Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:09453


This item is only available as the following downloads:


Full Text
LA uno de 1846.
O 0/ rm do guarda: pceo da assigiielura lie de
iOl rs. I1' quartel, pagos adiantadns. Os
nmcios dos assignaiiles sao inseridos a relio
. 20 ris por ludia, ris en tvpo differen-
e as rpetices pola melado. Us que nao lo-
,!. assimanl" P'K3" 80 ris por linna, e 160
e,ii asignantes [
i typo duTercnte.
PHASES DA LA NO ME'A OK OU riIBHO.
Il i. clieia ilul lior a 40 minutos da Urde.
iMionoaiilea 11 a I horeel? ni, da man.
La nova JO a I hora e 14 ruin, da manh.
Icrescenie a 17 aos49 minutos da larde.
Sexta-feira
PARTIDA DOS COMIMOS.
Goianna e Parahyl'a .-Segundas e Ssstas leiraS;
Rio Grande do Norte, ebega as tillarlas feiras
so meio dia a parte lias mesnias lloras na
Quinta* feiras.
Cali, Serinhaem, Rio Formoso, Porto Calvo e
Macey. no l., II e 11 de cada mez.
Garanlmns e llotirto a 10 o 2 4.
Boa-Vista e Flores a 13 e l.
Victoria as Quintas feiraj.
Olinda todos os das.
PREAftUR DE HOJE.
Primeira a I h II minutos da tarde.
Segunda a 4 II. 41 minutos da manlia
de Outiibro.
Anno XXII N. 945.
DAS DA SEMANA.
16 Sec. S. Evaristo. Aud. do J. dos orpk e do
J.doC.d..T..dol.M **? ,
17 Terca. S. ElesbSo. Aud. do J. do civ. da I.
v. edo J. de paz do 2. dist de t.
1 Quarta. 5s Simo e Judas Tl.a-ideo, ap-
pOstolos. .
1 Quinta S. Feliciano. Aud. do J. deorpliaos,
do I municipal da I. vas.
30 Sezla. S Serapio. Aud. do J. rio civ. O
l. v. edo J. de pazdo I. dsl. de t.
Si Sabbado. S Quintino. Aud. do J. do civ.
da I. v., e d*>J de pal do I. dist. e 1. de V
l Domingo. Festa de lodos os Sanios.
CAMBIOS NO DIA 19 DE OUTUBRO.
Cambio sobre Londres Md.p. IfaSOd.
Petis m res por franco.
. Lisboa 100 /, de pwmto.
Dse, de letras do boas firmas I % p. Ve**;
hOum-Oncshes|>anholas.. I0JI000 a SU
Moedas de 6*400 vel. 18*200 a
* de 4*00 nov.. 1#400
, de 4*000... 0/100 a
Prata Patteoes........ IJ90 a
i Pesos columneres. II90 a
Ditos Mexicanos. '#9}0 a
Miuda.......... l|700 -
. .6#40n
00 a lOJSOii
9J10'
liUil
21000
I #940
11780
Acces da Comp. do lleberibe de i0*000 ao per.
DIARIO DE PERfflAMBUCO
EXTERIOR.
INDIA.
Por expresso de Marsrlha se rccebrSo cartas e fuihas
de Hombaim at 18 de julho ultimo.
Conlinuava aestacao chuvosa; etal era a abundancia
d'agoa, que satisfazla aqurlles. que inulto dselavao
grande quantldade drsse elemento preciosismo da In-
dia. Reinava a tranqulllidade em todo aquclle conti-
nente, qulc com una so excepcao, o descontentamen-
te das tropas de Nizam, que estavao por pagar ; mas
pouco podio fazer.
O cholera tlnha diminuido os seus estragos em Kur-
rachee, onde desuni inultos militares de pessoas em
dez das As tropas havlao perdido cerca de um quarto
\io scu numero. Fazla-sc todo o elogio a Sir Charles Na-
pler pela sua benignidade e attencao para com os paci-
entes. SO linhao tnorrido 2 omciafa. Grosseira exagge-
racao da insalubridade de Scinde era, segundo o cos-
tuine, o thema de alguna jornaes de llombann.
Nao havla-novldadeno Punjab. Tudo all estavatran-
quillo. O governador geral e lord Gough estavao em
Simia, onde calila chuva em torrentes.
A retirada de Slr George Artluir do governo de Bom-
Iiaim eslava designada para o da 5 de agosto Urna longa
continuaco de m saude era a causa dlsso. Mr. L.R.
Red, meinbro mais velho do concedi de llombalm, era
quem devia succeder-lhe, at que chegasse um gover-
nador notneado em Londres. Manifestava-se a esperan-
ce de que o tribunal dos directores concedesse uina pen-
sSo a Sir George Artluir.
Recebrao-se depois em Londres cartas e folhas de
Bombairn at5 de agosto.
A principal noticia poltica, que ellas contnhao, era
3ue o espirito de descontentamento para com o governo
a rainha mi, e do seu wuzeer, Lall Singh, em Laho-
re, ameacava romper em actos de violencia. Os cele-
bres fanticos chamados Akhalcea estavao-se rrniiiiido
na vizinhanca daquella capital, e nutriao-se recelos de
se travaruina sanguinolenta lucta. Os inezes de setem-
broeoutubro teem servido militas vezes desigual para
carnificinas entre os Sikhs Gholab Singh estava cerca-
do de difAculdades no seu novo reino. Alguns dos seus
proprios prenles reclaiuavao o pagamento do legados
desi'u Iranio. O chefe de Moultan nao estava dlsposto a
prestar obediencia ao governo de Lahore, e esperava-se
una contestacao na parte meridional do Punjab, na
qual seriao os Inglezes compellidns a Interferir. O ex-
crcito de Scinde estava muito prximo a Moultan
Constava de Scinde, que o cholera bavia cessado de
Os accionisus do banco Oriental, que se estabeleceo
originalmente em Rombal ni, estavao descontentes com
a despeza e conducta dos seus directores de Londres^ e
por isso tinhao resolvldo suspender a uicstna dlrec9ao.
Para rsse fun foi aviso por aqnelle crrelo, ao qual se se
naodesse promplocuiiiprimento, seria iinniediala.neiite
enviada de Bombairn uina pessoa 90111 poderes sufticlen-
tes para levar a etirito as vistas dos acrionltas.
Um fantico mu>ulinano, chamado Furker Ismail.que
linha por alguin lempo andado a reunir uina quadnllia
mal armada, que monlava a ft.OOO homens, havia I0110
umassalto s fortificares exteriores de Aden mas foi
rec hacado cotniperda. Os rabes estavao reunidos em
grandes inassas ao redor da cidade. As tropas ingle/as
estavao bem preparadas para fazer-lhes uina cordial re-
C< Mehcinel Ali, que partir de Constanlinopla a 17 de
agosto, havia ehegado a 24 em Alexandna.
Tinha-se descoberlo em Bmbala um novo crime.
Lua eoinpanliia de desalmados assasslnos envenenou
urna porca'o de bfalos e comprou depois os cadveres,
que vendeo aos carniceiros no mercado publico, para se
retalhar a carne na estaco mais queute do anno. tiles
haviiio de ser julgados as prximas sesses criinlnaes.
[Tima).
He lidae approrada a ultima redaccao do scguintel Art. FicSo revogada aslcii e dipoilfesemcon
projecto: ,, trarl
- A asseinbla legislativa provincial de Pernambuco .egi.l.tiva provincial de Pernjru-
hlela TaVTiifm
[Cmtinuar-u-Ma).
!G. 1. Fie. desmembrada da freguezia de S-Se- buco 29 '- de .846
bastia-o-de-Ouricury a par te da freguezia, denominada rVrr.ira Petxoto
Riac ho-da-Garca, que passar a pertencer a freguezia de 1
Santa-Mara da comarca da Boa-Vista. _________________
, ESTATISTICA DA PROVINCIA.
Ilim bV Juntas remetto a V. S. as copias dos mappas sobre o numero dos crimes, commettidos
nesta provincia, desde o l. de jullio de 18U ate o ultimo de de/.emnro de 1845, segundo requisita em
STeos artl H-Tueio de Pernambuco, 21 de agosto de 18*6. Antonio Pinto Chicharro da Gama.
Sr. Dr. Jeronymo Martiniano Figueira de Mello, encarregado da estatistica da provincia.
assolar Kurrachee e Hydrabad, em ambos os quaes lu-
gares espalhra a devastaco. Sir Charlea "
PERNAMBUCO.
asemblea PROVINCIAL.
SESSO EM 29 DE OUTUBRO DE 1846.
FltESIDENCU DO SR. SOBZ4 TE1XEIIA.
SUMMARIO. expediente. ^pprovofSo de diveriot requt-
rimenloi; da ultima ndatcio do projicto, que ditiiile a frt-
qnezin do Ourcury; e em legunda diteutsio, doi de ni. 22,
24, 28, 29 e doprimeiro artitjo do di n. 25. Adope&o de
urna emenda wbslUutiva doproierlo de n. 26. (llmenlo
do den. 32, a re^uermenlodo Sr. Correia de Mello, e do de
n. 30, pela hora.
sonze horas da manhaa, o Sr. 1." secretario faz a
chamada, e verifica acharem-se presentes 23 Srs. de-
putados.
O Sr l'reiidenle declara aberta a sessao.
OSr. 2 Secretario l a acta da sessao antecedente, que
he approvada.
O Sr. 1." Secretario menciona o seguinte :
EXPEDIENTE.
Um ofticlo do secretario interino da provincia, parli-
i fiaidr era 'cipando ler-se expedido ordem A thesouraria das ren-
iinha adquirido ureas opnioes, pela sua benignidade das proviiiciaes. para entregar ao 1-t^retarto^daiis-
para com os pacientes, havia mandado demolir os an-
tigos muros de Kurrachee, e inelhorar a cidade. Seu
sobrinho c secretario,John Napier, capitiio do regiment
62 de S. M. B., tinlia perecido viotiina da iiiflexivrl mo-
lestia e foi multo carpido, A febre havia ce ido em
Su. Iiiiii. O regiment 17 de S M. B., que tlnha soffrido
limito all, eslava, segundo se dizia, prestes a vir para a
costa, aliui de embarcar, ou para Cabo de Boa-Espe-
ranca ou para Inglaterra.
O governador geral e o commandante em chefe fica-
vao em Simia, onde estavao para se ajiintarcom alguns
dos ofiiciaes mais experienles das provincias do Noroes-
te, aGm de arranjarcm d< linitivaineiite os seue planos
para a prxima rslafao favoravel.
Toda a parte occidental da India, desde o Punjab at
(eylio, parece baver sido favorecida este anno de co-
piosa chuva. As provincias nuvaniente adquiridas pelos
inglezes, c conhetidas pelo noine de Jullundun Doab, ti-
nlio tido una extraordinaria pancada d'agoa, que devia
contribuir para a sua fcrtilidade. Km Phulloor, se ha-
via formado um grande armazciii, que j estava cheio
de prtrecbos militares. Os Siukhs estavao-sc alistando
nos regiment! Inglezes. Elles sao uina bella raca de
homens.
O paiz do Deccan, que esl subjeito ao governo do Ni-
zaiu, eontiiiiiava a experimentar os resultados de um
systeina limito misera vel. O seu ihesouro eslava, ex-
hausto, e as suas tropas descontentes. O general Fra-
ser, residente ingle/., aluda que distmeto pelos seus
talentos, nao linha podido descubrir um plano proprlo
para o iiiellioraiiieulo daquelle estado.
Os jornaes de Calcuta descrevio um acto de pilhagem
inui extraordinario, com me tildo no centro daquella ca-
pital da lndia-Kritannica. Dezaseis homens bem arma-
dos entrro na loja de um ourives e banquelro, erirao
limitas pessoas, c depois retirrao-se com os seus des-
lelos. A policia daquella cidade anda uao linha po-
dido descobrlr os delinquentes.
A cidade de Poonali nao linha sido lio saudavel este
anno, como era ordinariamente ; reinara all una febre
de carcter typhoide. O coniiiiandaiile em chefe estava
restabelecido de um ataque della
FOltiETIM.
MEMORIAS DE LM MEDICO.
por aieyanDre WxiM
O
PRIMEIRA PARTE.
'tdai a^2i3Ado.
CAPITULO XIV.
rixirn x tatibuit
Filippe de Taverncy,_cavallelro de Maison-Rouge, uao
se pareca com sua irmaa, anda que taobonito homeni,
como ella era bella mulher. Com eB'eiio.olhos de expri I-
sao amena eorgulhosa, o ifiais perfeito protil, admira-
veis inaos, um pe de mulher, e o mais bem frito talhe do
inundo o tornavao um cncoutador fidalgo.
Filippe, como lodos os cspirltaa distlnctos, que se
acho atropellados na vida, tal qual Ih'adeo o mundo,
(*) Vide Diario a. 238.
irmbla as quotas marcadas para o expediente da res-
pectiva secretaria, asseio da casa e publlcacao dos Ira-
balhos por tachigraphos. Inteiradn.
Outro dacamara;iiiuiiicipal da cidade da Victoria, en-
viando um artigo addiciouai as respectivas posturas.
A' rnmmisto de posturas negocioi dai camnrat.
Um requerimento dos moradores da l'assagcm-da-
Magdalena, supplicando a graya de seren exonerados du
pagamento do imposto da barreira da ponte desteno-
me, visto existir onfrana do Caxang. A'commiiio de
faxenda e orcamento.
. Outro dos moradores da ilha de Itamarac, reclaman-
do contra a Intelligencia. que os arrematantes dodizi-
mo dos cocos dao ao 8." do art. 31 da lei provincial do
1." dr abril de 1845. A' rommiisin de legislara. 0
Sao lidos e approvados os seguintes requerimentos.
.. A coiiunisso de cuntas e despezas provinciaes
quem foi prsenle o requerimento de Manuel Vicente de
Hollanda Cavalcanti e outros, pedindo a esta asscni-
bla, que autorisc a adiiiinistra(ao dos rstabrlecimentos
de caridade a contratar com os peticionarlos, acerca do
pagamento, que elles teem de fazer ao hospital de ca-
ridade desta provincia, consenlindo na reinissao dol
juros vencidos, etc., he de parecer, que se pea, por
intermedio da residencia, administracao respectiva a
copiado contrato celebrado entre o credor originario r
os devedores, pas dos peticionarios; o jui/.o da niesma
cominissao acerca desta pretencao bem como o juizo
do presidente da provincia sobre o que houver de di-
jter a referida coiiunisso Pa90 da asseiubla provin-
cial, 29 de oulubro de 1846. Villela Tavare -- Laftt
Nclto.v ,. ...
<( llcqueiro, que, por intermedio da presidencia, se
peca thesouraria provincial o seguinte : copia do con-
trato de 10 de malo de 1844, em virtude do qual loi
transferido para a casa da ra do Pires o lyco desta ci-
dade ; toda a correspondencia e esclarecimentos relati-
vos a este contrato. Villela Tonare.
Requeiro, que se perguntc oftcialmente ao governo
da provincia, se teem sido postas em devida e inteira
execucao as leis provinciaes relativas divisao, crcaco e
suppressao de varias freguezias. S. R Nunei Machado.
-tbHiTiv" ; aa^vaiir aat Ttiar
era trislf sein ser carrancudo. Era talvez a essa tristeza,
que elle devia a sua anienidade, porque, seni essa triste-
za accidental, teria elle sido voluntario, soberbo e pou-
co coinmunicativo. A necessidade de viver com os po-
bres, seus iguaes de fado, como com os ricos, seus iguaes
de direito, abrandava una natureza, que o ceo hav[a
creado spera, dominadora eagastadlca: na mansidao
do leiio ha sempre um pouco de desdem.
Tinha Filippe abracado apenas a seu pal, ja Andreza
arrancada ao torpor magntico pelo abalo deste feliz
aconlecimento, vlnba lansar-se nos bracos do man-
Era esta accao acompanhada de solucos, que revela-
vao toda a importan;:!!!, que rlava a esta reunio o cora-
cao da casta menina.
Filippe travou da uo de Andreza e da de seu pal, e os,
encamiiihou a ambos para a sala.
__ Vin. est incrdulo, meu pal, lu ests admirada,
minha irina, dase elle, depois de os ter frito sentara
seu lado; e todava nada ha mais certo. Daqui a poucos
minutos a senhora delphina estar na nossa pobre mo-
rada.
__ He preciso Impedir isso a todo o custo, rom os dia-
bos! exclamouo barao, a delphina aqu! se aconlecesse
senicllianie cousa, ficariamos desacreditados para sem-
pre. Seheaqui, que a senhora delphina vem procurar
uina amostra da nobreza de Franca, eu a lastimo. Mas,
dize-mec, porque fatalidade escolheo ella justamente
a minha casa? ,
Ol! isso he una historia nimio comprida, meu
Urna historia? repeli Andreza; conta-no-la.
Sim, uina historia, que faria, que abenyoassem a
Mappa dos acontecimentos mais notaveis da provincia de Pernambuco
desde julho de 1844 at o ultimo de dezembro.
ANNO
1H.
Julho
Agosto
11
Setembro
N
Outubro




Novombro


>i

Dc/einlini
"
1)
11 9
l
1) ia
>l a
11 '
B u
18
11 as
1) 26
11 99
30
NOMIiS.
4 Francisco Soares..........
7 Um guarda nacional.......
ii Mario Vernica...........
10 O Indio Miguel...........
21 Mariano Pereira...........
o Vicente Ferreira...........
2 Lui/. de Souzo.............
i> Angela Maria da Conceicao ..
Manoel Gomes............
n Tbereza.................
1 habeldetal..............
0 Narciza Maria Ferreira Duarte
24 Jos Soares e seu filho......
JoSi Barboza.............
1 Ignacio Leite.............
Leandro de tal......._.....
5 Antonio Feij de Almeida...
16 Benlo Ferreira do Esp. Santo.
Anceltno B. do Nascimento..
21 Luiz Pereira..............
27 Antonio Jos Correa.......
1 Um Sigano..............
Vigario Jos Caetano.......
0 ten.-coronel e um guarda .
12 Um de nome Po-Ferro.....
1 i Major Rufino Coelhoda Silva.
Portuguez Guimaracs.......
29 ThomazdeAquinoWanderley.
Joaquim Correa da Cruz ..
I n seu escravn ........
Dous individuos.........
8 Joao Baptista de Lira.....
JoaoMano'el Correa......
Francisco Correa........
Um negro cativo.........
Joaq m l'ereiracAlexandredetal
Jos Goncalves de Mello....
Joaquim Manoel de Brito.. ..
Antonio Teixeira Bruno.....
Jos Henriquo Marques.....
Um individuo.............
Francisco Jos Gomes.......
Joaq.mJos de Santa Anna...
Joao Francisco do Araujo....
Anglica de tal............
Um preto cativo...........
Clara de tal...............
Mais dous................
TERMOS.
Po-d'Albo
S.-Anto
Cimbres
Cabo
Becife
i
Brejo
Recife
Po-d'Alho

Olinda
Recife
Garanbuns
ii


Bonito
Becife
Cimbres
Garanbuns

Cabo
i
Recife
Cimbres
S.-Anlao
Goianna


ii
Cimbres
Cillllnes
Limociro
ii
Nazarcth
, Btejo
Limoeiro
Nazareth
Cimbres
Goianna
Limoeiro
D
Brejo
2
LUGARES.
Uttinga
Poeo-da-P.
n
Tabocas
A Togados
Poco
Buique
R. do Alecrim
Una
Moribeca
Pcnanduba
Montoiro
Por Manoel Lopes.
Com um tiro por outro G.
Por seu mesmo marido.
Apparceo o cadver.
Com um tiro.
Com um tiro de pistola.
Por Francisco de Andrade.
Por Alexandre Correa.
Por Bento de tal.
Por Jos Figuciredo.
Por Pedro lavares de Mello,
Soldado de arlilharia.
PorM. Bernardode Oliveira
PorM. Bernardo de Oliveira
Antas
Colonia
Altos
Guariba-Q.
Ubaca
Jacarara
OBSEKVACOES.
Por Joao Manoel Correa.
Foi assassinadona m^occ.
Na niesma occasiao.
Foi achado o cadver.
Por Joaquim Soares da Cruz,
Quarenta e seto assasssinados e cinco gravamente feridos. Bcllarmino de Arruda Camera, ,.
amanuense da secretaria de policia.
Conforme. Francisco Xavier e Silva, oflicia'.-maior interino.
Deosaquelles, que seesquecem de que elle he nosso
salvador e pai.
O barao alongou os beicos, como quem duvida, que o
soberano arbitro dos homens c das cousas se diguasse
abaixar os olbos para elle, e intrometter-se nos seus ne-
gocios. .
Vendo Andreza, que Filippe estava alegre, de naca
duvidava, e ape tava-lhe a mo, para agradecer-lhe a
boa noticia, que trazia, e a ventura, que mostiavasen-
tir, murmurando: Meu bom irniao! meu bomirmao.
Meu irniao, meu bom irmao, repetia o barao ; e
como ella est sallsfeita com o que nos acontece.
E nao v meu pai, que Filippe se mostra con-
tente? ,
Porque oSr. Filippe he uin euthusiasla, mas eu,
que, feliz ou infelizmente, peso as cousas, dlssc Taver-
ney, deltando uina triste vista d'olhos mobilia da sala,
nada vejo, que me alegre, em ludo isto.
__ y uando Ihe eu contar o que me aconteceo, meu pai,
julgar Vm. a cousa por outro modo.
Entao conta l isso, resmungou o velho.
Sim, sim, couta Filippe, disse Andreza.
Pois bem! Eu estava de guaruiciio em Straburgo,
e foi por essa cidade, como deviSo saber, que a rainha
ez a sua entrada.
E neste buraco sabe-sc de alguma cousa ? disse Ta-
verney.
o foi por Straburgo, dizes tu, que a rainha.......
tesperavamos nos desde pela manhaa sobre a
esplauTK cliovia a cantaros, e ns estavamos molhados
como u pintos. Nenhuma noticia tinhamos da hora
certa, em que devia chegar a senhora delphina. O meu
major mandou-me como explorador ao encontr da co-
mitiva. Camlnhei uina legos, pouco mais ou menos.
De repente, ao voltar de um cainiuho, achei-iue cara a
cara eom os primeiros cavallelros da escolU. Troquel
com elles algumaspalavras; precediaoellesaS. A. real,
que deitou a cabeca fra da portlnhola, c perguulou
(iiiein eu era. ,
Prcce, que me chamrao ; mas eu com a pressa de le-
var urna resposta affirmaliva quem me havia enviado,
havia j partido galope. O causaco de seis horas de
scntinella havia desapparecido como por encanto.
E a senhora delphina? perguutou Andreza.
He moca como tu, e bella como os anjos, disse o
("l V /I I 1<' 11*(1
Drze'inec, Filippe?...... perguutou, hesiundo,
o barao.
Oque,meu pai?
A seubora delphina nao se parece com alguem, que
tu con II ci,as'
Que euconhe{a?
Ninguem se pode parecer com a senhora delphina,
exclamou, enthnsiasmado, o mancebo.
Ve, se te lembra.
Filippe meditou.
Nao me tembro de ninguem, disse elle.
__ Vejamos...... a Nicolina, por exemnlo?
Oh! he extraordinario, exclamou Filippe admira-
do. He verdade, com ell'eito, Mcolina d alguns ares da
Ilustre viajante. Mas, ob! como est longe, como est
abaixo delia. Mas como sabe Viu. disto, meu pai?
Dsse-m'o um feiticelro.
Um feiliceiro? repetio Filippe, admirado,
O qual me predisse ao mesmo teiupo a la vlnda.
Oestrangeiro? perguutou tiniidaiiienje Andreza.
O esi'tpgeiro he esse homem.que estava com Yin,,
i


m
,2 ..-
MkPPA dos acontecimentos mais notaveis da provincia de Pernambuco desde Janeiro de 1845 at o ultimo de dezembro do mesmo anno.
ANNO
181",.
Janeiro
Fevereiro
Marro
0

7
'10
18
1NOMES.
Abril
Severino Gomes Barboza....
Francisco Jos da Silva......
Theodoro Goncalves da Fonc.'
Flix Jos de Uliveira.......
Maria Joaquina............
Flix Jos de Oliveira.......
Zacaras Barboza.........
Antonio Policarpo de Andrade
Antonio Pereira dos Santos..
Manoel da Motta Botelho... .
Bernardino Pinto Teixeira...
Florencio Jos de Oliveira. ..
I.uiz Jos de Oliveira........
Joao Hontoiro............
Antonio Martins de Carvalho.
Jos Antonio da Silva.......
Trajano Targino de Moura...
Jos ( escravo ) ...........
Flix Jos Baptista.........
O cabo do urna escolta......
Joao Evangelista..........
Alexandre Mondes da Costa..
Jos da Cruz.............
Manoel Ferreira...........
Jo5o Anlunes......-......
Francisco Antonio.........
Jos Maria da Cunha..
Cosme Alvcs Ribeiro.......
(> cabo de urna escolta......
Francisco Jos Barboza.....
Valentim Jos da Costa.....
l'm individuo.............
Severino Gomes, e outro.....
Maria da Penha...........
Jos Joaq."1 de Santa Anna..
Joao Lucas...............
Vm escravo..............
Joao Pereira de Souza......
Francisco Jos da Silva......
Manoel Francisco..........
O escravo Lu vi.............
Jos Francisco Cabraiba.....
Jos de Lira..........
TEBMOS. |l LUGARES.
BSEUVACES.
Limoeiro | I

R. Formoso
Limoeiro
Goianna
Limoeiro
Cabo
Goianna
i
Cimbres
Bonito
M
Brejo
Limoeiro
Brejo
Garanhuns
Limoeiro
Cimbres
R. Formoso
a
Limoeiro
I
Garanbuns
Limooiro
Serinhiem
S.-AntJo
Serinhem
i
ReciTe
Serinhem
Brejo
Cimbres
Limoeiro
Taperinha
l|Ribr."-Fundo
Una
Cumbe
Bom- Jardim
Itilir. Grande
Mocos
Por Ignacio Jos Francisco.
Por JoSo Francisco da Fon".
ANNO
1845.
Caipora
Brejinho
Panelas
Bom-Jardim
Barra de Una
Apara
Caipora
Feijao
Escada
Gameleira
Eng." Quiliba
Poco
Lagos do Meio
(axoeira
Tapada
PorD."Go.',eQurinoLetc
Pelos mesmos.
Com dous tiros.
Por Jos Ribeiro Ribas.
Com Tacadas: acbou-se o ca-
(daver.
Com tiro por Alex.' J. da C.
Com Tacadas: achad'o cadver.
Pelo mesmo cima.
Por Domingos Marques.
Por Manoel Joaquim.
Pelo Feitor do mesmo Eng.
Por Joaquim lavares de M.
Por urna patrulba.
Por Francisco Raymundo.
Pela patrulba, por resistir.
Pela patr.' n'accSo deprender
Por sen marido.
Por Manoel Feitoza.
Por outro
Por um preto de nome M."
Por Valentim Jos da Costa.
Por outro de igual nome
Por Manoel Jos Teixeira.
Por Francisco Soares da S.
Abril

Maio





II
Junho
s
Julbo



Agosto


Setembro
NOlrlES.
Uutubro
Noveinbro
24 Ignacio Severo...........
Manoel Jos.............
4 l'm individuo ...........
* Sebastiao Jos...........
17 Urna mulher.............
Francisco Rodrigues.......
Tres menores............
19 Cypriano de tal...........
<8 Manoel, preto............
17 Joao de Mendonca........
2 Pedro Antonio...........
9 Manoel da Fonseca Pinbo ...
Um escravo..............
9 Carlos LeilSoPessoade Albuq.
Um individuo.............
23 JoSo Antunes.............
27 los Francisco Dutra.......
t Ignacio Correa...........
8 Manoel Correa...........
16' Amaro Jos de Lavor.......
23 Francisco do Nascimento
Antonio Prudencio da Sijva..
15 Urna mulher.............
16 Francisco Jos Machado.....
17 Luiz Ignacio.............
Antonio Luiz de Siqueira...
Gonralo Pinheiro..........
Jos Vctor Madeira........
Dous meninos............
Joao Pereira dos Santos.....
Um escravo .............
Thomaz Jos d'Aquino......
Alexandre Vatontim........
TERMOS.
29
Manoel Vicente......
Jos Braz...........
Antonio Ignacio......
Martins Jos de Moura.
Manoel Pegado.......
Um individuo........
Um outro..........
Um pardo Antonio.
Jos XavierVianna....
Rarbara Maria........
Cabo

Garanbuns
ReciTe
S.-AntSo
Nazareth
S.-Antao

Pao-d'Alho
Rocife
Limoeiro

R. Formoso
Brejo
Cimbres

S.-Antao
ReciTe
R. Formoso
Nazareth
Serinbaem
Nazareth
Cimbres
Garanhuns
*
Nazareth
Serinhiem
Recile
Serinhiem
Garanbuns
i
Nazareth
Bonito

Nazareth
ReciTe
R. Formoso
u.
LUGARES.
Jassari

Corrate
Poco
Pindobal
Novaes
Cmaras
Boa-Vista
Sipo
Barra
Olho-d'Agoa
Feira
Pires
Gamelleira
Scrra
Cacimba Lm-
(pt
BSEUVACES.
(luciros

Crrante
breos

Chao do Este-
(vio.
Pelo Indio Manoel Jos.
Na occaiiao de matar Ignacio
(Severo
(cadas
Por Francisco Rodrigues: fa_
Por resistir i palmlha, quooToi
(prentr
Por Jos Casusa
Por um seu Tilho
Gravemente.
Escravo do Des. Bocha Bastos
Que o a companhava.
Com duis Tacadas.
Com um tiro.
Com um tiro, de emboscada
Por Manoel Alv.es da Silva
Pelo preto Luiz Gonzaga.
Por Manoel Clemente.
De Jos Mauricio Wanderlej
Com um tiro de bala pela poli'
(cia de cavallaria
Por Manoel Severino.
Por Alexandre Martins dos S.
Por Narcizo de tal.
Por Jos Pereira do Sacramt.'
Foi gravemente apunhalado.
Por Antonio Mauricio.
Scssenta e nove assassinados e vinte c oito gravemente feridos. Ticllarmino de Amida Camera, 1. amanuense da secretaria de polica.
Resumo dos dous mappas, por semestres, dos annos de 18*4 a 145.
, MOHTOS. FERIDOS.
1." de julho a 31 de dezembro de 1844....................................... 47 7
I. de Janeiro a 30 de junho de 1845................................-....... 45 18
1. de julho a 31 de dezembro............................................ 24 10
Conforme. Francisco Xavier e Silra, oflicial-maior interino.
IHIRIO DE PiRMIBDCO.
Declara cao.
A assembla occiipar-se-ha hoje com leitura de pro-
iCe,.A ,parrcer,,,; """'M liscuasai dos projectos de
na. 19, 20 r 21; segunda dos de ns. 27 e 31, e das postu-
ras da cmara municipal da Boa-Vista ; e priiucra da
projecto de n 23.
rCMMESJO.
Alfande'a.
RENDIMENTO DO DA 29........15:
I'ISe.llHFOO HOJE 30.
EscunaCarolina niiriailorias.
I rigueMinervadem.
Harcan*."' Runelltaixas de ferro e carvao.
Hriguen,i/irman--bacalli.io.
'62/016
Geral. .
Provincial.
Consulado.
RENDIMENTO DO DA 29.
214/935
181/599
Movin.cnto do l'orto.
Navios uhidoi no da 29.
MaranhSo ; polaca lieapanhola Lince, capitao Izidro Ma-
rislany, em lastro.
Ass; brigue braslleiro Coneeiciia, capitao Joaquim Jos
de Slrqueira Porto, em lastro. Patsagelro. Targino Jo-
s Cavalcante, Bratileiro.
quando eu clieguei, e que, discreto, se retrou nessa oc-
rasin ?
casio ?
Juramntente, mas acaba a tua narracao, Killppe
acaba.
Melhor fra talvez fazer alguns preparativos, disse
Andreta. crguendo-se.
Mas o baro a deleve, travando-lhc da mito.
Quanto mais preparares, mais nos cobriremos de
ridiculo, disse elle. Contina, Filippe, continua.
Agora, meu pal. Voltel, pois, a Straburgu, desem-
penhcl a ininba inlssuo, prevcnro ao governador, Mr.
deStalnville, que parti inmediatamente ao encootro.
guando o governador chegava eaplanada, c e lhe faz
iSo as continencias militares, comecou a apparecer a
vomitiva, e nos corremos porta de Krlil.
Eu eslava ao lado do governador.
Mr. de Stainvillr, disse o baro ; ora, espera, eu
conhecl um Slaii.villc......
Cunhado do ministro, de Mr. de Choiseul,
He isso, contina, contina, diste o baro.
A tenhora delphina, que he 11109a, gosla sein duvi-
da dosrostosjuvenis, porquanto ouvio distrahida oscom-
primenlos do governador, e, litando os olhos em iiiini.
que, por deferencia, me del,ara tirar um ponen atrs*
Nao he o senhor, pergunlou ella, que foi mandado
ao ini'ii encontr?
Slni, tenhora, retpoodeo Mr. de Stainvillr.
Approinie-te, senhor, disse ella.
Approximrl-me.
Como se chaina? perguntou a tenhora delphina.
com encantadora vm.
' Pela secretaria do curso jurdico de Olinda se fai
publico, que, de ordem do Exin. S. director do mesmo,
os exames preparatorios tero lagar no dia 2 do inez
prximo vindouro, pela forma seguinte:
No primeiro dia lectivo da semana, haverao exames de
latim, philosophia, geographiae francei.
No tegundo dia, latim, rhetorica, ingles e geometra.
No tercelro dia como no primeiro.
No quarto dia como no segundo.
No quinto dia, geometra, rhetorica < inglez.
No mais como no anuo passado.
Roga-se instantemente c se etpera, que os padriuhos
dos estudantes nao prnliquein mait as importunares,
com qne, com a mais flagrante imprudencia, veem per-
turbar a boa ordem dos exames, c assim convertem em
confuso mu nociva este negocio delicado e serio.
Secretarla da academia jurdica de Olinda, 20 de ou-
tubro de 1846.O bacharel Eduardo Soares de Albergara,
secretario interino.
PUBLICAgES I.ITTF.RARIA
Revista Universal Lisbonense.
Chegro os nmeros 1 a 13 deste interessante Jornal,
orrespondentes aoanno de f846 a 1847,ou o 6. volunte,
contendo rticos de summo interesse, physicos, morae
e Iliterarios. Recebem-se assignaturas a rasao de 6/400
rs. por 48 nmeros de 12 paginas em quarto francs (pa-
got adiantadot) na loja de Guerra Silva Se C, na ra
Nova, n, 11.
Jornal dai Helias-Artes.
Chegou o 6. numero deste jornal. Os Srs. assignantet,
que nao recebrao, hajo de prncura-lo na inesina loja
cima ; assim como tambem os Srt. assignantet da Re-
vista Universal Lisbonense.
Avisos martimos.
O cayalleiro de Taverney Maison-Rouge, rrspondi
ru balbucante.
se a senhora delphina, diriglndo-te a urna velha dama,
que eu soube depois ser acondessa de I.angershauten,
sua aya, e que com efleito escreveo o meu nome na sua
carteira.
Depois, voltando-sc para inim.
Ah! senhor, em que rstado o poz este horrivei
tempo! Em verdade multo inepcia, que, por meu res
pello, tenha o senhor tido tanto inconunodo.
Como he boa a tenhora delphina, e que encantado-
ras palavras I exclamou Andreza, ajuntando ns maos
Porissoasronservei uina por una, disse Filippe
e at a intonaco, o ar do rosto, que as acompanhava'
ludo, tudo, tudo. '
Multo bem! multo bem! muruiurou o baro, com
singular sorriso, noqual sepodia 1er, ao tnesmo tempo,
a fatuidade paternal e o inao conceito, que elle fazia
dat mulhcret e at dat raiuliat. Bem, contina, Filippe
Que respondeste tu ? perguntou Andreza.
Nao respond nada; inclinci-inc com profunda cor-
tezla, e ella patsou ndiantc.
Como! tu nao respondeste nada F exclamou o
barao.
Eu nao tlnha mal vos, meu pal. Toda a mlnha vi-
da havia retiido ao coracao, que senta bate- com vio-
lencia.
Leve-me o dla'bo, se na tua idade, quando fui
presentado a prlnceza Lecilnska, nao achel nada, oue
diter!
Vende-se o veleiro briguc Dous-IrmSos bem
construido e forrado d* paroba prompto a navegar;
oqual chegou prximamente do Riu-Grande-do-Sul ,
e acha-se ancorado em frente do caes doCollegio: a tra-
tar com Joao Francisco da Cruz na ra da Crsa n.
46, 011 com o capitao, a bordo.
-- Para o Aracati segu, hoje 30 do corrente, o hiate
Sovo-Otinda, o pretender carregar, falle com o mestre'do mesmo, An-
tonio Jos Vianna, no trapiche Novo.
= Para a Baha seguir, o mais breve postivel a bem
condecida e veleira sumaca Aova--turara, capitao Do-
mingos Jos da Silva Papalina: quem na inesma quizer
carregar ou W de passagem, pode cntender-se com o
mesmo capitao ou com Amoriin Irmaos, rita da (.'adela,
n. 45.
OsSrs. nastagelrose carrrgadores de escravos no
bergantn! Indepcndente para o Rio-Grande-do-Sul ,
apromptem seus passaportes at o fm do corrente inez,
que lie quando o mesmo bergantim pretende largar.
O brigue-esciiiin lenriqueta, que acaba de forrar
de cobre e he cavilhado de igual metal, ha de sa-
bir para o Maranhao, no fim desta semana e t re-
cebe carga miuda; para cujo ajuste se trata com Fran-
cisco Joaquim Pedro da Costa, na ra da Cadeia do Re-
cife.n. 17,segundo andar, ou no armazein n. 12, da mes-
illa ra.
Para o Porto ett a sahir o brigue portuguc Prima-
vera, capitao Jos Thomaz de Lima: quem no mesmo
quier carregar ou Ir de passagem trate com ditocapliao
na praca, ou com seu consignatario, Antonio Joaquim de
Souza Ribeiro.
Para o Maranhao sahe, 110 dia l.'de novembro, o
brigue-rscuna Laura: ot Srs. pastagei ro podein reali-
sar as tuas passaeeut com o capitao, na praca do Com-
merclo, ou com Novaes & C, ra do Trapiche, n. 34.
-- Segu para o Rio-Grande-do-Sul o brigue nacional
Jpiter, no dia 5 de novembro imprcterivelmente: para
patiageirot e escravos, para o que lem excedentes com-
modos trata-te com o capitn do inetmo, Antonio Jos
do Reis, ou na ruadaCadeia-Velha, n. 33.
O hiate Nova-OUnda sahe imprcterivelmente para
o Aracati na prxima semana, com a carga, que tiver
a bordo : quem aiuda pretender carregar, se entender
com o inettre do inesiuo, Antonio Jos Vianna, no tra-
piche novo. _______
Le i l,t o.
Jones Patn 81 C. faro leilao, por intervencao do
corretn Oliveira, de grande varledade de fazendas In-
glezas, para ultlinacao de facturas: hoje, 30 do corra-
te, as 10 horas da uiarfha, no seu armatem, na ra do
Trapiche-Novo.
wmmmsmssBBm^BBmmmasm^mmBBsmn^^Bmam
Avisos diversos.
Meu pobre irmao! muruiurou Andreza. .
Entretanto, continuou Filippe, chegava a senhora
delphina aos paros miinicipaet, e recebia osparabent
dot habitantes Aoabndo o cortejo, derao-lhe parte, que
eslava a mesa posta, e ella foi jantar.
Um amigo meu, o major do regiment, o mesmo, que
me havia mandado ao encontr de S. alteza, me asaegu-
rou, que a princeza prreorreo com os orhos, algumat ve-
zes, as fileiras dos ofliciacs, que assittio ao seu jantar,
como quem procuravaalguem.
Nao vejo, disse S. alteza, dcpnlt de investlgacao
igual.j-epetida intilmente duat ou tret vezes, nao ve-
O .^r. A. A. V., se au quizer, que lhe pon ha sua
vida pagada em troeos miudos, c passar por alguin des-
posto nao falle mais de pessoas, que te nao iinportao
com sua excellentisslina pessoa. Ouvio, Sr. V.? Nao des-
preze contelhos: a gente as vetes inapercibidamen-
te. val dizeudo certas cousas, que nao sao l milito
boas; e por Uso, mait um boccadinho de silencio nao he
ino : pelo menos assim o pensa f'm Sujeito.
Arrenda-sr, pelo tempo da fetta, ou por anno, urna
cata terrea na ra do Bom-Sucetto em Olinda com
sitio que lem multas fruteirat de varias qualidades.
ou vende-te por preco rasoavcl ; no pateo do Carino,
n. 18, segundo andar.
Aluga-te um moleque coiinhelro, que cozinha o dia-
rio, c fa< todo mais servico de una cata: quem o pre-
tender, dirija-te a ra Dlrcita. n.91 primeiro andar.
= Precita-se de urna ana forra para o son-ico Inter-
no de uina cata de hoinein tolteiro, e que seja de paca
Idade : as Cinco-Pontas, n. 82.
= A pessoa, que ettiver nat circuinttanclas de cusi-
nar qua tro meninos a lr, eterever e contar dirlja-se
a ra da Cadeia de S.-Antonio, n. 19.
Vm. tem multo espirito, meu pal, resnondeaFilti.
pe, inclinando-se. Wm^
Andreza apertou-lhe a nio.
- Aproveilei me da partida de S. alteza para"lr m
- Tome este nome na su. carteira. minh. chara, di. | SCC^SfL^' CU
.... ------------.... .^...^..... ..^ .,..., j ,o, a ,-a-
sa mudar de fato, para apretentar-se de uina maoeira
mais decente na presenea de V. A. real.
Um insume depois, entre! eu ; e nao havia anda cin
00 minutos, que cu eslava na tala, quandtt ,1 senhora del-
phina me avistou.
Fez-me signal de ir ter enm ella. Eu approximei-me.
O senhor tenente, me disse ella, teria repugnaucia
de uioiiipanhar-me at Paria ?
Oh! tenhora/ inulto pelo contrario, exclainel eu,
terla para mim urna ventura suprema ; mas eu ettou em
tervlco, de guanicao em Starburgo, e.....
Quero diter, que por mim t tenho o detejo.
E de quem dependaitto mais?
Do governador militar.
"em.....Euarranjarel itto com elle.
Fez-inc entao um tignal com a nio, eeu retirei-uie
A' tarde, caegou-te ella ao governador.
Senhor governador, diste ella, tenho um capricho,
que satisfacer.
Diga V. alteta ette capricho, que ser urna ordem
para mim. senhora.
Nao devia dizer um capricho, que tatitfazer, e tlm
um voto a cumprir.
Ainda tera para mim mais sagrado.......Diga, te-
nhora. "
Poit bem! eu fiz voto de ligar ao meu tervlco o pri-
meiro Francez, qualquer que elle fotsc, que encontras-
te, ao por ot ps em trra de Franca, e fazer a sua for-
tuna e a da sua familia, se com cflelto cabe no poder dos
111.
mies de eos na ter-
vcnlura de ter prU
- unr/.;i r
O tenente detavfiney Maison-Rouge, que o foi a-
risarda ininha chegada.
Muitot cluiues 1101 val dar o tenente de Taverney,
senhora. disse o governador ; mas nao llie perturbare-
mos a felieldade, que lhe est reservada ; aprzar do ser-
vico eobrigaco, em que se elle acha, de tudo o releva-
remos, e partir ao mesmo tempo que V. A. real.
Com efleito, no mesmo dia, em que a carruageih de
S. alteza deixava Straburgo, recebi eu ordem de montar
acavallo cacoinpanha-la Desde cntSo, nao me arredei
da portinhola de sua carruagem.
Oh oh. disse o baro com o mesmo sorrito ; oh !
oh. sera cousa singular, mas nao impossivel!
O que, meu pal ? disse Ingenuamente o mancebo.
Oh fallo c, disse o bario, entendo-me commlgo
mesmo, oh oh!
Mas, meu charo irmo, disse Andrs., nao vejo ain-


O NAZARENO N. 59,
est venda nos lugares do costumc.
= Preclsa-se alagar um preto para o servigo ordina-
,io de uina padaria, eque nao beba muito, e seja dili-
gente ; d-sc-llie sustento, e 12/ rs. cada mei: quem o t. Preclsa-se de unihomem, que tenha boa lettra e
tlver, apparefa at o dia 31; que dever principiar no da quc.qucira irpara un engenho ; na ra do Crespo,
1.* de novembro, ficando, na vespera a noite, apada- n. 11.
ra de urna so porta, na praca da S.-Cruz.
= Firmino J. F. da Rosa & Irmao participio ao pu-
blico, que teem aiuigavelmentc dissolvido a sociedade,
quegvrava nesta pra9> debaixo dcsta firma: llcando to-
da i Ma liquidaco a cargo do chele desla casa, Firmino
J. F. da Rosa. r
=> Firmino i. F. da Rosa participa ao publico, e em
particular ao connnercin, que, tendo amigavelmente dis-
solvldo a sociedade, que tintn com seu irmao Joaquim
F. da Rosa, desta data (26 do corrente) em diante passar
a gyrar debaixo de sua so Pinna.
= Joaquim Flix da Rosa participa ao publico, e em
geral ao comiiiercio, que aniigavelinente tein dissolvido
a sociedade, que tinhacoin seu irmao Firmino Jos F-
lix da Rosa, eque desta data (26 do corrente) eludante
gvrar s debaixo de sua liini i.
Precisa-sede um destilador para engenho,que seja
peisoa capaz e d ador a sua conducta : na ra da
Aurora, u. 42. segundo andar.
D-se a quautia de 260/000 rs'. a premio, sobre
penhores deouro.ou prala : quem quier, pode diri-
gir-se a ra da Florentina, n. 22.
= O abaixo assignado fax sciente a todas as pessoas,
que teem penhores em seu poder, haj.o dos vir remir
no prazo de quinte das, visto estar em liquidaran de
sua casa cujo prazo nado, os passar a vender por seu
Justo valor, por couta dos mesmos donos: c declara,
que nunca, e em tempn algum flear responsayei a seus
donos, seno pela sua importancia porque forao vendi-
dos Marcelino Jote Galvao.
= O senlipr, que tem venda na lloa-Vista, eque ein
seu poder tem um relogio empenhado, desde o dia sab-
bado.pelas 8 horas da noite, queso contou 24 de ouiubro,
oqual fui e'inpenliadu por nina bagairlla, e be huma-
no, e tem sia consciencia, quetra, por cquidade.aiinun-
ciar o numero de sua venda, para se ir buscar, e pagar-
lhe o que se drve; e tenha d de quem nao trm.
Stnhores Redaclorts. Nao podendo o Sr. Firmo Anlo-
Wio deFigueiredo negar, que o Sr. Anastacio Xavier de
> C'outo nao assignou a subterfugios.! carta, constante dos
autos, em que sao reos os pardos Justina e I.auriauo,
escravos do annunciante, e que s a seu pedido se pres-
tou a copla-la, fez publicar, no Diaria n. 240, as desprr-
zivels jerlmiadas nelle inseridas, para desl'arte illuilir o
respeltavel publico, e os integerrimos julgadores; coni
oque ile certo perdeo o seu tempo, e nao fez a defesa da
degenerada inno, que em dita carta fabricar uiio soube
a tirina daquelle Sr. Anastacio, para o flm de coadjuvar a
ftil prova, que em ditos autos, a favor dos citados reos,
se tem apresentado ; esforcando-se a corrobora-la coin
as acridades exaradas as cartas, que no inesino Diario
inseridas luan, inculcandn-se em una dellas, que o
referido Sr. Anastacio s assignou a carta transcripta no
Diario n. 38, quando ella foi por elle escripta, e assig-
nada, como se evidencia do respectivo reconheclinrnto. I
Hajo, Senhores Redactores, de dar publlcidade a es-I rnazetTI de l'CCOilliM'
tas linbas do seu atiento venerador e criado Mam/
lUortira da Coila.
= Mara Dionlza da t.'oncelco laz publico, que nin-
giiein contrate com seu marido, Francisco Alvos da
Trindade, sobre bens do seu casal, visto que trata de
divorciar-se delle, com justas rases ; portanto desde
j protesta contra toda a venda, que dito seu marido
faca, dos referidos bons, como meio de defraudar ao
seu casal. _
Furtrao um cavallo alazo-caboclo, com os
sigues seguintes : orelhas pequeas, estrella na testa,
dous ps calcados, bom esquipador; tem o espinhaco
sellado, sabugo cortado : quem o encontrar, pode levar
ao engenho Ilba-das-Cobras, na villa do Cabo, onde
se gratificar generosamente.
= A pessoa, que, no dia 29 corrente, passando em
um carro pelo Aterro-da-lloa-Vista, perdeo uui chapeo
deso, pode apparecer na secretaria do corpo policial,
que,dando os signaos,Ihe ser restituido.
A pessoa, que inandou faior urnas camisas na ra
do Rangi'l, e que dellas levou tres, deixando ficar cin-
co, as queira mandar buscar, e pagar o fcitio, no prazo
de oito dias; do contrario, sero as mesnias vendidas
para pagamento de quem os fez, visto haver-se passado
mais de anuo.
Joaquim Hernardo do Reis, com fabrica de charu-
tos na ra larga do Hozarlo n. 32, faz sciente a seus
fregurzrs de charutos regala que se acha com um
sooliento desta fazenda dos inelliores, que aqu teem
vindo por serein fabricados em S.-Fells anude se fa-
brico os melhores charutos que veein da llahia. As
pessoas que goslao desta qunlidade de charutos po-
derd procurar que se Ihes alianca a sua brindado.
Prccisa-se de 600/ rs. a premio de um e meto por
cento ao me/. e d-se por seguranca una casa na ra
Direita n. 109 livre e desembarazada : a tratar na
niesina casa.
Os Srs, Joao Jos de Capristano Joao Jos de Car-
valho e Joaquim Alvos da Silva, teein cartas viudas de
fra na ra da Cadeia do Recife loja de Guedes &
Mello?
Pergunta-sc a quem quizer responder se o de-
creto de 12 de marco de 1842, que declara que nao
sao feriados as repartirles administrativas os dias san-
tos dispensados est em vigor em Pernamhiico.
-- No dia 27 do corrente chamando-se um preto pa-
ra emher urna barrica de carvo na viuda n. 1 do
largo do Terc.u este furtra de dentro de una caixa ,
um lialiuzinhu fechado e eiivernisado de encamado,
cornos segniutes ubjectos : um annelao coin 4 dia-
mantes sendo dous grandes e dous pequeos ; 3 botos
de ouro de abertuaa sondo dous ordinarios ; um par
de tivolas de suspensorios ; um coracao de ouro ; um
101190 de seda preta ; nina bol9a de chita com una por-
cao ile iliulieiro de prata entrando alguns crusados no-
vos ; um peso mexicano corlado no nielo ; e entre al-
gum papis algumas cdulas, 1 meio bilhele da lotera
a favor das obras da matriz da cidade da Victoria ; una
cautela da lotera do Rio-de-Janeiro. Este roubo j.i so
sabe aonde ful vendido ou guardado; mas, 110 caso de
querer entregar se gratificar c se guardar segredo;
do contrario se usar da penada lei ; isto no prazo de
tres dias.
Na ra do Crespo loja n. 15, de Antonio da Cu-,
nhaSoares Guimaracs existe urna carta vinda de S.-T
Miguel das Alagas para o Snr. Manoel Carnriru de
Azevedo.
O abaixo assignado como se acha bastante mo-
lesto e, para ficar bom se Ihe fas preciso ir a Portu-
gal coin auiaiorbrevldade possivel e nao o podendo
azf r sciri deixar a sua casa desembarazada tanto no
activo como no passivo por isso encarecidamente ro-
d Paris, multo fino e leve, esobretudo sem inistnra
de algodo, o que o torna muito duravel, c faz com que
nao onvoriiielhe9a-se; setiin sfir preto .superior a mais
fina casimira c he o que ha de inelhor para una boa
ca^a preta. O Srs que prclenderem ver qualquer
destes objectos ter a bondade de mandar avisar ao
Minnnclante, que (inmediatamente Ih'os levar ein suas
casas.
=Zeferino Francisco da Silva, Brasileo, vai ao Rio-
Grande.
Na noite do dia 25 do corrente, naoccasiao do
logo, que bouve no pateo do Ter9o, furtrao, de dentro
da algibeira da casaca do abaixo assignado, urna car-
telra de uiarroquim verde toda bordada, com os objec-
gommar cozinhar e coser ; e dando-sc a contento : na
ra estrella do Rozarlo n. 8.
Compra,i-so drz mil tijolos de Ivenaria e para
seu pagamento d-se uina varea di' rara iiinua pre
lili,- e com um garrote pequeo ; na ra da sentaiia-
Nova n. 7., '
Compra-se um mulatinho com ofncio de sapa-
teiro ou aifaiate e que seja de bonita figura ; paga-se
bem : na ra do Crespo loja 11. 9 de Domingos Gui-
mares. ____
Vendas.
que francamente se Ibes bou que, no prato de 30 dias, correo
vao saiisfarer aflu de nao seren entregues os seus no-
mes rin relacao para serein cobradas por procurador,
visto que toda a demora b& prejudicial a saude do an-
nunciante, = I.oi Jom Marqutt.
O abaixo assignado ,juiz da irmandade de N.S.do
Amparo da cidade de Olinda pelo presente convida
a lodos os irmaos da mesina irmandade para compa-
recerom no dia primeiro de novembro prximo futuro,
pelas 9 horas da mautia em o consistorio da tnesma
irmandade para que todos, reunidos em mesa geral,
possao eleger a nova mesa para o anno prximo fu-
turo.= O vlgario, Joo los Pereira.
Precisa-so de utn bom amassador ; na ra Direita,
padaria 11. 40.
iogo Rodrigues embarca para o Rio-Grande o seu
escravo Joaquim Caniuudongo.
--Quem precisar de um perito destilador, anmincie
sua morada.
Aluga-sc uina casa terrea, na Senzallinha, defron-
te de S.-Thercra em Olinda : a tratar em Fra-dc-Por-
tas n. 96.
= Existe para alugarum exccllente sobrado na ra
de S.-Bcnto em Olinda muito fresco, coin linda vis-
ca para o mar piulado e calado de novo com 00111-
mndos para grande familia : quem o pretender pe ule
entender-sc com a proprietaria do mesino moradora
na inesnn ra, 1). Antonia Joaquina Borges Franza.
Jos Honres de Azevedo prol'ossor de lingoa
franceza no lyceo, tem aberto em sua casa ra do
Rangel. p- 59, segundo andar, um curso de
RHKTORICAeoutro de GEOCRAPHIA. As pessoas ,
que quizerem cstudar urna ou outra tiestas discipli-
nas, pndem dirigir-se indicada residencia, a qual-
quer hora. .
Altiga-se por barato preco o
prensa lo Forte-do-Malto, 11. 7, largo
da Assemlila que, por ser (le bom ta-
munlio e melhor localidade, tambeui ser-
ve para ser applicada a nm grande ar-
alfandegodo tor-
nantlo-se por isso 11 til a quem o prelen
Icr muito principalmente aos Sis ne-1
a tratar na ra
***eww!p5wi.-i- i'txvma~n
/
MM
da em tudo Isso, como pode a senhora delphina vir a Ta-
verney.
Espera ; era bonlem a noite, pelas onze horas, nos
cuegmos a Nanoy, e atravessmo a cidade com ardi-
te. A delphina cnamoii-me.
M. de Tavemey, disse ella, d prossa comitiva,
riz signal, que a delpjilna desejava ir mais depressa.
En quero partir aniaiiha muito cedo, accresccnton
a delphina.
V. alloza desoja fazer amanliaa urna longa pausa?
Nao, mas desejo parar em camiiiho.
A estas palavras, um como presrnliniento me abalou o
coracSo
Em camlnho ? repet eu.
Slni, disse S. A. real.
Ctel-me.
O senhornao adlviuha onde quero eu parar ? per-
gunlou-ine ella, sorrindo.
Nao, senhora.
Em Taverney.
Para fazer o que, meu Dos! exclame! eu.
Para ver seu pai, e sua Irma.
Meu pai! inhiba irma !. ... Como sabe V. A. real...
Informei-me, disso olla, e soube, qnemorao a dn-
zentos passos da estrada, que seguimos. O senbor dar
"dem de prannos em Taveinoj.
Cobri-1110 de suorrs fros, e ilei-me prossa a dizer a S.
A. real, com ufn tremor, que Vm. avalla :
Senhora, a casa de meu pai nao he digna de rece-
ber to alta princesa, como he V. A. real.
E porque ? prrguntoii ella.
Nos somos pobres, senhora,
Tanto melhor, disse ella, estou certa, que o acollii-
meutoser mais cordial e limpies. Por mais pobre que
gonantes cstiangeles
do Vigario, n. 5.
Alugao-se os primeiro e segundo andares do so-
brado n. /, da ra Nova defronte da matriz coin bo-
nitas salas c coinuiodos para grande familia.
Illlereee-se 11111.1 ama para casa de lioiiicm snlteiro,
011 de punca familia que sabe engommar e colindar
lioiu ; quem de seu presumo se quizer ulilisar dirja-
se ao becco do Burgos n. 3, primeiro andar.
Aiuga-sc o segundo andar da casa da ra do Tra-
piche 11. 16 : a tratar no primeiro andar da inesma
casa.
Aluga-se um sitio margem do rioCapibaribc, na
Capunga, junto ao cnsul inglez; com grande casa,
bem plantado, estribara para quatro envallos e cochei-
1,1; quem pretender, procure 110 niesmo sitio, ou,na ra
do Rangel sobrado 11. 59, primeiro andar, das 10ho-
ras do da at as 4 da tarde.
Preclsa-se de um ofncial de niarcenciro, que soja
perito, nacional ou estrangrirn, para dirigir uina ofi-
cina do mesnio rnelo, na qualidade de mestre : na ra
Nova, n. 59.
=A viuva do Burgos e Filhos vendem por todo pre9o
a armarn e traspasso da sua loja da esquina do J.ivra-
nicnto 11. 1, at 30 do corrente; depois desse dia, deisa-
r.ii'i de vende-la : trata-se na ra Direita, sobrado, 11.
29.
Precisa-sc de una ama solteira de 16 anuos, pa-
ra o servio Interno e externo de nina casa : na ra do
Fogo sobrado do un andar 11. 53.
Aluga-se um sitio na ra da Casa-Forte, com bons
cominodos ; os2 andares do sobrado aiuarello da ra
Augusta juntos ou separados com bons comiiiodos ;
a loja do dito sobrado propria para venda una casa
na ra do Cotovello, n. 7 ; os tercelro c quarto andares
do sobrado da ra do Aiuorim 11. 15 : a tratar no pri-
meiro andar do niesmo sobrado.
Precisa-sc de um caixeiro, de 12 a 16 anuos para
venda com pralica ou sem ella ; na ra S.-Cruz,
venda 11, 3. Na inesma vendo-so um realojo com 18 fi-
guras e dez toques por 30/ rs. obra muito segura.
Alfonso S iie i-.M.n lin na ra Nova n. 14 se-
gundo andar, recebeo pelo ultimo navio viudo de
Franca manteletes de gros de Naple prclos guarne-
cidos de franja de retroz ; mantas da iiiesuia qualidade;
mantas de seda de cores de lodos os preen, e d'rntre
ellas o que ha de mais rico ; chales de seda de novos
padres, muito bonitos e superiores ; cortes de seda
branca e de cores para vestidos ; chapeos de seda ,
para-seuhora ricamente ornados c do ultimo gosto ;
ditos de palhinha lisos, abortos e rendados, modelo
a pomoles ; ditos para meninas abortos e lisos ; [ditos
de paitada Italia, redondos, para meninos, de 2 a
8anr.os ; lencos de setim de primeira qualidade para
pescorode senhora ; luvas de meio braeo, de pellica ,
superiores com suas competentes puWeir.is ; dii.is de
retroz preto de meio le, o com malhas ; ditas do pel-
lica pespuntadas o lisas para biiiem ; panno preto
Taverney soja, ha de seinpre l haver urna ta9a de leite
para nina amiga, que desoja esquecer por alguns instan-
tes, que ella he archiduquesa d'Austria e delphina de
Franf,
Oh senhora, respond eu, inclinando-me, e nada
mais disse ; porque o respeito me nao deixou dizer mais
nada-
Esperava eu, que S. A. real se esqueccria desse pro-
jecto, ou que Ihe passaria a phantazia esta inanhiia, coin
o fresco do caminlio ; mas nao aconteceo assim, Ao mu-
dar de cavallos em Pont--Mousson, pergiinloii-iiio S<
alteza, se nos approxiinavaiiios de Taverney, c eu 1110 vi
obrigado a lesponder-lhe, quesdistavamos tres leguas.
Toleirao exclamou o velho.
Ai parece, que a delphina me adivinhava o ern-
baraco. Nao tenha receo, me disse ella, a minha parada
nao ser longa ; mas, pois que me anteara com nina re-
cep9ao,que 1110 farsonre,fcaremos quites, porquetam-
bem eu o fiz sou'rer, qUaudo entrel ein Strabuigo. Ora,
como resistir a lio melgas palavras ? diga, meu pai. '
Oh I era impossivel, disse Andreza, e S. A. real, tao
boa, ao que parece, rnntentar-se-ha com as mirillas
flores, e uina 139.1 de lelle, como ella disse.
Sm, mas nao se ha de contentar com as ntlnhaa
cadenas, que Ihe machucarn' os batos, nom com este
tocto, que Ihe entristecer a vista. Levem os diabos
os caprichos Bom, temos outra vez a Franca bem go-
vernada por uina mulher, que tem dessas pbanla/.ias.
Irrorio .Ahi tomos a aurora de un singular reinado !
Oh I meu pai, pode Vm. dizer scmelliaiitos cousas
do uina princiceza, que nos accumula de honras !
__ Que antes muito me deshonra, exclamou o velho.
Quem pensa esta hora nos Taverneys? Ninguem. O
nome da familia dorme sob as ruinas de Maison-Rouge,
o numero de mil setecentos e tantos, um nielo dito da
lotera da cidade da Victoria, (que ha de correr) n. 3,489,
e o numero do livro he 57, e tem no verso do dito meio
bilhete a dcclaracao segulnte :pertence este meio bi-
Ihetc nicamente ao abaixo assignado Severlano Nunos
Vianna; e outros inultos papis de importancia, que
s serven) ao abaixo assignado. Roga-se aos Srs. the-
soureiros bajo do nao pagar ditos bilhetes senuo ao
annunciante ; c roga-sc a pessoa, que fez dita graci-
nha, baja de se utlisar do dinhrlro, e botar a carteira
com os bilhetes c mais papis por debaixo da porta da
loja de livros da pr.n; 1 dH Independencia, e nao o fazen-
do se descobrir quem foi, fazendo-sc patente seu nome
pelas tullas publicas.
Sew#riano JVunei Vianna
= Na padaria epastelaria franceza do Aterro-da-Boa-
Vista, n. 50, rrcebeo-se ltimamente um completo sor-
tiuicnto de conleitos, amendoas cobertas, doces de as-
sucar crislalisado, rain licor por dentro,amendoas reacs,
e outros confeitosdos mais ricos, etc. etc.; bocelas dou-
radas e confeitadas para encher dos mesmos, proprias
para fazer presentes ; ago'nrdrnte de Franca de supe-
rior qualidade; verdadeiro marrasquino de Zara; absyu
tho su isso, da marea verdadeira; vinho de Hordeaux en-
garrafado,etc. etc.; e igualmente se aceoitao encommen-
das de doces finos, c bandejas para cha, tudo por pre-
90 mais coinnindo.
Arrenda-se um armazein de carne em muito bom lu-
gar, vendendo-se o que tem dentro, e assegura-se, que o
alugtiel he em conta, e muito afreguezado : na ra do
Vigario, n. 22.
= O abaixo assignado advoga tanto no cive! como no
crime; para o que est conipcteiitoniciitc habilitado
com novo provimonto do Exm. S. presidente da rela-
900: tollos os <|iio se quizerem ulilisar do seu prest,110
q aeli.n.ici na casa de sua residencia na ra de S.-Fran-
cisco, n. 82, casa onde inorou o advogado Cactauo do
Sousa Antunos. e iillimamente o Sr. escrivao de pro-
testos. Tito.--Anlanin larga da Fonseea.
Precisa-se de dous lav adores ; em casa do Uoura-
dor, ou fabricante de candiciros de gaz na ra No-
va 11. 52.
Itua de Apollo 11. 30.
Aluga-se o ,11 inazein cima declarado com embar-
que no fundo para a inar, proprio para nrmatem de
assucar ou outro qualquer rstabelccinieuto: a tratar
sobre o seu aluguel, com Jos Pereira na sua venda ,
na ra da Senzal-aova, n.7.
ATTENgAO!
S3y Desencamnliou-se, da casa da ra da Cruz, 11. 9,
tercelro andar haver dous mozos pouco mais ou
monos 11111 allinete do pello de senhora, eucastoa-
do ein ouro Iraballiode relevo conlendo o retrato de
11111,1 111 en i na sentada ein lima aluiulada de ulule de
10 a 18 ineies com meias borzeguins e touca : prc-
vine-se a toda e qualquer pessoa que tenha visto tal
allinete de o trazer a sobredita casa que se dar tres
vezes o valor do retrato nao se exigndo o ouro bem
como 6e guarda segredo. Faz-se tamaito empenho, por
assim o exigir a pessoa, a quem elle pertence; pois para
qualquer outra lie zero.
LOTERA DA MATRIZ DA CIDADE
DA VICTORIA.
Antonio da Silva Ciismo, thesoureiro desta lotera, til
ver ao respeitavel publico, que nao tendo sido possivel
fazer andar as rodas da inesma, 110 dia 26 do corrente,
como aniiuiiciou, em raso de existir anda por vender
um crescido numero do bilhetes, pretende fazer andar
ditas rodas iniprelerivelnieiite 110 dia / de novembropro-
ximo futuro, no consistorio da groja da Concefo dos
Militaros; e por isso pede aos amadores deste jogo, que,
tendo aiteiiro s rasos ponderadas no primeiro do-
mnelo, coneorrao a comprar o restante dos blbotos ;
cortos de que, se antes do dia, que ora he marcado, so
concluir a venda dos mesmos bilhetes, far inmedia-
tamente andar as rodas ; assim como assegura aos que
se guardo para conipra-los no dia do andamento, que
neste dia se nao vender um s bilhete, ainda que al-
guns liqueiu por vender.
Agencia de pa.ssaporles,
Na ra do Collegio, n. 10, c no Atcrro-da-Hoa-Vista,
loja, n. 48, tro-se passaportes, tanto para dentro co-
mo para lora do imperio; assim como despacho-se es-
cravos: tudo coin brevldade.
= AlUgSo-seai seguintes casas ; um sobrado de 11111
andar com sotao.lodo pintadu do novo,na ra do Sol.n 23;
os 2 toreciros andares coin sotao, dos sobrados do A-
tcrro-da-lloa-\ isla, us. 4 o 6, por 300/000 rs. animaos
o segundo andar do sobrado da 1 na do Kozario, 11. 20;
(luis casas terreas com quintal, cacimba e mais eoin-
modos para grande familia, as mas Formnsa, 11. 5, e
nadaUnlao, n. 3; oulra dita pequea, na ra do Sebo,
n. 54, por 8/P0O rs. inens.ies; urna meia-agoa na ra da
Soledado, 11. 37, por 6/B00 rs. inonsaos ; quem preten-
der, dirlja-se an escriptu io de F. A. de Oliveira, na ra
da Aurora, 11. 26.
Loipras.
Compra-se una cscrava, que, alcn d<" tcrjnuilo
boa conducta seja 11109a e saiba com pe l'eirn en-
HIllllrHnil
e cu esperava, que d'alii s saln ia de una certa 111a-
neira, e quando fosse ehegada a occasio ; mas nao ;
ospeinva-o sem rasao, e ahi vai o capricho de uir 1
oriaiie.-i resiisi ita-lo eniliaoiado, coberto de p, mes-
quinho, misera ve!, Ah vo as gazetas, que andoo a
cata de tudo o que he ridiculo, para d'ahi trarem o es-
cndalo, de que viveni. consignar em suas nojciilas
eoinpilaros a visita de uina grande princea ao chiquei-
ro de Taverney. Com os diabos tenho c nina irteia !
O barao pronuneiou stas palavras do maneira, que
fez estremeceros filhos.
Que quer Vm. dizer, meu pai 1 perguntou Fi
lippe.
Digo, respondeo o baro, por entre os denles,
que, assim e"oino o duque do Mediana, segund conta a
historia, incendiou o seu palacio, para nao abracar uina
rainlia, ou posso milito bom quoiinar um oucllicholo,
para ficar dispensado de receber una delphina. Dei-
xoiu ebegar a princeza.
Os filhos s llie ouvirao as ultimas palavras, e olhavao
inquietos mu para o outro.
Drixom-a ebegar, repotio Taverney.
Ella nao pode tardar, meu pai, respondeo Filippe.
Eu atalhri o caminho pelas maltas de Pierrelitte, para
ganhnr algn minutas sobre a comitiva, mas ella nao
pode estar longe.
Nesse caso, nao ha tempo a perder, disse o baro.
E agtf, como se aluda esliyera nos seus vintc annos,
correo cozinha, tirou do fogao utn ticao acceso, su-
bi aos celeiros ebrios de palhas seccas, c j ia por o
logo a alguns feixcs do fono, quando, por tras delle,
surgi Balsamo, que Ihe agarrn o braco.
Que faz alti V. senhoria, senbor borao ? disse-lbe
elle, arrancando o ti(So das inaos do velho ; a archi-du-
sen 11111 iiri
Venderse potassa da lus-
sa polo muito mdico prc-
co de 160 rs. a libra ; cal vir-
sem de Lisboa chegada no
ultimo navio : no aruizeinda
ra do Irapichc 17.
a run do Crespo loja nova
ii. I % de Jos Joaquim da
Silva laya ,
vende-se um rico sortlmeiito de castraos de finissima
casqiiinha, com suas competentes lanternas de gos-
tos os mais modernos que teem apparecido pelo di*
iiiinutopre9odc8/, 10/ fc 12/rs. cada par.
O bazar da ra do Crespo, lo-
ja n. 5, ao p do areo de
S.-Antonio ,
modernamentesortido para a festa. Este importante es-
tabelocimonto do varias e bellas ratendas, de gostos In-
teirameiite novos ollrcce a un~iileraeiiu dos concur-
rentes de entre as mais notaveis as seguintes :
Alpaca, para aquetas e sobre-casacas, a me-
lhor, o covado a..........
Chaly de la c seda riquissinios vestidos, o co-
vado, a ..........
Casimiras brmense, o covado a......
lirios de puro linho, ricos, estampados, a vara a .
Riscados parisienses rlquissimos, para vestidos,
o covado, a .........
Ditos francezes para jaquetas o sobre-casacas,
a fresca, o covado, a....., .
Chales delaaeobertos desedaem ricos lavrores, a
Loncos igualmente cobertos a seda com franja, a
Maulas a la-moda, de seda, listra.las a setim a
Chales de garoa tecldos a seda, a......
Lindezas e loueaiulias. o covado, a .... /240
Cassa-chitas, padres novos, o covado, a /320
veriiios", os mais superiores, o covado, a 4/500 e 5/1)00
1/600
K/tWO
/600
1/120
/280
/280
6/500
1/440
queza d'Austria nao he um condestavel de Bourbon, cuja
presonca mancha una casa a ponto, que mais vale
queinia-la, do que deixar-lhe por ahi os pos.
O velho licou suspenso, paludo, trmulo, e j nao
sorria como costiiniava. Fra-lhr preciso reunir todas
ai forras para adoptar em pr da sua honra, ao menos
pola nianeira, que elle a entenda, una resoluy.io,
que f.tzia da mediocridade anda supportavel uina mi-
so ria completa,
V, senbor, continuou Balsamo, va tratar de to-
mar um fato mais decente; veja, que mal lera tempo
de deixar esse chambre. Quando eu conheci no cerco
de Pbilipsboiirg o barao de Taverney, era elle grao-
cruz de Sao Luiz. Nao ei, que haja vestido, que sob
sonu Ihante insignia > nao torne rico e elegante.
Mas, senhor, replicou Taverney, apesar de ludo
isso a delphina vai ver o que eu nem ao seuhor quera
mostrar, isto he, que eu sou desgra9ado.
__ Nao tenha cuidado, bario, occupa-la-hao de tal
maneira, que ella nao ha de reparar, sea sua casa he
nova ou volita, riea ou pobre. Seja hospitalero, se-
nbor, he o seu dever como fidalgo. Que farao os ini-
ntigos de S. A. real, e grande he o seu numero, se os
seus amigos queimo os casleilos, para a nao recebe-
rem sob o seu tecto ? Nao anticipemos as futuras co-
leras, senhor ; cada omisa tem a sua vez
Taverney obedeceo com essa resignaco, de que j
una vez havia dado prova, c foi ter coin'os filhos, que,
assustados pela sua ausencia, o procuravo de todas aa
partes.
liis.uno retirou-sc silencioso, como para acabar urna
obra ooincrad.i
(ContiniMr-M-Aa./1
g
ga a todas as pessoas que Ihe sao devedoras quer por tos seguintes: ina cdula de 2/000 rs. encarnada, "um I = Vende-se uina liteira nova com os couipetentcs
cmprrstimo lettras ou genero tomados na sua casa bilhete da 2.' parte da 14.* lotera do theatro, que ja j airc0s ; um apparelho d
iteira nova .
.-Jiodcarreios para dous cavallos,
cujo bilhete est premiado rom 10/000"rs "e "0j7crra'gens','tu'o novo c chegado ltimamente de
... ______J .__:_ ^_ .1 .^ n... __ .1 .! n .4 i (i i i-i i ii ^.Hn 'i V 141
nao foi pago por estar alguma cousa deteriorado, com Franca p01- pre9o coniniodo : no Alerro-da-Boa -Vista ,
'n Vende-se um excellente bicudo ; um curlj de
Goianna : um bigode ; dous concilles, mullo bons can-
tado, ose muito mansos, por tereni sido apanbados em
um quintal desta cidade ; todos por preo.o commodo ;
na ra da Florentina, n. I6 ...
V< iidc-sc una venda coin fundos no largo a noci-
r de S.-Jos n. 5: a tratar na inesma venda.
Vende-se superior caf da Ierra ; na ra da l-
dela, n. 2, venda de Jos flon9alvcs da Fonte.
= Vende-se nina excellente canoa de carreira pro-
pria para familia eninp.neiro c cadelra de assento .
pintada e proinpta ; em Fra-de-Porlas junto a un-
dicao inglesa no armazem do sobrado de um andar e
Irapeira todos os illas, das 3 horas da tarde em diante.
Venda-se um preto bastante robusto de 28 a .I
annos bom canoeiro pescador e carreiro; urna pre-
ta da Costa muito 11109a boa vendedeira de rna de
bonita figura sem vicio algum ; um lindo mulatinho ,
de 6 annos bastante robusto ; una casa de taipa, mul-
to bem feita de boas madeiras toda ladrilhada com
20 palmos de frente 70 ditos de fundo, e com muitu
grande quintal na principal ra de Pedras-de-Fogo ;
ludo por prc90 commodo : no Alerro-da,-l!oa-\ ista, fa-
brica de licores 11. 26.
=Vendem-se bons cavallos desella ; tambem se sau-
grao," curo-se c irato-se : na ra da Couce9ao da
lina-Vista n. 60
= Vendoiti-se, por preciso duas pretas robustas ,
sendo nina dellas aluda 11109a e de bonita figura, por
pre9o commodo : na ra dos Copiares 11. 27.
= Vendem-sc 24 escravos de ambos os sexos seudo :
3 pretos ; 4 pardos ; 3 pardlnhos ; 2 pardinhas ; 5 pre-
tas ; 1 parda com 4 filhos; I parda com um llllio ; to-
dos de bonitas figuras : na 0139,1 do Corpo-Santo n.
23, a fallar com Antonio Rodrigues I.ima.
Os tnicos charutos, que supprem a
hita dos de Ilavana venilrm-se na ra
da Cruz n 26, primeiro andar
Potassa da Ifi ussia,
verdadeira em barrispeque-
nos e desembarcada no dia
18 de setembro prximo pas*
sado : na ra da Cruz, n IO ,
em casa de Kalkmami& Ho-
< u




1 ,
T
h-
II
?
= Vcnde-se ou arrenda-se um sitio na Vanea .
margem do rio Capibaribe com boa casa e trras|pro-
prias para plantaces e com arvoredos ; na ra cstreita
do Rozarlo n. 16.
= Vende-se una cabra de 15 a 16 annos para fra
da provincia, a qual teni algumas habilidades, que
se (lirio ao comprador : na ra estreita do Rozarlo
n 16, primeiro andar,
Vende-se una escrava de nacao, que cozlnha mul-
to bem compradeira vendedeira c fai todo o mais
servico de urna casa ; no palco do Carino sobrado de
mu andar, n. 16.
Vcndcin-.se 3 crescentes de cabello ; no becco do
Pclxc-Frlto venda n. 5.
Vende-se uina venda cm bom lugar, bem afre-
guezada tanto para a trra como para o matto a d-
nbeiro ou desonerando o donodajiraca ; um terreno
cm Belm na ra das Cruies, n. 22 segundo andar ,
te dir quem vende. Na mesma casa precisa-sc de um
calxeiro para venda.
Vende-se um molecote de naci por preco comino-
da; na ra Direita, n. 18.
Arabio de chtgar de Franca
OBRAS COMPLETAS DE J. J. ROUSSEAD.com as ulti-
mas cartas inditas. Excellente edlcSo de Paris em
26 voluntes em oitavo. Vendrm-se por multo mdico
proco na loja de Manoel Jos Goncalves ra do Ouei-
mado n. 27.
Vcnde-se urna bomba de pao, que escota agoa
com multa presteza proprla para alguma cacimba, ou
euibarcacao ou para outroqualquer cstabrlecimento,
emquese quelra usar della: a tratar com JosPerelra,
na sua venda na ra da Semilla-Nova n. 7.
= Vende-sc potassa branca de superior qualidade,
em barris pequeos ; em casa de Matheus Auslin &
Companhia. na ra da Alfandcga-Velha, n. 36.
Vendcm-se chancos de sol, de seda a 5flOO rs.;
fustes pintados a 320 rs. o covado ; cassa lisa a 280
rs. a vara e a peca a2#?00 rs. ; brlm escuro liso e de
linliii, multo fino a440 rs. a vara ; chapeos de masa
fina a ABO 2/560 e 3/200 rs : na ra do Quelmado ,
lojan. 8.
= Vende-se um nuilatlnho proprio para bollelro,
milito sadio c de boa figura; na rua do Quelmado ,
n. .VI.
-- Vende-se urna linda canoa de carrelra milito se-
gura com assento para ramilla e em multo bom es-
tado ; na Roa-Vista ra dos Coelhos, bem defronle do
hospital, no portSo largo. Na mesma casa aluga se
urna canoa para conduceSo de trastes.
Vendem-se 8 a 10 arrobas de cera amarella do ser-
tio .Junto ou a retalbo ; na ra do Colleglo venda
n. 16.
Vende-se urna parda de bonita figura Je 17 annos,
boa engoinmadelra cozinha bem o diario de urna casa,
cose entende de fazer lavarinto nao tem vicio de qua-
lidade alguma, o que se afianca ; bem como se vende
junto com um filho tambem pardinho, de anuo e nielo,
milito bou i ti ti lio : na ra do Crespo, n. 12.
= Vendem-se um alambique de cobre novo, e o
mais bem construido que pode haver neste genero,
sendo o cobre de urna grossura forado commiim, epor
Isso de urna duracao immensa, com sua serpentina
tambem nova e canos largos, sendo estes de estanto :
quem o pretender dirija-se, afim de o examinar ao
armazem da casa, em que morn o seu proprletario o
Sr. Manoel Cardo/o da Fonseca, a enlender-se com o Sr.
Manoel, que tem no mesino armazem farinha para ne-
gocio (uc elle dar o documento que se pretende pe-
lo mesnio.
= Vendem-se 5 preas de 14 a 20 annos com ha-
bilidades ; 3 ditas de servlco de campo ; urna parda ,
de boa figura de 16 anuos 2 elegantes moleques um
de 12 e o outro de 17 annos, com principias de cozl-
nha; 3 pretos para todo o servlco, entre elles um, que he
canoelro e oleiro : no pateo da Matriz, n. 4.
-- Vendem-se por preco commodo os segulntes
escravos chegados ltimamente do Aracaly : 6 pardas,
que cosem, cngoniniao e lati ; 8 pretas sendo 4 de
nacao que cozlnhao, cosem e lavan ; 6 pretos, proprios
para o servlco de campo ; urna parda de 16 annos :
na ra da Crut armatem n. 61.
=VenJe se urna preta de 18 annos ; umpreto pro-
prio para o servlco de campo : na ra da Praia arma-
zem de carne n. 10.
-- Vende se farinha de tri-
pe da marea SS.sF de rami-
nho : no caes da Alfandega,
armazem do Race lar, a tratar
com Manoel da Silva dantos.
= Vende-se una negrinha de 14 anuos recomida ,
que cose, c faz lavarinlo ; 3escra\as mocas de boas fi-
nuras una das quaes cose, fai renda e o mais servl-
co de una casa ; nina dita, por 280/000 rs. que cozinha,
lava eheq uitandeira ; 4 escravos mocos, bons para o
trahaliio de campo ;.um prclo de maior idade por
220/ rs. boiii para o trabalho f UBI sitio : na ra do
Crespo n. 10, primeiro andar.
Van.agcnsnara o.s proprieta-
ros e meslrcs de pedrelros.
Na olarla da na da Gloria aonde fol restilaco por
detrs do sobrado n.fip, vende-se, mais barato do que
em outra qualquer parle por nao continuar mais a
(rabaihar, oseguinte: tellias, ditas trincadas lijlos de
ladiilho ditos de cacimba de 6 a 7 palmos ; 3 a 4 ca-
noas de melralha ; assim como todos os pertences da
mesma em muilo bom estado por tercio trabalhado
muilo poucojempo : a tratar na mesma nlaria ou na
ra da Concordia sobrado n. 5 das as K horas da ma-
ullan e das 3 as6 da tarde
= Vende-se cal virgem em meias barricas chegada
prximamente por preco mais conimodu, do que em
outra qualquer parte ; na rua da Moeda, armazem n. 15
-- Vende-se um terreno com 150 palmos de frente e
230 de fundo, na esquina da rua da Solrdade e estrada
novaniente aberta nos terrenos de Herculano: a vista do
comprador sefar lodo o negocio, e tambem se retalha:
a fallar na rua da Soledade, n 2, defroMe da iereia. ou
na rua de S. Hita, n. 85. *
ra rua da Sentnlla-Vellia, n. 114, vendem-se rolhas
grossas, propiias para garrafo, chegadas ltimamente
do Porto, por preco commodo.
-- Vendem-se dous bonitos moleques, de 12 a 14 an-
nos, proprios para rnelo ou pagena ; um escravo peca
de todo o servico ; e duas pelas, sendo urna moca
por 350/000 rs.: na rua larga do Rozarlo, voltando para
os Quarteis, n.24, primeiro andar.
-- Vende-sc um casal de escravos acoslumados ao
servico da campo ; na rua da Cadeia do Reclfe a fal-
lar com Joo Jos de Carvalho Moraes.
~ Vende-se^iima preta de nacao de 24 annos pou-
eo mais ou menos que engomma cozinha o diario de
una casa lava de salan e varrella com uina cria de
4 annos ; o motivo da venda se dir ao comprador : na
rua do Crespo o. 12 a fallar com Jos Joaquim da
Silva Maya.
= Vendem-se meias curtas de linho, muito finas;
talagage proprla para babado de toda a largura ; tu-
do inulto barato : na rua do Queimado loja ti. 34 de-
fronte do becco da ( ongregacao.
= Vendem-se 3 pretos, sendo um dellesbom ranoeiro
de barcaca e que governa, de 80 a 22 annos; 5 negri-
nhas de 12 a 16 annos; uina preta de bonita figura,
3ue cozinha o diario de uina casa e he perfeita lava-
elra tanto de sabao como de varrella ; 2 moleques de
lindas figuras, proprios para todo o servico de 10 a 11
annos : na rua estreita do Rozarlo, a. 19, segundo
andar.
Vcnde-se urna venda posta a moderna, com cotn-
modospara familia, em Fra-de-Portas n. 131 ; ao
comprador se dir o motivo, por que se vende : a tra-
tar na rua dos Guararapes o, 6.
Vendem-se iSescravoSj sendo urna
negra com idade de 18 annos, de elegante
figura, boa costureira,e qnecozinha o dia-
rio de urna casa; quiltro mulatas da mes-
ma idade, pouco mais ou menos, e entre
estas urna perfeita engornmadeira, coslu-
reira e rozinheira ; dous moleques e qua-
tro mulatinhos de i4 annos; e dous ne-
gros de nac3o de 11 a 3o annos, proprios
de todo o servico: na rua da Cadeia do
bairro de S.-Antonio, n. a5.
Ago'ardente do reino, aniz, canna,
genebra, espirito de vinho, licores, ludo
encascado e prompto para exportar : na
travesea da Madre-de-Deos, n. 18, e na
rua de S.-Bita, n. 85.
~ Vendem-se 2 embonos de sedro com 60 palmos
de comprimeuio c 5 '/> 6 ditos de grossura por pro-
co commodo ; na rua da Cruz, no Reclfe n. 46
= Vende-se um berco de condur, com armacao e
massanetas ; una cama de amarello em bom uso ;
um jogo de espelhos grandes ; urna escrivaninha de la-
tao ; 24 Unpedes pequeos de illuininacuo ; una es-
pingarda de cacar com lodos os pertences ; um ar-
mario de guardarlouca ; tudo por preco commodo; na
rua das Larangciras n. 2.
= Vende-se cal virgem, em caixas e barricas, che-
gada ltimamente de Lisboa ; no escriplorio de Fran-
cisco Severianno Rabello & Filho no largo da Assem-
bla Provincial.
Vende-se um relogiodc prata; um dito de ouro,
eom muito pouco uso. c bons reguladores, c horizontacs;
urna correntc de ouro para os mesiiios ; tudo por mdico
preco: na rua doVigario, armazem n.8.
Vendem-se 4 moleques de lindas figuras de 14
a 18 anuos ; um dito de 7 anuos ; 2 pardos de 18 a 20
annos, sendo um del les bom carrelro; um preto de
30 annos, canoeiro ; urna parda, de 25 annos; urna
preta, de 18 annos com algumas habilidades ; uina dita
com urna cria mulatlnha de 2 annos, com habilida-
des : na rua do Colleglo n. 3, segundo andar.
Na rua da Cadeia-Yelda loja
de chapeos n 29, de
i. O. Elster ,
vendem-se os segulntes vinhos engarrafados de supe-
rior qualidade: vinho do Porto, muito velho ; dito
Madeira ; Bucellas; Carcavellos ; Sherry ; Rhelno ;
Rordeaiu; cherry cordial ; Tenerllle ; Cliampanlia ,
marca cometa ; e tambem superior genebra hollandcza,
e ago'ardente de Franca.
-- Vende-se una escrava de 20 annos, perfeita mu-
cama que cozinha, engomma cose, e he muito des-
embarazada para os arranjns de una casa; na rua lar-
ga do Rozarlo, n. 24, primeiro andar.
>a rua de \-pollo, armazem
n. 18.
vende-se potassa da nssia nova, da fabrica nacional
do Rio-de-Janeiro. Esta potassa he muito forte e su-
pior a estrangeira que tem vlndo e j tem sido ex-
perimentada por diversos Srs. de engenho que assim
o nflirmo. Cal virgem.de Lisboa a preco multo baixo.
Venilein-se moendas de ferro para engenhos de as-
sucar, para vapor, agoa c bestas, de diversos tamanhos,
por preco commodo ; e Igualmente taixas de ferro coado
e batido, de todos os tamanhos: na i iraca do ('nrpo-San-
to, n. 11, em casa de Me. t.almonl i Companhia, ou na
i ua de Apollo, armazem, n. 6.
No arin.ui ni do llragiiez, ao p do arco da Concel-
cSo, vendem-se cauastras com batatas do Porto, a 2/240
rs. a arroba, e cebollas em mullios e resteas, ao cento,
e porpreco commodo.
Vende-se um preto de 24 annos de naciio de
bonila figura sera vicies neni molestias ; vende-sc por
una grande precisiio : na rua da Concordia passandu
a poiitczinha a direita segunda casa terrea.
Vendem-se barricas com farelo chegadas prxi-
mamente de Trieste, no armazem de Antonio Aunes, no
largo da Alfandega, n. 5
Vendem se 2 canoas a dinheiro, oua troco de tc-
llias, e lijlos una dellas carrega 1200 lijlos de alve-
naria e a untia 1100 cm bom estado e acabadas
de fabricar de novo : no fin do Hecco-Laigo no Re-
clfe tanque d'agoa.
= Vende-se nina cadelra de arruar, forrada de sedal
macacos para arrumar carga encerados para cobrij
gneros ; na rua do Aiuorim n. 15.
Vende-se urna bonita negrinha de 10 anuos ; rio
Aterro-da-Hoa-Vista, n. 14.
Vende-se um lindo uiiilatinho de 9 annos, pro-
prio para aprender o olhcio ; um escravo de nacao An-
gola de26annos, trabalhador do servico de campo:
ua ruadas Cruzs n. 22, segundo andar.
= Vende-se urna preta de nacao Rebolo de 35 a 40
anuos pouco mais ou menos que he boa lavadei-
ra de sabao e varrella e he boa cozlnheira proprla
para todo o servico pelo barato preco de 200/ rs. : na
rua Nova loja n. 5, se dir quem vende.
= Vendem-se livrosem branco, proprios para qual-
quer casa commerclal ; igualmente um chronomelio
dos melhores autores de Londres: na rua da Cruz, n. 13,
primeiro andar.
Vende-se, por commodo preco um escravo ga-
nhador de 30 e tantos annos de bonita figura mu
ladino, que coilnha menos mal e entende de outros
servidos : na rua do Queimado no terceiro andar por
cima da loja de Joao da Silva Santos.
=Vendeni-sc. no deposito de farloha de mandioca, na
rua da Cadeia de S.-Anlonio n. 19, saccas com fari-
nha do Muribeca a 5/ rs. ; dila de S.-Matheus, a 4/
rs ; ditas de millio a 4/rs. ; ditas de arroz de casca ,
a .4/rs. ; ditas de arroz pilado branco, a 2/ rs.
=Vende-se nina prensa de imprimir sellos boa para
urna adiiiinistraciiii, ou casa de negocio, por trr a com-
inodidade de poder mudar os sellos; uina porcao de
azogue ; uina porcao de assido murlatico para os la-
toelros : na travessa da Concordia n. 13, atrs da tor-
re do Carino.
Na rua da Cruz
re e por isso muito perto da praca de-
fronte das casas do Sr. Francisco Anto-
nio de Oliveira com alguns arvoredos
de frueto novos, excellente terreno com
um bom partido de macacheiras, promp-
tas a tirar, e outro de mandiocas, um
grande bananeiral de todas as qualidade,
grande baixa para capim, que sustenta 3
cavados annualmente, com cacimba de
boa agoa de beber ; tem aoo palmos de
frente para o rio e iaoo ditos de fundo,
casa de vivenda a frente do rio : no
me sino sitio, se dir com quem se de ve
tratar.
Grande sortimento de cha-
peos do Chile.
Na loja n. 3, da rua do Crespo ao p da esquina do
arco de S.-Anlonio, ha chegado, em direitura, um gran-
de sortimento de chapeos do Chile novamente man-
dados vir para a estacSo da festa ; sao bem manufactu-
rados, bem alvos palha muito Igual e preco muito
commodo ; vendem-se tanto a retalbo como em por-
ches grandes. A elles, pin tanto, que a testa est a
porta.
Vende-se um multo bom .tanque coin duas tor-
nelras, lodo de ferro com 10 palmos de largura 14
de comprmentn e 8 de altura, proprio para depasito
de niel ou azeile ; oqual acha-se em muito bom es-
tado : na rua da Cadeia de S.-Amonio n. 13.
Iha e pregos de dito para forros de navios : os pretcn
dente dirljfio-se ao mesmo, ou aos Senhores MtMuifl
fc Dutra. '
Na loja da esquina da rua do Collegio.n. 5
de Coima raes Sera (i m 8c C.
vende-se, alm de um bonito sortimento de fazenda's
por precos bastantes moderados, as seguintes : '
Cortes de novas casimiras franeczas, a .
Ditas ditas melhores, a........\ '
Ditas pretas francezas o covado, a t
Pannos, pretos, azues, verdes e de outras cores
difterentes, desde 2/400 rs. o vovado a .
Cortes de calcas de pelle do diabo a ,
Chales de laa e seda, graades, a.....
Lencos de cambiis guarnecidos a bico, a \
Lindezas para vestidos o covado a .
Escocezes de laa e algodo, com xadrez flngindo
seda o covado, a..........
Cortes de laa c seda para vestidos a .
Chlta-cassas o corte a........
Cortes de colleles de fustao francs a .
Lencos finos para gravata, a ......
Alletieao I
Na rua da Cadeia, loja n. 50, de Cunda & Auioiim ,
anda ha para vender o formidavel rap princeza di-
Lisboa ja bem conhecldo dos freguezes, pelo baratis-
slmo preco de 3/000 rs. cada bote ; dito de Paulo Cor-
deiro, doRio-dc-Janeiro, al/400 rs. o bote. Os to-
mantes que gosto do bom e barato, venho a esta
loja que scro bein servidos.
EG PORTAS NJ2
J arar
n. 36, vende-se
sebo derretido de superior qualidade ,
por preco mdico.
= Vende-se uina preta de nacao moca ptima co-
zlnheira lavadeira de sabao c quitandeira e que
tem boa figura : na praca da ludepe-idencla llvraria,
ns. 6e 8, se dir com quem se deve tratar.
= Vendem se duas casas em caixao com inultos
material s para as acabar c de boas larguras para so-
brado pagando de fOro 30 rs. o palmo ; 3 sacadas de
boa pedia com 33 palmos; e uma'porcao de raves :
rallar com seu proprletario, Lulz Jos Marques.
Vende-sen armacao de nmu loja
feita ao gosto moderno e rjuasi toda en-
vidracada por commodo preco : a tra-
isr com Tbomaz, maiceneiro j na na da
Cadeia de S -Antonio n. ai.
Vende-se um lindo sitio acabado
de novo, a margen) do rio Capibarfllt ,
fui trras, queforo do engenho da Tor-
Vende-se nova alpaca,
n ia8ors. panno fino
fixas, a 5oou rs.
pura, a 1800 rs.
rior, <*
supe
de cores
casimiras de l3a
ditas com pou-
4JD00
5/rjoc
3/OOu
12/000
1/44,,
9560
/64u
/240
Voltarcte.
/ao
7/000
2/240
1/000
m
, cb mistura, a 1000 rs ; cortes de j
i cassa fina rom 7 varas, n 3ooo \
i rs. : assim como as tnas fazeudas i
' j anuunciadas e outras militas 1
1 ebegadas de novo. j
NO ATERRO-DA-BOA-VISTA SOBRADO N. 1, CASA DE
MODAS FRANCEZAS DEM. MILLOCHAU,
vendem-se tarlaianas finas, brancas e de cores cam-
balas finas brancas lisas e bordadas ; bonitas flo-
res de todas as qualidades ; ricas plumas ; veos de
montarla verdes e brancos ; lindas grvalas de cassa
fina imprimida para honiem ; fil de seda e de linlio;
mantas de bico preto ; veos pretos ; um sortimealo de
collarlnhos e pescocinhos ; camslnhase romeiros bor-
dados para seulioia e meninas ; blcos pretos de retroz;
ditos de linho limito largos, para cabecao ; lenclnhos
de seda para grvala de sejihcira ; fitas de velludo ; tou
cas para seiihorae meninas, caniislnhas para homeni ;
traucas ecordrs para ornar vestidos ; mercearla fran-
cesa ; e outras mullas fazeudas por prejo barato.
= Vendem-se barricas e nielas ditas com farinha gal-
lega muito supi rior; barricas c nielas dilas com cal
virgem de Lisboa ; barricas com potassa branca e preta;
fechaduias para pona de armazem ; pendras de rame;
rodas de arcos para barricas ; bichas de Hamburgo ;
tudo por preco commodo : na rua do Vicario arma-
zem n. 9.
Vendem-sc bizerros francezes, de Nantes, de
superior qualidade os melhores que teein viudo a
este mercado por atacado ou mesmo em duzias a
vonlade dus compradores por mais barato preco do
que em outra qualquer parte : n.a rua da Cruz, n. 20.
-- As cautelas da loteria da cidade da Victoria achil-
se de hoje em dame expostas ,i venda no Aterro-da-
Hoa-Vista, as lojas dos Srs. Caetauo Luiz Fcrreira,
n. 4t>; Thoniaz Pereira de Mattos Estima, n. 54; I.eal
4 jriiio, n. 58, e Antonio Ayres de Castro, n. 72 ;
assim como na travessa do Veras, n. 13, onde os fre-
guezes acharao sempre um variado sortimento de bons
nmeros O pagamento das que sahlrao premiadas
na passada lotera do Livramento, contina a ser feito
como d antes a toda e qualquer hora do dia, aem ex-
cepcao de domingos e dias santos.
Vcndein-se lencos de seda da India, a 1/440 rs. ;
riscadinhos francezes de bonitos padrdes pa-
ra vestidos de srnhora de cores finas, a 240 rs.
o covado ; cortes de cassa-chitas de ricos pa-
droes e de cores muito lixas com 7 varas, a 3/
rs. o corte ; chitas largas francezas padres
muito modernos e de tintas muito finas, a 320 rs.
o covado; cortes de meias casimiras, de superio-
res padroes e de urna duracao superior a casi-
mira a 2/400 rs. o corte ; ricos chales de Ia e
seda multo modernos a 3/ 3/500 e 4/U00
rs. ; cassas finas, o mais rico possivel decores
nxase de ricos padroes, a 5/200 rs. o corte
panno pretoe de todas as cores e qualidades ': !
bretanha eesguiSo depuro linho; chlese man- I
tas de seda e crep ; assim como um completo I
sortimento de fazendas tinas ; ludo por preco
taoem conla que he Impossivel a vista da fa-
zenda o comprador delxar de comprar : na rua
do Queimado nos quatro-cantos casa ama-
relia loja n. 29.
Na esquina da rua do Colleglo loja n. 5, de Guima
raes Serafim S Companhia, vendem-se cartas francezaV
Anas, entre-flnas e ordinarias ; ditas portuguezas in'
dos por preco mais barato do que em outra qualquer
parte.
Vendem-se 12 apollces da companhia de Beberlbe
nesta typogrsphia se dir quem vende. '
Superior farelo.
Farelo de Trieste em bar-
ricas de. ."> arrobas ; o qual se
recotnmenda como o mais nutritivo de quantos aqui
iinpnrtao epor isso o mais proprio para mclhor en
gordar os cavallos : vende-se no primeiro armazem dei
HH da Alfandega indo do arco ou em caja de J J
Tasso Jnior.
MARMELADA NOVA,
em latas de duas e quatro libras viuda no ultimo navio
de Lisboa ; na venda da rua da Gru, n. 66.
Vendem-se ca?aes de pombos, bons
batedores grandes e de muito boa n-
ca por preco mdico : na rua da Flo-
rentina n 16.
=rVende-se urna rica secretaria, multo em conta;
na rua de S.-Goncalo, parede-meia a aula do padre ines-
tre Manoel Thomaz.
-- Vende se um correntio ; 2 aunis com diamantes.
2 ditos eom hrilhantes ; um dito tem pedra ; todas es-
tas obras sao de ouro de lei; um habito de Christo para
padre ootn diamantes ; um cordo grosso de prata;
um par de brincos de diamantes ; um alflnctc de dito,
sendo de ouro de lei ; na rua cstreita do Rozarlo n. 30.
segundo andar.
Escravos Fgidos
Potassa branca,
da mais superior qualidade em
barricas pequeas, e desembarca-
da no dia 30 de agosto prxi-
mo passado, venderse por pre-
go com morfo : om casa de L. G.
Ferreira & C.
= O corretor Oliveira (un para vender cobre em fo-
Fugio, no dia 5 de agosto do auno prximo passa-
do urna escrava denome Marcellina de nacao Ca-
blnda bastante alta, de 36 a 40 annos, ps bastante
grandes mal enjorcada de corpo cara comprlda, com
o buraco do brinco rasgado de urna orelha ; costino i i
beber, e quando bebe he muito regrista ; tem os ps
mal feltos e atornozados coi todos os denles porin
alguns podres e bameira do corpo : quem a pegar ,
ou della der noticia ser bem recompensado na rua
larga do Rozarlo n 24, prime4ro andar.
Desapparecco, no dia 24 do corrente o preto, de
nome Paulo de nacao Congo baixo secco do corpo ;
levou calcas de rlscado camisa de chita ,. chapeo de
palha ; representa 30 annos ; tem a falla embaraenda.
Este preto velo do Rio-do-Peixe e fol comprado a
Diogo Jos da Costa, Quem o pegar, leve no Reclfe es-
quina da Lingnta que ser recompensado.
-- Kiigio.|no da 26 do con ente, um mulato [claro, de
10 annos de idade, altura regular, sein barba alguma,
cheio do corpo, com uina cicatriz de urna ferida em u-
IH3 das costas das tnos, com um pequeo geilo nu p,
quando anda, c de bonita figura, levando vestido nina
camisa de manga curta, dealeodiio ti aneado, e ceroula
de algodn branco;cujo escravo velo, ha poneos das, do
serian do Rjo-do-Pcixe da villa do A rara: fol escravo de
Francisco Xavier das C,hagas, e chatna-se Leandro:
quem delle souber, pode prga-lo e traze-lo a seu se-
nhor na padarla do Atcrro-da-l'oa-Vista, n. 66, Ma-
noel Ferreira do Santos 8c C. qiie generosamente gra-
tificar.
Fugio, no dia 26 do corrente do sitio do Pico ,
trras dn engenho Suassnna um preto, de nome Joo;
representa 40 anuos ; levou camisa de algodo de dous
fios ei 11 nas tambem de algodo bastante rotas;
estatura mediana maos grandes e grossas; tem um
braco nielo secco que o|nn levanta bem, ps grandes
e malfeltos ; falla bem ; tem principios de iiiareenciro.
Este preto fol escravo de Antonio Francisco morador
na rua de Hurtas o qual j he nimio e delxou um fi-
lho, de nome Rufino : quem o pegar, leve a rua da Cal-
cada u 2, que ser gratificado.
= Fugio, ha A das o molecote Constante de 18
annos reforcado do corpo estatura baixa com falw
de um a dous denles na frente de nacao Inhambanr ,
do que tem pequeas marcas no rosto falla multo e-
pressiva como de crioulo, e he multo sagaz; dlzem an-
dar com calcas de casimira parda e camisa branca. P-
de-se as autoridades ou qualquer pessoa que o pegar,
de levara seu senhor, Vicente Thomaz dos Santos, na
rua Imperial, n. 67, que recompnsala.
= Fugio, no da 4 do corrente uina escrava cabra ,
cujos slgnaes sao os seguintes : cor vennrlha alia e
magra beicos grossos gaga t aprestada no fallar
olhar espantado peritas um tanto arqueadas; tem nss
costas m jiras de chicote Hoga-se as autoridades po-
liciaca c a pessoa que tlver noticia ou apprehende-
la, o favor de dirigir-se a rua Nova n. 46, que ser bem
recompensada.
Fugio, no dia 27 do corrente pelas7 horas da tar-
de mu puto Catango de nome Manoel, de 34 annos,
pouco mais ou menos baixo, corpo secco ps largos e
seceos pouco barbado ; levou camisa branca de algo-
dozlnho calcas de riscado azul chapeo de bordo,
pintado de preto ; pode 3er bastante conhecido, por ser
quebrado, e ter as mos de amassador de padarla: quem
o pegar, leve ao Aterro-da-Boa-VIsta n. 50 padaria
trncela que srr recompensado
Fugio, no dia 29 do corrente uina parda, de no-
me Raymutida de altura e corpo regulares, de 16 an-
nos pouco mais ou menos rosto redondo, cabello
cortado e annelado enxerga pouco, por ter belidas nos
olhos ; tem na nuca por detrs do pescoco, urna grande
cicatriz, quasi de forma e tamanho da palma de uina
inao ; levou camisa de algodoziubo com remendos
pelo talho um vestido de chita que foi encarnado e
que J est bastante desbotado e tem na guarda-pii ua
parte de detrs, um remend da mesma chita porm
Mais novo; tem J fgido 3 vezes e anda nao lia dez
dias, que fugio efol achada ua Capunga, costuma,quan-
do foge, Inculcar-se forra e mudar o uotne: quem a pe-
gar leve a rua da Cruz n. 3, a Manoel Dias que re-
compensara bem.
PMtN. NA TYP. DEM. r. DE FAMA. 18,46.
.
.
_
Aai^aflB


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EPY4SVKNQ_08CQAT INGEST_TIME 2013-05-01T00:25:09Z PACKAGE AA00011611_09453
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES