Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:09389


This item is only available as the following downloads:


Full Text


lili IIITH ID1M0 212
Por tres'aezes adiantados 5$000
Por tres mezes vencidas 6$000
SABB1D0 14 II SETE1BB0 II Itli
Porannoadiaftadal9|000
Parte frasea para a snbscripUr.
NCA1RBGADOS p A S1SC1IPCAO DO NORTE
Parahiba, o Sr. Antonio Aleandrino da Lima;
natal, o Sr. Antonio Marques da Silra; Araca-
ty, o Sr. A, da Lemos Braga; Cetra o Sr. J. Jos
da Oliveira; Maranhio, o Sr. Maaoel Jos Mar-
tina Ribeiro Guimares; Para, o Sr. Justino J.
Ramos; Amazonas, o Sr.Jernimo daCosta.
PARTIDAS u UUKHaUua.
Olinda todos oa diaa as 9 1/1 horas o dia.
Igaaraaa, Goianna Parahiba as segundas
sextas-feiras.
S. Anto, Bezerros, Bonito, Ctraaru.AUinho a
Garanhuns as tercaa-feiras.
Pao d'Alho, Nazareth, Limoeiro.Brejo, Pes-
queira.Ingazeira, Flores, Villa-Bella,Boa-Vista,
Ouricury e Fx as quartas (eiras.
Cabo, Serinhiem, Rio Formoso.Una.Barreiros,
Agaa Preta, Pimenteiras a Natal qaintas feiras.
Todos os corraiospartam as 10 horasda manhaa
EPHEMERIDES DO lfRZ DR SETEMBRO.
4 Laa ora as 7 horas a 52 minutos da man.
11 Qtiarto crescenta as 10 boras e 56 mina toada
manbia.
18 La cbeia as 11 horas e 42 minutos da tarde.
87 Quarto minguante as 4 horas e 5 minutos da
manhaa: ,
PREAHAR DEHOJE.
Primeiro sos 54 minutos da manhaa.
Segando aos 30 minutos da tarda.
DAS DA SEMARA*
9 Segunda. S. Sergio p. ; S. Seraphina viut.
10 Terca. S. Nicolao Tolentioo ; S. Jader b. m,
11 Quarta. S.Theodora penitente; S. Proto m.
12 Quinta. S. Auta r. m. ; S. Jurencio b.
13 Seita. S. Felippe m.; S. Ligorio; S. Cypriano
14 Sabbado. Eialtacio da Santa Cruz.
|I5 Domingo. O Santisaimo Nomo de Mara.
UUIM.4UA! .UU IRIBUNAfiS DA CAPITAL. ENCARREGADOS DA SUBSCRIPCAO DO SUL
Tribunal do eommereio ; segandas a qaintas.
Relacao: torgas, qaintas a sabbados aa 10horas.
Fazenda: tercas, quintas* sabbados as 10horas.
Jaizo do tommarcio: qaartas ao mel dia:
Dito da orphaos: tercas o saxtas as 10 horas.
Primeira rara do aira!: tercas a saitasso meio
dia.
Segunda rara do ItoI: qaartas sabbados a 1
hora da tarde:
Alagoas, o Sr. Claadino Palco Dias; Bahia,
Sr. Jos Mirtina Airas; Rio da Janeiro, a Ii
Joao Paraira Martina.
EM PERNAMBUCO.
O proprietario do diario Manoel Figueiroa e
Paria,na saa lirraria praea da Independansia n
If a 8.
PAITE 0FFIC1U.
GOVERNO DA PROVINCIA.
Expediento do da 11 de setembro
de 1861.
Officio ao cnsul de Mecklemburgo Schwerin.
Approvo provisoriamente a deliberagioque to-
mou o Sr. Antonio de Horaes Gomes Ferreira,
cnsul de Mecklemburgo Schwerin Basta provin-
cia, de eocarregar do consulado como me parti-
cipla em officio de 24 de agosto ultimo, ao Sr
Luiz Gomes Ferreira, durante a viagem que val
fazer a Europa; cumpriodo que o encarregado
do consulado aprsenle o exequtur imperial no
prazo de tres mezes contados desta data.Fi-
zeram-se as communicagea precisas em taes
caaos.
Dito ao Exm. presidente das Alagoas.Cum-
pre-me participar V. Exc. em resposta ao seu
officio de 28 de junho ultimo, que nesta data au-
torisei thesouraria da fazenda a pagar ao tenen-
te coronel Rodolpho Joao Barata de Almeida,
quando houver crdito somente a quantia de.....
25^000 que se est a dever i companhia bahiaua
provenientes das passagens dadas nos vapores da
mesma companhia a um official e tres pracas do
exercito da cidade do Penedo para a capital des-
ta provincia, devendo a importancia da passagem
concedida ao promotor publico de Tacarat ba-
charel Eugenio Augusto do Couto Belmonte ser
indemnisada por elle visto nao poder essa despe-
as correr por conta dos cofres pblicos por nao
ser autorisada.Expedio-se a necesaaria ordem
thesouraria de fazenda.
Dito ao coronel commandante das armas.
Respondo ao officio de V. Exc. datado de 30 de
agosto ultimo, declarando-lhe que ainda nao
chegou ao arsenal de guerra segundo ioformou o
respectivo director em officio de 9 deste mcz o
pedido de fardamento para os recrutas destinados
i corte, a que allude o commandante do dcimo
batalhio de infantaria no officio que devolvo ;
entretanto podem ser foroecidos os artigos que
forem sendo precisos para os mesmos recrutas,
excepto mantas, que teem de vir da crt6, como
declarou o Exm. Sr. ministro da guerra em aviso
de 5 daquelle mez.
Dito ao mesmo.Sirra-se V. S. de mandar
por em liberdade, dando-lhe baixa se j estiver
alistado ao recrula Benedicto Jos dos Santos,
visto ter provado iseogao legal.Gommunicou-
se ao commandante superior do Recite que solici-
tara a escusa desse recruts.
Dito ao chefe de policia.Convra que V. S.
faca executar o regulameoto expedido para a sec-
gao urbana em2 do corrente, o qual est publi-
cado no Diario de Pernambuco de 7 deste mez,
de que lhe remeti um exemplar.O0iciou-.se
para o mesmo fim ao commandante do corpo de
policia.
Dito ao inspector do arsenal de marinha.fn-
teirado pelo seu officio de n. 236 e data de 4 do
corrente, de achar-se fioalisado o lempo porque
se contratou o engenheiro machinista da barca de
escavano desse arsenal, Andrew Me Intyre, te-
nho a declarar-lhe em resposta que dove elle
proseguir Desse servido sob as condiges do seu
contrato al que o governo imperial resotva o que
lhe parecer mais acertado, visto nao convir que
fiquem paralysados es trabalhos de escavacao do
porto. Communicou-se thesouraria de fa-
zeoda.
Dito ao inspector da thesouraria de fazenda.
Respondendo o seu officio de 6 do corrente, sob
d. 830, tenho a dizer que mande V. S. pagar ao
capito Temoliio Peres de Albuquerqoe Mara-
nhio, somente a quantia a que tlver direito por
urna besla de bagagem na viagem que fez de Cim-
bres para esta capital.
Dito ao mesmo Para ser pago ao negociante
Jos Joaquim Teixelra, quando houver crdito, a
quantia de 400040 ris, em queimportam as eta-
pas abonadas pelo delegado do termo de Limoei-
ro aos desertores do exercito Francisco David
Borges, Marcolino Jos de Aodrade, Victorio Jos
Rodrigues, Luiz Jos de Santa Aooa, Manoel
Gomes do Nascimento e Antonio Nicacio deSou-
za, reslituo V. S. os documentos que acompa-
nharam a sua informagio de 5 do correle, sob
o. 825, visto j se achar esclarecida pelo coronel
commandante das armas a duvida que se di nos
oomes dos desertores mencionados em primeiro
e segundo lugar, como se evidencia do meu offi-
cio de 9 do correte, pelo qual se mandou pa-
gar as gratiBcacdes devidas ao mesmo delegado
pela captura de laes desertores.
Dito so juiz municipal de Pi d'Alho.Ao.of-
cio de 5 do corrente, em que Vmc. psrticipou
achar-se findo o prazo de 60 dias marcados para
habilitagio dos preteodentes aos offlcios de par-
tidores, contador e distribuidor desse termo, te-
nho a dizer-Ihe que dovia Vmc. ter opporlana-
mente communicado o dia em que fez affixar o primeira cmara leve sesso e adherio com a
para a deputagio do parlamento geral (Reichsrath)
em conformidade da patente de 16 de fevereiro
ultimo.
Poucos dias antes o mesmo convite tinha sido
dirigido a dieta Croata-Eslavonica-Dalmatica reu-
nida em Agram, sendo pela mesma respondida
com a unnime resolugio de nao deputar o par-
lamento. Depols desse acootecimento nao se
poda esperar outra cousa da dieta da Hungra, e
o que era de prever acontecen. Francisco Dak,
o grande jurista, da Hungria tinha tomado sobre
si de redigir em resposts ao rescripto imperial
dirigido i dieta de Pesthe, um segando enderego
refutando as pretencoes jurdicas do mesmo, e
quando Dek apresentou o seu elaborado na se-
gunda cmara, a mesma o aceitou unaniraente
debaixo de vivas demoostragoes de applauso. A
leitura do documento durou tres horas, crescen-
do de momento em momelo o enthusiasmo da
camira. Nao houve nenhuma discusso ; o par-
tido radical tambem se absteu de qualquer repli-
ca, e o endereco de Deik passou a resolugio de-
baixo de vivas tonantes. Dous diss mais tsrde a
respectivo edital, permittindo copia delle para
ser reproduzdo nesta capital, como determina o
art. 11 do decreto, n. 817, de 30 de agosto de
1857, o que fari logo que este receber.'cumprin-
do por essa occasiio o que dispde o art. 12 do
mesmo decreto, afim de saber-se o numero, ha-
bilitaces e merecimento dos pretendenles aos
sobreditos officios.
Dito ao superintendente da estrada de ferro.
Peis sommunicaco que me dirigi o Sr. supe-
ritendente da estrada de ferro em 9 do corrente,
quei inteirado dos trabalhos que se tem pro-
cedido na mesma estrada relativos is cercas vi-
vas.
Dito ao commandante de Fernando.Defiri-
do o requerimento, que me enderecou o senten-
ciado a prisio simples Francisco Alves Ferreira,
sobre que informou o juiz municipal da primeira
vara, autoriso i V. S. a manda-lo retirar para
esta capital na primeira opportunidade, afim de
cumprir o resto da pena na casa de detenco, se
verificar que elle realmente se acba doeole, e
nao pode ah realabelecer-se comoallegs.
Dito ao director do arsenal de guerra.Respon-
do ao seu officio, n, 262, de 9 do corrente, de-
clarando-lhe que pode Vmc. remetter para o Rio
Grande do Norte, oa barcaca Uniao do Norte, de
que mestre Manoel Ignacio Rodrigues, os 20
barris com plvora viudos do arsenal de guerra
da curte com destino aquella provincia ; pagan-
do-so 2^000 de frete por cada um barril.
Portara.O presidente da provincia, confor-
mando-se com o que propoz o chefe de policia
em officio de 10 do corrente resolve nomear che-
fes das companhias da secgio urbana os cidados
seguintes:
Para a Ia companhia.
O lenla do corpo de policia, Francisco Borges
Leal, que seri considerado em commissao, con-
tinuando a pertencer ao referido corpo.
2a companhia.
O major reformado da antiga guarda nacional
Bernardo Luiz Ferreira Cesar Loureiro.
3a companhia.
O lente da mesma guarda nacional Joio Pe-
reir Lagos.Fizeram-se as necessaras com-
municacoes.
Dita.0 presidente da provincia, tendo em
vista o que informou o inspector da thesouraria
provincial em officio n. 429, de 23 do corrente,
resolve que, na execucao do art. 22 da lei pro-
vincial n. 510, de 18 de junho deste anno, a dis-
tribuidlo do sustento e curativo dos presos po-
bres das cadeiaa da provincia seja regulada pela
seguate
ao imperador Napoleio, por carta autographa que
lhe enviou para Vichy pelo general Williseo, de
nao se achar presentemente em estado de po-
der aceitar o convite do imperador Napoleio.
A entrevista com o soberano da Franca por issso
mesma unanimidade resoluco da seguoda c-
mara. O endereco eatava redigido por Deik com
toda a clareza e agudeza, concluindo da maneira
segunte, que o rescripto imperial tinha rompido
o fio das negociacOes.
A dieta de Pesthe constatava esse facto e o acei-
tara, que elle agora declarara rompido o fio das
negociaces.
Acootecesse o que qaizesse.a Hungria nao abri-
ra mi do seu direito. Que ella reservara o seu
direito e protestava sobre ludo contra qualquer ac-
to do gabinete e do parlamento de Vienna contra sao que a sua accao tem exercido sobre a'opi-
oio foi abandonada ; ella s foi addida e como
de Berln se assevera mu positivameote, leri
ela lugar em lodo caso depois de terminada a
eura nos banhos de Ostende; provavelmente
nio em Chilons, mas n'um outro lugar da Fran-
ca. Eotretanto como iodemoisaejio pela falta de
visita- de el-rei da Prussia em Chalos, o impe-
rador Napoleo all leve a visita de el-rei da
Suecia. Nio devemos deixar de'referir porm
que o mesmo na sua volta nio deixou de fazer
tambem urna visita i rainha de Inglaterra em
Osborne, e como a diplomacia pelo momento
nio se acha oceupada com grandes questdes in-
teroacionaes, ella mostri urna grande actividade
na invencao de todas as possiveis conjecturas
por causs das de el-rei da Suecia. O carcter
contradictorio dessas conjecturas, das quaes ca-
da urna merece tanto cu tio pouco crdito como
a outra, a melhor prova que nada de positivo
se sabe acerca de quaesquer fios polticos, da
viagem de el-rei.
Aeha-se terminada a inqtiisicio eontra o o il-
dante Osear Becker que commetteu o attentado
de assassinato contra el-rei da Prussia, em Ba-
den-Baden. Becker conservou fielmente a posicao
tomada desde o priocipio. Elle coofessou tudo,
e d ese j aria muito ver-se admirado como o Orsi-
n, da Allemanha. A sua principal queixa na pri-
so achar-se privado da leitura das gazetis, nio
podeodo assim tomar conhecimento da impres-
0 seu direito ; que protestara sobre ludo contra
quaesque resoluces que o parlamento de Vienna
por acaso tomasse a respeilo da Hungria, e que
nunca reconbecera qualquer determinado dos
orgios da constituigio de fevereiro icerca de finan -
(as e de impostos em tanto que se referissem i
Hungria. A impressao que essas declarages
causaram em Vienna foi a mais profunda possi-
vel. Seguio urna conferencia de ministros i ou-
tra ; mas aioda nao se pdde tomar nenbuma de-
lerminacio definitiva.
Nio se pensa que em Vienna se decidirlo a ce-
der, e pelo contrario se suppOe que leri lugar a
dissoluco da dieta de Pesthe, e que se tomar a
resolugio de transferir ao^urlameoto presente-
mente reunido em Venna^nompetencia de par-
lamento geral para todas as psrtes da monarchia,
islo tambem para os paizes da corda Hngara.
E' verdade que isso s pode ter lugar em con-
tradicho da constituigio de fevereiro, a qual exi-
ge para o parlamento geral expressamenle a par-
ticipado dos representantes da Hungria; porem
at agora nio se descobrio em Vienna nenhum
meio constitucional para sabir do embaraco sem
condescendencia para com a Huogria, e pelo
momelo parece que nada se quer saber de con-
descendencias.
Tambem a dieta da Istria recusou deputar o
parlamento, e foi dissolvida em consecuencia
disso. Nestes dias deviam ter logar as novas
niio publica. Segundo todas ss appsrenciss foi
a mana de se fazer um nome poltico que o le-
vouao crime, e essa mana tambem o faz deso-
jar agora a pena de morte. Mas como se sup-
p5e os tribnoaes em lugar de o condemnar i
morte, s o cendemnarao a prisio perpetua:
A universidade de Leipzig, a qual Becker per-
tencia na qualidade de estudanle, acaba de ex-
pulsa-lo publicamente da sua cammunidad.
Diremos ainda algumas palavras a respeito de
negocios fra da Allemanha.
Depois de haver filhado a tentativa de urna
pacifica occommodacio dos negocios da Herze-
govina, os revoltosos all, reunidos
bandos de Mootenegrinos, abriram de novo as
hostilidades. Urna columna de provisdes turca
foi anniquiilada, os poslos turcos foram atacados
e os insurgentes e os Mootenegrinos roubaram
todo o gado perteoceole a subditos turcos. E-
pera-se em breve um ataque sobre Trebinje on-
de cerca de 5,000 insurgentes tem tomado po-
sicao.
Entretanto Omer Pacha adoeceu em Montar.
Nada seourede operagdasdos turcos. Urna ul-
tima noticia vinda de Ragusa s diz que elles
linham destruido tres conventos gregos.
Na Italia se acham aioda na mesma posicao.
As ultimas noticias de aples sio muito assus-
tadoras. Em todo ojeaso o levantamento Bourbono
est bem longo de se achar supprimido. e pelo
eleicoes, porem era Vienna nao se tem nenhu- contrario se approximou ltimamente at pouca
ma esperanca de um voto favorajel da nova die- distancia da capital. Tambem em alguns pontos
as tropas foram obrigadas a retirar-se dos revol-
tosos. Apezar de ludo isso de novo falhou um
TABELLA.
TERMOS.
Recife (casa de detenco......
Olinda.........................
Iguarass......................
Goianna........................
Cabo...........................
Pao d'Alho....................
Nazareth.......................
Limoeiro......................
Victoria........................
Escada.........................
Seriuhiem.....................
Barreiros......................
Caruai........,..............
Bonito.........................
Brejo..........................
Garanhuns.........-............
Paje de Flores................
Villa Bella.....................
Ouricury................,......
Ingazeira......................
Tacarat......................
Numero das
diarias.
795607
661
317
5S898
19934
1448
1294
3706
18752
1#382
2^303
948
3345
1610
3^062
6*979
9375
19898
3*601
491
1S527
1258D93
Medicamen-
tos.
1:6889720
1089400
8
I

i
I
9
i
9
i
i
i
i

*
9
9
9
1:7975120
Sustento.
191059680
1329200
639400
l:1796O0
3869800
2899600
24980
7419200
3509400
276J400
46OS6O0
1899600
6699000
3229000
6129400
1:3959800
2759000
3799600
7209200
989200
3039400
28:2029880
TOTAL.
ta. Do mesmo modo a Veneza eontinua sem de-
pulacao no parlamento e como nio se pode ter
melhores esperanzas da dieta da Transylvanta golpe principal,
que se vai convocar prximamente, a constituicio
00 parlamento preaeote para parlamento geral
crear um orgio, que nio somente seria anti-
constitucional formalmente mas sim tambem
materialmente a representacio da metade infe-
. preparado pelos partidistas de
Francisco II para principios de agosto, por isso
que o general cialdini tendo sido informado pode
fazer prender ainda em tempo a commissao que
diriga o negocio. Segundo se diz tambem lhe
cahiram em mios nessa occasiio alguos papis.
rior do imperio, e por isso offerecendo pouca es- I esostando a directa influencia de el-rei Francis-
20:7949400
1329200
639400
1:2889000
3869800
2899600
2499800
74192OO
350S400
2769400
4605600
1899600
6699000
3225000
6129400
1:3959800
2755OOO
3799600
72052OO
989200
3059400
30:0009000
Palacio do governo de Pernambuco, 11 de setembro de 1861.
Antonio Marcelino Nunes Goncalves.
Dita.O presidente da provincia, de conformi-
dade com o art. 30 do regulameoto de 30 de Ja-
neiro de 1854, resolve aomear o cidadio Roque
Carlos Peixoto deAleocar, juiz commissario de
medices das trras publicas no municipio do
Ouricury.
Dita.Os Srs. agentes da companhia brasileira
de paquete: a vapor mandem dar transporte para
o Rio Grande do Norte, por conta do ministerio
da guerra no vapor que se espera do sul a dous
soldados da companhia de cacadores daquella
provincia, que rieram esta escoltando dous
desertores do exercito.
Expediente do secretario.
11 de setembro de 1861.
' Officio ao vigario da freguezia de Bom Jardim.
Com o officio que V. S. dirigi ao Exm Sr.
presidente da provincia em 26 de agosto ultimo,
foram recolhidos i esta secretaria os dous livros
de registro das Ierras publicas dessa freguezia :
o que communico V. S. de ordem do mesmo
Exm. Sr.
Despachos do da 11 de setembro
de 1861.
Requerimientos.
Alexaodre Alves de. Oliveira.Informe o Sr.
Dr. juiz de direito da primeira vara desta cidade.
Francisco Alves Teixeira.Ao commandante
do presidio de Fernando se expede ordem no
sentido que requer.
Joao Leile da Silra Campos.Informe o Sr.
Dr. chefe de policia.
Jesuina Mara da Concelgip.A' vista da in-
formacio do coronel commandante das armas,
nio tem lugar.
Jos Joaquim Alves Maogueira.Informe o Sr.
Dr. chefe de policia.
Luiz Francisco da Silva.Informe o Sr. Dr.
chefe de policia.
Manoel Faustino da Craz.Informe o Sr. Dr.
chefe de polica, ouviodo ao subdelegado da
Varzea.
Bacharel Manoel Joaquim de Miranda Lobo.
Informe o Sr. director geral da iostruccio pu-
blica.
Satyro Clemente do Reg Medeiros.Informe
o Sr. Dr. chefe de policia.
EXTERIOR.
COBBESPONDENC1A DO DIARIO DE
PERNAMBUCO.
Hambargo SI de agosto de 1861.
A questao que mais preoecupa no momento
os interesses Allemies, a questao Austro-Hn-
gara. E ella nio somente d'importancia alle-
mia mas decididamente de importancia europea,
porque da saa solucio depende a posicao de
grande potencia, e talrez a existencia da Austria,
e a sahida da Austria da linhadas grandes poten-
cias sera urna das mais graves transformacoes
que a Europa at agora presenciou. Infelizmente
nao sio aioda grandes as esperanzas d'uma boa
solugo. Pelo contrario a crise chegou oeste
momento ao seu cume, e nio de prever qual
seri o fim.
Os nossos leitores ji se acharao informados
acerca das uegociacoesque at agora tireram lugar
entre Vienna e Pesthe; O primeiro endereco
nao foi aceito pelo imperador Francisco Jos por
causa da sua forma impropria.
Em consequencia disso se decidiram em Pes-
the a urna mudanga das formas censuradas, sem
todava desistir do tbeor do enderego primitivo,
da exigencia da reintegragao das leis de 1847 e
1848. O enderego foi entao aceito, e respondido
depois de decorridos cerca de quinze das, por
um rescripto imperial, indeferindo as exigencias
da Dieta e convidando a meima terminantemente
peranga de urna existencia efficaz. Em lodo o
caso os amigos da Austria 6stio com grande re-
ceio icerca das resoluces a esperar do gabinete
de Vienna
As ultimas noticias a respeilo da imperalriz
da Austria, a qual como se sabe se acha presen-
temente em Corf para o restibelecimento da sua
saude, sio mais satisfactorias ltimamente. A
residencia em Corf se ten, mostrado muito bem
fazeja para a Augusta paciente.
Tambem a questao allemaa-dinamarqueza, que
parece predestinada para a vida eterna, tem de
novo preoecupado a atteogio. Como sabido a
dieta germnica linha decretado, em 7 de feve-
reiro do corrente anno, a execucao contra a Dina-
marca, a qual em consequencia tinha sido inti-
mada para satisfazer as respectivas resoluces da
dieta i respeito do Holstein.
Como nos lembraremoso gabinete de Copenha-
gue conrocou a dieta de Holstein e lhe apresen-
tou novas propostas icerca da Constituigio. Nio
se conseguio porem resultado algum. A dieta do
Holstein rejeitou as propostas do governo a as
cousas achavam-se sempre no mesmo estado.
Ao mesmo tempo ficou parada a execucao em
consaquencia de negociaces enceladas entretan-
to entre a Dinamarca e as grandes potencias i
respeito d'um accom moda ment mesmo que
provisorio do conflicto entre Copenhague e
Francfort. Essjs negociaces floalmenle tive-
ram um certo resaltado. Depois de looga re-
sistencia a Dinamarca se decidi provisoriamen-
te pelo corrente anno, de renunciar a quota ad-
dicional para o budget normal do paiz, al agora
exigida do Holstein, e a dieta Allema por moti-
vo dessa concessio provisoria, sem retirar o de-
creto de execucao de 7 de fevereiro, adiou tam-
bem provisoriamente a sua realisagio. E' ver-
dade que nem de parte allemaa, era de parte
dioaraarqueza se ficou muito satisfeito com esse
estado interino ; a dieta porem decidio-se des-
cangar depois desse grande successo, e entrou
em ferias at fios de outubro.
Em Berlin se celebrou nos ltimos dias urna
brilhanle festa popular, a seguoda festa geral dos
gymoastes allemies. No anno passado a pri-
meira festa leve lugar em Gotha ; o impulso da-
do pela mesma multiplicou entretanto o nume-
ro das sociedades de gymnastica na Allemanha,
e para a festa de Berlin deste anno se reuni um
numero tres vezes maior de festeiros. Contava-
se 5,000, entre os quaes 2,000 de todas as partes
da Allemanha, e da Saissa, e at mesmo os aym-
nastes allemies dos Estados Unidos linham man-
dado seus depata dos para a capital da Prussia.
Mas o que especialmente solemoisava a festa,
foi ser o dia della o anniversario de cincoenta an-
nos do estabeleciment das sociedades de gym-
nastica na Allemanha pelo velho Iahn, e sendo
ao mesmo tempo o anniversario natalicio desse
sea fundador, ao resto j fallecido desde 1853.
Um dos momentos principaes da festa foi a col-
locagio da pedra fuodamenlal d'um monumento
que os gymoastes vio estabelecer ao Iahn, e
pars o qual ji se sjuntaram os meios necessa-
rios. Poucas semanas antea da festa de Berlin,
tinha tido lugar em Nuremberg a festa geral dos
cantores da Allemanha, a qual precedeu em ju-
lho a primeira festa geral dos atiradores alle-
mies, urna imitagao da da Suissa. Com razio
se consideran) essas testas nacionaes que em toda
a parte se desenvolvem eomo signaes importantes
da poca e do espirito nacional do povo allemo,
que cada vez mais se maniiesta com maior
rigor.
El-rei da Prussia deixou ante-hootem os ba-
nhos de Baden-Baden, e seguio para Ostende. Nio
se realisou a sua visita no campo de Chalos em
melados do corrente mez, de que tanto se ti-
nha fallado. Segundo se diz, os mdicos se op-
porio enrgicamente a qualquer interrupgio da
cura, e em consequencia disso el-rei Guilherme
referindo-se ao cooselho dos mdicos deu parte
co II, que sempre aioda reside em Roma, sobre
os movimeotos napolitanos, e de cujos papis o
bario do Ricasoli, segundo dizem, tenciooa apro-
veitar-se em Pars para fazer com que o impera-
dor Napoleo rere Analmente a sua mao pro-
tectora de Roma Neste momento eotretanto,
segundo se suppoem. a poltica franceza nio
pensil om abandonar Roma i el-rei Vctor Em-
manuel. Ricasoli nao se cansa de fazer todos os
esforcos possiveis a esse respeito, mas o impe-
rador Napoleo do seu lade nio parece querer
deixar apressar as suas determinagoes. Dessa
maneira nada resta ao gabinete de Turim do que
esperar, e deixar o general Cialdini tratar que
o levantamento organisado de Roma nio cresga
al o co. Entretanto o bario de Ricasoli tomou
occsoiio, por meio de urna circular datada de
fins do mez passado, deexpor aos enviados Ita-
lianos nos paizes exteriores a posigio brilhaote
do novo estado, Ao meos as pragas europeas
se mostraran] mais ou menos convencidas. O
empreslimo italiano de 200 milhes, nio somen-
te se realisou completamente, mas as assigoatu-
ras apresentavam o sxtuplo da somma pedida ;
um resultado expontaneo quenioguem pressen-
tia em Turim, nem mesmo as mais exageradas
esperangas.
Londres.
21 de agosto de 1861.
Temos aqoi noticias do Rio de Janeiro at 25
de julho, trazidas pelo vapor Navarre chegado a
Lisboa no dia 14 e a Brdeos no dia 18 do cor-
rente ; e felizmente quanto ao estado ssnitsrio
do paiz publicaram as folhas desta capital que
era bom, tendo desapparecido completamente a
febre amarella. Causou sorpreza no publico des-
ta capital a modiQcago ministerial que acaba de
ter lugar no gabinete Brasileiro, sahindo dedeos
Srs. eooselheiros Saraiva e Si e Albuquerque pa-
ra seren substituidos pelos Srs. Magalhies Ta-
quea e Souza Ramos; e por em quanto nio
aqui conhecido o motivo que deliberou aquella
crise. A experiencia administrativa dos dous
dislinclos cavalheiros que acabam de deixar o
ministerio deixava esperar delles grande aprovei-
lamento, e para lamentar que por falta de lem-
po nao podessem elles prestar ao paiz maior nu-
mero de relevantes servigos.
O publico ioglez continua a esperar do ministro
Prannos alguma resohigio favoravel acerca do
regulameoto das nossas alfandegas na parte re-
lativa aos raanifesios, contra que tem ja clamado
muito o eommereio de Londres e de Liverpool e
contra que ainda clamar se o setual ministro da
fazenda nio quizer reconhecer a justiga que lhe
assiste. D'uma vez por todas devemos nos de-
sengaar de que o modo de desenvolver as nos-
sas relages commerciaes nio impoodo ao eom-
mereio vexames desnecessarios ; e pois permitta
Deus que urna ves convencido desta verdade o
Ilustre ministro da fazenda se delibere a reparar
o mal que ao nosso eommereio com o extraogei-
ro lem causado as medidas vexatoriss do nosso
presente regulameoto de alfandegas: consta-me
positivamente que varias casas de Londres e de
Liverpool tem suspendido suas remessas para o
Brasil desde a appsrigao daquelle regulameoto.
As aeges das nossas estradas de ferro conti-
nuara com o mesmo lameutavel descont, seodo
que as de Pernambuco esli aSc>6atg5X
de baixa, as da Bahia a S l 7/8 a S 1 X, e as
de S. Paulo a S 2 a S 1 1/2. Oa nossos fundos
pblicos de 5$ fleam colados a 99 e 99 1/2, e osl
de 4 1/2 a 87 1/4. Os inglezes consolidados de
de 3 /o a 90 1/2 e 90 5/8. A reda franceza 3 7.
a 68 fr. 20 c. Os portuguezes3 70 a 46 1/2 Os
hespanhes 3 /0 a 49 e 50. Os 5 /Q austracos
a 57. Os 5 70 piemontezes a 75. E os 4 7 tur-
cos garantidos a 100, 101, e 100 1/2.
O algodio de Pernambuco tem sido rendido
em Liverpool a 9 d. e 9 d. 1/4 por libra; o do
Maranhio a 8 d. 1/2 e 9 d. ; e o da Bahia a 8 d.
e 8 d. e 1/4. 0_uedido deste artigo continua fir-
me e conseguintemenle os pregos na alta. E' de
presumir porem que, se a Ioglaterra vier a ob-
jectar o bloqueio dos portos do sul da Uniio Ame-
ricana com o funlamento de iosufficiente, como
e affirma que o fari, eolio o prego daquelle
producto baixari na esperanca de grande impor-
tagio desse artigo de Charlestoo e de Nova-Or-
leaos. O fundamento que se assigna para aquel-
lo boato que o almirante Milnes, sob cujo cora-
mando est a divisio naval Ingleza as aguas
americana*, informara o governo Britnico de
que o bloqueio decretado nio pule ser manlido
por falta de torgas e que por conseguate nao de-
via continuar a ser reconhecido. O governo Io-
glez nenhuma medida lera adoptado a esse res-
peito ; e creio bem que em materia tio melin-
dros 1 proceder com a maior prudencia.
Alguns outros gneros aqui venda e proce-
dentes do Brasil fieam pelos seguintes pregos.
Cacao 50 s. 6 d. a 58 s. per cwt. Ciff Ia quali-
dade 59 s. a 70 s ; 2" 53 s. a 58 s.; e ordoario
de 46 s. a 52. per cwt. Pao Brasil 80 s. por to-
nelada llvre de direitos. Assucar braoco de Per-
nambuco e da Parahiba 25 s. 6 d. a 30 s. per cwt.;
dito da Bahia 22 s. a 29 s. E couros salgados
5 d. 3/4 a 7 d. 1/4; ditos seceos 8 d. 1/2 a 9 d.
1/4 ; e soceos salgados de 6 d. 1/4 a 7 d. 1/2.
O general Codrington acaba de seguir daqui
para Constantinopla em missao da rainha, aflm
de cumprimentar o sulto pela sua elevago ao
throoo.
O parlamento britnico foi finalmente proro-
gado por commlssio regia at o dia 20 de outu-
bro prximo, sendo porem certo que enlo ser
nova mente prorogado por quanto a pocha ordi-
naria da sua reuoiio costuma ser em fim de Ja-
neiro de cada anno. So a soberana da Gri Bre-
lanha nio declara desde logo que a representa-
cao nacional fica encerrada at aquella pocha
ordinaria porque segundo a constituido Ingle-
za monarcha nio pode prorogar alem de um cer-
to praso o parlamento, pdenlo toiavia renovar
esses prasos com audiencia do cooselho privado.
Assim pois est o ministerio Patmerstoo com a
sui aeco mais desembaragada durante a ausen-
cia das cmaras, embora a marcha do governo
nio deixe de ser vigiada de perto pela imprensa,
a grandes que todava em geral affeigoada presente ad-
" ministrarlo.
No discurso proferido por Lord Westbury,
chaocelter da Gri-Bretsnha, por occasiio do en-
cerramento do parlamento, disse Sua Magestade
que as relagoes existentes entre o seu governo e
os das nagoes extrangeiras eram amigaveis, sen-
do de esperar que assim conlinuem no futuro.
No mesmo documento faz Sua Magestade allusio
ao estado geral da Europa, manifestando a espe-
ranga de que a paz europea nao ser alterada ; e
referindo-se aos graves successos dos Estados-
Unidos, que ainda desta vez lamenta, declarou
que de accordo com _as grandes potencias se pres-
crevera em presenga daquelle conflicto urna po-
ltica de restricta neutralidad?. Ja em outra oc-
casiio informei que o governo britnico havia
proclamado nago, logo depois do comego da
guerra civil dos Estados-Unidos, prescreveodo
os rigorosos deveres que aos subditos inglezes
occorria em relacao aos belligerantes na nio
Americana ecoraminando penas contra aquelles
subditos da rainha que os traosgredissem, alis-
tan Jo-se as iileiras desses belligerantes, pres-
tando-se a servir-ihes de meio para fim hostil, e
coramerciaodo em contrabando de guerra. Ora
alludindo a esse documento que a falla do
throoo veio dar daquillo um solemne conheci-
mento representagio nacional. Um outro pon-
to importante, de que tratou o mesmo discurso
real foi o reconhecimento do reino d'Italia pelo
governo da rainha ; referindo-se ao suffragio
universal, pelo qual el-rei Vctor Emmanuel foi
ltimamente proclamado re d'Italia, Sua Mages-
tade britnica disse que vista desse fado es-
pontaneo dos povos cumpria ao seu governo se-
guir aquella poltica, coadjuvando por esse mo-
do a consolidagao da causa Italiana : este tpico
da falla do throoo era esperado pelo publico,
que sempre apoiou com eothusiasmo o reconhe-
cimento do novo reino d'Italia pelo governo bri-
tnico. Foi em resumo esse o modo por que oa
occasiio solemne do encerramento das cmaras
se exprimi a rainha, dirigilo entio como de
costume casa dos commuos seus agradecimeo-
tos por haver esse ramo do parlamento habilita-
do o seu governo com os meios necesiarios para
a satisfagio de todos os encargos goreroamen-
taes.
No actual intervallo das cmaras parece que o
ministerio Palmerston dever novamente consi-
derar a qiiestao da reforma eleitoral, aQm de na
prxima sessao apreseotar na cmara um projec-
to nessa sentido. O partido liberal conta hoje
muito com o apoio de lord John Russell ua c-
mara dos pares para o triumpho daquella medi-
da, objectada principalmente pela cmara alta.
O conde de Russell foi sempre na casa electiva o
grande atheleta da reforma eleitoral, e nio de
crerqae na casa dos lords se mostr sua senho-
ria menos partidario desse grande principio. A
imprensa tem ja discutido a conveniencia de ser
novamente proposta essa grande questao deli-
beraco do parlamento, sendo em geral de opi-
niio que o paiz tem direito a ver favoravelmeote
resolvida aquella palpitante necessidade.
Lord Palmerston e o conde de Russell acom-
panhsram no dia 16 do corrente Suas Magestades
a rainha e o re da Suecia ao acampamento de
Aldershott, onde a rainha foi para assistir s
manobras que ali tiveram lugar em honra do re
da Suecia.
Este soberano chegou i Ioglaterra no dia 12
do corrente, procedente de Cherburgo, onde esti-
vera el-rei, depois de sua visita a Pars, para re-
sistir as eroluges navaes que naquello porto ti-
veram lugar para hoorar Sua Augusta Pessoa.
Carlos XV desembarcou em Spitbead, tendo a
honra de ser all encontrado pela rainha Victoria
que de Osberne se dirigi com o principe Alber-
to afim de receber to Ilustre hospede. De
Spithead seguiram os reaes personagens para Os-
berne onde lem estado tambem varios outros
principes estrangeiros ; Sua Magestade Sueca,
porm, deixou ji a Ioglaterra de volta aos seus
estados, lendo visitado previamente os edificios
pblicos e curiosidado desta capital
Em Franca o re da Suecia foi muito obsequia-
do pelo Imperador Napoleo, seu primo irmio
pelo lado da familia Beauharnais : no dia 8 do
correte o Imperador dos Francezes passou urna
revista de quarenta e cinco mil homens sob o
commando do marechal Magoan em honra de seu
Augusto Hospede. O principe Osear, que acom-
paohou para aqui el-rei seu ir mao, acaba de se-
guir para Allemanha, onde vai encontrar-se com
sua esposa, urna das princezas de Nassau.
A ratnba d'Inglaterra comegou ji a sua di-
gressio pela Irlanda, onde visitari Cork, Du-
blim, e o lago de Killarmey. Nio a primeira
visita que all faz a Soberana da Gria-Bretanha ;
e desta vez se apresentari naquelle reino com o
herdeiro da coroa, que ha ji dous mezes se acha
no campo militar de Kurragh, onde foi pira as-
sistir is manobras que nease acompanhamento
esli tendo lugar. Da Irlanda seguir a rainha
em principio do mez seguinte para a Escossia,
iodo residir ao palacio de Baimoral, onde costu-
ma passar o verao. O conde de Granville, presi-
dente do censelho privado, foi o ministro deslina-
do a acompaohar i rainha na presente digres-
sao ; escolha essa que tem merecido a approva-
cao geral por ser lord Granville um nome verda-
deramente popular. A presooga de lord Pal-
merston na Irlanda, d'onde natural, mas onde
um nome sem prestigio como succede em geral
com o de todos aquelles Irlandezes Ilustres que
tem tomado partido pela Ioglaterra, provocara
talvez a aoimosidade da Irlanda que em taes cir-
cunstancias poderia expor a rainha a um grave
desgosto s pelo motivo do desacert com que a
Soberana hosvesse escolhido o conselheiro que a
dovesse acompanhar. A escolha portanto de
lord Granville lem parecido a todos multo discre-
ta ; e de esperar que com esse elemento Sua
Magestade realise a sua viagem com feliz resal-
tado.
Lord Elgin, o disUocto negociador do tratado
com a China, acaba de ser nomeado governador
geral da India em substituigao de lord Ganuing
que se retira depois de haver governado aquellas
possessdes durante seis annos. Dos queira que
o novo governador possa alravessar melhores cir-
cumstancias que o seu predecessor, afim de que
possa estabelecer as (naneas dos estados da
India Ingleza o equilibrio, de que tanto carecem.
A guerra civil que all reinou ha tres annos, e
a fome causada pelas seccas que tem reinado em
varios districtos daquelle vice-reioado, sio por
sera duvdi a causa da pobreza em que se acha o
Ihesouro da lidia ; mas seja qualquer que for a
causa o facto nio por isso menos lamentavel, e
por cooseguinte ao governo cumpre olhar com
seriedade para aquello abysmo que tem diante de
ai. Os emprestimos para a India por conta do
goveroo repetem-se animalmente, e o publico
comegaa olhar com desconflanga para isso. A
nomeagio, porm, de lord Elgin j urna garan-
ta, altendendo aos seus talentos e longa ex-
periencia administrativa ; e tem sido ella applau-
dida com enthusiasmo pelaimprensc ingleza.
O novo governador geral dever brevemente
seguir pars o seu destino por va de Franga e
do Mediterrneo.
Et-rei da Prussia, de quem tenho fallado em
raiunas antecadentes cartas, se acha em Ostende
a usos de banhos do mar, tendo deixado Baden-
Baden ha pouco tempo. Nesta ultima localidade
recebeu Sua Magestade Prussiam felicitages de
varios soberanos da Europa por haver escapado
mi do assassino ; e a opinio publica tem sido
unnime em sympathisar com Sua Magestade
em to deploraveis circumstancias. O reo Becker
est sendo processado no tribunal de Badn, lu-
gar do attentado; e em todos interrogatorios a
a que tem sido submetlido constantemente de-
clarou que fra sua formal iatengao commetler
aquelle crime, sem que houvesse entrado de ac-
cordo com alguem para esseQm, nem levado em
vista odio pessoal contra o Monarcha l'russiano.
Segundo o meemo reo parece que o seuntento era
livrar a Allemanha da pessoa do re Guilherme,
que elle considera como um estorvo para a uui-
dade nacional, em cujo favor el-rei nada lem fei-
to desdo a sua entrada na carreira publica : essa
infeliz comega a ser julgado como um maniaco
e debaixo desse ponto de vista a opioao publica
se inclina a crer que lhe ser commutada a pena
de morte pelo grao-duque de Badn, caso venha.
elle a sercondemnado pelo tribunal como crimi-
noso de alta traigo.
Becker, ha vendo commeltido o crime em Bi-
den sobre a pessoa d'um estraugeiro embora seja
este um soberano; ter restrictamente de ser ac-
ensado de tentativa de assassinato, e para es5o
crime a pena a de trabalhos pblicos tempora-
riamente ; affirma-se todava que o tribunal de
Badn est disposto aceitar a aecusagao por cri-
me de alta traigio, e nesse c;so o reo ser con-
demnado peoa ultima; Has para esta hypo-
these haver remedio se el-rei da Prussia inter-
ceder, junto do grao duque, como se diz que o
fsr, para que a pena de morte venha a ser com-
mutada na immediata. Becker como j tivo
occasio de dizer, um joven de apenas viute an-
nos, estudante da universidade de Leipsig, a
exaltado partidario das ideas unitarias alie
mias.
Vera aqu proposito fallar ainda da protrahi-
da questao allemaa-dinamarqueza, que parece
todava ter entrado em urna phase mais favora-
vel, havendo-se o gabioete de Copenhague com-
promeltido a apreseotar brevemente um plano
de reformas para o Holstein. Nestas circums-
tancias o mipistro da Prussia junto da dieta alle-
maa acaba de propor que seja suspenso o man-
dado de exeeugo que contra a Diaamarca havia
votado a mesma assembla em priocipio desta
anno. Assim, pois, Picar essa questao interna-
cional sem rsolugio por mais algum tempo, o
oinguem espera que venha a ser resolvida favo-
ravelmeote, porque sabido que a Prussia deso-
ja romper com a Dinamarca para lomar-lhe as
provincias do Holstein e de Sleswig.
A dieta huogara respondeu ao rescripto impe-
rial, recusando-se a enviar ao cooselho do impe-
rio deputados na forma da constituigio ; e con-
seguinteraente se espera que esta hora o Impe-
rador a tenha dissolvido.
O estado do espirito publico na Hungria ex-
cessivamente exaltado, causando mesmo receio
de urna nova conflagragao entre o povo e as au-
toridades austracas. Affirma-se que o conds
Forgach, archchanceller da Hungria, acaba da
dar a sua demissio pelo desanimo de trazer seus
compatriotas a um accordo com a Austria.
Dos Estados-Unidos, cujas noticias chegam
at 8 do corrente, nada hs de importante do thea-
tro da guerra. Depois da balalha de Manassas-
JunclioB, onde os federaes perderam oitocentos
morios o mil e sote ceios ferido% os dous exer-
citos se lem conservado em observagio, salvo al-
gumas escara mugas em que as forgas de Was-
hington tem levado a vantagem. O exercito fe-
deral cuida de reorganisar-se sob o commando
do general Maclellan que foi nomeado para diri-
gir asoperagoes em substituigao do general Mac
Dowel, que perdeu aquella batalha. Os separa-
tistas oceupam Fairfax, mas al ultima data
nao haviam ousado alravessar o Potomac. A ca-
pital da Uniao era considerada a abrigo de qual-
quer sorpreza, sendo todava certo que o general
Beauregard poderia te-la tomado se dep.ois da
batalha e victoria de Manassas tem avaocado so-
bre aquelle ponto.
A imprensa americana do norte contina a
apoiaraaegio do governo de Washington.
Lisboa, S9 de agosto.
El-rei o Sr. D. Pedro V paru para o Porto no
dia 22 do correte, com S. A. o Sr. infante D.
Joao n'uma carruagem da mala posta acompa-
nhados nicamente pelo sea camarista do se-
mana, e ajudaote de campo e um cirurgio da
real casa A ex posigio industrial que S. M. foi
honrar com a sua presenga abriu-se no domin-
go 25 ao 1/2 dia com toda a solemnidade.
As demoostrages de regosijo eom que el-rei
foi recebido tem sido espontaneas e attestam a
verdadeira populardade de que em todo o paix
goza o chefe do estado. Nio me detenho eos.
compilar os pormenores que al hoje constara
em Lisboa sobre aquella festa industrial, por-
quanto o seu correspondente n'aquella cidade ss
incumbir dsta parte, podando nella ser maia
exacto do que a, como lestemunha presencial
que .
Eis o discurso que el-rei pronanciou na aber-
tura solemne da exposiQ&o industrial:


w-ym^?W*$


*___________________________
fifi i g: & 3
DIARIO DI MMUMBUCO. **- SABBADO 14 DI SETEMBRO BE 1811.
com que renho
a Sabis, senhoret, o praier
lomar parle na fossa fesia.
Eram raras, nao ha muila aioda.no nossopaiz,
estas solemnidades, que a era lempo sao estimu-
lo ulilissimo de curiosidad* e ensejo iocompa-
ravel de iostrueco para tantos.
Ne^ta feliz diverso aos hbitos ds nossa vida
publica, cabe o melhar eainho a esta cidade, a
prisaeira en todas as lides, m tedas as intciati-
y uteis e* fecundas.
Demasiado lempo posponemos so cuidado de
quesles que por si mesa* tinham de ser resol -
?idas, os-problemas infinita mate ruiis serios
que se foranam as enVreahas ata sociedade. e
que esia decide pelas suas raaos, te as nio deci-
dora aquelles que presiden aos mus destinos.
Esquecia-nos no meto das disputas om que tos
encavamos a imaginar rasoes de dissideocia e
de inimizade, o grande dever dos gevernos na
actualidadedar trabalho sociedade para que
se nao desvair e dissolva com o embate das pai-
xes que lbe dispulam a posse : dar-lhe ins-
lrac(o para qoe olla nao desconheija o valor do
trabalho, para que uo perca, com as servidoes
creadas com as necessidades materiaes da vida,
a noco das obrigaces que exceder a todas as
conveniencias e a todos os lucros.
* Quandose contempla o que as nossas indus-
trias conseguiram sem nechuma quaai da3 coo-
diees com que tinham direito a contar, lamen-
ta-se dobladamente o lempo perdido, mas coo-
fia-se dobradamenle no porvir.
Acudiram tambera os estranhos ao vosso cha-
mamento.
Distinguiam-se oulr'ora as naces pelas obras
da guerra ; distinguen) as hoje os trabalhos da
-paz a a mesma raio da solidoriedade que as liga
entre si, essa mesma as exlrema mais profunda-
mente que as desconfianzas, mais duradoura-
anente que os odios.
Hoje na cmara dos deputa ios o Sr. Jos Es-
terara dirigiu urna vehemente interpellacao ao
governo por nao ter sua eminencia o cardeel pa-
tri.irelia dado licenca para se fazerem nesta ca-
pital as exequias por alma do conde Cavour.
Nao sei se Ihe disse na minha ultima que urna
commissio de llilianos residentes nesta corte
impetraram do diocesano a permisso para man-
daren) celebrar n'uma das grojas parochiaes os
oficios fnebres pelo deacaoco eterno do celebre
estadista. O nuncio de Sua Sentida le havia re-
cusado a licenga que ihe tinham pedido para que
a missa fosse dila na igreja do Loreto que a
freguezia dos italianos em Lisboa. A razo ca-
nnica allegada para justificar a recusa, era que
leudo Cavour fallecido debaixo do peso de ex-
commuohao do chefe da igreja catholica nao per-
miniara as disposices que regulara casos desta
ordem que fosse celebrada aquella cerimonia of-
flcialmente sem a absolrigo pontificia. Parece
que as mesmas razoas se fundou posteriormen-
te o patriarcha de Lisboa para nao conceder a
licenca pedida. Fez-se queslo disto, e o nego-
cio recrudesceu com a polmica da imprensa.
Debaixo na epigraphe Non possumus appareceu no
Jornal do Commercio de Lisboa ura artigo yio-
lento contra este prelado e mais desabrido ainda
contra o nuucio apostlico, moosegnor l'errieri.
Adduzia-se que o conde Cavour linha morado
cora lodos os Sacrameotos e dra pleno lesti-
munho de suas crencas como filho di igreja ca-
tholica. Cilavam-se as cidades em que se offl-
ciou por alma do primeiro ministro de Vctor
Emmsnuel e concluia-se por condemoar a pre-
sisteocia curial na recusa alludida.
Gonstou depois, e creio que fundamentada-
mente, que sua eminencia fechaiia os olhos no
caso de celebraren) a missa era qualquer paro-
chia, mas que nao se julgava aulorisado a per-
ro i tti-la. O qoe se nao explica depois disto
para que baria de exigir a commissao italiana
ama licenca que o prelado declarara nao estar
habilitado a conceder-Ib*. Missas fnebres es-
tam-se dizendo quasi todos os dias e nihguem
pede licenca patriarcha! para manda-las cele-
brar. V-se que o negocio passou a tomar um
carcter poltico.
Foi pois este o thema da interpellacao do pri-
meiro orador do parlamento porlugaez.
As cortes que deriam ter-se encerrado a 20
desle mez, foram prorogadas at o dia 31 em
consequencia de estarem ainda pendentes mul-
los negocios importantes
No dia 26 entrou no Tejo a crrela portugue-
za Barlholomeu Dias, do cammando de S. A. o
Sr. infante D. Luiz, conduzindo a seu bordo o
principe Leopoldo de Hohenzollem, futuro espo-
so de S. A. a serenissima infanta D. Antonia,
irm do Sr. 0. Pedro V. Com o principe Leo-
poldo veio seu irmo o prncipe Carlos. A cor-
reta veio de Soothampton. Os principes esto
residiodo no pago de Belra. Parece que o en-
lace nupicial ter lugar a 12 de setembro. O
principe de Hohenzollem e sua esposa tencio-
nam, segundo se alirma, achar-se em outubro
em Koenigsberg para assistirem coroago de
S. M. o rei da Prussia.
Ka satisfaction du choix dont rous avez t l'ob-
jet.
A colonia italiana aqui residente fez-se repre-
sentar por ama commissao o congratulou-se cora
Ilustre diplmala pela nova situaco poltica
do aeu paiz.
Prejuizos resultantes de incendios.
Total......................
6:96398
A receita da companhia Equidade levo a
segaiote :
Premios martimos e fluviaes......
Premios de fogo....................
35:391*696
TorntuM
Foi decretaca pelas cortes urna autorisaco ao
governo para a admisso de cereaes extraogei-
ros. O ministro das obras publicaa promelteu
epreseniar cmara na prxima sesso urna
proposta de lei de carcter permanente. Passou
era ambas as cmaras o .projecto de lei para ser
auxiliada a companhia unio mercantil com um
emprestimo de 450 contos de res. Sao atlen-
diveis os servidos que esta empreza de navega-
r o a vapor lem prestado ao commercio das nos-
sas possesses d'Africa occieental com a melro-
pole. Ultima me ule deacubuu se as margeos do
rio Quanza urna importe mina de carvo de po-
dra. Ville muito mais a descoberta desta ri-
queza, natural que o subsidio de 250 contos que
o parlamento volou para aquella provincia ul-
tramarina.
Passou igualmente oas duas casas do parla-
mento a autorisaco para o governo dispender
no actual anno econmico at a quaotia de 400
contos de'reis com aa fortificacoes de Lisboa e
Porto. Esta proposta foi unnimemente votada
aa cmara dos depulados, dissipando-se assim
toda a idea de divergencia poltica peranle o
pensamento da conservaco da nossa naciona-
lidade.
Recebeu tambera approvaco parlamentar M
compra do caminho de ferro do sul, effeetuads
pelo governo por treze contos e quinhentos mil
reis o kilmetro, como Ihe disse na minha ulti-
ma carta. A discusso foi reobida tanto n'uma
como n'outra cmara.
O enviado extraordinario em misso especial
do rei de Italia o Sr. Gamillo Canecilo, mar-
quez de Bella tendo aqui chegado no dia 13 do
correte, foirecebido em audiencia solemne por
el-rei no dia 17, no pico das Necessidades. A
este acto assisliram o eminente cardeal patriar-
cha de Lisboa os officiaes mores da real casa, os
gentis-homens da real cmara, os ministros e
conselheiros de estado, os ministros e secreta-
rios de estado honorarios e mais pessoas que eos-
tumam ser convidadas para estas solemnidades.
O Sr. marquez de Bella depois de depositar as
aes mos de S. M. a sua credencial, pronun-
cian o seguinte discurso :
Sire.J'ai l'honneur de presenter votre ma-
jeat la lettre*royale par laquelle le roi, mon
maitre. annonce a votre majesl d'aroir prs le
titre de roi d'Italie, el ls sanction donne l'acle
da parlement ilalieo qui l'avait adopt.
Le roi, en me chargeant de eette mission,
m'a particulirement recommande de vous re-
nonveler les prolestations les plus sinceres de
son altachement et de son dsir de resserrer,
par tous les moyens qui sern em son pouvoir,
les retalios cordiales qui unissent beureuse-
anent les deux couroones.
Le roi espere que la constitution de la mo-
narchie italienne, anise sur les principes d'or-
dre et de libert, sera coosidre par votre ma-
jesi comme un ooureau gage de cette amiti,
ainsi que de la paix et de l'quilibre des tatt
uropeos,
Quant a moi, sire, le comble de ma satisfa-
cen c'est d'lre riaierprte de poreils sent-
ments, auxquels j'ose ajouter l'expression des
aiiens propres. du respect et de l'admiration la
fias vrai poor les quelites eminentes da votre
oajest, qui maielient si digoement vis vis de
t'Europe les nobles traditions do son augusle
xnaiaon royala et de la glorense monarchie por-
togaise
Sua magestade el-rei respondan :
La mission dont voas venez de vous acauil-
ter supre* de mol m'impose un nouveau devoir
do reconnaiaaance envera votre eourerain, et
ajoute un nouveau gaga sos retalios vraiment
ardales qui existent entra les dem eoaronaes.
Puisseni lea meases aanlsteirta aaimer tou-
jours daos lears rapporta aaai paeples, que la
ommunaol de lear origine, de leur genie, da
laart aspiratioaa, rend freses al asis.
Qsan a voas. aonsioar la jarquis, an roas
remerciant de ca qoe ros paroles ont de flalteur
pour moi, ja sal haoreux aa reos exprimer
Porta
26 da agosto de 1861.
Um pala rae paasa pala revolucao poltica por
que passou Portagal em 1831, que aluio at aos
funda meatos o systesna por qoe saguia o estado,
nocessiu, depois que tenha abrandado a ruraclo
revolucionario, de reedificar sobre novas bases o
edificio qae o elemento estratdor, na s vio-
lenta e impetuosa passagem derrocou. Um go-
verno enrgico, mas josto, que se conpenetre
da elevada misso que lbe est confiada : que
saiba aproveitar todos os elementos organtsado-
res para sobre as velhas ruinas reconstruir o no-
vo edificio poltico : um governo que a doce e
aaaviae a aspereas em qae todas as revolocdes,
ainda as mais santas e justas, vera envoltas, diri-
gindo para o bem commum as suas tendencias, a
fim de cicatrizar, e nao aggravar ainda mais, as
feridas iberias no corpo social,eis a grandiosa
mas difGcil misso que teem a desempenhar os
homens a quem foram confiados os destinos do
paiz era que se operar um tal cataclysmo.
Em Portugal, depois de terminadas as loogas,
lerrireis e sangrentas lutas em que' a liberdade
vencen o despotismo, ou por que faltassem aos
homens postosa testa da governacao publica to-
das ou algumas das qualidades que vimos de enu-
merar, ou por que fosse urna consequencia ine-
vitarel da transformaco porque se acabava de
passar, o certo que surgiram as lulas nao me-
nos terriveis, e tambem por mullos annos, das
(aceces e conventculos gerados no proprio aeio
do partido vencedor. Aos erras graves de go-
vernago do estado ajuntaramse lodosos ma-
les originados dos caprichos dos goreroos e da
mallade dos homens;e de revolta.em revolta,
quandochegouodia em que aslreguaSdos partido
deixou sondar o abysmo, j bem profundo, em
qae mais tarde se hara de canir, conheceu-se
que Portugal eslava sem governo que governasse,
sem fazenda publica era crdito, sem agricul-
tura, sem industria nem commercio, sem estra-
das, e sem exercito nem marioha. Paltava-lhe
ludo que era mister para poder ser respeitado
como naco indepeodenle.
A este estado tinham chagado os negocios p-
blicos quaodo veio a revolta militar de 1851, cora
muita verdade chmala da regenerado. E'
d'esta poca que datara os grandes esforcos dos
governos para os melhoramentos materiaes do
paiz, os quaes, sombra da tolerancia poltica
desde entao ioaugurada as altas regies do po-
der, teem tido grande deseovelvimento. Esta
polilici consiliadora quebrou aos partidos as ar-
mas mortferas do campo das pelejas physicas
para as substituir pelas armas do raciomo as
pelejas moraes na arena da tribuna e da irapreo-
sa. Alguem quiz ltimamente ver essa toleran-
cia quebrantada pelo actual ministerio, por causa
de trej ou quatro cemissoes dadas por occasio
das prximas paasadas eleieoes ; mas no nosso
modo de ver e julgir as cousas nao ha razo pa-
ra Unto.
Nao admira, pois, que u'esta quadra de paz e
socego publico, que temos gozado, novo e go-
verno se tenham compenetrado da urgente ne-
cessidade de procurar remedio aos males que so-
bre a nscfto acarretaram as lutas dos partidos de
1834 a 1851. Etal a soffreguido de resarcir
esse lempo perdido, que de todos os ngulos do
paiz partem rogos e 3upplicas justas e rasoaveis
aos poderes do estado, sobre diversos assnmptos
descurados ou esquecidos, mesmo j depois dessa
calamitosa quadra de trislssimos desvarios par-
tidarios.
A convale?cenca de urna doeoQa grave deman-
da de muilo mais lempo do quo o periodo dessa
doenc.8, mormente quando os homens da scien-
cia discrepsm nos meios de se rehaver as torgas
perdidas. Dez annos de paz nao podiam ser suf-
icientes para fazer tu Jo que se hara delxado de
fazer em dezesete annos de discordias.
Quem n'esles ltimos annos 1er as sessoes das
cmaras legislativas encontrar a verdade do que
deixamosdito. N'ellas est desenhado com cores
earregadas, mas verdadeiras, o quadro lastimoso
a que haviam chegado as cousas em Porlugtl.
E para obter este conhecimeoto, nao ser pre-
ciso recorrer a datas muito anteriores; bastar,
talvez, passar em revista as acias das sessoes do
parlamento que actualmente est funecionando.
Na discusso da respoata ao discurso da cdcoa.e
ua do orcamento encon(rar-se-ha o subsidio in-
dispeosavel para poder formar-se urna opioio
segura.
E', comtudo, para consolar o ver que o lempo
perdido as lutas inglorias de muitos annos se
vai ganhando as lutas gloriosas do trabalho,que
honram e ennobrecem o homem. O Porto, esse
baluarte ioexpregaavel das liberdades patrias,
essa cidade lo memorarel nos aonos das nossas
discordias polticas, tambem, al ao presente,
a mais memorarel Ierra do reino nos toroeios e
justas a que o progresso cirilisador do prsenle
seculo chama os povosem que se leem inocula-
do as ideas benficas da cirilisacao. Gigante as
lutas da liberdade -o igualmente as lutas do
trabalho 1
A expsito industrial aberta hoalem porS.
M. el-Rei o Sr. D. Pedro V. que chegou a esta
cidade no dia 24, prova exuberante do que te-
mos avancado.
Nao temos lempo para dar os pormenores das
festas que vo por esta cidade. Fa-lo-hemoa em
carta de amanba, pois que temos urna quasi cer-
teza de que ella ir na mesmo malla que tem de
levar a que ora escrevemos. Se nos eoganar-mos
tero os lelores para o paquete seguinte duas car-
tas em lugar de urna.
O anno econmico de 18601861 correu desas-
trosamente para as companhias de seguros do
Porto.
Foi um dos annos em que soffreram maiores
prejuizos, ou talvez o primeiro desde que ellas
se acham constituidas, que se deu a circumslan-
cia de caber a todas perdas to sensiveis.
Se exceptusrmos a companhia de seguros Se-
gurancar, a mais antiga das tres que existem, pois
que foi orgaDisada em 1835, as outras duas,a
Garanta, e a Equidadej ha annos que latam
com grandes embaracos, devidos aos successivos
encargos, resultantes de valiosos sinistros mar-
timos que teem pago; mrmente a ultima das
mencionadas companhias, que, sem duvida, deve
a continuado da sua existencia aos esforcos,
ectividade e bda administraco dos cavalheiros
que ltimamente teem estado, e continuam a
estar lala dos seas negocios.
O seguinte quadro tem nicamente por fim
apresentar a receita que tiveram as tres referidas
companhias para fazer face aos prejuizos que
soffreram no anno econmico Ando em 30 de
junho ultimo.
A receita da companhia de Seguros Seguranca
proveio de :
1148 apolices martimas, que paga-
ran) de premio................... 45:339^500
1808 apolices de fogopor seguros
permanentes, dem.............. 17:8618911
803 apolices de seguros novos,
idem............................. 6:339J457
Juro por descont de letra, e pelo
deposito em dioheiro ne Banco
Mercantil........................ 1:303$903
Total...................... 417*f7U
Prejuizos aeffridos pela cheia do
rio Doaro........................ 26:
Ditos aaartimos occorridoa durante
o aaao........................... 17:757*aM
Ditos pagas, pertenceotes a annas
anteriores........................ 31*980123
Ditos de fogo....................... MQfxli
Total.
76:Llig73i
Comparando a receita desta ultima companhia
eom os prejuizo* por ella sofrridos, v-se que
estes apreseolam um excesso de 32.9350023 ao
qual bateado 8:5135097, que prednzrram os
salvados, e mais 14:636f189 de reaseguros e o
que tioha ficado a favor do anno passado na con-
la de ganhos e perdas, apparece o alcance de
9:7850737, que junto aos ordenados da direceo
e empregados, etc. prefaz a somata del7:6Siff729
qual temos aereaeentar cerca de 13:5004000 de
prejuizos j liquidados, mas que ainda se nio
paga tasa.
A companhia Equidade pedio aoa accionistas
250000 rs. por aeco.
A direceo da companhia geral da agricultura
das vinhas do Alto Douro apresenlou cm sesso
de 16 de correte o seu relalorio referido ao
triennlo comecado no 1 de julho de 1858 e fiado
em 30 de junho do actual anno.
Esta bem coohecida companhia, o colosso de
outros lempos, creada pelo marquez de Pombal,
e qual o diatriclo vohaleiro do Alto Douro
deveu a prosperidade e florescencia, que dis-
fructou p'ir to largo periodo, lem passado pela
lei immutavel da natureza de todas as causas
humanas.
Ao periodo, a que chegou, seguio-se-lhe o
abatimento, aggravado pelas vicissiludes polticas
desles nossos lempos, e ainda mais pela aasola-
dora molestia aa videiras, e crise monetaria e
comraercial de 1857.
Quando em 1858 a direceo lomou a gerencia
da companhia, havia ainda a pagar aos credores
a que se reporta a convenco de 21 de junho de
1843 a quantia de 472 7553172 res, e em 30 de
junho prelenlo eslava esta divida reduzida a
21:9450287, tendo a companhia em caixa......
29:2064OI.
Em vista desle resultado, e attendendo-se a
que essa quaotia hoje devida a ausentes ou
herdeiros que se nio leem habilitado ha tantos
annos, e que podem demorar a sua habililaco
anda por um longo periodo, julgou a commissao
de exame de conlas, que approvou plenamente
a gerencia da direceo que se poda efectuar um
dividendo de48500 rs. por aeca, que ser pago
em outubro prximo.
A companhia geral de agricultura ha muitos
annos que nao fazia dividendos.
A Real Sociedade Humanitaria do Porto reu-
ni em sesso solemne no dia 4 do correle no
pago da cmara municipal, peca condecorar os
individuos que durante o 9 anno da existencia
da mesma sociedade praticaram acedes de extre-
mado valor em pro di humanidade.
Mageslosa e grave, como nos annos anteriores
correu esta seleraoidade.
Nao era a mo poderosa dos potentados da
(erra, que tendo aua disposico o cofre das
gracas, laureava os filhos predilectos da for-
tuna.
Era urna congracio de homens nascidos da
philosophia sapiente do chrialianismo, e mode-
lada sobre as mais solidas e bellas bases da reli-
gto do marlyr do Golgotha que confera os dis-
linctivos da verdadeira grandeza de alma e no-
breza do corago aos mais humildes do povo,
que por seus actos philantropicos se lornaram
dignos desse galardo.
Presidio sesso o Sr. governador civil, que
lancava ao pescoco dos premiados as medalhas,
que eram pendentes de fita verde e branca, que
sao as edres adoptadas pela Real Sociedade Hu-
manitaria.
Foram distribuidas treze medalhas de prata
(2a classe), e cinco de brooze (3a classe).
Nao foi este anno concedida a ninguem a me-
dalha de ouro (1* classe), que reservada para
accoes de acrisolada heroicidade. Com ella foi
o Sr. D. Pedro V condecorado, quaodo em no-
rembro, do anno passado, usou a axpoaicao
agrcola que tivra lugar nesta cidade.
S. M. solicitado, por aquella occasio, para
receber o mais completo testemunbo do justo
senlimenlo de gratido pelos valiosoa servicos
que preslou durante a calamitosa poca da epi-
demia da febre amarella na capital, quiz sugei-
tar-se ao ceremonial seguido em lies actos pela
Real Sociedade Humanitaria.
Foi o actual governador civil que lantou ao
eolio do Sr. D. Pedro V a fita da qual penda a
medalha de ouro.
Duas guardas de honra, urna de cacadores o.
9, e outra da guarda municipal, com as respecti-
vas msicas, eslavam pstalas 4porla do palacio
camarario.
Os estatutos do novo Banco Unio, ao qual se
fundiram os dous projectados estabelecimeotos
bancariosbanco Commeicial, Industrial e Agr-
cola, e banco Unio Portuense, e dos quaes, por
diversas vezes, fallamos naa nossas cartas, j
foram approvados pelo governo. O novo banco
ainda nao funeciona.
Tambem foram approvados pelo governo os
estatutos da Sociedade do Palacio de Crystal
Portuense.
Parece que as pessoas influentes desta sociedade
querem aproveilar a estada do Sr. D. Pedro V no
Porto para a inaaguraco de urna obra que pare-
ce fra de duvida nao ficar em projeclo, como
tem acontecido a outras em que se tem fallado,
e que sao hoje cootadas no numero das maravi-
Ihas imaginarias do Porto, mas que vir effecti-
vamenle a serum monumento levantado in-
dustria e ao bom gosto dos portuenses, atiestan-
do o seu progreaso na carreira da civilisaco.
Urna das grandes necessidades da naregaco do
rio Douro acaba de ser atleudida.
O governo, tiaha apresentado s cortes urna
proposta para estabelecer, no mesmo rio, ma-
chinas de alagem. A proposla j foi convertida
em lei, por esta ficou o govetno aulorisado a
conceder privilegio per 20 annos a qualquer in-
dividuo ou empreza que se obrigue a estabelecer
era. certos pontos do rio Douro as referidas ma-
chinas de alagem.
O preco da alagem dos barcos, por cada via-
geo, desde o Porto Barca de Alba, ser para
os barcos de lotaco de 30 pipas-2$d60 ;para os
de 36 at 70 pipas 30760;e para os de 70 al
88 pipas 40950.
E como fallamos na naregaco do rio Douro,
diremos que o praso estabelecido para a reviso
do tratado de 81 de agosto de 1835, feito com a
Hespanha, sobre a navegaeo do mesmo rio,
terminon em.maio do correte anno.
Presumimos qoe ha a este respeito nego-
ciac&ea entre os doas respectivos governos.
As eleieoes da provincia do norte foram todas
approvadas. Poucas eram as que offereciam du-
vida. A este numero pertencia o acto eleitoral
da cidade de Vianoa do Caatello, a respeito do
qual dissemos, em tempo* competente, haverem
70:8445781 vehementes suspeitas de falsificado nos eadernos
de descargas. O processo eleitoral de Vianna que
Os prejuizos foram : porser um dos mais complicados, e offerecer por
Sinistros e averias martimas...... 16:5010793. isso mais longo e serio debate, tinha aido adiado
parte das erproptieces esto pagas, tendo o bom
senso dos propriatarios dos terrenos por onde d$-
repasaar a estrada, ao contraro do que tem
aaantactdaaaw anisas partes, ajustado amigavel-
apda. Concluida esta istrada fica
, Tfcajw de Lisboa, pelo norte, fron-
teira de Galliza, isto at defronte de Tuy. As
diligencias aao passam actualmente da Viaaaa.
O paaaaeo vapor Rio AfoMbo, depois do eoo-
cerlo radical que Ihe foi feitoo aaao passado nesta
cidade, tem eeanuado as suas rasgeos tcala-
res ao rio, cujo nome o mesmo anjee india*, de
Camhrha a Valonea. A empresa recebe subven-
cao do geverao.
No dia 17 Ma corrate perdeu-se an eaisar a
barra do Douro o vapor ingles Cere-Itnn. Vi-
nha de Glasgow para o Porto.-Lisboa a Cidixcom
agurdente e outras mercadottee* no valor de dez
mil libras. A tripolacao foi salva pelo barco sal-
va-vidas. Consaguiose dopeis tirar de -bordo
todaja carga com pequea avaria.
Tambem era 31 do mez passado encalhou no
cabedello, quando aahia a barra do Porto, a ga-
leota hollandeza Vriendschap, qae se destinan
a Londres cora earregament de vioho e fructa.
A tripolacao salvou-se porum cabo de vai-xtm;
o casco perdeu-se quasi completamente, conse-
guindo-se trazer para trra quasi toda a carga.
A galeota e o carregamenlo ealavam segaros em
companhias estraugeiras.
Os cascos desles dous vapores foram depois ar-
rematados por procos relativamente insignifi-
cantes.
Poucos dias antes deete ultimo sinistro, tioha
igualmente encalbado por causa da espessa cer-
raco, prximo da barra de Vianna do castello, o
vapor hespanhol Nieta, da lotaco da 448 tone-
ladas. Vinha de Barcellona e diriga-te a Liver-
pool, tocando em Vigo, com carga de agurden-
le, azeite e fazendas. A carga foi toda lirada de
bordo sem averia, e deu entrada aa alLuadeg de
Vianna. Este vapor, mais feliz do que os dous
cima mencionados, pode safar-se nao sem dif-
flculdade, e seguio sem carga, para Viga, levan-
do de conserva, a pedido do vice-consul hespa-
nhol naquella cidade, o vapor de guerra porlu-
guez Lynce. Pela vestoria que loe passaram em
Vigo conheceu-se que o casco nao tinha sofirido
avada, e dias depois voltou o vapora Vianna
para receber a carga que all tiaha deixado, e
continuar viagem.
as alturas da costa do Aveiro oi abandonada
pela tripolacao oo dia 21 do corrente a barca
Hcrzogen-lfarie, perteuceole pcaca de Rostock,
era viagem de Londres para dessa. A tripola-
Qo aalvou-se nos dous esoalerea do navio. Um
entrou no porto de Aveiro e o outro ao da Fi-
gueira.
Na noile de 13 para 14 do correte houve em
Vizeu um terrivel incendio, que reduzio a ciozas
tres predios, e arruinou oa doua imraediatos. O
fogo declarou-se com tanta violencia que os mo-
radores da casa em que elle se manifestou, para
salvarem as vidas, tiveram do sabir para a ra
em trajes menores. Duas criadas que dormiam
no andar superior, Qcaram infelizmente sepulte-
dla debaixo das ruinas.
Em Penamacar houve tambem no mez passado
um incendio n'um armazem que guardiva muitos
carros defeuo, e ao qual dormiam homem, mu-
llier e dous filhos de menor idade. O armazem
foi completamente devorado pelis chammas. O
hornera falleceu dias depois em consequencia das
queimaduras que recebera, a mulher ficou muito
maltratada e os dous filhos morreram queimados.
As noticias agrcolas do districto de Aveiro
apresenism geralmeole as cearas de milho, tanto
nos terrenos altos come nos baixos, em excellen-
le aspecto. Os fructos dos pomares de caroco e
pevide, apesar da contrariedade do tempo, pro-
meitem soffrivel colheits.
Nos vinhas teni-se desenvolvido por alguns si-
tios do districto, o terrivel oidium com to gran-
de inlensidade que esto perdidas todas as espe-
ranzas de se colher qlaum vioho; por outras
parles, eapera-se quisa) colheita, nao obstante
o calor desles ltimos dias, seja superior dos
dous aaoos prximos passadoa.
Para os lados de Chaves, Mirandella e Bragan-
ca julga-se que a colheita do vinho ser muito
escassa. As cepas esto muito atacadas do mal.
A colheita dos centeios foi ioerior do anno pas-
sado, e a dos milhos, castaahas e azeitooa pro-
metiera eer pequea.
No districto de Coimbra a colheita do trigo e
ceoteio foi menos que regular, e a da cevada mui-
to insignificante. Os milhos tanto o das trras
alias como o das baixas est pouco esperanzoso e
a colheita do azeite deve de ser escassissima. As
videiras tinham sido atacadas do mal, mas hara
esperances de urna colheita nao inferior do an-
uo passado.
As ultimas noticias viuhateiras de diversas
partes do Douro sao desanimadoras. Os inten-
sos calores tinham em alguns sitios seccado a
uva ainda verde, fazendo perder a esperance de
urna novidade, como se esperara, muilo superior
do auno passado.
O conseibo de saude publica declarou infeccio-
nado de febre amarella desde 10 do presente mez,
a provincia do Para.
O rendiraento da alfandega do Porto no anno
econmico que lerminou em 30 de junho do cor-
rente anno foi de 2,093:044gz82 rs., o qual com-
parado com o do anno anterior [1,6(5:8943-293)
resu.ta a favor daquelle a quanlia de 457.1499989.
Nunca o rendimento desta casa fiscal chegou s
cifra to importante.
Total.
Ditos pertencentes a annos anterio-
res, que se liquidaram neste sano
econmico....................... 7:5250182
Ditos por causa da cheia do rio
Douro............................ 19:8578730
20 incendios.........,.............. 14:6770515
Total...................... 58:5620220
Esta companhia pedio no principio do corrente
anno aos accionistas, por empreslimo, 400000
ris por seco.
A companhia Garanta tere a receita seguinte :
Premios de 3316 apolices martimas
deduzindo reaseguros, estonios e
desconlos........................ 92:839S871
Seguros de fogo deduzindo rease-
guros, estonios e nonas do 7.
anno............................. 16:190|270
Total...................... 109:0300141
Prejuizos martimos, entrando sotu-
rnas importantes pagas neste
anno, mas pertencentes a annos
anteriores,,,,,...............,,,
91:79#78
para ser discutido, em occasio opportuoa, depois
da cmara se achar constituida,foi approrado nol*
corrente, por 65 votos contra 18, ficando assim
regeitado o parecer da commissao de verficsco
de poderes que optara por nova eleico. Os mi-
nistros, qae teem asseoto na cmara absreram-
se de votar.
O eleito, que o Sr. Antonio Pereira da Cu-
nha, distiocto poeta e mimoso prosador, nao obs-
tante ser legitimists, e ser om dos que em outra
legislatura, em que fra eleito depatado, sus-
citara a celebre questo do juramento, desta
vez tomou asenlo na cmara e cumpro a for-
mula regimental e constitucional.
Os trabalhos no caminho de ferro de Lisboa ao
Porto progrldem com muita aclividade. as cin-
co secces em que est diridido trabalham 13:067
operarios, e sao empregados 799 carros, 22 ca-
valgaduras e 76 wagons. No tunnel, que para
cata via frrea se est fazendo na serra do Pilar,
trabalha-se com multa vonlade. Ha dous tor-
nos de trabalhadores, ua para de dia e outro
para de noile.
Comecarara ha poneos das os trabalhos para a
feilura da estrada da cidade da Vianna a Valonea
por Caminba e Villa Nora de Gemir, Grande
llespauha.
Lisboa, 29 de agosto de 1861.
Aproximando-se o regresso de S. M. catbolica
das provincias do norte para o real sitio da Gran-
ja, prepiram-se as povoagoes por onde ha de
passar, a recebe-la com pompa e eolbusiasmo, e
para esse efieito se tem organisado commisses
em Valbadolid, Burgos e n'outros pontos.
S. M. a rainha e sua augusta familia sahiram
de Santander a 9 e meia hora da manhado dia
13 ; a despedida foi to enlhusiasta e affectuosa
como tioha sido a recepeo ; desesogaram na vil-
la de Reinosa, e chegaram a cidade de Palencia
s 11 menos um quarto da noile. Sabiram de
Burgos no dia 16, passaram por Valhadolid no
dia immediato, a Villacaslino em 18, recolhen-
do-se Granja em 19.
A entrada das reaes pessoas em Burgos foi ver-
daderamente triumphal ; a antiga capital de
Castella a Velha accreditou a sua proverbial leal-
dade i mooarchia.
S. S. A. A. os senhores iofaotes duques de
Montpensier recebem em Londres as maiores de-
moostracoea de sympathias, e apreco, e volta-
ro no fim do mez actual vindo por Gijon em
Santander Valhadolid, Granja e Mandrid a Seri-
Iha, onde se reuniram com seus augustos filhos ;
com a perda de S. A. a infanta, D. Maria de Re-
gla esto inconsolas eis
Cartas de Pars annaociam que recolheu-se a
esta capital a rainha Christina-depois da sua ex-
curso aos banhos de Vcchy.
Consta ser certo que um persooagem auspeilo
Eercorreu recentemente alguns pontos do littoral
espanhol de Meditterraneo, sob nome suppos-
to, o que denuociava ser agente do ex-infante
D. Joo de Bourbun, companheiro e amigo de
aeu secretario Larem.
Affirma-se que esse persooagem, conhecido
ha lempos pelas suas relajos como ex-infante, e
celebre j por certos papis dobles que repreaen-
tou nos primeiros das do mez de agosto de
1854, esteve efectivamente ha poucos dias n'um
porto hespanhol do Mediterrneo, e assistiu coa
grande descaramento a urna reunio, ende o vi-
rara pessoas qne merecen) inteiro crdito & Hes-
panha (jornalque d esta noticia}, e que assim Ih'o
communicaram depoia de se terem certificado
que o tal individuo nao viajava com o aeu pro-
prio nome.
A rainha Chrislioa obteve licenca para ir visi-
tar urna da suas Gibas a Oviedo. Parece que sao
os preludios de urna visita rainha Isabel sua
filha.
Consta qae em Granada se apresentara ao capi-
to general um individuo, que inculcava-se como
coronel reformado, e disse que se Ihe perdoas-
sem a Vida declarara a conspirarlo que all ha-
via. Com efieito o capit&o general deu conla do
caso pelo telegrapbo a S. M.. que coucedeu o
perdo* loteirado disto, pediu o coronel a S.
Exc. que fosse o preso elle proprio coronel, pa-
ra seguranca pessoal, eenlregon a lisia dos ajura-
mentados que constara de mais de9:000 homens,
em virtude do que faziam-se muitas pnsdes, e o
coronel j foi trasladado preso para Malaga.
Consta ter chegado aGibraltar oalveitar P-
rez, que vinculou o sea nome nos a contecimen-
tos de Loja*
Consta tambem ter chegado a'GibalUr um so-
brinho de Prez com duas pesases mais que
eram considerados implicadas nos acontecimen-
los de Loja.
0 governador de GibraUar querendo dar urna
prova de cossideraco para com o governo hes-
panhol, e desejozo de impedir que fosse aquella
cidade foco de conspiracoes, ordenou que im-
mediatamente fossem expulsos os refugiados, a
que estes obedeceram embarcando n'um navio
portuguez. Urna pessoa que Ihes havia faerhta-
do um paasaporte inglez foi multado. Suspeita-
ra-se que um dos emigrados seria talvez o pro-
prio Prez.
O El Conttilutimuil, foi confiscado, porque
pablicou ama carta que Parea dirigi aos vogaea
da commissao militar de Laja.
E' to confuso todo quanto se tea publicado
aerea dos acoatecimenioa, que selo alo fie-
cal da imprensa baspaohola nao deixou segar.
Esta carta, sendo talvez um documento sem
relia, fica aendo muito apatticida. E' o resalu-
da de fiscaliaar a liberdade de impreosa 1 Se
ella conforme o que se diz, nao passa de ser
um acto oe toucuro e taivez apocrlpna,
Em Malaga ambarcacam, com deslino a Fer-
nando P, 18 degradados que as commisses mi-
litares da Aaduluzia cooeemnaram a presidio
por toda a vida' O navio tem o nome de Ca-
ridade.
Deviam partir com|brevidade mais 30 ou 40
sentenciados pelo cooaelho de guerra de Loja, e
que devem aahir brevemente para Fernando P,
iro para esta ilha, nao para ficarem n'um car-
eare, mas para egricullrem a ierra, e poderem
realisar all pralicamenle as suas ideas sobre a
partilha da proprledade, segundo diz urna corres-
pondencia de Madrid.
De Leja participara que tinham sahido desta
cidade a cumprirem suas senleucas ceolo e cin-
coenla reos, maior era o numero dos absolvidos
e poslos em liberdade. Entre os presos que mar-
charan! para os presidios cootam-se varios ciga-
oos e o chefe destas tribus.
O coitselho de guerra de Loja senleociou mor-
te Joaquim Narvaez um dos principaes caboa
dos filiados de Izaajar. Este desgranado fez im-
portantissismas revelarles. Foi execulado so-
freodo pena ue garrolo em Iznajar no dia 6.
No dia 14 do corrente mez eulrou tambem no
oralario Auiooio Morales.
Este infeliz devia ser execulado em Perouzia.
Era alveitar. Os joraaes de Madrid qualificam-no
como leudo aido um dos priucipaes chele da su-
blevaco de Loja. A execusso desto infeliz de-
via ser ao dia seguate ao da entrada no orato-
rio, porm como este dia era santificado foi mu-
dada pera o dia 16 Sexta feira.
O imperador de Marrocos nao d aigoal de que
esteja resolvido a prestar attenco no seu conflic-
to oom a Hespanha.
Eicrevem de Auduan (Tetuo) com data de 27
Je julho, o seguinte :
Honlem apresentou-se um renegado hespa-
nhol ao chefe de estado maior, disse-lbe que pre-
parassem todas as forlifica^ea, porque iam ser
atacadas pelos mouros, em Tetuo Forte Mariiai,
Adusoa, fallando-lhe s organisar a arlilberia
para dar comeco ao ataque. Parece que o rene-
gado vem das terrea sertanejas e est ao corren-
te do projeclo dos mouros.
Sem embargo disso, os joroaes ministeriaes
insislem em que reina perfeitissima tranquilida-
de as nossas possesses d'Africa.
Em Teluo espera-se a approvacao do projec-
lo de fortica^o. Corre que o cooaul inglez du-
rante os dous mezes que passar junto ao impe-
rador de Marrocos o inclinar a pagar Hespa-
nha mensalmente.
Os kabilaa obram no eotanlo com a crassi ig-
norancia que es distingue ; querem ver resgata-
da Tetuo, e oegam-se a pagar as conlribuiges
ao imperador.
Dispunba-se a sabir de Havana para S. Domin-
gos, a 10 de julho, a fragata de guerra Pttro-
nilla, conduzindo o ca pit o-geno ral Serrano.
Entrou em Havana, a 18 do met passado o va-
por de guerra Isabel a Calholtca, procedeute de
Podo-Prncipe, e trazendo a aeu bordo o com-
mandanle geral de marioha, com a noticia de se
terem regulado as questes suscitadas eotre a
Hespanha e e o. Haili a contento de ambas as
parles.
O governo hespanhol est satisfeilo do proce-
dimeolo do lenenle-coronel Palanca, chefe das
torcas hespanholas na Cochlncbina. Tanlo no
que respeita direceo do seu pequeo corpo de
tropa, como as relaces e respectiva posic,o do
joven offi'.Ul hespanhol com o almirante di ex-
pedido franceza, aquello representante di Hes-
panha se tem portado dignamente. Recebeu do
governo francez a commenda da legio de honra,
e outros officiaes seus subalternos tambem tive-
ram condecorares.
Sao tantos os processos instaurados impren-
sa peridica de Madrid, que foi adiado o julga-
mento de um, porque o defensor ae apresenlou
habilitado para defender um artigo secusado,
mas que nao era o que imputavam deciso do
tribunal.
Urna das multas que pagou o Clamor Publico
importn em 60:000 reales ; foi imposta um
artigo em que se continha urna alluso bastante
iodirecla legitimidade divina do peder real.
Contina a fall*r-se no projecto de cessarem
de publicar-se as folhas da opposico, e boje ce-
lebrou-se urna reunio para esse efieito. A Dis~
cussion, o Contemporneo, o Clamor Publico e
tambem o Reino mostravam-se propicios a se-
melhanle pensamento ; porm as Novedades e a
Iberia sao as que nao approvam, o primeiro,
porque, considerado como empreza, tem com-
promissos e projectos, e a segunda, porque lem
recebido auxilios de seu partido para continuar
na lid, ainia que chovam sobre ella as iras dos
Uscaes da imprense.
Consta dos mappas relativos s obras do ca-
minho de ferro, que ligam os de Hespanhi com
o de Portugal, que na seceo de Co4ad-Real a
Mrida, que conta de extensa* 239 kilmetros,
ha 96 acabados e 38 em constraeco, sendo 2:6i6
o termo medio dos jovoaleiros que trabalham
nessas obras. Na seceo de Merda fronleira
que conla 64 kilmetros, ha 29 concluidos e tra-
ba lhou -se em todos os mais.
Os cereaes tinham subido de pre;o em quasi
todos os mercados de Hespanha, pela escassez
das colheitas em muitas outras nacoes, mrmen-
te na Franca, d'oode eslavam chegando ordena
para avultadas compras.
Brevemente se deve publicar na gazela de Ma-
drid um novo plano regulador da instruec&o se-
cundaria.
A Disvussion, oceupando-se da poltica do go-
verno na queslo italiana, julga que afinal ser
re conhecido o reioo de Italia depois de ter segui-
do o ministerio O'Donnell um modo de obrar
imprevidente, vergonhoso e prejudicial a todas
as aspiraces legitimas, e a todos os iateresses
da Hespanha. Accrescenta que as folhas minis-
teriaes acabaram por assim o reconhecerem e
confeasarem, e coaclue :
a O papel que nos temos desempenhado as
questoea da Italia o que deviam representar os
joroaes do ministerio, e que nao deixaro de.
adoptar mui breve, quando chegarem a conven-
cer-ge os seus patres, o que nio deve tardar
muilo, segundo nos consta, de que sonharam
cousas impossiveis e perderam lastimosamente o
tempo em ludo o que respaila questao ita-
liana.
Parti para Pars no dia 9 o embaixador de
Hespanha, D. Alexandre Mon, afim de assistir
festa de Napoleo que foi no dia 15 do corrente.
Segundo noticias procedentes de circuios mi-
nisteriaes, assegurava-se que as explicares do
Sr. Toro, enriado da repblica de Venezuela,
do esperanzas de prompto restabelecimento das
relaces enlre a Hespanha e aquello estado. A
Epocha accrescenta que o mesmo senhor j fra
recebido of&cialmante pela corte em Santader
como ministro plenipotenciario daquella rep-
blica.
O general Turn, restabelecido j da sua en-
fermidade, tinha sahido na tarda de 14 de Alge-
ceras para Tetuo.
L se n'uma carta de Pars : O general Nar-
vaez contina mais alliviado, e, segundo dizem,
sahir d'aqui para os banhos em Santa Aguada
no principio de setembro, passando depoia para
a sua nova casa em Madrid. A poltica, por ago-
ra, est muito looge da mente do duque da Va-
lencia, e a deseja viver tranquillo oa sua pa-
tria, conforme asseguram pessoas bem infor-
madas.
O marquez del Duero e D. Jos de la Concha,
marques de la Habana, devem partir na semana
prxima doa banhos de Vicby para e acampa-
mento de Chalos, onde j se acha o imperador
Napoleo III, para o fim do mas estar de re-
gresso em Madrid o marques del Duero.
Um granda incendio acaba de rednzir miseria
um numero avallado de familias. Ma noite do
dia 8 do crrante mez, sesseota casas foram pre-
zas dea chammas em Uitarroz.
Os joroaes hespanhoes, ainda que dlgam esta-
rem faltos da pormenores, noticiara quasi como
cario nao harer, faliaraaln, a lamentar-ae sar-
das da vida.
0 numero das casas destruidas equivale i me-
lado das qoe havia aa povoacao.
Em Barcellona esto sen4/> grandes os prejui-
zos que se fazem sentir pela secca prolongada
que ali tem havido.
O vigario geral, governador da dlocese, orde-
nouque os sacerdotes, ao celebrar o santaoffiaio
da missa, aattaaeentassea s ora caes : adptten-
um pluiitm.
1MTEM0L
27 ae mfoslo M 1861.
Honteaa ao houve aeaate ao senado
de numero legal.
per falta
A cmara dos depulados oceupou-se hootem
com a lerceira discusso do projeclo que manda
vigorar no exercicio de 1862 a 1863 o ornamento
vigente. Orou o Sr. C. UitooL
Continuou depois a segunda discusso do orea-
menta na parte relativa despeza do ministerio
da guerra. Orou o Sr. Saldanha Mariano.
Ambas as discuues ficarara adiadas pela
hora.
Foi nomeado officisl da ordem da Rosa o co-
nego da S do Maranho Eslevo Aires dos
Reis.
Foi concedida ao Dr. Joo Capislraae Soares,
lente cataearatico da segunda cadaira do primei-
ro aaao da faculdade d direito de S. Paulo, au-
torisaco para continuar a reger a mearae aadeira
com a gratificarlo addicional de 4005, por ter
mais de 25 aonos de magisterio.
Foram concedidas ao padre Firmino Alvares
dos Reis, parocho collado e vigario geral da ci-
dade de Valenca, as honras de conego da s me-
tropolitana, e ao padre Antonio Julio Soares,
parocho collado da freguezia de S. Renedicto da
cidade de Casias e arcipreste da comarca da mes-
ma cidade, as honras de conego da cathedral do
Maranho.
Seb a epigraphe de terremotos, noticia o Sut
de Minas, jornal da Campanba, de 10 do corren-
te, o seguinte:
A' 1 hora da noite do dia 31 de julho prxi-
mo passado senllo-se no Arraial da Soledade de
Itajub desta provincia ura tremor de trra.
Muitas pessoas que estavam Jormindo acor-
daran) sobresaltadas as suas camas com o forte
abalo que sentiram as casas, e sacudiduras dos
leilos em que se achevam : alguns individuos en-
tre esles o Revm. vigario Benedicto Ferreira de
Souza Pinto saltaram da cima abaixo e abriram
as portas para sabir para a ra : os movis joga-
ram, e cahiram garrafas que estavam sobre me-
sas, telhas de algumas casas tambem foram abai-
xo, etc.; o abalo leve a duraco de quasi um mi-
nuto e era acompanhado de um ruido snrdo e
loogiquo como se apparecer quaodo se aproxi-
ma urna chuva de pedras ; o co eslava limpo, o
ar puro e fro.
f Em muitas casas dispertaran) os seus mora-
dores assustados julgando que oa sacodiam nos
leilos. e ouvindo o estalar do assoalho o forros.
Horas antes foram vistos muitos meteoros oo
ar qoe rpidamente dissipavam.
O arraial est situado ao NE na aba da
serra da Manliqueira.
Convm nolar que na encosta da serra, a 3|4
de legua do arraial, do outro lado dlla, existe
na margem esquerda do ribeiro chamadoCor-
rego Alegre um volco extiocto que ainda ha
tres anoos fumegava e queimava qualquer pao
que alguns curiosos l iotrodiiziam pela trra
lufa, que se assemelha a um grande formigueiro.
Algumas pessoas a duas leguas de distancia da
freguezia aentiram o tremor da Ierra.
Do Carmo dePouso-Alto tambem recebemos
a seguinte noticia :
Na noite de 29 para 30 de junho, pelas 3
horas da madrugada, deu-se nesta freguezia um
facto que muito nos impressiooou.
Dormamos tranquillamente, quando fomos
disperlados por um tremor de trra assustador,
produzindo um ruido surdo, e fazendo estalar e
oscillar varios objectos.
a Consta-nos que em Po uso-Alto fra maior o
tremor. Aqui aturara um minuto mais ou me-
nos.
.28
O senado oceupou-ae hontem com as materias
constantes da acia da sesso, que vai publicada
oo lugar competente.
A ordem do dia de hoje a votscao do projec-
lo cuja discusso ficou encerrada, lerceira dis-
cusso do projecto acerca das corporaces de
mo-morta, as materias j designadas, e traba-
ibos de commisses.
A cmara dos depulados adoptou hontem,. de-
pois de orar o Sr. Pereira da Silva, o projeclo que
manda vigorar no exercicio de 1862 a 1863 o or-
camento vigente.
Continuou depois a discusso do orcamento na
parte relativa despeas do ministerio da guerra.
Oraram oa Srs. presidente do conselho, Martinho
Campos, e Ribeiro da Luz, ficando a discusso
adiada.
Foi apresentado o seguinte parecer :
Na sesso de 2 de maio foi approvado sem
debate em todas as suas coocluses o parecer da.
quarta commissao de poderes sobre a eleico do
stimo districto eleitoral de Minas Geraes; a ler-
ceira coocluso foi que se adi o conhecimen-
to da eleico paroehial de Sani'Anna da Barra
do Rio das Velhas at que cheguem as respecti-
vas actas.
c A commissao de poderes, examinando as ac-
tas desta eleico, qoe por copia foram remelli-
das pela secretaria de estado dos negocios do im-
perio em data de 26 de junho, e reconhecendo
que foram observadas aa preacrpees da lei,
de parecer que ae approre a eleico primaria de
Saut'Anna da Barra do Rio das Velhas, perten-
cente ao stimo districto eleitoral da provincia de
Minas-Geraes.
a Paco da cmara dos depulados, em 26 de
agoato de 1861.R. F. de Araujo Lima.L. A.
L. de Oliveira Bello.
Por decreto de 24 do corrente foram nome*.-
dos :
Sagundo escriptarario da thesouraria de fazen-
da de Pernambuco, o chefe de seceo da thesou-
raria das Alagoas, Jos Goncalves de Medeiros.
Solicitador dos feitos da fazenda da provincia
das Alagoas, Aodr de Carvalho Espinla.
Foi nomeado para um lugar de ministro do su-
premo tribunal de juatica, o Sr. cooselheiro An-
tonio Simoes da Silva.
29
Hootem nao honre sesso no senado nem na
cmara dos depulados por falta de numero legal.
Em cumprimento ao aviso do ministro da jus-
lica, datado de 27 do corrente, o supremo tribu-
nal enviou hontem a lista dos 15 juizes da direito
mais antigos para qoe o governo imperial pro-
ceda nomeacao de um desembargador para pre-
encher a vaga de um lugar na relaco do Ma-
ranho.
Os juizes mais antigos sao os Srs. : Antonio
Henrique de Miranda, Joo Querlao Rodrigues
Silva, Joaquim Pedro da Coala Lobo, Lourenc
Caetano Pinto, Francisco Elias do Rogo Dantas,
Manoel Teixeira Peixoto, Joo Valeotim Dantas
Pinage. Antonio oncetves Martina, Francisco
Jorge Monteiro, Henrique Jorge Rebollo, Miguel
Joaquim Ayres do Nascimento, Paotiieo Jos da
Silva Ramos, loneceacie Marques de Araujo Ges,
Domingos Martins de Feria, Evaristo Ferreira de
Araujo.
Manifeslou-se ante-hontem s 11 1/2 horas da
noite um grande incendio em um predio de so-
brado de um andar, tendo um aoto nos fundos,
sito ra do Gano o. 16, propriedade da ordem
lerceira do Carmo, e residencia no pavimento
terreo do Sr. Joo Leile de Oliveira Guimares
com armazem da saceos e mol hados, e no supe-
rior do Sr. Caetaao Domingos Drolha.
Das ioformaces que oolhemoa sobre este si-
nistro consta-oo* o seguinte :
O Sr. Guimares tendo nessa noite dado licen-
ca ao seu caixerro para Ir ae theetro, sanio tam-
bem do armazem que ficou fechado ; -querendo
porm Tarificar, i hora em qne jnlgava ter fin-
dado o espectculo, ae o seu caixeiro havia en-
trado em casi, voltou a esta, e aaeeodeu para
ailumiar-se o bico de gas de urna arandela que
eslava pregada junto aseada.
f eado qae estera alada Ota o caixeiro, o Sr.
Gaimares aahio de noro para procura-lo, nio
Um occerreado rerificar-se, como de ordinario


*aia D WUMlBtX. -SOBADO OT1M1IITJ Hmi
=

fatia, tiohcr nesse* poneos omentos retido tu-
bo da. arandela con um cordo que a impedia de
spproximar-se para o lado da parede.
Peuc* depoii, um escravo do Sr. Drolha, que
nesw Doile esleudera a ana eateira junto eaca-
da, aeotio demasiado calor no assoalho, levan-
tou-se, corren janella da rea, e deecobrio aa
chammas.
Immediatamente correu o escravo o soto da
casa a prevenir do siniatro o Sr. Drolha e ana fa-
milia, qua all dormiam.
O Sr. Drolha fes logo descer 4 ra aua senho-
a, aua aogra, urna cunhada e tres fllhos, que re-
coUtaram-se cas* visiuba, a ia acorapanha-los
carregaode o quarto ttlho, eatendia j o p sobre
a eseada, quaade houve urna explose do arraa-
zem. e a aseada eatalou e cabio, deiando o va-
cuo que as labaredas e o fumo encheraa ante o
Sr. Drolha qae. meio atordoado, leva entretanto
o preciso sangue fri para recaar, correr -sala
de visitas, a escapar da morte com seu fllho, sal-
tando por urna jaoella para a caaa immediata.
To intenso era j o fago que obsluu sala-
go de qussi iotalidade dos trastes e objectos de
valor pertencentea aos ioquilioos do predio ; e
con tanta presteza lavrou que o Sr. Drolha nao
podeoda retirar o que de aais valia deixava s
chammas, apenas teve teatpo para lancar mo
da roepa que deixra, daitando-se, parlo de si.
Por infelicidade tiicbem estiveram as bombas
algum lempo sera (uoccionar por falla da agua,
sendo para lamentar que por nao estarem as man-
gueiras preparadas anda nesta vez nao podesse
ser o bocal de urna adoptado 4 olea mais prxi-
ma aflra de se abter por essa meio urna correte
constante.
Foram presrvelos do fogo os predios collate-
raes, solreodo entretanto a loja de calcado con-
tigua alguns estragos ; o predio n. 18 um so-
brado de dous andares cujas paredes se elevam
cima das da casa incendiada.
A cobertura e soalho desta veio ao chao, fleau-
do em p as paredes literaes, e em seus lagares
algumas vigas e freehaee carbonisade.
A polica releve para averiguarles o Sr. Gui-
m a raes e o seu caixeiro
Cempareceram os Srs. chafe de polica, subde-
legados do 1 e 2* districtos da freguezia do Sa-
cramento, de S. Josa e de Santa Rita, diversos
inspectores de quatUirao, o oommandaote da
companhia de pedestres com algumas pracas des-
ta, piqutles do corpo policial da corta e do ejer-
cito, alguns ofBciaes deste, todas as aeoedes au-
xiliares, a bomba das obras publicas, o director
geral. os officiaes a 1* seeglo do corpo da bom-
be i ros. t
O fogo ficou eitiocto s 5 horas da snauha de
hontem, nao haveodo perda alguma da vida a la-
mentar-se.
Consta-nos que estavam seguros d predio e os
gneros do armazem.
30-
0 senado oceupou-se hontem com as materias
que constam da acta que vsi publicada no lugar
competente.
A cmara dos deputados approvou hontem o
artigo da proposta do orcamento na parte relati-
va despeza do ministerio da guerra, com lodos
os seus paragraphos.
Occupou-ae depois com a discussao do orna-
mento na parle relativa despeza do ministerio
da fazeoda. Oraram os Srs. Garvalho Ruis e Ao-
gelo do Amaral, ficando a discussao adiada pela
hora.
Esto com a palavra os Srs. Oltoni, Lessa,
Amaro da Silveira, Furtado, Saldanha Marioho,
batao de Miu e Barcellos, contra ; e a favor os
Srs. Fialho e Vieira da Silva.
Foi aposentado a seu pedido o ministro do su-
premo tribunal de justiga Joo Jos de Oliveira
Junqueira.
Foi nomesdo ministro daquelle tribunal o de-
sembargador da relacao do Rio de Janeiro Anto-
nio Simes da Silva.
Da relacao do Maranho para a do Rio de Ja-
neiro foi removido o desembargador Manoel Eli-
siario de Castro Menezes.
Foram reconduzidos :
O bacharel Joao Benicio da Silva no lugar de
juiz municipal e de orphos do termo de ru-
guayana, na provincia de S. Pedro do Rio Grande
do Sul ;
O bacharel Joao Clemente Pessoa de Mello no
lugar de juiz municipal e de orphos dos termos
reunidos do Jardim e Milagros, da provincia do
Cear.
Tiveram merc da serventa vitalicia :
Do officio de partidor dos termos de Valenca e
Jequiric, da provincia da Babia, Manoel Fran-
cisco Campos ;
Da igual officio no mesmo lugar, Juvencio Go-
mes de Freitas;
Dito do termo da Gachoeira, tambem da Babia,
Manoel Ignacio de Medeiros ;
Dos de partidor, contador e distribuidor do
mencionado termo da Cachoeira, Manoel Borges
de Carvalho.
Ao major Hermenegildo Joaquim Fernandos de
Menezes, do batalho n. 28 da guarda nacional
da provincia do Rio de Janeiro, foi concedida a
passagem, ao mesmo posto, para o batalho n.
19 da referida guarda.
Foi com mulada em 1009 para a Santa Casa de
Misericordia da provincia do Espirito Santo a pe-
na de dous mezes de prisao e multa correspon-
dente metade do lempo, a que foi condemnado
Miguel Jos dos Sanios por sentenca do juiz de
direno ioterino dacidade da Victoria, da mesma
provincia.
discussao do oreanTento na parte relativa despe-
ta de ministerio da fazenda.
Oraram os Svs. Fialho, Lessa e Tieira da Sirva,
ficando a discussao adiada pela hora.
Foram offereotdas as seguintes emendas :
Na 19, palarra obras acrescenie-se :
inclusive a construeco da ponte da alfandega do
Para, A. T. do Anraral. Siqueira Mendes.
c Aa gratiflcaees dos empregados de fazenda,
que tamben percebem porcenlagens, Qcam desde
j inoluidas aos seus ordenados flxos, sendo con-
sideradas graliflcaces de exercicio smente as
referidas poreentagens.Furtado.
Temos datas do Paran at 20 do passado.
O Correio OffUial noticia o aeguinta :
c Segunda-faira 12 do correte, no districto
da capital, entre os quarteirdea do Palmital e Ga-
choeira, no lugar denominado Imbuial, foram
traigoeiramente asaasstnados Joao Antonio Fer-
raira, maior de 50 aonos, a seu fllho par neme
Guilhermino Antonio Ferreira, com cerca de 18
aonos.
c O loesl escolhido para a perpetraba o do cri-
na o mais azada possivel para o nefando inten-
to qae foi executado.
c A irregularidade do soto, urna ladeira que se
projecta em frente. madeiraa grandes estendi-
das no ponto opposlo, e mato de ambos os lados,
asseguravam aos assassinos o melhor xito possi-
vel, ao horrivel e atroz erime que perpetraram.
< O facto criminoso leve lugar ao mel dia,
havendo aa doas victimas sahido alguns minutos
antes de casa, e dirigindo-se a um carijo que ti-
nha o fallecido, oque dista meia legua mais ou
menos do sitio onde a emboscada consumou o
crime.
O Sr. Ferreira era pessoa abastada e de in-
fluencia poltica.
a Simples o affavel no trate particular, era ge-
ralmeote estimado.
Algumas queetdea suscitadas por direito de
propriedsde haviam aoganado desaffectos e ini-
migos declarados ao asaassindo.
A polica leva sciencia do acontecimento na
tarde do dia 13 : partiudo incontinente para to-
mar conhecimento do occorrido, os Srs. chefe de
polica e subdelegado.
< Depois das 9 horaa chegaram as autoridades
policiaes, e pouco depois os dous cadveres, que
foram conduzi los em nades at a egreja matriz,
oade se proceden ao corpo de delicio, que final! -
sou as 2 1(2 horas da madrugada.
O cadver de Joio Antonio Ferreira apresen-
lava 24 soluces da continuidade, produzidas por
arma de fogo ; e tea Qlho sale.
c Coavem observar que todos os ferimeatos in-
dicara que as cargas floaram dentro do corpo ; e
que, conseguioiemenie, aaia de um tiro foi dis-
parado em cada urna das victimas.
a Demais, a direccao de alguns dos ferimritos
e detrictos de buenas eacontrados nos vestidos
deootam que, depois de cahidos os cadveres,
anda os scelerados atlraram queima-roupa.
a Hontem, 15, s quatro horas da tarde, teve
lugar o enterrameoto, om grande concursa- de
pessoas ; fazeodo una guarda do corpo da guar-
nicao as ultimas honras militares a Guilhermino
Antonio Ferreira, que ocoapava o posto de alteres
da guarda nacional de Votuverava.
A viuva do Uuado acha-se quasi em estado
de allucinaco, lo profunda e* sbita a dor que
a opprime, pala duplica perda quesoffreu.
a Nao ha urna pessoa que nao tenha deplora-
do este triste acontecimento.
a Da reconheeida energa e perspicacia da com-
petente autoridada esperamos, para dessggravo
da sociedade offeodida, a severa puoi;ao dos cul-
pados.
O crime indica muila malvadez e profunda
perverso moral; a applicaeao da pena deva ser
prompta e em relacao com o crime.
c O reverendo vigario eucommendado de
Guarakessava, o Sr. padre Francisco Manoel das
Chagas Xavier, foi suspenso do uso desuas ordena
oeste bispado pelo reverendo Sr. vigario capitu-
lar, em dala de 22 de julho prximo passado.
O senado occupou-se hontem com as materias
que constam da acta e extracto da sesso que pu
blicamos no lugar competente.
A cmara dos deputados approvou hontem sera
delabe as emendas do senado s proposices da
mesma cmara que concedem a penao de 309000
mensaes a D. Candida Fraga Neves, e a de 2649
annuaes a D. Candida Rosa Pereira Nuoes.
Approvou em seguida, em urna a discussao, os
projeclos que concedem as seguintes pensos
annuaes : de 6005 aos quatro fllhos menores de
D. Josepha Maria Aragonez de Paria ; de 1.0004
a D. Luzia Adelaida de Victoria Soares da An-
drea ; de 6000 a D Mara Natalia Gerard; da
4200 a D. Joaquina Caetana da Rocha, e de 400$
a D. Thereza Mara de S e Silva.
Occupou-se depois com a discussao do parecer
sobre a eleigo de Santa Anna da Barra do Rio
das Velhas, perteocente ao 7" districto de Minas
Geraes.
Fizeram algumas observares os Srs. Lima
Duarte, Luiz Carlos, Martinho Campos, Salatbiel
e F. Octaviano, ficando a discursso adiada pela
hora.
Approvou mais o orcamento na parte relativa
despeza do ministerio da fazenda, regeilaudo to-
das as emendas, excepto a da commissio.
Comecou em ultimo lugar a discussao do orca-
mento na parle relativa receita geral do im-
perio.
OrouoSr. ministro da fazenda, ficando a dis-
cussao adiada pela hora.
Consta-nos que foi prorogada at ao dia 15 de
selembro prximo futuro a presente sesso da as-
sembla geral legislativa.
A ordem do dia n. 277, publicada ante-hontem
pela repartirlo do ajudanle-general, conten o
seguiote e as disposiges abaixo transcriptas :
Quarta directora geral. Rio de Janeiro.
Ministerio dos negocios da guerra, em 17 de ju-
lho de 1861.Illm. e Exm. Sr. Em solugo ao
requerimecio do 1 cadete do 10a batalho de
infantaria Jos Sergio Ferreira, informado por
V. Exc. em 1 de junho prximo passado, pediodo
o premio de voluntario que nao recebera quaodo
sentn, praca em 1858, por nao ter a idade da
le; faca-lhe V. Exc. saber que, sendo o premio
de engajamento destinado aos soldados que nao
tm as aspirages de accesso, que devem ter os
cadetes, nao ha lugar a concesso dessa vanta-
gem aosupplicante e aos cadetes em geral. Deus
guarde V. Exc. Mrquez de Caxias. Sr. pre-
sidente da provincia de Pernambuco.
Em consequencia do disposlo no precedente
aviso, o mesmo Exm. Sr. ministro manda decla-
rar que sero obrigadas a restituir aos cofres p-
blicos a quaotia que houverem recebido, do pre-
mio de engajamento, as pracas que provarem
achar-se as circunstancias de serem admiltidas
naquella cathegoria ; nao podendo ser como taes
recoohecidas sem que se tenha effectuado a res-
tituicao indicada.
Nomeacoes.Do Sr. Io lente do corpo de
engenheiros Agostioho Vctor de Borja Castro,
para ir esludar na Europa, por coota do governo,
alguns dos ramos de engenharia, com especiall-
dade construego de pootes e melhoramenloa dos
portos de mar;
c Do Sr. capellao-alferes da reparticao eccle-
siastica, padre Antonio da Cunha Figueiredo,
para exercer as funecoes do seu ministerio na
fortaleza do Brum. a
a Liceocas concedidas. Foi approvada a de
tres mezes concedida ao Sr. major do corpo de
engeoheiros Msrcolino Rodrigues da Costa, pela
presidencia da provincia do Paran, para tratar
de sua saude nesta corte ; devendo porm perce-
ber smente o apldo durante esse lempo;
a Ao Sr. caplo do 4 batalho de iofanleria
Joaquim Bernardino de Magalhes Garcez, que
se acha nesta corte, tres mezes com sold e eta-
pa, para tratar de sua ssuda na villa do S. Fi-
delis.
Ao Sr. alferes do 1* regiment da cavallaria
ligeira Jos Melchiadas Bezerra da Silva Costa,
dous mezes com sold e etape.
Ao Sr. 2 cirurgiao do corpo da saude do
exercito Dr. Luiz da Silva Braodao, quatro mezes
para tratar de sua aaude.
_ 31
Hontem nao houve sesso no senado por falta
de numero legal.
Continuou hontem na cmara dos deputados a
discussao do orcamento na parte relativa 4 des-
peza do ministerio da fazenda.
Orou o Sr. Oltoni, ficando a discussao adiada
pela hora.
1 de setembro.
Hontem ao houve sessao no senado por falta
de numero legal.
Continuou hoaUa aa oaaira dos dapotados a
Foram nomeados:
Para o lugar de desembargador da relacao do
Maranho, o juiz de direito Miguel Joaquim Ay-
res do Nascimento.
Para o lugar de chefe de policia da provincia
de Pernambuco, o juiz de direito Jos Antonio
Vaz de Carvalhaes.
Ao juiz de direito Tristo de Alencar Araripe
foi designada a vara especial do commercio da
capital da provincia de Pernamsuco para celia ser-
vir, sen Jo exonerado do cargo de chefe de poli-
cia da referida provincia.
Foi removido o juiz de direito Francisco Do-
mingues da Silva, da 2a vara criminal da capital
da provincia de Pernambuco, para o de juiz dos
feitos da fazenda da mesma provincia, por assim
o haver pedido.
Foram nomeados juizes munielpaes e de or-
phaos :
Do termo de Algrete, na provincia de S. Pe-
dro do Rio Grande do Sul, o bacharel Joao dos
Santos Sarahyba.
Do de Mues, da provincia do Amazonas, o ba-
charel Balbioo Cesar de Mello.
Dos termos reunidos de S. Miguel e S. Jos,
da provincia de Santa Catharina, o bacharel Au-
gusto Eliziode Castro Fonseca.
Foram reconduzidos.
No lugar de juiz municipal e de orphos do
terma da Serra, da provincia do Espirito Santo,
o bacharel Antonio Joaquim Rodrigues ;
Dito dito dos termos reunidos de Melgaco e
Oeyras, da provincia do Para, o bacharel Candido
Antonio Pereira Lima.
Ao bacharel Abraho dos Santos S, juiz mu-
nicipal e de orphsos do termo de Algrate da
provincia de S. Pedro do Rio Grande da Sal,
foi concedida a demisso que pedio daquelle
cargo.
Foi nomeado escripturario servindo de secre-
tario da secretara de policia da provincia de Ser-
gipe, Raymundo Antonio da Cmara Biltencourt
e Oliveira.
Teve merc da serventa vitalicia dos ofQcios
de tabelliao do publico, judicial, notas e escrivo
do crime, civel, orpbos, capellas e residuos do
termo do Acary, da provincia do Rio Grande do
Norte, Manoel Victoriano da Silva Santos.
Foram nomeados:
Teoente-coronel commandante do 2 batalho
de infantaria da guarda nacional da corte, Jos
Joo da Cunha Telles;
Teoente-coronel ehefe de estado-maior do
commaodo superior da guarda nacional do muni-
cipio do Penado, da provincia das Alagse, Ma-
noel Jos da Costa B a tinga.
Foi reformado no posto de major da guarda na-
cional da corte, o capito do 6o batalho da
mesma guarda Luiz Gonzaga de Andrade Al-
iada.
Foram perdoados:
Luiz Jos de Carvalho, da pena de dous mezes
de prisao e mulla correspondente metade do
tempo, a qae foi condemnado em grao de appel-
lago pelo juiz de direito interino da 1* vara da
corte;
Joio Cabra, escravo, da pena de gales perpetua
qua Ihe foi imposta pelo jury da villa de S. Jos,
da provincia de Minas Geraes.
Foram nomeados cavalleiros "lia ordem de S.
Beato d Aviz os cepitaes Antonio Jos dos San-
tos, Jos* Anselma Rodrigues, Jos Amreo de
Moura, e Xilderieo Cicero de Aleacef Araripe.
O capitao-lenenle da armada nacional e impe-
rial Jos da Costa Azevedo foi nomeado, por de-
creto de 10 do raer prximo passado, eommissa-
no brasileiro pata, conjoctamente com o commis-
sario peruano, demarcara frooteira entra o Bra-
sil e a repblica do Per, nos termos do art. 7*
da coovencao celebrada entre os deus paizes em
23 de outubro de 1851.
O Sr. Costa Azevedo ser scompsuhado do oes
soal que o tea de auxiliar em seus trabslhos.
Da ordee do dia n. 278, publicada pela repar-
t$o do ajudante-generat em 31 do passado cons-
ta o seguinte :
Nomeacoes.Do Sr. alferes do corpo de guar-
nirlo do Amazonas Manoel Martinho dos Santos
Abreu, para secretarlo do mesmo corpo, como
propoz o respectivo commandante em substftui-
co do Sr. alferes Laurentiou de S. Pedro Neves,
transferido nesta data, a sea pedido do lugar de
secretarlo para a fileire.
Do Sr. 2o cirurgiao do corpo de saude do exer-
cito Dr. Delbao Ferreira de Gouva Pimentel
Belleza para ir servir na provincia de Matto-
Grosee.
Transferencias.Foram transferidos para a 2a
clssse do exercito, como sggregados as armas a
que perteocem, por decreto de U do correte,
na cooformidede do art. 2* J Io n. 2 da lei n. 260
do Io de dezembro de 1841:
O Sr. capillo do corpo de artilheria de Matlo-
Grosso Luiz Benedicto Pereira Leite.
O Sr. alferes do 4 regiment de cavallaria li-
geira FirminoHercolano Menna Brrelo.
Para o corpo de artfices da corte, o Sr. 2* l-
ente da companhia de artfices da fabrica de pl-
vora da Estrella Olimpio Aurelio de Lima e C-
mara ; e daquelle sorpo para esta-companhia, o
Sr. 2 lente Augusto Cezar Pereira da Cunha,
como requeres.
Para a flleira do corpo de Kuarnico do Ama-
zonas, o Sr. alferes secretario do mesmo cor-
po Laureotino de S, PedroNees, como requeren.
Para o 4* batalho de artilheria a p. o Sr. 2o
cadete 2 sargento do 2o batalho da mesma arma
Francisco Folegorno de Souza Magalhes.
Para o 9o batalho de infantaria, o Sr. 2o cade-
te 2* sargento do 8 batalho da mesma arma Cy-
prisnode Souza e Mello, como requeren.
Para o batalho de infantaria, no posto de Io
sargento; o sargento ajudante do Corpo de guar-
nido do Maranho Antonio Joaquim das Neves,
como requeren.
Remoco.Do Sr. 2o cirurgiao do corpo da sao-
de do exercito Dr. Augusto Jos Ferrari, da pro-
vincia de Matto-Grosso para esta corte.
4
Hontem nao houve sesso no senado nem na
cmara dos deputados por falta de numero legal.
Pelo brigue Imperatrit Thereza, entrado hon-
tem do Rio Grande do Sul, temos datas desta
cidade al 18, e da de Porio-Alegre at 14 do
passado.
Havia tranquillidade em toda a provincia.
Pela capitana do porto foi annonciada a demo-
licao da torre do pharol da ilha da Barba Negra,
por achar-se em mo estado. Emquanto nao sb
realisa s construccao da nova torre, devem os na-
vegantes regolar-se pelo pharol da Itapoam.
Passra a ser proprledade braslleira a bsrea
norte-americana Arrow, comprada pelo Sr. Joo
Simes Lopes, xarqueador de Pelotas.
Tioham chegado ao Rio-Grande, procedentes
de Antuerpia, 104 colonos, e eram esperados a
todo momento mais 106 da mesma procedencia.
Asfolhsede Porto-Alegre das ultimas datas
do as seguintes noticias :
J tiahamos ha das conhecimento das mi-
nuciosas indagaQoes a que eslava procedendo o
8r. Dr. chefe de policia acerca do roubo feito na
cidade do Rio Grande Sr.* D Mathilde da Silva
Vtnhas, na importancia talvezde nove a dezcon-
tos de res, mas para nao embaracarmos de ne-
nhum modo a aeco da policia guardamos a res-
peito completo silencio.
Hoje, porm, que o criminoso se acha proso
e os objectos roubados em poder da policia, va-
mos dar ao publico urna minuciosa noticia desse
importante servico com que enceta a sua admi-
uistraco o Sr. D. Callado.
Um escravo daquella senhora, de nome Leo,
e de meoor idade, depois de haver feito o roubo,
lugio para esta capital, e, tendo a policia conse-
guido descobr-lo, immediatamente foi preso.
a Os objectos roubados eram os seguintes: um
grosso cordo de ouro para relogio, com passa-
dor, tendo este um grande brilhante de um lado
e um lindo topasio do oulro, um grande alflnete
cravado de brilhantes, tendo pendente cinco flos
qua prendera um oulro alflnete cravado de pero-
las ou pedras que se assemelham, e no mel des-
las um brilhante, um dito de ouro, um alflnete,
um par de brincos e duaspulseiras iguaes, sendo
todas essas pecas cravadas com brilhaotes, um
annet esmaltado de azul, com um grande bri-
lhante, urna pulseira de onro, um dedal de ouro,
um annello euma luneta.
Alm destas joias roubou mais aiuelle escra-
vo a quaolia de 3869.
a To bem combinadas foram ss indagacoes
feitas pelo Sr. Dr. Callado, que consegaio appre-
hender todas essas ioias, excepeo dad duas
ultimas, alias de insignificante valor, o o diohei-
ro, que o autor do roubo j havia perdido no
jogo.
Talvez nao menos de doze individuos da n-
fima classe se achavam j envolvidos nesse rou-
bo, e o Sr. Dr. chefe de policia coneeguio eonhe-
c-los um por um, ea respeito de lodos proce-
deu como julgou conveniente.
Narramos singelameote o facto : temos feito
o maior elogio ao lino e actividade com que se
houve o Sr. Dr. Callado nessa importante appre-
heosso, cujo resultado confessamos que nos sor-
prendeu, porque a naturezs dos objectos rouba-
dos nao nos dava a meoor espera oca de que po-
dessem ser descobertos.
Chegou da colonia de Caseros o Sr. alfe-
res Leoncio, ajudante do director da mesma co-
lonia. O Sr. Laoocio sahio de Caseros e veio por
Ierra ao porto de Santa Barbara, distante 10 ou
12 leguas da colonia ; nesse porto embarcou em
urna canda do Sr. Joo Mariano Pimentel, e em
companhia daquelle senhor veio at esta capital,
gastando dous das e meio nessa viagera.
Nao podemos assogurar que a navegaco do
rio possa tornar-se livre e franca, mas estamos
convencidos que ella pJe ser melhorada. Para
isso, porm, ser preciso primeiro conhecer o re-
sultado dos exames a que raandou proceder o Sr.
cooselheiro Anto, e de que foi encarregado o
Sr. capito Arruda, que, segundo nos consta, se-
guir para essa commisso no mez de setembro,
nio o tendo feito at agora por (fausa do mo
tempo.
a Anda mesmo, porm, que nao possamosob-
ter a navegco fluvial, as margeos do rio podem
estar em condicoes de oflerecer urna boa estrada
at cima da Serra, aproreitaodo-se ao mesmo
lempo a navegaco daqui a Taquary ou a outros
pontos.
Se as qoantias at hoje despendidas com a
estrada para cima da Serra tivessem sido, ao me-
nos em parte, applicadas para esse ponto, na-
tural que livessemos j esse importante melho-
rameoto, qne tornara muito fcil o transporte dos
differenies gneros que descem da Cruz Alta,
Passo Fundo e outros lugares.
Desta vez as novas da Cichoelra chegam-
nosem som de festa I
Antes isso.
Ningoem nos d palavra sobre homens de
ponche, arrombameotos de portas, nem clavino-
te arvorado. A boa cidade quer olvidar suas ma-
goas, quer restaurar a confianza, estende as pur-
puras da gloria sobre as lembrancas do passado.
Coube a inicialiva ao Sr. Dr. Venceslao Mar-
ques, collocando-se testa de urna subscripeo
para festejar o anniversario da emancipaco do
Imperio; escrevem-oos de l que tem sido por-
fla nos homens grados de todos os partidos coad-
juvarem-o no meritorio empenho.
No dia 29 de julho sommava j a subscripeo
2:6515, e havendo quatro assignaiuras de 2009 8
cinco de 1009000, a menor, e isso una nica,
de 58000.
A commisso que a agencia compe-se dos
Srs. Dr. Venceslao Marques, Joo J. Rodrigues,
Antonio Gomes Pereira, Firmiaoo Pereira Soa-
res, tenente-coronel Tristo da Cunha Sobrioho,
major Joaquim Gomes de Carvalho, e Francisco
Pedro Sertorio Leite.
c O programara das feitas corresponde 4 boa
rontade dos subscriptores. Para o dia 6 prepa-
rara urna serenata archotes ; no dia 7, alm do
Te-Deum ofcial, correrlo cavalhadss 4 tarde, e
4 noile hsver theatro em grande gala ; ne dia 8
correrlo segunda vez as cavarhadas, e encerrarlo
o dia cora um grande baile.
Parpes*! de 29 de agosto prximo paseado
foram nosaeados praticantes da alfandega da edr-
te: Fiiaaee'Leao Cohn Jnior, Antonio Joo
de Feria'Cdetano Antonia Salazar Sanchas.
5 -
Hontem, dia de grande sala por ser o anniver-
sario do casamento de S. M. o Imperador, esti-
veram embanderados e salvaram as fortalezas e
os vasos da guerra surtos ns porto. Sua Mages-
tades Iraperiaesreceberam no paco da Boa-Vista
as pessoas qae os foram cumprimenter por to
fausto motivo, e noite assistiram ao espectacn-
lo dado pela emprezt da opera lyrica nacional no
theatro lyrico fluminense.
O senado occupou-se hontem em trabalhos de
com missoes.
A cmara dos deputados approvou hontem, de-
pois de orarem os Srs. Araujo Lima, Lima Duar-
te e Martinho Campos, o parecer da commisso
de poderes sobre as eleic.es de Sant'Anna das
Barras do Re das Velhas, perlenceote ao 7 dis-
tncto de Mioas-Geraes.
Contiuou depois a discussao do orcamento na
parte relativa receita geral do imperio. Ora-
ram os Srs. Juoqueira e Henriquef, ficando a dis-
cussao adiada pela hora.
Foi offerecida a seguinte emenda :
Ao 5 48 do art. 10. Ficam dispensados do pa-
gamento das multas em que liverem incorrido os
arrematantes e dadores de lotes de terrenos dia-
mantinos na provincia da Baha.Junqueira.
Espioola.
Foi apresentado o seguinte, parecer:
<* Gora officio do ministerio do imperio, datado
de 26 de agosto deste anno, foram presentes
commisiao de constituidlo e poderes as copias
das actas da-eleico primaria a que em 28 de jj-
nho deste mesmo aono se proceden na freguezia
de Carapina, da provincia dn Espirito-Santo. E
como nenhum defeito sete no proeesso eleito-
ral, a commisso de parecer que seja approva-
da a referida elei^o da freguezia de Carapina.
Paco da cmara, em 2 de selembro de 1861.
R P. de Araujo Lima.L. A. L. de Oliveira
Bella.
Entrando hontem do Rio da Prsta, com datas de
Buenos-Ayres 29 e Montevideo 30 do passado,
trouxe-nos o paquete ioglez Mersey a triste noti-
cia de que faHaz fora a esperanza que haviamo's
concebido de ver reslabelecida a paz entre a pri-
meira daquellas cidade e a Kepublica Argentina.
Talvez que a esta hora j sangue de irmos te-
nha enrubecido as aguas da Prati.
Com effeito, nao sendo aceitas por Buenos-
Ayres as exigencias apresentadas pelo governo
do Paran, que at fazem duvidar se elle cioee-
rameute desejava a paz, pois era urna indemoisa-
{o de dous railhdes de pesos fortes para os gas-
tos da guerra, entrega da ilha deMrlim Garca
e da esquadra Porteoha, a par de urna reduc;o
do exercito da mesma provincia, romperam-se as
conferencias, e tornou-se inevitavel a guerra,
apezar dos esforcos empregados pelos mediado-
res para trazerem anda a um accordo as duas
parcialidades.
Proclamou-se pois a guerra, guerra a todo o
transe, como costuma ser a daquelles poros, e
para ella se fazem de parte a parte lodos os pre-
parativos possiveis. At ultima hora porm
nao constara que houvessem vindo s mos os
dous exercitos, postados um defronte do oulro.
As folhas de Bueoos-Ayres mostravam-se con-
fiadas na victoria e asseveravam que o exercito,
numeroso e aguerrido, se achava possuido de ar-
dente eathusiasmo. As forcas de infantaria
e cavallaria, promptas para entrar em comba-
te, avaam-aa etlaeea mais da 25,000 homens.
Do Rosario, d'onde havia noticias al 22, refe-
ria-se qua Urquiza concentrara todo o sea poder
militar na estancia de Salva-Tierra, onde cheg-
ra o chamado exercito do centro com 8,200 ho-
mens.
Do Rosario tioham sahido todas as torcas que
ali estavam, n'um total de 2,300 homens, que
reunidos aos 6,300 que Urquiza trouxera de En-
tre-Ros, ptefasiamura exercito de 16,800 pracas.
Todos estes dados porm nos veem de fonte
portenha, e por tanto mais ou menos suspeita
como interessada.
Era Buenos-Ayres tomara-se como novo in-
sulto a elevaco do coronel Saa, o alcunhado as-
sassioo de S. Juan, ao pesto de general.
Dissolvida pelo governador posto por Derjui,
protestara a legislatura de Cordova enrgicamen-
te contra este acto, taxando-o de exorbitante e
lyrannico.
Do Paran havia dalas at 20. Nada ali oecor-
rra de importancia ; apenas o poder execuiivo
pedir aulorisaco para contrahir fra do paiz
oovo era presumo al sais alindes do pesos for-
tes, para supprir a falta qua sema do numerario.
Assim jicaram as cousas. Tudo pareca mos-
trar immioeole urna prxima batalha, que talvez
possa ser decisiva e por lermo guerra se a vic-
toria se declarar por Bueoos-Ayres : no caso
contrario ser diante dos muros desta cLJade que
vira represeotar-se o desenlace daquelle sangui-
nolento drama.
Na Repblica Oriental tdo era tranquillidade.
O commercio ressentia-se dos vexames que a
guerra argentina impunha navegajo fluvial
com o fira de evitar o transito do contrabando
bellico, e tambara do estado das cousas nos Esta-
dos-Unidos. A estas cansas pelo menos, e pa-
ralysago das especculaoo sobre carnes, se atlri-
buia a quebra de urna poderosa casa, a de Cruzet
6l Fernandez.
As negociaedes relativas s reclamaces anglo-
francezas tiuham-seazedado um pouco por haver
o ministro inglez exigido oimmodiato pagamento
dos juros de quatro milhes. Declarando porm
o governo que nada poda fazer antes de se reu-
oirem as cmaras legislativas, o negocio ficou
adiado.
J noticiamos nao terem dous dos nomeados
aceitado os cargos que lhes cooferiam no novo
tribunal de justici orgauisado na capital. Para
preeocher quanto antes estes lugares, sem o que
nao pode entrar em exercicio aquelle tribunal,
convocou o governo as cmaras para 3 de setem-
bro. Um membro da commisso permanente
contesta todava ao governo o direito de dar este
passo.
A secca que reinara nos ltimos tres mezes de
nverno iospirava alguns receios a respelt) da
colheila; o governo porm oceupava-se dos meios
de augmentar as rendas do estado, e um desles
era a regularisacao da venda das Ierras publicas.
Em principios do mez foi assassinaloo fazendei-
ro D. Genaro Pinhairo, desapparecendo coojuuc-
lamente urna mulher que o acoopaohava, por
nome Maria Rodrigues. Passados das foram os
dous cadveres encontrados na fazenda, attri-
bunlo-se o crime a Thomaz Retz e Elisia Oli-
vier, ao que parece criados do morto, que eru-
to rcaram no vapor Saintonge.
Tinha chegado a Montevideo o paquete brasi-
leiro Brasil. Ali mesmo o perseguiu a desgraga
fazendo-o partir o leme ao mudar de aocoradou-
ro. A necessidade de reparar esta avarla retar-
dou um dia a sabida deste vapor, que Gcava a lar-
gar no dia 30 tarde.
Do Paraguay, datas de 17, a nica noticia que
se refere de estar prestes a cahir a agua um
vapor qua na Assumpco se eslava construiodo.
Das repblicas do Pacifico nada.
0 Sr. tenente-coronel honorario Joo Alvos
Xavier de Mello foi nomeado officlal-maior gra-
duado da secretaria do conselho supremo militar
por decreto de 24 de agosto ultimo.
6
Hontem nao houve sesso uo senado por falta
de numero legal.
A cmara dos deputados approvou hontem
successivamente, sem debate, os pareceres da
commisso de poderes sobre as eleices da pro-
vincia de S. Sebstio da Foz do Tijucas, da
provincia de Santa Catharina; de diversas fre-
guezias da provincia do Rio Grande do Sul e da
freguezia de Carapina, da provincia do Espirito-
Santo.
Approvou em seguida, tambem sem debate, a
emenda do senado 4 proposito que autorisa o
governo a mandar passar carta de naturalisaco
de cidado brasileiro a Joo Carlos de Oliveira
Soares e outros.
Approvou tambem o artigo do orcamento na
parte relativa 4 receita geral do imperio, bem
como os artigos 11 a 12 rejeilando a emenda.
Occupou-se em ultimo lugar cora a discussao
dos seguintes artigos additivos :
fl Io (Additivo}, que dover ser o 13* da pro-
posta
a FC5 BTerno utorisado :
1 l pra pagar as dividas de eierekios lindos
liquidadas, e as que se liquidaren durante esta
lei, dando conla asse nbla geral, om cada
sessao, da despera realisada, a qual agorar sob
a rubrica especial no balaaco.
tia de a.tJOfcOOOJOt* por igual quantia de papel
moeda que elle restar, e recolher 4 caita da
amortizacao, podendo para isso emittir apolices
da divida publica de ,0r cento, ou fazendo
qualquer outra operaco de crdito, que enten-
der mais vantajosa, se com o producto da
renda publica nao poder reallsar o dito cala-
mento. r
3o Para continuar a executar a dlsposiclo
dos Io e 2 do artigo 11 da lei de 27 de setem-
bro de 1860, acerca do imposto addicional de 2 e
5 por cento sobre importadlo e exporlaco de
mercadorias.
4 Pera desde j rever o regolameoto do
imposto do sello, nao podendo augmentar a taxa
e nem estende-la a objectos oelle nao compre-
henddos.
3 5o Para desde j estender a lodos os es-
crives de pazo direilo de lavrar escripturas pu-
blicas de vendas de escravos, ficando despensa-
das a distribuico a transcripeo integral do co-
nhecimento comprobatorio do pagamento do Im-
posto, fazendo-se menco apenas do seu nume-
ro, data e quantia, e dos nomes dos contra-
tantes.
2' (Additivo), que ser o 14 da pro-
posta.
Fica desde j revogada a disposico do 8 10
do art^li da lei de 27 de setembro de 1860,
acerca da taxa sobre as industrias e profls-
se.
Pago da cmara dos deputados, em 31 de ju-
lho de 1861.J. M. Pereira da Silva.A. T. de
Moncorvo e Lima. Paulino Jos Soares de
Souza.
c Fica o governo autorisado a renovar desde
j o contrato com a companhia de navegaco
vapor do Maraoho.S. R.Furtado.Vieira da
Silva.Serrra Carneiro.Viriato.
c O governo autorisado a prestar urna sub-
vengo anoual de 10:00009 provincia de Goyaz,
para ser spplicada em beneficio da instruec
publica da mesma provincia.Cardoso de Santa
Cruz.
Fica despensada do imposto de 5 por cento,
ou meia siza, a companhia Guahyba, estabeleci-
da na provincia de S. Pedro do Rio-Grande do
Sul, pela acquisico das embarcabas de vapor
que tiver comprado, e das que houver de com-
prar, para a navegago fluvial da mesma provin-
cia, ne espago de dez aonos, contados do seu es-
tabelecimento.S. R.J. R. Barcellps.Bario
d e Porto Alegre.A. J. de A. da Silveira.F-
lix da Cunha.Oliveira Bello.
Ficam em vigor as disposiclo da lei n. 834,
de 16 de agosto de 1855, que haviam sido dero-
gadas pelo art. 12 11 da lei n. 1,114, de 27 de
setembro de 1860, e que autorisaram o governo
a despender a quantia de 6240009 como indem-
nisago das prezas das guerras da Independencia
e do Rio da Prata.
Sala das coramisses, em 14 de agosto de
1861.A. Tavares Bastos. Angelo Thomaz do
Amoral.A. E. Mello.
1 A gratificaco annual dos ministros do
supremo tribunal de justica ser de 4'OOOf, a dos
desembargadores de 3:0009, a dos juizes de di-
reito de 24009 quaodo a lotaco da respectiva
vara nao exceder de 4:0009 ; a dos juizes muni-
cipaes de 6003, e a dos promotores de rs.....
40O90O0.
2* O ordenado dos juizes municipaes fica
nivelado 4 raio de 6009, e o governo autorisado
a elevar a gratificaco dos mesmos nos termos
onde convier al 1:200$, comanlo que desse
augmento nao resulte despeza excedente de
30:000$ dentro do exercicio. Os actos do gover-
no, era virtude dessa aulorisaco, s podero ser
alterados por disposico legislativa.
; 3o O desembargador ou juiz de direito que
servir o lugar de chefe de policia perceber, alm
do seu ordenado, em vez da respectiva gratifica-
co, de 4:4009 na corte, a de 3:6009 as pro-
vincias da Baha, Pernambuco e Rio-Grande do
Sul, a de 3:0009 oas do Para, Maranho, Rio de
Janeiro, S. Paulo, Minas, Goyaz e Mato-Grosso.
as outras provincias servirao com os respecti-
vos vencimentos.
4o Estas disposicoes tero vigor desde j.
S. R.
Pago da cmara 31 de agosto de 1861.J. de
Alencar*J. L. da Cunha Paranagu.
c Ficam iseutas do pagamento dos respectivos
imposlos as materias primas da fabrica de sabo
do Dr. Pedro da Silva Reg na provincia da Ba-
ha.S. R.Gasparino. a
O governo fica autorisado :
c Io A revero actual regiment de custes.
2* A orgaoisar o iostituto dos advogados e
a regularizar o foro civil,garaotindo aos formados
as faculdades do imperio os direilos e privile-
gios qj-e as leis lhes concedem, e regulando sob
a base do exame perante as respectivas faculda-
des direito dos formados em faculdades es-
trangeiras que queiram exercer a advogacia. 3
de selembro de 1861.Silva Nuoes.
Fica o governo autorisadu a mandar cons-
truir phares na barra de Paranagu, e barra do"
Norte, em Santa Catharina ; e a melhorar o ac-
tual pharol-da Moella, na barra de Sanios.S.
R.Lamego Cesta.Rodrigo da Silva.Ribeiro
de Aodrada.Joaquim Octavio Nebias.Baro
da Bella-Vala.Francisco Carlos di Luz.__A.
da Costa Pinto Silva.Silveira da Motta.A. .
Barbosa da Cunha.A. J. Henriques.
Ficam iseutas de sello as transferencias de
apolices da divida publica geral e provincial.__
Saldanha Marioho.Paula Santos.Lima Du-
arte.Marliuho Campos.F. Octaviano.
As loteras concedidas pela assembla pro-
vincial da Baha sociedade Dous de Setembro,
para o monumento que se tem de levantar me-
moria desse da, e ao Moote-Pio dos caixeiros
uacionaes, ficam despeosadas dos imposlos ge-
raes quo lhes forem applicaveis.S. R. Ti-
berio.
Tem direito a ser aposentados os operarios
da typographia nacional, que por velhice ou mo-
lestias ficarem impossibilitados de continuar a
exercer sua arte: fazendo-se-lhes o vencimento
conforme as annosde servigo activo que tiverem
p.elo termo medio dos quatro aonos anteriores.
F. Octaviaoo. a
As graliflcaces dos empregados de fazenda
que tambem percebem porcenlagens, ficam desde
j incluidas nos seus ordenados Qxos, sendo con-
sideradas gratificaedes de exercicio somenle as
referidas porcenlagens.S. R.Furtado.
Cora as despezas da desobstrueco da barra
e porto de llapemirim 40:0009.S. R.A. Pe-
reira Pinto. Silva Nunes.
Para auxilio s obras das estradas de San-
ta Thereza, de S. Mstheus Santa Clara ( no
Mucury), e de Guarapary provincia de Mi-
nas-Geraes, 70:0009.S. RA. Pereira Pinto.
Silva Nunes.
a Fica revogado o 5 7o do art. 12 da lei de
27 de setembro de 1860, qne exige escriptura
publica para a compra e venda de escravos.
Pago da cmara, 5 de setembro de 1861.Paula
Santos.Martinho Campos.
Oraram os Srs. Pinto Lima, ministro da jus-
tiga, Zacaras, F. Octaviano e ministro da fazen-
da, ficando a discussao adiada pela hora.
Foi apreseotado o seguiote parecer;
Foram presntese commisso de constitui-
co e poderes, com o officio da secretaria de es-
tado dos negocios do imperio, as copias das ac-
tas da eleigo primaria a que se procedeu a 30 de
dezembro de 1860 na freguezia de Sant'Anna dos
Alegres do 7o districto da provincia de Minas;
e como nenhum vicio essencial se descubra ne
proeesso eleitoral, a commisso da parecer que
seja approvada a eleigo primaria da fregueria
de Sant'Anna dos Alegres, perteocente ao 7"
districto da provincia de Minas.
c Pago da cmara dos deputados, em 4 de se-
tembro de 1861.R. F. de Araujo Lima.L. A.
L. de Oliveira Bello.
Sete de setembro.
O dia de hoje record o acontecimento mais
notavel dos fastos do Brasil commemorando a
fundago de nossa naciooalidade. B lauto maior
e_mais puro hoje o jubilo que domina os cora-
gdes brasileiros, quanto a revolugo de 1822,
par das brilhantes conquistas que alcangou, nao
deixou aps si as tristes reminiscencias de scenaa
de dr e de sangue que enlutara as revolugoes
de grandes povos.
No da em que constituirn) oago indepen-
dente, os fllhos do Brasil firmram seguras ga-
rantas para as suas liberdades e eonsolidavam
no amor e respeito da populago amonarchia re-
presentativa, esteio e primeiro fundamento da
ordea constitucional a que devenios as maiores
vsntagens do nosso recente passado, e que ani-
ma em todos osespirttos as esperanzas do mais
lisosgeiro futuro. Foi um grande principe o pro-
motor a aaia valioso aaxiliar da nossa aaool-
pago ; hoje um maoarcha illustrado virtuo-
so o aoteparo e grande dos direitos que a cees
Utuigao tecoohicetu A. causa da realeza entre
nfis a da naco, as suas mais gloriosas tradicea-
sao tambem as noasas.
Ao-passo que agrandes na0es da velha Eu-
ropa s depois da lulas seaulares e em das ssn-
guinolenlos realisaram as asptracoes da liberdada
poltica, o Brasil levo a fortuna de nosdiasdeaua
revolugo sssentar as bases de urna organisaca
social em que foram consagrados os notaos ntaia
preciosos direitos como bornese como cidadioa.
A ordem constitucional que nossos pas nos le-
aaram, cuja sabedoria fes passar a mais delicada
phaie da nossa vida social sem os abalos que era
outros psizes seguem quasi sempre de perlo as
grandes traosformaceapolticas, consolidando-sa
no desenvulvimento orgnico das inslitaicoe.
prometa o aperfeicoameDlo dos germeos daciy-
vilisagao intelleclual e moral que existem na
paiz. maniendo as Iradigea sea excluir a pro-
gresso. Firmes no senlimento dos nossos direi-
tos e deveres cerno cidado, amando a monar-
chia como garanta da ordem e primeiro peohor
das nossas liberdades, vemos gradualmente en-
raizarem-se os hsbitos de educago constitucio-
nal na esparsa populigo do vasto territorio do
imperio.
A constuico jurada em 1825, no conceito da
oago, encerra a resolugo dos problemas so-
ciaes monumento de sabedoria poltica levantado
pelo patriotismo de nossos pas, nos, a geraga
que vai passando, transmitli-la-bemos aos vin-
douros como o symbolo da paz e da felicidede
publica, e com as expresadas do mais sincero
amor e respeito pelos servigose virtudes de noav
sos maiores. Os seus preceitos sao os dogmas da
religio poltica do Brasil, que o aaaio amor da
patria tem gravado com buril eterno no coracae
de seus filhos.
A exultago patritica que neste dia memora-
vI se manifesta em lo Jos os augulos do paiz
a mais eloquenle prova de ineffavat recoobeci-
meolo a essa gerago gloriosa a que devemos a
emaneipagu poltica, e cojos vultos venerandoa
assomam naa paginas mais brilhantes da nossa
historia.
Saudamos o anniversario do dia grandioso da
que datara a independencia e a nacionalidad
brasileira, e abengoando obra de que nossos
pas fo.-am os grandes operarios,enviamos ao co
os nossos mais sinceros votos pela proeperidado
da patria.
O senado occupou-se hontem com as materias
de que d noticia o extracto da sesso que pu-
blicamos no lugar competente.
A cmara dos deputados approvou hontem,
depois do orar o Sr. Zacaras, os seguales arti-
gos addilivos ao orgamenlo:
qtu dever ser o 13" da proposta.
Fica o governo aulurisado:
c 1 Para pagar a dividas de exercicios fia-
dos liquidadas e as que se liquidarem durante
esta lei, dando coota assembla geral, em cada
sesjo, da despeza realisada, a qual figurar sol*
rubrica especial no balaoco.
2" Para pagar ao banco do Brasil a quan-
tia de 2,000:0005 P<" iual quaolia de papel-
moeda que elle resgalar e recolher cana da
amortiacao, podando para isso emillir apolices
da divida publica de 6 / ou fazendo qualquer
outra o pera gao de crdito que entender mais
vantajosa, se com o producto da renda publica
nao puder realisar o dito pagamento.
< 3" Para continuar a executar a disposigo
dos J 1 e 2 do art. 11 da lei de 27 de setembro
de IodO, acerca do imposto addicional de 2 e 5
por cento sobre importago e exportago de mer-
cadorias.
c 4o Para desde j rever o regulamento da
imposto do sello, nao podendo augmentar a taxa
e nem estende-la a objectos oelle nao comprehen-
didos.
t 5o Para desde j estender a todos os escri-
ves de paz o direito de lavrar escripturas pu-
blicas de vendas de escravos, ficando dispensadas
a distribuigo e transcripgu integral do conhe-
cimento comprobatorio do pagamento do impos-
to, fazendo-se mengo apenas do seu numero.
data e quantia, e dos nomea dos contratantes.
2, que ser o 14 da proposta.
< Fica desde j revagada a disposige do Id
i'o art. 11 da lei de 27 de setembro de 1S60\
acerca da taxa sobre as industrias e profhies.
Paco da cmara dos deputados, em 31 de ju-
lho de 1861.J. M. Paraira da Silva.A. T. da
Moncorvo e LimaPaulino Jos Soares do Souza.
apolices da divida publica geral e provincial.
Saldanha Marioho.Paula Santos.Lima Duar-
te.Marliuho Campos.F. Octaviano.
< Fica o governo autorisado a innovar desde
j o contrato com a companhia de navegago a
vapor do Maranho.Furtado.Vieira da Silva.
Serra Carneiro Viriato.
c Fica o governo autorisado a mandar construir
pharoasna barrado Paranagu e barra do Norte
em Sania Calhariua, e a melhorar o actual pha-
rol de Moella, na barra de Santos.Limego Cos-
ta.Rodrigo da Silva.Ribeiro de Aodrada.
Joaquim Octaviano Nabias.Bario da Bella Vista.
Francisco Carlos da Luz.A- da Costa Pinto
Silva.Silveira da Motta.A G. Barbosa da Cu-
nha.A. J. Henriques. >.
Ficam em vigor as disposiges da lei n.
834 de 16 de agosto de 1855, que haviam sido de-
rogadas pelo art 12 11 da lei n. 1,114 de 27 de
setembro de 1860, e que autorisaram o governo
a despender quantia de 624:0009 com indem-
oisagao das presas das guerras da independencia
e do Rio da Prata.
a Sala das commisses, em 14 de agosto de
1861.A. Tavares Bastos Angelo Thomaz do
Amaral. A. E. Mello. >
c 1.* A gratiflcago anoual dos ministros do
supremo tribunal de justiga ser de 4:0008, a dos
desembarga lores de 3.0009, a dos juizes de di-
reito de 2:4009 quinto a lotago da respectiva
vara nao exceder de 4:0009, a dos juizes munici-
paes de 6009, e a dos promotores 4009.
a 2. O ordenado dos juizes municipaes fica
nivelado raiode 6009, e o governo autorisado
a elevar a gratificago dos mesmos, nos termos
onde convier, al 1:200$, comanlo que desse
augmento nao resulte despeza excedente de......
30.0009 dentro do exercicio. Os actos do gover-
no em virtude dessa autonsago s poderlo sec
alterados por disposico legislativa.
c 3.* O desembargador ou juiz de direito
que servir o lugar de chefe de policia perceber
alm do seu ordenado, em vez da respectiva
gratilicago, a de 4:4009 na corte, a de 3:6009 as
provincias da Baha, Pernambuco, e Rio-Grande
do Sul; a de 3.0009 oas do Para, Maranho, Rio
de Janeiro, S. Paulo, Minas, Goyaz e Matto-
Grosso. as outras provincias servirao com os
respectivos vencimentos.
a 4. Estas disposicoes tero vigor desde j.
S. R.Pago da cmara, 31 de agosto de 1861.
F. de Alencar. J. L. da Cunha Paranagu.
O governo poder durante o prazo de seis
annos, a contar do Ia de Janeiro do correle an-
uo, pagar os juros e amortizago do empreitimo
de 6,000:0009, levantado ua praga de Londres e
entregue companhia Uoio e Industria, Qcaod
esta companhia obrigada no fim daquelle prazo a
amortizar com sua renda o adiantamenlo feito
pelo thesouro com os sobreditos juros e amor-
lisagao. ,
Durante o mesmo prazo de seis annos conti-
nuar a referida companhia a receber sem dedu-
a alguma as garantas de juros concedidos pe-
0 governo geral e provinciaes do Rio de Janeiro
e Miaas-Geraes.Ferreira da Veiga.Cruz Ma-
chado.Ribeiro da Luz.Brlss.Mello Franco.
Vella Tavares;Luiz Carlos. Salatbiel.
Csrnetro de Mondonga.F. de Paula Santos.L.
Duarte.Gama Cerqueira Bezerra Cavalcaoli.
Lima e Silva Sobrinho.A. Pereira Pinto.
Sergio de MacadoVieira da SilvaL. Pedretr.
Santa Cruz.Souza Mende. Fialho. Oli-
veira Bella.Paula Fonseca.Ribeiro de Andra-
da.Martinho CamposT. B. Oltoni.M. Fer-
nandas Vieira.C. de Oliveira.
Todos os outros foram rejeitados.
Entrou depois em discussao o parecer da com-
misso de poderes sobre a eleigo da freguezia da-
Sant Anna dos Alegres perteocente ae T distric-
to da provincia de Minas Geraes. Por falta de
numero legal alo pode se votar, flesodo a discus-
sao encerrada.
A assembla legislativa provioeial do Rio de
Janeiro reunio-ie hoolem ea sesso preparatoria,
e ser insultada amanilla 9 do corrate ao meio
dia.
Foi nomeado para ua lugar da ministro deste
tribunal o Sr. dsaoaebargiiiiot Manoel Machado
Nunas, pela vaa qae deixou o fallecido Sr. coa-
selheiro Velloso.
Obleado ua anno de iiceoga o Sr. Jos Cer-
doso Footes, ubelliio esta corle, foi nomeado-


w
DIARIO N MUBMDCO. te SAlBtDO 14 DC SETEMBRO DE 1841.

para subs ti tu i-loo Sr. Francisco de Paula Fer-
nandas Santiago.
CORRESPONDENCIA DO DIARI* DE
PERNAMCO.
Babia 11 de setembro.
J me principiara a ferir os eapintaoada tarefa
de que me incumb, presumiodo mal de minbas
torgas, para salisfazer ao programma que V. S.
me tragou, quandu me disse que desse impulso
s boas ideas de prosperidad e melboramentos,
-para o dosso bello Brazil; porque (era sido
constantemente sua divisaA vante e sempre.
A grande reputado de que gosa era todo o im-
perio o Diario de Pernambuco, que appelida-
do o Times Brasiiefro, exiga que esta misso
fosee dada a um escriptor esclarecido e Ilustra-
do, 4 urna penna bstanle hbil, e capaz de dis-
cutir com vaoiegem qualqaer assumpto, mss V.
S. eoteodeu que eu devia desempenha-la; ani-
mou me com auas palavras, e assim collocou-me
m urna ditBcilims situado.
Porque dase na minba carta da 2 de julho ul-
timo que c lamentiva a desuniao dos Estados-
Unidos profundamente, mas que ella eDcerrava
urna grande ligo poltica que Teio dar o desea-
gano a lodos os republicanos, nao s de nossa
trra, como do Universo, e que o modelo que es-
ta Repblica Ihet dava eslava quebrado, merec
as honras de urna refutago em regra, em um in-
teressaote artigo publicado emum numero do
Lidador Acadmico dessa provincia, pelo Sr. J.
A. Feroandes, a quem nao conhego, mas que
presumo serum grande estuJauto da Faculdade
de Direito.
Daoao-lhe parabens pelo seu artigo, vou mos-
trar-lhe que nao teve razo em espantar-se com
aquella nossa proposito, que nao urna novi-
dade.
O Sr. Fernandes naturalmente ha de terlido-a
historia universal ; por conseguinte far-me-ha o
obsequio de indicar qual o deslino que liveram
as repblicas antigs de Alhenas, de Sparta, de
Thebas, e de Roma ; as da idade media de Veoe-
za, Genova, Pisa, e Floieuga, e das sete provin-
cias Unidas; a primeira e segunda repblica
francesa, e suas derivadas repblicas, Bstava,
Parleoopuna, Romaoa, Liguriana, e Cisalpina ?
Dissolveram-se, nao assim ? E porque ?
Porque esta forma de governe nao para o
mundo. i
Ella tem por principio, e por mola real a vir-
tude, como disse Hootesquieu, e onde existe
aqu a virtude nesta extenso desejavel para
constituir base de qualquer governo?
A historia daa modernas anda mais conhe-
cida ; ellas ah esto quasi sempre agitadas por
continuas e inlerminaveis revoluges ; as maos
ora de um caudilho, ora de outro ; exhaurindo-
se, precipitando-se no abysmo em que nao de
desapparecer.
Restavam os Estados-Unidos, que eram o mo-
delo dos apaixonados desta forma de governo,
que em tffeoria acho mui bella ; mas que consi-
dero irrealiaavel na pratica. Eelles inspiraran]
Tocqueville eoutros espiritos cultos, cu j os es -
criptas sao mui apreciados.
Esta nao extraordinaria teve portento, inn-
meros adoradores; grangeou o respeito e as sym-
pathiss do mundo ; porque, por um lempo bas-
tante longo soube couter os germens de dissolu-
coque asolapavam, e apresentou um grandioso
espectculo patritico contemplago dos ho-
xnons livres.
Chegou sua hora de prora, e nos estamos ob-
servando o triste drama que se est representan-
do. Jovem anda, no ardor dosprimeiros annos,
em que s temos peossmentos generosos, e as-
piramos urna completa emancipagao, o Sr. Fer-
nandes paga um tributo a que todo o homem em
sua idade tem sido sujeito, presiento cultos, e
idolatrando o governo republicano, que por sem
duvida dos maiores, como bem disse este au-
thor citado pelo Padre Venlura, que o Sr. Fer-
nandes se refere, mas smente sonhado pelos
menores.
Bem a proposito deparo com um artigo no Jor-
nal do Commercio de Lisboa com o titulo de A
America do Norle, que me poupa o trabalho, que
ia tomar de urna refutago seria.
Tenha o Sr. Fernandes a bondade de 1er os se -
guintes trechos delle, e ver urna completa res-
posta ao seu escripto. Para nao massa-lo, nem
ao publico supprimo muitos pedacos.
A sociedade norte-americana, que inspirou
os dithyrambos polticos de Tocqueville e os tra-
cas homourislicos de Charles Dickens vai expe-
rimentando urna nolavvel transformadlo.
Al agora insliluicoes, costames, civilsaco,
eram modelos de perfeclibilidade. Sparta, A-
thenas. Roma nunca conheceram na repblica
igual liberdade, fraternidade e igualdade.
Os inglezes mais modestos apenas reclamara
a supremaca dos mares consigoada no hymno
nacional /tulle britannia. Os americanos in-
ventaran) a pbrase lo go head (ir frente) para
symbolisar o ingnito proposito de primar em
excellencia sobre todos os outros povos.
Coostata-se a pretencao orgulhosa ; mas que
se descortina na pratica, que se devisa na ex-
periencia ?
As eleiges para quasi todos os cargos, deter-
minadas nos differeotes estados para facges
turbulentas e implacareis, affugeotam da urna
os caracteres mais nobres pea pureza deinten-
jes ou pelos escrpulos de consciencia.
Urna imprensa impdica, venal e devassa sus-
cita calumnias atrozes, alassalhaado a vida pu-
blica e privada, provocando a miudo o correctivo
de tremendas su vas de pao no vulto dos redac-
tores.
No augusto recioto legislativo os debales oil'e-
recem obsoletos incidentes para o observador eu-
ropeu. Despir o frac em plena sesso e sallar
sos murros uus nos outros scem aisaz vulgar
entre os representantes. Um senador da Virgi-
nia, pouco edificado com os syllogismos do
adversario, esvergalhava-o solemnemente as
barbas do presidente, doa collegas e das galeras.
Mas os constituales, em lugar de lhe retirar o
mandato indignados pelo insulto, votaram um
chicote honorfico, apresentado em salva de pra-
ta ao insigne zurzidor por urna commissao espo-
cial, que fez o competente speeih.
A incuria pela seguraoga publica, o menoscabo
pela sorte do prximo, exibem a cada momento
exploso do caldeiras de va'pores e transviago
de carruagens aos ferreos carrs, traduziodo-se
em centenas de morles, de muiilages, queima-
duras e ferimenios, reputados, como o p da es-
trada, meros inconvenientes de 1 icomogo.
Aflxados uiimigos de distincges comegaram
por consultar Mirabeau sobre a opportunidade de
crear a condecorado de Cincinnalo. Mais larde,
qualquer titular aporldao s praias norte-america-
nas era appetecdo para geoero pelos burguezes
opulentos; e nada lisongearia mais os cercadores
de Eroadway,em NovaYork,do que ouvirchaiuar
cuas lilhas madama la Borne ou madama la Com-
tuse. A deferencia pela aristocracia de qualquer
especie attinge proporges maniacas. A daosarioa
Faony Essler foi recebida em triumpho pela
muijicipahdde e arengada em (rma pelo maior.
Quando ltimamente o principe de Galles vitilou
as cidades principa es da repblica nenhuma mis
auri-rosada prescindi da honra de ve-lo e de
trocar um Shake-hands com sua alteza real.
O revolver e a bouwie knife, a pistola de seis
tiros, e a navalha de prala, sao agagem obriga-
da dos cidsdaos, e a expedita.ultima ratio de
qualquer rugosidade em conversa, no passeio ou
mesa. Se entre um grupo de horaens que
jantam, surge disputa : ese a detonago d'arma
to logo esteode qualquer interlocutor, o resto
nieodo que por um ter sido e/i minado, os ou-
tros nao devem ioterromper suas funecoet. Pe-
de-ae traoquillameate moslarda ao viainbo ou
serve m-ae coste I le las de caroeiro, quasi como se
nada ti vase acontecido.
O preto, o mulato, os entes de duvidosa pro-
cedencia caucsica sao despresados, repellidos,
poetosira das lojas. das reunios, dos theatros,
dosomiuAiM, brigam-nos a fugir dos bancos
como de urna raga para elles maldita, com a qual
sao podetn zar seno aa relages do escravo com
o seohoT.
Semelhsntea hesitagoes denunciam na arte' da
guerra vicios orgnicos nesse paiz, ameote ha-
bituado aos negocios da paz. Conhecimeotos pro-
feasionaes, experiencia, commiseariado, foroeci-
mentos, aervigo sanitario e disciplina brilham
pela deficiencia nss tropas norte-americanas.
Levaoia-se alto clamor contra os generaes sabi-
dos doa Jribuoaes civis e crminaes, das lojas de
livros, ou dos escriptorios de commercio, que nao
possuem dous ceitis de lctica, e que nao do
ordena que eovergonhariam um sargento da Eu-
ropa. Scolli diese ha pouco ao presidente Lincoln
que dar a demisio se continuasse o absurdo
de entregar a generaes patarata direcgo de
tropa, que perlence aos officiaet de primeira
Uobt.
A deseoberta da urna masella Um posto em
evidencia as outras pstulas republicanas ; e a
traosformaceo a que cima alludimos, verifica-se
o'urna escala incalculavel, iuduzindo a opiniao
publica a despresar, repellir e proscraver os ins-
tillos, os principios as doutrinasem qne ba-
seava todo o seu edificio poltico.
Nada, nada, diz o Tymes de Nova-York, re-
jeitamos absolutamente as pralicas do paseado.
Queremos um exercilo permanente, numeroso,
a carreira militar definida como na Europa.
Agora conhecemos, que nao posaivel dispensar
o que serve nos outros psizes para fazer a polica
e para resistir aggresso eslraugeira. A nossi
cordeal tarefa comprimir a rebelliio ; e depois
maoler a ordem por meio da torga.
. Nada ha mais significativo. Depois surgem as
reclamtcoea contra a falta de ceolralisago, con-
tra o esmigalhameuto da acgo goveroamental,
que torna as autoridades incapazes de se enten-
derem, de cumprir as ordens-auperiores e de ti-
rar partido dos elementos de que devem dispor.
Decretou-sea censura para os joro sea. As in-
munidades do kabeat-corput fleam em leltra mor-
s. A propagagio das revollas, as traiges de
generaes e funecionarios, a nacessidade de pedir
mais voluntarios e mais milhes de dollars, es-
merilham no governo um acervo de desatinos e
incongruencias de que nada podem dar idea.
Perdem terreno no concoito geral as formulas
republicanas e as combinages democrticas.
Em Charlestoo j se escreveu que era mil vezes
preferivel a unio com a metropole logleza, ou
aceitar por soberano o principe de Galles, re-
considerarlo dos principios separatistas ou ao
regresso federago do norte.
Em Nova-York, em Pniladelphia, em Boston
consagram-se as premissas, cuja illago inevita-
vel parece ser a creago de um throno na Casa
Branca, em lugar da cadeira presidencial.
Eis o resultado da experiencia do rgimen, se-
guudo Moolesquieu, fundado na virtude, e, se-
gundo Rousseau, s propriode quem tenha easen-
cia mais que humana.
O exemplo exposto ao mundo, como tropho da
liberdade, como ioapreciavel palladio da digni-
dade cvica, como verdadero speimen da appli-
cago dos melhores principios, desm.orona-se e
cabe trra para offerecer em breve o lastimoso
espectculo das repblicas hespaoholas, anecia-
das de anarchia chrooica e de dissolugo perma-
nente.
Calcula-se que a duragao da guerra por espaco
Je um annocustar aos Estados outr'ora Unidos
nada menos de oitenta milhes sterlinos, ou tre-
zentos e sessenla mil cootos da res, fra os pre-
juizosdo commercio, da industria e da nave-
gago.
As consecutivas sangras na bolsa, os multipli-
cados desastres ho de acalmar muito a excilagao
dos descendentes dos aoglos-saxes no norte e
no sul.
Ho do reconhecer, a final de contas, que, s
fica compacto um exercilo aguerrido, disciplina-
do e omnipotente, depois de laboriosa cam-
panha
Ora, o que a historia iodica em toda a parte
o que provavelmente acontecer na America sep-
tentrional. O exercilo, que depois da guerra de
1776 debalde offereceu urna cora ao magnnimo
Washington, ha de fazer presente de ouirs, no
fim'da presente lucia, a Scoit, a Mac Clelland, a
Lyon, ao principal filho querido da victoria.
Recusa-la-ha o soldado feliz, quando o voto
das outras classes ser completo e estrepitoso
em prol de um rgimen forte, vigoroso, fundado
no prestigio das hierarchias. na vaidade dos t-
tulos, na sede das proprinase das sinecuras ?
Nao parece provavel. o
Que mais se pode dizer sobre este assumpto ?
Creio que nada que adiaote idea. E sao tactos
irrespondiveis, incootestareis, que se esto pas-
sando vista de todos.
No da Io do corrente teve lugar a abertura da
assembla provincial, como eslava assenlado,
com toda a solemnidade conveniente, e o Sr.
vice-presidente lea um longo e luminoso discur-
so, que tem sido bstanle elogiado, ecuja irans-
cripgo lhe recommeodo que faga em seu Diario;
Os dous jornaes d'aqui ja publicaram grande par-
te delle.
No dia 2 vollou do Rio de Contas a commissao
que foi na cauhonheira lguatemy investigar se
eram fundadas as queixas dos coloonos de que
lhe fallei.
Infelizmente reconheceu-se que tinham razo
pois que nao havia habtages, nem cousa Igu-
ala preparada para recebe-los. Esto todos reu-
nidos em um vasto sslo, misturados os sexos,
as idades, e as familias. E oeste ensaio de co-
lonisago anda envolvido um mysterio, que an-
da nao pude elucidar.
A assembla tem trabalhado regularmente nos
das de esso, e se oceupa na 2a discusso do
projecto que nao approva o regulameoto orgni-
co de instrueco publica, que me parece pas-
sar.
-Sendo assim temos que voltar atraz, e repr
iudo no estado em que se achava antes desta re-
forma, que contera rauitas medidas salutares.
Se aquelle regulamento tivesse sido organisado
pelo Sr. Dr. Abilio, Franco, ou outro qualquer
cidado, lalvez nao levanlasse a oppoaico que
tem soffrido ; mas aasigoado, como est, pelo
actual director, que mui poucas aympalbias go-
za, appareceu com mo padrioho, e ha de mor-
rer, embora espere-se que na 3a discusso seja
deliendido com toda a hsbilidar*e pelo mesmo se-
nhor, que tambera deputado provincial ; mas
que est mui fraco e abatido por causa da mo-
lestia que tem soffrido.
Suscitou-se agora urna questo importante
acerca da immunidade dos depulados provin-
ciaes, por causa da prizo do Sr. capito Nolas-
co Anlunes. Gibo do famigerado commendador
Milito do Pilo Arcado, que extingui a familia
Guerreiro. Aquelle Sr. tinha vindo para esta
capital tomar asseoto, visto ser tambera deputa-
do ; mss havendo urna precatoria contra elle
por crime de homicidio, o Dr. juiz municipal da
1* vara (um filho do Sr. baro de S. Lourengo) o
mandou recolher prizo. Esta immunidade oo
expressa no acto addiciooal, e a commissao da
assembla, nomeada para interpr seu parecer
respeito, disse que a considerava como um co
rollado da de que gozam, nao s os asombros
dasduas cmaras legislativas, como os eleitores ;
e que ouinava que a assembla representaste
assembla geral, pedndo que claramente se es-
labelega este previlegio, e que seja prucessado o
magistrado que expedio o mandado
Sou de parecer que tambem o deputado pro-
vincial deve ter as mesmas garantas que o de-
putado geral; mas siolo que este privilegio seja
invocado favor de um homem que se diz ter
ungido as mos no sangue abundantemente der-
ramado por seu pai, cujo nome execrado na
Baha.
E' mais um fructo do systema de eleiges por
destricto, e se continuarmos desle modo, em
breve os nossos legisladores serio nicamente os
filhos dos potentados da aldeia, destes bares
feudaes, maischeios de crimes de que os barba-
ros fidalgosda idade media, assim chamados.
S. Exc. Revm., o Sr. arcebispo tem estado de
cama desde que chegou do Rio de Janeiro, com
um encommodo o ligado ; porem posso dizer-
Ihe, felizmente, que passa agora melhor, e que
tem sido visitado por um extraordinario numero
de pessoss.
Para lhe informar melhor fui examinar o esta-
do do gazometro, e recoobeci que oo possivel
termos lluminago gaz antes de seis mezes ;
por que ali os trabalhos esto mui atrasados,, e
quasi que em comeco. A caoalissgo, porem,
est quasi feita.
O que honra, porm, a Baha o magnifico edi-
ficio levantado na calgads do Bomfim, entre a casa
de Jos Pereirade Sonza, e a do fallecido Cruz
Ros, hoje pertencenle ao Sr. visconde de Pass,
para estaco terminal do caminho de ferro. Que
differenga enorme entre ella, e a que ergueram
abinas Cinco-Pontas 1 Fique! encantado do v-la
e o mesmo succede todos que a visilam. Em
sua construeco quasi que exclusivamente s ha
ferro e papelao.
No dia 9 inaugurou-se a segunds e terceira
seceo, que termina em Villa -Yelba ; tem agora
toda a lioha urnas 30 milhas, e mui brevemente
chegar ella ao seu termo, que Alagoiohas, al
onde se conta mais de 15 leguas. Depois teri o
governo que contratar a continuaco da es-
trada.
Poi verdaderamente urna festa industrial mui
applaudida pelo limitado numero depessoasque
nella tomaram parte ; porque a snperitendencia
o muilo parca na deslribuico doa cooviles.
Assire, s concorreram ella, alm do Sr. vi-
ce-presidente, algumas daa principad entorida-
dea e poucas sennoras.
como o tram rodante, alo da maior perleicio e
solides.
Esta ponte construida sobre cinco pilares de
cantarla, formada de gres branco,, como o qual
se pode fazer a mais fina porcellaoa, e que por
all abunda.
Cootioua-se a trabalhar com muita aclividade,
e em 9,600 operarios empregados, apeoaa 500
600 sao eslrsngeiros ; todos o* mais sao na co-
oaes.
Hontem foi a linha franqueada ao publico, ej
desceram por ella algumas caixas de assucer.
Se quixer urna discripgo mais potica e minu-
ciosa transcreva do Diario de boje.
Reparo que nossas estradas de ferro augmen-
tara os preces das pasaagens nos domingos e das
santos, quando deviam, se atteodessem melhor
aos seus ioleresses, reduzi-los metade, para
chamar a concurrencia dos ppgrarios, caixeirose
outras pessoaa, como succede no caminho de fer-
ro de Caldera a Capiap, ne Chile, e em outros.
Se aa directoras procedessem assim, veriam
augmentar logo a respectiva receila.
Naquolla linha, que percorre dezasete leguas,
tambem observa-se um coslume mui til.
Todo o paiz novo tem o maior interesse em ver
conhecido pelos estraogeiros que o visilam, e
deve querer que este conbecimento nao se limite
urna pequea facha do lilloral; mas que com-
prebenda o interior tambem; afim de que,
quando elles voltarem sua patria, espalhem as
impressoes que tiverem recebido por entre seus
concidadios, e os incitis, por descripges fide-
dignas ; mas cheias de attractivos, como inspi-
rare as paysageos da America, emigrar para
este solo, que Ihee ofierece urna perspectiva de
maia brilhante futuro.
E ae o paiz lucra com esta emlgrago, as em-
presas das estradas de ferro immediatamente ti-
rara vantagens do povoamento das suos margeos
desertas.
E' talvez por isso que, logo que funda no por-
to de Caldera algum oavio de guerra eslrangeiro,
a direcloria do caminho de ferro se apreasa de-
clarar ao commandanle que elle, toda sua oicia-
lidade e guarnico, acharo sempre transporte
gratuito nos treos. Este facto, cuja exaclido
garanto, merece ser imitado por nos.
E' escasado accresceotar que, os ofliciaes de
marioha nacionaes deafructam o mesmo previ-
legio.
O commercio desta provincia nao tem mudado
de aspecto. No mez passado a alfandega reodeu
pouco mais de qualrocentos contos. Al hoje tem
ella rendido 101:571i5.
Contina a carga para esse porto a escuna Car-
lota.
O cambio sobre Londres 25 Ij4 e25 3(8, sobre
Paris 375 380 rs. o frsnco, sobre Lisboa 115
0|0 de premio. O ouro e prala compra-se com
algum premio.
Existem fundiados no porto 22 navios estran-
geiras.
Ha abundancia de carne de charque, e se vende
por prego mui inferior; a existencia do bacalho
Umita-s 1.000 barricas ; mas por causa da car-
ne tem ti Jo pouca exlracjo. Fariohs de trigo
temos em deposito 8.000 barricas, que ainda oo
achararu venda.
As acgdes das diversas sociedades tem tido al-
guaa elevago, e esto, porlaulo, a menor des-
cont.
Parle mui brevemente para o Pai, e deve locar
oessa provincia para tomar pralico, a cauhonhei-
ra lguatemy, com mandada pelo 1 lente Fran-
cisco Jos Coelbo Nelto, que vai empregar-se na
demarcago de limites do imperio com a repblica
do Per, sob a direcgo do capito-lenle Jos
da Costa e Azevedo.
poli tiesa, e a ambicio de reinar queniodeixa-
rara a augusta soberana abracar o catbolicismo.
Com bstanle magoa rectificamos esta noticia
que se apreaenlava com todoa os requisitos de
veracidada, e que seria a precursora de outras de
nao menos jubilo para todos osfieia.
A questo italiana, e especialmente a de Roma
contina a ser a que altraho mais a aliento da
Europa.
A solugo parece achar-se prxima;
A.Opintone de Turim, iornal inspirado pelo
gabinete italiano, declarou ltimamente que era
lempo do goveroo fazer conhecer as suas inten-
ges praticas a respeito desta questo. O artigo
que este jornal publica notavel porque mosira
um perfeilo accordo entre a Franca e a Italia.
A anomala, diz a Opinione, da existencia de
um estado no centro do novo reino italiano dan-
do asylo aos avenlureiros de todas ss nagoes, e
to ucnvel, que impossivel guardar silencio
em quanlo essa anomala durar.
Se se torna manifest-que a Italia nao lem
despkezado cousa alguma para proteger os inte-
resses religiosos, de que tanto se falla, impos-
sivel duviuar que o governo imperial contine a
oceupar Roma. E' a propria Frange que mosira
que comprehende a sua posicio em Roma, e tes-
lemunha o desejo que tem de resolver a questo
na conformidade dos direitos da Italia.
Diz-se que o imperador Napoleo enviara o seu
ultimtum aoSummo Pontfice, no qual lhe de-
clara qu j oo possivel a posigo do general
Goyon em Roma com mooseohor Merode no go-
verno, e que se este ultimo nao for admittido se
ver obrigado a retirar de Roma o exercilo de
oceupago.
A questo de monsenhor Merode parece estar
mui agravada, porque novas medidas de rigor
foram adoptadas palo mioistro daa armas, con-
tra um cirurgio francez que eslava encarregado
do tratamenlo dos doentes n'um dos bospitses.
Para justificar este passo, diz-se que elle espa-
lhara o boato de haver fallecido no hospital a seu
cargo um soldado francez, em consequencia de
um ferimento recebido n'um conflicto com um
soldado pontificio, e quo tinha em vista irritar o
animo das torgas francetas contra os soldados
pontificios promoveodo assim a sua demisso.
Parece
intarpretagoes aos desejos mostrados pelos dous
soberanos. Parece, porm, que o rei da Pruaaia
deaisHo do sea Intento e addiou a sua visita
Luz Napoleo para oulubro.
Preteude-se que o imperador dos Fraocezes
oesle seu empenho tem tido mtis ums inspira-
gao militar do que Qns polticos, por isso que se
suppoe que elle queria procurar um pretesto pa-
ra aseislir s manobras que o exercilo prussiano
deve verificar no outono, e convencer-se pelos
seus proprios olhos do estado das tropas prussia-
nas, da aua instrueco e do material de guerra
que possuem. Se uto exseto o imoerador sou-
be sproveilar-se do alteotado de Becker para di-
rigir o convite ao rei da Prussia, esperando tam-
bem em justa reciprocidade nm convita para si.
felo.quose sssegura foram os principes allemies
que mostraram a necessidade de evitar urna se-
melhante inspeceo ao exercilo prussiano, fazen-
do alm disso ver tambem que todas estas cir-
cunstancias podiam causar a perda de populari-
dade do rei Guilherme.
Sao estas as cousas que se apresentam ao addia-
mento da visita, acresceotaodo-se que o rei Gui-
lherme nao ir de maoeira alguma a Paris, por
isso que at oulubro nao deixario de haver mo-
tivos para novos pretextos com que se funda-
menten) mais desculpas. Entretanto as ultimaa
noticias atUrmam que o rei da Prussia sempre ir
Chalos, sendo acompanhalo pelo principe de
Badn ; diz-se que esta nova resolugao fura to-
mada em consequencia de urna declarago pu-
blicada pela Gazeta Official de Dresda de que
nao era exacta a noticia que attribuia a el-rei da
Saxooia o haver elle influido na negativa do rei
Guilherme.
Annuncia-se urna entrevista em slenle entre
os res de Baviera e da Prussia.
Os jornaes de Paris referem-se aos despachos
expedidos pelo principe de la Tour d'Auvergoe,
que nao cessam de advirlir o progresso ameaga-
do do partido unitario allemo ; partido que re-
corre a lodos os meios para propagar a agitago.
Os chefes do unitarismo allemo com o fim de
obligar a Prussia a collocar-se frente do movi-
ment mostram-se diaposlos abandonar o rei
Prussia se for necessario.
Parece que Osear Becher |tinha por cmplices
que o cardeal Antonelli faz grandes es- todos os partidarios que suslentam aquella idea e
lorgos para conseguir a saluda de monsenhor Me- que se acham divididos em tres; primeiro os que
rod do gabinete, para sanar as actuaes difflcul-
ades ; mas, segundo se diz, monsenhor Merode
PUmg U PEBMMBUCQ.
Recebemos pelo vapor inglez Oneida, entrado
hontem do Rio e Baha, jornaes do primeiro at
7, e da segunda at 11 do correte.
Em outra parte encontraro, por extenso o que
de mais importante ha.
Rio de Janeiro. Pelo ministerio da guerra,
foi publicado o decreto o. 2,821 alterando as dis-
posigdesdo de n. 2171, sobre ofliciaes regulado-
res e suas gratificares.
Bahia.Remellemos os leitores para a carta
de nosso correspondente, que vae sob a rubrica
Interior.
NOTICIAS COMMERCIAES E MARTIMAS.
L-se oo Jornal do Commercio :
Rio de Janeiro, 1 de setembro de 1861
O movimenlo do nosso mercado de importa-
gao durante o mez nodo fot pouco importante,
mostrando os compradores pouca disposigao para
traosaeges em maior escala em razo das sup-
prmenloe feitos oo mez transado e das entradas
que successivamente abasteceram o mercado de
alguos artigosde maior coasumo, dando esperan-
ga de alguma differenga nos seus pregos.
c No mercado de exportago foi tambem pouco
procurado o caf em consequencia das noticias
desfavoraveis recebidas da Europa e dos Eslsdos-
Uoidos ; as transaeges effectuadas snstentaram-
se entretanto com pequea allerago os pregos
das qualidades superiores de que tem havido falla
baixando as inferiores cerca de 200 rs. em arroba
depois da entrada do paquete francez.
< De sssucar realizaram-se vendas regulares
para o consumo e de alguma importancia para ex-
portago.
O cambio sobre Londres, que no dia 1 se co-
lava a 24 3|4 desceu a 4 }{ d. depois da entrada
do Magdalena, e a esse algarismo firmou-se ef-
fectuaodo-se saques posteriormente a 24 X d. e
24 3[4 d. em letras directss^alm de urna peque-
a somma em letras indirectas a 25 d.
No dia 19.abri-se o cambio para o Eslrema-
dure a 24 ,' e 24 3|4 d. sobre a mesma praga,
ficando mais firme ao ultimo algarismo em con-
sequencia de algumas vendas de cal ento rea-
lizadas.
Negociaram-se as apolices geraes de 6 0i0 a
94, 94 3i4, 94 X, e 94 0i0, e as provincias a
90 OO.
Nao houre mudanga na taxa dos desun-
ios.
6
Cambio.Londres 24 e 34 e 24 7i_S d.a90
das.
Paris 380 rs. idem.
Sacaram-se hoje 100,000 sobre Londres a
24 5|8, 24 3[4 e 24 7j8 d.
a Sobre Paris effectuaram-se pequeas tran-
saeges aos extremos de 380 a 385 rs.
Boletim de 1 a 6.
No curto periodo que passamos em revista
houve pouca aclividade em nosso mercado de
importago, conlinuando os compradores, que se
acham regularmente sortidos dos geueros de
maior consumo, a mostrar pouca disposigo para
entabolar novas transaeges.
No mercado de exportago houve algum mo-
vimenlo, em consequencia da procura de caf
que se desenvolveu em maior escala depois da'
entrada do paquete inglez Oneida.
Os pregos das qualidades inferiores sao ac-
tualmente nominaes : quanto as superiores, em
razo de sua maior escassez, leem sido pagas com
menor reduego, e hoje apresentam valor mais
firme em mo dos possuidores.
As vendas de assucar foram regulares para
satisfago do consumo.
a No mercado monetario firmou-se successi-
vamente o cambio sobre Londres a 24 Ii2 24 5i8
24 3i4, e 24 7|8 d.; avultando hoje as op'erages
fechadas aos dous ltimos algarisinos.
Sobre as oblras pragas-regularam as laxas
adiaote mencionadas.
< Os deseclos foram anda feitos nos bancos
a 9 0[0 e na praga a 10 0(0.
Sabiram para Pernambuco : 1 do corren-
te, brigue Veloz; a 5, o palhabote Duas Luixas,
e brigue inglez Spartan.
Chegaram, procedentes c Pernambuco :
24 do passado, o patacho aatuioano Mary
Stwast, com 9 dias de viajgem ; A, o hegar di-
to J. B. Chaddoum, com 10; 29, a barca dita
Floresta, com 10; e 31, o patacho Barros 1,
com 14.
Esperava-se 8 para partir de novo 10
para os portos do norle, o vapor Cruzeiro do
Sul.
Os wegone alravessaram nesta extenso dous
eanis, e urna magnifica ponte de (erro aobre o
7)0 Joapoea ; todi as obras di estrada, assim
O vapor francez Guienne, entrado da Europa,
foi portador de cartas e jornaes com as seguintes
datas:Hamburgo 21, Londres 23, Paris 24.
Hespanba 29, Porto 28, e Lisboa 29 do corrente,
Tinhamos recebido por um dos ltimos paque-
tea a noticia altamente significativa da converso
de Sua Magestade a rainha Victoria, que segundo
despachos publicados as folhas da Europa linha
abracado ocalhoiicismo. Infelizmente esta noti-
cia nao ae confirmou ; contra a vocago que cha-
mara o ohefe da igreja aoglicana ao gremio da
rerdideira igreja, icbaram-ie ti conveniencias
intimo de Sua Santidade, sendo infructferas as
tentativas do presidente do conselho.
ilguos jornaes inglezes aCfirmam'que o impe-
rador Napoleo, j resolveu a lioha de conducta
que se prope seguir para chegar a urna solugo
que pora termo ao poder temporal do papa, e
que as tropas francezas se nao retirariam da Ita-
lia, concentrando-se em Civita Vecchia, perma-
uecendo all por um lempo indeterminado e fi-
cando em Roma urna guarnigo mixta.
Acaba de sabir da chancellara italiana urna
circular de Ricasolli, em que se declara que o
reino da Italia existe j, oo obstante estar urna
parte delle ainda em poder dos estraogeiros, mas
conclue que a Europa vendo esse reino que j
um fado, armado e forte, ha de convencer-se do
direito que assisle aos Italianos que hoje se acha
sobre o sceptro de Viclor Emmanuel para entra-
ren) em completa posse da Italia.
Diz um telegramma que o general Cialdiniper-
gunlara ao governo se approvaria urna tentativa
contra os actuaes estados da igreja que devem
fazer parte do reino italiano, e que o governo nao
s responder affirmalivamente, mas que at
mesmo citara o general a proceder neste sen-
tido.
V-se destes fados reunidos, que a Italia nao
lardar a entrar na posse de Roma, mas por um
lado parece estar decidida a evacuago de Roma
pelas tropas fraocezas e a entrada daa tropas ita-
lianas ; e pelo outro; parece que as torgas italia-
nas marcharo sobre Roma, sem eocontrarem op-
posigo da parte das forgas francezas, cuja misso
nao obstar constituigo, nem realisago da
unidade italiana.
No meio desta grande confuso de opinies e
de boatos apresenla-se o papa sentado no seu
Ihrono supremo, aguardando o despacho de toda
esta conteuda.
Pela nossa parle fazemos sinceros votos pela
sua seguraoga pessoal, e pela indivisibilidade da
sauta igreja catholica.
O general Gtaldini pedio a sua demfsso do car-
go de lugar-lente em aples. Este general
s aceilou aquelle cargo interinamente, e a me-
dida queavanga no cumprimento da misso que
receben de pacificar as provincias napolitanas,
julgou-se obrigado a recordar ao governo o com-
promisso que lioha tomado de nao ficar por um
longo prazo no cargo do governo civil de a-
ples.
N'um jornal italiano diz-se, porm, que os mo-
tivos^ da demisso de Cialdini se fundam as dis-
senges que se levantaran) entre elle e Caotelli
em consequencia de algumas demonetragoes que
houve cootra os depulados napolitanos.
Caotelli e Blazio pediram tambem -a sua de-
misso, mas permanecern) nos seos postos al
que o governo mande quem os substitua.
Parece que o marques de Villamarina se acha
nomeado para a lugar-tenencia de aples, tendo
sido este lugar offerecido primeiro ao marquez de
Afflicto.
Corre tambem que Vctor Emmanuel offerecera
aquelle lugar a Garibaldi, e diz-se que a Ingla-
terra se empenha nesta nomeago.
EiTectivarneole parti para Caprera o conde de
Tracini, ajudantede campo do reie enligo aju-
dante decampo de Garibaldi. O conde de Tra-
cini foi sempre o medianeiro entre Cavour e Ga-
ribaldi.
A misso de que va encarregado ainda secre-
ta, e tem dado lugar a muitas conjecluras. Uns
querem que se trate de urna expedigo para a
Hungra, outros pensara que foi encarregado de
pedir a Garibaldi que aceite o governo de ap-
les, mas todos ligam grande importancia a esta
misso.
Publicou-se a lei chamada de Garibaldi ; sobre
o armamento da guarda motel, composta de 220
batalbdes. Puece que nio ficar em leltra mor-
a ; o governo coot chamar s armas no prxi-
mo mez de setembro urna parte destas forgas.
Para conseguir este armamento (ez o governo l-
timamente um contrato com urna casa ingleza
para o forneciraento de cem mil carabinas radas.
Fazem-se lodos os esforgos para crear urna es-
quadrs da qual se esperam grandes auxilios no
caso de urna lata com a Austria no Adritico.
Esto j promptas duas fragatas de couraga, a
Formidavela e a Terriveb : eslo-se construin-
do nos Estados-Unidos outras duas da mesma
classe, o Conde de Cavour, e a Italia ; cons-
truem-se em Caslellamare Ires a- hlice, a Etna,
Gaetaa e Messina. Em Lime acha-se em
conslrucgo a fragata Magenta, e em Genova,
ts tres corvetas, Princeza Clotilde, Principe
Huberto e Principe Eugenio.
as aguas de aples acha-se urna esquadra
ingleza ; a sua presenga all urna demonstrsgo
para salisfazer os desejos de Cialdini.
Os Francezes sorprendern) um bando de sal-
teadores, que se acbavam estabelecidos em urna
casa, no territorio pontificio. Houveram morios
e feridos na lula ; e urna parte delles cooseguio
fugir para Caslellamare no territorio italiano.
Depois deste feilo tem havido muitas prises.
Houve movimentos reaccionarios nos amigos
ducados de Parma, Placencia e Modena. O go-
verno pontificio oppe-se formalmente no seu
territorio formagao de bandos reaccionarios que
tenham por fim subjugar os povos daquelles du-
cados a favor dos amigos principes; julga-se que
esta mudanga no systema poltico influenciada
pela poltica franceza.
Muitos proprielarios ricos das Calabrias e dos
Abbruzzoa tem adoptado um expediente mui van-
tajaso para a sua seguraoga. Forneceram com-
panhias de voluntarios recrulados entre oscom-
ponezes das suas trras, collocando-se elles
freo te dealas forgaa para contar os revoltosos.
DizU-se que tioba sido mandado fuzilar pelo
governo austraco o goneral hngaro Turr, e al-
guos jornaes defendiam esta execugo represen-
lando-a como represalia das morles que dlziam
ter feilo Cialdini em aples para pacificar o
paiz. Compulsando porm as demonstradas no-
ticias que, temos visto nos jornaes e correspon-
dencias da Europa, tudo nos leva a crer, que taes
execuges se nao tdm verificado, e emquanto ao
general Turr, a Presse de Vienna diz que no dia
31 de julho fora elle transferido da fortaleza de
Camorn para Josephstad, onde deve ser julgado.
O rei da Prussia psra corresponder i cortezia
do imperador Napoleo que mandou Badn
um ministro para o felicitar depois do atteotado
commeltido contrs a sua pessoa, expedio tambem
para Paria um dos seus ajudaoles de campo para
agradecer ao imperador.
Todoa os jornaea e correspondencias recebidat
se oceupam da projectada visita do rei da Prus-
sia ao acampamento de Cbilons, dando diversa
pro-
pretendem aclamar o duque de Coburgo impera-
dor da Allemaoha, partido pequeo, mas activo
trabalhando extraordinariamente para tornar po-
pular o sea dolo ; o segundo, os que querem
mudar a dymnaslia actual da Prussia, substituida
por ontra familia allema, que conduza o paiz
na vaoguarda do movimeuto unitario. Este par-
tido muito numeroso, mas pouco popular ; o
ultimo compe-se-dos que querem obrigar o rei
Guilherme a abdicar a coroa, sub*lilulodo-o por
seu filho, o priocipe herdero.
Carlas de Badn dizera que desde o attentado
de Becker ; o rei da Prussia lem moralmeute
perdido muito da sua importancia no paiz. Falla-
se at na proximidade de urna abdicaco.
O go remo austraco dissolveu a dieta de Peslh ;
esta sob-proposta de Deack est elaborando um
protesto solemne contra semelhante acto. \ c-
mara dos magrales approva o proiecfo de
posla de Deak.
A mensagem que motivou este passo dado pelo
imperador da Austria um documento importan-
te. A dieta apreseotava com sioceridade tudo
quanlo foi necessario fazer para conseguir o es-
tabelecimento da constituigo, pedndo princi-
palmente a cooservago da progmatica eanegao
em toda a sua lattitude. Combateo rescripto im-
perial quando quer apresentar a Hungra no con-
selho do imperio por meio de representantes
mandados aquello corpo. Sobre a questo de
unio diz que nunca existi outra uoio mais do
que a pessoal, e acerca do]exercito preteode tam-
bem que nos {assumptos militares tenha igual-
mente sempre a Hungra gozado da sua inde-
pendencia constitucional e administrativa. A meu-
sagem declara que os hngaros nao querem com-
promelter a existencia da monarchia nem dissol-
ver o vinculo legal que existe o seu paiz e o resto
do imperio em virtude da progmatica saneco. Diz
que esto dispostos a enlenderem-se livre e fran-
camente com os
zea hereditarios
povos conslilucionaes dos pai-
. depois trata amplamente das
leis de 1848, e manifesta o profundo seolimento
que causou a declarago do imperador, de que
se nao julga obrigado pessoalmente a reconhecer
easas leis. Felo que toca Traosylvania pretende
que a uoio daquelie paiz Hungra, tinha sido
solemnimente discutida pela dieta legal, e que
esse direito obteve a forja de lei pela aancgo
real. D a entender que nao comprehende quaes
possam ser os interesses da monarchia que o res-
cripto imperial deseja assegurar relativamente
Traosylvania. Afinal este documento recapitul
s principios legaes do direito publico hngaro,
concitando que ficavam ioterrompidas as oego-
ciaces e dispensosos trabalhos da dieta emquan-
to nao forreconhecida a constituigo.
A mensagem foi approva Ja por unanimidad?.
Deak relator da commissao. recitou palavra por
palavra o rescripto, declarando ao mesmo tempo
que a Hungra nao poda reconhecer o empresiimo
que o Reichralb acaba va de contratar.
O discurso de Deak foi ouvido com recolhi-
mento e enthusiasmo, estando acamara eos es-
pectadores todos de p.
Antes de comegar a luta que se annuocia nao
deixar o gabinete de Vienna de procurar como
em 1848, adiados as nacionalidades annexas da
Hungra. O resultado da luta poie ser desas-
troso para a monarchia austraca se attendermos
ao estado em que se acha o paiz.
A dieta de Pesth recordando-se dos erros com-
metlidos naquella poca, deve procurar evitar a
sua repetigo, em 1818 todas as nacionalidades
nao magyares do reino de S. Estevo se voltaram
contra a revolugo hngara.
Essas nacionalidades esto longo de serem fa-
voraveis Austria como se pode avallar pela re-
cusa a presentada pelas dietas respectivas de man-
daren) depulados seus ae Reichrath. Esta mesma
opposigao mostrada pela resolugao que a dieta
d'Agram tomou para a suppresso dos coofios mi-
litares e dos regimentos da fronteira em cuja
conservago o governo austraco mostrava um in-
teresse muito particular.
Apezar destas circumstancias convir notar que
at agora nem a Croacia, nem a Traosylvania,nem
mesmo a Volvadia tem mosliadosympatbias pela
causa hngara. Eutretanto todos recoohecem
que o acord entre as diversas nacionalidades
um auxiliar poderoso para aquelle que a obliver.
Veremos qual o terreno deste conflicto em
que a Hungra joga a sua independencia e liber-
dade, pela qual lula ha tantos annos. Se a dieta
conseguir salisfazer a todas as exigencias legiti-
mas das nacionalidades nao magyares, agrupan-
do-as em volta de si, a Hungra bastante forte
em presenga da Austria.
Em Varsovia tambem as cousas nio vo muito
bem. Celebrou-se a festa nacional da Polonia,
apezar das prohibiges da autoridade. O con-
curso as igrejas foi numeroso, e todas as lojas
estiveram fechadas nesse dia, assim como abol-
sa. Esta demonstrago produzio oo poucas pri-
ses. E' tal o estado do paiz que a forga armada
estaciona as ras priocipaes. As desordena es-
tendera m-se i Lithuania, Wthynia e Ulkra-
oia, onde houve tambem demonetragoes. Honve
igualmente alguos disturbios em Bialystock, e
em Lithuania vistia-se tudo de luto.
Agita-s de novo a questo dos ducados danu-
bianos, e a imprensa ingleza, liga este negocio
com a vizila do rei da Suecia a Paris.
Falla-se de urna allimga projectada entre a
Franga e a Suecia. Os jornaes inglezes referiodo-
se a este negocio diz que a Inglaterra deveria dar
um passo semelhante principalmente havendo
igualdade de ragas e de religio, entre a Suecia
Noruega Dinamarca e Inglaterra.
O lonieur publica um decreto authorisaado
os sub Jilos belgas e hollandezes para entrirem
em Franga sem passaporle, e poderem circular
livremente por todo o imperio.
A guerra contra o Montenegro que parecia es-
tar addiada, em consequencia de urna projectada
entrevista entre Omer Pacha e o principe, est
de novo immioenle, e Omer Pacha ji est defe-
nsivamente autborisado a rompers hostilidades.
O priocipe tinha aceitado ainda que com difi-
culdade o convite para essa entrevista mas quan-
do Omer Pacha chegou a Zabliac onde elle se
dvia verificar, esperou debalde, pretextando o
principe a (alta de comparecimento com falta de
saude. Este procedimento irritou o general tur-..
co que mandou pedir immediatamente a authori- las vesperas.
vid* muitas demisse, quasi todas por motivos
de economas.
Os fanticos de Damasco e de Alepo tem feito
ameagas, mas aa autoridades, mostram-se enr-
gicas. Puad Pacha voltar para o interior da
provincia.
Noticias de Raguza annonciam que os insur-
gentes de Herzegowioa invocaram a intervenga
do commissario russo que nao direi as negocia-
coes de paz, Omer Pacha adherio a isso.
Sao muitos os individuos degradados pele go-
verno hespanhol em virtude dos acootecimentos
de Lipa mais algumas execoges tem tido logar.
A rainha de Hespaoha viaja pelas provincias.
A Catalunha mandou grande numero de pro-
ductos da sua industria para a exposigio do Porte.
Em Portugal tinham as cortea sido prorogadaa
at 31 de agosto. Approvaram-ae no parlamento
a compra do caminho de ferro do Sul, o subsidio
com-panhia unio mercantil, admisso de cereaea
estraogeiros e varios outros projeclos de lei de
recoohecida utilidade.
O rei D. Pedro V. linha ido ao Porto com seu
irmo o iofaote D. Joo, onde assistiram a aber-
tura da exposigo industrial que leve lugar a 2j.
O Soberano lenciooava ir a Braga, Visona, e Va
lenga do Mioho. No Porto a sua preseoga tem sido
urna continuada ovago. Chegou de Inglaterra
oo dia 26 na curveta Bartholomeu Dias com man-
dada pelo lofante D. Luiz, o principe Leopoldo,
de Hohenzellern noiro de sua alteza a infante D.
Antonia. O casamento eslava aprazsdo para 12
de setembro.
O rei Vctor Emmanuel tinha mandado a Lis-
boa um enviado extraordinario em misso espe-
cial.
Em New-York e em Washington estuva mais
tranquilisada a commogo que ttoha produzido
a noticia do desastre do Bulls Ru, por que ha-
viam desapparecido os receios de que o general
separatista tendooasse proseguir as suas opora-
ges ameagaodo portanto a capital da repblica.
O governo federal oceupava-se de reorgaoisar
os fragmentos do exercito derrotado, e de formar
um novo mais consideravel.
Como se poda esperar a noticia da batalha de
Bulls Run causou viva impresso Maryleod. As
manifestages limitaram-se a ajuntamentos as
ras de Baltimore, sendo sulBciente a polica para
obstar a ellas, verficaodo-se algumas prises.
Em Kentuky tambem a efervescencia foi gran-
de, e falla-se de um movimenlo provavel a favor
da separaco.
O choque de Bulls Run foi precedido de um
revez menos consideravel, mas que nao deixa de
ter importancia, e que teve lugar na Virginia
central. Tratava-se de um movimenlo empre-
en Jido as margeos do Kanawka a fim de se-
guir por aquelle caminho na direcgo de Rich-
mond.
As ultimas noticias recebidas partida do pa-
quete contam um terceiro revez para os federaes.
As tropas do general Lyon foram batudas em
Spring Field; morrendo o general no combate.
A retirada operou-se em boa ordem. As perdas
foram graodes de ambos os Udos.
As noticias do Mxico sao poucos sstisfactorias ;
o conselho promulgou um decreto em que sus-
pende as garantas conslilucionaes pelo espago
de seis mezes em toda a repblica. Foram de-
claradas fora da lei as pessoas e propiedades de
Zeloaga, Marques, Cobas, Cogiga e Lozade che-
fes da reaego, offereceodo-se grandes recom-
pensas a quem entregar qualquer delles vivo ou
cito.
Era Vera Cruz o congresso decrelou o estado
de sitio na capital all os proprios estrangeiroa
tomaram armas para deffender o governo. No
estado de agitaco em que se acha aquella rep-
blica nao fcil a sua pacificado.
Navios entrados na barra de Lisboa procedentes
de differentes portos de Brasil.
14 de agosto.Vapor paquete francez, Navare,
do Rio de Janeiro, Bahia e Pernambuco.
17 de agosto.Barca portugueza, Faria 1.a
do Ro de Janeiro brigue porluguez, Bom Suc-
cessoo Maranho, patacho porluguez, Mara
da Gloriade Pernambuco.
18 de agosto.Brigue portuguez, ata 3da
Baha brigue portuguez, Duque do Portodo
Rio de Janeiro.
28 de agosto.Vapor paquete inglez Magda-
lenaRio de Janeiro, Bahia e Pernambuco.
Navios sahidos da barra de Lisboa para differen-
tes portos do Brasil.
14 de agosto.Barca portugueza, Lindapara
o Para.
20 de agosto.Navegou para Vigo a iazer qua-
reutena a barca Flor da Maiade Pernambuco.
21 de agosto.Patacho porluguez, Activopa-
ra a Bahia. escuna hamburgaeza, Fortunapara
o Rio de Janeiro.
22 de agosto.Brigue|poituguec, Margarida,
para Pernambuco.
32 de agosto,Patacho americano Strout, pa-
ra o Rio Grande do Sul.
I
PERNAMBUCO
REVISTA DIARIA
As cmaras legislativas foram prorogadas at o
dia 15 do corrente.
Havendo o Sr. Dr. Miguel Joaquina Ayres
do Nascimento, juiz dos feitos da fazenda desta
provincia, sido escolhido desembargador da re-
lago do Maranho, foi removido da 2a vara cri-
me desta capital para aquelle lugar o Sr. Dr.
Francisco Domiagues da Silva, bem como a vara
do commercio desta capital foi designado para
nella servir o Sr. Dr. Tristo de Aleocar Arar-
pe, oosso actual chefe de polica, em cujo lugar
substituido pelo Sr. Dr. Jos Antonio Vaz de
Carvalhaes.
Congratulamo-nos com esses Srs. pela acerta-
da escolha de suas pessoas para o exercicio de
lugares to importantes, a que sem duvida ti-
nham jus por seus servigos, illustrago e intei-
reza.
Chegaram da corte os Exms. Srs. conselhei-
ros Francisco Xavier Paes Barreto e Sebaslio do
Reg Barros e Dr. Francisco Carlos Brando, de-
pulados por esta provincia.
Felicitamos a Ss. Excs. por sua reversoaos
patrios lares.
Agora que refleclimos sobre a collocagio
da ponte que lem de ser construida no campo
das Priocezas para a rna da Aurora, occorre-nos
fazer-lhes algumas observages relativas essa
collocago ou posigo assigoada.
Parece-nos, e tambem a muila geote, que a li-
nha de correspondencia em projecgo dessa pon-
te aquella do Recite ficar assim notavel-
mente defeituosa. Devendo a nova ponte ser
construida junto ao palacio da presidencia, em
vez de se-lo aquem do Iheatro de Sania Isabel
evidente que essa direcgo repugna com a exis-
tencia de urna linha perfeita, e quo v encon-
trar com a ponte do Recite, como parece que se
deveria consagrar na planta.
Esta medida quando nada livesse a seu favor,
seria reclamada ptlo embellecimeoto do campo
das Priocezas. Demais importa que em taes cou-
sas oo abramos margem para os nossos viodou-
ros dizerem o que ora nos dizemos dos nossos
antepassadoa eom relago ao seu modo de edi-
ticaco ou disposigo da cida le.
Consta-nos que j fra approvado esse lugar
que alludimos para a conslrucgo ; mas sem em-
bargo pode haver urna recooaideragao a tal res-
petq. O Exm. Sr. presideote pode ordenar essa
modificagao, se a entender conveniente, como
nos o julgamos, nao s porque nao ella tal que
affecte essencia do contracto, como por que nao
ha inconveniente algum que se lhe epponha,
tanto mais quanto a extenso a mesma quer
n'um, quer n'outro ponto. *
Hontem comegou a ultima seseie ordinaria
do corrente anno, da cmara municipal.
Na freguezia de S. Fr. Pedro Gongalves lem-
braram-se osgaiatos de reviver s graca de pinta-
ren) indecencias pelas portas das casas ; e islo
tem praticado alli ha obra de olio dias, levando
o genio folgasao ao ponto de tragaren) as taes fi-
guras a tinta oleo, sem duvida para mais sub-
siatirem essa exposigo forgada.
Pedimos, pois, a polica local que faga por
agarrar algum dos pintores, afim de tambem ex-
po-lo na casa de detenglo i tantos apreciadores
que alli ha. E' um favor estes, e nao menoa
moral publica.
Amanha lem lugar a feslividade religiosa
de Nossa Senhora do Livrameoto, havendo hoje
sago que lhe foi coocedida.
Omer Pacha acha-se actualmente enfermo esa
Mostar, mas o telegramma que tras esta noticia
nao declara qual a gravidade da doenga, por isso
ignora-ae se sddiar por algum lempo as opera-
goesdo exercito.
O prncipe Miguel de Servia anda nao mandeu
conprimeoUr o sullo, seu soberano. Tem ba-
A tarde ser exposta procissio a respectiva
imagem, passando o prestito por varias reas, que
acham-se mencionadas oo programma publicado
pela irmandade.
O Sr. teoeote-corooel Roque Carlos Peixo-
to de Alencar foi nomeado por portara de 11 do
correle juiz commissario de mediges de lerraa
publicas, no municipio do Ouricury.


DU1I0 M tElNAMOCO. f=- SSiBBADO 14 I SETEMBRO DI Ull
~- Sr Dr. chete de polica fez hontem a mi
visita mental 4 cata de detencao, demorando-te
i. 10 bora* da Dinha* al is 2 da Urde, e
veriflcaodo ludo qaanlo diz respeiio ao servido.
Bata metlido em conselao de julgameoto o
soldado do corpo de polica Aotooio Joi de Soa-
sa, o qaal deaertra do corpo em 1853 e ltima-
mente apresenlra-se voluntariamente.
Felizmente eate o ultimo doa procesaos que
reata julgir definitivamente pela auditoria do
corpo de polica 4 cargo do promotor publico.
Eotrou hontem procedente da Baha, tra-
zendo sete diaa de riagem o brigue escuna de
guerra Fidelidade, ao mando do distiocto Sr. ca-
pitao-leneote Bonifacio Joaquim de Saot'Aooa :
este navio veio eocorporar-se 4 esta estaco na-
val em lugar do hiaie Rio Formoto que (az hoje
parte daquella estaco da Babia.
O Sr. capitao -teneote Bernardo Antonio
Loureiro, actual commandaate da corveta Dous
de Julho, da estacao naval da Babia, oi nomea-
do para tomar o commando do brigue barca Ita-
marae, paseando o Sr. Aguiar commandante
oeste 4 commandar o Dout d Julho.
Fallecen de apoplexia fulminante, hontem
12 do crrante o cabra Severino, escravo de Ro-
sa Mara da Conceicio, marujo do palhabote bra-
sileiro PHdade, que entrava nessa occasio do
Rio de Janeiro. O subdelegado do Recife man-
cou conduzir o cadver para a igreja da Madre
de Dos, ah fizeram a competente velloria os
Dra. Antonio Gomes Tavares e Jos Aotooio
Marques, e concluiram affirmando ter fallecido
da molestia cima dita.
O vapor francez Guienne, vindo de Bordeaux
e portos intermedios, trouxe a sen bordo os pas-
sageiros seguales :
A. Massy, Carolino de Lima Sanios, Laurenti-
BO Jos de Miranda, Aooa Guilhermina Lobo,
Gaspar Pereira da Silva, Jos Caetano da Silva,
Emilio Dideer, Antonio Mariaho Prado, Eduardo
Leduc, Adolpho Schaphetlen e l7 para os por-
tos do sel.
O vapor ioglez Oneida, vindo do sul, trou-
xe a sen bordo os passageiros seguintes ;
Cooselheiro Francisco Xavier Paes Brrelo e
um escravo, conselheiro Sebastiio do Reg Bar-
ros edoos criados, commeodador Antonio Mar-
ques de Amorim e um criado, Dr. Jerooymo M.
i. d Mello, Ignacio Mirtiusde Souza, Dr. Fran-
cisco Carlos Brando e um criado, Dr. Joaquim
Peres Goncalves da Silva, Thomaz D.'Lowden e
dous criados, Hanoel Feroandea Vieira e um
criado e 80 para os portos da Europa.
O brigue-escuoa Fidelidade, vindo da Ba-
ha, trouxe a seu bordo o passageiro seguale :
O preso de juatica Mariano Fraociaco dos
Santos.
O vapor Guienne, sabido para o Rio de Ja-
neiro, conduzio a seu bordo os passageiros se-
guintes :
Moura Costa e Chapelain Len.
O vapor inglez Oneida, sabido para Sou-
thampton, conduzio a seu bordo os passageiros
seguintes :
Joo Glevois, M. Martiner, sua Glha e um ne-
to, Peter Derncody, Augusto Cesar Layne, Anto-
nio de Moraes Gomes Ferreira, Emilia Carneiro
Los de Albuquerque, Mara Carneiro Lina de Al-
buquerque, M. Zocher, James Olivier, Henry
Heady, Antonio Jos Gomes, Jos Pereira J-
nior e Horleocia de Moraes G. Ferreira.
Matadouro publico.
No dia 12 do correte mataram-se para o con-
sumo desla cidade 59 rezes.
dem do dia 1378.
MORTAL1DADE DO DIA 13.
Thereza, Peroambuco, 28 ancos, solteira, escra-
va, Santo Antonio, tubrculos.
Victorina Anna Rosa do Sacramento, Pernambu-
co, 45 annos, solteira, Santo Antonio, inte-
nte.
Mara, frica, 60 annos, solteira, escrava, Boa-
Vista, hydropesia.
Severino, Pernambuco, 25 annos, solteiro, escra-
vo, Recie, apoplexia.
Mara Jos de Mello Duarte, Pernambuco, 70 an-
nos, viuva, cidade de Olinda, apoplexia.
CHRONICJTjUICURIA.
TRIBUNAL DO COMERCIO.
SESSO ADMINISTRATIVA EM 12 DE SETEM-
DB186I.
PRESIDENCIA DO EXH. SR. DE3EMBARCADOR
F. A. DE SOUZA.
As 10 horas da manha, reunidos osSrs. depu-
tados Reg, Basto, Lemos e Silveira, o Sr. presi-
dente declarou aberla a sesso.
Foram lidas e approvadas as acias das duas an-
tecedentes.
EXPEDIENTE.
Foram presentes as cotacoes offteises dos pre-
sos, correales da praca, das ultimas semanas.
Archivem-se.
DESPACHOS.
Um requermenlo de Maaoel Figueira de Fa-
ria e Dr. Manoel de Figueira Faria, pediodo o
registro do seu contrato social, visto pelo Sr.
desembargada fiscal.Como requerem.
Outro de Domingos Alves Mathens, pedindo o
registro do contrata de sua sociedade com Anto-
nio Lopes Rodrigues taro be m visto.Na forma do
parecer iiscal.
Sendo conclusos os autos de moratoria de Se-
bastiao Jos da Silva.O tribunal iudeferio a pe-
tizo de alguns credores do mesmo.
Outro do agente de leilo Jos Mara Pestaa,
apresentando o termo de flanea que preslou e pe-
dindo o levantamento da suspensao do seu offi-
cio.Pode continuar com o seu officio e regs-
tre-se o termo, de Qaoca.
Oulro de Joaquim de Olireira Maia e Joaquim
de Souza Maia, replicando do despacho do tribu-
nal.Sendo a sociedade commercial ante-moral,
conhecida pela firma que adoptou, e pela qual
obriga-se, assim como um individuo com o seu
nome de familia, nao pode subsistir a sociedade
dos supplicantes. sob a firma individual de um
dos socios, sem que as suas traosaccoes coofuu-
dam-se eam osdestes. A expresso compa-
nnia que exige-se, indica smente que o so-
cio ostensivo nao est s, sem por isto obrigar
alm do determinado no contrato social, o socio
commanditario, cujo nome nao encontra-se na
firma social. Sendo assim o contrato ser regis-
trado.
Outro de Jos de Azevedo Maia, pedindo ma-
tricular-se.Declare a idade e naluralidade.
Sendo conclusos os autos de moratoria de An-
tonio Bolelbo Piolo de Mesauila. O tribunal
maodou apeosa-los aos de Francisso amonio
Corris Cardoso.
Nada mais houve.
SESSAO JUDICIARIA EM 11 DE SRTEyBAO.
PRESIDENCIA DO EXM. SR. DESEMBARGADO
SOUZA.
Secretario, Julio Guimares.
A meia-hora, o Exm. Sr. presidente abri a
sesso, achaodo-se presentes os Srs desembar-
gador Villares e deputados Reg, Bastos e Lemos.
Fa'taram com causa os Srs desembargador Sil-
va Guimares e deputado Silveira.
Lida,* foi approvada a acta da sesso antece-
dente.
DISTRIBUIQES.
Ao Sr. desembargador Villares.
Appellanle, Joo Manoel Rodrigues ; appella-
ds, Andr Barbosa Soares.
A6GRAV0S.
Aggravanle. o bacharel Christovo Xavier Lo-
pes ; aggravado, Hyppolito da Silva.
O Eim. Sr. presidente nao tomou conheci-
BMBtQ,
Aggraraoto, Jos Paulo do Reg Barreto ; ag-
f ravadOj bacbarel Deodoro Ulpiaoo Coelbo Ca -
tanta.
O Sr. presidente den provimento.
Nada haveodo a tratar, o Sr. presidente encer-
rou assalo.
(5)
Pubiicacjoes a pedido.
Ao publico
Em virtude de um annuncio que contra mim
fez publicar Francisco Xavier de Attayde, e para
ssclarecimeoto do publico somenle, e nao em
respoela ao dito Attabyde o qual jolgo em muito
baixa condico para responder-Ibe, e que se acha
desde o da anterior s publicado de seu annun-
cio recolhido esas de detencao por ordem do
Sr. Dr. juiz municipal da primeira vara desta ci-
dade pelo crime de eatellionalo, como estou pro-
vendo perante o mesmo juizo, vou mostrar ao
publico, que eel sujeiw um oanuercUaie, que
depositando plena condensa em um individuo
entregando-lhe um estabelecimenlo por balanco
persuadido de que bota em sua casa quem zele
sua fazenda e promova seas intereeses, este nao
passa de um aventureiro e que a procura
meios de defraudar o seu patrio, como passo a
expor.
Em 10 de julho de 1860 eotrou para caixeiro
de urna de minhas lojas sitas no Livramenlo,
Francisco Xavier deAltahyde, entregando-lhe eu
dito estabelecimenlo por balanco. Em 10 de
agosto do mez passado, lempo em que fazia um
anuo que Attabyde linha tomado coala do esla-
belecimeoto, tratei de dar balanco, afim de ver o
negocio que se linha feito.
E qual foi a oiinha admiraco quando ultimado
o balanco acho-me prejudicado em 651g620 no
principal. Perguotei a Allahide qual a razio
deste desfalque, respondeu-me que nao sabia :
que tendo eitado doente com bexigaa e laram-
po, e tendo ido oulo subslitui-lo durante sua mo-
lestia, talvez fosse este o motivo desse disfalque,
mas que elle se obrigava a pagar esta quantia.
Com esta escapatoria acompanhada de doces fal-
las que nao eram mais do que a capa da velhaca-
da, acreditei-o, e cheguei a persuadir-me de que
Attahide nio era culpado. Deixei-o por tanto,
continuar no estabelecimenlo como d'antes. Mas,
por um acto de desobediencia e falta de
respeito para commigo no dia 10 do correte, en-
tend que Attahyde nao devia continuar a ser
meo caixeiro, e por conseguate chamei o, e dis-
ae-lhe que quena dar balanco no estabelecimen-
lo aflm de tomar conla delle.
Ultimado o balanco em que achei falla de di-
versos objeclos, apparece mais o disfalque de
157)370 em um mez. Interrogo Attahyde sobre
este segundo disfalque, a sua resposta foi sahir
pelo estabelecimenlo fora sem dar-me urna pala-
vra, e nao rollar mais.
E' preciso advertir que o estabelecimento nio
fazia despeza com o seu cusleio, porquo todas el-
las eram feitas pela minha lojida Boa-Vista.
A'visla poisde um procedimeolo desta ordem,
tem anda Attahyde o arrojo de publicar um an-
nuncio em que diz nao ter eu sotisfeilo seus
ordenados.
AttahyJe pelo seu mo proced ment acha-se
recolhido casa de detencao ; e dentro em pou-
co comparecer nos tribunaes 4o paiz, perante
os quaes dar coota (j que a mim se recusou
a da-la) dos desfalques de meu estabelecimen-
to como hei de provar. E' nessa occasiso que
havemos de ver de que lado pende a jutica e
a razio.
Joio Luis Vianna.
COHMfcRCLO.
Praca do Recife 12 de
setembrode 1861.
iVs quatro horas da tavde.
Cotacoes da jonta de corretores.
Cambios:
Sobre Londres"- 24 1(2 d. por liJOOO 90 d.
vista.
Sobre Hambnrg735 rs. por m. b. 90 d. vista
Sobre o Rio de Janeiro1 0i0 de descont a
15 d. vista.
Assucar :
Hascavado bruto1^960 por arroba.
Dito purgado29IOO por arroba.
Descontos : '
9, 10 e 12 01O ao anno.
Leal Sevepresidente.
Frederico Guimaressecretario.
Alfaudega,
Rendimento do dia 1 a 12. .
dem do dia tf.....
209:015845
6:1141220
215:130*065
Movlmeuio da al funde tea,
Volumei entrados com fazendaa..
> com gneros..
Volantes sabidos com fazendas..
* com gneros..
64
28
83
382
92
------465
Descarregam hoje 14 de setembro.
Barca americaoaGonradfarinha.
Polaca hespanbolaIndiacarne de charque.
Polaca fraocezaInkermanncemento.
Brigue americanoJoseph Parck mercadorias
e farinba.
Escuna noveriinaJupter charque. 4Pl
Becebedoria de rendas Internas
geraes de Pernambuco.
Rendimento do dia 1 a 12. 10:6659599
dem do dia 13......; 1:035*070
11:700*669
Consulado provincial.
Rendimento do dia 1 a 12. 21019*697
dem do dia 13.......1:398*553
22:418*250
HAHBUBGO.
21 de agosto.
Bolelim commercial.
O mercado do Hamburgo tem lomado desde al-
guns das urna posigo decididamente mais firme
e mostrou muita animacio.
Caf.Depois de se haver manifestado ltima-
mente um espirito mais favoravel, se desenvol-
veram transaccoes muito activas a vista do des-
pacho do Rio de Jadeiro recebido por Brdeos, e
depois de se conhecer a pequea quantia annun-
ctada para o leilo d'outono na Hollanda; ludo
quanto havia de cafs de qualidades superiores
encontrou extracto por precos elevados. Ate
mesmo as qualidades inferiores do Rio merecem
maia attengio e tem subido de prego. A extrac-
cao para o interior foi consideravel e da conti-
uuago da procura pode deduzirque os depsitos
devem all estar muito reduzidos.
Colamos, caf regular ordinario, do Rio 5 li2
5 3|1 schillings.
Assucar.Tambera se mostrou muito animado
e os precos s sustentaram plenamente.
Algodo.Sustenlam-se os precos, mas pouco
procurado.
Couro3.Nio houveram vendas em primeiras
mios, e o mercado mostra era geral urna posicio
muito tranquilla.
Tabaco.Apezar de terem augmentado asim-
portages, a posicio do tabaco favoravel.
Cico.Tranquillo sem novidade.
Cambio sobre Londres, 13 marcos 5 3i8 sh-
desconto, 22 1(2 0^0.
MoTimento do porto.
Naviot entrados no dia 13.
Bordeaux e portos intermedios 18 das, vapor
francez Guienne. de 1167 toneladas, comman-
dante Hiplito Enout, equipagem 121, carga
mercadorias.
Rio de Janeiro e Baha5 dias vapor inglez Onei-
da, de 1372 toneladas, commandanle I. A.
Bevis. equipagem 126, carga differentes g-
neros.
Baha8 dias brigue-escuna nacional de guerra
Fidelidade, commandante o capitio-tenente
Bonifacio Joaqoim deSanl'Aona.
Ilha da Assumpcio8 dias barca ingleza Athol,
de 305 toneladas, capitn I. S. Lelean, equipa-
gem 12, em lastro.
Rio urande do Sul26 dias escuna hamburgueza
Fanny. de 187 toneladas, capitio Heur, equi-
pagem 9, carga couros, chifres e outros gene-
ros ; a ordem.
Naviot tahidoi no metmo dia
Rio de Janeiro e Bahavapor francez Guienne,
commandanle H. Enoot.
Southampton e portos intermediosvapor inglez
Oneida, commandante I. A. Bevis.
Rio Grande do Nortehiale nacional Flor do Rio
Grande do Norte, capitio Miguel Archanjo da
Costa ; em lastro.
Obwvaco.
Bordeja no iamario o brigue brasileiro Htnri-
que vindo de Lisboa.
Deelarasoes.
iDspeccao do arsenal de ma-
rinha.
De ordem do Sr, capitio ds fragata, servindo
de inspector deste res*!, ago copitar que em
9,12 e U do corrente mez, aeha-ie venda em
basta publica, na porta do almoxarifado, das 11
Obras da manha al o meio da, somenle o cas-
co do brigue escuna Xing, com leme, ferragens,
forrado de cobre, duas bombas de dito guarneci-
das, e a respectiva armario, cmara, praca d'ae-
ma, camarotes, despensas, cobsrta corrida de
paies as amuradas, camarotes a proa, cbnvez,
roda de leme, bitacula, duaa easionas, cinco es-
cobinas, um escotilhio, duas bozioas, abita cha-
prada de ferro, dous mordentes, dous escovens,
um castello, bigoe com curvas e maia arranjos,
dous turcos de madeira i proa, e outros i r,
mesas dos mastrosgraodee do traquete, e corri-
do de triacheira, no valor ludo de 800*.
Inspecgo do arsenal de mariuha de Pernam-
buco em 6 de setembro de 1861.
O secretario,
Alexandre Rodrigues dos Aojos.
Santa casa de misericordia do
Recife.
A Illm." junta administrativa da sania casa de
misericordia do Recife manda fazer publico que
no dia 19 do corrente. pelas 4 horas da larde, na
sala de suas aessoes, trio praca para serem ar-
rematadas a quem mais der as rendas das casas
0. 4 da roa de Santa Thereza, 39 da ra da Cal-
cada, 49 do Padre Floriaoo, e 8 do becco do
Quiabo da fregezia da Boa-Vista, pelo lempo
que decorrer do dia da arrematacao a 30 de ju-
nho de 1863. Os pretendenles devem comparecer
00 lugar, dia e horas apratadas, acompanhados
de seus fiadores, ou munidos de cartas destes.
Secretaria di Santa Casa da Misericordia dj
Recife 12 de setembro de 1861.
F. A. Civalcanti Cousseiro,
BsetivAo.
Tribunal do commercio
Pela secretaria do tribunal do commercio da
provincia de Peroambuco se faz publico, que nes-
la dala foi inscripto no compeleote livro do re-
gistro publico o contrato de sociedade que em
31 de agosto ultimo celebraran! Manoel Figueira
de Faria e o Dr. Manoel de Figueira Faria, resi-
dentes nesta cidade, e estabelectdos com typo-
graphia e a empreza do Diario de Peroambuco,
sob afirmado Manoel Figueira de Faria & Fi-
lho, da qual s poder usar o socio Manoel F. de
Faria, que entra para a sociedade com o capital
de 100:000$, valor da dita typographia e empre-
za ; deveodo a mesma sociedade durar por espa-
50 de 5 annos, contados do 1. do corrente mez.
Secretaria do tbunal do commercio de Per-
nambuco 13 de setembro de 1861.
Julio Guimares,
Official-maior.
Tribunal do commercio
Pela secretaria do tribunal do commercio de
Pernambuco se faz publico, que tendo o agente
de leiles desta praga, Jos Mara Pestaa, pres-
tado nova anga, como lhe fdra ordenado,o mes-
mo tribunal por despacho desta data, manda que
o dito agente entre no exercicio do seu officio,
ficando assim levantada a suspensao que lhe ha-
via sido imposta.
Secretaria do tribunal do commercio de Per-
nambuco 12 de setembrode 1861.
Julio Guimares.Official-maior.
THEATRO
DE
Santa Isabel.
EMPREZAGERMANO.
35a RECITA DA ASSIGNATURA.
Sabbado 14 de Setembro de 1861.
Subir acea o excellente drama ea 5 acto,
PECC ADORA.
Terminar o espectculo com a representa gao
da graciosa comedia em um acto,
KDOTA
ou
Os apuros d um esludanle.
Na qual a Sra. D. Manoela desempenha quatro
differentes papis.
Comecar s 8 horas.
Segunda-feira 16 de Setembro de 1861.
Anniversario natalicio de S. H. o
Sr. D. Pedro X, re de Portugal,
augusto sobrinbo do Sr. D. Pe-
dro II,
Havera' o seguate espectculo.
Logo que o Exm. Sr. presidente da provincia
chegar tribuna, a orchestra execntar
O HYMNO PORTUGUEZ.
Seguir-se-ha a representado do excellente dra-
ma em 5 actos:
i MiiHiraiiii
DE
S. TROPEZ.
PERSONAGENS.
Jorge Mauricio................. Germano.
Aotooio Caussade............... Nunes.
Carlos d'Arbel.................. Viceote.
Langlois, tabellio.............. Raymundo.
Conde a'Auberive.............. Leite.
Jernimo, estalsjadeiro........ Teixeira.
Gerfaul, medico................ Valle.
Domingos, criado.............. Campos.
Jos, dito....................... Oliveira.
Horleocia d'Auberive........... D. Manoela.
Paulina Langlois................ D. Carmela.
Carlota Caussade............... D. Jesuina.
Trabalhadores, marinheiros, etc.
Terminar o espectculo com a graciosa co-
media em um acto,
FEIO DO CORPO E BONITO D ALMA
Tomara parte os Srs. Nunes, Campos. Viceote,
Raymuodo, Valle, D. Aooa Chaves e D. Jesuina.
atisos martimos.
Rio Grande eiss
vai sabir por estes oito dias a barca$a Rainha
dos Aojos, recebe carga a frete para os portos
cima ; a tratar na escadinha de alfandega com
o meslre, ou defronte do trapiche do algodo nu-
mero 20.
Para.
O patacho Emulado., capitio Antonio Gomes
Pereira, segu com brevidade por ter parte do
carregamento srraojado ; para o que lhe falta,
trata-se com Moreira & Ferreira, ra da Madre de
Dos o. 8.
Para o Aracaty
segu brevemente o hiale Exalaco, recebe
carga e passageiros; a tratar com Gurgel Irmos,
na ra da Cadeia do Recife n. 28, primeiro andar.
1,
trata-se eom sea consignatario Fraociaco
Azevedo. na ra da Madre de Dos*. 12.
L. O.
O palhabote nacional bous Amigos, capitao
Francisco Jos de Araujo, segu para a Baha em
poucos dias; para 6 resto da cprga que lhe falta,
Rio de Janeiro
a veliira e bem conhecida bares nacional Ame-
lla, pretende aegair com moita brevidade, tem
parte de seu carregamento prompto ; para o rea-
to/]ue lhe falta, passageiros e escravos, para oa
quaes tem excelleotes commodos, trata-se com
os seus consignatarios Azevedo & Mondes, no
seu esenptorio ra da Cxuzn. 1.
Baha.
Segu a sumaca HortencU, capillo Belchioi
Maciel Araujo ; para o reato da carga que lhe
falla e paasageiros, trata-se com Azevedo & Mon-
des, roa da Cruz n. i.
Rio de Janeiro.
Segu com brevidade o palhabote Piedade, re-
cebe carga a frote e passageiros : s tratar eom
Caetano Cyriaco da C. M & Irmo no lado do
Corpo Santo n 23.
COMPAA PERNAMBOCANA
DK
Navegado costeira a vapor
Parahiba, Rio Grande do Norte, Ma-
cao do Assu', Aracaty, Ceara'
e A carac'.
O vapor Iguarass, commandante Vianna,
sahir para os portos do norte ate o Acaraca no
dia 21 do corrente mez s 4 horas da tarde.
Recebe carga at o dia 20 ao meio dia. Eo-
commendas, passageiros e dinbeiro a frete at o
dia da sahida as 2 horas: escriptorio no Forte
do Mallos n. 1.
'/, k^j
e fruteiras, porta licores etc., etc., lin
dos jarros com bachs etc., de folba,
bataneas, limpadores de ps, cestas com
o necessaro para viagem, ricos estojos
para barba, ca becadas com brides, ga-
marras, chicotes, selins e silhOes, can-
dieiros para gaz e azeite, caixinhas de
msica, caucas com ferramenta, sabo-
netes, transparentes para janella, re-
logiosde parede e muitos outros" arti-
gos que se torna enfadonho de mencio-
nar, arados, grades, carros de mao e
carretas, carrocas, machinas pira cor-
tar capim, ditas para descarocar milho,
rebolos e dous carros elegantes e leves
com arreos para um e dous cavallos.
LEILO
DE
Urna ioja de fazendas
NA
Ra do Crespo numero 21.
Segunda-feira 16 do corrente.
Antunea aulorisado pelo lllm. Sr. Dr. juiz es-
pecial do commercio, e a requerimento dos cre-
dores de Francisco Jos Rodrigues Bastos, ven-
der em leilo a sua loja sila na ra do Crespo
o. 21, com todas as fazeodas oella existentes :
no referido dia as 11 horas em ponto.
Atsqs diyersosa
Ordem terceira de
S. Francisco.
Gomo esteja prximo o dia determi-
nado pelos estatutos da ordem terceira
de S, Francisco para a eleicao da mesa,
lembramos ao collegio- ao nosso irmao
o Sr. Antonio Pereira de Farias, para o
lugar de ministro, nao s pelas suas
qualidades pessoaes, como por ser um
irmao antigo, e que por diversas vezes
tem oceupado lugares em mesa e entre ami?as.e g.ehos.' p?de or *ae dit0 escr" an
li^ j .* u da eslela P*ra Mt baodas, ou mesmo na estra
elles o de vico-ministro. Esta nossa
lembranca e um tributo que prestamos
ao mrito do dito nosso irmao e estamos
COMPANHU PERNaMBUCAIU
DK
Navegaco costeira a vapor
O vapor Persinunga, commandante Moara,
segu viagem para os portos do sul de sua esca-
la oo dia 20 do crtente as 4 boras da tarde. Re-
cebe carga at o da 19 ao meio dia. Eocom-
mendss, passageiroa e dinheiro a frete at o dia
da sahida s 2 horas : escriptorio no Forte do
Hattos n. 1.
Para Lisboa
segu viagem com a possivel brevidade o bem co-
nhecido brigue portuguez Relmpago ; para
carga e passageiros, trala-ie com o consignatario
Thomaz de Aquino Fonseca, na ra do Vigario
o. 19, primeira andar, ou com o capitao na praca.
Para o Rio de Ja-
neirO W1" Winsor, sua senhora e 1 filho, re
**v* v l tiram-so para Europa.
Pretende seguir com muita brevidade o brigue
escuna Joven rthur, para o resto da carga que '
lhe falta trata-se eom oa seus consignatarios
Azevedo & Meodes, no sen escriptorio ra da
Cruz n. 1. |
Zisboa e Porto, ^
abarca Flor de S. Simio, vai sahir nestas dias da IOSta C NOSS SCslllOra
por j ter quaai prompto o seu carregamento,' -
do Livramento.
Domingo 15 do correle lera lugar a fesla de
N. S. do l.ivramentn com aquella pompa e deceo;
ca que devida a to soberana Senhora, cons-
tando a mesma de vespera, fesla e Te-Deum,
. sendo o orador da fesla o muito digno e cloque-
te pregador da capella imperial Fr. Joaquim do
I Espirito Saoto, e do Te-Deum o reverendo Fr.
Augusto.
i Ai 3 horas da tarde do mesmo dia ter lugar a
i solemoe procisso da mesma senhora, a qual per-
| correr as ras seguintes: ao sabir da igreja em
frente da ra do Queimado, largo do Imperador,
, ra do mesmo, travessa do Ouvidor, Cruzes, pre-
ga da Independencia, larga do Rosario, estreita
da mesma, Trincheiras, Nova, camboa do Car-
ino, largo do mesmo, Horlas em frente a traves-
sa do Peixolo, largo do Terco, Direita, travesa
da Peona, Rangel ao recolher.
j Pede-se eocarecidameote aos moradores das
ruai cima mencionadas, que limpem as testadas
, de suas casas afim de poder transitar a referida
procisso, do contrario deixar de passar; assim
como convido a todos os irmos a comparecerem
no dia cima mencionado revestidos de seus ha-
. bitos afim de assistirem aos actos de que cima
! trato.
Secretaria da contraria de N. S. do Livramento
ceitos quesera' acolhida pelo collegio,
que sem duvida nao deixara' de o ele-
va-lo a oceupar aquelle lugar pelos ser-
vicos por elle prestado a nossa ordem.
O antigo irmao noviro.
M. Fonseca de Medeiros, declara solemne-
mente por este jornal que nao escreven ama s
liaba para a poca peridico que se imprime
nesta cidade e que seodo amigo da pessoa contra
quem se falla oa referida folba, era incapaz de
tal faze-lo.
im-so para Europa.
Programma
recebe aioda algumft carga para os dous portos,
e passageiros, para os quaes tem excelleotes
commodos : a tratar com Carvalho, Nogneira &
C. na ra do Vigario o. 9, primeiro andar,
Leudes.
Leilo
Quarta-feira 18 do corrente.
L. J. T. Soatoo, capitao que foi da barca in-
gleza Lima, arribada a este porto por torga
maior na sua receote viagem de Londres para
Royoad. e aqu coodemoada, far leilo por io-
terveoco do agente Hyppolito da Silva, com au-
torisacao do Sr. cnsul de S. M. Britannica e em
sua preseoca, por coota e risco de quem perteo-
cer, com licenca da iotpecc.o da alfandega, do
casco e mastreaco da mencionada barca : no
dia quarta-feira 18 do corrente ao meio dia em
ponto na porta da associaco commeicial, e de-
pois de fiado este ser levado tambem a leilo
no armazem alfandegado do Sr. baro do Livra-112 deTstembro deT&B.0 secretario"
ment no caes d'Apollo, os massames, cordoa-
Ihas, provisdes e mais pertences da mencionada
barca, em lotes e a vontade dos compradores.
LEILO
Domingos Jos Ribeiro Gonvio.
Jos Ferreira de Oliveira, Brasileiro, reti-
, ra-se para fora do imperio.
Aluga-se urna casa na ra Relia n. 18: a
.tratar no sobrado n. 14, na travessa da matriz de
Saoto Aotooio.
Sacerio Prsico e Biase Prsico, subditos
italianos, retiram-se para Italia.
O padre Joo Servulo Teixeira mudou a
sua residencia da ra Oella para a ra de S.
Franeisco n. 56.
Quarta-feira 18 do corrente
Costa Carvalho far leilo no dia cima as 11
iras em ponto,em seu armazem na ra do*
dor n. 35, de urna casa terrea sita na rus
..ogueira o. 33, com duas salas, 3 quartos,
sinna fora, solo, cacimba e quintal murado.
LEILO
Urgencia.
D-se de 20 a 30a de aluguel mensal por urna
casa terrea com quintal e corredor para pequea
Vlosta oarvaino lara teuao no ata cima as 11 familia oas seguintes ras : Flores, Camboa do
horas em ponto, em seu armazem oa ra do Ira- Carmo, Florentina. Bella e Concordia ; quem ti-
rador n. 35, de urna casa terrea sita na ra do I ver annuncie ou dirija-se ra do Rangel o. 10
Nogueira o. 33, com duas salas, 3 quartos, co- Aluga-se por commodo prego um pequeoo
_ sitio plantado com casa de pedra e cal com bas-
i lantes commodos e cacimba com muito boa agua
de beber, na Capunga Nova, porto confronte ao
i Sr. Dr. Pereira do Carmo : a tratar no becco Lar-
i go, taberna n. 2.
Pascbuale Sarti, Luizi Zaleotioi, Raffaeilo
Bernachi, Callo Meocooi, Nalale Biagini, Frao-
ceso Pelln i, Geremia Aogelioi, Nicomede Gal-
gani, subditos italiano*, vo para Europa.
Comprase pataces hespanhoes ao cunho
de Carlos III e IV : ra nova n. 23 loja.
Acha-ae justa e cootractada a compra do
sobrado o. 54 da ra da Seozalla Velha, que ou-
tr'ora perteoceu ao tinado Antonio Terreira Duar-
te Velloso, deveodo oa occasio da escriplura
ser psga e detractada da bypolheca que oella
tem a Sra. D. Mara do Carmo Ribeiro Guerra ;
se slguem, portaoto, alem da mesma senhora,
-_ qualquer direito ou oous sobre o mesmo so-
brodo, queira snounciar por este joroal oa prazo
de 3 dias.
Urna armacaa.
Terca-feira 17 do corrente.
Costa Carvalho far leilo oo dia cima s 11
horas em ponto da armaco da loja da ra da
Imperalriz o. 49, com todos os seus preparo, .
sendo a armacao toda envidracada e envernisada i tem qualquer direito ou onus sobre
NADA MAIS SUBLIME DO QUE A GRATIDO.
Os abaixo assignados faltaran) ao mais rigo-
roso dever, se deixassem em olvido as eminen-
tes qualidades, e o bom tratamento que recebe-
ram do illuatre cavalleiro e mui digno comman-
danle do vapor nacional Persinuuga, o Sr. Ma-
noel Rodrigues dos Santos Moura, oa receute
viagem de Macei para esta cidade Receba o
mesmo Sr. Moura os nossos protestos da mais
subida estima que lhe votamos ; e parabeus
compaohia pernambucana por possuir um joven
lo zeloso de seus ioteressei. Recife 13 de se-
tembro de 1861.
Dr. Beroardo Machado da Coita Doria.
Dr. Francisco de Araujo Barros.
Dr. Jos Aotooio de M. Bailos.
Mioervioo N. G. Lima.
Joo Aotooio Carvalho Mariaho.
Jos Wenceslao Haciel Pioheiro.
Manoel Piolo d'Araujo Filho.
Jos Gabriel de Mello Pinto.
Fraociaco Footao.
J. J. Alses.
Francisco Morcira da Costa.
Jos Joaquim Jaimes de Abreu.
Candido Francisco Soares.
Jos d'Azevedo Villarouco.
Manoel Joaquim da Silva Leo.
Aluga-se urna casa em Beberibe : a tratar
com J. I. de M. Reg, na roa do Trapiche n. 34.
Aluga-se um grande e novo armazem pro-
prio para recolher gneros, oa ra do Amorim
com frente para a ora rampa entre os trapiches
Cunha & Compaohia : quem preteoder dirija-se
ra do Vigario o. 5.
Offerecese um rapaz brasileiro para ensi-
oar primeiras letras em algum eogenbo perlo
da praca : qnem preteoder dirija-se ra Bella
D. O.
Na praca da Independencia, n. 22, deso-
ja se saber da residencia do Sr. Eduardo Luu
Cerqueira. ou da do Sr. Manoel da Silva Ramos,
afim de salilazer um pedido.
Fugio em das do mez de agosto do anno
de 1855 do engenbo Novo,do termo de Iguarass,
um escravo de nome Antonio, coohecido por An-
tonio Sertanejo, com os sigoaes seguintes : cabra
bem retinto, alto, grosso, bem barbado, tem os
braceos dos olhos muito alvos, ps grandes, tem
o dedo pollegal do p direito bastantemente tor-
io e bem aberto para fora, j foi surrado, bem
ladino, tanto que sabe alguma cousa 1er, gosla
de andar com chapeo de couro, anda sempre lim-
po, toca muito bem gaita como se fosse flauta ;
este escravo foi vendido por seu antigo senhor
Pedro Camello Pereira, que o houve por heraoca
de seu pai Caetano Pereira Camello, moradores
que foram no lugar denominado Sabugi, do ser-
todo Serid; provavel que dito escravo leona
sahido para eate lugar, em coosequencia de ter
all alguns irmos forrse prenles, nao obstante
pouco mais de um anno ter aido visto no sul em
um dos eogeohos, pode ser que dito escravo an-
da esteja para estas bandas, ou i
da de ferro traballiando por forro : roga-se, pois,.
aos capites do campo e a qualquer auloridade
que tiverem delle ooticia, que o apprehendam e
o mandem entregar na villa de Iguarass, ao
abaixo assignado, ao qual e aos seus irmos me-
nores perleoce o aleccionado preto, que alem de
pagar toda e qualquer despeza, gratificar gene-
rosamente.
Aureliano Cavalcanti de Albuquerque.
Pede-se ao Sr. Honra Magalhes, esludan-
le do terceiro aooo, que appareca oa travessa da
ra das Cruzes o. 2, primeiro andar, para nego-
cio de seu interesse.
Aluga-se urna casa na Boa-Viagem, com
bons commodos para grande familia, para se to-
mar os bellos bauhos doces ou salgados ; quam
pretender, dirija-se a ra do Imperador n. 67.
Aluga-se o primeiro andar com bastante
commodo, e a loja propria de negocio, do sobra-
do oa ra Direila o. 9, com fuodos para a ra da
Penha: a tratar oa ra atraz da matriz da Boa-
Vista n. 36.
Urna pessoa que j servio no lugar ae cai-
xeiro de engenbo, se offerece a quem precisar :
trata-te oa roa do Galdeireiro, sobrado n. 12.
Attemjo.
A pessoa que precisar de um caixeiro para
qualquer estabelecimenlo, dando fiador de sua
cooducta, dirija-se a encruzilhada de Belem, em
casa do Sr. Maaoel Joaquim.
AVISO.
O abaixo assignado faz scienle ao respeitavel
publico que tem de traspassaro srreodamento da
taberna da roa das Cinco Ponas n. 71, contendo
lo aomente a armaco e mais perteoces, asse-
verando a qualquer pessoa que quizer estabele-
cer-se as boas com mod i dad es que a dita tem.
Jos Carneiro da Silva.
Oh que pechincha
Magalhes & Meiides
receberam novo sorlimenlo de fazendas, a ser :
lazinhas enfestadas muito finas a 400 rs. o rova-
ao, fusto para vestidos a 320 o covado, popeli-
nas a imitago de sednhas de quadro a 200 rs. o
covado, chitas francezas finas a 220, 240, -260 e
280 o covado, ditas inglezas a 160, 180 e 200 rs.
o covado, sediohasde quadros muito encorpadas
a 640 o covalo, ditas a 560, cortes de casemira
enfestada a 4$ o corte, covado da mesma a 2400,
cortes de colietes de velludo a 2J>500. ditos de
gorgurao a 1*800: na ra da Imperalriz. loja
armazenada de quatro portas n. 56, de Maga-
lhes x Mendes.
Compram-se dous caixes que tonham 3do
de taberna, de amostras, e que sejam novos, de
gosto moderno ; a tratar na padaria do pateo da
Santa Cruz n. 6.
Madapolo
fraocez infestado a 3*000 a pe?a, chega para to-
dos por ser grande porgo: oa ra da Impera-
lriz loja de 4 portas n. 56.
Cheguem < alifornia.
E8tSo-ae acabando os tapetes para sala a 3*500
rs.: ra da Imperatriz o. 48 junto padaria
fraoceza.
S na nova California.
Cortea de gorguro de seda para colotes a
2*500 : oa ra da Imperalriz o. 48 juoto pada-
ria fraoceza.
propria para qualquer eitabelecimeoto.
Atteuco.
Grande leilo de mercado-
rias americanas.
Terca-feira 17 de setembro.
RUADA CRUZ N. 15.
O agente Antunes fara' leilSo no dia
cima de urna imnensidade de objec-
tos americanos como sejam: secreta-
rias, carteiras, cideirai de diversos
gostos e de balanco, marquezas, riqu-
simas camas de rica obra de talha, ma*
las, bahus e saceos de viagem, obras de
metal principe pratetdo, sendo appa-
relbos para cha' e caf, galheteiros,
copos, campainhas, cestas para fructas
s
t
O Dr. Moreira Guerra, deixou
9 o exercicio da primeira vara
0 municipal, e continua a advo-
0 gar em seu escriptorio, ra do
4) Crespn. 21, primeiro andar,
4) onde sera' encontrado das 9 ho- ,
} ras da manha as 3 da tarde. A
*
Na ra da Saudade n
15, casa de soto de duas ja-
aellas, precisa-se de urna
ama de leite.
Obne spitzen.
Elegant gearbeitete fruebling Hoten
zu haben bei Hunder: ra Nova n. 67.
Veodem-ae 4:600 varas da relos de panno
oo e de casemira, preloa de coras proprioa pa-
ra manufacturar aapatoa da transa, ou para An-
gola oode sio bailante apreciados : oa ra Nova'
o, 18.
Historia Universal
POR
G. Canta,
TVaduccSo portugueza.
Roga-se aos seohures assignaftes desta inte-
resante oqra, que anda nao tiverem recebido
odos os volnmea, de procuraren! os que lhe fel-
lam na hvraria econmica ao p do arco de San-
to Antonio al o flm do corrente mez, pois pre-
cisndole liquidar contas com os edictores. tem
de voliarem para Lisboa em oulubro os volumes
quesobrarem. Na mesma livraria vondese a
mesma obra completa em 12 volumes.
Sitio na Capunga
Aluga-se o sitio na Capunga Velha do Sr. Bar-
tholomeu Francisco de Souza, perlo do rio e
com bastantes commodos; cocheirs, e quartoa
para pretos. com arvoredo, parreiral, etc., etc
quem o pretender, dirija-se a ra larga do Ro-
sario n. 34. botica.
Para acabar.
Corles de cassa franceza de 8 saias e 3 folhos,
com 12 e 15 varas a 3J500 e 4S, lindos cortes de
laa para vestido com 24 covadoi a 5, peca de
cambraia lisa com 8 e 9 jardas a 20500, 3j>000 e
39500, chita larga franceza, covado a 2u0 re.
cassas escuras francezas, covado a 240 : a ellas'
que em villa da reduco em preco, pouco pod
aturar : oa ra do Queimado n. 44.
Queijos do serto
muito novos. chegados ha poucos dias a 560 rs
a libra : oa ra da Imperatriz, loja de miudezas
numero 82.
No sitio defroole do caes da Ponte de Uchoa
vende-se leoha para olaria.
-- Aluga-se urna escrava para aervico de cata
de familia, preretindo-se eitraogeiri : os roa ds
Livramenlo o. 21, lerceiro andar.


IARia DM rUKMf JOCO 9AWAO0 U H>SITIKBIo DI 1191.
i i. i
largo da Penlia
Francisco Fernandes Duarte, proprietario deste
armazem de'molbados, participa aos seas freguezes, assim como aos senhores da praca, de enge-
oho e lavradores que d'ora em rante quizerem-se afreguezar oeste estabelecimeulo, que se acha
core um completo sortimeoto de gneros os mais oovos que ha no mercado e por serem a nraior
parte delles findos de coata propria, est portento resolvido a veode-los por menos 10 por ceoto
do que em outra qualquer parte, aflancando a boa qualidade e acondiciouamento, assim como ser-
vir os portadores meos pralicos to bera, como se os senhores vieasem pessoalmente, para o que
nao se poupari o proprietario em prestar toda attencao, aflm da continuareis a mandar comprar
suas eocommeodas, serlos de que, toda e qualquer encommenda comprada neste estabelecimento
acompanhar urna conta impressa com o mesmo titulo de armazem Progresso.
liautelga Ingle* perfectamente o?, imo rl iibri, nde-
se por este prego nicamente pela grande porcao que tem e sefor em barril se (ara abatimento
Nl&iiteiga f i aneeza, m r9.libr e M barm. o .
*^* liyaSOH 0 meihor que ha no mercado a 2*600 a libra.
dem Teto, moo, Iibr
Qaei}os do reino chegados BMU uUiB,0 Tapora 2*400.
dem y rato a g^ intero a 640 m a lifcf,.
dem SU1SS0 a 640 a librJl em psao 9e r a batimento.
P rezunAo de fiambre ioglet a 7oo .. uW.
Prexunto de \amego. 480 ri. a libra taWro, M0 rs.
^* *'* a mais nova que ba no mercado a 160 rs. a libra, e em arroba a 4|500.
EiSpermasete a760 rg> a libra> em caixa a740 r>>
Latas eom bolaxiuVia de soda de aeferente quaiidades a ijoo
L,atas com peixe em posta ae maitas qualidades a 1*400.
\ze\tOUaS maitO UOVaS a Ig000 rs. o barril. riUlho a 320 rs. a garrafa.
Hoce de Upe rene em laUii de 2 Ubr por 1|W0.
Corintas par, podim a 800 rg> a 1btat
Banna de porco refinada a 480 n. a nbra, em umi a 44o i
Hla^a de tomate a maisnova do mercado a 900rs.,a em laltas de 2 libra por IWQf.
PaiOS Chonricas e paios ffluUo n0708 a 560 ., Ubra.
Palitos de dente Uxadoscom20macinh0ipor20ors
CnoeOlate iraneOZ a 1$20Q rs. a Ubra, ditto portuguez a 800 rs.
AliarmeVada imperial d0 afamad0 Abren e de outros moitos fabricantes de Lisboa
a lfiOOO rs. a libra.
YinnOS engarrafados Port0i Bordeaux, Carcavellos, e moscatel a 1*000 a garafa.
\ InnOS em pipa de 500# 560 e 640r, a gmara> em canadas a 3*500 4*000 4*300:
V inagre de Lisboa
S^Crveja. das mas acreditadas marcas a5;a
EkStrellinaa parasopa a mais nova que h
Lv .bas franelas
Milo de amendoa
Nozes mu!t0 D0Va a 120 rs a libra>
Lastanbas Piiadas a 240 rs> a Iib
-***aV muitfi cunorAP 9X(\ i-a llsWa a 7* ffKlhJ *
Sockdade bancada.
Amoriro, Fragoso,Santos 4 C aacam e tomam
saques sobre a eraca de Lisboa.
Sacam sobre Lisboa
Aranaga, Hijo & C, ra do Tiapiche
florn. %r.
1 Aluga-se urna casa em Beberibe : a tratar
com J. I. M. do Reg, na ruado Trapiche o. 34.
Manoel Ferreira da Silva Tarroso
sacca sobre Portugal pelo prximo pa-
quete inglez.
Na travessa da ra das Cruzes n.
2, primeiro andar, continu-te a tingir
com toda a perfeicSo para qualquer
cor e o mais barato possivel.
A. commissao liquidadora dos ere-
dores da masa do tallecido Manoel
Buarque de Macedo Lima, pede aosSrs.
devedores a referid casa que se diri-
am a satisfazer seus dbitos a referida
commissao todos os dias uteis das 10 ho-
ras da manhaa as 2 da tarde na ra da
Cadeia do Recife n. 26, primeiro andar.
A commissao roga mais a esses Srs. de-
vedores, que nSo a obrigue a Iancar
mao dos rae ios judiciaes ou do jornal
para haver essas importancias de que
sao seus de redores.
Manoel Alve Guerra saca sobre o Rio de
Janeiro.
Aluga-se
o primeiro andar da casa da roa da Cadeia o Re-
cife n.4, proprio para eacriptorio; a tratar no
armazem da mesms.
Aluga-se um grande sitio com muito boa
cata, milito perto da ctdade, tambera se aluga um
segundo andar esotao para grande familia, tam-
bera se vendem caibros, enxams, raaos trares-
sos e travs, mais barato de qoe em outra qual-
quer parte: na serrara de Jos Hygino de Mi
M
Aluga-sa urna preta escrava para ama de
leite, que tem com abundancia, e muito cari-
nhosa para meninos, qoen precisar dlrija-se
ra do Crespo loja n. 20 de Adriano & Castro.
Aluga-se um sitio na Passsgem da Magdale-
na margem do rio Capibaribe, com cass, tendo
2 salas e 9 quartos : quera o pretender, dirija-ae
ao mesmo lugar, sitio do Barroea, a tratar com
Joo Manoel Rodrigues Vlenos.
Gravatinhas de raz de
Vendeq-se saceos grandes com milho muito CUial,
bom e Trelo s 4)500: na taberna grande da So-,o melhor que possivel. Vende-se mui bonitas
Hillio e fardo. 4
ledade, e ra da Imperatriz n. 4, junto a ponte, e
tambera fariuha a 19800 a sacca.
Em easa de Adamson, Boirie & C, roa do
Trapiche Noro n. 41, rende-se :
Rolbas de cortiga flnissimas.
Lona e filete.
Fio de vela.
Superiores tintas detedas as cores.
Sellins, silhoei, e arreios para cerro ou cabriolet
Quadros de mol-
dura douradaa
Lindos quadros ji feitos de moldura dourada,
proprios para retratos e eslampas, pelo diminuto
prego de 59 cada um ; oa loja da Victoria, na
ra doQueimado n 75, Junto a loja de cera.
o maissuperior a 240 rs. a garrafa.
duzia, o em garrafa a 500 rs.
mercado a 640 rs. a libra,
a 640 rs. a latta.
a 800 rs. a Ubra, dita com csea a 480 rs.
Compras.
Compra-se
ouro nacional em moeda : na praca da Indepen-
dencia n ti.
Vendas.
muito superiora 240 rs a libra, e a
.-Vi l do Miranho a 39 em arroba, e em libra a 100 r.
Vwmo americano
SevadiuVia
'*B* muito novo a 320 rs. a libra.
1 ouciauo de Lisboa a 360 r< a 1bra 9 a 10Jf a arroba#
FarinUa do Maran\iao
TouciuU* ngUz a200 rs a libra
Pasaas em eaixiutade8llbriiiWo0eidiU1M.
la lepen lente dos ^eneros mencionados encontrar o respeitarel publico ludo quanlo pro-
curar tendente a molhados.
alfa libra, se for em porcao se far abatimento.
de Fringa a 240 rs. a libra.
a mais ora a 160 rs. a libra.
Attencao.
*
Lita-se e engomma-se com perfeifSo : na ra
do Calabouco velho n. 27, loja.
A casa aonde se lingem fazendas, na ra
do Hospicio n. 42, tinge-se de preto e todas as
cores, [a, seda, groslenaple e retroz, com toda
perfeigo, tambera se limpa o mofo em vestidos
de velludo ou g-osdenaple, earma-se em cartes
cora toda a perfeiQo : quem quizer poder avisar
na loja do Sr. Sedrira, no largo da roa das Cru-
zes, loja de calcado, e tambem na loja da Sirgeei-
ro no largo da matriz de Santo Antonio n. 2.
Trocam-se diversas imagens vindas do Por-
to, obra muito perfeits, algumas proprhs para
igrejas: na ra do Queimado, loja da boa fama.
Para adminislraco de eogenho prooe-se
urna pessoa com as habilitaces precisas para es-
>e fim : qualquer seoborde engenho que de seu
prestimo se qu'uer utilisar, poder-se-ha dirigir
a Agua-Fria de Beberibe, sitio do tenente-coro-
nel Heraeterio Jos Velloso da Silveira, que ahi
achara com quera tratar.
Precisa-se alugar urna escrava para todo o
servico de urna cisa de pouca familia ; oa praca
da Independencia n. 38.
Na ra das Trincheiras n. 17, primeiro an-
dir, precisa-se de urna ama para o servico de
casa de pequea familia.
Chepem
BARATA PARA LIQUIDAR
Na ra da Imperatriz n. 40,es-
quoa dft becco dos Ferrei-
ros, loja de Manoel Jos
Guedes de Magalhes
Sedinhasde quadros de todas as cores e mnito
encorpadas, covado a 720 rs., cortes de cambraia
brancos com 3 ordens de bordado a 39, ditos com
3, 4, 5 e 6 babados de diversas cores n 39500,
ditos de tarlatana com 3 bsbados a 28500 e 39,
ditos de cambraia de seda a 59, aloes de 14 a
40 arcos dos melhores que tem apparecido a 39,
39500 e 49, ditos para meninas de lodos oa taa-
nnos,cambraieta franceza muito fina,pega a 79500
e 8$, cassas com salpicos brancos e de cores, co-
vado a 240, pecas de cassa de salpicos brancos e
decores com 8 1[2 raras a 39500. cobertas de
froco matizadas para cami a 99, chales de froco
com ponta redonda e borla dos mais modernos a
89, ditos de lia e seda a 29500, ganga amarella
muito boa, covado a 240, cambraia de edr muito
bonita, covado a 300 rs., alpacas decorpara ves-
tido, covado a 320, popelinas, riscadinhos para
vestidos de seohora e meninas, covado a 300 rs.,
tiras bordadas a ponto inglez de todas as largu-
ras a 19280, 19440, 19600 e 29, manguitos a ba-
lo com gollinha para aenhora a 2 e 39. chitas
francezas finas e cores Oas, covado a 220, 240,
250 e 280 rs., cambraias de seda de cores enfei-
tada a 540 rs, ditas do torro de oto varas a
pega a I96OO. e outras muitas fazendas de barato
prego.
Quem precisar de urna escrava para lodo
servico, dirija-se a ra nova de Santa Rita n. 7.
Uuu pessoa com praga no eteretto.quer dar
um hornera por ai. mediante um ioteresse venta-
joso, sendo de monos de 40 anooa: quem estirar
nestas clrcumstancias, dirija-se a ra do Rangel
numero 73.
Engeaho para vender.
No dia 17 do correte, pelas 11 horas do dia,
depois da audiencia do Illm. Sr. Dr. juiz de or-
phos, tem de se arrematar por venda, a reque-
rimento de Rita Jeronima de Mondonga Perei-
ra, meieira inventarame dos bens que fiesram
por fallecimento de seu marido Marcelino Anto-
nio Perein, duas torgas partes, pouco mais ou
menos, do engenho Desterro, sito na freguezia
de Iguarass, avaliado em sua lohlidaie por
30:0009, moente e corrento, movido por animaos,
com todas as obras, bemfeilorias, trras, matas,
logradouros e utencilios, o qual engenho divde-
se pelo nasceote com trras do engenho Ioha-
para man, pelo poente com trras do engenho Moojo-
pe e outros, pelo norte com Ierras de Jos Igna-
cio, Manoel Lucas e outros, e pelo sul com tr-
ras do patrimonio da irmandade de N. S. do
Rosario de Iguirass e de outros. Adverte-se
que se admittem langos, parte em dinheiro
vista e parte em pagamentos por letras aceitas ou
endossadas por Armas coocettaadas nesta praca.
O Sr. Manoel Francisco Leite, morador em
Porto Calvo, queira vir pagar o seu fique quede-
ve na ra Direita n. 16, loja.
A pessoa que aonunciou querer comprar
um jogo para gamo, pode ir i ra Direita n. 16,
loja, que achara um como desoja.
Precisa-se de urna ama para o servico in-
terne de urna casa de pouca familia ; quem qui-
zer, dihia-se a ra do Imperador n. 83.
Otlerecese urna ama de boa conducta para
casa de homem solteiro ou de pouca familia : a
tratar na rus do Vigario n. 5, terceiro andar.
Aluga-se urna escrav boa cozinheira :
quem precisar, dirija-se a ra da Paz n. 42.
Aluga-se um armazem na na Nova de San-
la Rila (frente da ribeira do tfeixe) o. 19, com
suf&ciencia para qualquer estabelecimento por
maior que elle seja, pode recolher para mais de
6000 barricas, ou de 300 a 400 pipas ebeias, e
outras tantas vasias, ou outros quaesquar volumes
I na proporgao, com a vantagem de ter no fundo
i trapiche o guindaste, pelo qual pode embarcar e
desembarcar aquary com toda a mar : a enten-
derle com o proprietario Manoel Pereira Lemos
no caes do Ramos n. 10.
Declaraeo.
As pessoas a quem isto possa interessar devej
saber que, o terreno sito na Soledade, foreiro de
N. S. da Soledade, que pertenceu ao finado Jos
Maria da Costa Carvalho, divide pelo lado do nor-
te em liana recta rada pelo muro de divteao at
a estrema do sitio que foi de Manoel Jos Tei-
leira Bastos, e depois de Herculano Alves da
Silva, e hoje de outros, com o de Jos Goocalves
da Cruz, e Luiz da Costa Leite, o que estes po-
dem mostrar a quem nao quizer ser illudido.
OSr. Francisco Antonio Pereira Braga, mo-
rador em Santo Antonio de Castanba Grande, di-
zem que em Ierras do engenbo do mesmo nome,
provincia de Alagse, queira vir i ra Direita n.
16, loja, ou alguera por elle, para realisar eerto
negocio.
Aluga-se a cisa de sobrado na peroago do
Honteiro, aonde morou o fallecido paido anoun-
ciante, tem commodoS para grande familia, co-
ebeira, estribara, etc. : a tratar com Manoel Al-
ves Guerra, 00 seu escriptorio, ra do Trapiche
numero 14.
Aluga-se, o sobrado n. 2 B da roa do Apollo,'
a cass terrea n. 27 da ra do Burgos a tratar na
ra da Aurora n. 36.
*- Perdeu -se da na nova de Santa Rila al a
praca de Pedro II ume voltinha de pescoco com
urna crin e um coragao esmaltado de azul: roga-
se 6 pseos qoe a teoha aehado, leva-la a ra do
Queimado o. 73, que se gratiflcerS generosa-
mente.
C es ti 11 has de Hamburgo.
S ua loja d'aguia de ouro, ra do Gabug n.
IB, quem receben um completo sortimento de
liadas cestinhas de todos os lmannos proprias
para meninasdeescola, assim como maiores com
tampa proprias para compras, balaios proprios
psra costura,ditos proprios parafaqueiros, ditos
muito bonitos para brinquedos de meninos, di-
tos maracas pintadiohos que se vendem por pre-
cos muito baratos-
Enfeites riquissimos.
Vendem-se ricos enfeites de retroz, sao os me-
lhores e mais modernos que ha no mercado, pelo
bantisaimo prego de 89: na ra do Queimado
n. 22, oa loja da boa f.
4 loja da bandeira
Nova loja de funileiro da
raa da Cruz do Recife
numero 37.
Manoel Jos da Fonseca participa a
todos oa seus freguezes tanto da praga
cmodo mato, e juntamente c respeita-
rel publico, que tomou a deberaco de
baixar o prego de todas as suas obras, por
cujo motivo tem para vender no grande
sortimento de babs e bacas, tudo de
differentes amanhosede diversas cores
em pinturas, e juntamente um grande
sortimento de diversas obras, contendo
banheiros e gamelas grandes e pequeas,
machinas para caf e camas de vento, o
quepermite vender mais barato possivel,
como seja bahs grandes a 49 e peque-
nos a 600 rs., bacas grandes a 59 e pe-
quenas a 800 rs,,cocos a 19 a duzia. Re-
cebe-se um official ds mesma efficina
para trabalbar.
A 2.500 o covado.
Damasco de seda boa fazenda, encarnado, cor
de canoa e branco.
Manteletes de fil preto enfeitados com bicoa 59.
Damasco de l com 6 palmos de largura cova-
do a 19500.
Chales de merino bordados a velludo superior
fazenda a 89.
Corles de casemira de cor a 39500.
Setim Maco superior a2$500.
Casemira preta setim superior a 29500.
Pegas de indiana flnissima com 10 varas a 85.
Na ra do Crespo loja n. 10.
Gravatinhas de
froco para senhroas.
Lindas gravatinhas de froco para senhora, pelo
barato prego de ig500 cada urna '. na loja da
Victoria, na ra doQueimado n. 75, junto a loja
de cera.
BonitOS tOUCado-
res de armacao e gaveta,
proprios para os senho-
res acadmicos, etc.
A loja d'aguia branca acaba de receber mui
bonitos toucadores de armagio preta, torneada,
e gaveia com embutidos e machetados qne os
tornam muielegantes, os quaes servem excelen-
temente para os senhores acadmicos, gabinetes
de sen horas, salas de dotraz, e de rapazessoltei-
ros, e pelos procos de 8, 9 e 109, sao baraiissi-
mos na verdde, e quem os vir na ra do Quei-
mado, loja d'aguia branca n. 16, se agradar, e
infallivelmente comprar.
Espelhos para
salas.
Ricos espelhos de moldura dourada com mui-
to boos vidros para ornamentos de salas, de va-
rios tamanhos e procos : na leja da Victoria, na
ruado Queimado n. 75, junto a loja de cera.
Liadas caixinhas
com necessarios para costura
Acaba de chegar para a loja d'aguia branca mui
lindas caixinhas matizadas.com espelho, tesoura,
caivete, agulheta, agulheiro, dedal e ponteiro,
tudo pratiado e de apurado goslo, emflm urna
caixioha excellente para um presente, e mesmo
para qualquer senhora a possuir, e vendem-se a
109 e 129 : na lo^ d'aguia branca, ra do Quei-
mado n. 16.
Estojos para barba.
Ricos estojos com espelhos e repartimentos
para os necessarios de barba, pelos pregos de 29,
3,4 59 cada um : na loja da Victoria, na ra
do Queimado n. 75, junto a loja de cera.
Lencos para rap.
Vendem-se lengoafiissimos de linho proprios
para os tabaquistas por serem de cores escurase
lias, pelo baratissimo prego de 69 a duzia; na
ra doQueimado a. B, na bemeonhecida loja da
boa f.
Lencos de cam-
braia com padres de se-
da a#2$500 a peea.
Na loja d'aguia branca tambem se vende mui
bonitos e finos lengos de cambraia imitando seda,
isso pele baratissimo prego de 28500 a pega de
10 lengos. E' essa urna das pechiochas que custa
apparecer, e quando assim approveitar-se da
occasio, porque elles servem tanto para algibei-
ra como para meninos, e quem os vir na loja
d'aguia branca, na ra do Queimado n. 16, ter
vontade de comprar mais de urna pega, tal a
boadade delles.
gravatinhas de raiz de coral com duas e tres
rollase lagos as ponas, seodo ellas bstanle
compridas, avista do que sao baratissimas a
29500 e 39000: assim boa e barato s na loja
d'aguia branca, ra do Queimado n. 16.
Saiasdecordo.
Superiores salas de cordlo a 39, 39500 e 49.
ditas aleexoadas mnito superiores a 59 ; na na
do Queimado n. 22, loja da boa f.
Fazendas baratas.
Vendem-se ricos cortes de phantasia com ba-
bados muito bem bordados a $, ricos cortes de
cambraia, fazenda inteiramenle nova com 2, 3, 4
; e 5 babados a 3g e 39500, ditos de salpicos a 2g
[ com 10 covados, pecas de cambraia a 19800, di-
las muito finas a 25SOO, 39 e 39500, orgaodvs de
lindos gostos a 640 a vsra, cortes de cassa fran-
ceza com 7 babados a 29500, luvas de sea a 500
rs. o par, enfeites de cores a 49, 43500, 59500 e
6$, sin toa para senhora a 29500 e 39, muito ricos,
saia balo de 20 a 40 arcos a 39 e 39500 : na roa
da Imperatriz, loja armazenada de 4 portas n. 56,
de Magalhes & Mandes, a qual esl aberta das 6
horas da manbia is 9 da noite.
i m?ii
Nova pechincha a 400 rs.
o covado.
Veode-se laziahas eofestadas ao gosto chi-
nez as mais modernas que tem rindo pelo dimi-
nuto prego de 400 rs. o covado : na ra da Im-
peratriz n. 60, loja de Gama & Silva.
Novaremessa a 3,000, na
loja do Pavao.
Acaba de chegar ama porcao de madapolao
francez eofestado com 14 jardas que se vendem
a 39 a pega : na ra da Imperatriz n. 60, toja de
Gama k Silva.
Nova california I
Pegas de Uta de linho brancas e de co-
res a
Grozade penas de ago muito finas a
Frasees de opiata para limpar dentea a
Copos com banha ssaito boa a
Espelhos de columnas madeira branca a
Carteirae para guardar dinheiro
Rialejos para meninos a
Baralho portuguez
Varas de franja para cortinados a
Croza do butoes de lougs brancos a
Tescuras muito finas para unhas cos-
tura a
Caixas de charutos de Ha va na mnito su-
periores a
Cartas mnito finas para vollarete o ba-
ralho a 240
Varas de bico largura de 3 dedos a
Garrafas com agua celeste para chaira a
Rialejos com 2 vozea para meninos a
400
40
19500
500
40
120
240
120
400
49000
820
120
19500
100
10,
!
DE
Fazendas baratas.
.2HG.'33iaa4
Grande sortimento
Fazendas de todas as qua-
lidades.
Na loja n. 23.
GRGEL 4 PERDIGAO'.
Yestidos de blondo, ditos de seda, di-
tos de phantasia e de cambraia bor-
dados.
Lazinhas, sedinhas de quadros e
cambraiaa de cores padres modernos.
la loja n. 23 da ra da Cadeia."
Manteletes, eapas compridas moder-
nas, taimas de fil epolonezasde gosto.
Fil, tarlatana, organdys com novos
padres, cambraia com lista de cor o
mais moderno e fasendas para luto.
Na loja n. 23 da ra da Cadeia.
Saias balo, manguitos, solas, pon-
tos de tartaruga, leques, perfumaras,
lengos de linho e luvas de pelica.
Chales de todas as qualidades, gros-'
deoaples, chita francesa, cambraia
branca, chapeos, botinas, etc., etc.
daveis, e como 6 seo coitume, est vendendo tu-
do mais barato do que sm outra qualquer parte,
e para desengao dlrigirem-se a dita loja d'a
guia branca, cu do Quinado n. 16,
Attencao
Fazendas e rou-
pas fetas baratas
NA LOJA DE
g
Ruada denzaia fl o va n.42
Yende-se sm casada S. P.Jonhston 4C.
sellins a silhesnglexes,canaeirof castigas!
bronzsados, lonas agieses, fio de vela,chicote
para carros, emoniaria^rwiospara carrode
u slons ralos relogiesde ouro paint
nglei.
Cintos dourados e enfei-
tes de cores.
A loja d'aguia branca icaba de receber pelo va-
por inglez os bonitos cintos doorados com flveas
de no vos e delicados oxides, assim como lindos >***> da ra da Moeda n 3 A, um gra nde sor-
5?[!-e,i,!*?V^"ff^^.eB.^.ir,B?ole.N!rS': dMBlo ds tachas e mesadas para engenho ds
48- Ra da Imperatriz48]
Juuto a padaria franceza.
Acaba de chegar a este estabeleci-
mento um completo e variado sortimeoto
i de roupas de diversas qualidades como
sejam : grande sortimento de paletots
i de alpaca preta e de cores a 3j} e 3f>500,
{ ditos forrados a 49 e 4$500, ditos france-
zes fazenda do lOJjf a 6)500, ditos de rae-
| ri preto a 6fl, ditos de brim pardo a
; 3J800 e 4. ditos de brim de cor a 3*500,
I ditos de ganga de cor a 3)500, ditos de
alpaca de lia amarella a imitagao de pa-
Iha de seda a 3j)500 e 49. ditos de meia
casemira a 4*500, 5g e 5*500, ditos de
casemira saceos a 135, ditos sobrecasacos
a 15), ditos de panno preto fino a 20$,
22$. 289, ditos brancos de bramante a
3*500 e 4*, cillas de brim de cor a 18800,
2S500, 3*. ditas brancas a 3* e 4*500, di-
tas de meia casemira a 3*500, ditas de
casemira a 6*500, 7|500 e 9*, ditas pre-
tas s 41500. 7*500.9* e 10*. col leles de
ganga franceza a 1*600, ditos de fusto
2|800, ditos brancos a 2|800 e 3*. ditos
de setim preto a 3*500 e 4*500, ditos de
gorgurio de seda a 4*5t0 e 5*. ditos de
casemira preta e de cores a 4*500 e 5*.
ditos de velludo a 7*. 8| e 9*.
Completo sortimento de roipa para
meninos come sej a na calcas, colletes, pa-
letots, camiaas a 1*800 e2*. ditas de fusto
a2*500, chapeos francezes para cabeca
fazenda superior a 6*500, 8|500 e 10*,
ditos de sol a 6J e 6*500, ditos para se-
nhora a 4S500 e 5.
Tachas e moendas
Braga Filho C. tem serapr no ssu depo-
mtiitoacrsditsdo fabricante Edwin Mawtra-
tar no mesmo deposito ou na ra do Trapicha
a. i.
Xa raa da Imperatriz n. 48, junto a,
m padaria franceza.
Cortes de cambraia branca com babadi-
nhos 4* e 4*500 superior 5*. cambraia li-
za com 8 1 r2 vara 3 j, 3*500, e4*. ditas de 9
( Escossia 5*. e 6*, ricos enfeites para se- 9
nbora 6Se6$500. sintos os mais delicados 9
9 para senhora 2&500, 3*, chapelina para cri- 9
9 anca gosto inglez 39500,4*, para baptisado #
dj 3*, cortes de vestido de seda Escosseza de 9
9 bonitos gosto 12* esto se acabando, ri-
9 eos lencos de labyrintho 1*. Ig200. chapeo 9
9 de sol para senhora de bonitas cores, lisos #
9) 5*, cabo de marfim 5*500, cortea de cam- #
9 braia brancos com ffdr de seda 5*. risca- #
9 do francez 200 ris o covado, completos 9
9 sortimentos de balos de arcos 3*, sortl- #
9 melos de meias para menino e menina 9
9 200 e 240 ris o par. chales de tarlatana
Sde cores a 640 ris, lencos brinco com bar- #
ras 160 ris chitas inglezas a 180 e 200 rs. #
9 dita franceza a 210 e 280 rs. o covado 9
9 pecas de cambraia de forro com 9 varas 9
Sa 2* : junto a padaria franceza n. 48.

Superiores organ-
dys.
Na lojo da boa f, na roa do Queimado n. 22,
vende-se flnissimo organdys de muito lindos pa-
dres, pelo baratissimo preco de 720 rs. a vara,
jtj|nda de 1*200, e quem nao andar muito de-
prwta ficar sem a pechincha ; na ra do Quei-
mado n. 22, na loja da boa f.
Vestidos brancos
bordados.
Anda restam alguns cortes de vestidos brancos
bordados que conliouam-se a vender pelo bara-
tissimo preco de 5*, com 2 e 3 babados, de gra-
ca : na ra do Queimado n. 22, na bem cochea-
da loja da boa f.
A-rados americano le machina-
par a lavar roupa:em cas a de S.P. Jos
nhston & C. ra daSeazala n.42.
Attencao
Malas, saceos de viagera, s-
las e silhes e relogios pa-
ra algibeira patente.
No leilao que vai ter lugar terca-fei-
ra 17 do crrente na ra da Cruz n.
15, se ve adera' sem reserva de preco
um lindissimo e variado sortimento dos
artigos supra mencionados, para os
quaes se chama a attencao dos compra-
dores e desdeja podem ser examinados.
Ra do Quemado
loja de & portas
e Fert&o .$ Mua,
vendem-se barato as-segointes fazendas, para li-
quidar.
Cortes de casemira finos de eor a 3*500 e 4%.
Ditos de dita ditos de cor preta a 5* e 0*.
Ditos de brim de pitre linho a 1*600 e 2*.
Panno preto, azul, verde e cor de caf, corado
a 3$000.
Cortes de superior velludo de cor a 4$ e 5*000,
Manteletes de fil preto bordado a 4*.
Visitas'de seda a bertas a fil a 4*.
Mantas de dita ditas a fil a 4* e 5*.
Riquissimos corte de seda a 80, 90 e 100*.
Ditos ditos de dita a 15, 20 e 25*.
Chales eom palma de seda a 2* e 2*500.
Cortes de cambraia bordada a 1*800.
Lencos bordados com bico, duna a 1*500 a S*.
Chales de tooquim a 15 e 30*.
Ditos de merino bordado a 4, 5 e 6*.
Chitas francezas, qualidade superior, covado
a 240 rs.
Ditas- inglezar, cores-fizas, covado a 160 rs.
Lencos de seda da India a 1*.
Cambraias lisas muito finas, com 8 varas a pe
Ca a 3*500e4*.
Cazaveques e espiabas de fusto branco a 8* e
9J0O0.
Meias de algodio era superior fazenda a 4*.
Chapeos a Garibaldi a 14 e!5*.
Enfeites e chapees traviata a 9,10 e 12*.
Hernestina, riquissima fazenda para vestido
de ssohora, covado a 400 e 500 rs*.
Ambrosina, dem dem, covado a 500 rs.
Mimos do co, covado a 500 rs.
Sedinhas de quadros, covado a 700, 800,900 e
1*000.
Manguitos de cambraia bordados, nm 500 rs.
Gollinhas dem, urna 320 rs.
Superio'.'s espartilhos para senhora a 4{.
Brim branco de linho, vara a 700, 800 e 1*.
Pechincha
Tasso Irmos acabam de receber nova porcao
de chicotes ioglezes para carro, cabriolet, mon-
tara e cac>. Os Srs. donos de cocheiras teem
boa occasio de supprirem-se de bons e baratos
chicotes.
Trapiche
Bardo do Livramenlo.
Largo da assembla n. 15.
Ha continuamente para vender, neste novo es-
tabelecimento o seguinte :
Cera de carnauba em porcoes oa a relaiho,
qualidade regular e superior.
Cebo do Porto em caixinhas de 1 arroba a 4.
Barricas com sebo do Rio Grande em porcoes
ou a relaiho.
Velas de carnauba pura em caixinhas de 1 a 2
arrobas.
Meios de sola, differentes qualidades, em por-
coes ou a relaiho.
Courinhos curtidos.
Farinha de mandioca por 1*500 o sacco.
Farello em saceos grandes por 3*800 o sacco.
SSintose enfeites!
S dourados |
% e de outras muitas qualidades que se A
ax vende por menos que em outra qualquer 5
' parle: na loja da ra do Crespo n. A, V
P de Leandro ri Miranda. $$
Vende-se urna machina para coser toda a
qualidade de costura: a tratar na raa da Penha
sobrado n. 2.
Ray mundo
Carlos Leite &
Irmao recebe-
ram pela bar-
ca Clarisas viu-
da ltimamen-
te de New-
York.um com-
pleto s o r t i -
meato das me-
lhores machi-
nas da cozer
dos mais afa-
mados aulores
me 1 horados
com novos
aperfeicoa-
mentos, fazendo paspento igual pelos does lados
da costura, mostram-se na raa da Imperatriz n.
12, a qualquer hora. Tambem receberam todos
os preparos para as meamos como agulhas, re-
trozes em carriteis, linha de todas as cores tudo
fabricado exprossamente para as fflesmaa La-
chinas.
lival sem segundo.
Na rus do Queimado n. 55, loja de miudezas
de Jos de Azevedo Maia e Silva, tem para ven-
der pelos diminutos pregos abaixo declarados pa-
ra apurar dinheiro, pois o que muito precisa,
garante tudo perfeilo, pois o preco admira r
Lioha do gaz superior para marcar, no-
velo a 4o
Dita do gaz brancas e de cores, novele a 30
Dita de carretel muito boa, carretela 30
Nvelos de lioha do gaz brancaa a 10 e 20
Carreteis com linha preta muito gran-
des a 160
Varas de franja deli muito bonitas a 100
Pecas de tranca de l muito bonitas e
com 10 varas a 200
Pares de meias cruas para menino a 200
Ditos ditos de cores todos os tamanhos a 160
Ditos de cores para meninas a 120
Duzia de meias eruas para homem t 2*400
Cartes de linha Pedro V com 200 jar-
das a 80
Caixas comtisses para acender chara-
tos a 40
Caixas com phosphoros de seguranza a 160
Duzia de phosphoros do gaz a 240
Filas para enfiar vestidos muito gran*
dea a 80
Frascos d'agua de colonia muito supe-
rior a 400
Ditos com cheiros muito fino a 500
Duzia de meiss para senhora o melhor
qne ha a 8*000
Pecas de trancinha de lia sortidas a 50
Sabonetes superiores e muito grandes a 160
Grpza de botes de osso para calca send
pequeo a 120
Dita de ditos grandes a 240
Trmela do Porto superiores varas t
100, 120 leo
Encyclo-
pedica
Litja de fazendas
Ra do Crespo numero 17.1
DE
Guimares & Villar.
Para acabar com certas fazendas ven-
demos baratissimos:
Chapelinas de seda de riquissimos gostos
a 12* cada ama.
Ditos de palha de Italia a 28*.
Gollinhas e manguitos de punbo de su-
perior qualidade a 3*.
Cassas de cores fixss e delicados padres
a 280 rs. o covado.
Sedas, cambraias, cassas, chitas e tudo
quanto perteoee para adornos d* se-
nhora por baratissimos precos.
Calcado Mell de 2 solas e sola fina.
Para homens.
Grande sortimento de roupas feitas e
chapeos de todas aa qualidades.
Relogios.
Vende-se sin easa de Jobnston Pater 4 C.,
roa do Vigario n. 3 um bello sortimento de
relogios de ouro,paleo te ingles, de nm dos mais
afamados fabricantes de Liverpool; tambem
variedade de bonitos irancelins par os
ios.
Facas e garios.
Muil.bi? tacas fos para o diario de ama
casa a 2*600 a duzia de talherts : na loja da Vic-
toria, na raa do Queimado a. 73, justo loja de
Bom e assim barato
ningaem deixa de comprar orna pasta para pa-
pel por 18000; Na loja d'aguia branca acfaa-ae
urna porcao de boas e perfeftas pastas para pa-
pel com calendario perpetuo, e indico das festss
mudareis, pelo que se tornam de muiu util-
dade, e o pequeo preco de 1*000 cada ama
convida a aproveitar-se da occaaio em que so
esto ellas vendendo por metade do que sem-
pre custuram ; assim iirijam-se a roa do
Queimado, loja d'aguia branca n. 19, que sera,
bem Mrrido.


0U1I9 31 I1M*MM0. SAMADO H Dt EXEattHO IB i|6i.
Feij amarello
de Lisboa, laperior qualtdade ; vende-se di
tas da Madre da Dos n. 8.
Caixas para joias.
Lindas calilo has para guardar jeias, pelos pre-
desbaratos de4*0, 600,800, 1* e 29 cada urna '
Batojado Victoria, na roa do Queimado n. 75:
junio a toja de cera.
Attenco.
U ruado Trapichen. 46, em casa de Ro r n
Rooker & C., exiate um bom sortimento de 11-
nhu .decores a brancasem carreteis do melhor
abrwantedolnglalerra.asqiaaea sevendempoi
reos muirazoaveis
Sdaco de certas*

fazendas finas.
;
RA DO CRESPO N. 17.
Riquiaaimas chapeliosa de teda para
aenhoras, de diversas cores a 129.
Cassas de cares bonitos padroes a 240 #
rs. o corado. g)
Castas e organdya de corea a 180 rs. o
corado.
Chitas de todas as qualidades e prados. #
Muitisaimas rateadas finas q*e se veo- #
dem por precoa baratiasimos para liqui-
dar, do-se amostra das f a zondas.
Polassa da Russia e cal de
No beta coohecido e acreditado deposite da rva
da Cadeia do Recite n. 12, ha para render a ver-
dadeira potassa da Russia, ora de superior
qualidade, aesia como tambem cal virgem em
padra ; tudo per presos maia baratos do que em
oatra qualquer parte.
&6ffiHGlA
niNDICiO LOW-MOO
Raa daSenzalla Hoya n.42.
Resta Jstabalaciment contina ahaverum
aomplato sor ti ate n t o demoenda se ase i a s moen-
das para angenho.nachinss de Ytpor etaixts
te ferro batido e coado,da todos ostamanhos
pira dito,
O torrador! I!
2.3 Largo do Terco 2*3
Quera duvidar veoha ver; maoteiga iogleza
perfeitameote flor a 19 a libra, fraoceza a 640 e
a 680 a libra, batatas maito novas a 80 rs. a libra
assim como se torra massas maito finas para sopa
a 440 res a libra e outros muitos gneros perlen-
centes molhadoe, (a dioheiro vista.)
das seis portas em
frente do Livramenlo.
Roupa feita.; para acabar,
Paletots de panno preto a 22$, (azenda fla
calcas de casemira pretas e de corea, ditas de
brim e de ganga, ditas de brim branco, paletots
de bramante a 4, ditos de fusto de cores a 41
2ito e?tan>enha a 4S, ditos de brim pardo a
&. ditos de alpaca preta saceos e sobrecasacos
dolletes de velludo pretos e de cores, ditca d
eorgurao de seda, graratas de linho aamais mo-
bernas a 200 rs. cada urna, collarinhoa de linho
gaulamamoda, todas estas fazendas te venda
patato para acabar; a Ioja est aberta das 6 ho-
ras da manha at an 9 da noite.
Loja

VICTORIA
DE
Fajoses Jnior
Na ra do Queimado n. 75,
junto a loja de cera.
Esta loja acha-se provida de um completo sor-
timento de miudezas para vender, tanto por ata-
cado como a retalho, por precoa muito baratos,
como abaizo se ver, so para quem comprar, vic-
toria sempre contar.
Clcheles francezes bons em carto de urna car-
reira a 40 rs.' e duzia 400 rs.
Ditos tambem bons de duas carreiras a 80 rs.
e 900 rs. a duzia.
Ditos da Ierra em caixinhas a 800 rs. a duzia.
Agulhss fraucezas boas a 120 rs. a caiza com 4
papis.
Ditas as melhores que se encootram a 240 rs.
a caiza com 4 papis.
Ditas em papel avulso a 40 rs. o papel.
Ditas psra eofiar a 40 rs. cada urna.
Liona victoria em carritel coa 200 jardas a 60
rs. e duzia a 640 rs.
Ditas de 500 jardas, de Aleander a 900 rs. a
duzia.
Ditas de 100 jardas brancas e de cores a 30 rs.
o carritel.
Ditas de Pedro V, em carto com 200 jardas a
60 rs. a carto.
Ditas de peso verdadeiras miadas grandes a
240 rs. a miada.
.Ditos de meada cabera branca e encarnada a
120 rs. a meada.
Ditas do g>z brancas e de cores a 800 e 900 rs
a caiza com 60 novellos.
Papis com cento e tantos alnetes a 40 rs. e
duzia 400 rs.
Alnetes francezes cabeca chata a 120 rs. a
carta.
Ditos para armscea a 2J600 o mago.
Cordo imperial para vestido a 40 rs. a pega.
Enfiadores de algodo a 60 rs. cada um.
Caivetes finos de duas folhas para penna a
200 rs. cada um e duzia a 2g000.
Ditos de cabo de viado de umafolha de 160s.
cada um e duzia a 12600.
Ditos mais ordinarios a 120 rs. cada um e du-
zia a 1J200.
La de todas as cores para bordar a 62500 a
libra.
Pentes muito bons de baleia para alisar a 220,
240 e 280 rs. cada um.
Ditos os melhores e maiores que se encontram
a 800 rs.
Ditos transparentes muito bons a 400 rs.
Meiaa craaa brancas e de cores para homem a
160,200.240 e280rs. opsr.
Ditas pretas para homem a 120 rs. o par.
Ditas para senhoras a 240, 280 e 320 rs. o par.
.n5ll25Abr5?a*ciua" de coreB Pa "nio a
160. 200, 240 e 280 rs. o par.
Ditas pretas para senhora a 200 e 240 rs. o par.
Eofeites de vidrilho a 1S800 rs. cada um.
Ditas a Imperalriz muito lindos a 89 cada um.
Ciotures de seda com borracha para homem a
320 cada um.
Ditos de algodo 340 rs. cada um.
Cintos muito lindos para senhora a 12800. 2a
29500 e 39 cada um. *
Franjas de bototos brancas e de cores para cor-
tinados a 4 pepa. _
Ditas de algodo para toilha a 2f800 a peca.
Ditas de liuho para casaveque a 120 rs. a vara.
E oulras muitos miudezas que se tornaxo eu-
fadonho menciona-las a flaneando-se, porm, que
nao se deixar de vender a quem trooxer dinhei-
ro na toja da Fajozei Jnior na ruado Queima-
do a. 7
Papel para msicas, pa-
pel pautado e riscado
para con tas e facturas, papel mata-borro; ven-
de-se na loja d'aguia branca, ra de Queimado
numero 16.
cwyciee ms mmmmmm
Na ra da Cruz n. 10, casa de ]
Kalkmann Irmaos &C, tem ex-
posto um completo sortimento
de amostras de objectos de bor-
racha, proprio para machinas de
engenhos, sendo cor re as para
transmittir moTtmento, canudos
de borracha de qualquer com- j
priment e grossura, pannos de
borracha, rodetas de dita, so-
bre ditos artigos tomam-se en-
E commendas.
M9MM& dK9ftMMK MftOeMHttK
A i$ o corte
de caiga de meiaa eeaemiras escuras de urna s
cor ; na ra do Queimado n. 22, na loja da
boa f.
Em casa de Kalkmann Irmaos
&C, na ra da Cruz n. 10, exis-
te constantemente um completo
sortimento de
Vinhos Bordeaux de todas as
qualidades.
Dito Xerez em bar is.
Dito Madeira em barris e caixas.
Dito Muscatel em caixas.
Dito champanhe em giros.
Cognac em barris.
Cerveja branca. a^
Agua de Seltz.
Azeite doce muito fino em caixas.
Alvaiade em barris.
Cevadinha em garrafes.
Vende-ee urna boa armaco de amare
toda envernisada, que serve para qualquer esta-
belecimeoto, e por preco razoavel: na ra do
Crespo n. 15, loja
4Uen(o
Vendem-se caixSes vastos proprios
para bahuleiros,funileiros etc. a 1$280:
quem pretender dirija-se a esta tipo-
graphia, que ahi se dir' quem ostem
para vender.
Luvas de Joovin.
Goes & Bastos, na loja da ra do Queimado n.
46, deve receber hoje pelo vapor fraocez as me-
lhores luvas de Jouvin, assim como tambem tem
de camurca branca.
gmmm-un xv*xWk
|Ainda ha pe-f
chincha.
Chegou a ra do Crespo n. 8 j
loja de 4 portas, um sortimento J
de cassas de cores fixas e Irados
padroes que se vendem a 240 rs.
o covado, d3o-se amostras com
penhor.
Raz de coral.
Na loja d'aguia de ouro, ra do Cabug BjBJkB
vende-seaverdadeira raiz de coral aSOOrs^Oo!
Caixinhas com msica.
Na toja d'aguia de ouro, ra do Cabug D. i
B, chegado de aua propria encommenda muito
lindas caixinhas de costura com msica -propria
para mimo, que se vende muito barato.
Vendem-se os engenhos
S. Pedro e Espirito Santo, am-
bos moentes e correntes
S. Bento comarca de Porto
Calvo e provincia de Alagoas,
o primeiro tem casa de enge-
nto e poucas obras, porm
safreja quatro mil pes, o se-
gundo tem boas obras, porm
s safreja dous mil pes:
quem pretende-los dirija-se
a ra da Cadeia do Recife n.
26, primeiro andar, que acha-
ra com quem tratar.
Lencos brancos.
Vendem-se lencos brancos proprios para algi-
beira, pelo baralissimo preco de 29400 a duzia :
na ra do Queimado n. 22, loja da boa f.
Ra do Queimado
n. 19.
Santos Coelho vende o seguinte :
Caberlas de chita a chineza a 1*800.
Lences.
Untos de panno de -linho a 19900,39 e 39300.
cortes de phantazia.
Lindos cortes de phantazia de seda pelo bara-
lissimo prego de 89 cada corle.
Toalhas de fusto a 500 rs. cada urna.
Cambraia branca de aatoicos grandes para ves-
tido, aendo cada peca a 5J.
Gollinhas bordadas para senhora, maito unas
a 28000.
Sortimento de baldes para meninas.
Bramante de linho paraleuces, tendo de lar-
gura 10 palmos, pelo preco de 22 a vara.
Algodo monatro a 4S0 a vara.
Bramante de algodo a 11280 a vara.
Cortes de seda de todas as cores, fazenda su-
perior, a prego de 44, ditos com loque de mofo a
Chapaos do sol de seda para meninos e me-
ninas.
Capailas brancas paranoica a6|.
Chapeos para senhora.
Ricos chapeos de seda e de velludo para se-
nhora, pelo baralissimo preco de 15 e 16$: na
ra do Queimado d. 22, loja da boa f.
Luvas de Jouvin.
Continoa-se a Tender as superiores luvas 4*
pellica de Jouvin, tanto para homem como para
senhora ; a ra do Queimado a. 22, na loja da
boa .
Vendem-se globos para candieiroa, o bom-
bas de japi, mais barato do que em outra qual-
quer parte: na ra larga do Rosario, n. 34.
A 2,0500
d'aCUa, StOS na fre&UP7a rio. vJnde-s!e,gma Pequen Porco de cera de car-
Ugu)OiW0 ua iicgueilU UQ| nauba muito boa, que se acha depositada noar-
Cbales de merino estampados, ejve em entras
tojas se voodem por 4 e 5 na loja da boa f
a ra do Queimado n. 22, veade-se pelo bara-
lissimo preco de 29600.
84 Gama k Silva.
Grande exposi baratissimas, na ra da Im-
peratriz n. 60, loja do
Vende se cortes de phaota-
sia, fazenda de muito gosto
com babados pelo diminuto
preco de 4#500; na ra da
Imperatriz n. 60, loja que tem
um pavo do lado de frr, fis-
to para nao haver engaos.)
3500.
Vende-se ricos corts de cambraia de seda
com avental ou duas saias a 8J500 : oa ra da
Imperatriz n. 60, loja do pavlo.
3,200, 3,500 e 4,000.
Vende-se flnissimos cortes de cambraia bran-
ca e de cor com dous e mais babados pelo dimi-
nuto preco de 3&200, 3S5O0 e 41: na ra da Im-
peratriz n. 60, leja do pari.
A 15#000.
Vende-se Qnicissimos cortes de cambrsia bran-
ca com bordado muito delicado proprios para
baile ou casamento a 15: na ra da Imperatriz
n. 60, loja do pavo.
Nova pe eVme\\a.
Vende-se ioissimas pecas de cambraiaa fran-
cezas de carocinbos com 17 1 2 varas pelo dimi-
nuto preco de 8g a peca, ditas das mesmas com
8 3|4 varas pelo prego de 4$ a pega, tambem se
vendem das mesmas a 500 rs. a vara, aendo
brancas e de cores ; na ra da Imperatriz n. 60,
loja do pavo.
PwptUna m 2&0 rs. |
Vende-se pupelioa d quadrtohos a imilaco
de sedinhas de quadro pelo diminuto preco de
280 rs. o covado: na ra da Imperatriz n. 60,
loja do pavo.
Cua\y a 500 rs.
Vende-se chaly muito fino a 500 rs. o cova-
do : na roa da Imperatriz o. 60, loja do pavo.
Sedas a covado.
Vende-te grosdenaples preto muito encorpado
a 1600 e I58OO, ditos de cores azul, cor de rosa
e cor de cana mais barato que em outra qualquer
parte ; na ra da Imperatriz n. 60, ioja do pavo.
Sedas de ^uadrinios.
Vende-se sedas de quadrinhoa fazenda muito
encorpada a 500 e 640 rs o covado : na ra da
Imperatriz n. 60, loja do pavo,
Manguitos de liV a 500 rs.
Vende-se manguitos de fil muito bem eofei-
lados a 500 rs.: na ra da Imperatriz loja do
pavo.
Chitas francezas a 200 rs.
Vende-se chitas francezas muito finas e largas
fazenda de 860 o covado a 200 rs. por ter um
pequeo toque de mofo, afiaogando-ae que sola
logo que seja lavada a primeira rea : na ra da
Imperatriz n. 60, loja do pavo.
Cassas com salpico graudo a
200 rs.
Vende-se cassas bom salpicos graudos e listras
a 200 rs. o covsdo, fazenda muito nova : oa ra
da Imperatriz n. 60, loja do pavo.
Cassas pintadas a 240 rs,
Vende-se cassas pintadas muito miudinhos
padroes a 240 rs. o covado : na loja da ra da
Imperatriz onde est o pavo.
Sentido ao Pg,vo.
Vende-se neste estabelecimento um grande e
variado sortimento de fazendas tanto para ho-
rneas pomo para senhoras, de todas as fazendas
se do amostras com penhor ou maodam-se le-
var em casa das familias pelos caizeiros da casa,
assim como o respeitavel publico achara todos os
dias uteis este estabelecimento aberto das 6 ho-
ras da manha as 9 da noite.
Cera de carnauba.
A. dinheiro.
Vende-se urna pequea porco de cera de car-
cobertos edoscobertosr pequesa grfidos, 4a
ouro patente inglez, para homem e senhora da
ja dos melhores fabrican tasde Livorpool,y in-
dos polo ultimo paquete inglez : em casida
Sonthtll Mellor d C.
Carros e carrosas.
Em casa de N. O. Bieber
4 C. successores ra da Cruz
numero 4.
Vendem-se carros americanos mu elegantes
e leves para duas e 4 pessoas e recebem-se en-
eommendas para cujo fim elles possuem map-
pas com varioa desenbos, tambem vendem car-
roca* nara condueco de aasucar etc.
N. O. Bieber & C, successores, rna da Croz
n. 4, tem para vender relogios para algibeira de
ouro eprata.
Gravatas da moda.
Vendem-se gravaliohas estrellas muito supe-
riores, lano preUs como de cores, peto baralis-
simo preco de 1 ; na ra do Queimado n. 22,
oa toja da boa f,
Bramante de linho muito
superior.
Vende-se superior bramante de linho com duas
varas de largara, pelo baralissimo prego de 2$400
a vara : na ra do Queimado n. 22, na bem co-
nhecida loja da boa f.
Aenco,
Francisco II ou a Liberdade da Italia, drama
histrico em 5 actos por Francisco Gaudencio
Sabbas da Costa : acha-se venda na livraria
econmica ao p do arco de Sanio Antonio, a
1S000 cada exemplar.
Superiores tiras
bordadas.
Na loja da boa f na ra do
Queimado n. 22 se encontrar um bonito sorti-
mento de superiores tiras ricamente bordadas
que se vendem pelo barato prego de 3&000 4$000
e 59000 ris s pega, adverlindo-se que ha mais
de urna peca de cada padro, quem mais depresaa
andar melhor servido ser, na rna do Queimado
n. 22 na loja da Boa-F.
Fil liso e tarlata-
na branca a 800
ris a vara.
mazem da Companbia
do proco.
Pernambucana commo-
Vende-se fil liso muito fino e assim tambem
tarlataua branca muito fina, tanto urna cousa co-
mo outra sao proprias para vestidos, nao s para
bailes como para assistir-sea casamentos, andem
antes que se acabe na ra do Queimado a. 22
na loja da Boa-F.
Vende-se chspeos de aeda e de meri-
no a Garibaldi para meninos de 2 a 4
annos : na loja de Nabuco dt G. na ra
Nova n. 2.
Aviso aos fuman-
tes.
Vendem-se na loja de Nabuco & G., na ra No-
va n. 2, excellentes cachimbos de espuma do mar,
ditos de massa fina, ditos de gesso, fumo caporal
para cachimbos, dito americano, dito de Harle-
beke, dito em latas, cigarros bota-fogo do Rio da
Janeiro, dito de Havsna, papel para cigarro, e
outros objectos para os fumantes que se vende
por prego commodo.
Vende-se em casa de Adamson, Howie &
C, ruado Trapiche Novon. 42, biscoitosinglezes
sortidos, em pequeas latas.
Maces e mais Majaes.
Maj5es. Macaes.
Macaes. Macaes.
Ma Macaes. Majaes.
Macaes. Macees.
Sodr & C. alm do grande deposito
que ja tinham deste genero tornaram a
receber hontem 4 do corrente 37 caixas
com macaes e estao vendendo a caixs
por 14$ e o freguez comprando mais
de urna se fara' abatiment.
Vende-se o restante do arroz do Maranho
a 29 a arroba, a 480 a cnia, e a 80 ra. a libra,
mantoiga inglesa flor a 1, azeite de carrapato a
440 a garrafa : na ra das Crazas n. 22. '
Vende-se um negro de naco, bom cozi-
nheiro e marioheiro, de idade de 40 annos, afi-
angando-se sua boa conducto, um dito da Costo,
moco, e que se emprega em ganhos na ra : a
tratar na loja da rna da Cadeia do Becife n. 64.
Baldes para meninas.
Vendem-se baldes para meninas, de todos os
tamanhos, de madapolo e de mussulina a 3)1 e a
49 : na ra do Queimado n. 22, toja da boa f.
Mantas de retroz para gra-
vatas.
Vendem-se mantas de retroz para gravatas,
tanto pretas como de cores a 500 rs.: na ra do
Queimado o. 22, na loja da boa f.
Meias baratissimas.
A 29400 a dorio de pares de meias brancas fi,
as para homem : na raa do Queimado u. 91
na toja da boa je.
Ricos cortes de vestidos bran-
cos bordados.
A' loja da boa f na ra do Queimado n. 22,
chegou novo sortimento de ricoa corlea do vesti-
dos brancos bordados com 2 o 3 babadoa, os quaea
continan) a aer vendidas neto baralissimo proco
de 59 cada corto : ni rao do Queimado a. 22, na
bem coahecida loja da boa f.
Vende-se caroe do serlo muito gorda a 320
a libra, linguicas de dito a 320 a libra, vinho, a
garrafa a 440, em caada a 32360 ; 00 Recife,
ra da Seozala Velha, taberna n. 102, esquina de
boceo Largo.
Manteigaingleza flora
1,000 rs. a libra.
Franceza a 640 rs. a libra : oa ra das Cruzes
d. 24, esquina da travessa do Ouvidor.
Fio de algodo da Bahia.
Contina o deposito do mesmo no escriptorio
de Marques, Barros & G.; esta fazenda vende-se
mais barato para liquidar-se conta de venda.
Sal.
Vende-se sal muito alvo o grosso : a tratar na
ra da Madre de Dos o. 2.
^ Vende-se um bom engenho na freguezia
da Escada, em cuja propriedade j se est levan-
tando ou tro por ter para isso as proporces ne-
cessarias e offerecer muitos vaolagens por se>-
ao p davia frrea, ter boas torras para safrejar
2a 3 mil pes, boa casa de vivenda, seozala,
bom cercado e exceltonte d'agua: a tratar com
Manoel alves Guerra, na ra do Trapiche n. 14.
Escravos.
Vende-se ums negra muito sadia, com 3 Albos,
um de 6 mezes, outro de 3 annos o oulro de 8,
ums ezcellente escravs, que se vende por seu
dono ter de retirar-se da provincia : ra do Sebo
numero 33.
#Pentes de tartaruga e en-
feites para cabera.
Vende-se na loja de Nabuco & G. na
ra Nova n. 2, ricos pentes de tartaruga
para trancas, ditos para alisar e eofeites
de froco, fitas e vidrilhos dos melhores
gostos possiveis e por preco commodo.
m
pechincha,
Vendem-ae borzeguins para senhoras, de ns.
31,32, 33 e 34, e em bom estado, a 49500: na
loja da travessa da roa das Cruzes n. 2.
Aos terceiros da
veneravel ordem deS.
Francisco.
J chegou a verdadeira eslamenha de la, na
loja de 4 portas, rna do Queimado n. 39, o so
apromplam hbitos desta fazenda a 409, e tam-
bem ha de algodo que ae apromplam a 28$ cada
um, e se vende a fazenda por mdico preco.
Gaz liquido.
Em caaa de Samuel P. Johoaton & C, na da
Sensato Nova n. *2, vendem-se latas com 5 ga-
loes de Kerosine.
SABAO.
Joaqum Francisco do afollo Santos avisa aos
saus fraguezes desta proco e os de fra, que tem
posto A venda aabo do saa fabrica denominada
Recitonoarmazom dosSrs. Travaasos Jnior
A C, na rna do Amorim n. 58; massa amarella,
castanha, preta o outraa qualidades por menor
preco qae de outras fabricas. No mesmo arma-
bem tem feito osea depoaito de valaa de canan-
as eimpleesem mistura algoma, como de
compoaioio.
Luvas de pellica.
Novo sor limen lo de lavas do pellica chogadas
no vapor ingles nara a loja d'aguia branca, no
roa do Queimado o. 16.
Casemiras a
4.000 o corte, na
loja do Pavo.
Vende-se flnissimos cortes de aasemt-
ra entestada de cores pelo diminuto
preep de h$ o corte para calcas, assim
como tem das mesmas para vender a
2l00 rs. o covado proprias para pa-
letots, calca e collete, recommenda se
muito esta fazenda aos Srs. altaiates que
costumam a azer roupa para vender,
porque t8o cedo nao acham urna pe-
chincha igual : na ra da Imperatriz n.
60, loja de Gama & Silva.
champagne
de Chaleau Laronzire, em gigos de 15 garrafas
(9 grandes e 6 pequeas) a 159 cada um
prega da Independencia n. 22.
db
Cintos.
Vendem-se cintos de todas as cores com ri-
cas fivelas para senhora e menina a 29, bandos
de clina para marrafa a 500 rs. o par, enfeites
para cabeca, de cores e diversas qualidades : na
ra da Imperatriz, loja da boa f n. 74.
Vendem-se luvas de esmnreo para militar
a lg800 o par ; na ra do Queimado n. 29, ar-
mazem de fazendas de Joo Jos de Gouveia.
Vende-se 5 escravos de bonitas figuras, com
idade de 11, 16, 20 e 24 annos, todos pardos,
sem o menor defeito e por barato preco: na ra
das Cruzes n. 35, segundo andar.
Nabuco & C. com loja na ra Nova n.
2, acabam de receber pelo ultimo navio
francez, um rico sorlimento de vestua-
rios para meninos de 2 a 6 annos como
sejam veslusrios de velludo a puritanos,
ditos de gorguro de seda, diloa de l e
e seda a escosseza, ditos de merino bor-
dados, ditos de fusto, ditos de musse-
lina, ricos vestidos de seda para meni-
nos, ditos de cachemira bordados, ditos
de l e seda a escosseza, ditos de bare-
ge, e um sortimento de vestuarios de
brim pardo para meninos a 39 cada um.
Azeileefarelo
Vende-se azeite de coco a 440 a garrafa, farelo
a 2*600 a sacca, gomma a 80 rs. a libra ; na
travessa do pateo do Paraizo n. 16, casa pintada
de amarello.
Paraosbailese theatros.
Riquissimos cintos dourados com lindas fivel's
tambem douradas e esmaltadas, e com ricas pon-
tas para cahirem sobre os vestidos, muito pro-
prios para as senhoras que tiverem de ir aos bai-
les e theatros ; vendem -se pelo baralissimo pro-
co de 49. 55e69: oa ra do Queimado n. 22,
oa bem conhecida loja da boa f.
A120 rs. o papeK
Agulhas Victoria
vende se na loja Esperanca
Queimado n. 33 A.
ra do
Garrafes com 5 garrafas de superior vinagre,
pelo diminuto prego de 19200 cada um ; admi-
ram-se? vende-se na travessa da ra das Cru-
zes n. 6.
Peitos de esguio de algodo
para camisas a 500 rs.
Na loja d'aguia branca vende-se muito bons
pellos de esguio de algodo para camisas a 500
rs. cada um, dinheiro a vista : na loja d'aguia
branca ruado Queimtdo n. 16.
Pentes de tartaruga virados e
direitos.
Vende-se muilo bonitos e fortes pentes de tar-
taruga virados e direitos, de moldes e desenbos
delicados e pelos baratsimos precos de 12$, 10$
e 89 uns, 59 e 49 outeos; assim como outros a
imperalriz (o melhor que possivel fazer-se em
tal genero) a 189. Na verdade quem conhece o
bom admira a limitaco de taea precos vista
das obras e por isso tlirijam-se com dinheiro a
loja d'sgnia branca ra do Queimado n. 16, que
sem duvida acharo baraleza, agrado o since-
ridade.
Arroz de casca,
sacess de 32 cuias, vende-se mais barato do que
em outra qualquer parle; no armazem da ra da
Madre de Dos n. 8.
Len^s a 320 rs. na loja
do Pavo.
Vende-se lengos grandes de cambraia de seda
de varias cores e com flores fazenda que sempre
se vendeu a 19, est se torrando a 320 rs. : na
roa da Imperatriz n. 60, loja de Gama & Silva.
A 19000.
Um resto de latas de mermelada de Lisboa e
do Rio Qrande do Sul, de 1 112 libra a 29 cada
lato: na praea da Independencia n. 22.
Vendem-se quatro terreos de 30 palmoa
cada um,aendo tres unidos eum segregado, mais
no mesmo alinhamento da ra Imperial, lado da
mar pequea, os fundos andam por cerca de
1,200 palmos, o por isso se vendem com todo o
fundo ou com o preciso somente psra casa o
grande quintal, o terreno proprio, mas na bai-
xa mar da mar ou os alagados sao foreiros ma-
rinha : quem oa pretender lodos ou algum delles,
dirija-se a ra da Concordia o. 35, e ahi ae ex-
pora agrandes vsntagens qu elles offerecem, e
tambem se permutara por urna casa terrea.
Tijolos baratos.
Avisarse it pessoas que tiverem de edificar,
que no Giqui, sitio que foi da finada D. Archau-
ja, se vendem oa melhores tijolos que aqai se
fabricam, pelo prego maia commodo possivei ;
asaegura-ae ao comprador aerem feitoa do melhor
barro conhecldo geralmeote como tal.
Vende-ae na ra Direita n. 99, queijos che-
gados 00 ultimo vapor a 2f4O0.
Superiores organdys a
720 rs.avara, '
Vendem-se Quissimos orgaudys de muito bo-
nitos padroes, pelo baratisaimo prego de 720 rs.
a vara, fazenda que aempro se vendeu por
I92OO, assim pois, quem qoizer comprar fazenda
fina muilo bonita e muito barata cnegar i roa
do Queimado a. 22, na bem conhecida loja Ja
boa 4o.
Relogios baratos.
NantNau n. 21. ha grande porco de relo-
gios foliadoa, dourados o de ouro, pateles o ori-
zontaes, auissos e ingleses, oa quaee serao veo-
nados p>e* pcecoa da factura. Cada relogie leva-
r um recibo em que se responsabilisa pelo re-
palwuinlo durante sais nexos.
Novo sortimento
de cascarrilhas de seda,
franjas e galo com lacos
n*s relas.
A loja d'aguia branca acaba de receber um
novo e bello sortimento de cascarrinas de seda
com duas orelaa ngindo pato, o melhor que se
pode dar em tal geoero e vende a 2| a peca, as-
sim como franjas de seda de diversas cores e lar-
guras por precos admiravelmente baratos, e
tambem um novissimo galaozioho de seda com
lacos as relas proprioa e de muito gosto para
enfeites de vestidos. A baraleza com que a toja
d sguia branca cosluma vender os objectos j
bem conhecida e agora comprova a mais com a
limitaco dos pregos porque e.t vendendo os
aitigos cima, para vericar-se ditgir-ee com
diobeiroa dita loja d'aguia branca ra do Quei-
mado b. 16, que na realidade acharo barateza
agrado e sinceridade.
tf*Sfi.*jf ilB"*riM rUM _aaaaiaaiiamm^
i^wfeWu ama i*' aSJV -Wflh.'dS 'Pl*5WK
A Primavera
[16Ra da Cadeia do Recife__16?
Loja de miudezas
DE
Fonseca Silva.
Sapstos de tapete bonitos padroes para
homem e senhora a 12$ a duzia e a 1200
o par, lindas gravatas de seda para ho-
mem de 320 a 500 rs. cada urna, ditas de
laco a 320 e 500 rs., linha propria para
seleiro e sapateiro a 19400 o mago, bo-
tes para chamarra a 19 a groza, meias
para senhora a 298OO a duzia- sintos para
senhora de bonitos gostos J|2500 e 3,
barretes de vidrilho para menina e se-
nhora a 19 cada, um, enfeites de ditos
pretos para ditas a 19500 cada um, pen-
tes de tartaruga para marrafa a 640 rs. o
par, e divenos arligos de gosto por pre-
cos os msis baratos do que em outra
w qualquer parto.
Attenco.
Viva o paquete das navi-
dades.
Pois est torrando miudezas muilo baratas,
aflni de apurar dinheiro para consumo do paque-
te, ra da Imperatriz u. 54, loja de Joaquim de
Azevedo Pereira Jnior, declara o seguinte :
Carles de clcheles muito finos a 40 rs.
Caizaa de ditos da torra a 80 rs.
Linha do gaz a 10, 20 e 30 rs.
Dita de carretel, 100 jardas a 30 rs.
Pares de meias cruas e de cores para menino e
menina a 120 rs.
Duzia de meias cruas muito finas a 28400.
Dita de ditas entre finas a 29200.
Linha branca em carto, 200 jardas a 80 rs.
Iscas para charutos a 60 rs.
Caixas com palitos de Especia a 160 rs.
Frascos de agua de colonia de Piver a 440
pilos de cheiro muito finos a 800 rs., Lubin a
ISOO.
Jarros de banha pequeos a I96OO.
Ditos de dita grandes a 3J500.
r Jrascos de banna Pequeos a 320, grandes a
500 rs.
Saboneles de espuma muito grandes a 100 rs.
Ditos de mompelas a 320.
Duzia de meias cruas para senhora a 29400.
Ditas brancas muilo finas a 39300.
Fio de raiz de coral muito fino a 700 rs.
Espelhos de columna p de ferro a 11500.
Carleiras de agulhas muito finas a 400 rs.
Ditas de marroquim mais finas a 800 rs.
Baralhos portuguezes a 120.
Ditos francezes a 240
Groza de botdea de louca brancos a 120.
Agua de Lavander muito fina a 640.
Dita frambuzia a 600 rs.
Jeaou'" muilo finas para unhas e costura a
500 rs.
Caivetes de 1 folhs a 80 rs., 2 folhas a 160 n.
Cabo de marfim a 400 rs.
Heias alvas para homem a I98OO.
Froco fino de todas as cores a 400 rs.
Dito grosso idem a 500 rs.
Caixas de papelo com alnetes a 120.
Pares de sapatos de laa para homem a 1280.
Tesoura para costura a 200 rs., e grandes a 640
Duzia de botOes de louco para paletot a 120.
J^atlnhos de merin a 19500, e velludioho a
25000.
-Ro"os e cruzes de coco, 1 a 120 rs., e duzia
a 19400.
Caixas com perfumara a 49.
Attenco.
Vende-se por commodo prego um rico fileiro
lodo envidrando, com armarios, com 9 palmos
de comprimeoto e 3 i[2 de largura, 1 balcao de
volla proprio para qualquer loja de letalbo, 2
grandes depsitos de folha dobrada proprios para
azeite ou oleo, e levam cada nm mais de urna
pipa ; a tralar na ra da Cadeia do Recife n. 64,
loja.
Avisase as bellas pernambucanai que
na loja de Nabuco & C, na ra Nova n.
2, vende-se ricos sintos prateados dou-
rados o de fitas com fivelas, e tambem
se vendem as fivelas solas, tudo mais
barato do que em outra qualquer parle.
Farelo.
Deposito de farelo de Lisbos, saccas de 90 li-
bras, o melhor que vem ao mercado : no estabe-
lecimento de molhados da ra da Imperatriz n.
4, junto a ponte, o preco 49500.
Attenco
Vende-se confrooto o porlao da fortaleza das
Cinco Ponas o seguinte : carrocas para boi, dita
Fiara cavallose para agua, carnohos para Iraba-
bar na alfandega e carrinhos de mo, rodas pa-
ra carrocas e para carrinhos, e\xos para ambos,
torradores para caf com fogo, boceas de tornos,
baodeiras de arcos de todas as qualidades, do-
bradicoo de chumbos de todos os tamanhos.fecha-
duras de ferrothos, tranquetas, ferro de embutir
de todos os tamanhos, ferrolho de chapa.______
Escravos fgidos.
Anda ae acha fgido o escravo Cosme, cri-
oulo, idade de 35 annos, estatura regular, testa
grande, com falta de denles na frente, costuma
mascar fumo o dado a bebidas, foi o ascravo do
Sr. teen le-coronel Joo Valentina Vjlella, tem
officio de pedreiro exarapina, tem sido visto oa
Pasas ge m e su as immediae,ea, porm tal vez te-
nha ido para o eogenho Crauass, aonde tem um
irmo gemeo chamado Damio, que tambem foi
escravo da sogra do mesmo Sr. Vilella, e vendi-
do para o mesmo engenho, elle muito conhe-
cido; pelo que roga-se a todas as autoridades
policiaes, capiles de campo, o a quem mais lhe
convier, o favor de o prenderen) e conduzi-lo ao
seu senhor Antonio Leal de Barros, 00 seu sitio
no roo de Joo Fernandas Vieira, junto ao Man-
goinbo, que gratificar generosamente
Desappareceu no dia 13 do crranle, do si-
tio do S. Jos do Manguinho, o escravo criollo,
maior de 50 annos, do nome Joaquim, comes
signaea segnintes: cabellos brancos, alto, secco
doeorpo, o asa alpargatas ; esto escravo foi pro-
priodadodo Sr. Hanoel Jos Pereira Pacheco, do
Aracaty, d'onde veio para aqu fgido: roga-se
a todas as autoridades policiaes o aquemquei
que o encontr, do o capturar e entrega-lo no
sitio cima citado, oa na roa 4o Trapiche a. 15
a Jos Teixoira Basto.



Hi H -

<8)
MAR M FiRWMlCO. ^ SABBaDO 14 ftl SETEMBRO ftl 1061;
Litteratura.
l'm amer no Loponia.
A'SBA. CO>'DE86A LaI-RA SWEYKOWSKA.
X
(Continua cao.)
O missionario era um hornera de petto de
Irinta e cinco anoos, alto, comprido, ossildo e
magro : era urca estaca rachada, que camintvava
COMO duas pernas de pao. Sua cabe??, que pare-
ca eaorme, comparada com seu corpo delgado,
nao apreseelava precisamente as liohas regti -
lares, hirrnoniosas, que temos o babito de ad-
mirar ujs raarmores da Grecia, ou as telas da
Italia ; suafronte, cheia de pronuncias capri-
chosas, stlrahia a investigarn do phrenologo,
muilo antes que a cootemplago do artista ; a
magreza de suas faces nao fazia apparecer mu i
pronunciadamente a saliencia brusca de suas
magaes; urna larga abertura desenhava-lhe a
boceo, e seu ment largo e quadrado, appoiado
sobre as dobras de urna gravata branca, alta e
teza, formava um-contraste rnui singular com
nariz muito curto, quo em lugar de aspirar tum-
ba, como o do padre Aubry, erguia-se para o
cu com um ar caprichoso e provocante, mais
digno do rosto enfarruscado de urna criada do
tempo de Luiz XV, do que do grave rosto de um
missionario protestante.
Esto todo engragado era completado por urna
floresta do cabellas densos, irrigados, mais sraa-
rellos que louros, cuja desordem pittoresca o
penle reparava insuficientemente. Porm, por
mais singular que fosse, esse rosto, era irapos-
sivel dizer que era feio, taata franqueza, booda-
de, lealdade, meiguice e ternura tinha elle des-
peito dos tragos; esclareciam-o e animavam-o
dous grandes olhos azues, de olhar ao mesmo
lempo suave e penetrante, calmo e profundo :
quera visse taes- olhos, esquecia o resto do rosto
para os ver lmente ; e pareca mpossivol que
so (entasse ao menos engaoa-los.
O trago era verdaderamente digno da pessoa:
Olavo trazia uro a caiga branca larga, eslicada por
largas puchadeiras de couro e urna especie de
capote de panno grosso guisa de redingote,que
o envolva, qual a baioha de urna espada, e que
cania sem dobra alguma desde.os hombros at os
calcanhares Trazia sempre na mao direiti urna
grande bengala de pao branco, e debaixo do bra-
co esquerdo urna Biblia chagrn negro.com
cantos e fechos de cobre. Accreecentai, para
ter um retrato completo, que elle tinha maos
grandes, ps grandes, pernas compridas, e
que pareca que Deus o flzera para galgar os
terrenos, os pantanos e as planicies destas
vastas solidoes do norte.
Desde o primeiro lanco de olhos Elphege e
Henrick reconheceram em Olavo Johansen um
de seus camaradas, mais velho que elles alguns
annos. porm que estudara como elles e com
elles sobre 03 bancos da uoiversidale. Entre-
tanto elles sabiam muilo bem qual era a instioc-
tiva desconaoga dos lapoes para arriscarem com-
prometter por urna manifestarlo de amisade in-
tempestiva o successo de sou apostolado. Con-
lenlaram-9e pois com um loogioquo e destrahi-
do olhar, e seguiram o missionario um pouco de
mais tange, sem se misturaren! com a multido
que gesticulava, gritava, cantava, e dava tiros,
conduzindo o missionario ao acampamento.
O velho Peckel, acompanhsdodeNorra. adan-
ton-se a alguma distancia para desejar a boa
vinda do sacerdote, e conduziu-o, nao sem algu-
ma pompa, urna tenda de honra, pouco mais
ou menos egual que fora levantada para os
oeus suecos.
Olavo deraorou-se ah poucos instantes, e lo-
go voltou para suas ovelhas, que se achavam
alguma distaocia, ordenadas em pequeos gru-
pos e formando o quadro mais singular do mun-
do. Ouviram-o logo informar-se dos oascimeo-
los e bitos, que tioham lido lugar durante a sua
ausencia; indagou com egual cuidado dos casa-
mentas projectados na tribu, ou dosespoasies,
que se tinha lengo de celebrar peranle ell.-!
Foi necessario tambera dlzer-lhe onde dor-
miam os morios, ou cujos jazigos quera aben-
goar. E como essa vida sempre errante e va -
jora, ensinando-lhe o prego do tempo, tinha
singularmente desenvolvido sua actividade na-
tural, declarou que ia aproveitar a calma e bel-
leza da tarde para desempenhur os primeiros de-
veres de seu ministerio.
Entao as mies veram ter com elle, trazendo
seus Olhos recemnascidos, quando nao tioham
recibido a agua do baptismo. E era na verdade
urna ceremonia asss tacante esse sacramento,
que faz os christos, administrado assim aos
olhos da tribu, em preseoga desse cu eoflam-
mado dos crepsculos do norte, com a simplici-
dade magestosa e arrebatadora do culto lulhe-
rano.
As mies, todas commovidas, choravam de ter-
nura ; um pouco mais loBge, os homens, graves e
recolhiiios, escutavam e olhavam com essesenti-
mento de vago e timorato respeito, que da na-
tureza humana experimentar em face do que ella
nao comprehende, e que Ihe insoiram principal-
mente as ceremonias de urna religiio pouco pra-
tica, e cujo imponente espetacalo so tem raras
vezes debaixo das vista?.
Esses meninos eram apreseotados em encanta-
dores berciohos, feitos de fios ramos de betula
artsticamente trancados, guarnecidos de musgo,
e cobertos de pelles, ornadas de anneis, que ti-
niarn chocando-se.
Ao longo desses bergos estavam presos os em-
blemas da vida e ios futuros trabalhos da crianga,
ilo quando era menino, arcozinhos, flechas
microscpicas e remos de navio com redes e cor-
aos de renna, quando ao contrario era menina,
os brancos pese as brancas azas do lsgopede,
symbolo da diligencia e da pureza, que sempre
se deve encontrar em urna mulher.
A' medida que cada um desses meninos tinha
recebido o Sacramento e'nterrava-se no chao os
dous pus, quo susteotavam o bergo, e ao suave
movimento do balango que se lhe fazia de vagar,
a crianga dorma um somno abengoado, aos olhos
do sacerdote.
Ao anoitecer, quando da monlanha, por delraz
da qual occaltava-se o sol, as sombras da noite
cahiram, o sacerdote, conduzido pelo patriarcha
da tribu e acompanhado da aldeiainteira, dirigi-
se ao bosquezioho de belulas e pinheiros, -que
limitavam o cemiterio do anoo, cemilerio que a
tribu em cada urna de suas excursdes abandona,
deixando assim os pobres morios solitarios no
deserto immenso at que urna nova emigrago a
conduza outra vez para junto dclles.
A trra esse anno fora qualro vezes revolvida,
e tinham sido enterrados ao*p das belulas um
centenario, urna doozellae dous meninos; as fa-
milias estavam visinhas urnas das oulras, cerca-
das dos amigos e parentes prximos, entretanto
que o resto da tribu formava o circulo um pouco
mais ao longe.
O sacerdote approximou-se das tumbas indica-
das apenas pelo solo levemente levantado ; de-
pois, murmurou com urna voz commovida, triste
e grave essas supplicas dos mortos, que eucan-
tamo ultimo somno.
Todos entravam no acampamento em compeo-
bia do sacerdote, cujos labios murmuravam an-
da as bengos da lei nova, misturadas com as
lamentacoes dos prophetas.
No momento em que Johansen entrava no a-
campamento Peckel tocou-lhe delicadamente no
colovello com a ponta do dedo, dizendo-lhe.
Padre, queres tu fazer leu criado o obse-
quio de vir um instante sua tenda? Preciso
conversar comtigo.
B com o olho mostrava-lhe sus Deta, Norra que
se conservara parte triste,
O reverendo Olavo fez com a cabega um signal
de quiescencia, e acompanhou o velho lapao
*ua tenda.
O que se passou entre elles, e o que disse o
patriarcha da tribu ao joven missionario ? E' o
que ninguem poderia eDsioar-nos, porque Peckel
leve o cuidado de visitar allentamente os menores
recaotoa de sua leuda,.e duas ou tres vezes no
decurso da conversa levantou-ae com bastite
prenpltagao como sehouvesse ouvido fra algum
barulno inquietador, e erguendo a potleira ro-
dou aleada coma suspeitosa attengio do sol-
dado de sentinella, que oure as guardas d noite
bradar-lhe :
Sentinella, alerta !
Has como todos esses alertas sao lhe fizeram
dcKobrircousa alguma veio finalmente sentar-se
junto de Olavo Johansen.
Terminada a conferencia Peckel o conduziu
com mostras de evidente satisfagio at entrada
da tenda preparaos para elle.
No dia seguinte antes de dez horas 01a7o cha-
mou Norra a parte, cuja dogura e intelligencia
mala de urna vez tinha elle louvado, e caminhan-
do com ella pelas raas do acampamento, algu-
ma distancia do resto da tribu, que os olhava de
longe sem ousar approximar-se ; conversou com
ella muito tempo e sobre assumptos assiz graves,
porque Norra prestava-lhe urna seria attengo, e
mais de urna vez viram-a corar e empallidecer
escutando-o ; depois grossas lagrimas saltaram-
Ihe dos olhos e correrm- lhe pela fce i baixo.
Por volla das dez horas o guia, que desempe-
nhava os mistares de sacristn, percorreu as tan-
das advortindo o rebanho maisou menos fiel que
o sorvigo divino ia comegar.
J cima dissemos : nao ha egreja entre os
lapoes ; o sacerdote celebra os officiossagrados
e prega a palavra santa onde quer que se acha.
Ora, exemplo do Christo, prega sermes so-
bre o monte; ora, rene seu auditorio sobre aa
margeos de um lago, ou as praias de um rio ;
s vezes timbera a propria tenda de um lapio,
que elle converte em capella para a circums-
tanca.
Poi o que aconteceu nesse mundo.
A morada de Peckel, a mais vastado lodo o
acampamento, recebeu um numero de lapoes
bastante avullado ; levantaram um lado della,
diante do qual aquellos, que nao quizeram entrar,
iofileiraram-se em linhas aperladas para ver o
sacerdote, e apanhar de lempos lempos algu-
raas de suas palavras.
O interior da tenda apresentsva na verdade um
espectculo singular; os utensis da economa do-
mestica tinham sido deiados aqui e ali, em seus
lugares ordinarios ; os animaesda casa, os caes
de Nepto, e renna a de Norra assistiam festa re-
ligiosa, como o burro o o bol dos evangelistas ti-
nham-se confundido ao menos com suas presen-
gas no ineffavel mystio do presepio de Bethlem.
Entre as mulheres, s quaes reservaram os
melhores lugares, urnas trabalhavam medida
que ouviam o sermao ; outras amamenlavam seus
filhos : s vezes grandes caes, gravemente aco-
corados, com a palla posta sobre um bergo, im-
priiniam-lbe urna osclllago lenta e suave, elvan-
do como amas atientas o somno da crianga, ac-
celerando o movimento se ella se mechia ou cho-
ra va em seu leito de arminho, ou abandooando-
a immobilidade do repoaso, quando finalmente
tinha dormido.
Um armario sem fundo servia de pulpito ; e
para elle subia-se por uros escads.
s dez horas justas Olavo, paramentado daso-
brepeliz branca, sem mangas, dos ministros da
da egreja luthersna, subiu o melhorque pode
esse pulpito escarpado ; mas ninguem se persua-
da que apenas issado e encerrado nessacaixa ces-
sassem inmediatamente seus embaragos : um
mal sempre vem em companha de outro.
Apesar do fervor de seus estudos, o pobre Ola-
vo eslava longe de julgr-se capaz de pregar em
liogua lapona; poda sahir-se bem conversando
e em particular; mas vai muila diiTerenga des-
sa conversago familiar, sem temor, na qual nos
ajudamos mutuamente, na qual quem houve po-
de acabar a phrase daquelle que falla, vai muila
differenga, diziamos nos, para os perigos do dis-
curso publico e para as changas sempre temiveis
de um improviso seguido.
Olavo, como a mor parte d9 seus irmios, leve,
pois, de resignar-se ao enfado e talvez s erros
de um interprete.
Seu colyto, cuja importancia pareca augmen-
tar de momento momento, subi, pois, aps
elle e ficou no ultimo degru.
Vendo-o Olavo em seu posto, comegou o dis-
curso em sueco, parando em cada periodo psra
dar-lhe tempo de traduzi-lo em lapao. Estra-
nho modo de pregar e que seria de urna impos-
sibilidade absoluta em ora paiz menos ingenuo
que aquello, ou se se tralasse de expr algum
ponto de doutrina delicado I Mas Olavo nao pro-
curava repetir as sublimes elevagoe3 de Bossuet
sobre os Hyslerios, nem fazer urna exposigo do
Chrislianismo ; entretiolia seus ouvintes de tudo
que poda ioleressa-los, misturando quando era
necessario o temporal com o espiritual, e con-
tando-lhes tudo quanto se tinha passado de im-
portante no mundo desde sua ultima predica Je
modo a ioleressar sua mobil curiosidade. E'
verdade que depois de haver esplivado assim
sua attengo, elle tinha o cuidado de volver eu
discurso para o cu e de approximar de Deus a
alma dos que o ouviam.
De lempos lempos elle notava erros de seu
interprete, e batendo-lhe devagarioho no hom-
bro, azia-o comegar de novo a phrase e dar-lhe
um sentido mais fiel por meio de urna traduego
mais exacta ; emfim, nao poetando mais suster-
so e acabando por onde talvez devera ter come-
gado, depois de reclamar a indulgencia de seus
ouvintes, hesitando principio e emendando-ae
por muitas vezes, fallou-lhes em ua propria lin-
gua, excitando assim a admirago e depois a
sympatha de todos.
Daste ento entrou elle no mais vivo das
quesl5es moraes o jamis condado, e excitado
pelossuccessos que obtioha, fallou-lhes com um
calor communicalivo dos deveres, muitas vezes
negligenciados, da familia, cujos lagos em mais
de urna occasio pareciam ter-se relachado entre
elles; e terminoucom algumas palavras bem sen-
timentaes e verdaderamente eloquenles sobre a
obediencia e submisso dos filhos a seus paes.
E' intil dizer que Nepto e o velho Peckel du-
rante esta perorarao davam diante de todo o po-
vo sigoaes nao equvocos de completa approva-
gao, emquanto mais de um olhar voltava-se para
Norra com urna curiosidade quo nao era sem ma-
licia. Has a donzella aupporlou esta provanga
com urna firmeza impassivel ; ella ouvia com
attengo. sem parecer sentir nem eniogo, nem
embarago e como se nao visse as palavras do
missionario alguma alluso, que podesse ser-lhe
applicavel.
a tarde do mesmo da Olavo tai fazer urna
vizita official seus dous compatriotas. Aos
olhos dos lapoes Henrick, official do re, tinha
talvez algum direilo este signal de defe-
rencia.
O accolho foi cordeal e a entrevista sympathi-
ca. Nossos dous amigos, gragas Deus, tinham-
se despido desses altivos prejuizos, que muitas
vezes se encontram nos homos do sul d pe-
nnsula escandinava ; e quando o ministro do
Christo quiz fallar em favor delles notou logo
que era pregar no deserto. Mas de repente
voltando-se do um modo um pouco brusco pa-
ra Henrick, com quem sua enliga amisade lhe
permittia essa liberdsde:
Nao basta ama-Ios, diz elle, necessario
ainda nao ama-Ios muito, porque podemos per-
der-nos amando.
O ataque era directo, e com urna consciencia
menos recta e menos segura de si mesma,
Henrick talvez se sentisse desapontado. Mas
quem nao deve, nao teme.
Sabes l 1er no olhar e podes ver a alma
de um homem sobre seu rosto ?:perguntou elle
erguendo uns olhos chios de franqueza, de rec-
udan e lealdade sobre seu amigo.
XI
Ah I bem sei que tuas intengdes sao boas,
e aoa olhos de Deus isso pode bastar para tua
justificago; mas para os oulros, que importa t se
o resultado de tuas aeges as mais puras nao
menos fatal ?
' Nio (e comprehendo Iresponden Henrick;
explica-te mais claramente; que queres t
dizer ? Bem vejo que se trata de Norra; mas,
pela alma de minna me, estou innocente & res-
peito desta moga. Alguem se queixa de mim ?
Falla ; dize-me tudo: mioha sinceridade mere-
ce a tuj.
S falleiom Peckel.
Pois bem e o que te disse o velho feiti-
ceiro ?
Fsz plena justiga as tuas intengdes, affirma
mesmo que em urna circumstaocia mu rcenle
foste de urna bondade perfaita para com elle;
que te esforgaste por persuadir i Norra, e que a
obrigsste a obedecer-lhe.
Ah 1 ento de que se queixa, e anda elle
quem te manda?....
Tinha eu necessldade, mea caro Heorick,
que me mandassem para rir?
E o missionario apertou afectuosamente a mi
de seu amigo.
Ei3 o que eu chamo sahir-se bem de um
aperto : mas isso nao resposla e advirto-te que
ninguem me faz perder to fcilmente o trilho.
Em tua qualidade de sacerdote s muito mais fino
que eu.... Oh I intil sacudir a cabega da di-
reita para a esquerda.e encolher assim os hom-
bros. Sei o que digo, e l nio dizes o que sa-
bes I Mu tenho, nio podes duvldar, intences
tio leaes, e, deia que o diga,urna affeigao
lio sincera aos teus protegidos, que podes des-
pir-te de qualquer fiogimento e de toda a poli-
tica. Vejamos ; falla claro I Oque te disseram?
o que querem, o que exigem de mim ?
Pola bem I ninguem pede cousa alguma,
porque ninguem tem o direito de pedir nada....
mas julgar-se-hiam felizes se te vissem deixar o
paiz.
Misera veis!murmurou o mancebo.
O que queres tu ?respondtu o missiona-
rio apertando-Ihe devagarioho a nao,os ho-
mens sao assim feitos, e nos meamos em seu lu-
gar obraramos como elles; odiamos quelles
quem tememos 1 Nepto ha dous das tem falto
com que seu a yo lome urna resolugo.
Imbcil I quando acabo de fallar era seu
favor como elle proprio nunca poderia fa-
ze-lol
Sem duvida: mas elle pretende que se
fallas pro, obras contra; e isso vem a dar no
mesmo.
Ah Idiz o jovera sueco nao sem alguma
amargura,sio ingratos e mus.
Nao, aio fracos e infelizes.
Ah I por Deus I a culpa nio mioha.
Ao menos tem piedade dos que soffrem.
Mas o que queres t que eu faga ?pergun-
tou o jovem official apoiando a cabega as
maos.
Vae-te embora I respondeu o sacerdote
com essa sombra .energa, que dio s vezes o
sedimento do dever e a eonviccio de que o mal,
que se faz uns ser a salvago dos oulros.
E Norra 1murmurou Heorick erguendo a
cabega.
Infeliz I exclamou o joven sacerdote,
acaso amaras a Norra?
Ah I nio, meu amigo, bem sabes que nao
posso ama-la I Adoro Edwioa ; ella tem meu
coragio, tem mioha alma, ter toda a minha
vida.
Pois bem 1 eolio que te imperta Norra?
*3 Coragio de pedra exclamou Henrick ;
julgas que s se pode amar urna mulher com
amor e para faz la sua? Nio tenho urna cente-
lha de paixo pela neta de Peckel; mas sinto por
ella o mais sincero ioteresse ; ella inspira-me a
mais profunda e sincera ternura.
Imprudente I nio tens visto que para urna
alma joven e honesta esse o mais temivel dos
perigoa? Oodeha seduegio, cessa a honeslidade,
a sinceridade e a reserva.
Meu Deus I poda eu prev-o I
Assim o devias: nio basta ter a pureza da
pomba, de mistar acrescentar-lhe a prudencia
da serpete ; brincas com o fogo e te admiras de
queimar os teus vizinhos I Norra, que tem ios-
tindos mu superiores tudo que a cerca ; Nor-
ra, que vive no meio de homens relativamente
grosseiros,e nio exceptu nem mesmo seu av
anda que elle seja mui lino, nem seu primo,
bem que tenha nos gestos alguma cousa de mais
elegante que os aelvagens, que frequenlas ha tres
mezes,Norra devia sentir-se profundamente to-
cada dos respeitos, das attengoes e dos cuidados,
que encontrou em ti; ah que eslava o perigo,
e se estou convencido de que nao o viste, nao
estou menos certo de que o devia ver, e hoje
que o mal est feito, de mistar que te recocho-
cas ao menos culpado por imprudencia.
Ella pois ama-me muito?
Muito.
Pobre moga I
Sim, fazes bem lastima-la, porque, sob es-
sa graga e jovialidade ella oceulta urna seosibili-
dsde profunda ; ha neila urna grande facutdade
de soffrer e ella soffrer 1
Viste-a ? ella fallou-te de mim ?
Vi-a I conversamos mnito tempo, leu nome
nio foi pronunciado. Ah I os sacerdotes catholi-
eos sao mais felizes que nos; elles teem a confls-
sio, que Ihos d tio promptamente a intimidado
das almas,a confissio, que tem o direito de per-
guntar ludo e de tudo dizer...; nos, nos limita-
mos certas generalidades, que entretanto bas-
laram-me para ver quanto era cruel a ferida oc-
eulta era seu coragio. Tentei apenas as consola-
res, que veem dos cus.... a dor esli anda
muito viva.... Espero ser mais feliz quando li-
vores partido.... pois convm que partas.... tua
viata alimenta o mal e o irrita.
Pois bem I en parlirei: mas tu nio a aban-
dona 1 esperas faz-lo ?
Ella tio joven I Exhorlei-a resignsgio :
ella prometteu-me tenta-la ; ao esqnecioaenlo,
ella sacodiu a cabega ; obediencia, ella nada
respondeu.
Deus le onga e permita que falles a ver-
dade I
Quando parles?
Amanhia, homem implacavel; previne o
velho Peckel e pede guias. Ji todos os planos
esli tomados, e agora posso concluir meu traba-
Iho em qualquer parte.
Psra onde vas t
Para Dronthein, onde esperarei mlnha que-
rida EJwna I Passaremos o invern nos arrabal-
des em casa de um de seus tios, que offerece-
nos hospitalidade. Na primavera, irei tirar o
plano da costa do Nordland ; o termo da mis-
sao que me foi confiada ; depois voltarei para a
Suecia: oxali que eu nao deixe na Laponia mais
do que urna lembranga sera amargara I
Tens feito. o que te cumpria ; o resto me
di~espeito : Deus a proteger I
Olavo Johansen abragou aeu amigo com a ef-
fuso cordeal de um homem de bem e de um sa-
cerdote, que tem a esperaoga de conduzir urna
alma ao bem... Ninguem sabe a dogura o a forga
desses lagos myslicos que se formara assim aos
olhos de Deus, e que ligam um ao outro os cora-
goes de dous homens.
No dia seguale pela manhia, espalbou-se o
boato da partida do official sueco em todo o acam-
pamento dos lapoes : uns regosijaram-se, porque
aioda nio se haviam (a mi lia risada com a presen-
ta do eatrangeiro em seu paiz; outros, que tinham
experimentado a generosidade do mancebo, viam
perdida para sempre a occasio de ganhar fcil-
mente algumas lindas especies de alva prata.
O velho Peckel aentia um prazer immenso:
desde que Nepto inspirara-lae contra o joven
sueco suspeitas, que nunca teriam entrado por ai
n'aquelle cerebro ; depois que ira emSletnborg,
despeito dos esforgos to desioteressados que
acabava de fazer em aeu favor, um serio obstculo
aos seus projectos, elle tinha um pensamento
nico :era achar o meio de fazer-lhe deixar a
tribuna. Peckel por tanto esteva arroubado de
ve-lo partir por si mesmo.
Quanto i Nepto, sempre fiel ao seu aystemade
cautelosa prudencia, aasim que sou be, i nio ad-
miltir duvida (porque foi o missionario quem o
ioformou.) que aeu rival ia finalmente deixar-lhe
o campo livre, julgou proposito desapparecer
antes delta ; neo quera que pensassem que elle
ficava para gozar de aeu iriumpho. B alm disso
elle dizia comsigo que Norra chorara talvez um
pouco, e elle desejava tanto nao ver suas lagri-
mas I
Quanto i donzella, esta notieia sabida de cho-
tre, tai pira ella como um ralo :. esperava ver
Heorick ausentar-ae para sempre; mas nio jal-
gavai que elle devease. que podesse partir lie ce-
do. Nio entregou-se i transportes; nio leve con-
vulso, nem solucos ; foi pelo contrario alguma
cousa de calmo, de sombrio e glacial, que fazia
mal ver. Parecia-lheque a Ierra fallava de re-
pente seus pea, e que ella rolava em/ura abys-
mo sem fundo.
Olavo tentau algumas palavras afectuosas e
meigas, que ella nem sequer pareceu ouvir japo-
nas, de lempos lempos, levava a mi fronlo
com um gesto machinal, como para reter seu
pensamento prestes a brilha'r-lh Tora das tm-
poras.
O joven sacerdote, que oo curso de seu minis-
terio de dedicagio, (ora testemuoha de muitas
scenss dolorosas, nio se lembrava ter visto algu-
ma que mais tartamente o irapressionasse ; elle
tinha medo da obstioagio farez desee silencio ;
lentou muitas vezes arraocar-lha urna palavra ;
mas nada pode conseguir. Emflm, depois de um
minuta ella faz-lhe com a mi um gesto, que
quera dizer: Deiiae-me 1 e desappareceu.
Henrick pensou nos preparativos da viagem
toda, a manhia do dia seguinte.
Elphege chegou mallo Urde de urna de suas
excursdes jornaleiras; acabava de atravessar o
campo, onde s se fallava da partida do official.
Assim, emquanto Steinborg procurava o que se
chama em rbelorica um exordio insinuativo para
aoounciar-lhe seus projectos:
Ora bem I sei cousas muito boas Ibradou
elle do mais tango que o pode ver. Parece que
levantas acampamento sem tambor nem cometa I
Esta manhia nao poder-se-hla julgar-te aqui por
dez annos, e eis que agora & Urde arrumas tuas
malas. E diga-se ainda que os artistas nio re-
gulara I Mes, pelo amor de Oeus! o qu foi que te
deu na cabega ?
Nio aei 1 meus trabalhos estio acabados;
Edivina tem de ir para Dronthein mais cedo do
que julgava, e eu vouao seu encontr.... mui-
to natural.
Sim, sim. muito natural, com effeito, mas
previno-te, meu caro, que mim ninguem emba-
a. Ha urna mulher nesse negocio.... com a dif-
ferenga de que ella nio se chama Edwioa, ella
chama-se....
Nem mais urna palavra I Cala-te I porque
vaes dizer loucuras e eu nio estou disposto a ou-
vi-las. Ouve, Elphege, s um bom rapaz, um
coragio leal: ha cousas que comprehenders sem
que eu precise dizer-te.... Parto, porque 6 de
mistar que eu parta I Agora, (aze-me o obsequio
de mudar de conversa, porque este assumpto tem
o mrito de ser para mim particularmente desa-
gradavel:
Como queres I diz o joven pintor, que co-
cheen muito bem nio s a expressio do rosto,
senio tambem as inflexoes da voz de seu amigo
para deixar de notar que ello eslava sob a ira-
presso de urna emogio assaz viva.
E poz-ae a arrumar silenciosamente seus dese-
nos e esbogos em urna caixa na outra ponta da
mesa.
Henrick logo depois chegou-se elle pas-
sos lentos, e pondo a mo sobre seu hombro:
Nao ests zangado ?perguntou elle com
um bom olhar; sou assaz desgranado neste mo-
mento, e seria para mim urna pena de maia crer
que molestei tua antiga amisade.
Como se podesses Irespondeu o artista to-
mando-lhe ambas aa mios.
E t partea?perguntou-lhe o official.
Ah I nio Idiz Elphege com urna energa
mui significativa ;nao me vejo entre duas mu-
lheres, e nio estou exposto de modo algum s
desgranas de um amante infeliz. Nao sou ah I
mais que um pobre artista, e alm disso feio ;
mas tenho a felicidade de encontrar aqui mode-
los curiosissimos, que nada me custam. Deixa-
me approveitar a felicidade. Vou publicar no
anno prximo urna Laponia Ilustrada com es-
tampas coloridas e notas em quatro linguas I
Comprehendes perfeitamente que nao sou assaz
louco para ir-me agora embora ; espero que meu
lbum Qque cheio ou que a nev me expilla ; irei
ento ter comtigo em Dronthein ou em casa de
teu tio.
Desejra antts levar-te consigo ; mas no en-
tanto sou forgado a convir que feos razio; fien
pois o maior tempo possivel.
Para mandar-te noticias, nio ?couliouou
o artista sem olhar para seu amigo.
Sim, diz Heorick, t m'as dars e o
maior numero de vezes possivel, e oxali que se-
jam boas, porque nio parto d'aqui todo ioteiro I
deixo, creio-o bom, alguma cousa de mim ; co-
nheces essa Norrasinha; ha tres mezes a vs (o
dos os das ; sabes quanto ella val. Deixo-a, nio
sem pesares, a pobre moga nio dea menos triste ;
tenho eaperanga, tenho quasi certeza de que essa
tristeza cedo passar; mas emfim serei feliz de
saber por li que ella est melhor. Nao minias,
porque seria intil: eu o perceberia.
Escrever-te-hei o nao hei de mentir.
Obrigado I Agora ajuda-me a arrumar mi-
nhas malas.
No dia seguinte ao meio dia com o aoccorro de
cilhas e correias eram amarradas nos flancos de
duas rennas vigorosas as bagagens de Heorick; e
Elphege, que se encarregara de todo o enfado dos
cuidados materiaes, necessitados por sua partida,
yigiava oa ltimos apprestos.
O official, sosinho na tenda, escrevia Norra
algumas linhas de despedida. De repente esta
paluda, fra e grave, appareceu porta; entrn
e veio collocar-se em p dianle do mancebo.
Henrick,diz ella.vaes partir 1 Nio quiz
deixar-te sahir da Laponia, onde sem duvida nio
voltars- mais, sem te tornar a ver pela ultima vez.
Nio quero que leves ama idea m do tua pobre
Norra.
Fez urna pausa, e depois de um instante pro-
segu :
Talvez que nestes ltimos lempos eu te te-
nha parecido urna singular e louca creatora *, a
culpa porm, nio minha absolutamente: eu te-
nho soffrido muilo. Creta que ludo isso est aca-
bado, eque eis-me rasoavel. Quanto ti, Hen-
rick, sempre te mostraste affectuoso e bom para
a pequea lapona; teriassido meu pae se eu nio
tivesse podido esperar de ti urna affeigao maior:
sinto isso, ah I muito mais do que posso dizer-t'o ;
onde quer que vas, Henrick, e qualquer que seja
o meu estado, guardarei sempre tua lembranga ;
ella vivir em mim tanto quanto eu propria vi-
ver 1 Quanto ti, Henrick, se nestes ltimos
lempos, causei-te alguma rasgoa, perdoa, per-
doa-me. Sou apenas urna simples filha da natu-
reza ; mas nio tenho mo coragio, e quando fago
mal, sem o saber, ou ao menos sem o que-
rer....
Querida e boa creaturarespondeu Henrick
o que poderia ter eu a perJoar-te?.. o mal que
te fiz, meu Deus I
E Heorick estendeu-lhe ambas as mios. A
donzella nio as tomou, porm, conservando sem-
pre os olhos baixos, recuou um pouco.
Querida Norrasinha con.tinuou o joven
sueco sem notar nesse movimentolevo d'aqui
com a tua lembranga um pesar profundo: sei que
soffres, e sinto que nunca serei completamente
feliz em quanto crr que soffres ainda.
Entaodiz ella com sua voz anglicapro-
curarei nao soffrer mais I
A situagio lornava-se asas commovenle ; duas
grossas lagrimas como duas lmpidas perolas bri-
lharam, quasi a cabir, entre as palpebraa more-
nas da lapona, caja voz trema.
Escuta, diz ella & Henrick, muitas ve-
zes consagrei horas, que me pareciam curtas, a
um pequeo trabalho, que te destinava ; convm
que o aceites... Ah I ser a nica cousa, que te
fallar de mim 1... Maa faze-me urna promessa,
urna promessa sagrada... de nio o dares nun-
ca i ninguem I... o*ves-me?
Henrick ptoraetteu.
Norra tirou do seioumabolsioha. onde as coa-
chis, as pennaa e as parolas se aisturavam de
maneira, que formavam um todo entantador, urna
verdadeira maravilna de origioalidade, de goslo,
de elegancia e de graga.
Obrigado I diz Heorick, aceito com fe-
licidade; mas tambem nio quero ser esque-
cido I
XII
Nesse memento Henrick apresMtara i donzella
um mui delicado reloginbo o'owro, comprado em
Pars, enriquecido de relevos e esmaltes. Mais
de urna vez, quando lhe dava corda dianle de
Norra, ella o admirara ingenuamente.
Toma, diz o joven official, toaa este
relogio ; sei que te agrada, e guarda-o em lem-
branga de mim.
Em vez de estender a mi, Norra sacodio a ca-
bega.
E' muito lindo para mim I diz ella re-
mando um passo.
Se nio fosse lindo, eu nio t'o dara, res-
pondeu Heorick, mellendo-lhe o relogio na mi
contra sua vontadt.
Norra olhou-o um momento com urna profuu-
da attengo, aproximou-o do ouvido, como para
melhor escotar suas vivas pancadas ; depois de
repente abrindo a tampa, melteu a chave e a fez
girar bruscamente.
Ouvo-se um estalido secco : era a machina que
quebrava.
Que fizeste ? exclamou Henrick, aca-
bas de quebrar este relogio nio ha talvez em
toda a Suecia um homem capaz de concerta-lo
Tanto melhor 1 diz Norra ; presentemen-
te nio preciso mais de relogio, e se amo este
porque d'ora em diante elle marcar eternamen-
te a hora de nossa separagio. Que me importa
o tempo agora ? Mas, adeus, Henrick ; parle,
e nio te esquegas que em quanto me restsr um
coragio, esse coragio ser teu I
Nio houve oolrossdeuses trocados entre essas
duas almas, que a natureza pareca ter creado
urna para a outra e que o destino separava : ellas
nio se fallaran desses queridos primeiro-encon-
tros, que consolam os mais amargos adeuses ;
nem formaram esses projectos, que atravessam
muitas vezes a v4a*e os homens, e que s ser-
vera para provar a inulilidade de nossos desejos
e a vaidade de nossas esperangas.
Algumas horas mais tarde, Henrick, quem
seu fiel Elphege acompanhra at urna milha dis-
tante do acampamento, atraveasava oa desliladei-
ros das altas monlanhas, que separam esta porgio
d^Lspona da Noruega occidental ; recebera no
nWmento da partida os adeuses do reverendo Jo-
hansen e do velho Peckel, que piscou o olho da
maneira a mais desordenada, desejando-lhe urna
feliz viagem.
Chegaodo i urna das derradeiras planicies, de
cujo cimo lhe era ainda possivel ver o acampa-
mento dos lapoes, contemplou muito tempo a fu-
maga, cujas columnas azuladas elevavam-se em
turbilhio cima das tandas ; um suspiro iolu-
meceu-lhe o pello ; elle passou duas vezes a
mi pela testa e pelos olho3 e voltando-se para
seu guia :
Vamos Dronthein, diz elle com urna
voz firme.
Audaram ainda algum tempo na montaoha, e
dentro em pouco urna dobra brusca do terreno
roubou-lhe o aspecto desses lugares, que deviam
agora, por mais que elle fizesse, guardar urna
parte de sua vida.
Era em Dronthein que Edwina prometiera urna
entrevista quelle, quem ella um dia devia des-
posar.
O Trollhalta, lindo navio mercante perlencen-
te ao pae do joven sueco, e que fazia as escalas
da costa noruega desde Christiania at Hammer-
fest, nio tinha ainda ehegado seu destino com
sua preciosa carga.Era esperado d'ahi algumas
semanas. *
Henrick leve pois todo o descanco para visitar
essa aotiga NiJaros (1), celebre capital dos res
do mar, veneravel melropole da Noruega primi-
llvli
Nosso herOe, que nio era antiqusro, nem ar-
cbeologo, nao acbou grande merilo ne palacio de
madeiradsts governador ; pensou que bastara
meio dia para visitar a antiga calhedral golhica,
edificada no secuta XII peta arcebispo Eysteio,
bem que nio baja em toda a Noruega um monu-
mento que se Ibe possa comparar; o famoso ro-
chedo de Munckbolm pareceu-lhe no fim de dous
das completamente despido de ioteresse, e elle
dara todas as inscripces do ambicioso Schu-
macker, gravadas com um prego as paredes de
suajgiMa, por duas linhas mal tragadas que lhe
annoTvciassem a prxima chegada daquerla, que
elle aroava.
Urna tarde, entrando elle no hotel da Inglater-
ra, a joven e liada senhora, que faz as honras da
casa aos estrangeiros com tanta graga e amo to
amavel cortezia, que em casa della elles se jul-
gam em sua casa, entregou-lhe urna carta, que
tinha corrido alraz delta toda a cidade Era um
camponez que a tinha trazido e em seu envelope
nio se via o timbre de alguma posta.
Henrick recebeu-a com urna mi febril e logo
reconheceu a lettra de seu amigo.
Nio pode deixar de serde Elphege l pen-
sou elle ; mas a lembranga de Norra, que depois
a)ue chegra Dronthein tinha esquecido um
pouco, ingrato I apresentou-se-lhe de repente
ao espirito com urna certa forga ; e sem aceitar
a chavena de cha, quo a loura hospedeira o con-
vidava a tomar com ella na salla commum, cor-
rea a fechar-se em seu qoarto para ler em paz a
carta do artista.
Temos tido novidade as tendas,dizia El-
pbe ; entre oulras cousas, poseo alegrar-te com
urna aventura, que fez quasi escndalo, e da qual
se fallar muito lempo nos seroes do invern.
Convm dizer-te que depois que partiste o
reverendo Johansen tomou urna parte mui acti-
va nos amores de Nepto e de sua linda, prima :
tinha mesmo pregado tanto pobre moga, que
julgava t-la coovertido^e por que ella nada di-
zia, cria ingenuamente que prestava o seu con-
seotimento.
Era evidente para tono o mundo que o bom
homem esperava celebrar um lindo casamento
em sua prxima volts. Tu sabes que o velho
Peckel tem especies em seu cofre, e que o fino
bregeiro, que gosta de ser bem servido, nio gos-
ta de pagar bem. E' assaz provavel que elle hon-
vesse exaltado a eloquencia do santo homem e
que este julgasse ler feilo milagrea.
< Olavo pois, retirando-se, pensou deixar to-
dos na alegra, e cedo esperava-s ver o patriar-
cha convocar toda a tribu festine,,onde a agur-
dente branca molharia ampirnosle a carne assa-
da e o peixe secco.
Eu entretanto, que presumo ler no rosto de
tua victima tio claramente como um mestre es-
cola em sua csrta de abe, nio deixava de ioquie-
Isr-me com urna certa prega mui recta, que ia
de urna sobrancelha outra, e que corlava, orno
um talbo do navalha, a fronte lisa e pura da mais
amavel de todas as doozellss.
< O amigo Neplo, altivo e soberbo, e qut des-
de que d'aqui sahiste parece na verdade outro
homem, nao reparava nesse pequeo signo!, pre-
cursor da tempestado.
No dia seguinte partida de Olavo, elle cha-
mou si (res ou quatro bons senhores como elle,
e como se nio fosse da casa, apreseniou-se
porta da tenda, teodo na mi sua.garrafa de li-
cor ; tarara buscar lenha, e comegou a racha-la
como um lenheiro. Sabes que os pretendentes
lapoes por esta trabalho publico na porta de sua
amada creem dar mostras de complacencia e hu-
mildade,duas virtudes, que, dizsm tem o privi-
legio de tocar o coragio das mulheres.
< Durante esse tempo os amigos tioham entra-
do na tenda, onde o velho Peckel os recebeu da
maneira a mais animadora ; e, como nio duvidas,
poz-se a beber com elles.
t D'hi ha pouco entrn Nepto : elle tinha feito
um soberbo toilette, e a peona d'aguia de sua
gorra pareca apunhalar o cu : se elle tivesse al-
gumas polegadas de mais, eu temera pelas es-
trellas I
Chegando dianle de Norra, que eslava ao lado
de seu av, fra e calma, elle entreabra sua ves-
te para mostrar A donzella o presente symbolico,
a lingua de renna, que figura em lodos os pe-
didos em casamento deste paiz estravagante. Um
dos amigos de Neplo apreaenlou-lhe o copo de
corno circulado de prata, no qual acabava de der-
ramar um dedo de agurdente. Norra repelliu-o
com a mi sem dizer urna palavra, e como elle
insista como quem nio quer comprehender :
c Nunca bebo quando como 1diz ella com
alguma aequidio.
Seu av olhou-a com um ar enfurecido, el-
la nio mostrou reparar nisso.
(1) Antigo nome de Dronthein, cerno se sabe,
situada na embocadura do Nidar,
No mesmo momento Nepto adiantoi-oe para
ella apresentou-lhe a lingua de renna, embru-
Ihada era folhas e amarrada de filas de todas as
cores. Os compaoheiros do pretendente affasta-
ram-se ; o proprio ar recuou alguna pasaos;
Nepto e Norra acharam-se assim solados no mel
da tenda. Todos os olhss estavam flxos sobra
elles ; o momento era solemne : se Norra acei-
tasse o presente, aceitava timbera o esposo.
Neplo, immovel, com os labios- serrados,
com a cabega para trai, com as sobraocelhas le-
vemente cootrahidts, endireitando seu corpo cur-
vo, ficou alguns miousa dianle della com o bra-
go estendido.
Toma Idiz Peckel com voz breve e im-
periosa.
t Norra sem responder voltou a cabega para
seu av, estesdeu a mi, e tomou a lingua de
renna ; mas em vez de guarda-la ou deposita-la
sobre urna mesa ou um bah, jogou-a violenta-
mente no chao,o que a formula mais clara e
mais absoluta de recurso, usada em taes circuins-
tancias.
a Dizer-te a impresso profunda que esta ac-
cio produzia sobre todos os assisteotes, seria cou-
sa verdaderamente impossivel. Ella ae traduziu
diversamente segando o carcter de cada um.
Peckel sentiu urna indignagio lio violenta, qua
estrangulou, por assim dizer, a palavra em sua.
bocea, e cabio immovel sobra aeu banco ; quanto
Nepto, com um olhar scintilanle dardejado so-
bre os olhos de Ncrrs, elle recuou dous passos
como se tivesse pisado em urna serpete ; um
dos mancebos, que tinha ainda na raao a garrafa
tio pouco festejada por Norra, aorveu um gran-
de trago dizendo :Isto no entanto nio 6 venenol
um outro apanhou a lingua, que jaziaj aioda
por trra, e-la dessppsrecer em seu largo bol-
so. Mas coraprehendendo que depois de urna
tal scena seu lugar nio era mais ao p daqoella,
que os tioha acolhido tio mal, elles fizeram urna
prudente retirada.
a Peckel, ficando sosinho com seus dous netos,
abaodonou-ae um transporte de colera, que te-
a feito tremer qualquer outra que nio fosas
Norra ; mas a donzella pareca beber oa propria.
gravidade da situago urna coragem nova e ama
nova energa. Ella deixou passar sem responder
essa torrente de palavras violentas, iojuriotas ou
ameagadoras. Mas qnando Neplo quiz tambem
continuar no mesmo tom, ella soube achar algu-
mas palavras de urna clareza iociaiva para fazer-
lhe comprehender a differenga que eatabelecia
entre sea av, quem devia permitlir tuo, e
elle, do qual ella entenda nada dever soffrer.
o Jamis ella reivindicara tio resolutamente s
independencia, da qual entenda dever usar d'ahi
era diante.
c Esta declaragio de principio irritou menos
Nepto, do que admirou sea ave ; mas nem um
nem outro pareceram eoganar-se com as manei-
ras francas e decididas da donzella ; elles bem
virara que ella era daquellas, com quem se deve
contar seriamente. Peckel comprehendeu que es-
lava feito de sua autoridade d'ahi em diante ;
Nepto con ven teu-se de que era necesserio obter
Norra de si mesma.
a Mas, cousa estraoha I por mais violenta quo
tivesse sido esta scena, nio pareceu ter deisado
tragos sobre aquellos, que tinham sido seusprin-
cipaes actores. Desde o dia seguinte Nepto foi
para sua prima o que sempre era ; Peekel nio
fez a menor alluso ao que elle chamara urna
tentativa de revolta.
c Quanto Norra, certa de que dabi em dianta
respeitariam sua independencia, ella pareceu en-
contrar urna calma, que depois de tua part Ja eu.
nio lhe tinha maia visto.
Nio preciso dizer-lhe lodosos commenUrios
aos quaes a aventura deu lugar; conheces noasos
lap-'S. No dia seguinte nao se fallava na tribu
em outra cousa : uns eram por Norra, oulres por
Nepto.
c Quanto & este, que nestos ltimos tempos
nio deixra urna hora o acampamento, contina
mais que nunca em auas excursdes errantes esua
vida vagabunda.
' Obter Peckel com supplicas o que nio ga-
nhou por meio da forga ?E' o nnioguem parece
crer.
c E' de mistar dizer tudo : metlem-te de algum
modo em lodos estes acontecimenlos; dizem que
s a causa de muitas cousas lamentaveis, e nio
duvido que, se os senhores lapoes le eocontras-
sera em algum caminho bem deserto, ao alcance
de suas ms carabinas, quizessem do muito boa
vootade experimentar sobre ti o mrito das bailas
encantadas, que esse velho feitceiro Peekel Ihes
distribue de lampos lempos.
Asseguravam hontera que elle tinha rengado
urna tyra (2J contra ti, depois de se ter dado &
encantos mgico de prrmeira classe. Nao foste
ferido ?
a Nio sel o que dia respeilo o pebre Olavo
quecr tio firmemente haver con vertido, o velho
pagio, como so elle fosa daqueilesy que se pode
arrancar s garras do diafeo, seu patrono I Mas
asseguram que elle tea assigoado com su ne-
gra mi mais de um tratado com o Sr. Belzobut.
Como quer que seja, meu charo, nio deveadei-
xar de aeautelar-te; sabes, emfim, que a tyra s
obra em liona recta, procura poi cooservar-te
sempre abrigado atraz de urna casa, de ama pa-
rede, de urna arvore.
c Tudo isto, bem sei, soffrivermeote ridicu-
lo, e de bom grado rir-me-hia se podesse esque-
cer que no fundo desaa pilherias, que nio sio
nem espirituosas, nem alegres, ha um verda-
deira desgraga I Convm entretanto dizer-te, pa-
ra qua nao te entristeces intilmente e sem me-
dida, que Norra nao parece lio affiicta como eu
julgava ; depois que Nepto parta, tenho-a visto
rir ; ella activa, diligente e viva eomo nos pri-
meiros das de nossa chegada;se tem pesares
e seria- na verdade difficil crer que nio ella os
dissimula hbilmente. As vezes, quando cami-
nas pelo campo e que se juUa sosioha, pde-se
sorprehender-lhe urna expressio de vago scismar
sobre o rosto; deixa pender os bsocos, a cabega
cahe-lhe sobre o hombros, e em toda sua pesaos
e uo'seu andar ha alguma cousa de laoguido o
de tocante, que nao- permute engaao sobro a ver-
dadeira natureza de seus senUmentos nti-
mos. Mas desda que se julga observada, desde
que v que a olham, desde que so approxima do
acampamento, tosoa-se logo urna outra muJuer,
e como se nada no mundo temesse tanto eomo
inspirar compaixo, toma desde-Logo sua masca-
ra alegre. As mulheres dissimulam sob todas
as latitudes, e nao precisam tec ido escola do
grande munde para occultarem o que nao que-
rem deixar ver.
c Se eu nio fosse tio feio tentara consolar esas
gentil Ariadne; porra meu focioho do macaco
nio me parece capaz de agradar-lha: assim, des-
de que partiste, confesso quo me enfado bastante.
tt Tirei um outro retrato della, do qual nio
estou na verdade muito descontente; que dias
t ae eu le pregasse a peca de t'o oierecer por
presento de bodas? Ole 1 nio-contaramos sus
historia loura Edwioa, e nos das em que esta,
te enfesasae um pouco, olha-lo-hias de relance I
c Nao sei se a jadasinha presentio que um di
t veras esta derradeira imagem dola ; mas, na
verdade, nunca esteve. mais encantadora do que
em quanto eu a pintava. Admirars como eu a
expressio ao mesmo tempo raeiga e selvagem
dessa cabega encantadora, varis a profundezo,
desase olhar oriental; amars esses lindos olhos'
levantados nos cantos, alongados como a folha.
meio aberto do pecegueiro 1 Ella escolheu o u,is
liodo toilette,aquello que ella trazia no dia, em
que lhe bateste na face, duendo: Como s
bella, Norrasinha I
Has se nio temesse var-me aecusado do um
egosmo feroz e como um artista a tenaz s
vezes de occulta-lo aob seu ar do bom rapaz,
confessar-te-hia que ha momentos em que quasa
me regosijo de v-la soffrer, tanto lhe sonta bem
sua melaacholia l Agradeco-lhe baixioho um
pezar, que a torna mais linda 1
c A poca de minha partida ainda nio est
Qxada ; dizem que a tribu ir pasear o invern
em Kautokeino, deixa-la-hei antes. Nio le pego
que me escrevas, por que a posta nio chega on-
de eatou ; ae entretanto acontecesss aqui alguma
novidade. t a saberias. Adeus anda, homem
muito amado. Dentro em pouco, quando esti-
veres junto de tua querida Edwioa, procura es-
quecer que ha aqui um pobre coragio humilde o
sincero, que ae esforga por comprimir suss pal-
pitagoes silenciosas, mas que vive nicamente
para ti.
c Elphege.
______________> [Continuarse-ha.)
(2) tyra urna bola' da grossura de urna pole-
gada, que os feiticeiros jogam ( dizem eites ) i
distancias prodigiosas, e que rolando sobre si,
como se fosse levada em um turbilhio, vai ferie
ao longe a victima deaae terrivel maleficio.
mw,-:; TYP, 01 |f. P. DI HIl.i-186t,


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E6SNL9OG9_5YDFMF INGEST_TIME 2013-04-30T20:24:12Z PACKAGE AA00011611_09389
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES