Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:09415


This item is only available as the following downloads:


Full Text
lili IXITII lIIlO 265
v
Por lresmezes t4iRUdos 5JO0O
Pr im es Veicidos. 6|000
' _
5.
I.
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPCAO DO NORTE
Parahybe, o Sr. Antonio Alexaadrjoo de Ll-
mj; Natal; o Sr. Antonio Marques da Silva ;
Aracaty; o Sr. A. de Lemoi Braga; Ceari o Sr!
f. Jos da Otjeir; Maraohlo, o Sr. M.ooel
Jos Martina RibeiroGunaraea; Psr6, Juatino
i. Ramo*; Amazonas, o Sr. Jeronymo da Cosa.
SA6B1D0 16 II I0TEIBR0 II
PriiiadIuU419|00l
Ptrte frtict Btra t sitariitor.
MI
rimiAi
PARTIDAS UUS CUHKElos.
Olioda todos oa dias aa 9tf boras do da.
Iguarass, Goianna, e Parahyba aaa segundas
e sextaa-feira.
S. Antlo, Bezerros, Bonito, Caruar, Altiobo
e Caranhuns as tercas reirs.
Pao d'Alho, Nazarelh. Lirooeiro. Brejo, Pea-
queira, Iogazdra, Florea, Villa-Bella, Boa-Viste,
Ouncory e Ex as qua.tas-feiraa.
Cabo, Serinhem, Rio Formoso, Uns.Barreiros
Agua Prela, Pimeotelras e Natal quintas feiraa.
J(Todoa os correioa parlen as 10 horas da maoha)
EPHEMERIDES 00 HEZ DfcNOVBMBBO.
2 Laa ova | hora 44 minutos ala larde.
9 Oaarto erescenta as 8 horas o 15 rulo tos ala
mantisa.
II k** rt-!t 10 hor" 47 a-tnatoa da man.
25 Quarto mingasnta as 8 horss e 47 minutos da
amala;
PREAMAR DE HOJE.
Prlmalro aa 4 boras 6 minutos da manilla, '
Segando aa 3 horas e 42 mina toa da tarda.

PARTE OFFICUl.
DAS DA SEMANA.
I Segunda. S. Msrtioho b. de Toara; S. Verano,
i8 Terca. S. MetUaho p. m. ; S. Diogo .
18 Quarta. S. Eugenio b.; 8. Zebina v. m.
14 Quinta. Ss. Filomeno e Clementioo mm.
15 Seila, S. Gerlrudea v.; S. Leopoldo marques.
1 Sabbado. S. Gonzalo de Lago*; g. Valerio a.
17 Domingo. 8. Gregorio Thaumaturgo b.
AUDIENCIAS DOS TRIBUNAES DA CAPITAL.
Tribunal do commercio : segundas e quinta.
Relacio: tergas, quintas e sabbadosaslO hora
Pazenda : ter5as, quintas e sabbadoaaa 10 horas'
Juizo do commercio : quarta ao mel dia.
Dito de orphioa: tercas e sextas as 10 horas.
Primeria rara do dril: tercas sextas ao meio
ola.
Segunda vara do civel: quartaa e aabbadoa a 1
ora de larde.
GOVERNO DA PROVINCIA.
Expediente do goTerno co dia 13 de
novembro de 1861.
Offlcio ao Exm. vico-presideule do Rio Gran
de dosel.Pelo offlcioe 17 de outubro ultimo
fiqaei ioleirado de harer V. Ere. tomado posee
de administrarlo desse prorineia na qualidade de
eeu 2 vice-preaidente.
Aproveito a occaailo pira assegurar a V. Exc.
que sempre me achar diaposto a satiafazer suas
ordens, quer relativas ao servigo publico, quer
ao particular de V.Exo.
Dito ao coramaodsote das armasQueira V.
S. informar acerca do que pede no incluso reque-
rimento Joanna Doarte de Horaes.
Dilo ao mesmo.Respondo ao sea offlcio de
nentem sob n. 1874, declerando-the que me con-
formo com a nomeacao que V. Eic. faz do major
reformado do exercito Filippe Duarte Pereira,
vara commandar interinamente a fortaleza de
Itimiraca em substituidlo oo major do corpo do
estado maior de 2* classe Antonio Francisco da
Souza Magalhaej, que na conformidade da ordem
do dia do exercito n. 289 foi removido para a for-
taleza do Brum.Cjmmuoieou-se & thesouraria
de fazeoda.
Dito ao presidente da relacao.Sirva-se V. S.
de emittir o sea parecer sobre a materia do lo-
doso offlcio do juiz de direito interino da comar-
ca de Pao d'Alho, datado de 9 do correte.
Dito ao chefe de polica.Eurio a V. S. a in-
cluso copia do treeho de um offlcio que me aca-
bara de dirigir dous membros da mesa parochial
dafreguetla da Boa-Visla desta cidade, queixan-
do-se de abusos e intervenglo indebita de ins-
pectores de quarteire a do subdelegado de po-
lica, praticados na eleiglo, a que alli se procede,
altm de que V. S., tomando na devida considera-
gao providencie como fdr convenieote.
Oiioao inspector da thesouraris de fazeoda.
Mande V. S. nao s pagar ao alteres Antonio
fcneas Gustavo Galvao, ajudante de ordena interi-
no do-corooel commaodaole das armas desta pro-
vincia oseu sold deste mez, e aegratiicacoes a
que tiver direito at o dia 14 smente, viaio ter
de seguir para a corle a reuoir-se ao seu corpo
mas tambero passsr-lhe a competente guia d
soccorrimeuto, conforme solicituu o mesmo coro-
nel em offlcio de 12 do correte sob n. 1875.
Fizeram-se as necessarias commnnicsces
Dilo ao mesmo.Expeca V. S. suss ordeos,
atira de que pela repartigio competente se arre-
cade os arenos sello e emolumentos que deve
pagar Emigdu Camello Pessoa deSqueira Caval-
canli pela sua patente de major ajudante de or-
dena do commindo superior da guarda cacioual
do Brejo e constara da nota juota p3r copia ex-
pedida pela secretaria de estado dos negocios da
jusiica.Fizeram-se as devidas communicacoes
Dilo ao inspector da thesouraria proviocial.
Certo do conteudo de sua informado n. 541 a sem
data, tenho adizer que mando v. 3. pagar o aiu-
guel da casa que serve de quartel ao destacamen-
to de polica estacionado na Gapanga, na razo de
31* mensaes, visto nao hiver autorisaglo para
ser o mesmo aiuguel elevado a lt}#. como pede
o proprietario daquella casa Jos Antonio Fer-
reira Vinha nj requerimento a que se refere esta
inforroagio.Communicou-se ao chsfe de po-
lica. r
Dito so mesmo.Informe V. S. com o que cons-
tar dessi thesouraria sobre o contrate feto para
a impresso da obra denominadaEnsaio de Ej-
tatistioa da provincia de Pernambuco, peto desem-
bargador Jerooymo Martioiauo Figueira de Mello,
remetteodo-me urna copia do meamo contrato e
declarando quaes as quintias que lera sido pagas
por conta da impresso e o estado, em que esta se
acha; addicionando quaesquer outras observa-
coas, que julgar convenientes o coohecimealo,
desta presidencia.
Dito ao mesmo.Ao coronel Joao Jos de Gou-
va & Filho mande V. S. pagar a quanlia de 30o
em que importam os alugueres vencidos nos me-
ses de junho a outubro oeste anno da caaa que
serve de priao no termo do Buique, como se v
dos inclusos recibos que me foram remetlidos pelo
chefe de polica interino com offlcio de honlem,
sob n. 1,141. Communicou-se ao chefo de po-
lide.
Dito ao mesmo.Estsndo regular a inclusa fo-
lba, qoe me foi remettida pelo director gersl da
instruego publica com offlcio de 8 do correoU,
sob o. 344, mande V. S. entregar ao director do
coliegio dos orphlos de Santa Thereza em Olinda
a quaotia de 1039332, em que importam os ven-
cimenlos relativos ao mez de outubro ultimo dos
empreados internos do mesmo coliegio. Com-
municou-se ao director geral da iostrueco pu-
blica.
Dito ao mesmo.Communico i V. S. para seu
conheciment e direegao, que nesta dala autori-
sei o director da repartilo das obras publicas a
mandar construir um pilar de alienara que se
toros necessario no centro da ponte sobra o rio
Ja bosta su estrada da Escada pira seguranga da
mesma ponte, que ae acha arruinada, podeodo
para esse fim despender al a quanlia de 600*.
Expedlo-se ordem neste sentido ao director das
obraa publicas.
Dito ao director geral d^s Iodios.-Constando-
me de offlcio da cmara municipal da villa da
Boa-Vista datado de 24 de outubro ultimo, que
fallecer no dia 14 de malo deste anno o director
dos Indios da aldeia dailha de Santa Alaria, fl-
cando os mesmos em completo abandono, recom-
mendo i V. S. que propooha com urgencia pes-
soa idnea para preeneber aqnelle lugar.
Dito ao director geral da ioslrucgio publica.
Em vista de sua informarlo de 11 do correte,
sob n. 346, defer os requerimentos em que Tho-
maz Brrelo Lios Barros e Narciso Duperon. ou-
viotes do Curso Commemal, pedirn ser admit-
tidos a fazer acto do 1 anno do mesmo curso,
devendo os peticionarios pagarem a taxa da ma-
tricula de que trata o art. 22 do regula melo de
29 de fevereiro de 1860.
Dito so mesmo.Com a inclusa copia da infor-
msco ministrada em 9 do correle pelo inspec-
tor da thesouraria provincial, respondo ao offlcio
qae Vmc. ma dirigi em 31 de outubro ultimo,
aob o. 339, relativamente ao podido a que ae re-
fere o do director do coliegio das orphias.
Dilo a Maooel Jos de Saot'Aons Archaojo,
eleitor suppleote da fregaezia do Cabo.Respon-
do ao offlcio de Vmc. de 7 do correte dizendo-
Ihe quaolo a primeira parle, qae embora o elei-
tor lir. Francisco Elias do Rigo Dantas tenha
deixado o exercicio do cargo de juiz de direito e
se leoba ausentado dessa comarca, estando anda
na provincia no dia em que se reuni o coliegio,
nao pode Vmc. como suppleni ser admettldo a
volar a vista da termioaote disposiglo do srt. 65
da lei de 19 de agosto de 1846, qae s permiUe
aeja chamado o suppUnte para substituir o elei-
tor que tiver fallecido ou mudado o seu domici-
lio para fra da provincia, quanto a segunda qae
e ello j tiver sabido da provincia deve o sup-
pleote ser admettido a votar, anda que nao te-
ba sido convocado, como se acha decidido pelo
aviso o. 419 de 23 de novembro de 1857. '
Dito a cmara municipal da villa do Buique.
Pelo offlcio qoe me dirigi a cmara municipal da
villa do Buique en 29 de outubro ultimo, flqeei
ioleirado de achsr-se a mesma camote imposaada
e no exercicio de anas fuocg&es.
Portara. O 8r. gerenta da Compaahla Per-
nambucana mande dar urna passagem de estado
para Macei no vapor Persinunga a Maooel Pe-
reira Borges, que consta ser desvalido.
Dita.Os Srs. agentes da compaohia brasileira
de paquetes a vapor mandem dar transporto para
a corle por conta do ministerio da guerra no va-
por qae ae espera do norte ao 1# cadete do l* ba-
lalhao de artilbaria a p Trisllo Franklm de Alen-
car, bem como a um soldado o a 10 recrutas qae
mes serlo mandados apresentar por parle do co-
rooel commaodante desarmas.Communicou-se
ao commandante das arnaa.
Dita. o presidente da provincia, atteodendo
ao que informo o juiz municipal da 2a vara em
ofTicio de 2 do correte com referencia ao reque-
rimento do escrivo Francisco Igaacio deAthayde,
resolve conceder a este seis mezes de licenca para
tratar de sua ssude.
Expediente do secretario do
_ ajoveroo.
Offlcio ao inspector da thesouraria de fazen-
da.oe ordem do Exm. Sr. presidenta 'da pro-
vincia declaro V. S. qae o coronel comman-
dante das armas participou em offlcio de honlem
sob n. 1876 que por hsver o tenenle-coronel Jos
Lucas Soares Raposo da Cmara lomado pusse e
entrado no exercicio do lugar de director do
hospital militar desta provincia deixou as fune-
goes daquelle emprego o 1 cirargilo e 1 medi-
co do mesmo hospital, Dr. Hanoel Adriano da
Silva Puntes.
Dito ao director provedor da Sinta Casa di
Misericordia.S. Exc. o Sr. presidente da pro-
vincia mande declarar V. S em resposla ao sen
offlcio de 11 do corrente, que ttca marcado o dia
15 deste mez as 11 horas d'amanhaa para o lim
solicitado no seu diado offlcio.
Dito ao provjdor da Santa Casa da Misericor-
dis.S. Exc. o Sr. preslleote da provincia man-
da acensar recebido o offlcio de V. S-de 11 do
correle a que veio aooexa a relacao dos irmlos
conservados instaladores da Stntf Casa Miseri-
cordia por lerem pago as respectivas ioias na
forma-do compromisso.
Dito ao juiz de direito interino da comarca de
Garaohuns Julo Francisco Duarte.S. Exc o Sr.
presidente da provincia, ordenndome que aecu-
se a recepglo do offlcio que V. S. Ihe dirigi em
3 do correle, manda declarar-lhe que muito Ihe
apraz o resultado da eleiglo de Buiqae e Aguas
Bellas, de que trata o citado offlcio.
Dito ao capillo Francisco Antonio de S Br-
relo delegado de polica de Nazareth S. Exc. o
Sr. preaideole da provincia, manda declarar V.
S. que com o seu offlcio de 8 do corrente rece-
beu duaa caixas de tabaco fabricadas e offere--
cidas para a exposgao por Jlo Bernardo de
Salles.
Despachos do dia 13 de novembro
de 1861.
Requerimtntns.
Abilio Fer naodo Trigo de Loureiro.Informa,
o Sr. director das obras publicas. \.
Delphloo da Sil. T.......XT.f..M. o S.T
inspector da thesouraria de fazends.
Francisco Igaacio Athayde Passe-se portara
concedendo seis mezes de licengs.
Heorique Augusto Milet.Revalidado o sello
volie.
Ignacio Vieira de Mello. Passe-se portara
concedendo tres mezes de liceogi.
Jos Longuinho da Costa Leite.Selle e volte.
Alteres Jos Longuinho da Costa Leite.Selle
e volte.
Jos Caetano Pinto de Carvalho. Passe-ae
portara concedendo tres mezes de licenga sem
vencimentor.
Bacharel Jos Honorio de Menezes.Passe-se
portarla concedendo a liceoga pedida sem venci-
meotos.
Dr. Joao Francisco Duarte Jnior. Passe-se
portarla concedendo mais dous mezes improro-
gaveis-
Joao Leite da Silva Cimpos. Informe o Sr.
dezembargador chefe de polida.
Jos Pereira.Informe o Sr. dredor do arse-
nal de guerra
ManoelValentlm dos Santos e olros.Informe
com urgencia o Sr. director da colonia militar de
Pimeotelras.
Melchisedec Arlo de Albaquerque Lima.In-
forme o 8r. inspector da thesouraria da fa-
zenda.
Manoel Cypriaoo Ferrdra Rabello. Informe
o Sr. inspector da thesonraria de fazeoda.
Miguel Jos da Motta Jnior.Selle e volte.
Narciao Duperron.Como requer psgaodo o
supplicante previamente a taxa exigida pelo
n.** do "gulamento de 9 de Janeiro de
lool.
Rufloo Marques de Castro.J leve segnimen-
to a appellaglo eoterposta da dicislo que absol-
veu o supplicante.
Thomaz Barrefo Lins de Barros. Deflrido
pagando o supplicante previamente a taxa da
matricula, exigida pelo aft do regulamento
de 9 de fevereiro deste anno.
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPCAO DO BOL.
Al a toas, o Sr. Claadao Falcas Dia* Baas
o Sr. Jos Martina lveo; Rio '- **
Jlo Par.ira Mart... ~ "** *
EM PERNAMBUCO.
Os proprietarioa do puazo Maaeei Fi|
rana & Filho, na aaa livraru praca U
dencia ns. 6 e 8.
GOMANDO DAS ARIAS.
Qaartel de eonnando data armas
de Pernambuco, na eidade do
Heelfe, em 1S de novembro de
1841.
ORDEM DO DA N. 151.
O coronel commaodante daa armas declara
para scieoeia da guarnilo, que nesta data tem
spprovado os eogajamentos coolrahidos pelos
saldados da companhia flxa de cavallaria desta
provincia, Baimundo Luiz Rodrigues e Jlo Bap-
tista Guedes Alcanforado, para aervirem por mais
aeis annos, com o premio e vantagens estipuladas
no regulamento annexo ao decreto de 1 de msio
de 1858.
Assignado.Jote Antonio da Fonseca Galvo.
Conforme.Seoastto Antonio do Reg Bar-
major ajudanle de erdens.
EXTERIOR.
CORRESPONDENCIA DO DIARIO DE PER-
NAMBUCO.
Patris 4 de outubro de 1881.
Falla-se novameole por aqu na dissoluclo do
corpo legislativo, mas que nlo seri immedieta.
O governo tem em vista apressar a abertura da
prxima sessao, flxando-a yara 9 de Janeiro pr-
ximo vio-iouro ; dopoia entae appellar para o auf-
fragio universal aflm de que sejam elettos noros
representantes.
Nao insistirei sobre opportunidade e urgeneia
de sajnelbante medida, os deputados nlo repre-
sentara somante um corto numero de eleilores
representan lambem ideas. O corpo legislativo
sempre a exprsalo de orna altuagao poltica o
moral : ora, a sitoagao actual nlo maia a mes-
ma que era ba quatro oa cinco annos.No inte-
rior se tem operado ama cooaideravel modifica-
glo ; e no exterior ainia mais consideraveis mu-
daogas se hlo efectuado.
Depeis de leogs tregoa o governo multiplica de
novo as advertencias lmprensa. Nloguem sa-
be se dora ver em todo laso um effeilo do aecsio,
oa o indicio de dispoeiges neis rigorosas da
parte da mesmo goveroo. O certo i que a agita-
glo prodozida pela publfcaglo de versas bro-
churas o abriga a cuidar de medidas eontra alga-
mas desssa brocharas anonymas. A nosso ver a
liberdade seria a medida maia segara a adoptar-
se : nos paites estrangeiros nio ba quera nlo es-
teja persuadido de que nada ae imprime na Fran-
ge aem preceder a aancglo eapprovaclo do to-
veroo. -
E' este am inconveniente das obras dos publi-
cistas anonymos. Se se modifleasse a lei sobre
a imprenta poder-se-hia inundar o mundo m
brocharas sam qae em parte alguma se desper-
lasse a mais pequea preoccupeglo. No estado
actual das cousas as brochuras anonymas podem
muito bem servir de especulado para os livriros,
o que nao priva todavia qae ellas vio prodozinde-
na Europa e por moito tempe urna irrilaglo na
opinilo publica. O governo imperial fazendo
discutir-ae em duaa ou tres deesas brochuras,
que se loroaram celebres, ai princlpaes phases
ds questao italiana den um mo exemplo e frtil
em abusos. Repilo, pois,aada ha que possa
substituir discassio Ifvre, autheatica e publica.
E foisomente por esta razio que mereceram al-
guma importanda oa desvarios da imprensa in-
gleza quanto i viagem da Guilherme I a Com-
piegne.
O Constitucional publicou um desastrado arti-
go, fazendo de Genova a mais estranha pintura,
como de urna ddade em que nio exististe liber-
dade individual, o que causou graves appreheo-
ses ao conselho federal soisso, que dialo fez um
incidente diplomtico, e dirigio-se a Mr. de Thou-
venel. O ministro respondeu que nada poda fa-
zer contra a desastrada folha semi-official, e que
ao conselho cumpria a ella mesma drigir-se ou
accusa-la perante os tribuaaes fraocezes. Este
negocio produzio um effeilo bem ridiculo, e mais
urna vez demonstra esta verdadeque o melhor
meio de prevenir taes incidentes seria libertar os
joroaes francezea do poder discricionario que o
governo exerce tobre elles, conferido effectiva-
mente pela lei; seria n'uma palarra reatabelecer
a liberdade da imprensa.
Contiouam a correr boatos de modiQcagdes mi-
nisteriaes, e dizem que a questao romana o ele-
mento dissolveote entre os membros do conse-
lho. Entretanto, presdndindo da influencia oc-
casiooada por essa questao, tem-se como certa
a reeotrada de Mr. Faold para as fioangaa, e fal-
ts-se igualmente da entrada de Mr. Baroche para
a pasls do interior. Mr. Baroche ser substituido
no coosetbo de estado por Mr. Roueher, o qual
por sua vea tambera serl substituido por Mr. Mi-
chel Chevalier. Quanto a Mr. de Persigny 6 n-
contestavel a conilaoga qae o soberano oelle de-
posita para que se pense seriamente em sua re-
tirada do gabinete.
Dizem maia que vai tratar-se oovamente a ins-
tituido dos pagens, e que o imperador teri ana
tnota para o servigo da corte: assim como tam-
bera restabelecer-se os ttulos de oobreza por ca-
thegoria de funegoea como era no lempo do pri-
meiro imperio. Aa.iua os nombmi do cuiiidIU
privado serlo duqoea, os eooselheiros de estado
condes, e os prefeitot bares. Mr. Delangl*. ml-
""' *- i>-t oti.aB, segUDitn duom, encar-
regado de apresentar am relalorio especial sobre
essa asitimpio.
Como quer que seja, tsti-me parecendo qae
semelhanie regeneradlo feudal um pouco Ou-
vidosa.
O re da Hollanda fez ama visita ao imperador
era-Compiegne; mas essa visita nlo tve oeohum
alcance poltico, e os joroaes somente se oceupa-
ram della para mencionar as etiquetas do cere-
monia].
A viagem de tiuilherme i da Prussia i Fraoga
e a aua coroaglo em Koenisgaberg tem oceupado
seriamente o publico durante esta qatnzen*. Os
jornaes estrangeiros preteoderam revelar o lado
poltico do primeiro desses dous fados, isto da
viagem ; porm todo quanto se pode dizer qae
as suas indiscripgdes ou supposiges nlo peccam
muiio contra a verosimilhan;a. nicamente
para estr>nhar-se qae hajam correspondentes que
pretendam saber palavra por palavra aquillo que
se tena dilo sob o sigillo de conferencias Intimas,
e a portas fechadaa, entre os dous monarchas
reunidos.
Feta esta observadlo psssemos a reproduzir o
que se tem dito.
as columnas da IndsBanrfenein Belga comecou
a romper-se o veo qae oceultoa dorante oa pri-
meiros das a conferencia de Guilherme I e Na-
poleao Itl. A impreosa allemla aeguio depois o
exemplo do jornal ds Blgica, e os jornaea frao-
cezes encerrando-ae oa sua diacrigao ou ignoran-
cia iimitaram-ae a reprodnzir aa indicacoea do
estrangeiro.
O Timu, o Daily.Netos, e aeua eonsocios das
margena do Tamisa oceaparam-ae extraordina-
riamente desse succeaso, porm menos com a in-
tengao de revelar aa respectivas particularidades,
do que de fazer transpirar sua borrivel bilis. A
m,r8Uf loe seus artigos foi de um effeilo msra-
vilboso. As recriminagea cheias de desconfian-
ga suscitadas pela Inglaterra contra a Fraoga slo
bem dignas de lastima ; e neste poni o Times
excede a todos os limites da razio tomando por
argumento urna broebura que appareeeu em Pa-
rs com o titulo de aO Rheno e o VistolaEste
documento nada tem de official. e nlo pode ser-
vir de base ipara aemelhaote balburdia de ca-
lumnias.
Voltemot porm ia veraces dos jornaes belgaa
e auomeee no que diz respeito ao lado poliiico
da entrevista de Compiegne : mostremos o valor
que podem ter, e o quanto podem ter verosiou-
lhantes.
0 imperador e o rei liveram duas occasioes de
cooveraaraem testemunbaa ; no domingo (6 de
outubro) ao paaseio.e na segn la feira 17] muito
cedo antes da revista. Nlo possivel que te-
onam tratado de convengoes secretea, nem mes-
mo de algum accordo intimo e exclusivo para ao-
lugao de qualquer questao poltica importante :
parece-me que oeste caso a conservagao aem per-
der o carcter da mais iotima cordealidade apre-
aentaria maior numero do duvidas do que de con-
cessoet. '
O rei persiste em querer adiar o reconheci-
mento do reino daltalis fundando-ae era que nao
poda recoohecer um estado que a fallar propra-
mente nlo exist* anda. Eia una razio eapecio-
,* *l Prussia oto adiando o reconhecimenio
contribue desi'arte para a censtiluglo do reioo da
iialia, ea opioio liberal a saudaria na Allema-
nna e na Europa.
Quanto a Venada o re Guilherme I dissera
que nao se devia esperar da Austria urna cetslo
amigavel, anda que toda a Europa se enlendes-
se para a acooaelhar. A questto dioamarqueza
foi tambera discutida, e o imperador, exprimiodo
o yivo desejo que Un ha de ver por ama vez re-
solvas as difficuldades iahereotes a essa ques-
tao por meio de ara accordo amigavel, louvou ao
re a maoeira por que ae soubera conduzir at
noje nesse negocio.
Ealeaderam-ae igualmente sobre a necessi Ja-
de de apresssr-se a coodusto do tratado do cor-
netelo, e sacrificar certo pontos aa considera-
coas polticas que militara em favor de maior
fuslo de ioleresses entre os dous povot.
A coroaglo de Icaaisgaberg alo podia ter senlo
om ioleresse puramente histrico e pittoresco.
Ningaem te aehs de accordo aoare a aut oppor-
tuoldaite, porque era pleno secuto XIX as mr-
obae triumpbaes, os discaraos de cerdeaos, as al-
locsgoes dos grandes aeohores, a creagao de or-
deits de cavallaria, a doaglo de ltalos herldicos,
WM>rocNmac6es dos arautos, nada disto' faltos ia
togas da velha cidade real para dar-lhet o as-
pecto insdito das festas da idade media.
Os espadadores dessaa pompss manifestaran!
un Hitbusiasmo de que podem parlithar oa ar-
cncologos de tofos os paizes. Em seguida a um
discarso de Guilherme I, em que procarou o
neis possivel nlo destruir a illusio, cavalleiros,
lidalgos e populares o acclamaram, e elle dig-
nou-s inclinar trea vezes o seu sceptro sobre
essa mullidlo extasiada.
Tal o poder das ideas democrslicaa no nosso
empo, que um sentimento geral de sorpresa
acolbeu em toda s Europa as patarras do rei da
Prussia, essa Invocaglo ao direito divino nos la-
bios do descendente de Frederico II. Mas en-
tremos em algumas indicagdes.
E' esta a segunda vez depeis da fondelo da
monarchta prussianaque a cidade deKceoisgsberg,
velha capital, assisle a taes festas ; porque des-
de 1701, poca em que Frederico l ae coroou com
suas proprias mos, os res ds Prussia se hlo suc-
cedido sem levar ao throno a coosagraglo reli-
giosa.
Os soberanos das nscoes estrangeiras enviaran)
representantes -a Kceoiagsberg: o Czar envin o
grao-doque Nicollo, seu irmto; Francisco Jos
o archiduque Carlos Luiz, governador do Tyrol,
e seu irmio; a Fraoga o general Mac-Mahon,
duque de Magenta, cora um trem magnifico ; a
Inglaterra lord Clarendon ; a Hespanha o duque
de Ossuna, seu embaixador oa corle de Czar; o
re de Portugal o duque do Porto, aeu irmio ; o
re da Bavlera, o tineute-general principe Luit-
polo, seu irmio; o rei da Grecia o bario de Li-
na ; o rei da Suecia o general de Vresle ; o rei
dos Belgas o conde de Plandres; o rei dos Pai-
zes-Baixos o principe Frederico ; q grao-duque
de Oldembourg o conde Eiiraar. 1
Achavam-ae presentes alera destes os princi-
pes unidos por isgos de parentesco i casa da
Prussia, como o grao-doque de Bade, o gao-du-
que e a grla-doqueza de Saxe-Weimar.
Francisco II, rei de aples, manifestira a io-
tengao de designar am representante para a sa-
grario : mas aflm de ataalar-se toda a difflcul-
dade sobre o reconKecimento do reino da Italia
admittio-ae o general Della-Rocca como embai-
xador extraordinario do rei Vctor Bmmanuel. O
prfndpe Cariai, embaixador do ultimo governo
oapolitauo em Berln foi recebido sob o mesmo
titulo que os embaixadores ordioarioa da corte
da Prusaia.
Tendo-se demorado at 12 de oatobro nq cas-
tello Babelsberg a corte da Prussia parti a 13
parando em Berln apenaa o lempo necessario
para juntar-se ao trem real os vagos destinadoa
os convidados. Cbegaram lodos i tarde em
Rceaisgsberg; o rei ea raioba apeatam-ae a qua-
tro milbas distantes da cidade para segulrem a
carro at o castalio de Cspustigsll. '
No seguinte dia (14) foram receidas as portea
da elda-1 real, a inaialladoa no castalio, onde ra-
ceberaJa as horneasgens dos
ariW. aajtetraeoa,
res oo exerctro. K .
quete, e i noite ao espectculo.
A' 18 foi celebrado um offlcio divino pelo an-
iversario do natalicio do defunlo rei Guilherme
A' 17 houve recepglo official doa representan-
tes das di/ersas nagoea da Europa, e apresenta-
cao doscavalitiros da agoia-preta. Finalmente
i 18 foi a sagraglo e coroaglo, con o seguinte e
apparatoso cortejo: arauto en coatume herldi-
co sonduxindo o sceptro, pagana da corte, ditoa
particulares doa principea e da caaa real, ditos de
principe hereditario, ditos do rei. camaristas
reaes, mogos da cmara, titulares dos cargos he-
reditarios das diftexeutes provincias, o grio-mes-
tre da guarda roups conduzindo o manto real
sobre urna almofada; aeguiam-se aa insignias da
realeza, sello do reioo, globo imperial, espada,
sceptro e corda.
Guilherme l nlo recebeu easa corda de um mi-
nistro de Dos; foi elle mesmo tira-la de cima
do altar, e com aa suas proprias maos collocou-a
aobre a cabeca, e depoia do ceremonial da coroa-
glo moatrou-ae assim de corda na cabeca, o glo-
bo n'uma das mos, e oa outra o aceptro, ao po-
vo que o acclamou repellado trea vezes este Ora-
do : c Viva Guilherme I.
Um dia tio solemne terminou como era de
esperar em coocertos e festios na grande sala
moscovita do csstello, onde o rei presidio a am
capitulo doa cavallmrda da aguia-preta.
A' 19 houve concert na corte ; a 20 o rei e a
rsinh, o principe e a princeza hereditarios dei-
xaram Koaoisgsberg para irem a Dantzig; a 21 pas-
saram eco Bromberg e demoraram-ae em Franc-
fort ; finalmente a 22 Qzersm aua entrada solem-
ne em Berln.
Trata-te agora daa festas preparadas pelat em-
baixadas das principaes nacoes estrangeiras. Por
urna excepgio toda eapecial o rei e a rainha
aceitaram para 29 de outubro o eonvite feto pelo
duque de Magenta, embaixador extraordioario de
Napoleao III, e declinarsm de todos os outros
conviles.
M. de Pourtales. actual embaixador da Prussia
na corle das Tulherias, aera substituido, segun-
do dizem, por M. Bismarck Scheohansen. Em
consequencia desla modiQcagao pode-te augurar
bem da unidade allemla da qual M. Portales
um dos adversarios mais pronunciados. Este di-
plmala er, como dizem aeua amigos, que real-
mente poderiam resultar mudencas mullos uteis
da orgaoisaglo da Confederaglo germnica ; maa
est ditpotlo a combater resolutamente toda e
qualquer medida que tenha o carcter, ainda que
indirectamente, de mudangas terrltoriaes no in-
terior da Allemanha.
Os principaes membros da associagio nacional
allemla celebraram urna nova reuoiloem Franc-
fort, onde foi aioda discutida a creado de urna
armada allemla.
O Dr. Metz de Damstads, que representara o
condado de Cobourg, propox que fossem deposi-
tadas na caixa da roarinba prussiaoa aa sommas
arrecadadas em virtude da subscripgao : outroa
porm declararam que o ministerio actual da
Prussia nio merecia ioteira confiaoga do partido
liberal, e que 1 naci somente competa o cui-
dado do construir e armar a esquadrs, que de-
pois devia aer postal disposiglo do governo cea-
tral: fiomtudo prevaleceu a opinilo do Dr. Metz,
maa por pequea maioria, e foi decidido que os
fundos recolhidos pela commissio de Cobourg, e
pelas outras commissoes, cootiuuariam a aer re-
metlidat para Berln, onde aeriam applieadss ao
servigo da armada prussiana em vistas de cons-
truego.
Em muilas outras cidadea da Allemanha meri-
dional liveram lugar reunios looes anlogas a
aquella ; e aellas tambem foi votada quaai por
uoaainidade a resoluglo de enlregar-ae era utos
do goveroo prusaiaoo o produalo da aubscripgio
para a eaquadra allemla.
Nesse intuito a cidade de Brome vai impr a
si propria una contribuido anua ; o Hamburgo
da mesma sorle. este movimente da opinilo
unnime e assis poderosa um novo indicio da
torga adquirida pelo sentimento unitario oa Alle-
manha.
A situaglo do gabinete de Yiapoa contina a
complioar-se, especialmente se torna bastante
penosa a de Mi le Rochberg, por Uto que s elle
altribaem em parte os em baragos aduana. Ae-
S?1li*J""l,2dLl6J PrM,ado asaignatura ao
oipioma de 20 de tulubro que tudo conceda
Huogria, e quaai nada is outrat partea da monar-
i.rV ekPrelendlm ier-se-hia concebido a cooatituigio de fevereiro
ae uou maneira muito mais liberal.
. }H lfao,da H1UDri Pengo aioda grande :
os propri*a funccionarios oomeados directamente
pelo imperador asaaatam-ae e recuam perante a
siluagio : a do comido do Pesth apreasvu-se a
pedir ana demisso antes mesmo de entrar no
exercicio ; e os funecionarioa nacinaes do comi-
co de Arad conseotiram em conservar o sen
posto at 15 de novembro somente para impedir
a anarsbia. A agitaglo recomegou na Bohemia :
os chefea deram jl a sua senna.
Francisco Jos prolongar! al 28 do corrente a
aua reaidencia em Corfon, onde ae foi reunir i im-
peratriz.
Dorante a tua auaencia acha-ae o archi-duque
Regnieur encarregado de dirigir os negocios do
imperio.
Deixando Corfon o imperador viaitari Pala, ar-
senal martimo da Austria, no qual se execotam
actualmente importantes trabalbos de transforma-
glo.
A imperatrlz, cajo estado da saude tem me-
morado multo em Corfon. nlo passar o invern
em Vienns : diz-ae que residir! em Veneza at a
prxima primavera.
Aanolidaa da Turqua deafazem as illuioes
concebidas por occasiao da elevagio ao Ibrono do
novo aultio, que era olhado como eapaz de re-
generar o imperio ottomano Nio ba auecesso
importante que mereca urna anilyse; porm a
omnipotencia do capitao Pach, que annulla oa
actos dos ministros e augmenta aa deapezas, tem
suscitado urna opposigao universal. Por toda a
parte se manifestara recelos de funestos acconte-
cimentos.
' A prolongagio do statu quo na Italia torna
oem critica a situaglo do gabinete de Turin. Mr.
Kattazi meditou esle prograrnmaVeneza na ral-
la de Roma.Mas Veneza antes de Roma, ainda
meamo suppondo o eoncurao dos hngaros, apr-
senla urna perspectiva de immensos perigos pata
a Italia e de assusladoras complicagoea para a
Roma ao contrario sera a eoluglo certa, paci-
fica e completa, porque a Austria nio fijara na
Veoecia quando visse na sua frente a Italia cons-
tituida e indistructivel, o que nio v presente-
mente.
Cora quanto Mr. Rattazl tenha o seu program-
la, nio ha de ser comtudo considerado successor
de Mr. Ricasoli; pois esle em lugar de resistir
sua aegao a ella se submelte, e o novo gabioe*
merecer o titulo de Ricasoli-Raltaii. a nao Ra't-
tazi-Farini.
Visto tornar-te Rattazi necessario, tari melhor
etsa nova combinagio por muitoa respeitos. Nio
parece que na Italia Ricasoli tenha herdado a
Influencia de Cavour, como herdou o aeu poslo ;
porm no estrangeiro elle tido como o repre-
sentante o mais enrgico da poltica italiana, e
a tai retirada seria urna desgrana ucontes-
, Todas esias mudangas minlsierias ficaram
adiadas : a abertura do parlamento teri lugar a
Ib de novembro prximo, e esti tudo guardado
para esse lempo. Nesie ioterim Mr. Rattazi re-
solveu a sua viagem a Paris, onde ji leve bas-
tantes conferencias com Mr. Thouvenel, ss quaes
talvez nao fossem muito animadoras oo ponto de
vista de urna prompta solugio da questao roma-
na, o imperador tem de conceder-lhe urna au-
diencia nesta semana.
Cialdioi reaignou definitivamente oa seus po-
deres, eMr. Affonso de la Marmora, o designa-
do para ir tubstitui-lo em aples.
O effeilo produzido no clero italiano pelos es-
cupios do padre Passaglia toma grande vulto. Os
nimos esto lio abalados que pode muito bem
ser que se veoha s tratar do poder espiritual. O
padre Passsglia nio foi preso, mas o governo pon-
tifical procede a numerosas pesquisas, e ordenou
que fossejulgada a brochura anooyma Pro causa
a/tana.
Moosenhor Altizzi, prefeito da congregarlo do
Index, designou dezoilo coosultorea para essa fim
os quaes declararam que a brochura era contra-
ria as doutrinas da igreja.
O padre Passaglia oscreveu ao prefeito da eon-
gregaglo confessando-se o autor da brochura, e
pedindo em virtude da bulla de Benedicto XIV a
permiaslo de apresentar a saa defeza perante os
consultores.
A congregsgio eleita para deliberar aobre o
juizo dos consultores recusou admittir a defeza
do padre Passaglia,- e decretoa que a brochura
fosse levada ao catalogo dos livroscoodemnados.
Por outro lado aonunciam o prximo appareci-
meotode ama outra brochura intituladaA cu-
ria romana e os jesutasa qual sltrbuida ao
cardeal de Andrea, assim como ao prelado Live-
rooi, e ao coaego Brali: a edico deata brochura
ae prepara em Floreoca.
Em quanto se passam estas cousas, Sua Santi -
dade fez om consistorio ama allocaglo, na qual
transpira mais que em qualquer outra a firme re-
solugao da sua lmmutavel resistencia. Era cada
lioha se v formal recusa de toda a coocesslo
A Saotidade nlo pactua com o crime ; a autori-
dade legitima nio transige com a revolagio
Ora sempre do lado da Santa S que esto
a virtude, auloridade, e aantidale, ao passo que
do lado do governo piemontez, e doa autores e
factores dessa fuoesta rebellilo nio ba senlo as-
tucia e abomioagio, attenlados, furores, violarlo
das leis divinss e humanas, espoliagio, profana-
gao, e at mesmo adulterio 1
Taesexpresses nao podem passar pelo indicio
de disposigoes conciliadoras. Coavem, todava,
nao exagerar-Ibes o alcauc?, e observar em abo-
no da edrte de Roma que, por isso mesmo que
ella -tem a pretendo de representar exclusiva-
mete o bem, e de combater e mal, nlo traosige-
com oa seus adveras ros, e nem mesmo com aqueie
lea de seus amigos que formam do seu iotereste
ama idea differenle. Da idade media para ci aa
arroga o direito de urna liogagem, cuja violenci-
ae afasia cada vez mais dos oossos costuraos, tor-
'" Progresivamente caduca e impotente, poo
rm que prodaz por isso mesmo urna impresaae
mais penosa qae irritante.
A Franca contioa a conservar-se em Roma,
para guardar o aanto padre : vio partir aovos
regimeoloa para subsiiluirem os que 11 esli e
que ji completaram o aeu lempo. Entretanto 'se
somente quealio de lempo a retirada da uar-
nicao franceza, quera impede qae se ella nlo ef-
feciue ji ? Quaes slo oa aovos tactos que ae es-
perara ? Quaes as garantas pedidaa ao rei Victer
Emnaoael qae tenhan aido por elle recusadas ?
Por que razio o Monitor -Universal conserva-se
calado, deixando a opiniio publica entreuue a
conjeduraa? ^
Ninguen pode diasimalar que a conservado
do Kan* suo, sendo iotoleravet para a Italia, nio
oflerece pangos bastante serios que den qae rt-
Declir ao governo (ranees.
Todava sempre bom oso tratar at cousss
com desprezo : ji crios joroses rallara bem alto
de un pretendido despertar de Mazzioitmo. O
Hazzioismo por ai mesmo pouca couss ; a sua
forga consiste nicamente aa idea di unidade ita-
liana, e tanto satn que, em qaaole o geverae
italiano marchar avante dominado por essa idea.
onguem pensar* en Maniot: mu am vetsua-
a agua-
pen, esas marcha pela forca Jos tsetse,
gao mezziniana tonar! terreae.
Aa ideas nlo alo palavras ; ellas pjatean a
sua existencia propria, e como dase aura toa caaa
profunda medu.gie : Marehai i^Tireaiae
.!- V0.*'1110 denl>ll'r: eonVei-aeena ellas
vos bao de levar de rastro : reaui-lbes ~
dernb.r-voe-hio. Ora a idea aaaiU tti
na lem adquirido ji oauita forga. a ..la Um
ge a,nda da ,. realiMdo p.' |ST
ria ella quer qae a lveos raVi*..
governo italiano aeri Uvaa actaalneata'aaM o
fazer ? Eia aqu toda a quealio. ^
Aa perturbages de 8. Peteratmrge. aaecaaaa-
ram tanto arruido, tiveram final anearte a saa ex-
plicagao : foi urna demonstrado promovida aar
ealudantea descoolentes de certa raeditM aw
foram receotemente adoptadas por M. PoatraliaT
mic-islro da m.lrucglo publica, e frss rsaaoali'
dade descontentes ds naneado do gaaeral Pbi-
lipton para o posto de curador. Mil a ai I otales
a dous mil alumnos da universidade se reaasraaa
e se dlrigiram i morada do general. O aecteto
por ser novo em S. Peteisbarga causou a al-
guma com modo.
Chegando 1 frente da morada do carador ea
!ggyi- Ti eereadea pela potlda a ferea
armada. O curador apreaeatou-te, a ana iiiaisli
as reclamages doa meamos estadaataa aattl-
cou-Ihes que a universidade (icaria aberU al 14
e pedu-lhes que ae raliraaaen, prancttaaaa ana
neohum delles seria preso. O acoapanheaeala
voltou como lioha indo sen npaostois da tarta
da polica ; e ludo pasaoa-se con a malar traa-
quilldsde de parte i parte.
Parece, lodavia. que, a pesar da proateeea o
curador, te fizeran algumas priaoes, e aaa a aa-
turidade compleme reaolveu a asar deaa^ariaa-
de para com os autores da demonstrad*.
Mais grave anda que esae negocio ae S. Pa-
tersburgo o eatado de coreo aaatuaaaaaa pea-
clamado na Polonia, a aa priaoes a paeeaaa can-
s.le radas perteocentes ia principaea laniliaa da
paiz. Mais graves ainda do aa naaifeatacasa a
violencias a que deram lugar at rrronoatae reli-
giosas celebrada! en honra de Eodoakn, atea
hroe que, sendo vencido en 1814, cantono
campo da batalha crivado de mil golpes, a pro-
nunciando estas palavri para sempre caioaraa
Acaboa-se a Polonia I a
Ji anteriormente ao lioha raed i lodo-conme-
morar a reaailo da Polonia a Lilbaeata par Bata
festa patritica en Horodlo : as a awteridada a
prevenio por meio de modidaa militaros.
A agitaglo dos animoa vai enpre en saanea
to. O czar regressou do tul doa teaa asteaos: ao
scoolecmeolos da Polonia apressaraa a ama val-
la i S. Petersbargo.
G.M.
PERNAMBUCO.
Ha a- JfVIST" Dl-1111-
No da 2 do paseado emposooa-se a cas
municipal do Buiq.o, entrando en axarcicioao
Ao esenvio Francisco Ignada da Athayde
foram concedidos seis nezes de liceaca para tra-
tar de aua aaude. ^ *
O Sr. tentle coronel Joe Lucas Soaoa Ra-
poso da Cmara acha-se oo lercici* de director
do hospital militar, para que (ora naneado airi-
mamenle.
Ha (actos que, psra earaclerisa-let, ala ea-
rece-se de outra eousa senlo expo-loo ; e o ao
que vamos consignar aqoi a oxistraeia, aaaoos
em loda a sua comprebeuglo; asdaa toda a a-
naiyse ; repugna com urna accentasdo da fei-
epea, por que ella principalmentea praatia
nedionaoz.
Pelo ultimo vapor da aal veto de Sergiee atoa
carta doSr. Dr. Joaqun Jos de 01 ivoira diri-
gida ao Sr. Jeaaioo Jos Conos, eetudaale do a-
culdade, acusando a ranease de 4S||ga)
dos na mesma, e sendo olla entregue
proceden-se a distribuido das cartas,
correio o referido Sr. Jesuino abri-a ea pre-
senga de varias postoas, e depois disto veriacaa
que tora violada a carta, nao rxistiode aoila o
dinheiro, e cobrindo pelo contrario ana setaa
de papel em branca o aea eoveloppo aa aafcrea
cnpto. *^
O qae ainda maia adm'ra oeste fado crii
que era segura carta asain tio
violada, Uo iodigoaneote roabada en sea
teudo I
Ora, te islo da-te para esa teas cartas aaa
tem ama condigio de especialiaade, a aaa ai*
a eaperar para con aa outraa caja Mldraacaa pe-
de paaaar desapercebida, ou coja exiateocta in-
possivei provar ? Ao passo qae a CaaatUaaeio
garante o segredo das carta, a aa particalaroa re-
pousam oa coofiaaga da regaUridada a da pre-
bidade desse servigo, ah vai appirocoaso aooae
contraste que nos asaeveran ala aar a prinalia
pois que o nesno ji se ten aada para cata oa-
tros aldanles da referida previada.
Presume-se qae fosse o roabo realisaso ata
Sergipe, porque coalinba a carta Initrieinaaaa
indiciot da violagio demorada. Maa csea i
que aeja, eate un (acto degrsaoate, o taote i
digno do ama panigiosevera, depota e ai
do e descoberlo o respectivo aatar, oaaelVea-
volve e confunde o bom com o maa creando
sospeitaa contra o (uoccioaaliana toda.'
Inforaam-aoa que o Sr. Joeaiae tonara alia-
mas providencias com interveogio a Sr. aalni-
nistrador do correio, colhendo eertiaaaa da ae-
corrido, e requerendo a lem disto aa Sr. aooen-
bargador chefe de polica o sern oaridae alga-
mas pessoaa ; e bom seri polos "'ttfalisa
dos que ae, oio pare se nio na descoborta adac-
tiva do autor do crime vergoohaso, qae baveaaoa
referido.
T AdS.ir* como P"iltohavar aa roa Di-
reita n. W urna fabrica de diversas proaoracaes
ioQamaveis, causando de vez oa qoaodo verao-
deiree sustos i vitiobaaga, can a nal asi s aa
incendio doa ingredientes en triturada cana ata-
da hontem acontecen pelas tres horas da taras
pondo grande parte de moradores da rae ata
alarma. E' verdadeiramenle adaairavol a esn-
leeceodenda qoe ha coa Ul esae, aeeade ha
leis que prohiben fabricas senelbaates afean*
da eidade.
Boje, pelaa 11 horas da naabla. tari laaac
nofpalaeio da presidaocia, a iaaagarafta ase-
sa Esposioao kgricola s Inmtrial, can aa aa-
lenoidadea devisas i tal tarta.
Noa diaa eegointaa aebar so-haa abortas ------
Idea, desde as 10 a naabla a* 9 a* laeaa, a i
quer qae deaeja visUa-loe. Daa|4 le* a
porm, s sari permilUdo a iagraaaa nrfiaal
aprooeotagio de um bilhete
quer um eos nenatoe e detlrlbaiaa gratatanoaU pala
Ralagie doa etladantet da Cana Caam
eial remarabuctoe,qae 11 aeran acto aa ata 14
correle:
JovioUooo Pernaadea
da Silva Manta.....
Antonio Josd Airea de
Carvalho............
Ernesto Al vea Pacheco
Remeltan-aoa _
le tea pablicsgio; ao ame________
Qm de coarctar-ae a iaaovade, ee delta
tille tlguna eoQveniencia publica : |
Appravade
Reprovada.
Beprovaaa.
aegaiale arta
Man-


ful II MMMftK
mu
MARIO M
AcTeSDb^S^\RtVUk I^-=W"^P>"ST~*" Prito do despacho .upn do Exm.
2^L ln,2.f.!^y***mw "** dreatta policio da (orai. theor seguate :
FllUUMWy) ^ SAMADO 16 9)jT ROVEMBRQ DI 1861.
atteocio sobre o que pisen s capar.
Sendo de muiio ten>, platica e coslnnM.de
ntercarem os cspitaee e co
vis* ancorados em frente do
Al: rsfcffi
ib te neiie, aoentace que ultuoa-
' MMwelk atii cantete, dio canenle
meamos capities ocoasnaodaaies anear-
an eaaenbarquem, doeeis 4s Bortswn
le ; > sendo certo ue eeeaeJbaote estern
io4 autodade eigasaa, jotfuei pedir a
asenlo do ptwseale, tadereraem
>oaeenlatea reapeUe. e o csee te abe-
eviisnipsrecer etic, n0 como bastate of-
* Com a publicijo do esposto Uta sei mudo
anulo agradecido
._ Iweaigo dos abusos.
No da 13 lio crtenle (oraos reoetbios
2i?e ?ifPSl0 *ra* hospepaf) urna mulhar, san-
noeeus livrese nm que se suspeita ser escravo.
ana crata, a Saber: a ordem do dezembar-
-dor chefe de polica interino 1, quedo preto
Angola de nome Joaquim, indo do termo da Sa-
cada para veriucar-ae sus coadicc&o ; a ordem
- alo subdelegado de Santo Antonio dona, inclusi-
+*+ crioulo Paulino, escrave do capitio-tenen-
le Hersoenegddo Antonio Barbosa de Atmeida,
inspector do arsenal de marioha; a ordem do da
Capungaum.
--Pastagetros do ,Tspor inglez Magdalena,
salimos paraSouthampton epodos ialernediea.
-Antonio Bento de Araujo, Jos Luis Pacheco,
t. Budden, Dr. Rufino Coelbo da Silva, sua ir-
mas e urna sobrinha, Manoel Jos Ferreira. Ja-
"** ">wman, Joaquim Ferreira Pinto, C. R.
vTallner, Ephrain Chinpaon, Frederfco Saunder.
Passageiros do hiale braaileiro Santa Rita
aido ps o Aracaty.Manoel Jgidio Costa No-
gueira, Jos Joaquim Fernandea Jnior. Thom
Aires de Carvalho, Francisco Jos da Silva Car-
valho Mannpl I oa. 4 l*a /mundo, Js
Lopes Rayroundo Leal, 2 oscuros ; a Joaquim
Jos de Santa Anna.
~ Pa.s,aeeira da barca americanaAzelia sahi-
psra PMIsdelpliia. Mara de Queiroz P.iva.
Mataloi.ro publico.
Matarsm-se no dia lide novembro
tensumo desta cidsde60 rezes.
No dia 1568.
M0RTAI.IDADE DO DA 15 :
Hermenegildo, Pernambuco, 8 meses, S. Jos.
Jenticao.
loaeph, Pernambuco, 18 meses, S. Jos, As-
ItVpIB.
Masa, Pernambuco, 11 mezei, Boa-Vista den-
ticao.)
Amalia Vieeacia do Espirito Santo, Pernambu-
m.62 anuos, solteia, Sanio Antonio, aaoplexia
uimiuante. r
para o
U ,11111 UT111 IL&A
t
tese fjwv Perelra de Queiroz, preby. tero se-
cular da ordem de 8. Pedro, e vlgsno collado da
(regaezia de Saoto Antonio do Cabo, por S. M.
I. e cenaideeionai, etc.
Cane m* ijsjb i te lies* atesta anean,
-<"ech.nl peo bj,imIis doaacp-
ireedee. n m delta a (otaos aoventa e este
mee. aebati seseante.tamr.eegaiAte :
Pedro, raneo, ae limeta de atoo mezee, a
le*** te Migae. Ai7e.ii JJemka o de D.
fiea l#eeeca ^eaeradeeas desta Sregecza. (ai,
aeeaoole eeatisade cea a Sanies teos a
dM Meeecl ies te Silva aa eapetia 4o
rlovo.aee Bte ajoato de 1886, eeate p-*riohoi
Joiquim Affooso Perreira D. Ignacia Bernarda
Lina, csssdns, mnrartfires dfsta rVagn!, ^ nMB
poueo para essa molestia que qnssf e|lm feilo]i
Sio (actos este* que nio podero
e sobre os quaes dee o communi
sar assutsrefletg.
Termioarei com um appello
soas. a qnem se refera o Sr. A. S.
prietare te faav aW
m su* case ajst so sp
pode
te-
ase de
graix
IsteoJa---. tt BRoa eiip
conaiMcoi*
loeaBMete.te agawsaDais purae.
eoordilas te gtaxa. teate
fiz este aswrrto qae sssignei.O padre Piscbat
Corle, pro-parocho.
E nada mais se contioha em dito aisento e que
me reporto-in,/idjaroc|.
Villa do Cano. 28 de ferereiro de 1857.
O vigario, Jos LuU Pereira de Queiroz.
Secretaria da Paculdade de Direilo o Recite,
8 de noveabro de 1861.
O secretario, Jote Honorio D. di iitxuiu.
Estar sellado e raconliecido.
*** so* fkraticabilite-
em i slilatis urna espo-
4 IsfasWs tee egisat
hta, os qawep em
Da*oaa pretateo da
se como m risinhoo. Ota d
tai dar aseati escoasMete te
talo as aneos
que as outras dere o
que mala I ha ennsier,
proprietario dar o destino
-.uu f*
Acia da dcima terceira sessao da
eommissa* d Exposico dos prodac-
tos agrcolas e iaduariaes desta oro-
fPtviDcia, e das que lhe sao 'l/n|.
irophes ou lhe ficam prximas.
Reunidos os merabros da commisso.eieep-
ra tes brs. bario te Murbeca, Dr. Barres Bar-
reio, eommendadores Souza Leso e Marques de
Amonio, e por achr-se irreoramodado, o Sr. Fi-
fcoaas da noite de 11 do correte, e estando pre-
seaae o Ktm. 8r. presidente da proriocia o Sr
prndente da commisslo declarou aserta'a sea-
aa,
PM-seaaPorOT'd" iCU d8 ,CT95 anteceilenle,
^ ^ EXPEDIENTE.
-^oi lida um offlcio do Exm. precidenle da pro-
.irfea, qe 8 do correte, transmittindo copia de
- hi Exm. gr, presjdejite da provincia do Cea-
Ta a ***** *" 1US MO'pann pro-
ja, datado ao i '-"trise destina-
-*^uelos aturaes, agrcolas e iuu-.
dos Exposico, com a relacao desses pro.
dos nomes das pessoa a que perteocem ; um do
?iganodacidadeda Victoria, de 15 do mez passa-
o, m que promette empregar esforgos para que
con corra ai Exposico productos de seus freguu-
zes; om do juizo municipal de Ouricury.de 14 des-
ee mez, em que diz que sent que os habitantes
desae municipio nada possa apreseotar a Expost-
io,;um do vigatio do Allinho. de 30 do mez
J,*s*?do, em quecommuoica que cumprio o que
lhe 101 pedido pela commino, -i-r.nrnl. ,ju
nada poder vir ; um da commissao de Exposi-
ao do Rio Graode do Norte, de 6 desle mei~;
um da de Alagai, de 8 do corrente ; e um da do
Ceari, de 31 do mez'passado, acompanhado todos
estes oCucios productos das respectivas provin-
cias ; urna carta do Sr. Francisco Alves de Sou-
za Carvalho, da Panhyba, datada de 7 do cor-
rente, o dirigida ao Sr. commeodador Manel Gon-
calves da Silta, remetiendo productos dessa pro-
vincia ; urna do Sr. Carlos Antonio de Araujo, de
Maco. de 29 do mez passado ; urna do Sr. Ma-
noel Das do Aracaty, do Io do corrente ; -urna
do Sr. Manoel Jos .Pereira Pacheco, da mesma
cidsde, e da mesma data ; e urna do Sr. Beoder,
da dila cidade, e de igual data, todas dirigidas ao
Sr. Ferreira Borges e seguidas de producios oa-
turaes, agrcolas eindustriaes destiuados a Expo-
sico, chamando a do Sr. Das a.atleoco da com-
missao para o artigo 50 dos que sao por elle fe-
mellidos, pedihdo a do Sr. Pacheco que seja ex-
posto com sua'serie de productos de carnauba por
elle remedida o quadeo em que vem a menso
honrosa que obteve na Exposico universal de
Pars, e dizendo a do Sr. Bender que as caneca-
das que envia ao remedidas pelo juiz de dtreito
do Aracaty o Dr. Vicente Ferreira Gomes.
O Sr. Dr. Sarment disse que convinha qae se
cuidasse de imprimir os bilhetes de entrada oas
sitas da Exposico com as duas categoras admit-
idas pela commissu,devendo os das entradas re-
serradas eooter o nome da pessoa que o obtem e
do xoembro da commissao que o d ; e enesrre-
gado o Dr. Aquino de enteoder-se para isto com
c Sr. FigueirOa de Faria, proprietario do Diario
de Ptrnambuc.
Constando commissao que havia productos
desta provincia que anda nao linham chegadoa
esta cidade, e objeclos que nao estavam cooclui-
dos ; resolveu que se espacasse o eocerramento
da recep^o desses productos e objeetos do dia 12
para 14 deate mes, e qae fosse isto mesroo publi-
cado com urgencia-para conhecimenlo das pes-
soasinteressadss.
Foi apresenlada pelo Dr. Aquino ama poreio
de seda queremeteu o Sr. Dr. Sergio Ferreira de
pradueco desta provincia, a flm de figurar na
Eipcticao, e, depois de examinada, (o remedida
para os solos, em quo sao recebidos os productos
ijue tero de ser expostos.
Nio havendo mais nada de qu se ocenpasse
a commissao, a Sr. presidente encerrou a sesso
9 horas da nolte. eau, eomo um dos secreta-
rios, escrevi esta seta.
Sala das sessdes da commissao no palacio do
go^rao 7 de novembro de 1801.
Viseonrle de Suaaswna.
Dr. Joaquim d'Aquino Fonseca,
Secretario.
Joaquim Pirtt Machado Portelfa.
Secreta tio.
Communicados.
As seHhere9 eleitores do terceiro
dislricU.
Constando-me que alguem, com o m de arre-
dar-me votos, propala quo sou menor de vinte e
cinco annos, e qae nao tendo, at o dia da eli-
cao, recebido o grao de-tachare), irlo me aeho
as condicoes de ser Otado, declaro sos senho-
res eleitores que an qsrfzerem honrar cora bs
seas rotos, que nenhum escrpulo devem Mr em
fsze-io ; por qoanto soa maior de rinte eioeo
maos o que proro cora a certidfro sbsixo ; e ten-
do (eito seto do mea quinto anno no dia 28 do
tiatalro prximo Ando, scho-me legitima e tci-
tamente emaatipsdo, e portento nascondices de
eer rotado.
lite, 8 de norembro de 1861. jh
Pedro Afronto Firrtin.
Illm. e Exm. Sr. director. PHro Affonsd
Ferreira preeiss que V. fcMc. lhe mande dar por
copia a sua certidio d idade, constante dos li-
aros de assentos de mstriculis desta FacelrJsde.
Neataa termos :
. ?!** v- e.-*IllBi. e Exea. Br. Dr.dfieeior
da Faeuidade do Dh-eito lhe deora.-*. R. H;
_ P*+o A/fimt Farfsrw.
Como aj-quer.Recife 8 de norembro te 1861/
Camaroetee.
Empreza da limpeza fiblkca.
A o Sr. A. S. do jornal A. Orstsaan.
Respcndi ao artigo ioserido no jornal 4 Drdem,
observa rulo qae porta i om 4a do as qaalineacdea
injuriosas conjeturas proprias de utu aaeudo-
nyrao, para oceupar-me exclusivamente de expli-
car sgaos (acto que poderiam iaauzr em erro a
opiaio publica.
Voltea I carga o communicante, convidndo-
me que iodagane o aen nome proprio, j da
redaccao da Ordem, j da redaccou do Dimrio-de
Pernambuco. Procurando as informa^oea preci-
sas, foi-me declarado que e-autographo em ques-
aw fOrn mandado 6 Imprensa aeatM um un en-
veiope, sendo qae o redactor do Mario recaseu-
ae 4 (exer tal declaraco.
Publica-ae, entretaato, ur outro communica-
doque, embora nao teoha guardado as regras
que a polides recommenda, merece todava qoe
seja peremptoriameote respondido, em erdem
desprevenir os esprrilos menos acautelados.
Provocado para urna discussae (ranea e leal,
aceito-a como aror empreza. Vareando- sobre
(setos reaes e nao imagiosrios, ella aera teste
mais breve e menos (aalidioaa qoanlo mais apro-
reitavel para aquelles que se ioteressam pelos ne-
gocios de sea paiz.
Para comeaar, nao deixarei pasear sen o justo
repsro certa fllusso ama promesas de 404000,
que se eosinus haver sido por mira (eita pes-
soa com quem a minha empreza me poz em re-
lacio.
Protesto por miaba honra contra semelrrsole
insinuaco, sendo ridiculamente imaginario que
i o ouro tenha aplaioado as diffieuldades qne i
empresa se teoham por ventura oppoito. Trans-
parece ahi tio s claras o triste concedo que or-
ma o articulista sobre um corpo distiocto de le-
gisladores e notareis autoridades administrativas
qoe ao me demoro sobre o eseompto: Seria
rapetir urna censara e rollar sobre insinuacss
to prfidas que cabem por si meemas.
E' o velatorio imposto que parece etormentaT
o espirito do communicante. Lastimando* sorte
da populscao^parsoo ao articulista qoe a rerba
de 2400O0$OfJ) por anno i ums extorsio (eita ao
trabeiho, injustittcavel por seg (Je, imprstici'
re pelos metes da Imposico.
Resalvsndo o erro que ha nessa coala, a qual
fie" delbom grado 2i0:000#000 a quanUa de
wfcOOO&OOO, importancia de 10:000 apparelhos a
aOJrOOO aonuaes (como oi ltimamente estipula-
do em redcelo do primeiro numero), cumpre
observar que. segundo ama noVa proposta (eita
por mim ha tres meze3, encartoa-se Qma emen-
ds em meo contrato, em virtue da qual se di-
minue para 30 rs. em lugar de 55 rt o imposto
relativo is (amiliss recoohecidsmente pobres. E\
", claro queso Exm. presilente dvprorincis
preiideole e rereadores da cmara munici-
ni ..,.,,." '"h aidi* de,,a nodiOcaco mudo
aPnlte8sUqeeao^r. A. I. ^ "," 6 "">
como defensor ds populado ; .
Por aqui ser que ser reduzido de- ">oao
que nem por mim pode ser calculado esse su*~
posto rendimento de 20f*JOOO$000 que se procura
aier acreditar como um reodimento fixo, liquido
e animalmente corrente.
Isto observamos do passagem, notando apenas
qUO O 3r, coinuiunfo.!. !,. a Ai0na lavar
nesse calculo em linha deconta nao s os juros
do grande capital empregsdo e por empregar, co-
mo asdespezas do servieo com a remocio de 800
s 1,000 rasos por dia, trabalho que nio pode ser
executado com um pessoal menor de 100 pessoas
e material de bois, carros e canoas, etc., muito
consideravel.
Onde estao, por tanto, as probabilidades desse
fabuloso rendimento que se levanta urna altura
incommensuravel, desmedida, iocalculsvel? Por
ventura, o capital nao merece juros? O trabalho
nao merece o salario ? 0 cosleio de urna grande
empreza urna insignificancia com relaco aos
seus lucros provavels ? E por Om, deslinar-se-ha
algum capitalista consumir fortuna em ama
empreza smente por amor do paiz, sem que
para o seu capital espere o juro, o salario para o
aeu trabalho, s paga e a recompensa devidas
iniciaco de um importante melhoramento, sem
o qual a hygiene publica e o commodo e a salu-
bridade seriara um intil exforro do gorerno mais
paternal ?
Appella o Sr. communicante para a Franca,
onde smenle ser acolbido braces abertos 0
ettrangeiro que dotar o paiz comum melbora-
mento real e digno de lteselo. Fundando a mi-
nha empreza, nio me tenho em conla de um es-
peculador ; venho propr um melhoramento por
domis importante, e creio que no futuro serei
justificado.
Quaado houver sido posto em prstica o sysie-
ma, e por ahi a opioo se convencer da econo-
ma que ofierece s familias a minha empreza,
serei ento compensado desse triste concedo que
de mim (orma oeommuoicante.
Reclamo, entretanto, a sus alinelo para o qae
se passa actualmente em Pars, e (oigo de encon-
trar no Sr. A. S. um espirito que scompaoba
com seriedade e interesse o movimento das cou-
sas de seu paiz.
Occupando-se dos meios que nicos podem
trszer como resultado a salubridade publica, eis
aqui o que escreve o Sicle de 6 de setembro do
anno que corre :
i Sabe-se que para este Qm dere cada urna ca-
sa ler em prazo prefixo um exgoto particular
qae desemboque no da ra, o qual deve ajus-
tar-se um dos grandes conductores destina-
dos expedir os lquidos impuros para baixo
de Pars ; mas quao grande a difiieuldade
< da execuco deste meio I \
Ofteiecem-se para o despejo rarios syste-
< mas.....>
Daqui v j o Sr. A. S. nao s que se procura
actualmente na grande cidade dar expulsio ao
lquidos imparos, como que se obrigaecada pro-
prietario i estabeleeer em um prazo determinado
conductores que sirvsm para o. escoamento.
Esta medida imposta todos em nome da u ti -
lidade publica, nao tem eicitado nenhuraa recla-
macio.
Ouanlo ao mea systema, sobre o qual ironisa
o communicante, soa contente qae elle possa sa
tisfazer todas as indagaqoes i qae actaalmeotel
ae proeede em Pars obre o meto de iezer e des-
pejo.
Dizeis, porm, Sr. A. 8., que a vesss cidsde
to circulada e cortada de ros que nio tem ne-
cessidade te tai systema, e edais proposito o
Tamisa qae serve de conductor 4 todos s lqui-
dos que se escoam de Londres I Dereriefs ao
mesmo lempo acreseentar que esse mesmo Tami-
sa traz em troca s populaces que habitara as
su as margeos, em tempe* de calor, urna molestia
que acaba por 8rr contagiosa a que provm cer-
tamente de exhslacoe mephdicas prodozWss
pela causa qae assfgtra oKer*prio commuoi-
caote.
Tio real este phenomeno que nio pode es-
capar atiencio dos mais distintos professionaes
deesa grande cidade, os quses tem por verts feito
sentir oecessidade da construidlo de om canal
subterrneo que, correte so pardo Tamisa, v
despejar aoueceano os^iqnidos qae se escoam de
Londres I
Na mesmsseondicsesiS a cidade do Recife,
ou tal vez em cendiedes oais desfatorsteis'em
rallo da eieeii-a ec^lo te ealor. J boje isto
se v qoante at>aixa oejmar deixa < descoberto
a rampas dos variee caes da cidade que rsto
ahi perfeitameote entolhsdos, dos quses se lan-
Sam eihalaoes mephiticaa qgt nao contribuem
se prestar-se o mea ysteara de esgoto.
Qoanto ao Sr. etanoel op Amparo Caj, quem
mandel indagar immediflameate do motivo de
sua queia, oi roa OBspoodido queja nio morara
i roa Nova, respondendo entio o csixeiro da casa
que o appareloo continuara a feaccaonar muNe
regularmente, alo oftereoeate aeabnma diOlcul-
dade.
Crelo ler satiseilo ao Sr. communicante
esta resposia lio cooseiencior quao breve.
Recife 15 da paaaaali-a do 1861.
Charl* Lotus Cambronnt.
com
Correspondencias.
Sr. redactoret.Como no mea escupi exa-
rado no Diario de 14 do corrente s tie por fim
justificar-me, psra com o publico honrada, fa
zendo ver que nio acceitava a autora de neohum
dos escriptos publicados na poca (peridico) e
nio abrir luis joroalistica com alguem ; tanto
mais quaodo elle fr energmeno ; por iss des-
preso olimine o escripto que no Diario de ho-
je sabio coptra mim, taoto mais porque cooheco
a imparidade da foole d'oode ella pardo, e assim
poder o cao" g6zo do escrlptor ladrar come lhe
aproaver. certo de que a sorte de la es animaos
ser multas v^iei atacados ds hydrophobia.
Recite, 15 de norembro de 1861.
Jiutino U. de Almeida:
COtlMIKtlO.
Novo Banco de Pernambuco,
O banco paga o 7' dividendo de 12
por accSo, relativo ao semestre findo
em 3i de agosto prximo passado.
A directora da caiaa filial tem deliberado
espaeaar al o da 16 do correte o praso marca-
do para o recelhimeoto tes sedaba-de 0. O
secretario interine,
Luiz de Moraea Gomes Ferreira.
. 327:3846441
. 34:2511339
Rendimento do dia la 14.
dem do dia 15 .
261635*760
Movimento da air&xtdea;*.
Volamos entrado comfazendas..
o gneros..
Volsmes sabidos
*
com (azendas..
com gneros..
156
645
== 801
36
324
410
Descarregam boje 16 de novembro.
Brlgue OamburgaezCipibaribemercadoriaa.
Barca americanaHarzard(arinha de triga.
Pataeho portugus Marta da doria pedn.
Brigue inRiezGlaucus mercadoras. .
Barca fraocezaJeao Parmatier carvo.
Receoedoria de rendas internas
. a, ** de Pernamnae
Rendimento do da 1 a 14. 15H)58639
dem do da 15. .....; i:74i#261
sa pertencentesa vapor "e
' aaaf*?! ^IMtree
ateJajajOs Csete; Mam diam
16:8005900
Consulado provincial.
Rendimento do dia 1 a 14.
dem do dia 15.
24377J975
2:2753*87
36:6*3*463
......
Navios entrados no dia 15.
Marsnhio20 das, patacho braaileiro Paulino,
de 187 toneladas, capillo Manoel Antonio de
Vsseoncelles. equipagem 12, carga sal e outros
gneros ; Marques Barros & C.
Para57 das, hiate krasileiro Santo Amaro, de
90 tonelsdas, capilio Manoel o Silva Santos,
equipagem 9, carga (arinha de trigo, salea e
outros gneros; i Francisco Luis te Oliveira
Azevedo.
Navios sahidos no mesmo dia.
Aracatyhiate brasileiro Santa Rita, capitio
Joaquim Antonio de Figueiredo, asga dille-
rentes gneros.
Liverpool por Macei- barca ingleza JVetfterton,
capitio Thomaz Eales, esga assucar.
PhiladelphiaBarca americana Azelia, 'capitio
C. W. Kerlen, carga assucir.
Southsmptoo e portos intermedios'vapor inglez
Magdalena, commandaote Woolwsrd.
33 M -
m, -
Horas.
o
o
a
B
n
co'
55
"as"
CB
B
n
kthmoiphtra
Dirtcco.
S
| Intensidad.
I______
3 2 S 2 IFaftrsnasit.

Kl
o
s
Centgrado.
"C
I Hygrometro.
m I Cisterna Ayrfro-
w | anstrise.
o
ce
tf
m
<
s
si
A node nublada at as II h. 30", qae (ormouse
de agoaceiros, rento ESE variarel de intensi-
dade.
OSCItAQllO da har.
Premar as 2h. 18' da tarde, alturs 6,8 p.
Baixs-mar as 8 b. 6' da manhaa, altura 1,2 p.
Observatorio do arsenal d marinha, 15 de no-
rembro de 1861.
RORAKO STEPH.B,
1* lenle.
Editaes.
ou menos, avalisds por 600} ;
0 tonos, avallada por 600 ;
com 18 aonos de idsde, por
ulo, de idsde 18 ennos poo-
avallado por 800 ; Thom. (fe
^ aonos paeco maia oa menos,
W, os quaes sio periencentes
Silveiraf^
ve Ant
'eeluado a Meas
os das de audiencia, a alo
tiS%SSSSC:
to coas a atettaeento da le. !>
E para que caegue ao conhecimaate de
andel passaradsues, que asaaa datados
lagares do costease.
Recife 11 a aawerabro dataaM. Bu, Manoel
aria Rodrigues do Naacimeato, escrivio'o sab-
M###4a a^'i
Tristio de Menear Araripe.
"*?'*!? B,B- '-*nPw te-alnada.
m/.l'.W^**'#*&* naraiaueD da
regulamento as mercadoras abaixo designadas
sao convidados os aeus donas ou cengtaaaUrias
a_vlr despacha-las ao prazo de Irinta das conta-
do dests data, Soda o qnl serio ellas arrema-
das em hasta publica, sem que Ibes fique compe-
tindo allegar awa ata^asVdMrrrate etledos des-
ta venda : a saber :
Armaren a. 1.
Jiff.i"'^.?, 1C'.!^-t8- 14>cota Jmoalras,
vtate oe navio-aellandez Elisabeth, entrado em
*?-1* ** *** te 1456; a N^O. Bieber
dem travessleYiangalo M. 4/8. 1 dito ditaa,
viado ao oavie hamburgus Capiaaribe. entra-
do em 32 de jaoho de 1859 ; a Monsea Vi-
nassa &C.
Idea M, 1|2.2 oaixas, viadas uo navio ham-
Wgaex Capibaribe, entrado em 21 de juiho de
1859 ; a H; Bruno.
Wem.lelreiro, sem numero. 1 dila amostras,
rinda no mesmo navio entrado em 16 de iu-
oho de 1859 ; ao mesmo,
dem BB. 329,3306. 4 ditas, rindas no navio
hollando* Speculante, entradas em 2 de iunho
de 1859 ; 4 ordem.
dem letreiro. 2 ambrulhos viodos na bares
fraoceza Savaailla, entradas em 24 de dezem-
bro de 1858 ; a H. Bruno dr G.
dem, dem sem numero. 1 dito vindo do bri-
gue (rancez Parahibe, entrado em 3 dedezem-
bfodel858; a J. Keller&C
Armazem n. 1.
Marca Mreiro, aem numero. 2 embrulhos viu-
dos as galera (rancezs Adele, entrados em 6
de dezembro de 1858 ; a J. Keller & C.
dem triangulo M, 343. 1 dilo vindo na barca
freoe.ua Cont Rogpr, entrado em 22 de Janeiro
de 1859; a D. A. Matbeas.
dem letreiro, sem namero. 1 dito vindo na ga-
lera Iraeceza Adeie, em 3 de abril de 1859 ;
a Meuron & C
dem, dem, n. 1. 1 dito rindo no mesmo na-
vio, entrado na mesma data ; a Bastos & Lo-
mos.
dem JBCA, n. 1. i csixa vioda os barca rsn-
SPLi11" 1? Bolo(?ne, entrada em 18 de maio
de 1859 ; a Peidel Pinto & C.
dem letreiro, sem numero. 1 embrulho viodo
no navio (rancez Porto-Rico, entrado em 30 de
msio de 1859: a H. Bruno.
dem BKC n. 5742 1|J. 1 fraoceza Berth, entrada em 3 de iunho de 1859 :
ao mesmo.
dem letreiro, sem numero. 1 dito vindo no
mesmo navio, eotrido na mesma data; a Fer-
reira & Araujo.
dem S & C. n. 3905. vindo na barca (ranceza
Rto-Grsode, entrado em 21 de iunho de 1859:
a ScbafleUo. '
dem, dem, idem. 1 dito vindo ae batea (ran-
ceza Azu, entrado na mesma data ; ao mesmo.
Armazem n. 4.
arca G, n. 20t21. 1 caixa vioda no navio Inglez
JRaney entrada em 12 de julho de 1859 : a
Taton Nasb.
Mera diamante F 0.20|2l.-2 ditas rindas no na-
vio ioglez Cyothia, entradas em 13 de outubro
de 1860 ; ao capitio.
Armazem n. 4.
Marca A T, sem numero. 1 caira vinda no na-
vio inglez Linda, entrada em 8 de outabro de
1757. Fra do manifest.
dem letreiro, idem. 1 pote vindo no nsvio io-
' f!2I> UTIy *h^k -**? l>5<. mrSo da
oou ; dem.
* i_. ^. Armazem 0. 5
Marea letreiro, em numero. i uhn t)d<. D
vapor nacional Paran, entrada em 19 de no-
Tembro de 1857 a Christovao R. C. Sanios
Maia.
Sem mares e namero. 1 embrulho vindo no
mesmo vapor, entrado em 19 de marco de
1858; a Bernardo C. P. Sobreda.
dem, dem. 1 dito vindo no vapor nacional
Tocantins, entrado em 7 de julho de 1858 ; a
Sabino Olegario Lodgero Pinho.
Marca letreiro, sem numero. 1 dito vindo no
vapor nacional Oyapock, entrado em 3 de abril
de 1858 ; a Jos Moreira Lopes.
dem, idem, idem. 1 dilo viodo no vapor Pa-
ran, entrado em 3 de abril de 1858; a C. Star
& G.
dem, idem, idem. 1 lata vinda no vapor na-
cional Tocantins, entrado em 2 de margo de
1858; a Bernardo Ferreira da Fonceca.
dem quadraognlo M. V C., n. 17. 1 caixa vin-
da no vapor nacional Iguarssi, entrada em
10 de maio te 1859; orden.
dem letreiro, aem numero. 1 dita vinda no va-
por nacional Paran, eotrada em 14 de meio
de 1859 ; a Manoel Joaquim Carneiro ds Cu-
nts.
dem, idem, idem. 1 embrulho viodo no mes-
mo vapor, entrado na mesms data ; a A. M.
de Amorioi.
dem, idem, dem.1 lata vinda no vapor nacio-
nal Tocantins, eotrada em 19 de maio de 1859 ;
a lgnacia Francisca.
dem DAM, idem,1 caixa vioda ao vapor na-
cional Oyapock, entrada em 18 de iunho de
1859; a D. A. Matheus.
dem ledeiro, dem.-1 dita rinda oo vapor na-
cional Cruzeiro do Sal, entrada em 80 de julho
de 1859; a M. L Lassum.
dem dem idem 1 embrulho vindo no vspor
nacional Oyapork, entrado em 22 te setembro
de 1859 ; a Joaquim Vieira de Barros.
dem idem idem.2 caixes viadas oo mesmo na-
vio, entradas em 29 de novembro de 1859 ; a
Julio Rlgeod.
dem idem dem.1 dita riada no mesmo va-
por, entrada em 20 de abril de 1859 : a A-
rsojo.
dem idem idem.1 embrulho vindo no mesmo
vspor, entrado om 20 de Janeiro de 1850; a
Manoel J. C. da Cunha.
dem idem idem.1 amella vinda no mesmo
vapor, entrada em 31 de agesto de 1860; so Dr.
P. de Lemos.
dem idem idem.1 caixa rinda no rapor nacio-
nal Tocantins, entrada em 39 de novembro de
1800; a J. Miranda de Aodrade.
Sem marca idem.1 embrulho vindo no vapor
inglez Medway, entrado em S de julho de 1857;
a Bastos A Lemos.
dem idem.1 dito vindo no mesmo vspor, en-
irado na mesma data ; a Henry Nosk.
dem dem.vindo no mesmo vapor, ntralo na
mesma data ; a Keller & G.
dem idem.1 dito vindo no vapor tnslez Ta-
mar, entrado em 29 de julho de 1857; a H.
Gibson.
dem dem.1 dito viodo oo mesmo vapor, en-
tibe.
en 22 te tevereire te Man:
entrados
ieV
etredo, id-iret pacato, viada ae a
o, entrado en 24 de toveceiro de II
lOrW.urtA'-
caixaa, rindas ae
i poituguei s. HbMoel j
Jan nares, ana anner<
aev*mbrete186ts Elias ten .ala Suva.
iteaaaeman
aeeaavn.4
a I. A. te Silva
Qaaats sanead anl._
de novembro de 1861.
vJ* o^ 69Cr1 ptw#t*v#
Jai Jote Pereira 4t Fmri.
Directora gerai da iQntrnc-
. cao publica.
Paco es ser a juca eeavier, qae lente a Exm.
Sr. presidente da provincia considerada iiiate
nada e cadeira de inslruccio elenaatar te L*
grao do sexo masculino da poocio te S Mi-
goal de Ipojaca, pala prefessor Joa Mana te
Silva Samas, naada a Illa. Sr. Dr. di
que sea ella possa a coocurso, asir
Tayne, entrado em 29 de setembro de 1859; a
L. Tssso. '
dem idem idem.1 dita rinda no neame va-
por, entrada em 28dejunho de 1860 ; a K,
Whalley.
dem idnm idem.1 embralbo vindo no mesmo
r -entrado em 18 de julho tojjfOi a J.
ante BBtC .180.-1 veame viada
ao mesmo vapor* ntrate aa maaaaa data; a
Kafckmsno.
lian letreiro sen aamero.1 cnbralho viote
ts vscor inglet Aven, eatrado an 90 de aa-
aanbro de 1859; a Ada rasen & G ,
Sen narca idem.1 aacco- atete o a aerea iaatia-
sa Sarda, entrada an S te agosta da 1856; a
asdem.
Ideas idem idem.1 caixa viada na aeree iaatesa
Genovevo, eotrada em 8 de outubro de 1859;
a estrada de farro,
dem letrada Mees.1 embrutho viudo no navio
toglez Honesta, varado em A de junhs te
1850; aHCteAkrea.
dem G ns. 22 e 28 Idem.1 caixa vioda oo na-
vio iogtez b. E. Haude, entrada em 24 de jalao
de 189; a Patn N.sh.
Armazem a. 6.
Marca JAA a. 1^-4 pjna vate aa barca portu-
guea Constante, ealrada em 27 de setembro
1868; a Francisco Severisno Rabello A
rtino.
Idna letreiro idem.1 caixinha vioda no brigue .
porluguez Espetaaca, entrada en- 16 de no- Prazo de 30 das, aa (orna do art. 10 tea i
vembro de 1860; a D. Marta R. H. Lemos.
dem iden idenl embrulho viote no mesmo
navio entrado em 17 de novembro de 1860 ; a
mes na.
dem idem idem.7 paioeia viodos no aaesmo
nano, entrados em 17 de novembro de 1860; a
mes na.
Armasen n. 8.
Marca A. J. Cunh, aem namero.1 pacote rin-
do oo brigue portugaez Laia III entrado em 20
de junho de 1650 ; a orden.
dem B idem.60 can as tras albos, vindas as
barca portuguesa Corea, enlradaa em 14 de
abril de 1860; aCJ. dos Ssnlos Callado.
Armazem n. 9.
Sem marca idem.1 cma vinda oo patacho aar-
do Daino, entrado em 2 de novembro de 1856:
a ordem.
dem letreiro dem.1 pacota viodo no navio
sueco Rakcteo, endado em 26 de fevereiro de
1859; a A. M. dalAman.
Sem marca idem.2 praucaeea viodos ao aavio
hamburgus Amanda, estrados em 9 de se-
tembro de 1859 ; a C L. Cambroae.
dem letreiro idem.2 atados viodos no navio
ioglez Joba May re, entrados em 29 de dezem-
bro de 1857 ; a ordem.
dem idem dem.1 (eixe de looro, vrado oo
brigue portuguez N. S. da Boa-Viagem, entra-
do em 24 de junho da 1857 ; a Moreira & Du-
aile.
dem iden idem.1 dito vindo na barca portu-
gueza Sympaihi, entrado em 3 de fevereiro de
1858; ao mesmo.
dem diamante idem-1 barril com vioho vindo
na barca pertuueza Santa Craz, entrado em 5
de outubro de 1858 ; a Thomaz de Aquino Fon-
seca.
dem letreiro idem.1 caixa vinda no meamo
navio, entradi na metma data ; a Manoel Joa-
quim da ocha.
dem M, idem.1 barril com cerraja, vindo no
brige porluguez Relmpago, entrado em 18
de maio de 1859 ; a Thomaz de Aquino Fon-
ceca & Filho.
coes de 11 de junho de 1859, para a iaacripcae a
processo de habiliacio dos oppositores i
aada cadeira.
Secretaria te lstratelo publica de
co 12 de novembro te MM1.
O secretario interiao,
Salvador Heariqae te A langas raM.
O Illm. Sr. inspector da tbeeeararia pro
vincial manda fazer publico para conhaciieato
dos interessados o artigo 48 da le atoviattel a.
510 de 18 de junho do correle anno.
Art. 48. E' permitlido pagar-se a sacia aiaa
dos escravos comprados em qualquar tasapa an-
terior a data da presente lei iodepeateate da
revalidacio e multa, urna vea que oa tevadarea
actuaes deste imposto, o (acan dentro te oxera-
cio de 1861 a 1862, os que nao o fiseren Be rao
sujeitos a reralidacao o mulla en dobro, saado
um tergo para o denunciante. A Inaiaataria
(ara annunciar por edital nos primeiros 10 diae
de cada mez a presente disposicao.
E para constsr se mandou atoar a paseis s
publicar pelo Diario.
Secretaria da thesouraris provincial te Per-
nambuco 8 de julho de 1861.O secretaria
A. F. d'AaaaaciBcao.'
Deelaracoes.
Pela secretaria do gorerno ae faz publico para
conhecimenlo de quem interessar possa, que se
acham em concurso os dous offlcios de partido-
res do termo de Nazarelh, creados pela lei pro-
vincial n. 564 de 29 de maio deste snno, devendo
um accumular asfuncedes de contador e o outro
as de deatributdor, am de que os prttendentes
apreseatem os aeus requsrimeotos instruidos na
forma do decreto n. 817 de 90 de agosto de 1851
e aviso n. 252 de 30 de dezembro de 1854, no
prazo de 60 dias contados desta data.
O Dr. Tristio de Alencar Araripe, offlcial da im-
perial ordem da Rosa e jniz de dlreito especial
do commercio desta cidade do Recife eapital da
erovincia de Pernambuco e aeu termo, por S.
1.1, e coostitucional o Sr. D. Pedro II, a quem
peus guarde ere.
Faro saber sos que o presente edital virem e
delfe hoticis tlreroi, qwe no dta 18 do corrente
mez se ha de arrematar por vente a quem mais
der, em praga ptibllca deste juizo na sala dos au-
ditorios os baos seguimos: CosleMa, crioura, com
idsde de 90 snnos poeco mais oa menos, avada-
da por 900f; Jacintha, criouls, de idade de 35
Irado na mesma data ; a'Barroca & Castro.'
dem XX idem.1 pacote vindo no vapor ham-
burguez Teotonia, entrado en 12 de agosto de
1857 ; a Schaleitin &C.:
dem PHT idem.1 pacote vindo no vspor sar-
do Petropolis, entrado em 15 de setembro de
1857 ; a A. L. Rodrigues.
dem letreiro idem.1 embrulho viodo no vapor
inglez Tayne, entrado em 20 de novembro de
1857 ; a Letellter.
dem D triangulo n. 100.1 calla vinda oo va-
por sardo Petropolis, entrado em 17 de dezem-
bro de 1857; a ordem.
dem letreiro sem numero.1 embrulho rindo no
vapor inglez Tamar, entrado em 28 de margo
de 1858; a Bastos & Lemos.
dem dem dem.1 csixa vinda no mesmo va-
por, entrada em 28 de abril de 1859 ; a U.
Greem.
dem idem idem.1 dita vinda no vapor inglez
Avon, entrada em 30 de junho de 1859 ; a fer-
reira Costa.
dem idem idem.1 caixa vioda no vapor ioglez
Avod, entrada em 28 dt aetenbro de 1859 ; a
H. Fdrster.
dem idem iden.1 dita vinda no rapor inglez
idem BD, idem. 1 csixa vinda no brigue por-
i'S" aConlante, entrada em 1 de maio de
1860 ; a Bernardino Duprat.
dem sem mares, idem.72 pessas de cabos,
viudos no brigue porluguez Soberano, entra-
das em 3 de margo de 1860 ; a Carvalho No-
gaeira Si C.
dem idem, idem. 804 ditas ditos, vindas no
meamo na vio,entradas em 5 te narco de 1860:
aos meemos.
dem diamsote C, idem 8 cadas, viodas no
brigue portuguez Esperanca, entradas em 10
de novembro de 1860, a Jo's Antonio da Cunha
a Irmio.
dem R, sem numero. 1 caixa, vinda no mes-
iuo navio, entrada na neema data ; a Joaquim
Rynde.
dem 6, idem. 2 dits,| viodas no brigue por-
tuguez Bella Figuerente, enlradss em 15 de
Janeiro de 1861 ; a P. A. aa Fonseca.
dem JSS, idem. 2 calas, vindas do brlguo
prlOguez Bella Piguereose, entradas em 15 d
'nftiro de 1861 ; a Francisco Severiano Ra-
Dedo &Tnho.
dem OMJ, idem.40 barricas, viodas no mes-
mo navio, entradaa na mesma data ; aL. II.
R. Valleoga.
dem ARM, idem.1 caixa, vinda oa barca por-
tuguezi Amalia I, entrada na mesma data ; a
a A. R. Mondes.
Ilem P6, idem. 1 caixinha, vinda no brigue
hamburgus Henricka, entrado em 20 do Ja-
neiro de 1859; a J. Keller & C.
dem sem marca, sem numero.1 cidra, vinda
na barca ingleza Elisabetho, entrada em 20 de
abril de 1860 ; a ordem.
dem JNS, ilem.1 dita, vioda no brigue por-
tuguez Esperanca, eotrada em 12 de novem-
bro de 1860 ; a Joa Nanea Saldanhav
Sem marca, sem numero.18 toneladas de pe-
drs, vindas no mesmo navio, entradas na mes-
ma data ; a Barroca & Medeircs.
Marca .MI, dem.40 barricas, vindas na barca
porlagueza Bella Figueirense, entradss em
12 de jsneiro de 1860 ; a L. Manoel Rodri-
gues Vlenos.
Armazem o. 10.
Marca diamante GT, idem.1 caixa, vinda na
barca portugueza Bella Figueirense. eotrada
em 15 do aetembro de 1859 ; a ordem-
dem AVRL, n. 4.1 pacote,vindo no navio ham-
burguez Spera, entrado em 16 de fevereiro
de 1859 ; a Bieber & C.
dem A, n. 1.i pacote, vindo no navio ham-
burgus Speraa, entrado em 16 de (evereiro
de 1859; s Aitley & C.
dem H C, n, 3288.1 (ardo, vindo no navio
hamburgdez Ora, entrado em 12 de julho
[ de 1859; a Schadeilim & G.
Sem marca, sem numero.1 pacote, viodo no
nsvio hamburguez Alexandre, entrado em
23 de julho de 1859 ) a L. A. Siqueirs.
Marca diamante travessio, n. 11|16.1 dito, vio-
do oo oavio hamburguez Paulinas, entrado
em 19 de agosto de 4659 ; a Schafledem.
dem JSS, sem numero.1 caixa, vioda no na-
vio americano Minesotaa,* entrada em 10 de
outubro do 1859 ; a J. S Sinios.
dem SCP, n. 31.I pacote, rindo oo navio ham-
burguez dEsabeth, entrado m 12 de novem-
bro de 1859 ; a Schsfletim & C.
dem H A C. o. 34071 dito, viodo no mesmo
navio, entrado oa mesma data : ao meamo.
dem diamante travessio L, n. 403 1[2.1 pa-
cote, viodo no nsvio hamburguez Elisabei,
entrsdo em 12 de novembro de 1859 ; a Brum
&C.
Idem RLC, n, 822.1 dito, vindo no mesmo na-
vio, entrado loa mesma data ; a Schafleitim
&C.
dem WO, n, 8il54.-l dito, vindo oo oavio di-
namarquez Ceris, entrado m 25 de Janeiro
de 1861 ; a ordem.
dem M diamante H8G, aem numero. 1 caixa,
vinda no navio hamburguez Miranda, entra-
da em 28 d Janeiro do 1860; a c. J. dos
Santos Amarad
Ideffl'fflB.'WtJn?"1 dita, tiodaTjo nivio ame-
ricano Somera, entrada em 20 de abril de
1860; a Henry Porsther & G.
dem KACS, n. 941.1 pacote, rindo no navio
humburgoez Wirka, sodado em 23 de junho
de 1860; a Kslkmao.
dem letreiro, sem numero.1 caixa, viada no
navio Olinda II, entrada em 4 de outubro de
1859 ; a ordem.
dem dem, idem. 1 dita, vinda no brigue
Winga Alagoanoo, eotrada em 7 te dezem-
bro de 1859 ; a H. Forster.
dem MAJcr*. iden.1 dita, viada ao brigue na-
cional Almirante, entrada em 1 de aeten-
bro de 1860: a ordem.
dem KS, o. 5668 1 dila, rindo no navio ham-
burgus Thackla, entrado em 6 de dezembro
te 1860; a Rasaos & Silrs.
Conselho adninislrelivo.
0 conselho adniaialrativo, para tornela
do arsenal de guerra, tem de comprar oe <
seguintes :
Para a fortaleza da Assumpcte do Ceari.
66 covados de flele encarnado.
66 covados de dito azul.
2 arrobas de cabo de linho para adricas te 1
pollegada. ^^
Quen qui/.er vender tses objeetos aaraseate
as aaas propostas em carta (echada aa aguasalia
do conseibo, is 10 horas da manhaa do dia 20 te
correte mez.
Sala das aeseoea do conselho adniaatraliva.
para foroecinenlo do arsenal de guerra, 13 da
norembro de 1861.
Beato Josi Lamenka Lint,
Coronel presdanle.
Francisco Joaquim Pareara late.
Coronel vegal secretario iatariao.
Companhia de
Beberibie.
Armszamo.il.
Marea FI, sem namero.1 pacote, vindo ao oa-
vio hamburguez Lucce, entrado em 5 de de-
zembro de 1860 ; a H. Bruno &.C.
dem SS, Idem.O volanes cosiendo (ornas da
(erro, vindoa no navio diaaataraaes Ccrsa,
entradaa an 14 de Janeiro de 1860 ; a C. J.
dem idem, dem.90 ditos, contendo formes de
(erro, viodos no navio hamburguez Gapiba-
So convidados os Srs. accionistas da
Companhia do Beberibe a te reunirem
em aisemblea gerai da mesma no dia 11
do corrente ao meio dia, como determi-
na os seus estatuto, e especialmente o |
3- do artigo 19 dos mesmos estatuto!.
Escriptnrio da Companhia do Behe-
ribe 9 de novembro de 1861.
O secretario interino,
Justino Pereira de Faria.
CoDseltao administrativo.
O conseibo administrativo para (oraecineato
do arsenal de guerra tem de comprar os objeetos
seguintes:
Psra o 10 bstslhao de infantera.
6 reamas de papel slmace pautado.
6 caixaa de pennss de aro.
200 peonas de ganco.
2 caivetes.
6 garrafas de tinta preta para escrever.
6 duzias de lapis de pi.
6 librss de arela prets psra escripia.
36 exemptsres de collecoes de cartas para
principiantes.
36 taboadas.
12 grammaticas portuguesas por Monte Verde
segunda edicao.
12 compeodioa de arithmelica per Avila.
12 pautas.
36 traslados.
6 podras para escripia.
18 lapis para ditas.
3 reguas sorttdas.
Quem quizer vender tses objeetos aprsente aa
| suss propostas em carta fechada ni secretaria te
conselho s 10 horas ds naabia do dia 18 oa
corrente mez.
Sala das sessdes do conselho admioistrsrrve,
para fornecimento do arsenal de guerra, 11 de
norembro de 1861.
Bento Josi Lamenka lias.
Coronel presidente.
Francisco Joaquim Partir Late,
' Coronal vogal secreta rio iatariao.
Faz-se publico que foran apprehoaditea
pela delegada do termo de Nazarelh testa pro-
vincia e se scham em deposito an cavado rease
cardao,e o outro alasi de elioas braoeat. Qoesa aa
julgar com diredo aos meemos aproaseis aa a
mesms delegacis queprovando o sea doniato taca
serio entregaos. Delegada de polica te luna
de Nizareth, 8 de novembro de 1861 O capitio
delegado, Francisco Antonio de S Barrosa.
De ordem do Illm. Sr. inspector da laesa-
rarla de fazenda desta provincis, aa poetice, para
conhecimenlo dos ioteresaadee, a relacie abada
transcripta dos credores da dividaa te eniiiaiea
(indos na importancia total de 4:3799976. caja
pagamento (oi autoriaado pela arden de laaaaa-
ro nacional n. 167 de 92 de ootubro adiase.
Secretaria da thesouraria de fazenda te Per-
nambuco, 12 de novembro de 1861.ensate da
offlcial -maior, Manoel Jos Pinto.
Relacio dos credores de dividas de exercicies fia-
dos, ji liquidsdas cajo pagamento ten te as*
effectuado na thesouraria de tazenda te pro-
vincia de Pernamboco por coota da saterna-
;o concedida no art. 1* 19* a. t do detraes
n. 1149 de 21 de selenbro de 1891, eacripta-
rsodo-se a despeza no exercido te 1891 a 62.
NOMES.
Fielden Brothers, emprezarioa te
illuminaeio agai.................
Francisco Jos da Rosa.............
Fraocisco Jos ds Silva Pereira.....
Jos Ferreira da Silva...............
Joto Carlos Augaato te Silva ......
Fr. Jos de S. Thomaz de Aquiao..
Antonio Francisco Dias..............
Feliciano Benedicto do Sacraneato
Fraocisco Caldas Lino...............
Francisco Xavier Pessoa te Alao-
querque..........................
Habello Florentino Crrela te Mella
Joaqun da Cunha Cavalcand......
Luiz Borges de Cerqedra...........
Msnoel JoidaTriadade............
Marcos Crrela da Camera Tanaa-
riQQOa. iiliiiMiiiiiitttititt
Tito de Barroa Cerreia..............
AQonso Hoaorato Bastos............
Antonio Pereira Gil a Jeee Maxinia-
ae Soa ras de Avallar.............
Comptnhia Peraanbacaaa..........
Fraocisco Jos Garateas............
Gald.no de Lina....................
Gualtre Marlinieao de Aleaear Ara-
^ njrli.niMMiii s aos eefcea eea
Henriqae Eduardo te Cesta Gana..
Joio Antonio da Silva..............
Joio Domiogues da Craz...........,

ka' aa. -I. _
TTT




^B
-'- Banana


>
ln& .-
*
J
******* o* mmmionim.
Jos doa Santos Nones Lima........
ttAiaVSSi::;;:;:::::
MaumUn* da Concohjio............
Pedro Velho de Si Barreta.........
Aureliano Augustod OltosfcV......
JAcuo Ctvaleeotf de So...,
f*BCi,wGiaM86 do Amaral
Jo., m H.golino toSaiv. ft^1
Joaq*im Fraoeieeo daPauJa.T^
.II. Leopoldina M*nteiro!:.~ ''
"laa(loroVekaUas......
168
60S000
40|336
30I68
o Rio
0 brtga ..cioM,
20|168 <* 4^|
1IHM
ros A
Crnz n. l.
que te toma enfadoubo 1 lencionar, na
mesma occasiSo sera' ve
Ele gafjMfu com

aH Feli ^e^gacja de poiicia do
distneto da piga, ftr..e trabuco,
que se acha recoDiido a cata de detenqao
*tm preto de nome Eduardo, que da
pertencer a Yictono Pereira Maia da
Provmcia 3a Parahiba, de cujo poder
*gpra desde 1847: quem sejulfftr com
*rerto ao dito escravo, compareca na
m* sboelogaciar que apreientan-
- ocurnentos combrobatorios do do-
mo legal Ihe lera' eatre-gue,Sub-
delegacia de poiicia do districto da
Capunga, l&de noTembro dte 1861.
Manoel Gentil da Cotia Airea.
inspec^o do arsenal de ma-
rinha
sfai"ILfb,ic' p?r este ,rw,'V commis.
eaepeviltoexaminanda n forma determinada
o regaiaoiento annexo ao decreto n. 1,324 de 5
de fevereuo de 1851, os vapores Persinuoga e Ja-
giianbe da esmpanhia Pernambacana de navega
ci coaletra, achou-os en estado de poderem na-
?egar.
InspeecS do arsenal de msrioha de Peraam-
duco em 15 de mmirabro de 1881,
Hermenegildo A. Barbosa de Almeida,
Inspector interino.
THE ATEO
m
pretenda sen^jlualidaefe: Terca
co^^U^^^^jJX ,kr; SamPaiocont'Su*<*oSr.Bra-
As 10 e meia horas tara' postado
um mnibus para oojtduzir os passagei-
ros que quizerem oiicorrer ao leilo.
t

DeiefpSTmu trnra cadena preta coa n ps e
i? TeriM,hM. cora duaa pintas tamben ver-
metbas sobre o* olhos, oralhas aviadas, accode
de Atlanta : que a Segar lere-a a
Riod#iJ>Miro
a-I1? nacional Coneeicio pretende sshtr
da 8 atoma,,. reta* oseravo frote.
Acarac.
O vapor IguarastS, da companhia pernam-
oaeana, na ana prxima viagem de IB do cor-
rete, seguir para o porto do Aetrae para lar-
ga* ali. qaalqner aejtoao 4
roa.
feffiKflftsy
REAL ffl>milHtt
DK
esinglezesavapor
No da 14 do correnle eapera-ae do sul o ra-
par Magdalena, commandante Woolwacd, o
quei depon da demora do coalume seguir para
Soutbampton tocando nos portos de S. Vie*sie
eLiaboa.para passagens etc., dever-se-ha tratar
com os agentes Adamson, Howie & C roa do
Trapiche Noto .t.
N. B. Os embrulhoa a se recebem al duaa
liaras antes da se fecharem as malas, ou pagando
as palacio alem do reapectiro rete, urna hora
otes.
Para Aracaty e Ass.
Hiate Smto Rita sahe eom brevidade trata-se
caso Martina 6 Irmlot.
BE
Santa Isabel.
Companhia dramtica stb adirecco do
artista (fermano.
Beclta extraordinaria
EM BENEFICIO E
6H11AN0 FRUICISCO DB OLIVEIRA.
SABBADO 16 DE NOVEHBRO OE 1861.
A orcheatra, dirigida pelo Sr. Colas, execu tari
urna eecolhida aymphonia. que servir de intro-
dcela repreaentacao de excellente drama em
qeairo actos, ornado de msica,
FAMILIA NIOREL
OS
MISTERIOS DE PARS.
DENOMINAgAO DOS ACTOS.
I.*A Hrtade e a hrpocrisia.
2 A miseria e a loucura.
3.O opio e o castigo.
?A felicidade e o amor recompensado.
PERSONAGENS.
Moro!, official de lapidario..... O beneficiado.
Magdalena, sua mulher........
Luna sua fiiha................
Bodolpho.......................
Germano........................
.Trmetro mcinnho..............
Segundo meirioho..............
Jacques Ferrand, taballiSo.....
A douda........................
Um commissario de polica....
Pedro, medico..................
Bisoleta........................
Dous meninas, convidados, etc.
Terminar o espectculo eom a gracioaa a mul-
to applaudida comedia em um acto,
ROSITA
OU os
Apuros de um sludante,
na qual a Sra. D. Manoela desempenha quatro
dilTerentes papis.
Coraegar s 8 horas.
O beneficiado espera, como sempra, o apoio e
rolecco do publico-, quem de ha muito tr-
ala respeite e gratidio.
COBPirmiI BRASILEIRA
DE
awa purtoa do norte esperado at o dia 16
do correte o vapor nacional Apa. commandan-
te A. P. Coosel, o qual depoia da demora do coa-
tume seguir para os portos do sol.
Desde jrecebem-se passageiros, e engaja-se
a carga que o vapor poder conduzir, a qual de-
ver ser embarcar no dia de sua chegada : agen-
cia ra da Crue n. 1, escriptorio de Aievedo &
Mondas.
Hoe 13 do cowreote.
O acanto Pialo laja leilo, (M coala o sise de
qaaaa af rtenedr aa 11 horas do dia cima mea-
clonado-, da armario, 5 du/iis de garrafas- casa
oarvaa, 1 cwtolra, 2 cadelras e o.troa objectoe
sustentes no deposita da ra de Sania Crac n.
n, oapreteadaitcsiaadatia mm j examinaros
......obiteesa qaaasaai iwdados sem reawrva
* proco
DE
CI1PANHIA PfiRNAMBUCAIU
B
D. Carmela.
D. Manoela.
Vicente.
Teizeira.
Hijmuuilu.
Campos.
Nunes.
D. Jeauina.
Leite.
Valle.
D. Isabel.
Aysos martimos.
em direitura.
Segu para o indicado porto o bera conhecido
fcrigue escuna Graciosa, capilo Joo Jos de
Souza, por ter parle de aeu carregamento adisn-
tado; para o resto trata-se com os consignatarios
Almeida Gomes, AWes l Q., ra da Crui a. 27.
Maranho e Para.
Segu cora brevidade o hiate Lindo Paque-
te por tpr grande parte de seo. csrregamenlo
contratado ; para o reato trata-se com os con-
signatarios Almeida Gomes, Alves & C. ra da
Cruz n. 27.
Pai o Ass segu o hiate Sergipano,
oestes dias por j ter parte do carregamento
prompto.para o reato que falta quem nelle quizar
carregar dirija-se ao capito no trapiche do
algodao.
Para Lisboa
O patacho brasileiro ojulio pretende seguir
para Liaboa nealea oito dias, tem parta de aeu
-carregamento prompto : para o resto que lhe
falta, trata-se com os seus consignatarios Aie-
vedo & Mendes, no sau escriptorio ra da Cruz
oumero 1.
Para
Urna armado de taberna
Sabbado 16 do corrente.
O agente Pestaa vender por coBta de quem
pertencer a armaco da taberna e pertencea aita
na rna Direita n. 113, pelo maior preco offereci-
do: sabbado 16 do corrente pelas 10 horas em
ponto na mesma taberna.
LEILO
DU
Farinha de man-
dioca.
Quarta-feira 20 do corrente
O agente Pinto rar leilo por eenta e riaco di
quem pertencer 9 sem reserva da preco de 1,200
saecoacpm farinha de mandioca, aa ll horas do
dia cima mencionado no trapiche do Cunda;
LEILO
Com esplendido Junch.
O agente flyppolito autorisado por
urna familia estraageira que se retira
para lora do imperio,fara' leilo de urna
splenfflda mobiUa de Jacaranda*, guar-
daIoinai, guarda roupai com epeho e
asm elle, urna excellente secretaria de
Jacaranda', camas de ferro para casal e
outras, ua excellente carrmho ameri-
cano cayallo, bjectos de porcelana,
o f?^?i^* fcr~ %" *cias, um
C da C. Moreirs & Irmo, ao lado do Corpo San- excenw quadro de oleo representando
* n- W caclipcira de Pauio A8bn$oo de
em direitura o hiate Santa Cruz, recebe carga
frete : a tratar eom Caelaoo Cyriaco da C. M. 4
Irmo, 00 Uno do Corpo Santo n. 3.
Navegado cosleira a vapoi
O vapar Persinunga, commandante Moura,
sahir para es partee do sul de sua escala no dia
20 do crtente mei as 5 hora da Urde. Recabe
carga at o dia M aa ateto dia. Passageiros e
dinheiro a frete ele a dia da sabida as S horaa :
eseriptorio ao Forte de Jlattos n. 1.
I K
lUu
COMPANHIA PERNAMBUCANA
ai D1
Navegago costoira a vapor.
Paralaba, Rio Grande do Norte, Ma-
0 vapor elguarasi, commandante Vianna,
aahir para os portos do noria de aua escala
al o Cear no dia 22 do correnle mes s &
horas da tarde.
Recebe carga al o dia II ao mei o dia. En-
commendaa, passageiroa e dinheiro a (reta al o
diadasahida as | horas: escriptorio no Far-
do Mallos 0.1.
Companhia Pernambucana
O vapor lguarass,;que tem de seguir para
o Cear tocar no Acarac, para largar qualquer
porcao de carga e passageiroa que para all naja :
a tratar no Forte do Mallos n. 1.
Lisboa,
Sahe impreterivelmente at o dia 23
do corrente, a muito veleira barca Li-
ma I, s recebe passageiros para os
quaes tem excel lentes commodos e p-
timo tratamento : a tratar com os con
signatarios Carvalho, Noguetra & C,
na ra do Vigario n. 3, pi i mei 10 andar,
ou com o capitao na praca.
L^iles.
LEILAO
DE
Bonsescravos.
A 16 do corrente.
O agente Oliveira faa leilo pee autorisaeao
do Illm. Sr. Dr. juiz dos orphos desta cidade a
seu termo, de 6 ptimos escravos, muito aadsos
e ioteirameote affeitos ao serrino de armaaam
de asevear, om qae orea conatactemente om-
pregados palo laado Delfino doa Aojos Fereira
e sendo parteneentes aos-beoe desie :
Sabbado 16
do crtente, ao meio dia em ponto, no escripto-
rio do meamo agente, por cima do armazem do
faiendaa do Sr. Heory Gisjaon, na ra da Cadeia
do Recife.
Importante
DE
Movis americanos constando
de ricos guarda-roupas de
mjgno, mesas redondas
com tampos de marmore,
mesas elsticas, costurei-
ras, estantes para livros,
secretarias, cousolos, com-
modas com armarios, ditas
com espelhos, ditas com
podras, apparadores, sjo-
lumuas para p de caaifl,
camas francesas, U41e|ts,
bancas ptrftiogrvv porta-
toalhas, cadeira de baian-
90^ topoaelores de fetios
modernos etc., etc. Objec-
tos para quartos, camas de
casal, coinmodas, lavato-
rios, iezinkas e cadeiras.
senffo esles ODjeotos de gos-
to inteiramente modernos,
espelhos com molduras
douradas de todos os tama-
nhos etc.
Terga-ftira 19 do corrente.
Aotuoea far leilo em seu armazem na ra
do Imperador o. 73, dos ricoa e bem acabados
moveij americanos cima mencionados, para o
que couvidaa tolas as pessoas que gostam de
nnir a comroodidade do prego a perfeicao da
obra, que nao deixem de concorrer ao referido
leilSo, que alen das pee^a aupracitadaa encon-
trado ainda muitos objectos indispenssveis a
orna casa de familia. Comecar as 11 horas em
pooto.
Avisos dTersoa.
Furto
Furtaram de Beberibe um cavallo castanho es-
curo, cabaao, 4 ps pretos, inteiro, com 2 calos
dos lados, urna estrella na testa, mas pequea :
a pessoa que delle der noticia na Torre a Joo da
Ponte Araujo, no Forno da Cal a Joo Coelho
de Almeida, na Pente de Ucha ao Sr. Guipes.
ser recompensado. v
ra da Pen
A Sra
ra&rafctr
neellos, che-
gada ltimamente de Liaboa, dse i i (aliar com o
Collegio de Bemfiea.
Naste eatabalacimento precisa-sa de una ama
governaol, qwe teoha honeatid.de a probidad.
. ~ *J** Luis Pacheco declara ao Sr. Bandeira
4 Barbosa, que nada lhe dere, viato ler recibo
4a saldo de cont.s.
Antonio Jos Rodiigue de Souza
aluga seu sitio do Monteiro, o qual
bastante fresco e tem bons commodos :
A tratar m ra do Crespo n. 15.
Quem qaizer arrendar ou comprar o engeoho
napirema do Meioaa comarca de Goianna ou as-
ronaar o eogenho Souza na fteguezia da Taquara
-aspreviocia da Parahyba, o aesmo comprar
ws de motada deate eogenho, porlencenta aas
nerdeiroa do finada coronel Bsteio Catalcanti
^nu,1,w"^" dlrija-se a ra eatrejia do Roaario
a. lo 3 andar ou ao eogenho tab na fteguezia
da Taquara. ^^
-v Engomma-se magniQcamente e por preco
"te razeavel ; na ra da Gloria n. 96.
Maria Joaquia de Sanl'Auna, florisia. re-
sidente na ra da Roda o. *, pede ao Illm. Sr.
;a4eainietiedr e maia empreados do correio des-
ta cidade, u obsequio, paca que as cartas que pa-
ra ella sejam remettidas de qualquer porto do
inperio,a*>jam somonte otreguea em casa
cima declarada, ou na pra?a da Independencia
n. 5, laja de violas de Antonio GoBcelvea da Bar-
ra. O meamo pedido faz aos senhores capites
ou mostrea de embareacoes que naveguem 4o
Cear ou Aracaty, d'oade coostaotementa rece-
be cctea e ancomasenlaa ; (as 0 presente an-
nunci e pedido, para avilar a couiiouacao de
oulra peasoa tomar conti de carta a aocommen-
des qae para ella tem aido rasnaUidas.
O Sr. Samuel Brlsbarr (om urna aocommen-
da na ra da Cadeia do Becife- a. 41, e como se
ignore aua morada faz-se o presente anauncie.
Aluga-se o terceiro andar da ra Nova n,
23 ; a tratar na loja.
AUejjco.
sita na
DE
Saiule.
O Dr.
Kio Grande do Sul
segu no dia 28 do mei correte o patacho Bom
Jess ; para o resto da carga que lhe falla, tra-
ta-se com Caelaoo Cyriaco da C. M. & Irmo no
ado do Corpo Santo n. 23.
Para Loanda.
Segua com a possivel brevidade o brigua por
tuguez Viajante : para o resto de carga e pas-
sagens trata-se na ra do Vigario o. 19, primei-
ro andar, com o consignatario J. de Aquioo Fon-
seca.
Rio de Janeiro.
0 hiale Ptedack segu no dia 15 do correte,
s recebe eacravos a frete : a tratar com Casiano
Ignacio Firme Xavier faz publico que
tem reorganisado a saa casa de saude, na grande
casa, propriedade do mesmo sitio em tjue exista
o seu antigo eslabelecimeoio dessa ordem que
Oca ao norte da estrada da Passagem da Magda-
lena, eotre a ponte grande e a pequea do Chora
Menino, oode contina a recebar eoentes de am-
boa os sexos e diversas cathegoriss, Caneando o
anelhor tralamento, ludo pelo pieco mais com-
modo.
O mesmo doutor psra mais commodidade das
pessoas possuidoras de escravos, ou que se qui-
zerem tratar em seu estabelecimento tem deter-
minado a diaria absixo declarada.'
As operaedes sero por previo ajuate, e nao
tarao parte das diarias assim como as conferen-
cias, e sanguessugas. Podendo o doente tratar-
se tambera bomeopathicameote, para o que ha
commodos separados.
O servico medico ser feilo pelo distinelo eirur-
Bio do grande hospital Pejro II, o Illm. Sr. Jos
Francisco Pinto Guimarea, e o doator propie-
tario do eatebeleciaaente, praticando-ae ahi toda
o qualquer opera^opor precos muito razoaveU.
Ust estabelecimento torna-se recommeodavel,
| pela boa cesa de que dispe, como pelas con-
dtcoes bygienioes em que ee acha situada, pro-
vado isso pelo crescido namero de doeoles ahi
O seu proprletario espera, .portaoto, dos seus"
amigos, sntigns fregueies, e mais peesoas, o sua
cooperac&o em bem do progreaao de to til co-
mo neceeaario estabelecimento, parausado por
dio poder elle achar-se sua testa, em virUHe
de haver aido aeeommalUdo de urna grave enfer-
midade, porm boje que ee acha completamente
restsbelecido, prometteesforcar-se na boa ordem
de sua casa, e na direceo de tratamento dos
do so ^s.
Diarias Keeraves 1*600
2.* ordem tpOOO
1 ordem SpOO
Para entrada dos doentea ae deverio tratar
com o referido Dr. Ignacio Firmo Xavier, na ra
Nova de Santa Rita a. 7, sobrado de um andar
cosa fraate pare a ribeira do palie, ou no seu es-
abeleeieaento a quilq.er hos. ^
O dentista Numa Pompilio.
Ra estreita do Rosario n. 32, pri
meiro andar,
plaeta denles pela preese do ar, por molas e li-
gadura, e faz todas as operacoea de sua arte.
Offereee-ae para todo servico de urna casa
estriogeua urna ama : qa na do Torres o. 8.
-Ts f "a *' igoado deaapprecee
? n,"6'*-' *0,to PM, Theodoro.
eaeravo do 111. Sr. teaeote coronel Francisco
Santiago Ramos, o qual tam os aegulntes sigoaes:
representa 30 annoadaldade, crioulo. alto, aecco
pouca barba, e cozieheiro.: quem o pesar le-
vedo a ra das Triucheiras o. 48. ou ao engeoho
Armazem.
Aioga-se e armazem do sobrado da roa daa
Lar.ogeiras u. 18. proprio para qualquer esta-
belecimento : a tratar na meama n. 16.
Precisase de um homem idoso que queira
se applicar ao erHca moderado de um mui oe-
quio sitio : a tratar na ra da Imperatriz, loja
..7.P2*" qu,?er **r 40 P'eniio palo Juro
$l^l't. ( Aluga-se urna casa terrea para grande fa-
milia : aa ra Augoata o. 92. *
t, TT Na rt? do A,morilD armazem de Guimarles
4Alcoforado preclaa-aealugar um preto que sai-
Da cozmhar, e se preste a outros aervicos de urna
easa de pequea familia.
J" Alu8- etxellente sitio na estrada dos
Afilelos defroote do Sr. teaente-coronel B.rata
ue taz quina com o becco do Espinheiro : a tra-
tar coraGuimaraes & Aleoforado por orden de
sua propietaria.
Precisa-se alugar urna preta esorave para
vender na ra : no Corredor do Bispo a. 15.
i~ R celino Souie, subdito portugus.
r~ Aluga-ae um ptimo armazem, e oprimei-
ro andar do sobrado n. 62, sito na rui da Guia :
a tratar na ra de Horlas n. 14.
Precisa-ee ama ama forra ou captiva para o
servico interne de urna casa e compras; a tratar
5E "1",1 n* 5- "* casa terrea depois
do sobrado da fabrica do vinagre.
Perante o julz de paz da fregoezia de S. lo-
se, tem de ser arrematado no dia 19 do corrente
nraa duza de cadeiras e urna meaa de meioee
saia, tudo de Jacaranda, por execuco de Joao
Antonio de Oliveira contra Vicente Jos da Costa.
Um moco pOTtoguez, gusrda-livros de urna
casa commercial, por motivos deseja desla sahir
para se empregar em urna outra : qualquer se-
nnor negociante que se queira ulilisar de seus
servaos, deixe carta fechada na typograpbia dea-
ie iario, indicando a sua morada sob as iniciaes
A. D. C.
O Sr. Joo Jos da Costa e Silva tem urna
carta em casa de Almeida Gomes, Alves & C.
ru da Cruz o. 27.
aaTVBlM
DA
AUGUSTA CASA IMPKElALi *
Retratos por aabrotype, por melainotypo, so-
bre panno encerado, sobre laico, especiaes pare
pulcetras. alfiletes ou cassoletaa. Na saesma
casa existe am eompleto e abaadante saiUmento
da artefactos trancezea e americanos para a col-
locaco doa retratos. Ha lamben para este mea-
mo um cassoletaa e delicadoa alunetea de ouro
de lei; retratos em photographia daa principaes
persooagena da Europa ; atereoscopoe e vistes
stereoscopicas. assim como vidros para ambrotypo
e chimteaa pbotographicaa.
" &TAHL k C.
RITRATI8TA MIS. M. OIIPERAMR
Una da VmpcrauVz
iiumt>rn 14.
Tencionando retirar-se prxi-
mamente desta praca pirticipam
a seus fregueses e amigos como
em geral a todos que podem,
precisar do seu officio, am de
que aproveitem do pouco tempo
que os annunciante podem aia W
da dispor para a eaecucao das #
encommendas com ai quaea tt
queiram honra-Ios. 49
Agradecendo nesta occasio #
ao Ilustrado publico desta capi- f|
tal o bom acolhimento das suas A
obtas, decidiram se a por estas f|
ao alcance de todos introduzindo s9
urna considera vel baixa na maior fi
t parte dos seus prec e esperara
que o desfalque que disso Ibes ti
t resultar sera' compensado por 0
una augmento de concurrencia. A
mmmmmm
i M>epta-
poeaivot
- os ntrariaaa eV
pretende vender tudo por ntlaa 4*
Na offleina de concert de ca
Vista, roa do Pires, anga lenda doGroia du
ocoii aufflcienSemewe hsbiliUdee e i?k*'m7Z
nhecidos. continuam no exercicio da aies
r.m.',M? pewaw1e de aeu* pr-sttme.
rem utiliaar. encoatrarlo prmica* a*
commodidade nos precos, resaonaaailsvnOO- aonuociante por q/iafquer obra qae n*T
Engomma-se roopa, nao ti riada
;J l\n Uvr: no de Saata Risa i
Oma pesaoa qoe tero da maadar aa *
lia psra o mato, e oso lbe sendo
zir daas mobilias e o/iasi todos
casa, pretende vender tudo p<
valor, sendo a mobiha da frente mi
de jscarand e pedra, e a inferior de oleo .
com o Sr. Mendea. Tambero ae traspaasa o
damento da meama casa em qae esleta a
liae, pois grande e ten noiioo ton
graode familia. mm
~Z D"ie 3:500* i"01' d"d f propnedades nesta praca : qaen eaawaai
efe por esta folha para aer proearaelo.
Aluga -se urna casa ene Un con
Sande familia, com alguna arvorooa do
m baixa do eepin, ae faca t> Pin alia,
pesaar a feata, em frente a caea sw Sv. Sju
am sobradiobo na cidade do Olimt, roa Ao
m : quem pretender, dirija-* 4 Poro da Pos.
tas, a (aliar com Manoel da Silva IIstbi.
Gaia n. 55, pintado da novo
Nova n. 4.
Precia-se de om mtatoa ame toaba
ee de tabora. : aa rae do Raigal H.
- abano aaaigoado faz acioate ao n
vel publico que do dia 10 do correle
de aer aeu caixeiro o Se. Manoel de M
poao. Recife 15 de novenbro de \S$V
Francisco Jos da Coala ibeira.
Na raa da Praia o. 10, fftrian ae '- r,
os senhores Bento Jos Anluoe Pereiri Fm^bT
co Jos Ferreira das Mrvea. Maaoelda Crea asar-
nos, a oegocios de seas olaressoa.
Preclee-ee de ama ama (erra o caetiv
pera o aernco de coziabar e conatar
Imperador n. 37, segundo aadar.
ealrada a
Sement de algo-
dao da ilhade
Fernando.
Tendo se reconhecido a superior-ida-
de do algodao da ilha de Fernando, S.
Exc o Sr. prndente mandou vir por-
reo delta para ser distribuida pelos Sra.
agricultores desta provincia, os quaes
pornou seus correspondentes podem
mndala buscar na livraria n. 6 e 8 da
prac,a da Independencia, remetiendo
seus nomes e lugar da moradia.
Aluga-se s casa terrea da ra do Moadego
0 '"'" D0 becco das Ba"e>ras n. 2.
Pecisa-se de urna ama que saiba cozinbar
a comrprar; na ra Nova o 33.
Os abiixo asignados teuhara a bondade de
spparecer na ra Nova n. 21. loja do Germano.
Jos Antonio Ferreira da Silva.
Francisco Xavier Venancio Pimenta:
Pedro de Asis Campos.*
Razebio Bezerra Csvalcanti.
Maoo6l Rezendo do Reg Barros.
CONSULTORIO ESPgCimBOMEOPATUICO
SABIN0O0. L. PINHO.
Kuade Santo Amaro (Mundo
Novo) n. 6.
Consultas todos os dias uteis desde as 10 horas
ate meto da, acerca das seguales molestias
mofanos datmulheres, molestias das erian-
(as; molestias da pella, molestias dos olhos, mo-
lestias syphilitieas, todas as especies de febrss
febres ntermitttntes t suas consequencias, '
"ARSUCU ISPICUt HOMEOPTICA .
Verdadeiros medicamentos homeopathicos pre-
parados som todaa as cauteles aecossariaa in-
alliveis em seus affeitos, tanto em tiotura,como
em glbulos, pelos pregos mais commodoa pee-
11 vBIS
N. B. Os medicamentos do Dr. Sabino sao
nicamente vendidos em sua pharmacia : todos
le o forem (ora della sao falsas. '
Todas as carteiras sao acompanhadas de
um
!
i
s
S
Precisa-se de :000# a premio de 1
porceeto ao mez, eom hypotheca em
predio ou predios desembarcados a es-
colher(por 15 mezes] pagando-se os ju-
ros de 3 em 3 mezes : quem coovier este
negocie falle ao Sr. Jos Goocalvea Fer-
reira Costa em Saoto Amaro.
Cavallo furtado.
DositioTorrdes.fregueziada Varzea. furtaram
na noite de 11- para 12 do corrente, um quario
com os signae seguintes : orelhas cabanas ca-
niz pretos, cauda e clin, leve uma sobrecaoa
em urna-das raaos, slgumas piotaa de pedrez, pea-
coco fino, ioleiro, barrigudo o baatante pesado
bota as dinas direita, carrega obrigado, abert
de baiio e de cima, com um ferro.
Na padaria da ra dos Quarteis n. 18 con-
nua-se a vender o excellente pao a 1J0 rs. a Ii.
ora, de mei libra para cima, bolaebiaha a 100
/Me 140rt. a libre. 1, 2.' e3.;. farinha 1.1
qualidade a 140 rs..2. a lty rs.. 3 a 100 rs. a
UOrs. bolacninha done a 110 rs. a libra, por ar-
roba 4. araruta a 240 a libra, o proprietario
desta padaria ainda tem para dispdr terreno para
mais de Meiaas de30palmos com 150 de fun-
do : oa pretendentes podem enteoder-se com o
mesmo proprietario que todo negocio far 4 visia
do lugar que escolberem.
- Manoel Antonio de Jess.
Precisa-se de dous amasssdores que enten-
dam perfeitimente dos trabalbos de padaria a
tratar oa ra larga do Rosario, padaria n. 16.'
Um rapaz de boa conduela deeeja-se era-
pregar em qualquer estabelecimento, tanto nesta
pre?a como para lora, tem alguna pratiea do
cammercioe daador a sua conducta : quem de
seu prestimo sequilar utiliaar, dirija-se a rna dos
Pescadores ns. 1 e 3.
Na ra da Cadeia do ftasife n. 41 deseja-sa
fallar cora os Srs Manoel Jos de Oliveira Lima
e Manoel Joaquim Alvares de Oliveira a negocie
de aeu ipterease.
O Dr. Job Honorio Bezerra de Meoeeea
mudou a sus residencia para a roa de Palacio de
Hispo, casa contigua ao portlo do Sitio do Dr.
Antonio Loiz Gavalcanti.
No da 8 do correte perdeg-seds ra Nova
at a ra da Cadeia do Recife um brilhante :
quera e achar e quier restituir a sea dono pode
Angir-so a ras do Viajado n. SI, qua se dar a
recompensa. *
impresso com um emblema em'relevo, tendo ao
redor as seguintes patarras : Dr. Sabino O. L.
rinho, medico brasileiro. Este emblema posto
igualmente na lista dos medicamentos que se pe-
de. As carteiras que nao levaremesseirapresso
assim marcado,omboratenbam natampa o no-
" do Dr. Sabino ao falsos
pro? a
niZ r ? X0 M,0,d '* nicio Cavalcanti de Albuquerqua -rrcnauTaAm a_
barreira de Santo Amaro, que lenha a wvmtam
r..TirC.nf ir 2 n.egodo ,', enhr Ua-
tou caocluir e 2 de ouiabr. do correato aven.
Kecue 15 de noverobco de 1861.
Joaquim Fernandos de Olivis.
-- Aluga-se pelo teo>po da feata ana eeeo casa
Daantes commodos para familia. coacorioAo
piolada de novo, com um peqa'ono nli tan.
bastantes arvoredos de fruclo o cariaba *
para beber-ae, oa Capaaga Nova portao d<
do Sr. Dr. Pereira do Carmo, a aa chava
opposlo em uma taberna e a tratar aj
Becco Largo n. 1 A.
Deseja-ae saber noticia de Sr.
Ferreira dos Santos Porto, nstaral de
no escriptorio de Aievedo A Mondes.,
Aviso aos Srs. de engento.
Quequasi sempre gastam a manteiga
derretida pelo grande calor.
Sodr 4 C oa roa estrena do Roaario a. 11 a*
obrigara a despachar enconnonaaa
qoe chegoe a mantoiga en eetade 4
com faca corno na Earope o para qua
muito mais deliciosa.
Atlencao.
A mesi regedora da irmaadade do S. Crnain
e Crispiniano, erecU no convento o Caras fas
ver o respeitavel publico qoe transiera a "
ra o da 24 de novembro.
Nesta typograpbia se dir qaen v
obras completas de Cicero, tradadae ees
por D. Nisard, com o texto lata vista.
Um boi.
Desapparecen da ra da Concordia en a a<
de 13 do correle, ttado quebrado a corla
boi em grao, de cor preta e ntito novo. a*_
em um dos quartos oma malha osWaaeaa
pelo fio do tombo cor vermelhace, de boa Uano-
oho e bsatanta gordo, baaUalo coubct1o aor
ir.b.ji*, .o. tmmajmr aCerie :
o pegar o levar a ra do Iaaperador a Si, oo> i
cordia n. 61, ser generosamente gratificad*
m .u'pooer B B ^" ^
Alten^ao.
hA'k'^ coeb"d'elem de ponte da povo.c>
de Beberibe continua a receber carrea a cvala*!
Attenco,
Compram-se crioulos de 14 a 20 an-
nos, bem pretos e sem deleito, nem mo-
lestia, quem os ti ver notas dixusmatan-
cias, pode dirigirse aotrapixeda cosn-
panbia, na praca do Corno Saoto, que
achara' com quem tratar, e pagam-tv
bem, para o Rio de Janeiro, tamben se
compra alguma mulatinna, de 16
annos, sendo bonita e prests
al
Dentista de Pars.
15 Ra Nova 15
FradsricGautier,cirurgiaodentisla,faz
todas as operaedes da sus arte ecolloca]
dentessrtificiaes, tudocom a superior!-!
dada ep srfei^o que as pessoasentendi-i
dss Ihereeonheeem.
Temagaae psdentifriciosetc.
Aflaaces de pia-
nos a 3|000.
S. Boisselos previne aos seus fregnezes que se
encarrega de afinar pianoa ; para que o annun-
ciante possa acudir inmediatamente aos chama-
dos, faz-se preciso doixar a ra, o nome da pes-
soa e o numero da casa ; vai tambera aos sitios
e a engenhos por precos convenciooados : pode-
r ser procurado na ra da Cadeia do Recife o
18. primeiro andar, e ra Nova n 9, loja do Sr!
Domoot.
Pilulas Paulislanas.
Cinco feridas medonhas.
Em uver des pilulas paulislaaas declaro que
estando com cinco feridas medonhas, provenien-
tes de molestias secretas, aarei em menos de 15
das com as aberradas pilulas doSr, Carlea Pe-
dro Etcneeoin, devS. Paulo. Fellies dos qoe pro-
curaren o mesmo medicamento.
S. Paulo 21 de Janeiro de 1858.Antonio Pe-
UFP0S1T0 GBRAL.
128 ruado Parto II.
Hit de Janeiro.
Em Pernambuco, na pharmacia do Sr. Jos
Alexandre Rbeiro, ra do Queimado n. 15.
Traspassa-aeo arrendamento da caaa o. 30
sita na rus Nova, com uma armacio de louro
com gran les commodos : a tratar na mesma. '
Alug-se o primeiro andar da ra da Im-
peritriz n. 43, com mullos commodos, e tanaem
a loja ; a tratar na ra do imperador n. 67, no
segundo andar.
Offereee-ae para caixeiro da qoalqoer caaa
commercial uma pessoa, pois que tem alguma
pratiea de oscrifturaco por partidas dobradaa :
quem precisar aonuncie para ser procurado, ou
dirija-se a esta lypogrjpha.
Jos atarla Aires retirt-se pareo Rio de
Janeiro.
C/>

3-Raa estreita da laaara~3
Francisco Pinto Uxorio continua a
locar dentea artificiaos tanto por meio en
w molas como pela prsalo do ar, ai re-
^ cebo paga alguma sem qoe as obras ai
^ fiquem a vontada de aeus dono, tosa neo
0 outras preparaeftea aa maia acreditada*
0para conservadlo da bocea.
O bacliarel Ruuno Coelbo da Sal-
va, por circumstancias imprevistas asi
a Europa, oode ofFtrece o seu pouco
prestimo aos seus amigos, doa quaea nao
se despede pessoalmente pesa precipata-
c8o de sua viagem. Outro sim, miaa
menda-lhes a sua candidatura a disnjia
cao provincial, e agradece a todos oa Sra.
elettores do primeiro circulo, que o bon-
rarem com aeus votos, aguardndose
para laz lo pessoalmente em feaemro,
poca em que pretende vohar.
O Sr. Joaquim Litas da Coate Wan-
derley. lbo do Sr. Joaquim Jos da
Costa morador nos Allictos, tenna a bon-
dade de dirigir-se a roa da Imperatriz
n. 16 a negocio de seu interesse.
Attenco
Burros para vender.
Esperare brevemente de MoBtessaku
um carregamento da cerca de 60 a
100 burros, os pretendentes qraras
apparecer na Pa do Trapiche o. S,
catapeRenr^ Forster 4 C.


(?)
thmi mm aa.iaa DUBIO H FlAilMOOO. 84B94DO 16 MMVIMIAO M 1M1.
t
j-
AUeieM
Jos V2 da Oliveira, natural da freguezia de
Santa Mara Magdalena de Gouvinhas eos Portu-
gal, aaaistente na ra do Hospicio o. 42 no Rio
de Janeiro, declara que lendo nesla provincia de
Pernambuco, ana feu lio de oo'me Joaquim Fer-
reira da Cruz, e oio leudo aua familia recebido
noticia tuai ha multo tempo, suppoodo que te-
cha fallecida, ueste intuito roga o especial obse-
quio, a alguna pessoa que o couheca, ou tiver
conhecido, de dar algumas informacoes a respel-
to oesta cidade de Pernambuco era casa do Sr.
Azevedo & Meles, ra da Cruz n. 1.
Rio de Jaueiro 24de oulubro de 1861.
Jos Yaz d'Oliveira.
Aluga-se o sobrado da ra da Aurora, hoje
pertenceote aea herdeiros do unido desembarga
dor Bocha Bastos, cora encllenles commodos. pa
ra grande familia : a tratar na ra do Crespo n
5, luja de Marcelino & C. _,._.___
Gabinete medico cirurgico.J
S Ra das Flores n. 37. 9
Serio dada aconsiltaa medicas-cirurgi- a*
m cas pelo Dr. Este vio Cavalcaoti da Albu- fj)
SJ> qu.rquedas6 a 10 hora da manhia, ac- a)
Oj) cudiado sos chamados com a maior bie- %
SB yidade possivel. #
! Parto*.
tj) 1. Molestias de pelle. #
m 3.* Mea do olhos. %
m 4.* Idees dos orgaoa euilaes. ))
aa> Praticartoda e qualquer operacao emf
ai) seu gabinete ou em casa doa doantes con- ej)
sm forme Ibes fdr maia conveniente. a>
Manoel Aires Guerra saca sobre o Rio de
Janeiro.
Aluga-se o terceiro andar da casa
n.37, sita na ra do Amorirn : a tratar
na ra da Gadeia n. 62.
O armazem do gelo na ra de Apollo
11. 51, aberto de 8 horas di manhaa
at as 4 horas da tarde e nos domingos
de 8 horas at meio di a.
Os abaixo asignados administra
dores da massa fallida de Siqueira & Pe-
reira avisara aos Srs. credores que aira-
da nao maadaram os seus ttulos, de o
azerem at o dia 16 do corren te na ra
do Crespo loa n. 13 afim de proceder-
se a verifica cao dos mesmos.
Antonio Jos Leal Res.
Jos Moreira Lopes.
Sociedade bancaria.
Amorim, Fragoso, Santos & G.sacam e tomam
saquea sobre a praca de Lisboa.
Aluga-se-urna casa em Beberibe : a tratar
com J. I. M. do Reg, na ra do Trapiche n. 34.
Arrendamento
Traspasas se o arrendamento do sobrado e ar-
mazeos da ra do Trapiche o. 40, excelleote para
qualquer estabelecimento commercial de fazen-
das : trali-se na mesms casa.
Publica^oes do Iostituto Ho-
meopathico do Brasil.
THESOIRO HOSIEOPATHirO
VADE-IECII DO UOHfOPATUA.
(Segunda edic^o consi-
deravehnenle augmen-
tada.)
Diccionario popular de meticioa ho-
meopalkico
PELO BU.
SABINO OL.PINHO.
Coetinum as assignatoras para estas obras a
20*000 em brochura al dozembro. Desse tempo
em diante as assignaturas serio elevadas a rs.
159000.
Roa.de Santo Amaro (Mundo Noto) n. 6.
REMEDIO INCOMPARAVEL
UJNGUENTO HOLLOWAT .
Milhares de individuos de todas as nsgSes
podem tostemunhar as virtudes desteremedio
iDcoinparavaleprovaremeaso necesario, que,
pelo uso que delle fizeram tem seu carpos
nembrosiQeirameotesiosdepoisdehaTor em-
pregadointilmente outrostratamentos. Cada
pessoa poder-se-hconvencer dessascuras ma-
ravilhosas pala leilura dos peridicos, que Ih'as
relatam todos os dias ha muitos annos; a s
maior parte deltas sao lio sor prndenles qua
adaairam oa mdicos mais celebres. Qtiantai
pessoasrecobraran) com este soberano remedio
o uso de seus bracos e pernas, depois dedur
permanecido longo tempo nos hospitaes.o tas
deviam soffrer a amputado 1 Dallas ha mui-
cas quehavendo deixado esses, asylos depads-
timentos, para se nao submeterem a essa ope-
racao dolorosa foram curadas completamente,
mediante o uso desse precioso remedio. Al-
gunas das taes pessoa na enfusio de seu reeo-
nhecimenlo declararan estes resultados benfi-
cos diante do lord corregedor e outros magis-
trados, afinada mais autenticaren) sua a firma-
uva.
Ninguera desesperara do estado desaude ss
tivessebastante confianca para encinar este re-
medio constantementeseguindo slgnm tempo o
tratamento que necesstasse a natureza do mal,
eujo resultado seria provar incontestavelmente.
Que ludo cura..
O ungento he til, maia partleu-
mente nos segointescasos.
lnflammajao da bexiga
Sorvete.
Sorvete ao
Sorvete a o
Sorvete ao
Sorvete ao
meio dia e a ooite,
meio dia e a noite,
meio dia e a noite,
meio dia e a noite.
Na ra Eatreita do Rosario n. 11.
Na ra Bstreila do Rosario n. 11.
.Na ra Estreita do Rosario n. 11.
Na ra Estreita do Rosario o.
De Sodr & C.
De Sodr G.
De Sodr & C.
De Sodr & C.
11.
Macas.
Do gello,
Do gello.
Do gello,
Do gello,
Nova
Nova
Nova
Nora

remessa
remessa
remessa
temessa
de
de
de
de
macas,
macaas,
magias,
magaa,
Barato
a rato
Barato
Barato
dinheire
dioheiro
diobeiro
dioheiro
vista,
vista,
vista,
vista.
Alporcas
Caimbras
Gallos.
Anceres.
Cortaduras
Dores de cabeca.
das costas.
dos mambros.
Enfermidades da cutis
era garal.
Ditas de anus.
Erapjes escorbticas.
Fstulas no abdomen.
Frialdade ou falta de
calor as extremida-
des.
Frieiras.
Gengivas escaldadas.
Inchacoes.
Inflaramacio do ligado.
Vende-se este ungento no estabelecimento
geralde Londres n. 244, Strand, e na lo ja
de todos os boticarios droguista e outras pos-
soaa anrarragaj.e Aa sua Vflnda em loda S
America do sul, Ha vana e Hespanha.
Vende-se a 800 rs., cada boeeiinha contis
urna inslruocao em portuguez para explicar o
modo de fasar uso deste ungento.
O deposito geral em casa do Sr. Soum,
1 pharmaceuiico, na ra de Cruz n. 32, am
1 Pernambuco.
da matriz
Lepra.
Males das pernas.'
dos peitos.
de olbos.
Mordeduras de reptis.
Picadura de mosquitos.
Pulrnoes.
Queimadelas. .
Sarna.
SupuracSes ptridas.
Tinha, em qualquer
parte que seja.
Tremor de ervos.
Ulceras na bocea.
do ligado.
das articulaces.
Veias torcidas ou no-
das as pernas.
Ptfiite de
ferro.
Na noite da 9 para 10 do corrente foi roubado
do*scriptorio da ra da Aurora urna taixa eom
instrumentos mstheroaticos cem as iniciaes C.
M, perteneente ao flcal d ponte ; quem del
noticias doa ditos objectoe ser recompensado, e
pode dirigirse ao mesmo lugar cima.
Aluga-se urna canoa concertada pintada
de nevo, propria para familia ou outro qualquer
mister: a tratar oa ra nova de Santa hita n. 21,
serrara.
O Sr. C, morador na povoacio da Barra-
Grande, queira fazer o favor responder-nos qual
o motivo por que Smc. nao tem querido entregar
pesaos que tantas vens o tem procurado em
sua casa, para receber de Smc. un travesserioho
coberto de damasco de seda, com trooha de bre-
tinha de Hnbo fina guarnecida de renda.
Os artilheiros da Crimea.
Desappareceu no dia 18 do corrente urna
escrava de nome Luir, idade uouco mais ou me-
nos de 30 annos, um poseo batza, seeca, nariz
chato, pernaa e bracos fino*, pea pequeos, boc-
ea regular, levou vestido de chita rosa, chales
preto ji ruco, espatos de tapete : quem a pegar,
cooduza a casa do seu senhor na ra das Trin-
ebeiras o. 1, que ser generosamente gratificado.
Aluga-ae urna casa na Torro com comino-
dos para familia, quintal morado e agua de be-
ber, por eommodo preco, para se psssar a festa
a fallar no mesmo lugar com Francisco Jos A-
rantes.
Precisa-se de um amaseador que emenda
perfeiUmente dos trabalhosde padana ; em Sao*
to Amaro, airas da fundicao do Sr. Starr.
Precisa-se de um feitor para um sitio perto
da praca, mas-que seja entendido: dirija-se a
ra da Concordia, sobrado n. 35.
Precisa-se de um offlcialou preticante de
Pharmacia, e que d fiador a aua conducta : a
tratar na ra Nova n. 51.
Precisa-se de urna mulher para aer ama
de urna casa de pouea familia e que faca todo
servico: a tratar no beeco do Padre sobrado nu-
mero 18.
Praca.
Terca-feira 19 do correle vai a ultima praca
pelojuizode orpbaos um sitio de Ierras deno-
minado Allemao e mais terreno viainhos, no
lugar da Ibura, freguezia dos Afogados : no es-
cupi que existe em mo do porteiro eaiao con-
aignadaa as coodiccoes de que obrigado o ar-
rematante. *5HajBj
Quem se julgar credor da fabrica de espiri-
to da ra Direita n. 1", pertencenle a Jos Joa-
quim Lima Bairao, aprsente ss suas conlas no
prazo de 8 dias para serem pagas.
O abaixo aasigoado declara ao respeitavel
publico que deizou de ser meu caixeiro Jos
t-erreira dos Santos, levando em aeu poder para
cobrar para seu pagamento urna relega o de divi-
das de diversos devedores ao meu estabelecimen-
to da ra de Hortas n. 2, sendo esta relaco da
qnaotia de 5:4969230, contendo nella cartas de
pedidos de gneros, bilhetes, vales, cae e letras
e para que o mesmo possa fazer ou mandar fa-
zer esta cobranca por sua conta, por isso faco o
presente aviao para sua autorisaclo. Recife 9
de novembrodel861.
N. J. da Costa Pereira.
Foi hoje publicado o primeiro numero do
peridico intitulado O Liberal e aeha-ae a
renda oa ra do Imperador n. 67, oode conti-
nuar a ser exposto a venda.
Manoel Bastos de Abreu e Lima, socio da
firma de Antunes Guimaraes & C, lendo de com-
mum accordo com oa socios Manoel Jos Antu-
nes Guimaraes e Jos Rodrigues Pinto Coimbra,
se desligado da sociedade que gyrava sob aquella
firma desde o dia 31 de ontubro lindo, assim co-
mo o faz constar ao respeitavel corpo do com-
mercio e a quem mais|ioteressar possa, bem co-
mo que a liquidacao do activo te passivo da so-
ciedade fica a cargo dos socios Antunes e Coim-
bra.
Compras.
ELIXIR DE SALDE
jotas
Citrolactato de ferro.
\3uieo deposito na botica de JoaqivVm MarUnAio
da Cruz Correia., ra do Cabug n. H,
em Pernambuco.
O Dr. H. Thermes (de Chalis) aoligo pharmaceutico apresenta hoje urna nova prepararlo
de ferrocom o nome de elixir de cilro-lactato de ferro.
Parecer ao publico um luxo emprear-ae um mesmo medicamento debaixo de formulas tao
variadas, maao homem da sciencia comprehende a necessidade e importancia de urna tal varie-
dade.
A formula um objecto de muita importancia em therapeulica; um progresso immenso,
quando ella, manteado a esseocia do medicamento, o torna agradavel, tacil e possivel para todas as
idades, para todos os paladares e para todos os temperamentos.
Das numerosas prepararles de ferro at hoje coohecidasneiihuma rene tao bellas qualida-
des como o elixir de citro-laclacto de Ierro. A seu sabor agradavel, rene o tomar-se em urna pe-
quena dose, e ser de urna prompta e fcil dissoluco no estomago, de modo que completamente
asimilado; e o nao nroduzir por causa da lactina, que cootem em sua composico, acoostipaco de
veolre frequentemeole provocada pelas outras preparac.de terroginosas.
Estas1 novas qualMades em nada alterara a sciencia medicamentosas do ferro, que sendo urna
substancia da qual o medico ae oo pode dispeusaa em sua clnica, de incomparavel utilidade
qualquer formula que lhe d propriedades taea, que o pratico poasa prescrever sem receio E' o
que cooseguio o pharmaceutico Thermes com a preparacio do citro-lactacto de ferro. Assim este
medicamento oceupa hoje o primeiro lugar entre as numerosas prepararles ferroginosas com o
atiesta a pratica de mullo medico dislinctos que o tem eosaiado. Tem aido empregado co'mo im
menso proveito as molestias de languidez (colorse pallidas cores ) na debilidade subsecuente <
liamnrrhiDiit n hvtrnnacii. miA *r.r\.pao.>m h.^..~:- a-- t...___:....^_ .< -
Compra-ae papel de diarios para embru-
lho a 120 rs. a libra : oa ra da Senzala .Velha
n. 48. i
!> a ....- Jo 15 1 iO nnoi pa-
ra exportar para o Rio de Janeiro : no escrip-
torio de Manoel Airea Guerra, ra do do Trapi-
che n. 14.
Folhas de Diarios.
Na ra larga do Rosario, fabrica de cigarros n.
21, comprara-se folhaa de Diarioa e mais jornaes
que sejam hotos, em pequeas o grandes por-
ches, paga-se mais que em outra qualquer parle.
_ Compram-se moedasde ouro de 205 brasi-
leras, e pecas de 16$ portuguesas : no esciipto-
rio de Manoel Ignacio de Oliveira & Filbo, largo
do Corpo-Santo.
Compram-se pataedes hespanhes ao cunho
de Carlos III IV; na ra Nova n. 23, loja.
Compra-se um braco de balanga que sirva
para pesar caixas com assucar: ao lado doCoroo
Santo n. S3
Compra-ae um piano de mesa em bom es-
tado e mdico preco : quem tiver annuncie ou
dirija-seso Recife, ra do Torres, casa o. 18,
primeiro andar.
Vendas.
cu
curiaos.
Estas enfermidades sendo muifrequenles a sendo
medico tem de laocar mi para as debelar, o autor do cilro-iacato'de'ferni meece^uvoVs' e
xeconhecimeoto da humamdade. por ter descoberto urna formula pela qual se pode sem receio
sor QO ierro*
o ferro a principal substancia de que o
Consultorio medieocirurdeo
3~ll\3iYlliV GLORIA CXSjV DO TONDlLO3
Consulta por ambos os systemas,
Em consequencia da mudanca para a aua nova residencia, o proprietario deste estabeleri
ment acaba de fazer urna reforma completa em todos os seus) medicamentos. weieci
0 desejo que tem de que os remedios do seu estabelecimento nao ae confuodam
prar queira ter maior certeza aeompanhar urna conta assigoada pelo Dr. Lobo
pe marcado com o seo nome.
Mosaozo o em pa-
in.-.ir0 2'm : acab8de receber de Franca grande porcio de tinctura de acnito e belladona re-
.SMKde,.sua,m"mPorUnc"ecuJVproprieda conhecidas que os mesmo'srs
mdicos allopathas empregam-as constantemente. MBU'3"'
Oi medicameutoe avulsosqur em tubos qur em liocturas custarlo a la o ridro
-nmcia Lrpn an0vde8le,e8tabelecimenl0 ,Dnonc' o' clientes e amigos que tem commodos
SSS^l5.r',r"-eber '^1' t86" de um oulr0 MX0 doeDle ou ue Preclaem de .Sum
3f3^JT.^ Promptido^comosabem-'K
.oapraTptmp^^be^^ "l"' ^ '*-
de taJ-^'-I"^16"? ,llr comL onundantedevam procura-lode manhia al 11 horas
i^fif eG"ior: vocr..rFhuodcrh8rit, eo em peM"eoa* -""
A E ARMAZE
DB
im Francisco dos Santos.
40Bu do Queimado40
Defronte $o becco da Congregando, letreiro verde.
VENDE-SE O SEGU1NTE:
Para casamentos:
Ricos cortes de vestido de fil ou blond de seda branca com ramo e caoells O
mais moderno e superior que ha no mercado. '
Para bailes.
Lindos cortes do vestidos de fil ou blond de seda branca bordadoa a branco e
lo
Ditos de tarlitma branca bordados a braaco e cores.
Ditos do cambraia branca bordadoa a branco com muita elegancia.
Ditos de barege do seda de corea com barrea e listas, oovoa goatos americanos.
Saias bordadas.
Ricas saias de cambraia branca bordadas com o mais apurado gosto a mais finas
Ditas de dita recortadas mais baratas.
Para baptisados.
Ricos cortes de vestido de cambraia branca bordados com malta eleuncia o
mais moderno o mais superior que ha no mercado. "su,
Manteletes.
Ricos manteletes de seda de cores e pretos bordados e lisos com endites btm
como arrendadoa, por presos commodos. '
Lencos.
Ricos lencos de cambraia de lioho bordados a 3$, 4 e5# cada nm.
Chales.'
Ricos chales da touquim brancos bordados de ponta redonda e de 4 ponas.
Alem daa fazondas cima mencionadas tem um grande sortimeoto de todas aa
quatidadea, que nao possivel mencionsr-se pelo grande espago que tomara
Ferro < Maia.
Ra do Queimado n. 10,
loja de 4 portas.
soilo loas do co-
Veodem-se chitas Iranceza
resfixas, covatfoaaUrs.
Chitas Inglesas, cAvado a IMrs.
Cassas francezas muito Boas, cavado a 220 e
240 r*.
Brtm branco de furo linio, vara a 1>.
Panno verde, cor de caf, azul o prcle, cavado
a 39OOO.
<0Ceh5o5!)OOe ,0U,,," 15,W0, *' *'*
Superiores meiaa de algodio ero u/a homarn
a duzia 4.
Visiias bordadas a analiz, urna, 8f a lOf.
Camisaa para aenhora, urna, 2|.
Cortes de casemira de cor, saperiafazends, .
Velludo de todas as aeres, covado. 3# 41.
Superiores paletoU do casemiraa de core, a 14f
Riquissimas capinbas bordadaa para r so anta
45 e 50$.
Riqusimos manteleles pratoa bordadoa
vvijvw.
Riquissimos cortes do soda preta a 40.5
Ditos ditos do cambraia branca bordado, a
25. 30, 35 e 40.
Chiles de merino eitampados, superior latea-
da a 4.
Cortea de velludo de corea para collela a 49 a
Golliohas de cambraia bordadas, urna t re.
e S5JooIOrM CMeB,"M d* ""** ** "m
Penles virados de tartaruga a 6 e 88.
Lencos de lioho, duzia a 5. 61.
Camsssde lioho, duzia, a 35. 40 e 45.
Casemiras pretas, auperior faseods. corado a
lJ600elS800. ""*
Cortes de cambraia bordadoa a 1*800.
Ditos de diu de salpicos a 3J.
Leques a 3.
Chapeos a Garibaldi e traviaU a 10, 12 e 19a.
Ceroulaaescocezaa, urna 1*280.
Tarlatana de todas as cores a 800 ra.
Existe mais um esplendido sorUasente de la-
zendas que seria enfadonho meacioua-las, e ame
ae vendem por mello menos preco de ene em
oulra qualquer forte.
Macas.
Veodem-se barriquiahas com maclasebegedas
ulmamenle no gelo, pelo preco de 8B a berri-
quinba: na rea de Apollo,deroate de tawatre.
k KA DO QUEIMADO N?46
PAypjgRANDEOMIMBliTo
5 '
bem
caaemlra
balpaca
. mira de
ment de'roupai de brins como seiam saleas, paletoU VeolletwVMrme'io'd? colSea orefoVda
setm. asemr. e velludo de 4 a f. ditos para ca.mento a 5 e 6. paletots brincos de bra-
mante a 4fe 5f, calcas brancas multo finas s 5f, e um grande sortimento de fazeodaafini s e mo-
dernas, completo sortimeoto de casemiras inglesas psra homem, menino o aenhora, seroalas de
nho e algodao. chapeoa de sol de seda, luvas do seda de Jouvin para homem e aenhora Te-
mos urna grande fabrica de alfaiate oode recebemos encommeodaa de grandes obras aue cara
isso est sendo administrada por um hbil mestre de somelhante arte e um pessoa! de mais de
cincoenta obr.iros escolhidos, portento execulamos qualquer obra com promptido e maia barato
do que em outra qualquer casa,
N. 20Ra da ImperatrizN. 20
O baraleiro Duarte acaba de receber novo sortimeoto de fazendas que retalha sendo a di-
oheiro sos seguintes precoscomo sjsm : csssas brdalas proprias para corlioados, babados ou
mosqueteros a IJ600 s peca, cambraia grossa com 8 varas cada peca ptima fazenda para oeoeiras
mosqueteros, saias e forro de vestidos a i00. mussolinas largas das seguintes cores verde azul'
preta, rdxa, encarnada e branca a 200 rs. o covado, cortes de riquissimas lana escuras com babados
contendo cada um corte 24 covados a 10 o corte, velludo de seda das seguintes cores cinzento.
verde, azul o preio, excelleote fazenda para veatidos de senhora e roupioha de enancas pelo bail
precede 23500 o covado, cortes de cambraia fina com salpicos miudinhos a 5#, tiras bordadas e n-
tremelos BU a peca, golliohas bordadas muito finas a 1, chitas com algum toque de mofo a 160
rs. o covado, pellos para camisaa brancos e de cores a 160 rs.
{
Dr. Lobo Moscoxo.
Gomnia de mandioca.
Vende-se gomma de mandioca muilo boa, da
melhor qualidade que ha no mercado : na ra
da Cruz n. 26, armazem.
Vende-se a taberna da ra da Senzala Nova
n. 9, com poneos fundos, propria para princi-
piante, em bom logar para o relalho ; e o moti-
vo se dir : a tratar na Senzala Velha o. 50.
Propriedade.
Vende-se urna propriedade diatante do Recife
cinco legoas, propria para levantar nm engenho
d'agua para salvejar 2.000 pes de assucar, com
boas matas e capoelroea, sita na freguezia de N
S. da Luz : quem pretender dirija-se ao engenh
Santa Rosa da mesma freguezia, a fallar com
Thom Leio de Castro, dono da mesms, ou no
lado do Corpo Santo n. 23.
Cal em pedra
Veode-ee cal virgem de Lisboa para assucar,
chegada ha qualro dias no ultimo navio : na ra
estrella do Rosario, taberna o. 47, e na ra de
Apollo, armazem n. 34, do Sr. Uonteire.
Fumo em rolo.
Superior fumo ebegado ltimamente no arma-
zem n. o. travessa da Madre de Dos, da Jos
Luiz de Oliveira Azevedo.
Arroz com casca.
Vende Jos Luis de Oliveira Azevedo em seu
armazem na Iravessa da Madre de Dos n. .
Alfazema.
Aifazema muito nova ; vende-se no armazem
travessa da Madre de Dos n. 5, de Jos Luiz de
Oliveira Azevedo.
Liquidacao decalcado
francez.
Roa da Imperatriz n. 16.
Para borneas.
Botinas de verniz e de bexerro, de diversos fa-
bricantes a 5 o par, sapatoes de verniz e de be-
zerro a 2a.
Para senhoras.
Sapatos de vernis com franja, filas e fifelss a
800 rr. o par. i
Para meninos e enancas.
Sapaliohos e botinziohoa do diversas qualida*
des e fabricsoles a 500 rs o par.
Os senhoras devedores da loja cima sao roga-
dos a virem aaldar seus dbitos, do coo traiio se-
rao cobrsdos jadicialmente, e para que nlnguem
se chame a ignorancia fas-se o presente.
ARMAZEM
E
ROP A FSITA
Joaquim F. dos Santos.
40Ra do Queimado40
Defronte do becco da Congregaco letreiro verde.
Ncste estabelecimento ha sempre um sortimeoto completo de roupa Caita de
todas as qualidades e tambem se manda esecular por medida i vontade dos fregue-
ses psra o que tem um doa melhores profssoras.
Catacas ue panno preto a 40f,
35f e 309000
Soerecasacos de dito dito a 359 e 30$OQO
Paletots de panno preto e de co-
rea a 35, 30, 25, 10, 18 e 20*000
Ditos de casemira de cores a 22,
151,12.7 o 9000
Ditoa de alpaca preta golla de
velludo fraacezas a lOfOOO
Ditos de merino selim pretos e
de cores a 9f 88000
Ditos de alpaca de corea a 5 e 39500
Ditos de alpaca preta a9, 7. 5 e 38500
Ditoa de brim de, corea a 5f,
49500, 4 e 39500
Ditos de bramante de nho bran-
co a 6. 5} e 490OO
Ditos de merino de cordo preto
a 15 e 89000
Caigas de caaemira preta e de co-
rea a 119, 109, 9|, 79 e 69OOO
Ditaa de prioceza e merino de
cordo preto a 59. 6500 e 4500
Ditaa de brim branco a de cores a
59. 49500 e 28500
Calcas de ganga da cores a 3|000
Gollete de velludo preto e de co-
res lisose bordadoa a 119,99 e 89OOO
Ditoa d. casemira preta e da co-
res lisos e bordadoa a 19,
59500,59 38500
Ditos de setim preto
Ditos de seda e setim branco a 6 e
Ditos de gorgurao de sed*, pretos
e de cores a 79, 69, 49 e
Ditos de brim e fustao branco a
38500,195000
Saroulaa d. brim de lioho a 29 e
Ditaa de algqdao a I96OO o
Camisas de peito defusto brsnco
ede cores a 19400 e
Ditas de paito de nho a 5, 4 e 3O00
Ditaa de madapoln brancas e de
corea a 99,1500, 29
Chapaos pretos de massa franeeza
forma da ultima moda a 10|,
88500 e
Ditos de feltro a 69,59, 49 a
Ditoa de aol de seda ingleses e
franceses a 14f, 119, lff e
Colarinboa de lioho muito finoa
oovos feitios da ultima moda a
Ditos de algodio
Relogios de ouro patente e hori-
aontal a 1008, 90. 80* e 708000
Ditos de prata galvaniaados pa-
tente e horizontaes*a 409 e 30|000
Obras de ouro, aderecos e meios
aderecoa, pulceiras, rosetas e
ansia a 9
Toalhas de nho dniis lOf, 69 e 91000
Ditaa grandes para mess ems 39 e 4J000
59000
5J000
5*000
39OOO
29200
1280
2500
18600
79000
2O0O
79000
1800
9500
pechiucha
Cortes de barege de seda coas 30 covados a 12
cortea de laa com 24 covados a 58, asee de aa
com lindas flores a matiz, covado a 800 rs., **-
ciohas de entremeios com 3 1(2 varas a 19290.
Coo fustao de collele a 19B0O : na rae de Quei-
mado n. 44.
~ *
armazem de fazendas
DE
Santos Coelho
NA
Ra do Queimado 1.19.
Esleirs da India de 4, 5 e 6 palmos de largo
proprias pare forrar sales a camas.
Lencoes de bramante de lioho atuile largos a
o000.
Cobertas de chils, gosto a cbiaeza.a 18800.
Lancees de panno de linbo s 2*000.
Toalhas de nho adamascadaa para a(*aaa4f.
Cortes de chita francesa escura a 29500.
Completo sortimeoto de capellas para noiva.
Toalhas de fustao a 500 rs. cada urna.
Um rico sortimeoto de chitas francezas Seas a
modernas.
Cortes de sede de cores pelo baratissisao preco
oe 4im.
Corles de phanlasia de seda pelo proco de 8f:
Algodao enfestado. lendo 7 palmo, a 5C9 rs.
a vara.
Rica, colcha, de foalio a 69.
Aviso aos senhores de engenho que qua-
si sempre gastam a manteiga derreti-
da pelo grande calor.
Sodr & C, na roa eatreita do Rosario 11.
se obrigam a despachar eocemmeudas em esVaa
que chegue a manteiga em catado de se cortar
com faca, como na Europa, para ase se lees
muito n sis deliciosa.
I Leandro < Mi-
1 randa.
JRua do Crespo n. 8 A.
Receberam pelo paquete francos diver-
sas fazendaa de bom gosto, que ae ven-
dem por precos baratissisaos:
Borzeguios de MVlis a 138909
Luvas de pellica de Jouvin a 29599
Cilo de novo gosto a 21009
Fivelas para cioto. a 2*000
Golliohas e punhos com bolo a 21099
Ditas bordadas a 500 e 18099
Sedinhas de gosto e covado a I9M0
Babados bordados largos par 39999
Enfeites a iroperaltiz IfOO
Ditos de retroz qua n'outra parte
58 6SOO
E de outras muitss qualidades per bara-
tsimos precos.
Saias a balao de crochet a 19199
Dilsadita de clina a 69O
Vestidos de cambraia branca bor-
dada de 6f, 109 e 12991
Mantelelea de groadenaple a 209OI
Orgaodjs de gosto covado a 9
E outraa muitaa fazenda por presos ci
modos.
Grande aorliroeolo de perfumara, roa-
pa feita, cbapeoa para horneas, aenhora e
cria oca e ludo se tende per precea ha.
ralissimos.
S
Vende-se urna tina de amerello propria pa-
ra depoailo de gua de casa da familia 4 ama la-
na propria para banho : na roa Nova n. 18.
Ac coberto para
baldes.
Vende-se ac de variaa grosserss para balees,
sedas de todas ss cores psra bordar, tinto est-
rados dos maia moderuoa que tea via.o, haeee
brancas de Jouvin brancas para beaseas a aeube
ra chegadas 00 ultimo vapor, rap priaceza Ro-
cha, do Rio de Janeiro, rollo trastees, eje ee 1
de nao 16 em libra como a retalbe. estMtes
varios gnslos e qualidades para seabers : ao
larga do Rosario na segunda loja a. 38,
a botica.
1 Vende-se no armazem de Jos
reir Dias & C, ra da Crea n. 29 :
Safras tornos para ferreiro.
Perro anecio em barra.
Linhas de carritel de 109 jardas.
Malas para viagem.
Espingardas francezas maito fless esa caiat o
per si.
Frrea de lati para en toa mar. *
Pregos francezes de ledea oe lamaabee.
Ditos batel grande.
Ditos de coostrcej*.
Bracos grandes para balance.
Espingardas lazarioa.
Oaviootes inglezes.
Veode-se orna taberna aa roe de Imparlar
n. 2, a dioheiro, ou a prazo ceta a>raasM; a tra-
tar na ra das Cruiea a. 1. Tal
sag e sevadinha a 190 rs. a lias*.
Vende-se vfaho do Ferio 1
tel e carcaveloe a 159 a deaia : na rea da
do Recife n. 4.


+T~
S
V
.
o ** rammiwM mi iwmmiw^i^.

Vende-te crii
lf, luis de ie
hornea hieaa
per, tintos d<
e meninos e
oe rae da Im
Silva.
Vende-se panno cor de cat e de azeitaa e
cor de garrafa hzenda muito fina pelo preso de
Papel paquete torneo
e azul.
Vende-ae id picle de meia reama a 2 cada
pacote : na ra do Qaeimado, loja d'aguia bran-
ca n. ti, assiin como caixinfaa con papel de co-
rea* 1 cada una.
Um rico carro.
Vende se om rico e elegante carro mu bella-
mente preparado : no escriptorio de Hanoel Ig-
nacio de Oltveira & Filbo, largo do Corpo Santo.
Naloja do Vapor
Bu Now. a. *.
acha-se barato grande aortlmcnto de calcado fran-
cs e ingle, roepa feita e perfumaras muito
flnaa.
Obras de brilhantes.
Boa caa de Aire* & C, ra da' Cruz n. 54,
acha-se exposto & renda um grande sortimento
de obraa de brilhantes, taea como lejam, adere-
?os, meioa ditas, puUeiraa, alneles, armis, bo-
toes e rosetas, que ae vendem a presos com-
modoa.
Ven de-se na ra do Apollo
n. 31 defronte do theatro a A$
a arroba, meia arroba a 2^500
e a 160 rs, a libra.
Manteiga ingleza flor a
800 rs- a libra,
era barril a 720, franeeza a 64o, toacinbo novo a
320, sevadioha a 160, sag a 200 rs.: na ra das
Cruies n. 24, esquina da travesa do.Ouvidor.
Vende-ae gai americano de primeira qua-
lidade, em latas de 25 garrafas, na razio de 155,
assim como latas pequeas de 5 garrafaa; no
caea do Ramos os. 18 e 36, e na ra do Trapiche
numero 8.
Chumbo
Vende-se chumbo de muRico, dinheiro a
219 o quintal, e arroba a 59600: no escriptorio
de Antonio Otario Itoreira Dias, no Forte do
Mallos, roa da Moeda n. 27.
Venda de loja.
Vende-se a muito acreditada leja da miadezas
sita na ra da Imperatriz o. 82, sendo esta em
ama das melbores localidades, muito propria pa-
ra qulquer principiante, por reoder-se com o
sortimento, de forma que o doto comprador nada
precisar comprar ; veoda-se a prazo, conforme
se convencios, : tratar na mesm* ras o. 40,
loja.
Feijao de corda.
No armazem de Taaao limaos, ra do Amorim
numero 35. -
e*9*e
O melhor gosto.
Chapeos depalha muito fina enfeita- Q
A tados a travista a 128 e 148. chales de *?*
* touquim a 12,15, 20. 25.30, 35. 40. 45 T
fk 50j. eufeites de retroz e eulraa muiloa
ffazeodas do melhor gosto possirele por _
baratiasimos pregos: na ra do Queima- V
mado loja de 4 portas de Ferrao & Maia. tt
Urna bar caca.
Vende-se urna barcada do porte de 35 caitas,
encalhada no eitaleiro'do mestre carpioteiro Ja-
ciotho Elesbio, ao {t da fortaleza das Cinco Pon-
taa, aonde pode ser vista o examinada pelos pre-
lendentea ; vende-se a prazo ou a dinheiro ; a
tratar com Hanoel Airea Guerra, na ra do Tra-
piche n. 14.
Barato assim ad-
mira.
Mu finos e bonitos lencos de cambraia de linho
abertoa e bordados para maos e cabegas de aa-
nhoras a 29 cada um ; qaem os mandar ver nao
perde o tempo porque alo baralisiimos vala da
boodade, e aasim os comprar na loja d'aguia
branca, ra do Queimado n. 16.
Preciosos
extractos para lencos.
A loja d'aguia branca acaba de despachar de
sua propria encommenda, finos e preciosos ex-
tractos de noros e escolhidos cheiros como bem
sejam, imperatriz, D. Januaria, D. Francisca, ma-
rechsl Bruquet Real, dito favori, dito dos Alpes,
dito de Triaooo, etc., etc., nao esqaeeendo porm
o eelimavel extracto de sndalo. J ae sabe, os
fregueies que manidos de dinheiro diriglrem-ie
ra do Queimado, loja d'aguia branca n. 16,
a cha rao barateza, agrado e sinceridad*.
0 Em cas, de Kalkmann Irmaos
f & C., na ra da Cruz n. 10-, exis-
f te constanteaaente um completo
dft sortimento de
A Viohos Bordeaux de todas as
am qualidades. ,
(Bk Dito Xerez em barris.
8 Dito Madeira em barris e caixai. *j
Dito Muscatel emcaixas.
m Dito champanhe em gigoi.
am Cognac em barril.
ge, Cerveja branca.
aja. Agua deSeltz.
8 Azeite doce muito fino em caixas.
Alvaiadeem barris. ~
p Cetadinba em garrafes.
'MaMM*
Arado s americano te machina-
par a lava rrouparem casa de S.P.Joi
fastos & C. ruad*>enzala n.*2.
Tahas.
Itfaior reduccSo nos precoe para acabar.
Vendem-ie no nrmazem de Braga Son & C.
na ra da Moeda, '.alzas de ferro cuido do mui
acreditado fabricante Edwin Haw" a 100 rs. por
Hata, a* mesetas ate le TWdiam por 120 rs.
%
nt-
indo ao mr-
ito aada m
ua dor
lito aortl-
JlaBjBJaanu atraa ricasaesHe bordadas
em pelo barato prs$o da 39000 4#000
ris a pa^s, advrtindo-ae que ha mais
mc* da cada padaao.sjaem maia enrona
melhor aerrido ser, ni roa do (taimado
na loja da Boa-P.
Souhall Mellors & C, tundo recebido or-
dem para vender o sen creacido deposito dersto-
gioa isto o fabricante ter-se retirado1 do nego-
cio ; convida, portalo, speesoas que quizerem
possuir um bom relogio da ouro ou prata do c-
lebre fabricante Kornby, a aproveitar-se da op-
portunidade sem perda de tempo, para rir com-
pra-Ios por commodo preco no seu escriptorio
ra do Trapiche D.18. '
Fabrica do Monteiro.
CryslaIisajo refinado
de assucar. *j*
Deposito oa roa de Apollo n. 6, e praea
4a Baa-Vista o. 26.
Este importante estabelecimento contina a
fornecer aos seua innmeros freguezea do airo e
pura assucar cryslalisado, em p e em pies, 1.
e 2.* qualidades, pelo preco de 160 e 200 r*. a
libra, e do refinado a ICO, 120 e 140 a libra, sen-
do que em grosso o comprador teri m descont
faroravel. Noa zaesmos depsitos tambem se
rende mel de assucar a 600 rs. a cacada, e car-
vio animal era d a preco commodo.
luvas de Jouvin
chegaram no vapor francs para a loja d'aguia
branca, roa do Qneimado n. 16.
Especial aviso pa-
ira os apaixonados do calca-
do inglez.
Campos & Pereira.com loja de (azeodas acal
gado na ra da Cideia do Recite n. 32, receberam
pelo ultimo vapor inglez, os mata Irascos e
Ihoreo boneguiosioglasesque tem v
cado e continuam a vender por
pa.'
Novo destino do
torrador!!!!
23Largo do Tercio23.
Vende-se manteiga iogleza especialmente esco-
llada a 800 e 900 rs franeeza a 640 e a 600 rs.,
assim como ae torram outros muilos gneros, co-
ma *'), caf, arroz, azeite doce, velas de esper-
macete e carnauba, etc., etc., e se acaso alguem
duridar reobarer : a dinheiro i vista.
Bonitas caixinhas
com visporas para entreteni-
mento.
Acaba dechegar para a loja d'aguia branca bo-
nitas caixinhas de madeira invernisadas com vis-
poras, tendo 36 carta, e as pedras numeradas por
ambos os lados, o melhor que i possivel.em tal
genero, e cuita cada urna caixinhn 3, e outras
cortarlas de marroquim. e a cbineza, e outras qua-
lidades a 2J, 1S5C0 e 18 ; o tempo proprio, e
por laso dirijam-se com dinheiro i raa do Quei-
mado, loja d'aguia branca n. 16, que serio bem
servidos.
Por atacado ou a retalho
So deixar de comprar
Quem nao se der ao t rabalho
De vlr ver e examinar.
A' loja das ttes_ estrellas .s.
ra Larga do Rosario
n. 33.
Espelhos de columna de diversos lmannos i
18800, 25000, 2$8U0, 42000 e rjfjOOO cada um, al-
guna com deeito a muito menos, caixas de b-
falo finas para rap al 9000, ditas de tartaruga
grandes a 8SCO0, malas envernisadas e com fe-
chadura para viagem a 1$500. reloginhos ficticios
com correle para meninos a 160, pentes de mar-
tina para limpar a cabeca a 400 e 500 rs the-
souras grandes para cabello a 600 800 e 1COO0,
ditas para costura a 120 160, 320 e 500 rs., tin-
teiros de metal e madeira para viagem a 240 e
320, caixos.de UnUs para dvsenho a 320, 44)0 e
500, medidas com numeracao para alfaiate a 160,
200, botoea de metal para calca a 480 a groza, 50
rs. a duzis, ditos de osso, de masas e de louca
para paletots a 40 80 e 100 ra. a duzla, ditoa de
duraque pretos a 200, ditos de setlm e sarja para
casaca a 1S800 e 2*000 a groza, brincos e rozelas
douradas a 80, ICO el60 rs. ditas prelas a 160 e
200 rs. o par, pbusphoros de pao e de cera a 20
e 40, diloa caixa grande s 120, 160 e 200 re., car-
leiraa de marroquim a 320, 400 e 800 rs.. ditas
grandes com divisoes para lettras a 5 e 58500,
(inhas do gaz a 700, a 800 e 9C0 a caix, a 20 ra.
o novello, fundas para quebrados a 500 e 800,
ditas finas a 2JJ0O0 e 2f)500. Em por$6es ludo se
vende mais barato.
m-tm
lieos cortes de
-seda.
medina de
*
3*5, rMdas Cruzes de Santo Antonio, 36,
PROGRESSIVO
A loja da Boa-Pd na ra do Qealasadi -
e'. -. rerefcer rtfM ~rU* <
vestido de mediua da aada da badea Marte*
a fazenda mais fino. ..i. aa.aTaMiT!Ia*
qae b. no mercado, cada corta t V t
VHO o cort ; as seoborsa de toa miaa
tiverem de lasisltr a baMra a -rraiaaTi.a j
quizerem lavar oca vestid* da
mandaren) ver oa aceocionada
na roa do Queimado a. 22.
Aspas largas
para saias balo.
A loja d'aguia branca acaba de receber um bel-
lo sortimento de mui bem lecidaa aspas para ba-
lo. e as est vendendo baratamente a 160, 180
e 200 rs. a vara ; quem precisar dirigir-ae com
dinbeiro dita loja d'aguia branca, ra do Quei-
mado a. 16, que seri bem servido.
Potassa da Rnssia e cal de
O.
A, P. Duarte Almeid, socio que foido armazem progresso, faz sciente aos seus fre-
guezes cidocomdousaceiados armuens de molUados, associado com o Sr. Joaquim Jos Gomes
de Souza, e o Se. Paulo Ferreira daSi^ra; o primeirona razo de Duarte A Souza, e osegundo
na de Duarte Akneida 4 Silva: estes estabelecimentos ofTerecem grandes vantagens ao pu-
blico, nao so na limpezai e asseio com que se acham montados, como em commodidade de
preco, pois que para isso resolveram os proprietarios mandarem vir ^arte de seus gneros
em direitura, afim de terem sempre completo sortimento, como tambem poderem ofierecer
ao publico urna vantagem de menos 10 por cento do preco que possam comprar em outra qulquer parte, por isso desojando oa proprietarios acredi-
*" eu ^loeiaaesiaia tem deliberadogaruntirem toda e qulquer qnalidade de genetOB vendidos em seus armizens, e assim j poderi ver o
publico que pode mandar roas encomraendas, mesmo por pessoas poueo priticas, em qulquer um desloa es labelecime tos, que serio to bem servi-
dos como se viessem peesoalmente, na certeza de nunca aeharam o contnrio de nossos annuneios, e assim laudados as vaniagens que oHereeemos
pedimos a todos oa senhorea da praea, aanhares da eogetbo e lavradoree que manden ao meatos suas encommendas a' primeira ves, afim de experi-
,nenl!^:Ce^,08 de C0D.,in,wrein' poisque para isso nao poupario os proprietarios forjas para bem serviram aquellas pessoas que /requemare nossos
esiabeMciaeniM, abaixo transeraveaosalgunas di(es de nossos precns, por onde ver o publico que vendemos baratisaimo, attendendo as bou
qualidades de nossos gneros.
Manteiga ingleza especialmente esedllhida a 800 rs. a libra e em porjao a 7B0, recommenda-se aos apreciadores destele genero que
mandem ao menos experimentar, serios de nada perderem pois para isso confirmamos o que levamos dito.
Jf*f "anCez* melbor do mareado a 640 rs. a libra e em barris a razio de 600 r. a libra
Cha hysson e pretO o-melhor do mercado da 19700 a 2880 e em porjio teri aba timen lo, e afianca-ce a boa qualidade.
Presunto fiambre inglw a hamburguei a 900 rs. a libra e em poreao a 800 rs.
Presuntos portuguezeS vindos do Portode casa particular a 560 rs. por libra einteiro a 460 rs.
Marmelada dos meibore autores de Lisboa premiada as expsitas universaes de Londres e Pars a 19800 a-lau.
CaixaS COm estroiinha pevide e rodinha 7000 a caixa e800 rs. a libra eem poreao tora abatimenio.
Latas de ameixas francesas com i neo libras 49000 e 19000 a libra.
Passas em caixinhas deoito libras, as raelhoresdo mercado a 20 e a 400 rs. a libra e caixa de urna arroba a 79000.
Espermacete superior 720 r.. .m c.U.,, 740 rs. a libra.
Conservas francezas inglezas e portuguezas eoo e soo rs. o frasco.
ErylnaS portugueus e francesas a 800 rs. frasco afianca-se serem as mais bem preparadas que tem viodo ao mereado.
Lata COm bolaxinha de SOda de diversas qualidades, a muito nova a 19450. agrandas de 4 a 8 libras de 215C0 a 4500.
VinnO em garrafas Duque de Porto, Porto fina, genuino, nctar, Carcavellos, Madeira seeea, Feitoria e Camones a 1*200 a 1300
a garrafa e a 13| a duzia.
Vinb.0 em pipa proprios para pasto de 500^ 600 rs. a garrafa ede 39800 a 480 a caada.
Latas COm frUCtaS de todas as qualidades que ha em Portugal de 700 a 19000 a lata.
rera em CaiXaS de 4 a 8 libras a melhor que se t de desajar a lem vindo ao mercado de 49 a 6| a caixa e 1*280 a libra.
CorinthiaS em frascos de 1 1(2 a 2 libras de i|600a 29200.
C t?^00!?* PeiX6 save^ posead oirtrae muitas qualidades o mais bem* arranjdo que tem vindo ao oosso mercado da 1400 a 1|600
Laf do RlO o melhor que ha a UO n. a libra e a a80rs. o lavado.
raSCOS de amendoa com 2 libras, proprias para mimos, por serem muito bem enfeitadas e de superior qualidade a 39 cada un.
Vinagre braneo o saelbor que temos tido no mercado a 400 rs. a garrafa e 2#560 a caada.
Lominno e erva doce os mais novos que ha no mereado a 800 a libra do cominho e a 400 rs. a eeva doce.
Vmno Bordeaux de bo, qaald8de a 800 e 19 a garrafa de 8500 a 10000 a duzia,
Massa de tomate em latas de urna libra do mais acreditado autor de Lisboa e vinda a pr imeira vez a nosso mercado, de 1 a 1#280.
FlgOS nOVOS em caixinhas de 4, 6, e 8 libra* proprios para mimos, por serem muito bem enfeitados de 19500 a 4 e a 400 rs. a libra.
Cervejas das melhores marcas seo rs.. garran 59000 duzi. d. branca.
Vinagre puro ala) lifibo* a4. *rw, mQ acin,da
UOCe da guiaba da Casca emcaixao *m e em poreao a 900 rs.
Axcitc TltK^^irPTffCado a 800 rs. a garif.. wruu s caira crirgarmas. _____----------i
Gognac a melhor qualidade que temos no mercado a 19000 a garrafa o 109000 a duzia.
QUIJOS SUSSOS ebegados ltimamente a 500 rs. e em poreao teri abatimento, afianca.se a boa qualidade
denebra de Hollanda a 600 rs. o fusco e 69500 afrasqueira com 12 frascos.
PalitOS lXadOS para denles a 200 e 160 rs. o maco com SO macinhos, e flor a 280 rs.
dem do gaz 3000 a groza e 280 a duzia de caixas.
Chocolate o mais superior que temos tido no mercado portugus, hespanhol e francez de 19 a 1200 a libra.
AzeitonaS ,s melhores e mais novas que tem vindo a nosso mercado a 1*200 .ncoreta do Porto, e a 29000 as da Lisboa;
AmendoaS cnegadas no ultimo navio a 480 rs. a libra e em poreao teri a batimento.
AlplSta o maislimpo que lem vindo ao mercado a 160 rs. a libra e 5*000 por rroba.
A lm dos gneros anounciados encontrara o publico um completo sortimento Je ludo tendente a molhados.
Bicos de seda.
Bicos; rendas e labyrin-
tbos das libas.
A loja d'aRoia. branca acha-se recenlimente
provida de um bello sortimento de Anos, alvos e
bonitos bicos de seda, e daa differeales larguras
d 3 1 dedo at mais de 112 palmos, e os baratos
pregos por que se esto -vendendo aoimam ao
comprador assim como os fortes e muito dura-
veis bicos, rendaa e labyrinthos das lltias. Igual-
mente baratos como coobecer o comprador,que
I munido de dinheiro, dirigir-se a ra do Queima-
do, rojo d'aguia branca n. 16.
A 29000 o corte
de calgis de meiacasemlra escuras de urna e
cOr : oa ra do Queimado n. 22, na loja da
Boa-f.
aojada boa
No bem conhecido* acreditado deposito da raa
da Cadeia do Becife n. 11, ha para vender a var-
dadeira potassa da Buasia, nova e de superior
qualidade, aasim como tambem cal virgem em
podra ; tudo por precoa mais baratos do que em
oetraqualqaerparte. i-
HJNDIGJIO LOW-HOQH
Ra daSemlU Nova a.42.
Reste astahalaeimanto contina ahaveru
completo sortimento dimoenda (eateiasmoen-
dMoaraengaubo^machinaeie vapor ataixas
( farro balido a coado.de todoa ostamanhos
para dito,
Oleo e banda philocome
e outras qualidades.
A loja d'aguia branca acaba de despachar um
ovo e bello sortimento de oleo e banha philoco-
me e oulrss luperiorea qualidades, ioclusire a
eitlmida e procurada banba em copos griodes
cuja excellente qualidade j bem conhecida,'
assim como a verdadera transpirente ; quem
qttier se prover do bom 6 mandar ou ir a ra do
Qaeimado, loja d'aguia branca 0.16, que seri
bem servido ; sdverttado, norm, que os frascos
vao todos marcados com o rotulo de dita loja.
Vende-se tima machina de metal
para so fabricar velas com prstela e
perleiqao, por preco commodo : na ra
da Praia n. A9 ou 53.
Esperanza.
Becebeu de sua encommenda pulcei-
Sjjl ras de cabello qua vende por IOS o par,
braceletes de mosaicas a 60 cada um,
a agulhas victoria a 120 rs. o papel, pen-
*3P tes de tartaruga a 8, 10 e 12$. precoa
gp porque ninguem pode vender (boa fa-
fe zenda) estes artigo* nao se encontra em
^ loja uenhuma por isso vio a ra do Quei-
9 mado n. 33 A, loja da Esperanca.
Esperau;areduz a exprs-
2 sao mais simples.
2 (A' D1NHEIBO.)
*j Todos os arligos que esto na loja
mu muito barato quem quizer comprar e
' ver : rus do Queimado n. 33 A, Guima-
9$ raes & Rocha.

Ra da Senzalla Nova n. 42.
Neste estabelecimento vende se: ta-
chas de ferro coado libra 110 rs. idem
de Low Moor libra a 120 rs.
Por baixo do cabelleireiro,rua
do Queimado n. 5.
Vendem-se manguitos bordados para senbora
a 19, calcinba para meninas a lf, laazinhas es-
cocesas 280 o covedo, e outras mallas faseadas
por muito barato prese.
Ra da Cruz n. 8
No eacriptorio da E. A. Borle & C. vende-se
urna riquinim mohilla de mogno toda de obra
de talba o maia modrno melhor que 4 pos-
aivel, por. precio muito rasoavel; no mesmo es-
criptorio ka a venda eicalleolee nebilias Oo|in-
do junco guarnecidas de marmere a 3uUt\ como
tambem ha cadeiraa para pianos, lavatorios, toa-
lbetas, sabidas todo por preoos qae admira.
HILIL
sortimento de enfeites de flo-
res para casameritos
e bailes.
A loja d'aguia branca acaba de despachar um
lindo sortimento de enfeites. que de sus propria
encommenda mandou vir para casamento e bai-
les, e sem medo de errsr, pode-se dixer que sao
os mais parfeitos e delicados que al agora tem
vindo, e esaa verdade seri conhecida por aquellas
pessoas que sabem apreciar o bom : apesar de
tudo vendem-ie baratos em proporcio a perfeico
delles, sendo a dinheiro vista 129, 14$ e 16,
isso na ruado Queimado, loja d'aguia branca nu-
mero 16.
Mantas de retroz para gra-
vatas.
Vendem-se mantas de retroz para grvalas,
tanto prelas como de cores a 500 rs. : na ra do
Queimado n. 22, na loja da boa f.
A loja d'aguia branca
receben tambem novia luvas de fina pillici, en-
feitadas, para calamentos, assim como lindas ca-
pellss. A commodidade dos precoa ji bem co-
nhecida-por seus bons fregoezes, e seri mais por
aquellas pessoas que de novo o quizerem ser da
dita loja d'aguia branca, aa rus do Queimado nu-
mero 16.
Sal do Ass.
Vende-se sal do Ass, a bordo do brigue bra-
sileiro Adelaide, receolemente chegsdo : a tra-
tar no escriptorio de Bailar & Oliveire, ra da
Cadeia o. 12,
Gneros barates.
Manteiga francesa a 840 a libra, batatas a 00
rs.. touciobo a 320, liaguicas do serian s 280,
cbi a 2*560. arroz a 100 rs velas de espermace-
te a 760, diU de carnauba a 400 rs., painco a 160,
alpisU a 180, caf a 240, sabio msasa a 200 rs.,
dito amarello a 140, arroz de casca a 3*500 a sac-
ca, azeite de carrapato a 400 rs. a garrafa, e em
porfi a 360, dito de coco a 440 ; na Iravessa do
pateo do Paraiu o. 16, frente pintada de ama-
rello, taberna de 4 portas.
Retroz
em cairelis
para coser-se as machinas.
Vendem-se csrreteis com retroz de cores, pro-
prios pera a$ machima a 320 cada um ; na ra
do Queimado, loja d'aguia branca n. 16.
Vende-se para acabar, materiaes por barato
preco,como aejo, telhas, alvenaria batida, ladri-
lbo, tspamento, cal branca, alvenaria ,Qns, dita
grossa, barro, e ludo mais.
Nova exposico.
Ra Nova n. 20.
Biquissimo sortimento de culilerias em todo
o genero, assim como um riquissimo sortimento
de louca de porcelana para cozioba, riquissimo
lortimenlo de metaes, riquissimo sortimento de
miadezas, e outros muilos artigos, que com a vis-
la do comprador se poderio apreciar : na ra
Nova n. 20, loja de Carneiro Viann.
Bombas dejapy.
Ba Nova n. 20, loja de Carneiro Vianna.
Canos de chumbo.
Ra Nova n 20, loja de Carneiro Vianna.
Renda lisa
de fil.
Vende-se renda lisa de fil propria para cascar-
rinas de vestidos de esmbraisa e outras obras :
na ra do Queimado, loja d'aguia branca o. 16.
Aos proprietarios de carros,
correeiros,
fabricante de bonets, etc.
Pechincha nunca vista.
45Ra Direita45.
Grandea coaros de boi, inteiros, de lastre, de
25$ a 359.
Pechincha,
Ha rus do Queimado n. 47, vende-se visitas de
seda da ultima moda por todo proco vista
do cobre, cheguem qua se eati acabando a
pichincha. .
Fitas de sedas.
Tem|chegado palo eltimo vapor, na casa de A
L. Delouche um rico"sortimento de "'
de todas as cores : convida os sen
e todos aa pessoas que pode intervssir, de appa
recer oa ra Nova n. 22, qae nie deixirio
comprar i vista das faseadas* do 11150.
Senbores legistas
a*>
de
J chegaram
do
as intereisantes estampas, a morte
justo, e n morte do peccador.
Da loja d'aguia branca avisa-se ao* senhores
reverendo* e outras pessoas qae haviso eaeoaa-
aoeudado esin menmeles estampas, que ellas
acaban de chegar, e quem mais aa quizar pos-
suir dirigir-se logo i di ti loja d'aguia branca,
ra do Queimado n. 16, poia que a quintidade
pequea, a por agora ainda se venderlo a 2*000
cada urna.
Na loja do vapor, raa No-
va o. 1, acha-se barato
grande sortimento de calcado francez e inalez
roopa feita e perfumarlas muito flan. '
lssa oMets *
leja da Bea-F.
Se houve por bem resolver
Na loja das tres estrellas
Tudo queimar derreter
Em moeda encanto deltas.
Ra la rga alo Ro ario a. 33.
Para liquidar: biees da 44) a 908 rs. ita* .
oo.de 100 a 820 rs.. dheaTresiTlaS. *?
gos a 600 e 800 rs.. flt.i a,.,(o ricaa iiTsoTii\L
a MJO ra., ditas lisas aasailaiaiaai nHiUia <
0 a 600 rs babadas de u79 755^"
5 "i Pe? 1$ ara a aa M9 rs..
babidoslargos pira eaaiaaaaa Beata** igacisi
de 120 1 200rs., dito da largara aa aalm* a5*
S l,"M o aia easa idrtlaa a*Maa aa m a
400 rs., franjas de seda de carra da aa a MS) rs .
ditas da li e seda a 160* 940 t$. iiaaMiii II
e algodio de 60 .1 plea pr^. *. ** a
1J0 rs., fita para coa jl tasa eolielra araaca, par-
do e preto a 390 r... eartoea de coiieles a 40. 54)
!<* "'.X SOtt>br Para fiares de tatas aa cava*
120 e 160 a 1*1 ha, aaf*u*s a reda vitfritha pa-
ra cabeca a 1 e 11500, escasas psra Uta de K*
l?;- PV de'l'i O a 800 i... aire*
muilos objecto* caotUalu a* otirM mmkm
'7% "D,0 a,t0 *! rtUtf cas*
grande differenca de reUlhe. ^^
Vendem-se osengeDhos
S. Pedro e Espirito Santo, am-
bos moentes e cor rentes e
dagua, sitos na freguezia de
S. Bento comarca de Porto
Calvo e provincia de Alagoa?,
o primeiro tem casa de enge-
nho e poucas obras, porm
safreja quatro mil pes, o se-
gundo tem boas obras, porm
so safreja. dous mil pes:
quem pretende-los dirija-so
a ra da Cadeia do Recife n.
26, primeiro andar, que acha-
ra com quem tratar.
As verdadeiras lavas de
Jouvin.
A loja da boa f receben nova
verdadeiras luvas de Jouvin, a I
aoa cavalleiroa e madamas da bom
que mandem por ellas na referida
f, na ra do Queimado n. 52.
Gracas a Deus.
J se pode fazer mimos.
Ji ae pode fazer mimos.
J sa poda fsiar lases.
J se pd* faer ssioioa.
Chegaram afina] as esperadla asocia* aa ala,
e esli se vendendo pela metida das ejaest vea-
dism, sendo a 160 rs. escolbidaa : aa graaae de-
posito de Soir & C, raa eilieita do Kaaaria nu-
mero 11.
Exposico
DE
Candieiros a gaz,
O proqreUrio da aova eipoaicio daa eaadin-
ros 1 giz ivita ao poblico em gersl, qa* se acba
sempre sonido com grande e varlavel soriiave:*
de candieiros desda o mais barato at o mais caro,
aasim como um grande deposito de gaz idrogen;
verdaderamente ecooomico, recoaaecido ver*-
deiramenl* por lodos os consamidoica : na r.a
Nova ne. 80 e 34, Carneiro Viaaaa.
Nesla mesma ezpoei(o $ eacaalrai asa -
riavel sortimento de riquissimos qaaeros de aada*
aa qualidades que por oslo se poda apreciar e
seos desenhos, um riqaiaaima aanioaial* o*>
quinqoiliiariaa, contend* ealr* ellas riqaisaiaics
vavatorios para quartos (gosto cSriaes), asa varia
le sortimento de baiaios com todos oa prapara*
para viagem, contendo pratos, facas, capea e *-
tros frascos para condicionar, ferros da eagoat-
mar a vapor, machinas de baler avaa a vapor,
machiuaa de fazer caf a vapor, eiplagardao **>
dous conos tronzidoo e de alcance, ssappae del
mundo, e outros muilos objertos o,w ae ve***
jpo pre?os diminutos para acabar: raa 2l*a
numero 20.
Atteuco.
Na raa do Trapichea.4*,amcaao da 1* j m
Rooker <&C. existe am bam aortimoat* den-
ahas decores e branca sa mcarretei s da aselr**
ibricaBtetetaglaterraaaqaaea a* veadem pae
drocos muirazoaveia
Ghegouaapreciavel agua bal-
Scfmica para a bocea e
d entes
A loja d'aguia branca acaba da recabar asas na-
va remessa da mui praveitase a proco rada agaa
balsmica para a bocea a dantas. O bam resal-
tado de (al agua j nao eoffre davda cama sa-
bido petas immensaa pesaeasque a caaipririot
a que sentam o falta dola, a ai qa* a* a***
comprarem achario que o aso dallo fox eoas+r-
vor os denles sios, livrarrdo-oo da aori*. farlala-
ceras gengivss e tirar a mea balita da bocre,
dando meama agradad araaaa, padeaala-sa
mesmo usir delta nio so pela saaaaia camo a
qoalqoer hora, e eem iccrsetfepaiada fomar pa-
ra tirar o cheiro da faasre, aa quiodo oa trabo da
sabir para ter-so a boceo iromotico : ora tasa
porm, baslam algumas golas dello osa agaa po-
ra. O proveito d'agaa balsmica atada chaca a
mais, ella aarve com acert a prooaptidia paro
acabsr a dor de denles, eesopoaaa-se bella os*
bocado da algodio e deilando-o aa buraca da
lente, este adormece e em'poaco desoppaiwc a
dor. Pora se obter um fresca da Ua pravaHaas *
opreciovel agua balsmica, dirigir-aa caes la 4
loja d'aguia branca, raa do Qu simad o a. 14), Bat-
ea parte onde ella ae vende. Adverte-se ejae aa
frascos vio marcados coa a retalo da dita le;a.
SABA.
Joaqalas Frsodaeo } Malla Saalaa aviaa *a
iousfroaosaadesto praea a aada tora, qaa lasa
azposto i venda sabio do sasfoaricaaaaamLaaaa
RecitoaeirmosamdoaSn. Travaaaaa Joatsaa
4 C, na raa do Amorim a.U; maaao ama rafia
taatanba, prata a eetraa qaalidadao par ~
praea qaa da ootros fabrico*. Ha aneme
bem tesa falto o sea dea alto da valsa da <
iosimplas sem mistan alfana, cesa*
eomposicio.
Queima-todo
Serve ara ae daiso* aoa as
a-a
fias, e preservando ae Besotee <
com color da las: veada-oe
quolma-tuda, aa rea de Qoeiasada,"Wis n
aranea d. 16.
\y


6
IIIRI

Atteutfo..
o que pode fesTSE de meihor
gosto em gaiantarias para
ornantentos de salas,
como eeja, rico jarrn da porcelana e de vidros
de varios tamanhos e fsica, ricii manleiguei-
rit, jarros de vidro para .eraros e outras florea
delicadas; fraacae aaaito liado*, tanto tai corea
como em gosto, o oulras multas galaatsriss que
se torna enfstdenbo saeoctoasr, afiaocando-ae,
porm, que o qua ba de meihor gosio'para
quena quirer ler suas mesar bem ornadas; na
leja da Victoria, na cual do Quaisaan* n. 76, Jun-
to a loja de cera.
RiiadaSenzaKa Nova n.42
Yanda-n a catada S. E. Jonhston 4C,
ellinsa sb.esQfloxes,andesre saatieae*
bromeados,!
tt rival sem segundo. m|
ra do Queimado n. 5S
defronte do sob
vo, loja d,e miu
Jos de Aaev
Silva/ estaisj
contimiar a vender pe-
lo precos afcaixo de-
clarados, qte nf Trer-
fede bometeatit-
simo.
Oal vitrea
largo oo Cor
Xfsboeem pedra.
mato mto o superior ae ha n
. l*ce WnseilslsM. .o****
Corpo Santo n. 19, trapiche da compa-
Frascos com agua Alavaade moteada a
.Ditos superior, frasco moito grandes
fiase*, ioln,ohicosI dusu desabneles muito fina
para carros, s monisrla .arreiospar carro de Sabonetes ioglezes da melbor qualidade a
nm adoas malos relogioids ouro paienu!2'lM "uilB 'v
nglsx.
Relogias.

Vende-so era casu-da Johntton Palor dr C.,
roa do Vigario n. S um bollo sortimento is
Mlogiosdeouro,patente ingles, daum dos mais
afamados fabricantes do Liverpool; tamben
um Tiriedada da bonitos tranceliHpm os
meamos.
Watt 9! 15 oneMSNdK
4 loja da bandeira |
(Nova loja de funileiro daj
ra da Cruz do Recife
numero 37.
Manoel Jos di Fonseca participa a
todos os seus fregaezes tanto da prsca
cmodo malo, e juntamente aorespeita-
vel publico, que tomou s deliberacao de
balsar o proco do odas as se as obras, por
cajo motivo tesa para vender um grande
sortimento debatios e bacas, tudo de
'iiHoreotes lmannos e de diversas cores
ira pinturas, e juntamente am grande
sortimento de diversas obras, contend*
banheiros o gamelaa compridas, grandes
e pequeas, machinas para caf e cae- i
cas para conduzr agua grandes o peque-
as, latas grandes pira conservar fari-
nha e regadores ao uso da Europa, ditos
grandes e pequeos ao uso-do Brasil e i
camas de vento, latas de arroba a If, '
bahusgrandes a4f pequeos a 600 i
rs., tacia grandes i 5) pequeas a \
800 rs.,cocos de aza i i) t duzia re- i
gadores regalaros raeito barato, ditos
pequeos a 400 rs., de lodoi estes objec- ]
tos ha pintados e em braoco e tudo mais i
se vende pelo menos preco possivel : na
loja da bandeira da ra da Cruz do Re-
cif n. 37.
Frascos de agua celeste muilo superior a
Ditos com ebeiro muri fino a
Di loe com beaba do reo a
Ditos com oleo de babosa a
Silos moito superior a 240 o
tos com bsaa muito fina a
Ditos rom opiata da Labia a
Ditos de dito de Pitera
Ditos com banda transparente a
Ditos com oleo pbilocome a
Do com superior sana de Colonia
Ditos com macaca per ola a
Ditos comditoi (oleo) a
Novelas de linha do gaz de cores a
'He* Ditoa da meihor qualidade a
Qarrteis de lioba de cores com 100 jardas
nvelos de linha do gas para marcar a
Parea de molas de eores para me ai oes a
Ditos ditos para meninas a
Ditos ditos croas para meninos a
Duzias de meias croas muito encorpadas a
Ditas ditas braocsa para senhora a
Caitaa com phopberos de sega ranea a
Ditas de folha com phophoro a
Duzia de phopboros de gaz a
Dita de ditos de vela a
Pessas de tranca de lia de todas as cores a
500
800
1
S
fifiO
240
5
K
960

T#
V'
Sem
Eli* Direiia 45
i i Seo sortimento.
ngeiraj
ros
r
iivurm fabrtWBlf s (toat r ej
8
W
60
30
40
MaV
120
200
21408
39000
110
240
320
40
Vender se duas casas terrees n. 49 e 51
ra da Esperance cu Caminho Novo do bairro
Boa-Vista, tem oro mei-agua assobradada no
tundo, quinlaes e cacimbas: a tratar na raesma
ra n. 45.
Libras sterlinas.
Vende-se no escriplorio de Manoel Ignacio do
Oiiveira e Filbo, larga do Corpo Santo.
8
i
Acaba de
chegsar
novo armazem
DE
BASTOS & BESO
Na ra Nova junto a Con- j
ceico dos Milita-
res n. 47.
Um grande e variado sortimento de
roupas feilas, calcados a fazeodas e todos
estes savendem por precos muito modi-
ficador como de sen costume,assim Como
sejam sobrecasacos de superiores pannos
e casacos feitos pelos ltimos figurinos a
26*. 289, 309 e a 35, paletots dos mesmot
pannos preto a 16J, IBS, 20} e a 249,
ditos de casemira de cor mesclado e de
novos psdrdesa 149. 16j, t89,209e249,
ditos saceos das mesmas casemiras de co-
res a 99, 109,129 e a 149, ditos pretos pe-
tt lo dimiauto prego de89, 109, e 128, ditos
I de sarja de seda a sobrecasacados a 129,
W ditos de merino de cordo a 129, ditos
de merino chinez de apurado gosto a 159,
I ditos de alpaca preta a 79, 89, 99 e a 109,
ditos saceos pretos a 49, ditos de palha de
seda fazenda muito superior a 49500, di-
tos de brim pardo e de fusto a 3500, 49
e a 49500, ditos de fusto branco a 49,
grande quaotidade de calcas de casemira
preta e de cores a 79, 89, 99e a 10, ditas
pardas a 39 e a 49, ditas de brim de cores
finas a 2(500, 39, 39500 e a 4$. ditas de
brim brancos aas a 49500, 5$, 59500 e a
69, ditas de brim lona a 59 e a 65, cotletes
de gorguro preto e de cores a 5$ e a 6g,
ditos de casemira de cor e pretos a 48500
e a 59, ditos de fusto branco eMe^irim
a 39 e a 395OO, ditos de brim lona a 4g
ditos de merino para luto a 49 e a 49500'
calcas de merino para luto a 4g500 e a 5s'
capas de borracha a 99. Para meninos
de todos os tamanhos : calcas de casemira
prefa e de cor a 5jj, 69 e a 7, ditas di tas
de brim a 2{, 39 e a 39500, paletots sac-
eos de casemira pseta a 6$ o a 7, ditos
de cor a 9 aTJ,, ditos de alpaca atim,
sobrecasacos de panno preto alSjse a
14, dilos.de alpaca preta a 59, bonets
para menino de todas ai qualidade, ca-
misas para meninos % todos os tamanhos
meios ricos vestidos de cambraia feitos'
para meninas de 5 a 8 anoos com cdco
babados lisos a 89 e a 12f, ditos de gorgu-
ro de cor e de lia a 59 e a 69. ditos de
brim a 39, ditos de cimbraiaricamente
brdalos para baptisados,e muitas outras
(azenias e ronpasfeitas que delzam de
ser mencionadas pela sua grande quaoti-
dade; assimcomorecebe-setoda equal-
qoer eneommeuda de roupas para se
mandar manufacturar e que para eate flm
temos om completo sortimento de fazen-!
das de gosto e orna grande ofllcina da al-
faiata dirigida por um hbil mestre que
pela soa promptid oe perfelao nadadel- J
xaadeseiar. .
f Loja das 6 par-|
tas em frente do Li-
vramento.
am Roupa feita muito barata.
Paletots de panno fino sobrecasacos,
fu a de brim de cores e brancos, dito! de 2
ganga, calcas de casemira pretas e- de W
9 cores, de brim branco e de cores, degan- A
A ga, camisas com peito de lina* muito 2
w tinas, ditas de algodo, chapeos de sol '
de alpaca a 49 cada um.
Azeite de Palma.
ltimamente ebegado de Loanda no bsigue
viajante, assim como azeite de amendoim que
serve por ultimo para Iazes: na ra do Vigario
n. 19, primeiro andar.
ai a
e vidraceiro.
*atas
pvlasasW deAsu
econmica ao p do arco de Saato Antonio 1 !..iTT1 V "
CMta largas $ $20 rs. Senhoras.
na loja do Pavo. , M?i*y# de mofo, afflancjodo-se soltero ^liaixa.
rirbftdgtrqueslsvln, pofaSrfa d?CoM M Si'S M '
Tarlatana brancada ;* P*2'_iVeW*Vw.
I pe?a com 8 varas : na ra do Qoeinfado n. lgl 1
segunda loja vlndo do Rosario.
Lencos brancos*
Veadaos-sa lencas branco aroprios para alfi-
bera. palo baratisaimo proco da Sf400 a duzia :
na raa do Queimado n. 21, loja da boa^f?.
Potassa da Russia.
Vende-se potasta da Russia da mata nova a
s4rpeYar:#** mereadn a preca moito
ommodo: rjo eacriptorio do Manoel Ignacio d
Oiiveira 4 Fflho Jargo do Corp Santo.
!!
TSRWS-
Vende-ie umiUlono fugar do^m, aom Tio dMta'gTanW wiabalc
aatero com os
o proprieta-
_JtO continua a of-
I'"* tffi'aaSs+iaK
no aaaanialagar. decalcada fraoca*, ingler Vbaslako a: Vejam
lig ,4^ ^ lordPalmeratoo[bezerve
11.W.33 a34 Uiatta. i$m
K um rico sarlimeato da caaro e lustre, be-
; !!2'J0' l"*te.. por menoi do que qnsl-
qwer ootro poda veoder.
Relogios baratos.
Na roa Nova o. 21. ha grande porclo de relo-
gieafoadoa, douradoa a da euro, 9Hesitas a ort-
*Si"e,J,'al880, l"1*". os qstaes sarao ven-
dldnapoloa probada factara. Cadarelogoleva-
r* um recibo em qoo ae resaoosaailisa pelo ra-
galamento durante seis mezes.
s
s.
Nova california
DE
i
Fa7endas baratas.
Vende-se urna casa terrea de pedra e
com cemmotopara urna familia, com cacimba
quintal murado, na ra da S. Miguel n. 28, da
PlalaS144d0* A,,f,llo,; lr,Ur n "* Id>P-
Vende-se urna aira de praU para 4 copoa,
mu bem feita e bonilla, a rende ae a pelo valor
da prata, veode-se igoalmeota trea pares de ca-
tijaes bonitos e com (lorea, rndense oestes tres
das por se precisar de importe : trata-se os ra
estreita do Rosarlo n. 4.
Vende-se o grande -sitio denominado Csia-
na.sito nafregueaia da Varae, da mtiito boas
SiaT *"** ^to !? quantdsde, com orna casa de taipa j coberta
Grande e nova oficina.
Tres portas.
31RuaDireita~31.
Neste rico e bem montado estabelecimento en-
contrarao os freguezes o mais perfeito, bem aca-
bado e barato no seu genero.
URNAS de totas asqaalidades.
i^amf!^ 1** r,raln com o Jacaranda.
BANHEIRUSdetodosos tamanhos.
SEMICUP1AS dem dem.
BALDES dem idem.
BA.CIAS idem idem.
BAIIUS idem idem.,
.ffA rRATOS imttanuo eoi peirei^au ovo ri,u0i-
lana.
CUALEIRA.S de todas as qualidades.
PANELLAS idem idem.
COCOS. GANDIEIROS e fiandrea pan qual-
quer sortimento.
VIOROS em caixas e a retalho de todos os ta-
mandando-semanhos, botar dentro da cidade,
em toda a parte.
Recebem-se encommendas de qualquer natu-
reza, concerlos, que tudo ser desempenhado a
contento.
Fil liso e tarlata-
I na branca a 800
ris a vara.
Vende-se fil liso muilo fino e assim tambem
tarlataoa branca muilo fina, tanto urna cousa co-
mo oulra sao proprias para vestidos, nao s para
bailes como para sssistir-se a casamento, andem
antes que se acabe na ra do Queimado n. 22
na loia da Boa-F.
Meias baratissimas.
A 294OO a duzia de pares de meias brancas fi,
as para homem : na ra do Queimado n. 22
na loja da boa j.
Importante
Annuncio
Na lja da diligencia, de Guimarae* Ir-
mao, na ra do Queimado n. 65.
Gartoei de clcheles francezes com 14 pares a
Pentes de massa dourados muito finos imitando
tartaruga a 640.
Esoartllhos para seohora, que sempre ae ven-
dern a 69. por 2500.
Transas de lia para vestido, a peca a 40 rs.
Laa para bordar muito fina e liadas cores, a li-
bra a 79.
Masaos com grampos a 40 rs.
Liohas para bordar, a miada a 40 rs.
Ditas de peso muofinas, miada grande a 240.
Franjas de linhopara vestidos,* vara a 120.
Apparelhosde porcelana para meninos, pinta-
dos e dourados a 19600, 25. 29500 e 89. >
Cartas com alfinetes a tOO rs.
Pasis com alfinetes cabera chita a 40 rs.
Eofeites para senhora muito linos a 3, 4 e 79.
Sinto* muito fios para aeohora a 29 29504.
Meias delaia e pretas paxa padre que semore'
se veoderam a 29 a 640 rs.
Enfeitaa com Dores vara senhora a If,
Colheres de metal muilo finas para sopa a 109
rs. a duzia. ^
Garlos do mesmo metal a 49000 a duzia.
Asaim comooutraa muitas miudesas finase ba-
ratas, que dolamos de mencionar, para nio se
tornar tanta massada.
Na roa da Imperatm i. 48, jauto aS
padaria franceza.
T Corles de cambraia branca cora bafadi-
2 <>hos 49 e 49500 superior 59, caanovaia 11-
2 za com 8 1(2 vara 3J\ 3*500, e 4. ditas de
5 Kocoasw 5, e 69, ricos enfaites para se-
2 nnora 69e6|500, sintos os mais delicados
l para acamara 29109.89, chapada* para cri-
2,"ca gosto ioglez 39500,49, para baptisado .
3, cortes de vestido de sed Escosseza 9'
w boattea gosto 129 esto se acabando, ri-
* eos lensos de labyrintho-19, tflOB. chapeo
de aol para seohora de bonitas cores, lisos
59, cabe de marfim 59500, corles de caos-
braia brancos com ffr de seda 59. rlsca-
da francez 900 seis ocovaao, coaapiote*
V sortimeotos de baldea de arcoa 39, aortl-
S S??""!?8 "* P nsaataa a aaantaa
zoo e 240 ris o par. chales da tarlatana
fj de corea a 640 ris, lengo* brenca eom bar*
ras 160 ris chitas inglezaa a 180 e 200 rs.
dtla franceza a 210 o 280 rs. o eovado 9
pegas de cambraia de ferro com O raras #
9 29 : junto a padaria franceza o. 48.
A 280 rs. o eovado
de cassas francezaa de muito bonitos padrea com
4 pelmas de largara, pecbiocha. na ra do
Queimado n. 22. na loja da boa f.
Loja das 6 por-
tas em frente do
Liyrainento.
Ciiapans; Aa baI Aa alpaca a %__
Duzia da meias eruas para homem a
19200 e o par a 120 rs., ditaa brancas
muito finas a 2g500 a duzia, lencos de
t casas.eom barca decorosa 120 re. cada
um, ditos brancos a 160 re., baldes de
M e 30 arcos a 31. lazinha para ves-
tidos a 240 o eovado, chales de merino
estampados finos a 59 e 69, tarlatana
branca e de cores muito fina com vara
emeia de largura a 480 rs. o eovado,
fil de lioho liso a 640 rs. a vara, pa-
cas'de cambraia lias fina a 39, cassas
de cores para vestidos s 200 rs. o eo-
vado, mussulina encarnada a 320 rs. o
eovado, calcinitas para menina de escola
a 15 o par, gravatinhia de tranca a 160
rs., petos para camisa a 200 rs. cada
um duzia 29, pesas docambraia de sal-
pico muito fina a 39500, pecas de bre-
o\nha e.ro, ** bitas francezaa a
220 e 240 ra. o eovado, a loja est
aberladas6horas da machia as 9 da
noite.
nmK-tliHt'Jeti'snsTasBWfYJVWT
Devotos.
Na loja das tres estrellas ra
Jarga do Rosario n 33.
Troca-se mdicamente por dioheiro estampas
da eesjtM am fumo a colorid s a 110, 140 e 160
r*., ditaa da W. S. da Peoha, Crucificado, Cora-
'^daiesusode Hara fino colorido a 200 e
240 va., ditas estampado braoco imitando gesso
* M>K 240 a 820 rs ditas am quadros cesa vidro
a 240,180 e 30 rs., vernicas e cruzes diversas
a 120 e 160 ra. a dusia, redamas pequeas cas
sanetnanoa em raetet aMO. 320 o 400 rp., rosa-
dos fines de cornalina, azuas o encarnados com
cruzes prataadaa a 19800 a 19, ditoa da muitas
Liqnidaco
na loja da arara,
Vendem-se corlea de calca de riscados d co-
res e brim a 19. 1280 e I96OO, ditos de meia
casemira a i800 e 2. cortes de casemira preta
para caiga a 3*500, dita entestada fina a 42. ditas
de corea finas com liatras do lado ou tem liatra
a 49800. cortea de vestidos de tarlatana brancos
com babados de corea a 29500, cortes de cambraia
para vestidos com avenlal on quilha dos lados, de
cores, a 2*00 e 39, cortes de ditas finas com 13
covadoa a 29300, ditos de riscados chinezes a
9500 : na ra da Imperatriz, loja da arara de 4
portas n. 56. de ftfagalhies e alendes.
Vendem-se libras sterlinas ; no escriplorio
de Amortm Irmios. ra da Cruz n. 3.
Sustenta se a fama autiga
D vender com consciencia
Venham ver, e nao se diga
Quisto falsa advertencia.
Loja das trea estrellas ra
*p *o Boaarlo numero 33.
Quadros riquissimos com moldura dourada de
Sania Thereze, ConceicSo, Crucificado, Coraeao
de Jess, S. Joio Baptista, S.Joaanim, S. Jos
e Santo Antonio a 8, 9e 10J. cabeces de retroz
com borlas de seda para veatido a I96OO, fitas
de velludo escocers para cinto a 640,800 e 1
vara, pentea da tartaruga para atar cabello a ims
peratrizapuradogostoa7,8, 9 e 109. bonito-
botoes de vidro para casaveque a 200 ra.. de li-
nha a 3p a de velludo a 500 ra., divisa, galgo
branco do Unho paca afeite de vestido a 80,100
e "2 **"' 8aP,linbs de la para menino a 400
e "" 0ll8 de merio mattsados a 19400 e
I96OO, tAucaa de cambraia enfeitadas para crian-
cas a 400 e 500 ra., ditas mala ricas com forro
de seda a 800 19. ligas de seda elsticas de to-
dos os tamanhos a 200 e 320rs., bonets de ojlhi
para meninos a 21500. dHoa da pellica muito rt-
lJi" L,UT"..pret" ,em ae, "" enhora a
60 e 100 ra., ditaa de pellica a 200 e 500 re? di-
taa de aeda amarellaa e brancas a 500. 600 800
rs., lequea finos com espelbo e tem He a 19600
e 29, meias para senhora a 240, 320. 400 e 500
ra. o par, ditaa da sada a da lata a 12800 e la e
outras cousas mais tudo barato.
Cassas gwibaldi-
nas na loja do
Pavo.
*viiiBi.
Vefldem-se finiaaimaa cassas garibaldioas asa-
burro m.asft: a tratir na ra do SabTaT.
mui ricos a 8. 9 a 10J, bem como outraa muitas gado a 360 rs. o cavado aa r
qae tem cha-
da Imperatriz
4 musseliaa do Pavao a
200 rs. o eovado.
Veede-so musseliai branca com 4 1)2 palmos
iT?5If f,B0(ll muilo fina pelo diminuto pre-
50 .*^' *>. cortes de chita ragleza
co"2|MTados cores flxaa a I95OO rs., ditas de
mvaselma branca om 10 eovados a 29, todo
para apurar dinheira: na raa da Imperatriz n.
W, loja de Gama & Silva.
Veode-se urna casa terrea am urna daa me-
inores mu da freguezia da Boa-Vista, ceno so-
tao toMrtor, 5 quartos e 3 salas : a tratar na 1ra-
vessa da rus daa Crozas o. 6.
Iluso gosto.
Cinteiro de bonitas fita com pontas
cabidas e franjas.
A loja d'agala branca receben orna pequea
porcio de cinteiros de bonitas fitas larga com
pontas eantdas e franjas, o mefhor a ultimo gos-
J Cf*8e v dos flguriooa, leudo tambem alguna
torios brancoa proprios para casameotos as se-
nhoras que gostam da posanir o boca, mania-
rem a ra do Queimado, loja d'aguta branca' n
16, qae com 79 tetao um ciato da bom a ultimo
gosto.
Noiidades do pavo,
A loja de Gama (L
Silva, na raa da impera-
triz n. 60, acaba de che-
gar um novi e variado
sortimento de fazendas,
que vendem por presos
que faz admirar, como
sejam:
Um bonito sortimento da caasaa suissaa aim
agio de sedaa de quadrinhos, que se vender pe-
lo diminuto prego de 240rs. o corado.
BTiUuuaUia a 2*40 rs.
Vende-se brilhantina com quadrinhos de edr
para vestidos o roupas de meninos a 240 rs. o
eovado : na ra da Imperatriz n. 60, loja do
P&Y80*
OrgaiUys a H*> r*-.
Vende-se cassa de organdya de psdrdes muito
bonitos a 280 rs. o corado: na ra da Imperatriz
n. 60, loja do Pavo.
Chitas a 240 rs.
Vendem-se chitas francezas muito miudinhas
fazenda que sempre se rendeu por urna pataca,
e est se acabando a doze vileos : na ra da
Imperatriz n. 60, loja do pavao.
Gurguro a4O0 rs.
Vende-se gurgarao aiudiobo proprio pira ves-
tidos a capas para senhoras e para roupas da me-
ninos, pelo diminuto prego de 400 rs. o corado
na raa da Imperatriz n. 60, loja do pavao.
Las a 400 rs
Vendem-se lazinhas enfestadaa para vestidos,
fazenda de muilo bom goato, pelo diminuto pre-
c c,ruz*? ovado : na ra da Imperatriz
n. 60, loja do pavao.
Com barras e babados.
Vende-se flnissimoa corlea de cambraiaa para
vesiidos.com barrase de babados,pelo baratissi-
mo prego de 29500. 3$ e 35500 : na ra da Im-
peratriz n. 60, loja do pavo.
Cassas a 200 rs.
Vendem-se cassas com salpicos graudos a 200
rs. o eovado : na ra dalmperalriz n. 60 loja do
pavao. *
Cassas de cores a 240 rs,
Vende-se caasaa de cores fazenda auito boni-
to a 240 rs. o eovado : na loja da ra da Impe-
ratrii n. 60, loja do pavao.
Sedas a eovado,
^V*^.e*!tlX0.8aen,>le, Piel mitil0 encorpado
a 19500.19600 e I98OO, dito azul cor de rosa e
cor do cana a 20000 o eovado, sedas brancas la-
vradaa para vestidos de noira a 29240 e 29400 o
co\,d0' 2? Prel '"da a 19400, chamalote
preto a 25000 o corado : na ra da Imperatriz
o. 60, loja do pavo.
Enfeites a %%
Vendem-se enfeitea de muilo bom gosto para
senhoras a2|000 : na ra da Imperatriz n. 60.
loja do pavo. *
Eofeites a 640 rs.
Vendem-se enfeites de froco proprios psra me-
ninas e tambem para aenhora a 640 rs.: na ra
Imperatriz n. 60, loja do pavo,
Chapeos para seuhora.
Vendem-aa chapoa para aeohoras, aepdo mui-
to bem enfeitados e os mais modernos que tem
nodo, pelo baraUaslao proQo de 109 : na ra da
Imneratnz n. 60, loja do pro.
Feiludc a 2|400.
Vendem-se velludas preto, cor da caf, azul
ferrete, e verde-escuro, proprios para vestidos de
,eoho*f e prego da 2940Q o epaasjo, seado bzend. ana sem-
pre ae venden a 59: na ra da Imperalriz n. 60,
loja de pavao. *.-' vy
Detodaaeatas fazendas se dio amostras dei-
saado flear penhor, assim eomo tem muitas ou-
lras fazendaa que se tornara enfadonbo de al
menciona, tedaa vendende-se mafs barato que
*a,",rMl9,'orf8tla na ruada Imperatriz
n. t, laja de ama oz 8U va, aonde se a cha col-
tocado ama abatata aoas um PAVO pialado a
da oolte ama luz asa que diz o PAVAO,
largo daPeifha
Francisco Fernandes Daarte, proprietario desie
'BCipa aos isas freguezes, assim como aos saibores a pra?a, de aasja-
em ranta quizerem-a* afreguezar neate aaUbaleciaaeata, aja sacaba
o ds ganaros os mais novos qae ba ao aaasrssjtJb a pwr saasa s*a*ar
armazem d molhados, partee!
aha e larradares qae d'ora a
com um complelosortimento
parta dellesnndos de conts
a veade-raa par
afianzando a boa qaalidade a a condiciona menta, aaeil
BSaaatoataaeat
daceaassaanm a sm
a 19 a Ubta a
------ta propria, est portante resolvan
e?r .VJ i ,!1Be Pa". sflanjindo a boa qaalidade o aa<
Iti Xrt,J,or.e8 meQ08 Pratfeostlobam, como ss ossenhores vieMe
i.\SS^2 pp,Fi,l,0 eia Pealar tadaatiencio. afim da con
aTmn^SK!a*21M'Mrl0.,*6<>u* l8qlqu' encommenda comprada naata es
scom9etBatd omacontainrpre.sicoffltf mesmo tital* do armasen Prograasa.
aa far abatimeln
SS"! *^** msisaaparior quo ha no mercado a 640 rs. a libra a e
snrn a fQOrsr
H*>. sUtta-an a boa qualidade*
^iiel|at^dotei;*tnBgd0fI,^^tUilll0 T,p0ftVSfaoo> #M ^ ropor
Figos de eoamodre 08msi,MT0I que h. otaernd0 ^m
a 80 rst ditas da 8 libras par 29500, a am libra a 320 rs.
Prexunto de Ha abre
inglez a700rs. a libra.
Preiauto de Umego. 4Wr< Iibr, inteiro. m rt.
*a mala ora que ba no marcado a 160 rs. a libra, e em arroba a 4|500.
Ksperaasete, 760 r, HDri m MlIt. 740
Laia eo Mutito de eda d6 def.rent^^a*...,
Latt eom peixe em posta de Baila. %mtumm. 1#400
^zeitonas multo aovas. 1|000 r. o b.rm.. r..iho. 310 .. P...
eee de Mpevene.. IiU d# allbrM por lfM0
^tintas pari poilB f 800 tt tMbrt
arta de pOWOtefiaada. 480r,..,ibr.,embWn.440r..
n&aca de isatfi
w '^/ amis nova do mercado a 94)0 ra., a am latas dattlbfa pa* faJIM
- mao, prinei,, Tei que T|eram a efte mit-do t MOrf> t m,,,
Caoattdjas e palos mul(0 noro, a 5W lftt
Palitaa de daata H*a^eom,aflidB^r00r..
Roate tf aaeez. t9mt. llbri> riUo 90llogB. wo ri
aTmeUda Imperial d0 tfaBtd0 Abrea de oatroamattoafabrisaaUsaUsaaa
1000 r*. a libra.
inuos em pipa de 50 56(> # 640fI a girrafa e-4anada> a 3950041000 49500;
* dasmMs acreditadasmarca a 59 a duzia, e esa garrafa a 500 u.
__. raspa a mafs nova que ha no mercado a 640 rs. a libra:
- 3 ^7* engarrafado. Porto fino, Porto, Feitoria o duque do Parta a 1|W>.
Larca vellos, Moscatel e BorJeaut a 1J a garrafa, e am cana da urna dazia ae (asi abattsaata
" o mala aovo ollmpo que ha no mercado a 160 ra. a libra a am arroba a 9f.
ditaa Ra ^^^ a* molhores que se podem desojar am maiaa Utas a 500 ra.,
m ra,,hBr P9"00 1u pode havar por estas prompto a toda a bota a If libra.
Wlolo de ameadoa a 800 llbfli 4lla eo. CMM. mnm
iitozes muii,, 00Tas a 120 rt. t Ufct|u ^
GastaBnaspiladaaa240aiibfi
YaiC m>ilntBparnra i ,. i...-._ r rt ,lltll
ri'Ti*OZ
. Jo M.rauho a.39 em arroba, a em libra a 100 rs.
Tumo amet\eaiioalt4lih
C__, a- tiaiiora.seforem porcaoae lari abatimania.
SevadlnaadaFr,n5aa240ri allbri
sag muito 00T0 a 320 rs< t libr!^
Ifn V6 Liabo..S60 rs. a Ubrsaal09:a arroba.
V anana do Harn aa o
ToaeiausittgUxa00raHb;;
Passas em eaUiaaas
nova a 10 rs. s libra.
de 8 libras a 1500 cada
cura
- ja5!r.issr- """"3" -""^ "".z-.-, ,.W1,
otado qaaa
*^Gimaraes k Villar.
Ra do Crespo numero 17.
Venden, liara i isvimo.
a 79 a pe^a de 9 varas.
Cambraias brancas bordadas para vestidos de senhoras
Organdys do cores delicadas a 500 rs. o eovado.
Cassas de cores fazenda fina a 240 e 280 rs. o eovado.
Manguitos e golliohas psra senhoras a 2* o par.
bollinhas ultimo gosto a 19.
Manguitos a 39 o par.
Entremeios ricamente bordados a 29
ri W.F jllarP">DM<>dss para dnfeiles de vestidos de 29 a 59 a peca
Satas bordadas de 4 pannos a 49. ^ H^ '
Saias bordadas de 3 pannos a 29500.
Saias belo do mnsselioa com babados a 69
Chapos de palha de Italia para aenhora a 189.
Ditos de seda para senhora a 129.
Manteletes de seda
o que ha de mais moderno de diversos precos.
Ditos de fil muito bonitos a 30$.
Vestidos brancoa bordados a 20#.
Ditoa brancoa bordadoa a 79,
Chitas francezas de todas as calidades a 280.300, 360 e 400 rs. o eovado.
Madapolao de todas as qualidadea a 49, 49500, 59 e 79 a peca.
Outras muilaa fazendas de gosto e Drcos baratos.
Paz de arroz
em bonitos vasos de crystal dourado.
A leja d'agula branca acaba de receber mui bo-
nitos vasos de crystal doursdos com finos echei-
rosos poi de arroz e a competente boneca, e eal
vendendo cada vaso a39, diabeiro vista ; na ra
do Queimado, loja d'aguia branca a. 16.
Na ra da Cruz n. 10, casado
Kalkmanri Irmaos 4C., tem es-
posto um completo sortimento
de amostras de objectos de bor-
racha, proprio para machines de j
eogenh.pts sendo correia par*
transmittirmovitnento, canudos
de borracha de qualquer com-
primentp egrotsura, pannos de
borracha, rodetas de dita, so-
bre dito* artigos tomam-se en-
commendas.
mmmmimmmmm
Vendem-se caixfies vatio proprios
parabahuleMrauJunUoirosatc.a 1#M0:
quem pretender dirija-se a esta tipo-
graphia, que ahi se dir' quen>ottem
para vender.
S arara que est
liquidando.
Vende-se grosdensple preto a I96OO a 19809
covade, dito dito muito encorpado de carca Mra
19400 o eovado. rucado escoces para vasaada* a
~m ^w%^a para ?
280 o eovado, mussulina da corea a310cavad
canas para vestidos a 160 a 180, -*"t fnanasas'
largas a 220, 240,260 a 280 a corado, canas da
salpicoa a 200 rs. o eovado. ditas da caras a Mt)
o eovado, salas tu lio de panno sasa rese a MU
o eovado, ditas de madapolie a If, ditaa daiM
40 arcos a 3} e 39500. e cairas ae.las faaaadaa
ana se dar amostras para se ver, inda par
ce biralissimo ; na ra da Imperatriz lana1 as*
arara de 4 portas n. 56. de Megelbaae i Maaaaaa.
vende-se urna caainha de aadra -1__
bairro de S. Jos, com dous quartaaattte* dTaa.
vo, portas, portaaa. tarragas*, ladrtabo. ilnlai.
tudo novo, a ezcep^io do cauio qaa Coi ratl
e bem construido, renda masjaalmeatVlM^a
trsU-i oTuaTassa da S. Padrn. fT ^ *
Carros e carroijas.
Em casa da.fl. O. Bieber
A C*. successores ra da Cruz
^ numero 4.
Vendem-se unos amerieaaos mal
a leves para dnas a 4 pasaaaa a
commaodaa para cajo ftas atlas
tai
rocas para condcelo ds asacar etc.
tar-

_i_



uui balso,
-Mimm. tioua,
pscaseabora. meagaioa .
'-, chapeode pela
N
Ra das Cruzes ni
atalw charutos, vendem-se charutos a 15 o
milheiro, de fumo da Babia, velas de cempoei-
" fai-ae aba-
Sao 11| a arroba, e em porcia fi
mwrto ; aflaa^e a boa qoipe.
------pi
A al i sata astada aeat '^
de peanee do ac a 490 ra.
.. Uatrt it gutaeVajta M re.
eem egamas frsaaens iln
eam atarellraa para divertir mentos a
- aao rs.
Wtas araita fiass e atea ees s 900 ri.
Gretas da bato* de otso pequeos a 1 r.
DI m de tarde lenca a r ra.
Wataa-de aarllaba pettattetes 1*490.
Weatiras malta ftoas para obesa Mn.
>Hit-eew castaa oatteass a Mn.
Barathc t>itta flaoi pira vehareta a 2*0 i.
m**\t*wm gibar soo m
ieaivate Dito tai* dfattftfltat a ltO a 240.
Pitea* 4 traaca d-e Ha de todas as corea a
4JB4* ra.
Peta defratrja a Na de toda a coras a 808 r.
Stpato da mea ata lia finos a lp0.
OarSee de si Saetee freacezes a-lOO rt.
Gctua de ditos dito aW re.
Essves yare lies per deote* umita finas a 200 rs.
Masaos de grampea aupertores a 40 rs.
Oerlae aom olate eom-dataste a M rs.
Ditos ditos superiores a 40 rs. ~- '
Bldae de eco para sea4wree a MO re.
Apites efe chamba paro nwoinoa a 20 rs.
Batidores para vestido ebm 4 raras a 80'rsT.
Cabres tesa eolebetee freneses a 40 rs.
Gaitas ale alete para armador a 100 rs.
Km-de eoral de raz a 040 re.
Otre taires malte Iwii 1^000.
Veade-aea eaaa da re* des Acaagainbas a.
8 : a tratar na rea larga do Rosario o. 28.
ii **V^"*- me "sgra crtoeta 4e 50 aaaoc
Be-Usjdsji prapra para o servico dar ama asa :
qaam precisar dirija-ae a rea daa Flores n. S9.
Ha tu ds Pesia a. tt rendee cal de Lis-
boa a tt por barrica, tugada reeartemenie.
* teiNtoaa-ae pasmas ata essa para espanado-
5*^ PgoWadP t m presa da loaesen-
fleaeta s. 7 tfO.
*^H fa^^^^p faajs^aiMwavj
?- ..-
"mi-
jQ
VEtNDE-SE
ata relogio de ouro palele suisao, bom regu
doroon caaM 'fM^MMl^lvaMUo com
de piaca :jtla da RsomLil SJL
DE
Aos Srs. que faaem obras.
Existe grande deposito de travs e
enxams madeira de qualidade de to-
^HioaiprBMMtoo.e Rrotauras que t
TendemT^rpre^OOTmmodb: a tratar
na ra da Praia n. 19 o.45.
*- Veade-se fea sos Her 5 aae par de ar-
teioeiftww, efcegeete HHiUa sal, a tam-
bam se vende eabrtatei. aawa sean trelo.
Ra da Cadeia do fcxatVSO
Vareja.
Teado cada um 19 co vades,
pele preco de 12ff300.
V*fede se no enDasesa de Bastea Coala aa
rsdoQoais>fe.l9.
4 <^
, 1^,5^500,
450^e5.
Manoel Goncalves de OUveira Santoa,
acaba de arrematar una porclo de la-
teadas Bailo barata e por iato rende ba-
rato para vender multa, vende moiio pa-
ra vender barato grvalas de seda a 500
rs., enfeite de vlddtho queso tam vendi-
do por 4| i 1J. chapeos de sol para se-
nbora a 2|500. ditoa de cabega a garibal-
di a 4fS0O e 5j, venbrm a esta estibele-
ento ver estas pechinebss que admira.
VehBe-s nni loja Be hiidas. grande, si-
ta n asna-das Iwas ruaa do coasmercio dada cida-
de. bem afreguezada, cosa um pequeo aormen-
ta, e nao lem alcaides. veod%se s dinbeiro on a
presocoat firmas que teobsm descont ; a quem
eonvier deiie carta nesla typographia com as ini-
ClJ1S C o. o. B.
'otes com mualarda.
tau*i%area"oiaHiladet.
A Cepa em conaerva.
mm'm&iSmm
SO ARwt da Cadeia da Recife30 A
5^000,2^800,1^800
e58aw.
Mknoel Goncalvee de OUveira Santos, eil
vendendo iem limites pegaj de cambraia lrDs-
parenies com 10 varas e orna vara d largura
5f, saias bordaaa com rquissimos bordados a
Jioh .SiaWt lolltahas. puohos e manguitos de
Iinboefoit6eaal|800. riquistima cambraia de
corea francesas a garibaldi a 500 rs. vara e
mala tazendas qbe 16 baratissima.
Vende-te am Ihnfo escrevo eom offlcio, de
idade 28 annos, ptimo para ser nporlaOo ara
fora da provincia, qae se d a preferencia : na
raa d Pre*a prlmorro andar n. 47.
4im*i
Deids odta^aaa*tabt..ejaa tagidae
classi,
: na travesee da patea do Fareixo n.l,
ubwMae 4 partas.
Catana engarrafada
a 200 rs. cafa ama garrafa : as trsvessa do pa-
teo do Paraso n. 16, liberna de 4 portas.
Vefede-se urna ffbs de smsrtlle. propris pa-
ra deposito de agua de casa de familia, e propra
lambeai para baoho : na ra Nova a. 18.
Attemjo-
taWd^attW dngtah* parte desti cHade do
aaiw, e que tra*arba coa agoa, llvre e desem-
%ara;adt> de pnalqaer onus; rendendo-se fgasl-
menie, se conrier so comprador, eom igons es-
cravoa. e todo o gado da criar a do servlco da
engenho, e bem assim sntmses : a quem eon-
vier este negocio inoencieaonde deve ser procu-
radb^srra treiar-se e effeclaar-se dito negocio :
lambe m vende-se a planta de canas novas a
roca.
7-1. It. O.BIebari C, saccessores.raa daCras
n. 4, tem para vender reloglos para algfljeira de
Wftfr. ______*
Escrayos fgidos,
Fogio do engenho das Maltas, comarca do
Cabo, no da 23 desetembro de 1861. um escravo
poTmnne Jlo, crioulo, vermelbo, altara regu-
lar, grosso do corpo, espadando, idade de trinta
e tantos annos, melteu-se nss matlia do enge-
nho do Monte, at que lbe tirarem urna peiga que
levava, e logo que se vio sem ella diiem que fur-
tou em qaartlo mellado com cabellos prelos, e
com "principio de earrego e tembem faz um pe-
queo roano de roupe ; desapparecea o carillo
a 17^e outobro. Este negro j lem sido preso no
Recita duas vaiet, a primelra ves trabalhando
ra urna carross, e a segunda ves foi preso tra-
lbando em um armazem de auucar como for-
ro : qaem o pegar leve ao engenho cima, qae
ser bem recompensado.
l paire, sai
re, qa
Ecraya fgida no dia 3 do
oorrenie.
, ,'*. de naci Costa, alta, seca ata carpa, teas
falta de danta na trente, com alea tabea a
rosto pone visivefs a car averaselaada
por costme faltar so em issapaa ata 11 w
fies malta isa pertinente, lar, caatafea. a
ma e venda na raa, consta qaa anda paisa
baldes desta eidade Tendeado fracasa-
a todas as aatoridadss poUdaaa de a______
captarar sendo encontrada maaaaaa-a a raa
pes do balrro la lecifa a. sesada
dosGuarara,___
se pagarlo todas aa despezad.
Attenco
Fugio no da 11 do correata., ala ssjgaaibi S.
Jos, o escravo de nome Lote, cabra, alta, bar-
bado, pernss finss, p um dedo da ma direita aleWo a asaipaaari-
cio; roga-se a todaa as autoridades saHrtaea.
capitles de campo oa qaalaaar patas
s captara do dita escravo, qae sari n
do com 50.
agio aa aaita da 12 pata 13 da
de bordo 4o brigae Siquier; as eaerava da aa-
BM Manoel, natural 4a Caravathe. ertaata, Maata
M anuos pouco ssata aa tasnst, patata,
comprido, naris regalar, caballos
pridps, olfeas pardea, bsate casa
ps, marinbeiro do dito ata,
de algodao azul, catis, ate al
Kujoo preta baixo; aabe Mr e searevtr a tatita-
-sa tarro, deacosfia-aa qae tal sis swaa4atte aa
* ".: Maa^a eeptarer em delta saakar
noticia, dinja-se a bordo ate nsrssitsds aevta
oo 4 rus do Broa b. M, armatem 4a DavM Par!
reir B\Urt que aera
aado.
Dos premios da a.m parte da 1.'lotera a beneficio damalriz da fregiiezia de Barreiros, extrahida
em 15 de novembrode 1861.
- NS. PREMS. NS. PREMS.
t 1 Sf 341 5
i - 42 -
5 : 60
7 no
__
rt 13 74 -
14 - 80 -
18 82 -
22 101 86 -
23 9 88 -
31 - 80 -
32 - 95 -
47 10 06
48 5 99
55 - 401 -
58 - 7 -
50 - r=<
68 - to -
6 - 12 -
78 st> 14 w
' 7f ^ 16
* 80 - t
84 -. 21
8 -91 94 7 fc
0 fctttrf 9*wnm* m t mmn
J^m.Typ, (UM.7.V Tma &
m


iranumnan
iim___



-^''-.--' ~--Lj.i ___:

jZL

(8)
Q!*ftft#*MKM*NMP* *AM4D0 is Mimm itini.
T
.Aserie* YesiBccit,
O toas* diatriba as Faadas, _
eseeaertaa tosen o Mu os que m filtren.
Bem que Ghristurae Galoneo atorresie mb
s ter jruais donaado que* elle aportara ea outro continente que a Asi, todava fra jarlo
dar ao novo hemisplierio, urna vez reconhecido,
o nonfe do hornera1 que o deeeobrira (alla que
Sscgas), antea que o de A^artco Vespuccio'que
ah viera depois delle, como muilos ontros.
Comludo o nome a'lmerica se uniu a essa doto
mundo : curioso ver porque circunstancias.
Americo Vespuccio niscidos em Plreoca em
1*51, e mala mogo que Colombo uns quiuze an-
njis, deixou seu paiz com 39 aunos, e passou
Heapaoha.
m de seas compatriotas, Juanoto Beratdi,
fundara em Sevilha em 148 un importante ca-
sa de conmercio. Americo fol nella admiltido
na quahdade de feltor.
D'poisds monede Berard em dezembro de
1495 ioraou-se elle o seu chefe respawsavel.
Com este titulo fot eacarregado de armamento
dos navios destinados terceira expedir o de
Colombo; o que sem duvida despertou-lhe o de-
sojo de ver essas noves paizes que se' ditia tio
ricos. Elle entenda da navegara* e coamogra-
pbia.
Em 1499, antes que o almirante tivesse folla-
do dessa terceira expedicie, un certo hospede
foi eocarregado de empreheuder urna outra, e
levoa como piloto Joao de la Cosa e Americo
vespuccio. Elles attingiram o novo coutioenle
merodional pouca distancia do Ecuador; vol-
taram para o norte aem perder de vista as costas,
passaram diante da embocadura do Essequibo,
Orenoco e da Margarita, depois dirigiram-se ao
noroeste, e reconheceram toda a costa de Vene-
zuela at o cabo Vela ; o que oi bastante por
essa vez.
Dahi mvegarem para a Hespaniola. a depois
voltsranr para a Hespanha.
Quandoelh3'a ncontravam asaim em 1499 o con-
tinente meridional, anda nao se sabia que Co-
lombo: acabara de descobri-lo no anoo preceden-
te, pois que, tendo partido para a sua terceira
expedido em 80 de malo de 1498, s voltou
espanhaem dezembro de 1500.
E' que Colombo sempre (Ora o primeiro que
descobrira o novo continente; e, quando mesmo
assim nio (6ra, pouco importarla anda, pois que
a descoberta do novo mundo data verdadera-
mente do dia em que o Genovez aportou a ilhi
ff Guanahani, quarta-eira IX de outubro de
1492.
De 1500 a 1505 Vespuccio entrou no servico do
re de Portugal. Portugal e Hespanos, como se
sabe, desputavam "enlio as descobertas mari-
Umas.
O nome de vico-rei das Indias (dra conferido
o ante-mo e ao mesmo tempo por caja um dos
dous paizes. Vasco da Gama o levara" bem como
Colombo, e com mais justo titulo, pois que era
justamente sindias que acabara de chegar.
Dasborough.-Copley disse muito bem :
Colombo peosQu que altingira as Indias es-
sa trra previlegiada do laxo e da riqueza ; e
talvez tivesse experimentado um grande pesar se
se visse obligado a abandonar essa idea favorita
para obter a reparacio a que tinba to justos di-
xeilos, e para dar sea nome & urna nova parte do
mundo. r
Vespuccio viveu e norreu no meamo erro que
Colombo. Ainda que oa rala cao de auaa viagens
elle emprega e repete com afectacio o nome de
novo mundo para allrshir a alinelo, er sempre
estar na Alia. "
Em sua segunda viagem rlzitou as coalas do
que chamamos o Brasil.
De Portugal elle ven pa. a a Hespanha, que o
acoine mu favoravelmeole.
Seu mrito, seus conhecimentos commerciaes
e sua experiencia como navegante, '{orara tanto
mais apreciados, quaoto delles precisavam urna
Curie rival. -
O ro de Castella nomeou-o seu pillo em
chele. Colombo acabara de morrer em 1506
P.o segrate anno preparouse urna nova expe-
dicao para a descoberta do eatreito que elle so-
rhra, e que nao exista ao oeste das ilhaa des
fcpices.
Essa expedicio ia ser confiada a Americo Ves-
puccio e a Vicente Yanez Piozon ; mas ella te-
ve de ser abandonada em consequencla das ad-
vertencias do rei de Portugal por causa di famo-
_sa liona de demarcarlo ideal.
15A2meriC0 morreu no servico de Hespanha em
Elle fizera ao todo qualro viagens, se devenios
cr-lo, como o proprio Colombo, mas sobre seus
raslos, e por consegrante mais fcilmente.
Era um homem hibil e amavel, que tinha nu-
merosas relages e correspondencias na Eu-
ropa.
Elle dirigiu a relacao de suas viagens a multas
pessoas notaveis, entre oulras ao gonfalooeiro de
Plorenca, Pietro Lodertno, a Lorenzo de Medici
e ao duque Ben de Sorraine.
Um geographo de Lorrain, habitante de Ss-
inl-Di nos Vosgos publicou, sob o pseudooymo
de Martinus Hylacomilus, ama obra de Cosmo-
graphia, seguida das quatro relajos de viagens
Americo Vespuccio.
Esse escripto, intituladoIntroducido para a
Cosmographia, redigido em Saiol-Di, impresso
logo nessa cidsde em 1507, e reimpresso em
Stnsbourg em 1509, era dedicado ao imperador
Maximiliano.
O autor. Martin Welldscemuller, nao oomeou
vma su vez Chrislovo Colombo, e at pareca
pdr em duvida sua existencia. Atlribuia franca-
mente ao genio de Americo Vespuccio a desco-
berta do novo continente. Em sua admirecao
pela perspicacia de Americo o coamographo de
Saiol-Di declaran nioconhecer que direito pro-
hiba dar a este novo mundo o nome de Americo
qne o descobrira, e chamar America, porquanlo
o uso tornou femeninos os nomes d'Europa e
Asia. O alto destino desse escripto facilitou a
adopcio do nome proposlo por Martin Weldsee-
muller.
Na ediccio de Joo Grnniger em 1508 r se
que a primeira copia da relacio das Quatro via-
gens de Vespuccio, primeiro escripia em heapa-
shol, depois traduzida em portuguez, fol posta
em italiano, d'onde immediatamente oi traduzi-
da em francez.e logodesle reproduzido em la-
tim, o que tornou-a europea.
4 Esta grstidenotoriadale preparaba o consent -
tnto ie publico para a injusta dainominscio que
to ingenuamente propunha o geographo de Sa-
f^a:---------pro>
O que contribua muito tambera
a relacao das Ktaeasts de 1
a popularisar
reapuceie foi
u ot tr-|
ido com as
scobertos e
com os quadrosdranalicos doscostumes eaJrao-
Reiros de seus habitantes um Jirande numero de
particolarijtades muito viras relativamente na-
tureza e da ancdotas licencilas qa* altrohiam
o publico e eapalhavam por toda parte o nome
de autor, em quanlo Colombo era eaquecido a tal
ponto que em Hespaoha at muites esetiptores
notaveis ignoravam ainda era 1520 se o grande
homem cessra de virer.
Els os azares da fama.
Escreveu-se logo as cartas de geographia o no-
me de Amaneo. Tal era a cari de 1821, gra-
vada em madeira, que (oi junta i reimpressao de
Ptolomeo nasofUcinas de Melchior e Gaspar Tre-
cboel. Tal era tambem a que em 1541 publicou
o editor Hugues de Portes. As imprensas pro-
testantes de Allemanha multiplicarlo porfa es-
ta cega usurparlo. O monge apostata Sebastiio
Munster, autor da ntroducco taboa de Cos-
mographia, espalhou ealo nome o"America pelo
imperio de Bale. Por outro lado Joaqun) Vadia-
nos (de Watt) em sua Cosmographia universal,
impreasa em Zurich em 1548, propagou o non
de America. Floreoca acolheu com sollicitude
urna denominaro, de que se vaogloriava seu
patriotismo, e a Italia deixou-se engaar por es-
sas aaserces vaidosas. Depois de ter sido logo
inscripto n'uma obra de cosmographia, e gravado
em alguna planispheris, o nome de America,
achou-se pela primeira vez esculpido em 1570 en
um globo em relevo, Esse globo de compsicSo
i metallica, ricamente embutido d'ouro e rala,
i era a obra do Milanez Francisco Basso. Nessa
- poca o nome de America era aceito sea cootes-
taco. Ha muito tempo nao se pensava mais en
Colombo. Sua poiteridade j eslava extincta na
lioha masculina que lerla fetto reviver seu nome.
f Em 1507 Fracanno de Hontalbodo formando sua
; collecso de viagens nao s ioformou da morte
i de Chrislovo Colombo, e al igoorava sua ultima
expediQo martima. Ni tradcelo latina, cujp
,'prefcio vinha assignaao por Madrigoaoo en 1
', de junho de 1508, dizia ali que at entao Chris-
: tovo Colombo e seu irmo. no goso da liberda-
. de, riviam bonradamente na corle de Hespa-
nha.
i J havia dous annos qae Chrislovo morrer.
\ lias o proprio ardor com que todos os navegan-
, tes se arremecavam para esses novos paizi era
ra causa de que nao pensassem mais oelle, e nao
i cuidassem de ioformar-se a seu respeito.
Assim a memoria desse bemfeitor da humani-
dade era eclipsada pela propria grandeza dos re-
(sultados de sua obra.
Americo, que morreu em Sevilha cinco annos
depois da proposico feita por Wldseemiillerde
chamar America ao Novo Hundo, foi cumplite
desta idea ? Pode-se duvidar disto. E' prova-
!e|, diz Humboldt, que Tespucio Aunca soubes-
rse da perigosa gloria qoe Ihe prepararam em
Saint-Di n'um pequeo lugar situado ao p dos
Volgos, e eujo nome proravelmeote at Ibe era
desconhecido.
! Perigosa com etfeito e pouco digna d'inveja I
Porque por urna reaccau ineritarel, um gnto de
reprovago levaotou-se conlra Americo Vespuc-
cio, como se fra elle quena despojara Colombo
de aua nomeada, e roubara-lhe deslealmente a
sua gloria, ludo leva a crr que nada disto se
deu. M. Eduardo Charloo, sempre consciencio-
soejusto, assim se exprime: Americo Ves-
puccio nao lem direilo a um lugar elevado entre
os Ilustres viajantes do dcimo quinto e dcimo
sexto seculos. Sua nomeada muito superior
jos seus talentos e arrieos, e a honra que se Ihe
tez em dar seu nome ao Novo Mundo, que de-
ver-se-hia chamar Colombia, certameote in-
merecida. Haa a elle que se deve imputar es-
ta injustifa ? Jamis pretendeu elle desapossar
Colombo de sua gloria ? Tornou-se elle, como
dizer constantemente, culparel de impostura,
impudencia e falsidade ?
Hoja permittido cooceber dundas serias a
tal respeito. Americo Vespuccio era um homem
honesto, estimado de seus contemporneos e do
proprio Colombo. Nao Ihe fallava instruccio,
nem espirito, nem coragem ; e, depois de min-
ios trabalhos, fadigas e experiencias, morrea po-
bre. E' mui proravelmeote em coosaquencia
d um erro fatal em primeiro lugar e depois por
amor proprio nacional que elevaram-no alem de
toda medida rasoavel. Por effeito da reacc&o
l.ciVnor UD'fersl elevou-se contra elle ; odea-
rm-no, e, por assim dizer, tcaiumoiaram-uo
Eor amor e enthusiasmo por Chrislovo Colom-
o. Parece que seria mais justo deixa-Io na or-
dem muito secundaria que ihe convem, conso-
lndole em ouvir repetir constantemente seu
pronome ao lado dos nomea d'Europa, Asia e
frica, atleudendo que os outros continentes n a
maior parte dos Estados nao receberlo denomi-
nacoea nem |mais justas nem mais satisfactorias
sob relacao alguma.
Todava, Americo teve o merecimenlo de con-
tribuir mais que qualquer outro escriptor de seu
lempo para despertar e satisfazer a curiosidade
d Europa no assumpto das novas descobertas. Se
o acaso recompensou-o alem de toda a medida,
justo crimina-Io por lsto, e dere-se esquecer
que foi elle, como diz M. Chartoo, estimado de
todos os seus contemporneos e do proprio Co-
lombo?
Como quer que seja, o nome de Colombia so-
mente foi dado parle de ierra firme, onde Co-
lombo aportara em sua terceira viagem. Pora
. conveniente ouvir esse nome ao menoa em todo
o cooliaente meridional. Quanto ao septentrio-
nal, podera sem njustiga receber o de Sebastio
Cabot, que primeiro percorrera aa suas costas.
EmQm, para acabar de regular esse negocio, nao
Tora mu quanto a mim que Martin Alonzo Pin-
zn, que tanto contribuir com sua influencia e
dinheiro para a primeira expediclo de Colombo.
e que descobrira Hait, tivesse deixado seu nome
a essa grande ilha antes que a Martinica, se
| que o nome de Marlioica vem de Martim Alonzo.
. A insobordioac&o desse ousado martimo nao
: devia, com justica, priva-lu para sempre da par-
; te da nomeada a que se tem dirilo.
Em summs, alo necessario aecusar Americo
Vespuccio, para reclamar em nome de Colombo.
Cabot e Pinzo.
FOLHGT1IH
n
A DAM4 DAS PEROLiS
Para
IM
1"
ma.^
Mas. agota dorias
ijr^MM
Saboia, Satos
H,
.al'des Debat
ron
A. DUMS FILHO.
Bem no eeotroilo aprativel ralle do Jura eati
Situada a povoaelo de Domblios, comoonom
oinho de.verduras. Cada urna das casas se acha
diseretamne oeclta por detraz de seuemmara-
nbadd lecido.de folhagens, e das montaohas vizi-
uhsi se deseobre alero das ospeaas alaa de cbeuv
pos qoe orfMteUn margen do rio, alguna lee*
los trigueirs, e tTctmo qvrtri'Bgatir do campa-
parlo.
O primeiro plano em que se acha por assim di-
Mr encaixilhado aquello ule mostra os seus ir-
cuitos coroados de urna rica e bella vegetacAo:
atis alm se elevara numerosas collioas, nllero-
eendo os aspectos os mais" variado* e pittorescos,
cobertas de bosques e de vinhas de berdades des-
tacadas e ruinas (eudaes.
Se essa paisigem de graciosos contornos con
aeu ar tepido e puro, com a sua athmospher
masa, serve para embrandecer as floras dos 1ra-
balhadores, tambem adormece as paixoes violen-
tase predUpdera o pensaasento pan os sonhos de
mor.
' Entretanto para o philosopho, eeconomista pal*
Ja sobre esse risonho quadro ; a sobdivisao ex-
contra das propriedades cruzando se em todos o
seotldos, e" representando mil formas Irregulares;
confusoinexiricavei do slo ; urna cultura ain-
da mal dirigida, um rio torluroso que vaga aqu e
acol cobrindo todos os annos novos espatos com
o seu leito estejil, todas estas cousas nio denons
tram por ventura a incoherencia, a lula dos inte-
resses, e a pobreza geral ?
Ao contrario, que prodcelo fabulosa, qoe dis-
tribuido sabia e harmooiosa, que aspectos mais
encantadores ainda nao realisaria um da col-
tura associada sobre essa terr previlegiada, coja
riqueza primitiva encantos naturaes a rao do
homem tem degradado I
O castello do Domblaos, risltado ara 1595 por
Henrique IV, um monumento precioso da fea-
dalidade.
Quando a submisslo.de Francisco Condado
a Luiz XlV.occasiooou o desnantelanento de lo-
dis as fortalezas, respeitaram a de Domblaos, em
attengo ao amor que a lioda casnilla Gabriel la
de Salines soube inspirar ao traidor o apatronado
abbade de Walteville.
O habitante do valle passa comiudiffereoga por
frente desses restos feudaes ; poru o viaodante
nio pode delxar de parat e contemplar con lote-
resse aquellos velhos maros, apenas gretados,
torres com as suas etelras, jmellas eon a suas
sacadas de podra e pinculo, qnOfazem recordar
o goslo gothico de XV eculo, triochelras anda
firmes, e profundos fossos convertidos em vergeis,
onde crescem pacificamente loogas hervaa o arvo-
res fructferas.
Una ponte laucada sobre os fossos di commu-
nicaclo do castalio para os jardn, e ama peque-
a, ladeira coberta do reir, cooduz ao rio que
banha a base di fortaleza.
Se em outro tempo no Seilla retumbaram os
brados de guerra, se as suas aguas se tiogiram
com osangue humano, hoja o silencio de suas
margeos apenas interrompido pelo tic-tac mo-
ntono dealgum moioho, ou pelo canto dos pas-
tores, e a transparencias deasas aguas apenas tur-
bada pelo sabio daa laradeiras.
O interior do castello egaalmente digno de
visiiar-se por curiosidade.
A cmara em que pernoitou Henrique IV an-
da existe com o nome de cmara vermelha
nome que sem duvida Ibe ven dar pinturas de
cor vermelha, que cobren as traveziohas do for-
ro de cia, aeodo esse forro de edr branca semea-
do symetricameote das lettrsaC. R., os lados das
traveziohas, pintados de amarello, apreaentam em
viote lugares com egual distancia esta divisa es-
cripia em letras gothicas, que atteslam amargo
sentimento : Esoeranca frustrada.
Urna vasta chamio. cujo panno representa as
armas dos Charrasins e dos Vanlravers, so acha
como as travs cobertas de diversos arabescos.
As portss de carvalho esculpidas sao ornadas de
pecas e floreos Kothicos.
Todas essas decoraedea executadas com arta ac-
CUSam un trabalho longo e pacieaie.
Alm de tudo v-se nessa cmara memora vel
um r.L.io d. U.r.1,., XV m Ir.joa da moolsr 4
cavallo, alguna trophos de armas eoferrojadas,
um leito de columnas com as suas cortinas co-
bertas de flores de liz, e algumas poltronas de ma-
deira doarada j um pouco carcomida.
O reino bario de Charraasin, proprietario do
astello, coatuma fazer aoa estraogeiroa as hon-
ras dessa cmara com urna corteza quaaVcaval-
leirosa, e nos seus menores rrazoados mostra
profunda admiracao para com o graode rei, que
ae digoou visitar a residencia aeohorial doaChar-
rassiu-Vanlravers.
Nuoca deixa de tirar o chapea com lodo o res-
peito persute urnaioscripQao lalica colloeada ci-
ma da entrada,da cmara vermelha, o assm con-
cebida : ln castello somblance Henricut Magnus
pernoctaret rex.
O Sr. de Cbarrassin, capillo daa guarda do rei,
no lempo de Carlos X, obievo denissao em 1S30,
e retirou se com aa suas tres tubas para Dom-
blaos, onde passa a vegetativa "exisleocia de um
fi talgo do campo com viole mil libraa de renda.
Da meama forma que o seu castello, o velho
soldado, verdadeiro anachronismo personificado,
perteoce a um outro aeculo : descouhece o lampo
em que vive, e toda a sua esperaoca cifrase em
ver ainda toroar airas dos boas lempos pas-
sados.
Na ana opioiio Henrique IV sempre o modelo
do* raoaarchas.
Esta admiracio lio exclasira devia ter necea-
sanameote o seu lado ridiculo. Obario trabalha
por initir os nodos daquelle soberano, e quer por
forca psrecer-ae con elle no aemblaote. Grabas
ao seu nariz bourbooiauo, o a aoa barba eocaoe-
cida cortada em forma de leque, esta preteocio
oo deixa de ter tal ou qual fundamento ; porm
um observador qualquer acharia que aoa seus pe-
queninos olhos azues, motis e irreflectidos, fil-
ia m a penelrago a a finara dos olhos pardos do
* XI
(Continuaco.)
u Hanorre.
Ella viu-me. No meioda mullidlo, iotrodu-
zi-me por traz delta e toqnei-lhe no hombro. Co-
mo me pulsara o coracio I Mas nio foi possivel
cooter-me; ea nao poda estar perto della sem
lh'o mostrar. Soltou um grito ao recoohecer-me
e julguei queia preclpitar-ae-me ooa bragoa. Puz
um dedo nos labios e voltei-me, para que o du-
que nao me reconheceese.~Nio deve ter-me visto.
Entretanto fez um movimento do lado. Por ra
das dovidae, escreri sobre um pedacinho de pa-
pel: a Esto no hotel da Uoio Girarei m torno
do seu hotel at que voce me atire ana carta pe-
la jaoella.
a Cheguei-me de novo I ella e pode passar-lbo
o bilbele. Sent sua mao apertar a minba, e per-
di-me entre os outros viajantes. Ella est no ho-
tel de Roma ; ea no hotel da Uoio. Os dous ho-
teis ficam defronte um do outro. Fui gyrsr em
torno do della. Nio me fez esperar. En ali es-
lava havia cinco minutos, quando se abriu a ja-
nella oo primeiro andar, oode ella appareceu,
procurando recoohecer-me na obscuridad.
Sou eu, disae-lbe.
No mesmo. instante, caoiu-me aos ps ama;
moda, embrulbada em am pedago de papel, e a
jaoella tornou-se a fechar. Voltei para casa e li:
E" vocJ estou salva I Cono ou feliz. Co-
mo Daos 4 bom, e como Ibe agradeco ler-ma
acompaotudo I Serei sas, ea lb'o juro. Mas nio
se poda tentar nada aqu. Sou mult vigiada an-
da. Ksu certeza de siarmoa. perto um do outro
isso ji 4 algaa tonas. Nio vivo Malo depois
que Ibe vi. 'Qaem dira qoe um s olhar poderia
euchet da alegra nossa alma 4 ponto da faz-la
flfV.deo^rton.to'.'
transbordar?.... O duque vae-se tornando am
pouco mais confiado. Nao manda mais tirsr as
peonas e o papel de meu quarto, como fazia at
Colonia, porm nio deixa que nenhum criado
chegue at oode eu estou. Paciencia, meu charo,
Deus nos ajudari I Nao sei para oode vamos; sei
que partimos no primeiro tren de amaohaa. Cer-
liique-se da hora da partida que eu nio sei,
parta ao mesmo tempo, sem o perder de vista!
mas tendo cuidado em nao ser recoohecldo. Eu
flesrei na primeira cidade grande 1 que chegar-
mos. at que o veja, aiada que para isso leona
necessldade de me toroar doenla realmente. O
duque nao suspeiu que voa nos segu ; entre-
tanto, oceulte se bem. Estaremos reunidos d'aqlii
i tres das. Drixe-me arranjar ss'cousas; eu te-
nho saogue fri. Cieio que ji comego a lomar
meu partido desta viem. Domingos levou 4 mi-
nba prima, que tona ioteresse por mim. urna
carta para meu pae, que pJe chegar 4 Paria
qualquer dia. Ame-mo que eu respondo^or lu-
do. Se acontecer alguma desgraca, nadWe nos
lamentarnos, loca 4 combet-ls pela astucia,
por que somoa os mais fracos. Voc bem sabe
que aem voce nio posso viver: fique por tanto
certo que ser-me-ha mais fcil morrer do que ri-
ver separada de voc por muito tempo.
< Eis aa novidades, meu charo migo; nio sao
to boas, como julguei no primeiro momento de
alegra ; maa, emflm, sempre valem mais do que
as queja te dei. O trem parte aaanha i sele
horas da maohia, nio ha nenhum antes. Ella
esli, por tanto ajui al amsnhia &s sete horas.
Vou eacrever-lbe ulna comprada carta de recom-
mendacoes, de conselhos o de planos a seguir,
para que estejamos reunidos o miis cedo possi-
vel. Talrez qoe ella leona razi'; nio convm
precipitar as cousas. Porlaato, paciencia ainda.
E' urna palarra que me tem servido. Al ama-
ohaa.
Felizmente ia todo bem para o nosso here, e
eu j acreditara que a prxima carta me traria
aiada melborea noticias, quando recebi aa lianas
seguintes :
Est todo perdido I Prefiro rer-le ah & quera
amo. Estsrei em Pars algumas horas depois (tes-
ta carta. Se eu tiresse am trem, partira ago-
ra mesmo. ,
,_i c Jacquis. >
O que teria harido ? Recebi esta carta pela mt-
aa fronte nio tem a mesms
loria, em ama patarra a sua
lar aprsenla de podar e
'o da una oafhrito iroloe
re* incapaz da formular um
W alcaaooa^aeis. e aoa
roda viva depurases deausa-
--^^m tanto lirrea.
ra}* cotea a nossa historia
1842, o uma dessas lindas manhas do mez de
maio, en que a nstureza prodlg, dos seus par-
ames os mala- suare, dos seu canto nais ate-
rres, o de suas mais vivas cores, as fllbaa do Sr.
e cuarraaso, se achsvam reunidas sob um ca-
ramanchel do roseirase madresilv.
, As tres irmas iao bailas, porm da una belle-
za diversa, e o lindo grupo rodeado de flores, e
retpUnecente de frescura e mocidade, conlras-
a *,pKularmeota com o castello, essa sombra
resjdofcelg massica e decrepita, qoe dareria es-
parcir sobre os seus habitantet um reflexo de ao-
Uguidade secular.
A convarsago daa tres {oreas de ordinario do
divertida, naqualla aeoaatao era constangtda, fe
entremeada de longos intervallos. Pareciam b-
sorvidas n'ums preocupadlo ioteirameote extra-
nha ao seos hbitos ; por quanto preslavam
ando attentameote ao menor ruido, e de va
em quando levantaran a eabeca, estendendo os
euso haresna direceo do oamiobo pedregoso,
do qual o jardim separado por um muro de pe-
quea altara. v
Na verdad, minha cara Reoe, diste afi-
na! em arde zumbara aquella que pareca aer a
m A I 1 nlllt illa *__- 1____
KSrtaSt =*raw-"?ift
lacio pretenciosa de*tau penteiado, julgar-te-ha
segramenle preparada para algum baile.
4>r Fazea dos teas cabellos um ornato bem ri-
diculo ; esto assim parecendo-ie com as lar-
gas trancas d'aquelle retrato de castellaa, que se
acha dependurado oa cimara de meu pae. E to,
miaba pobre Gabriella, alm de nio aerem pro-
mas da esiago essas maogas curtas, no leu la-
gar eu nio me apressaria a mostrar ao Sr. de
Vaodrey os punbosquelmados ao aol.
Gabriella corou como se tivessem adviohado
aeu aegredo. e abaixou logo os olhos ; porm
nada rendo que nio se podesse mostrar na c6r
levemente accentuada dos seua lindos puohos,
tranquillizou-sa, e responden modo de repre-
salia. "
Ji que nos dis conselhos tio caritativos,
permitte-nos tambem observar, Heoriqueta. que
foi proravelmeote para agradar ao Sr. de Van-
drey que pintaste* o rosto desta naoeira. Ainda
esta manha diziamos, eu e Henee, que a tu*
pallidez natural aasenlava malhor com o typo
dislioclo do leu talhe do que essas cores grossei-
rs proprias de uma aldei.
. Heoriqueta mordeu os labios, e laogou sobre
suaj irmaas um olhar colrico :
Ments exclamou .ella. Eu nunca uso de
rebique.
Nesse caso, replicn Rene com malicia,
s o prazer de ver o Sr. do Vaodrey que te faz
Uo corada ?
A conversado levada a esse terreno ameacare
toraar-se cada vez mais picante ; por telicidade
naquelle momento aa tres irmas ouvlran o ro-
dar de um carro, e movidas pela mesma curio-
sidade, ergueram-se na ponthha dos ps para
verera por cima do muro o carro que passava ;
quasi logo porai voltaram aos seus lugares, nao
vendo oa ealrada mais do que uma pesada citro-
(i puxada por bols?
Aproveilando o silencio que segaio-se a esas
pequeoa decepcao procuremos esbocar o grupo
chalo de contrastes que offeractam easas tres
lindas creaturas : porm adtes de todo explique-
mos o estado de hosliltdade que o letlor acaba
de notar entre Heoriqueta e suas duas irmias.
HHariqueta, filha de Cbarrassin, foi educada por uma ta que des-
de a sua infancia inspirou Ihe sentlmentos de
desaffeico para com Reoa e Gabriella. Quatfto
morreu sua madrasta voltou para a companhia de
seu pae : lioha eolio.viole e um annos.
Dotada de um carcter desptico e violento
qulz impor a auas irmias mais mocas a superio-
ridade dasua edade. Rene e Gabriella sentiram
logo a necessidade de ae unirm cootra o seu ini-
migo commum : estabeleceu-ae pois entre ellas
e Heoriqueta um estado de guerra permanente
que revelava por continuas desharmonias.
Na poca de que fallamos, Heoriqueta contar
ji viole e cinco annos: a sua cor moraoa; seu
lalhe menos regular que o de suas irmias, aitra-
he todavia .pela exprsalo ao mesmo tempo e-
o.rgioa e delicada que Ihe peculiar. Nao en-
canta iogo a primeira vista cono Reoe e Ga-
briella ; as descubre-se na sus pessoa sob ao-
pareaie Ubi, uma org.au.^.^Vpii..". p
aos seus movmeaios vivos e sofreados descor-
tioa-se um temperamento fogoso, reprimido pela
oducaco. Nos aeus labios delgados e na viveza
de seus olhos pretos e penetrantes revela-se cer-
ta incliaacio natural para calcular a sua conduc-
s, incimac.au transformada em astucia em coa-
sequencia de uma falsa direccoo. Seu queixo for-
lemente pronunciado demonstra uma firmeza de
carcter, que rae at a obstiaacio; e as espessas
sobraocelhaa negras uaindo-se no comeco do
aaru deootam ama natureza ciumenta e inve-
joaa.
Seus longos cabellos, sua pelle assetinada, aeu
talhe esbelto e flesivel recordara uma origera
hesjaohola, e respirara a voluptuosidade.
Reoe, a segunda filha do Sr. de Charrauio,
e que na poca, a que alludimos poda ter os
aeus vate anuos, forma um viro coolraste com
asuairma mais velha. Loura, como uma vir-
gem de Alberto D jrer, traz eatampado no aeu
semblante o indicio de uma candura germaoica ;
os seus olhos azues sio dois abyamos de ternura ,
a pureza irradia na aua fronte larga e elevada :
finalmente toda ella parece personificar o devar
e a dedicacio, tanta nobreza e grandeza d'alma
resplandecem na aua anglico, pessoa. Pelo aeu
passo magestozo, e monmentos calmos e reflec-
lidos, assemelha-ae, como muito bem observou
Heoriqueta, a uma dessas heronas da edade me-
dia, que sao representadaa eom om falcio na
m9o, montadas sobre uma hacana branca.
Quanto a Gabriella pareca aer o meio termo
enire Reoa e Heoriqueta, pois que participara
alguma cousa deasas duas n.turezas diversas :
possuia o enthusiasmo apaixonado de uma, e a
ternura da outra. Seus olhos azues lnguidos,
fluidos, e cheios de uma graca infantil despediam
chamas profundas, indicio de uma exaltacio em
comeco. A perfetia Jregularidaoe do naj teieoes
ali adas, os caaeltoe nacios. o callo suave e on-
dulse, o talhe elefanteludo ieto cempletava
aquello typo eheiode delicadeza edistioco.
.i^ d* P"b*M- U esboeo
? a ime,"?1"0 <*** a*,"* blw rMt
Reoe o de Gabriella que HenrlqueW, a mais r-
'"* *?.1u. i*to 4 aquella que mais profesas
levta ter em achsr am admirador dos seus eo>
cantos, oo poJia deixar da experimentar om
vivo sentimento de came, senlimeolo que nsis
e aguce prxima chegada do Sr. de Vaodrey,
puptllo do bario, e moc.o aolteiro-.
Para aa tres irmas era um graode successo a
chegada dessa personagem aa aolides em que
nabitavam. Por seus cuidados o castello parece
remojar um secuto ; ss tapetaras sio subslilui-.
das nos aposentos, o damasco ji velho e roto,
desapparecede cima daa poltronas, os movis de
madeira carcomida ale renovados, e as araonas
locommedadas as suas leas de muilos seculos.
O jardim passa por ama traosformacao pouco
mais ou menos egual. En ama palavra as tres
,r"'' ?m l0,,0 eMM P'PO"tivo ao domi-
oadaa pelo meamo peosamento agradar ao Sr
e Vaodrey, fazendo com que elle ache a sen
|.8l "Iha residencia de aeus aotepasssdos.
Ellas bem comprehenden a inportaocia das pri-
neiras inpressoes ; e por isso que se senlem
possuidasde uma certa aneiedade vendo aproxi-
nar-se o momento de uma entrevista com o he-
ti, que deve dar vida e formas reaes ao peque-
o romance, que cada ama dellas engendra em
Menina, replicn vivamente Henrieaeta os-
le gracejo muito lotaoraalMia. a Z*L
mea gosto. repelido daate da oatros dhhu.n
doria eonpronottar-a. baatoole. f""^
Silencio I fas* Rene. ni* qaartloocM. -
percebo maa pa#v 0 Sr.v# Tandrey.
Durante o trajelo falto pelo Sr. do Vaufrey.
para ir do castello ao caranaoehel oode se acti-
vara as tres irmias' reunidas.elias podaren asta-
#nrr.ai miai ol &. ..._____ .
!ur!rlMAue*-* "oo UaV.. aH.;
coles ; e aun balxo, fraazi-
Hennqueu julga que em virtude dos seas va-
le e cinco annos deve ter naia dlreitos que suas
irmas ao amor do Sr. de Vaodrey, sem Ihe pas-
ar pela idea que muilas vezes o smor est na ra-
zao inversa da taea direlos : maa o caao 4 qe el-
la oio deaeja ficar para lia, e em toda a redon-
ueza do castello nio conhece um s homem a
quera seu pae, rigoroso sobre a qestao genea-
lgica, quera tonar para georo.
Henee e Gabriella nos seas preparativos de re-
cepjao nao se deixavam levar tanto pelas espe-
ranzas malrimoniaes, quanto por um impulso de
galanteio, proprio da milher, por ana necesei-
dade de intoressar a vida en qualquer cousa, ain-
da meamo que fosse n'uma paixaosinha amorosa.
Havia um quarto de hora que as tres irmas
guardavam silencio, quando oSr. de Charrassio
veio interromper aa auaa meditacoes.
~~1 Ed'*0' "niooss filhss, disse o velhinho sftec-
tando uma galantera quaai de rei, eslaes bem
dispostas para receber cora amabilidade o Sr. de
Vaodrey ? O meu pupillo um rapaz encanta-
dor, e muito nobre; ainda que o nio tenha visto
ha alguna doze annos, contudo professo-lhe o
mais vivo interesse: procurae poisparecer-lhe
agradareis ao meaos em atteacio a mira. Ora ve-
jamos, continuou em ar de tacecia o divertido ba-
rio, qual daa tres deseja ser a muito nobre Sra.
de Vaodrey para usar do brazau representando
Giselas encavadas de prata de duas pecas com
esla divisa. Vali, valho, e valerei ?
Porm, meu pae, observou Reoe, parece-
me que ao Sr. Vaodrey que compete escolher :
e depois preciso ver......
Gabriella tambera entra na escolha ? per-
guntuu Henriquets.
E porque nio? respondeu o Sr. de Charraa-
sin; salvo se ella mesma nio quizer. E' verda-
de que antlgameote as filhas maia mocas nunca
casavam, ou eolio eram aempre as ultimas que
casavam, accreaceotou elle dando assim a enlen
dar o desejo secreto que liaba de casar em pri-
meiro lugar Heoriqueta, sua preferida.
^ Oh pap, eu oen pens nisto I disse Ga-
briella com um arsinho disfamado.
Nunca me fara acreditar, Gabriella, repli-
cou o bario, que uma moca de dezoito annos, nio
peosa era casamento. Dizem que neste poolo as
raparigas sio mais antecipadaa que os rapazes
e eu com esta edade......
Entretanto, pap, interrompeu Heoriqueta
satisfeitissima por se ter spreseniado occaaio de
fazer prevalecer indirectamente esse direito.de
primogeoitura que su paeacahava de invocar,
melbor mesmo que ella nem pense em tal cousa,
porque se deve esperar como eu at a edade de
vinte e cinco annos....
Traoquilliza-ie, minha filha, replicou galan-
temente o Sr. de Charrassio.quem te vr dir que
tens apenas dezoito aooos; estou bem certo de
que o Sr. de Vaodrey assim o suppori.
O bareo estendeu-se em descripcoes geneal-
gicas sobre a familia de Vaodrey, uma das msis
antigs do Franco-Condado, segn lo dizia alie,
e iseota de qualquer allianca m. Nos porm
omittimos essas descripcoes com lodo o cuidado
ht.^'Y u"u,.""""" '"- materia de
orazao, de meltssage, ou de reprodcelo in and
*n daa familias nobres, como porque nio pode-
mos de sorte alguma comprehender em que a sci-
encia herldica pode contribuir para a lelicldade
do genero humano
Quando o Sr. de Charrassio deixou suas filhas,
Gabriella despeitada por terem-na laucado por aa-
sim dizer fra da liga exrlamou com malicia :
Sou capaz de apostar en eomo o Sr. de Vao-
drey muito feio. E lu, Rene, que idea fazes
d elle Y
Julgo-o alto, delicado, deslindo, moreno, e
cora bellos olbos pretos, respondeu Reoe.
Nada diato, interrompeu vlvameote Heori-
queta, elle deve ser louro, forte vigoroso como
um dos seus snlepassados, o ralete ceralheiro
de Vaodrey, o terror dos loroeios. Quanto me
parecis tola, com vossa palavra destinelo I des-
unci, psra vos, 4 aer magro, pallido, alto....
Aposto, disse Gabriella, que a realisaco do
leu ideal, Jos Duthioo, poia tem ama figura
de Hercules, cabellos avermelhados. e e na ver-
dade mu pouco destnelo, pois colloca-se na
egreja por detraz de nos, e para quem oihas com
muita benevolencia....
Henriqaeta laugou sobre sua irmia om olhar
de odio.
Pequea vbora 1 exclamou ella.
No mesmo instante ouvio-aa o estalo do chico-
te deum poslilhio, e ama carruagem oolrou no
pateu do castello.
Depois de am momento de sgitscio, as tres ir-
mias retomaram seus lugares sobre o banco.
Sabea lo, mioha pequea, disse com altivez
Henriqueta dirigiodo-ae a Gabriella, que se repe-
tirea^ que acabas de dizer oeste momento qoei-
xar-me-hei seriamente a mea pae?
Se iato alo verdade, responden Gabriella,
nhia. A' tarde tstava na eslacio do norte, 4 es-
pera de Jacques. Que simplicidade a mioha I
Qual Jacquas I O trem em que elle dara rir trou-
xe-me apenas a aeguinte carta :
Vaea achar-me muito cobarde I Nio s oio
parli para Pars, como cheguei 4 Dresde, e oque
peior ainda, estou salialeitissimo por estar aqu.
Estou. aem tirar nem por, como um homem aub-
mettido uma hydroterapia moral. Passo da ale-
gra dr, da transptraco ao glo.sem neohuma
traosico Como resisto i isso, o qua oio sei
explicar. Entre tinto, palarra de honra, qne eu
julgava partir, mas o que queres? entre a mioha
resolucio e a partida do trem para Pars, liaviam
quatro horas s esperar; era muito tentador, e fe-
lizmente oio resist. Nao compreneodes nada
dess primeiras linhas, por que ignoras o que se
passou. O duque tinba dito que partira no pri-
meiro tren do dia aegoiote aua chegada ao Ha-
norre ; esse tren parta as sete horas da ma-
nha, como ji le mandei dizer. Passet um* parle
da Doile a escrever ama comprida caria anque-
za, e acabei por adormecer com o calor pesado
deises fogoes aliemes destinados i matar de apo-
piexia esse bravo povo i quem a humldade j
(az catear meio escrofuloso. Dormi assim duas
horss pouco maia ou menos. Acordei irregelado
s cinco horas da manha ; o dia vioha apuntan-
do. Feche! a carta, sabi o puz-me a, rondar em
torno do hotel de Roma, procurando um meio de
fazer chegar a minha resposta ao aeu destilo. An-
nelte mesma, pensara eu, deve eatar espreita.e
certamenle ea a vera apparecer por tras daa cor-
tinas de urna das janellas. Eu nio tirara os olhos
dellas; mas eatavam sy mtrica mele erguidas
como se oinguem houresse no aposento. Tudo
em torno de mim era um silencio de morte: e
asa casa parecia-me mais silenciosa que o lilen-
cio geral. Nem um gato hara na cidade,qoe 4 de
aspelo lgubre ; aereaceuta islo um cea cor de
estopa, una chuvinha fina e penetrante que mo-
lhara-me e aborrecia-me como ludo o mais. En-
tretanto era inpossival qua a duqaeza nio esli-
vesse ali: talvez dormisse. Taolo nethor I Devia
ter necessidsde de somno: puz-me a passeiar de
um lado' para outro vigiando e a escuttr:
nada I Ia-se aproximando a hora da partida. Eu
ji ouvia o reagir da machina que Alaran 4 des-
parlar enchendo-a defogo. Ji apparecian algn
viajantes nos ngulos das ruis; duas ou treapea
soss tioham sahldo do hotel de Roma ; nem o
menor movimento no aposento de Aooelte. Tal-
vez tivesse teito demorar a partida al o aegundo
trem, para me dar tempo de encontra-ia, para
procurar ver-me. Era possivel. Entretanto ea ji
comecava a ioquietar-me. Deram seto horaa me-
nos um quarto. Era necessario absolutamente que
eu soubesse o que havia pensar. Eslava incom-
modado. Tinha fro ; estara, por previso, nessa
diaposiQo physca-e moral em que o corpo oio
espera enio am pretexto para adoecer, soco-
rago s quer jolTrer. Voltei para o meu hotel,
chamei o criado e mandet-o procurar informa-
les.
As pessoas de quem osenhor se Informa,
partiram, disse-me elle voltsndo ciuco minutos
depois.
< Partiram I exclamei eu, impossivel; o
trem anda esti abi.
Mas partiram em um trem especial, s
por elles encommendado pelo Sr. duque.
Quando?
e Esta madrugada, ia tres horas.
E para onde foraa ?
Quaai eao aem sentidos.
Est bem, disae eu so criado 4 qaem des-
ped ; e quando fiquei s* alirei-me sobre o leito
e puz-me a sotocar como uma criaoca baleado
aa eabeca e arrancando oa cabellos. Nio era s
desespero, era colera chegada 4 esse paroxismo
aue s pode dar Ihe a impossibilidade de satis-
tazi-lo, 4 ioacelo forjada.
c Depoia de harer encontrado esse homem, de-
pois de haver locado na mi de sua mulber, de-
pois de ter estado cario de nio perd-la mala, eu
& perd de novo ; elle levava-a, oio como al eo-
lio o flzra, pelos mios ordinarios, porm du-
plicando a facilidade do rapor, triplicando o va-
lor do tempo, em que eu soubesse para oode
ia. Ah I era um grande fidalgo que fazia para si
um carro de ooro, por que o ferro nio andar
multo depressa. E eu estsva condemnado 4 im-
mobitidade, por qua nio poda eooetar ama lula
de valocidade coa elle; corara da mim em face
dos meus modestos recursos, e dps meus pobres
netos. E cada minuto punha entre nos uma le-
gas de distancia. E como o duque deris rir nesse
momento? Tinha-ne reconhectdo na veper,
sem duvida neohuma, odiaaera consigo;c E' pre-
1 ciso acabar com as massidas deste seohor. E
tinha aesbado com eiTeilo. Mioha honra, minha
vida, mea saogue, eu teria dado ludo 4 quem me
Qzesse alcancar esse trem, i quem me tivesse
entregado esse homem dursote ama hora. E ella,
de certo oio me amara, por que lioha partido.
Poda eu contar com o sea juramento ? Nao te-
nho ji a ptova de sus fraqueza ? Se me aaasse,
se seu anor tivesse a energa de un anor ver-
dadeiro, ter-se-his deixado levar de Pars ? Ta-
ris achado cem meios para reiistir. Teria dito :
Nio quero 1 Agarrar-se-hia 4 porta do quarto, ao
corrimio da cacada, delxar-se-hia antea arrestar
pela ra do que dar um passo, delxar-sa-hia ma-
tare oio coasenliria. Maslo, tere mdo ; e
essa ooile, sabendo que eu me achara perto delta,
vendo que iamoa ser separados para aempre, por
que nao grilou. Por que nio me achou em. aeu
seccorro, por que nio fez fosse 14 o que fosse ?
Eu impedirla essa partida, 4 que nio havia podi-
do impedir a outra. Bem me disse ella a pri-
meira vez que a vi que sua forja estafa aos ou-
tros. E psrs legui-la, deixei. ludo, os meas ami-
gos, o mea trabalho, minha mi ; e continuare!
essa viagem ridicula ? Para que ? E depoia para
ir onde? Onde estaro elles T Onde parar ella ?
Que lotice a mioha de apaixonar-me por essa
mulher, i quem tinba bastante coradlo para amar,
mas 4 quem nio liobi dinheiro bastante para se-
guir I A Importancia palo dinheiro 6 a mais hu-
miihante. Eu me senta inferior ao duque pelo
lado que faz as verdadeiraa hierarchtas sociaea.
e, mais moco, mais honesto, mais amado, mais
forte do que elle, era obrigado a reconbecer-lhe
uma forca, contra a qual nada poda : o dinhei-
ro 1 Eolio eu chorara essas. grossas lagrimas do
orgulho vencido, e com os olhos filos sobre a
carta geographica, eu segua' com terror linhi
vermelha que indicava o caminho de ferro e que
se perdo os Polonia, am cuja frontelra eu me
despedacaria, ae ate 14 fosse, por qoe nada agora
impedirte esse homem de a cooduziri Russia, ao
fin do mundo; a como entrarla ea nessa santo
inperio da Europa, caja nuralha poltica talvez
anda maia dtfficil de passsr-se do qua a da Chi-
na? E eu irla arriscar mea falaro, mioha vida, a
vida daquelle* que ne amaran, correado atraz
de uma imposaibilidade? Nio I Tere! razio ji
qae ainda 4 lempo I Voltarei 4 Franca, aa alia
me ana, achara meios do tambem rollar1. Fiz o
que poda. Seguro de. minha reaolocio escreri*
ou eom figura de ..
no, e de cabellos casis a a o.'
Quando elle aproximou-sa das tres lavaos el
lss estavam profundamente apelicadaa eos satta
bordados. Nao lano habito algan da ason
Acarara completamente perturbadas, a o Sr. da
Vaodrey tornou inraedUtameale eetra ellaa a ew-
perlori Jade que di o acert a faciladado da* aaa-
otlras sobre os seres Unidos o acaaandoa.
Seu modo de trsjar ara da aaoda naia racaou
Elle era alm disto muito iasigalcaMa. Tendo
da edade viole e cinco anuos apenas, pareca ser
trila, o ver-se aua ptussooonia ji (ufada
seus raros esbeltos, o as ragas preasalaraa a*
se Ihe van oo rosto. A dapreaaio da troatle re-
velando a fraqueza da intellicencia, a elevada)
da cabera, indicio de orgulho; aos apparaacl
mesquinha, e a delicadeza dos ps a daa nasa
annunciavam o decendente de ana roca a
porm j degenerada. Ello nio tioba aada
ticularmente feio; aeus olhos pardo* e
por grandes pestaas, devian oeealtar i
no. a a rieza da clcalo, aua voz lama i
algum atlraetive ; a dolado de extraordinaria no-
mona, explicara con facilidade ana nuliido
de cousas, que, a primeira vista, poda I
te fati-lo passar por om honan toaa
piriiuoso. As tres irnias fiaeran boa
o sacrificio de seus gostos en malaria da baila;
masculina, e, depois de una hora do cMvarsa-
gao, acharan o Sr. de Vaodrey muito seductor
compensando por sua appareola iaatracc*. o*
agradavol coaversacio. is preodas mhjeitST,m
podtam faltar-lh.-Quaodo Heoriqueta Jccevto
o brasa do Sr. de Vandrey para entrar nTaa-
tello, surprehendea por entre a folbagen an
olhir cheio de clume e ressentinenl*. Oto ssbci
ella. Estremoceu,porm traoquiltizaado-aa prana-
tamente, fez ao honen qae assm a olhava an
sigoal de intelligencia quasi inperesptival. a sa-
nio do caranaoehel. ^^
Quando o honen cujo olhar Henriqueta acaba-
ra de eocontrar ficou s-, correa por entre as er-
rores, e chegaodo a un lugar affastado, tallati
o muro, depois de aasegurar-se qae posees al-
guma o poderia ver. Caminhoa eolio pensativo
e desapponudo, como um honen que entrev
pela primeira vez grandes dilucidadas para .
reaiisacAo de un aoubo ha longo tenso acari-
ciado. r^
Eolio I Jja, pergaotoa-Ihe can mlcia an
camponez que ia passsado, sabes o qae ha dj
novo ?
Jos Duthioo, pois era aquella neaaso coi)
nome Gabriella havia maligeaneate f Tacitaj
oa queslio que Uvera com HeorqaeU, r si rene
coa, e aperar do receiu que lioha de eevir con-
firmar o qua elle davidava responden :
Nio, aada sei, o que ha ?
Vio-se paasar ha pouco uma halla
gem, e dizem que am marido qae
chegar para a menina Henriqaeta.
- Sin I disse Jos corando ; a qua
con ato ?
Nada 1 oen ea lio poaco, replicn entro
sornodo nsliciosaneole, e coutiaaon a sao ca-
minho. Jos era na verdade an botlo raaws. o
nao mereca os epigrannaa da Gaatiatla. Tr'a-
zia o rastuaro dos obreiroa, porn baria en sao
nodo de andar um corto descado, qae an* in-
culcava o honen corvado polos trabalboe mas
postres, porm que aoauocisva goales e reato-
mea mais delicados, que oio eran praarios en
vida laboriosa a qual pareca perlaocer.
physiooomia regular o ioielligeole, sana
negro, sua tez moreoa, a seus asnaXOales .
bellos, dessa bella edr arernalboda an s ava-
lores tanto anam, revelaran na orga*
apaisooada ; porn observando-so san paj
na con naia atteacio, dooeobria-aa
certas contraeces dos lsbios
rosto anbigio en res do anor, astucia
em ves do fogo da paixo.
________ IComtissumr-m-km)
Variedades.
AUTOGRAPHO DE CARLOTACORD*T.
O Corrier de Ly on, coala en an da* Man adtj-
moa Duajoros, qae Mr. Dernard, UbncaeHa de te-
cidos acabara de acbar, folheaa lo divn** to-
pis velho de fanilia, una expoeieao a*
escripia pela celebre Carlota Cardar, qoe a*,
non Marat na poca do terror en Fraocv aa
pera da sua prisio por osle motivo.
E um dos 5 ou 6 raros autographoa, qa* i
NOTICIAS DE LOIS BLANC.
Louis Blanc, en coosequeocia aaaTrar ana-
taote eom o clima brilannieo, vai atraveaaar a
tranca para ir residir en Genova oa Alccaa-
dna.
O IMPERADOR DA CHINA.
Htenfung, imperador da China, cuja
to aoouoclou o telegrapho, era satino da dy-
ntstia dos Tsings. que seccedeo tm 1S44 i d*a
Miogs, e o 224 da aarie do imperad
contam na China ha 470? anooa.
Por morte de aeu pae Tao-Kaaog
26 de fevereiro de 1850, conecoo a moirHira-
tuog, porm em reapeit* 4 memoria do aoter de
seus das, addiou a cerenooia da ama acclanacoo
para fevereiro de 1851.
O none do Hieofoog nio era e sea piapii*
maa um da estado, de soberana, qae sigaiAca '
felicidade completa, da nema torna qa* de
aeu pae Tao-Kueng era: crxpleador da raszn.a
Hienfung tinha oasci lo en agosto ae 1831,
coala va portante 90 aooos.
A felicidade iodicada no seo cegoene, pro-
varam os ltimos acootecineoloe oaqaelle anR-
guissimo imperio, qae nie s (ai eeoc""-
la maa at em oada para loveiar pelos:
oes menos felizez do globo.
{Jornal do Commercio de Liehea)
te a carta que recebesle. Durante n
tioha partido o trem daa seta horas, a i
repito-te. qualro horaa que esperar para
partir. Para gvatar essas qaalre horaa.
pareciam ama elernidade, paaool pela
achei deserta e triste como a morte. Coalaaava
achura. Uominara-na o aeotineerte da aatariu
solido e de mea abandono. Peesava en Paria
oaquellea que ahi ne eaperans. anona asi*.
m minha mocidade. Evocara todaa aa niaa
records;6es felizes psra fazer c**lra** i a r-
Cao presente, e achara-Ibes a espacia lie insta
como eu mesmo. Depois, i cada iostaate atan-
vez de todas essas inageos e de todaa esae aan-
sameotos, apparecia-na o roete pallid* da an-
queza que pareca aioda sorrir pira nin.
eu me senta invadir per oatre genere de
ci. e derramara lagrimas rile* titea a. aen
rs, sem censara, e taes quice ea tarta d*m
se tivesse de pedir un perdi i asa p*bra crea
"ira que tanto aoffrra depois ajan parUra. ana
la baria provado, por todoa oa santos peenvaas.
que me amava ; que aioda ia eooVer, a caja pal-
udo rosto s se (Iluminara do ae ras* '
so ver-me.
< O neo reseotinealo iajaste .
poaco i poaco sob oes** lagrimes. En i
teria eu o direilo de a cea ta-la de ana fran
E' mulber; se alo (eso* frac*, lar-ase-hia
do? Nio suecuneia sob an* forca *op liar 4 ana
veatade ? Eu estn a deeesperar-ne, a
la. Taires na soubeeee,
que a levaran on on tres. ,
te ule o aabia. Talvez a .
tarde. Em boa f, poseo exigir a na Ttshar
qua lute coalra a channa e ceeUa Ierra ? Bto-
e me que viglano a saa partida. Perene raen*
oio previ eu o ao pedia acealeear I Parta eeea
resistencia por que {algara a* a aagaia. A' asan
ineumbta paasara neita a eserettar vos de ter
conflaoea e esparar.
(Ca*
PIRN.TTP. DI M.FJ>EFA1U4 raiO. IM.
i II Fa#%l
i\ /
i


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ENXFEY4TS_Q110T7 INGEST_TIME 2013-04-30T21:45:29Z PACKAGE AA00011611_09415
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES