Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:09409


This item is only available as the following downloads:


Full Text
-V
mi inri! diim m
X33
Tir tres ** mcUos
MAM 9 III0TEIBE0 II lili
P9ruiadiaiUd19|000
Ptrlc fraie. pan t iitaripttr.
EPWARBEGAOS DA SUBSCRIPCAO DO NORTE
Parahyba, o Sr. Antonio AreXsndrino de Li-
to ; Natal, o Sr. Antonio Marques da Silra;
Araeaty, o Sr. A. da Leaos Brega; Gear o Sr.
t.Jat de Oifeira; lironlo, o Sr. Maooel
Joi Martina Ribeiro Gainaries; para, Justino
3. Ramos; Amazonas, o Sr. Jeronymo da Costa.
MIOFFICIAL
M rAtmOA* i*) COKHElOS.
OHnda todos os da se 9y horas do dia.
Iguarass, Goiaaoa, e Perahyba as secundas
e sextss-feiras.
S. Antio, Besrros, Bonito, Caruar, Altieho
Caranhuns naa tercas -feirai.
Pao d'Alho, Naiareth. Limoeiro, Brejo, Pes-
queire, Iogazeira, Flores, Villa-Bella, Boa-Vial,
Ouncurye Ex as qua< tas-feiras.
Cabo, Serinhiem, Rio Formoso, Una, Barreiroa
Agua Preta, Pitnentelras e Natal quintas feiras.
(Todos os correos psrtetn ss 10 horas da manhaa]
EPHEMERIDES DO MEZ DE NOVEMBIO.
2 La nova i i hora a 44 niatos da Urde.
9 Quarto c rscente as 8 horas e 55 mina tos ate
manhaa. y" **
7 La chai, aa 10 horas e 47 niatos da nao. 4
*5 Qaarto minguante aa 8 horas e 47 minuto***
manhaa:
PREAMAR DB HOJE.
Primeiro aa 10 horas e 6 minutos da manhaa.
DAS DA SEMANA.
4 .Segunda. 8. Carloa Bonomeo cardial.
5 Terca, s. Zacaras e S. Isabel pees de 8. J. B.
Querta. 8. Severo b. ; 8. Alhico b.
7 Qointi. S. Florencio b. ; S. Tessalonicemrj.
8 Sexta. S. Seterlaoo o seus comp. mm.
9 Sabbsdo. S. Theodoro m.; S. Orales m.
Segando aa tO horas e 30 minuto, da Urdo.' J10 Domingo. O patrocinio de N. Senhora.
AUDIENCIAS DOS TRIBUNAES DA CAPITAL. ENCABBEGAD08 DA
Tribunal do commercio : segundas e quintas.
Relacio: tercas, quintas e stbbadosas 10 hora,
Fsiends : tergas. quinta e sabbado as 10 horas.
Ju zo do commercio : quarlas ao meio dia.
Di o de orphios: tercas e sextas aa 10 horas.
rjTae,"T"" CT: lerSM "'"o meio
Segunda -ara do clvel: qasrlas e sabbados a 1
ora da tarde.
8UB8CWFCAO DO BOL.
Alago, o Sr. Claudino Fslcie Diee-
o Sr. Jos Martina Aires; Rio da Jaoew,
Joio Persira Martin.
JasMiro, oSr.
KM PERNAMBUCO.
Os propretarioe do pumo
Ministerio da fazenda.
EXPEDIENTE DE 2 DE SETBMBRO DE 1861.
A directora un renos, declarando, de confor-
midadecom a imperial resolucio de 13 de julho
prximo passado. lomada sobre consulta da sec-
gao de fazenda do conselhu de estado, a cujo exa-
tne 101 submettiJo o requerinaente que a commit-
sao da prega do commercio desta capital dirigi
ao governo imperial, pedindo o estabeleciraento
de urna estagao filial da recebedoria do Rio de
Janeiro, onde com mais facilidadee promptido
podeasem sor sellados os titulo eommerciaes, que
attluem aquella repartido era grande escala, e re-
presentando contra a disposigao do art. 3" do re-
glamento n. 2,713 de 26 de dezembro de 1860
que manda applicaro sello a que eram sujeitas as
carta de crejito a todo o arto que contiver obri-
gagio e constituir titulo a favor do mutuante de
oode conste a somma realmente abonada : do
art. 1 o decreto n. 2,733 de 23 de Janeiro pr-
ximo passalo, que exige a iotervengao decorre-
tor naa transaegoes ahi designadas ; e bem assim
oo art. 9 do mesmo decreto, que dispde que taes
transaegoes a pnasam er realisadas dentro das
pregas de commercio, no local e hora para e*se
miater marcados:
1", Oue estando hoje a recebedoria do Rio de
Janeiro ea offleina de estamparla habiltalas para
satuiazerem s exigencias do publico coas s de-
sejada preateza, e exislindo em diverso pontos
da cidade casas particulares encarregadas da Ten-
da do papel sellado com aa diTeotes laxas do novo
regulamento, pelo que cessaram os motivos que
natural e momentneamente prodoziram alguma
demora no expediente da dita repanigao, durante
os primeiros das da execugo do referido regula-
mento, oto ha actualmente necessidade de crear-
se a estagao Qiial pedida pelos supplicaotes ;
2, que s disposigao do art. 3o do vigente regu-
lamenlo do sello coocerneote 4s cartas de crdito,
contera urna isngao determinada a bem do com- ,
roercio e do publico em eral, e nao urna exigen-! completar a eleigao dos suppientes d
ca bical quelenha por fln acautelar qualquer i "rectora, por nao ter sido possivel
jalla de pagamento do imposto, porquanto desse | ? moao se quix aisentar o imposto, nao sobre o tres Teze8 convocada debalde, consulta ao eovar-
aimples mandato ou abertura de credilo, mas so- I no "nperial qual dos dous seguintes arbitrios de-
Dra sua realisagao ou qualquer oulro acto novo ; ?e "optar, visto haver nos estatutos omiss j de
oorigatorio, queconstitua luulo em fsvor do mu-i providencias psra casos como este: se esperar
uame. Lomo, porm, os proprios iuteressados ?up chamados os suppientes eleitosa occuoer os
reclamara cunlra este modo de aireeadago, ou I 'es que vagarem. de-ae falta absoluta delles
do processo so por entura nada so ihe pagou
desde que foi pronunciado.
E como perteoce actualmente a exercicioa fin-
os qualquer quantia que desses vencimentos se
enra anda de pagar. devolvem-se referida
tnesourana osdoeamentos que remetteu para li-
quidar a divida na forma prescrita na circular de
6 de agosto de 1847, se a parte o requerer.
A* thesouraria do Cear, ordenando, em vista
do aviso do ministerio da agricultura, commer-
cio e obras publicas, no qual commuoica que o
producto das multas impostas na referida pro-
vincia por falta do registro de Ierras monta a....
PRO** dos quaes apeoas foi embolsada a fazeo-
I ""'0'1 da quaotia de 75. apezar de que
i desde 31 de julho do aono prximo passado fo-
rera remeltiJas para o juo competente as res-
pectivas contas, que active a cobranga de taea
Olvidas, e informe sobre a razio por que de urna
soturna avultada tem apeoas arrecadado urna di-
minuta importancia, e isto mesmo depois de de-
corrido longo tempo.,
A' presidencia de Peroambuco, declarando
que. apezar do que essa presidencia ponderou em
onicio de n. 41 de 4 de fevereiro do anno passa-
do, por occaslao de reclamar a thesouraria de
tazeoda a udemnisagao do que deve o cofre pro-
vincial ao geral pela quota que Ibe toca na garan-
ta do juro de 7 por cento 6 compaobia da estra-
da de ferro, nao pode este ministerio deixar de
insistir sobre esta materia, e recommenda-la
coosiderago da mesma presidencia, afim de que
a indemnisagao ae verifiqoe o mais breve possi-
el.; porquaolo nem o thesouro deve fazer por
sua coola deapezas que lhe nao perteocem. nem
aa suas circumstancias permittem que as cou-
saa permanegam no meamo estado em que se
acbam.
10
Ao presidento do basco do Brasil, aecusandoo
recebimento do sen ofilcio o. 407 de 20 do mez
prximo passado, em que, dando parte das diffi-
i que lucia o referido banco para
a respectiva
reunir a as-
aja pelo trabalho de recorrer muitas vezea
viriude do mesmo titulo estagao fiscal, ou seja
pela diQicutdade em que podem achsr-se os ban-
queiros, quando taes ttulos nao lugar a contas
ccrtnenea, para discriminar entre ss quntiasre-
eefcidas e entregues pelos credtados ou abonados
aquellas que eslao sujeitas ao sello, as quaes nao I Pasamento das
4 importancia designada em cada > P"" occasio em
para convocar de novo a assembla extraordina-
riamente, ou proceder 4 eleigio com qualquer
numero de accionistas que apparegam no dia que
for designado. *
O primeiro dos expedientes proposlo pelo re-
ferido presdeme. Uto o que tende a adiar o
vagas de suppientes do baoco
que torne-se indispensarel a
cumpre considerar a \ 'eigao deates. pelos motivos ponderados pelo
4* __ui^_^__. a i-va i fnecmn n r ,i.i.., i ___ "
ajea dos mesmos crditos,
d"dfmh,,i5l d(aM. S'.d0 reulne>o de26;,raeso presidente, o qaeVjjorwoTmperUlVii-
Dbro como fscoltalv.. na parte que con-1 fij I deve ser adoptado ; porquanto nao
tm a dita Isencio ou favor, com tanto o
todo o cao seja pago o imposto at ao valor de-
bido, ou de urna vez ut>la o inoprt u,i. do v.c-
oito, ou pircialmeoie sobre os actos a que ella dor
lugar e toutenham obrigagao ou conslituiiam ti-
tulo a favor do mutuante.
3o finalmente, que ao ministerio da justiga, a
quem sao remetti ios o dito requerimenlo e pare
ceres dados sobre o mesmo, compete a decisao
das questdea coocernenl-s 4s disposigesdosarts.
Io e 9o do decreto n. 2,733 de 23 de Janeiro ulti-
contrana nenbuma disposieo legal, e 6 determi-
nado por um circumstancii eventual, que com o
tempo ha do prova.olmonla dutappranr. No.lo.
termo Uca, resoondido
ido.
pp
- li citado olTirin rtu O do
mez passado.
A' thesouraria do Amazonas, declarando, na
conformidade do aviso do mioi-teno da marioba
de 23 de agosto prximo passado, e em addita-
meelo ordem n. 29 de 28 do dito mez, que o
abono das maiorias de que trata aquella ordem.
)tnciaes em servigo na mesma provincia, a
roo, contra os quaes representa a commissio da lem vlBr de 17 do citado mez em dianle.
prega, dando-lhe urna Intelligencia que nao a
verdadeira, como se ve do aviso de 14 de feve-
reiro ultimo, expedido pelo mesmo ministerio.
3
A' thesouraria de S. Pedro, ordenando, de con-
formidade com os avisos do ministerio da guerra
de 29 de agosto de 1859, 16 de julho de 1860 e 3
A thesouraria do Par, ordenando, para a
bea execugo do art. 14 do contrato innovado
pelo govemoimoerial por decreto n. 1,988 de 10
de outubro de 1857 com a companhia de navega-
gao e commercio do Amazonas, que se entende
com a gerencia da compaobia, alim de que aa
conlas de fieles e passagens, cujo pagamento
de julho ultimo, e em vista da ntormago dada l houver ella de requerer, aejam d'ora em diante
pela dita thesouraria 4 directora geral da conla-
bilidade em olBcio n. 25 de 25 de novembro de
1859. que restitua sos cabos de esquadra do 3 ba-
talno de infantaria, Bonifacio Rodrigues de Al-
xneida e Maooel Cypriano Tavares, asquantias in-
tegraos que pagram na collectoria de S. Gabriel,
de direitos de 5 por cento calculados sobre as gra-
tilicacoes de suas nomeacoes para eoferroeiros mi-
iitarea de Bsg, e do Ia regiment de arhlhana a
cavallo-e do hospital do extincto corpo deexerci-
to de observagoes, visto como asgratificagdesdos
tlitoaenfermeiros nao estio sujeilas ao pagamen-
to dos direilos de 5 por cento, segundo os arts.
170 e S18 do regulamento de 7 de maio de 1857,
e das decises ns. 91 do 1 de abril e 107 de 21
de agosto de 1852, assim como nao esli as gra-
ticacoes de voluntario e de segundo engaji-
ment.
_ 4 '
A' thesouraria da Bahia, commuoicando em
reepoata ao sea ofilcio n. 286 de 31 de julho ulti-
mo, que, coapetindo ao ministerio da guerra a
liquidagao do lempo de servigo dos officises refor-
mados do exercito, bem como sos outros ministe-
ries a dos seus respectivos em pregados, remetteu
se nesta data ao dito ministerio o processo do ba-
rio de Cajahiba, marechal de campo gradaado
reformado, que acompaobou o referido officio :
devendo a mesma thesouraria fazer observar em
casos ideoticos a circular n. 48 de 25 de julho do
cotrenle anno.
5
A' thesouraria de Minas, commuoicando qne
loi presente a esta ministerio o seo officio o. 67
de 31 de agosto de 1858, em que consulta qual o
Teocimenlo que deve abonar ao juiz municipal do
termo de Montes Claros de Pormlgas, bacharel
Vicente Jusliniano Bezerra Cavalcanti, que, pro-
nunciado em 6 de novembro de 1856 por crime
da respunsabilidade, fot removido esa 30de no-
vembro do mesmo anno para o termo de Minas-
Novas, e,nao obitante a pronuncia, tomara posse
e entrara em exercicio desl ultimo lugar, por
ordem da presidencia da provincia, em 16 de
maio de 1857, continuando o processo da pro-
nuncia, al que em 3 de margo de 1858 foi absol-
Tido ; e attendendo o meamo ministerio a que oo
tempo decorrido desda a pronuncia al 4 absolv-
ci se acham comprehendido tres periodos. 4
saber : o t desde a inliinacao da pronuncia at
4 communicago ao pronunciado da sua remo-
cao ; 2 desde que o pronunciado leve conheci-
mento da dita remogio at entrar no exerncio do
aeu novo tugar de jan de loas-Novas, e 3 desde
que comecou s eterce-io at ser aeeelf ido, decla-
ra dils thesouraria que, nos termos do art. 16o
4* do cdigo do processo crmioal, lera o juiz
ta que s Uata direito a recebar oo primeiro pe-
riodo a metade do vencimenlo de juiz municipal
de Montes-Claros; que no eeguado periodo irada
tem que recebar, visto nao ser applicavel sos jui-
zes municipaes a disposigao do art. 40 da le o.
399 de 18 de seiembro de 1845, segando a dec-
alo o. 129 de 17 de margo de 1852, por issonue
sao os meamos juizea considerados magistrados,
-corno declara a circular do ministerio da justiga
de S4 da Janeiro de 1944; e quanto ao vencimen-
lo do lerceiro periodo, que se deve abonar tam-
ben melada do spectivo ordenado, ama vez
que por ordem superior tere o nomeado posse, e
iercicio da rara de juiz municipal de Minas-
Noras, e foi a final ebaoUido ; cumprindo obser-
var ame o veocimeatoaupraneocionado, tanto no
primeiro como oo se/jundo periodo, de va ser abo-
* iatefxajmente ltJdo o peootwctado tot ab-
eoifldo, ooiternes do'.. |74do citadooaiio
expedidos para pagamento de congruas aos psro
choe eneommondados, a conveniencia dse con-
tinuar a arrecadar esse imposto pelas rszoes se-
guintes :
Emquaoto nao se regulara por meio de urna
tabella geral a cobranga dos emolumentos que
faseiB hoje paute da roeelta publica, tem o the-
souro decidido que ae observe o qne a essa res-
pello prslicavam as diversas secretarias de estado
ate a poca da passagem do dte imposto psra os
cofres daquella repartigao.
Ora, leodo a secretaria da justiga exigido sera-
pre emolumentos dos aviso que expedia em fa-
vor dos parochos encommendados, nao parece
motivo bastante para allivta-los desse pagamen-
to o facto de terem os negocios ecclesiaslicos
passado para cargo da secretaria do imperio.
E verdade que esta ultima secretaria nao co-
brava o imposto dos avisos a favor de emprega-
dos; mas v-se que para isso hsvia a razo de
que taea empregados j pagavam emolumentos
pelas suas nomeages, o que nio se d com os
vicarios encommendados, que nenhum emolu-
mento pagam ao Estado pelas provisoes que Ihes
dio as cmaras ecclesiasticas.
Assim, pois, para nao alterar a pratica segui-
os, e ao mesmo tempo simpliQcar-se a questao,
podem-se substituir as guias pelo langamento da
verba do pagamento no proprio aviso expedido
ao thesouro, o qual ser presente 4 recebedoria.
~~ A' recebedoria, declarando qne bem proce-
deu decidiodo, por sea despacho de 16 de julho
ultimo, que a simples quslidade de negociante
fallido nao comprehendia
Paria & Pilho, na ana livraru Braca da
dencia os. 6 e 8.
mesma recebedoria que sujeitAu a recorrenle a
pagar a slza dos immoveis e a meia slza dos es-
crsvos pertencentes so casal, na quantia exce-
dente 4 aua meiagio, visto como reconhecendo-
se que os beos invenisriadoaporTallecimento da-
quelle commendador impbrlavam em 71 9139741
e M..1>ides pessiva do tai etn M;075i4,
era o liquido ds heraooa s peea de 5:868501,
ootnottinda por aso A recrrante somenle a quan-
tia de '2:931*/250 de aua meiagao ; ando-lhe po-
rm langados todo os bens na referida somma
total de 71:9431741, com obrigagio de pagar as
dividas e entregar ao curador doa berdeiros au-
sentes a quota deates, satiafazendo a competente
decima de heraogas, evidente que a senlenga
que julgou a pariilha nao traoamitiio 4 recorren-
te a propriedade dos bens que se deslioavam so
pagamento doa credores, do mesmo modo que
nao lhe transmittio a heranga dos ausentes e s
dcima da fazenda nacional, mas apenas autori-
sou urna verdadeira compra a respeito dos im-
moveis e escravoa, quinto ao exesso da meia-
gao. nos termos da ordem n. 59 de 2 de novem-
bro de 1848*; e nio aproveitaodo portento" 4 re-
correte, para isenta-la do imposto, a disposigao
jdas ordens de 23 de agosto de 1850, de 18 de se-
tembro de 1851. 25 de Janeiro de 1851 e 12 de
Janeiro de 1855; porquanto, coocedendo essas
j decises aoa herdeiroa necessarios do devedor, e
as duas ultimas ao viuvo inveotariante. o direito
|e /eF"r> independente do pagamento de siza,
, as dividas ds berenga antes de consummada qual-
quer execugio contra a mesma heranga, ou de
vedo 1 ,Mri Aotonio Jos de Aze- efiecluada a partlha. sendo sujeilss 4 siza as ad-
Maie, na expressao de pessoas miseravei, judicagoe de beos
para que lhe aproveilssse o favor do arl. 3o d
decreto de 13 de fevereiro deste aono, sendo mis-
ler que elle provasse que oio dispuoha de meios
para o pagamento da mulla de 4 a que eata
sujeilo.
A* thesouraria do Maranho, devolvendo os
documentos que servirn de base 4 liquidago do
tempo de servigo do 1* conferente da alfandega
respectiva Fernando Pereira de Csstro Sobrinho,
afim de que a mesma thesouraria informe sobre
ss seguiotes observagoes, que a tal respeito fez a
directora gofal da contabilidade: 1, que a cer-
tidao passada pela thesouraria em 20 de juoho
ultimo nao prova, alen do servigo gratuito pres-
tado pelo supplcante em 1829 e 1830. o de .d-
dido 4 extiocia junta de fazenda, con vencimen-
lo diario at 31 de dezembro de 1832; visto nio
declarar se coasta das fothas de pagamento, oa
de outro qualquer livro, o exercicio oio nter rom -
pido deste empregado, principalmente couttando
da certidao que o ponto foi creado na thesouraria
no Io de Janeiro de 1833; 2o, que esae docu-
nento, tratando das faltas que leve o supplcan-
te oo referido aono de 1S33, nio declara a na-
toreza dolas; 3, que da cerdo passada pela
alfandega, tambem em 20 de junho, nio consta
se foram excluidas das faltas provenientes das li-
cengas que obteve depois do decreto de 20 de
novembro de 1850, os das santificados ou feria-
dos oelles intercalados, os quaea deven ser de-
d
de heranga tenas aos berdei-
ros di mesma ou do conjugo sobrevivente inveo-
tariante, posteriormente a taes factos, mani-
fest que s recorrenle, preteodendo fszer a re-
missio depois ds psrtilha, nio pode deixar de
pagar siza doa immoveis e meia aiza doa escra-
vos que oo excedeote 4 sus meiacio lhe foram
adjudicados, embora para solugio daa dividas do
caaal.
18 -
A' thesouraria das Aligoas, devolvendo o co-
nheciniento que remetteu com seu officio n. 63
de 4 do corrente, concernente is notas vindas
pelo Cruxro do Sul, afim de que, como j4 lhe
foi ordenado em 9 do mez passsdo, a respeito de
outra remesas, faga acompanharo dito conheci-
meoto de urna relaco da qual conste expresas-
mente nio s a quanlidaae, nmeros e valores
das notas, mas tambem o descont que aoffre-
ram ; visto que este oio conten tambem os es-
clarecimentos necessarios para expedirm-se ns
avisos do estylo 4 calxa da amortizagao.
A' thesouraria da provincia de Minas Ge-
raes, commuoicando que o tribunal do thesouro
iodeferio o requerimenlo que acompaohou o seu
officio n. 14 de 25 de Janeiro de 1859, oo qual
Joaquim de Snuza Trepa recorreu da decisio da
mesma thesouraria, que o julgou devedor da ai-
za dos beos de raz do seu casal, que remira pos-
teriormente 4 nrtiiho que leve lugar por falle-
cimeotauie sua mulher. valo que, tendo o recor-
dando que nao ao atienda aa fallas excedentes de
60 dias en cala anno, refere-ae sem dunda aos
annos civis. E aln disto cumpre que a men-
cionada thesouraria faga cobrar oa emolumentos
de busca da certidao que paasirs em 21 de junbo,
e no meamo tempo realituir ao aupplicente a
qusnlia de 45*800 que de mais pagou pela da
alfandega datada de 20 do dito mez; porquaoto,
teodo-ae para expedig&o della exsmioado nica-
mente os livros do ponto, i *navendo porlanto
ums s busca, nao ae devia ter cobrado aenao o
mximo de 4000.
A' preaidenciu da Bahia, communicanio
que, tendo o Bacal da calxa da reserva mercantil
da praga da Babia observado em officio de 30 de
junho ultimo que a caixa nio pudera at entao
elevar o seu capital social s mais de 2,375:200ff,
e que nio h*vendo esperanga de compleiar-ae o
fundo de 4,000:0009 que ihe ra arbitrado pelo
decreto n. 2,561 de 24 de margo de 1860, nao
linha todava ainda o governe marcado o praso
improrogavel, dentro do qual deve aquello ca-
pital ser preeochido ou liquidar-se a caix, de-
clarou este ministerio, en resposia a este tpico
do sobredilo officio, que o faci de nao haver a
caixa de reserva mercantil da praga da Bahia
realisado todo o seu fundo capital fixado, nio
pode ser lide como falla de cumprimento de una
condigio eeseocial que determine a dissolucio ds
mesma caixa. nos termos do decreto de 10 de
Janeiro de 1849, que lhe applicavel; porquao-
to nem os decretos de 8 de dezembro de 1859 e
24 de margo do corrente anno, ns. 2.508 e 2,561,
que approvaram e alteraram oa estatutos da caixa.
Irte impuzeram a obrigagio de preeneber o fundo
social de 4,000:0001 para que pudasse funecionar,
nem nessas pocas se achava anda en vigor o
decreto n. 2,711 de 19 de dezenbro de 1860, cujo
art. 12 o que manda marcar prazos aoa bancos,
companhiaa e sociedades eommerciaes para con-
cluir! a dialribuicio de auaa acgdea, sob pena-
do caducar a autorUacio com qne se incorpora-
ran ; e que entreunto a caixa pode aer dissolvi-
da antea mesmo do praso de sua dursgio na by-
potbese do art. 8a dos seas estatutos, isto ,
quando a suas perdas vieren a absorver o fun-
do de reserva e 29 /. do capital effeclivo.Offi-
cioa-se ao fiscal da caixa de reserva mercantil.
16 I
A directora daa rendas, conmuoicaodo, psra
que o declare i recebedoria do Rio de Janeiro,
que o tribunal do theaouro coofirnea a dacisi
da mesna recebedoria que exigi do recorrenle
Antonio da Ascensao Pereira Naves o paxanento
da siza do valor correspondente 4 trsnsterencia
da psrte que por adjudicagao no inventario de
seu irnio Joio Antonio Pereira Nevea lhe coube
no predio o. 36 do campo da Acclamago ; por-
quaoto, tendo easa parte passado para o dominio
do recrrante por effeito de ama dafo in tom-
fum, est inconteatavelnente aujeita 4 aiza na
forma do alvari de 5 de maio de 1814 e ordem
o. 114 do 1 de outubro de 1846, nio lhe po-
dando aproveitar o favor daa ordens n. 228 de 18
de setembro de 1851, n. 19 de 25 de Janeiro de
1854, e outras que laeniam deste imposto as adju-
dicagea feitas para pagamento de,dividas remidas
antes de partilbadoa oa bens ou de consummada
qualquer execugo contra a heranga, por ser con-
cedido somonte aoa herdeiroa necessarios e aos
cabegas do casal, a oio aos collaterae ; sendo
que sao lambem improcedentes as razes allega-
das pelo recorrenle de haver aido paga por seu
fallecido irmio a siza da cessio do direito 4 he-
ranga de que faz parte o referido predio, e de
haver o mesmo irmio do recrreme comprado
pro tUtauido esse mesmo direilo; porque, quau-
to 4 primeira, claro que o acto da cessio dis-
uado daquelle en virtude do qual foi adquinde
o predio; e quanto i segunda, oio tendo sido a
heranga addida a beneficio de inventario, flcou o
irmio do recorrenle obrigado a pagar, como de
faci pagou, dividas excedentes 4s torcas da re-
ferida heranga.
17
A' directora das rendas, mandando conmuni-
car 4 recebedoria qae o tribunal do tbeaonro sj-
deferio o recurso inlerposto por D. Clara Teuelra
organisadas de modo que compreheodam a im-
portancia das passagens excedentes ao numero
das que, na frna do conlrato, ten a conpaahia
obngago de dar gratuitamente ; a daa comed o-
ras de lodos os pasiageiroa que transportar por
oroem das autoridades competentes, e a do frete
das cargas do|Estado que passarem de duas tone-
ladas ; tendo oo fim um apndice, em o qal nao
so estejam designados por seus oomea os passa-
geirosque limera sido transportados, nos ter-
mos do mesmo contrato, mas tambem declarada
a nalureza das cargaa at aquello numero de tone-
lada, e, alem disto, que as referidas conlas sejam
documeuladoa, quando presentes a thesouraria
para o devido pagamento, de todas ss ordeos aa-
tonsando as passsgena e a conducgaoUaa cargas
sobre que versaren.
A' presidencia da mesma provincia.com-
municando que, no intuito de regulariser o de-
sempenbodo Contrato innovado peto gorerno im-
perial por decreto n. 1,988 de 17 de outubro de
1857 com a companhia de navegagao e commer-
cio do Amasonas, relativamente s disposiges do
art. 14 do mesmo contrato, nesta data ae expedio
a orden cima extractada, de que ae remelle co-
pia 4 mesma presideocia, para aeu conbecimen-
to, com a qual espera este mioisterio fazer
cessar os emoaragosque se tem dado na liquida-
gao das diridaa reclamada pela referida
companhia ; e para complemento desta medid
recommenda-se 4 mesma presidencia baja de
providenciar afim de que as ordeos que por abi
ae expedirem 4 espedir gerencia para dar pas-
sagens de transportar cargaa en aeus vaporea
nenbuma outra declaragAo se faga alem da do
ministerio por couta do qual foi a despeza auto-
risada ; determinando ouiroaim s autoridades
subordinadas 4dita presidencis,ssquses tambem
compila aexpedigiode ordeos semelbaotes.que
do mesmo modo procedam.Officioo-se nos mes-
nos termos 4 presidencia do Amazonas.
A thesouraria da provincia da Babia con-
numeando que o tribunal do tbesouredeu provi-
meoto ao recurso de Maooel Martina Torres, ihe-
soureiro das loteras da dita proviocia. ioterposto
da deliberagio da referida thesouraria en virtude
da qual sujeitou o recorrenle ao pagamento da
quantia de 10:24o#, proveniente do imposto de
Pf cento sobre o capital de oito loteras con-
cedida pela respectiva assembla provincial aa so-
ciedades pas nao iseolas do pagamento daquelle
imposto, "a forma do art. 30 da lei de 23 de ou-
tubro de 1838, e art. \ da lei de 6 dasetenbro
aeiou; devendo a nesns thesouraria fazer
cessar lodo e qualquer procedimeolo judicial
contra o recrreme mandando casssr oo juizo
dos leaos da fazenda a conla corrente expedida
valo que o imposto d.e 8 por cento deve ser co-
brado dos cessionarios das respectivas loteras,
nos termos da ordem n. 105 de23deabnl de
1853 ; para o que a dita thesouraria empregar
as deligencias necessariaa.
11
A Ihesourana de Pornanbuco, devolvendo o
proceaso de liqutdagio do lempo de servigo do
chafe de secgiu Jos Francisco de Moura, que
pretente a gralificagio de qae trata o arl. 42 do
decreto de 29 de Janeiro de 1859; afim de que o
supplcante satisfaga as quantia que deve de suas
oomeages e outro direilos: deveodo a theaeji-
rati proceder, a reapeilo da falta do sello aa
forma do regulamento de 26 de dezembro do an-
no passado,
Au muiisleiio do imperio, ponderando, en
reepoata ao aeu aviso de 10 do mez findo, relali-
._nga por forga _.
pariilha, nio podem porlanto applicar-se aocaso
varenle ss disposiges das ordena do Uieaoro 23
de agosto de 1850. 18 de setembro de 1851, 25
de Janeiro de 1854 e 12 de Jaoeiro de 1855.
1
Circular i thesouraria, declsraodo, em con-
formidade do aviso do ministerio do imperio de
16 do corrate, que sos iospedoresde saude pu-
blica das provincias do Par4, Maranho, Pernam-
huco, Bahia e S. Pedro, compete o veocimemo
de 400a anuoaes, -marcado pelo decreto n. 1,338
de 28 de fevereiro de 1854, para oa membroa das
exmelas commisses ae nygieoe publica das
mesmaa prnvincias, e aoa inspectores daa demais
provincias do imperio o de 200s) marcado oo ci-
tado decreto para os proredores de saude pu-
blica.
20 -
A' thesouraria de Peroambuco, commuoican-
do, em resposta ao sea officio n. 167 de 12 de
agoato findo, que foi approvada pelo tribunal do
theaouro a decisio da mesma theaouraria, loma-
da em aesaio ds jante, resotvendo que o titulo
de nomeago expedido pela presidencia da pro-
vincia a Joao Jos Pereira de Lyra, para exer-
cer provisoriamente oa officio de partidor e con-
tador do juizo da cidade de Naiareth, est sujei-
lo apeoaa aoa direilos de 10 0,0 do rendiraeoto
lotado, o ao sello fixo; visto ter sido tal decisao
bajeada naa disposiges do arl. 2* do airar de
11 de abril de 1861, e da ordem n. 3 de 5 de
Janeiro de 1848, as quaea se acha comprenen-
dida a aupradila nomeago.
_ 21
Circular s thesoursrias, ordenando qae re-
meltam a eate ministerio, com a maior brevida-
de poasivel, una tabella denooslrativa dos g-
neros que team sido despachados livres de direi-
to para as diversas companhiaa e emprezaa que
por ventura existam as respectivaa provincias e
gozem desee favor em virtude de lei ou contra-
to com o governo, aos quatro ltimos aooos fi-
nanceiroa de 1861, com desigoagio daa quantida-
des e valorea officiaea dos gneros despachados
em cada anno, e da importancia doa direilos que
deixaran de aer pagos ; fleaodo deade j ni in-
telligencia de que, fiado o 3 trimestre do correo-
te eaoe fioaoceiro, deverio caviar 4 directora
geral das reodas publiess una igual demonstra-
gao do que tenha accrescldo at eolio, para ser
aonexa ao relatono do futuro anno de 1862.
dem iden, ordenando, en conformidade
do aviso do ministerio da marioha de 13 do cor-
rente, que fagam organiaar e remetter annasl-
meute aquella ministerio, at ao mez de feve-
reiro, ama demeoslragas daa quaotias arrecada-
das nos cofres pblicos dursnle o soao aoterior,
en pagamento de servigo prestsdoe a particula-
res pelos araenaes capitanas, praticagens de bar-
ras e outras dependendaa do meamo minis-
terio.
GOVERNO DA PROVINCIA.
xpedieate do dia 6 de novembro
ele 1861.
Officio ao Bim. presidente do Maranho.Ha-
vende inteira coincidencia entre a informagio do
commandanie do 5* batalhio de infantaria, an-,
nexa ao officio desea presidencia de 19 de margo
altimo, e a qae me foi minutada pelo corooel
Antonio Gomes Leal, como V.* Exc. melhor ver
da copia junta, com referencia ao desertor Amo-
nio Fragoso da Paz, de que tratan oa mees offl-
cios de 13 de fevereiro e 22 de meio do correle
sano, julguei conveniente facer seguir o referido
desertor paca easa provincia, aun de que V. Exc,
mandando proceder a novas averiguages paia
verificar ae elle realmente desertor, se sirva de,
no caso negativo, maada-le por em liberdade.
Otnoeu-se a agencia doa vaporea para faze-lo
transportar, e conmunicou-se ao connandanta
das armas.
Dito ao coronel conmandante 4m armas.
Remello incluso por copia a evito expedido pela
repatiigio da guerra en l de setembro altimo,
pare que V. S mandando eliminar da entorna-
ra do presidio de Perneado, oe objectos caastan-
(H 4o termo rjaUdo do 29 de julho ultimo, i qae
faBMen?.,f11 fflci0 de14 de 08, < anno,
taca apresentir para os fms indicados no nean
SI k J de.ciraria. M camteaa e leoges
ae imiio, e os metaea amarellos.
Dito ao capilio do porto.Atiento o que V. S.
C& -" "u 0fflci0, n i9i ** 5 d0 corrente, coo-
venho era que a reforma que ae ten de fazer oa
Mcritfiaracio da associagie dos pralicos da barra
tenha principio do 1" de Janeiro futuro em dian-
te, vial que ae tem de mandar preparar Iivros
para esse fim.
Dilo ao chefe de policapode V. S. remetter
para o presuio de Fernando, para o que ficam
expedidas as convenientes ordena, os 33 senten-
ciados de justiga mencionados na relagio qae
acompanhou o sen officio n. 1,100 de 4 do cr-
reme.
Ao coronel com mandante daa armas officio oes-
ia data para prestar s forga que V. S. houver de
requtsitar lhe para escoltar o referido seotencia-
ao ate o predilo vapor. Fizeram-e os offivios
oe que ae trata, exigiram-se aa guias do iuiz
municipal da 1 vara, providenciou-se sobre o
embarque dos mesmos sentenciados no vapor Pa-
ran a communicou-se ao commandante do pre-
Dito ao commandanie superior do Rio Formo-
so.ueenndo o requerimenlo do major commao-
danie do esquadro de cavallaria n. 7 da guarda
nacional do municipio do Rio Formoso, Laureo-
lino Jos de Miranda, sobre que V. S. informou
em omcio de 2 do corrente, o sutoriso a mandar
KmV Rta.de que lr,ta "'45 a0 decre, D-
1.130 de 12 le margo de 1853. visio que transfe-
no elle a sua residencia para esta capital.
Dito ao commandante superior de Caranhuns.
-Lom as copias das informagea ninistradas pela
thesouraria de fazenda ara 5 do corrente, sob n.
1,063, respondo ao officio n. 70 de 23 de agosto
ullimo, em que V. S. solicitou o pagamento da
lolna, que devolvo, dos vencimentos do finado
lente Jos Leonardo Fraocez, relativos ao mez
de junho.
Dito so commandanie do corpo de polica.
Informe V. S. com brevidade quantas pragss do
corpo sob seu commsndo pdera seguir para a
cidade de Goianna, afim de retorcer o deslaca-
mento que all exiate.
Dito ao inspector ds thesouraria de fazenla.
naja V. S. de expedir as suas ordens para que
pela respectiva collectoria ae venda em hasta pu-
blica a ambulancia torneada por occasio do cho-
lera -morbus a comarca de Flores, e que se acha
aob a guarda do juiz de direito daquella comsrea,
como consta de seu officio n. 22 de 22 do mez
nndo. Communicou-se ao predito juiz de di-
reilo. *
Dito ao mesmo.Cerlo do conteudo de sua in-
formagao de hontem, sob n. 1,064, dada com re-
ferencia da contadoria dessa thesouraria acerca
do officio de 23 de outubro ultimo n. 246, em que
o director da repartigio das obras publicas pede
que sejam considerados obra geral e como tal
pagos, os reparos que esli sendo feitos na pon-
i velha do Recife. lenho a repnaimndar i V. s.
que mande pagar essa despez pelo crdito de
30:000#000 concedido no corren exercicio para
?,D/.?S. Beraaa ,e miTilin _a orovinciaes. visto ter
silo assim ordenado pelo governo em difireme
aviaos. Communicou-se ao director das obras
publicas.
Dito ao inspector da thesouraria provincial.
loteirado do conteudo de aua ioformagio de hon-
tem, aob n. 544, tenho a dizer i V. S. que man-
de pagar ao arrematante da illaminagio da cidade
oe oianoa, ou a pessoa que para isso se mostrar
autorisada, a importancia aomente de tres mezes
j vencidos do sen conlrato.
Dito so director das obras militsres.A' vista
oo que Vmc. expz em seus dous officios de 29 e
ao da outubro ultimo o autoriso a firmar con a
directora da Companhia de Beberibe, aob as con-
dicoes. que devolvo, o contrato para oforneci-
memo diario de 82 baldea d'agua, sendo 60 para
o hospital militar e 22 e meio para o quartel do
Hospicio, pelo prego mdiesdo no 2 dos cilsdos
otllcios, enviando-me Vmc. copia do termo que
ae lavrar afim de ser approvado.
Dito 4 cmara municipal de Olioda.Con a
inclusa copia da ioformagio da theaouraria de
fazenda de 31 de outuoro ultimo, respondo sos
offlcios de 8 de agosto e 19 de aetenbro ullno
em que a cmara municipal de Olindn solicita pro-
videncias para lhe serem restituidos vanos ter-
renos que diz fazerem parte do seu patrimonio, e
estarn actualmente considerados como de ma-
rioba.
Dito 4 cmara municipal de Ouricory.Res-
pondo ao officio que em 14 do nez passado ne
dirigi a caara nunicipal do Osricury dizendo-
loe que nesta data officio ao ebefe de polica para
que as autoridades policiaes desse municipio ni-
nistrem os dados eslalisticos que por essa cma-
ra forera exigidos para cumprimento das ordens
do governo.Officiou-se neste sentido ao ebefe
de polica.
Dito 4 cmara municipal de Villa Bella.Rea-
poodendo o officio que ne dirigi a caara mu-
nicipal de Villa Baila oo mez de outubro ulti-
mo, teoho a dizer-lhe que a uto riso-a a fazer a
despeza qae for precias com extrsegao do for-
migueiro e rebaixameoio do saogradouro do agu-
do publico desaa villa, ama vez que seja ella
feita pelo cofre da mesma camars.
Dito ao Dr. Frsncisco Elias do Reg DsbUs.
Ioteirado do conteudo de seu officio de 14 do
correte, teobo a dizer-lheque logo qae me se-
ja commuoicada pela secretaria da justiga a no-
meago de V. 8. para o eergo de chefe de poli-
ca do Amaznoas. ser-the-ha marcado o prazo a
que allude.Communicou-se thesouraria de
fazenda. .
Dito ao engenheiro fiscsl da estrada de ferro.
Envo 4 Vmc, para aua scieocia e direccio, co-
pia do aviso de 7 de outubro iodo, era que o
Bxm. Sr. mioistro ds agricultura; commercio e
obras publicas declara en virtade de consulta da
secgio dos negocios do imperio do conselho de
eata do de 16 de agosto ultimo, que nio deve in-
aistr-sa na renessa para Londres dos documen-
tos comprobatorios das differentes contaa da es-
trada de ferro deata provincia, visto como en t*o
grande distancia nie ae pode ter eonhecimemo
da ulilidade e bou emprego das sommas depen-
didas, e que antes convem que aqu se exerca a
maia severa scallsagao das mencionadas coolas.
Eovou-se igual eopia 4 thesouraria de fa-
zenda.
do cano da esa de deteocio, visto aaain sa* ka
er requintado o ehefai Interine Malda di
hontem sob n. I103.-Comuuoicou^4^k
Dito ao juiz de psx doa AffoMdoe.-Otuesm
Vsac. ao esenvao deate juizo que, d naba
dado con o dispo.io oo artigo 1 ato -T
30 de outubro de 1830 eotreguTse%ecretosto ato
*?y "uotclpal des. cidade, eemT^r-
tivros de nota qae exi.tirem fiados no rwTarti
vo carlono. Dirigiram-se iguaee oofetoaT.il
juiz.. de paz d regoezi., d V,rFnl5Z
es 8. Loureogo. j.boaiao e Poco da PauelU
Portan..- preaideote da prors^a reudT.
nonear oprofessor Jos Soares de kwtwmmmUm
saaiatir na qualidade de commirsarie do Voven
aoa-ramea de preparatorios a queso e^Uorac-
deodooa Faeuld.de de rJireilo^-Cen
se aoExm director daquella Facaldade
.TI0 "io" provioeto. "
ao que lhe requeren o segundo cadete
ra companhia do batalhio o. 9 de iofia,
guel Joaquim Machado, e tendo em -lito.
recerda junta militar de aaude, rusolve rnnit
Ihe tres mezes de licenga de favor para tratar
T fauJ,e-Comnunicou-.e so coronel
dante daa armas.
Dita.O presidente da proviocia r'lttisnde
ao que requeren o labell.ao da ool.s e ecrviVato
termo de B.rreiros Jos Norberto Casado UmV
reaolve cooceder-lhe dous mezes de HoMKa.
Loocederam-ae lambem tres mese* da licenca
com vencimentoa ao medico do collegio doa or-
phsos Dr. Joio Jos Piolo. ^
Expediente do
muoicou-
i-
ftr.
Brito.-Exhib.
ato irahiss a
tnrlo g:
Officio ao juiz de diretode Santo Aatao I
re Jos Filippe de Soasa Leso8. Esc
presidente da proviocia, maoda declarar Iba w_
pelo seu officio de 4 do correla, sob e. 24 tea*
ioteirado de haver V. S entrado naqaella dato
no gozo da licenga que lhe foi concedida Fue-
ran]-se as comraunicaces do costana.
Accusou se tsmbem a recepgio do officio ea
que o bacharel Pedro de Alcntara Peixete do
Miranda Veras commuoica ter deixeeto a varo ato
direito, e aasumido as fuocges de iuiz
pal de Ouricury. *
Despachos do din di
de 18411.
Reij utri mtnlot.
Francisco Antonio Pereira de
o supplcante a licenga do juizo
que allude.
Francitco Silverio de Pariaa Jnior.__Patn
portara coocedendo a licenga pedida, cosa veu-
cimenlos.
Irmandade de Nossa Senbora de Rosario la-
forme o Sr. inspector da thesouraria ato fa-
zenda.
Joio Ferreira de Souza.Ioforane
pectur da ihesouraria provincial.
Jos Augusto de Ara ojo.A Ibeeouraria arav-
latjva a tres nezes,aae estio veocidos.
Jos Norberto Casado Lina.Pa
coocedendo dnos uezee de licenca.
Dr. Joio Nepomuceoo Diaa Fernandas.Fao
portara coocedendo a licenca an feeaaa
dida. ^^ pu-
Halhias de Alboqaerqae Mello lanior'Ufar-
me o Sr. Dr. juiz municipal do termo ato In-
Violante Marta da Coneeieio e outras Infor-
me o Sr. Dr. chefe de polica. ^^
Victor Jos Ferreira.-O supplicanta vai aa*
processado, pelo que nio lem lugar.
o 8r. tou-
ponaria
OIIRIO DE PERNIsnlucn.
Rio-
. Recebenoa jornaos e carias do Cear
Grande do Norte e Parabybe, puto iam
rou, chegado honten. alongando atopi
* 1. do segundo 4 5, e do lerceiro ato car-
roo ic.
Ctar. A presente caria 'de noseo camsfeu
denle diz-nos quanto occorreu ali :
c Quast que nio ha materia para uaaa nnsi-
ta ; comtudo, como hoja oio estou atacado da
minha molestia- a preguica, ano ajuara deiur
escrever-lhe para dar-lhe noticia do oovmo
de
que ha occorido depois da paasagon do Paran
c O reverendo Jos Ferreira Lima Sucupteu sal
nomeado pelo Exm. prelado vigarie geral aru-
visor do bispaeo.
c O reverendo vigario da fregaozia atonto capi-
tal, o Sr. padre Carlos Augusto Poixuto d'Alou-
car, cessou de ser redactor em chefe do i
cr, jornsl dos interseos com
e politico-liberal-coaciliador.
a Na despedida que o ex-redaclor In au pvu-
prielsrio do jornal o qae foi publicada no a. 175
de 25 do prximo paseado, d como ras** ato aun
retirada as suss oceupaces satonmaea de
saude.
Julgo que nio me engaara, a* dtoaiaaa que
o bxm. dioceaano coopero* para casa resolacsto
f Ougo dixer que o gerente da Conp-ohia asa-
ranhense de oavegacio a vapor nrateaato ir a ce-
sa proviocia a tratar com o da Pernanbucaua
a ver ae conaegoe qae oa barco da nana* outra
fsgam aoaa viageos de Peroambuco al ao Para:
Nao aei a* isso ser de c**vana**eia
Companhia Pernambucaga, nem mea
Maranhense ; mrmente porq.e julgo uaaa a ou-
tra baldas de vasos qae posean satisCactoria-
mente preeochar tat servigo ; a*r***,
Dito ao superintendente da estrada de ferro.
Transmuto por copia ao Sr. superintendente da
eslrsda de ferro, para aeu conhecimeoto o aviso
expedido pela repartigio da agricultura com-
mercio e obras publica em 10 de outubro ulti-
mo, autorisaodo esia presideucia e permttlir a
abertura da terceira secgio da mesma estrada e
a sua entrega ao trafego publico, obaarvaodo-'aa
ss clausulas mencionadas no citad* aviso.
Dito ao director daa obras publicas.leud-
me o Bxm. Sr. niolstro da agricultura, commer-
cio e obras publicas declarado em avise de 19
de outubro ultimo, que nao haveodo crdito vo-
tado para a avultada despeza que ae deve fazer
com a cooatruegio da poole entre oa bairros da
Santo Antonio e do Recite, "em substituigao ds
que all existe, e dependendo a meama despeza
de medida legislativa, flcou por este motivo
adiada a reaolugao deste negocio; assim o con-
aruolca I Vne. para sau conhecimento.
Dito sq meamo.M>de Vmc. fazer con ur-
. ------ "*->-* -*-avv*yw t t/vi^sr
gao do JagumrHe, de propriedade ato
cana, e quaodo meamo o Camasain, da
oheose, nenhan dos outros vaporee a* pode
elle prestar.
c O quo ne causa adnireueo au* soin u
companhia Maranhense, aquella nasn
todos os exforcos para obstar a que e
bucaoa pdese* maodsr seus raparas a*
cu e Granja, a que boje se lemb* ato ssupc *
outra a wsssMSO reciproca do prlvil-fto.
c Hoje esto aqu todos saui sHaisiiss eses a
maoeira per qae a Peruanbscaaa lssn>snba
oa deverea de qae a* acha incanbida. a ato es-
perar do iele. e tolaausuacsa ato ssgsi*
que presdeseos destinos a coalioaacio
liaongairo estado.
e Aoa comnaodantea aos vsporas
cabe oio pequea parte, ai* a pal
dada qu* se observa a bordo, cena
tratamenio, maoeiraa delicadas, a
prodiga litara aoa psMsfsJraa.
a Acban-ee no noseo parto
gaodo de caf, e un de veries tesete* para Li-
verpool, eate a barca tegtosa SMto. Oa mmt
lo : sseuna hollaadata farto psra
barca iaglsu atoes rFisf asea aa P
e brigua brasileiro Jaurifse para I
Espera-ao desea parto
que ven aqui tomar um
para Liverpool.
A noeea alfandega raaos
porto de M cenes de tuto.
t O Afm tos**** ueata parta bato m asaa-
ohacer, foi letardado ea su* viaajsa* par tsr i
entiadada Parahyba softriao
machina.
c No If asrsss* va* deseito i
obiecto para a expoaiebo qaa abi aa
mi* oscoBcenoi de qae preclsi porta feral| *9 contato, copalato a aaortm


r i amuz
IARIO 51 tlRMBGO* -
----------------------------------
5ABBADO 9 DE KOYEMBRO DI 1861;
hivp va |tuuin
srac, de madeirst, etc., vintio da oa]* O
ierentee fabricantes, e algunt^ ebjexlpa > ipd
< A commissao qu"
fim, fez o que poude,
co, e quasi se nao receberam
todos_os pootoi para onde se dirigi.
occ8i^MorreraMaco
lia em a industrial.
4U d primar
Grande do Norte.ii havia vo
o juiz de diriio, que ti aba ido presidir
|fj no Osera-'merim.
dra*e* do dia 4 o Sr. Jos Ferreira "No-
que j He sjgum tempe aeffria myeta-
Fera conhecido. o resaltado da setelo pto-
ooreollegioe de beira mar, veocendo &
pardaHdade aoiaritta.
mam as
Mi Iludo r Meramente, nio Oque elle lf. Tb
Jus- providencia*. >
rWflaVBr&sr. Joto SJares de Azevedo aeba-se
iaje rerto na qualidade de
*Sfrti6a.--Nouo corresponden^ vitaos P. ALftMrajo^MA.^Ciua seCAte ~
Nao me record se oa anterior refer a de-
ctanagia formal al PdMUre enoppesloaoao actual
atatoislrador, pelo orgio des liberaes ,o As-i
tmmot* qu9 Bpfwis em outro numero, repelo
.aaocu*ac^i*edic^nh!mtrcmmpm, istc., que
o 8r. Araujo Lima eropregSra a'fore* pata dar
rencimento em Cabaceiras aos conservadores.
O iDesptrlton mo Mere* para a provin-
cia e tira para ser lido na corte, onde auppe
Vas ssaita oapdtuMo troOttacidoes que
SasfaSaaV em suas columnas; entretanto porm
forzoso coofessar que a prevengo do Sr.
Ar*HJ L'DISj ida de urna orca o carpo do
guataioto aquella localidad?, T/rodoxIo o etTeltb
que se esperara ; reinou perfeita calva em Ca-
bceirasonde os liberaescoetum&m moatrarem-ae'
exaltados, exallimenlo que cremera visto darCa-
bacorris 30 eleltores, com os quaes contavam os
liberaes para venceren no 2J districto a eleicao
pira depuldoa provinciaes.
c A gente do eDcspertador no meu pensar
andou erradamente, devia esperar pelo resulla
do e altender so proceJimento da torca cujo m
ubico foi garaotir4ivre raanifestaco da maio-
rra, sendo que esta manieatou-se em favor dos
conservadores, que sao dirigida* pelo padre
Tejo.
toes. Tjm subdelegado que aband
municcio, por mais de tres metes
sea carga ; que nao s nie proe
assassinos, mas nem so menos p
o .do go- de delicio dos asaassinatos que se
povoagao eos que dora residir; u
Pede-te-nos s publicarloseguinle: gsdo acha o Sr. Brandao que deve
'8sfjlj)a)lj o ? "
. que 1 I Julg.
10 seo numero da honlem, envolve ridos.w
o contra o Sr. Dr. Manoel de Bsr- appelle de u
ros Barris.que sor, oa qualidade de amigo des
te, nao deitrtmoe paatar tem protesto.
Sata historia de 50fle>, mate ama inreoceo
avel dos desafectos daqselle senhor ;
mais um parto de urna invejt perca, que se eevs
na columpia. Niegue m melhar do que Vmea.
saben ajee o Sr. litros Brrelo, nao so nao foi
quera fez a reclamagao relativa do fado da sorra
Os. pare tal nm^'Uem mostrea o desejo de sabe
quem fora o autor de tal historia, o qual. quera
quer que sej, nio pode deixar de medir-se ra
esleir ero que eslao;quelles para os quaes e Sr.
Brrelo s pode ter supremo despresb.
Assim, se o autor da cirla onvio de pessoa de
criterio, que oa oSr. Brrelo ou alguem de sos
familia, tivesse dito que o proprietario do Diario
exigir a quaotia referida, para mostrar o auto-
grapho de que faifaa mesna carta,que declare
o Dome dessa pessoa, para que o negocio seja
devidameDle esmerilrudo, e nio fique alguem
tentado a ere.-, que o proprio signatario da
Se~~digo5r. Pigueiroa presa-se bastante para
nao f*zer exigencias laes.' tambera certo, que o
Sr. Birros Brrelo se oo presa menos, para fa-
zer-lh* semelhante tmpUtrcio, qae nanea pode-
rla alcaocar aquello neb partir deste.
Recife, 8 de novembro de 1881.
i. r.
A' ama hora da larde do da 5 de outubro
prximo passado, praticou o Sr. .Dr-.. Crollno
Francisco de Lima Santas a extirpado de um
caocro-, qtie tnteressava todo o seio direito, na
pessoa do Exma. Sra. D. Anna Anglica Pereira
da Silva, mulher do Sr. capillo Jos Francisco
Pereira da Silva, senhor do engenho Velho.eeudo
a-O que everdade que espalhou-se nesta ajudante o Sr. Dr. Roeba Basto. O fumr, que
finria fina ilmip. ^^.n. n..4U:i__.__i_j__ au.. j_ ..... ...
cidade que aTguos 10050, partidistas exaltados,
irn Cabaceiras unpdr o veacirseulo de sua
pstcwlidade, desconcertando lodos o*planos um
fa'cto insperado e desagrada ve), o qual foi o ter
urb falano Limera, tentado contra a existencia
do supplente do juiz mupkipal, em exercicio,
pOr causa de certa mulher, com a qual os dous
etfbjirtlnham relagoes iHiciUs, e que supponbo i
Ihe refer.
* O Sr. Araujo Lima sabio na madrugada do 4,
para Pedras de Fogb-, residencia de um irmio, o
Sr. capillo Raymundo de Araujo Lima como
qual passaria aous ou tres dias, sendo que sup-
poese chegar S. Exc. hoje a aoite ou amaoba
)>eis manhla.
* Tirado o ipcidente da ele$o de Cabaceirae,
a provfbcia mostra-se satisfeita com a admielt-
raco do Sr. Araqjo Lima, que anda nao nter*
rotnpeu a marcha que principiou a seguir, guian-
tJo-ae nicamente pelos principio de juatica o
economa.
cao-do magistrado tfrtttitfnte, honrado e anuUo
joaWbeko, o qae-rha grin|earam a afticae e re-
cow>ciifinto d-sebo j'urisdiccionadoa.
E' bera honroso quando ao deixar^se o exer-
ciero de qualqudr cargo, aquflle sobre os quaos
se-siperiiiiende, encontram proras tao sigoidea-
livas de aprero considerajao.
O fado mais importante havido nesta capital
fot e ferrmento de duas mulheres e um homem
pdr ubi rtulher, qae foi presa e dizem fra leva-
dar praticar taes erimeutos, no proposito de ser
:ondemnada e ir curoprir sentenca ero Fernando
ontfecarpe saudades margas o seu adonis. Pror
vaoelmente neo ir ella porque os ferimemosslo
ce pouca importancia.
Consta-nos que o 8r. Di. Neiva, que anda
eserce o cargo de chefe de polica, seguir para
eesa capital na Volla do Jagmaribt.
Foi pronunciado como auior da roorte do
fertar do enRenho Paruir, o ejersvo Baldme
uojeoqoe toraoa parto nos ferimeolossoffridos
pelo infeliz Pi Quinto Papa Duarle.
A mortalidaae de Janeiro ao ultimo de outo-
bro neata capital, fra a wguinle : 312, sendo
homens 169 e mulheres 143.
PERN1MBUC0.
Umik DIARIA.
Moje expira opraso para a substituico ao par
daa oxtas de 206OO da Caixa Filial do Banco do
Brasil nesta provincia, entrando as roesmas de
aoMobaa por diante in descont mensal pro-
greasivo de tO *f.
No dia 5 do correte flzeram exame de suf-
ficitoci para os lugares de avatiaor e contador
do termo de Nazareth 00 Srs J0S0 Jos Pereira de
Lyre e Demetrio Jos Pinto ; os qaaea segundo
noticias d'alli farsa reprovados n limine.
O primeiro desses seobores acba-se noexerci-
0 provisorio desies offietos, e o ultimo exer-
ceu-os per abss de Mansos.
Da mesma noticia consta, quo honlem devera
ser examinado este derradetro no concurso para
os oflioios de partidor e distribuidor, para os
quaes foi nomeado ioterinimenle.
Eeviam.-naa o sesainte escripto, cuja puWi-
cago nos parece conveniente por sua materia e
objeclo, que carecer do ama syndicancia para
a respectiva verifleacao e consequente pro vi-
dencia :
Se. redactor da Rtvisia Diaria.A respeito
sobre o aterro ou caes de tijolo em secco, que
algaemesi fazendo por baixo de urna pingela
eollocetia sobre o braco do rio Cipibaribe. que
cifcaria a ilha dos Coeihos, centinua-se cora o
znaior desplante e sem ceremonia a Infringir-se
as disposioes rounieiSses, e o regulamento das
capitanas dos partos.
* Netas lugar, Sr. Tedeotof, d meia rasante
atan baixa-aar, a cerrenteza to forte sobre as
pedras e lijlos all cotlocados a forma de dique
qoedrDetimente se passa, e m dfa drntts virnos
qaast arrebentar-se ama sna, que condozia
urna iBiilia, a qual costosamente pOde prssr
j,coeeo disse, pela fosco, da eorrenh'a que all
faz, e j porque ia de encontr as pedras e vol-
tava para trar. r "'
* Assim, pois, vfeto q>ofl rrenhuma providencia
ten-appsreeioO) que faca parar a obalroccao. que
caeoladamente eslao fatetido abi.-bem como
l,?-?!"0 e "*** *8te P8r* Wone, eetS o pu-
bllro)aleando privado de pwssr embarcado, oudo
contrario sugeilar a despedacar-a eeofla sobre as
pearaa eom grave prejoito* at do vida.
atdniita-no8 como ha^ndo cmara monici-
pa4 v>capttaDia do ptrto, a quem incumbe a no-
liota Mvai dos portas e tos navegareis, se con-
sirrts m tio matrtfesu .ttfra^o os seos cdigos
sera sajeocar nao dos meio. carrectfves para
fazar aitiptar carrow os Infractores 1 "
Chamamos, prtante, a altenciob Sr. ca-
pitao do porto, e do Bacal competente para esse
fasto,.o pedimos providencias em tempe '
'* S.:..
. ; -v--i
No dia 7 do crranla dea-te a volacio dos
eocafrentes so procesto de babiritacao para o
concurso ka caderras vagas de instrocesoe)emflo-
tar de ambos oa sexos.
Dea candidatos deae forra approrados, e nm
reprovaa ; e das aenhoraa ambas tlotom.
r- Do Apodi recabamos noticias at ISdo pas-
saaa.
deitou de ser extirpado no melhor lempo por li-
mitado que era e nao ter aindaJin*adido os tec-
dbs vitiohos, por medo irresittivel da senhora,
que j cbota sessent ancos, e cooselhos impru-
dentes, j tendo ltimamente destruido parte da
peife e os msculos visinhos, foi comtudo cuida-
dosamente arraneado, dando lugar ama vasta
ferida, que da parte media anterior do thorax ia
itf a axila correspondente. Comtudo, a senho-
r doenta, em consecuencia de ter sido bem clo-
roformiiada, assegura poaco ou nada tar soffrido
e acha-se hoje restabelecida com a ferida bem
cicitrisaira, e entregue aos cuidados de sus casa.
Possa pois a cirurgia contar mais este Caso entre
o numero dos felizes, para trlumpho da sciencia
e bem da humsnidad.
Fizeram reto na faeudade de drelto no dia
8 de novembro:
1* aono.
Frederico Marinho de
Apprdrado plenamente.
Araujo..............
Joaquim Ribeiro de
Souza Fres .......
Luiz Caetano Muniz
Bifrrero.............
Manoel Barata deh-
reiraelhlto........
dem,
dem.
dem.
2 aono.
Pedro Jaosen Ferreira. Approvado simplesmenle
Augusto Magno de
Mello Mallos.......dem plenamente.
Antonio Epaminondas
de Bar ro Correa___ dem simplesmente.
Jlo Alvares Pereira
de Lyra.............Reprorado.
3o anno.
Raymundo TheoJorico
Oe Cistro e Silva.... Approvado simplesmente
Milenode Torres Bao-
deira................ dem.
Jos Alves da Silva... dem plenamente.
4* anno.
Graciliano Aristidesdo
Prado.............. Approvado plenamente.
Amonio de Oliveira
Cerdoso Guimaraeg. Iiem.
Arminio Coriolano Ta-
vares dos Santos.. dem.
. 5* anno.
Gractliano He rm i n o
Bapliam........>... ApproTdo planamente.
Antonio Caetano Sfeve
^->'averro........... dem.
Francisco Corrfviiu ua
Rocha Campello___ dem.
No da 7 do correte foram recolhids ca-
sa de detencao 4 homens, sendo 1 hvre e 3 es-
eravos, a saber: a ordem do desembargador che-
fe de polica interino 2, inclusive o criouloJCyrillo,
escravo de Joaqoim Mouteiro ; a ordem do sub-
delegado de Santo Antonio 1. que o africano'
Benedicto, escravo de Joaquim Cavalcaoti; ea
ordem o de Poco 1, qae o africano Fabto, es-
cravo de Joho Paier.
Pattagefros do vapor Tguarassw, vindo dos
portas do norte-Dr. Adelino A. de Lana Frei-
r, soa senijora, 3 filhos, 2 criados e 2 escravas,
tenenle Coronel Jos Luca/S. Raposo da Cma-
ra, sua senhora, 8 filhos e 1 irma, Manoel Jero-
nynio C. Raposo da Cmara, Luiz Soares Raposo
da Cmara, Felippe da Rocha Bezerra, toiz Fran-
cisco de Mello Cavalcantt, Antonio Basilio Ribeiro
Dabtas Jnior e 1 criado, Candido Marcolino
Monteiro, Urbano Joaquim L. Barata, Jos Pau-
lino de Castro Medeiros, Amaro Brrelo de Afbu-
qoerqoe Maranhao, Joaquim Rodrigues da Paz
Bantieira, Antonio Fraocisco Corres Cerdoso,
Francisco de Paula Queiroz, Thomaz Antonio Es-^l
pioca o sua senhora, Antonio Plnheiro da Palma,
Ernesto A. de Almeida, Joaquim Gurgel do Ama-
ral, Manoel Jos Martins e 1 criado, Simao Joa-
quim de Souza, Vicente Augusto da Fonseca, Vi-
viano da Silva Caldas. Marcolino Jos de Moraes,
Justino Pereira daCuoha.l preso desertor acom-
pinhado por 1 guarda policial, Sescraras a en-
tregar, 8 escravos e I cria do tenente-coronel
Jos Lucas S. Raposo da Cmara.
1 Bcna o ;
illa de un
mmente em
agora ne-Exu
maaaceede
>c%a de succeda
. acta o Sr. Braaano que iata rai
bem, oa a caasas correai rerraUrmeoie, ana a*
principio da autatidade ole estl- alraquecida,
oe o pafaonoto aaaki*4tSandiaasua rjeleteHa
laftuencia por quari todoe os orgias do paer pa-
blico ? Emende. M aastaiinistracjio nao deve
preattr seria aiteo?BO para todas estas coasase
Ul OMMOl liTUI Uli
niio Nazareth eanbtce a effl
. conheceu em Nazareth o no-
elam rtaizDr. Hercattaaot Quastaa
mira aato ae noticiador que atalrte alguna de
r*eus actos praticados durante a miaba vida de
Juit, apreienlaoa, e depois coaaiaa, ae poder,
ame o lempo da* patotas, arranjea e coavenieo-
cias s agora dorar Qndar-se.
Aprsente o fseto o mais insignificante,
eado eHa- parata aniquilada sub o puder desop
ganisador e conveniencias pessoaes?
O autor da csrVoVptlosecii, qae o Sr. Brandao
jutgou conveniente refultr, promelle remelter-
nos, para sarem pvMicadus. diversos documentes
comprobatorios de quaolo diur, oa rier adizar
em suas correspondencias. Espere o publico, que
ha dOcar plenamente alisfeitoaesU parte.
T^Po notado -qoeo Sr. Brandao arecedesde-
nhar dos eeriplOe- aaaoywos, QanOutftj qual*
quer maaifestaase etsa desden na seria a man
ver lano de atrwbar come o Sr. Brandao, a
quem uns famosos anooymos j pozeram em
A-yarda de nc
er verdade pela falta d,e um nomo conhecido
a autorise, ua faUidade no'dexar de o
murro salios
de ser verdade
Ique
ser s porque o Sr. Brandao ou ntro qualqaer *
subscreve.
Recite, 8denorembrode 1861.
Cidaale da Vacian*, ta> norembro
* I8SJI,
Srs. redactores. Principiaremos eia por lou-
rar a feliz i lea aventada na a Revista-Di aa e da
creacao da soeiedade dos arrliquarios da provin-
cia de Pernambuco. Esta idea pr certo nascida
de profundos seellmentos patriticos dore ser es-
posada por ledos os peroamboesoos, amigos da
verdadetra- grandeza de'sus patria, que o con-
sentindo, qae os gloriosos feitos doseeasmeiores
fiquem sepultados etn etefno esqueciraento, da-
rao o impulso necessafio sua reallsacio, qae
ervir de estimulo no presente, e futuro para a
reprodcelo deiguaes feitos.
Quando os actos humtois ae trans^fam do jas-
to e honesto, nio achsrn de certo apoio na opi-
nilo sensata.
6' homem por ter adquirido foitun, orre se de-
te ensoberbecer: a sobertw pois pode ser humi-
ihsda.
Pelo eontrarfo o-afortanado mostrando-'se mais
fcil, accessirel, urbano-e generoso, anedar de
o aborrecimento, que prodaz a soberba orga-
Ihosa.
O boato de proposito espslhado de urna grande
minga por esta cidade n5o exacto.
E porm certo, que sendo os clculos huma-
nos falliris, acontece", que muitaa vezes para
chegar-se so fim desejado, pratlcam-se actos, que
a outro vao ferrr.moto de perto ; partindo dahi
urna necearla-rracs&o por bem da moralidade
publica. Eis-aq,ui o que tem apparecido nesta
Victoria.
Logo peta que cada: um se conserve dentro dos
limites, qae scooseiham a prudencia, a morige-
ragao e a honwlidade, desapparecerao a intriga
as queixas edissabores: ludo ser acalmado.
Quem nao quer ser oTJeirdidd", oo ofrenda tam-
bem: porque o estomago chio, natoralmenie
proroca.
Felizmente temos aqui aoloTidades que sibem
cumpnr seas deveres: mascoavm, qne cadaum
conhecendo os seos, as respeite, como executo-
res da le. e nao procure provoca-las. desrespei-
a-ias, em desabafo de paixes proprias. e mes-
qumha8 vingaogaa. '
Esta nossa cidade Tai em progressiro augmen-
to material ; e a prora a edificacao de predios.
que no corTente annb se tem feito na ra da Im-
peratriz, foco do commerefo.
Consta-nos que o Rvd. rigario dests rreeuezia
tempor rezet reclamado sobro a eonstrucco de
um cemiteno para a ioJrumacSo do. cadateret
visto eomo oda igreja matriz j nao oiTerece cora-
ra odo para esse frm.
- Seti*Be*pois do apiaio, qae a cmara muni-
cipal dsse presa* ama ertiflcacSo, ainda me.rao
oe estacada, l.ncando-se mao a> r..u. ^_ r,
1:30o destioados para esse fim por S. f I.
ama vez que essa quanta insuBciente p. qu
seja de lijlos.
4..1 ;..o, que expor-se a cidade i urna peste,
ocoaeonada pelos miasmas poiridos enhalados do
cemiterio da matriz, onde j nao existem covas
para as nhomacoes, como diz o parocho.
Acha-se exercendo o cargo de promotor publi-
co laurino o Sr. lente Ignacio da Silva Couti-
no, por estar no gozo de cenca o Sr. Dr Ca-
ra a rgo.
O Sr. Jos Ignacio de Mello, rendeiro do en-
genho Qaaods, que se rtarfa recolhido cadeia
para interpoT reeurso ao jnizodedireito pela pro-
nuncia por crima, quo so Ihe imputara, da raorte
de um sea escravo, obtere provimento, e se acha
no gozo de sua Hberdado.
O Sr. Manoel do Maura Pimental, hoje lsvrador
em o engenho Panizo,- da fregaezia da Escado
que tambem serecorben cadeia para requerer
a prescfipcaode um erime de ferimentos graves
do que resottoa a morle de um escravo do Sr!
uomingos Correa da Costa, era occasio de ser
preso por andar fugitiro, lave defirimento favo-
ravel.
Mo foi verdadeira a noticia, qae se den na fo-
Uia Ordtm, que oSr. Dr. chafe de polica man-
ac urna escolia pare cooduzir da cadeia deta
cidade para a c.pilai o Sr. Alexaodra Bererra de
Albuquerque Barros. as referimos ao Exm. Sr
ur. Araripe, hojo juiz especial do omTiereio.
Nao tornos falta de gneros sltmentieios.
A (jrinha de mandioca se tan vendido a 160e
200 re por cui. ; o milko a 500 reie ; o Wjao a
BOOea 1#; mamona a400 res; o azeitadosta a
580 por caada ; oros a 20 1 ere, a a por 40
trabalho de negar o acert
loba reputacio de juix mu-
comarca nio pedisse um
rom, me limitarei poucas
me diz respeito.
Sr. Dr. Abilio teoha rindo
rigoroso,
fcil
di
Sr. Dr. Abilio teoha rindo,
toroso daa lela; nao po-1
"! coS ^"'Sl
ccoorlfiMl I, j Tir.il
buacar;
pafJaW racar.
que
Corr, corr chorando; oh! foi de balde
Que tan peito apalpei.
Era modo a silente como ara tmulo :
( Aos leus ps desmaiei 1
De miaba mai nos bracos fui de balde
Um consol buscar
KUa aaitadao cora
Mal me p
Deas sabe qae petar, qae da Modada.
Que de aaaraa affliccia;
Nio tnnsbordou-ta na hora derradeira
Do triste caraeao.
Na lagrima que os arlas le inaandira.
No teu ultima adeus ;
O ana houvera de aafattia a pezadumea
S tu sabes a Deus.
A noite clara, rento ESE frasco t
sraatau. 1 *,
Pfv**r s% v$^"SiaWLXa'ltara 5.4 a.
_____Btto-rjaarMSb. ti da Urda, altan % .
uDaarraiaria oo arsenal da martas, 8 a -
Te.btodel8K_ ,_ ^
f
taaiaa da direilo, norf
orto nreres, occorresie para dz'r meu, ou es-
mo atgam. era que tiveate eu oaviodo ; eeo-de-
pois cooclua, ae poder,, que o tampo doaarrao-
jos, patotas e conveniencias devi flndar-se
aajardP'
E, porque oo o podera fazer, conreaba em que
aao oatros os qoe dbvem responder por feitos
dessa natureza ; convenhv ainda era que presen-
temente em Nazareth as autoridades gyram livres
e desembaragadamoote djs rbitas de luis altri-
buigoes; convenha Urobem eaaque aiorjuam con-
seguir impr aiu vonUde aa optaiaa oojuizo
municipal e de orphios : aasim far justiga, ain
0A rialra da ffiAimo ni LD-tlA JUa,ttn tm\r sUa rnmn n_
----**^"*^ aaiwap wmir ^VI*J pajil U la*Vf tVIUU ira"
- rece.
Nio me taco um elogio, defendo-me aimplea-
mente no terreno melindroto a que me lararan;
nunca z alardo dmeos actos, e a primeira
vez que, como juiz, fallo de mim, sem btaoDa, e
sem modestia, cerUmente incabirel aqu,,
Devo contestar ainda o que de falso se disse
com relaco a pretendida detproouncia de Ma-
noel Bap lista.
O processo contra este individuo instaurado, foi
na verdade julgado improcedente pelo subdele-
gado quo formou a culpa; mee o despacho de
desptonuDcia foi por mim reformado demotu-
proprio, quando sabiram os autos ao juiro muai-
cipal: e o Sr. Dr. Abilio s em conversa aoube
de tal negocio ; de cujas honras, se nao se Ira-
tasse simplesmente do umprimente de um deer
,t)iq necessita principal man le a casto do urna in-
juriosa filsidade laucada a outrem.
Ao proprio Ur. promotor recommendei esse
negocio, quando tive de reasaumir por poucos
dias o ezercicio interino da rara de direito.
Se nao fosee a receio de oaaaar aojo ao Sr. Dr.
Abilio, taires o noliciador Iba emprestaste, com
pezar do mesmo Sr. deutor o fado das sedulas
falsas.
Respeito muito ao Ilira. Sr. Dr. Abilio, e folgo
por ver que o noliciador Ihe fez jusiica, talvet
manhota.
Resta-ma pedir ao Sr. redactor da feeista que
i taes noiiciadorea remella para oatraa columnas
do Diario, atim de que. sem incommodo da sua
aauda, so Iha possa sempre reapooder; asaim co-
mo, que desculpe o pedido e o incommodo.
E com respeito sou de V. S. obrigadtime
criado,
Joaquim Jos de Oliveira Andrade.
Passagiro da barca franceza Sphere, rinda Feram Irazidos feira prxima quatrocenlos
do Harre :-Maurico Pueche. k
JtORTAttDADE DO BU 8.
Anna, Pernambuco, 2 dias, Recife : espasmo.
Joaquim da SilvaPereira, Pernambuco, 40 ao-
nos, solteiro, S. Jos ; arteurtsafa.
Marcelina Antonia Bandeira de Mello, Pernam
bao, 75 annOs, solteira, Boa-Vista; queda.
Conslaoja de Oliveira, Pernambuco, 5 anuos,
Boa-Vista ; um broncho hepatile.
Mariinha, Pernambuco, 10 mejes.escrava, San-
to Antonio; cobvuts3es.
Eleuleria, Pernambuco, i anno, escrava. Sanio
Aotonio; dyarrha.
Maria, Pernambuco, 13 dias, Santo Antonio i
convulsoes. '
Cofrespiidcncia.
Srs. reiatlores.Entregando 6 V. S.,para ser
{ublicada em seu cooceitiiado Diario, s corres-
ondeneia escripia' de Tacarat pelo meu amigo
S. E. H., edotei desde logo da coohecid impavi-
e* doSr. Bodo que'elta seria nao s cntes-
ada, mas sltribuid* rtesnio urna pes*soa,
quem o Sr. Braudao tomn por costme dar a
pateroldade de todos os escribios qae Se reforem
a o estado dos negocios do 5.* disliicto eleiioral.
NauteDdo porm apparecido naquelles prlmei-
rosdias que se segulram 'puo1ica;io dacorres-
pondeicia.neonom artigo derefuTajIo.cheguei a
persaadir-me de que o Sr. Dr; Brandao baria de-
roa do si o patrocinio da m causa de seus
s descuidei-me
rte que s agora
sarrte da estirida defeza. recheada de quichotis-
ntos, qae o Sr. Brado fez aos ditos seus ami-
gos e a pYocorei 1er immediatamente.
Nio admiro
Fallecer em Caraubas o Rvm Sr ><* m r""-" FmrociDio oa u
rena^,.que-aaaLnafr*UMtad ar2.a!l^L *Bt*u, alnados do alto sertio,
alJSaajSr^p5r.dW A*>B** *.'- fo^J*>.&S&t de
vtoraia que idea asaaesranda nos taboleiros do
?nt^"^a' ^,S2*/ <,m-,, "gado
de filhoa, raptara no Serrdeuma moco ta anari-
nha.qao tambem foi manta pelos proptios parbn-
iea. qae seguiram a o par.
Wo oa cima referido
dejatTC naqeelte termo:
o a: r w itutian"tfic,.
JE^if* ^^ ?,^ *slm-sa!dli ,
panei8 ae la para jaa^.artbsrov aperar- W*aP i
aaeraro c em Meuor.
ra na donte qaoMa
** de propar ah
Isoasort, para eolio serTeqoiaitadoT^
corasem do Sr. Brandao em
affrootar o irrefrtgarel teslemucho dos-factoa,
m os trahalh... ?iu Jb,,t'flc,,,B ,0i" a asserces do meu amigo.
m os rrabslhos Hs moho qne o Sr. Brandio e reconhecido como
,o Bomem msls capaz destas cousas, e ainda de
oulrss que rerela maior coragem. O que mujto
"i^?"!"' qoe e,,e e^i'e anda hoje na
Uafla dos leas recursos, para arredar aa rielas
Sis, e foram rendidos ao calculo de" por ar-
Kil A meInor c*me talhou-se noa acouguea a
ofll20 par arroba. I
O calor tem sido excesslro. A shtbridsdeca-
minhasem alten?io, apparecendo todava aigum
sarampo, que at o presenta nao se tem rami-
cado. -
Al outra rez.
O noticiador.
Oreepe'cti&^rcirrrai: Zrflt^ 3!ZY tortuosa, qae os negocios
iatx^4n*r^rtlwt 1Kr"cM Wmio Das comarcas do alto ser-
qus4b|a|pa1ffa-iaioii taw> *. mais botheolica rferscidtde,
S^llrtlK;- JJ^jffi *"** prora! que Juatiflqaom
sttas aos seus amigos, que sio os ni-
!fcy ^^^vat'rJwiw^^'f0?**'? "ftfsrida correspondencia'i.,,
pasdslWbom aam.ro, od^. ^ >%?% &^arTrTf^A^^1^- ^fa df >w'
-opnja d, orean, uqici|1 e pocial dsqueiles sar-
Senhores radaclorti.Tendo o meo escravo
Faustino, que fui eoeoatrado aa Barra doJardim,
provincia do Cear rindo uliiaiaraenie a minhaa
maos por intermedio do Sr. Caetano Goocalves
da Luz. que ebegaado daquell lugar a echndo-
se nesta cidade eommuoieeu-ma ali estar meu
esorav, e tere a boodada de encarregar-se gra-
tuitamente da sua captura, preslando-me assim
a obsequio que me obriga a declarar por esta jor-
nal que muito Ihe egradeco. desojando ser occa-
sio em que posea eioslrar man racaortecimeoto:
a procedaneoi# da r. Caetano demonstra nao
apoiar aa actos daquolles que aa tacaaletam
eom a aiopnadade albeia, a estar ao caaa de me-
recer eooQaaca de todos que o conheaem.
Hogo aqs aenhorea redactores, digoam-sa pu-
blicar oeste Jornal estas liaban, do que muito Ihe
agrsdecerei.
Cforo ClemtuiiM Carlota de Brito.
*-*1**>"-.am
SaawatM ra 4enco qae geralraentaiaa Hga ie noticias publi-
csdas e toa lavlaia Diaria ; o ser ea forondo a
coatestar a aaaargio ateeakoaa, que aa eontm em
urna noticm. daa da eamarea daNanretb, a *-
bhcada neasa parto lio fliorto de35 do outubro
flodo ; me trazem a rir rogar-lhe eapaco quaoto
basta pare aht tambem aar inserid, dabaixo da
resnenssbiUeode de mea nome. a repulsa a oue
lenha dlraiio. .
Atgarjaa qae pritendeo ser o interprete dos
aemimwtoe de reapaita eeoosideracia, que os
habitaaies detta eatamm team taentSsrtado aa
de direito da matea a, a disto ae lacamMa, aeheu
lL*2m2&2!a% ******** demai,
BDtorrdadea da laamr, e fJi-lo aera refieetir qna,
por tal praca a <9r. Bt. Amito afndesara' aal
elogio, de que certamente nio precisa.
.I" < Ui
Fablica -ii '
sin perguota
quer saber.
Pergunta-seaos assignataros da corresoonden-
cia, ha pouco publicada oeste Diario contra o
tenente-coronel Joao Barboso, qual o rerda-
deira assasino para se nio aHIar, so o que foi
pronunciado, e eonfessou no tribunal do jury, on-
de por compaiio foi absolrido, on aquello que
nunca fra protestado, e apenan Indigitado por
tal pelos seus ieirnigot grataitosff
Perguola-ae mais, quem o tallador, se aquel-
es que noresoeilaodeo sagrado de suas proprias
familias, altas dignos a todo respeito e acata-
mento aa infamara injustamente no mais delicado
da honra, aa aquellee que estranba-m e disvane-
cem tio negros e infames procedimentosff Com
a respotta far outras pergantaa
O curioso.

i2I?i ^"^P*. to-agnadoa aocios accio-
nistas do babiele Portuguez de Leitura, e mem
fa^ida^aaactacio Toa*M&*W larae Va" a 8S
correnta mez para findar seus tnbalbos elelto-
raes, pedem pennissso por si, e em nome da
maioria doe soeiosdequelia assembla, para apr-
seme* V. s vtto8 de sua eterna gratidao
pelo cavalheiriamo, altencioaas maneiras, mode-
vacao, e a mais completa imparcialidad* com que
V. S. elevando-se a reatar altara da sua autori-
dade e dignidade, aoube manler a otdam eeon-
eorrer pora a cooclueio paelca de todos os ac-
loa da atsembla geni do gabinete.
Aeceite, pois, V. S esta demonstrado dos
nossos rotos mais sincero* e paros ; a a recorda-
?ao dos tervicos que V. S. presten a manuteu-
fio da ordem, sempre ficar para nUs em eterna
lembranga.
Rogamos V. S. para tranaortltir os nossos agra-
decimentos aosdigntasimosfunecionarres que es-
tiveram sobre suaa ordens, pelos bons serrieos
que taraban prestaran).
Beusgoarde V. S Iltm Sr. Manoel Afo-
nio de Jess Jnior, digno subdelegado do bair-
ro de Santo Antonio.
Recita 7 da novembro de 1861.
Dar/re Jos Pereira Lima.
Presidente.
' Antonio Augusto dos Sanios Porto.
! secretario.
Manoel Jos de Paria.
2o secretario.
Manoel Jos Hachado.
Escrutador.
Francisco Pereira da Silva.
Ecrutedor.
Meihiasde Azevedo Villarouco.
Escrutador.
.
Um agradecimento bem
merecido.
Como socio do gabinete poriuguez de leitura, e
tesiemunha ocular da maneira bondosa e ao roea-
mo lempo enrgica coaa que aa portou o Illm.
Sr. Manuel Antonio de Jess Jnior, mu digoo
subdelegado da polica desanidad*, poroccaataa
que teve de ateislir ao> irabalhos las reunite da
assembla geral des socios do mesmo gabinete,
nos diaa 27 do outubro prximo passado a 3 e 4
do correnta maz, procurando o mesmo Illm. Sr.
iubdelegado manter a ordem esse numerosocoo-
Cu rao de socios, ao. mesmo lempo que venca
acalmar os espintos doa exacerbados ; couse-
guindo a final qUe a paz e a harmona reuascesse
e se maotivesse em tie anacido ajontarntato -
nao podemos deixar de tributar ao rajado*Sr!
subdelegado nosso eterna reconheeimeato de pu-
ra gratidao; bem como ao Exm. Sr. dezembarga-
dor chefe de pooia e Dr delegado da capital, a
este tambem pelos incommodos qoe partilboa
pan o bem e usteniacio da ordem, o aquella
pelo zelo eamor que demonslrou pelo estabeleci-
mento, Doquerendo que por falta de providen-
cias suas correste a descrico ama cauta, ae beaa
que particular, de urna associagao, que traria por
desacord de algoos associados. talvex a perda de
urna das mais bellas iuatituices da provincia
| Honra, pois, tftooobcee aeoberet.
/m reste.
A memoria de mi pai fallecido 9 it
Biveniiira de 1853.
Venho anda esta rez de michas lagrimas
Toa sajona horralbar;
E' triste o Mudo ; triste a vaaaallagem
Que hora veuao pagar.
lia tanto tempo qne partiste i a o lampe ainda
A minha dOr tio grande, oh! Deus tmenle
He s pode cbmpralmniftr 1
Fo! tio cedo I -*di Infancia toda dii fachis
Eu trema sotrir,
' 'Quando o anjo da morte tajnarmun ?'U"T
-Deua
Pagaste o ten tributo natureza,
Dormes tranquillo em ten sembro leito.
Da eternMtde a tima na grandeza
Deua recolheu-a, qae eras san afeito.
A tormenta sagaa: tremaste, e a ni o* o
Deixando-o presto te reeolbtsle aa co.
De ti a reta agora ao camiao
Os aeccaa troncos d'aqaella nioho tea.
Sobre a campa qoe os guarda que en derramo
Iada mus esta re meu longo pranlo.
E do chorio que a cobre aoiragil ramo.
Alo tremendo meu doloroso canto.
Se tuda podes dorir-me II da altura
A qoe subi-lo do Omnipotente mo.
Se ao p de tua humilde sepultara
Podea ver-me, e sondar miaba afflicc.io ;
Oh) aceita meu pal os meus gemidos.
Os meus praotos, meus aes, a minha dr ;
E pelos ditt do orpbao lio doridos
Pede, seo podes, pede ao Creador.
Inda vim erta rez cborar-le loara.
Perturbar-le talveznoleu descanco.
Adeus, meu pee, aos ps de Deus repousa,
Que inda na vida en peregrino e canco.
9 de norembro de 1861.
Fteforiarro Palhares.
Iditacs.
Oa abaixo asaignados pen hora dos pelo trata-
melo obsequioso a chelo de bondad*, qae rece-
ben m de disiiocto cavalleiro oSr. Mtgoal de Mi-
randa Vtaona, commandente do vapor Iguarasi,
qae tio bem anee harmooisar os deveres de sea
arduo cargo com uro trato loo e ameno, e ado-
car as asperezas da rida do mar, taltartaea com
emtis sagrado derer, se Bao eorressem i im-
prenta para dirigir-loa o mais sincero roto de
reconheciroento e gratidao, e felicitar a compa-
nhia peroambuoana pela acertada escolha que fez
da mesmo Sr. Vtaona para tao importante lagar.
Bordo da. rapor Iguaratsn, 8 de norembro de
1861.'
Dr. Adelino A. de Lana Freir esna familia.
Tenente-coronel Antonio Basilio Ribeiro Dantas
Jaeior.
Amaro Barreta de Albaquerque Maranhao.
Teneote-coronel Jos Lncaa Soares Raposo da
Cmara e eu familia.
Urbano Joaquim de Loyolla Barata.
Jos Boteiho Pinta Jnior.
Alferea Marcolino Jos de Moraes.
Simio Joaquim de Souza.
Ernesto Augesto de Aihayde.
Capitao atonto Piuheiro da Palma.
Alferea Maoael ietenymoOaralcanti Raposo da
Caanan.
Antooio Fnntiseo Corre Cardse.
Luiz Soares Rtposo da Cmara.
Candido Marcelina Monteiro.
Viviano da Silva Caldas.
Thortaz Antonio Etpeeca e soa senhora.
Francisco de Paula Queiroz Fonseci Jnior.
Manoel Josa Martins.
Jos Paulino de Castro Medeiro?.
Joaquim Gargel do Amara!.
i Mtttofeiioo.
Novo Banco de Pernambuco,
O banco paga, o 7* dividendo de 12
por accao, relativo ao semestre lindo
em 31 de agosto prximo passado.
A directora
marcar o prazo de
aa caxafllial
30 dias_ Dar
tem deliberado
o recolhimeno

da Nageta
rsttacfa.

aas sedulas d zrjayuu, Bodo o
sujeitas a oescouiu nreadi progresrivo ae tu u/o
de conformidade com o decreto o. 26C4 de 10 de
outubro de 1860. Recife 10 do oulubro da 1861.
O secretario interino, Luiz de Moraes Gomes Fer-
reira.
aklfandeica.
Bendimentodo dia la 7 .
dem do dia 8 ,
9fl.338j.263
13.456*904
103:793167
Moviniente da altandexa,
ValamoaaBtradoscomfazendas..
i a tora ajanaros..
Volamet sahidos eom azendat..
> com gene roa..
87
124
Deacarraaram boje 9 da novembro.
Barca ingleaOlindabacalbo.
Patacho americanoCammercefarinha e mer-
cadociaa.
Barca ingiea Seraphinamercadorias.
Brigue portuguez Viajanteazaite.
Barca ingleza Nethertoobacalbo.
Patacho americanoS C. Wattmercadoriat.
Hiato bratileiraDuts Luizaacharque.
Barca francezaSpheremercadorias.
Barca francezaJeao Parmatiercarvio.
Becebedoria ale rendas internas
enea de l'eraambaco
Rendimento do da 1 a 7 7:279152
[den do dia 8......: S94711
Consolado
1:8739663
provincial.
Rendimento do dia 1 a 7 10.116S336
dem do da 8....... 768J47-2
f 0:884*808
Mo Timen to do porto.
Rmxoi cnlraioi no ia 8.
Portes do norte7 dias rapor bwsileiro /gua-
ras$i, com mandante Miguel de Miranda Vian-
aa.
Havre42 dias, barca franceza Sphere, de 335
toneladas, capilae Ribet, equipagem 16, carga
mercadoriat ; a Tisaet Frera l C.
.Vacos tahin* no mumo dia.
Livaraaal ItrigiM tnntaz Poly, capie Alexan-
dre Taylor, carga retacar.
ParahibaLogra aorluguez Julio, Ctpilio V. A*
Meuellea ; em lastro.
Ooaervacio:
Bordeja no laatarae o patache portaguez Maria
da Gloria ..
!T1
1 2
S? 22 e I rakrenhtit.
r**a4raa"


ap V
94
i
a g s
Ueata tan longo suspira* frosaa iagiraa
YMt acs cutos Uemar.
Ity fraavrtro.
(fritra. k,ir.-
C$
mtrica.
franctx.
Mi.--------
-Mi
/dUi,
O Dr. Trislio da Alencar Araripe,
aerial ordem da rasa, aete a dtanUa aa-
paelal de cmateme, daste cidade a
da Peroaaabaco o tea lento por Soa
ttda Imperial Conerilucioaa o Sr. D.
Ha quem Deus gyarde ele.
rw^w aloaBOP' 999 < u f} pf 6901116 6#t4n ? r9aV 0
dalla noticia liverera, que por parlado presiden-
te a directoret da eaisa filial do baaee da Brasil,
ncata cidade, fora dirigida aa man aatacaaaar a
peticio do theor seguinle :
Illm. e Exm. Sr. Dr. juiz do commercio.Di-
zem o presidente e directores da caixa filial do
banco O o Braail neata cidade, qae pro pondo ac-
eto de letra por esta jaizo, eeeriree Maaaal
ra, contra Alezmdre da Coala Pialo,
Prariklio Mae-Caatey, Joaquina da Coala Pinta,
Jos Hvgino de Mlnnda e oirtros. requeren pre-
catoria para seren citados os sopplieadoe Ale-
xandre da CostiPiolo, Augoalo FraaUia Mtao-
Castey e Joaquim da Costa Pinto, por a drlza-
rem morador** na Ra Gnade do Noria, acoo-
tece porm que Indo a dfta precatoria rojtara
sem serem citados os 3opplicados por nao sansa
all moradora*, neta oa snpplieaatae eabereat
aonde o seja, aenda que oaaappacadoaaaaaawan
em logar lacerto e nio sabido, e par os supli-
cantes quererem justificar a soa eoseueia para.jal-
gada por Malenca, serem oa aupplieedea estadas
por carta edital com o prazo da le para todas
os termos da aceio a ana execocie at rata eral
embolso dos aupplieanies. Nostes taraos pedem
a V. Exc. que aasim Iba deliran.E. K M.O
procurador, Rodolpho Joo Barata da AlmaMa.
E mais se oio eootioha em dita peticio atrei
transcripta, na qual eslava a despacho de theor
seguinle:
Justifiquen).Recife 2 da julho de 1861.
Atis.
E mais se oio eootioha em dito despacho aqu
transcripto, em rirtsde do qaal, loado as *ppli-
canles prodazido aoaa taateaaanbas, qu* lanas
cavam a ausencia des supplicadoa em logar ai*
stbido, a estando os aatoa a miaba eessssais,
nelles dei a sentenca do theor, forma, moda a
maneira aeguinta :
Julgo justificada a ausencia da Ataxrodre da
Coala Piolo, Augusto Franklm Mae-Castey e Joa-
qoim da Costa Piolo, a vista da prova dada, a
mando qoe ae faga a citacio edital requerida a
folhts 10, dentro do prazo da trinta das sa for-
ma da tai, noticiando-te pelee lagares a gaietas
mata couhecidas. Pague a j*safieaota at esataa.
Recita 4 de aeresnbro de 1861.Tnate de
Alencar Araripe.
E maia aa oio continha em dita sentenca asan
trattteripta, e em comprmanlo da qaal s re
ferido eterirao fez passar a presenta carta ds
editos com prazo de 30 diaa, pelo qaal chame,
cito e hei par citado aos sapplicados pare as*
dentro do referido prazo comparecen aetta jaza.
para allegar tua defeza por todo o contade aa
peiico cima transcripta, aob pasa da protegorr
a causa e seos termas i tua rerlia, portante
toda e qnalquer pesaos, pareos, amigo oa co-
nhecido do referido aoppliesdo, podar fazer
sciente do que cima licaldito.
E para que ebegue ao coohecimesto de lodos
mandei pastar o presente que aer afiliado as
lugares do costume o publicado pela imprensa.
Recife 5 de norembro da 1861, 40* da inde-
pendencia e do imperio do Bratil.
Ea Manoel Maria Rodrigues do Naseimsnto,
eserivao, aobseseri.
Tritio de Alencar Araripe.
0 Illm. Sr. inspector da iaesesraria pro-
vincial, em comprmanlo da reeol*c*e da jsata
da uzeada maoda Casar publico, qae a ariatnats-
fao dos reparos do qaartel da corno de pencas
o transferida para u dia 14 do correle.
E para constar so maadeu affixar a prcas*te *
publicar pelo Diario.
Secretaria da tbeaoursria provincial da Pernam-
buco 7 da oeveoabre de 1861.
O secretaria.
A. F. d'Aoavoaco.
O lito. Ot. iu*f>cctui aa inaaouraria ora
vincial maoda fazar publico para conbacstsants
fin ,ntoaroT0"t0 ,rge ** 0a wi P'O'iocisl a.
oiu de 18 de junho do correte aaao.
ArL 48. E' parmitlido pagar-te a meia sisa
dot escravos comprados em.qoalquer tensas an-
terior a dala da presente lei iadependrste ds
revaiidacio e malta, una rea qae aa dandana
actuaos deste imposto, o facam dentro do aierci-
co de 1801 a 1862, os que nao o fizeram fie*a
sujeitos a revalidacao a malta em dobro,
um lergo pan o denunciaste. A
far anauociar por edital noa primeiroe 10 dias
de cada mez a presente ispoaicao.
E pan conatarae mandn atusar o presaste t
publicar pelo Ditrio.
Secretaria da theaeonria provincial da Per-
nambuco 8 de julho de 1861.O tecreUrio
A. F. d'Asssamacss.'
De ordem do Illm. Sr. inercelas ola
nrade fazenda dasta prorinca as isa
qoe a arremetacio da um seflim asado
tribosde prata, ama bride coas algama srata,
urna manta de aellim, que lina* ardo
por falta de licitantes, de veri lar lagar
souraria no dia 9 do corrala mas, asa I
tarde. Aa peaaoaa a qaam eoarier asta airease
tacao, deverae comparecer no retara* da.
Directora da ibeaouraria da faaesda da Per-
nambuco 6 de novembro da 1861.Maaaal
Piolo, servindo de oflicial-maia*.
O Illm. Sr. iospselor ds tsssoorarss
vincial, em comprimen lo da reeolacee da
daJazeoda, manda fazer publico, qss tai
rida para odia SI do correte a arrematac* i
renda dos predios abaixo mencionados,
cantes ao patrimonio doa araaos.
Boa -N. 12.Cata terna arrendada par II
Ra de Rasara da Boa-VUta.
N. 14.Cttt terrea arraadada pan..
Ra da Madre ds eos.
N. 35.Casa terrea arreciad* par..
Rea da Casimba
N. 65.Cata tarrea arrendada por..
Roa das Bargas.
N468.Caaa terrea arrendada por..
tos da anas.
N. 83.Caaa terrea arrendada por..
Boa do Pitar.
N. 96.Casa terrea arrendada sor..
E para constar se mandos affixar o
publicar peto Diaria.
Secretaria da theeeuraria proviaeiel da 1
buco, 5 da novembro de 1861. O i
F. da Annoucteeao.
Pela teeretarla do gorerno sa fas patrie*
pan conhecimeoio de qaam tnieresaar essa. sam
se ocham em concursos offlciot de partieras do
termo do Bonito, creados pola M bt*tm
504 de '9 de mata do crvenle tnno, dar
accamalar as rone{6aa ae contador a Sarro as i
distribuidor, afim de qoe os prerasdestes
sen tem oa seas requeriese otos iaatraiee* **L
ma do decreto n. 817 de SO de agosta ds 1861 a
aviso n. 252 de 30 de dezoabre da 185*. ss
pnzo de 60 dias costados dasta dsla.
Secretaria do gorerno da Pernambsto 5 ss *-
vembro de 1861.
Joao RadTigass Caers.
Dedara^oi.
Directora geral da
cao publica.
Por esta reparUclo as ras paMtee, qae s i
lho dmefor em teteio.de 0 t osrasrs
approroa pare a onaisV das salsa da a
Sflf' "*?* ssrrismta, ss
traall. compoatos ser Sslrstjsr Heattoas da AJ-
buqsaraoe ; bem eomo s ases mild prssajs
tbesrrcoparto anaioo da lisfsa frasees*, psts
baoharel Cicero Odan Peregrino da Berra
oio. que W anprsrada per 8. lie. a 9r. j
te da enriarte em aflrclo da fldsj
Seareuriadainslrsceio pabl
oo de novembro de t66l.O i
alraasr n>nrttr*r. i
Trlttsrmal po tsssa
fdta sesnrain^dldbnal ds


Kivinea de
Ionio Luix
nnum^lbr^lWUi^^
ioftnxnf
(K
(gao te tena com-
nette dia, e o nn-
wiSjpCsssJS-
sob a firma de Antonio Luix dos Santos
dissolrertm ana aociedade poaascriplura
ca naa notas do Ja" '
tembro prximo pi
reate anno ; flcandl H
pala Ifquidaeo da aWrdflt
de 1861 o a pagar ao ex-socio Ventos a quantia
de 80:000 a liaras a rancer al o ultta do
^VlW^^H*4" ds>iHqaer .
ponstbilidade, elem direfto alga m a o acllro
*ia;ct*9tim dpj exoepcao tornale da execu-
" SatEB?SS l""M "" *
do amaltU de Per-
ambuco 8 de norembro de 1861.
Julio Guimarlet.
Offlcial-maior.
A theaouraria proviocial eos cumprimento
da orden do Rxm. Sr: presidente la provincia
en**Ww cattegie dea tenaos dea-
ta ctdadaoe deseteMiles:
104 Batee de sapatoe gaos.
. J|*Mf*VWa*la%o.
10
lOOcdVTtdR^e algodi.
1 MMo***.*****0* ,,t"ll#' d'lou5a cidrada.
1 baanca pare: pesae-oam pao.
4 baciaa de folhs piolada para lavar rosto.
24 pratos de olha para Uriana.
'btneosde 4ou 5 raras de coroprirneulo. '
" qisr tender uen otjtctea aprstate
eueearapeetsaam earia fooaada roa da 21 do
aorreole pelo meto dia.
Secretaria da Uteeeararia pto*ioial de Per-
narabuco, 4 de noaaabro do MM.Q secretario, H
A. F. d Annuaciaco.
A. theaouraria provincial, em eum primeo lo
da ordem da Etm. Sr. presidente da provincia,
tem e de comprar pata o coilegio dea orpnaos da
cidade de Qlinda, as (aaendaa seguioles:
30. varas de otad a poleo para camisas.
49i varas de brim pardo peta caigas.
1120 covados de algo la o mesclado.
Quero quizer vender ditas (aseadas aprsente
ues propostas era -eartas fechadas do dia 21 do
correnle, pelo meio dia.
Secretaria da Ihesoarerii pvaviocial de Per-
nambuco, 5 de norembro de 1861.O Secretario,
A. F. d'Amtuatiacao.
INSTITUTO AGRCOLA.
A disertarla jte imperial instituto de agricultu-
ra de Pernambuco, previne ac-3 senhoros subs-
criptores, que inda ido looterem pago a Im-
portancia que assignaram, bem como a aonuida-
de de socio effertiro, qoe derem dirigirse ao
Erna. Sr. vbconde de Camaragibe Iheioureiro do
Desato instituto. O aecrelario da directora.
Bario da Vera Cruz.
A directora das obra militares tem de
mandar piolar os reparos das pegas e mvitos ou-
tros objecios da fortaleza do Brum. os quaes cena-
ta di relafio quefor apresentada as pessoas que
deste serviijo se quitarem enoarregar, e por isso
oq vida as mesases a epresentarem suas pro -
"postas oa dita directora nos dias 9, 11 e lx das
9 horas da manha al da tarde. Directora das
obras militares de Peruambuco 8 de novembro
de 1861.0 escriplurario, Joto Monleiro de An-
drade Malvina.
Juizo dos feitoi da fa?enda.
No dia M do ewrente. as 10 horas da manhia,
depoie da audiencia do lllm. Sr. Dr. jeiz prirati-
?o dos faites da (azenda nacional se vender em
prarja os segnintes objectos :
Un taihsiro coberte de tbtha sobre pilares, si-
to na ra da Concordia, pertencente os herdei-
rosdo finado Pedro Aotooio Teixeira Guimares.
Orna casa terrea sita no Honteiro, pertencente
a Jaciotho de Souza Trevassos, av.liado o te-
lheiro por 1:600$, e a casa por 2:400 ; cujos ob-
jecios se vendem para pagamento da fazeoda na-
cional. Recife 7 de novembro de 1861,O soli-
citador, P. X. P. de Brite.
* Conselho administrativo.
O conselho admioistraro, para fornecimento
ao arsenal de guerra, tem de comprar ot objectos
segnintes :
Para provimenlo dos armazens do arsenal
de guerra.
20 quiotaes de ferro ioglez em barre de 1 1/2
pollegada de largura.
10 quintaos de ferro quadrado de 5 oilavas.
5 quiotaes de ferro de verga de veranda.
300 caadas de azeite de carrapato.
Quem quizer vender taes objectos aprsente
as anas propostas em carta fechada na secretaria
do conselho, s 10 horas da maohadn du laa*.
correte mez.
Sala das sessoes de conselho administrativo,
para -fornecimento do arsenal de guerra, 6 de
novembro de 1861.
Btnto Josi Lamenha Lin$,
Coronel presidente.
Francisco Joaq%im Pefeira Lobo,
Coronel vocal secretario interino.
Popular, fas crer
le oeste noite estar ain-
que o que leve lugar no
ido.
<
rogar o proeesso de abertors das At4* ~* oorr.te
. oerte.eer.tea ao mee de (labro l^il^^"'mrr\~m****** .V*ali
anidas i Miniima n.u.,i toa.,^ a V>.' pro l deraoTa do costume seguir a
ra o Rto.de Janeiro tocando na Babia pire
sagena etc. a tratar a agencia.
em e observadas as dis-
interno.
_ para damas gratis, ca valheiros *|000. ,
fls Pela admlntilfcio do cTirreV da provincia se
5.pubie *,e ein <00 cartas atrasadas .
de 1860,condemnadas a consumo pelo art. 138 do
regulamento dos correios de 51 de dezembro d
1844: assistio o commerciaote Domingos Jos
Ferreira Guimaraas. fiesta abertura resultou
acharem-se duas eartas coa documentos descrlp-
tos em livro proprfo para ease fim destinado, S-*
cando recolhido cooreoientemeate para ser en-
tregue a quem direito pertencer, uaa carta de A.
Marques deOliveira, do Rio de Janeiro, para Gu-
maraesA Fo.sa5>*m Hscur^o ; dita de
Jos daTlocha Fernandes. de Porto-Alegre pare
Aolonio Rodrigues Veiinho ora umacerlidao do
bito. Por ultimo procedeu-se a queima daa car-
tas mencionadas de que se.Iatrou o respectivo
termo, que o que se segu.
o de Pernambuco 5 de novembro de 1861
O administrador,
Domiegos dos Passoa de Miranda.
Termo do consamo das cartas atrasadas do mez
de outubro de 1860.
Aos 5 dias do mez de novembre de 1861. nesta
admioistrac.o do correio, s 11 horas do dia, es-
tando presente o Sr. administrador Domingos dos
Passos Miranda e mais empegados, abaixo asig-
nados, procedea-se em virtude do srt. 138 do re-
gulamento dos correios de 21 de dezembro de
184* o consumo de 291 carta e 4 jornaes, sendo I
16t carias selladas, e 130 cartas e 4 jornaes nao |
sellados, na importancia de 191070, como consta
da factura abairo declarada, cuja importancia vai
descarregada nesta data ao referido administrador
e thesourelro. E para constar larrou-se este ter-
mo em qoe assignou o referido administrador, e
eu Francisco Simes da Silva, ajudanle e coala-
THEATRO
DE
Santa Isabel.
Corapanliia dramtica sob a direcco do
artista Germano.
Beclta extraordinaria
EM BENEFICIO DA ACTRIZ
ISABEL HARIi POES DE OLIYEIRA
SABBADO 9 Di NOVEMBRO DE 1861.
Subiri acea o rauito ioteressante e applau
dido drama em 5 actot, ornado de msica,
PERSONAGBNS.
n Actores.
Ocommendador................ Germano.
Arthur de Sevry........
Laustalot.......................
Pedrinho........................
Laroque........................
Jacob ..........................
Franchote
Charlot.
Mara
1!
Vicente.
Nunes.
Teixeira.
Raymundo.
Sania Rosa.
Campos.
Olivetra.
D Msnoela.
A marqueza de Sevry.......... iBnCarinela.
Chonchn...................... A'beneficiada.
Magdalena Laustalot............ D. Jesuioa.
A Sra. d'EIbu.................. D. Aona Chaves
Convidados, camponezes, etc.
Terminar o espectculo com a gracioas come
dia em um acto, ornada de msica,
UMA MULHER
IPdlIMSIMAS.
A beneOciada es pe do Ilustrado publico des
ta capital- a neceaaaria concurrencia, e deade j
amtecipa-lhb seus Bgradecimeotos.
Oa-bilheiet de camarotes, cadeifas e gerses es-
li desde j a dispoalcoo do publico, ea cada da
beneficiada, ra da Florentinas. 1. ,t
Comecar s 8 horas.
^_
iq outot ,e
i do.
pe
Mcssageries

- ii'Or
Ageucia>aToTrftTji6he u. '9.
Al o dia 14 do corrate apere-te da garepa
jupa da Cruz e etpera qpe os seas
no
de IwagWti,;
JSPa^Sn

i
Yende-te o veleiro e bem
patacho americano L. C. Watt!, de_
tonelladas, o prfetendetitei queram ..
dirigir o mais breve poativel na ra do
Trapiche n. 8.'
Baha
O palhabade aautaal%R>a *i
MAWSfOS____________
DO
PAtAWT DA R DA PRAIA.
SabbattA, 9 dt otnreote.
- *^J*fk4** 'extraordinario baile em
dor o eacrevi.
O administrador,
Domingos dos Passos Miranda.
Os offlciaes papelistas,
Ismael Amavel Gomes da Silwu
Eduardo Firmino da Silva.
Luiz de Franca de Oliveira lima.
Manoal Marinho de Souza Pimentel.
Atsos martimos.
Acaracu'.
O hfate Sobralense no dia 8 do mez correte
recebe carga e passageiros: a tratar com Gaetano
Cyriaco da C. Moreira & Irmo, no lado do Car-
po Sanie n. 23.
Para Aracaty e Ass.
Hiate Sania Rita sabe com brevidade trata-se
com Martina & frenaos.
_ Irmaot, capillo Joa-
quina Jo*S de Araujo, sane para-a Baaaaoaapre-
terlvelmenle no dia 14 do correfiTpa-fa Tgffma
arg* taiada. pasffageiros, para o que tem co-
modu BMgaiflaoa, a tralar com aeu cooaifjutario
PraocitCOL. O. Azerddo, na ra da?talre de
DW0.L
Rio de Janeiro
0 br'Sue D>cional cConceigaoB pretende aahir
no dia 8 do cnente, ** recebe eserdvos a frete.
Para em direitura
Segu para o indicado porto o bem coohecido
bngae escena Gncioaa, capitao Joao Joa de
Souza, por ter parte de sau car regenlo adan-
la, : para o reatotrata-aa nomos couaigeatatios
Almeida, Gomet.. Airea & C. ra da Qnti a. 27.
Naranho e Para.
Segu com brevidade o veleiro hiate Lindo Ka
qraete>, por ter grande parte do seu Carregamen-
to contratado : para o resto trata-se com os coo-
Ignatattos Almeida Gomes, Alves & C, taa da
Acaracu.
O vapor lgwir.*si, da codypanhla pernam-
bocana,' na soa prxima viagem de 22 do cor-
rente, seguir para o porto do Acaracu para lar-
gar ali qualqaer porga o de carga e passagei-
ros.

COMPANHIA BRASILEIRA
DE
paiji? ii i mm%
Dos portos do norte 4 esperado at o dia 16
do cortete o vapor nacional A>*. eommandan-
te A. P. Consel, o qual depois l a demora do coa-
lame seguir pera oa portos do sal.
Desde jrecebem-se passageiros, e engaja-se
a carga que o vapor poder eoodozir, a qual de-
ver aer embarcar no dia desaa ctaegada : agen-
cia ra da Cruz n. i, escriptorio de Azevedo 4
Mendes.
Peda-
!'r> ii
aetano
Rio de Janeiro
sahe no da 15 do correte o palhabote
jia ailan Marones Vanos ; tiara, a
carga e eacravoa a frete, trata-se com
Cyriaco da C. Moreira & lrmao, no lado do Cor-
po Santo n. 23.
Para o Rio de Ja-
neiro.
O brigue nacional Almirantes pretende seguir
com muita brevidade, tem parte de seu csrrega-
mento prompto, para o resto qoe Ihe falta passa-
geiros e escrevos a frete, para o que tem asseia-
dos commodos, tratase com os sena consignata-
rios Azevedo & Mendes no sen escriptorio roa da
Cruz n. 1.
1;
D. Joaana Marta las Dar. Joo Fer-
nando daf drWr j JMakrUaW d4iagalhaea
Castro tratpassados da mais pungente dor
pela morte do aeu presadistimo iho, lr-
mio e lio'Joa Fernando da Cruz, caavi-
dam a todos os seas amigos a que pres-
| tem o ultimo Mo demonstra ti vo de mi-
zade que, a este tinham e que a elles tem
acompanhanio ao cadver que Ser con-
| 'decido da-ordea UiOttN da 9. Fraacisco
para o cemitario publico boje 9 do coiren-
ta as 4 horas da tarde. .
Deseja-se saber noticias do Sr. Domingas
Ferreira dos tantee Porto, natural 'de Portngal,
no escriptorio de Azevedo 4 Meadas, ra da Cruz
numero 1.
. Frecisa-se alugar um ou dous prelos de to-
do servido : em Sanio Amare por detrae da fao-
dicao d Sr. Starr.na padeca.
O Dr. Joo Honorio Bezerra de Menezes
mudou a sua residencia para a ra do Palacio do
Hispo, casa contigua So portao do Ufo do Dr.
Antonio Lula Cavalcaoti.
Quera preeisar de um criado mocj, dirja-
se a ra da Imperatriz, taberna a. 76.
A pessoa que aonuncioa querer 1:0009 a
premio com hypoihecaem urna casa, e mesmo
outra pessoa que quer 600$ tambem. com hypo-
iheca em ama caa, v a ra da Concaicao n. 2,
que fe lhe dir quem d o dinheiro.
No dia 9 do correte, Roda a audiencia do
Illa. Sr. Dr.juic municipal da 2.* vara, tem de
serem arrematados, por ser a ultima praca, as
beos segnintes : 1 carro de pssselo em concert
oa ofBcina de Gurjo, avahado por 50, S ditos
tambem de passeio existeotes oa cocheira dos
executados sem arreioe, em ano estado, avalia-
, dos por 450{, 1 carrosa velha avahada por 35p,
12 cavallos magros para o aervijo de carro, ara-
liados em t0$ cada um, cujas baos vio praca
por execuqo de Paulo Jos Gomes contra Souza
Leo & C. Escrivo Santos.
*Mf
O proprietario do blhar ecaf da ra da Impo-
ratrtz n. 13, a visa peloLPjeiente a seus
com todas ts commodidades e ssseio que exige
urna verdadeira casa de recreio : com aala coll
nientemente ornada e independente para fami-
lias, ealao para bilhsr, caf e -
convenientemente arranjados
aar o precioso lempo do re
qae exiga um estabelecimi__.
com asseio, reatando ao proprieUrio toda a cons-
Mencla de bem aatisfazers pessoas que frequoVj-
larem a sua nova casa, agradecendo de aolemo
aos seus freguezos amigte modernos sa sympa-
thias que fie derddor.
Deseja-se taber a moradia do St. Manoel
Gon?a|Veeira Sfhr^ueir^odVdWr. Wrtta*
je i ra de Santa Cecilia n. 14, a negocio de seu
interesse.
......* k ir
WMfr-
iriata
Cabo, no dia 23 deaetembro da 1861. ai
por nome Joio, crioolo, vermelho, altara
lr, groaao do corpo, eapadado, idada da
IrSdo'r^
qaeno roubo de rouaVdesap"pTtS.T
a 17 de outubro Bate negro j lea atd
vetea, a arimeira ra tra
a segunda vet Toi preee ara-
armazem de aasuear caato far-
r rev ao engenbo adata
iosado. ^^
ftiP-0 ,rm*Unt da afergio da cidada ato
uuoda, aviaa a quem convler, que ta acha afear-
la a dita aferlcao.detdoo dia 11 do carrele mb -
a ra da a. Btnto o. |.
A u torteo ao Sr. MtoelCamee de Mcitata-
wberdoSr.CarphrleTro.-irdrrrbio Ib ftpiVwS,
"""'te do metmo. Olinds 9 da i
e 1861.Dr. Fraacisco Lint Caldas.
l m,
REAL MPANH1A
Paquetes i nglezes a vapor
No dia 14 do correte espera-se do sul o va-
por Magdalena, commandante Woolward, o
qual depois da demora do costume seguir para
Soutbampton tocando nos portos de S. Viceate
e Lisboa, para passagens etc dever-se-ha tratar
com os agentes Adamtoo, Howie i C, ruado
Trapiche Novo n. 42.
N. B. Os embrulhos s se recebem at duaa
horas antea de se fecharen) as malas, ou pagando
um patacao alem do respectivo frete, urna hora
antes.
Liies.
I
LE1XO
DA
COMPANHA BRASILEIRA
DE
MftlBITIS aTJUPlDA.
E' espralo dos portos do sul at o dia 14 do
correte um dos vapores da companhia, o qual
depois da demora do costume seguir para os
portos do norte.
Desde j recebem-se passageiros e engaja-se
a carga que o rapor poder eondazir, a qual de-
ver ser embarcada oo dia de sua chegada, en-
commeodas, dinheiro a frete at o dia da sahida
as 3 horas : agencia na ra da Cruz n. 1, escrip-
torio de Azevedo 4 Mendes.
O palhabote Artista rai sahir para o" Ro de
Janeiro com muita brevidade, por j ter parte de
seu carregamento prompto, e para o resto a es-
cravos a frele, (rata-ae com o proprietario Btr-
Iholomeu Lourengo, na ra da Madre de Dos
numero 2.
COMPANHIA PERNAMBCANA
DE
Navegado costeira a vapor.
Parahiba, Rio Grande do Norte, Ma-
cau do Assu', Aracaty, Geara',
Acaracu' e Granja.
O vapor Jagaaribe, commandante Lobato,
aabrr para os portos do Wrte de sua escala at
a Granja no dia 7 do norembro as 4 horas da
barda.
Keeebe carga at o dia 6 ao meio dja. Eocom-
aaadaa, passageiros e dinheiro a frete at o dia
da aahida as 2 horas : escriptorio no Forte do
Mattoan.l.
m .o
isqca..
pretenh sjroJr C.om muita braviiade o patache
naciootl JafMautbaiMaajte de tea carregamento
a bordo : DCrW.uMNMvvMMzPs fAltjfc patsaceiros
HtNfH afrete, ptra olqutes fpm excllpta
taaaaado; tratad tara os aerji cootigoaUrioi
9 i/M* tb
ioja e rerragem da ra
Dik-eitan 71.
Sabbado 9 do comente.
O agente Aniunes fir leilo da laja da ferra-
gens da ra Direita n. 71, pertencente a massa
de Antonio Joaquim Machado Brando, que ser
vendida a prazo ou a dinheiro ou em lotes avon-
tade do comprador, na referido dia as 11 horas
em ponto.
Fazendas inglezas
Terca-feira 12 do corrate.
Augusto Cesar de Abren far leilo por ioter-
vencio do agenta Oliveira, de um grande e va-
riado sortimenlo de fazendas inglezas aa mais
proprasdo mercado e recentemente despacha-
das: lerga-feira fl do correte em sen ar-
mazem ra da Cadeia. Comecar as 11 horas da
manha em ponto com fazendas averiadas.
LEILO
DE
Sola, cauro de lustre e
movis.
O agente Guimares far leilo em seu arma-
zem na rus do Imperador n. 37, de urna porgao
de meios de sola e algumas duzias de couro de
lastre e tambem de ricos e variados moris que
se acham patentes em seu dito armazem pelas
11 horas em ponto do dia
Sabbado 9 do corrente.
Gontinuacao do leilo
DE
FAZENDAS.
Na ra da Cruz, n. 4.
Segunda feira 11 do correrte
N. O. Bieber & C aucceasorea, ne podando
acabar com os muitos artigos para fechar factu-
ras, cootinuara fazer leilo ,par intervenQo do
agente Antuoea, no 4ia cima designado aa 11
horas em ponto.
CoBlinnaao do leilo
DE
Miudezas, fefragens. perfu-
maras e objectos de
criptorio.
TELO AGE&rE
a
--------torrente
_ & C. oo lha tendo ido postn
spot- em mus aotetadantes ,M\6m gras> artel
----------------'ctaraa oatrasj
it4*jP.a4*ieiaaopar
Cousuitorio raedicocirargico
3-R\J A B A QLOK1A CASA FUKB AO-3
Consulta por ambos os syslemas,
M.h *.e, q"e.lem de que ""edios do seu estabeiecimeaJ.0 o ae cnfund.m M.
nenhum outro, visto o grande crdito de q-.e sempre goz.rTnTa^zam ," pwriaUrta u- u
a precaucao de inscrevero seu nome em todos os rtulos, deVeoW considaradS wiTf.ta
dos todos aquelles que forem apresentados seta esta marca, e quaodo a pessoa qoToTiMad.?L
prar queira ter maior certeza acompanhar' urna tala assigoada pelo Dr Lobo MoaaoMVtLfl?"
pe marcado com o sea nome. atotaozo a esa pa-
Outro sim : acaba de receber de Franca grande porcio de tioctura da acnito bolladas r.
medioa esteade summa importancia e cujas propriedades sao lio conhecidaa au aaiT -
mdicos allopathas empregam-as constantemente.
Os medicamentos avulsos aur em tubos qur em linetaras cnstarlo a 1 o vidro
O proprietario deste estabelecimento annuncia a seus clientes e amigos qaa lea mi
sufBcentes para receber alguna escravoa de um e outro aexo doentes ou que prectseai da
operarao, affloCando que sero tratados com todo o disvelo e promptido como ah.
aquellas que i tem tldo escravoa na caaa do anounciante. "
A eilagao magnifica da casa, a commodidadados banhos salgados sao outraa tula.
gens para o prompto restabelecimento dos doentes.
As pessoas que quizerem fallar com o annunciante devem procura-lo de manbaa ata ti hn
e de tarde das 5 em d ante, a fon deatas horaa aeharo em caaa pessoa com quem i, totrio -
ender : ra da Gloria n. 3 casa do Fundo. q a-
|______________________________________________^^^ Dr. Lobo Afoscte.
4PPR0\A(llt0 E AlTORISACift
BClaodla Dubeux faz tciente o quem convier
qae o mnibus da linha de Jaboato sahe do
Recife todos os dias uteis as 4 beras da tarde e
volta de Jaboato as 6 lrl ds manha. Outro
airo, que, protimo atesta haver tambem m-
nibus para Jaboato nos domingos e dias ssotos,
o que Se annuntlar em lempo competente.
Scieutiflcimos que sabbado 16 do corrente prin-
cipiar a linha para a Yutea, cujo mnibus sa-
hir do Recife nos dias uteis as 4 1(2 horas da
larde e voltar da Varzea as 7 1(2 da manha.
Nos domingos e dias sanios sahir do Recife as
6 1(2 da manhia e voltar da Varzea ai 5 1(2 da
tarde.
No dia 8 do corrente per Jeu-se da ra Nova
ar a roa da Cadeia do Recife um brlhaote :
quem o achar e quizer restituir a seu dono pode
dirigir-se a ra do Vigarlo n. 31, qua se dar a
recompensa.
Aluga-se orna casa no Honteiro com 2 sa-
las, 4 quartos, quarto fora para- atoraros, cosi-
nha separada e dous quintaet murados com sa-
bida para o rio: na ra do Amofim armazem de
Travossos Jnior & C.
Al<>B-ae o seh/ado de um anda e arma-
zem ratificado e piolado, na ra da Moeda n. 33:
a irtatar na ruada Imperatriz n. 53, segundo an-
ALUGA-SE
o armazem e o 1 andar do sobrado n. 6, na ra
da Lapa; assim como o solo da caaa terrea n.
4, a mesmt ra : a tratar na ra Velha n. 57.
Offerece-se urna ama para coaioha em
qualquer urna casa,a qual sabe cosiohar perita-
mente ; na ra do Vigaro, o. 26.
Aluga-se a loja do sobrado n 3 sita ao nor-
te da fabrica do gat.e a beirado rio ; com 3 quar-
tos, duas sala, quiotM cacimba etc. proprio para
familia, a tratar com o Sr. Luiz Manoel Rodri-
gues Valeoca, no mesmo sobrada.
Quem quizer arrendar o engenbo Ilapirema
do Meio na comarca de Goiaona ou arrendar o
engenbo Souza na treguezia da Taquera na pro-
vincia da Parahyba, ou mesmo comprar mais de
melade dette eogenho, perlencentea aos herdei-
ros do finado coronel Rsiwo Cavalcaoti d'Al-
buqaerque, dirija-se a ra streita do Rosario ?.
10 3' andar ou ao eogenho Tab aa fregoezia da
Taquera.
Fugfo no dia 25 de outubro um prelo de
nome Ricardo, naco Costa, alto, magro, repre-
senta ter-40 annos deidade, tem pannos no ros-
to, tem sido visto nos arrabaldes destt cidade, le-
rou camisa de baela encarnada -e outra roupa :
roga-se as autoridades oliciaes e outra qualquer
pessoa o apprehcndam mandem levar roa da
Cadeia Velas a. 1, que aera pago todo o aeu tra-
ba loo.
Manoel Aires Guerra aaca sobra o Rio de
Janeiro.
Precisa-se de um npaz forro para alguns
servidos de urna rasa : oa ra Novan.7.
Ao publico.
Tendo-me sido a presentado pelo Sr. Jos Vic-
torino de Paiva urna letra no valor de cinco coa-
tos de ris, saccada em 31 de agesta de 1853 pe-
lo Sr. A. Aones Jacoroo Pires contra meu finado
paio coronel Estevao Csrakanli de Albuquerque,
a descantada em 23 da maio de 1854 pela casa
coramercialRostron Rooker & C, exitei ao prin-
cipio em paga-la portar lembrao^a. (aioda que
raga) de que j havia rido salisfeita a sua impor-
tancia, e como quer que poaleriormeole toase ins-
tado para effectuar o respectivo pagamento, e nao
livewe tneodirado entre os papis de meu fina-
do pai documenta algua que viesse em apoio de
mioha tuppaaico, e oo podeaae oa occaaio fa-
zer o pagamento em dinheiro, pastel em data de
22 de abril do correte auno quaire letras no
valor cada urna de um cont e trezentoa eaetenta
e cinco mil ris, a reocerem-ae oo prazo de doze,
quelorze, viate e tinte e qualro metas: ltima-
mente, po m, veto ae meu coahecimeoto exii-
tiram em peder do Sr. Aolonio Annes Jaoome
Prea, ot documentos comprobatorios do paga-
meato de dita letra ; os quaes achaudo-ae de
presente era peo podar toroam de oenhum ef-
feito as letras qitev baria passade. cerno garan-
ta da letra origiaaria.
Neetas itcamataoctas, previno ao retpeitarel
publico, a eepecialmenle aa pesaoat do eommer-
eio, que nao aceitem aem ieeam traasatxo com
atquatro letras j referidas. Dero declarar mais
qua ttohe ea mea poder o reciba panado aa p
do protesto ds letira de moa loado pai, na qual
o Sr. Joa Viciorioo ae Paiva declara naver reci-
bido a impartaocia deaaa letra naa quatra que lhe
pattei.
Racife 8 de novembro -de 1661.
Joo de Si CavaUsamti de Albuquvqut.
Oa- i *- AUift-aa ama asa na poroaejo 4a Behari-
be, com commodas peragrante UvtUa, Mtriba-
rt*e tcrivel-quratal.tto aado, do qatl pasta o
mena rio : quem a pretender, dkijt-se a raa
do Porta daa Caooaa de Santo Antonio, tegua do
aodar.doacbra*oo.J)3.
fteeat praeisat anta ertaa pntaguata
# o anrarpa iaterao da caaa dataailia, dirijan
te a rut de Aaottoo: 27, taneito aalar.
OSuJatltaciaYrefaaiiava 4am urna
rta-aiaaa ta eaoda, aa ruado Vipae O. 19,
postw! prnjoiro. aodtr.
' Atagavaa primarra ahdar do sitiadata!

mesmo.
GmfhZ MEwtCMftES
ELCTRO-MAGNHTICAS EPISPASTIG1.S
De Riearo Kirk
Para serem applicadas s partes affectadas
sem resguardo nem incommodo
Com eaiasCHAPis-ELBCTRo-MiGNETicAS-EMSPASTiCis obtem-se urna cura radiaaUto-
ftllivel em todos os casos de inflammago ( caruatp ou falta de respirando ), sejam inavaat a
extemas.eomo o Bgado, bofes, estomago, baeo, rins, tero, peiw, palpitacio de eortfio, gar-
ganta, olhos, erysipela, rheumatiamo, paralysia e todas as affeeces nervosas, ele., ta. grtl-
mente para as dirTereotes especies de tumores, como lobinhos escrfulas ele., teja qual f6c o sea
tarnanho e profundeza por meio da suppuraQao sero radicalraente extirpados.
O uso dolas acooselhado a recetadas por habis o distineiot ftculiatiros. taa I
coniestavel, e as innmeras euras obtidas o fawm merecer e conservar a confiarla do
que j tem a honra de merecer, depois de 24 annos de existencia e de pralica.
As encommendas das provincias devem ser dirigidas por escoplo, tendo tota o
de fazer as necesarias etplicaces, so as chapas sao para hornera, senhora oa eriaaca,
rando a em que parte dofrorpo existe, se na cabeca, pescoco, brajo coxa,. perna, p, ou H
do corpo, declarando a ccumferenela: o anAo inehgea, feciaaa oa loaras, o molde da x
f"-----"-r Hm pm^ declaracao onde existe^, afim de qae as dupas setao da
torma da parte affectada e para serem bem applicadas no seu lugar.
119 Rva do Parto ||
PERTO DO LARGO DA CARIOCA
Em
Para as encommendas ou nforrasces dirijam-se a nharmacia de JosAlexandra ti aro.
roa doQbeimadon. 15.
8 S 3 =5 S1 sr E.~o g o i5
a B ? 6
o.
a
o.g
.sft"
|I8
a O ?^ a-B
S o b a-
fte||.
D. O- S
n'D o B <^ p -S*3a.sr">as
2 sr T-9 -* b
o

llliB'rtrtSS
* sa. n sp n
s a tt
a
"3 frtT?
B 2 3
^1 s s-^S -
-o.D* g 8 8 Q
1 -EI ^ i s
"S o o^* B B n
(CPB"*Q.i,
a 2. q- B-. -g 5" s*
ai 2
o b S cL-S o-o
~i g-ojn re q- ta" c
5 g
B
n
c
i s
** re
re o c 2 S"a
B-3
e.a -
S.
-.
Q S..3 3 5 S S
l-ftsipjr-
o
o.
3'Bg
gres "-OtS ^ "
5"5.a src b b
8fiii}
g B 3 %:&a
-o
*B?fa-i
1 S-
a o o a
8.5*8 s?s
Ilil
a. m
Sg-
es-
S|lf3
* 2 b g o a
- l
re* B
I lg-.II
m* a re
re
8
-
i
' '' "_
?i "8''=
a.a iiil dj"
ZZ----sr


i
tfWWHWPfft'-aaiBtfg o9MBHMPi'arfi'
Grande laboratorio
DE
a vapor
DE
MINAR, MM)


Sement de algo-
do da ilbade
~~Ferm*d.
* Tendo se reconhecido a superiorida-
de ddh^daoda ilha da,Froando. S.
Exc. o Sr. presidente mandou rir por-
980 delta para ser distribuida pelos Srs.
agricultores dest* provincia, 01 quaes
por ou leus correspondentes podem
. mndala buscar na livraria n. 6 e 8 da
praca da Independencia, re metiendo
seus nomei o lugar da moradia.
. o terceiro andar da casa
n. 37, sita nj^ajgftalfeporiin : a tratar
na ruada acia n. 62.
Merece-e *v. Mcerdole pan capelao
* Iguaie 11iW.ly, cm)., ou aillo, petlo
deit. nrac .tapio pira o domingoe, como para
Igum di* de trabilbo ; e seade lira da cidade,
dando-se-f1>*trdeeo: ne Hrmia o. e 8 da
praca da Independen*!..
7" AWft'^ armaaem do sobrado
n. 58darua do Amotina : a tratar naj
ra da Cadeia n. 82, segundo andar.
Aluga-se ama caa em Bebe,ribe : 1 tratar
*** *.**, na roa do Trapiche o. 34.
CHANGEMEIrT OE DOWIICILE
(Mudanqa)
\t>
da familia, iadistinctameote, pecas grandes e pequenss. .
de a.vio*, vapores e hospitaee. .......t .- .
graodeeisoladamentecoo lencoea, toalhae de mea. .
de doeote de familia, que nio seja (reguera. 7 ; .
Roupa misturada que alguem sem aer freguez exigir que te late. .
Urna rende vindo can mais roupa.............
Uma rede Hola Jmenle...............,
Um cortinado de cama de casal fiado com mais roupa. .
Usa dito dito isoladanseote.............. .
Um dito dito de solteiro ou Tersada...........
Um dito dito isoladamente.....<.........
As pessoas qtte nao qnizerem mandar eogommar toda a roupa',
de maodar eogommar as segutntes pecas, pelos seguales precos :
Vestidos lisos.....600 ris.
Seias........ 280 >
Camisas de hornero. 160
Calcas........200
Collele*.......120
Paleiots......: 460
Colarinhos......40
LAVADA. CO
LAVADA. SIDA E
ENGOM
100 jflO
lO 500
80 a 240
18000 *

I _
1000
o lacccotorio
encarrega-se
O laboratorio encarrega-ae de engommados de objectos de seabora os mais delicados e ps-
tero ja contratado as mais habis eogoromadeiras oaciooaes e etrana;eiras. aua entre nA
e ealrangeiras, que entre nos
ra islo tem ja contratado as mais habis eogoromadeiras
ezistem.
No prego dos engommados de roupa de familia, exceptuam-se os vestidos, golliobas. man-
guitos e maia objectos que forem guarnecidos de reodas, babados, pafos, rifas, etc.. etc. bem co-
mo o. cortinados de barco, cama, varanda. que se pagarlo segn lo o ajuste.
Qualquer que exigir roupa someote lavada, ou tambem eogommada, com mais brevidade
q a designada, pagar mais 25 por ceoto sobre o preco.
O prazo na entrega da roupa ser por em quanto8 dias depois do recebimeolo. e da Uvada
e eogommada 15.
A roupa de familia ser lavada em machina separada da dos bospitaes, e as pessoas encar-
regadas doserrico da roupa sero mulheres.
Os proprielario.pagario qualquer pega que se estrenar, eaQansam que a acao das m.chi-
uas oleirameole aoffensiva. "
o doim-
otregar a
Qualquer que maodar roupa, recebar um vale do numero de pecas com e declarara
pprle da lavagem, o qual ser restituido com o competente importe na occa.io de se eo
roupa prompRi, sem o que esti Qcar depositada.
ajuste.
O esl.belecimento encarrega-se de tirar nodoas de qualquer natureza, precedeodo
um
Os propiietarios rogasn a seus fregaezes o obsequio de maolarem roupa suia. ananas rec-
bame lavada, para asaim manter a rege laridade do servicn. j psuai nsi
a.. iA- *l?lre5*ue ,eeB'Ben_|o d roupa oa casa de baohos, no pateo do Carmo. em todos os
das utea daa 7 horas da maohas s 5 da tarde. *
ELIXIR DE SALDE
Citrolactato de ferro,
l3nieo deaoso na botica de Joaquina Martmuo
4a Cruz Correia., Tua do Cabug n. 11,
em Pernambueo.
a f,,?.!?!L' ?"Iher,5e9 (de- ch.alei) "li80 Paarmaceutico apreseota boje urna nova preparacao
de errocoro o oome de elixir de citro-lactato de ferro. v"-,
variada?*.V\'h am- loi- emPre"r"e o medicamento debaixo desfrmalas to
vanadas, maso homem da sciencia comprehenoe anecessidade e importancia de urna tal varie-
dade.
aandA|f|0.rT.l.LT object0 d0 jnuita importancia em Iherapeutica; 6 um progresso immenso,
S ZTl 45!8encu d0 "d'camento. o toro, .grada*el, fcil e possivel para todas as
idndes,p.ra todo* os oai*dar** para todos os lemneramentos. -
^0.rnmn"nDri?I,,r?aS^"p,,ras6e9d.e t,e" a16 hJ9 coahecidMoh\B rene Un bellas qaalida-
a4a? Tl?lrLlM^e er"?;..A ?eu *bor.gr.da.el.re\.ne o tooar-Mm 2oa pe-
^uetraflow, e ser de urna prompta e factl dfssotusao oo estomago ^de modo aue comoUi.menie
assiroilado;eo nao produztr por aeusa da laetioa, que conten ^^SfX^S^SlXiSSS^
veatre frequeolemeole provocada pelee outras preparagoes terfoginosas.
Estas^oov.s qualidades em nada alter.m a .ciencia medicamentosas do ferro, que sendo um.
substancia da qual o medico se nao pode dispeusaa em sua dioica, de iocomparavel ulilidade
qualquer formula que lhe d propriedades taes, que o pralico possa preacrever sem receio. E' o
que cooseg>iio o pharmaceutico Thermea com a preparaco do cilro-lactacto'de ferro. Assim este
medicamento occupe hoje o primeiro lugar entre aa numerosas prepararles ferroginosas, com o
atiesta a pratica de muilo mdicos distinctos que o tem eosai.do. Tem sido empregado como im-
meoso proyeito as^molestias de languidez ( chlorose patudas cores ) na debilidade subsequenle as
nemorrhagiaa. as hydropesias que apparecem depois das intermitentes na incontioencia: de urinas
poroeoililade. as perolas brancas, ua escrophula. no rachilismo, na prpura hemurrhanica. na
convalescencia das molestias graves, na chloro anemia das mulheres grvidas, em todos os casos
?2 J!gUe w",-f.mPobrecido ou 'c1o pelas fadigas, affeccoes chronicas, cachexia tuber-
curiaes "' 'yP01110. excessos veaereos, oaanismo e uso proloogado das precaucoes mer-
w,H^ME,S.l8SMene^mida,,-e, end0 mni fre,1uen,es e sendo o ferro a principal substsncia de que o
5?nh.?m-?n ,?6a raa0 ?."! debelar- autor d0 citro-lactato de ferro merece louvores e o
assr do ferr h"rnnidade, por ter descoberlo urna formula pela qual se pode sem receio
Jos Fernandes da Silva Tei-
teira e Mello, primeiro testa-
menteiro do padre Jos Leite Pi-
ta Ortigueira, pede a todas ai
pessoas a quem o mesmo padre
Jos Leite fr devedor directa ou
. indirectamente por conta ou ou-
tro qualquer titulo vencido *ou
por vencer pata que no prazo
de 8 dus a' contar delta data
a presen tem seus crditos ao seu
advogado Dr. Antonio Ferreira
Marttns Ribeiro das 9 as 3 horas
da tarde em o escriptorio ra do
Imperador n. 5 %, primeiro in-
dar, afim de se poder tratar da
IiquidacSo e inventario do dito
padre. Recie 4 de novembro
de 1861.
~ Aluga-se o armazem do sobrado
n. 25 da ra da Praia de Santa Rita:
a tratar na ra da Cadeia n. 62, segun-
do andar.
Um primeiro andar.
Mugase o primeiro andar na praqa
Boa-Vista n. 7 : a tratar na loja de
calcado na ra da Imperatriz n. 46.
Precisase de um caixeiro que te-
nba pratica do servido de hotel na ra
estreita do Rosario botequimda aguia
de ouro n. 23.
u aoaixo assigaado previne a quem
convier que Jos Jacintho Pavao, nao po-
de alienar seus neos ou disoor delles por
qualquer titulo, porque se acham s ugei-
los ao vicio litigioso e oous respectivo
inherente a soluco do que devedor ao
mesmo abaito-assignado, em virlude de
urna acco que contra elle promova para
obter o pagamento do valor de um escra-
vo qne lke vendeu j com gravissima
doeoca de que veio a sucumbir, alem da
importancia dos juros e cuitas o que lu-
do orear a nao pequea quantia, aacao
eala quej foi jalgada a favor do abaixo
assignado pelo venerando accordao do su-
perior tribunal da relacao, com toda a
justiga que sempre trsn&luz em todos os
seus actos. Hecife 6 de novembro
I8JI.Hanoel Tavares de Aqoioo.
de
BOLCA DE BORRACHA
). 15,rIja8doam b'5 d" borracbs para fumo cham-se
a venda na ra da Cadeia do Recife
Centro commercfal.
CAVALHADAS
Na estacOo da viUa da Escad.
m.
tem a honra de participar
. dMOT^rs; .n-S/tsab^reTm^r p *
toram convocados v.rio. av.lheiros de diverso i lugar". 80, qU7e, di.namS e "" .e,-e flmJ
mo esUbelecime8n[oSpreC..qaU-8.e' &'*,*'$" Ufo
i a. 76. que achara


^utr-r"^'18"1'<'^^
AUeoca
no caes

Jos Vaz de Oliveira. natural da freguezia de
Santa Mara Magdalena de Gouvrohas em Portu-
gal Musiente na ra do Hospicio n. t no Rio
da Janeiro, declara que leudo nesta princia de
-Feraambuco, um seu lio dffnoma Joaqui Fer-
reira da Coz, e nao teado n. familirrecebdo
DoticiM su.s ha muito lempo, suppoode ue le-
nha faUacjdo, oeste intuito rog o espeddfirtue-
<1il!2!^*t'*,ma PeMo-1a coohe^a, diliver
consMeitfo, de dar algum*. Uform-coes rtpel-
to nesta cidade de Perfrifmbuco enf:casa""ao Sr.
Azevao.jj, ijen les, ra de Gres 1.
Kio de Jaoeiro 24 de ootubfo de 1861.
Jas Va* d'Oliveir';
Thomaz de Faria aaca sobre Pa-
rs e Rio de Janeiro '
ci que o interess.. B
Aluga-se a casa terrea-n. 5* da roa do
?ur?5Lp.opria par" *"*' smilf5 tr,t"
ra dos Guara rapes n. 46.
SorvetjB.
No caf dos arcos :
22 de novembro.
_ Aluga-se umseguado andar com
pequeos commodoi pintado de novo
na ra do Encantamento: a tratar na
ra da Cadeia do Recife n. 33. loja.
Antonio Jos Rodrigues de Souza
aluga leu utio do Monteiro. o qual e
bastante fresco t tem bons commodos :
a traUr na ra do Crespo n. 15.
I ~ Prec*-se alugsr um escravo ana entend
de Qozob e mais servico domeatlao de Orna casa
Hospital Porlugiiezde Be-
neici.cia. [
u,ao,TT d fc- .Pr0f8 luguezde Beneficencia, convido sos senhores so-
cio do mesmo Hospital are reunirem-se em as-
sembla geral no dia 10 do correle, pelas 10
hors da manhaa, no edificio do mesmo estabo-
lecimf nto.
Secretaria do Hospital Portuguez de Beneficen-
cia o de novembro de 1861.
Mcnds Guimaries,
u ** *cretario.
Manoel Jos Ferreira, Poituguez, vai a Eu-
ropo*.
u,r7.mek*'"a6 uma peMoa <>ue 88Da ir,ba-
cas. Sr. "'" '' M U" da Gaia *' 8-
ttt-tattttttK
Atten^ao,
Deieja-se saber qnem fieou encarrecao da
5.gt.iii!iBlpr#g,do,(,,,efora,n d0 hol Jnglez
BS fallecida madama L, DuboU.
CONSULTORIO ESPECIAL HOMEPATHICO
DO DOUTOB-
. SABINO O.L. PINHO.
tvuade Santo Amaro (Mundo
Novo) n. 6.
Consultas-todos os di atis desde a. 10 horai
at meio die, acerca das seguales molestias -
nvMtttias dat mulkeres, molestia das crian-
zas, molestias da pslle, molestias dos olhos, mo
calta* sypMlitieas, todas as especies de febret
febres intermitientes e snas consecuencias
PHARMACIA ESPECIAL HOSIOPATHICA .'
Verd.deiros medicamentos homeopathicos pre-
parados som todas as cautelas aecessari.. in
r.lliveisem seas effeitos, tanto em tintura,como
am glbulos, pelos presos -mais commodos nos-
slvais. ^
N. B. Os medie.meatos do Dr. Sabino sao
ncam.nte rendidos em sua pharmacia ; todo
que o forem lora della sao falsas. '
Todasaacsrteirss sao dtompanhadaa do um
impresso com um emblema em relevo, tendo ao
redor as seguintes palavraa : Dr. Sabinos) L
Pinho, medico braaileiro. Eale emblema posto
[Mmente na lista dos medicamentos e so po-
a,- As carteiraa qne nao levVea esse impresto
usim marcado, emboratenbam aa lampa o no-
na do Or. Sabino ao falsos
a "Z Ale,andre F'rreh-a Caminhs. socio gerente
da firma Santos Camioha & Irmioa nestJ pr.c
vai ao Aracatj tratar de seus negoci.a. deix.ndo
por seus prorursdores os a>s. Prsrrioo Gemas
lled atto. Jnior. Parete Viaona C.
- Sabbado t do torrente, depois da aadiencia
da 2i" rata do efcvai, dte ser arrematada do ven-
da a casa terrea da ra dos Maitvrios o 35, pr
execucio de Jnio Francisco de Sooza contra D.*
Josepha alaria do Honte.no valor do 2:000. ana.
do tsta a ultima praca. Escrivio Gaaha,
HunYt'
Be leilSo
,_, agente
prximamente nomeado pelo
meretisaimo tribunal do commercio t es-
tabelectdo.com escriptorio e srajazem na
ra do Imperador {oulr'ora ra d Ca-
deia) o.,37, offerece seus semeos ao res-
peitsve eorpo fommercial, a seus amigos
e a todos em 'geral que qnizerem hon-
ra-lo com sua conflanga, assegursndo-
jnes cumprir bem e fielmente as funccdei
inherente* ao sea emprego, pera o qae
nio pouper eafercoa a bem dos interesses
aa saos commitentes.
! No segn
doaudar da casa n. 15 da
ma do Crespo por cima do
escriptorio da thesouraria
das loteras.
HDAME MIDORNDORP,
prximamente chegada de Parit.
Encarrega-se da coofetoio de vestidoa de bai-
le, casamento?, visitas ou outros, manteletes,
zouaves. sabidas de baile, bournds, enfeites de
cabeca, emflm de ludo o qae comprebeode o
ves uariodas seoboras e meninas. As pessoas
que so dignarem dirigir-se a ella achar&o figu-
rn* das ultimas modas de Pars, precos razoa-
veis daa obraa e promplidio na entrega das en-
commendas.
Padaria.
Aluga-se a padaria da travessado Pires, a qual
est prompts de lado, com muito boas commo-
dos, e est linda trabalhando, sendo seu sluguel
muito commodo : a tratar na ra da Senzala no-
va n. 30.
Gabinete medico cirurgico.J
0 Ra das Flores n. 37.
% Serio dadasconst-ltas medlcas-cirnrgi-*jj
cas pelo Dr. Estevio Cavalcanti de Albu- fj)
9 querque das 6 sslO horas da manhia, ac- SJ
cudiodo so. chamados com a maior bre-
Sj) vidade possivel. an
i- Partos. Z
Molesliaadepelle. jt
3.* dem do otaos. sj
% *" dem dos orgaos genilaes.
SJ) PraticarSteda e qualquer operacao em sj;
seu gabinete ou em casa dos doentes con- dj
forme Ihes fdr mais conveniente. m
*m?
m "~ 'ecisa-se de 600J a premio dando-se por
eguranca uma casa terreaJivre e desembaraza-
da : quem os qijizer dar aooancie por este D'urio.
" Precisa-se de um rapaz forro para alguna
ervicoa de urna casa ; na rus Novi n. 7.
i ""/'*t**''* de um menioo para cslieiro de
toja de louca: na ra larga do Rosario o. 32.
gasa *s **mmmvem
%
Dentista de Pars.
15 Ra Nova 15
FradaricGautier,cirHrgiiodentista,faz
todas as operaedos da sua arta acolloea]
denlesartileiaes, tadocom a suporiori-j
dada eperfeico q ue as pessoassntandi-1
das ihareconhecem.
I agaa a psdentifriciose te.
Aluga-se a loja do sobrado da rua'do Liv~rT
ment n. S7. propria para qualquer estabelecl-
meolo a quem comprar a armacao nella existen-
te ; a tratar na mesma oa na ra de Hortas nu-
mero 10.
T Precisa-sede ama rapariga solteira que se
queira sujeitar a ser criada de ama casa de pe-
quena familia, afim de cuidar em costuras e ou-
tros servaos : quem esliverneste caso, e aflan-
car bom comportamento, pode annunciar neste
Diario para ser proenrade.
Denles artificiaes.
,ioVUT? ?os" ,ane' ">*. coatinua a po'r
dentea artificiaes com a perfeiCSo conhecida de
rn8rtUme,r0SD8. ,re:ie em residencia na
ru. de Santa Ritan. 61. e tambem fora em casa
ae lamillas, dando-se-lhe conduccSo
i Cosinheirotrancez. 8
Si 6 -Ra do Imperador16f
Neste estabeiecimenfo faz-se todas as 2
aj encommendas de sua arte tudo com a i
S i?ri!,0!?d,d,eue Perfei8 I a Pessoas S
entendidaa lhe recoohecem. Uanda-ae
9 tambem comida para fora tudo com muita aa
aj delicadeza e promptidao, por precos
0 zoavels.
ra-
Sorvete.
Sorvete ao meio dia e a noite,
Sorvete ao meio dia e a noite,
Sorbete ao meio dia e a noite,
Sorvete ao meto dia e a noite,
11
De Sodr & C
De Sodr & C.
De Sodr & C
De Sodr C.
Na ra Estreita do Rosario n. ,
Na ra Estreila do Rosario n. U,
Na roa Estreila do Rosario n. 11*
Na roa Estreita do Roaario n. |"
Ma?as.
Do gelle,
Do gelle,
Do gelle,
Do gello.
Nova
Nova
Nova
Nora
remessa de
ramees* de
remessa de
temesia de

Barato dinheird
Bxto dinbeiro
Barato dinbeiro
Barato inbt
magias,
acia,
majias,
macaas,
pe
Ra da Floreatina n. 16
a visto,
a vista,
a viata.
andar, precias-s*
Ni roa Relia n. 14, segundo
de uma ama.
QaenvprMlsar de ama ama psra todo ser-
Jleo d* portas para dentro, procure aa traTCN
alrua do Q.eirasdo i. 7, arlaatdro toto!""9*
Participa ao respeiuvel publico e a seus numerosos freguexes tnse
mudou sua oficina d CARROS da ra doi Firef n. 11, para a ruada Florenti-
na n. 16, aonde encontrara' elle sempre prompto para qualquer males; prr-
tencente a sua arte. "^
(ESfi
dos
DB
Saude.
O Dr. Ignacio Firmo Xavier faz publico que
lem reorganlsado s i ua cas. de saude, na grande
cass, propriedade do mesmo sitio em que exiitia
o aeu enligo estabeleclmeoto desea ordem. que
flea ao norte da estrsda da Passsgem da MRda-
lena. entre a ponte grande e a pequea do Chora
Menino, onde contina a recebar doentes de am-
bos os sexos e diversas calhegorias, .flaneando o
melhor tralamento, tudo pelo pteco mala com-
modo.
O mesmo doutor para mais commodid.de daa
peasoss possuidoraa de escravoa, ou que se qui-
zerem tratar em seu esUbelecimento lem deter-
minada a diaria absixo declarada.
As operagdes serio por previo ajaste, e nao
tarao parte das diarias asaim como as conferen-
cias e sanguessugs. Podendo o doente tratar-
se tambem aomeopatbicam.ote, para o que ha
commodos separados.
O servico medico ser feito pelo distiocto cirur-
Rlo do grande hospital Pedro II, o Illm. Sr. Jos
Francisco Pinto Guimaries, e o do.tor propie-
tario do estibeleclmento, praticando-se abi toda
e qualquer operacaopor presos muilo razoaveis.
tste estabelecimento toroa-serecommendavel,
ji pela boa casa de que dispoe, como pelas con'
dicoes hygteoicas em que se acba situada, pro-
vado isso pelo crescido nemero de doentes abi
curados.
O seu propriet.rio espera, portanto, dos seus
amigos, antigos reguezes. e mais pessoas, a sua
coopera*** em bem do progreato de lio til co-
mo oeceaaario estabelecimento, parausado por
nioi poder elle achar-se sua testa, em virtude
de naver sido accommelttdo de uma grave enfer-
raidade porm htrj. que se acha completamente
restabelecido, prometteesforcar-se na boa ordem
de sua casa, e na direcsio do tralamcnlo
doentes.
Diarias Bocravos 1*600
2.a ordem 3*000
1 ordem 38000
Para a entrad, dos doentes se jlevero tratar
com o referido Dr. Ignacio FlrmoTUvier. oa roa
Nova de Santa Rita o 7, sobrado de um andar
com frente para a nbeira do peixe, ou no seu es-
tabelecimento a qualquer hors.
Oa abaixo assignados tenham a boodade de
apparecer na ra Nova n. II, loja do Germano.
Jos Antonio Perreira da Silv..
Francisco Xavier Venancio Pimenta;
Pedro de Assis Campos.
Buzebio Bezerra Cavalcanti.
Manoel Rezeado da Reg Barros.
.,7". Continuara inda pora alugir porfeata, um
aitio na Torre, com lodos os commodos, e uma
casa no Uonteiro : a tratar com o Sr. Jos Aze-
vedo Andrade [ra do Crespo), ou com o pro-
pnetario Jos Mariano o'Albuqaerque na estrada
nova do Caxaog.
Alugam-se as casas n. 13 da ra da Cruz,
o. 2 D da ra de Apollo, e n. 193 da roa Impe-
rial : a tratar na ra da Aarora d. 36
Arreiidamento
Traapassase o arrendamento do aobrado e ar
mazeos da roa do Trapiche n. 40. excellente para
qualquer estabelecimento commercial de fazen
das : trati-se na mesms casa.
Sociedade bancada.
Amorim, Fragoso, Santos & G.sacam e tomam
saques sobres praca de Lisboa.
Poco da Panella, com rouib bons commodos p-
ra grande familia, perto do banho, j.rdim, terra-
co ao lado, cocheira, casa para criado, estribara
a tratar na ra da Imperatriz n. 19
iJ7-f' Lecoole *" ate" m viagem a Franca,
levando em aa. ctmpsnbia uma sua fliha menor
de nome Eogenie : roga porUnto ao. seus deve-
dores que tenham a bondade satisfazer seus d-
bitos nestes oito das.
Ama.
Precisa-se de uma ama que aaiba
omprar, para caaade pouca familia ;
Cruzes n. ID.
Joseph Lehmann vai a Bahia.
Na ilha dos Ratos, casa nova seguinte a
o. 8. precisa-se de uma ama forra ou escrav.
que cosa.engomme e cozinhe. ou cuide de me-
ffl7ciniUgrf,e "Me 't'o na estrada dos
Afllictos, defronte do Sr. lenenle-coronel B
que faz quina com o becco do Espinbeiro
Ur com Guimsrae. & Alcoforado.
suaproprietaria.
Attenco.
Aluga-se uma ca. terrea em Olinda. ra da
Bicca dos Qu.lro Cantos, ha pouco reparada de
novo, propria para passar-se a festa quem pre-
Pm a. 9^nja"se a mesraa- ou n Becife, rui da
f.^Tiur?C"",e de!m8 am Dara casa de Pouca
V 8 P"!a da Boa-V8la. terrea nu-
ulero o.
Na ra do Amorim, armazem 1e Guimaries
& Alcoforado, precisa-se alugar um preto que
saiba coznhar, e se preste a eutros serviros de
uma casa de pequea familia.
Precisase de um bom amassador
na ra da Senzala Velha n. 90.
*i,:In,.8.m'MKL,OWm8D'?ordoes I,aD80n eEpbraim
trra 8ubdllos oglezes, seguem para Ingla-
Contra aviso.
Ficam aem nenbum effeito osannunciosqae i
publicar neste Diario em 31 de outubro. 2 e 4 do
corrente.com o litalo-Aviso so publicodecla-
rando o desencaminho de dass cartas do correio
desta cidade, ccnleodo duas letras, e proleatando
ma,(Jaemcmsl'cl0?m"eastiver lirado, visto
que o Illm. Sr. administrador daquella reparli-
cao vista do mea annunclo mandou procurar
ditas cartas e a .chou fcilmente no lugar aonde
deviam estar, cooforme me declarou, as quaes
me entregou ; sendo causa, portanto. do seu
mo apparecimento opoucozelo de algum dos
reapectivoa eropregados. ou. nao dvido, que de
a gum dos meus caixeiros que por varias veres
Dou^creT8arorB,o,,i oftfem- Recife6d
P,a,i0mi!l80" ,0*6 Fwr>" Guimaries.
h."Th i de ur)a corira para costuras
de altante : na ra Direita n. 68.
nn7^sUIBa ,eDnor, Tiuv de bons costumes,
?...qu-0f"-0" B,ra- *'*"" metale da
?"' i?l0_?"_'. grande ..1. coro uma al-
cozinhar e
na ra daa
de
rala,
a tra-
po: ordem de
J FERREIRA VILLEU
KKTaATXSTA
P*
AUGUSTA CASA IMPERIAL,
a lo Cabmc aa. 18, *,. lar,
entrada peala pateo da asaarta.
Retratos por smbrotyito, por melasaotaM sa-
br panno encerado, sobre talco, nspotli
pulceir... alQnete. ou c.ssolet... Na
cata exilie am completo abundante sovl
d* a rielados f ranee res e sm encano* para a cal
leselo das retratos. Ha tambem para esa asaa-
mo fim cassoletaa e delicado* aliaste* a- aro
de lei; retratos em photographia da* principa**
per.OD.gen. da Eviopa ; .Ureoscapo* viu*
stereoscopicas, assim como vidro* para asakrotyaa
e cbimica. photogr.pbicss.
fos ***** m
S STAIIL & G. S
BETR.1TISTA DES. 1.0 UPElAMlJ
O Hua da Imf eraitix 2
numrro 14.
Tencionando retirar-se proxt-
| mmente desta praca participan
' a sejs fregueses e amigos como
* em geral a todos que podesn
precisar do seu officio, afina de
| que aproveitem do pouco tempo
que os annunciantes podem aisa
da dtspor para a execucio das
encommendas com aa quaes
queiram honra-los.
Agradecendo nesta occasio
ao Ilustrado publico desta capi-
9 tal o bom acolhimento das suas
obtas, decidiram se a por estas
ao alcance de todos iotroduzindo
uma considera veCbaixa na maior
parte dos seus precjs e esperam
que o desfalque que disto Ibes
resultar sera' compensado por
um augmento de concurrencia.
(_
Precii.-se de um offlcial para fabrica '4%
chapeos de sol. e qne d fiadora so* conducta :
em casa de S. Falque, roa do Crespo n. 4.
Aluga-se um solio, de vsrios commodo*.
quintal e cacimba, na tr.vss. da Boaka a. 8.
e um. es. nova acabada a pouco na Casanga
rosda.Crioul.s. o. 19. com t salas. 3 qaatt**.
cozinha fora. quintal e poco de boa agua : a ira-
tratar na taberna da roa das Cruzes n. Si.
Precisa-ae alugar um preto para servico d
botequim : a tratar na ra larga do Rosario nu-
mero 55.
Do abaixo essignado fogio ae* moleqee U-
bmo, com o. signaes segoiates : usa, chal-
lo corrido, rosto escamado, espada*, larga* o
rrt.i0 ,.R.i : q)D) 0 encontrar coadox i
casa n. 96 da ra AurusU que acra recompen-
sado.Antonio Ribeiro P.checo d'Avila.
s
s
Consultas medicas.
Serao dadas todos os dias pelo Dr. Cos-
me de Si pereir. no sea escriptorio. raa
4* Cruz n. 53. de.de is 6 at as 10 horas
da manhaa menos aos domingos sobra
0,Ml, e olhos.
o*, 0!e"a J "relo a de peito.
do anus m d$ 0r8a0 d" ,r,i0 #
O exame dos doentes seri feito aa or-
dem de suas entradas, comecando-a* po-
rera por aquellos qae sofTrerem do*
oinos.
Instrumentos chimicos.acuslico. e p-
ticos sero em pregados em suas consul-
tares e proceder com todo rigor pru-
dencia para obter certeza, oa .o ataos
prob.bihd.de .obre a sede, natureta *
causa da molestia, e dahi deduzir o plano
de tratamento que deve destru-la aa
curar.
Varios medicamentos serio tambes.
empreados gratuitamente, pela cer- -
teza que tem de sua verdadeiraqualidao j
promptidao em seus enVilos, *a necesai-
dade do seu emprego urgente que se asar '
delles.
Pretiera abi mesmo, oa em esa do*
doentes toda e qualquer operacao que
julgar conveniente para o reet.beleci-
mento dos meemos,para cojo fim se acha
prvido de urna completa colleccio de
instrumentos indispenaivel ao medie*
operador.
Peci.a-ae de um. ama que saiha coziaa
comrprar; na ra Nova o 33.
COirAMIA DA VIA FEI1EA
DO
cora o um quarto, anntincie para ser procurada.
. !" d0 Raogel D Pnmeiro^ndar!*.
^^v^sSsWr^'^^9
Attencjo.
d.^e8ioa" queni fall,r am fallo castanjio,
(Otlnorla o dM.ps.rrrJD,ii|0 1. dilo cit.IIo,
Recife a Sao Francisco.
(UMITADA.)
Cavalhadas na Escada. Re-
duego de precos de pas-
sageos.
Avisa-te ao publico que no dominan
10 de novembro se vender ao btlbe-
tea para a Escada de ida e volta pelot
seguintes precos.
IDA E VOLTA.
Primeira ciaste. 6J500
SegsJBsJa 4|5oo
Terca! 3,000
*?art>&<*&<*.*' <* Gnco
i ^N^tf^ poderao errir rara
domingo 10 d correte.
le?*'61*' U? e^ce,,ente>"? Min
AasignadoE. B. Bramah,
Preeisa-se de ara
na Isansrial a. 17tx
buperinfenalente.
Ur Mpaatiaa


pa-
Afilas
S. Btetelo* previne ios mu treguases que se
ss^A4&aaafxs:
Zaatam UttURf js;
e a eogeoaes por preeee eooenclooados: pode-
r ter procurado m km da Cadeia do lecif a.
UOSMOl.
f.^Hif^IT!^*2* Ni ea de pouca
familia ; na praeade io4-?iu. casa terreVnT3
Ama4e lite
Precisa-te de urna ama de leite na
ruado* Pires n. *0.
Utn mu commercial 4ta praqa
(allemaa) da qual se xetirou ha pouco
tempo un socio; procura un outro so
ci con algum capital, preere se um
hornera que faMe bem francez: quera
pretender mande carta fechada com as
iniciaesK. I. n 0 esta typographia.
Precisa-se lugar urna prets escrata paja
vojiaeMiajujjjio_Corredor do Blspe u 15.
otopras/ "
Compran-se moedasde onro de 20$ brasi-
leras, e pegas de 16 portugueas: no esciipto-
rio de MiDoet Ignacio de OHaira & FHho. largo
do Corpo-Sanio.
Compra-s em segunda mo o thesoaro ho-
meopathico ou vademcum da homeopathia
quem tiver para Ten 1er. dirija-se o trapiche do
Cunha. que ae dir quem precias:
Compra-ae uma,ou duaa casta terreas no
bairto de Sanio AnUnio: quem tlvaar e quUer
vender, na ra do Cabuga. n. 1 A ae dir quem
compra.
Vendas.
Na \o)\ do Vapor
Ra. Xova n.V.
acha-se barato grande aortimeoto de calcado fran-
cez e ioglez, roupa ferta e perfumaras muito
finas.
Por baixo do cabelleireiro.rua
do Queimado n. 5.
Vendem-se maognilos bordados para aenbora
- a I, calcinitas para meninas a lj, laasinhas es-
cocias a 880 o cavado, e outras mnitas (azeadaa
por muito barato prego.
50 A-Rua a Cadeia do RccifeSO A
5^000,2^800,1^800
e 500 rs.
Manoel Goocalvea de Oliveira Santo, est ven-
deado aem limites pegas de cambraia transpa-
rente com 10 varas e urna vara de largura a 5$ ;
saias borladas com riquiasimo bordado a linha a
2J800; gollinhas, punhos e manguitos de linbo e
fusioes a 18800 ; riquissima cambraia de cores
franceas a 0*ribaldi a 500 rs. a rara, e maia fa-
'as que SO baralissimo 11
*m*jmmm mn* nii^w#.vm>,
Especial aviso pa-
ra os apaixonados do calca-
do inglez.
Campos & Pereira com loja- de fazendas e cal-
cado na ra da Cadeia do Recite n. 32, receberam
pelo ultimo vapor inglez, os mais frescos e me-
lhoree borzvguins ioglezes que tem viodo ao mer-
cado e continuara a vender por 128 cada um
par.
Obras d brilhantes.
Em casa de Alves & C, rus da Cruz o. 54.
acha-ae exposto venda um grande aortimeoto
de obras de brilhaetea, taea como aejam, adere-
mos, meios ditos, palseiras, alflnetes, anneis, bo-
les e rosetas, que se veodem a precos com-
modos.
Vndese cal virgem de Jaguaribe, a melhor
que tem apparecide, prepria para factura de as-
aucar, pelo barato preco de 8| cada barrica, a
qual pesa 4 arrobas. Rogase a todos os ara. ae
engenho que quizerem usar desla cal a manda-
rem ver na roa Nova de Sania nita n. 49, ar-
mazem.
Humo gasto.
Cinteiros de bonitas fitas com pontas
cabidas e franjas.
A loja d'aguia branca receben urna pequea
porco de cinteiros de booitas fitas largas com
pontas cahidas e franjas, o melhor e ultimo gos-
to como se ve dos flguriona, tendo tambem alguna
todos brancos propnos pera casamentos : as se-
nhoras que gostam de possuir o bom, man 1a-
rem a ra do Queimado, toja d'agnia branca n.
16, que com 7&lero um cinlo de bom e ultimo
gosto.
i de
arroz
em bonitos vasos de crystal dourado.
A loja d'aguia branca acaba de receber mu bo-
nitos vasos de crystal douralos com finos echei-
rosos pos de arroz e a competente boneca, e est
vendendo cada vaao a 3$, dinbeiro vista ; na ra
do Queimado, loja 'aguia branca a. 16. .
Gassas garibaldi-
nas na loja do
Pavo.
Vendem-se finissimas cassas garibaldinas sen-
do estas cassas as mais modernas que tem che-
gado a 360 rs. o rovado : na ra da lmperatiiz
n 60, loja de Gama & Silva.
Chitas largas a 220 rs.
na loja do Pavo.
Vende -se finissimas chitas francesas com pe-
queo toque de mofo, afflangando-se soltar o
mofo logo que se lavem, por srem de cor fizas
a 220 rs. o corado : na ra da lmperattiz n. 60,
loja de Gama & Silva.
Affliisselioa do Pavo a
200 rs. ocovado.
Veade-se musielina branca com 4 1[2 palmos
de largura fazenda muito fina pelo diminuto pre-
co de 200 rs. o covado, corlea de cbita ingleza
com 10 corados cores fizas a lj>500 rs,, ditas de
musselina branca com 10 ovados a 29, tudo
para apurar dinbeiro : na raa da Imperatriz n.
.60, loja de Gama & Silva.
0 Pavo.
Veodii-se eslembas boradaa para meninas a
19, Idvss de seda tanto para aeohora como para
hornera fazenda em perfaito estado a 500. rs. o
par, sintos de todas as qualidades para senhoras
e meninas e saa bordadas com muito gosto :
na ra da Imperatriz n. 60, loja de Gama &
Silva.
Panno a 21.
Venda-se panno cor de caf e de azeitona e
cor de garris, fazenda muito floa pelo proco de
29 o covado, proprio para calcas e paleto ti : na
ras d* ImperafrU a. 60, loja do Pavo. '
Atten^o.
Aiods te senda |, taberna da ru do padre
Flotieno o. 74, ai Prazo ou a diaoeuo, est ser.
Uda coa poucoe foados. sfreguezada pare e tor-
", tem eomawdoe pare feraiaia, motivo da ven-
da* Pele dooo lar de viajar para foro de pro-
vwcia i quesa precisar apwoile oocasiio.
ROUPA FUITA
.
EB
utffl F. dos Santos.
r ti m
40-Rua do Qneimado-40
Defronte do becco da Cngregayo letreiro verde.
Neste estsbelecimento ha sempre nm sortimentn completo de roupa fsiia de
todas as qualldsdes e tambem se manda execulsr por medida rontade dos fregae-
zes para o que tem nm dos melhores professorss.
i

Casacas ue panno preto a 40J,
35f e
Sobrecasacosde dito dito a 35| e
Paletots de panno preto e de co-
res a 35, 30. 25#, 10. 18 e 20*000
Ditos de casemira de corea a 223.
. |.12j.7|e
Ditos de alpaca preta folla de
?Iludo fraacezaa a
Ditos de merino setim pretos e
t de cores a 9| e
Ditos de alpaca de cores a 5| e
Ditos de alpaca preta a 93, 73, 53 e
Ditos de brim de cores a 5.
43500. 43 e
Ditos de bramante de linho brao-
co a 6|, 5f e
Ditos de 'merino de cordio preto
a 15 e
Calcas de caaemira preta ede co-
res a 113. 10,8|,7*e
Ditas de pnoceza e merino de
cordo preto a 59, 63500 e
Ditas de brim branco ede cores a
53. 48500 e
Calcas de ganga de cores a *
Gollete de velludo preto e de co-
res lisose bordados a 129,93e
Ditos de casemira preta e d co-
res lisos e bordados a 63.
53500,53
303000
30000
93000
103000
81000
33500
SJ500
33500
43000
83000
63000
43500
21500
3J000
83000
5*000
53000i
33000
13280
Ditos de setim preto
Ditos deseda e setim branco a 6 e
Ditos de^orguro de sed i pretos
e de cores a 73, 63, 43 e
Ditos de brim e fustso branco a
3J500. 23500 e
Stroulas da brim de linbo a 23 e
Diu* da lgodio a I36OO e
Camisas de pello d(usiao branco
ede corea a 83400 e
Ditas de paito de linbo e 5, 43 e 3000
.Ditas de madapoln brancas o de
cores a 8, 23500, 2 e
Chapaos pretos de maaaa francesa
forma da ultima moda a 101,
8500e
Ditos de feltro a 63,5, 43 e
Ditos de sol de sede ingleses
francezesa 14|, 123, 11$
Colsrinhos de linio muito finos
novoe feitios dsultima moda a
Ditos de algooao
Relogios de onro patente e hori-
- zootal a 10US, 90. 80| e 70JOO0
Ditos de prsts galvaniaeSos pa-
tente e horisentses a 409 30f 00o
Obras de ouro, aderemos e meios
aderemos, pulcelras, rozatas e
sneis a 3
Toalhas de linhodozia 10J, 69 e 9J000
3|500 Ditas grandes para mesa ama 3J e 4tOOo|
79000
29000
800
9500
^Guimaraes & Villar.

Ra do Crespo numero 17.
Vendeiii iKiraiissiiiio.
Cambraias brancas bordadas para vestidos desenhoras a 73 a pees de 9 aM8.
Organdys de cores delicadas a 500 rs. ocovado. '
Cassas de cores fazenda fina a 240 e 280 rs. o covado.
Manguitos e Kclliobaa psra senhoras s 29 o par.
bollinhas nltimo gosto a 1.
Manguitos a 39 o par.
Eotremeioa ricamente bordadoa a 29.
Tiras estreitae e largas bordadas para enfeites de vestidos de 2a a 59 a peca.
Saias bordadas de 4 pannos a 43.
Saias bordadas de 3 pannos a 28500.
Saiaa balo de musselina com babados a 6.
Chapeos de palha de Italia para aenhora a 283.
Ditos de seda para senbora a 12*.
Manteletes de seda
o que ha de mais moderno de diversos precos.
unos de fil muito bonitos a 30f.
Vestidos brancos bordados a 20.
Ditos brancoa bordados a 78.
Coitos trUUHIIHmiOTa ^..IU.u,- t!. Oto v HO ts
Madapoln de todas ss qualidades a 4, 43500. 59 e 79 a pe^a.
Outras muitas fazendas de goato e precos baratos.
LOJA E ARMAZEM
DE
Joaquim Francisco dos Santos.
40lu do Queimado40
Defronte do becco da Congregando, letreiro verde.
VENDE-SE O SEG1NTE:
Para casamentos:
Ricos cortes de vestido do fil ou blood de seda branca com ramo e capells o
mais moderno e superior que ba no mercado.
Para bailes.
Lindos cortes de vestidos de fil ou blond de seda branca bordados a branco e
cores. *
Ditos de tarlatans branca bordados a branco e cores.
Ditos de cambraia branca bordados a branco com muita elegancia.
Saias bordadas
Ricas saias de cambraia branca bordadas com o mais apurado gosto e mais finas
que na no mercado.
Ditas de dita recortadas mais bsratas.
Para baptisados.
Ricos cortes de vestido de cambraia branca bordados com muita elegancia o
mais moderno e mais superior que ha no mercado.
Manteletes
I Ricos manteletes de seda de cores e pretos bordados e lisos com enfeites, bam
como arrendados, por precos commodos.
3^000 apega.
Pegas de cambraia lisa larga tina com 6 a 6 1^2 varas, muito barato.
Lencos.
Ricos lencos de cambraia de linho bordados a 39,49 e 59 esda nm
Chales,
Ricos chales de looquim brancoa bordados de pontaredonda ede 4 pontas.
n.iirt.H^ S8fa-zen,das plm mencionadas tem um gra ode aortimeoto de todas as
qualidades. que nao posstvel menciooar-se pelo grande espseo que lomara
t
RA DO QUEIMADO N?A6
PBANDEMTIMENT0
Gracas a Deus.
J se pode fazer mimos.
J se pode fazer mimos.
J se pode fazer mimos.
Jase pode azer mimos,
inegaram affoal as esperadla maceas no gelo,
e eslao se-vendendo pela metido das que se ven-
dan, sendo a 160 rs. escoltadas : no grande de-
posito de 80ir k C, ra eslreita do Rosario nu-
mero 11.
Ireode-se muito bsalo um escravo
Caasange, com 32 naos, robusto e eadio
1 proprio para trabalhar em engeabo ou
carregar aseucar e ouXros trabalhoa detta
naturas* : quemo pretender dinja-ae a
ra da Aurora n. 50.
!
GELO.
Macas.
Veodem-ie barrquiahas com maclas -hegadss
ulliraameate no gelo. pelo preQo de 83 a barri-
Vriaiw t rm iVf9o,Sttmtri9\hniT9.

Vende-se na ra do Apollo
n, 31 de fronte do theatro a A$
a arroba, meia arroba a 2$500
e a 160 rs, a libra.
Gasa de moda franceza
Ra da Irrperatriz n 1.
Mdarae Bueisard Hillocheau reeebeu nova-
meote umrico escolhimento de vestidos para ca-
samento com sens enfeites, manteletes e caaaca
farasenhora, do ultimo gosto de Pars, um helio
orlmeota de chapeos para senhoras a meninas
lindas camisinhaa e mangas para os vestido mo-
dernos, pelerinas com mangas propriaa para aoi-
res, flores para vestidos e cabeca, enfeites 3a
Cabeca para bailes e tbealros, eaparlilbos dos
le pin o tpiieiti doi lenbor,
*
Sortimento completo de sobrecasseos de panno a 259, 289. 309 e 359. casacos muito bem
fetas a 25|, 98f: 30$ eJ5f, paletots acasacados de panno preto de 16 at z59, ditos de casemira
da cor a 159, 184U20I, paletots saceos de panno e casemira de 89 at 149, tilos saceos de alpaca
2"M5 ?** ^* ** at 69, sobre de alpaca e merino de 79 at 109, cal?aa pretaa de casemira de
89 at 148, ditos de come 7a at 10|. roopas para menino de todos os tamanhoa. grande sorti-
mento de roupas de brins como sejam caigas, paletots e colletes, sortimento de colleta pretos da
setim, casemira. e velludo de 49 a 9J, ditoa para casamento a 59 e 69, paletots brancos de bra-
mante a 49 5#, calcis brancas muito finas a 5f, e um grande sortimento de fazendaa fin s e mo-
dernas, completo sortimento de caaemiraa ingleas psra homem, menino e seohora, serooles de
linho e algodio, chapeos de sol de seds, luvas de seda de Jouvio para homem e senhora. Te-
mos urna grande faOrlca de alfaiale onde recebemos encommendas de grandes obras, que para
eso est sendo administrada por um hbil mestre de aemelhante arte e um pessoal de mais da
ciacoenta obreiros escolhidos, portento executamos qualquer obra com promptido e mais barato
do que em outra qualquer casa.
49
19
29409
l
19
199
500
49
199
199
199
119
atO
Vendas.
199
409
199
C49
Vende-se efieciivamente cal branca de Jagua-
ribe, da melhor pedra que ha, a sete patacas o
alqueire, e muito bem medida, urna boa gamela
grande de amarello propria para baoho : na ra
doArago n. 8.
Attenco.
Vende-se urna bercaca de lote de 25 cairas,
nova, aem anda ter navegado, construido eom as
madeiras de melhor qualidade : os pretendemos
podem dirigjr-se ra da Praia, armazem n. 9,
que acharo com quem tratar
e
Taixas.
Maior reduccao nos preco para acabar.
Vendem-se no armazem de Braga Son & C.
na ra da Moeda, taixas de ferro cuado do mu
acreditado fabricante Edwin Maw a 100 rs. por
libra, aa meames que se veodiam por 120 rs.
Acaba de
chegar
ao noy armazem
DE
LISTOS & REG
NaruaNov junto a Con-
cei^o dos Milita-
res n. 47.
Um grande e variado sortimento de J*
roupas feitas, calcados e fazendas e todos &
estes sa veodem por precos muito modi-
Ucados como de seu coatume.assim como al
sejam sobrecasseos de superiores pannos X
e casacos feitosv pelos ltimos figurinos a
269,289, 309 e a 359, paletots dos mesmoa
pannos preto a 168,18|, 209 e a 24,
ditoa d casemira de cor mesclado e de
no vos padres a 149.169. 189.209 e 249,
ditos saceos daa mesmaa case mi ras de co-
res a 99.109,129 a 149, ditos pretos pe-
lo diminuto preco de89,109, e 12$, ditos
de sarja de aeda a aobrecasacados a 12$,
ditos de merino de cordio a 129, ditos
de merino cbioez de apurado gosto a 159,
ditoa de alpaca preta a 79, 89, 99 e a 109,
ditos saceos pretos a 49, ditos de palha de
seda fazenda muito auperlor a 49500, di-
tos de brim pardo e de fuslo a 89500, 49
e a 49500, ditos de fustao branco a 49,
grande quantidade de calesa de casemira
preta e de cores a 79, 89, 99 e a 10, ditas
pardas a 39 e a 49, ditas de brim de coree
finaaaSg5UOt 39, 3>500 e a 4$ ditas de
brim brancos Anas a 49500, 5$, 59500 e a
69, ditas de brim Ions a 59 e a 6$, colletes
8 de gorgurso preto e de cores a 5f e a 6J,
ditos de casemira de cor e pretos a 4550(5
e a 59, ditos de fustao branco e de brim
a 39 e a 39500, di loa de brim lona a 4f,
{ditos de merino para luto a 49 e a 49500,
caigas de merino para luto a 4|500 e a 5$,
capas de borracha a 99. Pata meninos
{de todos os lmannos : calcas de casemira
preta ede cor a5f, 69 e a 79, ditas di taa
de brim a 2, 39 e a 39500, paletots sac-
eos ae casemira preta a 6g e a 7, ditos
ft de cor a 69 e a 7$, ditos de alpaca a|39,
j sobrecaaacoa de panno preto il2)e a
I 14, ditos de alpaca preta a 59, bonets
para menino de todas as qualidades, ca-
misaaparameninoa de todoa oa lmannos,
meios ricos vestidos de cambraia feitos
para meninas de 5 s 8 annos com cinco
babados lisos a 89 e a 12g. ditosde gorgu-
rso de cor e de la a 59 e a 6, ditos de
brim a 39, ditos de esmbraiaricamente
bordadoa para baptisados,e maltas outras
fazendas e roupas feitas que deixam de
aer mencionadas pela sua grande quanti-
dade ; assimcomorecebe-aetoda eqaal-
quer encommenda de roupas para se
mandar manufacturare que para este fim
temos um completo sortimento de fszen-
da8 de goato e urna grande offleina deal-
falate dirigida porum hbil mestre que
pela susproroptidioeperfefcSpnaddei-
xaa desajar.
Ferro < Maia*
Ra do Queimado n. 10,
loja de 4 portas.
Vendem-se chitas Irsncezas muito finas de co-
res fixas, covado a 240 rs.
Chitas Inglezaa, covado a 160 rs.
Cassas francezas muito finas, covsdo a 220 e
240 rs.
Brim branco de puro linho, vara a 19.
Panno verde, cor de caf, azul e preto, covado
a 33000.
Chales de touquim a 159000, 20, 25, 30, 35,
40 e 509000.
Superiores meias dealgodo cr para homem,
a duzia 49.
Visitas bordadas a matiz, urna, 89 e 10J-
Camisaa para senhora, urna, 29.
Cortes de casemira de cor, superior fazenda, a
39500.
Velludo de todas as cores, covado, 39 e 4$.
Superiores paletots de casemiras de cores a t $.
Riquissimas capinhas bordadas para senhora a
45 e 509.
Riquissimos manteletes pretos bordados a 35 .
4OJI000.
Riquissimos cortes de seda preta a 40,50 e 6O9.
Ditoa ditos de cambraia branca bordados a 20S,
25. 30, 35 e 409.
Chales de merino estampados, superior fazen-
da a 49.
Cortes de velludo de cores para collete a 49 e
59OOO.
Gollinhas de cambraia bordadas, urna 320 rs.
Superiores casemiras de cores, covado a 29800
e 39000.
Pentea virados de tai taruga a 6 e 89.
Lengos de linho, duzia a 5 pj4-
Camisss de linho, duzia, a M, 40 e 459.
..Caemirjs..Dretas. superior ra
Rival
semsegundo
Na rus do Queimado D. 55, i0;a e mSmitxn
d Jo.de Azevedo Maia e Silva, teas amaina**
acaar com certas e determinadas aitsaaeaa pelos
precosabaixodeclarados, e venosa lote seis
est acabando.
Caixea cesa amibas francezas a.......... No vellos de linha vn marcar a 20 rs *..
Ortos de linha de crese muito grandes a
Carretel de liuha, auperier quahdade a..
Linha branca do gaz 110 rs. e...........
Dita dita,a melhor que ha, novetlo grande
Pires de meias de cores psrs meninos a
Duzia de meias eruss mulo superiores a
Dita do ditas ditas a.......'...............
Pares de arelas de cores para meninos a
Liuhs em carteo Pedro V a..............
Carxaa eom phospheros de segara tes a
Caixas de folhas com phosphoros (s a
Calat Tal 109 n.) a..............\.....
Uuza de phosphoroe 00 gaxa..........
Frascos d'sgna de colonia auperier a....
Ditos com ebeiros multo finos a........
uzia de meiss muito finas para seabera
Caixaa de apparelboa para meninos a 249
_ '" e............
Tran5aede laa e delinbo aertidaa a......
^bonetes grandes e superiores a........
broza de botoes pequeos para calca a..
Groza de botoes da Iones a..............
Varas de tramoia superior a 120 e........
broza de peno as de ac a......
BVr.eiKr" ""Mrioi-M a..'.'.."..'.'.'.'.;
uaralhoa portuguezes a........
Tesourss murta, flnss para eoatra'e".'.!!
Ditaaparaunbasa240e..............
Baralhoa para volUrele a 240 t..'.'.'.'.'.'.'.'.
Fracoadebaohadeorcoe...........
Frascos grsodes de lavande mbreada su-
perior qualidade a...........
Frascos de olee de b.besa a 32oY.Y.'.'.'.
frascos dedanha muito fina a 140e
Agulheiroe com agelhas a...........'.7.7.'
Milhares de individuos do telas as nacfe*
podem testemnnhar as virtudes deste remed*
iDeomparaT*leproTremeaso necesssrio, qoe.
pelo uso que dalle fueran tesa sea /rpT.
membro8inteir8mentes4osdepoisdeha\ei esa-
pregadoinuXilment* ouiroitraiamentos. Cada
pessoa poder-se-hacoDvencer deesas coras ma-
ravilhosas pela leilnra dos peridicos, que Ib'aa
relatan todos os diss ha moitos anuos;
maior parte dellas sao lio sor prndenles ae*
sdmirsm os mdicos mais celebres. Qvantee
pessoasrecobraran) com esta soberano reaedi
0 uso da seos bracos e pernas, depoi dedoi
permanecido longo tempo nos hospitaes, o tea
deviam soffrer a ampuiacao 1 Dola ba aui-
casquehavendo deixsdo asses, asjloi depsdo
lmenlos, para se nao submeteress a esss cpa>
rajo dolorosa foram curadas completasuenie
mediante o uso desseprecioso remedie. A+_
gumas das taes pessoa na enfusio de sen rero-
nhecimenio declararan estes resollados baaesV
cos diante do lord eorresedor e oairos nsgis-
trados, afimde mais autenticaren ana a Irsaav
tita.
Ninguem dasesperaria do estado desande so
tivesse bastante confianza para encinar asa re-
medio censiantementeseguindosipsm tempo a
tralamento que necessissse a natnraxa do nal,
cujo resultado seria provar i nconustavelcient!
Que tudo eura.
O ungento be til, maia partfem-
larmente nos segnlntc cassos.
Inflamma^o da bexifa
899
329
......, >'i v* -w ^ -rev-
relas, superior uzeoda. covado a
9uOeemi-.
Cortes de cambraia bordados a I9SOO.
Ditos de dita de salpicos a 39.
taquea a 39.
Chapeos a Garibaldi e travista a 10, 12 e 159.
Ceroulasescocezas, urna I528.
Tarhtana de todas as cores a 800 rs.
Existe mais um esplendido sortimento de fa-
zendas que seria enfadonho menciona-las, e que
ae venden por muito menos preso do que em
nutra qualqner parte.
I
Alporcas
Gaimbras
[Callos.
1 Ancores.
Cortaduras .
Dores de caber,.
das costas.
dos membros.
Enfermidades da cutis
em geral.
Ditas de sdus.
Erupcpes escorbticas.
Fstulas no abdomen.
Frialdade ou falta de
calor as extremida-
des.
Frieiras.
Gengivas escaldadas.
Incbaces.
Inflammsfo do figado
Importante
Aviso
Na loja de"4 portas da ra do Queimado n. 39,
acha-se um grande armazem com todo o aorti-
mantode roupas feitas, para cujo fim tem mon-
tado urna oficina de alfaiate, estando encarruja-
do delta um nerfeito mestre indo de Lisboa, pa-
ra desempennar toda e qualquer obra que ae Ih*
encommende ; por isso que fas um convite espe-
cial a todas as pessoas com especialidade os
Illms. Srs. officiaes tanto da armada como do
exercito. ,
Faz-se fardas, tarddescom superioresprepsros
e muito bem feitas, tambem trata-se fazer o far-
damento todo completo conforme se usa no Rio
de Janeiro, tanto que tem os figurinos que de
la vieram ; alm disso faz-se mais casaquiohas
para montaria, frdelas ou jaqueles, bem como
colletes s militar para os Srs. ajudantes de esta-
do maiov e de cavallaria, quer seja sngelos ou
bordados a espequilha de onro ou prsts, tudo ao
goato da Europa, tambem prepara-se becas para
desembarcadores e de qualquer juiz segundo o
estylode Coimbra sndese fazem as melhorea
conhecidas al hojo, assim como tem muito ricos
desenhos a matiz de todas aa cores proprios psra
fardamento de pagens 00 criadas de libr que se
far pelo gosto franceza. Na roeama casa en-
carrega-ae de fazer para meninos jaqueles a
franceza bordadas ao mesmo gosto Affiancando
!|ue por tndo se fie responsavel como seja boas
azendas, ben feto e bom corte, nao se falta no
dia que se prometter, segundo o systema d'onde
veio o mestre, pois esptra a honrosa visita dos
dignos senhores visto qae nada perdem em es-
perimentar^
Na loja d'aguia de otro, ra do Csbug n. 1 B,
reeebeu um completo sortimento de gollinhas de'
nhos de sede eomraata, finos, pasone- jssange. Modo deludas sscorea
senhoras botare no peaeece, om 809TS. N3 1013 UO VaDOr. Mlrl Nft-
os da sol de seda para neoioaa de esco- f aFl ? ua ilu
van.7,acha-se barato
ingles.
da matrix
Lepra.
Males das pernas.
doa paitos.
de olbos.
Mordeduras de reptis.
Picadora de mosquitos,
Pnlmoes.
Queimadelas,
Sarna.
Supuraces puiridss.
Tinba, en qualquer
parle que seja.
Tremor de ervos.
Ulceras na bocea.
do figado.
das snieolaces.
Veias torcidas ou na-
das as pernas.
BARATO
sem igual, s na ra do
Queimado n. 40.
Luvas de aeda decores para homens, senboras
e meninas, o par 400 se.
tenc-iohos de seda com franja, finos, para me-
ninas e r~"
Chape .
la, uta 19600.
Grvalas e seda de pona larga, oulr'ora do
valor de i a 6. pelo diminuto preco da 1f ama
Diveraas fazendas de lia e seda pira vestidos
do senhora, que oulr'ora ae vestan por 1|280
pelo diminuto a>reco da 040 ocovado.
j Sedas de coreo auperiorea con peqoeno toqne
do mofe a 800 r* o corado.
Superiores e afamadas peonas de ace denomi-
nadas lenca, groa 100 re.
Psca d. c.Bbraia lis fina o larga, peca 39,
grande sortimento de calcado francs o
reopa feita e perfumarhe muito finas.
Vendem-se dous relogios de parede com caixa
muito proprios para salaria 00 Ootro qualquer
eatabelecimenVo, leodo despertador e corda para
08 diss, aOanca se o bom regulamento e ftom-
modo preco : os roa do Aragao d, 8.
Vende-se este ungento no estabel -cimento
geral de Londres n. 244, Strand, snaleja
de todos os botiesrios droguista a outras pes-
soas enrsrrtgadas de sus venda em toda a
America do sul, Hsvana e Hespanba.
Vende-se a 800 rs esda bocetinba conten
urna insiruo$ao em portugus para explicar
modo de faier uso dsste ungento.
O deposito geral em casa do Sr. Sorna,
pharmaceutico, na ra de Crui n. 22, sa
Pernambuco.
S arara que esl
liquidando.
Vende se grnsdenaple preto a I96OO e 19600a
covado, dito dito muito eocorpado de cores para
ves'irtos a 1S800, damasco de laa muid lta-o a
1JJ40O o covado, riscado eacoces para .eaiido a
280 o covado, musaulina de cores a 830o covado
chitas para vestMo a 160 e 18*, ditas franre2*
largas a 220. 240. 260 e 580 o eoOM. r.SM da
sali'icua a 2O0 rs. o coveao, ditas do cores a 340
o covado, saias balso de panno sen sreos a 941IO
n rolado, ditas de madapolio s 89, duas de 20 a
40 arcos a 3$ e 3500, e pulraa> mallas fazrndas
que sedr amostras psra se ver, ludo por pre-
go baralissimo ; na rna da Imperatriz. loja da
arara de 4 portas n. 56, de slagtlbaes Mer.de.
Ultima moda
a italiana,
vindo ijo ultime vapor fraucez
40 Roa do Qaeinaat 40
Liados cortes de vestido do seda do coreo A ita-
liana.
icos manguitos com gollinhas de* cambraia
branca bordadoa i bIao.
Um grande aurtimenio de chales de merino da
todas aa qualidades. t
Ricos veos de fil do seda braaea bordados.
grande, para casamentos.
Tarlalana da corea bordada, 8 palmos de larga-
ra, covado 19.
Manteiga ingleza
flor a 800 rs. o 720, aaeile de carrapato a 400 r.
a garrala, chi parola a 39, bjaeon a 29500, caf
torrado a 240, dito a 200 ra arros a 100 rs. a Ii-
bra.Touriuho a 320, espermaceti a 710, aabia
massa a 200 re. e 160. Utas con 5 libra de bo-
lacMuha de soda a melhor do morcado a 297aa\
vmb de Lisboa a 480 e 400 rs., dito braaea a
&60 : no armeiem da estrella, largo 4o Paraiie
uumero 14.
..La?*, de Pellica
de Joovin. vead>m-se por connodo preco ; aa
tas di Crui no JUcilo, arnaien 1. U.


^* ^w^ss^ssw* v W^rTJ WB^Jm^l^Tir
9rm,
Largo AaPenha
Francisco Fernandes Duarte, proprietario deste
num
Vendem-se carroa americanos mut^dflj PPts
lares para daai e 4 p>soas e recebem-ae en-
commendas para cejo fin ellea possuem map-
pas com rarios deseo bes, tambem tandeo car-
rocas para condcelo de asancarelc.
razem da malbadea, partecipa aosseua reguezes, assim coma aos senbores da praca, da
e lavradoresque d'ora em vante qaizerem-se aregeezar aeste estabelecimeoto, que se ach
ca uro completo sortieaeato da gneros os mais noves que ha no mercado a por serem a nio
parte deUssviados decooHa propria, est portanto resolvido a veode-los por manos 10 por canto
da que em outra qualquer parte, aascando a boa qualidade a acondiciouamento, assim como ser-
vir es poetado rea. meaos pracas tao bera, como ae os atanores vieasem pea soalmente, para o qoe
nao ae poupari o proprietario em prestar teda alinelo, aflea da continuaren a imandar comprar
seae eocammeodas,serlos de que, toda e qualquer encommenda comprada neata estabelecimento
asea panhar ama conla impreasacom o metmo titulo de armazem Progresso.
NlanAeiga \ag\eza perfeitameiite llor, 1|000 rr. a unta, veesie-
9 por este prejo nicamente pela grande porga o que tem a sefor em barril.se fara abatimento
W ll\tlga tralllCCXm -iU gBJWCor qu9 hl n0 mercase a 6*0 te, llera a am
barril a 600 ra. \Jf|* \J
W pfeT\a fcyaSOll e ptetO 0$^6latrw 4U0 ha a mateado a 2W00.m**
a 1#600, aflanca-se a boa qualidade.
l&aijaS" a TOiaO ^,.,40, aMt, aitimo Ta*or a $#60s)/ os do vapor passado a
1I00. W
\ lg8 d eonmOire osmaisoovos que ha no mercado em seirinhas paqaenai
a 80 rs ditas da 8 liaras por 29500, e em libra a 320 ra. ^ W ,
*femulo 4e ti \mV>re BglM,700 .ubr..
Y'f ezaat* Ae Vamego, m ci., lihn inleiro, 440 M.
3 oVUHaij maij nova qUe nt jy, marcado a 160 rs. a libra, e em arroba a 4$500.
i per msete a 7o() ri, Ul>f am caiM a 740 rs.
ItUtaS COM BYaxllltl* de SOda d3 deferente qualidades a 18400
lalas com peixe em posta de mnita8 ,UI,WidM. m
\.Ze\tOnaS matO llOVaS 1S000 ca. o barril, a retalho a 3*0 rs. a garrafa.
Hoce 4e \lpereue enutlM d, 2llbra8 por woo.
*tintaS par, jMjaim a 800 rs. alibta.
Baaaa de porco refinada. 480 r8. a l)ra, w barr. 440.
9&%$t dO lmate a maaaovado mercado a 900 rs.ieem latas de2libra por 19700
PaVO S lie lOmbO t primeira Tes que vieram a este mercado a 640n. a libra,
non f leas e paios ouit0 norosa m ., 1bra.
Palitos de dente Uxados
Chocolate ttancet. moo
Marmelada imperial d0
al#000rs. a libra.
W nnOS m pipa de 50o. 56O e 640. a garrafa, em caadas a 38500*8000 49300.
SeYVeja aas tnris acreditadas marca
'CstTQlHnaa parasopa atnais ora que ha no
W innO lO VOrtO engarralo. Porto uno, Porto, Feitoria e duque do Porto a 1OO.
Carcerelios.nascatel e Borioaux a tj a garrafa, e em caixa de umaduziase far abatimento
n.ip\9n 0 mas aovo e [{mpo q9 bs no merca(j0 a
^rvkvnas Cranelas
diUs iatoiras aOiOrs.
Salame 0 malhor pelisco nue pode harerpor estar prompto a toda ahora a 1 a libra.
Milo de amendoa a 800 rs.. nbr,t dUa com caa. m
LlOZeS multo no ras 180 rs. a libra.
Gastanhas
Caf
JLoja das 6 por-I
tas em frente do ti- -W
tas em frente do ii-
vramento.
Roupa feit* muito
Paletola de panno fino aabtecaaacos, ^
ditos de eassmifa de cor detueUo, ditas m
de brim Ae coras a branca*. dUos de 2
ganga, calcas da casemira swelaa aVa V
corea, de firlm branco e de coras, degan-
ga, camisas com peito de liaho muito am
fc finas, ditas de algodao, chapeos de aol T
9 de alpaca a 4 cada um. O
libras flaterlnag.
Vende-ayrsao eacriatoHode ManaW ignado de
OUsaira a Pista, lai>.d>t:orfSta4o.,
:
E o que pode haver de melhor
gosto em galantarias para
ornamentos de salas,
como seja, ricos jarros de porcelana e de rldros
de rsrtos lmannos e gostes, ricas pianteiguei
ras, jarror-de dre para cravos e ostras flores
delicadas, frascos moito lindos, trato em corea
como em gesto, oatres* multas gsltnttrias qoe
sa torna enfadonho mencionar, afianeando-se,
porm, qoe o que ha de melhor gosto para
qoem quirer ter as mesas bem ornadas; na
loja da Victoria, na raa do Quelmadon. 75, Jun-
to a loja da otra.
a* tftea-M par ras
vico interno o externo de
bo de 7 para 8 aonos de
Tolla con rend
na ra da Fundicao. ei
to porto daa canoas, I
la Costa, ae indicar na&eVaa r a as
le acba a aenhora que Sai ala inte o
Na mesma caa se turna a premio a quan-
1:000} a 1:5008 garantidos em bens de^attl
alkmndna IrmloiQ., tem ex-
poito um completa) oatttnenee)
me amostras de objectos de bor-
racha, proprio para machinas d
engenhos, 4 sendo correai
transmittir raoTimejato, c
de borracha de quakjue
primento e groisura, pannos de
Borracha, rodetas de dita, so-
bre dkos rticos tomam-se en-
commendas.
m mwmm mmmm
A 280 rs. o covado
de eassss fahacezas de muito bonitos padrea com
4 palmos de largura, pechincha. na ra do
Q*mado n. 22, na loja da boa .
Lencos de cam-
l)raia ciii padrees de se-
da a 2#500 a peca.
Ns loja d'agssM branca lamben se vende mai
boniteae finos lencos de eameraia imitando seda,
laso pelo baraUssimo preco de 4500 a peca da
W lencos. E -asa urna das pechinches que cusa
apparecer, e quaod assim approTeHar-ae da
occasiao, porque elles seirem laoto para algibei-
ra como para meninos, e quem os rir na loja
"* "nca, na roa do Queimado n. t. teri
lToatae*4a comprar mais da urna pee*, tal a
bondade delles. r i "
Arados americano le machina-
par alara rroupa.-emcasa de S.P.Joi
hstoa 4 C. ra daSenzala n.4l.
AftvnynV
pa|
graphia'que
^sWa vender.
aixoes Tastos
funileirosetc.a
dirija-se a esta tipo-
i se dir' quem oatcm
"*
^t

t3 -^- R laftt i AS
X*&m sofmanU.
Fazendas baratas.
a da Inptratriz n. 48, jidU aS
ctn.
anea cea hahadi- J
/&, cambala M- J_
xa com 8 1)2 rara 38, 31500, a 49, Hitas de
8W Escossis 59, e 69, ricos enfeites para se-
niora 61e6iftU0, sietes os mais delicados
para seibeeal|OKhapelio. para cri-
V ari(a goil f le 3$00,49, para bapllsado
S> 39, corlea de vestido de seda Eacosseza de
boakosgosta 12 cateo ae.eoaeaido, ri-
eos lencos delabynetho 19.18800. chapeo
de sol psra sanhora de bonitas cares, lisos
59, cabo de marfim.59500, corles de cam-
biis braacos com Odr da aeda 59. risoa-
do francs M0 ris o corado, completos
sortimentos de baldes de arcos 39, sortt-
mentoa de meias para menino e menlaa
00 240 ris o par. chales de tarlstana
m
i
i
de corea a 640 ris, lencos branco com bar
ras 160 ris chitas inglezas a 180 e 200 rs.
dita fraoceia a 210 e 280 rs. o corado
pecas de eambraia da forro com 9 raras
a 29 : juoto a padaria francesa n. 48.

:
8
8
Sampreonstdeeaaedaaaoe
aSW asas cyetlherUaaees
.ie dasta grande
erecer ao publico, por pretos
iaariores aoa da eiatao, i
da calcado francs, taejlast
Oos^Dm.
Boriegulns Vctor Emmannal.
ooro*e pairee.....
lord PalmereSee (kaerre .
dirersos ftbricanteslastraj
JohnRoasell. .;*...
Sapaioes Nantaa (Dataria ielaira). ,
patente.........
Sapatos ti anea porlugaeres). : ;
a a (fraecexea). ....
t entrada bsiaa (salo a rtraj. .
aaito chique (ama sola). .
Senhoras.
Borzeguins primor JJoly]......
brUbrauna.....
com 20 macinhos por200 rs.
rs. a libra, dilto portugnez a 800 ra.
o de outros amitos fabricantes de Lisboa
, em caadas a 350C
a 59 a duzis, e em garrafa a 500 rs.
mercado a 640 rs. a libra.
que do I
izia se fa
160 rs. a libra e em arroba a 59.
as molhorej que se podem desejar em meias latas a 500 rs.,
piladas a 240 rs. a libra.-
I
muito saperiora 240rs a libra, e a 79 a arroba:
Vri 411. Jo hiranhao 3$ em arroba, e em libra a 100 rs.
Fama amerita si o
Sevailuaa
aga 5,uit0 n0T0 a 320 rs< a liDrt
X OH-iaaO de Li$b0a a 360 rs. a libras a 10 a arroba.
FariaYia ^o Ha rancia o n
l0aeu\l% Ug\Wil00r... libra.
Pasaas cm eaixii\\iade8Ubrasal500cadaMni9<
laependente dos ^eneros mencionados encontrar o respeitavel poblico todo quanto pro-
curar tendente i molhados.
a 15 a libro, sefor em porgo $0 l-.v, abatimento.
aisnora a 160 rs. a libra.
Fazendas baratissimas
N. 20Ra da Imperatriz-N. 20
Duarte Borgs da Silta faz sciente aos seos antigose numerosos fregueses e ao publico que
na sua loja ra da Impentriz n. 20. acharo sempre o mais completo sortimento de fazendas de
le pelo menor preco possivel, pois est resolrido anaodeiiarde sernr ao fregus que troaxer di-
oheiro. tem coosUntemente cobertas de lia a 19200, madapolo fino com 24 jardaa a 49800 a De-
5a.* clt< francesas a 240 e 280 rs. o coado, ditas ostreitas nadres bonitos e cores isas a
loJ o 2)0 res, leaos de cassa e de chita oara meninos a 80, 120 e 160 ris, cassas
francezas gostos oteiramente noros a 200 e 00 rs. o covado, organdys fazeoda ptima pa-
ra vestidos na actualidade a 200 rs. o corado, casemiras inglezas fazenda especial para foato de
carros a t*600 rs. o covado que outr'ora se venda a2Jj. eorlea de brim de lioho a tf, olea-
dos com pinturas rlaqissimas e larguras de 6 a 9 palmos ao diminato preco de i o covade chales
de mirmo-lisos e estampados a 21 e 49. cortes de cassa a 1&800 e tj.cortes de casemira preta e
ae cores a 49 e 5g, rucadioho de linho de algolio, ganga amarilla e de cores a 160. 200. 240 e
3-.rs o covado, sortimento de fazeodas de algudao para rouaa de escraros, dito de pannos de
liona1. bramante de linho com 10 palmos de largura, pannos finos de diversas coree, cambraiaa li-
sas diias com sa picos, ditas listeadas, bretanhas de linho e dealgodo, ludo barato para apurar
dinheiro na pradita loja cima. '
Exposicao
e DE
Candieiros a gaz,
O proqrletario da nova exposicao des candiel-
ros a gaz avisa ao publico em geral, que se acba
sempre sortidocom grande e rariavel sortimento
de candieiros desde o mais barato al o mais caro,
assim comoum grande deposito de gaz idrogenio
verdaderamente econmico, raconhecido verda-
deiraiieate por todos os consumidores : na ra
Nova as. 20 e 24, Carneiro Vanos.
Nesta mesma exposigo se encontrar um va-
riavel sorimentode rlqaissimos qusdVos de todas
as quilidadee qoe per rosVj se pode apreciar os
aeus desechos, nm riqusaimo sortimento de
quinqoilharias, eohteodo entre ellas riqoissimos
lavatorios para quartos (gosto chinez). um raria-
vel sort meato de baiaios com lodos os prepstos
para viagem, cootendo pratos, facis, cepos e *a-
tros frascos para coalicionar, farros de eogom-
mar a vapor, machinas de bater oves a vapor,
machinas de fazer caf a vapor, espingardas de
dous canos tronxadas e de alcance, mappas del
mundo, e outros morios objectos que se vaodem
por procos diminutos para acabar: rea Nova
numero 20.
rVttenco.
Na ruadoTrapichn.46,emcaaa de Re r n
Reoker &G. sxisle mmbom sortimento dett-
nbaa.decrese brancassmsarrateis Ao melhor
aiticaaietelngUterraasqises ssrandsm por
eracos mulraxoareia ,
Potassa da Russia.
Vende-aa npiassAda M+it> d meia. ora e
superior qWai o* aereJo 7t preco alto
commoeo: no asopioriode HtaeSI Inaoioi \
liTeir^A FBho, eassjade Eotf a^iaT
Chegouaapreciavel agua bal-
smica para a bocea e
deates
A loja d'aguia branca acaba de receber urna no-
va remessa da mui praveitosa e procurada agua
balsmica para a bocea e denles. 0 bom resul-
tado de tai agua j nao soffre duvida como sa-
bido pelas immensas pessoasque a compraran)
e que sentan a falla dalla, e as que de aovo
compraren: acharo que o uao della faz conser-
var os denteasos, livrando-os da carie, fortale-
cer as geogivas e tirar o mo balito da bocea,
dando mesma agradavel aroma, podendo-se
mesmo usar della nao s pela manha como a
qualquer hors, e com acert depois do fumar pa-
ra tirar o eheiro do fumo, ou quando ae tenha de
sabir para ter-se a bocea aromtica : para isao
porm, bastam algumas gotas della em agua pul
ra. O proveilo d'agua balsmica aioda chega a
mais, ella serve com acert e promptido para
acabara dor de deates, eosopando-se nella um
bocado de algodio e deitaodo-o no buraco do
lente, este adormece e em pouco deaappareee a
Jor. Para se obler em frasco de to preveilosa e
apreciavel agua balsamice, dirigir-se com 19
loja d'aguia branca, ra do-Oeeimado n. 16, ni-
ca parte onde ella se vende. A.dverle-se ave os
frascos vo marcados com o rotule da dita loja.
V
Ruada SenzalaNoyan.42
Vsnds-ss sm casadaS.P.JonhstodCi
allinse lilhasnglazas.candaairosa casticaas
bronzaados,lonas agieses, fio davala,chicote
psra carros, amoniaria.trraiospsrs carro ds
un a loas tralos rslogiosde ouro ostenta
oglai.
Relogios.
Vanda-sa am casa de Jobnstoc Pater & C,
rus do Vigsrio o. 3 am bello sortimento d
relogiosdeouro,patente inglez, deum dos mais
sfamsdos fabricantes de Liverpool; tambem
urna variadade de bonitos tranceln*para os
mssssos.
Aloja dabandeira
Nova loja de funileiro da
ra da Cruz do Recife
numero 37.
Manoel Jos da Fonseca participa a
todos os seus fregueses tanto da praga
cmodo mato, e juntamente ao respeita-
vel publico, quo tomou a deliberaco de
bailar o precede tolas as suas obras, por
cujo motivo tem para vender um grande
sortimento de baha e bacias, tudo de
diferentes tamanhose de diversas cores
am pinturas, e juntamente am grande
sortimento de diversas obras, contendo
banhetros e gamelas corapridas, grandes
e oeqaenas, maebinaa para cate e cane-
cas para conduzr agua grandes e peque-
as, latas grandes pira coDoerrar tari-
nha o .saouree ao uso Ha Europa, ditos
grandes e pequeos so uso do Brasil e
camas de vento, latas de arroba a 1,
bahsgrandes a 49 e pequeos a 600
rs., bacia grandes a 59 e pequeas a
800 rs..coces de asa a 19 a duzia re-
gadores regulares muito barato, diloa
pequeos a 400 rs., de todos estes objec-
tos ha pintados e em branco e tudo mais
ae vende pelo menos preco possivel : na
loja da bandeira da roa da Grus do Re-
cife o. 37. '
KfttttMMMHM 9 9sttaK9K9iS
O riyal sem segando, na
ra do Queimado n. 55
defronte do sobrado no-
vo, est vendendo tudo
bom e baratissimo,poi$
j tem dado provas de
suas boas fazendas, e
por presos que admi-
rara, a saber ;
Caivete para aparar penna a
Ditos com 2 folhas muito finos a
Frascos de macae parola muito fino a
Dito de oleo muito fino a
Tranca de lia com 10 varas, bonitas co-
res a
Franjas de laa cos 10 varas, bonitas co-
res a
Sapatos de tranca de algodao a
Ditos de dita de lia a
Caixas com iscas para charutos a
Cartas de alOnetes sortidos franceses a
Caixas de ditos ditos a 80 ra. e
Escovas para limpar denles muito finas
200 rs. e
Duzia de facas e garfos, cabo preto a
Masaos com grampas muito boas a
Carldes com clcheles a
Ditos com ditos de superior qualidade a
Dedaes de ac para senhoie a
Saboneles muito grandes a
Apitos de chumbo para crianca a
Rialejo para meninos a 40 rs. e
Ecuadores para vestidos, muito gran-
des a 60 rs.e "
Sapalinhos de lia para meninos a
Anda tem orna variedade de miudezas que se-
na enfadonho menciona-las, poies i vista aua
se pode apreciar as qualidades e os precos.
. Tarlatana branca a 2
s P?a com 8 varas : na ra de Qoeiatae b 18
segunda loja vindo do Rosario. *""***" ,0<
Calcado francez para liquidar
Ra da Imperatrir. n. 16.
PAIA HOMEsIS.
.QiZl!,Lde^ezarro d ** fabricantes
ditos de bateiro e 4
ditos decortfavloa
80
3
200
100
200
800
19000
18280
40
100
200
400
395OO
40
20
40
100
900
20
100
89
409
Joaquim Frsnciaeo de Mello Santos avise aes
saus fregueses desls praca e osle fra, que tem
etposto i venda saboa> sua fabrlcatlenominada
Recifeno irmazem doaSra. Travasaos Jnior
4 C..BS roa do AmoTimil.Jif; -rmua amarelli,
castanha, preta a outras qualidades por menor
prsooqae de oalrasfabricas. No mesmo arma-
bem tem f elto o seu deposito de velas de carna-
la simples sern matfnaailgema, como as de
tomposicao.
Lencos braneos.
Tendem-se lencos braneos proprios para alai-
batra, peto baratissimo preco de ^400 a duzia ;
' na ras do Qaeinsdo n.lM/lojs Tbot f.
ditos de brim branco a 49
1 lastra Melis a 69.
-d becerro a 41.
apetoes de rereia e de b*serro a
PARASEHHtltAS
^aaatps^reraiseoa fraafs e sen franja a
}***** anaiadea a ewa'fleees de lareeja a
- PARA MENINOS E BNUtj.
at fU"l0*de **" m' WIUUbi e fRios a' flW rT.
of o par.
Oe-eartorea eevederea d
Barato para acabar.
Ra da Imperatriz n, 40, es-
quina do.becco dos Fer-
reiros.
Sodiohas da quadros eneorpadas, eovado a 640
rs., chitas de cares flxas, covado 160 e 180, ditas
francesas, covado a 280. 240 e 260, saias de cri-
nolina para balso a29400, baldea de 18 a 35 as-
teas dos melhores, por preco commodo, corles de
eambraia bordados a 19600, costes de cassa de
bonitaa corea -com berra a 2J800. riscadinhos
irancezes em eambraia, covado 300 rs., guardaos-
pos adamascadas, duzia 2500, coserlas aveluda-
das com frocos para cama a 99. manguitos para
tenhora a J9500, goliohas bordadas de ponas a
800 rs. '
Vende-se por commodo preco um bom car-
nnho americano com acommodacSes para quatro
pessoas, muito leve e quasi novo, com arreios
para um oe doos cavallos. e multo bons ;a tratar
na ra da Florentina n. 16, offleina de carros do
Sr. Joseph Grosjeaux.
Funileiro e vidraceiro.
Grande e nova oficina.
Tres Mortts.
31RuaDireita31.
Neste rico e bem montado estabelecimeoto en-
contrarao os freguezes o mais perfeito, bem aca-
bado e barato no seu genero.
URNAS de todas as qualidades.
SANTUARIOS que rivalisam com o Jacaranda.
RANHEIRuSde todos os lmannos.
SEMCUP1AS idem dem.
BALDES idem idem.
BACIAS idem dem. '
A DA11U3 idOB. id_.
FOLH A em caixas de todas as grossuras.
PRATOS imitando em perfeicio a boa porcel-
ana.
CHA LE I ras de todas aa qualidades.
PANELLAS idem idem.
COCOS. CANDIEIROS e flandres para qual-
quer sortimento.
VI OROS em caixas e a retal he de todos os ta-
mandando-se manhee. botar dentro da cidade.
em toda a parte.
Receberarse eneommelldas de qualquer nata-
reta, concertos, que tudo ser desempenhado a
contento.
Fil liso e tarlata-
na branca a 800
ris a vara.
Vende-se fil liso muito fino e assim tambem
tarlalaua branca muito fina, tanto urna cousa co-
mo outra sao proprias para vestidos, nao s para
bailes como para assistir-se a casamentos, andem
antes que se acabe na ra do Queimado n 2
na loja daBoa-F.
Meias baratissimas.
A 29400 a duzia de pares de meias brancas fl,
as para hornera :'na ra do Queimado n. 22
na loja da boaj.
Importante
Annuncio
Na loja da diligencia, de Guimaraes If
mao, na ra do Queimado n. 65.
Meias de cores para homeos muito Goas, o par
a 140 rs. r
Cartoes de clcheles franceses com 14 pares a
SO rs.
Peotes de massa dourados muito finos imitando
tartaruga a 640.
Esaartilhospaia aenhora, que sempre se Ten-
dera m a 6}. pori500.
Trancas de lia para vestido, a peca a 40 rs.
Lia para bordar muito fina e lindas cores-, a li-
bra a 79.
Masaos com grampos a 40 rs.
Lichas para bordar, a miada a 40 rs.
Ditas de peso muito finas, miada grande a S40.
Franjas de linho para vestidos, a vara a 150.
Apparelhos de porcelana para meninos, plnla-
doa e dourados a I96OO, 2J. 29500 e 3.
Cartas com alfiaetes a.100 ra.
Papis com alfinsjles cabeca errata a 40 rs.
Enfeites para seniora mullo Unos a 3 4 e 79.
Siolos muito oes part seaftora a 2 e 29500.
Ditas de lata e relas pare padre que aempre
se venderam a 29 a 640 rs.
Enfeites oosn fieras pana) senbora a lfj.
.Assim como outras muitas miudezas fieaae b-
talas, que debatios de mencionar, para use se
tornar tanta massada.
Dvtos.
Laja das 6 por-j
-tas em frente da
Livramento.
Chapeos de sol de alpaca a 4#.
Duzia de meias cruas para houem a
I92OO e o par a 120 rs., ditas brancas
muito finas a 2J500 a duzia, lencos de
csea com barra decoras a 120 rs. cada
um, ditos braneos a 160 rs., baloes de
20 e 30 arcos a 85. laarinha para ves-
tidos a 240 o covado, chales de merino
estampados finos s 59 e 69, tarlatana
branca e de cores muito fina com vara
e meia dte largura a 480 rs. o covado,
fil de linho liso a 640 ra. a vara, pe-
cae de eambraia lias fine a 39, cassas
decores para vestidos a 200 rs. o eo-
vado, mussulina encarnada a 320 rs. o
covado, calcinitas para menina de escola
a 1f o par, gravalinhas de tranca a 160
ra., petos para camisa a '200 rs. cada
um dusia 2|, pecas de eambraia de sal-
pico muito fina a 39500, peca de bre-
lapha de rolo a 29, chitas francezaa a
220 e WO rs. e eovado, a loja esti
aberta das 6 horas da nianhaa as 9 da
noite.
Queima-tudo
Serve para se deitar nos casticaea a segurar a
vela de espermaceti, (azeodo-a qaeimar at o
fim, e preservando os meamos de se quebrarem
com o calor da luz: vende-se a 500 rs. cada
qaeima-tude, na raa do Queimado, loja d'aguia
branca o. 16.
Gees k Bastos
Tem erposto venda vestidos de seda por 309
8K*fl** *'ue eiB 00lra8 8e Tonderam por 120| e
150g, por certo barato, e quem qulzer admirar
a ba qualidade e bom gosto dirijir-se loja da
roa do Quelmdo n. 46 de Ges 4 Bastos.
Liquidadlo
na loja da arara.
Vendem-se cortes de"ealcs de riscados de co-
rea e brim a 19. 19280 e I96OO. ditos de meia
casemira a lj>800 e 29. cortes de casemira prela
para caiga a 39500, dita eofeetada fina a 4J, ditas
de cores finas com listras do lado ou sem listra
a 49500, cortea de vestidos de tarlatana braneos
com baados de cores a 2|600, cortes de eambraia
para vestidos com avental ou quilha doalados.de
cores, s SJ800 e 39, cortes de ditas finas com 13
covadoa a 2)500, ditos de aseados chinezes a
9500 : na ra da Imperatrir, loja da arara de 4
portas n. 56. de Magalhiere alendes.
Vendem-se libras sterlinas ; no escriptorio
de Amorimlrmos. ra da Cruz n. 3.
> baixa.....
31,31.35.34. .
decores 32,33.54. .
Sapatos com salto JJoly]. .
franceze freeoeinhos. .
31,32. 33 e 34 lustre. .
E um rico sortimento de coaro de lastre b
zorro francez, marroques, sola, vaqeelae ceZ
dnhoa, fio, taiaa etc., or menos do ene'au
quer ontro pode vender. e-
Relogios baratos.
Na ra No va 0. 21, ha grande porcia a r*u
ros foliados, dourados e de eere, aaieptsT- -T;~
zontaes suissoi aiaglasas. aa eeesse^eSl
dido pelos precos da fsct.ra. Cada relale IevV
ra nm recibo em qa ae responsabiltaa mu ..
gulameaa>^eMsieseiaeaes M'* *
8- ef *gr
Fazendas modernas.
Gurgel & Perdigo.
Vendem barato.
Superiores capas compridas modernas,
manlelelea, taimas de croxe, ditas de
fil.______
Vestidos de seda,
do e de phantasfa.
s
de eambraia borda-
Chapeos ricos de palha. luvas de pel-
lica a 29500.
Sedas de quadriohos furia,cor, gros-
denapies e moriantique.
Cambraias flngindoTeda, chitas finas
moderoas, laazinha de cor e meias els-
ticas.
Micos siolos, gullinhss e punhoi, es-
partilhos, peotes de tartaruga, leques
superiores e saia balio.
Fil, eambraia branca, tarlatana, fitas
para sinto, camisas para seahora e me-
ninos.
N^l^adastr#3$ estiella* ra
larga do Rosario n 8$.
Trota-ae
de sidos
n.
mo*iaoote por. dieheire estampas
m Tumo e colocidas a 120, 140 e,460
S ditas de N. S. ds Penhs, Crncffkado, Cfa,-
odelesorede liarla floo colorido 200 e
?*as2to7eJB2f*",**d0' "oe inUaa gr
n[^cluario% em riteta a
'a astee aromevende eesae eoerauca hi'ciai-
mente sem exeepcio.de oeveor, pera que de-
soa < tesbam reaie da oeelia. H ,
..*^J-?deHB_Ba PB'^ fo nosjiBo asee
rfrertJp3!"n?e^T^SSr? m,**
A 4
v rase
en as com
j., rosa-
'rto* Unos de cornalina, atues >
nulrts ortlrd^eX e prsos. quadios dourados
mu ritos a 8, 9 e 10|, bem como outras muitas
reliquias recommendareis o chxislio.
Sustenta se a fama aotiga
De vender com coosqiencia :
Venham ver, e nao se diga
Qn'isto falsa advertencia.
JLoja das trea estrallas ra
'ftp*av do Rosario numero 33.
Quadros riquissimos com moldura dourada de
Santa Thereza, CooceiQio, Crucificado, Coracio
de Jess, S. Jalo Baptista, S. Joaquim, S. Jos
e Sanio Antonia a 8, 9 e lOf. cabecees de retroz
com borlas de seda para vestido a 19600, fitas
de velludo escocezas para cinto a 640.800 e 19 a
vara, pautes de tartaruga para atar cabello a ims
perattia-epurasogoaloa 7,S,, Mj, fconito-
botoes de vldro para casaveque a 200 rs. de li-
nha a 320 e de relindo 500 rs., divisa, galio
braoco de liaho para enelte de vestido a 80,100
e 5 '"' Ptinhos de li para menino a 400
eoOOrs., ditos de merino mamados a 19490 e
Ur*W. toncas de eambraia enfeitadas para crian-
cas a 400 e 500 rs., ditas- mala ricas com forro
de aeda a 800 e 19. ligas de seda elsticas de la-
dos os tamanhos a 200 e 320 rs., bonels de eslas
para meninos a s|500. ditos de pellica muito rl-
eoe e<4* ums eftraaeew ded eara serrbora a
160ssWrs,,ditas* pellica a 260 e 500 rs.,#
tes da eea amarellar e fcraeeas a 500, 600 e 890
te., teqots Baos eerc eapetho e tem elle a l90tB
a 29, meia para seshera* a-9M, 3i SO e 500
rs. o par, ditas de aeda eneris a 1W e 2fa
Outras cousas mais tudo barato.
f^i^horesila
A'hirre^dblJ
Na bem coastMileia dMoMboro. de Jo-
s Gunc>l.aaa>eWa aa4af^am-do Cabugi n.
11 C, recebeu-se ultimamdhle da Europa as me-
prll pera caria* de bachareU, asquaee a*Uee^
coS
m
P" m

s


deudo mala barato do que m
parte: a-ellas, antes qoe Se ac
Si g-
Ntmdades de pavae.
A loja de Gama <
Silva, na roa da Impera-
triz n. 60, acaba de ebe-
gar um novo e variado
sortimento de fazendas,
que vendem por presos
que faz admirar, como
sejam:
Um bonito sortimento de eassaa saisese aiasi-
tacio de sedas de qaadrtaboa. -\......radssa ai
lo diminuto preco de 240 rs. e covade.
Brilliaana a %40 ts.
Vende-se brilbantina com quadrestea e caV
para vestidos e roupas de menino* a 34S) rs
covado : na roa da Imperatriz n. 60. leja "do
pavao. ^^
Organdys a^Or.
Vende-se cassa de organdys de padraa saeita
bonitos a 280 rs. o covado: ns rea da Iaperalriz
o. 60, loja do Pareo.
Chitas a240rs.
Vendem-se chitas francesas Baile lsfcis
fazenda que sempre se venden per ama aetaca!
e est se acabando a doze vinlens : aa raa Sis
Imperatriz n. 60. loja do pavao.
Gurguro a 400 rs.
Vende-se gorgarao atrodlnhe preerte peta vee-
ti dos e capas para senhoras e para leapee de ase-
dios, pelo diminuto preco de 409 rs. e fliede
na rea da Imperatriz o. 60. loja de pavie.
Laas a 400 rs
Vendem-se ssSazinhas enfeatadas pera midas.
fazenda de muito bom goato, pele diaaiaale ata-
co de cruzado o covado : na ras da Isaseratrz
n. 60, loja do pavao.
Com barras e baba dos.
Vende-se noissimes cortas da issasaaias pese
vestidos.com barrase de babadas,pele Tirrtlsai
mo preco de 29500, 2$ e 3|500 : as ras da lss-
peratris a. 60. loja do pavao.
Cassas a 200 rs.
Vendem-se cassas con sal pieos grandes a 960
rs. o covado : na raa dalaperalriz n. 6f leda do
pavio. ^^
Cassas de cores a 240 rs
Vende-se eassaa de coree (aseada a arte
lo a 240 rs. o covado : na lea da raa dJa
ralris n. 60, loja de pavao. ,
Sedas a eovado.
Vende-te groadeDaplea preto asaste
a 19500,19609 e 19860, dito asa! re,
cor de cana a *#000 o eovado, sedaa b
vradas para vestidos de noiva e9f94t e1
covado, dita prela tarrada a 19460, efe
preto a 9f000 o covado : aa ras da Issperstrtz
n. 60, loja do pavie.
Enfeites a *f.
Vendem-se enfeites de ssaMe basa geete pasa
senboraa a 3s000 : aa raa da laa pera Iris a. 6*.
loja do pavio. ,,
EDfeiles a 640 rs.
Tendem-se enfeites de bato araariti pera sse-
ninis e tunbempar. tea^'Wie.: mn.
Imperatriz n. 60, loja do pavio.
Chapeos para ssahors.
Vendem-ae chapees aere aw
bem enfeitados e os atis i
to
vindo, pelo
Imperatriz n.
MI
enuo
VeniJem-se velludos prete, rtr .
Tetrete.e verde-escuro, prOpriee peta
leahora e ronpss pera mi ~
prece de 999860 eovado.
prese venden a> aa rea
loja do pavio. ** H
De. todas
sassiet.sssar.1
esaaetsa aaslni
60ssjsdke6asM
eetsa qoelquar H --------------------
-- acaoem, que so a 1 locado urna taboleu oeas aas TAVAO
loja de lelo de .uro ue* um, U. ooltoiatarll ZSS-JtXt,


I

1U
n
Ogll
?d*djs>fL_.____
ttwpsra 4 pesases, i
paimto^hefr*
^I0i) UB A
DO
Vende-se em paeote da meia resma a -29 cada
pac** : ni roa d* Qneimado, loja d'aguia brao-
ca n. 16, assim como caixinhas com papel de co-
reas J cede am.
TT
Um neo carro.
Vende -se otn rtro eeteganie cetro moi hella-
msate preparado : no eacriptorio de Maneel Ig-
nscte de Orrverra & FUiw,' larga de Corpo Santo.
* Na nadara da rus larga do Rosario teas ex-
cedentes boltchiabae de-diB>rtoe9 tamanhoae
quaiidadaa para 32O0, SftttO e 4 por arroba, e
110, 180 e 140 ra. pm libra; boUabinbM docea
malte beaa feitae a 4 por arroba e 150 rs. 0or li- )
bra ; po 110 ra. a libra, seade de 4 para cima
i Superiores tiras 1
bordadas.
-.'abatid jj- fL >'iaq J lid ',Tf ib I ; I '-r.lf 3 iti
Na* k>ja o imm fe na ra do
Qoermadc- b. t ehcoarraT* um bonilo aortl-
meato de auperiorea tiras ricamente bordadas
que se Ttodem pelo barato preco de 3*000 4000
e o*0 ris a pecl, edvertindo-*e que ha maii
de ama peca de cadapadrio, quem mais depreaaa
andar melbor servido aera, na ra do Qneimado
o. naloja'da Bbf-P.
- Souball Mellors A C, (ando recebado or-
dem para Tendero mu crestado deposito derslo-
gioa Tito e fabricante ter-se retirado do nego-
cio ; convida, portante, Is pessoas que quiteram
,peeauir o ai bota relogie de uro ou prata o c-
lebre fabricante Hornby, a aproveitar-ee da op-
portooldadt sem parda da tempe, para v* eom-
prs-los por commode prece no dea eieriptwio
roa do Trapkke n.U.
i
10 melhor ealfS T-j
glez para homens, que tem rindo
debor
a es-
mercado, veode-ie na laja 'amarella da
roa do Queimado n. 31 de A. Moura Ro-'
lira, pelo commodo pre;e de 12 o par
lina d,e diferentes feitios.
' i JKTJtlMtt 2flB2aWM& i
lesdemennoa
5 bardados de seda em 2 ponas da 14(4:
loja amarella da ra do Queimado n 31.
Gh*l
Kicos tapetes
^ isteiricos de Hndbs desenbo para forrar
qoartos grandes esalas pequeas a 15:
na loja amsrella da ra do Qneimado nu-
mero 31.
_
MU*M
Vendera-se por preco commodo mals para
Tiagem : no armazem de Jos Antonio Moreira
Dias & C.rua da Cruz n. 26.
. ** ?endors"gai americana de primeira qua-
lidade, em latas de 15 garrafas, na raras de 15$,
assim como Hita*-pequeas de '5'garrafas ; no
cae*-do Ramos na. 18 o 36, e ni ra do Trapiche
numero 8.

Vende-se chambo do- municio, a dioheiro a
2t#.-oqaintal. o arroba a 5*500: do eacriptorio
de Antonia Gerario Moreira Dias, no Forte do
MtUes, ruadtMoedan. 27.
Vende-se a muito acreditada loja de miudezas
sita na roa da Impera trie o. 82, sendo- esta em
urna daa melhores localidades, muito propria pa-
ra qualqaer principiante, per render-se com o
sortimeato, o* forma que o novo comprador nada
preciaar comprar ; veode-se a prazo conforme
se convencios.- : a tratar na mesma raa n. 46,
loje
Feijo de-cogda.-
No armazem de laaao Irmos, ra do Amano
numera 35.
* MttttHlt
O melhor gosto. tt
W ehapBos de palha muito fina enfeita- %
m lados s Ira vial* a 135 **$. chales de SJ
touquim a 12.15. 20. 25.30. 35. 40, 45 T*
$g 50$. eofeites de retroz e outras muitas
#fatandas do mettaor gosto possivel e por m
^ baralissimos pregos : na raido Queima-
mado loja da 4 porta de Perro & Maia.
Urna bar caca.
Vende-se ama bsrcaga do porte de 35 csizas,
fabrica do lateiro.
e re
de assucar.
Be^oaito o roa de Apilo o. 6, e traca
da Boa-Vista n. 26.
Este importante esUbekeciesento contina a
fornecer os aeus innmeros tregeles do alvo e
puro asiucsrcrysUlisado. em p e em pes, I.*
e 2.a qualidades, palo prego de 160 e 200 n. a
libia, o do refinada a 100,120 e 140 a libra, sen-
do que em grosso o comprador tari um descont
favoravel. Nos mesmoa depsitos tambera se
vaada mel de asaucar a 600 ra. a caada a car-
vio aoiaaal em po a prego commodo.
luvasdeJouvin
chegaram no vapor francez para a loja d'aguia
branca, ra do Queimado o. 16.
2 Lady MacdoDald.
A loja de mvrmore
ToridB para liquidado, por melado de
Seu valor, ricos bounus da velado de
edres, gostoLady Macdonald. ^
s
rlr -
Novo destino do
torrador!!!!
. 28Largo do TerQO23.
Vende-se manteiga ingleza especialmente eece-
lhida a 80 e aota fraoceza a 640 e a 600 ra.,
assim como se torram oulros muitos gneros, co-
mo spj*. cafarroz, aieite doce, velas da esper-
macete e carnauba, etc., etc./e se acaso algoem
duvidac vaoba ver :' a dinheiro vista.
Bonitas camelias
com vsperas..para ehtretei-
ment.
Acaba de chegar para a loja d'aguia branca bo-
nitas caixiohaa da madaira invernisadas com vis-
poraa, tend 36 cartas, a as pedraa nameradaa por
arabos os lados, o melhor que possivel em tal
genero, a cusa cada urna caixiaha- 3*. a outras
coberUide marroquim, e a cbineza, a outras qua-
lidadesa2j,.lj[500 e 1 j ; o tempo proprio, e
por isso difijtn-se con dinheiro ra do Quei-
mado, loja d'aguia branca b. 16, que sero bem
aervidoa.
Por atacado ou a retalho
So deixar de comprar
Quem nao se der ao trabalho
De Yir ver e examinar.
A' loja das tres estrellas;
ra Larga do Rosario
i. 33.
Espelhos de. columna de diversos lmannos i
1J800, 29000, 2881)0, 4}000 e 5g000 cada um, al-
ntaavabmeiMt othfl *0
-taailA t4..l
Minounl
t T-
b n*. o']
36, ra das Cruzes de Santo Antonio, 36
A, F. Duarte Almeido, socio qu foi do armazem progresso, faz sciente aos seus fre-
guezes que tendo separado a sociedade q,ue tinha com seu mano, acha-se de novo estahele-
cido com dous aoeiados armazens de molhados, associado com o Sr. Joaquim Jos Gomes
de Suza, e oSr. Paulo Ferreira da.Si|va; o primeiro na razao.de Duarte A Souza, e o segundo
na de Duarte lmeida & Silva: eetes estabelecimentos oterecem grandes vaotagens ao pu-
blico, nao s na limpeza e asseio com que Se acham montados, como em commodidade de
preoo^ pois que para isso resolver os proprietarios mandarem vir parte de seus gneros
em direitura, afim de terem sempre completo sortimento, como tambem poderem offerecer
ao publico urna vantagem de menos 10 por cento do preco que possam comprar em outra qualquer parte, por isso desejando o proprietarios acredi-
tarem seus esiabelecimentos tem deliberadogarantirem toda qualquer qualidade de gneros vendidos em seus armazens, e assim ji poder ver e
publico que poda mandar auas eocommendas, mesmo por pessoas poueo praticas, em qualquer um dosJasestablaeimentos, que serao tao bem servi-
dos como se yiessem pessoal mente, na certeza de nanea acharera o contri rio de nossos annuncios, e assim fundados as vanlsgens que oflerecemos,
Ricos c$r\t0 <& ttdioa de
mmAm
a faienda maia fina, mala nova a aaaia a*adts
qa ba no mercado, eada edrte tea 9t a *1 co-
2*1000 o cort; n abahavaa de lean gmSmm
tiverea de saaialir a bailes a a caesaatata* ae
qaJierem levar um vestida da allisaa saai
maadarem ver na mencionada lata da Baa-Pe.
na ra da Queimado b. tt.
Se houve por bem resolver
Na loja das tres estrellas
Tudo queimar derreter
Em moeda encanto dellas. i
Ra larga do Ro ario n. 33.
Para liquidar: bices da 40 a SO ra., dttas) fi-
nos de 100 a 330 rs., ditoa pretoa laraaa da 3W
a 000 rs^. ditoa de seda da 100 a 3, dlloa Ur-
gos a 600 e 800 rs.. Otas muito rieae e aatia la>
vradas de 600 a 1*200, ditas maia simales da IW
a 500 r.. diUs lisas uaatioadaa aaaaaawea *
3(0 a 600 rs., balados de liobo do Parto iMi
60 rs. a vara, peca da 15 varas a 390 a MO n..
habidos largns para camisas da asan lata a liantaa*
da 120 a 200 rs.. dito da largara 4 palma a 244)
rs.. trancas de seda com idrlibo acatos da 200
400 rs., franjas da aada da corea da 320 a MO re..
ditas da li e aeda a 160 e 140 ra., teajarifa ato A
e algodio de 60 a 120 rs., gal oes pratos a W a
120 rs., fita para coa ji com coixeUs braacn. as
do e prelo a 320 rs., eartea da colselaa a 40, as)
e 60 rs sombra para flores da todas aa ratea a
120 e 160 a folha, enfeitea da rada e vtdrila* se-
ra cabe?a a 1 e 1#500, eacovas para tala da ftt
peJimos a lodos os sebores da praca, senhores de engenho e lavradores que mandem ao menos suas encommendas a' primeira vez, afim d peri- n)u?t^ob*je^\oa *oMUntM*da oauaa'VaJ
mentar, cerlos de conliuaram. oeisaue nara sao nao pouparao os Dronriaurios forcas nara bem sarvirem aquellas Dessoas aue freauenlarem nossos I E em peca, cento, masso oa dazia vaada aa <
a muito nova a 19459. e grandes da i a 8 libras de 2|5C0 a 4*500.
nctar, Carcavellos, Madeira secca, Feitoria e Camones a 19200 a 1300
eocalhada no estaleiro do meslre carpioteiro Ja- Buns com deleito a muito menos, caitas de bu-
cinlho Elesbo, ao p da fortaleza das Cinco Pon-
tas, sonde pode ser vista o examinada pelos pre-
teudentes ; vende-se a prazo ou a dinbeiro ; a
tratar com Banoel Airas Guerra, na roa do Tra-
piche n. 14.

Kua do Queimado n. 19,
Santos Celno vendem
o seguinte:
Pegas de cambraia
ara forro, p
Lengoes de
branca aooilads, propria
3lo barato,prego de 29.
la bramante de liobo grandes, a
38300.
Colchas de fuitao de lindos lavrores a 6$.
Cobertas de chita a chioeza a 1g800.
Lenges de panno de liobo a 19900.
Chales de merino lisos, pretos e roaos.
Ricos cortes de seda pelo barato prego de 40$.
Ditos com algum mofo a 259*
Toslhas de fuslao a 500 rs. cada urna.
Cortes de caita francesa com 11 corados a
28500.
xw i f*l '
UII Hui finos e bonitos lengos de cambraia de liobo
abertoa e bordadas para maos e oabecs de aa-,
nboras a 2} cada um ; qnem os mandar ver nao
perde o tempo porque sao baratissimos vista da
boodade, e assim os comprar na loja d'aguia
branca, ra do Queimado 0. 16.
.0 b 0#<.'J a: ..Mi
Barato assim ad-
falo finas para rap a iJJOOO, ditas de tartaruga
rancies a 88000, malas envernisadas e com fe-
chadura para viagem a 1JJ500 reloginhos ficticios
com correte para meninos a 160, pentes do mar-
flm para ftmpar a cabega a 400 e 500 rs the-
sonras grandes para cabello a 600 8'K) e 1JO00,
ditas nara costura a 120 160, 320 e 500 rs., tin-
teiros de metal e madeira para viagem a 240 e
320, caixas de tintas para dtsenho a 320, 400 e
500, medidas com nomeragao para alfalate a 160,
200, botoes de metal para caiga a 480 a groza, 50
rs. a duzia, ditos de oaso, de maesa e de louga
para paletots a 40 80 e 100 rs. a dazfa, ditos de
duraque pretos a 200, ditos de setlm e sarja para
casaca a 1^800 e 2)000 a groza, brincos e rozetas
douradas a 80,160 e 160 rs. ditas pretas a 160 e
200 rs. o par, phosphoros de pi e de c6ra a
e 40, ditos caixa grande a 120,160 e 200 rs., csr
leiraa da marroqu a 320, 400 e 800 rs.. dttas
frandes com divUdes pira lettras a 5$ e 58500,
inhas do g*i a 700, a 800 e WO a caixa, a 20 rs.
o novello, fundas para quebrados a 500 e 800,
ditas finas a 25900 e 2j>500. "Em porgoes tudo se
vende mais barato.
nuarera, pois que para isso nao pouparao os proprietarios torgas para bem servirem aquellas pessoas que frequentarem nossos
estabelecimentos, abaixo traoscravemosalgumasadigoesde nossos prsaos, per onde vern publico que vendemos baralissimo, attendeodo as boas
qoalidadesde nossos gneros.
manteiga ingleza especialmente escollhida a 800 rs. a libra e em porcao a 750, reoantmenda-ss aos apreciadores destele genero que
mandem ao menee experimentar, senos de nada perdarem pois fiara, isso cenfkmamos o que levamos dito.
Cha hySSOri e pretO 0 melhor do mercado de I7O0 a 21880 e em porreo lera aba timan to, e afianea-ee a boaqualidade.
Presunto fiambre inglez hamburgus a 900 w. a libra e em poreis a 800 rs.
Presuntos portuguezes vindnsdoPoriodeaupa4iulara60rs.f Marmelada dos melhores autores de Lisboa premiada as axposigoes uoiversae* de Londres e Pars a 19800 a lata.
CaixaS COm estrelinha pevide e rodinha a 7000 .caixa e tOO ti. a libra eem porgio tera abatimento.
Latas de ameixas francem coa ei*> libras a 4000 e. 19000 a libra.
PaSSaS em caixinhas de oito libras, as melhores do mercado a2f000 e a 400 rs. a libra e caixa de urna arroba a 7*000.
Espermacete superior rso rs. em aixa 740 rs. a libra.
Conservas francezas inglezas e portuguezas a eoosoo n. 0 fraseo.
T n loas poriuguex8 e francesas 800 rs. frasco afianca-se serem as mais bem preparadas que tem vindo ao mereado.
Lata com bolaxinha g"e soda deversas quaiidade.,
VinhO em garrafas Ouque de Porlo, Porto fino, gesuino,
*' a garrafa e a 131 a duzia.
Vlilho em pipa proprios para pasto de 500 600 rs. a garrafa edo 39800 4t800 caada;
Latas COm fructas de todas as qualidades que ba em Portugal da 700 a 100 a lele.
r era em CaiXaS de 4 a 8 libras melhor que se pode desojar e tem vindo ao mercado de 49 a 6f a caixa e 1|280 a libra.
ConntbiaS em frascos de 1 Ji3 a 2 libras de 1*600 a 29200.
Latas COm peixe Savel pescada e outras muitas qualidades o mais bem rranjade que tem vindo ao nosso mercado de 19400 a U600
Laf dO RlO o melhor que ha a 246 rs. a libra ea 280 r> o lavado.
raSCOS de amendoa com I libras, proprias para mimos, por serem muito bem enleitadas e de superior qualidade a 39 cada um.
Vinagre branco o melhor que temos tido na mercado a 400 rs. a garrafa e 2560 a caada.
Lominho e erVa doce os mais novos que ba no mercado a 800 a libra do cominho e a 40Ors. a eeva doce.
VmbO BordeaUX deboa qualidade a 800 a 19 a garrafa ede 8500 a 10#000 a duzia,
Massa de tomate em latas de urna libra do mais acreditado autor da Lisboa e viada pr imeira vez a nosso mercado, de 19 a 19280.
P IgOS nOVOS Qm caixinhas de 4, 6, e 8 libras proprios para mimos, por serem muito bem enfeitados de 19500 a 49 e a 400 rs. libra.
Cervejas das melhores marcas a BOO rs. a garrafa e 590OO a duzia da branca.
Vinagre puro de sboa 240 rs. a garraf* t> a caada:
DOce da gOaba da Casca emcaixao a 19 e'em porcao a 900 rs;
\ /*>itp rloct purificado a ou rs/a garrafa p 99000
Gognac
QUIJOS SUSSOS chegados ltimamente a 500 rs. eem porcio le aba limen lo, afianca.se a boa qualidade.
Genebra de Hollanda i 600 rs. o fusco a 69500 a fmqueira com 12 frascos.
ralltOS lixados para denles a 200 a 160 rs. o mace com 20 macinhos, e flor a 280 rs.
dem do gaz s 39000 a groza e 280 a dazia de caixas.
Chocolate o mais superior qno temos tido no mereado portugus, hespanhol e francez de 19 a 19200 a libra.
AzeitonaS as melhores a maie novas que tem vindo nosso mercado 19200 a ancorla do Porto, e a 29000 as de Lisboa;
AmendoaS chegadas no ultimo navio a 480 rs. a libra e era porjao lera a batimento.
AlpiSta 0 ma8limpo que tem vindo ao mercado a 160 rs. a libra e 55000 por arroba.
A lm dos gneros annunciados encontrara o publico um completo sormtmo do ludo lendent a molhadoS.
1 <-om aaL6*,t,a3%
a melhor qualidade que temos no mereado a 19000 a garrafa a 109000 a duzia.
w

Bicos de seda.

I

i

Aspas largas

para saias balo.
A loja d'aguia branca acaba de receber um bel-
lo sortimento de mui b<>m teeidaa aapas para ba-
JiOje as est yendeodo baraltmeote a 160,180
o 20D rs. a vara ; quem precisar dirigir-se com
dioeiro dita loja d'aguia branca, ra do Quei-
mado n. 16, quesera bem serrido.
t*bSLii .
e cal de
extractos para lencos.
Aloja d'aguia braoca acaba de despachar de
sus propria encomme'ods, fiaos e preciosos ex-
tractos de novos e escolbidos cheiros como bem
sejam.imperatriz, D. Jaouarla, D. FraOcisca. ma-
rechsl ruquet Real, dito favori, dito dos Alpes,
dito de Trtaoou, ele, ele, nao esqucendo porm
o estimavel extracto desndalo. J se Sabe, os
fregueses que monldos'de dinbeiro diriglrem-se
i ra do Queimado, loja d'aguia branca n. J6,
acbsrao baratez!, agrado e sinceridade.
^ Em casa de Ralkmann Irmos ^
^ &C, na ruadaCraz n. 10, exis- A
^ te constantemente uax completo jfr
A sortimento da mt Vinhos Bordeaux d todas as S
ap qualidades.
Dito Xerez em barrh.
Dito Madeira embarrise caixas.
Dito MUucabel em cautas.
Ditt) champmnhe em gigoi.
^ Cognac ena barril.
fGecteja branca.
Agoa dSeltr.
Axeitedoce muito fino em caxAsv.
1 Jti*fe6efl?b*rri.
CeirapUa3ba em,wrafi5e.
laWatr s#s*at'alallalalamaI'
^m^^Jgmmm1 moca a^nTtaTgu-
Lisboa.
Ini.;
uiauvui
No bem conhecldo o acreditado deposito da raa
da Cadeia do Recife n. 11, ha para vendar a ver-
dadeirapotaaaada ftusaia, nova a de auperior
qualidade, assim como tambem cal virgem em
pedra ; tudo por precos maia barato* do que em
oatra qualquerparte.
mmm Low-Mooft
RuadaSenzallaSo>aii.42.
|Bicos; rendas e labyrin-
tbos das libas.
A loja d'aguia branca acha-se recen tmente
provida de um bello aortimenlo de finos, alvos e
booitoa bicos de seda, e daa diffarenleaarguras
d 1 dedo at maia da 112 palmos, e os baratos
presos por que aa esta vendeodo animan ao
comprador: assim como os fertes a muito dara-
veis bicos, rendaa a labyriolhoa das linas, igual-
mente baratos como cooaecer o comprador,que
muBido de dinheiro, irigir-ae a ra do Queima-
do, loja d'aguia branca o. 16.
A 89000 o corte
de calesa de meia cassnrtra escuras de ama a
edr : na ra do Queimado n. 22, na loja da
Boa-f.
1TI* I I
F1 gas de coral.
A loja d'aguia branca reesbeu urna pequea
qaintdade de bonitas e bem acabadas figas de
coral, proprias para enfeites de enancas, de re-
loglos, e mesmo para as voltas de coral, e as est
vendendo a 1$500 cada ama ; quem se demorar
nao as achara mais em dita loja d'aguia branca,
na roa do Queimado nomero 16. nica parte que
as tem.
f
Esperanca.
ffi
B
ra : ai roa do"Amorfm'n. 4. Iratsrmi Gat-
iNftlW
imartes.
ttuettptmijp
Resta astabalacimanto contina a kavarum
oapleto sortiman to damoenda tameiss moeu-
asparaengenho,machinas da vapor elaixas
ta farro balido a eoado.de todos ostamanbes
para dito.
Oleo e banba philocome
e ontras qualidades.
1 A loja d'aguia branca acaba de despachar um
novo a blU). aortimenlo de aleo s baDh*ohUico-
me e outras superiores qualidades, ioduaive a
estimada a arocarada banba am copos grandes,
excellenle qualidade j bem conbecida,
cono a -verdadaira traosBaiaaU ; quem
" se prover do bom maadar 04 ir i tua do
. ida, leja d'agoU branca o. 16, que sari
b^avi4oi adsecMwd, psrdaa, ,m oa traacoa
vAa.todes JBaiaedos osa o roalo de dita leja.
Fumo em rolos.
Fende los Lai d'Ollveka lavado, em sea
armazem traVessa na Madre de Dos n. 5
soja
:
s
Recebeu de sua aaeommeoda palcai-
9- **s de cabello qus venda par 101 o par, A
A braceletes de mosaicos a 6# cada um,
6 agulhaa victoria a 130 ra. o papel, pen-
* tes de tartaruga a a, 10 S 12g. preco
9 porque ninguam poda vender (boa fa-
sas zenda) estes artigas nao aa encentra asi
[ loja uenhuma por isso vio a ruadoQaei-
9 mado n. 38 A, laja da Esperanca. *B
#Esperanca rednz a eipres^
J sao raars simpies.
g (A'INHERQ. t ,
1 lodosos artigos que esto na loja M
muito barate quem qu'uer v comprar a
ver : rus.do Queimado n. 33 A, Guima-
Ra da Senzalla NoVatt. 41
Nette estabeleciifierito tettd^w):-ta-
chas de ferro coado bbia 1^0 ra. 4em
de Lota Moor libra a lid rs.
Manteiga ingleza flor a
800 res.
Gomma de aaataJUmoUdnova .fi\jJty'Utoi
ta*eis*sooe*> 320rl\a ewvajs. marca cobrf-
sba SOO rasa; fvsdlsba a IW rts : na rna das
Crasas n. 24, esquina da tmesis do Oevidor.
sortimento de enfeites de flo-
----tes tajULJcas amentos
e bailes.
Aloja d'aguia kraaca acaba dedeayachar am
linde sortimenlo de enfeites que de sua propria
encommeoda mandou vir para casa m en los e bai-
les, e sem medo de errar, pode-se diiar que sao
01 mais piteitos e delicados que at agora Um
vindo, eeasa vardade aerAcooheaida por aqaallaa
passeaa que aabasa apreciar o bom: apaaat de
todo vendena-sa baratos em proporcaoa perfaicao
daUas. sondo a dinheiro vista 12, 14 e 16,
uso na ra do Queimado, loja d'aguia braoca Ha-
rnero 16.
Mantas de retroz para gra-
Tatas.
Yendem-se mantas de retroz para grvalas,
tanto pretas como de corea a 500 rs. ; na ra do
Queimado n. 22, na loja da boa 6.
Aloja d'aguia branca
recebeu tambem novas luvas de fina pailita, en-
feitadas, para caaamentoa, assim como lindas ca-
pellas. A commodidade doa pregos ja bemeo-
nhecida por seua bous fregueses, e era mais por
aquellas pessoas que de novo o quierem ser da
dita loja d'aguia branca, na ra do Queimado nu-
mero 10.
Na botica de Bordes & Soares,
na praca* da Boa-Vista n.
24., esquina da ra do Tam-
bi, vende-se o seguinte:
. Agua nflese da Liados.
Xaropa de Laraanveux.
Ceoteita de letele de ferre. '
Pboaphaio de ferro soluvel de Leras.
Pilulesde Blaocard.
Ditas de Wallel.
Pds para matar lormigas.
Seringa de gomma percha para clyster.
amadetraa de vidros pata erlaneas.
Xarope da citrato de farro de Chable.
SelenHepaTa tiogir caSellos.
.: Xtfope da'Phellandrium aquatico.
; Elixir de Onrller.
Pilulas para setoes.
Xaropa depurativo dosangue.
Saldo Ass.
?aivla-#%sal do AssA,. a borlo do bruma brs-
sueka- cAdelaide, recenteroenle chegsdo : a tra-
tar bo eacriptorio de BalUr 4 Ollveica, ruada
^"venVm-ie 10 travs de Trd grdssss e de
40 palma*,da cojpnmeato: as rus da Prala nu-
mero ao.
Vende-se ama morada de cuan a fragueiia
boa raa: a,tr.aaiita raa
01,
Retroz em carreteis
para coser-se as machinas.
Vendem-sa carreteis com retroz de cores, pro-
prios pare as machinas a 320 cada am *, na roa
do Queimado, loja d'aguia branca n. 16.
N. O. Biebar 4 C, suceeaaorea,roa da Crax
n. 4, tem para vender relogios para algibeira da
ouro a prata.
Nova exposico.
Ra Nova n. 20.
Riquissimo sortimento de ealileriis em todo
o genero, assim como am riquissimo sortimento
de lesea de porcelana para cozinba, riquissimo
lortimeolo do metaea, riquissimo sortimento de
miudesas, e oulros muitos srtigos. qae com a via-
ta do comprador se poderlo apreciar : na ra
Nova n. 20, loja de Caraeiro Viaons.
Bombas de japy.
Ra Nora n. SO, loja de Carneiro Vianna.
Canos de chumbo.
Ra Nova n. 31), loja de Carneiro Vianna.
Renda lisa
de fil.
Vende-se renda lisa de fil propria paraeascar-
rilhas de vestidos de cambraia* a outras abras :
na ra do Queimado, loja d'aguia branaa n. 16.
Aos proprietarios de carros,
correeiros,
fabricante de bonets, etc.
Pechincha nunca vista.
45Ra Direita45.
Grandes coaros de bol, inleiros, de lastre, de
85| a 35.
grande diflerenes de retalho.
Fitas de sedas.
Tea chegedo peto ultimo vapor, oa sssa da A.
L. Delouche um rico aortsasealo da Isas eeaalaai
de todas aa ores : confias oa Matares liaislas
e ladea aa pessoas que poda ialcreaaar, de >*-
recer oa ra Nava n. 22, qoe ai* detzafie da
comprar 4 visU das faxendase daa preces.
Gneros baratos.
Manteiga francesa a 640 a libra, batatas a tt
rs., tounnbo a 320, linguicaa de sartas a tt,
che a 250. arroz a 100 rs., velas da esprame-
te a 760, dita de carnauba a 400 rs., sainen a laXL
alpista a 180, caf a 210. sabio massa i SOO raZ
dito amarello a 140, arrox de casca a 3*600 a ses-
ea, szeite de carrapato a 400 rs. a garrafa a asm
porcao a 360, dito de coco a 440 ; na travesea Se
pateo do Paraizo n. 16, frente pialada aa asaav
relio, taberna de 4 portas.
Vendem-se des duzias de (firmas para va*
las e am caldeirio : na roa do Jaamisa a. 12.
Vendem se os engentaos
S. Pedro e Espirito Santo, am-
bos moentes e corren tes e
d'agua, sitos na freguezia de
S. Bento comarca de Porto
Calvo e provincia de Alagoas,
o primeiro tem casa de enge-
nho e poucas obras, porm
safrejaquatro mil pes, o se-
gundo tem boas obras, porm
s safreja dous mil pes:
quem pretende-los dirja-se
a ra da Cadeia do Recife n.
26, primeiro andar, que acha-
ra com quem tratar.
As verdadeiras lavas de
Jonvk
A leja da boa f recaben nasa eerfisseals das
verdadeiras lavas de Jouvin, e as rsrsmmssia
aoa cavalleiros e madamas de seas ajases, rara
qae maadeaa per eUaa na referida leja da asa
f, na na do Queimado n. 22.
Ra da Cruz n. 48
No eacriptorio da E. A. Baria A C. vende as
urna nquissima mobilla de ssogao toda oe abra
de Ulna o maia modtrno e melhor qae pea
sivel, por pre;o muito rszoavel; no ateae* ea-
criptorio ha a venda salientes meMHas fafla-
do junco gaarnecidaa de mi rasare a ttUp, cesta
Uanbem ha cadeiraa para piaaea, lavaioriac, lea-
lhelea, cabidas tudo por preces aaa admira.
Escrayos f agid os.
Fugio do engenho Pindobal, ao dU 23 Se
mea prximo panado o cerrare Maaoel Baca, da
25 asaos deidade, bem feito de pea o ataos, bar-
ba cerrada, de estatura e carpo regalares, s tasa
um denla quebrado oa irania ; levaa aastiaa est-
ca e paletol de riacadinbo azul a chapea Se 1*1-
tro : quem ospsrrkterdac e Wvar aa alie taga-
rino, ao a Joaquim Zavatceeai Se Aseaere.ae
Mello Filho, na rus larga 49 Bosario a. 28, seri
recompensado deaeu trabalho.
1 fscravo fgido.
Desde o di a 24 da oataaro p. p. est fgido a
esersvo mulato Joaquim, estatura rogalar, cor
clara, bigod*s e peira, foi escravo Se serlao :
qnem o pegar leve-o a rus da Croa a. 48, casa
de seu senbor E. A. Barle, qae seri recompen-
sado.

J chegaram
do
as interessantes estampas, a morte
jauto,. 0 a taorte do peccador.
Da foja d'aguia branca aviaa-sa aos senhores
reverendos a Salsea pessoas qae hsviass encasa-
mandado essas interasaanis eatastpas, ave lias
acabam de chegar, a quem atis as drsSr pos-
sair dirigirte loga dita laja d'aguia ranea,
ra do Queimado n. 16, pola que a quaolldade e
pequea, e por sgora ainda se venderlo a *sO00
cada ama. t
Plvora.
e, a
emou-
Yende.-se,polTor,a de.saperlor qgsrldad
chumbe de mualcin, por menos de qae en
tra qualquer parte ; a tratar no etcripiorJo de eastaresseaao e
Antonio Cesarlo Moreira Das, no Porta do MaUot,
raa da Meada o. 37.
Na norte do dia 21 do crrante fagio do poder
do abaixo assignado o sea escravo mulato de sa-
me Jeso, estilar alta, cor clara, da idade 28
aooos, representa ter maia idade, albos graades
e vtos, cabillos crespos e bem aparadas, coas
principio de barba no queixo, ps grandes, dadas
doa ditas abertos, anda um pouco corcovado, a
de bracos abertos, natural do sertio do Apodi da
provincia do Rio Grande do Norte; foi comprada
nesta praca ao Sr. Joio Chrisostomo B*nrra Ca-
valcarjli de Aibuquerque, morador na provincia
cima declarada ; o dito mulato leven aa sarria
de couro de carneiro, urna rede a diversas pe?ss
deroopa da seu uao : roga-se a todss as autori-
dades policlaes e msls pessoas que o encontrm,
de appreheode-lo e Iea-lo na da Matriz da
Boa-Vista, sobrado n. 33, que serio bem recom-
pensados.Joaquim Francisco Franco.
Fugio do engentto do abaixo aasagnaSo, aa
da 13 de dezembro de 1839, na stoleqoe crioulo
or nome Joio Gregario, idade de 20 a 84 asnos,
em preto, altura regalar, alegre e regrista, sa-
cio de carreiro, a qaal foi preao na Babia em Fe-
vereiro de 1*60, e re me nido para Peroambaeo
em um vapor. d*onde tornoo a fugir, s aappaa-
se estar na Babia ; roga-ae u autoridades poli-
claes e capules de campo que o apprekeadaa a
o remettam para Pernamboco a entregar ao Sr.
Joio Pinto de Lemot Jaoior, a que pagar! qual-
qaer despasa que se flzer.
Umbellno de Paula Soasa Lelo.
Escrava fgida bo dia 3 de
correarte.
ata, de aaeioGaaSa, aMa, aaea de carne, tasa
alM da daaiae aa 4r.aU, asea adgsjaa taVaaa aa
ile pitiii teitsla. a aos avarssalhada,
por siiiasa faiataa ast tssapaada toa aj
Sea mailo tmaarswanle, lasa, saeta
i a evada ata ros seala ana aada patea ai
haldas eeets cMeds .aanlasjs trae!
da
aga-s
a- a
dos Goararspes do bilrre do Beoife a. tanda
se pagarlo todas aa despezar.


(8)
'LRtetata.
Aponlauenlos para bistavri* 1I0 Cari-
ri, por Ma Brijido.
(CoDliaiMtia,)'
Na poca em que a capillq-enr e goveroador
1718) qoncei)ia doagAudMtorr^dtvalutasrtjOUl
oa-capilhe, avujiavam em riqueza e podero
dous colonos o callao-mf Geranio de Monteas
""S"'" .A..wjribe (B>,o,eirt>l e Loureogo
Altes Felsa,-chamado o commiasario, muito a
cima, em una de suas ver|aptei>, eoite os dios
Innamuns CJm irmeo de Leureiieo '
Francisco Alves F)i0sa
eom urna vuto. irrua
conlrahiu
o coronel
casameoto
de Moole, e por motivos
eos, em emboscadassoecsaairai, nove indi
da parcialidade de Geraldo de
lous irmios ; e em laea apuros
obrigou a abandonar asa sus t
do-sa ao Buqueirio, oodecr-ae
Um impostor, que se dista p.
viajando, recetes da Francisco
rentes ama somma arultada, a
ler perdo. Parece que islo j
que as didlruldadet, com queWaWa a jurga.
Ihe deixaram virer e asoraer em pac em sua,pa-
tna. para oode havia fUtado. fMlleaa |o|afcf
annos via-se aindaWffzendt' CAcbcy^Al
da espiogarda Lagartixa, arma favorita desle ho-
mem li^riaWajeonfcel'bre.
Neat episodio da .nosta bistorl ha alguma
pouaa a verifftar. sobre ludo quanlo s dalaa.
i foi possivni anda, ccnli>-oer a poca da
i-" '----------------:----------------------
Ifl
de honra eehava-se dissaboreado cara lie, qaan- concesaae dasterras do.riacho Joc.tttgem desta
do conflniido pelos chefes dos indios da naci
Juca, penelrou na bada do rio desle none.e re-
conhereu oa vastos sertoes que os indios at en-
tao tiuham dominado.
Monte, tendo noticia desta descoberts, adlan-
tou-se em aolicilar ama data destas trras e ob-
tere-a do governo, a despert de seu cuohado.
looavia errou do apossar-so d.sses terrenos,
fazendo-oasiiuar. ed'alii resuliou que, passados
aeis annos, Francisco Penosa cooseguisse aooul-
ler a sua doagao, por caduca e nao coofirraida, e
obti vase para si o aeohorio desse territorio. Se-
guiu-se una looga qoestao eotre os dous pode-
rosos rifsea, osquaee se perturbaran), com mo
armada, nao ceosentindo um que o oatro fizesse
medir as trras, e a sea torno Uzeado o outro s
tnesroa cousa.
Depois de urna viva contestado e de serem
muiios vezes corladas es cordas. na occasiio da
anedicno dos t-rrenos. envotveu-se na intriga o
euvidor. mnhecido eulao por Tubarao (cajo ver-
dadeiro nome hoje ignorado); e fosse, porque
se Uvesse de pronunciar oa questao como iuiz
ou porque protegesse a causa de Francisco Fei-
osa, incorreu no'odio do sen adversario
lula, o ojo* serta um bo"m Spoio para susch remo-
logia. ora ponto de partida para 0 CoaMcjmeQlo
de algomaa outras datas. -TaP*"
P$rtira Api. Utsordent oCatiri.
Pouros lempos hariam decorrido, que a intriga
entre Fettriaas e Montes delirara de encher de-sns-;
tos e desolagie o Cariri e paizes circumUmhos,
quando ama outra nao menos celebre' se atlfou
As datas de trras eram o pomo das discordias.
Manoel Ferreira Ferro, fllho do precedente Fran-
cisco Aires Feilosa, prprietarios de sganlas
trra no Brejo-graode a confinar eom Jos Pe-
reira Lima no eilia Punta-da-serra, da mesan
falda 40 Araripe, tere um contealagao eom este
por smor de miles, e sahludo do terreno legal
para as >ias da faci poz-se com alie em aberla
hostilidade.
Pereira era um portuguez rico e poderoso, que
gozara seos crditos d hornera de coragem. Le-
vada a questSo para umsemelhante terreno, nao
recuou : principiou por se assignar Ac, em al-
lusao so come Ferro Je seu competidor, e con-
citan commelleodo urna mullida de crim.es, a
que Ferro responda com ouiros tantos.
Depois de se matarem
-------------------de psrle a parte grande
Monte quiz tirar urna vinganca do magistrado, i nm?ro de seqoazea, Pereira Ago foi preso e ro-
e diz a tradicaq que era seu plano proroca -lo, ou mettido para o Limoeir.o de Lisboa, dizem oulroa
aoles consirange-loa dar-lhe adecifracao de al-*lue Pr prisoes da Baha. Logrou porm li-
guns enygma poetis, e malrrata-lo com palma- 5 *rar-*i pos lingos annos e desembarcando no
toadas, quando lb'a nao dise a seu contento. R6**'! onde o esperara sua muiher, ah morreu
Era um deatea enygmas : i victima da bexiga.
Qual s ave, que d leite, quando cria ? Urna genealoga da familia Lima Macedo do
. O ouridor nao lando meioa de deten, temen- Cral0- <^u,, temos a vista, d este acootecimen-
do o genio e podero de G-raldo do Moole, ac- ,0 em 1714; existe ahi um grande erro. A
lheu-se s proteegao de Lourenco Aires Feilosa, < Pr,S80 de A50 tere lagar depois de 1734 e aoles
que o trouxe em sua compaobia para o aldeia- i"e 1741, porque temos recibos e crditos a elle
rnento oo Miranda ; mas rollando esta pela es- Psdos, com data de 1734 ; e urna escriptura
trada, que entlo era pela margem do Salgado at de rreadamenlo de larras, feito por Appelonia
encontrar o iagaaribe e por elle cima at en- ,ua muiher, como administradora dos bens d
contrar o nacho Quixelou. casal, datada de 1741.
Geraldo de Monte com urna escolla de prenles' Sf,,os gndas prprietarios eram de um carac-
e indios de sua parcialidade o acrommelleu de ler a,,ivo e olento, a populacao miseravel era
sorpreza. Feilosa f^endo trincheira das canga- >quieta e saoguioaria. Havia excesso de fana-
ibas, malas e surroes de seu comblo, oppozlbe, llsm0 em ludo, e a autoridade, que ttnha ento a
com a gente de sua-comiiira, a maior reaiatencia "eueMcSo de um myiho, nao eslava ella mesma
combate, nao sem alguma perda de parto a parte. 8ur6'a-ie slgumas rezes e era terrirel em sua sa-
Bsts pnmeira lula abri urna serie de combales
entre as duaa faeces, aa quaes procuraran tor-
nar suas tropas regniarea, quanto era possivel.
Sendo aiiboa officiaes superiores de milicia e
eontideravelmente rieos, formaram pequonos
exercitos de indios e mamelucos, com os quaes
se flzeram a guerra durante mnito lempo.
Destas excurses e combataa margem do Sal-
fado, Jaguaribe e oulros rios. cujos valles eram
nha. Tendo o tenente-coronel Antooio Pereira
Maia, de ordem do goreroo, feito um recruta-
ment para o lado do Jardim ento mui pouco
povoado ; i voz de Viva o povo, cerca de qua-
trocentos homens se pozeram em armas, as ira-
n ediacoas de Porleiras, e marcharam sobra o
Cralo, com o Oo de o atacaren). No sitio S. Fe-
lippe ahiu-lhes ao encontr o capillo Francisco
Lopes Machado, ahi residente, e, com o emprego
os melhores coohecidos, flcaram algumas deno- d,as eaugoes, -los regressar a suas habilaces.
mnacoes, que aioda hoje aubaistem. E' assim sla P'lneira rerolta foi um como preludio de
SUe luV" connecW twr Pendencis, Arraial, Unlas outras. que deviam custar a este poro lar-
ihi,.Tropas Emboscadas, alguna sitios 8" aDgriaa.
margem do Salgado; o sitio Defunlos. no Jagua-
ribe. tirou tamben d'abi a aua denomin.cao, e
t>em assim o Rucho-do-sengue, onde tiveram
lugar hornveis caroeflcioaa entre
orna e outra parcialidade.
os inlios de
No lahamum Qcaram
Em 1804 o goveroador Jofio Carlos Augusto de
cihausem, expressamenle enviado pela corte de
Lisboa, para perseguir o coronel Manoel Marlios
e outros celebres criminosos do Ip, visitou o
D'aquifez elle expedir algumas forjas de
ssignaiadoa na sitios Trincheiraa. Crozes e Sacco- milicias em seguimeoto dessa gente.
flas-balas Aqu urna partida de Feilosaa perdea r, a, i, j n .
m sacco ebeie deltas, que foram ach.das mui- n k lCr*aSao da Vllla d Crato-
to lempo depois, pelo miior Jos do Valle ?L a ob9t80' ,a" loquietaces e tamanha falta
drosa. ''"' 1" -*ose ao valle Fe- de aeguranca. o Cariri povoava se com ioctivel
o qual
da pro-
F01 durante esta lula, segundo pretende o de-
tembargador Figueira de Mello, referioio-ae aos
BSSeutoB existentes 00 archivo da cmara episco-
pal de oiioda, que leve principio o arraial de S.
Waibeus as cabeceiras do Jaguaribe
fui o primeiro povoado daqaelle lado
vincia.
O governo da capitana era sobre nodo fraco
>para cunler os dous partidos; mas por ultimo
tendo o oovidor Tubarao ido presenca do rei'
ordens foram expedidas no sentido de se bater um
e outro contendor. Nao sabemos ae antes, ou se
nessa occasiao, sendo expedido ao campo de Ge-
raldo de Moole, do lado da legalidade, um iuiz
4e ra, como parlamentario, Monte f lo assas-
sinar, na nb-ira do Salgado, no
aberido por Juic.
Excotido de homens e exhausto de forca, este
caudilho foi finalmente batido, mas incalcula-
vel-o numero de victimas, que elle e seus adrer-
aarios haviam feito. sobre ludo entre os indios,
cuja estudele os leva va muas rezes a se entre-
Datarem. ou a se deixarem maaaacrar por aeus
rapidez-, grabas facilidade, com que eram aqui
encontrados os meios de subsistencia. O aolo
era vaslo e frtil e a flora provida de urna col-
lercao variada de frutos silvestres, que forneciam
ama alimenlacio abundante, substancial, e da nao
m qualidaie s familias pobres ecarecidas de
meios para os trabalbos ruraes, e sobre ludo sos
ionios aldeiados e dispersos. Havia apenas um
inconveniente, que durou quasi at nossos dias,
as chagss, e ulcerscoes de olhos, molestia lode-
Diica, que inutihsava muita gente, e fazia que do
Cariri sahisseni pedintes para toda parte do
Cear. ^
O Cariri foi.
pnocipio,
das autoridade* "
. sujeito jurisdiccio
aa A^i>{., u'wuJu *IuIi-,m va
sitio d'ahi co- Ju,ze9adlll8enC's de seu offico ; mas eram real-
mente os parochos de Missao-velha, que com ex-
coromunhoes, faziam a polica e julgavam os
pleitos que appareciam, desde que es mirsiona-
rios deixaram de exiatir. Esta ordem de cousas
subsisliu al 1760. m airar regio de 1765
acabou com este abuso, quasi geral em toda a ca-
tania-: o rei creou juntas de recurso, sobapre-
dversarios, tem oopurem resistencia ; em quan- iaeDCla a.os ouvidores, para aa causas de justiga
lo colhiam dos inimigoa os despojos os mais ri- eccles,aa''.ca' e aflm de que cessaasem os abusos,
liculos. *lue a cobija do clero ia creando. E porque os
Conta-se que os Inhamuns, quando cahiam fe- p.ad,res. e as ordens religiosas resistiam aos ma-
ndo aigana dos Montes, precipitarara-se sobre 'stra(los e '"bunaes ciris, usando, com arma,
elles, despiam-lbea as fardaa de velludo incar- {"-ommunhsoe outras violencias ; por decre-
oado e ae adornavam com oa pedacoa. Era esta rt J'jnho de8ae noo, o mooarcha se resetvoa
presa muitas vezea um objeclo de querella entre dlre,to ^ conhecer immediatamente de todos
elles, que dava resultados funestos. os c."08 de excommuoho imposta i pessoas da
E' ignorado o fin, que leve Geraldo de Monte; l**"*8:
quanto porm a Francisco Feioaa, um dos prin- Uep018 da inaour"Sao da ''^ do lep, a qual
cipaea factores destas desordena, aabe-ae que e ,?*r eD5 173' PriBcipiou a existir em Mis-
avisado por um official, por quera o goveroo o "ao1*,r?h, J3 tu-njr, especie de enoarre-
gado de polica, mas muito desmoralisado, pelo
preeligi, influencia e autoridade do parocho.
A admioialraclo da Justina, feila no Ico, era
Blandir
prender, ae retirar para o Buriti 00
Piauby. d ondo mandn matar na fazenda Caba-
FOLHET1M n
A DAMA DAS~PER0L 1S
r-OR
A. DUMAS FILHO.
xvm
{Continuaco.}
Assim tinha-lhe rollado a conQanca. Falla-se
das variacea da atmospbera e do lempo. Que
Cu varia como o cerebro do hornera? Que fluxo
e refluxo u> sensacoes diversas em un mioulo,
em um segundo, e principalmente qaando o ven-
to que sopra sobre as vagas do espirito vem de
vm corago agitado-pelo amor l So deixei Jacques
i porta de sua casa. Dercriamos eocontra-noa 00
da aeauinte noite, depois da sua entrevista com
duqaeza. No dia seguale, eu liaba que sabir
Duilo cedo. Quando vollei depois do raeio da,
disse-me o meu porteiro :
Senhor, veio c> um dos seus amigos que
quera absolutamente -lo. Perguolou-me ss e
sabia onde o senhor eslava.
Disae o nome 1
Dase, sira senhor. mas nao me lembro. Es-
lava muito paludo, muito agitado. Elle vem aqui
xcuiias vezes.
Era Jacques de Feuil ?
< Sim, senhor, era eaae o nome.
O que foi que Ibe aconteceu ?
Nlo aei, maa peco ao senhor que nao sais
antea delle ter vollado. Precisa muito fallar-lbe.
Aoies de urna hora estar aqui
* O que se Una passado ? Sub para casa. Espe-
rei urna hora, duas horas, tres boraa. Nada de
lacques. Comecei a fic guma questao? Estara doeule?Desci.
Se aquello moco voltar, dlsse eu ao portei-
ro, diga-lhe que espere me em casa. Vollarei em
um quarlo de hora.
Corr casa de Jacques. Tioha sabido muito
cedo. Fui nicamente o que me disaerara. Fui
casa da sua mae, quem schei mullo tranquilla.
Ifo a ioterroguei para nao inquieta la. Ella vi-
ra-ooa vespera e nao pareca auspeilar perigo
nenhun para elle. Eu tambera o vira oa vespera,
esas isso nao me tranquillutva. Vollei casa.
Jacques nao tioha apparecido. Esperei, resolvido
dessa vez, nio me mecher antea de t-lo viato.
As minbas sopposiQoes toraavam-se reoaios. eos
mena receos^iuda ae lorasran mala sombros
con a proximidade da norte. A's seis horas atada
nao tioha noticias. Gomeeava a acreditar ao bata
anca coauleie. A! cada niauU, Irania de
?er otadana de Feuil abnr-sse a parla gritando :
< Meu alba morrea i > E epeis, eoaa* murtas te-
tes aconleca, zanga va-ne coa elle por deixar-me
eaaa>MaMataca). Cnegara oa,, Ero seta
r) Vide/Harto n.8.
de Brilo impossado otase
de Oliveira, desde 1805.
too de Brito, que cessou de
1810. Este e o precedente
do visitador JosdeAlmei-
tendo sido nomeado vigario
ceu antes de entrar em exer-
de Pernmbuco coosuliou
senado do leo.
knVMf ftr^**WLia7^i^o^kS
qae viVrfsi Mn'esldir nVCariri, combm tabl-
achou que era biatante o jui
Boveafiior, iajtistiodo. ord*
sis de 14 de margo dai75z, qoe
Iz ordinario, e de novo, em dezem -
Ireecreveu-lbe que par* ate li
l'iup, queresuisse no.Cariri,
Desde junbo desle aono havia senado con
vertido m alcalde o jah de vintena do Cariri, e'
vjooeado d e*vnocalCWi seu*serivlo parare *
sldir era Mi8io-velha.
Flna1ei4nte 00 dia il de julho de 1764 foi fran -
Purada a villa do Crato pelo ouvidor Victorino
mto So ares Barbosa, ao que parece, por facul-
dade, que tioha racebido para esla son* de crea-
cues ; rislo que da 1685 o decreto, quo creou
os offlcios de justiw da or* illa. Assignou
um patrimonio em trras para o senado, o qu.il
se terla tornado pingue, se arrendamentoa per-
peluos, nao o tivessaat alienado. Foram esco-
midos primeiros Juizes ordinarios Franciico Go-
mee da Mello e o indio Joa de Araorin, capitao-
mor Arnaud de Hollanda Cavalcaflti. o qual leve
por succestores Jos Pereira Filgoeiraa em 1804,
pouco mais ou menos, e Joaquim Antonio Be-
zerra de Man'ezes a 8 de noremlro de 188,
Desde esla poca nao foi mais duvidosa a proe-
minencia do lodos elles principiaran a depender da joriadic-
(aocivil. Laosaram-se os fundamentos do"edifi-
cio, que serve ainda hoje de prisao.'1 beta srm
eooslroia-se o pelourinho, serte de escndalo
que atiesta por toda parte a passagaa dos por-
luguezes. Creou-se un oorpo de cavallaria, de
que foi commaodante Aatooio Lopes de An-
drade.
Freonesia de Misso-velha e Crato.
Missao-velha ja linha urna populacao conside-
ravel. quando a 20 de Janeiro de 1747, 01 bispo
D. Fre Luis de S. Thereza ex ped o ordem ao vi-
sitador Manoel Hachado Freir para separa-lado
curato do Ir, sob o titulo de Minas dos Cariris-
aovos, e sob a iovocaee de N. Seohora da Lux.
De visita no Ico, o visitador Machado deu por
feila a diviso da fretuezia assignando, em data
de 28 de Janeiro de 1748, a proviso de aua crea-
gao, na qual 8caram-lhe assignados limites nos
termos seguiotes.c Comegaodo no riacho .Gat-
eara e aua barra 00 rio Salgado para cima al
suas nascengas, com todas aa suas verteales, ri-
beiros e riachos, que at ali desagoam 00 dito
no Salgado pela parte do poente, desde a barra
que faz no Cari o ,Brejo-grande, do Bom-suc-
cesso para cima com todas ss suas vertentes at
as nascancas, como tambem as vertentes do rio
Cario, que flearem da barra do dito Breio para
urna, i) r
Eos 15 de setembro deste metm'o snno o len-
te J0S0 Ferreira Quinties obleve proviso de
mSo-posteiro da bulla di santa-cruzada para a
inslilagao da freguezia. Esta proviao existe so-
bre os registros do senado do Ico, onde foitrana-
cnpta em dezembro daquelle anno.
Era 1759, achando-se arruinada a pequea
egreja de N. S. da Piedade, que com a creacio
da rreguezia, se tioha transformsdo em matriz de
za Magalhaes, requeieu e obteve do bispo D.
Francisco Xavier Aranha indulgencia em favor
dos fiis, que concorressem para a factura de
orna nova nutriz, a qusl devia car com a invo-
cajao de S. Joi. Esta mereft Ibe foi concedida
por proviso de 3 de maio de 1760.
Por ordem aioda deste bispo, datada de 7 de
setembro de 1459, fez-se era Missao-velha ums
reuoiao de 43 individuos, chamados da oobreza,
os quaes sob a presidencia do cura Jos da Costa
Gallado, e cora asistencia do visitador Virissimo
Rodrigues Raogel, doutor em caones, assigna
ram diversos artigos, que deviam servir de costu-
me* para a freguezia
Misso-velha tem lido os segulnles vigarios:
1Googalo Coelho de temos.
iManoel dos Prazeres Souzs e Magalhaes, o
qual f,n o erliflcador da matriz de S. Jos.
3Jas da Costa Callado. *
4Jos Ferreira da Costa desde 1760. I At o
lempo deate ultimo toda polluia de Missio-ve-
ih. ... -n. ecclesiaslicamente, e asexcdfmmu-
nhoes serviam de castigo e represso!para toda a
sorie de crimes. Foi no sea lempo, que leve
lugar a partilha da freguezia e creacao di do
Crato.
5Jos Gomes Barreto, desde 1769.
6Antonio Lopes de Matedo desde 1770.
7Minoel Francisco da Craz, desde 21 de abril
de 1790.
8Andr da Silva Brsndo, cuja posse de
sgosto de 1790. Este vigario apresentou orna-
ra episcopal seu re de desobrigas de 1799, com
1513 fogos, contando 3315 individuos, sendo
3054 maiores, e 261 de menor edade.
9-Hippolito Pereira da Cruz, o qoal principiou
a reger s freguezia em 1802 por ae ler retirado
para o Ir o precedente.
10Francisco Xavier de Vasconeelloa Maltez,
o qual principiou a reger a freguezia desde o dia
8 de dezembro de 1802. Este parocho desgosto-
80 de ter o goveroador Joto Carlos Augusto, em
sua viagera, feito correr a sus casa para preoder
urna muiher, que, tendo assassinado outra, pro-
curara ahi homistar-se, deixou para sempre sua
freguezia em 1804.
e Mello, desde 1810.
ereira Ld*a da Meoezea coadiuc-
- Jesdje 1814. '
owoao Ferbnes Vieira, dede 1616. Este
rofiho lomou poss* por seu procurador o padre
le Tavares da Silva Campos, o qwl o substi-
tuto por poucos
lSj-Antonio Pi
d>Wfffocbi }sdjB~184."
16-J
i'tSJi-
i aqoeUe fratUe
porcias patamapla
di6ca, no rigor meamo
horrores sao bem coche
grado, que aa velo abalhadlaC JarafisJperseguid
da calamidade de 17J, fui Q pa(jre j0|0 Bapdei-
V nh?*? ""I*10 eeBVdhtswteder, que fia .
sao de longas e pezi ., J"J'Jj, AM
rssa
1 daquella sedes, cajos
^.O^reemi-
Qes'do Piauby e oulrpsT muito tfeUo a lular
cnica a oaiureza e contra os humeas quasi bar-
Daros dessa parte do Brasil, e com urna repuU-
?ao de ralete, que fazia respailar por toda a
psrle. E01 chegando. aeu primeiro cudalo foi
- 1 P*0'" o planto de alguna cereaaa, e desol
qwl o substi-edificar urna casla debarropoloe.il. emque'
fohtie!."lllm. "ro": I h0,e a C8M> ,,e 8,r,u de mor,da nlli"-
se para Maranguapo, ondo
dencia.
x7Joa AJexandre
quasi fazia aua resi-
----------- Correa Aroaol, desde
18-Joaqiiim Joa da Costa Caldas, desde 1815.
J^I^t^.J^r^tdnrinistrarera esta freBue.zi* ne
.....rtm esta freguezia
loo/, em que falleceu
de
mente ao vigario Antonio Manoel de Sonsa.
A^aBjeaenca do um sacerdote chamou para aqui
muilaa ouira* psasoas. que coostruiram urna ca-
paila em frente da casa do padre Baodeira, 00
meamo sitio, em que se elevoa depois o templo
inacabado, que serve de matriz: em toroo odi-
aran mais algumas entonas psra residirem
^.tsasss C;rrj:x.^^re-
b,d0- fole da matriz de S. Jos.
18*-Francisco B-niclo de Cirvalho o aual lo-
mou posse, em 1837 e fallece era 1846.
se de 1847 ae,l M- de Bril0' Cui* P01'
2J~Felix Aurel'o Arnaud, o qual.-tendo en-
trado en exercicio em ntfvembro de 1855, con-
tinua a exercer seu ministerio.
Devemos Ss deligencias eindsgacoes minucio-
sas, a que procedeu o 8r. Beroardioo Gomes de
Araujo, autor da chrouica de Misao velhs, a
Cer 4T^l0d" d,u,r I" e08 consignado.
tm 1762 a missao do Miranda ja era tambera
ura arraial bem povoado equici maia importante
que o de Missao-velha, ja por aer mais contiguo
ao Araripe .e ja pela maior extencSo de breios,
qu* o rodalam. Em mar;o desse aono o bispo
Aranha nomeou-lhe o seu primeiro vigario eri-
ginao-a em freguezia separada da Misso-velha.
sob a avocacao de N. S. da Penha ; mas nao sa-
bemos, porque s independencia paroebial s se
veribcou a 4 de Janeiro de 1768, pois que at
anies seus moradores eram curados na matriz de
Missao-velha. Tendo esse prelado em um aeu
despacho de 17 de Janeiro de 1867 ordenado,
que se Uzease aonexar freguezia do Crato alguns
silioi, loclusive o Carite, s naquella poca ro
que o visitador Jos Teixeira de Azevedo fez a
partilha das duaa egrejas.
Os limites, que Ibe foram tragados se acham
assim na proviso, que ez a creagao.-t Como
de laclo dividido lenho da freguezia d S. Jos
oe Larlns-novos lodos os freguezes, que ficarem
para a parte da dita villa do Ciato, desde o.breio
e lugar chamado Caril pa.-a cima al o Cari,
ultimas extremas da freguezia de Carris, qoe8-
cara agora seujo da do Crato com Iuhamuns no
comprmanlo ; e com toda a largura, que tioha
a mesma freguezia de Cariris entre as extremas
da de Labrob e Inhamuns, que conforme sou
inrormado. parte e chega de serra ierra a sa-
ber da serra de Joao Gomes e Lavras-da-Foituoa
do Iohamuos al serra grande do Araripe e
aguas pendentea para o rio de S. Francisco, fre-
guezia de Cabrob, de sorte que todos os sobre-
ditos freguezes e mondares, que ficarem oeste
territorio confrontado, correndo pela ribeira do
Salamanca inclusive do Caril para cima Dcam
pertencendo freguezia de N. S. da Penha. desta
villa do Crato.
'oaglo de Mlssio.^eUia, nao 1.4. (regaeaia.
pitia' Mor da hora villa foi eeoerido Joa Ala-
"1a esa* comolissao>, eolio*bai
icio Itlebrou-ie no dia 3 d
10 m*** dos rtcosijos publii
da vldfe e el/individuos,
lempos era raro e o povo senta a maior neces-
iidade de ae procurar os recursos espWilusss ;
havia por tanto um arraial. onde existia ura sa-
cerdote. O padre Bandeirs, 4nsoflrido da vida
inaclua, que levava, passados lempos, se reti-
rou, cerno viere, islo armado de sua espada
cinta e acompaohado de um seu escravo: mas
ja era apparecido enlao um oulro sacerdote que
ceebr.ado a mis aos doniagoi. conHo.ua a
entrelera populaeio que se liaba arraialado. A
povoagao dependa no espiritual da jurisdigio de
Missao-velha e no temporal da villa do Crato.
Tendo vagado o lugar de eapilao-mr do Cari-
ri, apparecerama pretende-lo dous homens, en-
lao bastante considerados, a saber, Jos Pereira
Filgueiras, filho do portuguez Jos Quesado Fil-
gueiras, e Joa Alexandre Corra Arnaud, des-
cendente do povoador de Missao-velha, o segun-
do casado com urna parela do primeiro. Sem
embargos do oredito, que tioha Arnaod junto aos
ouvidores. e da consideracao e prestigio, que
reuna; Filguelras, cujo nome fazia ja muito Aaiscorais eslava plantada entre 01 dous po-
cho ao looge e era. pela sua forca phisica efor- T0fa? do Cra, e Jrdin, e s retalla espreilsva
mas alhleticas o objeclo dos rejpeitos e admira- P7"s'* de 'banlar. Faktaram abi oa odios po-
cao do vulgo, poude, apesar de menos opuleolo _.* \ eram e,u' 1ue eslavam sobre o mo-
horas. Fui da minha janella porta. Nada. A'a
sete horas e um quarlo ouvi parar um carro ante
minha easa. Corr escada, por onde rinham
subinoo pasaos rpidos.
Es tu, Jseques? exclamei.
Sin, sou eu.
Corr elle.
Que raedo me tueste I exclamei abrsgan-
do-o. Conla-me depressa que le aconteceu.
Ella partiu I disse-me elle com voz abafa-
da, e aeixando-se cahir paludo e desleito, sobre
urna csdeira.
Partiu 1 Para casa d mademoiselle de
Norry ?_
Nao; com o duque.
Menlia te en tao ?
Oh I pobre muiher I se te ouvisse I
Eniso ellelevou-a?
Sim.
E ella consenta em partir?
Levou-a forca.
Quando?
A noiie passada.
E onde est ?
Nevj eei; mas hei de encooln-la.
O que vaes fazer ?
Vou partir.
Quando?
'aqui meia hora.
Ests lonco t
Nio, Infelizmente.
E onde vaes?
A' Blgica.
Quem te diz qoe ella esta l ?
Partiram para o norte.
O norte ; as isso muito vago.
Sim, mas haviam de ir para alguma parte.
O duque oitia que parta para aples.
' Eogaoava-a.
Quem te dea eisa nllima informadlo?
U principe.
Viste-o?
Sim: o qoe teoho feito deade esla manbia
incalculavel. Ainda nao coaii nem bebi. D-me
um copo com agua : eatou morreado de sede.
. Jacques beben mettde de urna garrafa.
Quem disse ao principe qut elles partiram
para o norte ?
O seu amigo do ministerio, mu alo pode
precisar o lugar.
E partes eom essa simples iadicagio.
Ella maodou-m'o pedir.
.Poderla v-la?
Nao; mas ella ple escrever-me tres pala-
traa..
Quera t'as deu?
Fanny, a criada particular.
E Fanny nada sebe?
Nada. 0 duque deixa-a em Parts.
Vejamos s tres palavras da duqueza.
Jacques trrou do seio um pedsco de papel eom
eslaa tres palavras escripias i lspU :
c Eu parlo, pU.
Nads. (Dais.
A palavraPenhafez Saint'Adolphe cahir em
um erro quaodo no arligoCrato liz em aeu
diccionario geographico do BrasilEsta situado
7 ros e20 minutos de latilude e em 42 graos
e 10 minutos de longitndc oeste, e 100 leguas so
susudoesie da cidade da Fortaleza. Quaodo as
communicagoes por Ierra entre a villa do Aracaly
e a provincia de Pernambuco se tornaram mais
frequemes aggregaram-se alguns portuguezes aos
indios Carina eslabelecidos as naaceutes do rio
salgado, entregaram-so ao cuflivo das trras e
eoificarsm urna capella a N. S. da Rochi, que
ucou muito lempo dependente da freguezia do
Ico.
Nao foi da Boeha, mas da Penha a invocagio
do templo do Crato : aideolidade da palavra oc-
cationou lalvez aqu um equivoco. Temos tam-
bera iqut transcripto este trecho do Ilustre geo-
grapho para da* ama idea de quanto errneo o
que se tem crido acerca da descuberta e povoa-
cao do Cariri. No coaceito desse escriplor assim
toi que leve lugar sua povoago.
Nao temos podido achir a relago de todos
?!" 'aeJriolw teel exereido aa fuo'ccoes de
ig.tio u. rreKuutla uo Craio, apenas ponemos
dizer quaes lera sido os seus parochos "ollad/s
2-Miguel Carlos da Si"vr1f1ranha.
3Manoel Joaquim Ayres do Nascimento.
Povoago do Jardim.
Al oa fina do secuto 18, en aioda o Jardim
um sitio nteiramenle deacoobecido. Segregado
comoesi, dos focos de populacao do Cariri, pe-
lo prolongndolo da poota meridional do Arari-
pe, que o separa por um deserto de 5 leguas das
fregueuas da Batbalha e Missao-velha, nao li-
nha participado da emigrago, que havia povoa-
do estes lugares. Al 1792, do, local,
est hoje a villa do Jaroi n, o colono, que mai
ae aviamhava, era um pobre lavrador om casa
i meia legua, no sitio Cabega-do-negro: e dos
{."u8.00.*' q-aB orni,n hoje o sen termo, eram
habitados lao aomeote a aerra-do-Matto, na fal-
da opposta do Araripe. e os sitios de crear mui
longo margem do ribeiro Jardim. que uoido ao
Croata, pode aer considerado como uascente do
nacho dos Porcos, e assim do no Salgado.
A famosa secca, que neste anno assolou os ser-
loes do no de S. Francisca e oulros, deterroinou
urna consideravel emigragio de povos. que pre-
cisados do um abrigo ae encamioharam para o
Jardim, que justamente o ponto mais contiguo
e ao najvilAij
Iho foi incumbida essa comoiissidVentio^basUn-
te honrosa. O acto falebrou-ae no da 3 de Ja-
neiro de 1826, no mt> dos retoiijos pblicos
com aasisieocia de vfdfV le/indtviduos, dita*
da nobrezv entre os quaes alguns figuraran
que cedo linham de ser derribados pelo tufio.
que comegava asoprar, notadamenie o jzeodei-
ro Leonel Pereira de Alencar. personagen im-
portante daquelles tempos. Faltava ah o capi-
lao mor Arnaud, que nio vtveu atd ase dia, que
poda reputar de aeu Iriumpho, Ao rollar do
Rio de Janeiro foi visitado de um.diabetis, qae
aoffiia, e morreu sea ver compiti sua obra e
suplantado o aeu rival.
A villa do Jardim foi inaugurada ao grito de
real, real, real, vira o Sr. D. Joo principe re-
genta de Portugal f trea vezea repetido pelo mei-
rinno geral da eorreigio, de ordem do oovidr
Carvalho, e, como era uso, correspondido pelo
povo, desta vez em deliria de eolhusUsmo.
Couaa singular I Foi quasi ao meamo grito, que
esla multidio devia ser bem eedodizimatJte mal-
lo sangue derramar ; o proptio ouvidor eslava
reservado a bem duras protaoeas do infortunio !
Desde este momento urna rivalidad* terrivel
e aleou entra os dous tarinos, rivalidad.*, que
pasaaodo de dous pareles a doua povoa irmos,
s devia termioar afogada em sangue.
Com a morte de Jos Alexandre fui nomeado
capltao-mr do Jardim Pedro Tarares Muniz.
Por proviisD dell de oobutrode 1814,foi Cria-
da, no Jardim urna nova freguesia. Seu primei-
ro vigario collocado foi o padre Antonio Manoel
de Souza, que entrou em exereicio em fevereiro
de 1716.
aTooinadtos d 1717.
A discordia eslava plantada
azer se oacolher para esse cargo importante^
Ftigueiraa era um homen ralete, impetuoso e
bastante grave. Arnaul faustoso, rico e muito
olelligeote ; o primeiro muito popular, o seguo-
dosoberbo e reservado ; um mais smigo da forgs
que do direito, o outro pacifico, porem homem
de principios.
Estes dous personagens, que repartan entre
si a coosideragao publica no Ciriri, principiaram
desde ento a se olnar com mulua averaao, e um
acontecimento, que os pox en lula aberlo, oa le-
vou a mudarem oteirameate a face dos
cios.
nego-
Frarieisco Callado, pesaos da clientella de Jos
Alexandre linha obtldo ordem para, em compa-
nhia de seus lhos e aggregados, prendera Gon-
galo de Ohveira casado com ama Bobrioha do
capitao-mr. OFlveira, tendo sido intimado da
ordem de pnso, nao se quiz entregar e enviou
Joaquim Ignacio Cardoso. msno de sus muiher,
cora um aviso a Filgueiras para o vir salvar.
capito-mr recebeu o recido, como de ordina-
rio, sombro e taciturno, e deixou partir o seu
prenle sem promessa alguna ; maa depois sua-
peiiando. que elle levasse ms intengoes ; poz-
ae a cavallo,eeguindo-o at acha-lo 00 arraial de
Mtssao-nova e, em aua companhis, foi encon-
trar, a pouca dislsncia, Oliveira, que ja vinha
preso. Filgueiras exigi que o preso Ihe fosse
eotregue, mas a escolta recusou formalmeute, e
indo por diaote a questio, Cardoso salta em tr-
ra, corta aa cordaa ao preso, e cahe varado de
urna baila. O furor de Filgueiras, oeste momen-
to nio leve limites: tomar a arma ao moribun-
do, deapara-la sobre um dos Callados, e com o
colee dalla matar a dous outros, foi obra de um
instante. A escolla ae diaperaou, e quatro cada-
veres restaram sobre o campo I
A bravura e ferocidade, que Filgueiras desen-
volveu nesla occasiio, tiveram um grande echo,
e cebando de recommeoda-lo ao respeito pu-
blico, Ihe valeram o amor da gentalha. O ho-
mem grosseiro s ama o qae admira,.e nao sabe
admirar, senao o que teme.
Filgueiras foi desde enlao o homem mais po-
pular, que ja viveu no Cariri; ama especie de
mytho.
Os Callados ac I li eram -se protegi da Ar-
naud. que se fez forte cora elle*, em aeu aitio
Logrador ; do meamo nodo Filgueiras, em ebe-
gando a seu sitio S. Paulo, Iratou de reunir gen-
e.S iS suas diaposices Dar alaca-lo. Nealas
-Ircumslancias intervalo o vigario do Cralo Mi-
guel Carlos ds Silva Saldanha, interpondo aua
influencia para aqulela-lo, e conseguio que elle
debandasse a numerosa multidio, que linha poa-
to em armas. Seguio-se porem o processo dos
Callados, os quaes tendo sido pronunciados,
Arnaud afiangou e poz em liberdade.
Jos Atendr foi s Capital qaeitar-se ao gover-
nador Manoel Ignacio Samp 110, e j o liaba pos-
lo de sea lado, quaodo Filgueiras se Ihe apre-
H" seotou, efe-los lomar o seu partido. Sampaio
obrigou Arnaud a recolber os Callados a priso.
doode conseguiram evadir-se, e Jos Alexandre,
preso i sua ordem no lo, s poude obter soltura
a iroco de um desterro para fbra do Carri. Res-
tituido liberdade (1812 ], empreheodeu ir ao
kio de Janeiro reclamar contra as injustigas, de
que ao reputara victima, e, no intuito do se sub-
trahir ao ascendente de Filgueiras, tentar a crea-
gao de urna tilla no Jardim, a qual lissio-Ve-
ina fleasse sobjeita. Neste enpenho foi mais
feliz : em coosequencia de suas solicitages, o
principe regeule asaignou o decreto de 10 de agos-
to de 1814, pelo qual fui o Jardim erecto em villa
devendo sea termo abraoger nio someote a po-
ci
Pobre muiher!
Tens razio de lastima-la, por que ten aido
bem tlente, tem soTrido muito e ainda esti sof-
freodo I
Bmfim, como foi isso ?
Nio conhego aioda oa pormenores da ice-
ua, qae foi terrivel, segando parece, e que durou
pelo menos tres horas; o que sai por Fanny, 4
que Anoette leve de ceder A forga e de partir
meia hora. Comprehendes bem, nio assim, que
necessano qae eu me encontr com esse ho-
mem ?
Nio o encontrars. Tem sobre ti tinte qua-
tro horas de araego, e duzentas mil libras de
rend ment que tu nio teas. Pagar os guias o
duplo e o triplo, e ir tio looge que nunca o al-
canzars.
Sim, mas rae com elle ama muiher que me
ama, que sabe que eu a acompaoharia ao fim do
mundo, e que eapregari todos os meiee para de-
mora-lo.
Vi8-i6 tua me?
Sim, disse-lhe que parta por alguns dias
gmente, ella de nada descooQs.
Ao fallar-lhe de sua mi, ea liaba erapregado
para com que Jacques o nico mel que havia de
impedir una viagen que ea olhava como urna
loucura certa, como um perigo provatel. Nio
tendo feito nada o nomt de sua mi, nenhum
raciocinio o poda fazer. Em sumraa, nio deve-
mos nunca combater urna resolagao que nos
mpsDies tonarianos se estivessenos em idnti-
cas circunstancias. Com a sua natureza. Jacques
era locapat de esperar oa acoolecimeotas, aem
do mundo. E demais,
bel.
ae precisar, escrerer-te-
Teos psssaporte 4
. Teoho, aen tmio da enbaixada, as pouco
importa ; fa-lo-bei tiair nos paizes por onde pas-
sar. Nao tira lempo boje.
O qae fizaste ?
Todo o que humanamente possivel faxer
em ura da. Fiz pergunlas durante duas horas i
Fanny, que tinba sempre s mesma cousa para
dizer-me, estive em essa do principe, acompa-
nhet-o ao ministerio dos negocios estrangeiros
vim aqu, no momento em qae ia voliar, len-
brou-me que Aonelte tivesse podido fugir, que
talyez estivease no campo, em casa de mademoi-
selle de Norcy. tanto me cuslava que essa parti-
da fosse urna realidade. Fui casa de Elisabeth,
oada. Sah logo, depois de Ihe ter commuoicado
a minha resolugao de partir esta noite para Bru-
xellas; toltei Paria. Paasei dez tezet pelas ja-
nellas da duqueza, ful abracar minha mi, fai
buscar dlnhelro, chorei, aoitri, pensei morrer,
reaei, e eis-me quasi tranquillo e mailo admira-
do de que a nossa nachina hunana possa rasis-
tr i tantas emogoes e fadigas amontoadas em um
so dia.
Agora, nio teoho plano, nem pomo compre-
nender exactamente as minhst aenssgoes. Sei
urna consa e 4 que a pesaoa i quem mais amo
oa mundo, partiu, e qae ea parto para acora pan ha-
la. Outra cousa me seria irapossivel.Se encontrar
Annette, farei ludo para reheve-la. Se nio a
encontrar, talvez morra, como talrez me conso-
l. Sei, maianio sei. Sel apenas que (ora del-
. la todo me indiffertnte. E parlamos I
correr a pos elles. A ag lacio do sea espirito nao Jacques levaotou-se, mal se podendo instar
poda niesmo gaslar-se senao oo movimanto de Eslava morto de canaago, e foi toreado a por
seu coipo. Encerrado trea dias com os seus peo- -
samemos, auaainquialagea e sua colera, teria
morrido de apoplexia. "Depois, a duquesa linha
soflrido bastante para qae elle .Ibe desse a ultima
prova de amor, que talrez Ihe pdese* dar, ainda
qae essa prova foeae um perigo mortal que Uves-
se de correr. Ainda que nao partisee por conta-
gio, cunpria-lbe partir por dever, pelo simples
pedido qae ella Ihe havia feito. Se, depois de ae-
melhanle acontecimento, elle ne tireaae dito:
c Fico en Parjs, se nio houvesao. tentado ludo
para reooir-se esaa pobre muiher, eu loria ne-
gado que elle jamis a boavesse aado, a certa-
mente, l-lo-hia eatinado menos. Poda, pois,
temer por elle, mas nio podia desapprova-lo, e
o meu papel da amigo inquieto lnmava-ae, nes-
sa circumslands, a ajuda-lo, a meihor que po-
desse, a fazer una loueura,
E' lempo, dtsse-me elle, olhando psra ore-
logio : acompaohas-me ao caninho de ferro?
Ainda o perguntas?
Partamos entlo; nao lenho nais que viole
njionlos.
Teos lempo de comer abroma cousa.
Nio tenho fon. Comerat no caminho.
* Tens dnheiro bastante t
mo na teata para ansenla r-ae.
Pobre amigo I disse-lhe eu.
Nao hade aer nada. Ah I continuou, eata
ooite ou amanhaa, bao de trazer-te um embru-
Iho ; 4 o seu retrato as su ai cartas, guarda-
mos squi. Nioguem sabe a que pode acontecer ;
en caso de desgraga, nio quero que as encontrem
em minha casa.
Subimos para o carro que nos esperara por-
ta. Eslava um lempo de circumstancia, chovia
i potes. Chegamos ao caminho de ferro. A pn-
meira pessoa que vinos apeahdo-se de um dos
carros foi mademoiselle de Norcy. Jacques em-
psllideceu ao v-la.
Ella mU em sua casa ? exclamou alia.
Infelizmente nao, respondeu Elisabeth; vin
para v-lo urna ultima vez ; o senhor esteta ta
agitado esti nranbaa, que pensei qoe tinba se es-
quecido de martas coasas, e que no momento da
partida talvez tivesse. necaMioade de fizar ro-
commandages I aiguam ; depois quera desejsr-
Ibe urna boa ritgam.e se toreaase a ver eaaa po-
bre muiher i quem nip coohego, mas i quem
quero bem sen eonhecer, se ea Ibe poder
sabe que nada me prende mais este do que
aquello lugar.
Obrigado, minha boa Elisabeth, obrigado,
responden Jacques com emogao ealendeodo a
mi moga.
Durante esse lempo eu nio pedia deixar de re-
flectir comigo meamo :
Aqui est urna muiher que ama, e um ho-
mem que tambem ama; ambos soflrem pelos
seus amores. Porque? O que qaerem ambos ?
Reunirem-se s pessoas i quem smsm ? Nio
pdem. Pois bem, ji qus tem ambos um gran-
de amor, j que Be apertam s mios, sendo li-
tres mogos como sio, por que nio dio om
ao outrojoamor que experimentara ? Umn io
serla mais forgado a partir, a outra nio morrena
de pesar como esl por succeder-lhe, e oada
mata podara separa-los. E dizer que Deus que
pode fazer tanta cousa, nao 'pode fazar eaaa I Se
Elisabeth ten de amar un da' 4 Jacques, hade,
emquanto isso nio succedf, ir ao ultimo limite
do seu desgosto. Se Jacques ate amar Elisa-
beth nais tarde, deve 00 entanto, dar al o ulti-
mo passo de una vagem onde os horisonies rao
renorar-se para elle um milhao de vezes.
O senhor nos escrerer? replicn made-
moiselle de Norcy.
Sempre que poder.
Fez-se ouvir a pnmeira baja la da do sino. Jac-
ques foi tomar o seu bilhete, o que Ihe permittia
Impar os olhos ; por que estar um pouco con-
movido, e neasa emogao, a tocante aympalhia de
Elisabeth tinha largo quiobio.
Quem me teria dito, dian ella acnmpanhan-
do-o com es olhos, quaodo Cariota m'o letn era
casa e que eu os va oa antes julgava-os apai-
xonados om do outro, que o verla agora partir
aasim airas de outra muiher f
Jacques veio ter comnosco quando se fazia ou-
vir a segunda chamada.
Vamos meas senhores 1 gritou o homem da
estagao, quem vae para Bruxellas entre para o
carro I
Os grapas qae espersram aob o grande parea-
tilo dividiran-ae eom aa altimas patarras senpre
tio totaoles da eeearaeoe*. Conheeem es Itito-
res slguma coasa mala trate do que urna partida,
meamo quaodo ae prev a volia ? O que aeria
para nos que nio sabamos onde ia o nosso ami-
go, qae meamo nao o sabia ?
Vamos, adeusl dase-nos elle com esforto;
at brete,talvez.
ment de appartcar.
Oa primeiros successos da revolta de 6 de mar-
co de 1817, em Permeobuco, linham parecido aos
patriotas de mis conseqoeneias, do que, era li-
cito augurar-Ihes. O governo provisorio, com-
posto realmente do que havia de nelbor naquel-
la capitana, en peajeao. iolelligt ocia e patrio-
tismo, deixou-se de um momentneo e epheme-
ro iriumpho, e leve pouca prudencia, calculando
sobre os dados, que devia contar no paiz, para
pretender a emancipagao poltica do Brasil, e der-
rocar urna mooarchia, que a ignorancia, o fana-
tismo, as prevenges creadas sootra a causa li-
beral, o tempo e a forga liobam por demaia coa-
solidado : pretenda que oa governoe americanoa
viriam em soccorro de sua ctusa, e que s havia
questao de fazei frente corte do Rio de Janeiro
em quanto seus reclamos se fisesseaVowir pelas
oacoes, ba pouee> emancipadas. Nene erro, jul-
gava da maior necessidade provocar a revolta en
diversos pontee, e compromettet aa espUanias
do norte a se sssociarem a cansa de Pernambuco.
Os membros do governo provisorio e as pessoas
que liobam asseolo em seus conselbos, foram
tratando de por auas relsgdes as capitanas ao
aervigo da repblica, cada qoal Ihe procurara
apoio esire seus amigos e prenles.
Acbava-sa a esse lempo fazendo 0 aeu curso de
rhetorica, no seminarlo de Olioda, o subdtacono
Jos Martintlno de Alencar,mogo de inteligencia
a ardecte partidista da liberdade, que j pelo
seu fogo, enthusiasmo e intrepidez.e ja pela ami-
aade, que tributava a aep meetre, padre Joio
Ribeiro Pessoa de Mello Monto Negro, nembro
do geverno provisorio, nao recusara ir ao Ceai
promover a rerolta. Aleucar perieocia i ama
numerosa e mui importante familia dea extremi-
dades do Cear e Pernambuco epodia coatar com
a influeucia de aua mae, ana muiher toda varo-
nil e muito popular, e com o aacendentee cr-
dito do seu pae. o vigario do Crato Miguel Car-
los da Silva Saldanha, de quem era em extremo
amado. O Cralo 00 entanto, como om loco de
immeoaa populacao e como podio o mais longi-
que para a aegio do governo, era de preferencia
o lugar, que coovirrha agitar. Foi pois solicitado
de aceitar esta perigosa commiseoo, e, porque
ludo se reputava feito, se se logrease ganhar pa-
ra a causa da repblica a.vontade do capitao mor
Filgueiras, o padre Joio Ribeiro recomneodaria
o joven enissano a aeu pruno Fr. Francisco.de
Saol'Anna Pessoa, capellao da Barbalha, quego-
aava da maior coafiaaca de Filgueiras, a fim do
que junios lrat.ilh.isem o aeu pronuDciameolo
Alencar aceilou esla tarefa, eom toda a promp-
tidio de om rapaz sem o menor exame.
Para ajuda-lo, deu-lhe aioda o governo pro-
visorio um collega, Migue) Joaquim Gozar, outro
mogo, que pareca capaz e constara ter algumas
relacoes boaa nos sertoes do Cear, e os fez par-
tir bem contentes da confianga, que Inspiraram
cheios de resolugio e de vontade e, entre outros
conselhos, coodozindo as segnmtes iostroegdes:
t Iro os patriotas fazendo sna viagem com
toda a paz, poltica e camella, obrando por eate
modo, quaodo tratarem com povos por onda pas-
aarem, e se os charem dispostos para a boa can-
as, procurarlo ascender ainda nata, o leu patrio-
tismo, mostrando Ibes as amigas oppresses e os
bens, que nos virio de nao aermus mais goter-
nados por ladres, que vem de tora chapar a nos-
sa substancia. E se acharan os oovob em urna
total ignorancia e abatimento, procurarlo dar-
Ibes algumas ideas em favor da causa e inflma-
los : porm se aeharem algum tenaz partidista
da lyranota, oto entraram com elle em diseus-
soes ; basta que osfiquem cooheceodo.]
(Continuar-u-ha.)
com a mesms palavra
. ae ea toe poder ser
til em alguma costa ditponha da minht amiaa-
Tenho eem lolies; cor* isso rae-te M fim 1 de, wesmo que teja neceatrio parto. o seohor
e Elisabeth olhamo-nos
nos labios.
Pobre amigo I
Se tiver noticias antes ds mira, d-m'as..
diMe-me ella.
Sim.
Nio ohimos mais Dada para dizer. Madeoiai-
selle de Norcy nio quiz que ea o acompaabsw&.
Acabrunhada por umgrande tristeza sem causa
pessoal, ella experimentara a neceasidade de es-
lar s como por um descosto qoe Ibe fosse pro-
prio. No momelo em que nos separramos,
urna correte de ar treuxe-nos a respiaglo ar-
queante de machina que lerava Jacques. Para
onde? S Deus o sabia ? D'ahi ha dous dris re-
cebi s seguinte carta.
f Escrevo-le de Quievrain, emquanto visara os
ooasos passaportaa. Que viagem triste, chara,
iasomnla, fro. Em toroo de mim, sujeiww ale-
gres a nrero. a babor a, a fumaren. Nao fechei
olboa um s iostente. Tenho febre. Rio ha ca-
da denoto. Entretanto eitou isposto a apro-
reitar o menor inlicio, a mais pequea informa-
9I0. Se ella seguir a estrada qae percorro,
impossirel que nio tenha procurado deixar al-
gum vestigio. Deve fazer tuda para ajudsr as
miabas pesqaizas e esclarecer as minhas iaquie-
tagbes. Ainda ha pouco travei conversa com o
gendarme que visa os passaportas. Inlerrvguel-o
com tola a destreza respeito dos passageiros de
bootem. Acabei por dizer- Ihe o nome ao duque,
e perguotei-lbe se nio se lembrara de ter visto
ha pouco tempo esse nome em nm passaporte.
Nao se lembrou. Tantos nomes Iha passam pe-
loa olbos I e alm diaao que importa esse ho-
raem queexerce o seu offico de eutse Con ana.
indifferenga rotioeira bem eomnoda para aqueitea
qae toa alguna razio de fugir para a Blgica
sea sern receoReoidoe na fmnlaira ? Acredi-
tars que lenho olhado psra toda a parte ? Para
as paredes onda poda haver escripia nma pala-
vra ou um sigoal: por que to ella potito para
Bruxellas. ton farcotametue de parar atesto em
que eu esto. E* anda una conaolagio pVa mim
pMsar que ella tocou com o p o atsoalho. que o
mau p toca. Apaohei uns pedacinhet de papel
qoe haviam no chlo, com a esperang* ridicula
que talvez fossem della. e que liresstn alguno
palavra escripia pela aua mo. Folbooiataabro-
aburas de um vendedor de livroa que ten un de-
posito na aala da estagio. Poda ler deixtdo en-
tro elles alguna carta para mito.' Teoho moda)
dt j eatar un tanto doldo. Vae ter minha mi.
Abracou-Tjoa ; mas deesa tez nio pode oeeullar ehe-Ihe que que passo ben. A muiher da ten-
as lagrimat.
Eacreve-nos de Bruxellas, disse-lh* tu.
Pica tranquillo.
E oio pdde dizer mato. Quantos ostros pen-
saneotos, alm daquellea qae preaidem s des
pedidta mala vulgares, deviam segmentar an
emociol^m*-lo perdendo-#e na turba multa que
atulbev. o eetacto. groce-me v-lo tildo cim
a aua pequeoa mala debati do brtco, Fax-noa
um ultimo signa* cen a q|0 ^pparteea, tt
a'aqui le mandar-eata carta. Quem sabe ao
ella to ebegart aa nios? Vanoa partir. Eacre-
ver-te-hei de Bruxetlaa. Ettrever-to-bei d* to-
dos parle. Mademoisells de Norcy tova tatito
bandada comtgo. Se t tiret, agrdece-lhe poje
qot avio lht agradec btstaoto. E topea todos
pensara om pouco en aotn. tJaeq*?.
Li
J-
W.TTf. W M,Wa>A&rtTO. 18V
_


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EVNM47M6G_BLMN4C INGEST_TIME 2013-05-01T00:52:02Z PACKAGE AA00011611_09409
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES