Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:09336


This item is only available as the following downloads:


Full Text
AIII IXITII IDIE10 169
Por tres mezes idiaitadts 5J000
Postres metes vencidi-s 6$000
*ofl
SABBADO 13 II JDLHO U Itll
PtrannadiaDUdoi9|000
Ptrie franco para o subscriptor.
aNCARREGADO^ DA SaSCEIPCAO 90 NORTB
Parahiba, o Sr. Antonio Alexandno dt Lima;
Natal, o Sr. Antonio Marques da Silra ; Araea-
ty, o Sr. A, de Lemos Braga; Cear o Sr. J. Jos
d Olireira; Haranho, o Sr. Manoel Jos Mar-
tina Ribeiro Guimaries; Para, o Sr. Justino J.
Ramos; Amazonas, o Sr. Jernimo daCoata.
PAttl'llMS UUS OUKtthlUS.
Olinda todos os das as 9 1/1 horas do da.
Iguaraas, Goianna Parahiba naa segundas e
seitas-feiras.
S. Anlo, Bezerros, Bonito, Carnar, AHinho e
Garanhuns as tergas-feiras.
Pao d'Alho, Nazareth, Limoeiro, Brejo, Pes-
queira, Ingazeira, Flores, Villa-Bella, Boa-Vista,
Ouricury e Px as quartas feiras.
Cabo, Serlnbem, Rio Formoso, Una, Barreros,
Agua Preta, Pimenteiras Natal quintas feiras.
(Todososcorreiospartem as lOhorasda manhaa
EPHEIIERIDES DO MU DE JULHO.
7 Lua ora as 11 horas 56 minutos da tarde'
15 Quarto crescente sos 28 minutos da manhaa-
21 Lua chela as 9 horaa e 46 minutos da tarde.
29 Quarto minguante aa 5 horas e 32 minutos da
tarde.
PREAMAR BE HOJE.
Primeiro as 9 horas e 18 minatos da manhaa.
Segundo as 9 horaa a 42 minutos da tarde.
DAS DA SEMANA*

8 Segunda. S. Procopio m. ; S. Priscilla m.
9 Terca. S. Cyrilla b. m. ; S. Bricio b.
10 Quarta. S. Silrsno m. ; S. Januario m.
11 Quinta. S. Sabino m. ; S. Sidronio m.
12 Sexta. S. JoSo Gualterio ab. ; S. Nabor m.
13 Sabbado. S. Anacleto p. m.; Ss. Joel e Esdras.
|14 Domingo. S. Boa ventura doulorseraphico f.
Auuia.ii.lAs. oS TRlBUNAEa DA uaPITaIT
Tribunal do ommereio; segundase quintas,
Relacao: tercas, quintas sabbados aa 10 horas.
Pazenda : tercas, quintas e sabbados as 10 horas*
Juizo do eommercio : quartas ao meio dia:
Dito de orphos: tercas e sextas as 10 horas.
Primeira rara do eirel: tercas seitaaao meio
da.
Segunda Tara do eirel: quartas a sabbadoa a 1
hora da tarde:
ENCARREGADOS DA SUBSCRIPTO DOSUI,
Alagoas, o Sr. Glandino Faleo Dias; Babia,
Sr. Jos Martins AItss ; Rio de Jane*, o Sri
Joao Pareira Martina.
EM PERNAMBCO.
O proprietario do diario Manoel Figaeirea di
Faria.na sua lvraria praga da Independencia v*
6e8.
PARTE OFFICIAL
Ministerio do Imperio.
Expediente de 4 de abril de 1861.
Ao director da faculJade de dreilo do Reci-
te, determinando, em rista do que informa a
congregado dos lentes, que admita matricula
extraordinaria os estudiles Francisco Vicente
Vanos, Jos Pacheco Pereira Jnior, Jos Joa-
quim Bastos Nares, Antonio Joaquim de Souza
Paraizo, Antonio Joaquim Pires de Carvalho e
Albuquerque, Francisco Prisco de Souza Parai-
ao, Jos Antonio de Paiva, Juvenal de Macedo
Carramanhos, Aoreliano de Azeredo Monteiro,
Fructuoso Vicente Vianna, e Manoel de Valla-
dio Pimentel,
-16-
2a seego.Ao presidente da provincia do Piau-
by, remetiendo o diploma de caralieiro da or-
dem da Rosa de Joao Martioiaoo Foolanelles,
para ser entregue depois de paga a despeza do
feitio e rerba do registro que anda deve.
Ao mesmo, declarando que foi confirmada a
deliberado que tomou de approrar a eleigao de
rereadores e juizes de paz da villa de Pedro II,
visto que se rerificou nao ter liando falsificago
no livro das actas, como se allegavs.
Ao mesmo, declarando que foi confirmada a
deliberado que tomou de approvar a eleigao de
rereadores o juizes de paz da parochia da Para-
nahybs, risto nao serem fundadas as arguiges
que Ihe fizeram dousmembros da respectiva me-
sa parochial, observando-se porm que foi irre-
gular que o presidente da mesma fosse o nico
clavicularlo do cofre em que era encerrada a ur-
na das cdulas, em vista do que dispe o art. 61
da lei regulamentar das eleices.
17-
6Jsecroo.Ao Sr. internuncio apostlico, com-
municando que foram expedidas as oecessarias
ordens aos presidentes das provincias de Pernam-
buco, Maranbo e Goyaz, psra que tenham exe-
cugo as executorias de 13 e 14 do mes passado,
pelas quaes foi desligada da diocese de Peroam-
buco e incorporada do Maranho a freguezia
de Nossa Seuhora das Dores da Serra das Sauda-
des de Iodai, e desmembrada da diocese da
Goyaz e incorporada de Maranho o territorio
em que est edificada a cidade da Carolina.__
OiTiciou-se aos presidentes das referidas provin-
cias.
-18-
7' seego.Ao presidente de Pernambuco, ins-
tando pela ioformagiio que se exigi em aviso de
26 de agosto de 1859 sobre o requerimento de
Uenrique Gibson, pedindn a permuta das trras
que o instituto dos orphos desamparados possue
no engeoho do forno da Cal, por bens de raiz,
ou apolices da diviJa publica.
2a seccoo.Ao presidente da Parahyba, remet-
iendo a nota da despeza que AodrCursino Ben-
jaraim tem defazer, para se lbe expedir o diplo-
ma de cavalleiro da ordem de Chrislo.
-90
3a secco.Ao presidente da provincia do Piau-
by, para remelter quanto antes as actas da elei-
co primaria das parochias de Piauhy, S. Gonga-
lo, Jaics, S. Raymundo Nonato, Gorgueia, e
Santa Philomeoa, e fazer enviar as da eleigao se-
cundaria dos collegios de S. Googalo e S. Ray-
mundo Nonato. "
Ao da do Amazonas, para enviar quanto an-
tea as actas da eleigao primaria daa parochias de
Moura, Thomar, S. Gabriel, Olivenga e Ponte-
Boa, e fazer remetter a da eleigao secundaria do
collegio de Tefle.
municando, para aeu conhecimento e expedigo
das ordens necessarias, que a cmara dos depu-
tados approrou a eleigao primaria das parochias
da meama prorincis, resolveodo que sejam con-
tados os rotos dos eleitores de Tanapessass, e
annullados os eleitores excedentes aos nmeros
marcados para as parochias de Manoa e Cassu-
m. Commuoicou-se cmara dos deputadoa*
Ao de Pernambuco, comrouoicando, para a
devida execugo, que a cmara dos doputados
approvou a eleigao primaria das parochias que
compem o 1* districto eleiioril,_e resolveu que
fosse reunida a volago da de S. Jos, tomada em
separado. Deu-se conhecimento cmara dos
deputados.
29 -..
2a seego. Ao presidente das Alagdas, re-
metiendo o diploma de cavalleiro da ordem de
Christo, de Antonio Simes de Souza, para lhe
ser entregue, depois de prestar na presidencia*)
competente juramento.
3a eccoo. Ao rice-presidente da Parahyba,
declarando que nao sao procedentes as razes que
d em seu officio n. 3 do corrate mez para jus-
tificar o adiamento ("a assembla legislativa pro-
vincial ; que o goveroo, com a desapprovago
deste seu acto, nao pretende censura-lo, como j
tem feilo ver a outros presidentes de provincia,
mas nicamente que elle se compenetre das vis-
tas do mesmo goveroo, e considere o adiamento
da assembla provincial como urna medida ex-
trema, e s legitimada por circunstancias extra-
ordinarias.
Ao presidente da provincia do Piauhy, com-
municando, para seu coahecimeoto e execugo,
que a cmara dos deputados approrou a eleigao
os terreos que forem de marinhas, na forma
da legislago respectiva, afim de serem arrenda-
dos.
E por esta occasiio previne-se mesma pre-
sidencia que os concertos precisos nos chafarizes
do Tambi e Grvala derem correr por conta da
administrado provincial, que nesta data se in-
forma o miniaterio da guerra aobre o estado da
fortaleza do Cabedello, afim de proridenciar co-
mo julgar conveniente.
Io de abril.
Circular s presidencias das prorincias, re-
commendando que oocoocedam novas proroga-
gdes de prazo, alm das que por ventura tivejem
concedido em virtude do aviso deste ministerio
de 28 de junho ultimo, para o descont gradual de
10 por cento no ralor das notas de IgOOO da pri-
meira estampa e de 50000 da terceira, afim de
que esse descont comece em tolo,o imperio no
dia 1 de maio prximo futuro. .
A' tbesourariado Marohao, declarando, em
resposla ao seu otficio da 9 de fererelro ultimo,
que foi indeferido o recurso in ter posto pelo pri-
meiro escripturario da meama repartigo Antonio
Augusto de Barros e Vasconcellos, nomeado para
exercer, em commisso, o lugar de inspector da
theaouraria do Amazonas, da deciso da supradi-
ta tbesouraria que lhe denegou parte da ajuda de
custo que requereu ; risto que na forma daa ios-
trueges de 16 de Janeiro de 1860 e Io de margo
ultimo, os escraros nao est comprehendidos no
numero das pessoas de familia para ofim deca-
cular-se a despeza de tranaporte por mar ou por
trra: outrosim que, urna rez que a familia do
empregado nao o acompanhe na riagem, nenhum
. direito pode elle ter para reclamar o abono da
primaria das parochias que compem os collegios quantia destinada para asdespezaa depreparosde
viagem alm da de 2009, que marcada ao em-
pregado quo nao teo familia.
8
Circular s presidencias das provincias, recom-
que se anoulle a da paro-! mondando que quando tirerem de submetter
- approvago deste ministerio a nomeago de sd-
de Theresina, Piracuruca, Oeiras, Picos. Inde-
pendencia, Parnabiba, S. Raymundo Noonato,
Paranagu, Gorgueia, Jerumenba, e a de Marro,
presidida por Antonio Fernandos de Vasconcel-
los, resolvendo : 1.
cha de Valonea, presidida pelo 3o juiz de p
Norberto Soares da Silva, e as duas da parochia
das Barras, presididas pelos juizes de paz desta
parochia e di de Gampo-Maior; 2., que sejam
annullados os collegios que os eleitores destss
turmas organisaram, bem como o que formaram
os da turma anoullada da parochi* de Valeoga ;
e ordenando que mande proceder nova eleigao
primaria na p'arochia das Barras.
Ao do Rio-Grande do Norte, communican-
do que foi opprorada a ordem que deu para se-
rem pagas as ajudas de cusi aos deputados elei-
tos pela mesma prorincia, e declarando que, es-
tando a presidencia habilitada para determinar
esse pagamento, risto que para elle foi aberto o
competente, crdito em aviso de 21 de setembro
do anuo passado, nao era preciso que expedisse
aquella ordem soD sua respoosabilidade.
30
3 seego. Ao presidente do Maranho, com-
municando que a cmara dos deputados approvou
a eleigao primaria das parochias que compem o
Io oistriclo eleitoral, com as modicagdes cons-
tantes do parecer de que se lhe enva copia ; e
ordenando que faga executar as concluidas do
mesmo parecer, mandando proceder nova elei-
gao de eleitores na parochia da Victoria.
Ao de Pernambuco, para mandar proceder
eleigao de um depulado pelo 2 districto, para
preencher a vaga que deixou um doa eleitos, no-
meado ministro e secretario de estado.
Io de junho.
4a seego. Ao ministerio da fazenda, para
que baja de mandar entregar ao Dr. Pedro Au-
tran da Matta Albuquerque a quantia de 2:000,
Ao da do Maranho, para enviar quanto an- que lne concedida na forma da lei pelo seu
tes as actas da eleigao primaria das parochias de
Ignacio Pinbeiro, Santa Helena, Imperatriz e
Riacho, e fazer remelter as da eleigao secunda-
ria dos collegios da Vargem Grande e Garolioa,
bem como a da apurago geral dos rotos para
deputados do Io districto.
Ao da do Pata, aecusando a recepgao das ac-
tas das el riou, e determinando que quanto antes remella
as que faltam da eleigao primaria.
Ao mesmo, aecusando a recepgao das actas
das eleigoes primaria e secundaria, que enviou,
e determinando que remeta quanto antes as ac-
tas da eleigao primaria das parochias do Saboeiro,
Assar, Carmo, Canind, Santa-Cruz, Telha e
Jardim, e faga enviar a da apurago geral dos
rotos para deputados do 3 districto.
Ao da da Parahyba, aecusando a recepgao
das actas da eleigao primaria que remelleu, exi-
iodo as das parochias de Taip, Araruna e
ianc.
compendio Pretecgoes de economa poltica.
i Ao director da faculdade de direito do Re-
cite, para informar sobre o requerimento dirigido
cmara eos Srs. deputados, em que Manoel do
Reno Barros Souza Leo pede ser admittido
i matricula e acto do 4o anno, mediante exame
do 3"
anuo, que deixou de
i previo das materias
fazer em lempo.
5a seego. Ao presidente da provincia do
Piauhy, communicando que foi indeferido o re-
querimento em que Agosiinho daCunba Macha-
do pede que se lhe compre urna porgo de pilu-
las, que diz ter inventado para curar mordedu-
ras de cobra.
Ao presidente do Maranho, communicando
a licenga concedida ao convento do Carmo para
render um escraro que nio convem conservar,
urna vez, porm, que o seu producto seja con-
vertido em apolices da divida publica.
Ia seego. Circular aos presidentes das pro-
vincias, recommendando que nao dirijam a este
mioisterio omcios e requenmentos que rersarem
recepgao das actas da eleigao primaria, que en- sobre objectos que perlencem ao novo ministerio
nou, e determinando que quanto antes remella da agricultura, eommercio e obras publicas, co-
as das parochias de Extremos, Serra Negra, Pa- mo se tem feito, quer na correspondencia da
tu e Porto-Alegre, e faga remelter a da eleigao presidencia, quer na das thesourarias de fazenda.
secundaria do collegio de Touros. apesar das ordens expedidas por ambos os minis-
Ao da de Pernamouco, aecusando a recepgao teos, quando foi installado este ultimo : e que
das actas da eleigao primarla, que enviou, e de- a mesma recommeodago facam s thesourarias
terminando que remeta as que faltam, e faga re- I Circular aos mesmos, para que fagam en-
nielter as da eleigao secundaria dos collegios que ] volver em papel forte ou encerado a correspon-
por ventura faltaren), e que se ignora quaes se- dencia que enriarem a este ministerio para eri-
jam, por elle nao ter enviado o acto pelo qual de- tar que chegue ella dilacerada, como multas re-
signou os collegios eleiloraes, regulando-se na zea tem succedido, fazendose toda a correspon-
Ao da do Rio-Grande do Norte, aecusando a
remessa pela relacao que se lhe enria, das actas
recebidas.
Ao da das Aisgas, aecusando a recepgao
das actas das eleigoes primaria e secundaria, e
documentos anoexos que enriou, e exigindo a
da eleigao primaria da parochia de Panema.
Ao da do Cear, determinando que faga cum-
prir as seguales deliberares da cmara dos de-
putados: Ia, approraodo as eleigoes primarias
das parochias que forman o 1" districto eleitoral 1860, eoatod'dlrarMs dlsposfcSes sVbraVcrea-
da prorincia ; 2, annullando o diploma do elei-lcao e orgaoisago dos bancos, companhias, socie-
dencia em um s mago, sempre que isto r pos-
sivel.
Ministerio da fazenda.
EXPEDIENTE DO DU 20 DE MARCO DE 1861.
Circular aos presidentes, para que informen) ae
foi publicado as respectivas provincias, e em que
data, o decreto n. 2,711 de 19 de dezembro de
respectivo collegio, e annullando o diploma de
Jos Moreira de Azeredo ; 4a, eliminando da lis-
ta dos supplentes de eleitor os nomes de Joo
Caetaoo de Azeredo, Jos Joaquim de Altneida,
Domiogos Martina de Caalro Jnior, Francisco
Juvenal de Abreu, Norberto Bezerra de Albu
uerque, Jusliniano Nones de Mello, e Aderaldo
rancisco da Costa Moreira.Commanicou-se &
cmara dos deputados.
Ao mesmo, para que faga cumprirasseguin-
tes deliberages da cmara dos deputadoa : Ia,
approvando as eleigoes primarias das parochias
que formam o 3" districto eleitoral da provincia;
2a, annullando os rotos para eleitor da parochia
da Telha dados a Benevenuto Cavalcanti de Lima,
Sor se achar pronunciado em proceaso crime, e
eclarando eleitor, em lugar dalle, o 1 sup-
pleote Jos da Paix&o e 5ouza.Commuoicou-
se i cmara dos deputados.
-23 -
3a secco.Ao presidente do Maranho, de-
clarando que ao sea officio o. 3 de 26 de margo
ultimo nao acompanhou a aulhentica da eleigao
de eleitores da parochia de Santa Helena, que
diz enriar.
Ao de Pernambuco, pan que sejam addic-
cionados ao cidadio Jos Anastacio Camello Pes-
aos Jnior os 420 rolos que foram tomados em
separado, por serem dados a um indididuo do
mesmo nome sem o qaalificstivo Jnior, risto
prorar-ae que taes rotos lhe pertencem.
26
3a seego. Ao presiden tedo Amazonas, com-
mo anuo.
- 23
As presidencias daa prorincias, declarando que
cooriudo uniformisar a substituiglo sem descon-
t das notas de 20JOOO da quarta estampa, papel
branco, de modo que essa substiluigo termine no
mesmo dia em todo o imperio, foi prorogado at
o dia 31 de julho prximo futuro o prazo marca-
do pela circular de 13 tJe agosto do auno findo;
devendo comegar do primeiro da agosto deste au-
no, a correr os dez mezes para o descont meo-
sal de 10 por cento na forma da lei; cumpre pois
que as mesmas presidencias ssim o fagam publi-
co por meio de edilaes e de annuncios nos jor-
naea das provincias, ficando outroaim revogada
a auloriaago concedida no aviso de 13 de agos-
to para prorogar por tres mezes o referido pra-
zo.A' caixa da amortlsago na mesma conformi-
dade.
26 -
A' presidencia da Parahyba, autorisando-a, em
resposla ao sea officio n. 12 de 15 do mez ultimo,
a que acompanhou o que lhe foi dirigido pela
tbesouraria da meama provincia, para mandar
vender, na forma do art. 11 9 6 da lei de 27 de
setembro de 1860:
Io, a ermida dos presos, depois do necessario
acto de proanago, para o que se derer. avisar
o ordinario;
Io, o predio que serrio de casa da plvora ;
3o, a casa do Pescado;
4*. o aitio do Salgado na villa do Pilar;
5a, os chaos na praia de Tamban, separaodo-se
a nomeago
ministradores e escrives de mesaa de rendas
traosmiltam igualmente as propoatas das thesou-
rarias e as ioformages respectivas para que se
possa resolver com ioteiro conhecimento de
causa.
10
A* presidencia do Rio Grande do Norte, com-
municando, em resposla a seu officio de 11 de
maio ultimo, que por imperial e immediata reso-
lugo de 11 de agosto prximo findo foi decidido
que a lei da assembla da dita provincia, n. 481
de 14 de abril, que autorisou a presidencia para
encorporarna provincia um banco rural e hypo-
thecario, offende o acto addicional, porque trata
de materia que est fra da aleada das assemblas
provinciaes; visto como em nenhum dos artigos
10 e 11 do mesmo acto sao estas autorisadas para
legislar sobre bancos e sua organisagao, qualquer
que aeja a sua nalureza, dectarando-se entretan-
to no art. 12, para maior clareza do aasumpto,
que nao podero as assemblas provinciaes le-
gislar sobre algum outro objecto nao comprehen-
didos naquelles dous precedentes artigos: re-
cummenda-se pois mesma presidencia que so-
br'esteja na execugo dessa lei emquanto a
assembla geral legislativa nlo decidir a ques-
to.
22 -
A' presidencia do Piauhy, communicando que
S. M. o Imperador, conformando-ae com o pa-
recer da sei^u ae lazenaa do cousuino ae estado,
a quem ouvio sobre deciso dada pela dita pre-
sidencia compsnhia de navegago do rio Par-
nahyba, e commuoicada em officio n. 35 de 3 de
Janeiro do correte anno, manda declarar, para
que chegue ao conhecimento da companhia, que
pode levar as subvengoes com que a presidencia
a auxilia aua conta dos lucros lquidos, na for-
ma do 8 do art. 1 da lei n. 1,083 de 22 de
agosto do anno passado, para a distribulgo dos
respectivos dividendos; com tanto porm que s
se cootemplem em cada semestre as subvnnda
pagas durante elle, e nao as que anda se acharem
em divida, embora vencidos.
A da Parahiba, communicando que fra re-
metlido a este ministerio, por lhe pertencer o as-
aumpto, o officio de 13 de ferereiro ultimo, em
que essa presideocia participa ao miniaterio do
imperio que expedir ordem respectiva theaou-
raria de fazenda, afim de que o piocurador fiscal
fizesse reirindicar por parte da fazenda nacional
os terrenos da nago que teem sido inradidos e
oecupados por particulares; declara-se pois, em
resposla, que, se anda fr lempo, convm recom-
mendar ao procurador fiscal que antes de propor
a acgo da reirindicago trate de reriQcar, com
audiencia dos confrontantes, e rista dos ttulos,
os limites da propriedade que serr de palacio da
presidencia. ,
-25
A' tbesouraria das Alagas, communicando
que lora indeferido o requerimento, informado
pela respectiva presideocia a 23 do mez ultimo,
em que Manoel Ribeiro Brrelo de Menezes pe-
dia ser nomeado 1.* escripturario da alfiodega,
risto ser de concurso esse lugar. E por esta oc-
casio ordena-se que faga reralidar o sello do
req'ierimento do supplicante, so quando reque-
reu j haria na mesma tbesouraria conhecimen-
to do noro regulamento do sello.
-29-
A' thesouraria de Pernambuco, autorisan-
do-a para pagar companhia da estrada de ferro
da prorincia nao s a importancia dos juros a que
eslirer sujeita mesma thesouraria pela mora
a que houre em acudir & stima chamada feita
pela companhia, com a quota correspondente s
aeges pertenceates fazenda nacional encon-
trando-se essa importancia nos di vendos a rece-
bar, mas tambem o ralor correspondente oita-
ra chamada, que deve effectuar-se at o dia 7 de
maio prximo futuro.
A' das Alagas, communicando que foram
iodeferidos os requerimenlos que se devolvem,
informados pela presideocia em 23 e 29 do mez
ultimo, em que Augusto Pereira Ramalno, Pres-
ciiiano Antonio Simes de Souza, Gervasio de
Oliveira Coelho e Jos Venceslao Maciel Pinbei-
ro, pediam ser nomeados para os lugares de Io
ou 2 escripturarios da alfandega, risto ser de ac-
cesso aquello lugar, e este de concurso. E por
esla occaaio ordena-se mesma thesouraria que
faga pagar a reratidaco do sello a que estaram
sujeitos os ditos requerimentos se, como de
presumir, j haria nessa repartigo conhecimen-
to do noro regulamente do sello na poca em que
foram apresentados.
1 de maio.
A' thesouraria do Py, ordenando que de-
rolra ao tbesouro o titulo declaratorio do renci-
mento annual de Podro Jos de Alcntara, apo-
sentado no lugar de solicitador dos faites da fa-
zenda da provincia, afim de ser convenientemen-
te apostillado, visto ter-se decidido que lhe fosse
contado o tempo de servigo prestado no corpo
policial.
A' do Maranho, ordenando que devolva o
titulo declaratorio do rencimenfco annual de Joa
uim Serapio da Serra, aposentado no lugar
e lliesoureiro da dita thesouraria aOm de ser
apostillado por ter-se decidido que lhe fosse
contado o lempo de serrigo prestado nocorpo~po-
licial.
-6-
A' thesouraria de Pernambuco, mandando,
em resposla a seu officio n. 85 de 17 do mez lin-
do, anaunciarnovamenle o concurso para preen-
chlmento das ragas de pratieantes da alfandega.
marcando o prazo que-julgar necessario.
Ao presidente do banco do Brasil, remetiendo,
com o officio da presidencia do Cear de 14 de
abril prximo passado, o requerimento que o
acompanhou, no qual a cmara municipal da
villa do Maranguape. pede a installago da caixa
filial desse banco na mesma provincia, cujos es-
tatutos foram approvados pelo decreto n. 2.604
de 23 de junho do anno passado, afim de que se
airra tomar tal pretengo na coosiderago que
merecer. Communlcou-se presidencia do
Cear.
ao presilente
Ministerio da agricultura, eommer-
cio e obras publicas.
EXPELIENTE DE 4 DE MAIO DE 1861.
Terceira directora.
Ao presidente da prorincia do Para, communi-
cando que o gorerno imperial entende nao ser
possivel actualmente conceder o augmento de
crdito pela rerbaCatechesepedido pela the-
souraria da fazenda.'
15
Segunda directora.
Ao presidente da prorincia de Pernambuco,
communicando ter-se nomeado o engenheiro
William Martineau para fiscal da construego da
ponte de ferro contratada para a mesma provin-
cia com Horacio Groen pelo prego de 250 OOOfl,
e para ajudante daquelle, especialmente incum-
bido da fiscalisagao, o engenheiro Joaquim Pires
Garneiro Monteiro.
Terceira directora.
Ao presidente da proviocia do Maranho, com-
municando em resposla aos seus officios de 13 de
margo e 3 de abril ultimo, aos quaes acompa-
nharam informages acerca da renda da Ilha dos
Botes, situada no terreno da cidade de Carolina,
que nenhuma deliberado pode o gorerno impe-
rial tomar a tal respeito emquanto nao ti ver essa
presidencia expendido a sua opinio bem expl-
cita, ficando certa de que em caso algum se
eftectuar semelhante venda fra de hasta pu-
blica.
-16
Segunda directorio.
Ia seego.Ao presidente da prorincia de Per-
nambuco, declarando, em additameoto ao aviso
expedido hontem, que foi arbitrada ao engenhei-
ro Joaquim Pires Carneiro Monteiro, nomeado
para fiscalisar a construego da ponte de ferro
contratada com Horacio Green. a Rratificaco mea-
sal de 200SOOO.
Quarta directora.
Administrador do correio do Rio Grande do
Norte, enviando o titulo do agente do correio de
Aogicos.
Ao do do Para, para que informe sobre a
conveniencia e despeza que trar a crlago de um
correio entre Porto de Moz e Gurupa.
Aodo de Pernambuco, para quo se dirija
sempre ao director da 4a directora.
18 -
Terceira directora.
. Ao presidente do Para, communicando ter
o governo indeferido o requerimento de Antonio
Joaquim de Vilhena, o qual pede que ae lbe ven-
da 500 bragas de trras no primeiro territorio de
terrenos derolutos na visinhanca da capital dessa
prorincia.
20
Primtira directora.
2a seego.Ao ministerio da fazenda, para que
sejam augmentados os crditos concedidos s
prorincias de Pernambuco, S. Paulo, Santa Ga-
tbraina e Rio Grande do Norte, para as despezas
com a rerbacorreio.Communicou-se 2a e 4a
directoras.
Quarta directorio.
Officio ao administrador do coireio da Parahy-
ba reapondendo a outro do mesmo aobre a quelxa
feita palo niari o correio de Pernambuco,
Ao do do Rio Grande do Norte, "pedindo In-
formages acerca da agencia que elle diz existir
no Jardim.
21
Primeira directora.
Ia seego.Ao presidente da prorincia do Ma-
ranho; communicando os fundamentos da con-
sulta da seego dos negocios do imperio do coo-
selbo de estado de 17 de julho do anno passado,
resolvida em 23 de Janeiro ultimo sobre as expli-
cages pedidas acerca dos estatutos da companhia
Goofiaoga Maranhense ; e bem assim declaran-
do que aioda dnridosa a propriedade do ter-
reno onde a mesma companhia pretende edificar
a praga do mercado, e que urna das clausulas do
do contrato equivalente renda de dito ter-
reno.
Circular s provincias, remetiendo o rela-
torio que o Sr. ministro apresentou assembla
geral legislativa, na sesso do correte anno.
Segunda directora.
Ao presidente da prorincia do Amazonas,
communicando, em resposla ao seu officio de 18
de margo ultimo, que approra as despezas com
as obras da mesma prorincia, que mandou pagar
sob sita responsabiliJade, risto nao ter anda ah
recebido a ordem do thesouro, pondo sua dis-
posigo a quantia de dez cootos de ris concedi-
da por aviso do ministerio do imperio de 6 de
fevereiro ultimo para auxilio das obras da mesma
prorincia.
Terceira directora.
Circular s presidencias das provincias do
Para, Maranbo, Cear, Parahiba, Pernambuco,
Baha, S. Paulo. Santa-Catbarioa e S. Pedro,
para que sejam compellidos os vigaries das res-
pectivas parochias a remetter repartigo res-
pectiva os livros de registro de trras, isso sob
pena de multa no caso de nao cumprimeoto de
seus deveres, na forma exagerada no aviso de
10 de junho de 1859, explicando o regulamento
de 30 de Janeiro de 1854.
dem a todoa os presidentes de provincia,
para que informen) sobres importancia das mul-
tas em que lem iocorrido os possuidoros de tr-
ras negligentes em prestar as deelarages precisas
ao competente registro.
dem a presidencias de diversas provin-
cias, para que transmittam com a possivel bre-
vidade a este ministerio os mappas e aa iofor-
mages acerca das terraa possuidas cujo registro
deve ser organisado vista dos livros remettidos
pelos viganos e bem assim os relativos ao registro
geral das mesmas trras.
Ao presidente da Associsg&o Central de
Coloolaago, para que informe em que diaposiges
acham-se os 65 colonos que por conta do gover-
no imperial vieramde Antuerpia no navio Cesar,
quaes as deelarages que tenham feito acerca de
seus destinos.
Quarta directora.
Ao administrador do correio de Pernambu-
co, communicando-lba harer sido accresceotado
com 698| o crdito para o exercicio correte.
No mesmo sentido ao administrador do correio
de S. Paulo por 8:0590580, ao do Rio-Grande do
Norte por 35J770, e ao de Santa Calharina por
Su0#.
-23 -
Primeira directora.
Ao preaidente da provincia de Pernambuco,
devolrendo o batanete da companhia de seguros
martimos Seguridade, com agencia na capital da
Na mesma conformidade
vincia do Para.
24
Primeira directora.
Ao presidente da provincia de Pernambuco,
derolvendo o balango da companhia de seguros
martimos Seguridade, afim de que seja organi-
sado de conformidade com o modelo anoexo ao
decreto n. 2,679 de 3 de novembro de 1860.
Quarta directora.
Ao administrador do correio de Pernambuco,
para que enve a esta directora as facturas
das cartas remedidas pelos vapores fraocezes para
esta corte e Babia desde oulubro do anno pas-
sado. r
27
Quarta directora.
Ao administrador do correio da Parahyba,
declarando que as remessas dos balaocetes e or-
gamentos devem ser feitas em tempo competen-
te, psra poderem servir a esta directora na con-
fecglo do relatorio e orgamento.
I Ao do do Para, remettendo-lhe o titulo de
MaB^el Silverio da Costa, nomeado agente de
correio para Cintra.
;Ao do do Piauhy, remettendo-lhe o titulo
de nomeago de Joaquim Manoel de Lima psra
agente do correio de Jaicoz.
Ao
Ao
Ministerio da guerra.
EXPEDIENTE DE 18 DE ABRIL DE 1861.
Segunda directora geral.
presidente da provincia da Parahyba, re-
metiendo, para ter o conveniente destino, a f
de officios do lente do corpo de guarnigo da-
quella provincia Benjamn Rodrigues Baplista.
Terceira directora geral.
Ao presidente da provincia do Maranho, man-
dando fornecer pelo respectivo deposito de ar-
tigos bellicos ao laboratorio pyrotechino da mes-
ma provincia, a plvora de que trata no sou offi-
cio de 28 de fevereiro ultimo.
I Ao mesmo, idem ao corpo de guaraigo da
dita provincia os objectos constantes da nota que
se lhe remelle.
- 19 -
Quarta directora geral.
A|> inspector da thesouraria de fazenda da
provincia do Cear, devolvnndo quatro procesaos
de dividas de exercicios fiados, afim de mandar
sslUfazer a indicago da 3a seego desta directo-
ra geral.
- 20 -
Segunda directorio geral.
presidente da provincia do Cear, exi-
gindo a certido de assentameotos do soldado do
batalho de eogenheiros Luiz Antonio de Hollan-
da, que pertenceu ao meio batalho de cagado-
res oaquella provincia.
Requerimento indeferido.
Do pharmaceutico Cypnaoo Luiz da Paz, recla-
mando contra o contrato que fez para foroeci-
meoto de medicamentos enfermara militar da
prorincia da Parahyba.
-22-
Segunda directora geral.
Ao preaidente da provincia do Rio Grande do
Norte, exigindo esclarecimentos sobre a data da
captura do desertor do 1 batalho de artilharia a
p Jos Francisco de Oliveira.
Ao presidente da provincia do Maranho,
declarando, em solucan an aeu officio n. 191 de
20 de margo ultimo, que desta data em alante
sero as etapes pagas razio de 300 rs., deveu-
do porm haver todo o cuidado, am de que se-
jam de boa quslidade, mas nao superfluos os g-
neros que se tirerem de fornecer s pragas do
exercito.
23
Segunda diretoria geral.
Ao presidenta da prorincia do Amazonas, re-
mettendo para ter o coaveniente destino a f de
officios do soldado do corpo de artilharia daquelia
provincia Aniceto Monga.
Quarta diretoria geral.
Ao presidente da provincia da Parahyba, decla-
rando haver sido indeferido o requerimento em
que o pbarmacentico Cypriano Lutz da Paz, pe-
dia preferencia ao fornemento de medicamentos
respectiva enfermara militar.
Requerimento indeferido
Do capito do 10 batalho deiofantaria Lucia-
no da Cmara Guaran, em que pedia gratifica-
cao de commando de destacamento composto de
40 pragas.
25 .
Segunda directora geral.
Ao presidente da prorincia da Parahyba, de-
clarando que o cabo de esquadre do corpo de
guarnigo daquella prorincia, Antonio Jos Ve-
Iho, que foi inspeccionado de saude e julgada in-
capaz do serrigo, dereria all esperar o seu des-
tino.
+ Terceira diretoria geral.
Circular.Illm e Exm. Sr.Conrindo estabe-
leecer o meio pratico para a execugo do dispos-
to no art. 15 do regulamento que baixou com o
decreto n. 2,171 do Io de maio de 1858, ha por
bem S. M. o Imperador determinar que os arae-
naes e depsitos de artigos bellicos, das prorin-
cias do Imperio remetlam com a precisa anteceden-
cia os pedidos de fardameoto que devero ter em
arrecadaco, para ser foroecido aos recrutas que,
de accordo com o art. Io do citado regulamento,
forem por V. Exc. julgados apura veis durante o
anno finaaeeiro seguinte, com destino corte,
eotregando-se ao corpo em que assentarem pra-
ca as pecas do mesmo fardamento, que devem,
na occasio conveniente, ser distribuidas e men-
cionadas as guias que os acompaoharem ; fican-
do subentendido que os recrutas que tiverem de
pertencer aos corpos de guarnigo das provincias
sejo pelos mesmos corpos supprldos com as pe-
gas de fardameoto a que tirerem direito-; para o
que os respectivos commandantes incluiro nos
pedidos o numero de dez fardamentos com-
pletos por companhia.
Dos guarde a V. ExcMarque: de Caxias.
Sr. presidente da proviocia de......
Ao presidente da. provincia do Maranho,
enviando por copia as informages que deu o di-
rector do arsenal de guerra da corte das faltas
encontradas na matarla prima para all remelti-
da pelo rapor Paran.
Circular.Rio de Janeiro.Mioisterio dos ne-
gocios da guerra, 25 de abril de 1861.Illm. e
Exm. Sr.Gonvindo eatabelecer o meio pratico
para a execugo do dispos no art. 15 do regula-
mento que baixou com o decreto o. 2,171 do 1*
de maio de 1858, ha por bem S. M. o Imperador
determinar que os arseoaes e depsitos de arti-
gos bellicos daa provincias do Imperio remet-
lam, com a precisa antecedencia, os pedidos de
fardamento que devero tar em arrecadago para
ser fornecido aos recrutas que, de accordo com o
art. 1" do citado regulamento, forem por V. Exc.
julgados apurareis durante o anno Qnancairo se-
guate, com destino & corle, enlregando-se ao
corpo em que aasentarem prava, as pegas do mes-
mo tardamente, que dovem, na occaaio conve-
niente, ser distribuidas e mencionadas as guias
que os acompan harem ; ficando subentendido que
os recrutas que tiverem de pertencer aos corpos
de guarnigo das provincias sejo pelos mesmos
corpos supprtdos com as pegas de fardamento a
que tirerem direito
da mesma provincia, afim de
niaado de conformidade com o modelo annexo I numero de dez [ardamealoi completos por com-
o decreto a. 2,679 de 3 de aorembro de 1860, 1 panhia.
1 Pr- Dos guarde a V. Exc.-J/ar?uez de Caxias.
Sr. presidente da provincia de....
26
Segunda directorio geral.
Ao presdeme da provincia de Pernambuco,
ordenando que faga seguir a reunir-se ao corpo
de guaroigo da Parahyba do Norte, a que per-
tence, o tenente Rozeodo Monteiro de Lima.
Quarta directora geral.
Ao inspector ta tbessouraria de fazenda da
provincia do Para, mandaodo fazer carga ao te-
nente do 3o batalho de artilharia Francisco Joa-
quim Alfonso, a quaotia de 210$500 (que lhe se-
r descontada pela quiota parte do sold), pro-
veniente de urna passagem dad) cusa do Esta-
do a um sea irmo n'um dos vapores da compa-
nhia Brasileira, visto nao se o poder coosiderar
pessoa de familia, nicamente pelo faci de ter
menos de 18 annoa de idade, para ser o respecti-
vo transporte por conta do goveroo; Ocando-lha
salvo o direito de prorar que orpho.
Requerimento indeferido.
Do alferes de guarnigo da proviocia do Mara-
nho Francisco Raymundo Maciel, pedindo que
seja suspenso o descont que est soffrendo em
seus vencimentos para pagamento do que deve
fazeoda nacional, e que lhe seja entregue o que
j se tem descontado.
29
Segunda directora geral.
Ao presidente da provincia de Pernambuco,
exigindo esclarecimentos acerca do destino que
leve o soldado do 4* batalho de inftntaria Joo
Manoel. -
guara directorio geral.
Ao presidente da provincia do Maranho, para
que faga constar ao tenenle-coronel Joo Vctor
Vieira da Silva, que quando forem reformados os
conselhos administrativos, ser tomado em coo-
siderago o qneexpe elle no requerimento infor-
mado pela referida presidencia em officio de 10
do correte; e que entretanto, se nao est satis-
feito na commisso em que se acha, que real-
mente impropria de um official do corpo de eo-
genheiros, pode pedir a sua demisso, que ser
attendido, e nomeado para emprogo proprio da
arma a que pertence.
30
Segunda directorio geral.
Ao presidente da provincia do Maranho, exi-
gindo a certido de assentameotos do Io sargen-
to do 13 batalho de infaotaria Joo Diogo Duar-
to, que assenlou praga em 1841 no extiucto ba-
talho provisorio daquella prorincia.
Terceira directora geral.
Ao presideote da provincia do Para, mandan-
do fornecer ao forte do Castello os objectos cons-
tantes da nota o. 1, e concertar os que constata
da nota o. 2, pertencentes ao 3 batalho de in-
infantaria, e declarando outro sim que bem pro-
cedeu o marechal de campo commandante das
armas daquella proviocia devolveDdo os pedidos-
de fardamento que fez o commandante do 11 ba-
talho de infamara, por nao terem sido incluido
no pedido geral, e que para obviar outras duvi-
das, que possam vir a suscilar-se, foi expedido
o ariso circular de 25 do correte.
8 de maio
Primeira directora geral.
Ao secretario da provincia de Pernambuco, re-
metiendo o titulo pelo qual foi nomeado Horacio-
de Gusmo Coelho para o lugar de almoxarife do-
respectivo hospital militar, oflm de ser entregue
ao agraciado, que antes de entrar em exercicio
dever satisfazer a importancia dos emolumentos,
sello e direitos constantes da nota junta.
Segunda directorio geral.
Ao presidente da provincia de Pernambuco,
remetiendo o requerimento do 1* cadete Io sar-
gento do batalho de infantaria Francisco Luiz
de Magalhies Fontours, afim de se lhe annexar a
certido de assenlamento do mesmo cadete.
10
Quarta directora gerat.
Ao presidente da proviocia de Pernambuco,
autorisando-o, em solugo ao seu officio u. 292
de 10 de abril ultimo, a mandar fazer a despeza
com a illuminago a gaz do quartel do Campo das>
Princezas, avallada em 5209500.
Ao mesmo, determinando, vista do pare-
cer da respectiva thesouraria de fazenda sobre a
gratificado mandada abonar ao amanuense do
hospital militar daquella provincia, Joo Tiburcio-
da Silva Guimares, gratificacao correspondente!
a sete dias que estove com licenga, que sejam os
cofres pblicos indemnisados da quaolia de ris
12g903, visto nao poder o dito presidente conce-
der licenga com vencimentos por inteiro, nem sa
ter declarado que fosse por motive de molestia
que o empregado a obtere.
11
Segunda directora geral.
Ao presidente da prorincia de Pernambuco,
exigindo esclarecimentos sobre o soldado Acacia
Leandro da Silra, que consta ser desertor do ba-
talho de deposito,
Terceira directora geral.
Ao presidente da provincia do Para, man-
dando fornecer ao altar da enfermara militar a
ao corpo de artilharia do Amazonas os paramen-
tos e mais objectos coaslaotes da nota que se lho
remelle.
Quarta directora geral.
Ao Sr. ministro da fazenda, em solugo aos
seas avisos de 29 de abril ultimo, em que di co-
nhecimento dos recursos iolerpostos pela thesou-
raria da fazenda de Pernambuco, contra aa deli-
berages da presideocia mandando pagar 250$,
importancia de urna carroca para o 2a batalho
de infaotaria, e 129903 da gratificado do ama-
nuense do hospital militar Joo Tiburcio da Silva
Guimares, durante os dias em que estere com
licena ; que tend sido procedente taes recur-
sos, nesta data se expede ordem dita thesoura-
ria, para que seja a fazenda nacional indemnisada
daquellas quantias, por derer a primeira despeza
correr pelo conselho ecooomico do corpo, e ser a
segunda irregular, risto nlo poder a presidencia
conceder licenga com rencimento por inteiro.
Expedio-se ordem thesouraria de fazenda da
prorincia de Pernambuco.
Ao presidente da provincia da Parahiba,
para que d as suas ordens afim de que seja sus-
pensa a consignado de 20f, que mensalmenta
alli deixava o capito do 6a batalho de infanta-
ria Jos Thomaz Henriques, remettendo a esta
secretariado estado a competente guia.
13
Sefunda directora geral.
Ao presideote da provincia do Para, remet-
tendo os autos do procesao rerbal de conselho de>
guerra de duas pragas do 3 batalho de artilha-
ria a p, para que sejam cumpridas as sentengaa
proferidas pelo conselho supremo militar de ins-
tiga nos mesmos processos.
Ao da de Sergipe, idem para o mesmo fina,
os de cinco pragas da companhia de cegadores da-
quella provincia.
Ao da de Pernambuco, idem idem os da
seis pragas pertencentes a corpos da guarnigo
daquella provincia.
Tereeira directora geral.
Ao preaidente do Amazanas, declarando qua
pelo arsenal de guerra do Para se mandam for-
necer ao respectivo corpo de artilharia os objec-
tos constantes da nota que se lhe remelle ; e qua
o papel outros artigos para a escola elementar
. para o que os respectivos
ue seja orga- commandantes incluiiro nos pedidos sonases o 4o respectivo corpo, derem ser fornecidos i
forma prescripU pele aviso circular de 14 >
abril ultimo.


m
=*=
11
URIO DI rBaiAHBQQO. SABBADO 13 DI JULHO M 1M1.
_______________
Ao da do Para, mandando fornecer ao corpo
de artilharia do Amazonas os objedoa eupra.
- 14 -
Primeira direcloria ger+L
Ao presidente da proviocia do Cear, idem
* maodar proceder demolilo da capella da
Assumpgio, sita na praga d'armas do quartel do
respectivo corpo de guarnico, afn do coaatruir-
M Ira, visto como aquella est m estado de
completa luioa ; deveodo porem antend-er-se com
e sacerdote que all r-xerea delegasen do bitpo
deocesano e com o juiz do capella*, ae aa do que
m trata hoaver alguma iraiandads au devogo
com direito a sua posse.
Ao presidente da provincia do Par, exigin-
do o ce tt ida o de asaantamentos do cabo do ea-
quadra do 11 uataltao de iofaotaria Beaventura
Rodrigue.
Ao mesmo. remetiendo os autos de processo
verbal de cooselho de guerra, do soldado do 11
balalho de iofaotaria Antonio de Paula Perreira,
afim de que seja cumprida a senienga proferida
pelo cooselho supremo militar de Justina ao mes-
too processo.*
Ao da do Maranho, exigindo a cerlidao de
assentamentos do aospengada do 6 balalho de
iofaotaria Amonio Lutz de Souza, que perleoceu
ao 3 da mesma arma.
Ao da da Parahiba, idem as dezaseis pragas
do corpo de guarnico daquella proviocia.
Ao mesmo, remelleudo a cerlidao de asseo-
tamentos do cabo de esquadra Silvestre Alves do
Nascimento, queseado do Io balalho de iofao-
taria engajou-secom destino ao corpo de guarni-
co daquella proviocia.
21
Segunda directora geni.
Ao presidente da provincia do Amazonas,
ordenando que o alferes do Io regiment de ca-
vallaria ligeira, Joaqaim Jos de Araujo Lobo,
seja recolhido a etta corte.
Ao da de Pernambuco, remetiendo as rea-
cues das pracas que tiveram baixa do servico no
znez de marco ultimo, aflm de que mande fazer
meo;ao dos moriros por que forara mandadas ef-
fectuar taes baixjas,
Requfrimentos indeferidos.
Dos lenles Loureuco Ignacio Burguesa da
Cama e Caetanojda Gusta Araujo e Mello, este do
4o batalho de infantaria, e aquello do 6n, pe-
diodo troca de rjorpos entre si.
Do teoeate do corpo de estado maior de 2a
classe Jos Ignacio de Medeiros Ufgo Honteiro,
pedindo ser promovido a cipito com antiguida-
de de 7 de selehibro de 1847.
Terceira directora geral.
3a secgo.Rio de Janeiro. Ministerio dos
negocios da guerra, era 21 do maio de 1861.
Illm. e Exm. Sr.Conviudo, para maior urufor-
roidade des corraos de guarnico pertenceotes a
arma de ca valija ra, que as respectivas cavalga-
duras usem dejschabraiks nos dias solemnes e
de fesla nacional, como por aviso de 18 de Ja-
neiro do crreme anuo se concedeu aos dos cor-
pos daquella arma, que se acham na provincia
de S. Pedro dio Rio Grande do Sul, nao obstante
nao usaren! de uniforme grande ; de orJem de
S. M o Imperador, assim o declaro a V. Exc,
lira de que expela suas ordeos ueste sentido.
Dos guarde i V. ExcMrquez de Caxias.Sr.
presidente da proviocia da Baha.Idntico aos
presidentes d is provincias de Goyaz, Minas Ge-
raes, Pernambuco, Malto (Jrosso, S, Paulo t
Paran.
22
Segunda directora geral.
Ao presidente da provincia do Amazonas,
remetiendo, para tero conveniente deslino, a
cerlidao de ajssenlameotos do soldado do respec-
tivo corpo de arlilbaria Clemente Soares de
Gouveia.
}uarla directora geral.
idete da proviocia do Rio Grande
o Norte, para que faga constar respectiva the-
souraria de lazeoda que bem proceden negando
as vantigenS reclamadas pelo major reformado
Jos Pereira de Azevedo, como membro da com-
misso de exames praticos. relativas ao lempo
em que ha va cessado o exercicio da referida com-
niissSo, porquanto fra de duvida que, sendo
taes vantagens devidas ao (exercicio, nao pdem
uem devem na ausencia deste ser abonadas; li-
tando assim respondido .o seu ofcio n. 204 de
23 de abril udo, a que acompmhou o requer-
melo do supradilo major pedindo pagamento
das ditas vantagens.
13
Secundo direcloria geral.
Ao presidente da provincia do Amazonas,
remetiendo para ter o conveniente deslino a guia
de soccorrimeoto do soldado do corpo de artilha-
ra daquella provincia Clemente Soares de Gou-
veia.
Terceira direcloria geral.
Ao presidente da provincia do Rio Grande
do Norte, remetiendo a guia do suspenso da
consignado que nesla corle deixava o alferes da
companhia flxa da dita proviocia Galdino Caocio
de Vasconcellos Mooleiro, am de ser Iransmilli-
da respectiva ihesouraru de fazenda.
Ao do Miranho, em solucao do seu of-
cio n. 13 de 30 de abril ultimo, autorisaodo-o a
mandar contratar particularmente pelo comman-
dante do 5o balalho de iofaotaria um easaiador
para suppiir a falta do mestre da msica do dito
batalho, que fui escuso do servigo; nSo exce-
dendo porcia a 80&000 mensaes pagos pela caixa
da administrarn de economas licitas.
Ao das Alagas, devolveodo o requerimen-
lo em que D. Joaquina Candida Tavares Bastos,
viuva do Qnado alferes Jos Thom Correia, peae
o pagamento do meio sold; (visto nao correr
ptlo ministerio da guerra o respectivo requeri-
znento.
55-
Primeira directora geral.
Ao presidente da provincia do Amazonas,
remetiendo para ter o conveniente deslino a cer-
lidao de assentamontos do soldado Manuel Joa-
qun, dos Prazeres que foi transferido para o cor-
po de artilhara daquella provincia.
Ao da de Pernambuco, perguulando se s
ficaram na dita provincia cinco recrulas dos que
vinham do norte para esta corte, ou doze como
parlicipou em oficio de 7 de margo ultimo, e
quaes seus nomes, visto que dos doze que a mes-
ma presidencia diz terem Qcado nos corpos da
respectiva guarnido vieram sete para esta corle.
Quarla directora geral.
Circular.Uloi. e Exm. Sr. VeriQcando-se
que algumas vezes se tem dado urna intelligencis
demasiadamente lateral ao aviso circular de 29
de jnlho de 1857, abooando-se aosmembros das
commisses de exames praticos os respectivos
?encimemos durante o mez de margo, embora os
trabalhos durem s 15 ou menos dias, cumpre
ponderar a V. Exc. que semelbaote intelligen-
ia contraria ao preceilo capital da legislaco
sobre veocimeotos militares, que s manda abo-
nar vantagens especiaes em caso de exercicio; e
portanto fra de duvida que taes vencimenlos
s devem ser abonados emquaoto durar o traba-
Iho da commisso. O que V. Exc. assim far
saber thesouraria da fazenda dessa provincia,
para seugorerno. Dos guarde a V. ExcMr-
quez de Caxias, Sr^presidenle da provincia de...
Ao preaideote da provincia das Alagoas,
ordenando que expega as necessariaa ordeos para
que se recolha ao 8 batalho de infantaria a que
pettence, o alferes Jos Joo de Carralho, que
se acha destacado oaquella provincia.
fequerimenlos indeferidos.
Do lenle do corpo de guarnigo da provincia
do Paran, Antonio Jos Pinto Baodeira, peda-
do transferencia para o lugar de ajudanle do cor-
po da guarnico da proviocia do Maranhu.
Do 2* cadete do corpo de guarnico da provio-
cia da Parabyba Jos de Carvalho Cesar, pedindo
liceo;* para esudar o respectivo curso de arma.
Do particular 2 sargento do t" batalho de in-
fantaria Antonio Carlos Franco de S, pedindo
licenca para ser admitlido como ourinle do Io
anno do curso normal da escola central.
Do furriel do 3o batalho de infantaria Joaquim
Pereira Dias, pedindo perdi da nota de Ia de-
serco simples que commetteu.
28
Segunda directora geral.
Ao presidente da proviocia do Amazonas, com-
municando qua se expedem ordem para que v
outro official de engenheiros servir naquella pro-
vincia, e que quanlo aos reparos da quo necessi-
ta o forte de S. Joaqoim do Rio Branco, este mi-
nisterio aguarda o relalorio do coronal inspector
dos corpos a pontos fortificados daqaella provin-
cia para resolver.
~A mesmo, conamunicando nao ter o 2* ca-
dete Francisco da Barros Cardozo qua foi traua-
fendo do 1 batalho de iofaotaria para o corpo
de guarnico daquella provincia, recabido a Upo
ee i a 7 deste mez a as pegas de fda ment que*
?enceu no mez de Janeiro a abril deste auoo.^^
Ao da do Cear, exigiado u certtdeed*
ossentamentos de tres pragas do corpo de guar-
nirlo daquella proviocia.
Quarla directora geral.
Ao da Pernambuco, declarando, em respoata ao
seu officio n. 317 de 30 de abril ultimo, i quo
acompanhou a representarlo do delegado do ei-
rurgio-mr de exercito, relativamente a dispo- '
sigaa do aviso de 24 de marco ftodo, rmndaoao
I soBpeoder ao Rio Grande do Sal a execuc,o dos
arla. 8 e Id das alterages leitas no regularmenio
do corpo de sa le, que nao coovm fazer-ae ex-
tensivas Me provincia aa disposicoes do citado
aviso, nao btanle aa razos adduzidas, por a-
raam omita recente** alleracoes em queatio para
eoderooat-tas precjpitadamente, o serem para o
Rio Creado do Sal espaeislissimae as circuas-
tancias, o que nao pode aer allegado a reipeilo de
qualquer oulra provincia.
Ae inspector da thesouraria do Maraoho,
mandando ajusUrcootaa ao leaente Luiz Auuaj
lo Colin, na inlelllgeocia porm de que a licenca
com que se demorou na corte fot-lee concedida
com sold e etape.
- 29
Scounda directora geral.
Ao presidente da provincia do Piauhy, exi-
gindo o titulo de voluntario do soldado do 1" re-
giment de cavallaria ligeira Manoel Alves da
Im>
Querra direcloria geral.
Ao presidente da provincia de l'eroambuco,
para maodar pagar ao alferes Demetrio de Gus-
mo Coelho a gratiQcago que se Ine esliver de-
veudo como instructor de esgrima da guarnigo
da capital.
3 de junho
Segunda direcloria geral.
Ao presidente da provincia do Amazonas, de-
clarando que o soldado Manoel Jos das Neves,
que foi transferido do 13 balalho de infantaria
para o carpo de guarnico daquella provincia,
estando nesla corle addido ao Io balalho de in-
fantaria decrelou, e tendo respondido a coose-
lho de guerra foi condemnado na pena da orde-
nanza de 9 de abril de 1805, lit. 4 art. 1 dss pri-
meiras deserces simples.
Ao da do Maraoho, remetiendo os proces-
aos de conselhn de averigoaco a que se proce-
den, para a qualificago dos 2"* cadetes, do soldado
do5* balalho de infantaria Napoleo di Costa
Rosa e do paisano Antonio Ignacio Martina Vi-
digal.
ao mesmo, declarando que os ttulos im-
pressos para engajados e voluntarios, requisita-
dos pelo respectivo commandante do corpo de
guarnico, pode-os o mesmo corpo maodar im-
primir, se nao preferir passa-los em manus-
c rio lo.
Ao da do Piauhy, approvando a demora na-
quella proviocia, do alteres do batalho do
cadores da Baha Domingos da Costa Alvaro
Ao do Cear, remolcado, para 1er o co
nienle destino, o processo de conselho de av
guago a que se proceleu para a quiliQcsgo
2o cadete do tsrriel do eoruo da gaarnigo da
mesma provincia Alfredo da-Costa Weioe.
Ao da do Rio Grande do Norte, recommendan-
do que nao deixem de vir com a necessaria re-
gularidade e em lempo competente os mappas
mensaes pertcoceotes companhia de cagado-
res daquella provincia, pois tem havido inter-
rupgo na remessa destes papis.
Ao da da Parahiba do Norte, declarando
que tendo-se ordenado a remogo para esta corte
do capilo do corpo de eugeoheiro Domingos Jos
Rodrigues, que se acha em servico naquella
provincia, deve sobrestar ua sua sua vida al se-
gunda ordem.
Ao mesmo, commonicaodo que se expede
ordem presidencia de Pernambuco para fazer
recolher a seu corpo o lenle do corpo de guar-
nico daquella provincia Rozendo Honteiro de
Lima.
Ao da de Pernambuco, exigindo o processo
de conselho de invesligago do capilo de caval-
laria Luiz Muniz Brrelo Nelto, e lenle refor-
mado Joo C^rqueira Lima.
Ao mesmo, remetiendo, pan ter o conve-
niente destino, o processo do conselho de ave-
riguaco a que se procedeu para a qualificago
de soldado particular, do soldado do 9o balalho
de infantaria Manoel de Carralho Paes de Ao-
drade.
Terceira direcloria geral.
Ao presidente da proviocii do Para, decla-
rando que pelo arsenal de guerra da corle se
mandara remeter ao daquella provincia a mate-
ria prima e objeclos manufacturados, constantes
da ola que se Ihe enva, para o fornecimenlo
dos corpos all estacionados, e na proviocia do
Amazonas, aulorisando-o a mandar comprar pe-
lo conselho administrativo a materia prima de-
signada, ou oulra nota que igualmente se lbe
remelle.
Ao dado Maraoho, aulorisaodoa mandar
comprar pelo conselho administrativo a materia
prima para confeceo do fardameato dos corpos
e oa'proriucia do Piauhy.
Quarla direcloria geral.
Ao presdeme da provincia oo Maranho, de-
volveodo o requerimenlo do soldado reforma-
do Francisco Honorio, pedindo pagamento de
sidos que cahiram em exerci-cios lindos
alin^de que a respectiva thesouraria de fazen-
da liquide a divida reclamada nos termos da
circular de 6 do agosto de 1847.
Inspector da thesouraria de fazenda da pro-
viocia do Maraoho, remetiendo a guia de sus-
penso da consignago de 40J que mensalmeoie
deixava nesla corle o cirurgio-mor do brigada
Dr. Jos Sergio Ferreira,
llequerimenlos indeferidos.
Do alferes do 8 batalho da iofaotaria Roberto
Ferreira da Costa Sampsio, pedindo pagamento
de etapes a que se julgava com direito.
4
Segunda direcloria geral.
Ao presidente da provincia do Cear, exigin-
do a cerlidao de#assealamentos do soldado da
companhia de artfices da fabrica de plvora Ma-
noel Joaquim, que pertenceu ao 11 batalho de
infantera.
Ao da do Ceari, idem a do lambor Raymun-
do Nonato do Nascimento, q,ue pertenceu ao
amigo meio batalho de cegadores daquella pro-
vincia.
Ao da de Pernambuco, communicando nao
terem acompanhado o seu ofcio de 19 de maio
Bodo as guias de assentameoloa do Io lenle
Francisco Villela de Castro Tavares. e de soccor-
rimeoto do 2o cadete Io sargento Joo Nunes
de Araujo Sodr, e do desertor Silverlo da Cos-
ta Borges.
Ao mesmo, remmettendo para informar o
requerimenlo em que o sargenlo do 2o batalho
de infantaria Piavio Csssiano de Azevedo pede
contar lempo de aervigo.
Ao mesmo, dando diversos esclaercimentos
sobre tres pragas do 10_ batalho de infantaria.
Terceira direcloria gtral.
Ao presidente da provincia do maranho, man-
dando fornecer pelo deposito de artigos bellicos
ao corpo de guaroigo, os objeclos constantes das
notas que ae lhe remeltem.
GOVEIWfO DA PROVINCIA.
Expediente do lia lO de julho.
Officio ao coronel commandante das armas.
Sirva-se V. S. de mandar por em liberdade dan-
do-lhe baixa se j esliver alistado o recruta Jos
Cardozo Mooleiro, visto ter em seu favor iieoco
legal.
Dito ao mesmo.Queira V. S. expedir as aaas
ordens para quo a forca de primeira liona exis-
tente na cidde do Rio Formoso regresse quanlo
antea para eata capital, providenciando ao mesmo
lempo para que apenas ella ebegue siga com dea-
tino a villa de Papacaca oa comarca de Garao-
huos, ama oulra forca de igual numero de pracas,
commaodada por um official subalterno, que an-
tes de partir deve entender-se com esta presi-
dencia.
Dito ao mesmo.Queira V. S. informar cer-
ca do pagamento que solicita o Dr. chele de po-
lica oo officio que incluso remello acompanha-
do dos prets das diarias abonadas ao recruta Joa-
quim Jos de Sania Auna e desertor Joaqun
Carlos.
Dito ao capilo do porto.Manda V. S. por
em liberdade o recruta Hay mundo Ferreira de
Brito, qua foi jalgado incapaz do aervigo em ina-
pecgo do sauda segunda V. S. declaroa em aeu
officio de 9 do carrele.
Dito aa Dr. chafe de polica.Declaro V. S.
para qae o faca eonattr ao delegada de polica do
termo de Nazaretu, qua nao pode ter lugar a au-
to risago pedida no oficio, junio par coate, ao de
V. S., o. 614, da 6 do correle, par use havar
ditaoaicao alguna de le, que Iba peroita tootar
coohecimealo dea prets da guarda nacional des-
ecada e rubrica-las, competindo-lhe nnasaiile
trazer ao conhecimeoto desta presidencia os adu-
sos de que tenha coohecimento para providen-
ciar-so como fr conveniente.
Dito ao mesmo.A' vista das inferauc.ee jjih-
tas por copia, ministradas pelo coraa.aastmta su-
perior interino da guarda nacional deesa muid
pi, nao pode ter lugar a dispensa do- _
noel do Nascimento de Paula, a que se referem
os officioe de V. & ns, 365 e 581 de 2 da maio a
28 de junho ltimos.
Dito mesmo.Sirve-aa V. S. do aapedlr
seas orteas pava qaa o delegado da polica da
termo de lloarasen, autorisa o commandante da
destacamento all existente a salisfazer qualqaer
requisigo da forca ene boa.da aervigo publico
forfeita palo reapaettvo juiz municipal, conforme
este salicitou em officio de 7 do crrante.Coas
municou-se ao juiz municipal de Iguarassit.
Dito ao mesmo.Poda V. S. permittir qua a
capilo Francisco Antonio de S Barretlo, dele-
psra o ftm indicado em seu officio, n. "838, de 9
do correte.
Dito ao cominaodtale superior do Rio Formo-
so.Faca V. S. dirsolver com urgencia a forca
da guarda nacional existente na cidadfl do Rio
Formoso, Bcando smente aquarteladas 15 pracas
commaodadas por um inferior de cooOanga.
Com municou-se ao che fe de polica e thesoura-
ria de fazenda.
Dito ao commandante do corpo de' polica.
Expega V. S. as auas ordeos pars que se apresen-
te j ao chefe de polica 24 pragas comoaandadas
por um official do corpo sob seu com mando, am
da escollaren 12 reos, que nao responder ao ju-
ry no termo de Iguaraes.Comiminieou-ae ao
mesmo chefe.
Dito ao inspector da thesouraria provincial.
Sirva-se V. S. do enviar-me urna notsdemons-
trativa de toda a despeca feta pelos cofres pro-
vinciaes com as obras da casa de detenco deada
o seu comeco.
Dito a o mesmo.Em vista da con t a e documen-
tos juntos, mande V. S. pagar a Jos Elias de
Ohveira, conforme requisitou o chefe te polica
em officio de 8 do carrete, sob o. 624, a quan-
tia de 2:5j3&960 ris, despendida no mez de ju-
cho ultiu.o com o sustento e curativa dos presos
pobres da casa dedelengo.Cora municou-se aa
chefe de polica.
Dito ao mesmo.Anuuindo ao que me requisi-
tou o chefe de polica era oflicios de hontem sob
n. 633 e 635, recommendo a V. S. qua mande
pagar a Symplicio Jos de Mello aquaulia de.....
IO89OOO e a Joaquim Rodrigues Tavares de Mel-
lo a de 297JO0O ris, a primeira despendida no
mez de juntio ultimo, com o sustento dos presos
pobres da cadeia do Brejo, a segunda com os
da do Bonito, nos mezes de abril a junho deate
anno como se v dss duas inclusas contas que
acompanharam os citados officios.Commuuicou-
se ao chefe de polica.
Dito ao inspector da thesouraria de fazenda,
Autoriso a V. S. a maodar pagar de conformi-
dade com a informago dessa thesouraria de 2
do eorrenie, sob n. 543, dada com referencia a
da respectiva conladoria, escripia no verso do of-
ficio do coronel commandante ds armas, que
vai cobrindo oa papis quo devolvo, smeote a
quantia' de 1200000 res, a que tem direito como
gratiQcaco o lente Joo Adolpho de Souza
Brrelo por haver apreseotado na qualidade de
encarregado do recruumento as freguezias de
Santo Antonio eS. Jos dests cidade os volunta-
rios Manuel Jos Francisco, Manoel Alvos de
Santa Anua Nicomedes, Manoel Severiaoo da
Silva, e Thom Ribeiro Gomes dos Santos, bem
como os recrulas Filippe Andr de Barros da
Cruz, Jos Candido RDeiro de Brito, Candido Al-
ves e Jos Gardoso Mooleiro, que foram aprovei-
lados para o servgo do exercito, como se v das
informarles doscommaodautes dos bslalhes 2,
9o e 10* de infantaria, jantes aos mesmos papis.
Dito ao mesmo.Transmiti a V. S. para os
convenientes exames as primeiras e segundas visa
das contas das despezas do hospital militar do 1"
a 17 de junho ultimo e copia do parecer da junta
militar que as examinou.
Diloao mesmo.Transmiti a V. S., para os
convenientes exames, os mappas de entradas e
sahidas de medicamentos da pharmacia a cargo
do corpo de guarnigo desta provincia, no tempo
dcorrido du dezembro do auno passado at abril
ultimo, e a relago dos doentes tratados no quar-
le em dito mez de abril.
Dito ao director das obras publicis.Chaman-
do a altengo de Vmc. para o fado relatado no
Diario do liecife, n. 77, de 9 deste mez sob a api
graphe Fados Diversos com referencia ao mo
estado da ponte velha, que liga o bairro de Santo
Antonio ao do Reeife, reeommendo-lhe que man-
de fazer nessa ponte es cpncerlos iudispeosaveis
a evitar a reproduego de igual desastre.
Dito ao mesmo Sirva-se Vmc de maodar
a va liar as obras feilas no lerceiro raio da casa de
detenco, e o material existente que ae destina
conlinuaco dessa obra ; remetiendo me oppor-
tunamente o resultado dessa avaliago e decla-
rando ao mesmo lempo se o* orca'meoto apre-
seotado 00 1" de agosto do anoo passado axten-
deu-se tambera a essas obras ja execuladas, ou
smente a aquellas qae se tem de fazer.
Dito ao director das obras militares.Nao ten-
do Vmc. anda apreseotado o orgamenio dos con-
certos necessarios ponte, queda entrada para a
fortaleza do Brum, como se exigi por officio de
13 de novembro ultimo, cumpre que o faga com
a brevidade possivel, lenda em vista os officios
inclusos, que me sero devolvido*.
Dito ao juiz municipal da primeira vara.
Tendo terminado ao da 29 de junho ultimo os
trabalhos da junta de qualificago da freguezia da
Boa-Vista desta cidade, recommendo a Vmc. que
guardados os prazos designados na le e aviso de
20 de abril de 1849 Io, convoque extraordina-
riamente o respetivo cooselho municipal, a Um
de lomar coohecimento dos recursos interpostos
as decises das mes mas juntas.
Fizeram respeito as
erees
communicagoes pre-
s do dia lO derjulho.
flutrimanlot.
Kalphenio Benedicto do Espirito Santo.Iu-
io o Sr. r. chefe de policia.
Fielden Broihert.Informe o Sr. inspector da
thesouraria-da tuandi.
Jos* PaioMidea Monteiro.hiforrne o Sr. ea-
genheiro dJredar da reparlige das obran pav-
Micaav
Joa fielyesjnj de Frailas.Informe o Sr.
inspector da tbesoararia provincial.
Joo JMsjoot dooAojos. Poda seguir.
Joo Adolfo da Souza Brrelo.Dirija-ae a
thesouraria da fazenda.
Jos Filippe de Souza Lena.Informe o Sr.
inspector da thesouraria provincial.
Luzia Mara do Espirito-Santo.Prove isengo
MartlnKo Jos' Gomes de Oliveira.Informe
ao Sr. vig.rio da freguezia de Pao d'Alho.
Manoel Francisco de Paula,, soldado.Passe
portara coocedendo tres mezes de liceoga da
favor para tratar-se.
Raymundo Nonato da Silveira Souto.Satis-
faca o snppticante o que exige o procurador fis-
cal no parecer retro,
Dito ao agente fiscal do Rio Grande do Norte*
A vista do seu officio de 8 do crreme o auto-
riso a comprar para a capitana do porto do Rio
Grande do Norte, pelo prego de 120 res a libra
a amarra de ferro com 90 Dragas de comprimento
e poilegada e meis de grossura, qua requisita o
Exm. presdeme daquella provincia, eoviaolo-
me, Vmc. a respectiva coala para ae providenciar
acerca de pagamento.
Dito aos agentes da Companhia Brasileira de
Paquetes Vapor.Conviodo facilitar o embar-
que nos vaporee da Companhia Brasileira, dos
presos que sao remettidos desla par outr -s pro-
vincias, recommendo Vmcs. qua d'ora em di-
ante maodem transportar a seus destinos, iode-
pendeoie da ordem desta presidencia, oa presos
que directamente lhe forera apresenlados pelo
chefe de polica; enviando Vmcs. opporluoa-
Ijaente as coatas das pastagens para serem pa-
gas.Officiu-se oestes termos e para igual lira
ao gerente da Companhia Pernambucana, e den-
se sciencia ao chefe de polica.
Portara.0 presidente da provincia, coofor-
mando-se com a proposta apresenlada pelo te-
uente-coronel commandante do 2o batalho de
infantaria da guarda nacional do municipio do
Reeife, sobre que informo* o respectivo comman-
dante superior em officio de 8 do correte, re-
salvo promover a tenenla quartel-mestre do
mesmo baUlho o alferes da 6* companhia, Joa-
quim Lopes Machado.Com municou-se ao co-
ronel commandante superior inlerioo do Re-
cite.
Dita.O presidente da provincia, attandeodo
aoque lharequereujo labellio de nolaa desta ci-
dade, Francisco Beplista do Almeida, e ao que
informouojuiz municipal da segunda vara em
officio de 8 do correnta, resolve prorogar por
seis meaea a licenga que lhe fot cencedida por
portara de 5 de abril prximo fiado para tratar
de sua saude.
Dita.O presidente da proviocia, de confor-
midade com o disposto no artigo 2" 3a de de-
creto n. 2012 de 4 de novembro de 1857, com-
binado cota o decreto a. 2576 de 21 de abril de
1860 resalvo considerar vagos os lugares de i*
O 5 suplientes do juiz municipal da Nazarelh,
comarca do mesmo nome, por nao terem pres-
tado juramento Igoacio Xavier Cameiro da Al-
bnquerque e Francisco Tavares Pessoa-da Arau-
jo, nomeados por portara de 17 de maio de
1858, e nomeia para os substituir os cidados
Francisco de Paula Brrelo Coutiuho e Chrsto-
vo Bozerra Cavalcaot, que preslaro jura meato
peraoie o presidente da cmara- municipal o
juiz de direito na prato de irinta dias contadas
desta data fieaado a lista das meamos upplen-
tes organissda pela forma abaixo declarada, noa
termos do art. 30 do citadodeereto:
r-Bacharel Joaqun Francisco de Mello Ca-
veieaaii.
2oDr. Symphronio Casar Oeutioho.
3oManoel Jos de Oliveira Mallo.
4oJos Correa de Oliveira Juaior.
5'Francisco da Paula Barrete Contiobo.
6*Christovao Bexerra Cavatdaadl.
Senhores.Nao devo deixar desapercebido
os esforgos empregados pelo Ilustrado promotor
publico Dr. Agnello Jos Gonzaga na invesligago
doa factos para descubrimento ds verdade, e s
parte activa que tomou durante os dias de sesso,
fazendo sempre sobresshir sua eloquenle voz*
favor da justga, deveodo-ae sem duvida aa deci-
ses que tivemos a forca de seu raciocinio e ar-
gumentos lgicos, palo qua devosnos coas elle
congratular-nos peto bom resultado que ha co-
Ihio de seus esforeas, pata o desaggrovo desles,
e do cultivo das scieocias. e praza a Deas que
saos servijos svjara apreciados a recompen-
sados.
Est encerrada asesao.
Passageiros do
REVISTA DIARIA.
Temos ioformagesde -qae se exgeos qnaotiis
superiores ao devido pelas escripturas de venda
de escravos; e como isio um abasa iotoleravel,
nao podemos deixar de sobre elle reclamar, afim
de dar-se urna providencia qae o coarcie.
Taes escripturas sao ioquestionavelmente da
mesma especie que as demaii, de que trata o ar-
tigo 86 do regiment da custas ; e por isso de-
vem ser pagas na conformidade delle, ou alias
conformo a generosidade das partes, e jamis se-
gundo exigencia contraria ao seu disposto, seme-
Ihante ama que anda h tres dias deu-se. ex-
lorqiiindo-se 20^000 oa 3OJ0OO por ama simples
escriptura de venda de um escravo, cujo dominio
fra cedido por 1:000$.
Anda deve-se providenciar a respeilo, para
evtarem-se discusses manos convenientes entre
as partes e o funecionarie.
Dando boje oa oitava pagina estampa a
bulla do Santo Padre Paulo III, paseada de mo-
tu-proorio aos irmos do Sintissiu.o Sacramento,
nao podemos deixar da convidar a le tura e a at-
tengo do publico para essa importante peca.
Nelia confirma o Santo Paore, e igualmente
approva a primitiva irmaodade do Saatissimo
Sacramento erecta na cidade eterna, para que
cora mais decente pompa e maior veneracao seja
levada aos enfermos a sagrada Eucbaristia por
Viatico.
Devenios addiciorrar que esse privilegio ex-
tensivo a todas as contrarias e irmandades do Sao-
tissimo Sacramento, desde a sus primitiva insti-
tuico na baslica de Santa Maria de Minerva al
as que posteriormente foram creadas, bem como
aquellas qae pelo tempo adame se iostituirem
sob esse titulo e essa invocago.
Por portara do governo da provincia foi
arbitrada a gralificago de 30090OO por nao ao
barbeiro do collegio dos orphos de Santa The-
reza de Olinda.
Teodo o theeoureiro das loterias represen-
lado presidencia acerca da prohvbigo, feita pelo
Sr. Dr. chefe de policia, da venda de bilheles
com garanta pelos cautelistas, como infractora da
tei novissima sobre a materia, nao deu S. Exc,
provimeoto ao representado pelo fundamento de
haver o referido Sr. Dr. chefe de polica procedi-
do regularmente e conforme aos lermos precisos
da le.
En cumprimento do disposto na lei do or-
gamento do anno financeiro vigente, foi dispen-
sado o collaborador da secretaria da direcloria
geral da ioslrucco publica, o Sr. David Caval-
canli Vellez de Guivara.
Nao tendo em tempo prestado o devido jo-
ramealo os Srs. Ignacio Xavier Carneiro de Al-
buquerque o Fraucisco Tavares Pcssoa de Araujo
do lugar de suppleotes dojuizo municipal do ter-
mo de Nazarelh, foram Horneados para substitui-
los as Srs. Francisco de Paula Brrelo Coutiobo,
e Christovao Bezerra Cavalcanti; aos quaes foi
marcado o prazo de 30 dias para prestaren, jura-
mento.
Esses dous novamente nomeados oceupam o
quinto e sexto lagares na escala da numerago,
tendo os existentes desodo nessa proporgo.
Foi promovido a teneote quariel-mestre do
segn 3o batalho de infantaria da guarda nacio-
nal deste muoicipio o alferes da sexta companhia
do mesmo batalho Joaquim Lopes Machado.
No dia 9 do corrate, o preto Joaquim, es-
cravo de Aolonio Jos de Carvalho Santiago, mo-
rador em Olinda, suicidou-se, enforcando-se em
urna arvore.
No dia 11 do passado mez teve lugar oen-
cerrameoto da primeira sesso judiciaria do jury
do Ouncury, que fra matallado no dia 3 do mes-
mo mez, sol) a presidencia do Sr. Dr. juiz de di-
reito, Antonio Buarque Lima.
_A justica publici foi representada pelo seu or-
go o bacharel Agnello Jos Gonzaga, e servio de
escrivo interinamente o Sr. Domingos da Silva
Saldanha.
O taimo medio dos juizes de fado comparecen-
tes orgoo por 41, sendo a chronica diaria dos tra-
balhos a seguiule, que o'alli nos enviam :
Dia 3.Nao compareceodo numero su eficien-
te de jurados, procedeu-se ao sorteio no urna
supplementar.
Da 4.Presentes 42 juizes de facto, o Dr.
juiz de direito presidente do tribunal, abri ases-
sao por um bem elaborado discurso, em que fez
ver a snblimidade da instituido do jury, o seu
lira, a necessidade de ser moralisado, os males
que acarreta a impunidade e o desejo que tinha
de que aua t speelativa fosse correspondida no
completo desaggravo das leis e punlgo cooscien-
ciosa dos criminosos.
Nesse dia, entrou em julgamertto o reo de
crime de morte Antonio Jos de Oliveira : leve
por advogado os Srs. major Aolonio Raymundo
Brigido dos Santos e Joao Jos Rolim ue Alen-
car.
Foi condemnado a gales perpetuas. Protestou
para novo julgment.
Dia 5. Reo, Antonio Soares de Queiroz.
Crime morte.
a Advogado, Joo Jos Rolim de Aleocar.
Coodemndo a gales perpetuas.
Dia 6 Reo, Jos Luiz da Molla. Crime,
morte.
a Advogado, capitn Joaquim Correia Lima de
Macedo.
Condemnado a 12 annos de priso coa tra-
balho.
a Dia 7. Reo, Clemenllno Jos de Alencar.
Crime, morte.
Advogado, major Antonio Raymundo Brigido
dos Santos.
a Foi absolvido.
< Oa 8.Reo, Joo Roberto de Santa Anna.
Crime, morte
c Advogado, Dr: Jos Francisco de Arroda C-
mara e capito Joaquim Correia Lima de Ma-
cedo.
Condemnado a gales perpetuas.
Dalo. Reo, Jos Corris dos Santos, af-
fiangado. Crime, ofienaae phisiess, com o m
de injuriar.
c Advogado, capito Joaqaim Correia Lima de
Macedo.
Foi absolvido:
t Dia 11.R, Joaquina Gomes Ferreira. Cri-
me, morte. Segundo julgamento.
c Advogadoe, Dr. Jos Francisco de Arroda
Cmara e capito Joaquim Correia Lima de Ma-
cedo.
a Fot absolvida.
a Nao haveodo mais procesaos a srem sub-
metiidos julgamento, o Dr-juiz de direito eo-
cerrou a sesso, proaupciando o seguate discur-
so, que nos udds vir a mos :
Senhores. Tendo de encerrar os trabalhos
da presente sesso, cumpre-me agradecer-voe
eordealmente aa atteoclosas e urbanas maneiras
com qua vas dignaste* Iratar-me.
Ajusliga da voseas decises, o aeataaseoto
devido ao tribunal e a voaaa aaaiduidade sao pro-
vea irrefragaveia de vosea illustracao e bom-sen-
so, e a posteridad bemdir o vosso acrisolado
amar ao bem publico, palo que aceitai como pro
va da roinha estima a consideragao, minhas sin-
cceaa expreaaes, a contai que nao s aqni coma
oadeo destina col loor-me com a miaba deeiea-
go e amisade, e farei votos pelas vossaa sendos
e prosperidades.
Desculpii-me algumas expresses menos ca-
biveis que involuntariamente me polenera ter
ensopado.
_ francex Navarr, rin-
do de Bordeaux e portos intermedias:Joaquim
Ferreira Ramos Jnior, Jos Ferreira Ramo<,
Victorino Ferreira de Souza, I. Schwass, Erraoo
Cesa 1 Coutiuho, Jubuuues Moser, Johann Heen-
nck. Henry Saxer, S. C. Delphine, Gaine Ben-
dechoo. Beodichn Luis Robert, Flix Rozas.
MOHTALIDADE DO DIA 12.
Jos do Souza Flix, Pernambuco, 18 annos,
soiteiro, S. Jos ; constipaco.
Joo, frica, 80 annos, escravo, Boa-Vista ;
dyarrh*.
Luisa, Pernambuco, 4 annos, Boa-Vista ; sof-
frimento verminoso.
Jos Paulo de Araujo, Geera, 20 annoi, soitei-
ro, Boa-Vista ; phtysico.
Luis Eustaquio Ferreira, Pernambuco, 36 an-
nos. soiteiro, S. Jos ; hidropericardite.
Dactivo, Pernambuco, 5 mezes, S. Jos; con-
vulses.
CHRONICAJUIUARIA.
JURY DO RECIPE.
3* SESSO.
Dia fl de Julho.
PRESIDENCIA DO EX2L. SR. DR. JUIZ DE DIREITO DA
SECUNDA VARA CRIMINAL FRANCISCO D0M1NGUES
DA SILVA.
Promotor publico, o Sr. Dr. Francisco Leopol-
dio de Gusmo Lobo.
Escrivo privativo, o Sr. Joaquim Francisco
de Paula Esleves Clemente.
A's 10 horas da manha, verificarse esta-
rem presentes 38 juizes de (acto, e declarada
ararla a sesso.
Continuara a ser multados em 20& por cada dia
de sesso em que nao comparecerem, os segua-
les Srs. juizes de fado que, ha vendo sido notifi-
cados na forma da le, nao comparecern) aos
trabalhos como lhes cumpria. Lamentando que
esses cidados, alguna dos quaes importantes
por sua posigo social, deixem assim correr i re-
velia o mais sagrado dos direitos sociaes, dando
logar romminagao da pena legal :
Manoel Luiz Hervir de Mendonca.
Lino Pereira da Fonseca.
Antonio Luiz Caldas.
Joaquim Jos de Sanl'Auna.
Antonio Gongalves da Silva.
Joo Lutz ae Aodrade Lima.
Jos Antonio Carneiro.
Ernesto Coriolano da Costa.
Francisco Aolonio Borges.
Silvino da Cunha Camello.
Manoel de Souza Leo Jnior.
Domingos Jos Alves da Silva.
Manoel Bellarmiuo Ildefonso Cabral.
Luiz Bernardina da Costa.
Maooel Igoacio de Albuquerque Maranho.
Jos Joaquim de Miranda.
Manoel Joaouim da Fonseca Rosa.
Maooel Gongalves da Luz.
Joaquim Jos Silveira.
Alexandrino Cerra Marques.
Maooel Joaquim Rioeiro.
Aolouio Jos de Voseeocellos.
Severiaoo Jos de Souza.
Igoacio Lopes Cordeiro.
Jos Mara Machado de Figueiredo.
Antonio Norberto dos Santos.
Pedro Jos Carlos da Silva.
Aolonio Teixeira Peixoto.
Torquato da Silva Campos.
Maooel Jos da Silva Leite.
Manoel Igoacio da Silva Teixeira.
Francisco de Azevedo Caldas Lima.
Joaquim Francisco de Mello Santos.
Dr. Manoel Adriaoo de Souza Ponles.
Joo Garlos da Lima.
Dr. Jos Honorio Bezorra de Menezes.
Luiz Aolonio Annes Jacome.
Flix Jos de Souza Jnior.
Jos Antonio de Oliveira e Silva.
Jos Francisco Pinto.
Antonio Fernandos de Araujo.
Francisco Antonio de Miranda.
Jos Pereira de Goea.
Antonio Francisco Collares.
Haoool Francisco Sillos.
Maooel Ferreira Pinto de Araujo.
Flix da Cunha de Mello Rosal.
Jos Googalves dos Santos.
Joo Manoel dos Sanios Vital.
Joaquim Pedro do Reg Btrreto.
Flix Amonio Alves Mascarenhas
Jos Rufino Coelho.
Jo; Mara Seve.
Maooel Ribeiro di Fonseca Braga.
Dr. Jos Leaadro deGodoy e Vasconcellos.
Foram relevados das multas anteriores, os
senhores :
Jos Meodes Salgado Guimares.
Manoel Marinhu de Souza Pimentel.
Augusto Cesar Pereira de Mendenga.
Foram dispensados de servir na presente
sesso judiciaria, os seguales Srs. jurados que
apresenlaram legitima escusa :
Manoel Marioho de Souza Pimentel.
Augusto Osar Pereira de Mendonga.
Publicadas que forom as multas cima impos-
tas, entrou em julgamento o processo instaurado
pelo Dr. delegado do 1. districto (Pena Jnior)
contra o subdito Fraocet Jales Routier, estabe-
lecido com casa de modas ra Nova desta cida-
de, acensado por crime de offeosas physicas le-
leves commetiidts as pessoas de sua mulher
raadame Routier e cidado Luiz de Franca Lins
de Albuquerque, ha vendo acontecido o facto no
dia 3 de fevereiro do correte anuo.
Entraado-se para o sorteiamenlo do jury de
seoteuga, sao recusados pelo Sr. Dr. Gusmo
Lobo (promotor publico) os seguales juizes de
facto :
Jos Aniso de Souza Magalhes.
Augusto Coelho Leite.
Dr. Maooel Alves da Costa Brancante.
Manoel Jos Dantas Jnior.
Jos Feliciaao Machado.
J. H. Borges Dioz.
Manoel Joaquim Rodrigues de Azevedo.
Antonio Ignacio de Medeiros Reg.
Ionoceocio Xauer Viaona.
Miguel Ribeiro Pavo.
Francisco Aniouio de Meoeses.
Herculsno Julio de Albuquerque Mello.
Foram igualmente recusados pelo advogado do
reo (o Sr. Dr. Joo Joa Pinto Jnior, digno len-
te1 substituto da Faculdade de Direito) os segua-
les Srs. jurados :
Francisco Jos da Fonseca.
Ltz Alves da r.>iciuocuia. -
Procedeodo-se ao sorteio do conselho de sen-
tenga, foram escolhidosos Srs. :
Joo Francisco Bastos de Oliveira [presidente in-
terino).
Joaquim de Paula Lyra Flores.
Gamillo de Lellis Peixoto.
Dr. Jacintho Pereira do Reg.
Jos dos Ssntos Neves Juaior.
Joaquim Jos Raymundo de Mendonga.
Urbano Mamede de Almeida.
Jos Pereira da Cunha Jnior.
Francisco de Souza Reg Monteiro.
Leopoldo do Reg Barros.
Joo Cavalcanti de Albuquerque Lins.
Maooel Romo Correia de Araujo.
Procede-se ao interrogatorio o qnal responde
chamar-se Jules Routier, ser natural de Franja,
casado no Brasil, ter de idade 46 annos e residir
ha 10 annos na ra Nora, onde estabelecido
com casa de modas.
Responde que nao commetteu os Crimea de que
aecusado, e allega que eslava simpiesmente
altercar com sua mulher sobre questao domesti-
ca, qusoao Luiz de Franca, penetrando coro vio-
lencia em sua loja o agarrando com forca na so-
breeasaea que ella reo vestia, lhe intimou ordem
de priso. Que elle reo, procurando livrar-se do
aggressor, o irnpellio para longo de si, acontecen-
do que o aggressor por effeito da ama queda sof-
fresse urna leve escoriago de palle.
Responde o reo que coabeee as testemunhas do
processo, e nao tem motivo que attribna a ins-
taurago de um summano criminal.
Prodoz algunas consideracoes em orden de-
monstrar a sua innocencia, e remelle a defeza
cargo do leu advogede, qoem constitue por tal.
O escrivo fas em seguida a leitura do pro-
cesso. 0
Versara os debates, havendo replica e treplica.
Em meio da defeza, foi requerido pelo orgo
da defeza que o Dr. juiz de direito, presidente do
tribunal, prnaoioaae ao jury de seotenca um qoe-
sito no qual lhe fosse perguntado, se na especie
sujeita se havia realisado a priso do reo em fla-
grante desteta, ettendendo qaa o decreta D.
1,0*0 de 1 desetombro de 1860. revogando a lei
da96 de outubro da 1831. rostabeteeora ao crime
em questao o carcter da crime particular, que
peto cod. crios. Iba aitributdo.
O Dr. prumoUr publico pon doro a ao replicar
que, sendo esta oxeepeo puramente da direito,
ao juiz e tro ao jnry incumba o direito o o de-
ver de s julgar, atienta a disposigo do art. 281
do cod. do pr. eries.
Sob este fundamento, requeren o Dr. G. Lobo
(promotor publico) ao juiz de direito qae resol-
vesse por si a questao, indepeiraeolemente de a
sujeilar julgamento do jury.
Depois de julgar improeedente a excepgo pe-
remptoria exhibida pelo orgo da defeza, o Dr.
t'uiz de direito fez com lucidez o resumo do de-
late e propOz os seguales quesitos, com os qoaes
recolheu-se o cooselho de seotenca sala desti-
nada s conferencias secretas :
1'* O reo Jules Routier no dia 23 de fevereiro
do correte anoo fez na pessoa de sua mulher,
Me. Routier, o ferimenlo descripto no auto do
corpo de delicio?
2 O rea, no mesmo dia cima referido e hora,
fez ns pessna de Luiz de Fraoga Lins de Albu-
querque o ferimento descripto no auto do corpo
de delicia?
3. Existen circumslaocias allenuantes fa-
vor do reo ?
O jury responde aos
1." e*z. quesitoi;Nao ; por 11 votos.
3. questto:Prejudicado.
Em vista das decises do jury, o reo absol-
vido e a mueicipalidade coodemnida pagar as
cusas do processo.
Sendo a hora pouco adiantada, entra em julga-
mento o reo Silvestre Pereira, preso desde 20 de
agosto de 1860, e pronunciado per crime de of-
feosas physicas como incurso no art. 201 do cod.
crin.
Nao ae accordaodo as parles em que o mesmo
conseibo jolgasse a nova causa, procedeu-se ao
sorleio do conselho de seotenga, que foi compos-
to do segu ote modo :
Joaquim Faustino da Piedade (presidente inle-
rioo).
Cimillo de Lellis Peixoto.
Antonio Seraphim dos Santos Lima.
Joo Francisco Bastos de Oliveira.
Manoel Joaquim Rodrigues de Souza.
Joaquim Aorta de Souza Magalhes.
Joo Pereira Reg.
Dr. Jorge Dornellas Ribeiro Pessoa.
Manoel Jos Danta* Jnior.
Alexandre Jos de Barros
Urbana Mamede do Almeida.
Manoel Joaquim Fernandes de Azevedo.
Seguem-se os termos regulares do processo,
e finalmente o reo absolvido e condemnado s
cusas a municipal ida de.
Fra advogado do reo, o Dr. Domingos Mon-
ten o Peixoto.
Rematando a presente revista dos trabalhos de
hontem, enmpre fazer constar aos interessados
que, havendo sido langsdo do direito da aecusa-
go o autor Demetrio de Azevedo Amorim, foi
offerecido o libello aecusatorio pelo Dr. promotor
publico, o qual foi aceito pelo Dr. juiz de direito
para o lira de ser por elle julgado o reo Marcoli-
no da Silva Mindello, pronunciado como incurso
no art. 153 combinado com o art. 34 do cdigo
criminal.
Levantou-se a sesso s 5 \\i horas da tarde.
DIARIO OE PERNAMBUCO-
Hontem < 6 1/2 horas da Urde, fundeou em
nosso porto o vapor francez Aovar-re. A' hora
adiantada em que veio a mala para a trra s nos
permittio darmos o seguinte resumo :
O Santo Padre continuara gravemente enfer-
mo, quaodo sahia da Europa o paquete; baria
poucas esperarlas de que melhorasse, e receia-se
muilo a sua morte.
E' to critico o estado em que sua saolidade se
acha, que a Perseveraba de Turim affirma que a
Austria prepara secretamente em Verona um con-
clave dos cardeaes fgidos de Roma, para no ca-
so do summo pontfice fallecer.
Se se real isa m estes receios, temos nao s de
lastimar a perda do nosso pai espiritual, e a or-
phandade da igreja, mas as serias complicages
que tal scontecimento acarralar solugo da
questao romana, que de tanto interesse para o
orbe catholico.
As doeogas de Garibaldi e Ricasoli foram 11-
geiras, e boje a Italia espera da sua acgo a con-
cluso da obra encelada pelo conde de Cavour.
Acha-se gravemente doente a rainha de logia-
Ierra, que acaba de abracar o catholecismo. as-
seven-se que S. M. brilaonica enlouqueceu, mas
julga-se que nao passar isto de um boato feito
correr pelo proprio ministerio, para de algum
modo atleauar u effeilo que devia produzir nos
Iaglezes a noticia da converso da rainha. Falla-
se j na noraoaco de urna regencia para sdmi-
nistrar a Graa-Bretinha at miioridade do prin-
cipe herdeiro. Receiam-se graves conflictos des-
ta converso.
A morle do conde de Cavour foi geralmeote
sentida em toda a Europa.
Em Turira a noticia da morte do conde de Ca-
vour espalhou-se com a rapidez do raio, O povo
de Turim, e de toda a Italia tioha pelo presiden-
te do conselho urna especie de culto ; os que tal-
lavam da gravidade de sua doenga eram consid-
ralos quasi como sediciosos. Foi s quaodo se
viram os Sacramentos da igreja levados publica-
mente ao Ilustre enfermo, em virtude de urna
consulta dos mdicos, que se comprehendeu o
perigo.
0 conde de Cavour morreu como bom catholi-
co, tendo recebido os ltimos Sacramentos com
todas as suas faculJales e de plena e livre von-
tade.
O rei Vctor Emmanuel visitau o Ilustre esta-
dista duas vezes.
O sentimento publico foi geral, profundo e sin-
cero. Na cmara dos depulados, o presidente Mr.
Ratazzi, annuociou a lata) noiicii com voz muilo
coramovida. Presin ao Ilustre Qnado as home-
nagens merecidas, e fez ouvir ao mesmo lempo
palavras de esperanga e de firmeza patritica.
A cmara voten luto por trala dias. A tribu-
na em que tanta vez tioha mostrado o seu raro
eogeobo, foi coberla de creps fnebres. O pavi-
lho que flucta oo palacio Carigoan foi coberto
de fumo. As sesses foram suspensas por oito
dias.
Todos os semblantes eslsvam tristes, e al
mesmo os memhros da opposigo se mostravam
sinceramente afilelos. Cavour nao tinha inimi-
gos pessoaes ; tinha a arle de concilitr os ho-
mens por ama grande simplicidade de maoeiras
e urna especie de bonomia natural, que nao dei-
xava de ser um dos seus melhores meios de go-
rerno.
As lojas e os theatros fecharam-se espontanea-
mente. A pupulago veatio-ae de luto.
Acha-se aoerta una subscripgo, que j
conla avultadas quantias para se erigir un mo-
numento digno do libertador da Italia.
Em Pars alem das previa de sympalhia pres-
tadas por toda a imprensa, celebraram-se officios
fnebres pelo descango do conde de Cavour na
egreja da Magdalena. A este acto concorreranx
delegados de todos os membros da familia impe-
rial franceza, escolbidos entre os mais graduados
ofBciaes de snas casis, varios membros do corpo
diplomtico, daa duas casas do parlamento, da
imprensa, o una grande multido que vinha pres-
tar a ultima homeoagem ao celebre estadista.
Em Inglaterra as demonstragoes nao foram me-
nores. Na cmara alta, lord Clauriearde pegun-
tando ao ministerio selioha recebido a informa-
gao desta triste noticia, acrescentou que a consi-
derara como urna caiamidade oo s para a Da-
lia, mas para o universo inteiro. Lord Woode-
house em uome do gabinete lamentoa o infeliz
successo, que priva a causa italiana do seu mais
firme defensor :
Nao empehenderei, disse elle, enumerar aqu
todos os merecimentos desse grande hornera. A
historia que ha de fazer justiga como patriota
e como homem do estado.
Lord Brougham, o conde de Malmesbury e o
raarquez de Bolto exprimiram-sa nos mesmos
termos. A imprensa ingleza e a do todos os pai-
zes associou-sea estessentimentos.
E' a recompeosa dos grandes homens. En vida
poden ser un pouco desconhecidoi, at- neino



UUOM
>; **
ado mumm>m tati.
'
calumniados, depois de mortos. lodo* os admi-
rara e pateotestn 01 sentimeotos que os domi-
nam. Yodas os poros perdern wn Cntu a*
amigo ; lodos o choran coaio a asa amigo.
No ministerio nomeaao depois da morte de
Cavour figuram^uasi todos os membros do ulti-
mo gabinete, i excepto do general Fanti Alais-
tre-4 j *trra -IIr. esssio, minietro da ]ust\ Mr. Naiaii, ministre da agricultura e do commer-
aiaisteris ds'mariaha de que acaba de s
o general Meoabrt. era dirigido por
jurT^aarrto a MinghetU, Bartogt'Peruizi e
Saotis todos foram collegas do fallecido ministro.
Mr. Ricajolli, goza de urna posic&o notarel na
Toscan o ninguera ignora a firmeza que desea-
volreu a a do mo#eanlo nacional quando ali tove lugar.
Mr. Minghetti, membro mui distincto no foro
da Turto, j* fot ministro e deu a aua demissio
por um negocio puramente local; deputado por
Turim nao jolgou dever conservar urna paste,
quaodo o tribunal de appellago foi transferido
daquella cidade para Milo.
O senador -evidente do Campo o Vlctor-fim- -ameaeaaoeo eom
manuel, o general dola llorera, foi intendente
em chele do etercito piemontez a Crimea eson-
be entao triumphar dos obstculos sem numero
que se oppuaham regularidade dos previ men-
tos. Na Lombardia desemoenhou elle estas mes-
mas funcces e foi ltimamente chmalo para o
cargo de lugar-ieneote do rei na Sicilia. Gosa
geralmeatedo coaceito de ura excetlente admi-
nistrador.
Mr. Scialoja, urn oopolitaoo que a reacia em
1848 exilou e que muitas vezes leru sido ministro
de estado; fez parte do lugar tenencia do ap-
les. E' liberal, conservador e uro economista
distincto.
O general Menabrea commandou a eogenbaria
em frente de Ancona e doGaeta ; foi lie quem
soube, por meio de obras tao respidamente con-
cebidos como executados, enbaragar a marcha
dos austracos, que se julgavam j snhor3 da
capital apenas tinham alravessado o Tetsino. Mr.
Menabrea encetou a sua carreira poltica as
tleiras do centro direito.
O piz parece ter conQanca no novo gabinete,
pela maneira porque recebeu a aua noneago.
Mr. Ratazzi continua a precidir cmara ; a
conveniencia da sua conservago neste elevado
e importante cargo, foi reconhecid e elle pro-
prii declarou que nao deixaria de apoiar por
tolos os meios o novo ministerio.
E' pois provavel que a questao italiana prosiga
a sua marcha, e que a obra de muoiflcago e in-
dependencia da Italia encelada por Cavour che-
gue ao sen termo com aprasimenlo da Europ a e
dos italianos, que assim enlram no gremio das
nacdes livres.
No dia 18 chegou a Torim a noticia official do
reconhecimento pela Franja do reino da
Italia.
Nao consta anda quaes sejam os termos do
reconhecimeoto, mas dizem deTorim queaquelle
acto do governo franeez fora feito sem a menor
reserva; que Vctor Emmaouel se mostra multo
satisfeito por esta nova prova de atTeigo que sua
pessoa e Italia deu o imperador Napolio.
De accordo com o imperador Napoleo, pare-
ce que em Turim se desisti da occupagao de
Roma. O governo italiano julga que as 'tropas
francezas deve-n continuar anda em Roma para
evitaras eomplioagdes a que possa dar lugar a
evaeuago dessas tropas em vista dos projectos
que existen a respeito de Vneta.
Oiz-se que a Frang declara que por este tac-
to se nao manifesta solidariamente responsavel
pelo papado, nem adquire compromisso alguna
para o futuro.
O Time depois de expressar a satsfaglo que
causara na Inglaterra a resolugo toan3a pela
Franca trata de demonstrar que se a queslo ro-
mana vier a ser tratada nao haver motivo para
recear.
Recoohecendo o novo reino da Italia, diz a-
quelta folha, a Franca reconhece aos italianos o
direito de vencer todos os obstculos que aioda
se oppozerem consolidado do seu poder na-
cional ; e conclue que este resultado se ha-de
cooseguir, tarde ou cedo, urna /ez que se sai-
ba esperar a contemporisar.
O reconhecimento da Italia restabelece pois as
relages diplomticas entre os dois paizes.
Ricasoli no parlamento italiano participando
o reconhecimento da Italia pela Franca, tribu-
tou-lhe agradecimeutos. Em quanto questao
de Roma, ser a capital, declarou que linha ne-
gociagoes principiadas cora a Fraoga a este res-
peito e estar convencido de que se chegar ao
resultado appelecido.
Os jornaes italianos trao3irevem duas peligSes
que era Roma se andavam assignando para se-
ren dirigidas, urna a Vctor Emmaouel e a ou-
tra ao imperador dos francezlf. Contam j 9,830
assigaaturas.
A meosagem a Vctor Emmaouel, quo Iho Ja
ser aporesantada por muitos u"1"' romanos
do pirUmontu, txpressa-se nestes termos :
Roma, por esta meosagem, asocia o seu
suffragio ao parlamento italiano, e proclama-vos
seu rei. Roma espera-vos, senhorl Abre-vos os
seus bragos; pele que a vossa baadeira, a ban-
deira da Italia, seja arvorada no amigo capi-
tolio 1 o
A mecsagem que dirigida ao imperador dos
Francezes. e que Ihe deve ser entregue pelos
principes de Piomblno e Rospigliori; pelo duque
de Piano, e pelo bario de Gavilti, conlm o se-
guirte trecho;
Tendes feito tudoquanto eslava ao vosso po-
der pan salvar o dominio temporal da Santa
S..... Agora o momento solemne, senhor, o
de veis dizertoda a verdade. Se a resistencia que
a corte pontificia oppda a satisfszer a essas ne-
cessidades, fdr por mais lempo tolerada, oio
se seguir a ruina total, mas tambera Qcar com-
promeltida a existencia do catholicismo na Ita-
lia. A averaio sempre crescente dos Italianos
contra a poltica da corte pontificia pode occa-
sionar um scysraa fatal na Europa, na Italia, na
igreja, cuja f professamos, o cujas tradiges
veneramos.
E' pois necessario para o interesse do mun-
do catholico, assim como para o nosso interesse
nacional, que dous poderes hoje incompaliveis,
sob a auloridade da mesma pessoa sejam sepa-
rados.... e que Roma se rena Italia, da qual
nio pode estar separada.
Temos a firme conflanga, senhor, de que
poreis termo, ao reconhecimento da Italia per-
mittiodo que se satisfagam os desejos de
Roma.
A Harmona de Turim publica nma carta do
principe de Trapooi, na qual desatent a noticia
dada por um despacho de Roma em que se dizia
que elle aceitara a presidencia do urna commis-
so bourbooica, constituida em Roma debaixo
de una titule religioso.
A Dieta de Peslh lermioou a diseussao da meo-
sagem. Este documento com as emendas que
Ihe forara iotroduzidas, passou cmara dos
magnates.
Coma em Vienna o boato de que logo depois
da chegada daquella meosagem 6 capital o im-
perador publican* um manifest para expor as
ouas ideas, o desejos em relagio ao aotigo reino
de S. Estevem.
A agitaco na Hungra lera continuado. O go-
verno austraco olba com attengo para aquella
parle do imperio. Em Pesth j esli concentra-
dos triota mil horneas.
Suscilou-se na cmara austraca urna questao
importante por parte de Mr. Smoika, depulalo
da Gallicia, que collocou o governo na necessi-
dade de declarar-se, nao obstante a falta dos
representantes da Hungra, a competencia da
assembla so devia estender, a toda a mooarchia,
o se comprehendia todas as materias legislativas.
A opiniao do Mr. Smolk dos seus amigos
cesta queslo, nao era de modo algum duvidosa ;
na sua maneira de entender havia motivo para
Hender aquella falta que deixava a assembla
incompleta, julgando que este (oto devia exer-
cer urna influencia decisiva na competencia da
cmara, regulada pela palate imperial preven-
do o concurso effecliro do toda mooarchia,
Quiz-se provocar urna declarago oeste aoati-
do, para se evitar que o ministerio ae achasae
envolvido por um raterpretaco contraria, em
urna lula declarada com a Dieta hngara.
Cotiseguio-se este resultado porque o ministfo
Mr. Schmerling, declarou na cmara que nio
poda considerar a Dieta, as sua actual cumposi-
cao, senio como nm conselho do imperio liaii-
Assegura-se oae em Vanovia rae ser procla-
mado o estado de sitio, por proposta do lgar-
tenente provisorio do imperador, o general Saa-
khozanett. Todava esta medida lio grave nao
parece justificada pelo actual estado dfajt. por
uto qoe ainda existe certa sgltaco nos espros,
a ordem oio tem sido aorada.
E* verdade que o estado dos nimos se traduz
pelo uso que na cidade se faz das insignias naci -
naes, ou pelos caticos malo religiosos, meio po-
lticos, que seentoam oes igrejas. No entretan-
to, sotra-ae que produsaat o eeuodeito as an-
nuociadas iostituigoes quo o inverna roseo pro-
melteu promulgar no reino da Polonia.
O novo goveroador, o general Sanklozanett,
dirigi ao poro polaco urna proclamarlo cbeia
de aioderacio. Aonnncia n'ella o prxima cha-
Jada do czar, mas reaaa-ae qae a preseoga lo
mpsrador possa tranquilizar a iirac.ao dos ni-
mos.
A noraeagio do general Lamberl para governa-
dor militar tem, segundo as melhores upioies,
multa signiflcago. O conde Limbert de ori-
gem francesa, e professa a religiao catholica,
Um jornal hesoanhol affirma que o governo
pontificio ae negou terminaotemeote a anauir
aos desejos do imperador Alexandre da Russia.
Este, em urna oota diplomtica, pedir ao papa
que expedase um breve, admoestaudo os pola-
eos para que se nio suMarassem contra a sua
autorilade. Diz-se que o santo padre, em lugar
de proceder dasta maneira, responder ao czar
i oolera divina, ae nao dei-
xisse de opprimir a Polonia.
A projectada viagem do czar Varsovia, e a
nomeagio do general Lamberl, diz-se que tem
relagio com este aconteeimento.
No discurso pronunciado pelo rei da Russla no
encerrameolo das cmaras, trata quasi exclusiva-
mente dos negocios internos, dos trabalhos da
dieta, e das medidas que tinham sido tomadas
em virluae do seu voto. O rei declarou tam-
bem que as suas relages com os go vero os es -
trangeiros eram excellentes
O discurso nao contera cousa algoma de a mea
gador para a Dinamarca, sustentando a posssibi-
lidade de medidas convenientes dentro do terri
torio pessoal,
Dirigi samara varios sgradecimeotos a pro-
posito dos soccorros que ltimamente feram con-
cedidos ao governo para a reorganisago do ex-
ercito.
Aioda que se trate principalmente em orga-
nis&gao militar e que a proposito disso trate
tamben da defeza das fronteiraa prussianas e
allemaes, o discurso do rti nao aprsenla d ca-
rcter aggresslvo que se ootava ao Discurso da
abertura da sessio, equetanta impressio pro-
duzio eolio.
Os resaltados eleiUraes da Dinamarca foram
favoraveis ao ministerios. Os ministros annun-
ciaram a autonoma do Holstin e que o Sch-
leswg se unira Dinamarca com ampias bases
liberaes.
Aesegura-se que o principe Cousa nio satisfei-
to de haver conseguido fazer triumohar o prin-
cipio da Uoiio da Moldavia o da Valacnia se quer
subtrahir suzerania da Porta, pedindo a aboli-
gio de um systema constitucional, de um minis-
tro responsavel, e outras garantas que conside-
ra contrarias ao principio de autoridade.
A Turqua coDsidera como anarchicas as ideas
do pnocipe Cousa, mas parece disposta a consen-
tir na uniio administrativa dos principados da-
nubianos, cuja separacio foi lio strietamente
maatida contra a opiniao da Franca e da llussia,
e contra o roto dos poros, pela conrengao cele-
brada em agosto de 1858. Diz-se que a Porta
tomara a inictativa de urna proposta dirigida aos
signatarios da convengio de 1858, pediudo a
uoio da Moldavia e da Valacnia.
Assegura-se j que em Constantinopla que se
devem reunir os plenipotenciarios encarregadoe
de estudar esta questio.
No dia 26 de junho falleceu em Constantino-
pa o sulto da Turqua. Seu irmao Abdul Azis,
herdeiro legitimo foi reconhecido immediata-
mente,
A questio que se tem ventilado relativamente
ao governo do Lbano acba-se concluida. A con-
ferencia europea reunida em Constantinopla es-
tabeleceu que o Lbano lera um s governo. O
governador ser ehristio e eleito provisoria-
mente por tres anaos. Os marenitas e os druz-
zos tambera lerio a sua autoridade separada, com
a denominagio de sob-governador. As tropas
turcas occuparao pontos principaes. Esta resolu-
gio quanto forga armada, foi adoptada em con-
sequencia da retirada das tropas francezas, as
quaes constara em Pars terem chegado a Rey-
routh no dia 27 devendo embarcar nos das 28
e 29.
Assegura-se que Fuad Pacha ser nomeado go-
vernador eral da Syria.com residencia em Da-
masco. Fuad-Pach percorreu os districtos dos
druzzos exhortando-os a conservaren a tranquil-
lidade.
Dand-Effendi general da brigada do exerclto
turco, que foi governador chrislao do Lbano do-
va receber a 2 a investidura das mios do sul-
la j, parlindo a 26 para Beyrouth em um vapor
da marinha torca.
O-sullo coocedeu ao patriarcha da Aothiochia
a condecoragao de MeJjiie de segunda classe.
4nnuncia-se a mnrte de Yskender-Pach, gene-
ral de cavallana do oxercuo turco. TsKeiua. p
cha, era um celebre patriota polonez, conde Ig-
nacio Iilloski, que depois de ter feito a guerra da
independencia do seu paiz em 1831, e a da Hua-
gria em 1848, entrou ao servigo do sultio, dis-
lioguindo-se notarelnente em toda a canpanlu
da Crimea.
Era Portugal conlnuava a reinar certa agitaco
promovida pelos autores de pasquins e proclama-
ges sediciosas. O nome do duque de Saldanha
era invocado nesses papis meen liarios. A con-
vite da Opiniao, diario governamental escreveu
o duque urna uotavel carta ao presidente do con-
selho de ministros, raarquez deLoule.desmentin-
do a conveniencia que Ihe era atiribuida nestas
tentativas. Una (ypographla foi visitada pela po-
lica, por denuncia que houve de se imprimirem
all algunas dessas proclaraaces.
Foi approvado pelas corles o contrato matrimo-
nial da infinta D. Antonia, irmaa de el-rei D.
Pedro V, como o principe de Sigmaringeu, seu
concunhado.
O governo portuguez recooheceu oQcialmente
o reino da Italia.
Foi dissolvida por decreto de 22 de junho a
corporagio das irmias de caridade, fundada em
Portugal no auno de 1819.
Conliauavam a promover-se subscripges para
os festejos do 1 de dezenbro, anniversario da
restauragao da independencia nacional em 1640.
Tinham-sa eatabelecido commissoes em Aveiro,
Lisboa, Porto, Coimbra, Braga e outras localida-
des menos importantes-
Anda nao tinha coraegado as cmaras legis-
lativas a diseussao da resposta ao discurso da co-
rda.
Falleceu o dramaturgo portuguez D. Jos de
Almada e Aleocastro.
as questdes-da America do Norte a Franca
guardar a mais perfeita neutrahdade, segundo
urna declarado a que ae refere um despacho de
Pars.
0 mesmo ptaticra a Inglaterra como consta de
urna nota publicada nos jornaes inglezes 1
Continan: as dessideucias entre os estados do
norte e os do suL Em Haspers-Ferri eatio 805
mil separatistas, mas consta que as tropas fe Jo-
raes se a dianta m sobre aquello ponto projectao-
do-se um movimeolo ora que aquello seja en-
trado. Os separatistas estavam fortificados em
Mapapa, e aioda esperavam all mais reforgos do
Richmond. Os federaos augmentavam o numero
das tropas que tioham na Virginia.
O bloquefo de Charlestowu que tinha sido le-
vantado fora de novo assentado.
Pelas ultimas noticias recebidae na Europa, as
forgas federaes aaglo-americanas estavam em
marcha contra Haspers-Ferri.
Tinham havido varias escaramugas de ponas
importancia, e sgaos movimentos militares de
una e outra das partes belligerantes.
O vapor Caad ten naafraguu perto a Bella Is-
le, perecendo 34 pessoas.
Sabidas dos navios do porto do Lisboa para os
difiere o les p ortos do Brasil:
Junho.
14Vapor paquete inglez Tyoe, para Pwnatn-
buco, Baha e Rio de Janeiro.
18Brigue portuguez Conde, para Baha.
Patacho portuguez Boa P, para o Vara
Mam.
Brigue sueco Iwallen, para o Rio do Ja-
neiro.
20Brigue portuguez Belm Figuerrenae, para
Pernambuco.
25Brigue portoguez aLaia I, para a Babia,
26Brigue portuguez Ltgerro, para o Para.
Brigue portuguez Josephina, para o Rio do
Jaoeiro.
Escana portugoeza Emilia, para a Baha.
cPalmeira, do Par, *m
da Bahia, em 46
, do Rio
Barca portugueza
40 das.
Logre portuguez Julio,
dws.
Barca portuguesa Joven Fayatei
de Janeiro, em 52 dia*.
Pataebo portuguez Camella, da Bahia. em
40 dias.
Vapor paquete franeez Guienne, do Rio de
Janeiro em 30 dias, da Bahia em 17 dias,
e de Pernambuco em 14 dias.
15Brigue brasileiro S.Jos, do Rio de Janei-
ro, em 81 dias.
16Brigue portuguez aMello I, da Bahia, em
4 dias.
Barca portugueza Perreira Borges, do Rio
, de Jaoeiro. em 49 dias.
Galera portugueza aCamponeza, do Rio de
Janeiro, em 40 dias.
22Galera portugueza Amizade, do Rio de Ja-
neiro, em 38 das.
Communicados.
Jury 4 Reeife.
Foi swbmeltido a julgimento do dia II do cor-
rente o summario criminal iostanrado pelo Exm.
Sr. Dr. ctjefe de polica contra varios individuos,
entre os quaes foi pronunciado como inctirso no
art. 901 do cod. crim. o infeliz e desvalido Jlo
Ferreira de Souza, a que o vulgo tem-ao habi-
tuado a dar o nome de Cara Vermelha.
Autor de um espaocamesto, que muito deu a
fallar ooeta cidade, o a c cusa Jo tinha contra ai
precedentes pouco honrosos*o s ootonedade do
crime que, embora leve e insignificante, deu es-
escandalo ordem publica, segundo a pbrase
eloquenlissima do disiiocto promotor publico.
Teriamos muito dizer sobro a iostaurago
desse summario, cujo julgameolo exceda al-
gada do procedimento ofcial, se nio devessemos
respeitar o julgado do venerando tribunal.
Como quer que seja, e quaesquer que lenhom
sido os motivos qoe podaran dar eaa resultada a
coodenoagio do reo no grao mximo do art. 01
do cod. crim., devenios noticiar a bem da verda-
de quo o advogado do reo, o Sr. Dr. Antonio Liz
Cavalcanti de Albuquorque, cujo nome tanto
prestigio ganhou por anaos na tribuna iudiciaria,
fez o seu dever con urna caridade e tal zelo que
nao se quiz Torrar promover todas as diligencias
que no caso cabiam I
O reo foi condemoado, verdade. Grandes
motivos influirn nesse juramento. Eis-ahi tu-
do. Nada mais, nada menos.
O habilissimo advogado da justiga. que tem j
urna reputacao feita tos annaes do foro criminal,
esse vulto synpathico e que despunta eom tao
assonbroso tilento (o Sr. Dr. Gusnio Lobo), elle
" que dereria fazer. Moveu a aecusagio com
Poko hospoBbolaIndiaidem.
Brigue portuguezConstantemercadorias.
Importado.
Brigue inglez Reliance vindo de Liverpool,
consignado a Henry Grbsoo, manifestou o ao-
guinte :
55 gigos looga, 15 caixas linha de algodao ; o
consignatario.
300 saceos arroz, 36 fardos fazenda de algodao ;
a Milla Latham 4 C.
9 fardos fazenda de linho o algodao ; a Rostron
Rooker & C.
12 fardos fazenda de linho, 33 ditos o 5 caixas
dita de algodao, 81 peca* do cabos, 350 caixas fo-
lhas de Uandr s ; a Patn Nash & C.
3 fardos fazenda de algodao. 1 caita dita de
lia e algodao, 1 dim chapeos de sol de seda ; a
A. C. de Abreu.
70 toneladas carvio de pedra ; a Seott Wilson
&C.
40 taxas de ferro fundido, 24 pegas de metal
amarello, 168 ditas e 9 caixas cobre, 6 barris pre-
gos de composigao ; a S. P. Johnston.
100 caixas velas de composigao, 2 ditas fazen-
das de linho e guardanapos de dito : a Joo Kel-
ler & C.
1 caixa livros a Geo Patchet.
1369 trilhos de ferro ; a J. H. Harrisson.
1 fardo tapetes 8 ditos e 2 caixas fazenda de alo
godio, 4 ditas metal amarello, 1 barril pregos de
composigao, 10 erabrulhos barras de cobre a C.
J. Astley & C.
1 fardo fazenda de algodao ; a J. G. de Araujo.
1 caixa saceos de lia, 1 fardo tapetes de dita,
2 caixas toalhas de algodao, 1 caixa chapeos, col-
larinhos e cadeados ; a Geb Kalkmao.
10 caixas palitos de fogo, 50 giges, 1 barrica e
caixa louca ; a Soothall Uellors & C.
Exporiavo
Da dia 10 do crvente.
Barca hespaohola Mara Nalividade, para
Valparaizo, carregaram:
Viova Amorim & Filhos, 1931 saceos com
11,601 arrobas de assucar.
Barca portugueza Formosa, para Lisboa,
carregaram : "
Mtnoel Ignacio de Oliveira & Fillio, 667 sac-
eos rom 3685 arrobas de assucar.
David Ferreira Bailar, 200 saceos com 1000
arrobas de assucar.
Brigue fraocez Betly, para Marseile, carre-
garam :
Aransga Hijo & C, 600 saceos com 3,000 ar-
robas de dito.
ttocebedoria de rendas Internas
geraes de Pernambuco.
Rendimento do dio 1 a 11. 14:771^217
dem do dia 12.......2;572512
fez
desioteresse, sem paixio, mas com energa.
Nao se crea, entretanto, que em vista da sen-
tenca naufragou o talento do Sr. Dr. Antonio Luiz
Aquelles que o ouviram e admiraram, esli ahi
para attestar o merecimento de sua palavra.
Consagremos esto servigo prestado humani-
dide pelo distincto alliado. Elle que desde tan-
tos mezes nao se faz admirar na tribuna judicia-
ra, veio por sua vez coacorrer com os seus es-
forgospara o trumphode una causa, em que o
fraco lutava contra fortes, aquello desajudado e
es lea decididas nu era pea h j.
Aceite o nosso amigo da infancia esta home-
nagem seu mrito.
R.S.
viocial o. 343 de 15 do maio de 1854, e sob is
clausulas especiaos abaixo declaradas.
As possoa que se propozerem a essa arrema-
to comparegam na sola das aessoes da referida
junta, no dia cima mencionado, pelo meio dia
e competentemente habilitadas.
E para constar se maodou affixar o presente o
publicar pelo Diario.
Secretaria da thesouraria provincial de Per-
nambuco, 4 de julho de 1861.O secretario.A.
F. da Annunciago.
Clausulas especiaes para arrematagio.
1*. A obra ser principiada 15 das depois da
arrematagio e concluida aoprazo de 4 mezes.
2*. O arrematante quando tonha de entregar a
obra, apresentar o leito da estrada, em estado
perfeito, lendo cuidado em que nio desapparega
a carnada de trra arenosa, com qae feita a su-
perficie superior do mesmo leito; e bem assim
que os vallados uquera completamente desobs-
truidos, e com s profundidade e largara que Ihe
indicar o engenheiro encarregado da obra.
3*. A superficie do talude flear com estado
perfeito, formando um s plano, e se acontecer
que quando a escavagio chaguo ao ponto deter-
minado pela inclinago marcada na planta pela
1m"'J" Iorma Bfaegos de 11 de juoha ,
de Inav.
Secrevarra de instruegopublica de Pernambu-
co 6 de jurtio de 1861 O secretario iateriue,
Salvador Henrique de Alouquerqu.
Directora geral dainstruego
publica.
Fago saber a quem convier, de ordem do Illnj
Sr. Dr. director geral, que se acharo vagas as ca-
deiras de instruegio elementar do 1." aro do se-
xo femenino de Fr. Pedro Gongalves do Reci-
ta, de Santo Antonio do Reeife. Iguara>n, 9eri-
abaem, villde Garaohuns e Caruar ; pelo qno
sao as msalas cadeiras puslas concurso, mar-
cando-se o prazo de 30 dias, a contar da data
oeste, para a inscripcao e processo de babilitacao
das opposilorss. na forma das instruccoes de 11
de junho de 1859.
Secretaria da iostruegoo publica de Pernambu-
co 6 de julho de 1864.O secretario interino,
Salvador Jfeurique de Albuquerque.
i T~ SDaixo assignadoe. laogadores do consu-
lado provincial, irado de dar comego no dia 15
do correle mez aos trabalhos do langamento da
linha encarnada, houverem esbroamenlos, que dcima urbana e mais impostos quo por ai
para regular a superficie dos taludes, tenha o ar- i reparligo s8o arrecedados, como acha-se dispos-
rematante de fazer raaior escavaco do que a de- lo na lei doorgamento provincial vsente avisan
terminada, ser ello obrigado a fazer.
4a. O pagamento ser feito em quatro presta-
goes iguaes, pagos mensalmenle, e urna vez que
se verifique aohar-se feita ama parte Correspon-
dente da obra.
5*. A trra lancada fora ser levada para as
partes baixas que houverem Tora da estrada, nao
podendo ser amonloada de forma que possa vir
para cima da estrada.
6*. O arrematante attender a todas as recla-
magoes do eogenheiro, tendentes boa execugio
da obra, e bem assim no imposto a tal respeito
na lei n. 286.
7a. Nao ser attendida reclamarlo algoma por
parto do arrematante, Qcando elle responsavel
por quaesquer circunstancias accidentaes que
possam provir durante a execugio da obra, seja
qual for o motivo, que a isso der lugar.
Conforme.0 secretario, Antonio Ferreira da
a todos os contriboinles para que, no acto da
collecta, sejam manifestadas as informages ext-
giveis ; recommendando mui parculaimente
aos ioqueloos que apresentem os competeBtes
recibo?,afim de evitar duvidas e reclanaces.
Hecife 11 de julho de 1861.
Joao Pedro de Jess da Malta.
Demetrio de Gusmio Cnelho.
O flseal da freguezia de Santo Antonio des-
la cidade scientiQca a todos os propietarios das
casas, cojos passeios (vulgo calgada) se acham
deleoradas, que devero quanto antes mandar
repara.las, visto como ten de proceder a minu-
cioso exame, eas que forem eaconiradas em mo
estado, uVam sujeitas multa etabeleeida pelo
art 18 do lit. 7 das posturas municipaes de 30 do
junho de 1849.
Fiscalisago da freguezia de Santo Antonio de*
Reeife 11 de julho de 1861.O fiscal,
Maooel Joaqun da Silva Ribeiro.
17:3439729
Consulado provincial.
Rendimento do dial a 11. 58:707*878
dem do dia 12....... 7109090
59:417*968
Presidio de Fernando.
Pactos exislem que merecen ser submettidos
a considerarlo do publico, para que aprecindo-
os devi lamento, coobega os seus autores, e fi-
que prevenido contra olles, por seren capazes
de caprichosaneote quererera collocar-se cima
da lei, anda quando a conscieocia publica se
revolte pBra anathematisa-los.
Tendo chegado as mos do Exra. Sr. cornman-
dante das armas una denuncia contra o capitio
Jos de Cerquera Lina, que se acha no com-
mando de um destacameato na ilha de Ferum-
do, de admirar, e nen nesnose pode attingir,
a rasio porque o Exm. Sr. connandante nao man-
dou para ali. cono se propalara, no vapor pi-
ranga, que d'aqui parti, a comnissio que ten
de tonar conhecineoto dos factos constantes da
denuncia ; dando com isto lugar, ou .13 grandes
despesas para os cofres pblicos, com a ida
de um oatro navio, lio somedte para conduzir
os tres membros da dita commissio ; ou entao
conservar por muito lempo o denuuciado no lu-
gar que oceupa to indignamente, nao obstante
os seus actos reclamaren] urna prorapta retirada
d'aol. Tambera paia unt, H^u u ano. ar.
commandante das armas tendo scieucia de que
aqu na capital onde se ple bem investigar
do crime, por isso que aqu se acham al-
gunas das lestenunhas-a que se refere ade-
nuncia, e terem outras de virem no vapor Ipi-
ranga, queira o mesmo Exm. Sr. connandan-
te, que o conselho ali funecione, nao obstante
prejudicar os oQlciaes da coramissao en seus
vencimenlos, e neohum resultado se obter, por-
que as pessoas que Acarara en Pernando oio
ousario depor cootra aquello que de facto ali
exerce um poder desptico, veodn-o no caso de
poder exerce-lo.
Nao sabemos o enteresse, que o Exm. Sr.
commandante das armas, tem em mandar a
Femando a comnissio, quando l nao exs-
ten as lestenunhis constante da denuncia. Nio
sbenos que escrupulp tem o Exn. Sr. com-
mandante das armas, en retirar o capilo Cer-
quera Lina a fim d'aqui ser ouvido do conse-
lho da ilha de Fernando, a vista de urna denun-
cia que existe era seu poder, quando com manos
proras lem mandado tirar o commando a outros
e a encerrar a um em urna fortaleza 111 Nao sei
por que razio o Exra. Sr. commandante das armas
nio quer poupar os cofres pblicos de despesas
ooerosas e deixar de encemmodar e prejudicar a
tantos ofBciaes, que como testemuohas e mem
bros da coramissao tem de ir a Peinando, po-
dendo somente encommodar o capitio Cerque-
ra Lima, que em Fernando nenhuma falta faz
por se acharem outros officiaes que podem subs
titui-lo, quando. (actos praticdos pelo dito ia<
pito reclamao urna prorapta retirada d'aquella
ilha III Comtudo isto deve ter urna explicagao
rasoavel, por nao ser possivel que o Exm. Sr.
commandante das armas proceda de tal modo,
quando parece proteger o Sr. Cerqueira Lina,
por isso aguardamos para da-la em lempo coa-
veniente.
* *
Moriniento do porto.
ffavios entrados no dia 12.
Rio de Janeiro15 dias, brigue nacional Almi-
rante de 218 toneladas, capitio Uenrique Cor-
rea de Preltas, equipagem 12, carga farello,
vioho, e caf ; a Azevedo & Mendes, e 1 es-
cravo entregar.
Bordeaux e portos intermedios 17 dias, vapor
franeez Vavarre, de W71 toneladas, comman-
dante Vedel, quipagem 119, carga differeotes
mrcadorias ; a Tissel frere.
Nio houveram entradas.
Annunciaco.
^^UH^vSrgSSSZ Santa casa Ia' misericordia do
da mesma thesouraria est autorisado a pagar do
dia 8 do correte por diante aaapolices da divi- j
da publica provincial, e oraittidas em virtude da
le provincial n 354 de 23 de selembro de 1854.:
E para constar se maodou affixar o presente e
publicar pelo Diario.
Secretara da thesouraria provincial de Per-
nambuco 6 de julho de 1861.O secretario,
Antonio Ferreira d'Aiinunciagao.
_ O Illm. Sr. iospector da thesouraria pro-
vincial manda fazer publico, que o thesoureiro
da mesma thesouraria est autorisado a pagar do
dia 8 do correte por diante, os juros das apoli-
ces da divida publica provincial, vencidas at o
ultimo de junho prximo Ando.
E para constar se mandou affixar o preseute e
publicar pelo Oiario.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
buco 6 de julho de 1861.O secre ario,
Antonio Ferreira d'Annunciagao.
ai oo a. a> B Horas.
V * * w z i' e-e 0 Lthmosphera 0
B W B M D ir te[do. <* M a p n 3 H -I sa 0 CU
w 55 9 Inttnsidadt. 1
-1 ~a M 00 ^ S -1 ^9 Fahrenhtit. i* I ? 0 a* c c
25,5 | 23.8 1 P > -~ 00 | Centgrado. 1
1 -~i 4n -a -4 9> Hygrometro. 0
s 0 *> 0 O Cisterna hydr mtrica. -
a -a -a ^1 a g te Franeez. s 0 ai n 5 0
0 a co 0 ~4 ce Inglez.
De<;iara A noitea principio clara e depois nublada,vento
fresco do ESE e assim amanheceu.
0Sf.lL\g\5 Da mar.
Preantr as 7 h. 18' Os manhaa, altura 6,5 p.
Baixamar as 0 h 4V da tarde, altura 1,4 p.
ooserviorio do arsenal de marinha, 11 de ju-
lho de 1861.
Roauno Stepple,
1" tenante.
Reeife.
A Illma. junta administrativa da santa casa de
misericordia do Reeife manda fazer publico aos
seohores irmios instaladoras que ainda nio pa-
garan as respectivas joias, e que nao o fizerem
da dala deste a 30 dias, que serio eliminados da
conformidade com o officio da presidencia.
Secretaria da santa casa da misericordia do Re-
cite 5 de julho de 1861.O escrivio,
F. A. Civalcanti Cousseiro:
Tribunal do eummercio.
Pela secretaria do tribunal do commercio da
provincia de Pernambuco se faz publico a vaga
do officio de corretor geral desta praga, bivida
por fallecimento de Prudencio Marques de A,-
morim.
Secretaria do tribunal do commercio de Per-
nambuco 5 de julho de 1861.
Julio GuiraariesOffkial-maior.
Santa Casa de Misericordia do
Reeife.
A Illma junta administrativa da santa casa de
misericordia do Reeife, manda fazer publico que
nao se tendo effecluado hoje a arrematagio das
rendas da ilha doNogueira, ir novamente t pra-
ca no dia 4 do prximo futuro mez de julho. Os
pretndanles devem organisar suas propostas e
remelte-las a esta secretaria em carta fechada,
no dia acina mencionado, as 4 horas da tarde.
Secretaria da Santa Casa da Misericordia do
Reeife, 27 de junho de 1861.
F. A. Cavalcanti Cousseiro,
Escrivio.
1
.A Illma. junta administrativa da santa casa
de misericordia do Reeife manda fazer publico,
que no dia 15 do prximo futuro mez de julho,
pelas 10 horas da mauha, na casa dos exposlos,
far-se-ha pagamento as respectivas amas ; de-
vendo estas irem acompinhadas das criangas.
Santa casa de miseriordia do Reeife 28 de ju-
nho de 1861.O escrivio,
F. A. Cavalcanti Cousseiro.
S0G1EDADE BAMMtU.
Amorim, Fragoso Santos
Companhia
Saeam e tomam saques sobre as pragas do Ra
Sditaes.
(OMUUKCIO.
Caixa Filial do Banco do
Brasil em Pernambuco
A directora em virtude do aviso de 8 de ju-
nho prximo passado, declara que fice prorogado
por mais 60 dias o prazo marcado pelo art. 4 do
decreto n. 1685 do 10 de no vera br o do a ano fia-
do, para a substituirlo das ootas de 20f da emis-
sio da mesma caixa, o qual Onda em 19 de se-
lembro vindouro.
Caixa Pilial do Banco do Brasil, aos 5 de julho
de 1861.O secretario interino, Luiz de Maraes
Gomes Ferreira,
.lfandegrav,
Rendimento do da 1 a 11. .
dem do da 12. ..... ,
Mov rae ato daai
Volumes entrados com fazenda*..
> com gneros..
223546*0K
107291049
284:S7S*iM
Volumes
sahidoa
t
eom fazendes..
eom vasaro*.
48
259
-----277'
98
Entradas dos oavfot no porto de Lisboa "vthdr/s
tfoo porros do Brasil :
Junho,
14flafer portrrgueza Joven Carlotas, do Rio
de Janeiro, em 69 dias.
Varea portugaea Amazona., do Paca, a
36 da.
5
O Illm. Sr. iospector da thesouraria pro-
vincial manda fazer publico para couhecimeoto
dos ioteressados o art. 48 da lei provincial n.
510 de 18 de junho do corrente auno.
Art. 48 E' permiltido pagar-se a meia siza
dos eacravos comprados em qualquer lempo an-
terior a dala da presente le iodependentc de
revalidagio e mulla, una vez que os devedores
acluaes deste imposto, o fagam dentro do exerci-
cio de 1861 a 1862, os que nio o fizerem ficario
sujeitos a revalidagio e mulla em dobro, sendo
um lergo para o denuociante. A thesouraria
far anouociar por edital nos prlmeiros 10 dias
de cada mez a presente disposigao.
E para constar se mandou affixar o presente e
publicar pelo Diario,
Secretaria da thesouraria provincial de Per-
nambuco 8 de julho de 1861.O secretario,
A. F. d'Annunciaoao.
A cmara municipal desta cidade faz publico
para conhecimento dos seus municipes, e espe-
cialmente do corpo eleiloral, que o Exm. presi-
dente da provincia Ihe commuoicou, que, em
virtude do 1 do art. 24 da lei de 12 de agosto
de 1834, convocar a nova assembla legislativa
provincial para reuoir-se na prxima sessio or-
dinaria de 1861, e que designara o da 24 de no-
vembro viodouro para oelle ae proceder a eleicao
dos seus membros ; devendo o primeiro dislricto
dar nove menbroa da assembla legislativa pro-
vincial, conforme dispe o art. 2 do decreto n.
2633 de Io de setembro de 1860. Pego da cma-
ra municipal do Reeife em sessio de Io de julho
de 1861. Lua Francisco de Barros Reg, presi-
dente. Fraocisco Caouto da Boa-viagem, official
maior ser viudo de secreta rio.
Joio Baptista de Castro e Silva, commendidorda
ordem da Rosa, e inspector da thesouraria de
fazenda do Pernambuco, por S. M. I., qae Deus
guardo.
Fago saber a lodos os habitantes desta provin-
cia, quo em virtude do ordem circular do the-
souro o. 30 de 4 do corrente mez se substituirio
oesta thesouraria, s horas do aeu expediente, as
notas de 1009 a 200a da 1* estampa, papel brac-
eo. Bsta aubsliiuico se realisar desta data ao
Um do dezoobro Oeste aooo valor por valor; do.
1 de Janeiro de 1862 porra em diante so far!
ella com o descont legal de 90 por cento em ca-:
da met, do modo quo no 1 de ouiubro do dilo
aooo do 1162 aio lerio mais valer algam as re-
feridas natas.
Thegeurwia do fazenda do Peraambuco Todei
juDhodeWM.
Joio Bspiisl* de Castro e Silva.
CORREIO.
Pela adminislragio do correio desta cidade se
faz publico que em virtude da convengao postal,
celebrada peros governos brasileiro e franeez. se-
rio expedidas malas para a Europa no dia 15 do
corrente mez, de conformidade com o annuncio
deste correio, publicado no Diario de 9 de fve-
reiro ultimo. As cartas serio recebidas at 2
horas antes da que for marcada para a sahida do
vapor, e os jornaes al 4 horas antes. Correio
de Pernambuco 12 de julho de 1861.
Domingos dos Passos Miranda, ;
Administrador.
Tribunal do commercio
Pela secretaria do tribunal do commercio de
Pernambuco se faz publico qua na dala iofra foi
registrado o papel de sociedade que em 24 de
maio ultimo firmaran M4noel Ferreira dos Sao-
tos Caminha, e Alexandre Ferreira dos Santos
Camioha, estabelecidos com casas de commer-
cio nesta praga, e as cidades do Aracaty e Ico,
sob a firma doSantos Camioha & Irmos.
O s-u fim principal a liquidagao do activo e
passtvo da massa fallida de Camminha Si Filhos
pela forma e coodiges da concordata que Ihes
foi oulhorgada pelos credores d'ella, e o capi-
tal social considerado na importancia de
220:804^967 rs. em bens de raz, movis e se-
moventes, etc., durando dita sociedade o praso
delresannos contado de 15 de abril prximo de Jaoeiro, Maranhao e Para.
passado, salvo accordo em contrario. VBa_aM_M_va_
Secretaria, 12 de julho de 1861.
Julio Guimares,
Official maior.
Tul eia ouk.dol.e-oi> C p-LU.o ,-,,,
se acha depositado um cavado castaaho com ou -
tros signaes, que em a noite de hoje em deli-
geocia de seren capturados uns ladres de ca- i
vallo foi este encontrado amarrado dentro dos
mallos atrs de um mucambo em que assisle
Francisco Xivier de Albuquerque, irmao de An-
tonio Cezar Marinho Falco, que se acha com
praga, cujo cavallu aqui desconhecido, como
suspeilo foi aprehendido ; quem se julgar com '
diretro e o provando, Ihe ser entregue.
Subdelegada do Io destricto da freguezia dos
Affogados, 12 de julho do 1861. ,
O subdelegado '
Jos Francisco Carneiro Monleiro.
Por esta subdt legaca se faz publico que
se acha recolhido o preto Antonio, que diz ser
escravo de D. Mara, o qual foi preso pela ronda
ao amanhecer de hoje por suspeito de estar f-
gido; quera sejulgar com direito comparega,
que provando, Ihe ser entregue. 1
Subielegacia do Io districto da freguezia dos
Affogados, 12 de julho de lil.
O subdelegado
Jos Francisco Carneiro Monteiro.
Tribunal do commercio j Am,.t _, /x<* x _.__
Pela i do tribuna commercio da (JIJE JV TEVE E AGORA N\0 TE1.
THEATRO
DE
Santa Isabel.
EMPREZAGERMANO.
20a RECITA. DA ASS1GNATRA.
I Sabbado 13 de julho.
Reentrada da aclriz a Sra D. Isabel Uaria Nu-
I nes, que se acha contratada por esta
empreza.
Subir acea o interessantee muito applaudido
drama em 5* actos eum prologo, escripto peloSr.
L. A. Bourgan, autor de Mosteiro de Saol'Iage,
Luiz de Camoes, Casa Maldita e outros,
PEDRO-CE!!
aau ^DM"fm hoje Udeiulhn.
Barca rngleztColinaferro e pite.
Barca inglezaSarshfarioha e ferro.
Brigue inglezReliance mercadorias.
Brigue in$teaSoycarvio.
Briguolnafw-starjr Aanj-frilhoa de ferro.
Escuras hollandeza AuthTopa qjuetjos e ge-
nehra.
Polaca hespinholaEsmeraldaame de char-
que.
O illm. 8r. inspector da thaaouvaria provin-
cial, m cumprimento da ordem do Bam. ir. pre-
sidente da provincia, de 88 de junho prximo
nado; rnaada-fauer purWfeo qavno d\a O agos-
to proaisao futuro, pasante a junta afaaonda da
mesma thesouraria, sa ha de arrematar, quem
por menea fier. a obra a fazer-se com o corte da
orteraa fo ti* da aricet, avallada eara
4:290|000.
A arronuiagio aera feita na forma da lei pro-
provincia de Pernambuco se faz puDlico, que em
data de hoje foi langado no respectivo livro o
Ihoor do contrato social de Loureogo de Frenas '
Guimares, Jos Antonio de Freitas Guimares
e Jos Antonio de Preitas, subditos Porluguezes, ",
residentes nesta cidade do Reeife, sob a firma
de Guimares & Irmao, da qual smente usar o
socio Loureogo, sendo o fim da dita sociedado '.
a compra e venda de miudezas na loja n, 65 da '
ra do Queimado, com o capital de 6-.0O0JO00 rs.
fornecidos por ambos os socios, durando ella
o prazo de tres annos, contados de 15 de jucho
ultimo.
Secretaria do l-ibunal do commercio de Per-
nambuco 12 de julho de 1861.
Julio Guimares Official-maior.
Na mesma dala foi registrado o contracto de
sociedade firmado em 15 de junho ultimo, por
Loureogo de Freitas Guimares e Jos Laurenli-
no de Azevedo, sob a Qrma de Lourengo de Frei-
tas Guimares & C, no qual se osttbeleceu que
o oso da firma social perlence ao socio Louren-
go como caixa e gerente, e que a dita sociedade
ter por fim a compra e venda de fazendas sec-
cas na loja n. 104 da ra Oireita desta cidade,
com o fundo capital de 8.0008000 rs-, e por pra-
zo de durago, trea annos contados de 15 de ju-
nho prximo fiado.
Secretaria era ut snpra.
Julio Guimares.Official-maior.
Caixa filial do banco do Brasil
em Pernambuco.
Por ordrm tk directora e eta com-
pri ment do disposto no ari. 4 do de-
creto n. 2685 de 10 de nov-nabro de
armo lindo, va i-se proceder dentro do
prazo de 4 mezes a contar desta data, a
aubttituicao das notas de 20# da emissac
da mesma caixa.
Caixa filial no Reeife ao 20 de mar-
co de 1861.O secretario da directora
francisco Joao de Barros.
Directori geral da iastruc-
co pMica.
Fago saber a quem oonvier, de ordem do Illm.
Sr. Dr. director geral,' qusu achaca, vagas aa ca-
deiraa dw hrttruegoeWoWrtar do l.'gveo-aa so-
lo masculino de Una, S. Vicente, Buique, Sania
Maria da Boa-v^atara-Garsoory ; pelo quo aio asi.
mesmas cadeiraa pesias concurso, anarcando-ae
o prazo de 30 dias, a contar da dala deste, paca a
iuscripcio processo do habtliUclo dos opposi-
PERS0NAGENS.
Pedro................. Gernano.
Lourengo............. Vicente.
Padre Mena.......... Valle.
Joao Gongalves...... Nunes.
Maooel Ribeiro........ Leite.
Traocozo.............. Raynuodo.
Serapio.............. Sania Rosa.
Aodr................. Teixeira.
.Malinas.............. Campos.
Maria................. D. Isabel.
Josepha.............. D. Auna Chaves
Marianna.............. D. Jesuiaa.
Thereza .............. D. Carmela.
Malvina............... D. Leopoldina.
Convidados, soldados, etc., etc.
Porto.Reinado do D. Jos I
Terminar o espectculo com a nova comedia
em um acto,
5S sidos de carruagem.
PERSONAGENS.
Chabourl, medico.... Raytnundo.
Osear Duresnel........ Vicente.
Morel, cocheiro...... Teixeira.
Molot, amigo de Cha-
bourl.............. Campos.
Hortencia, mulher de
Chabourl.......... D.Carmela.
Palm ira, sobrio ha..... D. Anca Chaves
Carlota, creada........ D. Jesuina.
Comegar s 7,'i horas.
GRANDE
E
Extraordinario
NOS
Saldes d eaes de ipollo
Sablflfc O fe julho.
En faotjr de Antonio Teixeira dos
Santo*.
K horas do coslume ter cometo este divert-


w
DIARIO DI nWUMDOO k- SABBIXJ 1S D* HJLBO DE 114)1.
.ment, tocando a apreciavel banda do 4 batalho
de arlilharia a p diferentes bellas msicas para
aa danesa.
O salo estar primorosomenle adornado e Ilu-
minado como da costume.
Um crescido numero de senhoras abrilbantar
este baile, bem como se espera o comparecimen-
to de mu distioctoa cavalleiros.
Ser cumprido risca o regulamento poli-
cial.
Entradas para as senhoras. gratis ; e para ho-
rneas 2*000.
THE 4TRO
Ultimo espectculo, concedido peloexi
mi chimico o Sr. Luis Pisler, cog-
atomisadoO Re do Fogoem favor
da caixa de soccorros da Sociedade
Uniao BeneGcente Martima de Per
na mbuco.
DOMINGO 14 DE JULHO.
Havendo o philaotropico cavalheiro polaco ci-
ma nomeado se dignado favorecer cora um bene-
ficio os necessitados da Sociedade Martima, es-
pera-s. que as pessoas bemfazejas concorram
para tornar o mais efflcaz possivel esse beneficio,
no qual o eximio artista se sforcari, como cos-
turas, para corresponder ao grande conceito de
que gota por seus admirareis trabalhos
O espectculo come^ar as 7 1/2 horas da noi-
te, ejecutando os professores da orchestra urna
brilhante ouverlura, e se compor de tres partes,
distribuidas como abaixo se v.
Primeira parte.
O Sr. Pedro Pister executar o seguinte :
A ponte de Arcle.
Urna grande pyramide.
Um passeio de Hercules.
Levantar um cavsllo ao sr.
Far quebrar sobre seu peito urna pedra de cin-
co a seis arrobas, p"or dous homens com gran-
des malbosde ferro.
Segunda parte.
Mgicas inleressantes.
Terceira parte.
Representar algumas partes de seus trabalhos
de fogo, taes como :
As barras de ferro em braza.
A reunio de viole o quatro luzes de velas, pas-
sando-as pelos bracos, rcaos e ps.
Partir com os denles urna pequea barra defer-
ro em braza.
Comer urna porcao de alcalro acceso.
Entrar n'um forno roais quente que no espect-
culo passado, com um grande pdaco de carne,
e aguentar todo o tempo necessarlo para que
fique assada ; com o que o Re do Fogo dar lira
ao seu ultimo espectculo entre nos.
O resto dos bilhetes acha-se desde j venda
no theatro.
Fioda a primeira parte, urna commisso ir
por parte da sociedade receber aos camarotes,
das pessoas que se digoarara aceitar bilhetes,
asquaotias com quehouveretn de concorrer para
este beneficio.
Aysos martimos.
Para Lisboa,
o brigue portuguez cConstanli, capito Augusto
Carlos do Reis, se^ue viagem com muila brevida-
de por j ter a maior parte da carga prompta :
quem no mesmo quizer carregar ou ir de passa-
gem, para o que tem aoiados coramodos, trata-
se com o consignatario Thomaz de Aquioo Fon-
seca, na ra do Vigario n. 19, primeiro andar,
ou com o capito na praca.
'?m
Rio de Janeiro
segu com brevidade o brigue nacional Felicida-
des por ter a maior parle do seu carregamento
jiinmntn : aluda receoe Mguiua carie ptpr'^
a frete, para o que trata-se com os consignata-
rios Jos Velloso Soares & Filho, no largo do
'Corpo Santo.-
REAL DE
Paquetes Dglezes a vapor.
At o da 15 deste mezespera-se dosul o va-
por Tyoe. com mandan le Wooli-ot, o qual de-
pois da demora do costume seguir para Sou-
thampton, tocando nos portos de S. Vicente e
Lisboa : para passagens ele, trata-se com os
agentes Adamson, Howie& C, ra do Trjpiche
Novo n. 42.
N. B. Os embrulhos s se recebem at duas
horas antes de se fecharem as malas, ou pagan-
do um paUcao alm do respectivo frete, urna
hora antes de se fecharem as malas.
Baha.
A escuna nacional Carila, capito Luciano Al-
ves da Conceicio, sahe para a Babia em poucos
dias ; para alguroa carga que ainda pode receber,
trata-se com Francisco L. O. Azevedo, na ra da
Madre de Deus n. 12.
Para
Rio de Janeiro,
o patacho nacional Lima I, de superior mar-
cha, segu com brevidade para o Rio de Janeiro,
recebe carga a frete para dito porto u trta-se
com Basto & Lemos. ra do Trapiche n. 15, ou
com o capito a bordo.
COMPANHIA BRASILEIRA
DE
rMPiflf A ftm
At o da 17 do crrante esperado dos portos
do corle o vapor Cruzeiro do Sul, commandan-
te o capito de mar e guerra Gervazio Mancebo,
qual depois da demora do costume seguir pa-
ta os portos do sal. .
Desde j recebem-se psssageiros e engaja-se a
carga que o vapor poder conduzir. qual dever
ser embarcada no dia de sua chegada at as 3
boraa da tarde, eocommendas, passageiros e di-
nheiro a frete at o dia da sabida a* 4 horas:
agencia ra da Cruz n. 1, esoriptorio de Azeve-
do & Meades.
Amonto ,& Filho, ra da Cruz n. 45 ou com a
capito a bordo.
COMPANHIA BRASILEIRA
DE
MillTKS &f]NNL
O vapor nacional Paran, commaodaote o ca-
pito teneote Jos Leopoldo de Nuronha Tor-
rezio, esperado dos portos do sul at o dia
15 do corren te, o qual de pois da demora do cos-
tume seguir para os portos do norte.
Desde j recebem-se passageiros e engaja-se a
carga que o vapor poder conduzir a qual dever
ser embarcada no dia de sua chegada at as 3
horas da larde, dinheiro a frete, eocommendas e
passageiros at o dia da sabida as 4 horas : agen-
cia ra da Cruz n. 1, escriptorio de Azevedo &
Uendes.
W
Rio de Janeiro
segu com toda a brevidade a barca Mathilde
por ter metade do seu carregamento engajado :
para o reatante, trata-se com Manoel AlvesGuer-
ra, na ra do Trapiche o. 14, ou com o capito
Jos Ferieira Pinto.
Aracaty.
Para este porto seguir brevemente o hiate na-
cional Santa Annavf: para o restante da carga e
passageiros trata-se com Gurgel & Irmos, na
na da Cadeia do Recite, primeiro andar, n. 28.
B>hia.
Segueaaumaca Hertencia, capito Belchior
Maciel Araujo ; para o resto da carga que lhe
hita e passageiros. trata-se com Azevedo & alen-
des, ra da Cruz n. 1.
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DB
Navegado cosleira a vapor
Parahiba, Rio Grande do Norte, Ma-
cao do Assu'. Aracaty, (Jeara*.
O vapor Iguarass, commandante Horeira,
sahir para os portos do norte al o Cear no
dia 22 do corrente s 4 horas da tarde. Recebe
carga at o dia 20 ao meio dia. Eocommendas,
passageiros e dinheiro a frete at o dia da sahida
a 1 hora : escriptorio no Forte do ttattos n. 1.
JfL
DAS
Messageries imperiales.
Agencia ra do Trapiche n. 9.
Al o dia 14 do corrente espera-se da Europa
o vapor francez Navarre, commandante Vedel.
o qual depois da demora do costume seguir
para o Rio de Janeiro tocando na Babia, para
passagens etc., a tratar na agencia.
COMPANHIA PERNAMBCANA
DE
Navegacao costeira a vapor
O vapor l'ersinunga, commandante Moura,
segu viagem para os portos do sul de sua es-
cala no dia 20 de julho as 4 horas da tarde. Re-
cebe carga at o dia 19 ao meio dia. Eocommen-
das, passageiros e dinheiro a frete al o dia da
Sahida A I hnrn oapriplnrin rtn Rnrt. Aa M.ttni
O. 1.
Para Lisboa e Porto,
sahir com brevidade a barca portugueza For-
mse, de primeira marcha : para o restante da
carga e passageiros. para os quaes lem excelen-
tes commodos, trata-se com Maooel Ignacio de
Oliveira 4 Filho, largo do Corpo Santo, escrip-
torio, ou com o capito a bordo.
para dous estallos, excellentes molas muito forte.
Bem como
differeotes movis qne serio entregues por todo
prego oblido para acabar, e boos escravos que
se venderlo na mesma occasio, cujo leilo ter
lugar lerca-feira 16 do corrente s 11 horas em
ponto na ra do Imperador n. 73.
Gontinuacao do leilao
DE
LOUQA.
Terca-feira 16 do corrente ao
correr do martello.
Costa Carvalho nio teodo podido acabar com
o leilo da loja de lou;a da ra das Cruzes o.
41, o far no dia cima na mesma loja as 11 ho-
ras em (ponto espera a coocurrencia dos seus
freguezes.
Terca-feira 16 do corrente.
DE
Urna taberna.
Jos Francisco Ferreira autorisado pelos Srs.
Francisco Alves Monteiro Jnior e Barros & Sil-
va seas nicos credores por intervengo do agen-
te Evaristo alendes da Cunha Azevedo far leilo
de sua taberna sita na ra Augusta n. 23, dos
gneros, armaco ma'is uiencios existentes
na mesma, em om s lote ou a retalbo conforme
convier aos pretndanles no dia cima na mesma
taberna, as 11 horas em ponto.
LEILAO
DE
Leiies.
LEILAO
O agente Hyppolito por caita de ordena que
recebeu, vender em leilo um predio terreo na
travessa doTambi da praca da Boa-Vista, o
qual tem 2 salas, 4 quatros. quintal murado e ca-
cimba, sendo o terreno foreiro, os pretendentes
pois, para iuformaces procurem o agente cima
que lhe as mostrar, devendo proceder-se a ven-
da sabbado 20 do corrente, em seu escriptorio
ra da Cadeia do Recife n. 48, primeiro andar,
as 11 horas em ponto.
LEILO
O agente Hyppolito autorisado pelos Srs. Ro-
the & Bidoulac, far leilo por conta e risco de
quem pertencer, de urna porco de faccas para
charqueada ; na mesma occasio se houver con-
currencia se vender tambem urna perco de
ferragens, cutilerias e perfutoaras, por tanto o
agente cima convida a todos os senhores que
negociam com taes mercadorias para que com-
parecam na roa do Trapiche armazem a'aquelles
senhores, no dia 16 do corrente mez, que abi se
effectuar o referido leilo, as 11 horas em ponto.
LEILAO
Jfc
O patacho nacional Barras /, de superior Bar-
cha, segu com brevidade para o Rio de Janei-
ro, recebe carga a frete : trata-so coa Tiara
O agente Hyppolito com autorisaco far lei-
lao de um predio terreo sito na ra do Hospi-
cio, no qual presentemente mora o Sr. Dr. Bse-
ta Neves junto a casa ondefoi ocollegio do Bom
Conseibo, tendo boia salas, quartos, quintal mu-
rado, cacimba etc.: regunda-feira 154o corrente
8 1 horas em ponto, no seu escriptorio ra da
Cadeia n. 48, primeiro andar.
Oa Sra. pretendentes poderlo enlender-se com
o mesmo agente para oa esclarecimentos pre-
cisos.
LEILAO
-**aaa>- BE
Um carro nglez, movis
e escravos.
Aotunes far leilo de um rico carro inglez de
4 rodas pintado o forrado de aovo, com arelos
Urna taberna.
Segunda feiral5 do corrente.
Costa Carvalho far leilo no oia cima as 11
horas em ponto, dos gneros, armaco e dividas
da taberna da ra Velba o 27, em um s lote
ou a retalho a vootade dos compradores.
LEILAO
Grande queima
MOV
O agente Hyppolito da Silva declara
peitavel publico que autorisado pelos Srs. admi-
nistradores da massa do fallecido Manoel Anto-
nio dos Passos Oliveira vai vender por todo e
qualquer prego os movis existentes no arma-
zem sito na ra Nora n 22, consislindo em mo-
rillas completas de mogno, ceregeiras, Jacaran-
da, guarda louca, apparadores, camas francezas
e muitos outros movis que se tornara enfado-
nho mencionar, por tanto julga o agente cima,
que ser prudente que qualquer pessoa deva se
prevenir nesta occasio, pois ludo ser rendido
ao correr do martillo. Na mesma occasio se
vendero tambem as dividas activas do mesmo
estabelecimento devendo ter lugar o leilo nos
dias 17, 18,19 do corrente mez, as 11 horas em
ponto dos mencionados dias no referido ar-
mazem.
Avisos diyersos.
Veode-se um lindo e grande sitio na estra-
da do Monteiro, no qual est residindo o Exm.
Sr. Dr. Doria, com urna excellenie casa de vi-
venda, senzalls, cocheira e estribara, mullo bo
agua, iromenoaa e variadas ardores fructferas, e
duas baixas de capim : quem pretender dirija-se
ao pateo da Saola Cruz o. 24, segundo andar,
para tratar AfnnQs-se que o prego razoavel,
pois com o duplo nao se far urna casa seme-
lhanle.
Um mogo habilitado se offerece para ens-
nar em algum engenho primeiras letras, latim e
partidas dobradas ; a pessoa que so quizer utili-
sar de seu prestimo. dirija-se a casa do capito
Reg Barros, oo Remedio, que dir quem .
-$
Attenco. |
# O Dr. Joo Pedro Maduro da Fooseca
tj> mudnu a sua residencia para a mesma ra 9
0 da Cadeia do Recife n. 18, aonle se pres- #
U ta aos misterios de sua proQsso medica. JJ
$
Arrenda-se o engenho
Sao Caetano, sito na comarca
do Cabo, com trras para sa-
frefar dous mil pes animal-
mente, bem cercado e o ma-
chinismo em bom estado, e
movido por agua: a tratar
com Antonio de Moraes Go-
me s Ferreira, no M ondego, ca-
sa do fallecido commendador
Luiz Gomes Ferreira.
Precisa-sede um excel-
lente cosinheiro e de exem-
plar conducta: a tratar na
ra do Vigario n. %
Aos Srs. consumi-
dores de gaz.
Tendo chegado ao conhecimento do*
empresarios do gaz, que algum consu-
midores tem sido logrados por pessoes
que oferecendo-se de melhorar ou con-
certar ot bicos de ga* de suas casas c
lerando-os sob este pretexto nunca mais
voltarara, os emprezartos tornam a an-
nunciar, para bem de seus freguezes,
que nSo ha machinista ou pessoa algu-
ma autor isa da de, apedido do dono,
concertar, nem mesmo examinar bicos,
ou outro qualquer appaielbo de gaz, e
que o nico meio de obter concertos,
alteracSo ou exame por via do caixei-
ro que esta' sempre no escriptorio da
empreza na ra do Imperador n. 31
durante as horas ae negocio, e quando
fora dellas na casa de sua residencia
ra do Alecrim sobrado n. 2.
Declaram mais, que como elles sao
responsaveis pela boa acolo das suas
obn.s iecusam de fornecer gaz por
qualquer bico ou intermedio que nSo
seja de sua fabrica.
Tomam esta occasio de repetir par-1
te do art. 6 das instruccoes iscaes a sa-l
^>er Havendo cheiro de gaz em cas? 3
mandarao dar parte immediatamente
nos depsitos ou no escriptorio da em-
preza pedindo a devida observacao
desta instruccao declaram que o consu-
midor {altando a ella cahira' sobre el-
bre elle a responsabilidade das conse-
quencias...
Victoriao Candido Pereira de Magalhes tai
a Portugal tratar de sua aaude.
SYSTE MA MEDICO DE UOLLOWAY.
PILLAS HOLLWOTA.
Este inestimavel especifico, composto inteira,
mente de hervas medicinaos, nio contm mercu-
rio nem algama outra substancia delecteria. Be-
nigno mais tenra infancia, o a complejo mais
delicada igualmente prompto e seguro para
desarraigar o mal na complete,ao mais robusta ;
enteiramente innocente em suas operacoese ef-
fettos ; pois busca e remte as doen;as de qual
quer especie e grao por mais antigs e tenazes
que sejam.
Entre milhares de pessoas curtdas com este
remedio, muitas oue j estavamas portas da
norte, preservando em seu uso : conseguirn
recobrara saude e forcas, depois dehaver tenta-
do inullimente todos osoutrosremedios. .
As mais afflictas nao dovem entregar-se a des-
esperar o ; fajara um competente ensaiodose
mcazes effeitos desta assombrosa medicina,
prestes recuperarlo o beneficio da saude.
Grandelaboraorio a yapor
mm
DE
ll
ROUPA,
DE
MMAIE. MHO
Roupa de familia indistinctamente pe;as grandes e pequeas, i
Roupa de navios, vapores, hospitaes...........
Pecas grandes isoladsmente, como leoces, toalhas de mesi, etc.
Roupa de doBDte de familia que nao seja fregueza......
Roupa misturada que alguem sem ser frenuez exigir que se lave.
LAVADAEEN-
GOMHAOA.
160 ris
160
240
240 ,,
240
Nao se
pero* tompo em tomar este remedio
para qualquer das seguintes enfermidades:
Accidentes epilpticos.
Alporcas.
Am polas.
Areias (mal de).
Asthma.
Clicas.
Convulses.
Debilidadeou exterTa-
5S0.
Debilidade ou falta de
forcas para qualquer
cousa.
Desinteria.
Dor degarganta,
de barriga.
nos rins.
Dureza no ven Ir.
Enfermidades no ventre.
Ditas no figado.
Ditas venreas.
Enchaqueca
Herysipela,
Febre biliosa.
Febreto dae specie.
Gotta.
Hemorrhoidas.
Hydropesia.
Ictericia.
Indigestos.
Infiamma^es.
Irregularidades
menstrua^o.
Lombrigas de toda es-
pecie.
Mal de pedra.
Manchas na eutis.
Abstruego de ventre.
Phtysica ou consump-
pulmonar.
Retenco deourina.
Rheumatismo.
Symptomas secundarios.
Tumores.
Tico doloroso,
Ulceras.
Venereo(mal).
Febreto intermitente,
Vende-se estas pilulas no estabelecimento ge-
ral de Londres n. 224, Strand, ena loja de
todos os boticarios droguista eoutras pessoas edo
carregadas de sua venda em toda a America n-
sul, Havana e Hspanha.
Vendem-se as bocetinhas a 800 ts. cada
urna dallas, contem urna instruejao em portu-
guez para explicar o modo de se usar dess ni-
lulas. r
O deposito geral em casa do Sr. Soura
pharmaceutico, na rui da Cruz n. 22 em Per-
oambuco.
.. T. 0s Sr. abaiio declarados sao rogados a
duigir-se ra Nova n. 18, a negocio de seus
especiaes interesses.
Antonio Carlos Frederico Sera.
Antonio de Medeiros.
Americo Xavier Pereira de Brito.
AdIodo Jeronymo Pinbeiro.
Antonio Albuquerque de Hollanda Cavalcanti.
Antonio Claudino Alves Gomes.
Amenco Vespucio de Hollanda Chacn.
Antonio Francisco da Cunta.
Antonio alachado Bittencourt.
Antonio de S Serro.
airara, nlnnin Kprrpir PintO.
Antonio Joaquim Fernandes de Azevedo.
Antonio Luiz Vieira.
Agostinho de Silva Guimaraes.
Antonio Gioga.
A viuva de Manoel Carneiro Leal.
Bernardo de Alemao Goelho.
Bento Antonio Domingues.
Belarmioa Maria da Conceico.
Caetano de Barros Wanderley.
Chrisliano Rodolpho.
Constancio Camillo Cesar.
Corio Aureliano Yentura.
Caiu Soares.
Dr. Antonio Joaquim de Figueiredo Seabra.
Dr. Jos Francisco de Arruda Cmara.
Dr. Francisco Affonso Ferreira.
Dr. Polycarpo Cesar de Barros:
Dr. Antonio Borges Leal.
Domingos Augusto da Silva Guimaraes.
Eustaquio Jos da Fooseca.
Francisco de Paula Oliveira Maciel.
Flix Cavalcanti de Albuauerque Mello.
Filippe Dioiz Civalcauti.
Francisco de Salles Alves Correa.
Fraocisco Jos Virino.
Francisco da Rocha Maia.
Francisco Carrilho.
Francisco de Salles Corteiro Lins.
Francisco de Paula Albuquerque Maraaho.
Francisco Jos* Alves de Carvalho.
Galdioo Lopes de Oliveira.
Jorge Donnely.
Joo Paulo Ferreira.
Joo Ferreira da Fooseca.
Joaquim Correa de Araujo.
Jos dos Santos de Oliveira Mendonja.
Jos Joaquim de Figueiredo.
Jos Ignacio Rodrigues.
Joo Jos Capistrano.
Joo Leite do Rodoval.
Joaquim Tavares de Mello.
Joaquim dos Santos Barraca.
Jeronymo Jos da Coala.
Jos Lourenco de Carvalho.
Jos Cicilio Carneiro Monteiro Jnior.
Jos Romualdo Gomes.
Joo Theoorio de Albuquerque.
Joo Ozorio de Gastro Maciel Monteiro.
Jos do Reg.
Jos Leite de Albuquerque.
Joo Francisco Jos do Sacramento. *
Joo da Cunha Henriques.
Jos Caetano Tbaiter.
Jos Goncalves de Miranda.
Isabel Rebolca de Assumpcio Oliveira.
Lino Pereira da Fonseca.
Luiz Candido Carneiro da Cunha.
Luiz Amonio Alves de Andrade Gueiro.
Lourenco Jusiiniano Pereira dos Saatos.
Luiz Francisco de Belem.
Manoel Joaquim Correa da Silva.
Manoel Joaquim de Paula Silva.
Manoel Joaquim de Mello.
Manoel Jos Fiuza.
Maooel Carneiro.
Manoel da Ressurreicio.
Manoel Joaquim do Reg Barros.
Olympia Senhnrinha da Silva.
Padre Pedro Barbosa Freir.
Sebaslio Antonio Paes Brrelo.
Theodore.Wander.
No preco doseogomuuados de roupa de familia, exceptuam-se
..;< Pr"vo oos eogommaaos ae roupa de lamilla, exceptuam-se os vestidos, oollinhas. man-
5 !i?nli*w ,clo,,oe orem Kuarneci,l08 de rend". babados, pafos, rifas ele, etc., bem como
os conloados de berco, cama, varaoda, que se pagaro segundo o ajuste.
. a. Qujlqner que exigir roupa somonte lavada oa tambem engommada com mais brevidade ae
a designada pagar mais 25 por cont sobre o preco. 4
a, i...? prazo da en,lJ8" dt rouPa laTa,la 8er Pr em quinto oito dias depois do recebimento, e
aa iavaaa e eogommada 15.
h.. hA ro?Da .de amilia ser lavada em machina separada da dos hospitaess e as pessoas encarre-
aas ao servico da roupa serao mulheres.
Os proprietarios pagaro qualquer pega que se extraviar.
a,!. iJu.al(l, pone da lavagem, o qual ser restituido com o competente importe na occasio de se eutreear a
roupa prompta. sem o que esta ficar depositada. 8
ajuste fi8tabelecia,ent0 encarrega-se de tirar nodoas de qualquer natureza, precedendo
A entrega e o recebimento da roupa na casa de banhos no pateo do Carmo.
um
REMEDIO INCOMPARAVEL
UNGENTO HOLLOWAT.
Milha/es de individuos de todas as nac/Jes
podem testemnnhar as virtudes deste remedio
incomparavele provar em caso necessario, que,
pelo uso que delle fizeram tem seu corpo e
membros inteiramente saos depois de haver em-
pregado intilmente outros tratamentos. Cada
pessoa poder-se-ha convencer deseas curas ma-
ravilhosas pela leitura dos peridicos, que Ih'as
relatara todos os dias ha muitos annos; e a
maior parte dellas sao to sor prndenles que
admiram os mdicos mais celebres. Quantas
pessoas recobraran) com este soberano remedio
o uso de seus bracos e pernas, depois dedur
permanecido longo tempo nos hospitaes, o tea
deviam soffrer a amputado 1 Dallas ha rni-
cas que havendo deixado esses, asylos depade-
timentos, para se nao submeterem a essa ope-
rado dolorosa foram curadas completamente,
mediante o uso desse precioso remedio. Al-
gumas das taes pessoa na enfuso de seu reco-
nhecimento declararam estes resultados benfi-
cos diante do lord corregedor e outros magis-
trados, afim de mais autenticaren sua a firma-
uva.
Ninguem desesperara do estado de saude sa
tivesse bastante confianea para encinar este re-
medio constantemente seguindo algum tempo o
tratamento que necesstasse a natureza do mal,
cujo resultado seria provar incontestavelmente.
Que tudo cura.
O ungento he til, mais particu-
larmente nos seguintes casos.
Alporcas
Cairabras
Callos.
Ancores
Cortaduras.
Dores de cabega.
das costas.
dos membros.
Enfermidades da cutis
em geral.
Ditas de anus.
Erupr5es escorbticas.
Fstulas no abdomen.
Frialdade ou falta de
calor as extremida-
da bexiga
da matriz
Lepra.
Males das pernas.
dos peitos.
de olhos.
Mordeduras de replis.
Picadura de mosquitos.
Pulmoes.
Queimadelas,
Narna*
Supurac,5es ptridas.
Tinha, em qualquer
parte que seja.
Tremor de ervos.
Ulceras na bocea.
do figado.
das articulares.
Veias torcidas ou
das as pernas
no-
O antigo meatre da liogoa inglesa ainda
contina a dar licSea particulares, pelo syatema
de Okndorff, actualmente adoptado em os pri-
meiros collegiea dos principaes espitaos da Eu-
ro : a grande vantagem para o discpulo incon-
teatsvel, pota que, principia logo a fallar, escre-
ver, Iraduxir dita liogoa.O annunciante pode
ser procurado at aa 9 baria da manha aa ra
da Gloria n. 83 N
Frieiras.
Gengivas escaldadas.
Incbacdes.
Inflammacao do figado.
Vende-se este ungento no estabelecimento
geral de Londres n. 244, Strand, e na loja
de todos os boticarios droguista e outras pes-
soas encarregadas de sua venda em (oda a
America do sul, Havana e Hespanha.
Vende-se a 800 rs cada bocetinha conlm
urna instruccao em portuguez para explicar o
modo de fazer uso deste ungento.
O deposito geral em casa do Sr. Soum,
pharmaceutico, na ra de Cruz n. 22, em
Pernambuco.
O laboratorio de lavagem de roupa a vapor
teodo de dar brevemente comeco a seus traba-
lhos, precisa contratar mulheres para empregar
no servico da roupa, e algumas que saibam en-
gommarcom toda a perfeiQo. Igualmente pre-
cisa de alguna homens e de um feitor para o si-
lio. A occup*c,o das engommadeiras ser na ci-
dade, podendo irem dormir em suas casas, das
lavadeiras no sitio. As antigs obreiras deem
pressa em se apresentarem para nao perder seus
lugares : quem se quizer contratar, apresente-se
na casa de banbos, no pateo do Carmo, as 9 ho-
ras da manha, e as 4 da tarde:
ASSOCIAQAO
DE
Soccorros Mutuos
Lala Eniancipacao dos Captivos.
Domingo, 14 do corrente, haver sesso geral
da mesma sociedade, para que de ordem do Sr.
presidente sao convidados os senhores socios pa-
ra comparecerem as 10 horas do dia, na rus das
Triucheiras, em casa da morada do Sr. Iheaou-
reiro.
Secretaria da Associago de Soccorros Mutuos
e Lenta Emancipado dos Captivos 10 de julho
de 1861.
Galdino Jos Peres Campello,
1. secretario.
S. Jos da Agona.
O secretario da irmandade convida a todos os
seus irmos a comparecerem domiogo 14 do cor-
rente, pelas 9 horas da manha, no consistorio
da mesma irmandade, aOm de em mesa geral
eleger os novos funecionarios que tem de reger a
irmandade no futuro aono de 1861 a 1862, assim
como tambem pede aos mesmos irmos a compa-
recerem trca-fcira 16 do
corrente para assistir
a feata e Te-Deum de N. S do Carmo. e no do-
mingo 28 do mesmo para assistir a feata e Te-
Denm do nosso patriarcha S*. Jos Consistorio
da irmandade 10 de julho de 1861.
Manoel Francisco dos Ssntos Silva.
Aluga-se urna preta captiva que seja boa
quitandeira: a tratar no aobrsdinho contiguo
igreja de N. S. do Pilar, em For de Portas.
Engomma-se com toda a perfeico a por
prego muito commodo ; no sobrado junto a igre-
ja do Pilar, em Fora de Portas.
O abaixo astigoado avisa a quem interessar
posas, que tem contratado a venda de sua taber-
na n. 114 sita na ra Augusta: quem com direi-
to ae julgar a ella, apresenie-sa no prazo de fies
dias. Recife 10 de julho de 1864.
Joio Nepomuceno Pereira dos Santos.
Pedro Soares de Amorim, menor, natural
do Assu, retira-ee para Europa
Francez.
Urna pessoa habilitada pars ensioar a lingua
tranceza, offerece os seus prestimos aquellos se-
nhores que quizerem utiliear-se delles. princi-
palmente aos senhores caixeiros; podendo tra-
lar-se na ra de Aguas-Veres n. 50, segundo
cousa muito substancial.
Vamos a boa gela de mocot, para as pessoas
que se acharem com fraqueza ou falla de subs-
tancia no corpo. Vejam que cousa muito bem
fela, e pelo barato preco de 500 rs. a libra : na
camboa do Carmo n. 12, casa de marcineiro.
Repito ao tutor dos orphos Luiz e Amelia
que o3o quero cooTersaQes pelo Diario por es-
tar quebrado, em razo dos conslituintes nao le-
rem pago gneros honorarios, e que elle nao pre-
za mais a sua reputaco do que o procurador
Balbino sendo que se develembrar que o Sr. Dr.
juiz de orphos (a quem muito respeito) nao
mais zeloso no cumprimento de seus deveres do
"que o tribunal da relacao, onde pende a appella-
o de seus tutelados.
Aluga-se urna ama de leite com muito o
bom leite, tem um filho de idade de 7 mezesque
j pode psssar sem mamar, a qual hbil tam-
bem para algum &erico da mesma casa, pois es-
t affeil* a todo servico que se offereca.
Perdeu-se da povoaco de Apipucos, at o
baoheiro do engenho Dous Irmos, urna sedula
de 309 do banco do Rio : quem achou e quizer
reslilui-la, pode dar ao Sr. Joo Francisco de
Souza, ou levar ra da Ualriz da Boa-Vista n.
33, segundo andar, que ser recompensado.
Rodrigo pioto Moreira, subdito portuguez,
vai a provincia do norte a tratar de seus nego-
cios.
- James Planta, subdito suisso, relira-se pa-
ra fora da provincia.
Tem de ser arrematado por venda em praca
publica, na audiencia do Dr. juixde orphos, no
dia 16 do crreme, s 11 horas, o sitio denomi-
nado Boogi, sito na freguezia doaAfogados, com
terreno proprio, com casa de viveoda, e arvores
de fructo, no valor de 700$, a requerimento do
inveotariante e o herdeiro dos beos do finado
Manuel das Virgens Ramos, como tudo consta do
esenpto de edito qae se acha em mo do portei-
ro dos orphos.
Attenco
Na ra Nova de Santa Rita n. 53 compra-se
presentemente as fructas seguintes : romes sa-
potis enchados, abacaxia e outras quesirvam pa-
ra doce. r
Convida-se a direceo da estrada de ferro
nesta cidade a seguir o exemplo de muitas direc-
Soes de estrada de ferro na Europa ; de mandar
encaminharos passageiros, de tempo em tempo
nos domingos, al a Escada e dffvolta, pelo pre-
co que se paga ordinariamente para a ida ou a
volta. Esta medida ser de grande lucro para a
empreza, haver grande numero Uo passageiros,
quando o tempo estier favoravel, e se poder:
gozar de um tal dlertimenlo agradavel nos do-
mingos, com deipeza moderada.
Precisa-se de urna ama de leite ; na ra
da Moeda o. 5, primeiro andar.
Urna pessoa com bastaule pratica de escrip-
lurago mercantil offerece-se para lomar conta
de qualquer escripia por partidas dobradas : quem
de seu prestimo se quizer utilisar, dirija-se a ra
do Cabug. loja n. 8.
Vende-se por grande necessidade um pti-
mo moleque de 18 annos de idade : a traUr na
cidade de Olinds, ra da Biquinha, segunda casa
esquerda.
Iffi
peeliiucia
A' imperatriz Eugene.
Finos cortes de cassa franceza de duas saias o
de 7 babados, com 10,15 e 16 jardas a 3500, 4&
e Sf : na ra do Queimtdo n. 44.
Precisa-se de um caixeiro para taberna, na
cidade da Victoria, ainda mesmo com peuca pra-
tica, dando fiador a sua conducta : a tratar na
padaria da ra Direita n. 84.
No hotel de Apipucos precisa-se de um
bom criado e um bom cozinheiro : a tratar no
mesmo hotel.
Na ra da Roda n. 6, continua-se manday
comida para fora, e tambem aluga-se um mo-
leque.
Trinta arcos
a 2^000
Saias balo com 30 arcos a 2 cada urna,
patos de borracha para homem a 2$ o par :
loja das t portas em frente do Livramento.
Attenco.
A abaixo assignada faz publico que seu mano
Jos da Cruz Santos por circumsUnciaa deixa de
ser seu procurador, e por isso nenhoma gerencia
mais tem em seus negocios, ficando sem vigor
qualquer procuraco que tenba em seu poder,
paseada pela abaixo assignada; e para que nin-
guem se chame a ignorancia, faz o presente an-
uun-10. Recife 11 de julho de 1861.
Mrla Joaquina dos Santos Abreu.
"". Aiu.Ka*fe UB1 terceiro andar oa travessa da
na do Vigino n. 3, proprio para rapas solteiro.
Y1SO.
Quem deixou louca videos, ele, para concer-
tar, na ra Direita n. 57, procarem quanto antes
na ra do Livramento n. 17, loja de aapatos.
Precisa-se de urna ama que saiba cozinhar
e fazer lodo o servico de asa : na ra do Gaidei-
reiro, taberna n. 60.
Aluga-se urna ama para cozinhar e engom-
mar para casa de homem solteiro, e d fiador a
sua conducta : aa ra da Penha d. 17, segundo
andar.
sa-
na


DIA1I0 PI IBlNAaWDCO. SABBADO 13 M JULO DB 1861
ffi>
Na travesa da ra das Cruzes n.
2, primeiro andar, continuase a tir*$tr
com toda a perfeiqo para qualquer
cor e o maii barat pouivel.
Dentista de Pars.
15Ra Nova15
Frederic Gautier, cirurgio dentista, faz
todas as operacoes da sus arte a colloca
denles artificiaos, ludo com a superiori-
dada parfei$o que as pessoas entendi-
das lbereeonheem.
Tem agua e pos dentifricios etc.
Realejos.
Na ra da travesa 4a matriz de Santo Anto-
nio, sobrado de doce andares a. 14, concertam-
se realejos de todas as qualidades, tanto de tu-
bos como de palbetas.
***^***tt**t*g
3
Sil



O
Q
n
S
s
o

o
u
o
a
*2-
5
o a -
3*9 a
5.
SrcS
UUP.O.
?
Na ra do Imperadora. 47 tem um comple-
to sortimento de ricas molduras fiugindo Jacaran-
da para vender por preco muito barato.
KOftaroaie gw afttteaN3Ciei.
MUTA FEITA ANDA 1AIS BABATAS.J
SORTIMENTO COMPLETO
DI
jFazendas e obras feitasJ
A
LOJA E ARMAZEM
DK
|Ges k Basto!
KA
Ra.a do Queimado
n. 4tt, trente amarella.
Constantemente temosumgrande e va-
| nado sortimento deaobrecasacaspretas
H/*00.' e de corea maito fino a 28,
3* 3Jp* Paletois dos mesmos pannos
*0g, 225 e 24$, dilos saceos pretos dos
mesmos pannos a 14, 16 I85, casa-
cas pratasmuilo bem eilas edesuperior
panno a S8, 30S e 35. sobrecasacas de
casemira de core muito finos a 15, 168
e 185, ditos saceos das mesmas casemi-
ras a 10$, 12 e 14|, calcas pretas de
casemira una para homem a 8, 9, 10/
e 12, ditas decasemira decores a 7|.8,
V e 109, ditas de brim brancos muito
fina a 5$ 6, ditas de ditos de cores
3. 39500, 4 e 4500, ditas de meia ca-
semira de ricas cores a 4$ e 48500, rol-
letes prtos de casemira a 5$ e 6, ditos
de ditos decoras a 4J500 e 5, ditos
branco fie.seda para casamento a 5,
litos da 6, colletes de brim branco e de
i'usto a 3, 3500 e 4, ditos de cores a
iJJ500 e 3, paletotspretos de merino de
ordo sacco e sobrecasaco a 7|, 8 e 9,
colletes pretos parlalo a 4500 e 5,
(as tretas de merino a 4500 e 5, pa-
etots Je alpaca preta a 3500o 4g, ditos
sobrecss.co a 6,7e 8|, muito uno col-
latas de goi^urao desedade cores muito
0oatatendaa800e48, colletesde vel-
ludo de cores e^retos a 7 e 8, roupa
para menino sobre casaca de panno pre-
tos e de ores a 14, 15 a 16, ditos de
casemira sacco para osmesmos a69500 e
79, ditos de alpaca preto saceos a 3 e
; 13500, dilos sobrecasacos 5{ e 59500,
' ilcasde casemira pretas escores a6, i
6g500 e 7, camisas para menino a 20
duzia, camisas inglezas prega*largas
muito superior a|329 a duzia para acabar.
A.s9im como temos urna officina de al-
flate onde mandamos executar todas aa
obrasom brevidade.
S NO PROGRESSO
DE
se
O Sr. os dos Santos Moreira que
morou na ra do Rosario da Boa-Vista
Suetra anaunciar jua morada que
ie precisa fallar.
OTerece-se um pequeo de idade de 12 an
nos para caiieiro de lojs de miudezas, (azendas
oa calcado : na ra de S. Francisco n. 4.
Na ra da Saudade n. t5, ala-
ga-se ou-vende-se urna preta de ptima
conducta, qne engomma e cosinha com
toda perfeicSo.
Oaudio Dubeux proprietario das linhas de
mnibus faz sciente que retira por ora os mni-
bus aeguintes O de Jaboatao, e 00 dia 15 do cr-
rente o de Olinda Meando lio rnente um cujo
partiri do Recita de msnba as 8 112 horas e
Tolla aa 8. de tarde aa 4 e volta as 6, do Recite
de tarde para os Apipneos 3 1|2, 4, 5 e 5 112 de
Apipacoapara o Recita da manhia as 7, 7 1|2,
8, e8 1|2, mais prximo t taita se augmentar as
infias.
Preciaa-se de um offkial de tanoeiro para
trabalhar em barricas : na ra do Vigario o. 2.
andar.
Na rus da Cruz n. 33, armazem, vendem-
se relias de composico c cera de carnauba por
mo dieo preco.
Aviso
rs. a libra, e em bar-
ARMAZEM PROGRESSISTA
36, ra das Cruzes de Santo Antonio, 36,
LargodaPenha
Neste muito acreditado armazem de molhados
continua a vendei-se os molbores gneros que ha no mercado, tanto em porco como a relalho, e
por muito menos preco de que em oulra qualquer parte, porserem vmdoa a maior parte dellesem
direilura, porconta do proprietario, por uso em vista dos procos dos gneros abaixo .mencionados
podero julgar todos os mais, aflaocando-lhe a boa qualidade. *
NLanteiga inglexa perfectamente flor. goo
ril a700rs.- *
M.aUleVga railCeza mhor que ha no mercado a 720 rs. a Ubra.
Cha os meiliOTes que \v no mercado Tende.te a i* qualidade a3#ooo;
2a dilta a 28500, 3a dilta a 25000, e preto a 10600 a libra.
QuejOS Hameilgoa chegados neste.ulUmo vapor da Europa 4 2800 rs. ditos che-
gados no vapor passado a 18800 e 1600 rs.
QUeiJO pratO os melhores que tem rindo a este mercado por serem maito rescaes a
640 rs. a libra e inteiro a 600 ra.
BoWo tranceX A O TS. 0 cart0 elegantemente entaitados, muito proprios
para menino, s no Progresso.
Doce da eaSea de gOiaba a l o calilo, em porco a 800rs. s no progresso
Hoce de Alperdie em i,tla, no progresso.
YAarSVeVada VmpenaV d0 4famtdo Abrea, de outros mullos fabricantes da
Lisboa a 800 rs. a libra.
AmeV&aS VraneeiaS em tttGOs oom 4 libras por 3000cada um, s o frasco val 1
dittas portuguezas a 480 ra. a libra.
Lata Com bolaehinnaS de Soda .onUndo diflerentes qualidades, a
19400, assim como tem latas de 8 libras por 38000, dittas com 4libras por 28000 rs. s no
Progresso.
fllia$a de tomate em utas de i libra, por 900 rs. e em latas de 2JUbras por 1600 rs.
Conservas franceZ S e inglesas rec,ntemente chegadas a SOO rs. o fras-
co em porco se faz aba tmenlo.
Paseas em caixinhas de 8 litaras ag melhoreg w tem TiIId0,Mu
mercado por serem muito grandes a 28800 rs. cada urna.
I^SpermaCete SUpetlOr mm aTaria a 700 rs. a libra, em caixa se tari algum
abatimemto.
Aletria, macarrao e tainarim 400 tI.. ubra em caixas de um. ar-
roba por 8.
LataS eom peiXe de P0Sta dasmelhoref qalidades quetaa em Portugal, como
sejam savel, coogro, sarda, peixe espada, voxngo. nic. te. l4O0 rs. cada urna.
xVztAtOnaS mUitO UO\aS 1$2oo rs. o barril, em garrafa a 240 rs.
PalitOS de deUte llX.adOS em molhos com 20 macinhos por 200 rs.
"*Veja dai maia acreditadas marcas 5000 a duzia i retalho a 500 rs. a garrafa.
\ innOS eD garraiadoS da8 ,eguiatw qualidades, Porto. Feitaria, ditto Bordeaux,
dillo Muscatel, a 1 a garrafa ; tambem tem vinbo dieres para 2000 r. a garrafa.
W lUnOS em pipatem ^mposiSo Porto, Fgueira.Lisbos, a 640 rs. em caada a4500.
Presunto de ambre in glez mut0 n0T08, m ., ,ibr,.
Prezunto de Lamego 0 que ha de boin ne9te genero a 480 rs;
Cuonri^as e paios a 560 m aUbra# ,m barril com 6dazla8 de pai09 por jogooo.
a oueinno de Lisboa 0 mal, noyo que ha no mercado a mo rs. a ubre.
Banna de poreo refinada. ffl.i8aiv.q.e pode h.ver .480 .. uka e em
barril a 440 rs.
Amcndoas de casca mole a 480 rs. a libra e em porsao se (ar a,gum 8bali.
ment, i no Progresso do pateo da Penba n. 8.
Alm doa gneros aonunciadejs encontrar o respeitsvel publico um grande sortimento de
ado quanto bom e barato.
DUARTE ALMEIDA & SILVA
A. F, Duarle Almeida, socio que foi do armazem progresso, faz sciente aos seus freguezes que tendo separado a sociedade que tinAa ooas
seu mano, acha-se de novo eslabelecWo com dous aceiados armazens de molhados, associado com o Sr. Joaquim Jos Gomes de Souza, e o Sr.
Paulo Ferreira da Silva; o primeiro na razao de Duarte & Souza, e seguado na de Ouarte Almeida & Silva: estes estabelecimentos offerecem grandes
vantagens ao publico, nao s na limpeza e asseio com que se acham montados como em commodidade de precn, pois que para isso resolveram ec
proprietarios mandarem vir parte de seus gneros em direilura, aGm de terem semprecompleto sortimento, como tambem poderem offereeer ao pu-
blico urna vantagem de menos 10 porcento do precn quepossam cdrnprar em outra qualquer parte, por isso desejando os proprietarios acreditaren
seus eslabelecimeotos tem deliberado garanrera toda e qualquer qualidade de gneros vendidos em seus armazens, e assim j poder ver o publica
que pode mandar suas encommendas, mesmo por pessoas pouco prticas, em qualquer um dcsies estabelecimentos, quesero to bem servidos coma
se viessem pessoalmente, na certeza de nunca acharen) o contrario de nossos annuncios, e assim fundados as vantagens que oBerecemos, pedimos
todos os senhores da pra decoDiinuarem, pois que para isso nao pouparo os proprietarios forcas para bem servirem aquellas pessoas que frequentarem nossos estabelecimentos;
abaixo transcrevemos algumas adiados de nossos primos, por onde ver o publico que vendemos baraiissimo, attendeodo as boas qualidades ds no&suc
gneros.
MANTEIGA INGLEZA especialmente escollhida a 800 rs. a libra e em barril a 750 rs.
MA.NTEIGA FRAINGEZA a melhor do mercado a 720 rs. a libra e a 700 rs. em barril e meios.
CHA HYSSON E PRETO o melbor do mercada de 19700 a 3000 e em porco lera abatimento.
PRESUNTO FIAMBRE inglez e hamburguez a 900 rs. a libra e em porco a 800 rs.
PREZUNTOS PORTUGUEZES vindos do Porto de casa particular a 560 rs. por lib-a e inteiro a 460 rs.
CHOTJRICOS em barril de 8 libras a 49500 e em libra a 700 rs.
S*GL" E SEVADIMIA a mais nova que temo no mercado a 280 rs. a libra e 89000 rs. a arroba.
AMEIXAS FRANCEZ AS em latas de 6 e 5 1|2 a 1 a libra e a 12C0 a retalho.
PASSAS em caixinhas deoito libras, asmelhores do mercado a 28O0 e a 500 rs. a libra.
ESPERMACETE SUPERIOR sem avaria a 700 rs, e em caixa a 660 rs.
CONSERVAS FRAJNCEZAS DGLEZAS E PORTUGUEZAS a 560 e 700 rs. e frasco.
ERVILHAS PORTUGUEZAS E FRANCEZAS a 800 rs. o frasco:
LATAS COM BOLACH1NHA DE SODA de diversas qualidades, a mais novado mercado a 1450.
V1NHO EM GARRAFAS; Duque de Porto, Porto fino, genuino, nctar, Carcavellos, Madeira secca eFeitoiia de 1*200 a 1300 a garrafa *.
13 a duzia.
VINHOS EM PIPA proprios para casa de pasto de 500 a 600 rs. a garrafa e de 3*800 a 49800 a caada.
FRASCOS COM FBUCTAS de todas as qualidades de Portugal de 1900 a 29000.
MARMELADA DOS MELHORES AUTORES DE LISBOA a 800 rs. a lata de libra e a 19500 de duas libras.
LATAS COM GELEIA DE MARMELLO a 1*300 com duas libras.
LATAS COM PEIXE SAVEL e outras militas qualidades, o mais bem arranjado quo tem vindo a 1*400.
CAFE' DO RIO o melhor que ha a 240 rs. a libra e a 280 rs. o lavado.
ARROZ DA INDIA E MARANHiO o melhor que se ple desojar a 33100 por arroba e a 100 rs. a libra.
VINHO BORDEAUX de boa qualidade a 800 e 1* a garrafa e de 8500 a 10O,00 a duzia.
CHARUTOS VERDADEIROS SUSPIROS e outras muitas marcas de 2* a 3*800 e a retalho suspiros a 40 rs.
BANHA DE PORCO REFINADA a melhor que se pode encontrar nene genero a 480 rs. a libra e 460 em barri!,
SERVEJ AS DAS MELHORES MARCAS a 500 rs. a garrafa e 5*000 a duzia da branca.
VINAGRE PURO DE LISBOA a 240 rs. a garrafa e 1*850 a caada.
CAIXOES COM DOCE DA CASCA DA GOIABA a 1* e em porc,o a 900 rs.
AZEITE DOCE PURIFICADO a 800 rs. a garrafa e 9*000 a caixa com 12 garrafas.
COGNAC a melhor qualidade que temos no mercado a 1*000 a garrafa e 10*000 a duzia.
QUEIJOS PRATO os mais novos que ha no mercado a 650 rs. a libra e inteiro a 600 rs.
Genebra DE HOLLANDA a 640 rs. o frasco e 6*800 a (rasqueira com 12 frascos.
PALITOS L1XADOS para denles a 200 e 160 rs. o maco com 20 macinhos.
PALITOS FLOR para denles, os mais bem feitosqueha no mercado a 280 rs. o mago.
PALITOS DO GAZ a 35000 a greza e 280 a duzia de caixas.
AZEITONAS as mais novase melhores que tem vindo ao mercado a 1200 e barril.
A I,PISTA o mais limpo que tem vi ado ao mercado a 180 rs. a libra ea 5*500 por arroba.
Alm dos gneros annunciados encontrar o publico um completo sortimento de tudo tendente a molhados.
Osenhor
Caetauo Aureliaao de Carva-
lho Couto, queira ir a fabrica
Sebastopool, a negocio que lhe
dizrespeito
^_____
Expsito de
candieiros.
Candieiros econmicos
Candieiros econmicos
Candieiros econmicos
Candieiros econmicos
Candieiros econmicos.
Nesta exposicao de candieiros se encontrar
todo o sortimento de diversos tamaobos proprios
para ricas salas, ditos para salas interiores, ditos
para sala de jaalar para quartos, para cosinha,
para escadas, para corredores, para engenho, pa-
ra casas de campo e outras muitas qualidades
que com a vista deverao agradar ; asaim como
lodo e qualquer preparo para os ditos candieiros
se encontrar sempre a venda nesta exposicao de
candieiros na ra Nova n. 20, loja do Vianna.
CONSULTORIO ESPECIAL
HOJIEOPATMCO
DO
DS. CASAKOVA,
30Rea das Cruzes-30
Nesteconeultoriotemsempre os maie
novse acreditados medicamentos pre-
parados em Paria aslinturas) porCa-
Stellan e Weber,porpre$osrazoaveia.
Os elementos dehomeopathiao bra.re-
ft -.ommendada intelligencia de qualquer
3| pessoa.
LOTERA.
Acham-se a venda os bilhetes e meios
bilhetes daterceira parte da nona lote-
ra a beneficio da matriz da Ba-Vista
desta cidade, na thesouraria das lote-
ras ra do Queimado n. 12 primeiro
andar, e as casas commissionadas na
praca da Independencia n. 22 loja do
Sr. Santos Vieia, ra Direita n. 3 bo-
tica do Sr. Chagas, ra da Cadeia do
Recite n. 45 dos Srs. Puito & Irmao e
ra da Imperatriz n. 44 loja de ferra-
gens do Sr. Jos Victor da Silva Pimen-
tal.
A extraccao sera' impreterivelmente
no dia sabbado 20 do corrente mez, no
lugar e as horas do costume. As sortes
aterao pagas a entrega das listas, na
mesma thesouraria das loteras. Abai-
xo vai publicado o novo plano appro-
vado pelo Exm Sr. presidente da pro-
vincia para extraccao da mesma o qual
muito mais agradavel por conter pro-
porcionalmente maior quantidade de
premios.
PLANO.
3000 bilhetes a 5.............. 15:000*000
Beneficio e sello de 20 por ccnlo. 3:00^0000
A pessoa que comprou na ra Nova n. 22 urna
flauta ha mais de oito metes, e que deixou nm
relogio da ouro para concertar, preco ajustado da
flauta do concert 41. faca o favor de vir bus-
car o relogio no prazo de oito das, a nao o fa -
zendo sera vendido para pagamento.,
Na ra do Queoado n. 31 quer fallar-sa so
Sr. Manoel do NascisMjtto Silva Bastos a nego-
cia U,
Aluga-se para homem solleiro metade do
primeiro andar do sobrado n. 14, na ra do Quei-
mado : a fallar uo mesmo sobrado, das 11 horas
da manhaa aa 3 da tarde.
Aluga-se a caes n. 2 B da ra de Apollo : a
tratar na ra do Aurora n. 36.
Atten^o.
Algum senhor estrangeiro ou mesme
nacional que precisar de um bom cosi-
nhei-ro para casa particular dirija-se ao
Recife ra do Cordoniz n. 4.
SOCIEDADE
MO FCENTE
DOS
ARTISTAS SELLEIROS
Em Pernambuco.
Por ordem do Sr. presideole convido a todos os
socios efectivos para comparecerem no domingo
14 do corrente na sala das sesses, s II horas
da manhaa, para a sessao ordinaria da assembla
geral.
Secretaria da sociedade Uniio Beneficenle dos
Artistas Selleiros em Pernambuco 10 de julho
de 1861.
Joio Jos Leite Guimares.
1." secretario.
Msicas e pianos.
J. LAUMONNIEB, na raa da Imperatrii n. 23.
acaba de recober pelo ultimo vapor da Europa
orna bella colleccio da msicas para plano e can-
to, dos melhores autores e mullo eacolhidas ;
igualmente se enconlra em seu estabelecimento
ptimos pispos; assim como faz lodos os con-
certte afloa os mesmos instrumentos esa pouco
lempo e por ataco! coa modos.
Precisa s aligar urna eacrava ou escravo
que saiba cozinhar, para lima casa de pouca fa-
milia : quem tiver para ldgar, dirija-se a roa
larga do Rosario n. 38, loja dir qiem. precisa.
Liquido.
1 Premio de............ 5:000
1 Dito de............ 800S
1 Ditode................ 400
1 Dito de............ 200
2 Ditos de lOOf........ 200
5 Ditos de 40........ 200
10 Ditos de 20........ 200
21 Dilos de 10......... 210
958 Ditos de 5........4:790$
12:000000
1000 Premiados.
2000 Brancos.
---------12:000|000
3000 Bilhetes.
N. B. As sortes maiores de 400$ es-
tao sugeitas aos deseo n tos das leis.
O thesoureiro.
Antonio Jos Rodrigues de Souza.
OSr. Manoel Joaquim de Olivei-
ra Figueiredo morador na Capunga,
queira dirigir-se a esta typographia.
Lava-se e engomma-se : na ra do Ranee!
n. 46 Io andar.
OTerece-se urna ama portugueza para cozi-
nhar e engommar: na ra do Sebo n. 35.
Ricardo Harria e sua mulher vao a Bshis.
O Sr. Manoel Alves Vianna tenha a bonda-
de de se dirigir a.roa da Imperatriz n. 29, a ne-
gocio, ou declare por esta tolha a sua morada.
Na roa das Cruzes, casa terrea o. 12 (re-
guezia de Santo Antonio, empasTa-se as obras
mais baratas do que em parte neohum, e ven-
de-se junco e palha apparelhada por pre(0 mais
commodo que em oulra qualquer parte.
Caixeiro,
Offerece-se um mo;o portuguez para caixeiro
de taberna com alguma pratlca ; a tratar na rus
do Cruzes n. 21.
Aluga-se urna escrara para ama de urna
O bachTreL Witruvio po-
de ser procurado na ra
Nova n. 23, sobrado da es-
quina que volta para a
camboa do Cnmo.
i
i
i
Aluga-se o sobrado n. lt>, sito no largo do
Faraizo, o qual tem commodos para grande fami-
ia .* a tratar na ra da Florentina n. 2.
Precisa-se de 6 a 8.000 a premio com hy-
potbeca em um engenho perto desta praga: a
quem lhe coovier, anouncie para ser procurado.
Escripturaco mercantil,
por partidas simples edobradas; na ra do Im-
perador n. 81, segundo andar, se dir quem o
pessoa que se acha habilitada, ou na ra Nova,
loja de ferrageos d. 33.
Aluga-se um bom armazem na ra da Cruz
n. 29, tendo sahida para a ra dosTanoeiros, em
boa localidade para qualquer estabelecimento : a
tratar no pateo de S. Pedro n. 6.
Carvalho, Noguei-
ra & C*,
saccam sobre Portugal e Ilha
de S. Miguel: na ra do Viga-
rio n. 9, primeiro andar, es-
criptorio.
O Dr. Joaquim da Silva Gusmo
pode ser procurado para o exercicio'do
aua proQsao medica a qualquer hora do
dia ou da noile, no largo do Carmo n.
5, primeiro andar.
Collegio de Bem Oca.
Neste estabelecimento precisa-se de duascos-
tureiras.
Attenco.
Precisa-se de um homem para ensinar em um
engenho prximo da estrada de ferro, alguns me-
ninos, as primeira letras, grammatica nacional, e
principio de arithmlica : a enlender-se na .sua
estrellado Rosario at as 10horas da manbs e
das 3 s 6 da tarde.
O tutor dos menores Luiz e Amalia, vendo
a resposta do senhor procurador Balbino, dada ao
seu annuncio cerca da demora da decisao da
juaiiflcacao da apolice que fra deixada pelo fal-
lecido alteres Alexandrioo aos ditos menores,
apressa-se em rotorquir-Jhe que nao pode ser
alusiva ao communicante a declara{o que faz o
mesmo senhor de ter deixado a assignatura do
Diario pela falta de pagamentos devids pelos
seus conslituinles ; pois que o annunciante nao
tem encorrido nessa falta, e se o annunciante fez
aquello sea annuncio nao foi com o Ara de o mo-
lestar, e s sim fazer chegar ao coobecimento do
Illm. Sr. Dr. juiz de orphaos, que nao tem sido
iBdifferente aos interesaos de seus tutelsdos,
visto que tem de prestar cootas em juizo.
Offerece-se um cocheiro portuguez para ca-
sa particular, de boaa informaces ; quem pre-
tender, dirija-se a ra do Imperador n. 23,. que
se dir quem .
Precisa-se de urna ama para cozinhar e en-
gommar para casa de pequea familia : no pateo
do Carmo, sobrado o. 7, primeiro andar.
Aluga-se um preto para o. trabaibo de urna
reflaacio ; quem pretender, dirija-se a ra Bella
n. 5, que achara eom quem tratar.
Attenco.
Na ra Direita n. 35. loja de pintora vidraeei-
ro. troca-se um rico, santuario de Jacaranda, vin-
ARMAZEM
DE
ROPA FEITA
DE
Joaquim Francisco dos Santos.
M0RIADO01EIMADO40:
Defronte do becco da Congregac letreiro verde.
Neste estabelecimento ha sempre um sortimento completo de roupa feita de todas as
qualidades, e tambem se manda execi
que tem um dos melbores professores.
Casacas de* (Anno preto. 40, 35 e 303000
Sobrecasaca-4fl dito, 35 e _. 3000
tambem se manda executar por medida, vonlade dos freguezes, para o ifoV
sfevSr
Palitotsdediibedecores, 35, 30$.
25$000 e V 20*000
Dito de casimira de cores, 22000,
15, 12 e 9000
Ditos de alpaka preta golla de vel-
ludo, 118000
Utos de merio-sitim pretos e da
cores, 9$000 8000
Ditos de alpaka da cores, 5 e 3$500
Ditos de dita preta, 9, 7. 5 e 30500
Ditos de brim de cores, 5$, 4500,
4S000 e 39500
Ditos de bramante de linho branco,
68000, 5000 e 48000
Ditos de merino de cordo preto,
15000 e 85000
Calas de casimira preta e de cores,
12, 10, 9 e 6$000
Ditas de princeza e merino de cor-
do pretos, 5 e 45O0
Ditas de brim branco a de cores,
58000, 45500 e 55500
Ditas de ganga de cores 38000
Colletes de velludo preto e de co-
res, lisos e bordados, 123, 98 e 85OOO
J Ditos de casemira preta e de cores,
liaos e bordados, 69, 55500, 5 e 35500
55OOO
55OOO
Ditos de setim preto
Ditos de seda e setim branco, 6 e
Ditos da gurguro de seda pretos e
de cores, 78000, 6000 e SjOOO
Ditos de brim e fusilo- branco,
3500 e 35000
Seroulas de brim de linho 2200
Ditas de algodo, 18600 e lf$80
Camisas de peito de f usto branco
e de cores, 2500 e 25300
Ditas de peito de linho 68 e 3&000
Ditas de madapolo branco o de
cores, 3, 25500, 2 e 1S00
Camisas de meias lfOOO
Chapeos pretos de masas, francezes,
formas da ultima moda 10f,8500e 7*000
Ditoa de feltro, 6, 58, 4 e 95000
Ditos de sol de seda, inglezes e
francezes, 14, 128, US o 7000
Collarinhos de linho muito finos,
novos feitios, da ultima moda 5800
Ditos de algodo $500
Relogios de ouro, patentes hori-
sontaes, 100, 90, 80 e 700C0
Ditos de prota galvanisados, pa-
tente hosontaes, 40| 30000
Obras de ouro, aderecos e meios
aderecos, palseiras, rozetas e
anneis 8
Toalhas de linho, duzia 12000 e 10SOO0
16?.
ELIXIR DE SALDE
B3
Citrolactato de ferro.
nico deposito na botica de loaquim Marrt*
da Ctux Correia & C, roa do Cabug *. U,
I em Pernamftuco.
H. Thermea (de Chalis) amigo pharmaceutico aprsenla hoie ama nova prenaraco de (err*
com o aome de elixir de citro-laclato de ferro. prepararlo oe ierre.
a P"!.*r Dnbli?) lft0 enPregar-se um mesmo medicamento debaiio de formula* .
vanadas, nra. o homem da concia compr.hende a necessld.de e iSpStancU de urna uf var
A. formula um objetto de muita importancia em tberapeutica :
quando ella, maniendo a esaencia do medicamento, o torna agradavel
idadea, para todos os paladares e para todos os temperamentos
6 um progresso immeoto,
fcil e possivel para todas as
- do do Porto, contendo o decimento da eroz, por
1T.S5 i qjt"af F9?***. <"i*J-^ ""Pf/0 commodo. assim como outras imsgens
traressa das orases o. 4, leja de calcado. Jde diflareoles eorocasoes. |
des i
quena i
assimilado:
vantr. o frequentemenle provocada pelas su tras preparas feTrgosTs''
snh.unt.^r^l'I',m^8 eo"^a aciencia medicamentosas do ferro, que sendo um.
anaiuTftmu^^^ sua cUnica, de incomparavel utilidad*-
22 S2L nS!!Jhe PrPried4e "es que o ortico o possa prascrever sem receio. E' s
S?^ ,n"r"9"00 TI,!er,7M com a pre"r,!i0 d0 citro-leelato de ferro. Aasim e4
atU?Si^BPsate enlreM nu"" Prep.rsc.6es ferroginos... c*?i
"?" LL-"*f.e.*uJ,l?s.oel1C(8 Mtlpclos que o tem ensaiado. Tem sido empregsdo como im-
em que, o sangue se acha empobrecido ou viciado pelasiadigss affeccoss eBrronioae cachexia tuUT
S"l c"0".yphililic., excesaosvensreos. on.oUssol ^JSSUS^^l^i^.
cv
curiaes. .
madico!m*d2 wis',,nd0 ""'ei"^? aeadooferro a principal substancia de ..as
^nKai?.;!!"^mto?"' **.o tor docilro-laeUlo de ferro merece loantes
Te3? ^maniiade portar descoberto um. temla pal. ,s.l pode sem recei? usar



9UMO DI MUltlCO. SABBADO f 9 'f/tHO Di *#i.
Ama.
Offerece se psra coitnhare eogommar, prefe-
riodo casi de familia : a tratar na ra da Roda
numero 15.
Ka* ri^rifi ra rnP\ siafi*as a*gg*ft
Consultas medicas,
Serao dadas lodos osdiaa pelo Dr. Cos-
me de S Pereira no seu escriptorio, ra
da Cruz o. 53, desde s 6 at s 10 horas
da manhaa menos aos domingos sobre:
1. Molestias de olho*.
2. Molestias de coraco e de peilo.
3. Molestias dos orgaos da gerac.o e
do anus.
O exame dos doentes ser feito na or-
dem de suas entradas, comecando-se po-
rm por acuelles que soffrerem dos
olhos
Instrumentos chimicos, acsticos e p-
ticos sero empreados em suas consu
c
Precisa-se rfo um eaixeiro qas sai* bem
ler e escrerer para tomar coda de urna padaria ,
na ra Imperial n. 51.
Licoes de ioglez, fraiicez e
piano.
Duas senhoras bastantemente habilitadas ae
offereeem para enainar a fallar, tradutir e eacre-
ver da maoeira mais fcil inglez francez, e a
tocar piano, por precos muito moderados : na
ra do Queioado*n. 30. a
* aixeiro.
Offerece-se para eaixeiro de quilquer slabe-
iecimento um mogo com pratica de balco e ra,
o qual di bons dadores a sua conducta : quem
precisar, dirija-se a ruada Cadeia do Recite n.
8, armazem.
Mrs Vass retira-se para a Babia.
Precisa-se de urna creada : na ra da Cruz
n. 12.
Precisa-se de dous amassadores que enten-
dam perfeitamente do trafico de padaria a tratar
na ra do Rozario Larga n. 16.
O cha, jl deseaibareou, e aoba-se a venda
no armazem de Barros & Silva. _
Rival
senis
egundo.
n. 55, loia de miudezas d
tajoes e proceder com todo rigor e pru-
dencia para obter certeza, ou ao menos
probabilidade sobre a sede, nalurea e
causa da molestia, e dahi deduzir o plano
de tratamento que deve deslrui-la ou
curar.
Varios medicamentos sero tambera
empregados gratuitamente, pela cer-
teza que tem de sua verdadeira qualidade,
proniptido em seus effeilos, e a necessi-
dade do seu emprego urgente que se usar
delles.
Praticar ahi mesmo, ou em casa dos
doentes toda e qualquer openco que
julgar conveniente para o restabeleci-
mento dos mesmos, para cujo Qm se acha
prvido de urna completa colleccjio de |
instrumentos indispensavel ao medico-
operador.
Precisa-se de urna ama forra ou captiva
para cozinhar e comprar : na ra do Imperador
n. 37, seguodo andar, entrada direita.
@ Joao Correia de Carvalho, al- $
faiate, participa aos seus nurae- ^
$ rotos freguezes e amigos que mu- ^
0$ dou a sua residencia da ra da 5|
^ Madre de D*os n. 56 para a ra gjg
tt da Cadeia do Recite n. 38, pri- X
^ metro andar, aonde o encontr- 2
^ rao prompto para desempenhar g
fe quatquer obra tendente a sua igj
arte. g
Auspicio Antonio de Abreu Guimares, sub-
dito porlugupz, voi ao Rio de Janeiro.
Gurgel & Perdgo. |
i Fazendas modernas.
3j Recebem a vendem constantemente su- Q
6 periores vestidos de blonde com todos os ?
| preparos, ditos modernos de seda de cor 8
* e pretos, ditos de phantasia, ditos de *
j cimbris bordados, lindas lazinhas. 3
* cambraia de modernos padres, seda de ?c
Q quadrinhos, grssdeoaples de cores e pre- ae
ift tos, moreantique, sinlos, chapeos, en- .
J8 feiles pan cabera, superiores botes, |X
l manguitos, pulceiras, lequas e extracto'
de sndalo, modernos manteletes, tal- |
mas compridas de novo feilio, visitas de 9
3J; gorguriio. luvas de Jouvin a 29500. 3|
Muito barato.
j Saiaa balao de todos 03 taraanhos a 48, V
$5 chitas francezas floas claras e escuras a AS
* 580 rs. o covado, colxas de la e sedapa-
jfe ra cama a 65 camisas para menino. B
Houpi) feita. a
I l'aletot de casemira de todas as cores
3 10,"), iiitos finos de alpaca a 68, ditos he
* de brim a M, chapeos prelos a 8J o mui- g
g tas uiras fazendas tinto para senhons jt
b como para homem por preco inteiramente JJ
jj barato, do-se as amostras : na ra da g
Cadeia loja n. 23, confronte ao Boceo Largo. X
CONSULTORIO ESPECIAL BOaEOPATMCO
DO D0LT0R
SABINO O.L. PINHO.
Ra de Santo Amaro (Mundo
Novo) n. 6.
Consultas tolos os dias utois desde as 10 horas
al meio dia, acerca das seguiutes molestias :
molestias das mulheres, molestias das crian-
cai, molestias da pelle, molestias dos o^hos, mo-
lestias syphiliticas, todas as especies de febres,
febres intermitientes esuas consequeneias,
PHARMACIA ESPECIAL HOMEOPATHICA .
Verda.deiros medicamentos homeopalhicos pre-
parados som todas as cautelas oecessarias, in-
falliveis em seus eleitos, tanto em tintura, como
em glbulos, pelos precos mais commodoa pos-
sitbs.
N. B. 03 medicamentos do Dr. Sibino sao
ur.icamente vendidos em sua pharmacia ; todos
que o forem (ota della sao falsas.
Tudas as carteing sao acompaohadas de um
i.'iipresso cum um emblema em relevo, teudo ao
r-v-ior as seguinles palavras : Dr. Sabino O. L.
Piuho, medico brasileiro. Este emblema posto
igualmente ni lista dos medicamentos qu se pe-
do,, As >:aripiras que nao levarem esse impresso
a-.r,'i: marcado, embora teoham na ttmpa o no-
ma do Dr. Sabino sao falsos.
c
ompras.
Compram-se escravos, senda mogos e sa-
dios : na ra da Imperatru D. 12.
Compra-se um moleque de 10 a 18 aaoos,
bem como urna escravinha de 14 asnos, pouco
mais ou menos, sendo boas pecas paga-se bem :
na ra da Imperatriz n- 9, primeiro andar.
Compram-se
escravos de ambos os sexos para se exportar para
fora da orovincia : na ra Direita n. 66.
Compra-se urna casa terrea no pateo do
Hospital ou ra das Cruzes; a tratar na roa lar-
ga do Rasado n. 20.
Compram-se moedas de auro de 20): na
ra Nova n. 3, loja.
Venda.
Rolao francez.
No Bazar Peraambucano
deposito de tabaco, charutos
e cigarros vende-se o supe-
rior rap francez chegado l-
timamente : na ra larga do
Rosario n. 30, de Joaquim
Bernardo das fiis.

Avariados. |
i-A 2,5001
e 3,000!!
Pegas de algodo com 20 jardas tendo
um pepueno t>que de avaria a 2J500 e
3J>: oa rus doCresoo n. 17, loja de Gui-
mares & Vilir.
Ao publico.
Resdbelecido da grave molestia que portanto
lempo me ha consumido, volto ao exercicio de
advogado e espero do publico o favor que sempre
Ihe hei merecido. Em commura com o Sr. Dr.
Joao Bapttsta do Amaral e Mello, os que se dig-
uarem pro:iirar-nos acharo sempre no escrip-
torio das 9 as 3 da tarde um de nos. Tudo era-
penharemos para bem aervirmos aos que nos qui-
zerem honrar. O nosso escriptorio oa ra do
Queimado o. 41, ultimo sobrado que faz esquina
para o becco da Cougregacao.
Dr. Antonio Borges da Fonseca.
allnets de ouro e bnlhantes.
Na offitina photographica da ra do Cabug o.
18, ntrala pelo pateo da matriz, exittem lindos
alneles com brilhantese ao gosto de Luiz XV,
para a collocagao de retratos ; ha tambem urna
variada collecgi.i de alfioetes de ouro com, e
sem pedras. O preco dos alfioetes com os re-
tratos variam de 16 a 200$. Nt mesma casa
vendem-se bellos espelhos com molduras doura-
das para ornar salas de luxo e tratamento ; bor-
las de seda para cortinados de janellaa e para
quadros, asgim como cordes para o mesmo fim.
Yende-se lulo a pregos razoaveis e moderados.
Precisa-se de urna criada portugueza para
casa de pouca familia : na ra Nova n. 33.
PEDIDO
Pedimos ao mui digno eroprezario o Sr. Ger-
mano o obsequio de levar a sceoa o drama Pedro
Cen, no domingo 14 do correte, que pelo qual
Ihe Acaramos muito obrigados.Os seas apolo-
gistas.
Muita atteucao.
O abaixo assignado roga todas 8 pessoas que
leem permutes en spu poder,que oa venta resge-
lar em qu-uto antea, contar 4a **ta dw*e ?#
has, asaitn como se ja o 8r. Antonio Duarte Pe-
reira o tea velogio: pmtMtio etffrfwaio M paa-
aarfi a vender para seu pagamento, cando os
mesmos reaponsavais pelo reato de seus dbitos.
Recite 13 de j-albo de 18fit.
Bento Antonio Garpinteiro da Me*.
Para casamento.
B m
Riquissimos cortes de blonde para ves- #
# tidos de casamento : na ra do Crespo n. #
0 17, loja de Guimares & Villar. @
9999999-999 ?@^ 999
Riscadinhos de linho proprios para obras
de meninos a 200 rs. o covado ; na ruado Qtrei-
mado n. 22, loja da boa f.
iloja de fazendas Gaasi
DE
Martinhode Olivei-
ra Borges.
Ra da Cadeia do Recifc n. 40.
Vende-se o seguate :
Cortes de seda de cores com pequeo
toque de mofo a 20$, 30$, 40 e 50$.
Casaveques de cambraia bordados com
fitas de 8$ a 12-*.
Cassas de casemira e me/io de cores
para senhora de 10$ a 5J.
Camisinhas com manguifcrs e golla bor-
dada de ii a 6$.
Casaveques de fusto bftnco e de cores
de 6. 83 e 10$.
Capas de 016 de seda preta com rendas
e vidrilhosde 120 a 20{>.
Golliohas de traspasso arrendadas e bor-
dadas de 3$ a 5$.
Manguitos de seda de cores de 10$ a 15.
Manteletes de cambraia bordados com
Otas de 89 a 109.
Manguitos de pafos com fitas de 39 a 49.
Manguitos bordados de ponto ioglez de
2$. 39 e 49.
Vest ios de barego de la e seda a 109
e 159-
Ditos de cambraia brancos bordados de
159, 209 e 259.
Sedinhas de quadros com pequeo to-
que de mofo a 640 rs. o colado.
Grosdeoeplea de cores com igual toque
a 1$ o covado.
Na mesma loja encontraro muitos
ohjer-tos de Rosto em oerfeito entado.
Predios na ra do Apollo.
Em consequencia da grave molestia da catara-
ta de que soffre Antonio Botelho Pinto de Mes-
quita, ha longos anoos estabelecido e residente
nesta praga, ve-se elle Coreado a snjeitar-se a
urna operacao, na esperanza de readquerir a vis-
ta qua3i perdida ; mas antes disso deseja saldar o
seu passivo j directo, j indirecto por endossoS
a Francisco Antonio Correa Cardozo, porque uao
obstante este ter obtido moratoria de seus credo-
res, todava se exige do mesmo Mesquita o promp-
to pagamento 'aquelles tituloa de divida do
mesmo Cardozo (em que figura a firma do annua-
ciante) cujo activo alias mais que snfflciente
para fazer face a seu respectivo passivo. Para
desqukar-se por tanto de semelhante desejo, pro-
pee-se Mesquita a vender oa predios que possne
na ra do Apollo ns. 24 e 26, qne fazetn frente
para a mesma ra e fundos para o caes; estes
predios foram construidos pelo proprio dono, com
escelhidas madeiras, e mais msleriaes acabados
com a- maior perfeicao e seguranca, e constara
de dous grandes -armazens com 350 palmos de
comprimeoto, e*Qcam sobre o caes ; tendo os ai-
toe do predio o. 26 ao 1 andar 4 salas, 8 quar-
tos, grande cozinha e esgoto para as agaas e des-
pejo; oo 2 andar 2 salas, 3 qeartos ettrraco;
do sotao sala de jantar, dispensa, 4 qaartoe, gran-
de cozinha, baoia e canos de cobre pata esgoto
daa aguas e despej : os alloe do predio o. 24,
tem no Io andar 2 salas, 3 quartos, e outro an-
d.r em paratlelo no fundo, com aa de jantar, 5
quartos, grande cozinha com baca e canoa de co-
bre para esgotc-s dae aguas ; no 2* andar oa mea-
moa commodos que no 1, tendo maie um gran-
de sollo do sobrado da frente com sala, quartoae
coziaha, e um pequeo sotao do sobrado 4o fun-
do : estes predios oram acabados em ltf>8.
Gasa na Parahyba.
Ka mesma cortformidade acin vende tambem
ue casa Ha rs ra daa Convertid-es n. 13 na et-
dade o Parahyba, sendo construida de tijolos,
*en fundos pera ootra ra, com quintal. Exis-
tiarto entro da metoe eeee urna loja de fazen-
das : quem pretender qualquer dos predio* ci-
ma menciooedos dirija-ee i ra 4a Cad-era do Re-
ifo 44 9* andar, a Calter eom aeu proprietario
Antonio Bolelbo Pinto do Mesquita.
Ra do Queimado n. 55, loja de miudezas de
Jos de Azevedo Maia e Silva, defronte do so-
brado nevo, est vendando por baratiaaimo preco
para acabar, algumas qualida es do fazendas, as-
gim como seja : fraoiade lia para vestido a 100
rs. a vara, tranca de la com 10 varas a 200 rs. a
peca, pares de meiaa cruas para meninos de 3 a
6 annos a 160 rs., e do 6 a 10 annos a 240, linhas
de Pedro V com 200 jardas, verdadeiras, a 80 rs.,
novellos de linha do gas a melbor qualidade que
ha nesta praea a 60 rs., tem tambem para 20 e
10 rs. cada novello, o de cores a melbor que ha,
novellos grandes, a 40 rs., carreteis de linha do
gaz e pretas com muita lioha a 200 rs., barats-
imo, caitas com ticoes para accender charutos a
40 rs., caixas com phosphoros de seguranca a 160
rs., groza de phosphoros do gaz a 2$800. e duiia
a 210, fitas para enfiar vestidos e roupiohos a 80
ra., pecas de bico, largura de3 dedos, a 29, e va-
ra a 120, linhas de novello de cores por todo o
preco, frasco o'aguade colonia muito superior a
400 rs, duzia de meias muito Qnas para senhora
a 3$, e par a 280, linhas de marcar muito finas,
novello a 20 rs., grvalas de linho muito bonitas
a 200 rs., pegas de tranca de la de todas aa co-
res a 50 rs., tem um resto de s&bonetes para
600 rs. a duzia, groza de botes de osso para cal-
ca, pequeos a 120, e grandes a 240, sao muito
tinos, marcas para cobtir a 20 rs. a greta, e tem
tamOem maiores para 60 80 rs., duzia de meias
cruas para homem a 29400, muito boas para du-
rar, meias de cores para meninos pelos precos
cima, tramoia do Porto muito boa, vara, a 80,
100,120 e 160 rs., filas de linho brancas e de ca-
res a 40 rs. a peca para acabar, grozas de peoas
de ac a 500 rs., tem um resto e sao superiores,
frascos de opiata para limpar denles a 400 rs.,
copos com bauha muito fina a 640, frascos de
banha de urao a 640 e 500 rs., varas de laby-
riothos de todas as larguras e por todo o prego
para acabar, espelhos de columnas brancas a
I95OO, pechincha, carteiras para gusrlar dinhei-
ro muito boas a 500 rs., frascos com cheiro muUo
finos a 500 rs., realejos para meninos a 20 rs.
cada um, baralhos portuguezes a 160, e duzia a
1J440, baralissimo, duzia de botes madrepero-
la para paletot a 480, cartas dn alfioetes para ar-
mador a 120, varas de franjas para cortinado a
200e 210, muito barato, botes de vidro com
p para casaveques de senhora, duzia a 240 rs.'
todas estas fazendas esli perfeitas, e vende-se
barato porque precisa-se apurar dinhetro para as
necessidades, e por isso toco (ogo.
rogressivo
Progressista.
Vende-se nos armazens do largo do Carmo n.
9, e ra das Cruzes n. 36, manteiga ingleza flor
da safra velha a 800 e a 19, da nova ehegada l-
timamente em barrister abatimenlo, sdlanga-se
ser manteiga que outro qualquer nao pode ven-
der por menos de 19440, (nao servindo isto de
oflensa aos nossos collegas.)
Na ra do Queimado, sobrado
amarello n. 31, loja de A. L*
Santos & Rolim,
vendem-se chales de merino finos com 14 quar-
tas bordados de seda a ouro a 41, ditos melhores
a 59, ditos superiores a 6 e 7000.
Ruada Senzaia N ova n.42
Vende-se em casad* S. P. Jonhston & C.
sellinsa silhoes riglezes, cindeeiros e easticats
bronzeados,tonas nglozes, fio devala, chicou
para carros, e montara, arreios para carro da
um dous cvalos ralogios da ouro patente
nglet.
Grande pechiocha.
A not 240 e 2B0 rs.
Chitas francezas de muito bonitos padres e
muito boos panno*, pelo bsratissimo preco de
220, 240 e 260 rs. o covado ; na ra do Queima-
do 11.12, na loja 4a boa f.
Gangas francezas muito Qnas com padres
eacuros a 480 rs. o covado : aa rae do Queima-
do n. 22, na loja da boa f.
Agua ambreada
para banho do rosto e do
corpo.
A loja d'aguia branca acaba de receber essa no-
va e apreciavel agua ambreada, deSirr aroma ex-
celentemente agradavel. Ella serve acertada-
mente para ae deitar algumas gotas n'agua pura
com que ae banha o rosto, resultando disso que
refresca e conserva o vigor da cutis, com especia-
lidade das senhoras ; assim como para ae deitar
n'agua de banho, que o torna mui deleitavel. re-
sellando alem de refrescar o tirar ou fazerdeeap-
parecer esse balito desagradavel que qussi sem-
pre se tem pelo transpirar. Tambem tem a pre-
ciosidade de acalmar o ardor que deixa a aavalha
quando se faz a barba, urna vez que a agua com
que se lave o rosto tenha della composigao. Cus-
a o frasco 19, e quem aprecia o bom nao deiiar
cortamente de comprar dessa estimavel agua am-
breada, isto na loja d'aguia branca, na ra do
Queimado a. 16, uniea parle onde se achara.
^BB'&m mmmw #$#s
IRecommendaco aos Srs.#
de engenho
Panno azul de superior qua- -
: lidade para roupa de escravos a ^
900 e 1$.
8
4 loja da baideira
Nova loja de funileiro dai
ra da Cruz do Recife
numero 37.
Manoel Jos da Fonseca participa a
todos os seos freguezes tanto da presa
como do mato, e juntamente o respeita-
vel publico, que lomou a deliberaco de
baixar o preso de todas as suas obras, por 2
cujo motivo tem para vender um grande ft
sortimento de bahs e bacas, tido da
dilTerentes tamanhos o de diversas cores
em pinturas, e juotameute um grande
sortimento de diversas obras, contendo
baoheiroa e gamelas grandes e pequeas,
machinas para caf e camas de vento, o
que permite vender mais bsrato possivel,
como seja bahs grandes a 49 e peque-
nos a 600 rs., baciaa grandes a 59 e pe-
quenas a 800 rs,, cocos a 19 a duzia. Re-
cebe-se um official da mesma ofilcina
para trabalhar.
X9W9W9N9N3IS M3 M6M68KMft
Relogios.
Paletols de csaemira de cores s 169.
< Ditos pretos de panno muito Qno a 164.
ra do Vigario n. 3 um bello sortimeoto de-Ditos ditos de dito a I89.
Vande-ta em casa de Johnston Pater & C.,
0pavo da ra da Impe-
trizn.60.
Loja de Gama Silva.
Neste eetabelecimento existe um completo sor-
timento de fazendas proprias para senhora e ho-
mem, etc., etc.
Para senhora.
Ricos enfeiles com franja e borllas a 5 e 89000.
Grosdenaplea de corea muito encorpado, cora-
do 29OOO.
Dilolavradode muito.bom gesto, covado, 2$840.
Orgaodya, bellissimos padres, vara a 960 rs.
Mimoi doto, fazenda muito moderna, covado
a 19200.
Manteletes de fuatio braceo multo finos e bom
gosto a 8$000.
Ditos de fil prelo e capas a 79.
Ta ra tanas de todas as cores,-vara a 800 rs.
Camisetas com gollinhas e manguitos a 39.
Ditas com golUehas muito finas a 59.
Gollinhas para senhoras e meninas, de fusto,
a 640 rs.
Ditas proprias para senhoras e meninas, bordadas
a 800 rs.
Ditas proprias para senhoras, muito finas, a 19.
Para homem.
relogios de ouro, patente ioglez, de um dos mais Ditos de casemira e panno muito fino a 209.
Calcas de casemira muito superior a 89.
Ditas pretas muito .finas a 89.
Luvas de Jouvin.
Na loja da Boa F, na ra do Queimado n. 2*2,
sempre se encontraro as superiores luvas de pel-
lica de Jouvin, tanto para hornera como para se-
nhora, por serem recebidas por todos os vapores
viudos da Europa, e se vendem pelo baralissitno
preso de 2$500 o par: na mencionada loia da Boa
F, na ra do Queimado n. 22.
Potassa da finssia e cal de
No bem conhecido e acreditado deposito da ra
da Cadeia do Recife n. 12, ha para vender a ver-
dadeira potassa da Russia, nova e de superior
qnalidade, assim como tambem cal virgem em
pedra ; tudo por presos mmim barato* do que em
outra qualquer parte.
hMA
DA
Armazenada
de Pars
DE
Magalhaes k Hiendes.
Ra da Imperatriz, loja armazenada de 4 portas
n. 56, recebeu um bello sortimento de fazendas
novas, a ser la e seda de quadros para vesti-
dos a 640 o covado, novos vestidos brancos bor-
dados com babados a 5$ 69 o corte, pesas de
bretaoha de rolo a 29 e 29500, pesas de cambraia
floas para vestidos a 25500, 3g e 39500 a pega,
chitas largas francezas a 240, 260, 280 rs o cova-
do, ditas loglezas a 160,180 e 200 rs. o covado,
gollinhas e manguitos com botaozinho a 39,de di-
versas qualidades, saias de balo para senhoras e
meninas com 30 arcos a 39, 3*600 e4$; do-ie as
amostras de todas as fazendas para veras quali-
dades. A armazenada est aberta das 6 horas da
manhaa s 9 da noite.
VICTORIA,
NA
/?ua do Queimado n. 75,
Junto a loja de cera.
Nesta loja vendem-se as seguinies miudezas e
oulrasmuitaspor presos baratos, s para quem
comprar victoria sempre contar:
Cartes de clcheles fraocezes muito bons a 40
rs. o cartao, e duzia a 400 rs.
Agulhas francezas muito boase verdadeiras a 120
rs. a caixa com 4 papis, e avulso a 40 rs. o
papel.
Agulheilas para enfiar vestido a 40 rs. urna.
Linhas victoria em carretel com 200 jardas a 60
rs. um, e duzia a 610.
Ditas de 200 jardas de Alexauder a 900 rs. a
duzia.
Ditas de Pedro V em carlo, branca e de cores a
60 rs. um cartao.
Ditas de meiada de peso verdadeiras a 240 rs. a
meiada.
Papis com cenlo e tantos alfinetes francezes a
40 rs. o papel.
A!tiuetes de cabera chata grossos e finos a 120
rs. a carta.
Cordo imperial para vestido a 40 rs. a peca.
Caivetes finos dednas folhas para peonas a 200
rs. um, e duzia a 29
La de todas as cores para bordar a 69500 a libra.
Pentes muito bons de baleia para alisar a 220,
240, 280 e 820.
Ditos transparentes tambera bons a 360 e 400 rs.
Enliaooir-o do icmdao a 60 rs. cada um.
Metas cruas brancas e de cores para homem a
160, 200, 240, 280 o par.
Ditas brancas muito floas para senhora a 240. 280.
320 o par.
Espelhos dourados para parede redondos e qua-
drados a 39500 cada um.
Talheres para crianzas
Vendem-se talheres pequeos proprios para
enancas a 320 cada um : na ra do Queimado*
loja d'aguia branca o. 16.
afamados fabricantes de Liverpool; tambem
urna variedade de bonitos trancelins para os
meamos.
Arados americano se machina-
para lavar roupa: emeasa de S.P Jo
hnston & C. ra daS-jnzala n.42.
Cintos pretos e de
cores.
Na loja da aguia de ouro, ra
do Gabuga n. 1B
chegado os lindos cintos, tanto pretos com
enfeiles de conlinha, como dourados, e de lindas
fitas e Gvel.os, o mais Ono que se pode encontrar ;
isto na loia Aguia de Ouro, ra do Cabug n. 1 B.
Cera de carnauba.
Vende-se cera de carnauba de supe-
rior qualidade : a tratar com Jos Sa'
Leitao Jnior, ra do Trapiche n. 15.
J chegou o prompto
alivio,
bem como os outros medicamentos dos celebres
Drs. Radway 4 C-, de New-York Acham-se
venda na roa da Imperatriz n. 12. Tambem che-
garam as inslruccoes completas para se usarem
estes remedios, contendo um ndice onde se po-
de procurar a molestia que se deseja curar, os
quaes se vendem a 14000.
Para se comprar as verda-
deiras luvas de Jouvin, a
loja d'aguia branca ponto
certo.
Esta loja tem constantemente recebido de sua
propria encommenda as verdadeiras luvas de
Jouvin, e agora mesmo acaba de as receber pelo
vapor francez e continuar a recebe-las por to-
dos os outros ; por isso quem quizer comprar
boas luvas escusa cansar-se, dirlgir-se aloja
d'aguia branca, ra do Queimado o. 16, que ahi
ser bem servido.
Cabo de niarim e madrepero-
la, escovas para dentes.
Na loja d'aguia branca acharo os apreciadores
do bom, mui delicadas escovas de cabo de mar-
fim e madreperola a 2# e 2$500 cada urna. Com
urna escova assim delicada faz gosto limpar-se
os dentes, e para as comprar dirigir-se ra
do Queimado, loja d'aguia branca n. 16.
Ray mundo
Carlos Leite &
Irmao recebe-
ram pela bar-
ca Carissa vin-
da ltimamen-
te de New-
York.um com-
pleto so rl-
menlo das me-
mores machi-
nas de cozer
dos mais afa-
mados autores
melh orados
com novos
apereisoa-
mentos, fszendo paspooto igual pelos dous lados
da costura, mostram-se na raa da Imperatriz n.
12, a qualquer hora. Tambem receberam todos
os preparos para as mesmos como agulhas, re-
trozes em carriteis, linha de todas as cores tudo
fabricado expressamente para as mesmas ma-
chinas.
EAU MINERALE
- NATURALLEDE VICHY
Deposito na boticafranceza ra da Crnz n.22
IICP- Cami-
sas inglezas.
Acaba de cliegar ao armazem de
Bastos & R'"fjo na ra Nova junto a Con -
ceicao dos Militares urna grande quan-
tidade de camisas inglezas com peitos
de linho muito finas pregas largas, e
por ser grande quantidade tomamos a
deliberacio de vender pelo diminuto
preco de 35$ e a 40jjf a duzia, $5o as ca-
misas mais recommendaveis que tem
apparecido no mercado.
Largo do Ter^o
n. 23.
Vendem-se batatas muito novas a 80 ni. a li-
bra, assim comooutros gneros mais baratos que
em outra qualquer parte, nao se diz o preco Para
nao espantar!! 1 (a dioheiro avista).
ATTENCaO.
Vende-se urna eacrava moca perfeiUaaenlo en-
sjemmadeira, costurake, fax labyrietho, cozi-
nha tambem com pevCetcao, coa urna cria de
auno e meio; quem pretende-la. dirija-ioao pri-
meiro andar da cata na ra do Livrafmento nu-
mero 38.
JAYME
Vende-se a armacio e utencilios, e algdni
Terco n.
pretndanles
{eneros que esto na casa do largo do Terco n.
i, e aluga-se a mesma casa : os
dirijam-se a roa das Crazea o. 31
Cabelleireiro trancador, e desenhador
em cabellos,
Com seu estabeleciment na ra doQueimado
n. 6,1* andar, continua a receber encommeu-
das deobjectos tendentes a sua arte, garanlindo
perfeigao e mdico preso.
Agoa Imperial *
para lavar a cabera, limpar as caspas e evitar a
queda dos cabellos.
Vende-se na ra do Queimado, casa de ca-
belleireiro.
Flores finas a' 1 #500 rs. o ramo !!
Vende-se na ra do Queimado, casa de ca-
belleireirr:
Agoa de tingir cabellos.
Vende-se na ra do Queimado, casa de ca-
belleireiro.
Pechincha sem
igual,
E' chegado a superior carne do serlio legti-
mamente do Serid. pelo diminuto prego de
310 rs., s se encontr na boa f, por aer o ee-
tabelecimento que sempre recebe a Horda car-
ne d'aqualle lugar, e bem issirn como queijos e
linguigas do amsmo lugar ; os freguezes acha-
ro barato pela boa qualidade de qualquer m
dos gneros. Vendem-se por este preso por ha-
ver recebido grande porgio-
Batatas.
Veadem-se batatas novas ltimamente ehega-
da s de Lisboa a 3fa caita que tea duas arrobas :
3t ruda Madre de Dos a. SO, e travessa da
adrede Deo n. 10:
Enfeites a
ribaldi
Golleteado velludo, setim, gorguro 9
Chapeoa de sol de seda a 6g.
Caigas de ganga franceza a $.
Ditas muito encorpada de brim a 29.
Damasco de la com 6 palmos de largura proprio
para coberla, ou para mesas e pianos, etc., etc.
Muitasoulras fazendas denamos de mencionar
os precos para nao enfadar, bem como um gran-
de sortimento de tiras bordadas muito finas, chi-
tas francezas de todas as cores e qualidades, e
tambem inglezas, saias balo para senhora e me-
ninas, cassas e cambraiasde todas as qualidades,
grosdensples pretos de superior quslidade ; do-
se as amostras com penbor ou se mandam levar
em casa das familias que quizerem fazendas ba-
ratas. O pavo ett na porta.
Muita gravata ba-
rata.
Na loja d'aguia branca se encontr um grande
e bello sortimento de grvalas de diSerentes gos-
tose qualidades, e por presos taes que em ne-
nhuma outra prtese acha. como seja, gravati-
nhas estrellas bordadas a 800 e Ig, ditas pretas e
de cores agradaveis a 19, 19200 e 19500, ditas
com pontas bordadas e matizadas, e lisas de mui
bom setim msco atJSOO. Pela variedade do sor-
timento o comprador lera muitas de que se agra-
de : na ra do Queimado, loja d'aguia branca
numero 16.
Aos tabaquistas.
Lensos finos de cores escoras e flxas a imita-
gao dos de linho a 59 duzia ; na ra do Quei-
mado n. 22, na loja da boa f.
Brim branca de linho muito fino a 19280 a
vara ; na ra do Queimado n. 22, loja da boa f.
feii
k fama Iriumpha.
Os barateiros da loja
Encyclopedica
DE
Guimares & Villar.
Ra do Crespo numero 17.;
Recebem continuadamente da Europa
sedas, cambraias, lias, chapelinas depa-
lha e de seda para senhoras, manteletes
pretos ricamente bordados, ditos de co-
res, ahidas de baile,asias a balo de di-
versas qualidades, saias bordadas de to-
das as qualidades e presos, chitas fran-
cezas muifo bonitas e finas, enfeites de
diversas qualidades para cabega de ae-
nhoras, espartilhos de molas e muitos
outros objertos que nao mencionamos,
todos proprios para senhoras.
Para bomens
paletols, caigas, colletes, chapeos, cami-
sas, seroulas, meias, grvalas, lencos, so-
brecasacos, calgado Melie e muitos ou-
tros objectos.
Vendem baratissimo
S Vendem baratissimo
Vendem baratissimo.
Quem duvidar v vr
Quem duvidar v ver
Quem duvidar vvr
Levem dinheiro
Levem diuheiro
Levem dinheiro.
*f MrVril' 'Jin.'iaU-^**. *MsaMaAaAia\i
A 41 4^500 e 5 pega com S 1 [2
Muitos lindos enfeites a Garibaldi para senho-
ras a 89, ditos fingiado palha porm de aedas a
895OO cada um, ditos de vidrilhos a 1$800cad
um ; na loja da victoria, ra do Queimado nu-
mero 75.
Novo sortimento
de cascarrilhas de seda para
enfeites de vestido.
A. loja d'aguia branca recebeu prximamente
um novo e lindo sortimento de cascarrilhas de
seda para enfeites de vestido, sendo de difieren-
tes cores e larguras, e como sempre as est ven-
dendo baratamente a tf, 3, 4 e 5J a peca, pregos
estes que em nenhuma outra parte se acham, e
s sim na ra do Queimado, loja d'aguia branca
onumer 16.
Atten Vende-se confronte o portao da fortaleza daa
Cisco Pontas o seguinte : carrosas para bois e
cavallos, carrinhos de trabalhar na alfandega, di-
tos de mo, torrador de caf com fogo, dobradi-
caa de chumbar de todos os tamanhos, bocea de
tomainas para fornos, grandes (echaduras de
ferrolho e tambem rodaatfecarroca e carrinhos,
rodas para carrinhos de mi, eixos para carro-
cas e carrinhos, e outras quaeaquer obras de
ferros.
Luyas de finacamursa
para militares e cavallei-
ros.
A loja d'aguia branca acaba de receber de aua
mcommeada mui finas luvas de canora*, o fue
do saelhor se pode dar neste genero, e as est
voodOBdo a 20500 o par ; os senhoras offieiana
cavalleiros que as compraron coahoeerao *e sao
baratas i vista de ana finura a aracio, o para so
otter drrigirem-se 4 roa do Qaeimado, loia da
mala branca o. 16. Adverla-se que a quaafloode
pequea per hoto, e par taoo alo eJoonoroi
AJfOOO.
Caixas eom mase* propria patalsaaaaa 29
armazem do Sr. Aunes defronte da porta da
fanddga.
Cambraia lisa muib fina a 49 a
varas, dita muito superior a 5g, dita
muito fina com salpicos a 49500; na
Queimado n 2. na Ioj
tambem
ra do
oja da boa f.
Delicadas
gravatinnas de seda bordadas
para meninas e senhoras.
A loja d'aguia branca acaba de receber pelo
oa
fr
acaba de
vapor francez urna pequea porgao de mui boni-
tas e delicadas gravatinhas de seda bordadas, ul-
timo gosto, para meninas e senhoras, e as est
vendendo a 19500 cada urna ; a ellas, antea que
se ac bem, pois s as ha na loja d'aguia branca,
ra do Qaeimado n. 16.
Cera de carnauba
Vende-se cera de carnauba, a melhor que tem
vindo a este mercado, a 89500 a arroba, a prazo
ou dinheiro : a tratar na ra da Cadeia do Re-
cife n. 7, oa na ra da Imperatriz n. 60, loja:
Enfeites de flores para ca-
, smenlos e bailes.
Chegou par* a loja d'aguia branca lindos e de-
licados enfeites de flores finas, feitos com muito
gosto e a ultima moda, sao mui proprios para as
senhoras que vio a casameotos e bailes, e ser-
vem igualmente para paselos. Os presos sao 89,
10 e lt. porm quem apreciar o bom conhece-
r que sao baratos, e para isso dirigir-se a ra
do Queimado, loja d'aguia branca n. 16.
mmm
cobertos edescobertosr pequeas a grandes, da
ouro patente inglez, para homem a saibor* da
um dos melhores fabricantes de Liverpool, viu-
dos pelo ultimo paquete ingles : em casa da
Sonthall Mellor C.
Vende-se o sobrado de dous andares da ra
da Senzala Velha n. 54; o armazem eal arreo-
dado a um negociante para deposito de fazendas.
e o sbralo sempre tem encontrado atugador por
offerecer bastante* comnrodos, largo e tem fun-
do de ra raa, exiaiindo no lado de detraz um
telheiro que esta arrendado para acougue, e per-
lene mesma casa ; os fundos team t*i exteu-
sio qu* dio eapaco a *diAcae-a a* outra ra
outro sobrado, Qeando meio alada terreno paca
1 quintal de ambas as casa* ; veade-se por preep
commodo, poiaaeu dono Um que remir alguna
comaromteaoa: tratar na raa do Imoeradac
n. 5?, ptimelro andar.


DUtIO Dft tIMUyjMO.-. SABBADQ 13 DI JULHO DI lWl.

Attenco. .
V*nd-seoii alugt-se not canoa a ora de ama-
rillo muito bem construida, pega 1,500 lijlos :
Bt roa Wreita dos Alegados n. 13.
Vende-se a taberna da pra(a da
Boa-Vista n. lfi A, cora todos ot per-
tences : a tratar com Motta & IrmSo,
na travesea da Madre de Dos armazem
numero.
Nova pechincha.
Chitas Tstrm (raocezas, corado a 200 e 240
r.,riscados franceres, corado 180rt., corteado
mesmo a 5,000 rs.: na rua-do Quelmado n.44.,
Libras sierlinas.
Vende-se no escriptorio de Maneel Ignacio de
Olireira & Filho, largo do Corpo Santo.
Travessa do Pires n. 1.
Joseph Grosjeao em aua oBcina rende 1 ca-
briole!, ero, 1 carro americano para 1 carallo,
1 cabrolet em boro estado, que rende multo em
conta, assim como encerado preto a 2300 o co-
vado, e comprando em pega ha de ser mais ba-
rato.
Attenco.
Ra ra do Trapiche o. 48, em casa de Roitron
Rooker & C., existe um bom sortimeolo de 11-
nhas de cores e brancas em carretela do melhor
fabricante de Inglaterra, soquees aevendem por
precos mui razoareia.
(*
E Quilo barato.
8;
DESTINO
DB
Jos Dias Braedo.
8Ra da Lingueta S
O noro destino torra gneros por menos de seu
rslor: superior manteiga iogleza a 1 a libra,
dita franceza a 700 rs.. che preto a 1400, pas-
eas a 560, conservas inglezas e portuguezaa a
700 rs., aletria, talharim e macarro a 400 rs. a
libra, toucinho de Lisboa a 320 rs. a libra, banha
de porco refinada a 480 rs latas com peixe de
postas a 1J400, cerreja branca a 500 rs. a gar-
rafa e 59 a duzia, dita preta a 600 rs. a garrafa e
6800 a duzia, tanto em garrafas como em meias,
errilhas francezas e portuguezas a 720 ra. a lata,
spermacele de 4, 5 e- 6 em libra por prego mui-
lo em conta, vinho do Porto engarrafado fino
(reino) a t500 rs rinbo de Lisboa e Figueira a
560 rs. a garrafa, rinagre branco a 340 rs. a gar-
rafa, e outros muitos gneros que escusado
menciona-los, que do contrario se tornara enfa-
donhoaos freguezes. {Dinheiro risla.)
Esfriadeiras
para agua.
Vendem-se esfriadeiras muito aira para agua a
4 o par ; na ra do Queimado n. 75.
Di
FUNDiaO LOW-M0W,
Ra da Senzalla Xeva n.42.
Reste astabelecimento contina a havtr un
completo sortiment de moendas emeias moen-
du para engenho, machinas da vapor taina
te farro batido a coado, de todos ostamanhos
para dito,
A12J000
a dazia de toalhas felpudas superiores ; na ra
do Queimado n. 22. na loja da boa f.
Vende-se um sobrado de dous andares e
sotao na ra de Santa Rita : a tratar na rna das
Lruzes n. 18.
Vendem-se caixoes vasios proprios
para bahuleiros.funileiros etc. a 15280:
quem pretender dirija-se a esta tipo-
graphia, que ah se dir' quem os tem
para vender.
; Liquidaco 1
|Rua do Queimado n.
\ 10. loja de 4 portas, g
Vende-se as seguintes fazendas por 9
menos preco de que em outra qualquer fj^
parle, como sejam: r*
Chitas francezas cores fixas a 220 e 240
Cortes de cassa franceza a 2O00 H
Chalys de apurado gosto corado a 500 $J
, Cambraia de seda dito o corado a 440 2
Mimos do co dito o corado a 400 V
Chales com palma* de seda a &
i 1S600e 2000 m
Camisiohas de cambraia bordada
1 para baptisado a 5^000 W
I Ditas de dita para senhora e com &
. goliinha a 3J500 X
Chitas inglezas cores fizas a 160 l
I E-guiao de puro linho a rara a 800 $
I Cambraia lisa muito fina a peca a 58000
Chales de merino bordado a 5000 5
Ditos de dito liso a 3*500 e 40O0 W
Mantas de setim lavrado para se- gfe
I hor 1|600 2
Meias para senhora a 3, 3500 e 40OO w
Dit.s para meninas a 2S800 e 3J0OO
Chapeos de sol de seda para se- m
Viborea 3*500e 4S0O0 ff
Guardaoapos adamascados a da- tm
zia a 2*500 e 3*000 gfe
Toalhas de linho a duzia 5*000 <
Riscadinhos de linho o corado a 160 9
Cortes de brim de linbo de cores S
-2500 e. 21800 S
Ditos de meta casemira a 1*280 e 1*600 9
Panno azul floo corado a1280e 18600 &
Dito preto dito dito a 3*500. 4* 5JO00 *
Cortes de casemira preta a 5* e 6*000 2
Cortas de dita de cores a 4* e 5*000 %9
Cortes de velludo para collete S
a 1*600 e 2*000 2
Ditos de gorgurao lg600 1
Brim branco de lioho trancado a 1/000 W
Paletotsde brim de cor pardo a 3500 Sfe
, Ditos de dito lona a 4S50O 2
Gravatiohas estreitas.
Vendem-se superiores graratinhaa estreitas de
seda, nao s pretas como de coree, pelo baratis-
simo prego de 1* ; na ra do Queimado d. 22,
loja da boa f.
E'de graca.
Ricas chapelioaa de seda para senhora, pelo
baratissimo preco de 16* cads orna ; na ra do
Queimado n. 22, loja da boa f: (a Uas.que sao
poucas). ~
Cortas de vestidos brancos
bordados.
- Vendem-se ricos cortee de vestidos brancos
bordados eem 2 a S babados a 5*: na ra do
Queimado n. 22, na leja Grandes colchas
** tutiae adamascadas, pelo preco da 6* cada
urna : na roa do Queimado a. 19.
Manteletes de fil preto muHo superiores
{-na ra do Crespo o. 10.
Damasco de seda.
superior a 3*500 ; na ra do Crespo n. 10.
Massinhos de coral
a 500 rs.
S na loja da aguia de ouro,
ru% do CaLug n. 1B.
Vendem-se massinho de coral muito fino a 500
reia o masso.
Tachas e moendas
Braga Filho & C., tem serapre no seu depo-
sito da ra da Moada n. 3 A, um grande sor-
manto da tachas a moendas para engenho, de
rauito acreditado fabricante Edwin Mawa tra-
tar no mesmo deposito ou na ra do Trapiche
CINTOS
para senhora.
Sintos muito bonitos para senhora a 3f cada
um, firelas muito lindas para sinto a lgzOO cada
urna ; na loja da rictoria, ra da Qneimado nu-
mero 75.
A 80009.
Chapeos de castor branco, fazenda muito boa,
os quaesse rendem pelo diminuto preco de 8$
cada um : na ra do Queimado n. 39, foja de 4
portas.
7 Te>f*"-e 5 vaccas recentimente paridas,
-enoas leiteiras, e 2 bois mansos de carro e de
cerros dealrandega, ludo gordo : no sitio Torre
daeetrada de Belem, pissando e igreginha deite
nome. 4 eaauerda. B 8
Cal v ice.
da pomada
de fazer
A utilidade
indiana nao
NASCER os cabellos, mas
tambem de dar-lhes forca
paraerilar a calrice e nao
deixa-los embranquecer lio
cedo como quaado ella neo
fdr applicada. aim disto
sendo sua composico for-
mada de substancias ali-
mentares, a absorpcao pe-
los poros da cabega nao pode ser nocir. De-
posito em Pernambuco. ra do Imperador n. 59
e ra do Crespo n. 3, e em Paris, Boulerard
Bonnc Nourelle. Prejo cada frasco 3*.
Fazendas
no armazem da ra do
Queimado n. 19.
Toalhas para rosto de prego 500 rs. cada urna.
Chita.
Chita franceza a 220 rs. o corado.
Cortes de casemira.
Finos cortes de casemira a 4*500.
Cobettas..
Caberlas de chita a 1*800.
Capellas brancas.
Capellas de flores de laraoja a 5*.
Lences clepanno
de linho pelo baralo prego de 1*900.
Algodao
de duas larguras a 480 a rara.
Grandes lences de bramante a 3J300.
Jaqus bordados
para meninos, fazenda muito fina, a 5J.
Sem costura.
Lenges de panno de linho fino a 3*.
Baldes
de todas as qualidades e de duas ssias.
Cambraias de lpicos.
Modernas cambraias de salpicos e muito finas
a o* a pega.
Attenco
Fazendas e rou-j
pas feitas baratas
NA LOJA DE
8
48- Ra da Imperatriz48
Junto a parlara franceza.
Acaba de chegar a eale estabeleci-
mento um completo e variado sortimeolo
deroupas de diversas qualidades como
sejam : grande sortimeolo de paletols
de alpaca preta e de cores a 3* e 3*500,
ditos forrados a 4* e 4*500, ditos france-
zes fazenda de 10* a 6*500, ditos de me-
rino preto a 6*. ditos de brim pardo a
38800 e 4*, ditos de brim de cor a 8*500,
ditos de ganga de cor a 3500, ditos de
alpaca de la amarella a imitaco de pa-
Iha de sed a a 3*500 e 4*. ditos de meia
caaemira a 4*500, 5g e 5*500, ditos de
casemira saceos a 13J, ditos sobrecasacos
a 15$, ditos de panno preto fino a 80*,
225.28*. ditos brancos de bramante
3*500 e 4*. calcas de brim de cor a 1J800,
SfiOO, 3*. ditas brancas a 3* e 4*500, di-
tas de meia casemira a 3*500, ditas de
casemira a 6*500. 78500 e 9*. ditas pre-
tas a 4S500. 7*500. 9;> e 10*, colletes de
5!SSJ "8" 1*600. ditos de fusto
2*800. ditos brancos a 28800 e 3*, ditos
de setim preloa 3*500 e 4*500. ditos d
gorgurao de seda a 4*500 e 5*. ditos de
casemira preta e de cores a 4*500 e 5*
ditos de reliado a 7*. 8j e 9*.
Completo sortimenlo de roupa para
meninos como sejam calcas, cohetes, pa-
letols. camisas a 1*800 e 2*. ditas de fustao
a2*500, chapeos franceses para cabeca
fazenda superior a 6*600, 88500 e 10*.
ditos de sol a 68 e 6*500, ditos para se-
nhora a 48500 e 5. Recebem-se algu-
mas encommendas de roupa por medida
9 para iato lea deliberado a ter um con-
tra -fAestre no eslabelecimeoto para exe-
cutar qualquer obra tendente a sua arte.
Fazendas.
Ricos corles de rostidos de seda es-
coceza superior a 14*. noridade em corte
de chita achamalotida de ricos padroea
com 14 corados a 5, chales de merino
estampados de bonitos goslos a 6*500,
cambraia lisa de Escocia cora 10 raras e
), de rara de largura a 4*. 4*500 e 6*. su-
perior bramante o melhor que ha a 28 e
2*200 a vara de 4 larguras, sortimenlo de
meias para meninos e meninas a 2*800 o
38 a duzia, cambraia de salpico muito fi-
na a 700 08(10 rs. a rara, chitas sortidas
francezas a 240. 260 o 280 rs o corado e
outras muitasfazendas por precos commo-
dos.
Coraes lapidados
a 500 rs. o masso.
Vendem-se massinhos de coraes lapidados a
500 rs. cada um r na ra do Queimado, loja d'a-
Ruia branca o. 16.
240 rs.
Laas escuras de padroes modernos o melhor
que tem apparecido, de lindas cores, a 240 rs.
na ra d Queimado n. 39, loja de 4 portas.
Lila preta,
boa fazenda, a 280 rs. o corado.
Cortes de casemira de cor fina a 48.
tolos de collete de gorgurao, bonitos padroes, a
2*000.
Panno fino superior, cor de azeitona. a 4*000 o
corado.'
Casemira preta fina a 2* o corado : na ra do
Crespo n. 10.
Saldo Ass.
Vende-se superior sal do Ass, a bordo do hie-
le Santo Amaro, fundeado defronte do caes do
Ramos : a tratar com o mestra a bordo, ou com
e dono no trapiche do algodao.
Liquidaco
S
^Rua do Queimado loja de
9 4 portas n. 10. '
f| Vende-se panno de supeiiorqua-
^ lidade pro va de limSo cor de
$$ caf a 3$.
% Dito verde a 3$.
% Dito preto a 3#.
g Dito azul a 3#.
A Seroules escossezas brancas a a
9 10200 e10300.
g Ditas de linho a 2s600 e 30.
*. Superiores manteletes de fil i
^ preto a 60.
* Camisas de linho inglezas duzia S
$ 300.
Z Ditas dita dita duzia a 350.
Ditasdita dita duzia a 400,
g& Ditas dita dita duzia 450
g Ditas dita dita duzia 500.
Baloes econmicos.
Chegaram loja n. 45 da ra da Cadeia do Re-
cite saias balio de gosto inteiramente moderno,
os quaes sao preferiris aos de ac por serem
5S (,e.cordo' vendem-se pelo mdico preco
de d* cada um.
, SABAO.
Joaqirlm Francisco de Helio Santoa arisa sos
seus tregete* desla praca e os de fra, que tem
exposto renda sabo de sua fabrica deninaa
Reciteno armazem dosSrs. l'rarassos Jnior
& C, na ra do Amorim n. 58; massa amarella,
castanha, preta e .outras qualidades por menor
preco que de outras fabricas. No mesmo arma-
zem lera feito o seu deposito de reas de carnau-
ba simples sem mistura alguma, como as de
cnmpnfticao.
Thom Lopes de Sena
Ra Novan. 32
Recebeu em direilura de Franca bons
objectos de moda como sejam enfeites
de flores brancos e de cores para senho-
ra, capellas para noiras com ramo de
P"ito e hombros.
Chapeos brancos e de todas as cores,
ditos para luto de seda e de crep, di-
tos de palha da Italia, ditos de ditos
para montara e passeio, ditos de palha
de cores para senhora e meninas, ch-
peoszioho da seda a Garibaldi para
meninos e meninas.
Toucas de seda ede merino bordado,
sapatioho e meias para meninos se
baptisarem.
Fitas de seda de todas as cores e
larguras e de differeates qualidades, di-
tas cascarrilhas, fil de seda branco li-
so, dito de lioho com salpico, sintos
com Arelas de seo bonitos e de bom
gosto.
Riquissimos reslidos de blonde com
2 saias e 3 babadinbos na primeira sala,
ditos de seda preto de 7 babados, reos
para chapeo de senhora e tocados para
os niesmos.
Recebe-se figurinos todos os mezes e
faz-se reatidos com muila perfei$o,
manteletes, capas e resluario para me-
ninos se baptisarem e ludo mais quan-
to perteoce ao loilele de urna senhora.
Enfeites de bom gosto po-
ra senhoras.
A loja d'aguia branca est recontemente pre-
nda de um completo sortimeolo de enfeites de
bom gosto para senhoras, sendo os afamados e
delicados enfeites de torjal com franjas e borlas
outros tambem de torcal de seda enfeitados com
aljoiares de cores e borlla ao lado, outros de
roco igualmente enfeitados com aljfar, e borlo-
tas, todos elles de um apurado gosto e perfeioao.
os pregos de 8 e 10* sao barata]) vista das
obras ; alm destas qualidades hx outras para
3* e 4* : isso na ra do Queimado, loia d'aauia
brenca n. 16. "
Vendem-se muito em conta quartolas de
muito boa qualidide, proprias para deposito d'a-
gua em caas particulares e sitios, e tambem por-
oto de toneis grandes de boa madeira, que sao
ptimos para depsitos de mel, e psra as distHa-
coesdos eoipeabos, os quaea se readea a dinhei-
ro o a preso, conforme se coareacionar: pera
wr e tratar, na travessa do Carioea, armazem nu-
mero 2.
Nozes
a 3J a arroba, a a ratalho a 190 rt. a libra: ren-
de-seno armazem progresto, largo daPenht nu-
mero 8.
Attenco.
Ricos cortes de sada do 100*, pelo diminuto
preco de 30* por ter um toquezioho de mofo :
no armazem de fazendas da ra do Queimado nu-
mero 19.
Gestos.
Vendem-se cestos grandes proprios para con-
duccao de pao e bolacha, muito melhores que os
panacs pela sua forlidao e aturar multe; na ra
Direita, padaria de Antonio Aires de Miranda
Guimaraes n. 69.

Delicados chapeo-
zinhos para baptisados.
Na loja d'aguia branca se acha mui noros e
delicados chapeozinhos para baptisados obra
mu perfeita e bem enfeitada, sendo esda um em
aua bonita caizinba, e pelo baratissimo preco de
o*, nuiguem deixari de os comprar : na loja d'a-
guia branca, ra do Queimado n. 16.
Vende-se porco de quintaos de ferro
rergelboes quadrados de ranas grossuras
chumbo em barra ; rro armazem da traressa
Carioca n. 2.
em
i
do
Batatas
Ju?1'09 de arrob. chegadas ltimamente, a
1S000 rs. o gigo, e a 60 rs. em libras : rendem-
se nicamente nos armazens Progresso e Pro-
gressista no largo do Carmo n. 9, e rus das du-
res n. 36, tambem tem grande porcao de queT-
job prato que rendem a 560 a libra e a 480 ne-
teiros.
Opiata ingleza para
dentes.
A loja d'aguia branca acaba de receber de sua
propna encommenda a bem conhecida eprorei-
tosa opiata ingleza para dentes, cuja bondade
apreciada por todos quantos della tem u9ado, e
ser mais por quem quizer conserrar asgengiras
em perfito estado, assim como a alrura dos
dentes; custa cada caixa 1*500, e por tal preco
s deixaro de comprar quando a nao achareru
mais na loja d'aguia branca, na ra do Queima-
do n. 16.
Escovas grandes
para carros, tapetes, etc.
Na loja d'aguia branca se encontra mui boas
escoras grandes com cabo, proprias para se lim-
Pr canos, tapetes, et<\, e por 2*: nioguem dei-
xara de comprar urna escora de que necesiita :
na ra do Queimado. loja d'aguia branca n. 16.
Feijao de corda
No armazem de Tasso Irmios, ra do Amorim
numero 35.
Aranaga Hijo A C ,
vender oncas de ouro : na ra do Tra-
piche n, 6.
Alenca ao barato.
Vendem-se pe?as de algodiozinno bom com
pones arana a 2*. 28500 e 3, chales de chaly
matizados para senhoras e meninas a 2*500 e 3*.
auim como outras muitas fazendas a precos ra-
zoareis: na ra do Crespo n- 20 A.
Cambraias de co-
res a 320 rs.
Cambraiaa eslampadas a matyz, hienda muito
fina, padrOes nao rulgarea e inteiramente noros,
pelb bsratissimo prego de 320 rs. o corado : na
ra do Crespo n. 7, esquioa que rolla para a ra
do Imperador, loja de Guimariea & Lima.
Jabonetes

o
S vende barato. I
n.
va-
|j! Acaba de chegar ao armazem
2 da ra da Cadeia do Recite
j|[ 8, um lindo sortimenlo de
ras douradas imitando jacaran-
W da' proprias para molduras de
# espelhos, retratos e estampas pa-
W ra ornamentos de sala etc., as
^ ques se vendem por diminuto
preco.
m
m

s

i
Attenco.
Fazendas baratas para acreditar a loja na ra
do Queimado n. 69 r chales de lia eslampados e
Dnos a 6.000 re., ditos de froco a 3,200 rs.. tenho
um dito de loquim preto que rendo por todo o
prego, chitas francezas escuras a 200 rs. o co-
rado, ditas a 240, 280 e 320 rs. o corado, can-
sas finas a 480 rs: a rara, organdy a 560 a rara,
chapeos de sol de panno grandes baleias a 3.000
rs., ditos do sol inglez a 11,000 rs., grarata de
sedas a 320 rs.; quem livor rontade de comprar
fazendas baratas r a ra do Queimado n. 69 na
loja de J. Antonio da Sira Marques, que nao
sabe sem fazendas, pois est disposto a render
por lodo prego para apurar dinheiro.
ggRua do Oespo n. 8, loja deg
4 partas, admira a pe-j
{chincha
Laa para vestidos fazenda que
outr'ora custava 8 ! do vende-se a 240 rs., do-se
ft amostras com penhor.
itp^r-eife mm mmm*M
Gneros baratos.
Caf a 200 e 260 rs. a libra, arroz a 100*rs.,
gomma a 80 rs.. passas a 500 rs., relias de car-
nauba 400 e 440 rs., espermacete a 680, banha de
porto a 440, sorreja a 400 e 500 rs.. garrafa de
azeite de carra pato a 440 rs. : na traressa do pa-
teo do Paraizo n. 16, casa de pintada de ama-
relio*
Farello a 2,600
a sacca : na traressa do pateo do Paraizo n 16,
casa pintada de amarello.
recniacna chapeos al
Garibaldi.
Ricos chapeos de palha enfeitados da K
ultima moda pelo baratissimo prego de S
10* : na ra da Cadeia do Recife n. 24.
de amendoa, em caixinhas de louca a
500 rs. cada um.
Vendem-se saboneles de amendoa para barba,
cada um em sua caizinba de louga a 500 rs. ; na
ra do Queimado, loja d'aguia branca n. 16.
<***
S Na loja de marmore |
| Vende se muito barato*
Para se choras.
Ricos restidos de seda moiranlic.
Ditos dito de dita grod-fric. 9
Ditos dito de dita babadinbos.
Ditos dito de dita dous folhos. 9
Ditos dito de dita phantasia. 9
Ditos dito de dita bareja-babadinbos.
Ditos dito de dita cambraia brancos bor-
dados. O
Ditos dito de dita pretos tecidos avellu-
dados.
Ditos dito de dous folhos babadiohos.
Riquissimos vestidos de tarlalana brancos.
Ditos ditos de blonde para casamentos.
Ditos leques de madnpeola.
Ditos ditos de sndalo.
Ricas pelerinas de renda e seda.
Manteletes do fil pretos.
Ditos muito ricos de velludo.
Ricos bournus beduinas para sabidas de
bailes e tbeatros.
Ricos chapeos de palha de Italia.
Ditos ditos de seda.
Gollioha?, manguitos e camisiobas de to-
das as qualidades.
Saias bordadas de algodao.
Ditas ditas de lioho.
Ricas sombrinbas de seda muilo modernas,
Enfeites de flores.
Ditos de froco.
Ditos de fita.
Para senhoras.
Casaveques de la.
Pentes de tartaruga.
Ditos de bfalo com enfeile.
Ditos de dito sea enf-ite.
Chales da merino muito modernos.
Ditos de cachemira bordados.
Ditos de louquim.
Ditos de froto.
Ricas mantas de blonde para casamento.
Camilas bordadas muito finas.
Meias de seda muito finas.
Ditas de dita pretas finas.
Enfeite de ridrilho preto.
Ditos de ditos de cores.
Lencos de labitinlho.
Pronhas de labirintho.
ToalhSs de labirintho-
Lengos de linho bordados.
Gravatinhas muito modernas.
Plumas brancas e de cor.
Filas de seda de apurado gosto.
Franjes, cascarrilhas, tranga e rifa e fitas
estreitas de seda.
Para homens.
9 Paletols de panno fino.
# Ditos de casemira.
# Ditos de brim lona (brancos.)
0 Ditos de brim de cor.
# Caigas de casemira de cor e de padroes de
tt muilo gosto.
m Capas de guta-percha.
% Perneiras de dita.
0 Caigas de dita.
9 Capucbes de dita:
Meias de cor.
Colletes de casemira.
Ditos de loa e ceda.
Ditos brancos.
Ditos de reltudo preto.
Ditos de dito de cor.
Calgsdo Meli.
Dito de raqueta.
Dito de duas solas.
Sapatos entrada baiza.
Chao eos de lootra.
Ditos de castor branco.
Gr.vatasde rena a a Garibaldi.
Ditas de setim.
Ditas de gorgurao e seda.
Colarinhos dos mais modernos.
Camisas de linho inglezas.
Ditas ditas francezas.
Para meninos.
Ricos vestuarios de seda.
Ditos ditos de la.
Ditos ditos de fusiao.
Ricas camisinhas bordadas para baptisado.
Ricos sapatinhos enfeitados para bapti-
sado.
Bonetes de todas as qualidades.
Chapeosinhos de palha de Italia.
Casaveques de la.
Extracto de saodalo muito fino.
Essencia de sndalo muito fino.
Caixinhas de tartaiugs.
Carteirinhas de apurado gosto.
Ricos jarros com banha.
Um grande sortimenlo de riquissimos
quadros a oleo.
Ricos transparentes para janella.
Caixinhas muito ricas proprias para guar-
dar joias.
Banha muilo fina a Garibaldi.
E outras muitas fazendas e perfumaras
que deiximos de mencionar, por harer
um grande sortimenlo.

*

e
Lindos cabazes
de palha fina, ou cestinhas
para meninas de es-
cola.
Na loja d'aguia branca se acham mui lindos e
delicados cabazes de palha fina, ou cestinhas en-
eitaoas. proprias para as meninas de escola ou
mesmo para costura de senhoras, e cusa na 4 e 5
12a?i b"atissimo vista da serfeigo e bom'
gosto de taes obras, as quaes se rendem em dita
^oja d aguia branca, ra do Queimado n 16
Acaba de
chegar
ao novo armazem
DE
BASTOS & REG
Na ra Nova junto a Con-
ceico dos Milita-
res n. 47.
Um grande
roupas fei

e variado sortimenlo de
ellas, calcados e fazendas e lodos
este* a* vendem por pregos muito modi-
ficados como de seu costume.assim como
sejam sobrecasacos de superiores pannos
ecasacos feitos pelos ltimos figurinos a
26, 28, 30 e a 35, paletols dos mesmo
pannos preto a 16$, 18, 20 e a 24,
ditos de casemira de cor mesclado e de'
noros padroes a 14. 16, 18. 20 e 24,
ditos saceos das mesmas casemiras de co-
res a 9, 10, 12 e a 14, ditos prelos pe-
lo dimioulo prego de8, 10, el2$, ditos
de sarja e seda a sobrecaeacados a 12
ditos de merino de cordo a 12, ditos
de merino chinez de apurado gosto a 15
ditos de alpaca preta a 7, 8, 9 e a 10
ditos saceos pretos a 4, ditos de palha d
seda fazenda muilo superior a 4500, di-
tos de brim pardo e de fustao a 3500, 4
e a 4500, ditos de fustao branco a 4
grande quantidade de calcas de casemira
preta e de cores a 7-, 8, 9 e a 10, ditas
pardas a 3 e a 4, ditas de brim de cores
finas a2$500, 3, 3500 e a 4$. ditas de
brim brancos finas a 4500, 5J, 5500 e a
6, ditas de brim lona a 5 e a 6S, colletes
de gorgurao preto e de cores a 5$ e a 6S,
dilosde casemira de cor e prelos a 450U
e a 5, ditos de fusto branco e de brim
a 8 e a3500, ditos de brim lona a 48,
ditos de merino para luto a 4 e a 45O0'
caigas de merino para luto a 4J500 e a 5'
capas de borracha a 9. Para meninos
de todos os lmannos : caigas de casemira
prefa eda cor a5S. 6 e a 7, ditas ditas
de brim a 2j, 3 e a 3500. paletols sac-
eos ae casemira preta a 6fi e a 7, ditos
de cor a 6 ea7J, ditos de alpaca a 3
sobrecasacos de panno preto a 12 e a
14, ditos de alpaca preta a 5, bonels
para menino de todas as qualidades, ca-
misas para meninos de todos os lamanhos
meios ricos restidos de cambraia feitos
para meninas de 5 a 8 annos com cinco
babados lisos a 8 e a 12fi. ditos de gorttu-
rao de cor e de la a 5 e a 6, ditos de
brim a 3, ditos de cambraia ricamente
bordados para baptisados.e muitas outras
fazendas e roupas feilas que deixam de
ser mencionadas pela sua grande quanti-
dade ; assim como recebe-se toda e qual-
quer encommenda de roupas para se
mandar manufacturar e que para este fim
aa um comPleto sortimenlo de fazen-
das de gosto e urna grande oficina de al-
faiate dirigida por um hbil mestre que
pela sua promplido e perfeigao nada dei-
xa a desejar.
(B1MBI
pechincha.
muito iocorpadas, cova-
bordadas com boto para
s
s
s
!
Vende-se o engenho Tiriri, sito na comarca
do Cabo, com as proporgoes seguintes: dista da
estrada de torro urna legoa, e porto para embar-
que em distancia de 200 bragas, com terreno pa-
ra grandes safras, e tem muitos terrenos para se
abrirem com acflidade, ha grande cercado e
muitas matas Este engenho noro ebem obra-
do ; a tratar na ra da Praia n. 47, segundo an-
dar, ou no engenbo Cafund, sitio em distancia
de meia legoa da eslacao de Olinda com o abaixo
assignado.Joo Paos Brrelo.
Trapiche
BABlO o LIVRAMENTO
Largo da Assembla n. 15.
Ha continuamente para render neale noroea-
labelecimeoto o seguinte:
Cera de carnauba em porgos ou a retalho, oa-
lidade regular e superior.
Sebo do Porto em caixinhas de 1 a 4 arroba*.
Barricas com sebo do Rio Grande, es porces
ou a retalho.
Velas de carnauba pura, em caixinhas de 1 a 4
arrotos*.
Meios de sola, difiranles qualidades, em por.
gdes ou & relalbo.
Courinhos curtidos.
Fannha de mandioca por 1500 a sacca.
Faiello, am saceos grandes, por 3800 osases.
Loja das seis portas em
frente do Livramenlo.
Roupa feita para acaber,
Palotots de panno preto a 22, fazenda fina,
caigas de casemira preta* e de core*, ditas de
brim e deganga, ditas de brim branco, paletols
de bramante a 4, ditos de fusto de cores a 4|,
ditos de estamenlia a 4$, ditos de brim pardo a
3, ditoa de alpaca preta saceos e sobrecasacos,
dolletea de velludo pretos e de cores, ditos de
corguro de seda, grava tas de linho as* mais mo-
bernas a 200 re. cada urna, collarinhoa do linho
ga uliima moda, todas estas fazendas so rende
parato para acabar; a loja est aberta das S ho-
ras da manha at as 9 da noite.
Cortes de meia casemira de urna s cor, fazen-
da superior, pelo baratissimo proco de 2 cada
um: na ra do Queimado o. 2sL na loja da boa f.
Chales de merino estampados a 2#500 : na
roa do Queimado n. 22, loja- da boa f.
Vende-se.
Faz-se todo negocio com uma-quarta patio do
sitio casada riveoda no lugar do Peres frgue-
zia dos Affogadoe, sendo a oasa edificada a 4 para
5 annos, d pedra e cal muitas arrores fructferas
oras, cacimba principiada de agoa doce estri-
bara & & tendo a casa 4 quarlos duas salas co-
ln he f era, eportio: a tratar na roa do Quei-
mado n. 47.
Sedinhas de quadros
do a 800 rs.
Goliohss de fusto
senhora a 640 rs.
Ditas de dito lisas com botao a 500 rs.
Manguitos a balo com punhos e gola boraa-
dos com botozinhosa 3.
Manguitos a balo com punho e gola a 2500.
Bales elsticos a 3 e 3500
E outras mais fazendas muito baratas : na ra
da Imperatriz n. 40, esquina do becco dos Fer-
reiros.
Coral de raiz
Vende-se muito bom coral de raiz, o fio a
na ra do Queimado, loja d'aguia branca n. 16.
para vestidos de senhora e
roupinbas de enancas.
Na loia d'aguia branca se encontra um bello
sortimenlo de franjas de seda, la e linho, bran-
cas e do cores, proprias para enfeites de vestidos,
assim comouma diversidade de galao e seda e
linho, brancirs e de cores, abertos e frenados, lar-
gos e estreilos at o mais que possirel, nangas
tambem de seda, la e linho, de dilTerenles qua-
lidades, e os que de melhor gosto se pode en-
contrar em taes cousss : por isso quem precisar
de taes objectos, dirigir-se a dita loja d'aguia
branca, na ra do Queimado n. 16. que ser bem
servido.
Entre-meios
os melhores que se tem visto.
A loja d'aguia branca recebeu um exclendido
sortimenlo de enlremeios de delicados bordados,
e gostos inteiramente novos, com diflVrenies lar-
guras, do mais estreito at mais de 1|2 palmo,
suas ditersas applicagoes escusa dizer-se porque
todas as senhoras sabem : os pregos sao de 2 a
3 a pega conlorme a largura, e tal a bondade
aellas que quem os vir e apreciar o boro, infalli-
relmenle os comprar: nj loja d'aguia branca,
na ra do Queimado o. 16.
Vende-se urna canoa nova sahida do esta-
leiro, e tambem se troca por jolos.rouito proprla
para conduccaode capim, ou para carregsr bar-
ro para otarias : quem pretender, dirija-se a roa
do Brum n. 55.
Vende-se o deposito da ra do Arago n.
26, o qual tem poucos fundos: a tratar no mesmo.
Eserayos fugioos.
Fugio na manha do dia 8 do torrente o es-
cravo Cosme, crioulo, estatura regular, testa bas-
tante grande, com falta de dentes, representa ter
95 annos, muito ladino, foi escraro do Sr. Joo
Valentim Vilella, e bastante conhecido nesta
praca, tem o offlcio de pedreiro e tambem emen-
de de carspina, gosta de andar pelas tabernas por
ser muito dado a bebidas espirituosas, lerou ves-
tido urna camisa de algedo, urna caiga relha, e
um chapeo de eltro escuro tambem velho ; quem
o pegar, lere-oao sitio de Antonio Leal de Bar-
>s, estrada de Joio Fernandes Vieira, junto ao
anguinbo, que ser recompensado.
Desappareceu no dia 13 do correte, do si-
tio de S. Josdu Manguinho, o escravS crioulo,
maior de 50 annos, de nome Joaquim, com os
signa es seguintes : cabellos brancos, alto, secco
do corpo, e usa alpargatas; este escravo foi pro-
priedade do Sr. Manoel Jos Pereira Pacheco, do
Aracaly, "onde reio para aqai fgido : roga-se
a todas as autoridades policiaes e a quem quer
que o encontr, do o capturar e entrega-lo ao
*** Vl2m*u**%t <> Trapiche n. 15
a Jos Teixeira Basto.


)
MAMO M fBRHAMBIJCO. SABBADO 1S MI JULHO PE 1361
Literatura.
Fidelidade at a morte.
[Esboo do genero do lio Adao.) s
( Concluao.)
Corr para o moribundo ; Philax contiuuou a
ajvar. e seu olhar pedia soccorro...
Ah seu infeliz senhor j nao exist, nioguem
polia oais rhama-lo a vida I
Em quanlo o corpo conservou ura pouco de
-Tler. Philax continuou a queixar-so procurando
?espertar aquelle que julgava adormecido. Quan-
do o fro da unirle inradiu o cadver, quando to-
dos es membros iicaram gelados e rgidos, o flel
anii) al deitou-se dianle do leito, e velou sobre o
CAPITULO IV.
Tres auno se pastaran), havia baile em casa
4o com mandan te It., o segundo marido de Clo-
tilde. O baile era esplendido e divertido, anda
que houvesse tiesta occasio urna infeliz creatura
uito doeute em casa do commandanle. L' ver-
dade que. quem eslava em perigo de morte era
ma menina, a pequea Mina, a filba de Etien-
se, e alm disto assisiia na parte mals retirada
a casa. Aquelles que perguulavam por esta mo-
ina, Clotilde responda que esta pequea nunca
gozara saude, que pela sua parte nunca contara
que ella se crcssso ; e ludo eslava dito.
Eu recebera tambem uto convite para o baile,
nao foi sam hesitar muito que acceitei, tanto
i injuriara a conducta de Clotilde : apenas aca-
tan o luto, casou-se com o commandanle ft... o
avalheiro privilegiado que a acompanhava por
te>da a parte, em vida d seu primeiro marido.
Alguns das depois do baile a pequea Mina
moireu nos bracos de urna criada ; nesta occa-
sio, Clotilde eslava no espectculo, e chorava
pelas desgracss imaginarias de urna herona de
Ibealro, em quanto sua lha expirava nos bracos
4e urna criada.
No enterro do pobre aojo, Clotilde pareceu
mostrar urna verdadeira ddr. De vez em quando
levava seu lenco de renda aos olhos, nao obs-
tante nao chorar, sabia guardar o decoro at na
ftr.
Felizmente Etienne nao existe, disse-me
ella baixo, (ana escndalo ; elle era lo exagera-
o em todas as cousas I...
Passarani-se os das de tristeza, bem como os
Je lulo, e acabaram-se os pezares. As lembran-
c*s tia viiia de donzella, os cuidados da vida d
aulher, ludo eslava esquecido.
CAPITULO V.
Alguns aonos depois, havia reuoio familiar
*to casa do commandanle, entre as imagens do
passido que a cooversagu evocara, apresentou-
ie tambein a lembranca de Etienne e da pequea
Mina.
Nao se pode certamente considerar urna infe-
bcidade que esta menina tivesse morrido, ella
par'.icipava do carcter violento de seu pae, es-
tas naturezas sao feitas para a propria infelici-
ade desles e dos que os cercam. Qualquer ccusa
a contrariara, ou alegrava-a, a primeira adver-
Mdade que a accommetlia, Ihe fazia perder a ra-
ao. Porm, a proposito disto, primo Adao,
verdade, como dizem que Philax vae anda todos
s das visitar o tmulo de seu senhor, que cho-
ra e se lamenta e esgaravata a pedra com deses-
pero ?
Sim, verdade, disse eu indignado de ver
Clotilde tratar de semelhaote assumpto com tan-
ta indiferenca. Sim, Philax, visita todos os das
a sepultura de Etienne, e demora-se bastante,
absorto, assim parece, em profundos pensamcu-
03; sim, tile esgaravata a pedra egeme 1
Isio nao sao cousas que se digam ; prose-
guiu minha prima.- Na verdade, muito diver-
tido- ver asslm animaes irracionaes entrarem em
concurrencia de senlimentos com os homens I
E dingindo-se a um padre:
_ Duei-roe, por favor, senhor pregador da
trte ; que pensis a este respeito ; 03 animaes
'.rio por acaso a faculdade de sentir e pensar
como nos ?
Aquello com quem ella fallava era um homem
>aixo, mogo, magro e efleminado, que conserva-
ba um sorriso falso stereolipado sobre os labios.
A fidelidade dos caes, respondeu elle com
satisfago, a fidelidade dos caes, nao mais que
m ceg instiocto; um animal incapaz de re-
flexao, o que elle pratica levado por urna torga
iolima, que nao vem de alguma especie de ra-
iccioio.
Isio curioso e bello na verdade I replicou a
seroneza. Este pobre Philax nao sabe o que faz,
? parece comprehender I Meu primo, sois vos que
cuidis do cao, segundo creio ; sim, lembro-me,
fue o testamento do infeliz Etienne tratava so-
bre esle assumpto, singular que urna semelhan-
te clausula figurasse em um testamento 1 Pobra
Etienne 1...
A senhora baronez3 sabe, acrescenlou com
m tom adocicado o pregador, que convm per-
doar aos morios. Alm disto pouco ad.niravel
l'j j a extrema sensibilidade da senhora barooeza
ao lhe permita langar, sem comraogo, o olhar
aobre o passado E' preciso saber que, se isio
urna inelicidade para as senhoras, para nos
ma ioestimavel felicidade, que ellas tenham um
zorago fcil de eolernecer-se e perdoar 1
CAPITULO VI.
Ira da Philax desappareceu; fui procura-lo no
semiterio ; acheio moribundo junio ao tmulo
e Etienne, era um buraco que tizera quasi de-
fcaixo da peJra ; affaguei-o ; elle olhou-me com
Agradecimento, movendo a cauda. Quiz tira-lo
4'ali, porm elle resisliu, e escondeu-se do fundo
do sua pequea grata ;] depois de pouco lempo
ouri-o mover, e respirar com torga, olhei... o
bom Philax eslava morto. No lugar um tanto
escaro em que elle eslava, vi brilhar sua oolleira
e sobre ella eslas palavras : Fidelidade at a
torie 1
Pobre Philax 1 era um ceg instincto quem te
guiara?...
[Industrie el commerce Belges. E. Luna.)
| Bulla do SS. Padre Paulo III, sobre a
crcaco da irmandade do SS. Sacra-
mento da cdade de Roma, em o an-
j do de 1539.
Paulo, hispo, tervo dos servosde Deus, para per-
petua memoria desta graca e conctssao.
a Havendo Jess Cbristo Nosso Senhor de pas-
jsar deste mundo para seu Eterno Pae, na ultima
j cs, era que comeu com seus discpulos o eotdei-
ro paschal,instituto o ineffavel Sacramento do seu
Preciosissimo Corpo e Sangue, pelo qual todos os
Qeis renovassem a memoria daquelle amor eximio
j que o Senhor moslrou, chegando -se i hora de
sua sacrati8sima paixo.
a B fazendo nos, anda que sem merecimento
' na Ierra as vezes do mesmo Senhor, para que
[aquellas cousas, que pela devocao piedosa dos
fiis vemos dignamente ordenadas para venersgo
e honra deste Sacramento Sacrosanto, mais se
augmentara, e a devocao dos Qeis mais fcilmen-
te para ellas se inflame julgamos por obrigagao
premiar os mesmos Qeis com dadivas espirituaes,
e remunerar seus piedosos desejus com dons ce-
lestiaes, para com elles se fazerem mais aptos pa-
ra merecerem que o mesmo Sacramento no da
da ultima peregrinago Ibes sirva de saudavel
viatico.
8 I-
Por parle dos amados fllhos, os irmaos da
contraria do Santissimo Sacramento instituida na
egreja de Sania Mara de Minerva, de religiosos da
ordem dos pregadores, nos foi apresentada urna
petico, a qual dizia, que alguns cidados Roma-
nos, e Deis deChristo da mesma curia, pamente
considerando que a Sacratissima Eucbaristia se
tratatava com menas culto e veneraco as egre-
jas parochiaes de Roma, e se guardara em luga-
res menos decentes, e quando era preciso admi-
nistrar-se por Viatico aos enfermos e levava um
capello smeote, sem mais pompa, honra ou
reverencia, desejando atalhar este pouco respeito,
e augmentar os cultos de to alto Sacramento,
que a este mesmo Senhor se lhe desse aquella
venerago que lhe devida, ordenaram e ostilui-
ram com particular devogo urna irmandade de-
baixo dainvocacao do Santissimo Sacramento,
em a sobredita egreja de Santa Mara de Minerva.
II.
E que para boa direcjao e augmento desta
nova confraria, entre outras cousas mais, se obr-
gavam os irmaos della. e os mais que por elles
fossem eleilos e deputados, a fazer e procurar com
todo o cuidado e desvello, que este divtoissimo
Sacramento assim na egreja de Santa Mara de
Minerva como as mais parochiaes egrejas da c-
dade de Roma, se guardasse e conservasse com
aquella veneraco que devida, em lugar hono-
rfico e decente, com alampadas acezas de da e
de noite.
III.
E que se as rendas das mesmas egrejas para
isto nao baslassem, os irmaos desta confraria as
proveriam das cousas necessarias a este fim.'co-
mo tambem para se comprar um Palio a cada
urna dassobreditis egrejas, com o qual o Santis-
simo Sacramento fosse levado com mator pompa
e reverencia todas as vezes que se administrasse
aos enfermos por Viatico.
IV.
a E que o reitor de cada urna das ditas egrejas
ou quem seu lugar tiver, todas as vezes que fosse
necessario administrar esle auguslissimo Sacra-
mento a algum enfermo, a ser levado a sus casa,
seria obrigado a fazer tocar os sinos da sua egre-
ja, com certts toques, para conhecerem os irmaos
viziohos daquella egreja, moradores Da fregueza
da mesma parochia, que sao avisados e convoca-
dos para acompanharem o Santissimo Sacramen-
to, eque estes serao obrigados a acompaDha-lo
por si mesmos: e se tiverem legitimo impedimen-
to, o faro por um de seus mais dignos familiares
casa do enfermo com tochas acezas.
FOLUETI1I
8 V.
a E que os irmaos e irmas q>sta contraria ac-
lualmente existentes, dos domingos lerceiros de
cada mez do todo o auno, se ajuntarao na egreja
de Santa Mara de Minerva, e da mesma sorte,
em qualquer das mais parochias, e ah fariam
celebrar urna missa com canto ou sem elle,
qual assislirao, e ao levantar a deus, estaara
com tochas acezas.
VI.
< E que logo na sexta feira seguiote depois da
festa do corpo de Deus, tariam todos os annos
urna solemne procisso por lora, e em roda da
egrej, levando nella o Santissimo com pompa
honorfica e luzes acezas.
VII.
c E que se algum irmo desta contraria esti-
ver enfermo, o reitor da egreja de quem fdr
freguez o dito enfermo, ou quem estiver elei-
to em seu lugar, juntamente com outro irmo
da mesma irmandade por elle nomeado, serao
obrigados a visitar o tal enfermo, e a excita-lo
piedosamente a confessar-se e a receber o San-
tissimo Sacramento.
8 vni.
E que todos as semanas do anno os irmaos e
irmas desta irmandade serao obrigados a rezar
de vota meu te em louvor do Santissimo Sacramen-
to, cdco Padre Nossos e cioco Ave Maras.
IX.
s E que as mulheres que forem irmas desta
confraria, a quem nao decente andar vagando
qiela cidade para acompanhar o Santissimo Sa-
cramento, determinaro procurar, que por nos
has fosse concedido, que (odas as vezes que ou-
vissem tocar os sinos para ir o Senhor fora, re-
zando de joelhos cinco Padre nossos e cinco Aves
Maras, alcaocaasem as mesmas gracas e indul-
gencias, que aos irmaos sao concedidas : o que
tudo consta de seus documentos.
X.
E elegero para protector desta mesma ir-
mandade a nosso amado filho Alexaodre, cardeal
dicono de Santa Mara in Via lata, chamado de
Cesarinis.
8X1.
Por cuja razo, por parte dos mesmos irmaos
nos foi humildemente supplicado, que porbenig-
nidade apostlica nosdignasse-mos de confirmar
a instituico desta irmamandade e seus estatuios
para sua mais firme estabilidade e perpetua sub-
sistencia.
XII.
Por tanto, desejando nos que lo grande Sa_
cremento digno de todo o louvor e renerago so-
ja louvado e engrandecido por todos os fiis, para
por este meio poderem alcancar a salvagao eter-
na, e dando nos as grabas a Deus omnipotente de
ter principio em nosso lempo a instituico delta
irmandade lo santa, to necessaria e to til pa-
ra veneraco e culto do divinissimo Sacramento
e querendo prover quanlo com Deus podemos,
que tenha duraco perpetua, e que os fiis chris-
tossirvam a to alto Sacramento com mais de-
voQo, quanlo nos para elles, com mais ampias e
especiaos gragas nos mastrarmos mais liberaos, e
para que conhegam que por este meio polera re-
fazer-se com mais augmento de graca celestial
inclinados a suas supplicas, pelo theor das pre-
sentes de nossa certa scieocia, com autoridade
apostlica approvamos e confirmamos a institui-
co desta irmandade e todos seus estatutos pelos
mesmos irmaos estabelecidos, como em seus ins-
trumentos e documentos se contm, e outros
quaesqeer qu d'ahi se seguirm; e se nelles hou-
ver alguns defeitos de direito ou de ficto, todos,
e cada um delles os supprimos, e Ihes damos e
acrescentamos forga de perpetua firmeza; e orde-
namos que os ditos estatutos sejam firmemente
observados palos reitores das parochiaes egrejas
ou por quem seu lugar tiver, e por todos mais a
quem pertencer : e para maior cautela todos os
estatutos e mais cousas, pelos mesmos irmaos de-
terminadas e ordenadas pelo theor das presentes
com autoridade apostlica as estabelecemos, or-
denamos e determinamos para sempre.
XIII.
c E aos irmaos desta irmandade, que agora e
para o futuro existirem, e a cada um delles con-
cedemos todos e cada um dos privilegios, indul-
tos, isempgdes,liberdades, inmunidades, inclu-
OBATEDORDEESTRADA
POR
PAULO DUPLESSf^.
SEGUNDA PARTE.
gencias, aioda plenarias e remissoes de peccados
e outras quaeequer gragas espirituaes e lempo-
raes concedidas por quaesqaer # tuces romanos
antecessores, e que por nossos successore se
coocederem eos iruos das contaras daimagem
do Salvador, ad snela sanclorum da caridade de
Santiago in augusta, de S. Joo Baptitta, de S.
Joao Lairo, dos Sanios Cosme eDamiao, da na-
co Florentina : do nosso hospital do Espirito
Santo in Saxia, da ordem de Santo Agostinho e
do Campo Santo desta cidade de Roma c de Nos-
sa Senhora do Populo e das mais egrejas da mes-
ma cidade, e todas as concedidas aos Oes chris-
tos que as visitarem ; e de todas que usam e go-
zara e que poderem gozar e usar, de qualquer
sorte para o futuro, os irmaos das sobreditas con-
frarias, cujos theores pelas presentes havemos
por expresaos, como se de verbo ad verbum aqu
se declarassem, concedemos que, de agora para
sempre usem e gozem, e possam usar e gozar li-
vre e licitamente em tudo, os irmaos desta ir-
mandade do Santissimo Sacramento, como se es-
tas gracas e indultos fossem especial e expressa-
menle a elles concedidos, e para o futuro se con-
cedessem : e os mesmos sobredltos privilegios,
indultos,isences, liberdades, indulgencias, an-
da plenarias, e remissoes de peccados, e outra*
quaesquer gracas que coacedemos aos irmaos des-
ta irmandade do Santissimo pelo mesmo theor e
authordade as estendemos e communicamos aos
capellaes, ministros e pessoas da mesma irman-
dade por qualquer lempo existentes.
XIV
Concedemos tambem indulgencia plenaria
maneira de jubilu plenissimj) todos os fiis
chrisos, que entrarem nesta irmandade do Sao-
tissimo Sacramento, logo em o da da sua entra-
da, estando primeiro confossado de suas culpas,
recebendo a Sagrada Eucharislia ; e assim conce-
demos a mesma indulgencia plenaria tres vezes
no anno, e remisso de todos os seus peccados
verdadeiramonte confessados.
8 XV
Tambem concedemos 100 dias de verdadeira
indulgencia aos irmaos desta contraternidade, to-
das as vezes que acompanharem o .Santissimo
Sacramento, quando por Viatico for levado aos
eufermos, e a mesma indulgencia havemos por
bem conceder aos sobrdaos irmaos que assisti-
rcm e acompanharem o mesmo Senhor em qual-
quer outra procisso, fora do Sagrado Viatico ;
se por ventura, algum dos irmaos estiver legti-
mamente impedido para que pessoalmente o nao
possaacompaohar.se em seu lugar mandaren)
pessoa familiar de sua casa, que possa supprir as
suas vezes, em semelhante caso concedemos os
mesmos cem das de indulgencia e outras Isntas
quarentenas, e remissoes das culpas e peniten-
cias a elles Djuntas, se no da da sexta feira de
qualquer semana de lodo o anno orarem devota-
mente, ou visitaren a igreja da parochia, d'onde
tiverem a sua irmandade, e assim todas as vezes
que os irmaos desta confraria isto flzerem, con-
cedemos estas gragas e indulgencias.
8 XVI
Concedemos tambem s mulheres que forem
irmas desta contraria [ ouviodo locar os sinos
da sua parochia, em signal que vai o Santissimo
por Viatico algum enfermo), as mesmas gragas
e indulgencias que sao concedidas aos irmaos que
acompanham : e como por hooestidade lhes nao
licito andarem vagando pelas ras, para hare-
rem de ganhar estas indulgencias, serao obriga-
das a rezar de joelhos em suas casas um Padre
Nosso e urna Ave Mara devotamente. ,
8 XVII
Permiltimos e damos faculdade a todos os ir-
maos desta contraria, assm homem como mu-
lheres, que possam eleger por confessor a qual-
quer sacerdote, ou seja secular ou regular, os
quaes depois de ouvidas as suas confissdes, coo-
cedemo) e damos podtr para que os possam ab-
solver de todos os seus peccados crimes, exces-
sos e delictos por mais graves e enormes que fo-
rem, aioda que estes sejam reservados a S apos-
tlica ou ao ordinario, exceptuando aquelles que
se cuatera na bulla da ceia como restringidos e
exceptuados na mesma bulla da Cruzada, os quaes
sao os casos lt, 12,13 e 14. Tambem ordena-
mos que as penitencias que lhes derem os sobre-
ditos confessores* sejam saudaveis.
Gono4ftmos aos mesmos irmaos o poder de
olegerem tambem por confessor a qualquer dos
sacerdotes referidos para que no artigo da morte
(aluda que estas seno siga) os absolva de todos
XI
[ ContinuacUo.)
conde d'Ambron ia responder, quando bate-
ram de leve na porla do quarto.
Senhora, disse urna criada entrando, o Sr.
D, Heorique deseja ver-vos, e manda pedir que
descaes al l.
Este pedido to banal por si mesmo, mas for-
mulado com taiia grosseria, fez o conde estre-
mecer.
Est bom, Marina, diz ao Sr. D. Henrique,
que o seu desejo ser immediatamente satisfeo.
Vamos, Antonia, conMouou o conde dando o bra-
co a sua muiher, nao deves fazer esperar a um
hospede to distincto.
A irona com que o Sr. d'Ambron pronunciou
astas palavras exprima urna vontade assas im-
periosa, a que a moga nao ousou resistir; pois
feem comprehendia que a jnenor apparencia de
pposigo oo faria mais do que augmentar des-
proporcionadamente a irrtago de seu ma-
ndo.
Mrquez, disse elle penetrando na sala em
fue se achava o Sr. d'Hallay, aqu tendes a se-
hora condessa prompta a receber as vossas or-
lens.
O marquez inclinou-se com respeito ante a
condessa ; voltando-se depois para o conde dis-
se-lhe framente com um accentoque tena msl-
aogrado a sagacidade do melhor diplmala, tanto
era iseoto de qualquer suspeita:
Permitti-me, senhor, nao acceitar a inter-
pretago que involuntariamente sem duvida des-
tes s minhas palavras. Nao nz mais do que en-
carregar Marina de informar-se da senhora con-
dessa se dignar-se-hia conceder-me a honra de
receber antes da minha partida a expressio dos
meus respeitosos agradecimeotos peta sua hospi-
tolidade. Suppunha, e anda supyonho, que se-
soelbante passo era de meu restricto de ver, e exi-
gido por todas as conveniencias da polidez. Se
porm a criada, nao sffeila as etiquetas e uzos da
boa sociedade, entendeu mal e mal tranamiltio a
minha mensagem, parece-me que nao devo ac-
earretar com a responsabilidade do seu desazo e
ignorancia.
H VnJe Otario a. 158.
Estas longas explicages, que provavam clara-
mente iniencdes mu pacificas da parle do Sr.
d'Hallay, causaram tanta alegra a Antonia como
admirago ao conde d'Ambron, que na sua lealda-
de nao pdedeixarde balbueiar algumas palavras
de desculpa.
Neste caso tencionaes partir j, Sr. D. Hen-
rique ? perguntou a condessa.
Logo depois do almoco, minha senhora.
O marquez fez urna peque'ua pausa ; depois con-
tiouou com apparencia ao mesmo tempo polida e
iudilTerente:
Folgo de ver que a vossa sbita indisposi-
eso de bontem nao leve maioresconsequencias
hstaes esla manha, senhora, radiante de saude e
belleza : ser-me-ha acaso permiltida a honra de
almogar comvosco, ou voltees de novo para o
vosso quarto?
Esta pergunta, comprehendida as mais per-
mitas regras da conveniencia, pareceu ao conde
occuliar urna iotencao irnica ; assim appressou-
se elle a responder:
Eslavamos j para. descer quando Marina
nos fui chamar de vossa parle. Antonia, ordenae
que esteja tudo prompto quanlo antes, por-
que o senhor marquez se acha bastante sobre-
carregado de oceupagoes, e os minutos lhe pare-
cen! horas.
Nao foi sem demonstrar alguma hesitacao que
Antonia sahiu da sala, a que vollou logo com urna
precipitago mal dissimulada. Durante a sua
ausencia os dous mancebos nao haviam trocado
entre si urna s palavra.
Pouco depois foi servido o almogo, e todos se
pozeram mesa. O marquez d'Hallay, assenta-
do defronte da porta que ficara escancarada, pa-
reca prestar toda sua a ttencao ao que se pas-
sava da parte de fra. Essa distracgo nao del-
xava de ser muito natural, porque a sua tropa
vlnha pouco a pouco, e por grupos separados,
chegando a frente do rancho, lugar designado
para a reunio.
Sbito o seu semblante at entoimpasslvel ani-
mou-se com urna singular expresso de alegra ;
e voltando-se para oSr. d'Ambronencetou acn-
versago com modo desabrido.
Realmente, conde, sinto que a vossa exis-
tencia sentimental e pastoril,' nao ros permita
fazer parte dos nossos; pois que acharieis na
nossa corajosa oxpedigo essas commogdes o
aventuras que a Europa vos recusava, e que vies-
tes procurar em paizes desconbecidos e longin-
quo. Forgoso porm, desistir do prazer de
ver-vos as nossasflleiras.... To feliz sois nesta
vossa nova coodigo de pastor amoroso que a
gloria para vVj nao tem attractivos I
O conde besiloa antes de reiponder; descon-
fiava de seu odio, e receiava tomar por irona o
que talvez cao paseaste de um gracejo inno-
cente.
Em caso algum, senhor, (aria parte dos
rosaos.
os peccados e censuras ; advertindo que a facul.
dada que concodeaos a estes ismaos de poderes
eleger confessor a qualquer sacerdote, e gmen-
le tres vei6t no anno, sem se entender o artigo
da morte, porque em caso semelhante Ih'a conce-
demos todas as vezes que elle acontecer.
8 XVIII
Damos e concedemos pleno poder aos paro-
chos, que sao os principaes administradores das
irmanddes que juntos em mesa cora os irmaos
desta confraria, possam ordenar e fazer de novo
quaes lcitos e honestos estatutos, leis e ordena-
res, dirigido tudo ao bom governo_e prospero
estado da irmandade, e for concernenle a obser-
vancia de cada um, assim as cousas temporaes,
como as espirituaes : de tal sorte que tudo isto
podero fazer todas as vezes que a elles lhes pa-
recer ser conveniente, e necessario, porque por
virtude destas ledras apostlicas lhes concedemos
a faculdade de mudar, alterar, limitar, emendar,
declarar, modificar e reformar para augmento e
melhor estado da confraria ; porem com deca,
rago, depois que os parocbos e irmaos tiverem
onvindo e ajustado oas cousas que devem ser
mudadas, declaradas, modificadas e reformadas-
eo ipso, seja ludo apresentado S apostlica pa-
ra se confirmar, e d'ahi em diante se observar
como leis, ordenagdes e estatutos annexos ao
mesmo compromisso e assim o mandamos por
nossa autoridade apostlica que tudo se observe
como no iheor desta se cootem : e sem approva-
co nossa ordenamos que o que se fizer, innovar
esja irrito e de nenhum vigor.
8 xix.
Da mesma sorte que concedemos e outorgamos
to plenos poderes, faculdades, concessoes, gra-
gas, indultos e prerilegios dos irmaos da irman-
dade de Santa Mara de Minerva, e as mais que
na cidade de Roma se erigiram, e seguiram o
seu exemplo, nossa vontadn que desles privi-
legios, indultos, gragas, concessoes, faculdades e
plenos poderes gozem e sejam participantes,
tambem todas as mais irmanddes do SS. SS.,
que se acham erigidas por toda a chrislandade e
de novamente se ioslituirem, em honra e aug-
mento dos cultos do mesmo Senhor, para que
cada um desles irmaos se animem a servir e ve-
nerar com maior fervor a tao alto como sauda-
vel Sacramento e sigam os mais fiis o exercicio
da sua devogo, e Imiltem obra to exeraplar,
pelo que queremos e ordenamos que qualquer
dos irmaos do SS. SS. da confraria onde se achar
fora de Roma ou em qualquer parte do mundo,
possa gozar e usar de todos os sobroditos privi-
legios, gragas, indulgencias que com to larga
mo e pleno poder concedemos aos primeiros
irmaos do Santissimo na egreja de Santa Mara de
Minerva,como tambem todas e quaotas indulgen-
cias concederom daqui por diante os nossos sus-
cessores a esta e a outras contrarias do Sacra-
mento : o que tudo assim mandamos, ordenamos
e concedemos por virtude das presentes leltras
de nossa authordade apostlica.
8 xx.
Ordenamos por eslas nossas leltras apostlicas
que os irmaos de qualquer irmandade do San-
tisaimo Sacramento, sem limitte nem restriego
alguma gozem de tolas as gragas'-e indulgencias,
que nossos predecessores tem conseguido e os
mais pontfices romanos nossos successores hou-
verem de conceder, anda que para o contrario
baja expressas revogages e modficagoes de in-
dulgencias, ou leltras apostlicas, semelhantes
ou dissemelhantes, anda por nos mndalas e
exibidas, como tambem por nossos successores
ou enviadas em observaocla das regras da chan-
cellara apostlica, em qualquer tempo passado,
ou sejam a favor da fabrica da Baslica do prn-
cipe dos apostlos da mesma cidade de Roma ou
da bulla da santa cruzada pois queremos que, de
oenhuma son semelhantes clausulas irritantes
possam comprehender os irmaos do Santissimo
Sacramento, e assim ordenamos por estas nossas
leltras apostlicas que sejam exceptuados ejul-
gados. No caso que aconteca que alguus juizes
apostlicos com poderes de qualquer authorda-
de se queiram intrometler, tirar de alguma sorte,
julgar interpretar lo ampios privilegios, que a
estes irmoe do Santissimo concedendo, aioda
que os laes juizes pretendam julgar e defferr
com faculdade ou autoridade, quanto aos mes -
.mos irmaos lhes concedemos tudo que intenta-
rem fazef, e for contrario a semelhantes privile-
gios, damos por irrito e de nenhum vigor. Que-
remos e ordenamos tambem que os transsump-
tos destas nossas leltras apostlicas, subscriptas
por mo propria de um notario publico, e com o
seto de qualquer cur<, tribunal eeclesistico, ou
pessoa constituida em dignidade ecclesiastica, se
lhe d a mesma f e crdito, no caso que forem
apresentados em juizo ou fora delie, da mesma
sorte que os proprios originaes foram passados e
expedidos por nos.
XXI.
Pelo que mandamos a todos os nossos vene-
raveis irmaos patriarchas, arcebispos, bispos e
amados abbades, nossos tilhos, como tambem a
ouiras pessoas constituidas em dignidade eccle-
siastica, aos metropolitanos e cooegos de outras
igrejas cathedraes, e aos vigarios e mais officiaes
Ah I e porque 1
Porque nao approvo o fim, a que tos di-
rigs.
E' verdade, conde : esquecia-me que sois
um prototypo de virtudes I
Senhor marquez 1
Oh 1 nao vos enfadis, Sr. d'Ambron : fa-
go justiga ao vosso mrito I Deveis convir que
digno de todo o elogio o homem que levou o
seu escrpulo ao ponto de querer entregir-se ao
mero pasastempo de um amor banal seno de-
pois de faze-lo sanecionar pela bengo de um
sacerdote I
Desta vez j nao poda haver duvida ; era
urna disputa que o marquez provocava. Toda-
va o conde procurou reprimir os seniimenlo vio-
lentos que lhe agilavam o sangue, e responden
com apparencia da mais completa traoqulllidade
A vossa residencia em S. Francisco, Sr.
marquez, lem bastante alterado o conhecimeoto
que lindis da lingoa hespanhola : muito me
custa agora a comprehender-vos I Teode a bon-
dade fallar em francez : a Sra. condessa o per-
mute.
De boa vontade, senhor.
O conde revistio-se do modo o mais smavel,
e encarando bem o seu interlocutor proseguio :
Em nome da benra da nossa patria com-
mum, se sois um infame, moslrae pelo menos
agora ser um homem bom educado I Lembrae-ros
que estaes em presengade urna senhora I......
Nao mudis assim de cor, Sr. marquez : deste
modo daes a perceber o objecto da nossa discus-
so. Tende a bondade de nao rae interromper ;
fallareis daqui a pouco. Estou bem informado
da conducta ignobil que tivestes para com a mu-
iher que possue hoje o meu nome : era o que
se devia esperar do assassino de Evans I......
Tranquillidade, senhor : aioda nao acabei.... Se
estivessemos ua Europa, Sr. d'Hallay, de certo
que nao vos dara a honra de medir-me comvos-
co n'um duello.... Aquio caso muito difieren-
te : a minha desculpa est na vossa propria in-
mia.^porque um homem como vos capaz de to-
dos os crimes n'um paiz onde nada tem que temer
da lei. Declaro-vos alm disto que nao conside-
ro um duello, mas sim um combale de morte. o
encontr que havemos de ter. Sois para raim
um perigo que a prudencia manda anniquillar,
e afastar do meu caminho, como se faz a um ti-
gre ou a urna panthera; e nao um homem, meu
egual.a quem pedira ou concedera a reparago de
um insulto Deixo-vos a escolha das armas, e
pens que intil procurar padrinhos. O que
decids f
O Sr d'Hallay, a quem Antonia nao perdia de
rala, eslava lvido.
Sr. conde, a vossa prelengao eslravagante
ao monopolio da hooestidade e da honra to
ridicula que nao merece o trabalho de ser refu-
tada ? E depois urna discuseo qualquer mal se
acommodaria com a minha impaciencia : vou di-
reito ao fim. Nossas armas serio aa de que se
uza no deserto: a carahina e a pistola Con-
sents ?
Consiuto : quanto ao modo do combate?...
Urna distancia de cem passos entre ambos,
com a mutua faculdade de encurta-la nossa
vontade at o mais que for possivel.
Muito bem ; onde e quando vos encon-
trare! ?
Na entrada do jardim do rancho, daqui a
um quarto de hora.
Esperae, senhor, disse com vivacidade o
conde vendo o adversario levantar-se grosseira-
menle, urna partida to repentina pode (desper-
tar aa sospeitas de minha muiher.
Antonia seguir com muita attengo a mudan-
es das pbisionomias dos dous interlocutores :
sua pallidez dava a entender que nao lhe escapa-
ra a menor circumstancia desse drama intimo.
Sr. D. Henrique, disse ao marquez d'Hallay
quando dous minutos depois esle a saudava e
despedia-se della, Sr. D. Heorique, a vossa con-
ducta Infame, e ficae certo de que Deus vos ha
de punir !....
Antonia exclamou o conde interrompen-
do-a com violencia : nao accrescentes mais urna
palavra, eu l'o pego, e se preciso forordeno l
Oh I Tranquillisa-te, Luiz : eu sei o que
deves a ti mesmo I Tua honra nao por vonlu-
ra minha tambem ? Nao receies que eu te v
impedir.... Mas deixa-me lembrar a este ho-
mem, a quem vaes punir, que eueu que o de-
testava. eu a quem a sua presenga fazia empal-
lidecer de indignago e de horror, velei durante
seis semanas junto ao seu leito de aoffrimentos I
Deixa-me lembrar a este homem que muiher,
cujo marido elle pretende agora matar, quedeve
o nao ter suecumbido aos golpea de Panocha I
Deixa-me repetir-lbe que Deus nao consentir
que fique impune tanta malvadeza, tanta ingra-
tido, e vileza I
Seria impossivel exprimir o furor que ao mar-
quez causaram estas palavras da moga. Nao
obstante, um respeito involuntario, de que nao
era senhor.o forgou a abaixar a vista ante o olhar
indignado da condessa.
Devo sempre esperar-vos, senhor conde?
perguulou elle com ar irnico.
Sim,senhor: dereis espera-lo I respondeu
Antonia. ^
Ohl 6*Dem interessante I A senhora con-
dessa encarrega-se por si mesma do papel de
teslemunha 1
Luiz, auppco-te que nao repares nesse
gracejo 1 exclamou ella allrshindo o espozo a seus
bragos. A falsa alegra deste homem prova que
elle est desesperado por oio poder ferir-te nem
mesmo no leu orgulbo : pensava que com lagri-
mas, gritos e supplicas eu collocar-te-hia n'uma
posigo ridicula I Nao preciso ter-se recebido
a educago das cidades para comprehender-se
garaes em qualquer parte constituidos e assis-
teoAjas, por mandado a autoridade dos mesmos
patrjarchas, arcebispos bispos que sendo-lhes
presentadas estas nossas latirs apostlicas, por
parte dos irmaos da contraria do Santissimo Sa-
cramento, anda que sejam por um ou dous da
mesma irmandade, e nao s por si como por al-
guma ou outras pessoas onde quer que estive-
rem e forem requeridos da parte -desles irmaos
tolas as vezes que lhes forem neceisario, fagam
observar todas as cousas comidas nesta /ossa
bulla e coDstlluigo, a quem concedemos facul-
dade e confunmos todo o poder para que com
toda a solemoidade assim o publiquen! e com
sua autoridade assistam econcorram em presidio
de sua efflcaz detenga, de tal maneira que elles
irmaos gozem pacificamente todas as gragas, in-
dulgencias e privilegios que por vrlule destas
Ultras apostlicas lhes concedemos.
XXII.

Mandamos com autoridade apostlica aos mes-
mos patriarchas, arcebispos, bispos, metropoli-
tanos, conegos das cathedraes, abbades e viga-
ros geraes dos sobreditos, que nao permittam
que estes irmaos sejam em algum tempo moles-
lados de alguma maneira contra o theor destas
presentes letlras, e quando baja alguem que se
aitrova vexar ou tirar da possa de seus pri-
vilegios aos mesmos irmaos, lhes ordenamos que
logo procedam contra os transgressores cont re-
beldes para o que lhes damos poder e faculdade
de os obrigar com censuras aggravando as mais
penas por vezes repetidas ; e no caso que per-
sista na sua conlumazia lhes perrailtimos a licen-
ga de pedirem, (sendo necessario) ajuda de bre-
go secular.
XXIII.
Tambem ordenamos que nao obstante a bulla
ou coostituigo de nosso predecessor Bonifacio
> III de gloriosa memoria, na qual manda que
nenhuma pessoa seja levada ou trazida juizo
fora da sua cidade ou diocese, nem sejam cha-
mados a audiencia publica, pelos juizes ainda
deputados pela s apostlica fora da cidado ou
diocese de onde assistirem, nem presuman) com-
raetier as suaa vezes outros mioistros que bajara
de proceder contra os que lhes nao obdecerem,
supposto que a tal ordem emanasse do concilio
geral para se executar contra os que esto na
distancia de orna ou tres dietas; por autoridade
das presentes leltras apostlicas, mandamos quo
nenhum destes irmaos seja compellido ou obri-
gado a comparecer em juizo ainda que para isso
se passem algumas lettras apostlicas, ou outras
de qualquer concilios assim provinciaes, como
sinodaes, ou ainda corroborados por coostitui-
goes geraes, ou especiaes, ordenagdes privile-
gios ou causa derogatorias que de alguma ma-
neira possam inquietar ou tirar da sua posse aos
mesmos irmaos da confrateroidade do Santissimo
Sacramento por que todas que forem contrarias
aos privilegios e gragas que lhes temos concedi-
do, todas cassamos e annullamos, supposto que
as taes sejam passadas debaixo de quaesquer
pretextos, theores, e formas, que paregam de-
rogatorias, e ainda irritantes, ou decretos con-
cedidos, e approvados, e innovados, todos os
quaes, e seus theores, queremos por esta vez
somonte oo tenham algum vigor, e assim to-
talmenle derogamos pelas nossas presentes lettras
todas as clausulas, bullas, ou decretos em con-
trario : e para que em todo o tempo se devam
conservar nos seus privilegios estes mesmos ir-
maos, havemos aqu por expressos, e declara-
dos, como sa fossem de verbo ad verbum-, todos
os indultos, e privilegios contrarios aos que con-
cedemos aos taes irmaos; e assim oossa von-
tade, que se conservera, e permanegam em seu
v'gor, e os mais havemos sufficientemente de-
rogados, e todos os mais, que de qualquer sorte
forem anoulatorios aos que lhes concedemos, por
quanto assim especial, como expressamente que-
remos,, que nao tenham algum vigor.
Pelo que se a alguns assim em commum,
como dvlsivamente fdr concedido algum indulto,
o qual tenha forga pelo seu theor de poder pro-
hibir ; suspender, ou ainda excommungar, nem
por isso podero ter vigor semelhantes decretos,
ou bullas pjra obrigar a comparecer em juizo a
estes irmaos assim fra como dentro de cerlos
lugares, seno fizerem expressa menso de ver-
bo ad verbum destas nossas lettras apostlicas,
que benignamente concedemos aos sobreditos ir-
maos desde agora,* como para sempre.
XXIV.
Finalmente, ordenamos que a ninguem seja.
licito contradizer, ou encontrar esta nossa cons-
tituigo, bulla, decreto, indulto, concesso e ulti-
ma vontade, por qualquer causa ou pretexto,
porque reputamos por alrevimento temerario:
mas se alguem presumir, ou intentar fazer o
contrario, o damos por incurso na indiguago
do Dos Omnipotente, e dos bemaveoturados
apostlos S. Pedro e S. Paulo.
Dada em Roma no aono da*encarnagio do
Nosso Senhor Jesu Christo, de 1539, aos 30 dias
do mez de novemkro, e no sexto anno do nosso
Pontificado.
isto. Mas il ludio -se 1.... Seno fosses um leo,
meu adorado Luiz. se a tua eoragem precisasse
de um estimulo, seria eu a primeira a excitar-te
ao combate...... Lembra-te do que te eu dizia
hontem : pertengo a essa valeoteraga hespanhola
que nao recua ante um sacrificio qualquer logo
que a honra se acha compromettida. Nao pro-
curo conter-te 1 E para que nao duvides da im
mensidade do meu amor, devo confessar-te que,
se me acho lo tranquilla e confiada porque os
meus presentimenlos, que nunca me engaara,
me dizem que nao corres perigo algum, e que
este homem vae morrer I.... Adeus, Luiz, al
j I Aqui esto as tuas armas: vael
A moca tinha fallado com urna vivacidade to
arrebatadora, a sua animago tinha o que quer
que fosse de to absoluta, que os dous adversa-
rios eolevados nm no encanto, outro oa autori-
dade da sua palavra, a escutaram em silencio
sem procurar interrompe-la.
O conde apressou-se em aproveitar-se da li-
berdade to inesperada que lhe conceda a sua
espoza.
At j, querida espoza 1 disse elle levando
os labios sa fronte. Os leus presentimenlos
oo te illudem : breve estarc de volts.
A prosenga do marquez impunh* reserva
ternura do conde: assim afastou-se sem voltar
para aportar novamente entre seus bragos a sua
adorada Antonia, como lhe pedia o corago.
Apenas sahiram os dous adversarios a condessa
rebentou em solucos: o seu heroico esforgo tinha
desapparecido.
Cabio de joelhos e volrendo para o cu oa lin-
dos olhoe hmidos de lagrimas, exclamou :
O'meo Deus I Protegei meu espozo......
salvae-o I Esse bomem vae mata-lo I.... Meu
Deus I Meu Deus 1..,.. Se tem de accontecer
alguma desgraga, afastae-a de Luiz...... caa
smente sobre mim o pezo da vossa severida-
de.... talvez eu vos tenha offendido sem saber I
Puni-me.... eu me submetterei a minha sorte
sem murmurar! A minha resignago nunca se
desmentir 1 Mas por piedade salvae Luiz...
salvae-o, senhor I
Um pensamemo terrivel augmentou o deses-
pero do Antonia.
Se a sorte das armas for contra elle, suc-
cumbir com a idea de que fui eu a autora da
sua morte; porque em lugar de coote-lo eu
mesma o impelli para o combale 1 Ohl que nao
podesse elle ver o desespero sem nome que des-
pedscava-me o corago I mas receiei que o es-
pectculo das minhas angustias lhe enfraquecesse
a eoragem. Nao posso agora comprehender
como Uve torgas para affectar tanta tranquillida
de, tanta seguraoga I E esses preseniimenlos
de que fallei, e que eu disse annunciarem-me a
sua prxima victoria...... mentira 1 eu nao os
liara 1___ Siml Luiz vae morrer 1.... Pieda-
de, senhor I piedade I Talvez j esteja morto....
Oh! *E eu que deitei-o partir I Quero ve-lo...
quero impedir que se bala... quero... sim...
Antonia, dominada por urna xallago que se
aproximava ao dilirio, levantou-se de um salto e
arremessou-se para a porta; mas aa commogdes
violentas porque acabava de passar lhe tinham
quebrado as torgas; e ella cahio no chao fria,
paluda, inanimada 1
Naquelle mesmo instante Grandjean penetrava
no rancho: o primeiro objecto que lhe ferio a
vista foi o corpo da desventurada jazendo por
trra.
Um assassinalo I exclamou elle. Oh:
horroroso! Nioguem mata assim urna muiher, a
menos que nao seja algum pelle vermelha.... o
para isso preciso aer levado derradeira extre-
midade I
O Canadiano inclinou-se para Antonia e pon-
do-lhe a mo sobre o corago, murmurou:
Ainda bate! E' apenas sm desmato. Nao sei
porque razo as mulheres ho de estar sempre a
perder os sentidos por qualquer cousa De que
lhes serve isso 1.... Pobre Antonia! Nao vale
mais do que as outras pois pena...... Ora,
qual penal Por minha f 1 que melber assim:
torna-ie mais fcil a minha tarefa.... Oh! rolla
a si.... Bom dia, D. Antonia.
A pobre moga fixou sobre o Canadiano um
olhar desvairado, e levou alguns instantes para
reconhece-lo.
Ah s t, Grandjean ?.. Luiz.. meu Luiz...
onde est elle? Vena annunciar-me a sua morte?
Nao, senhora.
Mas ento onde est? Responde....
O Sr. d'Ambron procura neste momento
com D. Heorique um lugar que convenha a am-
bos para concfuirem a sua pendencia.
E sabes onde elles esto agora?
Sei,
Ainda nao se bateram ?
Ainda nao.
Ohl vem.. guia-me.. conduz-me para jun-
to delles.. eu me agarrarei aos seus joelhos,
supplicar-lhes-hei, laogar-me-hei entre elles..
tanto farei at que se nao bao de bater.. e a t
recompensarei generosamente I Oh I conduz-me,
Grandjean, conduz-me para o lugar onde se
acham....
O gigante pareceu hesitar; mas lomando logo
urna resolugio, disse fallando comsigo mesmo :
Apre! Seria um asno perfeilo se me nao
aprovoitasse de to boa occasio I.. urna occasio
que se aprsenla sem que eii a livesee provoca-
do Daqui a una quatro mezes serei adjunto do
Maire de Villequier I
, E acerescentou voltando-se para Antonia, a
elevando a voz:
Seohorita, estou prompto a conduzir-vos ao
lugar em que esto esses seonores.
Deus queira que chagemos aiada a tempo.
Havemos de chegar ; descangae. Esses ca-
valleiros sahiram a p, e eu estou com o meu
cavallo ali sellado e eareiado : montareis na ga-
rupa, e dentro de alguna minutos l chegaremos.
(Conttnuor-se-Ao.)
PWLH.-- TTP. D1.H. f. 01 FHU.-861,
t

]
-----.------


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EI7MRIWBP_TDKJ0G INGEST_TIME 2013-04-30T23:22:34Z PACKAGE AA00011611_09336
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES