Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:09534


This item is only available as the following downloads:


Full Text
O
ino uxviii. lomo 7i.
fr tresBuesadiaiUitsftiOOO
Per tres mttts teicits 6$000
??;1*A S'J A


SEXTA FEIBA 4 DE ABB1L DE IW2.
Ptr aioo adUntado 19$00O
Porte fraiet pan sibseritor '
Int '
DIARIO DE
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPgAO DO NORTE
Parahyba, o Sr. Antonio Alexandrno de tl-
m>; Natal, o Sr. Antonio Marques da Silva ;
Aracaty, o Sr. A. da Lomo* Braga; Cear o Sr.
. Joa do Olivera ; Maraahlo, o Sr. Joaquim
Marqaei Rodrigue; Para, Justino J. Ramos:
Amazona, o Sr. Jeronymo da Costa.
ENCARREGADOS DA SUBSCR1PCAO DO SOL
Alagoas, o Sr. Claudino Falcio Diat; Babia
o Sr. Jos Martina Airas; Rio de Janeiro, o Sr
Joo Peroira Martina.
PARTIDAS DOS CORREIOS. "
Olinda todos os dias as 9X horas do dia.
- Iguarass, Goianna, o Parahyba as segundss
0 seitas-feiras.
S. Anto, Bezerros, Bonito, Cantar, Altinho
a Garanhun as tarcas -tetras.
Pao d'Alho, Nazarelh. Limoeiro, Brejo, Pea-
qsieira, Iogazeira, Flores, Villa-Bella, Boa-Vists,
Ourcary e Ex nasqutitaa-feiraa.
Cabo, Seriobiem, Rio Formoso, Una, Barreiros
Agua Preta, Pimentelras e Natal quintas feirss.
(Todos os crralos partera aa 10 horas da manhaa,
EPHEMERIDES DO MEZ DE ABRIL.
0 Quarto erascente as 4 hori a 31 minutos da
manba.
14 La cheia aoi 16 mina toa sis rumbas.
l Quarto mineante as3 horas a 21 minutos da
tarde.
28 La nova as8 horas a 45 minutos da manhaa.
PREAMAR DE HOJE.
Primelro as 7 boras e 42 minutos da manhaa.
Segundo as 8 hora a 6 minutos da tarde.
PARTIDA DOS VAPORES C0STEIR08.
Para a snl at Alagoas 5 e SO; para o norte
at a Granja 14 e J9 de cada taez.
PARTIDA DOS 0WIIBU9.
Para o Recite: do Apipucoi s 6 lj2, 7, 7 1|9, 8
e 8 I[2 da m.; de Olinda As 8 da m. e 6 da t.; de
Jaboato s 6 1|2 da m.; do Caxang a Varzea
s 7 da m.: da Bemficm s 8 da m.
Do Re tifa : para o Apipucos s 3 1|2. 4, 4 1)4,
4 1(2, 5, 5 1|4, 5 112 e 6 da t.; para Olinda fs 7
da m. a 8 1|2 da t.; para Jaboato s 4 da t.; para
o Caxang a Varzea s 4 l&da t.; para Bemfiea
ss 4 da t.
AUDIENCIAS DOS TRIBUNAES va CAPITAL.
Tribunal do commercio: segundas a quintas.
Relago: tarcas aabbados s 10 horas.
Fazenda : quintas s 10 horaa.
Juizo do commercio : segunda ao mel dia.
Dito da orphioa: tercas a aaitas s 10 horaa.
Primeira rara do rival: tereaa a sextas ao mel
dia.
Segunda rara do ciral: qaartas a aabbados 1
horada tarda.
DAS DA SEMANA.
31 Segunda. S. Balbina v. a.;S. Amos prophst
1 Terca. S. Macario ; S. Valerio.
2 Quarta. S. Francisco de Paula fundador.
3 Quiis. S. Ricardo, rei ; S. Benedicto f.
4 Sexta. Commemoragd* da paiiio da J. C.
5 Sabbado. 8. Vicente Ferrar ; Ira r. m.
6 Domingo da paix. S. Marcelina a.
ASS1GNA-SE
no Radie, em a livraria da praea d Indepen-
dencia b. 6 e 8,doa proprietarioa Maneel Figuei
roa da i aria & Filho.
PARTE OFFICIU.
60VERS0 DA PROVINCIA.
Expediento alo alia f de abril
de 188S
Officio ao brigadeiro commandante das armas.
Transmiti por copia V. Exc. para seu co-
Dhecimaoto o aviso da 10 da marco ultimo, era
que o Exm. Sr. ministro da guerra eommunica
que, teodo sido approvada pela ordem do da n.
305 a licenca concedida pela presidencia da Ba-
ha ao capio do 2 batalho da infantina fran-
cisco da Almeida Furtado, para tratar de sus
saude, se rocommendara a mesmt presidencia
que o jesse seguir para a corte, logo que hou-
ver terminado a dita tcenla, aflra de ser all no-
varaente inspeccionado. -
Dito ao mesmo.Remeneado V. Exc. para
ter o conveniente destino a certido de asienta -
mentoa do alteres do 10 batalho de iofantaria
Antonio Joa Baptista teoho, a declarar-lhe que
em aviso de 12 da marco ultimo communicou me
o Exm. Sr. ministro da guerra que opportuoa-
mente eerao remettidas as certiloes dos oulros
Portara. O presidente da provincia, resolve
nomear obicharel Angelo Heoriques da Silva,
psra occupar interinamente o emprego de proco*
radorfiscal da fnenia provincial no impedimen-
to do bacharel Cypriioo Fenelon Guedes Alcofo-
rado, que eat com assento na assembla legisla,
tiva desta provincia. Communicou-se ao ins-
pector da tbasouraria de (azeoda e ao no-
meado.
Expediente do secretario do go-
verno.
Officio Joaquim Pedro Brrelo de Mello Re-
g.Ordenou-me o Exm. Sr. vice-presideote da
provincia, que em solugo so sen officio de hon-
tem datado, envissse V. S. a inclusa copia do
acto da presidencia de 12 de outubro do auno
passado, pelo qual foi approvada a elelgo de
vereadores e juizes de paz a que se procedeu na
freguezia do Buique ata 5 de Janeiro do mesmo
snno, presidida por Manael Camello de Siqueira,
Qcando invalida a que se fez sob a presidencia de
Luiz Ignacio de Araojo, declarando ao mesmo
tempo que o goveroo Imperial nenhnma deciso
proferto sobre eate objecto, exigindo apenas por
aviso de 21 de marco deste anno, as actas da-
officiaes e pracas comprehendidas na relago que I"*"1 Pnmetra elejgao, o bem assim que as uni-
acompanhou o officio de V. Exc. a. 27 da 10 ds
fevereiro prximo passado.
Dito ao mesmo.Sirva-se V. Exc. de informar
acerca do que expe o director das obras milita -
res no incluso officio, que me ser devolvido.
Dito ao mesmo.Passo as mao's de V. Exc.
por copia para ter execucio na parte que lbe toca
o aviso expedido pela repartigo da guerra em 15
de marco uLimo, com referencia aa coutas do
Conseibo econmico do 9 batalho de infantaria
concernen es a o Io semestre do anno Civil pr-
ximo passado.
Dito ao mesmo.O Exm. Sr. ministro da guer-
ra em aviso de 21 de margo prximo passado de-
termina que seja transferido para outro corpo
dos estacionados nesta proviocii o soldado da
cempanbia de artfices Jos Benicio Bezerra, de
que trata o officio do V. Exc. de 17 de Janeiro
ultimo sob n. 116.
Dito ao mesmo.Por aviso da repartido da
guerra de ti de marco ultimo Oca approvada a
deliberago que tomn V. Eco. de mandar sus-
pender os exercitios doa corpos de guarnidlo
desta provincia em quauto durar a epidemia do
cholera morbus. O que commuoico V. Exc.
para sua iotelligeocia.
Dito ao mesmo.Commuoico V. Exc. para
seu conhecimento que em aviso de 12 de marco
ultimo declarou-me o Exm. Sr. ministro da guer-
ra haver-se automado a pagadoria das tropas da
corte a mandar abooar, a contar do Io daquelle
mez em diante, a prestado de 12(000 meusaes,
que o capito do 9* batalho de mfaotaria Fir-
mino da Caoba Reg consignos seu filho 2 ca-
dete Joaquim Mara da Cunta Reg Lopes Ferraz.
Communicou-se a thesouraria de fazenda.
Dito ao mesmo.Para cumprimeoto do dispos
to uo aviso da repartigo da guerra de 15 de
margo ultimo, constante da copia junta, baja V.
Exc. de ordenar ao conselho econmico da cotc-
pmbia da cavallaria que rasDooae aa observa-
res feitas do rotatorio incluso, que me ser de-
volvido.
Dito ao mesmo.Queira V. Exc. mandar pos-
tar em frente da igreja da Cooceigo dos milita-
res amanha as 4 horas da tarde um dos corpos
de Ia lioha aim de fazer aa honras fnebres do
estylo ao official da Roza Antonio de Paula de
Souza Leo, que falleceu boje.
Dito ao mesmo.Fago apresenlar V. Exc. os
recrutas Damio Rogerio Lins, Joo de "Souza
Eugenio e Vicente Ferreira de Souza Muniz, afim
do que Ibes d o conveniente destino depois de
iospeccionsdos.
Dito ao mesmo.Commuoieo V. Exc. que o
Exm. Sr. ministro da guerra decla'rou-me em
aviso de 22 de margo ultimo hsver-se expedido
ordem pira que o alteres do 10 batalho-da in-
fantaria, Constantino Leandro dos Santos, que
se acha na corte fique praticando na escola ge-
ral de tiro do Campo Grande, em substituido do
aleres Carlos Jos Van-Nez que foi transferido
daquelle batalho para o de o. 13 da mesma
arma.
Dito ao inspector da thesouraria de fazenda.
Autoriso V. S. nos termos de sua informaran
de hontem sob o. 262, a mandar pagar ao paisa-
no Jos Cirios a qaaotia de 80000 mil ris a que
tem direilo, por haver appiebendido o desertor
do 4o batalho de artilharii a p Jhomaz de
A quino, como se v do attestado que devolvo em
duplcala coberto com officio do brigadeiro tom-
raaodante das armas de 19 de fevereiro ultimo
n. 353. Communicou-se ao com mandante das
armas.
Dito ao mesmo.Mande V. S. pagar aos em-
presarios da illnminago a gaz nesta capital a
quantia de 610380 ris em que, segundo a conta
junta em duplicata, importa o gaz consumido
com a illomiuago do palacio da presidencia no
mez de fevereiro ultimo.
Dito ao mesmo. Transmiti V. S. psra
os (los convenientes as copias dos termos de exa-
mes procedidos nos medicamentos e mais objeetos
que entraram para o hospital militar em 20 e 27
de margo prximo fiado.
Dito ao mesmo. Em arso do ministerio da
guerra de 22 de margo ultimo, foi communicado
que naquella data se expedio ordem para que a
essa thesouraria sej provisoriamente deslribuido
o crdito de rs. l,209:298j>272, constantes da ta-
bella junto por copla, para as despezes ("o futuro
exercicio de 186u 1863.
Dito ao inspector da thesouraria provincial.
Recommendo V. S. que em vista do competen-
te certificado mande pagar ao ex-arrematante
do empe iramento entra os marcos de seis e oito
mil bragas na estrada da Victoria, a quantia de
1:2510000 a que tem elle direito por haver repa-
rado convenientemente as cem bragas de empe-
dramento, que fizera antes de ser encampada
aquella obra, segundo consta de offl.io do direc-
tor da repartigo das obras publicas, datado de
hontem, sob numero 61. Commuaicou se so
director das obras publicas.
Dito ao commandante do corpo de polica.
Pode V. S. mandar engajar nasecgo volante do
corpo sob seu commando o paisano Horacio
Raymundo Ciminha a que se refere o seu officio
o. 133 desta data.
J^DHo ao Inspector do arsenal de marinhs.Urna
?ez que Mara Joaquina Sonto sslisfaga as condi-
ces indicadas em sua nformagao de 29 de mar-
co ultimo, sob numero 151 pode V. S. mandar
alistar na compauba de aprendizes menores des-
ee arsenal o filho da sopplicsnte, de nome Ci-
millo.
Dito ao director do arsenal de guerra. De
conformidade eom o aviso da repartigo da guer-
ra, de20 de marto ultimo, tornees V. S. for-
taleza do Cibedello ds Parabiba os repaos da
artilhsria constantes da nota junta por copia.
Comsaunlcou-se ao presidenta ds .provincia da
Parabiba.
Dito ao director da colonia militar de Pimeo-
teiras.Respondo ao seu officio de 27 de margo
ultimo, decUrsndo-lhe que deve mandar, nao
edificar, mas somente concertar, ss casas dessa
colonia do melhor modo poisivel, psra que pos-
sam Continuar a servir evltando-se assim malor
diipendio doa cofres pblicos, declsrsndo-me
cas actas das eleiges primarias da freguezia de
Aguts-Bellas e Buique que exisliam na secreta-
ria do govarno feram remettidas a de estado dos
negocios do imperio com officios nmeros 132 e
133 de 18 e 19 de novembro ltimos, em cum-
primeoto da exigencia feita por avisos de 13 de
junho e 29 de jarreiro do anno (indo.
Dito ao mesmo.O Exm. Sr. vice-presidente
i da provincia, cojo conhecimento leve! o officio
! de V. S. que me dirigi honWm, manda decla-
rar-lhe, afim de que o faga constar assembla
legislativa provincial, que hoja 1 hora da tar-
de comparecer no poro da mesma assemblsa
pira fazer a leitura do seu relatorio.
Edita!.
Pela secretaria do governo so faz publico, para
conhecimento de quem ioteressar possa, que
por haver fallecido o serventuario Joo Paulo de
Paiva e Pinho, se acham vagos e em concurso
os officios del.' tabellio e escrivao deorphos,
ausentes, capellas e residuos do termo do Li-
moeiro, creados pelo airar de 27 dejulhode
1811, atim deque os pretndanles aos referidos
officios se habilitem e apresentem os seus reque-
rimentos instruidos na forma do decreto n. 817
de 30 de agosto de 1851, e aviso n. 252 de 30 de
dezembro de 1854, no prazo de 60 dias, contados
desta data.
Officio.Pela secretaria do governo se remette
ao Sr. fre Joaquim do Espirito Santo, lente de
cloqueada sagrada do seminario de Olioda, co-
pia da nota do sello e emolumentos que deve pa-
gas na repartigo de rendas internas para poder
obter o Ululo d licenga de 6 mezes que Ihefoi
concedida por portara de 22 de margo ultimo,
com dous tergos de ordenado, na forma do art. 4
do decreto n. 1275 de2l de novembro de 1853,
para tratar de sua sale na Europa, segundo
coasta de officio de hootem do imperio, da mes-
ma data.Communicou-se thesouraria de l-
xenla, e remetieu-s por copia a nota do sello e
emolumentos que tem de pagar o licenciado.
epidemia paraca diminuir na razio da distancia
dos lugares accommettidos ao foco primitivo.
Desde a primeira noticia da existencia do cho-
lera morbus em Anuinga sao ressei de prestar a
mais seria e comanle attengo aos factos, que se
iam succedendo, oem de ministrar a todas as lo-
calidades o soccorro da mdicos, remedios, roapa
e dioheiro absolutamente indispensavel.
O astado da fazenda publica obrigou-me, sem
faltar ao que era realmente necessario, a osar de
certa parcimonia no emprego doa dioheiros do
estado.
A experiencia da precedente epidemia tornou
possivel a ecouomia, sem que por isso soffresse a
populago menos abastada em bens da fortuna.
Alm da quantia de 6:0000, que coube a esta
provincia na distribuigo do crdito eral para
soccorros pblicos, abr em 6 de fevereiro (iodo
sob minha responsabilidade outro de 10:0000com
esse destino, para o que eslava impamente au-
torlsado pelo goveroo imperial.
Esgotado este, fot forgoso abrir ainda em 8 des-
te mes um oatro crdito de igual quantis, com
que vo sendo feitas as despezas oceurrentes. De
forma que at esta dita toda despeza que se tem
feito com a epidemia nao excede de vinte' vinte
e tres conlos de ris.
Creio ter podido evitar despezas ezceisivas, o
gragas a promptido dos soccorros, aclividade
das autoridades locaes, experiencia e bda von-
tade da commisso central de toccorros mdicos,
a cujos Ilustrados membros rendo os meus agra-
decimenlos pela efficsz e desinleressada coadju-
vago que me prestaram, ao zelo o desvelo dos
mdicos commissiooados, permittio a Providen-
cia que fosse entorpecido o progresso e minora-
dos os crueis estragos de to horrlvel epidemia.
1NSTRUCQAO PUBLICA.
Poderla dispensar-me de occupar a attengo de
V. Exc. com a iostruego publica da provincia,
porque tudo quinto eu baja de dizer a eate res-
peito ser pura superfluidad, urna vez que teoho
de dirigir-ma justamente ao cidado conspicuo,
que se acha frente desse, um dos mais inters-
santas ramos do servigo, e que por suas luzes, ze-
lo e constante soli(ilude lem sabido illustrar as
funcgSes, que to acertadamente lhe foram con-
fiadas. -
O dever. perm, que me corre de registrar nes-
ta pega official tudo quauto concerne marcha
dos negocios das differenies reparligoes nao per-
mute que eu me poupe a esse Irabalho, embora
para desempenha-lo, tenha de aprovejtar-me dos
proprios dados, que por V. Exc. me foram foroe-
cidosem seu bem elaborado relatorio de'15 deste
mez. Sem um systtma de publica iostruego que
aitinji verdadeira altura que a mocidade
chamada nos deslios soctaes, sero infructferos
quaesquer eaforgos com que se preteoda fazer
progredir o paiz ou a provincia, na estrada pro-
videncial de perfeclibilidade. As mais recentes re-
velages da aciencia do ensioo ainda nao teem
pratict anlre nos; e a educago publica no Bra-
sil, no aeculo em que nos acharaos, pende ainda,
Grande parta daa nossas escolas acham -se em
edificios sem capaeidade para o numero da alum-
nos que reeebem, e para os exerclcios daa respec-
tivas clasaes. E' geral o clamor dos professores
Deste sentido.
A quantia qna se Ibes desto psra casas in-
safficienta, vista dos pregos, porque actual-
cenla ae alugam os edificios ; e alguna profes-
sores ha qua ae veem obrigados a repor de seas
mesqaiiobos ordenados o excedente necessario
para oa alugueis da casa, em que fuocciona a es-
cola, anda qua ttnhsm n'eotraa a aaa residen-
cia, lito mderente para a provincia ; e nao
preciso aqui excitar o pondunofoso patriotismo
de V. Exc, por isso que foi o primeiro a recla-
mar, contra este mal, que quanto antea deve ser
remediado. Aa aulas publicas de iostruego
primaria da provincia foram frequeotadas o anno
passado por quatro mil seleceotos e tres alumnos,
sendo tres mil setacentos e doze de sexo masco-
lino, e novecentos e noventa e um do sexo feml-
nino, tend-se recebido al hoja communiesgo
official de bavarem ildo approvados cento e viole.
Muitos outroa o devem ter sido em tods a pro-
vincia, mas de 4ae anda nao ha conhecimento
official.
Canta a proviocia aetenta a dous professores
pblicos eathedralicos de ioitrucgo primaria e
cinco interinos, e dezaseis professoras cathedra-
ticas eduas interinas. Foram demittidos dous
professores, falleceu nm, instaurou-se e concluio-
se processo de iofracgo disciplina e moral
contra um, e proseguem-se diligencias semelhan-
les contra dous.
Urna outra necessidade que recoohego a ex-
pressa autori&ago legislativa para remover ex-
officio, ou a pedido, os professores que o dev-
reos ser, por causas sprecisdss pela directora-em
cooselho, visto que a lei regolameutar existente
nao clara a tal respeito ; e bem assim a de que
semelhante autorisago seja acompanhada da das-
sificago de todas as aulas primarias da provincia
em tres cathegorias, aegundo as localidades e im-
portancia das aulas, nao podando professor al-
gum ser removido ex-officio seno com urna re-
soavel ajuda de cusi, e pan cadeira da meima
calhegoria, e os que o forem a pedido, que ose-
jam sem ajuda alguma de custo, e para cadeira
de igual ou inferior cathegora.
Sao duas medidas legislativas que me psrecem
urgentsimas.
INSTRUCCAO SECUNDARIA.
As aulas do gymnasio provincial foram fre-
quenladas o auno passado por trila e dous alum-
nos internos, ooze semi-pensiooistas, e dezaseis
externos : ao todo cincoenta e nove, dos quaes
Qzeram exime viote e tres.
A receita do estabelecimento foi de 12:2393335,
e a despeza de 12:292f924, havenio portanto um
dficit de 530589.
As pensos que os alumnos ptgam ao intrna-
lo nao esto de eccordo com a somms dos bene-
ficios, que elles reeebem, nem com o prego se-
para o que V. Exc. se digoar solicitar os neces-
sarios fundos.
Confio nos seotimantos piedosos dos membros
da junta administrativa da Santa Casa de Miseri-
cordia para esperar que presten a sua mais seria
attengo para este safntar asylo da mocidade des-
valida, onde a eduesgo e a instruege dos me-
ninos devem ser cuidadosamente aatisfeitar a a
disciplina rigorosamente observada.
Collegio de Noisa Senhora da Boa-Eiperanca do
Reeife.
No comego do crranle anno existiam aqui 92
educandas : foram admiltidas mais 18, cssou 1 ;
foram entregues 8 a seus pas ou familias, e fal-
lecer na 3, restando actualmente na casa 103, que
vo iodo coa etcellenle applicago e aproveili-
mento.'
Muitos de saus curiosos e delicados trabalbos
estiveram patentes admirago publica em nossa
primeira exposigo de novembro ultimo.
Sao digis dos maiores louvores a superiora e
mais irmat de caridade, que goveroam e ser-
rem de mis a esta intereesantes meninas, pelo
zelo e dedieago anglica com quo se empregam
oa difficil, mas santa misso, que tem a sea
cargo.
A transferencia deste pi instituto para am edi-
ficio mais vssto e adaptado ao seu fim.' da mais
urgente necessidade.
Collegio do Bom-Conselho em Papacara.
A respeito desta ioteressante escola de futuras
tas, e anima os seotimeolos de respeito a amor
Deus. e virtude em geral.
Eulre ii6a oem sempre ha na celebraga do
actos religiosos ao menos a conveniente de-
cencia.
Lembra-me a proveilosa id da um doa maua>
antecessores : a decretarlo de um suave imposto
parochial, que recahisse sobre todas na rezo d
suas posses, e- que se appticasse ii matrzea.
Ene bolo da caridade particular, qua coatari
pouco a cada a m dos fiis, seria a-m poderoso au-
xiliar para sa reparsr e conservar oa templos, am
que reeebem o bapiismo e todos as soccorros re-
ligiosos.
As rendas da provincia applicadas a oulros ser-
yigos ingualmenle instantes e lodispeosaveis do
seu progresso e eugraodecimento, nao podero
comportar toda a a v u liada despeza q.ua exige o cul-
to publico.
O venerando prelado, que apeaar dos esTeilo
doa annos e debilidade de suas torgas rege inda
com piadosa dedieago os destinos desta diocaae,
I reclama cem razo a restituigo da auota deatina-
i da s despezas de guisamento a fabrica, qua fui
supprimida pela lei provincial, n. 540, da 18 da
jiiono do anno passado, justamente quando ae pe-
dia o augmento da diminuta qaantii de 250000
rs., que lbe era anteriormente marcada.
Esta qu ola nao poda ser abolida ; era ama das
condiges recebidas oa concordata com a Santa
. S, quando permittio
luminoso relatorio, paral. 9
como ha dous seculos, mnlto maia para a erudi- lljal dos rverea e objeetos necesssros ao estae-
Despachos do |dia 1 de abril.
Requerimentoe.
Antonio Aones da Costa.Informe o Sr. com-
mandante do corpo de polica.
Claudino Pereira PintoRCavalcinte.Informe
o Sr. Dr. chefe de policial
Fielden Brothers.Dirija-se thesouraria de
fazenda.
Franklin Altes de Sojzs Paiva.Informe o
Sr. Dr. juiz municipal do termo de Nazareth.
Jos Antonio da Rocha.Informe o Sr. Dr.
juiz de direito da comarca do Rio Formoso.
Dr. Luiz Dnarle Ferreira. -loforme o Sr. ins-
pector da thesouraria de fazenda.
Luiz de Azevedo Souzs,Iuforme o Sr. ini-
peglor da thesouraria provincial,
Mara Joaquina do Espirito Santo.Dirija-se
ao Sr. inspector do arsenal de marioha, quem
se ex,.ede ordem no sentido que requer a suppli-
eaote.
Thereza Mara do SacramentoInforme o Sr.
Dr. chefe de policia.
Relatorio com que o Exm. Sr. com-
mendador Dr. Antonio Marcelino
Nunes Goncalves entregou a admi-
nislraco d proviocia ao Exm. Sr.
Dr. Joaquim Pires Machado Portella,
seguido vice-presideote da mesma.
( Contrnuacao, )
Comarca de Goianna.
At o da 4 de margo.
Cidade e suas immediagdes............ US
Goianuinha............................. 130
N. S. do O'e Lapa...................... 181
Cruanny................................ 267
Timbiba e Mocos...................... .{zl
Pedras de Fogo, Serrinha e Tejucupapo 38
gao do que para a sciencia industrial e econmi-
ca. E' um erro, que convlr emendar quanto an-
te, se queremos que o Brasil em pouce alargue
01 horisontns da prnaawri4Mla a riaunza Duhlica.
e lenha sobre toda a America meridional o influxo
e o predominio que pdee deve ter.
lnquerlr o que nos falta e devia j existir acer-
ca desta materia, examinar o que se tem feito e o
que se est fazeudo nos palies onde rai mais
adiantada a erganisago do ensino publico, quer
considerado administrativamente, quer nos seus
pormenores pedaggicos e didcticos, e d'abi le-
lecimente, como j mu bem o observara o meu
digno antecessor. Euteodo. pois, que a penso
dos internos deve ser elevada a SO0 por mes, a
doa semi-peaioDstas a 309. a a dos externos a
200 portrmesire, ama vez que o gymnasio, alm
de tolos osestudos, foroeca aos alumnos da pri-
meira e segunda calhegoria lo ios os livros que
necessitam para as classes, a de mais aos di pri-
meira, roupa lavada e eogommada, medico, bo-
tica, etc.
Urna reforma portanto se faz oocesssria neste
sentido, porque, precisando a casa actual de mui-
?antar um syslema de reforma radical oa inslruc- 0DrM addlcionaes e reparos urgentes, bora
gao muitj reflectido, muito meditado por homeos. 1 especiaos, e de accordo com as vistas luminosas thesourjria da proviocia.
do seclo, e com ss neceisidades actuaes de to- u museu do gymnasio acha-se hoja muito aug-
dos os cidados, ao qu eu me atrevo a convi- mentado com as successivas remesis que do
dar V. Exc. cora a malor ioatancia. Amazonas |?ra o infatigarel professor de sclen-
Se Pernambuco comegir esta grande obra pela J* Mluraes diquelle instituto, Mr. Brunet; mas
modesta dolago de urna escola normal, as con- oecessario que a assembla proviocial consagre
diges a que me retiro, as outras provincias e o uma 1uola sufficieote para as deipezai, que este
Brasil inteiro o acompanharo infallivelmenteem D0V0 e imporlaotissimo ramo de ensino all re-
to nobre e adiantado caminho. clams, e crie o lugar de um preparador de ob-
No entanto, vou dar conta V. Exc. do estado Jec, oturaes, qua ajude ao respectivo profei-
em que se acha a iostruego da provincia, a mar- *or ,em 8eu! Irabalhos, e venha mais tarde a snbs-
cba que seguir desde o~ anno fiado, e as suas
maiores necessidades de momento.
DELEGACIAS LITTERARIAS.
Conla a provincia cincoenta a aeia dislrictos
litterarios, estando apenas por prover duas dele-
garas.
A experiencia,tem provado que a inslituigo
deatas agentes, taes como se acham credos, de
muito poucoa resultados praticos.
Nao duvido de que em parte tenha para isso
concorrido o desanimo de que elles te apoderara
em preieoga das difficuldades que se oppem a
titui-lo.
O zeloao a iolelligente regedor do gymnasio
I insta pela fundago de um horto botnico, que
'seria um sccessorio utilissimo do juseu, e am
copioso repositorio da Flora indgena e estran-
geirs.
| Creio que os bons desejos deste excedente func-
cionario nao podero ser satiifeitos seno depoii
de trasladada a institaico para o novo local, que
. se lhe destina.
E' com effeito uma daa primeiras necessidades
a a i testar, psra que a iostruego secundaria pro-
grida, e se diffunda amplamente na provincia, a
Comarca de Nazarelh.
Cidade e suas immediages.............
S. Vicente............................,.
Liraogeiras........................, ...
Alliaoga................................
Comarca do Limoeiro,
At 8 de marco.
vais..........................:.........
Bnm-Jirdim............................
Aiaga Funda..........................
Tabocas.................................
Feira da Unio e mais 13 engenhos___
Comarca de Pao d'Alho.
At 25 de fevereiro.
Ville, engenhos Lavagem, Oral, etc....
Freguezia da Luz (at 20 de fevereiro)..
Freguezia de S. Jos de Bezerros (al 27
de fevereiro).........................
Na cidade de Olinda....................
Na freguezia do Pogo da Panella (at o
1* de margo).........................
Na freguezia de Tracuohem (communl-
caces nao officiaes)..................
Na freguezia de S. Loureoco.......,
Cidade do Reeife e seus suburbios ( at
15 de margo)......I..................
Total dos bitos...
....
1151
90
404
319
120
993
72
12
13
33
237
"367
17
14
10
1
24
9
102
"84
2635
Apesar de minhas reiteradas ordens, de alguna
lugares accommettidos pela epidemia ainda nao
vieram as listas da mortalidade, e creio que ac-
tualmente deve exceder a 3,000 o numero dos fai-
teados.
Os slgarismos supra em relago com a popula-
go, as dlffereotes topograptiias, cuidadoi presta-
dos aos doeotes e outrsi ctrenrostancias mais das
localidades, de algum modo aatoriirn i contla-
dora espirar/cade qne, a nlo apparecerem, e a
que sejim satisfeitas as suas requisigoes de objec- breve concluso do formoso edificio do gymoaiio,
mi.PieC,8?, par" re8"'. dai aulas ;_ cujas obras o estado do thesouro provincial ha
mas qaanto a mtm o principal deleito consista na
falla da estmalos, que os conduztm ao bom
desempenho das obrigages que lbe sio pros-
criptas.
Sem uma iaspecgo activa e peraeverante, que
so ple naacer ou de dedicagoes muito especiaos,
ou do temor da responsabilidade sempre efficaz
quando acompanhada da perda de empregos con-
venientemente estipendiados, nada temos a es-
perar da iostruego elementar dada nss difieren-
tea escolas, que exiatem derramadas no interior
do paiz, fra das vistas do governo e da respecti-
va directora, e regidas por professores que, por
isso mesmo que sao mal retribuidos, nao podem
pela maior parte reunir as iadiipensAiais habili-
tacoes para o magisterio. Emquanto PJtaUlAP bou-
verem nos dislrictos litterarios dalsgaaStlaJai-
ligeotes e Ilustrados, desligados.di
pessoaes, que offeregam algumasgara
zelo pelos progrealat do ensino publico, laes co-
mo podem ser o juizes ds direito daa comarcas
com vencimeutos palo menos sufletentaa para o<-
correrem s despezas de t|;a,nsportjTiando p-
plicidos s vnitas das tttom. forcoso que nos
contentemos com o pouco qfr fazem o actuaes
delegados, alguns dos quaes, "Justig ]
feita, mostram-sa animados de muito boa vohta-
de pars corresponderem confiaoga'quaj nslles
foi depositada. *.. -
INSTRUCCAO PRIMARIA. 11
Ha creadaa na proviocia ceato e uma escolis
publicas primaras, sendo setenta e aove para i
sexo masculino a viote duas para o femenino.
Acham-s vagas nove escolaade meoinos eseis
de meninas, cujos concursos tero cedo lugar.
Sao demasiidamante exiguoa os actuaos orde-
nados dos professores pblicos. Se nos queremos
que os mesires dos fiIrlos da oago, em quem j
palpita a mgo futura, sejam homens habilitados,
e inteligentes, qu te deem a eate sacerdocio com
a dedieago e o esludo que elle reclama, e mis-
ter que um decente ordenado os venha rsgttsr
do estado de penuria em que vivem, cercando o
magisterio de graode Coosiderago e respeito.
V. Exc. deve aem duvida ter multo meditado
neste pooto vital dos nosios interesSes moraes, e
no intuito de melhorar a sorte desles bons ser-
vidores do estado, nao se descuidar de solicitar
daauembla legislativa provincial o seu valioso
concurso. -
O numero d< escolas publicas primarias da pro.
viocia mullo dimiaulo, principalmente di capi-
tal. Enlendo qua, en cada uma das freguaxias
por vezes psralysado.
Teoho feito correr ss possireia loteriss destina-
das a auxiliar semelhante empenho; e lisongeio-
me em acreditar que V. Exc. continuar a pro-
mover activamente este proveitoao recurso, e os
maii que o seu decidido amor eduesgo da mo-
cidade saber suggerir, para que a obra seja en-
tregue dentro em pouco ao seu magnifico des-
tino.
Abunda as ideas que por tantss rezes teem
ido emittidas com o fim de se tornaram validos
para as faculdades do imperio os exsmes feitos
no gymnasio profincial.
Perlenco primeira corporsgo da provincia
reclamar com muitissims instancia da assembla
geral legislativa esta providencia de primelro to-
mo, d'onde depende essencialmeote o futuro en-
brandecimeoto do gymnasio a a educaco subs-
tancial da geraglo, que entre nos ae levanta.
AULAS AVULSAS.
_ uou aula publica da latim na freguezia de
* doaia cidade, frequentida por 21 alumnos;
urna ni cidade de Gujaoua, requentada por 8, e
%utra enrSataielh, frecuentada por 2. Eotendo
qu* toda ati**, dagam aacaopprimilas a os res-
'II no gymnasio
olio i, porque
Vmc. com urgencia a deneza provavel com taes nao se deitarem formsr n
concert. *' i it .Dio Intensidad, pelo
novos focos de infecto,
menos a exiens&o da
Jfve cen-
proTocia.
abril o*-187
commercial
__o anno pas-
te o anno por
exadia dai res-
.vados; 5 foram
xamiosr-se, e 8 per-
pediros pt^^l
em tem
miolia
tra li*tr
Em ...
foi solem .
de Pernam
ado. laLell
31 alum'da, doa i
pectivas maUrua
reprovadoi; 3 diixara
deram o anno.
V. Exc. ae servir! de oble?fio corpo legislativo
da provincia a quota nec*ian4 para a Compra
de cartas geograpbicas, que* as aulas do curso ra-
clamsm, e par* as despezas do reapecUva. exp*.
diente, o que tudo nao orear: por mito fie JOOJ
a 3005. no correnle anno.
COLLEGO DE ORPHOS.
Couegio de Santa Thereza d* OUnda.
Em Janeiro do anno panado exiitiam nena col-
legio 6i educandos, dos quaes aahirem no V
meitre S, que foram entregue! a sasa mis, a
oeise mesmo perodo entrara 9. d sorte que,
ao comegir o V semestre, existiam 69, e esie
1 ainda o numero aue actualmente conta a col-
._ o numero que actualmente
desta populosa cid ida, necessaria a creigo delleglo.
maiidun cadeuasdo sexo masculino a amado! Os collegiaes precisara de roupa pira o invac*
femenino. 1 no, o ^e^ajo de .raraa obras da impottajiaa,
palavras de V. Exc. em seu
as quaes resumem a historia e o valor real desta
casa, e dizem os promptos soccorros que ella exi-
ge, para que nao morra.
Faltara a um dever sagrado se deixasse de
mencionar aqui este importante estibelecimento,
invocando para elle toda a protecgo da primeira
autoridade da provincia e da aasembla pro-
viocial.
As mais pias vistas de seu respeitavel funda-
dor, o iocansavel e benemrito Fr. Caetaoo de
Messina, ficaro burladas, e frustrados sero os
beneficios e importantes resultados que a religio
e o paiz poderlo colber daquella inslituigo, se
mo prestante e poderosa nao empeohar-se em
suiteota-la.
Alm de merecer toda a attengo, por ser o
nico estabelecimento de instruego que no ser-
to ha pira o sexo femioino, digno principal-
mente da maior protecgo, por ser um seguro
abrigo meninas pobres e desvalidas, que all
vo illustrar o espirito e formar o corago, segun-
do os santos preceitus do catholicismo. E elle
conta dos3 escolas de iostruego primaria, uma pa-
ra educandas internas, e outra para alumnas ex-
ternes. A aula externa tem estado sob a iospec-
go do delegtdo do districto litterario, que tem
remettido os respectivos mappas, e informado so-
bre a regolaridade da escola, a qual foi o anno
passado frequentada por 81 meninas.
a Comquanto o seu fundador tivesse podido por
meio de donativos, constildfr-lhe um pequeoo pa-
trimonio, consisteote em gado, com quauto a aa-
sembla provincial lhe tenha aonualmente votado
uma subveogo, lata aquello estabelecimento com
mil difficuldades fioanceiras. ingoem pder
deixar da recoohecer que to exiguo rendimento
oo poder chegar para as despezas do culto, gra-
flcago so capello, e sustentsgd de tantas edu-
candas
BIBLIOTHECA PUBLICA.
A bibliotbaca publica provincial encerra hoje
2:455 volumes assim classificados :
Tbeologis.......... 108
Jurisprudencias. .. 266
Srencias e artes .. 807
Bellas lettrss..... 636
Historia.............638
O respectivo bibliothecario solicita para all a
Isgislago brasileira algum as obras de historia pa-
tria, com pirticularidade as relativas a esta pro-
vincia, e a admisao necessaria de um servente.
V. Exc. lomar em devida coosiderago estas re-
quisiges.
INSTITUigAO PARTICULAR, PRIMARIA E SE-
CUNDARIA.
Existem coa autorisago legal em toda a pro-
vincia 118 eslabelecimeotos particulares de ins-
truego primaria e secundan, a saber :
38 escolas e collegios de instruego primaria
para o sexo masculino, que foram frequeotidos
por819 alumnos;
39 escolas e collegios da mesan calhegoria
para o sexo femioino, que foram frequentados por
585 meninas :
30 collegios e aulas avulsas de iostruego se-
cundaria para o sexo masculioo, frequentados
por 288 ilumoos ;
11 collegios e aulas da mesma csthegoria para
o aexo femioino, frequentados por 56 meoinas.
Ao todo 1748 alumnos, assim distribuidos :
1,404 de iostruego primaria.
344 de ioitrucgo secunlarta.'
Nao esto comprehendidos nesse quadro os
alumnos das escolas, que- pertencem a eslabele-
cimeotos genes, os quaes, por sua nstureza es-
capara iospecgo da* directora geaal da iostrue-
go publica.
DIVISO CIVIL E JUDICIARIA.
Por lei provincial n. 499 de 29 de maio do an-
no pasaado foi elevada calhegoria de villa a
povoago de N. S. do O'de Ipojuca, creando-se
all um municipio com os mesmos limites da fre-
guezia.
Foi eleita em 12 de Janeiro ultimo a respectiva
cmara municipal, que j se ach* fuoajeionando.
Verificando que no oovo termo havia-ae apura-
do o numero legal de juizes de facto, resolv por
seto de 14 deste mez cootidera-lo em cirenms-
tanciis de ter foro civil, para o fim de reunir-se
all um cooselbo de jurados, nos termos do art.
223 do regulamento o. 120 de 31 de Janeiro de
1842, e art 2* do decreto n. 276 de 24 de maio
de 1843.
E' esta a nica altersgo que soffreu ultima-
mente a divisSo civil e jodiciaria da provincia.
Muitos entrares admioiitraco da juatica e ao
aervigo publico em geral resulttm do seoaivel
deffeito, que aenota oa circomscrpgio territorial
de alguns municipios e fteguezias do interior. Ou
nao se harmoniaam as divisos civil, ecclesiastica
e judiciaria, ou ha em certos pontos coofuso de
limites, que coovem corrgir.
Ainda ha pouco suscitara-se uma queito de
limites no termo do Bom Cooselho, no lugar C'l-
deires, com o que lhe fica visioho na proviocia
fias Alagan, em que iotervieram as autoridades
superiores desta e daquella proviocia, e que pea-
de fia tnformagdes.
Seria muito til qua uma commisso composta
de merobroa di assembla provincial no iaterval-
lo de seas sesspes emprehendesse o tribalbo da
estndar, corrgir a precisar bem os limites, teodo
em attengo barmonisar em geral a dirsu da
provincia quinto aos differentei ramos da publica
dmioistrago.
Appenio a eate encontrar V. Exc. o quadro da
magistratura da provincia.
CULTO PUBLICO.
Muito ha a fazer nesse importante ramo do
servigo publieo.
De tods parto surgem reclamacoes justas o oe-
ceaeidadei reconbecidameota alteodiveia da ree-
dilctr, ou construir templos, aipoeialmonto aa
matrrtes em grande parla arruinadas e improprias
do sagrado ratsier a qua ae deatioanu ^
O brilho e fausto edificante ao cUo externo
!v*. o espirito fi cont8mp!ego. S. .Exc. Rvm.a pede ainda como medida inde-
clinavel, o augmento da congrua dos coadjaeto-
res, a qual e de jasliga, que seja elevada a 300
rs., metade da |que vencem oa parocbos. Por
falta desse augmento, que oo ser muito caro.
muilas matrzea ealo sem coadjuctor.
Corrgir os graves defeitos do oosso claro, dac
nova gerago de aacerdotea ama educaco mo-
ral, mais perfeila e conveoioote, adaptada sua
sagrada misso na aociedade, crear incentivo,
que os conviden a deixar a vida contemplativa
doa claustros, para irauavisar com a manaidio a
piedade evanglica a avidez e rudeza de costo-
mes no interior, principalmente nos remotos ser-
tes ; seria o mero mais efficaz de rttemperr aa)
creogarque nos legaram noasos pais, o eoatbaiar
0 funesto indifferenlismo religioso, que aa obser-
va por loda a parte, que se traduz pelo desprezo
dos templos, pelo esquecimeoto dos deveres mo-
raes ; seria maia uma garanta de seguraogae de
ordem, um proveltoso avaoco na marcha da eiti-
lisago, que encelamos. Neohum paiz precia
mais de mtssoesdo qu o Brasil.
Os importantes servigoa dos missiooarios de-
Hospicio da Peona provam exhaberaotaassole es-
ta verdade.
Cootam-se na provincia 61 freguezias, prvidas
todas com vigirios collados oa encommaodados,
e distribuidos assim :
Comirca da capital. 15
Cibo................ 2
Pao d'Alho ........ 3
Santo Anlo........ S
Nazarelh............ 2
Goianna............ 4
Rio Formoso........ 5
Limoeiro............ 3
Bonito.............. 7
Brejo............... 3
Garaohuoa........ 5
Flores.............. 3
Tacarata............ t
Bja-Visla.......... 5
Algumas teem coadjuclores. Ha 10 convantos ;
sendo 5 de S. Francisco, no Recite, em Olioda.
em Iguarass, em Ipojuca, a em Serubem ; 3
do Cirmo, no Reeife, em Goianna a em Olioda ;
1 de S. Bento em Olinda, e finalmente um Hos-
picio de S. d Peoha, no Reeife.
Existem finalmente 4 reeolhimeotos : o da Glo-
ria nesta cidaJe, o da Conceigo em Olinda, o do
Corago de Jess em Iguarass, e o da Soledad
em Goianoa.
A deficiencia das rends provinciaes nestes l-
timos lempos apenas nermittio-me despender
5000000 rs. com o recolbimento de Olioda, e man-
dar estregar em prestagoes de 2:0000000. segun-
do permiitissem os cofres, a quantia de8:0000 rs.
para as obras da matriz de S. Jos.
Estas deipezas esta va m auiorisadaa palos arta.
14 3 e 25 da lei do orgamento vigente.
IConlinuar-ee-ha]
COMMANDO DAS ARIAS.
Quartel-general do commando das
armaa Je Pernambuco na eMmato
do Bocife em S de abril de I.
ORDEM DO DIA N. 55.
O general commandante daa armaa, em coose-
quencia das ordens que lhe foram expedidas
pela presidencia em officio datado da 31 do mez
passado, determina que ama diviso eoapoeta
de duas brigadas sob o commando do Sr. coro-
nel gradusdo Hygino JoaCoelho, estoja postada
as tres e meia boras da tarde do dia A so largo
do Carino, afim de acompanbar a proeisslo do
Senhor Bom Jess dos Pasaos.
A primeira brigada ae compor do 1" batalho
de artilharia, do 2 a 3* de iofantaria da amarte
nacional deata cidade e ter por commandanta
o Sr. lente ceronel Rodolpho Jlo Barata do
Almeida ; e a segunda do 1 de infantaria te
mesma guarda nacional, do 2* a 10* de infanta
ra do exercito sob o commando do Sr. lente
coronel Jos da Silva Guimaraei.
A diviso ter sua (rmatnra primilta no pa-
teo de Pedro II pelaa tres horaa. Os Srs. cosa-
mandantes de diviso e brigadas escolherio os
seas empregidos d'entre os Srs. officiaes dos
corpos que arrumareis.
O esqu'dro decavallirla da guarda nacional
guarnecer ap o aodor e o palio.
Os Srs. officiaes do exercito qua nao marcha-
ren! na linba. sao coovidados a comparecern
aa igreja do Carmo pelaa tres e maia horas para
compaoharem a prociasio.
Assigoado.Solidonio Jo$i Antonio Pereira do
Lago.
Conforme. Candido Leal Ferreira. cabillo
judaote de ordens enearregado do detalhe.
ORDEM DO DIA N. 58.
O general commandanta daa aran tas certr
para conhecimento da guratelo que o governo
imperial hoave por bem spprovar por aviso te
ministerio da guerra de 21 do met panado, con-
forme deelarou a presideocla em officio dtate te
1* do eorrente, a deliberago que tomara ds man-
dar snspeoder os exerclcios nos corpos e fortale-
za, em qaanto dorar a epidemia do cholera ejor-
bos. Faz outro sim publico psra qne teaba o
devido effeilo, que spprovou o eogsjameoto qso
no dia 1* do crreme contrahice o cabo do ao-
quadra di 3* coapioMa do 2*ialho da iofan-
taria Manoel Antonio Doarado, e o aoldadoda Ia
eompanbia do 10 batalho da mesma arma Jas
Hermenegildo da Silva, para servir por mais
eais aones oss termos do decreto o regulameato
do 1* de mato de 1858, segando participaras os
reipeCttuss Srs. ommeosaitea em officios mar-
Lctdos ooat << ns. T e 308.
; AM*geado. Solidonio Jote Antonio *imm
afe'Loak
Confoime.CoMaKato/osl Ptrtira, aortas s>
Jttdtete de ordena. pregado do fiotalt*.


I


y
'!
DIA110 OB PEINAMBUCO. $EX% 1*1*1 4 DI ABRIL DE I8f*.
Jnxt-
dontet sera perd de lempo leoho mandado a-
Millas q a isto fe nao recueem como se deve
deduzlr do morimenio dtquelle hospital publi-
ASSEMULA LWSli^WPOttl "? ?""M0 JT..ff.i?^ri,egai,,,e:
PaoMae Gomes Pereira, is 9 horas da larde,
rejxiettido em continente pelo Sr. Dr. Ferrelra,
logo i;ue leve scieocia e e examinou.
"
SESSAO EM 3 DE ABRIL DE 186J.
Presidencia do Sr. Vitcont ttgt?evWT trefe?
As 11 horas e meia da rxiinhae falla chama-
da. Ten tica se hsrer numero laajp dtrSrt.
lados para a assmbla poderJBBJr
O Sr. Pretideote abre a tetada,
O Sr. 1* Secretario l a acta dan a
tjue e approvada.
O Sr. 1* Secretsrio meMiortaasteseJatei
EXPEDIENTE1..
Um requorimenlo da cmara municipal do ET
pedindo a modiueecio do 8\ ata. 25 ut. 2*, cap.
urrveo da rereita provincial, que exige 2J500 por
abeci de gido vaceum oMrassidb na provincia.
A* Commissao da oreamenlo pruviacial.
Outro da roeema, pedindo a Uansereoca da
fflwmi illa pata povoaco de Graoiloa. A'
co an mi ata o deattatielica.
Oulro da cmara municipal de Villa Bella pe
iodo que sji anuaxado so sen. teroio a fazend*
Je Atagoa d Hartuho.A' comcnitiao de esta-
tittica.
Dm reqaerimente de D. Joanna da Silva Medei-
roa, representando contra desudes do goveroo da
provincia, qae feretn os seas intereses, e pedindo
eer indemoisada do prejoiza que totfren coa a
perda de pane do aeu silio Peixinho. que Iha lr*
tomada par e-canaitttco do rio Beoertbe. A'
commissao da peticoet.
E* lido apoiado e entra, em diteuse o o seguate
parecer:
A commisaao de contttaica e poderes,
tjuem foram presentes a acta do collegio eleitoral
alo Buijue, e copia do ofllcio do presidente da
provincia pelo qual approvou s eleicao do juit e
pac da freguezia do Buique. atteodendo que esta
pprovaco Coi da eWiqao presidida por. Manoel
Camella de Siquelra, pela qual fot eleilo juiz. de
paz Jos Marques de Albuquerque. Cavalcanli, a
qnam nestt meama ecaaiao declamo o presiden -
la que competa presidir a eleicao de eleitores
mandada proceder pela cmara dos Sr?. deputa-
dos, or lar anntillado -a qae se te* em 1860; et-
tndeudo que ellctirameate se (ez a nova elai-
ao de ele-itores sob a presidencia de tal juiz de
paz, entretanto que outra ae altera sob a presi-
dencia do 2* juiz de paz da freguezia de Aguas-
Bailas; atteodendo que por forc daqueUa appro-
vteao do g ivorno, e pela reconhecida incompe-
tencia do juiz de paz de Aguaa- Bailas para presi-
dir a eleicao de eleitores do Buique, trulla a
ele-co feita sob tal praeideacis, a nada ha que
invalide a que se proceden sob a presidencia de
Josa Marquea de Albuquerqee Cavalcanli, bem
amo e-d*freguezia de Aguas-Bellas ; atteodendo
finalmente que raunidoa os vola dos eleitores
deeUs duas eleicoea sos dos collegios cujas elei -
cues foram j approvadas por esls assmbla, ae-
guem-se na orde.ro da votacid aot depurados j
jtaanhecidos os Sts. :
Padre Tito de Barros Correa com 109 votos.
Dr. Francisco Jos Pernsodes Gitiraas com 104
Totee.
Joio Braulio Correa e Silva com 88 rotos
oajtrus menos otados, de parecer que seja
recaobecido e declarado deputadopeio 4" distric-
10 o Sr. padre Tilo de Barro Corres, maedtn-
do-ae cntida-lo a vir tomar asaento
Sala das sassea 3 de abril de 1862.Joaqun
de Souza Res. Francisco do Reg Barros Br-
relo.
(Connuar-f-/io.)
r iess> me aottatidi
Registro de titulo da delegado..........
Registro de titulo de subdelegado......
Termo de juramento...................
Termo de Daaca........................
Pattaportet............................
Vialoa nos asesaos....................
LegilimtcSetT..........................
Portaras a favor de
1 '
6
6
*
%
beredot Josquim
Ceraltapti.
Salvador Pesaos.de Siqueira
M:
ffSStliljf.
Hada'rs
ais havendo tratar,
eecerteu a setsao.
o Sr. presidente
REVISTA DIARIA.
Na sesea o da honlem da assmbla provincial,
do spresentsdo o parecer da commissao ater-
ra do ultimo depatado do quarto circulo, depoit
de lguma diacuaeao, foram approvsdas as sosa
(oaciuaoes que aceiuvsm a eleicao de Buique
presidida pelo jaiz da paz Marques, edtclartvam
depatado o Sr. vigtrio Tito de Barros Corroa ;
o qual fui admittida ao recinto, teompaohado
palos Sr. Torres Baudeirs e Witravio, nomes-
cos para esta comunisan, prestando ee seguida
o respectivo juramento, bem como o Sr deputa-
<*t> Jos Antonio Lopes.
Em cooiequencis disto, acha'-se o referido cir-
culo com cinco deputados, devrndo ter lugar a
eleicao para a raga deizada pelo failecimento do
quarlo.
Oepois do que, passou a assmbla a oceu-
par-se da cootinuaco da eleicao da> commis-
sops, que eeacham compostas pelo modo se-
guate :
Coalas e despezas provieciMs.
Augusto de Souza Leo.
Airada.
freir, aatac
manta
' corddaaasreoa
condueco, e no respectivo exanre.
Ott :
Mana Rodrigues Cbsves, conduzids, s 11 ho-
ras da Quite, conalou-me a seu sofrimeuto s 9
e mela hora', (oi ezaminada trea quarloa de ora
depeia peto Sr. Dr. Osrolino, nao podeodo ter
sido ames por andar o mesmo am iguawt diliHa-
cas, a demora de hora e mala foi deuda a ilta
de recursos para a condueco naquella hora da
ooira.
-Bis 31.-
Romao Rodrigues Criares, reoolhido s 11 1|2
horas da maoha : tire sciencia no dia antece-
dente, na mesan* occasjo em qua fui informado
a respefto da mulher cima ola com quena e
mesmo morava:
Harendo elle soiTrdo da epiJemia, j sa icha-
ra em coovaleaeenca, e por isso nao quiz ir pora
o hospital; mas mandando no dia 31 saber como
se achara, nao lioha peiorado ; porm reaolreu
recolher-se ao hospital, para fazer companhia
aquella que era sa madrioha.
A'rita desta eiposigo. v-se claramente qae.
a demora que tem havido nao tem dependido
das autoridades que seoipre se tem mostrado so-
licitas, mas da parte dos dOeoles, que quando
commuolcam os seua incommodps, oo esto em
mo estado detale, ou recusara obstinadamen-
te os soccorros das enfermaras, em quanlo nio
ch'gsm ai ultm o periodo do mal.
Recite, 3 de abril de 1862.
Manoel Antonio de Jess Jnior.
Acabamos de recuDer noticias de Grvala, com
lata lio I.*, sa quaea nos traosmiltem s existen-
cia all do cholera, tendo j feito duas victimas
em pouess horss, e achando-ae diRetenles pea-
soas accomrr.eliilas do mesmo mal.
A populacho est era desanimo pela falla de
recursos, de que se recente aquella localidade;
e por isso solicitamos do Eus. Sr. ice-presiden-
te atgumas providencias promptas, allai de ser-
rur aquellea nimos aterrorisados pela ausencia
de medico e remedios com que possam combatet
o inimigo.
Achase mercado o prazo de quinze das
psra serem remettidot directora geral os rnsp.
pas dos alomaos de ustruccio primaria e secun-
daria daquelles prufestores.e directores de col-
legios, que em lempa deixararo de cumprir esse
dispsto na le, sob a comminocao da roesuaa le.
Hontem noite fui levada para o contento
do Carmo; a imagem do Seohor Bom Jess dos
Passos, sendo bastantemente concorrido o acto,
que estere decente.pela reRiosidade e compun-
cao com que foi acolhido em seu trajelo, lloje
4 tarde rollar ella i matriz do Corpo-Santo, se-
gundo uso.
Sis o nonagsimo terceiro
Uolelim oficial.
En um of&oio de 2 do correle., dirigido da
Conceico dos Milagrea presidencia da provin-
cia, comomnicou o Dr. Fraocwco Goncalvea de
Moraea que, Indo em companhia do, subdelegado
de Olind Francisco das Cbagas Salgueiro, no
dia antecedente, sos lugares denominados Alila-
gret, Praia de S. Francitco, Rio-Tapado, Rio-
Doce, Fernandinho, Junga, Pdo-irasreJJo, JVbs-
sa Senhora do O' e Conceico dos Uagres tioh<
encontrado no Jang urrn obolerica, em Pio-
Amarello qualro casos do choleros, e no ultimo
dos mencionados lagares oulros qualro, sendo
um de cholera, um de lypho que eslava mal, e
dousdecbolerina, eaccresceotou.que nesse mes-
mo lugar j ae haviam dado dous casos de mor-
te, em conseqnercia do cholera antes de aua
ebegada, um no dia 25 do correle e outro uo
dia immedjato, ero mi e filba, e se schsva ca-
hido o marido da fallecida e um lho que o dito
facultativo repulan mal.
A's 6 horas da larde do 3 de abril de 1862
a Dat-Aquino Fonceca.
Receiu de
narco
Despeza ideni
Nelto.
Cintra.
JJuarque.
Baro de
Coramercio e obras publicas.

Vera-Cruz.
_ Redacco de leis.
Feoeloa.
Lacena.
Theodoro.
Iustruccao publica.
Torres Bandeira.
Araujo Barros.
Francisco Joo.
Eslatistica e diro civil.
Pioto de Campos,
Agaiar.
Bario de Muribecs.
Justica civil e criminal.
Araujo Barros.
Cata abo.
Theodoro.
Negocios ecclesiasticof.
Pinto de Campos.^
Tito.
Cunta e Figueiredo.
Posturas de cmara?.
Pedro Affoaso.
Aguiar.
Anseeal.
Rendss mosicipaes e coalas.
Cintra.
Wtrnvfo.
Veiga Pessos.
Sade publica.
Jos A. Lopes.
Francisco Pedro.
A. Gitirans.
Pets6es.
Ignacio Josquim.
Vaaturado.
Arvaro.
Wtruvlo.
Torres Bmdelrr.
'Pedro Affoaso:
Ordenados.
Ignacio Joaqoim.
Alvaro.
Vaacurado,
Terminados estes trabalhos foi levantada a
setto, sendo dado para dtscusso de hoje os
pareceres adiados, as posturas addicionaes da
cansara desta cidadd, e'ar apresenladas em 31
de margo do anno Ando; bem como as posturas
addicionaes da cmara do Cabo, e aquellas de Si
Bento.
No dia 2 deixou de baver sessao por eila-
rem annojados varios seohores deputados, pa-
retrtes do commenrJador Antonio de Paula Souza
Leab, que fallecer. Ora achando-ae a casa com
22 membros, e s podendo fonccloosr com a pre-
aeoca de 20, que constltue o numero legal para
isto, valo que qnalquer falta imposibilita o
haversesaio; e quando easa falta liga-se a urna
causa lagttima, qoe a indictrds, 6'fallar a ermo o
argul-la por modos menos convenientes.
O Sr. Manoel Antonia do Jess Jnior, sub-
delegado desta freguezia, reroetle-noa a saguinia
coraeapondencia com relacio a coarnuoieacao
qae tiremos sobre o hospital da ordem tereeira"
da8. Francisco.
Sri. redctate. Leudo boje na Rstiito,
Diaria de su muiconceitaada folha uaarecom-
mendeio falta paJa veneravel ordem tereeira da
S. Francisco as autoridadea que esiao toaarre-
gaaa de mandar cbolericos paca. o hospital da -
quella verwravel ordesa, para qua nao os mita
nos ltimos momentoa da vida, a&m da blo da-
LeglslacSo.
Secretaria de polica de Pernanjbuco_l,4e. Desjezaideni
Buril O secretario,
Dr. Joaquina. Joti d Campos.
RKPARTigio o* roucu. Extracto da parle
de 3 da abril.
Focan recalhidos asa de detoneao no dia 2
do cerrante :
A-' ordem do ltlm. Sr. Dr. chafa de pellci,
Joio Diogo da Costa, preto, da 18 aanos de ida-
da, canteire ; Simio Teitaira da Silva, indio,
da 23 annos, agricultor, ambos para recrulaa ; e
Columbo Pereira de Moraee, branco, de 13 an*
no, negociante^ indigiado em crirne de teniatlva
de morte 00 termo de Iguarassu'.
A' ordem do r. juiz. municipal da. 1.a vara-
Pedro Rufino do' Reg, branco, de 35 snnos, vive
de negocio ; por se acar coodemnado 4 doaa
mezas de prisao e multa correapondente mela-
do do lempo.
A' ordem do subdelegado de Santo Antonio,
Umbalina do Coradlo de Jess, parda, de 30 an -
noa, coitureire, purear encontrada foca da horaa.
proferindo palavraobscena; Antonio, preto de
40 aoooa, oarreiro, escravo de Maouet Kscovar,
por andar fgido ; e Felismino Jos de Smt'An-
na, relo, de 22 ano, canoeiro. por insultos.
A! ordem do da Boa-vista, Francisco .SWriins
Moreir, branco, da 32 anona eior, por aspan
camento feito em aua propria mulher.
O chafa da secunda seccao, J. G.deUf-
fataast
ATADOUHO PDBLfCa.
MaUram-se para o coiisummo desta cidade no
dia 3 de abril, 32 rezea.
Moviment') do hospital da Nossa Senhora
da Conceico dos laxaros; do Io ae ullimo de
marco de 1862.
Bliatiam lhomens e 15 mullieres ; total 30.
Nao houverem entradas neta aahida, ficando
existid do os meamos.
atOnTAUDADB DO DA 3 DB ABS1L :
Manoel, Pernambuco, 7 mezes, S. Jos; es-
pssm.o.
Mari, Pernambuco, 1 anno, Boa-vista ; con-
ajaJasVaBa
Jos, Pernambuco, 6mezes, S. Jos; tenia.
Maria Magdalena Brasileir, Pernambuco, 24
annos. soitetra, parda, Santo Antonio ; cho-
lera.
Mari., Pernambuco, 6 mezes, S. Jos; coo-
vulies.
Marcolioa. Pernambuco, 18 anuos, solteira, es-
cravo. Poco da Panella ; cholera.
Belarmino Ezequiel Gardoso, Pernambuco, 17
aunos, solieiro, Boa-Vista, hepalile chr-nica.
Maria, Pernambuco, 1 anno, Becife, intorite
aguda.
Maria Mandas Teixeira, Pernambuco, 50 annoa,
casaui, Santo Antonio ; gMtro-abagta.
Ignacio, Pernambuco, 15 mezes, S. Jos ;
convalsta.
Thesoorajkriaajsravlnciail.
I0NSTRAQAO DO SjJBtVb MMTEXCB *K CA1XA DO
*fSf DE M *ARS
o em 28 de feverei'
prximo passado. HsSJbIl
arB25|S43
83l7S?67
i;-; '
Josquim Jaclotho.................... IOS ,(
Feliciano Josquim da Costa ........ 78 rali mTr..!ri,,.C d" eor,*-
Ernesto: Cele.ti,o de Mendonc........ 87 Zt^^X^^Z^S^'*'*
*r wd*a^Meisiraail85:
JosJoaquImFerreira. ..
Pedro do Athayde....................
ta
arco.
Saldo. ". .
45:458(176
DEMONSTRACO DO SALDO EXISTENTE KA CA1XA DO PA-
TRIMONIO DOS OrlPIIos NO EX8RCIC10 D* 1881 A
1862, EM 31 DE MARCO DB 1863.
Saldo em 28 de fb'ere
ro-preximo passado
1 a 28 de
16:5135119
4:302$823
20:815994-2
5:8099895
Sallo .... 15:0069047
Reparticao da policio :
Resumo, do expediente feito pela secretara da
polica durante o mes de margo prximo
(indo.
Oficios dirigidos. N." de officios.
a presidencis.......................... 156
Ao commaodante das armas........... 34
Ao Exro. hispo diocesano.............. 2
Ao presidente da relaco............... 2
Ao Dr. chefe de pollcia da Parahiba... 9
Ao d do Rio Grande do
Norte........... 2
v > do Cear......... 6
do Maranhao.... 2
do Para.......... 2
do Amazonas.... 2
B do Piauhy....... 2
a das Maguas....... 4.
deSergipe....... 2
da Rahia......... 4
do Espirito Santo 2
da Cd:te......... 2
do Rio de Janeiro 2
v deltinasGeraes.. 2
de S. Paulo...A. 2
do Parar........ 2
de Goyas....... 2
* do Mallo Grosao.. 2
:> de Santa Catha-
rina............. 2
a do Rio Grande do
Su.............
Ao juiz de direito da comarca de Santo
Anto....

o
Ao
Ao
Ao
Ao
Ao
Ao
Ao
Ao
Ao
Ao
Ao
Ao
A
Ao
Ao a
Ao
Ao
Ao >

B


>
*
>

B

B
B
>
Ao
tAo
Ao i>
Ao I> <
Ao
Ao B
Ao >
Ae B
A B
Ao D

aaeaed.tar o hospital da masas venara val oree m,
qua la lao boro grado se oSarecau. a qaiv pode i"
pratdar grandes aervicos a haanaalaae, le, a
deseado dea na.xiualidade de auUolpgaoo desta
freguezia arredar qua la uer censara que por av-
maUtaote reeommeodafia asa posas aabar^ caaa-
pre-me responder aquella veoaaaval otdeao, qae
qualle hospital, nenhuma demora tem hsvsoda
ledo ao mes ceobtlmBto a sxistaasia de laea
do Cabo...
doltioFur-
moao.....
Ao b do'Bonito.
Ao deGara-
nhuaa,..
Ao promotor publicado termo da capital
*o bi' b doGotanna
Ao juiz municipal da 1" *re...........
de termo de Guianoa
a d de Naza-
relh.....
> do Cabo..
B de Santo
Anto ..
b da Estada
de Seri-
-nbaem..
de Gara-
bbbbbbbY*
da 2* vara da
capital do
Marauhao
Ao juiz de direito especial do commer-
i c*0...........................-.......
Ao juiz de orpbaos e auaentas da ca-
P* :.........r
Ao Dr. Joo Aotonio de Araujo Freites
y. lenriques .....
Ao causal ingles ........-:
Ao contal de Portugal............j.....
Ao comoandante de corpa da polica..
Ao' commauoante do presidio de Fer-
nando. .i .- i .
Ao coteraandaote superior da guarda
nacjeoal do municipio dossacMe....
Ao commaodante da estacao naval....
Ao do vapor Joinviltt...
Ao b Parmn .
Ao do forte do Bu-
rato .
a cmara moolerpal da Cabo..........
Ao inspector do arsenal de roarinha...
Aw a- da ibeiourtria de fazenda
Ao director 4o arsenal se guerra. i. *<
Ao lenatita Joto Partir Lagos ...
A o > presideflie do club cotsmtercM .
AorcotoaetiJoaoJuaGovtla. .
Ao feruetedor dos presos r^ebrea da"ee>-
sa de delengao........
Ao escrivio do jalz d capitel .
Ao administrador do corro......,....
V tibiterla p.-
" afllT'aT >
Ao ofBcial encarregado de visita da
P** ..ir^rth...........,......
Ao delegadas drpolidte...............
MttalBlatpadar eMadrdetaojglo...,.
_^ias da di>Ma*aeesomeisei......
{{Jg^d"-.................
WlolPreBjj OBjf^tv ATiitir ....,.,,
CHRONICAJUDICIARIft.
. Tribunal do commercio.
SESSAO ADMINISTRATIVA EM 3 DE ABBIL
DE 1862.
rnESIDEHCU DO E.XM. SR. DESIBSARGADOB
F. A. DESOUZA.
A a 10 horas da manhaa-, reunidos os Srs. de-
putados Reg, Lemos, Bastos e Silveira, o Sr.
presidente declarou abarla a sesteo, sendo litfa
e approvada a acta da ultima.
EXPEDIENTE.
Un officio do meritisaimo tribunal do com-
marcio da capital do imperio de 17 de marco
prximo pastado, acempanhanrto urna relacao
doacommerciantee que matriculavam-se ailiern
jtueiro e tevereiro do correle anno. Acense se
a recepcao e arebive-se.
Foram presentaa sa cotseoes ofBcises- dos pro-
cos correales da prac. da" ultima semanaAr-
chtve-se< '
DESPACHOS.
Um requerojooto do corretor geral- Aotonio
Boleiho Pinto de Meeqaita Juoter, pedindo o de-
feriraento de aiaa peticao, visto tor aalisfoito o
despacho de 27 do correte.Passe portara por
sen mezes de licence.
Outro de Olimpio Ferreira da Silva, pedindo
ser norneado agente de leileea desti praca.
Haja vista ao seohor desembargador scai.
Outro de Leonel de Lscerda Machado, pedin-
do o registro da sua oomeacSo de caixoiro dos
commerciantes Fernaadee irnsaea. Regis-
tre-te. 0
Outro de Domingos Aires Ualheot, e Antonio
LopeRodrigues, pedindo o registro do distrato
de sua socieeede.Regutre-se.
Outro de Luiz Aotonio Rodrigues de Almeida,
informado pelo S*. deaemoargador fiscal, pedindo
ser nomeido agente de le loes desta praca.
Preste lieaca.-
Um requerimento de Lnlgardes Aureliane de
Figuetredo, tambera visto pelo Sr. desembarga-
dor fitcal, pedindo matricular-se. Cuma ra-
quee a>
Outro de Hermino Bgyiio de Figueiredo, igual-
mente visto, pedindo matricular-se. O mesmo
despacho.
Outro de' Jos Soares Pinto Crrela e Jeo Lu-
cio Meoleiro da Franc, peoindo o registro do seu
contrato social. Registre-se.
Ostro de JeaoOuirioo de Agnilar. pediodo o
registro de sua sociedade em co ni mandila com
Mtooel da Silva Santos.-Viata ao Sr. desembar-
gador Ostart.
Outro de Antonio Maria O'Connell )rrsy, pe-
dindo o registro de urna copia de prucoracio que
ajuBta.Como reatan
Outro de Frauciseo Ferreira da Silva e Domin-
go Bernardo da Conhaj pedindo o registra de
um contrato de aireadamente. Como reque-
re m.
Oulroe Caelano Cyriaco da Costa Moreira &
rmeos, pedindo o registro de um contrato que
ajuntam.Registre-se.
Nada maia honve.
DEM0tSTnCA0 DO BXT.D0 EXlSUWtE HA CMXA DB
DBrOSITOS EM 31 DB MARBC0 DB 1862.
Saldo em 28dfeverei>
ro prximo passado 218:595#719
Receita de 1 a 31 da
marco. .^ 2:3719900
.-------250:9679619
Despezaidem......., 6759400
Miguel Alves Lima
Luis de Franca Soares......:.........
Fructuoso Pereira do Nascimeoto.
Antonio Prescitas Fsrrairt.
43
.,
> :
2 dorreapolSeoels do Diario de 'Ptrnmmhut,
2* *btfioofrarecaaaos tos leitoresama coala do
Cmara zauniataal da
1862.
Reeit, i de abril de
Jori+lKemr Fcri+ir'Lope*.
Saldo.
250:2921219
DBMONSTHAQAO DO SALOO EXISTENTE
ESPECIAL DAS AP0L1CES EM 31 DE
1862.
Saldo em28 de teverei-
ro prximo passado. 18 6OO5OOO
KA. CAIXA
MARCO DB
Receita de
marco .
1 a 31 de
Despeza idem
18:6009000
4)
Saldo
18:6O0JO00
DKMONSTBAlIAO DO SALDO EXISTENTE NA CAIXA ESPE-
CIAL DO CAL0AME3TO DAS RAS DESTA CIDADE BM 31
DB MASCO DE 1862.
Saldo em 28 de leverei-
ro prximo passado 141*770
Receita de 1 a 31 de
mrso......1:2158000
Despeza idem.
1:3581770
1:0008000
Saldo.
3069770
DEXOffSTRACAO DO SALDO BX1STEMTB NA CAIXA DB
AMORTIZADO DAS AP0LICES DA DIVIDA PUSUCA
B PAGAMENTO DO RESPECTIVO UROS EM 31 DB
MARCO DE 1861.
Saldo em 28 de feverei-
ro prximo pastado. 1:3409049
Receita de 1 a 31 de
marco...... $
Despeza idem.
1:3409049
1059750
Saldo.
1:2349299
DEMONSTRADO DO SALDO EXISTENTE NA CAIXA DE
aXORTISACAO DAS APOLICES B PAGAMENTO DO RES-
PECTIVO JURO EM 31 DB MARCO DB 1862.
V Saldo em 28 de f- ve rer o
prximo passado 4:769*694
Receita de:
marco .
1 a 31 de
Despezaidem.
4.7699894
9
Saldo.
4:769*694
0 theaoureir,
Thomaz Jte de Siloa Gutmo.
O eserivao,
Antonio Maria de Faria Ifeves.
NOVO BANCO DE PERNAMBUCO.
Balando do Novo Banco de Per-
era 31 de marco de 186t.
ACTIVO-
Apolir.es da divida publica ...... 5738005000
Estrada de ferro de Pedro II...... 104:090I80l
Estrada de forro da Baha........ 108:998*010
Depsitos......... 80:0009000
Joias depositadas. ..... 5:73S$280
Lettas caucionadas...... 4:5308000
Letiasdescontadas. '. 2jH3:075$U11
Letras protestadas..... 106:1b7B90
Remeseas........ 8:49r^909
Banco da Babia S/C 6:621$ji9
Alugue de casa...... 5259000
Fornecimenlo....... 7:7669485
Bremtos de ttulos de garantia. 8 839*526
Juros.......... 1:189*947
Despezas geraes ................. 98*9893
Caixa.......................... 394:0718568
Ri. 4.323:7799768

SESSAO JUDICIARIA EM 3 DE ABRIL
DE 1862.
PRESIDENCIA DO EXM. 3R. DESEMBARGADOR
OUZA.
Secretario, Julio Guimaraet.
A_ meia hora, o Exm. Sr. presidente abri
sassae, eetaedo preeeotee os seohotes desembsr-
gador Silva Gumaraes, e depuiadoa Reao Lo-
mos, Btttos e Stlvatra. '
Lid, foi approvada a acta da sessao ante*
rior. ?
'tttJmSr aSr-*M^b,r*^'Vn,arPfk
Foi astigoado oaeeerio pTofrrtr) na sestee
anlecedeei*. entrv* ptrtei *
ApptlltBte, AtAeota Rodrigaas deSooza; ap
petlado, Lz AnrMle de Soaza Rlberro. '
Appellanta, J*ao oe-^aatra Ferrad a outro
paatlades, SootbaAiMaavav%d Designado a prttaaW da ir.
: AppellaBie, Vlatevlno- ^Almeida Resello :
appallado, Msooel Jos*dt>lva Prneo>l.
' Ao Sr. detembargadet SHt Gurdwrtes
di A Sr.desemBargkdar Villares.
BILICINCIAS.
Em oaro amoedalo
Era netas do thesouro menores
de 10*000 .......
Em ditas de oulros valorea .
Em notas da caixa filial do Ran-
eo do Brasil......
Em notas oo No-
vo Banco da
Peraatabaao :
1 sendo de va*
lord 2009080 5:80M)O0t)
dem do alor da
1O0SO0O....... 4:3dJTJ9M0
dem da de 50g
1
i
549
101
iaa
apsMridfJl Mi
Vista i partes.
Apoelltntee. Mimarse & OHftJrfa ; apnellt-
d. Meetjti Jaei-IJefre; le^menteiro dbYea
dp aaadoJesdrSivaPftit.- ^ ,0Pm
Vrtta la partet.
AppWWntd'.^AiftonW JdttJ Ws; ippellado,
Jaa Alves da Sil vi Gaitfiarae.
; fSBfn
,j%>pevlaBl, Antonio Jos Diss ,
1 Mtnoel Joaquim Dita de Catiro.
7 i Ilem.
l'
ppelltdo,

903 V Eartdrgintes, Dlofd, Plfte 4 Compsnhi.; em- Imiano & Lucts dd Moli'.'.'.'.'.'.
PASSIVO.
Capital.........
Emisso........ .
Depsitos da direccao .
Lelras por dinheiro recetado
juros .........
Contaa correntos com juros .
Fundo de reserva......
Ttulos em-cauco.....
Knowles Foster (de Londres) .
Jos Antonio de Figueiredo J-
nior (Ko de Janeiro) .. .
Banco da Baha N/C .
Letras a pagar.......
Saques).........
Dividendos........
Commissao do fiscal..............
Premios de saques e remessa.
Desceios.........................
.-, 2,000:0005000
. l,47O:3OO$0O0
80:000000
56:1893238
4i7:l09506
57:8489852
5:7358280
3:2259734
6009716
13:89294*5
1:813*980
18:09ogO90
25:406*000
1:500*000
1539891
1418689360
Ris. 4^x3:7799768.
DeBuonstrat^to do estado ote
3:4709000
2:3119000
384^309060
lr:1609O00
jrrata -a eabae
Demonstra'.
4267 notas do valor de
464> b *
9960 >
12:1509000
250*068
Bis, 394:0719,568
emissao.
858 4009000
463:906*009
Ris i;4TO3OrjjO0
WadalMv,
Francisco Je*om reir rhrro;
Camar monicipI Matadouro publico da ciidi do Retn.
Mtaramae para consumo d*st cidade no
mi de marco do correaW ono 2,547 reze, coni-
taotet da reltgiolofra.
Joio Jos de Vedaros.............. 451
VenoesISo Machado Freir Pereira da
Silva, .........f.,,,,,..........,.
noel de Sduza tafite...........
fgloio Beracio d FriUa ........
ao Chrrtostomo de Albuqueratte.
oel P.Qltde Albu^erqne......
Vlbrtc(>-Cnd(fb da Paz............
Luiz Antbnlo driirtos..............
.
187

" 4
1
(aorrespofldenciasT
Comarca de Santo Anto.
Victoria, 30 de margo de 1862.
Mee charo amigo.As nottaa proviadea foram
infelizmente reslieadts. A esttrjlo teropre ex-
cesslament calmosa apesar das churas copiosts
induza-Doa a crr, que torteaos da soffrer algu-
ma cousa; ecomo esse terrivel inimigoo cho-
lera-morbusreapparecera em diversos pontos
da provincia depoia de aatr annoa. naj detxav*-
moa de receiar, qae elle nbe eaquecido doa es-
tragos, que enllo fizera netla cidade, lantaaseuta
segundo assatto; e de tacto ssstnj acontecen,
apoasaodO'Se delta nio eom tanta forca como da
ves paasada o mesmo ataim j tem auccumbido no
tea ptimeiro impeto al ata hora (9 da noite) 6
doa feridot gravemente.
Pelo que o Sr. Dr. juiz de direito Jote Felipas
de Soaza Lio, pera oppor alguma barreira ae
inimigo devastador, reuoindo aa tarde de 28, un
grande eontelho na caaa da sea retidencia, ah
conveio-se, que se elegeste urna commissao cen-
tral, d'onde emanassam as providencias necessa-
ria para aocarr a aquelladot acoaaameUiuas
que nectssilassem, e paca felicitar oa meios, thi
mesmo abno-se umt subscrtpcao entre as pessots
que se aoharam prsenle, a qual renden anstre-
zenlos e tantos mil ris. e pastando a tratar da sua
coojposicao, foram nomeados os Srs. Dr. Pedro
Secundino Mandes Lina, juiz municipal do termo,
alfares Alexaodre Jos de Hollanda Cavalcanli de-
legado de polica, o tvu. vigarlo Francisco Xa-
vier das Sanios e o coronel Tiburlino pinto de
Almeida.
Alm desta foram ostras nomeadae por bairres
em que foi dividida a cidade.
Tambem j est designada urna casa commoda
para o hoapilal dot indigentes.
Com quanlo, porm, bouveasem as victimas ja
indicadas, todava o povo esl animado; e a feira
foi bastantemente coocorrida, prora de sua ani-
madlo.
O Rvd. vigario acha-se s, e por itto.com um
trabalho pesadisaimo, percorrendo j a p, j a
cavsllo as catts doa affeclados para ministrar-Ibes
o pasto espiritual.
Em alguna pontos dos suburbios se estabelece-
ram cemitenoa para asiobuma^es doa cada reres
das pessoas, que fallecessem fura da cidade pata
evitar-ae a aglomaracao dentro.
Emfim tomadas as providencias postiveit, es-
peremos oa Misericordia Divina, que nao not de-
samparar.
Daos quera que os nossos coracoes a vista de
tantoa flagelos se lornem maia humanos ecarido-
sot arredando lanas intrigas, e desejos de vin
gangas.
fiaala por agora : eu volttrei.
O Noliciador.
PablienQoes a peoido.
ATTEN1HTE !
Diario de 4 de feveriro de 1856 :
Um trecho do officio do presidente em 27 de
jmeiro, an delegado de Santo Anto.
Nao desespero aioda de boje mesmo fazer
seguir para ah o medico que trato de obter ; e-
guem, porm jl um religioso do Carmo eum ca-
puebinho, que com louvavel dedicaco acabamde^
se offerecer para irem auxiliar aos poucos sacer-
dotes que se acham extenuados de torcas com
a lide que hao lido, etc.
Diario de 4 de feveriro de 1856 :
Dm trecho do Retrospecto Semanal.
i Em Saoto Antio qoe o cholera tem osten-
tado todo o seu furor, e feito um colbaita borri-
vel. Calcula-se a muttalidade em 40 a 50 pessoas
diarias. O missionario capachinho e o religioso
carmelita mui valiosos Bervicea tem prestado, les-
tamuDharam urna sublime dedicacaq, verdadeira-
meute evanglica, em favor dot tccommeltidot.
Diatribuiam tndot os soccorros que podiam, como
confessores, como mdicos e como enfermeiros,
sem dormirem oem de dia era I noite. Final-
mente depois de urna lido infinita de 4 nones e
4 das soccessivot, o religioso da Penha foi ata-
cado da epidemia, eainda neste caso nio se pou-
pava aada. J nao podendo ter til, meltera-te
n'um carro em companhia do religioso carmelita
Fr. Hercolaoo. e recolheu-se a esta cidade.-O
Ctrmelit Fr. Hercnlano fdltou para Sanio Antlo
juotamente com outro companheiro damesma or
em, que ae offereceu espoutanetmeote ao go-
verno. E'este certameote o comportamento qoe
carcter isa o digno ministro de Chnsto ; e pela
nossa parte, sempre estaremos promptos a regs
tramas columnas do nosso jornal actos desti
oatureza, o a glorificar aqoelles que o pra-
ticam etc. ,
Diario de 6 de feveriro de 1856 :
Officio do presidente ao delegado de Santo An-
to em 2 de feveriro:
Em resposta ao seu officio de 31 de Janeiro,
hoje recebido, tenho a dizer que o carmelita Fr.
11-rculaoo do Corceo do Jetes, havendo acom-
paohade o mtsslonatie Fr. Sertphim que o'.rii
viera doente, volt agora mesmo aeompanhado
de mais Ooas regilosea da sua ordem, que espon-
tneamente se offerecerara para pteatar ah os
servlcos que ascircnmslanciaa reclamam. Ji re-
meta os objectos por Vine; reqavsrtados para
combater a epidemia, e exped ordem aba de ae
gutr para essa comarca um. destacamento de 12
pragaa ; cumpriodo, porm, que noa enterramen-
tos sejam ellas auxiliadas por outras pessoaa qae
Vmc. chamar! para tal fia, certoa de que, serv-
eos desta ordem nao devem pesar aobre urna
ciaste.
< Esoero que Vmc. continuar a empregtr todo
o aeu zelo em animar a populaco o fazer com
qae reioe a rae loor ordem na exececo das pro-
videncias.
Diario de 6 feveriro de 1856 :
A folhaa 2, no Diario dt Pernambuco cor-
retpondencias : >
c Svgundo um officio do delegado tuppleote
de Santo Anto, em data de 3 do correte, as 2
horas da tarde, e recebido bontem, contta que i
quella hora fleavao sepultados lodos os cadve-
res que desganadamente alada nao haviam sido ;
e ene importante e inapreciavel servico pratica-
do sob a benemrita devocae do Rvd. carmelita
Fr. Herculano
Diz mais abaixo no bolelim do cholera : _
c O delegado de Sanio Antio participa em offi-
cio de 3 do corrente, recebido meia hora depoia
do meio dia, que haviam sido sepultados todos
os cadveres que exisrlam insepultos, fazendo-se
Isto sob a direccao de Fr. Herculano ctrme-
lit.
, Otario de 6 de feveriro de 1856 :
. Um trecho do commanicado Om encommio
aos religiosos carmelitas :
Achando-te acidada da Victoria patio da
hortivel epidemia, e tentindo falia de aacerdoUa
para ministrar o contolo espiritual o Rd. pro-
vincial tendo sclencU listo. ofTereoeu-logo ao go
veroo, a bem da humaoldade, doos religioso! de
seu convento ; e sendo aceito o onarecimenio.
eneelivamenle parti no dit 27 do ptssado o re
ligioso carmelita Fr. Herculano na companhia do
miaaionario Fr. Serapbinr, e apenaa cnegarem te
logar de Stnlo Antio entrara logo oo campo da
batalha npldemica,ie pressurosot n>imstrtm o con-
solo espiritual ao accommjttidoa, e at medi-
cando aos infelizes, pela carencia de facultativos.
tornando-te desierto elle o santelmos daquelle
povo que geralmente dlzit dous radea que
vieram, fortm dbas tnjot mandados por Deut,
Ota.
No flm diz :
< Tendo j concluido este commanicado, sabe-
mos qua .ebegera de Santo Aotaavo Rvd. padre
Fr, Herculano. conduzindo o mlttionarioFr. Se-
raphlm, que all fra titeado ; a aqu*)le religio-
so dlpois de ler ama tudieociacom o.,Em- re-
sideote, alodt fatigado, pirte no outra dU para a
reatorio i|i Bjajf Rvd. Fr. Herealtao icerca doa
suctaasot tMCOBBBfet na cidade da Victoria aoe aV-
timaa daaadt aatsatnt pastada, feito ao previa-
cintk ate.
< ai aV Hevoel de Santa Aaaa, qM esU
doetata a-oatra(/r. Manoel de Sania data) vai
acoBapanla-lo. mal eom o favor de Doaa val
meisaa- qaeaii acabado, por taoto, ee ci Ito,
peca a Nossa Senhora de Carme por mita, aa le-
* f nell, qae-ote hada valer.
c Cmo eu teha ei sabido das mentiras i
por M se tem dito; emotivo porqae
municar lado come ae tete pateada, a
que Nossa Senhora do Carme me ajada a ate d
forcea o valor aera ir al ao flm de ltate.
< No dia 2 desie qua fe gusale a>
de voltt, palta 3 boraa de urde, e sove
muito contente, e todos me ateeveraado aae <
lavam batttotes corpot ioaepalles. la trate
go de ir ver alga mas petwots, e da i
cada veres ; porm no outro di qua fot
quando fui para dizer mista juutoa-aei
cao de pessoaa para astialusse t iatiHa>a_>
achei etla occasio opportuns par>|aDaar-lba a
desempeaho da caraaada para coa ee- aserta*,
como fazia Tubias ; e no meio da atiesa dirigi-me
ao.povo e dlsse :Uaut irn.oa, vda sais lesie-
munhat ocultres do castigo de eta Deas irada pa-
los oostos crirars, urecito qae aos ftes-aes
da noata parte oirs Ues, qae alie sa dajta pre-
digtlittr-nossat misericordia, deveado ter a pri-
meirara cariaMe lie racatataeaeetlts a>
Chritlo. Impat defetsa de eoedieocU
msos que foseaos enterrar ee SBsrtee ee i
terio, e as mulheres qae foaaera bascar leeha
deitatsem sea ruta para se ftzar vegetarte, a st>
tssim ae baesaeta Deas Ihee tascara aaaa tra-
meoda mtldtcao, e perganiai ; para caabeswr a
tentimeolo de todos, se ellas qutriaai aar acaal-
dicaados por D*ua, ou deaejevam aleaaear de
Deua o perdi ? Todoa responder* : <
mos alcancer o perdi do Deas.
I tu posto,a i-a bando! mista miodei qae I
fizeatem o qoe Ibea bavia dettravioade, a qae
promptameole execataraa. Lancei ato de 01
cruciiixo deilei ao pesclo e foi ao cemiterio, on-
de achei mata de 400 paeoaa para e serveaa. a
principie! cosa o trb*lrio nontino, aaa atiaa
covat, oulros enterrando corpoe j de Irse diaav
sobre a trra, oa quaea exalavaaa miaaiaaa paUi-
do ; e quando alguna per ventura ae receavata,
eu am freate dellea animava-oa, qae Uva
flanea em Deus.
a En lao vi cordadas os meus detejot.
lodos j obedientes se preaUvam a aete
trabalho, e diziam : vamos enterrar ee
ir roaos, porque o nosso padre noa mea-loa.
tal foi a candade que enUe entre ellea aa
volveu, que quando deram 6 boraa da taree <
vam todoa oa cadavatea aepulttdes, aariada sa
at covat de mais.
As 6 boraa e meia os meemos hoi
se presiaram a este trabalho, foram com i
graode porcao de malberea batear leona,
ott chegaram tralei logo de mandar tasar, en
te Utertm, fogueirat pelaa nata, perearreeoe aa
ruaa, que pareca noite de 8. Joio, aempre ai-
msudu ao povo, fazeudo logo condazir ae ceatile-
rio ot que pereciam.
Na tegundt-leira foi o meste trabalho da
foguetras.
a Preparei outro cemiterlo atr>z de Livrtmaalt,
para oode leoho feito cooduzir eseadavaree aaa>
terra-lea, L voa trea e qualro vezea loimaade
o poro aprealar-ae aoa eolerraaneolot ; de ea-
milero sanio, e pelaa casas qoe pasto caostsa-
lemeale coofessaodo, abeolveado a fazende caa-
duar oa aioiioe depeia di rijo-me a caaa ee de-
lega do t receber o que se tem de dar aee aaavaav
e vou mesmo repartir o ablo de eartdaoe ; dee-
tnbuindo com todoa rahaaiaa a oracoe ate. esa
summa tenho feilo vir pessoaa de aaaa a dase te-
g oot, ledos tem tribalbado condonado leoita, a
qutsi que leoho o povo a miaba etapascae, sa-
severando-lhes sempre qae ceta peeiteecia aa ta-
na at que eu ditaveaeoo declaraaaaa i
Todo, o delegado, e mata pesso* aae i
oso me retire, ae o contrario fiaesoe, qa
desampararan). Eu enimei o ladee decleraado-
Ihes que estara expetto a lerminsfio a a voala-
de de Deut.
a Tudo que lhe mando dizer, o qaeaa verde-
de te tem ptsaade, a nio lhe espetaba atete
por nao tor lempo.
Victoria, 5 de feveiro de 1856.
fr. Herculano.
Diario de oito de feveriro de 1856.
Oilkio do delegado de Santo Aile ae presiden-
te eom data de 7 do mesmo mes.
Illm. e Ezm. Sr. Pico de pea e mos que-
brado com a aazenea do Rata, a atao dafne Fr_
Hercnlaoo, que tratara, doa aatr gata tsataa a en-
terra meo tos dos corpot. Elle vai aee kectatfe
do mal, e Deua permita qae elle otease a asar
Eu estoa firma em mea potte, mas j asiltma
de for;ts porque vivo mando o cerneada qeea
oada com recelo de ser euVciedo etc,
Diario da 11 de f-vereiro oo 18&6.
Um trecho do Retroeptcto da 9.
c Nt cidade ee Victoria, oado m melaseis lo-
mara dimencoea vatlissiasea. peta iTiinlillaajtiis
nos meios de curativo, deseoliliganeta glhe da
crenca na medicina|homeapathice; pose
*o egosmo dos aeohoces ao aagaaba daai
cae ; e pela coharoia de algeao
dos psrt all plo governo, aa dada da
ra, dizeuios nos, a moriaodade liana
do, e oe cadveres iotepuitot, oota
priocipaea da propagacie do sael aee
e nesta cidade, foraaaeaierraaea grecae I.
tude e aboegacao#vaogeliea da ieUttgeaaa, dee-
el\do e beuemarito caratalita Fr.
Coracao da Jetut Briba, cu|oo servtetaa |
otquelle lagar, nio ha palavr.
possam descrever, nem gratidiaqeei
pentar.

finan j ji
Vi doria acorapanhado 'do padre Fr. anoal.' Tres ibesureiro o* racalitdoilaU
filhot do Carmello, pola, te tchtm no campo api- Euva reconhreido.
demlco soccorrendo a bumtnidade. Deas qu
ATTENCAO.
Perganta-se ao thesoureiro da raetbaderia das
renda geraet ioterntt deaia proviacta, Jeaqeia
Mirla de Carvalho, ae o querer arremar a ata
georo o Dr. Jote Robera oa Maraes e Salve oa
lagar de tea fiel, razio tOciante
nr desse lugar a quam o servia cota tate i
activdade e fldelinade, cont olla soma datlaio
noa documentos que abtixo vio traascripioa T
Poderl eile impaoemeate desfeitser s ata esa-
pregido que cumpre exacta a Dalnteate aaaa
fuocces, someul porqae qaer fases favar et>
seu georo f
Tem-so riti infelizmente maitia deatisaeea
injuslaa, tera-se visto mullas fuacciuaariee ser-
virem-se de sua posicio pare
ctrgoa qde dependen ptrente, mu o que tinda nio se saVaa viste e<
mittir-te a um empregado set asta razie aa
desculpa, aindt qae ficticia, o td aot gao as
genro quer o logar, o Sr. Joaqun Matseee Car-
valho o prmeiro da espeats, aaaa iaaaa*it)a
arrostou e afrontoa a aaiaialvafaae paiMasa e aa
dictames de juaiica iontios ota lede a cetacae
bem formado, coaa tanto qaa sea geera, a Dr
Jote Roberto do Maraes a Silva, tVqae i
piogue ordenado de ciocoaata bdiI rita i
Por mu baixu preco veade elle aaa i
contcienCt.
Alteada quem ler para os
Iranscriptot e con el u a
lgico, e a contoltcio qoe reata 4 qae afta
ri oingoem coocluir a favor da qeeta aera cea
tal cooacieorla.
VolUreaaos ctrgt, saftaado exig^ a rntasaa
digno thesoureiro da receeedorta.
Illm. Sr. adminituador. Dit Psele de Alba-
qaerque Gama, Bel'do ibeeeareire deeta
doria, que a oem de aea creete a i
cita qua V. S. te digne par aaa
pacho mandar qaa o Snttvst oatatra de
recabadoria lhe altala rr n it|ipllnaii s
lhe merecen a sos coi"
dtmeale sempre de>
zelo e p/nbidade ; puttm*
lhe defira. E. Iv|l. -
marca de l8flJ.Paio da Alaeaa*rtjeei
Attetlo qoe o Sr. Ptole de Altaqairqod Ce~
na, dtame tolo o
de Oel dasu rtaabaserit, o'dct
talo e acilvWade. a cata meta r
que seanpre me masecaa lado
a te eooae imae
aaealaeaarcaaa
tata o V 8. aeaiaa
sataptsjBaae} asea
r rta6oiir.t.,a4.
te ot ~'-*-i p-------rr f-----------T-eb- ra ia.
pretlou sats coatu eaat Uttjitasa. ltale MU
mtr6o dtltU -.Juaqaaiat tkaia da (WaaiJstv
Illm. Sr. Paolo do Albeqisrquo Cama. -Te-


mw*
mu*
MJl"l
__
RAMOnumiMNI) AiqiBLTA Hfcti I t^BBL *t*t61.
cho a responder V. S.,qoe causa slgnaa me nos de ioetruccie primeria sopareldoe dot*4e im-
dau V. S. para a exoneracao lie raeu Bel, por Isso
que, durante o tempe que comigo servio, sempre
_ ae portn maito bem no cuas primelo de aeM
~" Mover*, quer moral, quer civilmente : mas, ten-
tto meu Rearo, o bachatel Joi. Roberto de Mo-
taos Silra, aa mseos* habiliUcoes, e aa propon*
do a ialo, en nio besitei em nomea-lo, porqae,
na qmliuade do parentesco e ligacio de estrella
amizade que temos, pareee-me que aaaim o ha-
*ia de fuer, e me art conveniente. Diaponba
V. 8, de meu fraco presumo, que. lia achar
Iprompto pira cumpnr as suas ardasa .por aer
oca eslime e^MMttVTatio. Do V. 1. migo al-
tate, venerador, criado eobrigido. Jonquim
Marta de Crvalho.
Sua casa 31 do margo de 1862.
Estsva reconherido.
Pallaran no dio SI de merco do 186* Praaeiaca
Xavier do Sobral meia noite ; (oi ungida a anu-
dada a bem oorrer pelo reverenda padre-mostr
Irooeiocano Fr. Santa Angeles, cpetelo do hos-
pital portuguez de Beoecencia. O maamo ree-
rendo padre absolveu-a dos bentinhos da Senho-
r do Monte Garmello m hora da morir-, e no dia
n do meamo roex fui sepultada oo cemiierio pu-
blico dosla citado a 3 1(3 horas da tarae, uo
fleando a dever nada a ninguem e a ana'alma es-
tari em presenca divina.
KOYO JUNCO
DE
l'tltWvllUCO
O no*? banco paga o 8: dividendo de
12$ por accao.
i
Praca do Uecife 3 de
abril de 1862.
\s quatro horas da Urde.
f.olaces da jauta de correttres.
Cambio
Sobre Londres -90 djv K d. por 1*000.
J. da Cruz Macelopresidente.
John Gatiasecretario.
------
eYlfandega
endlmeotodo dial a 2 .
Mam do da 8.....

7S5
4916
32.4149163
88~93Sa1l6
Hoflmenlo ala alfandear*.
Velamosaunados omfsxendas.. 314
oa ganaros.. 118
Valamaa sabidos aom faxandas.. 150
' .#- > ton a;eneros.. 251
132
~ ^
Desearregam boje 4 de abril.
Barca ioglezaRonderfazeodas.
Escasa iogleza Gailedem.
Barca trancisOccidont;dem.
^Brigue suecoTritoofarioha de trigo.
'Barca asasjajsiini Cordelidea,
Polaca feespioholMaris Lloberat carne,
Importufao
Barca americana Cordelia, rinda de Philadel-
phia, consignada a Henry Fustera & C, minifes-
"4o a o aoguiote :
t ,600 barricas farinha de trigo, 200 barriquiohas
fcolachiaha ; os meamos. A
Ex portar o
De dia 1 de abril.
Brigue ioglez Roxtie, para GreeWock, carrega-
rm : I
Krabhi Thom & C, 2,700 saceos com 13,500 ar-
robas do assucar.
Barca iogleza Flying Fith, para Liverpool, car-
regaram :
Saunders Brothers & C, 136 sacaos com 753 ar-
robas de assucar.
Barca iogleza Olinda, para Liverpool, carre-
jaran) :
James Ryder & C, 1,300 saceos com 6,500 ar-
robas de assucar.
Pbipps Brothers & C 331 saceos com 1,913 ar-
robas de algodao.
Brigue hanoveriano Johannei, para o Canal,
carregaram :
Ksikmann Irruios 4 C., 800 couros salgados
com 21,160 libras o 89 saceos com 478 arrobas e
meia de algodSo.
Barca portugueza Deipique II, para o Porto,
carregaram :
Perreira & Louretro, 25 pipas com 4,625 caa-
das de agurdente.
Barc nacional Carioca, para o Rio da Prata,
arregaram :
Johnstoo Pater & C, 155 barricas com 1,216 ar-
robas de assucar.
Brigue nacional Eugenia, para Lisboa, carre-
garam :
Antonio Luiz de Audrade, 10 saceos com 50
arrobas de assucar.
Policiano Jos Gomes, 200 saceos com 1,000 ar-
robas de assucar.
Butjr & liveira, 260 saceos cora 1,300 arro-
bas de assucar.
Palli'boie nacional artista, para o Rio da Pra-
ta, carregaram :
Amonto Irmaos, 300 barricas com 2,314 arro-
bas de SSUCar.
Hecabedorla de rendas Internas
geraea de Pwmbueo
eirdUneotorjovJio.if.o2 S:263fS89
dem do dia 3....... 929*066
4:192*455
toncan aecundatia, cornija fei determinado.
Os qne daotro do prsao-de qnwae das coota-
dos da dais daaij, nao raanettorem oa relecidee
mappaa, aerio multados oa forma da lei citada
Socretsrra dainstraeca publica de Pwrnam-
buco. 2 da abril do 1862. = O secretario loto-
rioo. Salvador Henriqne de Albuquerque.
Nomes a orne tt te fere atararofo aupr*.
Prufeasoree.
Alejandre Jos Goncalves de Miranda, ls 2* 3*
4* trismeetres.
Br. Joaquta BarHosa Lima, 2* 3* O 4* id ero.
Antonio Jos Goocelves de Mello, Io, 2% 3* O 4*
ido.
Angelo Fr-alaeo da tMM'.t* 8 4* idul.
Maooal AUes Vianna, *>, 3 ** dem.
Estevao Xavier da Conha, 2* dem
Miauel Jos ds Mntta, 4adem.
Maooel Valeriano Barros, 3* dem.
Jos DostoJ3sllalo, 4T Maaa.
Jos Mafia sf admito do Bigawrado, 4o dem.
Manoel bep#mtao Ildafooio Cabral, 1%2*, 3* e
4 !>,? *
JoSo Francisco Peaaoa de Vasconcellos, 1*,2*, 3
e 4* idem.
FmKisco Jacssasta do Sanaos*.. 3* e 4. tstern.
Jote Jeaqsjim de afosaos Wrrarro, 1, 2. 3* 4*
Hem. -**
Francisco Antonio Cosario de Azotado, 1, V, 3*
4io>m.
Padre Francisco Paitte Daarle, V, 9%9 o 4*
idea.
M>noel Foneeca do Medotros. 3* e 4 idem.
MonoOl da Coala Honorato. 2* e 3* dem.
Dr. A marico BaToandes Trigo de Loureiro, 2* 3*
e 4a idem.
Antonio Joaquim de rasaos, 1*. -2* 3* o 4*
idem.
Menel&o dos Santos da Fooseca Lios. 3* o 4*
idem.
Profesaom.
Thnmszia de Athsyde o Albuqaerque, Io, 2*. 3* o
4* trismestres. '
Isabel Maria da Coneei(ao. 2a, 3a, e 4a idem.
Ignez Prelra Guiroaraes. Ia, 2, 3* O 4* dem.
Mara Martiniana de Campos o Oliveira, Ia, 2a,3a
o 4a idem.
Ther8a Alezaodrina de Souza Bandeire, 4
idem.
Joaquina Delflns de Mello, 2a,3a, e 4 I4em.
Candida Clemeotiua Cazar Duarte, Ia. 2a, 3?, e 4a
idean, i
Dina da Silw Coulifha, 3a e 4a Idem.
Mafalda Augusta P*re}ra, 2*. 3a o 4a idem.
JoanDa^-nUia^la-Brito, 4* idem.
Florinia Maria de Nascimento Barros, 4aidem.
Joaquina I.ourenca da Conceigae Luna, 2", 3a e
4 idem.
Etiilia Fausts Mena da Costa. 2a a 4 idem.
Mariana Angelina Candida Sanhorinha de Bar-
ros. 3a e4"stdsam'.* i
Franklina JArrina Barboas, 3a O 4a idem.
Antonia das Mercez de Jess Parafitas, 4a idm.
Pelippa Josepha dos Prszores Santos, Io, 2a, 3a o
4a idem. f
- Pela admioistra^o do crrelo de Peroam-
baeo aefaz publico, qua em conformidade do de*
relo n. 787 de 5 de maio de 1851 e respectivas
inslroccoes, teve lugsrs aberinra daa cartas atra-
sadas perteocentea ao mez de mr-reo de 1861 con-
demoadaa a consurBo pelo art. 138 do r*>r.bWmen-
to dos crrelos de 21 de detembro de 1844, as-
sistio o commerciante Jos Radrigues Fwreira.
Brsta abetiura reaultou sebsr-se ditas cartas com
documentos descrinos em livro propiiocrara-oste
LEILAQ
s bares nacional aAmelra pretende seguir com
maita brevldado, tem porto da aeu car reg meato
bordo ; pora a relo ano lhe falta, tratarse
com o mus consignatarios Antonio Lniz de Oli-
veira Azarado & C, no son eserlptorio, roa da
ruz n. 1. jgj-
$egue|psm o Arscaty o hiato.aEzhalagio ;
para carga o passageiros trata-se na roa da Ga-
deia do Reaie, primairo andar a. 18. #
Rio Grande do Sul pilo Rio de
Janeiro,
segu em breves dias o brigue 'nacional aLeio,
por ter engajada a maior parte de seo carrega-
monto ; maaoasaja|oBaaBil>oso& Oii'araa, na roa
da Csdeis do4sanUa.il,
(KTSriTfflit fEKTUIBUCi'U .
Navegaeo costeira a vapor.
Havendo seseado os mol>os pelos quaes ae ti-
nha altaradoa ssMds dos vapores Aasta eompa-
hta, eooUemario sahic para o oorte a 7 o 22
de cada mez.
Nio podando porm eoota> eoma chagada do
vapor Jagaaribe a taaopo de poder sahfr desla
res 7-sahiri para o Aoarar corr escalas pelos
porteo intermedios no dio 10 do correte s 5 ho-
ras da tarde. Recebe earga asi ao dia 9. Eneom-
meodae, dinheiro o paaaageiroa at ao dta da
sahida s 2 horss : eeeriplorto largo Assem-
blean. 1.
Para o Porto
A barca portugueza Silencio, espillo Fran-
cisco Martds deCarvalho, pretendo sahir com to-
da a brevidsde ; qoem na mesma quiser oorregar
ou ir de passagem, dirjase ao consignatario Ma-
noel Ferreita alo Silva Tarroso, na rus de Apollo
I somero 28.
: Para Lisboa efwrto.
Pretendo seguir psra os doas portos cima
coe multo broridade o releiro o bem coohecido
brigae nacional eEugeoia, capito Manoel Eze-
qaiel Miguis, do primeirataasa o primeira mar-
cha, pregado o forrado de cobre, tem parto de
aau carregsmanto prorapto : para o reate que
Mal (alta, trata-ae com os seus consignatarios
Antonio Lniz de Oliveira Azeredo & C, ao se*
esenptorio, rus da Cruz n. 1.
nacechanjainhe.
.^-FELRA 8 DO 'CORRENTt!.
Bailo a Bidoiilac fario leilio por ioterveorlo
do agente Pinto o por eoota e risco de quem per-
teneer de 48 calzas com cognse e 20 canas com
champaoheda melhor marca eoahectds, s 10
horas do dia cima mencionado, junto ao orma-
zem do Sr. Anoea cm fronte da alfandoga.
-
Aviso* Hiversoft.
Os
brande laboratorio de la-
vagem.
donos dos nmeros sbaiio mencionados
i mandar buscar as rnupas que eslao prora-
ffi.5;g:S:!1,f:S.^,^..4S.,w'
INGLEZ
Novo Hethodo para aprender 1er,
a escrever e a fallar Ioglez em 6 me-
zes, por f. G. Ollendorff: 1 ol. in 8*
enrademado. Vende-sena ra doQuei-
mado, bjs) de fazendas, n. 18.
J&ie Sotres d'Azeredo, proleuor
Irmrudade 4as almas da ma-
triz do Grpo Santo.
A mesa rogodora por contita do irmaoaade do
Senbor Boa Jeousdos Pasaos, convida a talos os
seos irmios a comparecer eexta-feira, 4 do
correte, s 2 horas da tarto, psra, incorpora-
dos, acompanhareni a precselo do meamo Se-
nhor.O escrivao,
Jos Monleiro Siqueirs.
Precisa -a* alugar orna ama para urna oasa
do poucs familia : a tratar oa ra da Cruz n. 21,
primeiro andar, sobrado amarello defronte do
chafarla.
Ma ra Direita, sobrado do un) andar o. 33,
defronte do nicho, veodem-se doces de calda o
seceos de diffecentes qualidadea, lambem se ar- i
ranjam baodeijee de boloade diffareoles modelos, | JJTtClWfl Inllar.
Aenco ao ferio.
Farraram da ra da Cadeia do Recite a. 55,
toja do (aseadas de Pigoerodn A lrmio. wara s-c
de gaze de seda flogindo organdys. teado potmasi
aoltas flogindo rosas o urna ramagam mieda ds>
azul claro ; prevnose perianto sos Srs. iogwtaa
o rt.ais pessoaa a quem tor dita fizeoda orTerecio
o obsequio de spprehaodo-ls ao asa vendedor
que geoerosaaoote ae gratificar.
O Sr. Manuel Patrn do
Nascimento queira dirigir-so
a esta typographia, que se lhe
proprios para casamento, bailes, e en-itados
com ramos, figuras do modo qne forera apeteci-
dos, lambem os faz po-de-l, bolos ingleses,
franceses, arrea de leite, pastis da nata de car-
ne, podios, paateles, tortaa, tremodotra, e tam-
bera se fas a comida diaria para algosas pesaoa
que precisar, com asseio ecommodo proco.
GABINETE PORTUGUEZ
DE
JLEITUttA.
Nio tendo comparecido sessode 30 de mar-
go prozimo psseado nnmero legal de Srs. socios
accionistas psrs sanecionsrem o projecto de re-
forma do estatutos, sao por orneen do Ulan. Sr.
presidenta do consclho deliberativo convidados
oa meamos seohores a reanirora-ae do novo em
aospo extraordinaria de asaemels geral para o
meara Ora, domiogo 6 do crtente, pelas 11 ho-
natio Provincial de Pernambuco, ierm
aberto em sua residencia, ra Nora de
Santa Rita n. 47, as aulas da
GEOGRAPHIA E HISTORIA
LINGO A FR AMCETZ A
Precisa so de 204z| a juroo aobro nenhare.
de bur o prata : na ra das Crazes n. 1.
Na roa dd Cadeia do Recite o. 28, priasir
eader, vendern-so velas e eers da cnanos, ron-
riohos cortidos o sean em rama.
Vende-so nana arrasis alo tabora nn
roa Direita o. 27, ptima para qoalqnox estaba-
lectmento a kitar na roa da Prata, priaeiia
andsr o. 47.
dlBgoaeltteraturariRConalnoGvm' ?** baa a gafa das sessoes do meamo
Rio de Janeiro
Prttende seguir com multa bravidade a velei-
ro brigue nacional Veloi, lera parte de aeu
arrogaaeoto prompto psra o reato que lhe falta
nm destinado, Bcaodo reeolhido conveniente- trata-ae com os seus consignatarios Antonio'Loiz
ORATORIA E POTICA.
As aulas sao todos os dias uteis de tar-
de : coraecam as S horas, e acabam s 7.
.$ en
9 O Dr. Joaquim de Aquino
tjfk Fonsacn asta' retid indo por al- %
funs dias na ruada Aurora ai. $$
74, e pode aer ah consultado ^
^ das 6 as 9 horas da manhaa. e,
^ em casos urgentes, das 3 as 5 da
$ tarde. m
liOTEBIi
CowoiMlaislo yro^ttrcteas.
Bandimento dodia la 2>. B-.t84*49i
Idom do lia 3......; 1:89M51
____________ ____ 8 094S045
Movinaeiito do pono.
Navios entrados no dia 3.
Amera71 das, patacho hlln w Grool Zetuyk
de 164 toneladas, capitoo G. Human, equipa-
ge m 8, carga fazeodas e ouiros geoeros; s
ordem
Liverpool 26 dias, brgue ioglez Mary Winch,
de 232 toneladas, capifio C. II. Steaart, equi-
pageni 11 carga carvao de pedra ; a ordem.
Liverpool56 das, escuoa prusaiano Pmnz Re-
gente, d* 123 toneladaa, capito C. Lemb-ki,
eqolpigem 7, carga fazeodas e outros gneros;
o Ssuoders Broters & C.
Vacio taido no mesmo dia.
Rio da PrataRtigue brasileiro V$loz, capillo
LaorUno JaoutUut >i* Crt&o. carga eeaucar.
Obttntago.
Fundeou no lamarau urna barca franceza, mas
oao teve communicagio com trra.
-aitu ^.
-Par ordena do lllm. Sr. inspector, se fez pu-
blico, que, oo prazo de tres dias, contados desla
dala, ser levado hasta publica, na porta-desta
elfsodega, depois da meio da, 6 almoiadiohae
4sra.pregar alhoete, oo valor de 500 rs. cada
ion. 3JXO0 ; 664 livrinhea de papel para citar-
en, ao valor 10 rs. can u m 6|64U: 12 doaia da>
pitos de oaao, ozia 60O re 7fdtt) ra.; 1 bola;
om bstanle so na valor-de lOajOts) ra., qu(e-
am anprehendiaos no mar pelo canrmandante
lo loioeiro posto fiscal, indo be bordado brigue
4>ert*uez Rala pego.
Alfaodega da Poroamtweo 2 de abril de 1862.
- O Ia eee riel erara,
Firmtno Jas do Oliveira.
mente para aer entregue a quem de drreito per-
teneer nme carta da lista da provincia do Cear
para Antonio Saboia de S Leitao eom urna se-
dula de 59; urna ditaje Joo Travosso de Lima,
da cid a de da Parabiba para Jos Joaquim do Oli-
veira Goncalves 'cora urna letra de 1378 ; o por
ultimo procedeu-se 0 queima das cartas selladas
e nao selladas, de que se lavroo o respectivo ter-
mo, qoevj o que s segoe. Crrelo de Pernambu-
co, 2 de abril de 1862.0 administrador, Domin-
gos dos Pasaos Miranda.
Termo do coosnmo das cartas atrszadas do mez
de marco de 1861.
Aoa 2 de abril de 1862 oesta admioistrecllo do
correio, s 10 horas do da, estando presente o
Sr. Domingos dos Psssos Miranda, administrador
e thesooreiro do correio e maisempregsdosabai-
zo declarado, procedeu-se o consumo de 141
cartas e 41 jornaes aendo 184 sellado 150 cartas
o 10 jornaes com porte, na importancia de-230256
como consta da factura abano declarada, cuja
importancia ai desearregada Tiesta data O refe-
rido administrador e Ihesoureiro.
E pira constar lsvroo-se este termo em que
assigoou o referido administrador.Eu Francisco
Simes da Silva, ajudanle contador, escrevi.O
administrador, Domingos doa Passoa Miranda.
OOlciaea papelistas, Lniz de Franca de Oliveira
Lima, e Eduardo Firmino SilvaFraileante, Vi-
cente Perreira da Porciuocula.Porteiro, Mjnoel
Marinho Souza Ptmentel.
A theaouraria provincial, em cumpriaento
da ordem do Eim. Sr presidente da provincia de
19 de marco prximo fiodo, tem de foroecer para
o coligi das orphas desta cidade, as fazeodas
sbaixo declaradas:
1,000 covados de casss, toda ella do mesmo
padrao.
1 000 ditos de chita, idem idem fdem.
200 varas de madapolao para forro.
As pessoas que quizerem vender taes fa'zendas,
apresentem suas propostas na mesma thasoura-
ri*. no dia 10 do correte, pelo meio dia.
Secretaria da theaouraria provincial de Pernam-
buco, 3 de abril de 1862 O secretario, Antonio
Perreira da Annunciacao.
Cousellio adiniuistraUvo.
0 conselho admioistrativo, para foroecimento
do arsenal de guerra, tem de compraros objectoe
seguimes :
Para o 10a batilhao de infantaria de t'linhs.
2 caivetes.
6 csizsa com penosa de seo.
6 garrafas de tinta prsta.
6 Itoras de areta preta.
6 resmas de papel lmeco pautado. '
20 eerdos para infrrrroreo.
24 t-lins para msicos.
13 vasos de limpeza.
Para o afmosartfado do arsenal de guerra.
5 arrobas-de latao em leocol do 13 libras ca-
da um.
4 arrobas de dito em dito de 17 ditas.
Para a companbia fiza do Rio Grande do Norte.
10 corado*) de case mira verde.
Para os ureadnes menores do arsenal de guerra.
20resumis de huloria do Brasil por Salvador
Menrique de Albuquerque.
30 Siraao de Nantua.
40economa da vida humana.
80 resumos d doutrioa christaa. J
80 certas de A B C.
120 i Quem qouer vender taes objeclos aprsenle as
prupestas em carta fecha la, na secretaria do
couselho, s 10 horas da maohaa do dia 9 do
correte mes.
Sata das sessoes do conselho administrativo
para foroecimento do arsenal de guerra, 8 de
abril de 1812.
Antonio Goma Lel,
: Coronel preotdonte iolerino.
iVawaaaao Joaquim JUmira Lobo,
Corouel vogal secreUrio iolerino.
de Ohreirs Azeredo A C-. no seu escriptorio ra
da Cruz n. 1.
'4 /
Baha.
O hiato Santa Rila, segu em poucos dias, re-
cebe alguma.earga a frote : trata-se com os con-
signatarios Marques, Barros 4 C, lsrgo 4o Cer-
po Santo n. 6.
Rio de Janeiro
pretende seguir com muits bravidade o brigue
escuna Joven Arthura, tem parte de seu carre-
gaoronto prorgpto : para o resto quo lhe falla,
trtta-se com os seas consignatarios Antonio Luis
de Oiiveira TMlM|vaj| C, no sea escriptorio roa
da Cruz n. 1.
Para Lisboa
Be acha proposto o bem conhecido* brigue por-
oguez Relmpago. Tesa a maior parte da
carga engajada e para o restante e eassageirosa
quem offereca boas aecommodaedes trata-so
eom o consignatario Thomaz de Aquino Fonseca
oa ra do Vigarlo o. 19, primeiro andar.
Para Lisboa e Porto
A novo barca portugueza Despique 11, capi-
to Manoel Lope Duarte, de primeira classe, for-
rada e ca vil na da de cobre, vai sabir cora toda a
brevidade por j ter parteada carga, e para o res-
to e passageiros qne lhe falta, trata-se com Per-
reira & Loureiro, na travesa da Madre pe Dos
o. 10, oa com o capito ns iraca.
Pa-a o Gear
o hiato Garibaldio, roeatre Guatodio Jos Vian-
na, sabe ira preter velmente no dia 6 do correle
com a carga -qne tiver: o tratar eom Tasso lr-
mios.
Para a Babia \
A veleira bem. conheeida escuoa nacioaal
Carlota i) pret'rrde seguir'eom muita brevids-
de, tem parte de aeu carregameoto.promplo : pa-
ra o reato que'lhe falta, trata-se com os saos
consigna varios Antonio Luiz de Oliveira Azevedo
fC ,no seu escriptorio ros da Cruz o. 1.
Parsk em cHmttira,
Sahe brevemente o bem conhecido e velelro-
brigue escuna Graciosa, capilao Joao Jos de
Souza, por ter parle doom earregamento eeeira -
lado: para o reto trata-se com os consignata-
rios Almeida Gomes. Aires & G., roa da Cruz nu-
mero 27.
As rodas da sexta parte da primeira
lotera a beneficio do Gyamasio Per-
nambucano aadarao impreterivelmente
no dia quinta-feira 10 do corrente,
no consisto'io da igreja de N. S.
do Rosario de Santo Antonio pelas 8 1 \i
horas da manhaa. Os premios de
4:000$ ate os de 8$ serSo pagos nesse
mesmo dia da ex traeca o de urna hora
da tarde por diante, e os outros no dia
seguinte logo que se tenha feito a dis-
tribuiqao das listas. Os bilhetes e meiot
bilhetes acham-se a venda na thesoura-
ria das loteras ra do Crespo n. 15 e
as casas commissionadaf do costume
ate a veipera da exl raccao as 10 horas
da noite, e no dia tmente na respecti-
va tliesouraria ate o momento de an-
darem as rodas.
O thesoureiro,
' Antonio Jos Rodrigues de Souza
ai wiw mvw aijw arao *nu no waevi^ amo *
biobtei
Attoerte'-se que aegando estatu o art. 32 dos
estatutos rigentes, o qua 1 abaizo vai publicado na
integra, as deliberaces dos socios presentes e-
ro volidos e obrigslorios para lodos os maia.
Artigo 32. -* A asserobla geral a reanio do
todos os socios'accionistas na cana do Gabinete,
iegalmenle convocados por enooncios pblicos
em em- ou ruis peridicos por tres dias consecu
tiros .* ma hora depois da marcada nos annun-
cios, ella se julgar constituida com a presen;a
da quarta parte dos seus membros, quando, po-
rm, se nao rena este namero faz-se-ha nova
conrotacao pela manetra cima indicada, e oes-
te caso se abrirlo os trabadlos com o numero que
comparecer,sendo as seas deliberaces validas,
e obrrgsrorias para todos os membros do Gabi-
nete *
Secretarla do Gabinete Porlngnez de Leitura em
Pernambuco 1.a de abril de 1862.
M. Sosres Mohvtro
1.a secretario,
>.*.> ^4r
Ss> Alirga-se um 4 andar com eicellenles 9
% conaoioos: ra da Cruz n. 53. 0
o 9*
Arremata^o
Em consequencia de nSo ter havido
audiencia do jizo de orphos no dia 1.
do corrente, deixou de ser arrematada
a parte do sitio Cajueiro, onde ^jrirtiste o
hospital portuguez, por execucao de
Mathiss Lopes da Costa Maia, contra
sua devejlora 1). Maria de Jess Cordei-
ro, escrivao Brito, cu jo esc r i pto existe l.sj
a vista do que
CONSULTORIO ESPECIAL HWm.TUCi
o notnoa
- sitiiro o.i. pumo.
Ra de Santo Amaro (Mundo
Noto) d. 6.
Consullas todos os dias a tei desda aa
it meio dia, acerca das segu a tea
molutia da a*mlhort$, molutiai da
C, moUttiat da poli; molestias da olhtm, mrn-
iat typhilitxeat,todas as *tp*ciu do ftarso,
ftrtt inttrmilttniat tiuas ronotqmtmttm,
rttansucu urtcuL noHorarasa*.
Verdadeiroa medkamantoa homeopalhiaao prav
farados aom todaa aa eantola oecesaaria. m-
alliveis em seus effeitos, tanto em tintara,orno
o globalos.pelospreQos maia corjasaotre* toa-
SiTOM.
M. B. Os medicamentos do Dr. SaUaa ao
snicamante rendidos enr sus pharmacia ; ledo*
qaoo torem fra delta ao falsa.
Todasasearteiras o acompaohadas da naa
tmpresso com wm emblema em relevo, toad na
reonr as segnintos patarras : Dr. Sabino O. L.
Puho, medico brssileiro. Esta eablems peata
'gaalmente na lista doa medica meatos q n ao fa-
do. As cartoirea qe nao lararamese*im
issim morcado, amboratenbam o alampa
na do Dr. Sabino sao falsos
que
I
%
ueciura o
Directora geral da iastruc^o
publica.
Por sala repsrticso se fz contar qje, os Srs.
fiotssnsdos e directores do eMsbeiecimeatos par-
ticulares de iostruccio-primaria o secundaria de
"oaaOoo "en oesua ata I so menelousoos, detxram
te ii'irr oa mappaa de seus tumrroa dos tri-
mestres designados, rolattros so snno proumo
passad ; vawrcWa aoaim na otra Oeqoe trata o
o art. 100 i. t reawhnroBtar o. StTt da 14 de
naio de 1855 : p*h> qun ate o* meamos Srs. con-
vidados remetterosTeferldovttappas dosalum-
C0MPA!HB1A PERKAHBliGAIU
ni
^ J\4vegacao costeiraa vapor
Mopii5e escallas.
r Persinuoga, tmrWsnla'nte'
vs.-m ^ariUtfeO*.
Para Lisboa.
O vapor Persinuoga, emnWaMante Uoura,
sshlr para Hacei e escalas no dia 5 do correa-
te mez de abril as 4 Horas da tarde.
Recabe earga ot o tila 4. Encommondas ateo
dia na cabida ao meio 'dta e passsgelros nf 'en-3*
horas: escriptorio da coropanhia largo da As-
sembl o. i.
Adverte-se que nenhnm passageiro seta taso-,
bido a bordo sem mnete da gerencia.
T
Aleo dio i de abril pretende seguir pata Lio-
boa o relei'O o bem conhecido brigae nocional
Eugenia. de primaira marcho o primeira crea-
se, ao resabe alguma carea mioda n paassgetros
psra oo tosan lom ozcellenlos commodos i trn-
la-s m os acwe consignatarios Antonio Lsslz
de Oliveira Asawodd &C, ae oou oscrrptotlo ra
ls Croz a. 1.
Para

O palhabote Sdbraleose recebe carga a frote
itratar com CaeUno Cyriaco da C. M. & Irmo,
no lado doCorpo Santo n. 13
i-clit3cs.
LEUlO
Sexta-felra 4 oo orreute as
O bem conhecido e velelro brigue nacional
Almirante pretende seguir eom malta brerida-
JSe, tem a Oordo parte de aeu earregamento ; para
ornato que lh- falta, trata-se eom "bs seos cot-
igoatarlos Antonio Lniz do Oliveira Azeredo &
C, ao ni escriptorio ras da Cruz n. 1.
10 horas em ponto.
O agente Pinto tari leilio a reanerimento do
curador fiscal da massa fallida da llsooel Rlbei-
ro da Silva a por mandado do tlo. Sr. Dr. juiz
armado
Consultas medicas.
Serio dadas lodos os dias pelo Dr. Cos-
me de Si Pereira no seu escriptorio, ra
ta Cruz n. 53, desde is 6 at s 10 horas
da manhaa menoa aos domingos sobro: ,
1.a Molestias de olhos.
2.a Molestias de oeracio e de peito.
3.a Molestias dos orgaos da geracio e
do anos.
O nxame dos donatos seri feito no or-
den de suas entradas, cmegando-se po-
rm por aquellea que soffrerem dos
olhos.
Instrumentos chimicos,acsticos e p-
ticos sero empregados em suaa consul-
ta jes e proceder coro todo rigor e pru-
dencia para obter certeza, ou ao menos
probabilidade obre a sede, natureza e i]
causa da molestia, e dahi deduzir o plsno
de trata ment que aova destrut-la ou
aurar.
Varios medicamentos ser aoambem
empregados gratuita meo te, pela cer-
teza que tem de aua verdadeiraquaHdade,
prompttdao em seus effeitos, o a necessi-
dadedoseu empregourgeot que se usari
delles.
Praticar ahi mesmo, ou em casa dos
dooatea todo o qualquer operaoio quo
julgar conveniente para o restabeleci-
mento doa meamos, para cajo fim se acha
prvido de urna completa -colleccio de
instrumentos indispensarel no medico
operador.
Traspassa e
a loja de miudezas da ra da Csdeis do Recife n.
5, coa todoa as mercaduras existentes ou sem
ellas : quem a pretender, dirija-se a mesma ra
n. 16,-loja de Vonseca & Silra.
Coutiuua
a precisar-se arrendar um sitio com
casa de moracha e proporcoet para plan
tar capim, e ter-se algumas voceas, pre-
firindo-se perto da cidade: na ra da
^Sadeia do Recife, n. 50.
Aluga-ie a loja do obrado n. 3 da rao do
Ces aje* segoada casa de d*toc*o 4 roa Im-
rtal, coja repartida e tem quintal e cacimba,
por pteeo de 14| meosaes : a tratar no mesmo
sobrade.
Aviso.
Toado le fiocrr>se o rrrendamento do engenho
novo do termo de Iguarase'u, aartenenle a pro-
pMafia totcafamo engveho V. Anua Joaquina
Teiagra dn Malta Car alean ti, feito a Francisco
Verisaimo do Itogo Barros em Maia do correte
aooo de 1162, a meeana prepriotaria rreodo-o
pelo lempo d Iroaannoa. s tratar com seu Qlho
Jos aVzelra da Motts Cavakaoti oo mesmo en-
genho, ou oa villa de Ignarasi, roa da Matriz,
a. 9.
em podrdo p^brteiro,
te ra' lugar a referida arrematacao no
dia K do corrente depois da respectiva
audiencia do juizo de orphSos.
Joo Lniz Pereira Lima faz publico que dei-
xou de ser socio da flema Ackwrighl t C. des-
de o dia S4 de marco.
SOCIEDADE
IMiO BE\EFICEME
DOS
ARTISTAS SELLEIROS
Era Pernambuco.
De o re w doSr. presidente convido os seoho-
ressocios effectiros para, reunidos em assembla
geral, empossar ao novo conselho domiogo 6 do
correrle, es 10 1|2 horas da manhaa.
Secretaria da sociedade Unio B-neficenle dos
Artistas Selleiros era Pernambuco 2 de abril de
de 1862.
Auspicio Antonio de Abreu Guimaries.
!. secretario Interino.
Engomma-se com aceio e perfeicio: na
travessa do Peixoto o. 58, ou na ra Augusta nu-
mero 37.
Os sbaixo assignados, credpres de Francis-
co Cesario Branco, de urna letra j vencida e de
ama corta de lirro, ludo proveniente de objeclos
comprados para o deposito do pateo do Carrao,
vero pelo presente declarar que ninguem faca
negocio como dito depoailo, pois os abaixo as
sigados esto demandando, e protestan) pelo
presente annullsr a venda do mesmo deposito.
Recife 2 de abril de 1802.
Carvalho & Meodes.
Ao corpo com marcial de Per-
nambuco.
PERGUNTAS :
1.a Acredita-se que um negociante velho e
tilo e havido por honrado, estabeleca urna so-
ciedade commertial secreta, desacautelando as-
aira os seus direitos, postergando as formulas ds
lei e defraudando os direitos oacionaes?
2.a E se este negociante, vin lo aQnal a ser
testameoteiro do socio e como tal enesrregado
da liquldacioda casa, tem mait ceremonia, pa-
gar-se por anas roaos, o que beari aendo?
3.a -R ae as cqntaa por ease negociante apre-
sentadas desdisserem* doa livros, Rgurando, por
exemplo, como testameoteiro ter elle direito a que cooliouem
s chama-lo honrado ?
Ontras perguolas serio feitas a aeu lempo
A alma de certa estrangeiro fallecido no bairro
do Recife. ,
fia ruado Queimado o. 12, primeiro an-
dar, preclsa-se de urna ama de leite sem cria,
paga-se bem.
Na roa do Crespo n. 50, osquioa, compra-se
um csvallo qne seja boro baixeiro e gslopador
para viagem, prefere-se capado.
O abaizo assigoaoo faz acieote que de c-
oordo com seus credores tem tratado vender sua
loja de ferragens da ra do Queimado n. 32 aos
Srs. Maooel Francisco de Azevedo e Francisco
Jos de Azevedo soba razio Azevedo & lrmio.
Do eogeoho Boa-vista, freguezia do Cabo,
fugio no dia 96 do oriente (marco) nm escravo
com os signa es seguinles : Vicente, pardo claro,
idade abanaos, eaoellos sollos, barbado, rosto
descarnado, tem falta de um dente iva frente, al-
to, pea Urgos, dedos irregulares, nffictal de ca-
rapina e pedreiro, a trabalbo de alala te : qaeni
o capturar e o conduiir ao dilo eogenh seri bem
re eom pe osa do.
Quem tiver urna escrava fiel qne queira alu
gar para o servico de ros, oirija-sea ra do Tor-
res n. 14, primeiro andar.
- Alezandrino Carlos M*fa declara que dis-
solveu a sociedade que ttrrtni om Antonio Joa-
quim do Naaciroento Barros, tendo principiado a
liquidarlo da dita flresa desde oIa de Janeiro do
corrente, flcsmdo ambos os sosioo reaponsaveis
pelo passivo da mesma at final, sendo encerr
gado da drreccio do active o aocio AtcxanOrioo
CstIoo Mai.. Recito SI de marco de IMS -A%e-
aadrino Cavos Maia.Antonio Joaquim 4o as-
cimento Barro.
A V1RGEI DA TAPBRA
belittimo romance pelo Dr.
J. C. Lobato.
Chegaram alguna exemplares,
e eatao i venda por2S oa loja
da raa Nova n. 11.
B0TIC4 nmm e casa be drogas.
da Imperador88
Casa de sande
NA
Passagem da Mbgdaleoa piro -
prietiade do Dr. Ignacio
Firmo Xavier.
Neste estabelecimeoto recebe-se doantes do
ambos oa aexos e de diversas calhegrias, as-
pregando se lambem a bomeopstbia ao trata-
meato.
PRECOS DAS DIARIAS.
E.cravos IfAOO
2a ordem 2*000
Ia ordem 3S0U0
A tratar com o Dr. Firmo ua ra nova de San-
ta Bita o. 7 sobrado do nm andar confronte pa-
ra a ribeira do peize ou no aeu estabeleciaaetiio.
AGITADO llWjllti,
00 BOUTOm
SJUBIufD 1. IPlll.
Para a preparaco des medica-
mentos hoiocopathicos.
Os medicamentos preparadoa por esta machina
sao os nicos, rom que se podero contar oo cu-
rativo das molestias perigosas. E como seja o
CHOLERA MORIILS urna d'aqnellas que nio
dmitlem deloogas e experiencias, cumpre pro-
ferir esses medicamentos a outros quaesqner. aa
qnizerem tirar da bomeopalhia es vaotajesea re-
sultados que ella esaegora.
Achara se a veoda earieiras a moiis enrteiras
eapeciaea contra o cholera, acompaohadas toa
competentes instrueees, pelos precos conheci-
dos, na pharmacia especial homeopathica, ma
de Sauto Amaro (Hundo Novo) n 6.
N. B. Oa homena de nom aenao recoobcaezn
certa mente que aendo o Dr. Sabino a fonle para,
d'onde emaoou a homeopelbia em Pan-arnaaca
a em lodo o norte, elle o nico immodtata-
menteintereisado no seu crdito o no sen a>ro-
gresso, e por conseguiote lio somento nolis
que se pode encontrar aramias, quer eos rola-
gao i applicacio da ciencia no curativo doa sae-
leatias, quer em relacio i preparaco do me-
dicamentos.
Na pharmacia do Dr. Sabino trabalham cons-
tantemente debaixo lo anas vistas immodilee
nos tempes ordinarios, dona empregados (aa
brasileiro e outro frasees quem paga ordena
dos vantajosos), oa quaes sao ejudadoa sai asis
trea ou cinco pessoaa, quando o servico o exige,
oa destillacio do espirito de iobo e d'aaoa, no
manejo das machinas, oa desecacio dos gltasa-
tos, na distribuiqko toa iluicoe etc., ote.
' evidente que para o Dr, Sabino exereer a
homeopathia, como geralmente o eseresaa,
preparar medicamentos como por ah prsaseos.
aera eram precisan lautas despezas com pes-
soal, com macbioao e com a obteoaio da* nono-
tanciaaas mais puras posaiveia, o naro tanto vi-
gilancia e trabalbo na preparaco dos
meotos ; mas elle nio ae contesta toas 1
que j tem feito, dando 4 horoeopaihia
liridade de qoe goza: alto quer eleve-lo no
maior grao de perfeicio dando oatana roesodtaa
a maior iofallibilidaoe possivol em seos eassatea.
0 Dr Sabino nn aspira aozoonte OS ge ios ano-
ten aes da vida ; elle se dasvoooco em ter noli-
vroa eatrangeiroa que sua propaganda em Ptr-
nambuco\foi to brilhanle que nao tem na Eu-
ropa ntnhuma analoga (JORNAL DE MktDUI-
NA HOMEOPATHICA 0K PARS, tomo 4.a, m-
giua 691 ; e CONFERENCIAS SOBRE A HOMEO-
PATHIA, por Granar,- pagina 103); ma* atan
ambicio rouito mata elevada lia so tfirian
legar aa geracbes futuras um anae itaiaaneil
pela gravidode e importancia doa aana servicao,
pelo sinceridade de su*a eooviccoes, e poto Vr-
meso da oeocaraater.K' por taao, o poro
elle trbalos ; o traoelha muito...
Maioas americanas.
1. Maurer & Gateado aberfo 4|laJIta1>eleciaiento e pharmacia ua ra
eapeciai do commercio d. armado e utenciot do imperaaiorn. iB.aoPA.tata aD|lnyi i lirneotaaste froga, aaonatsM*.!*
Ja io ^s&Jfi^^r^SiogiotlJ -topecUHic, pWrxMceutrcas. O*, tlotttorea *, ^irtrJa;e t. ptfMico W
lgibeirse outrss obras de ouro e nm cavslloj geral enceairarao ncate boto estadWeciment tolo a OktU*j\o eatttiticSio necea
objeetoa perteocentea a mesma masas. O referido 7^;,,,,, mm,mamtm rxn.slnior laiaiiiii nap a ama tiltMliaaraBtaitn aaaaiaiajnii P fS".M
leilio seri effectuado no dta e hora cima mea-* **" **> *wumama>mt3 qe>a^qojr iipnsiia toe a aea jaowiions "^"^fMHraatta.
clonado ns mesma padirii. empregando para liat) meAcarjityilllW |Crrocis paquean.
JtocaaadeKO. njeberjt C,
lt"ga^CniT*it. a,'^eanans1*axri
chinea ora regar borlan o capia.
para desearojar atllin.
pon cortar catiro.
com perlencea a 109 o "*
ato metal priocipo pisteadaa.
Icatrio da Sueoia.
is ere arcatrao para navio*.
i parrilba da primeira quadldado do Tara.
inho Xoros io tino em caixaa do t *~
s de 1 duzia.


;,.-'- ^-'i .-.

DUMK) DI KUUMJHMIO. XIA IWI1M iBML tttt.

s
Lindes de ingle*.
Di8-M da oite do hotel bracee ; a tratar M
raa da Crol n. 1.
Alega-ae os priraeiro a segundo andar 4a
tui o 17 oa ra do Amonan : a tratar na mes-
mi ra o. 46.
Ama.

i
?
r
al
v
*

Preclsa-se de ubi ama da raei Idade pan co-
zinfaar : oa ra Imperial o. 215 tabana.
*- Precisa-te fallar ao Sr. Ignacio
Ferreira Mendes Guimaraes, que roo-
rou tu ra da Conceicao da Boa-Vista :
tiesta typographa.
SYSTK MA MEDICO HODELLOWAY
PILULASHOLLWOYA.
Este inestimavel especiBco, compost inteira-
mente de hervas roedicinaes, nao contera mercu-
rio nem alguma outra substancia delecteria. Bei
oigno raais tenra infancia, e 8 compkicao mas-
delicada, igualmente prompto e seguro par;
desaneigar o mal aa coroplei{o mais robusiae
enteiramete innocente em suas operacoese ef-
f:itos; pois busca e remove as doencas de qual-
quer especie e go por mais antigs e termes
que sejam.
Entre milhares de pessoas curadas com este
remedio, muitas que j estavam s portas da
morte, preservando em seu uso conseguiram
recobrar a saude e forjas, depois de haver tenta-
do intilmente lodos os outros remedios. *
As mais afflktas nao devem entregar-se a des-
esperacao; facam ura competente ensaio das
fficazes effeitos desla assombrosa medicina, o
prestes recuperaro o beneficio da sande.
Nao se perca tempo em tomar este remedio
Aara qualquer das seguintes enfermedades:
Febreto da especie
Gotta.
Hemorrhoidas.
Hydropesia.
Ictericia.
Indigestoes.
Infla mmaedes.
Irregularidades de
menstruacio.
Lombrigas de toda es-
pecie.
Mal de pedra.
Manchas na culis,
Abslrucclo do ven ir e.
Pblysica ou consump-
gao pulmonar.
Retenco de ourina.
Rheumatismo.
Symptomas secundarios.
Tumores.
Tico doloroso,
Ulceras.
Venreo (mal)
RA BO QUEIMADO W!A6
GBANDEMKTIMERT0
mmmm
Para as provincias de Pernambuco, Parahiba, Rio
Grande do Norte, Cear e Alagoas, a saber:
Folhinha de porta, contendo o kalendario, pocas geraes, nackmaes, dias
de galla, tabella de salvas, noticia planetarias, eclipses, partidas
de cor reos, audiencias, e resumo de chronologia, a res .
Dita com almanak, contendo o kalendario, pocas, noticias planetarias,
partidas dos crrelos, tabellas de imposto, etc. etc. e o almanak
cevil, judiciario, administrativo, agrcola, commercial, e ndus^
trial, desta provincia, a res*........ 1
JUfeltft
JoioAotonio Coelho, sangrador e dentista, avi-
sa a todos os seas (raezea e ao resaeitaval aa-
Dllco, qae a madou da ra cttreita do
1
160
0000
para a do Imperador a. 09, soase poda eav asa-
ca rado pan sangrar, tirar danta, oaHaspora
calcar os mesmos, para appllcar tcdIosm e bi-
cha, tudo com perfeieio a delicadeza, o laaOean
e afagam e rendeasae exeelleatas bicha*
Hamburgo, aa melhoraa qae ba no macea de.
i qae ba no marcado.
Nova, madou o Sal

cadentes epilpticos.
AlpoTcas.
Ampolas.
Areias ( mal de).
Asthma.
-Clicas.
(onvulsoes.
Dabilidade ouexienua-
co.
Dabilidade ou falta de
forjas para qualquer
cousa.
Desinleria.
Dor de garganta.
de barriga.
nos rins.
Dureza no venire.
nfarmidade do ventre.
Ditas no ligado.
Ditas venreas.
Enchaqoeca.
Herysipela.
Febre biliosa.
Febre intermitente.
Vendem-se estas pilulas no eslabeleciment
geral de Londres n. 224, aStrand, enaloja
de todos os boticarios droguista e outras pessoas
encarregadas de sua venda em toda a America
do Sol, Havana e Hespanha.
Vendem-se as boceiinhas a 800 rs., cada
urna dallas contera urna instruego em portu-
guez para explicar o modo de se usar destas pi-
lulas.
O deposito gaal em casa do Sr. Soum
pharraacetttico, na ra da Cruz n. 22 em Per-
nambuco.
Aluga-se o sobrado do Pateo do Paraizo,
que faz esquina para a travesa do Oavidor, a
tratar no segundo andar.
Prectaa-te de uro caixeiro com bastante
pratica para taberna a tratar na ra do Queima-
do n. 73.
Os administradores da mussa fallida de Ma-
noel de Azevedo Pontea tendo de cumprir o qae
determina o art. 859 do cdigo criminal, convi-
dara aos credorea da masaa a exibtrem oa titulo
respectivo no prazo de oilo diaa cootado desta
data, deveodo ditos ttulos aerem entreguea no
esciiptorio de Kalkamaoo Irisaos & C, que na
caaa da ra da Cruz do Recite n. 10.
Aluga-ce ama casa terrea na traveasa dos
Quarleit, oulr'ora roa da Sao Bom Jess daa
Crioulss : trata se na ra Direita o. 8.
Estrada de ferro do Recife ao
S Francisco.
A abertura da 3.a aeccSo anounciada para o dia
25 do correle, flea transferida al eutro aviso. A
partid do trena na 1.* e 2.a seccao continuarlo
as horas do costume.
Na travessa da ra das Cruzes n.
2, pjimeiro andar, tinge se para todas
as cores com presteza e commodo preco.
Alugs-se um excellente sitio oa CapuDga
Velha com bastante arvoredos e boa casa, ofTe-
receodo a vantagem do embarque muito perto :
quem o pretender dirija-se a ra da Moeda n. 5,
segando aodar, que achara com quem tratar.
Attencao
Roga-se aos Sr. abaixo declarados o favor de
dirigirem-se ra da Gadeia do Recife o. 55, a
negocio que os meamos seuhores nao igooram ;
pois ae o contaiio Qzerem decllrar-se-ba por ex-
tenso qnal o negocio.
Alooudde Almeida Albuqaerque.
Manoel Jernimo de Albuqaerque.
Jos Alves da Costa.
Joaquim de Andrade Lima.
Joo de Almeida Gome.
Francisco de Parias Guimaries.
Anlooio Alfredo Tavare?.
Jos de Souza Pereira de Brilo.
Antonio Julio de Miranda Oliveira.
Gaetano Jos Garcia.
Tenente Jos Avelino da Silva Jacques.
Joaquim Domingues Vieira Aragio.
Maaoel Lopea Moreira.
Joaquim Teixeira Peixoto Filbo.
Antonio Diaa Fernandea.
Antonio de Souza Pereira de Brilo.
Antonio Joaquim de Figueiredo.
Antonio Brasilino de Oliveira.
Jos Antonio de Oliveira Jnior.
Porfirio Lima da Silva Mello.
AfTonio de Albuqaerque Maranho.
Francisco Anlooio Coelho Juoior.
Manoel Gomes de Oliveira.
Manoel Lsutinlo Vieira.
Guilberme Coelho Cordeiro Cintra.
Auguslo Carlos de Souza Migalhes.
Lsurentino Coma de Barros Araujo.
Joa Colombino da Silva.
Antonio do Reg Pacheco Juoior.
Joaquim Milel Mariz.
Joo Valenlim Diaa Vilella.
Maooel Bento Alves da Matado.
Joaquim da Silva Naves.
Ouarte Arthnr de Macedo.
Manoel Joi de Castro Vimos.
Joo Peee deOliveira.
Precisa-se arrendar um ailio que tenha
proporcoes para plantar-se captas e ter-ae algu-
nas viccs, preferindo-se pan as bandas dos
Afogados -ou oulro lugar qae nao date maito
desta cidade : na ra da Cadeia do Recife a. 50,
loja.
Alga-aa o segundo andar na na da Sao-
zalla Velh a miar n Inj do roam n. 48-
Sortimento completo de aobreaaaacoa de/psnno a 259, 288, 308 e 359. caaacos muito bem
taitas a 25g, 28J, 301 e 85f, paletot acaaacadoa de panno preto de 16 at. 151, dito de eaaemira
dt cor a 158. 18$ 201. palatots saceos de panno e casemira de 8 al 14|. ditos saceos do alpaca
m trin a la da 49 al 6, sobre de alpaca e merino de 7* at 10, calcas pretae de eaaemira da
89 al 14j, ditoa de cor da 7* at lOf, roapaa para menino de todo os tamannoa, grande sorti
manto de roupa de brioa como sejam calcaa, paletota e colletas, orlimento lie olletas prelos da
aelim, easemir e velludo de 49 a 9|, ditoa para ca amento a 59 a 69, paletota braccoa de bra-
mante a 49 e 5f, calcaa brancas muito finas a 6f, e n grande aort roen to de taren daa fina a e mo-
derna, completo sortimento de cemiras inglezas para homem, menino e aenhora, seroalas da
linbo e algodo, chapeos de aoldeaeda, luras de seda de Jouvio para homem e senhora. Te-
moa urna grande f sortea de alfaiate onde recebemos encommeedsa da grandes obras, que para
itso eita sendo adminialrada por im hbil mostr de semelhante arte e um pessoal de maia da
clncoenla obrairoa eacolhidoa, portaoto executamos qualquer obra com prompudao e maia barato
do que em outra aualquer casa.
Novo paquete das novidades
M NOVA CALIFORNIA
DE
Na ra da Imperatriz numero 48, junto a padaria ranceza.
^^ Vende-se sedee eaeocexaa de bonitos gostos a 10. cambraia lisa a peca a 11800, 21500,
KX? t'" ef,mb"ta ^ncaaeoB barra de cor a 2*800 e 3|, dito, branco* bordado a
2*500* *&& dB,wdJ5?i? ?ar" h0^ 2*50. dilsa fidas a 3500 e 4, ditas croaa para
bomam a flnaa a S*50O' chales de Urlalana a 6i0 rs., ditos de algodo alcoxoadoa a l, golli-
nhaa muito fina bordada a 640 e 800 r.. manguitos moderaos manga balo a 800 la. maoaui-
toa, golhnhas ecamiiu de crep preto bordado a croch a 2J, ditos de vidrilhos a 29500, ricos en-
feites pan aenhora a 5j e!o00, cintos douradoa da bonitos gostoa a *f, 2500 e 8. chapeo en-
fejtadoa para baptUado a 3 e 49. ditoa de sol para aenhora a 4 e 5, ditoa de aol para homem a
6, leocoade cana grandea dazia a 39400, ditos de cambraia bordadoa a 200. 240 e 800 r.. gros-
denaplea preto Uno 1800 e 3 o covado, ricos manteletea pretoa da groadenaple a 209 22 e 25
paS22wpnl0 flno P e,3*500 Q C0Ta4,>> m ,iso Dranco muito 40 a vara, diiobordado
a i_' e oulras muiUs azendaa por precoa commodo, asaim como um grande aortimento de
roupas feitaa por pre;oa que admira : na foja de Paredes Porto.
s
s-ju cousultorio horneopathico da
ra das Cruzes, para o largo da
da matriz^e Santo Antonio casa
n. 9, aonde pode ser procurado
a qualque hora.
%
i
23- Ra Direita-23
Nesle novo eslabeleciment achara o publico um grande sorlimento tendente a molhados
tudo por preco mais barato do que em outra qualquer parte :
Maoteiga iDgleza especialmente escolhids a 800 e 960 rs. a libra.
Dita francesa a melhordo mercado a 720 rs. a libra.
Queijos flamengoa chegadoa no ultimo vapor a 2980O e 3g.
Chi hyion e preto a 2 e 29880 a libra.
Vinho engarrafado do melhore autores a 19 a 19200 a garrafa.
Viobo de pipa proprios pan paato a 500 e 560 a garrafa.
Marmelada imperial dos melbores autores a 900 rs. libra.
Ameixaa pertigueras a 480 r. a libra.
Piuas muito novas a 500 rs. a libra.
Latas com bolachinhj de diferentes qualidades a 1J400.
Conaervaa inglezaa as melhore do mercado a 800 rs. o frasco.
at*saa, talharim, macarrio e aletrie a 440 rs. a librs.
Cerveja das melhores marcas a 560 a garrafa.
Geoebra de hollanda aaperior a 500 rs. a botija. *
Velas de carnauba a 440 re. a libra.
Ditas de espermacete a 760 n. a libra.
Vinagre puro de Lisboa a 320rs. s garrafa. .
Arroz a 100 e 120rs. a libra.
Alpista a 160 r. a Ubre.
Toucioho de Lisboa a 360 ra. a libra.
Alm dos gneros annunciados achara o publico um grande sortimento de um todo tande-
te a molhsdos mais barato do qae esa outra qnalquer parte.
ARIHIAZEM
JCaSB3
Joaquim F. dos Santos.
40 -Ra do Queimado-40
Defronte do becco da Congregarlo letreiro verde.
Neale eslabeleciment ha aempre um sortimento completo de roepa feita de
todsa aa quadadts e tambem se manda executar por medida vontade dos fregue-
zes para oquetem em do melhores profaaaores.
,- Rogi-ae aos amigos do finado Paulo Jua-
oiano Tavares, faliacido oa cidade do Ico
no Cear. o caridoso obsequio de assistir a
missa qae pelo eterno descanso mandam
oiser Juo Jos Silva Guimaries, Manoel
Pereira Reg, Domiogoa Jos Dias que te-
r lugar domingo P do correnta as 6 1|2
hors da manbls na igraja da CoBteiclo"
do Milit'raa^
i t... e ae m ana lor de padsi
a na estrsiv* do Rosario p. *4.
Casacas aa panno preto a 40C,
S5f e
Sobrecaaacosde dito dito a 359 a
Paletots de panno preto e de co-
res a 35, 30, 25, 10, 189 a 20&000
Ditoa de eaaemira de cores a 229,
15*. 12. 7 e
Ditoa de alpaca preta golla de
velludo fraucezaa a
Ditos de merino selim pretos e
de coro a 9f e
Ditoa de alpaca de corea a 5 e
Ditos de alpaca preta a 9, 79,59
Ditos de* brim de eores a 5f,
49500, 49 e r
Ditos de bramante delinho b an-
co a 69, | e
Ditos de merino de cordao preto
a 159 e
Calcas de casemira preta a de co-
rea a 129. 109. 9f, 79 e
Ditas da princeza e merino de
cordao preto a 5, 69500 e
Ditas de brim branco ede corea a
5. 49500 e
Calesa de ganga de cores a.
Gollete de velludo prelo e de co-
res Usse bordados a 129,99 e
Ditoa de casemira preta a da eo-
res lisos o bordados a 6,
5500,5
309000
309008
9000
109000
88000
3500
3g500
39500
49000
8000
6000
4500
2J500
3000
8OO0
8|500
Ditos de setim preto
Ditos de seda e setim branco a 6 a
Ditoa de gorguro de aeda pretoa
a de cores a 7, 69, 49 a
Ditos de brim e fuslio branco a
31500, 29500*
Saroulaa de brim de linho a 29 e
Ditas de algodo a I96OO e
Camisas de peito defusto branca
ede corea a 294OO e 29200
Ditas de peito de linho a 59, 49 a 89000
Dttaa de madapolo brancas e de
, cores a 89.19500, 29 e
Chapaos pretos de massa francesa
forma da ultima moda a 10,
Spefe
Ditos de feltro a 69.59. 49 a
Ditos de sol de seda ingleses e
francezea a 14f, 129, US a
Colariohos de linho muito fines
novoefeitios da ultima moda a
Diios de algodo
Relogio* de ouro patente e hori-
zontal a lOOf, 909. 80g e 70|000
Ditos de prsta galvaoiaadoa pa-
tente e horizontaea a 409 SOfOOo
Obras de ouro, aderecos e meioa
adereces, pulceiras, roxatss e
sneia a 9
Toalhas de linho dusia IOS, 69 a 91000
Ditas grandes pan meaa ama 39 e 400n
59OOO
5&000
5000
39OOO
25100
19280
1J600
79OOO
29000
79000
800
5500
Aos seuhores homeopathas.
Desejando liquidar-se alguna dbitos, offere-
ce-ae ama botica aoa senbores homeopathas, a
qual est provida de todos os medicamentos que
o applicaveis arte, e bem assim rtulosim-
pressos em Ooiisimo papel, frascos de diversos
tamanhos, rolhas de curllca, eapirilo de viobo de
40 graos, como talvez ningaem tenha em Per-
nambuco, allomas garrafas de rnica, e alguna
objectos mtis que por minuciosos nao sao men-
cionados, o que ae dar o mais em conta que for
possival; para ver e trstar, na ra ds Palma, em
Santo Antonio, n. 15.
A pessoa que preciasr de um cosioheiro di-
rija-ae ao pateo de Terco o. 14.
Deaeja-ae fallar ao Sr. padre Joo Jos da
Araujo pan negoci deeu lntera*e : na roa do
Encantamento n. 11, achara com quem tratar.
Attencao.
Preciea-ae de orna ama somonte para coai-
nhar: na Boa-Vista ra da Conceicio c. 6, pri-
meiro andar.
w Manoel Jos S> Silva Pilgueiraa (as ver a
quero convier que deu aodedade a seu caixeiro
Antonio Ignacio Pd.raira Coelho em ana taberna
alta na re da Seozl Moa a. 26, gyrando da
ota ass HnU na razio ds fT! 4 Psrera. Re-
cia 2 da abril de 1W2.
ATO
Alugs-se a casa terrea sita na cidade nova de
Santo Amaro, coafronte ao hospital ingles, com
boos commodos, e bom sitio : quem s pretender,
dirija-se a ra do Cotovello n. 8.
Aluga-ae por die um preto possante psra
qaalquer eervico que seje, porm que durma m
; caaa de aeu aeohor : a tratar na loja da Victoria,
na ra do Qoeimado n. 75.
Aluga-ae ama aaaa terna no principio da
ra Imperial o. 9 : a tratar na raa do Qoeimado
aamero 71.

M3&
Precisa-se da urna ama forra para casa de pou-
ca familia, qae sirva para- comprar, cozinbar, e
eogommar : a tratar na raa do Queimado n. 39,
primeiro andar.
-. Preciaa-sede em caixeiro para taberna qae
taaha pratica o d fiador a asa conducta ; dirja-
se aoa Afogados, ra Direita n. 36, que achara
com quem tratar.
Na raa Nova n. 52, primeiro andar, brelas-
se alagar ama ama eeptiva oa forra* para o ser-
rieoloitno da pocs.smiII.
AS SENHORAS.
LOJA AMARELLA
23Ra da CadeialZ
VESTIDOS PRETOS.
Superiores vestidos pretos de moreaotique de aeda por 72 o corte e a 49 o co-
vado, eata fazenda a maia apreciada pan veatidoa e muito em moda na principaes
pracas da Europa e da Rio de Janeiro.
GROSDENAPLES.
Pretos de diferentes precos e qualidades para 2, 2 100 e 2)600.
MANTELETES DE FILO'.
o a mais modernos manteletea de fil preto,Usse com babados a 20 e 2V, e
ditos mallo ricos do feilio de capa a 50.
MANTELETES DE SEDA.
Compridoa ao rigor da moda, abanhados de aaperiores franjas de seds a 25S e 30.
CAPAS A PROPHETA.
Sao as que mais se vendem presentemente por estar muito em uso e que temos
recebido por vezes de encommenda para diveraos, sao de feilios elegantes e contem
em si os prepsros psra ama aenhora, prego .50 e 60.
VEOS E MANTAS.
Pretaa de fil de linho muito boas a 109, que sempre se venderam por 16 e 18.
NO VIDA DE.
Chapeos a Garibaldi, ditoa a hespanbola, chapelioa, todos eofeitadoa com a
meamapalha e ploma ; vestidos de bloode com manta, cspella etc., ditoa de cambraia
bordadoa, eapartilhos, leques, lavas, manguitos, cintos, enfeiles para cabeca, cassas ti-
nas de cores, lansinhaa, sediohaa liaaa e de quadros, saias a balo, perfumaras, ves-
tuarios para baptissr crianzas e maltas oulras fazendas que seria enfadooho mencio-
nar ; de todas dam-se e maodam-se amostras.
Deposito de chapeos de sol de seda
das fabricas franceza e ingleza.
Vendem-se em porco e a retalho.
O dooo deste novo eslabeleciment,.na sua recente viagem Europa, honrado com a confian-
ca dos primeiros fabricanUa destes gneros, vem otTerecer ao publico os producios daquellaa fa-
bricas, e por precos nunca vistos neata praca, como consta na tabella abaixo :
Chapeos de sol de seda francezes de 20 e 24 pollegadas por......... 4800
dem dem idem de 26 ditas......................................... 59000
Idemidem idem de 28 ditas,....................................... 68000
dem idem idem ioglezes de 26 ditas ................................ 85OOO
dem idemidem de 28 ditas.......................................... 9000
dem idem idem de 30 ditas; ...................................... 10000
PRECOS F1XOS.
e em ponjo de 1 duzi para cima,
15 por cento de descont,
Aluga-se ama ama com escolente leite, e
vendem-ae 4 vaccae paridas da primeira barri-
ga e I bot velho para' carroea : aa Cimboa do
Carrao n. 23
Antonio de Medeiro, raa mulbar, a nasa
Olba menor subditos portagoexes, reliram-ae pa-
ra fora do imperio.
No dia 4 do Monaate mea fieda a saisacia
do Sr. juiz municipal da t* vara, val e praca per
ler lindado os diaa da lei, deas cases tarreas no-
via de pedra e cal, dous vi Tei ros e ama elaris,
qae tudo ae acha em bom estado, ailuadoe a raa
de S. Miga el freguezia dos Affogedos per eseca-
Cao de hypotheca que move Jos Joaquim Lima
Uaiio contra Fraociaco joa 4a Santa Aaaa, a
sua mulber a ultima praca.
Aluga-ae o aolo da casa da traveaaa da
Bomba n. 8, de varios commodos : a tratar aa
ra daa Cruzes a. 22.
Leopoldo Joa Rodrigues Braga, Porlaguez,
retira-ae pan o Rio de Janeiro.
Na loja de Campos & Lima, raa do Crespo
n. 16, exista urna carta para ser entregue ao Sr.
Joo Francisco da Canba.
Precisa-ae de um boa cozinbelro, ou eezi-
nheira, preferindo-se escuro : na ra da
Cruz n. 64.
Gabinete medico cirurgico.#
Ra das Flores n. 37. S
# Serodadssconsiillas medlcaa-cirargi- i
cae pelo Or. Eatavo Cavaleanti de Alb-
quarqueda 6 saiO horaada manha, ac-
cudindo aoa chamados com a maier bre-
an vidade possivel.
S 1'* Partos.
2 2. Molestias de pella.
3.* dem do olhos.
^ 4." Idemdosorgos genitses.
:Praticartoda eqaalquer operario em
aeu gabinete oa em casa doa doeatea coa-
en formo Ihea fr maia conveniente.
Predaa-se de urna ama pan coaiabar o
comprar: oa ra do Imperador n. 97,
andar, entrada direita.
I i
O Dr. Carolieo Fran-
cisco de Lima Santas,
madoo-se da raa das
Cruzes para a da las-
orador, sobrado a.
7, em frente da igre-
k de S. Francisco, on-
de continua no exnt-
elo de *us profissio 4a
medico.
Aos Srs. agricultores.
Tendo-se de vender algom ou alg>na boas 4a
heraoca do finado Jos Fernando da Cruz pata
occorrerao pagamento daa dividaa a respectiva
herdeira e inventariante est reaolvida a tasjaa-
rer ao jaizo do inventario autoraco paca e
venda do eogenho Qaiaombo, contiguo ao eaga-
nbo Pintoa, de terrea exeelleatas. Per tanta
em quanto se trata de requerer a respectiva aa-
torieaco, os Sn. sgricaltorea qee qaizerem esa-
mioar dito eogenho ou obter infora>a(oea podeaa
dirigir-se a mesma herdeira no engenao Pintos
ou ao seu filbo Joo Feroaodo da Cruz, residente
na Nova desta cidade n. 65, segundo andar:
Dentista de Pars.
15Ra Nova15.
Fredarico Gautiar, cirnrgo dentista
fax todas as operacoes dess arle a e co-
lees denlas arficiaas^ todo coa -sdela
rioridade a perfei^o que a a pessoas-,eB
tendidas lhe reconhecem.
Tam agua e pos denlificios, ote.
I ^1 ItAltA IU FERRO DO RECIFE A S. I ltt\4 1S<0
Abertura da 3a. sec$o.
Com a partida dos trens c os precos das passagens sero regalados pela tabella segaiate.
ESTATES
Cinco Punta?..........
Afogados................
Boa-Viagem.............
Prazeres ................
liba......................
Villa do Cabo............
Ipojaca..................
Olinda...................
Timb Ais.............
Escada...................
Prexeiraa...............
Aripib..................
Ribeiro.................
QamelMra...............
ESTAQUES
Ganfelleira...............
Ribeiro................,
Ariplb..................
Frexeires................
Escada................?.,
Timb Ass..............
Olinda..................
Ipojuca.................,
Villa do Csbo.....'.......,
liba.....................
Prazeres................
Boa-Viagem............
Afogados...............
Cinco Pootaa...........
TREXS PARA O l\ 11 IllOIl
Das de trabalho
NANHAA
Horaa
8
8
8
8
9
9
9
9
9
10
10
11
11
Mi.
15
22
33
40
1
15
30
44
57
10
40
20
45
TARDE
Horas Mm
4
4
4
4
5
5
5
5
6
6
30
37
48
55
16
30
45
59
12
25
Duxnlogos e dias
santos
MAM1AA
Horas Mo.
7
7
7
7
8
8
8
8
8
9
9
9
10
10
15
22
83
40
1
15
30
44
57
10
35
55
15
35
TARDE
Horas Hin
6
6
6
6
7
7
30
37
48
55.
16
30
TBEXS DO INTERIOR
Das de traba I lio
NANHAA
Horaa
6
6
6
6
6
7
7
7
7
7
Min.
12
S5
40
55
8
29
36
47
55
TARDE
Hora Min.
12
1
1
1
2
2
2
2
3
3
3
8
4
4
40
25
45
15
27
40
55
10
23
44
51
8
10
Domingos c
staatos
dias
MAN 11A A
Horas Mo.
6
6
6
7
13
31
41
52
TARDE
Horas Mi.
2
3
3
3
4
4
4
4
5
5
5
5
6
6
50
10
30
50
15
27
40
55
10
23
44
51
2
10
PBE$OS DE B1LHETES
Viaseni de ida
CLASSE3
1/
400 r.
18200 >
1(400
2*700 >
3*i00 >
3900
4*500 a
5S100
asoo b
6*000
6*500
7fi000
7S500
300 rs
900
1*100
2J200
28700 o
3*000
38200
3*400
3*800
4*000 >
48200 o
4800
58000
3.
200 rs
500
600 >
1*100
1*400 b
15600 *
1*900
2*200 >
2*500 >
2S800
38000 9
3*200 a
3*500 >
Viagem de Ida e valla
600 r.
1*800
2*000 b
48000
5*000
5*800
78000 a
7*700 >
9*000 >
9*500 >
10*500
11*000 >
11*500 >
500 n.
18400
1*000 >
38200 9
1*000 >
1*500
1*800
58100
5*700
6*000
6*300
78200
7f500
300 n.
800
910
11700
28100
PRESOS DE RILHETES
Viagem de ida
CLASSES
1.a
700 rs
1*700
2*400 a
3*300
3*900 >
48500
5*200 >
0*000
6*300 a
68800 >
7*000
7*300
7*500
2.a
500 r.
18200 b
1*800
2*209
2*600
38000
3*600
48000
4*200
48500 >
48700 >
4*800
58000
3.'
300 r
700
18000 >
1*100
18000
1*800
2*100
28*00 >
28000
38000
38100
38200
va
leda e Tolla
CLASSES
1."
1*000 r,
2*500
38*00
58000
5*000
OgTOO
78800
9*000
9*500
108200
10*500
11*000
11*500
788 r*
1*800
28700
38308
3*900
4*500
51088
6*010
41280 >
a
78080
7*600
a.
800 ss.
As horaa marcadas ao aquella em qae devem partir e ebegar oa trens, mas a comoanhia nao garante qae em teda ea canas
legar esaa pontSlMade, o nem aeri respoosavel pelaa demoras ; comtado, os trens nao partir daa eitac.de estes de tesan rsesiifliaiai'
Os meninos de seis snnoa pagaro metsde.
Oa bilbetes de ida e volts servem pan 24 horas, 00 48 quando nellis se comprebendem doaiogos oa diss stali&cesoe, Os de
classe naaae ultimo caso serven para traadlas.
Rogase encarecidamente aoa Srs. passageiros qae tragam aempre o dinheiro correspondente ao preco da viagem que livarea 4e
se nio verem por falta de troco oas estacos os coatiogeneia de nio segulrem, sendo como cerlo que mala fcil Ibes o inserten *
seos bilbetes justo, do qae as estaces terem indeBnidamento troco para dar a todo.
BaGAGBH E PASSAGEIROSOs paaaageiroa poderlo tranaportsr gratuitamente e sb ana responaabilidada. a begagea Oa aa
rior a ama arroba, que posea ser colloeado por baixo do sea siento, e sem incoamodsr os demeis viajantes. Esta coaceese nia sa
objectos preeidsos.
As bagsgens cavallo que tivenm da aegoir no trena, deverlo achr-se as eslaQoes so manos 10 mnalos antes da bar* su
As portas das estacSes serio fechsdss 5 mloulos antes ds hora Barcada na tabella, depois do qae nio ae vender asis bilbaUa,
Assignada-E. H. BIA1IAH
Suparintendeala.


mm %*mwmfr-,-* m**.nm>,if**m o*, w
r-?
*
ESTIUDAJJEfWO
'Arreada-se o engenho Tapipir No-
vo, moente e corrate com motor de
animaes, sito na freguezia de Iguaras-
su', de grande pioduccao e com capa-
cidade para tafrejar tres mil pes an-
nuaes: os pretendeatet dirijam-se ao
lecife i Stt fillcIsco/rrlWl^/Tr ds-
Aviso.
A abertura di 3* seceso annuneisda para o da
25 do correle ficon traueferida at outro aviso.
A partida dos treoa oa Ia. ecc.io e preco das
paaaageoa continuaro como aotea da publicscio
di ora tabellaa qual i
de aberta a 3* aeceo.
AssignadoE.
Sapefii
teta vigor depols
nd '
Yende-se o 1", 2 e 3 tomo das biogra-
5 hice do alguna poataa outroa hoaou illuetrer
a provincia de Pernambuco pelo commendados
A. J. de Helio, coa bellaa poesas, tai, ofli-
cioe, muitaa patete* da capitee oa guerra dos
HeUaodezes, entre as quaea acherao aa doa seua
ascendeotee fuuas das familias, nao de Per-
nambuco, mas tambe da Parahiba, Rio Grande
do Norte, Babia e Rio de Janeiro, e oatros mul-
toa documentos histricos e poltico, oio a
curiosos, mas de grande importancia. Em mo
do autor.
LoureaOty'da-ihttti, do rSsjor Manoel
JuliSo da Fonseca Pinho onde achara o
com quem tratar,
* %
7 horas
S. Jos
Seguoda-feira 7 "do correnta a
da manhia tere lugar na igreja de
urna missa pelo repouso eterno do finado
Luiz Francieco Moreira de Menooca, man-
dada celebrar pelos seus amigos ; rogase
as mais pessoas que lbe tioham amisade
bajam de comparecer a eile acto religioso
la candada. .
Juo vieira de Azevedo
retira-se pare Europa.
SUDdilo punugaez
Saques sobre Portugal.
O abeixo assignado agente do Banco
Mercantil Portaeaee cesta cidade. asea
efectivamente por todos os paquetea so-
bre o mesmo Bsnco para o Porto e Lia*
boa, por qualquer somma avista e a pra-
20, podenco logo os saques a prszo serem
descontados no mesmo Banco, na razo
de 4 por canto ao anoo aos portadores
que assim lbe convier : oaa ruaa do Cres-
po n. 8 ou do Imperador o. 51.
Joaquim da Silva Castro.
Furtaram am ci-allo rugo, carnudo, capa-
jo, com pintas amarellas, cabsno, cascos pretos,
com urna baixa as coatellas, ripado, com a cau-
da carta, mancha vermelha no quelio, com urna
pisadera na coslella mindioba qee nunca nasceu
cabello, cujo cava lio ferrado nos qesrtoa e no
queixo : quem o achar entregue na prensa de
Manoel Ignacio de Oliveira Lobo, que ser grati-
ficado, ou em Pedra Tapada, no lugar Capella de
S. Vicente a Jos Belarmlno de Assumpco, seu
legitimo dono.
Recbese roupa psra lavar e engommar, e
tambera .para engommar aomente, por presos
moito mdicos, mandndose buscar e entregar
em casa de seus doocs: quem precisar desse ser-
vico procure na Boa-vista, rus do Destino n, SO,
ou snnuncie.
Um rapaz que tem pratica de caixairo, offa-
rece-se psra urna arrumaco de cobraoca oa ar-
mazem, promette empregar toda aclividade 00
desempen.o de seu dever: a pessos que dalle
se quizer utilisar, dirija-se a ra Nova de Santa
Rita n. 4, ou annuncie por esta folba.
The aonual meeling of British Residente in
accordance with ihe Act. 6 Geo. IV cap. 87 will
be held at thia ofBce on Fridey the 4 th. prximo
instant at Noon for the Blectioo of Iruatees oF
the British Episcopal Curen, Hospital, aod Ce-
metery and for tbe Despatch of the Business re-
lating to those Eslablishments.
British. consulate,
Pernambnco, rearen 27 tho 1861.
G. Lennon Hunt.
H. B. Ms. cnsul.
Veneravel ordem terceira de
S. Francisco do Recite.
Em virtude do convite da irmandade do Senhor
Bom Jess dos Passos, o abaixo assignado con-
vida aos.seus chsrissimos irroos a comparece-
rem no dia 4 de abril prximo futuro, pelas 2
horas da tarde, paramentadoa de aeus hbitos,
na igreja de nossa ordem, aflm de encorporados
acompaohar a proeissao do mesmo Senhor que
tem deaahir do convento de N. S. do Carmo.
Secretaria 28 de margo da 1862.
Luiz Manoel Rodrigues Valenca.
MteiMjao.
iro a premio sobre p
ea : na ra do Guei
Ama de le te.
D-se dinheiro a premio sobre censores de ou-
rd ou brilhantea : na ra do Gueimado n. 45.

Estevas Xavier da Conhe, oordialmente
agradece a todaa as pessoas que se digna-
ran), no dia 31 de marco, asaislir la exe-
quias de aua mais que moito amada espo-
sa D. Emilia Augeata de Oliveira da Ca-
oha, e novameote ibes pede o favor de irem
assistir missa que tem de celebrar-se por
leocao da mesma sua consorte na matriz da
Boa-Vista pelas 7 horas da manbia do dia
sabbado 5 do correte.
Lujt de felijoeiro.
Ra da Gadeia do Recife n. 10.
Vctor Grandio, relojoeiro, com medalha da
eipoaicao de Paria de 1855, participa aos seus fre-
gueses e amigos, que acaba da resaber pelo ulti-
mo vapor vindo de Europa oa completo aorti-
menlo de relogioe de algibeira, tanto da prata co-
mo de duro, patele aufsso e patente oglez, e
am variada eortimento de correates de ouro de
lei, sendo des mais bonitos e aparados gostos qee
tem viodo so mercado, assim como tem para
vender bonitoa relaglos para parada o para cima
da meas, os quaea tem msica e com figuras, ss
quaes faiem dtfferentea movimentos durante a
peca de muaica qaa estiver tocando.
Vende-ee ame casa terree nos A fugados, na
roa de S. Migael o, 81 : quem a pretender, diri-
ja-se mesma casi, que se dir qaem a vende.
Attenco.
. Na travesa do Queimado o. 1. vende-se doce
de casca de goiaba fino, pela barato preco de
19600 o caixao, teodo cada caixo maia de 5 li-
bras ; em at tangi a boa qealidade nao ba nada
maia barato.
Tinta preta eommercial.
Esti i venda em casa de Jayme, ai lista dse-
nbador em tabello., roa do Queimado n. 6. Re-
commenda-ao a pessoas que ainda oso uaam
deaaa tinta, nao re airvam de lioteiroa sujos com
tintas de galhas, salfatos de ferro, cobre, Unino,
Ditracto de prata e outras su balancias, porjue da
menor quantidade do semelhante preparacao re-
sultar o engrossamento da tinta eommercial, e
depoia aua completa detrioraco. Poitanto, os
tioteiros podem ser limpos a nao restar sigo al de
outras tintas, porm canelas e peanas devem ser
aovas.
Attenco
o
Na ra lerga do Rosario, loja de calcado n. 12
junto a botica do S. Pinto, vende-se superior
Casemira preta a IJOOO.q
covadqj.
N. 2Na lbjada esquina queVbrt para
? :oteccodoPadr--JLI.
e-SaN*^* tMm,r* Pl 1#W otado 00
W co. assim como mantas prete de fil
bordadas pelo baratiasimo preco de 61000 cada
nasa, pegas de bretanha com 10 veras a 29000,
todo isto para acabar.
Pechincha.
Cheguem que se est aca-
bando.
A Jp80 ris
Oa0e!.,.ddo0'nP.,47Pre, ult0 bm
A .150000.
Palelola de panno .fino forrados de seda
roa do Queimado o. 47.
.j j A,30000 a peca,
tramoias para babados com 30
do Queimado a. 47.
A 4$500 a duzia.
Meias reas ioglezas para menino, maito boas :
na ra do Queimado n. 47.
Una carnea e um boi
Veade-ae ama carroca e um bonito boi, ou
urna carroca so, ludo em perfelto estado, proprio
para carregar estreo, ou materiaes: na iua do
Sebo n. 8 tratar.
Liadas bonecas de dille-
rentes taannos e quali-
dades.
A loja da ageia branca acaba de receber a sua
na ra do
na
varas : na ra
borracha de seda preta para borzeguioa, pelo, encommenda de lindaa e bem vestidas nonecas
Aviso ao publico
Albert Aschoff avisa ao fespeitavel publico eaoa
seos fregueses, que mudou a sua officina de relo-
joaria da ra da Imperatriz o. 14 para a ra da
Cruz do Recife o. 11.
He para alugar-se does escravos para qual-
quer aervico : quem quizer dirija-se a ruaeatrei-
ta do Rosario n. 32, primeiro andar.
Precisa-se de um feitor para am aitio perto
da cidade: a tratar na ra Imperial a. 22.
Fogioa preta eecrava de oome Romana, na-
ci Nag, com 50 anooa deidade, rosto talhado,
alta, e com um calombo no braco esquerdo :
qaem a levar no ra do Calsboago a. 22, aera
gratificado.
British Consulate.
Pernambuco march 27 th 1862
Tbe annual meeting of British Reaidents of
Pernambuco will be held at thia office on Friday
the 4 ib Prximo at Noon for the Despitcn of the
busioess relatiog to the British Episcopal, Chur-
ch, Hospital, Cemetery.G. Lennon-Hnt.H.
B. Ms. Cnsul.
No eogenho Cursahy, na comarca de Pao
d'Alho, precisa-se de um feitor que saiba traba-
lhar e seja diligente, psga-ae bem, agradando
seus servigos : a pessoa que se echar nestas cir-
cumstancias, pode dirigir-se ao dito eogenho, ou
na ra da Cruz n. 62. terceiro andar, e o qee nao
tiver aa bebililages assim ditas nio tome o in-
commodo de comparecer, deixe-se estar em casa.
Compras.
Precisa-se de urna ama de leite forra sera cria
a tratar na loja de chapeos do Maja Irmos, ao
arco de Santo Antonio.
Por este declaro.ao Sr. Manoel Monteiro de
Macedo, reodeiro do engenbo Mangueira, sito oa
freguezia de Agoa Preta, que nio pode mais fa-
cer obra alguma no mesmo eogeoho, desta data
por diante, seno conservar as que existiam quao-
do alli estove no mez prximo passado, de pas-
sagem com alguos amigos. Outro sim declaro,
que nio se pode demorar no dito eogeoho, sem
que venha passar nova escriptara de arrenda-
ment. Recife 85 de margo de 1862.
Tiburcio Valeriano dos Santoa.
O Sr. Sabino Bruno do Rosario que afimgou
a Manoel Gregorio das Chagas os alaguis da ca-
sa da ra dos Pescadores n. til, da qual o abai-
xo aaaignado arrematante, nao pode.o Sr. Sa-
bino desistir da fianQa em quanlo nio entregaras
chaves, e pagar os alugueis que seu aflaocado
deve. Recite 1.* de abriLde 1862.
Joaquim Ugoliao da Silva Fragoso.
Aluga-se urna escrava que saiba cozinhar,
engommar e lavar, para o servido de urna casa
de pouca familia : quem a tiver neslas condicoes
e quizer alugar, dirija-se i ra da Gadeia do Re-
cife n. 53, escriptorio de Leal & Irmio.
O Sr. Manoel Alexaodrino de Mello Albu-
qaerque, ausente o Sr. Antonio Alvea da Costa,
tem urna carta na ra da Praia n. 10, vioda de
Macei.
Offerece-se ama mulher para ama secca,
preferindo-se casa eslrangeira e de homem sol-
teiro : a tratar na ra da Cadeia o. 6.
Precisarse de urna ama para o aervico de
cisa.que saiba cosinhar e comprar paraduis pes-
soas : quam pretender dirija-se a Boa-Vista em
o lagar denominado Campo Verde casa n. 20, a
qualquer hora.
Joo Teixeira da Rocha sbito porluguez
vae a Portugal.
Irmandade de Nos-
sa Senhora Mae dos
Homens.
O abaixo asstgnadode ordem da mesa convi-
da a todos aa irm&os da corpotac.ao cima, que
se digoem na aexta-feira 4 do preaente mez a 2
e 1(2 horas da larde comparecerem na igreja da
Madre de Dos, afim de acompanharem a pro-
eissao do Seober Bom Jess dos Passos para o
que tivamos coavile. Becifo 2 de abril de 1862.
O escrivao,
Jos Antonio Pinto Serodio.
Jos Feliciano Pereira de Lyra declara que
por haver outro de igual nome, de boje em dian-
te s se asaigoa por Jos Feliciano Nazarelb.
Recife 1 de abril de 1862.
Convite.
Pelo presente se convide a quem qaer que se
julgue credor da finada D. Antonia Maria de Cas-
tro a comparecer no escriptorio dos Drs. Epami-
nondaa e Codeceira, na roa do Queimado, afim
de se veriQcarem os ttulos, e liatar-se de sea
psgsmento, isto no prazo de 8 diaa.
No escriptorio de Manoel Goncalves da Sil-
va, na ra da Cadeia do Recife, deaeja-se fallar
ao Sr. Jos Correia da Mallos e a negocio de seu
interesse.
Gompra-se ourelos em qualquer qaantida-
de: na roa do Vigario n. 9, primeiro andar.
* OOO
g No trapiche da companhia largo do A
a Corpo Santo n. 19, continaa-se a com- jj
y prar escravos para exporlacio, paga-se
j bem e d preferencia a preto crioulo de ^
gh boa figura de 14 a 20 annos de idade. baratissimo prego de 19700 o covado e 600 rs. o
palmo, e comprando ama peca di-se por 1|600
o covado.
, francezas de 2 e 2 !i2 palmos de altara, as'quaes
: na verdade vieram tao perfeitas e bem arraoja-
| das que quem as vir Infaliivelmente deseja com-
pra-fas, porque urnas alem da formosura tem
' bellos cabellos cachiados, outras bonitos cha-
< pozinhoa a Garibaldi etc., etc., e todaa em flm
at mdispensaveia saias balio ; assim como rece-
beu igualmente outro bello aortimenlo de bone-
: cas de choro tanto de masss como de eera sendo
.estas de olhos movedicos e de differeules tama-
ohos at 3 palmos. Agora pois a melhor oc-
psssoa mimosear urna meni-
filba, prenla oa coohecida, di-
n,nn .ngindo-se primeiro (reunido de dinheiro) a loja
f^Sj^SJ^li b" "o Queimado n. 16, afim de
comprar urna dessas bonecas ou outra qualquer
cousa de agrado.
Manteletes superiores de
grosdeoaple.
Na re. do Quaim.dc, n. 18 A esquina que tai &*,&""
ra a ra eatreita do Rosario, loja da Carralho r na ie sej. IU; fll
Basloa, tem para vender reos manteletes de irioin Aviso.
Vende-se urna taberna na povoaro dos Api-
pucos : 'a tratar na mesma povoac&o na taberna
do Machado.
I
para
&
grosdeoaple pretos, sendo
de 209. ditos melhores a 259, ditos superiores a
309. No mesmo estabelecimeato tem grosdena-
ple preto de variadas qualidades, sendo a 18500,
dito a 19700, dito a 29400, dito superior a 29800,
eofeites pretos de retroz, luvas de torcal, chales
relos muito tinos bordados a vidrilho, e outroa
muilos objectos proprios para a quaresma, ludo
por precos muito commodor.
Attenco.
Vende-se o seguinte : Loja do beija flor da ra do Queimado
2* garrafaa de eapirito de vinho de 40 graos, dia- 1 mimprn \
filado da propria uva, viodo de eocommenda. I v.4 1 "UUJCI".uu*
12 a 14 libras de glbulos bomeopalbicos. venaem-' luvaa de pellica de Jouvin brancas
1 caixa de amarello envernisada com 12 frascos f,if( p*r",,enhora e bom*m> chegadas pelo
para tinturas ; obra bem arranjada. uUlao P'l"^-
300 a 400 frascos de tinturas diversas.
Grande porco de tabos vasios de diversos la-
manhos.
Dito dito de fraacoi.
Algumas garrafaa de rnica ji preparada, e mais ,
alguna objectoa relativos a homeopathia, como
sejim, rtulos, impressos, etc., que tudo se ven- !
der em um solte, dando-se muito em conts .*
na rus da Palma n. 15.
Vende-se farinha de Fontana,
chegada nesta semana: no armazem de
Vicente Ferreira d Costa, Forte do.
Mato.
Vende-se ms escrava de bonita figura e
moca, que engomma case perfeitanasate : a
quem quizer comprar se dir o motivo da venda:
na ra da Cadeia Velha a 35-
Loja do beija flor da ra do
QueimA&n. 63
Veodem-ae bonecas de chouro a 40O, 500, 640,
800 rs.. pulseiraa pretaa a 860 re., baodejaa finaa
a 39 e 49, lesoeras finas a 800 rs. a duiia, gram-
poa de segurar eufeites o par a 800 rs., caixiohaa
de obreiaa de cola a 160 e 100 rs., penlee virados
Imitando tartaruga a 19 e 19200. ditos sem ser
virados a 720. 800 e 900 rs., botoes de metal pa-
ra caloa s 400 re..jlNos de ac a 210 a groze, !-
Acetes pretos a 640.
Loja do bcja-llor da ra do
Queimado n. 63.
Vendem-ae franjas e trancas, fitas de velludo
preto para a quareama, mais modernas que ba no
mercado, e mais barato que em outra qualquer
paite. ;
Loja do beija-flor da ra do"
Queimado n. 63.
Vendem-ae tiras bordadas de diversas larsruras
a 700,800,1Jeif200 a tira.
Loja do beija-flor da ra d o
Queimado n. 63.
Vendem-so facas finas, cabo de balanco de 2
botoes a 6*800, ditaa para doce a 5|800. ditas de
um botio a 6|200, ditas para doce a 59200, ditas
pretaa cravadaa a 3600, ditas brancas a 3)0.
ditaa rolicaa a 39 a duzia.
Loja do beija flor da ra do
Queimado n. 63.
Vendem-se fitas de seda propria para de-
brem de vestido preto, dita branca de linba, fltaa
de seda da 5 dedos de largura com pinta de mo-
to a 320, ditas limpas a 6f0, 800 e i$.
Loja do beija flor da ra do
Queimado n. 63.
Vendem-ae grvalas pretaa de setim a 19, ditas
estrenas a 19, ditas a 800 rs., pennas de ac de
lenca, 500, a 720, ditas de miozinha a 800 rs.
Loja do beija-for da ra do
Queimado u. 63.
Vende se papel em caixinbaa de diversas coses
a 1# e 640, branco pautado a 800 rs., anvelopes
de cores a 800 rs braocos a 19, resma de papel
de quadrinhoa a 49700, aioto encardado a 440,
dita azul a 320.
Quadros de moldura dou-
rada e preta.
Lindos quadros de moldura doarada e preta
com eatampas a 49500 cada um: na loja da vic-
toria na rea do Queimado o. 75, junto a leja de
cera.
A victoria
Na ra do Queimado n. 75 jun-
to a loja de cera.
VENDE MUITO BARATO.
o So"68 fr,BeW" *M em mUtf *
Aluceles francezes cabeca chata
a carta.
Papis com cento e tantas alfiaetes a 40
o papal. w
60h" Tict0ria '" c,TtiM llttm
a 900
a 120 rs.
rs.
Ditss de 200 jardas da Alexsnler
duzia
Ditsa de 100 jardas brancas e de cores a 3fr
rs. o carritel.
Dita* de Pedro V em certao brancas e cares a
40 te. o cordio. ;
Ditss de miada de peso v'erdadeiras a 240
a miads.
Ditas de dita cabera branca a emearaada
Grampoe maito boas
"'0
rs. a
rsi
- a 40 e 50 rs. o meca.
Bufiadores braocos de algodao a lioho
com aortimenlo de agalhsa a
alisar a 240, 280, 320 -
80 rs.
Carteiriohas
300 ra.
Pbosphoros do gsz maito boos a 220 re. a dazia.
Ditoe em caixa de folha a ICO ia. que s a
cana jal o dioheiro.
Ditos de seguranza porque evita incendio a
160 rs. a caixa.
Ditos de cera calzas grandes a 400 rs. a caixa.
peca DJ>S borloU P' coftiaado a 49200 a
Ditaa sem ser de borlla a 280O a peca.
Ditaa estrella branca e de corea a 1*0 re.
Peotes de baleia para
400 rs.
Camisas de aeia Boas a 700 rs.
Capellas e ramas pars soivas a 49500.
EnTedes de flores muito lindos s 4/.
"snivele' fioos de duas folhas psra pana a
200 rs.
Ditos de urna folha a 120 rs.
Agulhas franeezaa o melhor possivel s 240 ti.
a caixa.
Eofeites modernos para senbora a 59 a 61.
Meias-psra homem a 140, 160, 200. 210 e 280
rs. o par.
Ditas para senhora a 240,280,320 e 400 r. e
Ditas para menina e menino a 160, 900 o 240
rs. o par.
Fitos de linho a 40, 50 e O rs. a peca.
Liobas croxel nvelos grandes a 320 rs. o no-
velo.
E outras muitas
barato.
miudezas que se veade murta
Cambraias.
Pllalas
Vendas.
Rosas artifieiaes para ca-
bellos.
A loja da aguia branca recebeu bonitas rosas
desque se esto usando para oa cabellos, e ven-
de-aana ra do Queimado loja da aguia branca
n. 16. *
Vendem-se duaa casas sitas na Ealrada No-
va, com grandes terrenos e cercadoa ; vende-se
por preco commodo : a tratar na ra do Rosario
da Boa-vista n. 51.
Vende-se a casa terrea na roa do Padre Flo-
riano, esquina que volta para a travessa do Sen-
gado, e a outra immediata dentro da mesma tra-
vessa n. 11 : trata-se na ra da Cadeia do Reci-
fe n. 25, primeiro andar.
Na ra Velbe, casa defronte do n. 4. ven-
dem-se 12 cadeiras, 1 mesa redonda, 2 consoloa
e 1 sof, est em bom uso, e faz-sealgam abati-
ment, vlato o dono ter de retirar-se desta pro-
vincia.
Vende-se um mulato de idade de 22 annos,
bonita figura para pagem : quem o pretender, di-
rija-se a ra das Cruzes, primeiro andar o. 41.
Attenco.
Po-de lo francez
em caixiahaa a 320 rs., maito proprio para to-
mar-se com cb : na ra da Imperatriz n. 49.
S na taberna do Pimenta.
Toacinho a 240 a libra, em arroba a 69.
Lmguicas a 480 a libra.
Ceblas novas, um cento 800 rs. Na ra das
Cruzes n. 1.
Attenco.
tfti
e candieiros de novos modelos e por prego com-
modo : na ra Nova loja de farragem n. 39, de
Joaquim da Costa Maia.
Camas de ferro fraaceza de difieren tes tama-
nbos : na rus Nova loja de ferragem n. 39, de
Joaquim da Costs Maia.
Banbeiros de folha de xinco imitando a mor-
more e per preco commodo : na ra Nova loja
de ferragem a. 39, de Joaquim da Coala Maia.
Salvas prateadaa para copos de* diferentes t-
manhose por preco muito commodo: na raa
Nora loja de ferragem o. 39, de Joaquim da
Costa Maia.
Attenco a briacadeira.
O abaiio aaaignado pede aos Srs. passagairos
do trem de volla do caminho de Gameleira, que
saltaran aa Eacada.e qn comprara diveraea ge-
eros de comida na taberna do mearco abaixo
assignado, hajam de ir pagar para nao terem o
dissabor de verem os seus nomes poblicadoa por
oaia folha, pote devea-ee lembrar qae aa
mesma estaca o ee gabanea do que fixeram. ,
Umbeliuo Baodeira de Mello.
Precisa-ae lame ama p
vico de ama peasoa : os raa
o, 21, primeiro indar..
Rival
sem igual.
Miudezas e rap.
Ra larga do Rosario numero 36.
Laa de cores sortidss, libra a 69400.
Colcheteacom duaa carreiras a 60 rs.
Ditos de urna a 40 e 60 ra.
Agulhas francezas corlas e compridss a 60 rs.
Ditaa can totas a 120.
Pentes de massa para alar cabello a 500 rs.
W*os dil. idom (dourados) a 1JJ200.
Carreteia de retroz de corea a 320.
Escovaa para cabello muito boaa a 800 e 19
Cartas de slfioetes a 80, 100,120 e 140 ra.
Eacovas para uohas muito boaa a 320 e 500 rs.
Franjas pretas com vidrilho a 320 e 400 rs.
Trangas pretas com dito a 240.
Ricos pretos muito bons a 180, 240, 320 e 400
ri*.
Csrreteis de linha a 30, 60 e 80 rs.
Enfeites de retroz com franja a 59300.
Heiaa para senhora (duzia) a 28500.
Ditaa cruaa para homem a 29IOO e 39.
Tesouras ordinarias a 30 rs.
Franjaa de la estreitas (pega) a 900 rs.
Sabonetes de bola fios a 640.
Fraacos de diversos cbelros a 320.
Linha de Pedro V a 30 rs.
Boldes para casaveqne a 20, 30 e 40 rs.
Rap Paulo Cordeiro (verdadeiro) a 18600.
Dito gasse grosso e meio grosso a I96OO.
i>ito dito fino a 1|280,
ic nKnmn:n a* c "v.Vrvr~ j E outraa muitas mais miudezas que com a pre-
Na pharmacia Sr. Jos Alejandre 8enca dos boas freguezesse veoderio baratas;
Retratos e paisagens por da-
guerreotypo, ambrotypo,
photographia, etc.
com postas de plantas & raizes
medicinaes brasileiras,
Em paco tes de duas caixas ns. i e 2.
Estas pipulss denominadas pillas paulistmas, '
muito coabecidas e afamadas em todos os luga-
res desle imperio, pelas maravilhosaa curas ob- '
tidas com ellas, sao aa pravaa eridenlea e incon-
Itestaveis de sua accio e influencia que operara
em todos os casos: todas aa molestias obede-)
cem aeco deataa pillas, poucas s3o aa qae'
nao tem a sua origem aa impureza do sangue.
As ditaa pilulss pauliatanaa sao muito effica- ,
zes pelo motivo que ellas sao puramente com- '
postas de vegetaes recolbidos eos campos e
mallos da provincia de S. Paulo.
De todas as partes aa noticias sobre ss ditas
pilulas sao satisfactorias, veja -se oa jornaes de
24 de julho e outroa.
AGENCIA PRINCIPAL
Rio de Janeiro ra o Parto n. 119.
DEP051TO EM PERNAMBUCO
Ribeiro ra do Queimado n. 15.
Fita branca de borracha.
Essa fita de que tanta falta havia acha-se boje
Vende-se urna exeellenle machina eom dous
objectos da fabrica do grande Secretan, nao s
trabalha com o menor tempe possivel, como d
os mais pequeos detalhes : est completa com
31a 1S DaratO dO que em OUtra todos osapparelbos necessarios.
na rea do Queimado loja d'aguia braoca o. 16 .
assim como fitas frouxas ou elsticas brancas e d
cores para debruar vestidos.
Vendem-se cambraias de cores de bonitos
elegantes desenhos a 280 e 320 rs o covado : na
rea da Imperatrii, loja n. 20.
Oliados.
Vendem-se olisdos pintados de lindaa vistas e
paisagens, larguras de 6, 7, 8 e 9 palmos, pro-
prios para meaos de jantar a 28 o covado: na
ra da Imperatriz, loja n. 20.
610.
Chapeos de sol
Queimado n. 41.
de panno a 640 : oa ra do
Malas para vagem
Vendem-se malas para viagem, de qualidade
mediana, e tambera da melhor qualidade que se
fazem na Europa : na roa da Cadeia n. 36, arma-
zem de Augusto G. de Abreu.
Vende-se
orna barcaca de lotaco de 20 a 25 caixas, a pra-
zo ou a dinheiro, sendo esta nova e bem cons-
truida : os pretendentes dirijam so a raa da Praia
numero 9.
O' qae pe-
chincha,
Na ra do Queimado n. 39, loja de 4 portas,
vendem-se cortes de vestidos de seda pretos e de
cores, pelo diminuto preco de 209 cada corte ; a
ellea, antea que se aesbem.
Bandos ou crescentes de
cabellos humanos.
Bandos de clina muito grandes e bem
eitos.
A loja o'aguia braoca avisa a todas as senhoras
que ba?iam mandado procurar e eocommendar
esees necessarios crescentes de cabellos humano
(e mesmo as qae de novo precisaremj que ellea
acabara de chegar, to bem arraojados como jus
lamente se desejava sendo o sortimeoto de pre-
tos, CBStanbos etc. e muito bem tecidos nos pe-
queos pentes queservem para prender, trazen-
do ao mesmo tempo enebimento, do que resalta
que(uma senhora com um par desses crescentes
pode maravilhosamente fazer o amarradilho de
ea cabello aem que deixe perceber a falta que
delles senta, custa cada par 59 ; lambam ha
banda de dina mui grandes e bem feitoa o me-
309000
6J00O
29OOO
800
15;00
31000
2550O
29OO
I9OOO
19600
40
640
tcOOt
na raa
qualquer parte.
nrinn.rfn. MrfHn\ r.oiinlo! */5.0.B,r lo,lQ ,"-na bem conhecida loja da
1 mas cima mencionados, podendo-se fcilmente; gula'brinraVu"iZ~nm>JITn^uiT
Vende-se sebo do Porto, cera de carnauba e, tirar qualquer retrato oa paiaagem, sobre lamina, fg D"" m d0 O^imado n. 16.
velas de composico: na ra da Cruz n. 33, ar- ; vidro, papel, etc. : est tambera completa de qai-
mazem. i. .micas, laminas, papel, vidros, e com um rico
i sortimeoto de quidrinnos e caixiohas guarneci-
das de velludo e madreperola para a collocaeao
Idos retratos, paisa gen*, etc.: t qumicas e msis
; objectos foram igualmente comprados asa primei-1
1 ras caas : vende-ae por prego muito razoavel,'
i no armazem de Thomsz Teixeira Bastos, ra da
Criz no Recife n. 14.
Manteletes de fil.
Vendem-se os mais modernos manteletes de
G16 preto em modelo decapas chegados pelo ul-
timo vapor: na ra da Imperatriz o. 60 loja e
armazem do Patio, de Gama & Silva,
Attenco
Vende-se um pardo de 22 annos, proprio
pagem, de boa figura, e com algnm principj
alfaiate : a tratar na ra da Santa Cruz n
no para }
:ipio de 4 Veodem
.7. loaSf:
Ricos manteletes de vel-
ludo bordados.
facas e garfas de cabos prateados gosto mo-
derno e por preco commodo: na roa Nova d. 39
loja de ferragem de Joaqoimda Costa Maia.
Vende-se um ptimo sitio d tr-
ras na villa de Iguarassu' bairro de S.
Sebasbao, com grande e bem construi-
da casa de pedra e cal e viveiro. a mar-
gem do rio : os pretendentes dirijam-
se ao en gen lio Tappir do major Ma-
noel JuliSo da Fonseca Pinho, onde
!sVrIi7o"oesa,no chatio com tjuem contratar j*>r pre-
tjo commodo.
Na ra do Queimado, loja n. 18, de Manoel Ri-
beiro de Carralho, vender se ricoa manteletes
de velludo bordsdos, ditos da grosdeoaple com
riese franjea e goarnico de vidrilho por diminu-
to preco, assim como grande aortimenlo de groa-
denaplea pretos d todas as qualidades, proprios
para a quaresma.
Agua ambi-eada
para banhos do rosto e do
corpo.
A loja d'aguia branca acaba de receber nova
remeaaa da proveitoaa e mni procurada agua
embreada, cujos boas effeitos de refrescar a cu-
tis, tirar o ardor que deixa a navalba quando se
faz a barba e acabar o mo balito proveniente
do iranaz-irar alo j bem conhecidos, assim co-
mo naa senhoras por nio andarem ao sol faz
conservar perfeltamente o brilho do rosto. A to-
dos quantos tem usedo d'agaa embreada nao sao
ealranhos esses effeitos e elles serio sinde mais
conhecidos por aquellea qae munidos de 19 ee
dirigirem a loja d'aguia branca raa do Queima-
do SJ 16, onde nicamente se vende.
* Vende-se na freguezia de Ipojuca o eoge-
nho Diamente, todo bem montado, com casa de
viveoda, aeozala, olaria, diatilacao, dstribarle,
caaaa para liradorea, lado de lijlo e cal, moa
d'agua t multo bom de producto, com trras
para dlr et de 8.000 pes atKioermente, com
terrea ainda por dcacubrirem mataa : quem pre-
tender comprar, pede dirigir-se ao meato o eoge-
nho tratar com o proprietado, oa ao Recife com
9 Itlm. Sr. commendador Lemos Jonior.
Farinha e l'arello.
se saceos com farinha a 49500
na taberna grande da Soledade.
efa-
Srs, acadmico
atsk liV I* >
Nao acieditem, tao ?r.
Vendem-se factos completos de supe- SU
9 or casemira de corea escaras vindos de SJ
Inglaterra em direitura para a bem co- S)
abeelds loja de Guimaraes & Villar: na #
Srua do Crespo n. 17.

O.Biabar & C. aacceaeores.roa da Cre
n. 4, tem paravenderrelogtoa paraalgibera de
ouro e prata.
para a quaresma.
Ricos corles de vestidos pretos bordsdos a vel-
ludo, preso 809 para acabar: na ra do Queima
don.ll.
Nao ha quem venda pelos
s na loja do
na ra Nova,
presos,
Viado,
n 8.
Est veodendo luvas de torcal
o melhor que se pode encontrar
com vidrilho
em bordados
800
Interesse publico.
Offerecido pela loja dej
marmore.
Aloja de marmore teud de apresen-
tar 4 concurrencia publica o qae ha de
msis novo em fazendas, tanto para se-
nhoras como para homens e meninos,
sendo qae psrs este flm espera de seus
correspondentes de Inglaterra, Franca e
Allemaoha as remessas de seus pedidos,
tem resolvido, antes de apresentat o no-
vo sortimento, liquidar as fazendas exhi-
lentes, o qae effectaar por presos m-
dicos e para cujo flm convida o reapeita*,
fel publico a aproveitar-se desta emer-
gencia.
Vendse'aalrosso e alvo a bordo do
(tacha Marcelino: a tratar no becco das B
' d. 18, escriptorio de Denlas & Filfao.
oia
as
Luvas timbera de retroz sem serem bor-
dadas a........... 640
Ditas ditas de dilo para meninas a 500
Ditaa ditaa de seda para ditaa a 500
Ditaa ditas de dita para senbora a 19000
Ditas ditas de dita bordadas para senbo-
ra s............ 1960O
Ditas ditas de seda de todas as cores a 19600
Trancas e franja pretas.
Mui delicadas trangas de seda preta com vidri-
lho sendo de todaa aa larguras, de 310 a 500 a
vara ; franjas de seds com vidrilho e sem. elle
de 320 a 500 ; bicos pretos de todss as larguras,
tanto com vidrilho como aem elle, por barata-
aimo preco, o outroa muitoa objeitos para qua-
resma, que a vista dos compradores nio se en-
geita dinheiro.
Facam fogo no viado.
Seda lavrada a melhor que se pode encontrar
de bom e delicados goaloe, que a vista da prego
alo ha q"uem deixe de fazer um rico vealido pre-
to para quaresma, pois, sproveitem o occssiSo,
pois quem nao flzer agora, nao fax tio cedo ;
eata loja fica bem conhecida, por ficar bem con-
jronte a eamboa do Carmo, e ter o viado pin-
tado.
Aos fabricantes de velas.
O anligo depoaito de cera de carnauba e sebo
em pi e em velas,.eslabelecido no largo da As-
Simtlea n. 9, madou-so para a ra da Medra de
Deoa o. 28, quasi defronte da igreja, onde conti-
na a haver um eompleto aortimento daqualles
gneros, qee se veadempor precos raxoaveis.
Fazedas pretas
U na loja do pao, ra
da Imperatriz n.60,
de Gama <& Silva,
Vende-se baratissimo por ser tempo de cao-
resma as fazendas siguiles :
Ricos manteletes de reliado preto rica-
mente enfeitados com franjea largaa os
mais modernos que tem vindo a
Modernissimos enfeites pretos a ta-ca
Garibaldi
Ditos mais simples a
Ditos de vidrllbo maito modernos a
Chales pretos de merino bordsdos cosa
.vidrilbo a
Di toa de fil preto muito fino e
Groadenaplea pretos fazends maito en-
eorpada a 19500. 1*600,198OO, 21 e
Sarja preta bespanhola, covado a
Meias de seda pretas para senhors a
Ditaa de la e de laia para padrea a
Luvas de retroz bordadas com vidrilho e
sem vidrilho a 500 rs. e
Dilas pretas lisas de seda muito Boa a
Alpacaa pretas muito Qnas a 560, 640,
De lado dio-se amostras com penhor : .
da Imperatriz o. 60, loja e armazem de Gama 4k
Pannos pretose casemiras
Na loja do Pavao.
Vende-se parmo preto moito boa fazenda a
UbOO, I5SOO e29 o covado, e dito qae val 89 a
49500 o covado, casemiras .retas enfeatadee a
39, 39200 e 39500 o corle, ditaa de ama a lar-
gara de todos os precos e qualidades, setim pre-
to da China para calcas palelots e rolletes coas 6
palmos de largura a 3J o covado: na roa da Im-
peratriz d. 60, loja a armazem de Gama &3va.
Sedas de quadriohos a 720 rs.
Na loja do Pavao na ra da Im-
peratriz n. 60.
Vende-se muito delicadas sedas de quadrinhoa
a 720 rs. o covado : na raa da Imperatriz loja e
armazem de Gama & Silva.
Chales.
Grande pechincha na loja do Pavao.
Vende-se os mais ricos chales com posta re-
donda e bolotas, tendo as barraade velluio oa sr-
setinadas, imitando as capinhas mais modernas.
pelo baratissimo preco de 49500 cada um a ditos
de quatro pontea a 4|500, ditoe a Garibaldina
sendo muito grandes a 5) : na roa da Imperatriz
n. 60, loja do Patio de Gama & Silva.
Espartilhos a 8,500.
Vende se espartilhos ingleses qae so os me-
lhores pelo diminuto preco de 3t500 cada uas :
oa ra da Imperatriz o. 60, loja e armazem da
Pavao, de Gama & Silva.
Cambraias de carociuhos
S no Pavao.
Vende-se flnissimos cortes de cambraia braaea
com carocinbos braocos e de cores teodo cada
pega 8 Ii2 varas a 49 a pega: na ra ds Impe-
ratriz n. 60, loja e armazem do Pavao, de Gama
& Silva.
Cambraias adamascadas.
Vende-se cambraias adamasesdas fazenda mo-
derniasimaa para vestidos a 49 a peaje: na loja
do Pavao ra da Imperatriz n. 60, de Gama t
Silva.
Vestidos a 3#000 e 2500
Vende-se cortea de veatfdos braocos com bar-
rae e babados a 39 e 29500: aa raa da Impera trU
o. 60, loja e armazem do Pavao, de Gama ^c
Silva.
Saias bordadas a 2$00.
Vende-se saias bordadas maito bonitas a 2J500
cada urna : na ruadla Imperatriz o. 60, loja da
Pavio, de Gama & Silva.
B a loes do Pavao.
Vende-se baldes de bramante francez cem ar-
cos aeodo os que tem melhor armaco relo di-
miouto preco de 39 e 39500: na roa da Impera-
triz n. 60, loja e armazem do Pava, da Gama
& Silva.
Saias com arcos de linho. "
Veode-se as acreditadas salas com arcoa de li-
nho que fazem aa vezes de bslao e a)IOO e a 4B>
oada urna, eata fazegda s ha na loja do Patio:
roa da Imperatriz o. 60, loja e armazem de Ca-
ma A Silva.
Indianas a 240 rs.
A. ultima hora acaba de chegar a loa
do JPav9o.
Sala fazenda intairamente nova de qeadrinbe
imitando aa sedas, fazeada maito eacorpeda o
da corea delicadas propria pera vestWaa da se-
nhora e roapas para meninos e mtnisus palo di-
minuto preco de 340 rs. o covado am safa dkt
Pavio rea da Imperatriz a. 60, da Gaaaa A Silva.
Madapolo a irf.
Vendase peca da madapolio eeteaUdo coas
14 jardas a 39 a peca : aa roa a Imperatriz a.
60, leja e armazem do Pavio,


o
DIARIO BE WMHMM* Ya rtift* ** AlRfL DI rtt*

--------------,.1..jii.i,.
NO
ARMAZEM PROGRESSO
Francisco Fernandes Duarte
Largo da Penlia
Vcnde-se ueste armazem de molhados os melhores ge-
eros que vew a este mercado e por manos 5 a 10 por ceoto do qua em outra qaalquar parto,
Karantiodo-ee a boa qualidade, por isao rogi-se a todos osSrs. da pri?a, de eogenho e iavradoreso
favor de mandarem suas encommeodss ao armaiem Progresio, afim de verem diarme, de
preco e qualidade que tu, ae iotsem comprados em outra qnalquer parto.
laateiga mglCZa aeprimeira qualidade a 800 e 1*000 a Ubre, e em barril se Tari
eaatimeuto.
M nUi** f rtmeeza, ma!l B0Ta,640 lbra a am barrll>^ra
** #* o oais superior que ba do mercado a 29800 o 29500. a libra.
Cilla UUX\m iniundo a perola, pela sua saperioridide a 3*000, e 29*00 a libra.
ll l\a prCVO uoieo pm 0f a0entes que ie traUm com a fcOIMop*Uila 5^500 a libra.
VUl|Oa QO T^i0 hegedoi oeJle el timo rapora24800, ditos chegados co ultimo
oavio a 2500
Qn.i}*s vondrlaos 0 qua ha oa bom oesU genero 11|000a llbra e eB la m
faz abatimeolo.
V ueij, pravo 0 ma!i ,aperlor qua ^ fiDo a ette mercaao a 19M0 a brt#
V re auto iug\ex para Hambre ,, n0TO ,,,,., If%r-, en por.
(ao se tara a batimento.
G -tfiteVelas IagUz&s propr para ^^ a ^ rl a ara e eM porci0 a 70f M
Przniito do reino d, inparior qiiaUJa,la, m ri>, llbr, #toteiro, a 440 rs.
S ai aiUO 0 melhor ealisce iu. pode ha ver por estar p rompi a toda a hora a 1| a libra, e
em porc.80 a 900 rs.
l onoinii*> ao reino -Bit0 novo a280 ra a Ubra> e em bsrr de 3 arrooa8 a 7^^
Caricas c palos ae lombos, M0 libT8 |
meato.*
Latas com cuoaricas ,,, ..
j ^,,> *^"J promptss para se comer vinda a pnmeira tea a este
mercado a 2*000 cada urna.
Bau^a de poreo retinada 6m lala com 10 libraa ^ ^ ^ uma
B anua de porco molo floa alTa 480 ra a llbra ea W1 a ^ r
Marmelada imperial d0 a(amad0 Abraa, de outroa mtUM IabrUanlei da Lllboa
a ow rs. a libra, e em porgao se faz abatimenlo.
Latas eom frutas de doee en ealda
^^^ mam** como sejio pera, damascos pe-
ceo, alpexe.-e gioga, a 800 rs. cada lala.
Marmelada de alper&e lat de a hbra por 1|aoo M(la UBa
I^atas com amendoas conteitadas conleado ,,, C0feit04 Mlucar
candi, multo proprio para mimo, a 2)000 cada urna.
Doce da c*sca da goiaba ffiuil0 Bno. m rs.,em porcio I1IihaUlMlll0.
ce stccoeemcaldade differante. qaiUdade$> en UUidi4(|- 5 29500 cada urna.
C*rtoea com bollo Crancex. ei
**Tljni1,T7,w proprfos para mimo a 560 rs.
P&sa em caxinn* de 8 libras maiia ,.. .-^
v mM^ m(lll0 n0ViJ por jj500 e a retalbo ,
eou rs. a Hora. ^
Figos aa c mm*dre muUo no?0ii efn clJl e 8 libraa popl#500 dUaa com 4
por 1S500, ditas com 2 rauilo bem enfeitadas por 900rs. cada urna e a rolalho a 320 rs.
libra.
Erviluas rancezas e portuguesas
ditas em meias latas a 500 rs.
MLaeade tomate em Uua de i ubr. porsoo rs.
rVmeudoas de case* mole muil0 n0TM. m ri> a libra
Kozes a 120 r8 a libra> e 3IQQQ a arroba
rYmeixas iraneesas e m lalaa com 3 libras ^ J$800i dtaa eom, 1(2.por 1>500
\m*ix*s portugutzas. m ri. libra e em cai aearf tb.llBMl0.
Cbocoiate bespnboia 1J500i dil0 (raneez a lgm dil0 porlagaei a 800 ra> a Ub
aQao^i-se a boa qualidade.
IlOiaXIUna de soda em ,ata, com dfjereoles qUUdades, a 15440 n.
WlatJ 8 paTa Spaielrlat macarraoetalharim.a400rs. a libra e em caica por SJOOO rs.
Palitos de nenies ,xad0Ji molhoJ eom w macinhoa por m e ^ n mal(0 fln0Ji
oerejas %a rascoa com \ e jl2 m^, por 8q0 rs.
J 1W raocez para lirapar Catas a 200 rs. cada um, em porgio se fax batimento
llolaxlnna ingleza, mais noTa domercido ,320 a ,ibra a eB UfAM a tt500
para engommar, maito aira a 100 re. a libra e em aaeca se faz abatimento.
Peixe
de Psls em attitepermaseie ,Bperior de cinco e seis velas pos libra a 760 rs. e em caixa, a 740 rs.
S%rdinnas de NaDtes em lal8g mnit0 D0Tai a 400 w
A.ipiSia motia ,^,0 a 160 rs. a libra e em arroba a 4*500 re.
e Ift OVV'Le rennado de diSerenles marcas e o maii superior que ha a 800 rs. a carrafa
e em caixa a ||
winlios engarrafados doduque d0 Porlo e de Mtr muilaa Bareaa acreditad
mercado a lt00 rs. a garrafa eem caixa a 12JOO0 rs.
VP* Porto, Figueira e Lisboa a 560 agarrafa eem caada 38500, 4e4500.
rYC|a dtl njjjg acreditadas marcas a tS rs. a duzia, e em garrafa a 500 rs.
^page da8 marcea mais superiores qae ha no mercado a 159 e SfOOO rs. o gigo
Cognac inglez. 10{000 rt a caixa e 1200 r| a gajraa>
Genebm de Uollauda ,erdadeir.em bu**. .6l000r.ee frue. m re
G mebra de laranja 7ms n,. ^ a aB {faacoa a m n
Geuebra mgleza a 10J000 a daiia e a relalh0, imo a girMla#
PIU*S da g%Z T29500 rs. groxa.
w refiaao em pote, grandes a 500 re. cada na, em porcSo te fsr abatimenlo.
lavado o que se poda desliar oeste genero s 320 re. a llbra e em arroba M500, dito mais
buw> 280 rs. a libra e 8|000 arrebs.
aainna de pranca a mag 00fa d0 merMd0 a g r. a libre, em porcio se faz abat-
D36DIO*
^* 8* maito novo e alvo a 320 re. libra.
*nrinua
Bita
em lata, de 1 libra, por 640 ra.
j
Grosdeoa
pies especial!
Da goMo inleiramente dialioclo por ser guar-
necido de palmee de igual cor, .oltaa o mujte
mlodiohas fazend. de superior qualidade pele
diminuto prego de t$ o corado.
Dito largura monsUa Upo seperior qualidade
a 2600 o erado.
Dito dito com corpo de gorgurio m.i. e.treito
a 2U00 a. ovedo.
Dtio dito igual largura tambern bastante en-
corpado a 2j) o corado.
Dito dito tambern mais tbaixo ponco a 1800
o covido.
Dito dito mala abati iaieoda loteir.meole
pechiocha sea deleito algum a 1|700 o corado.
Precoa eates qe acom a vista se rr ajae
sao mai. comedido* qat em outra qualquer par-
to, e portento esperamos a .tteoc&o do reapaita-
vel publico para a loj. da na do Quaimado o.
43, eaquioa que volta para a Coogregaclo.
idmiravel pechiocha!!!
Na roa do Qaeimado n. 43, esquina que rolte
pera Coogregacio reodm-ae mantae de blende
de aeda muito grande* e largae bordad*. vel-
ludo pelo diminuto preco de 10} cada me.
DiU de Uoade de aede cem flore. tecUaa qua-
lidade bem eoohecide cada urna 8.
Todo por muito menos prego que em outra
qealquer parto para chamar a aitengao
Grande pecbincha em cortes
de vestidos na leja do ParSo.
Veode-se Boissimo. corte, de cembraia bran-
ca bordadoacotn 1 babado. grande* de data
..re* pelo biratiaaimn pr?o,de 4. ditos de cam-
braia de seda com bsbadoa bordados a 4500, di-
tos de ahantasia fazeoda que eempre ae vendes
por 129 pelo baratisaimo prego de 60 cada um :
na ra da Imperatriz n. 60 loja e armazem do
Pavao, de Gama & Silva.
Brilhantinas americanas.
Vende-se brilhantinas americana eom lindis-
aimas cores sendo (azeoda intoiramente nova e
modaraa de 4 1|I palmos de largura a 400 re. o
covado : na ra da Imperatriz n. 60, loja ar-
mazem de Gama l Silva.
Para meninos a 4$500 rs
Vende-se veatldinhos de seda para meninas e
ditos de fnsleo qara menioea muito bem enfei-
tados pelo baratissimo prego de 49500 cada um :
na ra da Imperatriz n. 60, loja e armasen do
Pari.
Gorguro de linho a 280 rs.
Vende-ae gorgurio de linho de quadriohos e
mescledos propnos para senhoras e roopas de
meninos e meuioas a S80ra. o corado : na r*a
da Imperatriz o. 60, loja do Pavao, de Gama &
Silva.
Ra da SenzallaNova n. 42.
Vende-se em casa d* S. P. Jonhsion 61 C,
sellins e silhes ingiezos, caadieiros e casticaes
bronzeados, lonas inglezas, fio de vela, chicotes
para carros e montara, arreios para carros de
um a dous cavalivs, e relogios de onro patente
ingles.
Libras sterlinas.
Potassa Vndese encasa de N. O Bieber &
C, soccessores, romea Crui n. *
ft09
JMoircantiqaes de co-J
res bonitas a 2,000*
e 2,500 o covado
S .?" d0 Cr"P n- 17 Guimeri
Vendem-se no e.criptorio de Maooel Ignacio
de Olireira & Filho, pra;a do Corpo Santo n. 19
Kicos espellios
Vendem-se dous magnficos espelhos em pon-
to grande, com moldura dourada : a tratar na
ra da Cruz n. 27, primeiro andar, ou em bsixo
no eacriplorio.
Capachos.
Vendem-se capachos redondos e'compridos e
de diversos Umanhos, a o* melhores qu* tem
vlnlo s eete mercado, palo baratissimo preco de
600. 700 e 800 rs. cada um. e tambern ha capa- '
choa muito grandes e proprios para sofi e mar
qeezaa para UNO cada um : na rna doQueima-
do, na bem conhecida loja de miudezas ds boa
fama n. 35.
Villar.
Guimaries & J
MEMOS DEI POR carro
NOS RMAZENS

PROGRESSISTA
DE
sem segundo
Na ra do Queimedo n. 55 loja de miudezas
de Jos de Azevodo Msi. e Silra, esti rendando '
todas as mmdeas por prego* j* sabidos e *o-
nheciJos :
Grotae de peonas de ago de todas as quali-
dade. a
500
120
120
6
240
SONj
208
120
400
400
804
200
800
Taixas
i~
para engenho.
Grande reduc^o nos precos
para acabar.
Braga, Son & C. tem para render na ra da
Hoeda taixas de ferro cuado do mui acreditado
fabricante Edwio Maw, a 100 rs. por libra, as
mesmas que se rendiam a 120 rs. : quem preci-
sar dirija-se a ra do Trapiche n. 4, armazem
de fazendaa.
Soehall Uellors & C, tando recebido or-
dem para render o aeu creacido deposito de rslo-
gio. riato o fabricante ter-.e retiredo do nego-
cio ; coorida, portaoto, spessoas que quizerem
possuir um bom relogio de ouro ou prata do c
lebre fabricante Kornby, e aproveitar-se da op-
portunldade eem perda de tempo, para rir com-
pra-Ios por commodo pre$o no seu escriptorio
ra do Trapiche n.28.
Cera de carnauba de pri-
meira qualidade.
Vende-se em porcio e a retalho de urna lacea
par. cima, e por commodo preco: na rea da ala-
dre da Dos confronte abotir-a n. 30.
Liquidado
A loja de marmore.
Bournus de cisemlra para senhora a 109
Manteletes de iroadenaple a IOS
Lequea de sndalo a 55
Bournus de caiemira para meninos
de teda. a. idade. a 5y
Grande aorttmento -de c.acjrrilhas,
trancas e fitas de todaa as cores para en-
frite, de vestidos por preco* asis bara-
tos do que em otra qualquer parte
Norelog de Hnha que pelo tamanho a todos
admiran: a
Caixaa de agulhas trancezaa a
Caixa. com alflnetes malto Unos a
Caixa. com apparelho par. entreler me-
ninos.
Ditas dito* grande.
Baralhoi portugaezes a 120 a
Oroxa de botes pequeos par. cica a
Teaouraa para uohaa muito fiosa a
Ditas para costura muito superiores a
Baralho* frincozee para relsareto iuito fi-
nos a
Agalbeiro. coro agulhas francesas a
Caivete, de aparar pennaa de 1 folha a
Peca, de trsoca de la com W rara, a
Ditas de trance de lia de toda, as core, a
Parea de .apatos de tranca de lis 1M80
Cartas de alflnetes franceses a 100
Peres de luvss fio ds Escocia multo floa. 320
Dita, ditaa branca, gro.aa. a 100
Eacova. para limpar feotes muito finas a 200
Maaso. com aopetiore* grampos a 40
Gartoes con eoiietee de abjatt defelio 20
Dito, de dito, superiores a 40 e 60
Dedaea de fundo de ajo muito superiores a 100
boBadores pare vestidos de scnbora com 4
varas a go
Caixa com colietes [rancezes 1 40
Cartas de alfioetes de ferro a 80
Cb.ruteiraa muito finas a SOOO
T10teira.de vidro com Unta a 160
Ditos d* barro com rala superior a 120
Areia preta o asul muito fina a libra a 120
Teoho ora remeeao de labyriotho para ven-
der por todo prefo. asaim como tenho trencas de
eda differeote. core, para render per todo di-
nhtiro que offerecerem.
Muita atten^ao.
Na loja de Silva Cardozo, ra do Im-
perador n. 40, vende-se roupas feitas
de todas as qualidades pelos precos
mais baratos possivei* queso pode ima-
ginar, pois pode vir os reguezes com-
prar porque pecbincha.
Algodao da Baha.
Proprio para roupa de eser.ros e sarco, de as-
aucar : vende-se na ra da Cruz n. 1, escriptorio
de Antonio Liz de Olireira Azeredo A C.
g Roupa feita muilo g
& barata. n
*9 Sobrecasacos de panno preto multo fl-
^ no, paletotsde dito, paletota de casemi- sjSk
.g. ra de cor,'ditoa pretos. dito, de fusilo, i
V ditos de gaogs de cores, ditos de brim 9
3gg de cores e brancas, cablas de casemira ft
dji| preta e de cores, ditas de brim brinco e *
W de cores, ditas de ganga*, colletes de 9
W velludo prero e ne cores, ditos de gor-
^ gurio. ditos de festao.dUos de brim bran- Jl
co, camisas de linho, ditaa de algodo 2T
brancas e de corea, seroulas de lioho,
f^ ilas de algodao, chapeos deso de seda &
aa mgleze* o. meltiorea em tamanho e qua- jZ
lidade. wdo se rende por barato prego a 9
dinbairoviata, na loja das 6 portas rus 9
ffij do Queimado emfrente do Livramento, am
1^ est aberta al as 9 hora, da ooite.
6V9999V 99# 99999
Caivetes finos pa-
ra pennas.
Caivetes finos para aparar peona, de duas fo-
ra do Queimado n. 75, junto a loja de cera.
Caixinhas para confeitos e
prsenles.
Muito lindosortimento de caixinhss muito lin-
da* para se botar confeitos ou meamo com ellas
raziaa se mimosear um* menina, peloa baratia-
simos precos de 320 al*2*500 cal. urna : na lo-
ja da Victoria na ra do Queimado n. 75, junto .
loja de cera.
Cuadros de moldura dou-
rada e preta.
Lidos quadroa de moldura dourada e preta,
com eatampa., pelo barato prego de 5J que a a
moldura ral o dinhetro : na loja da Victoria a
ra do Queimado o. 75, junto a loja de cera.
DIA1TE C.
36 ra das Cruzes de Santo Antonio 36.
n. ***** Ctkmmm
vs prepnetarios desles acreditados rnaeeas ds raolks^os participara mm
CwSSSrJS,poru>dM M w*w*e M'i* d EarPa- **tH**
^rtmi JVMdeBI ^ n~>0' ******* imm ootr. qa^q^ pa*te. mar
3rTl\!^ a V**' de engeoh0 fl **" o or de marH.retn mm aeoaa
aojnossosarmazen jaBm de vara a suprior qualidade de gneros e diflsreaea da prreos.
tara abatimenlo.
Ma nteig-a iranceaa ^u. 700 .. iu*. karru 91.
[o A |pCSfiI?,l ,i "fwior que ha no mercado a 2*400 23800 a fibra.
3*frh Xtm q,M h,dd me,hor"lo *500 a 39000 a Ubr..
i>na pretO aitosaparior vindo a primeira vez ao
Cli hysson 0Belnor
se far abatimento.
1 aeca. muito nova. 160 ra. a libra.
* o reino das, marcas SSS e alega a 140 r. a libra.
I do bfaraohio aira o ebeiroza a 160 r. libra e *m arroba a
Hervidas
Vflsa*
^ *>%mm de carnauba refinadas a 400 r. a Ubr. e em arroba a 12|000.
ivriletfoca de L(iboa a 70 rg f gtrratai tflin5a.se a bO qoaila,oe.
" 1**8,f* d* Lisboa a 140 rs. a garrara, e em cenada a 1#800.
M Chem a r|600 a garrafa e en carin ae faz abatimento.
caa"J9il0*, ,op'Elor ,w h no ***** DrDPio P" nhwa a 141 rs. a arrala *m ca
...i ...Tr bq,e dei,ID 8. meVe,>r8t!or!o ,tt bagada do primeiro rapar riada da Europa, pelo] Veolem brate Viana 4C *
peal eero novo sortimento e nao serei pragaiceso em o pnbQcar ao icapaitovatjwbllcoT I deia n?W.
Aboafama
rende Qvelas par. cinto. o mais bem dourado qae
poaaivet e do. mato tina*, agosto* qua tem rindo
a eate mercado, pelo baraiiaatsaa preco de 29300
cada ama, cartoiru com agulhaa aa maia bem
sortidaa que se pede cejar, e em qoaoto a qua-
lidade oie pode ha ver nada melhor, p4o barato
pre50.de 500 ra. c.da carteir., pennaa de 50 ca-
luraphia verdadeiras a 29 cada caixioha com 12
duzia, dita* de toad* verdadniraa n. 134 a 1*200
cada groza, ditaa multo boas ainda neo conbeel-
daa a 500 ra. a pon : na roa do Qaalaaaao, aa
b*m conhecida loja do miudezaada boa fama na
osero 35.
Novo sortimeoto de cascarri
lhas de seda
A loja d'agoia branca acabe de receber um nova
bello sor lmenlo 4* cascar rilhas da aeda de
multe, e differeote. cure, e'veude-se i 1|500
e 1500 rila papa, na ra do Queimado loja
d'aguia arases a. 10.
Meias pretas de seda 1:000
o par.
Vende-se metas pretaa de seda, e de rreji boa
q.ahdade. pera aenhoras, e padros i tpOOO a
par, por esterera principiando e mofar, a estonio
H*a calcadas nada ae conhece, n. ra Ao Quei-
mado loja (faguia branca n. 16.
Cobre de ftirro.
a* ra* a Ca-
Panno de algodo da
Baha.
Vende-s* no eacrlptorio de Antonio Lulz de
Olireira Azeredo & C, ra da Cruz n. 1.
Novos e lindos
enieites para vestidos pretos
e de cores, e roupiahas de
cria o ees.
Em apropriado tempo receben a loja d'agula
brenca um bello e completo aorlitnento de enfei-
les de seda par. re.tidos preto. e de cora*, e roo-
pinha. de crianza., aendo tranca, e bordado, de
ooro. e lindos desenlio, e difficeis teoido*. com
os quaes pode-se eom oslo e moderoiasimo en-
feitsr qnalquer vestido u roopinho de rieece.
Ao passo qae ditos enfeite* a todos geretsaeato
agradam, a conmodiade do* presos anima ae
comprador, esta verdad* ser vertflkeda par la-
dos qae aa dirigirem i dits loja 'agota branca,
ra do Queimado n. 16, cejos pro?** eatio mar-
cados oa. amosiraa, a* quaes ae darlo eom pe-
nhores.
Luvas de pellica
I Brancas e de cares pare hornees a seohors.fji*-
gadas ltimamente por 21100 rs. o par : aa loja
do viadora raa Hora n. 8.
Gen de Carnauba.
V*nd*-ae em primsira mi, muito em canta,
moco* de cera de carneaba malto boa: a tratar
na raa larga Koaarto n. 14, loja de jotos.
nc-sso mareado a 29200 a liara,
qu* vem doHio, em lius da ama libra par 19000 a aa
iQUeijOB dO reiflO ^BtM^uHimo^.m00^^Umm
navio a 29400 cada um. ^^
fllieiOS londriOS 0 que h. ** mhor neste marcada a 800 rs. a fikr..
\J IJOS praiO eonio nanea veto ao-aosso mercado a IflOO a Hbra e iatoiro a I
aaos e cIiour5,.sinuiU)Iwt0l,560r8.I,br,eMlpor5i()Mfar
Latas com linfuiijasu pronlpUs pira M rl->f^fJ-aBt
vez ao oosso mercado a 19800.
I eiXe em Ht;,Sdediver,sostamanhos,savel> sardo, pargo. pescada, eavaila, lingua-
dos fritos, atm marenado, robllos a lulas de tigelada, de l300a 290O0 aleta.
ToucinUo do rri.,onH1itM10TOaMOr$.tnbri.wao. nw*..,^.,
temos para 240 rs, a libra e 6#500 a arroba.
Ha tilla de pOl CO m \Ms com 10 libras por 49400 400 a fibra.
lirmelalU imperial de todos os conserveiros de Liaba*,am Uta. d* liar.
meta e 2 libras a 750 rs.
Latas com frutas eru calda Wmo*mmrmrm*9m r*-
xe, ameixas e ginja, a 700 rs. a lata.
Vlanuelada dt? Alperce6m latas d* 2ibrM por uooo^d. |pjt.
Ooce da CaSCa da gOial* ,700rs.e em pocrlo m far abaumaM.
U- CeS SeCCOS de diHarentes qualidades em bcetas muito bem arraigadas a 3*090.
CarteS COUI bllO franbeZ proprios para mimo a 500 n. "*
Passas em c ixinh.is de 8 libris at92oo440rs. a IuVsl
A? IgOS da COmadre muu> novos em cninha de 8 libras e muito bem enfeitadas *
29200 s 320 rs. a libra.
H>rvilhas francezas e portuguesas ,64o 720. a .u.
MaSS i de tom % te m Uu t l.brra a SOOts.
Amendoafid casca mole BUuo novas a 400 aiu.
I\ OZes muito novas a 200 rs. a'libra.
A UH'i Xas frneeZ S 6ra linammun por 49OOO a I90OO a libra.
Ch COlate lUSpunllol a 1^200, frsncez. ltOOOeportugoezaeOOrs. alibrt.
Bol X lilla de SOda em latas com difiranles qu.lidadas a 19400 a lato.
MaBBn S pa ra Sopa macarrio e talbarim a 240 rs, a libra e a eaixa por 59900.
1-ietria muito nova a 320 a libra e G000 a caixa.
i*-11 IOS liXlllS para denles era molbo com 20 macinhos a 200 rs.
^Jtt^ em frascos da libra e meia a 700 rs.
I J^Olo r TriliCt-Z para limpar facas a 180 rs. e era por?o se tara abatimento.
Espermacete Superior sem avaa a 740 eem eaixa a 720 rs. a fibra.
Sardinhasde Nantes muito novas a 400 eeoon.
AipiStil muito nova a 160 rs. a libras 49500 arroba.
AZeite doce refinado de diverjas marcas a 80U rs. a garrafa e 99000 a duzia.
B l iclMIllla i0gieZaa mais nova do mercado a 300 rs. alibra o 49200 a barraca.
jOtna muito alva a 80 rs. a libra e 29400 arroba.
V 1II II OS engarrafados duque do Porto, g enuino. Porto fino, madeira seeca, Carcavellos, nc-
tar, feiteria, velho secco, Museatel a 19200 a garrafa e 129000 a duzia.
DltB m pipa Porlo, figueira e Lisboa de 500 a 600 rs. a garrafa de 49000 a 49509 a ca-
ada.
Ser Ye jaS das mais acreditadas marcas a 500 rs. a garrafa e 59000 a duzia.
'-Jl mp^llll das marcis mais acreditadas qua h no mercado a 149 e 209 o gigo.
COgiiaC nglez a 109000 a-caixa e 19000 a garrafa.
Ginebra d-i Hol I -. Ilda verdaden a 69500 a frasqueira e 600 rs. o frasco.
Dita de lar* \\\\ a 69500 a duzia e 600 rs. a fraseo.
Dita ingle 1\ a 99 a duzia e 800 rs. a garrafa.
P-c llt S do gaZ a 29500 a groza e 240 rs. a duzia de eaixas.
i 1 refinado em paco tes de mais de urna libra a 240 rs. e em porcio tari abetii
Cafe do RO o melhor qae ira no mercado a 280 ra. a libra e 8*500 a arroba.
Sevalllha de Fraile* a mais nova do mercado a 240rs. a fibra.
>agU muito novo a 320 a libra.
Far M ha d vi Harailhilo mnito alva e nova a lOO rs. a liara e 99900
roba.
Velas de carnauba e de composicao .400 a wm
a arroba.
Vinagre pifrO de LSboa ,24o rs. agarrafa* a 19*00 a canana.
Grao de b iCO muito novo a 200 rs. a libra.
T^eraS SeeCnSeiO eaiXUH*Sdeoiw libras a49500 eafOn.
Marrasquino TM4adeiro de tara, Je limone, caf, menta, gaMpra, nanU*
curacu, ros. sublima e outras qualidade* de 19500 a 09 a garrafa.
Bat ta em gigos de urna arroba por 29000 a 80 rs. a Hbra.
Comnh OS os mais novos do mercado a BOO n. IrWa
Erva dot!e muio nova a 400 rs. a libra.
Cailell superior a 19 a fibra.
CbartltOS verdadeiros superiores a 29 a caixioha de 50.
Salm 111 eill 1 taS Com daas libras o mais bem srranjalo que lata
edoal9400.
VlaUtf ga em latas cora A fibras a m*lhorda
J9900 cada urna.
Vinagre em garrAes eom 5 garrafas de supwior qualidade a
Ara r li fa T*rd*d*** muito nova a 320 a 1 bra.
Alm desles gneros encontrar o raspeuval publico am noasas ir
sortimento de ludo tendente a molhados.


DUM* DK ft*!M0UGfr ~ SEMA 114 4> DiAitIL fifiJIM

i
GtlmwiM 4 Lu, denos da loj d miodes**
a- raa 40 Qteimido d. 85, boa fama, participial
ao publico qe o sea ertabeledmuto le echa
completamente prvido dn melhore mercadoria*
tendente* ao mutuo eitabeleeimenlo, e muitoi
antro objectot de goto, ando quaal todo* rece-
bido* da auai proprla* eocommendas ; estando
elle* inteiramecte resolvldo a Dio vanderem
Hado, aflancira rendar mais barato do qno ontro
qualquer ; e juntamente pedem aoi eus devedo-
res qoa Ibas manden ou veoham pagar os seu
debilos, ion pona de serem juilicados.
Chegaram de Lisboa no brigue Eugenia,
Tona bonito barros e ama burra, oa quaea se
vendern por barato preco : para ver, na cocheira
do largo da Aasembla o. 4, e para tratar, no es-
criplono de Antonio Luiz de Oliveira Azevedo.
AGENCIA.
Fundicao Low-Moor,
Ba da Sen zalla Nava n. 4t.
Ner-te esubelesimento continua a haver um
completo sortimento de raoendis s meias moen-
das para engenho, machinas de vapor e tai xas
de ferro balido e eoado de todos os tamanfaos
par* dito,
Ba da Serizaila Nova n. 42.
Neste estabelecimento vndese: ta-
chas de ferro coado libra 110 rs. idem
de Low Moor libro a 120 rs.
Fivellas douradas e esmalta-
das, para cintos.
A loja d'aguia branca acaba do receber por
amostra um* pequea quantidade de Rvelias
douradaa e esmaltadas para cilos, todas de no-
vos e bonito molde, e lambem douradat que
parecem de ouro de lei, o que s eom experien-
cia e conbecer nao o aereas, eiinndo no mesmo
cso a esmaltadla, e asaim mesmo vendem-se
pelo barato prego de 2J500 rs. cada urna, na ra
do Queimado loja d'aguia branca o. 16.
Cestinhas ou cabases para as
meniuas de escola.
O tempo proprio daa meninas irem para a
eacola, e por isso bom que to composta com
di da novas e bonita ceslinha que se ven-
den) ca roa do Queimado loja d'aguia branca
n. 16.
Vendem-se burros gordo* e manso : no
engenho Jurissacs, do Cabo: a tratar all con o
Sr. Domingo Francisco de Soaza Leo.
Arados americanos e machinas
para lavar roupa: era casa de S. P.
Johnston & C ra da Se riza lia Nova
u. 42.
Palmatorias de vidro e de laH
to para vellas.
Vodem-s* bonita palmatoria de Hdro lapi-
dad* nava- valla igiOO, e dilss de lati mui
por** e limpss a 100 rl. : na roa do Queimado,
foja da Aguit brama n. 16.
Ebgs de fustalavrado para
camisas a 500 rs. cada um.
Veodens-ao bonitas peitos de fustao lavrado e
trancado para camisas a 500 rs. cada un, faten-
da mu boa e encorpada : na ra do Queimado,
loja d'agnia-branoa o. 16.
Novo sortimento de tiras bG
dadas em ambos os lados.
A loja d'aguia-branca recebeu um novo alin-
de sortimento de tira* bordadas em ambo o* la-
do, e contina e vender baratamente a 1*300
cada tira, e outraa de bordados multe isrgos a
2(900, o melhor que possivel em tal genero,
e toda ella, pela largura que teem, podem ser
dividida* ae meto, pelo que se tornatn baratisei-
na ra do Queimado, loja d'aguia branca

mas
o.l6.
predio venda
Vende-se a casa de doua andar* e totio, mei-
gua, no neceo das Miudnhaa n. 8, avahada em
2.000, a qual rende 1 li2 por ceoto ao mez; na
ra do Trapiche o. 14, primeiro indar, ha peaioa
autorisada pelo proprieiario para effectuer a van-
da da meama caa.
ntremelos
bordados em cambraia
transparente.
Na loja d'aguia brancas* actaa um bello forli-
mento de entremeios bordados em fin esmbraia
transparente, e como de eu costura* esti ren-
dendo baratamente a 19200 a pega de 3 vsraa.
tendo quantidade btante de cada padrio, para
veatidoa ; e qnem tiver dtnbeiro approveitar a
occasio, e manda-Ios comprar na roa do Quei-
mado, loja d'aguia branca n. 16.
Agulhas iinperiaes.
i
i
Acaba de
chegar
ao novo armazem
DE
BASTOS & IEG0
Na ra Nova junto a Con-
ceico dos Milita-
res 47.
Um grande e variado aortmanto de
roupa lei tas, calcados a (aaendaa e todoa
este veodem por prego maite modi-
ficado como e de *eu cotume,asim como
aejam obracasacoa de auperiorea pannoa
a casaco fe i lo pelo ultimoa figurino a
16. 18J, 306 a 356, paletota doa meama*
pannoa prato a 16|, 18|, 209 a 4,
dito de caiemira de novoa pidre a 14, 16. 18, 20 e 24,
ditos saceos das meama casemiraa d* co-
re a 9j>, t06,12eal4,ditoapretoape-!
Slo diminuto prego de 8, 10, llf, di toa
de sarja de eda a obraaado a 11,
dito da merino de cordao a 11J, dito
de merino chines de apurado goato a 156,
dito de alpaca preta a 7, 8, 9 a 10,
dito aaceoe pratoe a 4, ditoa de palba O*
oda fazenda muilo uperior a 4 J500, di-
tos de brim pardo d fu la o a 66600, 4
e a 4*500, ditoa de fusio braneo a 4,
granda quantidade de caneas de case mira
preta e de corea a 7, 8, 9 e a 10, ditaa
pardas a 3 e a 4, ditas da brim decores
Hoa*alf500, 3, 39500 e a 4g, ditas da
brim brincos finas a 49500,51, 5500 a
6J, diu da brim Ion* a 5 e a 6 j, colletea
da gorgurao preto e de eor as a 5f e a 6f
ditoa de casemira da cor o preto* a 4660
e a 5, ditoa de fustao branco e da brim
a 36 e a3500, dito* de brim lona a 4f,
ditos de merino para lato a 4 e a 49500,
caigas da merino para 1 uto a 4 J500 e a 5J,
capaa de borracha a 9. Para meninos
de todos os tamaohoe: calcaa de casemira
preaeia cor a5|, 6 e a 7, ditaa ditaa
da brim a 2g, 3 ea 38500, pal tota c-
eos de casemira preta a 6f, a a 7, dito*
d* or a 6 e a 7|, ditos de alpaca a|8,
aobrecasacos de panno preto a 16 e a
14, ditoa de alpaca preta a 5, boneta
para menino de todaa q alidada, ca-
misas para meninos de todee os tamanho*,
meios ritos vestido* de eambraia (eitoa
para menina* de 5 a 8 nnoa com cinco
babadoliaoa8ea 12J, ditos de gorgu-
rao de cor a de lia a S e a 6, dito da
brim a3, ditoa da eambraiaricament*
bordados para baptisadoa.a muita* outraa
fazenda e roupaa feitaa qe deixam da
ser menciooadaa pela aua granda quanti-
dade; tasim como reeeb-e toda qaal-
quer ancommenda de roupa para a*
mandar manufacturar que para site flra
tamo um completo sortimento def ren-
da de gosto um grand* offleins de al-
falata dirigida por m hbil mestre qu
pela aua promptida parfeigao nadadei-
xi a deaajar.
** L quidacao.
Braga, Silva & C, em liquidaco, convidara
aos seus davedores a virem saldar seus debito
deotro de 30 diaa, e participam que medidas ter-
mioantea cero empregada contra os que nao
cora p rece rem.
% Mobilia.
Na ra da Gamboa do Carmo loja n.
12, vende se toda a qualidade de mobi-
lia tanto ao gosto moderno como anti
ga, phanthasia etc. por preco mais
commodo do que em outra qualquer
parte, faz-se toda a qualidade de obra
de encommenia com a mator brevida-
de e o maior apuro da arte.
paranjos.
Vendem-se ns rea da Senxala Nova a. SO, cai-
xinbaacom doce por preco commodo, recommen-
daveia para ea anjoa de procisslo.
Relogios
Vende-se em cas d* Jobnaton Pster dr C,
ra do Viga rio n. 3, asa bailo sortimento de
relogios de ouro. patente ingles, daam dosmaia
afamado fabricantes Je Liverpool; tambem
ansa vaala** d*-siaitis hmm
oorteyde y0A$tuf hrancoa
bordados.
Vendem-se ricos cortes de vestido brancor
bordado com S babados pelo baralissimo prego
de 5 o corte : na ra do Queimado n. 22, as
bem conhedda loja da boa fe.
* Camisas inglesas.
. Vendem-se superiores esmisas ioglezaa com
pregas largas pelo baratisaimo prego de 356 s du-
i* : oa loja da boa f, oa ra do Queimado nu-
mero 22.
Ricas gollinhas e punhos
com booes '
Vendem-se ricas gollinhas e punbos de cam-
braia e fustao ricamente bordada* cora lindo bo-
oes, pelo baratiisimo prego de 2 Cada guirni-
eso : oa ra do Qaeimado n. 29, na loja d
boa f.
Bengalas
Tera o fundo dourado.
A loja d'aguia branca tende em vistis seropre
vender o bom, mando* vir, acaban) de chegar
aqu (pela primeira vez) as auperiorea agulhaa
imperiaee, com o fundo dourado e mi beca M-
ta, aendo para aifaiata* e cestvreiras, esta-
cada papel 160 rs. A agulha aasiss boa anima
e adanta a quem coa* com ella, e em regra sao
maia barata do q** a outra; quem as com-
prar na ra do Queimado, loja d'aguia branca n
16, dir lempre bem deltas.
Culledes de estampas.
Acaba de chegar a loja da 'aguia brinca urna
pequea quantidade'de ollecge de fina e
grandes estsmpas a fumo, repreaentando elle os
msrtyrios do Senhor em N quadroa, o qnses
sao bem acertado psrs qnalquer igreja ou mes-
mo caas de quem lenha gosto de as possuir ;
ebegou igoslmente outra pequea porgo das
procuradas estampas a morte do justo e a morte
do peccador : achara-se a venda so mente na ra
no Qaeimado loja da aguia branca o. 16.
Tal bares para cr ancas.
A loj* da aguia braoea acaba de receber a sua
encom mendi dos precioso talhares para crianca
a os est vendendo a 320, 400 e 500 r. coofor -
me a supetforidade delles: na ra do Queimado
loja da aguia branca o. 16.
Ultima moda
De chapeo* pretos Ooos pello de seda cops alta
regular, para homeos, chegados ltimamente na
loja da ruado Queimado n.43esquina que volts
para a Coogregacio, mandados vir espeeiilmeote
ds Europa, nelo mdico prego de 9 cada um.
Ditos de feltro finos a Gsrioaldi superior qua-
lidade com variado sortimento a 5$ cada um.
Novos bonets de velludo, e
marroquim dourado.
Na loj 'gota branca cuvio-to mu buuttu
booet de velludo, e marroquim dourado, o
quaes sao agora mui nacesaarloi para oa meni-
nos que vio psra a escola e quem osfguizer com-
prar mala baratos dinsir-se ra do Queimado
loja d'aguia branca o. 16.
As verdadeiras pennas ingle-
zas caligraphrcas.
A loja d'aguia branca acaba de receber aua
encommenda daa verdadeiras pennas do ac
iogleza caligraphicas, do* bem conbecidos e
acreditados fatricante Perry & C, e anesar da
falta que baria dessts ,b6as pennas, com lado
vendem-ae pelo aotigo preco de2/D0O a caiiiuha
du urna groza, quantidade easa que a* falaifica-
daa nao trazem. Para livrar de engaos, as ea-
xiobaavo marcadas com o rotulo que diz. Loja
d'aguia branca ra do Queimado n. 16.
Sal de Lisboa.
Vende se s bordo da bares portuguesa cEipe-
taoca, aal de Lisboa limpo e redondo ; a tratar
oa ra do Trapiche n. 17.
Vende-se um terreno em Santo Amaro,
anloao hospital ingles, com 700plmos de fren-
e, em muito bom calado. ffatar na ra do
[Trapiche n. 44, armazem de Braga Soo & C.
uvas pretas de torcal
para meiiinas a 500 rs. o
par.
Vendem-se I uvas pretas de torcal em bom ca-
tado para menina de diversos tamanho* a 500
r. o par: na na do Queimado loja da aguia
branca n. 16.
Agua de lavauder e pomada
Vendes uperior agaa de lavaoder inglesa
pelo baratisaimo preco de 500 e 640 rs. cada fra
o, pomada maitissimo fio em pi grande a
500 e a 1, renda se por lio barato preco pela
grande quantidade que ha ; na ra do Queimado
na loja de miodesaa da boa fama o. 55.
Bicos de liuho barato.
^Vende-se bonito bico de linho de dou a
qastro dedos de largura fazenda muito auoerior
pelo baralissimo prego d 240,320, 400 e 480 rs
a vara, vende-se por tal prego pela razio de ea-
larem muilo pouca couaa encaldido, tambera a*
veoaem pegas de rendas lisas perfeitamente boas
com 10 varas cada pega a 720, 800 e 1. ditas
com salpitos muito bonitas e diversas larguraaa
1200, 18600 e 29 a pega, ditas de seda a 2 ca-
da urna peca : oa ra do Queimado na bem co
onecida loja de miudezaa da boa fama n. 35.
Liahds de cores em nvelos.
Vende-se linhas de cores em novelo fazenda
em perfeitissim* Miado pelo baratmimo prego
de 1 a libra : na ra o Qaeimado loja de miu-
dezaa da boa fama n. 35. .
a 240, 320 e 400 rs. cada urna: na ra do Cres-
po sobrado amarello n. 18.
Milho 49t00 rs.
Arroz 3$ a 3.500
Vende-ae cada unta awcca, na travesea do pa-
teo do Paris* o. 16, frente da amarello com oi-
to para a ra da Florentina.
Fazeodas baratis-
simas
Superior bramante de linho coas duas vsras de
largura a 2300 a vara, atoalbado da linho ada-
mascado com duas larguras a 2500 a vara, brim
branco do iinh muilo superior a 11440 a vara,
dito de cores, fazenda mullo superior a 1, dito
pardo de linho puro 800^ e 1&200 a vara, di-
to da qnadrinhoa muito proprio psra calca, je
que tas e paletota para meninoa a- 200 rs. o cora-
da, gaogaa frsacesas muito auperiorea a 400 rs. o
covado, cambra isa frencezaa muilo finas e de
muito bonitos.padrees a 960 e 280 o covado,
cambraia lisa muito fio a 4fi, 5 e 6 a peca com
8 1)2 varas, oambrai* com salpico* tambera com
8 1|2 varas cada pegas 4500, dita muito supe-
rior o melhor que ha ecle genero a lif500 a pe-
ga com 17 varas, ou a 800 r. a vara, chitas fran-
cesas de muito boa qaalidadee e de lindos pa-
droes a 240, 280, 300 e 320 o covado, fil de li-
nho liso multo tino 720 a vara, tarlalana bran-
ca e de corea a 760 a vara, loalhas de linho para
raaos a 7 a duzia, ditas pelluda muito saperio-
re a 11 duia, gollinhas de cambraia borda-
dla a 80 rs., manguitos e Rolles de cambraia ri-
camente bordadas a 2 o par de manguitos com
urna goila, lenco* braoeoe muilo fios com bico,
renda e labyrimho a tf280 cada m, ditoa de
cambraia de linho para atgibeira peto berattmmo
preco de 4, 5 e 6 a dutia, e aasim um completo
(ortimento de fezeodas de toda aa qualidade,
qu* sendo a dioheiro vista ae venderao por pre-
co* mui baixo : o bem ooohecida loja da boa
f, na ra do Queimado n. 22.
Escravos venda.
Vende-s* um preta.bom. arreira. propriapar
eiMfe*ao^aBma escrava q,ue teta alcurnia habi-
lidades, por precna barataimoa: a tratar com
o Sr. aoM Pedro da Reg, na ruadas Craza* oa.
*aui*docr*apao,17. .
Wovas fazendas pretas pa-
ra a quareama na loja da
Arara aa ra dt Im pera triz
n 56 de Magalhes A Men-
de8.
..JZH*!** 2Kdn*ple preto encerpadoa 12600.
gM-J. 2200'O covado. alpacas pretas a 300
600 e T20 re. o eove calca e p|etot* a 560 e 640 rs o covado, vel-
ludo preto a 2|500 o covado, enfeiles preto d
core 2500, 8, 5|5O0 e flf.
Panno preto.
Pjjiio preto par* calca* paletota a 1700,
19800, 2 e 25O0 o covado, corte df casemira
preta entestada a 3. 3500 e 4 para calcas, cor-
te de chita* Boa com 13 covado a 25500, dito
de riacado chines a 25580, dito* de popelina a
29600, chitas a 100 e 200 rs. o corado, ditas fran-
oecaa m 240 e 280 rs. o corado, cortes de fuatio
para calcaa 12190, dito de brim a 1|280 e
1600, cobertores de algodo a 1.
Algodo e mada-
polo.
S Magalbaes & Hendes.
Vende-se pega de algodo trancado america-
no com pequeo toque de cupim com 20 jardas a
pe^a a 3J500 e 4, pega de madapolao entestado
aem deteito a 3, urna duzia de meiaa crua pa-
ra harneen por 19200 um par 120 r., ditas fioae
25400. urna duai de lenco branco com barra
por 1200 um leego 120 rs., parea de meia* para
senhora a 240 e 320 rs. muito fin*, urna duzia
de abertura* ou paito para camisas 25400 urna
abertura 200 rs., maoiinha* de erex para ae-
nhoras andar por casa 200 ra. cada urna, pegai
de chita de core escuras com pequeo toque
de mofo porm logo que se lave fie perfeita com
38 rovados por 6 covado 160 rs., laazioha para
vestidos a 280 e 400 rs. o corado, sintos dou ra -
dos a 2.
Lazinhas suissas para ves-
tidos
Laazinhas snissis para vestidos de senhora e
roupa para meninos muito flnaa fazenda que s*
pode lavar a 560 rs. o covado, cassas suissss de
quadrinbos psra vestidos s 280 rs. o covado, fus-
tao de quadrluho* muito finos para vestidos de
senhora a 280 e 320 rs. o covado, popelina de
cores a 240 rs. o covado para vestidos, gorgurao
de linho para vestidose roupa psra meninos a
280 rs. o covado, chitss novas aquille propris*
para roupa* de senhoras com listrinbas muito fi-
nas a 280 rs. O covado tera 4 palmos de largara.
Uto s na arara na ra da Iaperalriz loja e ar-
mazem n. 36.
Ac de Milo.
HP
Papel de peso a %% a resma.
Venda-ae na ra da Quaiatamo toja de miade-
zasda boa fama o. 35. t
ViNi HA Pftfin'llafl
i'Riiii vj r TTnjrn ir*
Vende-se na rus do Qaeimado loja de ferra-
gens n. 13, a 8S500 arrota e em porgSo ae
vender per muilo menos.
Escravo venda.
Na roa da Cruze* n. 26, segando and*, van -
amasa um piato proprio par todo o aervigo, por
preco commode. r .
G.emQO e verda-
deiro viuho da Madeira, ul-
raameate chegado

Barato assim barato de mais
Sabonete finos.
A loja d'aguia branca receben urna crescida
quantidade de sobonete* fino pira barba, o
quaes coavm s todo comprs-los mesmo para
raao, 1 vista do diminuto prego de 3 porqaanto
se est vendendo a duzia. Para satiifazer-se aos
booe fregueses se vender tambera aro menores
porges, porm quem m*i* comprar maia lucrar,
porque assim barato nao ser fcil tornar a ha-
ver, e mesmo agora s ha na ra do Queimadr
leja d'aguia branca d. 10.
Coraes.
Em massinhos a 500 n. cada um.
Em flus a 640 rs. cada nm.
Em volts* de 8 fio a 250O cada urna.
Vendem-se multo bon corae, em massinho,
fise roltaa de 3 flos, pelo bsratiasimos preco*
cima : n TUB onryuefniauu lufm uijmo manca
o. 16.
CALCADO
Preservativo universal,
45Ra Direita45
Ohem!.
Urna das intelligeociaa melhor esclarecidas ni
acieneia de Hipcrates, dqpois de langos annos
de exercicio de curar e matar coovencau-se fi-
nal, qne o nico preservativo iofallivel de qual-
quer epidemia, por mais mortfera que fussa. era
conservar a esbega fresca, ventre desembaracado,
e FES QUENTES. Ora, viajando por abi urna
epidemia,que mita gente como qualquer outra,
occasio de pormoa em pratica ealea principio,
usando po"uco alo chapeo a sempre aem-
bra ; tomando de 15 em 15 diaa um laxante de
sal de gUaber, o maia acrrimo inimigo Oa epi-
demia, segundo a opinio e a pratica de um dos
ornamentos da nossa magistratura ; o langandc
ao ciaco todo o calgido velho, dirigodo-ae todos
ao armazem da ra Direita n. 45, ondeo respec-
tivo proprieiario s todo recebar com cortesa,
aturar as maasadaa, aquecer es ps cura ex-
cellente calcado, segunda o gosto, slado fi-
naoceiro de esda um, a vejam :
Homens.
BORZEGUINS dos melhores fabricantes,
francezea. inglezea e br.isileiros a 132.
129.119. 105. 99500, 89 <...............5500
SAPaTOES a 7500, 65500, 5500, 5,
49500 al................................ 2)000
Meninos.
SAPATOES 55500, 5, 4, 3530a......1600
Senhoras
BOTINAS de fabricante frsnceze, iogle-
ze, sllrmaa* a amerieaoo federaes
6, 59500, 5, 4500, 3550O a........... 2500
Meninas.
BOTINAS 4500 o......................4000
Um completo o>tiaeol*de sapatos para se-
nhora de couro de lustre virado a 500 rs., de ta-
pete 800 rs de lustra (os. 32 e 83) a 800 ra.,
de tranca fraucezes a 19300, portugueses 29, si pa-
tos de bnrraxa para bomcm aeottoca aBinoe,
muilo couro de lusire, de porco.cerdavo.marro-
quim, bezarro trances, aola de lustre, coarinhos,
vaquetea, sola etc., qu* lado veade-e* con* em
nenhuma parta.
Funileiro e vidraceiro.
ie no rus do Vigarb n. 9, primeirQ an-
dar, escriptorlo de Carvalbo, Eogueira 4 C.
Grande e nova officina.
Tres portas.
31 Ra Direila31.
Naste rico e bem montado eslabelecimento *n-
eontraro oa freguezaa o maia perfeito, bem aca-
bado e.barato 00 seu genero.
URNAS de lodss as qualidade.
SANTUARIOS que riveliaao) com o Jacaranda.
rUNHBIBuS d* todosma t a man boa.
SEMICCP1AS dem dem.
BALDES idem ideas.
BACAS idem idea.
BAUUS idem idem.
FOLHA em cix de toda* aa groaauraa.
PRaTOS imitando em p*taigao a boa poreal-
tana.
GHALB1BAS de tedas as qualidades.
PANELLA8 dem tem.
COCOS. CANDIEIROS e (landres, psra tasl-
quer sonim*nto. ,4
Vi OROS ea alzas a a roulhode lodo o* ta-
maodando-e maohoa, botas, dentro da cidada,
an todas parta.
Reem-ae eocommunda de qeaiaau: bkU-
reza. co*c*rto, qu*. lado r dMmpnbada a
onteoto.
Vende-* ago a 23 o quintal: na ra do Quei-
mado loja de ferrsgens n. 13 ; bem como ae ven-
de nesta mesma loja um completo sortimento do
ferragen e miudezas de todas ss qualidades, to-
do por diminuto prego, visto o proprieiario que-
rer entrar em liquidacio.
Camisas e ceroulas
Vendem-ae superiores ceroulas de linho muito
fina pelo barato prego de 20 a duzia, dita irn-
garfa* de algodo, mas de muilo boa qualidade, a
17 a duzia, camina branca fraocesas a 22, 249,
26 e 3d a duzia. ditaa par meninos 22f a d*
zia, dita* para homaro com abertnra de core a
22 a daaia : na bem conheoida loja da boa f
oa roa do Queimado n. 22.
Lenco* brancos para algibeira.
Anda ae veodem lengos brancos fino* psra al-
gibeira pelo baralissimo preco de 29400 a duzia :
W< "* .-----------*- Q-.i..a. a. O*.
Mei s para senhora.
Vendem-se rais* fina* para senhora pele ba-
ralissimo prego de 3600 a duzia : na sa* de
Queimado n. 22, na bem conbecida loja da
boa f.
Pechineha
Sencientes
de Hamburgo.
De hortalt^a e flores.
Viodee pelo ultimo vapor ingles: na roa da C-
dela do Recife loj* de Vidal & Bastos.
Aos Srs. consum'
dores de gaz.
Noa amazona do cae do Ramo ns. 18 e 30 e
n ros do Trapiche lftvo (00 Recife) n. 8. se
vende gas liquido americano -primeira qualida-
de e recentemeote ebegado a 149 a lata de cinco
galles, assim como se vendara latas de cinco
garrafa em garrafaa.
Pechineha
Pechineha admiravel na
1( ja do Pavo a 10$
Vende-se pecas de bramante de nho
Imro bastante encorpado proprio lpara
encoes, toalhas, seroulas, camisas pas
I rtotsetc etc tendo cada peca 2, va-
raspero b&ratluimo preco de i O) 7 pe-
ca, etambem se vende "meia peca po-
5(| ou se retalha a 400 rs. a vara : na
ra da Imperatriz n. 60, loja e arma-
zem do PavSo, de Gama & Silva.
Rival
sem segundo.
Na ra do Queimado o. 55, defronte do sobrado
novo, est disposto a vender tudo por prego qu*
admira, assim como seja :
Frascos de agua de lavanda muito gran-
de* a
Sabonetea o melbor que pode baver a
Ditds grandes muilo finos a
Frascos com rheiros muito fios a
Ditoa ditos muito bonitos a
Garrafaa de agua celeste o melhor a
Frasco* eom banha muito superior a
Dito dita de urgo fioinima a
Fraico de oleo babosa com ebeiro a
Ditos dito dito
Ditos dito nito a
Dito para iimpar a cabega e tirar caspas a
Ditos dito philocome do verdadeiro a
Ditos com banha transparente a
Ditos com superior agua de colonia a
Dita, frasco grandes a
Frascos de maoag oleo a
Ditos de opiata pequeos a 320 e
Dito de dita grandes
Tm um resto de lavando ambreade a
Liobs branca do gas a 10 rs., tres por
dou, e fioa a
Dita de carlo Pedro V, com 200jarda a
Dita dito dito com 50 jarda a
Carreteia de lioha com 100 jarda a
Duzia de molas cruas muito encorpadas s
Dita do dilss mullo superiores a
Dita de ditas brancas pars senhora, mui-
lo finas a
Vara da bico da largura de 3 dedos a
Dita da frsoja para toalhaa a
Groxa de botdes de louga bracees a
Duzia de phospboros do gis a
uita de ditoa de vela muito superiores a
Pecas de fita para cs de todaa ss lar-
guras a'
Garteiras com agulhas.
A loja d'aguia branca acaba da despachar car-
teiraa eom agulhai de mui bOa qualidade, a en-
cllente sortimento, e as eat vendendo a 500 rs.
cada urna ; asaim como receben Igualmente no-
vo sortimento ass agulhas impenaes, fondo dou-
rado, que continuom s ser vendidas a 160 ris o
papel, isso as ra do Queimado loja d'aguia
branca n. 10.
Argolas de ac para chaves
vend*m-se 208, 240. 320. 400 e 500 ria,na ra
do Queimado loja d'aguia branca n. 10.
Froco fino e peda frouxa para
bordar
Charutos da Hayan*
Vendem-se charutos da Havana d
superior qualidade encasa de N. O.
Bber*4 suceessertmy roa da Crua
n.
4.
Obras de meta, prateado.
EmcaiadeN. O. Bieber&C. sucres-
sores, vendem-se apparelhos completos
para almoco, porta licores, garlos, la-
cas, colheretpaia chae sopa, galhete-
ros, copos e outros muitos objectos des-
te bem conhecido metal, pela sua boa
qualida le e duracSo : na ra da Cruz
n. 4.
Troca-se ou vende-se
aova e graad*, e
seaor : aa raa d*
800
320
160
500
19000
15000
240
600
240
320
500
720
900
900
400
500
100
500
800
500
20
60
20
30
2JI40A
45500
35000
120
80
120
240
240
320
Vende-ae ama burra (cofre |
taaabem ae troca por outra
Apollo n. 8, primeira andar.
V*nde-se tambero permita -m por pre-
dio, neela prac*. aaa bom engenho de aioer rom
agua e com bastante fores, desleal* deala praca
trae leguas e meia ; de mullo boa predorrao,
com multas versea* corregoe, Urge* fresco,
com excellenlea quebrad*a de ladeirae, e toda*
rodareis, com porto de embarque dentro das tea-
rae do mesmo; com estrada rodavel por earr-
nho al o engenho, com exctenles eapoelra
coberts de mata ; e vista ni* s da lavrora,
como das eobertas do terreno confirmar ao
comprador o que cima fica diio; tatabra com
excelleole cercado por ser de moiio bom pasta
grammoso e gengibre ; com mullo bom psas-
elo ; alm de mullas outra vaniagens, que
com a mta do comprador se poder certificar : *
quem pretender dirija-e raa do Queixado
n. 13, escriptorlo do Sr. Luis Deliran Jorge.
Fabricante ra Direita n 17.
Jos Joqoim Lima Bairo lembra aos seo* nu-
merosos fregueses tanto da praca como de fora,
que o seu esUbelecimenlo se acha bem prvida
de todi a* qualidades do espirita*, e feilos oa
aquella perfeico de que j ao conhecido, romo
seja, agurdente do reino, aniz, genebre tanto
em botijaa como em cascos de aaleire, licor*
de todas as qualidades, e preco diversos, *lcoi4,
ou espirito de vioho do grao asi* subi no mercado, o que tudo aa vender pelo prac*
mais commodo que em outra qualoutr par*.
Escravos fon3o:
Pugio a 27 do marco um mulalinho de o-
ra e Alfonso de idade de 11 annos, o qual tera os
sigoae seguintes: olhos grsndes amortecido,
nariz chalo, bocea grande, beicos grossos e ca-
bello crespo, corlado rente, secco do eorpo, pe*
e mos regulsres e tem s falla um poveo.tyoca
foi vestido de calca de azulao camisa de n ada-
nolao quem o pegar leve-o a Ilha dos Rilo* a.
30 que ser recompenaado.
50,000rs.
Pugio no dia 10 de marro prximo peesado, da
casa de seu senhor. o esrravo da noae Laorenti-
no, orioolo, de idade 24 annos, pouco maia oa
menos, com oa signaes aegointe : alto, rbeio do
corpo, porm ao muito, rosto redondo e picad*
de beiiga, cor preta, bastante umbiguno. poia
que differeocs-se bem, falla de dente r. freotej
0 hoce*, falla gago, tem um pouco gros*a a
canellas da pernia, filho de lazerelh, fui e*-
crsvo doSr. tenente-croael Maoocl Gomes, mo-
rador no lugar dos Palos, do que se rosa a esta
mesmo senhor <|ue no caso d'elle por l I he ap_
parecer o mandar prender e aaoda-lo l-var a
sen proprio senhor no lugar abaizo mencionado,
le*ou camisa e cale* de algodo, sendo a cnmi
de riacado e a calca de ezulo, qoando and
bailante aprestado, procura* urna peasoa para
Ihri dar urna carta para procurar senhor lora ac-
ta cidade em nomo de seu senhor ; por isso re-
g*-*0 *os captlaes de campo oa qoalqoer peso*,
e autoridadea policiae*, que o prendara e levera t
padaria do pateo da Santa Cruz o. 6. O esera*o
tem signal de calos as costas das maa de aso-
lar farinha.
Na loja de 4 portas da ra do
Crespo n. 8
Madapolao com pequeo toque de
avaria a 4^.
Dito largo fino a5|s peca.
Algodaozinlio liso encorpado a 2#800
e 35 a peca.
Chitas largas de cores lxas a 320 rs,
O covado.
Ditas rosas estreitas com pequeo to-
que de mofo com 38 corados a 5|500 a
peca e em covados a 1 (0 rs.
Tamancos baratos.
Vendem-se tamancos muito bem eito* ba-
ratos para homam, senhoras e meninos taaio a
retalho como em porcao : na roa do Livramen-
to a. 30, loja de cera.
Meias pretas de seda.
Vende-ae meiaa de seda preta para ae^no
fazenda muito auperior pelo baralissimo yieco
de I90 par : na ra do Queimado na bem co-
nhecida loja da boa fama n. 35.
Fazeodas pretas
superiores.
Grosdenaple preto muito superior pelo dimi-
nuta preco de 29 o cavado, panno preto auito -
no a 3, 4, 5, 0. 7 e OS o covado, caaemira preta
muito floa a 21, 23500, 3, 3500 o 49 n corado,
mantea aretes de blooda muito superiores a 129,
manteletes de superiores grodenaples preto ri-
cimeLte bordados a 369, sobrecasaeaa de panno
pret* muito fino > 30, casara lambem de panno
preto moil* fino 3u. palelola de i.anno prelo
flno a 18 e 209, dit..s d* fiatemlr* d* eor Biel-
dada 189, superiores grataliohas eitreitas a
19. ditaa Oa sala aaco *de gorgurao anise au-
periorea para aua* toltaa a 29, flitaa eslraitinh**
coa linios iloete* a 29, superior gorgur pre-
to ara eoiiele 49 corle, rico eofeite prelo
a 69, e assim outra nuiles fszenda que sendo a
dioheiro viese, vendem-ae por preco muito ba-
ratos : na ra do Queimado o. 21, na bem coche-
ada loja da boa f.
Superior caldo Lisboa.
Tem para vender ea porcio a retalho Anto-
nio Luiz de Oliveira Azevedo 4 C-, no sea e-
ariplorio ruad* Cruz n. 1.
Objectos de phantasias
pulseiras de m89angas.
A loj d'aguis branca acaba de receber ua
bello aecoIrtHo aerttmento de pnlaeira* da ata
aenga* coa borla* pendente, obra de muito gea
Ib, o qu* de maia perfeito a* po4e dar em laaa
objectos. e a est end**do 1|5iX> cada urna,
tanto para aeuhora* 0900 para raenini* e pe*
novidad* dogosioe apuro d* moda nSa tardarlo
*m ae acabar que ba ns loja d'aguia branca,
ru do Queimado n. 16.
Vende-a* urna canoa grandA que lra 1,100
Molo*, por prac* commod* : a tratar, coa Igna-
cio d Suuza Lea*, no Bamedio, ou nesta pr*Q*v
a caas do_Dr. Angelo.
vende-se ns ra do Queimado loja d'agaia branca
n. 10, onde se achara completo sortimento.
Oht que pechineha
Vende-se palitos lizados e foliados finos pars
denles 2 masaos com 40 mauiohos por 400 rs. ns
rQa da Imperatriz loja da Arara n. 56.
armazem de fazeodas
DE
Santos Coelho
uta* do Queimado n. 19.
Lenco* de bramante de linho a 39.
Coberlaa de chita linas sy.
Dita* preco de ls800.
Caabraiaa preta muito finas.
Colchas da fustao muilo lindas a 69.
Este iris da India de 4, 5 e 6 pal moa de largo
proprias para forro de cama e salea.
Lencoes de panoo oe liobo flno a 29-
Algodo monatro a preco de 600 ra. a rara.
Toalbaa de linho para mesa a 4j.
Dita* de fusio para maoa, cada ama 500 rs.
Balo** para meninaa.
Loja das 6 por-
tas em frente do
Livramento.
Cmas franceza de bonitos gostos s
390 rs. o covado, luvss de tracal pretas
* d seda a 500 rs o par, chitas france-
sas largas escuras a 240 ra. o covado,
ditas fln*e a 260 e 180 ra., fil de linho
liso a 940 rs. a vara, tarlatna fina de
todaa aa corea a 800 rs. a vara, lencoa
branco* coa barra de cor a 19100a du-
zia 120 ra. cada ua, meias para ho-
rnea a IflOO a dasia* 120 rs. o par,
chita* para eoberte le bonitos "ese-
unos 290 ri. o covado, pecaa de bro-
ta nba de rolo a 29. ditas de cambraii Usa
coa 6 1)2 varas a 39, ausooa encar-
nada 940 rs. o covaAo. calcinha para
menina de escola a I o par, peilos
para eemie* brancos e o* core a 200
' ***** de cambrai. branca de aelpi-
co a 396OO, Igediii entestado o melhor
709 rsva rara, dito branco para toa-
lhas a 1| a ara, enMte* doa mais ao-
d****a a **ribaloi a 6. loja eitf aber-
ta al* a* 9 horas da ouite.
da Imperatriz oo
Sempre ha pare ven iar eaiana* *> divoraoa
U maohoa coa Mas de Haba e lia, carda vero*;
tambera sen certa a* cae*' a por pr*o c*amodo
Aviso.
Vendes* um* rcelo prnpria-par* qualquer
negocio alta aa raa do- Rea*rio eetretla n. 9 ao
p da ra* 00 Quai oa do, am* preend** di rrj*-
e a taieaa que chara co-n q**a tratar.
Saceos coro supri-.r firnha.
A aejaaftr aaa preniemente ha po mareado,
s9 na roa Dtreita a. 17, preco mdico.
Attenco.
Fugio do engenho Pirae da comarca de
Goianna doua escravos, aeodo um de oome 6<>n>-
calo. rdr fula, altura regular, reprsenla de 28 a
90 annos, no andar um pouco circundo, lera
ama marca de ferida em um do* ps, leven cho-
peo de feltro ordinario com faao ordinario n. !fe,
paletot de calc*a de ritcado, lavo* mus roupa
groaaa de aervico, muito ladino, auaeaioa-t*
do engenho 00 0* \ do crranle. A ouira urea
muala de oome Mara, idade 40 annos, peora
mais ou menos, j lea sigan cabello braricoa,
rosto comprido e bem ladina no fallar: qun, o*
pegar ser bem recompensado, o* no referido
eogeoho ou na ra da Cadete Oo Recife n. 49,
priaeiro andar.
Fuaio domingo 30 de marco aaa escrava de
non e Oiaria, secca do corpo e bistaaie baisa>,
coa marcas de b-ngas oo rosto, falla cua *as-
baraco, mos e pes pequenoe, unbaa frisa, e 1-01-
bem feia de rosto, lea urna farlda no humi>ro
direiio, denle* lodo* quebrados, levou vestido roupo de caasa branco coa florea ata*, chale*
branco de cats adamascada, trameos ao pe*:
quea a pa*r dirija-a* taberna de JoSo J t
Lopea da Silva, no becco daa Barreirae na Bol-
sista, qae ser bem recompensado.
Pugio o dia g de fevereiro prximo passa-
do de engenbu R'a terao da Sacada, um e*cr*-
vo de nomo Anvelmo, idade 28 annos pouco a*la
o* menos, cor fula, cabellos carapinbus, cea
falla de dente* na frente, testa saliente, aliara
regular, pernaa flnaa e sem neahuma barba,
natural do Rio Grande do Nort : recoaee*aa t*
autoridadea policiaca capities de caap* a
captura do referido eacraro, po**ndo aer *otr*-
gue no Recife a* Sr. Braoo Airar* Barbosa da
Silva ra Crus o. 45, segando andar, ou a* -
engenho aciaa aencicnado, que ser generosa-
mente recompenaado.
Fugio n* dia 20 do corrate de bordo da
patacho Capuana, o eacravo crioulo mariohet-
ro de noa* Antonio, idade 19 aaa pone* a*4*
o* menos, aliara regalar, mato coaprleo raa
alguna aignaea de bexigas, levou caifa e camisa
asul : quem o pegar leve-o ac Mcriptahw 0*
Antonio Luiz de Oiveir* Azevedo V C. raa da
Cruz V 1, ou a bordo do dito patacho que seta
generosamente recompensado.
400S000
D-se a gratifleacio de 1009 quem pegar *
esi-ra vo Manuel conhecido por Manocl Fra risco
rujo esi-ravo 6 do abano ai signado, te o* sig-
nara aeguinlea : cor mulato, catatara regular, ca-
bellos carapiobos, os doos dente de n*>e da
frente grandes, roato comprido, qaando aa. 4
n.uito .-apigado, omito OeaembaracaO* no tallar,
ba feito de pe e ao*, diz qne eoe* n-T'i**
de alfaiai, alte e*cr**o foi do flaaO* leaen*.
coronel Bernardo APionlo de Miranda *ab*r d#
engenho do Brum, ni Casanga aonde fot Mari-
do e criado e 4 aullo conhecido naqoeile lugar,
tendo aido vendido pelo Sr. Or. Graciano de Favi-
la Baptiaie no dia 29 da fevereiro proxii u-
sado fugio no dia 16 do aeaao aez. ti e*-
cravo j esteve fgido quaodo era do Sr. Bpitv-
la, p*r* a baodaa da cidade de Olinds aVb*a
ribe vtnha vender cirvi neit* cidade la***
que fui pegado na roa da Coi* coa uo.a car4a
de caWo. auito de auppvr qne techa maaSag-
0 aou-e e que ae Inli uloridadea policiaes ecapities de caasa* *)-
Srehonaao do dito esrravo, aaaim como se **ag-
ca con qnaotia cima a quem o troaser *m
der noticia certa aonde eat sala coa* *** jf
ae protesta contta qnem quer que o teaba acom-
uno.
Albino da SH** Leal.
Fagio do engenho Boa Espera a c roma rea
do Lirnoelro, ea diaa do raez de jaoolm ** **r-
renl* auno, na earravo pardo da aa* fv***-
io, idade 30 annos **eo at oa ** ruf
eacrav I natural doForn* da C*l, *"iaaa
no R-cif# e CaCuc, por lao <****ptw>r ***>
tej orculto por qoalqoer dte* lugarv. r>ia*m
menda ae as aorarided* pObrJa** e>is*a **
empo captor* do referid* fSWv*L aal p*>-
de er entregue nsts prn *o Sr. A"rg
Barbos* d* Sil**,ua roa dCruzo. 15, legnadJf
ndtr, oa no referido engenho.
Hl
IV
I
\


<**-
OlAfUO DE itMUHtSM. O. SKI* MU* 4 W AtRlt DE 116*
Utteratnra.
CAAT
dirigida ao E\iu. e Rvm. Sr. D. Mauoel
Joaquim da Siveira, arcebispo da
Baha, metropolii c primaz do im-
perio do Brasil, sobre as uecessida-
des da. egreja brasileira c do estado.
Exm. e Rvm. Sr.
I
Ua vendo eulido oo ti. 261 do Jornal do Com-
miereio do Rio de Janeiro de 21 deseteoibro pr-
ximo pasudo ama carta enderec.ada pelo Exm.e
hm. Sr. conego Joaquim Pinto de Campos ao
iixm. Sr. ministro do impeiio sobreAs necee-
aidadea da egreja e do estado, t na qual o tu es -
ie Sr. conego Campos disperta o governo cerca
no modo de operar-se na oossa egrej urna re-
forma, cuja palpitante necesaidade muito que
se faz sentir, lombrei-me, visto que nao concor-
do com alguna pontos offerecidoa pelo illastralo
autor da j dita carta apreciaco do meamo go-
verno, de dirigir i V. Exc. Rvm. algunas eonsi-
erjeoes respeilo de negocio tao momentoso, e
Jue por sua importancia, deve prender a attengao
a egreja brasileira e do paiz, principalmente na
quadraemque actualmente vivemos.
II
Hei lido, Exm. e Rvm. Sr., com multa attengao
a caris do Exm. Sr. conego Pinto de Ctmpoi. e
reflectindo sobre o complexo de ideas, que sella
desenvolved, concordo, e muito, que o arrefeci-
tuento dos principios salulares e saos, da nica e
verdadeira religiao divina, a catholica a base
primordial de tao prematura dissolugo de cren-
a e de costumes, porque vae psssando o oosso
tirasil ainda eovolto as faxas da Infancia.
O rouco cuidado quasi natural, e reprehensi-
tqI abandono, que preside a fcil educarlo da
nessa mocidade, aioda mesmo no lar domestico;
e tibieza de alguns paes de familia na proflssao
da f, que juraram abracar, e defender no banho
sacramenlal das aguas do Baptismo ; a frivoli-
dade com que tralam-se os mais austeros, ver-
edeiros, e rgidos principios da moral evange-
lies, que sendo escriptos com o proprio singue
o Regenerador da humanidale, nao sabera tian-
siir com as absurdas exigea:ias e estravagantes
dogmas, que acltlmenle iofectam a nossa socio-
Cade, nao respeitaodo os lugares, e ero to pou-
co resalvando as apparencias accommelteodo
mesmo a alguns denossos legisladores, comosde
acontecer o anno passado assim na cmara tem-
poraria, como na vitalicia, aonde a veneranda
pessoa do chefedo catholicismo foipouco acata-
da, e insultadas, e aviltadascom epithetos pouco
honrosos parlamentos catholicos as mais santas
disposiges de egreja, e oa que se achim cons-
tituidos seus defeosores, quem, nao sei porque
injustos motivos, taxou-se deperaltas e va los,
e cujas injurias uem sequer ao menos encon-
trarais um protesto solemne desees dous parla-
mentos, aoode'sub o sagrado lago do juramento
s pode fuoccionar quem for catholico apostli-
co romano, como expressamente determina a
ossa constituir.ao poltica no art. 95 3." do tit.
., e cuja religiao a do estado, como se acha
ordenado no art. 5., til. i. ; os privilegios e
proteegao escandalosa, absolutamente opposta ao
uosso pacto fundamental, que se tero dado ssei-
las protestantes ou dissidentes, e seus respec-
tivos ministros, que carecendo de missao, invt-
dem desaasombrados as provincias do imperio,
nanunciando pelos jomaos, e pregando de publi-
co as suas falsis doutrinas ; e muitas oulrss
causas sao, Exm. e Rv-m. Sr., os fataes vehculos
que nos lem collocado bracos com a impieda-
de, e a mais assustadora iocredudade e indif-
erentismo religioso no nosso esperanzoso paiz I
Nao defendo a intolerancia civil, antes a reo-
-aihego consagrada pelo art. 5.* do tit. 1. da nos-
sa constiiuigao poltica, aioda que beta difficil e
sptnhoio seja marcar-lbe os (imites ; mas dese-
co, que se observe lett-a o que a respeito dis-
pe a lei do estado. O catholicismo inimigo in-
f.exivel do erro, oodepactuar com as seitas, qne
nao possuem a verdade, e nesle sentido elle
intolerante ; porque nenbuma liga pode dar-se
entre a luz, e as trovas; porem o calbolicisma
condemnsndo as falsas doutrinas que dividem os
espintos, ama pela cuidado a todos os hornees,
e compadece-se dos que desvairados, vivem na
cegueira.
Desejo como catholico, que sendo a religiao
catholica a nica, que oo Brasil goza de culto
publico, que o governo seja zeloso em cooperar
IjUdUlU em Si wub-i para OD>niitonSo A. uni
ade religiosa oro coosentindo, que outras
quaesquer religioes se exercitem no imperio com
es mesmos apparatos, que a do paiz, e nisto
muito interesas de mais mais a sua tranquil-
izado.
III
Quem haver no Brasil, que, sendo catholico
de coragao, e haveodo esludsdo sssuas melhores
icstituigoes, nao lamente a Insidiosa invaso,
que afie vai operando os ruinosos principios do
funesto protestantismo, morto porinanigo no aeu
mesmo bergo, e acoberlados com o improQcuo sys-
tema de colooisaco, que parece ter sido adrede
eicolhido para po'roar o solo brasileo, c ao mes-
mo lempo descatholiti-lo ? Quem havar que
deixe de gemer avista dos arligos editoriaes, que
de a anuos para c, tem sido publicados nos pri-
meiros joroaes do paiz, que sao os litros de to-
dos, e dos quaes censurase acremente, e at se
ridicularisa a dedicarlo, e amor aos principios
nvariaveis do catholicismo, propalando-se ao
mesmo lempo as ideas aterradoras do Calvinis-
mo, do Jansenismo, e quem aabe I talvez que
tambero de urna egreja nacional ? I
Por pouco que se leona estudado a oossa
actualidade forcoso recouhecer, Exm. e Rvm.
ir., qve d'eotre muitas, que sao sojas legitimas
consectarias, talvez este seia a principal causa do
esmorecimento, que se nota nos principios reli-
giosos, e pouco fruclo das melhores instituigoes
Oo oosso paiz.
O protestantismo, que srrogou se o falso nome
de reforma, nao tendo apostolado, nao tendo
missao, nascendo das iocoberencias e paixdes
tamaas, e era tao pouco conservando o vene-
rando deposito da doulrina sacro-santa, de que
f.el guarda, e depositara a egreja catholica, ja-
mis poder reformar coasa alguma. O livre
Mame, a interpret.^ao individual das escripia-
T33, jamis poderao ser meios aptos para refor-
mar costumes corrompidos ; antes pelo contrario,
eero uia instrumento inevitavel de depravado
prematura para os costumes aioda os mais saos,
e os mais vigorosos. Nao pode haver moralida-
de sem que exista urna nogo exacta, e precisa do
dever.
Porm o protestantismo decora pon do, e des-
truindo a nogo moral, aastm como disaolve, e
inutiliza a nogo dogmtica, acaba com toda a
idea do dever, e sacrifica a moral s suas pai-
ioea. -~^__
No protestantismo os indi?dos erigiodo-ae por
ai mesmo em taotosoutros aerea influenciados pelo
Espirito Santo consiituem-se o nico julz do que
tevem obrar, como a sua singular dogmtica ji
ee flzeram do que devem crer. As mais grossei-
ras inspiracoes de suaa inclioacea podem lgica-
mente aer por alies consideradas lea irreprehen-
eiveis. Deslruiodo o grandioso principio da uni-
dade admitle o prolestaoiisroo debaixo de suas
taodeiras todas as creogas ; e nao podeodo cen-
sura-ls, forcoso, que, coalemplando-aa como
6ob a tutella do Divino Espirito, e de seus pro-
phetaa, porque o aea dogma da livre interpreta-
dlo daa eacripluraa nao Ihe di dlreito reclamar
contra quaesquer ignominias, txlravagaocias
desgranadas, as admira, e considere com eguaes
direitos aos foros, que se deseja I
O protestantismo urna doulrina de degradarlo
que tendo aauaorigemem urna sement inficiona-
da laogada oa trra pela depravarlo de am re libi-
dinoso, foi depois cultivada pelas raaos sacrilegas
de um frade apostata, e ambicioso.que nao crendo
na saotidadede suas constituirles, e as leis sa-
bias, e divinas do catholicismo, sellou a sua pre-
tendida reforma com o duplo escaodalo do ca-
samento que fez com urna religiosa, assim como
e seu rei, rompeodo com o vigario de Christo,
j o havia feito com a molber de stu proprio ir-
mo I ,
E que fruclo poderiam produiir taea semen-
tes ? A forga ostural da seivs, que alimenta o
protestaniismj, por cerlo, nao poda produzlr
bo seio daa nar6es seno esass dissolventes hor-
riveis, que do como resultados lgicos, e infal-
liveis a devaaaidao de costumes firmada pelo ca-
samento civil; a decadencia das melhores iosti-
tuicoes amparada pela aua decentada philarrtro-
pia ; e a mora moral das mais bem constituidas
sociedades, originada pela descreoga nos indes-
tructivcis priociploa da verdade. dando-nos como
seu llhj primogeailo o Qdifferecimo !
A revolucao, que amea^a o mundo inlniro, tem
asile a sua base principal ; pois que quanflo a
nao (menta, a alimenta aballado as consclan-
Negando o principio da autoridade, negando o
Oireiio divino, ensina sem rebugo a rebelliao dos
aubiiios contra os aeus saperiorea; e esiabele-
cendo os direitos do homem como superiores aoa
direitoa da Deus. a da egreja, com a deimoralisa-
gao dos poros proclama o reinado da destraicio
social I
Se lermoa com cuidado a historia da reforma
certamen!, que aocoMraremoi a cal al demons-
trado do que acabo de dizer. Por toda parte por
onde insidiosamente ella tem podido penetrar, a
decadencia dos costumes, e urna nova dogmti-
ca, ihs do egosmo, e que tudo estelia, come-
r a desenvolverse e a mostrar urna gerai, e
precoce degradacao nos saos principioa da verda-
deira educarlo, e boa doulrina, como infelizmen-
te nos vae acoalacendo. Por toda parle por on-
de ella pode penetrar tem a babilidade de substi-
tuir o erro i verdade, e produzir aberraces, e
desorden. Bem longo de ser um progresso,
antes a decadencia da conseiepcia humana. Por
toda a parte finalmente por onde ella seiotroduz
arteiraments, logo se manisfesta a retrogradarlo
dos governo, e dos pevos, qne caprichasa em
querer emaocipar-se da accio benfica, da ca-
tholicismo, e portento da paternal aegao do mes-
mo Deus, por quem goveroam os mesmos impe-
rantes. A intolerancia a maia criminosa, e o
mais abominare! ostracismo sao dogmas consti-
tutivos do protestantismo.
IV
Atienda V. Exc. Rvm. para as leis, que de a
viole annoa para c tem sido promulgadas oo
Brasil, e, coteje-as com as leis proteataotes,
que ver os ropidos (prvgrassos, que tao per-
niciosa doulrina lem feito oo nosso paiz, e
a guerra surda, que faz egreja Catholica, que
at eoto vivia tranquilla e desassombrada deste
filho matricida. A pouca cautela com que o
nosso paiz tem querido applicar-ae a legislado
de paizea aealholicosrsem que primeiro a depu-
re da m doulrina, que lhe serve de aeiva, nio
pouco tem contribuido para encorajar a propa-
ganda protestante oesta trra de catholicos; os
fados bem o demonstran).
Nao ha ningaem. que sendo aquerido pelo ver-
dadeiro ardor da f, e que amando de coraro o
bem estar deste paiz, poasa desconhecer a des-
confianza, que .erliosamente implaoteu o pro-
testantismo oo estado para que este viva injus-
tamente prevenido contra egreja. Eser isto urna
simples assergao ? Nao infelizmente I Por ven-
tura nao vemos nos todos os dias esta funesta
desconfianza confirmada na leg'slago do Brasil,
que a lodo o traose, e a despeito das mais claras
disposicoes cannicas, procura secnlarisara egre-
ja,-reduzindo os ecclesiasticos classe de meros
empregados pblicos, e sem razio plausivel, mas
antes com roantfesta injusticia,a urna assoeiaciode
proletarios, miogua de recurso sua sustentarlo
iadispensavel.indeclinavel decoro,e coa verten Jo os
Srs. bisposem simples exwutores de leis, que sen-
do contrarias ao. espirito dos caones, oppoe-sea
independencia da egreja, ao passo que os priva
ao mesmo lempo da suprema iospecgSo e exclu-
siva adminislrago as suas respectivas diocesea?
Nao v a egreja brasileira a desabrida, e injosti-
ficayel invasio, que, contra os sagrados caonea,
e dispdsicoes do Sacrosanto Concilio de Trento,
que foi acceilo no Imperio, tem feito o estado na
esphera da sua jurisdic^o. e economa, levando
isto a ponto de privar os Sr. Bispos de, parece
incrivel em urna nagRo catholica !, licenciarem
os parochos nos aeus impedimentos, e moles-
tias sem o placel das presilencias, quaodo nio
fallando ja das autorllades civis mais gradua-
das, os juizes de direito, e presideotes de relagoes
podem licenciar os seus jurisdiccionados, com-
municando-o apenas a autoridade superior? E
a isto por ventura dever chamar-se simples ins-
pecgo, oa raaoifesta uzurpaco de atlribuicoes,
que n&o pertencem ao estado ? Ser auxilio, oa
resolucao calculada para a supressao da sobera-
na da egreja, e obliteraco de sua autonoma ?
V.
Nao desejo roubar o lempo precioso V. Exc.
Rvm.* com a long aoalyse de cada urna das leis
promulgadas no imperio contra a egrej : ellas
sao muitas, e pela reseoha succinta, que dellas
Qz no meu Manual Ecclesastico, parte qiarta, se
poder fcilmente ver o afn com que se- tem tra
balhado na sua secularisago. Nao se pode' di-
xar de considerar taes disposicoes legislativas,
como outras taotaa chagaa abertsa nos sagrados
direitos da independencia, e soberana da egreja,
e sem conlestacao, a origem a'oude lhe lem rin-
do em grande parte os males, que ella hoje la-
intua, u que iictc urucuiar (ummllai-o. calas
leis tem de alguma forma plantado a descrenga ;
pois que em observancia das mximas protestan-
tes, e Jinsenislas, tem o estado procurado discu-
tir o principio da autoridade da egreja, tocado na
arca santa de seos direitos, eimmonidades, e as-
sim amortecido a f, que arrefeceodo-ae, tem sido
substituida pelo estado de duvida, sempre peri-
goso, e que abre urna larga porta s A>utrinas er-
rneas, que os propagandistas dissidentes tem ti-
do o cuidado de sproreitarem para introduzirem
as suas mximas especulativas, a que chamara de
religiao.
As ideas protestantes, que infelizmente gras-
sam no Brasil acoberladas com as determDa;es
do goverao sob o capcioso pretexto de chamar
colonos protestantes, bavendo-os cathelico*, lem
declarado urna guerra ao principio oceulta, mas
hoje maoifesta religiao catholica, apostlica,
romana, cuja creo;a a do paiz desde o tempo
de seu descobrimeoto. E' preciso, pois, atca-
las de frente em quanto o espirito dos Brasilei-
ros nao-est contaminado de tao pessimaa dou-
trinas.
romana, aquella, que tendo os costumes corrom-
pidos, Avem sem religiao, e vivendo quasi que
sem patria, xombam d'a que o paiz profesas por
orna lei fundamental: e feiche por ama vez aa
uas portas is traosaecea de erengas, que oestes
ltimos anno se tem dado com a admlaalo de
ministros protestantes sustentados pelas folhaa do
estallo, e com foros da cura d'almaa, no iojeario
vir.
Aioda este anno o nosso paiz eoxerlou na aua
legiala$io urna espacia de caaamanto, que en-
contrando a sua saoegao as ideas protestantes,
nio poucos males hade trazer ao Brasil, oio obs-
tante a sua lio presooisada oeceasldada I Parece
nclivel. Exv.' e Rvm. Sr., que nos, qaa somos
os aenhores do territorio ; nos, que com o maia
singular desapego deatribuimos com oa tatran-
geiroa aa noasas ri juezaa, aejamos aioda eaaim oa
obrlgado a proleataotiaar o oosso paiz I Que em
vez de mpormos, aejamoa os forgados receber
as lio duras, degradantes imposiges a-trao-
aigirmo em negocio da rellgiio, ou de salvacio.
e abjurarmos das mximas saota do catholi-
cismo, que ha Iressecuios a meio foram slida-
mente plantadas oesta Ierra da Cruz, oesia mes-
ma importaote localidade cujos destinos presida
actualmente V. Exc." Rvm. I
Com mentando-se a historia da egreja nastei
ltimos viole annoa parece, que eat ampanbada
urna lata da gigantes entra a verdade, a o otro, a
que se procura com aoco lencar a discordia entre
o estado e a meams egreja pira o triampo da
heresia. E' por lano absolutamente preciso, que
na phrase de *olley de Lorgues, vistamos as
nossas cotas, e nos preparemos para o combate.
E permita Deus, que o Brasil interpretando bem
o sea oome primitivo espaoque com a hastea da
cruz aa trevas, em que tracoeiramenle o qierem
envolver, para depois o precipitarem em o lerri-
vel abysmo aoode ser iofallivel a aua perda.
VIII
Paseando agora
t'oriameote, sobre
A egreja precisa de maoter a sua tao nace asa-
ra independencia, pois que urna sociedade
ebristaa directamente instituida por Deus, e o es-
tado certameote a l > proteger seno quaodo a
coosideraodo, como deve, como urna verdaicira
soberana baaesdi na palavra divina, e quem
exclusivemeule compete velar pela nossa salva-
gao espiritual, e taoto, quanto couber em suas
torgas, pelo nosso bem temporal, respeitar as suas
raias. E' da esseocia do catholicismo peoetrer a
vida civil, e publica, e transformar o corpo social
em um estado christao oo qual a magesiade da
religiao 4 recoohecida, honrada, e protegida pela
mesma autoridade soberana. Pode, pois, a egreja
reclamar de am soberano christao catholico, que
em vez de ligsr aos preceitos ds egreja leis, que
os estorvema>ou eufraquegam, oa sustente com os
seus regu lamentos, paoa os ataques extern oa con -
Ira ella, e contra a religiao, previos, a auftoqae
os sebimas, proveja. susteuiigao ordinaria do
culto, edos ministros do altar. (1)
' quasi que desnecessaria demoostar-se hoje
qual seja a influencia da egrqa catholica para a
sociedade,visto que a ci'ilisacao, e a historia
encarregam-ae decontar-oos isso lodosos dias,
ou a encaremos na revolucfio social, que ella ope -
rou desde o aeu estabelectmenio alea invasio dos
barbaros ; ou ni sua benfica, e civilisadora id
flueoeia durante esta invaso ; ou na parle activa
que toraou na destruirlo do governo feudal, e do
despotismo que desbonrava os imperantes, e avfl-
tara as nagoes ; ou finalmente a veneremos oo
admiravel movimento iotellectual, qne desde
entio imprimin no mundo, pulverisagao da re-
forma, e decidida influencia, que exerceu, e tem
al lioje exercido no estabelecimento do gover-
nos representativos, e livres.
VI.
A liberdade, Exm. e Rvm. Sr. mas nio o li-
beralismo, est esenpto nos ps da Cruz, assim
como o est a civilisagio ; e a historia nos conta,
la a decadencia doa estados tem tido aempre por
eixo o eofraqueclmeoto a despreso dos ptimos,
e salulares principios da religiao verdadeira. O
estado jamis dar um passo na Tia da cirlisa-
gao e do progresso se a egreja com mi firme
lh'os nio marcar com o pedestal da eras ; e na
poca actual 'em qub a propaganda protestante
tem sublimado o principio revolucionario sob o
engaoso, o melifluo nome deSuffragio Univer-
sal,que omeaga um verdadeiro Cataclyma no
mundo aocial com o novo direito publico que lhe
cotufa crear, desgragado do governo, que que
re sniea dtzer-se Qtho dos horneo, do qu
filho de Deas, substiluir a religiao da dedlcagao,
edo amor pela religiao do egoiimo, pela reli-
giao da negagao da todas as verdades, fonte fe-
cunda doa malee, que afiligindo as sociedades
modernas, as impelle para urna decadencia pre-
coce /'.
Aguarde -ae o Brasil dos tiros prejudiciaes desla
doulrina corruptora, a garaola a egreja brasileira
da mordacidade, a maldade dos impos, que me-
noscabara as suas mximas santas, e direitos bem
legiliojos; imponha p reapeilo e acatamecto, que
reefama e mwrece a rellgiio calholica, apostlica,
tk
8 40 -
a fallar, anda que perfaoc-
as diversas proposices apre-
sentadas pelo Exm. Sr. conego Pinto da Campos
na aaa j referida carta direi respeito de cada
urna dellas o que con sioceridade pens, nos li-
mites da razio, e da justi$i.
Diz o Sr. conego Campos:
I. proposito.
e Nao ser couveaieote urna commisso, composta de varoes
c competeotes, incumb la de estudar a
a a fundo as circumstaocias em que, sob
aspecto religioso, se acha o im pe-
" rio consultando sobre meio de
: restituir o esplendor do culto, fundar
< slidamente a moral christa, esten-
. < der e arraigar as conquistas da cruz,
tudo em conformidade com os prio-
ripios catholicos, ~e a iodiapeoasvel
a submissio ao chefe viaivel da egreja ?,>
Sapponho, Exm. e Rvm. Sr., que esta propo-
aicio desnecessaria. O Brasil oio precisa de
commitsilo ai hoc para estudar o seu aspecto re-
ligioso, que alm de desanimador, condecido.
Alera de qne entenJo, que tal commisso com-
posta de varoes competentes absolutamente su-
perfina, visto que existem actuslmeote doze com-
missoes permanentes, e que acham-se resumi-
da natural, a divinamente as peasoas dos res-
pectivos bispos diocesanos, guardas natos do sa-
grado deposito da f, o cuja maior parta com
maiorou menor energa, campriodo a evet ar-
duo, e sagrado da aua missao, tem feilo conhe-
cer ao governo, e ao paiz, qus o imperto tem
algum tanto aberrado da sua religiao fundamen-
tal, que a catholica. apostlica, romana, ou
pela tollersncit criminosa vista da coostituigio
do mesmo imperio, respeito da propagada das
seitas dissidentes, mormente da Calvinista, ou
pelas repetidas feridas, que o meditado esque-
cimento dos santos eanones, ou a leitura, e a ap-
plicaco das funestas doutrinas jansenistas, lhe
tem feito abrir nos direitos inpreecreptiveis da
eSreja, que. Como urna sociedade perfeita, e io-
dependente, oo poder continuar a pnpportar
urna tal pressao, aggravada com a quasi neohu-
ma proteegao, que lhe devia prestar o estsdo.
Aos bispos, que foram collocados, segundo as
expressOes de Isaas, como seotinellaa avaogadas
da casa do Senhor, e que regem a egreja de Deus,
como nos ensina S. Lucas nos actos dos apos-
tlos (i), porqae nella os collocou o Espirito
Santo, incumbe particular e exclusivamente guar
daraf, conservaros costumes. e montar a boa
diciphna, que cooslitoem a forma substancial da
religiao : a el les. como nos,ensina, o ultima con-
cilio ecumnico, compre velaraa reitttuehcam
callapsam admodum eccletiatticam diic plinam
depravatosque in clero el populo ehristiano mo
res emendandos te accingert volens (3] : guardar
o deposito sagrado, iato as verdades catholicas,
e evitar as profanas novidades de palmas, e as
cootradicoes de ama sciencia de falso oome, da
qual fjenlo alguns proflssao, descahiram da f
(4) : examinar, e approvar oa lirros,. que tratam
de cousas sagradas, e autorisar a aua leitura, ou
impresso : vigiar sobre o culto, e prohibir, e ex-
tirpar quaesquer abusos ; cmenjar e corrigtr
quaesquer defeitos, que possam dar-se oa cele-
bragao do sacrificio da miasa, a outros actos di-
vinos (5), pregar a patarra, instar a tempo, e
fra do tempo ; reprehender, rogar, admoestar
com toda a paciencia, e doutrioa ; vigiar e tra-
balbar em todas as cousas, e fazer a obra de um
evangelista, no que cumpriro com o seu minis-
terio (7); fallar o que coovm aua doulrina, e
convencer aos que a contradizem(6J ; ampregar
bastante deligencia para que aquellas cousas que
sio consagradas ao culto divioo, e ministerio sa-
gradofemporum injuria ne a&ioJeican, et ex
hominum memoria axcidant (8]. Oj bispos sao
a columna do templo do Senhor. Segundo a bel-
la expresso da edade media, sao os bispos o
throno de Deus. E oa verdade, Deus os toroa
respoosaveia pelos seas ioteresses ns ierra. A
virgindade da fda egreja, e a santidade de seus
costumes Ihes foram eotregues como um deposi-
to, e cooaJos a sua guarda. O biapo declara,
e prega a doatrins, regula a disciplina; educa,
escolbe, consagra, e iastitue pastores ; vigia-os,
dirige-os, fortifles-os, os modera, os consola, os
reprehende,e os recompensa; va por seusolhos,
falla por suas boceas, e obra por intermedio del-
les Sao seas vigarios, e elle o pastor; sio
seas membros cuja cabega, e coragio elle (9).
Aos bispos, pois, ornele, compete oppdr com
a sua poderosa autoridade, que nio defeser en-
torpecida pelo brago do governo, que antes os
deve auxiliar como biapo exterior da egreja, ama
forte muralha ao terrivel desQladeiro em que te
acha o imperio em materia de creoga.
Ssm submissao aos legtimos paatores, e prin-
aipalmenie ao Papa, chefe civil da egrej de Je-
ss Christo, poder haver tudo, meaos egreja
calholica, de quem receber o Brasil como devo
as salulares doutrinas, possuir, como felizmen-
te posaue na sua quasi lotaldade, a moral mais
sublime, que veio ao mundo, e que ao mesmo
mando coube a gloria de ouvi-la da bocea do
meamo Filho de Deus.
A solidez da moral christia depende da solidez
da creoga oo catholicismo em qualquer paiz. Ob-
serve, pois, o Brasil le tira da religiao do esta-
do, e deixe de, tibio, traosigir com a aeria de
dogmatiaaotea, que nao podem fazer dogmas, e
que oem meamo dogma tem, que vera restae-
lerido o esplendor do-culto, o respeilo, e a ve-
neracao religiao, que jurou guardar, e defen-
der, e que pela quasi iudiffarencs e menoscabo
com qaa a v tratar, sem que reprehenda, pa-
rece dar motivos para que algumas vezes, sejs
algum tanto dado de suspeilo na siaceridade da
sua f.
Cesse o governo de proteger o protestantismo.
que urna planta verdadelramente extica no
imperio da Cruz,, mormente, quando empenha-
ae com todas as suas torgas para a suaprospe-
ridade, e melhoramentos reaes : e deixe de au-
xiliar com donativos do thesaro nacional os
seas missionarios sem miiso, que se achara me-
Ihormente aquinhoados nos otgameotos do im-
perio, do que. os nossos parochos, e mssiona-
rios catholicos, que percebem apaas os prrie-
ros 600$000, e os segundos 500&000 para ttoatri-
narem, e fazerer a citechose dos noaaos iadi-
genas, e eolio ver restituido o esplendor do
culto, estendijas as conquistas da cruz, e o seu
clero devidamenlsAatacado.
(11 Walttr Han. do
4." 40 e 4i:
cap.
IX
v 1.a propoti(io,
c Nigara conveolaoteeatabeleeer junto
ao primado aetr congregar*), decidodo
definitivamente lodoa oa panto da dia-
ciplins, eolio, estudos espeaiaes ele?
Nio encontr ama aeceatidade Mtlflcada, qae
forc a egreja Brasileira i dar um aemelhaot
paseo; por quanto, tendo o SS. padre Sixto V es-
tabelecido no aooo de 1582 em Roma urna con-
gregado respeitavel ehamada doaritos, es-
ta congregarlo, que tea aido suficiente para to-
do o orbe catholico, coapele exclusivamente por
lei pontificia Solver todas as duvida, que vjecor-
rerem sobre ritos e ceremonias da egreja, obre o
breviario, e missal, e decidir as qaesldea, que
sobrevierem as diversas egrejaa acerca do aeus
direitoa honorficos. Eo SS.padre Bonifacio VIII
por decreto de 8 de abril de t618 expresaamenta
confirmoa aa attribulcdes dests asgrada congre-
gagio no que toca a reviso dos officios divinos
(101. f
So mente aos bispos, que as suas respectivas
dioceses sio serdadeiros legisladores, a guardaa
vigilantes da f, a da disciplina da egreja, coro-
pele coobacer dessas queatoes, que oo pasaa-
ram desapercebidaa norsa constituidlo aynodal
bahiense sob divarsos titulos. Alem de que pos-
saindo elles o seu conselho canonical nos respec-
tivos cabidos, os seus examinadores syoodaes,
mestres de ceremooias a ritos, e a coogregagio
dos lentes dos seus seminarios, entre os quaes
existe um professor de liturgia, poderio todos os
diss recorrer as suas luxes, quando por ventara
dellas preclsem, para aolrerem alguma qaeslio
espinhosa, a de momento, para caja solugio oio
tenham tempo de recorrer sagrada congrega-
gao dos ritos.
O direito csoooico recommeolando aos bispos,
que coosultem aos seus cabidos oas queatoes de
importancia, cortamente, que positivamente cora-
prehen leu as altas questea litrgicas.
Alem de que, pelo que diz reapeilo aos livros,
e eatudos especiaos, a legislacao da egreja, assim
como a do salado oio foram omissas,oa alten-
damos para o concilio trideolino na sua aessio 23
de reformalione capitulo 18", ou para o alvar
de 15 de maio de 1805 5 a 11, por onde se ver
com toda a clareza, que devem os estados eccle-
siasticos marchar sob a immediata inspeccao e
cuidados dos preladoa, e qae por taoto elle, e
s a elles, como nicos juizes da boa doutrioa, e
senlinellss promptas bradarem alerta I compe-
le a eacolha dos livros para os cursos Iheologicos,
e de modo algum ao governo, como actualmente
acontece. Em quanto aos ostros livros, que coa
tra doutrinas perniciosas, imparas, e heretices,
alem de competir aoa bispos scadirem comosau-
davel remedio to venenoso mal (II) o concilio
de Trento fortalece a autoridade episcopal oa ioa-
peegao, e repressio de taes livros com meios
oem formidaveis, como seja a pena de excommu-
nhio aos contraventorea do que a respeito deter-
minan] as disposiges doa coocilios, e breves apos-
tlicos (1-2.1, que exigam a approvagao dos ordi-
narios para que taea obras possam correr, e di-
vulgarse.
Uemais se a necesaidade de urna tal congrega-
gao nuoea foi urgente nossa egreja, e oem o po
deria ser porque s Roma falla em ultima iostao
cia, quaodo a ci-Jade eterna lhe fleava a aeis me-
zee de loogitude, hoje, por cedo tambem o oo
poder aer, porque o$ vaporea, e os dos elctri-
cos aproximando-a de todos os povos a fazem dis
lar apenas trinta das do nosso imperio I
Mas, se me fosse permetlido emittir urna opi-
oiao, eniao dira: que em vez dessa coogrega-
go, que oio pode ter lugar, seria muito coove-
nieote, e at summameote necessario, que nio
s os bispos muito considerando o qae a respeito
dos synodos diocesaoos determioa o concilio de
Trento os reuoisse quotanis, como que na sede
metropolitana, ao menos de cinco em cinco an-
uos, quando nio fosse possivel a observancia ri-
gorosa do que dispoe o mesmo concilio, se cete-
brasso am coocilio provincial, ou nacional, oque
para elle fossem eolio guardadas as questoes e
medidas de mator coosileragio, e Importancia
(13). No Brasil nio sai bem quaolas gerages j
se passaram, que nao viram tao magnifica e ne-
ceasaria congregacao I Com ella toda a egreja bra-
sileira muito lacrar, e nao pouco os costumes,
porque serio moderados, e corrigidos os exces-
aoa, com postas aa controversias, e restaurada a
disciplina. Fazem, ae bem rae record, 157 ao-
not, que o Brasil viu um coocilio diocesaoo con-
gregado pelo 5o arcobispo da Baha em 12 de ja-
ne) de 1707, e que deu em resultado o bello
corpo de direito ecclesastico privado, porque
aioda hoje se regem as suas dioceses. o qae tea
do sido approvado pelo goveroo, goza dos foros
que lbe foram postas, pela conslituigo e leis do
imperio.
Assim, pens eu, qae o primado nio s ser
maia considerado, porque lbe compete a inicia-
tiva, e a primaria em lodos os negocios, como
que ter o primaz occasies de fallar seus ir-
ruios oo episcopado-, e, com elles, accordar so-
bre as medidas lomar para o bem estar da egre-
ja, e do imperio.
X .
3.a propoiico.
Nao convir : examinar o estajo actaal
a do clero secular, aua iostruegao, sua
moralidade. Dota-lo coaveniente, ein-
dependentemente. Proporciooar-lbe os
meios de satisfazer a sua alta missio ?
Nioguem ha oo Brasil, que davide do poaco
ou oeohum tateresse, que ao paiz causara a sor-
te do seu clero desde o comego do secuto actual.
Creados tres ou qustro pequeos e insufcientes
seminarios do mio ao tira do seclo passado, s
em 1818 e de 1852 para c poade o clero contar
mais alguns desses estabeleclmentos lio estreiti-
mente ligados a aua instraego, % necessidades.
Bom ser, que o goveroo ouviodo os bispos te-
nha occasiio de admirar o triste sudario do sea
clero secular quem, apenas oestes ltimos dez
annos foram destribuidos alguna poneos recursos
scientillcos nos seminarios do imperio, posto que
sem a egaaldade, que reclama a uniformidade
destes aicos viveiros de ecclesiasticos.
Sem um clero instruido nio possivel arege-
neragao do paiz do chaos doutrioario em que se
esforcam por laoga-lo, E sendo corto, que da
instrucgo conveniente, e neceasaria vero a mora-
lidade, tica bem patete a necessidade de derra-
mar-se pelas dioceses a instruegio em malor es-
cala, e tempo deceasar a injusta idea, que ae li-
garan padre na assustadora quadra, que vae tra-
vessando o nosso paiz, aonde j existem popula-
ges inteiras, que despresam o catholicismo, e que
sen Jo importadas com os auxilios do governo, vi-
vem do thesouro nacional,!
Entregues a seus proprios e mlnguados recur-
sos o clero a casta de enermes sacrificios tem
felizmente podido adquirir alguma iostruegio, e
apreaentar ao estado signos sabios e nio poneos
varoes eminentes em virtudes; e ni tornando
se avaro destea seus conhecimenlos muito bons
serrgos ha prestado i iostrucc&o, a educagao do
povo brasileiro, que assim mesmo o bem diz, nao
obstaote o constante alcunho de ignorante, coro
que muitas vezes brindado por alguos jornaes
do imperio, e por aquellos, que o querem des-
conceitaar.
Deas permitid, Exc. e Revm. Sr. que o goveroo
reconsiderando no Injusto esquerimento do seu
clero compreheoda, que teodo-se obrigado pelo
alvar de primeiro de agosto de 1752 a dar-lhe
urna congrua, e aufficiente sustentarlo, deixe de
o conservar na indigencia, segando a expresso
do fallecido, virtuoso eaabioSr. marquez de San-
ta Cruz, antecessor de V. Exc. Revm., e de boa
memoria, obrgaodo-o a vir todos os annos pe-
dir intilmente ama esmola as portas do parla-
mento, ao passo, que todas as claases do estado,
bem squiohoadaa, recebara ampios e successi-
vos augmentos I (14) Nio a ambigio, mas sim
i quasi miseria em que vive o clero do Brasil, que
o Torga a esmolar todos os annos as portas dos
representantes da nago ; pois que sen Jo elle na
aua general!lade pobre, adstricto aasuasfunc-
ges especiaos, e dotado oa com um pequeo pa-
trimonio (15), ou com am beneficio de 3603 a 6001
ris, apezar de toda a ecoflomia, nioguem o po-
der julgar dotado conveniente, e indpendente -
mente. E oem se diga, que urna tal dotagio, e
quaesquer outros melhoramentos com que ap-
(2 Art. oi Ap. cap. 20 v. 25.
(3 Sess. 6 de reform. cap 1* nn oriocip.
(4 Ep. i' Timoth. cap. 0 v. 20 e II.
(5 Conc. de Treni. Sess, 4a, 22 de observ.
et vit. io celebr. Missat.
{) Epil. I Tlaoih. Cap. 4* vs. 2 e 5.
fEpist. a Tit. cap. 1o v. 9 e r v. 1
Code. Trid. Sess. 21, cp.-7 oo prinlp.
Dice. Can. por L'Abb, ptam-^fiue.
prouvar ao govorae beneficiar o calad religioso,
s Iostruegio, e o estado do clero, demande a crea-
gao de novos impasto calhidos pelo flaco pro-
priamente, porque palo citado alvar de 1751 os
dizimos da egreii forsm seealarltsdo beneficio
da corda, ficando a meama egreja com direito a
ser sustentada pelo estado, qaa por certo, nio
poder allegar insuficiencia a vista do que des-
tribue para o eulto, e para coa o Clero. E' a
classe, qae menor cifra oecapa nos orcameotos
do imperio 1
A instroeco, a moralidade, e independencia
de um clero, sem duvida a mais polerosa aia-
vanca de pode disporun estado para tocar a aua
regeneragio, e prosperidade Altenda-se para a
Franga, cujas bellas iostituicoes o Brasil procura
imitar, mesmo no reinado actual, qua fcilmente
se achara s dmonstragio do qae acabo de dlzer
confirmada por fictos. Leiam-se os seus orca-
meotos o compare-se a dotagio do seu clero, com
s qas actualmente tem o clero brasileiro Deve-
le, Pois, por urna ves acabar com a prevengan,
qae ae alimenta contra o clero do paiz, cooside-
ra-lo devidameate e por-ee termo a sua qaasi ex-
piagio, que tem sido looga, e bem resignada.
XI
4a Vroposico.
a Nao ser conveniente : investigu se con-
' vm s religiao, a ao estado, que as orden
s religiosas sejam reformadas ; qua se Ibes
imponha, como invariavel de*er, ter sem-
< pre cada ordena certo numero de oradores
sagrados, de mlssionarios, que percorram
< os territorios de nossos gentos : de mes-
a tres de eaino primario, secundario, e dou-
trina christaa,ede ministros do culto;qus
preeochidss estas condices, se faculte o
t ingressoao novicia lo, como outr'ura ; que
as a fuaes propriedadss monsticas de raiz.^rnoccofo
c e principalmente de escravos, ae coover-
" tam todas em apolices ou papis do es-
lado?
A ningaem lieito negar os importantes servi-
cos que a humanidade deve asrdeos religiosas ;
e o Imperio do Brasil por si s seria baslaote
para demonstrar a verdade desta proposigo, pois
qae desde o seu deseobrimentu o3o encontrn
mais zelosos, e intrpidos instructores. E sem
remontar a muros annos atraz, bem fresca deve
estar na memoria do paiz a creagio do grande
collegio Benedictino na cd.te do Rio da Janeiro,
que funecionando com regularldade egeral applaus
todos os dias recommeoda-se gralidao dopaiz
por seus serotcos a causa da instrueco publi-
ca (16J.
E' verdade, que a maior parle daa ordena re-
ligiosas, que existem no imperio, vivem em urna
maoifasla decadencia, e que actualmente nio po
dendo por isto prestar relevantes serviros a egre-
ja, e ao estado, coovm anima-las, e fortalece-las
para que ae regenerem, tornera se uleis. E at
mesmo creio, que taes serio as vistas da santa s.
Porm qualquer, que seja a reform i. que dentro
dos canon as da egrej, e coostituiges das mes-
mas ordena, sejam por ellas reclamadas, a todas
deve sobresair a de garaotir-loes o governo a sua
necessaria eatabilidade, e o aea direito de pro-
priedade, levantando Ihes por urna vez o destrui-
dor ioterdicto com que as (ulminou, privan Jo-as
de admitlir no vicos, e o que as desgostando, quasi
as tem morto por ioanigo I O protestantismo,
vola urai guerra de exterminio as ordens regu-
lares, cujas fortunas, que tambem sao as dos po-
bres, tem brutalmente roubado nos paizes que
infelizmente foram allucioados cora as suas ideas,
a reduzido os seus legtimos possuidores a indi-
gencia.
E haja vista o procedimeoto do Pimoste,
que assuminlo o carcter de conquistador, lem
esoulhado na Italia as ordens religiosas de seus
beas 1
O coocilio de Trento na aua Sjss. 25 de Re-
gul. et Mon. cap. 1. e 8. expressamenl re-
commenda a maneira porque deve ediciuar-ae
tal reforma.
Compre, porm, advertir, que ae alguma re-
forma dever ter lugar oasordens regulares do Im-
perio, possuiodo ellas ums inslituigio cannica,
e coostituigdea spproradas pela saota s, neohu-
ma modificagio poderio aoffrer aem qae meleie
urna concordata com a corle de Roma, pois que
o juiz competente para considerar, e ordenar o
que a respeito delta for conveniente, e til.
E se alguma modificago hduverem de expe-
rimentar as cooslituigoss monsticas no que j
nio estiver de ac :ordo coi a disciplina actual da
egreja, de modo algum deverao ser relaxadas a
ponto de perderem os seus elementos coosiitui-
tivos e mudarem a cssencia, e din das respecti-
vas instltulgs, exeepto aecordando a santa seo
seu consenso. O seealo lhe ser aempre muito
onrlgnin : pnln qua coair& (Tifiar dalle OS re
guiares, e recoastitui-tos de maneira, que.com
o consenso, e approvagao da aaota s, encontr o
Brasil oelles os seus missionarios. E at nio
deixar de a> conveniente, que, a imltago doa
saadosos Jesutas, formem as ordeos regulares
pelos nossos certoes pequeas estancias com tres
ou quatro religiosos, afirn de melhor concorre-
rem s necessidades da catechese dos nossos
indgenas, em qn o Brasil deve enxergar, por
urna bem entendida, e racional civilisigo, qua
s pJe vir palo cathilecismo, os seus verdadei-
rosa proveitosos colonos.
E'bem verdade, que muitas ordens religiosas
acham-se decebidas do seu fervor primitivo, e
apenas vegetara no esquecimento em que con
servam a aereridade da amiga disciplina; porm
jamis se poder de-luzir disto a necessidade de
extingui-las para recolher-se so fisco os seus
bans, e depois aoaiquillar-se esta classe de ho-
mens, que, rehabilitados pe observancia de
suaa regras, podem intsrair o povo, contribuir
nio pouco para o b/ilhantismo do culto, como
sempre cootribuiram, e oppor-se a corrupgio
dos costumes, e as pessimss doutrinas, com qae
querem minar o imperio. ,
O santissimo padre Pi IX ainda na sua alre-
cugio de 27 de setemoro de 1852 disss ao mun-
do catholico: < que as ordens religiosas, cons-
tituidas santamente e goveroadas comsabeJoria,
prestara grandes servigos, e honram tanto a so-
ciedade ci'il, como a repblica chrislaa.
Dado, pois, que a reforma no sentido em que
a teoho encarado urna medida necessaria, e
til, jamis poderti considerar como comple-
mento dessa medida ou reforma a concersao das
propriedades monstica de rais e principal-
mente de escravos em apolices ou papis do esta-
do. Porquanto nio s o sagrado cooecilio de
Trento (17) reaerrouaospreladostregulares a ad-
ministrado peculiar dos baos movis ou immo-
veis dos conventos, valida, e licitamente adqui-
r los, mas a nossa constituir a poltica garante
lodo o genero de trabalho, de cultura, e Indus-
tria urna vez, que oio se oppooha aos costumes
pblicos, a aeguraoga, e aauJe dos cidados, (18)
e em toda a aaa pleoitade o direito de proprie-
dade. Portanto a cooverciodoa bens dos regu-
lares em apolices oa papes do estado nio s ser
urna manifeata violacao do q>ie a respeito dis-
t a m os sagrados caones, que muito attendem
para a naturezs d.s diversas doacea. algumaa
daa quaes sio coodiriooaes. que conslituem taes
bens, como certameote alem de contrariar o S
22 do art. 179 da constitoigao do imperio, e nada
poder lucrar o estado com ella, por isso que
a semelhioga do que acooteceu em Portugal em
1834, aeccam-ae essas footes d'oode o fisco hoje
aofere nao poucos impostoa.
E aioda que a primeira vista parega repugnan-
te, que casas de cariiade possuam escravos,
comiedo no Brasil, infelizmente nao o por-
que o homem escravo por lei considerado lam-
bm muito boa, e honesta propriedade, e tanto
que a proptia nago os possue afueodadoa,
Regenere-se, portanto, as ordens religiosaa,
mediaste ama cemeerdata com a ssnts e o
paiz, sem tocar oa arca dos seus direitos, colhe-
r dellas abundantes {rucios, comp acontece com
os oulros paizes sonde o genero daa proprieda-
des des regaleros, nada complica cora os benefi-
cios, que .ellas preslam ao estado ea egreja.
(Continuar se-na.)
*
Ihanle aos .nossos rolo* 4a cera, qus Mdalbes
improvisados apregoasa palpa raas ea pcqeams*
pseotes de dazia. A salsa oa o primeara mocete
apparece acceso, a iNuafnaclo propaga-* cea
urna (apidez elctrica por todo o vasto espac,
![ue durante uTus ssmana foi tbestre das livres, s
estivas folgangaa do eotrulo. Has roas, a a lo-
dos os anda rea daa tM*t, cada pessoa sa prav da
aaa porcSo d'aquellas bugias, a procura pelos
mais eogenhosos ardis, peles irrupgos aa mais
raidosas, apagar as dos visinboa, preservar as
anas.
A esposa apaga 0 motelo oas mioade aeu su-
ri Jo e o raenino.no disfarce da ama caricia,vai j-
soprar a velioha do seu pse. Aqu qaa caita dizar-
ae que nio ha pao por Gibo Aquellas sjwaa altara
dos andarea pde ao abrigo da qaalqawr ataqoa,
agitara sobre a cabega dos transeaotes, a da ajea
povoam as ssesdas dos andares inferioras, leajan
alados em loogaa canoas. Mas oas raas qaa
lucta produz incidentea os mais grotesco, o ca-
nas perfeiameole cmicas.
As pssoaa que transitara ea carruageaa.aoutras
va tu ras,inclinando ae para a maliidso, sinlame-
ceodo as bochechas.debalde ae oafalfam aa kaCors-
dos ineficazes; ao passo qae os que andas s p so-
bem s ebusasa aoa estribos s p ^rtiabsUs, a s
rodas, roncando como phvcas, a Usasateraando
em apagador tudo o que se lhe dspsrs ata o. 17
mister desconfiar de todos sa be tSyio da pre-
servar a velioha com o recato da uaaa vestal ; a
aproximagio do melhor amigo, os seta* 4 pali-
dez, os aorriio, todo encobre n'esla dia ama Irai-
go Italiana.
Quando o voaao mocelo apagado, so quebrado
por am contendor brutal, vos enva ao roats asea
apiral de fumo muito aromtico, alguma nreaphs
divagante correr logo pars ros, e gritando tenxa
(sem velioha) oiTarecar-voa-ba a luz da
su, com a desenvoltura de um tomador sea ce-
remonia, oas rusa e praeaa de quafspaer rifada.
Se queris sahir bem da lance, sveie asaspisr
aempre a vela, qae ella voa offere**, ali* sepis
quo a vosaa^estiver acceza, coatsieqae vo-ls sr-
rancar da mi, a que vos stlrari com ella
cara.
A lucia torna-se mais faross medida que se
aproxima a hora de lermioar : o fi>go chova das
jaoellas ; a cera derretida cosguls-se aos vesti-
dos ; aa caras e as mascaras esli en tarrascada
de tisoadura gordureolas e nauseabundas.
N'eate momelo imponente o especio do ibea-
tro da lucia, tomado de algum posto elevado.
Dir- j-e-is urna derrota de estrella, ua combate
de cooslellages amontoadas. Par vesos os cla-
ros fulgurantes agrupam-se divideaa-ae, vai-
teiam, imitando sobre o fundo .obscuro da nor-
te, as evolugoes daa fagalhas, qas do ioveroo so
soltam de um fogio crepitante. Imagino-so aas
daa explendidaa illumioagea de festotij peb.icc
dispersa, sem se apagar, pelo lurbilbio do impe-
tuoso vento, e obter-se-ha urna idea d'osta qus-
dra mgico e sorpreendeole.
Os mase arados, cubarlos da farinha, aa mil al-
titudes grotescas, e com oa lacios j daopoaoeo-
dos, fa7m momices horriveis, como se fossem
csraa de demonios oo meio d'esla barafunda in-
fernal. Quando C'ligola ftzia lancar serpentea
sobre a raultidio, que entulhaa o circo, oio
possivel, que produziase maia estrepitoso ssotia,
nem que se deseovolvesse leo saplo tresvari
de caberas, e tamanha copia de geslicalaedes
pharlaaticas.
N'eate ruidoso delirio, a alegra italiaoa aonca
perde o bom camiobo : raras vezes a lucia dege-
nera em collisio seria : a faca oa puohel lea ea
caaa, e aa algibeirss e mingas oio eacoodeas ins-
trumentos offeosivos. Cada qual grita, lamenta-
se-, injuria, conforme pode e com animo feito de
acolber s reciprocidada dos drelos que espsrga.
A cada aogulo da rus principal am goodsrsso
pontificio vela oa caoservagao ds ordea, e se al-
guma vez se v ni precisan de aahir da sua im-
mobilida le, apenas para eobirahir a patas dos
cavallos ou s rodas dos carraageoa algum peque-
o mendigo, que se arrise a aer despedazado, \
pelo engodo de apanhar os coofsitoa que cobran v
a calgada.
Assim que soa meia ooils, o sioo do capitolio
comega a tocar compaaaadameote O carnaval
acabou ; comega a quareeai. A auilido dis-
sipa-se pouco a pouco, possaiJa do recolhimeo-
to, que aaccede aos prazerea inoocenlea. Aca-
baran)-se os gritos, as orgias e o furor haccha-
nal. O po'o italiano tio sisado oo sea repou-
so, como deseavollo e arrebatado oo festejos.
No da seguate urna mullido piedosa eneher
as lgrejas ; e aquella ioteresaanle mioa, qas vis-
tea hootem tarde, soltando gritos de loara,
desgreohada, rindo s gargalhadas, e danzando
*o aom do paDdeiro, sobre oa coxina de oa es-
leche, vira ajoelbar-ae nos fros marmrea do
templo, bateodo oo peito, e cooftssendo os saos
peccados. aem que as alegras da veapera tenham
deixado a mais levo mancha na aua cons-iencj.
Se passardes peto Corso urna hora da aa-
Jrugada, nao encontrareia aeoSo am agente de
polica eovolto oo aea capota, e aeompsohado
de dnus soldados ; raaia adiaole urna patrtstha
franceza, scuramJo na patria, ao claruo do liar
e sobre a praga do Povo os ledes egypcio. aco-
corados na base de am obelisco, spertsndo eotre
oa denles os pequeos lobos, por onde 9 des-
penha a aguj doa aqueductos.
Em Miiao.Entre os, o carnaval eos tama ter-
minar meia noite de terfa- fetra pora, aa
Hitio sepuliam-o 00 domiogo seguate, em'rr-
tule de cerlo privilegio, por urna faustosa eni-
bigao de loillettes, de equipageos, de libr*, a da
cavallos, como se se tratasse de ama grande tes-
ta nacional. Na quinia-feira e no sabbsdo prece-
dentes, ha a orgia carnavalesca do* coriandoh,
lio querida dos italianos. Os coriandoli sio aim-
plesmente graos de gsso, imitando a forma de
coofeitos, cuja grossura limitada por aa refo-
lamento de polica.
Deade as duaa horas da tai le, bandos atasca- .
r 1 dos, as sentado am estechas, a ea grandes car- <
ros com vistosos eofeitts, percorrea as rass cea
gilhofelra algazirra ; e vinto musidas a> aran-
de colheres de pao, e da abundante provimeoto
de.coafeilos de gesso, Iravam. luis hoaerVrao
com as janella. Cada carro aasesla balera aa
frente de ama casa ;'a lula crea:e. o ealh itias-
mo eleva-ae, e em breve ebegs a momento em
que aa coluerea nao bastaa ; os projeeto sio
arreroessados aos cestos ; soceos cheio sao des-
pejados aobre os combateulea : arrojar.se-hiam
milbarea de arralis de urna ve/, se fosas possi-
vel. Um homem, qae se respeit, dsve ter isa-
gado no lira io dia qustro oa claco ail arralis
de gesso cara doa seos s*m*lkeotro. O (arar
da brigs geral deade a ir.fjma alasa* sed ao
raaia alio grao da escala aocial. No Corsa ata
impossivel transitar ea trento da Hottt tk Tilit,
sumptuoso pslscio, cujo primnro andar saUv
oceupa to pelo corpo diplomtico. O eabaixadsr
ds Turqua daapejava, cbamejaole, coa ao Oooa
bragos, eoormes porgos de eonfeitos Os gesso
sobre os omigos do ereseents. As sen aer as
tambem lutam com encaroigamaolo; a vaos
all uma dama de primeira caibegoria, ana lava
da meiter -se na cama a cinco hora para dar rs-
pooso s seus bragos, (aligados de spalhar dez
mil arralis desses horroroso coofeitos.
O grande triumpbo daqaellee dios (ai para aaa
gndola veneziana da diasentoes naturaea, tri-
pulada por oito aaacaradoa ea traja da astt-
nheiros, a puxads por quatro corpalaotoa o fogo-
sos cavallos.
O rei Vctor Emmanusl s o principe do Carigr.ec
assisliram a estes divert meatos, ea aas jsnella
do palacio Busca para onde haviaa Ido por bocas
a travesase, para evitar a efTsrvaseencia daa caa-
batentea em freole da porla principal.
(10) Bibl. Ferr. Verb. Ritus; Diec: Can. til. pa-
lavra coagrogarlon, Bergier Dice. Theolog pal.
Congregalioo.
(11) Constitalc. Svood. Bh. Tit. "ns.ltle 18.
(li) Trid. Sess. 18 In Ptaosmio, e 'Sas. 4* de
Edil, et ustf 8atr. Lier.
(13) Ibid. Sess. 24 de Reform. cap. t*.
(14) Repreteot. di'inlda as cmaras leglst. so-
bre o casarri civil. 1859.
(15) 0 patrimonio para a reeepcao de ordens
sacras i de COOJ ; e a Constiluigio SynoJal Ba-
hiense diz : que basta para patrimonio no titilo,
que rend ao meaos 258000 pot sbnc,

Vatiedades.
O CARNAVAL EM ROMA E MILAO.
O Sr. L A. Pimenlel exirahiu do jornal ala
Uonde Illastrsepublicou wTranat8gana-a se-
guate descripglo do carnaval em Roma e Millo :
Ea Roaa a testa dos moccoli, qne teraia o
carnaval ea Roma, deve aer uma reminiscencia
de alguma feala symbjlice da aotiguidade.
Chanw-se moccoli uma pequea vela, seme-
a. i i" "'<--------
a t
[\$) Relatorio do Exm. Sr. rainjetrp du impe-
rio presentado na sesslo das cmaras do amo
passado pag. 49,, .^rln v .L*
17) Sess 25deRsgtil. t. Honlal. cap.9e3\
(lo Const. Pom. dolmp. T]t. ? att.^79 $\
aJ2 a)24t *" e- J '1 '-'
EXrOSICAO PERlAilENTE.
Emquanto que oa Inglaterra ae prepara a 01-
posigao universal, que vai abnr-se aa Loadreo,
em Parts Irsts-se j de aaa empresa O asmo
genero.
E' a exposico universal e parasoeota aua por-
mittlr, mesmo em Psns, todos as fabrtesates e
inventores, submelter cooatastaasota aa puse
do publico, 00 producios da indoaleie e aa deaa
bertas do genio.
Esta empreza toca j a sus completa rearisacio.
A compsnhia compruu ua terreno do IBMaa
metroa, no interior de Parts, s asssgcra-se qaa
aetade j foi alagado pelos futuros esposdseos).
A compsnhis conta cosacsr aa abril os irsbaihoo
de cunstruegao.
J0RNALISM0"T AUSTRIA.
Segundo a eatalietlca official da direccaa ds po-
lica austriaca, a Aavtri aaatsl aclaalaaala R
jornac, asada 17X poUHeas a 880 aAo atoJUiceo.
D'eate oumere 23 apparecem em liogaa aUeada.
Desde ha um anno o numero de joroaat lave oa
augarenta do4>bV
( Commert do s*artov )
i. 1 aj.....aj 11 1 1 1
P1RN.TTP. DE T, DE FAMA FIIHO
I
JM
l\/CI
L


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E8N8JW681_9NBEZN INGEST_TIME 2013-04-30T23:58:21Z PACKAGE AA00011611_09534
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES