Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:09571


This item is only available as the following downloads:


Full Text
/

aiio mvm.iBmo.i64.
ftr tres .MMiaJlajttadas 1000
Pr tres MMfi vencido. 6J000
V '
*
SEXTA FEIU 18 DE JOLHO
Par aiia dilatado 19$000
Parta fraaca iar a sibscriptor
4
M
/
i
ECAHaEGADOS DA SUBSCK1PCAO DO NOKTE
Parahyba, o Sr. Antonio Alexandrioo de Li-
PUMO DE PEMAMBlllO.
ma; Natal, o Sr. Amonio Marques da Silva;
rate, o Sr. A. de Lemoe Braga; Cear o Sr.
J. Jos de Olivera ; Maranhao, o Sr. Joaquim
Marqaes Rodrigues; Para, UanoelPinhairo 4
C; Amazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPCAO DO SOL
Alafdas, o Sr. Claadino Paleto Dias; Baha.
o Sr. Jos Martins Airas; Rio de Janeiro, o Sr-
Joe Pereira Martina.
PARTIDAS DS CORREIOS.
Olinda todos os dias ai X oras dodia.
Iguarass, Goianoa, e Parahyba oaa segundas
a sextas-feiras.
S. Anto, Bezerros, Bonito, Cariar, Altinho
e Garanhuns as tergas-feiras.
Pao d'Alho, Nazareth. Limoelro, Brejo, Pes-
qaeira, logazeira, Flores, Villa-Bella, Boa-Vista,
OuncaryeExnasqaattaB-eiras:
Cabo, Serinhaem, Rio Formoso, Dna,Barreiros
Agua Preta, Pimentelras o Natal qaintas feiras.
.[Toaos os crrelos partero as 10 horas da manha,
RPHEM BRIDES DO MEZ DB JULHO.
4 Qaarto creacente aa 8 horas e 20 minatoa da
manha.'
12 Laa chela aoa 2 mina tes da manha.
18 Qnartomingaante as 2 horas e 32 minutos da
tarde.
|26 Laa ora as 6 horas e 24 minatoa da man.
PREAHAI DB HOJE.
Primeiro es 9 horas e 18 mnalos da manha.
Segando as 9 toras e 42 minatoa da tarde.
PIRTE QFFICI.IL
GOVERNO DA PROVINCIA.
Expediente do da 16 de junhe de
186*
Offlcio ao consol Brasileiro em Londres Com-
maoico V. Exc. que, segando declsrou-me o
eDgenheiro Wilham Martineaa, agente fiscal do
gowno, em offlcio de hontem datado, acba-ae
concluida toda a obra do fiocamento das colum-
nas da ponte de ferro sobra o rio Cepibaribe, en-
tre o theatro de Santa Isabel e a ra da Aarora.
ae que alo contratadotcs Horace Green & C, es-
lando nesta parte sttisfeita a condteo sexta do
respectivo contrato. Aproveito a occasiao para
presentar a V. Exc. a seguraos de mioha subi-
os estima e dislineta comiderago.
Dito ao commandante das armas.Sirva-se V.
Exc. de expedir suaa ordena, para que conforme
lohciiou o Dr. chefe de polica em data de 14
deste mei e officio n. 1,076, a este sespreaentem
na manhaa do dia 16 do correte, oito pracas
commandadaa por um inferior, aBm de escolta-
ren tres presos at o tarmo de Santo Aoto.
Dito ao maamo.Sirva-se V. Exc de informar-
me.,0J?.re q,e pede no intimo reqoerimento
Luis Theotonio Bezerra.
Dito ao maamoRespondo ao officio de V.
Lxc. de hontem datado, sob o. 1,370, dzendo
qoe approvo a nomeago do tenente reformado
Joaquim Jos de Sooza, para servir interinamen-
te o lugar de ajudaote da fortaleza de Tamao-
dar.
Dito ao mesmo.A vista do reqoerimento do
commandante superior de Olinda, em offlcio de 4
ao correle e da iaformajao do respectivo juiz
municipal de hontem datada, slrva-se V. Exc.
de mandar por em liberdade o recruta Jos An-
tonio do Nascmento, que provou ser filho nico
de mulher viava.
Dito ao mesmo.-A vista da requisico do com
mandante superior interino da guarda nacional
deste municipio em offlcio de 11 do correte sob
2* e Y^ue d,sP9 a segunda parte do art. 79
v b D'f de 19 de miembro de 1850, airva-se
v. Exc. de mandar pdr em liberdade o recruta
Manoel Joao da Costa que tambor do 1 bata-
iso de artilhana da mesms guarda nacional.
Dito ao meamo.Passo as maos de V Exc. os
lodosos papis relativos ao commandante do pre-
sidio de Femar** coronel Trajaoo Cesar Burta-
iUt T"t0 ?Teren> ,er woceasados no foro
Dito ao presidente da relago.Em observancia
do que foi determinado por aviso circular do mi-
nisterio da jusliga de 5 de junho prximo lindo, e
na falta de colleccoas de todas as lais al hoje
promulgados pela aasembla legialativa desia
provioeia, pisso a moa de V. S. as dos annos
de 1837,1854, 1856, 1858, 1859 e 1860.
Dito so provedor da Santa Caaa de Msericor-
"' Mande V. S. admittir no collegio dos or-
phos, logo que bouver vaga, o menor de noma
Paulino, irmao de Joa Tavares de Medeiros, a
que se refere a saa informacao de 14 do cor-
rente.
Dito ae inspector da lesssrarta 4e azenda.
.iUui-o a V. s. oos termos de sua informacao
de hontem, sob o. 6*1. a mandar pagar a Quiu-
teiro & Agr os 36&000 que dispenderam com a
compra a cmara municipal do Recife de nove
sepulturas no cemilerio publico, para inhumaco
dos cadveres de nove soldados fallecidos do cho-
lera-morbos em maio ultimo, como se v dos do-
cumentos annexos ao requerimeolo que devol-
vo, e sobre o qoal versa a sua citada infor-
macao.
Dito ao meamo.Em vista do incluso pret, es-
tando elle em termos, manda V. S. pagar a Leal
& Irmao, conforme requisitou o commandante
superior do Rio Formoso em offlcio de 8 do cor-
rete, a importancia dos vencimeotos relativos ao
mez de junho ultimo, do destacamento de guar-
das naclonaes dodistricto Deas-Barras.
Dito ao mesmo.Restituiodo V. S. os papis
que vieram annexos a sua informacao de 8 do
correle, sob n. 626, o auloriso a maodsr pagar
ao segundo cirurgio do corpo de sale do exer
cito Ernesto Feliciano da Silva Tavares, por coo-
ta do ministerio do imperio, alm dos vencimen-
tos que deixou de perceber pelo da guerra, a con-
tar de 3 de abril al 31 de maio deste anno, tem-
po em que estere incumbido do trata meoto do
cholera-morbua nao no qaarto districto da fre-
guezia de S Jos cesta cidade, como allega, e
sim no primeiro, a urna graticacao de 108 dia-
rios durante aqaelle tempo.
Dito ao inspector da thesoararia provincial.
Estando em termos asduas inclusaa tontas, man-
da V. S. pagar a Manuel Jos Mondes Bastos, ou
ao seu procurador Joaquim Aniones da Silva,
conforme aolicitou o chefe de polica interino em
officio de hontem, sob n. 1,079, a qaaniia de....
2719400, dispendida nos mezes de maio e junbo
deste anno, com o sustento dos presos pobres da
cadeiade Garanbuos.
Dito ao deeembergador da cora soberania e
fazenda nacional.-Queira V. S. intereor o seu
parecer sobre a materia do requerimento de D.
Maria Rila de Mello, a que se rofere a inclesa in-
formacao do inspector da thesouraria de fazenda
provincial numero 622 de 7 de dezembro ultimo
Dito ao director das obras militares.Haja v!
S. de orear as despezas a fazer-se com o asphal-
tamento do pavimento terreo da botica e respec-
tivos srmazens do hospital militar com o concerlo
do xadrez grande que serve de enfermara, bem
como com a collocego de um lampo de mermore
bo mostrador d mencionada botica, o qual sen-
do de madtua de pinho, acha-ae arruinado pelo
cupim, segundo declarou-me o brigadeiro com-
mandante oaaarmaa em offlcio de 11 do correte
sob numero 1354.
Dito ao director da faculdade de direitoCon-
cedo o autorisaco que V. S. solicita em sen offi-
cio de 30 de junho ultimo para empreitar com
quempor menos flzer o enverniaamento de 12
mesas perteoceotea aos eximes de preparatorios
dessa faculdade e bem aasim a collocaco de um
cano de zinco no saguo do edificio da mesma fa-
culdade servindo de base aos respectivos contra-
tos oa orcimcnioa que acompanharam ao citado
officio.
Por ossa occasiao previno a V. S. de que os
mesmos contratos nao devem ser assignados sem
qae esteja pago o sello proporcional conforme in-
dica o iospector da thesouraria de fazenda em
sua informacao de 14 do correle sob numero 642.
Dito ao eDgenheiro fiscal di estrada de farro.
Passo as mos da Vmc. para os fios convenien-
tes copia do offlcio que hontem me dirigi o su-
perintendente interino da estrada de farro.
Dito ao director das obras pablicas.Nesta dala
approvei oorcemento e planta, qae acompanha-
ram o seu offlto de hontem sob oumero 156 re-
lativamente a obra da ponte de ferro que lem de
ser construida sobre o riacho Brunsioho na es-
trsda do Pao d'Alho. Compre, pois, que Vmc,
mande publicar os aonuucios, afim de qae essa*
obra posaaser contratada conforme indica no ci-
tado offlcio devendo esses ano uncios conier as
declaracoesseguiotes. As propostas serio entre-
gues no palacio da presideocis at o dia 4 de
agesto prximo vindouro em carta fchala, e a-
bertaa no dia 5 a urna hora da tarda em presenta
dos concurrentes, de Vmc. do inspector e procura-
*or* l*1 d" lne80urria provincial. O empreiteiro
ser obrigado a pagar o sello do respectivo con-
trato antes de estar este assignado, iacluiodo-se
no mesmo alem das condados por Vmc. spresen-
tadas e approvadas.ade ser deduzida de impor-
tancia total da obra a quaotia correapoodente aos
dueilos, qae devem pagar osobjectos importados
para a ponte, se por Tentara o gorerno' imperial
E'i'J'.V"1!,^0 d0 P""nlo de laes diretos
como se val pedir.
Dito ao director da companhia de Beberibe.
Ha nfh6 lmc" ?e iutorn,"-me e companhia
de Beberibe pode e por que quaotia incumbir-se
de levar agua a freguezia dos Afogados e ali col-
locar urna torneira sendo a mesma agua vendida
pelo prego eatabelecido.
Ditoaoe agestes da companhia de vaporea.
ueclaro a Vmc. em additameoto a portara de 5
do.co"enle. q oeoldado alienado do 4 bata-
ihao de arcillara ape, que tem de eegtilr para a
corte no vapor que se espera do noria com des-
tino ao hospicio de Pedro II chaman Antonio
Joaqptm_de Santa Aon, e nao Jos Podro do
Nascimento como consta da mencionada portaiia.-
Portarta.Os Sre. agentes da companhia de
paquetes a vapor meodem dar transporte a aeua
deslios, no vapor qae se espera do norte, as
pracaa constantes da rejscao junta.
Despachos do dia 1S de julho. *
llcqutrimenloi.
Anna Joaquina de Asaumpcao Pinbeiro.In-
firme 4 Sr. Dr. provedor da Santa Casa da Mise-
ricordia do Recife.
Domiftgos.FraDcisco Aroucha.Informe o Sr.
Dr. chefe de polica.
Jos Joaqaim da Silva.Informe o Sr. com-
mandante auperiordo municipio do Recife.
anoel Pinto de Queiroz.Informe o Sr. capi-
lao do porto.
Quioliliano Ferreira Calado;Dirija-ae ao Sr.
director do arsenal de guerra, a quem se expede
ordem para empregar o supplicaote no servico
que for compalivel com o seu estado phisico.
Vicente Ferreira da Cost.Iuforme o Sr. Dr.
director geral da instruegao publica.
Capitanls do porto de Pernambueo, 17 de iu-
Ibo de 1862. '
N. 92.Ilim. e Exm. seohor.Levo aoconhe-
cimento de V. Exc, qua hoja s 2 horas da roa-
nhas chegaram este porto no vspor Cmara-
g\.be, oajudaate desia capitaoii e o pratico-mr,
de volta da commissao Ponta de Pedras, onde
ae acha encalhado o patacho hollaodez Sara-
nendrtka, conforma participei i V. Exc. em meu
officio n. 85de 11 do correte, traanlo o capi-
taosna mulher e o piloto ; tendo chagado algu-
mas horas depois em ama barcagt a tripolacao
do referido patacho.
Diz o ajadaote que envidou todos os esforgos
para salvar-se a maior parte da carga qae fosse
possivel em consequencia da porcao d'agoa que
fazia o navio; achando-se nsssa servico alguna
individuos j empregados pelo capataz por conta
do competente cnsul, e que o navio foi all en-
calhado pelo capitao para a salvarlo delle e sua
tripolacao, visto a grande quanlidade d'agua que
ja exista bordo, e quaoto desencalhar-se o
navio, smente se podar etfectaar com grandes
deapezas e trabalho.
Dos guarde V. ExcIllm: e Eim. Sr. Dr.
Manoel Franciaco Correa, presidente da proTin-
cia.Jos Maa Ferreira, capilo do porto.
He-tica, da aalicia.
Delegada de polica do primeiro
districto do termo do Heeife, 8
de junho de 186S,
Illm. Sr. Na semana anterior, no diatric-
de mioha jurisdijao, dera m -se ss segua tes novi-
dades :
No districto de S. Jos, alm de tar sido pro-
nunciada no art. 201 do cdigo criminal Maria
d Assumpcao dos Prazeres, presa em flagrante,
pelo ferimento leve feito em Bernardina Maria
de Jssus ; foram presos e recolhidos i cssa de
detenco, ordem do respectivo sabdelegado,
Martioho dos Santos, por desebediencis ; Ro-
sendo Jos das Neves, pardo, poroffeosas mo-
ralidade publica, e Amaocio JosdosSantos por
asaltos e brigs.
No districto de Ssnto Antonio, alm de se ter
procedido auto da corpo de delicio, por deflora-
menlo, na parda Francetioa Maris Lopes, a re-
querimento deMaurioo Francisco Xisto, a qaem
se Ihe instaurou o processo, tendo a se ioqueri-
do ama teatemuoha e interrogado a offeodida,
foram presos e recolhidos 4 casa da deleocio,
ordem do respectivo subdelegado, Josquim Jos
de SanrAnna; crloulo, Ignacio, africano, livre,
Idalina Profira da Concento, por disturbios ;
Manoel, preto ganhador, escravo da Silveatre de
Jess Amaral, por aodirfogido : Jorge da Cos-
ta, preto, livre, Justina Maria do Espirito Sanio,
Antonio Marcal Borges Lobo, e Antonio, escravo
de Joaquim Fernandos da Silvs, por embriagaez;
Maria do Rosarlo, preta, soltsira, escrava dos
herdairos de Miguel Rodrigues da Silva Cabral,
por suspeito de ter oceultado ama menina livre,
Francisco Firmioo Maoleiro, para avenguaejio
acerca do desspparecimeoto de urna menor, e
Fropio, escravo, requisigo de aea seohor Au-
gusto Muniz Machado.
No districto da Boa-Viata, alm de se ter pro-
cedido a competente viatoria na peasea da parda
Msrcolina, esersva de Maria Francista das Ne-
ves, por se ter precipitado do segundo andar do
obrado da roa do Aragao, foram presos o reco-
lhidos a caaa de detenco, ordem do respectivo
subdelegado, Joaquim Taerioo Nanes, por feri-
mentos, e Angelo Custodio da Luz, por crime de
rapto.
No primeiro districto dos Afogsdos, apenas foi
preso ordem desss jaizo e remettido chefa-
tura de polica, o desertor d'armada Manoel An-
tonio.
No districto do Poco da Panella, alm de se
ter dado vista ao promotor pablico no processo
x-offlcio, contra Manoel Caate, como autor dos
fenmentos fetos em o pardo Benedicto Maximi-
no d'Oliveira, procedeu-se exame de saoidade
na pessoa da orpha Mara Sophia dos Aojos, ss-
sim como tambem procedeu-se urna vistoria na
pessoa do preto Jscob, escravo do Dr. Joaquim
Fraociacp de Miranda, pelos ferimeotos e olfen-
sas physicas feitas por Jos Joaquim Birbozae
Ludgsro Gomes de Sant'Anna, qae foram preaoa
e acham-se recolhidos a casa de detenco.
No diairicto da Vanea, emeote foram presos
e recolhidos casa de dtenc,o, ordem do
respectivo subdelegado, Piigumacio Pereira dos
Passos, Manoel da Cost Nogueira, Manoel Fran-
ciaco do Nascimeoto, Franciaco Daniel Lopes e
Candido Europio Paea de Moura, para averigua-
res em crime de roubo e tentativa de murta ;
assim como tambem o alteres Jos de Miranda
da Suva Fragozo, preso no eslado-maior do
quartel de polica: finalmente a delegacia de
polica do primeiro dlatricto do termo do Recife,
alem de alguos interrogatorios que fez sobre di-
versos faclos crlmioosos, cominuoo o procosso
contra Manoel Joaquim de Jess, pelo ferimenlo
leve em o esludaote Felippe Dallro de Castro;
ultimou-se, dando se vista ao Dr. promotor pu-
blico, os processos pelo crime de estelionato,
contra Joo Paulo de Sooza, pela qaeixa dada
por Vicente Ferreira da Silva: contra o machi-
nista da via-ferrea Jamas Harveysson, tendo
prendido e feito recolhsr cass da detenco
sua ordem Antonio, escravo de Maria da Coo-
ceicao, por andar fgido, e bem aaaim os portu-
guezea Jos dos Santos, Joaqaim Beoto, e o
nespanholDeoto Serlal. requisiQo de Pedro No-
lasco yieira de Mello, capilo da bsrea nacional
ueamea, por insolencias contra elle atiradas.
Dsus guarde a V. S. Illm. Sr.Dr. Carlos de
Cerqueira Piolo, muilo digno chefe de polica in-
terino da provincia.-O delegado supplente, Joti
ntonto Corma da Silva.
INTERIOR.
RIO DE JANEIRO.
26 de junho.
O senado approvo hontem em 1* e 2a discus-
so as proposiebes sobr penso As viovaa do con-
selbeiro Jos Lino Coutinho e genersl Francisco
Flix da Fonsecs Pereira Pinto.
Eotrando depois em 1* dlscaojfe a tasoluco
qae melhora os vencimentos do cabido de Ma-
rianas, o Sr. Ferraz propoz o adiamanto pira
tratar-se deste projecto conjuntamente com o que
trata doa vencimentos dos outros cabidos. Este
adiamento ficou prejudteado por nao haver caaa
para vetar-se, e encerrada a discusso da reao-
ludk>.
A e8mr*dos Reputados oceupoa-se hontem
com a 3*JjBcus3o do projecto qua approva o
contrato celebra j0 pelo governo imperial com o
oarao de Mi para a illuminaco a gaz da cidade
do Rio Janeiae. Fizeraa algumas obearvacoes
os Sre. Loiz Carlos, C. Madareira e baro de
aua.
Co^8"jMepois a 2a discusso do ornamento
na parte relativa ao mioislrio do imperio. Oraram
os Srs. Savao Lobato, Torres-Homem e Angelo
do Amaral.
Ambas as discusses flearam adiadaa pela
hora. r
Foraaa offerecidas as aeguiotes emendas ao
orcasaearto, sendo a primeira da respectiva eora-
missio.
i*$8r*m lug"de *70:000*-ai-
240:fr*n Ug" d6 'W-di.^-
2o!fJ0^001'~Em 1Ug" d8 43:0O0-:Jl8-e-
8orA5oo'---Em l0g" de ^-dig..,e-
26. Sendo com a consfraeco de um edifi-
cio psra o seminario episcopal do Cear e despe-
zas de fundaCao, 20000000, e com o peaaoal do
mesmo somioario. 10:000.-J. de Alencar.Ja-
guaribe.R F. de Araujo Lima.J. L. da Cu-
nhaParanagu.Pinto de Campos.Maooel Fer-
nandes Vieira.Figaeira de Mello.Bandeira de
Mello.Silveira Lobo.
Ao J6.~Sendo 20:000 para a conclusao
00 seminario episcopal do Para.
ct Ao 33.Sendo 10:000$ para a obra do paco
episcopal do Maraoho.Carvplho Reis.
Ao S6.Incluidos 10:000$ para 01 ordena-
nados doa lentes do seminario episcopal da pro-
vincia do Cear, ficaodo o governo desde j au-
toriaado adquirir oa conservar um edificio com
as necesaariaa accommodacoes para o mesmo se-
minarioCuoha Paraotgu.
Ao art. 2 ti, accrescente-se :Estabeleci-
?SA-lde eduCan|los e edacaodas do Amazonas,
OOOJ000.Angelo T. do Amaral.Francisco da
Serra Carneiro.
A congrua dos parochos interinos ou encom-
meodados de 600$ annaaes, aomo a dos colla-
dos. Siqueirs Meodes.
a Na verba 25, qae trata dos bisos, etc., aae-
mente-se 17:500, elevando-se a 5:000$ as con-
gruas dos biapos diocesanos, e a 6000 a do ar-
cebispo.Siqueira Meodea.
a Na verba 26Seminarios episcopsesaug-
mente-se 4:000 para ordenado aos reilores do se-
minario do Para, Maraoho, Cear e pequeo da
Babia, osquaea nao teem patrimonio suficiente.
Siqueira Mendes.
Na verbaObras especiaosseja contempla-
da a S do Para com 16:50c para o concert de
5J"LnE0cj?s,i,s augmente-se a cifra com mais
J0:2759M para a concluao do seminsrio do Pa-
ra.Siqueira Mendes.
27 -
Hontem nao houve sesso em nenhuma das
cmaras por falta de numero legal.
S8-
O senado approvoa hontem, em Ia discusso,
o projecto mandando adoptar a tabella que dave
regular os vencimentos do cabido da S de Ma-
ri anna ; e em Ia e 2a discusso aaproposicoesque
autorisam a dispeosa do lapso de tempo ao eslu-
daote Joo Joaquim Ramos da Silva e a cooces-
sao de cartas de nataralisscao de cidado braai-
leiro a varios estraogeiros, tendo orado contra
esta ultima o Sr. Silveira da Motta.
Foram em seguida rejeitadas em Ia discusso
seis proposites sobre matriculas de estudanlea
as faculdades da c5rte, Bahia e Recife, e em 2a
discusso o projecto que aulorisa o governo para
mandar levantar um monumento no Ypiraoga.
Eotrando em Ia discusso o projecto qae aug-
menta os vencimentos dos empregsdos da caixa
da amortisaco, requeren o Sr. Ferraz o adia-
manto at que o Sr. ministro da fazenda poasa
comparecer, e foi este requerimento approvado,
depois de algumas observscoes do Sr. ministro
das obras publicas.
Paasou-se a tratar da 1 discassio do projecto
que marca o ordenado com que podero ser apo-
sentados os msgistrados que eativerem physica oa
moralmente impossibilitados de continuar no
exercicio de suas fanecoes ou forem senadores.
O Sr. baro de Muritiba offereceu amendaa, que
foram apoiadas, e um requerimento, que foi ap-
provado depois de algumas observares do Sr.
ministro dis obras publicas, para ir o projeclo
com as emendas commissao de legisla-o.
Cootiouou hontem na cmara dos doputados a
3a discusso do projecto que approva o contrato
celebrado com o bsro de Mau para a illumioa-
Co a gaz da cidade do Rio de Jaoeiro. Fizeram
algumas observec,des os Srs. Silveira Lobo e ba-
ro de Mau.
Continaou tambem a 2a discasio do orc,smen-
t na parte relativa ao ministerio do imperio
Oraram osSrs. presidente do conselho, ministro
dos negocios estraogeiros e Martioho Campos.
Ambas as discusses fiearam adiadas pela hora.
Foram offerecidas as aeguiotes emendas :
a Ao 25.Em lugar de 1,082:735580. dia-
se 1,102:730580, fleando elevado a 70.000000 o
crdito para reparos de palacios episcopaes e ac-
quisigao de novos onde nao houver.
anf S. *6.Em lugar de 191:600, diga-ae
201:600. fleando elevado a 107:850 o crdito
para leotes dos seminarios que secrearem, auxi-
lio e reparo dos existentes econstrac(o de no-
vos. Diogo Velho.Correa doCouto.
Ao 25.Sendo para ornamentos e mala des-
pezas da fabrica da a arehiepiscopal da Baha a
mesma quantia de 1:600 que da-se para destino
igual s s de S. Paulo ; augmeotando-se. pnan-
lo, a verba com mais 1:300$.Pereira Franco.
Piolo de Campos.F. da Vaiga___Paas de Men-
donca.Carvalho Reis.Fernandos da Cunha.
Gasparino. Cilazans. F. de Carvalho. A.
Chaves.
a A' verba do 26 accrescente-se : 3:160 para
pagamento dos ordenados do reitor e vice-reilor,
ecnomo, porteiro e mais empregados do semi-
nario episcopal de Olinda.F. C- Brandao.Vi-
ella Tavares.Saldaoha Marinho. Epaminon-
das.-Cunha Figueiredo.Leito da Cunha.__\i.
Csrneiro de Mondones.Paes Brrelo.Aragao e
Mello.Sil vino Cavalcanti. Bezerra Cavalcanli
A. Fleury.
Ao 17.Eleve-ae a verba com as faculda-
des de direito a 170:846$, devendo ser o augmen-
to de 7:600 distnbatdo do modo seguinte :
c Ao secretario da faculdade de direito de Per-
nambueo augmente-se o ordenado eom 400.
A cada um dos professores de preparatorios
com 400.
< A cada um dos respectivos substitutos com
200.
c A cada itn doa bibliothecarioa com 200.
**tid dos vapores costeiros.
Para e aa:1 ate Alacoas 5 e 20; para 0 norte
at a Granja t 14 a 29 de cada mez.
FAAT1DA nos oamiBus.
Para o Recife: o Apipucot a 6 Ii2, 7, 7 li, 8
e.8 112 da m.; de Olinda s 8 da m. o S da t.; de
Jaboato s 6 i|2 da m.; do Caxang a Varxea
s 7 da m.; de Bem/lca s 8 da m.
Do Recife : para o Apipucot s S 12. 4, 4 1|4,
4 1|2, 5, 5 li4, 5 1|2 e 6 da t.; para Olinda la 7i
da m. e 8 1|2 da U; para Jaboato a 4 da t.; para
o Caxang o Varxea s 4 li2 da t.: para EemAca
as 4dat. i
AUDIENCIAS DO TRIBUNAtS DA CAPITAL
Tribunal do commercto : segundea e q alo ta.
Relaco: tercae a sabbadoss 10 horas.
Fazenda: qaintas s 10 horas.
Juizo do commsrcio : segundes ao maio da.
Dito de orphos: tarcaa e aellas s lOosraa.
Primeira Tara do sivel: tercas e oxtssa* meie
dia.
Segunda rara de aivel: qaartass sabbados f
hora da tarda.
DAS DA SEMA1A.
14 Segn la. S. Boaventura b. card f
.15 Terca. S. Camillo de Lellis Uodador.
16 Quarta. Nossa Senhora do Chico.
,'37 Ouiola. S. AleixojS. Victoriano e oatroamm;
1I8 Sexla. S. Marinba v. m. ; S. Rufino b.
19 Sabbado. S. Vicente dePaala ; S. Justa m.
20 Domingo. O Adjo Custodio do ianperio.-
1 ASSIGNA-SE
no Recife, em a livraria da praea da Indepen-
dencia ns.6 e 8, dos proprietarios Manoel Figaei-
roa de Faris & Filho. ^
Csrneiro da Cunha. Correa de Oliveira.Fer-
reira da Vaig.Leandro Bezerra.Gaaparioo.
s. de Macedo.Carvalho Reis.-.C Paranagu.
Paes de Meodonca.-R.ooso da Cmara. Juo-
queira.-Cjrro.-Leito da Cunha.t
Ao 3 2b acerasceote-ae.- Picando equipara-
dos os ordenados dos lentes de canto gregoriano
dos seminarios episcopaes, nos termos do 8 10 do
art. 3 da le n. 1,040 de 14 de setembro de 1859.
aoa qae se^cebem oa dos aeminarioa do Rio Gran-
de do Sal, Cuyab e Goyaz; e nesta proporcio
eleve-se a Tsrba;Evariato Veiga.Pereira Frao-
co.Gaaparioo. Vieira da Silva. A. Pereira
Pinto.Claseos. Gama Cerqueira.
< Ao 26: Para const rucean ou comprado
urna caaa decente e commoda para residencia do
bispo do Cear. Figueira de Mello. Jegua-
ribe.
a- Ao 26: Com a conclusao dss obras do se-
minario episcopal de Cuyab, 10 000.
Ao 27: Com o auxilio ao estabelecmenlo
de ama casa de edacandos na mesma cidade a
quantia de 5:000. Corres do Couto.
c A' sociedade Propagadora das Bellaa-Artes,
para sustentaco do lyceu,2:00($.Sayo Loba-
to.F. Ocvavisno.
Per decretos de 21 do correte mez foram apo-
sentados nos seus respectivos empregos o enviado
extraordinario e mioistro plenipotenciario Aoto-
nio de Menezes Vsscoocellos de Drummond e o
secretario de legacao Joo Alves de Brito, que s
acbavam em dispooibilidade.-
Por decreto de 23 do crrante foi nomeado o
Sr. barao de Porto Alegre membro da directora
do Imperial lostitato Rio-grandense de Agricul-
tura, em sobstituico ao Sr. Fernando Folzer, que
pedio e obteve exonereco daqnella cargo.
29
Entraa ronterisMa primeira discusso, no se-
nado, o projecto relativo ao augmento de venci-
mentos de empregados da caixa de amortisaco.
Oraram oa Srs. Ferraz, ministro di fazenda, Dias
de Carvalho,viscon le de Jeqaitinhooha eD.Hi-
noel e Dantas, e ficou a.discasso encerrada por
nao haver n-.:mero para votar-se.
Uoolemna cmara dos depatodos, o Sr. lava-
res Bastos fundamentou e apreseotoa o seguinte
requerimento :
Requebr que se pocam ao governo as se-
gumtes infrmacoes :
1.a Copias dos relatnos existentes acerca
daa ultimas explorares na eoseada de Pajussra,
na prhviqtia de Alsgoas.
21* (Jopla da ultima consulta do conselho de
esta" voto m parado sobra o requeri-
mento e ue a companhia de navegacao do
Amazon pedio licenga pira ser convertida em
cofapanhia eatrangeira. '
Taaea aa providencias ultmamete da-
lIVV'5*0 d tfastabelecl-
*al do Itapora e da nave7Q-a0 a por
.ITalDa. y^
ando poder^fnoccijSr de novo o di-
i Cifese ha resolvido acerca da
Japja.
ias das ordens expedidas sobre a en-
de artlharia para a corveta Nilhe
* 3.a
daa ce
ment .
do Alto
4.a
que imp
reapecti*.
a 5. t
commen
rohy. a
Cootin
garrelo c
u depois a segunda discusso do or-
1 repartido do imperio. Oraram os
bis. pres. ente do consolho, Martinho Campos e
Paranhos-
Ambas discusses fiearam adiadas pela hora.
Foram otlerecidas ao orcameoto as seguioles
emendas :
a Ao 25 : Com a compra de paramentos para
a matriz de Santo Antonio dos Pobres.Pinto de
Campos.F. Octsvisno.Saldaoha Marinho. >
Ao 25: Augmente-se o crdito com mais
3:500 para que cada am dos leotea do grande
seminsrio da Bahia tenha o ordenado de 1:000,
oos termos da le o. 779 de 6 de setembro de
1854.A. Pereira Pinto.Gasparino.Cruz Ma-
chado.Ferreira da Veiga. a
* Ao 33 ; acrescenle-se ;6:000 para o con -
cerlo da matriz da fregoazia de Iraj deata corte.
Franciaco Carlos da Luz.F. Oclsviano.Sal-
danha Marinho. >
1 de janho
O senado approvoa hontem em primeira dis-
cusso o projecto augmentando o ordenado de
empregados da caixa de amortizacao, e em ter-
ceira discusso as proposiedes que approvam aa
penses concedidas as viuvas docooselbeiro Jos
Lino Coutinho e general Francisco da Fonseca
Pereira Pinto.
Entrando em primeira discusso a fixaco de
forcaa de Ierra, oraram os Srs. Ferraz, mioislro
da guerra, Souza e Mello e D. Maooel, e ficou
encerrada por nao haver numero para votar-ae.
A cmara dos deputa ios adoptou hontem, de-
pois de algumas observagoes dos Srs. Luiz Car-
los, Salathiel, Cirvalho Reise baro de Mau, o
projecto que approva o contrato celebrado com o
baro de Mau para a illumina;o gaz da ci-
dade do Rio de Janeiro, coojuoctamente com as
aeguiotes emendas :
Ao artigo 4.aDigs-se nev velas de conta,
aegundo estabelecem os dados seguioles.Baro
de Mau.
Ao art. 16 acrescente-se :a em nenhnma
hypothese sero obrigados a pagar mais do qae
actualmente pagam.isto na razo de 8 res
por cada p cubico de :gaz consumido.L. Car-
los.
Approvou depois em segunda discusso o orca-
mento na parte relativa ao mioiaterio do impe-
rio em todos os aeua paragrapbos, menos aquellea
que consignan] quantias para auxiliar a publica-
cao das obras dos Drs. Antooio Corres de Lacerda
e Uartios. As emendas impressas da commis-
sao foram tambam approvadas, excepto a que
eleva a verbaEventuaesa 30:000$.
Occupou-sa ltimamente com a segunda dis-
cusso doorcamento na parte relativa ao minis-
terio da justica. Orou o Sr. Paranagu, fleando
a discusso adiada pela hora.
Esto inscriptos com a palavra os Srs Sayo
Lobato, Silva Nones, Carro, Saraiva, Bezerra
Cavaleaoti, Figueira de Mello, Junqueira, Mar-
lim Francisco, Fialho, Correa de Oliveira, Lima
Duarte, Brtss, Silveira da Motta, Lesss, Espe-
ridio, Nebias.J. Hadureira, Barbosa da Cuatis,
Aragao e Mello, Diogo Velho. Costa Piolo, Paula
Fonaeca, Taquea, Teixeira Juoior, Pinto Lima,
Salalhiel. Pinto de Campos e Angelo do Amaral a
favor ; e contra os Srs. Martioho Campos, Flix
da Cunha, Dantas, Rodrigo Silva, Siqueira Meo-
dea, Saldaoha Marinho, Henriques, Fernandas da
Cuoha e Braodo.
Celebrou-ae hontem a sesso aonual da acade-
mia imperial de medicina,honrada com a augus-
ta presenca de S. M. o Imperador, no paco impe-
rial, e segundo o programma publicado.
Foi elevada a |f 01o a laxa do descont no
bmeo do Brasil.
Esta medida, segundo nos consta, provm da
falta de notas do thesoaro que senta o ban-
co em suas calas para acudir s necessidides de
troco.
O senado approvou hontem, em terceira dis-
usiao, as proposiedes relativas dispeosa de la-
cpso de tempo aoestadsnte Joo Joaquim Ramos
da Silra.e aalorisando a coocesso da carta de
nataralieacao de cidado braaileiro a diversos es-
trangeiros ; e em primeira discusso os parece-
rea: sobre a coocesso de ama graiificaco ao
empregado do cenado Eduardo Antonio da Pa->
dua; mandando archivar mappas do preparo, as-
r6atura e substituido de notas do thes'iro ; e
indiHenndo os pedidos de coocesso de Heras
1 eilos pela mesa da casa de Misericordia Por-
to Alegre, religiosas Ursulinas da Soleda e c-
mara municipal de Paraga.
Entrando em primeira discusso a pro, co
qua restabeiece as juntas de justica milil foi
regeitada, depois de ter fallado contra oSr. Sou-
za e Mello.
Paaaou em primeira discusso a proposta do
goveroo que fixa aa torgas de Ierra para 1865 a
100*, e entrou em segunda discusso, na qual
lomaram prteos Srs. marquez da Casias, Fr-
raz, miDistro da guara, D. Manoel e Silveira da
Motta, ficaodo encerrado o debate aobre os qua-
tro primeiro, artigos, mas nao se volando por
nao haver casa as duasborsse um quarto.
Acamara dos Srs. deputados oceupou-se hon-
tem com a discusso do parecer da commissao
de podares sobre te eleicOes dos eleiiores das
treguezias de Nossa Seubora da Lpa e de Nossa
senhora da Concedo, da villa de Cabeceiraa, da
provincia da Parahibs. Oroa o Sr. Aragao e
Mello.
Continaou em seguida a dscessSo do orgamen-
to oa parta relativa ao ministerio da justica. 0-
raram os Srs. Sayo Lobato e Dantas.
Ambas as discusses fiearam adiadas pela hora.
Da ordem do dia n. 319 publicada ante-hon-
tem pela repa rtigo do ajudanta geoeral consta
o seguinta:
Nomeaces : dos Srs. alferas do esqaadro
de cavallana da provioeia da Bahia Boaventura
tjuilhermino de Cerqueira e Silva para ajudanle
do mesmo esquadro ;
Pedro Raatelli para o lugar de almoxarlfe
do arsenal de guerra da provincia da Bihia. De-
creto de 7 de junho.
f Exoneracoes : do Sr. tenente do teroeiro re-
giment de cavallaria ligeira Bento Machado Go-
mes, que se acha nesta corte, do emprego de
ajudaote de ordens do commando das armas da
provincia de Matio Groaao, deveodo ir reuMr-se
ao sea regiment.
U Sr. major Agostinho Maria Piqaet assumio
hontem interinamente o commando do primei-
ro regiment de cavallaria ligeira, do qual ae
achiva licenciado por docnte.
3
Proseguio bon tem no senado a segunda dis-
cusseo da proposla fizando as torgas de trra
para o anno de 18631864, sendo approvados
todos osseus artigos. Passaodo-se a tratar daa
emendas da cam ara dos deputas, depois de algu-
mas considera goes dos Srs. Ferraz sobre os a'*13
6, o 8. addiliv.os. e do Sr. -inislr0 da gBerr'a ,
reipiio deste ultimo, foram tambem approvadae
todas aquellas emendas.
Hontem nao nao houve cesso na cmara dos
doputados por faltado numero legal.
O sensdo oceupou-se hontem em trsbalhss de
commisses.
Cootinnou hontem na cmara dos deparados a
discusso do parecer da commissao de poderes
sobre aa eleigoea de eleitores das freguezias de
Nossi Senhora da Luz da Pedra Lavrada, e da
Senbora da Cooceico da villa de Cachoeiras, da
provincia da Parahiba. Orou o Sr. Carneiro da
Cunha.
Continuo u depois a discusso do orcameoto na
parte relativa ao mioiaterio da justiga. Oraram
os Srs. Silva Nunes e Feiix da Cunha.
Ambas as discusses ficarsm adiadas pela hora.
Foi concedida sociedade Bene...enca e
rerfeita Amizade autorisaco para continuar a ex-
ercer suas funegoes, e approvago dos seus esta-
tutos.
Foi concedida ao Rvm. bispo conde capelloe
mor autorisago para continuar a promover e
aceitar esmolas para a associago estabelecida em
Franca, sob a denominago de Obra da Santa In-
fancia, que lem por fim o resgate dos filbos dos
inflis na China e em outros paize3 idolatras.
Foi concedida autorisago ao conaeiho creado
nesta cidade sob a presidencia do Rvm. bispo
conde capello-mdr, e representante da associa-
gao estabelecida em Pars sob a denominago da
Obra da Propagago da F, para promover e acei-
tar esmolas para a mesma associago.
Por decretos de 2 do correte, foi exonera-
do Sr. conselheiro chefe de diviso Josnuini Rai-
mundo de Lsmare, a pedido seu, do lagar de
membro elfeciivo do conseibo naval, e nomeado
para o referido lugar o Sr. conselheiro chefe de
esquadra Josquim Jos Igoacio.
Na meama data foi nomeado o Sr. capilo de
mar e guerra Franciaco Cordeiro Torres e Alvio
para commaodar a eatico naval da Bahia.
5
O seuado oceupou-se hontem em trabalhos de
commisses.
Continuou hontem na cmara dos depnlados de -
pois da eleigo da mesa, quo nao soffreu altera-
do, a discuaso do orcameoto na parte relativa
ao ministerio da justica.
Oraram oa Srs. Carro, ministro respectivo e
Ko Irigo Silva, ficaodo a discusso adiada pela
hora.
o primeiro sargento do corpo de imperiaea mi-
rmheiros Joa Antonio Mooteiro, com o sold
por inleiro, correspondente soa crasse, e o im-
porial marinbeiro de primeira classe do corpo da
provincia de Mato-Grosso Gongalo Paea de Cam-
pos, com urna peotao igual melada do reapec-
tivo sold.
9
O senado ocenpou-se hontem com as materias
que constara da acta publicada no lagar eoffiM-
lente.
A cmara dos deputadoa approvou bODtem o
orcamento na parle relativa ao ministerio da iur-
tiga, coojunctamente com as emendas da com-
missao, depois de ter o Sr. Bazerra svalcacl
fundamentado um requerimento pedindo infr-
macoes ao goveroo acerca de am processo de a ve--
riguacee poiiciaes feitas ns Parahiba do Norto
por occasiao do supposto enveoensmentoe ima-
ginaria reisurreico da fallecida D. Maria Umbe-
lina de Albuquerque Maranhao, e ter approvado
oulro do Sr. Gomes de Souza, pedindo ao go-
verno oa documentos que acompanharam o rela-
torio do capilo teoente GabagHe, relativo ao di-
que e psrlo do Maranhao, bem como toda a cor-
reapoodencia official havida entre o meamo capi-
lo lente e o Sr. x-miniatro da marinba o
conselheiro Joaquim Jos Igoacio.
Conliouou ltimamente a discusso do reque-
rimento do Sr. Tavares Beatos, oflerecido na ses-
so de 28 do paasado, sobre aa oceurrencias lti-
mamente dadas acerca da siluagao definitiva do
eatabelecimentodollapura e da nivegago a va-
por no Alio-Paran. Oraram os Srs. Saraiva,
Paranhos e Tavares Bsstos, ficando a discusso
adiada pela hora.
Foram nomeados:
O bacharel Joaquim Aotonio da Silva Barata,
juiz municipal e de orphos do termo de Gurupa,
na provincia do Para.
Roberto Heskett Sobriobo, contador e dis-
tribuidor do termo da capital da mesma provin-
cia.
Joo da Rocha Valle, tabellio e eacrivo de
orphos e mais annexos do termo dos Picos, ns
provincia do Piauhy.
O major reformado da guarda nacional da dita
provincia Jos Pereira da Silva, commandante
superior do muoicipio de Jerumeoba.
Foi recooduzido no lugar de juiz municipal e
de orphos do termo da Marica, na provioeia do
Rio de Janeiro, o bacharel Antonio Lopes Perei-
ra da Silva.
Foram exooerados:
Philioto Leoncio Vctor Pereira, da serventa do
Officio de escrivo das eiecuges civeis e crimes
da capital da provincia da Parabyba, por assim o
ter pedido.
Foi promovido ao posto de tenente-corooel do
batalho n. 68 da guarda nacional da provincia
da Bahia o capilo do mesmo batalho Jos Flix
Pereira de Araujo.
Foram reformados:
No posto de coronel o tenente-corooel da guar-
da nacional da provincia de Minas Geraes Domin-
gos Dioiz Couto.
No de capito, o tenente quartel meatre do se-
gundo batalho de reserva da corta Vicente Xa-
vier de Carvalho.
Foram perdoadas:
A Bernardo Jos Pereirs de Figueiredo, a pena
de dous mezes de priso e mulla, a que foi con-
demoado pelo juiz municipal da primeira vara da
corte.
A Joo Peixeto da Costa Braga, a da dous an-
nos e dous mezes de priso e mulla imposta palo
jury do termo de S. Joo do Principe, na provin-
cia do Rio de Jineiro.
Por decreto da 30 de junho prximo paassdo
foi concedida a demisso que pedio o Dr. Fran-
cisco Adolpho de Azevedo do lugar de 2' cirur-
gio do corpo de saude da armada nacional e. im-
perial.
Por decreto di meima data oram r",nna4o*;
O paquete Mersey, entrado hontem do Ro da
Prata, trouxe datis de Buenos-Ayres at 28 e
Montevideo 30 do paasado.
A questoquea todos preoecupava oa primeira
deslaa cidades era a da futura capital da Rep-
blica Argentina.
O projecto da commissao do senado propaoha
para capital o territorio onde enteslam as provin-
cias de Buenos-Ayres e Santa F, comprehenden-
do um districto de cem leguas de urna e outra,.
dentro do qual ficariam S. Nicolao de los Arroyos
e o porto de las Piedraa, o melhor daquelle li-
toral. Posto em discusso foi este projecto com-
balido pelo Dr. Velez Sarfield, senador por Cor-
dova, que propoz para capital a povoaco de S.
Fernando, na provincia de Buenos-Ayres, com
2JS2* d!"."a,r-.'.eg...q..-.dr.d... r.
u....u, como fosse possivel eslaa deas opinies
vollou o projecto commissao, que sa tirou da
difflculdade, modificando apeoas a proposla pri-
mitiva na parte relativa desigoago da capital,
que deixou inteiramente diecricao do cenado,
formulando aasim o artigo Ia, conservadoa quasi
lodoa oa outroa na aua substancia. Declara-se
capital permanente da repblica.... Singular
modo de illucidar urna cmara.
Terminando o que se poderis chamar guerra
nacional, prnciptou j urna provincial em Cata-
marca, cuja campani.a se acha sublevada.
Oa faclos de alguma importancia occorridos do-
rante a quiozeoa no territorio da repblica vera
asas iodividualisados oa carta do nosso corres-
pondente psra podermos para ella remetter os
leiloree.
No Estado Oriental reeignou o Dr. Arrascaeta
as pastas que accumulava dos negocios do go-
verno e estrangeiros. Acerca dos motivos que o
leveram a dar eate passo, nada ae sabia ao certo.
uizia-se que tendo elle proposto s cmaras a
aeparagao das duts paalas, que desde o juramento
da conatiiuigo tinham andado unidas, projecto
qM alias foi approvado, e havendo por easa oc-
casiao alguna depulados da opposico sustentado
""V 0ParS dell 6 a tornavam necessaria
a nhabilidade e insuficiencia do mioistro para
servi-las, t retirara este em seguida por um ex-
cesso de delicadeza. A razo nao parece assaz
forte. Sobre os successores apenas conjecturas
se imam.
Depois da saa prorogago tinham as camaraa
votado, entre outraa lea, urna adoptando o sys-
tema mtrico decimal de pesos e medidas; outra
tizando a celebraco das testas nacionaes cada
quairo annos ; outra reconhecendo a divida aos-
legionarios estrangeiros do tempo da ultima
guerra ; outra concedendo um privilegio para a
industria da seda ; e anda outra para os advoga-
dosque tverem pareoteaco com os juizes pude-
rem advogar sem impedimento.
Disculia ae o orcameoto, em que pouess alte -
ragoes se haviam propoato ao do anno anterior.
Comegava-sea prestar alguma attengo agri-
cultura, lendo-ae j extrahido mel e cera de boa
qaalidade.
A questo entre Calvo e Perce, penda dos tri-
bunaes, a que este ultimo recorrer.
De outros pontos nao encontramos noticia qao
vaina a pena referir.
Por decretos del e 2 do corrente foram no-
meadoa:
Bacharel Luiz de Hollsoda Cavalcanti de A1--
buquerque, segundo official da secretaria de es-
lado doa negocioa da fazenda ;
Conselheiro Antonio Jos da Ben, fiseal das lo-
teras da corte.
Luiz Antonio da Silva Guimares, membro do
conselho inspector e fiscal da caixa econmica a
monte de aoccorro eslabelecidos nesta corte.
Marciano Pacifico de Moraes, procurador fiseal
dos terrenos diamantinos da provincia da Babia,
em sabslitaico do Dr. Nuno Freir Maia de Bit-
teocourt, que obteve a exonerago que pedio do
dito lugar.
Pelo vapor Brasil, entrado hontem dos portoa
do sal, recebemos dalas de Porto-Alegre at 29>
do paasado, do Rio-Grande at 2 e de Santa Ca-
Ihanna at 4 do corrente.
As noticias sao deatituidas de intereise.
Na provincia de S Pedro do Sul corngera no
da 4 do paseado o julgameoto doa indiciados nos
assassioatos de S. Luiz ; no dia 8 anda continoa-
vam os interrogatorios e debates.
O Dr. Berosrdo Augusto Rodrigues da Silva
juiz municipal da Cruz-Alta, ecbava-se reslabe-
lecldo dos fermentos que recebera ; nada, po-
rm, se havia descoberto anda acerca do crime
de que fdra victima.
O Correio do Sul de 26, dando noticias de Ita-
qui, por via do Algrele, diz :
J A ,*ur8DQ8 publica parece nao ser satisfac-
toria. Tioha sido espantado am moco por sus
penas de perlencer sua iavra urna correspon-
dencia do Algreteme. Um guarda da slfandega
fdra gravemente erido por um Correotino, qao
dera-ihe urna terrivel pancada na teats. O ag
greisor foi preso, e o ferido eslava j livre de pe-
rigo.
Dera-se tambem um assassinato, matando
um Hespsnhol a am pio, e enterrando-o clan
deatinameote. Descobriram todava o delicio, o
achava-se preso o criminoso.
No dia 14 suicidara-sa pnr estnogulago ura
sujeito qae gozava, dizem, boa reputago e es~
ma, e que deixou urna numerosa familia.
L-se oa mesma folha :
< Sao de 8 de maio as navidades qua Mvemoa
hontem da Uruguayana....
De oito de maio. quando da mesmi data II-
yemo-la ha dias de Londres, quando as temos da
Lisboa at Irttt \___
9U iil 6 que sao commnicages rpidas,
oa nao entendemos nada de communicacee.
< O commercio calara paralyaadisalmo : a sl-
fandega em abril rendir a qua-jiia de 6 3Si373.
Santia-ae multo a falta da moeda ; a exporlago
liaba sido mosquinos e iKiporlaco aulla*
-
MUTILADO




bUai DE PBRHAMBCO. I- SBITA PEiU lg DI JULIO DE uei.
.
.
V
\
y
O Uruguay concorrla par iaso, conservando- 1
no ouramameBte bU,
_J Nada "l,brr- o socego publico. A gaaroi-
SeYen*-*- *> taoenle-coronel4oiioio
pw c0 noUr pelo sen comporta-
we .o. ectlvidede e dieciplioe.
Tivemoa hootem o A#* ceme de 14 a 31 de
Blai.
< Neuhum aucceaao de maior quentia le iluta
sequella fronteira.
O Algrete inaugurara o seu primeiro thea-
lro publico, ntida mal acabada.
Derem-lho o Ululo de Imdtptndtna, e fui
eetreedo no da 29 do piando pela cocnpashk
Brochado com o Frei tniz de Serna,
Annanciava-ee o estabelecimento de ama
linha de diligencias entre Pelolaa e aquella ci-
dade
De Baj escrevem em 19 o Diario do Rio-
Grande, f
O jurnal Aurora fez vu>% parada da miie de
juioze dia, e corri comoterlo que ia deixar de
todo de epparecer I
O aatado agitado do D. Pedrito tioha melho-
rado conaideravelmeote desde que all chegro o
destacamento de lioha mandado pela pretidencia
da provincia o
Ld-se na mesma folha de 21:
Maia um triste e lamentavel veccesso 1 Hoo-
tem pela urna bcra da larde foi encontrado motto
com um tiro de eapingarda no pescoco, na Ilha
ios Marifihelras (chicara do 9r. Emilio de Costa
Tinto), Facundo de Barrica, inhado desse se-
uhor, e irmeo do Dr. Joo Valentim de Barrios.
At o momento em qae escrevemoa eataa linhaa
ignorase o motivo que dea lugar a um lo trate
scontecimento.
Tinha asado a publicarlo da Lei, folha do Ja-
guaro. O Commercwlao Rio-Grande augmen-
tara de formato.
De Sania Catberioa inda temos que noticiar.
Conlinuou hontem na cmara doa depulados a
discusso do parecer da commieso de poderes
obro aa eleicoes de eleilores daa fregueziaa de
NoeaaSenhora da Luz da Pedra-Lavrada eda Se-
escalla pelo Rio do Janeiro, e lado iito em poe-
co mata de trea annos.
* Cok*jU que a tripolacSo seguir bfev mDle
?Wt Lisboa no brigue Flix Venturo..teodo-se
isTelado o respectivo consol pottouei e o con-
signatario em soccorrer os nati[r-ag0.
Por ora nao toosta hc.erem salvados, n9o
obatante as pendencias 4.fl1, conseqtaancia
lo dM seg pata o lugar o amistro o goerda-
Ojr da allende ge Acata etearje.
,'W fallar aro navios, des la m o vapor Oy a-
pock cbegadobootosa cota pnenla reguJMMaSe
uso conduca s as* le a da fiairepe, o que aw ver-
dade, auaoai^ravaa treeaeteroee vo cosMaarcio,
smela ndc-*e tato a Unreolaveje ewtciae,
viadas dessa praca sobre as fraudulencias baoca-
riaa ahi auccedidsa e qe aqu tem produzido mi*
oa menos pnico de bootem para boje.
J que toco em negocioa commerclaee, esta
praca felizmente sai proaegaiado com maia ani-
mo em suss trsnaaccdes, e spsnss ltimamente
se abri fluencia casa de negocio a retalho de
Sebaetio Joa Salgado Guimeres.
< Os gneros importados tem oblido precos fa-
voraveia e alguna mui ventajosos ; na exporteco
os arligoa do paiz tambera tem aido mais ou me-
nos procurados regalando por tinquelo a gom-
ma elaatica de primeira qualidade de 208 por ar-
roba.
< Noticioi-lhe na minha ultima, o que corra
nesta cidade acerca do fallecimeuto do vigerio do
Moj, padre Angelo Custodio de Souze, que se di-
zia haver sido envenenado.
Abaiio vai transcripto o exame legal man-
dado proceder pela polica naa vieceras do dito
padre as quaes foram remettidas para eata cida-
de pelos mdicos, queseguiram para o lloj para
fazerem a autopsia no cadver.
< Sis o relatorio, e delle ver que o vigario
falleceu da am ataque repentino :
Gs ahaixo .signados, doutores em medicina
Francisco da Silva Castro, Antonio Joaquira Go-
mes do Amaral, Americo Uatques de Santa Roaa
e pharmaceulico Vicente Tedeschl, domiciliarios
nesta cidade de-Santa Mara de Belm do Grao-
Par, notificados pelo eacrivo Marcelino Mar-
aera da Conceicao da villa de Cebaceiras, da J quea de Lima por ordem do Sr. Dr. chefe de po-
=
provincia da Parahybe. Orou o Sr. Heoriques.
Conlinuou tambem a discusso do orcameoto
na parte relativa a o miniaterio doa negocioa es-
trangeiros. Oriram os Srs. ministro respectivo.
Amaro da Silveira e Tavarea Bastos.
Ambas as dtscuaeea ficaram adiadaa pela hora.
t(, .Foram ooroeadoa
Joao Baptista de Oliveira, coronel comman-
dame superior da gaarda nacional da provincia
ale Malto-Crosso ;
Luciano de Oliveira Guedea. tenente-coronel
commandaote do batalho n. 38 de infantera da
guarda nacional da Baha.
Foi concedida ao bacharel Luiz de Hollanda
Cavalcaoti de Albuquerque a demisso que pedio
4o lugar de juiz municipal ede orphaos do termo
no Nilheroy.
11 -
Por falta de numero legal nao houve hontem
secao em nenhuma das dues cmara.
Por carta de 21 do paesedo foi agraciado com o
titulo de barode Villa-Baria o Sr. Joequim Jos
Comes de Silva, fazendeiro e negociante na pro-
vincia de Matto Grosso.
Por decreto de de 9 do carrente foram nomea-
oos :
! escripturario da thesourria do Paran, o 2o
dito Maooel Duarle Boga do Valle ;
2' escripturario da iheaouraria de Mioas-Ge-
sfaes, o 3o dito Joaquim Antonio Pereira de
Faria ;
'2* escripturario da de 8. Pedro.o 3dito Joaquim
Antonio Vasquea.
Por ttulos de 7 e 8 foram nomeados :
Liz Joaquim Justioiano Ozorio e Jacintho Au-
aiato de Macedo Paea Leme, officiaea de descer-
ca de alfandega da corte-;
Honorio Alonso Baptiata Franco, praticaole da
recebedoria do Rio de Jaoeiro ;
Joaquim Lucillo de Siqueira Varejo. Francis-
co Lauro da Silva Costa, Antonio Aprigio da Cu-
cha Maciel e Narciso Duperroo, pralicanles da
tbeeouraria de Peroambuco;
Heorique Barbosa de Amorm e Irino Porfirio
da Costa, amanuense da secretaria da thesouraria
do Amazonas:
RamiroCoelhoTorres,3aaerip'.urario da alfan-
dega de Aracej.
No dia 12 do correte partir para a Babia a
corveta a vapor z?6r6, conduiinJo e ser bor-
do o Sr. capito de mar e guerra Francisco Cr-
deno Torres e Alvim, nomeado ebefe daquolla
eetacao naval.
No menino vapor regressar o Sr. chefe de di-
vieso Francisco Manoel Barroso da Silva, nomea-
do chefe da eetacao navel brasileira no Rio da
Prate, para ondo seguir na fragata a vapor Aa-
xona?.
Succumbio hootem de madrugada a looga e
penosa enfermidade, o Sr. Dr. Justioiano Jos
da Rocha.
Geralmente estimado, por amitos ser sentida
a sue falta ; Unte da eecola mllitir, deixa vivas
saudades a seua discipuloa, que todos opresavam
em muito; pai de familia extremoso e dedicado
aei sempre chorado por aqueltes para qaem
rreparavel a sua perda. Conquistando na aocie-
dade urna posic,3o [urca de trabalho e de cons-
tancia, e sendo dotado de nao vulgar talento,
hegou a ler asenlo na camera dos depulados
locaosavel as lides da imprensa a que se votou
desde verdes annos, por tode ella ser pranteado
como um dos seus maia estrenuos campeea,
agora que a morle veio impor silencio s rivali-
dadea e correr um audario por sobre rs divergen-
cias de opinio e em particular o Jornal do Com
mercic, de que o fioado foi colaborador durante
quasi um quarto doseculo, guardar com religio-
so respeilo a sua memoria.
O corpo licou depositado no cemiterlo de S.
Francisco Xavier, tendo pegado ao caixo os Srs.
Viannade Lima, conselhelros Sayao Lobato, Ta-
ques e Josioo, e senadores Firmtno e Silveira da
llotta.
U.ftRIO DE PERNAMBUCQ.
Temos a vista cartas e jornees do noria do im-
perio, dos quaes foi portador o vapor Oyapock.
ntrado hontem, com dates : do Amazonas 23 do
paseado. Para 8, Maranhio 10, Caer 12, Rio
Crende do Norte 15 e Perahiba 16 do corrente.
Eis o que dellea colhemos :
Amazonas.A provincia gosava de paze tran-
quillidade. Continuaba com actividade a cogs-
ruccao da matriz de TefT, empreheudida casta
dos habilantee da freguezis.
Para.A mlnuciosidade com que desereve os
fsetos occorridos o nosso correspondente, dispen-
sa-nos do extracto dosjoroaea:
Continua esta provnola em falencia de novi-
dades de maior considerado; felizmente ludo
prosegue em paz e ieto na verdade 4 am bem para
todos.
VeriQce-se a noticia que aqui ooa trouxo o
vapor Cruzeiro de Sul, de haver naufragado no
baixo deoominadoS. Joiosnhoentre esta e
a provincia do Maranhio o brigue portnguez Li-
jeiro 11.
Este navio aahira de Liaboa a 25 de maio
e navegava com prospera viagtm at ao dia 18
de junho fiodo, quando na altura da liaba, j
prxima deate porto, abri age e com tal impe-
to que o servico des bombea era inaignicante
para lhe dar vallo.
a O capito pois procurou encalhar o navio na
primeira praia prxima, e oconeeguio na ilha
mencionada, por j nao poder alcanesr a costa do
Para ou Miranuo.
* No fim de vinte eseis horas, siltarem tripo-
laco e passsgeiros em namero da vinte peseoes,
para lancha e boles, deixapdo o navio adornado
sobre a ilha, como o encontrara o Cruzeiro do
J$%1.
A lancha e os boles nao forsm munidos dos
aecessarios aprestos, em coosequencia da preci-
piteco da geale ao abandonar o brigae e porieao
cuatoso lhes foi alcangar a Ierra, o que consegai-
ram no Qm de dous dias e depoie de baverea
passado por grandes privaces a riscos, avistando
nal a canoa dos praticos que o* conduzio as
atalioaa, eetacao destes, onde forsm bem tratados
se demoraram o lempo preciso para segulrem
ta cidale aonde chegaram na manha do dia 27
Me juuho prximo passado.
c Felizmente nao houverarn victimas a lamen-
tar e o capito apanaa poda salvar a maia a al-
guna papis de bordo, e os pasaageiros a roupa
< O brigue Ligeir II era de primeira.marcha
novo e mui elegante); liaba seto viagsns para
ata porto, urna para Inglaterra, sendo a sua es-
*rM para t ladU, aonde oz urna Tiagaoi con
licia interino, comparecemos no dia 26 do pre-
sente mez pelea 9 horas da manha na ra dos
Hercedores em a pharmecie e laboratorio cbimi-
co Tedescbi; e ahi em presenca do Sr. delegado
suppleote de policia do termo desla capital, Dr.
Marcello Lobato de Castro, e do dito escrivo Li-
ma, depois de prestado oiursmeoto da lei, fomoa
encarregadoe pelo dito Sr. delegado de policia de
reconhecere verificar se as vceras (estomago e
parte do flgado] do fallecido padre Aoge'o Cus-
todio de Souza, que nos eram entreguee, encer-
radas em doue vasos de vidro, tapados, lacrados,
rubricados e sellados com o sello da polica, se
deparara com algum veneno capaz de explicar a
ciase de morte rio dito padre occorra repenti-
namente no die 17 deste mez na freguezia do Mo-
ju, onde elle resids, e (ora sepultado.
E logo depois comecando ne a proceder e
neceeeariaa investigares, exso.es, e analyeee,
reconhecemos que u'um dos vesos se echeva o
estomago mergulhedoem alcool apresentaudo es-
te urna cor sanguinolenta. O estomago eslava in-
leiroe ligado em ambaa asextremidades cardiacas
e pylorie, eo seu exteriorinteiramente descorado
pelo alcool. Aberla a vieera encontrn-se den-
trourna porcode massa alimentar, molle, chy-
mificada e em estado de fermenlsgao, bastante
go duroea, pesando 15 oncea approximadamente,
narqualse distingua perfeilameole farinhe bran-
ca, arroz, pedacoe de carne muito reduzidos e ce-
bolla!. A mucosa do estomago eslava paluda e
cooeisteute, nao denota va a menor lezo.
A dita massa alimentar eervio pare as se-
guales operases chimica, fazendo-se experien-
cias, e anelyses no sentido da percorrer a escala
das cinco ordens de substancias toxicas mais
procuradas para flus veneScos, teea sao ae prepa-
rares de mercurio, cobre, antimonio, e arsni-
co, passando-se a eflectuar de mant-ira que si-
multneamente te pesquizassem as ditae substan-
cias, o que se fez pela forma aegainle. Tomou-
ee parle da massa alimentar molle, e fez-se fer-
ver por espago da uuia hora com oflmde coagu-
lar a materia orgnica n'll coBTJaTTa^iTfla^ieTVSToTlotel da nporUcSo
estriar, e misturou-se com igual volume d'al-
cool a 40*. pare coagular o restante da materia
orgnica, e reter o arsnico, no caso de que ali
existiese ; Dltrou-ee o liquido, guardeodo-se ae
materias coaguladas pelo calor, e pelo alcool. O
liquido filtrado foi dividido em duas partes, urna
que ae acidulou com algumas gottas d'acido chlo-
rydrico, e que se aubmetteu a urna corrente de
gaz acido aulphydrico por eepaco de urna hora, a
qual depoaitou, passadas algumas horas, um pre-
cipitado braoco, ligeiramente amarelio, esa ve-
ri ficou ser o enxofre, pois ustulando eesa resi-
duo, depois de filtrado o liquido, se deeenvolveu
o cheiro pronunciado O'acido sulphuroso, nao se
tendo manifestado o sulphurelo d'arsenico, que
tena apparecido, se ali existisse o acido erseoio-
so. A outra parte do liquido filtrado foi evapo -
redo secura, e dissolvido o residuo em sgua
destillada, para ae proceder a ulteriores investi-
gacoes.* soluto assim reparado foi submetlido
aossegaiotes reageotaa, que denunciaram ausen-
cia absoluta dos saes de protoxtdo, e bi-oxido de
mercurio, pois, se existissem, deveriam offere-
cer os eeguintes precipitados,nos de proto-
xido
Io Pela potasse, precipitado negro.
2* Pelo ammonieco, idm, idem.
a 3* Pelo acido chlorydrico, idem branco.
4" Pelo iodurelo de potasse, idem amarelio
nos de bixido;
1* Pelapotassa, precipitado amarelio.
2o Pelo ammoniaco, idem branco.
3* Pelo iodurelo de potasas, dem vermelho.
Estes ensaios foram depois confirmadoa por
enslyses comparativas, a qae se procedeu por
meto de um liquido, que contiena dous graos de
bichlorureto de mercurio.
Paesemos depois a noves indsgacdes por dif-
fereote meneira.Tomemos perte do estomago,
eo Qgado, que tambem se achava encerrado em
outro vidro com alcool, e carboniaamoe pelo pro-
cesso [de Flandin, a Dangir, introduziodo o'a-
me capella em pequeos fragmentos parle dae
visceres cima mencionadas, pezando duas on-
css, a que se addicioooa a sexta parte do seu
peto d'acido aulphurico. Assim que se obser-
vou, que a maesa se ecbava redonda a carvo
eecco, e friavel, ejuotou-selhe. ama pequea
porco d'acido atotico, que se evaporou de novo,
e o producto foi tratado pela agua destinada a
queote, efim de se dissolver toda a meterle solu-
vel; e filtrado depois esse liquido, foi parte ana-
lysado de novo pela meima forma empregada e
cima descripta para os saes de mercurio, nao
se observando o mais leve precipitedo, que indi-
carse a existencia desses saes, o que anda nos
foi confirmado pela experiencia feita com a la-
mina de cobre pollida, a qual se deveria ter co-
berto de urna carnada eebreoquicada, que se tor-
nera argentina, e eapelhenta por meio da fric-
cot e depois se evaporara pelo calor do fogo, o
que nosuccedeu.
Segoio-se a analyse para o descobrimento
dos sen de cobre, tratando outra parte do liqui-
do filtrado,
a t Pelo
azul.
2o Pelo cyano-ferreto de potasse, qae darie
precipitado cor de cestanha ; os resultados po-
tm forsm negativos.
Voltamos eoto nossa attencio para oa saes
de chumbo, empregando o aulpheto de soda, a
potisss, e o iodurelo de potasas, que oenhum in-
dicio deram da existencia de semelhantes saes.
Falta va descubrir esse terrivel veneno, o
maiaconhecido, e procurado pelos milfeitores, o
acido arsenioso, que tantos estragos tem promo-
vido no aeio das sociedades, e por isso se calcu-
la, que dona tercooa doa envenenamentoa so-l
por elle produsidos. Tratamoa eulo outra par-
te do liquido pelo acido lalphydrico, a nos daa
o mesmo resaltado que da primeira vez.
Fizemos depois funceionar o infallivel appa-
relho de Martk^ Antes de ae introduzir no ap-
parelhoo liquido em anelyse, pera confirmermoe
a pureza doa reageoles empregados, incendiou-
se a corrente do nydrogeneo, cortou-ae achar-
me repetidas vezes com ama capsula da porcel-
lens, e nenhuma mancha ae apresentou, que in-
dicasse a sue impuresa.
Pello isto, introdazimos por parcellas no ap-
parelho o liquido suspeito, incendiamos de novo
a corrente do hydrogeneo, e cortada, como aci-
mieoe, que no grupo daa cinco ordiM de toxi-
cas j meocionsdos, e procurada, mercurio, oo-
bre, chumbo, antimonio, e afseCnco, aenhatn
vestigio dalles ae encoolrava oea viKeras, que
foram submettidaa nossa aoalyso.
Quemo existencia de toticoc otajoBkoa, nada
podemos indagar por falts de meios necesserios
pera a descoberte 9a aremrhantet torpoc. *
eolanto % de presumir, qw naoaoli se eocon-
tressa desees WKnaa subtis, qaetaalem quael
iaaeaMooeement, UM comooaatWo c^anfiy-
ne-
das
ca-
provlode dslrlbalcla dot^^em,,,, coSferidos
53Tm^ nancaaa prttwir etpmicf o
^T". ***** bolera ais o qae colhemos
JJpafsjWcacossfeitt pelos jornaes da
ucr.O mal a'.na-se auati axtincto.
..rtV,,a-,Per,,ra--**nd,ii IWk.*djaieiii der
r Carirl.-.j havkam asoaaTeaJato *
como* astido cyanhy- maa be'diB0os ""
d&e! y.aaa^lfla, alosaida nao aerean a*rBctoc eeaa, cue asieje aVj de MaUoS( teMD>^rajad Ifesmenegildo,
eaafvcence de astatquer, ao lamostm deiconhe-. -
estes pare a uaeior patle da^sooua, e aesmo>\-
guos delles nao sao encontrados aqui, era ata-
da as propriae phafmacwv.
Demos pois por terminados no dia X? do cor-
rente mez de junho todoa os lrab','nos come-
gados no dis 26, que sobre a nuleria podetia-
mos tentar, para a deacobrimenlo desejado.
' eem duvida bastante lizougelro para a eci-
encia peder mailas vezes f aclarecer aa queeles
do fdro judicial por meios que s ella possue, o
qus oulros nao podem supprir. Os eperfeicoe-
mentos da chtmica, o a sua importante applica-
(o i toxicologia tem elevado eata parlo da
medicina-legal a um grao de certeza, que lhe
faz grangear a maia subida considerado nos tri-
bunees. E' de todas lembrada, a iofluencia, que
Or/ila exercia ne Frence todaa aa vezes, que era
preciso consulta-lo nesse especialidad, e O pro-
cesso de Mme Laforge, e outros, bastante im-
presso deixram no mando selentifico. Pro-
nuncar-se p jrtaoto o perito em queetdea de to-
xicologia, repreeenter a aciencia com lodos os
recursos de pro vas de que ella capaz, cooforme
os meios de que se poder dispor, como succede
ns questao verlente.
Pora. 28 de junho de 1862
Dr Francisco da Silva Castro. Dr. Antonio
Joaquim Gomea do Amaral Dr. |Ameiico Mar-
ques de Sent Roaa.Vicente Tedeachi.
ltimamente tem havido nesta cidade um
calor por demaia abrasador; algumas pessoae tem
eoftrido bastante com eete alteracao athmosphe-
rice, teodo-se dado algana cases d'ftpoplexie ful-
minante.
O rendimento d'alfandega no mez passado foi
o constante do quadro seguiale. assim como o mo-
vimento doa portoa e dos navios abalxo declara-
dos.
Importacao ....;.. 82:64786*1
Despacho martimo..... 4080100
Exporteco........ 32:3723071
Interior......... 2480936
Valor da importacao directa :
De Liverpool....................
De New-Port.......
Do Havre........................
De Nanles........
De Barcelona........
Da Malaga......, ,
DeCirdix........
De Aliona........
Do Lisboa........
Do Porto.........
DeNew-York.......
De Bordeaux.......
Dellamburgo........
Valor da importacao por cabota-
gem.
Gneros naciooaes :
Do Rio de Janeiro......
Da Baha.........
De Peroambuco .... .
Do Cear........
Do Maranho.......
Gneros eatrangeiros :
Do Rio de Janeiro .
De Peroambuco. .
Do Maranho .
Varor da exportaQo directa
Gneros oacionaee.
Para Londres......
Para Liverpool.....
Pare o Hsvre ......
Para Nantes......
Para Liaboa........
Pere New-York......
Gneros estrangeiros.
Para Nantes. P .
Para o Para. ...
Valor da exportacio por cabo-
logan,
Generoa nacionaes:
Para o Rio de Janeiro ....
Para a liahia. ...:..
Para P>roambuco......
Para o Cear ;......
Para Maranho......
Geoeros estrangeiros despa-
chados :
Para Peroambuco......
Para o Cear.......
Para Maranho......
Total da exporteco. .
Comparaco.
Valor tolal da importacao.
da exportafio.
115:6769751
139:442(754
9:3720000
23 56t8i6
6:9489531
10:14906*0
1:1520000
2:1510786
2:7570666
25;1136*t
33630461
39:887a 933
1050000
80333
264:0160591
3:2140644
12:4875000
65:5200958
1:8290500
15:3190728
98:3710830
3:483$800
6:0130100
1.-792JJ000
*80O
16760321
_f 080800
158 010184
121. v. 200937
3^500000
6 fe.00705
f V*906tO
4i -:15f55iG
1:3990402
J 4183126
?5f:9680974
6:8760000
5100250
2:6760300
5400920
2:3030000
12:9060970
7:4850000
9050000
9.0040900
17:3940900
482:2700844
379:67633x1
482:2700814
professor Imbinba e Poda lojrme de Alcocer
Vraripe.
Baturit.O mil leva de dia em da novas vic-
iimee o anpvoeaei e numero des pesio as ji falle -
cides ; sem comtado eeter desanimada a popu-
lado.
Msrenguope.E' neste lager que pretente-
meole se mostra maia terrivel o cholera acontan-
do com mo de ferro a populaco que j viva a
tremar. or ltimos diea regulava a mortalida-
de por 50 pvssoae diariamente ; tendo fleado in-
sepulta 30no die 3 do correte, em coosequen-
cia do canceseo que aoffriem as peasoss eucarre-
VtSmm efTC I Fallecer o Dr Pedro An-
tonio Cezar, que fdra em commisso tratar dos
accommetltdos.
Taah.Acha-ae livie do mal. assim como
alarrecas a Arnelroz.
Cralo, Jardrm e limi.-O onmero das vlcll-
mas era de 160 a tantos no primeiro ; no segan-
do apenaa era de 2. hsvendo poiem vinte e lan-
taeaecommeltidas, entre as quaes o vigario ; no
ultima oiteota e daas ersm ss victimas, sendo
desse numero os Sts. Jtfs Josqulm Pereira e ca-
pito Vicente de Areujo Lima.
Pacatuba.O mal hevia desspparecido.
A mortalidade ora toda a provincia eleva-se
Cinco mil tantas victimas.
Rio Grande do Sorte.O cholera reerudescer*
em Apody, accornmetiendo em 6 das 140 pea-
soas, daa quaes felleceram 3.
No rstente de provincia nao haviam appa-
recilo mai casos.
ParahibaNosso correspondente d'z-noa o se-
guinte :
Na falla de novidade para referir-'he quero
aproveitar o vapor, fim de dizer algumas pa-
Iavras em favor dos proprietsrlos de engenhos
neste proviacie, os quaes tem necesaidade da re-
pellar p jugo que aobre elles peaa.
c E sabido de todoa e a imprenea, poz a llm-
po, que os sssucsres dessa provincia iguaos so
desta obtem presos maitos superiores e bastan-
te para convidar aos productores parabybanoa ex-
porem no mercado do Recite oa seas productos ;
mas encontram os mesmos a falla de am depo-
sito, onde recolham seus gneros.
Pens que a gerencia da companhia doa va-
pores costeiros poderia directa ou indirectamen-
te tomar a iniciativa nesse negocio, promoveodo
a abertura neata capital de um armazem para
deposito e estabeleceodo urna oa dass viagens
por mez entre o porto desta capital e o desea, para
o fim uoico de transporter os gneros que ha-
jaro de ser depositados; per qusnto de eutro
modo nao poder conseguir satisfezer a coocur-
rencia ; visto como me consta ha muitos pro-
pietarios de eogenhos que dasejam livrar-se do
prego medio, e os vaporea as viagens ordina-
rias alero de chegarem em dias incertos, em
torna yiagem, quesi que no tempo de safra-ebe-
gam lo carregadoa dos porlos do norte qae nao
podem receber carga por menos importante que
sejaa mesme.
.< Outras considerares poderia fazer e de ou-
tra ordem; mes julgo que pera o aprecia ment
do objecto, basta o que fica eacrlpto ; sendo que
me perece que tea tal vez a companhia occaaio
de conseguir am contrato da provincia, cejas
rendas vao melhorando.
a E ieto teuto verdade que o Sr. Araujo Li-
ma fez remellar ao novo banco dessa provlncie
a importancia de ama lettra que fdra, por parte
do thesouro descontada no mesmo.
< Acha-se por lento a divida da provincia re-
duztda a menos de metade da quantia que (ore
referida no relatorio, lido por aqaelle aenhor na
occasio da inslalleco da assembla provin-
cial.
c A adminislragSo do Sr. Araujo Lima tem
sido proficua esta provincia, j em refereocia
a repressao do crime e j qaanto as fioancas da
meama ; sendo que S. Exc. ha aido esseocial-
mente econmico.
< Quando o Sr. Araujo Lima tomou conta da
provincia, osempregadoe estavam por pagar de
ires mezas de seus veocimeotos ioleiros, corres-
pondentes de Janeiro a marco de 1861, e maia
daa gratifidaedes dos tres ltimos mezes do snno
de 1862; e nossos empregados esto em die e a
proviocia deve muito pouco.
O Despertador mostrou-se receioso da des-
falque nos cofres, por causa da remesss da quan-
tia de que cima rae oecupei ; mas acho qae nao
tem razio, poia conste que noecofree ha dlohei-
ro sufSciente pere occorrer es despesas ordina-
rias com o pessoal do funecionelismo.
t Acaba de ver a luz urna publicaco do Sr.
Aodr Cursino Benjamn, digno ioepectorda the-
eouraria de fazeoda, acerca do emprestimo de
dioheiroa do cofre de orphoe, na qual se achara
coleccionadas todes aa dtspoaicoea a respeito.
a Ouvi a peaaoa entendida que esse trebelho
tem muito mrito ; sendo que e slm dieto um
eervico importante feito aoa novis na scieocia
dodireito e especialmente a todos quantos sio
collectores, juizes leigos, ete.
Aserie dos criminosos desti proviacie scaba
de ser augmentada com mais un parricida, na
villa de Paltos.
ammoniaco, qae dara precipitado
Differeoca a favor da exportaco. 102.5910523
Eatraram de porlos estrangeiros 10 navios cora
3699 tooelledas e 122 peseoas de tripolego.
Entraran) de porlos nacionaes 7 navios com...
2213 toneladas e 180 pessoss de ttipolsQo : sen-
do 4 a vela e 3 a vapor.
Sahiram para portoa estrangeiros 4 navios com
1229 toneladas e 42 peasoaa de tripulaco.
Sahiram para poitos nscionees 5 navios com
1967 toneladas e 177 peseoas de tripulaco, seodo
2 a vela e "3 a vapor.
A alteracdea martimas.
Naviot descarga
Emily Caroline: Berca inglesa.
Fleehe........ Polaca franceza.
Ville deBologne. Berca franceza.
R. A. Fisher.....Brigae americano*
Feh; 'Ventura. Brigue portugus,
^auios carga.
Guajar.......Barcafreneeza.
Eduviges ...... Polaca hespenhola.
O vapor Oyapock a aeguir para o aul as onze
horas da noute ae boje.
e porlos intermedios, emanha a tarde.
A corveta Imperial Marinheiro parti deste
porto em 25 de junho fiado, para Vgo e Porto, e
a caohonheira Belmonte deve aahir parvo Rio de
Janeiro at 15 do corrente.
Maranho.Tomara posea da ebefature de po-
licia o Sr. Dr. Francisco Liberato da Mallos.
S. Exc. Rvma. o Sr. bispo diocesano visita-
ra, no die de S. Pedro, os hospitses dos La-
zaroa e Misericordia, deetribuindo eemolea a con-
solando oa anfermoa ; paaeando eo depois Cesa
doa Expostos, onde de novo praticou actos de ver
dadeira ceridade.
O banco da provincia soffreu tambem, com
a quebra da sociedade em commaoditaAmorm,
Fragoso, Santoa.& C, a perda de 13 a 24 con-
loa de res.
No dia.6 do correte, em conssquencis de
altercares entre Olympia Gomes de Moraes a Ma-
noel Theodoro da Silva Pinto, recebeu este cioco
facedes de Jos Manoel Machado, dea quaes lhe
resultou a morte. A polica conseguir a priso
do criminoso.
Fora barberamente assassioado com 10 fa-
cedea o capito do brigue-escuaa nacional 47ro-
cwsa, por um ascravo da Sra. D. Mara R. da
Araujo Franco de S, a quem aquelle aprehen-
der por haver dormido em Ierra, contra as sues
ordens. Alguns negocisntes dsquella praca pro-
movan) urna sabscripQo em favor da viuve e
oito filhinhos deixados
me fie. dito, nada tambera aporesenlou de moe>; sii\pilla>7----- Pbre" Pel !nWU
chas na capsula, Em seguida fixeram-sa obser-j Nos
vscoes compsratives, introduziodo no spperelbo
um grode araeotco, o manifaelaram-se rpida-
mente na cepeula de porcellana manchas espe-
Ihentas de arsnico metlico, rodusido pelo hy-
drogeneo, que aa dissolviam no acido azotico
puro.
A ausencia portante dessaa manchas, quando
funcciononoapparelhoaem o araenico, nos cer-
tiflcoa nao s da nao exiatencie do acido aree-
nioao, como da dos saca d'antimooio, que apre-
sentan manchas semelhsntes.
CoBtjujtnns deitaa/obaarvasSes, e ajQiahpicJji-
diss 6, 8 e 9 do corrate fizeram pre-
ces, impetrando da misericordia divina a exlinc-
co do flegello que pereegue oa Ceerenaaa.
O Atbeneu Maranbeose procedeu ao dia l.H
posse de saa nova direceo eomposta dosoo-
nbores : r
Presdanle, padre Antonio da Inmaculada Coo-
ceico.
Vice-presidente, Alexendre Magno Rodrigues.
Primeiro secretario, Antonio Marquea Povoas.
Segundo dito, Antonio Rodrigues Sodr.
Orador, Antonio Bernardino Jorga SobrinhO.
CfUsV-Proctdeu o Exn. Sr, piMidoat*
As cinco horas da tarde fundaou o vapor in-
gles Paran, viado do Rio e Baha, trazendo jor-
naea do primeiro porto at 11, e do segundo at
13 lo correle.
Rio de Janeiro.S. M. a imperatriz foi ateca-
da de urna bronchitea. que seguio-se um forte
ataque de sarampo. Eis os boletios publicados :
S. M. a imperatriz, achando-ae ha dias ca-
commetlida de urna bronchitea, apresantou des-
de sabbado os pheoomeoos que scompanham a
nvaso doa sarampos que comecaram saa eruu-
co hontem de manha.
Durante esta periodo S. M. a imperatriz ma-
nifeetou sympiomas nervosos, qae iospiraram al-
gum cuidado ; felizmente estes symptomaa dea-
appareeerem, e a molestia marcha regularmente.
Paco da Boa-Vate 7 de julho de 1862. a 8
1/2 hores da noite.O conselheiro Dr. Candido
Borges Mooteiro.O conselheiro Dr. Manoel
de Valladeo Pimentel.Dr. Jos Pereira Reg. >
Nenham accidente tem maia perturbado a mar-
cha regular da molestia de aua magestede a im-
peratriz : a erupeo do sarampo manifestou-se
francameole, e entra no periodo de sua decli-
naco.
Paco da Boa-Vista 8 de julho de 1862, a 9
horaa da noite.O conselheiro Dr. Candido Bor-
ges Montairo.O conselheiro Dr. Manoel de Val-
ledo Pimentel.Dr. Joe Pereira Reg.
A molestia de S. M. a imperatriz continua em
declinaco sensivel. A nao haver accidentes qae
venhsm perturbar sua marcha regular, suspen-
dem-se os boletn.
Peco de S. ChristovSo aoa 10 de*julho de
1862, s 8 horaa da noite.O cooeelheiro Dr. Ma-
noel de Vallado Pimental.O Dr. Jos Pereira
Rago.
Palo miniaterio da agricultura baixou o ae-
guinte aviso.
Declara que nao tem applicaco aoa cnsules
de S. M Fideliaslma a convenco celebrada
com S. M. o imperador doa franceses em 10 de
dezembro da 1860.
2.* Secco.Mioistetio dea negocios estran-
geiros.Rio de Jaoeiro em 23 de junho de 1862.
IIIm. a Exm. Sr. -Tenho presente o officio de
31 de maio fiado, sob a. 21, que V. Exc, dirigi a
eate ministerio, acompaonaodo copiaa dos qae e
esse presidencia escreveu o cnsul de Portugal,
reclamando contra o eslylo ahi aeguido, depoie
que ao na asmo cooaul confiada a adminietrecao
a liquideco doa bens petteoceatee s heraocea
dos subditos de sua naco, dase lhe nao permit-
tir que pratique, indepeudentemente do juizo doa
orphoe, aa acloa proprioa da poaicao que nessae
circumetanciaa asaume.
a Em resposta cabe-me dizer a V. Exc. que
caiece de fundamento a reclamadlo do cooaul
portuguez quando deixa de parta o rogulameoto
de'8 de oovembro de 1851, que, em virtade de
que foi acordado entre os dous goverooa pelea
notas raveraeea da 18 de aovambro o de 9 de de-
zembro do meamo anno, rege a materia de que
i^se trata, para invocar o art. 5.* do tratado da 29
de agosto de 1825, e pretender que, por efleilo
desse artigo, gozem oa cnsules de S. M. Fidens-
sima de todaa as allribulcea e prerogalivas con-
feridas eoa coneulee de Franca pela convenco de
10 da dezembro de 1860.
Carece de fundamento a reelamafo, nao s
porque o artigo iovocado nao aubaiste, maa, por-
que, alada que eslivesse em vigor, Bao poderia au-
loiisax i praleafilo de que foiie applicada Por-
tugal urna eoaveoco eepeeial, celebrada pelo im-
perio com outra potencia aobre bodsjtoWibeei eo-
peciees, qae compreheadera favores reciproca-
mente oulorgados.
< Qae nao eei em vigor o artigo alladido, so-
bejamente o demooatra a nota qae o goverao im-
perial pissou so eacairegedo da negocioa de S.
M. FideliosimaatoQcerocQte a MbtVatenclado di-
to artiga.
Naca* nota, que ee cha poblieada 00 tela-
torio deate mioMario de 1818. pag. 43, apara
a qual chamo a altaneo da y. Bw., o governo
imperial muita pseaoo a terminantemente de-
clarou, que alea dea oisposrceea relativas eo re-,
eonbecimento da independencia o Sa indemniea-
gea doa respectivos aubdtos, nenhuma outra
cTitlDha o tratado de 29 de agoato de 1825 que
obrigaese perpetuamente aa duaa altas partes
cootretantec.
< E provou o goveroo imperial o direito em
qae flrmava a aua declarago, nao s com a dou-
trina constantemente seguida a resueno da ter -
mioa;o dos tratados eem tempo limitado, seno
tambem com o proprio exemplo de Portugal, que
foi o primeiro a proceder de conformidad cora
essa doutrina, acerca do art. 10 do tratado em
questo.
y Nao poderia, porem, ser iovocado o art. 5,,
anda que subsistente fosse, porque, pers que pre-
valecesse a clausala de naco mais favorecida,
em casos como o de que ae treta seria necessario
que previamente se estsbelecessera as coodic.6ea
especises reciprocas que deram lugar ao favor
pretendido.
. Assim qae, claro que es estipularles da
convenco consular celebrada com a Fraoca nao
ao appliceveh aoa coosales de Portugal, nem
aos de qualquer outra naco, que nao tenhe, co-
mo aquella, celebrado convenco eepectel com o
imperio ; devendo portento, ss sntoridsdes bra-
ileiras, fra dessas bypotheses, continusr a pro-
ceder como al aqui naa auccessoes jacentea de
que sejam os cnsules representantes.
O qua communico a V. Exc. para seu conhe-
ciraento e goverao. eproveitando a opporluoida-
de pera reiterar-lhe as aegurandas de minha per-
feta estima e distincta coosideracao.Msrquez
do branles.A S. Exc. o Sr. Manoel Francisco
Carrea.
Pelo do imperio o decreto n. 1156 de 11 do
passado :
o Approva aa condicoea com que pela presiden-
cia da provincia de Peroambuco foi entregne a
igreja do collegio do Recife aos pios cuidados
da irmandade do Divino Espirito Saoto daquel-
le cidede.
< Hei por bem aanecionar e mandar que se ele-
cute a reaolu(o aeguiote da assembla geral le-
gishtiva :
Art. 1," Ficam eppnvedss ss coodicoescom
que pele presidencia da provincia de Peroambu-
co foi entregue a igreja do collegio do Recife aoe
pios cuidados da irmandade do Divino Espirito
Santo dequelle cidede.
Art. 2a A irmandade ter o uso da igreja em
qaanto a conservar em bom estado e fizer cele-
brar ahi com decencia o culto divino.
Art. 3# Ficam revogadas as dieposiges em
contrario.
O marques de Olioda, conselheiro de estado,
senador do imperio, presidente do cooselho de
ministros, ministro e secretario de estado doa ne-
gocios do imperio, sssim o tenhs entendido e fa-
ga executar.
Palacio do Rio de Jaoeiro, em 11 de junho de
1862. 41* de independencie e do imperio.Com e
rubrice de S. Megeetede o imperador. Mrquez
de Olinda. Joo Lins Vieira Cansanso de Si-
ntmbu.
Transito* na chancellara do imperio em 13
de junho de 1862.Josioo do Nasciment Silva.
Regiatrado. Publicado na aecreteria de estado
dos negocios do imperio, em 18 de junho de
1862.Joe Bonifacio Rscenlos de Azambuja.
L-sa no Jornal do Commercio :
c No die 25 do corrente, pelee 6 horas da tarde,
foi recebido por Saa alageeiade o Imperedor, era
audiencia publica, no palacio de S. Cbrislovo, o
Sr. Frederico u'Eichmann, nomeado enviado ex-
traordinario e ministro plenipotenciario de S. M.
O rei da Praseie nesta cor le.
Na occasio de entregar a S. M. o Imperador
a sua credencial, proferioo Sr. d'Eichmenn o se-
gutote discurso :
Senhorl Tenho a honra de epreseotar a V.
M. Imperial a carta pela qaal o rei, mea eugueto
eobereno, me acredita junto de Vosee Megesiede
no carcter de aeu enviado extraordinario o mi-
nistro plenipoteociario.
c O primeiro dever a qae sou chamado pelo
exercicio de meu cargo, e que tenho a fortuna de
preecher, o de servir de interprete dos sedi-
mentos de constaole e sincera amizade de que ee
acha possaldo o rei para com Vossa Mageatade Im-
perial.
E' deduzindo destes seotimentos do mea so-
berano as regrae de mea proprio procedimeoto,
que eeforcsrei por toroer-me digno da site bene-
volencia de Vossa Mageetade, e por merecer a
coofianca do mea goverao.
Oueo aobretudo liaongear-me com a espe-
ranza deque Vosee Magestede digner-ee-ha apre-
ciar os assduos cuidados qoe empregerei em man-
ter eem cultivar as rolecee de boa inteligencia
que aubsietem entre o Brasil a o mea paiz.
A Praaaia tem observado atteolamente os
progesaos opersdos sob o reioado de Vosea Ma-
gestede no deaenvolvimenlo dos immeneos recur-
sos do imperio brseileiro, e sendera com eaee
eympethiee ludo o que for empreheodido nesse
ceminho pela perspicacia do governo de Vossa
Mageatade.
Qae ss inlancoes generosas e magnnimas
de Vosss Magostado sejam coroadas do mais
completo successo, o voto do rei e do seu go-
veroo, cooveocidos como esto de que esse
succeiso ha de essegarer aos numerosos emigra-
dos allemies a poeico por meio da qaal podero
elles neste vaeto imperio, que os chamo e ac -
Iheu, toruar-se elementos de prosperidade e de
civtlkeco.
Sue Mageatade respondeu noa eeguintes ter-
mos :
A vossa nomeaco de enviado extraordinario
a ministro plenipotenciario urna nova pro va da
amisade do mea muito querido irmo o rei da
Prussis, e do vivo ioteresse que o anima pelos
noisos dous paizea no que toca as relagoes de
urna eardial inteligencia. Estou bem certo, Sr.
d'Eichmann, qua o complemento da vossa misso
nao ser msts do que a realisaco desla idea, e
que secundareis os sinceros esforcos que o gover-
oo braaileiro tem aempre empregado pelo bem
estar daquellea que abaodonaodo a patria natal,
auxiliara pelo aeu trabalho o desenvolvimeoto
das riquezas deste vssto imperio. A minha be-
nevolencia o a doo goverao brasileiro voa por
tanto promettida, e o bom ac I hi me oto doa Bra-
sileiroa jamis falta aos eatraogeiroe, eobre ludo
quando elles se empenham por merec-lo. >
Baha.X seguranza individual vai mal em
toda a provincia, poruanto quaai que diaria-
mente oa asaassioatoe e roobos se euccedem com
msior oa menor namero de circunstancias; sem
que a actividade da polica, e a captara, quasi
que immediata, dos criminoaoa ponha termo
essss repetices do crimes atroses.
No termo da Pariflcaco, foi aaeaseioado Joe
Joequim do Santa Rita, por Jos Nuaes Pereira,
fogindo o essessioo.
No Cette, Lacas, escravo de Joo Gomea de
Carvalho assasaioou Jaatiniano Jos de Baetoe,
fugindo aquelle tambem.
Na cidade de Valeucs, Mara Joaqoioa da Je-
ss, ferio gravemente Marta do Csrmo sendo
presa.
Na freguezia da Victoria, foi envenada por
Caltano Joaquim da Silva Hachado a preta Pe-
biocia, escrava de Jos Vieira de Almeida, aendo
preso.
No Taboleiro-Secco o indio Joo Ferreira foi
aassssioado por outro indio de nome Fcliserdo,
fogindo o criminoso.
Em S. Felippa de Msregogipe, Agoetinho Fer-
reira de Souza foi ferido nes pernas por um
liro.
m eecravo de Francisco Goncelves Beatos,
da Fonle-Nova do Dealarro, propinou-se subli-
mado, ludano e sulphato de cobre, nao aaecum-
bindo.
Le-se oo Diario :
a Foi vistoriado pela mostrenca do araeoal de
marinha o brigue escuna de guerra Solo que so
achava encalbado na caldeira do dito areenal, e
foi julgado pela meama em estado de nao poder
navegar.
a A' viata da decieo dos peritos, vai o Eolo
ser armado como eslava at qae da corte veoha
a ordem precisa para baixa, e ter destino saa
guarnico.
c Coasta que em qaanto nao vem a ordem de
baixa, empregar-se-ha esse oavio era instruir
as preces de meriobegera oertencentes isaarni-
Co doeorveta Dous de Julho, que serve de navio
chefe.
c Se j ostvesse prompto o hiato Cayr, ha
poico sabido dos estaleiroa. era de graoae con-
recleaiU pera, o estado a baldiaao da gaarnico
daqueile para este navio, efim de evitar ee dea-
pezaa de transportes coa efflciaes, escrivios, o
maia preces qae dovam seguir pera edrte a terenv
outro deallno. i
O dia Bnde Julho fa fiirfg em B0B.
pa e solemnidade c A eoUfta. dos carros triumphaes fez-se ne
melhor ordem possivel.
Os bataIboes da guarda nacional s e de li-
aba eilavam Inzidos : o dos ceixeirst s a saval-
laria da Dous de Julho apreseoteraa-ee mallo
eoetadoee cosaplelamente uniformisados.
< Ao Te-Deum comprecera m todea os autori-
dadee e chelas do repsrtico. Pregoo o Sr. cooe-
go Rodrigo.
A' noite houvo na bella rltumoecio no
Terreiro, produzindo um beiuiae erleiloa es-
trelle que fei illuraiaada defronte do palacete.
c No theetro, depois dos vivas dados por S.
Exc. o Sr. conselheiro presidente da proviocia, e
que foram eothusiaeticamente correspondidos,,
caotoo-so o liymno nacional.
a A direceo geral doa festejos do da Dona de
Julho no anno prximo viodooro eomposta do*
seguintes Sre.:
Dr. Antonio Ledielo de Figoeiredo Rocha.
presidente.
< Dr. Antonio Mariano do Bomfim.
Conego Pedro Antonio de Campos.
i Dr, Msooel Vieira Tosa.
Negociiote Joaquim Jos da Fonseca.
Dito Joaquim de Cairo Gulmares.
-: Dito Aolenio Alves Ribeiro.
a Major Francisco Antonio do Alhaide.
< Dr. Domingos Pires de Carvalho e Albuquer-
que.
c Alfares Jos Pisto de Novaos.
Coronel Simo Gomes Ferreira Velloso,
c Guarda-mor da alfandega Carloa Amerito
Sampaio Vianna.
Dr. Tiburcio Joaquim de Castro.
Ceptto Leocadio Joa de Bulo.
< Dr. Francisco Vicente Vianna.
c Negociante Epifanio Jos da Rocha Billen-
court.
< Dr. Luiz Fraocieco de Almeida Junqueira.
Dr. Antonio Pedroso de Albuquerqae.
a O regosijo popular foi grande oestes ltimos
das. Desde o dia 2 at o dia 5 a alegra e o ac-
to usissm o tiveram a msior expaoso por esta ci-
dade.
< A illeajinacao do palacete do Terreiro e a da
Praca foram neslas noites extraordinariamente
eoacorridas.
Ao descerrsr as cortinas do docel em que es-
lava a efBgie de S. M. o Imperedor foeara es vi-
vac dados pelas autoridades aempre entusisti-
camente correspondidos.
Nessaa noites alguns berlalhoes patriticos
percorrerem ee ruea da cidade na maior anima-
(o a com as suas competentes msicas.
phaee do pavilho da Piedade para o da Lepinhe,.
ende foram depositados.
c A coocurrencia, apezar da copiosa chava foi
immenee.
O batalho dos acadmicos, o dos caixeiros,.
o do Doua de Julho, o da Uoio Braaileira.a ca-
vallaria dos acadmicos, do Doue de Julho o a
dos caixeiros, luzidamente uniformisados, fizeram
as honras dessa soiemnidade oo aeio do maior
enthusiaarNo e alegra.
Por todaa aa ras por onde passaram oa csr-
ros foram graodee aa overees, o muitas es Bo-
ros.
Reciteram-se brilbantes poesas, sobresshin-
do entro todes a bello canto do nono dislincto
poeta o Sr. Dr. Luiz Alvares, aos feuos gloriotoe
doa haroea de independencia, que mereceu vivoa
O prolongados applausos,
NOTICIAS CMMERClAES E MARTIMAS.
7uenos-Ayres, 29 d junho.
Cambio.Inglaterra. 05 a 05 l(2 ab. ; Franca,
82 frs. ; Uamburgo, 43 l|2m. ;enova, 82 frs. :
Rio de Jaoeiro, 80*300 a S092Cr> Montevideo X
01o de descont ; Estadoa-Unidos, 1 Oro de des-
cont.
Oncas.428.
Descontoe.Em moeda corrente o benco rece-
beii 5 e empresta a 7 0|0, e em metallico recebe
a 8 e empresta a 10 0|0 ao anno. Na praca re-
gulara em moeda corrente de 1 a 1 Ii2 Oin. e era
metallico de 1 Ii4 1 1|2 0|0 ao mez.
Frotes.Inglaterra 45 ah., cooros salgados, 8&
a 90 sh., ditos seceos e 40 sh., os fardos com 5
0,o de cape. Eelados Uoidos, 3)4 ceols ouroa
seceos, e 6 pal. os fardos com 5 0|0 de capa.
De geoeros de importacao realisaram-se du-
rante a quinzena as vendas aeguiniea : 40 pipsa
de agurdente em dep. a 54 pats. e 275dtas idem
a 50 pala.
Dos arligoa de produeco nacional foram oa l-
timos prer.os para a carne ateca 18 ra., couros de
oovllho salgado 42 5i8 re. e de vacca 37 rls. e
diloaeoccos 44 a 45 re. para Allemaohs.
Montevideo 29 de junho.
Cembio.Inglaterra 40 3i4, Franga 8 li2, Ge-
nova 80 a 81, Rio de Janeiro 30jf, Buenoa-Ayres
so par.
Sacaren-se: sobre
Freoca 229.000.
Divida publicaConsolidsda, 16 re. as caute-
laa do banco Mau Exlgivel 32 rls. Novoa ttulos
ou a vencer 43 re. 0|o.
Desconios.-O banco commercial empreste a
12 e recebo a 8 Oifl ao cono. O banco Mau em-
preela a 15 e recebe a 10 Ou) ao anno. Na praca
relim de 1 t|4 a 11|2 0|0 ao mez.
Fretee.IogUterre 65 eb. couroe salgados, 95
sh. ditos seceos, e 45 sh. os fardos com 5 Orn da
capa ; Havre 60 frs. couros salgados. 100 frs. di-
tos seceos, e 70 frs. os fardos com 10 0|o Je cepa-
Estadoa Unidos 1 cent, couros soceos, li4 cent;
ditos silgados, e 8 pata, os fardos com 5 %) da
capa (nominal). Brasil, carne secco, 4 1\2 rls.
para e Rio de Janeiro. 5 lepara a Babia, 6 Ii2
para Peroambuco, e 4 pas, aa pipaa com 5 Oin
de capa. "
De arligoa de importacao effectaaram-se as
veodao seguintes dursnte a quinzena : Do cSetta
de Peroambuco 750 barricas e 250meiea deaaeu-
cer brenco de primeira sorte a 26 rls. 200 ditas
de segunda a 21 rls., e 150 ditaa maacavo a 10
rls. desp. Do Beatriz* de Peroambuco 126 bar-
ricas de aesucsr branco de primeira sorte a 24
re. e 199 ditaa da aegunda a 12 rls. desp.
A exportaco de productos do peiz para os por-
toa da Europa a da America foi diminuta.
Venderam-se oa couros do campo ltimamente
de 7 pe. e 3 si. a 7 112 ps. aa 40 libras, oa pesa-
dos de Marselha de 7 ps. a 1 real a 7 ps. 2 rls.
idem ; os salgados de 5 ps. e 6 rls. a 5 pa. e 7 rls.
e assim melhoreodo em poucaa vendaa
A carne aecca sustenta-se, teodo-se vendido
de Eatre-Rios de 2 s 2 1|4 ps.
Ato Grande, 28 de junho.
Csmbio.As operaces teem sido muito limi-
tadas, regulando sobre Londres 24 a 24 1|4 0
sobre o Rio de Jaoeiro 2 a 0/0 60 90 ds.
Moeda nacional.Oecillou durante o mesSlii
boje 6 a 7 0i0. l
Ioglaterra rfc 35,000, e
at 7 OOiOregulaodo
Freloe.Freteram-ae dorante o mez 5 navios
MtAtS M 5 0|0 2 por 62 Ia 5 1<>. 1 Por
6 1 1,2 5 0.0 e 1 por 65 5 0,0. Para o impaVio
o ultimo Iretameoio para xarque foi a 440 ra. por
arroba pera o Rio de Jaoeiro, 560 rs. Babia e 700
ra. Para Peroambuco, frelanao-ae tambem o pa-
Ihabote nacional Narciso, que regala 120 tonela-
da, por 3.000% o mais a escuna holtandeze Ato
lante, para Pernambaco; i or 4:000$.
Aesucar da Peroambuco. Entraran) 1 230
barricas, 535 meias e 490 saceos braoco, e'350
barricas e 60 saceos mascavo, a saber : no 5.
Jos 604 barricas de aesucar branco e 240 ditas
mascavo que se vendeu de 4#500 a 4;&600o bran-
co o 38600 o maecavo : no Prazeres 860 barri-
cas, 325 meias e 50 saceos qno seguiram pera
Pelotas, e que consta realisou-se es eolaedes
No Impenai Pedro 400 barriese, 140 meias e 340*
saceos braoco e 50 barricas e 60 saceos mascavo
que ae armazanou. No Ledo 270 barricas. 50
meioa e 100 taceos braoco.
em ser.
50
que tambem ficam
Da existencia do mez passado vooderam-aa 50
barricas a 4#800 ; 400 barricas, 150 meias a 6d
ssccos de 4S500 a 5*300 ; 280 barricae e 200
otas do 55 a 5>200 os finos e 4g300 os baixos^
120 barricas maacavo a 3^50.
Cachasa.-rEotraram 312 pipas qae se veada-
raro ; urna partida em Pelotas a 105. a nesta
praca a I03f. o 1000. a pipa. Ficaafpm despe-
char oo pipas que existem bordo.
Fumo.Entraram 298 rolos, incluindooocom-
mendaa : a procura para aate artigo nao foi ani-
mada por existir o retalho muito aopptido o a
eniradaa terem aido repelidas.
Veuderam-ae durante o mez 112 rolos, supe-
rior qualid.de, a 15, 50 a 13J500. 387 a lia o
12. 30 a 12, Fieam em aer 1,300 roloa.
Sel.Aa entradas do longo corso foram 33 9JO
alqueirea o por cabotegem 11,600 alquerea.'
ralbando oa aupprimontos na primeira quin-
Z?i"^Jn,rllr.t,,^0* pre.c'' *bJJndo-ae 'der
ate 1SW, tendo tambem alguma sabida aa exis-
tencias armazenedae.
,aM" ",,, ".") <*Ud,.|*ndo! e'ntrado coree
de 20,000 alquetraa, tem-se tornado mais rooxe
iva icalisacao, o mesmo porque o consumo
MUTILADO


DUKO Dt
SEXTA
n Df JtLHO DE IMI.
=
menor, que cremo ji difficnltoaa aleancar. Para
dtspor, qo mar e trra, turar, cerca de 60,000
* ... -ijulho.-
VmMtfc Selr Loodrea 14 e 24 ti*. Paria
330. Uamb.rgo 715. Rio e 3 0,0 90 <., Baha
e Peroambueo nominal.
Metaos. 005a 32. peaoa 2, patacdes 2#.
?o0 B,etonal 8 '- Mot PP#l el0Dri 6 e
Frates. Para o Rio 460 ra., Bahia 560 r.
Fern.ro.baco 700 re., Inglaterra 60 5 010, Esta-
os-Uoidos nominal.
L-se no Cammtreial do ls do correte :
Convocando de credores Apeasr doa esfor-
50a que fez o Sr. Luiz Garlos Beckman, gerenta
a cesa dos Sr. Hugentobler 4 C, para evitar
caagar deanitirameoie a este ponto, os recam-
bio que bou re pelo paquete Brasil das letra
Se se tnham sacado sobre o Rio de Janeiro o
Coa a dar este passo, reaoindo hoje 28, em
ama caaa, os credores legitimados e presumiris
en tomadores de lelraa sobre o Sr. J. G. Valleo-
tira de Londres.
c Nesta reuoio o Sr. Beckman exhibi um
balaoceie demonatrativo do estado da casa que
dirigo, o qual nao deixou de sstisfazer osinlo-
ressados. Fez ver depois as difflculdadea qu
actualmeute o cercavam, em coosequencia da
auspease de pagamentos da caaa do Sr. J. G
Valleotim e do recambio daa letraa do Rio, e que
seodo-the impoasivel recoohecer que prejuizo
poder dar a caaa do Sr. Vallentim dos Srs.
Hugiotoblec A C, resolver tratar da sua liqui-
dado.
Nao poieodo porm calcular os recambios
que ter, e onda irn parar, por conseguate, oa
compromissos, parect*-lhe que os pagamentos
feitos agora aos possuidorea de crdito exigiris
podiam, no caso da urna insolencia, tiln do
peior resulta lo da liqullaco do Sr. Valleotim,
operar-se em prejuizo daquelles cujos ttulos a-
ioda nao regreasaram : e oeste caao collocava-se
bo teatro daa conveniencia, aabroetlendo ludo
i considerado da reuoio eoft^racendo-se a 0-
perar a liquidarlo, de accordo cora urna com-
misso de tres membros.
Tundo sido ouvido o Sr. Beckman com a
maior atlenjo, e discutida a materia, convea-
cionaram 00 seguinte ;
c 1.* Operar-se a liquidadlo por urna commis-
aaocoraposla pelos Srs: Beckman como repre-
sentante da casa doa Srs Hugeotobler & G. e pe-
los Srs. Ricardo Josi Ribeiro, Lobo & C, e II.
Dura A G. por parte dos interessados eleitos
para esse tica, por escrutinio, pelos presentes.
c 2.* Os diaheirosque se (orem apuran )o se-
rio recolhidos em um dos bjocos, onde perma
neeerao al que se coohecsra todos os recam-
bios, e por conseguate at oo le chegam os com-
promissos da caaa.
c 3.* Queoeohum pagamento sefar antes de-
aeconhacero estado da casa, para o que os in-
teresadlo presantes reounciaro o dlreito de
exigirem aotes disso.
< 4. Logo que sejam conhecidos todo o re-
cambios e o estado claro da casa, a commisso
convocar urna reuoio para calla se resolver
obre os pagamentos, vista do balacate qe
ser nessa occesio presentado.
Rio de Jantiro 10 de julho.
Cambio.Sobre Linares 25 3(4 e 25 7,8 d. por
libra.
Paria368, e 369 rs. por tr.
Acedes.Bancojdo Brasil 68J de premio.
Apoliees.Di 6 0,0. a 94 }i 0(0 ex-dividendo.
Frete.Para Ctmstiania,55 ah.
Phadelphia, 55 sh.
Santos e Cax ou Lisboa a ordem para
m porto de Franca, 70 sh. e 10 0(0-
Geueros.Assu'car de CamposSfaaO por arroba.
HaaAurgo680 a 691 rs. m. b. nom.
De Peroambueo a 3J500 e 3)700 por ar-
\ roba.
Caf de Ia qualidade boa o l'1 regular a
6JJ600. 6850 e 73250.
Deieontos.10 0|0 e 10 }{ 0|0 ao anuo.
Boletim ultima hora.
CambioiSommam os si jues effectuados para
O paquete inglez Magdalena :
Sobre Lonres 480.000 a 25 3(4 e 25 7i8 d.
Fechou-seo carabij sobre essa praga, 25 '[\ d.
firme.
Pra o primeirb papel.
Sobre franca e Autuerpia 1,500,000 (raneos
aos extremos de 365 a 369 rs.
Sobre liamburgo 300,000 m. b. a 693 rs.
Sobro LUboa o Pnrtn reaulou a tabella se-
guate :
112 a 113 0/0.. avista.
111 a 112 0/0.. 30 dias.
110 a 111 0/0.. 60 idem.
109 a 11J 0/0.. 90 idem.
Descont*. Cons*rvaram-sa nos bancos a 11
0(0 e na pra?a de 10 11 0|().
Metaes.Kiportaram-se des le o 1 do corren -
te'at hoje :
Em diferentes ponto da provincia do Cea-
r lavrava o cholera de modo intenso, fazeodo
avallado numero de victimas.
A villa do Jardim j tioha aido accommattida,
e a cidade do Grato ji cootava por centena a
aua mortalidade, havendo ahi apenas um medi-
co, o nosso smigo o Dr. Theberge, que (drs con-
tratado por particulares, em vista do abandono
em que por l iam as cousas.
Tioha uceumbido o Dr. Jos Fernande Viei-
ra, outro irmo do senador Miguel Fernandas ;
e na capital Qcava a expirar o respectivo juiz
maoicipal A sabida do vapor.
O nosso comprovinciano, Dr. Pedro Auto-
aio Cesar, que fura contratado para preatar aeua
soccorros medico na provincia do Gear, urna
victima que augmeotou o namero das que all
tem feito o cholera.
Teodo seguido para Haranguape, depoia de al-
guna das de sua ebegada all, (oi accommettido
do mal. e suecumbio aua violencia no dia 9,
pela 6 hora da tarde.
E' horrivel o estado desse florescente munici-
pio, onde nao tem valido mdicos, nem soccor-
ros prompto da parle do goverao; de modo que
as pessoaa mais importante dalli, tem emigrado
para a capital.
De Pao d'Alho temos cart datada de 15 do
correte, que asaim reza:
Morreo hoje o cholenco de que lbe fallei na
minha ultima carta, retirme ao mestre da mu-
sica, chamava-se elle Simplicionataral da Ba-
ha, e gozara aqu de estima, tave am enterro
bem coacorrido.
Algumaa pessoaa que eatavam atacada de
cholerioa se restabeleceram, e hoja, gra;aa
Daos,nao temo na villa, nem foro, psssoa al-
guma doente.
Deoa Use de ama vez o cholera, a que nao
00a d por c assillada aluucaa.\leos.
Foi preso pelo delegadb da polica do termo
do Cabo Izidoro da Costa, qae diz morar nesta
cidade, por sar encontrado em urna casa nao ha-
bitada, e tornar-ie por isso suspeito de ser cri-
minoso.
O dito delegado, tambem preodeu e rametteu
i repartido da polica como ;*"r4ta para a ar-
mada a Antonio, que vivia amaaiado com urna
mulher casada, e projectava espancar o ma-
rido.
Pelo delegado de polica do termo de Agua-
Preta, foram presos e remettido para esta capi-
tal, Joaqaim por denunciado ser escravo de Joa-
quina Leite Tenorio,morador na fazeoda dos Patos
m Piaoc; e Angelo Jos Francisco, criminoso
de diversas mortes, e entra estas a qua perpe-
trou na pessoa de Alexaodre de tal, eabo de urna
palrulba que o ia prender.
A's 2 horas da manhaa de hontem (17)
chegaram no vapor Camaragibe, o ajud-nte da
capitana do porto e o pralico-mr, de volta ds
commiasio Pontade Pelra. onde ha dias enca-
Ihra o patacho hollaodez Sarahendrika.
Veio tambem o capital, sua mulher eo piloto,
a, horas depois a tripoltcjio em urna barcaga.
O ajadaote da capitana e o pratico-mdr empre-
garam os muios de salvar a carga do mesmo
%------------
Aareliano d Figueiredo, Antonio Alexandrioo I
Lima, Mara Gertrudes do Sacramento, Franciaco
Antonio Dia Parado, Jos Janaario Aranha,
Antonio Joai Pire, Caodido Joo Antonio, Ha-
noel Agapilo de Aonunctaoao, Dr. Heoriqae
Krauae, sua familia e 2 criado, Manoel Vellozo
Coutinho e 1 meoor, Vicente Ferreira, Adriano
Gonc.alve, Franciaco Vieira, Jos da Fonaeca,
Manoel Pacheco de Aodrade, D. Scbimberg e 1
Blho, Mr. Schimberg, 1 desertor do exeretto e 2
soldados que o eacoltam.
Seguem para os portos do ul:Dr. Lulz
Duarte Pereira, Dr. Carlos Pedro Ribeiro, tenan-
te-coronel Carlos de Moraea Camiaao, Padre Joa-
qun: Coelho da Cruz, Francisca Militana da Coo-
celgao, Antonio Jos da Cuoha Coimbra, llaaoel
Joaquim da Silva, Joo da Nobrega, Bartholomeu
Hay leo, Carmina Caldas Caatello a 2filbo, Jos
de Matt 13, William H. Me. Gratha, 21 recrutaa
para o exercito, 1 dito para marioha, 1 desertor
do exercito, a 26 escravo eotregar.
Matadouro publico :
Mataram-se para o consumo desta cidade no
dia 16dejunho 52 rezea.
Obituario .no da 18 de jclho, no cemitb-
rio publico :
Claadina Mara da Conceijo, Peroambueo, 45
anoo, S. Jos, hvrteria.
Olympia Baptista de Hoiaes, Piauhy, 2t aono,
aolteira, Santo Aotonio, bexiga.
Laizde Fraoga Paataleao, Peroambaeo, 19 an-
no, solteiro. Boa-Vista, farimeoto.
Ra y mando, Peroambueo, 22 aooos, solteiro, es-
cravo, Boa-Vala, anemia.
Maria Izabel do Nascimeato, Peroambueo, 28
aonos, casada, Boa-Viata, pbtysica.
Para Southampton a o
paquete ioglez Mag-
dalena :
m moeda .
dem dem em barra. .
dem idem em p. .
Para Lisboa do n.esmo
Em moeda.....
fara a Ilha Terceira na
barca portugueza Fa-
ra I :
Em moeda .
Total ....
Duro.
18:3453000
6:8789520
1:814(400
Prata.
I:182f000 480J000
500J000
28:719g000
1:6083000
1:6085000
f.e r.'L.Hn se lembem no paquete ioglez M-ij -
ha e20oOJJS em notas do thesoaro para Per-
nambaco.
Chegaram, procelenles de Peroambueo:
27, o patacho americano Ilannah, com 13 dias
de viagem ; 28, o brigue belga Hermina, com
10; 30, a barca americana W. II. Newmann,
com 10; 3 do correle, o brigue austraco Ka-
fia, com 45 ; e 10, o patacho S. ioaneiro, com
24.
Sanio para Peroambueo : 6, o patacho
Capuan.
Athava-se carga para Peroambueo: os
fatigues Maria & Alfredo e Unido Flix.
O vapor Paran satiio do Rio no dia 10
pela manba.
Baha, 13 de julho.
Cambios.Sobre Londres26 1[8 o 26 11S d. por
19.
Pars365 a 370 rs: o ir.
Lisboa108 a 112 por ceolo de prem. e
003).
Utaes.Doblos hespanhoes, 31J500a 31Jr000.
< da patria, 31&00O a 313500.
* Pataces brasileiros23100.
c c hespauhes23100.
mexicanos1J900 a 23OOO.
Fretes.Para Bromen e Himburgo50 a 52 1[2
sch.
Gottemburgo 50 a 60 sch. por ton.
Caoal e porto ioglez40 a 50 sch. por
too.
Continente50 a 55 sch. por ton.
Liverpool40 e 45 ech. por ton.
N-w- Vork 6 sch. por too.
Marselha60 a 70 sch. por toa.
Londres50 sch. por too.
PEM4MBUC0.
REVISTA 01*81*.
Amauhaa se dever extrahir a 4* parte da 2a
latera para o Gymnaaio Pernambucano (3* con-
nhora do Rosario de Santo Antonio ; devando
comecar o pagamento dos premios de 5:0003
t 103000, urna hora deoois da extraccao.
S. Exe. o Sr. presidente da provincia tendo
pprovado o ornamento e planta da obra da
/ponte de ferro aobro o rio Brumaioho, na eatrada
de Po o'Alho, tecommendou que por aonuncio
osse a mesma posta em pra^a para realisagao
do reapectivo contrato.
As proposta* devero *er entregues em caitas
fechada at O dia 4 do goveroe. onde serio abertaa no dia aeguiole
i I hora da tarde, com aasistenci* dos prepo-
neat* e preseeca do director da obra publica,
isapeetor e procurador fiscal da thesouraria pro-
vincial.
No intuito de dar agaa o povoado doa
Affogaios, gxm. Sr. presidente da provincia
ceosultou a direerjao da Compaohia do Beberibe
-quaea a eeadiedes porqua a mesma collocar
all ama toraeira para absstecimento da popu-
Avi9, aia harendo alteracio, porm, no preco
ordiari e eetbetecieo.
Coas a satiaf^o d.ssa necessidade far S.
Sc. m benecio ii pessoas que moram naquel-
io -laeal, bem roereceodo por coweguinte de
>M forernado. cujo inlareiie vttae assim
#comor* *a4a.
CHROHICAJUDICIARIA.
Tribonal do commercio.
SESSO ADMINISTRATIVA EM 17 DE JULHO
DE 1862.
PRESIDENCIA DO EXH. SR. DESEMBARCADOS
V. A. DESOUZA.
A'a 10 hora da manhaa. reunido oa Srs.
deputados Reg, Lemos, Bastos e Malveira, o Sr.
presidsnte declaroa abert a seasio.
Foi li Ja o approvada a acta da seaso antece-
dente.
EXPEDIENTE.
Um cilicio do merilissimo tribunal do com-
mercio do Maranho, de 7 do correnta, aeompa-
ohando a relaco doa commerciantea matricula-
do naquelle tribunal de abril junho do correo-
te anoo Accuse-sa arecepeo e archive-se.
Foram presentes os mappassemeslraes do tra-
piche Compaohia, esrmazeos de deposito de Jo-
s Martina do Rio Jaoior, e de Brito e Joa Luiz.
Foi tambem presente ao tribunal o conheci-
mento da thesouraria de fazeoda de lbe ser en-
juegue pelo offlcial thesoureiro do tribunal Dina-
meneo Augusto do Reg Rangel a importancia
de644J920.
DESPACHOS
Um requer ment de Jos Alve da Silva Gui-
palacho, maspouco ou nada conseguirn, por se marae. pedindo o registro do seu contrato de
acbar o navio com muila agua.
O capito, em coosequencia da mulla agua
que fizia o navio, encalhou-o para salvar-se e a
tripolaQo. O casco s com
poder ser tirado do lugar em que se ach.
A opera lyrea Gemma de Vergy, que na
torga feira ultima foi scena no Santa Isabel,
manhaa repetida abi.
A boa execuQo que tere essa pega naquelle
dia,ha de por cario reproluztr-se na representa-
co d'amanha. O tenor Giadi e a prlmadona
Stella darn de seu talento a mesma copia, e o
publico assim ter horas de completo prazer na
apreciarlo de urna pega importante e na audico
de vozea que fallara a alma oa lioguagem inspi-
rada do senlimento.
Bepartiqao da polica. (Extracto das par-
tea do da 17 de jalho).
Foram recolbido casa de deUnco no dia 16
do corrate :
A* ordem do Illm. Sr. Dr. chefe de polica.
Angelo Jos Francisco, pardo, de 42 annos de
idade.dado agricultura, e Joaquim Rodrigues,
crioulo, de 39 aooos, oleiro, viodos do termo de
Agua-Prata, o primeiro como criminoso de mor-
te, e o segundo por saspeita de ser escravo.
A' ordem do Dr. delegado do Io districto,
Francisco de Paula Millos, branco, de 20 sanos,
ferreiro. por crime de tomada de preso do polar
da polica, com violencia, os pardos Jos B-nto
Sabino, do sJJ anoo, pialar, por diiturbioa n \I i .
ra Joaquiaa do Nascimento, de 19 aooos, cos-
turara, por briga e offeasas moral publica ;
assim como a Africana, Benedicta, da 40 aonos,
eserara de Joaquim Jo< Carvalho de Siqueira
Varejo, pira areriguagoaa em crime de sevicias
contra ella commettido.
A' ordem do subdelegado do Santo Antonio,
Antonio Francisco de Paula Bernardo, pardo, de
20 annos, ourives, por desordeno.
A' ordem do subdelegado da Boa-Vista, Ma-
noel Filippe da Hora, crioulo, de 39 aono, pa-
dreiro, por ser encontrado noite com um com-
passo, s suspeitar-se ser o autor do espanca-
mento feito em Manoel Pereira Garca.
A' ordem do de S. Jos, Jos Joaquim de
Saot'Aona, crioulo, de 62 anuos, pedreiro, por
desobedieacia.
O chefe da segunda seccao,
/. G. de Mesquita.
Movimeuto da casa de deteujo do dia 16
de julho.
Exisliam.
Enlrsram.
Sabiram.
Existem. .
374
9
15
368
A saber
Nacionaes . 256
Mulh-res. . 7
EstraDgeiros. 32
Escravos. . 6b
Escravas. . 8
144
Total. ... 368
Alimentados a cuata dos cofres provin-
cias.............
Movimento da enfermara do dia 17.
Tireram baixa :
Antonio IgnicioGraciaoo, angina.
Boelicta, escrava de Joaquim Jos de Siquei-
ra Varejo. cootuso.
Ti vera m alta:
Manoel Teixeira de Carvalho Ralalo.
Flix Jos Rodrigues.
Aotonio da Silva Rocha.
Honorio Nunes Pinheiro Gama.
Raymuodo Jos de Siut'Aana.
Joo Gomes.
Francisco, escravo seoteociado.
Polycarjio, escravo de D. Maria Cysneiro.
r s s o 3 b:i ^ r P i! : 1 : 1 = B i : ; : i s > 55 e o < B tu 2 H O a o
Cfll U 1 tal 9) i cy< i Maaculiao. s 1 S.I i? a o en
oo 1 CO 1 a w M Femioino. o" el 1 ' "O ? -i 3-
1 ts 1 ^s 1 1 Ki 1 u. M Masculino. e. i Bl 12.5
1 1 .1.1. . ! Faminioo. \ 3 1 1
1 1 1 1 1 1 e ! Masculino. ca ?o 1 i e j.
* * .1. * 1 i Femioino. ? o P5 W
K. . 1 1 m .| Mascalioo. o.!? > O
-' 1 GO 1 1 1 A i,! Femioino. j t. l t o
-,1 1 1 SI 1 1 ce I Masculino. ,'-.> 1 1 o Cita)
si j 1 1 ? o, Feminino. I g -1
sotiedade com Max Hamburger o outro. Vista
ao Sr. desembargador fiscal.
Outro do corretor Jorge Patchett, pedio Jo o
Brande dispendio re8',lro ^ conhecimento do imposto de seu offi-
1 ci.Registre-e.
Outro de Mariaooa Augusta Coelho, pedindo
que opresideate da junta dos corratores atieste
se esto razoaveis os oreos dos ganeros cons-
tantes da relaca > que ajunta.Como raquer.
Outro do corretor Francisco Jos Silveir, pe-
diado o registro do coobecimeoto do imposto de
seu officio.Registre-.
Outro do agente de leildea Luiz Antonio Rodri-
gues de Almaida, pedindo tambem o registro do
conhecimento do imposto de seu officio.O mes-
mo despacho.
Outro do corretor Joo da Cruz Macedo, pedin-
do igualmente o ragistro do conhecimenfo do im-
posto de aeu officio.O mesmo despacho.
Outro do prepnsto do corretor Antonio Bote"-'
Iho Pinto de Mesquita Jnior, oediodo tambem o
registro do conhecimento do imposto.O mesmo.
Outro de Sauoders Brothers & Compaohia,
pedindo o registro da procurado que ajuntam.
Regialre-ae.
Outro de Joo Paulo da Funseca e Pedro Maa-
rer, pediado o registro do seu contrato social.
Vista ao Sr desembargador fiscal.
Oulrode altar & Ohveira, pediodo a entrega
da carta de registro dohlateTino, que compra-
ra m com as competentes annotacoes.Na forma
oo parecer fiscal.
Outro de Leonar Kuben de Zirich, pediodo o
registro de urna coaven^o commerclal.n mes-
mo despacho.
Outro de Joo Rodrigues da Silra Valle, vistp
pelo Sr. desembargador fiscal, pedindo desooera-
cao do termo de responsabilidade que assigoou
como proprietario do hiate Piedad, que vendeu
a Jos Marques Vianna. Fa?am-se as aoDola-
tbet na forma requerida.
Outro de Jos Marques Vianna, tambem visto,
pediodo a entrega da earta de registro do hiate
Piedade quecomprou a Jos Rodrigues da Silva
Valle, a qual apresenta feitas as competentes an-
notacoes. Prestado o juramento e assigoado o
termo de resoonsabilidade, como requer.
Outro de Manoel Caetano Borges e Silva e Jos
do Reg Mello, igualmente visto, pediodo o re-
gistro do eu contrato de sociedade.Alterem a
decima coudigo era ordem que sejam gereotes
da sociedade, um ou ambos os socios sem restri-
bo es.
Outro de Jos Condal res Malveira e Jos Mar-
ques dos Santos Aguiar, visto pelo Sr. desembar-
gador fiscal, pedindo o registro de seu contrato
de aociedade.Como requerem.
Outro de Jos Joaquim Silveira, negociante
matriculado, apresentandoo balango de aua casa,
pedindo a concesso de urna moratoria para po-
der satisfazer o seu passivo, cujos pagamentos se
vio obrigado a aospeoder por causa de eccideo-
tea extraordioarios, imprevistos e de torga maior.
O tribunal nomeou os credores Rostron Roo-
ker & Companhia, e Almeida Gomes. Aires &
Lompanhia para vsriearem o balango, e mandar
remoller aojuizo especial do commercio para
proceder oa forma do artigo 899 e 900 do cdigo.
Outro de Barroca & Medeiros, fiscaes da mora-
toria de Sebaalio Jos da Silra, pediado a no-
meago de um Gscal para a mesma moratoria,
risto estar abena a fallencia de Jos Antonio
Moreira Dias, que exercia tal lugar conjuocta-
mente os supplieaotes. Juato os autos con-
clusos.
Outro ds Olympio Ferreira da Silva, apresen-
lando a Banca do officio de agente de lailo, pa-
ra lbe sor dado o titulo raspedivo. Prestado o
juramento, como requer.
Outro de Francisco Lucas de Souza Rangel,
pediodo providencias para ser recolbido ao cofre
do tribunal a importancia da renda do brigue
Parahibano, spprebeodido na provincia da Para-
hiba.Vista ao Sr. desembargador fiscal.
Outro da Domingos Ferreira das NevesGuima-
raes e Francisco Augusto de Oliveira, pedindo o
registro de seu contrato social, sob aTazo de
Guimaraes & Oliveira. Vista ao Sr. desembar-
gador acal.
Outro de Heoriqae Jos Vieira da Silva, pe-
diado a entrega do registro do hiate Sergipaoo,
que comprara a Antonio le Soaza Leito.Pres-
tado o juramento e aaaignado o termo de res-
ponsabilidade, facam-ae as annotacoes, comore-
Outro de Jos Euzebio Alve da Silva, .gente
de etloa pediado o registro do conhecimento
do Impoatode aeu offltio,Como requer.
Sendo concluaoa o autos de moratoria de Se-
bastiao Joa da Silva, o tribunal nomeou a Joa-
quim Lopea de Almeida para fiscal da mesma em
aubstituigao do que se acha impedido.
Nada maia houve.
Sorteado o Sr. deputado Lemos, na amencia
do Sr. Silveira.
Desprezaram-se os embargos.
Appellante, D. Marianua Dorotha Joaquina ;
sppellado, Manoel Pereira Magalhe.
Sorteado o Sr. deputado Bastos, na ausencia
prolongada do Sr. Silveira.
Des i re tarara-se o embargos.
Appellaote, Joo Pinto Regia da Souz ; ap-
pellada, D. Senhorinha Francisca Vieira, viuva
da Antonio Luiz Vieira.
Despreiaram-se o embargos.
Appellaote, o Dr. Javeocio Alve Ribeiro e
outro ; appellado, Aotonio Gome da Cunta e
Silva.
Confirmada a sentenra.
Appellante, Alves & Companhia ; appellado,
Antonio Emygdio Ribeiro.
Deaprezaram-as os embargos.
Appellaote, Jos Teixeira Laite ; appetlados,
Maooel Joaquim Novaea da Campos, Joo Fer-
reira da Sitos, por seu procurador, eos curadores
fiscaes de Garrido 4 Veiga.
Desprezaram-se os embargos.
Ap parta ota, Antonio Emygdio Ribeiro ; appel-
lado,. Joa de Alenquer Sicudes do Amaral a
oulrajw
DeaisMdo o dia de hoje.
AdJkado a pedido do Sr. deputado Reg.
PA39AGENS.
AppeiUnles, os hardeiros de Jos Maria da
Coat Carvalho e o curador geral ; appellado,
Jos Nops da Oliveira.
Do Sr. daeenbargador Silva Gaimares ao Sr.
desembargada Villares.
App.llanto, Antonio Joaquim Salgado ; ap-
pellado, Perciano da Silva Leito.
Do Sr. desembargador Silva Goimsres ao Sr.
desembargado^ Villarea.
Appellaote, o coronel Gaspar deHeneres Vas-
coucelloa de Drummoad ; appellados, a viuva e
herdairoa da Joo Heoriquas da Silra.
Do Sr. desembargador Villares ao Sr. desem-
bargador Gitirana.
Apaellaote, Joo Pinto do Olivaira e Souza ;
appellado, Miooel Januarlo Beterra.
Do 8r. deaembargador Silva Gaimsr&es ao Sr.
desembargador Villares.
Appellaotes, Flix Souvsge & Compsnhia ; ap-
pellados, Seve, Fithos & Companhia.
Do Sr. desembargador Villares ao Sr. desem-
bargador Silva Guimarie.
DISTRIBUIQES.
Appellantea, Joaquim Juvancio da Silva e oa-
tros ; appellado, Vicente Nunes do Senua.
Ao Sr. desembargador Villares.
Appellaote, Paulino Rodrigues de Oliveira ;
sppellado, Agostioho Tavare Pires.
Ao Sr. desembargador Villarea.
Appellante, Joaquim Fraocisco de Albuquarque
Santiago ; appellado, Jo- Joaquim da Cuoha.
Ao Sr. desembargador Silva Guimares.
Appellaote, Jos Joaquim Rodrigues do Souza;
appellados, Ferreira & Maitins.
Ao Sr. desembargador Silva Guimares.
AGGRAVOS.
Aggravante, o cnsul porluguez ; sggravado,
Manoel Jos Leite.
O Exm. Sr. presidente deu provimento.
Aggravante, Jos Alves Barbosa ; agravados,
Ferreira & Lima.
O Exm. Sr. presidente negou provimento.
Aggravaotes, Guimares & Bulos; aggrava-
do, Joo Rufloo da Silva Ramos e outro.
O Exm. Sr. presidente denegou provimento.
presos.

Publici$es a pedido.
dita chapeo, 1 dita roapa, 1 dita lacldos, 2 ditas
terragens ; a Haorique & Azevedo.
11 canas tecidoa o moda ; a Baatoa 4k Lemoa.
20 ditos obra de ferro e perfumaras, 3 ditas
calcados ; a Prente Vianna & C.
50 barra e 100 meios manteiga, 5 caixis ;
B, de Souza.
1 caixa fumo, 1 dita caiximbot ; a J. L. Bour-
grd.
2 dita barretes de algodao, 1 dita e 1 fardo teci-
doa de dito ; a Augusto C. da Abren.
25 gigos vinho champanhe ; a Rothe & Bi-
doutae.
125 barris a 150 meios manteiga ; a Joa Pa-
ter AC
2 caixas pianos; a J. Vigoes.
1 dita maias, 1 dila fitas, 1 dita pelles prepa-
radas, e 4 ditas chapeos; a Ferreira & Araujo.
1 saixa papel, t ditas cristaes. 1 dita vidros, 1
dita agua de colonia, 1 dita perfumara ; a Deoker
z Barrozo.
20 barris e 60 meios manteiga; a I. Ualli-
day.
5 caixas papel, 1 dita gaugas, 1 dita drogas ; a
ordem.
4 caixas tecldo de algodo; a Scbat Huter.
1 dita fumo, 1 dita caximbos e cigarros; a J.
B. do Rei.
2 caixas musseliaa, 4 dita cama de ferro, 1
dila lencos chapeo,2 dita ia e livros, 2 di-
tas camisas, 1 dita panno de lioho, 50 ditas vinho,
5 ditas fructas em conserva ; a Daniel Guimares
&C.
25 barrise 15 meto manteiga : a Almeida Go-
mes Alves & C.
10 barris o 20 meios manteiga, 1 caixa coleiras
e papel para muaica, 1 cana porcelana ; a Anto-
nio Roberto & Filhos.
2caixaa caximbos, 1 dita cordas para iostra-
mantoa ; a H. Dumont.
1 dila drogas; a Joa da Silva Paria.
2 caixjaa chapeos de sol ; a Maealraly.
2 barriese rame; aJ. A. da Silva Guima-
res.
2 caixas linhs, 1 dita alfinetes, 1 dita chapeos,
1 dita perfumaras, 1 ditas calcado ; a Mello Lo-
bo & C.
4 caixas drogas, 1 barril vinho, 21 toros de pao
campeches, 1 caixa medicamentoi; a Csors &
Barboza.
1 caixa livrai; a Manoel Joaquim Ramoa e Sil-
va & Genro.
1 caixa fecido de algodao ; a Kalkraann Ir-
ma os.
1 caixa calfsdo ; a Luiz Antonio de Siqueira.
1 dita chales; a C. J. Astley & C.
1 dita modas, 1 dita escovas; a J. Mouti
oho.
1 caixa chapeos ; a Gon;alves Bastos.
1 dila panno, 1 dita colxates, 1 dita vidros, 1
ditas caixaa para rap, 1 dila arcos tara asas, 1
diva papel, 1 dita pelles, 3 ditas chapeos, 2 ditaa
calcados, 3 ditas cartas para jogar, 1 dita perfu-
mara ; a Vaz & Leal.
1 caixa tecido o'algod3o, 1 dita barretes de di-
to, dita objectos para seleiro, 3 fardos chapeos ;
a E. A. Burle & C
25 barris e 50 meios manteiga ; a Tssso r-
meos.
10 caixas e 5 barricas ; a P. Maurier.
9 caixas 42 barricas drogas, I caixa bataolas, 1
dita artigos diversos; a P. Dias das Noves.
Vapor brasileiro Oyapock. viodo dos portos do
norte, entrado hoje, mauifestou o seguale :
26 rollos salsa ; a Palmeira & Bellro.
3 caixas chapeos de palba do chile ; a E. A.
Burle & C.
1 caixota ; a Prxedes da Silra Gusmo.
500 r. IgOOO; 3 tallos de couro velho, valor dar
.um cada 200 rs., 600 rs. ; 1 doto de couro in-
vernlsado apparelhado de prsta, valor 12000 ;
1 baodeira de flanella reina, valor 200 rs.; 1 uc-
eo com pontaa de couro pesando urna libra, valor
500 rs. ; 1 chicote cora a;out. vaior 29008 ; 1
chicote para mi, valor 2$500 ; 1 espada evo>
baioha e copos dourados, valor 168; 2 espada
com baiohas da eco o copos doursdoa, valor d-
cada urna 6*000, IrgOCO; ama baioha da metal
vaor IjOOO. ."
J. Y. Sramgman 1 caixa com 2 resmas do pa-
pel paqueU pesaodo 6 libras, valor de cada Hbrs
3^0 rs. 2g040.
Le Chavalier 1 caixa com fraaquiohos coDteBdo
colla liquida pesando bruto % libra*, valor d*
cada libra 2?, 1928OJ0.
S/M 2caixinhaa de madelra peaaodo 6 librs,
valor de cada libra 19, 6&00O ; 2 emarulhos com
cartas geographicas pesando & libra, valor de ca-
da libra 55,309000 ; 2 embrulbos com 30 varas
de talagarc, valor de cada vara 200 ra., ( _
1 embrulbo com 6 fuchadura de ferro, ordina-
rias, pesando :> libras, valor de cada libra 300 rs..
19500;! embrulhi com calxiuhaa conieodo ilhs
de metal pesando 1 libra, valor 849'rs, ; 1 ena-
brulho com impressos pesando 13 liara, valor de
cada libra 19. 13|000 ; 1 embrulbo com & eaixi-
ohas contendo lionas pesando <\ libre,, valor de
cada libra lf, I950O ; i ambrulhoa com iloha
prvta pesando 3 libras, valor de cada libra 1J.
39OOO ; 2carles com 8 eofeitaa. para cabega, va-
lor de cada um 29, 16j000 ; 15 calabrotea de bar-
bante pesando 7 libras, valor de cada libra 270 rs.,
13890 ; 4 chapoa da faitro, sendo dous em boa
estado, valor de cada brn 49. 89000 e dous al-
guma cousa estragados, valor de cada um 800 rs.,
19600.
4* seccao da [faodegs, 15 de julho da 1832.
O 1" escriturario
Joo Carneiro Lint Suriano.
Ueeiiixac**.
Correio.
Lando o Diario de Pernambuco de 5 de julho,
n. 153, depirei com o discurso proferido na c-
mara dos S-s. deputado, na sesso de 14 de
junho, pelo Sr. deputado Pinto de Campos, e
reflecU no seguate tpico do mesmo discurso
pnfeajdo oestes termos : pelo que Loca as de
pi'" -s dos tres agentes do correio ; declaro
qu. demi.a&e* foram dadas em regra ; oor
quanl -Odos esses agentes eram prufeaj,ore V
blico?|e da primeiras lettras, e a canj,ra c0Km.
prehef'la. que as peoies do magisterio n|0 po.
diar^leixar da embaracar as de-yfenle Q0 cor.
I.e;\nLm ST,d,',,uma?a.r,ei5s-. deputado
52 ,- mf Ul StoVincial q, l0f.
na ufompanveis tae* ncele,. a ^ diS80
Bergukla-^ao Exm. pre;^, d,a provineia
8,0 <*(|15tor K 71'- WJ se rlo easaa incompatibilidades as
Iregu^P.. rtn 5 cirrnlo. ou p up Hismln a toda
proaaia, c.omprehendendo a villa da Escada
ODda le acha accumulado o dous
Escaria, 15 de julho de 1862.
\^ Um prejudieado com a acumulado.
*--------
Pala administjsQo do correio desta cidade, aa
faz publico que hoje (18) as tres horas da tarde.
fechar-ae-ho as malas que tem de condutir o
vapor Oyapock, com deatino aos porlos do sal z
os seguros l as duss horas.
Pela secretaria da cmara municipal desta ci-
d.de, se faz publico que em cooseqaencia de nao
ter sido arrematado o imposto da atfericoa* no
dia anouaciado, vai novamente em prsca o dita-
imposto no dia 21 do correte.
Secretaria da cmara municipal do Recite, 15
de julho de 1862.O offlcial -maior, servindo da
secretario, Francisco Canuto da Bjaviagem.
Consulado de tranca.
O Cnsul de Franca roga a todos os credores do
finado Antonio Eugenio Barrtllier, para compa
recerem em seu consulado no dia sexta-feira 18
do correle ao meio dia, atim de poder fazer a
claasiiicsQo de crditos e haver urna deliborac,!
deflnitira sobre os negocios tendentes ao estado
dos poucos bens deixados por fallecimento do>
mesmo. Rfif*, 15 -te j'ilho <1 1862.__________
THEATRO
DE
COMPANHIA LYRICi
DE
empregos.
Fraca do Recife 17 de
julho de 1862.
tVs cuatro horas da tarde.
Cotaces da junta de corretores.
Cambio.
Nao houveram colarles.
i. da Cruz Macedopresidente.
Johu Calissecretario.
AlfandeaT*,
andimento do dia 1 a 16. .
ldm de da 17. ... .
206:867*161
14050J408
220.9179569
Movlmssttto da altaud>|s;ai.
Valames entrados omfazendas.. 387
om gaoaros.. 253
Valama*
a
lahido*

om ceneroa..
640
a= 318
; a i.DJ peoras
usijo*, aos coasi
intelga ; N. O.
Na lolalidada dos doente exiteoil41, sendo 4
homens e 14 mulheres alienados.
Foram visitadas as enfermaras estes qustro
dias : a 7 1|4, 7 1,2 horas da maohl nelo Dr.
Villas-Boas, no impedimento do Dr. Doroellas,
e a 7 3t4. 7 1[2 hora da manba palo
cirurgiao Plato.
Passageiros do vapor nacional Oyapock,
viodo dos porto do norte:Alexandra Js da
Silva, Joo Goncalres Ferreira. Joaquim Joa de
Medeiros, Miguel Archaojo de Fiaaeiredo, Vicen-
ta Alve da Costa e Silva, Aotonio Alves da Coa-
te a Silva, Paulino JosCardoso, Lui Rodrigues
Vianna, Jao Luiz Vianna e 1 criada, Lotegarto
SESSAO JUDICIARIA EM 17 DE JULHO
DE 1862.
PRESIDENCIA DO EXH. SR. DESEMBARCADOR
SOL'ZA.
Secretario, Julio Guimartt.
A_ meia hora, o Exm. Sr. presidenta abri a
sessao, estando presentes os seohorea desembar-
gados Villares, Gitirana a Silva Guimares, e
os Srs. deputados Reg, Lemos, Bastos e Mal-
veira.
Lid, foi approvada a acta da sesso ante-
rior.
JL'LGAMENTOS.
Appellante, Aatooio Jote Moreira Pontea
pellsdo, Jos Gongalves Malveira.
Sorteado o Sr. deputado Reg,
Sr. Silveira.
Desprezaram-se os embargos.
Appellantea, Diogo, Filhoi Companhia ; ap-
pellado, Joaquim Salvador Pessoa de Siqoeira
Cavalcanti.
Desprezaram-ae o embargo, tando aido sor-
teado o Sr. deputado Bastos, na aaseseia do Sr.
Silveira.
Appellante, Manoel Joaquim Dia do Castro *
appellado, Antonio Jos Da,
Destarragam no dia 18 de jalho.
Patacho inglezMary Blotkfazenda.
Brigue inglezFloriatiaem.
Brigue brasileiroOlinda ceblas o batatas.
Patacho americanoRoankefarinha de trigo.
Escuna dinamarquezaNancyfazenda.
Barca nacionalBoassicacarro.
Importabas.
Barca franceza Havire, viada do Havre, con-
signada a Tiaset frere eatrada em 16 do corroDte
manifaatou o seguate :
250 caixas veltas slearioas, 4 ditas papel, 9 di-
las e 1 firdo tecido de algodo, de lioho e de la,
2 barris vinho ; a Linden Wild & C.
8 caixas te idos de algodo e de dito e lia ; a
Joo Keller & .
2 tinaa queijos ; a Schsffler.
75 birria e 50 meios manteiga ; a Ferreira-&
Loureiro.
50 ditoa e 50 ditos dita : a Jos Baptista da
Fooseca Jnior.
11 caixas papel, 1 dita calcado, 1 dita cartdes
vastos, 1 dita alfinetes ; a Montsiro & Lope.
1 caixa preparo para flores ; a Ferreira
Borge
15 barriae 15 meios manteiga ; a Jos Anto-
nio Moreira Diaa 4 C.
125 ditos e 150 ditos dila ; a 1,036 pedras pa-
ra cal(ameoto, 45 caixas queij '"
tarios.
150 barris e 150 meios ma
ber & Successores.
2 fardos pannos, 2 caixas lencos de algodo, 15
ditas tecidos de la de algodo, 1 barril vinho, 1
dito cognac ; a Schafheillin & C
50 barris e 50 meios manteiga, 1 caixa galo
de algodo : a Seve Filhoa & C,
2 caixaa bombas, 2 ditas ferrsgens ; a F. Du-
ba ry.
6 ditas chapeos, 1 dita pannos, 7 ditaa calca-
dos, 2 dita casimiras, 3 ditas cristaes 2 lustres,
1 caixs objectos para selleiro, 6 ditaa a 2 fardoa
tecidos de seda de algodo ; a F. Sauvage C
25 barr e 45 malo manteiga ; a Ferreira &
Malheus.
20 dftos e 40 ditos ; a Matheus & Rodrigues.
60 ditos e 60 ditos dita ; a Jos M. da Roaa.
30 ditos e 40 ditos dita ; a Jos de S Leito.
7 caixas chapeos de teda e palba ; a Chrisiia-
oi IrmSo.
7 atai ticido da algodo a seda ; a F. Mo-
nhard.
1 caixa artigos de photbograpb|a ; a S. Blun
na aaaencia do- Lehmam.
5 ditos realeijos, 2 ditas chspua, 24 ditas ti-
cide de algodo de la e seda ; a Wild & Just.
40 barris o 70 meios manteiga ; a Vtente F.
da Costa.
3 caixa cbapus, 2 dita* tecido de algodo ;
a Dammayer 4 Carneiro.
5 caixaa porcelana a cristaes, 1 ditaa chale, I
dita perfuman! 5 saceos acms ; a H. Adour
& C. .
3 can-papel, l dita salgado, 1 dita saia, 1
G. M\RlflANGEk*.
18.a Recita da assignatura.
AMANIIA
Sabbado 19 de julho.
Pela segunda vez represeotar-se-ha a granfli
tragedia lyrica do celebre maestro ooiietli, di-
1 dito; a Dr. J. J. Hora>s Sarment.
1 dito ; a Br. L Ferreira Barboza.
1 lata ; a J. L Moura Vasconcellos.
1 encapado ; a Bertrand.
1 dito; a Moura Rolim.
Exportado
do oa 16 de julho.
Brigue ioglez Zo, para o Caaa!, carrega-1
ram : ^.
M.ll Lalham ZJS^XU Sm O arro-
bas de asaucar.
Barca franceza Marte Nicola, para o Havre,
carregaram :
Tisset Freres, 119 sacco com 602 arrobas de
algodo.
Patacho americauo Indus, para New-Yoik,
carregaram :
Maaoel Jos T. FoBte, 500 achas de leoha e I W< m 3 actos, intitulada
100 esleirs.
Brigue porluguez Joven Amelia, para Benguel-
la. cor i.nanrii. eatrnsjna :
Antonio de Almeida Gomes, 90 pipas e20 melas
com 18.270 medidas de caxaga.
Lugre portuguez ./it/io, para Lisboa, carregou :
Thomaz de Aquino Fonseca, 20 saceos com 100
arrobas de sssucar.
Brigue porluguez Amalia I, para o Porto car-
regou :
Joo Pedro Rodrguez, 70 saceos com 500 arro-
bas de assucar.
Feliciano Jos Gomes, .100 saceos com 500 ar-
robas de assucar.
Brigue portuguez Soberano para Lisboa carre-
garam :
Thomaz de Aquino Fonseca Juoior, 358 saceos
com 1,761 arrobas de assucar.
taseebedorla de rendas Internas
geraea de Pernambneo.
Randimento do dia 1 a 16. 32:8885757
dem d da 17......: 1:728*600
3:617j357
Ccnaalad provincial.
Randimento do 455
Idam do dii 17...... 893*219
61:691*674
Movimento rio pono.
Navios entrados no dia 17
Gasp44 dias, patacho iuglez Graffin, de 98
toaeladaa, capito Fraocis Omort, equipagem
6, carga 1,430 lina com bacalhao ; a Krabbe
Thnn & C.
New-Yoik38 dias e 7 horas, patacho america-
no Chutean, de 291 toneladas, capito LeHman,
equipagem 8. carga 2,110 barrica com fariaba
de trigo ; a Fhippa Brothers & C.
Portos do norte8 dias, vapor nacional Oyapock,
do 1,100 toneladas, commandanta 1 teoenle
Pontea Ritieiro.
Rio de Janeiro6 dias, vapor ioglez Magdalena,
coramandanle Woolward. Nao tem passagei-
ros para este porto.
LiverpoolBrigue inglez Black Princ, capito
I. Linthoro, carga assucar.
Nao,houveram sabidas.
ObservaQo.
Suspendeu do lamaro para o Rio de Janeiro
a polaca heapaohola Ptrla, capito Marianno
Estape, com a mesma carga que trouxe de Bar-
collona.
I VERGY,
Principiar s 8 horas.
Os bilhetss acham -se renda no da do espec-
tculo.
-
s.$$ MariEi o?-.
COViNHA PIM&niICaM
Wavegacao cosiera a npt
Macei pelas escalas
O rapor cPersinnga>, commandante Moura,
sahir para os porto do sul tocando na escalas
no dia 19 de julho, s 4 horas da tarde.
Recebe car^a at o dia 18 ao meio dia. En-
commendas. passageiros e dinheiro a frete ata
o dia la aabida aa 2 horas : eacriptorio no torta
do Mallos n. 1.
uai.
ap-
Por ordem do Br. juit eapecial do commer-
cio, sao convocados todos os credores da mssa
fallida em commandita de Amorim, Fragoso, Saa-
goa- jj0l c^ c para eomparacerem na sala doa audito-
ios, no dia 18 do correte mez, s 14 horas da
Bie-aJarjianba, afim de se proceder a nova nomea$o
_ "de depositarios da referida masas, em lugar do
credoret Samael Johoaton Power JlC, Jos Je-
ronymo Hooteiro, e Carlos Jos Astley & C, que
foram nomeados em reuoio, e deixaram da
aceitar.
Recife 17 de julho da 1861Oescrivo, Ma-
noel Maria Rodrigues do Nasctmeoto.
Pela iospee;o da alfaodega se faz publico qae
do dia 18 do correte mez, depois do meio dia,
na porta da metma alfandega, se ho da arrema-
tar em hasta publica os objectos constantes dos
volumes abaito declarados, comprebeodido no
n. 2 do art.299 do regulaoaeoto, aendo t arrema-
tacao livrede direitosao arremaUaate.
S/M 4 caixa com parafusos de Ierro, grandes,
com porcaa pesando 1264 libras, valor da libra
167 ra 211*083.
Diversas pegas de ferro fundido em obra pe-
senda 602 libra, valor da libra 100 rs.. 602O0.
Uireisas pecas de lato pesando 40 libras, va-
lor da libra 800 ra 339600.
II P 1 caixa com duaa mangueiras de sola pa-
sando 40 libras, valor da libra 500 rs.. 20|000.
W Duro 1 cala com medicamentos nao clasai-
Bcados pesando 100 libraa, valor da libra 2$, 200j.
S/M 1 caixa contando 1 talin do couro coberto
de algodo, verdadeiro valor 168000: 1 cinta da
couro coberta de galo, Verdadeiro valor 10*000;
2 patronsa pequeas, valor de cada urna 600 rs.,
1|800; 1 par de loro de couro cobartos com ma-
latas a rame, valor 39000; 1 talin ds couro
branca pesando 2 libras, valor da libra 2#700,
5?+00 ; 2 parase* esperas ds ac.o valor de os
O brigue brasileiro Deolinda aiuda recebe car-
ga e escravos a frete i.ara o mesmo norlo: a
tratar com os consignatarios Marques, Barros 4
C lrao do C*rpo Snto n. 6.
StL-4
isboa.
Pretendo sabir com toda a brerHade o b.-iguo
portuguez Soberano por ter maia de meia car-
ga prompla : para o resto da carga e passagviro,
trata-so com o consignatario Thomaz de Aquino
Fonseca Jnior, na travessa da Madre de Dos n.
7, primeiro andar, ou com o capito Antonio A-
goatinho de Almeida. na prt>cs.

COMPANHIA PERMAMBUCANA
BE
Navegaco costeira a vapor.
Parahibi, Rio-Grande do Norte, Maca ti,
Aracity, Cear, Acaracu' e Granja.
O vapor Iguarass, commandante Vianna,
sahir para os portos do norte al a Granja no
dia 2t do corrente s 5 horas da tarde.
Recebe carga at o dia 21 ao meio dia ; en-
commeodas, passageiros a dinheiro a freta at o
diada sahila as 2 horas : escriptorio no Fort
do Mallos n. 1.
Rio de Janeiro
Pretende saguir com moita brevidede para
Rio da Jaoeiro o veleiro e bem conhecido brtgss
national Almirante, tem parta de seu carrega-
mento prompto ; para o resto que lbe falta, tra-
ta-as com oa aeus conaigoatarioa Aotonio Luiz de>
Olivaira Azevedo, no aeu escriptorio ma dsCra
numero 1.
Para o J^orto.
O brigue portuguez Amalla I. taha al o dia
24 do corrente mes, para pafsejfairoa aos quaes
offerece excsllenles commodos: trala-se com
capito s bordo oa com os conslgnitriot D roa
ds Mdjttda)Dflos o. 8,

1


DIAIIO Bl PERMAMIOCO. t*> SEXTA FliBA 18 01 JDLUO B i|62.
\
/
Ass e Aracaty.
Segu no dia 21 do corrala o biete Exhala-
$ao, eioda reciba slgama carga e paesegeiroa:
a tratar na roa da Cadeia do Recite a. 28, 1*
andar.
i -iloes.
LEIUO
DE
Queijos flamengos
O agente Festana rendar por conta e risco de
"quem pertencer cerca de 58 caizai da 12, 18
?4 queijos flainengosmuito frescos e serio ven-
didos boje em lotes a Tootade, na porta do An-
sas, de fronte da alfandega, pelas 10 boraa da
znanhaa
LEILO
60
Palbabole Duas Luizas,
Quarta eira 23 do corrente.
O agsnte Pinto far leilo s requerimento de
Andr de Abren Porto como depositario e por
mandado do Dr. juiz de orpbaos do palhabote
Duas Luizas, perlenceote ao espolio do (loado
Manoel Jos Soares, as 11 huras do dia cima
mencionado, porta da aesociaco commercia!.
tea de gorguro da cpr 4* seda preta a 8*. pa-
letols de casemira de cores a 5, ditos de alpaca
de cor e marin setim a 4# a 5|, chale, de toa-
quim a 8S, manteletes de louquim a 12), cola-
rinhoide linbo a 160 rs.f chtpeosxinhoa de teda
para senhora a Q$, enfeites de (loras a 500 rs.,
caiteira cora charuteiraa a 18500, saias de cor-
do para senhora a I96OO, meias de seda pretas
para senhora a 13500, cortts de casinetas da cor
a 1(500, ditos de casemira pretas a 43500, casa-
veques de cambraia a de (li preto a 29, golli-
nhaa de croch a 1J>, Va petes para sala a 49, un-
cados e golliahas pretas para luto a 500 rs., chi-
tas pretss francezas a 200 rs. o covado superior
qualidad, luras de seda de corea a 160 e 400 rs.,
ditos de reros a 400 e 500 ra. com vidrilho, col-
chas de croch brancas a 88, rlquiasimos cortios-
dos para cama a 80, chales de croch de la a 49,
panno de croch para encost de cadeira a 500 e
19 e uniros muitas hiendas que se vende avista
do comprador e por todo prego a dioheiro avista.
Urna pesaoa civil, boa moral, e fiel, toma
por balanc.0 qualquer estabelecimento, menos
taberna que renda espirito pelo miudo, tanto
dentro da praga como (ors della de que tem mui-
tissimos annoade pratica, augeitando-se a fazer
a escrlpiuracao : quera precisar annancie para
ser procurado arista do estibelecimanto dar os
esclarecimeotos aeceisario.
Aluga se una segundo andar na ra do Ilan-
gel dafronte da botica, com commodos para fa-
milia : a fallar na rus do Queimado n. 75, lojs
ds Victoria._______________________________^^^
Utlerece-se um rapaz para caixeiro de al"
gama taberna do que tem pratica, dando coohe-
cimaoto de sua conducta : quem precisar annan-
cie por esta folha para ser procurado.
<%>
LEILO
Attenco.
O asiente Oliveira far leilo das esplendidas
mobilias e mais objectos do uso ds ama familia
estraogeira e pede a attenco do respeitavel pu-
blico e dos seus songos para coocorrerem e apro-
Teitarem a bella occasido de se refazerem dear-
ligos magnficos, neccssarios e at de galantera,
como de primor em obra e qualidade ; a saber .
mobilias completas e de mao d'obra a maia per-
feita, de Jacaranda, tendo as mesas e coosolos
lindos lampos de pedra marmore, um riqaissi-
mo piano d rozes com caixa rica de Jacaranda e
eilo de enbommenda aem attenco ao alto cuito,
armarios de espelho, guarda roupas e guarda-
vesiidos de a ud a relio e mogoo, metas de abas
para sof, redondas para sala, ditas para advoca-
dos, ditcs elsticas e outras, apparadores perfei-
tamante entalhados, espelbos ricos, elegantes
rasos para flores, reloglos para cima de mesa e
de parede, quadros e espelhos com molduras dou-
radas, cadeiras differentes de vime para lerrago,
ditas de mogoo e de balaogo, guarda livros en-
vidrando, toiletes com espelho e pedra, ditos
com gavetas e pedra, leito de Jacaranda macisso
coro eapula, marquezas, lavatorios, estantes para
mosica e para toilhas etc., toucadores, camas
para meninos, comrcodas, almarios de cosioba,
cabidea^pareihos para jaiar, Prrcf a cha,
mtCDlBa para caf, crystaes, garrafas e copos la-
pidados, candieiros pin todos os myateres, ga-
Ibeteiros ticos, frascos de ebeiro, porta licores;
alem de muitos oulros arligos que seria enfado-
nho enumerar, mas nao menos iniipensavei9,
sero patenteadas obras de prata etc. :
Segunda-feira 21
do correte, s 10 horas da maoba ou logo que
baja numero de concorreotes, no armazem grao-
de da ra d'Apolio o. 20.
Deposito de velas de car-
nauba e composi^o.
Francisco C. R. Jnior para commodo de seus
j freguezes taco posto a venda as ralas de sua fa-
| brica, sita na traressa daa Cruzes n. 12, na ta-
berne da traressa dos Ezpostos n. 18 atrax da
matriz de Santo Antonio, onde offerece as mes-
mas vantagens que at boje tem offerecido em
sua propria fabrica.
BoJtllIlQS
Com diversos modelos, bandeijas enfeitadas
de armaQdes differentes com bollnbos de todas as
qualidades oa melhores do nosso mercado, assim
| como as libras em separado, e tambera podios e
qualquer pastellaria, tudo feito a primor e o
' mais barato do paiz : quem pretender dirija-se a
ra da Peoha n. 25, para ajustar-se.
Aviaos

r$o%.
GLANDE
Laboratorio, a vapor
DE
Roupa lavada e engommada
de Ramos 4 Piweutel.
Podem mandar bascar a roupa lavada os dooos
dos ns.: 187, 181, 182. 21,192. 190. 93. 30,171.
79. 94. 48. 1. 192. 99. 166. 186. 191. 183, 183.
110.164. 185 7. 127.132. 193. 184. 10. 31, 113,
105, 20. 6. 103. 14.43. 138
Francisco Uira, subdito italiano, vai a Ma-
cei.____________________________________________
LOTERA
Amanhaa 19 do corrente mez anda-
rao mpreterivelmenteas rodas da quar.
ta parte da segunda lotera para a
ediheacao da casa do Gymnasio Per-
nambucano (3. concessao) no consis-
sistorio da igreja de N. S. do Rosario
de Santo Antonio. Os bilhetes e muios
bi I lie tes acbam-se a venda na respec-
tiva thesouraria ra do Crespn. 15,
e as casas commissionadas praca da
Independencia n. 22 loja do Sr. San-
tos Vieira, ra da Imperatriz loja de
ferragens n. 44 do Sr. Pimente, ra
Direita n. o botica do Sr. Chagas, e
na ra da Cadeia doRecife loja n. 45 do
Sr. Porto.
As sortes de 5:000# at as de 10$ se-
rao pagas urna bora depois da extrac-
cao, e as outras, porm, no dia imme-
diato logo que se tenham distribuido as
listas.
O thesoureiro,
Antonio Jos Rodrigues de Souza.
Unio Beneficente
Marima.
Pela segunda vez scientifico aos senhores so-
cios eflecuroa para urna reunio da assembla gs-
ral no dia 18 do correle, pelas 6 e meia horas
da tarde, afim de tomar posse a ora admiois-
traco, visto nao ter harido reunio da assembla
no dia 13. por falta de numero.
Secretaria da sociedade Unio Beneficente Ma-
rtima 15 de julho de 1862.
Balthasar Jos dos Reis.
1.* secretario,
Saques sobre Portugal. !
O abaixo assignado agente do Banco 8
Mercantil Portaenae nesta cidade, saca S
effectivamente por todos os paquetea so-
o_mesmo Raneo para o Porto Lis- ]{
por qalqut>r -SBirima ?i;la a a-l-i-
podendo logo os saques a prazo serem
descontados no masmo Banco, na razio
de 4 por c*nto ao anoo aoa portadores
qua assim lhe eonvier : as ras do Crss-
po 11.801 do Imperador n. 51.
Joaquim da Silva Castre.
Offerece-se urna ama para o servio inter-
no de urna casa : na traressa da ra d* Florea
n.2.____________________________________
A pessos que se offerecs para caixeiro de
taberna,que diz ter pratica e dar coohecimento a
sua conduela dirija-se ao pateo do Terco n. 32.
0 Livro do Povo.
Sabio luz publica o LIVRO DO POVO, publi-
cado aob a direcc,io do Sr. Dr. A. Marquea Ro-
drigues, conteos a rida de N. S. Josas Chriato,
segundo a narrsco dos quatro evangelistas, a
mais os seguintes artigoa: origario, o professor
primario, o bom hornera Ricardo, a moral prati-
ca, Simao de Nanlua, mximas e pansamentos,
a bygiane, os.dereresdos meninos, 0 Brasil.
A publica gao do LIVRO DO POVO Dao s tem
por fim uoiormisar a leitura as escoles prima-
rias, onde cada menino aprende por um livro
difireme, e portanto facilitar o trabalho do mts-
tre e do discpulo, como tarabem rulgarisar, por
m prego baratissimo, a historia do salvador do
mundo, e oa melhores preceitos de moral.
Veode-se o Lirro do Povo, no Recife, ns
li'raria da praca da Independencia ns. 6 e 8, a
500 rs. o exemplar em brochura. a a 800 rs. car-
tonado.
j
Pateo do Livramento n. 11.
primeiro andar.
O dentista Numa Pompilio planta denles arti-
ciaea por grampos e ligaduraa a prasso do
ar, dtntea ioeorruptiveis sobre ouro, systema
norte-americano e faz todas as operarles da saa
rta e cora promptido limpeza
feffet
boa.
zo, i
S > ric 4
i*
SEGUNDA EDItClO
DO
THESOURO HOMEOPATHICO
ou
Vdde-mecum do homeopatha
pelo uoutor
umrn l fwm.
Este livro que se tem tornado lo popular,
quaoto necessario, acaba de ser publicado com
lodos os melhoramentos, que a experiencia e os
progressos da sciencia tem demonstrado. A no-
va dic;ao em tudo superior primeira, en-
cerr :
1.* Mais ampias noticias acerca do curativo
das molestias, com indicscoes mu proreitosas
dos medicamentos novos receotemente ezperi-
mentados na Europa, nos Estados-Unidos e no
Brasil.
2.* A eiposicaoda don trica homeopatha.
3.* O estudo da apropriaco dos remedios se-
gundo as predominancias dos temperamentos,
das idsdes, dos sexos, e segundo as circunstan-
cias atraosphericas etc., etc.
4.* A preservago ou prophilaxia das molestias
hereditaria*.
5.* A preserraco das molestias epidrmicas.
?.* Urna estampa Ilustrada demonstratira da
continuidade do tubo intestinal desde a bocea at
o anus etc., etc.
Veode-se na phabmacia especial homeopa-
tiiica, propriedade do aulhor, ra de Santo
Amaro (Muodo Novo] n. 6.
Pre;o de cada exemplar. ,
N. B. Os senhores assignantes
dar receber seus exemplarea.
. 20000
queiram man-
Attenco
Flix Venancio de Gantalicio pede s seas fre-
guezes que lhe sao devedores em quarito sotes
vboham pagar seus dbitos no espago de 15 dias,
do contrario lancar raao dos meios judiciaes
afim de lhe pagaren).
Aluga-se a excellente casa de 3 andares na
ra da Cruz, muito boa para os senhores nego-
ciantes: a tratar na ra do Imperador n. 85, 1*
andar.
Liquidado
Na ra do Crespo loja d. 14
est queimando ^or todo
preco para acabar, as se-
guintes fazeodas, a saber:
Cortes de aeda pretos com babados com algum
deleito a 15#, dttoa pretos ricos bordados a seda
6 reliado com babados a 408 e 509, ditos de se-
ala de cores com babados com pequeo toqua a
St>9 e 25$, ditos de barege com babados a 5f,
datos da seda de quadros a 8, vestuarios de fus-
tio egorguro de cor para meninos s 2l. 3> e
5f, anoisiohas de cambraia bordadas com gol-
lioha a 19 para senhora, manguitos com camisi-
abas a 2500. chaly claro a de liatraa a 360 rs. o
corado, liaaioha escocezas da l e seda a 3C0 rs.
o corado. Al liso com 8 palmos de largura a
800 rs. a vara, ditos bordados a 800 rs., cam-
braiaa adamascadas para cortinados a 320 e 400
rr. a rara, ditas damascadas decores a 300 rs.,
tarlatana de diroraas cores a 400 ra. a vara, brim
ds linho brsnco a 640 rs. a rara, brlmzinho de
lioho de quadros a 160 o corado, velludo da cor
proprio psra vestuario de criaocaa a 19500 o co-
rado, cortea de rollete de fuatao a 160 e 400 rs.,
ditos ds gorguro de seda e setim lanado a 19500,
ditos U Tallado suptiior qualidade a 39, eolio-
Isabel Carolina Bai rellier, seus
ilhos e genro agradecer cordial
m^nte as pessoas que se dignaram
de assistir no dia 12 do corrente
as exequias de seu presado marido,
pai e logro Antonio Eugenio Rar-
rellier, e de novo lhes rogam a
sua assistencia a missa do stimo
dia, que por sua alma se deve ce-
lebrar na matriz da Roa Vista no
dia 18 do corrente as 7 horas da
manhaa.
Na travessa da ra das Cruzes n
2, paimeiro andar, tinge-se para todas
sa cores com presteza e commodo preqo.
EINSItNO
Pratico-Theorico
DA
LINGUA FLANCEZA,
SECUNDO
O NOVO METHODO
DO
Dr. H. G.Ollendor/f
PARA
Aprender urna lingua em seis mezes
POR
Cicero PetegTino,
Bacharel em direito.
2 voluntes em 8.
Sabio do pralo o 1.* rolume dests obra, intei-
ranunte ora, e nica escripia sm portsguez por
aquelle systema, approrada pelo conselho direc-
tor da iostreceo publica para servir de compen-
dio as aalaa publicas de instrecgo secundaria
da provincia, a accommodada ao uso de qasntos
pretendern fallar traduzir com propriedade
a lingua francesa.
Acba-se renda no escriptorio do sutor, ras
do Oueimado n. 26, onde aioda ss recebem as-
signataras (7J00O), at a publicaco do 2 rolu-
me ; depois do que render-se-ho a 10, T00,os
exeraplares. '
** aa^aasasaj saaaaaajB aar^PnsT S^taa^aT Ib^Sbt^bT saa*aw,ait es^aBBBjp aaaaaaa^ ja^aBBaaaBBBBL j,,^ f^*a)
Ifc-Rua da Cruzm%
O Dr. Rocha Bastos \
8d coosultss todos os dias.
Cura radical a em pouco das mol' -
tias syphiliticas e dos orgos genito urg- S
t
nanos.
Consullas de graca das 8 as bor~< .a
manhaa.
CompauhiaFidelidade de se-
guros martimos e terres-
tres, estabelecida no Rio de
Janeiro com o capital de
16:000:000$
Agentes em Pernambuco
Antonio Luiz de Oliveira Azsredo & G. comps-
tentemeDte autorisados pela directora da compa-
nhla de seguros Fidelidsde, tomam seguros ds na -
e predios, no ssu escriptorio,
MSMsewewMS-Mseieeiieai. ns
Toda attenco.
Custodio Jos Aires Gaimarea arisa n> res-
peitavel publico, principalmente a todoa *a saaa
freguezes e amigos, que se mudou ds loja da
aguia de ouro da ra da Cabug para a ra do
Crespo n. 7, para a bem conhecida a sntiga loja
de miudazas que foi do fallecido Jo8o Ceg, boje
ser conhecida pelogallo vigilante,e pede ao
raapeitarel publico e aos seus freguezes e amigos,
que o queiram procurar no dito estabelecimeoto,
onde acbaro um grande sorlimento de miudezas,
quaafflaoca servir bem e vender por menos dez
ou vinte por cento. do eme em outra qualquer
parte.
GRANDE
Laboratorio a vapor
DE
Lavagem e engommado
de roupa, de Ramos Pi-
mente.
Empreza importante, que rai prestando rela-
vantes servicos seas freguezes pela promptido
e perfaic.o com que lava a roupa sem a estrsgar
PRECOS.
Roupa sorlida (embora nao Tenham meias nem
lencos) 40 rs. por peca.
Pegas grandes isoladamenle 100 rs.
Roupaa de navios, rapores e hospltaes 70 rs.
Dita de familia qus nao fregaeza 80 rs.
Dita de doeote de familia que nao reguaia
a 120 rs.
Urna rede ou cortinado de cama ou raranda
a 500 rs.
O prego dos engoturnados mdico e confor-
me as pegas, eomo costamam fazerss eogomma-
deiras. praso da entrega da roupa tarada
8 dias, e engommada 15, sendo qae muilas rszes
est prompta antes do praso. Deposito na ra
Nova.________________________^__^_^____
CONSULTORIO ESPECIAL H01EPATB1CO
DO DOUTOK
SABINO O.L. PINKO. ,
Ra de Santo Amaro (Mundo
Novo) n. 6.
Conamltaa todos os diaa tela deade as 10 berai
at meio dia, acerca da aegaintea molestias :
molestias da mulhtrtt, molttliat dat crian-
eos, moUttiat da ptllt, moitttiat dot oihos, mo-
Uttiat $ypkilitieat,todai at ssfkfotes d$ ftbru,
ftbrtt inttrmitttr Ut a sitas conitqtnci as,
PHARACi* ESPRC1AL H0KK0 t ATM 1C A .
*erdadeiros m^Ucamantos homeopathisos pre-
parados som todaa aa cautela neceaaariaa, in-
sllireisem ssas effeiioa, tanto em tintura,asma
sm globalos, pelos presos mais commodoa pos-
arais.
H. B. Os medicamentos do Dr. Sabino sis
anicamenterendidoaerc asa pharmacia ; todos
qao o forem (ora della a falsas.
Todssasearteiras o acompanhadaa do am
Impresso com am emblema em reloro, tendo ao
roopr as segiintss palarrss : Dr. Sabino 0. L.
Pinho, medico braaiieiro. Este emblema posto
Sialmonto na liata doamedicamentos qus ss po-
, As carteiras que noloraromeaaoimprasse
assim marcado, embora enham natampa O no-
so o do Dr. Sabino sao falsos
KJL 3)0 QUEIMADO WM
GBANDl601TMSiTo,rli\;
DASEROUPKoPEI,n
uu.. f omSS* nmplei2 d' ,b"""OS do puno a 28, SO o 35. casaeos multo bem
taitas a 25g, 281, 30g o 85|, paletota acaaacados da panno preto do 16 at J5, ditoa do eaaemira
do cor a 15, 181 o 10f, palotots saccoa do panno a casemira ds 8 at 14, ditoa saccoa do alpaca
m enn o la do 4 at 6, sobro do alpaca o merino do 7 at 10, caigas protas do casemira de
s at 14g, ditos do cor do 7 at 10g, roapas para manino do todos os tamanhos, grande sorli-
mento do roupas de brins como sejam alcas, palotots o colleUs, sorlimento do colletas pretos da
mtim, casemira o velludo de 4 a 9|, ditos para casamento a 5 o 6, paletots brancos do bra-
ssanto a 4o 5#, caigas brancasmuitofinas a 5f, o am grande sorlimento do fazendaafinas e no-
mrnas, completo sorlimento de casomiras ioglezas para homem, manino o senhora seroalas de
doho oalgodo, chapeos de aoldeaeda, luraa do aeda da Joavin para homem o senhora. Te-
itoa ama grando fabrica do alfaiato onde recebemos ancommendaa da grandaa obras que para
oso esta sendo administrada por am hbil mestro da somolhanto arto o um pessoal domis da
lincoenta obreiros escolhidos, portanto encelamos qualqaor obra com promptido o mais barato
de qaoem ostra oaalquer casa.
ARMAZEM
jbe:
OtJPA
Joaquim F. dos Santos
40-Rua do Queimado-40
Defronte do becco da Congregaco letreiro verde.
Nesta estabelecimento ha sempro am sorlimento completo do roapa faita do
todsa sa qualidades o tambem so manda executar por medida a Tontada doa fregaa-
zea para o qae tem am dos mslhores profsssoros.
Caiacaa ue panno preto
!?J
ao panno preto a 08,
858 30JO00
Sobrecasacos de dito dito a 35 o 30$O00
Paletots de panno preto a de co-
res a 35, 80, 25, 10, 18 o 20000
Ditoa de casemira da coros a 22$,
15, 129,79 o 99000
Ditos de alpaca preta golla do
velludo francezaa a 100O0
Ditoa do merino setim pretos s
ds cores a 98 89OOO
Ditos de alpaca do cores a 5 o 8500
Ditos de alpaca preta a 9, 7, 5 e 88500
Ditos do brim de cores a 58,
4500, 4 o 3500
Ditos ds bramante delinho brin-
co a 6, 58 o 4000
Ditos de merino do cordao preto
a 15 o 8000
Calcas de casemirs prsts o do co-
res a IX, 10, 98, 7 a 62000
Ditas de princeza a merino de
cordo preto a 5, 6500 o 4500
Ditas de brim branco o do cores a
5. 45500 o 28500
Calcas de ganga de cores a 3OOO
Colleta do reliado preto e de co-
res lisose bordadoa a 1X,9 a 8000
Ditoa de caaemira preta o ds co-
rea lisos s bordados a 6,
55500,5 38500
Ditos ds setim preto
Ditos ds seda e setim branco a 6 a
Ditos de gorguro de sed* pratoa
o do cores a 7, 6, 4 a
Ditos de brim e fusto branco a
31500, S500 o
SerouTaa J. biiui <1 Un rio a 2 a
Ditaa de algodao a 1600 o
Camisas do peilo de fuatao branco
ede cores a 2400 o
Ditas de pcito delinho a 5, 4 e
Dltaa ds madapolo braocaa a de
corea a 3. 2)500, 2 a
Chapaos pretos de massa francaza
forma da ultima moda a 109,
88500 o
Ditos de feltro a 6. 5, 4 e
Ditoa do sol de seda inglesas a
franceses a 148, 12, 118 o
Colarinboa do linho maito finos
norosfeitios da ultima moda a
Ditos de algodao
Relogioe de ouro patente o hori-
zontal a 1008, 90, 808 o 708000
Ditos ds prata galraniaa'dos pa-
tente o horizontaes a 40 a SOgOOo
Obrsa de ouro, aderecos a msios
adereces, pulceiras, ron tas s
aneis a y
Toalbaa da linho duzia 108, 6 a 9J000
Ditas grandes para mesa urna 3 o 4c000 '
55000
55000
5000
3000
25*00
1280
2200
39000
18600
75000
2O00
7000
9800
5500
MUA
Precisa-se alagas ama ama que saiba cozinhar
o diario de urna casa de pooca familia: qum
quizar dirija-se a botica da praca da Boa-Visls
o. 32, esquina da ra do Aragao.
-
Gabinete medico cirurgico.*
Ra das Flores n. 57. *
Sero dada consultas medlcas-cirargi- %
9 cas pelo Dr. Estero Caralcanti de Alba- sj
querque da 6 aa 10 horas da manhia, ac- A
9 cudiodo sos chamados com a maior bre- sa
sa> Tidade possirel. m
a I- Partos.
sm 2.' Molestias de pello.
3.a dem do olhos. S
aa 4.* dem doa orgos genitaes.
aa) Praticaritoda o qualquer operaco am ea
a) seu gabinete oa em casa doa doentes con- aa
am forms lhes fdr mais convsniento.
Ratoneiro.
rios, mercadorias
rus ds Cruzo. 1.
Na noite de 15 psra 16 fartsram dOss almofs-
daa de nm cabriolel, do ailio do Joao Martina de
Barroa, roa Real n. 10: pede-se a quem forem
Guarecidas o favor de apprehende-las, sssim
como o portador, que maito ss desejs conbecer.
O abaixo assignado declara qae o Sr. Grego-
rio Antunes de Oliveira nao node traspssssr o
do armazem a. 73 da ras do Im-
risto que est nullo por nao estar as-
sigosdo O dito arrendamento pelo abaixo assig-
nado como proprietario do predio, e por isio pro
da consultas em .'-asa, das 8 is 10 horas ds ma- testa contra todo e qaalqoer arrendamento qoe
nbia, e presta-se s ^uslquer chaosdo ton a bem leja Caito sem sus interrenao, visto ser Ilegal,
lonbeslda promptido, 1 Jhomu de. Csrvalho Soirts Brsndo.
Canoas de risita
Csrles de risita
Csrtoes do risita
Csrtes de risita
Carles de visita.
Precos reJuzidos
Presos reduzidos
PrsQOS reduzidos
Precos reduzidos.
12
129
dazia por
dutia por
Joao da avalamos,
medico pela Unversidade SKi?
nr r* i *****^ parador, visto
de Coimbra,
A
A
A dvuia por lz
A duzia por 12
Duss duiias por 20
Duss duzias por 20.
Noto sstylo do pbotographia
Novo estylo de pbotographia.
Ambrolypos sm caixss 2
Ambrotypos em caitas 2
Ambrolypos em caixss 2.
O retratista americano
Alberto W. Osborn
Ra do Imperador.
i
3s0ociaco gpogrAp litca
tJctrnamhucatia
Domiogo, 20 do corrente, s 11 horas da ma-
nhaa liaver sesso ordioaria da assembla ge-
ral, afim dse proceder a eleigo do conselho
director, que tem de dirigiros trabalhos sociaes
do anno vindouro.
Seeretaria da Associaso Typogrsphica Per-
nimbucana 14 de julho Je 1862.
O 1 secretario interino,
Jos Luiz de Franca Torres.
Dentista de Pars.
15RuaNova15.
Fredorico Gautier, cirurgiao dentista
| faz todas as oparaedes desua arte a e co-
S leca dentas artili. iaes, ludo com -sdeln
| rioridade o porfetco que as psssoas-,en I
| tendidas lhe reconhecem.
Tsm agua e pos den tifie ios, etc. 9
SMpUM4K9n u mmmmu
Frederico Chaves aluga sau sobrado aliono
Poco da Panella, com boos commodos para fa-
milia, jardim aos lados, lerraco, coebeira, estri-
barla, casa para criados e cacimba, por preco
commodo : a tratar na roa da Imperatriz n. 19.
Aluga-se urna grande casa com aillo ne es-
trada do Arraial, esquina do Paroamerim : a tra-
tar na ra do Amorim com Guimares & Alsofo-
rado.
Menea attencaO.
moarna a m.nd.rem Vinl ,n, p,r fe"
dbitos para assim deixar de sa .T.k...
de eotr.g.r a. mesma. a m So'"."?n.fa^f
reem cobr.de. judi.i.lmenle. VSKSJl
{ Consultas medicas,
8 Sero dadss todos os diss pelo Dr. Cos-
me da S Perelr. no te. escriptorio, rus
a da Cruz n. 53. desde i6 al as 10 horas
S am.\. ? meno, ,os domingos ; sobro...
m f Molestias de olhos.
2 Molestias ds corsgo ede peito.
! do nu ** d01 0rg0* d" *e"50
O exame doa doentes aera feito na or-
{ dem de suss entradas, comecando-se po-
rm por aqaellea que soffrerem dos
olhos.
Instrumentos chinacos, acsticos e p-
ticos serao empregados em suss coosul-
tscoes e proceder com todo rigor e pru-
dencis para obter certeza, ou ao menos
probabilidade sobre a sede, natureza e
causa da molestia, o dahi deduzir o pla-
no de tratamentoque deve destrui-la, os
curar.
Varios medicamentos sero tambem
empregados, gratuitamente; porm
pela certeza que tem de sua rerdadeira
qualidade, promptido em seus effeitos,
e necessidade do seu emprego argente
que se usar delles.
Praticarabi mesmo, ou em cass dos
a doentes toda, e qualquer operaco que
9 julgar conveniente para o restabeleci-
ft meoto dos mesmos, par. cujo lim se seba
prvido de urna completa collecco de
instrumentos indispensavel ao medico
operador.
Deitar olhos artiflciaes ; para o que
m se acha prevenido de pegas e instrumen-
tos neceisarios.
8 Por meio de experiencias pticas indi-
car aos doentes qual o grao do ridro que
8 os oculos derem ter para qus sua risla fi-
que bem acommodada, e jamis se fa-
I ligue quando estiver applicado ao Ira- en*
balbo. tt
Aos brs. consumidores de gaz
Nos armazens do caes do Ramos ns. 18 s 36 o
ns ra do Trapiche Novo no Recife n. 8, se ren-
de gaz liquido americano primeira qualidade a
receotemente ebegado a 14JJ a lata de 5 gales
assim como latas de 10 o de 5 gsrrtfas o em
garrafas.
Ds ra do Sol n. 21. fugio um escravo de
nome Martinho, de idade 30 annos, sem barba,
estatura regular e denles podres na frente ; oc-
cupa-se em juntar oasos e coaita andar pelos
arrabaldes da cidade neisa oceupagao, tem sido
visto na estrada da Magdalena, doa Remedios,
etc. : quem o pegar leve-o a dita casa, que ser
recompensado.
RETRATISTA DA CASA IMPERIAL
Ba do Cabug n. 18, entrada pelo
pateo da matriz.
Esaa galera ornada com os augostos retratos
photographicosde SS. MM. e dis serenissimas
piincezas imporiaes, assim como com os de mili-
tas das principaes pessoas desla cidade, est a
disposico do publico, que apode visitar todos
os das das 8 horas da manba s 5 ds tarde, a
examinar os trabalhos expostos.
Cootioua-< i..r roirotua yut toaos os sys-
tema3 photographicos, e especialmente por am-
brotypo eem cartoes de visita. Fazem-se tam-
bem mimosas miniaturas em talco par. .o collo-
car.-m em joiss.
Os precos dos retratos sao os mais razoaveis
que se encontram nsta cidade.
J. l'erreira Villela. photoarapho.
Manoel Jos Pire, subdito portugus, ret-
ra-se para o Rio de Janeiro.
Baltar & Oliveira sacara sobre a prac do
Porto. *
Aluga-se urna sscrava de boa conducta e
que ssbe perfeitameote cozinhar e fazer os mais
srrsnjos de casa : quem a pretender dirija-se a i
ra do Crespo, loja de Alvaro & Magalhes.
No da 18 do corrente, deools da auaieocia
do Dr. juiz municipal da 1* rara, tem de ser ar-
rematada duas escravas, sendo urna semi-branca,
com 27 annos de idade por 800 e outra crioula,
com 22 annos de idade por 700$ e diversas obras
de ouro e prata, por execuco de D. Marianna
Dorotha Joaquioa contra Jos Rodrigues dos
Passos. E' a ultima praca.
U. l'neieza de Jess holgado Uar.lcauli,
D. Maris Josquioa CavalcanU ds Albu-
querque Salgado, o viscoode de Susasuos,
Francisco Luiz Caralcanti de Albuqoerque
e Antonio Luiz Caralcanti de Alboquerque
conridam a seas amigos e prenles para
assistir I missa pelo eterno repouso de sua
me, sogra e av, a qual ter lugar ama-
nhaa 18 do correte, as 8 horas da manha
na capella do cemiterio publico.
O abaixo assigo&do, procurador do Sr. Pre-
cilimo Peres Campello, avisa aos propretarioa
das casas que psgavam foro ao Ezm. baro de
Capibaribe, que todos esses solos pertencem boje
a seu cooslituinte, e esse o aotorisuu com pode-
res pars os vender todos ou s*parados, por isso
convida aos possuidores das ditas casas, que lhes
coovierpm comprar o solo, a tralrar com o mes-
mo abaixo assignado, assim como lhes pede quei-
ram maular pagar os foros vencidos : na ra No-
va dos Pires n. 30.
Manoel Gomes Viegas.
Irmandae da rcnbora
Sant'Anna.
De ordem da mesa regadora da irmandsde da
Senhora Sani'Anna da igreja da Madre de Deoa.,
convido a todos os carissimos irmos a compa-
recerom no consistorio da mesma igreja, domin-
go 20 do corrente, pelas 10 horas ds manba,
afim de eleger-se a nova mesa que tem de reger
no anno de 1862 a 1863.
Recife, 16 de julho de IS62.
O escrivo,
_________________________M. S. C. Simes Jnior.
Arrenda-se a casa n., na traressa ds ra da
Passagero, entre as duas pcnles defronte da casa
de saudedo Sr. Dr. Ignacio Filoso, leui commo-
dos para grande familia e grande qiiialal com .1-
gumss arvores de fruclo e baoho no fundo: a
tratar con BernarJIoo Francisco de Azevedo
Campos, na ruado Rosario eitreila o. 47.
O proprietario da cooleitaria da ra da
Cruz o. 21, tendo de se retirar para fora desta
praga veode o mesmo estabelecimento que ss
acha bem montado e desembarazado, nao f6
vende a dinbeiro como a prazo dando boas fir-
mas.
Cosinheiro.
Precisa-se deum bom cosinheiro oucosioheirs
iivre ou escrara, para casa de grande familia :
na ra da Santa Cruz n. 64.
Na noite do dia 15 do corrente perdea-se um
embrulho contendo a quantia de 50: a pessoa
que achar a dita asenta o a quizer restituir di-
rija-se ao caes do Rsmos armazem n. 4, que se-
r generosamente gratificado e tambem so dar
os sigoaes da dita quantia e em qua ra foi per-
dida.
Alerta!
praca da
dous
A pessos que desejsr substituir s ubi pr
I* batalbo de iofaotarie, para completar .....
mnos e alguna dias, mediante ama gratifleaco :
dirija-se s ra da Aurora o. 10. 2* andar, q*o
achara com quem tratar; preferindo se a
guem que j liresse servido so exercito.
si-
Em conseqaencia do ssber-so pelo sonuo-
cio do Sr. Gaudencio Lopes de Arsojo, oeste jor-
nal, que o mesmo Sr. existe de presente nesta
cidsde, se lhe rogs o fsror de annunciar sua mo-
rada, pois deseja-ae fallar ao mesmo senhor, s
negocio da Mi particular inlereise,
Ao publico.
Autoriso ao Sr. Miguel Archanjo Monleiro do
Paira, a tratar de todo e qualquer negocio qae
me diasar res peilo. Convido ao mesmo tempo
sos senhores qae me quizerem honrar com saas
freguezias qae poderodirigir-seso becco doOa-
ridor, onde me acho momentneamente apromp-
tando tmulos, pedrs, letreiros, finalmente con-
certando toda e qaalqoer louca e mais objectos
tendentes ao mea officio.
Frsdsiico Shiner S,
MUTILADOl
1


DIARIO Dfe i>lkaAMefUCO, i_ SEXTA FIUU 18 fifi JLHO DE 1861.
I

/
Furto.
A peswa que furtou no dia 17 do
corrente do quarto aonde se guardara
os chapeos dos juizes de facto, queira
entregar um chapeo do Ghyli com for-
ro branco e fita preta larga ao leu ver
dadeiro dono na ra de Hortas n. 30,
do contrario se publicara' o sen nome
por inteiro, pois ja se sabe quem o
furtou.
Hoje tem de ser arrematado pelo
juizo municipal da primeita vara, urna
roulher branca, que se nao forra de
facto, como dizem, o pela cor.
Aviso.
stello-
astelIo-Branco,alfaiate
Para luto.
j Fumoa de teda eluticoi para chapeos largoa
eitreitoa a lj*500 : na ruado Queimado n. 22,
na lojn da boa f.
O abairo aasigaado, morador oa cidade do Rio
Formoio, ]i tendo avisado e protestado por este Por eale sonunco te fat eonilar aoi Srs. offl-
jornal de 11, 12 13 de jnnho de 1860 a todos e tiaea de todas as armes, tanto doata provincia
Algodo de 2 larguras.
Veode-ae superior algodo mooalro com 2 Ur-
contra todos, queso ditero illegalmente seobores como das maiscapitaes do norte do imperio, qie Rura|. PrPrio para leogoea e toalbas de mesa a
de urna legua e mtia de trra, que por juato e ha a venda botoes do novo padrao, segundo a ri. a vara : na ra do Queimado n. 22, na
valiosos titulos pertence so abaizo asstgoado, de
Pede-se milita at-
ten Os proprietarios das caas (oreiras ao morgado
do fallecido Jote Tbemoleo Pereira Bastos, ao
rogados a virem pagar os respectivos (oros alra-
xadoi, para o que ae devero dirigir ao bacharel
Amaro Joaquim Fonseca de Albaquerque, pro-
carador baataote da inventarente e meieira a
Ezma. Sra. D. Anna Joiepba Pereira dos Santos.
Outro airo, que c5o fagam negocio com a caaa
sita na travesa dos Expostos n. 28, do Sr. Jos
da Costa Oourado, o qutl nega-se a pagar o fo-
ro. Na mesan ra a casa n. 22, da Sra. Mara
Joaquina Machado Cavalcanti, que igualmente
nao se qaer considerar foreira. Mora o procara-
dor na ra da Prais, no terceiro andar da casa
n. 53, fregueiia de Santo Antonio.
Quem precisar e urna ama de laite, din-
ja-ae ao pateo de S. Pedro o. 6,1* andar, que
achara com quem tratir.
Frecisa-se
de alugar urna escrava riel e diligente para o ser-
vico ioterioo e externo de urna casa de pequea
familia, e que aaiba bam eogommar; assim como
de um moleque : a tratar em Pora de Portas, so-
brado n. 26 da ra dos Guararapes.
Preclsa-se da urna ama de leite para criar
amo recemnascldi : a tratar oa ra da Aurora n.
80, 2* andar.________________________________
Precisa-se alugar urna escrava que saiba co-
tinhar, paga-te 30$ mensaes agradando : na ra
da Aurora n. 80, 2* andar.
ltenla o.
novo se aprsente identificando a todos em ge-
ral, e a cada um de per si, que o abaixo aeaigna-
do 6 o legitimo senhor e possuidor por justo e
bom titulo da dita legua e meia de trra na fre-
gueiia de Agua-Preta, a qual comega do lugar
denominadoCaxoeira aeccana ribeira do Rio
Una aeguindo pela ribeira do riacho Pirangi
grande cima. Declara para conhecimento de
todos que dita legua e meia de trra demarca
pelo norte com o rio Uoapelo poeole com o
riacho Pirangi grandepelo aul com trras do
Cateodee pelo nascente com terraa do ecgenho
JaparanJuba e outra sisman aonexa : que os
illegitimoa posseiros foram chamados a concilia-
gSo para eotregarem a propriedade do abaixo as-
signado e aaberem que a o meimo abaixo as-
signado o legitimo senbor e possuidor da re-
ferida legua e meia de trra, que j foi compe-
tentemente registrada, e a qual houve por sis-
marla de 1782, que lhe foi traspaisada e cedida
por compra aos legtimos sismeiros ; pelo que
os illegaca posseiros logo que foram chamados a
conciliario abandontram aa obras, que tm algu-
maapartes do dito terreno sstavam.fezenlo.
K aproveilando a occasiao decan mais que
tambero senhor e legitimo possuidor de urna
legua de trra em quadro, que foi concedida por
S. M. Fidelsima em data de sismara a Joao
Leandro Soares de Ara ojo e sua mulher D. Lou-
reng Isabel da Visitarlo, j fallecidos, por
"ses vendida ao Uado viga rio de Una, Vicente
Ferreira de Mello e Silva : e pelos herdeiros des-
te, iniliteidos no respectivo teitameoto solem-
ne, foi vendida ao abaixo assignado, como tudo
consta do testamento e escripturaa exiitentea, em
a qual esli iodevidsmente edificados o engeeho
Soaza e mais dous da mesma Ireguezia de Agua-
Preta, sendo que deata legua de trra em qua-
dro s foi vendida urna quarta parte no sitio do
riacho Catembre, fazendo piao no dito litio e
pasaagem do rio Pirangi. E para que nirjguem
se chame ao engao em tempo algum ainda pelo
presente se protesta contra quaeiquer outros,
que, por se apossarem de trras alheiaa estio
sugeilosas penas dos crimes, que se descrevem
oo titulo 3o cap. 1 e 2 da parte 3a do cod. pe-
nal ; sendo que por motivos de moleitia o abai-
xo asaignado tem deixado de faier effeclivo seus
direitos, o que far logo que ceisem taes mol-
aos. Rio Forooao 15 de jalho de 1862.
Antonio Gomes deMacedo.
Deseja-8e fallar ao Sr. Tertuliano da Costa Pi-
ohelro, a seu interesse : os ra de S. Jos.
Precisa-se de 1:5009 a premio sobre hypo-
theca em bensde raiz : quem tiver annuncie saa
morada para se tratar.
Precisa se de urna ama de leite sem tiiho :
a tratar na ra Nova n. 52. oa na ra da Praia
n. 13.
Pede-se aoa Sra. Joaquim do Amaral Frei-
tas Leio e Manoel do Nascimento Leilo, o favor
de apoarecer na raa da Praia n. 13, a negocio
qaeuo ignoram.
Vendes, um moleque e urna negrioha de
8 a 9 annn = dfe maito bonitas figuras : na ra
Direita n. 6. [ _________
Aluga-aa ama escrava para todo aervigo de
tima casa de> familia : quem a pretender dirija-se
a ra da Ciajeia do Recite n. 64, das 10 da ma-
chia s 2 da tarde. Na mesma casa precisa-so
alugar um preto de idade, para o servico de cam-
po, forro ou captivo.
Jos Pedro Gomes, subdito porlaguez, vai
a Europa.
O abaixo asignado deparou no Jornal do
Recife o. 195, com um artigo do Sr. Joao Rodol-
pho Gomes, da Parabibs, accrescentado por um
N. B assis [rizante, guarda o restabelecimento
do respectivo escrivao do commercio, para com
um cerlificado mostrsr-lhe se ou nao S. S. o
devedor da quantia publicada. Oatro lim, ser
lambem ppn,in ane no equivoco havido no no-
me do ibaixo assignado nao assisuo naso imau-
50 com queoSr. Gomes coituma attiogir aos ac-
tos que ai o lio seus.
Recite. 17 dejulho de 186*.
Joio Rodolpbo Vslloio de Azevedo.
Quem quizer alugar urna escrava moca, ro-
busta, para o servico interno de urna casa de
pouca familia, que eosaboa, cozioha e eugomma
toda e qaalquer roupa de senhor e de homem,
por mais fioa e delicada que saja, com rosita per-
feicao deligeocis, e d se para ser examinada :
na ra do Hospicio o. 40.
Escrava fgida.
Pugio no dia 16 do correte as 8 e meia horas
da noite, a escrava Caetaoa, de nacao Costa, de
40 ancos pouco mais ou menos, estatura alta e
secca do corpo, rosto comprido, olbos regulares
e avermelhados, levou vestido de chita escura,
panno da Costa, e tura am panno amarrado oa
cabrea, para encobrir os cabellos brancos que tem
Da (rente ; assim como se proceder com o rigor
da lei a quera a tiver acoitado, por isso pede-ae
a quem eocontra-la levar a casa do seu senhor
na ra do Sebo n. 39. qu ser gratificado.
Precisa-se de ama criada livre ou escrava,
na ra do Crespo n. 14, lojs, ou no pateo do Car-
ino por cima da casa de banho.
Aluge-ie urna casa nos Coelhos, ra dos
Prazeres : a tratar na Ca punga no aitio defronte
do Sr. Duburg e contiguo ao Sr. Albuquerque.
Roga-ae a pessoa a quem for offerecido um
caixio com urna arroba de vellas de carnauba,
conteni de 40 e de 80 rs., juntamente urna oai-
xa de sabio ds fabrica da ra Imperial, com 41
libraa ; tanto as vellas como o sabio levam ai
iniciase aeguintea : I. A. C. M. e por externo Ga-
meleira, apprehendam e levemos ao becco do
Porto, fabricas de cigarros, que sara gratificado.
Tendo-ee perdido no dia 12 do corrente o
bilhete n. 1347 da loleria que corre amanhaa,
roga-se ao Sr. thesoureiro que nao pague o pre-
mio que por torte lhe sabir se nao a seas do-
cos Filippe Naves e Joaquim Jos de Sao'Anna.
No porto da ra da Florentina barcaca de
cal de Dalino Jos deOliveira, ha urna parda es-
cara, sem filho, para ama de leite, parida de 4
a 5 rnezei, que tem muito e bom leite.
Jos Ignacio dos Santos Coelho vae para o
Rio de Janeiro.
Na ra Direita n. 30, segando sndar,
% tem para alugar ama mulata, que cosi-
9 nba eecgomma. ej
99 3 @999S1
Acabam de che-
gar a loja de Bastos 5 Reg na ra
Nova n. 47, um grande sortimento de
chapeos do Ghyli de todas as qual ida des
copa alta com abas regulares e copa
ha i xa com abas largas, e por ser gran-
de a quanttdade vendemos pelo dimi-
nuto preco de i\$, 18$ e 20$, esta
boa oecasiao que com pouco dinheiro
se pode ter um bom chapeo do Chyli.
Attenco
Joo Correa de Garvalbo, identifica a todos os
seus devedores, que desde j eotregoa ao Sr.
Andr Avelino Sobreira de Helio, procuracacr
para por mira poder effectaar cobraoca amiga-
Tele judicialmente, o qaal es autorissdo pars
fazar qualquer convenci que o mesmo sensor
ache conveniente.
Recite. 14 dejulho de 1862.______________
AluRam-se as casas terreas n. 105 da ra
. de Santa Rita e n. 27 da roa dos Burgos, e o 1*
dar da casa d. 193, na ra Imperial : a tratar
na raa da Aurora n. 36.
Precisa-se de um caixeiro que tenba prati-
ca do taberna e que d conhecimento a saa con-
ducta, tenba de 14 a 16 annoi da idade : ds
ras do Canario taberna p. 18, se dir aun pre-
til, r
ultima ordem do ministerio da guerra, venden
do-sa duas abolladuras por 39. advertiodo que
ama das abotuaduras de padrio antigo, faz-so
remessas psra onde forem pedidas, assim como
tambem ha psra vender o melhor panno azul io-
glez, e o melhor velludo preto do Porto, fazendas
desconhecidas neata pracs, o que ae vende a re-
talbo. Os Srs. offlciaei qne eilio fon da provin-
cia podem renovar auas consignares fizando
quantia certa, e os outros sanbores que nao tive-
rem procurado neila casa podem manda-la, ad-
verando que o lempo para a dita procurado de-
ve ser limitado, acompanhando ama carta da or-
dena pedindo as encommeodas que forem preci-
sas, devendo ser dirigidas a correspondencia a
Joaquim Rodrigues Tavares de Mello, raa do
Queimado n. 39. Tambem ha galio de ouro su-
perior e ferros francezaa para alfaiate, aza forja-
da o par 108-
Fazendas baratas.
Corles decaaemira a 35, merino asnl e verde a
2J o covado, caaemira alvadia e verde tina o co-
vado a 15900, casemira alvadia de dais larguras
a 25600, bramante de linho a 25500 a vara, groa-
denaples.amarello a 80(1 rs.,tafet amarello a 500
rs., camisas para senhora a 2j e 22500, vallado
encarnado e preto a 29 e 3, gollinbas com pu-
chos Unos a 2f, sobrecasacas de panno fino a 25;,
meias para senhora a 2(500, golliohas de ebro-
ch a jJ, paletots de caiemira a 99, e ditos de
alpaca finos a 49, chapeos de castor branco mui-
to fino 1 109: na raa do Qaeimado n. 7, defron-
te do becco do Peixe Frito.
bem conhecida loja da boa f.
A pessoa que tirou da administrarlo do
corroio desta cidade urna carta dirigida a Fre-
derico Augusto Ferreira de Novaes, vioda da
Parahiba do Norte, tenba a boodade de entre-
ga-la ao meimo no pateo do Terco o. 20, pri-
meiro andar, ou na raa larga do Rosario n. 29,
primeiro andar, entrada pelo o. 31. '
Fugio no da 15 do crreme mez o escravo
de nar;ao Cagange, de idade de 46 nanos, com os
signaes leguintes; altura regular, leeco do cor-
po, qaaodo anda pacha pela perna eaquerda,
anda meio curvado, falta de denles, o betco de-
baixo um tanto groiso, chupado da cara, lem
pouca barba, alguna cabellos braocoa, foi vesti-
do com calca de casemira cinsenta, camisa de
madapolao descozida no hombro, chapeo do Chy-
li velbo na caneca; pede-se as autoridades poli-
ciaei e capitea de campo da apprehenderem o
dito escravo e levaren) a ra do Apollo n. 39,
que se recompensar generosamente.
Compra-ae urna escrava que seje pereita
engommadeira e costureira o de boa conducta :
na ra da Cadeia do Recife n 35.
Compram-se aegoes do dovo banco de Per-
nambuco : no escriptuno de Manoel Ignacio de
Oliveira & Filho, larga do Corpo Sinto n. 19.
Gompra-ie urna carroca com arreius em
bom uso, para cavailo : no Rosarinbo, junto ao
Sr. daiembargador Villares.
vendas.
Lagedo de Lisboa.
Vende-se urna porfi da Ugedo de superior
qualidade, ebegado de Lisboa palo brigue Olin-
da ainda por desembarcar: a tratar no escrip-
torio de F. S. Rabello & Filho, ra da Cadeia
o. 55.
Libras esterlinas.
Vende-se libras esterlinas no escrip-
torio n. 14 da ra da Cadeia do Recite.
No sitio da capaila jo Chora Menino, ven-
de-se azeile de carrapato a 400 rs. a garrafa.
Boa compra.
Vende-se o excellente engenho S. Joaquim,
sito a urna legoa, por bom camiuho da freguezia
da Varzea, moeote e corrente, o'agua, por dous
acudes, terrenoa e matas sem guaes, pode salre-
jar al 2,000 pies ; trocase tambem por predios
nesta capital: qaem quizer enriquecer em pou-
co tempo e fazer negocio, dirija-se a ra da Praia
n- 53, 8* aDdar, qaese dir quem faz.
Para noivas.
Botinas de selim branco, chegadas de novo, as-
sim como perfumariaa das mais finas que tem
vindo : na loja do vapor ra Nava n. 7.
Vende-se urna escrava.
Vende-se urna mulata de 16 annos, pouco mais
ou menos, bonita Figura, sem deleito algum, e
tem muito bons principios de cozer, eogommar
e cozjnhar : trata-se na ra do Queimado o. 46,
loja._________
Calcados para Ii-
vrar de callos.
Botinas inglezas de duraque para ho-
mem a..................'............
Sapatts d. ditos, ditos pora homem a
Sapatos de tringa do Porto, com sola
de cnica a.........,...............
Na loja de calcado da ra do Gabag n.
_ l
6$000
4000
19200
16.
S Nova california 1
SFazendas erou-l
I pas feitas. i
||Rua da Imperatriz. n. 48, junto%>
a padaria franceza. m
1 LJ DE
S Paredes Porto. |
Vende-se fil branco liso superior a f&
400 rs. a vara, cambraia lita fina a 2/500, 1
39500 e 5f a peca, dita da Escocia mui- w
9 lo fina a imitacao de linho ads e 6$500 l
A a pesa, corlea de cambraia bordadoa a x&
i 3J500 e 49, ditoa superiores a 59, ricaa **
aV aaiss de musselina com 4 pannos a 3g e t?
A 39500, golliohas com manguitos borda- '-
#doa a 19280 e 19500, ricas chapelinaa a
para baptisado a 39500, 49 e 59. chalea 9
9JP de merino ealampados muito grande a fg)
a* 6g, manteletes de grosdenaples a 129, fifc
' I69. 209 e 25$ chapeos de sol para se- ]
nhora a 59, cambraia liaa de forro com V
0 9 varas a pe;a 2J, cambriia da salpico tfh
ja a 600 rs. a vara e 49500 a pega com 8 &
1|2 varas, am completo sortimento do 9
jp roupas feitas por preco commodo. Q
?9 tt*8
Venda-ia um relogio bom barato; oa iua
Imperial /tntp cao do o. 80.
A 2,400 rs. a tiuzia.
Lencos brancoa finos para algibeira pelo dimi-
nuto prego da 294OO rs. a dasia : na bem conhe-
cidaloje da boa f, na roa do Qaeimado n. 22
Agua de colonia mbria-1
da esem o ser.
Essa estimada agua de colonia ambreada, de
que tantos a tanto lempo sen lem a falta, acaba
de chegar em bonitos frascos verdes, os quaesse
esto vendendo a I5.300 cada um ; assim como
chegou igualmente um granbe sortimento da
verdadeira agua de colonia de Piver em frascos
e garrafinhas de differentes tamanhos, tudo is-
so na raa do Queimado, loja da aguia bran-
ca n. 16.
Gambraias de cores
Veodem-ie cambraia! fraocezaa de edrea fa-
zenda muito fina pelo baratiaimo preco de 260
e -280 rs. o covado : na loja da boa f na raa do
Queimado n. 22.
Superior brim branco de
linho
Vande-aaaaperior brim branco de liobo tran-
cado pelo baratiaaimo prego de 19200, 19440 e
19600 a vara, dito muito encorpado de doaa fioa
o de linho puro a 25 a vara : na ra doQueima-
don.22, na bem conbecida loja da boa f.
Apparelhosdeporcelia 11 a do li-
rada para cha de bouecas.
A loja da agua branca desejando que todos
facam a vontade a auas bellas meninas est ven-
dendo commodamenle esees bonitos apparelhoi
de porcellana dourada, e pintada a 19500 e 2$,
tendo cada am 6 catares de chicaras, e os mais
perteoces, a vista do que lodos iro (munidos de
dinheiro) para compra-Ios na ra do Queimado
n. 16.
Veade-se 1 caa terrea o. 91 da ra Augus-
ta, com tres jsnellas e ama porta de frente, duai
salas, quatro quartos, corredor iodependente, co-
zinha (ora, quintal murado, cacimba meieira ;
esta casa est em perfeit estado, calada e pin-
ta, como melhor pode ser examinada pelos pre-
tendentes : a tratar na traveaa da Madre de
Dos n. 13.
Vende-se urna mulatlnha de 8 a 9 annos de
idade : na ra do Sol o. 9.
S ua do Queimado o. 101
LOJA DE 4 PORTAS
9 de |
I Ferro Maia. 1
S Vende-se as seguintes fazen- 5
5 das pelos baratissimos precos ^
S abaixo mencionados :
Capas de grosdenaple preto J
8 bordado a 25$.
Manteletes de dito dito 20, H;
|25e 30$.
Chales de touquim bordados j
9 os melhores que tem appareci- J
' do no mercado a 8, 10, 15, 20,
25, 30, 40 e 50$.
Cambraias e rhit^s francezas !
9 cores seguras e lindos padroes a J
a 240 e 260 rs. W
Laa aberta matisada a 320 e ?
| 40o rs.
Muitas outras fazendas exis-
J tem expostas aos compradores
| que segundo seus precos nao 9
deixarao de agradar. 9
Bollinhos fraa-
cezes.
Na padaria de Antonio Fernn ios de Silva
Beiriz, raa doa Pires o. 42, veodem-se bollinhos
francezee, ditos de paisas, bullo de amendoas e
mais masas finas, por pregoa commodos e tra-
bajados com perfico ; pao commum, dito de
provenga, bollachas e bollachinhas de araruta,
tudo fabricado com fariobas as mais noves do
mercado e com perfeigo e limpeza como podem
examinar os freguezes, tanto aotigos como mo-
dernos, conbecendo os anligos que todo o fabrico
sahido hoje desta estabelecimento nao mais o
qua era.
Linhas.
Superior lioha de novello grande a 80 ris
no gallo vigilante, ra do Crespo n. 7.
s
Ainda pechincha
Na ra do Crespo loja de
4 portas n. 8.
Pecas de madapolao largo muito fino
cora pequeo toque de arara sendo fa-
zenda limpa de 6^500 vende-se por 5$
a pec,a, ditas de dito mais baixo tam-
bem por 4#500.
Miho
a 3$ o sacco a dinheiro : no armazem n.
4, defronte da alfandega.
Vende-se urna das melhores tabernas da
freguezia de S. Jos, muito afregaezada pi ra a
trra e meamo para o mato, e passa-ae o arren-
dameoto de todo o predio ou i da loja, faz-se
esta venda em razao do dooo querer mudar de
negocio ; e vends-ie melado a vista e metade a
praao : a tratar na mesma taberna no largo da
Ribeira p. 1, esquina de Santa Rita.
Borzeguios ioglezes a IOS
>
0
par.
Dinheiro avista.
Na loja devfazendas de Uartinho de Oliveira
Borges, ra da Cadeia do Recife u. 36.
Vende-se urna preta pereita engommadei-
ra, cozobeira e lavadeira.sem molestia algama
ao comprador se dir a razio da venda : na raa
da Imperalriz o. 47.
ir",yende'0e IDllno *mecano em saccas de
110 libras, por 39: oa ra do Amorim armazem
de (juimaraes & Alcoforado.
Pechincha sem igual.
Para vestidos de senhora e criancas vendem-se
laas de qusdrinhos e tambem de listras de seda
pelo diminuto prego de 400 rs. o covado, metade
do prego porque ae vendera em outra qualquer
parle : na ra do Crespo n. 21.
Candi iros do gaz.
Chegou para a loja da Victoria os melhores
candieiros do gaz, qne tem vindo ao mercado
por prsgos commodos : na ra do Queimado
n. 51.
Vende-i
se ama porjao de zlnco velho pro-
prioparafnndicio: na raa da Csdeia do Recife
loja n. 7.
No galio vigilante
Na ra do Crespo, loja n. 7.
Recebeu de sua propria encommeoda um tico
aorlimento de rendaa, bicoa e labjrinthos de mai-
Rieos basquines
A loja da boa f recebeu superiores bisquines
de multo floa cambraia a imitarlo da de linho,
bordados a eofeitados com apurado gosto eos
vende pelo barato prego de 89 cada am, tendo
sido sempre sea casto de 16$ e 209, spreisem-se
pois em compra-loa na mencionada loja da boa
f, na ra do Qaeimado n. 22._________________
Laazinhas muito finas
para \estidos.
Supariorealaaziobas para vestidos de muito
bonitos padrees que se vendem pelo baratiaimo
prego de 440 ra. o covado : na ra do Queima-
do n. 22, no loja da boa f.
Manguitos egollas de
cambraia ricamente bordados
Vendem-ae manguiloa e Rollas de superior
cambraia ricamente bordados pelo insignificante
prego de 29 o par da manguitos com urna golla,
sendo que sempre costaram 69 cada par, assim
pois recommeoda-ae aos amigos da santa eco-
noma que aproveilem a boa occasiao, dirigi-
do-se com dinheiro a loja da boa f na ra do
Queimado n. 22.
Bonitos paliteiros de porcel-
lana dourada.
Agora ninguem deixar maia de ter em sua
mesa um bonito paliteiro de porcellana dourada
pois que elles se esto vendendo a Ije 1;500
na loja da agaia branca o. 16.
Banba japoneza e outras mui-
tas novas perfumaras.
A loja da aguii branca acaba de despachar, de
aua encommenda um grande e bello sortimento
de linas perfuman! dos mais afamados fabri-
cantes, sendo as bem coohecidas e apreciadas'
banbas, japoneza, transparente, philocome im-
perial em boniloa copiohoa com lampa de metal,
dita nos copoa granes, dita em compoteiraa li-
taa e lapidadas, leos de babosa, philocome e
Labio, pomadas ou cosmesliques, finos extractos
dos preciosos e escolhidos cheiroi Jackey-Club,
mil flores, miel de Inglaterra Marechal, Principe
Alberto, Gaorge IV, etc. etc. Recommenda-se a
todas as senhoras de bom gosto o uso de qualquer
desses estimados extractos porque aquella que
em ama sociedade, theatro, ou baile estiver com
seu lino lenco orvalhado de lio sublimes aromas
lera porcerto o prazer de ver as suas visinhas
da direita e esquerda lhe rendendo homenagem,
perguntarem donna F. onde comprou eaae to
agradavel cheiro ? E ella orgulhosa du aeu bom
gosto, tras com ar prazenleiro lhe responder :
na ruado Queimado luja da agua branca nume-
ro 16.
CALCADO
45-Ra Dire.ii-45
A epidemia declina lensivelmente, e o sea
complato deiappaiecimenlo est prximo I O
propnetano deste bem lorlido estabelecimento
convida oa seua numerosos freguezes a substituir
o galgado velho, que todo est cholenco, por no-
vo, e que possa reiiitir a mil sebolis e mszzur-
css que vao ser dansadae em louvor do restabe-
lecimento da saude publica. Os precos ceo-
vidsm :
IIOMENS.
Botinas afamadas Milis. ; .
non-plus-ultra Nar.t-s.........
Nantes 2 baleras..............
o lustre....................
inglezes de botoes.............
batedores.......................
couro de porco.......
bazerro a lustre...............
iDglezes ps eelvagens.........
taxiados brasileiros............
I

>


>


Sapates non-plus-ultra................
ISfOOO
185000
11J10O
103d00
105000
9*500
99000
S>00
75500
5J50O
750CO
65500
59';0O
69C0O-
6500
59000
200(1
59OOO
ftOOO
15-250
Camisas inglezas baratis-
simas.
Vendem-se camisis inglezas com aberturas a
ponbos de linho e com pregas largas pelo bara-
to prego de 300 a duzia, aaaim como outraa mui-
taa auperiores a 409: na ra do Queimado n. 22,
na loja da boa f.
lifMIi
NO
Torrador.
Zp-Largo do Tergo-W
'elga ingiem flor s 800ua-860- r.^a libra, |j
nceza a 640 rs.. banha de porco a 400 rs.
maises maito finas para sopa a 400 rs. a
ueijos do reino a 29,ditosdo sarto a 560
ra.eerveja das melhores miatas a 500 re. a
'a, aardinhas de Nentea a 400 rs., toucinho
ra., bolachinha ingleza aj320 rs: a libra,
como se venda outros muitos gneros bs-
loi, passas a 400 ts. a libra, sao muito
e se lguem davidar venha ver no Torra-
go do Terco n. 23. ________________
Gambraias
VenVem-sa cambraias de cores de bonitos a
.legantes desenhos a 280 e 320 rs. o covado : na
ra da!)Imperetriz, loja n. 20.
Papel amisade branco e de
cr res.
Veode-ae pacotes con 100 folhas de papel ami-
aade branco e de cores a 800 e 640 cada pacute :
na ra do Qaeimado loja da aguia branca nu-
mero 16.
*m9*mm tmmm mmmm
Ikabadechef
gar ao novo j
armazem
DI
[Bastos & Bego
3 bateriai e meia..............
esmaga cobra..................
> Nantes 2 bateras vaqueta.....
a 2 bateras bezerro......
> > trsbalbadores..........
> brasileiros de SgSQO a..........
Sapatos 2 solas a salto..................
> traeca portuguezes..........
> frsncezes......
SENHORAS.
Botinas dengozas.........59500
> salto de bsler.......55COO
> pechincha de 49500 a. 4JC00
americanas 3$5U0 a 2*500
Sapatoi de salto (Joly) ..;... 3J0
sem elle [dem)......1$920
tapete:........ 800
econoaicos........ 500
> lustre 32 e 33....... 800
MENINOS E MENINAS.
Ha de tudo em reUcao e nao ee deixa sabir
dinheiro.
Um completo sortimento de couro de porco,
cordavo, bezerro fraocez, couro de lustre, mar-
roquim, sola, courinhos etc., que tudo se troca
por dinheiro vontade do comprador.
Cinco tustes.
S na loja do pavo
vendem-se sedas de quadros, ditas do listras ao
comprido, e ditas de listras atravessadas, ditas
de qaadrinbos, sendo dos melhores padrees e de-
licadsimos goslos, com largura de chita ingleza
a 500 rs. o covado, pechincha, e do-ie as
amostras com penhor : na ra da Imperatriz o.
60, loja e armazem do pavo de Gama & Silva.
Fazendas pretas
superiores.
Grosdenaple preto muito superior pelo dimi-
nuto prego de2*o covado.- pa7.no preia/mni*'
G pechincha.
Na ra do Crespo, loja de
4 portas n. 8,
vendem-se cortes de chitas largas escara?, de co-
res fias, de 10 covados, a 29 o corte, csssas de
cores fixaa, fazenda qae sempre se venden pos
640 e 800 rs. a vara, a 240 o covado, e oulrar
muitas fazendas por pregos baixos que s villa.
Rap de Lisboa t m frascos
Vende-se o superior rap princeza Braail, che-
gado pelo ultimo vapor francoz oNavarre. ua lo-
ja deJlarcelinojC^ru a do Crespo n. 5.
Uocheira venda.
Vende se a cocheira da ra do Imperador n.
25, com dous carros em'bom estado, am cabrio-
let e onze civallos, maito afieguezada : a tralar
na loja da ra do Crespo o. 14.
INovidades da chava, da
Arara,
Fazenda com avaria da chuva para os
freguezes da Arara,
RA DA IMPERATRIZ N. 56.
Vende-se corlea de casia de babados a 1#600,
29OOO, e 28500 o corte, pesias de cambraias de
aalpiquiohoscom 8 li2 varas a 29500, lencos
braocos finos a 200 cada um, ditoa de corea a
80 rs ditos para rap a 120, e 160 ra. ra. cada
um ; na ra da Imperaliiz, luja e armazem da
Arara, n. 6.________ ^
Fazendas sem defeito, da Arara.
Vende-se cortes de chita fioss com 12 1|2 co-
vados a 29500. ditos de cassa de cores a 2500,
dilos preta a 29500, chalea de merino estampados
a 2950O, goliohas para senhoras a 500 rs., man-
guitos e golas de liobo a 2g000 ; ne ra da Im -
peralriz. loja da Arara, n. 56.
Babadin da Arara.
Vende-se babadin com listras de seda.fezenda
muito nova para veatido a 500 rs. o covado, dita
com palmas solas de seda, de largura de 4 i i2
palmos a 640 rs. o covado, laozinba para veatido
a 320 rs. o covado, ditaa muito unas a 500 e 640
rs. o covado ; oa ra da Imperatriz, loja da A-
rara.n. 5b.
Chitas da Arara e cassas.
Vende-se chitas a 160.180 e 200 rs. o covado,
ditas francezas a 220, 240 e 280 rs. o covado.
c"a a turca a 280 rs. o covado, cassas france-
zas a 280 e 300 rs. o cavado, ditas organdin a
320 rs. o covado ; na ra da Imperatriz, loja e
armazem da Arara, o. 56.
Na roa Nova junto a Concei
-osMiTiars n. 7.
Dm grande e variado sortimento de 3
roapasTeitaa, calcados e fazendaa e todos 9
estea ae vendem por precos maito modl- i
fleados como de sea coitume, assim co- 5
mo sejam sobrecasacos do superiores pan- j
noi casacos feitos paloa ltimos figari- S
noa a 269,289, 309 e a 359, paletots dos 9
mesmos pannos preto a 16|, 18f, 209 a S
a 249, ditoa da casemira de cor mesclado K
e da novos padroes a 149.169, 189,209 m
a a 249, dltcs de caiemira de edr mes- JR
dado e de novos padroes a 14f, 16$, 189, S
209 o 24J, ditos seceos daa mesmas ca- jl
semiras de cores a 99, 109, 129 e a 14g,
ditos pretos pelo diminuto preco de 89,
109 e 129, ditos de sarja de sejja a so- B
brecasacados a 12$, ditos da merino de 9
cordo a 129, ditos de merio chioez da 8
aparado goito a 159, ditos de alpaca j
preta a 7J, 89, 99 e 109, ditos saceos S
pretos a 49, ditos de palha do seda fa- S
zenda maito superior a 49500, diloa de m
brim pardo e de fusto a 39500, 4) e > S
49500, ditos de fasto branco a 49, gran- *
de qaanlidade de calcas de casemira pre- S
ta e de cores a 79, 89,9f e a lOf, ditas I
pardas a 39 e a 49, ditas de brim de co- j
res fiDas a 2}500. 89, 39500 e a 4$, ditas %
de brim brancos finas a 4pC0, 59, 5{."><)() *
a a 69, ditas de brim lona a 59 e a 69, a
colletes de gorguro preto e de cores a
59 e a 69, ditos de casemira de cor e pre-
tos a 495OO e a 5$, ditos de fusto branco
e de brim a 89 e a 39500, ditos da brim
lona a 49, ditoa de merino para luto a 49
o a 49500, calcas de merino para luto a
49500 e a 59, capas de borracha a 9;C0O.
Para meninos de tolos os tamanhos : tal-
cas de casemira preta o de cor a 59,69 e
7g, ditas ditas de brim a 2|, 3$ e a 3&500,
paletots saceos de casemira preta a 69 e
a 79 dilos de cor a 69 a a 79, di-
tos de alpaca a 39, sobrecasacos de pan-
no preto a 129 e a 149. ditos de alpaca
preta a 59, bonats para menino de todas
as qualidadea, camisaa para meninos do
todos os tamanhos, meios ricos ve tidos
8 da cambraia feitos para meninas de 5 a
8 annos com cinco babados lisos a 8$ e
8j a 129, ditos de gorguro da cor o de laa
** a 59 e a 69, ditos da brim a 39, ditos de
cmbrala ricamente borbadoa para bapli-
2 aadoa a muitaaoatraa fazendaa a roapaa *J
E feitas que deixam de 1er mencionadas 1
I pela sua grande qaanlidade ; assim como 5
JK recebs-sa toda e qualquer encommenda i
de roapas para se mandar manufacturar 3
a| a que para eate fim temos am complato 1
2 sortimento da fazendas de goito a urna S
Jt grande officina de alfaiate dirigida por um 1
8 hbil meatre que pela aua promptido a S
perfeico nada deixa a deaejar.
Vinho a 400 ris a
garrafa e 3,000 a caada.
Vende-se vinho linio a 400 ria a garrafa e
39200 a caada, ihouricas do reino novas a 400
re. a libra e ae for em barril ae far abalimento :
na ra da Imperatriz n. 88, defronte da Matriz.
Arara vende fusto.
Vende-se fusto de cores para vealido a 280 o
32 r,> covado, lengoi de teda eacuroa para
"P 19600. penas de cambraiaa litas a 1S600,
29000,2S500 e 39000, maaaoa de paute s finos psra
denles a 200 rs.; na ra da Imperatriz, loja da
Arare, o. 56._________________'
Madapolao da Arara.
Veade-se peisas de madapolao iofeatado a 39,
ditas de 24 jardas a 4$400. 496OO, 51000, 59500
e 69OOO. cobertores de algodo a I9OOO, ditos de
Pe|l<> .WOO, roupa feita, palitos de panno pra-
l'W' 89000, calca preta de cezimira a
4$500 e 59500, aeroulaa de linho a 19600 e 29000,
camisas francezas a I96OO e S5OOO ; na ra da
Imperatriz. loja da Arara, n. 56.
Aviso aos fabricantes de
charutos.
Vende-se fumo da trra de superior qualidade.
.m.01 P,dr6e' 1U8 Tenoe P P"S capas, aegondaa e milo: na ra da SenzaUa-No-
Himoi. na d. 1.
Acha-ce venda no escriptorlo de Aoioni
Luis de Oliveira Azevedo & C, ra da Cruz n. 1
a obra eacripta pelo vieconde de Urugasy.Eoaai o
Sobre o Direito Administrativo ; deixamos de te-
cer elogios a esta obra, basta o nome de sea au-
tor para a tomar recommeodada, daos volumes
em broebura 109, encadernado 12$.
A verdadeira essencia de ail
para engommado.
Acaba de chegar para a loja d'aguia branca,
ra do Queimado n. 16.
Acaba de chegar para a
loja d'aguia branca, ra do
Queimado n. 16.
Pos de arroz com boneca em bonltoa vaaoa dou-
radot.
Ditoa dito sem boneca em pacotes.
Agua balsmica para conaervaco doa dentea e
bom balito da bocea.
Opiata ingleza para al vejar os denles.
Leite virginal caja ulilidade reconhacida para
tirar sardas.
Vinagre aromtico para qaem aoffre de ton tices
e dor da cabeca.
Paitilhas de cheiro para ta perfumar aposentos.
no-*J-$r4,"5> 6,T"e J o covado, "caiemira preta/
muito fina a -2$, 2$50O, 3, 39500 a 49 o covado,
mantas pretas de blonde muito superiores a 129,
manteletes de superiores grosdenaples pretos ri-
camente bordados a 359, sobrecasacas de panno
preto muito Goo a 309, casacas tambem de panna
preto muito fino a 309, paletots de panno preto
fino a 18 e 209, ditos de casemira de cor mes-
elada a 189, superiores gravalinhas estreitaa a
19, ditas de setim maco e de gorguro muito su-
periores pata duas voltas a 29, ditas eelreilinbas
com lindos alfinetes a 29, superior gorguro pra-
to para colletes a 49 o corle, ricos nleites pretos
a 69, e assim outras muitas fizendas que sendo a
dinheiro vista, vendem-se por precos muito ba-
ratos : na ra do Queimado n. 22, oa bem conhe-
cida loja da boa f.
A loja d'aguia branca, ra do
Queimado n. 16.
Recebeu pelo ultimo vapor 01 seguintes cb-
jecios :
Bonitas ligas de seda para senhora.
Grandes e bem tecidoa bandes de clioa.
Aspas de aro, e fita elstica para cues de balo.
Bonecas grandes mui bonitas e oom vestidas,
Bonitos baazinhoa com 9 frascos de cheiros.
Lindas caixinbas com 6 ditos de ditos.
Traocellim grosso de cor para guarnecer vestidos.
Luvas de camursa brancas e smsrellas.
Lindos boioes de banha para
presentes.
A loja d'aguia branca acaba de receber lindos
boies de porcellana dourada com fina ba&ha a
maviosas inscripces, os quses por suas delicade-
zas e perfeiQoes lornem-ie dignos para presen-
tes, e com eapecialidade na actual quadra, qutm
gostardobom dirigir-se com dinheiro raa
do Queimado, loja d'aguia branca n. 16, que acha-
ra em que bem o empregar.
Chegaram as desejadas rosas
artificiaes.
Agora deve cessar crdesgoito que muitas se-
nhoras seotiam por nao lerem comprado daspri-
meiras rosas que a loja o'aguia branca recebeu,
isso porque dita loja acaba de receber am novo e
mais brilbante sortimento deltas, vindo estas de
maisa mais delicamente orvalhadss. A senhora
que com a pequea quantia de 29 comprar urna
deesas formosas rosas, sentir am effeito anda
mais rpido (relativamente ao cato) do que
aquelle que prodaz o prompto allivio em qual-
quer molestia. Cumpre, pois, qua ae nao de-
morem em as mandar comprar na ra do Quei-
mado, loja d'aguia branca n. 16, poia do contra-
rio ficarao sem ellas para S. Joo, o que nao
convm. Na meima loja vendem-se outraa rosas
mais baratas.
Superiores atoalhados
adamascado.
Superiores atoslhado adamascado com 8 pal-
mos de largara a l$60O rs. a vara : na ra do
Queimado n. 22, na loja da boa f
Damasco para colxas e para
ornamentos de igreja.
Vendc-ae muito superior damasco de l de
urna s cor, muito proprio para colxas e para
ornamentos, com 6 palmos de largura pelo ba-
rato prego de 29800 rs. o covado : na ra do
Queimado n. 22, na loja da boa f.
Verdadeira pechincha.
Vendem-se corleado superior gorguro de se-
da psra colletes pelo baratisaimo prego de 19,
29 e 39 o corte : na ra do Queimado o. 22, na
bem conhecida loja da boa f.
Vende-se urna negrota de 14 annoa, bonita
figura : na raa Imperial n. 49.
Para os tabaquistas,
Lencoa maiti finos a imitacao doa de linho de
maito boniloa padrea e de corea fixaa muito
proproa para as pesaoae que tomam tabaco, pelo
barato prego de 49800 e 59500 a dazia : na raa
do Oueimodo n. 22, na bem conhecida loja da
boa f.
Bramante de linho.
Veode-ae muito superior bramantele linho
com duaa varea de largura proprio pin ]enc.ee,
pelo barato prego de 29400 rs. a IMt: na bem
conhecida loja da boa f, aa ru* do Queimado
o. 22.
Vendem-se caixoes va-
stos, proprios para funileiro
Veode-sa am preto bom rednador e proprio I Q bahuleirO, a 1#280 Cada Um I
'


parado o aarvigo : na .,*. M Afog.do. | ^^ tvpographia se dir%


.
II ll'I

*r
M&KO M PE1HMMICO *- 61XT1 MIRA 18 Dft AVJK) M im
JR3
VENDE-SENO ABN4ZEH
PROGRESSO
1 Ricas fitas para chapeos,
cintel ros, etc etc.
loja d'agula branca acaba da raceber am ax-
traordioario sor lmenlo d cicas flu, tao boaa
em qualidade quio bonitas nos desenhos, tendo
antra ellas o mala largo que postirel; assim
como algamaa pocas brancas con o contra liso
proprio para ioscrtpcdes, o muitaa oatraa de di-
fareotas coras como de caf, ria, escara, etc.,
etc., o como de aeu louvsvel coatume : a loja
d'agaia branca, na roa do Queimado n. 16, ven-
da por pre^o commodo essas boas e bonitas fitas.
DE
Francisco Fernaodes Duarte
rg ia Penh

Nova atiendo.
O vigilante acaba de recebar nove aortimento
de diversos objecloa que se reodem por manos
20 por ceoto do que em oalra qualquer parta.
Siutos para senhoras.
Riqeissimos ainloa dourade, polo beretieeime
prec,o de 29, o com tirela ao lado a49, aaslm co-
mo de tita de seda ou velludo a Sf : s no gallo
vigilante, roa do Crespo o. 7.
Eofeites.
Vendem-se os riquiaaimoa eofeites de cabeca
com franja a Tidrilho a 5), ditos sera franja a 3j,
ditoa trancados a 25500, ditos de laco de fita e
bico de seda a 2$ : s no gsllo vigilante, roa do
Graspo n. 7.
Os melhores gneros que vem a este mercado e por menos 10 por cento do que em outr
7ialquer parte, garanndo-se a boa qualidade, por isso roga-se a todos os Snrs. da prae,a, de en-
altos e lavradores o favor de mandaren) suas encommenda3 a este muo acreditado armazem de
olhados, afira de verem a differenga de prec/> e qualidade que faz, se fossem comprados em outra
laiquer parte.
Fivelas para sinto.
Riquissirtas fivelaj de aqo com madraperola no
centro a f9200. ditas do madraperola a 890, ditaa
doaradiohas a 340 : a no gallo vigilaste, raa do
Graspo d.7.
confeitadas para sorte de S. Joo a 800 rs. a libra, tambera tem-se para
64,0 rs. a libra sendo em porreo, tanto de urna qualidade como de outra se faz abati-
mento.
B JVia\a^ HOY&S em Caixas com duas arrobas por 2#560 e em libra a 50 rs.
Orl.a.\Clga. V^^VeZm da safra nova de primeira qualidade a 850 a libra, em
barril se faz abalimento.
MaUtiSiga UMII a mais nova a 640 rs. a libra, ara barril a 600 rs.
g11Vl| gados no ultimo navio a 19800.
J 1"M* o raais superior que tero vindo a este mercado a 800 rs. a libra.
1/ lid nySSvu 0 me|QOr que j, n0 raercaci0 a 2$800 e 49200 a libra, afincese a boa
qualidade.
aft UUX1SR 0 qUe e pode deseja,. n9Ste gen9r0 a 350OO a libra.
.: *l.a pirvlO homeopathico a 29200 a libra em porc,5o se faz abatimento.
& *\*l*3S ROVOS de avio transado a 230 rs. a carta e em caixas com 40 cartas por
99000.
EAlftS COBl m^^(lO.8 confeitadas, proprias para mimo, contendo mais con-
feites e assucar candido por 19000 cada urna.
em caixinhas de 8 libras cbegadas altimamente a 29000 cada urna e a retalho
a 480 rs. a libra.
r
. Vidriloo.
Lindos vidrilhoa pretos de corea, pelo bara-
tsimo prpfo de 19600 a libra : a 00 gallo vigi-
lante, ra do Crespo n. 7.
Relogios.
Vande-sa a casa da Johnston Pater C,
--. do Viga rio n. 3, um bailo sorti ment da
1 elogios de ouro, patente inglez, de um dos mais
afamados fabricantes da Liverpool; tambem
urna variedad* da bonitos trancallins para os
mesmos.
*mmm mbkssm 9tsetieieBX
!Loja das 6 por-j
5 tas em frente do Livra-
mento
BalQes de 15, 20, 30 e 40 arcos.
Grande sortimento de baldes de arcoa
os melhores oesta fazenda e grandes,
chitas francazaa largas escaras a 22U e
240 rs. o covado, ditaa aatraltas miadi-
nhas a 160 ra. o covado, cambraia lisa
para forro com 8 l[ varas a 29 a peca,
ditaa finas a 39, 49. 59 e 65 multo fina*.
ditas de sal piqun ho com 8 1|2 versea
I 89500 s peca, cobertaa alcozoadaa brao-
cas e de cores para eama a 49500 e 55, t
I casaas de cores francezaa tintas seguras I
S a 320 rs. o covado, peca da brelanba da 2
I rolo a 25, algodao trancado alvo zaaito
largo para toalbas a 19 a vars, eofeites a
m Garibaldi todoa pretos a 59 cada um. leo-
cos braoeoa com barra se cores a 120 ca-
da am, roapa feita da todas ss qaalida-
dea muito baratas, a loja est abarla al
aa 9 horas da noita.
ftBHBS B&%
fc
NOS ARMAZENS
PROGRESSISTA
Superior cal de Lisboa.
Tem para vendar am porco e a retalho te-
nlo Laiz da Olivoira Azavado & Q., no aen ea-
criptorio raa da Cruz o. 1.
Para entreter o tempo.
Os liodoa jogos de do micos a 19400, lindas cai-
liabas com jogoa de viapora a 900 rs.: a no gal-
lo vigilante, raa do Crespo n. 7.
A banha fina,
am copos graodes, chegou para a loaj d.aguii
branca, raa do Qaeimado n 16.
das seis portas em trente do
Livrmento. 15,20,30 e 40
arcos.
Grande sortimento de saias a balSo de arcos,
os melhores que aqai tem apparecido no merca-
do a 48500, 59, 65 e 69500 cada am, d ae para
amostra com penhor ; a loja eat aborta at aa9
horas da ooite.
Mobilia.
de soda em latas com differentes qualidades a 1? HO.
1*H8,Xr$SL?\. inglezaamais nova que h no mercado a 49000 a barriese a retalho
320 re. a libra.
WlHUO :.'\ pi^ de superior qualidade Port. Figueira.e Lisboa 500, 560 e 640 rs.
a garrafa, e-era caada a 39500, 49000 e 49500. -----
Va\\kQS ^Bgii*f?al^.4a Duque do Porto, Lagrimas do Douro, Carcavellos, Fei-
teria velho, e deoutras muitas marcas acreditadas a 19200 a garrafa, em caisa a 129
tambara ha para 19000 a garrafa.
;: ll*,HHp*,i;'He jas marcas mais acreditadas a 159000 e 209000 o gigo, e em garrafa a
1^800
KiMfYSi^ da marca cobrinha ou de oulra3 marcas conhecidaa a 59000 a duzia e 500 rs.
a garrafa.
KlWilllJaS francezas e portuguezas em latas de 1 libra por 640 rs.
MaAf i 'V* tomata em tattas de 1 libra por 800 rs.
a^VMtlAfl f *aiaC%aB era latas de 1 e raeia librador 19500, ditas com 3 libras por
2$80O.
^k.HlS?ll ^#3i8a 120 rs. a libra e em arroba a 3&000.
A.Ie**\*.'ai*AC'lpfae *5 .taWW?im a 400 rs. a Ubra, a em caixa com 1 arro-
ba por 69000.
IkStr^M. ^s, pevde e arroz de massa branca ou amarella, a 640 rs. a libra, e em cai
xinbas muito enfeiudas se faz obatimento.
Ir S5|V-.>8 lvLtfJS lixados os maisbern feitosque tem vinio a este mercado a 280rs.
tambem ha para 20*0 rs.
fpFftXamttV ng\tZ<& para fiambre a 800 rs. tambem hamburguez para fiambre a
640 rs. a libra e do reino o mais novo que ha a 560 rs. a libra.
C\iU?iaS 6 pal muiio novas a 560 rs. a libra eem barril se far abnimento.
saiaSlft 0 rnelhor petisco que pode haver por estar prorapto a toda hora a 800 rs. a libra.
mtllfelflm* ao fftsl'aO muito novo a 280 rs. a libra e era barris de 1 e meia arroba
a 59 e 79 a arroba.
UaVOUYl^tS em latas j prorapias para se comer a 19800 cada urna.
l&aiill' de. pOTeO refinada em latas com 10 libras por 49300.
lt*i t&artftaS O bolla Craneal propnos para mimo a 500 rs. cada um.
nftAYsVt<&fM&% imperial do afamado Abreu ede outros muilos fabricantes de Lisboa a 800 rs.
a libra.
^.aff Uael^da de Alperche em latas de 2 libras por 19000 cada urna,
LM%*aS C ^T? ir ffHCtS.S de doce em calda as melhores quehaem Portugal como sa-
jara pera, pesego, damasco, ameixas, ginja e sereijas a 800 rs, a lata.
Doce SfcCCiS e em calda, em latas, de 4 a 5 libras por 19500.
L>m 800 r?., afianga-sea boa qualidade.
^ai.4& e primeira qualidade tanto do Rio como do Cear, a 310 rs. a libra, em arroba a
99000, dito mais baixo a 260 rs. e 79800 a arroba.
^^VttCliBlHa da Franca a mais nova do mercado a 240 rs. a libra, e em ponjo se faz
abalimento.
&&g\l. mul0 novo a 320 rs. a libra e am garrafes com.5 libras, por 29000."
SanKlUft do reino das marcas SSS ou galega, a HO rs, a libra.
19IA& do Maranho alva e cheirosa a 160 rs. a libra e em arroba 4500.
T5ia* da carnauba refinada a 400 rs. a libra, eemjarroba o 129000..
ftAttlta aCe refinadoa 800 rs.garrafa e e em caixas a 99000
W lliagfe de Lisboa a 240 rs. a garrafa e em caada a 19800.
WlfcllO cherez verdadeiro a 19500 a garrafa, e ara caixa 149000.
\ lUuO uYai&CO de Lisboa o mais superior que ha no mercadopropjio para miss
640 rs- a garrafa e era caada a 49500.
biliarU\OS suspiros de fabricante Brandao em meias caixinhas, por 29500.
191108 suspiros do fabricante Catanho A Filhos em meias caxinhas a 29000.
UllOS n caixas de 100 regala Imperial, Viagantes, e Panentellas, a 29000 a caixa.
AlplSla muia limpo, a 180 rs. a libra, eem arroba 59500,
AiellOa^S muito novas, a 19600 rs. cada urna ancoris, e a 400 rs. a garrafa;
AtTOX de Maranho a liO rs a libra, e 39400 a arroba.
T^ML de postas am latas dai melhores qualidades de peixe que ha em Portugal a 19500 rs.
{xenebTa ae HeVVaada tra girnro9t c^b %& garrafas por 99000,
Moscarda ngleza muito noa a 19000 o frasno e franceza a 640,'rs. o pote.
Alera des gneros cima mencionados encontrar orespeitavel publico um completo serti-
aaento de todo que tendente a molbados.
REMEDIO IMtOfMIVEL
UNGENTO HOLLOWAT
Milhares de individuos de todaias nac/Se>
poden testemunhar as virtudes desteremedie
incomparaveleprovaremeaso necassario.qna,
pelo uso que dalle fizeram tem seueorpoa
embrosi n teira men tesaos depois de haver em-
aregado intilmente outrostratamentos. Cada
pessoa poder-sa-haeonvencer dessascur s mi-
ravilbosas palal eilura dos peridicos, qu. '-'ai
rajiaum todos os d
maior par fe dellas
admiram os msdico
passoasrecobrara c
o uso de seus BVaro
permanecido longo tempo nos hospitses'o tai
daviam soffrer aamputaco I Dallas halau
cas que'uvendodcixado esses, asylos d= )ade>
amentos, parase nao snbmeterea tes ope-
raco dolorosa fo rasa curadas completa anu,
mediante o uso dessa precioso resaedio. Al-
gumas das taes pessoa na enfuso de sei raco
nhecimento declararaa estes resultados enti-
cos diante do lord corregedor e outrosfisagis-
trados.afimde alais autenticare sua a imaiiv
Mingese dasespararia do astado desauda si
tivessabastante confiariQ para encinar esta re-
medio constantementeseguindo algam tempo e
trataraento que necesslasse a natureza do mal,
sujo resultado seria provarincontastavalmanta.
Que tudo cura.
O nngaento be a til, mala partlcn
lamiente nos segulntescasos*
Alporcas
Caimbras
Callos.
Aneares.
Cortaduras
Dores da eabeca j
das costas,
-dos meobros.
Enfermidades da cutis
em geral.
Ditas de anus.
Erupqoes escorbticas.
Fstulas no abdomen.
Frialdada ou falta de
calor as extremida-
Na ra da Gamboa do Carmo loja n.
12, vende-se toda a qualidade de mobi-
lia tanto ao gosto moderno como anti -
ga, phanthasia etc. por preco mais
commodo do que em outra qualquer
parte, faz-se toda a qualidade de obra
de encommenda com a maior bi evida-
de e o maior apuro da arte.
Mmmmmm-mmmm mu
Frieiras.
Gangivas escaldadas.
Inchaces.
nflamma;ao do figado.
InflamaaQo da baxgi
da matriz
Lepra.
Males das pamas,
dos peitos.
de olhos.
Mordeduras da replis
Picadura de mosquitos.
Pulmes.
Queimadelas,
Sarna.
Supurarles ptridas.
Tinha, asi qualquer
parte que seja.
Tremor de ervos.
Ulceras na bocea.
do figado.
das articulares.
Veas torcidas ou no-
das as pamas.
Yende-sa este ungento no astabelecimentc
geral de Londres n. 244, Strand, e na lojt
de todos os boticarios droguista a outras pas-
soas encarregadas de sua venda em toda i
America do sul, Havana e Hespanha.
Vende-se a 800 rs,, cada bocetinha conten
urna instruccao em portuguez para explicar r
modo de fizar uso deste ungento.
O deposito geral em casa do Sr. Soum
harmaceutico, na ra da Cruz n. 22, es
parnambuco.
Batatas novas
a 29560 rs. a caixa com 2 arrobas, em libra a 50
rs., marmellada imperial em latas de 1 1[2 e 2
libras a 400 ris: veade-se no armazem Pro-,
zreaso, largo da Ponha n. 8.
Aljfar firio imitaado perola.
Veoda-ae a 500 rs. o fio da aljfar fino, mi-
ando perola : na ra do Qaeimado, loja d'aguii
branca n. 16.
| liquiiacao por todo
o prego, na bem co-
nhecidalojadoSer-
tanejo.
Ra do Queimado n.45.1
Apparegam com di-
nheiro que nao deixaro |
de comprar.
Chitas esenras linas a 160, 180 e 200 1
rs., cortes da vestido pr*tos bordadoa a I
?aliado de casto de 1509 se vendem
por 309,409, 509 a 709. aahidas da baile I
da vallado setim a 129 139, caronas 9
pira senhora a 2(000 e 3$500, gcllinhas |
5 da cambraia bordadaa a 500, 600, 700, S
800, 900 a 19. ditaa de 016 bordadaa a 120 9
rs., casaveques de fuslo a 59, 6,7J, 89, S
meias de seds brancas a pretas para se- 9
nbora a 19200 o par, tiras de babadoa a S
000 a 700 rs., laaaae qaadro eniaataaaa a
300 e 360 rs. o covado, cambraia preta a
400 a 440 ra. a vara, orgamlys de cors a
600 rs. a vara, fil braceo adamascado
para cortinados a vestidos a 400 e 500 'l
Srs. a vara, cortea da colleta da casemira fi
bordados pretos a 29 e 39000, ditos de 3
vallado de cor e pretos a 39, 49, 59 a 69, |
paletots de brim branco francezes a ;
39500 a 49500, ditos da casemira de co- 8
, res a pratos a 149 e 169. ditoa da alpaca S
8 preta e da corea a 3$, 3fi500, 49 a 49500, 3
8 camisas da peilo da Moho a 2?")0, corlaa 2
de eollate do gorgurao a 19500, 19700, 1
- 29200, 35 e 3S500. colletea teitos de brim !
branco a 29500, ditos feitos da gorgurao 1
a -25500 e 395O, ditoa feitoe de casemira ja
a 3550O, 4g a 4S500, ditos de velludo a g
9 52, 656 79, ditoa da fusto da corea a i
" 1J500, um variado sortimento de meias 8
para homam a ssnbora, grioaldas com |
flores, abalea da troco, eapartilhoa, a lo- S
Sda a qaalidada de roapaa feitaa para ho- B
rneru que tudo se vende por metade do i
sea valor.
mwm mm&m mmmmveam
Attenc'
5
Chegoapars a loja da victoria, candieiros a
gaz d novoa gostoa e modelos, Unto para sais,
como paraescada e quartos e para outras muitas
eousas: na loja da victoria na ra do Qaeimado
. 75.
MMrMMMMM
I Ricos pianos
g de varios autores, vendem-se g&
1 em casa de Ralkmann Irmaos & gg
A C, ra da Cruz n. 10. S
10
Guimaracs & Lux, donos da loja da miudezas
da raa do Qaeimado n. 35,"boa fama, participio)
ao pablico que o aad aatabelecimento se acha
completamente prvido das melhores mercadoriaa
lendentaa ao mesmo eslabelecimonto, a jnuilos
outros objectos fe gosto, sendo quaai todoa reca-
bidos da auaa proprlaa encommendas ; a estando
lies ioteirameDte resolvidos a nao venderem
(lado, afian$am vender mais barato do que outro
qaalquar ; a juntamente pedam aos seus deredo-
res que Ihas wandera oa vaoham pagar os seas
dbitos, sob pena rieeertm iuticdo.
DUARTE & C.
36 Ra das Cruzs de S. Antonio 36
O LARGO DO CAR VIO 9.
Nos os proprietarios destes acreditados armaiens participamos aos aossos numerosos
freguezes que por todos os vapores a navios de vela recebemos de nossa propria encommenda os
melhoree generos'tenlente a molhados, e por isso podemos vender por menos 10 por cento do
que outro qualquer, como a experiencia o mostar por isso pedimos a tedos os Srs. da praga e do
matto, que anda se nao deram ao trabalho de mandarem experimentar, o favor de o fazerem, certos
de nada perderem, pois para isso nio pouparemos forjas para bem servil-es a ainda mais a pessoas
menos entendidas, certos da e.clarecer aos compradores que s na ra das Cruzes n. 36 e largo
do Carmo n. 9, que devem nderecar os portadores, pois muito se ovildam com outras casas quasi
dos mesmos ttulos (Progressista e Progressivo) pois sao as duas nicas filiaei.
^T**'*^"*&^ lllgieza a mais nova emais superior do mercado a 900 rs. a libra.
.riaillt I^il IranC6Zfi a melhor que se pode deseiar a 6a0 rs. a libra a em barril t
600 rs.
v/Ia H [1X1119 o mais especial que se pode encontrar a 21880 a libra.
Cvll nySSOIl 0 Melhor que se pode desojar ds 2*400 a 2&800 a libra.
" j\\3 pretO 0 que se pode desejar neste genero a 29 a libra e a 1$600 o ordinario.
QUeiJOB flamengOS chegados no ultimo vapor a 2 e 19700.
IjeijO pratO 0 melho do mercado a 600 rs. a libra e sendo inteiro a 500 rs.
Passas era caxinhas de 8 libras ,2*500 e5oors. a ubre.
FigOS em CalXiniaS de 8 Iibns a OOO e aOO rs. a libra.
AmendoaS da CaSCa Illole 320 rs. 1 nozes a 160 rs. a libra muito novas
AmeixaS franCeZ^S a if a ibra e emlatas eom 5 libras a 4|000.
Marmelada Superior a malhor do mercado em latas da duas libras a 400 rs. a
libra.
Doce da casca da goiaba 8oo rs. o caixo.
L^aiaS COm irUtaS eill CalQa como pecego, damasco, ginja, ameixas e
alperxe a 600 rs.
AiendoaS COIifeitadaS Com diversas cores a 800 rs.
Y 11111 OS g*enerOSOS engarrafados das seguimos qualidades, duque do Pono, Porto
fino, Pedro V, velho secco, genuino. Rector, Carcavellos, Feitoria, e Madeira secea a
12? e 133? a duzia e a 1JI00 a garrafa e muscalel a 720 rg. a garrafa.
1/1(00 am pipa proprios para mesa de 35600 a 4* a caada e de 500 a 600 rs. a garrafa,
do Porto, Lisboa e Figueira.
derVejaSdas melhores marcas a 500 rs. a garrafa e 59000 a duzia, chanpanhe das
marcas mais acreditadas de 14 a 20 o gigo, cognhac o melhor que se pode desejar
a900rs. agarrafa.
vieneDra da verdadsira hollanda em garrafSes de 16 garrafas a 6$0O0 cada um.
vadle Ora. italiana a mais sublime que tem vindo ao nosso m"J <>m riasuus gitodos
a zyuvocaaa um.
r raSqiieira com 12 frascos de genebra de Holanda |800
v*Srr*ICS cora 5 garrafas de superior vinagre a 13>000
Vinagre puro de Lisboa .240 ti ,girrata, t lf800,cmd|
Marrasquino 0 mii superior que se pode desejar a 1#000 a garrafa.
IllSper mcete o mais superior do msrcadoem caixinhas de 6 libras a 4200e700 rs.
a libra.
Vel9 de Carilllba allJ)500aarrob. SSOalibra.
A.UCOret;^S comazeilonas as melhores do mercado a 1(5400.
vvaiXaS com 1 arroba hespanhola contendo macaro ulharim e aletria a 69000.
-'& IXnil^S com diversas qualidades de massas coao saja estrelinha pevide etc., a 6#000
e 640 rs. a libra.
Chouricas e Paios os meihoresdo m9rcado, 360 rs a Ubfa
reZUntOS o quesepodedezejarde boma 640 rs. a libra.
LiingUlCaS finasemlaias jpromptas a 1}600.
I e\Xe^ em lataS cavallinhas pargo, a linguadosa 1^600.
-lOUCinnO do reino a 280 rs. a libra do novo, e 240 rs. do velho.
oanlia de pOrCO a melhor do mercido era latas da 10 libras a 49000.
MaSSa d lODiate em latas de 1 Ubm a 700 rs.
31 alisas para SOpa talharim e macarro a 280 rs,e aletria a 320 rs.
a ailtOS IlXaOS em macos com 20 ssacinhos a 200 rs.
"a pe greve pautado e liso muito superior a 49000 a resma.
Cil'Va OCea360, piraentaa360,canella900 rs.,ecoraQhosa 800 rs. a libra.
PalltOS do gaZ a 2!t300 a groza e 20 rs. a caixinha.
Sai retinado am piCotes de mais de urna libra a 160 rs. a potes 560 rs.
9&gU muito novo a 280 a libra e sevadinha 200 rs.
Farinha do Maranho a 160 rs. a libra e gorama a 80 rs. a libra e 29400 a arroba.
~\G. 9do ^mk me,hordo mercado de 89500 99500 a arroba,
CaXI11 lias! mis elagantes, propias para mimos ou mesmo para guardar joias de 400 rs.
a 19500 e temo com 6 caixinhas 5fOOO.
ChOCOUte hespanhol verdadeiro a l0O0 rs. .libra.
Krvilhas portuguezas e francezase mo i** *
Potassa da Kussia
Yende-seemcaia deN. O Bieber &
C, successores. ra da Cruz n. 4.
Vends-se urna bonita mulatinh de idade?
annos; na raa da Cadeia do Recife o. 47.
Pecbincha
Na praca da Independencia n. 37 e 39 veade-
se borzeguius de lustre para hornera a 6#, 5| e 4J.
Borzegains de senhora a 3j. 2J e 1.
Borzeguios de vaqueta iogleies a 8>500.
Sapslos rasos de lustre sera salla a 29.
Sspatdea de Idstra para bomem a menino a 2f
Borxeguios da lustre para menino a 25.
Sapatos da tapeta i 1|.
Ditoa da traocs a 1J80.
Sapatos de aetioa branco a 500 rs.
Vende-se um malatiohocom 15 aoooa, qe
cotinha e engomma : a tratar na loja da raa do
Qaeimado o. 46.
Soahall Mallors & C, lando receido or-
dam para vender o sea ereacido dapoaito da relo-
gios v(slo o fabricante ter-ae retirado do nego-
cio ; eenvide, por tanta, is pessoas que qaizeram
possair am bom ralogio do oaro oa prata do ce-
lebra fabricante Kernby, a aproveitar-so da op-
portanldada sem parda da lampo, para vir com-
pra-loe por commodo preso no san eaeriptorio
ra do Trapiche n. 28.
a lata.
640 a 720 rs.
Moendas p meias moendas.
Taixas de ferro batido e
coado.
Machinas de vapor.
Rodas d'agua.
Rodas, dentadas etc., etc.
Ra do Brum n. 38, fundicao
de D. W. Bouman.
Ra da Seazalla Nova n. 42.
Neste estabelecimento vende-se: ta-
chas deferro coado libra 110 rs. dem
de Low Moor libra a 120 rs.
Arados americanos e machinas
para lavar roupa: em casa de S. P.
Johnston' 6. G ra da Senzalla Nova
a. 42.
i ra({UeS os melhores do mercado a 10 a caixa e a 280 rs. a carta.
a^ave em latas ebegado no ultimo vapor a 19600.
Bolaxinha de soda em latas a i4oo
DOlaXintia ingleza amis nova do mercado a 4500 a barrica e 300 rs. a libra.
entlHiaS lrailCeZaS 0 melhor legume para sopa e guizado a 200 rs. a libra.
PreSUntOS fiambre os melhores do mercado a 640 rs. a libra.
ivlaSSa de tomate das melhores qualidades em latas de 1 libra a 700 rs., em 530
rs e em potes de vidro a 700 rs. cada um.
Bolachnha Cracknel em latas com 8 e 16 libras a 2?500 e 4#500 ea 40O
15 a la IOS fraUCezeS de diversos tamanhos de 320 a 600 rs. os maiores e maracas
para meninos a 80 rs. cala um.
AVelftaSchagadas ltimamente a 320 rs. a libra.
Sardinhasde Nantes a 400 n. a uta.
AEet doce refinado a 9 a eaixa e 800 rs. agarrafa,
ArrOZ em saceos de 5 arrobas do vermelho a 2950O.
LlCOreS os mais finos que ha no mercado a 1 agarrafa a 109 a duzia, tambem temo
para menos.
.Alera dos gneros aanuneiados encontrar o respeitavel publico tudo que for poruean-
te a estes estabelerimentos. Os proprietariosscisntificam que e lesSnrs. qfltbaandirem seu competente importe e todos os demais freguezes de livro tetan de sujei-
ttr-se pelos precos aeostumados, salvo aquellos de fim de mezj



.
>

.
!


DIARIO DI ttMAMBUCO <* SEXTA ttlsU 18 DB JDIHO DB llftt
Enfeites para senhora. '
Di melhorea eofeltea preto de core qu ap-
pareca a 5|500, 6* e 6$500 : na toja da Victoria,
na ra do Queimado b. 75.
Caixinhas e cabazes para
as meninas trazerem
nobra^o.
Muito lidas cahin has e cabazae par* minina*,
da 100 rii at 2$500: na loja da Yic'.oria, na raa
do Queimado d. 75._______________________
Loja do r-avoru* da Impera-
triz numero 60.
DB
G\Nl\ & SILVA.
Vende-se neate estabeleci ment todaa aa fazen-
daa por prego mala baratos que possivel s6
com o fim de aparar dinheiro, aasim como urna
grande porgao daa ditia faieodaa inieiramente no-
Tas, viada pelos ltimos navios : oa donos des-
te estabelecimento rogara a todos os seus tregua-
res, que le daem ao trabalho de procurar neate
Diarto ci snnwnctos da loja do Paras* porqae
eatSo certoa qne nao perdero seu lempo.
Franjas pretas*com vi-
drilho e sem elle.
Ricos sortimentoa de franjas prstas de cores
om vidrilho e seat elle : na loja da Victoria, na
ra do Queimado n. 75.
Cambraias organdys a 280 rs.
Veode-se cambraiaia organdys com dilicadia-
simoa desenbos s 280 rs. : ns loja e armasem do
Pari, da Gama & Silva, na rata da Imperatriz
n. 60.
iohasde peso verda-
deiras..
Linhas finaa de paso verdadeiras. meadas
grandes a 240 ria : na loja da Victoria, na raa
do Queimado n. 75.
Phosphoros de seguran*?
Pbosphoros de seguranga, por que lvra de in-
cendio, a 160 ria a caiza : na loja da Victoria,
na raa do Queimado n. 75. ___________________
Baleias para vestidos.
Baleias muito grandes e boas a 160 ris ama >
na loja da Victoria, ns ra do Queimado n. 75.
Linha de croxel para la-
byrintho.
As melhores linhas de croxel para labyrintho,
novellos monstros a 320 ria um : na lo|a da Vic-
toria, na Na do Queimado o. 75.
Sintos dourados para se-
nhoras.
Lindoa sintos dourados para aenboras a 25200,
ditos de ponta cabida a tj*, ditoa de fita a 1(600:
na loja da Victoria, na ra do Queimado n. 75.
Ricos espelhos de
moldura dourada para
salas.
Chegou para a loja da Victoria urna pequea
porgao de ricos espelhoa de varios tamanbos para
ornamentoa de salas, affiaogando-ee serem oa
melbores sm vidros que tem vindo : na loja da
Victoria, na ra do Queimado n. 75.
La para bordar.
Lia mnito boa da todas ss cores para bordar, a
78 a libra : na loja da Victoria, na raa do Quei-
mado n. 75.
Linhas do gaz*
Caixlnhaa com 50 novellos de linhas muito fi-
nas do gaz a 900 ria a caiza, dilaa com 30 no-
vellos a 700 ria, ditas com 10 novellos grandea
a 700 ria, raneas e pretaa: na loja da Victoria,
na raa do Qaeimado n. 75.
S o Pavo.
Vende-ae finiaaimaa casaaa francezaa de varia-
dos padroes a 540, 260, a 280 rs. o covado : na
ra da Imperatriz o. 60, loja do Pavo de Gama
& Silva.
Anda o Pavo a 200 rs.
Vende-ae chita fraoceza escura com diminuto
toque de mofo a 200 rs. o covado, e ditas ingle-
saa a 140 rs. : na raa da Imperatriz n. 60, loja de
Gama & Silva.
Vende o Pavo a 280 rs.
Gorguro de linho qae feito em vestidos para
senhora ou roapa para meninos parece aediobas
s 280 rs. o covado. por ter grande porco : na ra
da Imperatriz n. 60, loja e armazem do Pavo de
Gama & Silva.
Tarlatanado Pavo.
Vende-te tarlatana de la com palmichas sol-
tas a 320 ra. o corado : na ra da Imperatriz n
60, loja do Pavao de Gama & Silva.
Panninhos do PaVao.
Veade-aaaaacaa-de panninn fioiaalmo sosa 10
varaa a 61: lia ra da Imparairls n. 60, loja de
Gama & Silva.
Cliit&s em cortes.
Vende-se cortes de chite franceza maito fina,
com 10 eovadoa a 29400, afflangando-se ssr de
cor rite : ne rus da Imperatriz n. 60, loja ar-
maren do Pavao.
AGEaNClAL
DA
Fundido Low-Moor,
Ra da Sen zalla Nova n.48.
IN'este estabelesimento continua a haverum
completo sortimento de moendas a meias mota-
das para engenho, machinas da vapor taias
de ferro batido a eoado da todos os tamanbo
para dito.
Ra do Crespo n. 7, no
gallo vigilante.
Neala nova loja ha grande porgao de caixinhat
com amendoaa proprias para brinquedo de S.
rioo qae ae vende pelo barato prego Tle 800 ra.
cada uma quem deizar de dar a urna menina
urna caizinba ; tambem tem grande porco de
calzas proprias para doces secos que vende con-
forme seus lmannos a 69. 59 e a 49 a dazia,
amendoaa avulaaa a 800 e 640 re. a libra : s no
vigilante raa do Greapo fi. 7
O Pavo vende a 4500 rs.
Cortes de barsgea com fios de aeda tendo 22 co-
rados, com barra, podeodo-ae faier babadoa, pe-
lo baratisaimo prego de 45500, s na loja do Pa-
vo ra da Imperatriz n. 60 de Gama & Silva.
Vestidos de la.
Vende-ae vestidos de laziohaa tendo as saiaa
ja promptaa, com muita roda, propriaa para ba-
lo a 4900, t na loja e armazem do Pavo raa
da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Basquinas do Pavo a 4#000
Vende-se ricas baaquinas de fusto mui bem
bordadaa, fazeoda que sempre se vendeu por ltf
el 69000 por 49OOO, para acabar : aa loja do Pa-
vo de Gama & Silva, na raa da Imperatriz
n. 60.
Eufeites do Pavo.
Vende-ae ricoa enfeitea turca e Giribaldi
com ricaa fraojas e bolotaa a 5J000, ditos dos
mesmoa miisaimplea a 2g000 ra., e ditoa de filas
cada um em sea carto : na ra da Imperatriz n.
60. loja do Pavo;
Brilhantina suissa.
Vende-se brilhantina aaiaaa de qaadrinhos, fa-
zeoda maito encorpada para vestidos e mais lar-
ga qae chita ingleza a 200 rs. o covado : na ra
da Imperatriz n. 60, loja armazem do Pavo
de Gama & Silva.
Arara vende os palitos.
Vendem-ae maaaoa de palitos finos com 20
maaaioboa, por 200 rs.; ns ra da Imperatriz,
oja da arara n. 56.
Para doces seceos.
Vendem-ae maito bonitas caiziohas redondas,
de madeira, de diversos tamaohoe, forradas ds
papis de coree, muito linios, propriaa nica-
mente para doces seceos de qualquer qunlidade,
pelo barato prego de 4, 5 e 69 a duzia : na raa
do Q.oimarfo. na bem conbacida loia de miude-
raa da boa fama o. ,i5.________________________
Para SJ Joo e S. Pedro.
Veddem-se caixinhas com grande porco de
amendoaa coofeitadas, e alguna confeitoa pro-
prios para o faatejo de S. Joo e S. Pedro, pelo
barato prego de 800 ra. cada ama : na raa do
Queimado, na bem conhecida loja de miudezaa
da boa fama n. 35.
Luvasde Jouvin.
Vende-ae luvas de pellica de Jouvin brancaa,
para senhora, ltimamente ebegadas : na loja do
beija flor, ra do Queimado n. 63._______________
Luvasde seda.
Vende-se luvas de seda eofeitadas a 1JG00,
29OOO e292OO, ditas fio de Escoiaia brancaa a ra.
700. ditaa de corea 800 ria, ditas de algodo a
280 ria ; na loja do beija flor, raa do Queimado
numero 63.
Escovas.
Vende-ae escovaa para dentea flnaa de diversas
qaalidadea a 120, 160. 320. 400 e 500 ria s ns
loja do beija-flor, ra do Queimado o. 63.
Jogo de domin.
Vende-se jogo de domin finos a lg200 : na
loja do beija-flor. ra do Queimado n. 63.______
Botes parapunho.
Vende-ce botoesde punho linos de diversaa
qualidadea a 200 rcia o par. que tambem aervem
para manguitos de senhora : na loja do beija flor
ra do Queimado n. 63.
Occulos.
Vende-ae occulos finos de armaco de ac, a
29, 19. 640 e 400 ria : loja do beija flor, raa do
Queimado o. 63.
Kicos sintos dourados.
Vende-se sintos dourados a 29, ditoa de fita
com fivella dourada a I5DOO : loja do beija flor,
raa do Qaeimado n. 63.
Enfeites para cabeca.
Vende-ae requissimoa enfeites para cabeca com
franja, e sem ella pelo baratisaimo prego de 58
e 5S000, ditoa de vidrilboa a I96OO ; na loja do
beija flor, ra do Queimado n. 63.
Carteiras.
Vende-se ricaa cartelraa para guardar dinheiro
de ouro e prata a 29OOO, 2g500, 19000, 15280 e
1)500 : na loja do beija flor : ra do Qaeimado
numero 63.
Rosas artiiciaes para cabello:
A. L. B. P. tendo recebido om variado sorti-
mento de booitaa roats que ae esto usando para
cabellos, o de panno* com folha de velludo, ditaa
de papel todaa, aa maia ricaa qae ae pode encon-
trar vende-ae na raa do Queimado n. 63, loja
do beija flor.
Agulhas.
A. L. B. P. tendo recebido agulhas impertis da
ando dourado, vende na loja do beija flor,
o Qaeimado n. 63.
ra
Oliados.
Vandem-se oliados pintadoa de lindas vista
palsagena, larguras de 6, 7, 8 a 9 palmea, pro-
prios psra meaa de jaotara 25 o corado : na ra
da Imperatriz, loja n. 20. ^^^^^^
Ra da Senzalia Nova n. 42
Vende-se em casa da S. P. Jonbston & C,
sellins a silhoes inglezos, candieiros e cascaes
bro uzeados, lonas ioglezas, fio de vela, eh ico tes
para earros e montara, arreios para carros da
un a daos cavados, e relogtos da onro patenta
iogto*
Colchas do Pavo.
Vende-ae ricas colchas de fusto de linho de
varios tamanhoa o differentea desenhoa : na raa
da Imperatriz n. 60, loja e armazem do Pavo
de Gama & Silva
Chales pretos do Pavo.
Vende-ae oa maia modsrnoa chales pretos de
ponta redonda com bolota, gaarnecidoa de bico
de aeda largo em lugar de franja a 69OOO : na
raa dalmperatriz n. 60, loja do Pavo.
Bales do Pavao.
Vende-ae ricoa baldes arendadoa com duaa saiaa
e bico em volta, pelo baraliaaimo prego de 69,
ditos de madapolo francez muito grandea com 6
arcos a 5$, ditoa com 5 arcos a 3g500: na loja
do Pavo, ra da Imperatriz n. 60.
Bramante do Pavao a 10,8000 a peca.
Acaba de ebegar a loja do ravao, ama ul)>Vui-
Qao do acreditado bramante de linbo, com largu-
ra de brim liso, tendo 27 varas esda peca, esta
fazenda propria para lenges, toalhas, ceroa-
laa, camisas, etc., e veode-se pelo biratisaimo
preco de 10$ a pega, s na loja do Pavo ; ra
da Imperatriz n. 60. de Gama & Silva.
Chales Garibaldinos.
Vende-se na loja do Pavlo, cbalea de merino
muito grandea de liatrinhaa a Garibaldi, pelo ba-
ratissimo prego de 49500, pechincha : na roa
da Imperatriz n. 60, de Gama & Silva.
Manguitos com goliiuhas.
Vend-se manguitos com golliohss, faseodi
muito boa, pelo barato prego de 2J00Q, golliobas
e punhos ultimo gosto a 29U00, golliobas muito
flnaa e bem bordadas a 1JO0O cada ama na raa
do Queimado loja de miudezaa da Boa fama,
n. 35.
Tiras e ntremelos bordados.
Vende-ae pegas de tiras bordadaa de 2,500.
3,000, 3,500 e 4.000 entremeioa a I96OO e 29000
cada pega na ra do Queimado loja de miudezaa
da Boa fama, n. 35.
Booecas francezas.
Vende-ae bonecaa francezas ricamente vestidas
49000 e 59000. e 2f 000 bonecas de cera com os
olhos movedgos a 2J0OO e 39000, na ra do Quei-
mado loja de miudezaa da Boa fama, n. 35.
Fivelas de ac para sintos.
Vende-ae relas de ago para ainto a 1&500 rs. e
29OOO na ra do Queimado loja de miudezaa
da Roa fama, n. 35.
Funileiro e vidraceiro.
Grande e nova oflicina.
Tres portas.
31RualMreita31.
Neste rico a bem montado estabelecimento en-
contraro oa fregaezes o maia perfeito, bem aca-
bado a barato no aea genero.
RNn de ,od" "qdadas.
5T.DARI0S ? rivaiisain como jaesrand.
BANHEIRUS da todos oa lmannos.
SEtHCUPUS dem dem.
BALDES idem dem.
BACAS idem dem.
BAHDS dem idem. *
FOLHA em caizaa de todaa aa grossuras.
PRATOS imitando em perfeigo a boa percal-
lana.
CHALElrUs de todaa as qaslidades.
PANBLLAS idem idem.
COCOS, CANDIEIROS a flandrea para qaal-
qaer sortimento.
VIDROS em calzas a a ratalho da todos os ta-
mandando-ae machos, botar dentro da eidade,
em toda a parta.
Racebem-se encommendas de qealqaar nata-
raa, coocertoa, que tado aera desempachado a
contanto.
Vende-se urna parte no
engenho Inhama, qual ex
cede de 51000$, e mais urna
divida que tem de pagarem
osherdeiros do mesmo en-
genho, com documentos fir-
mados, avultando ha mais df
4*000j: quem pretender fa-
zereste negocio dirija-se ao
engenho Carauba sito na co-
marca de Pao d'Alho ou na
eidade do Recife a entender-
se com o Sr. Laurino de Mo-
raes Pinheiro.
Vende-se leite liquido de vacca, a pataca a
garrafa, todoa oa diaa daa 6 e meia s 8 horas da
maoha : no pateo do Carmo defroole do arma-
zem progresaivo o. 9.
Machinas para se faxer
caf mesmo na mesa.
A loja d'aguia branca recebeu aa modernas a
acaiadaa machinas de porcellana para aefazer
caf mesmo na meaa, isso por um meia fcil e
limpo, reaultando adnal que o caf feito em Uea
machinas tem um cbelro e sabor superior aaieite
Por outra qualquer forma : vende-ae na loja 'a.
guia branca, ra do Queimtfdo o. 16.
Para baptisados.
um JJ,'a.8.U" braocs ,csb de recebe' P^o ul-
timo vaDoraaua encommenda dos seguidles ob-
*.*.> *y>. "ndo linda, "oq"^
de aelim mu bem .Df.tudaa, e cada ama em
aua calimba, sspatiohos de sella "anco a <
corea ricamente bordados, e m.u. de di o
melhor e mais bonito ponae). Agora ola oa
pas que nao qulzerem eaperar pela gnerosida-
de daa senhora. comadrea. dlrigirSa" Mn2
munidos de dinheiro loja d'aguia* branca. 2
do Queimado n. 16, onde bem podero
esseagalantea objectos.
comprar
Esperanca
Loja de miudezas.rua do Quei-
mado n. 33 A, de Guimares
A Rocha.
Especialidade chegada pelo vapor.
Botoea de cornalina braacos, encarnados, re-
dondos, chatos, oval, meia borla a borla, a tem
destea botea neata loja, e aonde ae preparam pa-
ra punbos, colletea, etc., por 3$ urna duzia, ou
15 o par para puohoe.
Plautaa de bano com 5 chavea, anoea ea-
Ireitiohoa, ultimo gosto, ecom caiza, que ae ven-
de pelo diminuto preco de 20$. tinta iogleze (a
verdadelra) potes de l[i a 320. de 1|2 garrafa a
640, previoe-ae qae a legitima a que no pote
tem urna cavidade em forma de bico, que ae ora-
la melhor a vasar o liquido como a eztraco da
rol ha ; ra do Oaeimado, loja Esperanca n. 33 A.
Esperanza.
Baleias.
Vende-se baleias 120 rs. cada urna aspa de ac
para balo a 160 ra. a vara, bandea a 15500 ra. e
2(00 o par, na rus do Queimado leja de miudezaa
da Boa fama. n. 35.
Cascarilhas de seda.
Vende-se caacarrilha de seda para enfeitar
vestidos a 2;00 a peca na ra do Queimado
loja de miudezaa, n. 35.
Meias de borracha.
Vende-ae meiaa de borracha para quem padece
de eryaipela a 15#000 o par, meiaa de aeda preta
para aeobora a 1&000 o par na ra do Queimado
loja de miudezaa da Boa fama, n. 35.
A2#5U0,sopavo.
Vendem-ae cortes de cambraia branca com 2 a
3 babados a 29500, ditoa de tarlatana broncos a
da corea, com barras o babados a 9f: na raa
da Imperatriz n. 60, loja a armazem do pavo de
Gama & Silva.
Chales do Pavo.
Veode-se chales de merino muito grsndes s
3g, ditos de casass de corea a 800 rs. : na ra da
Imperatriz o. 60. Inja do Pavo.
Vestidos do Pavo.
E' pechincha, corte* de cambraia brancoa coa
babadoa a 28500, ditos de tarlatana brancos e de
corea a 3$, ditoa com babadoa eduas saiaa muito
auperiorea a 49, pe^ss de cambraia branca com
carociohoa brancoa e de cores, tendo S 1/2 varaa
cada peca, por 40, cortea de caaaaa de (Ores com
7 1/2 varas, padroes novos a c300 ; tudo iato se
encontr na loja do Pavo, que vende dinheiro
a vista : na ra da Imperatriz n. 60, loja de Ga-
ma & Silva.
Alburnos de borracha.
Vende-se os maia auperiorea alburnos oa so-
bra-tudos de borracha, proprios para o invern a
129: na raa da Imoeratriz n. 60, loja do Pavo.
Cortes de phantasia,
Vende-ae ricos crles|de pbantaaiade duaa aaiaa
com delicados lavorea a 69 cada um : na ra da
Imperatriz o. 60. loja do Pavo.
Calimbas do Pavao.
Vende-se calciohas de cambraia bordadas para
menina a 19 o par : na loja do Pavo roa da Im-
peratriz n. 60.
Gollinhas do Pavo.
Vende-ae golinbaa de cambria bordadoa e di-
taa de fil bordadas a 500 ria: na loja do Pavo
roa da Imperatriz o. 60.
Manguitos com gollinhas.
Vende-ae manguitoa com gollinhaa bordadaa a
19600 e manguitoa muito flnoa a 19 o par : na
ra da Imperatriz n. 60, luja do Pavo.
Tiras e entre oneios.
Vende-se tiras bordadaa tapadas e transparen-
tes, asaim como eotre-meioa muito delicadoa :
na ra da Imperatris o. 60, loja e armazem do
Pavo.
Lencos e luvas.
Vende-ae lencos de cambraia de linho com la-
byrintho a 29500, ditos de imitacode labyrintho
a 19, luvas de sedas de todas as cores a 500 ris,
enfeites pretos de vidrilho para cabeca a lf, te-
rsa de retroz preto abertaa a 500 ris o par ; na
raa da Imperatriz n. 60, loja do Pavo de Gama
& Silva.
Cambraias do Pavo.
Pecas de cambrsis fina com 101/2 varas a 69 a
pe;a, ditas com 8 1/2 varas a 49, ditaa de 8 pegas
a 39, dita para forro, com 8 1/1 raras a I96OO ;
na ra da Imperatriz n. 60, loja do Pavao, de
Gama & Silva.
Vestidmhos a 40500.
Vendase veslidinbos de seda entallados para
meninas de 2 a 3 anaoa a 49500 : na ra da Im-
peratriz o. 60. loja de Gama & Silva.
Grosdenaples do Pavo.
Vende-se grosdenaples preto muito incorpado
a I96OO o covado : na raa da Imperatriz n. 60,
loja de Gama & Silva.
Paletots do Pavo.
Vende-se palitola da panno preto fino a 69,
ditoa de faney de corea a 69. calcas de casamira
prata a 49500: s na raa da Imperatriz n. (JO, de
Gama & Silva,

Perfumaras muito liuas e
baratas.
Opiata iogleza a 19500 ra, dila franceza a 500
ra., 640, I9OOO, oleo da aociedade hygianiqae
verdadeiro a I9COO o frasco, oleo babosa de Piver
verdadeiro a 800 rs. o fraaco, agua balaamica
para oa deotea a I9OOO, dita de Botot tambem
para os denles a 1$000 o frasco, pomada france-
za em paos a 500 rs. e I50OO, 320 rs. sabonetas
UlVItO ni'o a V1U I9>, OOO ee** w"'k 1 asa
raa do Queimado loja de miadezaa da Boa fama.
n. 3Sv____________________________________________
A 200 rs.sopavo.
Vende-ae chita franceza eecara de cor Ca a
doua tualdea o covado: na raa da Imperatriz n.
60. loja e armazem do pavo.
Palmatorias devidro lapi
dado.
Vende-se palmatorias de vidro a IffMvfSu ditas
com mangas propriaa para rapazea a 49500 ra.,
cada urna, escarradeiraa da vidro a 49500 ra.
e 59OOO o par, na ra do Queimado loja de
miudeza da Boa fama, n. 35.
Ale que afinal ebegoa a esta loja os sempre
estimados brincoa baldea, qae pela perfei(o com
que foi ezecatado o pedido Oca aanada a falta que
havia deate adorno que, sobre aer bom e bonito
barato, a 19 o par e em ama caizinba : na loja
Esperanca, ra do Qaeimado n. 33 A.
Esperanza.
Contina a receber eapecialmente suaa falen-
das, tornando-aa aaaim maia barataa : oesla
qaadra qae temos lado quaoto preciso s ama
familia (em miudezas) a um alfaiate, aapateiro,
caizeiro, etc., o pequeo eapaco qae noa concede
o Diario de Pernambaco nao noa permilte claaai-
flear a enumerar a inBnidade de artigoa de que
nos sebamoa sortidos, tinto em quinquilharia co-
mo em arligos de uso diario e iodispensavel :
por isso as pesseas da prega oa de tora que qaei-
ram comprar qualquer doa objoctos de que [ore-
mos nosso commercio, serao directamente oa in-
directamente bem aervidos.
Vende-ae am caaal de Pa*ea : quem oa
pretender dirija-se no largo ds Penha o. 10.
SYSTEMA MEDICO HOKLLUW A Y
PILULAS HOLLWOTA.
Esta inestimavel especifico, eomposto inteira-
mente da hervas medicinaos, nao contera mercu-
rio era algama outra substancia delecteria. Bei
nigno mais teora infancia, a a compIeic,ao mas-
delicada, igualmente prompio e seguro par;
desaneigar o mal na complejo mais robustas
jentei ra mente innocente em suas operabas a ef-
feitos; pois busca e remove as doencas de qual-
quer especia e grao por mais antigs a tenazes
que sejam.
Entra milhares de pessoas curadas com este
remedio, muilas que j estavam s. portas da
morte, preservando em seu uso consegu rara
recobrar a sauda e forjas, depois de haver tenta-
do intilmente todos os outros remedios.
As mais afilictas nao devem entregar-sea des-
esperado; fac,am um competente ensaio das
efficazes effeitos desta assombrosa medicina, o
prestes reeuperarao o beneficio da saude.
Nao sa perca tempo em tomar esta remedio
Aara qualquer das seguintes enfermidades *.
Esperanca.
E' cesta loja qae ni e continuar a aei o a.Pn_
sito das afamadas agulhaa Victoria tanta a
aceijaco qae tem tico eataa agulhas que nos dis-
pensamos do qualquer elogio, a 120 rs. o papel
T Ja attencao ao gallo v-
ilante, que esta quei-
mando. ^y
^EGvas de pelica.
verdadeiras luvas de Juvin, chegadinhaa
por francez; a no vigilante, ra do Crea-
Paija os festejos de S. Antonio
i e S. Joo.
Trinas e gates.
A superior trina a volantes do Porto para ur-
nas, oratorios oa igrejas, que se vende por me-
nos do que em outra qaalqner parte : a no vi-
gilante, ra do Crespo n. 7.
A 500 rs., s o pavo,
Vandem-ae aa mais modernas e finiaaimas la-
zinhaa de quadrinhoa e de florea solas epalmi-
nhas, desembarcadas do ultimo navio vindo do
Havre,pelo baratlssimo prego de quinhentos ris
o covado, e do-ae aa araoatras com penhor : na
ra da Imperatriz n. 60, loja e armazem de Ga-
ma & Silva.
Cabaias hespanholas, na
loja do pavo, a 400 rs.
Veode-se esta nova fazeoda de padroes delica-
dissimos com 4 1|*2 palmos de largura, propria
para veatldoa de senhora a 400 rs. o covado: na
ra da Imperatriz n. 60, loja o armazem do pa-
vo de Gama & Silva.
Gascarriiha
Lindas pecas de caacarrilha de todas as cores,
pelo baratisaimo prego de 19500 a peca: s no
vigilante, ra do Creapo n. 7.
Ghapelinas para senhoras.
Lindas chapelinaa ricamente eofeitadas, pelos
baratisaimoa precoa de 89 a 109000.
Ditos com pequeo toque de mofo a 69000: s
no vigilante ra do Creapo n. 7.
Touquinhas ou chapozinhos
para criancas.
Lindos chapozinhos para menina e menino a
49 a 69000, ditos de feltro pelo baratiisimo pre-
go de 3JO0O, bonetes de panno fino e lago de fi-
ta a 38000, ditos de veludo uno a 49 a 3$500,
ditoa de palbinha a 3$000, touquinhas de seda
maito lindas a 19500, ditos de tilo a 19000: s
00 vigilante, ra do Creapo o. 7.
Coke e aki tro.
Coke da melhor qualidade, maito proprio pa-
ra vapor, a tambem para todoa os usos doms-
ticos, fornos pequeos e grandes etc., para estes
servigos, o coke mais econmico do qae qual-
quer oatro combaslivel, por ser menos de me-
lado do prego e de maia durago.
Alcatrao, este sendo applicado navios, bar-
cagas, al va re ngas, canoas etc., presta muito
bom etfeito, conaervaodo a madeira da todas as
qualidadea de bichos, tazando durar am lempo
indefinido. Tambem conserva madeira de edili-
cagoea. preervindo-a doa bichos e contra o
tempo: ss propriedades chimicas deate alcatro
de caryo maia forte do qae qualquer outro,
eztrahido de madeiraa ou outras materias.
Quem precisar achara venda, no armacem
do gaz. Ra do Imperador.
Prego do coke 129 Por tonelada.
Pre\o do alcatro 500 rs. por caada.
Delicadas lazinhas com flores bordadas a ago-
lha, cortes com 15 covados. pelo baratisaimo pre-
go de 48500, e covado da meama fazenda a 820
ra. : na ra do Queimado n. 44.
Veode-se
no baaar da raa do Imperador meiaa pretas para
aenbora a 80 rs. o par, veatimentas de laa para
meoinoa a 800 rs., gravataa de aeda a S00 rs.,
cortes de brim settm a 29500, ditos de caaamira
a 2950O, colariohosde eaguio a 49 a dazia, filia
largas lindlesmaa a 400 ra., toacaa de l para
meninos a 600 rs., manguitos de cambraia e fil
a 19500.
Manguitos.
Lindos manguitos com gollioba o maia fino
que se pode encontrar, vende-se pelo baratiaai
mo prego dt 79000, ditoa sem gollioba a 19500:
a no vigilante, ra do Creapo n. 7.
Gollinhas de linho.
Lindas gollinhas estampadas.............. 500
Ditaa de linbo maita linas................. 800
Ditaa pretaa com vidrilho.................. 29000
S no vigilante, ra do Creapo n. 7.
Gal e potassa.
Vendem-se estes dous ar-
tigos ltimamente chegados,
no bem conhecido e acredita-
do deposito da ra da Gadeia
do Recife n. \% mais barato
do que em outra qualquer
parte.
Meias.
Grande sortimento de meiaa tanto para hornero
como para senhora, sendo de homem a I98OO e
29P00. e finos a 2*800, ditas de fio de Escocia a
59OOO a dazia, ditaa para menina a 29400, ditaa
para menino a 2$000 : s no vigilante, roa do
Crespo n. 7.
Batatas .
Batass novas a 80 rs. a libra \\ 00 largo do
Ter;o n. 23._________________________________"
Rival sem
igual.
RA LARGA DO ROSARIO N. 36.
Enfeites
pretos e de cores maito boas a 59.
Sintos.
Sintos dourados a I96OO e 39
Ditos filas da velludo a fivella de ago a 19500.
Tesouras finas
com pequeo toque deferrugem a 400 rs.
Ditaa limpaa muito booitaa a 800 rs.
Ditaa ordinariaa a 30, 60,120 e 240 rs.
Escovas.
Para limpar anhas a 320 e 500 rt.
Ditaa para cabello a 800 e lf.
Ditas para roupaa a 400. 800,19 a 19200.
Meias.
Para sanhorat a 2|40O a dnzia.
Qitas psra homem a 29400,2#600 e 39500:
Flores,
llamos da flores artificiaes a 1 $ e 19200.
Colheres
de metal proprias para o diario a 19200 a dnzia.
Ditaa de metal principe a 48500" dazia.
Ditas ditas ditas para, cha a 2*400 a dazia.
Botdes
para punho maito boas a 120 o 160 ra.
Ultimo gosto.
Pentinhos dourados, e com
pedras para bandos.
J nao entra em davlda que a loja d'aguia
branca ostia par daa ultimas modas q.e appa-
recern em Pan, e por isso ella acaba de receber
os bonitoa e modernos pentinhoa doaradoa e com
pedra, os quaes aervem para aa aenhoras mais
abrilhantarem seus bem revirados bandos que
ornados com um par de ditoa pentinhos, ncaaa
de certo ainda mais garbosas. Na verdade, a gra-
os, booiteza eperfeigio que disso retulta se De
pode negar (salvo se o fizerem com o unieo fim
de nao gastar os 3 e 4 que cuata cada par) as-
aim previne-se as senhoras que apreciare o bom
goato, que deita vez vieram poucos. e por isso
ser bom que mandem logo para ellea para
depoia ae nao vfjam na colliso de esperar
de novo oa receba dila loja d'aguia brinca,
do Queimado n. 16.
CO
que
que
ra
A 200 rs. o
! vado.
cadentes epilpticos.
Alporcas.
Ampolas.
Areias ( mal de).
Asthma.
Clicas.
Convulsoes.
Dabilidade ou extena-
gao.
Debilidade ou falta de
torgas para qualquer
cousa.
Desinteria.
Dor de garganta.
da barriga;
nos rins.
Dureza no venir.
Enfermidade no venire.
Ditas no ligado.
ftlfta t'onofoil
Enchaqueca.
Herysipela.
Febre biliosa.
Fehra aUgate
Vendem-se estas pilulas no estabelecimento
geral de Londres n. 224, Strand, a na loja
de todos os boticarios droguista e outras pessoas
enearregadas de sua venda em toda a America
do Sul, Havana e Hespanha.
Vendem-se as bocetinbas a 800 rs., cada
urna dellas conten urna instruego em portu-
gnez para explicar o modo da se usar destas p-
talas.
0 deposito geaal em casa do Sr. Soum
pharmaceutico, na ra da Cruz n. 22 em Per-
nambuco.
Febreto da especie,
Gotta.
Hemorrhoidas,
Hydropesia,
Ictericia.
Indigestoes.
Infla mmages.
Irregularidades dt
menstruagao.
Lombrigas de toda es-
pecie.
Mal de pedra.
Manchas na culis,
Abstrucgo do venire.
Phlysica ou consump-
go pulmonar.
Retengo de ourina.
Rheumatismo.
Sympiomas secundarios.
Tumores.
Tico doloroso,
Ulceras.
Venreo (mal _
Lindaa cassaa francezaa de cores a
200 rs. o covado, ditas miudinhaa maito
finaa a 240 rs. o covado : na luja do so-
brado de 4 andares na ra do Creapo n.
13, de Antonio Crrela de Va seo c ce i los
&C.
Aos senhores de
engenhos.
Veode-se por pouco mais de melade do cuito,
urna moeoda para animaea, loda de ferro, com-
pleta, tendo servido lomete para moer SOO
pies ; sebando-ae para vender por ter o propie-
tario comprado ama machina a vapor: Os pie-
tenderles podem dirg.r- ao para examinar, no
trapiche do cea do llamo, armazem do Sr, Le-
rno e para sjustar na ra do Sol n. 29, venda do
Sr. Victorino.
KscraYOs fgidos
- i?..0 a
cravo Eufre
MWsJUaC
Machinas americanas.
Em casa de N. O. Bieber & C., aaccessores,
raa da Cruz n. 4, vendem-ae :
Machinaa para regar hortas o capim.
Ditas para descarogar milho.
Ditaa para cortar capim.
Selins com pertences a 105 e 20}.
Obras de metal principa prateadas.
Alcatro da Saecia.
Verniz de alcatro para navios.
Salsa parrilhade primeira qualidade do Para,
Vinho Xerez do 1836 era caizaa de 1 duzia.
Cognac em caixaa de 1 dazia.
Aradoa e grades.
Brilhantes.
Carrogas pequeas.
FAZENDAS LURATISSIMAS
NA
Ra da Imperatriz n. 20,
loja de Duarle Borges da Silva.
O dito Silva comminica ao
respeitavel publico e com
especialidade aos seus uume-
rosos freguezes antigos e mo-
deros, que constantemente
a cha rao na dita lojt um com-
pleto e variado sortimento de
fazendas proprias deste mer-
cado e vendidas pelos precos
mais commodos, de que em
outra qualquer parte, affian-
cando a boa qualidade e dura-
cao das supra ditas fazendas.
lo. preto. idade 85 V&?ri
por aignal um pequeo ]Dlr'r, ,Ci"
ma da aobranceiha, tem ido valo nesta ciuade
pela raa Direita, aterro doa Affogados, povoago
deste noroe, e pela SoleJade : quem o apprehen-
der leve-oa rui da Imperatriz n. 42, quesera
bem recompenaado.
Manoel Alves Guerra.
Pugiodo poder do abaizo astigoado o es-
cravo Manoel de nagao, maior de 40 anoo,
ganhador.com os aiguaes segaintes: estatora
regular, cheio do corpo, olhos grandes e aver-
melhados, roaio redondo e pernaa finas, cr sluma
etrbrigar-ip, aasim como tambem fuglr, foi do
finado Francisco da Cata Guimares, e compra-
do a um doa seu herdeiros, de presumir que
ande por Santo Amaro oa suaa lmmediagde ;
anda com camiss de baeta azul e barrete de ma-
rinbeiro, pouco tallador e procura illadir, di-
zendo que anda ganhando: por isso pele se a
quem o agarrar o traga a ra da Cruz n. 33, no
Recife. que lera gratificado.
Fugio no da 5 de junho prximo paasado
do eogenho Alagoa Danta comarca de Naiaretb,
am eacravo de nome Ignacio, de idade 42 anno,
poseo ou maia ou minos, o qaal tem os signa
segaintea : falta 'entea e tem. om tumor em
ponto pequeo na nao esquerda e f*z-ae baatan-
le doente do mesmo braco e da peroa eaqur-rd,
levon vellido camisa deriscado e orna camisola
de baeta de riscado e caiga azul, levon comsigo
um cavallo caatsngo ceg de um olbo : qoem o
pegar leve-o ao dito eogenho ao aea aeobor Ma-
noel Cabral de Mello, ou no Recife em casa do
Manoel Jos da Silva Oliveira, ra do Encanta-
mento o. 13, que ser generosamente recom-
pensado.
Escravo fgido.
No dia 11 do corrate mez fugio de novo ao
Dr. Carolino P. de Lima Santos, o seu escravo
Adalberto, cabra claro, baizo, magro, de pernas
um pouco arqueadas, olhos grandes, roalo com-
prldo.de 26 a 28 sanos de idade, alfaiate, tem
por costume trazer bigode curto e o reato da
barba raspada, e andar com a cabega um pouco
inclinada, sendo qae fugio com a cabega raspa-
da por ter eatado na cadaia : quem o aprehen-
der e levar a casa de teu aenhor na ra do Im-
perador n. 17. ser bem recompensado.
Hf.A]L
sem segundo.
Na roa do Qaeimado n. 55 loja do miadezaa
do Jos do Azevedo Maia a Silva, est vendando
todaa aa miadezaa baratiaaimaa, a aaber :
Ppela de agalhas a balo muito aupe-
riorea a
Caixaa com mnito finas brelas a
Candes com clcheles, tem algum de-
tallo a
Fraacos do macasi perol muito fino a
Caiinha com papel pequeo de diver-
sos goitos a
Pacotea dito dito dito amizade a
Novelloa da linha de Crux a melhor
que ha a
Caixas com agulhas curias de superior
qualidade
ntremeles, a peca com 3 raras 1(2 a
Sabonetea maito fino a
Papis de agulhas francezas com toqae a
Parea do botos para panhoa de muitos
modelos a
Parea de meiaa craaa para meninos a
Ditos de ditaa craaa para pequeo a
Ditos do ditas para menina a
Prascoscom sgu de Lavando ambreada a
Ditoa com cheiros muito flnoa a 240 e
Ditoa com banba maita fina a 240 o
Ditoa com aaperior baoh* de arao a
Dous tscravos fgidos.
Em fins de dezembro do aono pasiado fugio c
eacravo crioulo de nome Bonifacio, olbos abnga-
Ihados, estatura regular, grosso do corpo, nae-
gaa grandes, com falta de dona dentes na frente,
regrista e inlilala-ae curandeiro; tem sido
viato pela E8trada-Nov, Campo-Verde e Boa-
Viata, como tambem j foi pegado de outra vez
que fagio em Olinda. Tambem se ausenten no
dia 6 do correte mez de jalho, outro escravo
crioulo de nome Luiz, estatura regular, grosio
do corpo, olbos meio vesgos que o faz olhar ara
pouco atravessado, com falta de dous dentea na
frente, tem os pea apalheladoa a loma tabaco
j foi pegado de ostra vez que fugio para as ban-
das de Serinbiem : quem os pegar e oa entregas
no caea do Ramos caa n. 4, aera bem recom-
pensado.
80
40
10
KM)
750
720
40
500
IfiOOO
120
10
240
160
160
200
800
500
350
600
Rap francez.
Em librsa maia libras, fumo caporal e papel
para cigarros; na raa Nova a. 9.
Fugio no da 1* ao crreme mez a eoe-
nho Privilegio da fregaezia de Agua Preta, o
escravo crioulo de nome Vicente, com oa sig-
nis (guiles : bem preto, rosto comprido, ore-
ihaa pequeas, pernaa flnaa, pea pequanos : ro-
ga-sa aos espitaos de campo a aprehemo do
referido escravo que ae gratificar generofamen-
le, podendo aer entregue no referido engenho oa
na rui do Imperador n. 83.
No dia 8 de julho correte, poacaa boras
depoia de sair da casa de detengo, aonde ale-
ve preso por motivo de faga, torooa a fuair da
caaa de sen aenhor o eacravo de come Hercula-
00, o qual tem 26 annoa de idade poaco mais
oa meooa, cor fula, estatura e corpo regulares,
a falla um pouco descangada e afinada, e tem
urna cicatriz proveniente de um uoheiroqea leve
n'om dedo de urna das mos : tendo o cabello
cortado muito rente, e urna argolla de ferro
com gancho no pescogo ; roga-se a autoridades
policiae a cap'ura do meamo, e aua entrega, aa
ra do Cabug, loja n: 3, a Manoel Antonio
Gonclves. ^^^^^_______^___^^
2001 de gratificacao
a qeem pegar o pardo Fraociaeo, de 17 annes
da idade, de bonit figara.com todos oa dentes,
caballos carapinhos e roivos, eate pardo foi de
Sr. Dr. Borgeada Fonsecs, o qaal viajou com a
meamo aennor lodo o aerto a suburbio desta
provincia, necesaaiiamente ornando era e" e-
cravo, e tslvez ainda se ncelqse a eervigo da
mesmo: que-n o pegar (jurtira entrega lo a e
legitimo dono na raa db Hospicio o. 6.
Ignacio Lata de Brito Taberda.
I
MUTILADO



DIARIO K PEWfAMBDCO. M SEXTA fEIBA II DI J'JLHO >I 1861.
Literatura.
Jurisprudencia militar.
SIerilo do Irabalho do Sr. Dr. Jo$ Antonio de
Magalhaes Castro, auditor de gutrra da corle,
como autor de dous projectos de cdigos mili-
tare.
xiv
A espada da afllicgo, nao cesssndo de ferir to-
dos o* dias aos eoQieirados de Marte en face do
plenoi cbrisUaoiamo, deaceu petada com a pieda-
de sobre mim, sangrando meu corago, que hoje
se cobre com aa folhas doi dous meritoaoa pro-
jectos e enls hymoos de louvor ao illustre Sr.
Dr. auditor de guerra, que os redigiu.
Membro de outra classe inleiramente diveras,
q'ibrIo aos principios, meios e dos ; boapede
completamente as scienews do exercito e muitos
oulros molivos me dio a coosciencia da futilida-
dede meas argumentos eopinfes acerca do me-
lboramento devido legislado do ezercito bra-
sileiro.
Copbecedor aomenle por tradicgo e algum tes-
tomuobo das oecassidades de to nobre corpora-
cao, mal as posso iodicar, promovendo-lhe o re-
medio ; porque o conhecimento que dellas tenho
tal vez seja mais superficial e maia vago que odas
vozeasito frente volverganhar terreno sobre o
flanco direilo ou esquerdobombros dlreitos fren-
tealto frente perfilaroitavo eaquerda volver
ordinario marchedivisio direita accelerado
peto flanco guia formar divises ou sessoestres
ollavos direita, ou esquerda volvermarcar pas-
sodireita rodarformar columna aberta de pe-
lotespelotes em liabamudar de direcgo
obliqua sobre o flanco guia (ou flanco reverso) e
muitss oulras que nsina a tctica.
So a minha boa vontade me poder salvar das
arguicoes que mo tenho exposto ; e por isso
anda me siuto com coragem de continuar, para
dizer, que as arbitrariedades dos dspotas ho de
cansar mais depreasado que a bravura das victi-
mas ; porquaoto iato se propde um horneen
abeocoado em Nosso Senhor Jesua Christo.
A peona do Sr. Dr. Jos Antonio de Magalhaes
Csslro, dcil instrumento da Providencia, apura-
do nos jbilos da justiga e as alegras do inte-
resse publico, fulmina castigo contra o militar
que comprar peca de armamento, fardameoto,
equipamento, cavallo ou qualquer cousa que te-
cha sido entregue militares para o servico, ou
que perteoQ so estado.
Que vender qualquer dos mencionados objectos.
Que dr em penhorsues armas, cavallo, uni-
forme, eleilot de equipamento. ou qualquer cou-
ea pertencente ao estado, que lhe teoha sido en-
tregue.
Que receber em penhor peca de armamento,
tardamente, equipamento, ou qualquer oulra coa-
la qua perleogs ao estado ou militares.
Nao mister grande eaforco de intelligencia,
para comprehender que ludo islo se compadece
com a equidade, e que se harmonisa melhorcom
a cmlisago do seculo do que o art. XIX do re-
gulamento do conde de Lippe, onde se le, que
todo o soldado que nao tiver cuidado naa auas ar-
mas, no seu uniforme e em ludo o que lhe per-
ineo ; que o lanzar fra, que o romper, ou ar-
ruinar de proposito e sem necessidade ; e que o
vender, empenhar ou jogar, ser pela primeira e
segunda vez preso ; porm terceira punido de
morte. r
Dous sao os defeitos capitaes da presente dis-
poslgo: o prlmeiroque consista em nao estabe-
lecpr n numero de annm ria n.i.n o aim|tls
com trabalno,,. nrimeira p
*eaonda tai dada a infraccao pelaV,r,nieir" e
*egnaa vej. 0 S9gundo defetoconsiste 2" eve-
ri Ja je da penrn cuminada para o caso de segunda
reincidencia ou infrscco pela terceira vez.
A retpeito da omisso, notada por nao aeachar
designado o lempo da prisao e sua qualidade,
nao ser fra de proposito lamentar a iromensida-
de de caaos da extremo rigor, originado do arbi-
trio que no citado art XIX se pode acattellar.
Vago como o preceito desle artigo, e con-
tinuar tal qual est contra a reforma do Sr. Dr.
Jos Antonio de Magalhaes Castro, ter o julga-
dor urna amplissima esphera em que gyrar desde
mais insignificante peona de prisao simples at
de prisao perpetua com trabalho,que sero impos-
tas conforme dictaren] as circunstancias jurdicas,
pessoaes e casusticas.
Mas com a approvagio do judictoso trabalho
do Sr. Dr. auditor de guerra da curte Qcar o jel-
gador inconsciencioso vedado tiee arbitrarie-
dades.
Tratando do furto e do roubo, ninguem hesi-
tar em optar pelo dis.'osto no projetto do Sr.
Dr. Mag'lhes Castro, que em ludo preferivel
ao art. XVIII do regulamento do conde de Lippe,
5 qnem nunca altou occasio para fazer tirar-se
a vida qualquer militar criminoso, apezar mes-
mo da ausencia de elementos, que levem a
pena ao gru mximo.
O furto urna acclo ignominiosa, urna infa-
mia, que nao deve ficar impune ; mas aera urna
crueldade puoi-locom a peoa de morte, mxime
em um paiz que paga com tres vintens diarios o
servjgo de um homem que nao pode de maneira
alguma distrahir-se com oulra oceupacao, que
lhe d com que satisfazer certas necessidadet nao
extranhas sabedoria do governo.
Ocidado que jura bandeira nao perde a qua-
lidade da homem : allega os seus servicos com
prejuizo de sua liberdade por um prazo determi-
nado e protegido pela lei; mis nao abdica o di-
reito de familia que se prende ao seu corago ;
porque, como diz Paachal, o corago tambero lem
aasrazes, que a propria razo nao as tem.
Eis portado a forca da necessidade vencendo a
sa&frforta da moral de um governo que aujeila a
peoa de morte por exemplo o soldado qae recebe
em paga de seu capliveiro um bolo chorado e
ensopado em lagrimas de coostrangimtnlo, quan-
do o eslrangeiro engajado para cantar, recebe
auultadas sommas sahidss do cofre do eolnusias-
mo e da alegra, porque para esta e para aquel-
lo que se procura encherocofre nacional.
Em semelhante estado de cousas cruel a lei
que pune com pena de morte o crime de furto ;
por isso deve prevalecer a reforma eslabelecida
pelo Sr. Dr. Jos Antonio de Magalhaes Castro
em seu projecto de cdigo penal militar.
E' conveniente, muito, muitissimo.
Em captilulos que se seguem trata o Sr. Dr.
Jos Antonio de Magalhaes Castro do crime de
peculato militar, da prevaricado, da faltidade e
perjurio em materia de adminlsirago militar, da
peila, suborno e concussao militar.
Para qualquer destes vergonhosos crimes esla-
leceoSr. auditor de guerra penas aasaz razoaveis
e to acertadas que nao permlttem a menor extra -
nheza : em todas ellas observa-se egual confor-
midade entre a moral e o direito.
Depoisoecupa-se o autor em tratar dos crimes
militares ou considerados taet, commettidos por
paisanos : o objecto da terceira e ultima parte
de seu projecto de cdigo penal.
Nao podando maia hoje ter lugar a apreciacio
de seus respectivos artigoa. farei por dizer no se-
guinte numero alguma cousa respeito.
Por ora basta convir que elles tocam perfei-
co e justiga.
Recite, 17 de julho de 1862.
Manoel Januario Bexerra Montenegro,
(Continuar-ie-ha.)
O Ceo que dlz-me,
Puro, e rttonho ?
Doura da vida
O fugitivo tonho.
Oulra.
Nio sel te quando
Zombar Nise
Dos meui extremos.
E en vao lhe juro
Que adoro-a Arme, e puro.
Em vio suspiro
Na doce Lira :
Olha em beijinko
A virgem rota.
Do 2efi.ro amorata l
Vai sempre rindo.
Mas he 4 tarde
Que abrem nao poacas
Fiorinhaa bellas:
E Nis9 urna dellas.
Outra.
Do Corpo he saude
Bom copo de vioho,
Assim como he d'Alma
Saude o Saber.
Porem pequice
Do tmido Homem,
Que foge t delicias,
O triste viver.
Amai pois do Bello
As flores, e encantos,
E a Lira innocente
De graga, e prazer.
E vamos, Amigos,
Alegre saude.
Que alent os amores,
Discretos beber.
Outra.
Risonha Evperanja
Me traz amoroso
A este indulgente
Jambeiro sombroso.
Quo doce gorgeia
Louco Passariohol
A minha ventura
Discanta Adivinho?
Que o Genio dos Bosques
Disperta os amores.
Eis Niael... Que enlevosl
Duplicao-se as flores.
Oulra.
No meo breve Colmo,
Que toldo mil flores,
Dancarem as Grabas,
Vero hoje, e os Amores.
A Mesa nao menos,
Extensa, e cheirosa,
Nos chama s saudes,
E risos golosa.
Quera nega hospedsgam
Ao velho ametista?
Nos coposConcordia
Lsvrou leve Artista.
Assim orvalhads,
Tem mais grata essencia,
frescor, e prestigios,
A Flor da existencia.
Outra.
A minha Rolinha
Quer so a mim junto
Viver, e brincar,
twsiii ella
Tambera sei amar.
Do col me pende,
.EAJojyr.yfaiiiufah^
A vir-me beijar. <
E eu so a ella
Tambera sei amar.
Nao sabe que faga.
De amores rendida.
Se a ebego a abragar.
E eu so a ella
Tambora sei amar.
E quer, se me aparto,
Ero meo seguimeoto
Saudoaa voar.
Eu pois ao a ella,
E sempre tiei de amar.
Outra.
Nise, ja basta.
Sempre arengando 1
Com Jonia he crime
Ver-me brincando ?
Mas urna rosa
Tiohas-rae aceito:
Eis que urna anglica
Viate em meo peito.
Ioaaciavel,
Logo a lomaste,
E prompto oulra
Leda ajuotaste.
Es pois a rosa
Dos meus amores:
Ah I nao me prives
Das outras flores.
A, J. de M.
A historia lenta. O bem e o mal obedecem
a mesma lei, e desenvolvom-se pooco a pouco.
Entre a exaltago de Felippe de Orleans
regencia e a revista da guarda nacional, que,
substituir, para o seu bisneto, a unego do se-
nhor, ha um seculo.
Nao fallemos nos principas que nao eotram no
calculo: o interregno occapado por Luiz Fe-
lippeEgualdade.
o leitorea as trevas, se o autor olo desee em
outra parte explicares maia intimas. Muitos
tem procurado na fraquea da Laiz XVI a expii-
eagflo dos triumphos o mal, hio Ultimado que
Mirabeau ou Robsspierre nio tireuem vivido no
lempo de Richelien e Luiz XIV. Mr. Creti-
neaa-Joly diz por sua vez:
< A mo que fosse ousada como a de Luiz XIV,
poderla detfi-la ou dirigi-la.
E' mallo bem dito I Mas ha amas pequeas
difficuldadei. Primeiramenle, easa mo ousada
da Richelien, e essa mo poderosa de Luis XIV
viram-se soberanas da revolucao em mi essen-
cia, e lisoogearam-na. A oasadia o pder
aerviram a revolugao, e ae Richelien na Luiz XIV
podeaaem reviver em face das consequaaciss de
sua sabedoria, fulminados em sna tarda resis-
tencia, reconheceriam talvez, come Mirabeau, a
fraqueza humana. Devemos lastimar, nao que
Richelien e Luiz XIV nao estejam vivos quando
esto morios, mas que fossem iofieis quando
podiam ser fiis. E depois, digam-ma porque
razio, porque capricho, Daos, no momento
aupremo excitou o raco Luiz XVI? Jolgam que
lhe falta a* torga para enviar, aeno legides de
anjof, ao menos de horneas mareados na fronte
com o sigo a I soberano? Elle d e recusa, se-
gundo a sua vontade. Querendo parificar a
Frange e a linhagem da Fraoga, permittia que a
substancia da soberana pissasse por alguna mo-
mentos para os rebeldes. Permltlta que, entra-
quecendo sob o paso da corda, a victima, que ae
chama Luiz XVI dsse ao mnodo, empreseoga
de um duque d'Orleans, o espectculo de urna
inverosmil fraqueza:
A 2< de novemhro da 1787, tem lugar oo
palacio da justiga urna aesalo real. O parlamen-
to oppde-ee ao regalo doa editos pecuoiarios, e
o re, eonfando muito no imperio da razio,
deve, para o bem de todos, vencer essa obstina-
gao que encerr immeosos perigos. Luiz Felip-
pe, como principe de sangue, assiste a essa
seasao, em que d'Epremeol, Fretean o abbade
Sabbatier e Roberto S. Vicenta fazem, em bra-
midos e n'uma poatgo sediciosa, rogativas
criminosas. Suplicara ao re, ameagando a
realeza ; juntara ante elle aa moa. e com voz
imperiosa pedem a coavocago doa estados ge-
raes. A esse tumulto nunca visto, a assas sup-
plicas em forma de imprecagoes, Laiz XVI res-
ponde ordenaodo que se registem os edilos, o
que obtem ama maioria formada dos maia aabioa
conselheiros e pares do reino. Da repente o
duque d'Orleans volta-se para Luiz XVI, e, com
a palidez deaua morle fulura, balbuca com urna
voz suffocada algumas palavras perguntaodo se
um throno de justiga ou ama sesso real. Urna
sessao resl, responde o soberano, com longami-
nidade.Enlo, protesto, accresceota o duque e
desejo que se diga que o registo feilo por or-
dem expressa de soa magestade.Vos aoia com
effeito o soberano, contlos o re, e passa
adiante.
Luiz XVI e o duque da Orleana esto em pre-
seaga um do outro : o momento solemne.
Vi sota ~< e/ieuo o soberano l taes sao as
diarrea de aenlido duplo que o re de Frauga, o
soberano, dirige, dous aonos antes de 89, aea
infiel primo. Ha nellas urna demieso, Mn-
renteraeote dada em favor d Falipp
WK 3a realizada em favor da revolag
essa fraqueza explica alguma coasa
explica ? -
Quanto a mim^ Odas as vezea que ougo mi
palavra de Luiz XVI, parece-me que nao our) .
fraqueza ordinaria. Hvii palle mais cora m
maia carcter at do que commummeole s m
crido. A natureza e a traga formaram-no m
grande frga d'alma, ama aarenidade ala, lar,
naaa ppm uma rr^ otii.uii. ^. ao aeuualvBQ-
cida pelo obataculo, e se reservava para trium-
phar delle por meio da morte. Dea sup.de-
misso, maa com urna reserva gloriosa emfavor
do ultimo da e sacriGcio.
Dizem que a misericordia do Deas, ejudada
pela oblago de Luiz XVI, attingiu o maia
criminoso de seus verdagos, o cliado Egual-
dade.
Velu um dia em que a revolugao esqueeeu o
que o duque d'Orleans fizera por ella a 5 e 6 de
outubro: esqueeeu tambem que elle votara a
morte do re. Para satiefaie-la elle tentara todo
renunciara at a Franca-Msgonaria, e abdicara a
sobarania infernal, como iocompativel com a
egualdade republicana, A Franci-Magonaria fez
mais: expelliu-o de sea seie, qaebron a eapada
flamgera do gro-meslre destbronissdo, dando
assim o exemplo revolugao, que, nao querendo
maia soffrer esse principe, o levou ao cada-
falso :
Dizem que um sacerdote chamado Lothria-
ger (Aunaos catholicos, t, III, p. 465) nesse mo-
mento supremo, o reconciliara com o cu. Se
islo verdade, e se FelippeEgualdade arrepeo-
deu-ae, Deus nunca maoifastou mais claramente
o apreco em que tem urna alma. (P. 202).
Essas lionas de Mr. Cretineau Joly sao escripias
por um chrsto. Um historiador pagao nao pode-
rla escreve-las.
pe ago. flle
i, o que Pqne
Ocles Anacrenticas.
Abre esses cofres,
Duro Avsrenlo.
Coitado 1 O ouro,
O ouro he aeo tormento.
Eu ca, se avulta
O coacorrioho,
Nunca remancho,
Eii festa, e melhor vioho.
E Musas, Gragas
(Bella harmona I) t
Dobro encantos
A' leda eompanbJa.
Muito antes de tomar esse nome, a revolugao
j o governava. Fiel aos principios de seu avo,
entra na Franca-Magonaria, quando apenas tinha
o titulo de duque da Chartres, e acceila, em
1771, a dignidade de gro-meslre. Por maia
exforgos que empregaase o mal para dtale
delle, nao conseguiu o seu intento. Foicon-
demnado, da mesma forma que o bem, a forta-
lecerse no passado. Pedindo urna sanego an-
tecipada, urna consagrago infernal s loges ma-
conicaa, o duque de Chartres confessra qae era
muito fraco para estabelecer s urna quealo
divina, e resolv la contra o Deus vivo. Pedia
soccorro I A revolucao approximava-sa; o du-
que de Chartres quiz alterar oscostumes recebi-
dos, e decidiu qae a duqueza de Chartres seria
tambem recebida oa magonaria, o qua teve lugar
no dia 28 de fevereiro de 1776. Os polticos
habituados a verem smeote a mais exterior
.superficie da historia, costo mam apenas tocar de
leve nos fados deste genero, ou omitti-los abso-
lutamente. Sua ignorancia voluntaria nao tem
' limites. A revolugao nao um accidente. Esaa
forca sem nome que nella se nota, em seus me-
. ores passos, em suas menarea aegoas, seria
inexplicavel em urna simples resolago poltica,
se se podesse cooceber semelhante chimera,
'semelhante abstraego. Qae fazia pois o futuro
cidado Egualdade acceitaodo a soberana secre-
ta ? Designado revolugao como um instrumento
fcil de goveroar e quebrar, elle reatara a aau
I geito a cadela dos lempos. Tomara parte, aem-
, pre que tinha occasio, nos myslerioi de Si'i,
. continuados pela Franca-Magonaria. A revola-
1 gao antiga I
Ha sempre alguma cousa da viiivelmeate falso
i nos juizoa qae nao eslabelecem, assim a qaes-
to. A parte verdadeira que podotn conter esses
jaizos incapaz de satisfazer o espirito, qaa de-
seja ama seria explicagao. Acontece algumas,
j vezes, eu o confesso, qae Mr. Cretinean-Joly,
repita xplicic.dei j4 dad, ai qmei deitirlim
A historia reconquista os seus dlreitos, ou para
melhor dizer. os seus deveres, em preseoga do
filho de FelippeIgualdade.
Mr. Cretineau Joly resume o seu peosamanto
em algumas palavras, que nao sao uma injuria,
mas sim ama definigo.
Luiz Felippe, diz elle, nao passou de um ho-
mem mediocre.
E' impossivel dizer melhor. Se, nao obstante,
esse resumo fiel e completo necessitasse ser con-
firmado, bastara um facto bem simples : Luiz
Felippe, re doa Francezes.foi sempre oideel doa
bomena mediocres.
Nunca houve um homem, que fosse menos re.
E' do seculo XVIII.
Anda era muito mogo quando o seculo de Vol-
taire aeabava pela guilhotina. Aproveiloo-se de
sua mocidade para se fazer admittfr no club dos
Jacobinos e receber a dignidade de porleiro. Lo-
go que chegou a general da repblica france'ia as-
signa va-se : Luiz Felippe = Igualdade, principe
francex por sua desgraga, t Jacobino at a pona
das unhat.
Essa mocidade arrebatada nao impeda que Da-
mourlez propozesse a Vendea, para general em
chefe, o filbo de Igualdade.
Cbarette indignado, raspondea por ama recusa
que nao permittia insistencia. O orlealismo po-
da, sem se desmentir, representar esse duplo
papel, e observar essa attitude dupla.
Elle um legado do antigo rgimen. Seu libe-
ralismo oceulta uma indifferenga, um egosmo,
que prolongou o seculo XVIII.
Sirva de exemplo uma carta de Luiz Felippe,
datada de 1806, dirigida contra a Polonia.
Foi no aeculo XVIII que a Polonia aaaassioada
comecou essa vida eatranha, victoriosa e superior
morte, qae atormenta boje os seus verdugoi
com um remorso sobrenatural.
Niiso ?e deicobe viiirelmente a lteselo di
inlftgao aja) pro-selle Polonia,
t'tllsro ^.MMdc-i edaipeosagoes magnificas.
Qaem podar diitV o esplendor que ter a espada
de Lohieiki di mo de.' poro fiel, guarda e leo'
lia el la a ranga da da Europa, no dia am qae, coioa-
do com a aureola da reiarreigo, reconquistar na
historia os seas deslaos interrompidos I Ha scu-
los, ha homens, cujotcstemunho iofallirel, uma
vez qua reapparegam.
O seculo XVIII nada absolutamente tinha de
commum com as luzes : se Deui permittia qae
oelle se aasassiaasse Polonia, encarregoa-ae
tambem de dar a essa grande nago ama vida bri.
Ihanle, superior a que ella merecer perder por
seus erros e saaa faltas. Foi porque o papado
cuidou naa eaperaugas da Polonia. Elle viu, na
causa desse povo opprimido, a de Deus que re-
suscitoa Lzaro.
Apoltica v por outro prisma. Considera os
povos, as nagSes, como a malaria bruta de suas
sabias" combinagoes.
Asaim pensara Luiz Felippe d'Orleans emi-
grado.
E' preciso, escrevia elle, que o imperador da
Russia nao cooaiala a paz da Prussia ; e que, no
caso da aer ella feita nio a reconhega. Deve por
em movimenlo todas as forgas de sea vasto im-
perio para impedir resarreigo da Polonia ;
quer a Prussia tenha a cobarda de ae sabmetteri
quer teoha a coragem de oppor-ae. A sorte do im-
perio da Russia, bem cmo a Prussia, depende da
da Polonia.
Essa carta dirigida ao conde d'Eatraigoes, e
datada de 5 de novembro de 1806. Termloando-
a Luiz Felippe roga ao aeu correspondente que v
conservar com elle a respeito de tudo isto a fun-
do, e acrascenla :
Se achardes boas as minhas ideas, vossa peo-
na de fogo aa Iransmittir.
Eis, pois, uma peana de fvgo encarregada de
impedir a resurreigo de um povo I
Fallando assim, adorando a Russia, o assassi-
nando a Polonia quaolo podia, Luiz Felippe per-
maneca fiel s tradigoes de Voltaire, que admirou
a partilha da Polonia.
O seculo, nuMo, que tomou Vollaire por philo-
sopho, e Boucher por artiata, mereca consumar,
na ordem aocial, um crime deaconbecido > o as-
ssssiniodsuma nago coristas.
A carta ao conde d'Entraigaea encerra uma ap-
parente contradiego qae foi mui bem esclarecida
pelos dous escriptores que acabam de estadar o
orleanismo.
Luiz Felippe de Orleans era no interior o ho-
mem do antigo rgimen, cujo maior desejo fra
permanecer fiel, subir ao throno legalmente e con-
tinuar a Santa Allianga.
Para explicar essa differenga nao preciso em-
preslar-lhe, o que se achama no mando, m f,
iato uma iotengo reflectida, conscienciosa, de
trazer mascara e representar uma comedia.
O espirito de partido mu juiz ; ignora a na-
tureza humana que se engaa mais do que enga-
a ao prximo.
A bypocrisia diante de ai mesma a mala com-
mum e lemivel.
Collocae Luiz Fellippe na vespera da invaso
ante Luiz XVIII, elle escreve, talvez sincera-
mente, ao rei de Fraoga :
E' lempo de se acabar com a revolugao e os
revolucionarios.d
Escreve essa phrass da mesma forma qua se
fez applaudir no club dos Jacobinos ; homem
das circumstancias.
Reslabelecidn -- ..._., ...... _
circunstancia ; esta a oppoaigo. No lempo da
Primeira reslaurago houve um partido orlanis-
ta, equivoco, ambiguo, dcil e turbulento, que Mr.
Boulay (le la Meurthe) aaaignalava, a25deju-
nho de 1815, na cmara dos representantes, aem
saber ao certo ae esse partido quera a restaura-
gao ou a usurpago.
Masaduvida de Boulay (de la Meurthe) no
mais possivel boje.
A affectago de que se serviu o duque de Or-
leans escolbeodo, durante os Cem-Dias, um re-
tiro na Ioglaterra, para isolar-ae do rei exilado,
attrahiiia por ai s assuspeitasda historia. Para
altrahir baata tomar esaa attitude, e cooservar-se
em dialaocia voluntariamente:
Assim 8lo designados aquelles que nao enca-
ran: as couaas com sinceridade Dumourier redi-
gia eoto, em favor do ramo mais mogo, uma me.
mora que Talleyrand devia remoller ao coogrea-
so de Vienna, e Fouch escrevia :
< O duque de Orleana um meio de compo-
sigo entre os extremos ; Dumouriaz ha muito
que sonhou isso. A Europa arma-ae contra o
imperador ; eate auceumbir lufallivelmente ; se
considera j cadver. O ramo maia velho nao of-
ferece asguraoga aos inleresse revolucionarios ;
deveremos langar os olhos para outra parte. O
duque de Orleana bem dispesto ; s aceitar a
corda com as coudiges qae lhe impozermos ;
ambicioso e tem ptimos antecedentes.
Essa habilidade nao previra tudo I O impera-
dor cabiu muito depressa para o duque de Or-
leans. As telas de arsnha foram despe&acadas
pelo raio.
Laiz XVIII entrou de novo em Paris com seu
primo, que se juntou a elle as Tulherias, confu-
so e arrepeodido... de ter perdido a occaaio.
A reslaurago s tinha um meio de aupprimir
essa occaaio.
Era marchar pelo caminho real, obedecer ao
nome magnifico, que lhe dava a esperaoga, e res-
taurar, sobre seus principios eternos, a sotioda-
de franceza, destruida pelo antigo rgimen e pela
revolugao.
Luiz XVIII quiz ser hbil : quiz efferecer se-
guraoga aos loteresses revolucionarios.
Serviu-se nao sei de que affectago para lepa-
rar-se dos servidores fiis, dissolver a cmara
nao exialente, fazer assentar em seus cooselhos
profanados, Tellyrand e Foucb.
O duque de Orleans so menos, quando prepara-
ra 1830, nao era rei de Franja I
Essa poltica era feita para animar a revolugao
e o orleanismo.
Nao ha mais da vida possivel sobre o verdadei-
ra carcter da conspirado de Didier.
Era uma conspirado orleanita.
O chefe orleanisla pronunciava o nome de Na-
poleo, para desvairar e arrestar os aldees do
Delpbioado, que viram a volta da ilha d'Elba. Laiz
Felippe de Orleans devia, no ultimo momento,
substituir o grande homem I
Mr. Beranger, por meio de auas caoces, lhe
offereceu uma occasio mais fcil.
cousa de Jiraordlnario. Ella o? a ingenia es-
peranga de torti.ar a ver a aobreca*ca eiozenta.
Igoorava qua ae lhe' proparava, como ao' aldees
do Delphinado, uma decenio orleanisla.
Emflm ai timfdas ordeoaoga. de 1830 servlram
de pretexto para a usurpago.
Para justifica-la, ouia o cyoiamo liberal invo-
car a ordem das eoutai.
Em face dessas escandalosas rehaUlItages, 6
do devej de toda a coosciencia protestar. O dever
de Luiz Felippe era por a sua espada ao ser viga
da realeza ameagada em vez de iaolar-se do rei,
conceotrar-ie, e encerrar-ie em sua casa.
Os homens inventara a ordam daa couaas a da-
coram com essa lisoogeira etiqueta sos interei-
aeira cobarda. Desta forma dispensam interregar
sus justiga, e a justiga de Deus I
Laiz Felippe a ai proprlo enganoo com muita
arte, foi victima dessa indiscreta franqueza, que
ae perdis em contrarias proteslaces. E, desvai-
rado por eaaa complicaglo de mentiras, ao passo
que os seus amigos renegavam-lhe a ofigem e o
faziam paasar porum Valois, ia tranquillo eateo-
der-ae oa casa da cmara, com a democracia vic-
toriosa, rogando-a de emprazar um triumpho
mais completo ; e aceita-lo na falta de outro me-
lhor.
Carlos X relirava-se com a magestade de utn
rei, cahiodo com seu manto ornado de floras de
liz o filbo trahido pelo usurpador.
Luiz Felippe cedendo a ordem datcoutai, te-
meu que o rei deslbronlsado exigiaie o i*u thro-
no, e por isso mandou escoltar o navio que leva-
va para longs de Cherbeurg a monarchia france-
za por um brigue, cujo capilo tinha ordem de,
no caso de ser preciso, metter pique o navio
do exilio.
Tranquillo pelo que dizis respeito monarchia
franceza, Luiz Felippe, rei dos Francezea, escre-
veu ao imperador da Russia, Nicofu, deploran-
do a catattrophe que o obrigara a eaeriflear-ae.
Bei dos Franceses I Havia uma terrivel eonfla-
so nessa modanga de formula.
Oa burgaezes de 1830, cnidos no lago, ficaram
aaliafeitos a recooheeidoa por isso. Essa formula
lhea pareca mais polida. Laiz Felippe conhecta
que com a aua victima, nao 89 apoderara de uma
nago viva, constituida e formada. Conhecia que
a Frange lhe esespav, e que elle nao potrera
substituir o rei de Franga. Confeasava que a co-
rda, a verdadeira cora, lhe escapara no momen-
to em que julgava segura-la, e s agarrava o aeu
fantasma. Elle certamente nao tinba coosciencia
dessa fraqueza I Como os burgaezes, seus pares,
elle se lisoogeava pela mudanga.
Sua carta ao coode d'Entraigues nos mostrou
que elle nao seotia baler o eorago dos povos
ebristos, e nao via a unidade moral, a forma
viva das nagoea constituidas, isto das nagas
christas. Renunciando cbamar-se rei de Fran-
ga, nao comprehendeu o sacrificio que fazia !
Ctorges Seigneur.LMonde.)
UiiesEs-.
Jtalas
tsce-
como am
WsF qoe nio
M Tisitar.
Na vos fallamos coso
tambera par. Bot 0",
bei-noa na visita qae vos
patqoovoiamaatodoit
deleja leoao a vossa feliel
Nao lomas ni qae vos
Christo, o principe do. pa.t'oresT qts ves ri-
sit.r em nossa humilde PM80.\ \ e^*
exhortar por oosaa bocea (t5); Elle que der-
ramar sobre vossai almas ama nchente cottoia
ej beogaos ; nos nao aeremos no meio de va
sonaV o instrumento muito indigno de auas m-
sericord.!s para comvoico. Ah 1 que da ncenl-
dades remediar I
Cae de abjsos reprimir I
Que de cbsajaa i curar I
Que vaatissinfa) campo aborto s conqaiski
apostlicas I A' v/.'ta de missSo to arda a0
cima daa torgas humanas, fleamoa proalras*
aniquillado diante do Seo.hor, esperaudo s d'El-
le a luz e o vigor qae completamente nos falle-
cer. Uoi, charos Albos, vo.*as preces s ase-
sas, aflm de que e benigno Salvador oos conforte
em sua graga, e oos d o zelo a a coragem dos
aantos pontfices, que nos precedera.m oesta glo-
riosa sede paraeose, para trabalharmo, como si-
les, na grande obra que tanto interesas gloria
de Deus : a salvago de voasas almaa.
E para cooslar, mandamos que a presente car-
ta pastoral seja lida pelos reverendos sarocho i
estago da miasa conventual, durante (res do-
mingos consecutivos, e registrada no com patenta
llvro.
Dada em Belm do Para em domo palacio
episcopal, sob o signal e sello de nossas armas,
aos 26 de junho de 1862.
f ANTONIO, supo do PltaV.,
Por mandado de S. Exs. Urna.
Padre Manoel de Uedeiros, aecretario.
Agricultura.
Esse cancioneiro (Mr. Beranger o contrario de
poeta) foi o digno acompanhamento das intrigas
orleaoiitai.
Baatava que o povo oivisse Mr. Bersnger pro-
nunciar o nomo de Napoleio para esperar alguma
BISPADO DO PARA.
Carla pastoral, y nnunciaudo a primeira
visita gcral da diocese.
D. Antonio de Macedo Costa, por merc de Deus
e ia santa s apostlica, hispo do Gram Para,
do conselho de S. M. o Imperador, que Deus
guarde, etc., etc.
Ao clero, e povo fiel do Para e Amazonas, sau-
de e bengo em Jesaa Cbristo, salvador nosso.
Eis chegado emQm.irmoa efilboa muito ami-
j--, .r. .. vu.yicucuurBloii primeira vi-
aita geral desta vasta diocese, confiada, ainda
que ira merecidamente, aoa nossos cuidadoa pas-
to raes.
De ha muito teriamos j voado para nossos 0-
lhos, qua habitara fra desta capital, to ardente-
o desejo que sempre tiremos de conhec-los,
de anima-los, de nutri-los com a palavra de vi-
da, de os coosolar em auas penas, e oa dirigir
pelos verdadeiro caminhos da salvago. Mas.
pelo rigor da estago plavioaa, devendo lornsr-ae
por demais iocommoda a reaofo dos povos nos
diversos centros parochiaes, foi mister sobr'estar
na realisago de to almejado intento. Livre, po-
rm, agora destes e outroagraves embarsgos, po-
demos, nos transportes de nossa paternal alegra,
annunciar-vos que em pouco tempo, se apraz ao
Senhor, estaremos no meio de vos.
Feliz se preenebermos os intuitos da santa
egreja catholica, quaado estabeleceu a lei sauda-
vel da visitago pastoral 1 Feliz, se, depois de
haver o pastor feilo ouvir a sua voz s ovelhas e
as ter conhecido, eorao as ovelhas ao paator (1),
marchamaos todos na unidade da f, no vinculo
d>a paz (3) e da earidade, sob a iospirago do
mesmo espirito vivificante, para o conseguimento
do flm sobrenatural que estamos destina Jos.
Amados filhos, nao somos vosso pastor aeno
para obler todo custo vossa aalvago. Esta a
vontade de Deus, que vos santifiquis (3), que
vivaea todoa como boos e fiis christoa, nao of-
feadendo oioguem (4). obedecendo lei do Se-
nhor, vivendo oeste aeculo, aeguodo as regras da
piedade, da justiga e da temperanga ; abominan-
do a impiedade e as paixoes carnsea (5) ; aman-
do-voa e ajudando-vos una aoa oulros (6) como
irmos, filhos do mesmo pae que est nos cus ;
pacientea e corajoaos cas tribulages ; humildes
e moderados na prosperidade ; tendo extremo
cuidado de voasas familias (7) ; educando voaaos
filhos no sent temor de Deus e na pretica das
virtudes christas (8), mostrando-vos sempre mo-
delo de boas obras em todas as cousas, na pureza
de vossa f, na inteireza de vossa vida e na gra-
vidade de vossos costumes (9) ; prudentes, be-
nignos, affaveis, caridosos : corrigiado voaaos
proprios defeitos e desculpaodo oa albvios;
amando a concordia e a paz; evitando as male-
dicencias, intrigas e negras calumnias, fanle en-
venenada de tantaa desordens (1Q); em uma pa-
lavra, vivendo aeguodo a vontade de nosso gran-
de Deus e salvador, Jeaua Christo, que ae eolre-
gou por nos morle, aflm de nos resgatar de to-
da a ioiqaidade, para formar para si um povo
perfeito, particularmente consagrado ao aeu ser-
vlg, e fervoroso as boaa obras (11).
Nos vos exhortamos, pois, amados filhos ; nos
vos conjuramos, como cooperadores que somos
de vossa santificago, que nao recebaes em balde
a graga de Deus (12) e a verdade que vos vamos
aoounciar.
Porque Elle mesmo diz na sagrada escriptura :
/Tu vos ouvi no tempo favoravel, eu vos ajudti
no dia da salvac. Ora, eia agora o lempo fa-
voravel, eia agora o dia da salvago (13) ; apro-
veitae-vos, talvez nao teohaea mala nunca to
propicia occasio de voltar Deus e eodueilar
vossos tortuosos caminhos.
O' filhos chariasimos, nosso corseas se estende
e se dilata para vos, na grande affelcao que vos
temos. Pagae-nos com egual amor.
(1) El cognosco (oves) aieas et cognoscant
mete. Joan. X. 1 4.
(2) Ephes. IV. 3.
(3) Thess. IV 3.
4) Neminl dantei aliara offenslonem, II. ad
Cor. VI. 3.
51 TIL II. 12.
6) Muiaarr in vobismelipsis charitalem conti-
nuara habenles. I. Palr. IV. 8.
(7; Domus enram habenles. Til. 11 5 Si qai
aulem auorutt et mxime domesticorum curam
non habet. fidem negavit et eit jatldeli delete-
rior. I. Tim. V.8.
(8) Pillos habens fleles, Til. 1. 6.
(9) Til. II. 7.
(10) Non faciei calumniara, prximo tuo: Levil.
XIX. 13 Luc. III. 14.
Aos agricultores cearenses.
Flautada o do eacu mo Brasil,
O aaca um elemento precioso para faasr
parte da riqueza agrcola do pafr, com eipecis-
lidade oesta? provincia do Cear, qve to frtil
s abundante' em terrenos fecundos para odesen-
volvimeoto desla caltura, por exemplo : ou
grandes e feriis vargens que sao regadas palos
riachos, rios ou nrseentes, e nessas fraldsa flo-
rescenles das sorras, nesses valorosos e magn-
ficos terrenos da caliera da canna ; esse arbus-
to floresce com toda a solidez, e com o maior
garbo ae ostenta, chegando-so ponto esseneial de
favorecer ao agricultor, som> deas safras annutes,
isto : dous fructos que sscolbem com ampia
vantagem de todo o seu processo, ser de ferti-
lissiaia execugo, e sem grande drspeudio, como
aba i xo as demonstra ; entretanto, 6 um doa g-
neros mais apreciados em toda a Europa.
O seu valor acha-ae aempre a par ato nosso
mimoso caf, digo mimoso o desta- provincia,
porque quiz Deus prodigalisar-lhe um aroma to-
diatincto e particular, que o tem Peito nstom-
mendado sobre todas aa qualidade s, que normar*
cados da Europa, lem apparecido : se aeo fosse o
Ora a que nos propozemos, dedicatudo-noran ea-
cu poderiamoa de mais espago fallar neste ra-
mo, que deade pouco, estro nos act'lbido, est
fazeodo hoje a maior parte Oa riqueza pu flica, 0
particular, mas o nosse flm, levar a con ."Jcgo,
que do ensaio da plaotaco do cacas, podanvvir-
aos aeno mais, ao menos eajuaes vant.'gerw, a
vista desta poca, em que oa nosso* definhados
agricultores da canna, esto latando com tanta
desrantagem nesta induatria pela deprexiagio do
valor que gosam oa assaesres, quema.'lhesdS
um rssultado passsgeiro, msa aem espera ocas da
futuro.
Vamos demonstrar o modo cmese plan.la es-
se alimento agrcola :o caca.Promova, m os
senhores agricaltores, as fructas que deven > aer
maduras, o que se recoahcee estando >mi (ae,
aurem ae, aeotro se.encontrar porgo|de pevid. OS,
que o devide fructo : deitem se em agua, vasco-
legem-ae para largar a pequea porgu de dmbI
que poaaam contar, e enxuguem-ae ao ar freseox,
cooservando-se dous dias, de maneira que nio
aquegam, depois fage-se a eacolha das pevides
que mostrem acharem-ae aans, mais bem conser-
vadas, livres de principio de raz : eis a sement-
agora vamos preparagso da trra o o modo de
fazer-se a sementara. Faga-ae un cauteito eom
as proporges precisas para admiir a qaaotrda-
de da sement qae se qaeira, resguardado ds a
nmaes, para que em aua nascente, os seiam
devorados os pesinos.
O terreno deve ser frtil, e que se puss egier,
seja bem trabalhado em profun&dede de dous a
tres palmos, e que aeja lugar mwto hmido, mas
abrigado do vento, e plante-se em cada palmo
quadrado duas pevides, tendo a cautet de. as
collocar com a pona mats gross,. (que o lugar
da raiz) para balxo, e de modo que enterradas,
oo flquem de todo rovisiveis ;. reguam-ae todos
os das, e segundo a suetaocia do terreno, de 8
a 15 dias, principraro a nasaer, levando um
anno de tratamento, para se desenvolver a
planta.
A mudanga reaHsa-se as pmeitaa churas do
invern ; procurem terrenos substacciaea. abri-
gados dos ventos, que cootenham agua, d rega
pois sao os de maiores vanlagens, o sao prefer *-
veis os qae mais frescos se passam conservar no-
lempo ds secca ou vero. Nesles abram co vas
de tres palmos de profundidade, e|dosem qua-
dro, traosfiram do canteiro os ps, que deven
tero cuidado de arranear com a propria u jrra era
volta da raiz, a qual toma sempre a pr&ti- 0didads
da trra, o asaim conduzam cova preparada e
colloquem no centro, fazeodo liga, e* eochimen>
to com a Ierra qae tiverem tirado., de modo
que a raiz fique direita, era toda a aua profun-
deza o no meio da eova bem collocada pilata,.
fagam tres limpas aonuaes, a enxada, dc*oads
vez cheguem Ierra aos pos TBro qua o flm
de tres annos o tructo- do seu trabalho ser re-
compensado, com jura sufficientemente generoso
porque torna-se um arbusto bonito, e,logo prin-
cipia a florar deade o p, at a epua, a fiea co-
berto de fructas, que amadureridaa flcam amarel-
las. e crescem com rapidez, oo especo de 60 a 90
dias.
Nesta estado apanharn-se, ajada que nao et-
teiam todaa bem amarellas ; Uram-s as pevide.
lavam-ae e pem-se ao sol at seccar, o que pd-
de levar tres ou quatro dias, e ve-adem-sa W-
Da
'[111 TU. II. 14.
(12) Ne in vacuum gratiam Dei rtfcipiatis- Cor.
VI. I.
(13) Ibld
2.
casca das fruc-tas fai-sa cnza que serve
para fazer sabo : a polpa das pevides pode ser-
vir para doce de gelea, e bebida agredavel, a
folha para o acoodicionamento de farlnha) o
tronco depota de morto serve para o fogo.
Deve se alteoder que arvore qua dora de do-
ze a viole annos, e que consecutivamente, o
tracto regula de 12 a 16 libras de paso, que pode
dar no ininimo annual, o lucro de dous mil res
cada p livre de despezaa.
Cearenses, o trabalho a honra, (e ella sem
esforgos nao se sdqaire....) avante, pois, medi-
lae sobre os vosioi reaea nter esses.... deseo.-
volvei-os a seris felizei.
Lui: Ribeiro da) Cunta.
(Do Padro II.)
141 Ibtd. 11, 12,13.
15) Tanquam Deo evorlaote per aoa II Cor.
PH. TTP. D5 M. F. DI FARU OfFILH MOTILADO i
1ILGVEL
i ssasassal I
"MU


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EXSR306Q8_7CMUCK INGEST_TIME 2013-04-30T22:46:47Z PACKAGE AA00011611_09571
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES