Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:09583


This item is only available as the following downloads:


Full Text
>
AIIO IIIV111. IQMEIO176.
Por (res mezes adianlados fiJOOO
Por tre mnt vencidos 6$000
-
SEXTA FEIU I DE AGOSTO DE U01

Por anuo adtaitado 1MOOO
Porte fraict para sibscriaUr
DIARIO DE PEMMBICO.
RSCARREGADOS DA SUBSCR1PCAO DO NORTE
Parahyba, o Sr. Amonio Alexandrino da Li-
na ; Natal, o Sr. Antonio Marques da Silva
Aracity, o Sr. A. da Lemoa Braga; Cear o Sr.
J. Jos da Oliveira ; Miranho, o Sr. Joaqairo
llarqaai Rodrigues; Para, Manoel Pinheiro &
C; *.mazonie, o Sr. Jarooymo da Costa.
ENCARREGADOS DA SUBSCR1PCAO DO SOL
Alagdaa.oSr. Claadino Paleo Diaa; Baha,
Sr. Jote Martina Alvos; Rio de Janeiro, o Sr.
Joaa Partir Martina.
PARTIDAS DOS CORRE10S.
Ollnda todoa oa diaa ai 9> boraa dodia.
Iguarsss, Goianna, Parahyba nai aegindas
a aextaa-feiraa.
S. Anto, Bexerroa, Bonito, Caruar, Aliinho
Garanhuna as tergae-feirai.
Pao d'Alho, Nazaretb. Limoelrg, Brejo, Pea-
qaeira, Iogazeira, Florea, Villa-Bella, Boa-Vala,
Ouncurye Ex as qua. tii-feirae.
Cabo, Serinhem, Rio Formoao.Una.Barreiroe
Agua Prela, Plmentelraa a Natal quinas feiras.
(Todoa os correios partem as 10horaa da machas
PHEMER1DES DO MEZ DB JULHO.
4 Quarto rateante aa 8 horas e 20 minutos d
manhaa:
12 La chela aoa 2 min tot da manhaa.
18 Qaarto mingtante aa2 horaae32 minuloi da
tarda.
26 Laa ora aa 6 horas 24 minutos da man.
PREAMAR DE 110JE.
Primeiro as 8 boras e 30 minutos da machas.
Segando aa 8 horaa e 54 mlnaloa da larda.
'-
PAVTIBA DOa TIBORES COSTHIROS.
Para a sA aU Alageos i & a 20; para o norte
t a Granja 14 a 19 da eada mas.
PARTIDA D03 MNIBUS.
Para o Raeife : do Apipueoi i 6 1|2, 7, 7 lf2, 8
t.8 1|2 da ,; de Olinia ai 8 da m. t 6 da t.{ de
Jaboato fe 6 1|2 da m.; do Caxang a Yanta
s 7 ds m.: da Btmfica s 8 da m.
Do Recita : para o Apipueoi s 8 1|2. 4, 4 1|4,
4 1|2, 5, 5 Ii4, 5 112 a 6 da t. ; para Olinda aa 7
da m. a 8 1|2 da t.; para Jaboato s 4 da t.; para
o Caxang a Yarsta As 4 1|2 da t.; para BtmAca
aa 4 da t.
AUDIENCIAS DOS TRIBUNA ES DA CAPITAL.
Tribanal do commercio : sagundil quintil.
Relago : tergas a aabbadoa i 10 horaa.
Faianda: quintil a fO horaa.
Jaizo do sommarcio : segundas ao malo da.
Dito da orphos : taris a sextaa a 19 hers.
P/lmeira rara do rival: tarjas a axtaaae malo
dia.
Segaodi vira da civel : qa arlan iibbidJi Al
hora da tarda.
DAS DA SIMA* A.
28 Segunda. S. Innocencio p.; S. Naiarlo m.
29 Tejga. S. Olavo rei ; S. Lucilla; S. Lobo b.
'30 Quarta. S. iulino m.; S. Donatilla .
31 Quinta. S. Ignvclo de Loyolla fundador.
1 Sexta. S.Pedro ad vincula. Os 7 Mchaeoa Irle
2 Silbido. Noisa Seohora dos Aojos.
3 Domingo. Ioveoco do corpo de 3, F.itevao.
ASSIGNA-SE
oo Recita, em a livraria da pnga da'-Indepen-
dencii Ds.6 a 8, dos propriataros Minocl FlgaaU
ro deFaria & Filho.
FAWTE OFFICUL
Ministerio dos negocios estran-
tjeiros.
Declara que vigorando a reipeito dos cnsules
portugueses o decreto n. 855 de 8 de novem-
bro de 1851, em virlude do accordo especial
celebrado nena corte, nos termos do art. 24
do mesmo decreto, entra o goveroo imperial
e o de S. M. Fidelsima, nao lhas podem ser
applicadas quaeiquer oulras dispusigoes em
contri rio.
Ao presidente da provincia do Rio Grande do
Sul.2* seego.Mraislerio dos negocios estrm-
$eiroi.Rio de Janeiro em 15 de julho de 186*.
Ilion e Exm. Sr Pelo leu officio n. 19 de 11
de junho lindo, que secuto recebido, commuoici
Y. Exc. ao goveroo imperial a deetsao que pro-
ferio oo recurso que para esia presidancis inter-
pez Francitco Jos de Macedo, da deciso dada
pelo jais de orphoi sobre o requerimento em
que pedia autorisago para qua o produelo da he-
xanga do aubdito portuguez Antonio Doroingues
Barbota lhe tost paga a quaotla da 2:363$652,! V.
importancia de umi divida a que eslava
a meima heranga.
Declarando que o decreto de 8 denovembro de
1851 nao fot rnvogado ou alterado pelo de 15 de
junho de 1859 na quetto vertente, e qaa portan-
to o referido juiz podia ter ordenado o pagamen-
to, com aadieDcii previa do agente coniular, de-
vendo em todo o caso a pirte inleressada recor-
rer ao tuperior competente, bem e regularmente
procedeu V. Exc.
A observancia do reguiamento de 8 de novem-
bro, que leva por objecto estabelecer o modo
pratico da arrecadsgo do espolio dos subditos
estrangeiros fallecidos no imperto abintestados,
foi garantida a todas as potencias qae nos offere-
cenem a reciprocidade por sus parte. E, pois,
deide que pelus meios offieaei e solemnes de
estylo fosee mutuamente eaojada a reciprocida-
de, claro que o dito reguiamento tornou-se um
ajuste internacional, cujas diiposiges i por nu-
tro ajuite interoaciontl podem ser revogadas ou
modilkada, e nunca por quaesquer leis ou regu
lamentos cooetroeotes ao servido ioterno do paiz.
Ora, leudo sidj Portugal urna das potencias
que iceitaram a reciprocidade offerecida, como
consta do accordo celebrado uesia corte pelas
notas reversaet de 18 de novembro e 9 de de-
zembro de 1861, e mandado execular pelo decre-
to D. 882 desta ultima data, j se v que est
compreheodida no principio que Oes exposto, e
por conseguinle que nao podem ser invocadas aa
dispoiiges do reguiamento de 15 de junho de
1859, nem de oulra qualquer, que contrariem as
do de 8 de nuvembro do lr*5l.
Respondendo assim ao olicio de V. Exc. tenbo
por conveoienle recommendarlhe qaa ueste sen-
tido instrua ao juiz de orphos deua capital.
Reitero a V. Exc. ai segur togas de minha per-
feita estima e dtttincta considerago.Mrquez
de branles.A S. Exc. o Sr. Francisco de As-
sis Pereira Rocha.
de pagar aos empresarios da illuminaco a gaz
nesta cidade a quantiide 358000 proveniente do
gaz consumido na illuminagjo do palacio da
presidencia dos das 24 e 25 de margo deste au-
nn, a do concert de um dos candieiros do mes-
mo ptlacio.
Dito so mesmo.Teodo em visls a sua infor-
migo de hontem tob n. 695 recommendo-lha
que de conformidade com o meu o lucio de 16 do
correte mande pagar a Francitco Hotelho de
Aodrade por coota do exercicio correte os
12:5458000 qua se lhe est a dever por haver
feito conslroir trizo bracas de caes no Forte do
Mallos, Qcando siim respondido 0 officio de V.
S. o. 670 de 21 deste mez.
Dilo ao mesmo Devolvo V. S. j reforma-
dos, de conformidade com a sus informago de
5 de junho prximo Qndo, sob o. 515 os prets
dos vencimentos dos guardas nscionaes desta-
cados em Caruar a contarde 13 al 22 de abril
ultimo, afin de que mande pagar a importancia
de toes veocimeotos a Jos Das Moreira confor-
me recommendei em officio de 22 de maio des-
te aooo.
Dito so mesmo.Certodo contedo de suain-
formaQao de 26 do correte sob n. 691, reverto
S. ss incluas contas na importancia de
GOVERNO DAjaOYIKCU.
Expediente do dia 29 de junho de
f8GS
Oflicio ao Exm. presidente da provincia de
Sania Cathtrioa.Aonuindo ao que requerea-
tne o lente quartel-mestre do 9* bataiho de
iofmtacia Joo l'aulo de Miraud, vou rogar
V. Ex: a expedirlo de suas ordeosaGm de que
a datar do 1" desetembro prximo viodouro em
diant ces9e o abono da prestacao mensal de
15jOH'J-' de seu solio consignara o meimo
teneote uesn provincia, 6nviando-me V. Exc.
para o devido elfaito a competente guia de sus-
pensao de pagamento.
Dito ao comm-ndinte das armas Respondo
ao officio de V. Exc. de 2t do correnle, sob n.
1,437 dizendo que o autoriso a mandar preparar
pela pharmacia militar urna ambulancia a (ira de
aar enviada villa de Garanhum para o traa-
ment dai pradal do exerciio que all se icham
6 forera accommeitidas do choleri-morbus.
Dito ao mesmo.Transmiti V. Exc. os in-
clusos processos de conselho de guorra do alte-
res Alvaro Coorado Ferreira de Aguiar, Io sar-
gento Geograpoo Antonio de Catiro Silva, 2' sar-
gento Silverio da Coila Ciroe e soldado Aotouio
Alves Ferreira, este do 2 bitalho de infama-
ra e squelles do corpo de gusrnigao dests pro-
vincia, aflm de ssrem compridas as senteocas
proferidas pelo conseibo supremo militar de jaa-
ti?a nes mesmos processos.
Dito ao meimo.Transmuto V. Exc para o
flm conveniente as cerlidoes de assenlamenlos
das vinle prar.iscoostaoles da relajo annexi ao
officio do commandante do 9' bataiho di infan-
tera, a que si refere o de V. Exc. de 16 de maio
ultimo, sob o. 999.
Dito ao mesmo.Transmuto V. Exc. os cin-
co iacluioi processos de conselho de guerra dos
soldados indicados na relajo juita, afim de
que sejam cumpridas as senteocas proferidas nos
ditot processos pelo conselho supremo militar
de jusii;n.|
Dito ao Dr. Jos II nrique Ferreira, cnsul de
Portugal.Com as informaQis juntas por copia
ministradas pelo Dr. chefe de polica interino e
aabdelegide da freguezia de S Frei Pedro Goo-
galves do Recite, respondo io officio que me di-
rigi o Sr. Dr. Jal lleorique Ferreira, cootul
de Portugal, em 9 do correte com referencia a
queixa do subdito de sua na;&o Joiquim/Luizda
Silva. 7
Renov ao mesmo Sr. contul a seguranza de
minba purfeita estirui e dislin;la coTsideraQo.
Dito io commandante superior do Recite.Res-
pondo ao oflicio de V. S. n. 63-de 23 da correle,
dizeodo-lhe que deve s*r-Ufeve jopn^o marca-
do ao major Alexandre Augusto/de Friaa Villar
para fu t entrega dotobjectos da guarda nacio-
nal que eslo sau cargo, visto ier o Exm. Sr.
ministro da guerra determinado,/que aquelleolfi-
cial siga para a corte sem demora.
Dito ao commandante superior de Olinda a
Ignirais. Em resposta ao officio de V. S. de
21 do correle, tenho adixer-lhe que fico iutei-
rado de ter sido adiada pelo motivo exposto em
aea citado officio, para a primeira domiaga de
agoslo viodouro a reunio do conselho de revista
da guarda nacional do municipio de Olinda e
Iguarass,Em resposta ao officio de V. S. de
21 do correte tenho a dizer-lhs que, tico in-
terado de ter sido adia.'a, pelo motivo exposto
que no impedimento de V. S. deve aervir no
mesmo conselho o chefe do estsdo-maior desse
commsndo superior nos termos do artigo 43 da
le n. 602 de 19 de setembro de 1850, e arl. 6S
17 do decreto o. 1354 de 5 do abril de 1854,
sem embargo da representaclo contra elle tena,
conforma lhe declarei em officio datado de
hontem.
Dito ao inspector da Ihesouraria de tazeoda.
Deferiodoo requerimento que devolvo, a sobra
que versa a sua InformaQo de Loatem aob o.
94, autoriso V. S. a mandar pagar ao bacn-
re Pedro Secundlno Meodes Lins, juiz munici-
pal do termo de Saoto Aoto, os vsneimentoa que
lhe foram deicontados correipoodentaa aos 21
dias em que eiteve doente nos mezas de margo
ajanho deste anno, viiio que considero justiQ-
cada as faltas que deu o mesmo bacharsl na-
quelles dial.
Dito ao mesmo.Dsvolvo V. S. es doca-
mentoa que Yieram annexoa aua informacao
da 26 do correnta aob o. 688, afim de que man-
aujeita 1560C6O do gsz consumido com a illuminaco do
palacio di presidencia nos mizei de abril a junho
deite anno, atim de qae mande pagar aumente
a quanlia de lGo'zO que existe do respectivo
crdito no exercicio prximo Dndo.
Dito ao Inspector da Ihesouraria provincial.
Aatorito V. S. nos termos de sus informago
de 26 do correte sob n. 415 a mandar pagar ao
Dr. Filippe Nery Collado a quaotia de 343$000
que se lhe est a dever proveniente da ultima
prestarlo do contrato que celebrou com essa ihe-
souraria pan a impresso dos respectivos balan-
do, ornamentos e relatorios no exercicio prxi-
mo lindo.
Dito ao mesmo.Recommendo V. S. que
em vista do que expoe o director da repartico
das obras publicas na informacao junta por co-
pia e dos papis a que ella se refere mande pa-
gar ao ex-arrematanie do empedramento entre
os marcos de 6 e 8 mil bragas na estrada da Vic-
toria Antonio Malachias de Macelo Lima, nao a
quantia de 314$100 indicada em sua informarlo
do r do torrente, aob n. 375, e tim a de 3179100
a que elle lem direito proveniente de 15 brajas
de empedramento que se conilruo antes de ser
encampada aquella obra e de 18 ditss de pedra
que deixou sobre o leito da mesma estrada,
Dilo ao inspector do arsenal de marinha.
Communico V. S. para seu conhecimento e di-
recebo, que segundo consti de aviso da repart-
cao da marinha de 18 do correnle, fra niquel-
li data exonerado o primeiro teoenle da armada
Braz Jos dos Reis do lugar de ajudanle dissa
inipecgo.Commaoicou-se a Ihesouraria de fa-
zenda.
Dito ao juiz de direito de G officio de Vmc de 19 deste mez recebi os doui
folhetoi imprenos sobre o tratamento do chole-
ra-morbos observado pelo commandanti superior
deisi comarca Jos de Carvalho de Araojo Ca-
valcanli.
Dito'ao juiz da direito de Pao d'Alho.Pelo
officio que Vmc. me dirigi em data de 27 do
correte flqueitnteirado de aeh?r-se essa comar-
ca Das melhores coodi^ois de salubridad*.
Dito ao mesmo.Em additameoto ao mea of-
ficio de 12 do correla declaro a Vmc. que os
mappss dos trabalhos mensaes das promolorias
publicas devem ser orgaoisados de conformidade
com o modelo junto ao aviso circular do minis-
terio da juilica de 5 de margo de 1855, junto por
copis.
Dito ao presidente da cmara municipal de
Barreiros.Rametta-me Vmc. cora urgencia co-
mo j lhe recommendei em me officio de 16
do correte urna copia da acta da ioilallaQo da
meta do collegio eleitoral que fencciooou nessa
villa por occasio de proceder se a eleicao de
um deputado assembla geni no dia 6 daite
mez.
Dito ao preiidente da cmara municipal do Rio
Formoso.Remetta-one Vmc.com urgencia ama
copia da acia da ioslailaQao da mesa do collegio
eleitoral que fuoccionou nessi villa por occasio
da proceder-ie a eleigo de um deputido geral
oo da 6 do correte.Igual ao de Serinhem.
Dito ao presidente da cmara municipal do
Cabo.Remetta-me Vmc.com urgencia ama co-
pia da acta da iostalla;ao da mesa do collegio
eleitoral que funciooou neisa villa por occasio
de proceder-ie a elei;o de um deputado geni
no dia 6 do correte, a qual aegando coostt de
aviso do ministerio do imperio de 21 deile mez
devia ser enviada por aquello collegio com a da
apurarlo dos votos di referida eleicao.
Dito ao presidente da cmara municipal do
Recite.Convindo evitar a peroicioia pratica de
lancar-se as praias desta cidade iixo e outros
eotulnos que muio concorre para a obitrucgio
do respectivo porte e tande a contrariar seno
inutilissr os esforzse aa avultadas somatas dis-
penlidas com o melhoramento do mesmo porto,
chamo atleogio da cmara municipal do Recite
para este tacto, afim de qae por meio de seus
ageotei trate de reprimir e fazer cenar seme-
Ihante abuso, prevanindo o infractores das dis-
posiges a tal respeito cootidas as posturaa
dessa cmara e no reguiamento de 19 de maio
de 184G.
D lo ao presidente e membroa da commisso
benecente da freguezia de Papacara.Commu-
nico Vmcs. para seu conhecimento e direceo,
que nesta data envi ao juiz de direito ioierioo
da comarca de Gtranhona para informar e provi
denciar logo como convier o officio que Vmcs.
me dirigirm em 23 do correte relitivamenle o
estado actual da epidemia reinante neasa fre-
guezia.
Dito ao juiz de paz do 2 dittricto di freguezia
da Boi-Vista, Thom Carlos Paretti.Com aco-
pia do parecer do desembargador procurador da
corda datado de 29 deste mez com o qual me
conformo, respondo a consulta por Vmc. feila em
officio de 15 do correte.
Dito ao Dr. Gervasio Campello Pires Firreiri.
Communico Vmc. para seu conhecimento e
directo que seguudo consta de aviso do minis-
terio da agricultura, commercio e obras publicas
datado da 16 do correte maodou-ae-lbe dar pis-
ssgem de estado a r para Maraoho no vapor
que segu amanha para o norte.
Dilo ao administrador do correio.Eneca. Vmc.
as aun ordeni, afim de aerem enviada pira o
vapor Cruzeiro do Sul amanha at i 3 horaa
da tarde aa malas que tam da condazir para o
oorte o referido vapor.
Dito aos agentes da compmhia braiileira.
Podam Vmcs. f Cruzeiro do Sul amanha hora indicada em
ssu oflicio de hoje, preveniodo-os de que nesta
data eapec.0 ordem ao administrador do corraio
para mandar fechar as malas s 3 horas da tarde
daquerre dia.
Portara.O preiidente da provincia tendo em
vista a proposta do captlo do porto deata data,
aob n. 98, reaolva de conformidade com o art. 5*
daa ioilruccoes que biixanm com o aviao do mi-
niiterio da marinha da 18 de fevereiro ultimo,
nomear para pharoleiroa do pbarol da barra do
porto deata cidade oa cidadoa abaixo decla-
rados.
. Para 1 pharoleiro.
Jo&o da Cruz Lima.
n u Par* *** pharoleiros.
Bonifacio Bezarra.
Manoel Alves Pereira.
Dita.Oa Sra. agentes da companhia braaileira
de paquetes a vapor maodem dar urna passagem
de ptOa al o Haranho uo vapor Crwro ia
Sul, em lugar destinado passageiros de estado
ao crioulo Thlago que val era companbia do Dr.
Gervaaio Campello Pires Ferreira.
Dita.Os Sra. agentes da campaohia braaileira
de paquetea a vapor mandem dar passagem de r
at o Maranho em um dns lugarea destinadoi
pira passageiros de estado do vapor Cruzeiro do
Sul ao Dr. Firmo Jos de Mallos e da proa ao
indio Jos.
Despachos do da 89 de julho.
/ter/uerimeno.
Anna Francisca Pees Brrelo.Informe o Sr.
deiembargador provedor da Santa Casa da Mise-
ricordia.
AntonioGoo?alves de Azeve3o.Informe o Sr.
Dr. chefe de polica.
Aotooio Malaquiss de Macedo Lima.Dirja-
se ao inspector da theaouraria provincial.
Cosme Flix Correia de Mello.Informe o Sr.
desembargador provedor da Santa Casa da Mise-
ricordia.
Ernesto Augusto de Athayde.Informe o Sr.
Dr. juix municipal da segunda vara.
Dr. Felippe Nery Collco. Dirija-se ao ins-
pector da thesoararia provincial.
Jote Lmdro Martioi Filgueiras.O filho do
applicante s 16 le ser alten litio ou alistado oa
companhia de aprendizea marinheiros.
Jos Thomaz de Campos Quaresma.Informa
o Sr. ioipectorda Ihesouraria provincial.
Maximiaoo Lopes de Araujo.Informe o Sr.
Dr. chefe de polica.
Maria doi Barres da Porciuncula Amorim.
Declare a supplicante em que bataiho foi o seu
filho qualificado guarda nacional.
Thomaz Antonio Ramos any.Informe o Sr.
director das obras publicas.
N. 410.Repartteo fiscal da estnds de ferro
do Recite a S. Francisco am 30 do julho de 1862
lilao, e Exm. Sr.Em additameoto so meu*
officio de 28 do correte, levo so conhecimento
de V. Exc. as novas ioforma^oes que por Inter-
medio da um de meus ajudaotes me (ora minis-
tradas acerca do desencarrilhamento do Irem em
servi;o doi trabalhoi da 4a secgo.
Parti de Gamelleira na mauha de 28 a loco-
motiva do empreiteiro, empurran lo sen earro-
Qaicarregadaa de trra e cheias todas ellas de
trabalbadores, achiodo-ie as 7 horas no lugar
designado pra a estato de Cuiambuca. Para
que o irem tenha llvre passagem pela lioha prin-
cipal, nao bavendo viga na mudanza des-
te lugar, conservam-se ss agulhai aftasladas doi
trilhoi 'aqoella lisha por meio de nma cunha
que retirada por um doi serventes da machi-
na quaodo ha necessidade de conduzir-se o Irem
para o desvio. A cunha porm havia sido sub-
trabida, e entre a oulra agulha e o trilho cor-
respon lente colloeada ama pedra que os separa va
oa dntancia apenas de urna polegada piuco mtis
ou menos,
Ao ebegar ahi a primeira carrosa poude paa-
ssr bem, a segundi porm esbio e fez a primei-
ra virar-se causan lo assim a morte de doua tra-
balhsdores e feriado -levemente outros doui.
sendo Oestes ltimos um dos apomaJores do em-
preitelra.
A autoridade policial do lugar tomoa conhe-
cimento do ficto sem prenler o machioista John
Ioghlin que diriga a locomotiva, o que permet-
tio que oa tribalbadorea da linba cooiionasaem
sem ter bavido inlerrupco.
Deus guarde V .Exc.Illm.e Exm. Sr. Dr.
Maooel Francisco Corris, presidente da provin-
cia.Buarqae da Macedo, eogenbtiro fiscal.
Coiiiniaudo das armas.
Qaariel-greneral do commando das
armas Je Pernambuco na cida-
de do Recite em 31 de julho de
186%.
ORDEM DO DIA N. 116.
O general commandanta das armas determina
que na manhaa do dia Ia de agosto viodouro se
passe revista geral de mostra soscorpos movis
do exercilo, e compsnhias isoladas existentes
nesta guarni;o em seus respectivos quarteii
pas ordem segainte :
As 6 horas a companhia de artfices, as 6 li2
a da cavaliaria, aa 7 ao 7o bataiho, as 7 1|2 ao
2*. aa 7 1|4 ao 9*, todos de infantaria, e final-
mente aa 8 ao 4* da arlilharia a p.
Assignado.5ofidonio Jos Antonio Pereira do
Lago.
Conforme. Jos Francisco Coelho, capito
ajadante de ordens encarregado do detalhe.
EXTERIOR
Correspondencia do Jornal do Com-
mercio.
Montevideo 17 de julho de 1862.
Depois das polmicas sustentadas pelos relac-
tores dos dous peridicos Reforma e Discussion,
das quaea resultaran: dous juizos de impreosa, o
que mais preoecupa a atten;o publica a con-
venci com que termioou definitivamente a ce-
lebre queslo das reclamiQdes aoglo-francezsi,
que at agora lem aido diicutida naa camina,
sem chagar a aer votada, por have-li retirado o
goveroo, que fes urna convocaco extraordinaria
s para esse Gm, no mesmo aeto do encerramen-
to, que lev. lugar no dia 15 s 7 horas da ooite.
Por mais que os deputados Carreras e Vazques
Sagastume, fazendo alarde de grande patriotismo,
tenham levantado a voz para combaler oatermoa
desta conveoQo, ter ella furiosamente de aer
approvada pelas cmaras.
Tambera te oceuparam astas da demiiso de um
eicnvo, que usando daa prerogalivas de um de-
putado, formulou a moco segainte, com que
attrahio aobre ai as iras do supremo tribunal de
justiga, que apezir de aer o applicidor da le,
nao quiz respailar as immuoidades que a consti-
laicao garanta aos representantes do povo no exer-
cicio das suaa fonecoea :
Minuta de eommunicago.A honrada as-
sembla geral examinando algumas resoluges
que com o Ululo de acordaos dicloa o poder ja-
diciario, nao pode delxar de compeoetrar-aa de
quetiea resoluces importara um verdadeiro ata-
que contra a aobermia nicional e ai publicas li-
berdades. Abdicara, pois, a honrada aasembla
geni a aua digoidade e soberana ae tolerissa os
saa presenta outro corpo legislador, e por itso
resolveu diriglr-se ao poder exvcutlvo afim de que
faga chegar ao conhecimento do poder judiciario
o vivo desgosto o estranbeza com que a honrada
aasembla geral tem visto aquellas usurpagdes
daa suaa prerogitivaa, a aejo derrogados imme-
diitameote e declarado sem afteilo os acordaos
em queslo. >
Como aa esta bomba nao bastasse, e como pa-
ra que 08 deputsdos ds presente legislatura li-
quen impressos ni memoria do povo, outro de-
putado apresentou a asgulnte moco cootra aa
mesmas persooagens do poder judiciario, o que
prora palo menos que estas nao gozm das ge-
rasa svmpathias :
c Minuta do decreto.Art. 1.* Ficaqj privados
dos seua csrgoa oa membros dos tnbuas.es de
jusc.a da primeira o aeguudasecflo.
o Art. 2. O honrado corpo legislativo proce-
der immadiatamante eleigo dos novos mioii-
troa que tem de compor amboa os tribuoaes.
< Art. 3." Communique-aa ao poder execui-
vo.
Eotretaato eonttousm vigas as pistas do go-
verno e relages eatrangeiraa. por nao encontrir
o presidente qoem queira coma-irlir com elle a
reaponiabiliilide do urna aituago. cojo nico
merecimento consisto em adiar asqueiles, pre-
parando astim aoBtlictos para quem tiver de Ibe
succader no podar.
Pieou hontem organiasda a commisiSo perma-
nente.
Urna lei votsda nos ulilmos momentos da ac-
tual aesso legislativa, declarando millos os con-
tratos da lotico de servigos celebrados tora do
paiz com Individuos da rica africana, nao deixa
de ter alguma importancia para o Brasil.
A caraira doi aentdores da nigo argentina
votou aBoal o projecto de lei sobre a capital da
repblica.
Habituadoa os noiioa homeos pblicos a (Ilu-
dir as difficuldades de momento, nao saneas do
provisorio, a adiam para daqui a trea annoa a
deslgnago do ponto que tem de servir de capi-
tal permanente da confedarago. Entretanto con-
tinuarn n lutoridides nacionaei a residir na ci-
dade de atVieoos-Avrea, a qual, como toda a pro-
vincia dea federalisida em toda a extenso do seu
territorio pelo termo de trea aonoi, de modo que
durante este pnso, perde a aaa antoooraii pro-
vincial caducindo todas as suas autoridades lo -
eses
Este projecto passou para a cmara dos depu-
tados, onde se fiv urna opposigo de paro la-
xo, mai o voto qae neites paires vence sempre
o nciocinio decidir favoravelmente.
Onde ha recelos de que possa sogobrar o pen-
samento na assembla provincial, cuja reno-
vago ae fez no domingo paaaado, sahindo le-
tos algans candidatoa adversos ao projecto de
capitiliiar toda a provincia, e que, apezu de
pertencerem ao mesmo partido, formam oas li-
leirisda oppoiigio que ae tem orgaoitado con-
tra o general Mitra.
Apezar de alguna terem renunciado, procla-
msram-st os s guiotei.
Senadores; D. Fraocisco dlas Carreras, Juan
J. Montes deOc, Joaqun Floros, Matbiai Ra-
mos Mesia, Bernab Saeoz Valiente e Eustaquio
Riestra.
Deputados : D. Martin Campos, Jicintho Car-
denal. Sanliago-Larross, Leopoldo Moutes de
Oes, Jos Maria Migeos e ngel Buso.
A' vista deita pequea derrota soffrida pela
fracgo^^ulo mesmo partido que sustenta o go-
veroo aVdo o trame, j algans aspiritos de-
bis principiam a temer que ae altere a paz.
Nao aou deata opinio, porque ma perauado que
uos e outroi sentem bem que neeessario dar
prestigio a autoridade emanada do aeu proprio
seio, se qua sinceramente se quer chegar a
organisar.a repblica. A queslo est am fazer
o.que melbor coovenha aoi interesses geraes do
piiz, ien/ deter-se demasiadamente diante doi
embaragoa que oppoera as formas federativas,
mal cabidaa em tempoa de coofiagraco, pois
qaa ae Maje neceesario ciogir-ae estrictamente s
disposicjes ouitituciooaes, nao ha veri goveroo
geral r*3-.;;, ibodo certo qua por mais voltas
qua daAp-j, vina eit go'eroo a acbar-se em
antago '.-no com a provincia de Buenoa-Ayrea,
qne por si s forma a metade da confedengo,
representando a miior torga moral e material.
' mister pois diapor dos cirnanlos dests pro-
vincia pira poder fazer couia qua seja til.
Os que combatem a actualil.de increpara o ge-
neral Mitre de querer parodiar Rotas, invocando
o syslama federal ao meimo lempo queapplica
oa pntica os principios unitarios, que o que
vem a succeder com a federalisago provisoria de
toda a proviocia declarada capital, assumpto so-
bre o qusl ni cmara dos senadore le proferi-
ram mu lindos discurios, cheios de theoriis im-
priticaveis, querendo assenaelhar-ooi a rag
anglo-aaxonia e aa sociedadea infinitamente mait
adiantadas quaodo ae coostituinm debaixo do
syitema federal.
A prova evidente de qae os oossos povos nao
esto linda asss preparadoa, encootn-se em
que hi maia de 35 anaos se divag sobre ambas
as ideas, unitaria e federal, aeodo ellas o esc-
lito em que naufragaran] as primatrai intelligen-
cias argentinas, como Rivalavia, Rodrigaea,
Puitieodou, Rundeau e outroa que pautaram o
leu procedimento pelaa forran regulares. Se
Rosas cooseguio manter-se 20 annos no poder,
foi pondo de lado os escrpulos, encontrando o
elementos de torga e impoodo a sua vontade.
com qae deixou corrompido o asniimento das
maiaas, que a unidade chima edarsg&o', e vice-
versa.
A proposito de9tss discussoes propoz por tran-
aacgo o Sr. Riestra, ministro da fazeoda, ao se-
nado, que se declarasse a existencia dos poderes
proviocial e niciooal na cidsde de Buenos Ayres,
nica parte do territorio que daveria federalissr-
ae, e por causa disso correu oo publico que se
tioha dado dasiotelligancia aria antro o general
Mitre e o sea ministro ; mss urnas cartas publi-
cadas na Triouna deamentem o boato, revelan-
do, pelo contrario a maior barmonia entre estas
doas persnnagens.
Anda em Cordova le nao procedeu s novas
eleigdes do diputados ao congresso, presumiodo-
se que serlo reeleitos os mesmos que j estive-
ram < as antesalas, sem qua se lhas permitiisse
a entrada.
Dss domis provincias nida ha que merega
mengo. Em todas se trata de reunir os com-
micios para eicolber eleilorea que alejara os fu-
turos presidente e viee-presidente.
Do general Urquiza diz-se que commiiiionouo
seu genro Santa-Cruz, junto deste governo de
Montevideo, para resuscitaro antigo peosainento
de formar urna nova cootedengo, compoita daa
provincias de Corrientes e Entra Rios e da Be-
publica Oriental para cootrabalaogar o poder de
Bueooa-Ayre ; mss a mira parece -me que Ur-
quiza j nao censa se uo em salvar a sua for-
tuna particular e assegurar-ss urna velhtce tran-
quilla.
O governo de Buenos-Ayres submetten con-
siderago do coogreiso um projecto de lei decla-
rando vigentes em toda a coofederago a lei da
alfsodega o ai tarifai qaa rsgem oa proviocia, de-
vendo esta lei principiar a ter execugao desde o
1* de outubro prximo, tornando-se tambem ex-
tensivos s demais altaodigis o direitos iddi-
cionaes de axporlago e importago estabelecidos
por varias leii proriociaea o pela nacionil da 6
de junho de 1861.
A reduego das tarifas de papel-moeda a metal
ae far oa razo de 20 por 1. O pagamento d a
direitos devidoa depois da mesma data de 1 de
outubro poder effectuar-ae em todas as alfanda-
gas em qualquer das moedaaque mires a lei na-
cional de 1890, ou em papel moeda de Bueooa
Ayres, a 20 por 1, fletado todoa oa documeotoa
de crdito excluidoa do pigamento deitea direi-
tos, que pod*ro abonar-se em todas as alfande-
gss, menos na de Buenoa-Ayrea, em moeda na-
cional de cobre ou em prata boliviana.
a alfandega nacional de Corrientes podero
psgar-sa os dlreitoa am moeda papel daqueila
provincia, pelo teu juito valor, equivalente ao
que tiver em Bueooa-Ayres. As mercidorias que
iiverem pago oa direitoi de importago am qual-
quer das alfandegas nscionaes podero transitar
h v re menta por todo o territorio da repblica, (i -
cando prjhioido o transito terrestre dos que o
nao tivarem aatisfellos. Os productos do paiz pi-
garo oa direitos de exoortago no primeiro porto
da embarque habilitado, nao podando transitar
por agua os que nao tlverem pago. Q direito ds
exliDgaje armueaegem, eiUbalacido para as
mercadorias em traosito qoe fnrem retiradas deo-
tro dos doro mezesdo deposito.se appliear ni-
camente s que sa deipicharem para- o exterior.
Era quaoloo congresso ao resolver a respeito
do pagamente em geral da divida nacional, ae
destinar do producto total dos direitos- addicio-
rraes urna parte, que ter linda proporcional e
equitativamente, para attendor amortitago doi
documentos de crditos naciooaea a queso refera
o artigo 2* da lei do 24 de julho de 1861. O resto
do producto destea direitos se destinar na devi
da proporgo araorliiago do papel-moeda e
fundoa pubticoa de Buenos Ayres, segundo as
iels de 1861 o 1861.
A raortisago dos raferldos documentos de
crdito nationaes si far raensalmente, por lici-
tago publica. Do producto doi direitos ordina-
rios se tirar a somma mensal que ditermina o
decrelo dr> governo de Buenos-Ayres de 11 de
dezembro di 1860. para amorltsagodas emissoes
de papel-moeda de 1859, bem como a somma oe-
ceeiana para pagar annualmente os vencimentos
dos couponsda divida nacional estnngeira, emit-
tilos em virtude das conveogdea-de 23 de agosto
de 1858.
Sao estas as preseripgdes da nova lei de alf dega de que oo tardar a occopar-se o coogresso,
que deve coosidersr tambem o projecto de lei
sobre o qual j deu parecer a commisso do se-
nado, autorisindo o goveroo nacional a celebrar
um contrato pira cooilrucgo de urna estrada de
ferro da cidade do Rosirio de Cordova.
A assembla proviocisl de Buenos-Ayret tica
diicutiodo o projecto de emisso de 6,000.000.000
de petos tortas e smortisagao de papel-moeda de
que j tenho fallado.
Na mesma provincia de Baenos-Ayres houve,
em principios deste mez, nova, ainda que pe-
quena, iovaso de indios, que arrebataran) coo-
slderavel numero de eguas.
Na proviocia de Sama F o saccesso maii dig-
no de mengo um decreto do goveroo habili-
tando oa negociantes de qualquer nacionalidade,
residentes na cidade do Rosario, pertencentes ao
gremio mercantil, a exercerem cargos no tribu-
nal consular.
Em Catamirca eslava o povo anda em armai
em cooiequeucia do veto queOmill por lei que
nomeou Cortil goveroador, do que tarabea) j
dei coota, e preparava-se o goveroo para a de-
fer, suppondo-ae com ludo on le, a nao virem
auxilios estranhoa, aera vencido pela ioisurrei-
go, ainda que ha esperangasde chegar-se a um
accordo em virtude da mediaco oft^recida peloi
governos de Tucamau e S. Thiago.
l856-18->7
185718 38
18581899
18591860
1860-1861
18611862
1,758:5OO5>000
1,30'):5219000
1.508-39.JO0O
1.639:403jj0(I0
2,383:7159000
2.108:12tlM)00
INTERICR
S. Pedro do Sul.
Rio Grande, 17 de julho de 1862.
cousa pa-
. i- 2,018 016*000
. 2,676:0589000
, 2.748:6233000
documantoa desta natirezsr
Que tudo nette mundo illuso ou
recida, urna triste verdide.
Quando se eipera alguma ventura, chega al-
gum contratempo que derroca o cutello no ar
conttruido, com maisfacilidsde e em menos mi-
nutos do que as horas que tinha castado a planta
a sua consirucgo.
Acostumadoi a urna primavera aterrompida
por algumaa abundantes chuvae, pensavamos que
o invern tinha-se esquecido de nos, e quaodo
nos embalavamos naquellas doces fantasas, apr-
senla aquello velbo inlralavel a maii feia de suas
carantonbis, e, poseo aatisfeito com suas travs
auras, pede assiitencia ao aau iotimo amigo o;
minuano ou pampeiro, que durante tres dias
consecutivos uo deixou de atormentar os pobre
viveotes com um trio to iotento, que sa pareca
com o dos eodiabraios mezes de Janeiro e feve-
reiro do polo norte.
Se pela amostra devenios ajuizar da qualidade
da fazeoda, podemos tomar nossai praciugei
contra os catsrrboa, as pulmonas e outras gra-
cinhas que prodigalita a estagao. E' provavel-
meote a seui rigoroios effeitos que devemos a
tueca frieza que notamos em tudo quanto te-
mos vista, e em tuda quanto mentalmente
preoecupa um pobre correspondente que procura
em vo a materia aempre verdadeira para encher
urnas tantas tiras de papel, que manifestera i re-
dacgo do Jornal do Commercio que se a intelli-
gencia nao a parttlha do aeu noticiador desta
cidade, pelo menos sua exactido Ibe serve de
desculpa.
Na poltica pouco ou nada mereceu a attengo
dos respeitaveis leitores, a oo ser a eleigo do
Sr. birao de Porto Alegre, que coota com urna
completa victoria.
Se aa cartas eacriptaa da capital da provincia
merecem crdito, e te oseus autores nao se II-
ludem, o Sr. baro de Porto Alegre deve contar
com 140 votos seguros, nao entrando neste nu-
mero os de varios pontos do 1* districto, que pe-
la amencia oa mulenga de opinio dos eleilo-
res polem augmentar de 25 a 30 por cento saai
probabilidades. A msioria da impreosa da pro-
vincia ae lera declarado a favor do Sr. baro de
Porto Alegre, cuja candidatura tem pleiteado.
O velho adagio quem quer vai e quem nao quer
manda, deve se nslisar no dia 27 do correte,
marcado pala presidencia pira a dita eleicao. O
rival apresentado nao deixou a sua cadeira pre-
sidencial ; contou sobre s influencia de seus ami-
gos, e contou mal, porque ha tola probabilidade
que nao gaoher esti partida de ecarte I Do que
bouver ser o Jornal do Commercio circunstan-
ciadamente informado.
Quanto ao eitado Qnanceiro do nosso commer-
cio, limilamo-nos a reprodurir ara eibogo qae
ama folha deata cidade, O Commtrcial, publicou
no dia 13 do correte, e que baseado sobre do-
cumentos officiaei.
c Progretso commercial.k tabella que pas-
laraoi a inserir da renda reunida da alfandeg
destt cidade e villa de S. Jos do Norte demons-
tra o grande augmento que tem tido -commer-
cio dests praga, nao obstante o incremento que
igualmente por ultimo tem apresentado a de
Porto Alegre com a importsgo directa que dos
portos da Allemaohs para ella ae tem encami-
nhado.
c Segando estsmos informados, o resaltido
favoravel dos doui ltimos annos flmnceiros nao
pode ser attribuido ao augmento proveniente do
imposto addicional aeno era mui pequeoa parte,
por isao que no penltimo exercicio eisa co-uri-
buigo temporaria produzio apenas 53:604^795, e
oo ultimo 168:492$997, isto quando o tegmento
do 1* anno em relago io termo medio <1oi 12
annoa anteriores de 797:5969000, e o do 2" em
relago aquello meimo termo medio de.....
722:1159000.
Accresce ainda a ponderosa razo de que
exiitem alguna artigos de grande consumo ni
proviocia, cojos direitos hao aido oas ultimas ta-
rifas axtioctos oa diminuidos, taaa como os do
sal, cirvao, farioha de trigo, etc., differencis es
lis que podem compeonr o impoito addicional
de importago na apreciago do progresso da reo-
da, que em assumpto econmico quer diter pro-
gresso de commercio, visto que menor somma
de valores nao pode produzir maior somma de
direitos, urna vez qua estas nao tinham aido ele-
vados,
c Panamo! s inserir a tabella :
r So para dar ama idea do commercio di pro-*
vioeia effectuado peta barra, reaoirmos o rend-
ment dai tres repaniges aduaoeirai do Rio
Crarrfe, Norle e Porto Alegre, nos ltimos an-
uos ttnaocelroi, a cifra total da arreeadigo po-
de e dirre airshir a attengfto do govtrno geral,
reclamar lhe os cridado aftm de curar com al-
guma eEcatia do sen bem estar, attengo a qua
lem jus iucooteitavel1 por ser marcha o progrec-
slvo desenvoMmeoto, sa certo, como pareie,
que as medidas direc'.'es do iateresie geral, que
os melhorameolos, ero samms, de urna provin-
cia, devem eilar em relago com quota com
qae ellas anlram para as-desperas *o Estado.
A renda do ultimo '.riannio as tros repiri-
goes fiscaes a que cimo nos referimos foi a es-
guite :
1859-1860
18601861
18611862-
Contra tactos ou
nao ha argumentos.
A barra ds provincia tem snelhorido 'natural-
mente, apreseniando sempre de 15- a 17 paleaos
d'agui ; o que nao tem obstado a que fosse as-
signado com o Sr. Pierce, de quem Ibe fallaosos
era anteriores correspondencias, um contrato pa-
ra profundar a meama barra, empreando esae
senhor um machinimo de sua ioveogo que j
se est coostruindo. Emqaanto eitiver naquelie
lervigo o Sr. Pierce, ier embolsado de suasdev-
pezsa particularea (de sustento) pela praga d
commercio desta cidade.
Muita sensago produzio o discurso do Sr. F-
lix da Cuoha sobre a relago qoe as necessidade
desta proviocia reclemara. Ninguem deixa do
acompanhar este distincto Rio-gnodense nos
seus deeejoa, que todos almeijam por v H>s rea-
lisados. Nao menos sensago, porm, em senti-
do contrario, cauou a quebra da cisa bancada
Amorim, Fraguo, Sanios & C\ de Pernambu-
co, que pela sua pessima gerencia compromet-
teu tantos interesses o reduzio miseria nume-
rlas familias.
Nesta cidada existe ara infeliz aleijado que ti-
nha 10:000*000 naquella cisi, e hoje est talvez
redusido a um estado bem precario.
Se o governo tomaste sobre os es'.abelecimen*
los bsnearios em commmdita alguma medida se-
vera, mas que offarecesse alguma garanta aos
particulares, bem provavel que seria altamen- -
te louvado e agradecido.
No Tocanlins segu para Inglaterra, tocando
nos portos do imperio, o cnsul da S. M. Britin-
nica o honorable Sr. Dr. eory Peodergasl Ve- -
reker, a quem davemos a vtaila do vapor Schil'
drak e a embrulbada que fez dos negocios do Al-
bardo, proposito do naufragio da barca Prin-
cipe o( Wiles 1) zein que saa amencia ser ds
ten a oito mezes ; muito pouco, pois que no-
nhumas saudades deixa nesta cidade, nem os
seos proprios compatriotas lhe manifestara mais
do que a mais completa indifferenga. Os ventos
lhe sejam sampra favoraveis, qua veja am bravo
1 sua patria, e oella siota e realiae o penumeotoo
o desejo de privarnos para sempre de sua intil
e pouco liioogeira presenga.
Os correios va de mal a peior, parece que
de proposito esmeram-s por merecer toda a
censura imaginivel :deleixo, incuria, deiprezo
determimdo dos interesses do commercio. tudo
te acba reunido naquella repirtigo o algumas
de suai agencui.
Pelo Brasil veio urna cirt bastante volumosa
contendo documentos de muita importancia e va-
lores li lucanos. Embora livesse no sobrescripto
era bastardinho, o nome da paisoa a quem ora
dirigida, a rua, o numero da casa, e um Rio
Grande do Sul bem visiva), carta foi na mala
de Porto Alegre. alli langada pela adrainistra-
co entro aa cartas eslnngeirss, onde um amigo
do proprietario i encuoirou e a remetteu para
esta cidide.
Se semelhaotes negligencias sao descolpaveis,
ignoramos quaet merecem censuras e medidas
que empegara suas (requemes repetigoes, sempre
prejudiciaes o sempre depnodo cootra a adminta-
trago daa oossas reparligei publicas.
Tribilhi no nosso theatro a companhia dram-
tica dirigida pelo Sr. Furtado Coelho, que tem
aabido austeotar iua reputago de artista. Apetar
do fri e as vezas da chuva, os espectculos tem
merecido amagraode concurrencia. O nosso pu-
blico iocamavel quando ae trata de apreciar o
mrito artstico, e quando recoohece que se oo
poupam eiforgoi para attrahir a sua attengo a
lisoogear o seu gosio.
En breva (eremos outra companhia lyrica o de
baila, dirigida pelo emprezario Cavedagni, ar-
tista de nao vulgar talento. E' provavel que na
vola do Tocanttni da Montevideo veoham os
artistas eogajados e priocipiem logo os aosiios.
Tudo iito prova ques civilisagooxene sua saa-
davel influencia sobra este povo, ambora alguos
sacriGcios Ibe cuite, e oo teoba multo trabaltto
em contar os lucros palpaveis que as suas espe-
culages lhe deixam.
Tomos passado em revista tolos os assumptos
que podiim merecer ama mengo, o aqu Qnali-
saremos a oossa missiva, tendo f qua a segain-
te ser mai intereitanie e far deiculpir o la-
conismo deata. Comquaoto a polica nao tenha
aaiigoilado algara novo aervigo preitado, pelo
ooiso digno delegado Dr. lleorique Bernardina
Marques Canario, nem por isio merece o nosso
absoluto ailencio ; a tranquilizado de que goza-
mos urna prova da vigilancia daa competentes
autoridades, entra as qoaes muito se distingue o
subdelegado, o Incaoiavel cidado Msooel Luiz
Cardozo Guimarei, digno de todos os elogios
pela sua reclido, imparcialidad a locaosavel.
zelo.
[Carla particular).
Exercicios.
18*81849
18491850
1850 15l
18511851
1852-1853
18531854
1854-1855
1855-1856
t
Rendimento.
1.144 657000
1.117.92S0O
1,453:8258000
1.395:491UO0O
1.463:6989000
1,404:211000
1,156:2588000
i,205;575|OQO.
BIO DE JAN SIWO.
24 da julho de 1862.
Hontem oo houve seno no senado por falta
de numero legal.
Contiouou hontem na cmara dos deputsdos a
diicusio do orgamento na parte relativa ao mi-
nisterio da agricultura, commercio e obras publi-
cas. Orarem os Srs. Martioho Campos e miati-
tro respectivo, ficaodo a dircusao adiada pela
hora.
Foram offerecidas aa aegatotes emendae :
Para melbonmeolos e reparos da estrada 4
que de Campo-Bello, paseando pela villa de Que--
luz, vai ao porto da Cacboeira, no municipio d..
Loreoa, estrada maii plana o curta, qae liga o 'ra-
mal de Macacos com a mes-na cidade de Lore.ua,
dez cootoa de ris.F. N. Lessa.Martim Fran-
cisco. F. di Veigs.
Ao 11 accreacente-ae : viole conloa da
ris para auxiliar aa obras do canal de Iguaaiu.,
no rio Paroahybe, e as demaia que forem neces-
sariaa pan facilitar a navegado a vapor do mes-
mo rio, deide a aua toz at a cidado de S. Joo
da Paroabybi, a dests de Theresina.J. L. da
C. ParsnaguP J. Pi.lho.V'irtaio.
c Ao 111.Inclusive cem mil ris com o me-
lhoramento da navegago da rio Parahybi. desda
a cidade de Rezando at a barra do rio Praby,
I na provincia do Rio da Janeiro. Lima a Silva.
ISobrinho.
a Ao 5 3", ou i respectlvs emenda da commii-
I alo accreseente-se: InslaaW doze cootos da
Irn para a eieoU ral do D. Pedro II, aUble


I
>~-*~-*!mmmam

f : ..I ..''
mmmmmmmmmm



DIARIO DB PEftMMBUCO* SEXTA PE iU l Di AGOSTO DE 1161,
cida ni provincia do Para. Fausto Auguito de A directora do banco da provincia tnnancira
Aguiar.Siqueira MeoJes. A. t. do Amaral. o dividendo de 6500 por acgio.
Para melhorameoto da estradas do litoral ,0 rabnca carvao de pedra, dii o Mtr-
la provincia de Saota Catharina, rtnte conloa de c*RtJ* de 2.
riav Limego Coste,C. da Lu. .* "a actuis conceisionarios da mina de car-
Com a explorago do rio Puri, na provin- ,ao de pedra de S. Jeronymo permitliatn ao Sr.
cia do Amazona, dcz conloa de ri. Leito da Jamea Johnson a sua explorago gratis.
>Canha. Pra enfrentar con oa primolroa gastos do
Foram tambern offerecidos, mas Acarara reser- 'estabelecimento do trabalbo da mina, pedio o
?edoe para occasio proptia, oa seguales addi- Sr. Johnson ao governo da provincia ora auxilio
tires: ae 3:000#, 'ie Iba aera retribuido com o produc-
Sub-emenda do Sr. Carvalho Reis Ac- 'oda e-xploragio, dando meusalmanle 30 tooela-
creacenle se; Ficmdo o governo airtatisado a da* desta combustivel pa os vapores da guerra.
fazer redozir os k\ ii da iab.-ll de cada urna
da referidas compantlias, tanto para passageiros
corno pata a carga 2os vapores. Arego e Mel-
lo.
A quantia de cento e cinco ceios de ris pa-
re a limpeza e irrgalo da cidade ser entregue
lllm. cmara municipal, a cujo encargo Gcar
ate servido.Stldanha Marinto.
O paquete Tzcanlins, entrado honlera do Rio
"da Prala e portoa til de Montevideo 17, Porto Alegre 16, Rio- Havia em Montevideo folhas de Bueooc-Ayre
at 13.
Relativamente Mera capital da Repblica
Argentina tinba j o senedo adoptado c projecto
Segundo este, marec o coogresso era 1863 o
ponto que tem de ser pnblica.
Duranla tres tow: continuarlo a* autoridades
nacionaes a residir ca cidade de Bceooa-Ayres,
"oderalisandu-sa a provincia (oda, a cujos habi-
tantes todava ae garaalern os diroitos especiaes
que tem adquirido, assira como deve permanecer
illeso o direito exciusivo das toecicipaldades de
?otar oa seus oicau.eutoa e impostas.
Cuotinuaro n perteucer provincia todas as
s-ua proprledadcs e etlabetecicisiilos, bera carao
se Ihe assegura o seu orgsrnento de 1859, lera
de ootres garontias, para quar.do ella reaasumir
a vida propria.
Por douc tramites comiedo tinha anda de pas-
ear este projecto antes cmara dos deputados ao ecogresso, e a assom-
''' 3 provincial, sera o conseulimento da qual se
nao pode faderalisar o lerriiorio. Tratava-se de
preencher as vagas exittenles uestas cmaras pro-
viociaea; a cilade j tiirha eleito oa memoro
que Ihe competiam. e estes eram hostia idea
de federalisar a provincia.
Alera desie, oceupava-so o congresio de ouros
assuioplos importantes, sendo um delles a coo-
cesso da urna va terree do Rosarlo Gordova,
suioriisodo-se
Por decreto de 23 do eorrente fot permittido
aos padrea Pedro Jos de Castro e Silva, e Joo
Francisco da Costa Nogueia, paroeboi collados,
eale na freguezia de Nossa Senhora do Rosario
doa Quatis da provincia do Rio de Janairo,
aquella na da Barbalha, da do Cetra, o permu-
taren! entre ai as respectivas freguezlss.
Por decreto de 21 do crtente fot concedida ao
pralico-mr de Peroambuco Joo Francisco Par-
delhaa a graduarlo do posto de segando tenenle
da armada.
A shida do paquale francez Sainlowoe Pra o
Rio da Preta ficou irsosfcrida para smanbaa 6s 8
horas da manha.
S, Exc, como se v do expedienta hoje pu-
blicado, ioforma-se da theeewraa sobre o as-
sumpto
Acreditamos que ser um importante medi-
da nao deixar ese Mecer agella fecunda riqueza,
at que a evidencia do rasultado em pequeoa es-
cala anime empresas de maior Mego, quer as le-
vanten) os commissionarios, quer outros a quem
o privilegio seja transferido,
Consta-nos que S. Exc. nutre boas a acera
das inieocoes sobre este assumpto. E' poia de
esperar que a resoluco definitiva seja avora-
vel, no que t haver motivo para aer applau-
dido.
L-sene Pxario do Rio-Grande de 4 :
Da ioteressaote villa e (rouieira de Sanl'An-
na do Livratnanto temos cartas de 16 do mez de
junho iiodo.
Quaixa-se amargamente o commercio licito
daquella villa da rasa de negocio em granJe es-
cala que acaba de eatabalecer-se aobre a liona
divisoria, no Estado Oriental, a urna quadm, a
[.i encuto, distafite de Saoi'Anna, onoe diaria-
mente vai grande numero de familias, a titulo de
i ssseo, deixar suas ou;as, passindo ees seu re-
gresso pela
das defazende
ca, aos c
commercio
E diz o nosso communicant que ge esli i
coestruiodo mais -las cas.s sobre a Haba, mea-', ,:p0r bem delra>'n mo em frente de SanfAnna, para novos esta- 2U? -S .,-5.0?.'1! *fa- B,.Uo^l?e'
DIARIO E PERNAMBUCO
O rapor frmcez Nmvarre, entrado hontem do
Rio o Baha, trooxe-nos joroaes do primeiro|il
5 e da segunda at 49 do torrente. Delles ex-
trahimos O'jue os leitores encoutrarao sob a ru-
brica Interior em seguida
Rio de Janeiro.Eofra ariibada no dia 24,
com agua berta, a galera americana Htlvtlia,
em viagem de Nfw-Yo'k para Panam.
Le-se oo Correio Mercantil:
Ao presidente da proriocit do Rio-Grande
do Sul dirigi o ministro da mariaha o seguiote
aviso, datado em 12do correte:
lllm. e Exra. seohor.Sua magestade o Im-
perador, conformando se com o parecer expen-
dido pelo conselho naval em consulta o. 614 de
17 de junho ultima, acerca da represeniacao do
administrsdor da pmticegem da barra dessa
provincia, que por copia acompanhra o officlo
beecimenlcs commerciaes
Do'Santa Catharina nada temo3 que noticiar.
Na ordem do dia n. 321, publicada a 19 do cor
rente pela repartigo do ajudanle general, le se
o aeguiot-e :
<: Competindo smente os cooselhoe peremp-
(orios creados pelo aviso do ministerio da guerra
de 18 de abril de 1859 decidir se deve ser appli-
cado s pragasdo exercilo, cujos deliclns houve-
rem de ser julgados pelos ditos conselhos, o cas-
tigo corporal de irat* o mesmo aviso, e marcar
o limite Idesse castigo quanlo dora ed-cluar so,
o governo a garantir 7 por ceto I co,no claramente est determinado, e se declarou
aobre o mximo do casto, fixado em 6,008 por: na 'd*m do dit desta secretaria de estado n 308
mlha, bem como a impetrar das respectivas pro-1de '* de marco do corrente anno, para obviar os
lord.iva a cessao de meia
lado ao correr desta es-
pinelas da Santa F e i
legua de trra de cada
trada.
Outro assumplo igualmente importante ere o de
uniformisar na repaWica a legislacSo aduaneira,
tanto a respeito de dtreitoi e tarifas, tomando se
por base as de Buenoa-Ayres, como da moeda em
que devem ser pago* estes dlretos.
No mesmo dia 13 derla iosugurar-se oa prsca
de Marte a estatua equealre do general Jos
de San Martin.
Com verjlaaelro jubilo da popularlo, urna de
cujas mais palpitantes neceasidades ficava aseira
remediada, se tinba inaugurado oBcialmeote o
poco arleziano.
As provincias Bcavara era paz, excepto Cala-
mares, onde o governo, lutaodo peuosamenie
como urna iosurreicio, aceitara afloal a media-
gao olTerecida pelos goveroadorea de Tucuman e
Santiago.
Nesta ultirra provincia iam-se colhendo boas
resultados da expedigao contra os indios.
N Rioja apeoas reslavam alKumas guerrilhas, e
em Corrientes tinham sido sulTocadas duasrevei-
tas. em Curusu Cuatis urna, e em Moole-Caseros
a oulr.
Em Cordovs tioha o governo submeltido le-
gislatura a reaoluco do coogresso que nao re-
conhecra os representaotes eovia.ios por esta
provincia, eesperaa-se que brevemente se pro-
cedera a novas eleiget, terminando assim paci-
licamenle este uegoiio.
Passando a Montevideo, encerrarara-se aqui as
amaras legislativas, depos de volados os orga-
mentos geraes, Ocaodo a comrnisso permanente
composta dos senadores D. Florentino Castella-
nos, presidente, D. Juan M. Marlinez, vice-pre-
idente, e O. Luit Herrera e D. Vicente Vasquez,
supplenles ; e dos deputados Vilerdeb, Fuentes,
Diego, Corta e Gallina], effeclivoa; e Uarle, La-
torre, Lenguas, Sienra e Viamout, supplenles.
Nao se lando chegado a apprnvar a cnnven;o
celebrada pelo governo a 28 de junho para paga-
mento das roclamaces nglo francezas por pre-
juizos de guerra, pela qual foram estas fixadas
em quatro milhoes, representados porbonds! do?,,.^,
e 1,000. 500. 200 e 100 pesos com cinco por cen- "P ,
to de juro e amortizsveis no prazo mximo de 30
ar-noa, hypolhecando se em garanlia dete accor-
oo as reodas publicas, foram as cmaras extraor-
dinariamente convocadas para o dia 17 para se
cecuparem exclusivamente deste assumpto.
Entretanto liuha sido votada a sanecionada com
a data de 14 urna le pela qual se nao reconha-
ce a repblica obngada a inderanisar os prejai-
/oa que postara aoffrer as propriedades partcula
es por casos fortuitos, guerra externa ou suble-
vzcoes internas, no intento talvez de livr
Btaoo para o futuro de exigencias anlogas.
inconvenientes que contra a discipllua do exer-
cHo resuliam de dar se dier.'a inlelligencla a
dispesigoes daquelle aviso o conselho peremp-
terlo que no 1 batalhio de infartara ltima-
mente leve de conhecer do ficto que molivou a
sov couvocago, pralicaio por um soldado do di-
to bilalhao, nao proredeu regularmente, por se
faslar da restricta observancia do que est de-
terminado a respeilo das atlribuigoes dos ditos
conselhos peremploros : oque fajo publico ao
exercilo, de ordem de S. Exc. o Sr. general mi-
nistro e secretario de eatsdo dos negocios da guer-
ra, am deque os Sr. officiaes que houverem de
fazer parle de taes conselhos tenham sempre em
rala as suas decisoes a fiel observancia dos pre-
ceitos estabelecidos, para nao uiirapassarem >s
limitadas e bem definiias allribuiioea que Ihes
sao couferidas.
Cousiam Oa mesoia ordem de dia :
A nomeago do Sr. 2o lente do corpo de en-
genheiros Josquim Kudrigues Gambos, para pra-
ticar nos trabalhos da estrada de ferro de D. Pe-
dro II, com o vencimento de sold simples :
A approvago da do Sr. major reformado do
exertito Fraucisco Bueno da Silva, para comman-
daute da colonia militar de Miranda, feita pela
presidencia da provincia de Matto-Grosso :
A exoneragao coocedida ao Sr. tenente-gene-
ral graduado Joo Frederico C^ldwel da comrnis-
so encarregada de inspeccionar o arsenal de
guerra di provincia do Rio-Graudo do Sul, a seu
pedide.
- 25 -
O senado approvou hontem era priiieira dis-
cusso a proposigSo que garante viuva do co-
ronel Bressane Lele o direito a<> nieio sold que
venca seu marido, nao obslmle a prescripgo.
Entrando logo em 2* discusio a mesma pro-
posigUo, encerrou se o dbale por nao ha ver ca-
sa para volar se, depois de fallarem os Sr. vis-
conde de Jequiinlionht, barao de Muritiba o
Silvera da Multa, leoJo sido rejeilado umre-
querimento de adiameoto pelo primeiro.
Por nutra lei declaramse oullos oa contratos
leitos fra do paii em individuos da raga africana
para servigos pessoaes que tenhm de ser cum-
pridoa dentro do estado. Os colonos neste caso C-
cm isentus de toda a obrigagSo. Qjir se por es
'.e meio obstar iorucgo que pela raia braailei-
ra se fazia de escravos disfargsdos como colonos.
Lembrados eatarao os leitores de urna penden-
cia entre o Eslado Orient! e a Inglaterra, pen-
dencia originada entre marinheiros inglezes e si-
gnos soldados orieutaes, por causa de m cao, e
que referimos qusndo largaram deste porto para
o de Montevideo oa vapores de guerra britanni-
cos aqui estacionado?.
Agora noiiciam as folhas daquella cidade que
a negocio terminara diplomticamente, cedendo a
repblica como parte mais iraca, e panindo dous
oiciaes de que o almirante Inglez se queixava.
A Repblica de 5, relatando o ficto, diz qua o
norae do caiprque esteve a poni de fazer arder
em guerra diaas nagoes amigas, merece passar
posteridad*, infelizmente porra nao o registra.
Nao se tioha ainda preenchido no ministerio a
vaga dtixada pelo Dr. Arrascaeta, parecendo o
presidente aguardar par* isso o eocerramento
tas cmaras.
Autorisou-se a creagao de mais um banco no
departamento de Passsnd, -sendo este o quinto
banco particular que tem a repblica. Tambam
ae laogou um imposto de ajurente centesimos
sobre cabega de gado raecum que all se coosu-
iDisae.
O Sr. Daoiel Gomes de Freitas foi reconheci
to do carcter de rice-coosul braaileiro em Ta-
cuaremb.
Do Paraguay havia noltciaa at Z, mas sem itu-
-.portancla.
No Semanario 16-se o seguate a respeito do
Disemos que o govero do Brasil cuer redu-
cir a sua poltica com o Paraguay a e'stabelecer
wma linha aobre u Rio-Braceo.
Nao devoraos aecupar dos desta noticias, que
Bfceasita coniirroaco.
O presidente recabara em audiencia
enviado do Per.
Feado sabido de Montevideo no mesmo dia que
e roctutins, nada adisnts em materia de noticias
o paquete frsncez Sintonge, tambero entrado
hontem.
As noticias da provincia de S. Pedro do Sul to
fle pouco intetesse.
snAJ,WpyiD"' tanl da UP>'*> como da cidade
o ttio-Grande, conlinuara a oecupar-ae com a
proiima eleicjo de um depwtado aisemblea ga-
ra! pelo 1" districto.
Tinba fallecido em Porto-Alegre o abastado ca-
pua.ista Manoel Airea dos Reis Louzada, baro
ce ouabyba, e ao Rio-Grande o negociante Gui-
rae^c r*e* 80C d flrB* At*1o M-
Por laateoga do respectivo iuiz de direito. ha-
rl.mH8,.diBolidot em 6. Borja ca companhei-
ros ao taante coronel Fractuoso no desgracado
conflito que se deu sm S. Luiz. e em que foi
aaMinado o mesmo teneaU-coronel. O pro-
bsoluioru d' comar" PPe"a enteDCs
S! ui' "****&9 do prealdente
fi E "" rePreaeDts5ao dos colono, de
b. Aogelo contra o respeatlro director.
O mesmo presidenta oomeara o caDitio de f>.-
MFr.nc.sco Candido de Castro Ke. .
examinar as caeboeira. que exlorr.m a n.veg.gao
doJacuby, entre o Rio-Pardo a o Caeboeira. e
propr oa meio desobstruir e franquear
paella psne do rio. w A cmara dos deputados approvou hontem,
de orar o Sr. C. Midureira, o orgsmento
parte relativa ao ministerio da agricultura,
commercio e obras pubcas, bem como as se-
guiotea emenJas, sendo a primeira da respectiva
commisao :
No 3aEm vez de aO.OOOjjOOO, diga-se
40000.
No 12 Supprimam-se as segointes quan-
tias :
Africanos livres em sua admiois-
trago ( em quanlo nao foiem
emancipados)......Il:000jj00o
r o Seguranga do morro do castMlo.etc. 100:0009000
iC^lgaraeuto por parallelipipedos 65:5695705
aeguodo eili presenil), para bordo dos navios
que sahirem sem ser rebocados, os prsticos dia
poniveis ; devendo, poim, quaodo o numero de
taes navios exceder aoa desses pralicos, ir os
meamos ou algans as embareges da vangaar-
da, seguiudo as demais as suaa aguas, visto a
natur*za da mencionada barra exigir que todas
aproveilem o ensejo da sabida : o que cemmu-
nico V. Esc. para sua iotelligeocia e devida
execugo; declarando, finalmente, que deafarte
desapparece, lano a oeceasidade de augmentar-
se o numero de segundos e de terceiros pralicos
actualmente ah exialente. como a conveniencia
de esiabelecer-sea antiga contribuigo de. .
19JJ200, proposta pelo supracilado adminislrs-
dor.
Baha. As chuvas haviam sido copiosissimaa
em Camiso, e Monle-Alegre, Qcando os agri-
cultores do fumo bastele-contente, por assim
poderem mais diffuridir ease ramo que se de-
dicaram.
Em Maragogi^e, achava-se a farinha em
extremo cara, devido a se terem os lavodores
s oceupado na colhella do caf, olvidando pre-
parar aquella genero da primeira necetsidade.
Na Caeboeira M baviam desenvolvido dyar-
rhs, sendo attribuidas s carnes verdea de bois
do Piauhy.
No d a 28 comagou, na Faculdade de Me-
dicina, o concurso para a cadeira de aaalomia
descripta, sendo arguilos os Drs. Gordilho, Do-
miogos Carise Augusto G. Martins.
L-se no Jornal :
No domingo (27) noite varios tiros de pe-
ga ar.nunciaram que havia navio em perigo, e
portento, necesidade de soccorros no mar.
O brigue Marinho II. que no dia 26 do cor-
rete enlrou de Bueoos-Ayre, tendo-se conser-
vado sobre espias para lomar o ancoradouro
dos navios que cooduzera carne secca, nao po-
dendo resistir i grande correnteta que houve na
razante da mar, garrou sobre a barca portugue-
za Novo Elizio, que se achara no mesajo anco-
radouro.
Apezar dos promytos soccorros q
ambos os navios soffreram considerave.
chegaudo o brigue a fazer agua. /
Ambos sao propriedade do Sr. cottynendador
Joaquim Pereira Marinho.
Na noite de 9 de maio, delante H leguas
da villa do Gapfm-Grosio, foi brbaramente es-
tancado Antouio Francisco de Mendong'a. A au-
toridad*, comparecendo no lugar do drlicto, fez
imrr.edialaraenle prender a Senhorinha AUes da
Luz Jnior, mulher do mesmo, que se rerificou
ser a mandante do|crime ; nao podenrro serero
presos os mandatarios, que feraro Anti. io Boei-
ro, os escraros Antonio e Clanndd^pt'rtencan-
tes ao mesRio Menrtonca. i
Procedeu-se corpo de delicto rec A ieceu-
en-
o paciente aihiva se grveme
autoridade instiurou processo .'contra a
Consrvago do encanameato de
Maracan........
Dillereates obras nss Paineiras. .
6:O00gOOO
8:000S000
190:569^705
pois de 1.014:4689155diga-se
publica o
Era vez
823:898*450.
No 13-Em logar das palavraspara a ir-
rigago das ras a 600S por mez, 72:000di-
ga separa auxiliar a ernpreza qua se proponha
a fazer o servigo de irrigagao, 20:00()g.
No 15Ficam sxliuclas as delegadas sus-
ptosas pelo governo. e conservadas nicaraente
as cinco ora existentes, em quanlo fr preciso o
servigo que prestam.
_ No artigomedigo, demarcagao, legitima-
gao e revaldago de trras, em vez de .
114:000reduza-se a cifra a 64:000.
No artigocusteio dss colonias a cargo do
goveroosupprimam se 20:000, redazindo-se a
verba a 220:000.
Em vez pois de666:700 diga se .
616:700.
Ao 15 accrescente a*: Mandando o go-
verno medir urna legua de trras que tica coo-
cedida cmara de Serpa, da provincia do Ama-
zona, nos limites da villa para seu patrimo-
nio.Augelo T. do Amaral. Francisco da Serra
Carnetro.
Ao 11. Diga-se : 20:000 para auxilio e
conclusao do caes de Santos.I. O. Nebias.Ro-
drigo Silva.Martim Francisco.Barbosa da Cu-
Dh.Bario da Bella-Vista. Costa Pinlo F
Lesa.J. Curio.
9.Os bairros de S. Chrlstovo, Aadarahy
e Eogenho Nuvo participaro do beneficio da it-
lumioagao a gaz, subslitundo desde j os com-
buitores de gaz aos caodieiros de azeite que an-
da ali existem, e exlinctos estes e sua adminis-
tragao proporgo dos combustores qaa forem
comegando a preslar luz. C. Madureira.
Ao j Io eccrescente-sa a quanlia que fr ne-
cessana para que oa venclmemos dos emprega-
dos desta aecretaria fiqoem igualados desde j
aoa dos empregados da secretada de estado dos
negocios do imperio de igual categora.
a O governo suppiimir na mesma secretaria
os empregoa que julgar dispensaveis.Fausto de
Aguiar. Ferreira da Veig. Leandro Bezer-
r.aiA. T. do Amaral. Lamego Costa. A. da
r\ PlD,^.Sil"- A.Fleury.Dioga Velho.
Correa de Ollreira. F. J. Fialho. Silva Nu-
ne. M Dantas.Carneiro de Mendonga.Ba-
o de Mau. Rodrigo Silvas-Correa do Cou-
to.1. M. BateelloaVATiel de Carvalho. Mello
Reg. Lima e Silva Sobrioho.Vilella Tavs-
res^-Salathiel.Pinto de Campo*.Almeida Pe-
reir^-J. P. de MeodongaSilrelra da Molla.
Barao da Bella-Vista. Viriato. /aguaribe.
Fonceca Vianna.Bezerra Caralcantl.Vieira da
Suva.Gomes de Souza.
Eleve-se a verba a 980:700.
Sendo 50000S como garantas de juros aos
capiues de qealquer empreza que ac proponha a
realuar a Davegagio a ra^or nos ros de S. Fran-
cisco e das Telhas am'conlinuaco. L. Car-
los.Carneiro da Cacha. >
Iodo ltimamente proceder-ee i volacao do
projecto que declara applicavel aoa empregados
da junta do commercio do Maraobao a disposl-
clo do arl. 14 da lei de 28 de setembro de 1053,
para Ihea serem pagos peles cofres geraes oa or-
denados que se Ihea Acaran* devendo al a ex-
tlnccao da mesma junta, reeonhateu-se nao huer
numero legal.
se que
ferro o.
A
mulher.
Tendo fallecido s 4 horas de madrugada
do da 25 D. Joaquina Firmioa Alves da Rocha,
que em virtude de acgo da divorcio, que havia
proposto a seu marido o porluguez Francisco
Jos da Rocha Bastos, morador na ladeira da
Sfde, se achava depositada na ra Nova do
Queimado era casa da viuva Floreo Una Emilia
do Espirito Santo, apresentouse na subdelegada
de Sanl'Aona aquelle Bastos, requerendo exame
no cadver de sua mulher, que suppunha victi-
ma de envenensmento, e declarando constar-
lhe que um individuo de nome Manoel Gil de
Menezes Palm, morador oa mesma ladeira, pre-
tenra exlorqutr uma quanlia da finada senho-
ra a titulo de divida, forgando-a a islgnar um
titulo, mas ella nao se tinha prestado a isio.
O subdelegado mandou proceder a exame
no cadver, e foram periios os Drs. Odorico Fir-
mo da Rocha e Jacioiho Silvano de Santa Rosa,
e declararam que necessilavam do exame chi-
mico
Diversas pessoas foram interrogadas sobre o
fado : bem como o referido Palm, que foi preso
s 9 horas da noite pelo inspector Ignacio Jos
da Cunta
NOTICIAS COMMERCIAES E MARTIMAS.
Monleiidio, 16 dejullio.
Cambio. Inglaterra, 40 7(8 d. por peso cr-
reme. Fraoga, 81 1)2 a 81 3i4fr. por ooga. Ge-
nov, aem saccadores. Rio de Jaueiro, 30 por
onga sem tomadores. Buenos-Ayres, ao par.
Somraim os saques efT-'Ctuados :
Sobre Inglaterra 4* 20,000 a 41.40 7[8 e 40 3t4
predominando o primeiro algansmo em maiores
quaulias.
Sobre Frang, 300,000 fr. a 81 li2 e 81 3i4 a
maior pane.
Sobre o Rio de Janeiro, nao sabemos de ope-
ragoes. r
Sobre Buenos-Ayres. 3.000 ongaa.
Divida pubiiea.Consolidada, 16 rls as cau-
telas do banco Mau. Exigivel, 32 rls. idem.
Novos Ululo 45 por 0 do valor.
Descontos. Os bancos Cororoercial e Mau
empreatam a 12 e recebero a 80 0.0 ao aono. Na
praga regulara a 1 1|4 0,0 so mez.
Fieles.loglaterra, 55 sb. couros salgados, 90
sb.ditos seceos e 30 sh. os fardos com 50 0[0 de
cap. Havre 60 fra. couros salgados, 100 fn. di-
tos seceos e 70 frs. os fardos, com IOOiO deca-
pa. Estados-Uuido, 1|4 cent, couros silgados,
3|4 cent, ditoa seceos. fardos 6 pata, com 5
iO de capa, em navio americano. Brasil, carne
aecca, 4 l|2rls. para o Rio de Janeiro 5 li2 rl
par. a Babia, e 6 i|I rls. par. Pernanoco, com
o 1(2 de capa. '
Couro. salgados.-1.046 vacenns de matadou-
;'"" "I3 de novitho. a 46 rls., e 700 ditos
com 1|4 da novilho ao mesmo prego, 1.000 sem
?^e^ ,e P'is.nd.'sendo os da
novilho a 6i ra a os de race a 56 rl.
iim1" VC w* -1*.!/""" Para os Estados-
DM. de 57 a 571.2 rls. r 12.960 para Hespa-
59 rls. 6 rU" 3,00 P"a o H"r?. aP58
Em ser 37,960 raecuos.
0n., Butnoe-Ayree, 13 dt julho.
(Ultimo prego a dioheirof.
pescontos.-0 banco receba em metallico a 8
e empresta a 10 0(0, e em moda correte rece-
be a 5 e empresta a 7 0,0 ao aooo
tiant?"** ruU Ulllco de 1 li4 a l
112 OO, e em moda correte de 1 a li2 010
e mes.
No mercado de itmortacao reoderam-e du-
rn. ?Aqu posito de 19 a 20 graos a 52 pats., 100 pipas
Parnambaco, dando o branc|tBixo 17 rls f e o
masca vo 13 ,!.. f. em de^oX; 143 bmca. do
braoco di Babia a 15 rls. t; q saceos de caf a
600 p., SOO d.toii em depoitto-a 18 pal., e 150
ditea dem a 17 1|2 pas. v '
O mercado de productos do paiz continua mu-
^{s^:jss^xs: no,,iM re-
Cooroi aalgado*. Vendaram-se 4.050 de no-
Uno a 42 5i8 e 43 ra. e 200 ditos de racca a 37
rila)
Ditoa seceos. Venderamse para oa Estados-
taim ** e W rl9, para Alloanha de 45 a
431[2 de novilho e vacca. para Franga a 45 ra., e
psra Haapanba a 45 Ij8 ra.
Em ser clastiticados : cerca de 90,000 couros.
Rio Grande, 16 de julho.
Cambios.As operages aobre Londres montam
a 21,500 libras esterlinas ao cambio da 24 1|4 a
24 ds. ; sobre Paria, 80,000 francos a 390 e 395
rs. por franco ; sobre o Rio de Janeiro, cerca de
80:000 a 40|0 90 d., e 14:000 a 7 e 8 0|0 de 10
a 5(1 dfss.
Moeda nacional foi milito procurada a firmoi-
se 7 0(0, havendo falta no mercado.
trates.Frttou-aa m navio para Peroambu-
co em diraitura a 640 rs. por arroba de xarque.
Para o Canal, o ultimo fretamanto psra couros
salgados fot a 45 5 Oo chs. e para cinza a 42 li2
e 5 0|fj.
As transaeges da qoiozena foram muito insig-
nificantes a falta o communicagoes que vai ha-
vendo para o interior coocorreu a preiudicar mai-
to o movimeoto da prega.
Aa entradas de varios gneros do consumo fo-
ram regulares.
Assacar. O mercado est regularmente sup-
prido, porm as vendas tm sido iracas, regulan-
do de 42600 a 5 por arroba.
Caf.Ficam pequeas axisteocias para ditpr,
pelo qual pedern 9j)500; as vendas da quiuzena
foram de 7^800 at 99200 por arroba.
Carne secca.Compraram-se tres carrtgamen-
tos de gneros escollados a IjtiO por arroba. O
deposito contina avahado por ter hsvido falta
de navios para carregar.
Cachaga.Venderm-se cerca de setenta pipas
de 90J 959.
Couros vaceuna eccos.As transaeges neste
artigo foram mais activas, tendo-se comprado
Dc I"'01"18 cerca de 15 a 16 mil coaros de 260
a 265 rs e pesados al 270, veneodo-se tam-
bera oos 700, qualidade especial, a 275 rs. por
libra. Estando satisfcilas ss necessidades, flea de
novamente a procura frouxa, concorrendo para
isso ss noticias recebidas dos Estados Unidos.
Ditos salgados. Venderam-ae alguoe lotea a
150 rs. novilho e 110 a 120 vacca, cajos precoe -
cam firmes ; havendo para dispor uns 12,000, de-
vido s exigencia dos xarqueadores.
Gorduras.Compraram se cerca de 4,000 arro-
bas de graxa t a 49400 a arroba.
Sal. Houve varias entradas nesta quiozena,
que fizeram baixar suas cotaces, rendeodo-se de
80 a 900 rs. por alqueire.
18
Cambio :Londres, 24 lj4 e 24 d.; Paris, 390
e 395 r.; Uamburgo, noraiual: Rio de Janeiro,
3 a 4 0|0 a 90 das.
Moeda :Nacional 6 a 7 Ojo-
Freles:Para Inglaterra, couros salgados 45
sh., e cinza 42 l|2sh. 50(0 ; Rio de Janeiro, 470
rs.; Babia, 540 rs.; e Pernambaco 700 rs.
Rio de Janeiro, 23 de julho.
Cambio.Londres, 23 7|8 d. a 90 das hontem
e hoje, 26 d. i 90 diaa hoje ; Hamburgo, 693 r.
a 90 diaa hjotera e hoje.
Aegee. Coropanhfa de illamioago a gaz,
1309 de premio, divideodo para o comprador.
Fretes. Londres, rapor inglez de agosto 80/
por ton S. Thomaz a orden, 75 cents.
Gneros.Caf Ia boa superior, e pouea 1* re-
gular, 69700 por arroba hontem.
Effectuaram-se boje pequeas operages de
cambio s cotagoes ofSciaes.
. Negociou se um lote de aeges da compaohia
de tlluminagSo a gaz a 1309 de premio, dividendo
para o comprador.
Venderam-a hontem e hoje, depois das horas
da praga, 1,600 saceos de cal.
Desda o dia 10 do corrente al hoja rende-
ram-se :
Para o Canal e Norte da Europa 21,000 aaccoa
Para os Estados Uuidoa 15.100
Para o Mediterrneo.....9,400 >
45,500 i>
Oa ltimos pregos para lotes redondos foram da
6)1500 a 69350 os velhos, e alguna novos (peque-
o.) de 79 a 7S200.
Era relago s cotagoes qae vigora vara sabida
do paquete i-iglez Magdalena, apreientam as ac-
tuaos uma baixa de 1U0 rs. oas qualidadea supe-
rior e 1* bos, e 150 rs. as primelras ordinarias
e segundas.
Em ser. 300,000 saceos.
24 -
Cambio.Sobre Londres25 7i8 d. a 90 das.
Apoliee.De 6 0,0. 93 0,0.
Acces.Banco Rural e ilypothecario, 28ij de
premio.
Fretes. Boroos, vapor de agosto, 100 fr. e 10
0|0 hontera, Havre 60 frs. e 10 0[0.
Gneros.Caf lavado, 7J800 por arroba.
ElTectuaram-se hoje saques regulares sobre
Londres a 25 7(8 d., e pequeoos 26 d.
Negociaran)-s um lote de apolices geraes a 6
0|0 a 93 0|0. e 60 aeges do banco Rural e Ilypo-
thecario a28 de premio.
Nao nos constara vendas de caf.
Boletim ultima hora.
Desde a saluda do paquete inglez Madgalena
at hoje nao houve movimeoto imprtame em
nossos mercados.
O de importago apenas com a entrada passa-
geira de alguns compradores que suppriram-se de
arligos de maior consumo sahio da apathia em
qe o atrazo das cobrancas e a contiaoga anda
sao restabelecida iuleirameole o mantera desde
algnm tempe.
Soffreram alterago mais notavel noa pregos a
manteiga, o aal e o vinbo, cuja posigo afrouxou
em consequencia dos supprimentos consecutivos
qua recebamos, superiores, na quadra anormal
que atravessamo, s torgas restrictas do mar-
cado.
As vendas de caf foram tambera pequea, li-
mitando-se os exportadores 1 comprar nicamente
para aallsfago das necessidades mais urgentes,
apezar da reduego que liveram nease periodo os
pregos do producto, Qcando ainda pouco se-
guros.
Eflectuiram-se algumas. vendas de issucar, na
maior parte para o consumo.
As ultimas operages de cambio sobre Londres
pelo paquete francez Navarre foram echadaa ho-
ja na quaai lolalidade a 25 7,8 d.
Negoclaram-se as apolices geraes de 6 OtO a 92
l[2,92 3l4,93e93 1|2 0o.
Nao houve alterago na taxa do descont.
Acha-se pendente, segando consta-nos, do pa-
recer do conselho de estado a representago dos
corretores de que nos oceuparaos ltimamente,
sendo de esperar, ltenla a jusliga e equidade em
que se fundam os peticionarios, uma solugo fa-
voravel da queslo que aventaran: a prol dos le-
gtimos inleresses do commercio.
Chegoo, procedente de Pernsmbuco, 23, a
barca Conceico, com 20 das de viagem.
Bahia, 28 de julho
Cambio.Sobre Londres26 e 26 1|8 por \$.
Lisboa108 a 112 por cento de prem. e
nom.
Metaes.Dobles hespanhoes, 318500 a 329000.
da patria, 31J00O a 319500.
Pegas de 6J400 velhas.
de 49
l'alaces brasileiros2)040 a 2905O.
hespaobes29040 a 2s050.
mexicanos29 a 29020.
Fretes.Para Bromen e Hamburgo50 a 52 li2
sch.
Gottemburgo 50 a 60 sch. por ton.
Canal e porto inglez40 a 50 sch. por
ton.
Continente50 a 55 ach. por ton.
Liverpool42 1|2 sch. por ton.
New York60 sch. por ton.
Marselha60 a 70 sch. por ton.
Londres42 1(2 scb. por too.
REVISTA DIARIA.
Amanha se darer extrahir no conaistorio da
igreja de Nossa Seobora do Rosario de Santo An-
tonio, a 5* parte da 1* lotera em beneficio dos
religiosos franciscano! de Olinda ; devendo co-
megar o pagamento dos premios de 5:000$ al
109 uma hora depoiada extraego.
Em lugar competente vai publicado um officio
do eogenheiro fiscal da via frrea acerca to oc-
corrido all no da 28 com o deseocavilhamento
do trem em aervigo doa trabalhos da 4*secc&o.
A causa que a lato deu lugar indicada nesss
pega ; e as victimas desse sinstro foram apaas
duss, aahindo tambera faridoa outros doua indi-
viduo, um doa qaaes ara apontador do emprei-
leiro.
A polica local tomando conbecimento do oe-
coirido, nao deicobrio nelle ae co un eileiio da
casualidad ; aassim deixou o macbioiita de ser
preso \ o que dea lagar a nao harar interrupgao
alguma noa trabalhos da linha.
Sulcidou-se pela injecglo de laadano o Sr.
C. J. Wood, subdito ingles. Era encarregado da
construegio do laogo da va frrea, que fies no
lugar Arcal da Jangada, no termo deSernhaem.
O suicida daixou ama carta so engenbeiro
Pearson, a qaem Incumbi nao s os seus neg-
cioa, como ainda um fllhioho que tinha.
Foram nomeadoa. sobre proposta do Sr. ca-
pito do porto, e de conformtdade cora o art. 5
daa inlrucges annexaa ao aviso de 18 de feve-
reiro ultimo, os seguiotes Srs. psra pharoleiros
do phsrol ds barra deste porto:
Joo da Croz Lima, 1 pharoleiro.
Bonifacio Bezerra, 2* dito.
Manoel Alvea Pereira, 2" dito.
O Exro. Sr. presideote em vista a conve-
niencia da desobstruego do porto, recommendou
a cmara municipal desta cidade a expedigao de
suas ordenssos respectivos fiscaes, aflm de m
pedir e fazer cessar pratics abusiva de se langa
rem na praias desta cidade lixo e outros entu-
Ihos; visto qua coocorrem em muito para a re-
ferida obstruegao, alera de loutilisar os esforgos
daa sommas dspendidss com o melhoramenlo do
mesmo porto.
E' uma medida certsmente de urgencia, e es-
tamoa que a nossa municipalidade nao omillir
seus esforgos no sentido de secundar as vistas da
S. Exc, tanto mais quanlo a indicada pratica
uma constante infraegodas posturas muoicipaes.
Na quarta-feira foi cantada, 00 Santa Isa-
bel, a opera TVatitata, do maestro Verdi, pelos
Srs. Guill e Orlandini e a Sra. Slella.
Aa honras dessa noute couberam inegavel e
noicamenle ao Sr. Orlandini, que mais urna vez
patenlaou a superioridade de sua voz, acompa-
ohada da mimtca conveniente.
O Sr. Guidi, apezar de bstanlo iocommodado,
canto bem, e mostrou qua par de uma bella
I voz tem elle arte a supprir os pequeoos contra-
lempos da natorez.
Ao ouvir ess mavioss e lerna msica, senti-
mos nao ver tazer a parte de Violeta a sempre
applaudida prima-dona Sra. Marinangali, que em
o anno passado tantos louros colheu entre nos.
Publicamos hoje o segundo mappa dos
Idoeotes tratados no hospital porluguez de bene-
fuencia nesta cidade, segun'o a nota dada e as-
signada pelo respectivo medico.
Nao poderaes deixar de observar a grande uti-
lidade que vai prestando nossa popolagao este
estabelecimento da carilade, funlado especial-
mente para o tratamento dos desvalidos, e sus-
tentado pela briosa familia portugueza aqui re-
sidente.
E sempre com prazer que consignamos na nos-
sa Revista factos dsla ordem, que muito abo-
nara e nobilitam os caracteres que os represen-
tan).
Mappa dos doeotes tratados no hospital porlu-
guez de beneficencia no mez de julho :
Exista.: 29
Eotraram. 16
Total. 46
Sahiram. 18
Morreram 2
Existem. 25
Total. 45
Dos que morreram um foi de febre amarella e
m de ferimento grave de arma da fogo.
Hospital, Io de agosto de 1862. Dr. Pitaoga.
Na noite de 9 do mez findo, no lugar Pogo
da Cabrita, do termo de Iogazeira. fra espanca-
do em sua propria casa Jos Joo de Oliveira, por
Joaquim Benveouto e Saturnino de tal, os qoaes
tendo batido porta do dito Oliveira, que j se
acbavs recolhido, e sahindo este por serem aquel-
los seas conhecidos, o primeiro Ihe Jera urna
pancada com um couce de ura ca vnote sobre a
facedireita, que produzindo um lerimento o der-
rubra, e lerantando-s o ofiendido, levara sl-
gumas cacetadas dadas pelo segundo dos oLTen-
sores.
Tendo o ofiendido se presentado na respecti-
ra delegacia na tarde do 11 do dito mez, o dele-
gado proceder a corpo de delicio e segundo
coosta, procede na forma da lei.
No dia 15do mez prximo passado foi cap-
turado palo subdelegado de polica do districto de
Baixa-Verde do termo de Flore, o desertor da
armada Manoel Pereira de Lima, natural desta
provincia.
Somos informados de que na fazenda llapi-
ra do rio de S. Francisco, 00 mez de abril ulti-
mo, se dera um asssssinato, e que o to se acba
preso oa cadela de Joazeiro provincia da Bahia :
deixamos de delarar oa Domes do crimiooso e da
victima por nao termos ainda conhecimento.
Ha tres das apresntou-se ao Sr. Dr. chefe
de polica Joo Fernendes Vieira de Mello, mo-
rador da comarca da Nazareth, denunciando que
passeiava as ras desta cidade o Sr. major Jos
Igoacio Pereira Torres, rendeiro do eogenho Pe-
dregulho daquella comarca, quando se achava
pronuocudo em criroe de morte.
Apenas constou isso o Sr. Dr. chefe de polica
mandou por em custodia o dilo Sr. major Pe
r.ira Torre no estado-maior do corpo de polica,
emquanto dalli vinham informages das autori-
dadea competentes ; ebegando ellaa honlem pela
maoha, e sendo ioteirameute falsa a denuncia
dada, fot posto em ltberdado o Sr. major Torres,
victima de mesquioha vingaoga de inimigo pe-
queo e vil.
O Sr. major Torres bastantemente conhecldo,
quer neata provocia, quer na da Parahiba e em
toda a parte gosa do crdito de cidado pacifico e
inoffensivo, e de carcter sisudo e incapaz de ac-
tos semelhsotes esse de que se trata.
O denunciante poz-ae ao fresco, lngo depois de
completar seus malvados intentos; mas, eremos,
nao Ucar impuoe, recebeodo o premio de seu
trama infernal, que concebeu para calumniar um
cidado de reconhecido crdito peraote as pri-
meiras autoridadea do pair.
O Sr. capilo-leoeole Bernardo Antonio
Loureiro, commandanle do brigae-barca llama-
raed, foi transferido para o do brigue escaoa Fi-
delidade, que deve seguir para a corle, apenas
aqui chegue o brigue-escans Tonelero.
Foi uomeado commandanle do trigne-bar-
ca itamarac, o Sr. capito-tenente Ignacio Acio-,
li de Vosconcello. _J
Passageiros qne seguem para a Europa no
vapor Navarre:
Aotooio Jos Rodrigues de Souza, Elisa Schem-
berg e Jos Scbemberg. *
Passageiros sahidoa para Lisboa, no brigue
porluguez 5o6eraro'.
Maris das Dores, Rsymundo Dugu e dous fi-
Iboi menores.
Passageiros vindos do Rio de Janeiro e Ba-
hia no vapor francez Navarre:
eorge Huanagel e George Harwood.
Movimento do hospital de Nossa Senhora da
Conceigo dos Lazaros, desde o 1 al o ultimo
de julho :
Exiatiam 12 horneas e 18 mulherea ; eotraram
i hornera e 2 mulheres ; sabio 1 mulher ; exis-
tem 32.
Observagao.Por ordem da Exma. junta, sa-
hio para tratar-se no hospital!. Pedro II, a enfer-
ma Josepha Mara de Macedo, por nao ter a mo-
leatia qaa exige este hospital. O regente do
mesmo, Manoel Cavalcanli de Albuqusrqua Mel-
lo.A. Cocha Figueiredo, mordomo.
Movimeoto da caaa de detengo do dia 30
de julho.
Exisliam. 363 presos.
Entraram. 5 >
Sahiram. 11 >
Candida Mara da Conceigo. Pernambuco,20ao-
nos solteira. Santo Antonio ; bexigas.
Antonio, Peroambuco, 1 anoo. Recife ; bron-
Existem.
357
A saber
Naciouaes . 248
Mulherea: . 5
Eatraogeiros. 28
Escravos. . 67
Escravas. . 9
Total.
357
Alimentados a cusa dos cofres provin-
Ctaes.....;....... 149
Obituario do bu 31 de jclho, no cauris-
mo publico :
Mtchaela Nanea Cordeiro, Peroambuco, 1 Oan-
nos solteira, Santo Aotooio ; apoplexia.
Anna Mara da Conceigo, 40 anno, viuva, S.
Jos ; cholera.
Agostioho, Pernambaco, 3 mezes, Santo Antonio;
intente.
Joanna de Miranda Castro, Peroambuco, 27 an-
no, solteira, Boa- Vista ; tubrculos pulmona-
res.
Paulina, Pernambuco, 3 mezes, Sanio Antonio *
espasmo.
Antonio Ferreira da Costa Braga, Portugal, 66 an-
uos, viuvo. Boa- Vista ; odema pulmonar.
Antonio, Pernambuco, 2 annoa Recife ; interite.
Mana do Eapirito Santo Soasa Raogel, 24 anoo,
jolUira, Sillo Antonia, phtbj/eici.
CHROnlCUUDICIaRli.
Tribunal do commercio.
SESSO ADMINISTRATIVA EM 31 DE JULHO
DE 1862.
r-RBSlDEHCU DO EXK.SR. DESEMBARCADO;
V. A. DB SOUZA.
A'a 10 horas da manhan, reunidos os Sri
deputados Reg, Lemos, Malveira e Ferreira
Sr. presidente declarou aberts a sesso.
Foi lida a approvada a acta di sesso antece-
dente.
EIPEDIKNTE.
Foram presentes as cotaces officiaes dos pre-
gos correles da praga, da ultima semana.Ao
archivo.
DESPACHOS
Um requerimento de Jos rie Mello Costs e
Oliveira e Thomat Jos de Oliveira, pedindo o
registro do seu contrato do aocie.laie. Elimi-
nen! o artigo 5 que nao tem lugar.
Outro da Firmiano Jos Rodrigues Ferreira J-
nior e Francisco Deodato Rodrigues Ferreira, pe-
dindo o regislro de seu contrato de sociedad'e.
Na forma do parecer fiscal.
Outro de A. de Honra Rolim, pedindo ser ad-
mitlido a matricula.Mairicule-se.
Outro de Manoel Joaquim da Silva Leo e Joo
Nuoes Trgueiro, pediodo serem admilidos a
matricula de trapicheiros, aquelles como dono a
este como adrainialrador do trapiche Jarags.
Assignaodo-se lermo, pasae se titulo.
Outro de Manoel Joaquim Rodrigues de Souza,
pedindo a deaiituigo de Luiz Antonio de Souza
Klbeiro, liquidante da exiincta firma de Rodri-
gues & Ribeiro, e que seja o supplicaote encat>
regado dease encargo em toda sua nleoitude.
Estando aberta a fallencia de Luiz'Antonio de
Souza Ribeiro, o deslituem das funeges que exer-
11a de liquidalario de sua exiincta sociedade sob
a razio de Rodrigues Ribeiro, visto como se
scha legalmente impedido de seus direitos civil,
assuma o socio Rodrigues a iiquidsgo da socie-
dade.
Outro de Henry Forster & Companhia. pedin-
do o registro da escriplura de hvpotheca que
apresen tara.Registra-se.
Outro da Saunders Brolhers & Compaohia, pe-
dindo o registro da procurago que apreaeotam..
Regiatre-se.
Outro de Horacio T.burcio da Cruz Muniz sa-
tisfaiendo o despacho de 15 de maio, para ser
registrsdo o seu contrato de ociedade com Fran-
cisco da Silva Machado Lobo. Regislre-se o
contrato e o additamento.
Outro de Manoel Caetano Borges e Silva e Jo-
s do Reg Mello, salisfazendo o despacho de 24
do corrente, para ser registrado o seu *ontrato
de sociedade.Registre-se com a alterago.
Outro de Looardo Kuler de Zue, saii>fzendo
o despacho de 17 do correte, para ser registrada
a sua convengao com R. V, Seisfried. Regis-
lre-se.
Oulro do corretor F. Lopes Guimares, apo-
sentando a nova fianga que prestou para o sea
officlo. Registre-se e remetla-se por copia a
thesouraria de fazenda o termo de anga.
Oulro de Dominnos Ferreira das Neves Guima-
res e Francisco Augusto de Oliveira, pedindo o
regiatro do contrato de dissolugo d sus socie-
dade.O ex-socio Ricardo de Freitas Ribeiro ai-
signe a dissolaco da sociedade."
Um oflicio dos fiscaes da moratoria de Sebas-
(i3o Jos da Silva, de 30 do correle, communi-
caodo que vencendo-se o primeiro pegamento da
mesma moratoria, nao pode ter lugir pelos mo-
tivos eipostos palo mesmo Sebasto no doca-
manlo junto.O tribunal mandou juntar os au-
tos e revogou-a.
SESSO JUDICIARIA EM 31 DE JULHO
DE 1862.
PRESIDENCIA DO BXM. SR. DESEMBARGADO
SOUZA.
Secretario, Julio Guimares.
A' meia hora, o Exm. Sr. presidente abri a
sesso, estando presenteos seuhores desembar-
gadores Villares, e Silva Guimares, e os Srs. de-
putados Reg, Lemos, Malveira eDias Fernn-
des.
Lid, foi approvada a acta da sesso ante-
rior.
JULGAMEtiTOS.
AppellaDlo, exequente Antonio Joaquim Sal-
gado ; appelWdo, t-rceiro embrgnie Perciano
da Silva Leiio ; execatado Francisco do Reg
Lime.
Receberam-se os embargos.
AppellDles, Alves i Companhia ; appellado.
Antonio Emygdio Ribeiro.
Julgou-se por aeolenga o termo de desis-
tencia.
Appellantes, Joo de Siqueira Ferro e outro:
appellados, Soulhall Mellors & Companhia.
Adiado a pedido do Sr. deputado Reg.
Appellantes, appellados Flix Souvage & Com-
paohia ; apuellautes appellados, Seve, Fihos &
Companhia.
Foi asignado o accordo.
PAS3AGENS.
Appellante, Joaquim Francisco de Albuquerque
Santiago; appellado, Jo* Joaquim da Cuoha.
Do Sr. desembargador\Silva Guimares ao Sr.
desembargador Villares.
Appellante, Jos Joaquim Rodrigues de Souza;
appellado, ferreira & Mallos.
Do Sr. desembargador Silva Guimares ao Sr.
desembargador Villare.
Appellante, Autonio Jos Das ; appellado, Jos
da Silva Guimares
Do Sr. desembargador Silva Guimares aoSr.
desembargador Villares.
Appellanle, Joa Pereira da Cunha ; appella-
dos, o desembargador Antonio Baplista G-iiirsoa
e Jos Antonio Lopes.
Do Sr. desembargador Silva Guimares ao Sr.
desembargador Villares.
A, pedanles, Merbeau & Norria, por seu pro-
curador ; appellados, Seve, Filbos Si C.
Do Sr. desembargador Villares ao Sr. desem-
bargador Silva Guimares.
AGGRAVOS.
Aggravanles; Rodrigues i Ribeiro ; aggrava-
dos. Prenle Viann & C. e oulro.
O Exm. Sr. presidente deu provimenlo.
Agggravantes. Gongalves & C. ; aggravado.
Candido Jos da Silva Guimares.
O Exm. Sr. presidente nao lomou conheci-
mento.
Cmara municipal do Recife.
Maladouro publico da cidade do Recife.
Matsram-se para consumo desta cidade no
mez de julho do corrente anno 2,483 rezes, coni-
tantea ds relago infra.
Viuva Anacle!o& Companhia........
Virginio Horacio de Freitas ........
Venceslao Machado Freir Pereira da
Silva...............................
Joo Chrisoatomo de Albuquerque.
Jos Francisco de Souza Lima......
Manoel Paula da Albuquerque......
Bellarmino Alves de Arocha......
Francisco Candido da Paz............
Manoel de Souza Tavares............. 140
Maximiano & Lucas de Mello...... 117
Joaquim Jscintho.................... 102
Ernesto Celestino de Meodonga...!.! 70
Feliciano Joaquim da Costa ........ 69
Miguel Alves Lima.................. 69
Jos Joaquim Ferreira............... 53-
Luizde Franga Soares................ 26
Pedro de Athayde.................... Jfj.
Joaquim da Coata Ramos............ 26
Fedro Francisco da Costa............. 25
Antouio Francisco Ferreira.......... 23
Francisco Jos Das da Costa.....
Prudencio de Oliveira Pimenlel. 10
JooJuscde Uedeiros.............. 9
Cmara municipal do Recife, 31 de julho de
1862.
O procurador,
Jert Vittor Ftrrcira Lopes.


_/
DlktO DI fSKKMBUCO. SEXTA FEltU 1 DS AGoSTO DE i86i.
Correspondencias
Senhores redactores.Chegando io meu co-
uhecimcDio que algaem por ceno qee dominado
de ms iaien^es propala qae en em conversa-
rles ten h o deposlo do carcter do 2 teoeote da
ormad'o Sr. Joaquim Alves Moreira cumpre-me
declarar em alto e bom som que ameote sendo
um perfilo e grande ingrato poderia eu abrir mi -
Bha bocea para maldixer do Sr. Moreira poii que
o que boje snu deo a esae senhor, qm como um
perfeiio cavalleiro me tem servido de um segun-
do pai: nao tenho pejo em referir peranle o pu-
blico os grandes favores que devo so Sr. Moreira,
por que sni-'s Je ujo a verdade e como ver o
publico o'ah nenbum deaar me vem.
FoioSr. Moreira quem, estando eu em tenra
idade admito-nie cuino pralicante na escuna
Lindoia sobseu comanilo ; por sua recommen-
dscaoe protecclo fui admittido no vapor Mrquez
de Olinda e deuois no vapor Iguarassi. no brigue
Paranibano, no palhabote Duii Luizas, e tino 1-
meote no paihabote Jorge, e isto sempre por pro-
tecclo do Sr. Moreira que alm desies me tam
prestsdo outros favores como teja por exemplo
servir-me constioiemenle de fiador as casas em
que tem morado a niinhs familia.
V-ae pois que muito devo ao Sr. Moreira, e
qoea por urna perversa iogratidio poderia eu
uvidar deusua binlale e cavalbeirismo.
Desafio pois a este meu cruel delralor que ap-
psre;a, e em publko diga qual a vez que vio me
depOr do meu protector o Sr. Moreira. Julio
Gomes da Silva.v
Recite 31 d-j julho de 1862.
Meio 0|o sobro o producto de ca-
da leilao.......................,
Multa por infraccoes ......
391005
1939S07
8:468#>37
Mesa
de 1862.
do consulado provincial 31 dejulho
O 3o escripturario,
Antonio Rodrigues de Albuquerque.
CouauUdo provincial.
Rendimanto do da 1 a 30. 79:9118408
dem do da 31......1:556*979
81:4681387
i'raca do Recife31 de
* julho de 1862.
\s t^ualro horas da tarde.
Colaces da junta de corretores.
Cambio.
Nao nouveram cotacea.
J. da Cruz Matedoprefidente
John Gatiasecretario.
Alfandega,
Baodimanto de da 1 a 30. .451:7793491
dem de dts 31 ....;. 23838*476
455 667*970
Movlmeolo da alfandeajat.
Velames entrados tomf alendas..
som ganaros..
Movimento do porto
Navio sahido no din 30
LisboaBrigue porlugunz Soberano, capitao An-
tonio Ag >stinho de Almeids, carga mel, assu-
car e outros gneros.
Navio entrado no dia 31.
Rio de Janeiro e Baha 6 dial, vapor francs
Navarre, de 1,271 toneladas, commandante A.
de la No, equipsgem 118.
Naviot sabidos no mesmo dia.
AsiBarca nacional Soacica, capitao Jos da
Penba Oliveira, em lastro,
demHiste nacional Duas Luizai, capitao Jos
Francisco de Oliveira, em lastro.
Bardeaux e poitos intermedios Vapor francez
Novarre, commandante A. dala No.
StCtoteft.
Velamei

sabidos
>
som fszendas..
som gneros..
fiMifrrnn; no dia 1." de jelho.
Escuna hanoverianaAtlanticmercadorisi.
Polaca austracaPirestfarioha de trigo.
Exportac&e
do dia 30 de julho.
Eacuna iogleza, Zenith para Liverpool, carre-
fiaram :
Paln Nash & C, 357 saceos com 1,842 arro-
bas 12 libras de algodlo, e 300 ditos com 1,500
arrobas de asiucar.
Juhnstoo Paier & C, 150 saceos com 750 arro-
bas de dito.
Vapor francez Navarre, para Bordeaax, car-
regaram :
Antonia J.is Rolrigues de Soma, 1 pacote
com 500 charutos, 1 barrica com 1 alqueire de
farioha de mandioca, 2 papagaios, e 5 volumea
roupas, 1 chapeo e 1 sseco de tapete.
Tissel Freres, 65 saccas com 314 arrobas de
algodao.
Brigue portuguez Lima, para a liba da S. Mi-
guel, carregaram :
Garvslho Nogueira & C, 30 barricas com
248 arrobas e 25 libras oe assucar, e 1 caixole
com 80 libras de doce de goiaba em 33 caixo-
tinhos
Elias Baptista da Silva, 1 barrica com 3 alquei-
re* de farioha do mandioca.
Importacuo.
Brigue-eicuna nacional Cysne. v'nlo do Rio-
Granie do Sel, consigoado a Amorim Irmos,
manifeatou o seguiote : "
14,000 arrobas de carne secca de charque, 270
ditas de sebo em rama, 96 ditas de dito em gra-
la, 25 barricas com 162 1\2 ditas de dito coado,
100 saceos farioha de maudioca ; a ordm.
Patacho brasileiro Anna, viodo doRioGranle
do Sul, maoifeslou o seguiote :
8 425 srrobsi de carn de charque, 161 di tas
de sebo em rama, 14 couros aeccos; a ordem.
8671500
146S687
759001)
7.174*751
5868465
1:492*958
RENOIMENTO DA RECEBEDORIA DE RENDAS
INTERNAS GERAES DE l'Eii.NAMBUCO DO
ME/. 0E JULUO, A SABER :
Rendas dos proprios nacionaes..
Foros do terrenos de marinha ..
Ladennos .......................
Siza dos bens de raz.............
Dcima addicional das corpora-
les de mao mora.............
Direitos novos c velhos c de
chancellara..................
Ditos de patentes dos ofDciaes da
guarda nacional................ 36*000
Diurna de chancellara........... 2:610*761
Multa por infraccoes do regula-
mculo.........'................. 367*153
Sello do papelillo................ 4:06so30
Dito do proporcional............. 11.031*701
Premio do depsitos pblicos.... &9$l7
Emolumentos................. 864*420
Imposto do Corretores e agentes
oeleilo-s ................. 7:200*000
Imposto sobre loias e casas de
desconlos............ 14:025*510
Dito sobre casas de movis, rou-
pas, etc. fabricados em paiz es-
trangcro............
laxa d> escravos.........
Cobranca da divida activa .
Indenmisac,es...........
O lllm. Sr. inspector da thasourarla da f a-
zenda de Pernambuco, manda fazer publico de
conformidade com a orlemdo thesoaro n. 125 de
8 do correle, que no dia 9 de setembro prximo
fiado se far coocurso nesta thesouraria para
preenchimento dos lagares da praticaptea da
mesnia. Os que pretenderem ser admiltidos ao
coocurso devero apresentar nesta secretaria oa
leus requerimeotos instruidos da documentos
que provem : 1* teram 18 annoa completos de
ldade, 2o estarem livre de culpa e pana e 3* te
rem bom comportimento. Os exames venaro
aobre leitura, aoalyse grammatical.ortographia e
arithemethica at a theoria das proporroes inclu-
sivamanle.
Secretaria da thesouraria de (azanda da Per-
nambuco, 23 de julho de 1862.
Servindo de offlcial-malor.
Manoel|Jos Pinto.
O lllm. Sr. inspector da Iheaourarta de fa-
zenda de Peraambuco, manda fazer publico para
coohecimeuto d quem ieteressar e em confor-
midade da ordem do tribunal do theaouro n. 125
de 8 do crranla mez, que ao dia 18 de agosto
futuro, haver concurso nesta thesouraria para
preenchimento dos lugares vagos de terceiros es-
ccipturarios, enire oa pralicantea, a na falta dea-
tes poderlo ser admitiidas pessoaa de fra nai
condiedes exigidas no arl. 3* do decreto n. 2,549
de 14 de margo de 1860. O exame versar aobre
as seguiotes materias : arito mlica e suas appli-
csc&es ao commercio, com especialidsde a re-
duelo de moedas, peso e medidas, clcalo da
descont, juros simples ecompostos, theoria de
cambios a suas applicaces, algebra al equs-
coes do 2a grao, e ibeoria da escripturaclo mer-
caotil por partidas simples a dobrada, e suas ap-
plicecoaa ao commercio e ao thesoaro ; devendo
as pessoas de fra que forem admiliidss ao dito
concurso, nao s prostarsm exame das materias
exigidas, como das do 5 Io do art. 6* do dito de-
creto.
Secretaria da thesouraria de fazenda de Per-
nambuco, 23 de julho de 1862.
serviado da offlctal maior,
Manoel Jos Pioto.
O lllm. Sr. inspector da thesouraria pro-
vincial em cumprimento da ordem do Esm. Sr
presidente da provincia manda fazer publico que
no dia 7 de agosto prximo vindouro se ha de
arrematar, peraote a junta da mesma thesoararia
a quem por menos fizer, a obra do aperfeicoa-
meulode ama parle da estrada da Victoria no
lugar denomioado Ladeira da Sicupira-torta,
avallada em 2:860*.
A arrematado aera feita os forma da lei pro-
Tincial o. 343 do 15 de maio da 1854 e aob as
clausulas especiaes abano oopUd.
As pessoas que se propozerem a esta arrema-
tarlo comparegam na sala das sessoes da referi-
da junta no dia aupramencionado, pelo meio
dia a competentemente habilitada!.
E para constar se manlou afllxaro presente a
ablicer pelo Diario.
Secretaria da thesouraria provincial de Per-
aambuco, 17 de julho de 1862.
O secretario,
Antonio Ferreira d'AnnunciaQSo.
Clausulas especiaos para a arremalacao.
1.aOs reparos da Ladeira da Sicupira-torta
aero execulados conforme o perfil e ornamento
approvados pela directora em conselho e apre-
sentados a approvecao do Exm. Sr. presidenta da
provincia, importando em 2:860*.
2.*O arrematante dever comerjar a obra no
praso de 15 diaa e conclui-la no de 3 mezes con-
tados secunde as disposicoes da lei reglamen-
tar desta repartidlo.
3.aO pagaraenio ser foito em duas presta-
ces iguaes, correspoodendo a primeira a metade
da obra e a segunda a sua concluso e entrega.
4.*Para o mais que so nlo especifica as pre-
sentes clausulas seguir-se-ha a lei n. 286 que
rege esta directora.
5.aN-inhuma reclamecSo, tendo por fim pedir
iodemnisscao, aera attendida, leja qual for o seu
fundamento.
Conforme.O secretario, Antonio Ferreirs da
Aonunciaco.
Outro dito na mesma roa, em qae tem can
terrea n. 51 oa nerdeiroa de Manoel doa Santos
Nanea de Oliveira, avallado em 89*500 rs.
Outro dito oa mesma ra, em que tem can
terrea n. 53 Antonio Ferreira Lima, atalu-
de em 94*300 rs.
Outro dito na mesma ra, em que tem caa
terrea n. 67 Mara Amalia de Freitas Calmarles,
avallado em 749400 n.
Outro .dito na mesma ra, em qae tem casa
terrea n. 69 Jos Antonio Bitlencourt, avalisdo
em 825400 ra.
Outro dito na meima ra, em qae tem casa
terrea n. 71 o mesmo seohor cima, avallado
em 76*640 ra.
Outro dito na meims ra, em que tem caa
terrea n. 73 Antonio Ferreira Lima, avahado em
76*000.
Outro dito oa mesma ra, em que tem caa
terrea n. 75 Aona Joaquina da Sant'Anns, ava-
llado em 152*160 ra.
Outro dito na meima ra, em qae tem casa
terrea o. 81 Constancia Jacinlha da Molla, ava-
llado em 96*660 rs.
Outro dito na mesma rus, em que tem caaa
terrea n. 83 Jos Antonio Bitlancoart, avallado
em 899180 rs.
Outro dito na mesma ra. em qae tem caaa
terrea o. 87 Alexandre dos antos Barros, ava-
llado em 86*300 rs.
Outro dito na meama rus, em que tem cata
terrea n. 89 Mara Joaquina da Aonancii^lo, aya-
liado am 75*720 ra.
Outro dito na meama ra, em que tem casa
terrea n. 91 Antonio Fernandei Lima, avaliado
em 83(420 ra.
Outro dito na meima ra, em que tem cata
terrea n. 93 a irmaodade do Santissimo Sacra-
mento da freguezia de S. Frei Pedro GonQalve
do Recite, avaliado em 78*800 n.
Outro dito na meama ra, em que tem casa
terrea n. 95 Thomaz de Aquiao Fonsecs, avaha-
do em 228*.
Outro dito na mesmi ra. em qae tem can
terrea n. 88 Jas doi Sanloi Nuoei de Oliveira,
avaliado em 209*.
Oatro dito na mesma ra, em que tem casa
terrea n. 4 Jacintbo Affonso Bastos, avaliado em
115*.
Outro dito na mesma ra. em que tem casa
terrea o. 6 Jos Candido de Carvalho Medeiros,
avahado em 1111800 ra.
Outro dito na ra de S. Goncalo, em que tem
casa terrea n. 14 Jos Clemente Pereira dos
Santos, avallada em lti$800is.
Outro dito na meima ra, am qae tem cata
terrea n. 16 Jos Gomei Tavare Jnior, avaliado
em 108*300 n.
Oatro dito na ra do Cotovello, em qae tem
csia terrea n. 15 Marianna Dorolhea Joaquina,
avaliado em 88*800.
Por execucao de D. Marianna Dorothea Joaqui-
na contra Jos Rodrigo doi Palios.
B' a ultima pra;a.
do porcelana por 5|, 1 Uitaira de porcelana por
500 ri., 1 ball por 1*500 ra., 3 copoi por 1, 1
porta licor por 2*, 1 globo por 5*. 1 candelabro
por 20$, 2 caali(aeide vidro por 4$, 1 dito por
29500, o escravo Manoel de nsco com idade de
50 sonoi poseo mais ou menos por 200*, lodos
estes objactos ilo rertenceatei ao cual do ua-
do Militae BorgesTUchoa.
ri'BLHaClO LITTEB.VRI \
4 iulher, a familia e a
ne
POR J. GUENEES DA SILVA E MELLO.
(Preco da assignatora 2$O0O.)
Acha-ie no prlo prestas a sahir a luz esta pu-
blicarlo, importante pelo assampto que eocerra.
A' sua entrada no recinto do lar domestico da
f;rande necaaaidade na actualidade, que a phs-
ange do erro tem levantado os aeas acampa-
mentos para guerrear a religllo do Chrisio.
Acha-ie eberta a sua asignatura ns livraria oco-
nales, rus do Crespo n. 2 ; na Uoivarsal, ra do
Imperador n. 20 ; na de Antonio Domingues Fer-
reira na meama rwa n. 69 ; na mesma ra o. 29;
a oa caaa do autor, rea estreita do Rosario n.
19, segundo andar.
O autor deposita extrema confianza no espirito
de religiosidade que anima os nossos pais de fa-
milia.
'ifcOS BRaWitiHfcO*
Rio de Janeiro,
pretende aeguir com muita brevidade o veleiro e
bem conhecilo patacho nacional Capuana, ca-
pitao Theotonio Jos da Silva Roa, tem parle
de leu carregameoto promplo : para o reito qae
Ihe falta, trata-iscomoi ieea consignatarios An-
tonio Luiz de Oliveira Azevedo & C. no seu es-
criplorio, rus da Cruz n. 1.
paz aolteiro que retira-ae para Europa e aam re-
serva de prego, dos objectos cima mencionado.
existentes no primeiro andar do sobrado o. 138
da ra da Seniala V.lha, aa 11 horas do dia
terca fera 5 do corrente.
L lie*.
LEILAO
n
200 barricas farinha de
Trieste SSS e SS,
Segundafeira i do crtente.
O agente Pestaa vender por conla ejrisco de
quera p6rteoer 200 barrica com farinha de Trise-
te de marca SSS e SS,desembarcada ltimamente
a qual ser vendida em leles a vontadedos com-
pradores: aegunda-feira 4 do corrente pelas 10
horas da mtnhaa, no arrrazem do barao do Li-
vramentono Fone do Mallos.
Um
era
COMPANHfA BRASILEIRA
DE
Al o dia 5 de agosto esperado dos portos
do norte o vapor nacional Paran, commandan-
te o primeiro-teneate Antonio Marcelino Pontea
Ribeiro,, o qual depois da demora do coatume
aeguir para os portos do sul.
Desde j recebem-se passageiros e engaja-se
a carga quao vapor poder conduzir a qual deve-
r ser embarcada no dia de eua chegada, sn-
commi'ndes e dinheiro a frete at o dia da sabi-
da as2 horas: agencia roa da Cruz n. 1 es-
criptorio de Antonio Luiz de Oliveira Azevedo
C.
1:010*000
6208000
4:tztu90
329*00'J
56:116*654
Recebedona de Pernambuco 31 de julho de
1862
O escrivo,
Manoel Antonio Simoes do Amar al.
Becebedoria le randas Internas
sjceraeu de Peruambaeo
Bendimento do da 1 a 30. 54.363S952
ldam de dia 31. ..... i 1:752,702
56:116*654
Deeittrae5f.
BENDIMENTO DA MESA DO CONSULADO PRO-
VINCIAL EM O MEZ DE JULUO DE1862.
A SABER :
Direitos de 90 rs. por (| do as-
sucar exportado.........
Oito de 20 rs. por caada d'aguar-
dente, etc......................
Dito 2 01o idem do algodao expor-
tado ...............
Dito de 7 01o do mel.......
Dito de 8 por ceoto de couros
seceos, verdes e espichados.....
dem ider de 5 idum dos mais
generbs exportados.......
Canatazia de 320 rs. por sacca de
algodao exportado .......
80* sobre escravos exportados .*.
20* rs. por meia siza de es-
cravos .............
Sello do hcranc,as e legados. .
10 por cento de novos e velhos di-
reitos dosempregados provin-
ciac-s..............
Emolumentos de poliria.....
Destituicoes e reposiees.....
Reciraa "dos predios urbanos
10 Olfj do consumo d'aguardente .
8mpesio de 4 por cento sobre di-
versos estsbelecimeotos fra
ds cidade ......................
2 0,0 sobre consultorios mdicos,
e escriptorios..............
Imposto de 12 por canto sobre
diversos eslabelecimeotos .
Imposto 50* rs sobre casas de
chapeos, perfumaras e roupa
fait, modas ele..........
Dito de 50* de jogo de bilhar.....
Imposto sobre carros, mnibus,
carroca e vehculos.... ....
Dito de 2 0|0 aobre os premios
aiaiorea da. loteras............
No dia 1 de agosto violouro, depois da>u-
diencia do Dr. juiz municipal da primeira vara,
teera de ser arrematados :
Um sobrado de dous andares ns ra da Senza-
la-Velha n. 128, com 16 palmos de frente e 128
de fondo, em chlos foreiros, avalisdo por
4.000*.
Um dito meiagus n. 28, na rus do Trapiche,
de tres an lares, em chaos proprios, com 30 pal-
mos da frente e 31 de fuado, avaliado por......
9:000*.
Urna cssa terrea n. 61, na ra da Gloria, fre-
guezia da Boa-Vista, com 20 palmos de frente e
50 de fundo, em chlos proprios, com quintal mu-
rado, cacimba propria, avsliada por 2:000$.
Urna parte na casa tarraa n. 45, oa ra do
Apollo, fregaezta de S. Frei Pedro onqalve,
em chlos proprios, com 18 palmos de frente e
105 de fundo, com quintal murado, cacimba
meeira, avaliada por 145$467 rs.
Um sitio denomioado Crtame, era o Salgadi-
oho, freguezia da Boa-Vista, com algumas fruc-
leiras, o qual divide pelo sul com o sitio da Ta-
earuoa, pelo norte com a passagem da Oiinda,
pelo nascente com o rio Capibarlbe, e pelo pos-
le com a estrada de Belm, com um sobrado de
am andar cem 56 palmos da largura e 88 de fon-
do, com capella em um gabinete da sala e chaos
proprios, avahado por 5:000$.
Urna morada de casa terrea de re ira e cal,
com 17 1[2 palmos de largara, e 103 de tundo,
com tras quartos, duas salas, qaintal murado,
margen) do rio da Povoaclo de Beberibe, ava-
hado em 1:100*.
Urna dita de reir e cal, com 33 palmos de
frente e 103 i fundo, com duas salas, tres quar
tos, coziuha fra, quintal & margem do rio, ava-
liada por 2.000*.
Outra dita de padra e cal, com 17 palmos de
frente e 103 de fundo, duas salas, dous quartos,
cozmha, quintal margem do rio, avaliada em
1:0009.
O dominio directo do solo ns rus do Cotovello
ds freguezia da Boa-Vista, em que tem cass
terrea n. 7 Francisco Peroira da Silva, avaliado
em 89*500 rs.
Outro dito na mesma rus, em que tem
cass l-rrea n. 9 Jos Teiteira Bastos, avaliado
em 92*700 rs.
Outro dito na mesma rus, em que tem casa
terrea o. 11 Jos Lucio do Csrmo, avaliado am
86J300 rs.
Outro oito na mesma ru, em que tem casa
terrea n, ffj Carlota Maria da Coneeic>o, avalia-
do em 895u0 ra.
Outro. ojie na mesma ra, em a/ie tem caa
terrea n. 17 a mesma senhor, avaliado em.. .
89*500 rs.
Outro dito na mama ra, em que tena casa
terrea o. 19. Francisco XviieT das Chagas, ava-
t liado en 8950 rs.
178|000 Outro oito oa mesase rita em qae tem caaa
15:375g039
3 113984(1
3:890*197
415800
2:3693945
718*877
1:1555640
6303000
2:7033000
4O0300
723253
lOfl200
I5fi*i77
43:4988107
3.0863000
252*400
6i*0OO
2:4523800
Obras publie
ponte de ferro sobre o ria-
cho Brumzinho,
O director dss obrai publicas competentemen-
te autorisado pelo Exm. Sr. presidente da pro-
vincia, faz publico que oa daaenhos e orea ment
para urna ponte de ferro qae ae ba de construir
sobre o riacho Brumzinho, na estrada de Pao de
Albo, de conformidade com o 5o art. 13 da lei
do ornamento vigente n. 544, se acham patentes
ns repartirlo das obras publicas, onde serlo mi-
nistradas todss as inforroaedes necessarias oi
que pretenderem contratar a con*truc;ao desss
obra.
Aa propostas aerao entregues no palacio da
praaidensia ata o dia 4 da agosto prximo via-
douro, em carta fechada, e abarlas no dia 5 a una
bora da tarde era presenta dos concurrentes, do
director das obras publicas, do inspector e pro-
curador fiscal da thesouraria provincial.
O empreiteiro ser obrigado pagar o sello ds
r*popiin pnntratn untes de estar este assignado,
iocluindo-se no mesmo, alm dascoodicOes a pre-
sentadas e ora approvadas a de ser daduzaa oa
importancia total da obra a quantia correspon-
dente aos direitos que devem pagar os objectos
importados para a ponte, se porventura o governo
imperial permittir a isenclo do pagamento de
taes direitos como se vai pedir.
O govarno nlo le obriga a aceitar a prnposta
mais bsixa am preco, se tambem nao apresentar
todas as gsrantias necessarias a boa execuco da
obra, alm da algamas oulras condicoes que lhe
sejam favoraveis.
Directora das obrss publicas, 16 de julho de
1862.O director, Uartineau
Caixa filial.
De ordem de S. Exc. o Sr. presidente da cslxa
Qlial do banco do Brasil nesia provincia, se faz
publico para conhecimento dos Srs. accionistas,
que o thesoureiro da mesma oixs est autorisa-
do a pagar o 17a dividendo relativo ao semestre
findn, em 30 de janho prximo passsdo, a razio
de 8*480 rs. por ac;lo, de conformidade com as
ordens recebidas da caixa central.
Caixa filial do banco do Brasil em Pernambuco,
19 juina de 1862.O guarda livros, Ignacio Na-
nea Correa.
O abaixo assignado, lancador da racebedo-
ria de rends internas geraes, pelo presente avi-
sa aos dooos, gerentes, oa procuradores de casas
commerciaes do bairro do Recite, que contina o
Isncamento pelas ruai doi Tino-iros, Trapiche,
praga do Commercio e ra do Vigario, aOm de
que tenham promptoe os ssus recibos, papsis de
trato eu srrendamanlos, para em vista delles ser
feito o processo do masmo lanamente
Recebedoris d9 Pernsmbuco, 26 de julho de
1862.
Jos J. de Souza Limoairo.
CoDsellio administrativo.
O conselho administrativo, para foroecimento
.j do arsenal de guerra, tem de comprar os objectos
seguintes:
Para o corpo da guarnicao dasta provincia.
Dobradi;as para dous armarios, 8.
Fechaduras para os meamoa,2.
P.rrolho, 2.
Dobradicas para um cofre, 3.
Fecbadurai para o mesmo, 3.
Dita para tros mesas grandes, 6.
Ditas para 7 ditas pequeas, 7.
Para o araenal de guerra.
Caivetes finos, 10.
Quem quizer veedor taes objectos aprsente as
proposlss em caria fechada, na aecretaria do
cnnselho, as 10 horas da maobaa do dia 1* do
agosto mez.
Sala das sessdes do conselho administrativo
psra foroecimento do araenal de guerra, 26 de
julho de 1862.
Antonio Pedro de S Brrelo,
Coronel presidente.
Francisco Joaquim Pereira Lobo,
Coronel vogal aecretario interino.
Correio geral.
Relaco das cartas segaras viadas do sal
c"norte para os senhores aboiio de-
clarados.
COMPANHIA PERMAMBUCANA
DI
Navega$o costeira a vapor.
Paraliibi, Rio-Grande do Norte, Macau,
Aracaty, Cear, e Acareen.'.
O vapor Jaguaribe, commandante Lobato,
sahir para os portos do norte at o Acarac,
no dia 7 de agosto as 5 horas da tarda.
Recebe carga at odia 6 ao meio dia.Encom-
mendas, flaiageiros e diubeiro a frete at o dia
da snhj-ja as 2 horas ; aseriptorio no Forte do
Malina h. 1.
Um escravo.
Terga-feira 5 de agosto.
O agente Pinto far leilao a reqaerimenlo do
depositario da massa fallida de Farias & C, e
por mandado do Dr. juiz especial do commercio,
do esersvo Agostioho, pertenceote e mesma
massa, s 10 horas do dia cima mencionado em
seu esciiptorio ra da Cadeta n. 9.
DE
Urna iuobilia de jacaran
com pe ira, 1 piano forte, 1
guarda roupa, 1 tocador, 1
estante para livros, 1 relo-
gio, 1 cama frauceza de
inogno, 1 mesa elstica, 2
apparadores, 2 cadeiras de
balanco, 1 sof de ama re
lo, 12 cadeiras de faia, 1
apparelho para jantar, 1 di-
to para aimoco, 2 campo- Urna casa terrea
teiras,4 garrafas decrystal,
garfos, facas e muitos ou-
tros objectos
Sexta-feir 1* de agosto.
O agente Pinto far leilao por conta de ama
familia que relira-se desta provincis, e sem re-
serva de prego dos objectos cima mencionados,',
existentes no primeiro andar do sobrado n. 18 da
ra do Raogei ; nesta mesma occasilo vender-
ee-ha um
Cabriolet de 2 rodas.
predio
chao proprio na ra do
Queimadou. 30.
No dia terca feira 5 do eorrentev
Em virtude do respectivo despacho do l'.lm.
Eim. Sr. Dr. Juiz especial do commercio, a re-
querimento do inventarame e expreasaa ordene
de herleiros se far leilao de todo o sobrado t
3 sudares, na roa do Oueimado n. 30, s 11 ho-
ras do dit na rata da Cadeia n. 45, aendo qio da-
parte correspondente ao expolio da fallecida D.
Antonia Maria de 3astro logo qae sej* eflecluado
o leilao o comprador ser obrigado a presentar
a aua importancia para ser lecolbide ao deposito-
pblico : portado es pretendentes se at>lcipem
a examina-lo, atim de aproveilar a opporlitnida-
de da comprar um elegante predio, silo em ama
das priocipaes ras db commercio, por interven-
go do agente Etzebio.
Sexta feira 1- de agosto.
O ageole Pinto f sita em chaos proprios na ra do pdre Floriano-'
n. 35, cora -21 palmo de frente 60 de fundo
tem 8- meia-aguas no fundo, aa 10 horas do dia
cima me.ucu.ualo em seu escritorio ra da Ca-
deia n. 9.
M1
aneiro.

O brigve Deolioda segu sem falta no dia|5
ds agosio. pode re>eber alguma carga miuda ;
trala-se aasm os consignatarios Marques, Barros &
C largado Corpo Santo n 6.
LEILAO
DE
Um carro americano de 4 ro-
das com cavallo, arreios e
lanternas.
Sexta-feira 1* de agosto.
O agente Finio far leilao por conta de quem
perlencer e em reserva de preco do carro cima
mencionado, 1 hora em pouta do dia cima
mencionado em frente ao sobrado o. 18 da ra
o Rmgel, onde haver leilao de movis.
de Janeiro
Pretenda seguir com muita brevidade para o
Rio de Janeiro o veleiro e bora conbecido brigwe
natioosl Almirantea, tem parta de aeu csrrega-
mento p*rutnpto ; para o resto qae 'he falta, trs-
ta-ae com os seus consignatarios A\')nio Luiz da
Oliveira Azovedo, no seu escriptorio ra da Cruz
oraeri 1.
Para Porto Alegre pelo Rio Graodo do Sul
segu com muita brevidade o patacho Novo Li-
ma, capitao Luiz Antonio da Silva, recebe um
resto da carga a frea razoavel : a tratar no aa-
criptorio de Amorim Irmlos ras da Cruz n. 3.
Ilw de S. Ni
guel por Lisboa,
sahe at o dis 30 do correle o patacho portu-
gus Lima, da primeira marcha, anda recebe
carga para oa portos cima, bem como passagei-
ros, para o que tem excelleotas rommodos.
IUBIUA
DI
DI11
Sexta feira 1* de agosto.
O agente Pinto levar oovamente a leilao as
10 horas do dia cima mencionado, a requeri-
meoto do testsmenteiro dos bens deixados por
fallecimenlo de Poncisno Lourenco da Silva, e
por despacho do juiz municipal da segunda va-
ra, (res letlrss a vencerem se na importancia de
9.588. servindo de base o maior prego obtido
no leilao do dia 9 de julho do corrente anno.
Tres predios.
Sexta feira 1' de agosto,
Pelo agente Euzebio se far leilao de tres pre-
dios sendo um sobrado de 2 andares, chao pro-
prio, na ra da Guia n. 40, cora 33 palmos de
frente e 130 ditos de (unlo, rsnie por anno
1:4'20J ; urna cssa terrea na rus da Pooie Velba
n. 18, chao proprio, -ontendo 3janells e urna
porta pe f'ente com 40 palmos e 90 ditos de fun-
do, 4 quartos, cosioha fora, quintal, as paredes
sao de 3 lijlo, bem feita e com alicerces para
sobrado, rende 4509 i urna casa terrra na ra do
Aflliau III *9, iliao neiro. om 2S IHB1CJ is
frente, 80 ditos de fundo, 3 qaartos, cosioha To-
ra, quintal, rende por armo 360, os preienJen-
tes qaeiram'examinar com antecedencia os refe-
ridos piedios, que foram ha pouco reedificado*.
i* S(
se ecbam em peifeito estado,cajo leilao le'lu-
na ra da Cadsia do Recite n. 45, s 11 ho-
ras do dia cima.
i M
su?-.
!J
Rio grande do Su!.
Dever sahir com toda a brevidade o patacho
nacional Arapeky, de primeira marcha, recebe
carga a frea muito con.ruo.io : a tratar com Ma-
noel Ignacio de Oliveira & Filho, largo do Corpo
Sanio n. 19, ou com o capillo na praga.
LEILAO
DE
50 barricas com cimento
escuro,
Seguuda feira 4do corrente.
O agente Pestaa vender por conta e risco de
quem perlencer 50 barricas com cimento escaro
desembarcado ltimamente, e aura vendido a
vonlade : aegunda-feira 4 do corrente pelas 12
horas da BS.anb.aa na arcada da alfandega.
Por vezes temos declararlo que os enipre-
gados deste Diario nlo esli eocarrega.os de
tomar nem liminar assignaturas, e nem fazer
tranferenciasde moradas, devendo todas estas l-
temeles serem fetas n livraria n. 6 e 8 da praga
da Independencia, onde exislem livrm para estes
langamenlos ; e de novo previoimos aos Srs. as-
signanle, que tiverem d fa/r qualquer das re-
feridas alteraqoes, de se dirigirem a referida li-
vraria, nlo sendo valido qualquer oulro logar
ou meio. Igualmente advertimos aos que se
acham por pagar, qu maudem realisar seus pi-
gamentos, pois t lempo proprio j ha rxui o
passou.
a Baha
com multa brevidade pretende seguir o bem co-
ohecido e veleiro brigue escuna Joven Arlhur,
capillo Jojuiji Antonio Gongalves dos Santos,
tem parte de seu carregsmento prompto ; para o
resto que lhe falta, trata-se com os ssus consig-
natarios Amonio Luis de Oliveira Azevedo & C,
no seu aseriptorio ra da Cruz n. 1.
4racaty
80 eaixas com ve-
las de sebo.
Sabbado 2 do correute,
O agente Pestaa vender por conta a risco de
quem perlencer 80 cafxas com velas de sebo em
lotes a vontade : sabbado i do correle pelas 10
horas da manhaa na porta do Annes, defronte da
alfandega. _________________________________
LEILAO
DE "
Um sobrado,
Terc,a.feira5 do corrente a 10 horas
em ponto.
O agente Pinto far leilao do sobrado de um
andar n. 8 sito no buceo do Padre fregueiia de
Santo A-ntouto, as 10 horas do dia cima men-
cionado em seu e 3oo$oeo
2050U0
Asceucio Pereira da Silvs.
Dumerviile de Oliveira Mello.
Pilippe Csrnetro de Olinda Campillo-,
Kranciico Alcibiades Velloso.
Luis Jos Ferreira.
D. Harisnni Aagusta Bastos.
Manoel Florencio Corris de Soua.
Uanoal Fuanles da Silva.
ManoM Joaquim Machado.
No dia 2 do crrente pelas 10 horas da ma-
nhla porta da casa do juiz de e-rphlos do termo
de Olinds, se nao de arrematar por venda os bens
seguiatea : 18 cadeiras da fs> per 900 2 ditas de
balando por 16^1 aof por 30$, 2 consolos por
30d, 1 mesa de amartillo da mio d aala por
209, 2 cadeiras debtanlo per 205, 11 cadeiras
15J, 2 banquish*. por 10. 1 cama senda esta
urna marquesa grande eom lastro de madeira
por 8$, 2 asesas para jatitar por 98, 1 quartiohei-
ra por 5& 1 lavatorio per 2#\ 2 calas de ppbo
por 6$, t-irueiras ou cabidas por 2$. 2 tapetas
porltt*. 1 caita por 25.12 cop >c por 4jj, 1 panoo
de mesa por 2, 2 garralaa brancas por 640 rs.,
presos ames por 700 ra., 7 cteeras e 12 pires
O hiate Doui Irmlos aeguo para o Aracaty
no dis 31 imprelerivelmente, tem quasi toda a
carga prompta : a tratar eom Tatso Irmlos, ou
com o mestre Jos Joaquim da Silveira no tra-
piche do algodlo.
1A0
C0IPAMM rei^AIBUCAlU
BK
tecrea"n.~49 Joao Jos de Carvalho Moreea, avaj|soVl9.1 iigU Pr 100 rs., 2 bu lis por 54)0 1
3729000. liado en 87|W0 rt, U lattlftatta por 510 re., 1 chlcacu e
I>avegacso costeira a vapor
Macei pelaa escalas
O vapor cPereinunga, comasAndaate Mours,
sahir para os portos do sal locando as escalas
oo dia b de agoeto,.a 4 hivraa da (arde.
Recebe carga at o dia 3 ao meio dia. Ea-
coromendas. passageiro* e dinhsiio a freUat
o dia da aahida aS ladris: e.criptorio no. Forte
do fsHltoi 0.1,
DE
Um piano mecnico em perfeito estado,
1 mobilta de amarello, 1 guarda rou-
pa, 1 tocador com grande espelho, t
secretaria de Jacaranda", 1 cama de
ferro com colxoes e cortinados., 1
cadeira de balanc), 1 dita poltrona,
1 mesa de charo, 2. pares de bnter
as de crystal, 2 pares de jarros, 1
DEPOIS D'AMANHA'
SABBADO 2 de agosto prximo ser
extraliida impreterivelmente a quinta
parte da primeira lotera beneficio
dos religiosos francisca nos de Olinda, no-
consistorio da igreja de N.S. do Kosario
de Santo Antonio. Os bilhetes emeios-
bilbetes acliam-se a venda na respec-
tiva thesouraria ra do Crespn. 15,
e as casas commissionadas praca da
Independencia n. 22 loja do Sr. San-
tos Vieira, tua da Itnperstriz loja de
ferragens n. 44* do-Sr. Pimentel, i-uss-
Direita n. 3 botica do Sr. Chag;is, e
na ra da Cadeia doRecife loja n. 45 dr>
Sr. Povlo.
As sortes de 5:000$ at as de 1G# se-
rio pagas urna hora depois da extrae*
cao, e as outros, porem, no dia lame-
diato logo que se tenham distrihido as
listas.
O thesoureiro,
Antonio Jos Rodrigues de Souza..
Arcliiio Piloreseo
JORNAL
De recreio e iasipuc;o>*
Publica-se seroanalmente esta interessanle jer^
nal em Liabo. qul itlfMlratta Oo numasasa*
gravuras e colaborado peina maia distincls& ca~
criptores, como sejam, A. Hertulano, F. d Css.-
tilho, l.aiii-.o Coelho, Rebollo da Sila. A_ Corvo,,
Palm*irin> e' mullos ours. arta anno Itni um
volume iia paginas. J se acham pubi-icaJos.4{
volumea. completos e parle do 5.a vol. As>igna--
sa a 69 por anno, na livraria econmica ao t a*
arco drtSauto Antonio.
A\' iso.
apparelho e 2 salvas de metal fino, 1
estante para livros, 3 venecianas com
caixa, 1 violao novo, alguns objectos
de ouro, 2 loalhas de labyrintho no-
vas, alguma louca de porcelana, fa-
cas, garfos e colheres e muitos ouitro&l o Sr.'Francisco di Rochv Paasoa Li
obiectOS. Ichegou do norte no aapor aiaguaribe, 1
Terca-feira 5 do sorreute.
Porto & Ozoiis- da cidada do Bio-F. rmeso,
tendo posto sua caaa em liijuidaclo, r.'gam As
pessoaa que se jul^aiem sjaa crfd.n-aa a dirigir-
se neatea oito diaa na ra andar do sobrado n. 35.
in %
. chegou do norte na vaoor alaguarlbe, teaba a
i bondade apparecer no segando andar da sua do>
Tortean. 38. ou declarar aonde eita sesidiodo.
O igente Piolo lar* tatito toi r/i&is do m-l fwn e Uoe eJier a netoclo que lha 4U EeapeUa.




\ 'j.y-"
..... aun
9 -a



---
I
m*
MAMO B KRWAM1DCO; fe SEXTA FIHA 1 DI AGOSTO ftB iles,
Ofterece-seom hornera portuguez, citado
ten pouca familia, para sar catxelro de algutn
engenho porto da prage
Asphallo.
as-
ou meamo para admiois-!
rrudor do alguma (zmda, o qual aabe btra Ur e > .1 di.
rever, e tem m-it. pr.lic.de q^ ** '*>" de -
do ; quem preteoier aonuncie pan hi poca-.ggLf_2_%**%, o. 75, offerece .0 res-
tado. EHU7rt Publ!co etP- eicellente ladrilho para ca-
sas ue morada-, trauSHM, calgadas, etc., ate;
seu preco P^C05Xce(ie do ladrilho de lijlo, mae
IxL""**'- muito mais ecooomico pela saa dursoao,
forn.igas, a
sua solidei,
Attencao.
Jtf Ao Sr. Manoel Joaquim da S>.va Bra.
ileiro, declara-se que Maitip|ao Avelino
no
na casa
n".eiervsvo de cupim, doi ratoi,
de humidade. O fabticaole garante
podeodo rodar por cima carros com grandea pe-
so, pipas, etc. Tambem se prepara psra fze-lo
de cores, pols j fez encommenda para a Europa
dos arraojos para isio necessirios.
de Albuquerque nao tem v\arte
terrea n. 6, sita na ra dQ Cotovello ho-
je Mondego, entreunto pede se ao mes-
mo senhor que ar,pareca a' ra do Im-
perador n. 5 \.t primetro anclar, das 9
as 3 horas d?. tarde, afim de se lhe mos-
trar titules acerca da referida casa,
dignando-se tambem de apresentar os
titules pelos quaesdiz que o menciona-
do .Marti 11 lio tem parte em dita casa.
Aluna se o primiro andar do aobrado n
22. na ra estreita do Rosario '. a eolenler-se na
mesma rus casa n. 23, segundo andar.
Precisa-sel de
ds Cruz n. 38.
w. cooeiro escravo ; na ra
O abaixo asignado, temi uulicla de que
Ignacio Barroso de Mello, como tutor de D.
Constancia Perpetua Baptisla, fizera pinhora em
(i jts oilatas parles to sobrado de Ires andares n.
10 da ra do Queirnado, declara a quem coavier
que 6 per Ululo legitimo senhor e possuidor de
todo aquelle sobrado, como pelos meios compe-
tentes provar.
Recite 29 4e julho de 186-2.
Antonio de Azevudo Villarouco.
Uin rtpaz uoi siie ae 15 a 16 annoa, o
plicar-se 3 arle da pharmacis, dando fiador a
sua coiJucta, qualquer senhor pharmaceulico
que qu.er se utilisar dos seus servigos aonuncie
por esta folHa pr ser procurado.
Aluga-se um sitio no principio da Estrada
"Nova com boa cas, cocheira, estribara, quarlis
para esclavos, duas baixas de espito, e fullen-
te pasl<> par vaces : na rus da C'Ol n. 56.
GRANDE
Laboratorio a vapor
Lavagem
de roupa,
mente!.
DE
e engomar-ido
de Ramos Pi-
Empreca importante, quo val prestando rela-
vantes servicoa i aans freguezes pala promptido
a p.rf.igo com que lava a roupa aem a estragar
PREgOS.
Roupa sortida (embora nao venham meiai nem
longos) 40 re. por peca.
Pegas grandes isoladamente 100 rs.
Roapas de navioa, vapores e hospitaea 70 ra.
Dita de familia qua nao (regaeza 80 rs.
Dita de doeule da familia que nao a fregutza
a 1S0 re.
Urna reda ou cortinado de cama oa varanda
500 r.
O prego doa eogommadoa mdico e confor-
me as pegas, como costamam fazeras engomma-
deiras. O praso da entrega da roupa lavada
8 dias, e engommada 15, sendo qaa muitaa vezea
est prompla antea do praso. Deposito na ra
Nova.
tfrecisa-se alugar urna escrava
paraoservico de urna pequea familia,
preferindo-se que compre e engom-
me: na ra da Cruz n. 45, urmazem.
Ha chegado taberna da ra da Cacimba n. 2,
comLfrenie para a ra do Vigario, o procioso cha
'malte, que se vende por prego commodo.
Altiga-se o txcelkut terceiro andar 0 ca-
sa da ra da Vigario n. 23: a tratar na mosma
rus, casa n. 7, ou no largo do Corpo Sanio o. 6,
segundo andar.
Pede-sti ao Sr, Manoel
Ignacio de Siqueira Cavalcau-
ti seiihor do engenho Mussai-
ba, de vir a esta praca a nego-
cio que nao ignora, na ra
des Cruzes n. 36.
Gasa para alugar.
Na ra Imperial n. 116, um anda uiuito fredo
para a presente eslago qua Tal airar: a tratar
do largo do Terco o. 141.
Attenco
Flix Venancio de Cantalicio peda i seas fre-
gueses que lhe sao derodona em quanto antea
venham pagar seus dbitos no espego de 15 diaa,
do contrario lngara mao dos meios jadicaes
afim de lhe pagarem.
Companhia Fidelidade de se-
guros martimos e terres-
tres, estabelecida no Rio de
Janeiro. com o capital de
16:000:000$.
Agentes em Pernambuco
Antonio Luiz da Oliveira Azavedo & C. compe-
tentemente aetorisadoa pela directora da compa-
nhia de seguros Fidelidad, tomam aeguroa do na-
vio, raercadoriaa a predios, no su escriptorio,
ra da Cruz o. 1.
mmmmtmmm mmmm
Dentista de Pars, j
15Ra Nova-15. |
Fredcrico Gautier, cirurgio donlista 8
fax todas as oparagdes desua arte teco-
leca den tas artificiaos, tudo cora -sdeln 5
rioridado o perfoigo qua as pessoas-,en 33
tendidas lho nconhecem.
Tarn agua e pos dantificios, etc.
mmmm 9*m mmmmm
Jooda Silva tamos.
medico pela Unlversidade
de Coimbra,
da consultas em caa, das 8 i 40 horai da mi-
nhaa, o preata-ae a qualqaer chamado com a bem
sonheclda promptido.
Aluga-se por comojoo preqo o excelleni
obrado o. 7, de Ires andares, na ra da Cruz,
mailo conveniente para os senhores negociantes :
a tratar na ra do Imperador n. 85, prlmelro an-
dar, oa na rus da Madre de Dos, armazem n-
meros 22 e 24.
Trocase poroulia menor, ou vende-se urna
-excelleote casa Ierres sita em urna das melhores
ras do bairro de Sanio Ai.ionio, cuja casa tem
um grande quiolal coco poilao para boa ra, po-
dendo por consiguile servir para levantar-ae
do-se informagoes.
Beroardino l'eteira Halla participa aos
amantes do bom gosto que lem eslabelecido em
Jaboao um grande holel com todas as qualida-
des de comida e camas para quem quizer des-
cansar, e juntamente cocheira para guardar ca-
vallos.__________________________________________
O abano assigoaJo faz publico que eixou
de ser caixeiro do Sr. Antonio Jos da Rocha,
desde o dia 28 do corrate, e approveita esta oc
casiao para cordialmeoia agradecer ao rr.esiso
senhor o bom tralaraento que delle recebeu du-
rante o lempo que o servio. Racife 30 de jalho
de 1862.Antonio Alves de Amorim e Souza
Aluga-se o segundo andar da casa da traves-
sa do Queirnado n. 1 ; a iraiar na taberna por
baixo do roesmo.
Precisa-se de ires a quairo couios de lis a
premio sobre bypolheca da urna propriedade de
mais valor: quem quizer dar procure na ra Au-
^uata n. 65, qu se dir quem pretende.
O noraedo caixeiro do Sr. Buaocuuit, que
fez um snnumio no Diario de hontem. Ildefon-
so L. M Franca, o que se retica para etitar du-
Tidas.
Atteocao.
*
No dia 5 de agosto, depois ds audiencia do
lllm. Sr. l)r. juiz dos orphos, as 11 horaa da ma-
nlia, vai praca por venda o aobrado de tres an-
dares e solo na ra da Cruz o. 10, peitenceLte
ao finado Joo de Pinho Borgea avallado em
16 OOg, cujo escripto se acha em mao do poitei-
ro do mesmo juizo.
CONSULTORIO ESPECIAL H01EIPATHICO
DO DOUTOK
. SABINO O.L PINHO.
Ra de Santo Amaro (Mundo
Novo) n. 6.
Consultas todoa oa diaa tela dead. aa 10 horat
ata meio dia, acerca da seguiutaa molestiaa :
molutias da mulhtrtt, moltttiat da crian-
eos, moltttias ia, ptll, moltttiat dot olhos, mo-
Ustia typkiiiticat,todat at ttpecitt dt febrtt,
,'6r. intrmtt(ntf iuai eonttqumeias,
Frf'.!. VACIA BSPEOUL HOMEOf ATHICA .
Terdadeiroa medicamentos homeopathicoa pra
(arados sem todas as cautela necessariaa, in-
alliveis em saus effeitos, tanto em tintura,come
sm glbulos, pelos pregoa mais commodos pos-
IV1S.
N. B. Os medieamentoa do P-r. Sabino aao
aniesmante vendidos ere sua pharmacia ; todoi
iu o forem fra della aa falsaa.
Todas as carteiraa ao acompanhadas d. mu
Impresso com um emblema era relevo, tendo ac
reopr as seguintaa palavraa : Dr. Sabino O. L.
Pinho, medico brasileiro. Esta emblemas poste
jualm.nt. na lista dos medieamentoa qu. a. p-
a, Ascarteirasque nol.var.mess.impr.sas
tssim marcado, embora enham natampa o no-
t> do Or. Sabino t%o fslaoa
ES1O
Pralico-Theorico
DA
LINGUA FLANCEZA,
SEGUNDO
O NOVO METHODO
DO
Dr. II. G.Ollendorff
PARA
Aprender urna lingua em seis mezes
Cicero Petegrino,
Bacharel em direito.
2 voluntes em 8.
Sahio do prelo o l." voluma desla obra, inlei-
ramente nova, a nica escripia am poiUguez por
aquello systema, approvada pelo conaelho direc-
tor da instruegao publica para servir de compen-
dio as aulaa publicas de instruegao secundaria
da provincia, accommodada ao uso de quanlos
prtenderm fallar o traduzir com propriedade
a lingua franceza.
Acha-se i venda no escriptorio do autor, ra
do Oaeimado n. 26, onde ainda aa recebem aa-
ignaturas (7g000), at a publicagio do 2 volu-
me ; depois do que vender-se-bo a 105000 01
exemplares.
Jua^uiuj Oueinu LiUHd vi Seus UiOuS ag'A-
decera cordialmenle a (odas as pessois que
se digoaram assiatir as ultimas exequias de
us mui presada mulher e ai D. Aona
Gerlrudes Cordeiro Cintra ; e pedem a to-
dos os seus amigos o caridoso obsequio de
assislir miisa que por alma ds mesma
pretenden mandr celebrar no dia 2 de
agosto i 7 horas da maobaa, na matriz da
Boa-Vista.

Casas para alugar.
Urna grande caa terrea com solo, quista 1, ca-
cimba, deposito de agua e cha?, oa ra da
Concordia o. 75.
Urna loja com duas salas, 4 quartos, coiinha
fon, quintal e cacimba, na rus da Palma o. 49
a tratar na ra da Concordia o. 73 com Manoel
Firmino Ferreira.
\!1M
Anda se precisa de urna
spo Cotovello n. 12.
ama de leite ; na ra
O abaixo aaaigcado lem justo e contratado
-a compra da taberna da ra de S. Miguel dos A-
fogadoe n. 74, com o Sr. Paulino Rodrigues de
Oliveira 4 se alguem se julgar c*ura direito a mea-
ma, aocuocie por '.. joroal no praao de tres
dias, a contar de hoje. Recite 30 de julho de
..11862.Antonio Alberto de So.za Aguiar.
A pacaoa que levoa na agencia do correio
' ? O'mda uns autos do Antonio Francisco de
"Ouvelra Rozelles, queira lar a bondade de ir pa-
rjW o Importe para ser remedido ao-seu destino.
Pateo do Livramento n. 11.
primeiro andar.
9 dentista Numa Pompilio planta dente, arti-
Bciaeapor grampos e ligaduras a presslo do
ar, dtntes iocorrupti?eis sobre ouro. systema
norte-americano e faz todas asoperages de aua
rtaeeora promptido litnpeza
0 livro do Poyo.
Sahio & luz publica o LIVRO DO POVO, publi-
cado aob a direcgo do Sr. Dr. A. Marques Ro-
drigues, contm a vida de N. S. Jess Chiisto,
segundo a narrago dos quatro evangelistas, .
mais os seguintes srtigos: o vigario, o professor
primario, o bom hornera Ricardo, a moral prati-
ca, Simo do Nantua, maximaa o pansameotos,
a hygUne, os devarea doa meninos, e o Brasil.
A publicsgo do LIVRO DO POVO nao s tem
por Am uoiformisar a leitura naa escolas piima-
rias, onda cada menino aprende por um livro
difireme, e portanto facilitar o trabalho do mas-
ir o do discpulo, como tambem vlgarisar, por
um prego baraitstimo, a historia do ailrador do
mundo, oa melhorea preceitoa d. moral.
Vend.-a. o Livro do Povo, no Recif., na
livraria da praga da Independencia ns. 6 8, a
500 ra. o zemplar em brochura, o a 800 rs. car-
tonado.
O tintureiro da ttavessa da ra das
.Cruzes n. 2, mudou-se para a ra do
Xangel n. 38, aonde continua a tingir
com asseio, promptido e commodo
p-eco.
Archivo pitoresco
Pede-s aos lllm. senhores aaslgoaoea do
Arrenda-ae urna propriedade em Apipucos.
tendo casas que se alugam pela festa e que s
por si deixam a renda de toda a propriedade. ier-
ras occopadaa com capim, que rendem de 500 a
600 feixea diarios de vero invern, e tendo
quem a arrendar a grande vaotagem de encon-
trar tudo quanto necessario psra o servigo
da mesma, canda, ferrameoia, carallos ele,
o que ludo pode entrar do arrendameato, con-
forme o negocio : para ioformagoe. na ra Nova
o. 8.
Boga-te aos devedores do tallecido
Joaquim Jos Kibeiro de Oliveira que
teve loja na ra Oireita n. 55, que ha-
jam de vir pagar seus dbitos na mei
ma loja ou na ra do Queirnado n. 41 e
48, ey.tando desta forma o receber se
judicialmente e publicar-se seus nomes
por este jornal.
Toda attenco
Os abaixo aaaigoadoa liquidatsrios da masca da
JMOdar recaber quatro cad.rnetaV"da"mXr!'o,'I ,ll,ncU fl/m*.de j8, G5alfe. Malvelra. ro-
juoho) do 5.' Tolumo, chegadaa U.eiMnUo'P'm "" datedor" u me8m uito particu-
vapw ingles; aa rrvraria econmica ao p do ar-
o do Santo Antonio.
-- A8r.* D. Joaaoa Paula de V^sconceUp,
uaira ir a agencia do cotmso de. OJioda busc
macana viada da Pauo.a do Norte.
larmenle a aquelle a qusm se tem entregue
coola* a cartas aaquaaa nao reapooderam oa o
fi/eram d modo ioconv.niente, que quaoto an-
tajevenhatr saldar ceua debito, porque ulmi
iCsBueptjb-.ilidadMactlMDpre a le.
i
www.-w wwwwwwWwwwW
Jbabinete medico cirurgico.-
:_ Ra das Flores n. 57. *
S.rodada constltaa medicas-cirargi-
ca pelo Dr. Esteva o Cavalcanti de Alba-
qusrque da 6 aa 10 horas da manhSa, ac- #
9 cudindo aoa chamados com a maior pro- m
0 vidade possiv.l.
% l-o Parto..
% t.' Molestias de pella. 2
8.* dem do olhos.
i* d,m d0>orgoa gonitaea.
aj> Praticartoda qualquer operago am S
j seu gabinete ou em casa doa doantes con- 2
- forme Ihesfr mais conveniente.
RETR4TISTA DA CASA IMPERIAL
Ba do Cabug. n. 18, entrada pelo
pateo da matriz.
Esss galeria ornada com oa augustos retratos
phoiographicosde SS. MM. e da aerenissimas
princesas imperiaes, assim como com os de mui-
tas das principaes pessoas desta cidade, est a
disposigo do publico, que apode visitar todos
os dias das 8 horas da manha s 5 da tarde, .
examinar os trabalhoa expostoa.
Continua-se a tirar retratos por todos os sys-
temaa photographicos, e especialmente por am-
broiypo eem cartoes de visita. Fazem-ae tam-
bem mimosas miniaturas em talco para ac eolio-
carem em joias.
Os presos dos retratos sao os maia razoavels
que se encontram nssta cidade.
i. l'arreira Villela, photographo.
m 6Jiua da Cruz~*-i 61
O Dr. Rocha Bastas i
d eonsultaa lodos oa diaa. ft
Cura radical a em pouco dsBioles- 1
ti>a syphiliticas o doa orgaos gen uri-
narios.
Consultas de graga daa 8 aa 9 lora, da
manla.
MHwHwHmn
8
i
Carioss de visita
Carioes de visita
Candes de visita
Carles de visita
Carioes de visita.
Pregoa reduxidoa
Prgos reduzidos
Prsgos reduzidos
Pregoa reduzidos.
A dozia por 12|>
A duzia por 12$
A duzia por 12$
A duzia por 1S$
Duas duzias por 50$
Duaa duzias por 20$.
Novo oslylo de photographia
Novo eslylo de photographia.
Ambrolypos m caixas 2$
Ambrotypos em caixas 2$
Ambrotypos em caixas 2$.
O retratista americano
Alberto W. Osborn
Ra do Imperador.
Consultas medicas,
Serio dada, todos os dia. pelo Dr. Coi-
ma da S Pereira no seu escriptorio, ra
da Cruz n. 53, deade a 6 at aa 10 hora,
da manha, menos aos domingos; sobrt... M
1.* Molestias de olhos. ja
2 o Molestias do corago e da peito. 8
fi 3. Molestias dea orgoa da gerago o ft
K do anua.
O exame dos doentea aera feito na or- S
dem de suaa entradas, comegando-se po- *
B rm por aquelles quo aofTrerem dos &
olbo.
Instrumento, chimicos, acsticos e op- 8
ticoa aero empregadoa em sua. cnsul- E
tages o proceder com todo rigor 0 pru- M
deocia para obter certeza, ou ao menos S
probabilidade aobro a aedo, natureza e 1
causa da molestia, a dahi dedutir o pa- 2
| no de tratamento que deve destrui-la. oc I
i curar. JJ
! Varioa medieamentoa aero lambem 1
empregado, gratuitamente; porm o 2
pela certeza que tem do aua vardadeira N
qualidade, promptido em aaua effeilo, S
o necessidade do seu emprego arssnl. 1
que se usar della*. S
Praticar ahi mesmo, ou em cata dos %
doentsa toda, e qualquer operago que U
julgar conveniente para o realabeleci- cf
ment do. mesmos, para cujo fim se acba
prvido do urna completa collecgo do
oatrumeotoa indispensavel ao medico
operador.
Dallar olhoa arlficiaea ; psra o quo
ae acha prevenido de pegaa e instrumen-
tos neeessarioa.
Por meio de ciparienciaa ptica, indi- .
cara aoa doeotea qaal o grao do vidro que 1
oa oculoa davem ter para quo sua vista fi- A
que bem acommodada, o jmai. ao fa- i
ligua qusndo aativer applicado ao tra- S
balbo.
umm mmmmmmm m*
Carvalho < No-
gueira
sacam sobre Lisboa,. Porto e
Ilha de S. Miguel; na ra do
Vigarion,,9y>rim5iro *nd*
1
SEGUNDAEDICCVO
THESORO HOMEOPATHICO
ou
Vade-mecum do homeopatha
pelo aoutor
sumid 1.1, wssm.
Este livro que se tem tornado lo popular,
quaoto necessario, acaba de aar publicado com
todos oa melhoramentoa, que a experiencia o os
progressos da sciencia tem demonstrado. A no-
va edicgo em tudo superior primeara, en-
cerra i
1.* Maia amplaa noticias acerca do curativo
daa molestiaa, com indicagea mui proveitosaa
doa medicamentos novos receutemente experi-
mentados na Europa, noa Esladoa-Unidos o no
Brasil.
2.* A exposigo da doutrina homeopatha.
a. O estudo da apropriacao dos remedios se-
f'iJ as predominancia, dos temperamentos,
ds. idades, dos aexos, e segundo as clrcumstan-
cias atmospherica. etc., ele.
4.* A preservago ou prophilaxia das molestias
hereditaria.
5. A preservago das molestias epidmica.
o Urna estampa illustrada demonstrativa da
eontinuidade do tubo intestinal deade a bocea al
o anus etc., etc.
Vende-se ns fhabmacia especial homeopa-
thica, propriedade do author, ra do Sanio
Amaro (Mundo Novo] n. 6.
Prego de cada exemplar. ; 20$000
N. B. Oa aenhoreaassignante. queiram man-
dar receber seu. exemplarea.
geMewNMH mmm mmm%
Saques sobre Portugal. S
O abaixo assigosdo agento do Banco 8
Mercantil Portuense nesla cidade, saca 8
effectivamonte por todoa oa paquetea so-
bxo o mesmo Banco para o Porto o Lia- S
boa, por qualquer somma avista o a pra- **
zo, podendo logo os saques a prazo serem
descontados no maamo Banco, na razo fl
8- de 4 por canto ao anno aoa portadorea M
quo assim lhe convier : naa ruaa do Croa- S
po n. 8 ou do Imperador n. 51.
Joaquim da Silva Castro.
mmmmmm -mmmmmm
I
8
8
8
8
RA M QEIMADO M!A6
PEMDE20fflMEllTo
ElSBbPKS--
. .S9?.m?S* n?.P2 d* ,b"""0 Pn 283, 30$ e 35$. ei.seo. multo kam
tena, a m 23g 30$ e 35J, paleto!, acasacado. do panno prelo de 16 at 15$, dito, da ca.emtra
m'1!?6, ?-la.-.' 4;ft "l 69',ob d* ,Daca merD d# 7 It ,0. "'? pr.taa do eaaemir. do
e$ a ti 14S. ditoa da corda 7$ at tOf. roupa. par. menino de todoa o. t.manhoa, grSnda sorti-
monto do roupa. do brins como aejam caigas, paletots o colletes, sortlmento da eolletea pretoa do
""'.! ^ii'.?J!Lea.1?*:.br.a.DC? mii!.fin, W> Bm R"n(a aortimento do fazendaa fin, a o mo-
"
lincoenta obreiroa escolhdos, portanto exeeulamos qualquer obra com promptido i
de quaem outra qualauer csaa. urau
ndice
Alphabetico da legislacao brasiieir
desde seu principio at 1857.
Coordenado pelo desembarga-
dor Joo Joaquim da Silvtt.
cana de ebegar da Babia eata exeellente obre ;
o grande apregoe considerago que tem tido na
corte do imperio. Babia e oulraa provincias
dispensa quaesquer elogio.. Vende-so oa livra-
ria econmica ao p do arco de Sanio Antonio.
ww www igmn
3lia cstreita do Rosario3
Francisco Pinto Ozorlo continua a col- |
locar dentes artiQciaes tanto por meio de
j molas como pela presso do ar, nao re- f)
cebo paga alguma sem que aa obra, nao Cj)
fiquem a vontada de aeus dono., tem p. w
I outras preparagoe as mais acreditadaa #
9 para conaervaco da bocea; m
titim
Approvado e autorisado porquasi todos
osgovernos, experimentado em di-
versos hospitaes de Pariz, c pormai-
tos mdicos os mais recommcuda-
veis desta capital.
VERDVDEIBO XAROPE
Depurativo, refrigerativo do sangue e
dos humores,
idd wia% waiwiiiaww jPMaiwJjw
protesor e membro da academia
de medicina de Florenca.
O systema que publico o nico para curar
quisi todas e quaesquer molestias, assim como
pela prompta e radical cora que resulta.
E' til psra purificara massado sangae e dar-
lhe urna livre circulago, conigir oa humorea,
expellira corrupgo, oa cidos, as bilis* as mate-
rias corrompidas, glutinosas, ranhosa, origem
de todaa aa molestia.
As pessoas que Qzerem uso deste xsrope pode-
ro iostaotaneamenta apreciar aua utilidade,
conservando-.e .empre em um e.lado do saude
o maia floresceote e o mais perfeito.
NICA AGENCIA
119 Ra dj Parto 119
Rio de Janeiro.
EEM PERNAMBUCO
Na pharmecia do Sr. Jos Alexandre
Ribeiro ra do Queirnado n. 15.
Consultorio medico cirurgico
Consulta por ambos os systemas,
MM. Emon1sefaencladm"<1angapara a sus nova residencia, o proprietario desto eitabalecl-
monto acaba de fazer urna reforma completa em todos os seus medicamentos.
O desejo que tem do que os remedios do seu estabelecimento nao se confundam com o. do
nennum outro, visto o grande crdito de que sempre gozaram e gozara ; o proprietario tem tomado
a precaugo de inscrevero seu nomo em todos os rtulos, devendo ser considerados como falsifica-
dos todos aquelle. que forem apresentados sem esta marca, e quando a pessoa que os mandar com-
prar queira ter maior certeza acompanhar urna conta assignada pelo Dr. Lobo Mosaozo a em oa-
pal marcado com o seu nome.
Outro sim : acaba de receber do Franga grande porgo da tiners da acnito a belladona ra-
madioa estes de summa importancia ecujaa propriedades sao lo eonhecidaa que o. mesmos'srs
medico, allopalhas empregam-a. constantemente.
Os medicamento avulsos qur em tubos qur am tinctura. custaro a 1$ o vidro
O proprietario deste estabelecimento annuncia a seus clientes e amigos quo tem commodaa
nacientes para receber alguna escravoa de um e outro aexo doentes ou que preeisem de alcuma
op.ragao, affiaogando que serao tratados com todo o disvalo o promptido, como aabem todo,
aquellos quo i tem tido eacravos na casa do annunciante.
A aituago magnifica da casa, a commodidadodoa banhos salgados sao ostras tantas Tanta-
gons para o prompto restabelecimento dos doentes.
i d. ..^lLPHt0a'a2,U5iqUI'remfalLarfonV0 n-nciant.davem procura-lodo manha at 11 horas
L-t ?AdJ" rum **' 0", "">]">" clo am caaa pessoa com quem ae podero o"
ender roa da Glia n. 3 caaa do fuodo do Dr. loto Motcoto. Pu.rao
ARMaZE
JK53
ROUPA F
Joaquim P. dos Santos,
40Ra do Queirnado40
Defronte do becco da Congregaco letreiro verde.
Reste estabeieeimento ha sempre um ortimento completo do roupa bil do
tod.a ss qualidad.a o tambem aa manda executar por medida i ventado dos frelue-
ec para o quetam um doa melhorea profaasoraa.
Ao publico.
Urna pessoa que se acha ha muitoa annoa ha-
bilitada noa negocioa judicises ae offerece a to-
mar conta de qualquer appellago vindo de fora
ou meamo desta praga e de qualquer queslo qoe
so baja de propor de novo o lhe dar o devido
andamento com todo o zelo e actividado todo por
prego commodo : quem te quixer atlliaar de aeu
offarecimeoto dirija-se a roa do Queirnado n. 9,
escriptorio do lllm. Sr. Dr. Castello Branco n.
61, das 10 boraadodia c 3 de tarde.
Muita attenco.
Furtaram hontem da loja de Figuei-
redo & Ir mao na ra Nova n, 18, tres
trancelins chatos com seus passadores
sendo dous mais largos e um mais es
treito de ouro de 18 quilates, gratifica se
bem a quem os descobrir guardando-se
tegredo pois s se quer conhecer o la-
Caiacaa aa panno proto a 03,
85| o
Sobrecaaacosdo dito dito a 35$ o
Paletots d8 panno prelo o de co-
rea a 35, 30$, 25$, 10$, 18$ a
Ditos de casemira do corsa a 22$,
151,12$.7$ o
Ditoa de alpaca preta golla do
velludo fraoeezaa a
Ditoa da marin aotim pratoa c
do coras a 9| o
Ditoa do alpaca do corea a 5$ o
Ditoa da alpaca preta a 9$, 7$, 5$ o
Ditoa do brim do corea a 5f,
4$500, 4$ o
Ditoa de bramante dolinho bran-
co a 6$, 5J a
Ditos de marin do cordio prato
a 15$ o
Caigas de casemira preta o do co-
rea a 1XJ, 10$, 9$, 7$ o
Ditas do princaza a merino do
cordo prato a 5$, 6$5O0 o
Ditaa do brim branco c do coros a
5$. 4$500 o
Caleta de ganga do corea
Goliat, do rollado preto o do co-
ros lisos bordado, a 15$,-9$ a
Ditoa do caaemira preta o de co-
ree lisos o bordados a 6$,
5*500,5$
, Ditoa do aetim preto
30$000 [ Ditoa da seda a aetim branco a 6 o
305000 Dito, do gorguro do seda prato.
. do core, a 7$, 6$, 4$ o
205000 Ditos de brim a fu.lo branco a
3 J500, 29500 o
9$000 Ssroulaa de brim d. lioho a 2$ a
Ditaa do algodo a 1$6O0 o
OJOOO Cami.a. do peito defu.to branco
a do core, a 2$400 o
85000 Ditaa de paito dolinho a 5$, 4$ .
85.-.0O Ditaa d. madapolo brancaa do
8S500 cor*, a 8$, 2$500, 2$ a
Chapaoa pretoa da maa.a franceza
35500 forma da ultima moda a 109,
8J500 o
45OOO Ditos do feltro a 6$, 5$, 4$ o
Ditoa do aol do seda inglezo. o
8$000 franceze. a 14J, 12$, llg
Colarinhoa do linbo muito finos
65OOO novos foitioa da ultima moda a
Diioa do algodo
45500 Relogio. do ouro pstent. a hori-
xontal a 100J, 90$. 805 o
2J500 Ditoa do prata galTaniaadoa pa-
$000 tanto a horizontaea a 40$ o 3O0OO
Obras de ouro, aderegoa o mioa
8$000 aderegoa, pulcairaa, roalas
aneia a y
nn ?,alha" *"* **- ,05. 6 9S000 ,
_? _l_ Dl^*Jfrns Pra meea nma 3$ o 4&000
5000
59OOO
5$000
3$000
29200
1$280
2$200
3O00
18600
79000
29000
79000
$800
$500
70000
FABRICA
DE
DK
I.VIGNES
55Ra do Imperador 55.
Os pianos desta amiga fabrica sao hoje assaz cantwidos, psra que seja necessario insistir
sobro a sua supenondade, ventagens e garantas que offerecem aos comp-adores, qualidades estas
incontestaveis que elles lem deQnitivamenle conquistado stbre todos os que tem apparecido n'esla
prarja ; possuindo um tecbdo e machinismo que obedecem lodas as voniades e caprichos dos
pianistas, sem nunca falhar por serem fabricados de proposito e ter-se feito ltimamente melho-
ramenios imporuntissimos para o clima desle paiz ; quanto as vozes sao melodiosas e flautadas, a
dor isto muito agradaveis aos ouvidos dos apreciadores.
Fazem-se conforme as encommendas, tanto nesla fabiica como na do Sr. Blondel de Pars,
socio correspondente de I. Vignes, em cuja capital foram sempre premiados em lodas as expo-
siges.
No mesmo estabelecimento se acha sempre um esplendido o variado lortimento de msicas
dos melhpres compositores da Europa, mm cosw baratoios 9 pianos harawnicos, secdo tudo
viaoido por prejoc muio rszoaTciJ.
MUTILADO
IILEGVEL
'
S

isjassB-w
./.,




*
i
^


DLUUO Dh pgBNAMiOO. 5*XT- IE1BA 1 DE AG09TO DR i861.
'Hr

5
AlVISO.
fid^^aliliic
O abeito assignado morador na cldade do Rio
Formoso, j tundo avilado e protestado por ite
jornal de 11,12 e 13 de juoho de 1860 a todoa e
contra todos, que aa diiem illegalmente atnho-
rea de urna legua e meia de trra, qae por ja-
tos e valiosos ttulos pertence ao abaixo assig-
nado, de doto ae aprsenla icientificanJo a to-
dss em geral, e a cada um de per ai, que o abai-
xo assignado o legitimo senhor poaiuidor por
justo e bona titulo da dita legua e meia de trra
na fregueiia d'Agua-Prets, a qual comees do lu-
gar denominadoCaxoeira seccana ribeira do
rio Uos.seguindo pela ribeira do riachoPiran-
gi eran Je cima. Declara para conhecimento de
todos que dita legua e meia de Ierra demarca
pele norte com o rio Unapelo poenle com o
riacho Pirangi grandepelo sal com trras do
Catende e pelo ntsceote com terrta do engenho
Japaranduba e outra sumaria anneio : que os 11-
legilimos posseiros foram chamados a coociliaco
para entregaren] a propriedade do abaixo assig-
nado e aaberem que s o mesmo abaho assigna-
do o legitimo senhor e possuidor da referida
legua e meia de trra, que ja foi competente-
mente registrada, e a qaal houve por sismara de
1782, qae lhe foi traspasssda e cedida por com-
pra aos legtimos sismeiros : pelo que os illegaes
posaeiros logo que foram chamados a concilia-
rio abaodonaram as obras, que em algumes par-
tea do dito terreno estavam fizendo.
E aprontando a ocosio declara mais que
tsmbem senhor e legitimo possaidor da urna
- Legua de trra em quadro, que foi concedida por
S. M. Fidelissima em data de sismara a Joao
Leandro Soares da Araujo e sua mulher D. Lou-
reoqa Isabel da Vsitac.o, j fallecidos, e por es-
ts vendida ao Qoado vigario de Una Vicente
Ferreira de Mello e Silva, e pelos herdeiros des-
te, instituidos no respectivo testamento solemne,
foi vendida ao abaixo assigoado, como ludo cons-
ta do testamento a escripturaa existentes, em a
qualestao iodeudameote edificados o eogeuho
Souza e mais dous da mesma freguazia de Agua-
Pretf, sendo que desta legua de Ierra em qus-
dro s foi vendida ums quarta parte no sitio do
riachoCitembre fazeudo piio no dito sitio e
pasag:mdo rio Pirangi. E para que niuguem
se chame ao engao em lempo algum anda pelo
presente se protesta contra quaesquer outros,
que, por se apossarem de Ierras alheias, estau
ingeitos aa penas dos crimes, que se descrevem
no titulo 3o cap. 1 e 2 da parte 3' do cod. penal;
sendo que por motivos de molestia o abaixo as-
signado tem deixado de fazer effectivo seus di-
reitos, o que far logo que cessem laes motivos.
Rio Formoso 15 de julho de 1862.
Antonio Gomes de Macedo.
te para barbiar e
cortar cabellos na ra
Raugel u. 18,
do
I Antonio da Silva Fialho Jnior
participa ao publico em gtral que jul-
ga nada dever tanto nesta prac,a como
em outra qualquer parte, mais le algu-
ma pessea se julgar seu credor apresen-
te sua$ contas no prazo de 30 das afim
de serem paga$. Recife 30 de julho de
1862.
trabalhade porta fechad, oa procos sao os mes- __ (j 5r. Frederico Augusto de Le-
moa dos que trabalham de porta aberte, laniia, t de mp0rtanca pa
lira dente, alega bichas, ventosas, amolla fer- xiiuaicmuu
ramela, podo ser procurado a qualquer hora,
assim como tem aadores de cnica muito su-
periores.
!
Sebbado 2 do torrente mez de agosto se
ha de arrematar por sar a ultima praQa de renda
triecnala casa e sitio n. A da raa do Pires da
freguezia da Boa-Vista.______^^^^^^^_
Quem uver generus recolhiooa neste trapi-
che do Ramos, de qualjuer natoreza que alies
aejam, queiram vir recebe-los nesles 3 diaa e
trazerao competente armazem boje.
ra Ihe ser entregue em mao propria, na
ra de Santa Rita n. 15.
Loja de miudezas rua do Quei-
mado numero 33 A.
Costureiros.
Agulhaa Victoria papel a 120 ra.
Linhas de 2oo jardas de todoa oa nmeros a 80 rs.
Cascarrllha a prca 2$.
Ditas muito boa vara a 400 n.
Tranca de Moho para todo prec_o.
Franja de sed, de linho, de algodo muito ba-
rato.
Retro/, lioha de novelo etc.
Meias.
Um completo sortimeolo sendo de cores para
meninos a 240 rs.
REMEDIO INCOMPARIVEL
UNGENTO HOLLOWAY
500
60
1
Francisco Mamede de Almeida, tendo
de mandar ceUbrar no dia 2 do correte,
as 7 horas da manha, na ordem terceira de
S. Francisco, urna missa pelo eterno repou-
so de sua mu presada mana lanez Maria
de Almeida Braga, eipoaa do Sr. Manoel
Ignacio de Oltveira Braga, fallecida em
Portugal, convida tanto aos seus ami-
gos como aos do aeu cunhado, para assis-
lirem a dita missa, Qcaodo desde j aisas
agradecido aos que lhe Qzerem o favor de
comparecer.
Constando a etiaixo ssiguada que seu ma-
rido pretende Tender urna aua casa sita na Ira-
vesss da Muiefa n. 6, faz cente o publico que : W|| ___,, iQQ
ella se oppoe venda da mencionada casa. mu_ MDhora a _0, 300 e 400 r.
Romana Vicenal. Vieira. mi89 p_f_ homem ^ t$
Ditaa prelaspara senhora a 400 e 360 rs.
Gravatas
com bolo a 1>.
Oe corea maito boaa para homem a 1#.
Para meninos estnilinhai a 800 n.
Pulceiras
de contas mludinhs a 19.
De cabello a 49.
De bhantasiade dito ate. a 500 r.
Botoes.
ra cauca e pira caira a groza 320 rs.
Para camisa muito finos groza IcO.

Arrematlo.
No dia 5 de agosto na praca do juizo
municipal da primeira vara, depois da
audiencia tem de ser arrematada urna
parte do sobrado novo de um andar
com grande sotao na ra de Santa Rita IDe
n, 1, emolaos proprios, com 52 pal-' p^
mos de rente e 90 de fundos, com ja-1 p,
nellas para a ribeira e com frente tam- Grandes para roupao groza t600.
i_ _., A** c t, Hita i Pequeninoa para crianca 1$400.
bfinpara a ra nova de Santa Kita, j i Alamares.
avallado todo o predio em 12:000$
sendo a parte que se tem de arremrtar
na quantia de 4:047#066 rs., por exe
cucao de Bernardino Francisco de Aze-
vedo Campos contra Casemiro Gomes
da Silva e sua mulher.
Novo retratista.
Ra do Crespo n. 18, primeiro andar, tiram-
se retraloa pelo syitema daguerreotypo por m-
dicos preco ; vo-se tirar retratos de pessoas
moras deotro e fnra da cidade.
Altfftaro-se as caaa terreas d. 105 da ra
de Saota Rita e n. 27 da ra dos Burgos, e o 1*
andar da cas n. 193, na ra Imperial : a tratar
na raa da Aurora n. 36.______________________
Aluga-se o 3o e 4' andar da ra D. 16, e o sitio da Ponte de Uchoa dafronte d-
cea : a tratar na botica junto ao quartel de Po
licia.
Casa para alugar.
Alaga-ae ama excelleoteeasadeum andar, no
Monteiro : a tratar na ra da Cruz n. 57.
Precisa-se de um menino para caixeiro que
tenh 10 a 12 anuo deldade, que seja porluguez
dos ltimamente chegado : na ra da Imperalrtz
n.78.______________________________________.
Eusioa-se a iraduiir, tallar e escrever gram-
maticalmentoo inglez e fraocezem bem pouco
lempo : informa-se na botica do Sr. Luiz P. das
Neves, no Recife, ruada Cruz, ou na loja de ce-
ra do Sr. Fortunato.__________________
__ O aoaixo assignado loga eocareci lamente
ao Sr. procurador de Jorge Ferreira Feroandfa
Siqueira, de Ciruar, que. *ist) a sua procura-
rlo nao lhe conferir poderes para leceber a pri-
meira citac,ao, baja de dar andamento como au-
tor competente acc.o sobre as firmas que ie
constituinte pe em duvida nal duaa letras cons-
tantes dos annuncios iocertos neste Diario no
mez de marco prximo passado, afim de que se
possa cheger quauto antes ao conhecimento d
verdade. Recite 21 de julho de 18G2.
Joaquim L. Monteiro da Franca.
; oi&pjfs,
Comprase
perfeito coiinheiro
um preto ou preta que
: na ra Direita n. 17.
seja
Para capole a dazia por 800 ri.
Colxetes.
De fio batido especial duzia 720 rs. .
De cartao 14 pares a duzia 500 rs.
Em caixa pretos a duzia 800 rs. s^
Brincos. /
A balo brincos, encarnados, azues e donrados o
par por le. /
Rozetinhas com pedras que parece diamante o
par 19.
Penas e caetas.
De todas as qualidades especialmente de caligra-
phia e de langa.
Compraro-se diarios para enibrulno
ra larga do Rmario ns. 17 e 19.
na
sem segundo.
Na ra do Qieimado n. 55 loja de miadezas
da Jos de Azevedo Uaia e Silva, esta vendando
todas as miudezas baratissimaa, a saber :
Frascos grandea com superior opiata a
Carriteis de lioha de cores com 200 jar-
das a
Ditoa de retroz de cores, menos prelo a
Caixas com iscas para acceoder charutos
Duzias de meias creas muito superior a
Novelloa de lioha maito grandes e su-
perior a 40, 60 e
Ditos de core, a melhor que ha a
Phosphoros em caixas de folha, t a cai-
xa val o dinheiro, a
Cartes de linha com 200 jardss, s me-
lhor que ba
Ditos, ditos braocos e de cores com 50
jardas a
Duzia de facas e garfoscabo preto, linas
Dita de ditas cibo braoco a
Thesouras grandes de6 polegadas a 40 e
Saceos para escrotos com siota de bor-
racha a
Tiateiros de vidro com superior tinta a
Ditos de barro com superior tinta a
M-.ssos com grampos lisose de caracol a
Duzia de phosphoros de vella a
Pares de meias de cores para meninos a
Groza de peonas d'ac.o superior a
Areia preta para botar na escrita a libra
Colxetes em cartoes, com duas ordens e
quatro parea grandea a
Baralboa de cartas francetas a
Ditos portuguezes finos.
Thaaouras pequeas, porm de superior
qualidade a
Colxetes francezes em caixa a
Duzia de meias slvas, para homem a
Dita de sabonetes Unos a
Sabonttes grande e superior a
Traraoia do Porto muito superior a vara
120 e
Pares de boles pira punhos a
Alm destas miudezas lea muila mais que se faz
preciso vender e nao eogeitar dinheiro, assim
como sejam : labyrintos para lodo o prer.o, areia 1 dos ra8bros.
preta a 100 rs., porm quem quizer comprar em Enfermidades d
Silbares de individuos da todas is n 10,0*1
pode (esternnha 1 s virtudes destt remed)
incomparavtleprovaremcso necesario,qrjt,
pelo uso mambrosinteiramentesos depois de haver em-
sregadoinutilmente outrostratamenios. Cada
passoa poder-sa-haconvenctr dessascuras mi-
240 j ravilhosas pela! eitura dos peridicos, ^ujlb's
40'; relatara todos os das ha muitos snn|_i >
2fiOO 1 maioi parte deltas sao tao sor prcndenwPqu*
Uojdmiram os mdicos mais celebres. Quantaa
2 1 pessoasracobrarar cora esta soberano remedio
I o uso da seus braijos a pernas, depota dedur
permanecido longo tempo nos hospitje^.ola
Qy'iaviam soffrer a amputajao J Dallas ha iu-
1 cas quehavendoleixadoasses, asylo. depada-
umentos, parase nao submatereas aissaop*-
!rac,o dolorosa foraaicuradas compleaaatita.
madianta o uso desseprecioso remedio. Al-
jumas dastaespessoanaenfusao de seu raco-
nliecimenlodeclararam estesresuliados benefi-
cosdiante do lord corre.'edoi e cutres caagis-
trados.afimde aais autentica rara su armativ
NingueM dasespararia doestado dt seude sa
tivossebastante conaDa para encinar sste ra-
madioconsianteraenttseguindoslKiin] c-rapo o
trata Manto qua necesstasse a natureza do mal,
cujo resultado seria provar iceontestaveioiante.
\a\\ ~^iu* tu|l0 cur*
J ungento heatll, mais pnrtlea-
larmente nos Keicuintc-s ca^ua
80
20
33500
3^200
80
320
ICO
100
40
200
160
5(10
100
80
210
160
200
40
15600
600
110
160
210
Alporcas
CaiujLras
Callos.
Aneares t
Cortaduras
Dores decabega,
das costas.
Caoetaa para aprender escrever pelo systema de. arroba venda-se por 2$, baratissimo
mesmo
cut
Sculy urna por 500 rs.
Papel.
Almago pautado 500 folhas 6
Compra-se urna mucamb de 18 a 20 an-
uos, que seja de bom natural e entenda do ser-1 "i5llo diior420 ditas 4500.
vqo domestico : na ra do Pilar n. 143, pnmei- ; Dil0 dilo |_rj dlla, 45.
ro andr.____________________________________| Dito liso SfXOO.
Compra sea coileccao completa dos perio- Dito de peso azul e branco 4g500.
dicos Imprenta, Liberal 'ftrnambucano e Cons- \ Dito azul Ii8o2o00.
tilucional e do Diario do Recife de abril a se- Dito pequeo tarjado lo00.
tembro do anno prximo flodo : quem tiver an- Dito pequeo de cores11300 e l50O.
nuncip> Dito tarjado de preto 1&500.
Compra-ae urna escrava que seja perfeita | Euvelopaa canto lg.
engommaieira e costureira a de boa conducta :
na ra da Cadeia do Recife d. 35.
Precisa-sede 1:5U ou 1:3003 a premio,
daudo-se por hypotbeca algum predio ; quem
quizer dar annunc* por este Diario aonde se da-
ve procurar para se tratar do negocio.__________
para quem nao precisa.
fS
Obreias de colas 100,120 e 300 rs.
Pentes de tartaruga.
A iroperatrix 8 e 10 o qua ae vendau por 16*
e 209OOO.
Direito para alar cabello a 4}.
em garal.
. Ditas da anus.
Ruado Imperador n. 15.{&*&* escorbticas.
O proprietario deste estabel?cimento que ty- Fstulas no abdomen.
' Frialdada ou falta de
calor as extremida-
des.
Friairas.
Gangivas escaldadas.
InchaQes.
oflammaijo do figado.
Toda attenco.
Custodio Jos Alves Galmaries avisa ao res-
peitavel publico, principalmente a todos oa seas
freguez* msigo*, qua se madoa da loja da
agula de ouro da na da Cabuga para a ra do
Crespo n. 7, para a bem conhecida a amiga loja
de miudaias que foi do fallecido Joao Ceg, boje
ser conhecida pelogallo sigilante,e peda ao
respailavel publico a aos seus fregueies e amigos,
que o queiram procurar no dito estabelecimento,
onde acharo am grande sorlimento de miudezas,
qua sfiiDcs servir bem e vender por menos dez
ou viu.3 por cento. do aua em outra qualquer
parte
Precisa-se de urna ama de leite para criar
ma reccmnasclda : a tratar na ra da Aurora n.
80, 2* andar._____________________________
Preeisa-se alugar urna escrava que saiba co-
xinhar, paga-se 30d meosaes agradando : na ra
da Aurora n. 80. 2* andar.____________________
Aluga-se urna grande casa com aillo na ea-
trada do Arraial, esquina do Parnamerim : a tra-
tar na raa do Amorim com Guimarea & Aleofo-
radOj________________-^^
~~___ abaixo assignado thesoureiro
das loteras, tendo de ir a Europa por
interesse particular,aonde pouco se de-
morara', participa ao respeitavel publi-
co que deixa na gerencia de seus nego-
cios tanto de loteras como particulares,
e sob sua responsabilidade, a seu irmao
e procurador Jo; Rodrigues de Souza.
Recife 26 de julho de 1862.
Antonio Jos Rodrigues de Souza.
~^~ Precisa-se alugar duaa negras que saibam
vender na ra fructaa e hortalice ; na ra da
Cruz n. 56. _____________^__________
Arrenda-se o engenho Pxao, aituado na fre-
guezia de N. S. da Luz, distante desta cidade seis
legoas, com um bom vapor, o qual tem torgas
superiores, e i tem tirado duas safras boa dis-
tiUco montada da novo com alambique de cobre
e cubos, estufa nova, bons partidos para planla-
co de canas, sendo quasi todos de varzea, os
quaea chegam al a bocea da fornalha, obras d
pedra e cal, casa para morada ratificada de novo,
muito bom cercado todo de velado, podendoeste
engenho safrejar 2,000 pes para mais, conforme
a forca que tlver o rendeiro, tendo o dito enge-
nho toda ss condicoes que preciso para ser
bom : os pretendentes dirijam sa aos Afogados,
i passando a ponte o primeiro sobrado, o qual foi
do fallecido Viaona, que acharao com quem tra-
lar.
Compram-seacQea do novo banco de Per
nambuco : no escriptorio de Manoel Ignacio de
Olivt-ira & Filho, larg do Cnrpo Santo n. 19.
-------------------------------------------;r--------_., I A imitacao por 13.
Comprara aa doua escravos de boa conauc- Qe mjv r menlnos 800 e 1?j#
ta, sendo um perfeito official de carpma e o "" | TrlaruR para Mizar 3.
tro de ferreiro: a tratar no grande armazem de Dg bu(^ su cbtu0 ^00 rs.
ferragens e miudezaa na ru do Queimado n 4a Penles d6 borracha pequeos pata trazer por ca-
__ Compra-se urna casa terrea que teuha dous ia muitobosa 320 r.
quarlos. com quintal e cacimba, sendo na Boa- E Inflnidade de artigos novamente (
Vista, em boa ra : quem a tiver aonuccie. loja Esperanga ra do Queimado n
33 A.
pographia e encadernsQao, scientiflea aos seus
freguezes que abre as 9 horas da manhaa e fecha
as 4 da tarde, al annuncio : assim como que
contina a lar venda carta de ADC, taboadaf,
cathecismoa, economa da vida humana, carti-
Ibas, traslado, tanto avulsos como em collec-
Qes, Siraao de Nantus, pautas, carias de enter-
ro e para cilicios, compendio dolores?, manual
da missa a da confisso.augmenttdo com a nove-
na da ConceiQo, conforme usam oa reverendos
carmelitas, novena, cilicio, salve, e versos de N.
S. doCarmo, e tambem a exposico sobre o es-
copulario, o livro reliaioso, contendo mullas e
diversas devoQoes, apudauta, procureqoes bas-
tantes a especiaes, caminho do co, registos de
multas e dilTerentcs imagen, bilheles diverso
para botica, e tambem em branco para nelles es-
crever se o que se quizer, rituaes de Paulo V,
manual da misia por Roquet, diccionarios iran-
cezea e de Roquet, ditos do Fonseca, e odres
mullas cousas que na occasiao se mostrar.
aTOUi&ft.
mk
Aluga-se urna crioula escrava que sabe perfei-
tamai.le cozinhar, engommar e lavar, fazer doces
etc. etc., com a condic.o de cao sahir por forma
alguma raa: quem a pretender, dirija se a ra
do Imperador n. 15. ^^__^_
Precisa-se de quatro a cinco cooloa de rs.
jeroaaoDrehypolheca em um predio de maior
valor, pagando se os juros mensalmente e pelo
tempo de quatro aonoa ; a quem couvler, annun-
cia para ser profurario._______________________
Quem prensar oe urna ama para oaerviQo
de urna casa de pouca familia, dirija se a ruado
Noaueira n. 9. que achat C__ quem tratar.
Prtcia-se da quai.tia de 20UJJ sobre hypo-
theca em tre escravo ; na raa do Imperador
numero 81.
Grande sorlimento
de camas de farro para urna e daas pessoas, di-
ta pequea para crisncaa, e berco, tanto de
ferro batido como fundido, doa mais lindos mo-
delos, e ludo ae vende por um prec,o muito em
conta : na ra a Imreratrii o. 75.____________
Vende-se urna porgo de barris de cal de
Lisboa propria para obra de pedreiro a 43 o bar
itl ; no armatcm do Tiieir, cae da alfandpga.
Vende-se urna grande ceaa com commodos
para grande familia apara negocio, com grande
quintal, etc., no lugar do Peres, confronte ao
engenho, em frante a estrada publica, por prec.o
commodo ; a tratar na villa da Escada com Jo
Martina da Cruz, ou no Recife, pateo do Paraizo
d. 10, e ah se daro toda aa informac.oes van-
Na ra da Imperatriz nu-
mero 20.
Vende se o seguate.
Bramante com 10 pslmoa de largura a 1500,
rifeadinhos escaros da cor fixa a 160 rs., ctssas
dejtorea a S80 e 320 rs., oleados para cobrir
indianas maito hnas a 18. chitas a
tajosas.
CALCA
45 -Ra Liimla-4$
A epidemia declina sensivelmente, a o se
complato desapparecimento est prximo 1 O
proprietario deste bem sorlido estabelecimento
| convida os seus numeroso freguezes a substituir
tW 200. 240. 280 e 320 rs., cambraiss de sl- 0 celcsilo velho, que todo est cholenco, por no-
Inflainaia^o da taiiga
da raatrir
Lepra.
Males das pernas.
dos peitos.
de olhos.
Mordeduras de reptis.
Picadura de mosquitos.
l'ulntes.
Queimadelas,
Sarna.
Supurarles ptridas.
Tinha, ata qulqus
parte que stija.
Tremor de ervos.
Ulceras na bocea.
do figado.
das articulaces;
Veas torcidas ou nc-
das as pernas.
Vende-se asta ungento no ostabelec-mento
garal da Londres n. 244, aStrand, e na loj
Ja todos os boticarios droguista e outras pes-
soas ancarregadas de sua venda em loda a
America do sul, Havana a Eespanha.
Vende-se a 800 rs cada bocetinha contm
arca instrucrao em portuguez para explicar o
modo do fazar uso desta ungento.
O deposito geral em ca.ca do Sr. Soora,
harmaceutico, na ra da Crux n. 22, coi
psrnambuco.
Vendem-se doua bancos e urna por^o de
ferramenta que foi de carapina. d-se por todo
preco: no largo da Ribeira n. 1, equina de San-
ta Rita.____________
metas a
eos de cors a brancas a 400 rs., cobsrtorea
joco e ecuro a 1100, 1600 e 29. pannoa
liaos pro tos e de corea a 2;, 2;OU e Hj, cam-
briias para cortinados a 5 a perja, ditaa lisaa a
2tt 3, 4g e 5, tapetes muito tiooa a 6 e 7,
chispeos de seda e de castor muito finos edo ul-
timo gosto de Pars a 8 e 98, ditos de feltro fi-
oo copa alta a 5$, casemiraspara forro de carros
a 1#600, corlea de dita muito fina para cal;as a
49, pegas de eotremios a 18, e finalmente ma-
dapoldes, algodes, bros, bretsnhas e outras
muitas fazendaa que o dono do estabelecim*nto
eat resolvido a vender muito barato afim de
apurar dinheiro, dando-se aa competentes amos-
tras com penhor.
Yaooe-ae urna armai;o para escriptorio : a
tratar na ra Direita n. 68, officiaa de marci-
neiria. _____________ .
Bailar & OUveira
Porto.
aacara aobre a praga do
Empretta-se 1:3009 com hypotbeca em pre-
dio neata cidade : ra Direita o. 82. primeiro an-
dar, al a 9 da manha. e depoi da 3 da larde.
Offerece-se ums pessoa para coorar divi-
das, tanto no interior da provincia como para to-
ra da mesma : as pesiois que precisar dirija-se a
pregada Independencia n. 6 e 8, em carta fecha-
da com aa Iniciaes A. S. F. J._________
Aluga-se a sala com duas Icova do ler-
ceiro aodarda ra do Crespo a. 18. proprio para
dous mogo soltfiTos : a tratar na msma loja
Gongalo de Lagos Feroandes Bastos, pro-
fundamente magoado pelo prematuro pas-
samenlode aeu mdito amado pai, o desem-
bargador Andr Bastos de Oliveirs, c seo
av o viscoode do Ico, fallecidos na villa
do Saboeiro, pretende mandar celebrar urna
missa pelo repouso eterno de tao chara
pessoas, no da 2 do corrente, s 7 horas da
manha, na matiiz da Boa-Vista : rnga aos
seuscoegas e amigos e aos do seu falleci-
do pai o obsequio de assislirem esse acto
po p cridoao. ______
__ Veodem-se 16 Iraves de boas quaiidadts,
com lt pollegadaa de grossura e 40 da compri-
do : a tratar na travessa do ananal de guerra
numero 7.____________^__^^^______^_
Vende se urna bouita escrava crioula, bas-
tante alta e bom corpo, de SO anno de idad,
cozinheira, engomraadeira, e cose, tambem se
troca por outra, o motivo deste negocio porque jdernissimoa padroes t
a mesma escrava nao quer servir -
ra Bflla n 25. casa terrea.
Fazendas baratas
vo, e que possa resistir s mil schotis e mazzur-
ca que vo ser dansada em louvor do restabe-
lecimento da saude publica. Os prego con-
vidam :
IIOMENS.
Bolina afamada Milis. .' lUOW
non-plua-ultra Nante......... 129000
Nantes 2 bateras.............. 11 600
lustre.................... 108000
inglezes de bo'.es............. lOfOOO
baiedores....................... 9?5O0
s couro da porco....... 99000
bezerro a lustre............... 9J000
inglezea ps selvegens......... 79500
taxiados bratileiros............ 58500
Sapates non-plus-ultra................ 78000
3 bateras e meia.............. 65500
esmaga cobrs.................. f>.)O
9

>
I
>

9
a
NA
a senhora ; na
Aluga-se ama escrava boa cozinheira ela-
vadeira: quem precisar, dirija-ta ra do Ran-
gtl n. 60, segundo andar, que achara com quem
tratar.
Attenco!!!
_ O abiixo assignado declara ao publico e ao
commercio queapartou amigavelmente asocie-
dado que er.^^^*m^
Recife 30 de julho de 1864.Ma-
Pergunta-se ao autor do annuncio inserido no
Diario de Pernambaco n. 173, aob a epigraphe
Attengol 11e assignado um qu ouvio ;
quem o individuoque se ditpoe para commet-
fer um crime na pessoa de um bom pai de.fami-
lia, o qual mora no precitado Forte do Mallos.
Faz-ae esta pergunii am de que a policia tome
Queijo do serto.
Queijo de manteiga a 500 r. a libre, de coa-
Iha a 400 rs., manteiga ingleza flor a 800 rs ,
francesa a 6*0, baoha refinada a 440, em barril a
400 rs., gomma de araruta a 100 rs., em arroba
a 29800 : na ra das Cruzea n. 24, esquina da
travessa do uvidor.
Kap de Lisboa
em frascos,
Vende-se o superior rap princesa Brasil che-
gado pelo ultimo vapor inglez Oneida; na loja
de Marcelino & C, ra do Crespo n. 5._________
Predio venda.
Vende-se um sobrado na ra do Amorim, com
tres sodares e solo, chaos proprios, com duas
lojaa por ser bastante largo ; Irata-se na ra do
Vigario n. 19. primeiro andar._______________
respoasavel
em diaote.
noel Costa Rabello Jnior.Bernardo Souza
Bastos.____________________________
L.
__ O abai.xo assignado roga ao Sr.
Jos de Olivetra Campos o favor de lhe
entregar os documentos qne em 30 de
abril de 1861 lhe coniou para cobrar,
dos quaes tem realisado a cobranca de
parte deUes, e como ate o preiente nao
tenha dado solue,ao alguma, adverte-se-
lhe que a policia lhe fara' dar, se este
aviso alo tor sufficiente. Recife 50 de
julho de 1862.
Joao Pereira Moutinho.
magestosos quartos da casa de deleogo, a eise
aovo Fernbraz ou Rsrba-azul.Um pai de fa-
milia morador no Forte do Hallo.
O srs. Paulino Antonio de Azevedo e An-
tonio Silveira Maciel Jnior tem cartas no escrip-
torio de Msrques, Barros & C, largo do Corpa
Santo o. 6.
Lojadopavo,
Gambraia organdys a 280 rs.
Vende-se esmbraia organdys de cores com mo-
280 o covado. e cassas
francesas muito finas a 240, 280 e 300 r. o co-
vado : s na loja do pavo, rua da Imperatriz
numero 6(L______________________
Chitas largas a 200 rs.
Veudem se chitas larga a 200 r. o cosado por
ter um pequeo toque de mofo ; na rua da Im-
peratrii n. 60. loja do pavo.
Alpakina280.
Vende-se esta nova fazenda de linho a imitago
de sedas da quadrinhoa miadiohoa prepria para
vestido de senhora, roapa para meninos, endo
fazenda que nao desbota, a 280 o covado : oa rua
da Imperatriz n. 60, loja do pavo.____________
Bramante a 10$.
Vendem-se pegaa de bramante de linha de
urna s largura com 27 vara a 109 a pega, tam-
bem a vende lrl pega com 13 1\2 varas por 59 ;
na raa da Imperatriz n. 60, loja do pavao^______
63COIJ
55:>00
55<'00
25000
590011
25OOO
19-280
Queijos do sertao.
Veodem-se frescae queijos do serto era por-
go e por prego commodo : na roa do Queimado
o. 14, leja de ferragens.
Joto Vilote, subdito
para o Rio de Janeiro.
hupanhol, retira -se
Casa de saude em Santo
Amaro. -
Dr. Silva Ramos.
Eite eatabelecimento j4 bemleonhecido, econ-
cetuado oetta provincia peloa relevantaa aarvi-
goa qua tam preatado, contina na melhore con-
dges debaixo da direcgo de seo propnetno 6
recebar doenlea de todaa as ctaates, os quaes se-
rio tratado com todo a zelo interesse peloa
pro$o seguiotaa :
Primeira classe.... 39000ou mal.
feganda dita...... 29500.
Terceira dita...... SgOOO.
Em qualquer daa claaea oa tranco flearo sa-
nrdoa dos jegro. Oa alienado de 3.a e 3.'
cUsm nao furioso pagarle a diaria ordinaria,
Mido arioeo pagarlo avala a qaarta m*. O
aliessalc*- 4a 1.a cUim pafuio WftaVM o a|aite.
Precisa-ae de urna ama que tenha bastante
e bom leite, em filho, paga-aa bem ; na rua
Nova n. 52, a na raa da Praia n. 13.
Fugio da casa do Dr. Francisco Domingues
da Silva a sua escrava de nome Irla, parda, de
estatura regular, e aecca do corpo, lendo 24 au-
no, pouco mai* ou menos ; roga-se a pessoa
qua a encontrar, a faca conduzlr a seu senhor,
qae lisiar o aeu ribalho, e proteita contra
qualquer qua a oceultar.
Os credores liscae da fallencia de Moreira
& Codicera fazem publico qae a reaoio do era-
dore da metma fallencia para nomeago de de-
portarlo ou depositario, ter lagar hoje. na sala
das audiencia, palas 11 horas da ma.ha, 10b a
pridnci do Ulna. Sr. Dr. juit do commertio.
Antonio Jo Gome do Correio tem pa.'a
alugar a caaa tarrea am que morou o coronel Hi-
goo Jos Coelbo, na cidade nova de Santo A-
maro.
Vende-se a casa.terrea o.
aario (reguezia da Boa-Vista:
com direito a ella annuncie.
19 da raa do Ro-
quero se achar
Cocheira a venda.
Vende se s cocheira da ruado Imperador o.
85. com 2 carros, 1 cabriolet e 10 cavallos, tam-
bem se faz negocio gmente com aa bemfeiloriis
a dinheiro ou a prazo : a tratar na rua do Crespo
o. 14._______________________________________
Vende-se queijo do serto de muilo boa
qualidade : na rua do Queimado n. 13._____
Carnauba
Vende-ae a mala uperior cera de carneaba que
ha* no mercado ; na rua da Imperatriz n. 60, loja
do pavpj________^_^________________-
Cambraias lisas a 3$.
Vendem-se pega de cambraa lisa muito fina
com 8 trl varea a 33 a pega : na rua da Impera-
triz n. 60. loja do pavo.
Paletots a 6$.
Vendem-se paletots de panno preto fino a cor
de caf a 69 : na rua da Imperatriz n. 60, loja do
pavo._______________________________________-
Nante 2 baleras vaqueta.....
> s 2 bateras bezerro......
trsbalbadores..........
brasileiros de 3fl500 a..........
Sapatos- solas e salto..................
tranga portuguezes..........
francezes. .
SENHORAS.
Butinas dengoza.........5500
> salto de bater...... 5*000
> pechincha de 4500 a. americanas 38500 a 2;O(i
Sapatodeslto (Joly) B 3__j
tem elle (dem)......1C-'-
> tapete:........ 00
econorricos. :...... 500
lustre 32 e 33....... 800
MENINOS E MENINAS.
Ha de ludo em relago e nao se deixa sahir
dinheiro.
Um completo sorlimento de couro de porco,
cordavo, bezerro francez, couro de lustre, mar-
roquim, aola, courinhos etc., que ludo ae troca
por dinheiro vontade do comprador.
E pechincha.
Na rua do Crespo, loja de
4 portas n. 8,
veodem-ie corte de cbila larga escaras, de co-
ras fias, de 10 covados, a 29 o corte, ossss de
cores fixa, tazenda que sempre se vendea pos
40 e 800 rs. a vara, a 240 o covado, e outrsr
rnuitas fazendas por prego baixo que a vista.
SYSTEM -EDICO HODELLOWY
PILULASHOLLWOYA.
Este inestimavel especifico, composto inteira-
mente de hervas medicinaes, nao contera mercu-
rio nem alguma outra substancia delecten. Bti
nigno mais tenra infancia, e a cornpleic.ao mas-
delicada, igualmente prompto e seguro par;
desaneigai o n al na compleigao mais robusiaa
enteiramente innocente em suas eperagoese ef-
feitos; pois busca e remove as doencas de qual-
quer especie e grao por mais antigs a lecazcs
que sejam.
Entre mimares de pessoas curadas com esta
remedio, muilas que j eslavam s portas da
raorle, preservando em seu uso conseguirn!
recobrar a saude e forgas, depois de haver teda-
do intilmente todos os outros remedios.
As mais aflctas nao devem entregsr-sea des-
esperado; fagam um competente ensato das
eficazes effeitos desta assorobrosa medicina, o
presles recuperarao o beneficio da saode.
Nao se perca terepo em tomar esta remedi?
\ara qualquer das seguintes enfermiilades;
ccidenies epilpticos. iFebreto da especie.
Alporcas. lGotta.
Ampolas. Hemorrhoidas,
A reas ( mal de) .
Asihma.
Clicas.
Convulses.
Debilidade ou extenua-
cao.
Debilidade ou falta de
forgas para qualquer
cousa.
Desinteria.
Dor de garganta.
da barriga.
nos rins.
Dureza no ventra.
Enfermidade no ventre.
Ditas no figado.
Ditas venreas.
Enchaqueca.
Herysipela.
Febre biliosa.
Chitas escuras a 240.
Veodem-se chitaa francezas eacuras a 240 o co-
rado : na rua da Imperatriz n. 60. lja do pavao.
Chales baratos.
Vendem-se chales de marin de core endo
muito grande a 39 : oa raa da Imperatriz o
loja do pavo. __________________
60,
Aluga-se
urna negra boa coxlnbeira e propaia para todo o
servigo de ama caaa ; a tntar na raa da Cruz
numero 57.
l'reciea-ae da quantia de 2 OOt'JJ a premio
de 1 0^0 com secaran; em um predio dsamba-
racado neata cidade, cojo predio val 6:00O|00O :
.Ni jeizer nnuode tara er procurado,
FAZENDAS BARATAS
Rua da Cadeia b. 40
loja de fazendas
DE
Mar linho Borges.
O proprietario daite grande estabelecimento
e.st resolvido a vender barato um liodoe varia-
do .sorlimento de fazendaa taea como :
Vertidos de seda de 300 ........
Caatv^ques de cambrsia de 5$....
Manteletes de dita de 5$ ..........
Manguitos" bordado ..............
Cs, o co'ado de 320 ..........
Chiles francezo.s O covado de 240 .
Sobrecasacode p.,nn Qno de 229 .
Palito de dito dele**.............
Ditos ceos de 12} t
preene ettes que aa parte
a tunden do-H I aaperlor qi
Bardados baratos. /
Vendem la gollinh de cambraia e desfil bor-
dadas a 500 r.. manguito a 1 o par, mangaitos
com golla bordda de cambraia a 18600, e lira
bordada a ntremelo; na raa da Imperatriz n.
60, loja do pavao.________________________
70,000.
Veode-se por 70J> oa egainte objecloa tado
em bem estado um fardo par guarda nacional
(cae-adores), banda fio, borretln, adragoo (al-
feres], fiel para espada, por ete preco para quero
preclaa aproyeilar-se: o rua Nova n. H.
5O0OO
15S000
103000
JOOO
S600
$300
25J000
20JOOO
151000
anconlraro
Para liquidaco troca-se
por prejo barato um sanc-
tuario com as respectivas
imagensemais as seguintes:
de SanfAnna, S. Joaquim, S
Jos, S. Antonio, e do Menino
Jess; na rua do Vigario n
9, primeiro andar.
Hydropesia.
Ictericia.
Indigestoes.
Inflammncoes.
Irregularidades da
menslruac,ao.
Lombrigas de toda es-
pecie.
Mal de pedra.
Manchas na cutis,
Abstrucro do ventre.
Vhtysica ou censamp-
f;.o pulmonar.
Retenrao de ourina.
Rheumalisrao.
Symplomas secundarios.
Tumores.
Tico doloroso,
Ulceras.
Yenareo (mal)
de fazendas, na rua do Cres-
po loja n. 14.
Cbeguem s pechincha* antes que se
ac bem.
Corte de vestidos de barege combabadosa 4?,
ditos de seda com babados de qoadros a 8>, ditos
de grodenaple de cores com tres bibados com
pequeo toque a 209, ditos pretos com babado a
123, merino de superior qaalidade, proprio para
montarla de senhora a 2 o covado, meiin selnn
prto azul e verde a 600 r. o covado, grosdena>-
ples de ceras a 300 rs. o covado com aqueje
mofo, ditoa lavrado a 500 r. o covado, bombai-
na azul rra e verde escura entestada a 800rs.^o
covado, leoe.oe de garrea dseda com franja a 500
rs., polaina de brim de linho maito fino par,
militar a 500 rs. o par, casavequea de cambraia
de salpicos e de fil preto a 18500. toalha de li-
nho adamacda para me 584)00. guardanapos j
de linho grandes de superior qualidide qae .,
vende por 12J>, a 8, mantas para cavallo \$ ca-
da am, rlquisimo tapete avelludado para
piano que se vende por 25J a 12, vestusrio de
fusto branco e de cor para crianca a 10500 e 2$,
palitots de brim pardo a 2ftoOO, ditos braocos a
3g, ditos de alpaca de edr e merio setim a 4/,
chales de croch a 49, ditos de led preta supe-
rior qualidade a 12$, ditos de cassa braocos a 300
ra., manguito com comisiona e golla i 2$, fua-
lo branco fino a 400 ra. o covado, chapeos para
nhora a 1J>, dito para menino a 500 ra., en-
ftica para senhor a 500, um completo aorlimen-
to de transa de diversas core, gredis franjas,
bicco de seda braoco e preto, boioes que te ven-
de por todo preco para acibtr, e outras muilas f-
aendae qae se rende pelo barate.
Febre intermitente.
Vendem-se estas pilulas no eslabelecimento
geral de Londres n. 224, Strand, e na loja
de todos os boticarios droguista e outras pessoas
encarregadas de sua venda em toda a America
do Sul, Havana e Hespanha.
Vendem-se as bocetinbas a 800 rs., cada
urna dallas contem urna instrucc^o tm porlu-
I guez para explicar o modo de se usar deslas pi-
! lulas.
0 deposito g*aal em casa do Sr. Soum
pharmaceutico, na rua da Cruz n. 22 em Per-
osmbuco.
Injecco Brow
Remedio infallivel contra as ageor-
pheas antigs e rcenles, nico deposito
na botica ranceza, rua da Cruz n. 22,
rpco 3$.
Attenco o Vigilante
Que acaba de receber o lindos collares com
caracoltlnhos de merfm loteiramente cou oova,
propriamente para pescoco, que se vende Dlo
baratissimo prego de 18000 a 3$010, oo haverV
essoa alguma qae deixe de comprar couaa lo
legante; tanto para seohorss como para criar ge:
s no (jalo Vigilante, rua do Crespo n. 7.
Vende-se as casas terreas n. 19 na
rua do Rosario da Boa-VUta, n. 19 na
tuade Santa Rita, ns. 11 e 16 na rua
nova de Santa Rita, en. 18 no becco do
Arial as Cinco Pontas, sendo esto njeia-
agua, podera' quem as quizer comprar
dirigirse a rua da Cruz do Recife se-
gundo andar da casa n. 45, das 6 ho-
ras da manhaa as 9, e da$ 3 horas da
~rde em diante, tendo a entrada da
catt pelo becco das Crioulas.
MUTJJ_ADQ
I
...
Ha


tlfAJtO DE PEIR1MBUCO SEJLT1 FElKjk 1 DI AGOSTO 01 lgfil
5 SE NO ARNAZEN
Rival sem se-
gundo.
Francisco Fernandes Duarte
Penha
de primeira qualidade a 850 a libra, em
o mais superior que lera vindo a este mercado a 800 rs. a libra,
o melhor que h no mercado a 25800 e 28200 a libra, afianca-se
a boa
libra por 640 rs.
1 libra por 800 rs.
rs. a libra, era arroba por 80000.
Minados, afim de verem a differenca de preco e qualidade que faz, se fossem comprados mout
.aijuer psrt6*
*M%11Jf11 jonfeitadas para sorie de S. Joo a 800 rs. a libra, tambera tam-se para
t>*-urs. a libra sendo em porfi, tanto de urna qualidade como de outra se faiabati-
DOu lo.
a\a tt llOVaS em caixas com dusis arrobas por 28560 e em libra a 50 re.
MABteiga 1*1Z* da safra now
barril se fzabalimento.
rateV* tr**x* mais nova a 640 rs a Iibra> gm brr11600 rs
|m^\|8 AO TV&o muilo frescoschegados neste ultimo vapor a 2*000 ditos ehe-
gados no ultimo navio a 19800.
Queij* prato
GYv Yvyssou
qualidade.
? nttXlB o que M pode desejar nestQ genflro a 3yQ0Q a Ubra
Z P*e* homeopatbico a 2*200 a libra em por?5o se faz abatiraento.
MODO n0V0S de Pavio lraQsado a 230 rs. a carta e em caixas com 40 cartas por
Latas cen anw*&oas conf9ladaSf proprias paramimo> eHto mais con.
teitese assucar candido por 1*000 cada urna.
a em caixinhas de 8 libras chegadas altimamente a 290QO cada urna a a retalho
a 430 rs. a libra.
noiaxiana de soda em ]atas com dfferenles qUaijades a 19440.
201r*Xt>l|& inglezaamais nova que h no mercado a 49000 a barrica e a retalho
a 320 rs. a libra.
V VRUO ^Wi pip de superior qualidade Porto, Figueira e Lisboa 500, 560 640 rs.
a garrafa, e em caada a 39509, 49000 e 49500.
V>VS feUg%YV*f%dM Duquado Porto, Lagrimas do Douro, Carcavellos, Fei-
loria ve'.ho, e deoulras ratitas nurcas acreditadas a 1*200 a garrafa, em caixa a 129
tambara ha para 19000 a garrafa.
v~afty%pa*ilit aas marcas mais acreditadas a 159000 e 20*000 o gigo, a em garrafa a
1800
a^uV^ja da marca cobrinhi ou de outras marcas conhecida a 5900O a duzia e 500 rs.
a garrafa.
arvlil&Afl francezas e portuguezas ora latas de 1
&!*$* & t^U\at em unas de
A^^IX^S raaCa&aS era latas de 1 e raeia libra por 1*500, ditas com 3 libras Dor
2800.
lftPniSIS de casca mole muito novas a 320
** 120 rs. a libra e em arroba a 30000.
M*t*U, maeTta<) talUatlm a 400 rs. a libra, a em caixa com 1 arro-
ba por 65000.
Bt9Mteltl4ll&4 pevide e arroz de massa branca ou amarella, a 640 rs. a libra, e era cai
xinhas muilo enfeitadas se faz obatimenlo.
fe &IUOS dfi dU%ftS lxado3 0j maisbam feitosque tem vindo a este mercado a 280rs.
taabem ha para 200 rs.
r RftZtlIltdS Bg\r.lS para fiambre a 800 rs. tambera hamburguez para fiambre a
640 rs. a libra e do reino o mais novo que ha a 560 rs. a libra.
Gl&oiiTi$&33 paVoH muil0 novas a 5G0 rs a 1bra eem barril m far abatimenl0>
BAiaalQ 0 melhor petisco que pode haver por estar prompto a toda hora a 800 rs. a libra
X OUtiuld R do **\mm muito novo a 28* rs. a libra e em barris de 1 a raeia arroba
a 5* e 79 a arroba.
%jD.OU.fi Ba?\U* de poTeo refiaada em lalM cora 10 libras por 4|300
w m barril mul0 fina e alva a iiQ rs a Iibra eera barr1 a 400 rj>
M \ T bU frailesl prPrios Para ffiimo a 50rs-Mda um-
m.armeiiaaa imperial do afamado Abreu ede outros muitos fabricantes de Lisboa a 800 rs
a libra
marnelada de Alperche em latas de 2 libras por 19000 cada urna,
EimttaS CU Frnetaa de doce era calda as raelhore? quehaem Portugal como se-
jam pera, pesego, damasco, ameixas, ginja e sereijas a 800 rs, a lata.
llOCes S*eeS e em calda, era latas, de 4 a 5 libras por 19500.
l>&QCOl?tQ hespanhola 19500 rs. a libra, ditto francez a 19100 ditlo portugiiez
800 rs., afincese a boa qualidaJe.
V*aie de primeira qualidade tanto do Rio como do Cear, a 320 rs. a libra, em arroba a
99000, dito mais baixo a 260 rs. e 7*800 a arroba.
S<6V&din&a da Franc_a a mais nova do mercado a 240 rs. a libra, e era porcao se fai
abatiraento.
a muito novo a 320 rs a libra e era garraf5es cora 5 libras, por 29000.
^ *ina do reino das marcas SSS ou galega, a 140 rs, a libra.
Ul\a do Maranhao alva e cheirosa a 160 rs. a libra e em arroba 49500.
W elaa da carnauba refinada a 400 rs. a libra, e emjarroba o 12*000..
A.Zeitn de<5 reGnadoa 800 rs.garrafa e e em caixas a 99000
w laagre de Lisboa a 240 rs. a garrafa e em caada a 1*800.
W l*no cherez verdadeiro a 19500 a garrafa, e era caixa 149000.
V^0J*TaiaC0 f' Lisboa o mais superior que bino mercadopropjio para miss
640 rs. a garrafa e era caada a 4*500. r v s
suspiros do fabricante Brando em raeias caixinhas, por 2*500.
suspiros do fabricante Catanho emcais de 100 regala Imperial, Viagantes, e Panentellas, a 29000 a caixa.
A H a mUU> ,mP0' l8rS* 'ibra' 6 6m a"0ba W500'
A* tonas muil0 nova9> a 1600 rs ca uma MC0T6lat e a 400 rs a grrjf8
ArrOl de Maranhao a 120 rs a libra, e 39400 a arroba.
XC de postas em latas das melhores qualidades de peixa que ha era Portugal a 19500 rs
txvaebra de Hollaada flm ,.
Moatavda g"raf6es cora 25 garrafas por 9*000.
aust^rna ingleza muito nova a 19000 n f. ,n
A14m dos gneros cim. mencionados^L^ZoJ^T "vS-"' PU* .
woto de lado que tendente mOu wFMel puWico um completo scr-
Ra do Qaeimado n. 55, loja de miudezas de
Jos de Ahedo Mala e SilTa, coohacido por Jo-
s Bigodinho, esti Tendeado pelos preco* que a
todos admfram, queirao ver o que boca e ba-
ratiitimo:
Pares de espatos de lrtn;a superiores a.
Frascos de agoa ambriida a melhor a...
Ditos de dita, frascos grandes, a 500 e..
Cartas de alfioetes fraocezes, a..........
Pacotas de papel aroizade, a............
Caixsa com papel de diversos gostos, a..'
Pares de sapatos de laa para menino, a
Varaa de bico das libas, a..............
Curdas pira violo muito frescas e no-
va, i.................................
Frascos de banha Philocome superior,'a"
Ditos de dita de urjo, a.................
Ditos de cheiros muito fino, 500 a.....
Caixas com apparelho de metal para di-
vertir meninos, a.....................
Varas de raoja para cortinados e toa"
Ihs, a..............................
Carriteis de liaba preta com 500, o'
oOOjardaa, a.......................
Barris com phosphoros o melhor e bo-
nitos, a..........................
Mssosde liaba fina para bordar," a.".'...'
Trenes de lia de todas as cores a peca.
Pecs_de fila de cs, todas as larguras, a
Groan de botoesde louca prsteado mul-
to floos.a.....................
Pecas de Gta de lioho lisas'supeViorea'a
Uitss de cordo imperial, oo e grosso.a
ascos de macag perola, muilo fino, a
uitos de dito oleo, muito superior, a.. .
Ditos de oleo babosa superior, a 320 e
Boneto choram, muito lindo, de
1 O U Iteeifami ,
Caixas de p para limpar denles, inulto
superior, a......'.
Ditas de phosphoros especiaes e um so-
bresilente, a........
Pioes de aodres, pialados muito* bo'ni-
vt0''' ..........
Varea de fita para fazer sintos dos me-
Inores gosto, a.......
Duna de phosphoros de gaz, do melhor
fabricante, a.......
Dits de caetas de folha, jUu boa',
1JZ80
400
608
100
700
700
200
80
80
ljooo
500
800
400
200
160
160
240
40
320
240
40
40
200
100
500
500
160
160
200
500
2t0
120
Llohas de gaz de todas as qualidades bar-
11 SI i 89.
r"lAenae"S,?eblyaopo"pe,Bcsno'o de bor-
racha p.r. sobrecelleote : na pharmacia do Pin-
to rna do Rosario b. 10.
Nova atiendo.
U porcentodoqua em outra qualq^er Darte.
Sintos para senboras.
otilS o?08 SDl02 d?urad0. Pelo baratissimo
K''2' >> <> Iso a 4. asslm co-
fwi.nl. V6 Vr V,11Ud >8 = 0 gallo
vlgilaoto, rna do Crespo n. 7.
Eiifeites.
Vendem-seosriquissimos enfeitea de eabeca
com franja e vidrilho a 5#, ditos sem franja a 3*.
ditos trangados a 2*500, ditos de la?o de fita e
cSpo3 n7.a S* 0 ga,l Tilsn'P. ^o
Fi velas para sito. T
Riquisimas fivelas de a?ocom madreperolAo
centro a 1*200. ditas de madreperola a 30. ditas
douradinhas a 340 : s no gallo vigilante, ra do
Crespo n. 7.
Vidrilo.
Lindos vidrilhos prelos e de cores, pelo bate-
ssimo preeo de 1*600 a libra : s no g.llo t^-
lente, ra do Crespo n. 7. T
Para entreter o tempo.
O lidos jogos de dminos a 1*400, lindas. ,
nnbas com jogos de ispor a 900 rs.: .6 no gl-
lo bailante, raa do Crespo n. 7.
Caixas de tartaruga e chari-
teiras de charo para rap
e charutos.
O tabaquista que aprecia a boa pitada de Lis-
boa ou mesmo Princeza, Meuron etc., etc.,
j tJa mirchelada com a quai nao se envergonha-
ra de offerecer da bo pitada de aeu gasto a to
dos o circumstantes que se acbjrem em sua ro-
da, muitos do quaes louvarao o sea bom gosto
Assim como a caixa necesria ao tabq charuteira nao auperflaa no fumante e sendo
ella bonita como sao as de cherao nucholas me-
lhor ser porque com isso deixa coohecer quao-
lo sabe apreciar o bom. Para os mais commo-
dlaua tambero ba bom aortiruento e lodos encon-
trarao bjrateza uma vez que munidos de diohei-
ro s dirigirem a ra do Queimado loja da eguia
branca n.16.
Relogios.
Vande-sa am casa da Johnston Paler 6e C.
. a do Vigario n. 3, um bello sortimento d
elogios de oaro, patente ioglaz, de um dos mais
afamados fabricantes da Livarpool; tambera
urna variedade da bonitos trancallins para os
mesmos.
Loja das ti por-
5 tas em frente do Livra-
mento.
BalOes de 15, 20. 30 e 48 arcos.
Grande sortimento de baldes de arcos
Mjhores nest hienda e grandes,
chitas francezaa largas escuras a 220 e
2 ovado, ditas estrellas miudi-
nhas a 160 rs. o eovado, cambrais lisa
a par forro com 8 1(2 varaa a 2 a peca,
8 5."" fioss a 3, 4*. 5 e 65 muito finas.
^'j de silpiquinbo com 8 1)2 vana a
I d*500 a pera, cobertas alcoxoadas bran-
E cas e de cores para cama a 4*508 e 5J,
m casaaa de cores francezas Ilotas seguras' M
a 320 rs. o eovado, pega de bretaoba de 3
rolo a 2J, algodao trancado alvo muito 1
largo para toalhas a I* s vara, enfeitea a S
ff Garibaldi todos pretos a 5* cada um. len- 1
X eos brancos com barra 4e cores a 120 ca- S
I da um. roapafeila de todas as qualida- 1
des muito baratas, a loja est absita at Z
as 9 horas da ooita. ||
Aos Srs. consumidores de gaz
Nos armazans do caes do Ramos ns. 18 a 36
ns ra do Trapiche Novo no Recite n. 8, se ven-
de gaz liquido americano primeira qualidade e
recentemeote chegado a 14* a lata de 5 galea,
assim como latas da 10 da 5 garrafas em
garrafas.
NOS ARMAZENS
PROGRESSISTA
Mobiiia.
Na ra da Camboa do Carmo loja n.
12, vndese toda a qualidade de mobi-
lia tanto ao gosto moderno como anti
ga, phanthasia etc. por preco mais
commodo do que em outra qualquer
parte, faz-se toda a qualidade de obra
deencommendacom a maior brevida-
de e o maior apuro da arte.
Potassa da Hussia
e Americana.
No e8criptorlo de Manoel Igoicio de Oliveira k
Filho, largo do Corpo Santo o. 19, por preco
mais barato do que m outra qualqanr parle.
Castello-Branco,-alfaiale
Por este snnuncio se faz constar aos Srs. offl-
22"i S ld". ." lanl dMt Provincia
como das mais ca pitaes do norte do imperio oaa
na a venda botoes do novo padro. segundo a
ultima ordem do mioisterio da gerr,, "endeo -
do-se duaa abotuaduras por 3*. advcrtin4o que
urna das abotuaduras de padro anligo faz-se
remesaas1 par. onde forem pedidas, assim como
tambem ha ptra vender o melhor panno azul in-
glez, e o melhor velludo preto do Porto, fazenda.
desconhecidas nesta praca, 0 que ae vende a re-
talho. O* Sr. offlciaesqne eslo for d provin-
cia podem renovar suas consignacoes fixindo
qutntia certa, e os outros sanhores q'je nao tive-
rem procur.gao nestacasa podem manda-la, ad-
vertmdo que o lempo para a dita proenraga de-
ve ser limitado, acompanh.ndo um. carta de or-
dens pedmdo as encoromeodas que forem nreci
sae. devendo ser dirigidas a corres.ondensia a
Jo.quim Rodrigue. T.v.re. de Mello, ru. do
Que.mado n. 39. Tambem ba galao de uro su!
stiunr cez"pm "auu'a,t forJa-
A loja d'aguia branca, ra do
Queimado n. 16.
Receben pelo ultimo vapor os seguinles ob-
Bmitas ligas de seda para senhora.
Grandes e bem tecidos bandea de clina
Aspas de ac, e fltaeiistica para cea de baln
B mecas grandes mui bonitas e bom vestidas
Bonitos bauzinhos com 9 frascos da cheiros '
Lindas caixinhaa com 6 ditos 4e ditos.
Traneellira grosso de cor para guarnecer vestido.
Luvas de camua brncs o amarella. '
Lindos boies de banha para
presentes.
A loja d'aguia branca acaba de receber lindoa
boioes deporcellanadourada com fina banha
msviosaa inseripess, os quaes porsuasdelicade-
zas e perfeico.sloraam-aa) dignos para presen
les,
I
do
r em que bem o empregar.
es, e com especialidade na actual qu.dra nn.m
oslar do bom dirigir-., com dinheiro' r.
lo Queimado. loj. d'aguia branca n. 16, qe acha
Souhall Mellon & U., Uodo recebiao 07^
dm p.ra vender o seacreMidodepb.ito derslo
gioa v|slo o fabricante ter-se retirado do neto-
tio ; eanvida, portelo, s pessois que q.izer.m
possuir m bom ralogio de ouro ou prata do e-
lebre faVrieante Kornbj. a aproveltar-ae da on.
portunidada sem parda da lempo, para vir ,om.
Ct*SiT& pre8 "**-*
liquidaco por todo!
o pre^o, na bem co-1
nhecida loja do Ser-1
tanejo.
|Rua do Oueimado n. 451
Appare^am com di-
nheiro que nao daixaro ]
de comprar. S
Chitas escuras fiosa a 160, 180 e 200 8
rs., cortes de vestido pr.toa bordados a S
velludo de cusi de 150* e se vender 5
por 30*. 40*. 50* e 70*. sahidas de baile 8
de velludo e seiim a 12* 13*, camisas
para senhora a 2^000 e 35500, golliabaa S
de cambraia bordadas a 500, 600. 700 S
800, 901) 1*. ditas de 016 bordadas a 120 8
i n., M5.mq.oi defualo a 5*. 6,7, 8, S
netas de suda brancas prela. par. se- 16
nhora a 1J200 o par, tiras de babado a o
500 a 700 rs., la.de quadro enfestada. i
300 e 360 r. o eovado, cambraia preti a i
400 440 rs. a vara, organdys de cores a S
600 rs. a vara, fil br.oco adamascado t
para cortinados vellidos a 400 e 500 s<
rs. a vara, cortes de collete de casemira
bordados pretos a 2* e 3n00, ditos de 8
vallado de cor e pretos a 3j>, 4*. 5 e 6*. U
paletots de brim branco francezes a 9
3*500 e 4*500, ditos da casemira de co- 8
res '. prelos a 14* e 16*. ditos de alpaca \
pret e da core a 3*, 3J500, 4* 4*500 fg
camisas de p^ito de Un lio a 2500, corte. S
de collete de orguro a 1*300, 1*700. fS
82*200, 3j e 3g500. collete. leitosdebrin g
branco a 2*500, ditos feitos de gorguro W
2*500 e 38500. ditos feitos de casemira %
a 3J500. 4g 4fl500, ditos de velludo a
53, 63 e 7*. ditos de fustao de cores a %
1J500, um variado sortimeoto de meias 8
fi para homsm e senhora, grinaldas cora 3
85 flores, chales de froco, espsrtilho, e to- 2
da a alidada de roupas feilas para ho- 9
mem que ludo se vende por melada do 9
seu valor. Q
mm?a mwam mmmm Moendas p meias moendas.
Taixas de ierro batido e
coado.
Machinas de vapor.
Rodas d'agua.
Rodas, dentadas etc., etc.
Ru do Brum n. 58, fundicao
de D. W. Bouman.

\
mais nova e mais superior do mercado a 800 rs. a libra.a>
melhor que se pode desejar a 650 rs. a libra a em barril a
qfin DUARTE S C.
36 Ra das Cruzes de S. Antonio 36
Nasos9 ^A?GO 0 CARMO 9.
^____- JLETm?iim" "**** mazens participamos aos nossos numerosos
!2S^gaJg^Tgg?.?"1* ve,a "f*- denossapropriaencommenda os
que outroauaTZ; romn! Pr ,SS p0demos vander Pr menos I0 Por cento do
Manteig-a ingleza ama
Manteiga francesa,
600 rs.
0110 iranCfcX em canoas chegados no ultim vapor a 500.
eras SPCCaS em caixinhas de 4 libras muito novas e grandes a 4 a caixinha, a a
1*280 rs. por libra.
chihh alpista e pain5 a 160 rs a ,ibra*
Ph I Xlt ma'S especial que M pda enconlr a 2*880 a libra.
t/ha IiySSOn 0 aelhor que se pda desejar da 29400 a 23800 a libra.
. Pre 1ue se Pde deseJar n8St genero a 2# a libra e a 111600 o ordinario.
Queijos flamengos chegados nouUira9 V8por a ^o 1>700<
CjaeijO pr itO o melho do mercado a 600 rs. a libra a sendo ntetro a 500 rs.
I assas em caxinhas de 8 Jibras a2,94o0rs.. librt.
Figos em caixinhas a.Hb.. iwoo aoo > libra.
AlUeildoafl da CaSCa mole 320 rs. nozes a 10 r, libra muito aova,
Ameixas francesas.i.ib.i,u.5m*u ooo.
Marmelada superior amelhordo m,rcado,m lalas dg 21b. a 700r3>
Doce da casca da goiaba 800 1.1..
Latas com frutas em calda
alperxe a 600 rs.
Amendoas confeitadas
Vinhos generosos
x.
alib.
como peeego, damasco, ginja, ameixas a
com di varees cores a 800 rs.
Ra da Senzalla Nova n. 42.
Neste estabelecimento vende-se: ta-
chas de ferro coado libra 110 rs. dem
de Low Moor libra a 120 rs.
Arados americanos e machinas
para lavar roupa: em casa de S. P.
Johnston' & C
u. 42.
ra da Senzalla Nova
libras a 49200 e 700 rs.
rim e aletria a 69000.
Fuoileiro e vidraceiro.'
Grande e nova olTicina.
Tres portas.
31Ra Direita31.
Nesls rico bem montado estabelecimento en-
contrarlo oafreguezes o mais perfeito, bem aca-
bado e barato no seu genero.
URNAS de todas as qualidades.
SANTUAHIOS que rtvaiisam com o jacarandi.
BANHEIRuSde todos os tamanboa.
SEMICUP1AS dem idem.
BALDES idem idea.
BACAS idem dem.
BAHUS idem idem.
FOLHA em cai:js de todas aa grossura.
PRATOS imitando am parfeigao a boa poreel-
lana.
CHALEIRAS de todas as qualidades.
PANELLAS idem idem.
COCOS, CANDIEIROS e Sandras para qual-
quer sortimento.
VIDROS em caixas e a retalho de todoa os ta-
mandando-se manhos, botar dentro da cidade,
am toda a parte.
Recebem-se encommendaa de qualquer nata-
raza, concertoa, que tado aer desempenhado a
contento.
Manguitos egilas de
cambraia ricumfnte bordados
Vendem-se manguitos e eolias ? superior
cambraia ricamente bordados pelo i'istgniflcinte
pre?o de 2* o par de manguitos cr.m uma golla
.ndoque sempre custar.m6* ei, ptTf at%\m
pois recommeoda-seaoa amvot da aanta eco-
noma que aproveilem a ^a occasiio, diriga-
do-sa com dinheiro a lo'^ da boa ( na ra do
QueimiQQ u. tte.
engarrafados das segu.ntes qualidades, duque do Porto, Porto
iSltill Ve,h08a"; 8enuino- ^tor, Carcavellos, Feitoria, e Madeira secca a
12'39adumeali00agarrafaemuscatela7-20rs. agarrafa.
3* do ptra rnSL* mo **a c,nad> e de 5oa 6o """
^ erVe?rL* molLoT mar"S a,5 "* ,rraft e 55000 duzia, chanpanhe das
7m~S* *'20* 8ig0> cogahac fme,hor ^ua se E &
ixenebra da verdadera hollanda em garrafes de 16 garrafas a 000 eada um.
lu!"'' SUblm9 qU# tem Vnd a n0SSO raerCad 6m r4SC0S P"*!
r^rasqiiera com 12 fraseos de genebra de Holanda *800
i^arratoeS Com 5 garrafas de superior vinagre a 190O0
Vinagre puro de Lisboa a5tri
Marra^aililin g"rafae, 1*800, caada.
S& f*atluino o m.nsuperior que S9 ^ desejar a l9QQQ g ^^
Stpermcete 0 mais superior do marcado em caixinhas de 6
a libra.
Veks de carnauba .11*500 aarrob.. 380 a nbr..
A'lCOret&S comazeitonas as melhores do nercadoa 1$400.
CaiXaS eom 1 arroba hespanhola contendo macarao talharir
JaIX!16,!o ;1 aTibdraV.erSaS qU,Hdad93de maSSas coao ^ ^Koh pevide etc., a 6*000
CllOUricaS O PaiOS osmelhoresdo marcados 560 ,s. a libra.
I reZUIltOS 0 que se pode dezejar de bom a 640 rs. a libra.
uingUICaS finasem latas j promptas a 1*600.
PeiXe em latas c.v.llinhas pargo, a linguadosa 1,J600.
1 OUClUllO do reino a 320 rs. a libra do novo, e 280 rs. do velho.
Banha de pOrCO a melhor do mercado em latas de 10 libras a 4*000.
uaasas para sopa taIhar
Palitos lixadosemm50soom 20
Papel greve pautado
KrVa d0Cea 360, pimenta a 360, canalla 900 rs., ecomiohos a 800 rs. a libra
PalltOS do gaZ a &m groa 20 rs. a caixinha.
2^l r,efinad Pcotes da mais da uma libra a 160 rs. potes 560 rs.
9agll mui,0 novo 280 a nbra e S6Vadinha 200 rs.
rfndo iT*' ,6"'',ibraeeomm> *,0rs-a ,ibra e- **
r1. "" *%'1U d0 Car melhor do mercado de 85P500 a 99500 a arwba.
CaiXIII haS ts mais elegantes, propias para mimos ou mesrao para guardar iaias da 40 rs
a 1*500 e temo com 6 caixiuhas a 5*000 5 J "*R*
Chocolate hespanhol verdadare, lf000 rg alibri
firvilhas portuguezas e franppKHs ,-
alata. c ** ^"^^^"e Nao verde d 640 a 72*> rs.
*3Tel em latas chegado no ultimo vapor a 19600
Bolazitlllft de SOdaemlatas.l400
Lentilhas rrancezas ome}horleguraeparasoFaeguzadoa2()0r5 atibra
^reSUIltOS fiambre os melhores do mercado a 640 rs. a libra.
itlaSSa de tomate das melhores qualidades em Litas de l libra a 700 rs., em 50O
rs,, e em potes de vidra a 700 rs. cada um.
Bolachinha Cracknel em tu com a aie libras* 2? 500 4*500 e.400
BalaiOS frail CeEeS de diversos taroanhos da 320 a GOO rs. os maiores e mar ca
para meoinos a 80 ra. cada um.
** /eiaaS chegadas ltimamente a 320 rs. a libia.
Sardinhasde Nantes4oo rs. a lata.
AceitC dOCe refinado a9 a caixa e SOO rs. agarrafa,
Al'rcZ 9m saceos de 5 arrobas do vermolho a 29500.
LlCOre os mais finos que ha no mercado a 1 agarrafa a 10 aduiia, taaebea tema
para menos.
Alim dos gneros annunciados encontrar o raspeilavel publico tudo qaa fot perteooea-
te a estas estabelacimantos. Os proprietariosseianlificam que astea precos so sarvLaaro para aquel-
los Snrs. que mandirem seu competente importa a todoa os domis bogete*fe \xao taran da rajai*
tar-se palos praeos acostumados, salvo aquellas da flm da man
macarrao a 280 rs, e aletria a 320 rs.
sacinhos a 200 rs.
a liso muito superior a 4*000 a resma;
\
>
'.
MUTILADO


iAIUO BE PKB-U-MJCQ a. SEXTA IIUU 1 DI iGOSTO DB 188
ti
Enfeites para senhora.
Oa melborea enfeltea pretos do Ores que ap-
parece 59500, 6* 6|500 : na loja da Victon.,
na ra do Queimado n. 75.
Caixinhas e cabazes para
as meninas trazerem
no braco.
Haito lindas caixinhaa eaaaxea para meninas,
da 100 rli at 29500: na loja da Victoria, na na
do Queimado n. 75. _^_______
Franjas pretas com t-
drilho e sem elle.
Ricos lortimeotoa de franjas pretas e de cores
com vidrilho e sena elle : na loja da Victoria, na
rea do Queimsdo n. 75.
Sebo 4b Porto
em caixas (Je urna arroba ; na
ruadoVigario n. 9, primeiro
*iid-r.
I Acaba de|
inhasde peso yerda-
deiras..
Llnhas dais de peso verdadelras. meadas
grandes a 140 ria : na loja da Victoria, na ra
do Queimado b. 75.
Phosphoros de seguran^
Phosphoroi de seguranza, por que livra de in-
cendio, a 160 ria a caixa : na loja da Victoria,
na rea do Queimado n. 75.
Baleias para vestidos.
Btelas muito grandes e boas a 160 res ama
na loja da Victoria, na ra do Queimado n. 75.
I chegar ao novo |
g armazem
I
8
1
DI
Liuha de croxel para la-
byrintho-
As melhores liohas de croxel para labyrintho,
novellos moostros a 320ria um : na loja da Vic-
toria, na ru do Qaeimado o. 75.
Sinios dourados para se-
nhoras.
LindVa sintos dourados par senhoras a 29200,
ditos de ponta cnida a 19, ditos de fita a 19600:
na loja da Victoria, na ra do Queimado n. 75.
Ricos espelhos de
moldura dourada pars
salas.
Chegou para a loja da Victoria urna peqaena
porcao de ricos espelhos de varios tamanbes para
ornamentos de salas, aftlancando-se seretn o
melhores em vidros que tem rindo : na loja da
Victoria, na ra do Queimado n. 75.
La para bordar,
La tr.aito boa de todas as cores para bordar, a
79 a libra : na loja da Victoria, na raa do Quei-
mado o. 75.
Liohas do gaz,
Caixlnhas com 50 novellos de liohas muito fi-
nas do gaz a 900 ris a caixa, ditas com 30 no-
vellos a 700 ris, ditas com 10 novellos grandes
a 700 ris, brancas epretas: na loja da Victoria,
na ra do Queimado n. 75.
Arara vende os palitos.
Vendem-se masaos de palitos finos com 20
massinhos, por 200 rs.; na ra da Imperatriz,
oja da arara n. 56.________________________
* Bastos & Reg
Na raa Nova junto a Conceic
dos Militares n. 47.
Um grande e variad* aortimante da
I roapas feitas, calcados e faxendaae todos g
I estes se tendera por precos multo modi- 1
T ficados como de sea coila me, assira co- m
I mo sejam sobrecasacos de superiores pan-
nos a casacos feitos pelos ltimos figuri-
nos a 169,189, 309 e a 359, peletota dos
Ritamos pannos preto a 16$, \S$, 109 e
a 149, ditos d case mira de sor mesclado
ede novoa pidroes a 149.169, 189. 209
e a 149, ditos de case-mira de cor mes-
ciado e de novos padroes a 142,16g, 189,
209 o 2(f, ditos saceos das mesmas ca-
semiras de corees 99, 109, 129 HSi
ditos pretos pelo diminuto preco de 89,
109 e 129, ditos de sarja de seda a so-
brecasacados a 12|, ditos de merino de
cordo a 1*9, ditos de merino chines da
apurado gotlo a 159, ditoa de alpaca
preta a 7g. 89, 99 e 109, ditos saceos
pretos a 49, ditos de palha de seda fa-
ada muito superior a 49500, ditos de
brim pardo e de fusilo a 39500, 49 e a
49500, ditos de faslao braoco a 49, gran-
de quantidade de calcas de caaeroirs pre-
ta e de corea a 79, 89,95 e a 10J, ditas
parias a 39 e a 49, ditas de brim de co-
rea finas a 28500, 38, 39500 e a 4g, ditas
de brim brancos finas a 4$5C0, 59, 5g500
e a 69, ditas de brim lona a 59 e a 69,
colletes da gorguro preto e de cores a
59 e a 69. ditos de casemira de cor e pre-
tos a 49500 e a 5$, ditos de fustao branco
e de brim a 89 e a 39500, ditos de brim
lona a 49, ditoa de merino pars luto a 49
a a 49500, calcas de merio para luto a
495OO e a 59, tapas de borracha a 99OOO.
Para meninos de loios os tmannos : al-
en de casemira preta e de cor a 59,69 e
73, ditas ditas de brim a 2$, 3g e a 39500,
paletn aaccosde casemira pela a 69 e
a 79 ditoa de cor a 69 e a 79, di-
tos de alpaca a 39, sobrecasacos de pan-
no preto a 129 e a 149, ditos de alpaca
preta a 59, bonete para menino de todas
as qualidades, camisas psra meninos da
todos os tamanhos, meios ricos ve tidos
de cimbris feitos para meoinas de 5 a
8 unos com cinco babadoa lisos a Bf e
a 129, ditos de gorguro de cor e de la
a 59 e a 69, ditos de brim a 39, ditos de
embraia ricamenteborbados psra bapti-
sados a multas outras fazendas e roapas
feitas que deixam de ser mencionadas
pela sua grande qeantldade ; assim como
recebe-se toda e qualquer encommenda
de roapas para se manjar manufacturar
e que para este fim temos um completo I
sortimemo da fazendis degusto e urna
grande offkiua de alfalate dirigida por um Jg
hbil mestre que pela sus promptidio a O
perfoico nada delxa a desejar. $>
Rival sem
igual.
RA LARGA DO ROSARIO N. 36.
Enfeites
pretoa e de eores muito bona a 59.
Sintos.
Siotoa donrados a I96OO e 39
Ditoa tai da vellndu a Avalla da ac a 19500.
Tesouras linas
com pequeo toque deferrugem a 400 rs.
Ditas limpas muito booitaaa 800 r.
Ditas ordinarias a 30. 60, 120 e 240 rs.
Escovas.
Psra limpar unhss a 320 e 500 rs.
Ditas para cabello a 800 e If.
Ditas para roupaa a 400, 800, 1} e 19200.
Meias.
Para aanboras a 2J400 a duiia.
Ditas psrs bomem a 99400,2;60 e 39500;
Flores.
TUmoa da flores artificiaos a If t) 19200.
Colheies
de metal proprias psra o diario a 13200 a duzia.
Ditas de metal principe a4J500a duii.
Ditas ditas ditas para cha a 29400 a duiia.
Botoes
para punho muito bees a 120 e 160 rs.
Libras sterlinas.
Vendem-se no escriptorio de Manoal Ignacio
da Oliveira Filho : no largo do Corpo Santo
n. 19.
Tendem-s caixes .-**-
sios, proprios para funileiro
e bahuleiro, a 1280 cada um :
gesta typographia se dir.
Vende-se ama machina de coser toda a
qualidado de costura, tem muito poaco uso,
veade-se por preciso, por isso d-se em conts :
o* das Aguas Verdes o. 14, sobrado.
Para doces seceos,
Vendem-se maito bonitas caiiinhas redondas,
de msdaira, do diversos tamanhos, forradas de
papis de cores, muito unas, propriss nica-
mente para doces seceos de qualquer qualidade,
pelo barato preco de 4, 5 e 69 a duzia : na ra
do Queimado, na bem conheeida loja da miade-
sas da boa fama n. 35.
Para S, Joo e S. Pedro.
Veddem-se caiiinhas com grande porcio de
amendoaa coofeitadas, a alguna confeitos pro-
prios para o festejo de S. Juo e S. Pedro, pelo
bsrato preco de 800 rs. esda urna : na ra do
Queimado, na bem conheeida loja da miudezas
da boa fama n. 35.
Para baptisados.
A loja d'agua branca acaba de receber pelo ul-
timo vapor a sua encommenda dos segaintes ob-
jectos pars baplisados, sendo lindas touquiohss
de selim mu bem enfeitadas, e esda urna em
sua caixioha, sapatiohos de setim branco, e de
cores ricamente bordados, e meias de seda, o
melhor e aaaia bonito possivel. Agora, pois, os
psi9 qua nao quizerem eaperar pela generosida-
de das senhoras comadres, dirigirem-se logo
munidos de dinheiro loja d'tguia branca, ra
do Queimado n. 16, onde bem poderao comprar
esses galantes objeclos.
Fazendas pretas
superiores.
Grosdenaple preto muito superior palo dimi-
nuto preco de 29 o corado, panno preto muito fi-
no a 3, 4, 5, 6, 7 e M o covado, casemira preta
muito fina a 2$, 29500, 3, 39500 o 49 o covado,
mantas pretas de blonda muito superiores a 129,
manteletes de superiores grosdenaples pretos ri-
camente bordados a 359, sobrecasacaa da panno
preto muito fino s 309, casacaa tambera de panns
preto muito fino a 309, paletots de panno preto
fino a 18 e 209, ditos de casemira de cor mes-
ciada a I89, superiores gravatinhas estreitss a
19, ditssde selim maco ede gorguro muito su-
periores para duas voltas a 29, ditas estreitinbsi
com lindos alfinetes a 29, superior gorguro pre-
to para colletes c 49 o corte, ricoa afeites pretos
69, e assim outras mnitas fizendas que sendo 1
dinbeiro i vista, vendem-se por presos muito ba-
ratos : na ra do Queimado n. 22. oa bem conhe-
eida loja da boa f.
Chapeos de sol
com bouquet para senhora.
Entre os muitos e diversos objeclos de goitoe
phsntssis que a loja da aguia branca ha recebido
sobresaliera esses delicadoa e osimos cha-
peas de sol com boaqnets. Iloje que os indis-
pensareis baldes d3o permittem que as senhoras
sndem de brsco, fez-se de certo necesssrio que
cada urna tenha o seu chspo da sol, que este
corresponda ao valor, e bom gosto de um rico
vestido de seda. E' por isso que dita loja aca-
ba de receber como por amostra urna pequea
quaotldade desses bellos chapeos de sol ornados
de finas flores o que entre na novissimo. Na
verdsde elles se toroam agradavaia ees olhoa de
todoz, e s senhora qe oa comprar pode orgu-
Ibsr-se de seu bom goito, so contemplar que
tratendo-o fechado figura-ae-lbe um lindo bou-
quet, e aberto represenla-se abrigada em ums
carregsda roseira, emfim at onde pode aho-
gar a perfeicao meimo o eume ao bom gosto.
S pena que vieseem to poucot que talvez
nao cheguem para a vigsima parle das pretn-
danles. Cuita cada um 209 purera a senhora
que os rir nao exitara de os dar anda mesmo
que seja preciso bulir n'aquellas moedas de pra-
la que tem guardadas em sus bolsioha reservada.
Assim pois mandera quanto antes compra-loa na
ra do Queimado loja da aguia branca n. 16.
VGENCfttV
DA
Fuodicao Low-Noor,
Boa da Senzalla Nova n.48.
Nato estbales imento continua a haverum
completo sorlimento do moondas o meias moen-
das para aagenho, machinas da vapor e taixas
da farro batido a coado da todos os tamanho
para dito,
Superior vinho do Collares
Esta excellente pinga que tem sido apreciada
por todoa vende-ie em barris de quinto : na ar-
maiem da ra do Vigao n. 7.
Roa de Crespo n 7, no
gallo vigilante.
Naata nova loja ha grande porco d caiiinhas
com amendoas proprias pira brinque-do de S.
rJoaoqaeae vende pelo barato preco de 800 rs.
cada urna qnem deixar de dar a urna menina
urna caixinba ; tambera tem grande porco ds
caiaa propriaa para doces secos que vende con-
forme seua tamanhos a 69, 59 e a 49 a duzia,
mendoaa avulass a 800 e 640 rs. a libra : s no
vigilante raa do Crespo n. 7i
Manguitos com gollinhas.
Vende-se manguitos com gollinhas, fazeodi
muito boa, pelo bsrato preco de $000, gollinhas
e puobos ultimo gosto a 29000, gollinhas muito
fiuas e bem bordadas a 1(000 cada urna na rus
lo Queimado loja da miudezas da Bos fama,
n. 35.
Camisas bordadas eoutros ob-
jectosi necessarios para
senhoras.
Na loja da aguia branca acha-ae am bello sor-
limento de bonitas cainiainbas de Dos cambraia
com babadinhos e mui bonitos bordados de no-
vos e delicadoa desechos, as quaes servera mui
bem para os modernos vestidos de frente aberta
e vendem-se pelo diminuto preco de 39 cada
ama ; assim como bonitos manguitos a balo com
gollinhas de superior umbrala e tilo e todos bor-
dados, com punhos virados e esda prpelo ba-
ratisaimo preco de 25. o que admiravel avista
ds superioridadeda obra, e bem isiim punhos e
gollinhas tambem bordados com bonitos botdes
s 29 a gearnico, e golliohas aoltia igualmente
bem bordadas a lacada urna e manguitos a 800
rs. o par. A vista pois de um to completo sor-
limento nenhuma senhora deixir de comprar
esses necessarios objeclos tanto mais quanto a
coromodidade dos mecos convida e psra que to-
doa sejam bem servidos coovem que maodem
logo comprar na luje da aguia brinca ra do
Queimado u. 16.
Tiras e ntremelos bordados.
Vende-ie pegas de tiras bordadas de 2,500.
3,000, 3,500 e 4,000 ntremelos a I96OO e 9000
cada pe;a na ra do Queimado loja de miudezas
da Boa fama, n. 35.
Boecas fraucezas.
Vende-se bonecas francezss ricamente vestidas
49OOO e 59OOO, e 2|000 bonecas de cera com os
olhos movedeos a 20000 e 39000, na ra do Quei-
mado leja de miudezas da Boa fama, n. 35.
Fivelas de ac para sintos.
Vende-aa fivelas de ac para sinto a l;50 rs. e
29OOO na ra do Queimado loja de miudezas
da Boa fama. n. 35.
Baleias.
Vende-se baleias 120 rs. cada urna aspa de ac
para balo a 160 rs. a vara, bandes a 19500 rs. e
29OO o par, na ra do Queimado loja de miudezas
da Boa fama, n. 35.
IOTIi!
NO
Torrador.
%%-Largo do Tergoii
Mantelga inglea flor > 800 a 960 rs. a libra,
dita franceza a 640 rs., bsnha de porco a 400 rs.
a libra, massas muito finas para sopa a 400 rs. a
librs, queijos do reino s *29,ditosdo sartao a 560
rs.a libra,se: veja das melhores marcas a 500 rs. a
garrafa, sardinhas de Nautes a 400 rs., loucioho
a 320 re., bolacbinba ingleza a 320 rs. a libra,
aisim como se vende outros muitos gneros bs-
ratissimos, passas a 400 rs. s libra, sao muilo
novas, e se alguem duvidar venha ver no Torra-
dor largo do Tergo n. 23.
Gramposabalo
com pendentes dourados.
A loja d'aguia branca contina ns recepeo de
objeclos do ultimo gosto, e por isso acaba de des-
pachar vindo pelo ultimo vapor esses delicados
e notissimos grampos de bonitas coree com pen-
dentes dourados o que de mais delicado se pode
encontrar. I Essa loja como geralmente sabido,
tem sempre\em vistas a commodidade de suaa
boas treguezias e por isso tem retolvido v-nder
esses galaotes enfeites a 59 e 3 o par, o que na
realidade muilo oais valem. L nvem peis que
a vista ds limilscao do prego a senhora que com-
prar um ou mtis pares, nao se demore em par-
ticipar as suas boas vuithas e intimas amigas de
collegio, para que as erxutem no su apurado
gosto, e mandem logo comprsr outros pares na
loja de sua sffeico : que a d'aguia branca, ra
do Queimado n. 16.
Superiores atoalhaaos
adamascado.
Superiorea atoslbsdo adamascado com 8 pal-
mos de largura a 1(600 rs. a vara : na ra do
Queimado n. 23, na loja da boa f
Damasco para colxas- e para
ornamentos de igreja.
Vende-se muito superior damasco de l de
urna sd cor, muito proprio para colzas e para
ornamentos, com 6 palmos de largura pelo ba-
rato preco do 298OO rs. o covado : na raa do
Queimado n. 22, oa loja da boa f.
Perolas falcas
*
ou aljfar de ina quilidade.
A loja da aguia branca acaba de receber um
novo sorlimento de superior aljfar branco ou
perolas faifas o qual por sua perfeicao difficil-
mente se distingue das perolas verdadeiras e ser-
vem elles por sus extraordiasria grandaza para
as gargantillas que presentemente esto em mo-
da e mesmo para outros enfeites e como sempre
vendem-se commodsmente a 19, IgiOO e 1$500
o fio : isso oa ra do Queimado loja da aguia
branca n. 16.
Luvasde Jouvin.
Vende-se luvas de pellica de Jouvin brancas,
para senhora, ltimamente chegadas : na loja do
beija flor, rus do Queimado n. 63.______________
Luvas de seda.
Vende-se luvas de seds enfeitadas a IgOOO,
25000 e 29200, ditas fio de Escoisia brancas a rs.
700. ditas de cores 800 ris, ditas de algodo a
280 ris ; na loja do beija flor, rea do Queimado
numero 63.___________________^^^^^^^
Escovas.
Vende-se escovas para deots finas de diversas
qualidades a 120, 160. 320. 400 e 500 ris : ns
loja do beija-flor, ra do Queimado n. 63.
Verdadeira pecbincha.
Vendem-se cortes de superior gorguro de se-
da psra colletes pelo baratissimo preco de 19,
29 e 39 o cotte : na ra do Queimado d. 22, na
bem conheeida loja da boa f.
fc*ara os tal>Mqui_tas0
Lencos muit finos a imitaco dos de linho de
muito bonitos padroes e de cores fizas muito
proprios para as peesoasque tomam tabaco, pelo
barato preco de 49800 e 59500 a duzia : na raa
doOueimodo n. 22, na bem conheeida loja da
boa f.
Grande sorlimento de
camas de ferro pira ama a daaa pessoas, ditas
pequeas para crianzas e bergos, tanto de ferro
batido como fundido, dos mais lindos modelos e
ludo se venrte por um prego muito em couia :
na ra da Imperi-iM* d.75.
A loja da 8guia
branca ra do Queimado n. 16
Acaba de receber os precisos objectos seguin-
lea:
Aipss de balis grandes e pequeas.
Fita com colxetes branca, parda e preta.
Dita de la para debruar vestidos de cores.
Irencinha de caracol miado conheeida por
tom.
Alfinetes pretos e brancos em caiiinhas.
Agulhss imperiies fundo dourado.
Ditas victoria em caiiinhas a papis.
Retroz preto fino em cirreteis grandes;
"T"~
bom
Eugeoho.
Vendem-se duas partes perlencentea a dous
herdeiros da propredsde Machado, em que est
levantado o engenho Ponteble, junto a estago
de Gamcleira, e muilo boas trras a tratar no
engenho Braco do Meio, com Gamillo Francisco
de Lyra Cavalcanli ou nests cidade com Antonio
Gomes da Cenha e Silva : na ra da Cadeia do
Recife, n. 50.
Cascariibas de seda.
Vende-aa cascarrilhaa da seda para enfeitar
vestidos a 29000 a peca na ra do Queimado
loja de miudezas, n. 35.
Meias de l)orrach\
Vende-se meias de borracha para quem padece
de erysipela a 159000 o par, meias de seda preta
pars senhora a 1(000 o par oa ra do Queimado
loja de miudezas da Boa fama, n. 35.
A 2,$5u,so pavo.
Vendem-se cortes de cambraia brsnca com 2 a
3 babados a 29500, ditoa de tarlatana brancos'e
da cores, com barras e babados a 39: na ra
da Imperstrix n. 60, loja e armazem do pavo de
Gama Silva.
barateiro que est
queimando.
nde-se maoteiga ingleza de superior qaali-
a 720 e 800 rs. a libra, dita franceza a 640
ra. a libra, cha hysom muito superior qua-
a 29880 e 3$200 a libra, toucioho de Lis-
uiiu auperior a 320 rs. a libra, arroz a 120
a libra, aletria 320 e 400 rs. muito superior,
macaifo a 320 a 360 a libra, vioegra da Lisboa
muil superior a 320 e 360 rs. a garrafa, arroz do
Mar4 ho a 120 e 140 a libra, azeite doce de Lis-
boa de primeira qualidade a 750 e 800 rs. a gar-
rafa, dito de carrapalo a 360 a garrafa, charutos
varetas muito finos a 20 rs. fazendo-se dillerenca
em caixa vinhos muilo superiores 560 ,
a 640 e 800 ra. a garrafa, e oulroa muitos mais
gneros, que avista dos compradores se venda-
rao por menos do que em outra qualquer parte :
na ra do Nogueira n. 49.
Perfumaras muito unas e
baratas.
Opiata ingleza a 19500 rs, dila franceza a 500
rs., 640, I9OOO, oleo da sociedsde hygieniqae
verdadeiro a 19CO0 o frasco, oleo babosa de Piver
verdadeiro a 800 rs. o frasco, sgus balssmica
para oa deolea a 19000, dita de Botot tambem
para oa dentea a 1$000 o frasco, pomada france-
za em paos a 500 rs. e 19U00, 320 rs. sabooetes
muito fino a 640 rs., 800 rs. e I9OOO esda um na
raa do Qaeimado loja de miudezas da Boa fama,
n. 35.
Superior cado Lisboa.
Vende-se superior cal de Lisboa chegada lti-
mamente, por precos muito msis commodos do
que em outra qualquer parte : no amigo e acre-
ditado deposito da ru do Brum n. 66.
Jogo de domin.
Vende-se jogo de domin finos a 1S200 : na
loja do beija-flor, ra do Queimado n. 63.
Botes para punho.
Vende-se botdes de punho finos de diversas
qualidades a 200 rcis o par. que tambem servem
para manguitos de senhora : na loja do beija flor
ra do Queimado n. 63.
Occulos.
Vende-se occulos finos de armaco de
29, 19. 610 e400 ris : loja do beija flor,
Queimado o. 63.
raa do
Ricos sintos dourados.
Vende-se sintos dourados a 29, ditos de fita
com fivella dourada a I95OO : loja do beija flor,
raa do Qaeimado n. 63.
Bramante de linho.
Vende-se muito superior bramante de linho
comduas varaa de largura proprio para lences,
pelo barato preco de 29400 rs. a vara: ns bem
conheeida loja da boa f, na ra do Queimado
11. 22________________________________________
Chumbo! chumbo!
Vende-se chumbo de mani;o sortido e de
diversos numeres, s retalbo ou em porcoas por
preco mais barato que era ontxa_parte : ra lar-
gs do Rosario n. 34. botica.
Batatas novas
Terco n. 23.
JUitC'ttaS .
60 rs. a libra
Urna cocheira impoi tan te a venda.
Na rus do Imperador n. 12 existe urna co-
cheira que pela sus posigo e commodidade a
melhor desta cidade, com a qual se faz todo o
negocio ou com cavalos e carros todoa novos ou
f em elles, e a mesma se acha livre de impostos
atrasados; tambem se inclue no mesmo negocio
com permissao de seu dono a melhor vacua tou-
rina que lera vindo a esta trra ; a tratar na dita
cass a qualquer hora.
Attencao.
Vende-se urna forge de ferreiro com todos os
pertencentes a mesma arte; quem precisar, diri
ja-sea ra da Prsia n. 58, que achtr com quem
tratar.
no largo do
Vende-se pixe para fabrico de ombarcites
a 100 rs. s libra : na ra da Concordia n. 75, ar-
mazem iie Manuel Firmioo Ferreira.
Enfeites para cabeca.
Venda-se requisamos enfeites para cabeca com
franja, e sem ella pelo baratissimo preco de 5|
e 5S0U0, diios da vidrilnos a I96OO ; na loja do
beija flor, ra do Queimado o. 63.
Carteiras.
Vende-se ricas earteiraa psra guardar dinheiro
de ouro e prata a 29000, 2500, 19000, ig280 e
19500 '. aa loja do beija flor : ra do Queimado
numera (3.
lucos casquines
A loja da boa f recebeu superiores bssquines
de multo fina cambraia a imiucao da de linho,
bordados a eufeitados com apurado gosto e os
vende pelo barato preco de 89 cada um, lendo
sido sempre aeu casto de 16$ e 209, spressem-se
pois em compra-Ios na meocionada loja da boa
f, na ra do Qaeimado n. 22.
Gandieiros do gaz.
Cbegou para a loja da Victoria os melhores
candieiroa do gaz, que tem vindo ao mercado,
por pr*os commodoa : na ra do Queimado
n. 51
Ra da Senzalla Nova n. 42
Veade-se em casa da S. P. Jonhston & C,
mIIob silhoes inglazos, caodieiros e castigaos
bronzeados, lonas ioglezas, fo de vela, chicotes
pa:a carros e montara, arreios para carros de
una a dous cavalos, e relogios do onro patente
ingles.
Potassa da Mussia.
Vende-se em casa de N. O. Bieber &
jC-, $ucceore$, ra da Cruz n. *.
Milho a 2,500
e a 3.000 o sacco
Vende-se na ra da Moeda n. 47.
Milho a 3,000 sac-
eos de 22 cuias.
Ra da Madre de Deoa o. 12.
Vendem-se saceos com leijo traoinbo che-
gado boje no vapor ejaguaribe a 69 e tambem
seretalba a 320 rs. a cuia : no Forte do Mattos
rus do Cordoniz taberna n. 4.
VeoUe-s* a afamada taberna para (azar ne-
gocio, sita nos Quatro Cantos da cidade de Olio-
da, por seu dono nao poder continuar por falta
de saude : a pessoa que quizer fszer este nego-
cio, dirijs-se a mtsma taberna, que achara com
quem tratar.
yy_
VENDA
A. J. de Mello tem dividido o aeu sitio da Paa-
sagem da Magdalena entre as duas pootes, o qual
tem na frente, entre estas, duzentos palmos, e ns
outra frente de sal norte quinhenlos palmos,
olbando esta para o nsseente. Esta superficie,
ediflcando-se em ambas as frentes, contem deze-
seis lotes de trinta pslmoa de frente e duieoloa
de fundo, e sobram alguna palmos ; e dando se
a cade lote menos frente e fundo, como cabl-
ee!, crescem os lotes, e por conseguate os pre-
dios que se queiram edificar. Urna frente de
quinhentos palmos olbando para onascente, fres-
ca A larde, com dous portes, o do Rio, e o da
Cambda bastante perto, sao vantagena que se nao
encontraos em outra algama parte. Est mura-
do quasi todo, com porto de ferro e grsdaiia,
casa pequea, mas commoda, que precisa concer-
t. Faz-se todo o negocio com o total sitio, ou
com alguna lotes, e recebe-ae at algum predio
por conta. Se algum capital dos perdidos na com-
mandita se tivesse empregado na compra e edi-
licacao desles terrenos (tantas vezes annuncis-
doa} os compradores eitariam boje gozando de
ama renda e csnlaodo gloriaa com oa aeua capi-
aets seguros.
Cal e potassa.
Vendem-se estes dous ar-
tigos ltimamente chegados,
no bem conhecido e acredita-
do deposito da ra da Cadeia
do Recife n. 12, mais barato
do que em outra qualquer
parte.
Esera^Os fagito;.
Pags-se generosamente s quem appreben-
der e levar Porto Cairo, em Alagoas, a entre-
gar ao Dr. Uanoel Filipoe da Fonseca, os ecra-
ros Fideles, Quirioo e Mara, que no dia 16 do
correnlo mez de julho fudram do eogeiih) Ligda
Redonda. Fleles de estatura regular, secce e
de olhos vermelhos, e irmao da Quirino, que
alto, secco e desdentado. Maris baix<, secca,
tem os peilos grandes, os ps ipalhetados e mer-
ca de ferro de pescoco, foi comprada nesi< mes-
ma cidade do Recife, pars onde se suppoe terem
rindo todos tres. Recommenda-se a pede-se
tambem polica a captura desses escraros que
piTlenc. m ao referido dootor.
Fugio da caa do a^aixo atsigoado, a cinco
semsnas, pouco mais oa menos, um nscravo de
norte Jnaquim, r,serio Angola, cor preta, putha
bastante por orna peroa, baixo e grosso, com 45
annos de iiade, lerou calca e camisa dealgodao-
inho, chapeo de cops alto j velbo, julga se que
ande por Santo Amaro da libocto, e por isso
pede se a todas as pessoas que o pegar o levem
casa de sea senbor na ra da Prsia n. 31, Re-
cife, que ser generosamente recompensado.
Manoel Joaquim da Costa Fiitu<-i>d*.
Fugio oo poiier do abaixo sssignaco o ea-
cravo Jcao, de necio, maior de 40 annos, que ba
pouco veio do Rio de Janeiro, e que andar no
ganho, com os signaes seguintes : estatura regu-
lar, olhoa avermelhsdos, secco do corpo, com am
joelho luchado e um pouco cmbalo. Foi com-
prado ao Sr. Jos Paulo do Reg Brrelo, no
Cabo, que o comprou a urna senhora do erigoho
da Sernnha ; presume-se indar vagueando, e
julga-se que todas as ooites vem ao Recife ;
ladino e tam a voz um pouco rouquenha ; izem
que tem Ulhos no Cabo. Recommenda-s esta
escravo aos senhores capites de campe e as au-
toridades policiaes, e qaem o irouxer ao seu se-
nhor na ra da Cruz do Recife n. 33 sei recom-
pensado.
Dominos R. de Andrade.
Para nuivas.
Bolinas de selim braoco, chegadas de novo, as-
sim como perfamiriaa das mais finas que tem
vindo : na lojs do vapor ra Nnra n. 7.
Escrava fgida.
Vende-se una escrava.
Vende-se urna mulata de 16 annos, pouco mais
ou menos, bonita figura, sem defelto algum, e
tem muito bona principios de cozer, engommar i
e cozinhar : trata-se na ra do QueiL '.do n. 46,
loja.
Novidades da chava, da
Arara,
Fazenda com avaria da chuva para os
freguezes da Arara,
RA DA IMPERATRIZ N. 56.
Vende-se cortes de casia de babados s 1;t>00,
2^000, e 2&500 o corte, pessas de cmbrelas de
salpiquiohoscom 8 1(2 varas a 23500, lencos
brancos finos a 200 cada am, ditos de cores a
80 ra., ditos para rap a 120, e 160 rs. rs. cada
na raa da ImperatJiz, luja e armazem da
Do engenho Sani'Aana, uu da 25 de julbo
correte, fugio urna escrava mulata, de corte
Simplicia, idade 25 a 30 annos pouco mais oa
menos com os sigues seguintes : alta, ebeia do
corpo, rosto redondo, com urna cicatriz era um
dos lados do queixo inferior, maos grandes, pea
regulares, cabello csrapiobo, cosluma andar cal-
Cada e dada a beber pelas tabernas, foi com-
prada ao Sr. Bernardino Domingues Moreira :
roga-se portanlo a todas as autoridades policiaes,
capites de campo e mais pessois qua della li-
verem coobecimento a hajam de aprehender e
levar ao pateo do Terco n. 44, so Sr capitio
Manoel Eleuterio do Reg Carros, que se recom-
pensar deeidamente.
Kst fagidu oenie l ao correte un / de ju-
lho, o escravo pardo, Ricardo, boleeiro e carro-
deelo"alVum" c,'r0 'em conhecido nesta praca e 'eus arre-
baldes ; reprsenla, ler 25 annos de idade, bai-
xo e magro, lera cabellos carapinh.os raspado de
pouco lempo oa cadeia, onda estere por causa
de estar fgido, tem pouca baiba efilta de denleo
na frente, rosto comprido e olhos redoodus ; lena
sido encontrado ni Capunga, e Olinda anda ra-
diando e jngaodo com mais de 20$ que lerou *
quem o apprehender e lersr a casa deseuseihos
na Passagem da Magdalena que ser generosa-
mente recompensado.
Antonio Valentim da Silva Barroca.
um
Arara, n. 56.
Machinas americanas.
Encasa de N. O. Bieber C., anecessores,
roa da Cruz n. 4, vendem-ae :
Machinas para regar hortas e eapim.
Dilas para descansar milho.
Oitaa psra cortar capim.
Selina com perteoces a 109 e 209.
Obras de metal principe prateadas.
Alcatrao da Saeeia.
Veroiz de alcatrao para navios.
Salsa parrilhade primeira qualidade do Par.
Vinho Xerez de 1836 em caixaa de 1 duzia;
Cognac em caixas de 1 duiia.
Aradoa e gradea.
Brilhantes.
Carrocas pequeas.
Rosas artifciaes para cabello:
A. L. B. F. tendo recebido um variado sorli-
mento de bonitas rons que se esto usando para
eabelloe, a depannoa com folha de velludo, ditas
do papel toda a, aa msia ricas que se pode encon-
trar vende-ae na ra do Qaeimado n. 63, loja
do beija flor.
das seis portas em trente do
Livramento. 15,20,30 e 40
arcos.
Grande sortimento de ssiss a bal&o de arcos,
oa melhores que aqui tem apparecido no merca-
do a 49500, 59, 6g e 69500 cada am, d-se para
amostra com penhor ; a loja eati aberta at ai 9
horas da noiie.
Superior brim branco de
linho
Vende-se auperior brim braoco da Kobo tran-
cado pelo bartlistimo preco de 19200, 19440 e
ljjf:00a vara, dito muito eneorpado de dous iios
a de linho puro a Sf a vara : na ra do Queima-
do o. 22, na bem conheeida loja da boa f.
A _:,4u_ rs. a tiuzia.
Lencos brancos finos para algibeira pelo dimi-
nuto preco de29400 rs. a dalia : na bem conhe-
eida loja da boa f, na ra do Qaaimado n. 22
Caiubraias de cores
Veodem-aa cambraiaa francezss de c6rea fa-
zenda muito fina pelo baratissimo preco de 260
e 280 rs. o covado : na loja da boa f na rea do
Queimado n. 22.
Acha-se venoa no escriptorio de Antonl
Luizde Olireira Azaredo C, rus da Cruz n. 1
a obrs escripta pelo viscoode de Urogaay.Enssio
Sobre o Direito Administrativo; deixsmos de te-
cer elogios a esta obrs, basta o nome de aeu au-
tor para i tornar recommeodads. dos volumes
em brochara 109, encadenado 12$.
A verdadeira esseucia de ail
para engommado.
Acaba de chegar para
a do Queimado n. 16.
a loja d'aguia branca,
Para lulo.
Pumoa de seda elsticos para chapeos largoa e
estreitos a 19500 : na raa do Queimado n. 22,
na loja da boa f.
Algodo de 2 larguras.
Vende-se superior algodo moosfo com 2 lar-
guras, proprio psra lanenes e toalbaa de mesa a
700 ra. a vara : na ra do Queimado D, 22, oa
bem conheeida loja d boa .
Acaba de chegar para a
loja d'aguia branca, ra do
Queimado n 16.
Pos de arroz com booeca em booltoa vaaoa dou-
rados.
Ditoa dito sem boneca em pacotes.
Agua balsmica psra conaervaco dos dentea e
bom hlito da bocea.
Opiata ingleza para alvejar ea denles.
Leite virginal cuja utilidade reconhecida para
tirar sardas.
Vinagre aromtico para quem solre de tonticas
e dor de ca"beca.
Pastilbas da chelro para aa perfumar apoaentoa.
Anda pechincha
Na ra do Crespo loja de
A portas n. 8.
Pecas de madapolao largo muito fino
com pequeo toque de a earia sendo fa
zenda limpa de 6$500 vende-se por 5#
a peca, ditas de dito mait baixo tam-
bem por 4-$5<>0. ^^_________
Fazendas sem defeito, da Arara.
Vende-se corita de chita finia com 12 l|2co-
vsdos a 295OO, ditoa de casia de cores a 29500,
ditoa preta a 29500, chales de merio estampados
s 295O, goliohas para senhoras a 500 rs., man-
guitos e golas de liubo a 2$000 ; ne ra da Im-
peratriz, loja da Arara, n. 56.
l'ugio ie caa o abaixo asugn.do o tru es-
cravo Eufrasio, preto, idade 35 anuos, esiura,
baixa, e Itm por signal um pequeo lobinho ci-
ma da sobrancelha, tem sido visto nesta cidtdo
pas ra Direita, aterro dos Affogsdos, poro'cao
desle nome, e pela Sol lade : quem o apprehen-
der leve-o a rus da Imperatriz n. 42, quesera
bem recompensado.
Manoel Alves Guerra.
Babadin da Arara.
Vende-se btbadin com listras de seds, fizenda
muito nova para vestido a 500 rs. o covado, dita
com palmas solas de seds, de largura de 4 1|2
palmos a 640 rs. o covado, lanzinha para restido
a 320 rs. o covsdo, dilas muito finaaa 500 e 640
ra. o covado ; na ra da Imperatriz, loja da A-
rara, n. 56.
Chitas da /* rara e casias.
Vende-ae chilaa a 160.180 e 200 rs. o covado,
ditas francezss a 220, 240 e 280 rs. o corado.
cassaa a turca 280 ra. o covado, cassasfrance-
zas a 280 e 300 rs. o cavado, ditas organdin a
320 rs. o covado ; ns ra da Imperatriz, loja e
armazem da Arar, n. 56.
Arara vende usto.
Vende-ae fusto de cores para vestido a 280 e
320 rs. o corado, lencos de seda escuros para
rap a I96OO. pesias de cambraias lisas a IgGOO,
29000, 235OO e 39OOO, maisos de pautes finos para
dentes a 200rs.; na ra da Imperatriz, loja da
Arara, n. 56. ___________________________
Fugio ue Olinua no _ez prximo possado
um escraro de nome Domingos, de Dacio, coro
os signaes seguintes : boa altura, secco do rorpo,
olhos vesgos, falla muilo submissa, principal-
mente quando est bebido, o que de cosume ;
lerou camisa de algodo listrado de azul aberta
oa frente, chapeo de pslha velho : quem o pe-
gar leve o ra de Santa Thereza em Oiinda,
segundo sobrado, que ser graliOcado com gtne-
roaida'i.___________________________________
200$ de grabcao
a quera pegar o pardo Francisco, de 17 annos
de idade, de boniu figura, com todoa ns denles,
Caballos csrapiohos e ruivos, este pardo foi do
Sr. Dr. Borgesda Fonseca, o qual viajoa com e
mesmo senhor todo o seno e subutbus desta
proviocis.necesiaiismente quando era sea es-
cravo, a talvez anda se inculqae a servio do
mesmo: queii o pegar queira entrega lo a sen
legitimo dono na ra do lloipirio n. 6.
Ignacio l.uiz de B'ito Tabnpia.
Madapolao da Arara.
Vende-se petsas de madapolao infeslsdo s 39,
ditas de 24 jardas a 4S400. 49600, 51000, 5500
e 69OOO. cobertores de algodo a IfOOO, dito de
(iralilicacao SUS.
O absixo issignado declara pelo presente an-
nuocio que em data de 18 do mez de julho cor-
rente, ausentou-se de seu poder o seu escravo
de nome Francisco, que de ordinario renhecf-
do por Francisco Pacheco, com os signaes seguin-
tes: altura regular, corpo retorcido, rosto re-
dondo, olbos acastanhados, nariz chalo, orelnas
pequeas, sem barba, bocea pequea, eabelloe ca-
g VeaOem-ae tachaa de ferro caado do autor
mais acreditado : na ru do B'um, armazem de
assucir de Jos ds Silva Loyo C.____________
. Venda-10 muilo boa letfie, caixa que tem
quasi urna arrobas 4$OOO.i6is; na ra da Im-
pera Iris loja d, 6.
pello a 95OO, roupa feita, palitos de psono pre- rapinbos ; levsndo em si esmisa branca de al-
to a 695OO e 89OOO, calca preta de czimira a
4S500 e 59500, seroulas de linbo a 19600 e 29000,
c.misas fraocezas a 136O e1$000; na ruada
Imperatriz, loja da Arara, n. 56.
Laazinhas muito linas
para \estidos.
Superiorea laazinhas para vestidos de muito
bonitos padroes que se rendem pelo baratissimo
preco de 440 rs. o covado na ra do Qaeima-
do d. 22, no lojs d boa f.
Vende-se milho americano em saccas da
110 libras, por 39: na ra do Amorlm armazem
de Gaimaraej & Alcoforado.
godaozinbo e calca de panno azul de algoiao, j
alguma couss trapilhs, cuio escravo Daiu Goiinns, e julga se ou ir*sme-se que ella re-
UMiou-se dentro deita mesma cidade. ou em al-
gum dos arrabaldes da niearr a, ou entao sKuiria
seu destino para Goianna, intitulando se por for-
ro ou liberto, seguiodo talrez para alli por trra
ou em alguma bticica ; notando-se que esae es-
cravo satas ladino: portanto recommenda-se)
3 todas autoridades policiaes, capites de campo
e ao registro do porto, que a terem conhecirresrfo
do dito escravo de o capturar e leva-lo a rraca
da Boa-Vista n. 22, ou entSo em seu sitio no Css-
po-Verde, que receberSo a gratiflccao sepprs,
aem perda de lempo.
Joaqun Ignacio Ribeiro Jonior.
*/
ai
mmmm
mmmmm
MUTILADO
*
'*- ..


8
DIARIO M'PEMUMBUCO ** SEXTA FIR1 1 DB AGOSTO 01 i86,.
------------
Litteratura

O vampiro do Vale da Graca.
CAPITULO VIL
[Cooliouago.)
Passemoi logo ao da seguate :
Eu eitava ainda muito alurdido pela avenlura
da vespera, e pensava em como se poderia ex-
plicar esle encontr de roademolsella Marlha com
o joven official, quaodo o doulor Kanali chamou-
me em particular, elevou m consigo para uaia
ra deserta do jardim. Eu receiava que elle vies-
so ai !a tillar-are de embalsamages. Nao foi
nada dalo.
Seohor Uorel, disse-me elle, Biaba mulher
coDtou-me, ao almogo, o que o aenhor e ella vi-
rara a uoute passada ; no jardim, declaro-lhe
qu quero a todo prego esclarecer este myslerio.
Failou-me de um joven otcial e de urna Jo-
Tea .. Porm ao acredlarei couia alguma sem
ouvi-lo.
Meu Deus! estou prompto adizer-lhe ludo
o que sei, aenhor doulor ; porm previno lbe ...
O doulor nao me deixou terminar.
lia aqu no hospital algum ofluial em tra-
tamento ?
Nenhum. O anno pesiado, por esle mts-
mo lempo, tiromos muitos porm desda ento... .
Eulo, o senhor furnia que nao ha aqui
neohim ? replico elle com voz inquieta e de
tta humor.
ABrmo-o.
E poderia elle entrar aqui as oceultas?
O aenhor sabe melhor qua ninguem, senhor
doutor, que nao entra aqui pessoa alguma sem
l'cenga..: Por astucia impossivel. Nos primei-
ros das de sua in9tallago nesls casa, o senhor
exacuinou comigo a altura dos muros, altura bas-
tante tranquillisadra ; e constato tambem todas
as outras impoiiibilidades maleriaes de se otro-
duzirem ... Se na poca nefausta em que esta-
mos, a soha relachase alguma coma dorante o
oia,como discutir com todos os visitadores que
(Quem aqui para verem aous parales ou amigos
doeal'.'s, com ttulos mais ou menos reaes que el-
las tero para entrarem aqui ?a noule desafio a
quem quer que saja a entrar aqui sem ser vislo
ou coohecido. Isto to impossivel como ludo
que ha impossivel no mundo.
perar
logo a
Seo offlcial ier, o senhor apreitnta-e
j Irl^eolio saber ...
J peoisi oeste meio muilo natural 6 fcil ;
porm receio recorreodo a elle ...
O que recela o senhor ?
Nao poder cooter-ma q jando me achar em
presenta di um bomem que nao sa lem portado
com lealdade, amando asaim miaha fllha aem se
nos a presentar primeiro, receio oesla explicago,
'undeforgosamente a moderago ser excluid,
contrariar, offender e matar a ternura de minha
fllha por este mancebo, e a esta troura que
eu deverei, asaim como sua me, sua volt) ines-
perada a vida ; aioda mais esta paixo seodo des-
truida por mim, pelo (acto previsto de urna vio-
lencia legitima, receio egualmente que minha
mulher perca o nico motivo qae tinba de nao
recelar erais que sua filha cuiiasse ainda ueste
mjaldito Cesar, cuja mort mesmo nao a traoquil-
lis|ou ... Oh I bem looge disto I .. O senhor co-
nhecesem duvlda as oplnioes estravagaotes ..
as crengas.....asauperitigoes... aa loucuras de
madama Kanali.... tudo isto voltra mais forte
que nanea ao seu espirito. Pois bom I este novo
amor de sua fllha foi um arco-iris apparecido no
meio da tempestide... desde hontem que est
eirameote calma, tranquilla e feliz...
Tornar a abrir nella eata fonte incommensora-
de terrores, seria um crime da minha parte,
urna abominavel crueldade ...
Entretanto, eu me aflastarei de lodos estes es-
crpulos, replicou o doutor, sobre lodos estes
reteios, assim preciso ... O que ba em tudo
iatb, aenhor Hotel f nao o adavioho, porm cor-
tamente ... eata aubita mudanza no corago de
mjoha fllha .... ser-me-ha explicada I O que eu
rou tentar perigoso ... eu domioar-me-hei...
porm verei este mancebo ... Seguirei o seu con-
selho, senhor Morel ... E3tarei no lugar em que
o senhor esleve hooUm.
E a mesms hora, acrescentei eu.
A mesma hora, repetiu o doutor.
4- E* ali I disseeu designando-lhe o fundo do
jardim.
Muilo bem at esta noute 1
O doutor deixou-me. Quaodo me achei s,
ioquletei-me, por motivos differeotes daquelles
do doutir Kanali, da preseoga do joven official
em nosso hospital, no meio da nonle, que como
o diasera o doutor nao cahira das nuveos no jar-
dim para adorar sua fllha.
lo
va
Porem que caminho luvia elle tomado ? Se
- Porm ento de que maneira explica a pre-1 nao me tivesse occorrido a idea de quo elle pode-
ria ler corrompido a fldelidade de um dos criados
da casa, coasa tornarse-na invarosimil para ser
admiltida. Quealionei a eite reapelto os portei-
Nao penan tambem asi toa ? aa^ppM>v
Sem duvila ; a meaos que Marta nao te-
cha tido outras raides para oceultar-nos o sea
amor.
Que oitrai razos teria ella, mea amigo,
para receiar de nossa parle a menor opposico a
seu casamento com um mancebo, do qual estar
certa, nada tera a corar ?
Nao as cooheco, porm.,.
Eolo para que pensas...
Nao obstante, ellas podem existir...
Eis o que eu neg.
Entao, dir-t-hei tambem ; para qae Mar-
lha dosconGa tanto de nos ?
Primelrameote pelo motivo queja te disse ;
dspois, meu amigo, as doozellas eomo que ne*
ceasitam desta discripgo... daala dissiroulago,
direi eu para dar aa amor o aroma vivificante do
receio e da ddr. E finalmente, pensa tambem nis-
to, Martha que amara (oucamente a Cessr, est
por assim dizer, envergonzada de dar logo a co
nbecer ama ostra paixo, oascida de hontem,
paixo, que ella te confiar, urna vez passada
esta vergonha, este pudor. Coa-prebendes agora
melbor ?
Sim, aim .. Nao importa, replico o doutor,
estou curioso, impaciente por ver aquella que
pode exlingotr um amor que a coosumia, e fszer
oascer mmedialameote outro em aeu coragc.
Como na noate precedente, brilhava a la de
junho. Toda a cidade jazia em aileocio. Nada
neste momento perturbava o aocego universal
espalhado sobre o velho arrabalde, espersramoa
o acootecimeeto.
Elle nao tardou 'a chegar, duas sombras dese-
nharam-se vagamente na extremidade da alleade
queja fallei.
Veio-me idea de que tendo seguido na vespe-
ra a allea em que estaramos, tomariam desta
vez a outra, acooselhei por tanto a Mr. e a ma-
dama Kanali, para irmos para a outra.
Elle seguiram mea parecer, passamos logo
para a allea visioha. Meu presentimenlo ver-
cou-se.
Vimos logo aa duas sombras entrarem na allea
que baviamos deixado, suspensas pelo brego urna me ten, nao consentirlas em seguir-me se te
Certamente*.9% ose isto, meat aaslgora-.
rm para onda me levar* t ^"
A' dous pasaos daqii, i casa de um da meas
prenles, de oo le escreveremoi a teu pao, que
estamos j bem longe.e que vamos partir para a
Raaaia ae elle ae obstina em recusar seu consen-
timinto.
Ouvea, coollnuou a dizer ao doutor madama
Kanali em voz baixa, aempra um romance.
Oh I nao. chara fllha, nao te roubarSo, sabirs
daqui em nossa companhia, casada com aquelie
que ama.
Ecomo meroubiri? replicou Martha. Nao
fcil sahir desta casa : de da mioba mae nao
me delxa, e noate a grade est fechada. Seria-
mos vislo, e ento...
Nao aeremos vistos, qaerida Martha, fuga-
remos do mesmo modo pelo qual eu tenho viu-
do. Por ventura j me viram entrar? Nao, e en-
tretanto ba cinco noeles que eu venho aqui.
Cioco noutes I diise eu comigo, e como ?
porm voltai logo a ouvir.
E como tena viudo, prosegu Martha, como
entras aqui estando a grade fechada 1
Nao m'o perguntes, respondeu elle.
Saltas os muros ? elles sao muilo altos.
Oh I nao I e como os saltanas para sabir
daqui ?
Diafargas-te, "e algum empregado da casa a
quem ters comprado, faz-te entrar por alguma
porta secreta ?
Nao comprei pesaos alguma.
Poim ento o diabo, disse rindo-se Mar-
Iba, o diabo quem le (licita os meloa de en-
trares aqui.
Ese nao fotse o diabo ?
Quem seria ento? disse Martha admi-
rada.
Nao me interrogues mais, querida Marlba,
responJeu e joven ollicial ; e nolei qae a partir
desta recommendago dirigida a Marlha, elle nao
cessou de enebugara fronti ; pareca um bo-
mem cujos ervos coolidos diicilmeote peloef-
feito da voolade, esto apoderadoa de um susto
interior, o suor innundava-o.
Nao, insistiu Martha, desejo muilo saber
como entraa aqui ootrte ?
S eu o dissesse, nao queras seguir-me.
E' impossivel I
Repito-te, que apezar de todo o amor que
tfMMk^ME
seoga do offidal a quem o senhor vu ? O senhor
viu-o, nao c verdade?
Oh I cerlamentc.
Como me esi vendo '!
Oh nao, lio de perto, nem em pleno da,
como o eslou vendo.
ros da casa. Nenhum delles em suas respostaa
deu-me motivos para a mais levo suspeita. Fol-
me preciso pois reuuociar por momento a toda a
iniogago com o Gm de explicar o phenomeno da
- Minha mo o teria feito entrar na chimera de '^*"??10 "!a,!i,c, d**'le bell official dareD-
euasallucinagoos. Ella tem urna imagio agSo bas-
tante extraordinaria para isto.
te a noite. Entretanto minha resigna^ sobre
este ponto nao foi tal que me permittsse flcar
ndifferente as circumstancia qus me trariam al-
- Madama Kanali pode apreciar moralmente ;gUD. indicio. Eslava to longe deata resoluco
ZllZir, rJZ?rlqr ; Prm W-*^ "*< ^or. Kanali e su. mu-
ae concedo a faculdade dme fazer ver urna pes
soa onda nao a ha.
Sera parecer inteiramenle convencido com o
que eu lhe disse, o doutor sempre muito agitado
epezar dos esforcos que faiia para nao parece-loj
disse-me: Amo muito s miaha fllha, admiti co-
mo sua mae que ella s lera eacolhido um bo-
mem digno della, porm considero como um de
ver ssber quem esle mancebo.
Esta prelencao de um pae parecer sem duvi-
da muilo razoavol ao olhoa de todos ; somenle o
doutor levou na manifestago da sua autoridade
inconteatavel, urna segunda tengio que mostrou
de repente neste momento da ooisa convorsagio,
aem todava mostrar-se ioleiramente. O que io-
culcava ala colera ? Que objecto de odio acba-
va-te nesta perlurbago ?
Eotrelanto, replicou elle, nao estamos em
urna casa encantada ; nao se desee aqui por bal-
loes?
E pois que esta caa semelhante a todas as
caas, existe um meio, certamente, de chegar a
deseobrir quem este bomem que o senhor viu.e
que tornar a ver, sem duvida...
Existe este meio, certamente, e o senhor
acaba eindica-lo.
Vejamos qual elle.
E' occullar-se no lugar em que eu e mada-
Iher, na seguiole noute, a emboscada armada ao
joven official no fundo do jardim.
A har convencionada, a meia noute, fui para
o lugar ajustado.
Nao era somonte a curiosidade, nem to
pouco o desejo de me tornar agradavel ao doutor
que me decida a misturar-me Dista aventura,
em que. rigorosamente, euoada tinha a fazer. Mi-
nha poiigo na casa, posigo j muilo intiga em
189, obrigava-me a seguir-lhe de perlo os mo-
vimentos aflm de nao poder rebeotar urna publi-
cidade sempre desagradavel.
Mr. Kanali e sua mulher oceupavam j o lugar
que eu lhes tinha designado. A pbisionomia do
doutor eatava sombra e Inquieta como eu a vira
pela manha, entreunto que sua mulher eslava
aioda mais radiante de alegra, se possivel, do
quena noite precedente. Assim que ella me viu,
apressou-se a dizer-me que reapondi*. agora pela
laude e xislencia de sua filha, a qual ella tea-
cionava dizer, depois da sorpreza que ella e o
doutor iam causar-lhe, quanlo ella havia obrado
mal em nao ioatruir seus pass de aua nova a-
feigo.
Elles eram muito ricos para nao recasar-lha o
direito de escolher um marido do modesta posi-
go, se todava era a mediocridade daquelle a
quem ella amava quem causara o aileocio abso-
luto que ella conservara em tudo isto ;e dirigi-
me Kmsli esti vemos hontem a meia noute, ees- do-se ao doutor, disse :
FOLISETM
O
POR
IIENRY CONSCIENCE
com o amor que ts tem saber resistir enrgica-
mente, se preciso for, vontade de seu pae. A
lula talvez se prolongue por algum tempo, e lhe
custe aneamo alguotas logrimas; roas della sahi-
r victoriosa. J tregas asaim ao de*epero. Nao ba duvida de
que a mudaoga imprevista realissda na tua posi-
go sorprender, e indiapor o Sr. Kemenaer con-
tra ti: se lhe fosse dado seguir o seu impulso fe-
chara certamente a sua porta ao poeta desbor-
dado e pobre, como dizes ; porm a fiel a cora-
josa Laura ha de conjurar esse primeiro movi-
meoto. Nao teos o direito de sospeitar de tua
oobre amante aotes de ver o que ella faz : espera
com cooflaoga o futuro prometi ainda ser fe-
liz e risonbo.
Oxal que digaa a verdade : exclamou o man-
cebo apertaodo com recoohecimento a mo de
seu imigo. Ento bemdirei do cu pelo que me
succeder I Sim, Conrado, acredita: o diobeiro
de meu lio nao me deixaria tranquillo, ao con-
trario encher me-bia o corago de remnos. Tu
da outra, depois assentaram-se sobre o banco em
que estiveramos, lagar feito expressamante pira
amantes.
O acaso qaiz que o joven official nos deiso as
costas, emquaoto que mademoisella Marlba col-
locara-se de modo que rros mostrava todo o seu
rosto, o que me permittiu constatar, como o dis-
aera aua ms, que mudaoga feliz tua nova pai-
xo fuera em toda sua pessea.
Nunca a vi to bella, nada mis encantador de
con tem pa r-ae neala radiola noute, do que aeu de-
licado rosto.
CAPITULO XIII.
Ento, dizia o joven official o Martha, aere-
ditas firmemente que teu pae nao me conceder
a tua mo ?. .
Eatou cerla diito, pelo aeu carcter, or
aua ambigo, e Analmente por tudo o que nell
exiite.
Bem v!.. disse muito baixo mad
nalia seu marido, bem vii que eu tinha
Martha est certa que nao consentirs em
mo a um simples official que proravelme
possue mais que urna espada.
Oagamos, respondeu o doutor,
com um gesto agitado a sombra reflexlo de>ua
mulher.
Por favor ougamos... \'
Neite caso, querida Martha, que se cu 'ra
mea projeclo. A
E qual esle projecto, meu amigo, eitp pro-
jecto em que me fallastes. noute passade^e no
qual pensei todo o dia ?
Um projecto muito antfgo ; porm o melhor
que existe para os pobres coragia contrariados
sobre a trra. O mea projecto roubar-te.
A estaa palavras o doutor fez um movimenio
para passar de urna allea outra. Fot impedido
por sus mulher.
Tudo ialo, lhe disse ella, deve parecer-nos
o que na verdade urna criancice, logo que te-
mos a intengo de casa-loa. nao verdade ?
Obierva, este official nao te parece de um talhe
nobre e gracioso ?
Nao respondes, Martha, replicou o official,
tadavia ssseguravas-me a noule passada que
coosentias em tudo, nao querando fazer crer que
metinhas menos amor do que eu te tenho.
(Contiouago do n. 175.)
O musico va com profunda piedade a ddr de
seu sroigo. Ou o pelo desejo de coosola-lo,
ou fosse porque realmente eram exagerados o
receios de Bertholdo, o caio que .elle o come-
gou a exhortar fazendo-lbe ver que a perda da
sua heranga nao poderia acarretar as terriveis'nao sabes aioda, Conrado, que essss riquezas fo-
Consequencias quo tanto o atemoriiavam ; e lhe ram amootoadas a cu-t.i das lagrimas de orphos
dizia : je viuvas. cuita da all ccao dos infelizes, e do
Nao sejss, Bertholdo, de urna imaginario aangue de paes de familia reduzidos ao deiespe-
to prompta em esmorecer. Vamos assim pas- jro, golla a gotta derramado I Em urna palavra a
aeiando at a cidade ; eata a hora ero que devo heranga que me tinha de caber era o fruclo da
ir lomar a ligo ao plano em caa de Kemenaer.' mais infame uiura 1
OquereceiasT Pensas que-Laura le amar me-1 Eu o sabia, ou pelo menas de ha muilo sas-
dos porque nao podes mais offerecer-lhe ulna peitava ; mas quera poupar to cruel decepgo
grande riqueza com a tua mo? Nao conbeces ao teu corago aensirel ehonrado.
Laura como eu : o aeu corago encerra um the-| e o musico mudando repentinamente de tom
aouro iuOniio de generosidade, vootsde enrgica continuou com maia troquillidade:
e nobre altivez. Nao me ha de poia sorprender; Aisiro, pois, contina a aperar; ao menos
i-6-la tomar em ponto de honra o ser tua com- B( que saibas positivamente se o destino le ser
panheira, e contratar eisa unio agora que a tua tjo avesso como receiss. E' preciao antea que
eitunvi parece exigir de sua parle mais amor e tud0 dcixar o apoiento que oceupavas em casa de
dedicado. Nao desesperes : Laura nao urna teu lio : nao deves residir por mais tempo debai-
mo?a como tanlai outras ; nao encara o dinheiro Xo do mesmo teeto que esse miseravel Monck.
como a origem de todaa ai felicidades.
conflaise o meio que empregarel para roubar-te,
e que me tem servido al hoje para vir aqsi.
O joven official passou de novo o lengo pela
fronte.
O doutor apertou convulsivamente os dous ra-
mos que o oceultavam, e madama Kanali, para
quem eu olbei, empilltdeceu de repente como
lbe tiveisem tirado lodo o sangue pelos pe.
Marlha proseguiu tommdo afTactuosamante a
mo do official;
Eolo o meio qae lena para roubar-me
muito perigoso ?
E' lerrivel I
Terri7el ?
Sim...
Enlo, diz-dio logo.
Ser sempre tempo do le dfzer no momeo1-
lo da execugo.
E ae eutao eu nao qoizer seguir-te.
Querer, eu le cooheco. dieie o feliz man-
cebo rodeiiodo com seus bragos a linda caneca de
Martha.
Se assim, para que mefizes espersr ?
O maoeebo aproximea-se aioda mais de Martha,
a quem aua mae nao perda maia de vista.
Para que?.......... porque o susto que le
causarei agora ravelaodo-te o meio de fugirmos
nao diminuir o qua tens de sentir na occa-
sio. Prero cauaar-t'o s urna vez.
Porm, meu Deus, qual ser este- meio?
Martha, pego-te que nao ms interroguea
mais a este respeito.
Cesar, pego-te em nome do nosso amor:
diz ni'ii........
Cesar I exclamou o doutor, affastacdo com
forga oa ramo, Cesar I
E correu.
Csssoova ouviodo pronunciar sed noma por
si, voltou-se bruscamente, e madama Kanali
viu-lhe ento o rosto.
O morto- voltou, exclamoo ella; ah deita
vez ninguem o Degar mais; Bem Strombold,
Kosenlhal 1 Cesar I o vampiro perseguidor da
nossa familia, do sangue da nosaa casa I morte a
elle I Una estaca no corago I urna estaca no
corago I
Madama Kanali pareceu-me lerrivel, verd a del-
ramente lerrivel oeste momento, louta pelo re-
ceio materno, louca pelo medo da magia, som-
bra como as terriveis figura da feitigarie alle-
ma ; quaodo ella exclamou pela segunda vez :
ama estaca no corago, e que procurou com a
vista urna estaca para enterrar bo corago de
Casar, qua, nao tendo esperado pela eslasa,
deaapparecera com a maior rapides possivel.
Alguem todavia, o seguir nesla fgida louca,
era o doutor a quem eueeg-uia tambem correado,
porm em ama carreira menos rpida. Adevi-
uhei aua intengo : quaodo elle va que Cesar ao
mente pela grade qua
ihe o esosinho e cor-
a callocar-ae junto" 8de que eatava fe-
chada. Ora, como eu eu,T dous passos de
Cesar era impoMivel qae elle S<>s esespasse. De
repente, deixei da v lo. o julg^ei qae sa liona
dirigido pelo camioho onde mjdam'J K,'n' *
peravao. Porianto diminu o passo, t o.'n|i me
para o doutor que achei aioda mais cangado que
eu. ,,
Ento I dase elle vendo-me, ondtf est
elle? dgame.
Nao ael, pemel qae estivesse aqui.
Como I aqui? porm elle eslava do seu
lado......
Srm, porm dirigiu-se para aqu.
Sem duvida....
Ento, disse eu ao doutor onde est elle?
Quel o aenhor nao sabe? respondeu o
doutor ceg de desesperado.
Nao, nao aei.
Ah diaae elle, esetpar-nos-ha I
O douter abafava de colera.
O facto que elle se nos tinha escapado.
Dasappsreeeu pela Ierra a dentro? Ha ver
oesta casa urna terceira sabida, disse o doator
opprimido por esta siogulareinexplicavel desap-
parico.
Nossa dupla e extraordinaria admirago teria
durado mais aioda alguna minutos diaote desta
grade de ferro, onde o doulor contara reler o
fugitivo, aenao noa ttvessem afastado de repente
para abri-la, e deixar passar alguma coass de
menos potico que o nosso fugitivo amante. Era
a carroga que levava os morios.
Eolo, disse o doutor eneolerisado, elle
voltou ao jardim............ vamos procurs-lo no
jardim 7
Nao devenios consentir que elle sais; oo
sahir I
No dia seguiole, nao sube mais o qus pensar
verdaderamente, quando, reflexionando, procu-
re! explicar o que ae passra. Eis Cssr
que eslava morto, e que volta do perfeila aade,
mais amante e resoluto do que nunca o tora, pois
que falla em roobar a filha do doutor.
Se nao estiveise mala acostumado a realidadea
deste mundo, teria acreditado nos vampiros, que
pelo menos explica o extraordinario pelo extra-
ordinario, e isto j nao urna maneira lo falsa
de raciocinar. Porm nao podeodo acreditar
nellee, prometti deseobrir esta intrigaposto quo
fosse de natureza pouco romanescafui progres-
ivamente arratado a interecessar-me por alia,
e deaejara segui-la at o destecho. Julgue-ae
perianto ae, animado por semelhante sentimento
de curiosidade, accailei com satisfago o convite
que me fez alguns dias depois o doutor Ka-nali,
convite que em outra qualquer occasto eu teria
no entretanto recusado ou por modestia ou por
conveniencia. Pediu-me para aisiitir a ama
especie de coostlho de familia em que se exami-
nariam s reaolugei que ie dereriam tomar no
interesas de todos, os faetns coDcernentes appi-
rlgo extraordinaria de Cesar Gasanova vampi-
ro ou nao, Dai algum as raides insignificantes
l'urm o Sr. Komeoaer? perguntou o man-
c.-bo suspirando. Para elle o dinheiro tudo.
'Assim peosas? Pois eu digo-te que ha urna
Couaa que o Sr. Kemenaer ama maii do que o di-
nheiro : urna cousa pela qual renunciarla todo o
seu dinheiro, se assim o exigissem.
Equal ?
A felicldade da soa fllha nica, da sos ama-
da Laura. Elle emprega todos os meios de aug-
mentar a sua fortuna, porque auppe que s o di-
nheiro pode assegursr a sua fllha, quer no pro-
sele quer no futuro, urna aorte digna de ioveja ;
e ludo isto somenle por affeigo a ella. Se Lau-
ra the declarar que nao deeeja renuociar a doca
existencia qae sonhra comligo; ae ferida os
seu corago pelo peosamento de urna aeparaglo
Eitou reolrido a oo por mais os ps na-
quella casa, respondeu Bertholdo: tiremos urna
vira explicago eu e Monck. Por nada no mun-
do ira baler porta dease exeeravel traidor :
bastarla a aua vista para fazer-me morrer de
vergonha e humiliago.
E o que esperas fazer ? Onde vas reaidir ?
Nao aei aioda.
Teos algum dinheiro?
Restam me treseotos a quatrocentos fran-
cos, segundo creio: mas ficaram no meu quarto,
onde nao os vou buscar, anda que tivease de
morrer de fome.
Terei eu esse cuidado, Bertholdo ; pois nao
me faz corar ir em teu nome reclamar aquillo
que te pertence. Tea lio ndale deixou absolu-
chegar a aefinhar-sa a ponto de parecer ameaga- lamente?
da em aua vida, ou someate em sua sale, o Sr. Nada. Monck quera dar-me cinco mil fran-
Kemenaer ur o proprio a vir aupplicar-te que co!- dizaodo qae meu tio, codeado s suas ios-
salves a sua fllha, que lbe conserves a aua qua- tandas em mea favor, isso lhe pedir.
rida Laun. E nao aceitaste os cioco mil francos ? Cm
Obrigido, obngado, meu amigo, murmurou essa quantia podeiiai entretanto esperar melho-
-Beriholdo. Talvez busques tlludir-me ; mas sin- res dias.
to qae o meu espirito enfermo acolhe com intei- Eu receber urna esmola de Monck 1 ei-
r conflaog o raio consolador que dzt brilhar clamon Bertholdo com iodignacao. Legitimar o
oameas olhoa. aeu r0ubo e traigio aceiUadw amalodemniaago l
Ftca certo, Barlholdo, de qu Laura forte Obi Quereiexpermenta.r-Oi Coudo. Se Monck
tivesse insistido collocando-me as mos esse di-
nheiro, ter-lh'o-hia atirado ao rosto, flea cerlo
disto. Esaa quantia, me diste elle, ficar a mi-
nha disposigo at que eu a v pessoalmeote re-
quiailar, e affirmou que eu ira, aira, que ira iop-
plicar-lhe a esmola que me offareceu I S algum
dia tor capaz de praricar semelhante infamia, oh I
ento despreza-me, Courado; porque estarei bem
e bem cabido oo lodagal do vicio. Nao me falle*
mais de taes cousas, que revollam-me....
E' verdade, disse Coorado ; tens razo, nao
fallemos mais oisso. Tenho urna, cousa a pro-
por-te. Na casa em que moro ba um outro quar-
to vasio, cuja porta deita para a do meu apsaen-
lo : aluga-o at que saibas em que ba de Bear
tudo isto.
Alogar 1 E o diohelro ?
Nao te d i&ao cuidado: Coarado oo rico ;
mas tem pago sempre poolualmente, e gpza de
algum crdito para com a sua hoipeieira. Ser-
vir-te bei de fiador.
E no fim do mez?
Nao ha necessidade de estar ali um mez,'
Berlholdo : maa se contra toda a prob>bih deciso do Sr. Kemenaer se fizer espesar mais da i
um mez, neste caso pagare! por meu amigo. Dei-
xemos isto. Am*nba irei buscar o-dinheiro qae <
deixaste no ten quarto: MoncW nao recusar en-'
trega-lo, aeria um roabo estpido, e elle muito
fino para complicar-ae sem proveito n'um peni-
mo oegocio. Deale modo seri bem rico para vi-
ver um mez, e al mais. Ora est tudo feito:
depoia da ligo de piano iremos alugar o quarto
que fica minti ao meu ; flcar&s ali ceommoda-
do como um principe; eslarei sempre junto de
ti para te consolar, e reaalmar a la coragem, se
necesiario for.
Excedente amigo I responden Bertholdo.
Com o mea infortunio a tua amiade tornou-ie
maii lerna e mais ardente. Se todos forero con-
tra mim, ao menos l o9o abandonars o pobre
Bertholdo Estar junio de ti, morarmos na mes-
ma casa, junios peosarmos no futuro e oa arle,
confiar um ao outro os nossos senlimentos
urna felicidade que me faz volver para o cu um
olhar de recoohecimento I Se o meu corago nao
estivesse possuido da tristes presentimeolos, ]
abandonar-me-hia a todos os symplomas da ale-
gra... Mas o infernal poder do dinheiro I Mal
Laura I... E agora que aomos chegados porta
de aua casa tinto em todo o meu corpo um es-
tremecimeoto glacial. Ousarai dizar-te; Coara-
do? Tenho vergonha ; oo asi ae te acompaohe.
Meus Deus I Nao aou o mesmo hornera ; {lta-
me a energa ; j nem maia tenho o direito de
amar I Sapplicar, tremer, eorareis qual ho-
je o meu offioio 1 Oh l Quaodo o dinheiro oo sir-
va para outra cousa, serve ao menos para dar co-
ragem e conflaogal
Soeega, Bertholdo, tornoi o maiico, t se-
nhor de li meimo. Passas n'um instante da ale-
gra 6 tristeza, do desespero esperangal Tran-
qalUtM-te, s homem. Ergue a cabega, nao teos
razo p,ra abaixa-la diante do Sr. Kemenaer.
Cumpre que aejas o primeiro a dar-lbe essa nova
imp:,vista. Nada recetes diz-lhe coraiosimen-
schavam reunidas: o douor, sua mulher e sua
fllha.
A coruja dorma sobre a> charolo.
Nunca vi figura mais expressiva em roa deso-
lago do que madama Ksnatl.
Cruelmente exparlmentada pelas emogr^ei da
noute, em que torora a ver Cesar, demonstrava
em auas feigoes, o terror e a surpreza causada
por esta apparigo.
Seus olhos eatavacs encovados, e sua bocea
pareca deapedagada pelos analhemas que lnga-
ra. Quasdo eu entre! ella eslava retlinada sobre
o divao e coberta com uoq grande ehaile preto
qae lhe descia al os jot^hos.
Smente a exallago moral produz estes iom-
brios ealasia aos quaea nao altiogem ai maiorea
dores materiaes, porque estas despedagam o
corpo ; porm aqui o choque passava sobre o
mal Csico para ferir em cheio a seosibiljdade, a
razo. Analmente tudo o que Deus nicamente
pode curar. A- apoarigo deste mancebo depois
da contestago official de aua morte, viera re-
cordar-lhe a volta dos oulros doui faotas-
mas. Seas olho? s deixavam a immobilidade
peosative, para cbservarem ao redor de si com a
ioqaietago selvagem da monomana, como se
receiaise a cada instante ver Ceiar aahir d'entre
a eaoeasura dai paredes. Este receio era to
grande que ella ccoaervava as mos de sus filha
entre aa suas na posigo de quem levanta urna
pessoa cabida em um precipicio, ou no fogo, e
qua procuras-enrgicamente chama-la a si para
islva-ia. /
Como 1/ disse ella a Martha, como no
adeviohas-te que eris o ludibrio de ama mentira
tunala- quando viste apparecer Cssar Casa-
nova ?
A palavra funesta foi-a que mais aorprehendeo
a Martha entre todas que oavira. Porque tu-
nala ? Alm dito, ella peosou tambem que
mentira haveria na presenga de Cesar, presenca
extraordinariamente imprevista porm muilo
real. \
_ DeiienVos por um instante de parle a-ques-
to dasapparigres de que trataremos ao depoii,
disse o doutor,e Martha que doi diga como expli-
ca a volta de Cesar a este mundo, quando foi
pub'fcada e verificada a sua morte.......
E nao iambem o qoe eu pergunlo t repli-
cou madama Kanali sem abandonar as nos de
sua filha,
Sem duvida, porm *.%* collocas no terreno
vaporoso da magia, e eu sobre o da mais solida
realidade.
i r.'Sa*-^*'8 mle> Mlbd, 1 quem madl-
nL,l!v: ^" 'N*'* d8 8'la, douirinai iu.
oel a presenl melos para os q.aas a auppunfca
muilo dispoata, oda comoreendia de aua Mat-
elo nem de aua liogsBem. Ni vspera aui aa8
der.-lhe a entender quo lhe deseobrir um novo
amor, e mostrra-ae mullo aatisfeita por isto e
agora reprehendia-a por causa deste mairno
amor. ""
Seria porque descobrira qne ella ie conservav
fiej a Ceaar? Porm nanea Martha notara em sua
i.-?e ums repulso abioluta contra esle mancebo
Msrha raciooava aobre tolos os pontos, excepto'
somenle um ; que era a lerrivel apprebenalo
com que Stia me considarava o amor de Ceaar
por ella: porm ella a confiara o aegredo do aeu
susto a seu marido.
Pois bem, replicou o doutor, a toa realida-
de I juila, porm j te disse qua examinaremos
depois este lado da questo. Pego ainda urna
vez a Mirlba que me responda : Martha, como
eiplica a reapparigo de Cesar?
Eu o explico, reipondeu sita cada vez mais
perturbada com eitai perguntai e com a pbiaio-
oomia cada vez mais assustada de sua me ; eu o
explico do mesmo pelo qual Cessr explieou-me.
Seus mdicos o deixaram lo doente a ultima vez
que virarn-n'o, que o consideraran) como perdi-
do, e ao sahirem disaeram ao dono da casa. O
sea joven locatario est morto : este correa logo
adarparle a munielpalidade. Ceaar olo estava
morio, e estava mismo lo longe de se-lo, que
oo dia seguinte levanlouse, sahiu no oulro dii.
e veiu aqui a entrevista que me pedir.
Tudo lito effeito pontra!, disse o doutor
depois desta explicago. Admitto-o sem difflcul-
dade.... porm eotenio....
Possivel..,, possivel murmurou mada-
ma Kanali. T o admits sem diCficuldsde......
porm isto ama loucora I..
Sem duvida, lato 6 muito possivel, r?petiu
o doutor, que va approximar-se urna lea pesiada
que elle quera conjurar a todo o custo. F50
jeriz sobre este asiumptoaoSr. Morl.
Perno como o lenhor, reipondi en. Em ara
lempo como eite as declaragdea feitai a mamei-
pahdade oo seodo rigorosamente examinadas,
luscfcvem-ee na lista dos morios poaco mais ou
menos a quem se qoer O meio fcil.
farltvi bam I replicou energicameela mada-
ma Kanali; porm considere que rs crealorae
maldita, escohom sempre os malhores pretextos
pira reappareeerem sobre a Ierra ; ellas servem-
se dos mais naturaes para eDgaoarem c^ vivoa ;
e precisamente porque o pretexto empregado
por Cesar i uataral, que ee dsve diecoofiar mais
delle. Alm diste disae madama Kanali elevando
a voz, quem ioterrogou aoi mdicos quo dtsserom
estar lie morto ? fringuem 1 E, alm disto, por
?;ue razo, Cesar, o bomem da noule, que suube
acllmente promover tcda estas imposturas, oo
soube dizer como entrou aqai? E* porque aqui
raltavam-lhe pretexloi. Os mttroa? elle mesmo
o disseiotransilaveis. O eropregodos? lncr-
ruplveii. Como pois, entrou elle aqu? Nao
responde nada, nem tem o qoe responder. Ah !
para eicussr-me de nao poder scceilar elle con-
vite porm por flm .cceilei-o. #5t "para' entrar aqu preciso dizer-ae o
s pa.ioas que componham a famila ae s > e o que elle n3o ae diz, Pois bem !
eu o digot um vampiro, um ramptro J
CAPITULO XIV.
J ruemos que Martha ignorara sempre as
aupersiigoes de sua mae pelos vampiras. Jul-
gue-se pois, o aoelo e a admirago qus lhe caa-
soa a ultima exclamago de madama Kanali 1
Todo o seu corpo eatremeceraeoroo a orna snbila
detooeco sob seus pea que a livesae lacgado oos
ares. Horror I aquella a quero ella amara, pasv
savs.de repente, pala sagrada autoridade de su*
me, do mundo real e commum humaaidade,
para o mundo dos sortilegios, do creataras a-
nundaa e reproradai. Elle ligara aeu amor jo-
ven e delicado coro o de uro ente peior que o de-
monio : porque os demonios pelo menos.esl
de posse da vida violenta ; eoiram oa creago por
umarraulenga de Deua; ao genofl persegudoree
encarregodo3 por elle do castigo dos bomens ;
porm o vampiro! oo ent.-am ,em ordem algu-
ma, em efisse slguma, oam em algu.ti caleuloda
creago. ___/
Elles nao s9o, nem a vida, nem a .morte ; ao
a vida ; os-morios os regeitam com meio a nou-
te ; e os vivos oo os recelara menos.
Como Martha s os couh ;cj pelo qae lera em
alguna livros, nao poda nega-los com a firmeza
da razo : pelo contrario, surprebendida, levada
pelo fanatismo de sua me, est.ava mergtrlhada
em um terror incommensuravel, deefaUei'ida e
paluda.
Aproveilaodo-ae do estado om que a vis, ma-
dami Kanali Dassou log dirigir, tha pnrgaa-
tas que em outra qualquer circumstancia echara
extraordinarias em sua bocea; verdade qae
Moliere provou sufficieotemente que o medo- le-
va muitai vezes aeimplicidade.
Quando eite monstro te filiara, miLia ff-
Iha, oo te sentas invadida por um vapor qoe lev
abafava ?
Nao sei, balbacion Marlhi com embarco:,
Eu eiperimentava lanas cousas.... poisivei.,.
todava.... nao.... nunca expcrimenlei iato..,
E' porque cao reparaste. S quando ellu
lomara-te as mos, continuou madama Kanali
sem deixar as da aua filha, que apartara coa
mua forga, nao sentas que as tuss^stavam ier-
rivelroeaie fras?
Espere quo roo record.... N>, miaba me>
oo.... lembro-me at ler-lhe di', por tuuitas-
vezes que ellas eatavam rdanles.
Com effeito, icio nao geral, replicou ma-
dama Kanali; ha vampiros que dissicoulam esta
I (rieza por muilas maoeiras. Vamos-adaole ; di-
A realidade I disse irnicamente madama.
Kanali, a realidade I porm o que honlem vimos | e-tn, Jaariha.... porm eu mesmo nao sei co-
que se chama realidade : urna apparigo aahida mo. Pegunte.... porm assim preciso.... aou.
daa Irevas.
Aioda que habituada desde a infancia aos mo-
te o que te succedeu. Animo I Ea vou puchar o
cordo da campaioha.
A porta foi aberta, e a criada respondeu a Coo-
rado que o Sr. Kemeoaer oo eslava em casa
mss que a senhor D. Laura acbava-se no cara-
manchel no flm do jardim.
Bertholdo trema ; de aua pessea se apoderara
urna commogao tal que elle mesmo estranhava.
At ento s entrara oaquella casa com o olhar
altivo, o corago alegre e esperaagoso : deisa vez
porm a cabega ae lbe vergava sobre o peito, o
corago eslava opprimido, e as faces enrabeciam
de|rergooha.
E fot sob essa impresao toda nova que elle
aproximou-se do caramanchel em que sa ochava
a sua joven amante. Apenas langou sobre ella
um tmido olhar, deixou de seus libios partir um
grito doloroso, lovsndo as mos ao rosto para oc
cuitar as ligrimaa que dos olhos brotavam.
O que liona elle visto que lhe causar to for-
te commogao ? O proprio Conrado encarava-o sem
nada compreheoder.
Quando Bertholdo sem sir esperado chegara
junto do caramanchel aurpreheoder Laura te-
cendo urna corda. As flores em que trabalhava
eram flores de larangeir&y e oos aeue-dedos as p-
lalas perfumadas formavam urna corda cuja >-
vura virginal egualava a da nevo... era urna co-
rda de desposada I
Eiae lo licio de um felicidade, que havia ioda
pouco ara a aua mais car esperanga, e que jul-
gava eolo perdida para aezupre, arraooara ao
mancebo aquelie grito de do e de eapan'.s.
Laura e Coorado olhavam para elle, a primeira
com aociedade, c segunda comaurprez. Porm
antea qae podessem dizer urna s palma, Ber-
lholdo cahiu sobre o banco do caramanchel, ex-
clamando com a voz profundamento alterada :
Oh I miaha boa Laura I O ooaso aoobo ce-
leste oo se hade resinar I Aoniquille, aooiquille
easa cora : basta a aua vista para despedagar-me
o corago..,
O qae tem Berlholdo? perguntou a joveo
teda trmula. Pelo amor de Deual falle clara-
mente : a aua commogao roe assusia.
Laura, j nao posiuu nada oo mundo; aou
pobre : meu tio antea de morrer deaherdou-me...
A moga fltoa-o com olhar duvidoso.
Monrk pela astucia e mentira arraocou de
meu tio um teatameetu que me despoja, e que o
iniiitue legitano universal.
Monck 1 exclamou Laura em cujo aemblao-
la se desenliaran) a colera e o deapreo. Oh 1
Eis a causa da averso secreta que aempre lhe
Uve 1 Parece que me acompanhava o presenti-
menlo dana infernal perfidia: o seu aspecto me
fazia estremecer, como ae eu j aoubesse quo elle
(arla a deagraga daquelle a quem amo. E aquel-
la vbora que anda de rojo, eae occulta para lan-
gar o veneno, odespojou de seu patrimooio? In-
feliz Berlholdo 1 C >m todo olo dev af&igir-ae por
ino .. Deus punir o traidor I...
Dizendo estaa palavras a joven desfex-se em
ligrimas.
Triste, bem triste catistrophe, oo Laura t
perguotoo Bertholdo suspirando. Recela tambem
que o bello aooho do ooaso (aturo se esvaaea aem
deixar outro resiigio mais do que urna deolada-
obrigad a perguotar-te....
{Conlinw,--se ha.)
ra recordago? Quem sabe se oo esta a ultima
vez que dado me seja pronunciar em sua presen-
ga o doce nome de amiga ?
Laura olhava alternativamente para o mancebo
e para o musico. Ai suas lagrimas haviam cea-
sado de correr: na physiouomia se lhe debuxara
a oipro-iio do espilo e de aurprez.
Laura, proaeguiu Bertholdo, nao 6a perda
deata heranga queme faz derramar lagrimas:
acabrunha-me somente a previao de urna des-
graga maior. Pareca-me que Deus a fizera vir
ao muodo para aer minha mulher: alimentando
esse doce esperanga va e caminho da vida abrir-
se pora na-como aquelie que devera conduiir-
noi felicidade : no nosso cu a descobria es-
trellas de paz, de afleigSo, e de ventura que sor-
riam-ae ao nosso smee, e unio I Quem sabe,
mioha amiga, quem sabe se a sorte invejosa oo
nos fechou para sempro esse cu brUhante 1
A voz de Bertholdo pronunciando- estas ultimas
palavras tomara um accento de irUteza to pun-
gente, que Laura aol'.ou urna exclamago
loroia piedade.
Toda trmula apederou-se d> mo do manee-
elle o \z mas acrescenl logo que am-o como
urna garanta noceisarra I minha folicidade. Pois
far-lhe-hei ver que ce me separares de ti, Ber-
lholdo, ea nao poderoi sar feliz ; e sendo preciso
pedirei, sapplicarei, langar-me-hei seus ps.
Elle oo me deixar cahir doente, nao medeixa
r morrer de pecares, nao; porquime ama mui-
to ; e aioda que alimente sobra a felicidade
ideas mu diflerentes das que tenho, comluda
nao ha de reaiitir s minhas lagrijias.
Mis se resistir ? Ah 1 Laura I Nunca maisv
eu ouvireieata voz adorada 1....
Se resistir ? replicou a joven com olhar
cheio de orgtlho : ento flearti com mc-u pae
at o fim de seus dias. e continuare! a lbe amar
Bertholdo, do funde a'a'.ai*. Ob 1 co crea qae
Laura seja urna mulher cuja mo se d contra
sua volitarte em traca da urna somma de dinheip
ro. iei de sempre amar e respeltar a met pae i
purm aceitar deveres que nao poderia preen -
"H cher seno no oppareocio, condemoar-ms ur.u
"1 existencia de flogimeoto, isso cunea I nonco 1 Ou
de ser sao esposa, Bertholdo. ou nenhum.
bo, e lhe disse :
Oque quer dizer com isto Berlholdo? A
inconstancia da fortuna fa-lo-hiadnvidar do mea
amor? Nao possivel: aemelhaole suipetta se-
ria umaiojaria. Nao,o omei porque tabla que um
dia havia de possuir muito- dinheiro : o que me
ioclinoo a ai, c fazia que cm taota alegra eu la-
cease esta cora de desposada, em si pensando,
foi a riqueza de aua alma, foi a boodade do aeu
corago, foi a nobreza do aeu carcter. O que
amo em aua pesaos o amigo de Deua o doi ho-
mem, o poeti dedicado ao culto da virtude, da
belleza o da arte. So um demonio perverso, que
s pensa no dinheiro, roubou-lbe a aucceato de
seu tio, meu nolro nada perdeu dos thesoures de
sua alma. Coosale-se pois, teaba coragem, Bar-
tholdo; repare bem que as suas lagrimas consti-
lenha
tuem urna injuria feit a mim : sobreludo
confianga na rl./elidade da sua Laura.
Aojo de felicidade t Corago adoravel! ex-
clamou Berlholdo com a voz alterada por lagri-
mas de admirago.
Ella receia que o Sr. Kemeoaer o affaate
da aenhora, disse Coorado com o flm evidente da
auxiliar aeu amigo, e dar conferencia um resal-
lado decisivo. Seu pae, minha seobora faz muito
caso do dinheiro.
Meu pae, sim... murmurou a joven tornan-
do-se de repen'e pensativa.
E* a aua deciso que me asiusta, Laura, re-
plicou Berlholdo. Eu aou pobre, nada possuo
mais, e o meu futuro 4 bem iocerto. Seu pae me
hade perguntar quaea o meus recursos para as-
aegurar-lhe na socledade urna posigo em hir-
roonia com a soa condigo Qaa lhe responde-
r!? E oo lngara ellu um olhar da deaprezo
aobre o pobre poeta? Oh I mea Deus t Sa eu foa-
ouiro homem no mundo obte-r o meu conafnti-
menta.
O mancebo balbuctou alg-smas palearas de ire-
conbeclmenio, e admirago : mas Laura n. J.he
deu o tempo do expandir a sua commogc j_e-
vaolou-se, e proaeguiu com olhar ebeio d-ener-
ga e digoidade :
r. Nada receie, Berlholdo. Se aos &*Tjrorem
eu flearai aeudo mais infeliz. O amor da srta
poler oceupar o seu corago ; oo se, culto, a
oa liberdade de que gozam os bomens ba de en-
contrar, se oo consolages, ao menos dislracoes
que o artancaro ao aeus tristes pansamealos.
A mulher nao assim : est sempre i com a aua
alma ; peoaa e medita----- e eo nao quero defi-
nbar por eate modo 1 Mas retire-se ; roe pse
oo tarda ; oo quero que aaiba easa noticia de
aua bocea ; aonunctada assim de improviso, po-
dar occasionar alguma resolugo desagradavel
da aua parte. Deixta lado por minha tonta, e varS
como ludo hade acabar em bem. Haodarei di-
zer-lbe pelo Sr. Conrado qaaododaver apresen--
tar-se para ouvir dos labios de meu pae a pala-
vra que ha de diisipar o receie de nos ambos*
Agora aaii depreaia,, nao quera q elle noa lor-
prebenda. Torno a pedir-lhe que nao se fILja,
de ooro Iha recommendo que lenba cocfi.oga
na sua Laara, cuja felicidade se bem que amea-
gada, oo aucxumbir. J aou ba muilo lempo
aua noiva para poder- agora acostumir-me ao
peosamento. de oo ser sua mulher; isso cao
pode, oo deve aucceder I
R pronunciando estas palavras com o accento
da ioabalaveleoovlcgo, Liura acempaabou Ber>
tholdo, e o amigo deste, il a porta.
Ao adeus que lhe dirigiu o maoeebo com voz
1 trmula ella reapoodeu com um aorriso cheio do
se repellido, ae nos separassem pira casa-la com
um homem rico... em lugar da ventura com que
eu havia soohado, s me restara urna vida Into-
leravel, euma morte atribulada I
O que recela oo hade incceder, Borthollo,
respondeu a moga com serta firmeza na voz.
Meu pae sm o dtobeiro, h verdade pelo menos
coosolago
Animo, Bertholdo I E' ama nuvem que pai-
la no bello cu do nosaa faturo I
/Conltnuar-ie-na.y
PERNAMBTjGO,-TYP, DE M. F, DEP.4 FILBO,
"i
Yv
I
MUTILALX)
X
' ''


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EHDPEA9Z4_Q240OA INGEST_TIME 2013-04-30T23:01:30Z PACKAGE AA00011611_09583
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES