Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:09411


This item is only available as the following downloads:


Full Text



un niTu ionio m
Por tre^ies wilads 5|0r)0
Por; tres meies vencidos
TOCA FEIli 12II
I i
Ptraiia4iaitMttftft
fnit fruet itrt wMerf pUr.
ENCARREGABOS DA SUBSCRIPCAO DO NORTE
Psrahyba, o Sr. Antonio Alejandrino de Li-
m3 ; Natal, o Sr. Antonio Marques da Silva
Aracty o Sr A. de Leaoa Braga; Ce.r o Sr!
fAKi IUAS UOs LUBKtlUD.
Olinda lodos os das aa 9tf horas do dia.
Iguarass, Goianna, Parahyba oaa segundas I
EPHBMERIDES DO MEZ DE NOVEMBRO.
f. Joa de Olireira; Meraoho.V Sr. Maooe \%at,i"' Io8ei". Ftowi, Via-~BeUa, Boa~-Viste,
Jos Martina Ribeiro Guimaraes- Para l...iinA H"?"3^ fefinas *'.".
J. Ramos- 4mazona. i! c,b. Senohiem, Rio Formoao. Uoa.Berreiros
">$, o Sr. Jerooyoio da Costa. /Agua Preta. Pimeotelras e Natal
e sextea-feiras. I 2 La nota a | hora a 44 minatoa da tarde
S. Anto, Bezerros, Bonita', Caruar, Altinho" "r.t0 ,f, "8 hora e 25 mnalos 'dr
e Garanhuos nas torgas-feiras. I
Pao d'Albo, Naiareth. Limoeiro, Brejo. Pes- II *; *0 horas 47 minutos da man
25 Qasrto minguaote ae8 horaa e 47 minutos da
manha.
PREAMAR DE HOJE.
1MII0FFICIAL
MAS DA SEMANA.
ti Segunda. S. Msriioho b. da Toara; S. Verano.
13 Tetes. J. Martinho p. m. ; S. Diogo f.
13 QuarU. S. Eugenio b.; S. Zebioa t. m.
14 Quinta. Ss. Filomeno e Clementino mm.
15 Sea ti. S. Gertrudes ?.; S. Leopoldo marque*.
16 Sabbado. S. Gonzalo de Lagos; S. Valerio m.
17 Domingo. S. Gregorio Thaumaturgo b.
AUDIENCIAS DOS TRIBUNAES DA CAPITAL. ENCARREGADOS DA SUBSCRIPCAO BO BOL.
Tribunal do commercio : segundas e quintas.
Relaco: tercas, quintas e aabbadoa aa 10 hora?,
Fazenda: lergas, quintas e aabbadoa aa 10 horaa.
Juizo do commercio : qnartaa ao meio dia.
Dito de orphioa: torgas e sextas aa 10 horas.
Primeira Tara do civil: tercas sextas ao meio
da.
Segunda Tara do ctoI : quartas e aabbadoa a 1
horada larde.
coa destino ao termo do Buiqae, rogo
expedico daa suaa ordena para au
mmenlo
que
60VERH0 DA PROVINCIA.
Expediente do Bovero do dia 8 de
nm *?Wi* ti
dn "tExm P"Wente das AlagoasTen-
do o dasembargador ahefe de polica de remetler
frnu!? P;010".condicionadas em canoea
grauadeires e igual numero de bayonetas
V. Exc.
para que esse ar-
aeje enriado para a cidade do Penedo
a? ?. "P." ? C'phia B.hian
seguir para aquella cidide.
pflrn?i0'89 0tiam ao erente d Companhia
r. I*""' &n mao,la" '"Portar o dito
armamento. OOlciou-se ao arsenal de guerra
.nVhC.fq,,-0,0"?-r em Caix6es- communicou-
se ao chele de polica.
nnl.10 C>a"ntdn<1 sarmas.-Para que eu
m,.rylra,ewea dos "trenos de medica-
aidio^VUB d8.U p,rl\ ""to do pre-
U,Z -, Fero"ntdj > cio constante da copia
V a* d..H."to ?, uUUno' f"-,e cessario que
v. S. maade satisfazer peto director do hospital
mincL*,, eX,geC da 'hesour.ri. de fazenda
mencionada nas informacdea por copia inclusas. I
JPa0ma? n,MmJ--Sira.se V. S. de remeiter- I
unce!!'"" "nooilraTn da torca exilenle
o corpo de guaroiclo desta"provincia e da ma-
neira por que est ella distribuida
di.. Vl2n!TH dor dVanla caia da nuaericor-
eu"oBlrt? d.diae V' S- 00e ~co era
eu offleio de 6 do crranle, tenho a dizer lhe
que approvo a deliberado que tomou a iuola ad-
mamslratiT. deasa santa* cas", de mandar'proceder
Kt. paS,-,Q?upe.0M,reSi de berta da igreja di misericordia de Olinda. i
k\M.A ,Q,patof d3 'hesouraria de fazenla.- !
dV*,d0.q,,H V',S- eipot em "u fficio de 6
desuall o,nariV0;lhe' para ter "orenieule
desl.00, a coate da deapeza fetta com os reparos
c.n?iU.niB.e^,,V" ediflci0 era capuaaia do porlo.
ionJn? 2 "r,**we V. S. adfantar ao 2.
enla do 4. batalbao de arlilharia a p Fran-
Buique, os sidos do mez do correle, e de de-
zembro prximo iudouro, bem como pagar-lhe
LT ageni 3ue li*wdireilo aleo diaem que
seguir para o referido termo. 4
Uno ao meamoAutora V. S. em rala de
sua informaco de hontem sub a. 1078 dada acer-
ca do incluso reiuerimeolo a mandar pagar ao
05!SLB,p,0 d' *aeCfelari d" overoo Antonio
Le le de Pioho a quaotia de 48*380 ra, que rea-
ceu ae 1 a 9 de ontubro ultimo, oa qualidade de
secretario interino desta provincia.
Dito ao meamo. Transmiti V. S. para os
conveoieoles exames ss inclusas copias das actas
do coQsaHid. admioistratiro do arsenal de guerra,
datadas de 21. 28 e 30 da oatubro ultimo.
Dito a ihesouraris proincial.[uteirado pelo
officlo que V. S. me dirigi hontem aob n. 546.
de her o bachsrel Deodoro Ulpiano Coelho Ca-
tanho dando por dador Joi di Rocha Prannos,
arrematado por l:202#annuaes a rendado aobra-
do de dousandaree n. 18 da ra do Imperador, e
perlencenle ao patrimonio doa orphaos, tenho
dizer em resposla qus approvo easa arrema-
lacao.
Dito ao comman ianle auperior do Recite.
Deerindo o requerimento do t. enle do i."
bilalhi de arlilharia da guarda nacional do mu-
nicipio do Recite Ernesto Hachado Freir Pereira
da Silra, sobre que V. S. intormou em data de
5 do correle, o aatoriso a mandar paasar-lhe a
guia de que trata o arl 45 do decreto n. 1130
oe 12 de marc.o de 1853. visto que traosterto elle
a sua residencia para o Rio de Janeiro.
Dito ao commaodante auperior da guarda na-
cional do municipio do Bonito. -Mande V. S.
dissolver o destacamento da guarda nacional
existente ni villa do Bonito
Dito ao coosalho administrativo.Aatoriso o
eonselho administrativo a comprar para a acola
elementar do 10. batalho de iofantaria oa ob-
jectos mencionados no incluso pedido.Com mu-
llico u-se theaourwia de fazenda ao commao-
dante desarmas.
Dito ao director geral da inUrucgao publica.
Em solacio 4 consulta que (az Vmc. em seu
olQcio desta data, teoho declarar-lhe para sua
sciencia e direccio : l.'que deve o director ge-
ral da iostrueco publica volar no julgamentodos
exames do curso commercial.'cuja presidencia
lhe compete em virtude do precoito do arl. 23 do
regulameoto de 14 de dezembro de 1860. visto
nao haver duposigo em contrario ; 2. que no
caso de empale, por apparecerem duaa espheraa
brancaaeduas pretasdere prevalecer o principio
geralmenle recebido do voto benvolo em favor
do examinando.
Dito ao promotor da comarca de Flores.Com
o parecer do Dr. procurador tiacel da tbesouraria
de fazenda datada de 31 do mez passado, junto
por copia, respondo ao officio de 9 daquelle mez
em que Vmc. consulte se os curadores geraea de
orphaos Horneados interinamente eslao anjetlos
ao pagamento dos direitos marcados no 8 1*
da tabella annea 4 lei de 10 de novembro de
1841.
Portera.0 presidente da provincia tomando
em consideraco o que represenlou o tenente-
coronel coramandaole-do batalho n. 44 da io-
fantaria da gnarda nacional do municipio do
Rio Formoao em officio de 10 de julho deste an-
uo, que ae retere o do reapectivo commandan-
deate mez a eleigao de eleitores a que ae proce-
den na freguezia do Bonito no dia 24 de oulubro
uiumo Respoodeu-ae tsmbem de igual com-
mgnicjtao feita pelo delegado daquelle termo.
Despachos do dia 8 de novembro
de 1861.
Hequerimtntos.
Antonio dos Santos Rocha.Informe o Sr.
inspector da thesouraria de fazenda.
Franklino Benjamn Theotonio Peixolo.Nos
casos de nullidade de eleigao e emqaanto se nio
venftea outra.aao os joizes de paz do quadrien-
nio lindo competentes para todos os setos de sua
jonsdiccao. em face da doulrina do aviso o. 141
de 24 de maio de 1849 5.
Francisco de Barroa Silva e Albuquerque.
Informe o Sr. commaodante superior dos muni-
cipios de Santo Anteo e Escada.
Jos Alvesda Silva.Nao ttm lugar.
Jos Mana Caraeiro de Lacerda.Dirija-se 4
thesouraria provincial.
Dr. Joo Fraocisco Duarte Jnior.Informe o
r. inspector da theaooraria de fazenda.
Jos Gonjalves Pereira.Informe o Sr. ins-
pector de saude publica.
Joao do Rngo Barroa.Nao tem lugar.
Dr. Miguel Archanjo Mooteiro de Ahdnde.
informe o Sr. inspector da thesouraria de fa-
zenda.
Melcliisedfc Aro de Albuqueique Lima.__ln-
orme o Sr. director do arsenal de guerra.
Manoel Jos Pereira Marinho. Nao
lugar.
Alagas, o Sr. Claudia Falca* Dial:
o Sr. Joa Mirtina Alvaa; Rio Jaaaira ."57
I JoA. Paraira M.rlias. "*""' Wu
EM PERNAUBDCO.
Os proprielarioa o pumo MasMel FifsMtraa ^
Fana 4 Filho, .. ... |t,rart praca
id enca ns. 6 a 8.
tem
INTERIOR.
BIO DE .1 WEIltO.
26 de outubro.
Eotrou hontem do Rio da Prate e portes do
sul do imperio o vapor rocantt'na, trazendo datas
de Montevideo e de Porto Alegre at 18, e do Rio
Grande at 20 do crreme.
No Eatado Oriental, d'onde as noticias adiao-
tam apenas ura da s tnzidas pelo Saintonge,
nada absolutamente occorrer que para nos possa
ser de toteresse.
Pelo vapor Mitg$$ippi, chegado a Montevideo
no da 17, aabia-aequeo ministro da guerra por-
ten ho partir para o Rosario, tomando D. Pastor
Obligado posseda pasta do governo. Desvaneci-
do lodo o receio de um cerco posto pelo exercito
federal, maodar-se desarmar a lioha de fortifl-
ca^oes da cidade de Buenos-Ayres supprimio-
do-se o servido da passiva e licenciando-se a ac-
tiva da guarda nacional, excepto o batalho 9 e
a compaahia de arlilharia.
As foress da provincia guarneciam tods a linhs
do Arroyo del Medio e Mitre, que ainda se con-
aervaya no Rosario, preparava-se, diziam, para
invadir Eolre-Rios, sendo o plano que ae lhe at-
tribuefazer o general Florea aubir o Ioieuy em-
quaoto elle mesmo entrar pelo Paran com o
grosso do exercito.
O corooel D. Lanriano Diss percorria a fronlei-
ra do norto-6 freoto ilo anra S.OOO corallos.
Em Salta tinha D. Jos Maria Todd sido eleito
governador em subsiitaic&o do general Rojo e
que renunciara o cargo.
As noticias ds provincia do Rio Grande cons-
ten pela maior parte da carta que deixamos
transcripta.
Alm das oceurrencias all mencionadas, noti-
ciara as folhaa de Porto-Alegre que no dia 11 oi
preza das chammas urna importante fabrica de
herva-mate no municipio de S. Jeronymo, e que
em S. Leopoldo tivera igual aorte urna grande
olaria.
Suicidra-se em Santa-Anua do Livramento,
com um tiro de pialla, o procurador da cmara
municipal da meama villa, Manoel Correa Gui-
m a raes.
O Diario do Rio Grande publica a seguinte
carta de um eataocieirodeTaquaremb:
Os brasileiros estabelecilos esto aqai i mer-
c dos filhos predilectos da repblica.
a A seguraoga individual cousa que cada um
encoutra em sua espada : ai daquelle que nao a
tsm para ae defender I ltimamente, porm dea-
envolveu-se neila gente urna perseguido tenaz
ao dtreito de propriedade brasileira que muito
tem dado oue fallar, e receio Unha por deslecho
alguma California.
O alcaide ordinario da villa de Taquaremb
tem enviado circulares sos estancieiros brasilei-
roa, intimando-Ihes o praao de trite dias para
despejaren: seus campos, sob pena de serem de-
demolidas suas propiedades, ou marcharem para
Taquaremb a recomprarem os seus proprios
campos a uns taea Laqueve e Chocarro que cha-
mam a ai a posse de mais de seaseota legoas en-
tre Arapehy e Taquaremb.
| Entre os perseguidos cootam-ae os brasilei-
ros Joaquim Soares. que vio metteremo macha-
do era sua casa, e foi obrigado a refugiar-ae para
Saota-Aona, abandonando assim sua estancia,
que foi comprada em mo de segundo dooo, com
posse de maisSOaonos, e compra garantida pelas
autoridades locaes; e o lente Israel Rodrigues
do Amaral, que tambera anda corrido, e est re-
solvido e arreda-U de Chocarro para nio perder
o desfrucU, al que o noaso governo tome ener-
I gicas providencias
Das tees circulares consta que o brgadeiro
Canabarro tem urna em seu poder, e que Soares
e Amaral enviaram as que receberam
mioistro em Moutevido.
Bacharel Caeteno Xavier da Silva Pereua. dem
de Luiab, em Mato-Grosso ;
Joo Pinto de Aguiar Boto e Horacio Diaa Ri-
beiro Nelsoo, labellies do termo de Japaraluba.
em Sergipa;
Manoel Airea de S. Boavenlura, eacrivto do ju-
ry do termo do Camiao, na Babia ;
Jos Emygdio de Figuelredo, partidor e conta-
dor do termo da Jacobina, na Baha
Francisco Luciano Coelho, partidor e distribui-
dor do mesmo termo.
Romo Rodrigues de Oliveira Branco, tabellio
e eieriTao de orphaos de Anlonina. no Paran ;
Joao Manoel da Fonaeca Silva Filho. 2o escri-
vao de orphaos da Victoria, no Espirito-Sanlo ;
Joaquim Jos Pinto, partidor, contador e dis-
tribuidor do termo deS. Christovo, em Sergipe ;
Balbino Jos da Franca Ribeiro, porteiro da
chancellara da*rela{o da corle ;
Jos Adriano de Oliveira, escrivao de orphaos
de Jundiany;
iirn JedDr FreiLe Barem Junior Fernando
Aironso de Frenas Noronha, psrlidores do termo
oo Hio Grande, provincia de S. Pedro do Sul;
Valeotim Antonio de Souza, tabellio e escri-
vao de cepeilas e residuos do termo de S. Fran-
cisco, em Santa Catharina ;
Foram designadas ;
Aos juizes de direilo Carlos de Cerqueira Pin-
to, a comarca do Rio Pardo, em Mioas-Geraes :
Sebasiio do Reg Barros de Lacerda.. a da Boa!
Vista de Tocantins, em Goyaz ; Jastioiano Bap-
tisla Uadureira, a da Viotoria, no Espirito-Sanlo;
e Jos Pereira da Silva Moraea. a de S. Matheus,
na meama provincia, para nellss terem exer-
cido.
Foram removidos :
Os juizes de direito Firmo Jos da Mattos, da
comarca de Cuyo! para a de Ara. na Parahiba
do Norte; Joaquim Augusto de Hollaoda Costa
reir, da de Piratinim para a de Cuyab, a pe-
dido ; Antonio Jos Alfonso Guimaries, da de
Vo"11 p*r* Piratinim, no Rio Graode do Sul ;
Jos Baodeira de Mello, da de rea para a do
Labo, em Pernambuco; Joa de Almeida Mirtina
l.osta, da de S. Matheus para a de Tury-Ass.
no Maranhao, a seu pedido ; Ignacio Carlos Frei-
r de Camino, da de Cararellas para a da Ci-
choeira, na Baha; Joaquim Tiburcio Ferreira
Gomes, da de Maroim para a de Cravellas: o
juiz municipal do termo da Conceico, Antonio
Auguato de OKveira, para o da Diamantina, em
Minas, a pedido ; e o de Capivary, Jos Alves de
Azevedo Magalhes, para- o de S. Leopoldo, no
Rio Graode do Sul.
Foram reconduzidos :
Os hachareis Genuino Antonio da Silva Peres,
oo logar de juiz municipal de S. Januario de Ub,
em Minas, e Luiz de Hollaoda Cavalcanti de Al-
buquerque no de Nltheroby, provincia do Rio de
Janeiro.
Foi declarado Tago o officio de depositario pu-
blico do termo de l'etropolis.
Foi promovido ao posto de lenente-coronel
com mandante do 10 batalho de iofantaria da
guarda nacional do Para o cipito Antonio Frau-
cisco Correa Caripuna. ,
Po' commvilndj! ;
Era 100*, para o iostituto. dos meninos cegos,
a pena de 4 mezes de priso imposta a Jos de
Castro Sampaio Lobo ;
Em.8a,e perpetuas, a de raorte imposte pelo
jury da Leopoldina ao reo escrsTo Joo Csncio ;
Em priso perpetua com trabalho, a de morte
impoata pelo jury de Santa Luzla r Maria Ni-
cacia;
Em gales perpetuas, a de morte a que foi con-
demnado pelo jury da Oliveira o reo Manoel Joa
GooQalrea ;
dem, dem, imposta pelo jury do Rosario ao
reo Espendio Jos.
Foram perdosdos :
A Anua Francisca de Jess, o resto do lempo
que lhe falta para cumprir a pena de 20 annos de
priso com trabalho, imposta pelo iury da Feira
de Sant'Anna;
Ao toldado do corpo policial da c6rte Vicente
Jos da Silva, o reato do que lhe falta para cum-
prir a de 6 mezea de priso, imposta pelo conse-
ibo criminal ;
A Heorique Emerik, a de 3 mezes de priso,
imposta pelo jury de Nova-Fribergo ;
A Leocadio doa Reis Figueiredo, a da mulla
que lhe foi imposta pelo jury da Barra do Rio de
Coalas, provincia da Baha.
Por decreto de 30 deste mez foi nomeado com-
maodante dsa armas da provincia de Pernambu-
co o brgadeiro Solldonio Antonio Pereira do La-
go, sendo dispeosado dessa commisso, por ae-
*?* pedido, o corooel Jos Antonio da
rooseca Galvo.
Por decreto da mesma data foi tranaferido para
o commaodo do corpo de guarnido de Minaa-
eraes o coamandaote do de Piauhy corooel
Joae Antonio da Fonaeca Galvo, e para o deate
corpo o tenente-coronel commandante daquelle,
Manoel Rolemberg de Almeida.
i-orara reformados o capito aggregado arma
de ertilhena Luiz Benedicto Pereira Leite, e o
"PfUo o batalho de cacadorea de Goyaz Tris-
wode Mello e Cunha, poraoffrerem molestias lo-
cura veis que os lornsm inespazes de todo o servi-
2 Lf*5 oomo o airnrea do corpo de estado -maior
ae jr classe Luiz Gomes Ferreira, pelo mesmo
motivo. v
Foram demittidos os Srs. capito Jos Caetano
deOhvaira Rocha e Joo Meodes da Costa, o
primeiro do cargo de commandante e o segundo
de 1 argento da companhia de guardaa da al-
landega desla cflrte. O Sr. Rocha foi substituido
oaquelle commando pelo Sr. capito Joo Jos de
Brilo.
i.* de norembro.
roram removidos:
Os jaea de direito Luiz Barbosa Accioli de
rito, da comarca de Santo Antonio dos Anjos
ES ,de,p8e0o; o Luis Jos de Medeiros, da
de S. Jos de Mipib para a do Ico.
A seu pedido, os juizes de direilo Marcos An-
tonio Rodrigues de Souza, da comarca da Cha-
pada para a da Pareotms no Amazonas; Vicente
Aires de Paula Pessoa, da do Saboeiro para a de
** de ipib ; Candido Gil Caatello Branco,
e PareDl,lls Pr doSaboeiro; Julio Barbo-
aa de Tasconceltoa, da do Rio Paran para a do
Benito em Pernambuco ; Francisco Antonio de
liveira Ribeiro, da do Bonito para a de Itabaia-
na em Sergipe ; e o juiz municipal Eduardo Jos
de Moura, do lermo de liberaba para o de Ma-
mona em Miuas-Geraes.
Foram mate removidoa, depois de ouvido o
conseibo de estado, os juizes de direito Jo"o Qi-
noo Rodrigues da Silva, da comarca do Peoedo
para a de Mossor no Rio Grande do Norte ; e
Luiz Duarte Pereira, da de Itabaiana para a de
aiacap no Par!.
Foi designada ao juiz de direito Manoel Pinto
de Souza Dantas a comarca de Maroim, em Ser-
gipe, para neila ter exercicio.
Tiveram merc
cioa:
De tabellio
da aervenlia vitalicia dos offi-
ao cosao
Chocarro era um pobreteo, por todos muito
te auperior datado de 29 de oulubro ult m>. re-! ^^^V1'^"10^9 ag0ra ''Uu-ae co-
le n. 602 de 19 de setembr.. de 1850 os officiaea i '
do mesmo batalho abaixo declarados:
Eslado-maior.
Alteres porta-bandeira Jeronymo Barreiros de
Raugel.
4* compinha.
Tenenle Manoel Marcellioo Paas Brrelo.
2* companhia.
Alteres Manoel Vicente da Costa Pereira.
3* companhia.
Alferes Antonio Satyro Cavalcanti de Lima.
4a companhia.
Tenenle Sebaati&o Los Wanderley.
Alferes- Francisco de Borges Machado J-
nior.
5a companhia.
Alferea Fabio Rozeodo Peasoa de Mello.
6* companhia.
Capito Francisco do Reg Barros Gotabeira.
Communieou-se ao commandante superior in-
terino da comarca do Rio-Formoso.
Expediente do secretario de
goveroo.
Officio ao juiz d direito interino do Bonito.
Si Exc. o Sr. preaidente da provincia manda ac-
ensar recebido o officio da 21 de oulubro ultimo
em que V. S. parUcipa que no impedimento do
bacharel Jos Antonio Coelho Ramalho nomeou o
advogado Joo Izidro Goncalvea promotor publi-
co interino deeaa comarca, o qual eotrou em exer-
ccio naqaea dsta.Fizeram-se aa communica-
coea necease risa.
Dito ao juiz de direito da comarca do Bonito.
S. Exc. o Sr. presidente da provincia meada
declarar V. S. que pele seu officio de 3 do cor-
note ficou ioteirado ter-se concluido* oo t*
De Sania Catharina nada temos que accrescen-
tar ao que hontem pablicamoa.
No Tocantins veio de passagem o Sr. conse-
lheiro Joaquim Aoto Fernandes Leo, ex-pre-
sidente da provincia do Bio Grande do Sul, e ha
pouco nomeado para a presidencia da Baha.
Foram exoneradoa:
O juiz de direito Carlos de Cerqueira Piolo, do
lugar de che te de polica do Amazonas ;
O bachsrel Joaquim Mariano Campos -do Ama-
ral Gurgel, do de juiz municipal de Pindamonhan-
gba, em S. Paulo, a aeu pedido;
O bacharel Jos do Amaral Gurgel, do mesmo
lugar, no termo da Ponte Grosss, no Parao.
pedido ;
O bacharel Joaquim Canuto de Figueiredo. do
de juiz municipal do letmo de Aras, em S. Pau-
lo, a pedido.
O bachsrel Ruoo Augusto de Almeida, do de
secretario da polica de Pernambuco, a pedido.
Francisco Victorino Xavier de Brito, do posto
de.major do Io batalho da guarda nacional de
Goyaz.
Jeo Morelra da Silva Braga, do officio de ta-
bellio da Tapera, na Babia, a aeu pedido.
Foram oo meados:
O juiz de direito Fraocisco Eliaa do Reg Dan-
tas, ebefe de .polica do Amazooas ;
O bacharel Francolino Adolpho Pereira Guima-
riea, juiz mooicipal e de orphioa do termo do
Parehybuuv, em S. Paulo ;
0 bacharel Firmino Antonio de Souza, juiz mu-
nicipal de Queluz, em Minaa-Geraea;
O bacharel Thomat Barboss Freir, dem do
Riachio, no Maranhao ;
Recebemos folhss deS. Paulo at 24 do corre-
te. Nada conlem de ioterease.
- 29 -
Foi nomeado baro de Ibicuhy o Sr. Fran-
cisco de Paula e Silva.
30
Da ordem do dia n. 289, publicada hontem
pela repartido do ajudante-general, consta o se-
guinte :
Nomeages.Do Sr. 2o teneote do corpo de en-
geoheiroa Miguel Vieira Ferreira, para flear
disposico do Exm. Sr. ministro dos negocios es-
j trangeiros, afim de ser erapregado nos trabalhoa
da commisso demarcadora dos limites do impe-
rio com o Per.
Do Sr. lenle do 1 regiment de caTallaria
ligoira Benlo Machado Gomes, para servir oa
provincia de Malto-Grosso, disposico do res-
pectivo commandante das armas.
Do Sr. alteres-alumno do exercito Jos Arthar
de Munnelly, para servir na provincia do Rio de
Janeiro, disposico da respectiva presidencia. .
c cirur6,ao d0 crpo do ssude do exer- meoio
cito Dr. Joao Honorio Bezerra de Menezes, para
exercer o lugar de 2o cirurgio do hospital mili-
tar de Pernambuco, em aubstiluico do Sr. cirur-
gio do mesmo corpo Dr. Americo Alfares Gui-
mares, que passa a servir na guarnico da dita
provincia.
Do Sr. Olegario Augusto de Souza Araujo, para
a etJeclividade do lugar de bibliotecario da es-
cola ceotral, que interinamente eierce. Decreto
de 23 de oulubro correle.
Exontracoet. Do Sr. lente do 1 regiment
de cavallaria ligeira Bento Machado Gomes, do
e escrivao de orphaos de retro-
polis, Justiniano Julio de Carrelho;
De escrivao de orphaos de Piralinim, Manoel
Burnardino Ribeiro.
Foi perdoado a Luiz Antonio da Silva o resto
p.ea,de 6als perpetuas a que foi condemnado
em HOVpeto jury da cidade de S. Paulo.
r.mnodnU.doa':de ^~"" P" Inspector geral dos terrenos diamantinos da
proTincia da Bahia, o bacharel Frederico Augus-
to de Almeida ;
Guarda-mr da alfandega da Pernahyba, na
provincia do Piauby, o ajudaole do^iguarda-
mr da do Rio Graode do Sul Gervasio Nunes
Pires ;
Guarda-mr da alfandega do Rio Grande do
Norte, o guarda-mr da da Psrabiba Joo Jos
de Lemos Magalhes.
Por portara da mesraa dala oi nomeado aju-
dante do guarda-mr da alfandega da cidade do
Rio Grande do Sul o guarda-mr da alfandega da
Paruabyba Luiz Garca Soarea de Bivar.
_ Foram nomesdos officiaea da ordem da Rosa
oa Sra. major Antooio deSCamargo, Emmanuel
Liis, e Ameda Ernest Barther Monchez; e cs-
valleiios da meama ordem o alterca Gaspar Jos
Menus Brrelo, Aodr Francote Edouard Fers-
tter, Heuri Ferdioand Lois de Gonzaga Mansac
Arthur Lanrent Richieu. Alfred Kiesel, Jules Ber-
nard Galiard*. Alexis Marie La Prairie.
Foi apreaentado na igreja parochial de Nossa
Seuhora de Nazareth da Viga, da provincia e
diocese do Para, o padre Luiz Goncslves de A-
rago.
4 -
Por decreto de 2 do correte foram nomeadoa:
Oserventusrio do extincto emprego de escrita*
da alfandega da Parahiba e actual ajudante do
inspector dessa repartido Joo Jos Hennque,
para servir o lugar de 1* conferente da alfandega
do Para em commisso.
0 1 escfipturario da alfandega da Parahiba
Franciaco daa Chagas Galvo, para o de ajudante
do inspector, idem.
O officiel da secretaria da thesonrsria de Ser-
gipe Joo Bapliata da Silva, para 1 escriplurario
da mesma thesouraria.
O 2 escriplurario da thesouraria do Paran!,
Gandido Jos Pereira, para official da secretaria
da mesma thesouraria.
que o
Por decretos de 2 do cerrenle foram reforma-
dos : o coronel da xtiocia segunda linhs Gaspsr
de Menezes Vasconceilos de Drummond, no posto
de brgadeiro, mas smenle com o sold que
actualmente percebe: e ao capito do 1* regi-
do cavallaria ligeira Jos Maria Gavito
Peixoto, por soffrer molestia incuravel
torna incapaz de lodo o aervico.
Per decreto da mesma date se determinou que
ao Io pente do corpo de eogeoheiroa Augusto
Fauato de Souza ae cont antiguidade do dito
posto dia 2 de dezembro de 1861 em diaote.
Por outros decretos de igual dala ae mandou
transferir para a 4a companhia do batalho de
catadores de Goyaz, o capito do 6 de iofantaria
Jos Antonio de Lima; e coucedeu-ae aos alte-
res Joa Maria de Aleocaslro e Israel Ramiro da

Tramferenciat -Do Sr. ente do V batalho! ^ CU* 5 __
de iofantaria Joo Adolpho de Sooza Brrelo
p"a da nesma arma, por har-la pedido.
Do Sr. 2o tenenle do 3o batalho de arlilharia
Manoel Caetano Vieira Cavalcaoti, para o corpo
de arlilharia de Amazonas, por har-la pedido.
Do Sr. alferea do "i" batalho de infantera.
Estevo Jos Ferraz, para o 9 da mesma arma,
por Lav la pedido.
Do Sr. alferea do 10*
Refere o commandante do vapor de guerra in
glez Oberon, 'entrado hontem de Montevideo,
donde sahira a 25 do passado, que corra oaquel-
la cidade o boato de andar o general Urquiza di-
ligenciando negociar com Buenos Ayres um tra-
tado de paz, urna de cujas bases seria a transfe-
rencia da capital da GonfederaQo Argentina do
P>ran! para o Rosario.
Nao nos toodo sido possivel obter um nico
peridico do Rio da Prat, nada podemos accres-
centar i esta noticia.
Falleceu ante-hootom, e sepultou-se hontem
no cemiterio de S. Joo Bsptista, o Sr. desem-
bargado* Joo Antonio de Miranda, senador do
imperio pela provincia de Mailo-Grosso.
batalho de infantera^
Joao de Oliveira Mello, para a arma de arlilharia.
nos termos do art. 6o da le n. 1,148 de 11 de
setembro do corrente anuo, sendo incluido no
corpo de arliQcea da corte.
Do fc.r cadete do Ia batalho de iofantaria
Joo da Silva Viveiros. para o 5 da mesma ar-
ma. Do saldadoda V Utelhao d inUnieria
Eslorgio Jos de Andrade, para o corpo de guar-
nico do Cear.
m.^f,rti?i_lDoSr. ?''" *.? ^"0 'o- CORRESPONDENCIA
maior de 2a classe Aotomo Francisco de Souza pfbnauriirn
desenvolvimento, ooqual deu alguna passos im-
pelllda pelo Exm. vice preaidente ; o que adrai-
rou muila gente, que j estar convencida de
que a Babia era um cadver, que nada mais po-
derte ressuscitar, q jando o mal nao da trra ;
ms aira dos hornees, que basta quererem para
poderem. O Sr. Dr. Chaves, sectario desta es-
chola, esclsreeido e perseverante quxz e pode
realisar innmeras medidas administrativas de
grande alcance poltico e social, aem que o em-
barsr;assem a defficiencia de recarsos pecunia-
rios, nem as mslhas complicadas do oosso sys-
tems. Outro qualquer se defera nellas, e cada
vez mais prezo flearia, quando com algum tino
poderia contornar a reJe estendila para acaute-
lar abuzos, que ella mesmo protege.
Tenho lido com o maior prazer o artigo que o
Sr. J. A. Fernandes publicou no seu Diario com
o tituloa Guerra civil nos Estados Unidosem
refutajo ao que este seu humilde correspondente
disse relativamente ao systema republicaoo. Ea-
tou contente e aaptisfeilo, nao s porque propor-
conei urna occasio magnifica para este joven
manifestar a cultura do aeu espirito; como por-
que elle produzio novos e irrefutaveis argumen-
tos favor de minha theae, querendo combatte-
la; porque provou exhuberaolemente, com tac-
tos extrahidos da historia que, se o systema re-
publicano foi preferido em direito para o governo
de algumas nsQes que floresceram, elle nao
existi de facto na sua adminiatracao. E', como
aCrmei, accompaor ando a opinio de homens
raui eminentes, urna doulrina admiravel em the-
se, digna de nossas aspiraces ; mas desgranada-
mente irrealisavel na pratlca, menos que Deus
considere a nossa expiaco da primeira culpa co-
mo terminada, e de novo nos reatita a innocen-
cia do prmeiro homem, e da primeira mulher,
antes d'aqaelle fatal erro, que to caro nos ha
custado.
Como esta esperance Ilusoria, acho que pro-
cede com juizo todo o paiz que esquece o bello
sonho da repblica, para estsbelecer ums forma
de governo mais estavel. que mate loucas ambi- r
?es. e o encaminbe felicidade.
Pela minha parte eal fechada esla diecuseo,
que servio para ainda mais robustecer a minha
crela, e deplorando, como sempre deplore! que,
o niodlo dos republicanos de todo o mundo ae
teoha quebrado, lo miaeravelmeute, denuncian-
do as grandes falhas com que fora fundido, nao
posso deixar ds encarar este facto, occorrido
agora, como providencial, como um aviso de
Dos aos povos da Europa, que se agtavam, e
queriam imitar as instituigoes democrticas dos
Estados Uoidos, sedusidos pelo brilho que irra-
diavam suas explendidas esttellas.
Assim j elles sabem at oode devem chegar,
e estao habilitados resistir aos cantos dos am-
biciosos pete opportuoidade desta lico to fres-
c, que espero seja mui til para a humauidade.
Tem-se oceupado a assembla provincial com
a discusso do orcamento, com a do regulamen-
to orgnico, e oulras de menor importancia, em
que entretanto ae revella o -Afico ciniamo com
que se olha para os interessesA provincia; por-
ue, nao obstante haver o ExnTr. Sr. cooseinairo
raira. nm pouaaa di., do con ultimo ministe-
rio, assignalado atteuco publica.
Ia Que tendo aido muito augmentada nestes
ltimos annos a deapeza com o pessoal das admi-
nistracoes provinciaes
2 Que abundim as concessoes de aposeotado-
nas.
3a Que se tem decretado muitas oulras despe-
ase, que poderiam ser evitadas ou adiadas para
melhores lempos; nao obstante ter o Exm. vice
presidente no seu relstorio reeommendado toda
a economa na desiribuigo dos dinheiros pbli-
cos ; porque estamos passsudo por orna crise fl-
naneeira terrtvel, nem por isso deixa a nossa as-
sembla de seguir o mesmo systema justamente
criticado por aquelle brasileiro, e contioa aug-
mentar o funecionalismo, e volar leis creado-
ras de despezas ^reproductivas, que augmentam
cada Tez mais o desequilibrio da receila com a
deapeza publica.
Avultam, pois, as propostss e concessoes de
aposeotadories, de angmentos de ordenados, e
oo projecto do ornamento se consigaam verbas
mu despeosareis na sctuslidade, augmentando-
se at de 20 50:000000 a dolarlo para o thea-
tro lyrico, como se estiveramos nos lempos ds
decadencia do imperio romano, em que os povos,
depois de terem soflrido a calamidade de urna in-
vsso dos barbaros, pediam espectsculos, preci-
sando de panno e pao I
Brevemente se proceder nova eleico, e
Deus permita que ella seja acertada, e d ingres-
so na representac.o provincial homens mais re-
fteciidose judiciosos, que todas as considera-
Qea tenham a coragem de antepor sempre as
conveniencias da provincia. Fervora j as cabal-
las, e coatam eom seguraoga triumphar, nao os
mais capazes, porem os mais sudazes.
Eu observo de fra a pelejs, estraoho inlei ra-
mete locta, s desejsodo que os eleitores ac-
tuaes teoham um pouco de juizo.
O iempo tem corrido mu em nossa costa para
os navegantes: na manha do dia 15 do mez An-
do oaufragon naa praiaa de Santo Amonio, tres
leguas ao norte da Torre, o lancho oacional
Oliveira vindo de Itspicur, carragado de vanos
gneros, com cinco pessoas de tripularlo e duas
de passagem. O naufragio foi occasionado por
torga maior, porem aalrou-se toda a tripulaco
e passageiros.
No dta 98, cbegsndo o vapor trances noite,
communicou que ao aul do morro de S. Paulo ti-
nha encalhado urna barca sueca ; na manha se-
guinte sahio logo era auxilio delta a canhonheira
de guerra Iguatemy, mas voltea ao porto refe-
rindo que nao era possivel safa-ls. Ers a barca
sueca Cari Yon Toppem, que sahira em lastro
do Rio de Jsoeiro, e se trepara nos recites de
Panema, tomando por engao o pharol do morro
de S. Paulo pelo da ponta de Santo Antonio, pe-
lo que navegara para cima delles, pensando de-
mandar o porto da Bahia. Assim explica o capi-
to a sus perds ; porem me psrece isto muita in-
genuidade en um navegador, que nao devia ig-
nonr a existencia daquelle pharol, anaoncada
em todos os portos do mundo, com a maior pu-
blicidade
No mez Ando tivemos tambem oeste porto
dous afogameotos, ambos casases.
Morreu o slmoxsrife do arsenal de goerra Agos-
tinho Jos da Silva Godioho, e foi nomeado o ci-
dado Joaquim Caetano de Almeida Couto para
o aubslituir interinamente.
A policia tem estado atrapslhada ltimamente
na verifleaco doa autores de cortos crimes, e
envids lodos os esforcos para descobri-los
A' diasiolerrogou o Sr. Dr. chefe de poicia In-
terino o preso Simio Moretea Gomes, aecussdo
de haver assaainado brbaramente a cabra Do-
mingaa, com queai viviv amancebado.
Tenho ouvido algumaa pessoas de cooeelto dl-
zerem que este homem neohuma parte leve ues-
te atioz assaasinato ; mas existem vehementes sas-
peilaa contra elle.
Seja como fdr, o tacto < que a relacio .danp-
gou-lhe a habeas Corpus requeriU. aperar de
ser seu defensor o hbil Sr. Dr. Lult Miria*
Fot concedida ao vigario da freguezia de Pas-
sa, Gustavo Adolpho de S Brrelo, a exor.eraco
que pedir de maaabro Oa commisso encarrosia-
da doa co o cartas de sus igreja. E nao noer o
n0r!LclT *** M ,e WBtr* Oae Terror
rsligrozo 1
Que feto exemplar nio demonsUou
digno pastor I
Felizmente o Sr. vice-praaaiU de.-lhe i
dos iicgao no officio em que Um nearadia
exonerago.
Em cooaequencia das ordena da govorae I
nal foram despedidos do arsenal da guerra I
opranos, e priocipiou-ae eosaiar noeta rtpar-
tigao o systema de obras por emproiteda aaa
esiou cerlo hade ser maia econmico ate as da
jornaes. vasw^
Foi capturado pelo subdelegado do dtetricto
de Arelas, do termo do Vslenca, o criateaa
dioi Jos Portugal, reo sentenciado pela
de Nazareth, e tambem pronunciado pela
Uva de morte no termo da Tapera.
Este criminoso.com alguna compaaboiroo, fogia
da casa da correcgo deata capital era dezeosare da
ooo, e teotou antes de efrectuar asa evazao -
escapar da cadeia do Baibalho. Est ajara rai-
tituido ao lugar que convem.
Na villa dos Lences Untaran contra aviste da
alferes Frederico Augusto de Soasa, coi
te do destacamento da Ia liaba all
felizmente o asssssioo erroa no tiro ; mis
guiu escapar, favorecido pete escurido da a.
Por acto de 30do mez ultimo maoouo Sr. tcs>
presi lente dar a Santa Casa de Misericordia stata
cidade a quantia de 10:000; ao recolbimeato daa
Perdoes 400; a Sante Casa do Misericordia da
vaien;a 400 e so convento doa religiozoe rea-
ciscanos, setecentoa e taotos mil ria, asida da
producto das subscripcoes para aoccorroa pbli-
cos, existente ns thesouraria de fazanda.
E como houvease tambem aa ihasoanrta pro-
vincial a quaolia de 750J; periodo producu daa
coocertos promovidos pelo Dr. admiotetredar da
passeio publico, mandou o mesmo Sr. da-U aa
recolhimeolo dos Humildes, oa cidade de &
ro, de aorte que deste modo todas aa ooaaa
aas pas foram debidamente contempladas
destribuigao.
a>Comegaram no da 5 os examea de neasa
culdsde de medicina.
Tem bavido j algumas reprovacse no pris__
ro aono, e baalantea RR nos anuos superior ea,
principalmente no 4*.
Foram removidoa ao dia 31 para easa da pri-
so com trabalho* todos os seas icnlanciadsa
existentes na cadeia do BarPalbo.
No dia antecedente Unba havido aa prisa de
Aljube um gradde alvorto. prodazide par
um celebre Viriato Vieira da Orla*, que ali sa-
la agaaslhado ; porque quiz Untar costra aexia-
teocia de um seu parete. Este sujeo, muica-
ohecido por suas gentilezas lesa a haniridada de
inflammar os collegas, que apreseataraaa aasa
resistencia formal ao enrgico carcereiro, qae a
quera rednzir ordem.
Compareceram as autoridades, e gracas a ara-
dencia doSr. subdelegado da Sd, que pode ea-
ler do referido preao que largase* asna aavalaa
cora que ameagaa o dito carcereiro, tuda se caa-
cluio, sem coosequeocia desaalroxa.
> dia 5 do corrale fioalisou-se o prc
dos empregados da repartiese do salto; maa a jote
in-i. nio profrrio taa eorenga para cajo Isa
ordenou so escrivao que flzessa sabir oa autos
sua conclualo.
Alguos padeiroa anaaaeiaram qae do dia 2 d
correte em diante vendenam o pi 120 rete
libra : Dos qaeira que o poto poaaa gozar des-
ta fortuna por muito lempo ; a que dundo
Principiou se neniara a recebar oa obiactoa
que devem figurar oo oosso ensaio de exposcao.
Os digoos directores esli raui animados, e eoa-
fiam qae o resultado hade exceder expectativa
de todos ; embora lio tarda ae annunciasse asta
testa industrial, O qae occorrer de aotevel apata
este importante assumpto beiJe referir-lbe mi-
nuciossmante, como convem.
A nossa alfandega rende* o mez paasado osis
de quiobentos conloa de rete : no preseote mes
at hontem Um-se arrecada lo neila aqoaaliada
o^f'*' Qa recebedort d reodaa iateraaa......
o:l08y782, na meza de reodaa provincias* carca
de 25000
Sahio bontem pars esse porto o patacho nacio-
nal Beberxbe, carregado com carne.
0 cambio sobre Londres, cata-ae aqai aa ar-
is 25 1|2 e 25 5i8 sobre Paria 370 17 ;
sobre Lisboa de 112 a 115 0(0 de premio.
Transpiraran) os seguioles frelamenlos.
1 para Liverpool por 40 acheling.
1 para Gra-Brelanha por 45
1 para o Cominete por 55 p
1 psra Hamburgo por 60
Diz-se que esto testados dote, sendo para U-
verpol 42 shellios, psra o Contiaaate 60 o
para a Gr-Bretenha a 50.
As existenciaa de genero* nacionses satrso-
geiros sao as seguintea :
nporlaaeao.
Azeite-dce 15 pipas.
Bacalho 3:00 barra.
Charque de Rio Grande 88:000 arrobas
Dito do Rio da Prata 20:000 arroba*.
Farinha de trigo 17:000 barra.
Manteiga franceza 90 barr.
Dita ingleza 50 barna.
Vinagre 120 pipaa.
Vinho heapanhol 300 barra.
Dito branco 48 barra.
Dito de Lisboa 260 barril.
Dito do Porto 14 barris.
- aT^iaortmsBsAm.
A,!CA.3-385 cau"J' i7i '"*. M8i barri-
cas, 16,693 saceos.
Algodo 348 ssccas.
Agurdenle 4,003 caada*.
Caf 4015 saccoa.
Caca 393 saceos.
Couros 22,436.
Fsrdos de tumo 2.800 arrobas.
Jscaraod 1.086 duzias.
O aino lem sabido de proco, ha pouca por-
;ao no mercado.
AlaafJSWA.
Macei 8 de novembro de 1861.
Me* charo redactor.Vou escrever para asaa
Diarto, sei bem que s importancia de saaaaa
correspondencias nio podesatlafazer Is coodicasa
de um jornal to acreditado como o asa, a da
tanta circulacic.
Sappra, porm, o bom deleje a (alta da baai-
litagea de sea novo correspondante.
Deixemos entretanto de prembulo*, qus s las
s virtude de msssar o paciente leitor.
Nada Ibe posso dizer de poltica da tan, aar
que val eils em ama calmarla plre, a qaa saa-
lhor ver! doa joroaea, que aqai aa pmbticasa. na-
de aem por peusameatos se talla de itBMf*.
Dizem pessoas expermeatadas eaahecadaraa
da ailuago, que o estado 4 de fereaaatofaa, da
que em pouco lempo ae espeta aa resultado aal*
quer.
Nada lhe affirmo oom cartela, porque Tira lea-
ge do bulicio poltico, e nio taco parta dos parti-
dos mitiaaUe. *^
O que corto que aem todos esli satteCtUo
com a situa^o, que 4 ds sua oaUresa !.
Deixemos, porm, 4 margen a poltica, tra-
temos de assumpto* que ioierasaam ao bem Mar
da patria.
Nesse rspor segu para ah, afim de figurar aa
-----7\ "- -- usurar mm
exposicio, que devia abrir-se oo dia 7, usas eel-
lecgio de oajectos arranjadoi por aa caiVmia-
iooomeadi pelo Exm. Sr. presidenta e por al-
.


*m-rn
na* particalaret, que i ellt entren
4M flm. S~"
H* oesst eollecgo
diant*m, que terv
-4>Aa vontade do
commuio.
Alguot provoctm V a lltuVlUM'triMnfX
rde couro '
^fM
UBJ0 M KBIAMICO- o-
TRICA. IRA il DE WVEM1RO DI iltti;
,\
nanBTaBonaiu MnhiBta ti pviMHa*<
bravo, forrado* de chi-
i alerta, remtttidao d.
I atfcttan tira, a mui-
da, H dian er
>r4a*ro-
a.
4*ut Ujieres, aja nip
sse e adieaUneota
Hida de
altiva, e
I, todava, e
em de. estaa****^
desata
confeseave.ee aaaaa oeileaene ajee ah
**M*B" iMBaHa a> impoMtaata e objectos
Me aunare ota corda imperial, feita do coco da Indi, com
aaajto trabalbo ona, e t A caivete.
Oo objecio para ah vio, e coa a vista serlo
^f l'fi TMifaMpinlaon*
Ma di* da cmala dw-e na fabrica de te-
fifloi de Pernio Velhe una calMtropivt, qae con-
lristou a todas aa peaioaa amanlea do progretto
cata proviocta.
QutudojAte ia dar principio s experiencia!, o
caneco alo trabo! ho dea liares, errara beu-ss o
acude, de vito eeta (acta leiiu age aopreetda
por espago de oito dias.
Foi ama verdadeire deaordem.
A correte 4a agua levou adiaste *e si grossos
troncos de arvorts, a ponte di estrada pablica, e
atan ca* de tu pobre morador.
A compaahia Unido Mercantil, que jl ia ln
laodoeoni inri amere diflicuidades, coru o depre-
oemeoto da suas eeees, e o que mais com o
Jesaninio dos accionistas; re-se boje i bracos
-can mais esta Bespezs, causanlo-rie anda
ajotes prejuizos a demora com o concert do
acude.
Coosla-cos que o Exm. Sr. bario ate Jaragui
cearvveMrs os accionistas para urna reunido aflu
de tratar desses negocios.
Deas queire que se cbegue uro accordo, e
que asa importante fabrica o principio aos seos
trafcilho!.
E* ella um ncleo de progresso para esta pro-
vincia. ,
Contina a causar serios receios pelos fado,
que vio succedendo, um quilombo de negros f-
gidos, acontados as maltas do Rolo.
JA duas martes alH praticadae e oas immedis-
coesso a elles Utibuidas.
O Sr. Dr. chefe de polica Oliveira Maciel, que
>*si procedendo i coptento de todos, tem dado
sodas aa providencias que o caso urge.
Tem sido ella incansavel em perseguir o cri-
aninoso, extirpar abusos e procurar por todos os
tneios cumprircom as arduas obrigaQoes inheren-
tes ao sen cargo.
asa perftiio msgielrado, caja oonservago
un beeBcio para asta provincia.
Creio qua aa medida* por elle empregadjs para
extinguir o ceiombo produziri bous resultados.
No di* 6 s 3 horas da tarde houve um incen-
dio na Pajossra, qae arrasou oito casas de
palha.
SA existe neata cidade ama bomba, e esta em
Jaragui.
Se houver fugo em qualquer edificio em M-
calo coso grande-dificuldade ser apagado.
Se o overeo se lemeratae de mandar mais
urna bomba pira aqui seria urna benfica mediia
da precaucao. a>
A demora do vapor para levar a eollecgo de
bjectot para a exposicio d'ahi deu-me tempo
bstanle para eecreer-tit\
Aqui paro, e pego-lhe desculpa, e aosleitotts,
da mastad*.
J aniu.
eousa feita por um alagoano, que nlo artista, a. Fernando do qae at hoja tem
no fructoAda*palmeira do pslz. saaadou all montar urna fabril
imperial feita no coco da India, grande esealla ; e nao deixaria
ile conhecido por cocada Bahia, a Des-1 vista da um to crescido no
por cco 4o reino, d que ha aqui
pande abundancia, principalmente nesta capital,
elo que tem o nome de cidade daa palmeiras.
o caalro;
prirooretaneato
4 caivete, e ae arta da corea globo a o ora-
Ofa^e'rael^'de^oSa) PtSI **
berta ao coco Udo an retare, ar
aire, sie feilo. da coca da eeiieery
< OAV. Lucia laee da Casta esnerou-ao aaaaa
delicada abra, Isa deque na asposica* da Aid
da Jaaadra gaaaaaa ata abjecto digno da arorla-
da para
a primeira para sar raaaaUi
a expaiiebo da Pernambuco, a qual |i
a S. Ex*, o Sr presdante da provincia.,
Se por acaso obras taes vessem sido remet- f
naqnella ilha, que se refer^assa
tacamento militar, a que um dos
de guerra all perra*necease de
L:__________
l-Eato dell.. Ca
"vapor, %b
oa ubJajcfM faa as
exposicio dM"
vindaajara.
._ vendad a 3* sarta da
1* a kdoefioo da Blfisde Barris aa, aw asUrac-
9o daveri ter lugar a a saeta-faira 1 do torrente.
mal
que, da valia Adate
part !< tiaide
Uvera da ser vase
Iral no dia da dse
A latera qaa *
No Jo correte foram recolhidoYl. ioea do di tf da povap.hr futuro, -aaa-
'
serf
P

lid da Europa, o tu autor seria coberlo de lou-1 casa ^ a'-^r"'^Tt""nrMir sY ataihsTss, asado 7
livtes e 2 escravos, a saber : ordem do Dr. de-
legado da capitel t, qua d o pardo Joao, escravo
de Maooel Francisco Pitangs : i ordem do sub-
delegado da Reate! ; A dtdaan daataSaato An-
tonio 2. inclusive o crioulo rio, eacro de Jos
AlveS Pinto d'Alweida ; i ordem do de S. Jos
2 ; a erdem do dos A togados 1, e i ordem do da
Vsrzaa f.
Fwam recolbidoi i masma noi diai a 40,11
horneo* e 1 mulhrr, sendo 8 livres e 4 etoravoa, i
ir : i ordem do Or. ebefe de polica 2 ; or-
do Dr. >uiz dos feitos da faxaada 1 ; a or-
do subdelegado do lUciia 2, queseos
vores, e o seu nome andara de bocea em bocea
eoajo um aartanlo. a asa geaia ds arle ; as* a
corda imperial feita no coco Irsbalbo de uro
braavMw, o*> brasileo tem am defito e odss
as suas obras, qoer seja ou sao artista, e tse-
las no Brasil, e muito priocipalmente aqu as
Alagoas, qua vive esqaecida at peles sens. Mas
oda qaa presamos as artas, ufsoarno-oos, reo-
dando publica hosaanagem ao primoroso trabalbo
do Sr. lente Lucio, e ao seu ra<>recimeoto arts-
tico. A corta imperial por elle feita um trabalbo
digno de ser visto, e na exposicSo do Rio da Ja1 dem
neiro, ba de nereessriameole ter o lugar da hoo-1 dem
itarem patio da ciocoenta es-
ando am am dellea apenas
tura, entretanto sppareceo-
destricto daata termo, acora-
ras, e medieos, proceder
proprios sstabelecimentoa por
apacior de sauda rlsilados.a consl-
eros em sjajaaMdj. paradas.
> que uataaajajdAaaaoto
'! dajajasaJUsK. no
* no proprio ioaasalar aasade
prio oapeeie
ktsasfunta aaa nio sabe aa am viata ds diaao-
i, ,M,fL?,,-lc,pie' P^tvtelaajadaispo-
ltcta proaadasr ax-officio taes risKts. Qaa se
coosultssseaaadvogado.
A requefraaaato do Sr. arique da 8ilv,
mandou-se expedir diplomad tas diversos alai-
lores spplaate, que teom de rotar oas elei-
qaaaiadaievam faHacrdo alguna eleltore, e acha-
rn-aam for* da provincia outroa. ssndb daus
na freguezla do Recife, um oa da da 8. Loareoco.
aV requerimeato do meamo B. Heoriques da
ra que Iba compete.
O ir. lenle Lucio um homem da geaio
qua raalisa ludo o que empreen de as bellas
artas, mas pobre, vd-sequasisempre tolhido aos
seusmais bellos pensamontos.
Um futura pino braaileiro da mrito, para
o artista da carasio, eia o que almejaaios, porque
trabaibos ba que o dinheiro nio os asga.
< K corda ha de seguir para o Ra de Janeiro
oo vapor Ap.
PERNAMBUCO.
REVISTA DIARIft.
I Africanos Romao, escravo de Mtneel Leitso, a
'Jos, eecravo do baso do-Livramento ; 4 ordem
I do da Santo Antonio 2. qae sao : e pardo Agoa-
nho, escravo do Dr. Ignacio Nary da Feoeeea o
a preta Luir, aacrava do padre Jos FvaoeiKo de
Airuda j i ardasa da da S. Jos 1 ; 4 orddro do
da Vanea 1 ; e i roer dp de Muribee* 1, que
o Africano Maooel, eacravo da Francisco Ma-
nee I.
Paasageiras do apar nacional Toaaattns,
viodo de Rio de Janeiro e portas intermedio* :
_ Tenente Clariodo Cameiro d'Olivaira Chavar, ca-
dete Joa Franoiaao Garneiro Monleiro, Dr. Joi
Aolooio Vaz de Csrvalhias, aua saohora e 4 es-
cravos. padre Candido Ferreira da 0nha, Fa-
lippe Flgueirda de Faria, Diocletiaoo da Racha
Vianna e 1 escravo, Maooel do Nasciroeaio Tei-
xeira a 1 criado, Josd Gomes Paseo*. f> Fraoce-
lim da Silva Leal, capilio M a noel Jaouario Be-
ierra. Cesar Augusto Zanatti, Pedro da Silva Re-
No Tocantin ebegado hontem do Rio, velo o
Sr. Dr. Carvalhaes, chefe de po(icis nomeado
para esta provincia.
Felicitamos i S. S., e eerto de aaa inteireza a go a tllhoi Leooardo'otoo^VdTslraM paTtt-
espuito esclarecido auguramos-lhe urna gesto culsr, 2 pracasel desertor.
Uva, aaaadou-se arBciar so primeiro supplenle
de Juiz de paz do Io districio da freguezla do Re-
cite, convidande-o a prestar jarameuto no dia 4
da meada novenbro. O Sr. llego a Alboquer-
qua requereu, a foi approvado, que seseo pegas-
sem cusas sa nao as pssauas, que as livessem
mais aotiges. Mandou-se ofHctsr nesle sarrti-
do ao contador.
^OSf-presidente commissonou aos Srs. rsrea-
deres par rubricarem os livros dos ascrivas da
paz de tlgomas reguezias, a aabar. Recite.
Sera Santo Antonio a S. Jos. Heoriques da
Silva. Ros-Vista; Reg. a Poco. Maia.
Despacharam se as peticoes de Amanda Godo-
fredo Lucas, Dominguas Antunes Villaca, Dr.
Francisco Leopoldioode Gosmio Lobo(S), Fran-
cisco Martina Raposo.Fraocisco de Hollanda Cha-
coo, Joaqnim Marlins Moreira, Jenuiao Jos
Tarares, Jos AITonso de Azarado Campos, liana
Joaquina do Patrocinio Dutra, Maooel Martina de
Carvaftao, Theodera Mara do Nascimooto : e la-
vantou-se a sesjao.
Eu Francisco Canuto da Boa-Viagem, offioial-
maior a escrevi do impedimento do secretario
Barros Reg presi lente.Heoriques ds Silva,
Birsta de Almeida. Reg. Reg Maia.
alio.
imparcial e illustrsda no desempenho de sua
missio.
Acha-se nomeado juiz de direito da comar-
ca do Bonito o Sr. Dr. Julio Barbosa da Vascon-
celos
Tendo aido exonerado do eommando das
armas deata provincia o Sr. coronel Jos Anto-
nio da Fooseea Galvao. foi substituido pela Exm.
Sr. brigadeire Solidaoio Antonio Pereira da
Lago.
Foi reformado no posto de brigsdeiro a Sr.
Gaspar de Menezes Vasconcellos de Drumeaoad.
Hoja eomecua oa trabalhos da eleicio pa-
rochial da Boa-Viata desta cidade.
Relaco dos esludan tes da Curso Commer-
cial Perasmbacsoo, que fizeram acto no dia t do
correle :
Iunocencio Joa Perei-
ra de Lyrs..........
Virialo Sergio Oe Moa-
r Mallos............
Joaquira Jos Rsymun-
do da Meadonca....
Reprovado.
Approvado plenamente.
OIbRIO de PERNAMBUCO-
Recebemos hontem pelo vapor Tocantint, vio-
do dos pottos do sol, joroaes e cartas do Rio at
5. da Bahia at 8 e de Alagoas al 11 do cor-
rente.
Em outra parle encontrarlo os leilores por ex-
tenso o que demais importante ha.
Jio de Janeiro. Foi nomeado commandante
dobrigue de guerra BaronAoo, o capilo-tenen-
te Silvioo Jote de Cirvalho.
Por aviso do ministerio das obras publicas foi
autorisada a transferencia das partidas dos va-
pores da companhia brasileira para o norle para
os rfia* 4 e SO de cada mez.
I.-se no Corren) Mercantil : '
Foi nomeado guarda-msrinha, por estar com-
nrebendido as diepoaicoea ds lei o Sr." Francisco
Jeronymo Goncalvea. >
< Os Srs. primeiros lenles Francisca Freir
Borja Saloma Garco e Maooel Amonio Vital de
Oliveira, comnandanles dos vapores TAetts e
Mearim, irocaram entre si os respectivos com-
tnaodos.
O vapor Paraense, que seguio para a Babia,
Pernambuco e Fernando de Noronna, levou or-
dem de leranlara planta desta ilha.
Foi nomeada urna commissao, composta dos
Srs. capitao de fragata Jos Secundino Gomenso-
ro, capitao-tenente Theotomo Raymundo de un-
to, e primeiro lenle Francisco Maooel Alvares
de Araujo, para dar aeu parecer acerca dos ds-
cobrimentos do bario Wedel-Iaresberg, tenente
da marinba de Noruega, sobre urna agulba de
registro e outra de determinar os desvio* loeses.
A praia a a bahia de Botafogo apresentavaan
anle-hontem (2 do correte), um maguitico pa-
norama ; do mar grand6 numero de baresa de
vapor a de escaleres ; em Ierra um immeasocon-
curso de espectadores smonloades de um extre-
mo ao ouiro da priia, e oas janellas de todas ss
casas elegantes que a erlam.
A's 4 horas da tarde come$ou a regala.
Na primeira corrida entraram tres canoas de
qua tro remos tripoladas por amadores. A vica-
ria foi ardentemeote disputada enlre Estrella e
Zaira, gaohaodo, porm, a primeira qae era di-
rigida pelo aV.J.T. Barboss Jnior.
No segundo pareo, chegou primeiro ao ponto
a Queen Victoria.
Disputaram o terteiro premio tres canoas de
seis remos em que remavam e governaram ama-
dores ; renceu a Brasileira, de qaa ra palro o
Sr. A. A. de Carvalho.
Inspiren grande ialeresse o quarto pareo. V-
theroy, Pomoinha e Branquinha pareciam mo-
vidas pelos meamos brajos, tanta era a igualdade
que conservavam entte si.
Animados pela esperance, os remadores mul-
tVplicavam esforcos ; ors esta, ora aquella adia-
lavam-se ou alrazavam-se algumas pollegadas.
Por fim a Nitheroy com poucos palmos de dis-
tancia ebegou 4 meta antes das eutraa.
A quinta corrida foi ejecutada por cinco ca-
noas de quatro remos tripoladas por amadores ;
ronceu s Cmranguejo do Sr. Mariz e Barros, que
ji entrara ds seguoda.
a Das cinco idseriptas para o sexto pareo s
correram duas, vencen Planeta do Sr. J. P. Lot-
dello.
A stima e oitava corridas tiraran lugar en-
tre escaleres de navios de guerra, ganhando na
primeira dealas o ercaler do vspof dmazona,
e na segunda o da caohooeira JJmone.
Em ultimo lugar perflaram os vencedores nss
diversas corridaa e pela seguoda vez a Estrella
foi acclamadaao sOBtdas msicas;
< Os Srs. Msriz e Barro aL. Alvares Horta,
directores da regala, havlam mandado preparar a
bordo do Mrquez de Canas urna masa servida
com gosto e profusao, para a qual foram convida-
das numerosas damas e cavalbeiros qae se acha-
rara a bordo desse vapor.
Aos vencedores foram distribuidos como pre-
mios ricas e elegantes .lagis, chicaris, charulei-
ras, etc., de preta e douradas.
A boa ordem e o costo que presidio s todo o
dtvertiment tornara dignos de elogio os directo-
rea e ou iros cavalbeiros que" coocprreraro para
ofarecer ao publico fluminense to agradavel
divralo.>
Sania.Remetlemos osnossos leilores para a
carU do posto correspondente.
Atagoai.Como complemento que dis o.nosso
correspondente, traascrevemos o seguale do Dia-
rio do Comtntfcio:
* Eoire todos estes objectos qfle Lem de Ago-
rar na exposijio do Bio de Janeiro e oa da Per-
oambaeo, remettidos por esta provincia, oenbura
por cario serA lio digno de ser tialo e admirado
como a corda imperial feita no eoao, pelo Sr.
Xueio Jos da Coste, alagoano, empregado pa-
Wico e tenente da guarda nscional. F urna obra
primorosa, um trabalbo magnifico de aparado
goste e digno de ser com memorado cerno ama
mimosa producto das bellas arlas, porque alan,
!M acabado, tan a origioalidade de aertu&a
dem.
O nauseabundo cheiro da carne corrupta,
que exhala de um dos barcos que ei entre a
ponta-velbae a elfaudega, por oerto intoleran-
te ; e nao pode deixar de alterar a saude de
qaesa o respira.
Importa, pola, que se tome alguwe providen-
cia, que face desappareceresse mal para a salu-
bridade publica, que detle se ba da reseotir 4
continua rem osseus effeitos.
No impedimento do Dr. promotor publico do
ooito Jos Antonio Coeibo Ramalho, acha-se
interinamente exercendo as respectivas funeces
0 Sr. adrogado Joo Izidro Gongalves.
1 ~* Por eomprehend i e 3 do art. 65 da iei o. 602 de 19 de setembru
de 1850, foram privados dos postos respectivos
ds offlciaes seguinles, pertencentes ao balalhao
i .44 de infantaria da guarda nacional do com-
iaando superior do Rio-Formoso
Estado maior.
Alteres porta-Xf deira Jeronymo Barreiros de
laagel.
I i* cnmpaohia
Tenente Mauoel u^rooiiiov roe Donlo.
I V companhia.
I ilferea Maooel Vicente da Costa Pereirs.
3a .companhia
ilferes Antonio S'tyro Cavalcanti de Lima.
' 4* companhia.
"enente Sebaslio Lins Wanderley.
Alteres Francisco de Borges Machado Ja-
lior.
5a compsnbia.
Alteres Fabio Rozeodo Pessoa de Mello.
6a companhia
Capilo Francisco do Reg Barros Goiabeira.
Fallecen oo dia 10 do correle na enfer-
mara da casa de delengio, de bexigaa conflu-
entes, o pardo Joo Francisco de Lima, preso por
ordem do subdelegado de Muribeca.
Procedeu-se 4 exame de verificacio de
idenlidadede pessoa pelo subdelegado da frfegue-
zia de Santo Antonio, o Sr. Manool Antonio de
lesus Jnior, lavrando-se o competeote termo no
livro para esse fim creado.
A peale de bexigaa tem causado grandes
esiragos nos iofelizes deteotos naquella casa, a
continua nelles em alta escala.
O Exm. Sr. presidente da provincia fazia um
?rande aervicn se ordenasse a reraogo para o
hospital de caridade dos presos atacados de mo-
lestias contagiosas.
Alm de um grande bem feito aos deteotos,
que pela conslituigo tem direito 4 prises salu-
bres, dar-ae ia fiel cumprimeoto 4 diaposigo da
lei provincial, (que rege este esto bel-cimento)
na parte em que determina no art. 80 c logo
que appareca elgum preso com molestia epi-
demica, o medico requisjtar immediatamente
a sua remogo para lora do edificio.
O grande hospital da caiidada otferece hoje os
commedos e seguranza neceeaarias para os pre-
sos doeotes, rnente depender da voatade do
Exm. Sr. presidente da provincia, e da do digno
provedor da Saota Caso da Misericordia a reali-
sacao de lio argente e philantropica medida.
Qaeiram SS. Exea, a ludo sa far neete sen-
tido.
A diaria de 960 ris, por cada preso pobre do-
ente, ajudar suficientemente as daspezas do
hospital.
Por igual paga tem al boje sido tratadas na-
quelle hospital as pragas do carpo de po-
lica.
Os obstculos materiies vencidos, como aato,
nao deixar S. Exc. de itlender a lo justo re-
clamo.
Foram recolhldos 4 enfermara da casa de
detengan oeaeguiatea escravos:
Lucianode Manoel da Rocha, residente no
Cear, iheumetumo.
Eduardode Thomaz Pereira Lima, residente
na Parahiba, uretreta.
Romaode Maooel Leitlo da Costa Figueira,
morador em Api pucos, feridas contusas as na-
degas, provenientes de castigos qua soffreu ais
caaa de aeu eenhor.
Tiveram ella da mesma enfermara :
Eloyda Pedro de Oliveira Coelho.
Joode Jos Cesario de Mello.
Os escravos tratados oa referida enfermada
i pagam, demortode-se at i diaso medico*
63000. aa eatermeiro 3p000 (alm daa remedios):
excedeoda desse preso pagam o duplo a nada
mala.
Acha-se espagada ai 1* do carrele, a re-
cepgao dos objectos que devem figurar na expo-'
sigo, por deliberago tomada em sesaio da
hontem.
Parti no dia 9 do carrela A noile para o
presidio de Fernanda de No roana a vapor de
guerra J'araente, coodusiado para aiti, alm da
alguns officists da exerco com suas familias,
mais ansia a nava seolenciados, qae troaxa do
Rio, a 35 qaa recebeu aqui, ea-qaaea vio cum-
prir auaa aaoteogaa naquelle preaidie. Entra oa
sentenciados vibdos do Rio vio qoatro aa cinco
negros qae foram j4 condemnados 4 pena de
ajtprta.
O raime lambem conduzio aaaitos oaixea
com objecloa para provimento das armazeos do
EaUdo aaqoeila ilha, asatoa tambam urna grande
porcia ato enxadaa a 600 meiosda sola.
Paraca que o goveroo quer raoi eceKadamenla
tirar agora maia elgum proveito dasaes presos ato
Seguem para o norte ;Capitie-lenente Jos
da Coala Azevado, aua senhora e t eaeravos. I.*
tenente Joo Soarea Piolo, 2. dito Augusto Jos
de Seaza Sosres d'Aodr*. !. lente d'enge-
nheiro Vicente Ferreira Dias, 9.a cirurgiio Dr.
Vicente Ignacio Pereira. cadete Jlo Jos da Sil-
va Viveiros, Benedicto d'Alcntara Ceaer, Maooel
Arexandre Garca, Francisco Maooel da Costa,
aua senhora 1 fllbo, Joao Alvos da Brito.Hea-
que Eulalio Gorjio. Joaquina ds Silva Coelho,
Jos do 0\ 2 pregas. 8 ex-dites, e t desertor.
Pessageiros do briguo nocional Felieidade,
vinda.de Bahia : Jos Rodrigues Dias, Jeio
Thomaz de Oliveira, Benvindo Nevea da Aguiar,
M. Jos dosSmlus.
Passageiros de Mete nacional Invencivil,
vindo do Aracaty :Manoel Ignacio Bezerra e 1
criado, Joaqaim Monleiro Fevnafifles.
Pessageiros da vapor Pereinunga, vindo de
Haoei e parios iolermedios:
Francisco Jos de Magalhes Bastos, Jos Ma-
noel Bsptista, Dr. Antonio Buarque de Guarni,
Manoel Jos Capsoca, Maooel Janearlo Bizarra
Montenegro, cadela Maooel Faria Lomos. Dr.
Alcibiades Jos de Acevedo Pedra, alteres Jos
Longuinho da Costa Leire e 5 pragas, Epiphanio
Verris Domiogues da Silva, Jos Sebastiao de
Barros Leiie, Manoel Lobo de Miranda Heniiqne
T criado e 1 lilho, Jos da Silva Neves, Antonio
! Theodoro de Almeida, tenente coronal Diooizio
i Rodrigues de M. Jas Marie Bsptista Camerro,
Jos Guoes Nogueirs. Joio Antonio das Chagas
C. Joaquim Teixeira Piolo, Joio Teixelra Ma-
chado, Joaquim de Souza Ferroira, Joio Raposo
de Souza, Sebastiao Antonio Accioly Lins, es-
tele Jos Hygioo Xavier da Fooseea t soldado,
Clemencia Mara da Conceigo, Elizia Laura Gal*
vo C. Marcolina Mara da Conceigo e sua irmis,
Diogo e Adriano (africanos) 3 pragas e 2 crimi-
nosos.
Passageiros do brigue escuna brasileiro Joven
Arthur, vindo do Rio da Janeiro e portos inter-
medios.
Jos Lopes Lobio. e Antonio Dias CavVeal.
Matadolro publico. C
No dia 8 do eorvaota, mataram-se par*\ o con-
sumo desta cidade 80 rezes,
No dia 9, 107.
No dia 10, 106.
No dis 11. 106.
MORTAL1DADE 00 PA 10.
Jos, Parqambuco, 8das, Boa-Vista, espasmo.
Maiie, Pernambuco, 2 horas, S. Jos, espasmo.
-11 -
Anne Joaquina de Miranda, Pernaranaco, 83 an-
enos, solteir, S. Jos, erysipella.
Victorino, Pernambuco, 6 mezes, S. Jos, den-
tigo.
Mana Joaquina da Annuociago, Pernambuco,
91 annos. vinve, S. Jos, dyarrha.
Victorino, Pernambuco, 9 dias, Santo Antonio,
tolano.
Jos, Pernsrobare, 8 das. Boa-Vista, espasmo.
Joao Francisco da Lisia, Pernambuco, 33 annos,
viuvo, Santo Antonio, bexigas.
Manoel, Pernambuco, 6 annos, Santo Antonio,
febre eerebral.
Fraociseo de Araujo Pereira, Pernambuco, 16
annos, solteire, Santo Antonio, tetaoo.
Maooel, Pernambuco, 8 horas, Sanio Antonio,
congesto cerebral.
Hara Fausta de Souza Pern, Pernambuco, 48
annos, casada, S. Jos phtysica.
CMARA MUNICIPAL DO RECIFE.
SESSAO EXTRAORDINARIA AOS 30 DE OUTU-
BRO DE 1861.
Presidencia do Sr. Barros Reg, continuada pifo
Sr. Reg e Albvqueraue.
Presentes os Srs. Henrique da Silva, Maia, Seve,
e Mello, faltando sem causa participada os maia
Srs.
Abre-se a sesso, e foi lida e approvada a acta
da antecedente.
Leu-se o aegainte
EXPEDIENTE*
Um requerimenlo, viado da presidencia da pro-
vincia, para a cmara informar, do Dr. Ignacio
Nery da Fonceca, no qual peda per aforamento
um terreno de raarrotra allegado, que existe en-
tre e camboa de Santo Antonio e 4 liba do Pina.
Posto em discusso, deliberoo-se que icformsase
o eogeobeiro cordeador.
Um officio do desembargador Fraociseo de As-
is Pereira Rocha, eommuokaado ter atsumido o
exereicio do cargo de chefe de polica interino
desta provincia, para o qaal lora nomeado pela
presidencia. Que se acensaste a reeepeo.
Ootro do Br. Francisco Domiogues da Silva,
pedtoda heuvasse a eamara de ordenar a paga-
mento da quaolia de 1829350, conetanie de cer-
tido que juntara, importancia de costas que lhe
perlenciam como jais de direito da Ia vara crimi-
nal desta capital. Que a coatadoria ioformes-
se se haia quota para dito pagamento.
Outro do eogenheiro cordeador, informando o
raquerimeoto de Joa de Amarm Lima, e outros,
poasnidoree de terrenos de marinha oo lugar dos
Caelhos, no qual pedern pira que se Ibes permit-
a aterrar a camboa que atravessa os mesmos ter-
renos ; declara o eogenheiro que a pretengio dos
aoppcantas eit de cooformidade com a planta
da cidadd approvada pela presidencia da provin-
cia, posto que asa ausophriio aio islo em ren-
iegan* pablica, por qoanio aa eaoosa que sobem
ou descam orto, preferem navagaf pele dita cam-
boa a tomareai o letto do raeemoio, qoe offere-
ce urna grande volta no lugar em questo.
Concedeu-se a llcengs pedida.
Oatra do mesrno, epreaentando os orcamentos
dosreparos a fazer-se as ponteadenominades
do Maduro, e do Rosarinho, o primeiro na im-1
portaocia de 2749898, e o segundo na de 87*800
Que se pozeaaam em prega.
Outro da Bacal do Recife, informaudo o reque-
rimenlo de Manoael Martina de Carvalho, na qual
pede para canatanir um foruo junto so da sua pe-
dera na ra da Guia n. 56 psra nelle retinar pe-
quenaa porgdes de assucsr, declara o fiscal que
a pretengio da eupplicaote -mU ao caso da ter
altendida, porque neabuan prejaizo cauta aos mo-
radores. Iadeferio-ea.
Outro do Iscel da Baa-Vista, communicando
qaa no dis 24 do crranle acha va-se procedendo,
cota o inspector da aauda publica, nma corrida
anuaria oas eetabetteiaeQloi di mttat fregae-
Alteract feita bo lancamDto da deci-
cirna urbaaa, da col lee torta de Olin-
da para o anuo de 1861 1862 feita
pelo eol lector Maioel Jesd'Azevede
e Amorim.
Ra de Malhiat Ferreira.
N. 8.Manoel Mtrquea d'Oliveirs,
proprielario de urna casa de so-
brado de um andar arrendado ao-
nualmenie por....................
dem 15.Etlevio do Nascimenlo
de Jess, proprietario de urna
casa terrea arrendada annualmen-
te por.............................
dem 18.Conego Marcelino Anto-
nio Boroehas, proprietario de
urna caaa terrea arrendada annu-
almen le por............,.........
dem 19.Conego Antonio Joa de
Souzo Gomes, propiietario de urna
cata terrea arrendada aaaualmen-
tepor.............................
dem 20.Recolhimento da Concei-
go daa freirs, proprietario dt
uma casa terrea arrendada annual-
men te por........................
dem 21.Conego Antonio Jos da
Silva Gomes, proprietario de uma
cata terrea arrendada annualmen-
le por.............................
dem 22.Manoel Jos Rodriguea
l'icbeiro, proprietario de uma ca-
sa tarrea arrendada annualmenta
por................................
dem 23.O mesmo, proprietario
de ama casa terrea arrendada an-
nualmenta por....................
dem 28.Antonio da Cruz Sedo,
proprietario de uma eaaa terrea
arrendada annualmente por......
dem 32.Francisco daa Cbagaa Sel-
gueiro, proprietario de uma casa
arrendada annualmente por......
dem 36.Dr. Manoel Ferreira da
Silva, proprietario de ama casa
de sobrado de um andar arrenda-
do annualmeote por..............
dem 38.Recolhimento da Concei-
go daa freirs, proprietario de
uma casa terrea arrendada annu-
almente por......................
dem 99.D. Joaona Thereza da
Jess, propnetaria de uma casa
tarrea arrendada annualmente
, Por................................
dem 49. Francisco das Chagas
Salgueiro, proprietario de um
sobrado de um andar arrendado
annualmente por.......,.........
Ra do yaio deS. Pedro Apostlo.
Os orphos Luiz e Amalia, lilho do
fallecido lente Alexandrino Cae-
tao d'Olinda, casa terrea arren-
dada annualmeute por............
dem 3.Conego Joo Baptisia de
Aibuquerjae,proprietario da uma
casa de aobrado de um andar ava-
llada por..........................
dem S2.O mesmo, proprietario
de uma casa terrea arrendada an-
nualmente por.............,......
Ruado Bom-Fim.
N. 4.Herdeiros do tenente Ma-
noel Rufino de Barros, proprieta-
rio de uma caaa terrea arrendada
annualmente por.................
dem 12. Herdeiros de Adeliuo
Jorge Coelho da Silva, proprieta-
rio de uma casa larrea arrendada
annualmente por.................
Ba de Xavier Santa Rosa.
N. 2.Antonio da Silveira Lins,
proprietario de uma cata terrea
arrendada annualmente por......
dem 4.Irmandade doStniiasimo
Sacramento da matriz de S. Pedro
Martyr de Olioda, proprielaria da
uma casa terrea arrendada an-
nualmente por....................
dem 5.Joaquim Jos da Silva
Lisboa, proprietario de nma caaa
terrea arrendada annualmente
por................................
Ra da Ladeira da S.
dem 5.Antonio Martina Daarte,
proprietario de uma caaa terrea
arrendada annualmente por......
Roa do Carmo.
N. 3.Luiz Jos Gonzaga, proprie-
tario de uma casa terrea arrenda-
da annualmente por..............
Ba de S. Francisco.
N. 3.Viura de Jos Joaquim de
Pigueirdo, proprietario de uma
cata terrea arrendada annualmen-
le por.............................
Ra da praia de S. Fraociaco.
N. 19.Fraociaco Pedro dtt Cha-
gas, proprietario d orna casa
terrea srrendada annualmente
por................................
Ra do atierro da Varadoaro.
N. 3.Pedro Vctor BauUtraa^pro-
prieiario de ama caaa terrea ar-
rendada annualmente por........
dem 4.O mesmo, proprietario da
uma caaa terrea arrendada anou-
almente por......................
dem 5.O meamo, proprietario de
uma casa terrea, arrendada annu-
almente por......................
dem 6 O meamo, proprietsrio de
uma cata terrea arrendada annu-
almente por................v.....
dem 7.O meamo, proprietario de
uma caaa terrea arrendada anau-
" Pr.............. ......... oWoBDO
.1411000
120#000
84#G00
961000
849000
108*000
96*000
84*000
72*000
96*000
aooyooo
48*000
84*000
156*000
150*000
200*000
200*000
48*000
6*i80
6*480
36*000
6OJ0OO
841000
4*320
72*000
36*000
48*000
48*000
48*000
48*000
Hoja porm com todo o alcance a importancia
da ata artigo editorial fas a maolUatadAa maia
formal de opposigio a S. Ext. >ltribaindo-lha
iaterveogio menos debita na eleieba prdvioeial
que te approxiaia ; o que oot obriga a explicar a
vardada doa (actos a esclarecer s opioio pv/Miea
sobre as eues causas e effeitos, em corregi a
aatjMctido e intii|*jajj|,ls>tiii qlmm-AeT
apreciadoa.
Claramente aliada a illustre collaga a esndi-
datara do eogenheire fiscal da eetrada da farro
Sr. Br. Buarque a Macado pelo terceiro dia-
MMd.
I* ette o faca da aecusagio.
Be com effeiio 8. Ixc. aoaaio e prestos o aeu
apelo moral a esaaoaadidaura, teae> caaaida-
taeao ao merecimente deesa candidato, e a con-
veniencia, de sua praaaaga ao seia da repreeen-
tagio provincial para melhor e mais Dem prepa-
* pvaeieeae aee -gvsaaee' telar esees da pro-
viocla, que a prepdem e etapraza da estrada de
ferro nada ba nieta qaa eeja digao da repara e
Matura, una vez qua S. Exc o fizaste cera eo-
medimentoe rezervt.sem imposigae ou oooave-
Bieaaie e palo coatriro A maia. uma prava de
aeus bous desejos eeolicede palo bem aatar e
eegraadeaimeole da masma provincia.
Kqnam nio varia niste a rearisseo de uma
medida administrativa sabendo-te que na pr-
xima mimo da aaaembta provincial deve-se dis-
cutir e resolver s importante questo da eilen-
go da garanta doa jarea sobre o capital qae
anda ae torna necessario para a concluso da
veiraae ae ierra, eas qaa oa estuaos praticos es-
peciaeado Sr. U'. Bmrqu? da Macado podem
trazar muila luze acert aa decisdes da assem-
bla que tem de concorrer coas a goveroo para a
concatso ou excetto da mesma garanta de ju-
ros?
O subido mrito do Sr. Dr. Busrque de Mace-
do, e portento a vantagem de seu coocurso para
o estudo e soluco detsat questdes A francamen-
te contestada pelo Diario do Recife, que alm
disto assevera ter elle sido spretentado em no-
me do partido conservador com muito bous aus-
picios pelo qointo dislricto, e que agrava e sem
razio eprematuridade da censura feita a S. Exc.
Estamos porm autoritsdot t asseverar do
modo mais formsl que o Sr. preaidente impoz
como regra nio ter interferencia alguma na elei-
cio provincial, o que fez sentir a muiloa candi-
datos, lambem amigos do goveroo, e recommeu-
dsdos efficszmeole pelo partido conservador,
que solicitaram a sua coadjuvagio e favor, a o
contrario disto nao hareri em tempo algum
quem posta provar. E nem outro procedimento
Ine deveriam auootelhar aua illustrago e tino
como administrador.
Podemos anda asseverar que ss pessoas que
vvem juntas a S. Exc. abundara emaentimentoa
de lealdade e dedicago a sus pessoa, para que
podessem trshir s sua coofianca e contrariar a
sua intengioe poltica, abuzaodo dos meios of-
Qcieea para recommeodar candidatos a eleigao.
Asaeveramet finalmente ao illualre collega,
que menos razoavel a sua opposigio coma
infundada e immerecida a tut detconflauga nos
aeutlmentoa e inteireza de carcter do Sr. pre-
C
S. Exc. governa e goveroa com os principios
de moderagao ajastige dictados pelo goveroo
imperial sem atteogio eos interesses e paixoes dos
partidos polticos da provincia.
a
Apologista da progresso e das empresas de
recoohecida utilidad publica, nio podemos
deixar pastar sem reparo a grande censura que
4 companhia Brasileira de paquetea 4 vapor faz o
correspondente de Porte Alegre em aua miaaive
de 7 de outubco prximo paasado, publicada no
Diario de Pernambuco a. 254 de 4 do cor-
rele.
Neis* musa va o correspondente principia
dando gracas a Deus, por ter ebegado o vapor da
corte, o'onde nio Uoham noticia a mais de mez
o raeio, seno vagamente e por um ou outro
navio de veis, e lego accreseenta calcule os
sustos que squi causou ests demora, com graves
tresulornoi que d'ahi retnltam so commercio a
ao publico em geni, e ajoize das censuras que
solre o goveroo a a eompsnhia de paquetea ;
aquelle por nao Qscalisar devidameote o estado
dos vapores, e esta por atirar immensaa vidas e
capitaes ao meio das ondas em navios que nao
offerecem a neceasen* seguranga, a de uma pos-
sima coostrurgao, visando somante os seus
ioteresees.
O correspondente por demais iojusle quaada
assim se exprime a respeilo de uma empresa que
tanto se tem prestedo pera eograndecimento e
prospertdaaa t pl, que tanto se extorca, para
nos li miles tragado* na rbita de aeua estatuios,
prebeachar ae obrigacoes que contrahio pare com
o mesmo paiz, sem que de seus exforgos e fadi-
gaa tenham crescido lucros qae sement corres-
pondan! aoa capitana am pregad os, pora uma
sem razio quaodo ae aventuram proposigoes ds
ordem que aveniurou o correspondente, ou deltas
se faz echo.
Tambam nio extelo esse mo astsdo em que
figura oa navios ds companhia, por quanto
aquellos que tem precitado de concert, a elle
tem sido submellido, como succedeu com o Apa,
Tocantint e o Oi/apock, qae anda se acha na
doca e ao servica ds liona s tstao empre-
gadot ot qae te achara em perfeito estado de
navegabjlidade e como taes sao considerados por
todos os arsenaes do imperio, e nao admissivel
que um estabelecimento a cuja testa se acham
offlciaes generaos de nosss armade conveoham
que sejam a lirados immensas vidas e capitaes ao
meio das ondas em proveito da companhia.
Conheoemos a actividade e telo do actual
gerente, e sabemos que elle tem feito o qaanlo
em suas torcas cebe para conservar a lio ha de
paquetes em perfeila regulandade, em ordem
que o publico aervigo, e principalmente o com-
mercio, por falla deprompias communicagoes
nio soffre am suas traosages; a se urna ou
outra pequea demora tam-se dsdo, devida mui-
taa vezea ao mo tempo, nao deve por isso a
empresa ser oensursda.
E' corlo que a compaahia lata com difficulda-
dea de uma ordem superior, porm nutre bem
fundadas esperangas de supralas em vantagem
do pais, apara ajada-la neaae empeaho appellou
para o patriotismo da cmara doa deputados, que
lhe concedeu o avengo de 6 mezes por coota da
subvengao, annual que lhe garante o goveroo.
Aa questea cujea soluges dependen de di-
nheiro, s podem ser resorvidas com dinheiro, e
em um paiz ond os capitaes anda nao abuodam
como o noaso, o que acaba de pastar pela cria*
que todoa sabemos, aa grandes empiezas nio
podem deixar da reeaenlir-ee por umt cooae-
quencia iaevitevel desse estado.
Terminamos aqui asesa noesas observarles, na
conviego de que o correspondente A vista dellas
fari maia jusliga a campnula Brasileira de pa-
quetes vapor, por coja prosperldade tas sincero
voto o
M.
Recife, 7 de uovembro de 1861.
Uva filhoa manoret e sieda iaemploa da servica,
f* ']"* mmi9f"m' ** da pavoa-
dadj do cuoaelb*. aarqaa. aaaaa disiaaB m
mtmlro* dalle, este iabo aotoa oaatra ada ; aa
pasto que te coocadeu passagam para
I fepItaJde viole aonoa eco*
daaiacameaia araaudo aa ____
adOape dad valbaa a doeaiee qadatara aadaaar-
raan; tuda bata para por-aa i tllijii iadaai-
aatregao da aaaatao aubioiagada, ana
bept coobacida aoUvidada a TTTajia tai
guido roeibatar oa naaaa*
BAo oftnotitt iau. com
vidaa* beat nnbattdoa tratara da par
elaadesUaat, promover t damltaaa id i
tabdelegeda: e lean razia, por qaa i
a polica Ji desenrolou o fio qua v*i dar en
Sooa, oodaae aaoiiaaaaaladraaada cavtBaa; a
stbe-se que o digno subdelegado a alferea flu
Pereira d Mello ha da eoal la%c*r-lbaa un
procetto seguro.
A polica da Gravati nio tan deitada da ,
rtr ot ladrse de cavalloa qaa naviei
aua edmfniatreeio, como tuccedeu cea
LearaocodaSrfve, conhecido por Caiemna,
soffreu pouco mais da daa atea da priaba.
ae Ciiaona am grande criniaeee qaa tea
4 custe de nuito singue um oatra erineeee na
villa deCimpoa* da Parahiba; a chegandaeato
tacto ao conbecimenlo do dlgoo Dr. chafa depe-
lil*. etle o mandou vir para a eepiiet, otaa aa
chava elle em llberdade. O ubdelegada ViUl
pela seguuds vea o praadeu. e o aaeeeea aa da-
legado do termo : eatretaolo oa protactaraa dal-
le, entre os qoaes se schs o Sr. leaeele careoel
Fraociseo Bezerra da Vaecaoceilea Torrea, alaa-
gavam que era ludo aquillo uma calumnia raaHig
um Aoarodo pmi 4$ familia. O certa A qaa
Caiaons, com toa. boaa recomneadtger, tafia
dt prixaa. Qaem nao dar nio tana ; nao ella
bem sabia qua em Campias nio poda encentrar
um patrono cono o coronel Tarrea...
Nata aei mesmo, Sra. redactare*, cono aia
cousegoia desta ves eeoepar-ae tasaban a erieei-
noso de morte RaleIAu, come ae espersrs ; tai a
Divina Providencia que vetea eebra*a vida dea
pai* da familia que Releda ten em aaa cdeme.
e isto Ungido por petsoas mallo bem coabeetd**.
O anuo passado me foi elle aooaaaiaar; e san aei
4 mandedo de qaem. Felizmente tahie aCaiaa-
oe aem aase boro compsaheira.
Seria fcil 4 paliis achir Caiaana, aio en Bra-
vata, porque aeria elle preao terceira vaz ; as
em lugares riiohoe... Procuren que a echan.
E aaain vive o digno aubdelegado Vilal i erea-
der os criminosos daqui, e elle* i fagiren : 1*1-
vei aeja pele falta de seguranga da cadeia... Dean
e quem tbe...
Chtno tindt a tlteaga doa Exnt. Sra. preai-
dente e chefe de polica pera o eteaadele aaa aa-
14 aqui pralicando o capitto da guarda aeciaaal
Joo Ctpiatranu Torrea GaUioda, qaa dieeeeaa
guardaa oaeiooaetdo servigo activa 4 3**)00 par
met, paseando recibos d'eaaea qaaattae, cana pre-
vam ot decumeotot junios ; no oatra dia otaa'
da cita-lot para o aarvigo can ameaga da emmtm-
Iho de disciplina, de nada lhe* raleado ae recibee
do metmo cspilie 111
Pego aiode aa digne Dr. chafe de polica qaa
mande conlusir daqui para 14 o criraiaewo da
morte Balilau, da que JA (allei, aatet qaa ella
fuja da cadeia para tazar oatroa igaaea 4 da Be-
zerros.
Aproveito a occaaiio para responder 4 pablica-
go que faz o Sr. Alexaodre Besana de Albaojatr-
qua Barrea, na Ordem de 26 de juoho, ditnedn
que o Dr. juix de direito oe Se ato Aato renjenat-
tou oa aepoimentos de quatro testemaobs* gata
o tiro dsdo em 1851 no tenente-eoroael Aalaab
Crrele Pastos de Mello, ae qoaaa tealanaaaad
foram inslruidat pala dilo jais.
Nio itlo verdade. O subdelegado t fes per-
guntat 4 miro pelo tacte referido ; e aaa foi a
Dr. Souza Leo quem requiitee a inquircao daa
i letlemunhat, a atn o Sr. delegado da Vie-
| loria.
O Sr. Beterra bem taba qaa en taaho eonaetaa-
cia do que digo ; e que nio ne ebaixo A dtear
contrario do qae vejo e peoto. Nio coaheco a
Dr. Soasa Leo qaa por Smc. accasede ; a ea
quizer desenganar-ea veja as respeaUe qaa del t
pergunlas do Sr. subdelegado, e se ha abi nada
de contrario 4 verdade, pare poder fallar a verde-
da to publico.
A' vitu do que fice exposio peco aoa Exea. Sra.
presidente e chefe de peRoia, laoeeea aaaa vistas
sobre aa perseguigee axerddaa a cejlo** neata
peloa offlciaes da guarde nacional, eebre aa aaaa
pobres subordinados, por taran Meo a Mondada
de votar segundo a sua consciencie, eqae neo
deem oavidoa 4* macbiosedee daa iainigaa da>
noaao digno aubdelegado, qaa ten taita henil
cos reaes 4 nessa freguezie, en dias da jaiba
deste anno, foram assassioar o inspector deeU pe-
voagao Severiuo dot Aojot Araujo, fiada a i
sino vestido de tarda da guarda nacioaal,
pealla, dis 8 para aa 9 horas da noita,
qaa este inspector A um booeada peid<
lia e s nio foi assanioado por ter *pperecida A
porte a teohora do mesma antes detle, da caa-
irano ae terie eooaanado o crine, e a polica es-
ta averigeeodo o tacto.
Grvate 15 da seterabro de 1861.
Joa Saaret de Oliveira GraaaV.
i "* r o,*eo,o o inarda nacioaal Victoriao
Jos Uongalvee, por haver pego tres nil rete para
a caixa do batalhio, par Uto Bea alopiatt da
destacamento por am mes.
a Quarlel do commeodo da 8* eonaeabia da
batalbo n. 26 do municipio da Baaita, 2B da
mtio de 1881.Joio Cepitireoe Torre* Galbaaa,
capitao commandante.
Pica dispenso o gutrde nacional Maaaal An-
tonio da Silvt, por haver paga trae nil lato para
a caixa do batalhio, itto diipeaaa par ata
mez.
Quarlel do eommando da 8* conpeabU dd
baUlbao da guarda nacional a. 26 da nenie
do Bonito 28 de mtie de 1861. Jaba GapAatr
Torree Gallindo, capiUo cannaadeata.
(CorUnnar-tt-Ao.
Communicados.
O Otario do Recife am aeut nltimoi nmeros
tem dado demonstrages aignificativit da det-
cooftanga ou mi vooiade ao Sr. commeodador
Nunet Gongtlvet tobra ss quaos tantos guardado
mslteravel eileneio.
Nio merteitm tilas moiu iltoaco.
Comarca dio Cano.
No dit 4 do correte deixou o Illm. Sr. Dr.
Frtnoitco Eliti do Reg Daatas. o exereicio de
juiz de direito desta comarca, por ter sido no-
meado chefe de polica para a provincia do
Anazooas.
Par maja de des aanoa tiremos entre nos este
digno uagestrado, que baje nos deixe eheios de
saudades.
Dsejamos ao Illm. Sr. Dr. Bago Dantas, uma
feliz viagen, e coograulano-eea com oa habi-
tantes do Amtzonaa, pela eacelhe de um lio
dittiacto -magesuado para regar oa deslios de
policit daquella provincia.
?
Correspondencias.
Srt. redactare.Nio posso deixtr da lavar to
coobscimenio do publico e das autoridades sape-
riores, cuja tlteogo reclama, oa eec*ndaloo
actos da prepotencia praticadoa cootra grande
P*'l .PopuUrD,deaia ImguaxU.
Em aaio detle tuno reunio-te tqui o couatlho
de revisto dos guardas aacianaaa na qaal sa extr-
ceu muito masquinhat viogaogu rotf lUnlo* da
nula eleigao daalt freguezia en ddxembo paa-
aado.
Ot pobres, que tiveram a infelicidade da votar
na paroialidade opeoala 4 do- mesmo conaelho,
foram alistados na guarda actit nfto abtltnte t
extrema pobreza de oot, MmoiaaUat da ouliet.
comprevaoaa ptr atuauaes i reaaectiro cirar-
gio. ou visivti, como bracaa quebrados ele,, p
la volhieo e dexrepidez da alguna, ltvaodo-sa i
tal ponto o MCtadtlo qua faMnl a*MhJlli Magr
Sr. redactor.Nao aa duvida. a Br. Brtadao
sempre o nomem de impavidez btariea.
O displante e galhardia, can que aoa elle cea-
vida a diacalirnoe nottat vidas, aaa fizaran pro-
romper neale improvivo :
a A cortgem ten mrito grada.
Apostamos, porm, cen contra ata anea Sr.
Brando nao se arrojara a vomitar eaaa
nholada ridicula, aa aio liveeae e eoleeiee
teza de qua ae oo* pretanoa baataata, a
tamos demaaiademanta a pebitaa para iba
tarmoa ene detallo, qae alit aA re veta a f
pero de um poltica, e tadea ea nonaatei
trarado, pela desampara a natlia dlnaeMn |aa
sioda hoatan o aeonptnhtvtn I
Discu ti remos noesas vida* I iota
da a qualquer eommeaterie Acarea
do autor da pfaraaa I O publico aaa i
ao tea valer....
Nio comprehendenea a airate
palavrat con qee e Br. Breando
repto :-a O qoe porm Iba paca A aaa aba a*
nem procure treaoat. qaa aaa aaltttta psaae.
One ietof Bxplque-te, Sr. Brttlii ; diga
que eenbre^lia A este, para qae aa Iba paaaa dar
respotta verbsl. Bxptiqaa-aa, aade.
Sou, Sr. redactar, ate.
Recife, ti de novenero da Btl.
SSSSSBSSBBSSBBSSSSBBBBBBSBBa
ITaativedeMaV
a.BBMdatBda
COiMMl.fctlOa
Novo Banco de Pernambuco,
O banco paga o 7* dTitiendo de lif
por acodo, relativo ao
em 31 de agosto prximo
A directoria
marcar o prezo de
dtt eeduUt da
tujettat to desconto
de conformidade can a
oulubro da 1810. Baaifa O-da
OfsecreUro lotariaa, Luiz la
reir *)
M
Rendimento do dia 1 a 9
dem do da 11.
Vola mea entrado
ton geaeraa.
Voraots sabido* tata
d
JT "aTTrTT
j".. -ir


n anearan, aan hojoia de notante.
ho lat^ieMt-L. C. Watttartana c
Barca franrm 9jtmcadorton.
-

tul*.
da Gloria diversoa
1-08588
lrf#z87
*Sb^444:; V"7 8*544689
Uan 4 dia 11...... l:082598
dedial a9"
4o4Ull. .
team
SattUSU
11:103*311
L
SoTtmenifdo porto.
tfovio n(ra do no dio 10.
Maceta e portoi iutermedio*44 har PtriinvMga, coa mandante Manoel Rodrigues
dao Santos Maura t de 491 toneladas eqolpa-
gem 23* ^T
Llrerpool-5z das brigue iailai (J/nocns, de 2M
toneladas capilao Frederick Shave, equipagem
11 c*r fazendu ; S.uoder Brother & g.
Rto a Jn4ro14 diM brigoe eseana braeilein
Jove* Arikw da 147 toneladM. capilla Joa-
quim Antonio Goacalves Santos, equipsgem 12
rga dftoeo|Mjfcaoia; c nevado 4 Ueodea,
navios tahidoi no mismo dia.
ha d. rnaudo~.enrvt a vepor braallaira Pa-
rata*, commandaote o capilo lente Ualfl-
no Carios de Carvalho.
Navia* fUrado* no dia 11.
Rio de Janeiro a portee ioteruedloe-^6 1[2 diaa,
a do ultimo porlq 12 horas, vapor nacional
Tocantint de 700 toneladas, commandaote o
1.* tenante Podio Hypate Datarte, equipagem
BahaS das, brigue nacional Felicidade, da
275 toneladas, capitao Joaqui* Frauctooo da
Coau, equipagem 13, caiga dUTereoiea gne-
ros ; a los Vellozo Soaras.
Santoa17 das, hiate americano I. Darliog, de
SUQ toneladas, capio Pereival, equipagem 8,
em lastro ; a Saundera Brolhers & G,
Aracaty7 das, hiate nacional Invencivel, de
85 toneladas, capillo Jos Joaquini Aires 4a
Silva, eqopagem 5, carga gamma e entros g-
neros.
lio de Janeiro(5.das, brigue hespsohol I'lu-
eie, de 150 toneladas, eapito Manoel Fano,
equipagem 12, caras 1,500 barricas com farinha
de trigo e outros gneros; a Araoaga Hijo
& C.
Nao houreiam sahidas.
peloi agentas 4o gotera, ole ai quanto i aua
construcclo, come ne> aua oto respeito aoa traba-
ibos de conaervacio.
ieplima. Qoa qualquer das obras, embora
allsalo, e por taao goaarl dos meamos
PWiteejM que atoe atis obras 4a aecriiaeia
0" i w Hor ai.
f m W rt B. B 5* \tkmo$phmrm\ 2 oa
S PS * a Dirtego. 4 s
1 H 0 a * | 2 | /nletMtatoale. hill i
1 06 00 w '' 1 $ 1 1 FahrtnhtU. -i 1 e
5 00 10 5* .^ S | Cnit mate. s ^ 1
j #23* 3 9 5 1 Bygromttr. 0 0
0 e | CtsUrnn hyrt-0 matrieo. E
-4 ~ 8 Si 74 8 fYsneer. os b> 1 o ai 3 3
8 8 9 8 CO O J "s Inglei.
nhVu,Ue '"' Te8l E f,M0 e 8Ssim ,ma-
OSCllAgXO DA ar,
Preamer as 10 h. 4SP 4a ma.faaa. altura 5.6 p.
vembrodVYsol?0 ar,en,, d mttiaba' li ">
ROMANO STIPLE,
Io tenenU.
Editaes.
de
aira
j "5 de A,eBC Araripe. offieial da im-
perial ordem da Rosa, e julz espetial do com-
mernodesta cldade do Recife de Pern*mbuco
e seu termo por Sua Mageslade Imperial, que
Deus guarde etc.
Faco saber sos que o presente edital mera e
Oelle noticia tiveram, que a requerimento de
Coucanas A Oobourcq, acha-se abarla a (allanis
de Jos Eleoterio de Azeredo. pela senleoca do
tbeor seguinte :
Vendo-se da pelioo fl.te documentos a el-
la juntos, e da petiQo fi fl. 9 a balanco nnexo.
que o commerciante Jos Eleuterio de Az?edo
estabelecido com loja de miudezas na ra d
Crespo n. 7, ha cessado os seus pagamentos, de-
claro o mesmo commerciante em esiado de que-
br, e io o lempo legal deala 00 dia 5 do mex
protimo passado. Nomeio curadores fiscaes os
credores Coucanas & Dubourcq, e depositario
interino a Domingos AWee Matheus, sendo Inti-
mados aquelles para prestar jnramentos e proce-
der nos termos da le. e este para assignar termo
de deposito. O escrirao remeta copia desta sen-
lenca ao juiz de paz competente para proceder a
aoposicao dos sellos, que ordeno se ponhsm na
forma da le, em todos os liroe e papis do fal-
lido. Faca-ae publicar a fallencia por editos, con-
toquem-se oa credorea para o dia 14 do corrate
mez pelaa 11 horas da manhla na sala dos audi-
torios, e .seja intimado o fallido para assignar
lermo de com pareca)ento.
Recife 5 de novembro de 1861.Tristio
Alencar Araripe.
E mais se nao conlinha e nem alguma oaua
cousa se declarava ,em dila sentenga aqu trans-
cripta, e em seu intei.o cumprimeoio. convoco i
todos os credores do referido fallido, para que
comparessm neste juizo e lugar cima designado
para que poasa ter lugar a nomeacao de deposi-
tario oa depositarios, que ho de receber e admi-
nistrar provisoriamente a casa fallida.
E para que o presente chegue ao coobecimento
oe todos, ser publicado pela imprensa e afosado
na forma do esiylo.
Cidade do Recife 9 de novembro de 1861.
Eu Adolpho Liberato Pereira de Oftreira, es-
crerente juramentado, o escreri.
Eu Manoel Mara Rodrigues do Nascimeoto.
escrttao o escrevi.Trlstao de Alencar Araripel
O Illm. Sr. inspector da Iheaooraria pro-
laetal, em cumpnmenlo da ordem do Eim. Sr
presidente da preiacia, manda conidar as pes-
oas que qoiaerem coatraiar a conatruecao das
pontea noa lugares indicados na nota abano co-
piada, a apreaenlar na meama theeouroria aa
auaa propostaa, sendo os coolratoa efecluados
eob aa condices aeguintea :
Prioaeira. Que a importancia das obras con-
tratadas correrl por conta dos contratantes no
sendo em caso algum por ellas responsaseis os
cofres 4a provincia.
Segunda. Qu o gorerno garantir! a percen-
<;io do pedagio pelo lempo e forma que contra-
tar, coa Unto que oa contribulotes do pedagio
nao paguem em cada barrelra mais do duplo4o
que ae anteada naa existentes como receUa da
provincia.
Terceira.* O numero de anuos para a percep-
^ao do pedagio ser regulado em atteocao fre-
quencta do transito que possa hater a importan-
cia e difflculdade da obra.
Quarta. Quo aa pontea eero construidas
segundo aa oodieoes. planos e orcameotos .
seotadoa pela directora dan obras publicae
Quinta. Qee.em quanto nao flndar o' prazo
percepcao ,j0 ped^lp, 0 empreiario ser obli-
gado cooscrrar a obra em perfeilo estado, eob
yene 4e aeran e paros neeessarios feitoa or
ordeaa o gnanono- i eneta to mesmo emprexaSo
ejajf, Mea 4isle peger! urna multa correapon-
ea^aleolma parte tan deapez.i ,ue com%ao
Sexta. Qne a obras serlo iaipecclenadan
lMNet appreeeeio .da aaeomble piilnlil,
eaa eneepclo nieaaaenl* 4sMUee q*n vafea-
rea aebra obran 4* ua alea evpileoaee tren
toa 4o rete, ou ene **+ en>rpulasm4g.e^
que neo aseada 4e eaa anuo, oa nuaee aenwirW
wto ene eBaaean.
Nota 4ot najiontaa.
**o---*V ** na Mirada de Po-
dAlbneonce erin.............. Capinnatbe.
* Tutbs, Ba iUa 4e Pea d'Alho dem.
8 Capuoga iMm.
4 Hotocolombo, eatrada 4o eui.. Tij*a*o.
5 Engenho Trapiehe, ealnda de
. Wbe...................M........ PirapaoM.
Trapiche de Ipojuca......... Ipojitaa.
I ~ l?t{0 t9 Pedra................S^inWe.
7 "" ^**rBt"M...................!<.
Villa4e Barrekoe...........
10 Engeabo Jundi!.............
* ^~ Bacede...,......,........
12 Amarigi
13
>** eeeati
Uea.
dem.
IpojeM-
Amarig.
Sibk.
. VffttlfbelfMi >mi.....niMiiiaisti wsarvatWf
As piopoatas serlo recebidaa at o das de da
xembro do correle aano.
B para oenstar ae maodou aQiiar prsenle
publicar pelo Diario.
Secretaria de theaoorerie provincial de Per-
nambuco, 1 de norembro da 1841.
O secretarle,
Antonio Ferreira d'Annoncitco.
*ri O Illm. Sr. inspector da tbesouraiia pre<
rincial, em cumprimenio da reaolucao da junta
da fazeoda mande (11er publico, que a arremata*
co dos reparos do quarlel de corpo de polica
foi transferida para o dia 14 dp correle.
E para conatar ae mandou afflxar o preaeula e
publicar pelo Diario.
Secretaria da thesoursria provincial dePernam-
bueo 7 de ootembro de 1861.
O aecretario.
.n n *'J' d'Apnnncia5o.
O lUm, Sr. inapecior da tbeaouraria pre
vincial manda fazer publico para coobecimento
doa interessados o artigo 48 da lei provincial o.
510 de 18 de jonho do correte anoo.
Art. 48. E' permillido pager-aa a meia iza
doa escraros comprados em qualquer lempo an-
terior a data da prsenle lei independite de
reralidacao e multa, urna vex que oa devedoraa
acluaea deste imposto, o facam dentro 4o eierci-
cio de 1861 a 1862. oa que nao o fixerem caro
sujeitus a revalidado e multa em dobro, nodo
um terjo para o denunciante. A Ibesonraria
farfi annunciar por edilal nos primeiros 10 dia
de cada mez a presente disposic&o.
E para confiar ae maodpu ajfizar 9 preaente e
publicar pelo Diario.
Secretaria da tbeaouraria provincial de Per-
nambuco 8 dejulho de 1861.0 aecretario,
A. F. d'Aununciago.
Declara Correio geral.
Relaco das cartas seguras indas do aul pelo
vapor brasileiro Tocaotios para os senhores
abaixo declarados :
Dr. Apriglo Justioiano da Silva Guimaraes.
Padre Antonio da Cunta Figueiredo.
Antonio Goocalvea de Almeida.
Antonio Joaquim de Soma Paraso.
Dr. Carollno Francisco de Lima Saotos.
Cietano Jos alendes.
Cicero deSenza Marques.
Domingos Francisco Diss.
Francisco Prisco de Souza Paraito.
Germano Francisco de Oveira.
Jaciotbo F. Esmeraldo.
Joaquim Augusto Pwreira Jacobina.
Joa Alexaodre Ribeiro.
Jos Antonio Barbosa (2).
Jos da Cuaba Jnior.
Jos Jpnquim Pereira de Oiiveira.
Jos Leopoldo Bourgard.
Luir Jlo Alfonso.
Miguel Archaojo de Frailea.
Porfirio Amaocio Goocalvea.
ileleodoro Fernaodea da Cruz.
-- Pela a iministr*o do correio desta cidade
se faz publico qne em virtude da convenci pos-
tal celebrada entre oa governos brasileiro e fran-
cs, serio expedidas malas para a Europa no dia
14 do correte decoaformidade com o anouncio
deste correio publicado 00 Diario de 9 de teverei-'
ro deste aaan. AioaUi serio jacjabicu 2 hor..
ants da queTor marcadapara a sahida do vapor,
e osjoroaea at 4 horas antea. Correio de Per-
oambuco 12 de novembro de 1861.0 adminis-
trador, Domiogos dos Passos Miraoda.
Pela adminiatraclo do correio deata cidade
se faz publico que as malas que tem de conduzir
o vapor niclonal Tocaotios pa os poitos do
norte, echarn-se hoje as 3 horas da tarde.
Directora geral da instruc-
co publica.
Por esta repartieio se faz publico, que o conse-
lho director em sessao de 10 de outubro ultimo
approvou psrs o eosioo das aulas do instruccio
primaria e secundaria da provincia, os compen-
dios de grsmatica portugueza e de historia 4o
Brasil, compostos por Salvador Heorique de Al-
buquerque ; bem como o novo metbodo pratico
theorico para o ensioo da' lingua franceza, pelo
bacharel Cicero Odn Peregrino da Silva, resolu-
go que foi approvada por S. Exc. o Sr. presiden-
te da provincia em oflicio de 31 do referido mez.
Secretaria da instruccio publicado Pernambu-
co 8 de novembro de 1861.O secretario interino
Salvador Henrique de Albuqaerque.
Companhia de
Beberibe.
SSo convidados os Sri. accionistas da
Companliia do Beberibe a se reunirem
em assemblea geral da metma no dia 18
do correte no meio dia, como determi-
na os seus estatuto, e especialmente o
3- do artigo 19 dos mesmos estatutos.
Escriptorio da Companhia do Bebe-
ribe 9 de novembro de 1861.
O secretario interino,
Justino Pereira deFaria.
Compaohia
DE
Seguras Utilidade publica.
Os directores convidara aos Srs. accionistas
para comparecerem no escriptorio de dita com-
panhia na ra da Cadela, no dia, 15 do correte
ao meto da, para o disposto no art. 41 dos
estatutos.
Recife, 9 de novembro de 1851.
Os directores.
Josi P. da Cunha.
Thomaz de Pariat.
Arsenal de guerra.
Por ordem do IHm. 8r. coronel director do er-
seoal de guerra, se taz publico quem coovier
que nos termos do aviso 4o ministerio da guerra
de 7 de mareo de 1860 ae tem d mandar manu-
facturar os artigo de-fardamenlo seguiotes
Para o *. balho de srtilheria.
X) sobrecanacss.
200 caigas de paon-c
500 caigas delbrinrT
500 Camisaa de al^odozioho.
500 parea de polaina*.
Quem quizer arrematar o fabrico de taes axtt-
goano prasedntt das, compareca na salada
22^/V^iTL"""1' P^U hor" d
manbia de da 48 do crrante com ana proposta
m *W deelere eoor ereeo, e qeaes seos fl-
k AT?*A g""n de Pernenvbneo tde novem-
bro de 1861--r^ensaBuenee,
Jone Ricardo de Silva.
*** sea aaldsPstacJa eetenerlen-M que lora
ras ;^rs?r n^a % as
senhorw enmosaja r Mantxe^svrrrppe.
a
jnsgnreom 4twtra*a dtte eeeravo, eemaareea
aaeenjn undelegaoie, que proveudo Ine serien-
.*A-Jsysafc*
eapeenar aU ? dia 16 4o certeartn o prae marea-
5S?e Mora, Gomas Feweira.
A tbeaouraria provloaal em censprimente
4 ordp do Bm. 5*. pruleent 4nT|Moineia
U de comprar pra o coilegio dos orpJiios 4es-
e cidade ee ohjecio aeguintea :
jH lrrejnde spalos flooa.
300 atas de panno de lioho.
10 dulas de lencos brancas.
9 dnslan de guardanapes.
100 cobertores de algo3io.
i S ?"e ?*9rr"10*4* lft,'s, ,w,r,*u
1 balance, para peaer carne e pao.
4 bancos de 4 oa 5 varas dar ojMupriqaento.
Quem quizar vender taes aflectos. exeeeote
ll!2l!!!!?t^,i,,u fc,*,,' na **~*i0
pnld pete) 41a.
nstalaria/4b rbeneurari prnvincrtl de f er-
nambuco, 4de novembro de 4 A* F- 4rAnnunjciacot
A tbeaouraria ereviocial, em cumprimento
da ordam 00 Exm. Sr. prefidenle 4a psOTipcia,
tem a de comprar para o colleglo doa orph&os da
eWade da teda, Ja fMnodaa sg.iles:
OJO varas de madapolio para caapisas.
490 varas de brim pardo para calcas.
1120 covados da algodao meaoiado.
Quem quizar vender cjitas fazendas aprsente
uas repostas em artas fechadas oo dia 21 do
correte, ele meio dia.
SecraUria da taesouraria pravioeial de Per-
na meneo. & d nevembre de 1861.-0 Secretario,
A. F. d'ABaciao!o.
A directora dan- obras militares tem de
mandar piular ee epaees das pecas e mullos ou-
iees onjeelaede fortaleza do Brum.esquaes eoni-
la ds relacao que (er anreaentada ae pessoas qee
deste servico a quizerem encarregar, e por isso
convida as meamaa a apresentarem suas pro-
postas oa dita directora POS diaa 9, 11 e 11 das
9 horas da msnbia a 1 da tarde. Directora das
obras militares de Peruambuce 8 de novembro
de 1861.O eicriplurarjo, J0i.o Monteiro de An-
drade Malvioa.
Ctiselh admiiiislral>9.
O cooaelho dministratiro, para loinecimento
do arseoal de guerra, tem de comprar os obiectos
segointes :
Para previmento dos srraazens 4o arsenal
de guerra.
20 quietnea de ferro ingles em barra de 1 1/2
follegeda de largura.
10 quintaea de ferro qusdrado de 5 oitavas.
5 quintaea de forro de verga de veranda.
300 caadas de azeite de carrapalo.
Quem quizer vender tana objeetos aprsente
ae auas propoetas em carta fechada na secretaria
do eonselho, a 10 horas da asobea do dia 13 de
corrate mex.
Sala das sessoes 4 eonselho adminslrativo,
para ornecimento do eraenal de guerra, 6 de
norembro de 1861.
Vento Jott Lamenha Lint,
Coronel presidente,
francisco Joaqun Pertira Lobo,
Coronel vom! secretorio interino.
Conselho de compras navaes.
De ordem do eonselho faco publico ter-se de
omover em sessao de 14 do correte a compra
> material 4a armada abaixo declarado, i vista
de propostas em cartas fachadas que recebam-se
oesse da at is 11 horas da maaba, compe-
onadas das amostras dos objeetos.
Para os navios.
180 covados de baelilha para cartuchos, 60 ca-
ernos de papol borrador, 400 colberea de ferro,
0 pies de obris, 50 duziasdelapis, 30 garrafas
de tiou de eacrever, 20 vidros de gomme graxa,
SO flmulas de escaler o 8 pecas de Hiele branco
e encarnado.
Para os navios e arsenal.
4 caixai de viaros de 10 a 16 polUgedee de
comprimenlo, 1,100 libras de tinta branca de zin-
co, 8 barra de breu, 50 latas de tinto preta, e 8
barra de slcairo.
Para o arsenal.
10 arrobas de zirco, 10 arrobas de er, 1 bra-
co de baleoga com concha, 90 arrobas de ochre,
e 20 arrobas de almagre.
Sala do conselho da compras navaes em 9 de
novembro de 1861.
0 secretario,
Aloxandre Rodrigues dos Aojos.
BJd
5o
__:^. imperiales.
Agencia rva do Trapiche n. 9.
Ateo dia 14 docorrete capera-ae da Europa
ovapor franeex fannrra, commandanle V4el,
aqnal dapoia ds amora da eostoiM aeguirl pa-
ra o Bio de Jaoairo tocando na Berna gara paa-
igens etc. a tratar na agencia.
Baha.
O palhabote nacional Dautnigm, capitao Frajtr
eco Jos a> Areujo, asno (ara a Baila empre-
lenvelmente no ola 14 4o osreatn pera alguese
carga miuda, e pasaageiros, para o qne tem eo-
Kdo magnilitos, a tratar com aeu consignatario
neioeeL. O. Aierode, naruads Madre de
Deoe o. 18.
Rio de Janeiro
O brigue nacional Conoeigio pretende aahlr
no dia 0 de comento, e recebe escraroaa (rete.
Para em direitiira
pague psra o Indicado porto o bem condecido
brigue acuna Graciosa, eapito Joao Joa ne
*"" Por tor parle de seu carregameolo adian-
Udo : para o restotrata-se cornos cousignatarios
Almeida, Gomes, Aires &C, rea da Cruz n. 97.
Maranho e Para.
Segu coro brevidade o velero hiate Liado Pa-
quete, por ter grande parte do seu carregameo-
lo contratado : para o reato trato-ae com ee con-
Acaracu.
O vapor Iguarass, na companhia pernam-
bucana,.ua aua prxima viagenj data do cor-
rente, seguir para o porto do Acarae para lar-
gar alt 4*alqner porcio de carga e passsgei-
re*.
AL mwk\m
Paquetes ing^ezes a vapor
Hodia 11 do crreme spera-se do sul ova-
per Magdalena, commandaote Woolward, o
qual depoi da dercora do costme seguir para
Sontbaaepton tocando nos portos de S. Vieaste
Liiboa.para passtgens ele dever-ae-ha tratar
eom oa agenlea Adamson, Howia & C, ruedo
Trapicha Novo n. 42.
N. B. Os embrulhos s se recebem at daaa
horas anua da se fecharen smalas, ou pagando
um palaco alera do respectivo frete, urna hora
antea.
Para Aracaiv e Ass.
Hiate Sanio Rila sane com brevidade trats-se
eom Martina A Irmloa.
Vf>lPC'n4V*J9flf]fe fm
J
cheiros em Peraambuco.
Aviso sos socios effeclivoe pera
00 **do M- 4e smiatf. asA*
em
ieosn _______
Na ra do RangeVn a%
^oje lo
Terga feira 12 tfo eorr&te. u
Caita Carvalho por mandado do litm- n^eon%^gmrs-r
Anteoto Ferreira .
1 secreter
8r. V.
arrmatod por
Faz-so publico que foram apprebendidos
pela delegada do termo de Nazareth deala pro-
vincia e ae acham em depoaito um cavailo russo
cardo.e o outro alas de dinas brancas. Quem se
julgar rom direilo eos mesmos apresente-se a
mesma detegacia queprovaodo o aeu dominio Ibes
serao entregues. Delegada de polica do termo
de Nizareih. 8 de novembro de 1861 O capitao
delegado, Francisco Antonio de S Brrelo.
THEA.TRO
DE
Santa Isabel
Companhia dramtica sob adireceo do
artista Germano.
Becita extraordinaria
EM BENEFICIO DO ARTISTA
SIBER10 MOREIR DO VALLE.
QU\RTA-FEIRA.3 DE NOVEMBRO.
Subir scena o excedente drama em 5 actos
do Sr. Mondes Leal Jnior,
O incendio da casa do conde de Santiago seri
eiio vista.
Toma parte toda a companhia.
Terminar o espectculo com a graciosa (arca
lyrica em um acto, *
O BE1 JO.
n. B Coracr s 8 horas.
O beneficiado eapera merecer a proteceo do
publico, pelo que deade j ae coofeaaa grato
Aysos martimos.
Para
Rio de Janeiro,
HlI^ "f',?*' ?w miU widede **
nacional Julio, tem parte de seu carregameolo
a bardo : psra o reato que Um falto, paasaaeiroa
e escrayos a.(reto, para a quaes tom cnilenlee
commodoa : trelp-ae cm os anua coneigontorioo
Azevejloatondo.. #. A^fd^rSK
Pare o Ass segu o hiate Straipano
oestes das por jfi ter parto do carregaieibe
^ f1]- o capillo oo trapiche do
COMPANHIA BRASILE1RA
TOPETES WPfiS.
Dos partos de norte espralo al o dia 16
do correte o vapor nacional Apa, commandan-
le A. P. Conael, o quel depois 4 a demora do coa-
turne seguir para oa portos do aul.
Desde jl receben -se pasaageiros, e engaja-se
a carga que o vapor poder conduzir, a qual de-
vera^erabarcar no dia/lesua ebegada : agen-
cia ra da Cruz n. 1, escriptorio de Azevedo &
Meodea.
fPara o Rio de Ja-
neiro*
O brigue nacional Almirante pretende seguir
com muito brevidade, tem parte de seu carrega-
inento prompto, para o resto que Ihe falta pasaa-
geiros e escravos a frete, para o que tem asseia-
dos commodos, trata-se com os seus consignata-
rios Azevedo & Mandes no sen escriptorio ra da
Cruz o. 1.
VJfM
COMPANHIA. PERNAMBUCANA
Navegaco costeira a vapor.
Parahiba, Rio Grande do Norte, Ma-
cau doAisu', Aracatj, Ceara',
Acaracu' e Granja.
0 vapor Jaguaribe, commandaote Lobato,
sahir para os portos do norte de aua escala at
a Granja no dia 7 de novembro aa 4 hora.da
tarde.
Recebe carga al o dia 6 ao meio dia. Encom-
menda, pasaageiros e diuheiro a frete at o dia
da sahida aa 3 horas : escriptorio ne Forte do
Mallos n. 1.
LISBOA.
Patacho portugus Mara da Gloria
eapito Antonio de Barros Valente, a
sahir com brevidade, pnra carga e pas
sageiros trata-se com F. S. Rabel lo &
Filho, largo da Assemblea n. 12.
Am
4 V
CiMrANHIA PfiRAlB(JANA
nn
Navegado costeira a vapor
0 vspor Persinuoga. commandanle Moura,
sahir paraos portos deeul de aes escala no dia
20 do corrate mez as 6 horas da tarde. Recebe
carga al o dia 19 ao meto dia. Pasaageiros e
diobeiro a trate at o dia da aahida as S horas :
escriptorio no Forte do Msttos n. 1.
Rio de Janeiro
O palhabote Artieta ra sahir para o Rio de
Janeiro cera muita brevidade, por j ter parte de
seu carreje ment prompto, e para o reato o ea-
crayoa a frete, trata-se com o uroprietorio Bar-
Uiolomeu Lenrenco, oa ra da Madre de Dos
numero 3.
Para Llanda.
Segu com a poestvef bfevfdade o brigue nor-
tofwi Viajante t para o reato de carga e pas-
eagens traia-e na nade Vrgnrio tt. prlmei-
ro andar, cesa o oeneignetarto J. de Aqulbo Fon-
anca.
e Exm. Sr. Dr. juiz especial do com.
raercio levara' pela segunda vez a lei-
lo a taberna da ra O Raogsa) n. 22
arrestada a Costa Gutm,ariei & Reis, em
um s lote ou a retalho. As II Koraf1
em potito.
LBIU8
Fazendas inglezas
Terqa feira 12 do comente.
Augusto Cessr de Abren far leilio por inter-
venco do agente Oiiveira, de um grande e va-
riado sortimenlo de fazendas inglezas ss mais
proprias do mercado e recentemente despacha-
das : terca-feira lt do crreme em aen ar-
mazem ra da Cadeis. Comectr aa 11 horas da
manhla em ponto com fazeodas averiadas.
Contiuuaco do leilo
DE
Miudezas e ferragens.
Mello, Lobo l C. nao podeodo acabar o sea
leilao pela inQnidade de objeetos para fechar
cootas continua o seu leilo hoje tt do correte
pelas lOhorssda manbaa, em seu srmazem da
rus da Cruz do Recife.
Adverte que recebeu da alfandega chapeos de
feltro de dirersas quslidades os quaes espora em
leilo para dar ss (estas a seus numerosos fre-
guezes aoa quaes pede nao deixem de compa-
recer.
LEILAO
DE
Bonsescravos.
A16 do correte
0 agente Oiiveira far leilao por autOTtsac,o
do Illm. Sr. Dr. juiz doa orphsos desta cidade o
seu termo, de 6 ptimos escravos, muito sadios
e ioteirameote afelos ao servigo de armazam
de assucar, em qee erem constantemente era-
pregados pele finado Detono dos Aojos fereira,
e sendo pertencentes aos beos deste :
Sabl>aao 16
do correte, o meio dia em ponto, no escripto-
rio do mesme agente, por cima do rmaseos de
fazendas do Sr. Henry Gibsoo, oa ra da Cadeis
do Recife.
es. avaliado por l:O00f. *r
ustino de Lemoe coaira Jos _
veira Lima ; 4 altima praca.
Ba7titaeA*lare,' MbX itostoev
para for, dprorlSiaT ~Wmm'
Qoea. precisar 4enm nn
ja-ae a roa doa Prazeree n. 34.
Precis-e de uas aaan para masa nem
pouca familia : na rae 4e Haran n. t, eean
andar. ^^
Hoje Anda a andieacto de Illas. Sr. Dr.
dos orphloa ae ba de arrematar nm a
pral para cb, pjr exececio ceir
rute do finado Francisco Has
0 Pedestre a. 4 eesi I ti
do Imperador, loja do Sr. Antee.
0 Illm. Sr. Cermeo Fraocsace 4
rogado levar em cena, aa noten 4
meesoravel dia 1. de dateaebro, din do
vade gloria para a afie portojpaoao, o
intituladoo Pagem Remiro coas
provar maia urna ves ene adneeeo _
O AnUleorieo.
?..

Avisos d!Y8rS0.'
Grande laboratorio de la-
vagem.
Os donos dos nmeros 144,147, 74, 171. 131
251,130,258, 246.189, 240. 163,157. 262, 249,
186,169. 182. 195, 180,18.176, podem mandar
buscar que se acham promptos.
LOTEBI4
As rodas da terceira parte da primet-
ra lotera a beneficio da matriz de Bar-
reros anda rao impreterivelmen te sex-
ta-fera 15 do coi rente pelas 8 horas da
mnnbaano consistorio da igreja do Ro-
sario de Santo Antonio, se o paquete
rancez antes desse dia daqui partir pa-
ra o Rio de Janeiro como e costume. Os
bilhetes e meios bilbetes s ettaro a
venda at a vespera as 10 horas da n li-
te na thesouraria das loteras ra do
Crespo n. 15 e as casas commission-
das. As'sortes serao pagas como de
costume. Othesoureiro,
Antonio Jos Rodrigues de Souza.
Attenco.
Angelo Francisco da Cosa, proessor
de primeiras lettras, offereerse para
leccionar em casas particulares ; assm
tambem esta' prompto pira afinar pia-
nos tanto nesta cidade como nos seus ar-
rabal Jes tudo por preco commodo : po-
de ser procurado na ra de Santa Rita
a. 9.
embra-se
e lembrar-se ha at sermes attendidos
ao bv. Manoel Jeronymo de Albuqucr-
3ue seu comparecimento a loja n. 2 R,
a ra do Crespo.
Attenco.
No dia 4 do correle fugio o prelo l-ranciaco
(crioulo). seco do corpo, eatatura regular e tem
um lobinho na cabeg, levou caiga branca e ca-
misa, tem offlcio Oe aaeateire, e entende muito
de jardim, que o pegar leve no atierro daBoa vis-
ta, casa n. 21, que ser recompensado.
Aluga se o andar terreo na ra da Impera-
trit n. 21, fallar oa meama casa no 1 andar.
O dentista Numa Pompilio.
Ra estreita do Rosario n. 58, pri-
meiro andar..
planto dentes pela pressio do ar, por molas e II-
gaduras, efaz todas aa operajoes de su arta.
Ama de leite.
AJug-s orna ame 4e lefto muito novo, cap-
va; M trntor na rn Impnriid n. 6, eeamod oaae
gomme, e alo tea vicios asm achaques.
Aluga-se um sitio na travesa da w
para a Baua-Verde, defronto do norttodo
tea: trata- se na ra da Cadeis 4o lcate i
aegeodo andar.
Pillas PaulisUgas.
Cinco feridas medonhas
Em favor da* pilolee penlistenas declaro me
estn Jo com cinco feridas anadeadme, siiman
tes de moleslian creas, earel
dias com a abeocoadas piUloff dsTwTeetton Tm~
dro Etcheeoin, de S. Panto. Fetizes dos me pro-
curarem o mesmo medicamento.
S. Paulo -21 de Janeiro 4* 1808. Aatoaio 1*0-
reira,
DFP0SIT0 GERAL
11 san 4o P
Hit de Jattir*.
Em Pernambuco, na pbarmadn do Sr.
Alexsndre Ribeiro, rae do Qineili a. 15.
O Sr. Juaqaias Gnedee Cevroto Sao aaaa
ta do Rio de Janeiro oa librara ns. g e S 4a
C da la dependencia. .
M. Resean vei eo Par.
O abaixo asignado lenoo com adaairaca*
espanto o annuocio de Manooi Tavaroa do A tai-
no, inserto nos Diario ek ftrssniw > f, 7 r
84o corrento, curapre, rain em alocle ao a4or
do aseemo anouncio, e iaa ao roonoiuvol
co, responder que nlo lea, aoa I
quel alo posea alienar. niaeor d i
to cerco nada 4eve ao iuiir
quando venha a devar-lba i aaaa ja
simo inferior aos beta que posan* livreo o
baracados. O abaixo aasigaaeO soanor* levo.
continua ter reputacAo e crdito : foi
cido na cidade do Recife, e boje na de
de posiue predios sapenorr* a dota i
e assim o autor do annnncto lev* per la
so abaixo assigaado ama injuria, contra
desde j protesto, e ae neceaeerio lev previ
respeitavel poblico. O abaixo aarigaeato
como j dase, ser drvedor ao tordo i__.
pnrn da quantis de nm coate o jotoheeiioa. -
co mais ou meos, provenieoie e 4eiaO jo
existe entre o abaixo asignado e o olor do no-
nuncio, sendo que esse pleito lev erige en en-
causa de um escravo que o abatiaoBinjoonOooan-
prou j doeote, eo autor do aneoncio ratona-
se para compra-lo do meamo estado de atoesMao
sujeiliiido-ae qualquer futuro, canta qaer naj*
o escravo morrease, entrndea o antor di
do demandar ao abaixo aaignede ira
Ihe a quaoiia respectiva, que foi de aara
rail rn. O abaixo aaaigoado qne ananohe e ew-
tava convencido de nao aer oongadn reeSMoii
s dita quantia, repugnoa da-la, e tola dan Inejsc
ao pleito de que ae (llou cima. Uabaisa oana-
nado tevn sen tenca a favor na priaeira insaKS.
o autor do anouncio appellou para aearior tri-
bunal da relacao, e como roto reere
teoca, nlo obalaato aer embargaaa ai
ra, fot aofflciaole para o aator aa nao..,
juriar ao abaixo assigaado, caja Tesa tocia o cao-
dito talvezeatejam maito aleas da do atar no
nnuncio. O abano assignado 4ispiai soOern-
oamen'.e tal aneando, e Arene eo neonosor joo
nao faz mossa em sua r>pulco, a aa! par alto*
conheeida, e be maito ennes ; tolvnsejno n ano
replselo estoja mais bem fundada 4o ae a da
proprio autor do aooaacio. Otiada S do aa*aa>-
bro de 1861.Jos Jaciaiho P
^mm>4Ja>m>im>tajaj
i
i
bach arel Wirnivio po-
de oer procur4e aa ron
Nova n. 23, obrado da en-
quie qne volta pere e
camboa do Carato.
i
I
4J4JTpM|sl94J4jaj
Publicaijdes do Ipstituto Ho-
meopathico do Brasil.
thesolro mimwr*
O
VADB-1BGIII DO HOMEOPATA.
(Segunda edic^o consi-
dera vel mente augmen-
tada.)
Diecitiart papilar e aiedicaa aa-
m>yanaica ^a
r-nxo na.
S1BIN0 0 L. PINHO.
Continua m aa asnianetnrae ansa netas envaso >
MgOOO em brockure at dexombre. Deeoelenap*
em diento aa sstgnalnras aeree ataredon a nw
Ru de Saolo Amaro fMnado Nove) n. 4.
Aluga-seo primeiro andar do snarado do cono
de Apollo n. II, que ana ana rento da noadn a*.
va, com commedae para grande UmiUa'" leUaw
na ra larga de Rosario V H, "
a\i lT/ii a r\r\L


DE
DE
Mmm9 imn & &
LAYADA.
40 ris.
70
100
110
80
11200
l|00
1*000
2)000
500
. 1000
>
*
>


a
LAVADA, CO-
SIDA E
ENGOMMADA.
T60 rU
120
f80 >
00 >
240
Rotpa de [milis, indislinclamente, peo* grandes e pequeas. .
Roopa de navios, vaporea e hospitses. ......., .
Pecas grandea isoldamente como lengoes, toalbaa -de mesa. .
Roapa de doente de familia, que nao seja freguis......
Roupa mislurads que alguem sem aer freguez exigir que aa Uve.
Urna rende vindo com maia roupa. ...........
Urna rede iioladameote...............
Un cortinado de cima de casal vindo com mais roups. .
Um dito dito isoldamente............i
Um dito dito de aolteiro ou veranda........ .
Dan dito dito isoladamente..............
Aa pesaoaa que nao quizerem mandar eugommar toda a roupa, o laboratorio encarrega-se
de mandar aogommar as segutates pegas, peloa aeguinlea presos*:
Vestidos Usos.....600 ris.
tHrr. Saiis........280
Camisas de horneo. 180
Calcas........200
Colletes.......120 i J
Paletote......; 460
Colarinhos. 40
O laboratorio enearrega-se de engommados de objectos de senhbra os mais delicados, e pa-
ra iato (em ja contratado as maia habis engommaderas oaciooaea e eslrangeiras, que eolre nos
xietem.
No prego dos engommadoade roupa de familia, eicep uara-se os vestidos, gollinhas, man-
guitos e maia objectos que forera guarnecidos de rendas, babados, patos, rifas, etc., etc., bem co-
mo o* cortinadoa de bergo, cama, varanda, que ae pagaro eegunlo o ajusto.
Qualquer que exigir roupa somente Uvada, ou lambem engommada, com mais brevidade
qe designada, pagar mais 25 por cento sobre o prego.
O Brazo na entrega da roups aeri por em quanto 8 das depois do recebimenlo, e da lavada
e engommada 15.
A roupa de familia ser lavada em machina separada da dos hospitaes, e as pessoas encsr-
regadas do trrico da roupa aero mulheres.
Os proprietaros paga rao qualquer pega que se estraviar, eaQan;am que a gao das machi-
nas iuteiramente inoffoosiva.
Qualquer que ma&darroupa, recebar um vale do numero de pegas com a declaradlo do im-
porte da lavagem, o qual ser restituido com e competente importe na occasio de se entregar a
Toupa prompta. sem o que ests Mear depositada.
O eslabelecimeolo eocarrega-se de tirar nodoas de qualquer natareta, precedendo um
jaste.
Os proprietaros rogara a seus freguezes o obsequio de maniarem roupa suja, apenas rece-
bara a lavada, para assim manter a regularidade do servico.
A entrega e o recebimenlo da roupa na casa de banhoa, no pateo do Carino, em todos os
dias uteU das 7 horaa da maahia is 5 da tarde.
ELIXIR DE SALDE
Sement do dlhade
Fernando.
Tetado te recoribecwlo a luperiorida-
de .d/gatejod&o da ilha fcle Feroaridc S.
Exe.-! frfSenJfcandou vir por-
94o delta para ser distribuida pelo* Srs.
agricultores desta provincia, 01 quael
por ti ou seus correspondentes poden
mndala buscar na livraria n. 6 e 8 da
praca'da Independencia, remettendo
seus nomes e lugar da moradia.
#* #
Attencao.
Jos Fernandes da Silva Tei-
xeira e Mello, pnmeiro resta-
menteiro do padre Jos Leite Pi-
ta Ortigueira, pede a todas as
pessoas a quem o metmo padre
Jos Leite fr devedor directa ou.
indirecteraeBtejpol'tt^oi 4u>-
tro qualquer titulo vencido ou O
por vencer para que no prazo
de 8 dis a' contar desta data #
apreseutem seus crditos ao seu 0
tj| advogado Dr. Antonio Ferreira
Mar tins Ribeiro das 9 as 5 horas -*9
da tarde em o escriptorio ra do 0
Imperador n. 5*, primeiro ?n- $
dar, afim de se poder tratar da $}
liquidacao e inventario do dito 0
padre. Recite 4 de novembro A
de 1861. Q
A luga-se o armazem do sobrado
25 da ra da Prah de Santa Rita:
Akigaf o tarceiro andar da casa
n. 37, sita na ra do Amorim : a tratar
na ra da Cadeia n. 62.
-*-p*TSrece-se un ftv. sacerdote para capelao
de algosa* irmandsde, rgreje, ou erlio, porte
desta prata, taoto para oe doaingoa, como pata
Igum dia de trabslho ; oteado lora da cidade,
dande-ce*lhc condacco: na livraria o. e 8 da
praca da Independencia.
Ahiga-se O armasim do sobrado
n. 58 da ra do Amorim : a tratar na
ruada Cadeia n. 62, segundo andar.
AUga-ae urna casa em Beberibe : T tratar
I. do Reg, na ra do Trapiche o. 34.
3
3
S
*
Citrolactato de ferro.
Vinleo deposito na botica d Joa^uim MarUuu
da Cruz Crrela., ra do Cabug n. II,
am Pernatiiiiueo.
O Dr. H. Thermes (de Chalis) aoligo pharmacentico aprsenla boje urna nova prepararlo
Parecer ao publico um luxo emprear-se um meamo medicamento debaixo de formulas lo
variadas, maso homem di sciencia comprehende a neessidade e importancia de urna tal varie-
dade.
A formula um objecto de muita importancia em therapeutica; um progresso immenso,
q idades, para todoa os paladares e para todos os temperamentos.
Das numerosas preparacoes de ferro at hoje conhecidasnenhuma rene lo bellas qualida-
des como o elixir de citro-lactacto de ferro. A aeu sabor agrada*el, rene o tomar-seem urna pe-
quea dose, e ser de urna prompta e fcil dissolucao no estomago, de modo que completamente
aesimilado;eo nao produzir por causa da lactina, que coolem em suacompoaico, acooatipacao de
veatre frequeoiemenle provocada pelas outras preparacoes terroginoeas.
Estas novas qualiladea em nada alterara a sciencia medicamentoaas do ferro, queseado urna
substancia da qual o medico se nao pode dispeusaa em aua dioica, l de iocoraparavel utilidade
qualquer formula que llie d propriedades laes, que o pralico possa prescrever sem receio. E' o
qae consegiio o pharmaceutieo Thermes com a prepararlo do ciiro-lactacto de ferro. Assim este
medicamento oceupa hoje o primeiro lugar entre as numerosas preparacoes lerrogmosas, com o
attesta a pralica de muilo mdicos diatinclos que o (em ensaiado. Tem aido empregado como im-
meoso proveito as molestias de languidez(chlorose paludas corea ) na debilidade subsecuente as
hemorrhagiaa. uaa hy lropesias que apparecem depois das intermitentes na incontinencia: de urinas
por debililade, as perolas brancas, na escrophula, no rachitismo, na purpura hemorrhagica, na
oonvalesceecia das molestias graves, na chloro anemia das mulheres grvidas, em todos os casos
m que o sangue se acha empobrecido ou viciado pelasfadigas, affeccoes chronicas, cachexia tuber-
culosas, cancrosa, syphililica, excessos venreos, onanismo e nso prolongado das precauces mer-
curiaes.
Estas enfermidades sendo muifrequenles e sendo o ferro a principal aubatancia de que o
medico tem de lancar rao para aa debelar, o autor do cilro-lactato de ferro merece louvores e o
reconhecimenio da humaoidade, por ter descoberto urna formula pela qual se pode sem receio
asar do ferro.
OU
DE
Saude.
Jos Manir TtlxeiraGuimariee, agente
_- de leilo prximamente nomeado pel
> mereliasimo tribunal docommercio ees-
* tabelecldo com escriptoro e armazem na
ra do Imperador (oulr'ora ra di Ca-
deia] n. 37, offerece seus servicos so res-
peitavel corpo rommercial, a aeus amigos
e a todos em geral que quizerem hon-
ra-lo com sua confianza, assegurando-
lhea cumprir bem e fielmente aa funeces
inhereetes ao seu emprego, para o qae
nlo ponpari esforgos a bem dos ioteresses
de seus commitentes.
I

a tratar na ra da Cadeia n. 62,' segun-
do andar.
Um primeiro andar.
A luga seo primeiro andar na praca
Boa-Vista n. 7 : a tratar na toja de
calcado na ra da Imperatriz n. 46.
O Dr, Ignacio firme Xsvier fax publico que
le reorgtabado a sas casa de sande, na grande
cea, prspriedada do meamo sitio em qae exista
eaeuantigo eatabeteeimeaio aWsea ordam, que
flea ao aorta de estrada da Passagem iaVlfagda-
lena, entre a ponte (rende o a pequea do Chora
Meniare, eae contina e recebar eoeales de am-
bos os sexos e diversts calhegoriss, fincDdo o
mainov tralamento, tudo p"lo preco mala com-
modo.
O meamo doulor para mais commodidade, ds
vassoaa possuidoras de escravos, eu qae ae qui-
zerem tratar em sea esubelecimento tem deter-
minado a diaria abaixo declarada.
As operacoes serlo por previo ajeste, e nao
farao parle das diarias assim como aa conferen-
cias, e sanguisugas. Podeodo o doente tratar-
ae tamben homeopsibicameote, para o que ha
commodos separados.
O servido medien ser eito pelo distincto cirnr-
giio do grande hospital Pedro II, o Illa. Sr. Jos
Francisco Pinto Guiroaraes, e o doctor proprie-
ta rio do eaUbelecimenlo, pralicando-se abi (oda
e qualquer operacaopor precos muito rasoaveis.
Este ealabeleeimenlo lorna-ae recommendavel,
Ji pela boa casa de que dispe, como pelas eon-
dicoes hygienicaa em que ae acha aituada. pro-
vado uso pelo crescido numero de doentes abi
curados,
O seu pioprietario espera, porlaoto, dos seus
amigos, antigos freguezes, e mais pessoss, s sua
cooperario em bem do progresso de lio til co-
mo oecessario estabelecimeuto, parausado por
nao_ poder elle achar-se i sua testa, em virlude
de haver sido accommttttdo de urna grave enfer-
midade, porm hoje que se acha completamente
reslabelecido, promeiteesforcar-ae na boa ordem
de sus casa, e na direccio do tralamento dos
doentes.
Diarias Escravos 19600
2.a ordem JjOOO
1.' ordem 3*000
Para a entrads dos doentes se deverio tratar
com o referido Dr. Ignacio Firmo Xavier, na ra
Noa de Santa Rita n 7, aobrado de um andar
com frente para a ribeira do peixe, ou no aeu ea-
abelecimenio a qualquer hora.
Oa abaixo asaignados tenham a bondade de
apparecer na roa Nova n. ti, loja do Germano.
Jos Antonio Ferreira da Silva.
Francisco Xavier Venancio Pimenla:
Pedro de Assis Campos.
Huzebio Bezerra Cavalcanti.
a tratar na ra da Seuxala no- j Manoel Rezendo do Reg Barros.
Alugam-se as casas n. 13 da ra da Cruz,
o. 2 B da ra de Apollo, e n. 193 da roa Impe-
rial : a tratar na ra da Aurora n. 36
Arrendamenlo
Traspassa-se o arrendamenlo do sobrado e ar-
mazens da ra do Trapiche n. 40, excellente para
qualquer eslabelecimento commercial de fazen
das : trati-se na mesas casa.
Sociedade bancaria.
Amorim, Fragoso,Santos & C.sacam e tomam
aaquea aobre a praca de Lisboa.
Frederico Chaves aluga aeu sobrado sito no
Poco da Panella, com muito bons commodos pa-
ra grande familia, perto do'banho, jardim, terra-
do ao lado, coebeira, caaa para criado, estribara :
a tratar na ra da Imperatriz n. 19
E. Leconte vai fazer urna viagem a Franca,
levando em aus cempinhia urna sua filha menor
de nome Eugenio : roga portento aos seus des-
dores que tenham a bondade satiafazer aeua d-
bitos oestes oito dias.
Dous mocos aofficientemente babilitadoa
pira fazerem qualquer concert de carro, tenden-
te a ferrarla, se acbam com urna tenda na roa dos
Pires, anligamente a leuda do Grejam : as pes-
soas que de seus prestimos se quizerem utilisar,
encontrarlo perfeicao, prealeza e commodidade.
$No segn-
do andar da casa n. 15 da
ra do Crespo por cima do
escriptoro da thesouraria
das loteras.
HDAME MIDDNDORP,
prximamente ckejgada de Parts.
Eocarrega-se da coofeccao de vestidos de bai-
le, casamento, visitas ou outros, msnteletes,
zoosves, aahidaa de baile, bournns, enfeites de
cabeca, emflm de ludo o qep comprehende o
vas uario das seaboree e meninas. Aa pessoas
que se dignarem dirigir-se e ella aebario figu-
rlnos das ultimas modas de Paria, precos razoa-
veis daa obras e promptidio na entrega das ea-
commendas.
Padaria.
Aluga-se a padaria da travessa do Pires, a qual
est prompta de tedo, com muito bons commo-
dos, e esta inda trabalbando, sendo seu aluguel
muito commodo
va n. 80.
+
Gabinete medico cirurgico.J
0 Ruadas Flores n. 37. sj
Serio dadasconsNltas medlcas-cirurgi- sj
Seas pelo Dr. Estevao Cavalcanti de Albu- f)
querque das 6 islO horas da manbia, ae- SJ
aj cudiodo sos chamados com a maior bre- 9
9 vidade possivel. % SJ
!* Partos. aa
Molestias de pelle. #
3.* dem do olhos. SJ
4.* dem dos orgaos genitaes. SJ
Praticaratoda equalquer operacao em sj
seu gabinete ou em casa dos doentes con- aj
forme Ibes fr maia conveniente. SJ
5? aij cwSp3KattS5S
Dentista de Paris.
15-Ra Nova 15
PrederieGautier.cirurgiiodentiata.fail
todaa as operacoes da sua arta ecollocaj
dentesartificiaes, tudocom a superiori-i
dade eperfeijo que aa pessoasan tendi-J
das lbereconhecem.
reaa igaa e pdadentifrieiosate.
1
J rtfl.VILUtA
RKTHATTsTTA
AUGUSTA CASA IMPERIAL,
aa. 1% .*
entretals saftto amasas 4
Betrates por aaaferotyaa, aar _
bre paaao encerado, sobre Ulea,
pnleeiras, alfinetee oa raeeelslea. Ha aaeeaaa
esa existe um completo e abaaeata aaiBaasasa
da rtelactoa fraacezas a aanericaaea aaaa a cal-
locacio dos retratoa. Ha Usabesa aera i ata i
mo fias eassoletas e ealicadea allaatea 4a
de lei; retratoa em photographia das
personageos da Earopa ; slereoscopee a vista*
[ stereoscopicas, assim como vidres para assbratyaa
e cbimicas pbotograpbicas.

S ST4HL & C;
11T1VTISTA DIS. 1.0IVBAIMJ
Ba da ltvf erauix
nuintTo 14.- 9
Tencionando retirar-se prxi-
mamente desta praca participam
a seos freguezes e amigoa como
em geral a todoa que podem
precisar do seu oficio, afim de
que aproveitem do pouco tempo
que os annunciante podem ain
da dispor para a execucio Jas
9 encommendas com as quaes
O queiiam honra-Ios.
Agradecendo- nesta occasio
9 ao ilustrado publico desta capi-
w tal o bom acolhimento das (uas
S obtas, decidirm se a por estas
Sao alcance de todos introduzindo
urna considerar! baixa na maior
% parte dos seus presos e espera m
O que o desfalque que disto Ibes
^| resultar sera* compensado
# um augmento de concurrenci
3
S
) pensado por %
concurrencia, kjj
ugio sea saoleqae U-
Consultorio medico cirurgico
V~-W\]\M GLOWVxV CASA. DO \3NBJLO--3
Consulta por ambos os systemas,
Em consecuencia da mudanza para a sua nova residencia, o propietario deste eatabeleci-
meoto acaba de fazer urna reforma completa em lodosos seus medicameutas.
O deaejo que tem de que os remedios do'seu eslabelecimento nao se confundam cornos de
oenhum oulro, visto o grande crdito de que sempre gozaram e gozara ; o proprietario tem tomado
* precausao de inscrevero seu nome em todoa os rtulos, devendo ser considerados como falsifica-
dos todos aquelles que forem presentados sem esta marca, e quando a pessoa que os mandar com-
prar queira ter maior certeza acompanhar urna conla assigoada pelo Dr. Lobo Mosaozo e em pa-
pel marcado com o seu nome.
Oulro sim : acaba de receber de Franca grande porcao de lindura de acnito e belladona, re-
medios estes de summa imporuocia e cujas propriedades sao lao conhecidas que os mesmos Srs.
mdicos allopalhas empregam-as constantemente.
Os medicamentos avulaoe aur em tubos qur em linduras cuslarao al o vidro.
O proprietario deste eslabelecimento annuncia a seus clientes e amigos que tem commodos
nfflcieutes para receber alguna escravos de um e oulro sexo doentes ou que precisem de alguma
operacao, afianzando que serio tratados com todo o disvelo e promptido, como sabem todos
aquelles qae ia tem tldo aeraros oa caaa do annunciante.
A-situsQao magnicada.casa, a commodidade dos banhos salgados sao outras tantas vanla-
jens para o promplo restabeleciment dos doentea.
As pessoas que quizerem fallar com o annunciante deven procura-lode machas at 11 horas
de larde das a em dianle. e fora destas horas acharao em casa pessoa com quem se poderao en-
oder : ra da Gloria n. 3 casa do Fuodo.
. ^^^^^,M^^_^__^_^_jr. Lobo Moseozo._______________
CHANGEMENT DE DOMICILE
(Mudanca)
Joseph Grosjean
Ra da Florentina n. i6
Participa ao respeitavel publico e a seus numerosos freguezes que
mudou suaofficina de CARROS da ra dos Pires n. 11, para a ra da Florenti-
- sempre prompto para qualquer mister per-
na n. 16, aonde encontrara
tencente a sua arte.
elle
Sorvete
Na rita do Trapiche novo n. 22.
Aluga-se a cssa terrea da ru do Mondego
n. 9\ : a tratar oo becco das Barwirae n. 2.
A pessoa quj annuncou alugar a metade
da casa, e pede a quem quizer que annuocie para
ser procurado, dirija-se a ra Nova de Sania Rita,
casa n. 39.
Quem preeissr de um perfeito administra-
dor para eogenho, dirija-ae a ra da Cruz d. 21,
Precisa-se de orna negra para vender fazen-
daa comoutra pessoa, paga-se bem : na ra do
Hospicio o. 62.
Aluga-se 0 sobrado da ra da Aurora, hoje
perlencente aosherdeiros do finado desembarga-
dor Rocha Bastos, com excellentes commodos pa-
ra grande familia : a tratar na roa do Crespo n.
5, loja da Marcelino & C
Aluga-se urna casa na Boa-Viagem
com bons commodos: quem pretender
dirija-se a ra do Imperador n. 67.
CONSULTORIO ESPECIAL HO8E0PATBIC0
DO DOUTOR
SABINO O.L.PINHO,
Ra de Santo. Amaro (Mu^do
Novo) n. 6.
Conaultas todos os dias atis desde as 10 horas
at meio dia, acerca das seguiotes molestias :
molutiai das mulheret, moUstiai das crian-
cas, molestias da pelle, moltttias dos olhos, mo-
lestias syphilitxcas, todas as especies ds fshrss,
fsbrts intermilttnte* tsuas eonsequtneias,
PHARMACIA ESPECIAL H0ME0P ATH1C A .
Verdadeiros medicamentos homeopathicos pre-
parados som todas as cautelas necessarias, in-
(alliveis em seus effeitos, tanto em tintura,como
em glbulos, pelos precos mais commodos pos-
siveis.
N. B. Os medicamentos do Dr. Sabino sao
anicamente vendidos em sua pharmacia; todos
que o forem lora della sao falsas.
Todas as carteiras sao acompanhadas de um
impresso com um emblema em relevo, tendo ao
redor as seguinles palavras : Dr. Sabino O. L.
Pinho, medico brasileiro. Este emblemae posto
Igualmente na lista dosmedicamentos que se pe-
de. As carteiras qae nao le varara esse impresso
assim marcado, emboratenham na lampa o no-
me do Dr. Sabino sao falsos
Acham-se justas e contratadas por venda as
caass o. 40 da ra das Aguas-Verdea, e o. 6 do
becco da Bomba, pertenceotee a Domiogos Jos
Capistrano Nogueira : se alguem se julgar com
direito a obstar esta traosac^o, queira, no prazo
de 3 dias publica-la por este jornal, ou dirigir-se
a ra da Cadeia do Recite n. 33.
'r- Eu abaixo aasignado cumprir um dos mais sagrados deveres, agrade-
cendo ao lllm. Sr. Francisco Horeira Pinto Bar-
bosa os Immensos favores que do mesmo senhor
recebi pelo espaco de 5 annos e 9 mezes, fleaodo
o mesmo senhor certo de que a iogratido jamis
lera entrada em meu corceo; receba, pois, o
lllm. Sr. Barbosa este meu publico teslemunho
como penhor de mioba gratido. Recite 9 de
novembro de 1861.Joao Luiz Goocalves.
Ao publico,
Tendo-me sido apresentado pelo Sr. Jos Vic-
torino de Patva urna letra no valor de 5:0009000,
sacada em 31 de agosto de 1853 pelo Sr. Antonio
Annes Jacome Pires contra meu finado pai o co-
ronel Estevao Cavalcanti de Albuquerque, e des-
contada em 23 de maio de 1854 pela casa com-
mercial Bostron Rooker i G., exitei ab prlnci-
pipio em paga-la por ter lembranca [anda que
viga) deque ji bavia aido satisfeita a aua impor-
tancia, e como qoer que posteriormente fosse
instado para effecluar o respectivo pagamento, e
nao titease encontrado entre os papis de meu fi-
nado pai documento tlgum que viesse em apoio
de mioha supposigao, e nao podesse na occasilo
fazer o pagamento em dioheiro, pass6i em data
de 22 de abril do crrante anno quatro letras, no
valor cada urna de 1:3750000, a vencerem-se no
prszo de 12, 14, 20 e 24 mezes : ltimamente,
porm, velo so meu coohecimento existirem em
poder doSr. Antonio Annes Jacome Pires, os do-
cumentos comprobstoriosdo pagamento de dita
letra ; os quaes achando-se de presente em meu
poder tornam de nenhum effeito.as letras que en
havia paseado, como garanta da letra originarla.
Nesta s cireu instancias, previno ao respeitavel
publico, e especialmente s pessoas do commer-
co, qae nao aceitera nem fajara transaccao com
as quatro letras ji referida. Devo declarar maia
que leoho em meu poder o recibo paseado ao p
do protesto da letra de meu finado pai, no qual
o Sr. Jos Victorino de Paiva declara baver rece-
bido a importancia dessa letra as quatro que Ihe
passei. Recite 8 de novembro de 1861.
Joao de SiCavalcanli de Albuquerque
Aluga-se a loja do sobrado da ra do Livra-
mento n. 27. propria para qualquer eslabeleci-
mento a quem comprar a armario nella existen-
te ; e tratar na mesma oa na ra de Hortas nu-
mero 10.
Precisase de ama rspariga solteira que se
queira sujeitar a.ser criada de urna casa de pe-
quena familia, afim de cuidar em costuras e ou-
tros servicos : quem estiverneste caso, e flan-
ear bom comportamealo, pode annunciar neste
Diario para ser procurada.
Precisa-se
Denles artificiaes.
A viuva Rosa Jane, dentiala, continua a por
denles artificiaes com a perfeicao conhecida de
seus numerosos fregnezes, em sua residencia ns
ra de Santa Bita n.61,e lambem [fora em casa
de familias, dando-se-he' condcelo.
Sorvete.
9
Sorvete ao meio dia e a aoile,
Sorvete ao meio dia e a noite,
Sorvete ao meio dia e a noite,
Sorvete ao meio dia e a noite,
Na ra Estrella do Rosario n. 11
Na ra Bstreila do Rosario n. 11,
Na roa Estreita do Rosario n. 11.
Na roa Estreita do Rosario o. 11.
arrendar um silio perto da praca com boa casa
de vivenda, estribara, baixa de capim e bailan-
tes psde arvores fructferas : quem tiver para
arrendar dirija-se a ra do Passeio Publico loja
de Firmiano Jnior, que ae diri quem precisa.
O abaixo assigoado participa ao Sr. Mxi-
mo Marioho da Rocha Wanderley, senhor do en-
genho Linda-flor da provincia das Alagoss, que
Ihe foi entregue pelos capules de campo o preto
Franciaco, qae aodava fgido, pelo que quanto
enteso mande bascar, visto nao Ihe ter dado
resposta a quatro cartas que a tal reapeito lbe
tem escripto, certo de que o abaixo assignado se
nao respoosabilisa pela morte oe fuga do mesmo
preto.
Guilherme Jorca da Hotta.
Preciss-se de um caxelro quetenha pcatica
de taberna e que seja fiel e d fiador sua con-
duela, a tratar na pre$a da Independencia n.
9, o e 25.
Muita attenco
Precisa-se de um menino Portugaez oa Brasi-
leiro que lenha alguma pralica de negocio, para
urna casa fora desia cidade: a tratar na ra da
Uuza.3t, taberna de Jos tiuimaraea de Aze-
vedo.
Siio na Capuoga.
Alaga-ae um sitio na Capunga-velha, do Sr.
Bartholameu Francisco de Souza, perto do rio
com cocheira.quartos para pretos, etc.: quem
Do abaixo assigoado fugio sea
bsnio, com os signaes segoiales : analai*,'cabel-
lo corrido, rosto escamado, eapadaas largan, a
estatura regalar : quem o encontrar caaSaza i
casa n. 96 da ra Augusta qae aer receaaaea-
sado.Antonio Ribeiro Pacheco d'Avila.
Peci sa-se de ama ama qae atiba eoziaaar
e comrprar; na raa Nora a. 33.
Afinaces de pia-
nos a 3,5000.
S. Boisselos previne soa seas freguezes qae aa
eocarrega de afinar pianoe ; para qaa ai
eiante possa acudir immedi>!amenle aos
dos, faz-ae preciso deixar a raa, o oosse 1
soa e o numero da caaa ; vai tambem ao_
e a engenhos por precos conveacioaadas :
r ser procurado na roa da Cadeia 4* i acias
18, primeiro andar, e roa Nova n 9, Ivja ajo Sr.
Domont.
Ama de leite
Precisa-se de urna ama de
ra dos Pires n. 40.
Precisa-se alugar ama preta eaerava para
vender na ra : no Corredor do Bispe a. 15.
Recreio da moci-
aes sities
leste na
De Sodr & C.
De Sodr & C.
De Sodr & C.
De Sodr C.
Macas.
Do gello,
Oo gello.
Do gello,
Do gello,
Uanoel
Janeiro.
Nova
Nova
Nova
Nova
remessa
remessa
remessa
remessa
de
de
de
de
Barato
Barato
Barato
Bara'o
dioheiro
dinheiro
dinbeiro
dinheiro
maclas,
roagaas,
mafias,
majaes,
vista,
vista,
vista,
vista.
Alves Guerra saca aobre o Rio de
Ama.
Preci-se de uaa ama para o aervico interno
e externo de urna casa e pooca familia ; tratsr
na raa do Cabugi d. 3, segundo andar.
Aluga-se urna caaa na povoaco de Beberi-
be, com commodos psra grande familia, eatriba-
ria e scffrivel quintal, no fondo do qual passa o
amena rio : quem a pretender, dirija-se a ra
do Porto das Canosa de Santo Antonio, segando
andar do sobrado n. 33.
Quem precisar da ama criada portuguesa
para o aervico interno de caaa de familia, dirija-
se a ra de Apollo o. 37, terceiro andar.
0 Sr. Jos alaria Vieira da Silva tem urna
carta vioda de Loaods, na ra do Vigsrio n. 19,
primeiro andar.
Quem quizer arrendar ou comprar o engeoho
Itapirema do Meio na comarca de Goianna ou ar-
rendar o engeoho Souza na freguezia da Taquera
os provincia da Parahyba, ou mesmo comprar
mais de metade deate engenho, perlencente aos
herdeiros do finado coronel Estevao Cavalcanti
d'Albuqaerqae, dlrija-se a ra estreita do Rosario
n. 10 3* andar oa ao engenho Tab na freguezia
da Taquera.
Quem precisar de um molaque para o ser-
vijo de casa e de rus, queira procurar na roa da
Soledade, casa terrea n. 46, qae achara con quem
tretar. '''"'
preleuder dirija-ge
34, botica.
rna larga do Rozario n.
Claudio Dubeui faz aciente a quem convier
que o mnibus da linha de Jaboalo sahe do
Hecife todos os das uteis as 4 horas da tarde e
volla de Jaboatao as 6 1|2 ds manha.' Oulro
airn, que, prximo a fesla haver tambem m-
nibus psra Jaboalo nos domiogos e dias santos,
o que se anounciar em tempo competente.
Scientieamosque sabbado 16 do correle prin-
cipiar a linha para a Vanea, cujo mnibus sa-
turado Recite nos dias uteis as 4 li2 horas da
tardele voltar da Varzea as 7 1|2 da manha.
Nos domiogos e dias santos sahir do Recite as
b l|2 da manha e vollar da Varzea as 5 Ii2 da
tarde.
ALUGA-SE
o armazem sol* andar do sobrado n. 6, na roa
da Lapa; assim como o aotio da casa terrea n.
4, na mesma ra : a Iratar na ra Velha n. 57.
T A'64-o a loja do sobrado o 3 alta ao nor-
te da fabrica do gsz.e a beira do rio ; com 3 quar-
toa, doassala, quiot*l cacimba ele, proprio para
familia, a tratar com o Sr. Luiz Uanoel Rodri-
gues Valeo;a, no mesmo sobrado.
Juizo dos feitos da iVenda.
No dia 14 do crreme, as 10 horas da manha.
depois da audiencia do lllm. Sr. Dr. juiz privati-
vo dos feitos da fazeoda nacional ae vender em
prega os seguinles objectos :
Um telheiro coberto de telha sobre pilares si-
lo na ra da Concordia, perlencente aos herdei-
ros do finado Pedro Antonio Teixeira Guimsres.
Urna casa terrea aita no Honteiro, pertencente
a Jacintho de Souza Travaasos, afiliado o te-
lheiro por ItfOOf, e a cass por 2:400a : cajos ob-
jectos se vendem para pagamento da fazeoda na-
cional. Recite 7 de novembro de 1861.O soli-
citador, F. X. P. de Brilo.
Convite s familias.
Sodr & C. convidara aa familias a virem to-
mar sorvete daa 6 is 9 horas da noite, na ra es-
trella do Rosario n. 11. # OT
Arremataco.
Quarta-feira 13 do crrante, logo que lindar a
audiencia do Sr. Dr. juiz municipal da 2.* vara
ser arrematada por ser a ultima praca, urna oar-
te da caaa e sitio em trras do Moateiro i msr-
?" 1f sagas psra oa Apipucos, ao
lado direilo, a qual pertaooente aos herdeiros
do tinado Francisco Cavalcaotf de Helio, cuja par-
le foi penhorada por eiecocao de Maaoel Jos
Hamos contra Alvaro Fragoso de Albaqaerque, e
tai avaltadaea 590; Eacrtrao Alleyde.
dade.
O proprietario do buhar e caf da raa da Impe-
ratriz o. 13, avisa pelo presente a seas aaaaaraaaa
freguezea, que do dia 10 do correte esa diaale
teri mudado o aeu eatabeleciasaala aera a ases-
ina ra n. 69 e 71, onde oio tesa poupado trasm-
iti e despezas para montar ara esubelecimento
com todas as commodidades e aeaeia que exige
urna verdadeira casa da recreio : cosa sala conve-
nientemente ornada a iodependenle para fami-
lias, salo para buhar, cafe srveles, alpeadre
convenientemente arranjados para oelles se |>as-
sar o precioso tempo do recreio, eaaSaa. leda a
que exige um esubelecimento desta rdeas, a
com asseio, restando ao proprietario leda a coas-
ciencia de bem satiahzer is pessoas qae freqaea-
tarem a sua oova casa, agradeceado de aaieasie
aos seus freguezos enligse moderaos aa syaapa-
tbias que Ihe devedor.
Deseja-se saber a moradia do Sr. Maaotl
Goocalvea da Silva Qoeiroz, ou o dito Sr. dirja-
se i ra de Santa Cecilia n. 14, a negocio de ata
nteresse.
Attencao
sobre Pa-
Jos Vaz de Oliveira, Datura! da freguezia da
Sania Baria Magdalena de Gouviabas esa Paria-
gal, assiatenle na ra do Hospicio a. t no Rio
de Janeiro, detiara que tendo acata provincia da
Pernambuco, um seu tio de nome Jeacjaiaa Fer-
reira da Cruz, e nio tendo aaa familia recetada
ootieiaa suaa ha muito tempo, sappoada qae le-
nha fallecido, neste intuito raga o eapecial aaaa
quio, a alguma pesaoa que o conbeea, aa tiver
conhecido. de dar algente iaibraaeeeea a raaaat-
lo nesta cidade de Pernambuco esa caaa a Sr.
Azevedo & Mele?, raa da Cras a. 1.
Rio de Janeiro 24 de ouiubro de 1861.
Joe Vaz d'Olivera.
Thomaz de Faria saca
nse Rio de Janeiro.
Precisa-se de um carrocoiro a da asa traba-
Ihtdor de masseira : na ra doe Pescadores aa-
meroa 1 e 3.
Deseja-ae saber noticias do Sr. Doaalagoa
Ferreira dos Sanios Porto, aataral de Pertogal,
no escriptoro de Azevedo 4 Hendes, raa 4a Craz
numero 1.
0 Dr. Joao Honorio Bezerra de Meaezea
mudou a sua residencia para a raa da Palada da
Bispo, casa contigua so portio do tnie 4* Dr.
Antonio Luiz Cavalcanti.
No dia 8 do correte per Jea-ae da raa Nava
al a ra da Cadeia do Recite asa aHtUwaSa :
quem o achar e qoiier restituir a sea daa*
dingir-se a ra do Vigario o. 31, que aa dar
recompenss.
Aluga-se ama cass no Monteiro
Us, 4 quarlos, quarlo fora para aaeravaa,
nha aeparsda e doua quiataea taaradas coa
hida para o rio : na raa do Asnera
Travossos Jnior & C.
Aluga-se e sobrado de ata andar a arata-
zem ratificado e piolado, na raa da Hoeda a. 33:
a trataros roa da Imperatriz n. 53, segando sa-
Aluga-se o primeiro aadar da aobrado da
ra da Senzala Velba n. 48 : a tratar aa lata
mesmo. "
7- Os drrinislradorea da massa fallida de Car-
neiro 4 Ramos, tendo de proceder cealerae de-
termina o art. 859 do cdigo do coasaercia. sen-
vidam a todos os Srs. credores a 'rrsasaltj___
seus ttulos de crdito 00 stlt>tlsiiasat, a
Domingos Jos da Cuaba Lopes, aa raa da Isa
zal Nova n. 30, iato no prazo da 8 diee.
Jos Augusto da Cosa Goecalvaa subdita
portugus segu para o Rio de Jaaeire.
Offerece-se ama aaa aera eaeiaba ata
qualquer urna cass,a qual sabe cos a bar ttifate
mente ; na rna do Vigario. n. 26.
*
t
cea 2 sa-
ia araizea da
A
Pedido
Pede-se ao Illa. Sr. Germn fraacieca da
Oliveira o especial obsequio de lavar tasas
eximio drena do Sr. Heodce Leal fanisa;' p
breza envtrionhada deaeaaaobaaala ai
senhor s parte de Jos Silvestre, aaa
listar! ao publico coa aaa aal aaveeiave
Uto Iba peder
Ib 1
.
J fc Jll ITII A kTX


O Sr. Joi
tea Ama c
lh, fiado
Santon. 4. .cap^o. 4. JoaoF^
'ui10 ?* o do crreme do enge-
nta Cecai da fregoezia d, Kicid., o cabra Tro-
qailltto, assarellego. ps epalbetados. falto d
deptosoa freflto, olbbi!be ea*rrthos, altdra re-
guiar, loro TMttd catara a talca d atgodio
forro. Quem o PKlrMM meimo enga-
rnio, que ser recompensado, ou 10 Recite em
' W t*|rt Salvador, oa roa ZlropT
rador.
Da eu do abaixo atsigoado desappreceu
no da 8 do correte, i noiU, o preto Theodoro,
escravo do Illm., Sr. tentla coronel Fraociaco
Santiago Ramos, o qual lera os seguales signaos:
representa 30 annosdoidade, crioulo, alio, aeoco,
pouoa barba, e coziobeiro : quena o pegar le-
veda a roa da Trincharas o, 48. ou m engenuo
riotri em Barreiros, que ser recompensado.
Joaquim virio Alves da Sil.
Precisa-ae^Je'-ha csiteiro de 14a lean-
nos para taberna : oa ra da* Cfoiee n. 23.
. TT AJug_,"8e 2dar e ioja n. 10, da ra es-
trella do Rosario: a tratar junto a ensarna Ioja.
r T Preci."-e fallar, ao Sr. Julio da Silveira
Lobo: noeacriptorio de Jes Joaauim Dias Fer-
nando & Filho, traressa da Madre de Dus
n. 12"
Urna pesaos do sortio deseja fallar ao 9r.
vigarie Camillo, de Campia Qrar.de; queira ao-
nunclara soa morada, ou dirigir-se a librara
ns. 6 e 8 da prega da Independencia. das 9 ata
meio da.
Armazem.
Alufa-se o srmazem do sobrado da ruadas
Larangeiras o. 18, proprio para qualquer esta-
belecimeoto : tratar na mesma n. 16.
Precisase de um bomm idoao que queira
se applicar ao serrigj moderado de um mui pe-
qU*i : ,r*Ur M "" ** Impera tria, Ioja
Oa abaixo assigoados portadores de duas lel-
tras saccadas peie Sr. Jos Victorino de Psiva
em 22 de abril do correte anuo a 12 e H me-
zes da praso, da importancia cada urna dn 1:3755
rs. o aceitas pelo Sr. Joao de S Cavaleante de
Albuquer jue, rendo ao Otario de sabbado-, 9
do correle, o anouncio do mesmo Sr. a respei-
to desaas tras letlrss Acarara sorpresos, por que
das depois de termos reito o descont das duas
referidas lettras estoreo Sr. Semooatoarmazem,
onde lhe coramunicamos de estarem ditas lettras
em nosso poder, e que contaramos nao harer
falta no da do veooimenlo, e o Sr. S nenhama
observagio eolio fea : nao duridamos de t6iem-
se dado os fados conforme os narra o Sr. S,
mas nada temos com esse equiroco tanto do Sr!
S como da casa dos Srs. BosUom Ruoker'&
C, e urna vez que contra o diaposto do artigo
398 do cdigo do commerco pagou a letlra sem
lhe apreseuUretn, est na obrigagao de pagar nos
rencimenlos, as lettras que acceitou como ex-
presso oos artigos 396.e 400 do citado cdigo.
Cortos da probidade do Sr. S, estamos per-
suadidos de que cooscio da sua digoidade paga-
r em seus vencimutos t lettras que Qrmou, as
quaes desde ja protestamos haver de todos os
aignatariosjpelos meios legtes. Recite 11 de no-
vembro de 1861.Ferretra & Araujo.
A quem {altar um cavallo que oo dia 9 do
correle vagara pelas ras da cidade, e a noite
foi recolbido, procure oo caes do Ramos n. 10.

Compras.
Compram-se moedasde ouro de 20f brasi-
leirss, e pecas de 169 portuguezas : no escripto-
rio de Manoel Ignacio de Olireira & Filho, largo
do Corpo-Sauto.
Compra-te urna ou duas casis terreas no
bairro de Santo Antonio: quem tirar e quizer
render, na ra do Gabug n. 1 A se dir quem
compra.
Compra-se urna escrara que saiba coziohaj
e eogomtoar : na ra do Sebo n. 35.
Vendas.
Pechiucha.
ARMAZEM
B3
ROUP A TBFPA

Joaquim F. dos Santos.
40Ra do Qoeimado40
Defronte do becco da Congregado letreiro verde.
Neste estsbelecimento ha sempre um sortimento completo de roopa falla de
todas as qualidtdese tambero.se manda executar por medida rontade dos fregue-
ses para o que tem om dos melhores professores.
Casacas ue panno preto a 401,
35| e
Sobrecasacosde dito dito a 359 e
Paletots de panno preto e de co-
res a 35. 30, 25. 10, 18 e 205)000
Ditos decasemira de cores a 229,
15f.l2j.79e
Dito de alpaca preta golla de
velludo fraacezas a
Ditos de merino setim pretos e
de cores a 9| o
Ditos da alpaca de cares a 5 e
Ditos de alpaca preta a9, 79, 5 e
Ditos dd brim de cores a 51,
4500, 4 e
Ditos de bramante de linbo bran-
co a 6, 5fe '
Ditos de merino de cord&o preto
a 15 a
Caigas de casemira preta e de co-
rea a IX, 10, 95, 7 e
Ditas de prioceza e merio de
cordo preto a 5, 69500 e
Ditas de brim brauco ede coras a
5. 4*500 e
CaiQ da ganga de cores a
Gollete de relindo preto e de co-
res lisose bordados a 129.99 e
Ditos da casemira preta e da co-
res lisos e bordados a 69,
59500,5
Ditos de setim preto
Ditos de seda e setim btanco a 6 e
Ditoa de gorguro de teda pretos
e da coras a 7, 6, 4 e
Ditos de brim e fuslio b raneo a
3|5O0, 2*500 e
Stroulas da brim de linho a 2 e
Ditaa de algodio a 1*600 e
Camisas de pello de fuslio brsnco
ede cores a 29400 e 29200
Ditas de paito de linho a 5, 4 e 3*000
Ditas da madapolau brancas e de
corea a 39, 29500, 29 e
Chapaos pretos de maaaa franeeza
forma da ultima moda a 109,
8f500e
Ditos de feltro a 69, 59, 4 e
Ditos de sol de seda ingleses e
francezea a U$, 129, ltf
Colinabos de linho muito daos
no vos feitios da ultima moda a
Ditos da algodao
Relogios de ouro patente e hori-
zontal a 100S, 909. 80f e 70f000
Ditos de prata galvaniaados pa-
tente e horizootaea a 409 30|00o
Obras de ouro, aderegos e meios
adereces, pulcerras, rozlas a
soeis a 9
I Toalbas de linho dozia 10|, 69 e 9f000
3J500! Ditas graBdes para meaa ama 3 e 49000JJ
3000O
309000
99OOO
IO9OOO
8*000
89500
35500
39500
49OOO
89OOO
69000
49500
2S500
39000
89000
59000
59000
59OOO
39OOO
29200
t280
1|600
79000
29000
79000
9800
9500
RA ]>0 QUEIMADO N?46
mNDEMTIMENTo
Guimares k Villar.
Ra do Crespo numero 17.
Veiideiii liara i issimo.
Cambraias brancas bordadas para vestidos desenboras a 79 a pega de 9 raras.
Organdys de cores delicadas a 500 rs. o corado.
Cassas de cores fazenda Ona a 240 e 280 rs. o corado.
Mauguitos e gollinhas psrs senhoras a 29 o par.
Gollinhas ultimo gosto a 1.
Manguitos a 39 o par.
ntremelos ricamente bordados a 29-
Tiras estreitas e largas bordadas para enfeites de vestidos de 29 a 59 a pega,
Saias bordadas do 4 pannos s 49.
Saias bordadas de 3 pannos a 29500.
Saias balo de musseliaa com babados a 69.
Chapeos de palha de Italia para sanhora a 289.
Ditos de seda para seohora a 129. ,
Manteletes de seda
o que ha de mais moderno de diversos pregos.
Ditos de fil muito bonitos a 308.
Vestidos brsocos bordados a 20y.
Ditos brancos bordados a 79.
Caitas francezasdetodasas quslidades a 280,300, 360 e 400 rs. o corado.
Uadapolo de todas as qualidades a 49,49500, 59 e 79 a pega.
Ourras rouilas fazeodasde gosto e pregos baratos.
I
m
4
3
20
60
19
aatajs Sortimento completo de sobresasacos de pinoo a 259, 289, 30 e 35, casacos muito bem
feitas a 25|, 28f, 30J e35|, palelots acasacadosde panno preto de 16 at 15, ditos de casemira
da cor a 159, 181 e 20|. palalota saceos da panno e casemira de 89 al 149, ditoa saceos de alpaca
m erin a la de 4 at 69, sobre de alpaca e merio da 79 at 109, caigas pretas de caaemira de
89 al 145, ditos da corda79 at 105, roupas para menino de todos os tamaohos, graode sorti-
mento de roupas de brins como sejam calcas, paletots e co'.leies, soriimento de colletas preloa da
setim, casemira e relludo de 49 a 9|, ditos para casamento a 59 e 69, paletots brancos de bra-
mante a 49* 5f, caigas brancas muito finas a 5f, e om grao le sortimento de fazendas fins e mo-
dernas, completo sortimento de casemiras inglezas para horaem, raen qj e aenhora, seroalas de
linho e algolo, chapeos de sol dsela, turas da seda de Jouvin para horaem e senbora. Te-
moa urna graode fabrica de alfaiale onde recebemos oncorameodas de fraoies obras, que para
isso est sendo administrada por um hbil meatre de semelhante arte e um pessoal de mais da
etncoenta obrairos escoltados, portaoto eiecatamos qualquer obra cora promplido e mais barsto
doqueem outra qualquer caes.
1f
2
169
16*
240
4C0
50
89000
500
4
19
120
120
1O
50
329
640
50
Attenco.
Veode-se ama barcaga de lote de 25 caitas,
ners, sem aiada ter navegado, construido com aa
madeiras de melhar qaslidade : os prelendeoles
podem dirigir-se ra da Praia, armazem n. 9,
que acbaro com quem tratar.
Taixas.
Maior reduccao nos preqos para acabar.
Vendem-se no armazem 4a Braga Soa & C.
na ra da Moeda, taixas de ferro cuado do mui
acreditado fabricante Edwin Haw a 100 rs. por
libra, as mesmts que sorendiam por 120 rs.
Acaba de
chegar
noy armazem
DE
B4ST0S & REG
Na ra Nova junto a Con- S
ceico dos Milita-
Na ra doQueimado o. 47, reode-se risitas de
seda da ultima modd por todo prego vista
do cobre, cheguem que se est acabaodo a
pechiocba.
Attenco.
Vende-se o releiro e bem conhecido patacho
americano L. G. Watts, de 180 tonelladas, pode
carregar 13.000 arrobas : os pretendenles quei-
ram dirigir se o mais breve possivel a ra do
Trapiche n. 8.
Vende-se
urna porgao de msicas modernas e alguns me-
thodos de piano e esnto, e um mdxo de Jacaran-
da para piano : na ra Direita n. 60, seguodo
andar.
Caixas de vidros *a 13000.
Veodem-se caixas de vidros para ridraga, de
todos oa lamanhos : na Ioja da ra da Cadeia do
Recife n. 64.
Acaba de vir iropresso de Pars um traba*
lho intituladoBnsaio sobre o tratamento radical
das hernias pelo Dr. V. Saboia, lente oppositor
da Faculdade do Rio de Janeiro : Vende-se cada
exemplar a 1500 na livraria universal de Guima-
res i Olireira, successores de Ricardo de Frei-
tas& C, esquina da ra do Collegio n. 20.-
Manteiga ingleza flor a
800 rs- a libra,
em barril a 720, franceza a 640, toucinbo novo a
320, seradinhi a 160, sag a 200 rs.: na ra das
Crazes n. 24, esquina da traressa do Ouridor.
Farelo
a 49500 e 45 a sacca : no armazem di estrella do
largo do Panizo u. 14.
Veode-se urna casinha de pedrs e cal no
bairro de S. Jos, com dous quarlos feitos de no-
vo, portas, porlaes, ferrsgem, ladrilho, piolara,
ludo oovo, a excepgo do caixio que foi ratificado
e bem construido, rende mensalmente 139' >
trata-se na travesea de S. Pedro n. 6.
Milho a 4^000.
Veodem-se saceos com milho a 4$: oa ra do
Crespo o. 14.
No armazem de F. Sourage & C. oa i
ra da Cruz n. 20, ha continuamcate pa- S
ra vender 03 seguales gneros:
Vinho de Bordeaux em barris.
Dito em caixas. SE
Latas de sardlobas. *TS
Uassa de tomates.
Potes com musanla. ||
Fructas em cooserras. >
Pateis de diversas.qualidades.
Ceps em conserva.
Velas atearinas. fl
E ARMAZEM
DE
res n. 47.
Um grande e variado sortimento da
I
Joaquim Francisco dos Santos.
40la do Queimado40
Defronte do becco da Congregando, letreiro verde.
VENDE-SE O SEGUINTE:
Para casamentos.
Ricos cortes de vestido de fil ou blood de seda branca com ramo e capelli,
mais moderno e superiorque ha oo mercado.
Para bailes.
Lindos cortes de vestidos de fil ou blood de seda branca bordados a branco e
cores.
Ditos de tarliUoa branca bordados a brance cores.
Ditos de cambraia branca bordados a branco com muita elegancia.
Ditos de barege de seda de cores com barras e listas, aovos gostos americanos.
Saias bordadas
Ricas saias de cambraia branca bordadaa com o mais apurado gosto e mais finas
que ha no mercado.
Ditas de dita recortadas mais baratas.
Para baptisados.
'Ricos corles de vestido de cambraia branca bordados com muila elegancia, o
miis moderno e mais superior que ha no mercado.
Manteletes.
Ricos manteletes de seda de cores e pretos bordados e lisos com enfeites, bem
como arrendados, por pregos commodos.
Lencos.
Ricos lengos de cambraia de linho bordados a 3*9,49 e59 cada um.
Chales,
Ricos chales da toaquim brancos bordados de ponta redonda e de 4 ponas.
Alem das fazendas cima mencionadas tem um grande sortimento de todas as
qualidades, que nao possirel mencionar-se pelo grande espago que tomara.
Vende-se na roa Nova n. 59 um par de ar-
reos francezes, chegados ltimamente, e tam-
bera se vende um cabriole! novo sem arreio.
Vendem-se os verdadeiros coraes grossos
e Qoos para voltas a pulceiras: na ruaestreita do
Rosario d. 10.
Ricoscortes
DE
Vareja.
Tendo cada um 19 covados,
pelopreco delSJ-OOO.
Sirop du
JARABE DO FORGET.
Este xarope est approvado pelos mais eminentes mdicos de Pars,
_ orno sendo o melbor para curar conalipacoes, tosse convulsa e outra s,
afleccoes dos bronebios, ataques de peito, irritacoes nervosas e insomnolencUs: ama colberada
pela maiih, e outra noite so sufQcientes. O elfeito deste excelente xarope satisfaz ao mesmo
lempo o doente e o medico.
O dspotito na ra larga do notario, botica de liarihulumeo F'ancitco de Souza, a. S6.
N.
Vende se aa armazem de
raa do Qoeimado n. 19.
Sanios Goelho na
Fazendas baratissimas
20Ra da Imperatriz--N. 20
O baraleiro Ouarte acaba de receber novo sortimento de fazendas que retalha sendo a di-
nheiro aos seguales pregos como sejam : cassas,borda jas propriss para cortinados, babados oa
mosojueteiros a 1J600 s pega, cambraia grossa com 8 Tarascada pega ptima fazenda para penetra?,
mosojueteiros, aaias e forro de vestidos a 19900, mussalioas largas das aeguintea cores verde, azul,
preta, tia, encamada branca a tOO ra. o covado, cortes de rlqoissimas lioa escuras, com babados
contando cada um corla24 covados a 109 o corte, reliado da seda das seguimos cores cimento,
verde, azul o relo, excellente fazenda para reslidoa de seobora e roupioha de criaogas pelo baixo
prego de 29900 a corado, corles de cambraia Una com salpicos miudiohos a 59, tiras bordadas e n-
tremelos a !, i pega, gollinhas bordadas muito finas a 19, chitas com algum toque de moto a 160
rs. o corado, peitos para csmiaaa brancos e de cores a 190 ra., lengos de caasa e da chita para
craucaaa 80,100 e 120 rs>, cobertores da l escoros a 13200, casemira preta a 59 o corte, dita da
cores a 49> chitas pretas francezas a 240 rs., eassas da coros e pretas a 210 e 400 rs. o corado, bra-
mante com 2 raras de largura muito boa fazenda para leacoesa loalhas de meaa a 19280 rs. a vara,
em sarama acharao es Sra. compradores no predilo estabelecimeolo, um completo .sortimento da
lascadas de lei como sejam ruada poli o, algodao, taitas e oalras muitas fazendis, tudo baraisimo.
rpupas feitas, calgados a fazendas e todos
estes serendera por pregos muito modi-
ficados como de seu costume.assim como
sejam sobrecesacos de superiores pannos
a casacos feitos pelos ltimos figurinos a
269,289,309 e a 359, paletots dos mesmos
pannos preto a 16$.18|, 209 e a 249,
ditos de casemira de cor mesclado e de
noven padroes a 149.169. 189.209 e '249,
ditomsaccos das mesmas casemiras de co-
rea s/9, 109,10$ a a 149, ditos pretos pe-
lo diminuto prego de 89,109, e 1 ata, ait n.
de sarja de seda a sobrecasacados a 129,
ditos de merino de cordo a 129, ditos
de merino cbinez de apurado gosto a 159.
ditos de alpaca preta a 79. 89, 99 e a 109,
ditos saceos pretos a 19. ditos de palha de
seda fazenda muito auperior a 49500, di-
tos de brim pardo e de fusto a 99500, 49
e a 49500, ditos de fustao branco a 49.
grande quanlidade de calcas de casemira
preta e de cores a 7, 89, 99 e a 10, ditas
pardas a 39 e a 49, ditas de brim de cores
Unas a 28500, 39, 39500 e a 4$, ditas de
brim brancos tinas a 19500, 5|, 59500 e a
69, ditas de brim lona a 59 e a 65, colle tes
de gorguro preto ede coras a 5e a 6J,
ditos de casemira de cor e pretos a 48500
e a 59, ditos de fusto branco e de brim
a 39 e a 395OO,ditos de brim lona a 4f,
ditos de merino para luto a 49 e a 85O0,
calcas de merio para luto a 4(500 e a 58,
capas de borracha a 99* Para meninos
de todos oa lamanhos : caigas de caaemira
preta e de cor a 58, 69 e a 79, ditas ditas
de brim a 28, 39 e a 39500, paletots sac-
eos de casemira preta a 6J e a 7, ditos
de cor a 69 ea 7|, ditos de alpaca al39,
sobrecasacoa de panno preto a 1 2J e a
14, ditos de alpaca preta a 59, bonets
para menino de todas ss qualidades, ca-
misas para meninos de todos os tamanhos,
meios reos vestidos de cambraia feitos
psrs meninas de 5 a 8 annos com cinco
babados lisos a 89 e a 12f, ditos de gorgu-
ro de cor e de la a 59 e a 69, ditos do
brim a 39, ditos de cambraiarieamente
bordadoa para baptisados,e mullas ou tras
fazendas e roupas feitas que deixam de
ser mencionadas pela sua graode quanli-
dade; assira como recebe-se toda equal-
quer encommenda de roupas para se
mandar manufacturare que para este fim
temos um completo sortimento de fazen-
das de gosto e urna grande offleina da al-
faiate dirigida poram hbil mestre que-
pela suapromptidoeperfelgonadadei-
xaa desojar.
BARATO
sem igual, s na ra do
Queimado n. 40.
Luvas de seda de cores para homens, senhoras
e meoinas, o par 400 rs.
Lenciohus de seda com franja, finos, para me-
ninas a senhoraa botaren) no pescogo, um 500 ra.
Chapeos de sol de seda para meninas de esco
la, um 19600.
Grvalas da seda de ponta larga, outr'ora do
ralor de 4 a 69, pelo diminuto prego de 18 urna
Dirersas fazendas de lia e seda para vestidos
desenhora, que outr'ora se reodiam por 15280,
pelo diminuto prego de 500 o covado.
Sedas decores superiores com pequeo toque
de mofo a 800 rs. o corado.
Superiores e afamadas peonas de ago denomi-
nadas langa, groza 600 rs.
Pegas de casa lisa e barege com 10 raras a 49.
Chitas largas a 220 rs.
na,Ioja do Pavo
Vende-se Bolsimas chitas francesas com pe-
queo toque de mofo, afflangsndo-se soltar o
mofo logo que se Isrem, por seren de cf)r fitas
a 220 ra. o corado : oa rus da Imperatriz o. 60,
Ioja de Gama & Silra.
Ferro < Maia.
Ra do Queimado n. 10,
Ioja de 4 portas.
Vendem-ae cbitas Irancezas muito finas de co-
res flxas, corado a 240 rs.
Chitas inglezas, covado a 160 rs.
Cassas francezas muito finas, covado a 220 e
240 rs.
Brim brsnco de puro linho, vara a 19-
Psnno verde, cor de caf, azul e preto, corado
a 39000.
Chales de touquim a 159000, 20, 25, 30, 35,
40 6 509000.
Superiores meias de algodao cr a.-a homem,
a duzia 4J.
Visitas bordadas a matiz, urna, 89 e lOf.
Camisas para seohora, urna, 29.
Cortea de casemira de cor, superior fazenda, a
39500.
Velludo de todas as cores, covado, 39 e 48-
Superiores paletots de casemiras de cotes a 14{.
Riquiasimas capinhas bordadas para senhora a
45 e 509.
Riquissimos manteletes pretos bordados a 35 ,
409000.
Riquissimos corles de seda preta a 40,5 f 6O9.
Ditos ditos de cambraia branca bordados o 209,
25. 30, 35 e 409.
Chales de merino eslampados, superior fazen-
da a 49.
Cortes de velludo de cores para collete a 49 e
59OOO.
Gollinhas de cambraia bordadas, urna 320 rs.
Superiores casemiras de cores, covado a 298OO
e 39000.
Pentes virados de tartaruga a 6 e 89.
Lengos de linbo, duzia a 5 e 68.
Camisssdelioho, duzia, a 35, 40 e 459.
Casemiras pretas, auperior fazenda, covado a
19600 e 18800.
Cortes de cambraia bordados a 18600.
Ditos de dita de salpicos a 39.
I.eques a 3.
Chapeos a Garibaldie travista a 10, 12 e 159.
Ceroulasescocezas, urna I9-28O.
Tarlstaoa de todas as cores a 800 rs.
Existe mais nm esplendido' sortimeno fa-
zendas que seria enkadonno menciona-las, e que
ae vendem por muito menos prego do que em
I outra qualquer parte.
as do Queimado n. 55. Ioja da aaiadezaa
de Jos de Azevedo aiaia a Silra, tasa daetiaado
acabar coas cartas a dalermiaadaa mia4ezaa pelas
pregosabaixo declarados, e renbam loca cois
est caando.
Caixis com agulbss francezas a..........
Novellosdellnha oara marcar a 20 rs a..
Ditos da linha de cores a multo grandes a
Carretel de Huha, superior qualidade a..
Linha branca do gas a 19 rs. e...........
Dita dita,a melhor que ha, novello grande
Pares de meias de cores para meninos a
Duzia de meias cruss muio superiores a
Dita de ditas ditas a......................
Pares de meias decores psrs neniaos a
Linha em eario Pedro V a..............
Caixas com phospbores dt segara ac a
Caixas de folfias com phosphoros (s a
caixa ral tOO rs.) s..............*.....
Duzia de phosphoros do gaz a..........
Frascos d'agaa de colonia superior a___
Ditos com cheiros muito finesa........
Duzia de meisa muito finas peraaenaera
Caixas de apparelhospsra meninos a 240
' ............
Trancas do lia e deliobo sorlidasa......
Sabooetes grandes e superiores a........
Groza de botea pequeos para caiga a..
Groza de boloes da louga a.........;....
Varas de trsmoia superior a 120 e........
Groza de peonas da sgo a................
Garteiras muila superiores a............
Baralhos portuguezes s..................
Tesourss muito finas para costars a'.'.".
Ditas para un has a 240 e..............
Baralhos para roltarete a 240 e......
Frascos deban ha deargoa................
Frascos grandes de lavande asabresda, su-
perior qaalidade a.................
Frascos de oleo de b-bosa a XOa......
Frascos de daoba multo fina a 140 e ." 320
Agulheiros Com agujhis a.............. &
REMEDIO INCOMPARAVEL
UNGENTOTHOLLOWiT "^
Hilhares de individuos da tosas as nsefes
podem testemonhsr as virtudes deste remedio
neomparavele provaremeaso necestr, ql
pelo uso que delle fizara tea sea 0tmZ
merabrosimeirsmente saos depoisde harer ts-
pregado intilmente outrostrsumeotos. Cada
pessoa poder-se-hs convencer deesas curas. Ba-
rarilhosas pala leilura dos peridicos, que Ib'ss
relatara todos oa dias ka maitos annos; a a
maior parte deltas sao tao sor prndeme; eje
admirara .os mdicos mais celebres. Oaoies
pessoasrecobraram com ata soberano rearedM
o uso da seus bracos a pernas, depois dador
permanecido longo lempo nos ospitaes, o sao
deriam soffrer a imputagao 1 Dallas ka sal-
eas quena vendo deixado esses, asjlos dopada
timemos, para se nao subrneterem a ass cao-
rago dolorosa (orara curadas completamente,
mediante o uso desseprecioso remedio. At-
gumas das taes pessoa na enfosao de seo rere-
nhecimento declararan oa tes resollados tea* li-
eos diante do lord eoiregedor e outros nagis-
trados, afimde mais autentica rea sua a firma-
liva.
Ninguem desesperara do estado deaaoda ao
tiressebastante confisnea para encinar osla re-
medio constan temen ttseguiDdo algara tempe o
tratamento que neeessiasse a oaioreza do ata)
cujo resultado seria provar ineontestarelmenlal
Que tudo cara.
O ungento be til, amala pmrtseta.
larmente nos aegmiaites caaos.
bexiga
IHac&as.
Vendem-se barriquiohas com magaaschegadas
ltimamente no gelo, pelo prego de 89 a barri-
quioha: na ra de Apollo, delroate do Iheatro.
E pechincha
Cortes de barege de seda com 30 covados a 129,
cortes de lia com 24 covados a 5$, gase de seda
com lindas flores s matiz, covado a 800 rs., pe-
cinhas de ntremelos com 3 lt2 varaa a 19200,
fino fusto de collete a 19200 : na ra do Quei-
mado n. 44.
50 ARa da Cadeia do Recife50 A
Sem limites.
f2F* 3)51500 e 30000.
Manoel Gougalves de Oliveira Santos est ven-
dendo cortes de vestidos de cambraia com qua-
tro ordens de babados de apurado desenho a li-
nha a 395OO, dito dito abeilos a 39 neste estabe-
lecimeolo s se vende muito barato.
armazem de fazendas
DE
Santos Coelho
NA.
Ra do Queimado n. (9
de
argo,
largos a
Esleirs da India de 4, 5 e 6 palmos
proprias para forrar salas e camas.
Lencoes de bramante de linho muito
39000.
Cobertas de chita, gosto a chioeza. a 1J800.
Leoces de psnno de linho a 2&000.
Toalhas de linho adamascadas para mesas a 49.
Cortes de chita francesa escura a 29500.
Completo soriimento de capellas para uoiva.
Toalhas de fustao a 500 rs. cada urna.
Um tico sortimento de chitas francezas finas e
modernas.
Corles de seda decores pelo bsrstlssimo prego
de 409.
Cortes de phantasia de seda pelo prego de 89.
Algodao entestado, tendo 7 palmos, a 560 rs.
a vari.
Ricas colchas de fusto a 69.
Aviio aos senhores de engenho que qua-
si aempre gastara a manteiga derret*
da pelo grande calor.
Sodr & C, na ra estrella do Rosario n. II,
se obrigam a despachar encomroendas em ordtm
que chegue a manteiga era estado de se cortar
com faca, Como na Europa, e para que te torna
muito mais deliciosa.
Vende-ie urna bapca redonda de Jacaranda
com lampo de marmore, urna cama de palha de
araarello e urna serpentina de bronze com 5 lin-
ternas, e mais alguns objectos, eslando lado em
bom estado : quem pretender, dirija-se a roa Di-
reita o. 60, segundo andar, qpa achara com quem
tratar.
Inflammagao da
-da matris
Lepra.
Malos daa persas.
dos peitos.
da olhos.
Mordeduraa da repiis.
Picadora de mosquitos.
Pulmes.
Queimadelas.
Sarna.
Swpnraodes ptridas.
Tinba, ora qualqaat
parto que saja.
Tremor do ervo?. -
Ulceras na bocea.
do figado.
das anicolacdee.
Veiaa torcidas oo
das as pernis
no-
Alporcss
Gaimbras
Callos.
Ancores.
Cortaduras.
Dores decabeca.
das costas.
dos rnenbros.
Enfermidsdes da cutis
em geral.
Ditas de anus.
Erupfes eseorbulie.
Fstulas no abdomen.
Frialdade ou falta de
calor as extremida-
des.
Frieiras.-
Gengivss escaldadas.
Incbacpes.
Inflsmmsgao do figado.
Vende-se este ungento no ukelemnotMo
geral de Londres n. 244. a Strsnd, e na Ioja
de todos os boticarios droguista e oolras pes-
soas encarregadas de sua venda en toda a
America do sul, Havana a Hespanha.
Yende-se a 800 rs., cada bocelinha contera
urna insiruccio em poriuguez para explicar a
modo de tazar uso desle ungento.
O deposito gersl em casa do Sr. Soom,
pharmaceutico, na ra de Cruz o. SS, aja
Pernambuco.
S arara que est
liquidando.
Vende-se grosdeoaplo preto a 19900 a 1)800 o
covado, dito dito muito eocorpado de cores para
vestidos a I98OO, damasco de lia muito largo a
13100 o covado. risesdo escocez pars vestido a
280 o covado, mussulioa de cores a 320 o cavado.
chitas para vestidos a 160 e 180, ditaa francezas
largaa a 220, 240,260 e 280 o corado, csea da
salpicos a 200 rs. o corado, ditaa do corea a 240)
o corado, salas balio de panno sem arcosa 29409
o covado, ditas de madapolio a 39, ditas da 20a
40 arcos a 35 e 39500, e cetras muitas fajeadas
que se dar amostras para so ver, lado por pre-
go bsratissimo ; na ra da Imperatriz. laja da
arsra de 4 portas n. 56, de Megelhies afeudes.
Ultima moda
italiana,
viudo 110 ultime vapor fraoeez
40 Roa do QieiMtJ* 40
Lindos cortes de vestido da aeda de cores a ita-
liana.
Ricos manguitos rom gollinhas da cambraia
braoca bordadoa a balo.
Um graode sortimento de chales da mrito da
todas as qualidades.
Ricos veos da fil de seda braoca bardadas,
grandes, para casamentos.
Tarlatana do corea bardada, 8 palmos da larga-
ra, corsdo 19.
Attenco.
Anda se rende a taberna da roa do podro
Floiiano o. 74, a praso oa a dinbeiro, est sor-
tida com poucos fuodos, afreguezada para a lar-
ra, tem commodos para familia, o nativo da rea-
da pelo dono ter de viajar para sera ala pro-
vincia : quem precissr sproreita a ooeesiae.
Vende-se cal virgem de Jag oariaa-, a ase lavar
que tem apparecido, proprla para laclara alo as-
sucar. pelo barato ptego de 89 esda borrica, a
qual peas 4 arrobas. Roga-ae a todos 00 Ser. 00
eogeoho que quizerem osar desta cal a aaaada-
rem ver as raa Nora de Saola rute o. 49, ar-
mazem.
*

loa. -U ...
rrrrr-----zrr=r
r


MU
as es:
s par. cafe E'el
Largo da IViiii__ wsmm.
Francisco Fernandes Duarte, proprietario desle Loia das 6 DOT
ssenhoresd fraga, de ewte- el
aent.
uhm coBduialfi^i ni.crele.
numero
re.noe moi
Di
veadem car-
Veudem-oe
eommead
poseem raribe deseaba, tomber
ormaieorda molhado, partecipe oos seus freguezea, assim cnh eos senhoresd freg, deeage-
nho e labradores que d'ore em ranle quiterem-ee afreguezar a este eaiabeleeimoute. que se echa
ton um completo sortimento de gneros os neis nevos que ka ao mercado a por seren a matar
par;e delle nudo de couta propria, esta portento resolva a vde-loo por meos 10 por ceato j
do q em outra qualquer parte, auancmdo a boa qualidade acaadiciouameato, assim como eer- J
vir os portadores meaos pralicos taobem, como se os sea lares vimsem pessoelmeuie, para o qaa *M
nao se poupar o proprietario em prestar todaalteogao, atas deewntinuarem a raander comprar X
iseacommeodae.serlosde que, toda o qualquer encomaecndocomprada net estabelecimeeJ I
ocaupaohar ama conla impresascom o mesmo ltalo dearsaasesa Progresso.
Quei|OS TCHlTlUOS de operor qualidade e mu'ito frescses s 1 s librs e inteiro aa
se far abatimeln
M. \UteVga IraUCCXa a mii, au-arfer qu9 ha & nma 40 rs. a libra e era
barril a 600-rs.
Cfc\p**ft\&tiy4sa e prcto mm%9tm9m h..a...mis,wii>
e 18600, afiance-se a boa qualidade.
V **!) t&\ \< jijgg,^,,, 0Mtt moa,, rapo* *994V0, o aa do vopor passado a
r lgOS A OMmaire 0J mti, BOf01 que ha no enmi0 m ,^i,dW aeaeeua!
a 80 rs ditas de 8 libras por 2*500, em libra a 320 rs.
Preiut de lUfcre,.,,,,. Wu, ,1bra. IlefJ
PrttMt 4 UmgO 480 rs. a librs inteiro a 40 rs.
s ii ts.m a Qjji, D0Ta que ha 00 mMca(i0 a igo rs a ijbrii 0 em arroDa s 4|5oe.
E *ermsete a760M 4librt> em caiIa a740 rs
tatos eam tatatAirtt* de soda d9 ae[,tentfl qualiaaae8. 1||fJt
tatos eom peU em posta de mu.s qu.ud.de.. 1,400.
iYieUftliaS licito HOVIS a 1S000 r. o barril, a r.t.lbo a 310 rs. a g.rr.ls.
Boce do Mperetie ,Blatu,4. allbT por 1|fm
C >riat*s par, ,,,,,, a 800 rl alibTI
*"*** p orco rotluaia. 480 .. libra, en barril. 44i f.
JlsV-iy* < tomat* a rajisnorado mercado a900rs.,a em Iatt. de 2libra por 18700
IraiOi Cao* ric*s o palas muUo uoro,a 560 ra.. 1br,.
P4\lUa de doate VUadoacom0macinho,por00r,.
G\iocalate> caucel. l200rt alibra
Mar melada Imperial
do afamado Abreu
a 1#000 rs. a libra.
ditto portugaez a 800 rs.
a de outros muitos fabricantes de Lisbos
a garrafa, em caadas a 3950048000 49500:
a 5* a duzia, e em garrafa a500 rs.
mercado a 640 rs. a librs.
feitor
xa de
a 160 rs. a libra e em arroba a 5f.
s molhores que se podem desojar em meias latss a 500 rs.,
VinUos em pipade 500 560,640f
9dTVO|a dil m,is acreditadasmarca
^sttoUlaaa p,rdJ0pa ,m,lf a0fa que ha no
p !r n8".faio. Porto ftao, Porto, Feitoria e duque do Porto a 1#W0,
Cascareaos, M iscatel e Bjrdeaui a 1J a garrafa, e em caisa de urna duzia se far abstimeoto
V* ** o mai noTo e limpo que hi no mercado
I&rvuUas Cr^aeeftas a
ditis inteiras a CIO rs.
1 melhor pelisco qua pode harecpor estar prompto a toda ahora a 19 a libra.
MioU de ameadoa 800 ,.. Ubr. dit. COm c..... ."
i^ldie (Bun,, DOVag a 120 M a libra_
Qtstaauas piladas a 210 rs> a !ibra.
*-*^e auiu ,aperiora 240rs a libra, e a 7* aarroba:
\ ?P*i7
la Miranho i 3$ am arroba, e em libra a 100 rs.
Fami *olcaaoal|alibraSefor9mpors.osefsrabat.m9Dto
SiVaa^ da Fnca.240 r...libra.
Saga
muito qoto
Tiasvaao
320
rs. a libra.
de Lisboa a 360 rs. a libras a 109 a arroba.
Fariolia io Haraaaao
Toaclau) lagUz
\
minor a lfiO r. libra.
'*' at00 rs. a libra.
nlepaadentedis eneros mencionados encontrar
curir tendente a molhados.
o respeitavel publico lado quanto pro-

mmm tow
DO DR. CUABLE
MEDICO E PROFESSOR DE PHARMACIA,
PAITA O TATAMNTO E RMPTO CURATIVO
SEXIAES, DS TODAS AS AFFECQOES CUTNEAS, VIBCS
Ci trato de ferro ChaMe.
Xaropp mui preferivel ao
Copahba e as Cube-
bag, cura immedialamen-
te qnalquier purgado,
relsxaQ&s e ebilidade, e igualmente fluxos e
flores brancas da? mulheres. injecao de
hable Esia injeceo benigna emprega-se mes-
mo lempo do xarope de cilrato de ferro, urna vez
de manha, e urna Tea de tarde dorante tres dias-
elia segura a cura.
DE PARS,
CAS ESFERMIDADES
PLUS, d
feOPAHU
DEPURATIF
dn SAIVG
E ALTERACOES BO SANGIE.
Depurativo de angue.
Xarope vegetal sem mer-
curio, o nico conbecido
e approvado para curar
con promptidao e radi-
mpigens, pstulas, herpes, sarna, co-
mixu's, acrimonia e alieracoes viciosas do san-
gue ; virus, e qualquer aflecao venrea. Ba-
nhan mineraca. Tomo-e dous por semana, se-
guindo otrauraento depurativo. B*oaad
tiheipetica. De um etleilo
clmente
O deposito
. nuravilhoso as af-
recoes cutneas e comix6es.
Uemoriohida.Pomada que as cuaa em 3 dias.
na ra larga jo Rotarlo, botica de Bartholomeo Francisco de Souza, n. K.
Exposico
DE
Candieiros a gaz,
0 proqrietario da ora expoiico dos candiei-
ros a gaz avisa ao publico em geral, que se acha
serapre sottido eom grande e rarisrel sortimeoto
de candieiros desde o maif barato at o mais caro,
ossira como um grande deposilo de gaz idrogenio
verdadmramente econ^piieo, reconhecido verda-
deiranaente por todos os consumidoras : na ra
Non n. 20 e2l, Carneiro Vianoa.
Nesta mesma 6xpoii(ao se eucontrar am ra-
riavel sortimeoto de riquissimos qusdros de todas
as quihdades que pur gotto se pode apreciar os
aeus desenhos, um riquissimo sortimeoto de
quioqutlnarias, contendo entra ellas riquissimos
laatorios para quartos (gosto chinet). um raria-
vel sortinenio de balaios eom todos os preparos
para viagem, conloado pratos, facas, copos e ou-
tros frascos para conliciooar, ferros de eogom-
mir a rapor, machinas de baler oro a rapor,
machinas de fazer caf a vapor, espingardas d
dous canos tronxidas e de alcance, mappas del
mundo, e outros muitos objectos que se rendem
ipo precos diminutos para acabar: ra Nova
numerlo.
AtteiiQo.
Na raa loTrapicheo.46, em casa dado r-n
aooker &G. inste um tora aortimento deli-
ahas decores e brancai mcarretei s do melhor
briesateleliglaterraasquaes aa rendara por
dracos mnirazoaraii
Potassa da Russia.
Veode-ae potassa da Russia da mais iroTa e
superior que hi no mercado e a proco mallo
coramodo: no escriptorio de Ktooel Ignacio d
Ohreira & Filho, largo do Corp Santo
Chegouaapreciavl agua bal-
smica para a bocea e
dentes
A loja d'aguia branca acaba de receber urna no-
Ta remessa da mui pnveitosa e procurada agua
balsmica para a bocea e denles. O bom resul-
tado de tal agua j nao soffre duvida como sa-
bido pelas mraensas pessoas que a compraran
e que senliam a falta dalla, e as que de novo*
comprarem acharo que o uso dalla faz conser-
var os dentes saos, livrando-os da carie, fortale-
cer as gengivas e tirar o mo balito da bocea
dando mesma agradavel aroma, podendo-s
mesmo usar delli nao s pela manhaa como a
qualquer hora, e com acert depois do fumar pa-
ra tirar o cheiro do fumo, ou quando se tenfaa de
aanir para ter-se a bocea aromtica : para isso
porm, bastam algumas gotas delta em agua pu-
ra. O proreilo d'agoa balsmica aiada chega a
mais, elle sarye com acert e promptidao para
acabsr ador de dente, eosopando-se celia um
bocado de algodao e deitando-o no buraco do
lenle. este odormece e em pouco desapparece a
Jor. Para se obter um frasco de lio proveitosa e
apreciarel agua balsmica, dirigir-se eom ll i
loja d gata branca, ra do Queimado n. 16, ni-
ca parte onde ella se rende. A.derte-se que os
irascos rao marcados com o rotulo da dita loja
SABAO.
Joaqaim Francisco de Hallo Santos avisa aos
Itn'n"g*Ueze,.det,Pra5a e odetra,q.a tem
atposto renda aabioda aaafabrleadanoainada
-Recirenosrmaiem dosSrs. Travasio Jnior
* C, na rna do Amorimn.58; massa amarella
castanha.preta eoutras qualidadaa por menor
preco que de outras fabricas. No asmo arma-
em lera feto osen deposito de rea da carnaa-
asimples em miitura alguma. como as da
tomposicio.
Lencos brancos.
Vendem-se lengos brancos proprios para algi-
aeira, pelo baralissimo preco de tlOO a duzia
na raa do Oueimido n. 2t, leja da boa t.
tas em frente do Li-
vramento.
Roupa lote muito barate.
Paletois d patip fino inhrMiaiiW.
ditos da casMtfra de cor de fuali*.ditos oe brim de caras, a brancos, drtea da 2
anga, calcas, da easemira prtaa a da
raa, de brim branco a da coras, degsn- V
ga, camisas com peilo de liaho muito dk
Anas, ditas da algodao, chapeos da sol "5
Libra* vlarlmas.
y*!**l!S_**!*j*t**>0 d* M'Poe* aliciff de
tea 0av)OVaavajalBi GaToafltnto.
S4
s;
ue pode haver de melhor
gosto em galantarias para
ornameotos de salas,
como saja, ricos jarros da porcelana de rfdros
de rano tamanho e goste, ricas toaotetguei-
ra, jarros de ridro para eraros a ostras florea
delicadas, frascos muito lindos, tanto em core
Ten? !!*'!; e n,r" "11" galsnlanss que
se torna enfadoaho mencionar, afiaocando-se
porm, que o que ha de melhor amsto para
qoemquirer teraoas mesas bem ornadas; na
!?. %.? srayrM o Oue,mado --
Ruada Senzala Novan. 42
Vtndt-id am casadaS. P.|oahtoa C,
alltnsa Jilhesnglezes.eandeeiro.'e castigase
bromeados,Ion uglaias, fio daval,chicot.
paracarros, montaria.arrsiospar arroda
Qglax.
loas tralos ralogio da ouro paisots
Relogios
?nda-ia am easa da Johnston Pater 4 C.,
na do Vigario n. 3 nm bailo lortimaoto da
ralogioadtouro.aalwtoiDgUi, da am dos mais
famados fabricantes da Liverpool; tambera
um varudade de bonitos trancelinspara 01
meamos.
a m mm mm mmmmm
4 loja da bandeira
ova loja de funileiro da
ra da Cruz do Recife
numero 37.
Manoel Jos da Fonseca participa a
lodos os seus freguezes tanto da praja
cmodo mato, e juntamente ao respeita-
vel publico, que tomou a deliberado de
baiiar o prego de todas assaaa obras,por
cujo motivo tem para vender am grande
^sortimeoto de bshs a baciaa, tudo de
jm difTerentes lmannos o de diversas cores
em pintura, e Juntamente um grande
sortimento de diversas obras, contendo
baoheiros e gamelas corapridas, grandes
e pequeas, machinas para caf e cane-
cas para conduztr agua grandes e peque-
ras, latas grandes pira conserrar (ari-
nha e regadores ao uso da Europa, ditos
grandes e pequeos ao uso do Brasil e
camas de vento, latas de arroba a 4*.
bahs grandes a 4$ a pequeos 600
rs., baca grandes a 58 e pequeas a
800 rs. .cocos de aza a 13 a duna 're-
gadores regulares muito barato, ditos
pequeos a 400 ra.. de todot eitea objec-
tos na pintados e em branco e todo mais
ae vende pelo menos preco possivel : na
loja da bandeira da ra da Crui do Re-
cife n. 37.
fa le arroz !
em bonitos vasos de crystei donrasda).
Alaj d'.gui.branca acaba derea*ermaTW-
'** f* ae Ofyal dourados mam loo o che*.
px de arroz e a com ptenla koaeea, e anta
cada vaso a 3, dioheiro tiata ; na ra
d'aguia branca n. 16.
mmmmmmm
Crozn. 10, casado ]
mSo 4C., tem ex-
plojto sortmtento
de amostras de objectos de bor-
racha, proprio para machinas de
engenhos, sendo correias para
transmittir morimente, canudos
de borracha de qualquer oem-
C* nefo e groisura, pannos de
tacha, rodetes de dita, so-
bre ditos artigo* tomam-se en-
commendas.
sais mmmm mmmmoS
" A 280 rs. o covado
4 SSPa1?*- de i QrSS T.rV0l.d.ToaOfCh'' "' "' d
Lencos de cam-
braia com jpadroes de se-
da a 2#500 a peca.
boattiaatf^u1 br'-C' ,,mbain "8 fende ni
i^ Tl^ K??,.-f2S0" de can>b-i Imitando seda,
lOlJaco. V^a110 PTT deim) a,e5s "
n2r aeM,J,a"d,a Pichinchas que costa
tUSEF'S qU Dn0 "*im PProveitar-ae da
d?.uh??i! m*Dino8 <,uem 8 Tir n ,0i
.ni.A a 0a rua do Qe>mo n. 16, ter
KiVd%Kfw mau de Bm> *> a
Arado s americano se machina-
pataIaTarroupa:emca*adeS.P.Jos
hs*on 4 C. rua datenzata n.*.
Barato para acabar.
Rua da Imperatriz n. 40, es-
quina do becco dos Fer-
reiros-
Sediohas da quadros eocorpadas. covsd a 640
francezas, corado a 2J0. X40 e 260. salas de cri-
nolina para bailo a 2400, baloes de 18 a 35 as-
aanh' m?.,,"J,e.., Pr Pre5o commodo, cortea da
oambraia bordadas s 1600, cortas de cassa de
H-JJ0'8' COm barra a 285' "scadinhos
n. h m mbraia, covado%0 rs.,guardana-
pos adamascado, duzia 2500. cobertis aveluda-
M eom frncos para cama a 9, manguitos para
aenhoMa^OO.tolinhaa bordad. de pont.a a
Azete de Palma.
ltimamente chegado de Coanda no brigue
Viajante, assim como ateite de amendoira que
serve por ultimo para luzes: na rua do Vigario
n. 19, primeiro andar.
Funileiro e vidraceiro.
Grande e nova officina.
Tres portas.
31RuaDireita31.
Neste rico e bem montado estabelecimento en-
conlrarao os freguezes o mais perfeito, bem aca-
bado e barato no seu genero.
URNAS de todas asqualidades.
SA5!.U^RI0S ^ue ""lisam como Jacaranda.
BANHEIRUSde lodoso lmannos.
SEM1CUPUS dem dem.
BALDES idem dem.
Bacas idem dem.
BAHS idem idem.
FOLHA em caixas de todas ae groasuras.
PRATOS imitando em perfeicao a boa porcel-
lana.
CHALE1R*S de todas as qualidades.
PANBLLA8 idem idem. *
COCOS CANDIEIROS e flaodres para qu.K
quer sortimento. r H *
?r,J)R?S eB> "^U* Ulho da todo. o. U-
mandando-semaohos. botar dentro da cidade
em toda a parte.
Recebem-se encommendas
reza, concertos, que tudo
conteni.
Vendem-se caixei vastos proprioa
fraba^Ie;ros,Iunileirosetc. a 1/1(280:
qneta pretender dirija-se a esta tipo
graphia, que ah se dir* quem ost
perat vender.
Cakade
45
Fazendas baratas.
Ka raa da Imperatriz i.48Jaite
f pa*fii franeeu.
m LortL* da;nefia btajse com babaai-
Qhos 4 e 4f500 operior rjj, cambraia li-
za com 8 1[2 rara 2$, 3500, a 4. ditas de
Eacossis 5, e 6|, ricos enfeitea para ae-
nhora 6|e6|5tH, sintos es mais delicados
para sentais 9M0O. atkabapelina para cri-
onc.. gosto inglez 3509,T, para baptUado
S3J, corte de vesiido de seda Escosseza de
baiio gaste 1t asmo a aoabaado. ri-
eos lencos delabyriotho 19, lfSOO. chapeo
SI de sol para seohore da bonitas coree, lisos
5#, cabo da marfim 5*M, cortes de cam-
^ braia braneos com ffr da seda 5|. risca-
do francas 260 rea o covado, completos
sortimentos de baldes de arcos 3, sorti-
mento da mei para menino e menina
00 a 240 rtiis o par. chelea de tarlatana
da corea a 640 ris, lengo branco com bar-
ra 160 reta chita ingleza a 180 e 200 rs.
dita francesa a 240 e 280 rs. o corado
81 pecas de cambraia da rorro eom 9 raraa
a 2 : junto a padaria francesa n. 48.
Loja das 6 por-
tas em frente do
Livramento.
Chapeos de sol de alpaca a 4#.
.Ouzia de meias cruas para hosoem a
l200 e o par a 120 r., ditas brancas
muito finas a 2f500 a duzia. lencos de
cassa com barra de corea a 120 ra. cada
um, ditos brancos a 160 rs., baldes da
20 e 30 arcos a 3g. lazinha para ves-
tidos a 240 o covado, chales de merino
estampados finos a 5J> e 6J, tarlatana
branca e de cores muito fina com var
S,mVa,de.,argur" 48 o corado,
fil de lioho liso a 640 rs. a vara, pe-
ca de cambraia lias una a 3#, casas
de cores para veatldos a 200 ra. o co-
vado, mussulina encarnada a 320 rs. o
covado, calcinha para menina de escola
a 1| o par, gravatinhas de tranca a 160
ra., pelos rara camisa a 200 ra. eada
um duita 25, pecw de cambraia desal-
pico mullo Ooa a 3*500, peca de bre-
aan d.eI0,B chas Cancelas a
210 e 240 r. o covado, a loja est
aberla das G hora da manhaa as 9 da
Dote.
O rival sem segundo, na
rua do Queimado n. 55
defronte do sobrado no-
vo, est vendendo tudo
bom e baratissimo,pois
j tem dado provas de
suas boas fazendas, e
por precos que admi-
ram, a saber ;
Caivete para aparar peona a
Ditos com 2 folhes muito finos s
Frascos de macag perola muito fino a
Otlo de oleo muito fino a
Tranca de laa com 10 varas, bonitas co-
res a
Franjas de lia com 10 varas, bonitas co-
res a
Sapatos de tranca de algodao a
Ditos da dita de lia a
Caixas com iscas para charutos a
Cartas de alfinetes sortidos francezes s
Caixas de ditos ditos a 80 rs. e
{_* Pra Umpar dentes muito finas
2u rs. o
Duzia de facas e garfos, cabo prelo a
Masaos com grampas muito boas a
Cartoes com clcheles a
Ditos com ditos de superior qualidade a
Dedaes de ac para senhora a
Saboneles muito grandes a
Apitos de chumbo para criaoca a
Rialejo para meninos a 40 rs. e
EnQadores para vestidos, muito an-
des a 60 rs. e
Sapatinhos de lia para meninos a
.uAlniVei? umi Taried">* *" miudesas que^se-
'?1 donho."'nom-lis. aoiss visti que
ae pode apreciar aa qualidade e os preco.
80
320
200
100
200
800
1*000
15280
40
100
200
400
3*500
40
90
40
100
200
20
100
80
400
de qualquer natu-
ser deiempenhado
Fil liso e tarlata-
na branca a 800
ris a vara.
Vende-e fil liso muito floo e assim tambera
tarlatana branca muito Boa, tanto urna cousa co-
mo oulra sao proprias para vestidos, nao s para
bailes como para assislir-.e a casamento, andern
ante que se acabe na rua do Queimado o 22
na loja da Boa-F.
Meias baratissimas.*
A 2J400 a duzia de pares de meias brancas fl,
as para homem : na rua do Queimado n. 22
na loja da boa j.
Importante
Annuncio
Na loja da diligencia, de Guimaraes Ir-
maft, na rua do Queimado n. 65.
lio" de COres psra ^""O" mui|o Onas, o par
Cartei de clcheles francezes com 14 pares a
xZ .o"-dourad08 a,uUo flDM *****
iilm^SiSSS^ qUe 'eB,Pre,e TeD"
Trancas de lia para vesiido, a pee a 40 r
brea* 7? bt*T mUl fi" U|*U*NM' *
Massos com grampos a 40 rs.
Linhas para bordar, a miada a 40 rs.
Dita de peso muito finas, miada grande a 240
Franja de linbo para vestidos, a vara a 120 '
Apparelhosde porcelana para meninos, pinta-
dos e dourados a 1&600, 2%, 2J500 e 3*
Caitas com alfinetes a 108 rs.
Faoeis com alfinetes caneca chata a 40 rs.
Eoleites para senhora multo finos a 3 4 e 7d
Siotos muito fios para senhora a 2 2*500
Dttaa delaia epretas para padre que aempre
se venderam a 28 a 640 rs. -"tai
Eofeites com flores para senhora a l. *
Assim comooutras muitas miudexas finas aba-
ratas, que deizamos de mencionar, para nao aa
tornar tanta mamada.
Tarlatan branca a %\fL
s pe?a com 8 varas : na rua do Queimado o 18
seguoda loja vindo do Roaarto. v""ao 18-
Clc/ado franeez para liquidar
Rua da Imperatriz n. 16.
_ PARA HOMBNS.
Borzegum de bezerro de diversos fabricantes
5 o par, ditos de verniz 5. ditos de d" Maul
Siftl>,iei<*eCOrea **' il"2e brim braaSi'i
d loa de bezerro e de oawo de lustre Helios a 6
ditos de corearlo a S. bouns de fcWo a S'
sapatoes de vernl e de bezerro a 2a *
_ PAIA8IKHOU8.
Sapatos de veroii com frasrja a sem traaja ,
1*08. eiaraojaa Wra-.>la t.mpado braneo imitando gesao
PARA MENINOS E MENINAS Z' ** *, iUa em quedase eom vidro
Lll?..tJM "_dJ".;'eaa pequeas eom
senctuarioa ean metat 24. 329 e 400 rs
Devotos.
Na loja das tr<3s estrellas rua
iarga do Rosario n 33.
^LmttTl!!****-*"**** eatampa.
i de H. ..da Peera, Creeificado, Cera-
MENINOS E MENINAS.
^Botimiinhoe de todas aa quaUdadea e feitios
. ? *n1hoiM eevedores da loja acuna teoham
* boajdade da mandar saldar aeus dbitos, viito
seet.r aaomove.do asaas cobraacas ji^rtT-
mente em excepcSo de devedor, iSr qoe ST
pou nao (enham razio de quex.
nos finos deeornrtioa. aiue, enearaedoa co^n
uzesprateartual-ase .2, dito.Te mSZ
oetrw qu.lid.dea e w,oe, qnadroa deerrado.
mu n.oa a 9 lOf, ... c^,, 0fa ^"^
requiss recommeadareis o christio.
Rtm Dircita 45
MflgDico. sortimento.
Baa.|..^4.....a.... rnsiialn asea .
regueaa que lbe aras diebase,
fio desU grande eatabelocaasaaae si
erecar ao publico, pee -tafea mediaee a.
inferioras aos de eutaare aee balU aeal
de calcado trance, ingles a br
Homem.
Borregnins Vctor Emmaaael.
> errare de porco.....fejsjira
> lord Pa latera ten (basarr o ffjsjam
* di verse fabrica tea (lastre) fatta
m Jaba Rassetl. ..... ZZ
Sapatdes Nantae (bateria ialelrs).
patente........
Sapatos tranca fportogueseaj. ; .
(franeeiesj. .
9 entrada bel xa (sala a vi).
muito cbiqae (nata sola). .
Senioras.
Borzeguia primor (Jetv).....
brilhaatfaa .
gaapsalta......
baiae......
a 31.3l.t-.34. .
a de cores 92,88.34. .
Sapatos com salto (Joly).....
(ranees fraaaeiabea. .
31.82.88 a 34 la.tr.. ,
E um rico aorlimaaie de ceair da lastra be-
zerro fr.nrez. marroqaim, ata, vaamete mZ
rlnbos, 8o, t.ix.s etc., por meaos da aa aaaU
quer outro poda vender. *^
Relogios baratos.
N. rua Nova n. 21, h graada aoreie da rata
ios foliado, dourados a da aere, etete* a ti.
zont.es, saissoa a iogletra, a. eeWeerlavee-
djdo. palo, preco. d. f.cur.. c" dTT.raf Kl
r um recibo em qaa se reepcwabiliaaTslari-
gulamento durante seu mesir^
4 musselina do Pavio a
200 rs. ocovade.
Vande-se muaselia bunea cas 4 Irl aadaaes
d*Larg^f 4"n<,a B,oil "la miMNai
Co de 200 rs. o cof.de. cartea de cWU tea
? co,a<,* corM fl"" 9I98 ra., dra
maaaelina branca aem 10 ovada 2a u
ara aparar dioheiro: na nada IaaairiV .
0, loja de G.m. 4 8ilvfc *?*** "
Veodem-se 6 aeraras, senda 1 w
de h.bilidadM. 1 rteaU mUh?!
que de 9 e 12 annoa. 1 pr.t. ceaTTs'aae
lodo o sernco, e 1 negro c.r.pina (IDuaM
na raa das Crazas o. 35, sega.de aadar. ^^
lllinio goslo.
Cinteiros de bonitas fitas com pontns
cabidas e iranias.
1 leja d'aguia branca receben
Queima-tudo
Serve para se deitar nos caslice e segurar a
vela de eepermacele, fazeodo-a qaeimar at o
um, e preservando os meamos de se quebrarem
com o calor da luz: vende-se a 500 rs. cada
queima-tudo. na rua do Queimado, loja d'aguia
branca n. 16.
Gees & Bastos
Tem exposto i venda vestidos de seda por 80$
va xqueeni oulras se ?eDI'erem por 120| e
wf. e por certo barato, e quem qoizer admirar
a boa qualidade e bom gosto dirur-se 4 loia da
rua do Queimado n. 46 de Ges & Bastos.
Liquidaco
na loja da arara.
Vendem-se cortes de'calca de risc.dos de c
re e bnsa a 1 1*280 e 18600. ditos de meia
casemtr a 18800 e 98, cortes de caaemirs preta
para cale a 3fl500, dita eofestada una a 4f, ditas
iS8 BaS com li8tras d0 l8d0 00 '''"
a4ot)0 cortes de vesiido de tarlaUna branco
a*L ."^^ d* *- *W*. <">t. dcWbr.,0
para vestidos com avena! ou quilba dos lados d<-
cores a 2*800 e 8, cortes de ditas fins. com 13
covados a S500, ditos de riscados chinezes
JtOO : na rua da Imperatriz, loja da arara de 4
portas n. 56. de Mag.lhles e alendes.
Vendem-se libras sterlioas ; no escriptorio
e Amonmlreaaos. rua da Cruz n. 3.
Fazendas modernas.
Gurgel & Perdigao.
Vendern barato. '
Superiores capas compridas modernas,
manteletes, taimas de ctoxe, ditas de
DIO.
s
Vestidos de seda, de cambraia bordo- '
do e de phantaaia. (
Chapeo ricos de palba, luvas de pe- 1
gros-
Sedas de quadriobos furia cOr
denaples e moriantique.
Cambraias flngndo"seda, chitas finos
modernos, lazinha de cor e meias els-
tica.
Kicos
sintos, gullinhas e punhos es-
portilhos, peotes de tortarugo, leques
superiores o saia balan. "
Fil, cambraia bronca, tarloUno, fitas
paro sinto, camisas para senhora e me-

nios.
Sustenta se a fama antiga
De vender com consciencia:
Venham ver, e nao se diga
Quisto falsa advertencia.
toja .las rea estrallaa raa
!> ala Bamate) sraae>ro 38
Ac J^i"i ?once,*. Cruciicado. Coraclo
de Jess S. Joao Baplista, S.Jo.quim, S. Ja
6JTJ?,lT %8' 9e 10- Mb~ e "tro.
com borlas de seda para rostido o t8600 flus
de velludo eacocezas psra ciato a 640.800 1a ,
voro^ pente de t.rtoruga p.r. at.r cabello o ir.
******* 9***7, 9, 9 e 10. bono
b?,oea^vidro DBra cosoreque a 200 r*. de I
nha a 320 e de velludo a 500 rs.. dfcm., g.la
branco de liaho paro eofeile de vesiido a 80 100
e 500 '"d.toS.'!!'"^ ?* U P'ra n,enino 400
f22^M <,,l" de "f^ maHeadoa a t408 e
1600, tnucas de cambraia enfeitadas parTcrion"
cas a 400 e 500 r.. ditas mais ricas com forro
Je aed. 800 e 1 U.a de seda elsticas dato*
dos os tamanbos a 200 e 120 rs.. bonets de pi ha
inn.Mhr.vaa Pfel" "ra.^do. para seuhor. a
?^"- d,t" de P'ca a 200 e 500 rs., di-
tas de sedo mareU. e brancas a 500. 600 .800
rs^lequea finos com e.pelho e tem elle a 1*600
e 2, meta para senhora a 240, 829. 400 e 500
rs. o par, ditas de seda e de Isla' |fm a t?
oulras cousas mala tudo barato. ^
Cassas garibaldi-
nas na loja do
Pavo.
Vendem-e finissima cassas garfnaldfnas sen-
d^S.T!MO(l,ffoa" "Mt,m *-
a. 0, loja de Gama 4 SUrs. l1*trft
Vende-.e
psrs reslidos
covado : n. rua
pavao.
porcao de cinteiros de bonitas fita largas'
ponas cabidos e franjas, o melhor ulti
lo como se v dos Ogurino, teode taakaai
todo branco proprio para cosomeetos -
nboraa qoe gostom de possoir o bom. di
rem rea doQueieaodo, loja fgala brai
16, que com 75 terio nm doto d. bom ultimo
(0810,
Novidades do pavao.
A loja de Gama <
Silva, na rua da Impera-
triz n. 60, acaba de che-
gar um novo e variado
sortimento de fazendas,
que vendern por presos
que faz admirar, como
sejam:
Um bonito sortimento de catase seisese a sti-
toefto de sedas de quadriobos, qua se vendern oc-
io diminuto preso de 240 r. o covado
Br.lhaiuina a 2*40 i.
brilhiotioa com quadrinho* da edr
e roupos de meninos a 240 rs. o
da Imperatriz n. 60, loja do
Organdys aioOtf,
hfiVan'm de "80^ Per6aa arito
nb0D.:,,o%^^.o0T'<,0: d" ta'*b
Cbitas a 240 rs.
Vendem-se cbius francs., meito mindhaaa
Tazenda que sempre se venden por orna ataca'
e est oe acabando a doza vintn : na Taada
Imperatns n. 60, loja do pavao.
Gurgnro a 400 rs.
Vende-se gorgoreo aiudinbo proprio psra rea-
Udos e capas para senhoras e paro roupa d me
nios, pelo diminuto preco de 400 ra. corad -
na rua da Imperatriz a. 60, loja do pari.
Las a 400 rs
Vendem-se laazinh.s enfeaUda para ve*tide> *
fazenda de muito bom goato, pelo dimioolo pre-
go de eruiado o corado : na roa da lmperatnz
a. W, loja do pavao.
Com barras e baba dos.
Vende-se flnissimoa corles de cambraias por*
vestidos, com barr.s e de b.b.des. pele baratias-
mopre5ode500. 3& e 3|O0 : Vr.a dTlS-
perotnz n. 60, loja do paveo.
Cassas o 200 rs.
Vendem-se cassss com salpico graudos a 290
rs. o covado : na roa dolmperolriz a. 90 lato o
paveo.
Cassas de cores a 240 rs
Vende-se cassas de core tazenda B.uilo boai-
lo a 240 rs. o covado : na loja da rea da lawe-
ralriz n. 60, loja do pari.
Sedas a ^vaelo.
. ffiBFx&'Tgi .eVdTr1:
cor de cano a tfOOO o covodo, sedas brancas U-
vr.dss para vestido, de noiv. o 28240 a 29480 a
covado. dita preta lavrada a 18499 raa! Jail
preto a2000 o cor.do : a. rTd. l.p^tri,
n. 60, loja do pv)o. rww
Enfeite* a 2|.
Vendem-se enfeites de maito em ans as.
l^tefVala?00 : "ru' d* *******.
Enfeites a 640 rs.
Vendem-se enfeites de Troco proprio nace m,
ninas e t.mbem par. senhora a 640 ra Ja nu
Imperalrii n. 90, loja do pari.
Chapeos para seuhora.
Vendem-se ch.pos pira senhoras. nada aaa
to bem enteHadoa e oaeses meeeeaee aeic*
yindo, pelo baraooloio prace de 109 *.*.
Imperatriz n. 60, leja do pava*. **mm
Feiludo a 2^400. '
Vendem-e velludos arelo, cor de caf .1.1
ferrete, e verde-eacuro. proprioapara vVtdea L
senhora e roupos paro meninos nU a.
prego de 294000 cov.do, aend^twasaT wmZTl
prese vende a 5B: m rw di Inn a3/.
loja do pava. ^ *******
,.n J dM **i *eoee aa di asneadra del.
Modo car panhar.. asaim eom tes oasto. ^_
iros rozendoa que ae tornara eaisdoabo de aa
mencionsr, Sedas veaien4-M aams kento J
em outra.qealqaerparle : na re.. |ooea,.al
ra. 60,lojode<;omadtsnvau aaada aa a
locado urna tabolela Maullm asXsmsa a
e oolte ama laz w I.Krm\

l^P
.
^


loto*-rmfk n*k un
utei.


.
# Pat*.
* os kstsaus lardadas pira meninas
1, lava* da seda wato-aara mMn bato pan
kaM tnate ra acrfsite alada 900 rs. o
fas. atoan daSalsa aaejeerldaeee p*r aaohoraa
bmmdm a satos torsastsa con naite goeto:
na ni da Inperairu b. 60, loi* de Gima 4
8ilru. m
Superiores tiras
Panno a 21.'
Vsnde-e modo cor da caf a de ateiioni e
cor de garrafa (aseada muito aa palo preco da
2 o corado, proprio para calesa e paletota : na
ruada Ioperafriz o. 60, leja da Patio.
Papel paquete tranco
* eaznl.
Vsnds-se ea picle de meia reama a 2* cada
PSOOte : aa roa do Queimado, loja d'aguia braa-
ca a. 16, aaeim como ca'uinbis coa papel de co-
rea a 11 cada una.
Um rioo carro.
Veode-sa um rico e elegante carro mai bella-
mente preparado : no escriptorio de llanoel Ig-
nacio de Ohreira & Filho, largo do Corpo Saoto.
NaYoja do Vapor
Hua Nova a. 7.
acha-se barato grande aortiruento de calcado nn-
cez e inglez, roapa feita e perfumaras aauito
Uou.
Obras de brilhantes.
Km eaaa de Alvos & C. ra da Croa o. M,
acha-ae xpoato venda um grande aortimento
deobrss da brilhaates, taei como sejam, adere-
ces, meioa ditos, palaairai, alfloetea, anneis, bo-
tes rosetas, qae as venden a precoi eom-
modoa.
GELO
Ven de-se na ru do Apollo
n. 31 defronte do theatro a 4$
a arroba, meia arroba a 2#500
e a 160 rs, a libra.
Casa de moda franceza
Ra da Iccperatriz n. 1.
Madame Buesaard Millocheau recebeu nova-
mente asa rico escolbimento de vestidos para ca-
samenta com leus enfeites, manteletes e casaca
para senhora. do ultimo goato de Paria, am bello
aortimento de chapeos para senhoras e meninas,
lindas camisinhas e mangaa para os vestidos mo-
dernos, pelerina com mangas propriaa para soi-
res, flores pira vestidos e caneca, enfeitea da
cabeca para bailes e theatros, esparlilhoa dos
mais bem (eitos em Paria, miis lodoa os enfei-
tea para os loi leles das senhorai.
Vende-se gas americano de primeira qua-
lidade, em latas de 25 garrafas, na raxao de 15$.
asiim como latas pequeas de 5 garrafas ; no
caes do Ramos na. 18 e 36, e na ra do Trapiche
numero 8.
Chumbo
Vende-se chombo dsJtnuBico, a dioheiro a
219 o quintal, e arroba a 59500 : no escriptorio
de Antonio Oznrio Horeira Dias, no Porte do
Mattos, roa da Moeda o. 27.
Venda de loja.
Vende-se a muito acreditsda loja de miedezas
sita na ra da Imperatriz n. 82, sendo esta em
urna daa melhores localidades, muito propria pa-
ra qaalquer principiante, por vender-ae com o
sortimento, oe forma que o novo comprador nada
precisar comprar ; vende-se a prazo, conforme
se convencional : a tratar na mesms roa n. 46,
loja.
Feijo de corda.
No armazn de Taaso Irnos, roa do Amorim
n amero 35.
O melhor gosto.
Chapeos depalha muito fina enfeita-
lados a traviala a 12| e 1-tg. chales de
louqoim a 18,15, 20. 35, SO, 35, 40, 45
50f, enfeitea de retros e ootras naitae
fazendaa do melhor gosto possivel e par
barslissimosprecos: oa roa do Queiroa-
mado loja de 4 portea da Perrio & Maie.
Urna barcada.
Vende-se ama bsrcaga do porte de 35 caitas,
-eocalhida no estaleiro do mestre earpioteiro Ja-
cintho Bles bao, ao p da fortaleza daa Once Pon-
tas, aonde pode ser vista o eianeinada pelos pre-
teud entes ; vende-se a prazo oa a dioheiro ; a
tratar com Uanoel Alvea Guerra, na roa do Tra-
piche n. 14.
Barato assim ad-
mira.
alai Anos e bonitos lencos de cambraia de linho
abortos e bordados psra naos e obelas de ae-
nhoras a 20 cada um ; quem os mandar ver nao
perde o lempo porque lio baratissimos vista da
boodade, e assim os comprar ns loja d'aguia
branca, ra do Queimado n. 16.
Preciosos
extractos para lencos.
Aloja d'aguia branca acaba de despachar de
sua propria encommeoda, fiaos e preciosos ex-
tractos de novos e escoltados cheiros como bem
sejam, ira perlriz, D. Januaria, D. Francisca, ma-
rechal Bruquet Real, dito favori, dito dea Alpea,
dito de Trianou, etc., etc., nao eaqorcendo porem
o estimavel extracto de sndalo. JA se sabe, oa
freguezes que manidos de dioheiro diriglrem-se
ra do Queimado. loja d'aguia branca o. 16,
achiro barateza, agrado e siocerldade.
#* O *
Em casa de Kalkmann Irmaos
8& C., na ra da Cruz n. 10, exis- 0
te constantemente um completo dj|
djfc; sortimento de dfe
^ Vinhos Bordeaux de todas as tjfc
***, qualidades. am
SDito Xerei em barris.
Dito Madeira em barris e caixas.
m Dito Musca te) em caixas.
an Dito champanhe em gigos.
j Cognac em barris.
<2ereeja branca.
Agua d'Seta. ^
Aceite doce muito fino em caixas.2
AI trade em barris. __
Cevadinha em garraoes.
4###
Vsade-ss una stcrin moca e bonita
ra : oa roa do Amorim n. 49, a tratar com Tai-
marles Aleoforado, e para v-la na Trompe,
no sobredadas. D. Isabel Guiarles.
Na fyja da boa fnarua da
Queimado n. 22 se encontrar am bonito eortl-
neoto de superiores tiras ricamente bordadas
f na sa veodem palo barato preco da 3*000 4|000
a sfOOO reas a peca, adretiindo-ee qua ha mais
de ana peca decida padrlo, qaem mais depreaaa
aadar nalbor servido aera, na roa do Queimado
0. 12 aa loja da Boi-F.
Souhill llellors & C, tendo reeebido or-
den para vender a aea creicido deposito de rslo-
gius V|thr o fabricante ter-se retirada do nego-
cio ; coatida, porlanto, s pessoss que quiserem
poaauir um bom relogio.de ouro ou prala do c-
lebre fabricante Kornby, a aproveitar-se da op-
portunidade sem parda de lenpo, para vir com-
pra-loa por oemnodo preco no seu escriptorio
naa da Trapicha a.JS.
Fabrica do Monteiro.
Crystalisa^o e refinado
de assucar.
Deposito na roa de Apollo a. 6, e praea
da Boa-Vista n. 26.
Este imprtante estabelecimento contini a
forneeer aoa smi innmeros freguezes do slvo e
pare assuesr crystalisado, em e em paes, 1/
a 8.* qaavieedee, palo pteco de ICO e 200 ra. a
libra, e do reinado a 100, 190 e 140a libra, sen-
do qae em grosso o comprador tari em descont
favoravel. Nos mismos depsitos tamben se
ronde me I de sanear a 600 rs. a eaeada, e car-
reo animal en p a prego comroodo.
AS TSlMIDSIIlfiS
luvas de Jouvin
chegaram no vapor frrocez para a loja d'aguia
branca, roa do Queimado n. 18.
Especial aviso pa-
ra os apaixonados do calca-
do inglez.
Campos Si Pereira com loja de fazendaa a cal-
cado oa ra da Cadeia do Recite n. 32, receberam
felo ultimo vapor inglez, os mais frescos e me-
bores borzeguios ioglezes que lem vindo ao mer-
cado e continuam a vender por 12$ cada um
par.
Novo destino do
torrador!!!!
23Largo do Terco23.
Vende-se manteiga ingleza especialmente esco-
Ihida a 800 e 900 rs frsnceza a 640 e a 600 rs.,
assim como se torram outros muitos gneros1, co-
mo seja, caf, arroz, azeite doce, velas de esper-
maceie e carnauba, etc., etc., e se acaso alguem
dnvidar veoba ver : a dioheiro i vista.
Bonitas caixinhas
com visporas para entreteni-
mento.
Acaba de chegar para a loja d'aguia branca bo-
nitas catxiohas de madeira invernisadas com vis-
poras, tendo 36 cartas, e as pedras numeradas por
ambos os lados, o melhor que possivel em tal
genero, e custa cada urna caixioha 3$, e ootras
cobertas de marroquim. e a chineza, e outras qua-
IldadesaZf, 1|500 e 18 ; o lempo proprio, e
por isso dirijam-se com dioheiro roa do Quei-
mado, loja d'aguia branca n. 16, que sero bem
servidos.
Por atacado ou a retalho
S deixar de comprar
Quem nao se derao trabalho
De vir ver e examinar.
^ ?P* das tres -estrellas:
ra Larg} do Rosario
n. 33.
Espelhos de columna de diversns tsmanhos I
1|800, 2*000. 2S8U0, 48000 e 5g000 cada am, sl-
!;uds com deleito a muito menos, caixas de ba-
ilo fins para rap a IgOOO. ditas de tartaruga
grandes a 8J0OO, malas envernisadss e com fe-
chidura para viagem a 1J500, reloginhos ficticios
com correte para meninos a 160, peales de mar-
llm para limpar a cabeca a 400 e 500 rs., the-
souras grandes para cabello a 600 800 e 19000,
ditas para costura a 120 160, 320 e 500 rs., tin-
teiros de metal e madeira para viagem a 240 e
320, caixas de tintas para dcsenho a 320, 400 e
500, medidas com numerario para alfaiate a 160,
2ti0, boioes de metal para caiga a 480 a grozi, 50
rs. a duzia, ditos de osso, de massa e de louca
para paletota a 40 80 e 100 rs. a duzia, ditos de
dnraque pretos a 200, ditos de setim e sarja para
casaca a l800 e 2000 a groza, brincos e rozelas
douradas a 80, ICO e 160 rs. ditas pretas a 160 e
200 rs. o par, phospboros de pao e de cera a 20
e40, ditos caixa grande a 120,160 e 200 rs., cir-
teirss de marroquim a 320, 400 e 800 rs.. ditas
grandes com diWsdes psra lettras a 5J> e 5$500,
lionas do gaz a 700, a 800 e 900a caixa, a 20 ri.
o novello, fundas psra quebrados a 500 e 800,
ditas finas a 2$000 e 29500. Em porcoes tudo se
vende mais barato.
[Ricos
36, ra das Cruzes de Santo Antonio. 36,
PROGRESSIVO
?
A. F. Duarte Almeido, socio que foido armazem progresso, faz seiente aos seus fre-
guezes que tendo separado a sociedade que tinha com seu mano, acha-so de novo estabele-l
cido com dous a ceiados armazens de molhados, associado com o Sr. Joaquim Jos Gomes
de Souza, e o Sr. Paulo Ferreira da Silva; o primeiro na razo de Duarte A Souza, e osegundo
na de Duarte Almeida A Silva: e*tes estabelecimentos oerecem grandes vantagens ao pu-
blico, nao s na liuipeza e asseio com que se acham montados, como em commodidade de
preco, pois que para isso resolveram os proprietarios mandarem vir parte de seus gneros
em direitura, afim de terem sempre complet sortimento, como tambem poderem offerecer
ao publico urna vantagem de menos 10 por canto do preco que possaja comprar em outra qualquer parta, por isso desojando os proprietarios acredi-
taran] seus eelabeleciroentos tem deliberado garantirem toda e qualquer qualidada de geaaros vendidos em seos armazens, e assim j poder ver o
publico que poda mandar suas encommendas, raesmo por pessoasponeo pratieas, em qaalquer am destesestabelecimentos, que serio tao bem servi-
dos como seviessem pessoalmenle, na carleza de nunca acharem ooontrariodenossos.annuneics, o assim fundados as vantagens que oQerecemos,
pedimos a todos os senhores da praea, seohores de eogenho e lavradores qua mandem ao menos sais eneommandas a' primeira vez, afim de experi-
mentar, eerlos d continuarem, pois que paro isso nao pouparao os proprietarios forjas para bem servirem aquellas pessoss que frequeniarem nossos
estabelecimentos, abaixo traoscrevemos algumss adic/ies de nossos primos, por onde ver o publico qua Tndemos baratissimo, attendendo as boas
qnalidades de nossos gneros.
Manteiga ingleza especialmente escollhida a 800 rs. a libra e em porcio a 750, rteommeida-se aos apreciadores destete genero que
mandem ao menos experimentar, serlos de nada perderem pois para isso confirmamos o que levamos dito.
r lf&U 6Za me,hor do mareado a 640 rs. a libra em barris a ratio de 600 rs. a libra
Cha hySSOn e pretO o melhor do mercado de 1700 a 2880 e em porcio teri abatimrato, e arhoea-ca a boa qualidade.
Presunto fiam bre najes e hamburguez a 900 rs. a libra a em perene a 800 ra.
Presuntos portuguezes viudos do Poo4e casaparticuUr a 560 rs. por libra ainteiro a 460 rs.
Juarmelada dos memores autores de Lisboa premiada nasexposc5es universaes de Londres e Paris a 19800 a lata.
GaixaS COm estrelinba pevide e rodinha 7|000 a ix. e 800 rs. a libra em porcio ter abatimento.
Latas de ameixas francesas eom cinco libras a 49000e 19000 a libra.
raSSaS em caixinhas de oito libras, as melhores do marcado a 2|000 e a 400
Espermacete superior 720 rs. em caixa a 740 rs. a libra.
Conservas francezas inglezas e portuguezas eoo 1 soo rs. o frasco.
LrylnaS portuguesas e francezas a 800 rs. e frasco afienca-se serem as mais bem preparadas qae tem vindo ao mereado.
Lata COm bolaxinha de SOda de diversas qualidades, a muito nova a 19450. agrandes de 4 a 8 libras de 2#500 a 4*500.
cortes de mdina de
seda.
4 loja' da Boa-re na raa do ftaatasaje aa>
'Sllfa ^ *i ,Hab* '*+ "* *
veatido de medica de seda da Irada* pBtin.
e a lazenda mala fiaa, mai* aova o nsiskeaASa
fue ha no mercado, cada edita tasa 20 a 21 ca-
& *>* 9* k^ratieatase preee ale
259000 o cfU. tuberas besa Lato es
tirerem e sasislir a bailas a a rssincetss u
quizaren levar um vestido s allina nsds 4
mandaren ver aa meadoaada loja da Baa fi
na roa do Queimado a. 22.
Se hoive por bem resolver
Na loja das tres estrellas
Tudo queimar derreter
Em moeda encanto del (as.
Ra larga do Rosario b. 33.
Para Hqoidar :>iees de 49 a 24 rs., a i tsa fi-
no .do 100 a 320 ra.. ditos arela, lerpe iTaS
a 080 re., itoa a> sede de WO s 320. ditos lar-
gos a 600 e 800 ra.. fitaa nnito ricas de seria la-
,rfJlg* 5 ,|Me' i, "*"
L5?55x*,i,,e. I1"* ^l~ a.pefleaeaTa
m a 600 rs habidos de liaba do Parta a 40 *
M rs. a vara, peca de 15 varea a 320 500 r
babadoa largos para canitaade aniaii leacevi
de 120 a 200 rs., dflo ds largara da palme a
ra.. trancaa de seda com vidhlho pretas de SM a
400 rs., fraDjaa de seda de cares da 390 a 30 rs
ditas de la e toda a 160 e 240 rs., reqaif* de
e algodio de 60 a 120 rs., galoes pretas da M a
120 rs., fila para roa ja con colxetes braaca. par-
do e preto a 320 rs., cartoes de colxeles a 40, 50
^S? r*i 0l"br* V*n '* todaa as cares a
120 e 160 a folh, enfeitea de rede a vidrilho ae-
ra eabeca a 1 e 1|500, escovas psra falo da OM
a la, otas para dentea de 240 a SOO rs., o saltes
muitos objectos consuntos ds ostras assoatiaa
E em peca, cenlo, masso oa dazia veade-a* caes
grande differert(a de retalbo.
Fitas de sedas.
Tem chegado pelo altimo vapor, na casa da A.
L. Delonche um rico sortimento de filas de *****
de todas as cores : convids os senhores li
e todas aa pessoss que pode inlereeear, d*
reeer na roa Nova o. 22, qae nao dixira'
comprar vista das fizendaaa dos preces.
rs. a libra e caia de urna arroba a 79000.
Ra da Cruz n. 18
Vinho
em garrafas Duque de Porto, Porto fino, genuino,
a garrafa e a 13 a duzia.
nctar, Carcavelles, Madeira seeea, Feiloria e Camones a 19200 a 10300
a baa qualidade.
Aspas largas
para saias balo.
A loja d'aguia branca acaba de recebar am bel-
lo aortimento de mai bem tecidea aspas para ba-
lo. e aa est vendendo baratameote a 160,180
e 200 rs. a vara ; quem precisar dirigir-se com
diabeiro dita loja d'aguia branca, roa do Quei-
mado n. 16, que aera bem servido.
Potassa da Riissia e cal de
t
f
8
t
No bem coahecido a acreditado deposito da re*
da Cadeia do Reciten. 12, ha para vendar a var-
dadeira potassa da Rusaia, nova a de superior
qualidade, assim como tambem cal virgen em
podra ; tudo por preces mala baratos do qae en
oatra qualquer parte.
rilNDICSLO LOW-IOOB
Ra daSeaialla Hova n.12.
Nsste estabeleeimento contina a havarum
| completo sorlissan to damoenda leneiai moen-
dasparaangenho,maahinas da vapor ataixas
tafarro batido a eoado.de todos estamanhes
para dito,
Oleo e banha philocome
e outras qualidades.
A loja d'aguia branca asaba de despichar um
aovo a bello sortimento de oleo e binas philoco-
me e outris aapariorea qualidades, taeloajve a
eatimada s procurada beaba *n copos grandes,
coja excellepte qualidade jabea coahecida,
assim como a verdadeira transparente; quem
riaer sa prover do bon nsadir oa ir 4 raa do
Ooeimado, leja d'iguia branca a. 16, que ssr
bem servido ;.advertludo, porem, qae oa fraseos
vo todos marcados eom o rotlo de dita loja.
Fumo em rolos.
Vinho em pipa proprios para pasto de 500 a 600 rs. a garrafa ede 39800 a 4|800 a caada.
Latas COm frUCtaS de todas as qualidades qoe ha em Portugal da 700 a 1*000 a lata.
r era em Caixas de 4 a 8 libras a melhor que se sde desojar e tem vindo ao mercado de 49 a 6f a caixa e 19280 a libra.
LonnthiaS em frascos de 1 1{2 a 2 libras de 1*600 29200.
r f^C La do RlO o melhor que ha a 240 rs. a libra e a 280 rs. o lavado.
OS e amendOa eom 2 libras, proprus para mimos, por serem muito bem enfeiudas e de superior qualidade a 39 cada um.
Vinagre branco o melhor que tamos tido no mercad- a 400 rs. a garrafa e 2560 a caada.
ominhO e erva doce os maU novos que ha no mercado a 800 a libra do eominho e a 400 rs. a eeva doce.
Y mO bordeaux de boa qualidade a 800 a 19 a garrafa e de 8500 a 10*000 a duzia.
Massa de tomate em latas de urna libra do mais acreditado autor de Lisboa e vinda a pr imeira vez a nosso mercado, de 19 a 19280.
rlgOS nOVOS em caixinhas de 4, 6, e 8 libras proprios para mimos, por serem muito bem enfeitados de 19500 a 49 e a 400 rs. a libra.
CervejaS das melhores marcas 600 ra. a garrafa e 59000 a uzia da branca.
Vinagre puro de lisboa a S40 rs. garrafa 19*50 a caada.
Doce da gOiaba da CaSCa em caixio a 19 ^ em porcao a 000 rs; S
Azeta doCfc purificado 800 rs. S garra 1. 99000 a eaisa aam 1*farraf,8.
(JOgnaC a melhor qualidade que temos no mercado a 19000 a garrafa e 109000 a duzia.
QUIJOS SUSSOS chegados ltimamente a 500 rs. e em porcao ter abatimento, afianca.se
Genebra de Hollanda 000 rs. o fiasco a 69500 a fnsqueira com 12 fraseos.
PantOS lixados para denles a 200 e 160 rs. o maco eom 20 macinhos, e flor a 280 rs.
dem do gaz a 39000 a graza e 280 a duzia de caixas.
Chocolate 0 mais superior que temos tido no mercado portuguez. hespanhol e franeez de 19 a 19200 a libra.
Azeitonas as melhores e mais novas que tem vindo a nosso mercado a 19200 a ancoris do Porto, e a 29000 as de Lisboa.
AmendoaS ehegadas no ultimo navio a 480 rs. a libra e em poreo ter a batimento.
Al pista o maislimpo que tem vindo ao mercado a 160 rs. a libra a 59000 por rroba.
Alm dos'gneros annunciados encontrar o publico um completo sortimento de tudo tendente a molhados.
Bicos de seda*
Bicos; rendas e labyrin-
thosdasllhas.
A loja d'aguia branca acha-se recentimente
provida de am bello sortimento de finos, alvos e
bonitos bicos de seda, e daa differentes larguras
d3 1 dedo al mais de 112 palmos, e os baratos
presos por que se esto vendendo animam ao
comprador : assim como os fortes e muito dura-
veis bicos, rendaa e labyrinlhos das Uhas, igual-
mente baratos como coobecer o comprador,que
munido de dinheiro, dirair-se a ras do Queima-
do, loja d'aguia branca n. 16.
A 2000 o corte
de calcas de meia casemira escuras de urna s
cOr : oa ra do Queimado n. 22, na loja da
Boa-f.
Figas de coral.
A loja d'aguia branca receben ama peqoena
qoantidade de bonitas e bem acabadas ligas de
coral, propriaa para enfeitea de enancas, de re-
logios, e memo para asvoltss de coral, e ssest
vendendo a 19500 cada urna ; qaem se demorar
nao as achara mais em dita loja d'agoia branca,
na raa do Queimado nnmero 16. nniea parte que
[aa tem.
*? #
Esperanca.
No escriptorio ds I. A. Baria & C. vesd*-sa
urna riquissima mobilla do nogno toda de *ers
de talba o mala nodarno e melhor qoe pes-
sivel, por pre(o muito rszosvel; no atesa>* **-
erptorio ha a venda excelentes mobilias fies io-
do janeo guarnecidas de msrmore a 350, carne
tambem ha cadeiraa para pianoa,lsvatarias tea-
lhetes, cabidea tudo por precos qoe stfasira!
Vendem seosengeuhos
S. Pedro e Espirito Santo, am-
bos moentes e corren tes e
d'agua, sitos na freguezia de
S. Bento comarca de Porto
Calvo e provincia de Alagoas,
o primeiro tem casa de eoge-
nho e poucas obras, porem
safreja quatro mil pes, o se-
gundo tem boas obras, porm
s safreja dous mil pes:
quem pretende-los dirja-se
a ra da Cadeia do Recife n.
26, primeiro andar, que acha-
ra com quem tratar.
As verdadeiras levas de
Jouvin.
A loja da boa f recebeu novo sortinenio esa
verdadeiras lavas de Jouvio, e as rrranniada
aos cavaileiros e nadanas de bon gosto, tara
< > por ell.a sa referida loja da saa
f, na roa do Queinado n. 22.
Gracas a Deus,
J se pode fazer nios.
J se pode fazer mimos.
J se pd* fszar nios.
J se pode fazer ninas.
Chegaram affnal as esperadaa macaas no gafe,
e esto se vendendo pela metido daa qae a* e*-
diam, sendo a 160 rs. escomida* : no grasde de-
posito de So ir & C, rus estreita do losara so-
mero 11.
Escrayos fugicos.
Vase
'arasasem
Jos Luis O'Oliveirs Aievedo, em aeu
Uaveesa aa aladre da Caes a. 3
s
Recebfn de saa encommenda pulcoi- w
sjp ras de cabello que vende por 109 o par, A
apa brceteles de mosaicos a 69 cada um, an
7 sgulbas victoria a 120 rs. o papel, peu- '
V tes de tartaruga a 8, 10 e 12J. precos 9
9 porque ninguem pode vender (boa a- A
zenda) estes arligos nao se enconlra em !*,
loja uenbuma poriasovoa rusdoQuei- w
9 mado n. 33 A, loja da Esperaoca. 9
*9Esperanca reduz a exprs-
sao mais simples. 9
W (A' DINHEIRO.) W
djp Todas os artigos qoe esto na loja fB
muito barato quem qnizer v comprar e am
ver : ro do Qaeimado n. 83 A, Guima-
sj| risa A Roche. m
Eua da Senzalla Nova n. 42.
Neste estabelecimento vende se: ta-
chas de ferro ooado libra 110 rs.' idean
de Low Moor libra a 120 rt.
Por baixo do cabelleireiro,rua
do Queimado n. 5.
Vead*n-ss naogaitos bordado* para saneara
a 19. aaleineaa para meninas a 19, Uaiinoa* *a-
eaeesaa a 280 o cavado, e oulree nultai fizaodu
por nuito barato pisco.
1ILL
sortimento de enfeites d flo-
res para casamentos
e bies.
A loja d'agoia branca acaba de despachar um
lindo sortimento de enfeites que de sua propria
encommenda mandou vir para casamentos e bai-
les, e sem ruedo de errar, pode-ie dizer que sao
os mais parfeitos e delicadoa que al agora tem
vindo, e essa verdade ser conhecida por aquellas
pessoss que sabem apreciar o boro : apesar de
todo vendem se baratos em proporcio a perfeicao
delles, sendo a dinheiro vista 129, 149 e 169,
isso na ruado Queimado, loja d'aguia branca nu-
mero 16.
Mantas de retroz para gra-
vatas.
Vendem-se mantas de retroz para gravitas,
tsnto pretas como de cores a 500 rs. : na roa de
Queimado n. 22, na loja da boa f.
A loja d'aguia branca
recebeu tambem novas luvss de fina pillica, en-
feitsdas, psra casamentos, assim como liadas ca-
pellas. A eommodidsde dos precos jbem co-
nhecida por seos boas fregueses, eser miis por
aquellas peseoas qae de novo o qaizeren ssr da
dita loia d'aguia branca, na roa do Queimado nu-
mero 16. _,
Saldo Ass.
Vende-ae sal de Asea, a borda do brigue bn-
aileiro cAdelaide, reeentemenle cbegido : a tra-
tar no escriptorio de Billar & OUveirs, rus da
Gadels n. 12.
Gneros baratos.
Manteiga franceza a 040 s libra, bititis a 60
rs., toucinho a 820, lieguieis de sevtio a 280,
eb a 29500. arroz a 100 rs., velas de eseerpiscB-
ts a 760. dita de earnaaba a 400 ra,, palnco a 160,
lpista a 180, caf s 240, labio masas a 200 rs.,
dito imerello s 140, arroz de casca a 89BOO e sac-
es, azeite de carrapate a 400 rs. a garrafa, a em
porcao a 360. dito de coco a 440 j na travesea do
pateo do Psraizen. 16, frente pintada de ans-
relo, taberna de 4 portas.
50 ARoa 4a Cadeia do Recife50 A
5000,2 800,1800
e 500 rs.
Msoaet Genes!ves deOuveira Saetee, eal ven-
dando sem limites pe?aa da cantaral a traospa-
Retroz em carreteis
para coser-se as machinas.
Vendem-sa csrreieis com retroa de cores, pro-
prios psra as machinas a 320 cada um ; na ra
do Qaeimado, loja d'aguia branca o. 16.
N. O.Bieberdr. G.,saccessores,raa daCraz
n. 4, tem para vender relogios para algibeira de
ouro e prata.
Nova exposico.
Ra Nova n. 20.
Riquisaimo sortimento de catilerias em todo ,
o genero, aasin cono un riqoissino sortimento ?,!.I?:!0.,* ae,d,d' '?
de louca de porcelana patacozinha. riauissimo 0',e.mjd0V**.??' ?!"^M"
Fngio do eogenho daa Mitui. comarca a
Cabo, no oa 23 de setenare d* IdOl, an esersva
por oome Joao, crioulo, vermelbo, aliara rega-
lar, grosso do corpo, espadando, idad* da Iriata
e tantos snnos, meiieu-ae na* naltis do rafa
nbo do Monte, al que Ihe tiraran ana peiga sjaa
lev a va, e logo qae se vio sen ella dura eee fer-
io u um quinao mellado eom cabellas preloe. a
com principio de carrego e tanteas fes a pe-
queo roubo de roupa ; desapparecea o cavalla
a 17 de oulobro. Este negro j ten sido prese aa
Recife duas vezes, a primeira vea irae*lk*e*Je
con orna carraca, e a te ganda vas fot presa tra-
balbando em am armazem de atascar sana Ier-
ro : qaem o pegar leve ao eogenho acias*, *ae
ser bem recompensado.
Fuglo no da 25 da ootabro
nome Ricardo, naci Costa, alto, a
sn pret* da
lagre, repra-
rsate can 10 vena na vara de largara a 6f ;
sesee bordadas eom riauissimo bordado a Hnha a
Sf&iO; gollnTiti, pannos o nsngaitos da llnbo s
faosa- a 11800; risjatasina canbreia da ceras
franessse a Gsnbaldi a 500 rs. a vara, e mais fa-
zendas qas a* 6 baratissimo 11
louca de porcelana para cozinha, riquissimo
sertinsnlo de metses, riquissimo sortimento de
miudezis, e outros muitos artigos. qoe com a vis-
ta do comprador se podero apreciar : na roa
Nova n. 20. loja de Carneiro Vianna.
Bombas de japy.
Ra Nova n. 20, loja de Carneiro Vianna.
Canos de chumbo.
Ra Nova n 20, loja de Carneiro Vianna.
Renda lisa
de fil.
Vende-se renda liss de fil propria para cascar-
rilbas de vestidos de esmbrsiss e ootras obris :
na roa do Qaeimado, loja d'sguia branca n. 16.
Aos proprietarios de carros,
correeiros,
. fabricante de bonets, etc.
Pechincba nunca vista.
45Raa Direita 45.
Grandes coaros de bol, inteiros, de lastre, de
259 a 359
J chegaram
as mtereeaantes estompas, a morte do
intto, e amorte do peccador.
Dja d'aguia branca, avisa-se soa senhores
reverendos a outras pesaoaa qae haran encom-
mendado sssss tnteressantes estsnjpii, qae ellas
acabam de chegar, e quen nais aa qoizsr pos-
seir dirigir-se logo i dits loja d'aguia branca,
roa do Qaeimado n. 16, pois qae a qaantid*d*a
pequea, a por agora alada se venderlo a 29000
cada ama.
Na loja do vapor, ra No-
va n. 7, acha-se barato
granee sortinsnto de ealcaeo franeez e inglez,
roapa feita e perfumarin nuito Anas.
desta cidade, le-
vos camisa de biela encarnada a ostra roapa :
roga-se as antoridadea policiaea e outra qaalsnet
pessos o spprehendan a nanden levar roa da
Cadeia Velba n. 1, qoe aei pago todo o sea tra-
balho.
Escravo fgido.
Desde o dia 24 da ootaera p. p. est fagida
escravo mulato Joaqun, estatura regalar, ct-
ela ra, Bigod*s e peira, foi escravo da astlie :
qaen o pegar lave-o ama da Cruz o. 48. casa
da seu senhor E. A. Barle que ser reaaaaei
ssdo.
Attencao
Ns noite do dis 21 de crrante fsgio do
de abeiio asstgosdo o sea escravo nalste a* a-
me Jesa, estalara alta, cor clan, da idas* 23
annoa, representa lar mala idade, olaee gr
e vivos, esbeltos crespos e aea aparada*, e
principio da barba no qaatio, ps granean, i
dos ditos iberios, indi am pooco cercrsele, e
de bracos asertos, nitanl de estile da Apedi da
prorineis do Rio Grande do Marte; foi roar
nesta praca ao Sr. Joao Chrisostoao Besana
valcanti da Alboqaerque, aeraeer aa|
cima declirada ; o dito nulsto leven e
de couro de carneiro, ana rede e diversas
de roupa de sea aso : rea*-se a tm
dades policiaca e nais peesess qas
de sppreheade-lo e lova-lo raa de Matriz as
Boa-Vi8ts, sobrado o. SS, qas serie baa ratea
peosadoi.Joaquim Francisco Frsaes.
Efe era va fgida no dia 3 lo
corrente.
Jalla, da ancio Costa, alto.
falta da denles ea frente, coa
rosto poaeo vtotveis a aar asi
per eeataae fallar s en taaapi
fls* mailo iskaerliaeate. lava,
as* e vende aa ra, csasts esie i
baldes deaU cidsda veadaade
s tese aa seletidsdae palteto
ca plorar ms4o eacaetrad*. aa_
doa Guararipas do bairrs de Recua a.
se pagarlo todaa aa daspexsa.


(8)
Litteratura*
wttiQwiwmuoo, twk> re*** m mmtiiiio mi mi.
Apotameitos para a historia do Cari-
rj por Joo BrifMo.
(Continuacto.)
Estes homens farozea e embravecidos tremiam
Oe colera i nolicia de qualquer solemnidad?, ar-
ansvam-ee Itgeira eTevadiam o templo, aos
ffruos Viva Nossa Seohore da Peona!
Era preciso toda humilhacio e prudencia para se
escapar a seus furores, latera j o medo destes
chamados Cerca-egrejas, lo frequentes o inopi-
nadas as suas app.riges, que as f imillas recei.-
vara concorrer aos actos religiosos. llm unJco
nomem terciara fias fanatices, era o capitao-
mor Filgueiras.
Cresciam estas agilaces e perigos, quando se
cuidav. da eleico dos eleilores, que de*iam no-
mear depilados a eonstituinte de Lisboa, segun-
do as nstrucgSes de7de marco de 1821. Emcon-
aequeocia, a cmara (ex chamar Filgueiras para
residir dentro da villa, aflm de ronler a populac,
que punba nelle sua maior confiaoca e sempre re-
cuava suj vista.
O dia 5 de agoalo de 1831 foi o designado pira
reuoiio da junta eleitoral da parochia, que de-
T r"1?: ",?V.de,u a"'?r, harn, um Te- certo que, a cmara do Crato tendo hesitado
camento de Ia liaba e duas pegas de campanha,
m da restsbelecer a seguran;* ala CiHri. A I,
Je setembro esta torga era chegada ao Ic, osdi
re junccio com o deslarameoto existente a parlio
deixando a villa lo desguarnecida, que oa acci
oorosoa peneiravam-na impimanta, a malevam
pessoas at oo meio das ruis I _
As solemnidades, que devi.njter tido lijr n
dia 3 de agosto foram renovad!*, por DinJaLa
gos : jgnori-se o seu dia precia, maa cfife) que
foram antes de 3 de auiubio. sendo assialidas por
diversos liberaes cheg.dos dss prisoea da Baha,
entre os quaes flgerou cbm* pregadof o pldre
Alencar.
Ura segunda infwrelcfcr'tfi tropa, tera-rugar
na capital, desta vz termiriaudo pala deposicao
do governador Rouim. Desde o dia 5 de novem-
bro linha a asumid o o governo da provincia ama
junli provisoria, a cuja fren le se lioba coiiocado
o commandante da torga da lioba, o major Fran-
cisco Xavier Torres, tendo por collegas o ouvidor
Adriana Jos Leal, Jos Antonio Machado, Ma-
riano Gomes da Silva, Marcos Aatouio Bricio.
Antonio Jos Moreira, Lourenco da Costa Doura-
do e Henrique Jos Leal, secretario, qo asi lodos
portugueses.
Parece que o ajudante Luiz Rodrigues Chavas
toi o portador dos primeiros despachos o gorer-
po provisorio para Dinix, e trouxe commissio de
lado. D. Pedro tiohs multo amor
a quariamtivae. muit. a
.coma ara f
eterno, tomo que (e
mcia. Assia, lev.do .
forca das circumttaa^.
;oa lu aciu decisivo do
Deum em ra dV^.r7* '-i-.. 18-'cerioe <.*. cmara do Cralo te.ndo hesitado re-
', bm acy e &rC*s e i uoila urna llumi- ; conhece o. estes dous offleiaes se anroaunt.r.m
nacao. que devia comegar desde a ooila prece- ante ella, e forraran ?."," !'"""
_ ----ar~ "~ O" WY ** ** ***.
nagao. que devia comegar desde a ooila prec-
deme e repetir-se na do dia 6. As solemnidades
e regozjos pblicos aonunciados para este dia
foram dispertar a sanhs dos Cerca-egrejas, que
desde logo se pozeram em movimeato.
Alguns destes turbulentos foram levar os seus
sustos e descouang*s a Filgueiraa e Leandro Be-
trra, coosultando-os, se coovtri* atacar a ma-
triz, impedir o acto e.matar os sacrilegos. Pre-
tenliam que qs constituintes iam tirar do altar a
banhora da l'ooha, padroetra ds freguetia, e fa
a o te ella, e forcaram a mo os timoratos. E' cu-
riosa a acia oeste dia e por tal aqui traoscreve-
mos a sua integra :
t Quarta-feira 21 de novembro de 1821. Aos
21 dias do mez de oovembro de 1821, resta villa
do Cralo, as casas da cmara, que servem de
pacos do conselho, onde foi viodo o juiz ordina-
rio presidente, venadores e mais officiaes da c-
mara abao assigoados, presentes o coronal de
vallara e o commandante da tropa de liohs do
i batalh.io desta comarca.
.fcAftt
m d* ser levado a este ettremo,
--------------.,, pauueiis ua ireguezia, e la- :
"rae 8lJrcua,J1nnrr af* Cerla mu\er pub"ca' do N""^'"abro'm offleio do governo proi-
Sm?lri.& ce'lebrfdeff .rt.nr,?-ttehUM .lemP8 d 1,0ri dMl' Pro"'"'. proclamado do, me.mo.
uui msie ceieondade, e entrelinba relacoes com aeohores. onde oerauoiou pnt i.ndn .o Pn,*^'- P4rTdaeforn5<'' "1Ue8 e tinham -'Fonal Leandro Be?err Monir kf eUe aceitav.
le"r^Dro' u?odu"rSr,S,dO f4natCS- fi'- ^ COnheCia ooroo?c! r"nd.. qa.'^ueri.
SSrt ? tDX0 4> "uspeitas dos responder s corle?a rail? nhdeT nio
A iuni dleiinr! ....... -a 'le l0,nu) 1ue P"slra a prender todo aquelle, que
auiniCorr I d kl. ? uVdor,0,e ,0- nSu conhecesse o governo provisorio.
Icd Lavsa e maX'rtf .' "! Pe8S," R"d" d0 P'0!0". f"rem talo qusnlo fosse a bem da
galla e formando um prestito numeroso e bri-
itisnle, concorreram a matrix, is oito horas do
da. A misil festiva ia celebrar-se e j bern
tranquillos estavam os numerosos assistentes,
guando um grilo de terror se ouvio : a os cabras !
Urna mullidlo ionumeravel de habitantes do
campo, sujos, mal vest dos ou cobertos de trapos,
armados de peroahibas. espingardas e cceles se
precipitavam sobres mullidlo inerme e desaper-
cebida Traziam o furor pintado na physiono-
mia, vociferavam imprecages borriveis e gesli-
cuiavam como poss*ssos, smea^ando e accom-
rneueodo os assistentes. cobardes de pasmo e de
or. As familias se precipitaran) em procura
nado.
Bu, Jlo da Penha e Mello, escrivio da c-
mara o escrevi. Ferreira, Corris, Barros, Sou-
za.Almeida, Leandro Bezerra Honteiro, Manoel
Anlonio Dmiz, Luiz Rodrigues Chaves, e Manoel
Francisco de Meodooca.
As cmaras de Queixeramobim e Aracaly t-
nbam sido menos suOmissas : esta ultima pres-
tou a 14 de dezembro contra a illegaliriade do go-
verno provisorio, por sido nomeado pela forca ar-
mada, devendo-o ser pelos eleilores das parochias,
segundo o decreto das cortes de Lisboa de 29 de
setembro desse anno, e seu protesto tendo sido
leva jo presenca do governo, com o da cmara
Ai llliaiTUrim,.n.l.; ..-- i______ .
I
, ..i ---------r1,-1 .inuu guailis-
cer a vina, e ness. momento achava-se oo lugar
do connicto. bramindo de colera e desespero or
se ver contrariado, sahiu da egreja e grilou a
muludao que procurara assenhorear-se dss por-
tas. Que ascendente, que prestigio nlo linha
este nomem sobre o povo Os desordeiros, quaes
escravos submissos. nem lhe ousaram responder
cabeca baua, olhos no chio, desfilaram em mor-
do silencio edeiiaram a matriz: entao Filguei-
ras, com a espada nua, arrebanbou a multido.
mostrou-lhe o cjminho desuas habitacoes, ese-
guiu-a na retaguarda, at que passou o rio e to-
mou o caminho da serra S. Pedro I
A noiie a villa spresenlava um espectculo do
mala concentrado medo. Muitos individuos a ti-
Bbam abandonado, sendo o primeiro o ouvidor
Si'^-x-30 seseniindo seguro, antea do
meio da. a deiiou com toda a sua comitiva. Os
juizes ordinarios Jos Ferreira da Conceicdo e
Francisco Alvea do Quintal tambem se retiraram
n coniinenti, sendo que o primeiro corra o maior
perigo e era de publico ameacado pelos sedi-
ciosos.
Quando este disturbio se dsva na matriz do Cra-
lo, oulro semelhante se passava na de Missao-
*eiha. para, onde tlnham ido psrle dos Crca-
egrejas.
Esles homens vollaram anda ao Cralo em gran-
!*?,?* dit 16'e8e o'"8ram acamara,
pedmdo-lhe perdao do desacato do dia 5. A ins-
puscao certameole oao era sua, e a facilidad
com que o perdi Ihes foi ouiorgado, faz crer qu
aespunham de alguma protec$o entre os perso-
Bsgens do da : o certo que ootiouaram a vir"
cercar a matriz lodosos domiogos e dias santos,
eaaum sacerdote permitliam celebrar, era o
Suarf 2" PPe Goo>Ues. PeM0 u
tA^"'" "J0.?6 ,8fl"ta TOlaMn n collegio do Ic
lodosos eleilores da comarca, sahindodeputados,
segundo a apuracao g-ral procedida na capital no
da 2a de dezembro. Manoel do Nascimento Cas-
Dioiz voltou ao Ico no dia 15 de dezembro de
1821, talvez rendido peto ajudante Cha /es.
Independencia.
A independencia do Brasil talvez um facto
nico nos factos das revoluces. Os que a com-
Dateram, o Qzeram sempre do modo, que melhor
se dina trabalharam par* ella, por tolos os meios
a seu alcance.
O congresso portuguez forgou D. Jlo a deiiar
o Brasil, para velar na Europa pela conservado
dos seus direitos. Deiando porm as suas pos-
sessoes. elle sentia que estas lhe iam escapar,
semums medida salvadora. Urna revolla con-
sentida, depois de duas tentativas de indepen-
dencia severamente punidas; urna populacao iA
numerosa, rica e civilisada ; a grande voga das
L*J P0"'1'" d0 v."'ho muudo. a cuj iovaso se
linba aberto a poril. rrauqrj. J.0". .
todas as nages, foram consideragoes. que pesa-
ram multo oo animo de l). Jlo, e assls influi-
rn! p,ra a resolugo, que tomou, de deiiar seu
tilho, o principe D. Pedro, i frente da adminis-
tragao do Brasil.
Mas, porque em polica todos os clculos fa-
Iham, o que o rei reputsva urna medida salva-
dora, produzu, lodo ao contrario, o que elle pre-
tenda evitar. r
O congresso de Lisboa, lendo em muito maater
a otegridade da monarchia portugaeza, e repu-
tando a separaglo do Brasil o comeco da deca-
dencia de Portugal, cujo comaercio e riqueza
elle unha a teleidade de querer eataurar, ora
victima dsi mesmas apprehensoes, que o rei e
em ludo va symploroas de independencia. *0
l0,;.?e ier cailu reo,e d0 gobern do Brasil
uafliho do re, lhe parecendo urna concessao ao
espirito de independencia ; achando perigoso que
se admioistrasse o Brasil assim em separado
anda que temoorinamente ; entrou em sustos
quu nao so coarelar os poderes de I). Pedro, como
ate msnter urna rigorosa centralisacSo. O orin-
cipe nlo pede entrar oas .islas e intengoe do

FOLHETIMn
ADAM4DAS"PER0L1S
PO*
A. DMAS FILHO.
xvui
(Conlinuaco.)
a Bruiellas.
Devo estsr-lhes no encalgo. Eu lioba bem
razao quando peosava e te dizia que ella acharia
meio de dar-me noticias suas. Nos wagoos, eu
acabara porconversaf com um meu vizinho. gor-
danchudo commercianle belga, curioso, tagarel-
la, comilao como alada nao vi. Gragea i elleco-
f.lr.aif.U^.0USa,K iS,ni um P000"- Conheciae
pareca ter orgnlbo de coobecer lodo o mundo
pelo cammho; conversara pela poitinhola o alto
com os chees das estagdes. Chegaodo Bruiel-
las ro apertar a mi ao inspector da arrecada-
cao dos mpostos. e poz-se a conversar em voz
alta com elle. De repente no meio dessa conver-
J, ouvi um exclamar:
cTriaVl""1 6m Um qarl de e8P,d"' Io
A' estas Pjlavrsa rollei-me a approiimei-me
dos dous interlocutores.
O que ? perguntei.
Imagiae, meu charo seohor, disse o meu
companheiro de viagem.-que aqui o senhor me
conta que achou esta manla em um dos w-.gons
%dt.n: ..!.,m'""um *">di
Na qual haria escripto:
eos I exclamei eu.
Jusiamente. Como taba o seohor disso ? ,
Quasi que sallo ao pescogo do inspector da'ar-
recadagao dos mpostos. Assim nao ha mais dun-
da, Anoelte partiu psra Bruxellas, talvez esteja
aqu. e eu a encontr. Nlo tendo outro meio de
otrespooder-se comigo. perdeu voluntariamente
csss cana, convencida da que eu ouviri fallar
?miiKe ". C0,,DP"nhMe- Porque, cortamente,
aemelhaote vale, echado em urna dilinocia.de-
J *r,.P10 eno ote viole eqoatroho-
fs.*. i" fommM,,"'os para aquelles que
Li.""? wach,d0- Ja ea ro chava %m muito
s mioi^nh0 d6.des?'. Pa Dio continuar
miohssiareetigagdes. Tratava-se era primei-
H Vide Diario d. 25.
Vale cem mil fran-
ro lugar de mystiflcar os dous conversadora, que
talvez podessem foroecer-me algumas informa-
06Sa ^
a E por baiio dessas palavras Vale ule
cem mxl francos, disse-lhes eu, ha ama assigoa-
o Sim, respondeu-me o inspector.
Eu disse as iniciaes do nome.
E' Uso. Eaiao o seohor coohece a pesaos
que perdeu essa carta ? '
Conhego.
mi7frfnc" *"" *" re"mente Talor de *
Como se houvera sido gravada oo banco.
hntao bao de reclama-li ?
m.T-|em du,!;,a nei,nun"- Mas quando a recia-
K*/2?. .ei,J,a ^ pe!.,oa "ue ner clama-la que
lhe d osdelalhes de nome, de identidade e de
morada. *
Naturalmente o que hei de fazer.
Agora, talvez o seohor meamo conheca a
pessoa 1 quem pertence essa carta.
Mas como?
O senhor eslava presente quando chegou o
trem onde se perdeu esta carta f
Eslava.
Vioha muita gente?
Muito ppuca. Era o trom da manbaa
Hepsroo n urna senhor* e tea marido que
deviam esiar sempre junios ?
Nlo.
Procure bem. Urna senbora, moca, de pre-
o, muito palhda, pareceodo doenle. O marido.
louro, e tambem paludo.
Espere. Vi urna aenbora pouco maia ou me-
nos como a que e senhor me designa. Oihava em
torno de si. Pareca nao querer deiiar o trem.
Dir se-hia que affectava fazer-se ver; eulretaato
oao poda serpotcaequilharia, porque tioha os
olbos vermelnos, como se tivetse chorado.
Deve ser ella.
E essa carta pertence-Ibe ?
Sim, e Jicho bnm que o senhor nlo entre-
gue essa carta seoaq i essa senhora que, prora-
velmente, vira reclama-la.
. O inspector e o negociante olhavam-me e
ouviam-me com certa admirago.
Mas. repliquei, talvez oa senhores saibam
ende estao esse bomem e essa senbora ?
Nao. -
_ Talvez estejam anda em Bruiellai.
Talvez.
Nlo pudem informar-se? Seu nome bem
couhecido. Oepois urna somma de cem mil fran-
I eos I > ale a penal
1 urna resposta solemne inlimacao
-e regressar a Portugal, linha lomado o titulo oe
defeaor' perpetuo da Brasil, e bem diaposto a
fruir o poler, fra do alcance do eoDgrasto, an-
dou convocar um conselho de procuradores das
provincias, no anal tomou o accorde de assiflarar
o decreto de 3 Je juoho de 1822. mandando le-
ger urna eonstituinte para o Brasil. Elle preten-
da lalvez oppor este poder ao poder do congres-
so, dar ao Brasil as tnstiluiges livres, que lhe
eram recusada! ; mas alo entra va anda em suaa
vistas urna loUI separaglo. Dir-lhe um poder
legislativo, separar >s administragdea ara ludo :
o Brasil ficaria sujeito i meama corda de Por-
tugal.
A nolicia porm de que o congresso preparara
torgas para chamar o Bra.il i sua obediencia, o
encheu de indtoagio eo dispoz a maiorea sacri-
cios. Elle publicou o manifest do 1 de agos-
to chamando os Brasileiros a se unirem para a
acquisigao de sua independencia, e partiu para S
Paulo no da 14. Achava-se ji de volla. quando
reoebeu cartas de seu pae. que o dectdiram a de-
clarar a niepeodenoia da maneira a mais expl-
cita, e desta vez sem deohama coodigio.
A nolicia do acto de 3 de junho veiu encon-
trar a maior repugnancia da parte dos realistas
do Cralo, os quaes se aghavam identificados com
i administracao Porbem, talvez porque, forgados
a tomarem dm partido, reputamm mais seguro
optar pelo que mantinh*. ua Brasil a autoridade
de D. Joao.
A cmara, creatura de Leandro Bezerra. hesi-
tou sobre o partido qn* devia lomar, e fex um
convite a Filgueiras, para vir ajada-la a resolver
(28 de agosto de 1822), sobre o que ella chamara
tendencias do partido faccioso, islo no dia mesmo,
em que recebi o decreto de 3 de junho e expeda
edital, para se proceder a eleicao dos eleilores,
que devisa nomesrdeputadosconitiluinte con-
vocada. Trea dias depois reuniu-se de novo, e
por urna invitagio, que Iba. lez a cmara das La-
rras, de trabalbarem pela independencia, fez con-
vocar todos os realistas com seu chefe Leaodro
Bezerra, o qual entre hesitages acooselbou um
adiamanto para o dia aeguiote, adro de que se
consultasae o capitio-mr Filgueiras.
O partido iodependente, i cuja frente se acha-
ra nesse momento Tristao, e seo amigo de 1817
passou as 24 horas, que mediaram. entre combi-
oigoes, esperangas e recelos; deputou Frsncisco
Miguel Pereira, secretario da cmara, antigocor-
religionario e amigo de Filgueiras, para obter-lhe
o pronuociamento pela independencia. No dia
aprazado, oouvjdor Lsgoa. que era chetado re-
centemente ao Cralo, dirigiu-se i cmara, tomou
sua presidencia e aguardou a cbagada de Fil-
gueiras, cujo Tolo tioha de dar o triumpho a um
dos dous partidos. O qoe se devia esperar de
um hornera das suas aspiragoes, aconteceu. O
nome do principe o obligara bastante de qual-
quer pengo, e a conducta do ouvilor j era um
bom conselho; decid tu-se pois pela independen-
cia e seu voto arrastou o Tolo de todos, pois s
navia Tristao eseus amigos, que eram bastante
ousados para o contrariaren).
Pode reputsr-se a acta deste dia, como a de-
claradlo ds independencia no Crato. e por isto
um documento orecioso. urna gloria para os qoe
o rmaram ; echamos porlanto que merece bem
as honras de urna transcripeo. Domingo 1
de setembro de 1822.ao primeiro de setembro
de 18, nesta real villa do Crato, comarca do
t.ralo do Cearl, as casas da cmara que servem
oe pago do cooselho, onde se achsva a cmara
presidida pelo corregedor da cimara e msis au-
loridades, e cdadios abaiio 'assigoados, para
cuello de se tratar com parecer de lodos sobre o
cumprimento deum detreto [o de3 de juoho) de
* A:.? ndente a dirisio do Braail. Neata foi
decidido por voto gersl, que se devia cumprir o
decreto deS. A. R., iodependente de mais nada
e que se procedesse logo a eleico da parochia
na trma do decreto, para nao retardar de modo
aigum o m, a que elle se dirige, e vermos mui
depressa ao lado de S. A. R. os deputados desta
provincia, para ali se intar quaato antes os oe-
gocios tendentes felicidade e prosperid'ade do
Brasil, e que destioava o dia 7 do corrento mez
para se proceder dit* eleiglo, precedendo-se
editaes e aviao ao reverendo parocbo, para flear
ceno na parte que toca, e tambera maodanm que
o escrivio passssse ceidlo de todo o cente lo,
para ser remellida junta provisoria do governo,
uuiro sim outra egual certidio para se remet-
ter a cmara das Lavras, e outro sim que se oOQ-
ciasse s cmaras desta comarca do modo, por
que oeste csso se houve esta cmara.
Ji psra constar maodaram fazer este termo aue
assigoaram. Eu Francisco Miguel Pereira escri-
bo o oscrivi. Assigoados Lago. Carvalho.
Qointal. Costa, ftebello. Trislio Gongalves de
a "i.' JV,clnte Jo3 freir, vigario ioierino
padre Pedro Ribeiro ei-Silva, Leaodro Bezerra
Monteiro, Joa Pereira Filgueiras. Romio Jos
Bapiiata, Jos Victoriano Maciel, Jos Felti de
eSSSm \'b0 de MeDMe. Pedro Jos de
UniA 0ei F1ran,:8C0 de Mendonga. Aotooi i
Jacinto de Souri.Joao Gongalves Pereira de Alen-
car. Fracisco Cardoso de Mallos, Antonio de Ma-
an, ?,n,Lnle'' AB,aro Velno de Vasconcellos
Antonio Moreira da Cosa, Francisco Joao da
Nir, Vicente Ramos da Cruz. Francisco Jos Ce-
zar Antonio Corre* Lima, Raimundo Jos de Cr-
.lJA51010 Jacome de Aru. Aleandre
5ni?.nd. fVlTi'. ViceDle Amancio de Lima,
Antonio Leite da Silva, Joaquiro Ferreira Nobre,
Manoel da Assumpgao Silvs, Antonio Jos da Sil-
*, Jos Pereirs da Silva .
A independencia, desde este dia, lornou-se urna
cousa legal e, em apparencias, reuni todas as
vontades ; em sppsreocias dizemos, por que do
otigo partido realista s Pilguaras a esposara
com animo firme e resoluto, o resto fleavi ven-
cido, verdade, mas despenado e conspirado con-
ira os vencedores, os outr'dra republicsoos. Tris-
to reuns eolio todos os totos, era o persooa-
gera da poca, o hornera da iniciativa e da exe-
elterio do peosamento poltico.
L,! a" ald0 *"1 inln>to am 1817,
*omaanhsnlo-o, principiavam sua
&* patbulo Francisco Miguel Pereira,
Traociaca de Mondonga, amigos de Fil-
. .ff"^!6' C,BM commum com elle,
aim Pinto Madeirs, uoa v.iw j bem impor-
' e o g.rio do J.rdim se lhe viersm iaa>.
reunir estes porm, psra bem cedo o abao-
aaiiarem.^
v-h1."*-. i ele!.?ao D0 Cral9 Jardim Hi"o-
Vetna oo dia 7 de setembrd.'sahindo eleilos pe-
VnAi S men' mai' PrODunciados pela in-
dephdencia, e todos quantos haviam lomado al-
guma parte ao niovimenlo republicano de 1817
O primeiro a revelar o seo desgosto pela nova
orden, de cousas foi o proprio commandante do
. mi?i?,enrl0, leD,!nle Jo, Felix d0 Mendon-
.' k'- f;eellC0 e violento, dalo a mais pe-
?i?l. ?Qe"ad.*deK Ac*r o mandn lngara
u dei ;B!e.,VDb,.,:ou el,, >edeceodoturaa
ordem. que aibia nlo poder resistir, cheio de dea-
S 'rtJ?1 lncorPr,r colleg* Maooel Ao-
li? i 2"i .commdaote do destacamento do
i i. g0.,u?da da indPendeocia. sanio me-
r?.Mr.ame0l d0 governo forbem, e dos nego-
fn? .-- Pr,uue" daquells villa. Su. ebegada
Oaortfm ? .9 Uma Cena agilaao no' espirito^.
Quer am uns sopear o movimenlo da iodepen-
ff? ,e" ". que poucos eram.pre-
"!'i, 'Pro'eitar o eosejo para aacudirem o
jugo di nfluenea portuguesa. As cousas toma-
ram vulto pela distancia e aterradoras se come-
caram r fazer as noticias, que chegavam ao Cra-
to, a proposito das oteoges de Diois e Jos Fe-
lii.quanlo o collegio eleitoral fosse reunida na-
quells villa Bntretaotoodiaseaproximava.emque
os eleilores deviam partir, os iodependente* im-
pelimos do pengo. queeniergavara nasituacao
eram levados a procurar a aalvacao em uma medi-
da de audacia. Trislio o vigario Viceote Jos Pe-
reira meditaran, fazer uma completa rovolugao no
pessoal da administrsgio da provincia ; era seu
plano divulgado aclamareis no Ic um goveroo
provisorio para a comarca do Crato, e arranca-
ren! esta metade da provincia influencia de Por-
bem '- ------------
2
or-aa aos
esmt su.
te provincia?, dtzendo q
decelos e reaes determioages o
gustissimo Sr. D. Pedro, r que ao us eimi-
*A* Pa"a.odo itoto eipeaso. quer at preteo.
dem mstallar o governo e Bornear oove go.erno
temporario, at que S. A. B. determine, e entre
Mes os mais ema>Mbadas si, odre Vatcaio
/os Pereira. qoi. presentemente eati oceupando
o cargo de vigario interino. Trfstlo Goncalves
rereira de Alencar e outros sedozidos por estes
bous, que dlzem que como o goveroo da provin-
cia tem membros europeos, por isto hao de ser
contra a independencia do Brasil, e arsim uoi-
os com a cmara ignorante, que se cooduz pe'
los seus conelho. teem pasado a a trra re m e
suirocarem os cdadios honrados, que sempre
teem mostrado era todos os lempos Odelidade.
amor e patriotismo, taoto aos ababllisstmos *o-
oersnos. como aos cidados benemeritos.induzin-
do os poto, para a seu molde levintarem calum-
nias conlra os chefe do lug.r e os honrados offl-
r?.ri*A,J2e em 'f17 ,e PP"ram ao pessimo
Partido da mconfldencis, e j deram principio
COtU O rTIQi aa>A.s. M.. ----
meu sargeoto-mr que prenderam na vi Z.lkl"L'ZT ?,? -u,rtc">. "forma ,ns
a por ofcio da cmara, a po calumniosameo- %* d"*1,1 ""! '" lo -
oeh:inH,re,-,h'>' Pa S.e ILB0l^J!!r^i.h,rB.. *+*
primeiro representante d^s nteres do So .fiSTr".,ue^,'.6,EaqrUon.S-BA- R- ^."""
iso de Lisboa. Depois pedirism sua sane- tratanX ,a .7Aa5"p/'e.Por_1,so J msU
.."" E' rdad. Von escrerer ao burgo-meslre
para que se informe.
Quem achou a carta ?
Um dos conductores.
.T Po1* 1ae procure encontrar essa senhora, e
ter uma boa recompensa ; mas que se dirijs an-
tes ella que ao marido. O marido menos ge-
Q6r0SOa
O inspector chsmou um hornero que circula-
va oa estagao ajudando a transportar bag.gens.
disTe eUe q"8ni aChU qU,lr0 deePadM?
Fui, sin, senhor.
m.T^nt1 ,6nhor J"1** cohecer a pessoa
quem elle pertence. Vou dar-lhe uma Carla para
o burgo-meslre^ Procure encontrar a pessoa pe-
las suas lodicagoea. Sa ella demorar-se someote
2 en- e.?Uo h.or" *m B"Uai, elle de sa-
ber onde ella esl, por que o nome de lodos os
u!D*IrH0* P"""-"""- Pelos olhos. Achea pro"-
prietari. dessa carta que tara uma boa gurgeta.
O inspector entregou uma carta ao cooduc-
JMue wcemlohou par* cldade. Tmela
?1?iaimaKa e ,8gui C0Ba el,p. "> ffectacao,
pediodo-lhe aomeote que me viesse dizer, ao ho-
ni, Urpa Dde eu ia PUMr- encontrara a
K5"2"J?-6 Procu"r- Del-lhe ouiro nome que
.... h.m! .p,r eT,ar "U'W odwcrigao de
sus parle, e oeste momelo, estou espera des-
i.er.i'^0,Ae? adeT,Dn co que impaciencia. Eu
poda l-lo acompanbado e lorio mais depressa
inrorraagoes, mas preflro nlo apparecer. Se odu-
que trouie a mulher, para que eu nlo saib. on-
iif. h6*1*' S-*/,l!*,B! e ekle econirar-me,
est ludo perdido. E' necessario que elle julgue
que o seu plano sorlu effeilo, e que eu eslou na
mais completa igoorancia respeiio do losar oa-
ra oode se dirige. Se ell* liver algum meio de se
demorar em Bruiellas, emprega-lo-hs parame
dar lempo de encontra-la. O bomem nao volta
O correio parte j. Expego-te esta carta para dar-
le essa noticia, que me veio dar-om Bbu.co'dtTcb-
ragem e rerez-me maia do que uma ooila de
somoo. Part loo depressa, que esqoaci raaitsi
cousas importiotes, aiis que me sio pessoao*
entre outras, enviar ao meu editor a msica aue
espera, e pela qual deve dar-me diftelr. Acha-
ras eisa msica earola,ds sobre a mioht mesa to-
ma-a e leva-lh'a; recebe o dioheiro, moalrsodo-
Ine este paragrspho da mioha carta, e guarda at
que le possaodizer para oode m'o haa de oviar -
por que oao sri anda para onde le diga que me
escreraa, por que nio aei mesmo para onde vou.
a Tea amigo um pouco maia aitiafeito
< Jacqies,
congresso de Lisboa. Depois pedirism sua sanc-
Cio ao principe Q. Pedro. Contavam para isto
com o coosurso de numerosos amigos as loca-
lidades, e cero alegalidade de uma revolts, para
a quaj o mesmo poder parecia convida-los. A
reuoiao do collegio foi o momento, que julgaram
mais asado. Neste intuito, e no de se porem a
coberlo das violeocias de Dinu e Jos Flix, no-
ve eleilores, Pedro Jos de Carvalho, Antonio
rerreira Lima. Felii Gomes de Mello, Mendong*
Amaocio, avid Ferreira do Espirito Santo, ios
francisco deGouveia Ferraz, Antonio Correia Li-
ma e Mamedio, teado a sua freote Trislio, diri-
gtram-se a casa da cmara, e eiigram-lhe, re-
quisitasse a cmara e juiz ordioario do Ico lan-
gaeaem da villa o teoente Diois e seu destaca-
mento, oflerecendo-lhes a forga precisa para o
coagir, quaodo nao attendessem as suas injun-
Ce*. A cmara do Crato aasim o fe ( 28 do se-
embro de 1821J, mas sem neohum outro resul-
tado que molestar aquelle offlcial. A cmara
oo ico era ofensa a causa da independencia, e
muito maia o era o juiz ordinario o portuguez
Francisco Beroardesde Carvalho.
Por ludo isto o desafio flcsva feito, e de parte
a parte os nimos se disposeram para uma lula.
Havia grande eicilagio, e o eotbusiasmo dos pa-
triotas pnneipiou a se fazer temivel aos portu-
guezes que nao se cootavam seguros, no meio de
um* populagao de rivaes, de ioimigos encarni-
gados. Tudo psrecia presagiar uma crise peri-
gosa, e a guerra civil era o nico desenlace pos-
sivel destas complicagoes polticas. Nestes ter-
mos a cmara, que era no Cralo o nico poder
reconhecido, e fazia nesli quadra o papel de um
commit de guerrr, reuoio-se no dia 2 de outu-
oro e pedio ao governo da Parahiba, lhe enviaa-
se dous offleiaes do eiercito. para colloca-los a
irenie das tropas miliciaoas do municipio, e no
oa tornou a reunir-se para preparar uma forja
respeitavel, que acompanhasse os eleilores, e
nzesse freote a Dias e seu destaesmeote. Foram
oomeados para esta eipedigio dous capitaes.
rmlo Madeira de ordenangas, e Romlo Jos Bap-
Usla, commandante de umesquadrio de milicia-
nos montados. A cmara mandou-lhes forne-
cer dinheiro do seu cofre, e do que havia em
raao dos contratadores de disimos, e deu todas
as providencias, que julgou necessarias para o
bom effeito da expedigao.
Mas, se a causa da independencia legal e legi-
ma como era pelas incitagoas de D. Pedro, nio
tlnna no Cariri inimigos coofessoa e doctorados
pessoas havia, que s ostensivamente a abraga-
vam. "^
OS velhos realist.. ,|,, lom.do. do ...to o
progresso, que ia fazeodo a influencia de Tristao,
o homem justamente mais audaz e mais tmido
ae todos quaolos escaparao aos perigos de 1817
e Leandro Bezerra, mss que lodos, estudava os
meios de Iheoppr eotraves, cogitando oo silen-
cio de seu despeilo, como fazer abortar seus pla-
nos. r
De tacto j todos os preparativos eram feilos,
quando, sob especiosos preteiios, o commandan-
te geral da villa fez debaodar as forg*s reunidas,
dando aviso a Porbem de tudo, que a respeto de
seu governo se machinava.
A seguale carta de Leandro Bezerra a Porbem
a qual fora interceptada, d uma idea cabil da
situagao poltica do Cariri, dous ou tres dias so-
tes da partid* dos eleilores para o Ico.
a Illm. e Eim. Sr.Teoho honra de respon-
der o offleio de V. Eic. de 22 de setembro pr-
ximo passado e oulro, de igual data da excelleo-
tissima juota de governo desta prorincis que a-
companhou a portara com a mesma data, em
que i>s. Eics. me bonraram, fleaodo certo do que
me determioam, devo dizer a V. Eic. que em
mim nao cabem mritos para tal emprego, porm
mesmo as pequeas luzrs e forgas que me assis-
lem fare quanto me fr possivel para desempe-
nhar o meu dever, satisfagio dos meus superio-
res, anda que me ser cusioso conseguir em ra-
zao dos tramas e balburdias, que de continuo se
praticam nesta villa, por homens que affectando
muita fldehdade causa de S. A. R. na feliz in-
dependencia deste reino do Brasil, preteodem io-
troduzlr intrigas contra os naciooaes da Europa,
ate mesmo conlra as autoridades constituidas nes-
----------- o-"
vi.,,e.Qu.dePr?.<,,'e0caj'ilao-n,'ot *'
m! 'm!" ,80n0r' eslou Ps,() com al8u" o
meus offleiaes como fosco entre pedras. e aere-
mos morios e destruidos a cada momelo, s por
dad. P'"B,,,ei" '*o bias como ajustadaa
dadas por V. Exc. oo evitarmos o grande dsm-
ma'd. Hnn n,Ba" ae,n d<"'<. Pereceremos is
maos dos nossoi inimigos. sio*. Eim. Sr., o que
E r-2- V' EXC- pura rd.de, e em quao-
nr"D,DMl!"111 esses traidores aeremos
u?I ej.mals reloar a paz publica neste
di, i vmv discord'". intrigas, acrescendo mais
auer a V. Eic. que Tnsto Gongalves actualmeo-
te um dos membros da cmara, e fazoella lu-
do quaoto quer, apreaentando cada dia decretos
.?* '' nao flrmados pelo mesmo augusto
dU,r',:i?,e,D l"e,as iaPre9sas e a pouco
'S,ap,r.e'en,ou u*. em que S. A. R foi servi-
XIX
..?ror.apt0 d.a du1ue". Pezar de preparado lio
secretamente e eiecutado com tanto misterio, li-
*.Mfi lransPrdo. Tinha partido havia
dous diali apenas e ji circulavam mil boatos
respailo dessa partida. Donde vinham lodos es-
? ,,? Do lnfenores. dos criados, do por-
teiro, leslemunhas inevitaveis da scena violenta
que preceder ao rapto, e que esses individuos
naviam collado, cada qual seu modo. O fado
nona lomado grandes proporgoes, tinha-se mes-
mo transfigurado pastando de bocea em bocea As
supposiges haviam-se tornado realidades: as
probabilidades factos. Havia mil voraes.
Eu aodava pista do que aa dizia para iofor-
mar Jacques na minba primeira carta. Uns
contavam que a duqueza fugiracom o seu aman-
te : oulroa que havia sido sorprendida com elle,
que o amante havia sido preso e que ella eslava
reclua. Estes pretendiera que tirara lugar um
duello ; aquellos que o marido a levara sem que
ella o soubesse, por estar adormecida com um nar-
ctico.
Dziami tambera que fra elle quem quizera par-
tir para livrar-se de uma ligagio onerosa. Dei-
lavam palavra onerosa todas as signiQcages
morses e materiaea que pode ter.
Dizia inds que ella quizers envenenar o ma-
rido, que o procurador do rei havia aido chama-
do ; que linham posto uma pedra sobre o negocio
com acondigio de que ella partira. Que ella
Unha querido, asphiiar-se. Uns lastima vam a
outros aceusavam-a, estes ceoluravam-a e insul-
lavam-a,. aquelles lastimavam-a. Conjngavam
para ella todos os verbos do despreso e da pieda-
de, estes maja que os segundos. o amante
quom era? Seria, o conde de L.?.., seria o raar-
quez.de X. I... Seria o principe de R?..., Se-
rta o barao de Z.?.. Este era muito mogo, aquel-
le muito velho. O amante era louro. Nio, era
moreno, era bonito, era feio ; o duque p havia
moflo, elle matara o,duque. Era um grande fl-
dalgo I Era uma artista. Al uns concordevem
nq nome .da m.ulhqr.
Como bem se penis, Wladimirno tioha aido
o ultimo a fazer sua parte nesse concert. As
calumnias iam de rento em popa. Ao cabo de
res dias. j eslava a nondade no flo. J nio ae
falla va nossa historia, que, s Uvera echo em uma
certa sociedade, onde todas as novidades cahem
e fazem o seu circulo como uma pedra o'egue. O
que sa chama publicooem ae quer onvira fal-
lar nella. Essas novidades sio semelhsotes aos
fogoa de chamic ; apeoas vft-ae um, o povo
ejunta-se, p5e-ae a olhir, i fsier pergantaa e Ji
rh^nd r?M ot eorPus. 1e aqui se acham
chamando-lhes pugas e prometlendo-lhes lastros
de pancadas: estas e outras circumslaocias dio
?.!* !.2f "speitas. e vaeilagio nao s dos
onTaes" a'00' ,8DI10 dS mesnao* chefe8 e "*
nn- a pre?.ente copia Ter v- E". o amilio,
M6! S amara pafa a uaroiglo dos e-
leilores da parochia desta fregueiia, temidos dos
seus meamos despotismos, dizeodo que o lenen-
?0minTdi.D,e geral dos destscamentos de pri-
meira linha Manoel Antonio Dioiz se tioha de-
clarado contra a independencia do reino do Bra-
,nAtte COmo )' '" e a Exm uoU d0 go-
veroo da provincia, negavam obediencia a S. A.
n. o dito commanlante tambem o fazia e a sua
mi*' que 0S e.*Peravam para os prender e re-
meller par. as cdrles de Lisboa, e por iito que-
nam guerrear com c dito commandante. Disto
mesmo fui sabedor,depois ds ter prestado o dito
auxilio, que logo desvanec e mandei retirar aa
I?f\* ^8eUS ">u,r,eis. como tem de presente
acootecdo oa villa do Jardim rompimento de lu-
multuoso numero de poros contra os europeus.
que os vao assassinando, prenderam alguns e des-
poja/am a oulroa de alguns bens. tenho deiermi-
'. A t desl'camento do meu regiment na vil-
n.i. ?i aBm de er,Ur al8UIB rompimento
nesia vina, em quanto o commandante geral da
at La,e.'raJ,D,ha nSo delibera 0Dre um offleio
?r .lh,.dennh fe,l' 0U V- Exc- mand q*
V IZ ?' e P,ra 8ta lengia. reoresento a
m'JSLZSZ mandar dir a,8uin Primelo para
a sustentagio dos mesmos soldados, que sao po-
bres e eu nio tenho rendas suucieoles para o fa-
zer. Teuho eiposto a V. Eic. os meas ientimen-
mandar*1 VStqU,nt0 verdadero. a vist. do que
mandar V. Eic. o que fdr servido, a
Crato, 9 de outubro de 1822.
Os eleilores do Crato foram obrigados a partir,
sem a torga exigida, levando comtudo a prelen-
1L.,D.'Ul,,re,B ? 8eu OTero temporario.
Filgueiras, que era do numero delles. flcava para
^nh,r,0b-9 Ico-,coin forgas de qoe des-
punha, caso sso se litesse preciso.
do. i,.h.|1h2.de ou.tubro- marcado par* comego
dos trabalhos eleitor.es, era reunido oo Ico o
m.n r Pr de melhor em ho-
mena de fortuo, aaber e poaigio. Ao ouvidor
i.A p e"$t *? gra8de P,rle e,le bello resul-
tado. Por obediencia s ordens de D. Pedro e
VW'ul ror"MJP,. q"e ae anoaaciar.ra.
e na idea talvez de que a conducta do princip
nao dOfM em resultado uma total separsgio para
SnmVI1, eile linn.eioedido lodaai ..orden*
aam de que as eleiges se Uzease no lempo o pelo
modo recommendado. No resto da proviocia,,bre
que Porbem (azi. recahir mais directamente ,"
gao de su, autoridade. sequer eram aioda feitas
as eleigoea paroohiaea.
Os eleilores do Ico eram em sua quasi totali-
dade avassos a esta revolugio. Doiz e Jos F-
lix astavam em ameagadora espectaliva. Fot
puia assenlado, que antes de tudo, convioha inu-
ulisar estes dous officiaes. Um capillo de mili-
cias do Rio do Sangue, de ordem do collegio foi
aoquarlel de Dioiz. e lhe deu voz de prisio:
elle porm nio s desobedeceu a esta ordem
mas al eocheodo-se de furor, voltou toda a at-
tengao para os preparativos de uma aggressao
armada. O corpo eleitoral, reconhecido de sua
impotencia linha voltado a novo accordo, e os
eleitorea faziam coovid.r Dnir, a que viesse ter
com elies, para sssentar no modo de terminar em
paz este cooflicto ; quando este seguido de seus
soldados, em numero de 60. com uma peca de
campaoha. veio pr-lhes cerco na casa d. cma-
ra, onde deliberavam. Houve um momento de
confusio e enthusiasmo.ameagas reciprocas,vi vas
independencia e ao goveroo temporario; mas
por ultimo a calma se restabeleceu e cou as-
seo ado, que ninguem eocommodariao comman-
dante, ficando-lhe livre acompaohar o novoeo-
verno, ou relirar-ae para a capital.
A acta dessa sessao um dos documentos mais
curiosos e talvez mais importantes da oossa his-
toria. Ella pode, a justos ttulos, ser considera-
da uma leoda gloriosa para muitas familias, cu-
ioc antepaeoado* ah Broaara*. Ti
do-a, cromo* presUr-lhca rale servir
Ao. ti da tobr. da loS^eaaTSia m
Ico, comarca do Crato; *. eaaa* aaavajsi
pagos do Cooaelbo, o por ordoaa '"islisaaiiaTT
do Brasil, f.r.a not'ifleadoa o Me, niTtr.l"
?Ml oCucle4qe compdam a coaiaoo do Ic e
congregndole a referida casara propoz o Illas.
Sr. prndenle do collegio o aegoiaile-aae pe|M
justos motivo, de reeeiea i ismilu VsiV m
p?r:Bf.q8iAdT,,e,,to,.'M ss? ss
parantes. A. R como igaa hmu peU doaaora
que tem tido a Kxm.. jnt. SXtfe mte
prompta e fiel ecugio s orseos?2^m
gusto senhor relativamente a aomcacka .**w
pulados que devem fszer p.rte da asamblea are-
ral e constituate dss edites do Brasil, irado sido
possivel a todos os eleilores da* frotaaosia a>*u
comarca do Crato f.zerem ana elaicaVTparo-
chia e razerem seaa reunoee no-di. 12 do cor-
rete, na cabega do dfa^rklo, coaTforiae o aviso
conta com um incendio ; pouco pouco a cl.ri-
dade dimioue, a fumaga succeda ao fogo, v-se
que nada ser!, o povo se relira, e quando a ulti-
ma falsea cabe sobre o telhado, j nao ha mais
oioguem para v-la. Assim soccedeu com a par-
tida da duqueza.
Paris um Girgaotua que se notre de alimen-
tos mais solidos. E de mais j nessa poca. Iha
eaUvam preparando o praiinho da reforma elei-
toral. Tanto melhor para os nossos hroes. E
tanto assim que, quaodo oito dias depois, o Uoni-
leur annunciou que o duque sahlra de Paris eo-
carregado pelo governo de uma missio diplom-
tica, apenas duas ou tres pessoas se lembraram de
confrontar as duas fices dessa partida precipita-
da. Para a maior parte, essa noticia foi o des-
mentido dos boatos que corriam. Eotretanto
madama de Wine ouvira fallar desse aconteci-
mento, cujo ricochete orranhava as ultimas illu-
oes do seu amor propria. Veiu vr-me, occul-
tando sob o ioteresse da amisade, a verdadeira
cansa de sus visils.
Nio sabe o que me cootam ? dsse-me ella
cois uma ioquietagio das mais habis, que o Sr
de Feuil leve um duelo, qoe foi ferido? Tran-
quiliise-me depressa, por obsequio. Paasei pela
casadelle, disseram-me que andar viajando
Tranquillisei madama de Wioe que deiiuu ver
que eatara melhor informada do que quizera
mostrar. Fra desaxu negar-lhe toda a verdade-
disie-lhe o que ella podia saber, isto que
duque levara sua mulher, que Jacques partir
por alguos das esperando v-la pela ultima vez
e que voltaria aotes de uma semaos Pars Ma-
dama de Wiqe Qngiu cootentar-se com essas in-
formagoes, assegurou-me de sua arJeicao Jac-
ques, e pediu-me que lhe mandasse dizer, se lhe
escrevesse, que, a* ella lhe podesse servir para
alguma cousa, eslava sua disposigio. Em ludo
uso nao havia uma s pslarra verdadeira
Fui visilar madama de Feuil, quem achei um
pouco triste. Entrelraolo, como viva muito re-
tirada, neohum dos boatos que haviam corrido1
iceroa de seu fiiho tlnham-lhe chegado aosouvi-
dos. Apezard.so.assustsvs-a ess. vi,gem im-
prevists equeiiava-sesem amargura de que Jae-
ques anda nio lhe tiveese eeoriplo. Sem duvida
elle deiira de fai-lo recelando que o sello da
carta lhe rerelasse i que distancia eslava delta
e lhe Uzease entrever uma separaglo mais long
do que a que lhe havia annunciado.
Madama de Feuil era me na melhor siioifica-
clo de sua palavra. A* ella tambem contei o me-
lhor que foi poaivel, orna parle da verdade
Trita-ie de uma molher I dlsse-me elts.
ao menos procedido as eleiges do parockis ota
todas as regoezias da comarca doCoari. ralts-
lando lalvez a eieeogio do pl.no de f.raslida-
des dado pela Eima. junta provisor oo ootros
quaesquer motivos p.rticoi.rea qe. icoonaao*
deliberou o collegio eleitoral iost.ll.r u aravaT-
no temporario em nome de todas as cmara* e
povos, qoe representan) neala comarca o maia
que tudo em nome de S. A. R., at o* a Esas*
junta provisoria se doseovolva a favor da sara-
ma caus., Je P|e0l eieeue*o s ordos* 4* S.
a. K.. e evidentes pravas da ara soto o palrio-
iwrao ib favor da Santa c*osa do Brasil. erado
sera effeilo voz de prisio dada ao* Oras era. !
m.ndantes desta vill., como arapeitao rasan
do Brasil, por lerera dadosubsequeolaatral* pra-
vas do eonlr*rio, seodo-lbes livre flear o* arauir
P*r. a capital, sendo obrigados a cravoear o IUm
PJiMbi me9n,a "nu. eapltto-arar Jos
Pereira Filgueiraa para osa oome do S. A. B..
como egualmenle seu comp.oh.iro ai sMesal
?ao o coronel Loando Bezerra Mooteira. ora ara
auiilurem em todas as deliberages 1 uno* go-
L? a.S a p" oc** PWeoaw pora*.
sendo outrosim nome.do pelos votos doV ras-
pecl.vos cidadio*. cmaras sons *leit*r*a oaa
individuo do mesmo termo, que jalgarem disao
de servir de membro do moaso goterno,. ra*
depois de reunidos, psssirlo a n >mear por val**
da cantara e poros oode ae rosrnireaa. E* rir-
tude do que esta cmara annunciou a todo o es-
poeto na represenlsgio e propoeta do mesmo col-
legio, que se proceden nos leaos designados
oesta, e que o escri'io deste senado tavrarTa tra-
tas copias deste termo qusotas forea srecaas
para as autoridades coosliludas desta comarca *
de tudo para constar aandaraa fazer este tiras*.
era que se aaaignoo a caaara o todo o cellegio
eleitoral. Eu e.crvio da caaara Ignacio Brisado
dos Saolos o escrevi.Assigoadoa-Aalraio do
fcopza Malheiros Seabra presideote da caaara
Joao Alves de Csrvalho. Jos Tbeotooio Baodei-
ra Manoel Gongalves R.ymundo. Jos Antonio
de Moura-vereadores. padre Jos Joaqaia Xa-
vier Sobreirapresidente do collegio, J*ata
Lopes de Lima Raymundo-eserlptorart*, Uiz
Pedro de Mello e fesar. Manoel Aleandre de
Lima-escrutadores. Manoel do Espirito Santo da
ra Jniorsecretario Eleitorea-padre Jal*
Fernandos Vieira, Jos Pelippe da Caoba, padre
Leandro da Cos. Crdoso, Ambrosio Rodrigos
Machado, padro Francisco Roberto de Alaada *
Silva, padre Peiro Ribeiro di Silva, padre Jal*
I Rodrigues Leite. vigario Antooio Manoel de Sra-
1 v,*a" Come Francisco Xavier Sobreira.
Manoel Joaquim Sobreira, L-ooel Pereira de A-
leocar, Romlo Jos Baptin*. Trislio Gooralra*
Pereira da Alencar, David Ferroira do Eratrito
Santo. Felii Gomes de Mello. Francisco Antonio
de Araujo, Francisco Jos da Silva, Liz Antonio
Nogueira de Moraes, Anlooio Ferreira Liaa Pe-
dro Jos de Carvalho, Jos Joaqnia da Silvs Lo-
bo, Googalo Biplista Vieira. M.oool da Coala Bra-
ga, Joao Baptista Vieirq Domingos da Silva 9*1-
danha. Jos Cavalcante Oe Luna, Francisco Car-
los da Silva Saldanba, Mignel Joa de O ieiroz
Lima. Antonio Duarte de Queirot, Ignacio Lo jes
da Silva Barreiros, Ballbasar Lopes Barrear*
Joaquim Jos de Mendong*. Viceale Aaaaei* d*
Lima, Manoel Jos de Miranda. Malhi.s Francis-
co de Amorim. Antonio d* Rocha Moora, Joa-
quim Piolo Peona. Antonio Alves de Carvalho
Fraocisco Fernaodea Vieira, Joa Pedro Nalaoco
da L.nralho. Diogo Francisco Xavier, Aoionio
francisco de Queiroz B*rreir*. Ignacio Meados
Guerreiro, JosAoionio de Araujo. Manoel Jos
da Lunba, Roberto Correa da Silva Juuior. Jora
FrancLco de Gouv. Ferraz. Manoel Bodrignes
da Silva. Victonoo Gomes Leitto. M.ooel Ant*-
21. XJSfif' ,,, Vi,ifa d0 PrBio,Ma "-
nha de Mello. Joaquim Joa Paz Sarment, Fran-
cisco Correa Molla, Jos Pereira de Olireira Jos
Bapiista de Mendonga. Maihias Francisco di to-
cha, Jos dos Santos Less, Joao Geogal vos Pe-
reira de Alencar, Antonio Pmhiro Teiieira
Francisco Pioheiro de Atmeila. Fr.ocisco Ma-
mede dos S.otos, Luiz Furtado Leila, Andr Pi-
oheiro Maciel. Cosme de Ar.ujo Frazo. Mraool
do Espirito Santo da Paz. Manoel Francisco de
Mendonja, Antooio Gomes Brrelo. Jos do Va-
le Podraia, Francisco Gomes Aleixo. Josoaia
tllT ^tmt'\' e Ca',ro Al.iandr* Teiieira
ra 2 *' f00'1. Alei*d" Teiieira, Francisco
de Sallea Lima Joao Bodriguea Pereir. Bernar-
dtno Lopes de Sesos, Antonio Fracaiaeo Pereira.
jina1 cMra da S',ra- JoB B A"- Coores
Joao Alvos Felosa, Pedro Tararea Mans. Bra-
nque Pedro de Almeida, Custodio Andr do*
Santos. M.noel Gongalves do Santo*. Pedra Ma*-
tinsi Chaves, Marcos de Oliveira Bastos. Fractra-
so Das Ribeiro, Antonio Corita Liaa, Francisco
de Souza Mallos. Miguel de Brito Salgado. Alvaro
de Lima Leite, Domingos Paz Bollo. Joo Ber-
I2' da uoh<. Anglo Jos da Bfpoclaco
Mendonga. Bernab da Cosa Cardona. Joao do
Araujo Chaves, Maooel de Araujo Galvle. podre
Joaquim Jos Coelho, Joa Aotonio de Mours, pa-
dre Maooel Ribeiro Bessa de Holisnda Caval-
c.nti-eJos Victorino da Silveira. a (Ao todo
113 auigoaturas.) l
(Confinnarr-K-**-)
Sim.
Elle nunca me fallou abertamente, aa* eo
quasi que o adeviobava. Ella aaa-o.
Creio que sim..
Conhece-* ?
Tenho-a valo muitas vezes.
Elle ama-a muito?
Ella merece-o.
Nao o obrgar a fazer alguma asneirar
Wao.
Nio o espora ?
Tranquilase-se.
. r 0ra *im09> Do o qaeira I Nio pomo lar
sobre meu Olho outra autoridade aeaio a do aa*
amor. Escreva-lhe qoe penae ea mia : qae ao
trie acontecer alguma desgraca en aorrerei. *
nio o esquega, e qae serei muito feliz so m* rs-
crever multas vezes.
Essas palavr. eram ditas com tom Ul as* ra
ilusa?*"podesM ouTr' "*' ***.
aperar do seu amor pela doqaeza teria ssrnjd*
no mesmo iostaote para abengo.r na asi. O
amor maternal parece-meqra na nalnm* *
e eJ,a. em ihdd**,a estatua colloasal da A ral
lis..- indieaioa o posto onde todo* novio*
bfdJ.'?oiDr,'C0B, '< ojio a*
todaa s dores echan *a refer.. la*oairal *
immot.vel. ella va agitar-so ara a. Masa*
poder atUngir ao sea nivel, oa vaga* a* teea-
pestades do msr, eoao osle vt sorar-a*. sata
poder atliogir ao sen nivel oo aawea men
leotos, que oio p.ss.m de psiioo* c*ai
com elle. Apenas, am dia cabio o coleseo d*
oito porque nio era mais do qae a obra sel**
mena dos homens. ao pssso qra o Mira d ia.
morredouro. por qae a obra rj-llsalsdi a*
Dau. Euviei i mademoiselle doH*aT^#nra
pnmelres cartas de Jacques,
dar-lbe a terceira ao coolivt
tereaa.ote. Nio podia ha ver davldni
jo da impaciencia com qae ella esteva d
aoaa noticias do viajante. Eo poto o* nao
cava, ji via esta viagea a*e> na posrt* do -
eoo* triste, gregas priaaka asteo* do 77-
qoez., qu* n .eso flaora Mr boa rasto. ***-
dade, maa pouco imoortava d'rad* rteha nZ
Msitaoio que vieaae. Noeoloale.a
norecia dar errhaa. '
A lereoira c.rta nlo a* fes esperar. BM
dB At*-l>-chapelle a* priaoira*
pareciim rir no alto da pagine.
. [C9ntimmtw-i$-*m.)
PERN.TTP. DE M.F.DE PABIA d FILifO. 1541.
.-L.r_____i


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EQCLFA86S_2BC6TL INGEST_TIME 2013-05-01T01:11:39Z PACKAGE AA00011611_09411
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES