar o modo de se usar dess pi-
lulas.
O deposito gtaal em casa do Sr. Soum
puarraaceutico, na rua da Crur n. 22 em Per-
nambuco.
19
hereda..?"'* ^bl
Vende-se na pharmacu espro, .
CHia, propriad.de do .thor, H'%'\~n
issaro (Hundo Noto) d. 6. r" dt s,aU>
Prego de cada exemplar. 20annn
H, B. ..Dhore.aisign.nte. m^H?*
dar resaber seus exemplaree
# |16--m ca Cruz-A 6
Padaria franceza deSJ?i?r-l?chBastoi
aa coDialiai todo. o. dia..
| fwno mechanico. f i
C"r* Fsdical m pouco d*. moles-
tia syphiliticis e do. orgos genito ri-
naric.
CorjSBlL.de gng. da. 8 a. 9 horas da
mstihs.
PEQUEO CURSO
DE
CIlllllCl AGUCOU
POIl
F. Malaguli.
Esta obra de tanta utiliaade para o. no..ot
agncBltorei.e qae tao apreciada tem sido do r;0
de Jaoetro, continua a estar teodi mi Htra-
Iriesdo. Sre. Figueiroa e GHimares & Oliveira
111 na lypographta commercial, ru estreita
: Rosario n. 12,
do
Boga-se aos devedores do fallecido
Joaquim Jos Ribero de Oliveira que
teve loja na rua iieita n. 55, que ha-
jam de vir pagar seus dbitos na mes-
ma loja ou na rua do Queimado n. 41 e
48, evitando desta forma o receber se
judicialmente e publicar-se seus nomes
por este jornal.
Ensillo particular.
Uma peaioa convenientemente habilitida e
propon e ensinar primeiras lettrai, lalim a fran-
cs m algum engenbo perlo desta praga : quem
qaizer Uatar do ajusle dirija-ie a roa da Palma
n. 32.
#*$&:# &<
^ O Dr: Antonio Agripino Xavier de Brt- ^
I to mudoa sua residencia Oa raa da Im-
k3 peratriz n. 47 para a tuama raa n. 24, *&>
.[' onie pode ser procurado a qualquer lio- t
fia ra.para o exercicio de eea profisaSo. ;;
Alugamse dous grandes arma-
zens na rua da Concordia proprios para
qualquer estabelecimento em ponto
grande : a tratar com o Sr. Miguel Jo-
s Alves na rua da Cruz do Recife.
Precisa-se
alugar uma escrava que saiba latsr e engommar
e faier as co-i.prasoa rua, para urna c.sa estro-
geira : quem livor para lugar, falle Da rua do
Trapicha Nnvo n. 12._____________
Um huinem casado com pouca familia se
oLerece pira admiaiatrar qualquer aertigo de
.djicultura por tar um li pratica da mesma : Da
rua da Craa n. 52.
O abaixo assigoado, coahecido por Xico Bexi-
ga, antigamente coai loja de talgado atraz da
praga da Iadepeodencia, travessa das Cruzes, e
hoje com o mrsu.0 estabelecimento na rua da
Imperatriz, oulr'ora aterro da Boa-Vista, ao p
do becco dos Ferreiros n. 38, participa a seus nu-
merosos freguezes, lauto da praga como nego-
ciantes do mato e deite ganero, que est bem
sortido para servir bem seus freguezes, e tende
multo barato como de costume tender muitoe
gsnhsr pour.o.Francisco Uaciel de Souia.
Precisa-se de urna ama para casa de pouca
familia : Ha rua do Imperador o. 50, aeguodo
andar.
Ama.
m macana
Dirigido por
I.W0EL FONSKQ DE JIEDEI10 S
UUAS VEZES POR "SEMANA
TERCAS E SEXTAS
DAS 7 AS 9 HORAS DA IMITE.
RUA LARGA DO ROSJRIU N. 28, !. ANDAR.
Alporc.s
Caimbras
Callos.
Aneares.
Cortaduras
Dores decabe;a.
das costas.
dos meaabros.
Enfermidades da cutis
am geral.
Ditas de auus.
rXrupges escorbticas.
Fstulas no abdomen.
Krialdade ou falta de
calor as extremida-
des.
Frieiras.
Gengivas escaldadas.
Inchacoes.
nflammacao do figado.
da matnx
Lepra.
Males das pernas,
dos peitos.
de olhos.
Mordeduras de reptis.
Picadura de mosquitos.
Polmes.
Queimadelas.
Sarna.
Supurares ptridas.
Tinha, eat qualquei
parte que saja.
Tremor de ervos.
Ulceras na bocea.
do figado.
das articula$6es;
Veas torcidas ou no-
das as pernas.

Ea*^
. Olferace-seum rapaz brasileiro para Caisei-
T0 de taberna ou para tomar por balango, com
bastafile pratica do coTinercio, dando anga de
- procuraio, ou a fallir na rua da Cadeia do Re
cife D..3. loja,qae achara rom q.em tratar.
Alvuza-ae um preto bom coziuheiro : quem
pceciiar. Ji/ija-se a rua de Apollo, armazem ou-
juer.a 12.
Precisa se tlugsr uma ama forra oa caplita
para cata de uma familia de dual peaoas : na
rua do Hospicio u. 39, esquina do becco de Ca-
marao.
Aluga-e uma prea boa cosioheira e tam-
be m engomma ; a tratar oa rua larga do Ronrio
n. 23._______________________________________
Nesta typograpbia precisa se tal-
lar ao Sr. Manoel Ferreira d'Almeida,
que mora na Casa Forte.
Arreuda-se uma sjrsnde parle
coqueiro, denominado Mara Farioh*
zia de M^ranguape : a tratar do enganho
bara, frguazia de S. Loureogo da Malta.
RETRATISTA DA CASA IMPERIAL
Ba do Cahun n tH. entrada pelo
pateo da matriz.
Esia galera oroada tom oa augustos retratoa
photograpbicoede SS. MM. e daa sereoissimaa
prinsezai imparlaea, assim como com di de mui-
tae das principaea pessoas desta cidada, eit a
dtaposigo do pmblicu, qae a pode tisitar todos
os diaedae 8 horae da manhaa e 5 da tarde, a
examinar os trabalhoe expostos.
Con tirina-se a tirar retratos por todo, o sy
lemaa photogtaphisoa, e especialmente por tin-
brotypo aesi carios de visiu. Fxzem-se taro
bem mimosa* minutara, em talco pare te tollo-
carm em joiar.
O. pregoi do. retrato, o o. mais razoatei
qae aa encontrara osla cidade.
J. Farreira Viotoerepho. phllela.
Vende-se este ungento no estabelecimentc
geral de Londres n. 244, Strand, en lojs
de todos os boticarios droguista e outras pes-
soas encarregadas da sua venda em toda a
America do sul, Havana c Hespanha.
Vende-se a 800 rs cada boceiinh conto
uma instrucc,ao em portuguez para explicar c
modo de fazar uso deste ungento.
O deposito geral em casa do Sr. Soum,
harnaaceutico, na rua de Crux n. S2, es
pernambuco.
Deaista dePvis.
19-Rua Nova19.
Aviso.
Baltar & Oliveira eacam
Porto.
do amo de Francisco Peroande. Dairte, proprietario do
na fregu- armazem progresso, faz ver ao reipeitatel publi-
co que o seu estabelecimento com a nova nume-
rago passou de o. 8 para n. 10, e para que nao
haja equitoco-faz o prsenle.
Muri-
eobre a praga do
Attencad.
CrUi

Permutamse diversas casas terreas
no bairro da Boa-Vista e as melhores1
ras, por um sitio que tenha boa casa
no Mond^go, Trempe, Soledade, Cami-
nbo Novo, ou suas proximidades, efec-
tundose tambem dito negocio me
diante volta de escravos e mesmo di-
nheiro : na rua da Cadeia do Recife n.
40, se dar' informac/les relativas.
SOCIEDADE
ARTES MECUAMCAS E L11MAES
DE
O seecetario da sociedade dos Artistas Mecha-
8 Frederco Gautier, cirurgio dentista
Sfaz todas as operages dess arte a e co-
loca dentes artifi. iaes, ludo com -sdeln
3 riorldade e perfei^o que as pessoas-,en
tendidas Ihe reconhecem.
Tm agua e pos dantificios, etc.
ffflMMMB sese ttmvzmvi
SYSTE1A MEDICO HOBELLOVVAY
P1LULASHOLLWOYA.
Este inestimavel especifico, composto inteira- \
meqte de hervas medcinaes, nao contm mercu-
rio era alguma outra substancia delecteria. Bei
nigno mais tenra infancia, e a compleicao mas-
delicada, igualmente prompto e seguro par;
desaneigar o mal na compleicao mais robustai
.'enteiramente innocente em suas operages e ef-
f' itos; pois busca a remove as doengas de qual-
quer especie e grao por mais amigas a tenazas
que sejam.
Entre milhares da pessoas curadas com asi
remedio, muilas que j estavam s portas d
morte, preservando em seu uso conseguirn)
recobrar a saude e (oreas, depois de ha ver tanta-
do intilmente todos os outros remejics.
As mais afilelas nao devera eniregar-se a des-
esperado; fagam um competente ensaio das
efficazes effeilos desta assombrosa medicina, o
prestes recuperarao o beneficio da saude.
Nao se perca tempo em tomar esta remedio
Aara qualquer das seguintes flnfermidades :
Ao publico e ao conimf rcio.
O eeliciador P. A. da Costa Hachado pode ser
procurada pira os mistares de .ua profissSo na
casa de saa resideocis, na tilla do Cabo, oo. dis.
de seguodn, tergee, sextas o sabbsdos ; e no.
diaa do qurtas a qtinias-feiras, na tilia de N. nicoa e tberaee deeie eidajie, em vista do dispoe-
H, do O' de Ipojace, sonde offerece os seus eer- to no arl. S5 do cap. 16 e tit. 3 da cooetitaigo
figoe e todae ae pessoas qae de sea prestio ae que a rege, convide geralmenle a todos os seus
quuerem ulilisar; encarregando-ee de receber socios pere que no dia 4 do crreme, 5 horaa
por sua coota qualqaer qaesto qae penda ente de tarde, reunidos ne sala dae te.ades da mea-
os dona foros, ti.to que para eaee fia se eche he- me sociedade proeedam a eleigu do. noto, func-
bilitado e da accordo com o Ore, Affuoso de Al- ciooario,
buquerque Helio, Joo Goozage Bacallar e Pedro Sale des sesses da aocied ^de do. Arti.ta. Mo-
Gatidieoo de Rali, e Siles promettende empre- ehanicos a Libanes de Peroa.'obuco 2 de setem-
gr todo o zello e actitidade no que lhe for con- ere de 1862.-0 secretario,
fiado tem de seas consumiles. i Simio de Saa \a lldnleiro.
3-Rua estreita do Rosario-3 *
Francisco Pinto Ozorio cominea a col- 41
O locar dentea artificiaes tanto por meio de #
0 molas como pela presso do ar, nao re-
% cebe paga alguma sem que aa obraa nao
# flqeem a tontada d seusdonos, tem p. Q
0 outras preparagde as mai. acreditada.
O para con.ertaco da bocea; m
=s a>*c
CONSILTOKIO ESPECIAL KOBEtf ATHICO
0 DOCTO
SA8N0 i L PINHO.
Rua de panto Amaro (Mu&dc
Novo) n,6.
GoBsallaa todos oa oa alela desde s 10 Uiu
UMCO NA PBOVINCIA
^50-/iua da Imperatriz-SO
$ A padaria fraaceza sita na rua 4a Im- -'-
g; perttriz b. 50, continua aob a admioia- >
2 rC*o da tiuta Berrellier e all hatera 2
1? todoa o. dis. : (?j
*j| Pao queme de leite s 6 boret da lar-
s, de para >omar com cha do dia XI do cor- a
w rente em ianle. 9
@ Bolachas de lodos os tamaohoa e qae- $;
t lidades, >
2 Biscoatos doce, a aguados e de toda. 2
S as qualidader. f^f
^ BolacbDha. da araruta docea e olea- T da..
9 Bolos frsncezei. ^
fi* Palia, doce. .[
5 do'mercX'1"11 d" melhores arDh" GouipauhiaFidelidade de se-
& Preparsm-se bandejss de todo os la-
S Dianhos com bolos de todae a. qualida-
dee e ludo isso por pregoe commodo..
@ A referida padaria trabalha em um
a (orno mechanico assae dispendioso e
^ nico ns provincia. O pao, qie delle
3 sabe o mais limpo, puro e de c
a^i gosto e bem assim as bolacha, e ludo o
- mais. O foroo tem am asseio notael e >
o pao cosido com muito poeca leuha, xS
e tem baver communicago com esla ^
ou se bases, sendo por isso que nao se a.
encentra o menor fragmento de csrto
do pao e nse massaa que elle cosinha.
Sement de algodo dos
Estados-Unidos
Na livraria n. 6 e 8 da praca da In.
dependencia distribue se sement de Saeam Pr t,;do paquelea sobre t
algodao mandada vir dos E^dos^ni-l^:^^ XX^ ^^^^.Z
dos pelo governo. Real, Regoa, Vianna do Caelello, uiiriare
Barcelloi, Lam^go, Cottlha. Braga, Penael*
| Braganga, AmaraDle, a tilo das, ou to praso
' que ae conv*ncioDar: no sea escriptorio rua da
melhor @
guro uiaritiLos e terres-
trt s, e&tabelecida no Rio de
Jaueiro com o capital ue
16:000:000$.
Agentes em Pernambuco
Antonio Luiz de Oliveira Azevedo & C. compe-
tentemente latorisadoa pela directoriade cornta-
onta de seguros Fidelidad, tomam aeguros de na-
to, mercadorua a predioa, no aeu e.eriptorlt.
rua di Cruz n. 1. r *
Banco Unio.
Estabelccido na cidade do Porlo.
Agentes em Pernambuco.
Antonio Luiz de Oliveira Aze-
vedo A C.
Saques sobre Portugal. 5
O abaixo asagnade agente do Banco &
Mercantil Portuecae nesta cidada, saca 8
effectivtmentc por lodo os paquelea so- Si
bie o mesn,o Beuco para o Porto i Lia- II
boa, por qaalqaer eomma tista c a pri- &
. zo, podando .oo os laque, a prazo aerem
descontados no mesmo BaDco, di razo
_ i*, i por cinto ao aono aoe pertadoree
qae a.sira lhecontier : me rua do Crci-
po n. 8ob do Imperador n. f>1.
Joaquim da Silta Castre.
C-uz n. 1.
m expobi-
cao de candieiros
a gaz.
Chegou a nota exqosicao
0 Livro do f ovo.
Sahio luz pablic. o LIVRO DO POVO, puh.l- gBgS \ SS S
cedo aob a direccao do Sr. Dr. A. Hsrqees Ho- chegou nota exposigo
drgae, a contem a tida de N. S. Jess Christo, Chegou a no^a exposicao.
ugundo e oarragao dos quslre etaDgelistas, i Candieiros a eaz
roaie os segrate erizos : o tigario, o professor ; Candieiros e caz
primario, o bom bomam Ricardo, a moral prati-
ca, Simo de Nantua, l- aximaa e pensamentoi,
i hygine, os deteres dos meninos, e o Brasil.
A publicago do LIVRO DO POVO nao s teco
Cantieiroa a gaz
Csndieiroe e gaz
Candieiros a gsz.
Sortimeolo con.; lelo
por flm aniformiear a leilura na escolae prim- Sortimeolo complete
na, onde cada menino aprende por um litro ; Sorlimento completo
frfVV V-POti D, U" l"b,,1lh0 l,w c- St.rlin.ento cmplelo
tre a do discpulo, como lamber.-, tu^eriaar, pe
am prego baralissimo, a historia do siit.dor >:c
mando, e oa melhore preceitos de moral.
Vende- o Livro do Poto, no Recife, na
livraria da praga da Independencia ls. 6 t 8, i
500 r. o axemnlar am hror.hur
Sctllmento con t lelo.
Gaz de primeira qnalidarle
Gsz de primeira qualidade
Gaz de primeira qualidade
Gaz de primeira qualidade
Gaz de primeira qualidade.
; S tem na nova exposig3o
i So tem o i>oa exposigo
i S tem na nota ezpuaigo
i S tem Dt nova exposigo.
O proprietario Ceate cstabilecimento avisa ao
i publico em geral que lem recebido um completo
sortin.ento de candieiros a paz para ricas salta,
qu queos que pode coco a economa de uma gsr-
rafa de gaz ler para 60 horas de luz, riese cedii-
rasde balance de ferro com esloo adamascado
Remedios do r.
Radway.
Resolutivo renovador.
Prompto allivio
Pilulfts reguiadoras.
At so fim do corrente mez de agotto deve todos"oV,pe'iTeuc"e's"cc"m eti'oTo n""fundo"da'ba^
chegar impretertvelaeole o t.por brasileiro do cia, neos quadroi para ornamento, de sals e um
sul, e por ella devero *ir estes medicameotol os riquisslmu (orliu.ei.to de oljetiatia. a io itaro
quaei te achavam ti 5ahida do raooi paasado a de msrlin, para st,hora. anprovida. oa ultima
10 diaa no Rio, a borlo do brigue eHonder, tem : etposicao das princeza Lodo o p
se ter podido dar un,a descarga.
Droguista rua da Imperatriz n. 12.

ccdentes epilpticos.
Alporcas.
Ampolas.
A reas ( mal de).
Asthma.
Clicas.
Convulsoes.
Debilidade ou sxtenua-
go
Debilidade ou falta de
forgas para qualquer
cousa.
Desinleria.
Dor de garganta.
da barriga.
nos rins.
Dureza no ventra.
Enfarmidade no ventra.
Ditas no ligado.
Ditas venreas.
Enchaqueca.
Berysipeia.
Febre biliosa.
Pebre intermitente.
Febreto da especie.
Gotta.
Hemorrhoidas,
Hydropesia,
Ictericia.
Indigestoes.
Infla mrnaces.
Irregularidades da
menstruagio.
Lombrigas de toda ca-
pete.
Mal de pedra.
Manchas na culis,
Abstrucgao do ventra.
Phlysica ou consump-
go pulmonar.
Retengao de ourina.
Rheumalismo.
Canoas de visita
Garie. de visita
Cande, de visita
Cartea da visita
Cartee de visita. -
Pregoa rsdazidoa
Pregoe reduzidoe
Pregoa reduzidos
Pregoa riduzdos.
A. duzia por l-'j
A. duzie por 120
K dazia por 110
A duzia por tes
Daas duzia. por
Da., duzia. por 200.
Noto ettvlo de photogrephia
Noto eitylo de photograpbie.
Ambrolypoe em caixas 23
Ambroiypoe em caixa -29
Ambrotypo em cun 2c
O retratista americano
Alberto W. Osboru
Rua rio Imperador.
- premio mnor,
riquissicus pulceirai limiticao de camaleo, lu-
do se tende por diminuto pre'go que muilo de-
vota agradar tos ureteudeotcs ; na rea Nota n.
20 e 24, loja de Csroeiro Vianna.
SEGUNDA EDICTO
no
THESORO HOMEPATHICO
ou
Vade-mecum *io homeopatha
pelo doulor
imm i. !pihi.
tete litro qae ee tem tornado to popular,
quanto ne.-essarie, acaba de sir publicado com
todoa oa melhorameDtoe, qee e experiencia os
progresso da acieacia tem demonstrad.... A no-
va ediego em lado superior primeira, en-
cerr
1.* Mais ampias noticias ecerce do canuto
Symptomas fecndanos daa moli.lia, com ndic.gea mai proteitoa.
do. madicamentoe nutoe recentemente ezperi-
mentado. na Europa, noa Esladoa-Unidoa a no
Brasil.
5.* A eiposigo da doatrina homeopttba.
8.* O eeludo de apropriago doa remedio, se-
gundo e. predominancia, doa lemperamentoa,
.! daa idedea, doa aexoa, a .eguodo i. clrcam.tan-
Veadem se estas pilulas no astabalcciraeoto j cis atfosphricaa etc., etc.
Tumores.
Tico doloroso,
Ulceras.
Venreo (mal)
Francisco Jorge da Silta Paranhos, dentista
com seu gabinete na rua larga do Rosario n. 9,
tem a honra de icieutificar ao respeitatel publi-
co desta cidade, que recebeu ltimamente de
Paria e da America do Norte um tariado .orti-
mento de objeclos de sua proOsso aiuda nao
tindos a eta eidsde, como sejsm denles de dif-
erentes qaalidades, Uanspareniea mineraee per
Valcinet, estes dentea nao s pela solidez como
tambem pela grande relago de analoga qae tem
cora os riaturies, to eaperiorea aoa que ordi-
nariamente tem viudo e esla cidade, razie por-
que presentemarile sao elles oa mais edo; lados
pelos melhores deniistaa de Parle e da Ameiica
do Norte. O anoanciante lem tambem um grao-
de sortimento de maesas linas de ditersas cores
para encher os denles cariado, as quaes tem a
prouriedade a adherir a catidade e de soliC-
ga-la de modo a poder logo exercer a mastiga-
co, dissipam inlelrameole as dorea anda na
mais sensiveis procriedsdta que nao tem a da-
mantina de que ordinariamente se faz uso, a qual
ero vezde dissiper nclita as dorea por causa
d'agus ociilulada de suiphurico. Quem quizer
seas dentee carlsr.os, chelos de ditas o.tiiss
recorrendo ao annunciante porque elle o ni-
co que presenieu.eati tm neila ci Hde ditaa
roassse receritemeote chegada da America do
Norte e de Paris. A' vista das circumstaociss
criticas do tempo tem o aonunciante resollido a
modiGcar os pregos e de seus Irabtlboa am de
tbegar para todo. O mesmo colloca dente so-
bre base de ouro, platina etc., sem extraego de
raizes pela presso, a pivot u a pisto, deatee-
ort de crochet, como melhor exigir o estado da
bocea. Para a cooeervagao doa dentea em esta-
do de jaspe tem o annaociaote czcelleote p dt
China verdadeiro preservativo uoico e magDifico
detilrificio para conservar a bocea e dar-lhe um
hlito sublime, lornanlo oa denles pelo seu uto
qaotidiano isentos da csrne que vulgarmente
chsmam pedra, da frouxido dos ervos alteo-
laioa e de outroe muitos inconvenientes qae a
falta de laea preairvativos occasiona tendo por
origera a negligencia que commammle ha qua-
si em lodo o publico, accniecendo assim per-
der-se o especial ornato da bocea ; o annuncian-
te alm disto faz todae as opengoes de sua pro-
flsao com toda a promplido puasivel e delica-
deza. A entrada confronte a caaa de pharma-
cia do Sf. Bartholomeu.
Preciaa-ee ae um criado para todo aertigo
de uma casa de familia, que teja de meia idade :
& iui daSrazn. 44.
'




--

DUE10 Bft fBBlAMKCO fe. QL'ihTi EiBi i D* sETLMBuO DE 1161.
i

r

.1
i
i
<

Aluga-se oa vende-se.
O cilio da Mangabeira em Olioda, com frente
ao jar Jim, dst de aobrado, com muioscommo-
dos p*r urna grande familia, muiio boa agua,
nsitas frucleirss de diflVrentes qualidades, baixa
para Caplm, cpoeira com lenha, olaiia para lij-
lo e louca, com (orooa e telbeirot : a tratar oa
ra doa Pescadores D. 7, padaria._______________
Ua para tlugar escravoa mogos e robustos
para lodo o servido tanto aenlro da cidadecomo
lora della, ou m litio, como tambem para ser-
Tico de copeiro oa criado : qnem preciiar na pa-
daria do Manguioho te dir quam Un._________
Arreoda-ie urna olaria com todos os seui
pertences, situada ra Apipucos, bastante gran-
de, nas melhores condicoes, e que ple estender
para mais de vinte rc.il lijlos, com barro rosi-
llsimo perto, i 11 s para a alvenaria groasa,
como para qualquer obra fina : a tratar com
Jos Peres Campello de Almeida em seu escripto-
rio na ra do Queimado n. 26, ou em sua casa em
Apipucos.
J. B. da loiiMca Jnior declara, que nao
se entende com o lilm. Sr. major Sebasliao An-
tonio do Reg Barros, conhecido por major Biia
o seu aooancio, em que dtseja fallar com o Sr.
Sebasliao Antonio do Reg Barros, que filho do
fallecido senhor do rngeuho Boto.
Aluga-86 ma paquena casa no Resife, raa
da Senzsla, propiia para algnm estabelecirueoto,
ou pe luena familia : a tratar na ra da Crui nu-
mero 30.
No da quinia-eira 28 de agosto lugio d
sitio do espillo Jos Mariano, um escravo de ri-
me Joao, com os ligues seguioles: altura rega-
lar, bastante preto, bartulo, olhos vernielboa,
falla de deutes, falla baslanti expresslvc, trata-
do por Joao do Rosario, e tendo sido da engeiiho
talvez seguiste para Pao d'Alho oa outro qualquer
lagar : pede-se as autoridades a apprebento, e
aos capitea de campo de leva-lo ao referido si-
tio, que ser L tu recomponalo por seu senhor
Carlos Joi Gomas de Oliveira.
Est pira alagar-se o primeiro andar do
sobrado da ra Direila n. 85 : quem preteodar,
falle na ra das C'uies n. 9, penltimo sobrado
que val da ruado Queimado para S. Francisco.
Peda-sa ao Sr. Jos MonUiro Ceiar dos
Santos o especial favor de nounciar a sua mora-
da, que se lhe precisa fallar.
Alaga ae o primeno aodar do sobrado n. 83
da ra do Pilar, coro excelltnles coxmodos e
boa Tisis para a barra: a tratar no segundo an-
dar do mesmo.
tiOBfcpf&s.
Compram-se acedes do poto banco de Per
Bambuco : no ascriptorio da Manoel Ignacio da
Oliveira & Filho, largo do Corpo Sinto n. 19.
Altencao.
a
Compram-se tres tsccss paridas que sejam
boas leiteiraa, nao se du>ila pagar bem : na ra
do Livramenio b. 2 sa dir quem quer.
Cabra bicho.
Compra-se urna que seja mansa e lenha bas-
tante leita pira amamentar ama crianja, e nao
se duvida pagar bem no caso deque agrade:
qoem a tiver dirija-se a raa do Brum n. 70, pri-
meiro andar.
Compra-ao urna barcada nova ee lolacods
30 calas: oesta lypographia se dir quem pre-
tende.
Vend
>.
Calcado barato! f
Na loj a do Potto esquina da
Dos, veode-se urna purqo de
queno deleito muito barato.
ra da Madre d
calendo com pe
Chega
(i vapor para o vi-
gilante.
FNDIQAO DA AURORA.
Nesta grande a bem montada fabrica da machiniamo, a mais antiga no imperio, continua-se d
axecatar com a maior presteza a perfeiclo encommandas da toda a qialidada da machinas asadas
no patz, tendo sempre prompto o seguiote :
Granda sorlimento da moendaa d canna da todos o systemaa a tamanhos.
Machinas da vapor da divertss qualidades.
Tai xas fundidas a batidas.
C'ivos e boecsa para fornaihas.
Rroozes a aguilhdes.
Rodas, rodelas a rudas d'agaa.
Guindastes flxos e portatis.
Machinas de cylindros para padaria.
Serras da ac para serrara.
Fatexas para barcos, etc., etc., tado por preco que bem comida.
OUPAF
fiim F. dos Sa
4#Ra do Oueimado40
Defronte do becco da Congregtco letreiro verde.
Reata astabelacimanta ha sempra nm sorlitcento aomplato da roapa taita da
todaa as qaalidadaaa tambem sa manda axecatar par medida i Tontada dos fregue-
xes para o qae tam am dos malbores professoras.
VetKje-ie ama casa Ierres no bsirro de San-
to AotonioVa tratar no primeiro andar do ao-
briod n. 32 n\\pr,ca da Bja-Vista. ________
Luva
Vendem-se na raa'
ca amarella, ditas de
militar.
camarca.
)Ta n. 9, Iutbs de camur-
branco proprias para
Vende-sa urna mulaia^oca com 17 annos
rjsidade. muito ssdia, e nem\m tcos de qua-
iidade afguma, eozinha e lava Mat. tam princi-
pios de eogommado : quem aprehender, dirija-
ae a ras do Imperador n. 40 \__________
Venda-se uro/ezcsllanle escravSo~ [taba).
muito mocj, boa figara, robusto, e perfeMtojento
bom de saude, sem vicio jiem defeito, ecnha
bem o diarlo de urna casa, lava e engomm*. a
tratar com R J. Barata de Almeida, ra do im-
perador, primeiro andar, as 9 horas do dia. \
Para o baile do
club,
Sao chegados os lidos peotinhos doeradir hos
com muito lindas molduras d* dilTereLt-s gotoi Queimado o. 63. loj
jXra marratas ou Iravessoa, pois s com.a vista
da compradores podero apreciar o quanlo sao
delicidoi, pelo birato preco de 3j o par, sssin,
comO\sm ser dourados de lindos gitos, pelo
barato r>;o de2$ o per : s no vigilante, ra
do Crespo a. 7.
prsto a OS,
m
Ac para balo.
Sao chegadas as vardsdeirss asteas oa ac para
concertar ou fazer baldes, que com ama pequea
quinlia quilquar senhora pode fazer um grande
bailo, pois vende-se pelo baratisaimo preco de
140 rs. a Tara, ou pega com 50 metros a5J500 :
s no gallo vigilante, rus do Crespo n. 7.
C'ordo de borracha.
Tambem sao chegados os cordloziohos da bor-
racha a de retroz, sortidos, de tintas crese de
tolas as grossaras, que maito se desejava, tan-
to para pulseiras como para debram de collete,
e para multas oulrss obras : t no gallo vigilan-
te, ra do Crespo n. 7.___________________________
Fita de borracha e de seda.
Tambem sao chegadas as superiores fitas de
borracha, asiim como de seda pret, propria para
debram de vestido, como pira coilele, que se
vendo pelo barato preco de 160 rs. a Tara : s
no gallo vigilante, ra do Crespo n. 7.__________
Caix&s de tartaruga o chara-
teiras de charo para rap
e charutos.
O tabaquista qae aprecia a boa pilada da Lis-
boa ou mesmo Princeza, Mearoa etc., tic, *
justo qae compre ama bonita caixa de tartaruga
toia mirchelada com a qual nao se euvergouha-
r de orlereeer da boa pitada de seu gasto a to-
dos os circamstantes que se acharem em aaa ro-
da, muitos dos quaes louvarao o seu bom gosto.
Assim como a caixa oecesearia ao tabaquista,
charuleirs nao superfina no fumante e sendo
Ua bonita como sao as de chrlo nochetas me-
Ihor ser porque com isso deixa coohacer quan-
to sbe apraciar o bom. Para os mala commo-
diatas tambem ha bom sorlimanto lodos encon-
trarlo barateza ama vez que munidos de dinbei-
ro s dirigirem a ra do Queimado ioja da aguia
branca d.16^______________________________________
Na ruado Vigario u. 10, veu-
dc-s:
Panno e Go de algodo da Bahia.
Potassa da Ru.sia e cal de Lisboa.
Vioho do Porto lino engarrafado.
Dito Bordeaax em caixas.
DitO Ciliares dem.
Pianos d afama ios autoras.
Vende sa urna taoeroa com poucos fandos
e bem afreguezada, propria para priacipiaote :
ns rus da Senzala Nova n. 9.
Ra larga do Kosarlo u. 38,
loja da aurora,
tem para vender ac para bailo a 120, 140 a 160
rs. a vara, tem lavas de pellica de verdadiro
Jouvin para senhora para hooem, muito fras-
cas, chegadas no vapor ioglez no di* 23 do pal-
eado, agulhas de todas aa qualidades, rap Paulo
Cordeiro, dito Bocha, dito tino, dito grcsio, dito
meio grosao, dito Meuroo, dito rolo francez,
dito Lisboa : ludo veode ss em libra como em
oitavas, grande sorlimanto de fita da seda, ven-
de-se muito barato, a muitas mais miudezas em
corita.
Casacas aa panno
85|e
Soereeasacosds dito dito a 35)} a
Paiatots da panno preto a de co-
res 359, 809, 25$. 109,189 a
Ditor de casemira da coraa a 229,
151,129,79 a
Ditos de alpaca preta folla da
Ttllado francazas a
Ditoa da marin satim pratos a
da coras a 9f a
Ditos da slpaca da aores a 59 a
Ditos da alpaca preta a99,79,59 a
Ditos da brim da coras a 51.
49500. 49 a
Ditos da bramante dalinho bran-
' o a 9, 5} a
Ditoa da marin da sordia prata
a 159 a
Calcaa da casemira prata a da tc-
raa a lt, 109, 9g, 79 a
Ditas de priocaxa a marin da
cordao pralo a 59, 69500 a
^ Ditas d brim brsnco a de coral a
59. 4500 a
Calcas da ganga da coras a
Collete da Tallado proto o da so-
'V^ reslisosa bordados a 199,99a
.'i,v> Ditos da casamira prata a da co-
res Usos a bordados a 6,
59500,59
memgat
Roupaparahomens.
Veode-se ealjis de casemira, de brim pardo,
de dito de cores, palitots franceses a 69, ditos de
panno preto e cor de caf a 69. caifas de case-
mira preta a 5S : t na loja do Pavlo, ra da
Imperatriz n. 60. _________
Cambraias lisas.
Na loja do Pavo.
Vende-se peQas de cambraias liaas muito finas
com 8 ardas a 2g500. ditas com 10 jardas a 39
ditas com 8 jardas a 3$,ditas com 10 jardas a 49 :
sa na ra da Imperatriz n. 60, loja e armazem
do PtIo.
309000
308000
109000
99000
IO9OOO
8*000
85500
8J500
39500
49000
89000
69OOO
49500
8500
9000
89000
Ditos de satim preto 59000
Ditos da seda a satim branco 18a 58000
Ditos da gorgurlo da seda pratai
a da coraa a 79, 69, 49 a 55000
Ditos do brim a fastle branca a
81500, 25500 a 89000
Saroulas do brim de linho a 29 a 29300
Ditas da algodao a I96OO a I928O
Omisas da paito dafastio branca
a da coraa a S9400 a 29100
Ditss da palta dalinho a 59, 49 a 8000
Ditaa da midapolao brancaa a do
coras a 89,19500,19 a 1J600
Chapaos pretos da masca francaza
forma da ultima moda a 100,
8J500 a 79000
Ditos da faltro a 69, 59, 49 o I9OOO
Ditos da sol da seda inglaxaa a
franeexaa a 14J, 119, llf a 7$000
Colarinhoa da linho maito finas
noTos faitios daaltima moda a 9800
Ditos da algodo 9500
Relogios da ouro patenta a hori-
zontal a 1008, 909, 80f 70|000
Ditoi de prata galvaniaadoa pa-
tente a horixontaea a 409 a SOfOOO
Obras da oaro, aderecos a maioa
aderecoe, palestras, rosetas o
ansia a 9
Toalhaa da linho duxia IOS, 69 9g000
Sf,500 Ditas granaos para maaa urna 39 a 49OOOJ
sem
Vende-se na loja do pava -
Ricos cortes de Testilos de cambraia branca,
primorosamente bordados a crox, sendo os mais
bonitos que tem vindo a este mercado, e ven-
dem-se por prec-os biratissimos, ns ra ds Impe-
rairiz n.60. loja a armazem do pavlo.
tasemiras a 3,200 rs.
Na loja do pavao.
Yendem-se cssemiraseofestsdas de qaadriohos
e listrss miudinhas, sendo cores escuras a 35200
C corte para caiga ; Tende-se a mesma fazeUda,
tendo duas larguras, a I58OO o covado ; lato na
raa ds Imperatriz n. 60, loja do pavao.
S no ligilanle
Lindos enfeites para ves-
tidos.
Sao chsgadis no vapor ioglez as ricas flores de
velludo que sao admiraveis pela delicadeza das
lindas cores, pois com pequea quantia ss aenho-
ras polerlo enfeitar os ricos vanlos que ser
muito spreeieTel, pelo baratisiimo prego de 19
a duzia : s no gallo vigilante, ra do Crespo
numero 7.
Pulceiras.
Tambem sao chegadas as riquissimas palseiraa
com pedras azaes e outras verdes, cousa maito
delicada, que sa Tunde por presos baratsimos :
s no gallo vigilante, ra do Crespo n. 7.
Baleas parai espartilho,
Tambem sao chegadas as Terdadsirss baleias
de todas as groisuras e fornidas, paTa espartilho,
pelo barato praco de 120 rs. cada urna: s no
vigilante, ra do Crespo n. 7.
Leis do Brasil.
Ha para veuder-se am grande sorlimento de
colleccoee das leis, sendo de differentes snnos,
em brochara, e encadernados, por preco muito
eommodo: na ra do Imperador n. 15, das 9 ho-
raa da manhaa al aa 3 lilda tarda.
Urco em frascos a 600 rs.
Grande, grande, maito a mailosorUmento.
leos
psrs cabello, em Tirtude da deprcnr;o que ten-
do tldo o oleo ditj plulocomo sol.t hygien-
niqaes por ler vindo toJu falsificado, rec.-ii^moa
um artigo idntico aquelle da fabrica de Monpu-
las que garantimos ser o inelhor cosmetlque pa
ra o cabello, e oa aromaa soolhtdoa lio suaves e
duradoaros que desafia mesmo
o comprar.
quem nao queira
Ricas fivelas tlouradas para
siato.
Vecdcm-se fivels doarsdat
mais modernss qua tem viudo
msdon. 63. loja do Brja-flor.
a 29 e 29500, aa
oa rus do Quet-
Chegado pelo vapor fran-
cez s para o vigilante
Liados pestes de niarrafa.
Ricas voltas de aijefares.
Vendem-se Tollas de aljofares com crsz de pa-
dre imitando a brhanie ; na rus do Oueimado
numero 63. loja do beijt-flor.____________________
Facas e g-trfos.
Vendem-se facas e gtrfos finas de cabo da ba-
lango de dous botos a 6$S)0. ditas parr doce a
5N0;>, ditf de um botao a 652OO. dita para aoce
55200. dita prata erava.l* a 356CO, dita Lrancs
a 3500, dita lolija a 3j a rio b.ija flor.
Luvas de pellica
Tambem 1I0 chegadas as verdadoiris laves de
Jouvin multo frescas, "aula para homem coiiO
para senhora : s no sigilante, ra do Cres-
po o. 7.
Jogo de vspera.
Vende-se jogo de rlspors a 15 ; na
Qaeimado n. 63. loja do beija-flur.
do
Anvelopt s.
Vendem-se anvelores da diveraas qualidadea,
branco a 19J.00 e 19400. azul a 1, e de Cores a
I8UH): aa ra do Oueimado n. 63, loja do bai-
ja-flor.
Bordados baralissiiDcs
Na loja do pavao.
Vendem-se golliuuaa muito lina ,. csaLria
bordadas e de fil s 400 rs., roanRaitos coib gol-
linhasde cambraia bordada a lg280, manguitos a
bailo Qnisaimos al9. leor;us linho com Uby-
riotho a 28500. ditos de cambra! de elgoiaa a
imitaclo de labyrintho a 640. 800, 19. e Unias..
mas tiras bordadaa e enlremeios por pregos b>ra-
lissimos : vende-se oa ra da Imperatriz n. 60
loja e armazem do pavlo.
Vestidos baratsimos
Na loja ??o pavao.
Veodam-se muito lindos vestidos de carv>br*ia
bordados a seda, sendo de tola. as cores a 65,
ditos com barras e babados a 49500, ditos a 4g,
tortea de tarlatana brancos bordados e de cores
a 09. ditos de c*mbria bronca com buhados r.
25O, ditos de cambraia bordados com babndoa
a duas saias a 49, cortes de barege com 22 cora-
dos caJa corle, lendo Qos de seda a ig, ditos de
lia a 49, corles de cambraia com salpicos bran-
cos e de core, tendo 6 varas cada corte a 3g,
ditos de salpicos rrais finas com 8 Taras 8 49,
ludo Uto se vende por menos que em oalra quai -
quer parte para apurar dinheiro, s nt ra da
Imperatriz n. 60, loja e armazem do pava".
Aipakin ou gorguro de linho.
Veode-se esta nova [azaoda a imitaclo de soia
de quadriobos a 280 o covado : ( na ra da Im-
peratriz o. 60, loja e armazem do pavlo.
Musseliua branca a 200 s
Vende-se mosseltca branca com 4 1(2 palmos
de largara a 500 rs. n covado : s n ra da Iru-
perairiz n. 60, loj do pavAc.
Papel adamascado de cotes.
Vende se papel sdamas^ado de cores a SCO a
19. dito branco s 19200: ns ra d u^iuuo c.
63, loja do beija-flor.
Gravatinkas de seda.
Vandem-se grsvalinhasde seda para senho-,
de diversas cores : na rus do Qaeimado n. <;i,
loja do bf.ja-ior.
Tiras bordadas.
Vendem-se ricas tiras borladas
ssias brancas a 800 e 19 : na ra
63, loja Jo beija-flor.
para vettijos
do Q.ciojalo
eX|f#$lCaO
Lcndas novas e bara-
tis&huas, na ra a Impera-
triz, loja\? armazcfii ta ara-
ra u. SC.Nk1 Magales <&
Mendes \
Fazendas por menos 10 (>iO, queiraiu ir ct
para aersdilar, a ser: chitas Sj6. 180 e 2)0 rs.
o covalo, ditas francezas a 220/ViO. 280 3^0 o
covado, corles de chitas Coas boV 18 1)2 va-
dea a 29500, fortes de ca?j;s franceV's a 2-J500,
ditos pretos a fl.500 : na ra da itipeXatriz, lojs
da arara o. 56.
Arara vende olcstim para restid..
Vende-se a fazenda por nomo olestim de iiiho
de urna s cor equadrinhos, pro^ria pera :,;.<
e vesiiios de tcohora e rouris de m-ninui a ?8
o covado, fuatao de cutes para vesl dos s 280
320 o covado : na ra da Imperatriz, loja aa ara-
ra n. 56.
Brilhantinas de quadrinhos a
200 ris
Na loja do Pavao.
Vende-sa brilhantinas de quadrinhos, tendo
de todas as cores fazenda moli encorpsda emais
larga que chita ingiera, proprias para vestidos,
a 2U0 ra. o covado : s oa ra da Imperatriz n.
60, loja e armazem do Pavao.___________________
As eassas baratas que o
Pavao liquida.
Veode-se fiuissimas cassas francezas de cores
muito bonitas a 200, 2i0 e 280 rs. o corado : s
na ra da Imperatriz n. 60, luja do Pavao.
Bramante do Pavao.
Vende-se percas de bramante de listas tendo ama
s largurs, com 27 varas cada pega, pelo bara-
tissimo preco de 109 a pera, tambem aa vende
meias pacas do mesmo com 13 1(2 varis por 59,
esta fazeuJa propris para lencoas, toalhas, ca-
misas e aerouias ale, a em proporclo do preco
que est hoje o algodaoziuho torua-se esta fa-
zenda mais barata sendo da linho, islo s na ra
da Imperatriz n. 60, loja e armazem do Pavlo.
a
La e seda para vestidos
400 ris.
S na loja do Pavao.
Veode-se lia e seda para veatidos com muito
bonitos padres, seodo fazenda que sempre st
vendeu por 19, e torra-se a 400 rs o covado para
apurar dinheiro : s na ra da Imperattiz n. 60,
'nja e armazem do Pavlo.
Chron metro martimo.
Na raa da Cadeia do Recife n. 10, lojs do r-lo-
joeiro Victor Grsndia, tem para vender por pre-
co muito commodo um chronomelro inglez do
celebre autor Richarl Ilirnby I/varooo!.
Venda de animaes.
4 vaccas crioulas, sendo 2 pan lis da priraeira
barriga, e oatra preobe ; 1 ooTilhota e 2 aguas,
seoio urna dallas muo boa criadeira e preohe
de jumento, o que se afianza : na ruada Aurora
verjda do sobrado n. 48
Veoae-sa urna armadlo de taberna
arrancar : na ra da Pescadores n. 43.
para
Farello
am saceos grandes a 49: no armazem do Sr. Luiz
Antonio Anues aa eicadiuha da alfandeg.
Veode-se urna grande casa de dous andares a
aotlo, na ra da Guia n. 40, e urna dita lerrea na
ra do Aragao n 18 : os prelendentss dirijam-se
a ra Nova loja n. 18, das 10 horas da manhaa
s 4 da tarde.
Rival
igual.
RtsI sem igusl
Mva auzu 'lt>nu. 1|S. uo K0Mri0 D. 38
Raa larga do Rosario n. 36
Ra larga do Rosario o. 36
Pedro Tinoco Tende
Pedro Tinoco Tende
Pedro Tinoco Teude
Miadezas muito bsratas
Miudezas muito baratas
Miudezas muito baratas
Cartes de clcheles francezea a 40 rs.
Estampas da santos s 100 rs.
Ditss com vistas de guerra a 2C0 r*.
Ditas com persooagena a 320 ra.
Pentes de borracha para alissr a 560 rs.
Sinlos dourados a I96OO,
Agulhas francezss em caixinha a 220 rs.
Lia para bordar a 69400 a libra.
Tesouras finas com loque a 400 rs.
Botdes para pucho a 120 a 160 ra.
Tinteiros com lints e tampa de metal a 180 rs.
Meias cruaa para homem a 29400.
Ditas brancas para senhora a 2tfi00.
Enfeites pralcs a 4C800.
Linhaa de croxel para bordar a 640 rs. o masso.
Jogos da vispora a 800 rs. iSca
Ditas do bello xadrez a lg600.
Gravatas com bota a I9OOO.
Piuceis para barba a 400 e 600 rs.
Pulseiras de misasnga a 19280 o par.
Csrreteis de linha a 30, 40, 60 e 80 rs.
Luvas de seda com toque a 200 rs.
Escotss para limpar denles a 240.
Dilts para cabello a 1J.
Ditas boss para unhaa a 320 e 500 rs.
Ditas para roupa a 80J a 1?.
Asiim como um sorlimanto completo da rap
Paulo Cordeiro a 19500, g>sae grosso a 1$600, dito
meio grosso s lf,600, dito fino s 1$280, Lisboa a
29COO, rollo fraucez a 29900, lieurun 19040.
CALCA
45 -Ra Direila
A epidemia declina sensirelmente, a o saa
completo desappsrecimento est prximo! O
proprielario desta bem sortido estsbelecimento
convida os seus numerosos fregaezes a substitair
o (aleado Telho, que todo est cholerico, por no-
vo, a que possa resistir s mil schotis e mazzur-
cas que vio ser dansadas am louvor do realaba-
lecimento da saude publica. Os pra;os con-
vidam:
HOMENS.
Mli
ctisamentos e bai-
les.
Botinas de setim branco para senhora.
Ditas de pellica branca para senhora.
Ditss de setim preto para senhora a 4$.
Sapatos de dito dito para dita a l;00.
Na lojs de calcado da ra do Cnfivgk n. 16.
B Vendem-se luvas de algodao @
ranea propria para a guarda @
2. m
Ima boacarroca.
( m pipa ou
ta n\53.
sem ella : vende-se na ra Direi-
Ao bom calcado!!
Acaba de chegir loja do Porto, esquina da
raa da Madre de Dos, um completo sortimento
de calcado francez, sendo : borzeguios e sapales
de Nantes para homem, ditos para senhoraa e
e meninos de todas as qualidades, como tambem
am completo sorlimento de fazendas e roapss
feiiis por precos muito em coota.
Reiogio
Vende-se am casa da Johnston Pater r C,
..'..1 do Vigario n. 3, um bailo sortimeuto da
talogios da ouro, patenta inglaz, de um dos mais
afamados fabricantas da Liverpool; tambem
ama variedad a da bonitos trancaltins para os
masmos.
Aos manguitos da arara.
Vendem-se manguitos e golU da linho
senhora a 29, golliulias a 500 rs enfeites
tenhora 1 :j ;i;: na ra da Ioiperaliu, loja u
arara o. 56.
p-rn
, ,:a
Grodebico a 120
ris a librj, e sendo de 10
libras para cima a 100 ris
Vende-se nicamente por estes precos nos r-
mateos progresista e progresssivo. no largo do
Carmo n. 9 e raa das Cruzes n. 36, afliaoga-se
ser muilo novo.
Grande exposi\o do ba-
ldes de arcos na loja do
Pavo.
Acaba de Chegar loja do Parao tn ;r.inda
i"MvruYa,'' onr ts" a uagema" ^vn sao s
melhores e mais bem armados qae tem viudo ao
mercado com diversos tariianhos aendo de 6, 8,
10, 15, 20, 25, 30 e 40 arcos e afinnea-se a du-
raco e boa quaiidade doa ditoa baps : s na
ra ^ Imperatriz n. 60. loja e armazem do
Pavao.
Mozambique a 040 rs.
Na loja do Pavao.
Veode-se mocimbiqae todo de lia sendo fa-
zenda muito leve >ara vestidos de seohoras e
roupa para meninos, com delicadas cdrrs miu-
dinhas n tendo de una s edr propriopar< epas
de senhora lendo esta fazenda 4 palmos < lar-
gura e vende-se a 600 rs. o covado : na ra da
Imperatriz n. 60, lija e armazem do Pavo.
Loa mofambique a 400
res.
Na loj a do Pavao.
Vende-se llazinhas de urna s cor com qua-
drinhos e lista propria para vestidos e capas
Arara vende a popelina da Clima.
Vende-se a fazenda por uorxe popelina da Chi-
na em ils para vest os i; senhora a 3zO o covd-
do, chales de merino eatanjoados z. 3J, '.los ao
la i 1; ditos de la e seda a ?f, ditos aterios a
640: na ra da lmeeratriz, loja da arrra n. 56.
Musambe da arara.
Vende-se a fazenda por nome muianb com
palmas de seda de 1 |i palmos de largo, propria
para vestidos de senhora 500 rs. o covaao, &16
do linho de cores a 20U rs. o uovau, dito ia>t2-
do a 1I1U a vara, lito uno a 780 e 8U0 ra. a ra-
ra, latiaiaua a 800 rs. a vara : na ra oa Impe-
ratriz, loja da .-rara n. 56.
Arara vende as crinolinas.
Vendem-se balo*.-a crinal| lao e bri.Ii uiitia, saias de cuio quo lo vez oa
btlao a -i^iUU, biloes para menina a i; : na ra
da Imperatriz, loja as arara n. 56.
O babadirxi da arara.
Vende-te a fazenda por uome babadiMi enm lis
trjsdeseda para restiloa de senhora a 5'iu r>. o
covado, coberias do cbila para caua a ,~. col-
chas de (usa j para cama a 9, ditas avi.-iiu a 8, aberturas para camisas a 240 ala un,;
cortes de cab;a pan homem, de b i'i escuro e
curo, o de gauga e fosu'ia Ce quadriubog r
1j2yo o corto
arara c. 56.
na ra da Imperatriz, luja da
Manguitos e gollas de
cambraia ricamente bordados
Vendem-se manguitos a gollas de superior
cambraia ricamente bordados pelo insignificante
preco de 2j o par da manguitos com urna golla,
ando que stmpre custaram 6# eada par, assim
pois racommenda-aa aos amigos da ssnta eco-
noma que aproveilem a boa occasilo, dirigin-
do-sa com dinheiro a loja da boa fe na ra do
Queimado n. 22.
eranca
com
vestidos e
sendo fszenda finUsinia a 400 rs. o covado
raa da Imperatriz n. 60, loja e armazem
Pavlo.
na
do
Las com llores a 400 rs
Vende-se llazinhas.muito Boas com bonitos
padres a 400 rs. o covarto : na ra ds Impera-
triz n. 60, loja e armazem do Pavlo.
Venden, se tachas de
ferro cuado do fabricaute mais
acreditado: ua ra do Brum
n. 28 B, armazem de Jos da
Silva Lovo A 5.000.
Chapeos de sold seda a 5$ cada um
de-ne na ra do Crespo esquina da ra
perador n. 7.______________________________
: ven-
do lm-
POS
para matar mosquitos, palgas e persovejos etc.,
ate* : em casa da viuva Leeomte ra da Impera-
irfz n. 7.
Cal de Lisboa^ A$ o barril
Tem 'para vender Antonio Luiz de Oliveira
Aie vedo, no leu escriptoiio ra da Craz n. la
Botinai afamadsa Milis. : : 12$000
non-plus-ultra Nantes......... 12;&000
> Nantea 2 bateriaa.............. U5OOO
> luatre.................... IO9OO
inglezea de boles.............. IO9OOO
> baiedores....................... 9)500
> a couro da porco....... JJOOO
> bazerro a lustre............... 99000
> inglezes ps selvagena......... 75500
s 1 aliados brasileiroi............ 51500
71000
6|600
5|6W
69OOO
59500
59000
29OOO
59OOO
29000
19280
Sapa toes noo-plus-ultrs................
> 8 bateriaa a meia..............
> esmaga cobra..................
> Nantea 2 bateriaa vaqueta.....
2 baterias bezarro......
> trsbslbsdores..........
> brssileiros do 3J500 a..........
Sapatos 2 solas a salto..................
tranca por luga ezes..........
> francezes. .....
SENHORAS.
Botinas dengozss.........
salto do bater......
> pechincha de *J500 a. .
> americanaa 3J500 a .
I .
MENINAS.
a daia
69500
59000
41,000
29500
39000
19920
800
500
800
Sapatos do sallo (Jolv)
> sem elle (dem) .
> tapate: ,
a econmicos. ; ,
lustra 32 a 33. ,
MENINOS E
Ha da tudo em relacjio a nao
dinheiro.
Um completo sortimento da couro da porco,
eordavao, bezerro francez, couro de lustro, mar-
roqaim, aola, courinhos etc., qua tudo aa trocs
por dinheiro i Tontada do comprador.
sahir
L fji't de miudezas,rua do
Queimado n. 55 4, de
Guimaraes $ Atocha a
Para" bales.
Molas coberlas de fio para laias a 160 rs. a
vara.
Agulhss victoria o papel a 120 ra.
Ditas fundo dourado a 120 rs.
Linha de paso, meada a 100 rs.
H;ia froza para bordar a 80 rs.
Dita de carretel, 200 jardas a 80 rs.
Dita de cores, quilquer quaiidade.
Gravatas
com botosa e sem elles a 19, de cores e pretas,
para homem a meninos.
Tranca de linho.
Recebeu um lindo sortimento dr-slis trancas,
proprisa para as leves roupas da fesla, justo
que vo-ie prevenindo.
Bot5es
para casaca e casiveque, de cores a pretos, psrs
csmlia madreperola fina, de osto psra caiga a
320 a groza, muito finos.
Colchetes.
Esls loja desejando sempre ter objectos noves,
recebeu clcheles reforjados do fio batido, as
csixas slo em forma de urna caiteirioba qae se
torna maito elegante, s ha na Esperanza a 80
rs. a caiiioh, am cartao a 60 rs., ou duzia por
600 ra.
Pennas de ac
caligrsphicss por 2$ e29400, verdadeiras ds Per-
ry, e de outras qualidades, por menos do que se
costuma vender, canelas para se adquirir ama
posiglo alegante (escrevaodo) a 500 ra., da mui-
tas qualidades como da borracha a 160, a bailo a
160, a pistolete a 120, e muito boss e muito ba-
ratas por 40 rs. cada urna 11
Perfumaras.
O eheiroio e suave sndalo a 19600 o frasco,
tessencia concentrada) patbchouly, o mbar, o
iouquet de nupcias, o de Lshore, a vetivia, a>
magnolia, a rosa, o jasmim, a flor da larangeira.
s um complato sortimenlo da perfamaria qua te-
mos, tanto francezaa como inglezas.
N. B. Temos feilo ltimamente um contrato
com um fabricante que nos permiti Tender este
genero, cujo consumo se adiaola, por precos in-
teiramente baizos e sem rivalidade.
Banhas.
Pomada Imperial, frasco a i.
Japooaza a 19.
Imperador a 19.
Imperatriz Eugenia a 1J.
Exposiclo universal a 29500.
Moca americanas a 600 rs, a 1#.
Tarlatanas com pal-
miuhas.
Na loja do Pavao.
Vende se trlatna com palminhai de cores,
lendo cores proprias para lut, a 30 rs. o co a-
do : oa ra da Icaperairiz n: 60, loja e armazem
do Pavao.________________
O Gira sol
defrenleda Penha n. 33 vende ojinteisa ingle-
zs superior a 800 ris, dita francaza a 600, quei-
jos do ullimo vapor a IgOOO, ditos a 1700 e
185(10. cha fino a 2CS00, canas do doce de goia-
ba a 500, espermacete superior a 720 ris, su-
perior vinho do porto a 800, dito do Figueira a
640, 500 e 500, e tollos os mais gneros bons e
baratos.
Vende-se urna eicelienle mucama mulata
de 15 a 16 annos com habilidades: na ra da
Cadeia do Recife n 51 lojs.
Chapen, fre-
guezes eo bom e barato.
Hua estreita do Rosario,
esquina da ra das
18Larangeiras18.
Vendem-se todos os gneros por menos do
que em outra qualquer parte: maoteiga iogleza
fina a 800 e 5i0 rs. a libra, dita francesa a 640,
a em porcao faz-** algum abatimeoto, cha supe-
rior a 2$880 e 29560 a libra, passas muilo novas
a 380 rs., nozes a 120 rs., ameodoas a 300 rs a
librs, superior caf a 280 rs.. toucioho a 300 rs.
a libra, macarrao, aletria, lalherim e mais massas
finas muilo novas s 320 rs., velas de carnauba
superiores a 400 rs. a libra, ditas stearioas a 720
rs. a libra, queijos de qualha muito novos a 320
rs. a libra, caixoescom 4 libras de doce de caaca
de goiaba a SOO rs., ditos pequeos a 560, vioho
de Lisboa a 400 e 500 a garrafa, dito Figueira a
600 rs. a garrafa, dito do Porto engarrafado a
18000 a garra*. 1*200 e 1&600: alm destes g-
neros meocionados se eocontrs tudo quanlo e
pertencenle a molhados e de superior quaii-
dade.__________
Arara vende as casss cliimzas.
Vende-se a fazenda por oorr.e casas chinnj.'S
a imilaQjo da seJinha ds quturos, propria para
vpfios de senhora e rouia do meninos a 240 a
2t>0 o covado, riscado a Ganbaldi a 280 o covado
pata veslius, cobertores de aliioolo a lj, cam-
braias brancas a 19000, 2-5, 29500 e 35 a ^eja : na
ra da lo.peratriz, loja da arara o. 56.
Orginiiys da China da arara.
Vende-se a faitnda por noui orgaoiys '1a Chi-
na adamascado c palmas de cores, propria )...
vestido e muito laigo a 400 rs. o covado, capas
de lia para senhora a 9$, Ollas de gtueieiitpie
modernos a 20 e '>& : na ra do Imperatriz, loja
da arara n. 56.
Arara vende fazenda por nome mais
a niiiii.
Veode-se a fazenda pornon.c mais a m'm ps-
ra vestidos de senhora e adamscala, do bonitos
gostos a 360 o covado, pejae de camniaiaa co
salpiquiohoscom 8 ii.2 varis a 89500 e 4g : ua
ra da Imperatriz, lo,a da arara n. L6.
liras e ntremelos da arara.
Vendem-se tiras e eLtiemeios da largura de
e 5 dedus, de bonitos gobios a 1J280 e 13^00 a
pega, dius le eoiremeos a lj. 19200 e 19600.a
peca, corpinhos bordado para meninos a lj cada
um : na ra da Imperatriz, loja da ar>ra n..")6.
Cera de carnauba e velas.
Na ra da Cadeia do Rcife, primeiro andar n.
28, vende-ae ezcellente cera de carnauba e velas,
en. pequeas pariinas a vonlade dos comprado-
res: a rem est embarricada.
Um cavallo de sella
Vende-se um ptimo cavallo de sillo de loas
andares ; a tratar na ra da Cadeia do Recife,
pripjpiro andar n. 28._____________________________
Vr-nderii se rosas ariitkiaes muilo l:r, i .-,
de papel, pelo barato preco de 19 cada urna, e
tambem se faz por menos tendo eoccnimcniias :
oa ra do Queimado. loja do Sr. Perro n.iO.
Farello superior.
Ni rus do Vig'.rio n. 31, primeiro eniar, ven-
de-se superior farello de I.tsbo.__________________
Loja das seis portas em frente
do Livrainento.
A tyoOO e 5^000,
Saias a bales com 20, 25 e 30 arcos, s me-
lhores qae tem vindo ao mercado a 4f5('0 e 5j,
dita ds 50 arcos a 6g, d-se para amostra com
peuhor. A loja sst aberta at as 9 horas ds
noite._____________^^____________^__
Semeiites de hortalice viudas
de Paris
Chegarsm IoJ de f^ragens de B.ttos, os
ra da Cadeia do Rcife n. 56 A, as novas sameu-
les de hortalice vindas de Pari, ss qmes sao de
tuperor qualiiade. e se vendem baratad._______
__ Vende-se urna tiouita eursva, de idade re-
gular, perits cozinheira e excellent lvdt>i:8,
muito obedienie, e excesivamente carinhosa e
geitosa para Iratar de meninos, muilo lalelllgen-
te, cuidadosa e prompta em susa o^riga^es :
quem a-pretender dirija se a ra do Hoapicl a.
2, 9 das 11 horas da manhaa s 4 ds tarde acha-
ra com quem tratar.______________________
da Hade 18
Vendem-se saccaa com feijao fradioho a
e tambem se retalha a 320 a cuia : no Forte
Mallos, taberna n. 4, na roa do Gfdoinu.
?ende-se um escravo crloulo
annoa, muito sadio. e sem vicios: n. loa do
de ferrsgans n. 13.
muito
d queimado, loja .
ioja tem qaeijoa do aertao psra tenaer.

r
MUTILADO


#
6
mano dk pemamidco quarta feira 3 di se. embao i isci
diminuiqao
aib
FRANCISCO FERNANDES DUARTE.
10 Largo da Penha 40
DE
MumsiM
DE
noel Pedro de Mello
Largo do Livramento ns 38 e 38 A
Defronte da grade da igrefa, cajo titulo distinctivo
O BALIZA.
Vendem em seus armazens
PROGRESSISTA
E
sg rimad
:jn t "n!Scm que o propnetario deste acredit.do armazem de nulh-ados tem offerecido, ha
do contienda pelos seu numerosos fregoezes, mas como a. nao se lem dado ao trabalho de esperimeniar, rogo a todos elles o toa/de mandarem comprar suas
enrc-mmendas no armazem Progresso do largo da Penha n. )(>&m de verificaren! a exactidao
do meu annuncio ea d.fferenca de preeo equadade queiaz^Zsem compradas em outra qual-
qurr parte, pois para isso se recebe em todos es vaporeZ Aavios de vela viodos da Europa,
Mr parte dos gneros d. conta propria. Para maio/&>correncu e commodidade, resolveu o
P opr .cario encarrepar-se Para con, aquelles senboreZ,* nao possam vir, nem mandar, de des-
/,n T Va Via"errea ,ara lu8ar in&> lodo e 1>]1 V c;n>Pdo neste
) ni n^ ;S6 Serem ,a bem *>r co ss Pessoalmante. pois para este fim
a nina pesso. de confianc. para de prompto c^zir as cartas na chegada do vapor.
tatUQtga lAgleZm de pr,nei/* qiulidade da safra novia 00 e 720 rs. a
libra, e em barril se faz abaj^e-flo.
M\ -g* IrailCeZm /^s nova a0 mercado a G00 rs. a libra, e em barril a 560.
ril& S^a'X1Stt o que se nja, desejar neste genero a 35000 a libra.
ua UySSQIl 0 nj^g ^perior dj mercaii0 a 2j8(,0 1bra> e em lo s ment. / /
OS y OVfe^/f&O enejados nesla ultimo vapor milito frescos a 25OOO, ditos che-
gados efi navios a 15700.
-x"x r"*!0 verdadsiro inglez a 29000 a libra em porreo se faz abatimento.
k&5"*<* aUl-llio*^ confeitadas, contondo diversas iguarias muito proprias
parfa mimos a 15000 caa urna.
IH1MI di soda em latas coi dilerentes marcas a 15400, afian^a-sa a boa qua-
lidade, assim como lem latas grandes com bolachinha proprias para lanche a 29500.
aJOU'O espe>ial vinho do Porto em garrafido vindo a sigunda vez
ao nosso mrcalo a l500 a garrafa e em caixs'com 1 duzia qor 129000.
1 I llO CUg^T* < \<*&0 das melhores marcasque vem ao mercado, como sejao Duque
do Pono, Carcavelhos e Feituria a 19200 garrafa.
B >TlAS COflI VinSO J0 Porto com 70 garrafas proprio para casa particular
em garrafas 329000, afian^a-s. ser de superior qualidade.
UUO 'a P&Ott de superior qualidade Porto. Figueira e Lisboa 500, 560 a 600 rs.
a garrafa, e em nada a 355500, 45000 e 45500.
J*S 111$ fe& la ea latas com 10 libras por 4#00, e em barril a 400 rs. a libra.
*%, | e ?-&0 1 IHaTlm 22o rs. libra, a em ca grandes por
5000. afianca-se sar muito novo.
1 125000 rs. r
r de escaluche oas seguinles qualiJades savel, congro, corvina,
cherne, pescada, e vezugo a 15400.
^ BIS d5 'pemuetf 680 rs. libra, eem caixa a 600 rs.
'** Ia^' ;L para fiambre a 640 rs a libra.
poir 26oo C em 'atai d8 l S raea Hbra por ,*500' ditas com 3 libras
~ 1 n
pv a 5G ] rs- o fr^co, e 69400 a frasqueira con 12 frascos
1 iO^h com genebra de Ho'landa com 25 garrafas por 9S00O.
'- )l8 W muito limpo, a 160 rs. a libra, e em arroba 45800
? .1
|

Keste vasto estabeleciment a-
char o respeilavel publico desla
capital e de fora, 01 grande e
PERFE1TO ORTIMENTO 1>B MO-
lhados, que se vende Unto em
grosso como retalho por muito
menos pre^o do que em outra
qualquer parte, por serem quasi
todos recebidos de conta propria.
Muita attenco.
Todos os gneros sahidos des-
te novo armazem levarao urna
etiqueta para seguranga dos Srs.
que nao quizerem vir fazer as
suas compras, e mandarem por
seus escravos ou fmulos.
Esta prevengao atiesta bam,
que a mais perfeita e duradoura
confianca se deseja possuir de to-
dos geralmente, e por isso nao se
pouparao exforcos para serem
bem servidos todos os Srs. com-
pradores, afim de que possa este
grande estabelecimsmto ser apon-
Tambem se receba qualquer objeclo como assucar, couros, laa, etc., etc., para serem ven-
didos, sendo a coat eo seu producto entregue promptamentea quera for determinado.
JNa intenjao de posiuir mutis relsgis, faz o annunc ante iodos estes off forma que neta estbele mento, nao s acharao os Srs. de fora desla prara um bjra freguez,
mas tambem um amigoeum criado s suas ordens.
A todos em ger/il.
Si por acaso nao gradar qualquer gne-o sabido desta casa pola ser devolvido, que ser
immellatamente trocado ou restituido o seu importe, conforme for exigido.
O annuncianie protesta cumprir cora a mais seria e rer cta exectido e la sua poraessa.
AMEIX AS francezas em latas de tres libras e Genel.ra verdadeira nglezade marca Gato do fa-
tado como um dos melhoret e
mais acreditados desta praca.
Aviso particular.
Previne-se s pessoas de fora
desta cidade que lodern sem re-
^ ceio albura mandar os seus pli-
dos por escripto, que sarao satis-
feifs com a maior pontualidade
e boa f possivel, ainda mesmo
de objectos que nao se)am pro-
prios dte e^tabelecimeato, enmo
ferragens, roiudezas, ou medica-
mentos.
O snnunciante desejando fa-
cilitar a consecugo dos negocios
que por ventura lenham os seus
freguezes de fra, se offerece
tambem para fazer procurar qual-
quer despensa ou lieenga que de-
penda da aulordadedo Exni. Sr.
Bispo Diocesano, bem como de
apresentar qualquer consulta aos
enhores doutores desta cidade,
quer respeito de direilo, quer
de medicina.
|a "^SSn" A'( ''k^' 0m arroba 3 1 1 M
* a 5b.) rs. a hbra, e em porgao a 500 rs.
?<> muito novo a 160 rs. a libra, t 4C800 a arroba.
suspiros em meias caixinhas, do melhor fabricante da Baha a 2#300 cada urna
a o mais superior que ha no morcado a 210 rs. a l.bra, e em garrafes com 5 libras
^ por lOOO, so o garrafo val 500 rs.
. istsjir! j. C"___________. _____
rs.
f-llTa^iaHa de Franca muito nova a 200 rs. a libra.
10BI1IM mul0 fma calva a 100 rs. a libra e era saccas se faz abatimento.
&3S para dentes a 10) e SO rs. o maco cora 20 macinhos.
. a! itOS dO g Z a 2&300 rs. a groza e a 20 rs. a caixinha.
3QYli|a ^Kbta das marcas tenente, ou XXX a 6O0O a duzia e 500 rs. a garrafa.
SetVeja ll?afe das mais acrelitadas marcas a 55000 a duzia e 480 rs. a garrafa-
VinaO braceo engarrafado o mais superior que tem vindo ao nosso mercado a 800 rs
tambem tenho de barril para 560 rs. a garrafa.
TOIielallO dC5 LUlm a 75000 a arroba e280 rs. a libra.
?? ? ,avado a300rs. a libra ea 9 }0 00 arroba, dito da 2.a qualidade a
260 rs. e 85000 rs. arroba.
A*0^ de Maranho a 100 rs. e 130 rs a libra, e era arroba a 35000 e 850O.
'^aoeoYate hespaimol a 15i00 rs. a libra, ditto francez a 15100.
ila.afU.fclaa* imperial doafaraado Abreu ede oulros muilos fabricantes de Lisboa a 800 rs
a lfbra, tambera ha para 500 rs. a libra.
p ***'&" Q1I1 ca.ia;A pecego, damasco, pera, alperche, e ginga a 600 rs.alatta.
S Tllita Afi NaatrQS a 380 rs, a lana aBansa-so a boa qu.lidade, e emporcao
se faz a batimento.
UVUil IS francazas e portuguezas as raaisnovosa 640 rs. a lata, em meias lalinhas a
500 rs.
WlfellO Bo?ie UX, Marg, Medoque e S. Juliende Medoque a 9^000 e 10*000
a caixa, em garrafa 800 rs. e 19000.
IBIl)e o melhor pelisco que ple haver por estar prompto a toda hora a 800 rs. a libra.
GeOOlrtS^ilOV'-'S airenlo ea 15200 o molho com cento e taas, tambem ha
proprias para conservas a 400 rs. o cenio.
rva dOCe muilo nova a 320 rs. a libra, eem arroba a 8.
ir pe gTe Ve a 45 a resma, dito de peso pautado a 35, dito almajo bom a'35200.
.SlaSSa par; SOpa estrellinha e pevide a 600 rs. a liba, era caixinhas sahe mais
barato.
dem de tomate emlatas de l libra por 800 rs ede 2 libras por 1500.
Aeite dOCe^ reBnado a 800 rs. a garrafa, e em caixas cora 1 duzia por 85500.
Ideill de Lisl)r a a 720 n. a garrafa e 5600 a caada.
Amendoafi de casca mollea 320 rs. a libra o 85000 a arroba.
Vinagre da LfebO* a 240 rs. agarrafa e 15800 a caada a fiann.,6 a boa
qualidade.
Mi ID ;>.ilht das mais acreditadas marcas a 15|000 e 20|000 o gigo, e em garrafa
a l80O.
' gie or?.: neo 0 quesa poIe d9Zej-ar nesl9 generoa 400 rs> a garrafa>
_ '' ranCeZeS de todas as qualidades ques procurar a 15000 rs. a garrafa.
Jbamina do rlaranh^ i
^y,.. *e*1 aniid. f muito alva e cheirosa a 160 rs. a libra.
IIJOIO para limpar faccas a 180 rs. e em porcao se fa abatimento. *
Conhaque inglez 900 garrafa e imo() a caxa com uma
t^tt^X^^s^r^ +"*pubi,co --**-
mais, a 25240 a Uta.
dem dem em frascos de tres libras e mais, de
25800 a 35 e frasco.
AMENDOAS de casca mole de 2iO a 280 rs.
a libra.
ALPISTE a 160 a libra, e era arroba a 45800.
Arroz da India de 100 a 120 rs. a libra, e em
arroba de 35 a 35400.
dem de Java de 100 a 120 rs. a libra, e em
ar-oba de 35 a 3*400.
dem do Maranho de 100 a 120 rs. por libra,
e em arroba de 3 a 33200.
dem do Penedo a 80 rs. a libra, em arroba a
25240 e em sacros a 2$.
dem com casca a 160 rs. a cuia, e em saceos de
20 cuias a 25500.
Azeilonas em ancoretas de 8 garrafas a 1550,
e em garrafa a 320.
dem'em barrif "'de pnnwira qualidade d}t40
a 060 rs. agarrafa.
Bolachinhas americanas muito novas de :
360 rs. a libra.
Biscoutosebisoulinhos, araruti, a'iados etm-
tras cualidades de exceentes massaj aJKO
rs. a libra,
dem em latinhas de 2 a 3 libras e de div^s.si
qualidades, conlendo uma lata m^is de dez
espacies de biscoulinho3 por 1*400.
Bonliosde ovos em latas recommendados pel>s
senhor-s mdicos a 15400 a Ua.
Batatss a 80 rs. a libra, e em gigos de 36 a 40
libras por 39200.
Caf do Cear de primeira qualidade, de 280 a
a 300 rs. a libra.
HNU
KA
Ra das Cruzes n. 36, e largo do Carmo n. 9.
ni 5
o 5
f.-
JSrt
o, a
|
3 3
|8
2 ~
r a
o.
ui
if
S 1
os fia
en
o .
_, w _
D
a. S
5 P
o a>
n
= sr
1 e
C/l
, e.
c
I i
3
?pSg
CA
B
-a
C 0=1
a o.
2 O
o <"
" 3
^J o
E c
M 2
1 =
: cr
.8 S jo -a S
HSa;0r>3o.S
! rfc. i
5-c
os a
M OJ

ga> g-- i g
?o as c= to
hO n Si '
a cd g.g
o- "H 4o
m q>
o
? e-
lo
a. rrs o
| 8
r B X
" 8 -
ce o -r.
" o O
e s
09
5"
&
a
a>
a
c
o
B
-a
o

a>
a
o
en
en
B>
eo
o
fu
5
co
3
c-
o
03
o- '/>
o
o
o
OS 3
o. o
? <
o
O
so
i#
O w
o CQ

o pj
S8
o
B
2.3
o- '
S. e
X =
o -o
o S
5 a
5 5
B
O
<
Q9
R
O
3"
O
Si
O
ao o
O _,
*. 3
? >
OJ
2
?
?o "
c 3.
CD
OJ t3
s-s-
I
- r- o <- g
si
o
g p
s-g
f g n>

B
O
a
i
OJ
3
03
O
i

1
o
S 5* ir p -o
o H o- '
o ?- oj N a,
o
o
CD
B
W

CA
o .
O v
O ,
gg
3 3
Si
f O
3 "5
T-a
3
CD
03
C
2
b"
o
o
o
3
bricanta CarJuer & Broomhal de 15400 a
1300 a garrafa.
I lem de Hollanda era frascos pegenos e gran-
des de 0 a l500O.
Graixa em boioes a 210 rs., e a duzia a
2700.
Mera em lata mu:to nova a 120 rs.
Grao de bico muito novo a 100 rs. a libra,
Gomma excellente do Aracaiy, a 100 rs. a libra, i 1
Kirsch Wasser, excellentn bebida do fabricante 8
Richard Muller, era garrafas grandes a Z, S
1500 agarrafa. | |
Licores dos melhores fabricantes inglezes e fran '
S 3
-
,__, O "51 3
rs ft s
2 3 "S
T3
fi>
o>
3
O
o
o
3
2
B
C5
3



o
5
vi
a.
ce

CJ
->.
o
-i
B
en
o
CD c-
2 B9KS-SS
^"^

S -o S 3
P rO -^ g
-s >
? 3 -% S
! ^"6
o
3
C5
C*9
^3 en
S"
g a>
C/5 =.
S.3
tu CD
2. 3
o.
o
as
-_?
o 2; o
gr g os
BJ i^, O
O cr
P CD PT
Q.
ir-
cezes e era differentes vbs-js de 500 a 15600 c I"
a garrafa de diversos tamanhos. o q.
Manteiga ifigleza perfeilamenle flor de 700 al *.
Da
cr-.
^-
O
-I
:-
CA
CA
o
CA k
t?
9
K7>
dem do Rio 1. 2. e 3." sones a 240, 280 e
300 rs. a libra, eem arroba de 75. 7*500
a 8500.
Cha parola de primeira qualidade a 3200 a li-
bra.
dem uxim a 2$800.
dem hysson de primeira qualidade de 1S300 a
25800 a libra.
dem nacional de 15500 a 15600 a libra.
dem preto homuopathico de 15500 a 1#800 a
libra, primeira qualidade.
dem idem naohomeopathico de 15500 a 1&800
a libra, primeira qualidade.
Cevadinha a 240 rs. a libra.
Chocohte de Lisboa (do Abrou) encommenda es-
pecial, qualidade esta que sem medo de errar
a m?lhorque aqu tem vindo a 1 e 500 rs.
o massinho, c nienio 12 e 21 pies.
dem hespanhol e franca premiad >s era di -
versas expesices, da 800 a 15 a libra.
dem suisso de diferentes qualidades, romo se-
jam baunilha e canella, etc. etc. de 15100 a
15400 a libra.
Charapanha era gigos com 12 garrafas inteiras ou
de 24 meias di las a 125 a duzia, e em car-
rafas de 15100 a 1200.
Clnurigas das mais novas a 480 rs. a libra eem
barril de 1 arroba de 13 a 145.
Charutos superiores Guanabaras, Lanceiros,
Delicias, Napoleas, Parisiense?, do afamado
fabricinte Jos Furtado de Simas e outros de
lS0O, 1800, 2, 25600,3600 e 4950
o cento.
Ceblas a l5o mjlho com mais de 100 ceblas.
Conservas inglezas muito novas a 800 rs.
frasco.
Cognac inglez em barril, girrafa a 640 rs.
dem idem engarrafado de 800 a 900 rs. a par-
rafa. e
Doce de goiaba em caixSes e em latas, prepara-
do especialmente para embarque, garantindo-
se a boa conservado por um anno.
Ervilhas em latas de 1 e 2 libras de 700 a 800
rs. a lata.
Extracto de absyntho em garrafas de 1 li2 gar-
rafa ai500.
Farinha de trigo Fontana, das marcas SSS ga-
lega, family, de 130 a 160 rs. a Hora.
dem do Maranho a 160 rs. a libra, 0 45800
a arroba.
dem de araruft, especialmente preparada da
a 320 e360rs. a libra.
Figos muito superiores a 240 rs. a libra.
Garrafes com mais de 5 garrafas de vinho do
Porto fino, a 39200.
dem idem de vinho verde a 25800.
dem com mais de 5 garrafis de vinagre de
F. & S. de Lisboa a 1600.
dem idem com vinagre de Hamburgo a 15000
dem com mais de 15 garrafas de genebra da
flollanda a 69000.
800 rs. a libra,
dem de segunda qualidade de 560 a 640 reis
uern franceza de 5G0 a 580 reis a libra.
Mera de porco em latas com 10 libras a 35G00
c a libra a 380 rs.
I lem em barra muito superior a 360 reis.
Marrasquino do Z*ra a 80U reis o frasco.
Massaspara sopa, macarro, tdbarirn e aletria a
300 reis a libra e a caixa cora uma arroba
hespanholaa 5C500, do fabricante Nervy.
dem finas e-trelinha, pevide e outras a 560 n
a libra.
Mlhos inglezes o muito superiores a 500 reis
o f.asco.
llera idem iJem a 25 era franco grande rolha
de vidro.
Rozej superiores a 200 reis a libra.
Phos, boros do gaz a 2^300 a groza, e a 200
a.
e
3
B


10
O
o
o

en
09
B
ISi
O
3
a
2
c
CD
E.S
CD
35
o_
OJ
tr-
os
O
3
s
3 5"
eo ore
09 *
3
CD
5
3-
OJ
2
2
=1
O
en
2
3
O
c
CD
2
a-s
o 3
f|
O
S o
la
OJ LO
O 1
B.
a
5j
ni.
S M.SlH
B.aT 5-.a p g. g 2. 8 fl 2
11
o 3
S 3
I ^
3 a
a.
o
3
2
-
o
X _w
a
_S
n -. irancez, e ua mi
Genebra de laraoja em frascos gwndes a 190001 45500 a caada.
rs. a duzia.
Prezunto de Lamego o melhor do mercado a 480
reis a libra, e em porga o 160 rs.
dem ingles para fiambre a 560, G10 e 700 rs.
Passas das de carnada de 320 a 400 rs. a libra"
e em caixa de 5 a 60o.
Palitos para dentes majos com 20 macinhos a
160 rs,
dem lichados idem idam com flor a 240 reis
o mago.
Peixes curvina,. safio, linguado, pescada, peixe:
espada, pargo, robalo, salmo e lagostim
em latas hermticamente fachadas al300a
lata de l a 2 libras, sendo preparado pelus pri-
meiros fabricanies de LisLa, Inglaterra e A-
merica.
Queijo flamengo di ultimo vapor a 255000.
dem idem do ultimo navio a i540.,e era cai-
xa a 15200.
Idem pralo de 600 a 6*0 reis a libra.
Salpicej, vindos de casas particulares a 640 reis o
a libra.
Sardinhas de Nanles a 380 rs. os quartos e'
meias latas a 50 reis.
Serveja marcaTenente, Cobrinha, Cavallinho e
outras marcas a 4, 5 e 59800 a duzia.
Sag a 280 rs. a libra e em garrafes com 5 e
^ 6 libras liquido por 19600 com o garrafo.
Sabao moja de diversas cores e dos melhores a
120 e200 rs. a libra.
Sal refinado em potes de vidro com rolha do
mesmo por 000 rs. cada um, s o pote vale
O dinlieiro.
Salame encapado a 700 rs. a libra ( hnche
prompio.)
Toueinho de Lisboa do novo a 300 rs. a
libra, e era arroba 85800.
dem idem menos suporior de 160 a 200 rs. a
libra, e em arrobado 59000 a 65000.
Tijolos de grande tamanho a 160 rs. cada um
(para limpar facas).
Velas stearinas a 640 rs. o mago.
dem do Aracaty, carnauba, a 400 rs. a libra.
dem de coroposigo de Buenos-Ayres a 440 rs.
a libra.
Vinhos engarrafados vindos parte del las de conta
propria como sejara ; Duque do Porto, Ca-
mes, Charaisso, Silva & Meneses, e outros,
que se ven lem de 19000 a 19280 rs. a gar-
rafa e era caixa de 12S-000 a 159000, e
esperam-se novas qualidades.
Vinhe Bordeaux das marcas Margaux, S. Ju-
lin, e outros a 800 rs. a garrafa, e a du-
zia a 99000.
Vinho verdadeiro de Setubal em barril e em
garrafas de 640 a 800 rs. a garrafa. '
Vinho do Porto em pipa das melhores marcas
de 59000 a 65000 f caada de qualidade
especial.
Vinhode Lisboa, Madeira,Carcavallos, Figueira,
francez, e da diversos paizes da 35000 a
o
eo =
D. c
c a '
ko45
09 ^.
cj o
N o
o
S -
s.
" 3
e n>
3 r
a'
= CB
<=> a
BJ -
S-oo *
S'?^i
W lO ^3
"fl O
o
Sla
o t c 5
3 I? ?' CD
9 8 B 2 o a
a
CD -^
tyt 3.
O
!
- -3
05 O
c 3- m
3 c "
. 5
V. ^
U -
09 T oj x
a. "
3 ^ o
O m Q
C =t


9
B 9
co r

o
o c-> g
- S *
X
n =5 J O
-- c
-1
1 -*-**
3^
" -8
- g 5 I"
S
C f) f
1!
9S
51=:
ct
' ^J
c
cjq
B
0
0 1

ca
o K5
&
a oj
o-
g B-
B g
fs
S g
t 3
OJ o
09
Ooa"
O o
o O.
- a
co
n
3-
2
-3
09
3
3-
C5
CD
3
0>
B
a.
o
09
O'
O
3
OJ
O. ^ CD
E 5" S
rSF3
S ow *
?
a V
o?
oj
5 5
i lf
0 ee =
9 CD =

T3
OJ
c
T
r_
o
3
3
?a
CD
g o.
M
a
o
o
2
CD
CD
S>
Q.
09
--
CD
3
O
o
CD
IS
o
O
o
3
a
o
o
CD
'
a
o
2
c
3
o
a
co
c-.
o
B
c_
o
C3
O
2
B
3
o
ti.
O
^1
OJ
BJ ?*
CO ?
^s ^
rf i' 5? eo
09 ^ c
:3
i
15.1
3 g-.lrsp
^
S n !t>
_ o
g "O o
ia
>o??-e^'?5
o-ort? 3.
Ti
3-
s
o
3
C: o-
<
er>
O Q.
O i"
g
- L
eo .
CJ
1 CD
g; (O flj
o 2
3
E
M
ti
o
ir.
C^
CD
fD
er
CT)
L
OS
M
a

09
- 3
2 *
s ^
-1 o
a>
-^ -_-
; =^
3 o=_
Ca C.
S'OBsl
-. -
"r
s 5 w 1
o 0 S 3
a cd C6 1 bm 09 r* "i: -^ *
1 -*
&
5 r. B (D ~ o. c i X
Ser* ^Sa100'-,^'-0^
o
vi
O
o
ea
09
I O
OJ w -%
co
V
O
O

o
r
09
09 ^5 a>
1*1
a
p-
o
CA
09
CO
o
O W 5"
i
? 2* CD
CD jT
3
O
3 n
I s.
* 2. u 2
3 OJ 09
r. OJ
O
a, Jg 5* O = 3
2
CD :
eo C
3 *
r,r
3
B
09
CB
9
13

00
o
^ '~ w- 09
py fi> Cft
cr:
O
O
O
s s
- fl:
o ex
2 v.
o u
o "
3
fija b
c
?i =
4
?* > CD "O r-,^m.
co
S B 2 a
? ? H
i
B
B9 CD
O
5
CD
B
?5
o-

atiMu

a
VlSISSBUOOUd
saazBHUB snas rua uiapnaA
um
t
MUIILADOJ


DiAfti Dft PfiMAMIUQO U4&TA EUU 3 E SEIEMBU 01 86*.
7,
Coke e alcatrao
Coke na melhor qealidade, muito proprio para
vapor, tambera para todoa oa uaoa domeiticoa,
fornos pequeaoa e grandes, etc., para eilea ser-
vigos, o coke 6 miis econmico do que qualquer
outro combustivel, por ser meaoa d metida do
prego e de tuais durago.
Alcitrao, eita sendo applicado navios, bar-
caria, alvareogas, canoaa, etc., praata muito bom
eCTeito, cooserveulo a madeira de tolas aa qea-
lidadea de blchoa, fazendo durar am lempo inde-
finido. Tambera conserva madeira de edica-
coes, preservando-a doa bichoa e contra o tempo :
aa propiedades cbimicaa deale alcatro de car-
vo raais foru do que qualquer outro, exlrahi-
do de madeiraa ou outraa materias.
Quem precisar achara veoda, no armaiem do
gaz. Uua do Imperador.
Prego do coke 129 cor tonelada.
Prego ilu alcatro 5G0 ra. por caada.
Vende te urna carroga de carregar agua, e
am bol uara dita, rauito novo : a tratar na rus
Imperial n. 205, taberna.
Enfeites para senhora.
Oa melhor.s enfeites pretoa a de cdres que ap-
parece a 59500. 69 e 6J500 : na loja da Victoria,
na ra do Queimado n. 75.
Perolas falcas
ou aljfar Je fina qualidade.
A. loja da aguia branca acaba de receber um
novo sedimento de auperior aljfar branco oa
perolaa falgas o qual por sea pereigo difficil-
mente se distingue das perolas verdadairas e eer-
vam ellas por sua extraordinaria grandaza para
asgargantilhas que presentemente eslo em mo-
da e meamo para outros enfeitrs e como sempre
veodem-se commodsraente a 19, 1J200 e 1J500
o fio : isso na ra do Queimado loja da aguia
branca n. 16.
Ca*xirihs e cabazes para
as meninas trazerem
no bra^o.
Multo lia las caixinhas e cabazes para meninaa,
de 100 ris at 29500: na loja da Victoria, na raa
do Queimado o. 75.
Franjas pretas com vi-
drilho e sem elle.
Ricoa sortimeotos de franjas pretsi e da cdres
ora vidrilhoe ser elle : ua loja da Victoria, na
raa do Queimado n. 75.
//iuhasdt; peso verda-
deras..
Linhas Anas de peso verdadairas, mtadaa
granosa a 140 ria : na loja da Victoria, na raa
do Queimado n. 75.
Phosphoros de seguran*;
Phosphoros da seguranza, por que livra de in-
cendio, a 160 reis a caita : na loja da Victoria,
aa raa do Queimado n. 75.
Baleias para vestidos.
Btelas muilo grandea e boas a 160 ris ama
na loja da Victoria, na ra do Queimado o. 75.
Liaba de croxel para la-
byrintho.
Aa melhores linhas d croxel para labyrintho,
novellos monatroa a 320ris um : na loia da Vic-
toria, na raa do Queimado n. 75.
Sintos dourados para se-
nhoras.
Lindos sintos doarados para aenhoras a 29200,
ditos de ponta cahida a 49, ditos de Ota a 19600:
na loja da Victoria, na ra do Queimado n. 75.
Graneles vaquetas
para cobrir carros e outras mais pe-
queas para guarda lama, por menos
do que cm outra parte: a' ra Direita
n. 45.
Acha-se venda no escriptorio de Antonio
Luizde Oliveira Azevedo & C, ra da Cruz n. 1
a obra escripia pelo visconde de Uruguay.Eoaaio
Sobre o Direito Administrativo ; daixamoa de te-
car elogios a eata obra, basta o nome de sea au-
tor para a tomar recoEnmendada, dos volumes
em brochara 109, encadornado 11J.
Para baptisados.
A loja d'agua branca acaba de receber pelo ul-
timo vapor a sua encommenda dos seguiotes ob-
jeelos para bapliaados, sendo lindss toaqaiohas
de eetim mui bem militadas, e cada ama em
saa caixinha, sipaliohoa de setim branco, e de
corea ricamente bordados, e meias de seda, o
melhor e Bala bonito possivel. Agora, pois, os
paia que nao quizerem eaperar pela generosida-
de das senborss comadres, dirigirem-sa logo
munidos de dinheiro loja d'iguia branea, ra
do Queimado n. 16, onde bem podero comprar
-rrres galantes objectos.
Ra da Seitzalia Nova a. 42
Vende-se em casa de S. P. Jonhston 4 C,
sellins e silhoes iugleos, caodieiros a castigaos
bronzeados, lonas inglezas, fio da vela, chicotes
para carrol montara, arraios para carros da
um a dous cavallos, a relogios da onro patenta
ingle. ________
Cal e potassa.
Vendem-se estes dous ar-
tigog ltimamente chegados,
no bem coohecido e acredita-
do deposito da ra da Cadeia
do Recife n. 12, mais barato
do que em outra qualqu- r
parte.
Manguitos com gollinhas.
Vende-se manguitos com gollinhas, faxenda
multo bda, pelo barato prego de 2J00O, gollinhas
e punhos ultimo gosto a 29000, gollinhas muito
finas e bem bordadas a 1(000 cada ama na rae
do Queimado loja de miadeus da Boa fama,
o. 35.
Ricos espelhos de
moldura dourada para
salas.
Chego para a loja da Victoria ama peqaana I
porgo de ricoa espelhoa de varios lmannos para
ornamentos de salas, afilangaodo-so serem oa
melhores em vidros que tem vindo : na loja da
Victoria, na ra do Queimado n. 75.
,L^. para bordar,
La mullo boa de todas as cores para bordar, a
79 a libra : na loja da Victoria, na ra do Quei-
mado n. 75.
Tiras e ntremelos bordados.
Vende-ae pecas oe liras bordadas de 2,500,
3,000, 3,500 e 4.000 eotremeioe a 19600 e 9000
cada pege na raa do Queimado loja da miudezaa
da Boa teros, n. 35.
Un
uo
gaz.
Caixtnhas com 50 novellos de liobss maito li-
nas do gaz a 900 ria a eaixa, ditas com 30 no-
vellos a 700 ris, ditas com 10 novellos grandes
a 700 ris, brancaa epretaa: na loja da Victoria,
na ra do Queimado n. 75.
Boecas fra acezas.
Vende-se nonecas francezas rieac-.ente vestidas
49000 e 59000. e IgdOO bonecas de cera com os
olhos movedgos a 21(000 e 39OOO, na ra do Quei-
mado loje de miudezaa da Boa fama, n. 35.
Fivelas de ac para sintos.
Vende-se flvelas de eco para sinto a 19500 rs. s
9000 na ra do Queimado loja de miudezaa
da Boe fama. o. 35.
Baleias.
Vende-aa baleias 120 ra. cada urna aspa de ajo
para balo a 160 rs. a vera, baodes a 19500 rs. e
29OO o par, na ra do Queimado loja da miudezas
da Boa fama, n. 35.
A 2J500, s o pavo.
Vendem-se cortes de esmbraia branca com 2 a
3 babadoa a 9500, ditoa de tarlatana braocoa e
de cores, com barras e babadoa a 39: na ra
de Imperatriz n. 60, loja a armazem do pavo de
Gama & Silva.
C&scarilhas le seda.
Vende-ae eaacarrilhat de seda para enfeitar
vestidos a 29000 a pera na ra do Queimado
loja de miudezas, n. 35*.
Ra do Qaimdo n. 55, loja de miudezas de
Jos da Aztvedo Maia e silvt, conhecido por Jo-
s Rigodinho, est veodeodo tudo pelos pregos
j sabidos, porm quem nao souber Unha a 1
bondade de ver o que i bom e baratissimo:
Frascos de Lavando muilo finos, a 800 1
Ditos de oleo babosa superior, a 320 e.. 500
Frascos l* goa de colonia muito tina a 400
Ditoa d dita grandes superior, a 600
Caiies com pos cor de rosa para limpar
denles, a.......; 160
Dazia de sabonetas m-ito finos, a 600
V*rad bico dss llhas, eM no resto, a 80
Orriteis de linha (.ret muito graode,
e tem multa linha, a.................. 160
Beng-.las do melhor gosto, a ; 500
Tioteiros com tinta moito boa, a 160
Baralhos de cartas frnczas, a lo
Ditas de cirtas portuguezas muilo fi-
na, a........... 160
Varas de Ota de velludo recortad?, a 160 240
Frascos de baor.a de -rgo muito supe-
rior, a........... 600
Ditos de dita transparente, a .... 800
Frascos de macar perola, muito fino, a S00
Ditos de dito oleo, muito Ooo, a 100
Varas de rita para fazer sitaos dos me-
lhores gosto, a........ 500
Babado do Porto para todo o prego. .
Labyrintos muito finos para todo prego.
Barris com phosphoros muito bon9, a 160
Masaos de linha fina para Oordar, a .... 210
Cartas de clcheles superiores a 40 e 80 1
Esco'ai para limpar denles, a 200 e 400
CarriUis de retroz de toia9 as cdres, a 210
Booecas nuas po-u muito bonita.*,
210 e................ 320
Gravitas de duis rollas muilo supe-
riores a............ .................. 800
Fios e mas03 de oral de quilquer qua-
hdade a............................... 500
Sabooetea grandes e muito fiaos, a.... 120
Agulheiros com agulhaa...... 80
Fitas para espirlilhos graades e po-
queaos a 60 e........ 80
Varas de bico de 3 e 4 dedos, a 120
Caizas com agulhas francezas curias, a 200
Liuhas em cartoes brancas e de co-
res, a ................................. 20
Ci&NCI
DA
uQticao lew-loor,
Ra da Sensalla Nova n.4S.
Nesta esta beles mea lo continua a haverum
completo sortimento de moendas a meias moen-
das para engenbo, machinas da vapor a taixai
da farro batido a coado da todot os tamanho-
para dito, *
Vende-se uro moleque pega, de bonita fi-
gura, de 15 a 16 annos de idad?, offlcial de pa-
dsria : a tratar oa ra da Cadeia do Kecife. loja
camero 64.
Meias de borracha.
Vende-se meias de borracha para tsjsj padece
de eryaipela a 159000 o par, meias de seda preta
para aenhora a 1(000 o par na ra do Queimado
loja de miudezas ds Boa f-.-1 a. n. 35.
Perfumaras muito lioas e
baratas.
Opiata iogleza a 1.-500 rs, dita franceza a 500
rs., 640, I9OOO, oleo da sociedade bygieoique
verdadeiro e 19(00 o frasco, oleo babosa de Piver
veiadeiro a 800 rs. o frasco, agua balsmica
para os dentea -. 1.000, dita de Botot tambero
para os denles a 1JO0O o frasco, pomada franee-
za em paos a 500 rs. e 19O00, 320 ra. saboooUc
muito fino a 640 rs., 800 rs. e I9OOO cada um oa
ra do Queimado loia da miudezas da Bo* fama,
n. 35._____________________________
Grampos a balo
com pendentes dourados.
A loja ii'fguia branca contina na recep;o de
objectos do ultimo gosto, e por isso acaba de des-
pachar vindo pelo ultimo vapor esses delicados
e novissimos grampos da bonitas corea com pen
deotes dourados o que de mais delicado se poda
encontrar. Essa loja como gerslmente sabido,
tem sempre em vistas a commodidade e u.
boas fregeezias e por isso tem resolvido v-n ;,r
esses galantes enfeites a 29 e 39 o par, o que na
realida e"m jilo mais valem. Couvm pois que
a vista da limitado do precjoa suhore que com-
prer um ou mais parea, na se demore em par-
ticipar as suaa boas vizinhas e iutimaa amigas da
collegio, para quo as emitiera no seu parado
gosto, e mandan logo comprar outros pares na
loja de su* aifeico : que i a d'aguia branca, ra
do Queimado n. 16.
das seis poetas em trente do
Livrameuto. 15,20,30 e 40
arcos.
Grande sortimento de satas a balao de sress,
os melhores que aqu tem pparecido no morca-
do a 49500, 59, 6g e 69500 cada uro, d-se para
unostra cora penhor ; a loja eat aberta at as9
horas da noite.
Superior brim braco de
linho
Ven<*e-sesaperior brim branco de linho tran-
cado pelo baratissimo preco de 19200, 19440 e
19600 a vara, dito muito eocorpado de doaa fioa
a da linho puro a 2g a vara : na ra do Queima-
do d. 22, oa bem coonecida loja da boa f.
A 2,400 rs. a uzia.
Lencos brancos finos para algibeira pelo dimi-
nuto preco de?9i00 rs. a dezia : na bem conhe-
cidaloja da bo% f, na ra do Quemado n. 22
Caambraias de ores
Vendem-se cambraias francezas de corea fe-
zenda muito fina pelo baratissimo preco de 260
e 280 rs. o ovdo : na loja da boa (4 oa raa do
Para lu*.
Fainos de aeda elaatieoa para chapeos largos e
oatraitoa a 19500 : oa raa do Queimado n. 22,
na loja da boa f.
Para atar cabello.
Tambera ha chegado linios pentes de tarta-
ruga todo enlrau^ado com fita de borracha, de
lornia que o cabello amarrado fica dentro de um
engradado, inlelnmente cousa nova, e de muilo
Laaziiihn.s muito finas &&&Zf&'J!**g?
para vestidos. Es***.-*
Superiores laazinhas para vestidos da muilo
bonitos padreas que se vendem pelo baratissin.o
preco de 440 rs. o covado : na ra do Qaaima-
do n. 22, no loja da boa f.
Roa da Senzaila JNova u. 42.
Neste estabelecimento vende-se: ta-
chas de ferro coado libia 110 rs. dem
de Low Moor libra a 120rs.
Luvas de peluca.
Tambero ebegado aa verdadairas luvas de
jouvn muito frescas tanto para homem como
para aenhora ; s no vigilante ra do Creapo
7.
Potassa da Mussia.
Vende-se emcaia de N. O Bieber &
C, succesores. ra da Cruz n. 4.
ja de miudezas ra do Quei-
mado numero 33 A.
Costureiros.
Agulhas Victoria papel a 120 rs.
Linhas de200jarda de lodosos nmeros a80 rs.
Cascarrllha a peca 29.
Ditas muilo boa vara a 400 ri.
Tranca de linho para lodo preco.
Franja de aeda, de linho, de algodo muito ba-
rato.
Retroz, linha de novelo etc.
Meias.
Um completo sortimento aendo da coras para
meoinoa a 240 rs.
Ditas brancas a 200 rs.
Ditas para sanhora a 240, 300 a 400 rs.
Ditas para homem a 59 e 6f.
Ditas pretas para senhora a 400 a 860 rs.
Gravatasf
com botao a 1;.
De corea maito boaa para homem a lj.
Para meoinoa estreitinhaa a 600 rs.
Pulceiras
de coolas miadinha a 19.
De cabello a 49.
De pbablasiade dito etc. a 500 ra.
Botoes.
Para casaca e para calca a groza 320 rs.
Para camiaa muito linos groza 19400.
Grandes para roupao groza I96OO.
Pequeninoa para crianca 19400. ,
Alamares.
Para capola a dazia por 800 ra.
Colxetes.
De fio batido especial duzia 720 ra.
De cartao 14 parea a duzia 500 rs.
Em caiza pretoa a duzia 800 rs.
Brincos.
A baleo brancos, encarnados, azaea e dourados o
par por 19.
Rozeiinhas com pedraa que parece diamante o
par 19.
Penas e caetas.
De todas as qualidadea especialmente da callara-
phia e de lanca.
Caoelaa para aprender escrever pelo systema de
Sculy ama por 500 rs.
Papel.
Almaco pautado 500 folhas6J.
Dito dito 420 ditss 49500.
Dito dito 420 ditaa A$.
Dito liso 39200.
Dito de peto azul e branco 4500.
Dito azul liso 29500.
Dito pequeo tarjado 19500.
Dito peaueno de cores 1J200 e 19500.
ilo tarjedo de preto 19500.
Envtlopea canto 1J.
Obreias de colas 100,120 e 300 rs.
Pentes de tartaruga.
A imperatrii 89 e 109 o quo se vendea por 169
e 209000.
Direito para atar cabello a 49.
A imittQo por 1 j.
De arripia para meninos a 800 e 19.
Tartaruga pera alizar 3g.
De blalo para suiga e cabello 400 rs.
Pentes de borracha pequeos para trazar por ca-
sa muito boosa 320 ra.
E infinhiade de artigns novamente chegados
loja Esperanga ra do Queimado n. 33 A.
Fazendas baratas
NA
Loja do pavo.
Cambraia organdys a 280 rs.
Vende-se cambraia organdys de cores com mo-
dernissimos padres a 280 o covsdo, e ciases
francezaa muito finas a 240, 280 a 300 rs. o co-
vado : s na loja do pavao, raa da Imperatriz
numero 60.
Bordados barato.
Veodem aa gollinhas de cambraia e de fil bor
dadas a 500 rs., manguitos a 19 o par, menguitoa
com golla bordada de cambraia a 18600, e tir.a
bordedas o tnlremeios ; na ra da Imperatriz n.
60, loja do pavo.
Alpakina 280.
Vende-ae eata nova fazeoda de linho a Imilaco
deaedasde quadrinhoa miedinhos propria para
vestido de senhora, roepas pra meninos, aendo
fazenrt que nao desbota, a 280 o covado : na ra
da Impera tria n. 60, loja do p.tvn.
Chitas lr^at a 200 rs.
Veu^em-se chitas lsrgai a 200 ra. o cosado por
ler um pequero toque de mofo ; na rur. da Im-
peratriz n. 60, loja rto pavo.
Bramante a 10$.
Vendem se pegas de bramante de linho de
urna soladura t0oi 27 varas a lJJ a pega, tam-
bem se ver.de 1|2 pega com 13 lt2 varas por 59;
oa ra da Imperatriz n. 60, loja do pavo.
Carnauba.
Vende-ae a maia superior sera de carnauba qa*
ha no mercado ; oa ra da Imperatriz n. 60, loja
do pavo.
Cambraias lisas a 3$,
Vendem-se pegas de cambraia lisa muito fin?
cora 8 1|3 veras a 3J a pega : na ra da Impera-
triz n^o, loja do pavo.
Queimado n. 22.
PaletoU a 6$.
Vendem-se palelots de panno preto fino a cor
de caf a 69 : oa ra da Imperatriz n, 60, loja do
pavo.
Chitas escuras a 240.
Vendem-aa chitsa francezaa ea*uras a 240 o eo-
Vado : ni ra da Imperatriz n. 60. loja do pavo
Chales baratos.
Vendem-ae chles de merino de cores sendo
muito grandes a 39 : na raa da Iaipsratnz n. 60,
loja do pavo.
Chegddo pelo va-
por fraiicez s para o vigi-
lante linos pentes de mar-
rafa.
E' chegado oa lindos pentinhoe douradoa com
mullas lindaa mnlderaa de differenlea gostoa pa
ra mairata oa trav.ssos, pois s com s vista n
compradores sabero apreciar o quanto sao deli-
cados pelo baratissimo prego de 300,i o par :
aseim como sem ser doursdos de lindos gostia,
pelo barato prego de 29: oa ra do Ceeapo n. 7
S no galo vigilante, ra do Oo.po n. 7.
Gr-nipws balao.
Tambem chegado as liadas grampas a balao
couaa mallo liada s<3 qo viailaote, ra do Cres-
po o. 7.
Gravatinhas.
ii H*m!em chedo Hodas gravatinhas com
nnooe Dotoea. que se vende pelo barato preo de
19 = so no vigilante, roa do Crespo o. 7. '
La [ ara bordar.
Tsmbem ha superior la para bordar que ce
venae por 69 a libra, aaaim como la de familia
que ae vende a 19, e em cada caixinha muito fina
pelo Daratissimo prego de 79 a caixinha : s no
vigilante, ra do Creapo n. 7.
Espejos*
Tambera ha grande sortimento de espeihos re-
dondos de moldura dourados de todos os tama-
pnos. com excellente vidro, que se vende pelo
bar.tiasimo de 3J, 4J e 5J : s no vigilante, rea
do Crespo n.7.
Siotos.
Tambem chegado os muilo desejados sintos
com ricas fivelas de concha a borlote ao lado
ecusa muito chique se veode pelo barato prego
e 49, aaaim como ricaa fivelas para sintos com
pc-'innbasae lindos gostos que se vende a 1S600
e 29; s no vigilsnte ra do Crespo n. 7.
Velas e atroz.
Vendem-se velaa de espermaeete a 640 a libra,
arroz de casca em aaccos grandea a 298OO cada
um : na taberna da traveasa do pateo do Paralzo
n. 16. cora oito para a ra da Florentina.
Fazendas pretas
superiores.
Grosdenaple prato maito saperior pela dimi-
nuto preco de 29 o covsdo, panno preto maito fi-
no a 3, 4, 5, 6, 7 a M o covsdo, casemira preti
muito fina a 2J, 29500, 3, 39500 a 49 o covade,
mantaa pretas de blondo multo superiores a 129,
manteletes de superiores groedenaplea pretos ri-
camente bordados s 359, sobreasaras de pai.no
preto maito Ooo a 309, eaaacas tambem de pacne
preto multo fino a 309, paletots de panno preto
fine a 18 e 209, ditoa de caaemira de cor mea-
clada a I89, superiore gravstinhaa eatreitas 1
(9, ditas de setim maceo ede gorguro muito se
i^eriorea para duaa volLs a 29, ditaa estreitiuhai
eom liodos alfinetes e 29, superior gorguro pre-
to para colletes a 49 o corte, ricos enfeitea pretoi
a 69, o aasim outra* multas fazendas qae sendo 1
lnheiro vlata, vendem-ae por pregos muito ba-
ratoa : na ra do Queimado d. 22, na bem conhe-
tida loja da boa f.
Vendem-se caixes va-
sios, proprios par* funileiro
e bahuleiro, a 1280 cadaum
oesta typographia se dir.
Camisas bordadas e outros ob-
jectos necessarios para
senhoras.
Na loja da aguia branca acha-ae um ti* lio aor-
timento de bonitas camisiohaa cerina cambraia
cora babadinhos e mui bonitos bordados de no-
vse delicados desephos, as quaea servem mui
bem para oa modernos vestidos de frente aberta
a venkem-aa pelo diminuto prego de 39 cada
raa ;kasim como bonitos manguitos a balo com
gollinhas de superior cambraia e fil e todos bor-
J'tUmi'iai peuhos virsdos e cada prpelo ba-
raliaBma prego de 25. b que i admiravel avists
da aajfearioridade da obra, a bem aseim punhos e
golhsTnea tambem bordados com bonitos botes
a 2aa guarnigo, e gollinbaa aoltaa igualmente
b bordadas a 19 cada urna a manguitos a 800
rs par. A vista pois de am to completo sor-
timento neohuma aenhora deixar de comprar
essesnecesssrios objectos tanto mais quanto a
commodidade dos pregos comida e para que lo-
doa aejam bem 8ervidos convem que mandera
logo omprar na loja da aguia branca ra do
Queimado u. 16.
<'>
16
A loja da agu
branca rni lo Queimado o
Acaba da recebar oa precisos objectoa seguin-
tes:
Aspas de balis grandes e pequtnas.
Fila com colxetes branca, parda e preta.
Dita de le para debruar vestidos de cores.
Trancinha de caracol miado conhecida por bom
lom.
Alfinetes pretos e brancos sin caixitihas.
Agulhas imperises fundo dourado.
Duaa victoria era caixinbaa e papis.
Retroz preto fino em carreteis grandes:
Boa fama n. 35.
Vende os seguintes ob-
jectos abaixo mencio-
nados.
Novos pentes
d t
n taruga
pendente dourados a 1%
Grampos a balo com
o par.
I'entea imitando tartaruga para bandes, alti-
vo gosto a 39 o par.
Fivelaa para aintos, fazenda inleiramente nova
a 29 o par.
Alfinetes pretos eom dourado para seubora, in-
leiramente novoa a 29 cada uro.
Botoes pretoa com dourado para puuhes, Inlei-
ramente novos, a 29 o par.
Boloea de tartaruge pira punhoa a l9500opar.
Na ra do Queimado, loja de miuaezaa n. 35,
da boa fama.
Tinta para marcar roupa.
Vende-se tinta para marcar roupa a 19.
Agua de malabar para tiogir cabellos a 59 o
(rasco : na ra do Queimado, loja de miudezas n.
35, da boa fama.
Cartas linas para jogar.
Vende-se dazia de baralhoa de cartas finaa com
as ponas douradss a 69, dita sem ser dourada a
395OO e 48 : na ra do Queimado, loja de miu-
dezaa n. 35, boa fama.
e massj ,
com dourado e se.a elle
para i tar cabello.
A loja d'aguis branca acaba de receber e.ses
pentes de que as Snhoras tacto precisa va m [ na
, "gealar aoa pequeos dourados. O aorliment
I pequeo, porm completo, porque t-ra de tarta -
ruga e msssi, dourados o sem o ser. A belleza
a perfeiclo delles difficil des^rever. a por isso
limitamo-nos a dizer que ellas sao de om dese-
:nbo nov,ss,mo da spuraio goilo, e de castosa
execucao, na qual 0 artista elevou-se por sua
pericia, lera ellea t foru a de um lago c Gts no
centro do que se conbece o feche por n:eio de
urna flvella, isso alem de rendados, teuto oa da
tartaruga como os de massa. Agora, puis fus
apparece o bom, couvem que as senhoras se l3o
demorem em mandar comprar na loja
ranea, ra do Queimado n. 16.
'jgu;
Fitas de laa para debrum.
Vendem-se pegas de fita de la para debrum a
18. e em vara a 120 rs., ditas de seda a 29400, e
em vara a 240 : na ra do Queimado,
miudezas n. 35 da boa fama.
Cartas fips para Vftlarete
A loja d'aguia branca acaba de receber um bom
aorUmento de cartas com lilas mu lin-s, papel
lustroao e opaco, e caracterea de nuvus dc.v-nb.os
representando das guerrea da Il-.Ha e outro. J se v. pois
que com una baralhos aaaim bons e bonitos, lor-
na-se ainda mais deleilavel o en'.reier-s- parta
ds noite no divertido voltsrete, leudo
espatilha, manila, basto,
cr^pre
ele., etc., e pelo con-
1 'ua ; lr*rio um P'choso. e" qual os boliDhrs o a
I na do bom cha do dono da casa fir eaq
Botoes para punho.
Vende-aa boloea de punho finos de diversaa
qualidadea a 200 rcia o par. que tambem servem
para manguitos de senhora : na loja do beija flor
rus do Queimado n. 63.
Occulos.
Vende-se occulos finos de srmago do sgo, a
29, 19,000 a 400 rea : loja do beija flor, ra do
Queimado n. 63.
Ricos basquines
A loja da boa f recebe* superiores bnqoines
de muito fina cambraia a imitago da do linho,
bordados e enfeitados com apurado gosto eos
venda pelo barato prgo de 89 cada am, tendo
sido sempra sea casto de 168 -u5. apressem-se
poia em compra-loa na mencionada loja da boa
f, na raa do Qeeimado n. 22.__________
Superiores aioalbados
adamascado.
Superiorea atoslbado adamascado com 8 pal-
mos de largura a 1$600 rs. a vara : na ra do
Queimado n. 22, na loja da boa fe.
Damasco para colxas e para
ornamentos de igreja.
Vende-se muito superior damasco do la de
urna s cor, muilo proprio para colxaa a para
ornamentos, com 6 palmos do largura pelo ba-
rato prego de 298OO rs. o covado : na raa do
Queimado n. 22, na loja de boa f.
'375-
. /ero
pouco que perder. Os baralhos de. tarto r -Ion-
do e dourado custam 69 a duzi, os ic m
59, e outros 49, 38i0O e 39. Tamb-u* h in>s
para 08 apaixonaOoa da bisca, espadilha, ele.,
I viala do que nao ha mais a cansar-se, u 1 r> ten-
dente dirigir-ae com dinheiro rea do QeMtna-
do, loja d'aguia branca n. 16, que aera b-ni ser-
vido conforme o loovavel costume.
Na ra lia Imperatriz cu-
nero 20.
Vende-se o seguate.
Bramante com 10 palmos de largura a
riscadinhos escurosde cor flia a 160 rs.,
de cores a 280 a 320 rs.. oleados para
mesas a 28. indianas rr.eito finas a 18, chitas
160. 200. 240, 280 e 320 rs., eambraiaa de sal-
Picos de coras e brancas a 400 rs., cob'tures
brancos e escuros a lg?00, I96OO e 29. panuca
finos pretos e de cores a 29, 29100 e 39, *em-
braias para cortinados t 29 a pega, ditas Ussa a
29. 39, 48 e 59, Ispetes muito finos a 6; *> Ti',
chapeos e seas e de castor muito finos e ul-
timo gosto de Paris o 89 e 99, ditos de feitr., fi-
no copa sita a 59, casemiras para forro de carros
a I96OO, corles de dita muilo lina para clcs a
49, pegas de eotremeios s 19, e finaltrerle ma-
dapoles, algodoes, brins, brelanhss e outreo
multas fazendas que o dono do estabele-.-i'n-' '.o
est resolvido a vender muito barato afim os
apurar dinheiro, dando-so ascompstantes .- .
tras com penbor
-500,
ci.a
c-ibrir
Verdadeira pechincha.
a eaminno, moer.te e
Vendem-se cortes de superior gorguro de se-! acudes, terreno e m
2! p,! "* Pel baratissimo prego de 19, frejar t 2,000 pae.
Boa compra.
29 a 39 o corte : ua ra do Queimado o
bem conhecida loja da boa f.
Para os tafo* quistas.
Longos muitj finoi a imitago dos de linho da
maito bonitos padroes a de corea fixas muito
proprios para as peaaoasque tomara tabaco, pelo I
barato prego de 49800 e 59500 a duzia: na raa
doOueimodo n. 22, na bem conhecida loia da
boa f.
Vende-aa o excellente engenho S. Joequiro,
sito na freguezia da V'z., urna legoa por boa
camioho, moer.te e correrte d'agua por rtoui
las sera iguaes, po : > sa-
pae. Trocs-ae tnr/ibra po' :::-
dios o meamo eogcnho, porm s oestapraca;
qac-ru se quizer enriquecer em pouco lare o, di-
nja-se a negocia-lo na ra da Praia u. 5j, Ur-
ceiro andar.
Bramante de linho.
Vende-se .uuito superior bramante de linho
com duas varas de lergura proprio para leDcee, I
pelo barato prego de 29400 rs. a vara : na bem |
conhecida loja da boa f. na raa do Queimado
o. 22.
5,0(0
Vende-ae barra com ral nova rhegada ultirca-
DO aniigo e acreditado deposito ia
mente, a 59,
rus do Brurn n.
66
armazem.
sem segn
r 110 vigianl,
Collares para senhorag ou me
ninas.
E' chegado os Bollos desejados collares de al- Cernefs de linba
loares hogindo madreperola, com urna cruznha uem dc< A'ex-cdre
ile peilraa tingindo brilhant'-s que lo muilo ele-
gantes, pois s coro a vista que se poderi apre-
ciar, qee se vende pelo barato prego de 39 cada
um : isio s na loja do gallo vigilante, ra do
Crespo p. 7.
&
Na ra do Queimado n. 55, loja da miadezzs
de Jos de Azevedo Maia e Silva, est queimando
todas as suas miudezas muito boas e tarztissi-
mas, a saber :
Sspstos de Iranga de la muilo superio-
res a
Ditos de lia para meninos de peito a 200 c
Pares de botoes para punhos a
Caixas com papel de diversaa cualidades
sortido a
Ditos de cores o melhor que ha a
Thi-souras de 6 polegadas a
Aia pre'a multo fioa (libra)
Pegas de tita para c, fe superior qua-
lidade a
Novellos de linha que tem 2C0 jardss a
dem idem de 400 jardas a
dem i.iem de 800 jardas a
Linha do gaz de 10 e 20 jardas a tres cor
dous barato.
Caixas de folha cem pbo?pboroa a
Corullas de ehifre para entreter meni-
nos a
. Kijr :.\

lo mfa.
lftiiO
410
240
700
700
40
100
320
40
60
120
SO
Fogio do engenho V'elho da frogueia de S n(a
Rita termo da capital da Paraluba, o esrraro
crioulo de nome Trajano, com os aegointes sig-
naes: eatalera b.ixa, franzino do corpu, rosto
magro, beigos curto, mos, ps e orelhas pe-
quenes. de muita activi lade c ladino, r(tr
ler de 18 a 20 annts e principia agora a barbar,
e bom carreiro e coaioha soffriveimenie ; eata
escravo anlou horuuia'io pelos suburbioi desta
capital, porm voosta qu seiiuzido s? transpor-
tara para essa caiital de Peroambucu 10 ir t. rilo
de interesasr so trancante: roga-se poia as auto-
ridades policiaea qui; s" digi.ern mandar eren-
d--lo e aos capilea de campo que o captun m que
levando ao seu senhor no refeiido engei.bo l iao
generosa recompensa, protesta te contra todoa
aquelles que derm guarida e auxiliaren! a loga
|de semelhante esersvo conservando-o em pro-
veilo pr..prio.
Fugiram
de
do
Aderecos pretos
Timbera chegaram os lindes aderegos pretos,
sendo du?s pulseiras, rosetas, alfinetes, tu!o am
urna caixinha, int^iramente couaa nova nesta
prage, todos muilo delicados pela grande n,ao
ie obra que tem, pois as peisoas de bom gesto
sabero preciar : s no gallo vigilante, ra do
Creapo n. 7.
Agulhas
Tambera sao chegadas as verdadeiras agulhas
Victoria, de fundo Cobrado, qae se vende pelo
barato prego de 100 rs. o papel: s no gallo vi-
gilante, rea do Crespo n.7.
Capellas para noiva.
Tambem sao chegadas as lindas capellas bran-
eaa, o msis rielicado que pode haver, que se ven-
de pelo baratissimo prego de 79 e69, tambem ha
.utr'a mais inferiores que se vende por 29 e 39.
Pele-se que quem tiver de comprar qualquer
destes objectos, que se apreise antes que se aca-
e, poisfoi apunas urnas pequeas amostras que
*e receben 86no gallo vigilante, ra do Crespo
numero 7.
Arados
para lavar
Johnstoi." 4 C
ti. 42. '
americanos e machinas
roupa: em casa de S. P.
ra da Senzalla Nova
Potassa da Russia
e American!.
No eacriptorio de Manoel Ignacio de Oliveira &
Filho, largo do Corpo Santo o. 19, por prego
mais barato d0 qnA fm outra qualquer parle.
Su.uhall M*llora & C, tanda recebiao or-
im para vender o sea craacido deposito rierslo-
tJoa v|ato o fabricaota ter-sa retirado do ngo
lo ; convida, portento, s passoaa que qaixsrem
yosaulr am bom raloglo da oaro oa prata do s
abre fabrianta Kornby, a aprovattar-a* da op-
portunldade sera parda da lampo, para vir om-
P-loa por coramodo proco no sea asarlptorio
ruado Trapicha n.M.
i'.wiio superior a
Duzia de facas e garios, cobo pre'.o, mui-
to finas a
Caixas com colxvtes francezes a
Ditss com phosihoros > g^z a
Dtlaa com dito de vela muito superior a
C-ixas comiscas para aceerder ch rulos
Duzi.s de meias cruas muito encorpa-
das a
Dzia de meias trancas a
Duzia ce meias brancas muilo flaas para
stnhora a
Masaos tem grampoa de todas as rtuali-
tades a
Bolgts muitj Doas pora guardar dinhei-
ro, servem tambera para guardar fumo,
e servem tambera iara snhora a 5C0 e
Thesoures pequeas, poim muilo fi-
nas a
Dits para urjhsi tambem muilo supe-
riores a
Marcas para cobrir, sao pequeas, porm
o prego convida a
Parea de meias fie cores para meninos a
Pares de meias brancas para meninas a
Groza de penuas d'ago de todas as qua-
lidades a
Caixas com 100 anvt lo; es muilo fios a
Groza de botoes de louga prathdos a
SO
30
100
39300
40
2U
?0
engenho Jar- iia
Seri; haeif.
Severino, mulato, cor amareilada, de 30 an-
nos pouco mata o menua de id*<;e, altara ou-
co menosdo quo a rt-Kulr, cabello carapioho,
ten. barbas au rr.uilas, oir.? papudos, -bic. e
nariz regalares; Joo d.-s Uatlas, ciioulo, de 10
annos pouco mais ou menoa, allu.a
grosso, felges regulara, nriz grosso
chalo, lem travos em um (, elo
o clca>'har levaotado puchando
regular,
1 sir
que anda i om
un pouco pela
40! peroa quu.'o di por ciusa de ler ira;, o por
I mullo tt-mpu pega, um levoa chapeo de palha da
2g500 carnauba, roupa ''.e -l^'.cao bra ^, camisa e (tica
1)600 da riscado a baeta > rio, mentaao > ui um
qoarto castanho com cangalha : a pessoa qua
39000 1 os pegar peder ronduzi-ios ec referido eoge-
nho ou a casa de Joo Piulo ue Lerros Juuior,
40 qu" -e' g'alilii-r.f'a.
800
200
Escravo tuiriiif.
Fugio do engenho Malemba da comarca ..-j Pao
d'Albo, no (lia 26 o crreme, c escravo cabra do
nome Autor.io, conhecido por pedra molo, o o,ual
tem oa liguaea seg.;ii,tes : alto, groito. poaca
4C0 barba qce usa raspa.ia, ps curtos e grosos, a
lem um dedo da n.o Jiicit* cortado, supp5e-sa
10 ; que andar pelo lugar ne Pedra Holl em Ap|pu-
160 1 eos. onde lem mi e iru aos : q.em o spprehen-
200 j.ler poder ei'trugar nusle engenho, qee ser gra-
tificado em Avipucos, no engenho Dous limaos,
oa ueata prece, na rui da Aurora n. 68.
500
1S0CI)
240
Km casa da N. O. Rieber & C., sascessores,
rus da Cruz n. 4, vendum-se :
Machinas para regar hortaa a capim.
Dilaa paradescarogar milho.
Dilas para cortar ca.im.
Selina com pertenr.es a 109 a 209.
Obras da metal principe prateadas.
Alcatro da Saeclc.
Verniz da alcatre para navios.
Salsa parrilha da primeiraqaalidade do Para.
Vinho Xerax de 1836 em caixas de 1 duzia.
Cognac em caixaadal dazia.
Arados e grades.
Brilhantes.
Carrosas pequeas.
Moendas p meias moendas.
Taixas de ferro batido e
coado.
Machinas de vapor.
lilas d'agua.
Rodas, dentadas etc., etc.
Ru doRrum n. 38, fundicao
* de D. W. Bouman.
Fugio do collegio na Conceigao Crxz da
Limes, (bonten) urna irulata. muito alta, oe nn-
fce Claudiua, irjade 32 anuos, vinda de I'sjf :
quem a pegar, leve-a aqu-lle collegio, que ser
.ratifirano. Recon>menrl<-se policia.
' Est fgido rsde 11 flo crlente u:tz doja-
fho, o escravo parao, Ricardo, boleeiro e carro-
e-iro, bem conhecido uesla praga a aeus arre-
baldei; represents ter 25 annos de idad, bai-
lo e magro, tem cabellos carapiuboa rascado de
pouco tempo na cedria, onde esteve por Cansa
de estar fgido, ten. pouca barba e falta de Gentes
na frente, rosto comprldo e olbos redondos ; tem
sido encontrado na Capunga, e Olind* and* va-
diando e jogando com mais de 209 que levou :
quem o apprehendar e leir a casa oest naanhoi
na Pa8sagm da Magdalena que ser generosa-
mente rerompenaaoo.
Antonio Valentn: da Silva Rarrnca.
2001 de gfisliics^is
s qaero pegar o pardo Francisco, da 17 annos
de idsde, de boniu figura, com todos os denles,
cabellos ca?apinbos o ruivos, esto paroc fui da
Sr. Dr. Borgesda Fonseca, o qual viajon com a
mesmo senbor lodo o serto o suburbios desta
provincia,necessa.lamente quando era si es-
cravo, a talvex anda se inculque a servigo do
mesmo : quem o pegar qu. ira entrega lo a ica
legitimo dono na raa do Hospicio n. 6.
. Ignacio Lniz de fitito Taberda.

-.
MUTILADO
A


DIARIO DE fMHAMBDCO. QABTA FEUU 3 DI SlTBMBtsO DE 1161.
Litteratura
l
Catalogo dos productos nacionaes e n-
dnslriaes remettidos para a expo-
sico universal cm Londres, pelo
Brasil.
PRIMEIRA SECCiO.
CLASSE PRIMEIRA.
Productos de minas de pedreiras metallurgicas e
minerae?.
N. 1.Collecc,ao de mioeraes expostos pelo Sr.
Br. Fredenco Leopoldo Cesar Burlamtqui. a
aber (o. 7J: H *
Di provincia da Babia.
Alomen ferruginoso, de Jequilinhooba.
Arelas salferas, de dito.
Calcreo, de Cimem
l)ito cry.iaUsado do B,m Jess da Laps.
Olio luculite, de Jstob.
Ferro micceo, do Tumbador.
Maru ore rosa, da comarca de Ilhos.
Oligislo, de Camam.
'Petrleo arenoso, de dito.
I'yroluaiio, de Nazareth.
Slealito, da Cathoeirs.
Turba, de Camama.
Da provincia do Cesr.
Calcreo crystalieado rolado.de Belmonte.
Dito lamellar, do Oalo.
Dito xiloyde, da Balateira.
Carbonato de soda, da Serra Grande.
I erro geodwo oucraceo, do Cariri-Novo.
ualena, da Serra Grande,
(jesso, loCrsto.
Kaoln, da Baliteira.
Schlatos betuminosos calcreos, da Serra de Ara-
flal
Slex "borneo, da Belmonte.
Da provincia do Maranho.
Calcreo hydraulico, de Apicum.
Gesso fibroso, de Grajab.
Schisto argilo-calcareo betuminoso, da Chi-
pada.
Da provincia de Matlo-Grosso.
Carbonato de cobre, de Jaut.
Uui barra de cobre, exlrahlda do mineral prece-
dente,
Stilectito, da Gruta doloterno.
Da provincia de Minis-Geraes.
Acerdese, de Antonio Pereira.
Antimonio lulfurelado, de Ouro-Preto.
Argila luhomarga, da Diamantina.
Arragoniie, do Morro-Velho.
Araemco nativo, de Ouro-Preto.
Arbesto libroso, do Caeth.
Baritina, de Timb Peo*.
Biaouiho nativo, de S. Miguel.
Biamuihoxico granular, do Rio das Pedral.
Cnunobo carbonatado, de Melancias.
Dito cliiumatado, de Goiebeire.
Cinabrio, do Cortego Trepuy.
Cobalto (oxido), de Aotouio Pereira.
Cure carbonatado com galena, de Melancias.
Craictouite, de Cachamt.
Cyamophaoo, de Itabira do Carxpo.
Diamantes (6).
Distheno, ae Ouro-Preto.
Eoxotr", de Antonio l'-reiri.
Esmeraldas (2), de Minas-Novas.
Estanto (oxido) granular, do Rio das Velhas.
Euclasias (3), de Cachaaib.
Ferro especular, de dito.
Galena, de A wat t.
Gesso, de Maquiuez.
(.ranadas, da Parahybuna.
Dito em roib'.
Graphito, de Barreiras.
Grupo de esmeraldas, de Minas-Novas.
Itacoiomite (res flexivel), da Serra de Itaco-
lomf.
Jaspe, de Sabara.
Kaon, do Cachoeira do Campo.
).^to, do Rio fardo.
Li Tiunito, de Tijuco.
Lio hilo, deCattas-Altas.
Slag "ets crystalisados, do Serr do Fri.
;a i'eria, do Morro da Lage.
Mispik J Sumidouro.
'-.Neocie ei d Antonio Pereira.
Nitro, d> Tamandu.
Nitro, de Piumby.
Oligisto, q o Bibeiro do Inferno.
Ouro nstiv, 1. [6 ,ubos e 11 pedtgos).
Dito dito .'i "' rocha (jutrtoze e feldspalho), do
M.u-Vcl. hn
Dito dito oo i chisto tslcozo, de Cattas-AUes.
Pyrtles de ferri com ojro, de Forqului.
I) ti msgaetica, de Congonhas.
O larlto amsrelli '2 amostras), de Sabara.
Dito chloritico, dv dito.
Dito entornado, de l1,t0-
D;io ametbiitj, do 1 PflrdO.
Siderosea, do Morro Ve'ho.
Silex corneo, do Bora Successo.
Stalactito calcreo, de Maquioez.
Tuaneo, do Corrego Mi D?ais-
Topasios (um grande ru, ,0)i de ""MI do Campo.
Ditos sem lr. de dita.
Turmalinas (3), da Cachoe. '" do Cimpo.
Da provincia di "flran.
ualena, do Ipoanga.
Jade (se-xo ), de 6uarapua\ '"
Da provincia de S. P"0.
Anthracito pirytoso, de Itapelu io8a-
Argila raagnesisoa, de S. Paulo.
Calcreos [1), de Ipanema.
Cervio de pedra, de ltapelioinga.
Ferro magntico, de Ipanema.
Otigisio, de dito.
Pyrt'es, de Itfi.
Scliilo bituminoso, de Pirapra.
Da irovincia do Bio-Grande do Norte.
Ferro magntico, do Oppodi.
Gesao, 0o Natal.
Oligisti-, lo Oppodi.
Di provincia do Bio de Jaaeiro,
Calcreo sa.-chiroide, de Campos.
Kiolin, de Nitherohy.
Dil lava lo, dito.
."1 rmoredo Parahibs, de Campos.
Turba, de Araruama.
Da provincia de Santa Catharina.
Cirvin le pedra, do Arroio das Palmeira.
Dito dito, 1c Passa Dous.
Dito dito, de Laguna.
Oligist), de Cima da Serra.
Fyrile- em decomposigo cam carvao, do Rio da
Mi Luua.
Schisto bituminoso, do Morro do Tai.
Sulfato de oda de Itajaby, de Lages. i
Da provincia da S. Pedro.
Agathat, do Rio Pardo.
B'ryina, de Cagapava.
B Calcreo saccharoide, de Capivary.
Dito dito, da Serra das Asperezas.
Dito sillcioso, de S. Gabriel.
Carvao de pedr, da Capellioha de Cimpar..
Dito dito, do Curral Alto.
Dito tino, do Ilerval.
Dito dito, da mina do tenante Ricardo.
Dito dito, de Siody.
Dito dito, do Serr do Boque.
Cobro carbonato, do Curral Alto.
('.y -ralo com cobre carbonatado, de Miguellete
Jiste, do Curral Alto.
Ohgisto, de Crcapava.
Dito hemattco, "de Dag.
Porphyro, do Curral Alto.
Scbutus betuminosos, de S. Gabriel.
J. A.-;thas de Pirsp (3 amostras), provincia do
PiMfcu. 71.
3. Agithas 13 amostras), da provincia de S. Pedro
o 78.
4. Alu'ien.da provincia do Piaohyn. 54.
5. Dito ferrRiooso, da provincia de Minas-Ge-
raesn. 12.
6. Ditj nativo do Rio Solimes (Amazonas)o.
65.
7. Argila branca, da provincia do Parad. 57.
, 8. Dita magnesians, da provincia de
raesu. 25.
1. Calcreos, da provlocia ol -tlinas-Ceraes
d: 28.
^- ^!J. 1 Provincia das Alagoai-n. 35.
Dita, da provincia de Sergipen. 43.
s,0 "Phil,ieo da provincia da Bahia
25. Dito, da provincia do Rio de Janeiro, expol-
io pelo Sr. D. G.JCoppetd. 68.
26. Cal, fabricada com os calcreos acima-
n. 69.
V Calcedonia, da provincia do Paran n. 71
28. Dita, da provincia de S. Pedron. 79.
29. Carvao de pedra do Rio Solimes, provincia
do Amazonasn. 62.
30 Dito de pedra da Laguna, proviocia de Santa
Catharina, exposto pelo Sr, Viaconlede Barba-
cemn. 73.
31. Dito depeiradeS. Jeronymo, prorincia de
S. Pedro, exposio pelo Sr. Joaquim Antao Fer-
nandea Laaon. 89
32. Carbonato de cobre da Cruz Alti, provincia
de S. Pedro, exposto pelo Sr. Joaquim Anto
remandes Laon. 81.
33. Diamante era cascalho, da provincia de Mi-
nas-Geraes, exposto pelo Sr. Manoel Monteiro
da Luzn 8.
3*u?l 8m c,scalh0 0"a Diamantina, provincia de
Mlnas-Geraes. exposto pelo Sr. Manoel Teixei-
_ra de Souzan. 9.
35 Ferro argiloso concrscionado, da provincia
do Paran. 60.
36. Dito magntico, da provincia das Alagoas
Da O,
37. Dito dito da Mitsoes, provincia de S. Pedro
expoato pelo Sr. Joaquim Anto Fernandes
Leaod. 86.
38. Dito micceo, da provincia de Minas Geraes
n. 12.
39. Dito dito de Cazemiro, provincia de Miaas-
raesn. 13.
40. Dito dito de Itabira de Mato Dentro, provin-
ia de Minas-Geraesn. 14.
41. Dito dito em p de Itabira de Malo 'Dentro,
proviocia de Minas Geraes ns. 16 e 17.
42. Dito dito do Rio de S. Francisco, proviocia
das Alagdasn, 36.
43. Dito oligisto em p de Lavra, provincia do
Cearn. 102 B
44. Galena de Algrete, da provincia de S. Pedro,
exposti pelo Sr. Joaquim Anto Fernandos
Leeo. 80.
45. Dita do Iporanga, provincia de S. Paulo
n. 67.
46. Gesso, da provincia do Piauhyn 5S.
47. Dito, da do Amazonasn. 61.
48. Gres dag msrgens do Caby. provincia de S.
Pedro, expoato pelo Sr. Jos Ignacio Teixeira
Jniorn. 90.
49. Dito, da provincia de S. Pedron. 91.
oO. Dito betuminoso do Mara, provincia da Ba-
bian. 49.
51. Graphito, da provincia de MinaaGeraes
n. 29 A.
52. Grupo de amethistas, da provincia de S. Pau-
lo, exposte pelo Sr. Heoriqee de Beaurepaire
Rohann. 66.
53. Grupo de quartzos byaliooe corados, da pro-
vincia de S. Pedro, exposto pelo Sr. Olivera
Bellon. 75.
54. Dito da qaartzoa hyalinos, expoito pelo Sr.
Joaquim Aiito Fernandes Leon. 76.
55. Jaspe polido, da provincia de S. Pedro
n. 77.
56. Kaoln bruto, da provincia de S. Pedro
u. 100.
57. Dito lavado, da mesma procedencian. 101.
N. B. As arqostjas de ns. 56 e 57 foritn expos-
tas pelo Sr. Guilherme Boaliech, e vo acom-
nanhadas de vasos de porcellaoa cra.
58. Dito, da villa de Souza, da provincia do Cea-
rn. 102 A.
59. Dita da Cachoeira do Campo, provincia de
Minas Geraes, exposto palo Sr. Moolevade
n. 19.
60. Limonito da eatancia do R=bello, provincia
de S. Pedro, exposto pelo Sr. Joaquim Anto
Fernandes Leon. 87.
61. Dito stalactitico de Antonio Pereira
cia deMinas-Geraeo. 18,
62. Linhito doOuro Preto, provincia de Mioas-
Ferae, exposto pelo Sr. J. P. M.n. 29.
63. Marmrea veiados, da provincia de S. Pedro,
exflostos pelo Sr. Josquim Anto Fernandos
Leann. 93.
64. Marmore verde, da
n. 94.
65. Di io
n. 95.
66. Dito preto, de Vasa-Barris, provincia de Ser-
Ripen. 42.
67. Mineral .de cobro do Valle do Tabardo, da
proviocia do Caro. 102 C.
68- Mioeraes dis mlnaa do Jaguarao provincia
de S. Pedro, descoberlos em 1858 pela Sr.
Cuilberm Bouliechn. 102, a saber: argila
refractaria, dita saponcea, dita s:hiatosa, cl-
careu, carvao de pedra, ferro carbonatado,
gres carbooifro, dito grosseiro, dito vermelho
podiogoe, schisto bituminoso, dito preto.
69. Oligisio de Itabira de Malo Dsntro, provincia
ile Miues-Geraesn. 15.
70. Ouro em quarlto de Ouro Preto, proviocia de
Min.s-Geraes, eiposlo pelo Sr.Joa Pedro Das
de Carv.lhou. 10.
71. Perxido de ferro de Cocaos, provincia de Mi-
nas-Geraes expolio pelo Sr. de Joi de Ao-
chietan. 26.
72. Dito dito, da provincia de Sergipeo. 44.
73. Dito dito, .de S. Jerouymo, provincia de S.
Pedro, eiposto pelo br. Joaquim Anto Fer-
nandes Le3on. 88.
N. B.Eslas amostras s3o acompanhadas de
urna chapa Je ferro, extrahida dos meamos.
14. Dito oe maugaoes de Nazaroth, provincia da
Babian. 48.
75. Dito diio. de rio Solimes, provincia do Ama-
zonas n. 64.
/6. Dito dito, de Misses, proviocia de S. Pedro,
expoato pelo Sr. Joaquim Anlo Fernandes
Leaon. 85.
77. Petrolio, da provincia da Babian. 51.
78. lelum, da provincia de S. Pedron. 99.
iJ. I yutes do Serr do Roque, provincia de S.
Pedro, exposto pelo Sr. Joaquim Anto Fernan-
des Leaoo. 85.
80. Dito de ferro cristalisado de Itabira, provin-
cia de MiuasGeraesn. 17 A.
81. Quartzo hyaliano araorpho. da provincia de
Goyaz, exposlo pelo Sr. Jos Maria dos Res
n. 74.
82. Salitre do morro do Chapeo, provincia da Ba-
hian. 47.
83 Schisto belumiaoso de Camaragibe, provin-
cia das Alngoaa o. 40.
84. Dito culicolo. a provincia de S.Pedro, ex-
posto pelo Sr. Joaquim Anlo Fernandes Leo
n. 92.
85. Slex jaspe do Rio Branco, provincia do Para
n. 59.
86. Dito pyromaco, da
raest>l 29 B.
87. Silicato e carbonato de cobre, de S.
proviocia de deS. Pedron. 82.
83. Sulfato de ferro nativo, da provincia da Mi-
nas Geraesn. 23.
|89. Sulfrelo .de antimonio de Tibagi, provincia
do Parann. 70. ,
90. Terra nuroza, da provincia de Minas Geraes
n. 2:
91. Titaneo, da provincia de S. Pedrp, exposto
pelo Sr.
n. 83.
92. Turba do Rio S.lirxoes, provincia do Ama-
zonas n. 63
provtn-
provincia de S. Pairo
vermelho, da provincia de S. Pedro
Crotn erythraema Mart.Euphorblaceas.
N. lO.-Casca do Ararlo.
Pinckneya rubacens. Fr. Allm. Syn. Arariba
rufeacem Maat.Rubiceas.
N. 11.Pava de Jaboi ou castanha de Jabot.
Anisosperma passiflora. Mart. Syn. Feuillea
psssiflora Vell.Nhandirobea*.
N. U Pava da S. Ignacio.
Fsuillea cordifolia Vell. Nhandirobeas.
N. 13.Rail de abobora do mato ou Tayuy.
Tayoi. Tyi grande, Tayi de pimenta comari,
abobrinba do malo.
Triamosperosa flci-folia Mart. Syo. B xonia bo-
naritnsis flci-folio ; bryonia cifolia ; bryooia
pinoatiQda. Momordica cordalifolia.
N. 14.Resina fossil de Jatub.
Jetahy; Jataby ; Jetai; Jetai uva ; Jeliiba.
Abati tlmbaby, Gytaiciea.
Ilymenaai coerbaril L.Leguminosas.
N. 15.lsca do mato.
Botrytis fomentarii. Sphoetia mllttarli Sphce-
rlaeeas.
Segunda serle.
Painas, Paveras, etc.
N. 1.Paina da paioeira Macho.
Cberisia Pecholtiaoa. Mart.Bombaceas.
N. 2.Paina da paineira femes.
Chorisia speclosa. Mart.Bombaceas.
N. 3.Paioa de lmbiru;a.
Bombas carolioun. Val.
N. 4.Paina amarralla, da paineira de pedra.
N. 5 Paina branca, da paineira de pedra.
I! >rr bu.. .?Bombaceas.
N. 6.Paioa da Cuba.
BaMtax,...?Bombacets.
N. 7.Paina de Cipo.
Phyaianthus albens. Mart.
N. 8.Piina loura, ou cipo de peonas.
Stipecoma pettlgara. Mari.
N. 9 Paina carneira.
Cyoanchum rotatum. Vell.Aiclepiadas.
N. 10. Paina de ofBcial da sala.
Asclepias eurssssvica L.Asclepiadas
N. II.Paina seda.
Asclepias arvesis. Vell Asclepiadas:
N 12.Paina da abobora.
Asclepiss.....Asclepiadas.
N. 13.Barba ou barba de velbo.
Tillandsia usneoides. L. Rhizomorha oahraata
Vell. Strapaia usneoides.Bromeliaceaa.
N. 14.Faveraa da pita.
Foureroy gigantea. Vent.Agaveas.
Terceira aerie.
Amyleceas.
N. 1.Anido de pinhes.
N- *Araido da raiz de Cardamomo do mato.
Hedychium.Maranta ceas.
N. 3.Amido de marilic ou bareric.
TupyM.ririg, barericPoarchoo uminensis.
Fr. Allem. Syn. Sisyrinlhium galaxoides. la-
deas.
J 4.Amido de mangarito branco.
Mangar-merim. Caladium aagitlifolium Vell.
Araceas.
N. 5.-Amido de inhame. Araceas.
Arm colocasia L. Araceas.
N. 6.Amido de Tala brava.
Colocasia. Araceas.
N. 7.-Amido de cari branco.
Oioscorea hastata Vell. Dioscoreas.
N. 8.Amido de cara mimoso.
Dioncorea tuberosa Vell. Dioscoreas.
N- 9 Amido de cara-tioga. ou cara bravo.
Dioscorea confera Vell. Dioscoreas.
N. 10.Amido de cara de espiono, ou cara de
sapateiro.
Helroia bulbifera Syo. Dioscorea bulbittrs.
L. Dioscoreaa.
N. 11.Amido da sementes de msravilha ou bo-
nina, boas-noutes, ou ballas-noutes.
Mirabilia dichotoma L. Nyctagineas.
J 12.Amido da raiz damaravilha.
N. 13A :i, i lude batata de parga, ou tomba.
Ipomcei operaculaia Mart. Convolvulu opera-
culatus. Vell. Convolvulceas.
N. 14.Amido de batata dd:e (demerara).
Batatas edulet. Cenvolvulacaas.
N. 15.Amido de Tayuy ou abobora do mato.
N. 16.Amido da mandioca brava.
Mamihot ulilissima. Eupborbiaceas.
N. 17.Amido dejacutup ou jacatup.
Dolichos. Leguminosas.
N. 18.Amido da batata brava ou batata do ar.
Cocculos cineraacens. Mart. Meoisaermaceas.
N. 19.Amido da raiz de timb boticario.
Andira ? Lguminosss.
N. 20 Polpa amylacea da fructa da Sapoc^
N. 21.Substancia lincloria da caaa de A
N. 22.Oraeilha do Brasil. Spiloma rose
Audita tLeguminosas.
If. 32.Resina de agoniada.
Plumera lancifolia. Mart.
N. 33.Resina da raiz de mariric.
Poarchon Flumineosis. Fr. Allem.Irideai.
N. 3i.Reaina da rait de tayuy,
N. 35.Resina do tracto da sapacaia.
N. 3%.Resina azodoliarinica.
I.
Resinas naluraes muilo escaisas.
N. 37.Resina de bico tf pato.
Flacourtians.
N 38.Resina de cidra.
Citrua medica. Linn.Aurantiaccss.
N. 39.Resina de pao d'alho.
Segueira amerieaoa. Vell Phytolaceai.
N. 40.Rasina de vinhatico.
Echyroapermam Ballhazaril. Fr. Allem.
N. 41.Resina de Jacaranda roaa.
Miicolobiam violaccum. Vogl.
Quinta aerie.
leos expreasos, etc.
N. 1.-Oleo da fava deSaoto Ignacio.
Feuillea eordifolia. Vell.Nhandirobeai.
N. 2Oleo da fava de Santo Ignacio.
Feuillea monoaperma. Vell.Nhandirobeas.
N. 3.Oleo da caatanha de|Jabol.
Anisosperma passiflora. Mart. Syo.Feuillea pas-
siflora. Vell.Nhandirobeas.
N. 4.Oleo das sementes de melsncia.
Cucrbita citrullus. L.Cucurbitceas.
N. 5.Oleo das sementes de mamona do mato.
Mabea Qstuligera. Mart.Eupharbiaceas.
N. 6.Oleada carocosde onda-ac
Indayac ; frncta de cutia ; purga de gento; coco
de purga; parga dos paulistas ; fruta de arara.
Ana Gorne& Syn.Andirus pentaphyllus.
N. 7.Oleo de pinhoes de purga.
Manduby gua(, manduy-guif.
Jatropha curcas. Lion.Eupborbiaceas.
N. 8.Oleo dos carocos do caj.
Acaj, accaj, aiajaiba.
Aoscardium occidentaie. Lino.Cassuviaa.
N. 9.Oleo dos frustos da becuiba.
Bicuhyb, becubs, becuiba, vicahyba, ucu-ubi,
bicuiba-ca-miri.
Myristtca bicabiba. Saholt.Myrlstaceas.
N. 10.Oleo das sanenles de sapucainhs.
Carpotroche Brasilieosis. Endl.
N. 11.Oleo das caatanhas de sipacais.
Lecythis urofgera. Mart.
N. 12.Oleo de maniobi preparado.
Mundubi, maoobi, mindubi. amendoim. Arachis
bypogcea Lion.Leguminosas.
N. 13.Graxa de anta.
Tapyrusamericaous. Linn.
N. 14.Oleo ou balsamo de copahiba.
Copaifera ntida. Mart. Leguminosas.
[Conlinuar-te ha.)
mais antigoa, a er ae deparara com algum que
reeordasaeo noeso Magrico, ou algum dos doze
hroes portuguezes que viersm Ioglaterra de-
tender a honra das damas inglezas, segundo o epi-
sodio do poema do nosso immortal Csmes.
Nao encontr! nada nesle genero, e nem era
posstvel I Foi urna lembranca da patria.
Desejei ir ver s parte de Westmiosler que ser-
via de jraigo a muilos res de Inglaterra ; mis
naome fot posaivel; porque um preguioho das
miohas botas, que atraveisou para o aeu inte
nor, me picava multe o baixo doa pea, e obrigou-
me a metter-me na carroaem e partir, exami-
nando aotes na praca de Weslminster, a estatua
aquestre de Ricardo I. Asstm, por ca do Sr.
stellpflug, da nossa ra doAlecrim, nao vi o que
desejava. E nao a primeira vez que elle lem
aemelhanta deacuido, aperar das miohis adver-
tencias repetidas I
Procurei em Weslminster, com os olhos, na
sala do parlamento brilaonico, o logar onde le-
ara medido aa auas torcas intellectuaes, orsndo
como adversarios, os dous illuttres antagonistas
Pux os meus olhos n'um lugar onle qulz imagi-
nar quefra ali que Pili vendr com as armas
do raciocinio ao seu rival, e d'oode alcancra ea-
quadras e marinheiros psra guerrear a Franca, e
subsidios para levantar a Europaarmada oro cin-
co coaliioea at vencer em Paria o Walerloo o
dominador da meama Europa. As salaa do par-
lamento bntannico ao ricas, mas nao sao espa-
cosss ; d ellas porm laem sabido as leis qe
iem elevado ests aQo ao apogau de grandaza
nunca conhecida ; d'all teem sabido os echos das
dos seos oradores e homaos de eitado,
Variedades
Mari. Licheneas.
N. 23 CochoDilha vegetal.
Mart. Lichenoas.
cavo
eJsm
na.
iba.
Spiloma roseu ,.
mate^^
proviocia de Minas-Ge-
Bora,
provincia
Quarta serie.
Suecos condensados, gommaa, resinas,
tinelo ras.
A
Suecos naluraes exsicados.
N. 1.Sanguede dargo.
Crotn erylbcama. K' a gomma-quioo brasi-
lera.
N. 2.Sangue de becuiba.
Myrislica Becubyba S.hoit. Myristiceas.
B
Gommss.
N. 3.Gomma de pellado.
Acacia. Legumioosaa.
N. 4.Gomma de uiha de gato.
Phiteeolobium uoguis cati. (Benth ?) Legumino-
aas.
N. 5 A.Gomma de caj branco.
N. 5 B.Gomma de caj vermelho.
Acaj ou cacaj.
Anacardium occidentaie.L. Cassuviaccsi
C.
Gommas bassorinas.
N. 6.Gommi de caja
Ybametara.acaj.Spondias venolosa. Mart.
Burseraeeas.
N. 7.Gomma de bagre.
Michcii.-iunj ...Leguminosas.
N. 8.Gomma da labrimaseu brincos.
Vochysia. Syn.Strakeria oppagnato. Vell.
Vochysiacoas.
N. 9.Gomma de aogelim doce.
Aadira rosea. Mart. Leguminosas.
N. 10.Gomma deimbiravs.
Bombax cirolinuro Vell.Bombaceas.
N. 11,Gomma de aicopira.
Sebipira, sebupira, eucopira.Spepera.
Cebipira-gua(, curubai-miri.
Bouwdechia major MarrLegminosaa.
D.
Gomrsas-resinas. /
N. 12.Resina de pinheiro.
N. 13.Resina de angico vermelho.
Acacia angico. Mart. Leguminosas.
E-
Resinas ( nataraes ).
N. 14.Resina dejatub.
Hymencei alilbocarpa Mart.Leguminosas.
N. 15.Resina de angelira amargse. -
Andira aethelminlhica. Mar.Leguminosas.
N. 1C Resina de pao de monjolo.
Mimosa moojoloi.. Vell.Leguminosas.
N. 17.R-sioa debatan vermelho.
Leguminosas.
N. 18.Resina de aroeira.
Ssbinus thereWnthefolius. Riddi. Therebin-
CLaSSE SEGIKDA.
Productos chimicos e pharmaceulicot.
93 Collerco preparada e exposla pelo Sr. Theo-
doro Peckolt, da cidade de C-ntagallo, provin-
cia do Rio de Janeiro(o. 645.)
Primeira serie.
Prodnctos, sementes, cascas, raizes, fungo, ete.
N. 1.Fructo (eassamba, trabuco) de sapucais
(sobre urna taboinha de sapucaieira.)
Minas Ge-JTupy.Zabucaia (ninho cora ovos) sapucaio, ja-
Qapucaio.Lecythis urnigera Mart. Lecythis
thideas.
vi 10 1 i
Lscitbii
N. 2.
N. 3.Pinhoes de pinheiro.
Tuiy. Curi uva. Guaran, cari-y,
A........ i. V,.. = ,!;..,. M..I ., ,.i
-Caslanhas de sapucais.
9. Dita magnesians, da provincia do Piauby ollaria Vel!.
n. 52.
10. Diia ocrcea, da provincia de Minas-Geraes
-d. 20
11. Dita ocrcea, da proviocia das
38.
12. Dita ocrcea de diversas cores, da provincia,
de Sergipe n. 46.
13 Dita ocrcea, da provincia do Parad. 58.
13 A. Dita ocrcea, da provincia do Piauby?.
55.
14. Dita plaatica, da provincia de Sergipen. 45. .
15. Dita refractarla, da provincia do Paran.56.Guaran. Urucuy. Topy. Uruc-va.
16 Dita schlstosa, da provincia das Alagoasn. c. Biche. Maxir. Achiott.
39- B'xa orellana Linn.Bixineas.
17. Ditas schistoias vuiegadas, da provincia de'N. 6.Capsulas de uruc bravo ou
PerOdiDbueon. 41. i mato.
18. Ardosia, da provincia de Minas-Genes, ex-t N. 7.Cases de urur bravo ou do mato,
posta pelo Sr. A. Taaaaran. 21. }IX1............?Bixies.
19. Asbesto, da provincia de Minss-Geraes, ex-1 N. 8.Casca de Agoniada.
iwsio polo Sr. Monlevadeo. 27. i viametia lancifolia Mart.Apocynsas.
20. Berll, da provincia de Mmaa-Geraein. til n. 9.Caica de aaoguB de Drago,
laceas.
Joaquim Anlo Fernandes Leo|"- fResina da barahuna ou baraoa.
Mlanoxylon, brauoa. Scholt. Syn. Perlitium
ferrugineum.
N. 20.Resina da cabubreira ou caboraiba, ou
resioa de oleo pardo, ou balsamo do Espirito-
Santo, myroearpus fasliagiatus. Fr. Allem.
Leguminosas.
N. 21.Resinado olee vermelho.
Myroapermum erylroxilum. Fr. Allem.Legumi-
nosas.
N. 22.Rasina de almisesr.
Tupy Uoira-aiqe. Guaran. Yciy-icieariba. Mart
Anacardiaceas.
F.
Suecos lcteos.
N. 23.Resina de leiteira do malo.
Chrysophyllum.Sapotaceas.
N- 24.Gomma elstica de leite da gamelleira
ou flgaeira branca.
TupyCopaab-uc Ficus daliaria. MartArlo-
carpeas.
G.
Subslantiaa tioctorlas.
N. 25.Uruc.
Achiotle, atole, achial, roc, amolla,
annota, anoite, orellana. orlean.
N. 26.-Uruc( do msto).
H.
Retinas obtidas pela analyse.
N. 27.Resina das capsulas uruc Dravo.
N 28.Retina detomb, ou batata da purga.
Ipomosa operculata Mari.Convolvulceas;
N. 29.Resioa da rsiz oa batata de maravi'lhs.
Mirabilis diehotoma. Lino.Nyctagineas.
N. 30. Resina de cravo do mato.
ou curies,
raucaria brasiliana Mari, seu pinus dioica Vell.
Coniferaa.
, 4 Sementes da frocti de pipo d'aojo, ou es-
culo de pito, ou pu de cachimbo, ou aapu-
conha. Carpotroche brasilieniis. Eodlicher.
Syo Magna brasilieosis Zuccaiini.Protkieas.
N. 5.Copsulas de uruc.
Caraib. Ro-
uruc do
IMPRESSES DA INGLATERA NA EXPOSICO.
Londres.21 da jalhode 1862.Meu charo ami-
go.Escrevo-vos daata verdadelra maravilba das
naedes modernas, e talvez das antigs, se excep-
marinos a cidade dos successores de Romulo. dos
cnsules edos imperadores, hojea cidade eterna.
Nanive, Cathargo, Babylonia e a Thebaa das
cem portas, creio, palo que tenho lido, que nun-
ca chegiram ao movimento de popalaco deata
capital, que, espanta o viajante, mesmo prepara-
do para est graodoza com a imaginsgo penin-
aular dos Portugueses, que tem sea tinto de
oritntal 1
A moderna melropola do eommercio universal
nao tem rival ao mundo antigo ; mas Roma nao
chegou a ser mais populosa no reinado de Augus-
to, do que Londres, actualmeoto, apesar da sua
popul3C,ao de tres milhoes de slmaa I
Urna discripQode Londres alera de muito dif-
flcil para quem dispe de pouco terapo, e para
queni nao lem sufficieotes habilitacoas para o fa-
zer, aaria alem de fastidiosa escusa i. E digo
escusada, por que o mais iosigoificanle guia ob-
tido era qualquer livreiro satisfara muilo melbor
do que urna carta, ainda que esta fossa escripia
com talento especial. Islo mesmo que eu vos dis-
ser nesta escriplo sem refleio, e nicamente
cora as impresses recebidss da momento, e as-
sira, sem a devida critica, eaam tesopo para cor-
rer as ideas que veem os bicos da penna.
Da mais, fallar de Londres tem um interesse
mui differeote do que fallar dos monumentos da
cidade eterna ; dos canaea e gndolas de Veueza;
do risonho aspecto de Milo ; de aples e seu>
bellos edificios; do Etna e Vesuvio, e das vene-
randas ruinas de Uerculanum e Pompeum. As-
im. Dan o farei.
Poroiilli, porm, que vos diga que o aspecto
grandioio de Londres, a cornmodidade das suas
largase bellas ras, suas ricas e variadas tojas,
seussquares, parkes e jardios, ainda que tacitur-
no como os Ioglezes, nao deixsm de fsrir de ad-
mlraco o estraogeiro mais exigente.
Sabis que o principal motivo que me trouxe
a capital do imperio britannico foi a vontade de
ver a exposigo universal.
Antes de vos fallar deste basar do universo,
deste lo que por muitos mezes tem de prender
os povos iudustriaes do muodo cidade do Ta-
misa, compra vos direi algaras cousa das minina
imprassoes sobre o que tenho visto em Londres,
e seu* arredores, n'um raio de oito leguas. Na-
da do mais notavel de Londres eu tenho deixado
da ver, porque almoco s 10 horas da manha e
dou-me al as 7 da larde a pereorrer esta cidade
em earruagem, a examinar tilo de mais interes-
se, dando um dia psra islo, e outro para a expo-
sicao.
Londres pde-se dizer qaa se compoe quasi de
cinco ciiadea grandes : o bairro occidental (Wea
tend) ; a City ; o bairro de Leste ; e os d* West-
miosler e Southwark. O Tamisa, ainda qua nao
tem a magestade do nosso Tejo, ha nelle um mo-
vimento de tal ordem, alimenta tamanho nume-
ro dedokas pejadas de numerosos navios, e
etravessado por to bellas e ricas pooies, que tu
apezar de aer fantico pela patria nao poaso dei-
xtr de dizer com tristeza de emulec.o, ejmait
de ioveja, que a nao aer o bello cu que cobre as
aguas do nesso potico rio e a vasitdo do seu
fuodeadouro, elle nao admitta a menor compara-
go com o movimento e aspecto de prosperidade
e de grandeza mercantil eioduslrial do Tamisa !
alais de urna vi tenho parado as margena
deste rio ; em cima das mais bellas pontes e nos
pontoes das suas dokis, que ressumem grandeza,
vida e movimento por toda a parte.
As flccoes de Mr. Fenelon no seu Telemaco,
quando relata o vasto movimento mercantil da
Tyro e do imperio de Sesostris. nao so podera
comparar, ainda que fossem realidades, prospe-
ridade e movimiento, raaes e palpaveis. da capi-
tal da Gra Bretanha.
Como extranha quam est acosturasdo a ver a
ioanico do Tejo entre Ciscaos e Santarem I....
Nao invejo esta grandeza de Londres e do Ta-
misa para lh'a roubar; maa declaro quo sdIo
profundamente que Lisboa e o Tejo nao deafruc-
tem relativamente a mesma felicidada e gran-
deza.
Digo-vosis'to, meu charo amigo, oeste momen-
to, em que vos escrevo de Londres, Manchesler
Street, Foro'e Hotel.
Nao quero canear a vossa paciencia fallando-
vosdos immeusos palacios, seas bellos pailas, e
objectoa de luxo e artes (collocando nesta ultima
parle os quadros dos mais celebres piotores de
lodaa aa escolas mais afamadas), que disfroetsm
os soberanos da Inglaterra, os quaes taoho visto
em grande parte Nao quero mesmo fallar-vos
do celebre Tuonel, desta via maravilhosa e sub-
terrnea que atravesss o bolicoso Tamiss, o nem
to pouco das celebres pontes de Waterloo e de
Weslimioster, palacio de crystal, etc. ; mas dei-
xte-nos que mencione maia demoradameote o
magestoso monamenio que toma este penltimo
noroe.
Weslminster faz o orgulho da Inglaterra neste
gtnero. E' um dos primeiros monumentos que
o mando possue, tanto em grandeza como em
tesltmunho de arte. Foi Guilherme de Roux quem
priocipiou a fuoda-lo em 1097, e 300 aonos de-
pois, Ricardo II o reparou, engrandeceu-o, e lhe
sccresceotou um magnifico park.
As novas casas do parlamento sorprenden), maa
eu corri para o velho Hall, onde e desda muitos
aonos o pahtheon dos homens illustres da pode-
rosa Ioglaterra.
Ha muito que admirar ali em mauaolos, esti-
f
ra
n.'.arnii'? U.*tTi*a"' Pie humana f
ieireiros odieativos de Portugal graoaea
Iofelizmeule. o que eu procarava nao se offa-
recia aos meus olhos. se oaa
Como se palpita pela patria, e pelo que ib dii
reap'ito, quando aa e-t auaente della I
Detcl de humor triste para o rez-de-chtuaaa
de urna das naves do palacio. Atravestei p,|a
meio das onlas de povo, deixando direita% i
esqaerda os mais ricos depsitos de milbts da
objectos iodastrises de diversos paizes a que aii S
da nao quera prestar attenco, porque os pri-
meiros basares que eu quera examinar erara os
de Portugal.
Descobri-os, floslmeote, sita ios no meio dos
basares e galeras de llespanha e de Italia.
Drclsro qae me fez insten a noasa exposico
no grande palacio ioduatrlal......
E' preciio diz-lo francamente: os nossoa
productos esto all to mal collocados. e f.zeni
no gersl ama viiti to dessgradavel, qae o
visitante nao recebe boa impresso ao exami-
na-loa.
Muitos objectos nem forsm expastos, e ali ja-
zera lanados a esmo, e em confusio, por balxo
das praieleiras ou balces dos nossos bssares.
cujas cortinas encobren! este tastemuoho de m
ordem, digna de muita censura, sa ha culpa de
aluem nesia desordem ou relaxago.
Somos malfadados em todas as nossss cou-
e alravessado os mares para irem influir nos des' SBa
tinos dssnacoesdo mundo Miniamos squi un passoal immenso para nos
Antes de concluir este periodo da minha carta ZEZZSu, De,f,e 4""rapl' Be? ,e p1a d,rer
dir-vos-hai que o palacio de crystal em que m Z^*: tambt? *Pono dt homen,.
fez a expoaigo de 1851 superior era tolo osen-' r,f4.^,.qa' tim Al"' q,i9- nera,m v,s*
lido ao palacio industrial da exposico de 1862. 'Znl 'mJt ^ll HeuDhnm P. relativa-
Aquella conatruccono inferior grande repu- T, .'. d". 'qUl .tam"ho nunero d Pa-
lacio de que goaa no mundo |8'dot; e muiloa paizes ha que entregaram os
Os arredoraa de Londres na parte campe" I -?"' pro-?"cto,.ao seas consalea, e teem feito
na dosseut soberbos edicios altrah a att
do viajante, apezar da quasi coostaote e lurvada
atmospbera que me fazlembrar os mezas da es-
tacan do cacimbo em Aogela.
A vegataco oestes arredores, se nao luxuosa
como -Chateaubriand deacreve a das florestas do
Novo-Mundo, vasta, bella e vistosa. A cultura
e o pregresto agrcola nos mesmos arredores
acha-ae u um estada admiravel de perfeigo. To-
dos os terrenos estao muito btm aproveilados em
bellas sementeiras, parks, quintas deliciosas e
pastageos povoadas de gados variados, mais es-
pecialmente dos celebrados caroeiros de nula-
trra.
O aspecto campestre desta ilha celebre, cujos
habitantes e estado de prosperidade honrara ao-
bremaneirs a raga humana, admiravel no seu
estado de cultura e arborisaco, a julgar pelo
que tenho visto detdeSouthamptoo al LooJres
e as visinhangis deata cidade na distancia de*
oito legoas.
E'ura contraste pungente para um Porluguaz
que tenba viajado naa noasas provincias, aobre-
tudo no Alem-Tejo 1 Mas fajo urna exceaco da
nossa bella provincia do Mioho.
Falta a Inglaterra o bello cea de Portugal; mas
realmente nos nao temos mais nada I.E* orcoso
que o diga, apezar do amor que tenho patria.
A naturesa do terreno plaino e a diveraidade
das ettacoes em Inglaterra e do seu lima, sua
vasta industria e seu eommercio, que s coohe-
ce o mando por limites, tudo islo ioOue na sua
agricultura e na belleaa dos seus campos. Ei-
erevo-vos em julho, e chove quise todos os diaa I
Tenho alravessado o nosso bello reino, desde
Lisboa al ao centro do Mioho. Atravessei i a
Hespaoha. desde Madrid, por Serra Moreno e
Cislella-Nova at ao Mediterrneo, dradi Cidix
at Cordove, na Andaluzia; no extenso ioterior
oestes dous paizes, sobretulo na Ilespanha, fl
lo de proposito para ver a phytioooinia afoa al-
deoet, esta parte principal da po,>a!agio de qual-
quer pan. Quera ver o aspecto de felieilade
ou de apoquentago, destes homens do povo!
Eetou desejoso por atravessar a Inglaterra n'uraa
distancia de cara leguas, pelo menos, para ajui-
zar at onde me for possival, do enadj de felici-
dide do aldeo britannico.
En Ilespanha e Portugal viaja se em diligen-
ea e por isso mais ficil a obsarvaco. Era
Inglaterra viaja-se not ferros-carris para tola a
parte ; maa eu, como petando ir a Glasgow 9 a
mats algara lugar da Escocia, hei de satisfacer a
minha curiosi Jade demorando-me ea luaar aoro-
priado para isso. a p
Em Inglaterra sao ticis as rUgans, como sa-
bis, por urna admiravel rede de ferroa-carrvs.
Eraquaoto ao mais. bastante decorar dass du-
zns de palavns a levar na mo vences, shilinas
t saiMiu. B' bastante isto para viajar oeste paiz
cujos habitantes do tralo ordioarlo, e mesmo d
mediano, parece-me terem urna grao le nezaco
para aprender linguas, pois al a francesa me
parece meos vulgar do que em Portugal, por-
que poucoa iodtviduos leobe encontrado que a
Li .5L ,E\COm aax"i0, 18 ci,ni oh
uotsdo. tenho-ma arranjado bem. Porm minha
Blha, que me acompanha. falla o ingles melhor
uLZl 6" a-e'Jnl "PP"""". O e Por isso te
nho-me arranjado bem. Os dous tllhos de um
amigo meu de Lisboa, que rae esto recommen-
dados, arranham tambara o loglez, um mais do
que o outro. Dev0 porm dizer-vos quo a lm-
gaa mais compreheadida em InzWterra a dos
oiuntts das cartas de crdito! Toraae nota.
EU tena multas cousas a dizer-vos sobre o aue
tenho obtervado neste paiz, no pouco lempo em
que reatdo nelle; porm, esta carta j rae looni
eeunao a devo concluir sem vos dizer alguna
cousa da exposigo universal. S.bei porm au
eu soa admirador da Ioglaterra, e qaa ponera
cousts hi aqai qu^ me d'tagradem. Das oje
estao neste cato, pooho a lioga,, a athmosahera
pesada, e o nao hiver arroz ao jamar J ve-
des que John Bull lem urna grande parte* das mi
nhassympathias.
Vou concluir, dizendo-vos algurai
.seusi productos aos seus consales, e teem .
InLl \ meU.dr Bgura d0 1ue nos. en> 1*^0 bda vi.ts
V.". e clloa<:o dos seas productos.
Coosolemo-not, se possivel a eoTjsolacao.com
| com a idea de que a Ilespanha ainda foi mais in-
feliz do que nos, porque nao podendo espdr os
seus productos a lempo, de certa ciaste, alesncou
menos meJalhas do que Portugal, apesar de ser
um paiz muito maior, a ter iocootestsvelmeote
ama vigorosa industria, como j pude obser-ar
palpavolraente naquells paii. Disseram me aqai
que a Hespanha devera ae oosto distinti chimi-
co, o Dr. Lourengo, que a representeu na ciaste
dos producios chimicos, o ler obtido metfalhae1
nesta ciaste de productos, na qual ella nao man-
dara representante.
Eximinei com toda a atteogo os nossos pro*
duelos na grande exposicSo, e contluo qae a
nosaa Induttrla lem uella algum valor relativo ;
mat s relativo, note-se bem. Eolretaoto, etta
valor lisoogeiro e honroso para ot, atienden-
do a que a nossa industria tem apenas dez annos
de vida pacifica ; e, paraca que a Providencia
nos promette um futuro de progress e comoen-
sacao.
As medalhas que obtivemoa, se aso fosserc
devidas e concedidas pelo valor real dos nossos
productos, jamis o seriam pelo modo de expr
os objectos......
Nao deaejo aer injusto pira com os nossos
oramissanos na expoaigo universal, ou para
com quem nao tvesae culpa da coliocajo,
moda de lija deadelo, qae elles teem na mejma
exposico. Espere-se palo relatono da comrais-
so e pelas razes que ella dar da desordenada
collocago dos nossos productos. lis qastn
duvijo em Lisboa da confederaco deste relato-
no I Veremos.
A maior parte dos paizes representados indus-
trialmente oo grande palacio, team collocado n-
frente dos seus basares, oun'uma grinde galera
o retrato ou busto dos respeslivos aoberaaos; o li-
tigaras allegoricas dos mesmos estados. Ol-di-
rectores da nossa exposigao nao se lembraram de
fszr o mesmo I Achsm-ae na frente dos nossos
bssares, esa lugsr elevado, seis bsodeiras nacio-
naes, e ao centro deltas aa armas do reino muito
bem aberlas em madeira de Timor.que me dizera
estarem ali por lembranga de F. R. Balalhe,
aggregaio commisso I
Basta de exposigao portugueza, com quaoto
desejo sor muito maia minucioso ; mas -ma
absolutamente impossivel o faz-lo.
Uasejiria dar-vos urna idea dos productos de
todas as oages que abrilhaottm e enriquecem
o palacio industrial; mas isso tambam me nao
possivel. Eu aodo vapor.
D.r-vos-hei, de itassagem, a isto se deiia pre-
umir, quo o triuuapho completo pertence con-
juntamente Frang e Inglaterra.
Como appareca por toda a parte a grandeza o
a magestade destas duas nages 1 No palacio
industrial, quem sabir mus elevada galera do
palacio v os dous vastot quadrado que oceupam
as duas nages griodas e rivaes ; e, contemplo
surprehenJido tanta prosperidade, tsnta inlus-
iria, tanta grandaza de genio e arte I E' im-
poanivai nao se coohecer logo que as duas gran-
des diviiei, o os imraensos objectos, ali expos-
lot, pertencem duas ntgoas qu diriuem o
universo. "
Depois da Frange e Ioglaterra, avultam, na
exposigao o Zoilverein (liga aduaneira allemaa),
Balgica II E' espantoso o pro-
u a mlustrial
gresso iodastrial da
anda mais admirado
amolle, tuas e bustos de diverso genero, grandeza e ta-
manho.
Ali esto as estatuas e mauaolos de Naison,
B. Pael, Cinning, Fox, PiU, Nevrtoo, etc.
Attrabiu a minha altengo o monumento levaa-
! tado pelo rei e pelo parlamento ao grande esta-
dista conde de Chalham, pie do celebre Guilher-
! me Piti.
Dtparei, entre o grande numere de bustos es-
trangeiros que existen! em Weslminster, com o
do illuslre Paoli, defensor da independencia da
Tagetes glandu itera. Mart. Syo.Tagetes poro- Corsega, e adversirio de Napolelol, ainda nes-
phyllum Vell.Compostas. ; ga ilng/
0. 31.-Retina da rail de timb boticario. I Procurei entre os bsslos, estatuas e mausoleos
msravilha verdadeira chamadexDoiiVo"
Mat o que poderti eu dizer para vos dar urna
lda do quadro magestoso e surprehendente para
quera mesmo tueste visto em realidade as mara-
vilhas orienta es dos.celebres coolos das Mil e
urna nontis ?
As riquezas em valores de todo o genero; o
luxo industrial e artstico; a profaso e variada-
de dos objectos acumulados no palacio iodus-
tntl ; o reflexo dot crystaes e vidros de cor deste
magestoso edificio, sobre os immensos artefactos
de loda a especie nelle expoaloa. tudo reunido
faz urna vista deslumbrante que fere a inngina-
nto, f7! e.DlM D9,U Bt,y'0''i industrial,
nesta Babel das lioguas, oesla magettade da civi-
lisagao moderna, nesta congresso do industria
neia communho dos povos modernos I...
Por maia preparado que se esteja sobre o bri-
Ihaotismo da exposigao de Londres, neste son
estou certo que o effeito da surpresa, ao contem-
plar-se este ocano de reunio de riquezas palo
producto da ntelligeocta. da arte e da induitrias
humanas, ha di encontrar o espirito mais vasto
e odesejomaiains.ciavel. tado muito superior"
ao que tiver aotecipadamente imaginado l .
Se o mea voto vale alguma couta, assezuro-
vos. qae em mira produzu ette effaito. Seraore
uhm.'?ba *U* teDh0 """"o inferior ,o qPu
nlJ, g'nad?- cmo sublime, os objectos para
que eslava predisposto ; porra. pelo que respe -
la exposigao de 1862 poaso assegurar que a te
nhoi encontrado auperior ao muilo que imagina-
va della, em qualquer aeotiJo I
Eotrei. pela primeira vez. no palacio Indus-
trial, pelo lado occidental do edificio. Aote o
liminar das muilas portas da entrada encontram-
ae escadariaa que cooduzem os "visitantes s ca-
leras superiores as quses Qcam mallos metros
superiores, em altura, ao rez-de-chausse.do pa-
lacio. J eu tmha goaado maito entrada ; no-
?-?.*f! Sf,P*S4 d" i" e gosa das va-
randas das galenas.
Eslas verandas, largas e espsgosas, guardadas
por bella, grades de ferro, sao oceupsda. por
bancadas estofadas para deacango dos visitantes
e dao entrada para os bazares dos productos au
cada paiz expoa ali dos repartimentos das la-
mas galenae, os quaaa ao correspondentes aos
basares do rez-de-chaosse, eu da nave, possui-
dos oeste lugar por cada paiz.
O panorama que se gosa daa gradea das varar,-
das das galeras, estn Jendo a vista para a fren-
te do palacio industrial, para a esquerda e para
a direita do meamo, imponente, nico, da
um elleito aurprahendeote viata L
Aa bandeiraa daa oages, e as grandes letiras
brancas em pannos vermeiuoa
veem-se ondular branda
randas. Ali est o mun
eua
Alleeaanha : mis, eatou
da brilhante figura qua
vejo estar lazando a Blgica na presente oxposi-
gao universal, coas quanio ningaem possa ii-uorar
o seu rpido progreso.
No grande palacio da exposigao atlraha a
atiencao do viaitador a raamo de productos e a
riqueza delles e dos basares perieocentes ao
reino da Italia, cora o busto do aeu rei na
frente, rodeado da muitaa bandeiraa da nova
ooarcoia.
Posso dizer, segundo o meu modo de avalitr
que o reino da Italia rivalisa cosa a Frang e"
Ioglaterra era estatuaria, se aa nao excede
primor de arte e sublimidade de genio I
Os productos da paniosula italiana esto reu-
nidos eos ura s local do palacio ; at metmo oa
du Eitado ramaoo, com quaoto estes formen
um grupo separado dos productos do reino
creado pelas victorias de Migenta Solferino.
Mis o que atirahiu muito a mioha altengo
foi ver a industria do Veneza agrupada com o
productos da Italia, quindo as negos algemeda
pela Austria te achaca unidas, industrialmente, a
osla uago, como o eslo pela forgs I......
A iofeliz Veneza apresenta-sa pobre na expo-
aigo untversil de Londres. Uso admira.
Mas se ella escrava na Italia, est livre da
\uatria no palacio ioduslrial: os seus pouco9
productos acham-se defronte dos basares da
Portugal: urna ra de nave do palacio separa
Veneza de Porlagal. o busto do Ilustre conde
de Cavour, do primor da arle italiana, achi-sa
oa frente de um basar portugus, olhando para
o basar que tem os productos de Veneza. Os
basares de Portugal eslo collocados, como j
vos disse, eolre a Ilespanha e o reino da Ita-
lia. Este, carca-o por dous ngulos ou tres
iocluindo Veneza. A' Ilespanha cerca-e pelo*
ngulo da esquerda. Este paiz aprsenla bellos
productos industraes; mais sendo to grande, e
tendo tamaoha indualria, nao est bem repre-
sentado na exposigao.
Merecam especial mengo a iodustrra exposta
pela Austria, Russia e Suista. A Suecia, Norue-
ga, Dinamarca, Turquia, Hoilanda o Egypto,
representara muilo bem os seus paizes no senti-
do de bellos p*ro lucios. A Uollaoda avulta no
meio destas ultimas nages.
Ta-mbem o Brasil; veiu a expoeigio universal;
mas bei de ver sa potao examinar em separado*
os .productos do Novo-Mundo.
me ioepesslvel aer mais extenso n'uma carta
sobre e grandioso assumpio chamado exposigao
universal, de que tenho querido dar-vos urna
idea ; pois, tendo de examinar algumas fabricas
as principses cua lea de Inglaterra, nao posso
dispr de lempo alguna para eatas discrip-
ges. Amaoba algo para Glasgow, aflea de ver.
alguma eoaea da Escoeia, e as fabricas dotta,
cidade; depois voltarei a Londres por Minches*
ter e Liverpool. Nos priocipios de agosto dvo
ealar em Fraoga. Tenho o meu Itinerario at.
me recolher a Portugal.
Julgo que me nao falhsr muito, porqaa uos
lugares que pretendo transitsr, esparo m en-
contrar os burros de Jos da Adiee, nem a
classica ou usual indolencia do noeao, paiz, o
auas numerosas communicages. Sem embargo
de ludo isto, estou com saudades de PcxtugaL II'
natural que assim seja.
Damais, na Ioglaterra nao ae fai sooao samear
us, e nao cont tirar boas
meihns can s in<4i>m """i u" i
mee deq dm. das y"'. W **? e "#
do artstico e industrial. *********>
Ali eslo reaaidas todas as nages com"as auas JBU.'*
galla, ptoduzda. pela naiures"., pelo genio do rna?,nClUnudlp?tnd0A \*% **" PS, ""'
homem, pelo seu talento, scieocia e trabalho na. .J,ir 'i j .
lo vapor, e pelas machinas. ""amo pe.- ( Do Jornal do Commercio, de Lisboa.)
D'all se v* o que o bometn
III

-

capax da reaU-,
PERNAMBUCO.-TYP. DEM. P. DE F. 4 FILHO.
MUTILADO
ILEGVEL


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ENYZXKUQ1_1TB7RW INGEST_TIME 2013-04-30T19:54:46Z PACKAGE AA00011611_09610
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES